Page 1

Junho 2012

C C . EN A C l u s te r Connecting Classrooms (CC)

Número 3 Versão portuguesa

Jogo de Futsal solidário a favor da APPACDM

TwinSpace >>>>>

Nesta edição: Jogo de Futsal

2

T-shirt ENA Cluster

8

Visita a Londres

11 © Tiago Silva, Ricardo Cunha, ESPL

Biblioteca CC

12

Dia Olímpico República Checa

13

CC na ESJGFA

14

Mote: solidariedade! Visado: APPACDM de Braga. Resultado: Festa, pura diversão e 1858 euros para a APPACDM © Tiago Silva, Ricardo Cunha, ESPL

Testemunho… Andreia 16

18

Shakespeare - escola República Checa

21

CC na Qualifica

22

Momentos de Poesia

23

CC e a arte

24

os

jovens para a importância da soli-

Mendes

CC na ESCA

A ideia era simples. Sensibilizar

dariedade e para a consciencialização de que cada um, individualmente, pode fazer a diferença. A equipa ENA Cluster foi convidada a encontrar uma instituição que necessitasse de apoio e a organizar-se de forma a poder fazê-lo. A © Tiago Silva, Ricardo Cunha, ESPL

encontrado foi o da organização de um

instituição eleita foi a APPACDM e o meio

“Jogo de Futsal de celebridades” que desse

visibilidade à causa defendida. Assim, o pavilhão desportivo da Universidade do Minho, em Braga, ficou repleto no dia 8 de junho para assistir ao jogo e às danças, encenações e atividades desportivas de escolas do ENA Cluster, às quais se juntaram um grupo de utentes da APPACDM e um CC-Connecting People

26

de alunos da Escola EB2,3 André Soares. Esta ação levou à angariação de fundos que foram integralmente entregues à APPACDM, Braga.


Página 2

CC . E NA Cl us te r 8 de junho de 2012 em imagens

“Este é um projeto

para desassossegar as consciências. Façamos com que os nossos alunos se tornem adultos Ana Isabel Silva & Alexandre Peixoto, ESPL

Escola Sec. Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves

Escola EB2,3 de Mosteiro e Cávado

Escola EB2,3 de Matosinhos

atentos e solidários.” Teresa Lacerda, ESPL

“Connecting Classrooms um projeto contagiante de

Escola EB2,3 de André Soares

Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso

aprendizagem em contexto real.” Ricardo Rodrigues, ESPL

Escola Secundária das Taipas

Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso

Todas as fotografias desta página são da autoria de Tiago Silva e Ricardo Cunha da ESPL


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 3

Jogo de Futsal a favor da APPACDM O jogo de futsal solidário a favor da APPCDM contou com a colaboração de várias escolas do ENA Cluster e de outras escolas de Braga, bem como a participação de um grupo de jogadores bastante diversificado, uma vez que jogaram quer adultos ligados ao desporto e ao projeto, quer jovens provenientes das escolas.

Um dos jogadores

cuja presença foi notória foi o Neno, antigo jogador do Vitória de Guimarães, que, para além de ter sido fortemente aplaudido por toda a plateia, mostrou-se sempre bastante recetivo, distribuindo sorrisos e autógrafos, no final. Todos aqueles que quiseram ver o jogo, contribuíram com 1€, sendo todo o dinheiro angariado utilizado de forma a ajudar aqueles que mais necessitam através da APPCDM. Antes do começo do jogo, foram várias as atividades que deliciaram todos aqueles que se encontravam no complexo desportivo da universidade. Todas essas atividades tinham sido previamente preparadas pelas várias escolas e estavam relacionadas ou com artes performativas ou com o desporto. É claro que

a nossa equipa nacional de Rope Skipping, a representar a Escola Secundária de Caldas das Taipas, foi alvo de manifestações de carinho especiais. No entanto, todas as atua-

ções foram, sem dúvida, muito apreciadas e

© Escola Secundária de Caldas das Taipas

aplaudidas por todos. No decorrer do jogo de futsal, os espetadores presentes na plateia procuraram constantemente motivar os jogadores com aplausos e gritos de incentivo. Apesar de apenas ter ganho uma das duas equipas participantes (a das t-shirts brancas, que venceu a equipa do Neno por 4-1), ambas fizeram uma boa exibição e mostraram um enorme espírito de solidariedade. Esta foi, sem dúvida,

uma atividade em nome de uma causa extremamente nobre e que mereceu um grandioso aplauso de todos. Ana Catarina Ferreira, 10ºC Escola Secundária das Taipas

© Escola Secundária de Caldas das Taipas


Página 4

CC . E NA Cl us te r 8 de junho de 2012

“Foram todos espetaculares! Estão de Parabéns! Conseguiram envolver, dinamizar, organizar e ser solidários!”

Rosa Maria Costa,

Vídeo produzido por Rosa Sousa, ESPL, em >>>>>>

APPACDM

Todas as fotografias desta página são da autoria de Tiago Silva e Ricardo Cunha da ESPL


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 5

Jogo de Futsal a favor da APPACDM Equipa “Somos solidários” - Jorge Braz (Treinador da Seleção Nacional de Futsal) - Agostinho Oliveira (Treinador de Futebol) - Neno (EX-jogador VSC) - Rui Tata (Escola de Futebol Fair Play) - João Cardoso (Ex-jogador SCBraga) - Barroso (Ex-jogador SCBraga) - Luís Rodrigues (Presidente do Comité Organizador do Mundial) - 3 alunos ligados ao Projeto Connecting Classrooms: - Joana Coimbra – Escola Sec. da Póvoa de Lanhoso - Tiago Soares – Escola EB2,3 de Mosteiro e Cávado - Renato Filipe Lopes – Escola Secundária das Taipas Equipa “Também somos solidários” - Pedro Dias (Vice presidente da FPFutebol ) - Jorge Borges (Treinador de Andebol Águas Santas) - Carlos Resende (Treinador de Andebol ABC) - Armando Fitas (Professor de Dança do Populum) - Melissa (Atleta da seleção nacional de futebol feminino) - Carlos Silva (Administrador dos serviços sociais UMinho) - Hélder Castro (Presidente da AAUM) - 3 alunos ligados ao Projeto Connecting Classrooms: - Filipe Menezes – Escola Sec. Carlos Amarante - Ruben Santos – Escola EB2,3 de Matosinhos - Pedro Ferreira – Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves Árbitro da partida: Paulo Parati

Equipa: Somos

Solidários

© Tiago Silva, Ricardo Cunha, ESPL

Equipa: Também

Somos Solidários

© Tiago Silva, Ricardo Cunha, ESPL

Duas turmas da Escola Básica de Matosinhos (8º F e CEF EC) participaram no jogo de solida-

riedade a favor da

APPACDM. O aluno Rúben dos Santos integrou a equipa vencedora como guarda-redes. As alunas Ana Lopes, Beatriz de Sousa, Catarina Danho, Daniela Simões, Inês Faria, Mariana Magalhães e Raquel de Almeida ensaiaram uma coreografia para apresentar no início do jogo. Esta atividade foi um grande sucesso, tendo agradado bastante aos alunos. Estes tiveram a oportunidade de contactar com alunos de outras escolas que integram o projeto e desenvolverem o seu sentido de solidariedade e respeito pelo outro. Andreia Mendes, EB de Matosinhos


Página 6

CC . E NA Cl us te r 8 de junho de 2012

Todas as fotografias das páginas 6 e 7 são da autoria de Nuno Gonçalves da UM Dicas—Obrigado pela autorização de publicação.


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 7

Jogo de Futsal a favor da APPACDM

Organização: Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso Colaboração na organização: British Council, Direção-Geral de Educação (DGE), Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), Universidade do Minho, Escolas Secundárias Carlos Amarante, Caldas das Taipas & Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves, Escolas EB2,3 de Mosteiro e Cávado, Matosinhos & Paranhos Apoios: SolTrópico - Agência de Viagens, Tony Miranda, TUB - Transportes Urbanos de Braga, Câmaras Municipais de Braga e da Póvoa de Lanhoso, APEFB - Associação de Profissionais de Educação Física de Braga, Escolas EB2,3 André Soares, Francisco Sanches & Lamaçães, Colégio Teresiano, Escolas Secundárias D. Maria II & Sá de Miranda, Externato Carvalho Araújo, APPACDM, Escola Profitecla, todos os professores, alunos e funcionáLogotipo: © João Paulo Peixoto Pereira, ESPL

rios das escolas envolvidas que colaboraram, jogadores, treinadores, árbitro e todas as personalidades que a título individual e de forma solidária colaboraram nesta causa.


Página 8

CC . E NA Cl us te r Concurso “T-shirt ENA Cluster” - Matosinhos As turmas 8ºF, CEF OI (Curso de Educação e Formação de Operador de Informática) e CEF EC (Curso de Educação e Formação de Empregado Comercial) participaram na atividade da criação da t-shirt “Connecting Classroooms”. Foi grande a adesão dos alunos, tendo sido entregues 24 modelos de T-shirts para concurso

“A Escola EB2,3 de

Matosinhos teve uma participação record com 24 modelos apresentados na 1ª fase. Destes foram selecionados 10 exemplares que integraram o concurso sujeito a uma votação através da Internet.”


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 9

Concurso “T-shirt ENA Cluster” O concurso “T-shirt ENA Cluster” foi uma iniciativa promovida pelo ENA Cluster com o objetivo de criar uma T-shirt identificativa do grupo. Foram muitos os candidatos. A todos fica aqui

um agradecimento pelo empenho colocado nesta atividade.

o importante é participar… a este nível foram todos excelentes. Houve, contudo, um vencedor: Parabéns ao Francisco Como é apanágio do CC,

Manuel Vale, aluno da Escola Secundária Carlos Amarante.

… ainda a Escola EB2,3 de Matosinhos...

VENCEDOR

Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso

Escola Secundária Carlos Amarante

Escola Secundária Carlos Amarante


Página 10

CC . E NA Cl us te r Concurso “T-shirt ENA Cluster” Escola de Bentley Wood

Para além das escolas portuguesas do ENA Cluster participou a Escola de Bentley Wood, do Reino Unido.

Escola EB2,3 de Paranhos Parabéns a TODOS os

Escola Secundária de Caldas das Taipas

participantes… para o ano novos desafios surgirão!

Escola EB2,3 de Mosteiro e Cávado

Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 11

Connecting — LONDON — Classrooms No dia 17 de Março começou a aventura… Partimos para Londres no âmbito do Projeto Conneting Classrooms. Ana Rita Martins, Ana Alves, Daniela Gonçalves, Rebecca Jäger, alunas das turmas 11ºC e P16 do curso de Audiovisuais, da Escola Secundária da © ESPL

“Bentley Wood tem alunos oriundos de todos os cantos do mundo.”

Póvoa de Lanhoso, realizaram uma visita de estu-

Ana Rita Martins & Rebecca

do a Londres, entre 17 e 21 de Março, acompanhadas pelas professoras Cristina Santos

Jaeger, 11ºC, ESPL

e Rosa Carvalho, no âmbito do projeto Connecting Classrooms, e com o objectivo de partilhar experiências dentro de um projecto comunitário. As expectativas eram muitas e foram superadas! Somos alunas de audiovisual e o que vimos em Londres ultrapassou tudo o que esperávamos. Outro mundo, muito para ver e fotografar, visitar lugares que estamos habituadas a ver na televisão (Big Ben, Buckingham Palace, London Eye, …). Apesar do cansaço, a vontade era de não parar, poder ver ainda mais…Viemos cheias de ótimas recordações e, ainda mais, quando receosas das atividades na escola de Bentley Wood fomos surpreendidas com uma receção calorosa por professores e alunas.

Integramos turmas onde aprende-

mos e participamos nas aulas e, quando demos por ela, as dificuldades com o inglês foram esquecidas e o que ficou foi o enorme carinho com que nos receberam. A prova de que Conneting Classrooms não tem barreiras… Ana Alves e Daniela Gonçalves, ESPL

© ESPL

© ESPL

© ESPL

© ESPL

“Estou orgulhosa por integrar este projeto com o qual aprendo muitas coisas.” Ana Rita Martins, 11ºC, ESPL © ESPL

© ESPL

Nota: Outros artigos sobre esta visita, da autoria das alunas Ana Martins e Rebecca Jäger encontram-se na edição em Inglês desta Newsletter.


Página 12

CC . E NA Cl us te r Biblioteca Connecting Classrooms De forma a promover o projeto “Connecting Classrooms” e a fazê-lo perdurar por vários anos na Escola Básica de Matosinhos, foi criada a biblioteca “Connecting Classrooms”. A escola adquiriu 44 livros de literatura inglesa com parte da verba fornecida pelo British Council. Todos

© EB2,3 Matosinhos

os livros adquiridos foram identificados com o símbolo do projeto de forma a promovê-lo por toda a comunidade escolar, pois os livros pode-

rão ser requisitados por qualquer aluno, professor e funcionário independentemente do seu envolvimento direto no projeto. Estes livros

adquiridos permitirão aos alunos envolvidos no projeto um enriquecimento linguístico que facilitará a comunicação com os colegas das escolas inglesas, gregas e checas.

“De forma a promover o projeto “Connecting Classrooms” e a fazê -lo perdurar por vários anos na Escola Básica de Matosinhos, foi criada a biblioteca “Connecting Classrooms”. Andreia Mendes

© EB2,3 Matosinhos

© EB2,3 Matosinhos


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 13

Dia Olímpico - Ceske Budejovice - República Checa fitness e o bem-estar, conjuntamente com os ideais olímpicos de Fair Play, perseverança, respeito e espírito desportivo. Na nossa escola organizou-se a corrida olímpica como, aliás, acontece todos os anos, onde participaram crianças de todas as idades […].

A equipa do Connecting Classrooms responsabilizou-se pelas competições para as crianças mais novas. Participaram nas competições 279 crianças!

© Ceske Budejovice

Anualmente, a

23 de junho, o “Dia Olímpico” é comemorado por milhares de pessoas em 160 países. Esta celebração

© Todas as fotografias da Escola Ceske Budejovice

não comemora apenas o nascimento dos modernos jogos olímpicos mas também o empenho internacional para promover o

Tamara Divisova, professora na Escola Ceske Budejovice (Nota: Texto completo na versão em inglês da Newsletter)


Página 14

CC . E NA Cl us te r O CC na Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves... No terceiro período, os alunos de artes de 12º ano fizeram trabalhos alusivos ao tema “We are the Others”, em articulação com as turmas de Inglês de 12º que elaboraram os poemas. Foi fei-

Sala de Exposições >>>>>

ta uma exposição dos trabalhos na Biblioteca. © ESJGFA

© ESJGFA

© ESJGFA

© ESJGFA

O Connecting Classrooms no Banco Alimentar Alunos do 10ºA

GFA Tv >>>>>

GFA Radio >>>>>

Alexandre Oliveira

Rita Osório

Yago Ribeiro © ESJGFA

Tempos duros em Portugal. E

soas da nossa boa

agora? Vamos

vontade.

dar parte

Contudo,

o

do nosso tempo a aju-

resultado final foi bom, como

dar os outros, a pen-

podem ver na imagem.

sar nos outros? Sim,

Não

dissemos todos. A nossa pro-

Tivemos, também, a ajuda de

fessora de religião moral foi,

outros colegas.

como sempre, o elemento vital para realizarmos o nosso objetivo. Assim, num sábado estivemos num supermercado a recolher alimentos. Facebook >>>>>

Melissa Silva

Apesar

de

parecer

estivemos

sozinhos.

Como fazemos parte do projeto connecting classrooms, a nossa professora de inglês desafiou-nos a realizar um vídeo, no qual partilhamos

© ESJGFA

esta nossa fantástica expe-

uma tarefa simples,

riência.

na verdade foi, por

Curiosos? Então, convidamo-

vezes, um pouco difí-

los a ver o nosso trabalho.

cil convencer as pes-

© ESJGFA

Sem

dúvida,

outros”.

“somos

os © ESJGFA


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 15

O CC na Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves... Foi organizado no dia 6 de Junho um espectáculo de beneficência com o clube das performances para angariar dinheiro para a APPACDM.

No dia 1 de Junho, os professores envolvidos no projecto chamaram à escola o Grupo de Teatro Terapêutico Espaço T, instituição de solidariedade social, que apresentou a

© Tiago Silva, Ricardo Cunha, ESPL

peça “Bobby”. © ESJGFA

O Espaço t surge num contexto social de combate à exclusão. O “T” significa TODOS, tendo como alvo o ser humano. Assim, nada melhor para apoiar o lema do nosso projecto: Nós somos os outros / We are the others. Este espectáculo de solidariedade envolve pes-

© Tiago Silva, Ricardo Cunha, ESPL

soas com problemas de toxicodependência e portadoras de deficiência e o próprio espectáculo versava o tema da © ESJGFA

© Tiago Silva, Ricardo Cunha, ESPL

No dia 8 de Junho um grupo de alunos da escola (11º C) foi atuar com a dança também apresentada no dia do Quadro de Excelência, ao som

dos LMFAO, no último evento de encerramento do segundo ano do projecto - o jogo de futsal no pavilhão da universidade do Minho a favor da APPACDM. Um dos nossos alunos do Curso de Animação Socio-Cultural participou numa das equipas de futsal.

violência doméstica.

Finalmente conseguimos interagir com uma das nossas escolas parceiras da República Checa (Slapanice). O resultado deste intercâmbio encontra-se na versão inglesa da Newsletter.


Página 16

CC . E NA Cl us te r Connecting classrooms: O

“Quando me convidaram para aderir ao projeto fiquei um pouco apreensiva, pois tinha apenas alunos de Cursos de Educação e Formação (CEF) a maioria deles não gostava da escola e estava realmente desmotivado e farto de tudo o que estivesse relacionado com a escola.” Andreia Mendes

O que é o Connecting Classrooms? “O Projeto Connecting Classrooms permite estabelecer parcerias duradouras entre grupos de escolas no Reino Unido e em mais de 70 países de todo o mundo. Através destas parcerias, o projeto desenvolve a compreensão e a confiança entre jovens de diferentes sociedades, construindo um mundo mais seguro e mais interligado para o futuro. O objetivo do programa é chegar a escolas culturalmente inclusivas. Foi concebido em parceria com órgãos educacionais, técnicos e políticos de todo o mundo. O Projeto Connecting Classrooms já está implementado em 20 países espalhados por toda a Europa. As parcerias irão, inicialmente, ser estabelecidas por dois ou três anos. Não existe nenhuma joia de entrada, e os órgãos coordenadores podem candidatar-se a subsídios para suportar as atividades do mesmo.”

Fonte: British Council

“Não há um único aluno da minha escola que lamente ter desistido das suas sextas e sábados (das oito da manhã até acerca das seis da tarde) para ir a Braga participar na formação, o que indica o seu empenho e entusiasmo.” Andreia Mendes

A adesão ao projeto “Connecting Classrooms” foi uma mais-valia para a minha escola, docentes e discentes, pois a participação em projetos a nível europeu é uma ferramenta poderosa para que os professores consigam lidar com os desafios apresentados ao indivíduo por uma sociedade crescentemente global e

Os projetos europeus permitem uma maior e mais fácil compreensão intercultural e o reconhecimento e respeito pelas diferenças culturais, ao mesmo tempo que pluralista.

garantem a igualdade de oportunidades e acesso universal ao processo de aprendizagem,

ponto de vista da coorednadora...

utilizando-se as aptidões e conhecimentos que os alunos trazem para a escola como recursos educativos.

Os projetos europeus fomentam igualmente a partilha de pontos de vista e opiniões e a construção de um conhecimento conjunto, permitindo que professores e alunos aprendam uns com os outros. Permitem igualmente um aprofundamento do conhecimento de si e do outro, contribuindo para a construção de uma identidade europeia. Foi esta a contribuição do projeto “Connecting Classroms” para professores e alunos, pois alargou horizontes e moldou cidadãos mais preocupados e tolerantes. Quando me convidaram para aderir ao projeto fiquei um pouco apreensiva, pois tinha apenas alunos de Cursos de Educação e Formação (CEF) a maioria deles não gostava da escola e estava realmente desmotivado e farto de tudo o que estivesse relacionado com a escola. No entanto, considerei que o tema subjacente ao projeto (“Inclusão e Voluntariado”) seria bastante enriquecedor e interessante para os meus alunos e ajudarme-ia no meu propósito em formar cidadãos globais. Considerei o projeto um grande desafio que seria bastante benéfico não apenas para os

meus alunos como também para toda a comunidade escolar e decidi abraçá-lo. O trabalho com os meus alunos neste projeto tem sido muito gratificante e estes realmente impressionaram-me pelo modo como o acolheram e se dedicaram a ele.

O projeto “Connecting Classrooms” é uma forma fantástica de fomentar a interdisciplinaridade uma vez que os professores envolvidos ajudam-se mutuamente e desenvolvem um trabalho interessante com os alunos. Com a ajuda e orientação dos diferentes professores estes fizeram PowerPoints acerca da cidade de Matosinhos, os direitos humanos e bullying. Criaram igualmente vídeos nos quais fizeram uma apresentação de si, da escola, da cidade de Matosinhos e do projeto “Greencork”. Os alunos criaram também cartazes com citações acerca da inclusão e voluntariado e a sua própria t -shirt “Connecting Class-

Os meus alunos dos Cursos de Educação e Formação deram igualmente o seu contributo para o “Manual de Boas Práticas” que está a ser construído colaborativamente pela minha escola e pela escola de Bentley rooms”.


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 17

… da Escola Básica de Matosinhos Wood, em Londres. Participaram igualmente numa campanha de recolha de alimentos em favor das famílias menos afortunadas da nossa comunidade e numa angariação de fundos em prol da APPACDM (Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental). O desenvolvimento do projeto “Connecting Classrooms” foi bastante facilitado pela utilização das Tecnologias de Informação e Comunicação. A plataforma eTwinning (portal utilizado para a partilha de material e contacto entre os diferentes participantes no projeto), possibilitou a experimentação e utilização de novas metodologias de ensino, permitindo uma relação mais próxima entre professores e alunos e entre os

A utilização da plataforma eTwinning permitiu igualmente aos alunos desenvolver as suas competências tecnológicas, linguísticas, comunicativas, colaborativas, interculturais e de cidadania, enriquecendo-os alunos entre si.

e alargando os seus horizontes. A publicação do trabalho dos alunos na plataforma foi algo bastante prazeroso para eles, pois apreciaram a visibilidade e reconhecimento dados ao seu trabalho e ver o trabalho criado pelos colegas das outras escolas. De modo a envolver os alu-

nos proactivamente no projeto e torná-lo mais sustentável, o British Council, em colaboração com a Direção Geral da Educação e do Instituto Português do Desporto e Juventude, proporcionou a

formação “Jovens Líderes numa Perspetiva de Interculturalidade” aos alunos que demonstraram qualidades de liderança. Participaram nesta formação oito alunos da minha escola e todos eles ficaram agradados com a sua participação. Viram esta formação como uma grande oportunidade para contactar com alunos de diferentes cidades, escolas, idades e origens e aprender colaborativamente com eles. Não há um único aluno da minha escola que lamente ter desistido das suas sextas e sábados (das oito da manhã até acerca das seis da tarde) para ir a Braga participar na formação, o que indica o seu empenho e entusiasmo. Esta formação fomentou igualmente a participação ativa dos alunos. Foilhes dada a oportunidade de escolha e de se fazer ouvir, o que foi bastante importante para a sua motivação. Os alunos sentiram que são o centro da sua educação e que têm uma voz ativa. Esta voz ativa tornou os alunos mais atentos e despertou a sua consciencialização para o seu papel enquanto cidadãos ativos nas comunidades locais que pode e deve expandir-se a um contexto global.

Olhando em retrospetiva o momento em que me foi apresentado o desafio de abraçar este projeto só lamento ter hesitado por um tempo e ter pensado que os meus alunos não seriam capazes de lidar com uma responsabilidade tão grande. Todos eles conseguiram corresponder ao desafio e envolver-se em todas as tarefas propostas. A partilha de materiais, pontos de vista, experiências e opiniões proporcionou-lhes uma experiencia de aprendizagem mais aprofundada e tornaremse cidadãos mais tolerantes e informados. Enquanto professora de inglês não posso esquecer que os meus alunos despertaram para a importância do inglês como ferramenta de comunicação com os colegas dos outros países. A abordagem dos meus alunos ao inglês modificou-se de uma forma bastante positiva. Desta forma, se tiverem a oportunidade de participar num projeto como o “Connecting Classrooms” não hesitem, pois fará maravilhas não apenas pelos vossos alunos mas também para vós e toda a comunidade escolar.

Andreia Mendes Coordenadora da Escola Básica de Matosinhos

Por questões relacionadas com o concurso de professores, a Andreia Mendes não vai poder continuar a liderar o CC em Matosinhos no próximo ano. É uma pena que tal aconteça. Aqui fica um agradecimento muito especial à Andreia pelo precioso e excelente contributo que deu a este projeto… o CC teria saído empobrecido se não tivesse contado com o empenho e dinamismo da mais

Andreia Mendes, Escola Básica de Matosinhos Nota: O presente artigo foi publicado na revista da Associação Portuguesa de Professores de Inglês (The APPI Journal)

jovem coordenadora do ENA Cluster. Teresa Lacerda


Página 18

CC . E NA Cl us te r O CC na Escola Secundária Carlos Amarante... Ser jovem em Portugal e na Europa. O presente. Que futuro? No âmbito do 38º Aniversário

tugueses e as perspe-

pode comparecer por moti-

da Revolução de 25 de Abril

tivas que se lhes colo-

vos de saúde).

cam num futuro pró-

Perante um auditório

momento a Capital da Juven-

ximo, tanto no nosso

repleto, os represen-

tude Europeia, o Grupo disci-

país como no espaço

tantes das várias for-

plinar de História da Escola

europeu em que nos

ças partidárias com

Secundária Carlos Amarante

encontramos integra-

assento na Assem-

dos. A sessão foi moderada

bleia da República

por dois alunos da ESCA e

responderam às

contou com a presença de

várias questões colo-

de 1974, e aproveitando o facto de Braga ser neste

(ESCA), em colaboração com a respetiva Associação de Estudantes, e integrada no projeto Connecting Classrooms, realizou no passado dia 30 de Abril, pelas 10h, no ESCA >>>>>

auditório da escola, uma palesta intitulada «Ser jovem em Portugal e na Europa: O presente. Que Futuro?».

“A sessão foi moderada

Hugo Soares, deputado e dirigente da JSD, Pedro Alves, deputado e líder da JS, Fran-

moderadores e pela

cisco Mota, vice-Presidente

jovem plateia.

da Comissão Política Nacional e vice-presidente da JP de Braga e André Martelo, mem-

A ideia desta sessão passou

por dois alunos da ESCA

bro da Comissão Política da

por debater

Direção Nacional da JCP

e contou com a presença

mas que atualmente

( José Soeiro, membro da

afetam os jovens por-

Comissão Política do BE, não

de Hugo Soares,

os proble-

cadas pelos jovens

Estando inicialmente previsto para a duração de 90 minutos, face ao interesse manifestado pelos presentes, o debate prolongou-se por cerca de 2 horas.

deputado e dirigente da JSD, Pedro Alves, deputado e líder da JS, Francisco Mota, vicePresidente da Comissão Política Nacional e vicepresidente da JP de Braga e André Martelo, membro da Comissão Política da Direção Nacional da JCP”.

© ESCA


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 19

O CC na Escola Secundária Carlos Amarante... … caminhada na via Romana XVII... Caminhada da "Via Romana XVII" A fim de sensibilizar para os benefícios de uma vida ativa em contacto com a natureza e uma dieta alimentar saudável a nossa comunidade escolar passou o sábado em caminhadas por flo-

© ESCA

restas e montanhas seguindo uma antiga rota romana de mais de 7 quilómetros. Os alunos do curso de Gestão Desportiva bem vestidas em trajes históricos acompanharam a comunidade escolar durante todo o percurso. Eles também

© ESCA

representaram momentos de luta greco-romana e ofereceram aos participantes um lanche com frutas e biscoitos. À chegada os participantes podiam medir a pressão arterial e fazer um teste aos diabetes com enfermeiros e médicos estagiários. Adelina Moura

… Mercado Romano em Braga ... A comunidade escolar participou na iniciativa promovida pela Câmara Municipal de Braga: Reviver as tradições do antigo mercado romano. © ESCA

Os alunos criaram diversos artigos a imitar os tempos romanos (cerâmica, jogos de tabuleiro, brinquedos, roupas e enfeites), para vendê-los juntamente com ervas

de cozinha, produtos agrícolas e alguns doces cuja receita também remonta ao tempo do Império Romano, numa barraca de feira que também foi projetado com a

participaram nos desfiles oficiais vestindo trajes romanos. ajuda dos professores. Também

Os professores foram vestidos com trajes romanos nas cores da escola - prata e azul escuro - exceto os professores do sexo masculino que escolheram outras cores para se parecer com os senadores romanos. Durante o cortejo pelas ruas foram entregues ao público folhetos informativos sobre as boas condições da escola e cursos disponíveis.

… Empreendedorismo ... O curso profissional 11º PCC, no decurso das aulas da disciplina de Área de Integração, no tema Novas Atitudes no Trabalho e no Emprego – Empreendedorismo, desenvolveu um projeto promovido pelas empresas Primavera e Betwein. O

desenvolvimento deste projeto

resultou em aulas com alunos mais motivados e empenhados, implementando uma maior dinâmica na abordagem deste tema.

© ESCA


Página 20

CC . E NA Cl us te r O CC na Escola Secundária Carlos Amarante... Jornada escolar no exterior - Visitas aos museus - D. Diogo de Sousa, Nogueira da Silva - 8 de junho

Museu D. Diogo de Sousa

© ESCA

© ESCA

Museu Nogueira da Silva

© ESCA

A Escola Secundária Carlos Amarante acolheu com entusiasmo os alunos da escola EB 2,3 de Matosinhos. Após as visitas aos museus, os alunos partilharam o seu lanche e divertiram-se desfrutando a

© ESCA

companhia uns dos outros. Depois do almoço foram todos para o pavilhão desportivo da Universidade do Minho para participar e aplaudir o evento de encerramen-

to do CC, que incluiu atuações surpreendentes de cada escola e um jogo de futsal com jogadores bem conhecidos, juntamente com alunos das escolas do CC.

… Um dia pela Vida ... A Escola Secundária Carlos Amarante participou da campanha de solidariedade promovida pela Liga Portuguesa Contra o Cancro para angariação de fundos para a luta contra o cancro. © ESCA

Os alunos decoram um

pequeno pedaço de pano colorido e escreveram frases de incentivo para prestar homenagem às vítimas de cancro e celebrar a vida com os sobreviventes do cancro. O tapete com todos os panos foi exibido no centro da cidade, juntamente com todas as pessoas

© ESCA

de outras instituições. Esta iniciativa foi um passo na luta contra o cancro e na consciência de um melhor padrão de vida para todos os que são afetados pelo cancro.


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 21

O CC na Gymnázium Príbram - República Checa Shakespeare na Escola

lização de diversas

grupo de alunos e professo-

atividades relaciona-

res foi a Praga para participar

das com a "Cultura Olimpíada" onde,

© Gymnázium Príbram

A nossa escola teve o privilégio de receber Tracy Irish, um membro da Royal Shakespeare Company. Em

virtude

dos Jogos Olímpicos que terão lugar no próximo ano em Londres, dedicou -se o presente ano à rea-

© Gymnázium Príbram

© Gymnázium Príbram

num seminário orientado pela

oportunidade de

referida senhora. Lá, tivemos

contactar com a obra

oportunidade de contactar

também, se integra o

com a obra de Shakespeare

“Shakespeare Festi-

mas de uma forma um pouco

val”. É neste âmbito que

diferente daquela que é ensi-

Tracy Irish visita sete países, incluindo a República Checa, observando como é que Shakespeare é ensinado por todo o mundo. Ms. Tracy passou duas horas na nossa escola, observou

“… tivemos

nada na escola. Estudamos Hamlet da forma como os atores o interpretam (…). Zuzana Švábová, 16 anos, Gymnázium Príbram, República Checa Nota: Texto integral na versão inglesa

aulas e, no dia seguinte, um

© Gymnázium Príbram

© Gymnázium Príbram

de Shakespeare mas de uma forma um pouco diferente daquela que é ensinada na escola.”


Página 22

CC . E NA Cl us te r Against the wall - o CC na QUALIFICA 26 de abril de 2012 não foi uma quinta feira vulgar. No portão da escola, à nossa

“Gostamos muito

espera

estavam

Leva-

presentes, distribuímos mar-

mos o projecto Con-

cadores alusivos, ilustrados

um final non stop.

necting

Classrooms

com duas mensagens

pela nossa colega Rita Aleixo. Nestes podia ler-se bullying is wrong, it doesn’t make you

duas carrinhas da Junta

valiosas,

de Freguesia de Paranhos

importância da comunicação,

the heart – DON’T

para nos levar à Expo-

através

performance

Gostamos muito desta ex-

nor. Eramos dezassete

“Against the Wall” e outra

periência, a qual nos enrique-

alunos, onze do 6º A e

sobre a urgência de cultivar a

ceu e permitiu conviver.

seis do 9ºS , juntos ani-

paz, o rap “Trustee”, criação

mámos o Espaço Cidada-

original da nossa turma. Para

nia na feira Qualifica, com

garantir que esta mensagem

Ana Catarina Rebelo e Luísa

várias apresentações , até a

chegava ao maior número de

Duque, 6º A - EB 2,3 Paranhos

da

uma sobre a

strong ou bad mouthing breaks

desta experiência [na Qualifica], a qual nos enriqueceu e permitiu conviver.”

Das ondas do oceano atlântico para o Mundo! Os alunos do 6ºB criaram desafios matemáticos para enviar aos colegas do 5ºB. Em cada uma das suas mensagens encontraram um número que correspondia a uma letra. No primeiro desafio deixaram as cinco primeiras mensagens e após estas seguiram-se outras, num total de catorze. Na última decifraram o código: We

are the others!

Mónica Moreira, prof. de Matemática, Escola EB2,3 de Paranhos

START!


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 23

Momentos de Poesia No dia 28 de maio, realizou-

Inglês, com um poema adap-

que os alunos surdos do 9ºS

se no auditório da Escola

tado de Luísa Ducla Soares:

ficaram

EB2,3 de Paranhos a atividade

“Children of all colours”. O

narração do poema em LGP.

“Momentos de Poesia”.

poema remete para a ideia de

Foram

declamados

poemas de autores portugueses,

bem

sar de sermos surdos ou ouvintes ou de termos cores diferentes.

pela

É de referir que os alunos surdos se deslocaram a estas turmas

de

ouvintes

para

declamar o poema e para falar um pouco de si mesmos

como poemas inédi-

O vídeo foi resultado de um

e do que se pretendia com a

tos dos próprios alu-

trabalho colaborativo entre

atividade.

nos, em Língua Por-

as docentes de Educação

tuguesa e em Língua Gestual Portuguesa.

© Todas as imagens dos alunos da Escola EB2,3 de Paranhos

que somos todos iguais, ape-

responsáveis

Visual, Isabel Torres e Ana Stingl, e a professora de Educação Especial, Maria do Céu

No âmbito do projeto Con-

Gomes. Os alunos ouvintes

necting Classrooms foi ainda

do 6ºB, 6ºE, 6º F e 6ºH ilus-

produzido

traram o poema, enquanto

um

vídeo

em

© Imagens da autoria dos alunos

O resultado foi um trabalho muito bonito que encheu de orgulho todos os intervenientes e aproximou mais os diferentes alunos. Mª do Céu Gomes

da Escola EB2,3 Paranhos


Página 24

CC . E NA Cl us te r O Connecting Classrooms e a Arte

“...ficou a satisfação da superação das expectativas e a reação fantástica de uma plateia de centenas de pessoas, sendo evidente a felicidade e o orgulho estampado no rosto de todos os alunos participantes, que não esconderam o fascínio de pisarem um palco como o do Theatro Circo.”

No dia 17 de abril, na sala principal do Theatro Circo, foi apresentado, por um grupo de docentes e alunos da E. B.B. 2,3 do Cávado, um espetáculo teatral, intitulado “A viagem de todos os destinos”.

© EB2,3 de Mosteiro e Cávado

A iniciativa integrou-se na IV Mostra de Teatro Escolar, promovida pela Câmara Municipal de Braga. Ao longo de quatro meses, foi preparado um espetáculo original, sendo uma constante do mesmo o intertexto com

obras como O Auto da Barca do Inferno, de Gil Vicente, Os Lusíadas, de Luís de Camões, O Cavaleiro da Dinamarca e o Bojador, de Sophia de Mello Breyner, e A história da Gaivota e do Gato que a ensinou a voar, de Luís Sepúlveda. Os docentes responsáveis pela conceção e encenação do espetáculo, que contaram

© EB2,3 de Mosteiro e Cávado

com a colaboração de outros docentes em diversas áreas, procuraram criar um momento teatral dinâmico, destinado a um público bastante heterogéneo, privilegiando a ligação da palavra com a imagem, a música e a dança, concebendo quatro quadros distintos, de drama, fantasia, comédia e aventura, sendo a unidade conferida pela idealização de uma viagem, da “viagem de todos os destinos…”.

O elenco contou com a participação de cerca de cinquenta alunos, tendo sido destacada pelos responsáveis a forma

“interessada, empenhada e construtiva como participaram nos diversos ensaios efetuados, nos tempos livres durante o período de aulas, e ainda, em períodos de interrupção lectiva, o que permitiu alcançar o resultado final apresentado, num dos mais emblemáticos palcos do país”. No dia do espectáculo, apesar da ansiedade normal em dia de estreia, o elenco revelou um enorme profissionalismo, percetível na forma concentrada e responsável como se apresentou em palco, devendo ser também destacada, segundo os organizadores, a excelente colaboração de toda a equipa técnica do Theatro Circo. No final, ainda segundo a organização, “ficou a satisfação da superação das expectativas e a reação fantástica de uma plateia de centenas de pessoas, sendo evidente a felicidade e o orgulho estampado no rosto de todos os alunos participantes, que não esconderam o fascínio de pisarem um palco como o do Theatro Circo”.

Conceição Silva, Carlos Oliveira, professores da EB2,3 de Mosteiro e Cávado


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 25

O Connecting Classrooms e a Arte Bullying? Be smart,

forma diferente…através da

humano, utilizando a sua

“...decidimos abordar

don’t start!

arte.

própria

Os alunos da turma F, do

as questões do

com as técnicas da fotografia

nono ano, com a ajuda da

digital.

professora Carla Gaspar, pen-

O resultado deste trabalho

saram sobre a questão e

está exposto e pode ser visto

cam-

no Mosteiro do Tibães, em

Este ano o projeto Connecting

Classrooms

promovia

uma reflexão sobre o Bullying, esse fenómeno tão negativo e, infelizmente, ainda tão pre-

resolveram fazer uma

sente

escolas.

panha de sensibilização

Todavia, ao invés de nos cen-

contra comportamentos

trarmos sobre os aspetos

negativos e atentadores

nas

nossas

mais negativos deste problema, decidimos abordá-lo de

da

liberdade

do

ser

imagem

trabalhada

Braga! Vale a pena!

Cristina Gonçalves, professora da Escola EB2,3 de Mosteiro e Cávado

bullying de forma diferente… através da arte.”


Página 26

CC . E NA Cl us te r Connecting Classrooms - Connecting People Centro de Acolhimento Temporário da Cruz Vermelha Portuguesa

“Esta Associação conta com a ajuda

No dia 3 de Maio de 2012,

voluntários

visitamos as instalações do

que, tal como

“Centro

nós são cida-

de

Acolhimento

(trabalho efetivo) de

Temporário”, adstrito à Dele-

dãos

voluntários que, tal

gação da Cruz Vermelha Por-

optaram por ir

tuguesa, sito em Nogueira –

dando

Braga.

do seu tempo

As aprendizagens obtidas ao

em

longo do ano letivo em diver-

próximo, real-

sas disciplinas, nomeadamente

çando, desta forma, o sentido

esclarecimentos sobre por-

algum do seu tempo

na de Língua Inglesa onde se

da fraternidade, da amizade e

menores que, no momento e,

em prol do

abordaram temáticas polémi-

da ajuda efetiva de tão pre-

em contexto, achamos perti-

cas de cariz social muito

mente necessidade entre os

nentes que fossem respondi-

atuais, culminaram nesta visita

povos.

dos (caracterização dos uten-

de estudo.

A Instituição, no momento

tes; o seu dia a dia e expecta-

patenteou

representada pela Assistente

tivas de futuro após eventual

assuntos, cada vez mais reais

Social, Dra. Ana Azevedo

reabilitação).

e visíveis na nossa sociedade e

recebeu os alunos e os dois

Seguidamente, foi-nos faculta-

docentes

acompanhantes

da a visita às instalações de

(Maria José Peixoto e Alberto

interior (biblioteca, refeitório,

Gonçalves) com toda a afabili-

quartos)

dade.

(espaço de cultivo trabalhado

No espaço concebido para

por alguns utentes para, com

os momentos de lazer dos

a venda e o consumo próprio,

utentes (zona de leitura e

ajudar a suportar os encargos

como nós são cidadãos e que optaram por ir dando

próximo…”

Esta

atividade

e

que algum

prol

do

© EB2,3 de Mosteiro e Cávado

de disponibilidade audiovisual) foram-nos prestadas todas as informações rela-

© EB2,3 de Mosteiro e Cávado

que estreitamente se ligam a

exterior

da instituição). Achamos que esta atividade foi útil dado que observamos e sentimos uma realidade que não conhecíamos muito de

graves:

perto e nos alertou para o

toxicodependência;

espaço logístico, os utentes

quão importante é lembrarmo

desalojamento com histórico

na sua diversidade, as pers-

-nos do nosso semelhante e

de desemprego e violência

petivas para o seu futuro e

sensibilizarmo-nos

doméstica).

as ajudas de caráter institu-

necessidade que há em o aju-

Esta Associação conta com a

cional e particular. Tivemos

dar.

a

Maria José Peixoto, professora da

(álcool;

Ajude a ajudar!

de

mento da instituição, o

problemas

© EB2,3 de Mosteiro e Cávado

cionadas com o funciona-

e

sociais

ajuda (trabalho efetivo) de

oportunidade

de

pedir

para

a

EB2,3 de Mosteiro e Cávado


N ú m er o 3 V e rs ã o p o rtu gu es a

Página 27

Ultrapassar barreiras “turn left” ,” turn right”, “go up”, “go down”, “go straight ahead” 184 alunos das turmas A, B, C, D, E, F, H e S do 6ºano; e a turma S do 5ºano, num total de nove turmas participaram na atividade “Ultrapassar Barreiras”. No final responderam (172 alunos) a um pequeno inquérito, completando quatro afirmações.

A etapa que consideraram mais difícil foi a

O concurso “Math, yes you can!” dinamizado pela turma D do 10º ano da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso contou com a participação de 17 Equipas portuguesas do ENA Cluster e uma equipa grega.

respeitante às dificuldades visuais. De salientar as seguintes reflexões: esta atividade ajudou-me a

dades dos cegos; a aprender as cores em LGP; a encestar; a confiar nos outros; e, por fim, a perceber melhor

entender que somos todos iguais; a apurar todos os meus sentidos; a sentir/

Numa frase aprenderam a sentir a diferença.

perceber o que é ser diferente; a perceber como é difícil ter uma deficiência; a pôr-me no lugar dos outros; a ter um melhor sentido de orientação; a aprender Inglês; a equilibrar-me numas muletas; a concentrar-me; a perceber o que sofrem e as dificul-

os cegos e os surdos.

Esperamos que a semente da solidariedade germine na consciência dos nossos alunos e que a barreira da indiferença seja ultrapassada. Mónica Moreira, Ângela Lopes e Raquel Eira, Escola EB2,3 de Paranhos

Os vencedores foram os alunos Ângela Patrícia Afonso, António Pedro Machado, Cláudio Silva, Luís Filipe Antunes, da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso. Iva Azevedo © Tiago Silva, Ricardo Cunha, ESPL

Números do ENA Cluster em Portugal - 2011 / 2012 Escola EB2,3 de Matosinhos –75 Escola EB2,3 de Mosteiro e Cávado – 110 Escola EB2,3 de Paranhos –300 Escola Secundária de Caldas das Taipas – 200 Escola Secundária de Carlos Amarante – 350 Escola Secundária Dr. Joaquim Gomes Ferreira Alves – 200 Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso – 228

Total – 1463


Connecting Classrooms significa... … fantasia, divertimento e alegria. [Daniela Silva]

… reunião das melhores condições que existem para uma ótima aprendizagem. O Connecting é conhecer, é crescer, é experienciar, é estar, é aprender, é ajudar e é, acima de

tudo, viver com o mundo todo. [Margarida Vieira] Vídeo in >>>>>>>

… estabelecimento de parcerias estáveis entre grupos de escolas no Reino Unido e entre outras escolas do mundo. [Cláudia Oliveira] … entreajuda entre escolas, o conhecimento de novas culturas, novas parcerias escolares, o enriquecimento da educação dos jovens alunos e a contribuição para a consolidação

dos objetivos globais da escola. [Catia Martinho Novais]

Vídeo Qualifica in >>>>>>>

O Connecting Classrooms… … é um projeto inovador, capaz de incutir nos jovens valores como a a confraternização saudável, a liderança e o respeito

Escola coordenadora das escolas portuguesas do ENA Cluster. Website da escola >>>>

Connecting Classrooms ENA Cluster Grafismo: Teresa Lacerda Edição da Escola Secundária da Póvoa de Lanhoso Rua da Misericórdia

pela diversidade.

[Ana Catarina Ferreira] … fez com que apreendesse a cantar! [Marília Abreu] … é uma forma de estar com os outros, mostrando respeito, fazendo novas amizades, procurando conviver e melhorando o nosso conhecimento do Inglês. [Luís Mota]

Com as atividades do Connecting Classrooms enriquecemos não só o nosso conhecimento do inglês, mas também a nossa relação com os outros. [Carla Barbosa] Alunos do 10ºC da Escola Secundária de Caldas das Taipas

4830-503 Póvoa de Lanhoso espl.connecting@gmail.com Telef: 253 633 338

British Council - Porto Rua do Breiner, 155 4050-126 Porto Telef: 222 073 060 DGE - Ministério da Educação Av. 24 de Julho, 140 1399-025 Lisboa

cooperação,

Colaboraram nesta edição todas as escolas do ENA Cluster.

Connecting Classrooms - ENA Cluster - Newsletter nº 3 PT  

Newsletter do ENA Cluster do projeto Connecting Classrooms - Número de junho de 2012 - versão portuguesa

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you