Issuu on Google+


(21) 2217-5000 2217-5000

2217-5000


DO PRESIDENTE

MENSAGEM DO

Parcelamento do ICMS de dezembro O Sindilojas-Rio, o CDLRio e a Associação Comercial do Rio de Janeiro, como representantes do comércio do Rio, endereçaram no final do ano, pedido ao Governador Sérgio Cabral para parcelar o ICMS devido pelas saídas de mercadorias realizadas em dezembro último. Como informaram as pesquisas sobre vendas do comércio no período natalino, nesta Cidade, predominaram as compras a crédito, principalmente em cartão de crédito em diversas parcelas. Em consequência, o varejo somente recebe o valor da primeira prestação após 30 dias à data da compra. E as demais parcelas também serão reembolsadas aos lojistas mensalmente. Daí expressivo número de varejistas desta Cidade apelar às suas entidades representativas para sensibilizar o Governador para parcelar o recolhimento ICMS de dezembro em quatro vezes. O atendimento do pedido seria mesmo uma retribuição do Estado à contribuição dos varejistas na participação da arrecadação do signficativo volume

de ICMS, principalmente no mês de dezembro. Deve-se ressaltar que não se trata de pedido de redução ou isenção de imposto, mas de mero pagamento parcelado. E sabe-se que esta concessão não será prejudicial ao tesouro do Estado do Rio, pois além da arrecadação do ICMS fluminense ter sido em 2011 das mais expressivas nos últimos anos, contribuirá para reduzir a inadimplência dada à facilidade no cumprimento da obrigação. Infelizmente, não houve resposta. Lembra-se que já no início de dezembro, o Governador de São Paulo parcelou o ICMS de dezembro. A concessão de parcelar em quatro vezes o ICMS de dezembro teria sido mais uma vez a reafirmação de promessa de campanha de sua primeira eleição para Governador do Estado do Rio. Sérgio Cabral, na ocasião, falando para lojistas no Sindilojas-Rio, declarou que daria todo apoio ao desenvolvimento do comércio nesta Cidade. Esta seria a oportunidade de transformar promessa em realidade.

Aldo Carlos de Moura Gonçalves

Presidente do Sindilojas-Rio e do CDLRio

SUMÁRIO VOLTA ÀS AULAS E O COMÉRCIO

2

CERTOCAR: SEGURANÇA DE VEÍCULOS

ANIVERSÁRIO DO RIO DE JANEIRO

7

22

AOS ALUNOS

26

101ª REUNIÃO ANUAL DA NRF

13

TERMÔMETRO DE VENDAS

COMÉRCIO E CARNAVAL

18

27

CENÁRIO DO VAREJO 2012

32

fevereiro 2012

Empresário LOJISTA

1


CAPA

Volta às Aulas incrementa vendas no comércio A corrida para a compra de materiais escolares no comércio do Rio está fazendo com que os lojistas especializados no ramo registrem excelentes resultados nas vendas nesta época do ano. Nas vitrines, personagens infantis enfeitam as lojas e as prateleiras. O movimento Volta às Aulas faz com que o varejo esteja

abastecido com uma diversidade imensa de produtos para atender à demanda. A cada ano, as capas dos cadernos, pastas, lancheiras e estojos trazem novidades para a criançada. Os personagens de filmes e histórias, desenhos, princesas, super-heróis e clubes de futebol tornam os artigos mais atrativos.

“Atendimento é tudo no varejo” Sérgio Rainha, Papelaria Jou Jou

O comércio do Rio vive em clima de volta às aulas neste início de ano. O aumento das vendas faz a alegria dos lojistas que abasteceram seus estoques com os mais variados tipos de artigos voltados para a ocasião, além das novidades lançadas pela indústria. Embora o movimento tenha começado no fim do ano passado, a expectativa é que agora seja intensificado, com a proximidade do início do ano letivo. O dono da papelaria Jou Jou, no Shopping Iguatemi, Sérgio Rainha, ressalta que a época representa o Natal para o segmento, e por isso projeta incremento de dois dígitos no volume das vendas até o fim de fevereiro. E, para atender a procura de livros e material escolar, a Jou Jou este ano inovou abrindo um ponto de venda exclusivo dentro do Colégio São Bento, no Rio. - Atendimento é tudo no varejo, inclusive, em

2

épocas de grande movimento. Assim sendo, nos próximos anos pretendo incrementar outros pontos de vendas para atender à demanda e garantir a satisfação da clientela em locais específicos onde houver necessidade. Além de aumentar as vendas, é uma estratégia que fortalece a marca da empresa – argumenta o empresário. E, para incrementar o movimento volta às aulas de 2012, Sérgio lembra que começou os preparativos em meados de agosto do ano passado quando esteve em São Paulo participando da principal feira do ramo. Lá, fez várias anotações, observou as tendências e conheceu as novas licenças de produtos com personagens que estão fazendo sucesso neste ano. De acordo com o lojista, embora as novidades induzam o aumento das vendas, a procura por personagens tradicionais como

Empresário LOJISTA


Homem Aranha, Super Homem e Batman, para os meninos, e Barbie, Hello Kitty e As Princesas, para as meninas, também representam boas vendas. - Creio que as vendas este ano sejam melhores uma vez que o carnaval vai cair na segunda quinzena de fevereiro. Para o nosso ramo, quanto mais

tarde acontecer o carnaval, mais somos beneficiados. Outra estratégia que faz aumentar o movimento neste período é oferecer promoções já que os consumidores estão às voltas com pagamentos de impostos e matrículas escolares - arremata Sérgio Rainha.

“Os uniformes colegiais não estão acabando” Tania Regina Nassar, da Tijucana Uniformes

Visando amenizar o fluxo de pessoas e filas na hora de efetuar os pagamentos das compras escolares, muitas lojas costumam contratar funcionários extras nesta época de volta às aulas. É o caso da tradicional loja especializada em roupas escolares, Tijucana Uniformes, na Praça Saens Peña, que tem por hábito ampliar o quadro de vendedores com o objetivo de dar mais conforto aos consumidores no período de pico das vendas. De acordo com a proprietária, Tânia Regina Sepúlveda Matouk Nassar, fevereiro é um mês forte para as vendas, o que provoca uma grande

fevereiro 2012

correria a ponto da clientela ter que fazer fila para ser atendida.

- É uma loucura, principalmente quando está faltando uma semana para começar as aulas. O movimento é tão grande que não sobra tempo nem para almoçar. Embora muitos pais antecipem as compras em dezembro e janeiro, especificamente os que costumam viajar, é em fevereiro que a demanda aumenta. Por isso, precisamos correr para organizar a loja e receber a grande demanda que virá até o fim deste mês - destaca eufórica, Tânia.

Empresário LOJISTA

3


CAPA

A empresária explica que além da rede pública de ensino também vende para colégios particulares, a maioria fruto de parcerias antigas. E para atender a vasta clientela, inclusive na outra loja que tem no shopping Barra Garden, cerca de 70% dos produtos que comercializa são fabricados em confecção própria, administrada pelo marido, Cláudio Matouk Nassar. E os artigos que mais saem, são as camisas em tecidos e malhas com aplicações do nome e logomarca dos colégios e as calças de brim e jeans.

- Engana-se quem pensa que os uniformes colegiais estão acabando. Muito pelo contrário. Hoje, até as escolas técnicas estão adotando uniformes para os alunos. A procura é tão grande que as vendas representam mais do dobro do faturamento de nossa empresa durante o período de Volta às Aulas. Oferecemos ainda tênis, sapatos, meias e outros acessórios, artigos que contribuem no incremento das vendas. Para 2013, estamos pensando em vender mochilas e lancheiras – revela sorridente, a empresária.

“O trabalho de Volta às Aulas começa no segundo semestre do ano anterior” Fernando Ferrão, da Casa Cruz

Fundada há 118 anos, a Casa Cruz abastece no Rio cerca de 250 colégios com material didático. O trabalho de Volta às Aulas começa no segundo semestre do ano anterior, quando a equipe de marketing visita as escolas. Cada estabelecimento apresenta os livros que serão

adotados no ano seguinte e é preparada uma lista escolar de acordo com o material solicitado pela direção do colégio. Segundo o gerente administrativo-financeiro da Casa Cruz, Fernando Ferrão, a iniciativa facilita os pais comprarem com preços abaixo do mercado já que

* * * *

4

Empresário LOJISTA


são negociados descontos na hora em que se fecham as parcerias.

Fernando Ferrão, a iniciativa evita que os pais enfrentem filas e tumultos na hora do pagamento.

Apostar na variedade dos produtos e na comodidade para satisfazer a clientela que vai às compras de material escolar sempre foram os principais diferenciais da Casa Cruz. Para atender as necessidades dos pais, os produtos podem ser entregues em casa, gratuitamente. Além disso, o portfólio de artigos de Volta às Aulas está disponível no site da tradicional rede de papelaria, e as compras feitas online podem ser parceladas em até três vezes, sem juros, a partir de R$ 30. Para

O executivo da Casa Cruz admite que nos últimos anos os pais vêm surpreendendo já que muitos passaram a antecipar alguns itens das compras de Volta às Aulas ainda no Natal, como os livros de religião, literatura e entretenimento infantil. De acordo com ele, estes livros ajudam na compreensão e percepção da criançada que aprende de forma lúdica as disciplinas que dependem de cálculos, raciocínio lógico e interpretação de texto.

- A estratégia contribui para reduzir o fluxo de pessoas e filas que compram em nossas lojas convencionais. Mas, estamos com os estoques abastecidos na matriz e nas seis filiais para receber os clientes no período de pico. Além do nosso quadro de 430 funcionários fixos, contratamos mais 120 extras com o objetivo de garantir maior conforto e rapidez neste período de grande movimento - acrescenta Fernando.

SERVIÇOS

- Temos que atender os pais e alunos da melhor forma possível e para isso oferecemos promoções, descontos e facilidades no pagamento. Além das parcerias, os consumidores em geral também são beneficiados. Não é a toa que as nossas lojas ficam lotadas todos os dias durante este período, inclusive aos sábados. Só na matriz, registramos uma média diária de 10 mil vendas – comemora satisfeito, Fernando Ferrão.

fevereiro 2012

Empresário LOJISTA

5


ECONOMIA

Rio 2012 A virada de ano traz sempre um momento de reflexão. A cidade e a metrópole do Rio de Janeiro passaram, desde os anos 60, principalmente a partir da década de 70, por um longo processo de perda de participação na economia nacional e de precarização econômico-social. Mesmo a partir do início do século XXI, apesar dos investimentos já ocorridos, o desempenho carioca continuou ruim. Entre 2000 e 2010, o crescimento do emprego formal, para o total de atividades econômicas, na cidade do Rio de Janeiro, foi de apenas 35,5%, contra um crescimento, no Brasil, de 68,0% (RAIS/MTE). As perspectivas A partir de período recente, dos cariocas, a cidade e a metrópole carioca para os próximos apresentaram uma melhoria de desempenho, encostando-se à traanos, são mais jetória nacional. Para o total das positivas atividades, o crescimento do emprego com carteira assinada, entre novembro/2010 e outubro/2011, foi, na cidade do Rio de Janeiro, de 5,73%, contra um crescimento, no total do país, de 5,46% (CAGED/MTE). As perspectivas dos cariocas, para os próximos anos, são mais positivas, tendo em vista a ampliação de investimentos públicos e privados, na cidade e na metrópole do Rio, e os megaeventos previstos para a década. Isto, claro, caso não ocorra uma piora ainda maior da crise internacional, que venha a atingir a economia brasileira. Nesse cenário, as perspectivas para o comércio podem ser ainda mais positivas, seja pelos investimentos previstos para a cidade seja pela melhoria de distribuição de renda, que tem ocorrido desde o Plano Real em todo país. A melhora da distribuição de renda e ampliação da capacidade de consumo faz com que, no comércio, o crescimento do emprego formal, entre 2000 e 2010, tenha sido, no Brasil e na cidade do Rio, superior ao verificado para o total de atividades. Nesse período, o emprego formal no comércio, na cidade do Rio, foi de 47,9%, contra um crescimento, no total de atividades, de 35,5%. Da mesma forma, o crescimento do emprego formal no comércio, no país, no mesmo período, foi de 97,1%, contra 68% no total das atividades (RAIS/MTE). No entanto, as décadas de decadência ainda deixam diversos desafios para os cidadãos cariocas, o poder público e as instituições de representação dos diversos setores da sociedade civil.

6

Mauro Osório

prof. da FND/UFRJ, doutor em Planejamento Urbano e Regional e consultor do CDLRio

Se, por um lado, por exemplo, o rendimento médio real (descontada a inflação pelo IPCA), das pessoas ocupadas, na cidade do Rio de Janeiro, cresceu, entre 2003 e 2010, de acordo com a série anual média mais longa disponível através da Pesquisa Mensal de Emprego-PME/IBGE, expressivos 29,0%, contra um crescimento, no total das metrópoles pesquisadas por essa instituição, de 19%, por outro lado, não vemos um crescimento da ocupação formal e informal, na cidade do Rio, superior ao das principais metrópoles brasileiras. Isso nos leva a crer que, se o Rio vem gerando empregos de alta qualidade e remuneração, principalmente pelos investimentos vinculados ao complexo petróleo e gás, ainda temos o desafio de ampliar a disseminação da geração de emprego e renda para toda a população. O desafio da disseminação do dinamismo econômico pode ser confirmado, também, quando vemos, através da RAIS/ MTE, que ocorreu um crescimento dos micro estabelecimentos formais (de 0 a 9 empregados), entre 2000 e 2010, de apenas 6%, contra um crescimento médio, no total das capitais, de 39,5%. Pode ser visto ainda no fato de a cidade do Rio e sua Região Metropolitana apresentarem um número bem maior de jovens que não trabalham, não procuram emprego e nem estudam do que, por exemplo, as Regiões Metropolitanas de São Paulo e Belo Horizonte, de acordo com dados da PME/ IBGE. Esse dado, de acordo com pesquisa de campo recente, realizada pelo IETS em parceria com a FIRJAN, é ainda mais contundente. Segundo a pesquisa, quase metade dos jovens, entre 15 e 24 anos de idade, moradores de comunidades onde foram implantadas Unidades de Polícia Pacificadora, não estudam, sendo que um percentual significativo do total de jovens que não estuda também não trabalha. Na Favela do Batam, este grupo chega a 37% do total de jovens nessa faixa etária. Os desafios de maior disseminação do dinamismo econômico, de melhoria da qualidade de vida e de diminuição das desigualdades, no Rio, passam, por exemplo, pela universalização da política de Unidade de Política Pacificadora, o que poderá permitir maior tranquilidade e dinamismo para o micro comércio legalizado existente nas ruas da cidade e em suas diversas regiões. Passam, ainda, pela ampliação da reflexão e debate sobre estratégias, para a cidade do Rio e a metrópole carioca, e pelo aprimoramento de uma agenda pública para essas regiões, como o CDL tem procurado fazer.

Empresário LOJISTA


O Rio comemorará 447 anos de fundação no dia 1º de março. Para marcar a data, a Sarca (Sociedade Amigos da Rua da Carioca e Adjacências), com o apoio do Sindilojas-Rio e do CDLRio, realizará duas grandes festas. O primeiro evento acontece no dia 29 de fevereiro, às 11 horas, aos pés do Cristo Redentor, no Corcovado. Haverá distribuição de bolo com 4 metros e 47 centímetros, numa referência à idade do Rio (um centímetro para cada ano). No dia seguinte, 1º de março, data oficial do aniversário do Rio, os festejos serão na Rua

fevereiro 2012

COMEMORAÇÃO

Aniversário da Cidade Maravilhosa

da Carioca, a partir das 11 horas. Entre as atrações, como tradicionalmente ocorre, um bolo de 10 metros decorado com fotos dos principais pontos turísticos do Rio e as apresentações das bandas da Sarca e da Banda Marcial Dragões Iguaçuanos do Colégio Novo Horizonte, de Nova Iguaçu. Mas o ponto alto do evento será a chegada da imagem peregrina de São Sebastião, conduzida da Catedral Metropolitana do Rio por viatura do Corpo de Bombeiros. Na ocasião, o arcebispo do Rio, Dom Orani Tempesta, receberá a imagem e abençoará a Cidade.

Empresário LOJISTA

7


EXPEDIENTE Empresário Lojista - Publicação mensal do Sindicato dos Lojistas do Comércio do Município do Rio de Janeiro (Sindilojas-Rio) e do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro (CDLRio) Redação e Publicidade: Rua da Quitanda, 3/11° andar CEP: 20011-030 - tel.: (21) 2217-5000 e-mail: empresariolojista@sindilojas-rio.com.br - Diretoria do SindilojasRio - Presidente: Aldo Carlos de Moura Gonçalves; Vice-Presidente: Julio Martin Piña Rodrigues; Vice-Presidente de Relações Institucionais: Roberto Cury; Vice-Presidente de Administração: Ruvin Masluch; Vice-Presidente de Finanças: Gilberto de Araújo Motta; Vice-Presidente de Marketing: Juedir Viana Teixeira; Vice-Presidente de Associativismo: Pedro Eugênio Moreira Conti; Vice-Presidente de Produtos e Serviços: Ênio Carlos Bittencourt; Superintendente: Carlos Henrique Martins; Diretoria do CDLRio – Presidente: Aldo Carlos de Moura Gonçalves; Vice-Presidente: Luiz Antônio Alves Corrêa; Diretor de Finanças: Szol Mendel Goldberg; Diretor de Administração: Carlos Alberto Pereira de Sequeiros; Diretor de Operações: Ricardo Beildeck; Diretor Jurídico: João Baptista Magalhães; Superintendente Operacional: Ubaldo Pompeu; Superintendente Administrativo: Abraão Flanzboym. Conselho de Redação: Juedir Teixeira e Carlos Henrique Martins, pelo Sindilojas-Rio; Ubaldo Pompeu, Abraão Flanzboym e Barbara Santiago pelo CDLRio, e Luiz Bravo, editor responsável (Reg.prof. MTE n° 7.750) Reportagens: Lúcia Tavares; Fotos: Dabney; Publicidade: Bravo Tel.: 2217-5000 - Projeto Gráfico e Editoração: Roberto Tostes - (21) 8860-5854 - robertotostes@gmail.com; Capa: Roberto Tostes

O comércio do Rio no carnaval No Rio, o comércio lojista funcionará normalmente no sábado 18 de fe-

vereiro. No domingo, 19, abrirão apenas as lojas que fizeram acordo para

funcionar nos domingos. Na 2ª feira de carnaval, dia 20, o funcionamento é normal para as lojas que não participaram da maratona do Natal. Já na 3ª

feira, 21, por ser feriado, as lojas não poderão abrir, não havendo possibilidade de acordo para abrir neste dia. Na 4ª feira, 22, o horário de funcio-

namento do comércio será normal, a exceção das lojas que fizeram acordo para trabalhar nos domingos. Neste caso, só poderão abrir a partir das 12 horas.

Outros esclarecimentos poderão ser solicitados através do tel. 2217-5000,

de 2ª a 6ª feira, de 9 às 17:30 horas.

8

Empresário LOJISTA


COMÉRCIO

Atendimento, só com qualidade No serviço público é muito comum colocar na recepção, no atendimento funcionários criadores de caso, indisciplinados mesmo. Os seus chefes acham que essa lotação é a melhor maneira de colocar aqueles funcionários no isolamento. Puro engano, vão continuar a se atritar com o cidadão que vai a procura de um serviço público. Ocorre que essa péssima política de recursos humanos em algumas áreas do serviço público também ocorre em empresas, no comércio, em lojas. Há dias, li num jornal do Rio, na seção semanal de reclamações contra empresas, uma leitora denunciava o péssimo tratamento que recebera de uma supervisora de caixas. A leitora reclamou da fragilidade da sacola que lhe fora ofertada pela caixa, para acondicionar um objeto que comprara. Pediu outra bolsa, mas a caixa informou que não podia atendê-la, pois a loja estava com falta de sacolas. Nessa troca de palavras, apareceu a supervisora de caixas. Aos gritos, disse que se a cliente quisesse outra sacola de plástico, que comprasse uma de papel. E indagou se a freguesa não conhecia a lei das sacolas. E por ai foi. O pior, ainda, foi a resposta que a empresa deu ao jornal. Declarou que investigará o caso apresentado, e, se realmente o fato aconteceu, a supervisora será advertida. No mínimo, a nota oferece dois erros em matéria de recursos humanos em loja. Primeiro, dá a entender que a consumidora podia não estar falando a verdade, e segundo, o caso não é de advertência ou de punição, mas de orientação para a supervisora mencionada, caso a empresa desejasse mantê-la no quadro funcional. Mesmo que a empresa já tivesse comprovação de que a

fevereiro 2012

Luiz Bravo, editor da Empresário Lojista

consumidora tenha omitido e mesmo mentido, jamais poderia declarar em nota à imprensa, que a consumidora não estaria falando a verdade. Uma agressão e tanto não apenas à cliente, mas a tantas outras consumidoras antes fiéis à rede de lojas. Pesquisa recente em lojas no Brasil, apontou que 71% de consumidoras de lojas entrevistadas, declararam que já deixaram de comprar em determinadas lojas pelo mau atendimento recebido. Não apenas se deve treiNão apenas se nar, treinar e treinar os supervisores de lojas, mas deve treinar, a todo quadro funcional. treinar e treinar os Deve-se fazer a seleção supervisores de lojas, correta, pois nem sempre a mas a todo quadro boa caixa será uma eficiente supervisora de caixas. É funcional necessário que o seu perfil psicológico se enquadre nos requisitos não mínimos, mas máximos da empresa para supervisor. E, assim, em relação a todos os empregados da loja. É comum ouvir que o maior, o mais expressivo capital de qualquer empresa é o seu pessoal. Todavia, deixará de ser capital para se transformar em prejuízo, caso o lojista não se preocupe em selecionar bem seus colaboradores, treiná-los, treiná-los e treiná-los sempre para que, realmente, contribuam para ser excelente parte do capital da empresa.

Empresário LOJISTA

9


PERGUNTAS E RESPOSTAS

PERGUNTE! Empresário Lojista responde Os empresários lojistas, mesmo não tendo empresa associada ao Sindilojas-Rio, podem fazer consultas sobre questões jurídicas trabalhistas, cíveis e tributárias através do tel. 2217-5000, de 2ª a 6ª feira, de 9 às 17 horas. A seguir, algumas perguntas encaminhadas à advogada Luciana Mendonça, da Gerência Jurídica do Sindilojas-Rio, e suas respostas. Para que a empresa possa fazer homologação no Sindilojas-Rio deve ser associada? Sim. Para se utilizar do setor de homologação no Sindilojas-Rio a empresa deve ser associada e estar em dia com todas as contribuições patronais, inclusive as mensalidades e, ainda, com as contribuições dos empregados recolhidas a favor do Sindicato dos Empregados no

10

Comércio do Rio de Janeiro. As férias podem se iniciar aos domingos? Não. Conforme Precedente Normativo nº 100 do TST, as férias, coletivas ou individuais, não poderão coincidir com sábado, domingo, feriado ou dia de compensação de repouso semanal. Como se inicia a contagem da licença paternidade? A contagem da licença-paternidade deve iniciar-se em dia útil a partir da data do nascimento da criança. Dia útil porque é uma licença remunerada, na qual o empregado poderá faltar ao trabalho sem implicações trabalhistas, conforme determina o artigo 473, III da CLT, não existindo coerência na insistência em iniciar a licença-paternidade

Empresário LOJISTA

em dia não útil, na qual o empregado não teria prejuízo no seu salário. A empresa está obrigada a fornecer carta de referência? Não. Inexiste previsão legal que obrigue o empregador a fornecer qualquer documento dando referências de seu ex-empregado. Incide o FGTS sobre o valor deferido a título de férias indenizadas? Não. Conforme entendimento cristalizado na Orientação Jurisprudencial 195 da SDI-1 do Egrégio TST, não incide a contribuição para o FGTS sobre as férias indenizadas. Houve aumento no valor do salário mínimo? Sim. O Decreto nº 7.665 de 23 de dezembro de 2011 estabeleceu que desde 1º de


janeiro de 2012, o salário mínimo passou a ser R$ 622,00. Estagiário tem direito ao auxílio-doença acidentário? Não. As prestações relativas ao acidente do trabalho são devidas: • Ao empregado; • Ao trabalhador avulso; • Ao segurado especial. O estágio não gera presunção de vínculo empregatício, não há contribuição para o INSS e o estagiário não é considerado segurado perante a Previdência Social. Assim, o estagiário não terá as garantias asseguradas pela legislação trabalhista e previdenciária como o auxílio-doença acidentário e nem a estabilidade provisória prevista para o trabalhador comum. Qual o período de carência para que o empregado possa receber auxílio-doença? O tempo mínimo de contribuição que

fevereiro 2012

o empregado precisa comprovar para ter direito ao recebimento do auxílio-doença são 12 meses. Qual o procedimento para rescisões de contrato de trabalho com saldo negativo?

balho permitida é de turmas e turnos de trabalho até 6 horas, vedada toda e qualquer prorrogação. Direção: J. Teotônio

Quando a rescisão contratual tiver saldo negativo deverá ser zerada. De acordo com o art. 477, § 5º da CLT, qualquer compensação no pagamento da rescisão contratual não poderá exceder o equivalente a um mês de remuneração. O Sindicato poderá se recusar a fazer homologação, pois, a doutrina e a jurisprudência entendem que a rescisão poderá ser no máximo zerada, jamais negativa, pois o empregado presta serviços pelo qual é remunerado e não deverá pagar por ele. Qual a jornada de trabalho permitida nos feriados?

Tel: (21) 2583-9797

Conforme Convenção Coletiva para trabalho nos feriados, a jornada de tra-

Empresário LOJISTA

11


MARKETING

Marketing de Varejo:

Daniel Kamlot,

do Camelô às Grandes Corporações O que há em comum entre um supermercado, uma academia de ginástica e um camelô? Apesar de não parecerem atuar em negócios da mesma natureza, todos realizam atividades varejistas, ou seja, a venda de produtos ou serviços ao consumidor final. Todos os comerciantes que desejam atuar no varejo têm uma primeira preocupação, que é exatamente a atração do cliente, ou seja, persuadi-lo a consumir naquele varejista e não nos concorrentes. Para que esta persuasão ocorra eficazmente, é comum que se recorra a estratégias de marketing, ainda que por vezes os varejisO foco de tas não saibam que o que estão qualquer fazendo é, de fato, algo explicavendedor, em do pelas teorias do marketing. O cerne do marketing são os especial o varejista, processos de trocas entre emcontinua a ser presas e consumidores de foro cliente ma que as partes envolvidas se sintam satisfeitas, porém muitas vezes tais negociações não são possíveis de ocorrer entre o fabricante e o consumidor, necessitando de algum intermediário que possibilite o acesso do consumidor final àquilo que é produzido pelo fabricante. O varejista é justamente esse intermediário, que pode existir em contato direto com o produtor e o cliente, ou em contato com outros intermediários, como atacadistas e distribuidores. Quanto mais intermediários houver entre o fabricante e o consumidor, maior será o preço do produto pago por este. O marketing de varejo possui seis principais variáveis. Sem entrar em detalhes, estas podem ser listadas como segue: o produto, ou as linhas de produtos oferecidas, engloba o que é vendido; o preço inclui o valor desembolsado e formas de pagamento; o ponto está relacionado à localização; a promoção engloba a divulgação, publicidade e propaganda; as pessoas (ou pessoal) são os funcionários e o atendimento prestado pelo varejista; e a apresentação da loja envolve o seu layout, aspecto e organização interna, inclusive das gôndolas e prateleiras. Apesar da existência deste conjunto de variáveis, é comum percebermos, no Brasil, que o preço é um dos itens mais usados para atrair o consumidor ao ponto de venda e motivá-lo a com-

12

professor da ESPM/RJ

prar, seja em uma loja, em um website ou com um vendedor ambulante. O preço é a variável mais rápida e facilmente alterável pelo varejista. Dentre as táticas usadas pelos varejistas para seduzir os clientes usando o preço como atrativo, uma das mais utilizadas é o chamado “preço psicológico”, em que os preços são terminados em “99” em vez de serem arredondados para a dezena ou centena seguinte. Como lemos da esquerda para a direita, a impressão que fica é de que não pagamos o valor cheio, mas algo distante dele. Um produto de R$199,99 não é normalmente percebido como custando “R$200”, mas como se custasse “cento e poucos reais”. Este tipo de persuasão costuma atrair consumidores e elevar as vendas dos varejistas. Outra tática interessante, muito usada por supermercados, é reduzir o preço de um produto líder de vendas a fim de atrair pessoas para comprá-lo e assim esperar que comprem outros itens naquele ponto de venda. A técnica de usar um preço como referência é também bastante utilizada.Trata-se daquela promoção em que o varejista indica o valor habitual e o novo, cobrado durante a promoção, a fim de facilitar a comparação e dar ao cliente a percepção de estar fazendo um bom negócio, apesar de que muitas vezes o novo preço indicado não é reduzido, o que acaba por causar insatisfação nos consumidores alvo da suposta promoção. Nota-se que essas táticas, assim como várias outras, vêm sendo usadas não só por grandes corporações, mas com cada vez mais frequência pelos camelôs, por varejistas virtuais e por fornecedores de serviços. O que se pode perceber é que o foco de qualquer vendedor, em especial o varejista, continua a ser o cliente – se este não se sentir satisfeito, não retornará ao local onde realizou a compra nem transmitirá a seus conhecidos e amigos a experiência positiva que tenha experimentado. O marketing de varejo possui técnicas para potencializar a percepção positiva de marcas, de preços, de pessoas, enfim, de atributos os mais variados. Cada vez mais estas estão sendo aproveitadas pelos varejistas para manter um relacionamento de longo prazo com o consumidor. Este artigo foi inicialmente publicado no Jornal do Commmercio, do Rio, em 12 de janeiro de 2012.

Empresário LOJISTA


101ª reunião anual da NRF: o maior evento mundial de varejo

A 101ª Convenção anual da NRF que aconteceu entre os dias 15 e 18 de janeiro no The Jacob K. Javits Center de Nova Iorque, da qual participou o vice-Presidente de Marketing do Sindilojas-Rio, Juedir Teixeira, que reportou o evento para a revista Empresário Lojista. A NRF deste ano mostrou ao mundo as tendências e novidades do varejo, como ideias, conexões, debates e novas ferramentas tecnológicas, trazendo motivação aos va-

fevereiro 2012

rejistas presentes para inovação e novas oportunidades de negócios. O Brasil participou do evento com 1.410 varejistas, sendo a maior delegação internacional. Também participou da Convenção Anual da NRF deste ano, o empresário Aldo Gonçalves, presidente do Sindilojas-Rio e do CDLRio. Na próxima edição da Empresário Lojista de março de 2012, daremos continuidade à reportagem sobre a NRF 2012.

Empresário LOJISTA

13


Palestra do ex-presidente dos Estados Unidos, Bill Clinton, na NRF 2012

DESTAQUE O destaque da 101ª Convenção Anual da NRF foi a palestra do ex-presidente dos Estados Unidos Bill Clinton, Primeiro democrata a cumprir dois mandatos de presidente americano, que abordou a globalização e a sustentabilidade, mostrando como enfrentar os desafios da interdependência global e os problemas ambientais para promover o desenvolvimento econômico sustentável. Da sua palestra destacaram-se os seguintes pontos: • Todos nós fazemos um trabalho melhor quando se atua em equipe. • Ele começou a vida trabalhando num supermercado aos 13 anos de idade. • Foi o único político da família, que não tinha dinheiro para entrar na política. • Visitou mais de 100 países após deixar o governo e trabalhou em 70 deles, buscando a melhoria da qualidade de vida de seus habitantes.

14

• Metade do mundo ainda vive com menos de um dólar por dia e isso não é bom para o varejo.

No Brasil, quando surge um problema, a sociedade senta, conversa e resolve.

• Precisamos analisar de forma diferente os países pobres e os países emergentes.

• Os países ricos estão passando por sérios problemas.

• O Brasil é um dos melhores lugares do mundo, mas ainda tem muita pobreza e vem crescendo o número de diabéticos. Aqui na Convenção temos muitos brasileiros. O Brasil é melhor país em desenvolvimento, em cuidado com o meio ambiente. Mas os rios onde se pode construir hidrelétrica estão na floresta amazônica, o que exige atenção em função da preservação da região. O Brasil conseguiu reduzir, de forma extraordinária, em 70% o desmatamento da Amazônia. O Brasil tem grande produção de cana de açúcar.

• O Japão ainda é um grande país para se investir. Nunca podemos subestimar a competência do Japão. • Os EUA precisam reduzir os juros nas hipotecas. Deve investir em energia limpa e melhorar sua eficiência energética. Todos os prédios governamentais devem investir para ter a melhor forma de economia de energia; • Energia, saúde e educação e imigração devem fazer parte da atenção do governo americano.

Empresário LOJISTA


As super-sessões com líderes mundiais do varejo, com destaque para a Container Store, Macys, Coca-Cola, Best Buy, Pólo Ralph Lauren, Aeropostale, Saks, Sears, com seus exemplos de sucesso proporcionaram aos participantes uma nova visão sobre o varejo.

LÍDERES DO VAREJO

As super-sessões com líderes mundiais do varejo, com des-

taque para a Container Store, Macys, Coca-Cola, Best Buy, Pólo

Ralph Lauren, Aeropostale, Sacks, Sears, com seus exemplos de

sucesso proporcionaram aos participantes uma nova visão so-

Outro destaque da NRF 2012 foi a feira de negócio – Expo Hall, com área de

bre o varejo.

FEIRA DE NEGÓCIO Outro destaque da NRF 2012 foi a Expo Hall, com uma área

de 14 mil metros quadrados, aconteceu nos dias 16 e 17 de janeiro, com 400 expositores que apresentaram soluções ino-

vadoras, ferramentas e novas tecnologias para o varejo, sendo uma oportunidade única para se conhecer e se conectar como as novas oportunidades de negócio, podendo trazer vanta-

gens competitivas para os negócios, mediante a utilização de tecnologia de ponta.

O presidente do Sindilojas-Rio e do CDLRio, Aldo Gonçalves, com o presidente do Sindilojas-Porto Alegre, Ronaldo Sielichow, na Convenção de Nova Iorque

BRASIL PRESENTE

Foto: Carlos Stegemann

Em função da importância do evento para o varejo brasileiro, es-

teve presente o Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, que no dia 17, reuniu-se com varejistas brasileiros e recebeu as principais reivindicações, com destaque

para a reforma tributária, a flexibilização das leis trabalhistas, a política de crédito para o setor varejista e a regulamentação do Cadastro

Positivo. O Ministro mencionou que, como todos os segmentos da

sociedade, inclusive o Governo, concordam que as demandas apresentadas são justas, oportunas e necessárias, não existe nenhum óbice intransponível e solicitou que a categoria o apoie junto ao Congresso Nacional para a aprovação das leis que serão necessárias.

fevereiro 2012

Empresário LOJISTA

O Ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel

15


O FOCO DA NRF/12

O foco principal da NRF 2012 foi a tecnologia,

notadamente a móvel, não com um fim em si, mas como

uma ferramenta de gestão de varejo, para conhecer e

entender o cliente, como meio de pagamento, como gerir melhor a cadeia de suprimento com a introdução da

etiqueta Inteligente – código QR, para oferecer conveniência ao cliente, podendo comprar em qualquer lugar e a qualquer hora, ou seja, a tecnologia a serviço do consumidor, para facilitar a vida das pessoas.

O CLIENTE NO CENTRO DE TUDO Praticamente todos os palestrantes

mencionaram a necessidade de se colocar o cliente no centro da atenção do negócio,

usando as ferramentas da tecnologia e as redes sociais para conhecer e entender o cliente para atender as suas necessidades

e expectativas. As redes sociais mudaram

este relacionamento. Antes, a empresa seguia o cliente. Hoje o cliente segue a loja.

A Macys, maior varejista de moda do

mundo, aonde 70% dos americanos vão à

loja pelo menos uma vez por ano, apresentou uma

das melhores palestras da NRF, com destaque para os seguintes comentários:

Para Macys, a questão não é conquistar no-

vos clientes, mas fidelizar os clientes existentes,

colocando-os no centro de cada decisão de ne-

gócio. Isto é muito fácil e bonito de falar, mas difícil e complicado para colocar em prática em

16

toda a organização. É preciso liderança forte e comprometida com o conceito.

A Macys mudou até o nome do seu CEO, que

passou a ser denominado de “Presidente de Cliente”.

Estivemos na loja central da marca para verificar

na prática o que havia sido mencionado na palestra.

Realmente ficamos entusiasmados com a qualidade do atendimento, o que jamais vimos no mercado.

Empresário LOJISTA


FRASES DO EVENTO Como não se pode relatar nesta matéria tudo que se passou no evento, com mais de 100 horas de palestras, das quais

participamos de cerca de 40 horas, apresentamos ao leitor que não pôde estar presente, algumas frases do evento. • Tudo na empresa começa a partir do conhecimento do cliente (Coca-Cola). • É importante saber como o cliente se prepara para comprar (Coca-Cola). • Entender como o cliente consome o produto é muito importante (Coca-Cola). • Antes a empresa acompanhava o cliente; agora, com as redes sociais, o cliente acompanha a empresa. • Conhecer quem compra é tão importante quanto conhecer quem usa o produto (Coca-Cola). • Os números de ações na internet, como e-mails twitter, facebook e outros aplicativos multiplicaram de forma exponencial, fazendo destes a maior ferramenta de comunicação e interatividade entre cliente e empresa. • Utilização de tecnologia como forma de vivenciar novas situações de vestir, experimentar roupa, corte de cabelo, sem trocar de roupa efetivamente. • A Macys usa o código QR (etiqueta inteligente) que o cliente escaneia ao entrar no departamento e baixa um vídeo explicativo para cada tipo de produto escaneado. • Os varejistas estão usando a etiqueta inteligente para acompanhar toda a cadeia produtiva, podendo identificar, por exemplo, a origem de um botão colocado numa camisa a qualquer momento. • Uma boa gestão de uma empresa se conhece pelo controle do estoque e a etiqueta inteligente pode proporcionar isso, que é 20 vezes mais rápido do que a etiqueta de código de barra normal. • Condições básicas necessárias para reter os talentos internos: bom ambiente de trabalho, reconhecimento e desenvolvimento pessoal e profissional. • Conceito de gerente móvel: tudo que o gerente precisa para gerenciar sua loja está no iphone ou ipad. • Entender os clientes e valorizar a marca deve ser a visão de qualquer empresa varejista. • Como cada pessoa é diferente, a segmentação tem que ser individual; • Paradoxo da escolha: quanto mais variedade a empresa tiver maior será o volume de venda perdido. Quanto menos variedade melhor. • O cliente compra por duas razões: necessidade e emoção. No segmento de moda a emoção é fundamental; • Ser verde só não basta. Tem que ser verde e dar lucro; • Talento: não existe sucesso de empresa sem equipe capacitada; • O papel dos vendedores não é vender e sim melhorar o relacionamento com o cliente. Precisa ter o perfil correto e ser treina-

fevereiro 2012

do e desenvolvido para atender o cliente; • O ambiente de varejo está sempre em mudanças e nelas surgem as oportunidades; • As compras de brasileiros nos Estados Unidos crescem 30% a.a. • O cliente que compra da internet gasta duas vezes mais que na loja; • A Apple e o Google têm as maiores margens do mundo em função das marcas criadas. Construir marca forte é fundamental; • Não fale apenas, aprenda a escutar mais de todos, cliente e funcionários; • Comprometimento é diferente de paciência. O comprometido não desiste nunca; • Se quiser atuar online é melhor contratar pessoas com esse perfil e não pegar o pessoal que atua off-line; • Não espere que seu pessoal faça o que você se recusa a fazer; • Você não tem que ganhar o seu concorrente. Você tem que ganhar o seu consumidor; • Definitivamente o consumidor tem que estar no centro da sua atenção. Mas isso é definitivamente difícil. • 95% dos varejistas americanos são pequenos, com apenas uma loja; • A marca precisa arrumar uma forma de entusiasmar o seu cliente. As marcas que conseguem isso são marcas de sucesso; • Líder é aquele que pensa a empresa como um ser interdependente, em perfeita harmonia com todos os envolvidos: clientes, funcionários e sociedade; • A empresa deve colocar o funcionário em primeiro lugar. Só assim o cliente será colocado em primeiro lugar. • A empresa deve criar valores para todas as partes interessadas e criar indicadores de desempenho para saber se os valores estão sendo respeitados; • O Google sabe mais da sua vida que a sua mulher; • Transparência não é uma escolha. É a essência do negócio; • Os jovens compartilham as coisas e não se preocupam com a privacidade; • Uma marca tem que causar entusiasmo no cliente; • Varejo é, fundamentalmente, construir relacionamento com o cliente; • A gente compra numa loja porque ela não entende o cliente. Você precisa entender o cliente; • O futuro do varejo está nas redes sociais; • Compra na internet foi preparada por homem para homem comprar; • A Apple não pensa em fazer produtos simples e sim produtos emocionais,

Empresário LOJISTA

17


Carnaval

Comércio em tempo de carnaval Os lojistas do Rio não têm do que reclamar. A proximidade do carnaval movimenta a economia da Cidade e contagia os consumidores que entram no clima da folia. Tecidos especiais, adereços e fantasias dão um toque a mais no visual dos foliões que vão às compras fazendo a alegria dos empresários do ramo. Muito brilho, lantejoulas e colorido incrementam as vendas dos mais variados produtos que estão sendo oferecidos no comércio carioca. A expectativa da maioria dos lojistas que trabalham com tecidos, fantasias e acessórios é de aumento em torno de 15% nas vendas neste ano. Uma das maiores redes de lojas que oferecem artigos para carnaval, a Casa Pinto, reforçou o estoque de suas cinco lojas com tecidos estilizados e inúmeras novidades que estão atraindo os consumidores. Entre os artigos mais procurados, lamê brocado, nylon pintado, metalassê ouro, cetim estampado, TNT gliterizado e os tecidos laminados, metalizados e pastilhados. O proprietário da rede, Ronaldo Darzi, explica que nesta época a demanda é enorme, inclusive para atender blocos carnavalescos e grupos de bate-bolas que a cada ano crescem em vários bairros da Zona Norte. - Cada fantasia de bate-bola custa hoje em torno de R$ 1 mil e R$ 1.500. É uma tradição do carnaval que o povo man-

tém, porém, vem se inovando com fantasias mais rebuscadas. Para atender a demanda, oferecemos grande variedade que inclui até tecidos exclusivos ou personalizados para blocos com o nome e a logomarca da agremiação - acrescenta o empresário. Fundada há 80 anos, a Casa Pinto também abastece as escolas de samba do Rio com tecidos e acessórios para o carnaval carioca. Carnavalescos consagrados como Rosa Magalhães, Renato Lage, Max Lopes e Paulo Barros costumam visitar a matriz na Rua Buenos Aires, 224/226, no Centro, em busca de novidades. De acordo com Ronaldo Darzi, as vendas se estendem às escolas de samba de outros estados como São Paulo, Brasília e Santa Catarina. A rede oferece ainda artigos que agradam em cheio os foliões que curtem os dias de momo em clubes ou em locais públicos. - Além da enorme variedade de tecidos, nesta época vendemos muito penas artificiais estilizadas, plumas de avestruz, rabo de galo, penas de pato e de pavão, marabus, fantasias de passistas, adereços, além de outros produtos. Trata-se de uma época que o lojista, mesmo não sendo do ramo, consegue obter excelentes resultados. Basta ter feeling e ser criativo - finaliza Ronaldo Darzi.

VENDA, INSTALAÇÃO E ASSISTÊNCIA TÉCNICA Viabilizando sua automação dos equipamentos à sua instalação.

Av. Brás de Pina nº 1.110 - Vila da Penha Fone : (21) 3391-0019 / FAX: (21) 3352-1012 vendas@lminformatica.com.br / www.lminformatica.com.br

18

Empresário LOJISTA


Carnaval

VENDAS

Expectativa de boas vendas nas lojas O comércio está animado com as vendas de produtos para o carnaval. Os lojistas esperam um crescimento de cerca de 11% superior ao do ano passado, que foi de 10%. É o que mostra a pesquisa do Centro de Estudos do Clube dos Diretores Lojistas do Rio de Janeiro – CDLRio, que ouviu 500 empresários da Cidade do Rio de Janeiro durante a semana de 23 a 30 de janeiro para conhecer a expectativa para a venda de produtos para o carnaval. Os lojistas estão estimulando os consumidores foliões com promoções, lançamento de novos produtos, formas de pagamentos diferenciados e descontos no total das compras. Segundo Aldo Gonçalves, presidente do CDLRio e do Sindilojas-Rio, o carnaval contribui significativamente para o aumento das vendas no mês de fevereiro. “O lojista está animado e a presença do grande número de turistas nacionais e estrangeiros na Cidade por causa do verão e do carnaval, sempre estimula e movimenta o comércio. Outro fenômeno que tem aumentado bastante a venda de produtos para o carnaval é o crescimento do número de blocos carnavalescos, que por não usa-

rem fantasias padronizadas, contribuem bastante para as vendas de adereços, fantasias, chapéus, fitas, camisetas, bermudas, shorts e sandálias”, diz Aldo. Ainda segundo o presidente do CDLRio, o turismo influencia com 65% nas vendas, o que pode contribuir para superar a expectativa de 11% de crescimento no carnaval. De acordo com a pesquisa com lojistas os itens mais vendidos na época de carnaval são: - adereços e fantasias (44%); - bermudas e shorts (32%); - linha de praia - biquíni, maiô, saídas (12%) ; - vestuário comum (16%). O preço médio das compras será de cerca de R$ 150,00 e os clientes deverão utilizar mais o cartão de crédito parcelado como forma de pagamento, seguido de dinheiro, cartão de débito, cheque à vista e crediário. A pesquisa mostra também que as lojas do centro da Cidade estimam vendas maiores que o ano passado, seguidas pelas lojas da Zona Sul, Norte e Oeste. Mais de 60% dos lojistas consultados disseram que contrataram temporários para o período do carnaval.

O lojista está animado e a presença do grande número de turistas nacionais e estrangeiros na Cidade por causa do verão e do carnaval, sempre estimula e movimenta o comércio. Aldo Gonçalves, presidente do CDLRio e do Sindilojas- Rio

fevereiro 2012

Empresário LOJISTA

19


DIREITO

Gratuidade de custas não se aplica em litigância de má-fé Hoje em dia nos deparamos com enxurrada de processos onde os autores pleiteiam o benefício da gratuidade de Justiça. O que significa isso, ao ser distribuída uma ação a parte autora se diz carecedora de recursos para postular em Juízo, o litigante de requerendo isenção das custas má-fé não pode processuais. Pois bem, a 7ª Câmara Cível ser favorecido com os do Tribunal de Justiça do Rio de benefícios da gratuidade Janeiro entendeu que a lei de asde Justiça sistência judiciária gratuita (Lei 1.060/50) não é aplicável quando houver litigância de má-fé por parte do postulante do benefício. A decisão ocorreu no processo movido contra o Ponto Frio em que a autora, beneficiária da gratuidade de Justiça, pedia indenização, a título de danos morais, por ter seu nome apontado junto ao SPC.

20

Alexandre Lima,

advogado do CDLRio

No entanto, foi descoberto que a autora realmente era devedora. Em conformidade com a decisão do desembargador-relator do processo, Dr. Luciano Rinaldi, ex-advogado militante e profundo conhecedor do Direito, este destacou que: “o litigante de má-fé não pode ser favorecido com os benefícios da gratuidade de Justiça, devendo arcar com o pagamento de todos os ônus sucumbenciais, e não apenas a multa por litigância de má-fé”. Com a decisão da 7ª Câmara Cível, que se deu por unanimidade, abriu-se uma janela aos advogados e julgadores para que tenham bastante atenção quando se pleiteiam os benefícios de gratuidade previstos na Lei 1.060/50. Melhor explicando, criou-se precedente no sentido de que a pena por litigância de má-fé não está inserida no rol de isenções previsto no artigo 3º da Lei 1.060/50, devendo os postulantes que atuam de forma desleal ser penalizados com a perda do benefício legal, desestimulando as distribuições de ações irresponsáveis e aventureiras.

Empresário LOJISTA


EVENTO EVENTOS

Prefeito do Rio reafirma compromisso com a SAARA

O presidente da SAARA e vice-presidente de Produtos e Serviços do Sindilojas-Rio, Ênio Carlos Bittencourt, homenageou o prefeito do Rio, Eduardo Paes, com o Troféu Mascate (Fotos: Beth Santos - Prefeitura do Rio).

O presidente da SAARA (Sociedade de Amigos das Adjacências da Rua da Alfândega) e vice-presidente de Produtos e Serviços do Sindilojas-Rio, Ênio Carlos Bittencourt, homenageou no dia 19 de janeiro o prefeito do Rio, Eduardo Paes, com o troféu “O Mascate”, maior honraria da Saara. Durante o encontro, Eduardo Paes ressaltou a importância do Centro do Rio em sua administração e reforçou o compromisso de repaginar e modernizar as ruas do maior shopping à céu aberto da América Latina. - Estamos concluindo, finalizando e orçando o projeto de revitalização desta importante região. Sabemos dos problemas estruturais que precisam ser resolvidos e, portanto, reafirmo o compromisso. Todo o meu governo está à disposição para que possamos cada vez mais valorizar esta fantástica região de nossa Cidade - destacou Eduardo Paes. Na ocasião, o prefeito do Rio esteve na rádio Saara onde concedeu entrevista ao jornafevereiro 2012

lista Luiz Antonio Bap, diretor da emissora. Em seguida percorreu as principais ruas da Saara até chegar ao Restaurante Saara Grill onde foi recebido por inúmeros lojistas e autoridades. Entre os presentes, o secretário de Ordem Pública, Alex Costa; o subprefeito do Centro e Centro Histórico, Thiago Barcellos, o administrador da II RA, Cosme Firme; o comandante da Guarda Municipal do Rio de Janeiro, coronel Lima Castro; o presidente da Rioluz, José Henrique Pinto, e o secretário de Conservação e Serviços Públicos, Carlos Roberto Osório. Também participaram do evento, os vices-presidentes do Sindilojas-Rio, Roberto Cury (Relações Institucionais), e Pedro Conti (Associativismo). Além do troféu “O Mascate”, o prefeito Eduardo Paes recebeu ainda do presidente da Saara, Ênio Carlos Bittencourt, uma placa em agradecimento pelos serviços prestados à nossa Cidade.

Empresário LOJISTA

21


SERVIÇOS

SERVIÇOS

CertoCar:

informações sob medida para sua tomada de decisão O CDLRio está lançando um novo produto para atender às empresas. Trata-se do CertoCar, um serviço completo e diferenciado de consultas e informações de veículos automotores, primordial para transações comerciais que envolvam veículos, seja na compra, venda, financiamento, seguro, leasing, locação ou transportes. O produto oferece uma série de vantagens e imensos benefícios como: Praticidade: O interessado poderá montar sua própria consulta de acordo com suas necessidades; Segurança: As informações são fornecidas de fontes oficiais; Rapidez: Com apenas uma consulta, se acessa todas as informações referentes ao veículo; Eficiência no tempo de resposta do produto; O serviço pode ser facilmente integrado à plataforma do cliente; Maior facilidade para acesso às informações públicas. Disponível para pessoas jurídicas dos mais variados segmentos, o recém lançado serviço CertoCar do CDLRio está sendo oferecido em forma de módulos: Renavam - Descreve as características do veículo e verifica se há restrições (alienação, arrendamento etc);

Luciana Ferrante,

gerente de produtos e serviços do CDLRio

“O CertoCar é um produto que fornece informações de suma importância na hora de se fazer quaisquer transações com veículos. Trata-se de um eficiente serviço que evita transtornos ou eventuais prejuízos que muitas vezes ocorrem por falta de conhecimentos na negociação com veículos automotores.”

Débitos estaduais - Além das informações descritas acima, avisa se existe alerta de roubo/furto, existência de débitos com valores de multas, licenciamento, IPVA e DPVAT; Roubo e Furto - Detalha as ocorrências de roubo e furto do veículo; DPVAT: Informa o detalhamento dos três últimos pagamentos do seguro obrigatório; Gravames - A consulta informa até três ocorrências relacionadas a gravames: alienação fiduciária, arrendamento mercantil e leasing; Sinistro - Informa se houve pagamento de sinistro de colisão integral (perda total); Decodificador de chassis - Permite a interpretação do número do chassi conforme o padrão de fábrica da montadora; Base de leilão - Informa se o veículo possui histórico de leilão: Chassi X Motor - Identifica adulterações no veículo através de confronto do número do chassi e do motor do veículo; CRLVs adulteradas - Informa se o documento do veículo é proveniente de um lote roubado ou extraviado. Para ver modelos de consultas CertoCar, acesse o site do CDLRio www.cdlrio.com.br, na opção Produtos, Informações para Auto. Interessados em adquirir o serviço, devem manter contato com a central de atendimento HelpDesk através do telefone 2506.5533, de segunda à sexta-feira, de 9 às 18 horas, e aos sábados, de 9 às 16 horas.

“O CertoCar é de suma importância nas transações com veículos” 22

Empresário LOJISTA


“Quem utiliza o serviço CertoCar sabe muito bem que se trata de um produto de total segurança. Na realidade, é uma proteção que nos dá respaldo absoluto em nosso dia a dia, pois evita uma série de transtornos que poderiam ocorrer em diferentes situações. Através do CertoCar conseguimos visualizar qualquer tipo de problema ou ocorrência, como carros sinistrados ou refeitos por seguradoras, procedências duvidosas, roubos etc. O CertoCar é uma poderosa ferramenta, pois todas as informações são passadas por fontes fidedignas e com muita transparência. Dessa forma, aumenta a credibilidade de nossa empresa junto aos clientes que ficam satisfeitos e reconhecem que desenvolvemos um trabalho bastante sério”. Marcelo Ramos, sócio-proprietário da Revenda Multimarcas Brilho Diplomata, Avenida dos Italianos, 595, Rocha Miranda, Rio de Janeiro.

“O CertoCar é uma poderosa ferramenta”

“O produto CertoCar é completo e nos fornece informações totalmente atualizadas, o que não acontece com os serviços oferecidos pelos concorrentes. Lembro que antes de implantarmos em nossa empresa o CertoCar, nos deparávamos com muitos problemas nas negociações que envolviam compras e vendas de autos já que as informações que precisávamos eram obtidas através de terceiros. Como o CDLRio possui um banco de dados próprio e tecnologia ultra avançada, os resultados agora são bem diferentes. Com o CertoCar todas as informações batem certinho. Além de eficiente, o serviço é rápido demais, pois as informações são passadas em tempo real. Com certeza, o CertoCar nos dá a tranquilidade e firmeza que precisamos na hora de tomarmos a decisão certa.” Mônica Costa, gerente administrativa da Sofisticar Automóvel, Estrada Intendente Magalhães, 795, Vila Valqueire, Rio de Janeiro.

“Com o CertoCar todas as informações batem certinhas”

fevereiro 2012

Empresário LOJISTA

23


LEIS E DECRETOS CONSUMO

O Centro de Estudos do CDLRio acompanha a legislação da União, do Estado do Rio de Janeiro e da cidade do Rio. Os textos das legislações mencionadas poderão ser solicitados, sem ônus, ao Centro de Estudos do CDLRio através dos telefones 2506.1234 e 2506 1254. LEGISLAÇÕES EM VIGOR Ato COTEPE/ICMS nº 51 de 29 de novembro de 2011 (DOU: 06.12.2011) PAF-ECF - Altera o Ato COTEPE ICMS 06/08, que dispõe sobre a especificação de requisitos do Programa Aplicativo Fiscal - Emissor de Cupom Fiscal (PAF-ECF) e do Sistema de Gestão utilizado por estabelecimento usuário de equipamento ECF.

Ato COTEPE ICMS CONFAZ nº 52, de 29 de novembro de 2011 (DOU: 06.12.2011) EFD - Altera o Ato COTEPE/ ICMS 09/08, que dispõe sobre as especificações técnicas para a geração de arquivos da Escrituração Fiscal Digital - EFD a que se refere à cláusula quarta do Ajuste SINIEF 02/09.

Ato Decl. Exec. Cocad nº 1, de 29 de novembro de 2011 (DOU: 1.12.2011) CNPJ - Altera o Anexo III da Instrução Normativa RFB nº 1.183, de 19 de agosto de 2011. Circ, BC nº 3.567, de 12 de dezembro de 2011 (DOU: de 13.12.2011)

SCR - INFORMAÇÕES DE CRÉDITO - Dispõe sobre o fornecimento de informações relativas a operações de crédito ao Sistema de Informações de Créditos (SCR), de que trata a Resolução nº 3.658, de 17 de dezembro de 2008. Dec. nº 7.631, de 1º de dezembro de 2011 (DOU: 01.12.2011)

IPI – LINHA BRANCA - Altera a Tabela de Incidência do Imposto sobre Produtos Industrializados - TIPI, aprovada pelo Decreto nº 6.006, de 28 de dezembro de 2006, altera as alíquotas do IPI incidentes sobre os eletrodomésticos que menciona, e reduz a zero a alíquota do IPI incidente sobre papel sintético destinado à impressão de livros e periódicos. Dec. nº 34.938, de 9 de dezembro de 2011 (DOM: de 12.12.2011) IPTU 2012 -Dispõe sobre o Calendário de Pagamentos (CATRIM)

24

do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana e Taxas fundiárias, em suas emissões especiais do exercício de 2012. Dec. nº 34.939, de 9 de dezembro de 2011 (DOM: 12.12.2011)

IPTU – CALENDÁRIO - Dispõe sobre o Calendário de Pagamentos (CATRIM) do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana e da Taxa de Coleta Domiciliar do Lixo, para a emissão anual ordinária do exercício de 2012. Dec. nº 34.947, de 13 de dezembro de 2011 (DOM: 14.12.2011)

MULTA PARA CRIADOUROS DO MOSQUITO DA DENGUE - Dispõe sobre a aplicação de multa em caso de verificação de criadouros do mosquito aedes aegypt e dá outras providências Inst. Norm. DNRC nº 116, de 22 de novembro de 2011 (DOU: 30.11.2011)

FORMAÇÃO NOME EMPRESARIAL - Dispõe sobre a formação do nome empresarial, sua proteção e dá outras providências. Inst. Norm. DNRC nº 117, de 22 de novembro de 2011 (DOU: 30.11.2011)

MANUAL REGISTRO EMPRESARIAL - Aprova o Manual de Atos de Registro de Empresa Individual de Responsabilidade Limitada. Inst. Norm. DNRC nº 118, de 22 de novembro de 2011 (DOU: 30.11.2011)

REGISTRO EMPRESARIAL Dispõe sobre o processo de transformação de registro de empresário individual em sociedade empresária, contratual, ou em empresa individual de responsabilidade limitada e vice-versa, e dá outras providências.

derais (DCTF), de que trata a Instrução Normativa RFB nº 1.110, de 24 de dezembro de 2010

Lei nº 12.544, de 08 de dezembro de 2011 (DOU: de 09.12.2011) CLT – REPOUSO REMUNERADO - Altera a redação do art. 12 da Lei no 605, de 5 de janeiro de 1949, que dispõe sobre o repouso semanal remunerado e o pagamento de salário nos dias feriados civis e religiosos, para atualizar o valor da multa administrativa devida pelas infrações àquela Lei. Lei nº 12.529, de 30 de novembro de 2011 (DOU: 01.12.2011)

SISTEMA BRASILEIRO DE DEFESA DA CONCORRÊNCIA Estrutura o Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência; dispõe sobre a prevenção e repressão às infrações contra a ordem econômica; altera a Lei nº 8.137, de 27 de dezembro de 1990, o Decreto-Lei no 3.689, de 3 de outubro de 1941 - Código de Processo Penal, e a Lei no 7.347, de 24 de julho de 1985; revoga dispositivos da Lei no 8.884, de 11 de junho de 1994, e a Lei no 9.781, de 19 de janeiro de 1999; e dá outras providências.

Res. n° 2, de 22 de novembro de 2011 (DOU: de 23.11.2011) REGISTRO DE IDENTIDADE CIVIL - Dispõe sobre as especificações técnicas básicas do documento de Registro de Identidade Civil. Res. CGSN nº 92, de 18 de novembro de 2011 (DOU: 22.11.2011)

SIMPLES NACIONAL - Dispõe sobre o parcelamento dos débitos tributários apurados no Simples Nacional. Res. CGSN nº 93, de 18 de novembro de 2011 (DOU: 22.11.2011)

Inst. Norm. RFB Nº 1.212 de 24 de novembro de 2011 (DOU: 25.11.2011)

SIMPLES NACIONAL – ADOÇÃO SUBLIMITES - Dispõe sobre os valores e prazo para adoção de sublimites válidos para 2012.

DCTF – PRORROGAÇÃO DE PRAZO - Prorroga o prazo de apresentação da Declaração de Débitos e Créditos Tributários Fe-

SIMPLES NACIONAL - Dispõe sobre o Simples Nacional e dá

Res. CGSN nº 94, de 29 de novembro de 2011 (DOU: 01.12.2011)

Empresário LOJISTA

outras providências.

Res. Norm. nº 279, de 24 de novembro de 2011 (DOU: 25.11.2011) PLANO DE SAÚDE PARA DEMITIDOS E APOSENTADOS Dispõe sobre a regulamentação dos artigos 30 e 31 da Lei nº 9.656, de 3 de junho de 1998, e revoga as Resoluções do CONSU nºs 20 e 21, de 7 de abril de 1999. LEGISLAÇÕES

EM TRAMITAÇÃO NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

Proj. de Lei nº 1127/2011 (DOE, Poder Legislativo, de 09.12.2011) PARCELAMENTO CRÉDITO TRIBUTÁRIO – Altera o Decreto-Lei nº 5/1975, a Lei nº 5.139/2007, a Lei nº 1.012/1986, e dá outras providências. Autor: Poder Executivo. Proj. de Lei nº 1131/2011 (DOE, Poder Legislativo, de 09.12.2011) COBRANÇA INDEVIDA AO CONSUMIDOR - Dispõe sobre procedimentos adotados em caso de cobrança indevida ao consumidor no âmbito do Estado do Rio de Janeiro. Autor: Dep. Átila Nunes. Proj. de Lei nº 1136/2011 (DOE, Poder Legislativo, de 09.12.2011) INFORMAÇÕES NA VENDA PARCELADA - Dispõe sobre as informações a serem prestadas ao consumidor no ato da compra ou aquisição de serviços com pagamento parcelado. Autor: Dep. Átila Nunes. Proj. de Lei nº 1141/2011 (DOE, Poder Legislativo, de 09.12.2011) ESTACIONAMENTO – MANOBRISTA - Dispõe sobre o serviço de estacionamento com manobrista oferecido por estacionamentos comerciais, industriais e de prestação de serviços em atuação no Estado do Rio de Janeiro. Autor: Dep. Átila Nunes.


CERTIFICAÇÃO EVENTOS

Lojistas em Campo Grande podem fazer certificação digital

Na instalação do serviço de certificação em Campo Grande, sentado, Diogo Araújo, agente de registro; em pé, da esquerda para a direita, José Carlos Pereira Filho, gerente comercial, Livia Chianca da CertifiqueOnline, Elizabeth Guimarães, gerente jurídica do Sindilojas-Rio, e Bruno Linhares, gestor da CertifiqueOnline.

Lojistas, associados ou não ao Sindilojas-Rio, como contabilistas e demais interessados podem fazer certificação digital na delegacia de serviços de Campo Grande, do Sindilojas-Rio, na Rua Augusto de Vasconcelos, 177, sala 408, tels. 3394-4384 e 3356-2597. O mesmo serviço de certificação vem sendo prestado na sede do Sindilojas-Rio, na Rua da Quitanda, 3, 13º andar. Informações complementares no site www.certifiqueonline. com.br ou manter contato pelo telefone 2217-5000, Gerência Comercial do Sindilojas-Rio. O atendimento é de 2ª a 6ª feira, de 9 às 17 horas. Em breve, a certificação digital estará nas demais delegacias de serviços do Sindilojas-Rio. A partir de 30 de janeiro, na de Madureira

fevereiro 2012

(Rua Maria Freitas, 129 s/302, tel. 2489-8066); de 13 de fevereiro na de Copacabana (Rua Siqueira Campos, 53 s/804 a 806, tel. 2235-6873); de 27 de fevereiro na da Tijuca (Rua Conde de Bonfim, 344 bloco 1 s/809, Praça Saens Peña, tel. 2284-9443), e na da Barra da Tijuca (Av. das Américas, 3995, lojas 115/116, shopping Marapendi, tel. 2431-5096), a partir de 12 de março. A certificação é um documento no qual ficam armazenados dados da pessoa física ou jurídica que comprovam sua identidade perante terceiros. Com a certificação o usuário comunica-se e efetua transações via internet de forma mais rápida, sigilosa e com validade jurídica.

Empresário LOJISTA

25


RECURSOS HUMANOS

Valmir de Oliveira,

Aos alunos, com carinho O IVAR – Instituto do Varejo, uma parceria cultural do Sindilojas-Rio e do CDLRio, formou a sua primeira turma do Curso Superior de Gestão do Varejo. A cerimônia teve o encanto de todas as formaturas e alguns professores foram homenageados. Tomamos um banho de felicidade. Isso tudo começou por meio de um convite para lecionar Direito do Trabalho, destacando o Departamento de Pessoal, que é o direito positivo aplicável nas relações trabalhistas. Vale a pena historiar. No primeiro dia de aula, foi nítida a interrogação da turma:- De onde vem essa criatura? De nossa parte, olhando aqueles semblantes curiosos, pensamos: Pai amado, que isto nos sirva de aprendizado. E como aprendemos. Já na segunda aula rolou a química, provavelmente pelo estilo de abordagem da matéria: lúdica Não é nada e irreverente. Aí já não eram mais anormal alunos, alunas e professor. Essas que vocês queiram o figuras se descaracterizaram. Os melhor para si, isto alunos transformaram-se em botões, as alunas em rosas e o proé a fonte dos seus fessor em jardineiro. Instalou-se problemas e estresse o Jardim da Cultura. Foi só correr pro abraço. Até o término da carga horária foi assim: alegria, alegria! No dia da formatura, carregávamos no bolso uma homenagem aos formandos, porém o bom senso aconselhou que não fosse lida naquele momento a fim de não alongar o cerimonial, pois a vaia que corta é a silenciosa. Guardamos, com a condição de em outra oportunidade dela fazermos uso, mesmo por que os formandos são merecedores dos ensinamentos contidos na mensagem que nos foi enviada pela aluna Rosângela Vicente. Como se trata de uma mensagem que trafega pelo território livre da internet, sem autoria identificada, tomamos a liberdade de inserir pequenos acréscimos, trazendo-a para a nossa realidade, objetivando a plena reflexão. Estimados formandos, vamos às nossas Xícaras: Um grupo de ex-alunos, todos muito bem estabelecidos

26

gerente AdministrativoFinanceiro do Sindilojas-Rio

profissionalmente, se reuniu para visitar um professor. Em pouco tempo, a conversa girava em torno de queixas de estresse no trabalho e na vida como um todo. Ao oferecer café aos seus convidados, o professor foi à cozinha e retornou com um grande bule e uma variedade de xícaras: de porcelana, vidro, cristal; algumas simples, outras caras, outras requintadas, dizendo a todos para se servirem. Quando os estudantes estavam de xícaras em punho, o professor disse: se vocês repararem, pegaram todas as xícaras bonitas e caras e deixaram as simples e baratas abandonadas. Uma vez que não é nada anormal que vocês queiram o melhor para si, isto é a fonte dos seus problemas e estresse. Tenham certeza de que a xícara em si não adiciona qualidade nenhuma ao café. Na maioria das vezes, são apenas mais caras e, algumas vezes, até ocultam o que estamos bebendo. O que vocês realmente queriam era o café, não as xícaras, mas escolheram, conscientemente, as melhores xícaras e então ficaram todos de olho nas xícaras uns dos outros. Agora pensem nisso: a vida é o café. Os empregos, o dinheiro e a posição social são as xícaras. Elas são apenas ferramentas para sustentar a vida e o tipo de xícara que temos não define, nem altera a qualidade da vida que vivemos. Às vezes, ao nos concentrarmos apenas na xícara, deixamos de saborear o café que Deus nos deu. Mesmo por que Deus não côa xícaras. Deus côa o café. No transcurso da vida de vocês, saboreiem o café pausadamente, sem pressa, independentemente das xícaras, fazendo uso dos nossos cinco sentidos: Tato, para sentir a temperatura; Visão, para distinguir a cor e apreciar o bailado da fumaça, sem destino, subindo aos requebros de forma espiralada; Paladar, para sentir o sabor, Olfato para sentir o aroma. E a Audição? Ah, a Audição fica por conta do som que o sucesso emite, pela missão cumprida, pela vitória alcançada, pelo estado de graça e pela felicidade. Vocês conseguiram. Parabéns! Contato:rh@sindilojas-rio.com.br

Empresário LOJISTA


GRÁFICOS DE CHEQUES - CDLRIO

Segundo o registro de cadastro do CDL-Rio as consultas ao LIG Cheque em dezembro de 2011 em relação ao mesmo mês de 2010, a inadimplência e as dívidas quitadas cresceram 0,9% e 8,7% e as consultas caíram 10,1%. Comparando-se dezembro com o mês anterior (novembro) as consultas e as dívidas quitadas aumentaram, respectivamente, 38,4% e 7,9% e a inadimplência diminuiu 0,2%. No acumulado do ano (janeiro/dezembro) em relação ao mesmo período de 2011, as dívidas quitadas e a inadimplência cresceram, respectivamente, 5,6% e 1,2% e as consultas caíram 6,6%.

DEZEMBRO EM RELAÇÃO AO MESMO MÊS DO ANO ANTERIOR

DEZ 2011 / DEZ 2010 CONSULTAS

Percentual

TERMÔMETRO DE VENDAS

Cheques

MOVIMENTO DE CHEQUES

– 10,1%

INADIMPLÊNCIA

+0,9%

DÍVIDAS QUITADAS

+8,7%

DEZEMBRO EM RELAÇÃO AO MÊS ANTERIOR

DEZ 2011 / NOV 2011 CONSULTAS

Percentual +38,4%

INADIMPLÊNCIA

– 0,2%

DÍVIDAS QUITADAS

+7,9%

ACUMULADA DO ANO

JAN-DEZ/2011 - JAN-DEZ/2010

Percentual

CONSULTAS

– 6,6%

INADIMPLÊNCIA

+1,2%

DÍVIDAS QUITADAS

+5,6%

ACUMULADA DOS ÚLTIMOS 12 MESES

DEZ/11 - JAN/10

Percentual

CONSULTAS

– 6,6%

INADIMPLÊNCIA

+1,2%

DÍVIDAS QUITADAS

+5,6%

Procura por informações referentes aos produtos do CDLRio?

Quer conhecer produtos que possam auxiliar na otimização da análise de crédito? Então entre em contato com a Central de Relacionamento, atendimento Help Desk do CDLRio, no telefone (21) 2506-5533, de segunda a sábado de 8:30 às 21h.

fevereiro 2012

Empresário LOJISTA

27


TERMÔMETRO DE VENDAS

Comércio do Rio vendeu mais 7,8% em 2011 As vendas do comércio na Cidade do Rio de Janeiro aumentaram 7,8% no acumulado de janeiro/dezembro de 2011 em relação ao mesmo período de 2010 de acordo com a pesquisa Termômetro de Vendas divulgada mensalmente pelo Centro de Estudos do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro – CDL-Rio, que ouviu cerca de 750 estabelecimentos comerciais. A pesquisa mostra também que em dezembro as vendas cresceram 10,2% em comparação com o mesmo mês do ano anterior. Foi o 12° mês do ano de resultado positivo. O presidente do CDL-Rio, Aldo Gonçalves, disse que o resultado positivo de 2011 também foi estimulado pelo crescimento do nível de emprego e da renda, que proporcionou o aumento das quitações de dívidas reabilitando os consumidores para novas compras, influenciou bastante no resultado do ano. “Também influiu no bom desempenho as várias iniciativas tomadas pelos lojistas, entre elas o alongamento dos prazos de financiamentos, lançamento de produtos (especialmente nos segmentos de moda, brinquedos e confecções), promoções, descontos e liquidações”, diz Aldo. Outro fator que colaborou para o aumento das vendas em 2011 foram as instalações das UPPs em várias comunidades da cidade, que proporcionou mais tranquilidade para os consumidores efetuarem suas compras, especialmente nas lojas de rua. “Essas medidas também atraíram muito mais visitantes, principalmente turistas, movimentando toda a cadeia produtiva da Cidade e do Estado”, conclui Aldo. Segundo a pesquisa, em dezembro, o Ramo Duro (bens duráveis) apresentou o melhor resultado: 12,9% contra 3,8% do Ramo Mole (bens não duráveis). Os melhores desempenhos foram dos setores de eletrodomésticos (+ 13,1%), móveis (+11,7%), joias (+ 6,8%) e óticas (+ 2,3%) no Ramo Duro, e vestuário em geral (+4,7%) e calçados (+ 1,9%) no Ramo Mole. Quanto à forma de pagamento as vendas a prazo (11,6%) ficaram à frente das vendas à vista (9,3%) na preferência do consumidor.

DEZEMBRO 2011 / DEZEMBRO 2010

DEZEMBRO/11

V. Real

Vendas à vista

Vendas a prazo

MÉDIA GERAL

+10,2%

+9,3%

+11,6%

RAMO MOLE

+3,8%

+5,0%

+4,5%

RAMO DURO

+12,9%

+11,1%

+14,5%

DEZEMBRO 2011 / DEZEMBRO 2010 - Localização

Localização

Ramo Mole

Ramo Duro

CENTRO

+1,1%

+11,4%

NORTE

+6,1%

+15,1%

SUL

+1,5%

+7,4%

DEZEMBRO 2011 / DEZEMBRO 2010 - Categorias

Ramo Mole Confecções

+4,7%

Eletro

+13,1%

Calçados

+1,9%

Móveis

+11,7%

Tecidos

+6,6%

Joias

+6,8%

Óticas

+2,3%

Caso sua empresa se interesse em participar desta estatística, contate o

ACUMULADA DO ANO (JAN-DEZ/11 - JAN-DEZ/10)

JAN-DEZ/11

V. Real

MÉDIA GERAL

+7,8%

RAMO MOLE

+6,0%

RAMO DURO

+8,5%

ACUMULADA DOS ÚLTIMOS DOZE MESES

DEZ/11 - JAN/10

V. Real

MÉDIA GERAL

+7,8%

(21) 2506.1234 e 2506.1254 ou

RAMO MOLE

+6,0%

e-mail: estudos@cdlrio.com.br.

RAMO DURO

+8,5%

Centro de Estudos pelos telefones

28

Ramo Duro

Empresário LOJISTA


TERMÔMETRO DE VENDAS

Movimento do Serviço de Proteção ao Crédito - CDLRIO

Comércio do Rio teve em dezembro o maior volume de dívidas quitadas do ano

GRÁFICOS CDLRIO

A pesquisa mostra que as dívidas quitadas no comércio lojista da Cidade do Rio de Janeiro cresceram 11,6 % em dezembro em relação ao mesmo mês do ano passado. Foi o maior volume registrado no ano, de acordo com os registros do Serviço de Proteção ao Crédito do Clube de Diretores Lojistas do Rio de Janeiro - CDL-Rio. A inadimplência também registrou aumento de 1,8% em relação a dezembro de 2010 e as consultas (item que indica o movimento do comércio) cresceram 5,4%. Comparando-se dezembro com o mês anterior (novembro) as consultas e as dívidas quitadas aumentaram, respectivamente, 25,5% e 7,6%, e a inadimplência foi de menos 2,8%. No acumulado de 2011 (janeiro/dezembro) em comparação ao mesmo período do ano passado, a inadimplência, as consultas e as dívidas quitadas aumentaram, respectivamente, 1,6%, 9,1% e 7,4%. DEZEMBRO EM RELAÇÃO AO MESMO MÊS DO ANO ANTERIOR

DEZ 2011 / DEZ 2010

Percentual

CONSULTAS

+5,4%

INADIMPLÊNCIA

+1,8%

DÍVIDAS QUITADAS

+11,6%

DEZEMBRO EM RELAÇÃO AO MÊS ANTERIOR

DEZ 2011 / NOV 2011 CONSULTAS

Percentual +25,5%

INADIMPLÊNCIA

– 2,8%

DÍVIDAS QUITADAS

+7,6%

ACUMULADA DO ANO:

JAN-DEZ/2011 - JAN-DEZ/2010

Percentual

CONSULTAS

+9,1%

INADIMPLÊNCIA

+1,6%

DÍVIDAS QUITADAS

+7,4%

ACUMULADA DOS ÚLTIMOS 12 MESES

DEZ/2011- JAN/10

Percentual

CONSULTAS

+9,1%

INADIMPLÊNCIA

+1,6%

DÍVIDAS QUITADAS

+7,4%

fevereiro 2012

Empresário LOJISTA

29


ÍNDICES

Obrigações dos lojistas para março/2012 01/03 - DCT Imediatamente após a admissão de funcionário não cadastrado no PIS, preencher o DCT, apresentando-o à CEF, para efetuar o cadastramento. 05/03 – ICMS Pagamento do imposto pelos contribuintes relacionados no anexo único do Decreto nº 31.235/2002, referente à apuração do mês anterior. 07/03 – FGTS Efetuar o depósito correspondente ao mês anterior. 07/03– CAGED Cadastro de Empregados. Remeter via Internet através do programa ACI, informando sobre admissões, desligamentos e transferências de funcionários ocorridos no mês anterior. 07/03– DACON – Mensal Prazo de entrega do Demonstrativo de Apuração de Contribuições Sindical para o PIS/Pasep e da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) referente ao mês de dezembro/2011. 09/03 – IR/FONTE Referente a fatos geradores ocorridos no mês anterior. 09/03 – ISS Recolhimento do imposto, o prestador deverá gerar no sistema o documento de arrecadação relativo às NFS-e emitidas.

> SALÁRIO FAMÍLIA Valor da Quota - R$

Até R$ 608,80

31,22

De 608,81 até R$ 915,05

22,00 Sem direito

A partir de 01-01-2012 conforme Portaria nº 02 MPS-MF, de 06-01-2012, publicada no DOU de 09/01/2012 passa a valer tabela acima, com forme o limite para concessão da quota do Salário-Família por filho ou equiparado de qualquer condição, até 14 anos, ou invalidado com qualquer idade. A Previdência Social reembolsa as empresas.

30

12/03 – ICMS Empresas varejistas e atacadistas devem efetuar o recolhimento do tributo apurado relativamente ao mês anterior.

da no DOU em 17/11/08). *23/03 - COFINS Recolher 7,6% para empresas tributadas no lucro real. *(Prorrogado o prazo para o dia 25 pela Medida Provisória nº 447 publicada do DOU em 17/11/08).*24/02 -

15/03 – PIS, COFINS, CSLL

23/03 – PIS

Referente a fatos geradores ocorridos na 2ª quinzena do mês de fevereiro/2012 (Retenção de contribuições – pagamentos de PJ a PJ de direito privado (Cofins, PIS/ Pasep, CSLL ).

Recolher 0,65% sobre as operações do mês anterior. *(Prorrogado o prazo para o dia 25 pela Medida Provisória nº 447 publicada do DOU em 17/11/08).

20/03 – SUPER NACIONAL

SIMPLES/SIMPLES

Pagamento do DAS referente ao período de apuração do mês anterior (fevereiro/2012) *20/03 – INSS Recolher a contribuição previdenciária referente ao mês anterior *(Prorrogado o prazo para o dia 20 pela Medida Provisória nº 447 publicada do DOU em 17/11/08). 21/03 – DCTF – Mensal Prazo de entrega da Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais referente ao mês de janeiro/2012. *23/03 - COFINS Recolher 3% sobre a receita do mês anterior, exceto as empresas tributadas no lucro real. *(Prorrogado o prazo para o dia 25 pela Medida Provisória nº 447 publica-

30/03 – CONTRIBUIÇÃO SINDICAL DOS EMPREGADOS Efetuar o desconto de 1/30 do salário dos empregados para recolhimento a favor do sindicato profissional. 30/03 – PIS, COFINS, SEU Referente a fatos geradores ocorridos na 1ª quinzena do mês de fevereiro/2012 (Retenção de contribuições – pagamentos de PJ a PJ de direito privado (Cofins, PIS/ Pasep, CSLL). 30/03 – IR/PJ Empresas devem efetuar o recolhimento do tributo incidente sobre o período de apuração do mês anterior. 30/03 – CONTRIBUIÇÃO SOCIAL Empresas tributadas com base no lucro real, presumido ou arbitrado, devem efetuar o recolhimento do tributo incidente sobre o período de apuração do mês anterior.

> GIA/ICMS - 03/2012

Remuneração

Acima de 915,06

Lembrete: o recolhimento do imposto relativo às NFS-e deve ser realizado até o dia 10 do mês seguinte à emissão.

Último número da raiz do CNPJ do estabelecimento

Prazo-limite de entrega referente ao mês 02/2012

1e2

12/03

3

13/03

4

14/03

5

15/03

6

16/03

7,8 e 9

19/03

0

20/03

Empresário LOJISTA

> Calendário de IPTU 2012 Final de Inscrição

2ª Cota

0e1

12/03

2e3

12/03

4e5

12/03

6e7

13/03

8e9

13/03


SIMPLES NACIONAL

PERCENTUAIS APLICADOS

ANEXO II Indústria

ANEXO III Serviço (I)

ANEXO IV Serviço (II)

ANEXO V Serviço (III)

4,00%

4,50%

6,00%

4,50%

4,00%

Enquadramento (R$) Microempresa

Até R$ 180.000,00

R$ 23,00

5,44%

Quebra da caixa

R$ 26,00

6,54%

4,48%

De R$ 360.000,01 a R$

540.000,00

6,84%

7,34%

10,26%

7,70%

De R$ 540.000,01 a R$

720.000,00

7,54%

8,04%

11,31%

8,49%

De R$ 900.000,01 a R$

Empresa de Pequeno Porte

R$ 720,00

Ajuda de custo a comissionista

8,21%

11,40%

8,97%

R$ 640,00 R$ 650,00

1ª faixa 2ª faixa

4,96%

5,97%

8,10%

Pisos Salariais:

R$ 655,00

5,47%

7,60%

R$ 550,00

Garantia mínima de comissionista

360.000,00

900.000,00

Contrato de experiência (máximo: 90 dias)

Operador de Telemarketing

De R$ 180.000,01 a R$

De R$ 720.000,01 a R$

> PISOS E BENEFÍCIOS dos Comerciários do Rio com o reajuste de 2011

5,92%

Refeições aos sábados: Lanche, após 14:30h

R$

9,00

R$

9,00

Benefício Social Familiar: Empregado

R$

4,50

Empregado

R$

0,50

Jantar, após 18:30h

720.000,00

8,28%

8,78%

12,42%

9,78%

6,40%

De R$ 1.080.000,01 a R$ 1.260.000,00

8,36%

8,86%

12,54%

10,26%

6,88%

De R$ 1.260.000,01 a R$ 1.440.000,00

8,45%

8,95%

12,68%

10,76%

7,36%

De R$ 1.440.000,01 a R$ 1.620.000,00

9,03%

9,53%

13,55%

11,51%

7,84%

ÍNDICES

ANEXO I Comércio

Receita Bruta Acumulada nos 12 meses anteriores

Obs. As empresas que efetuarem o pagamento das refeições (lanche ou jantar) em espécie poderão descontar R$ 0,50 do salário dos empregados.

De R$ 1.620.000,01 a R$ 1.800.000,00

9,12%

9,62%

13,68%

12,00%

8,32%

De R$ 1.800.000,01 a R$ 1.980.000,00

9,95%

10,45%

14,93%

12,80%

8,80%

De R$ 1.980.000,01 a R$ 2.160.000,00

10,04%

10,54%

15,06%

13,25%

9,28%

> ALÍQUOTAS DO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE

De R$ 2.160.000,01 a R$ 2.340.000,00

10,13%

10,63%

15,20%

13,70%

9,76%

Tabela Progressiva para o cálculo anual do Imposto sobre a Renda da Pessoa Física para o exercício de 2013, ano-calendário de 2012.

De R$ 2.340.000,01 a R$ 2.520.000,00

10,23%

10,73%

15,35%

14,15%

10,24%

De R$ 2.520.000,01 a R$ 2.700.000,00

10,32%

10,82%

15,48%

14,60%

10,72%

De R$ 2.700.000,01 a R$ 2.880.000,00

11,23%

11,73%

16,85%

15,05%

11,20%

De R$ 2.880.000,01 a R$ 3.060.000,00

11,32%

11,82%

16,98%

15,50%

11,68%

De R$ 3.060.000,01 a R$ 3.240.000,00

11,42%

11,92%

17,13%

15,95%

De R$ 3.240.000,01 a R$ 3.420.000,00

11,51%

12,01%

17,27%

De R$ 3.240.000,01 a R$ 3.600.000,00

11,61%

12,11%

17,42%

Base de Cáculo mensal em R$ Até 1.637,11

Alíquota %

Parcela a Deduzir do imposto em R$

-

-

De 1.637,12 até 2.453,50

7,5

122,78

De 2.453,51 até 3.271,38

15,0

306,80

12,16%

De 3.271,39 até 4.087,65

22,5

552,15

16,40%

12,64%

Acima de R$ 4.087,65

27,5

756,53

16,85%

13,50%

Ref.: Lei Complementar n° 139/2011

> Tabela de contribuição para segurados contribuinte individual e facultativo para pagamento de remuneração a partir de 1º de janeiro de 2012 Plano Simplificado de Previdência Social (PSPS)

> Calendário de Pagamento do IPVA - 2012 Final da placa do veículo

Pagamento à Vista e vencimento da 1ª parcela

Vencimento da 2ª parcela

Vencimento da 3ª parcela

0

12 de março

12 de abril

14 de maio

622,00 (valor mínimo)

11

1

14 de março

16 de abril

16 de maio

20

2

15 de março

20 de abril

18 de maio

De 622,01 (valor mínimo) até 3.916,20 (valor máximo)

3

19 de março

24 de abril

21 de maio

4

21 de março

25 de abril

23 de maio

5

8 de fevereiro

16 de março

18 de abril

6

16 de fevereiro

22 de março

23 de abril

7

24 de fevereiro

26 de março

27 de abril

8

27 de fevereiro

28 de março

30 de abril

9

8 de março

9 de abril

11 de maio

Devido à atualização na base de dados a partir de 2 de fevereiro,as guias estarão corrrigidas e poderão ser impressas pelos sites do Bradesco (www.bradesco.com.br) e Secretaria da Fazenda (www.fazenda.rj.gov.br) e do Detran (www.detran.rj.gov.br) - Fonte: Secretaria da Fazenda

Salário de contribuição (R$)

Alíquota para fins de recolhimento ao INSS (%)

A alíquota de contribuição dos segurados contribuinte individual e facultativo é de vinte por cento (20%) sobre o salário-de-contribuição, respeitados os limites mínimo e máximo deste. Aos optantes pelo Plano Simplificado de Previdência Social, a alíquota é de onze por cento (11%), observados os critérios abaixo. Plano Simplificado de Previdência Social (PSPS) - Desde a competência abril/2007, podem contribuir com 11% sobre o valor do salário-mínimo os seguintes segurados: contribuintes individuais que trabalham por conta própria (antigo autônomo), segurados facultativos e empresários ou sócios de empresa cuja receita bruta anual seja de até R$ 36.000,00. Tal opção implica exclusão do direito ao benefício de aposentadoria por tempo de contribuição (LC 123, de 14/12/2006). A opção para contribuir com 11% decorre automaticamente do recolhimento da contribuição em código de pagamento específico a ser informado na Guia da Previdência Social. Além disso, não é vitalícia, o que significa que aqueles que optarem pelo plano simplificado podem, a qualquer tempo, voltar a contribuir com 20%, bastando alterar o código de pagamento na GPS.

Os vencimentos das placas com finais 5,6,7,8 e 9 foram mantidos nas datas originais; Os motoristas que tenham que resolver com urgência problemas – como o pagamento do IPVA- para alterar propriedade do veiculo devem procurar o posto de atendimento da secretaria, na Avenida Visconde de Rio Branco nº 22, no Centro do Rio; O pagamento feito à vista tem desconto de 10% no valor do tributo.

INSS- segurados empregados, inclusive domésticos e trabalhadores avulsos > Tabela de contribuição dos segurados empregado, empregado doméstico e trabalhador avulso, para pagamento de remuneração a partir de 1º de Janeiro de 2012 Salário de contribuição (R$) Até 1.174,86

fevereiro 2012

Alíquota para fins de recolhimento ao INSS (%) 8,00

De 1.174,87 até 1.958,10

9,00

De 1.958,11 até 3.916,20

11,00

Empresário LOJISTA

31


Cenário do Varejo Final de 2011 e Expectativas para 2012

O Centro de Estudos do CDLRio ao aferir os principais indicadores de comportamento dos compradores, verificou que o crescimento acumulado das consultas ao SPC, que sinalizam as intenções de compras dos consumidores, manteve um aumento médio de 9% sobre o ano anterior, ao longo de 2011. Em efeito paralelo as vendas no varejo também apresentaram índice de crescimento acumulado de 8% sobre o ano anterior, média com que fechou o ano. Outros mostradores do comportamento coletivo da massa de compradores computaram crescimentos acumulados sobre o ano anterior, como, por exemplo, 7% de quitação de dívidas e 1,5% apenas de inadimplência. Todos os índices apurados até aqui foram muito favoráveis ao cenário lojista e demonstraram vigoroso e sadio poder de crédito dos consumidores. Além dos fatores propícios da conjuntura comercial, fatores beProvavelmente néficos da conjuntura econômica só alcançaremos também atuaram a favor como melhores resultados o aumento do emprego proporcionando crescimento do poder ao fim do primeiro aquisitivo das classes de rendas semestre. mais baixas, gerando mais confiança e elevando o índice de otimismo desse público. O varejo por sua vez também dinamizou as ofertas de crédito e a soma positiva de todos esses fatores deveria ter contribuído para a produção de melhores vendas neste final de ano. Então, o que aconteceu? Por que essas vendas excepcionais não se realizaram? Não existem explicações absolutas que respondam a essa questão ou que possam justificar esses resultados. Entretanto, sem qualquer pretensão, é lícito que façamos um exercício de hipóteses que nos conduzam a algumas interpretações sensatas. Com milhões de brasileiros ascendendo para a classe média nestes últimos anos, vem acontecendo no País uma transformação social que carrega no seu bojo algumas mudanças de comportamentos de consumo, guiando desejos na direção de mais dispêndio com bens duráveis e compras de pacotes turísticos.

32

Fernando Luiz Mannarino de Mello,

SEGURANÇA

OPINIÃO

assessor da Presidência do CDLRio

Por outro lado, a piora no cenário econômico internacional e nas bolsas de valores foi uma das variáveis que afetou psicologicamente as expectativas dos consumidores de renda mais favorecida. As pressões inflacionárias, acompanhadas de taxas de juros ainda elevadas, tiveram impacto nas previsões dos orçamentos familiares para as despesas iniciais do ano como as matrículas escolares, IPVA, IPTU e pacotes de férias de verão, induzindo os consumidores a atitudes mais prudentes nos gastos com consumo de mercadorias. Principalmente no que concerne ao varejo mais tradicional, todas essas razões, de uma forma ou de outra, tentam explicar a reversão das elevadas estimativas de vendas no final do ano de 2011 e em continuação a essa tendência verificada em dezembro, as vendas do comércio varejista do Rio de Janeiro, nesses primeiros meses do ano, não deverão ser aquecidas. O início de 2012 deverá ser morno e provavelmente só alcançaremos melhores resultados ao fim do primeiro semestre. As lojas e as grandes redes terão de manter promoções e descontos. Qualquer oportunidade de negócio não pode ser desperdiçada e nas principais datas comemorativas como carnaval, Páscoa, Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia dos Pais e Dia das Crianças, o consumidor deverá ser estimulado a comprar mais para elevar a tendência de crescimento das vendas. Em tempos de crise econômica internacional o governo tem uma dependência do mercado interno e aí, então, o comércio poderá sentir os benefícios das medidas governamentais para estimular o consumo. A taxa de desemprego deverá se comportar em nível mais baixo, a renda crescerá e a oferta de crédito também. O consumo será sustentado em cima do crédito. A política de redução de juros vai prosseguir como também os investimentos públicos para a realização dos grandes eventos e das eleições municipais. As vendas para a nova classe média B2 e C terão um crescimento maior. Não deverá ocorrer nenhum choque negativo na economia. Acreditamos em um crescimento médio de 6% para o ano de 2012.

Empresário LOJISTA


fevereiro 2012

Empresรกrio LOJISTA

33


34

Empresรกrio LOJISTA


Empresário Lojista