Page 1

Relatรณrio 2017

ELOS

UMA DAS 100 MELHORES ONGS DO BRASIL


Relatรณrio 2017

ELOS

UMA DAS 100 MELHORES ONGS DO BRASIL


02 Carta do Diretor Executivo 03 Elos: Transformação em comunidade 04 Nosso posicionamento 04 Nossa ação 05 Nossos resultados VISIBILIDADE 06 Global Leaders 2017 06 100 Melhores ONGs 06 BrazilFoundation 07 Quem Se Importa 07 After Now SUSTENTABILIDADE FINANCEIRA 09 Balanço financeiro 10 Balanço do Guardiões de Transformação 10 Carta de Auditoria Independente FORMAÇÃO QUE TRANSFORMA 12 Guerreiros Sem Armas 18 Novos Líderes 20 Escola da Transformação Dist Campinas 22 Urban 95 24 Horta Educativa Sesc Santos 26 Semana do Brincar

27 Vivência Oasis Benevides (Natura) 28 Vivência Oasis Campo Grande (ADM) 30 Vivência Oasis Montes Claros 31 Vivência Oasis Jardim dos Ipês 32 Vivência Oasis Campestrinho 34 Vivência Oasis Rosário da Limeira 36 Curso de Educação Ambiental CBA ESPAÇO ELOS DE PORTAS ABERTAS 38 Kaká Werá 39 John Milton 40 COMUNICAÇÃO 40 ELOS NA MÍDIA 42 EQUIPE ELOS 43 COLABORADORES 44 PARCEIROS 45 COMUNIDADES 46 FICHA TÉCNICA

01


"Eu sou todos os livros que li, todas as pessoas que conheci, todos os lugares que visitei, todas as pessoas que amei". - Jorge Luís Borges Foram 2 dias inteiros na Columbia University participando de workshops e fazendo apresentações que culminaram com a premiação do Eliasson Global Leadership Prize 2017 da Tällberg Foundation. O prêmio é para o indivíduo, no entanto, sei que a minha escolha está relacionada à prática da liderança compartilhada, das decisões realizadas no círculo e em comunidade. Valorizar esse perfil de liderança é uma sensibilidade admirável da Tällberg Foundation, muito coerente com sua pergunta constante: Como podemos viver JUNT@S na Terra? Essa liderança não é a minha liderança, mas aquela que praticamos JUNT@S no Elos, em nosso círculo. Eu sou mais uma pessoa oferecendo o meu melhor para um propósito que é nosso, sendo alimentado e transformado pela contribuição de todas as outras pessoas que se reúnem em torno do desafio de transformar o mundo que vivemos no mundo que sonhamos. Portanto, o prêmio vai integralmente para a realização desse propósito.

2017 foi um marco histórico da visibilidade das ações do Instituto Elos. Prêmio das 100 melhores ONGs do Brasil, pelo Instituto Doar e Revista Época. Ser escolhido pela BrazilFoundation entre 100 ONGs para fazer parte da campanha “Abrace o Brasil”. Ganhar um capítulo no “Quem se Importa, série de TV”, da Mara Mourão. Ser uma das experiências citadas no livro “After Now: When We Cannot See the Future Where Do We Begin?”, de Bob Stilger. No final do ano, veio a maior surpresa de todas: Rodrigo Rubido Alonso, nosso Diretor Presidente, recebeu o prêmio de Líder Global da Tälberg Foundation. Na época, ele fez um discurso de agradecimento que é uma síntese do nosso posicionamento: 02

Enfim, ainda em clima de celebração, quero agradecer a todas as pessoas que estiveram junto de mim e desse círculo, como família, como amigas, parceiras, colaboradoras, GSAs, comunidades, participantes e disseminadoras do Jogo Oasis. Quero agradecer por todas as viagens, as conversas, as discussões, os perrengues, os abraços, as músicas, as comidas, os trabalhos, as broncas, as celebrações etc. Está tudo aqui! Somos nós e toda essa história sendo reconhecida nesse prêmio, e mais do que isso, se espalhando pelo mundo através da nossa ação conjunta! Muito obrigado! RODRIGO RUBIDO ALONSO | DIRETOR EXECUTIVO DO INSTITUTO ELOS


ELOS: Transformação em comunidade Nossa trajetória vem sendo construída desde 2000, através do trabalho com comunidades e jovens no Brasil e em outros países. Em todas as etapas desta jornada, sempre convidamos as pessoas para descobrir seu poder de realização e o prazer de participar juntas da materialização dos sonhos coletivos. O nome ELOS é a síntese do nosso trabalho: em nossa visão, comunidades e empresas, adultos e crianças, governos e sociedade civil vivem lado a lado, trabalham, e oferecem sua versão mais espetacular para realizar o melhor mundo para todas as pessoas.

3000 Lideranças

519 Guerreiros Sem Armas

2017

1706 Created by MRFA from the Noun Project

presenças em formações

Created by Yorlmar Campos from the Noun Project

49

400

10628

198

Países

participações em eventos abertos

comunidades impactadas

parcerias

(instituições, empresas, comunidades, pessoas, colaboradores) 03


NOSSO POSICIONAMENTO

NOSSA AÇÃO

Estamos constuindo uma nova realidade conectados com os valores que queremos trazer para o mundo:

Para realizar o mundo que todos sonhamos, acreditamos que o caminho é transformar em comunidade. Vivemos o processo de desenvolvimento comunitário, assim como desenvolvemos ferramentas e metodologias que impulsionam outros projetos de pessoas e comunidades pelo mundo afora.

PODER DAS

COMUNIDADES

INTELIGÊNCIA

COLETIVA PARADIGMA DA

ABUNDÂNCIA

conectamos pessoas ao redor de um sonho comum para construir algo verdadeiro. Isso faz com que elas aprendam como acessar a diversidade em um ambiente de diálogo, compaixão e criatividade. acreditamos que o conhecimento está em toda parte. Já que é impossível alguém saber tudo, consideramos que todos sabem alguma coisa. Identificar, acolher e valorizar a sabedoria que cada um de nós carrega, é a forma que encontramos para a construção de novas formas de aprendizados e ação. vivemos em um mundo dominado pela noção de escassez, de que não tem para todos e temos que disputar o pouco que tem. A boa notícia é que existe um outro modelo que prova que viver com abundância, além de ser desejável, é possível.

SENSIBILIZAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

DE LIDERANÇAS

Jogo Oasis, uma tecnologia de ação cidadã criada pelo Elos, certificada pela Fundação Banco do Brasil. Processos seletivos para programas voltados para jovens, que tem como base uma ação coletiva.

DESENVOLVIMENTO

COMUNITÁRIO

E LO CA L REVITALIZAÇÃO DE ESPAÇOS PÚBLICOS

E COMUNITÁRIOS 04

palestras, cursos e vivências, com curta, média e longa duração, que tem como base a Filosofia Elos e o Jogo Oasis, como o Guerreiros Sem Armas, Elos Novos Líderes, Vivência Oasis, Oasis Training, Oasis nas Escolas.

programas de longa duração apoiados no tripé Formação + Mobilização + Realização, voltados para fortalecer relações entre instituições públicas e privadas, empresas e comunidades. um meio para que as pessoas e comunidades percebam seu grande poder de realização é a materialização dos sonhos coletivos através de atividades mão na massa.


NOSSOS RESULTADOS REALIZAMOS

AUMENTAMOS

IMPULSIONAMOS MELHORAMOS CRIAMOS

uma experiência viva de transformação através de um aprendizado com potencial multiplicador para questões sociais do mundo. a autoconfiança e a autoestima das pessoas, gerando um ciclo positivo pelo aprendizado prático sobre sobre si, sobre as outras pessoas, e sobre transformar sua realidade com abundância. a transformação real no ambiente, reduzindo a tensão e o desconforto social. o convívio e o bem-estar nas comunidades. abertura para o diálogo e o estabelecimento de relações de afeto e confiança que são a base para os projetos de desenvolvimento local.

05


VISIBILIDADE LÍDERES GLOBAIS DA TÄLLBERG FOUNDATION Rodrigo Alonso foi considerado um dos quatro novos Líderes Globais da Tällberg Foundation, por conta de sua atuação no Instituto Elos. Ele se junta a um grupo de pessoas de todo o mundo cujo trabalho é um exemplo de liderança necessária no século XXI. “Estes quatro líderes surpreendentes são globais ao seu alcance, incansáveis em seus esforços, inovadores em suas abordagens e operam em conjunto com valores universais”, disse Alan Stoga, presidente da Fundação Tällberg. “Eles provam que grandes líderes estão alcançando os desafios de nossos tempos. Nosso objetivo ao homenageá-los não é apenas chamar a atenção para o seu trabalho, mas também provocar uma conversa sobre os tipos de líderes necessários hoje”. Os outros 3 Líderes Globais Tällberg de 2017 são: Rebecca Heller, diretora e cofundadora do Projeto Internacional de Assistência aos Refugiados (IRAP), sediado em Nova York com atuação global, que organiza estudantes de Direito e advogados para desenvolver e fazer cumprir um conjunto de direitos para refugiados; Fiorenzo Omenetto, professor de Engenharia da Universidade Frank C. Doble e Professor de Engenharia Biomédica da Universidade Tufts de Boston, foi pioneiro no uso da seda como plataforma para tecnologia avançada com aplicação em fotônica, optoeletrônica e nanotecnologia; Bright Simonsé um ativista e empreendedor social de Gana, cujo trabalho alia tecnologia e sabedoria ancestral para criar estratégias e programas de desenvolvimento social e econômico na África.

06

A seleção dos Líderes Globais Tällberg faz parte dos esforços da fundação para incentivar novas visões sobre liderança. Os quatro premiados de 2017 foram escolhidos por um júri internacional que avaliou 220 indicações de 50 países recebidas por meio de um processo aberto online. As nomeações incluíam empresários, líderes políticos, ativistas sociais, artistas, tecnólogos, acadêmicos, entre outros. Mais infos: http://www.tallbergfoundation.org/announcement/

100 MELHORES ONGS PARA SE DOAR A iniciativa do Instituto Doar e da Revista Época premiou as 100 melhores ONGs de 2017 a partir de um conjunto de mais de 1500 inscrições, dentre as mais de 300 mil existentes no Brasil. “Metodologias, pedagogias e procedimentos de cada ONG com seus públicos não podem nem devem ser comparáveis, muito menos ranqueados. Mas a gestão e a transparência dos recursos, sim. Foi isso que medimos e é assim que queremos seguir: premiando ONGs cujos dados são mensuráveis e objetivos”, relatou o Instituto Doar sobre o processo de escolha. Composta por representantes da ÉPOCA, do Instituto Doar e do Centro de Estudos em Administração Pública e Governo da Fundação Getúlio Vargas, a comissão julgadora avaliou cinco princípios gerais: causa e estratégia, representação e responsabilidade, gestão e planejamento, estratégia de financiamento e comunicação e prestação de contas.


BRAZIL FOUNDATION Neste ano fizemos parte da campanha coletiva de arrecadação idealizada pela BrazilFoundation chamada “Abrace o Brasil”, criada para sensibilizar doadores do mundo todo a ajudar organizações sociais que desenvolvem um importante trabalho de inclusão social no país. A fundação está mobilizando sua rede internacional de apoiadores para arrecadar recursos para 100 organizações. Apesar de ser a oitava maior economia do mundo, o Brasil ocupa o 68º lugar em doações, de acordo com o World Giving Index, o que mostra que a filantropia no Brasil tem muito potencial para se desenvolver e pode ser uma ferramenta poderosa na promoção da inclusão social e construção de um país melhor. A fundação fez um convite para as pessoas doarem para uma organização de sua escolha pelo site www. abraceobrasil.org até o 28 de novembro de 2017, o “Dia de Doar”, e destinou os recursos arrecadados em dólares e reais para as instituições participantes (exceto taxas de cartão de crédito). Além do portal de doações online, foram distribuídos 1.000 cofrinhos de doação para crianças no Brasil e nos Estados Unidos e 1.000 cofrinhos para o comércio brasileiro e o comércio em regiões com forte presença da comunidade brasileira nos Estados Unidos, como Nova York, Miami, Boston e Newark.

QUEM SE IMPORTA Os programas da série “Quem se Importa” são focados em pessoas que buscam e encontram soluções em cidades das regiões Sudeste e Nordeste do Brasil. Cada episódio retrata o sucesso de um empreendedor social que criou uma organização inovadora capaz mudar o ambiente ao seu redor. Por meio de impactos sociais relevantes e positivos, as idéias destes personagens inspiraram

políticas públicas para um mundo sustentável, mais justo e melhor. Os programas mostram o impacto das ações deles, os obstáculos que enfrentam, a felicidade com os resultados e a gratificação interior. Em comum, os projetos trabalham com iniciativas que ajudam a melhorar a qualidade de vida de jovens e adultos das áreas mais carentes. O objetivo é colaborar com todos que buscam desenvolver seu potencial, oferecendo conhecimento para capacitação profissional, cuidados com a saúde e até alimentos para os mais necessitados. Os projetos ensinam o respeito à diversidade cultural, humana e ambiental e buscam sensibilizar a sociedade com exemplos do que é possível fazer para ajudar. “A produção vasculha o Brasil em busca de pessoas que oferecem soluções simples para as mais graves questões que nos afetam profundamente”, afirma o produtor executivo Fernando Dias. “Esta série documental vai mostrar como os transformadores podem estar na área da educação, da saúde, do meio ambiente, dos direitos humanos, da economia, em qualquer campo. O filme transmite a mensagem de que todos nós podemos mudar o mundo, não importa em que setor estejamos, seja ele privado, governamental ou social. Qualquer pessoa pode fazer a diferença”, completa a diretora Mara Mourão.

AFTER NOW, BOB STILGER Bob Stilger (EUA) é uma pessoa muito importante na nossa história, pois nos deu a confiança para avançar com o Guerreiros Sem Armas, quando em 2005, estávamos em dúvida sobre a continuar do Elos. Ele estava envolvido ativamente nos intercâmbios do Instituto Berkana e nos visitou em 2004, 2005 e 2008, sendo um mestre em conversas significativas dentro da tecnologia social Art of Hosting, além de fundador do NewStories (Novas Narrativas) que surgiu para "ajudar pessoas, organizações, comunidades e sistemas a navegar nas ondas da mudança para o bem-estar, a compaixão e a colaboração profunda". Em 2017, lançou o livro “AfterNow: When We Cannot See the Future Where Do We Begin?”, onde nossa experiência é citada.

07


SUSTENTABILIDADE FINANCEIRA Hoje, como estratégia para sua sustentabilidade, o Instituto Elos desenvolve projetos para empresas, governos e outras organizações. Esta estratégia gera recursos financeiros, ao mesmo tempo que nos permite colocar nossa Filosofia a serviço de projetos que estão alinhados ao propósito. A gente leva a Filosofia Elos como resposta para um desafio ou uma questão que está em projetos de terceiros. Com isso, conseguimos oferecer mais formações gratuitas para o público final, totalmente de acordo com o que a gente queria fazer, e conciliou com uma demanda de empresas que queriam fazer ações em comunidades. Em 2016, 66% da receita do nosso orçamento geral veio de prestação de serviços, 25% de convênios e projetos, 8% de doações e 1% de aplicação financeira. Após alguns anos implementando esta estratégia chegamos à conclusão de que é necessário equilibrar energia e equipe envolvidas nas prestação de serviço com as envolvidas nos projetos autorais da organização, que, em geral, envolvem a inovação e criação de ferramentas e metodologias antes da existência destas demanda. Começamos, então, a pensar estratégias para mudar essa situação. Estamos em um ponto de virada, com várias possibilidades e muitos desafios. Para realizar programas como o Guerreiros Sem Armas (GSA), fazer o trabalho nas comunidades vulneráveis e construir o Espaço Elos, ficamos dependentes da prestação de serviço para empresas. Um dos jeitos-chave para garantir a continuidade do nosso trabalho é criar uma base sólida e sustentável do nosso propósito, através do programa de doação recorrente, chamado de Guardiões de Transformação (http://www.juntos.com. vc/pt/guardioes). Nossa meta é ter 600 guardiões para poder realizar muitos sonhos, incluindo garantir a realização contínua do programa GSA, trabalhando com 60 guerreir@s, as comunidades e seus projetos. 08

Este ano, o Elos foi reconhecido como uma das 100 ONGs do Brasil pelo Instituto Doar e Revista Época, a partir de indicadores como gestão e transparência de recursos. É um selo de qualidade que demonstra que estamos no caminho certo. A questão central é pensar profundamente na equação de como sair do vermelho e conseguir investir cada vez mais no propósito, sem que isso dependa tanto da prestação de serviços. Por outro lado, as organizações que têm alto índice de captação de recursos via doações têm um alto custo em campanhas publicitárias e equipes para conseguir mais doadores, o que pode custar até 45% do que é captado. Queremos escapar deste modelo procurando alternativas alinhadas à nossa forma de trabalhar, onde a maior parte do nosso esforço, tempo e energia são investidos no trabalho com as comunidades e com jovens empreendedores. Um desafio é alcançar modelos de doação além do mais comum no Brasil, que está ligado às catástrofes e situações emergenciais. É preciso que tenhamos mais doadores que se sintam comprometidos com causas de longa duração. Outro ponto relevante é: como as empresas que contratam nossos serviços poderiam destinar uma porcentagem a mais do valor a um fundo de investimento para os projetos sociais que não tem financiamento direto, firmando um compromisso social, sem que haja aí nenhum conflito ético ou de interesse?


0,05%

0,3% 1%

RECEITAS FINANCEIRAS R$ 27.813,10

OUTRAS RECEITAS R$ 9.217,34

18,6%

PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS R$ 517.132,00

DESPESAS NÃO OPERACIONAIS R$ 1.200,00

0,3%

DESPESAS FINANCEIRAS R$ 8.744,36

6,9%

DESPESAS COM PESSOAL

R$ 187.926,54

38,7% DOAÇÕES

0,1%

DESPESAS TRIBUTÁRIAS R$ 2.644,06

4%

DESPESAS GERAIS

R$108.807,93

88,6%

CUSTOS DE PROJETOS

R$ 4.414.041,07

R$ 1.075.747,19

41,4%

CONVÊNIOS

R$ 1.150.067,50

2017

ORIGEM DE RECURSOS/ RECEITAS

2017

APLICAÇÃO DE RECURSOS/DESPESAS

09


CARTA DE AUDITORIA INDEPENDENTE

10


Educação que Transforma

Em 2017 realizamos: Guerreiros Sem Armas Elos Novos Líderes Escola de Transformação 67 Oficinas 12 Vivências Oasis

11


Guerreiros Sem Armas 2017: uma visão de futuro “Qual o futuro que queremos? Pense em algo muito precioso. Este é um excelente indicativo de onde podemos chegar. Neste momento da história, onde tudo está ruindo, devemos estar abert@s para tudo aquilo que se rejeitou no passado. Xamãs, capoeira, conhecimentos populares... Essas coisas que dizemos ser ‘coisas antigas’... digo que o mundo precisa destes conhecimentos, porque se formos depender somente do que a ciência, a razão e a tecnologia produzirem; vejam a que ponto chegamos”. - Charles Eisenstein

Os guerreir@s sem armas são aqueles que disseram sim para a jornada de fazer acontecer já o mundo que todos sonhamos. Junt@s, cultivamos a Filosofia Elos e as qualidades dos elementos terra, água, fogo, ar e nhanderekó para impulsionar o desenvolvimento pessoal e comunitário de uma forma em que, onde geralmente se vê escassez, nós buscamos a abundância para realizar sonhos coletivos.

Guerreiros Sem Armas 2017

Ao comemorar 10 edições do programa, quisemos aprofundar nossa compreensão sobre as visões do mundo que todos sonhamos. Quais são as narrativas que podem nos orientar para um futuro desejável? Quais são as histórias que dão sentido à nossa jornada? Na busca de uma visão de futuro, consideramos a sabedoria de povos indígenas e tradicionais, comunidades espirituais, intelectuais, cientistas de diversas áreas do conhecimento, artistas, lideranças comunitárias, e o que emerge autenticamente de nossos corações.

58

participantes na formação

12

16

participantes no Elos Novos Líderes

20

parceirias institucionais

1730

participações em eventos abertos

Algo fundamental para nossa atuação global é o profundo sentido de comunidade como resposta à maioria das grandes crises na vida hoje. Sabemos que isto não é uma resposta nova. Aliás, é preciso relembrar esta essência que está dentro de nós mesmos, desde sempre. Esta jornada do guerreir@ sem armas é um caminho de (re)descobertas de quem somos enquanto indivíduos e comunidade. Um convite para agir sobre o que é urgente e necessário fazer já.


Comunidades Parceiras “A possibilidade de conviver com comunidades diferentes entre si agrega muito à formação dos jovens, pois vivenciar a Filosofia Elos em diferentes contextos sociais, urbanos, culturais e econômicos proporciona o compartilhamento de aprendizados e o exercício de qualidades importantes como a flexibilidade e adaptabilidade. Além disso, formamos jovens do mundo todo que irão atuar em locais tão ou mais diversos. No Guerreiros Sem Armas, el@s têm a oportunidade de ver de perto que esse jeito de fazer acontecer dá certo em qualquer lugar.” - Natasha Mendes Gabriel, Cofundadora e gestora do núcleo de Design do Instituto Elos

FONTANA

A cidade das vistas No Fontana, os santos homens são homenageados, complementando o Largo do Machado, onde as escadas levam nomes de santas. Lá, no tempo em que a televisão nem existia, todo fim de semana havia serenata sob a luz dançante de um lampião ou debaixo das janelas das moças mais bonitas. As crianças brincavam soltas nas ruas. Aliás, ainda brincam. Para quem acha que tudo é tecnologia, deveria ver a quantidade de pipas que voam nos céus nesta época do ano. Sim, elas continuam ainda hoje livres e soltas. Os morros de Santos, na sua maioria, foram a primeira moradia de espanhóis e portugueses, em especial da Ilha da Madeira, que sabiam como construir com maestria suas casas nas encostas, em chalezinhos tão caprichados, sempre sobre pilaretes, para que a umidade da terra não estragasse os pisos das casas. As escadarias de pedras continuam a revelar outros caminhos que desafiam a lógica

das ruas, assim como os muros de arrimo, com as pedras tão arrumadinhas que parecem desenhos, de tão perfeito seu encaixe. Os moradores desta cidade alta têm a cidade baixa aos seus pés. De repente, numa andança, é possível ver as duas facetas de Santos: de um lado, o porto e a cidade velha, e de outro, a praia, num único virar de cabeça. Que baita privilégio!!! Muito obrigado comunidade do Fontana por estar conosco nesta jornada!

ENCONTROS COMUNITÁRIOS NO FONTANA SHOW DE TALENTOS

60 pessoas Durante o Olhar e o Afeto, os participantes encontram moradores que sabem cantar, dançar, cozinhar, jogar, desenhar. Esse encontro junta todo mundo numa celebração para lá de especial, onde a comunidade mostra aquilo que sabe fazer melhor.

ENCONTRO DE PROJETOS

40 pessoas Em cada comunidade parceira, os sonhos que vão ser construídos, são decididos coletivamente. As maquetes ajudam a visualizar os projetos.

Sonhos dos moradores do Fontana: criar espaços de convivência

para crianças e adultos com mesas e bancos, espaços de brincar para as crianças com mesa de ping-pong, biblioteca, gangorra, pintura de brincadeiras no chão, brinquedos com recicláveis e floreiras. Pintura das escadarias e muros.

MÃO NA MASSA

300 participações em 4 dias 13


Nos mutirões, temos 4 dias para construção dos sonhos coletivos nas comunidades parceiras, a partir dos recursos e talentos existentes.

Sonhos realizados

- Mirante São Miguel: pintura de mural, banco de bambu, binóculo, pintura

da Kombi, carrinho de pallet, cavalo de pneu; - Praça da Cuca: cerca de bambu, gangorra, horta, banco de bambu, banco de mesa de concreto, mesa de ping-pong; - Mirante Monte Serrat: pintura; - Praça Cosme e Damião: pintura de brincadeira no chão, biblioteca ambulante, banco de bambu; - Rua São Miguel: pintura de brincadeiras, como twister, caça-palavras, amarelinha; - Pintura da escada da Praça Noé de Carvalho; - Pintura da escada Santa Inês; - Pintura da escada Santa Valéria.

ENCONTRO DE FUTURO 50 pessoas entre adultos e crianças. Sonhos de futuro: brinquedoteca, atividades na praça Cosme e Damião e nos mirantes, aumentar a horta em cima da Kombi (mirante na rua São Miguel), aumentar a horta na bica da rua Nossa Senhora de Lourdes. Sonhos de longo prazo: Creche e Policlínica.

LARGO DO MACHADO – SÃO BENTO A cidade das escadas

Conta-se que os portugueses foram os primeiros a chegar no Morro do São Bento. Para conseguir pessoal para trabalhar, bastava pendurar um recado num ponto visível qualquer, anunciando que em tal dia haveria serviço no lugar tal. Foi dessa maneira que homens carregaram nos ombros os meios-fios de 120, 150 quilos com os quais foram construídas as escadas que permeiam o cenário do morro. A comunidade que nos acolheu em 2017 está no Largo do Machado, um ponto de encontro cheio de histórias. Foi ali que muitas crianças de todos os tempos jogaram bola, para desespero das mulheres que moravam em volta. Muitos vidros quebrados, muitas bolas presas, outras tantas perdidas. Eram essas mesmas mulheres que quando alguém ficava doente, uma corria para buscar folhas de alguma erva milagreira, outra cuidava das crianças, outra ia lavar roupa. Ainda restam alguns poucos chalés de madeira da época dos portugueses, todavia ainda estão lá muitos portugueses, além de muros de pedras exemplares para a contenção das encostas. Deste tempo, ainda resiste firme e forte a solidariedade entre os moradores. Se na cidade de baixo, as ruas são quase quadradas, na cidade alta elas são orgânicas. Ora um beco fechado que aos poucos revela uma vista espetacular, uma escada que parece que vai chegar aos céus, de tão alta, tanto que todas elas têm nomes de santas. Ainda tem muitas bicas de água, e cada uma delas, tem uma “grutinha” com uma santa que a protege. Com o grupo de guerreir@s sem armas, uma história curiosa, entre tantas outras um rapazinho de 14 anos chegou numa reunião e perguntou se eram @s mesmos guerreir@s que estiveram na comunidade dele em 2012, e ele contou

14


como foi marcante para ele estar com gente do mundo inteiro, o quão feliz estava de começar a história tudo de novo. Nós também! Muito obrigad@ Largo do Machado por receber a tod@s tão bem!

ENCONTROS COMUNITÁRIOS NO LARGO DO MACHADO SHOW DE TALENTOS

85 pessoas “Imagine o que significa para essas pessoas um monte de gente de outros países que chega lá para ouvi-los e apreciá-los. É revolucionário para a autoestima”, resume Rodrigo Rubido Alonso, cofundador do Elos.

ENCONTRO DE PROJETOS

60pessoas Em cada comunidade parceira os sonhos, que vão ser construídos, são decididos coletivamente. As maquetes ajudam a visualizar os projetos.

9 sonhos realizados - Instalação e organização das lixeiras - Organização do estacionamento dos - carros - Parquinho - Jardim comestível - Murais - Revitalização da gruta - Revitalização da bica São Bento - Transformação do "espaço do Tarzan" em espaço sociocultural comunitário com pinturas e instalação de 2 banheiros

ENCONTRO DE FUTURO

60 pessoas Sonhos de Futuro: continuar as obras do Espaço Tarzan e Parquinho, mutirões de limpeza dos espaços comuns, organizar os usos do Largo do Machado, organização de feira de artesanato e festivais culturais. Sonhos de longo prazo: creche, farmácia da comunidade.

Os moradores decidiram colocar a mão na massa para a revitalização da praça da gruta, um parquinho para as crianças; revitalização do próprio Largo do Machado, incluindo uma feira que valoriza os talentos e ofertas da própria comunidade e revitalização do “espaço do Tarzan”.

MÃO NA MASSA

250 participações em 4 dias Nos mutirões, temos 4 dias para construção dos sonhos coletivos nas comunidades parceiras, a partir dos recursos e talentos existentes.

15


MÉXICO 70 - SÃO VICENTE Onde tem criança não tem medo Quem passa pela rodovia dos Imigrantes, na altura do Km 65, nem imagina quem são as pessoas que estão nos barracos, que colocam a roupa no varal, nem nos predinhos coloridos da CDHU. O que se sabe é que a favela México 70 é uma das cinco maiores favelas da América do Sul. Na verdade, tem casas de todos os tipos: de alvenaria, autoconstruídas, palafitas de madeira, e outras que estão sendo reconstruídas. A vista do canal do mangue é espetacular. Como disse um morador: “aqui tem gente que tem algo, tem gente que tem um pouco, tem gente que tem muito pouco”. Ao mesmo tempo, faz questão de afirmar que todo mundo ajuda todo mundo. Muita gente de fora tem medo de passar perto de lá. E como em tantas outras comunidades que já conhecemos, o que encontramos foram muitas crianças encantadas com a presença de tanta gente diferente: “como se fala meu nome na sua língua?”, todas querem saber. Tod@s explicam que é a mesma coisa, elas não acreditam, e @s guerreir@s sem armas estrangeir@s entendem que falar com sotaque já as deixa muito felizes. Aos poucos, @s adult@s vão chegando, mais histórias são contadas, talentos vão aparecendo, o afeto sendo criado de maneira genuína. Nossa estréia em São Vicente não poderia ter sido melhor, as pessoas brilham muito e agradecemos por nos receberem assim!

ENCONTROS COMUNITÁRIOS NO MÉXICO 70 SHOW DE TALENTOS

180 pessoas entre adultos e crianças Para @s guerreir@s sem armas, esse é o primeiro momento de realização. Além de descobrir os talentos, el@s são responsáveis pelos convites, pelo roteiro do show, por montar e decorar o local da apresentação, escolher quem vai apresentar e colocar tudo em ordem para funcionar.

ENCONTRO DE PROJETOS

100 pessoas Em cada comunidade parceira os sonhos que vão ser construídos, são decididos coletivamente. As maquetes ajudam a visualizar os projetos. O sonho do México 70 está relacionado ao cuidado com crianças e jovens, oferecendo opção de lazer e de aprendizagem. Para isso, uma das estratégias é a construção de uma área com parquinho para crianças, academia ao ar livre, bancos e mesas, paisagismo e reforma da quadra poliesportiva com recuperação do piso e alambrado.

MÃO NA MASSA

400 participações em 4 dias Nos mutirões, temos 4 dias para construção dos sonhos coletivos nas comunidades parceiras, a partir dos recursos e talentos existentes.

12 sonhos realizados

16

- Transformação da praça em espaço de lazer para crianças - Parquinho com brinquedos - Horta comunitária


- Instalação de aparelhos de ginástica - Instalação de mesa e bancos de concreto - Pintura de brincadeiras no chão - Pintura de palco no chão - Pintura da quadra poliesportiva - Pintura de murais - Ações de limpeza - Instalação de lixeiras - Organização e planejamento de feira de artesanato e comida

ENCONTRO DE FUTURO

45 pessoas adultas e

100 crianças

Sonhos de futuro: brinquedoteca, atividades na praça Cosme e Damião e nos mirantes, aumentar a horta em cima da Kombi (mirante na rua São Miguel), aumentar a horta na bica da rua Nossa Senhora de Lourdes.

Sonhos de longo prazo: creche e policlínica.

17


O Elos Novos Líderes é uma vivência intensiva de 5 dias, concebida para provocar o desenvolvimento das competências necessárias para agir em ambientes complexos. O programa é marcado pelo aprendizado através da ação, e proporciona que os participantes interajam com os jovens do programa Guerreiros Sem Armas e moradores de comunidades locais é Coordenado por Rodrigo Alonso e Aser Cortines. As atividades ocorrem em período integral durante os 5 dias, com jornadas de até 14 horas, intercalando exercícios vivenciais, teoria e conversas em sala com momentos de interação direta com as comunidades e com os jovens guerreir@s sem armas, além da participação em 2 dias do mutirão. Os participantes ressaltaram que, durante os 2 dias de mutirão, houve muita quebra de preconceitos. “Para mim foi muito importante participar de uma grande ação com senso de comunidade. Posso dizer que aprendi muito mais com eles do que eles comigo”, relatou Euzimar Augusto da Rocha Rosado.

foto: Alyson Montrezol

Elos Novos Líderes 2017

16

participantes

18

O grupo que foi para o Largo do Machado formado por Leonardo Souza (ADM), Paulo Torres (Instituto Favela da Paz) , Bruninho Souza (Biblioteca Comunitária Caminhos da Leitura), Viviane Nale (Fundação FEAC), Euzimar Augusto da Rocha Rosado (Fundação Renova), contou que tiveram que rever seus conceitos de qualidade de vida, entender que as diferenças não significam ser mais ou menos felizes, e que vão levar para a vida profissional o ato de realizar e finalizar o que se projetou. O grupo que colocou a mão na massa no Morro do Fontana, com Fernando Xara (Instituto Elos), Thais Badim (Instituto Querô), Bruna Araujo (ADM), Ana Maria Malvezzi de Souza (Anima), ficou impressionado com o sentimento de cooperação presente, o princípio de solidariedade. “Não existem lugares pobres, e sim, empobrecidos. Quem é rico, quem é pobre? foi uma questão que foi retomada. Ou seja, rico é aquele que está preso entre muros altos, ou pobre é quem pode andar livremente pelo local onde mora? Para o pessoal que foi para o México70, que contou com Bruno Vergueiro Silva Pimenta (Fundação Renova), Claudinho Miranda (Instituto Favela da Paz), Mariana Moura (OBB), Edmir Mario de Carvalho (Anima), Bruno Faria (Brazil Foundation), ficou forte o sentimento de que ninguém precisa se mudar do lugar onde vive, e sim transformar o local. O autoconhecimento foi um


ponto importante para o grupo, que descobriu que era capaz de fazer coisas que nem tinha ideia que era possível. O princípio que vão levar do curso é “tudo e qualquer coisa é possível se tiver vontade de acontecer”. Os três grupos foram unânimes na valorização do papel das crianças na transformação do mundo. “Elas são as primeiras a chegar no mutirão, e os adultos aparecem por causa delas. A medição na comunidade são feitas por elas”.

19


Escola de Transformação é uma oportunidade de desenvolvimento para pessoas interessadas em contribuir com a melhoria do seu bairro. Aqui vai aprender como podemos transformar o bairro que vivemos, no bairro que sonhamos! Este aprendizado será na prática! A ideia é fortalecer o senso de comunidade através de cursos, oficinas, encontros, projetos comunitários, em dois anos de atividades. A Escola de Transformação DIST Campinas é uma parceria do Elos com a Demacamp, apoiado pelo Fundo Socioambiental da Caixa Econômica Federal dentro da estratégia Desenvolvimento Integrado e Sustentável dos Territórios (DIST). Agradecemos a participação efetiva no projeto da Fundação FEAC e a Prefeitura de Campinas. Tudo acontece em ciclos que evoluem:

FUNDO SOCIOAMBIENTAL

foto: Isabela Senatore

Escola da Transformação DIST Campinas - Ano 1

6819 participações

20

29

parceirias institucionais

387 ações e eventos

Ciclo I - Mobilização Convidar e unir vontades, pessoas, instituições e recursos para atuarem juntos no mesmo sonho. Descobrir qual o cenário que vamos encontrar e quem vão ser os parceiros na jornada. Análise: Situação atual dos empreendimentos, suas condições sociais e físicas, os principais desafios, através de levantamento de dados, relatório técnico, diagnóstico participativo, apresentação em reuniões comunitárias. Conexão: Encontros e reuniões nos empreendimentos e na cidade para o estabelecimento de parcerias e oportunidades. Ciclo II - Formação trocar conhecimentos entre os participantes envolvidos e convidados externos para estimular novos aprendizados no tema do sonho comum. Reunir as pessoas em torno de uma sonho comum, apoiar a formação de grupos comunitários e o desenvolver projetos comunitários Vivência Oasis: curso de abertura da Escola de Transformação voltado para

lideranças locais da comunidade, diferentes agentes do setor público e privado, estudantes e interessados em promover ações coletivas que mudam as relações entre as pessoas e o espaço. Encontro de Futuro: criar coletivamente uma imagem de futuro que sirva ao mesmo tempo como inspiração e meta em todas as etapas Articulações: reuniões com parceiros e profissionais diversos com experiência


em projetos comunitários para formar um corpo técnico de apoio para as comunidades Visitas de Inspiração tendo como base as áreas dos projetos que as comunidades decidiram fazer ver que locais, associações,institutos, que podem servir de inspiração e aprofundar as ideias dos participantes Festival de Comunidades Empreendedoras encontro com representantes e moradores das 3 comunidades e experiências de sucesso nas áreas de projetos sociais de várias localidades estão fazendo a diferença Encontros periódicos acompanhamento quinzenal com reuniões nas 3 comunidades para apoiar a formação dos grupos comunitários, elaboração de projetos e tratar das particularidades de cada cenário. Ciclo III - Realização Colocar na prática, fazer acontecer e tornar realidade o sonho unindo os saberes locais e os recursos disponíveis, ampliando os resultados em cada ação. Esta etapa permeia todo o processo porque as atividades de formação apoiam diretamente os projetos comunitários e sua evolução Encontros Temáticos frequência mensal com temas que serão escolhidos ao longo do processo de acordo os interesses e desafios da jornada de desenvolvimento das comunidades. Vivência Oasis II (2018)realização de novas Vivências Oasis nos 3 empreendimentos, mas que seriam liderados pelos próprios moradores, os quais serão responsáveis pela articulação e facilitação das ações Equipes Transformadoras (2018) programa de formação de lideranças com foco no reconhecimento e desenvolvimento de habilidades pessoais que podem apoiar processos coletivos Oficinas de Audiovisual formação para o público jovem com objetivo de produzir e divulgar histórias, informações gerais, mobilização e construção de identidade dos moradores dos 3 empreendimentos

44

Reuniões de acompanhamento

71

Ações empreendidas pela comunidade

24

Oficinas de Audiovisual

9

348

participações

1318

participações

370

participações

530

Ações específicas (mapeamento afetivo, design e currículo mensal)

participações

2566

Participações total

21


“Nós queremos cuidar da Brinquedoteca. Precisamos que os adultos confiem em nós. Em todos os lugares que vamos tem um adulto falando o que precisamos fazer. O nome Brinquedoteca já diz... brincar... Brincar livre!!! Nós podemos organizar as atividades. Podemos organizar as regras. Cuidar, limpar, organizar, brincar com as crianças menores”, Andrey, jovem de 12 anos morador local. Esse é um depoimento de uma criança que participou de todas as atividades da Vivência Oasis Santa Maria, uma formação desenvolvida pelo Instituto Elos que envolveu 30 participantes inscritos na Vivência Oasis, incluindo crianças e jovens da comunidade do Morro Santa Maria, além de professores do Ciclo Básico, educadores, pais e mães, estudantes de Pedagogia e outras pessoas interessadas. Os números para o relatório de impacto deste projeto são bem significativos: 66 se envolveram diretamente com a Vivência Oasis, revitalização do campinho de futebol, que ganhou um alambrado novo, uma rede de proteção, um banco para a torcida , um novo jardim comestível e a revitalização do mural com imagens inspiradas nas criança do bairro. Na mesma rua foi consolidado o espaço da rua de lazer, com brincadeiras de chão, além de uma brinquedoteca, que impactaram 2000 famílias. 350 participantes colocaram a mão na massa para realizar essas obras.

Urban 95

30

participantes na formação

22

O que esses números não revelam é a situação do Andrey. Quando foi questionado sobre sua capacidade de cuidar de algo tão responsável para sua idade, ele respondeu que ele cuida dos seus irmãos mais novos, cozinha, lava, passa tempo, e freqüenta a escola. A sala de jogos seria um dos poucos espaços que ele teria que ser criança, mesmo na companhia de seus irmãos mais novos. Este cenário é muito comum, não somente no Morro Santa Maria, mas em muitos lugares no Brasil.

8

parceirias institucionais

350

participações no mutirão

2000 famílias impactadas

Os resultados do Índice de Vulnerabilidade Social do Atlas do Desenvolvimento Humano do PNUD mostram que entre 2000 e 2010 o número de municípios brasileiros com alta vulnerabilidade social diminuiu de 2.545 (45,7% do total) para 803 (14,4%), apesar dos avanços, observamos que estes índices homogêneos quando analisados em diferentes regiões contidas nos municípios, ainda encontramos desigualdades. Ou seja, a média dos dados estatísticos ainda esconde muitas desigualdades, e a ausência de políticas direcionadas à redução da pobreza e à extrema pobreza, muitos desafios ainda permanecem, em todas


as regiões do país. As questões não passam somente por distribuição de renda mínima, mas por políticas públicas que garantam acesso à água, ao esgotamento sanitário, moradia adequada, oportunidades de trabalho, educação e saúde. Mas como se aprofundar em mais estratégias de engajamento, quando muitos que vivem nesta situação mal tem tempo para ação? Um dos objetivos que não conseguimos alcançar foi o envolvimento maior e mais efetivo das famílias neste processo. O que vimos é que para garantir o apoio financeiro das famílias, os pais e as mães passam 10 a 12 horas longe de casa. No tempo livre, alguns optam por cuidar de suas casas, outros escolhem atividades de lazer com adultos, mais uma vez deixando as crianças sob os cuidados dos outros. Nós deixamos este projeto com algumas preocupações: como nós, como sociedade, cuidamos as famílias para que possam priorizar o olhar, carinho, cuidado de seus filhos e da sua comunidade? Como podemos garantir condições para que eles realizem o sonho de proporcionar aos filhos, melhores condições de aprender, brincar, comer e dormir? Ter a oportunidade de realizar um projeto que colabora para que possamos agir diretamente nestas condições é um dos grandes pontos positivos do Urban95. Mesmo com o final do projeto, ainda estamos a procura de parceiros para apoiar a continuidade de atividades voltadas para mães, pais e filhos. Ou seja, temos muito a fazer, muito a realizar, para que o cenário de abundância que tantos sonhamos seja uma realidade para mais pessoas. O nome ELOS vem disso, juntar diferentes parceiros para construir o mundo que todos sonhamos, e não vamos conseguir fazer isso sozinhos. Muito obrigado a todos da comunidade do morro Santa Maria, a todo mundo que colocou a mão na massa para fazer acontecer os sonhos coletivos, aos parceiros institucionais que fizeram possível este projeto: Secretaria de Relações Institucionais e Cidadania, e Secretaria da Educação da Prefeitura Municipal de Santos, CRAS São Bento, CECONV , Santa Ana and São Joaquim Church (Morro Santa Maria), Sociedade de Melhoramentos do Santa Maria, Subprefeitura dos Morros, MIB (Mapa da Infância Brasileira). Claro, um agradecimento especial para Bernard Van Leer Foundation, que através do Urban95, fez com que possamos atuar para diminuir as desigualdades de uma infância que precisa de muitos cuidados. 23


Nos últimos três meses, o Instituto Elos, Flor e Ser - Educação em Permacultura , e o arquiteto Andre Jost Mafra participaram de um intenso programa sobre a Horta Educativa do Sesc Santos. Neste tempo tivemos a participação de quarenta funcionários da unidade, cinquenta crianças do projeto Curumim, cinco jovens do Programa Juventudes, cinco idos@s do programa Trabalho Social com Idosos (TSI). As atividades com os funcionários aconteceram às quartas-feiras em duas turmas, uma no período da manhã e outra de tarde. As atividades com os Curumins ocorreram nas quintas-feiras, também em duas turmas. @s jovens e idos@s se integraram ao público do SESC aos sábados. “Eu sempre quis cuidar de uma horta, então fiquei muito feliz quando soube desse projeto e me inscrevi sem pensar. Daqui pra frente se tiver algum dia sem compromisso vou pedir para os meus pais se posso ir e colher alguma coisa da horta. Eu amo a horta!”, contou uma participante.

Horta Educativa Sesc Santos

80

participações nas formações

24

9

parceiros institucionais

150

participações no mutirão

Todos os participantes tiveram um momento para compartilhar suas histórias que tivessem relação com a terra, plantio, plantas. Depois, foram em busca das belezas que eles ainda não tinham percebido no SESC. Em outro momento eles foram procurar histórias com os usuários do lugar e seus sonhos sobre horta. A partir dos sonhos, foram feitas maquetes em cada turma. No sábado de outubro, durante um encontro com os participantes e suas famílias foi elaborada uma síntese que tornou-se realidade nos mutirões em novembro. O Flor e Ser foi responsável pela capacitação técnica através de cinco oficinas, que tiveram os seguintes temas abordados: - Introdução à Permacultura - Agricultura orgânica, Sistema Agroflorestal, Horta Permacultural - Tipos de solo - Preparo da terra - Adubação orgânica - Invasores e Convidados - Incríveis Minhocas - Plantio de sementes - Plantas companheiras, insectárias e antagônicas - Diferentes partes das plantas que nos alimentam: sementes, caules, frutos e raízes - Oficina de Biofertilizantes


Os mutirões aconteceram durante a semana com cada público específico. Aos finais de semana as atividades foram abertas ao público geral do SESC e foi feito um convite especial para as famílias dos Curumins. No primeiro sábado de mutirão aberto mais de 60 pessoas colocaram a mão na massa e fizeram acontecer pomar, um lago, e um canteiro de legumes e hortaliças.

sonhar, plantar e celebrar. Sonho com uma horta de cura, onde todos possam encontrar aromas, amigos e amor. E também sonho com uma horta de partilha, compartilhar conhecimento, experiência e alimentos. Que todos possam ser beneficiados”, resumiu a participante Karol, sobre o que @s participantes sonham com o futuro desta Horta Educativa do SESC Santos.

Os funcionários prepararam as bases da espiral de ervas, as floreiras da horta vertical e retiraram terra do canteiro para o Lago. Os Curumins plantaram morango na horta vertical e as ervas e temperos. Com sol e com chuva, mais de 90 pessoas participaram do segundo mutirão aberto, e fizeram um borboletário, sementeiras, canteiros de plantas não convencionais comestíveis (PANCs), flores e hortaliças. Além disso fomos presenteados com a consultoria do Ricardo Ara Cebollada na construção do largo e doação dos peixes. O Luciano, talento descoberto no Guerreiro Sem Armas deste ano no morro do Fontana, fez a doação de uma caixa de abelhas sem ferrão, e prometeu mais duas!!! A Silvana Contreras e a Rosane Kerman escreveram as placas que identificam as espécies da horta. O arquiteto André Mafra é o responsável pelo projeto do pergolado e escolha dos bancos que chegarão na Horta nas próximas semanas. O Lucas e seu ajudante fizeram as fundações. O serralheiro Gonçalo forneceu a base que receberá a estrutura da pérgola. No Encontro de Futuro, os funcionários organizaram uma escala de cuidado e rega da horta, e planejaram os sonhos para 2018. O Projeto Curumim em 2018 terá atividade planejada para o ano todo. Lilian Ronchi Oliveira, responsável pela programação do SESC, pretende desenvolver mutirões mensais aberto ao público e dar continuidade com programações conectadas com tecnologias sustentáveis, permacultura e agricultura urbana. No último sábado foi o momento de celebrar, com oferecimento do artista Beto que tocou e convidou os presentes para tocar e dançar uma ciranda. “Sonho com uma horta inspiradora. Onde quem veja, sinta vontade de 25


No domingo, o Elos - em especial Renata Laurentino, Fernando Conte, e Natasha Mendes Gabriel - reuniu muit@s parceir@s brincantes para a abertura da Semana Mundial do Brincar em Santos, que aconteceu no Morro da Nova Cintra. Cerca de 150 crianças, pais e mães, venceram a chuva, e fizeram acontecer de verdade o tema deste ano: “O Brincar que Encanta o Lugar”. “Sentimento de muita felicidade fazer parte de um projeto onde o compartilhar foi a palavra-chave! Tenho somente a agradecer pela oportunidade de ver o brilho no olhar de crianças e adultos brincando juntos!”, resumiram Simone Santos e Celso Lima, que fizeram uma apresentação com títeres (bonecos de marionete).

Semana do Brincar

150 participações

26

30

parceiros institucionais

Atividades divertidas não faltaram, e teve muito esse espírito de fazer junt@s, de compartilhar saberes com tod@s, como a Oficina de Bonecas Abayomi da Rosane Kerman; Brincadeira de massinha caseira com Priscila Leonel; o artista plástico Renato Leal que fez uma atividade com arte e colagem; Bruna Farine Milani com brincadeiras de chão; Desenho com giz e água da Zenilda Cruz; apresentações do Grupo de Circo da Vila do Teatro; o Grupo Tramar, da Célia Faustino e Natália Brescancíni, que fizeram a intervenção de dança, Cama de Gato; brincadeira de dança Casulo com Fernanda Iannuzzi ; atividades esportivas com Pascoal André, Laura Benites, Carla Cristina Cardoso e Thays Vitta; a roda de brincadeiras da Daniela Amaral; percurso sensorial para crianças de 0 a 3 anos com Aline, diretora da creche Laurival, tudo embalado ao som do Garrafada. Além da apresentação do Batucantante Música Para Crianças do Ronaldo Crispim (GSA 2015). Queremos agradecer o apoio que tivemos da Creche Laurival; EME Cyro de Athayde; EME Rubens Lara; Administração Regional dos Morros; Secretaria de Cultura; G.R.C.E.S. Unidos dos Morros; Simone Batista; CECON Santa Maria; SESC Santos; Semana Mundial do Brincar; e aos comércios do Morro da Nova Cintra, escolas e creches da região, pela divulgação.


Em agosto, tivemos 20 participantes da Vivência Oasis, e revitalizamos juntos a praça central da Cohab de Benevides que mobilizou cerca de 150 pessoas, impactando diretamente 500 famílias. Foram construídos 5 brinquedos, uma área de leitura e um jardim no entorno da quadra de vôlei do grupo de jovens da comunidade. Tudo isso em 1 dia com recursos e talentos que encontramos na comunidade. Em setembro, aproximadamente 330 pessoas participaram do evento o “Melhor de Benevides“ , uma grande exposição dos talentos da cidade, tivemos 22 expositores que representaram projetos de diferentes áreas, e no palco se apresentaram 13 atrações nas áreas da cultura, esporte, meio ambiente, educação e empreendedorismo. Em outubro, visitamos diversos locais da cidade coletando sonhos de aproximadamente 60 grupos e/ou organizações da cidade, que serviram de base para o encontro “Sonhando Benevides” , que reuniu 25 representantes da cidade, no final de semana passado. Ao final, os participantes escolheram os seguintes sonhos para materializaram juntos:

Vivência Oasis - Benevides

A construção da Casa da Memória de Benevides, com o acervo do historiador e um dos fundadores da UDBEN, Sr José Leôncio Siqueira . O local receberá também atividades culturais, oficinas e encontros, que valorizem a cultura e a história da cidade. Uma campanha, com encontros de sensibilização e acolhimento, liderada pelo movimento feminista, sobre a violência contra a mulher, que acontecerá nas escolas municipais. Uma agenda de feiras de artesanato, culinária e cultura local que destaque o melhor que existe em Benevides. Um projeto de educação ambiental , organizada por um grupo de jovens ativistas e pela Secretaria de Educação.

20

participantes na formação

50

parceirias institucionais

480

pessoas mobilizadas

500 famílias impactadas

“Essa experiência foi muito transformadora para nosso grupo. Não foi nada de cima para baixo. Sonhamos, decidimos e realizamos tudo junto. Vocês vieram para Benevides para despertar o melhor que existe em nós, cada um teve a oportunidade de mostrar seus talentos e crescer”, Ana Maria Paiva, integrante da UDBEN Este trabalho com a UDBEN ( União pelo Desenvolvimento de Benevides), teve a iniciativa da Natura, metodologia do Instituto Elos, e o apoio da Prefeitura de Benevides.

27


A Vivência Oasis em Campo Grande via Adm Do Brasil começou com uma nota triste do falecimento de uma das lideranças locais do bairro Núcleo Industrial. Foram feitas algumas alterações na programação, mas no final deu certo. “Temos um grupo de participantes que conta com moradores, pessoal da ADM, e representantes de duas organizações: Ensina Brasil, que quer levar o Jogo Oasis para as escolas, e a Vetor Brasil voltada para formação em gestão pública”, contou Paulo Farine Milani, ao lado e nossa amiga e parceira de longa data, Renata Minerbo Strengerowski (GSA2009), da Acupuntura Urbana. Os moradores estão bastante empolgados com o projeto, disseram que tudo que construíram (centro comunitário, posto policial, etc) foi em mutirão e com a ajuda do comércio e das pessoas; E acham que a nossa estratégia de fazer junto vai funcionar bastante e que esta parceria com a ADM é muito boa. “Como morador costumo me perguntar o que posso fazer pelo meu bairro. Esse trabalho vai ser muito bom porque acho que vai dar uma injeção de ânimo na comunidade, pois nós mesmos falamos mal do nosso bairro e reconhecemos pouco os potenciais que já existem aqui. Na verdade temos muita coisa boa, pessoas que tem feito história por aqui. Esta é uma troca de experiências que enriquece toda a comunidade.”, contou Celso, um dos mais de 60 moradores presentes na reunião de projeto.

Vivência Oasis Campo Grande

A lista de sonhos da comunidade para colocar a mão na massa são: projeto da praça com academia, campo de futebol, parquinho, pista de caminhada, bancos e mesas, quadra de vôlei de areia, paisagismo. Impressionante poderia ser a palavra que resume o mão na massa da Vivência Oasis Vila Industrial, em Campo Grande (MS). Por volta de 80 pessoas e um maquinário pesado construíram os sonhos para transformar a praça em um local de convivência, lazer e esportes.

12

participantes na formação

3

parceiros institucionais

140

participantes em eventos abertos

“Eu achei que ia morrer e não ia ver isso tudo acontecer na minha vila. Há tanto tempo luto pela reforma do parquinho e neste final de semana de união construímos tanta coisa e tem muito mais por vir!” Sr. Jacó - Presidente da Associação de Moradores Vila Manoel Secco Thome. De fato, as pessoas juntas conseguiram fazer a reforma do parquinho, existente,

28


instalar um novo parquinho de madeira. Eles fizeram uma pista de caminhada, academia ao ar livre, alambrado no campo de futebol e reforma dos alambrados existentes. Para a área de convívio foram instalados 7 bancos e 4 kits de mesas e bancos, e, paisagismo na praça. Mas foi na fase de captação de recursos que @s participantes arrasaram. Com o projeto na mão, e um plano de ação, muitos empresários participaram ativamente das doações de materiais, emprestaram caminhões, e outros equipamentos. A maioria destes empresários já tinha muita vontade de colaborar com a comunidade, mas muitos não sabiam como fazer isso. Este foi um dos grandes aprendizados desta Vivência: ter um pedido claro, mostrando o que querem fazer, quanto tempo vão executar o que está no pedido, e depois mostrar o que foi feito com as doações.

29


Vivência Oasis Nova Morada via Instituto Holcin acontece na cidade de Montes Claros, em Minas Gerais. Temos 33 participantes na formação de vários setores da sociedade, estudantes do ensino médio, universitários, empreendedores, os funcionários da empresa, policiais militares, servidores públicos, e moradores locais. Na quarta-feira 25/10 foi o Show de Talentos na praça Nova Morada. Tivemos 10 apresentações artísticas no palco e 5 expositores, com uma plateia de 100 pessoas presentes, de 5 a 85 anos. Teve tenor, sanfoneiro, sanfoneira mirim, violinista, violão, dança Hip Hop, embaixadinhas, miniaturas, artesanato, culinária, atleta da natação com 87 medalhas!!! A mão na massa contou com muita diversidade entre os 20 adultos, 30 jovens e 40 crianças. A lista de sonhos coletivos que foram realizados: pintura da quadra de esportes; colocação de 3 aparelhos de academia; área de lazer infantil com pneus. Teve paisagismo com mais de 20 mudas plantadas; colocação de banco e lixeira, além do Início da construção do passeio.

Vivência Oasis Montes Claros

33

participantes na formação

30

3

parceiros institucionais

150

participantes em eventos abertos

No Encontro de Futuro com presença de 60 pessoas, entre os principais compromissos estão: grupo da praça que vão terminar a conclusão do passeio, e que vão cuidar do jardim. Foram formados grupos por afinidades e interesses, como atividades culturais e sociais, creche, e sobre segurança. Ficamos muito felizes com esta primeira fase, e vamos voltar em dezembro para facilitar o Encontro de Lideranças do Comitê de Ação Participativa (CAP), que é composto por representantes da sociedade civil que desenvolvem a agenda que pauta os investimentos do Instituto Holcin.


Cerca de 80 pessoas arregaçaram as mangas para materializar os sonhos dos moradores para a Praça Ana Zapponi, no Jardim dos Ipês, em Luiz Eduardo Magalhães, na Bahia, fruto da Vivência Oasis em parceria com o Instituto Lina Galvani. Aliás, queremos muito agradecer a união de diferentes setores para que tudo desse certo: Associação de Moradores, (UFOB - Universidade Federal do Oeste da Bahia), Prefeitura de Luís Eduardo Magalhães. “Agradeço a todos as empresas e institutos parceiros, a comunidade, os voluntários, a Prefeitura, enfim, todos que contribuíram para que esse mutirão acontecesse. Foi um prazer enorme ter participado desse evento e espero que a UFOB possa contribuir sempre para o bem estar da sociedade. Aprendi muito nesses dois dias. Foi uma experiência engrandecedora”, Fabio, representante e diretor da UFOB. Todo mundo junto conseguiu fazer: instalação de 4 mesas e 16 bancos; parquinho e brinquedos instalados, areia do campinho está espalhada, mudas plantadas, pintura feita, traves do gol recuperadas, produção de lixeiras utilizando garrafões de água, quiosque. Falta colocar o alambrado que será feito na segunda, pois o concreto precisa secar. E a prefeitura vai colocar a iluminação de LED.

Vivência Oasis Jardim dos Ipês

12

participantes na formação

5

parceiros institucionais

“Obrigado a todos pela confiança e a parceria, estive hoje com vocês como simples cidadão que quer sua comunidade cada vez melhor, mas estive também como Prefeito e assim podemos promover ações afirmativas para nossos jovens através do Poder Público e as PPPs,as empresas e as organizações sociais, que têm muito ajudar nossa gente, foi um grande aprendizado”, Prefeito Oziel. Esta é a grande lição: quando todo mundo se une pelo bem comum, a realização do sonho coletivo sempre acontece!!!

132

participções em eventos abertos 31


“Tudo que a gente faz é pelas nossas crianças. Ver o sorriso no rosto deles faz qualquer coisa valer a pena”, Daniela Pereira, moradora e participante da Vivência Oasis Campestrinho, em Divinolândia, contratada pelo Instituto Votorantim. As crianças conseguiram juntar gente de classes sociais distintas, posições políticas opostas, religiões diferentes, tudo por um propósito comum: um mundo melhor para elas. No final de semana, tivemos cerca de 150 participações no mão na massa, e juntos conseguiram construir uma área de lazer com parquinho, pergolado, bancos e mesas, palco, jardins, guarda-corpo e plantio ao redor do rio e mural. “A gente topou, mas não tinha muita certeza se ia sair. Agora que já temos tudo aquilo, a gente sabe que juntos podemos decidir e fazer muito mais. É só começar”, resumiu Cristiano, morador da área.

Vivência Oasis Campestrinho

Na Reunião de Futuro, cerca de 60 moradores, se dividiram em 4 frentes de projetos que eles querem fazer: 1 - grupo comunitário 2 - continuidade da área de lazer 3 - reforma do barracão para oficinas e outras atividades 4 - creche O bom é que nessa reunião, estavam presentes o Prefeito, o Vice, a Chefe de Gabinete, moradores, e elas, as crianças, que participaram ativamente dos sonhos futuros. Na segunda quinzena de agosto, tivemos a primeira visita de acompanhamento e foi decidido que eles iam focar sonho de finalização do parquinho e área de lazer iniciados na Vivência Oasis.

20

participantes na formação

32

3

parceiros institucionais

210

participções em eventos abertos

Em setembro, foi feita a última visita e muito felizes que no sábado (16 de setembro) vai ter a inauguração do parquinho com uma festa neste sábado a partir das 11 horas. Os moradores foram atrás de doações, fizeram rifas inclusive com alun@s, para que tudo seja como foi sonhado há três meses atrás. “A realização deste lindo sonho, através do Oasis, resgata a confiança em mim mesmo e nas pessoas. Quanta alegria estamos sentindo no coração. Uma criança que brinca no balanço, irradia felicidade, através de tantos sorrisos. Nós


precisamos uns dos outros para viver. Hoje, companheiros, somos melhores que ontem”, compartilhou uma moradora. Temos certeza que é esta nossa maior entrega: união de pessoas em um grupo consolidado e organizado que pretende seguir realizando juntos! Além disso, conquistaram para 2018 uma sala de maternal a ser implantada pela Prefeitura de Divinolândia, e estão no movimento de melhorar ainda mais o parque infantil.

33


A ideia foi fazer uma Vivência Oasis que reunisse moradores da Zona da Mata mineira, como Rosário de Limeira, Miraí, Muriaé. Semana de muitos aprendizados e reflexões em Rosário de Limeira, onde um grupo de participantes e moradores decidiram que os melhores sonhos coletivos para materializar na cidade seriam reconstruir o parquinho do Centro de Atenção Sócio-Infantil (CASI) - Escola de Tempo Integral, e a instalação de um memorial com fotos e fatos históricos de Rosário da Limeira. Cerca de 30 moradores passaram o final de semana, com uma frente de trabalho na Escola Integral e outra na Galeria de Cultura e Arte, que fica debaixo do palco da praça de Nossa Senhora de Fátima. O mão na massa contou com doações de muitos moradores e apoio da Prefeitura. Todos ficaram contentes com o poder de realização do coletivo. 05 e 06 de agosto estivemos com a comunidade de Pirapanema, distrito de Muriaé-MG para apoiar a realização de 3 sonhos da comunidade. Os próprios moradores que participaram da Vivência Oasis, que aconteceu em junho, organizaram as etapas do Olhar, Afeto, Sonho e Cuidado no local. O grupo mobilizou recursos e talentos para iniciar o portal de entrada do distrito,com a limpeza do terreno e paisagismo; pintar a quadra do bairro; e construir um parquinho para as crianças no Centro Comunitário do bairro. No total, 38 pessoas estiveram presentes nos dois dias de mutirão, um deles foi o Sr. Luiz, morador do bairro: “Quando eu vi a quantidade de trabalho, eu não acreditava que dava pra fazer tudo isso e ficar tão bonito em dois dias, é um milagre mesmo o que aconteceu aqui”.

Vivência Oasis Rosário da Limeira

22

participantes na formação

34

10

parceiros institucionais

317

participções em eventos abertos

Um dos moradores mais entusiasmado do grupo era o Sr. Jader, de 74 anos, participante da Vivência, e desde o início mobilizou moradores do seu bairro para realização de sonhos: “Estou muito feliz com o resultado, é muito bom ver a nossa comunidade de Pirapanema se unir”, conta Jader. Luiza de Sá e Herbert Santo de Lima, da Equipe Elos, ficaram muito felizes com o resultado: “Acreditamos que esta é nossa maior recompensa, ver moradores e participantes da Vivência realizarem o Jogo Oasis de forma autônoma, dessa forma poderemos atingir mais pessoas e fazer acontecer a


transformação no mundo que sonhamos através de uma tecnologia social altamente replicável”, conta Herbert. Após o Mão na Massa, novos moradores se uniram aos participantes de Muriaé para planejar novos sonhos na região. Neste Encontro de Futuro, tivemos 9 participantes e novas parcerias surgiram. Em novembro aconteceu a mão na massa no Bairro Gaspar, em Muriaé (MG), com cerca de 20 moradores, com apoio da Associação do Bairro Gaspar. Este mutirão aconteceu por iniciativa da líder comunitária Roselene Duarte (Rose), que iniciou a mobilização, após ter participado do nosso curso. Rose sonhou com os moradores revitalizando a praça de entrada do bairro. Do sonho, ela passou para a concretização. Ela conseguiu mobilizar os moradores, que auxiliaram na captação de recursos e colocaram a mão na massa em 2 dias de mutirão para revitalizar da praça e parquinho na entrada do bairro.O destaque foi para as floreiras de pneu que deram uma nova vida ao espaço.

novos talentos e tecer novas conexões nas redes locais. Para 2018 o grupo já planeja novas ações na região, e o sentimento é de felicidade como demonstra Jader Pedrosa: “Pirapanema teve uma experiência muito boa este ano com a vinda de vocês, há muito tempo não tínhamos uma participação tão boa da comunidade, tivemos um bom movimento, e um resultado muito bom. O trabalho desenvolvido no ano foi justamente o que havíamos planejado no início. Aqui na região já ficou plantado algo, espero que a comunidade participe cada vez mais. As pessoas das outras cidades (Miraí, Rosário da Limeira e Muriaé) tiveram ótima participação, ainda lembro do nosso Show de Talentos em Rosário da Limeira, foi emocionante, um sucesso, todos entenderam naquele momento o que estava sendo realizado. Aprendi muitas coisas boas, mas a principal foi aprender com a paciência da equipe. O interior precisa disso, paciência, para explicar, entender e aos poucos sacudir as pessoas. Sou muito grato e feliz por vocês aqui”.

Agora os moradores já sonham com um bairro limpo, e para isso querem ajudar a Cooperativa de Reciclagem do bairro, aumentando mais a quantidade de moradores engajados nas ações. “Foi incrível, muita gente não acreditou, mas nós fomos de qualquer forma. Agora meu marido que ajudou muito está toda hora querendo passear na praça para ver o trabalho que foi feito”, contou Rose. A última ação do ano, em dezembro, na região de Muriaé-MG com o grupo que participou da Vivência Oasis em junho, contratada pelo Instituto Votorantim. A comunidade de Pirapanema se mobilizou para realizar paisagismo na entrada do campo de futebol da comunidade. A ação contou com cerca de 20 moradores que reutilizaram pneus para fazer a entrada do campo, que também ganhou vida com as cores do time local. No mesmo dia o grupo de voluntários participantes e comunidade se reuniram para celebrar as ações do ano. Os resultados do ano mostram o motivo da festa: os participantes mobilizaram mais de 200 pessoas em diferentes ações, e no total concretizou 4 sonhos coletivos, além de inspirar ações em escolas, descobrir 35


Muitas pessoas sabem que sonhamos em ver, cada vez mais, a Filosofia Elos a serviço da educação. É por isso que ficamos muito felizes em oportunidades como realizar o Curso de Atualização em Educação Ambiental da CBA, em dois territórios, a Zona da Mata e Poços de Caldas. O curso é realizado anualmente e participamos pela primeira vez, levando a proposta de atuar com fortalecimento da rede e formas de utilizar a Filosofia e o Jogo Oasis para potencializar as atividades que os professores já fazem, além de apresentar outras ferramentas cooperativas e de escuta ativa que os educadores podem levar para o seu dia a dia. Em Poços de Caldas, as atividades ocorreram dias 23 e 24 de agosto. Foi emocionante saber que, de um dia para o outro, a professora Gisele, que dá aula no período noturno, já aplicou uma das atividades do primeiro dia com seus alunos e avaliou muito positivamente!

Curso de educação ambiental CBA

40

professores

36

“Eu pensei que viríamos aqui receber dicas de como trabalhar com educação ambiental, mas percebi que, para transformarmos qualquer realidade, a gente primeiro precisa se abrir e se conhecer, para poder se transformar internamente e aí sim propor novas formas de fazer”, partilhou a professora Lucinéia. O Herbert Santo de Lima foi até Miraí, em Minas Gerais, e mandou esta notícia muito bacana. Em agosto, o Elos deu um curso sobre o Jogo Oasis, dentro do programa Atualização em Educação Ambiental da CBA. Entre os professores, estava a Alesandra Almeida. Ela apresentou o Jogo Oasis na Escola Municipal Ninho da Águia, e alunos, professores, e direção da escola que abraçaram a ideia, e tocaram todos os 7 passos: “Fizemos todos os passos do Oasis, os alunos fizeram tudo, e junto com a comunidade fizemos o sonho virar realidade. Hoje não falamos mais em fazer projetos aqui na escola, falamos em realizar sonhos. Os alunos conscientizaram os moradores, pois a área que realizamos nosso sonho, antes era um depósito de lixo, hoje ninguém mais joga lixo no local”, conta Alesandra. O Jogo Oasis envolveu toda a comunidade que participou na construção da maquete, e sonharam uma nova área de convivência na Escola, com direito a uma horta. Após sonhar a comunidade se mobilizou e conseguiu diversas doações dos comércios locais, moradores do bairro e a Prefeitura Municipal de


Miraí, reunindo no mutirão mais de 150 alunos. “Realmente foi um trabalho emocionante, fiquei muito feliz com o resultado e quero que mais Oasis sejam realizados nas escolas de Miraí”, Eduardo Lopes Silveira, Secretário de Educação do Município de Miraí. O resultado ficou incrível, e agora a escola já sonha fazer outro Jogo Oasis para construir uma cisterna na escola para regar a horta, e melhorar a coleta seletiva no bairro, os alunos vão construir lixeiras para entregar para os moradores que quiserem separar lixo seco e úmido. Além disso a comunidade e a escola já sonham em revitalizar um espaço público em frente a escola. “A escola está linda, é incrível o que foi feito naquele espaço, as professores, os alunos estão de parabéns, é muito bom ver a comunidade se juntando assim e fazendo a transformação acontecer, quero muito participar de mais Oasis como este”, Gustavo, morador.

37


Espaço ELOS de portas abertas

KAKÁ WERÁ

15

Participações Desde 1999, nós do Instituto Elos trabalhamos com a formação de jovens do mundo todo, e com o desenvolvimento de comunidades no Brasil e em diversos A primeira vivência aberta ao público do Espaço Elos, países, sentimos que é o momento de aprofundar esse trabalho. Percebemos que as maiores oportunidades de aprendizado e transformação se dão nas relações, que aconteceu nos dias 21 e 22 de outubro, com Kaká Werá, que falou sobre como podemos lidar com os desafios para partem do contato direto. nos tornarmos mais eficazes para realização dos nossos projetos e sonhos. Sempre buscamos uma experiência inovadora de viver em comunidade e de Kaká ofereceu um trabalho de cura bem poderoso baseado no xamanismo Tupi, acolher a diversidade de formações, na direção do desenvolvimento humano tratando dos desequilíbrios na nossa relação com o que ele chama de 3 mundos na sua integralidade. Nosso modelo de aprendizado é na ação, através de uma sutis: o físico, o psíquico e o espiritual. experiência vivida. Neste local queremos formar um saber compartilhado. Temos um espaço de 18.000 m² em meio a natureza, dentro da cidade de Santos. Num primeiro momento, apresentou toda a fundamentação da cosmovisão Tupi e fazendo as relações com os fundamentos budistas, hindus, cristãos e com as Queremos abrir as portas para parcerias que precisam de um lugar com a novas descobertas da física quântica, por exemplo. qualidade que temos para oferecer. “A verdade pode ser encontrada na filosofia Nativa, Budismo, Cristianismo, Todo o mundo é muito bem-vindo: para visitar o Espaço Elos, para propor uma Judaismo, Islamismo, em todos os sistemas de crença, porque todos eles estão oficina, uma vivência, um workshop, ou quer fazer um evento especial. Em relacionados. Você estuda o budismo e encontra Cristo. Você estuda filosofia outubro de 2017, começamos a receber nossos primeiros eventos abertos. Nativa e encontra Buda. Estudando a Mãe Natureza encontrará o Self ”, escreveu Irene Cotrin, uma participante da vivência, quando compartilhou conosco o texto “Mitakuye Oyasin”, uma declaração simples, porém profunda, da Nação Lakota. O conteúdo da vivência foi bem denso e complexo, mas Kaká trouxe todos os conceitos de uma forma muito didática, utilizando cenas do dia a dia dos 38


participantes, e dando exemplos a partir de observações de fenômenos da natureza. Desta forma, tudo ficou muito claro para tod@s. Num segundo momento, tivemos uma prática de reflexão pessoal e partilha em grupo trabalhando as crenças e os valores limitantes de cada participante, além de práticas corporais e meditação

JOHN MILTON

30 participações Novembro O encontro com John P Milton no Espaço Elos foi um daqueles momentos memoráveis que deu vontade de se aprofundar mais nas técnicas e métodos que ele mencionou, e que são fontes de inspiração para vários notáveis que estão fazendo a diferença como Peter Senge, Joseph Jaworski e Otto Scharmer. Nosso profundo agradecimento a ele, a Marina Minari do Way of Nature Brasil, e os 30 participantes que tornaram possível o evento, através de doações dentro da Cultura da Dádiva (Gift Culture). A conversa começou com Milton contando sobre de onde ele veio, ou mais exatamente, como ele se tornou um guia espiritual. Vale mencionar que ele é

um excelente contador de histórias e impressiona sua vitalidade aos 80 anos. Ele falou sobre as terras me Crestone, no Colorado (EUA), onde acontece os retiros de profundo contato com a natureza, e por onde passaram mais de 20 mil pessoas. Neste espaço também acontece uma experiência de convivência entre 40 a 50 tradições que tratam das relações entre o homem e natureza. Ele explica que existem tipo de Naturezas diferentes: a Externa, que trata da Ecologia, dos Ecossistemas. A Interna, que é sobre os sentimentos como amor, a forma como estamos conectados, ou desconectados com os bloqueios, a raiva. É neste campo que tratamos da percepção da energia através dos 5 sentidos e dos campos de expansão energéticos. O terceiro tipo é a Verdadeira Natureza, ou como ele se refere, ao Grande Mistério, que vem sendo tratada pela Teoria Quântica, por exemplo. Os ensinamentos que ele passa são frutos de um processo que nasceu de períodos de solidão, onde por volta de 22 anos, ele alternou retiros de 6 meses, com experiências espirituais dos mais diferentes tipos ao redor do mundo, pelos outros 6 meses. Disto nasceu o fundamento de como estar conectado com estes 3 tipos de Natureza, não importando a religião que se professa, e sim a busca de uma base comum a tod@s, e que é a condição possível de se encontrar a paz. Ao final, ele explicou que esses ensinamentos existem para encontrar uma visão clara e profunda nosso potencial a partir de um sonho comum. “Isso é o que o Elos faz, e que também fazemos no Way of Nature”. Claro que não esperávamos esta declaração, e ficamos muito felizes e honrados com a comparação.

39


COMUNICAÇÃO

ELOS NA MÍDIA

Desde 2009, todas as estratégias de comunicação do Instituto Elos tem como base o CRM (Customer Relationship Manager), gestão de relacionamento com o cliente, a partir do Salesforce. Temos 5 mil pessoas cadastradas, com nossas relações registradas e monitoradas. Usamos o envio de e-mails marketing e de divulgação a partir do MailChimp, considerando as preferências dos diferentes públicos a partir de um questionário enviado sobre considerações de perfil.

Em 2017, os principais assuntos que viraram pautas em diferentes veículos de imprensa foram a 10ª. edição do Guerreiros Sem Armas, o Prêmio Melhores Ongs da Revista Época, o Prêmio Global Leaders.

Vale salientar que todos os e-mails da equipe Elos têm uma barra para a nossa campanha de doação recorrente, que está alocada no site da Juntos (http://recorrente.juntos.com.vc/pt/guardioes). Nosso site tem uma área toda dedicada a Transparência, que se tornou uma das estratégias mais eficientes para doação, sendo que somos umas 40 Ongs do Brasil a receber o Selo de Transparência do Instituto Doar.

TV Guerreiros Sem Armas: TV Tribuna (Globo) e VTV (SBT) Entrevista com Rodrigo Alonso (Globo Internacional) Episódio da série Quem se Importa (Mara Mourão)

REVISTA Sustentabilidade Financeira entrevista Mariana Gauche Revista Mobiliza Guerreiros Sem Armas – matéria Revista Senso Especial 100 melhores Ongs - Revista Época

JORNAL Guerreiros Sem Armas (A Tribuna, Boqueirão News) Matéria sobre Instituto Elos no especial Comunidade em Ação do Jornal A Tribuna Matéria sobre o Prêmio Global Leaders (A Tribuna)

INTERNET Entrevista com Rodrigo Alonso sobre o Prêmio Global Leaders (UOL) Matéria especial sobre Elos e as premiações, Guerreiros Sem Armas (Juicy Santos) Veja os links das matérias em https://br.pinterest.com/institutoelos/clipping-elos/

40


Nosso principal veículo de comunicação de massa é o Facebook, com duas páginas principais: Instituto Elos e Guerreiros Sem Armas. De 2014 para cá, tivemos mudanças significativas na nossa posição na maior rede social.

A página do Instituto Elos tinha 5840 curtidas atualmente conta com 14.371, com 146% de aumento. Em 2017, foram Posts 529 Alcance 723.715 Ações 32.200

A página do Guerreiros Sem Armas tinha 12.025 curtidas atualmente conta com 17.586, totalizando 46% de aumento. Em 2017, 500 posts, 1.034. 631 alcance e 50,580 ações

41


EQUIPE ELOS André Pascoal Ariane Lopes Mates Ariane Santos Bruno Matinata Carla Cristina Cardoso Clarissa Muller Fernando Conte Herbert Santo de Lima Laura Benites Luiza Dacal Luiza de Sá Mariana Felippe de Oliveira Mariana Gauche Motta Natasha Mendes Gabriel Niels Koldewijn Dona Nininha Patrícia Ledo Paulo Farine Renata Laurentino Ricardo Oliveros Rodrigo Rubido Alonso Thais Polydoro Val Rocha

42


COLABORADORES

Academia Educar, Alyson Montrezol, André Mafra, Andrey Marcondes, Arlindo Caseli, Aser Cortines, Boi Manolo, Bruna Farine (GSA2017), Bruno Perel, Cama de Gato, Cecilia Lotufo, Célia Faustino, Claudio Miranda, Cristina Saijo-Pye, Daniela Amaral, Denise Costa, Dona Nilda, Eleusina Freitas, Eliza Capai, Escola de Capoeira Angola Quilombo, Felipe Denz (GSA2012), Felipe Ferreira (GSA2014), Fernanda Iannuzzi, Fernando Xará, Francina Buonanotte (GSA2017), Gabrielle Astier, Glenda Barcarol (GSA2012), Garrafada, Gonçalo Serralheria, Grupo de Circo da Vila do Teatro, Grupo Tramar, Hannah Nieldman (GSA 2015), Isabela Senatore, Ivan Silva, Instituto Ideia Coletiva, Ivi Brasil + Sylvia Hayashi + Laura Faerman, João Miranda Neto, John Milton, Julia Carvalho (GSA2014), Kaká Werá, Laboratório Cisco, Lourdes Santo Lima (GSA2017), Lucas Santos e Reuton, Luisa Leme Simoni (GSA2017), Maira Teixeira da Silva (GSA2017), Malu Neves, Maracatu Quiloa, Maristela Ferreira, Marta Orihuel (GSA2014), Natália Brescancíni, Octavio Vieira dos Santos, Paula Dib + Renata Mendes, Priscila Leonel, Rafael Ozores, Raphael Schmidt (GSA2014), Renata Minerbo, Renato Leal, Ronaldo Crispim (GSA 2015), Rosane Kerman, Sandra Caselato e Yuri Haasz, Silvana Contreras, Simone Batista, Sócrates Magno Torres, Thays Vitta, Tony Marlon (GSA2009), Vegearte, Viva La Veva, Zenilda Cruz.

43


PARCERIAS

ADM Agência Brasileira de Cooperação Bernard Van Leer Foundation Bob Stilger Brazil Foundation Brookfield Incorporadora Caixa Econômica Federal CECONV Codesp Correios CRAS São Bento CRAS Florence DEMACAMP Denise Costa Facamp FEAC Flor e Ser Fundação Affonso Brandão Hennel Fundação Arymax Fundação DPaschoal Horta Bons Frutos Igreja Santa Ana e São Joaquim

44

Instituto Doar + Revista Época Instituto Favela da Paz Instituto Holcim Instituto Lina Galvani Instituto Votorantim Juntos.com.vc Mãe Terra Mara Mourão MIB (Mapa da Infância Brasileira) Minha Campinas Museu Observatório de Ciências – UNICAMP Natura Prefeitura Municipal Benevides Prefeitura Municipal de Campinas Prefeitura Municipal de Santos Prefeitura Municipal de São Vicente Prefeitura Municipal Luís Eduardo Magalhães Prefeitura Municipal Rosário da Limeira Promotoria Comunitária de Santos Santa Casa de Misericórdia de Santos Secretaria da Cultura da Prefeitura Municipal de Santos

Secretaria da Cultura da Prefeitura Municipal de Campinas Secretaria da Educação da Prefeitura Municipal de Santos Secretaria de Relações Institucionais e Cidadania SESC Santos SESC Campinas Sociedade de Melhoramentos do Santa Maria Subprefeitura dos Morros Tällberg Foundantion UDBEN (União pelo Desenvolvimento de Benevides) e 50 parceiras locais UFOB - Universidade Federal do Oeste da Bahia UNAS Unicamp UNIMONTE Way of Nature Brasil


COMUNIDADES

Bairro Gaspar, Muriaé - MG Campestrinho, Divinolândia - MG Fontana, Santos - SP Jardim dos Ipês, Luiz Eduardo Magalhães - BA Largo do Machado, Santos - SP México 70, São Vicente - SP Miraí - MG Montes Claros - MG Núcleo Industrial, Campo Grande - MS Pirapanema, Muriaé - MG Poços de Caldas - MG Residencial Abaeté, Campinas - SP Residencial Bassoli, Campinas - SP Benevides - PA Residencial Sirius, Campinas - SP Rosário de Limeira - MG Santa Maria, Santos - SP

45


INSTITUTO ELOS Rua Marechal Hermes, 37 Boqueirão, Santos - SP, Brasil CEP: 11025-040 institutoelos.org

FICHA TÉCNICA Realização da publicação e projeto editorial INSTITUTO ELOS

Coordenação

RICARDO OLIVEROS

Fotografia Esta obra está licenciada por Creative Commons; Atribuição de uso-não-comercial; Não-a-obras-derivadas. Este material foi criado pelo Instituto Elos para fins específicos. Fique à vontade para utilizar para o seu próprio aprendizado e para compartilhar conhecimento com outros, reconhecendo a autoria. Qualquer dúvida entre em contato conosco através do e-mail elos@institutoelos.org 46

BANCO DE IMAGENS DO ELOS

Projeto e produção gráfica ARIANE LOPES MATES

Texto e edição

RICARDO OLIVEROS

Revisão

MARIANA FELIPPE

Profile for ELOS

Relatório Elos 2017  

Advertisement