Page 1

EDIÇÃO TÊXTIL

O Museu está na Moda . Universo I .

Tecendo Tendências . U n i v e r s o III .

N º 0 1.


Sumรกrio .


O Laboratório by El Espartano. Foco . Instalações . Porto de Reflexão by Leandro Erlich; Encofrado by Martín Huberman. Workspace . Pfizer; Sandoz. Entrevistas . Gaspar Libedinsky; Laura Valenzuela. Projetos . Desenhar sem Limites: La Rural, Cines Hoyts Unicenter; Hotel Sofitel Arroyo; Hotel Sheraton Porto Alegre; Auditório Centro Cívico Córdoba. Universo I . O Museu está na Moda: Seu Museu, O Auditório, Os Designers, Seu Voto. Universo II . Tapetes para Brincar: Espaços Pensados para as Crianças. Universo III . Tecendo Tendências: O Design e a Indústria. Novidades . Do 2D ao 3D by Cristian Mohaded; Descanso de Urso by Valeria Pesqueira. Intervenções Urbanas . Avenida das Pastagens; Futebol-Tênis pelos Bairros; Exposustenta; UNOenUNO. Divisão Desportiva . Colégio Northlands de Nordelta; Colégio St. John’s de Pilar. (Pg 03)

(Pg 04_05)

(Pg 06_13)

(Pg 14_19)

(Pg 20_27)

(Pg 28_35)

(Pg 36_43)

(Pg 44_47)

(Pg 48_65)

(Pg 66_69)

(Pg 70_73)

(Pg 74)

e l es pa r ta no.com


Pg 2

Yarn


O Laboratório . by El Espartano

No contexto de um plano de políticas sustentáveis aplicadas à produção, criamos nosso próprio Laboratório, um espaço de reflexão e produção artística. A partir desse espaço, buscamos abrir novos caminhos que cruzem a funcionalidade e a estética do design com os parâmetros fundamentais do desenvolvimento sustentável. Estamos convencidos de que a ressignificação dos materiais existentes fomenta um círculo virtuoso no qual é possível reutilizá-los em sua máxima potência, prolongando seu valor intrínseco no tempo. Este processo compromete todos os fatores envolvidos na cadeia produtiva: a matéria prima, a máquina, a energia e o fator humano. O Laboratório convidou um coletivo de criativos profissionais para refletir, fusionar e corporizar ideias concretas que evidenciem um compromisso real com os parâmetros de sustentabilidade. Esta arte de fazer por refazer capta materiais e os transforma em um novo objeto de desenho que possui um valor agregado por cada artista. Com essa filosofia de ir sempre em busca de novos horizontes criativos, editamos a revista YARN, um anuário que evidencia os projetos realizados pela El Espartano e seu Laboratório de Desenho e Sustentabilidade, com a intensão de que o leitor conheça a obra dos diversos arquitetos, artistas e profissionais criativos que se somaram a esta sinergia de trabalho. A YARN pretende tornar-se uma bitácula que ponha em relevo as histórias das pessoas que desfrutam de cada um dos projetos da El Espartano.

Yarn

Pg 03


Foco . Semeando Pastagens . by Alexandra Kehayoglou Cuidar do habitat natural. Desenhadas pela artista plástica argentina Alexandra Kehayoglou, estes originais tapetes procuram recuperar um ecossistema que atualmente se encontra em perigo, as extensas pastagens dos campos argentinos onde se alimentam livremente as ovelhas das quais provém a lã que utilizamos para desenvolver nossas coleções. As pastagens sustentam uma ideia, a conscientização do cuidado do habitat, de sua flora e de sua fauna. A teoria se sustenta na prática, pois os tapetes estão tecidos com sobrantes de pura lã 100% sustentável, um produto natural e renovável.

Hera . by KOM Tão básicos quanto diferentes. Os designers da KOM estão convencidos de que a cor comunica, as formas estimulam e as tramas revelam caminhos abstratos ou figurativos. Com uma proposta que soma qualidade e distinção, esta linha de tapetes busca propiciar um espaço no qual a cor, as formas e a trama ganhem um delicado protagonismo.

Pg 04

Yarn


Cotidiano Prazer . by Galpón Estudio Coisas que te fazem bem. Junto aos arquitetos do Galpón Estudio, decidimos nos aprofundar na utilização alternativa de elementos e objetos de uso cotidiano. Pensando na calidez que possui uma xícara quente quando faz frio, desenvolvemos uma xícara de porcelana vestida com lã crua, buscando uma sensação extra de bem-estar. Trata-se de lã em seu estado mais puro, antes da fiação, antes de ser bobinada e antes mesmo de ser tingida. Também desenvolvemos uma linha de capachos com frases perfuradas na materialidade do tapete.

Estar à Vontade . by Laura Spivak Pequenos detalhes que transformam uma casa em um lar. A obra da artista plástica Laura Spivak gira em torno de conceitos como a espontaneidade, a simplicidade, a familiaridade, a confiança, e, neste sentido, a relação da arte com a vida cotidiana. Andar descalços e liberar os pés é ir entrando aos poucos em um estado de alfa. Os personagens que se reiteram em sua obra conservam a simplicidade de uma cena casual e remetem, junto com a materialidade do tecido, à vida do lar, a estar à vontade no ambiente. Laura nos convida a curtir as pequenas sensações e, ao entrar em um interior macio, incita-nos a essa deliciosa sensação de estar em casa. As obras foram expostas no Espaço de Arte da Fundação OSDE, na cidade de Buenos Aires.

Yarn

Pg 05

Foco .


PORTO DE REFLEXÃO . By Leandro Erlich SE U L , C OREI A

A justaposição da realidade e da ilusão, da representação e da ambiguidade.

Convidado a fazer parte do projeto Hanjin Shipping The Box Project 2014, que busca promover os artistas que dominam a cena internacional, o argentino Leandro Erlich criou Port of Reflections, uma impactante obra site specific que recriou no National Museum of Modern and Contemporary Art de Seul (MMCA) um porto flutuante no qual os visitantes puderam ver o reflexo dos barcos suspensos no ar. Participamos do projeto com nosso tapete Tufting 10, que recobriu as áreas laterais e o fundo da instalação, de onde também foi possível ter acesso e apreciar a obra a partir de outra perspectiva. O tapete, um moquette de felpa compacta conformada por 80% de pura lã virgem e 20% de nylon, foi escolhido por sua suave materialidade e alta resistência ao trânsito, e porque propicia um melhoramento acústico notável no ambiente. Com Port of Reflections, Erlich subverteu o espaço cotidiano, transformandoo em um fantástico mundo de surpresas e paradoxos através da justaposição da realidade com a ilusão, do real com o irreal, da representação com a ambiguidade, e construindo com isso um vocabulário único em sua contemplação do mundo.

Pg 06

Yarn


Como você seleciona os materiais que utiliza em suas instalações? Cada ideia requer uma materialização diferente e um desenvolvimento particular no que diz respeito à concreção. É por isso que trabalho muito na seleção e na pesquisa dos materiais, explorando e conhecendo novas tecnologias. De que maneira nasceu a ideia de Port of Reflections? Criar uma mostra site specific que partisse de uma cidade como Buenos Aires para outra como Seul, geograficamente oposta, foi certamente um ponto de inspiração que me levou a analisar o reflexo de uma sobre a outra. Outro ponto inspirador foi a magnitude do espaço de exposição, suas dimensões, sua disposição. Para mim é interessante ver a maneira como os visitantes abordam em um primeiro momento o espaço da instalação. Sempre imagino e penso em qual será a experiência do espectador ao visitar minha obra e esse foi um fator determinante para

Yarn

a criação de Port of Reflections. Foi assim que imaginei esse grande cais com um veleiro, vários botes amarrados e a reflexão de toda essa paisagem que se recorta sobre o denso fundo negro. Como você viveu esta nova experiência de expor em um país como a Coreia, com uma cultura tão rica e longeva? Antes do convite do National Museum of Modern and Contemporary Art de Seul (MMCA) para participar desse grande projeto, eu já tinha visitado o país em várias ocasiões. Participei da primeira Bienal de Busan 2002, do Seoul Media City 2005 e do Song Eun Art Space 2012. Por ter uma grande admiração pela cultura coreana, fiquei muito entusiasmado com a oportunidade de criar uma instalação para esse espaço tão prestigioso. Além disso, existe algo muito especial no fato de criar uma obra para um contexto fisicamente tão distante do meu.

Quão difícil é a logística de uma mostra dessas magnitude? A logística e a coordenação foi um ponto primordial para a concreção do projeto. A produção foi levada a cabo em distintos países de forma simultânea: Coreia, Argentina e Uruguai, o que significou para mim uma grande quantidade de viagens. Um ano antes da instalação da mostra, eu já tinha viajado a Seul três vezes para este projeto. Parte de meu estúdio também viajou para a Coreia durante um mês para levar a cabo a instalação junto a duas equipes locais que nos deram assistência no trabalho de armação. Gerou-se uma sinergia fantástica na equipe, integrada por pessoas de distintas nacionalidades e culturas. Foi emocionante.

Pg 07

Instalações .


Pg 08

Yarn


Yarn

Pg 09

Instalações .


ENCOFRADO . BY MARTÍN HUBERMAN

Em pé sobre o guarda-chuva de Amancio Williams.

Encofrado (cofragem) é a primeira obra de grande formato da série Paraguas (Guarda-chuva), uma pesquisa de Martín Huberman e do estúdio Normal que busca revalorizar a obra do célebre arquiteto argentino Amancio Williams. O projeto surgiu a partir de uma foto na qual o próprio Williams, reconhecido pelo caráter experimental e vanguardista de sua obra, posava de pé a 14 metros de altura sobre uma das duas abóbodas casca —conhecidas popularmente como Paraguas de Amancio (Guarda-chuva de Amancio)—, que construiu em 1966 para o pavilhão de exposições Bunge & Burn no edifício de La Rural, na cidade de Buenos Aires. Aquela foto plasmava o orgulho de Williams, que depois de 15 anos de experimentação, conseguia ver sua obra construída. O fazedor desafiante descobrindo a espacialidade completa de uma peça destinada a ser vista unicamente da perspectiva térrea. Reconstruída em uma escala 1:2, Encofrado foi exposta na Arte BA 2014, uma das feiras de arte contemporânea mais importantes da América Latina, permitindo que os visitantes caminhassem, deitassem e brincassem sobre a confortável superfície tapetada, emulando uma sensação espacial similar à da foto de Williams.

Pg 10

Yarn


Yarn

Pg 11

Instalações .


Pg 12

Yarn


Yarn

Pg 13

Instalações .


Pg 14

Yarn


Pfizer Argentina Localização_ Thames Office Park, San Isidro, Buenos Aires Superfície_ 2590m 2 Tempo de obra_ 10 semanas Créditos_ Arqs. Victoria Costa Torres, Karina Ramos, Antonella Leni, Marcelo Aguilar, Rodrigo Martin, Germán Chotro

WORKSPACE Pfizer . Desenhos originais dos tapetes modulares para os escritórios da nova sede do laboratório Pfizer Argentina, localizada na zona norte de Buenos Aires. O arquiteto Rodrigo Martín é o diretor geral da PM70, o estúdio que desenhou e concretizou este projeto.

Como se escolheu a paleta de cores? O tapete conta com seis cores: quatro na gama dos cinzas e marrons, e as cores institucionais da Pfizer: o laranja e o azul celeste. Quais são as características do projeto? O projeto se sobressai por suas dimensões e funcionalidade. Trata-se de uma única planta de quase 2600m², onde trabalham cerca de 220 pessoas. Quanto à grande escala que pressupõe este tipo de projetos, são processos que têm um ciclo de entre seis e oito meses, dos quais dois são empregados somente no desenho. A El Espartano nos assegurou um tempo de produção de 30 dias, e um mês antes da mudança os tapetes já estavam prontos para serem instalados. Para o processo foram confeccionados três tapetes: o módulo típico, e outros dois em laranja e azul celeste para emular as cores institucionais do laboratório.

Yarn

Vocês tiveram que se reger por parâmetros internos de imagem corporativa no momento de desenhar? A Pfizer conta com um avançado manual de delineamentos de desenho para seus escritórios em todo o mundo. Neste caso, o projeto da PM70 seguiu a premissa da modalidade de Trabalho Baseado na Atividade (conhecida com ABW, Activity-Based Working), na qual não há estações de trabalho designadas previamente. O que acontece é que as mesmas mudam segundo a atividade do dia. Há uma variedade de entornos de trabalho: os dispostos em 120°, tipo colmeia, que favorecem o trabalho em grupo, mesas de reunião, cabines telefônicas, zonas silenciosas e zonas de reuniões com mobiliário muito cômodo. Este projeto representou um grande desafio, já que seu resultado teria impacto no desempenho cotidiano de um grande número de pessoas.

Pg 15

Workspace .


Pg 16

Yarn


Yarn

Pg 17

Workspace .


Sandoz Argentina Localização_ Cidade Autônoma de Buenos Aires Superfície_ 900m 2 Tempo de obra_ 8 semanas

Sandoz . Em tão somente 48 horas, foram instalados 900 M² de tapete modular multiroll Lb na sede argentina da companhia farmacêutica Sandoz.

Pg 18

Neste projeto foi utilizada uma nova tecnologia —até agora inédita no país— de confecção denominada FRS (Full Repeat Scroll), que permite a construção de um tapete por alimentação da fiação gerada de forma digital. O processo começa criando a simulação do tapete em um software específico e uma vez aprovado o design pelo cliente, se envia à máquina Tufting FRS para a confecção física. Esta tecnologia permite contar com uma gama de possibilidades de desenhos de maneira rápida e eficaz.

Yarn


Yarn

Pg 19

Workspace .


Pg 20

Yarn


Gaspar Libedinsky . Arquitetura para o Corpo

Nem arquiteto, nem artista. Eu sou malabarista. Gaspar trabalha há alguns anos em um terroir criativo no qual confluem a arte, o design e a arquitetura, onde as epígrafes são rechaçadas categoricamente. Apesar de ser fã dos catálogos, listas e mostruários, escapa a todo tipo de etiqueta formal, de título que preceda o nome para demarcar um ofício ou profissão. Por isso, pode trabalhar e criar livremente nessa fronteira na qual outros perdem o rumo.

Yarn

Pg 21

Entrevistas .


* Gaspar Libedinsky nasceu em Buenos Aires em 1976.

Depois de cursar os primeiros anos da carreira de arquitetura na Universidade de Buenos Aires, completou seus estudos na Architectural Association (AA) de Londres, uma das academias mais prestigiosas do mundo. Após trabalhar nos estúdios de Rem Koolhaas (Rotterdam) e Diller Scofidio & Renfro (Nova York), em 2010 ganhou a bolsa Kuitca/Universidad Torcuato Di Tella e conformou sua própria oficina. Desde então, a partir desse espaço, lidera uma equipe de trabalho na qual o artista e seus colaboradores interagem sob uma filosofia que rechaça todo tipo de egocentrismo e tenta emular a dinâmica criativa do período renascentista.

Como é sua dinâmica de trabalho? Trabalho com muitos projetos de forma simultânea, anoto minhas ideias em uns caderninhos e vou agrupando o material de minhas pesquisas junto a recortes de jornais, conforme corresponda a cada projeto. Depois junto tudo com um broche borboleta e penduro com um barbante na parede da oficina. Posso ter vinte ou trinta convivendo ao mesmo tempo. Quando o argumento se torna forte o suficiente e no plano material começa a haver uma resposta, então o projeto ganha impulso por si só. Estão todos latentes mas existe um momento em que um prevalece sobre os demais. Que características implica o “ser artista”? Acredito que é muito importante a produção de argumentos e que estes são uma bola de neve que se transformam em uma verdade. Não aceito a ideia de que qualquer pessoa pode fazer qualquer coisa. Eu me transformo no “máximo especialista” de cada coisa que faço. Só quando creio ter me tornado esse máximo especialista, somente aí começo a fazer algo. Como surgiu a ideia de Arquitetura para o Corpo? Faz muitos anos que tinha a imagem de umas pantufas que surgiam do capacho e deixavam um vazio quando partiam. Como um capacho de entrada ao lar, desses que dizem Welcome (Bem-vindo) e que de alguma maneira a gente identifica com a presença ou ausência do dono da casa. O limite entre o exterior e o interior,

Pg 22

o público e o privado. Em minha obra me interessa muito esse salto entre a escala urbana e a hiperdoméstica. Como a gente leva o doméstico ao urbano quando algo próprio da casa sai à cidade e como depois isso regressa à casa. Qual é a materialidade da obra? A ideia foi utilizar o material macio e suave para o lado do pé e utilizar o material resistente e duro para o lado do exterior, entendendo o material em sua lógica mais primitiva. Depois buscamos que a proporção dourada que a pantufa perfeita gera tornasse a experiência ainda mais duradoura e que, finalmente, essas pantufas se transformassem em pássaros. Então, quando sobre o capacho fica o vazio, o que a pessoa vê são estes pássaros que partiram voando, como se fossem pantufas aladas. Esta conotação de uma pantufa fabricada com 100% de lã virgem, você pode ficar em pé sobre elas e experimentar o prazer absoluto. Por que as pantufas se tornam arquitetura? Porque a primeira operação é tentar abrigar, gerar um espaço mínimo para envolver parte do pé. Isso o transforma de antemão em arquitetura. Ao mesmo tempo, a experiência de caminhar sobre tapete permite estender a experiência ao longo de toda a casa, levando a obra nos pés. Seria entender a arquitetura como uma máquina de efeitos especiais que gera prazer ao caminhar.

Como você vê a intervenção no espaço público e sua apropriação por parte das disciplinas artísticas e da arquitetura? Em minha obra eu busco operar no espaços público e privado mediando entre a escala urbana e a intimidade do corpo. A principal política de Estado é a geração de comunidade, a geração de um tecido social. A arquitetura como disciplina está em perigo de extinção, caminhamos nossas cidades olhando para uma tela de três polegadas e é aí que o contexto e nosso entorno são cada vez mais irrelevantes. É aí justamente que a criação do espaço público ganha um lugar primordial como instrumento para gerar esse tecido. Esse espaço público deve ser igualmente desejável e hedonista, com a mesma fantasia que os mecanismos virtuais nos quais somos tão viciados. É necessário nos apropriarmos dos espaços e sermos responsáveis não só por seu deleite mas também por seu cuidado. A ideia é observar os fenômenos sociais e ressignificá-los permanentemente. Eu sou um explorador das cidades e das coisas.

Yarn


Yarn

Pg 23

Entrevistas .


Pg 24

Yarn


Laura Valenzuela . Alta Costura em Tapetes

A alta costura transmite poesia. É um ofício, uma paixão, é entrar em contato manual com peça. Embora seja conhecida por seu trabalho como designer de alta costura, o interesse desta criativa profissional leva-a a se aprofundar em conceitos de reciclagem a partir da recuperação de tecidos e objetos antigos, fazendo foco na reutilização de ditas matérias primas em novos desenhos.

Yarn

Pg 25

Entrevistas .


* Existem duas particularidades na vida de Laura Valenzuela que, segundo a própria artista, condicionaram-lhe em seu ser criativo: sua qualidade de portenha e o fato de haver cursado seus estudos nas salas do Colégio Nuestra Señora de la Misericordia. Laura reconhece naquele lugar suas primeiras influências estéticas. De família de tipógrafos, traz lembranças de aromas de papel e tinta, e tem gravadas em sua retina as imagens de velhas edições de arte.

Há alguns anos, Laura desenhou um vestido de casamento que tomava como suporte um tapete helênico milenar. À raiz dessa experiência, nós a convidamos a participar do Laboratório. Assim, ela começou a fazer umas provas iniciáticas com feltros e bordados com fio sobre tapetes, até que finalmente surgiu-lhe a ideia de fazer intervenções com bordados de cristal. Aplicando suas habilidades na alta costura, Laura conseguiu entrelaçar o industrial com o artesanal, o desenho com a confecção manual. Dependendo do tamanho do tapete, um bardado pode levar de oito horas a vários dias. Estas obras de arte são realizadas sob encomenda dos clientes, como se fossem um vestido de alta costura. São tapetes compostos por 100% de pura lã, com uma base de algodão e juta. O projeto ganha o nome Alta Costura em Tapetes e está integrado por três linhas: uma bordada a mão com cristais de rocha de distintos tons e tamanhos; outra com fios de lã e esferas de madeira também bordada a mão; e a outra com desenhos perfurados a laser. Você vem de uma família de tipógrafos. De que maneira essa herança cultural pode haver influído em sua conexão com o universo criativo? O papel, as impressões de obras de arte em tela e papéis, as cores, os livros, tudo aquilo faz parte hoje do meu universo criativo. O fato de ter cursado Indumentária e Têxtil na UBA, fez com que esses dois universos criativos, onde sempre me senti cômoda desenhando a vestimenta única, essa peça na qual podiam coexistir tanto

Pg 26

uma colagem de papéis antigos em uma lapela, quanto objetos encontrados, tingidos manualmente e tecidos antigos. Acho que a vestimenta para mim foi sempre uma desculpa, um suporte gráfico das texturas, do simbólico. Que diferenças e similitudes você encontra no processo de desenho de alta costura do Laboratório? O processo de desenho de alta costura tem muito de detalhe, de dedicação minuciosa, de busca de originalidade e de transmitir uma mensagem. É algo assim como gerar beleza a partir do nada e a parir de qualquer coisa, mediante a utilização de uma grande variedade de recursos: bordado, apliques, estruturas ou cores. Toda decisão mostra um grande cuidado do estético levado ao extremo. Ter desenhado um tapete bordado a mão fala desse trabalho no qual se transmite uma mensagem sutil através da dedicação de um processo que leva horas, realizado sobre cada peça, uma de cada vez. O tapete perfurado a laser, inspirado em uma renda antiga, mas com um significado de classicismo e historicismo por trás, com uma pitada de melancolia.

esferas de distintos tamanhos e cores, envelhecidos e empoeirados cobriam tudo, costurados sobre tecidos e papéis. Ocorreu de maneira natural, tratava-se de desenhar algo similar sobre a superfície de um tapete. Ao mesmo tempo, estava finalizando um seminário de sustentabilidade têxtil e o tema dos materiais nobres não poluentes, de tudo o que implicava “voltar ao natural”, eu tinha todas essas coisas muito presentes. Por isso acrescentei ao desenho do tapete incrustações de cristais —com essa referência à alta costura e seus brilhos— outro desenho, também em 100% pura lã, com um crochê tecido a mão e esferas de madeira.

No projeto no qual você utilizou cristais de rocha, fios de lã e esferas de madeira, como foi o processo de busca destes materiais? Você os tinha em mente previamente ou surgiram de uma interação com o material a intervir? Nesse momento eu estava dedicada à realização e experimentação de uma série de colagens abstratas feitas com papéis antigos e linho, onde

Yarn


Yarn

Pg 27

Entrevistas .


Pg 28

Yarn


PROJETOS . Desenhar sem Limites Ideias criativas, tecnologia e sofisticação na manufatura de tapetes.

A linha Magna oferece infinitas possibilidades de desenho em oito cores combinando a elegância da lã e a resistência do nylon, para criar um produto de qualidade e beleza únicos. Agora é possível imaginar e criar espaços com personalidade própria para hotéis, museus, galerias de arte, cinemas, teatros, restaurantes, lojas comerciais, escritórios governamentais, instituições ou empresas multinacionais que desejarem instalar ou renovar os tapetes de seus espaços. Esta linha engloba os teares Axminster, Colortec e Wilton Jacquard. A diferença está na tecnologia de tecelagem que se utiliza para cada modelo.

Yarn

Pg 29

Projetos .


Cines Hoyts Unicenter . Buenos Aires Os tapetes tecidos em nossos teares oferecem uma flexibilidade única no que diz respeito a desenho e cores, já que cada fio está tecido individualmente e localizado em um lugar determinado de acordo com o desenho selecionado. Este sistema de confecção permite realizar desenhos complexos com uma grade precisão e uma alta definição. Nossos tapetes utilizam fiação tingida em madeixas ou em rama, o que permite que a cor seja igual ao longo de toda a fiação. Graças a esta uniformidade, o tom da cor não se debilita nem se torna difuso com o passar do tempo.

Pg 30

Yarn


La Rural . Cidade de Buenos Aires Nossa equipe de profissionais levou adiante o desenho e colocação dos tapetes das salas Nogal, Ceibo e do Auditório Principal do edifício ferial La Rural. O produto escolhido foi o tapete Magna, com um desenho em quatro tons, colocado em uma superfície total de 2.849m2.

Yarn

Pg 31

Projetos .


Hotel Sheraton . Porto Alegre Neste projeto, que contou com o assessoramento do estúdio Roca Design, desenvolvemos os tapetes de algumas áreas do hotel, cobrindo um total de 10.500m2. Instalamos Scroll Cut & Loop para os quartos, Magna para os corredores e o restaurante, realizados por meio do sistema Colortec, a tecnologia mais sofisticada na manufatura de tapetes por computador, e Aximinter para a sala de eventos, tecido com tear Van der Wiele 63, único na América Latina.

Pg 32

Yarn


Hotel Sofitel Arroyo . Cidade de Buenos Aires O célebre arquiteto e designer de interiores Pierre-Yves Rochon conseguiu, no Sofitel, mesclar o savoir faire francês e a tradição argentina em um mesmo entorno, complementados por uma primorosa decoração e a sutil fragrância de delicadas flores que despertam os sentidos e transportam os hóspedes ao mais autêntico luxo. Rochon se decidiu por nossos tapetes para vestir os salões, os corredores e os quartos do hotel. Desta maneira, com um desenho exclusivo, fabricou-se, em teares Wilton Jackard, um tapete de pelo cortado e bouclê em tons ocres e negro. A mesma paleta de cores foi utilizada nos tapetes destinados aos quartos, conseguindo uma composição perfeita, digna de um palácio francês.

Yarn

Pg 33

Proyectos Projetos .


Pg 34

Yarn


Auditório Centro Cívico . Córdoba Capital Desenhos originais dos tapetes do salão de convenções e do auditório do Centro Cívico do Bicentenário, desde 2011 sede do governo da Província de Córdoba.

Yarn

Pg 35

Projetos .


U NIVERSO I .

O Museu est谩 na Moda . Seu museu, o audit贸rio, os designers, seu voto.

Pg 36

Yarn


Mariana Dappiano

Laura Valenzuela

Min Agostini

Martín Churba

Leandro Domínguez

Mariana Cortés

Junto à Associação Amigos do Museu Nacional de Belas Artes (AAMNBA), convidamos um coletivo de designers para fazer parte de O Museu está na Moda, um projeto que buscou unir o desenho, a indústria e a arte em uma mesma trama. Sob essa premissa, os profissionais elaboraram propostas originais para a realização de um tapete para o auditório da AAMNBA. Todos os desenhos apresentados foram expostos no microsítio do projeto, ficando para o público a tarefa de votar e decidir qual seria o tapete ganhador. Acreditamos que esta dinâmica de criação, exibição e eleição fomentou a apropriação do espaço por parte dos visitantes, respeitando o trabalho artístico dos designers Min Agostini, Mariana Cortés, Martín Churba, Mariana Dappiano, Laura Valenzuela e Leandro Domínguez, que ganhou com seu desenho “Suelo Exterior” (Solo Exterior).

Yarn

Pg 37

Universos Universo vol I .


U NIVERSO I .

Leandro Domínguez . Suelo Exterior

Os têxteis são como livros, contam histórias. O tapete me apaixona por ser algo milenar. Depois de mais de 3.500 pessoas terem votado de forma online, a obra de Leandro Domínguez acabou sendo a eleita pelo público para corporizar o tapete do auditório da AAMNBA.

Pg 38

Yarn


Em 1996, Leandro começou sua carreira profissional ligada à indústria têxtil, após sua passagem pela Universidade de Buenos Aires. Não tardou em abrir suas asas e lançar-se em voo próprio. Em 2000, começou a desenhar a marca que hoje ostenta seu nome. Sua tarefa o leva a viajar pelo mundo, buscando e descobrindo novas linguagens e imagens que depois são plasmadas em suas coleções. Como se posiciona o design argentino no contexto mundial? O design argentino revela excelente qualidade no que se refere ao aspecto projetual. O mais rico que pode ter cada lugar é afastar-se da globalização do desenho para começar a encontrar os espaços nos quais cada lugar tem sua proposta. Como sul-americano que sou, penso em função das possibilidades que tenho. Desenhar um tecido não é só pensar na estampa ou no desenho que pode levar em si, mas sim criá-la desde sua gênese, desde a fiação.

Yarn

Que impacto teve a convocatória de O Museu está na Moda em sua vida pessoal e profissional? A convocatória do museu foi como um sopro de ar fresco para a cotidianidade de meu trabalho. O tapete é algo milenar que sempre me apaixonou, a história da indústria têxtil se remonta a um lugar muito antigo. De todos os museus da cidade, o Belas Artes é o que mais visitei. Ter a possibilidade de colaborar, ser parte ou contribuir a partir de meu mundo para o museu foi algo grandioso, especialmente porque o público pôde eleger. As pessoas são parte do museu. Finalmente, o auditório foi reinaugurado com melhoras arquitetônicas, acústicas e técnicas, para tornar-se um espaço único destinado à realização de atividades educativas e culturais na Cidade de Buenos Aires.

Pg 39

Universo I .


U NIVERSO I .

Chamariz . Atrair o olhar. Com o propósito de completar esta proposta, que buscou vincular disciplinas, integrar e atrair novos públicos para o museu, desenvolveu-se uma coleção exclusiva de lenços para a loja do Museu Nacional de Belas Artes. Os seis desenhos que a conformam são •Suelo Exterior (Solo Exterior) (Leandro Domínguez), Agudos (Mariana Dappiano), El Destino de las Manchas (O Destino das Manchas) (Laura Valenzuela), Huella T (Pegada T) (Martín Churba), Tijereteando (Usando a Tesoura, tradução livre) (Min Agostini) y Llamas en el Cielo (Chamas no Céu) (Mariana Cortés)•.

Pg 40

Yarn


“O que gera nossa identidade é o fato de estarmos fazendo todos juntos. O desenho do concurso remete a esse ADN da trama têxtil. Eu sou um trabalhador do têxtil em abstrato.” - M A R T Í N C H U R B A-

Yarn

Pg 41

Universo I .


U NIVERSO I .

Tramando Desfiles .

Tudo acontece nos jardins.

Nos magníficos jardins do Museu Nacional de Arte Decorativa, um de nossos tapetes marcou o caminho do lançamento da INK, a coleção outono-inverno 2014 da Tramando, a firma criada em 2003 por Martín Churba, este alquimista têxtil que ganhou prestígio quando suas vestimentas conquistaram os mercados de Buenos Aires, Nova York e Tóquio. Martín Churba, um dos designers de indumentária mais importantes da Argentina, tem paixão por seu ofício.

Pg 42

Yarn


Como surgiu o nome “Tramando”? Eu queria colocar o nome “Casa Matriz”, porque esse nome estava muito identificado com a arquitetura do petit hotel no qual meu tio León teve sua loja. Mas, durante um jantar em minha casa, ao qual tinha convidado um grupo de amigos e colegas, eu lhes disse: “hoje vamos comer gostoso e passar bem; enquanto isso, junto a seus pratos vocês têm papel e lápis e eu lhes peço que falemos de um nome e que qualquer coisa que lhes venha à cabeça, por favor anotem”. Foi um jantar divertidíssimo, tomamos vinho, conversamos e quando terminamos, juntamos e guardamos tudo. Quando o nome “Casa Matriz” foi descartado, voltamos a pegar os papéis e entre eles encontramos a palavra “tramando”.

Yarn

O que representa para você essa palavra? “Tramando” é um gerúndio que denuncia uma ação presente, há algo que está ocorrendo. Algo que tem muito a ver com a energia e a ação, com uma mudança que eu queria que minha marca tivesse. Uma transformação de acontecimentos.

que fico muito pendente. Qual foi a melhor ideia que você teve como profissional? Uma receita: entrar em contato com os recursos que existem e fazer deles algo novo.

Que sensações te desperta a produção de seus desfiles? Curto muito o antes e o durante, apesar de ser normal um certo nervosismo na apresentação. A encenação para mim é muito importante. Quando monto um desfile, ponho meus talentos atorais a serviço de uma performance e me sinto atravessado pelas circunstâncias: aí eu fico nervoso. O depois é o mais complicado, por-

Pg 43

Universo I .


Pg 44

Yarn


U NIVERSO II .

Tapetes para Brincar .

Os biomas de Gruba.

As Pastagens criadas por Alexandra Kehayoglou fazem parte do espaço de Brinquedos que o estúdio Gruba desenhou par ao Museu das Crianças Abasto, na Cidade de Buenos Aires. Este projeto, pensado como uma praça de recreação para crianças de até três anos, foi realizado com materiais naturais como madeiras recuperadas, feltro, vime e algodão. Com uma diretriz sustentável, o principal objetivo do projeto foi otimizar o uso de tapetes que tínhamos em estoque, evitando produzir ou tingir novas lãs, utilizando somente material pré-existente. Dessa maneira, as Pastagens se somaram aos 140m² que conformam o espaço de Brinquedos do Museu das Crianças do Shopping Abasto. Esta obra buscou transmitir a beleza dos diferentes biomas de nosso país, com formas simples e materiais cálidos através de diversas situações espaciais e lúdicas.

Yarn

Pg 45

Universos Universo vol II .


Pg 46

Yarn


U NIVERSO II .

Rayuela . (O Jogo da Amarelinha). Do céu até a terra.

No Ano das Letras e Centenário do nascimento de Julio Cortázar, convocamos as professoras e os alunos de oito jardins de infância da Cidade de Buenos Aires para que desenhassem seus próprios tapetes sob a temática de O Jogo da Amarelinha. O projeto se desenvolveu em três etapas. Durante a primeira, trabalhou-se junto aos docentes o contexto social e artístico que propiciaria uma exploração literária sobre a obra de Julio Cortázar. Depois, as crianças criaram 21 obras coletivas em papel em escala 1:1, as quais foram estampadas utilizando a técnica de sublimação sobre tapetes de pura lã. Na última etapa, com o apoio da área de Projetos Especiais do Ministério de Educação da Nação, os tapetes foram expostos no Museu de Arte Contemporânea de Buenos Aires (MACBA). Acreditamos que as crianças são os autênticos protagonistas de um futuro que se constrói no presente. É o momento de dar-lhes um lugar primordial na transformação cultural da sociedade.

Yarn

Pg 47

Universos Universo vol II .


U NIVERSO III .

Tecendo TendĂŞncias . O Projeto.

Pg 48

Yarn


Um projeto que contou com o apoio da D&D (Feira de Design e Decoração) e que teve como objetivo convidar um grupo de destacados designers, arquitetos e decoradores para pensar uma nova edição limitada de tapetes. Convocamos Ricardo Blanco, Martín Zanotti, Paula De Elía, Carlos Galli, Julio Oropel, Javier Iturrioz, Eugenia Troncoso, Coty Larguia, José Luis Otiñano e Roxana Punta Alvarez; eles criaram uma nova série limitada de tapetes Alexa, um tapete tecido com fiação de pura lã virgem que transcende os limites do desenho e da funcionalidade. Assim conseguimos plasmar o trabalho original de cada um dos autores sobre os tapetes, dando vida a uma obra completa que ganhou um significado próprio.

Yarn

Pg 49

Universo III .


U NIVERSO III .

Alexa . A Coleção.

Unindo desenho e indústria em uma mesma trama, lançamos ao mercado uma coleção exclusiva de tapetes Alexa; uma nova linha de tapetes desenhados por um coletivo referencial do design de interiores. Elaborados a mão com 100% pura lã de altíssima qualidade, estes tapetes se transformam no suporte de conceitos e histórias que nos submergem em um mundo de sentidos e texturas.

Pg 50

Yarn


Roxana Punta Álvarez . José Luis Otiñano . Ulrika

Especificações . Fiação_ 100% pura lã Medida_ 1,70m x 2,40m Base de serapilheira _ 100% juta

Yarn

Pg 51

Universo III .


Carlos Galli . Acompanhada

Especificações . Fiação_ 100% pura lã Medida_ 2 tapetes de 2m x 1m c/u, com 12 varinhas de ferro inseridas

Pg 52

Yarn


Yarn

Pg 53

Universo III .


Julio Oropel . Terra

Especificações . Fiação_ 100% pura lã Medida_ 1,70m x 2,40m

Pg 54

Yarn


Yarn

Pg 55

Universo III .


Paula De Elía . Frack Jack

Especificações . Fiação_ 100% pura lã Medida_ 2 tapetes de 0,90m x 2m c/u

Pg 56

Yarn


Coty Larguía . Eugenia Troncoso . PICNIC . Prisma

Especificações . Fiação_ 100% pura lã Medida_ 1,70m x 2,40m

Yarn

Pg 57

Universos Universo vol III .


Ricardo Blanco . Rue Lepic d’Amelie

“O desenho deve reunir três condições básicas: funcionalidade, técnica e estética”. - RI C A R D O B L A N C O -

Especificações . Fiação_ 100% pura lã Medida_ 1,50m x 2m

Pg 58

Yarn


Yarn

Pg 59

Universos III .


Javier Iturrioz . French Gardens

Especificações . Fiação_ 100% pura lã Medida_ 1,50m x 2m

Pg 60

Yarn


Yarn

Pg 61

Universo III .


“Somos buscadores de beleza. Temos o poder de transformar o feio em lindo, o mau em bom. É um presente de Deus”. - M A R T Í N Z A NO T T I -

Pg 62

Yarn


Martín Zanotti . Guirlanda de Brueghel

Especificações . Fiação_ 100% pura lã Medida_ 1,70m x 2,40m

Yarn

Pg 63

Universo III .


U NIVERSO III .

Um Olhar Retrospectivo . O livro.

Com um café da manhã organizado no Palácio Duhau, apresentamos o livro de Tecendo Tendências, a instância final e consagrada do projeto homônimo que recopila o processo criativo transitado pelos protagonistas da ação.

Pg 64

Yarn


Yarn

Pg 65

Universo III .


Do 2D ao 3D . by Cristian Mohaded Recriando os fenômenos naturais.

A linha Malla (Malha, em português) está composta por uma série de inovadores tapetes tecidos a mão, criados especialmente por Cristian Mohaded, um designer que caracteriza sua obra pela sutileza e pela busca constante de novos materiais. Malla representa uma construção ou ramificação geométrica simples em 2D, de quadrados, retângulos e triângulos, que propõe um efeito ótico em 3D por meio do deslocamento ou da transformação dos nós vinculantes entre as linhas. Esse jogo gráfico permite recriar certos fenômenos naturais como a criação de fissuras, os movimentos das ondas ou as constelações. Esta disposição, somada ao recurso da cor e das variações de texturas, à altura do pelo e ao tipo de terminações, dão uma sensação de variação de relevo em cada um dos tapetes desta linha, que se enquadra dentro da exclusiva coleção Alexa.

Pg 66

Yarn


Yarn

Pg 67

Novidades .


Pg 68

Yarn


Descanso de Urso . by Valeria Pesqueira Sedução em suavidade e maciez.

Valeria Pesqueira é uma jovem designer têxtil reconhecida internacionalmente pela utilização de materiais sofisticados para a confecção de roupa feminina. A imagem emblemática de Pesqueira é a figura de um urso. Ela aceitou nosso convite e desenhou uma linha de tapetes cujo principal personagem é este peculiar animal, tão representativo de sua imagem, e uma série de tapetes que se afasta das cores tradicionais. Assim nasceu o Descanso do urso, um tapete da linha Alexa, tecido a mão com 100% de pura lã virgem, tão suave e macia que seduz à primeira vista, convidando a um verdadeiro momento de relaxamento.

Yarn

Pg 69

Novidades .


Avenida das Pastagens . by Alexandra Kehayoglou A Generosidade da Paisagem. Sobre o mítico boulevard da Avenida Caseros, aquela que a princípios do século XIX foi conhecida como Rincão das quintas, a imagem recorrente foi a de uma série de ilhas de pastos esparramadas por aqui e por ali, uma espécie de paisagem basta e generosa que propiciava um espaço de convivência para desfrutar de um piquenique e render homenagem, de maneira retrospectiva, ao refúgio natural que compunha estas terras séculos atrás.

Pg 70

Yarn


FUTEBOLTÊNIS PELOS BAIRROS . O esporte como espaço de encontro e desfrute comunitário. Esta foi uma iniciativa dos condutores do programa Futebol para Todos, emitido pela Fox Sports, e dos representantes da Inipop, um espaço de interação social que buscou impulsionar e compartilhar iniciativas para construir uma realidade melhor. Combinando o esporte com o entretenimento, decidimos doar um campinho que ficou no bairro para o deleite dos vizinhos do lugar. Assim, somamo-nos à iniciativa, contribuindo com toda a experiência de nossos profissionais e com a mesma grama sintética com a qual treinam seleções internacionais e clubes de primeira divisão da Argentina. Os

Yarn

campos foram fabricados com materiais e fibras que por sua textura e aspecto se assemelham à grama real, mas são mais duráveis e resistentes às mudanças climáticas. Independentemente de sua fácil e rápida instalação e de seu baixo custo de manutenção, contam com grama sintética de excelente qualidade, bancos de descanso nos espaços laterais e redes antivandalismo. Com este tipo de ações buscamos fortalecer o desenvolvimento do esporte em praças, parques e espaços públicos, como uma alternativa recreativa para toda a comunidade.

Pg 71

Instalações Urbanas .


EXPOSUSTENTA . BY GALPÓN ESTUDIO Aproprie-se do instante. Sente-se. Descanse. Utilize. Uma ação que desenvolvemos junto à Associação Amigos do Museu Nacional de Belas Artes (AAMNBA). Com pallets disponíveis na féria Exposustenta e sobrantes de grama sintética profissional, os integrantes do Galpón Estudio desenvolveram um espaço indeterminado com módulos que convidavam a se sentar, descansar ou também podem ser utilizados para expor objetos. Para as lâmpadas que completavam a montagem, aproveitou-se um subproduto remanescente do processo de fabricação de tapetes: novelos de lã em estado puro.

Pg 72

Yarn


UNOenUNO . Faculdade de Arquitetura UBA Da teoria do projeto à concreção real. Patrocinamos o projeto UNOenUNO da Cátedra Alberto Varas da Faculdade de Arquitetura da Universidade de Buenos Aires. Um exercício criado por um grupo de docentes do curso, que permite aos alunos entrar em contato com a realidade construtiva, guardando a distância que existe entre a concepção teórica de um projeto e sua concreção real. UNOenUNO se realiza no final do ano, dura um mês e tenta resumir uma série de conhecimentos que os

Yarn

alunos adquiriram durante o curso. Pensado sob o formato clássico de concurso, copiando a dinâmica de trabalho que envolve um estúdio de arquitetura durante a preparação de uma apresentação formal para uma licitação pública, este projeto terminou com uma grande exposição de todos os trabalhos na universidade.

Pg 73

Instalações Urbanas .


DIVISÃO DESPORTIVA . Há mais de vinte anos, produzimos e instalamos uma variada gama de superfícies sintéticas, levando maior dinamismo e agilidade ao esporte, a um custo de manutenção baixo e com uma resistência ao desgaste que beneficia a vida útil dos terrenos de jogo. A utilização de uma tecnologia de última geração posiciona-nos como líderes na realização de campos de futebol, hóquei, rúgbi, tênis, Pádel e pistas de atletismo.

Pg 74

Yarn


Colégio St. John’s . de Pilar O melhor passo em uma corrida. Confeccionamos uma pista de atletismo de 400 metros no St. John’s de pilar, um colégio tradicional de Buenos Aires que estimula o espírito competitivo. Seguindo as normativas da Associação Internacional de Federações Atléticas (IAAF), esta magnífica pista respeita as medidas oficiais habilitantes para realizar competições internacionais, alcançando o patamar de pista olímpica por suas características.

Colégio Northlands . de Nordelta Levamos o hóquei a outra dimensão. Os campos de grama sintética são tão habituais na atualidade que inclusive é excepcional a utilização de grama natural no hóquei. As virtudes da grama sintética tornaram a prática deste esporte mais atraente, já que o jogo ganhou velocidade, com passes mais rápidos, e segurança, com maior controle e domínio da bola. Tanto os jogadores profissionais quanto os amadores são beneficiados com um cômodo amortecimento que evita lesões habituais na

Yarn

grama natural. Uma superfície sintética com medidas profissionais, da mais alta qualidade que permite uma maior velocidade da bola e aumenta a quantidade de horas de jogo disponíveis. O Colégio Northlands decidiu trocar seu velho campo de grama natural por uma superfície profissional respaldada por nossa equipe de engenheiros.

Pg 75

Divisão Desportiva .


Pg 76

Yarn


Buenos Aires . Vedia 2838 (C1429EJX) Cidade de Buenos Aires, Argentina (+54 11) 4702-3030 info@elespartano.com elespartano.com cespedelespartano.com tienda.elespartano.com

S達o Paulo . Rua Tabapu達, 1123, Cj 115 (04533.014) S達o Paulo, SP Brasil (+55 11) 3071-3593 / 3073-1340 info@elespartano.com elespartano.com cespedelespartano.com tienda.elespartano.com Yarn

Pg 77


e l es par tano.com t i e nda.e l es par tano.com

/lab orator i oe l es par tano

@ e l es par tanosa

Revista Yarn Nº1 (em português)  
Revista Yarn Nº1 (em português)