Issuu on Google+

DESIGNTERRITORIAL TERRITORIAL E EURBANO DESIGN URBANO

Eduardo Barroso Neto


2 - 27

“Um designer é antes de tudo um contador de histórias. Histórias que cria, recria ou que viveu”.

Experimenta 2013 – João Pessoa

Eduardo Barroso


3 - 27

Os lugares e seus significados. João Pessoa 1983 Primeiro encontro do artesanato Paraibano (Primeira abordagem do design no território). 1993 Primeiro Encontro Brasileiro de Artesanato LBDI – Artesanato SC – Colômbia – Laboratórios Projeto Quindio) Primeira experiência real com Design Territorial. Eduardo Barroso


4 - 27

Os limites do design Design Espacial Têxtil

Urbano

Eventos

Territorial

Vestuário Identidade corporativa

PV

DESIGN

Mobiliário

Design gráfico

Design Industrial Embalagem

Digital

Produto Artesanato

Eduardo Barroso

Luxo


África do Sul Alemanha Argentina Bélgica Bolívia Canadá Chile Colômbia Coreia do Sul Croácia Cuba Eslovênia Espanha Estados Unidos França Grécia Holanda Inglaterra Itália Japão México Portugal República Tcheca Suécia Taiwan Uruguai Venezuela

5 - 27

Um designer é um decodificador de repertórios culturais

Viajar (para aprender e não para comparar)

Ampliar o repertório

Criar redes de relacionamentos

Aprender com os exemplos

Eduardo Barroso


6 - 27

O mistério revelado

Design Thinking ?

Olhar diferente Olhar assimétrico

Eduardo Barroso

Design Thinking é o conjunto de métodos e processos para abordar problemas, relacionados à aquisição de informações, análise de conhecimento e propostas de soluções. Como uma abordagem, é considerada a capacidade para combinar empatia em um contexto de um problema, de forma a colocar as pessoas no centro do desenvolvimento de um projeto; criatividade para geração de soluções e razão para analisar e adaptar as soluções para o contexto. Adotado por indivíduos e organizações, principalmente no mundo dos negócios, bem como em engenharia e design contemporâneo, o design thinking tem visto sua influência crescer entre diversas disciplinas na atualidade, como uma forma de abordar e solucionar problemas. Sua principal premissa é que ao entender os métodos e processos que designers usam ao criar soluções, indivíduos e organizações seriam mais capazes de se conectar e revigorar seus processos de criação a fim de elevar o nível de inovação. Assim, ao utilizar métodos e processos utilizados por designers, o design thinking busca diversos ângulos e perspectivas para solução de problemas, priorizando o trabalho colaborativo em equipes multidisciplinares em busca de soluções inovadoras. Dessa forma, busca-se “mapear a cultura, os contextos, as experiências pessoais e os processos na vida dos indivíduos para ganhar uma visão mais completa e assim, melhor identificar as barreiras e gerar alternativas para transpô-las” . Para que tal ocorra, O Design Thinking propõe que um novo olhar seja adotado ao se endereçar problemas complexos, um ponto de vista mais empático que permita colocar as pessoas no centro do desenvolvimento de um projeto e gerar resultados que são mais desejáveis para elas, mas que ao mesmo tempo financeiramente interessantes e tecnicamente possíveis de serem transformados em realidade.


7 - 27 Clássicos

contemporâneos

Fragmentos

Pensamentos de um designer Tudo pode ser melhorado. Para cada idéia nova, existe sempre uma idéia em oposição. Exclusivo

Massa

Na diversidade está a riqueza. Pensamento divergente

Utilitários

Eduardo Barroso

Simbólicos

Satisfazer as necessidades do presente sem comprometer o futuro.


8 - 27

A BUSCA PERMANENTE Soluções eficazes inovadoras, surpreendentes e prazeirosas para problemas existentes na relação do homem com seu meio. Um serviço, uma mensagem, um objeto, um espaço físico… Herb Lubalin, 1965

Eduardo Barroso

Steve Jobs, 2007


9 - 27

Circulo da inovação e do design

PRODUÇÃO IDENTIFICAR DEMANDA

MERCADO

COMERCIALIZAR

IDENTIFICAR OFERTA

DIVULGAR E PROMOVER

MELHORAR PRODUTOS

MELHORAR PROCESSOS

Eduardo Barroso

AGREGAR VALOR

CAPACITAR


10 - 27

NEW SENIORS

BOOMERS

A B

AS DEMANDAS Produto Global x Produto local

C

PARADOXO

D

Compra-se aqui o que vem de fora e se produz aqui o que vai para fora.

FLEX

NET

Defina primeiro o cliente BETWEEN

Eduardo Barroso


11 - 27

Turismo de massa Grandes empreendimentos. Impacto ambiental.

Turismo de neg贸cios Consumidor acidental. Baixa perman锚ncia.

Turismo vivencial (turismo eco cultural, turismo rural, turismo de aventura...)

Eduardo Barroso


12 - 27

Pesquisa 2012

Localização Arquitetura

Preço

Identidade

Gastronomia

Conforto

Público

Hotéis e pousadas no sertão, no agreste e no litoral sul de Pernambuco, para definir os critérios de análise de um empreendimento turístico com foco na cultura e no meio ambiente.

Resultado

Meio Ambiente

Acessibilidade

Atendimento

Decoração Contexto cultural

Eduardo Barroso

Uma ferramenta de auto diagnóstico com a definição dos 12 critérios de análise agrupados em 4 blocos de afinidades.


13 - 27

Paisagem cultural Um território que possui características naturais, de ocupação do solo e de atividades humanas diferenciadas e singulares pode ser considerado como sendo uma paisagem cultural, portando um destino turístico em potencial.

Eduardo Barroso


14 - 27

Cidades e territórios criativos Identificados pela dinâmica de suas expressões culturais singulares no desenvolvimento local • • • • • • •

Artesanato e arte popular Arquitetura Design Folclore Gastronomia Moda Música

Esses setores criativos geram riqueza e atraem capital financeiro e humano qualificado.

Eduardo Barroso


15 - 27

Design Territorial

Cidade

Território

Permite aprofundar a visão de território como espaço coletivo, rico de possibilidades e de encontros, propício para a criação de novos produtos e serviços e para o empreendedorismo. Permite compatibilizar as necessidades e anseios de seus habitantes com uma visão de futuro baseado em suas vocações e potencialidades.

Eduardo Barroso


16 - 27

Um território em geral possui vários elementos de atratividade relacionados entre si por suas semelhanças e virtude.

DESAFIO –

Design Territorial

Identificar e difundir essas qualidades e virtudes , valorizando através de seus produtos e serviços seu patrimônio cultural.

Eduardo Barroso


17 - 27

PACTUAR

Preliminares Abordagem estratégica. Isso permite: Identificar, sensibilizar e envolver os principais agentes locais (poder público e iniciativa privada) para aportar os meios necessários para o desenvolvimento do projeto. Estabelecer compromissos e metas de curto, médio e longo prazo.

Eduardo Barroso


18 - 27

PACTUAR

IDENTIFICAR

• Identificar as necessidades da população, as vocações locais e o potencial de desenvolvimento. • Escuta sensível (ouvir as pessoas, conhecer seu passado, aspirações, singularidades e memórias afetivas). • Avaliar a capacidade executiva e produtiva e a infraestrutura existente.

Memória Viva

Eduardo Barroso

Memória visual

Formadores de opinião


19 - 27

PACTUAR

IDENTIFICAR

IDENTIDADE

Economia criativa economia criativa

Identificar os elementos culturais comuns que demarcam um território fortalece o sentimento de pertencimento, incrementando a autoestima e estimulando a criatividade.

Memórias afetivas

Memória oral e visual

Oral

Natural

Construída

Sensitiva

Histórias

Fauna

Arquitetura

Musica

Lendas

Flora

Artefatos

Danças

Mitos

Paisagem

Artesanato

Gastronomia

Cerimônias

Lugares

Arte popular

Literatura

Hierarquização Maior ocorrência

Maior importância

Imagens sintéticas

Relatos sintéticos

Painel cromático

Fotografias

Textos

Cores primárias

Desenhos

Frases

Cores secundárias

Pictogramas

Palavras

Cor predominante

Síntese final

Eduardo Barroso


20 - 27

PACTUAR

IDENTIFICAR

IDENTIDADE

CONCEITO

Um conceito norteador para o território, capaz de mobilizar as pessoas na construção de um futuro comum.

* Uma mudança de paradigma na percepção das pessoas sobre o territorio em que vivem.

* Milton Glaser 1977 Eduardo Barroso


21 - 27

PACTUAR

IDENTIFICAR

IDENTIDADE

CONCEITO

IMAGEM

• Elementos de identificação emocional da população com o território (história, tradições, experiências e desejos). • A marca de um território deve representar uma visão comum e significativa da cultura local. • Uma marca territorial serve como uma identificação de origem de seus produtos e serviços.

Eduardo Barroso


22 - 27

PACTUAR

IDENTIFICAR

IDENTIDADE

CONCEITO

IMAGEM

ESPACIALIDADE

A percepção espacial de um território depende de uma cartografia ilustrada e de sistemas adequados de sinalização turística, urbana e viária.

Eduardo Barroso


23 - 27

Eduardo Barroso


24 - 27

PACTUAR

IDENTIFICAR

IDENTIDADE

CONCEITO

IMAGEM

ESPACIALIDADE

PRODUTOS

Desenvolver novos produtos e melhorar sua apresentação comercial (embalagens, rótulos) relacionados com o território • Alimentos e bebidas (produtos típicos) • Lembranças e souvenires • Arte popular e artesanato (objetos de suporte a gastronomia, decoração, culto e celebrações) • Moda e vestuário (algodão colorido, acessórios)

Eduardo Barroso


25 - 27

PACTUAR

IDENTIFICAR

IDENTIDADE

CONCEITO

IMAGEM

ESPACIALIDADE

PRODUTOS

MOBILIARIO

Equipamentos e mobiliário de uso público que considere as matérias primas disponíveis, a capacidade produtiva e a cultura local.

Eduardo Barroso


26 - 27

PACTUAR

IDENTIFICAR

IDENTIDADE

CONCEITO

IMAGEM

ESPACIALIDADE

PRODUTOS

MOBILIARIO

EQUIPAM.

Projetos simbólicos e ações que demostrem as mudanças e apontem para o futuro (acupuntura urbana) • Centros culturais • Espaços temáticos • Monumentos icônicos (Praça) • Agendas e roteiros relacionados com as festas e celebrações populares

Eduardo Barroso


27 - 27

Design Territorial - Paradigma Um projeto cooperativo e multidisciplinar de apoio ao desenvolvimento regional com foco na cultura e na criatividade. Visando um cenário futuro, possível e desejável, que considere as vocações e desejos das pessoas, respeitando seu patrimônio natural e cultural.

Eduardo Barroso


www.eduadobarroso.blogspot.com

Eduardo Barroso


Palestra João Pessoa - Eduardo Barroso