Issuu on Google+

Global Jam Maratona de desenvolvimento de games reúne geeks na PUCPR

Linhaça do bem

abril 2012 nº 213

Pesquisa comprova que ela reduz o colesterol

Solidariedade Assuma o seu papel Mercado de trabalho valoriza quem é solidário

Atividades voluntárias influenciaram o destino profissional de Bárbara Skalski Bilek e Virginie Isber


unicos como você

… De todas as possibilidades que a Briefing oferece, a melhor é a de criar eventos do seu jeito...

ã n a i voç

Diferenciais Exclusivos

o

v ã nv oçaão in ç

Ideias Surpreendentes

+ Banda

PAPA

A ZZ

i

e muito

Aguardem nossa nova

estrutura - C.E.E.B.

(Centro de Excelência em Eventos Briefing)

a oo } }

+

Projetos Inovadores

a

copiada pela

concorrência

… pois não é difícil te agradar… …é só entender e pensar como VOCÊ

R. Mateus Leme, 745, Centro Cívico - Curitiba - PR (41) 3045-1851 / (41) 3046-0033 / (41) 3046-0633


João Borges

índice

Os alunos que participaram do Trote Solidário da PUCPR, promovido pela Pastoral em fevereiro, arrecadaram cerca de oito toneladas de alimentos não perecíveis. As doações foram entregues a entidades carentes. Veja mais nas páginas 28 e 29.

08 Filhos da PUC

Portal livronauta, criado por ex-aluno, reúne acervo de todo o Brasil

12 Capa

A solidariedade é poderosa. Conheça histórias de quem mudou a sua vida pessoal e profissional

22 Reportagem

Sempre aqui

Pelo 2° ano, PUCPR é a maior sede mundial do Global Game Jam

24. Tecnologia

24 Pesquisa

30. Registro

Estudo da PUCPR comprova: linhaça reduz o colesterol

26. Drops

33. Programação 34. Mundo Melhor


editorial

Sempre mais A presente edição de Vida Universitária traz para discussão e debate um tema que é de fundamental importância para a formação acadêmica: a dimensão solidária. A “solidariedade” tornou-se palavra de ordem em nosso tempo, em razão dos imensos desafios e das urgências sociais que se apresentam, mas também porque aumentam cada vez mais a sensibilidade e a consciência das pessoas quanto ao seu papel na construção de um mundo melhor. Para a PUCPR, que tanto investe na dimensão social, educar para a solidariedade é parte de sua missão educativa. Além de todas as iniciativas de alcance comunitário e filantrópico da instituição, ressalto o nosso empenho em despertar em todos os estudantes a sensibilidade para o serviço ao próximo. O Projeto Comunitário, que completa uma década de atividades neste ano, é o melhor exemplo disso! Acreditamos que não basta ser um bom profissional, competente em sua área de atuação, se não for cultivado aquele especial interesse em ajudar o próximo, em se dedicar ao outro, em viver para semear o bem, a justiça social e a solidariedade. Como costumo dizer, precisamos oferecer aos nossos estudantes “dois diplomas” que correspondem precisamente à formação profissional e técnica, de um lado, e à formação humana e cidadã, de outro.

4

Neste contexto insere-se a Missão Solidária Marista. Inspirando-se no ideal de vida de Marcelino Champagnat, entendemos que a formação integral das pessoas requer elementos de natureza acadêmica, mas também a formação das habilidades do coração, da sensibilidade, do amor e da fraternidade. Neste sentido, é oportuno recordar aqui um pequeno trecho da mensagem de João Paulo II, pronunciada no dia 1° de janeiro de 1987, cuja atualidade é indiscutível. Assim afirmou o pontífice: “A solidariedade é ética por sua própria natureza, porque implica uma afirmação de valor sobre a humanidade. Por isso mesmo, as suas implicações para a vida humana no nosso planeta e para as relações internacionais também são de ordem ética. Com efeito, os vínculos comuns de humanidade exigem de nós que se viva em harmonia e que se procure promover, uns para os outros, tudo aquilo que é bom. É em virtude destas implicações éticas que a solidariedade é uma chave fundamental para a paz”. Faço votos de que as reflexões propostas nesta edição acendam, em cada um de nós, o desejo sincero de fazer da solidariedade a marca ou o selo de nossa própria existência. Clemente Ivo Juliatto Reitor

expediente Vida Universitária é uma publicação Mensal da Editora Ruah*, sob licença da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Registrada sob o nº 01, do livro B, de Pessoas Jurídicas, do 4º Ofício de Registro de Títulos, em 30/12/85 - Curitiba, Paraná Editor Luís Fernando Carneiro Editor de Arte Maria Andrade Foto de capa João Borges Tiragem 15.000 exemplares Rua Imaculada Conceição, 1155 - 2º andar

Grão-Chanceler Dom Moacyr José Vitti Reitor Clemente Ivo Juliatto Vice-reitor Paulo Otávio Mussi Augusto Pró-reitor Acadêmico Eduardo Damião da Silva Pró-reitor de Pesquisa e Pós-graduação Waldemiro Gremski Pró-reitor Comunitário Ricardo Tescarolo Pró-reitor Administrativo e de Desenvolvimento Nelio Mauro Aguirre de Castro Prado Velho - Curitiba - Paraná Caixa Postal 17.315 - CEP: 83.215-901 Fone: (41) 3271-1515 www.pucpr.br

Editora Ruah* Rua Casemiro José Marques de Abreu, 706. Ahú. Cep 82.200-130 Curitiba. Paraná. (41) 3018-8805 www.editoraruah.com.br Para anunciar, ligue: (41) 3018-8805 Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução sem autorização prévia e escrita. Todas as opiniões são de responsabilidade dos respectivos autores.


Arquivo pessoal

arquivo pessoal

um toque

Quem vê cara... Livro: A menina que roubava livros Autor: Markus Zusak Editora: Intrínseca Quem indica: Kawana Barbosa, 22 anos, aluna do 7°

Mônica Oliveira Sócia-proprietária da empresa de intercâmbio e viagens CI.

período de Administração do Câmpus Curitiba

6

O enredo se desenvolve durante a segunda Guerra Mundial, na cidade alemã Molching. Entre todo o massacre que acontecia por lá, uma garotinha chamada Liesel Meminger conseguiu fugir da morte por três vezes. Inclusive, quem conta a história é a própria Morte, como se ela fosse uma pessoa. A história começa quando o irmão de Liesel morre em seus braços – é a primeira vez que a garota se vê diante do ser fúnebre. A partir de então ela passa a roubar livros e procura, em suas páginas, um novo rumo para sua vida. Em sua trajetória, Liesel passa por diversas situações com as quais aprende a superar as necessidades e as grandes perdas.

O que você aprendeu? “A menina que roubava livros” mostra que é preciso buscar a superação em diversas situações, sempre enxergando todos os ângulos. Além disso, devemos tomar decisões que colaborem com o nosso crescimento. O que é planejado no início nem sempre é o que acontece no decorrer da vida. Porém, o essencial para alcançar nosso objetivo é procurar caminhos alternativos para atingi-lo.

Divulgação

Qual a história do livro?

Se eu soubesse que a felicidade

é o caminho que se percorre, eu não teria perdido tanto tempo procurando por ela, pois a construiria no meu “aqui e agora”, como faço hoje. Se eu soubesse que aos 40 anos de idade uma pessoa é muito mais capaz de entender como a natureza se constrói, eu queria ter comemorado essa data antes para perceber com humildade e paciência como a vida é simples. Se eu soubesse que a Rússia é um país tão belo em suas paisagens e que sua riqueza está baseada na cultura, seguramente eu a teria visitado muito antes. Se eu soubesse que muitos jovens podem se desenvolver por meio de viagens de estudos, eu os teria alertado para a possibilidade de adquirir experiência de muitas culturas para sua formação e que é necessário a um homem ter a capacidade pluralística de descobrir que tudo é relativo, com exceção de sua própria verdade. Se eu soubesse a diferença entre a palavra que ao ser dita é a ação da própria vida, e por isso verdadeira, da palavra que ao ser dita não traz nenhum efeito vital, igualando-se a tantas ideologias, eu teria tido muito mais responsabilidade ao falar.


filhos da puc

8


Livreiro digital O criador do portal Livronauta conta como seu TCC se transformou num meio de ganhar a vida Por Mariana Gatzk | Foto Flávio Ribeiro

Há mais ou menos quinze anos, quando ainda era um pré-adolescente, Giancarlo Rubio já cultivava uma grande paixão por objetos eletrônicos. Não demorou muito para que ele percebesse que, na verdade, não se tratava apenas de um desejo infantil, mas também de um dom que poderia lhe render bons frutos. Em 2007, Giancarlo se formou em Sistemas de Informação pela PUCPR. O site Livronauta, que reúne sebos, livros e consumidores, foi seu trabalho de conclusão de curso e ofereceu a possibilidade de sonhar ainda mais longe.

Desde criança você já tinha vontade de estudar Sistemas da Informação?

Desde pequeno eu gostava de computadores e videogames. Aos quinze anos de idade, comecei a desenvolver sites e, aos dezesseis, um ano antes de entrar na universidade, foi quando vendi meu primeiro site e-commerce. Não pensei duas vezes na hora de escolher meu curso: Sistemas da Informação. Além disso, em momento algum passou pela minha cabeça desistir. Minhas expectativas com relação à faculdade e à

área aprendida foram superadas, em especial no que diz respeito às matérias de programação e banco de dados, que hoje são os pilares do portal Livronauta. Creio que sem essa base educacional meu projeto estaria com sérios problemas e expandi-lo seria muito complicado.

Quais foram suas preocupações durante os anos de faculdade?

Logo no começo do curso, comecei a trabalhar como programador. Não tive tempo para fazer estágio. Então, nas aulas, eu queria absorver o máximo possível do conteúdo

dado em sala para aplicá-lo diretamente no meu trabalho. Já por isso, nunca tive medo de ficar desempregado – também porque a área que escolhi tem uma demanda grande por profissionais. Quando meu curso terminou, em 2007, eu me sentia muito motivado e pronto para encarar os desafios de frente! Entre eles, estava o pensamento que me acompanhou desde o início: ter minha própria empresa. Queria ver meu projeto funcionar logo, vê-lo em movimento, sendo utilizado pelas pessoas.

9


filhos da puc

Como surgiu a ideia para desenvolver o portal Livronauta?

Antes mesmo de pensar em qual seria o produto, um colega de classe, chamado Bruno Penso, e eu achávamos que nosso projeto de conclusão de curso poderia ser algo rentável no futuro. Durante meses, pensamos no que fazer, até que meu pai, proprietário de um sebo há mais de 30 anos, deu a ideia que serviu de base para o nosso projeto. Foi então que desenvolvemos um comparador de preços entre livrarias que redirecionava o usuário diretamente para o site de cada uma delas. Quando terminei o curso, o projeto foi abandonado pelo nosso grupo. Só no início de 2010 resolvi revê-lo e refazê-lo, dessa vez com o apoio de minha família.

Quais foram os desafios na hora de tirar a ideia do papel?

10

Alguns desafios enfrentamos até hoje. No começo, as grandes dificuldades surgiram na hora de montar a equipe certa para levar o projeto adiante, desenvolver o sistema e, o principal, que ainda faz parte dos nossos desafios, divulgar o Livronauta para nossos clientes, fazer com que as pessoas conheçam o site e compreendam as vantagens de comprar livros usados.

Como funciona o site Livronauta? É um portal de sebos que mede a compra de livros usados entre clientes e livrarias/sebos. As empresas fornecem seus acervos ao Livronauta, em seguida, o sistema do portal organiza as obras e permite que os clientes façam uma comparação de preços envolvendo duas ou mais livrarias. O

principal objetivo do projeto, desde seu surgimento, é disponibilizar livros a todos os brasileiros via internet de forma rápida, barata e confiável. Hoje, temos um cadastro com mais de 500 livrarias de todo o país que atuam como vendedores e usuários. Além disso, já compraram pelo site do Livronauta mais de 50 mil clientes de todas as regiões do Brasil.

Você se identifica com os consumidores que compram pelo Livronauta?

Como meu pai é dono de um sebo, eu sempre soube o caminho mais prático para conseguir um livro sem pagar caro por ele, então não tive muitas dificuldades a esse respeito. Porém, sei que não são muitas as pessoas que reaproveitam as obras no final do ano, que vendem os exemplares ao sebo ou os trocam dentro das escolas. Livros ainda são muito caros no Brasil. Na época de volta às aulas, por exemplo, muitas vezes a renda mensal da família fica comprometida. Precisamos conscientizar nossos filhos de que um livro bem cuidado pode se tornar dinheiro no bolso do pai quando chegar o final do ano, sem falar na cultura que é reciclada e nas árvores que deixam de ser cortadas para a produção de novas edições. Hoje, as editoras brasileiras vivem de imprimir livros para o governo, trocam de edição quase que todo ano e o fazem sem necessidade.

Cite algumas das suas realizações, tanto profissionais quanto pessoais, durante esses anos de Livronauta. No campo pessoal, é importante citar a entrega do meu projeto final, o próprio Livronauta,

assim como minha formatura e a pós-graduação. Tem também o Assespro, Prêmio Talento Acadêmico, pelo projeto do portal. Comprar meu primeiro carro com o dinheiro do meu trabalho também foi uma grande realização. O campo profissional é marcado pelos três milhões de livros presentes no nosso portal, número que atingimos no fim de 2011. Outro ponto importante é o respaldo e a satisfação do pessoal com quem temos contato, tanto em livrarias quanto consumidores, satisfeito com o portal e com o tratamento que damos.

Quais os planos para o futuro do Livronauta? Queremos expandir o projeto para outros países da América Latina. Estamos estudando o mercado argentino e provavelmente iremos para lá em breve.

O que ficou de lembrança dos anos de faculdade? Os colegas! Também ficaram algumas matérias que me proporcionaram desafios em programação e não esqueço dois professores, Hamerski e Atilio, que me ensinaram muita coisa legal!

LIVRONAUTA O Livronauta, portal lançado em dezembro de 2010, foi desenvolvido por Giancarlo Rubio em parceria com outros profissionais que há gerações trabalham com livros. Trata-se de uma ferramenta de intermediação entre sebos e compradores de livros usados. Além de comprar, o cliente pode também pesquisar as obras e comparar os preços em diferentes livrarias. www.livronauta.com.br


capa

A magia de ser solidário Trabalhos sociais influenciam a vida de várias pessoas e podem mudar a sua Por Caroline Dobignies

Quem nunca sentiu aquela vontade imensa de mudar o mundo? No dia a dia surgem situações que clamam por justiça e despertam indignação, provocando aquela vontade de fazer a diferença. Mas é preciso ter atitude e gerar mudanças. “Não basta falar. É preciso fazer. As palavras comovem muitas pessoas, mas os atos e ações transformam vidas”, diz Bárbara Skalski Bilek, 24 anos, que desde pequena exercita um olhar e uma atitude solidária.

12

Em 1994, quando tinha apenas oito anos, surgiram as primeiras oportunidades de voluntariado no grupo de escoteiros do qual participava, dando continuidade em 1999 no grupo Marista de jovens, chamado na época EDA/REMAR – Embarcações da Amizade/ Renovação Marista, hoje conhecido como PJM – Pastoral Juvenil Marista.

Bárbara Skalski Bilek


Virgine Isber

Um pouco mais madura e mesmo em período universitário, no ano de 2005, conseguiu conciliar os estudos com o estágio em Comunicação Social – Relações Públicas pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), e ainda o trabalho social como Jovem Representante da PJM da PUCPR. “Atualmente, estou formada e minha vida profissional é uma continuidade desta trajetória. Sou Educadora Social de Educomunicação no Centro Social Marista Ecológica - Almirante Tamandaré (PR), para crianças de 5ª a 8ª série”, explica. Com essa mesma paixão é que Virginie Isber conquistou grandes feitos nos últimos anos. Em 2004, ingressou no curso de Letras pela PUCPR no mesmo período em que passou por grandes dificuldades com sua família, por conta da perda de seu pai. “Foi então que conheci a Pastoral da Universidade e descobri pessoas maravilhosas por meio da congregação Marista. Fiquei apaixonada pela missão da instituição e comecei a participar das atividades e ações solidárias. Pude me encontrar em um momento tão difícil”, lembra.

Mudanças

No ano seguinte, iniciou na PJM e passou a fazer parte da família Marista, na PUCPR, realizando diversos projetos com objetivos de humanização e solidariedade. Sua experiência refletiu no aspecto profissional, e passou a atuar há três anos como educadora de Língua Portuguesa também no Centro Social Marista Ecológica. Para Virginie, a mudança que ocorre não fica somente no local, ela é interiorizada e tem o poder de mudar as pessoas: “a magia dos trabalhos sociais são as pessoas. As crianças me cativam de uma maneira tão especial, pelo simples fato de terem muita esperança e expectativas”.

Tanto para Bárbara, como para Virginie, as atividades solidárias influenciaram muito no destino profissional de cada uma. “Escolhi ser educadora desde pequena e sempre acreditei que com esta profissão eu conseguiria mudar a vida de muitas pessoas e criar oportunidades em corações desamparados”, conta Virginie. A realidade em que vivem vai muito além da dedicação para com a educação. Os cargos que ocupam trazem uma bagagem de extrema importância para diversas crianças que buscam, muitas vezes, algo que não encontram em outro local. O trabalho desenvolvido pela educadora em

13


Divulgação

capa

Língua Portuguesa, por exemplo, não fica somente nos conteúdos literários e classes gramaticais: “eu faço também o exercício da escuta, da compreensão e do não julgamento”. A área de Educomunicação também não fica para trás. Bárbara conta que por muitas vezes precisa ocupar outro papel, como o de mãe, amiga ou irmã. “A necessidade do amor e do carinho que eles necessitam, vai muito além do próprio aprendizado teórico. Por isso, procuro realizar a partilha da vida e a troca de experiências”, comenta. Diante dessa rotina de doação é que ambas se veem cumprindo uma grande missão diariamente, pois são apaixonadas pelo que fazem.

A solidariedade está em alta

Além da satisfação pessoal que cada um sente ao se doar aos outros, o mercado de trabalho também valoriza, e muito, a

14

O profissional que consegue agregar mais valor ao seu trabalho do que o necessário, sempre será valorizado. Quem consegue conciliar a vida pessoal com a profissional e ainda ter tempo para ajudar o próximo, é uma pessoa melhor Bernt Entschev, especialista em recrutamento

participação em projetos sociais. A solidariedade está em alta e é muito bem vista pelas maiores empresas do país. Como no caso das profissionais citadas, muitos possuem grande relação com o social e destacam-se em meio às multidões. “O profissional que consegue agregar mais valor ao seu trabalho do que o necessário, sempre será valorizado. Quem consegue conciliar a vida pessoal com a profissional e ainda ter tempo para ajudar o próximo, é uma pessoa melhor”, explica Bernt Entschev, presidente da De Bernt Entschev Human Capital. Essas vivências mostram ainda que esta pessoa preocupa-se com os outros e, muito provavelmente, será solidária em seu ambiente de trabalho, sendo extremamente positiva para o clima organizacional e relacionamento com colaboradores. Entschev conta ainda um caso interessante sobre recrutamento para a vaga de diretor executivo de uma grande empresa: “Eu e meu sócio estávamos indecisos entre dois candidatos, já que ambos possuíam competências técnicas excelentes e boas características comportamentais. Entretanto, precisávamos escolher um. Depois de muito pensar, escolhemos com base em um único item do currículo: projetos voluntários. Apesar de ambos serem extremamente competentes em suas funções, escolhemos aquele que, além de realizar suas tarefas básicas, encontrava tempo para ajudar os outros”.

Bernt Entschev

Dê o primeiro passo

O mundo necessita de pessoas mais solidárias e preocupadas com o outro. Quem faz a diferença, dá uma dica de começar a mudar o mundo: “acredito que se cada pessoa fizesse a sua parte, o mundo iria melhorar. E quando digo de fazer a sua parte, é começar pela sua própria casa e com a sua família. Seja solidário, através de uma palavra, um abraço ou apenas um olhar”, exemplifica Bárbara. Acreditar em valores e praticá-los também é um passo para a solidariedade com o próximo. “Tento me espelhar em São Marcelino Champagnat que acreditava em um ser humano justo, ético e solidário. E é assim que busco ser, considerando que todos são meus irmãos e por isso precisam de atenção e oportunidades”, finaliza Virginie.


João Borges

Educar para a Solidariedade A sensibilidade solidária é algo que pode ser despertado. Este é o objetivo da Missão Solidária Marista (MSM) realizada desde 2005 pela Província Marista do Brasil Centro-Sul (PMBCS). Na edição deste ano, mais de 350 alunos e ex-alunos Maristas passaram parte das férias de janeiro em comunidades em situação de vulnerabilidade de quatro cidades: Curitiba (PR), Ribeirão Preto (SP), São Paulo (SP) e Brunópolis (SC). De acordo com o setor Pastoral da PMBCS, a finalidade da Missão Solidária é despertar o senso crítico, a sensibilidade solidária e a espiritualidade dos jovens e da própria comunidade, a fim de que se tornem agentes de transformação social. Para isso, o foco das ações é promover a integração com a realidade encontrada e verificar as prioridades da comunidade atendida. Em Curitiba, por exemplo, o projeto foi desenvolvido na Vila Torres por 27 jovens que ficaram acomodados na casa dos moradores da comunidade. Como principal ação,

os participantes acompanharam a rotina de famílias que vivem da venda de material reciclável. Com elas, separaram o lixo que os carrinheiros recolhem e deixam nos barracões. Desta forma, sentiram na pele as dificuldades da rotina. Chegam garrafas pet, cadeiras de plástico, embalagens de leite, papel, pacotes de salgadinho, entre outros. Tudo é colocado em uma esteira. Dali, os trabalhadores devem separar os diferentes tipos de material e prensá-los para vender. Além desta atividade, os voluntários Maristas promoveram oficinas com crianças, jovens e idosos. Aulas de percussão, momentos de reflexão e brincadeiras educativas fizeram parte da programação. Em todas as cidades atendidas, as ações tiveram a finalidade de promover a integração com a realidade encontrada. Foi realizada a reforma de espaços públicos (construção e pintura de muros, limpeza de jardins e praças, entre outros).

João Borges

Em Curitiba, os jovens Maristas colocaram a mão na massa e ajudaram a separar o material reciclável nos barracões da Vila Torres

15

A oficina de percussão despertou o interesse nas crianças que participaram das atividades da Missão Solidária Marista

Também aconteceram momentos de debates, visita às famílias, festivais culturais, gincanas educativas e recreativas para as crianças.


João Borges

entrevista

A nossa vez Brasil tem que crescer no vácuo da parada da economia mundial.

Paulo Guedes: “é necessário que se invista imediatamente na reforma fiscal e tributária”

A Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), em parceria com a HSM Educação, trouxe a Curitiba o economista Paulo Guedes, Ph.D. pela Universidade de Chicago, para proferir palestra aos executivos do Paraná sobre os rumos da economia em 2012. Diretorpresidente do grupo financeiro BR Investimentos, Guedes traçou um cenário extremamente favorável ao Brasil e disse que o momento é perfeito para o nosso país deslanchar. Acompanhe a entrevista que ele concedeu a revista Vida Universitária.

VU - O cenário econômico internacional (crise na Europa) atual é favorável ao Brasil? Em que aspecto?

16

Paulo Guedes – O cenário é extremamente favorável ao Brasil. A economia mundial viveu um ciclo longo de crescimento e cometeu muitos excessos como alavancagem de juros, especulação imobiliária, ativos dos bancos centrais e excesso de crédito aos países em função do Euro, sem a observância de peculiariedades fiscais de cada país. Vide caso de Portugal e Grécia. Com esta desorganização, o mundo está parado para conserto há dois anos e deve permanecer por mais dois ou três. Neste espaço, o Brasil tem todo o potencial para crescer e ocupar esta lacuna da economia mundial, sobretudo porque o nosso cenário interno é positivo se levarmos em conta que temos capital e recursos naturais e tecnológico, situação bem diferente das décadas de 80 e 90 quando o Brasil vivia uma hiperinflação e estava perdido.

O Brasil tem todo o potencial para crescer e ocupar esta lacuna da economia mundial, sobretudo porque o nosso cenário interno é positivo

VU - Algumas taxas projetadas pelo governo brasileiro tem ficado abaixo do previsto? Isto é um reflexo? Ou sugere alguma turbulência na economia brasileira?

PG: O Brasil tem lá seus defeitos e por isso não consegue ainda ajustar sua economia interna para deslanchar no crescimento. O nosso país está longe do seu potencial. A economia brasileira pode crescer até 7% ao ano. E é isso que devemos buscar a partir de agora no momento em que o mundo está parado para conserto. Se havia um “gap” em relação ao Brasil dos anos 80 e 90, hoje essa distância é infinitamente menor mas temos que ajeitar o cenário interno.

VU - Quais os principais problemas que ainda impedem um maior crescimento do Brasil?

PG: As nossas questões internas mais graves referem-se basicamente a alta taxa de impostos, legislação trabalhista obsoleta, que leva os empresários a embutir encargos elevados em seus produtos, e excesso de regulamentação. Com essas regras atuais, o crescimento fica comprometido. É necessário que se invista imediatamente na reforma fiscal e tributária, tornando-as mais simplificadas. Se isso for feito o Brasil deslancha porque tem uma dinâmica própria, que não o atrela a nenhum dos países asiáticos. Essa história de que se a China quebrar o Brasil quebra não existe. É um receio infundado.


AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL: TRANSFORMANDO SUAS OPINIÕES E SUGESTÕES EM MELHORIAS PARA FAZER DA PUCPR UMA UNIVERSIDADE CADA VEZ MELHOR.

sino Excelência de en estrutura a fr in e d e d a d li a Qu ento im d n e t a e d s o iç Serv para deixar m e t ê c o v e eia genial qu id la e u q a e b Sa er ouvir. u q e t n e g A a melhor? informações a t n a PUCPR aind a v le R P C cional da PU u it t s In o ã ç a precisa ser A Avali e u q o r a ic if t tes para iden n a v le re e is dos alunos o úte ã ç a f is t a s a como medir m e b , o d a r o melh ersidade. iv n U à o ã ç la em re e professores

portante! im o it u m é o iã in p o Participe! Sua ucpr.br .p a k e r u e lo e p aio, De 2 a 15 de m

Comissão Própria de Avaliação – CPA


Divulgação

dna

A estrutura tem 3.400 m² e atende às graduações de Engenharia Ambiental, Farmácia, Agronomia e Medicina Veterinária

18

Toledo ainda melhor

Câmpus do Oeste inaugura Bloco de Laboratórios e Biblioteca

Um coquetel realizado em fevereiro marcou a inauguração do novo prédio da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR, Câmpus Toledo, que vai abrigar os laboratórios e a biblioteca. Estiveram presentes na cerimônia, além dos acadêmicos, o

reitor da Universidade, Clemente Ivo Juliatto, o diretor do Câmpus, Renato Tratch, o bispo Dom Francisco, a secretária da cultura do município, Rosângela Reche de Souza, e Luiz Alberto Cypriano, representando o prefeito.

A ampliação da estrutura surgiu em virtude do aumento no número de cursos da unidade, que tem em sua matriz curricular disciplinas práticas. Foram investidos seis milhões de reais na construção do novo prédio, que é dividido em doze laboratórios


e cinco salas de aula com ar condicionado, o que torna o ambiente mais aprazível para os estudos, destaca o diretor Renato Tratch. A estrutura tem 3.400 m² e atende às graduações de Engenharia Ambiental, Farmácia, Agronomia e Medicina Veterinária. Também foi inaugurada a expansão da biblioteca, que conta agora com 800 m² a mais, compondo uma das edificações mais modernas e completas de todo o Paraná, com um ambiente climatizado, salas de estudos individuais e coletivas. Para Tratch, “esta obra confirma que a PUCPR veio para ficar em Toledo, assim como a demanda por excelência na educação e formação de nossos futuros profissionais.”

Comunidade

Além de atender os estudantes da PUCPR, o Bloco de Laboratórios e a Biblioteca estão abertos a toda a comunidade de Toledo. Professores de ensino fundamental e médio podem aproveitar a estrutura da universidade para dar aulas a seus alunos nas áreas de Biologia, Química e Física. Alguns dos laboratórios, inclusive, poderão servir a futuros trabalhos de iniciação científica e de extensão em especialidades diversas como Análise Industrial, Anatomia, Botânica, Citologia, Farmacotécnica, Física, Fitopatologia, Hematologia, Hidráulica, Química e Síntese Farmacêutica, Semiotécnica e

Técnica Farmacêutica – podendo existir um envolvimento com a própria comunidade, como pesquisas e avaliações que gerem ações públicas posteriores.

Biblioteca

A biblioteca também está de portas abertas à comunidade. Quem não tem relação com a universidade não pode retirar os livros do Câmpus, porém pode fazer a consulta no local pelo tempo que for preciso. Estão disponíveis obras dos cursos de Administração, Agronomia, Biologia, Ciências Contábeis, Direito, Enfermagem, Engenharia Ambiental, Engenharia de Produção, Farmácia, Medicina Veterinária e Psicologia.

SAIBA MAIS

João Borges

O câmpus Toledo foi inaugurado em 2003. Oferece cursos de pós-graduação, extensão e 11 de graduação, pensados para a realidade regional com foco no Agrobusiness. Além do Bloco de Laboratórios e da Biblioteca, recém-inaugurados, a universidade também conta com um Hospital Veterinário de referência que tem atividades diárias.

Endereço: Avenida da União, 500 – Jardim Coopagro CEP: 85902-532 Telefones: 45 32778600 / 45 3277-8640

19


mercado de trabalho

De olho nas relações O networking é fundamental, e a faculdade é um ótimo local para desenvolvê-lo Por Ana Suy Sesarino A convivência entre amigos de faculdade é árdua. Várias horas, todos os dias, durante anos. Finais de semana regados a seminários, festas, congressos, xerox e resenhas. Isso sem contar

20

as várias horas de contato nas várias redes sociais que permeiam a nossa sociedade moderna. Panelinhas que se fazem e se desfazem. Encrencas, fofocas, amizades, risadas. Acontecem tantas coisas durante os anos de faculdade que as pessoas mal se lembram que há aí uma parte importante da profissão sendo construída. Vocês já devem ter ouvido falar que o melhor aluno da faculdade nem sempre é o melhor profissional, nem o pior aluno da faculdade é o pior profissional. Então, por mais incrível que pareça, aquele aluno que senta no fundo da sala e mal sabe do que se fala nas aulas, pode, sim, ser o chefe daquele que senta na primeira carteira e tem todos os textos, impecáveis, na pasta. A faculdade é um lugar onde se aprendem coisas teóricas, é verdade, mas também é um lugar onde se aprende principalmente a ter boa convivência

com as pessoas. As empresas exigem cada vez mais isso, que saibamos nos relacionar, trabalhar em grupo, produzir em equipes. Manter boas relações com os colegas de classe se faz cada vez mais importante para o mercado de trabalho. O networking* é fundamental, e a faculdade é um ótimo local para desenvolvê-lo. Uma sala de aula comporta várias pessoas que estarão ao seu lado no mercado de trabalho, com diferentes oportunidades. Isso sem contar que quatro ou cinco anos de graduação implicam em milhares de horas junto com os seus colegas. E nós, que somos seres sociais, nos animamos e nos desanimamos com as nossas atividades, a partir do contato com os nossos iguais. Portanto, só há bons motivos para você investir nas relações com os colegas de classe. Seja profissionalmente, ou seja afetivamente (afinal de contas, muitas vezes essas coisas se encontram, não?). Você só tem a ganhar com boas relações em sala de aula. *Termo utilizado para designar que quanto maior for a sua rede de contatos, maior será a sua chance de conseguir uma boa colocação profissional.

Ana Suy Sesarino é psicóloga e exaluna da PUCPR


II CAMPANHA DE CONSCIENTIZAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES COM CÃES PARTICIPE DESSA CAMPANHA E CONFIRA EM NOSSA CARTILHA ALGUMAS DICAS QUE IRÃO TE AJUDAR A ENTENDER O COMPORTAMENTO DO SEU MELHOR AMIGO.

24 e 25 de abril,

NO HOSPITAL UNIVERSITÁRIO CAJURU

Realização

Apoio


reportagem

A PUCPR sediou pela 3° vez o Global Game Jam (GGJ), Encontro Internacional de Desenvolvimento de Jogos que acontece simultaneamente em todo o mundo. Pelo segundo ano consecutivo, a sede em Curitiba foi a maior do Brasil e a segunda maior do mundo, perdendo apenas para a cidade de Copenhague, na Dinamarca. O evento começou oficialmente às 17h de sexta-feira (27 de janeiro) e terminou às 18h de domingo (29 de janeiro), completando mais de 48 horas de produção de games.

22

O objetivo do encontro é que os jammers (nome dado aos participantes) desenvolvam jogos a partir de um tema comum, revelado somente no início da jornada. Este ano, a comissão organizadora apresentou o tema de forma diferente. Ao invés de uma palavra, uma imagem, o símbolo grego conhecido como Oroborus. “A palavra nos restringia mais. Já a imagem abriu um leque de opções e interpretações”, explica o matemático Guilherme Pianezzer, integrante da equipe Broken Finger, que participa da Global Game Jam desde a primeira edição sediada na PUCPR. “Comecei a vir para acompanhar minha namorada, gostei tanto que acabei ficando”, conta. Depois do evento, todos os jogos ficam disponíveis na internet

João Borges

Pelo segundo ano, PUCPR é a maior sede do Global Game Jam no Brasil

João Borges

Geeks em ação

Em iniciativa inédita, sede da PUCPR contou com a criação de um jogo com robôs em ambiente real

e é feito o ranking dos mais acessados. Na edição 2011 do GGJ, alguns dos jogos produzidos na PUCPR ficaram na lista dos mais acessados. O game “Extinction of Nerds”, criado pela equipe do estudante Ronie Neubauer, se manteve em primeiro no ranking de acessos por alguns meses. Por conta do sucesso do jogo, Neubauer explica que recebeu várias propostas de emprego. “No Global Game não há vencedor. Mas os jogos que produzimos ficam no nosso currículo para sempre e abrem muitas portas para

quem quer trabalhar na área”. Durante todo o período da competição, os jammers ficam nas sedes em período integral. Levam colchonetes, cobertores, travesseiros e se preparam para passar dois dias com refeições à base de fast food, sendo que a pizza figura entre os pratos preferidos. Neste ano, uma torre feita de caixas de pizza alcançou o teto do saguão onde estavam os participantes. Com apenas duas horas de sono desde o início do evento, o professor do curso de Ciências da Computação da PUCPR Bruno de


Uma das equipes que participaram do Global Game Jam na sede da PUCPR

Paula, organizador da maratona na Universidade, estava entusiasmado. “Nós tivemos 300 pré-inscritos, 220 inscritos e 180 pessoas presentes fisicamente aqui na sede de Curitiba, com produção de 25 novos games. Foi muito legal, um sucesso”, comemora.

Inovação

Em uma iniciativa inédita proposta pela organização da sede da PUCPR do GGJ, uma das equipes que participaram do evento trabalharam com robótica. Formada por 10 alunos do curso Técnico Integrado em Informática do TECPUC, o grupo

produziu um jogo com robôs. Ao invés da tela do computador, lidaram com os limites de um ambiente real impostos pelas leis da física, como gravidade, espaço e tempo. Fábio Kasecker, um dos jammers, achou o game dos alunos do TECPUC incrível. “No computador não existe barreira, podemos fazer os objetos pular, atirar, sujar tudo. Mesmo assim se deram muito bem, sou fã deles, eles estão de parabéns. E o mais legal é que é uma molecada bem jovem e interessada”, complementou Kasecker. Marcelo Gasparin, professor do TECPUC e coordenador da equipe,

23 explicou que após criar a estrutura do jogo, os alunos programaram todos os protótipos. “É uma excelente oportunidade para os estudantes incrementarem o portfólio, pois a visibilidade é enorme, tanto dentro da própria sede quanto internacionalmente, nas sedes dos outros países”, lembrou. SERVIÇO: Todos os jogos produzidos estão disponíveis para acesso no site oficial do evento globalgamejam.org.


reportagem

Linhaça do bem

Pesquisa realizada na PUCPR com coelhos comprovou que a linhaça brasileira reduz o colesterol

Uma pesquisa realizada pela PUCPR sob o comando do cardiologista e professor da pós-graduação em Ciências da Saúde da Universidade,

24

A pesquisa é coordenada pelo cardiologista e professor da pós-graduação em Ciências da Saúde da PUCPR, Dalton Précoma

Dalton Précoma, comprovou que o consumo da linhaça marrom, a mais popular no Brasil, possui ação redutora de colesterol. O estudo foi realizado com 20 coelhos do sexo masculino. Durante 56 dias, os animais foram alimentados com uma dieta hipercolesterolêmicos; depois, foram divididos em dois grupos. Um dos grupos recebeu linhaça brasileira triturada na alimentação, uma pasta com ração e ovo liofilizado, e o outro recebeu apenas a pasta. Os coelhos que consumiram a linhaça apresentaram níveis mais baixos de colesterol total e menores níveis de LDL - tcolesterol, o considerado ruim, quando comparados aos animais que não receberam a semente triturada.

Propriedades

A linhaça contém substâncias biologicamente ativas como lignanas, fibras e ácido linoléico, que, segundo Dalton, “competem com a reabsorção do colesterol no intestino delgado ainda na porção inicial, onde ele é absorvido e volta para o fígado para formar mais colesterol. Esta competição diminui a absorção do colesterol, levando a gordura para o intestino – fato que aumenta o trânsito intestinal nos humanos”. Existe um estudo que comprova a eficácia da linhaça canadense, conhecida também como linhaça dourada. Porém, sobre a espécie produzida no Brasil ainda não havia, até então, uma comprovação de seus benefícios. “Não há diferença [entre as linhaças dourada e marrom], exceto no preço: o quilo da brasileira é até oito vezes menor que o da canadense”, explica Précoma.


Dicas do especialista A média para o consumo diário da linhaça brasileira, triturada, deve ser de duas colheres de sopa por dia (cerca de 30 gramas). Seu consumo aumenta o trânsito intestinal e previne doenças cardiovasculares decorrentes do aumento do colesterol.

25


João Borges

Tatiana Cardeal

drops

Agente Transforma

A estudante do último ano do curso de Arquitetura e Urbanismo da PUCPR Manuela Ferreira e Silva é uma das participantes da 2ª edição do Agente Transforma (AGT), um projeto do escritório Rosembaum® em parceira com o SEBRAE-PI e com o Governo do Piauí, que tem o objetivo de revitalizar a comunidade de Várzea Queimada, na Chapada do Araripe. O trabalho inscrito por Manuela foi selecionado entre mais de 200 de todo o Brasil, garantindo uma vaga no grupo formado por 17 universitários. Juntos, os estudantes unem esforços com os moradores do povoado de Várzea Queimada para encontrar soluções que melhorem o saneamento básico, a iluminação das casas, o problema da água contaminada e da falta de infraestrutura. Na foto, o resultado do trabalho dos alunos das residências.

João Borges

26

PIBIC na Europa Prêmio nacional

O trabalho da estudante do curso de Engenharia Ambiental da PUCPR, Ellen Sottoriva, foi destaque na edição de 2011 do Prêmio Brasil de Engenharia e ganhou Menção Honrosa da comissão julgadora. O projeto, com orientação do professor do curso Harry Alberto Bollmann, teve como tema a “Recomposição da cobertura florestal em unidades rurais de base familiar no município de Almirante Tamandaré”.

As alunas do 3° período do curso de Administração da PUCPR, Gabrielle Tosin Soares e Mariana Sobral, irão apresentar os artigos científicos produzidos durante o Programa de Iniciação Científica (PIBIC) no VII Congresso Português de Sociologia: Sociedade, Crise e Reconfigurações. O evento acontece na cidade do Porto, em Portugal, de 19 a 22 de junho.


João Borges

Dia mundial do Rim

Ciência sem Fronteiras

Bernardo Suss é o único aluno do curso de Direito da PUCPR a conquistar uma bolsa do Programa Ciência sem Fronteiras, concedida pelo Governo Federal a instituições conveniadas. Em fevereiro ele embarcou para a Escócia. Na University of Dundee, instituição referência no estudo de Direito e Energia, ele produz parte de sua pesquisa do PIBIC sobre Direito, Infraestrutura Energética Elétrica e Desenvolvimento. Para isso, cursa sete disciplinas da pós-graduação. “Aqui tenho contato com pesquisadores do mundo todo e conto com uma vasta bibliografia sobre o tema”, disse.

Jornalismo em Destaque

A equipe do curso de Jornalismo, formada pelas alunas Bruna Milanese Ávila, Carine Aparecida Rocha, Diana Soares Faria de Araújo e Jordana Basilio Silva, foi a vencedora da categoria Destaque Acadêmico do Prêmio Unimed de Jornalismo 2011. O grupo ganhou com a reportagem Stuck in Reverse sobre o Transtorno Obsessivo Compulsivo. O trabalho foi orientado pela professora Suyanne Tolentino e produzido no Laboratório de Comunicação Social da PUCPR. João Borges

Arquivo pessoal

Alunos do curso de Medicina da PUCPR participaram no dia 8 de março das comemorações promovidas pela Sociedade Paranaense de Nefrologia ao Dia Mundial do Rim. Durante todo o dia, com o acompanhamento do professor Thyago Moraes, os estudantes entregaram folders com explicação sobre doenças renais e como preveni-las na Praça 19 de Dezembro.

Da esq. para a direita as alunas Jordana, Carine e Bruna.

27


pastoral

Festa de solidariedade Trote Solidário transforma ingresso na universidade em momento de pensar no próximo Por Caroline Dobignies

Os calouros da PUCPR foram recebidos com uma ação muito especial no começo do ano letivo. O Trote Solidário já está em sua 4ª edição e tem o objetivo de direcionar o foco dos ingressos da Universidade para atividades de cunho social. Todos os cursos do Câmpus de Curitiba, São José dos Pinhais, Toledo, Maringá e Londrina foram convidados a participar.

28

O número de envolvidos tem aumentado a cada ano. São acadêmicos, professores e colaboradores que contribuem na coleta de doação de alimentos

não perecíveis, materiais de higiene pessoal, doação de sangue e cadastro para doação de medula óssea. Para Ana Lúcia Langner, do Núcleo de Pastoral da instituição, “o Trote Solidário propõe uma forma saudável e solidária de comemorar o ingresso do calouro na Universidade”. Para a arrecadação dos alimentos, foram realizadas parcerias com diversas redes de supermercados, bem como com os Centros Acadêmicos e representantes de turma para motivar os calouros e veteranos. Já o Câmpus Londrina, por exemplo, realizou durante toda a semana junto a FUNCART

O Trote Solidário com certeza faz parte de um dos diferenciais da PUCPR. A Pastoral da Universidade nos incentiva a fazer o bem, ajudando o próximo. Larissa Bortolotto Cortez Aluna de Administração, Câmpus Londrina

(Fundação Cultural Artística de Londrina), uma série de apresentações artísticas, movimentando a semana dos calouros. No Câmpus de Curitiba, o destaque foi o Palco Solidário, onde os acadêmicos fizeram suas apresentações musicais, e foi realizado também um Fórum com a palestra do coordenador do curso de Psicologia Naim Akel, sobre “Novos modelos para o rito de passagem”. Calouros e veteranos se uniram e fizeram a solidariedade falar mais alto com diversas ações pelo Estado. “O Trote Solidário, com certeza, faz parte de um dos diferenciais da PUCPR. A Pastoral da Universidade os incentiva a fazer o bem, ajudando o próximo”, disse a caloura Larissa Bortolotto Cortez, ingressa do curso de Administração em Londrina.


29


registro

João Borges

Acolhida aos calouros

João Borges

Para recepcionar os novos alunos, a PUCPR promoveu, na 1° semana de aulas, a Acolhida aos Calouros. Nos cinco Câmpus da Instituição os calouros acompanharam apresentações de música, dança e teatro. O reitor da universidade, Clemente Ivo Juliatto, deu as boas-vindas aos novos alunos com um breve discurso sobre a instituição.

Trote Solidário

Maurino Veiga, fundador do instituto que leva o seu nome e tem a missão de desenvolver e aplicar programas que buscam o desenvolvimento humano, ministrou a palestra de encerramento do Trote Solidário para os alunos dos Câmpus Curitiba e São José dos Pinhais. Nos Câmpus Londrina, Maringá e Toledo, o treinador de atletas com necessidades especiais e palestrante, Steven Dubner, finalizou a programação do evento com palestra sobre a experiência de superação de seus alunos.

30

O professor Jorge Tamaki, do curso de Fisioterapia da PUCPR, lançou em Buenos Aires durante a 17ª reunião da Comisión de Integración de Fisioterapeutas y Kinesiólogos para el MERCOSUR o livro “A Fisioterapia e a Kinesiologia no Mercosul: no caminho da integração”. A obra relata as profissões em questão nos países do Mercosul e os avanços em busca da harmonização das legislações, princípios éticos, jornada de trabalho, especializações e outros.

João Borges

Professor lança livro na Argentina

Ao centro, Veiga com alunos e funcionários da Pastoral da PUCPR


Divulgação

Renal Research Institute

A parceria entre a PUCPR e o Renal Research Institute, do Beth Israel Medical Center (Nova Iorque), firmada em outubro em 2011, já apresenta os primeiros resultados. A professora do programa de pós-graduação em Ciências da Saúde (PPGCS) da PUCPR, Andrea Moreno, passou duas semanas na instituição norte-americana realizando experimentos. Já no segundo semestre, a pesquisadora Viktoryia Kuntsevich deve visitar a PUCPR como continuação da parceria.

Escola de Negócios

A Escola de Negócios da PUCPR foi aceita como escola membro da Association to Advance Collegiate Schools of Business – AACSB. Para ser aceita pela mais conceituada associação na área de negócios, a instituição de ensino passa por diversas avaliações. A primeira delas é a participação de representante da universidade nas reuniões promovidas pelo grupo para discussão de novidades na área do ensino de negócios.

Divulgação

Destaque internacional 1

O professor do curso de Medicina da PUCPR e chefe do serviço de Coloproctologia do Hospital Universitário Cajuru (HUC), Paulo Gustavo Kotze, participou em fevereiro do 7º Congresso Europeu de Crohn e Colite (ECCO) em Barcelona, na Espanha. Foi a primeira vez que um brasileiro teve a oportunidade de palestrar neste Congresso.

Destaque internacional 2

O caso clínico apresentado por Kotze foi de um paciente operado no HUC. Uma vídeocirurgia de Crohn em uso de biológico. Além do caso clínico, esteve em exposição durante o evento o trabalho intitulado “Safety profile of anti-TNF therapy in brazilian IBD patients: are there differences between Infliximab and Adalimumab?”. Este trabalho foi realizado por Paulo Kotze, a gastroenterologista Lorete Kotze e com participação dos acadêmicos de medicina da PUCPR, Mateus Luvizotto e Fernando Akiyoshi. À esquerda, os médicos Lorete Kotze e o professor Paulo Kotze com o pôster em exposição em Barcelona

31


vem aí

HSM Educação na PUCPR No final de abril iniciam as aulas dos cursos da HSM Educação na PUCPR. As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site http://www.pucpr.hsmeducacao.com.br/. São ofertados cursos de Executive Development Program (EDP) em Marketing, Liderança, Family Business e Negociação. Também foram abertas turmas para o MBA em Marketing e em Gestão Empresarial.

II Fórum Brasileiro de Direito Disciplinário Estão abertas as inscrições para o II Fórum Brasileiro de Direito Disciplinário, que acontece nos dias 25, 26 e 27 de abril e vai discutir o controle, função e desempenho do servidor público na Administração pública. Promovido pela Editora Fórum, o encontro conta com participações de autoridades renomadas e palestrantes que abordarão temas fundamentais para uma Gestão Pública eficiente. Para pré-reservas de vagas e inscrições, acesse o site da Editora Fórum ou ligue (31) 3614-1022.

Seleção de bolsistas e para pesquisadores voluntários 32

Estão abertas as inscrições para seleção de alunos bolsistas que querem participar dos Programas Institucionais de Iniciação Científica da PUCPR e também para desenvolver pesquisas como voluntários. A inscrição deverá ser feita até o dia 12 de abril pelo Professor Orientador no Portal do PIBIC no www.pucpr.br. A indicação do aluno é obrigatória no momento da inscrição. Os candidatos devem apresentar um projeto de pesquisa e um plano de trabalho para o aluno. Os modelos de documento estão no link Modelos de Documentos do mesmo site.

Revele seu Talento Estão abertas as inscrições para o Festival Universitário Interno de Música da PUCPR Revele seu Talento, que está em sua décima edição em Curitiba. O prazo para inscrições vai até o dia 19 de abril e é válida para os Câmpus Curitiba e São José dos Pinhais.


Artes Visuais

Programação

O Museu Oscar Niemeyer apresenta mais uma opção de exposição. A mostra “Os Caprichos” apresenta 80 gravuras do artista espanhol Francisco de Goya (1746-1828). As imagens, compostas com as técnicas água-forte, água-tinta, ponta seca e buril, trazem a crítica e o misticismo de Goya, em temas como vida em sociedade, aristocracia espanhola, prostituição e superstições. A mostra acontece até o dia 26 de abril no MON, o custo é de R$ 4 e R$ 2 (meia). O horário para visitação é de terça a domingo das 10h às 17h30.

DANÇA

Estreia no dia 6 de abril a produção em 3D do filme “Titanic”. Lançado originalmente em 1997, o longa que rendeu salas cheias aos cinemas volta aos telões no ano que o naufrágio do navio completa 100 anos de história. O filme se passa em 1912 e conta a história do, até então, maior navio do mundo. Conhecido por não correr riscos de afundar, ele é palco de uma adocicada história de amor protagonizada por Leonardo DiCaprio e Kate Winslet durante seu naufrágio, a produção promete revolucionar novamente os efeitos especiais.

Lázaro Ramos dirige a peça Namíbia, Não! A comédia acontece diante de uma determinação do governo brasileiro, em 2016, em que todos os afrodescendentes regressem à África, promovendo o revés da diáspora vivida pelo povo africano no Brasil escravocrata. Para fugir desta determinação, André e Antônio, passam dias escondidos em um apartamento, nele passam a debater questões sociais e econômicas de pessoas com “melanina acentuada”, com uma boa pitada de ironia. A peça acontece no dia 7 e 8 de abril, no Teatro Guairinha, às 21h00. O preço é de R$ 50 e R$ 25 (meia). O Lumenoso faz parte do Grupo Lumen de Comunicação, que mantém a Lumen FM, a Lumen TV, a Clube FM e a Lumen Clássica

TEATRO

Fotos: Divulgação

CINEMA

A Companhia de Dança Masculina Jair Moraes, apresenta uma obra coreográfica, baseada na cultura negra. Em “Ecos de uma civilização”, mais do que contar uma história, a obra tem como objetivo comunicar através dos movimentos corpóreos a religiosidade, a lamentação e a força de um povo que continua vivo no corpo de cada um dos brasileiros. A apresentação acontece no Teatro José Maria Santos, no dia 1º de abril, às 6 horas da tarde. Os ingressos custam R$ 10 reais.

Cultura é

fácil


mundo melhor

Saúde e beleza

Divulgação

Confira as datas das comemorações do Projeto Comunitário

Projeto incentiva cuidados com a saúde, bem-estar e prevenção de gravidez na adolescência

34

Em 2011, o Núcleo de Projetos Comunitários, em parceria com os cursos de Design Moda, Design Digital, Odontologia, Tecnólogo em Gastronomia e a Unidade de Saúde do bairro Parolin, fortaleceu o projeto Saúde e Beleza já existente e desenvolvido por esta unidade de saúde. Os acadêmicos foram acompanhados pela professora Camila Ferreira (coordenadora do curso de Design Moda) e pelo professor Alexandre Dhein (curso de Gastronomia). A ação consistiu em desenvolver trabalho com meninas de onze a dezoito anos da escola estadual Doracy Cezarino. O objetivo era incentivar cuidados com a saúde, bem-estar para uma vida mais saudável e prevenção de gravidez na adolescência. Os acadêmicos dos cursos em questão, inscritos na disciplina Projeto Comunitário, contribuíram na abordagem

dos temas levantados junto às adolescentes. Segundo Camila Lorenzon, 5º perído do Curso de Design Moda, participar do projeto “foi uma experiência única e de grande importância para ter uma real visão da vida dessas pessoas menos favorecidas. Também foi importante descobrirmos que talentos estão escondidos por todas as partes e que, para alcançarem sucesso, a única coisa que falta são incentivos como esses”. Felipe, acadêmico de Design Digital, afirma que o “contato com outra realidade fora do meu contexto social, além de possibilitar vários contatos e experiências, foi muito gratificante, principalmente por não deixar o conhecimento somente na sala de aula e sim ter atitudes”. Comenta o quanto é importante “vermos que nossos conhecimentos foram muito bem aproveitados.”

• 12 de abril no câmpus Toledo: missa de Ação de Graças dos dez anos do Projeto Comunitário e exposição fotográfica “Projeto Comunitário dez anos”. • 01 de junho no câmpus Curitiba: evento conjunto dos dez anos Projeto Comunitário e VII Seminário do Programa Comunidade Escola da Secretaria de Educação de Curitiba; exposição fotográfica “Projeto Comunitário 10 anos”. • 29 de junho no câmpus São José dos Pinhais: exposição fotográfica “Projeto Comunitário 10 anos”. • 10 de setembro no câmpus Maringá: missa de ação de graças dos 10 anos Projeto Comunitário e exposição fotográfica “Projeto Comunitário 10 anos”. • 22 de outubro nos câmpus Curitiba e São José dos Pinhais: cerimônia de reconhecimento público aos acadêmicos e às instituições sociais parceiras do Núcleo de Projetos Comunitários com apresentação da Orquestra sinfônica da PUCPR.


Liberte suas melhores histórias.

4º. Concurso de Contos ler&Cia Participe e mostre seu talento. Seis selecionados terão seus contos publicados na revista ler&Cia do Grupo Livrarias Curitiba e ganharão um vale-compras de R$ 500,00. Inscrições de 01/03 a 30/04/12. Consulte o regulamento: www.livrariascuritiba.com.br

(41) 3330 5000 - Curitiba (41) 3330 5000 - São José dos Pinhais (43) 3294 8300 - Londrina (44) 3266 2100 - Maringá

www.livrariascuritiba.com.br


Vida Universitária Ed 213