Inteligencia e tecnologia 15

Page 1



InteligĂŞncia e tecnologia



Rafael Bender Piske

InteligĂŞncia e tecnologia

SĂŁo Paulo 2016


Copyright © 2016 by Editora Baraúna SE Ltda

Projeto Gráfico Editora Baraúna Revisão

Scarlett Martins

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ ________________________________________________________________ P755i Piske, Rafael Bender Inteligência e tecnologia / Rafael Bender Piske. - 1. ed. - São Paulo : Baraúna, 2016. il. ISBN 978-85-437-0716-7 1. Informática. 2. Inteligência. I. Título. 16-37403

CDD: 004 CDU: 004

________________________________________________________________ 27/10/2016 01/11/2016 Impresso no Brasil Printed in Brazil

DIREITOS CEDIDOS PARA ESTA EDIÇÃO À EDITORA BARAÚNA www.EditoraBarauna.com.br

Rua da Quitanda, 139 – 3º andar CEP 01012-010 – Centro – São Paulo - SP Tel.: 11 3167.4261 www.EditoraBarauna.com.br


-AgradecimentosAos meus pais, meu irmão e família, pelo apoio incondicional sempre dispostos a me ouvir, compreender e compartilhar as angústias geradas durante a elaboração deste processo. À Universidade Paulista – Unip, aos cursos que completei e aos estágios oferecidos como colaboração no fornecimento de informações e valiosa orientação durante o curso e o estágio.



“Se você fica dizendo que as coisas vão ficar ruins, tem boa chance de se tornar um profeta.” Isaac Bashevis Singer.



Sumário Introdução . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 11 1. A ORIGEM HUMANA . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 1.1. Introdução. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 13 1.2. A Humanidade. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 14 1.3. Conceitos da Origem da Espécie. . . . . . . . 15 1.4. O Ser Humano e a Sociedade: Individualidade ou Sociabilidade?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 18 2. A ORIGEM DA INFORMÁTICA . . . . . . . . . . . 23 2.1. Introdução. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23 2.2. A Informática e a sua Evolução . . . . . . . . 24 2.3. O que seremos de nós perante as máquinas?. .24 2.4. O que seria de nós sem a Informática? . . . 26 2.5. Robótica e o Futuro da Humanidade. . . . . 29 3. O Século XX. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 3.1. Introdução. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 3.2. Importantes Desenvolvimentos, Eventos e Conquistas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34 3.2.1. Ciência e Tecnologia. . . . . . . . . . . . . 34 Linha de montagem da Ford, 1913:. . . . . . . 34


3.2.2. Guerras e Política. . . . . . . . . . . . . . . 36 3.2.3. Cultura e Entretenimento . . . . . . . . . 38 3.2.4. Doença e Medicina. . . . . . . . . . . . . . 40 3.2.5. Recursos naturais e o Meio-Ambiente. . .41 3.2.6. Grandes Acontecimentos. . . . . . . . . . 42 3.2.7. “A Grande Guerra”. . . . . . . . . . . . . . 44 3.2.8. Revolução Russa. . . . . . . . . . . . . . . . 46 3.2.9. Depressão Econômica. . . . . . . . . . . . 47 3.2.10. A Bolsa de Nova Iorque . . . . . . . . . 48 3.2.11. Desfecho da Primeira Guerra Mundial. 49 3.2.12. A Década de 1920 . . . . . . . . . . . . . 49 3.2.13. Ascensão das Ditaduras. . . . . . . . . . 50 3.2.14. A Guerra na Europa.. . . . . . . . . . . . 52 3.2.15. União Européia. . . . . . . . . . . . . . . 63 3.3. O Mundo no Final do Século XX. . . . . . . . 64 3.4. Papas do Século XX. . . . . . . . . . . . . . . . . 65 4. A INTELIGÊNCIA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67 4.1. Introdução. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 67 4.2. Testes de QI. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 69 4.3. O Significado do QI . . . . . . . . . . . . . . . . . 71 5. REFLEXÃO SOBRE O NOSSO FUTURO. . . . . 73 Bibliografia. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 77


-IntroduçãoO meu livro se baseia no crescimento humano até o desenvolvimento da máquina. O que difere o homem da máquina? Por que criamos máquinas com o intuito de lher dar vidas? Fazemos isso porque queremos uma vida melhor. Fazemos isso porque queremos conforto e menos gastos. O meu objetivo com esta obra é de explicar desde a origem do homem até o domínio das máquinas. Pode ser que as máquinas dominem o mundo, como no filme O Exterminador do Futuro. Pode ser também que o homem se desenvolva mais, desenvolvendo seu cérebro. À medida que o cérebro cresce, a inteligência também cresce e ambos se desenvolvem mais. Quanto mais prática, mais exercícios ao cérebro, melhor fica o seu raciocínio lógico, suas habilidades com matemática, física, química, quanto mais leituras mais vocabulários. O cérebro é como o físico humano, se o homem não faz exercícios para os músculos, estes atrofiam, o mesmo vale para o cérebro, se o homem não exercitar os neurônios, o cérebro atrofia e o homem não se desenvolve. Para quê nos desenvolver? Este livro explica do desenvolvimento do homem, da sua inteligência, do seu crescimento e das tecnologias. Iremos ver as razões principais para o desenvolvimento humano e o domínio das máquinas. 11



-1A ORIGEM HUMANA 1.1. Introdução Quem somos nós? A antropologia, que é a ciência que busca conhecer o antropos, o humano, explica que somos de natureza complexa. “Deus disse: Façamos o homem à nossa imagem, como nossa semelhança, e que eles dominem sobre os peixes do mar, as aves do céu, os animais domésticos, todas as feras e todos os répteis que rastejam sobre a terra.” - Gênesis. Bíblia de Jerusalém. São Paulo, Edições Paulinas. Somos tão importantes assim? Quão responsáveis somos para podermos chegar ao ponto de nos compararmos com Deus. Essa ideia, que carregamos até hoje. Existem muitas pessoas que creem serem Adão e Eva.

13


1.2. A Humanidade O que é o ser humano? Somos uma espécie especial? Sinceramente, se pensarmos bem, cada ser vivo é um ser especial. Uma simples bactéria também é muito importante para a vida. Dentro de suas características de vida, estes seres vivos são importantes. Entretanto, qual a diferença de um ser humano para as outras espécies vivas. O ser humano é classificado como a espécie homo sapiens, que quer dizer homem sábio, homem racional. Um primata bípede pertencente à superfamília Hominoidea juntamente com outros símios: chimpanzés, bonobos, gorilas, orangotangos e gibões, além de outras espécies atualmente extintas. O ser humano é um ser racional. O que difere o ser humano dos outros animais é que somos racionais e temos lobo frontal e pré-frontal, que nos faz sermos seres inteligentes. Podemos planejar, pesquisar e organizar coisas sem que seja por instinto. O animal faz coisas por instinto, porém eles não têm algo que o humano tem: a cultura. O que a antropologia explica é a origem evolutiva, que diz que, na maioria dos casos, só os humanos fazem cultura por terem a capacidade de simbolizar. Temos a linguagem, a construção e o uso de ferramentas, postura ereta e plasticidade comportamental. Entretanto, acredita-se que alguns golfinhos possuem comunicações entre eles. Os golfinhos são seres inteligentes, porém não podemos compará-los a nós.

14


1.3. Conceitos da Origem da Espécie A ideia mais aceita sobre a origem das espécies é a de Charles Darwin. Temos também as ideias criacionistas, de Georges Cuvier e de Jean Baptiste de Lamarck, sobre as quais iremos discutir. A ideia de um criacionista é a crença que foi Deus quem fez tudo, que deu a origem da vida. É uma criação imutável, sem mudança alguma, muito semelhante. Carolus Linnaeus, o Lineu (1707 – 1778), um médico e botânico sueco, tinha como objetivo estudar a ordem de origem dos seres vivos, buscando, assim, revelar a escala de vida criada por Deus. A escala que ele estudou após fundar a Taxonomia, um ramo da biologia que nomeia e classifica as diversas formas de vida, é: Reino, Filo, Classe, Ordem, Família, Gênero e Espécie. Os argumentos criacionistas dominaram por um bom tempo até surgirem algumas evidências contraditórias vindas da Paleontologia, a ciência que estuda os fósseis. O anatomista francês Georges Cuvier (1769 – 1832) revelou a existência dos seres vivos nas diferentes camadas sedimentares. A paleontologia ganhou forte impulso com seus estudos. De camada em camada, Cuvier observou que novas espécies surgiram enquanto outras simplesmente desapareciam. Essas evidências contrariaram as ideias criacionistas, que diziam que não havia diferenças, quando, na verdade, surgem várias diferenças. Assim nasce o Evolucionismo, que diz que ocorrem transformações ao longo do tempo responsáveis por 15


Millions discover their favorite reads on issuu every month.

Give your content the digital home it deserves. Get it to any device in seconds.