Crianças e seus diálogos divertidos 15

Page 1





Carlos Bohana S達o Paulo - 2015


Copyright © 2015 by Editora Baraúna SE Ltda.

Jacilene Moraes

Capa

Diagramação Felippe Scagion Revisão

Andrea Bassoto

CIP-BRASIL. CATALOGAÇÃO-NA-FONTE SINDICATO NACIONAL DOS EDITORES DE LIVROS, RJ ________________________________________________________________

B666c

Bohana, Carlos Crianças e seus diálogos divertidos / Carlos Bohana. - 1. ed. - São Paulo: Braúna, 2015. ISBN 978-85-437-0467-8 1. Crônica brasileira. I. Título. 15-26076

CDD: 869.98 CDU: 821.134.3(81)-8

________________________________________________________________ 01/09/2015 01/09/2015

Impresso no Brasil Printed in Brazil DIREITOS CEDIDOS PARA ESTA EDIÇÃO À EDITORA BARAÚNA www.EditoraBarauna.com.br Rua da Quitanda, 139 – 3º andar CEP 01012-010 – Centro – São Paulo – SP Tel.: 11 3167.4261 www.EditoraBarauna.com.br Todos os direitos reservados. Proibida a reprodução total ou parcial, por qualquer meio, sem a expressa autorização da Editora e do autor. Caso deseje utilizar esta obra para outros fins, entre em contato com a Editora.


Apresentação

Em 2012, publiquei o livro Conversas Divertidas de Netos, no qual pretendia mostrar o quanto é importante o registro do que ocorre na vida de uma criança, pois é difícil guardar tudo na memória em uma vida tão dinâmica. Graças a Deus o livro teve uma boa aceitação junto a amigos, colegas e, para minha surpresa, também foi lido e bem aceito por pessoas até então fora do meu círculo de trabalho e amizade, conforme pode ser observado no final desta obra. Mesmo após a publicação continuei a anotar as histórias dos meus netos, que aqui estão registradas. Inclui neste material histórias que recebi dos leitores do livro Conversas Divertidas de Netos, que logo após a leitura do livro me ligaram ou me mandaram e-mail contando histórias engraçadas de seus filhos ou netos, comprovando, assim, que o que meus netos dizem e fazem é absolutamente comum a qualquer criança, e que os adultos riem, divertem-se e apenas não se preocupam em anotar, como faço com meus netos.



O Autor

Carlos Augusto Bohana Filho, conhecido simplesmente como Bohana, bancário aposentado, nascido a 26 de novembro de 1959, baiano natural de Salvador, foi morar em Aracaju, Sergipe, em 1981, onde iniciou a carreira de bancário. Em Aracaju, junto com a esposa Beatriz, constituiu uma família formada por três filhos − Tatiana, Vinicius e Gustavo −, hoje com as presenças de Cauã e Rafael, filhos de Tatiana e Ronaldo. Durante o primeiro ano de vida de cada um escreveu um diário sobre essas novas existências. O de Cauã, um diário tradicional, porém divertido, e o de Rafael, relatado através de fotos dos 12 meses iniciais e alguns poucos escritos. Os dois não foram publicados e foram vistos apenas pelos familiares. Finalmente, após quatro anos surgiu a oportunidade de escrever outra vez, porém com publicação. Em 2012, publicou o livro Conversas Divertidas de Netos, que relata os diálogos divertidos de seus netos no dia a dia e que fazem com que os pais, avós e tios se deliciem.



Personagens

Além de mim e da minha esposa Beatriz, este livro, assim como Conversas Divertidas de Netos, cita em vários momentos outras pessoas, que abaixo são apresentadas: Cauã e Rafael (Rafa) Personagens principais. Tatiana (Tati) Mãe dos personagens centrais. Ronaldo Pai dos personagens centrais. Vinicius (tio Vi) Tio dos meninos e padrinho de Cauã. Gustavo Tio dos meninos e padrinho de Rafael. Dominique e Michelle Esposa e noiva de Vinicius e Gustavo, respectivamente.



Sumário

Na casa de vovô e vovó pode tudo . . . . . . . . . . . . . . . 17 (julho de 2012) O que uma criança é capaz de fazer para não dormir. . . 18 (julho de 2012) Criança ouve, criança repete. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 20 (julho de 2012) Reflexão e formação de conceitos. . . . . . . . . . . . . . . . 21 (julho de 2012) Quer a verdade? Vai ouvir verdade. . . . . . . . . . . . . . . 23 (julho de 2012) Controle financeiro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25 (julho de 2012) Barulho no carro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27 (agosto de 2012)


Confiança é a base de tudo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28 (agosto de 2012) Dia de feira . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29 (agosto de 2012) Se vovó não pode falar, eu também não posso. . . . . . . . . . . 30 (agosto de 2012) Só escolhe o que ganha. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 (setembro de 2012) Grito da independência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33 (setembro de 2012) Páscoa sem coelhinho não é Páscoa. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 34 (setembro de 2012) Vovó e vovô: sempre a melhor opção . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 (outubro de 2012) Domingo é dia de casa da vovó e vovô. . . . . . . . . . . . . . . . 36 (outubro de 2012) O castigo tem que ser individual . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 (outubro de 2012) Nada muda o programa de dormir na casa de vovó e vovô. . . . . 40 (novembro de 2012)


Eles não cansam do vovô e da vovó. . . . . . . . . . . . . . . . . 42 (novembro de 2012) Cabelo branco, mas cara de novo. . . . . . . . . . . . . . . . . . 44 (novembro de 2012) Jantar na casa de vovó e vovô tem que ser diferente. . . . .45 (novembro de 2012) Dois filhos, carinho em dobro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47 (novembro de 2012) Carrinho? Eu quero é ir pra casa de vovó e vovô. . . . . . . 48 (novembro de 2012) Quem manda são os netos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50 (novembro de 2012) Confraternização de final de ano . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51 (novembro de 2012) A mochila sumiu . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 53 (novembro de 2012) Em restaurante, criança também faz pedido. . . . . . . . . . 55 (janeiro de 2013) Será que ele obedeceria?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57 (janeiro de 2013)


Adoro correr em dias de trovoada. . . . . . . . . . . . . . . . 58 (janeiro de 2013) Eu penso que já sei ler . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60 (fevereiro de 2013) O melhor beijo do mundo. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61 (fevereiro de 2013) Vovó é doce, doce, doce. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63 (fevereiro de 2013) Fotógrafo ou folião. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 64 (fevereiro de 2013) Exame de laboratório. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 66 (março de 2013) Bolo de fubá da vovó é remédio para neto . . . . . . . . . 67 (março de 2013) Estou doente, mas meu irmão não está. . . . . . . . . . . . 69 (março de 2013) Quebrou? Vovô conserta. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 71 (abril de 2013) Driblando por baixo da mesa. . . . . . . . . . . . . . . . . . . 73 (abril de 2013)


Desenhos criativos. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 74 (abril de 2013) Você sabe o significado do sinal amarelo?. . . . . . . . . . . . . 75 (abril de 2013) Magrinha, magrinha. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 76 (abril de 2013) Arrancar dente é investimento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 77 (fevereiro de 2014) Novela? O que é novela?. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 79 (abril de 2013) Não quero show. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 80 (dezembro de 2013) Huuumm, que comida deliciosa. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 82 (dezembro de 2013) Pré-adolescência. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 84 (março de 2014) Deixa que o porquinho come. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 85 (março de 2014) Adoramos a vovó . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 87 (maio de 2014)