Page 1

...


Ínice

06

Peugeot mais brasileiro do que nunca

08

Empreendedorismo

08

06

10

Acupuntura: Prática antiga metódos novos

12

A importância do pai na relação entre mãe e bebê.

12

10

14 16

A história de um lutador

Para fanáticas e não fanáticos Museu do Futebol

20 24 26

Yudi esse vai longe...

São Paulo

20

16

Roteiro Cultural

28

Cuide da sua Paz interios

28 32 www.revista.maisoeste.com.br

30

Acessórios use e abuse dos acessórios

32

Fórmula 1

3


editorial

Queridos leitores... Qualidade de vida é mais do que ter uma boa saúde física ou mental. É estar de bem com você mesmo, com a vida, com as pessoas a sua volta, enfim, estar em equilíbrio. Isso pressupõe muitas coisas; hábitos saudáveis, cuidados com o corpo, atenção para a qualidade dos seus relacionamentos, balanço entre vida pessoal e profissional, tempo para lazer, saúde espiritual etc. Nesta vigésima primeira edição, a Revista Mais Oeste oferece para você, leitor, matérias que mostram caminhos para chegar a um equilíbrio. Anaí Lícia Couto fala sobre a importância da estabilização familiar com a chegada do bebê e as técnicas da acupuntura. E já que mês de outubro é o mês das crianças, o apresentador mirim do SBT, Yudi Tamashiro, conta um pouco sobre sua vida e mostra que, apesar de ter uma vida bem agitada, é possível ser um garoto normal, se divertir e ter responsabilidade com a sociedade. Uma boa leitura,

Equipe Mais Oeste.

expediente Redação e Publicidade - Rua Faustolo, 1748 - cj. 01 - sala 2D - Vila Romana - São Paulo Atendimento ao leitor leitor@revistamaisoeste.com.br - Para anunciar Tel.: 3455-1200 / 3871-9292 Diretora Responsável Paula Silva (paula@revistamaisoeste.com.br) - Direção Comercial - Marcos Kawauchi (marcos@revistamaisoeste.com.br) - Editor Responsável Andréa Reis (MTB 47526/SP) (maisoeste@yahoo.com.br) - Publicidade - Paula Mendes (comercial@revistamaisoeste.com.br) - Arte e Diagramação Felipe Emple (felipe@revistamaisoeste.com.br) - Colaboradores Roberto Shinyashiki, Julia Couto, Assessoria Jurídica Dr. Bruno Salvatori Paletta OAB/SP 252.515 (brunopaletta@globo.com) - Agradecimentos: Whasington Olivetto, Peugeot, Anaí Licia Couto, Roberto Shinyashiki, Bernardo Ferraz, Lilica Matos, Tania Tamashiro. Capa: Yudi Tamashiro Fotos por Taís Domingues A Revista Mais Oeste é uma publicação mensal da Editora Eco Ambiental Ltda. com distribuição gratuita em comércios e residências, sendo que a publicidade veiculada é de responsabilidade de seus respectivos anunciantes. Não nos responsabilizamos por opiniões expressas nos artigos assinados. Proibida reprodução parcial ou total sem autorização.

4

www.revista.maisoeste.com.br


Auto

Peugeot 207 brasileiro: ousadia e modernidade

A

Peugeot apresenta uma nova linha de veículos especialmente desenvolvida no Brasil para o consumidor moderno. Com o novo 207 brasileiro, a Marca inaugura uma nova fase de expansão no país. O Peugeot 207 brasileiro já está à O 207 brasileiro já é comercializado desde agosto na configuração Hatchback e SW, e o Passion chegará aos mais de 140 pontos de venda espalhados pelo território nacional em outubro. A expectativa da Marca é vender, nos últimos meses do ano, 30 mil unidades da linha 207 no Brasil. “Graças ao 207 brasileiro, ainda este ano deveremos ultrapassar a barreira dos 100 mil carros vendidos no país. Já em 2009, com um ano completo de produção dos novos modelos, chegaremos aos 130 mil veículos”, apontou Laurent Tasté.

disposição em três silhuetas de carroceria: 207 Hatchback (três e cinco portas), 207 SW e o 207 Passion, inédito modelo da Marca que disputará o concorrido segmento dos sedãs compactos. “Essa nova linha permitirá à Peugeot mudar de dimensão no país, fortalecendo nossa posição comercial no principal segmento do mercado”, afirmou

Laurent Tasté, presidente da Peugeot do Brasil. “Com o Peugeot 207 brasileiro, vamos oferecer um leque de produtos superior, completando a nossa gama, já que o 206 Hatch continuará sendo vendido como modelo de entrada da Marca”.

A Marca renova sua gama de produtos ao apresentar três silhuetas do 207 brasileiro; sedã compacto é inédito no país

A gama de motorizações Dois propulsores diferentes equipam o 207 brasileiro. Em ambos o novo mapeamento do acelerador tornou a arrancada do veículo mais dinâmica. 1.4 Flex (1.360 cm3) – potência de até 82 cavalos quando abastecido com álcool e 80 cavalos quando abastecido a gasolina a 5.250 rpm, com um torque máximo de 12,85 mkgf a 3.250 rpm, obtido com qualquer um dos combustíveis. 1.6 Flex (1.587 cm3) – potência de até 113 cavalos com álcool e 110 cavalos com gasolina a 5.600 rpm, com um torque máximo de 15,5 mkgf a 4.000 rpm com gasolina.

Variadas versões para diversos estilos

A nova linha 207 disponibiliza ao consumidor cinco versões de acabamento para as silhuetas Hatchback, SW e Sedã. Esteticamente, a configuração XR oferece itens como maçanetas das portas, frisos laterais e capas do retrovisor na cor da carroceria. Para o conforto do usuário, apresenta ar-condicionado, direção hidráulica, vidros elétricos dianteiros e trava elétrica nas portas e porta-malas. Acima dessa versão, a XR Sport agrega, entre outros itens, antena curta traseira, retrovisores externos com regulagem elétrica, vidros elétricos traseiros e faróis de neblina dianteiros. 6

www.revista.maisoeste.com.br


Já a versão XS, equipada com motor 1.6 Flex, vai além na oferta de equipamentos. Ela conta com sensor de chuva para acionamento do limpador de pára-brisa, faróis com acendimento automático, computador de bordo e banco traseiro rebatível bipartido. Essa versão confere ainda uma dose de esportividade ao oferecer: Tubo de escapamento cromado, tampa do tanque de combustível tipo aviação, grade da entrada de ar com pintura metalizada, frisos de proteção na cor da carroceria e um pacote de estilo interno que realça ainda mais a imagem dinâmica do modelo: pedaleiras em alumínio e textura preta antiderrapante, acabamento em alumínio para as soleiras das portas dianteiras, maçaneta do porta-luvas cromada, lingüetas cromadas dos aeradores, manopla de câmbio cromada com sanfona de couro, botão do freio de mão cromado ,comandos internos cromados de abertura das portas e mostradores com molduras cromadas.

www.revista.maisoeste.com.br

A versão XS Automático difere da anterior por ser equipada com câmbio automático seqüencial e, a top de linha, por apresentar a mesma transmissão com banco revestido em couro e airbags frontal

e lateral como opcionais. Não se surpreenda se, de repente, passar a vê-los a todo instante nas ruas. Os consumidores já testaram, aprovaram, e a procura por eles é cada vez maior.

7


Empreendedorismo

ATITUDES QUE TRAZEM RECONHECIMENTO Umas das melhores sensações que sentimos é a de sermos reconhecidos pelo que fazemos. Ter a certeza de estar agindo de forma correta e trazendo resultados positivos para alguma coisa, ou para alguém, é um imenso prazer, é por si só uma recompensa. Luiz Carlos de Moura, diretor comercial da Vick (distribuidora de plásticos e isolantes Ltda), teve seu trabalho reconhecido e é destaque da Revista Mais Oeste nesta edição. Mesmo com todo progresso e desenvolvimento da Vick, Luiz encontra tempo para incentivar os colegas de trabalho, contribuir e apoiar a sociedade com projetos sociais.

Responsabilidade social Uma de suas ações é a parceria com a Camp Norte, uma entidade sem fins lucrativos, dirigida por sócios do Rotary Club, cujo trabalho é promover e dar apoio ao adolescente. Segundo Silvia Orrú, gerente de Marketing da Vick, Luiz sempre manteve as portas abertas para os jovens da entidade. “Ele oferece um ambiente de trabalho agradável e ensina-os passo a passo a rotina da empresa. Apesar de não ter contato direto com os jovens, é ele quem mantém esse programa dentro da empresa”, completa. Atualmente, a Vick conta com o trabalho de mais de quinze aprendizes em diversas áreas administrativas e muitos desses jovens foram contratados quando completaram 18 anos.

Reconhecimento Graças a essas iniciativas e ações, o diretor comercial, Luiz Carlos de Moura, foi homenagedo com o Diploma de Mérito Profissional, oferecido pelo Rotary Club Norte, pelo elevado padrão ético no exercício do profissional. Estiveram

presentes na solenidade empresários de diversos setores, fornecedores, colaboradores, amigos e seus familiares.

Mas, suas boas ações com a sociedade não terminam por aí. Além da Camp Norte, Luiz apóia a FIC – Fraternidade Irmã Clara – que tem como finalidade abrigo, tratamento, reabilitação e inclusão social de seus 35 assistidos, com faixa etária entre 8 e 45 anos, todos portadores de Paralisia Cerebral e Deficiência Mental em seus mais diversos graus.

8

www.revista.maisoeste.com.br


Palavras do homenageado " Gostaria de agradecer aos companheiros do Rotary, ao doutor Ítalo, ao meu irmão Ronaldo, com quem divido este prêmio por sempre me incentivar e apoiar, a minha família e a todos os colaboradores da VICK. Hoje é um dia muito especial para mim, não esperava ser congratulado pelo Rotary e me sinto lisonjeado com

www.revista.maisoeste.com.br

esta homenagem. O Rotary, como sempre, fazendo e criando ações para motivar a gente cada dia mais. No mundo globalizado em que estamos todos os dias surgem novas tecnologias e os avanços são constantes, nos manter a frente de um negócio não é fácil e exige muita dedicação, contudo esta mesma dedicação deve ser empregada nas ações comunitárias, pois são elas que nos fazem acreditar

que não somos tecnologia, mas sim seres humanos. Não devemos parar! Temos que estar sempre prontos a continuar. Não devemos medir esforços para ajudar a comunidade. Meu muito obrigado à motivação e carinho do Rotary e de todos vocês ". Esteve presente na solenidade: empresários de diversos setores, fornecedores, colaboradores, amigos e seus familiares. A família VICK parabeniza nosso diretor por mais essa conquista!

9


Saúde

ACUPUNTURA: PRÁTICA ANTIGA, MÉTODOS NOVOS

C

om o crescimento da consciência planetária, que surge de movimentos ambientalistas e pacifistas e do respeito à natureza, a acupuntura é redescoberta na década de 70, pondo em xeque o poder da crença ocidental no que se refere aos conceitos de equilíbrio energético. Assim, restabelece a harmonia entre os sistemas orgânicos, focando não apenas o efeito, mas dando especial atenção à causa. Segundo Márcia Marquiore, acupunturista, a acupuntura é um método que pode ser praticado utilizando-se foco de luz (cromoterapia), acupressura com a polpa do polegar (do-in), eletro-estimulação ou até mesmo agulhas tão finas como um fio de cabelo. Sua eficiência está desvinculada da necessidade de sentir dor durante a sessão, isso depende muito mais da técnica de inserção utilizada. Vale ressaltar que a acupuntura não faz milagre e não substitui a medicina alopática, ela é uma importante ferramenta que concilia a eficácia de inúmeros tipos de tratamentos, como a gripe, dor na coluna,

enxaqueca, mal estar, problemas estomacais, entre outros, e pode aliviar efeitos colaterais de medicamentos e favorecer para que o corpo obtenha o autocontrole, tanto físico quanto emocional. Para Laura Vendramini, aposentada de 77 anos, a acupuntura era um tratamento paralelo ao medicamento que tomava para coluna. “Muitas vezes eu percebi que só o remédio não fazia efeito, e por indicação de uma amiga comecei a fazer acupuntura. O resultado foi quase que imediato, e toda vez que, por algum motivo, eu não fazia acupuntura, eu percebia que as dores voltavam, mesmo com o remédio”, conta. Os pontos utilizados fazem parte de uma rede energética, semelhante a uma rede elétrica no corpo. Esses canais especiais (meridianos) que passam sob a pele estabelecem uma malha que vitaliza órgãos, vísceras e sistemas corpóreos. O corpo humano possui mais de 360 pontos, que são estimulados conforme a necessidade em seções que variam entre 20 a 40 minutos durante um período de 10 a 20 seções. Felizmente, a medicina quântica formada por eficientes profis-

“Muitas vezes eu percebi que só o remédio não fazia efeito, e por indicação de uma amiga comecei a fazer acupuntura. O resultado foi quase que imediato”

10

sionais da saúde está pesquisando cada vez mais a eficiência de métodos complementares aos tratamentos de saúde, favorecendo o bem-estar das pessoas. Certamente, a acupuntura, bem como inúmeras outras técnicas dela advindas, está ao seu lado, apoiando e encorajando aqueles que pensam que seus males não têm chance de serem aliviados.

A HISTÓRIA DA ACUPUNTURA Existem muitas formas de diag-

nóstico na medicina tradicional chinesa. Algumas delas são as pulsações, as observações e aspectos da língua, a cor e aspectos da pele. Um médico chinês costuma dizer que não se deve olhar apenas o paciente, mas escutá-lo, tocá-lo, cheirá-lo, provar sua urina e conhecer as suas fezes. Dentro do conhecimento atual, a acupuntura é um método de estimulação neurológica em receptores específicos, com efeitos de modulação da atividade neurológica em três níveis – local, espinhal ou segmentar, e supra-espinhal ou suprasegmentar. Em 1973, demonstraram que o efeito da acupuntura é conduzido através dos nervos, ao constatarem que o estímulo acupuntural não surtia efeito quando aplicado em área bloqueada por anestésico local. Alguns anos depois, em1984, foi percebido que muitos dos pontos de acupuntura correspondem a locais de penetração das fibras nervosas na fáscia muscular, 309 pontos estão localizados sobre terminações nervosas e 286 pontos localizados sobre os principais vasos sanguíneos. Alguns pontos de acupuntura estão localizados na musculatura, sensíveis ao toque e que condicionam o surgimento de sintomas à distância, como dores de cabeça, por exemplo.

www.revista.maisoeste.com.br


Família

A Importância do Pai na Relação entre Mãe e Bebê Nos primeiros meses de vida do bebê, é a mãe quem lhe apresenta um mundo. As primeiras impressões vêm por meio da amamentação, dos cuidados, afeto e proteção. Mas suas necessidades vão muito além do que se supõe, na verdade é fundamental que a mãe esteja inteira, numa condição de sintonia fina, identificada com as necessidades do seu bebê. Não somente as necessidades físicas, mas, afetivas e emocionais, no sentido que para o bebê tudo é desconhecido, e, pode ser assustadora a experiência de como ele é tocado, carregado, alimentado, e olhado. Pois também no rosto da mãe, no seu olhar, estão impressos seus próprios sentimentos, emoções e expectativas, para com seu bebê e com o mundo. Neste lugar é que se impõe efetivamente a importância do pai, nesta relação, oferecendo a essa mãe, liberdade e segurança emocionais, companheirismo e cumplicidade, na grande tarefa de cuidar desse bebê. Isso implica dedicação, generosidade, compreensão e desprendimento, pois nesse momento, existem forças biológicas e psíquicas, impelindo essa mãe na direção do seu bebê, disso depende a sobrevivência e desenvolvimento da criança. Torna-se indispensável que o pai também esteja em sintonia do mesmo objetivo e sentimento, as demandas são muitas e uma situação de tensão explicita ou não, se estabelece no ambiente, caso seus apelos sejam contrários aos da mãe, essa tensão se intensifica como forças opostas às necessárias. Vejamos um exemplo; No caso dos pais estarem juntos, imagine a mãe, seu nível de ansiedade em cuidar bem de seu filho, garantir-lhe afeto, amamentação, higiene, saúde e ambiente adequado. Enquanto o pai reclama-lhe atenções, queixa-se do abandono, de sua aparência e es12

tética, e ou, silenciosamente afastase, sob o pretexto de que cuidar do bebê é função da mãe, somam-se a isso suas próprias angustia. Outro fantasma contemporâneo surge contaminando essas relações. O intenso apelo cultural, por um padrão de beleza e estética estereotipadas, intensificando efetivamente esses conflitos. As exigências do momento com seu bebê, atender às expectativas do parceiro, quando o tem, e as suas próprias, pressões estas que podem deflagrar uma grande angustia de perda, de não conseguir se dividir nas atenções, ter seus vínculos afrouxados, e o desejo de se manter desejável ao seu objeto de desejo. Situações que podem e afastam a mulher de sua maternidade plena. Parece-nos cruel colocar as coisas desta forma, mas são muito comuns esses conflitos. Hoje, vemos em alguns contextos familiares, mais participação, fala-se sobre essas mudanças. Entretanto, a realidade nos apresenta muitos outros conflitos e dificuldades, além dos que sempre existiram e que nos distanciam

do ideal. Cabe-nos lembrar que na ausência de um pai, a mãe pode alcançar seu bem estar psicológico, por outras vias , ou em outras relações. Como se estabelece dessa maneira, as condições adequadas para a mãe estar sintonizada ao seu bebê? Qual a importância do pai para que se estabeleça essa relação? São angustias que ela não precisa ter. Se, ao contrario de todos os apelos e pressões culturais, o pai estiver voltado aos mesmos ideais, sintonizados no mesmo desejo, que é o filho, e às necessidades reais desse momento, para atendê-lo. Poder contar com a sensibilidade de um companheiro, no momento em que a natureza lhe impõe transformações no corpo, que sua auto-estima pode estar comprometida. Seus hormônios em ebulição para realização plena da maternidade, sua libido sexual enfraquecida, seios fartos e sua energia totalmente voltada à sobrevivência de sua prole. Como reagir a essas questões, implica também a disposição da mãe ao bebê.

www.revista.maisoeste.com.br


Ainda que a gravidez não tenha sido planejada, ou mesmo desejada, é fundamental saber-se da responsabilidade mútua na formação e desenvolvimento desse pequeno ser, o amor pelo filho e a consciência de suas necessidades, nesse primeiro tempo de sua existência. Fazer e constituir juntos, pois uma mãe segura que se sinta bem e aceita emocionalmente, estará muito mais apta a sintonizar seu bebê. Portanto, a importância da presença do pai ou seu representante, mediada pela mãe, é ampla e definitiva, tem como função possibilitar a essa mãe um campo seguro, na sustentação emocional e concreta, no qual ela compõe a sua maternidade, amplia suas potencialidades de sintonizar com o bebê e oferecer aquilo que ele precisa de fato: - Experimentar essa relação na medida exata, tanto da presença como da ausência desse pai e dessa mãe, do amor à frustração, tão necessários para seu desenvolvimento pleno e saudável. Físico, intelectual e emocionalmente falando. São em todos esses aspectos, que através da mãe, a representação paterna está impressa, como elementos estruturais dos sentidos e significados que serão inscritos no universo da criança. Através

www.revista.maisoeste.com.br

dos quais, ela enxergará a si mesma, o outro e o mundo. E é na maneira como se dá esse processo, que este pequeno ser se constituirá como sujeito e se colocará no mundo.

Anaí Licia Couto Psicóloga - 06/88927 Pós Graduanda em Psicanálise Consultório: F. 3816-1137 e-mail: anailiciacouto@uol.com.br

13


Responsabilidade Social

A HISTÓRIA DE UM LUTADOR Meu nome é Lourenço Santos Silva, nasci no sertão do Piauí em uma cidade chamada Pajeú, quando ainda tinha 13 anos resolvi mudar para São Paulo, com um objetivo, eu queria treinar. Lutar era um sonho de criança e sabia que um dia eu seria faixa preta. Devido a disciplina rígida desse esporte, fui me tornando uma pessoa mais preparada, conheci culturas diferentes e entendi seus costumes que agregaram valores a minha própria vida. Hoje sou faixa preta de Muay-Thai e Karatê.

Hoje junto com alguns colegas da minha equipe. Temos uma equipe de 46 crianças, fruto daquele sonho de ter um projeto com crianças carentes que não tinham condições de pagar o esporte, os encontros são realizados em minha própria academia, as crianças e adolescentes treinam Muay-Thai e Karatê de Combate e também contam com o apoio de alguns parceiros (Mister Líber corretora de seguros, Hudson construtora, Terral Maresias, Koral Kimonos, Buffet Yano, DAP Arames, ERS Frutas, CNA, Nani’s, Camila Padaria, SP Social Clube, Canteiros Obras Ltda, Alapel, Adega Agata, Kagelo, OO Construtor, Tavares Ltda,

Música e arte liderança, Force nutrição esportiva, Magia da Amazônia, Tatames Haiti, Guia City, Impressão digital, Stec Sistemas, Fairtex, VT Cine, Utopic Brasil), tem como padrinhos deste projeto o Junior (jogador São Paulo), Kiko (Conjunto KLB) e o Luiz Massella (Ritto Pizzaria). A intenção é passar para essas crianças os valores da vida, para que elas tenham conhecimento de suas ações e responsabilidades, principalmente com os estudos, pois adquirir conhecimento em diversos assuntos é essencial para a formação do indivíduo e isso o torna apto a atuar no mundo de hoje. O esporte ajuda na formação do caráter e da personalidade. Para que as crianças façam parte do projeto, todas têm que frequentar a escola para que cresçam com dignidade e que no futuro, sejam cidadãos do bem, essa é uma exigência que não abrimos mão. A intenção é  Lourenço Team - Rua Schilling n° 442/420 tel.: 11 3644-5083 Filial em Maresias Litoral Norte Responsável: Iuri MMA

14

www.revista.maisoeste.com.br


Tecnologia

Para fanáticas e não fanáticos: Museu do Futebol

F

oi inaugurado no último dia 29 de setembro, em São Paulo, o Museu do Futebol, localizado no Estádio Paulo Machado de Carvalho, o tradicional Pacaembu. O novo museu é um espaço construído em frente à Praça Charles Miller e que mostra, não só aspectos ligados a inúmeros times brasileiros, mas também fatos históricos do Brasil relacionados a momentos marcantes do futebol, como as conquistas dos cinco títulos Mundiais (1958, 1962, 1970, 1994 e 2002). Além disso, o Museu do Futebol tem um espaço para mostras itinerantes. A primeira destas é a de Pelé. Serão mostradas mais de 100 peças do

16

acervo do ex-jogador, além de itens de colecionadores, como a camisa utilizada na final da Copa do Mundo de 1970, que pertence ao cineasta João Moreira Salles.

Por Bernardo Ferraz

Um dos destaques do museu é a Sala das Copas do Mundo. Curiosamente, ela aparece na frente do visitante logo após o “Rito da Passagem”, um corredor que mostra a final da Copa do Mundo de 1950 ao som dos batimentos cardíacos e da narração de Arnaldo Antunes. Quando Ghiggia faz o segundo gol uruguaio, o coração do brasileiro “pára” e, como num túnel do tempo, o torcedor é transportado para a tristeza da arquibancada do Maracanã. Logo em seguida, enfim, a Sala das Copas. Os Mundiais são representados por totens. Em cada um deles, recordações do torneio e do que o Brasil e o mundo viviam à época. Na conquista do tetra, em 1994, uma foto de Ayrton Senna estabelece contraste entre os dois sentimentos dos

www.revista.maisoeste.com.br


brasileiros naquele ano. Filmes, artistas, escritores, novelas, músicas... Cada ano de Copa tem a sua respectiva história relembrada. Outro destaque é a Sala das Origens, com 431 fotos antigas. Com um ar de nostalgia, pelas molduras e pela própria iluminação do ambiente, o visitante é resgatado para os tempos da chegada do futebol ao Brasil, quando Charles Miller desembarcou com uma bola debaixo do braço. O museu ainda tem espaços interativos. Em mesas, que misturam

www.revista.maisoeste.com.br

botão e pebolim (ou totó), é possível confrontar esquemas táticos: 4-4-2, 3-5-2, W-M, carrossel... Na Sala dos Números, as 17 regras do futebol são contadas de forma bastante lúdica. Durante as obras no estádio do Pacaembu, que é tombado pelo patrimônio histórico, uma área chamou a atenção dos responsáveis pelo museu. Um trecho do terreno, com terra e pedras da época da inauguração, em 1940, estava intacto. É quase um sítio arqueológico do futebol. Ali foi instalada a Sala da Exaltação. Entre vigas e pilares do avesso da arquibancada são projetadas imagens e sons das principais torcidas brasileiras.

O museu, que custou R$ 32,5 milhões, tem preços populares para os visitantes. Os bilhetes custam R$ 6, sendo R$ 3 para estudantes. Os responsáveis pelo museu já disseram que esperam cerca de 600 mil visitantes por ano. O novo museu funcionará diariamente, das 10h às 18h, com exceção das segundas-feiras e dos dias de jogos. Futuramente, quando a “cultura de paz” estiver presente na maioria dos torcedores, o local também será aberto durante as partidas. Para os apaixonados por esporte e, principalmente, pelo futebol, um programa imperdível. Vale a pena conferir.

17


capa

C

Yudi

ESSE VAI LONGE...

om apenas 16 anos e uma rotina para lá de diferente dos garotos dessa idade, Yudi Tamashiro, apresenta o programa infantil Bom Dia e Cia, exibido diariamente no canal SBT, e encanta não só as crianças. O novo programa que estará no ar em breve nas programações online. Com essa vida para lá de agitada, ela ainda arruma tempo para estudar, cuidar da beleza, sair com amigos e viajar. E nada melhor que uma praia para descansar e tomar sol. Além das gravações diárias, de ensaios de dança, escola, lições de casa e skate, o apresentador mirim de Silvio Santos dá palestras em escolas para crianças sobre Responsabilidade Social, Aquecimento Global e Sustentabilidade.

Mais Oeste. Você tem somente 16

Yudi conversou com a Revista Mais Oeste e nos contou muitas outras coisas. Confira!

Yudi. A minha maior dificuldade, com certeza, foi superar minha timi-

20

anos e já fez muitos trabalhos. Como você começou sua carreira?

Yudi. Tudo começou quando eu pas-

sei a fazer parte de um grupo de rock no programa do Raul Gil, aos 9 anos, fazendo dublagem de diversos artistas e bandas como R.P.M, Rick Martin, Mamonas Assassinas, entre outros. Esta jornada do Raul Gil durou dois anos e meio consecutivos. Durante este tempo eu estudava dança e teatro então sempre aparecia concurso de dança e comerciais de TV.

Mais Oeste. Nessa jornada, qual foi

a sua maior dificuldade e sua maior conquista?

dez. Eu sempre fui muito tímido, ainda sou um pouco, mas melhorei. E minha maior conquista foi o carinho do público. Isso é uma enorme recompensa.

Mais Oeste. Como é o Yudi longe

das câmeras?

Yudi. O Yudi longe das câmeras é o mesmo que o da frente delas, porque não existe dois Yudis. Eu sou muito transparente, o que eu sou no trabalho eu sou na escola, eu sou com meus amigos, minha família, em qualquer lugar. Eu sou feliz, sempre. Mais Oeste. Sabemos que a sua agenda é bem cheia. Como você concilia trabalho, escola, família, diversão? Yudi. Realmente minha agenda é www.revista.maisoeste.com.br


bem cheia, mas consigo dar conta de tudo muito bem. No meu trabalho eu me divirto muito, pois lá convivo com os amigos, sem contar os telefonemas que eu falo com muitas crianças, uma coisa que eu adoro. Tem também os totototinhos, que falam engraçadinho. Quanto à escola eu vou normalmente, depois da gravação. Eu estudo à tarde, então sempre me reúno com a minha família e amigos no final do dia, à noite. É corrido, mas consigo dar conta de tudo.

Mais Oeste. Alguma vez você já pen-

sou em largar tudo e ter uma vida normal, como a de seus amigos?

Yudi. Na verdade já, muitas vezes. Principalmente quando meus pais me proíbem de sair sozinho. Eles acreditam ser muito perigoso, falam um monte de coisas. Eu não tiro a razão deles, mas me irrito um pouco. Só que logo passa, pois paro, penso no meu trabalho e esqueço, pois adoro tudo que faço. Mais Oeste. Como foi sua chegada ao SBT?

Yudi. Chegar ao SBT foi muito bom,

um sonho. Lá é um ambiente maravilhoso, todos me receberam muito bem, me tratam muito bem. No “Bom Dia e Cia” é como uma família, eu me sinto em casa, um cuida do outro, todos se preocupam com o outro, tem sido um ótimo lugar pra mim.-

Mais Oeste. Você apresenta o “Bom

Dia e Cia” ao lado da Priscila Alcântara. Como é a relação de vocês fora da gravação?

www.revista.maisoeste.com.br

Percebendo que estava sendo bem aceito por jovens, crianças e adultos, nós resolvemos investir fundo, entramos em contato com o ator e ambientalista Leonardo DiCaprio que possui o projeto “A Última Hora”, e ele enxergando o nosso potencial nos nomeou os únicos representantes dele aqui no Brasil.

Yudi. Eu e a Priscila passamos várias horas no dia juntos, então nos conhecemos bem. Por isso nos tratamos mais que amigos e sim como irmãos, pois eu tenho uma irmã com a idade dela e eu adoro provocá-la como provoco minha irmã ,com carinho.

skate mais ou menos aos 10 anos, quando fui dublar o Chorão do Charlie Brow Jr. Ele anda de skate e eu tive que fazer igual. Foi paixão a primeira vista e nunca mais larguei o skate, desde então. Hoje, toda vez que eu posso, vou dar uns roles nas ruas e nas pistas.

Mais Oeste. Em pouco tempo você termina os estudos. Pretende fazer alguma faculdade?

Mais Oeste. Mudando um pouco de assunto... Sabemos também que você é super engajado com o tema Responsabilidade Social. De que forma você contribui com a sociedade?

Yudi. Claro, mas estou em dúvida entre duas: Rádio Tv e Propaganda Marketing. Mais Oeste. Como todos sabem você

é apaixonado pelo skate. Quando você começou a andar?

Yudi. Bom, eu comecei a andar de

Yudi. Bom, toda vez que eu posso

faço palestras nas escolas, para os adolescentes. Procuro passar as mensagens sobre a conscientização ecológica para os jovens que não tem acesso a informações. Dou exemplos, conto histórias, falo como agir.

21


capa

Mais Oeste. Você tem um projeto em andamento sobre a conscientização do aquecimento global. Fale um pouco sobre ele. Yudi. Pois é, tudo começou após eu ter assistido o documentário do “Al Gore” sobre o Aquecimento Global. Ele me chocou muito, principalmente quando eu vi um urso sem ter para onde ir, eu parei para pensar e percebi que alguma coisa haveria de ser feita. Então me aliei ao ambientalista e cineasta “Toní Martin” e criamos o projeto “ARTISTAS EM AÇÃO”. Nós acreditamos que todo artista tem o dom da palavra e da persuasão e não podemos desperdiçar essa chance de passar uma mensagem boa. Chegou a hora de utilizá-la conscientizando os jovens, como este projeto. Percebendo que estava sendo bem aceito por jovens, crianças e adultos, nós resolvemos investir fundo, entramos em contato com o ator e ambientalista Leonardo DiCaprio que possui o projeto “A Última Hora”, e ele enxergando o nosso potencial nos nomeou os únicos representantes dele aqui no Brasil. Estamos até com um encontro marcado com ele, para o final deste ano, para que possamos unificar os nossos projetos. Afinal tudo é por uma ótima causa.

Mais Oeste. Muita gente da sua idade não se preocupa ou não tem noção da importância de agir com responsabili-

22

Perfil Nome: Yudi Tamashiro Data de nascimento: 04/08/1992 Melhor filme: Deby e Loid – Dei muita risada Não faria nunca: Não trairia um colega meu Uma coisa chata: Tomar vitaminas e remédios Fica feliz quando: Consigo alguma coisa Fica irritado quando: Quando não acreditam em mim. Quando eu ando de skate e faço uma manobra diferente, conto para os amigos e eles não acreditam porque não viram.

www.revista.maisoeste.com.br


Yudi. Não penso em mudar nada, pois tenho tudo que eu sempre quis, estou conquistando aos poucos e ainda tenho muito a conquistar. Sou muito feliz assim. Mais Oeste. Como você se imagina daqui a 10 anos? Yudi. Todos meus projetos só têm um foco: o público. Portanto, me vejo fazendo algum outro tipo de programa, ou executando o projeto que estou focado agora que é cantar, pois, logo, logo minha música “Dominar você” estará nas rádios. Mais Oeste. Hoje, se não fosse apresentador, seria....?

dade para com a sociedade. O que te fez despertar o interesse pelo assunto?

Yudi. Realmente existem muitos jovens que desconhecem este grave problema, mas não porque querem, e sim por falta de informação. Por isso que estou indo às escolas para fazer este trabalho, pois eles significam um futuro melhor. Mais Oeste. Você escreveu uma música com o tema Responsabilidade Social, como foi isso?

www.revista.maisoeste.com.br

Yudi. Assim como diz o tema do projeto “Artistas em ação”, foi o que aconteceu. Eu me aliei ao rapper Cabal e ao cantor Oscar Tintel e fizemos a música “Esquecimento Total”, na qual a letra alerta: “Todo dia a gente tem que lembrar, tem que entrar em sintonia sempre equilibrar o balanço porque é o aquecimento global só não pode cair no esquecimento total”

Yudi. Hoje, como só tenho 16 anos, com certeza me dedicaria mais ao skate para ser um skatista profissional, e à dança, na qual já vinha ganhando alguns festivais internacionais. Mais Oeste. E para terminar... Se você pudesse deixar aqui um recado para o mundo, o que você falaria? Yudi. Plante coisas boas que receberá coisas boas de volta. E nunca deixa de acreditar nos seus sonhos, pois eles podem se realizar.

Mais Oeste. Se você pudesse mudar alguma coisa na sua vida, o que mudaria?

23


curiosidade

São Paulo A

lguns dos meus queridos amigos cariocas têm mania de achar São Paulo parecida com Nova York.

Discordo deles. Só acha São Paulo parecida com Nova York quem não conhece bem a cidade. Ou melhor, quem a conhece superficialmente e imagina que São Paulo seja apenas uma imensa Rua Oscar Freire. Na verdade, o grande fascínio de São Paulo é parecer-se com muitas cidades ao mesmo tempo e, por isso mesmo, não se parecer com nenhuma. São Paulo, entre muitas outras parecenças, se parece com Paris no Largo do Arouche, Salvador na Estação do Brás, Tóquio na Liberdade, Roma ao lado do Teatro Municipal, Munique em Santo Amaro, Lisboa no Paris, com o Soho londrino na Vila Madalena e com a pernambucana Olinda na Freguesia do Ó. São Paulo é um somatório de qualidades e defeitos, alegrias e tristezas, festejos e tragédias. Tem hotéis de luxo, como o Fasano, o Emiliano e o L’Hotel, mas também tem gente dormindo embaixo das pontes. Tem o deslumbrante pôr-do-sol do Alto de Pinheiros e a exuberante vegetação da Cantareira, mas também tem o ar mais poluído do país. Promove shows dos Rolling Stones e do U2, mas também promove acidentes como o da cratera do metrô e o do avião da TAM em Congonhas. São Paulo é sempre surpreendente. Um grupo de meia dúzia de paulistanos significa um italiano, um japonês, um baiano, um chinês, um curitibano e um alemão. São Paulo é realmente curiosa. Por exemplo: tem diversos grandes times de futebol, sendo que um de24

les leva o nome da própria cidade e recebeu o apelido ‘o mais querido’. Mas, na verdade, o maior e o mais querido é o Corinthians, que tem nome inglês, fica perto da Portuguesa e foi fundado por italianos, igualzinho ao seu inimigo de estimação, o brilhante e famoso Palmeiras também conhecido como Academia de Futebol.. São Paulo nasceu dos santos padres jesuítas, em 1554, mas chegou a 2007 tendo como celebridade o permissivo Oscar Maroni, do afamado Bahamas. São Paulo já foi chamada de ‘o túmulo do samba’ por Vinicius de Moraes, coisa que Adoniran Barbosa, Paulo Vanzolini e Germano Mathias provaram não ser verdade, e, apesar da deselegância discreta de suas meninas, corretamente constatada por Caetano Veloso, produziu chiques, como Dener Pamplona de Abreu e Gloria Kalil. São Paulo faz pizzas melhores que as de Nápoles, sushis melhores que os de Tóquio, lagareiras melhores que as de Lisboa e pastéis de feira melhores que os de Paris, até porque em Paris não existem pastéis, muito menos os de feira. Em alguns momentos, São Paulo se acha o máximo, em outros um hor-

ror. Nenhum lugar do planeta é tão maniqueísta. São Paulo teve o bom senso de imitar os botequins cariocas, e agora são os cariocas que andam imitando as suas imitações paulistanas. São Paulo teve o mau senso de ser a primeira cidade brasileira a importar a CowParade, uma colonizada e pavorosa manifestação de subarte urbana, e agora o Rio faz o mesmo. São Paulo se poluiu visualmente com a Cow Parade, mas se despoluiu com o Projeto Cidade Limpa. Agora tem de começar urgentemente a despoluir o Tietê para valer, coisa que os ingleses já provaram ser perfeitamente possível com o Tâmisa. Mesmo despoluindo o Tietê, mantendo a cidade limpa, purificando o ar, organizando o mobiliário urbano, regulamentando os projetos arquitetônicos, diminuindo as invasões sonoras e melhorando o tráfego, São Paulo jamais será uma cidade belíssima. Porque a beleza de São Paulo não é fruto da mamãe www.revista.maisoeste.com.br


natureza, é fruto do trabalho do homem. Reside, principalmente, nas inúmeras oportunidades que a cidade oferece, no clima de excitação permanente, na mescla de raças e classes sociais. São Paulo é a cidade em que a democratização da beleza, fenômeno gerado pela miscigenação, melhor se manifesta. São Paulo é uma cidade em que o corpo e as mãos do homem trabalharam direitinho, coisa que se reconhece observando as meninas que circulam pelas ruas. E se confirma analisando obras como o Pátio do Colégio (local de fundação da cidade), a Estação da Luz (onde hoje fica o Museu da Língua Portuguesa), o Mosteiro de São Bento, a Oca, no Parque do Ibirapuera, o Terraço Itália, a Avenida Paulista, o Sesc Pompéia, o palacete Vila Penteado, o Masp, o Memorial da América Latina, a Santa Casa de Misericórdia, a Pinacoteca e mais uma infinidade de lugares desta cidade que não pode parar, até porque tem mais carros do que estacionamentos.

www.revista.maisoeste.com.br

São Paulo não é geograficamente linda, não tem mares azuis, areias brancas nem montanhas recortadas. Nossa surfista mais famosa é a Bruna, e nossos alpinistas, na maioria, são sociais. Mas, mesmo se levarmos o julgamento para o quesito das belezas naturais, São Paulo se dá mundialmente muito bem por uma razão tecnicamente comprovada. Entre as maiores cidades do mundo, como Tóquio, Nova York e Cidade do México, em matéria de proximidade da beleza, São Paulo é, disparado, a melhor. Porque é a única que fica a apenas 45 minutos de Santos.

Washington Olivetto é paulista, paulistano e publicitário.

25


agenda cultural

Por Rodolfo Lima

Filmes Ensaio sobre a cegueira

O filme incomoda, emociona, e nos faz pensar sobre a condição animalesca do ser humano. Poético, cruel e por vezes perturbador, o filme oferece várias analogias. Para ser visto - e lido - mais de uma vez..

Mamma Mia

Se você não conhece o grupo ABBA eis a oportunidade. O musical traz as músicas dos tempos áureos do grupo e de quebra uma Meryl Streep impagável. Divertido e emocionante - em virtude das músicas - Mamma Mia é um filme desprentioso e uma boa introdução no universo do quarteto de Dancing Queen.

Teatro Infantil O Cravo e a Rosa O musical infantil de Chico Abreu conta a história de amor do cravo com a rosa. Delicado e bem feito, a peça agrada pais e filhos, ao reinventar a história de amor entre “pessoas” de mundos diferentes. Teatro Sergio Cardoso Rua Rui Barbosa, 153 - Bela Vista.

26

Sábado e Domingo às 16h R$20 (inteira) R$10 (meia) Informações: 3288-0136 Duração: 60 minutos

Ame a Amazônia Na floresta amazônica o índio Caynã e os animais da floresta se juntam para impedir o desmatamento e a extinção das espécies em extinção. A peça conta com projeções de imagens cedidas pelo Greenpeace. O jornal amazonal feito por fantoches é um ótimo momento. Teatro Bibi Ferreira Avenida Brigadeiro Luis Antonio, 931 - Bela Vista. Sábado e Domingo às 16h R$ 30(inteira) R$ 15 (meia) Recomendação: livre Informações: 3105-3129 Duração: 90 minutos

Show Romance Volume II Marisa Orth volta a cantar em show despretensioso, com músicas brega chique sobre o amor. A atriz faz graça entre uma música e outra e leva o público ao delírio com músicas de Tim Maia, Hildon e Roberto Carlos. Imperdível

www.revista.maisoeste.com.br


Café Concertus Uranos Rua Doutor Carvalho de Mendonça, 40 - Barra Funda. Toda quinta-feira às 22h. R$ 60 (inteira) Recomendação: 14 anos Informações: 3822-2801 Duração: 90 minutos

Restaurante Bem Brasil Costelaria e Grelhados A churrascaria Bem Brasil esbanja bom gosto, simpatia e ,principalmente , saborosos pratos para os visitantes. Com excelentes técnicas de atendimento ao cliente, o proprietário aposta na variedade de sabores, possibilitando ao cliente, maior diversidade de escolha. Em sua especialidade encontramos a costela macia e a picanha no ponto onde o bom apreciador de churrasco se delicia e fartase com uma porção generosa que a casa oferece. Vale a pena conferir. Av.do Anastácio, 591 – Pq Vila Olímpia 3644-7730 / 3644-7725 Aberto de terça a domingo e feriados almoço e jantar c/ manobrista (aceita reservas). contato@bembrasilcostelaria.com.br

www.revista.maisoeste.com.br

27


Reflexão

Cuide da sua paz interior Sucesso só traz sucesso. Amor, paz e segurança não são conseqüências de sucesso, dinheiro e poder. Por Roberto Shinyashiki

S

ucesso atrai sucesso. Mas chega um dia em que não precisamos de mais sucesso para ser felizes. Do que precisamos então? De amigos, de um pouco de paz, de sermos amados pelo que somos e de termos tempo para ficar em silêncio, sem fazer nada... Simplesmente curtir a delícia de estarmos vivos. Muitas pessoas se iludem com o sucesso ao pensarem que ele é o único alimento da vida. Eu espero que você já tenha descoberto que é mais fácil ter sucesso do que ser feliz. O sucesso nos promete muita coisa, porém freqüentemente só alimenta nossas ilusões. Certa vez, um sujeito milionário, mas muito mesquinho, procurou um mestre espiritual e lhe disse: — Mestre, eu me dedicaria a uma vida espiritual depois que me tornasse rico e poderoso. Se o senhor me ajudar a ter muito dinheiro, começarei minha busca espiritual. O mestre sabia que isso não daria certo, mas, mesmo assim, pegou uma concha mágica e deu ao homem, dizendo: — Esta concha vai realizar todos os seus desejos. Conquiste tudo o que quiser e, quando achar que chegou a hora, venha me procurar. O homem não perdeu tempo, esfregou a concha e lhe pediu uma fazenda. Em poucos segundos, lá estava, uma fazenda linda, com cavalos, bois, galinhas, vacas e um maravilhoso pomar. Agora ele queria uma loja, uma grande loja, com roupas chiques, que desse bons lucros. Esfregou a concha novamente, e pronto, num piscar de olhos, a loja estava à sua frente. Não satisfeito, o sujeito pediu

28

dessa vez um palácio. Esfregou a poderosa concha e ganhou um esplendoroso palácio, ornamentado com ouro e prata, repleto de serviçais. Por mais que realizasse seus desejos, porém, ele ainda não estava feliz. Nada daquilo bastava. Faltava algo. Foi então que, um belo dia, viu um outro velho mestre esfregando uma concha. Quando o sábio pediu uma fazenda à concha, esta lhe respondeu: — Não vou lhe dar uma fazenda apenas, vou lhe dar duas. Entusiasmado com a descoberta, o homem propôs ao mestre que trocassem as conchas: — Eu vi sua concha e a achei sensacional. A minha é simples. Ela só realiza um desejo uma vez. Por favor, vamos trocar. O sábio explicou que sua concha era uma brincadeira, mas, ante a insistência do homem, cedeu-a. O sujeito, então, sem esperar nem mais um minuto, pediu uma nova fazenda, e a concha respondeu: — Eu vou lhe dar duas fazendas. Mas não apareceu nenhuma fazenda. Então ele pediu: — Me dê as duas fazendas. E a concha respondeu: — Eu lhe darei quatro fazendas. Mas nenhuma fazenda apareceu. De novo, o homem pediu: — Então me dê as quatro fazendas. — Não. Agora resolvi lhe dar oito fazendas. O sujeito pensou que a concha estivesse louca e decidiu pedir outra coisa. Tentou um palácio, e a concha respondeu: — Eu lhe darei dois palácios. Mas o homem não ganhou nada. Tentou de novo e pediu dois palácios. E

a concha respondeu que lhe daria quatro palácios, porém nada apareceu. Decepcionado, ele foi ao mestre e disse: — Não entendo esta concha. Ela promete maravilhas, porém não cumpre nada. O mestre, calmamente, explicou: — Ela é assim mesmo: só promete. É como a voracidade, meu amigo; ela promete muitas coisas, mas não proporciona nenhuma. É preciso decidir ser feliz com o que se tem neste momento. A voracidade nos torna insaciáveis e condiciona a felicidade à próxima conquista. Você pode conquistar tudo a que se propôs, mas as vitórias só lhe trarão mais angústias... A culpa não é de quem promete, mas de quem se ilude. Dinheiro só traz dinheiro, não traz elegância, cultura e classe. Poder só traz poder, não traz a verdadeira amizade. Sucesso só traz sucesso. Amor, paz e segurança não são conseqüências de sucesso, dinheiro e poder. Se você quiser amor, terá de conquistar amor. Se você quiser se sentir seguro, não adianta ter mil guarda-costas. Se você for uma pessoa insegura, um bilhão de reais não será suficiente para aplacar seu medo de ficar pobre ou de ser seqüestrado. Somente uma pessoa confiante na vida se sente tranqüila. Trabalhe para ter bastante dinheiro para viver, mas lute também para conquistar confiança, ser feliz e não se deixar levar pela voracidade. Roberto Shinyashiki é psiquiatra, palestrante e autor de 14 títulos, entre eles: Sempre em Frente, Os Segredos dos Campeões, Tudo ou Nada, Heróis de Verdade, Amar Pode Dar Certo, O Sucesso é Ser Feliz e A Carícia Essencial www.clubedoscampeoes.com.br)

www.revista.maisoeste.com.br


moda

USE E ABUSE DOS ACESSÓRIOS N

a próxima estação não abandone seus acessórios em peças douradas, pedras naturais e cristais, nem braceletes, tiaras, brincos e cintos novinhos, pois eles vão continuar por mais alguns meses. Para quem ainda não se acostumou com a tendência, corra para uma loja mais próxima e complete seu armário. Segundo Débora Gelman, da 11º Mostra/ Acessórios eles atualizam a produção, compõe o look e dão a cara da estação quando usados corretamente. O importante é tomar cuidado com o excesso de detalhes para não parecer uma árvore de natal. O olhar deve ir apenas para um item. “Usar brinco com colar pode ser perigoso, se optar por um colar grande, o brinco deve ser pequeno, e vice-versa. O mesmo vale para pulseira e anel”, aconselha Débora. Tudo está muito grande então o ideal é combinar um colar com anel e um par de brincos com pulseira, ou com anel. “Eles não devem ser ‘conjuntinho’, mas precisam falar a mesma língua, ter o mesmo banho (dourado ou prateado) e o mais importante: ter certeza que a produção não seria nada sem eles”, completa. Débora ainda dá a dica: ao se olhar honestamente, se algo estiver sobrando, deve ser eliminado do visual.

usada na noite. E resulta em um efeito totalmente diferente se combinada com bijuterias que levam strass, pérolas, cristais ou são apenas mais sofisticados. O segredo é saber diversificar nos acessórios. e menos esportivos que os diurnos. “Brincos grandes em metal ficam lindos a noite, às vezes na mesma produção que um pequeno usado no escritório”, diz Débora.

O destaque da estação vai para as peças em formato de bolas, tanto em brincos como em colares. Conjunto de pastilhas lilás e prata envelhecida e os belíssimos colares de aço escovado também vão com tudo. Peças em formato de coração com mistura das cores envelhecidas e brilhantes, além das pulseira de fios e correntes e brincos de prata velha escovada também estarão em alta nas próximas estações.

Bijuterias

Como qualquer acessório e vestuário, as bijuterias também acompanham as tendências da moda. A coleção primavera/ verão de 2009 já começa a ser notada nas vitrines. Peças românticas com detalhes e formatos de coração estarão em alta durante as estações mais quentes do ano. As grifes de bijuterias trazem, principalmente, peças em metal dourado com pedras naturais ou cristais acompanhando sua coleção, pois a tendência é fazer as mulheres brilharem ainda mais no verão. Qualquer pretinho básico muda com uma bela bijuteria. Por isto, cada vez mais cresce o número de consumidoras que usam e abusam das peças. A mesma roupa usada durante o dia, com uma bijuteria discreta, em tons opacos e sem muito brilho, pode ser 30

www.revista.maisoeste.com.br


Tiaras e faixas Toda mulher já recorreu a uma tiara ou faixa seja para domar os fios rebeldes ou para dar charme ao look. Esquecidos por um tempo, esses acessórios prometem ser a febre do verão 2009. Então, é hora de resgatá-los do fundo da gaveta ou apostar em versões mais modernas. A próxima estação mostra cabelos mais soltos e naturais. As madeixas deverão passar longe da prancha. Portanto, é hora de assumir as ondulações ou cachos e valorizá-los com uma presilha, arranjo de flores e outros apetrechos. O verão será das tiaras finas com strass, das flores e das faixastiara. Ao contrário de muitas tendências que privilegiam somente algumas mulheres, as faixas e tiaras são para todas. Mulheres de todas as idades podem usar, seja lá qual for a situação, no diaa-dia ou durante a noite. Entretanto, Débora dá uma dica: “Quem usa óculos ou brincos enormes precisa tomar cuidado para não ficar poluído. As tiaras são mais indicadas para as mais jovens e devem seguir a linha da produção (se for em festa ou balada, valem os brilhos; para o dia-a-dia elas devem ser mais discretas e divertidas). As faixas alcançam uma faixa etária mais alta, mas devem também acompanhar o estilo da produção.

www.revista.maisoeste.com.br

A força da bolsa

Abrigo de segredos e intimidades, a bolsa reflete a personalidade de sua dona, desde o interior, com suas organizações peculiares

A bolsa é praticamente a extensão do corpo de uma mulher. Com todo o simbolismo que ela carrega, leva também um pouquinho de tudo o que é seu: sua casa, sua família, seu trabalho, sua vida amorosa e sua vaidade. Abrigo de segredos e intimidades, a bolsa reflete a personalidade de sua dona, desde o interior, com suas organizações peculiares, até seu exterior, que transmite um pouco daquilo que

ela deseja aparentar. A bolsa é um investimento que compensa pela sua durabilidade e por sua facilidade de venda - não necessita grades de numeração, serve em qualquer um - e é facilmente visto e reconhecido. Portanto a divulgação da “bolsa da vez” é parte decisiva da estratégia das marcas (principalmente estrangeiras) na busca por visibilidade e prestígio. As bolsas pequenas e de mão e as usadas na transversal estão novamente em alta. Use e abuse.

31


Esporte

FÓRMULA 1: FIM DO TABU? A

pós 17 anos o Brasil pode voltar a ter um campeão mundial na categoria mais importante do automobilismo: a Fórmula 1. Felipe Massa, piloto da scuderia Ferrari, é o brasileiro que pode acabar com esse longo jejum. O seu principal adversário na luta pelo título é o inglês Lewis Hamilton, da equipe McLarenMercedes, vice-campeão em 2007. Nascido em São Paulo e, hoje, com 27 anos, Massa estreou na Fórmula 1 em 2002, na equipe Sauber. No ano seguinte, o brasileiro tornou-se piloto de testes da scuderia Ferrari. Felipe retornou como titular no ano de 2004, novamente pela equipe Sauber, onde permaneceu até 2005. Em 2006, Felipe Massa foi contratado pela Ferrari e nesse mesmo ano conquistou a sua primeira vitória na categoria, no Grande Prêmio da Turquia. Também em 2006, ele ganhou em casa o Grande Prêmio do Brasil, sendo o primeiro brasileiro a vencer em Interlagos, desde Ayrton Senna, em 1993. Felipe teve chances de brigar pelo título do Mundial de Fórmula 1 em 2007, mas, devido a problemas durante a temporada, acabou em quarto lugar. Em 2008, pela primeira vez na carreira, assumiu, após vencer o GP da França, a liderança do Mundial, entrando para a história, depois de Ayrton Senna em 1993, como

32

primeiro piloto brasileiro a liderar o campeonato. Após o último título brasileiro na Fórmula 1, conquistado por Ayrton Senna, em 1991, o Brasil busca um novo ídolo nesta modalidade. Rubens Barrichello, apesar de ter conseguido dois vice-campeonatos pela scuderia Ferrari (2002 e 2004), nunca conseguiu chegar perto do seu companheiro de equipe, o alemão Michael Schumacher. Este, que é o maior vencedor da história da Fórmula 1, com sete títulos

conquistados (1994, 1995, 2000, 2001, 2002, 2003 e 2004), abriu espaço para uma nova geração de pilotos após a sua aposentadoria, em 2006. Com isso, finalmente, o Brasil volta a ter possibilidades reais de conquistar um título na Fórmula 1. Este ano pode ser a consagração para o piloto brasileiro Felipe Massa. A última prova da temporada acontece no dia dois de novembro, no Grande Prêmio do Brasil, no autódromo de Interlagos, em São Paulo. Quem sabe não será esse dia, o fim do tabu, que já duram 17 anos. Vamos aguardar. Por Bernardo Berraz

www.revista.maisoeste.com.br


Foto Ilustrativa


classimix

Bar

Detetive

Seguros

Publicidade

Concurso

Telefonia

Turismo

EstĂŠtica Automotiva

34

www.revista.maisoeste.com.br


Revista Mais Oeste  

Revista destribuição gratuita em toda Zona Oeste de São Paulo, 45 mil exemplares mensais. Edição 05

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you