Issuu on Google+


2


índice

saúde

O que fazer para recuperar sua pele

14

capa

Instituto Ayrton Senna

Lair Ribeiro

Marketing Pessoal Valorize sua marca

06

A criança que fomos um dia ainda mora em nosso coração

agenda cultural

20

happy-hour

A procura do bar certo

esporte

Romário e a globalização

10

18

Roberto Shinyashiki

Shows, peças e eventos

08

12

24

conhecimento

Uma doce história

3


expediente

editorial

Querido Leitor,

Diretora Responsável Paula Silva paula@revistamaisoeste.com.br

Diretor Comercial Marcos Kawauchi marcos@revistamaisoeste.com.br

Com certeza você está cansado de ouvir falar em solidariedade, certo? Mas o que significa, precisamente, isso? Segundo o dicionário, solidariedade é a partilha do sofrimento alheio, uma tentativa de tornar mais amenas as dificuldades alheias. É também auxiliar, apoiar ou defender alguém. Em um mundo comandado pelo individualismo, em que impera o poder econômico, é necessária a atuação de pessoas e de ações solidárias. Ser solidário vai além de olhar crianças no semáforo e pensar: “Que pena! Poderiam estar estudando!”. A solidariedade leva sempre a uma atitude. Claro, que há dificuldades reais e diversos empecilhos para executar algumas medidas e para exercitarmos a nossa solidariedade, mas o Brasil está cheio de bons exemplos de ações solidárias que funcionam e ajudam a muitas pessoas. Nesta edição buscamos ilustrar exatamente isso: bons resultados de ações sociais solidárias. Por isso, trouxemos uma entrevista com Viviane Senna, presidente do Instituto Ayrton Senna, mostrando o trabalho e os resultados alcançados por esta ong. Esta instituição busca contribuir com o desenvolvimento humano de crianças e jovens brasileiros; dando-lhes instrumentos para que possam melhorar suas condições de vida e ajudando a garantir uma educação de qualidade. Neste exemplar de abril, ainda tivemos o cuidado de pensar em dicas para te ajudar a aproveitar não só os feriados do mês, mas também todos os fins de semana do mês que se inicia. Nas próximas páginas, você vai encontrar algumas sugestões de bares da região.Desejamos uma boa leitura! Flávia Biazetto

Jornalista Responsável Flávia Biazetto (MTB 44408/SP)

Diagramação e Arte Renato Mininel Junior renato@revistamaisoeste.com.br

Publicidade Bruna José André Miguel Paula Mendes comercial@revistamaisoeste.com.br

Colaboradores Roberto Shinyashiki Lair Ribeiro Felipe Jardini Adilson Costa Instituto Ayrton Senna

Foto Capa Juan Guerra

Redação e Publicidade Rua Faustolo, 1748 - cj. 01 - sala 2D Vila Romana - São Paulo

Atendimento ao leitor leitor@revistamaisoeste.com.br

PARA ANUNCIAR : Tel.:

3455-1200 / 3871-9292 Periodicidade: Mensal

A Revista Mais Oeste é uma publicação mensal da Editora Eco Ambiental Ltda. com distribuição gratuita em comércios e residências, sendo que a publicidade veiculada são de responsabilidade de seus respectivos anunciantes. Não nos responsabilizamos por opiniões expressas nos artigos assinados. Proibida reprodução parcial ou total sem autorização.

4


5


reflexão

A criança que fomos um dia ainda mora em nosso coração Para estar em paz com nossa emoção precisamos ficar atentos aos movimentos de nossa criança.

A

criança que fomos representa uma parte importante de nossa estrutura psicológica. Os psicoterapeutas que valorizam essa idéia a chamam de criança interior. Cuidar dessa nossa parte é essencial para estar em paz com nossos sentimentos. Nossa criança interior guarda as experiências afetivas vividas no passado. Às vezes a manifestação dessa criança é cheia de prazer. Por exemplo, quando brincamos com nossos filhos como se também fôssemos crianças livres. Quando nos permitimos pedir colo a um amigo querido. Quando caminhamos na praia debaixo de uma chuva de verão. Em outros momentos, porém, as dores não cuidadas de nossa infância tomam conta de nossa consciência de forma sombria. E nossa criança grita e nosso adulto se cala! Porque uma criança desprotegida é capaz de qualquer coisa para se sentir segura. Uma criança que se sente abandonada é capaz de fazer o que os pais esperam somente para se sentir amada. Uma criança que não se sente admirada é capaz de agir como um macaquinho amestrado para conquistar o aplauso dos pais. Para estar em paz com nossa emoção precisamos ficar atentos aos movimentos dessa criança. Vamos imaginar a seguinte situação: sua irmã convida um de seus irmãos para almoçar, não

6

lhe avisa, e você fica magoada com ela. Puxa vida! Desejar que ela tivesse convidado você é uma coisa, mas arrumar uma briga com ela é outra, muito diferente. De nada adianta brigar com sua irmã. Isso não vai dissipar sua sensação de abandono. A única solução verdadeira é olhar dentro de você e dar à sua criança todo o amor de que ela precisa. Como você provavelmente é amiga de sua irmã, brigar com ela por não te convidar para o almoço significa simplesmente procurar a solução onde o problema não está. Mais um exemplo: você fica magoada com seu chefe porque ele não se lembrou de seu aniversário. É lógico, seria legal que ele tivesse sido carinhoso com você. Mas talvez ele estivesse tão preocupado com outros problemas que não se lembrou da data. Bem, você pode deixar para lá e esquecer o assunto ou ficar com uma grande mágoa. O que será que tocou você tão profundamente a ponto de ficar magoada com algo que, em outras condições, não ganharia toda essa proporção? Na verdade, essa dor não vem do adulto que você é hoje. O episódio com seu chefe despertou aquela criança carente que estava adormecida. Pode ser que seu pai também não a cumprimentasse em seu aniversário... Ou seus pais não faziam uma festa para você. Bem, certamente brigar com o chefe não vai resolver nada. Se ele for uma pessoa importante para você, talvez uma conversa com ele sobre o episódio desfaça sua mágoa. O mais importante, contudo, é olhar dentro de si e cuidar de sua criança. A maior parte das pessoas não cuida dessas


carências e, em vez de mergulhar na análise das experiências malsucedidas, veste a famosa máscara em que se lê: eu sou sensacional. O problema é que carências não cuidadas sempre dão um jeito de aparecer... Algum tempo atrás, o costureiro Clodovil entrevistava, em seu programa de televisão, um médico famoso, que tem uma imagem de aristocrata. Em determinado momento, ele percebeu que o cirurgião tinha tido uma infância muito pobre e fez o seguinte comentário: – Quer dizer que você teve muitas dificuldades no começo de sua carreira? O médico ficou visivelmente constrangido e começou a dar explicações, como faz um político corrupto ao ter de justificar a origem do dinheiro que está em sua conta bancária. Resultado: o que se viu foi uma pessoa angustiada, envergonhada, tensa, irritada, como se tivesse sido pega em uma mentira. Ele estava totalmente distante de sua criança interior, querendo esconder suas raízes e essa negação disparou

o sentimento de inadequação. Se ele estivesse em paz consigo mesmo, poderia responder: – É verdade, enfrentei muitas dificuldades no começo de minha carreira e tenho muito orgulho de ter superado essas adversidades. Agora você deve estar se perguntando: o que posso fazer para que as carências do passado não interfiram na estrutura de minha vida hoje? Não é possível voltar à infância e culpar as pessoas que cuidaram de nós por não ter atendido a todas nossas necessidades. O único caminho que funciona é este: cuidar de nossa criança interior para que suas carências sejam satisfeitas.

Roberto Shinyashiki é psiquiatra, escritor e conferencista. Autor de 12 livros, entre eles Tudo ou Nada, O sucesso é ser feliz, A revolução dos campeões, Heróis de verdade.

7


happ y-hour

À Procura do Bar certo Para se divertir e comer bem, os bares tradicionais continuam sendo uma boa opção. Por Flávia Biazetto

uem não gosta de sentar em um bar com boa bebida, boa comida e uma boa prosa com os amigos? Os donos de bares e botecos da capital sabem disso e estão investindo na gastronomia de seus estabelecimentos. Não é à toa que em qualquer bairro da cidade é comum ver uma calçada invadida por mesas com pessoas rindo, bebendo, comendo e se divertindo.Por isso, a Mais Oeste está mapeando os bares da região e trará regularmente sugestões de lugares para você passar boas horas com seus amigos. O Bar do Baixinho é uma boa sugestão para quem quer desfrutar um happy-hour com amigos. Com um ambiente descontraído, este bar tem um público que conhece e aprecia não só o seu chopp, mas também os seus petiscos. Entre as opções do cardápio é oferecido bolinho de bacalhau, carne seca com cebola e cortes de carnes argentinas – destaques para o bife ancho, chorizo e a picanha tradicional.

Atol Açaí Bar é mais uma opção no bairro, localizado na rua Barão de Passagem - Vila Leopoldina- para quem quer se divertir, passar umas horinhas com os amigos e com a família e, ainda, curtir um som. Este bar oferece dois ambientes, sendo um em uma área coberta com telão e outro em um espaço aberto de frente para rua. Seu cardápio é variado com porções, lanches, saladas, pratos especiais - entre eles destaque para opção de salmão com molho de maracujá e arroz com brócolis- e também açaí para você provar e se sentir fora da paulicéia. Vila Heitor, situado no Sumaré, tem o ambiente aconchegante e arejado, com ares caseiro, sendo ideal para um chope em noites de verão. O cardápio varia de espetinhos, porções, petiscos, passando por carnes e grelhados e por um buffet de feijoada, servido aos sábados. Além disso, você encontra uma variedade de chopes, cervejas e caipirinhas que podem ser uma excelente pedida entre amigos e um bom bate-papo no fim do dia.

8


9


conhecimento

Uma doce história Muitos apreciam o chocolate, mas poucos sabem sua história e os efeitos que esta guloseima provoca no organismo Por Flávia Biazetto

T

odos os anos os fabricantes de chocolates investem em novidades para atrair os consumidores, tanto no sabor, como nas formas deste doce. Nas prateleiras de lojas especializadas e de supermercados, é possível encontrar chocolates pretos, brancos, light, diet, recheados ou não; enfim, há a possibilidade de escolha para todos os gostos, agradando, assim, crianças e adultos. Mesmo sendo muito consumido no Brasil, poucas pessoas sabem a história do chocolate e seus efeitos na saúde.

10

O cacau é cultivado nas Américas por cerca de 3 mil anos e o chocolate já é produzido e apreciado desde os tempos das civilizações pré-colombianos como Maias e Astecas. Esses povos utilizavam grãos de cacau, misturados com especiarias e mel, para fazer bebidas que eram consumidas pelos sacerdotes em rituais religiosos. Para essas civilizações, o cacau era um alimento sagrado, pois eles acreditavam que suas sementes foram trazidas do céu pelos deuses, por isso em cada


colheita se festejava para celebrar a plantação. Durante os anos de colonialismo nas Américas, os colonizadores alteraram os ingredientes dessa bebida feita a partir do cacau para agradar o paladar dos europeus. Eles adoçaram com cana de açúcar, aromatizaram com baunilha e batiam com água e o tomavam em lugar do vinho. O cacau era também utilizado como moeda de troca por esses povos pré-colombianos. No período de conquista da América, os jesuítas acrescentaram o leite, transformando-o no chocolate que conhecemos atualmente. Nessa época, os espanhóis levaram o cacau para Europa, onde se espalhou e se tornou uma regalia das cortes. Hoje os chocolates são facilmente encontrados, com uma grande variedade para todos os gostos e bolsos. Apesar da facilidade de serem comprados e da praticidade de carregá-los na bolsa ou na mochila para consumir na hora que a fome bater, a nutricionista Ana Beatriz Leme da Fonseca adverte que o consumo de chocolate deve ser moderado para evitar danos à saúde. Segundo Ana Beatriz Leme da Fonseca, os chocolates comercialmente disponíveis apresentam uma quantidade considerável de gorduras, que podem

contribuir para o ganho de peso e alterações nos níveis de lipídios. Estas guloseimas, ainda, são ricas em açúcar refinado, que em excesso pode não só engordar, mas também aumentar o risco de desenvolvimento de resistência à insulina e de diabetes mellitus. Os chocolates possuem componentes que ajudam na formação de serotonina, que é uma substância responsável pelo bem-estar e pelo alívio de tensões, o que gera prazer ao indivíduo.Durante a Tensão Pré-Menstrual (TPM), muitas mulheres sentem o desejo de consumir mais chocolate, segundo Ana Beatriz Leme da Fonseca “há outros nutrientes necessários para a produção adequada de serotonina, que podem estar deficientes nas mulheres e por isso ocorre esse aumento na vontade por doces”. Para os que não vivem sem chocolate, a melhor opção são os amargos, que são ricos em cacau e, conseqüentemente em seus flavonóides,que estão associados com diminuição do risco de doenças cardiovasculares. As procianidinas - flavonóide do chocolate- têm ação antioxidante, que lhes permitem neutralizar os radicais livres produzidos em excesso. Entretanto, mesmo diante deste benefício os chocolates devem ser consumidos moderadamente.

11


saúde

O Verão está no fim. O que fazer para recuperar sua pele?

C

om o fim do verão, existe uma verdadeira corrida para os consultórios de Dermatologia, a fim de se reparar os danos causados pelo sol. Neste sentido, vários são os procedimentos que o dermatologista pode lançar mão no intuito de minimizar os danos já causados à pele do paciente e evitar que outros venham a se somar a estes,seja no tocante ao envelhecimento exclusivo de nosso corpo (envelhecimento intrínseco), seja pelo atribuído à exposição solar (fotoenvelhecimento). Embora, exista já muito acesso da população às informações dos malefícios que o sol gera à pele, as pessoas, ainda, sofrem uma super-exposição solar. Recentemente, veiculou-se na mídia que o somente 5% dos fotoprotetores comercializados no Brasil são vendidos no Rio de Janeiro, estado cuja principal fonte de recreação é a praia. Mais um exemplo disso é o aumento nos casos de câncer de pele diagnosticados nas Campanhas de Prevenção do Câncer de Pele, realizado anualmente pela Sociedade Brasileira de Dermatologia, passando de 7,6% para

12

8,7% dos indivíduos examinados. Para entender o que seu dermatologista vai propor para você, aí vai a explicação dada pelo Dr. Adilson Costa (Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia/AMB, Mestre em Dermatologia pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP e Dermatologista no Serviço de Dermatologia da PUC-Campinas), o qual possui consultório na Vila Madalena, para os principais procedimentos indicados por estes médicos: * Cremes de uso diário: após uma avaliação dermatológica geral, o dermatologista poderá prescrever produtos que possam ser usados de dia e/ou à noite, específicos para a sua pele, de acordo com o grau de dano cutâneo que você apresente. Os mais comuns são o ácido retinóico (isotretinoína e tretinoína) e as substâncias à base de alfa-hidroxiácidos. Tais ácidos podem ser acrescentados de outras substâncias, tais como os despigmentantes (clareadores de manchas - como é o caso da hidroquinona, ácido


kójico e ácido fítico), as substâncias anti-radicalares (diminuem os danos gerados pela produção de radicais livres - como as vitaminas E, C, B5 e K1) e as substâncias estimuladoras da produção ou protetoras de fibras colágenas e regeneradoras celulares (como isoflavonas tópicas, silícios orgânicos). * Peelings químicos: as substâncias usadas nestes tratamentos dependem da gravidade do problema do paciente, do tipo superficial, médio ou profundo. Como exemplos destas, temos, o de ácido retinóico, alfa-hidroxiácido, ácido lático, resorcina, ácido salicílico, ácido tricloroacético, fenol, entre outras. * Peelings mecânicos: geralmente, são classificados em superficiais (sendo o peeling de cristal o principal representante) e médio-profundos (dermoabrasão com lixa específica). *Peelings físicos: aqui, estão os lasers, principalmente o de CO2 e Erbium, que dão respostas muito importantes para o paciente portador de sinais profundos de envelhecimento cutâneo. * Luz pulsada: não é um laser, mas é um aparelho que emite luz, que pode ser usado para corrigir lesões vasculares (pequenas veias dilatadas, principalmente na face), manchas na pele, para estimular o colágeno, melhorar a flacidez cutânea, remover tatuagem e pêlos, rejuvenescer globalmente a pele, entre outras funções. * Preenchedores: são substâncias que são aplicadas em várias camadas da pele, a fim de melhorar o aspecto de rugas, preenchendo-as; podem, também, ser empregados para remodelar

lábios, lóbulos de orelhas e o chamado “bigode chinês”. Existem várias substâncias no mercado, porém a mais usada e segura é o ácido hialurônico, pois não é definitivo (ou seja, em torno de 6 meses os resultados involuem) e raramente dá reação na pele de quem o recebe. * Toxina botulínica: um método rápido, bem tolerável e seguro de diminuir transitoriamente (em torno de 6 meses) as rugas de nossa pele. Pode ser aplicado em várias regiões da face, bem como pescoço e colo (“V” do decote). Atualmente, pode ser empregada, com muito sucesso, nos casos de hiperidrose (suor excessivo) das mãos, pés e axilas, com resultados surpreendentes. * Subcisão: procedimento no qual se descola planos profundos da pele para amenizar rugas, cicatrizes e depressões da pele. Atualmente, é um dos procedimentos mais usados para corrigir as depressões cutâneas da celulite (lipodistrofia ginóide), grande tormento entre as mulheres. Sempre consulte um dermatologista. Dr. Adilson Costa. Consultório de Dermatologia na Vila Madalena Especialista em Dermatologia pela Sociedade Brasileira de Dermatologia/AMB Mestre em Dermatologia pela Escola Paulista de Medicina/UNIFESP Dermatologista no Serviço de Dermatologia da PUC-Campinas

13


FOTO: JUAN GUERRA

capa

14


Instituto Ayrton Senna: acelerando o Brasil O Instituto Ayrton Senna é uma Ong, que ciente da necessidade urgente de transformação social no Brasil, busca desenvolver projetos educacionais que resultem em uma melhoria na situação de jovens brasileiros Por Flávia Biazetto

H

á 13 anos, o Instituto Ayrton Senna atua com projetos sociais e educacionais em todo país. O objetivo da instituição é contribuir com o desenvolvimento humano de crianças e jovens brasileiros; dando-lhes instrumentos para que possam melhorar suas condições de vida. O trabalho é desenvolvido de forma consciente e seus resultados são notáveis em todas as áreas em que o instituto os implementa. Em conseqüência da seriedade de sua atuação, a instituição recebeu da Unesco - Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura - o título de Cátedra em Educação e Desenvolvimento Humano, sendo a única ONG a receber esse título - normalmente dado a universidades e centros de criação de conhecimento. Isso permite que o Instituto Ayrton Senna seja reconhecido como fonte de idéias e experiências em educação e desenvolvimento humano e tudo isso é disponibilizado a quem desejar ter acesso ao trabalho. A Mais Oeste conversou com Viviane Senna, presidente da ONG, que, gentilmente, detalhou mais sobre os trabalhos do instituto.

houve alguma mudança na maneira como atua o Instituto Ayrton Senna? Viviane: Sim. Sempre estamos aperfeiçoando o nosso trabalho. Começamos com atendimentos pontuais, com projetos que impactavam poucas crianças e poucos jovens. Mas logo descobrimos que para ajudar a mudar o cenário da educação do Brasil era fundamental criar ações em larga escala. E é o que fazemos hoje. Criamos soluções para resolver os problemas da educação. Políticas públicas implementadas em cidades e estados inteiros.

maisOeste:

O Instituto Ayrton Senna tem parceria com ONGs, universidades, governos e prefeituras, mas como funciona esta parceria? Quais as responsabilidades de cada um das partes?

Viviane: Alguns meses antes do acidente em Ímola, Ayrton conversou comigo sobre seu desejo de fazer algo sistemático pelos meninos e pelas meninas do Brasil, garantindo-lhes oportunidades para que também pudessem vencer na vida. Ficamos de conversar sobre isso mais tarde, mas não deu tempo. Minha família decidiu realizar o desejo de Senna. E criou o Instituto em 1994.

Viviane: Sem as alianças com os demais setores da sociedade é inviável gerar mudanças significativas. E todos podem, sim, assumir o seu papel. O poder público abre portas e garante a infraestrutura para nossas ações. Assume conosco o compromisso de melhorar a educação. As escolas, ONGs e universidades parceiras também abraçam a causa, envolvendo seus profissionais em capacitações para que atuem em sintonia com nossos objetivos. As empresas são que asseguram a replicação dessas soluções em grande escala. Aportam recursos para que levemos adiante a nossa missão. E são co-responsáveis por ela. Participam de nossas implementações, acompanham os resultados. São verdadeiros parceiros.

maisOeste: Desde que foi fundado em 1994,

maisOeste:

maisOeste: O que motivou a família Senna

a construir o instituto?

As ações do Instituto Ayrton

15


FOTO: FÁBIO CORRÊA

Senna estão espalhadas por todo país. Como é escolhido o lugar de atuação destas ações? Viviane: Nossa meta é dar qualidade à educação do País, seja dentro ou fora da escola. Onde há problemas cruciais, desde que existam a vontade política e o compromisso de todos os envolvidos, estaremos prontos a compartilhar nossos conhecimentos e experiências.

a qualquer realidade. Prova disso são os resultados obtidos até aqui. Temos programas educacionais aplicados em toda a rede pública de Goiás, Tocantins, Pernambuco, Paraíba, Sergipe e em vários municípios de todas as regiões do país. Os programas são os mesmos. Os materiais didáticos também. A capacitação dos educadores segue a mesma linha. Mas cada um tem a autonomia de atuar dentro de suas especificidades.

maisOeste:

maisOeste:O

Diante da diversidade do país, acredito que cada local deva ter uma necessidade distinta de outros.Como são pensados os programas de ação do Instituto Ayrton Senna?

Instituto tem algumas ações que buscam sensibilizar e a estimular a sociedade diante de questões sociais – como o GP Ayrton Senna de jornalismo. Como surgiu a idéia desta ação ?

Viviane: Os problemas que comprometem a qualidade da educação são comuns em todo o Brasil: analfabetismo nas primeiras séries do ensino fundamental, a distorção entre a idade e a série que o aluno cursa e a ineficiência da gestão da educação. As metodologias que criamos se adaptam facilmente

Viviane: As mudanças do país são emergenciais e, ao mesmo tempo, de grande vulto. Só sensibilizando a sociedade como um todo temos mais chances de mudar cenários a médio prazo. O GP de Jornalismo é uma estratégia junto à imprensa, que é a mais importante ferramenta na formação de consciências.

16


FOTO: FÁBIO CORRÊA

Valorizamos e premiamos aqueles profissionais que fazem de seu trabalho uma cobertura ampla sobre a realidade infanto-juvenil, expondo à sociedade as diferentes facetas para que esta possa ter uma opinião mais clara sobre o que é preciso mudar.

maisOeste: Qual

o impacto, em números, das ações do Instituto pelo Brasil? Viviane: Anualmente atendemos cerca de 1,5 milhão de crianças e jovens. Nos quase 13 anos de atuação, já transformamos a vida de 6,5 milhões de meninos e meninas de 1.368 municípios, capacitando 343.420 educadores de 12.035 ONGs, escolas e universidades parceiras espalhadas em 25 estados.

maisOeste:

Como a instituição mantém seus projetos financeiramente? Viviane: Contamos com os 100% dos royalties do uso da imagem de Ayrton e do licenciamento do personagem Senninha. Tudo é doado pela minha família ao trabalho do Instituto. Fazemos alianças

sociais com empresas que acreditam em nosso trabalho e investem recursos em nossas ações. Temos parceiros que doam seu trabalho em prol da causa infanto-juvenil e pessoas físicas que fazem sua doação através de nosso site.

maisOeste: Trabalhar com questões sociais mexe muito com a emoção. A senhora se lembra de algum momento que a emocionou durante a realização dos projetos?

Viviane: Eu sempre me emociono. Recebo cartas, depoimentos e vou aos projetos para ver a meninada. Saber que essas crianças e esses jovens estão tendo a oportunidade de construir um presente e um futuro melhor é a grande recompensa de nosso trabalho. E é o grande legado de meu irmão ao seu povo. O Instituto Ayrton Senna é uma das mais belas vitórias de Ayrton. Instituto Ayrton Senna www.senna.org.br

17


negócios

Marketing Pessoal Valorize sua marca C

ertamente você já ouviu falar em marketing pessoal, mas não creio que tenha se convencido da importância de praticá-lo para ser bemsucedido na vida. Por isso, apresentarei aqui alguns argumentos para você convencer-se da sua importância e dispor-se a praticá-lo imediatamente! O primeiro passo consiste em mexer nos porões escuros da mente e jogar fora todas as suas crenças prejudiciais e destrutivas, como: -Dinheiro é sujo. -Não dá pra ter tudo na vida. -Quanto mais alto se sobe, maior é o tombo. -É melhor ser pobre e honesto do que rico e desonesto. Essas crenças negativas foram adquiridas lingüisticamente e, portanto, podem ser removidas também lingüisticamente. Basta querer e acreditar que afirmações positivas, declaradas com autoridade, podem ser colocadas no lugar das suas crenças negativas. O passo seguinte envolve autoconhecimento. Conhecendo-se, você identifica suas aptidões, talentos, fraquezas e medos, tornando-se consciente do seu ponto de partida. Nesse processo, seja realista. Olhe-se com o mesmo olhar crítico que você é capaz de lançar sobre outras pessoas. Olhe-se com isenção, sem ser muito duro nem muito complacente. Procure observar-se de fora, como se você fosse o outro. Por fim, descubra o que os outros pensam e falam sobre você. Mas prepare-se, pois existe um verdadeiro abismo entre a imagem que fazemos de nós mesmos e a que os outros têm a nosso respeito. Faça os ajustes necessários para estabelecer uma congruência entre a sua auto-imagem e aquela que você projeta. Jogue limpo. Se não souber o que a outra pessoa pensa sobre você, pergunte! Feito isso, chegou a hora de traçar um plano de ação. Lembre-se: Marketing Pessoal é um processo de venda em que o “produto” é você. E para que os “clientes” o comprem, é preciso que você esteja comprometido

18

consigo mesmo. Não basta uma boa embalagem. É preciso que o conteúdo seja autêntico! Você tem de acreditar em cada palavra que diz sobre si mesmo e sobre aquilo que diz que é capaz de fazer, pois se você não acreditar, dificilmente alguém acreditará. Você sabe qual é o seu público-alvo? A quem interessa saber que você existe e que é bom em determinada atividade? Quem pagaria pela habilidade ou talento que você tem a oferecer? De acordo com a sua área de atuação profissional, é possível determinar um público-alvo, que deve ser cadastrado e mantido atualizado para que você possa colocar em prática uma política de relacionamento. Mas, mais importante que isso são os contatos pessoais que você pode fazer em congressos, cursos e outras atividades pertinentes à sua área de atuação. Quando se fala em cultivar relacionamentos, nunca é demais lembrar da Lei Paretto e concentrar-se nos 20% que poderão provocar uma melhora de 80% em sua vida! Como um “produto”, você tem de conquistar clientes, e a interface mais importante de um produto com seus potenciais consumidores é a embalagem. No caso, sua embalagem é o seu modo de vestir-se, a sua postura pessoal e profissional, sua expressão corporal e o que você fala. Esse conjunto é a sua marca. Mantenha-se atento ao meio em que estiver inserido, procurando sempre estar adequado a ele, desenvolva suas habilidades de comunicação e mantenha-se sempre atualizado. Trabalhe para que a sua marca ocupe um lugar de destaque na mente daqueles com os quais você se relaciona, cuidando para que todo o conjunto seja harmonioso e para que a embalagem e o conteúdo sejam congruentes! Caso contrário, o resultado pode ser devastador!

Dr. Lair Ribeiro é palestrante internacional, e autor de vários livros que se tornaram best-sellers no Brasil e em países da América Latina e da Europa. (www.lairribeiro.com.br)


19


agenda cultural SHOWS ____________________________________________ NAÇÃO ZUMBI A banda se equilibra cada vez melhor entre o seu poderio rítmico (sempre a cargo de Toca Ogan, Gilmar Bolla 8, Pupillo, Marcos Matias e Da Lua) e climas e melodismos cada vez mais ricos e imagéticos. Futura, seu sexto álbum, espécie de síntese desses treze anos de carreira e marco de sua consagração como banda internacional, é também um disco avesso a classificações fáceis, e deve render várias músicas para o repertório standard do grupo, como “A Ilha”, “Voyager” e a mística “Vai Buscar”. Choperia. Não é permitida a entrada de menores de 18 anos. Onde: Sesc Pompéia Quanto: R$ 25,00; R$ 19,00 (usuário matriculado). R$ 10,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes). R$ 12,50 (acima de 60 anos e estudante com carteirinha). Dia(s) 20/04, 21/04 Sexta e sábado, 21h ____________________

20

ZECA BALEIRO E JOSY MELLO convidados: Mário Manga e Anastácia Josy Mello abre a noite para Mario Manga que em vinte e cinco anos esteve à frente de bandas tão marcantes para o cenário brasileiro como o Premê, o Música Ligeira e o Borrachinha. Choperia. Proibida a entrada de menores de 18 anos. Onde: SESC Pompéia Quanto: R$ 20,00; R$ 15,00 (usuário matriculado). R$ 8,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes). R$ 10,00 (acima de 60 anos e estudantes com carteirinha). Dia(s) 19/04 Quinta, 21h. ____________________ ZECA BALEIRO E RADIKALEZ convidados: Vânia Abreu e Gereba Radikalez abre a noite para Vânia Abreu, desde que veio para São Paulo, em 1995, mergulhou seu talento e capacidade de trabalho em uma carreira sólida que segue em linha reta, rumo à arte brasileira. Choperia.


PrGereba ou Winston Geraldo G. Barreto, nasceu em Monte Santo (BA), em 1946. Morou também em Salvador e Rio de Janeiro, mudando-se para São Paulo em 1976. Músico, compositor e arranjador , fundou o Grupo Bendegó e os Trovadores Urbanos.Proibida a entrada de menores de 18 anos. Onde: SESC Pompéia Quanto: R$ 20,00; R$ 15,00 (usuário matriculado). R$ 8,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes). R$ 10,00 (acima de 60 anos e estudantes com carteirinha) Dia(s) 26/04 Quinta, 21h. ____________________ JOVEM GUARDA Erasmo Carlos, Wanderléia, Nasi, Lucina Mello e grupo coral A Três. Com direção musical de Jair de Oliveira. Recuperando o clima juvenil e alegre do período, artistas atuais encontram-se com representantes da jovem guarda fazendo uma grande festa. Mestre de cerimônias: Miéle. Onde: SESC Pompéia Quanto: R$ 25,00; R$ 19,00 (usuário matriculado). R$

10,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes). R$ 12,50 (acima de 60 anos e estudantes com carteirinha). Dia(s) 27/04, 28/04, 29/04 Sexta e sábado, 21h/ domingo, 18h. ____________________ TRIBUTO A NOEL ROSA Espetáculo musical constituído de quadros sonoros a partir de composições do imortal Noel Rosa, o Poeta da Vila, em versões instrumentais inéditas, onde os temas se mesclam e ganham uma nova leitura. No repertório, Três Apitos, Conversa de Botequim, Quando o Samba Acabou, Feitiço da Vila, Palpite Infeliz, entre outras. Com Leandro Braga (arranjos e piano), Silvia Braga (harpa), São Paulo Coffee Symphony (cordas, sopros e percussão), Roberto Farias (direção e regência) , participação especial da cantora paulista Tuca Fernandes e de Alexandre Freitas (recursos eletrônicos). Teatro. Recomendável para maiores de 7 anos. Não é permitida a entrada após o início do espetáculo. Ingressos a venda pelo sistema INGRESSOSESC, a partir do dia 25/03. Onde: SESC Pinheiros

21


Quanto: R$ 10,00; R$ 7,50 (usuário matriculado e dependentes). R$ 5,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes, a partir de 60 anos e estudantes). Dia(s) 24/04 Terça, às 20h30. TEATRO ____________________________________________ PÚCARO BÚLGARO Encenação de Aderbal Freire-Filho para o texto homônimo de Campos de Carvalho (1916-1998), a peça fecha a trilogia de romances-em-cena do diretor, iniciada em 1990. São 40 breves cenas para contar a história de um homem que tem dúvidas sobre a existência da Bulgária depois de encontrar, num museu da Filadélfia, um púcaro búlgaro. Para se certificar, resolve iniciar uma expedição até lá. No bairro carioca da Gávea, inicia sua empreitada colocando um anúncio no jornal a fim de arregimentar uma equipe para a viagem. Cenários de Fernando Mello da Costa, (indicado ao prêmio Shell e Eletrobrás) figurinos de Biza Vianna, (indicado ao prêmio Eletrobrás), iluminação de Maneco Quinderé e música de Tato Taborda. Elenco: Augusto Madeira, Isio Ghelman, Sávio Moll, Gillray Coutinho (Eletrobrás e indicação ao Prêmio Shell), Ana Barroso. Recomendação etária: 14 anos. Teatro SESC Anchieta. 0 Onde: SESC Consolação Quanto: R$ 20,00; R$ 10,00 (usuário matriculado). R$ 7,50 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes). horário 20/04 a 27/05. Sextas e sábados, às 21h. Domingos, às 19h. ____________________

ANUNCIE AQUI! 3455-1200 3871.9292 22

7 LEITURAS 7 ENCONTROS 7 AUTORES 7 DIRETORES Com concepção e Direção de Eugênia Thereza de Andrade, Diretora de Teatro, o SESC Consolação oferece um ciclo de leituras dramáticas e palestras. As obras escolhidas serão dirigidas por diretores de reconhecida competência e por um elenco de atores convidados. No segundo encontro da série, o público poderá apreciar a leitura da obra AS ERUDITAS, de Moliére, adaptação de Millôr Fernandes e Dirigida por Mika Lins, seguida da palestra “O império da Falsa Erudição”. Recomendação etária: 14 anos. Onde: Teatro SESC Anchieta Quanto: Entrada Gratuita Grátis Horário: Dia(s) 16/04 Segunda, às 19h30.


PRÊT-À-PORTER 8 Apresentação de três cenas desenvolvidas pelos atores do Centro de Pesquisa Teatral. Coordenação de Antunes Filho. ‘Ponto Sem Retorno’,com Emerson Danesi e Marcelo Szpektor. ‘Exiladas’, com Marília Simões e Aline Filócomo. ‘Velejando Na Beirada’, com Marcelo Szpektor e Pedro Abhull. Espaço CPT - 7º andar. Onde: SESC Consolação Quanto: R$ 10,00; R$ 7,50 (usuário matriculado). R$ 5,00 (trabalhador no comércio e serviços matriculado e dependentes, aposentados e estudantes com carteirinha). horário: De 13/01 a 26/05. Sábados, às 18h30. EVENTOS E EXPOSIÇÕES ____________________________________________ ATÉ 22 DE ABRIL 70 ANOS DO PARQUE NACIONAL DE ITATIAIA Mostra de 35 fotografias, 18 aquarelas e 17 nanquins que trazem imagens do parque. Onde: SESC Pompéia Endereço: rua Clélia, 93 - Pompéia Quanto: Grátis Hora: Terça a sábado, das 10h às 20h/ domingo e feriado, das 10h às 17h. Mais informações: Tel.: (11) 3871-7700 ____________________ ATÉ 29 DE ABRIL TERÇA A DOMINGO MOSTRA “SERÁ O BENEDITO?” As exposições com imagens captadas pelas lentes dos fotógrafos Andréa D’Amato e Eduardo Villares ficam em cartaz na Pinacoteca do Estado. A mostra intitulada Será o Benedito? reúne 25 imagens em cores produzidas pela fotojornalista Andréa D’Amato. São retratos de mestres da cultura popular e cenas de festas tradicionais de todo o País. O objetivo da artista é apresentar as individualidades que constituem o coletivo de tais festejos. Há mais de oito anos, Andréa documenta festejos de santos por todo o Brasil. Onde: Pinacoteca do Estado Endereço: Praça da Luz, 2 - Luz - São Paulo/SP. Próximo à estação Tiradentes do Metrô. Quanto: R$ 4 e R$ 2 (meia-entrada). Grátis aos sábados. Horário: das 10 às 18 horas Mais informações: Tel.: (11) 3229-9844

23


esporte

Romário e a globalização A

tualmente um dos termos da moda é falar da tal da globalização, um fenômeno real do mundo moderno que chegou ao esporte de forma pasteurizada e sem grandes diferenças quando a bola rola. Vimos a globalização em voga na Copa do Mundo, equipes do Oriente ou do Ocidente com um mesmo esquema tático, e por sinal extremamente sem graça e burocrático. Lançamento em profundidade, cruzamento e bola na rede. Senti falta da emoção que nos faz grudar a cara na televisão. Cadê o grande craque, das firulas, da malandragem, da ginga. Eu não vi, tanto é que o melhor jogador

24

do mundial foi o zagueiro italiano Fabio Cannavaro, que apesar de merecer o prêmio me fez pensar que os valores do futebol mudaram. Todos irão concordar que o romantismo dentro das quatro linhas acabou faz um bocado de tempo. Não me refiro ao prazer dos atletas em campo, prefiro acreditar que 99% deles estão lá porque realmente querem realizar um sonho de infância e ter uma vida melhor do que tiveram. Infelizmente não vivi uma época gloriosa para ver Garrincha, Pelé, Ademir da Guia, Rivelino e muito menos Zico que lembro pouquíssimo em campo. Ganhei conhecimento e


me emocionei com arquivos históricos desses craques que faziam uma verdadeira arte circense com a pelota no pé. O mais bonito apesar da rivalidade seja ela de torcida ou mesmo de quem levou aquele drible desconcertante era o respeito, o aplauso não raro e sincero nos tempos do futebol técnico e da habilidade individual. O que era a essência motora do futebol se transformou em desrespeito incondicional. Quem não se lembra dos primeiros dribles de Ronaldinho Gaúcho no Grêmio, cassado pelo xerifão Dunga na final do Gauchão de 1999, das primeiras pedalas de Robinho, no Santos, na final do Campeonato Brasileiro de 2002, em cima do meia Rogério. Lances de plástica e beleza. Momentos máximos do esporte cada vez mais extintos, até que um certo baixinho que já foi escolhido o melhor do mundo em 1994 resolveu fazer o milésimo gol da carreira dele e nas contas dele também. A memória buscou Pelé, há mais de 35 anos o rei cravava de pênalti um gol histórico e mandava recado para as criançinhas em pleno Maracanã. Romário virou notícia outra vez, reanimou o

povo a ir ao estádio ou ligar a televisão para ver apenas um no meio de 22, novo ânimo ao Campeonato Estadual Carioca que anda carente de estrelas e boas discussões. A saga chega a ser comovente, vale até volta ao mundo em busca do milésimo. Jogos treinos vão para a conta e o Romário deita e rola, faz de cabeça, dentro da área e em muitas vezes sem nenhuma marcação, acho estranho, mas essa deixo para os universitários discutirem na mesa do bar. Com o baixinho em campo parece que a globalização deixou de existir, é a responsabilidade batendo na veia do desejo de ser lembrado eternamente. Esse posso dizer com orgulho e com muitas lembranças que vi jogar. Viva Romário. Viva um dos últimos românticos do futebol brasileiro.

Felipe Jardini Jornalista Editor de Esportes da TV Cultura felipejardini@hotmail.com

25


classimix CARROS INFORMÁTICA

ANUNCIE

ESCOLAS PUBLICIDADE

SEGMENTO ALTERNATIVO

AQUI! 3455-1200 3871.9292 CASA & CONSTRUÇÃO SAÚDE

CURSOS

26

ESCOLA DE DANÇA

TURISMO


27


28


Revista Mais Oeste