Page 1

MOSTRA ITINERANTE DE ARTE INTEGRADA CACOS EM ECOS

Mapeamento conceitual do processo criativo do projeto Esporo de Cultura Digital, realizado com jovens da Vila dos Papeleiros e Ecoaecoa Coletivo em Porto Alegre.


MAIS VALE UM LIVRETO LIVRE DO QUE UM EDUCADOR NA MÃO copy left @ 2013 by Editora Educadora Ecoaecoa ecoaecoa@gmail.com 1ª tiragem de 10 cópias: Dezembro 2012 / Porto Alegre 2ª tiragem de 10 cópias: Dezembro 2013 / Brasília na 12a Oficina da Inclusão Digital 3ª tiragem de 10 cópias: Dezembro 2013 / São Borja ____________________________________________________ Este livro é um livro livre: pode copiar, mixar, citar, trocar, divulgar, se inspirar e produzir seu próprio livro também além de musicar, só não esqueça da gentileza de citar o nome dos autores. ____________________________________________________ Produzido autonomamente por Ecoaecoa Coletivo e Esporo de Cultura Digital Porto Alegre. Pesquisa e escrita coletiva de: Alissa Gottfried, Danielle Sibonis, Jonathan Carvalho e Rodrigo Apolinário; Diagramação e concepção da arte: Alissa Gottfried; revisão: Danielle Sibonis e Alissa Gottfried; Arte da capa: Alissa Gottfried, reprodução e costura e distribuição: Ecoaecoa Editora Educadora. Porto Alegre: ed. Ecoaecoa. 2013. ____________________________________________________ Catalogação e publicação: ecoaecoa.org e http://culturadigital.br/cacosemecos/


Nanda Barreto

Chuva de Palavras Geradoras: É uma das obras

que compõe a Mostra Cacos em Ecos, onde as palavras conceituadas nesse livro estão reunidas como uma nuvem de tag's analógica facilitando assim a visualização geral dos assuntos abordados pelo Esporo de Cultura digital com a Vila dos Papeleiros. 1


Índice dos Temas Geradores:

Chuva de Palavras Geradoras ....................1 1.Eu e o Mundo.......................................3 2.Projetos, Eventos e Cenários..................7 3.Política e Sociedade...........................14 4.Arte e Imagem..................................26 5.Comunicação Digital e Tecnologia.......28 6.Ecologia.............................................33 Fonte ...................................................36 Projeto da Mostra Cacos em Ecos.............38 Publicomunidades..................................40 Música Viva La Revolución....................41


1 . EU E O MUNDO

É quando o indivíduo tem liberdade para viver como acredita; estado de independência; emancipação; capacidade de decidir por si próprio o que é melhor para si mesmo e ter capacidade de realizar suas escolhas. - AUTONOMIA:

É quando o indivíduo tem amor próprio, valorizando-se e sentindo se bem não só na comunidade em que vive mas em todos os lugares e grupos que escolhe transitar. - AUTOESTIMA:

É o conjunto de características próprias e exclusivas com as quais se podem diferenciar pessoas, grupos, nichos e lugares uns dos outros, diante de um conjunto diverso. Uma identidade pode se dar de forma individual, coletiva, social, cultural, digital, etc. - IDENTIDADE:

É o mundo interno de todo e qualquer ser humano, sendo composto por emoções, sentimentos, pensamentos e memórias. Através da nossa subjetividade construímos um espaço em que nos relacionamos com as outras pessoas, com a sociedade e com nós mesmos. - SUBJETIVO:

Está ligada aos conceitos de pluralidade, multiplicidade, diferentes ângulos de visão, heterogeneidade e variedade. Também pode ser encontrada na comunhão de contrários e na intersecção de diferenças. - DIVERSIDADE:

É quando o indivíduo tem cidadania, possui acesso à alimentação, à informação, emprego, educação, segurança, respeito, saúde; tendo o seu direito de ter uma vida de qualidade garantido e disponibilizado pelos meios públicos. -

DIGNIDADE :

3


São os direitos e liberdades básicos de todos os seres humanos; liberdade de pensamento e de expressão, e a igualdade perante a lei. A Declaração Universal dos Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas afirma no Artigo 1º: “Todos os seres humanos nascem livres e iguais em dignidade e em direitos. Dotados de razão e de consciência, devem agir uns para com os outros em espírito de fraternidade.” -

DIREITOS

HUMANOS :

É quando um indivíduo percebe-se imerso num conjunto de direitos e deveres ligados ao meio e à sociedade em que vive; Como a cidade e os problemas da cidade dizem respeito a todos os cidadãos, cidadania não combina com individualismo; A cidadania é exercida pelo indivíduo, por grupos e até instituições, através do empoderamento, isto é, através do poder que se tem para realizar tarefas sem necessitar de autorização ou permissão de alguém, realizam ações ocasionando mudanças que levam à vida participativa em decisões e ações ligadas a todos os assuntos que dizem respeito a uma cidade ou região. - CIDADANIA :

Ações transformadoras desempenhadas objetivos comuns para melhorias sociais.

a

partir de

É uma educação participativa e comprometida com a transformação do mundo através da construção de um outro projeto de sociedade, orientada pela perspectiva de realização de todos os direitos do povo. Não é uma educação fria e imposta, pois baseia-se no saber da comunidade e incentiva o diálogo e a problematização de situações de opressão. É uma estratégia de construção da participação popular para o redirecionamento da vida social com a intenção de transformar a realidade a partir do protagonismo dos sujeitos. - EDUCA ÇÃO POPULAR:

4


Segundo Paulo Freire o/a educador/a precisa propiciar condições para que os educandos sociais ensaiem a experiência profunda de assumir-se em suas relações uns com os outros, assumir-se como ser social e histórico, como ser pensante, comunicante, transformador, criador, realizador de sonhos.. - REPENSAR A VIDA : Buscar um pensamento crítico e

criativo, uma forma mais construtiva e poética de ver a vida. É a capacidade do indivíduo construir-se positivamente frente as adversidades. - RESILI ÊNCIA:

É um grupo de pessoas que se junta para desempenhar diferentes tipos de trabalho. - EQUIPE :

DE COLABORA ÇÃO : Tem como objetivo facilitar o processo de desenvolvimento de um grupo para que ele alcance a capacidade de agir coletivamente, visando objetivos comuns, baseados nos princípios da cooperação entre os participantes. Trabalho em Rede de parcerias que age na lógica contrária à cadeia de produção fordista. - CULTURA

É o processo necessário para que a comunicação esteja baseada na cidadania e não apenas em interesses comerciais; Este modelo de comunicação busca ampliar a participação popular no processo de produção e consumo de informações. - DEMOCRATIZA ÇÃ O DA COMUNICA ÇÃ O:

Comunicação alternativa, popular, radical, para mudança social, contra-cultura, participativa, dialógica, horizontal são expressões muitas vezes usadas para descrever uma mesma experiência ou processos comunicacionais bem distintos mas ligadas a interesses parecidos; -

COMUNICA ÇÃO

COMUNITÁRIA:

5


Acontece através da participação e do compromisso com a comunidade em que está inserida servindo para fortalecer a identidade coletiva e aos interesses ligados ao bem comum. Para os segmentos excluídos da população, serve como uma forma de expressão voltada à um processo de mobilização que vise atingir interesses locais e suprir necessidades de sobrevivência e de participação política. Além da comunicação gráfica (cartazes, jornais, muralismo) também é muito útil e importante a difusão de assuntos de interesse público por meio de TV Comunitária e Rádio Comunitária, apesar disso ser considerado crime e no governo do Lula, por exemplo, ter sido o governo que mais fechou e reprimiu rádios comunitárias no Brasil, apreendendo equipamentos e em muitos dos casos prendendo os difusores comunitários que prestavam esse serviço a suas comunidades. É a forma de pensar um mundo melhor, sendo o estágio anterior à realização de projetos de mudança. - UTOPIA :

É a motivação, objetivo; aquilo que se busca melhorar no mundo e na gente. Projeto é o planejamento de uma ou mais ações táticas que são pensadas estrategicamente para que uma causa definida seja conquistada. - CAUSA E PROJETO :

Nome dado a Mostra Itinerante de arte integrada e educação popular resultante do processo criativo do curso de cultura digital do Esporo de Pesquisa e Experimentação de Cultura Digital de Porto Alegre. Este nome surgiu junto com a proposta de fazer uma mostra de arte com lixo eletrônico que abrisse espaço tanto para apresentar os conteúdos e conhecimentos produzidos durante o curso de cultura digital, como para servir de meio para diálogos criativos - CACOS EM ECOS :

6


sobre as dificuldades, problemas, questões e soluções encontrados durante este processo além de fortalecer a rede e criar novas articulações e trocas com novas periferias e qualquer outro público que venha a ter contato com a mostra através da sua itinerância autônoma. 2. PROJETOS, EVENTOS & CENÁRIOS

Evento internacional que reuniu na cidade do Rio de Janeiro, em 1992, milhares de pessoas para discutir a forma como são usados os recursos da natureza (água, ar, florestas, energia) e os resultados e impactos desse uso (desigualdade social, fome, poluição). Foram assumidas metas de compromisso com a redução da destruição da natureza entre os governantes. Pouco foi feito. - ECO 92 :

Vinte anos depois da ECO 92, reúnem-se no Rio de Janeiro centenas de presidentes para discutir o futuro do planeta e ações para preservar a biodiversidade e evitar colapsos climáticos. Nenhum acordo foi firmado entre as nações. - RIO + 20 :

O FSM é um espaço de debate democrático de ideias, aprofundamento da reflexão, formulação de propostas, troca de experiências e articulação de movimentos sociais, redes, ONGs e outras organizações da sociedade civil que se opõem ao neoliberalismo e ao domínio do mundo pelo capital e por qualquer forma de imperialismo; Caracteriza também pela pluralidade e pela diversidade. Após o primeiro encontro mundial, realizado em 2001, se configurou como um processo mundial permanente de busca e construção de alternativas às políticas neoliberais. - F ÓRUM SOCIAL MUNDIAL:

7


O FSM se propõe a facilitar a articulação, de forma descentralizada e em rede, de entidades e movimentos engajados em ações concretas, do nível local ao internacional, pela construção de um outro mundo, mas não pretende ser uma instância representativa da sociedade civil mundial. O Fórum Social Mundial não é uma entidade nem uma organização. Durante o processo histórico do FSM, em alguns anos definiu-se como Temático para desenvolver de forma descentralizada alguns pontos em comuns. O FST 2012 aconteceu em Porto Alegre, Canoas, São Leopoldo e Novo Hamburgo. É um evento altermundista organizado por um grupo de ativistas e movimentos sociais ligados ao processo do Fórum Social Mundial. O tema deste ano foi Crise Capitalista, Justiça Social e Ambiental. O FST 2012 se propôs ser um espaço de debates preparatórios para a Cúpula dos Povos. - F Ó RUM SOCIAL TEM Á TICO:

- C Ú PULA DOS POVOS :

Evento

paralelo

à Rio+20

que reuniu milhares de pessoas da sociedade civil e movimentos sociais para discutir e fortalecer a rede de pessoas que buscam outra sociedade mais justa e mais ecológica. Junto a este evento houve o acampamento Ocupa do Povos que reuniu a Ocupa PoA, Ocupa Rio e Occupy NY, entre outros. A artista Marília Má, integrante da Ocupa dos Povos foi fatalmente atropelada ao atravessar a rua indo para a Cúpula dos Povos. O caso foi ignorado pela organização da Cúpula e pela mídia do Rio de Janeiro mas uma homenagem à ela foi realizada pela Ocupa dos Povos que foi reprimida com uma ação do BOPE usando o Caverão. O Acampamento surgiu em 2001 através da realização do 1° Fórum Social Mundial em Porto Alegre. Várias entidades e ONGs ligadas aos movimentos de juventude no Brasil reuniram-se em comissões de organização em Porto 8 ALEGRE - ACAMPAMENTO DA JUVENTUDE :


Alegre e apresentaram ao CI - Comitê Internacional do Fórum Social Mundial a proposta de gerenciamento e institucionalização de um espaço\área específica para os jovens, estudantes, ONG's do Brasil e exterior, com objetivo de hospedagem e participação na programação oficial do FSM 2001. Foi criado um Comitê de Organização local, vários sub-comitês de estruturas e gerenciamentos do Acampamento, Comitês Estaduais no Brasil e o CIJ – Comitê Internacional de Juventudes de entidades de apoio e mobilização. Surgiu no FSM de 2003 em Porto Alegre. Foi inspirada pelo Oscar que em 2001 foi a pé do México até PoA para gerar um espaço sagrado com uma fogueira que manteve acesa durante todo o evento. Amadureceu como proposta de convergência de novos valores, mais humanitários e sustentáveis, buscando preservar a cultura mais pura do ser humano, implementada como política pública de autogestão. Aldeia da paz é uma tecnologia social indicada para eventos dos novos tempos, sobretudo, para áreas de risco, como enchentes terremotos, zonas turbulentas, e até penitenciárias e clínicas de saúde mental. - ALDEIA DA PAZ :

-

TRIBO

DE

ATUADORES

ÓI

NÓIS

AQUI

TRAVEIZ /

ESCOLA DE TEATRO POPULAR TERREIRA DA TRIBO:

Grupo de teatro popular trabalha com arte pedagogia popular na formação de atuadores. Surgiu em 1978 e a sua organização é baseada no trabalho coletivo, tanto na produção das atividades teatrais, como na manutenção do espaço. Em sua sede, localizada na Rua Dr. João Inácio, 981 no bairro São Geraldo em Porto Alegre apresenta espetáculos gratuitos além de apresentar peças de extrema qualidade artística e técnica em espaços públicos. Como Escola de Teatro Popular, oferece diversas oficinas abertas e gratuitas de forma descentralizada em diversos territórios na periferia de Porto Alegre . 9


- CABAR É VALENTIN:

Espetáculo organizado por grupo de artistas circenses que surgiu em 2004 em Porto Alegre, com o objetivo de promover um evento diferenciado que alia arte e diversão, com atrações convidadas de circo, dança, teatro, música, poesia. Em 2011, 2012 e 2013 o evento aconteceu no Centro Cenotécnico. - CENTRO CENOT É CNICO:

Espaço onde são construídos cenários e adereços de teatro, circo, dança, cinema, carnaval, publicidade e eventos em geral, abrigando cerca de 80% da produção cênica porto-alegrense. O espaço também atende a espetáculos de fora do Estado e do país, quando passam por Porto Alegre. Administrado pelo Instituto Estadual de Artes Cênicas – IEACen/Sedac, é o único centro cenotécnico público da América Latina. Localiza-se na av. Voluntários da Pátria, 1370 ao lado da Vila Santa Teresinha mas por causa das reformas para a Copa 2014 suas atividades serão transferidas para um prédio na av. Júlio de Castilhos no Centro de Porto Alegre.

-

VILA SANTA TERESINHA: Antiga VILA DOS PAPELEIROS onde residem cerca de 300 famílias que trabalham com reciclagem puxando carrinhos pela cidade que foi destruída por dois incêndios entre 2003 e 2004. Depois desses incêndios algumas famílias foram acolhidas pela igreja Santa Teresinha e um loteamento foi construído pelo DEMAB; Em matéria publicada na página 58 do jornal Zero Hora de 14/12/2006 (edição 15.084), a Vila dos Papeleiros recebeu o novo nome, Loteamento Santa Teresinha, em homenagem à Paróquia Santa Teresinha de Jesus, no bairro Floresta, por ter sido ela a única a ajudar os seus moradores por ocasião do incêndio de fevereiro de 2005. Ao total, foram 213 famílias a ocupar o Loteamento Santa Teresinha. O Loteamento Santa Teresinha é composto em seu planejamento urbanístico de creche, associação comunitária e espaço para estabelecimentos comerciais. 10


Rede dos pontos de cultura que visa garantir a expressão da pluralidade brasileira na construção de políticas públicas para a cultura popular além de uma memória presente escrita de forma horizontal, através das novas possibilidades de difusão e acesso à cultura. - TEIA:

São projetos que inicialmente foram financiados e apoiados institucionalmente pelo Ministério da Cultura (MinC) e implementados por entidades governamentais ou não-governamentais, que visam o a realização de ações de impacto sócio-cultural nas comunidades. Em abril de 2010, havia 2,5 mil Pontos de Cultura instalados em 1.122 cidades brasileiras, atuando em redes sociais, estéticas e políticas. Um aspecto comum a todos é a diversidade cultural e a gestão compartilhada entre poder público e comunidade. - PONTO DE CULTURA :

Ponto de Cultura parceiro do Esporo de Cultura Digital de Porto Alegre localizado na avenida Capivari no 602 Bairro Cristal. Atualmente no Ponto de Cultura Quilombo do Sopapo, estão sendo realizados cursos: TV Sopapo onde os alunos produzem e apresentam programas de TV e a incubadora de áudio -visual a CVP além disso no laboratório os alunos da comunidade podem ter acesso à Internet. - PONTO DE CULTURA QUILOMBO DO SOPAPO :

O Centro Cultural Santander é um espaço de exposição e discussão sobre as Artes, situado no prédio do Banco Nacional do Comércio, que em 2000 foi restaurado para se tornar centro cultural. Durantes os meses de março e abril de 2012, o espaço recebeu a mostra “Poesia do Fio” com a obra de Arthur Bispo do Rosário, artista plástico nascido no Sergipe e que passou a maior parte de sua vida em um manicômio carioca e dentro dele, a partir dos fios das roupas e lençóis, fez sua arte. O Santander Cultural está localizado no Centro Histórico de Porto Alegre, na rua Sete de Setembro, 1028. – SANTANDER CULTURAL:

11


É uma festa para comemorar as diversas lutas protagonizadas por movimentos sociais, coletivos, comunidades, que se reúnem todo ano para comemorar o dia da biodiversidade, dia 22 de maio, convergindo pautas, estreitando laços e dialogando com a população da capital. São cerca de 40 coletivos que organizam essa feira-festa e muitos outros que participam expondo, propondo atividades ou simplesmente comparecendo no Largo Glênio Peres, ao lado do Mercado Público de Porto Alegre . É também um espaço de denúncia do capital e dos governos, que há alguns anos vem escorraçando a população dos espaços púbicos. -

FESTA

DA

BIODIVERSIDADE :

CONEX Õ ES GLOBAIS 2 .0 : A primeira edição do Conexões Globais 2.0, que aconteceu de 25 a 28 de janeiro de 2012, na Casa de Cultura Mario Quintana, propôs diálogos sobre ativismo social na era da web 3.0, durante o Fórum Social Temático. Diariamente, das 14h às 22h, o evento convidou o público a participar de atividades como web conferências, oficinas, shows de música, artes visuais, lançamentos de livros, painéis e montagem de uma MiMoSA pela Ecoaecoa Coletivo com o Esporo de Cultura Digital da Casa Brasil Porto Alegre. -

M Á RIO

Centro Cultural que homenageia o escritor gaúcho Mario Quintana. A história da CCMQ tem início em julho de 1980, com a compra do antigo prédio do Hotel Majestic, pelo Banrisul. Em 29 de dezembro de1982, o governo do Estado adquiriu o Majestic do Banrisul e, um ano mais tarde, o prédio foi apresentado como patrimônio histórico, tendo início, a partir de então, sua transformação em Casa de Cultura. No mesmo ano, através da Lei 7.803 de 8 de julho, recebeu a denominação de Mario Quintana, passando a fazer parte da então Subsecretaria de Cultura do Estado. Os espaços da Casa de Cultura Mario Quintana estão voltados para o cinema, a música, as artes visuais, a dança, o teatro, a -

12

CASA

DE

CULTURA

QUINTANA:


literatura, a realização de oficinas e eventos ligados à cultura. A Casa Brasil foi um programa financiado pelo fundo de pesquisa CNPq que gerou espaços comunitários de acesso gratuito em diversas capitais do Brasil, com o objetivo de promover a cidadania e o conhecimento através da inclusão tecnológica, da divulgação da ciência e do software livre, da leitura, da democratização das comunicações, da economia solidária, da cultura e das artes na comunidade. A Casa Brasil em Porto Alegre é sediada no antigo arquivo da Caixa Federal pela ONG Moradia e Cidadania desde 2008, no bairro Floresta próximo a antiga Vila dos Papeleiros na rua Voluntários da Pátria 2552. - CASA BRASIL :

Catarse é um coletivo de comunicadores de Porto Alegre, comprometidos com a construção de alternativas que fortaleçam a cultura e o jornalismo independentes e enriqueçam o debate público em seus temas mais importantes. Através de produções audiovisuais realizam um trabalho autoral e engajado, se aproximando de movimentos e organizações que entendem a cultura como um direito humano e a comunicação como uma ação transformadora. -

COLETIVO

CATARSE :

- PONTO DE PERMACULTURA COMUNA DO ARVOREDO :

Comunidade alternativa no centro histórico de Porto Alegre onde residem em torno de 20 ativistas além das ONG's: INGÁ e CASA TIERRA. Foi sede do Ateliê Ecoaecoa durante o curso de cultura digital onde a mostra Cacos em Ecos foi exposta em sua segunda Itinerância. Tornou-se ponto de cultura em 2013 propondo as atividades que já desempenhava por mais 3 anos, tais como: Cursos de Permacultura e Educação Ambiental, Sarau Cultural, Cursos de Alimentação e Saúde, Brechó e alquimias com plantas medicinais da Caverna Sagrada.

13


É uma pesquisação artística que unifica educação popular low tech, software livre e arte integrada promovendo autonomia e Ecosofia (3 ecologias somadas à sabedoria) como ação transformadora-poética-permanente. Surgiu em 2007 como um projeto de produção literária com MetaReciclagem (RPG Comunativo) ampliou-se com a Editora Educadora Ecoaecoa criada para publicar as histórias revolucionárias criadas com o RPG Comunativo em periferias do RS e RJ. E em 2011 torna-se um grupo aberto para trabalhos em equipe com talentos diversificados voltados à projetos de arte integrada, educação popular, software livre, MiMoSA Griô, copy left, economia solidária e Rede Cultura Viva. Tem como objetivo ecoar a educação popular e pedagogia hacker além da sabedoria, a economia criativa e solidária e a arte popular para que qualquer pessoa possa usar sua própria linguagem no diálogo cultural / político / Econômico. Atualmente a Ecoaecoa e o Esporo de Cultura Digital de Porto Alegre unificaram-se além de integrar a equipe da Casa de Cultura Digital PoA no Espaço Cultural Vila Flores. - ECOAECOA :

3 . POL ÍTICA & SOCIEDADE

- POL ÍTICA :

Ciência das relações sociais relacionada à

vida urbana. É um grupo organizado formal e legalmente constituído orientado para influenciar ou ocupar o poder político em um determinado país, estado ou cidade politicamente organizado, em que se faz presente a diversidade de ideologias em diálogo como objeto de mudança, transformação social ou manutenção do sistema. - PARTIDO POL ÍTICO:

14


É a ideologia de pessoas que não buscam a renovação do sistema por que querem manter as coisas como estão sem profundas alterações privilegiando aqueles que já tem privilégios. Geralmente está relacionada a classe dominante e aos interesses do capital. - DIREITA :

É a ideologia de pessoas que buscam a renovação, a distribuição de recursos financeiros e uma maior justiça social para todas as pessoas. Geralmente está (ou deveria estar) voltada à classe operária, à classe baixa e as minorias. -

ESQUERDA :

É a ideologia que apoia aspectos tanto da esquerda (partilha) quanto da direita (acúmulo). - CENTRO OU MEIO :

O proletário consiste daquele que não tem nenhum meio de vida exceto sua força de trabalho que ele vende para sobreviver. Ao vender sua força de trabalho, o proletário aliena-se de seus próprios atos e submete-os à vontade do comprador, que o domina autoritariamente. O comprador (o patrão) comanda o trabalho do proletário e se apropria de seus produtos para vendê-los no mercado instaurando assim a mais valia. - CLASSE OPER ÁRIA:

É uma associação de operários ou de patrões fundada para a defesa comum dos interesses de seus participantes. Os tipos mais comuns são os representantes de categorias profissionais, conhecidos como sindicatos de trabalhadores. O sindicalismo tem origem nas corporações de ofício na Europa medieval. No século XVIII, durante a revolução industrial na Inglaterra, os trabalhadores, oriundos das indústrias têxteis, doentes e desempregados juntavam-se nas sociedades de socorro mútuos. - SINDICATO :

É um acordo feito entre funcionários, operários ou estudantes que se recusam a trabalhar ou a cumprir suas obrigações enquanto não forem atendidas suas reclamações e garantidos seus direitos trabalhistas, ou para evitar a perda de benefícios. 15 - GREVE :


É a ciência da formação das ideias, um conjunto de convicções filosóficas, politicas, sociais ou religiosas de uma determinada pessoa, grupo ou sociedade que orienta suas escolhas, ações e percepções de mundo. O contexto de produção das ideias está relacionado com as relações entre os indivíduos, o contexto e a cultura. - IDEOLOGIA :

O capitalismo é um sistema econômico que privilegia o acumulo de riquezas e o aumento da desigualdade social, em que os meios de produção e distribuição são de propriedade privada e com fins lucrativos. As decisões sobre oferta, demanda, preço, distribuição e investimentos não são feitos pelo governo, os lucros é mérito exclusivo dos proprietários que investem em empresas e os salários são pagos aos trabalhadores que geralmente são explorados devido a reserva de mercado e a mais valia. É o modelo que defende os ideais do liberalismo e se diz libertário na sua forma radical. - CAPITALISMO :

É uma ideologia política formada por um grupo amplo de filosofias econômicas e políticas que recorrem a vários movimentos embasados em trabalhos de teóricos da Revolução Industrial e da Revolução Francesa. Contrário do capitalismo, oferece uma alternativa aos problemas do sistema capitalista e do legado do imperialismo e do nacionalismo. - SOCIALISMO :

Durante o século XIX e XX diversos países se tornaram socialistas, principalmente na Europa e África, contudo o capitalismo se expandiu nas últimas décadas. Os países que se mantêm socialistas são Cuba, Coreia do Norte, Laos, Vietnã, embora estes países não sigam a ideologia socialista plenamente.

16


É uma ideologia política e socioeconômica, que pretende promover uma sociedade sem classes, sem Estado e livre de opressão, onde as decisões sobre o que produzir e quais as políticas devem prosseguir são tomadas democraticamente, permitindo que cada membro da sociedade possa participar do processo decisório, tanto na esfera política quanto econômica. Karl Marx postulou que o comunismo seria a fase final na sociedade humana, o que seria alcançado através de uma revolução proletária e que a única maneira de resolver esses problemas seria pela classe trabalhadora (proletariado), que, segundo Marx, são os principais produtores de riqueza na sociedade e são explorados pelos capitalistas de classe (burguesia), para substituir a burguesia, a fim de estabelecer uma sociedade livre, sem classes ou divisões raciais. Mesmo assim existem países que assumem posturas tanto comunistas como ditadoras em suas formas de governo como a China por exemplo. -

COMUNISMO :

é uma filosofia política que engloba teorias, métodos e ações que objetivam a eliminação total de todas as formas de governo compulsório e qualquer forma de abuso de poder. Defende a teoria de que toda pessoa deve defender e agir pelos seus ideais sem esperar que alguém faça isso por ela. -

ANARQUIA :

É uma forma de ativismo que usa métodos mais imediatos para produzir mudanças desejáveis ou impedir práticas indesejáveis na sociedade, através de greves, boicotes, desobediência civil, sabotagem e ocupações. A ação direta chama a atenção para questões importantes que estão sendo esquecidas pela sociedade e pelo governo. - AÇÃ O DIRETA:

17


GR Ê MIO

É o órgão máximo de representação dos estudantes da escola, é uma organização sem fins lucrativos que representa o interesse dos estudantes e que tem fins cívicos, culturais, educacionais e sociais. Atuando nele, você defende seus direitos e interesses e aprende ética e cidadania na prática. Ele permite que os alunos discutam, criem e fortaleçam inúmeras possibilidades de ação tanto no próprio ambiente escolar como na comunidade. O Grêmio é também um importante espaço de aprendizagem, cidadania, convivência, responsabilidade e de luta por direitos. -

ESTUDANTIL:

É quando a administração do grupo ou organismo acontece pelos seus próprios participantes em regime de democracia direta, não havendo a figura do patrão, mas todos os envolvidos participam das decisões administrativas em igualdade de condições. Em geral, os trabalhadores são os proprietários da empresa autogestionada. A autogestão não pode ser confundida com controle operário, que mantém a hierarquia e o controle externo do organismo (ou da fábrica) a algum organismo ou instância superior (como um partido político por exemplo). Guillerm e Bourdet trazem 5 conceitos para determinar o tipo de relação que um grupo de operários possuem com as fábricas: participação, co-gestão, controle operário, cooperativa e autogestão. - AUTOGEST Ã O :

É a colaboração e a associação de pessoas ou grupos com os mesmos interesses, a fim de obter vantagens comuns através da soma de esforços, à procura de alternativas e soluções. - COOPERATIVISMO :

ECONOMIA SOLID ÁRIA: É uma forma de produção, consumo e distribuição de riqueza centrada na valorização do ser humano e não do capital. Tem base associativista e cooperativista, é voltada para a produção, consumo e comercialização de bens e serviços -

18


de modo autogerido, tendo reprodução ampliada da vida.

como

finalidade

a

Preconiza o entendimento do trabalho como um meio de libertação humana dentro de um processo de democratização econômica, criando uma alternativa à dimensão alienante e assalariada das relações do trabalho capitalista. É um regime de governo em que o povo exerce o poder indiretamente através de representantes escolhidos em eleições livres; igualdade de direitos perante a lei, sem privilégio de classes. - DEMOCRACIA :

É um sistema político no qual o poder é exercido pelo grupo mais rico. Do ponto de vista social, esta concentração de poder nas mãos de uma classe é acompanhada de uma grande desigualdade e opressão civil. É o sistema vigente no Brasil e na maioria dos países que se dizem democráticos. - PLUTOCRACIA :

- REAL DEMOCRACIA: É um regime político em que o

cidadão participa diretamente da administração de seu país através de votações populares, em busca de desenvolver um regime político verdadeiramente democrático e participativo permanentemente. Neste novo regime não há partidos, apenas ministérios como Ministério da habitação, saúde, segurança, educação, artes, comunicação, produção, infraestrutura, tecnologia, economia, justiça, meio ambiente, relações exteriores, integração social, fiscalização, organização, administração. Os ministros são escolhidos por meio de voto direto em eleições bianuais, sendo que passado um ano de gestão, caso a avaliação popular seja negativa, as eleições poderão ser antecipas. Cada ministro terá total liberdade para formar a sua própria equipe de trabalho. A verba do governo será distribuída aos ministérios proporcionalmente aos graus de prioridade arbitrados pelo povo. 19


Para o estabelecimento desse novo regime será necessário dissolver os três poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário, se a população assim o permitir, e recriá-los com base em uma estrutura mais simples e eficiente. Em seguida são convocadas as eleições ministeriais. O voto é facultativo, vota quem quer participar a partir dos 16 anos de idade. Nesse regime o país paga a divida externa com “valores simbólicos”, em juízo, pois é o que pode ser ministrado na atual conjuntura econômica e social. A estrutura deste novo regime se constitui de ministérios nacionais, estaduais, municipais e representação de bairro. Tanto aos ministérios, como aos as representações de bairro, são apresentados os problemas, estes, por sua vez, tem que apresentar soluções que vão para votação popular. Em caso de aprovação, estas soluções são imediatamente iniciadas e postas em prática. Todo cidadão tem uma identificação, o Cartão Cidadão. O cidadão poderá votar em inúmeras questões além da escolha de representantes via Internet. A função do ministério da fiscalização é analisar as contas, propostas e realizações dos outros ministérios. Os ministérios terão que prestar contas de tudo, todos os valores serão analisados, caso se descubra qualquer irregularidade, o ministério sofrerá processo administrativo e seus membros serão julgados na justiça. Ninguém terá qualquer beneficio jurídico. Todo movimento financeiro trimestral do governo será apresentado à população em cadeia nacional de TV e rádio, Internet e jornais. Os membros de ministério poderão ter seu sigilo bancário ou telefônico quebrados sempre que houver suspeita defraude, desvio de verba pública ou qualquer outro tipo de irregularidade administrativa. Um município terá tantos representantes de bairro quantos forem o número de bairros pelo qual estiver subdividido. O representante de bairro será responsável por soluções locais relativas as micro políticas e demandas da comunidade do bairro. 20


É um mecanismo governamental de democracia participativa que permite aos cidadãos influenciar ou decidir sobre os orçamentos públicos, geralmente, o orçamento de investimentos de prefeituras municipais, através de processos da participação da comunidade. Esses processos costumam contar com assembleias abertas e periódicas e etapas de negociação direta com o governo. No Orçamento Participativo retira-se poder de uma elite burocrática repassando-o diretamente para a sociedade. Com isso a sociedade civil passa a ocupar espaços que antes lhe eram "furtados". A implementação do OP surgiu com a redemocratização e a promulgação da Constituição de 1988, quando foi estimulada a participação popular na definição de políticas governamentais, por intermédio da criação dos Conselhos Setoriais de Políticas Públicas como espaços de controle social. As mudanças constitucionais aliadas à vontade popular e política viabilizaram a implantação em Porto Alegre (RS), do Orçamento Participativo, em 1989 tendo a proposta de discussão pública do orçamento e dos recursos para investimento. Muitas prefeituras adotaram a participação popular baseando-se no modelo de Porto Alegre. - ORÇ AMENTO PARTICIPATIVO (OP ):

É um estilo de mobilização e contestação social focada principalmente nas transformações da consciência, dos valores sociais e do comportamento, na busca de outros espaços e novos canais de expressão para o indivíduo e grupos distintos dos legitimados pelo sistema. -

CONTRACULTURA :

REVOLU ÇÃ O: É uma grande transformação, seja de modo progressivo, contínuo, seja de maneira repentina, sendo um movimento de revolta contra um poder estabelecido, e que visa promover mudanças profundas nas instituições políticas, econômicas, culturais e morais. Se visto de um ponto de vista imparcial pode-se dizer que a Ditadura no Brasil foi uma revolução. -

21


É o estabelecimento de um governo onde não há participação popular, sendo um regime antidemocrático e extremamente autoritário. O governo usa o seu poder para controlar as condutas dos indivíduos e as informações que circulam, exercendo influência sobre amplos aspectos da vida dos governados, usando a força bruta, inclusive a tortura como recurso para o controle social e político. - DITADURA:

MEC USAID: Outra forma de controle são reformas profundas na estrutura do país sob a influência política de outro país, como o MEC USAID, uma tentativa expansionista do modelo de educação que os Estados Unidos firmaram com o Brasil e que resultou em reformas profundas na educação formal tornando-a fragmentada em matérias e graus. Neste novo modelo de educação privilegia-se as disciplinas técnicas em detrimentos das humanas e usa-se métodos abstratos de ensino que resultam no analfabetismo funcional gerado pela falta de sentido na forma como os conteúdos são ensinados Além disso o foco deste plano de educação está no ensino e não na aprendizagem. –

É a busca pelo domínio e controle das pessoas de acordo com os interesses dos manipuladores, os quais têm falas e ações estratégicas para convencer os outros e alcançarem seu objetivo. O manipulador não respeita a liberdade e vê os outros como objetos para o seu sucesso. A manipulação é encontrada nas relações políticas, pessoais e até em alguns modelos e recursos educacionais. - MANIPULA ÇÃ O:

- M Í DIA DE MASSA:

É a disseminação de informações através de jornais, televisão, rádios, cinema e Internet, os quais se reúnem em um sistema denominado mídia. A comunicação de massa tem a característica de chegar a uma grande quantidade de receptores ao mesmo tempo, partindo de um único emissor. 22


Poucos são os grupos de comunicação que produzem informações, tendo o poder de informar o que e como eles quiserem, mostrando o mundo, os grupos e as pessoas conforme o discurso produzido entre as palavras, imagens e sons escolhidos conforme os interesses da empresa de comunicação. É tão restrito e antidemocrático o domínio desses canais que poderíamos comparar a distribuição desses bens ao Tratado de Tordesilhas É o nome que se dá à atividade de pressão de grupos com o objetivo de interferir indiretamente nas decisões do poder público, em especial do Legislativo, em favor de interesses privados. - LOBBY :

É o ato de recusar-se a adquirir serviços, mercadorias ou relações com indivíduo ou um grupo, empresa, evento, como forma de protesto ou coerção a quem se pretende opor-se por razões ideológicas, políticas, sociais, etc. - BOICOTE :

SABOTAGEM : É o ato de impedir o pleno funcionamento de quaisquer mecanismos, institucionais ou não, que são contrários aos interesses dos sabotadores, e é utilizada atualmente por alguns governos com o fim de que suas populações não se organizem. -

BANALIZA ÇÃ O: É algo que teve sua imagem desgastada, ou algo de importância que se tornou menos importante pela exaustão da repetição sobre um determinado assunto. "A banalização da violência", por exemplo, pode expressar que, de tão comum, algo tão sério acabou virando algo rotineiro. -

GLOBALIZA ÇÃ O : É um fenômeno gerado pela necessidade da dinâmica do capitalismo de formar uma aldeia global que permita maiores mercados. -

23


O processo de Globalização diz respeito à forma como os países interagem e aproximam pessoas, interliga o mundo, ao mesmo tempo em que aprofunda diferenças e fortalece as fronteiras e a indiferença, enfraquecendo o sentimento especial do Legislativo, em favor de interesses privados. HEGEMONIA :

É a dominação de um grupo, classe social, ou país sobre os outros, através de uma imposição militar, política ou cultural. Quem detém a hegemonia busca estabelecer o padrão, o certo, o ideal, a sua forma de pensar negando e aniquilando as diferenças, a diversidade e a oposição. -

É um processo histórico e social através do qual a indústria se torna o setor dominante de uma economia, mediante a substituição de instrumentos, técnicas e processos de produção, resultando em aumento da produtividade dos fatores e a geração de riqueza. Assim, a economia, antes de base agrária, artesanal e comercial, passa a ter uma base urbana e industrial - o que gera transformações profundas sobre os modos de vida e o padrão de relações sociais anterior. O sistema de produção artesanal, manual, espacialmente disperso, dá lugar à produção serial, mecânica, espacialmente concentrada, padronizada, isto é, capaz de gerar produtos de qualidade homogênea. - INDUSTRIALIZA ÇÃ O:

Toda a economia e toda a sociedade se reorganizam em função do desenvolvimento da indústria. Atualmente vivemos a Terceira Revolução Industrial, conhecida também como a Revolução Digital, caracteriza-se pelo uso intensivo da informática e telemática e as consequentes transformações nas relações sociais e econômicas.

24


Consiste num conjunto de produtos necessários em diversos processos de produção, que são extraídos ou obtidos diretamente da natureza (explorações florestais, agrícolas ou minerais). Estas matérias constituem a primeira fase da cadeia de transformações para a obtenção do produto final. - MAT É RIA -PRIMA :

LIXO : Resíduos que são considerados sem utilidade, supérfluos ou perigosos, gerados pela atividade humana, e que devem ser descartados ou eliminados. Muito do que se considera lixo pode ser reutilizado ou reciclado, desde que os materiais sejam adequadamente tratados. Além de gerar emprego e renda, a reciclagem também colabora para o aumento da vida útil dos aterros sanitários. Certos resíduos, no entanto, não podem ser reciclados, a exemplo do lixo hospitalar ou nuclear. -

RECICLAGEM : É o processo de reaproveitamento de resíduos sólidos orgânicos e inorgânicos. É considerado o melhor método de destinação do lixo, em relação ao meio ambiente, uma vez que diminui a quantidade de resíduos enviados a aterros sanitários, e reduz a necessidade de extração de matéria-prima diretamente da natureza. No processo de reciclagem, que além de preservar o meio ambiente também gera riquezas, os materiais mais reciclados são o vidro, o alumínio, o papel e o plástico, o que contribui para a diminuição significativa da poluição do solo, da água e do ar. Muitas indústrias estão reciclando materiais como uma forma de reduzir os custos de produção. -

Um outro benefício da reciclagem é a quantidade de empregos que ela tem gerado nas grandes cidades. Muitos desempregados estão buscando trabalho neste setor e conseguindo renda para manterem suas famílias. Cooperativas de catadores de papel e alumínio já são uma boa realidade nos centros urbanos do Brasil.

25


Educação relacionada ao uso da matéria-prima resumida em 5 palavras que começam com a letra R Recusar, Reduzir, Reutilizar, Reciclar, Restaurar ou Responsabilidade, Redução, Reutilização, Reciclagem, Revolução. - POL ÍTICA dos 5 R'S:

- SEPARA ÇÃ O DOS TIPOS DE MATERIAIS:

PROPRIEDADE PRIVADA : No mundo capitalista a propriedade é a pilastra do sistema. O processo de exploração pela propriedade privada acontece, por exemplo, quando o proprietário detém os meios de produção e, através de diversas formas, apropria-se de parte do seu trabalho, pois não lhes paga os frutos completos daquilo que produzem. -

4 . ARTE & IMAGEM

DADA OUTRA POESIA : É um jogo de produção literária criado pela Ecoaecoa que estimula a criatividade e a criação de poesias e músicas através da reciclagem de palavras retiradas de jornais e revistas. -

FRONTEIRAS IMAGIN Á RIAS CULTURAIS: FIC, fronteirasimaginarias.org é uma plataforma livre na web que visa ser uma base de dados de conteúdos agrupados por mapas, retratando aspectos culturais de diferentes comunidades e coletivos, através de registro multimídia. -

26


Os mapas cognitivos, também entendidos como mapas mentais, psicogeografia ou cartografia social e imaginativa, podem ser apreendidos como representações gráficas de conjuntos de representações discursivas. Os autores dessa plataforma, o coletivo i-Motirô, acredita que os mapas cognitivos extrapolam o campo da representação e abrem o horizonte das possibilidades, criam uma forma de reaprender o mundo segundo o registro da criação. Artista holandês, nasceu em 1898, faleceu em 1970 e dedicou toda a sua vida às artes gráficas. Uma das principais contribuições da obra deste artista está em sua capacidade de gerar imagens com impressionantes efeitos de ilusões de óptica pela criação de fractais, com notável qualidade técnica e estética. - ESCHER :

FRACTAL : Um fractal é uma imagem ou objeto geométrico que pode ser dividido em inúmeras partes, cada uma das quais semelhante ao objeto original. Diz-se que os fractais têm infinitos detalhes, são geralmente autossimilares e independem de escala. Em muitos casos um fractal pode ser gerado por um padrão repetido, tipicamente um processo recorrente ou interativo. -

É a diferença nas propriedades visuais que faz com que um objeto seja distinguível de outros e do plano de fundo através da diferença da luz. - CONTRASTE :

Esta doutrina que estuda a imagem aponta que o conjunto é mais que a soma dos seus elementos, um terceiro fator é gerado na síntese entre as características da forma inerentes ao objeto, e a formais, que incluem as nossas impressões sobre a matéria, que se impregna de nossos ideais e de nossas visões de mundo. - GESTALT :

É um aparelho óptico formado por um pequeno tubo de cartão ou de metal, com pequenos fragmentos de materiais diversos coloridos, que, através - CALEIDOSC Ó PIO:

27


do reflexo da luz exterior em pequenos espelhos inclinados, apresentam, a cada movimento, combinações variadas e agradáveis de efeito visual. 5 . COMUNICA ÇÃ O DIGITAL & TECNOLOGIA

Entrada/saída (sigla I/O ) é um termo utilizado quase que exclusivamente no ramo da computação (ou informática), indicando entrada (inserção) de dados por meio de algum código ou programa, para algum outro programa ou hardela, bem como a sua saída (obtenção de dados) ou retorno de dados, como resultado de alguma operação de algum programa, consequentemente resultado de alguma entrada. Exemplos de unidades Imput: disco rígido, microfone, teclado. Exemplos de unidades Out: caixas de som, impressora , disco rígido. - INPUT / OUTPUT :

INCLUS Ã O DIGITAL: Pró-apreciação de tecnologia social em comunidade. Este livreto foi lançado pela Ecoaecoa Coletivo na 12a Oficina de Inclusão Digital que aconteceu em Brasília em dezembro de 2013. -

a menor unidade de informação que pode ser armazenada ou transmitida usada na Computação e na Teoria da Informação. Um bit pode assumir somente 2 valores, por exemplo: 0 ou 1, verdadeiro ou falso. - BIT : É

1 byte equivale a 8 bits. Um byte (Binary Term) é um dos tipos de dados integrais em computação. É usado com frequência para especificar o tamanho ou quantidade da memória ou da capacidade de armazenamento de um certo dispositivo, independentemente do tipo de dados armazenados. - BYTE :

28


Analogamente a uma unidade de medida, o byte e seus múltiplos operam como quantificadores de um volume de dados em um computador ou sistema computacional: - KILOBYTE: 1024 bytes equivalem a 1 KB. - MEGABYTE: 1024 kilobytes equivalem a 1 MB. - GIGABYTE: 1024 megabytes equivalem a 1 GB. - TERABYTE: 1024 gigabytes equivalem a 1 TB. - PETABYTE: 1024 terabytes equivalem a 1 PB. - EXABYTE: 1024 petabytes equivalem a 1 EB. - ZETTABYTE: 1024 exabytes equivalem a 1 ZB. - YOTTABYTE: 1024 zettabytes equivalem a 1 YB. Um Outdoor é a designação de um meio publicitário exterior, sobretudo em placas modulares, expostos em locais de grande visibilidade, como à beira de rodovias ou em edifícios nas cidades. - OUTDOOR :

Um slogan ou frase de efeito é uma frase de fácil memorização que resume as características de um produto, serviço ou até mesmo pessoa. Ela é usada em contexto político, religioso ou comercial como uma expressão repetitiva de uma ideia ou propósito. - SLOGAN :

TAG : Uma tag (do inglês “etiqueta”) é uma palavra-chave associada com uma informação (ex: uma imagem, um artigo, um vídeo) que o descreve e permite uma classificação da informação. Tagueamento: ato de taguear. Este conceito pode ser pensado como uma versão digital de palavras geradoras. -

Um ícone é uma representação gráfica de um objeto, conceito ou ação. Ele é um elementos de interface, então ele deve ser desenvolvido para ser apreciado, mas criar interação com o usuário também. - Í CONE:

É um formato de mídia eletrônica onde os dados são armazenados em formato digital. - M Í DIA DIGITAL:

29


Pode referir-se ao aspecto técnico da armazenagem e transmissão da informação (isto é, discos rígidos ou redes de computadores), ou ao "produto final", como vídeo digital, realidade aumentada ou arte digital. É uma forma apresentar uma informação sobre um produto, marca, empresa ou política que visa influenciar a atitude de uma audiência para determinada crença, causa, posição ou atuação que favorece quem criou a informação. Seu advém de contexto político, referindo-se geralmente aos esforços de persuasão patrocinados por governos e partidos. -

PUBLICIDADE :

É uma forma de mídia voltada para interesses comerciais. As empresas investem na imagem dos seus produtos e serviços para ampliarem seu poder sobre os consumidores e assim seus lucros através do consumo. - PROPAGANDA :

Oficina elaborada pela Ecoaecoa que propõe a reciclagem de outdoors das ruas da comunidade que depois de fotografados, são re-significados com edição gráfica usando o aplicativo livre GIMP como uma forma de pensar a comunicação comunitária. - PUBLICOMUNIDADE :

JINGLE : É uma mensagem musical usada pela publicidade para anunciar algum produto, um candidato ou empresa, com um refrão simples e de curta duração a fim de ser lembrado com facilidade. Usado na rádio e televisão. -

Forma particular como o nome da marca é representado graficamente, pela escolha ou desenho de uma tipografia (conjunto de letras e ou símbolos) específica que precisa seguir um padrão visual que a torna reconhecida onde quer que ela seja estampada. - LOGO :

30


É a dis posição da informação num documento, incluindo o formato, o tamanho, a distribuição e a organização gráfica. -

LAYOUT :

É a organização gráfica a partir da escolha pelo tipo da letra (fonte), qual tamanho e efeito será usando. Assim como o layout, a diagramação é usada em jornais, livros, revistas, cartazes, televisão, outdoors, blogs, etc. - DIAGRAMA ÇÃ O:

É um software livre para edição eletrônica de imagens e documentos vetoriais. Utiliza o método vetorial, ou seja, gera imagens a partir de um caminho de pontos definindo suas coordenadas, de forma transparente ao usuário. Imagens vetoriais têm maior aplicação em desenho técnico ou artístico e são, geralmente, mais leves e não perdem a qualidade ao sofrer transformações, como redimensionamento ou giro. - INKSCAPE :

SOFTWARE LIVRE : Software de código aberto ou software livre é qualquer programa de computador cujo código-fonte deve ser disponibilizado para permitir o uso, a cópia, o estudo e a redistribuição. O conceito de livre ou aberto se opõe ao conceito de software restritivo (software proprietário), mas não ao software que é vendido com intenção de lucro (software comercial). -

Aquele que sabe como modificar os aspectos internos de dispositivos, programas e redes de computadores que extrapolam os limites do funcionamento "normal" dos sistemas como previstos pelos seus criadores Diferente dos Crackers os Hackers seguem um certo código de ética. - HACKER :

GIMP : Software livre (de código aberto) voltado principalmente para criação e edição de imagens 2D e fotografias digitais. -

31


Cultura que se desenvolve e se relaciona com questões de interatividade, arte multimídia, trabalho em rede, cultura livre e refletem as necessidades e soluções em um mundo onde a informação e as tecnologias da comunicação se manifestavam cada vez mais importantes. - CULTURA DIGITAL :

Movimento que trata da questão ambiental, sobre o mundo tecnológico e ainda da parte artística e cultural no meio do processo. Está baseada na ideologia da Cultura Digital e da Filosofia Software Livre. Este propõe que há formas de reaproveitar lixo tecnológico e de que possamos contribuir com o meio ambiente de uma forma muito simples. Primeiro com o conhecimento do computador por dentro e depois demonstrando as formas de solucionar problemas de hardware. E ainda, quando obsoletos, como fazer arte, bijuterias e adereço com estes equipamentos. - METARECICLAGEM :

Mídia Móvel Sociedade Anônima. Montagem de um estúdio de produção para aprendizado e convivência. São labs de mídia móveis, utilizados para mobilização e arte digital que geralmente são produzidos em oficinas de MetaReciclagem como uma forma de resignificação da tecnologia. A Ecoaecoa Coletivo criou uma família de MiMoSA's onde a primeira delas feita no Pontinho de Cultura do Odomodê é a parteira MiMoSA Griô. - MIMOSA :

São os direitos autorais, uma licença fechada que proíbe a cópia ou distribuição de alguma obra de arte ou produto sem a permissão expressa do autor. Ao atribuir a licença copy right, significa que o autor tem todos os direitos reservados sobre a sua obra. - COPY RIGHT :

São licenças que permitem a cópia e o compartilhamento com menos restrições que o copy right, que permite controle do autor sobre a maneira como sua criação será compartilhada. - CREATIVE COMMONS :

32


Visa estabelecer o direito de copiar e redistribuir um trabalho determinado, sendo um "direito de cópia". O Copy Left permite a livre circulação da obra intelectual e visa favorecer a expansão do conhecimento. Este tipo de licença permite a livre modificação e distribuição de determinada obra, seja para fins lucrativos ou não. - COPY LEFT :

6 . ECOLOGIA

BIODIVERSIDADE : É o conjunto da diversidade da natureza viva, a variabilidade de organismos vivos de todas as origens, compreendendo, os ecossistemas terrestres, marinhos e outros ecossistemas aquáticos e os complexos ecológicos de que fazem parte. A biodiversidade é o que garante o equilíbrio dos ecossistemas e do mundo todo. Os danos causados à biodiversidade não afetam somente as espécies que habitam determinado local, mas, todas as outras e o próprio ambiente uma vez que afeta a fina rede de relações entre as espécies e entre estas e o meio em que vivem. A principal ameaça à biodiversidade do planeta é justamente a ação humana através de desmatamentos, queimadas e alterações no clima e nos ecossistemas. -

É a produção de plantas e demais seres vivos a partir da manipulação genética que combina características de um ou mais organismos de uma forma que provavelmente não aconteceria de forma natural. Os principais produtores são os Estados Unidos, o Canadá, o Brasil, a Argentina, a China e a Índia e as culturas que prevalecem são as de milho, soja e algodão. A introdução de transgênicos na natureza expõe nossa biodiversidade a sérios riscos, como a perda ou alteração do patrimônio genético de nossas plantas e sementes e o aumento dramático no uso de agrotóxicos. - TRANSG Ê NICOS:

33


Além disso, ela torna a agricultura e os agricultores reféns de poucas empresas que detêm a tecnologia e põe em risco a saúde de agricultores e consumidores. MAPEAMENTO E AMBIENTE : Ambiente é tudo que envolve uma organização. É tão vasto e complexo que é impossível conhecê-lo e compreendê-lo totalmente. Assim as organizações precisam tatear, explorar e discernir o ambiente, para reduzir a incerteza a seu respeito. Em outros termos a organização precisar mapear seu espaço ambiental. Tal mapeamento não e feito pela organização em si, mas por pessoas. Atualmente tem-se criados inúmeras formas de pesquisa e observação dos ambientes através de metodologias e ferramenta criativas para produções cartográficas. -

Deusa da Terra na mitologia grega, a Mãe Terra, Pachamama, elemento primordial e força geradora de vida. Para a TEORIA GAIA formulada pelo cientista James Lovelock, a Terra é percebida como um superorganismo, no qual todas as reações químicas, físicas e biológicas estão interligadas e não podem ser analisadas separadamente. - GAIA :

Designa-se por Pangeia o continente que, segundo a teoria da deriva continental, existiu até há 200 milhões de anos, durante a era Mesozoica enquanto todos os continentes estavam juntos. -

PANGEIA :

Condição ou processo que permite permanência de algo. Sustentabilidade é um termo usado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos, sem comprometer o futuro das próximas gerações, sem agredir o meio ambiente, usando os recursos naturais de forma inteligente para que eles se mantenham no futuro. Seguindo estes parâmetros, a humanidade pode garantir o desenvolvimento sustentável. - SUSTENTABILIDADE :

34


CONSUMO CONSCIENTE : Consumo responsável significa adquirir produtos eticamente corretos, ou seja, cuja elaboração não envolva a exploração de seres humanos, animais e não provoque danos ao meio ambiente e a saúde. Isto pode ser feito através das maneiras: -

Compras corretas - favorecendo produtos eticamente corretos e realizar negociações baseadas em princípios no bem comum, e não só na satisfação de interesses individuais, permitindo a negociação para o interesse próprio apenas para perpetuar algum bem comum além deste interesse. ●

Boicotes morais - a compras e negociações que vão de encontro à proposta anterior. ●

Refere-se a uma área delimitada. O termo é empregado na política (referente ao Estado Nação, por exemplo), na biologia (área de vivência de uma espécie animal) e na psicologia (ações de animais ou indivíduos para a defesa de um espaço, por exemplo). Há vários sentidos figurados para a palavra território, mas todos compartilham da ideia de apropriação de uma parcela geográfica por um indivíduo ou uma coletividade, etc. - TERRIT Ó RIO:

É o conjunto dos organismos vivos que fazem parte do mesmo ecossistema e interagem entre si, corresponde, não apenas à reunião de indivíduos (população) e/ou sua organização social (sociedade) e sim ao nível mais elevado de complexidade de um ecossistema. Do ponto de vista da sociologia, uma comunidade é um conjunto de pessoas que se organizam sob o mesmo conjunto de normas, geralmente vivem no mesmo local e compartilham do mesmo legado cultural e histórico. - COMUNIDADE :

35


O Código Florestal Brasileiro foi criado pela Lei no 4.771, de 15 de setembro de 1965. O Código estabelece limites de uso da propriedade, que deve respeitar a vegetação existente na terra, considerada bem de interesse comum a todos os habitantes do Brasil. O governo do país está contudo discutindo mudanças que flexibilizam o cuidado com a natureza. - C Ó DIGO FLORESTAL:

Pessoa que busca não utilizar ou consumir produtos de origem animal(couro, carne, leite, ovos, queijo) e desaprovar práticas exploratórias como rodeio, rinha de galo por questões éticas de respeito à vida animal. - VEGANO :

- ECOSOFIA : É um conceito que aproxima a ecologia da filosofia, pois busca pensar o ser humano de forma integrada e compreensiva em todo o processo global em que estamos inseridos, compartilhando um mundo de diversas culturas e seres. Segundo Félix Guattari, Ecosofia é um modo de pensar a ecologia filosoficamente dividindo-á em 3 âmbitos: Ecologia Social, Ecologia Ambiental e Ecologia Pessoal.

FONTES : www, diversos dicionário e conversas a respeito

36


Espaรงo para sua pesquisa:

37


Projeto da Mostra Cacos em Ecos

Art ística

Itinerante

A Mostra Artística Itinerante – Cacos em Ecos – é uma estratégia de continuidade do projeto Identidade Sócio Cultural da Vila Santa Teresinha, beneficiado pelo edital Prêmio Esporo de Cultura Digital 2010, proposto pela ONG Moradia e Cidadania, executado na Casa Brasil de Porto Alegre, realizado com jovens em situação de vulnerabilidade social que moram na Vila Santa Teresinha (antiga vila dos Papeleiros, localizada na Av. Voluntários da Pátria, Porto Alegre) e região. As obras desta mostra usam o lixo eletrônico como suporte, difundem a cultura digital, a educação popular e a MetaReciclagem e têm como conteúdo artístico os produtos finais do processo criativo do projeto.

CACOS Pedras estiveram no caminho. Dos cacos, buscamos fazer poesia e inspirar a compaixão e a cultura da paz. Com espelho partido fizemos CALEIDOSCÓPIOS que conduzirão o olhar do visitante durante a exposição artística, produzindo um encontro, uma nova experiência com as obras. ECOS & A ÇÕ ES O espelho quebrado é uma metáfora da vida fragmentada, da busca de sentido. O norte do nosso projeto são as PALAVRAS GERADORAS. Mais do que conceitos, elas são a ponte para o início de conversa e reflexão sobre a sociedade e o mundo digital. Elas aparecem na mostra em forma de CHUVA DE PALAVRAS GERADORAS, instigando uma maior aproximação com o público. 38


O LIVRETO LIVRE reúne as palavras que apareceram no processo, resultado de conversas, questionamentos e pesquisas que buscaram ampliar e refinar nossas visões de mundo. Ele será distribuído durante a exposição. Refletimos e recortamos as palavras para fazer POESIA e cantar VIVA LA REVOLUCIÓN, um pedido por amor, harmonia, justiça e educação que a turma escreveu e musicou. Fotografamos o bairro para reconstruir uma nova

paisagem, digital, fazendo ARTE gráfica a partir dos OUTDOORS da avenida Voluntários da Pátria, buscando transformar a realidade, mesmo que apenas no universo digital. Nossa janela para o mundo e o registro de nossa caminhada estão no BLOG (www.vilasantateresinha. blogspot.com.br). COMPARTILHANDO A ARTE A sustentabilidade da mostra está diretamente ligada a sua itinerância, pois é assim que surgem novas parcerias e são vendidos alguns produtos da mostra como esse livro. A 6a itinerância da mostra aconteceu nos dias 26, 27 e 28 de dezembro de 2013 na fronteira BR/AR em São Borja. As edições anteriores de sua itinerância foram: 1a na Teia RS em São Leopoldo, em Porto Alegre: 2a na Casa Brasil, 3a no Ponto de Permacultura Comuna do Arvoredo, 4a no Conexões Globais e 5a na 12a Oficina para Inclusão Digital e Participação Social em Brasília. Durante a exposição acontecem OFICINAS que são realizadas com o público durante a mediação da mostra para seguirmos repensando o mundo através do diálogo, da arte, da tecnologia e da educação. 39


Publicomunidades:

Pesquisa, Dada Outra Poesia e edições com GIMP para reciclagem de outdoors.

40


Através do jogo Dada Outra Poesia proposto pela Ecoaecoa Coletivo várias proposições criativas foram produzidas pelo grupo, tais como, a reciclagem de outdoors que foram ressignificados como Publicomunidades e a Música:

VIVA LA REVOLUCIÓN Amor, harmonia Uma voz a ser ouvida Justiça roubada De quem são os direitos?

Viu!... Agora é pra valer Luta, poder Ninguém é só o que parece ser

Dilemas Silêncio Anúncio sem manipulação

Você é ação Tendências da revolução

Falta de educação Falta de educação Falta de educação

Alimente o futuro Anúncio sem manipulação

41


Este livreto foi criado durante o Projeto Identidade Sociocultural da Vila Santa Teresinha, em parceria com a Ecoaecoa Coletivo e Casa Brasil Porto Alegre de novembro de 2011 a dezembro de 2012. Desenvolvido pelas/o arte-educador/as populares: Alissa Gottfried, Rodrigo Apolinário da Rosa e Danielle Sibonis, em diálogo com Jonathan Carvalho e mais 5 jovens educandos de 14 a 25 anos que moram antiga Vila dos Papeleiros em Porto Alegre. Este trabalho foi viabilizado pelo edital aprovado: Prêmio Esporo de Pesquisa e Experimentação em Cultura Digital/MinC e teve como resultado a Mostra Artística Itinerante Cacos em Ecos na qual uma de suas obras é este livreto que reúne as palavras geradoras que mapeiam o curso de cultura digital e educação popular que foi desenvolvido durante essa pesquisa. ecoaecoa.gmail.com

http://culturadigital.br/cacosemecos/

Livreto Livre da Mostra Cacos em Ecos  

Mapeamento conceitual do processo criativo do curso realizado pelo Esporo de Pesquisa e Experimentação de Cultura Digital de Porto Alegre re...

Advertisement