Issuu on Google+

UNIVERSIDADE BANDEIRANTE DE SÃO PAULO CURSO DE ODONTOLOGIA

PAPI LOM AVÍ RUS HUM ANO (HPV) BUCAL ALMEIDA, E.C.S.A. ;PASSARELLI,D.H.R.C. UNIBAN 10/2007 – SP O Papilomavírus está entre os primeiros vírus a serem associados com a neoplasia humana. Mais de 100

tipos de HPV foram identificados até o presente. Desses, 24 tipos foram associados a lesões orais. O câncer bucal, mundialmente, está entre os dez mais comuns cânceres. Nas últimas décadas, tem sido observado um crescente aumento no número de infectados pelo papilomavírus humano (HPV), tanto em homens quanto em mulheres. Trata-se de um DNA vírus, não cultivável, pertencente à família Papovaviridae, que possui considerável tropismo pelo tecido epitelial e mucoso. Este trabalho teve por objetivo ressaltar a importância do diagnóstico do HPV bucal, tendo em função da freqüência do aparecimento de lesões bucais. Tendo a boca como área de atuação, o cirurgião dentista tem o dever de diagnosticar, prevenir e conscientizar os pacientes em relação a tais lesões.

Lesão papular em mucosa labial inferior

Aspecto verrucoso da lesão

Lesões papilíferas em ângulo de boca com aspecto esbranquiçado

Conclusões O cirurgião dentista, mais que qualquer outro profissional da área  de  saúde,  deve  ficar  atento  na  detecção  de  alterações  provocadas  pelo  HPV  na  boca  durante  o  exame  clínico.Ações  para inclusão social, visando proporcionar a manutenção de uma  dieta saudável, além de políticas populacionais para a redução do  consumo de tabaco e álcool, são fundamentais para a redução da  incidência  do  câncer  bucal.  A  expansão  dos  conhecimentos  sobre as bases carcinogênicas dos agentes ambientais também é  indispensável,  visto  que  permite  uma  maior  conscientização  da  população  sobre  os  efeitos  prejudiciais  desses  agentes,  objetivando  a  modificação  de  hábitos  nocivos  ao  organismo.  A  melhoria  do  acesso  da  população  ao  tratamento  odontológico  é  fundamental.

Papiloma em ventre lingual

Lesão verrucóide em palato duro

Pápula esbranquiçada em mucosa labial inferior TOMMASI,  A.F.  Diagnóstico  em  patologia  bucal.  Cap.  13  tumores  benignos  dos  tecidos  moles,  São  Paulo:  Artes  Médicas, 2 ed., 1988, p. 214­250. RUBIN,  P.  Manual  de  clínica  oncológica.  Aspectos  multidisciplinares. Trad. Costa Pinto Júnior, A. Supervisão:  Lederman,  M.V.  e  Lins,  J.R.B.  São  Paulo,  SARVIER, 1997, p. 33.

ABSTRACT Thehuman papillomavirus (HPV) is a DNA virus, of thepapovavirus group, that is highly sexually transmittable. It is common in theanal and genital parts and rarely in theoral mucosa. Theoral implantation can beby self-inoculation or by oral-sexual contact. The oral manifestations related to HPV are: papilloma, condyloma acuminatum, verruca vulgaris, focal epithelial hyperplasia, leukoplasia, lichen planus, and the squamous cell carcinoma. The diagnosis is performed by lesion examand confirmed by biopsy, showing theHPV genotypeby molecular biology techniques (hybrid captureand PCR). Thetreatment, depending on thelesion, can beclinical or surgical, allowing clinical cure, because thevirus remains in theepitheliumof themucosa even after thetreatment. Key words: human papillomavirus (HPV), oral cavity.


Estomatologia "ON Line"