Issuu on Google+

Natureza & Nanquim

oficina

Ofício

lentes

cor

Criação de estampas no Photoshop

O ofício que envolve Ilustração e Biologia

Capture o mundo Macro dos seres vivos

A harmonia das cores na natureza


- Seja um Designer, ou quem quiser ser. Pense no futuro, mas viva no presente -

2015 Janeiro

Seja bem vindo...


6

FORMA E FUNÇÃO | Seres Marinhos

Zea diploperennis


FORMA E FUNÇÃO | Seres Marinhos

7

Biomphalaria glabrata

-Para ler depois-

[ novas formas e funções]

A nossa proposta do mês na forma e função é a observação cuidadosa da natureza. Olhar com atenção para cada uma das criaturas dessa página, ou para qualquer outra que você puder encontrar à sua volta. Conforme estiver estudando as curvas, junções, tonalidades e estruturas, vá criando novas formas, sem tentar dar nome à elas. Faça exercícios de observação, recriando os degradês, ou imagine por exemplo, que esses não são seres vivos, e sim uma estrutura pronta para receber uma nova função.

crio

Se for preciso, ative o lado direito do cérebro, virando a folha de ponta cabeça ou cobrindo parte das formas para focar em alguma porção específica do todo.

| Janeiro 2015


Aonde tudo comeรงa


editorial | Natureza à Nanquim

9

EDITORIAL

Vibração. Energia. Vida. Escolhemos as cores deste ano pensando no seu (e no nosso) dia-a-dia. Recentemente reformamos nosso estúdio. As paredes deixaram de ser brancas e as prateleiras se multiplicaram. Muita coisa mudou, e como estamos felizes e prontos para essa nova fase, resolvemos que as novas edições mereciam algo mais “Magenta”. Por isso, cá estamos. E como esse ano promete, lá vamos nós rumo ao Azul-marinho. O tema desse mês é a Natureza. Isso inclui todos os seres vivos .O material escolhido para ilustrar a revista foi o Nanquim, e a caneta bico de pena. A MOP/CRIO está aqui para ser uma extensão da sua MOP. Leve para todo lugar, registre o mundo à sua volta, experimente olhar mais de perto para a natureza, experimente olhar pra sí mesmo com mais atenção e descubra um universo de milagres. Descubra o milagre que ninguém explica...Mas todo mundo pode sentir. Enfim é isso o que mais importa: sentir. Aguce seus sentidos. Está na hora do mergulho. Queremos deixar aqui um último recado, ou melhor, conselho: Seja humano. Vale lembrar que o mundo é feito de amigos, de família, de lugares incríveis. É possível criar sem trabalhar. Crie momentos, crie alegria, crie vida em torno da sua vida. E a inspiração? A inspiração surge nos momentos de distração Estamos aqui para isso, pule de cabeça nessa edição, e continue nos inspirando para criar as próximas. Com toda dedicação,

| Janeiro 2015

Jhasuá Rodrigues Editora


Expediente

10

Direção Direção: Jhasuá Rodrigues Edição e Direção: Jhasuá Rodrigues Diretor Editorial e jornalista responsável: Roberto Araújo - MTb.10.766 araujo@europanet.com.br Redação Diretor de redação: Mario Fittipaldi Redação: Evandro Pimentel e Nathalie Folco Chefe de arte: Welby Dantas Edição de arte: Vera Grandinsky Revisão de texto: evelise Paulis Colaboraram nesta edição: Frederico Antunes, Emiliano Lionel, Caio Caprio, Virgílio Vasconcelos e Hiro Kawahara.

Internet Tiago Peixoto (desenvolvimento) Rodrigo Blasco (webmaster)

Publicidade

crio

Florianópolis E-mail: contato@mopcrio.com Gerente Comercial: Maurício Dias (48)3038-5093 Executivos de negócio:Vera Grandinsky Evelise Paulis, Frederico Antunes, Julio Bahia. Criação publicitária: Rodrigo Barros e Douglas Ferreira - (48)3038-5103 Tráfego: Marcos Roberto - (48)3221-9283 Publicidade em SP/RJ/PR: publicidade@mopcrio.com

Circulação e Promoção João Alexandre (gerente), Eduardo Teixeira e Renatta Serra.

o o o o o o ri ri ri ri ri ri pc pc pc pc pc pc o o o o o o m /m /m /m @ /m /m

Desenvolvimento de Pessoal Tânia Marilia, Elisangela Harumi e Vera Grandi Administração Cecília Tomazelli (Gerente), Gustavo Barbosa e Rodrigo Tanikado Logística Ézio S. Vicente (Gerente), Bruno Leite, Guilherme Scalso e William Silva A revista MOP é uma publicação independente. Todos os direitos reservados à MOP/CRIO - Florianópolis/SC. R. Lar do João de Barro,111 CEP 88048-650 Fone: (48) 3232-3738.


sumário | Natureza à Nanquim

CAPA

sumário 1 Boas vindas 2 Forma e função Seres Marinhos 5 Editorial Natureza à Nanquim 6 Expediente 7 Sumário 8 Competições 9 Raízes A história da Arte 10 Tribo 12 Lentes Fotografia Macro. Ensaio “vidas dançantes” 15 Crônica ilustrada A crônica premiada de Natasha “Trabalho de parto” - Ilustrada por Buia 17 A parte pelo todo Embalagem sabonete Phebo 19 Ofício Ilustrador Botânico 27 Cor Harmonia das cores na Natureza 32 Pixel Bancos de imagem grátis/Toggl 36 Tipografia Tipografia Vernacular/Morfologia do tipo/Letras decorativas 42 Oficina MOP Criação de estampas no Photoshop 50 Fone de ouvido Música para andar de bike, e ir até a natureza 55 Eventos Eventos de Janeiro e Fevereiro 57 Jornada Todo o processo de criação das embalagens QÜI 68 Garimpo Garimpamos MDF 71 Freela Qual é a melhor relação que você pode ter com seu cliente? 73 Recorte Animação mecânica 77 Papelada Papel de Janeiro Canson: Furtacor Pérola 120g/m2 79 Até logo

11


TRIBO | Equipe

1

12

3

2 4

5 equipe mop

6 7

1 Bernardo Campos Direção de Arte 2 Sérgio Siqueira Projeto gráfico 3 Jhasuá rodrigues Edição 4 Luís Nunes Redação e edição 5 Paulo Lorenberg Direção de cursos 6 Luísa Mourão Ilustração 7 Laura Rocha Fotografia


tribo | Colaboradores

colaboradores Ciro Malabares

13

Ciro criou o curso deste mês. É formado em Design industrial, e atualmente cursa um mestrado na área da Moda e trabalha com criação de estampas para tecido.

Joseph Specker Joseph é formado em Design Gráfico pela Universidade do Estado de Santa Catarina. Colaborou na edição da revista, e na seleção das matérias.

rogério lupo Esse é o nosso entrevistado do mês. Um ilustrador botânico que além de ter um trabalho incrível, já ganhou muitos prêmios nacionais e internacionais na área.

RAFAEL RUIZ (BUIA) Mais conhecido como Buia, Rafael é formado em publicidade, grafiteiro há 10 anos e trabalha atualmente na Quicksilver na criação de ilustrações para peças gráficas A nossa equipe de todo dia é formada por Cigarras - que apesar de fixas em um tronco de árvore, não deixam de cantar. Colaborador é quem eventualmente, passa por aqui -são Mariposas cheias de pó mágico - sem eles, faltaria brilho. Formada por profissionais e estudantes com muita vontade de espalhar coisas boas: Essa é a nossa TRIBO.

| Janeiro 2015


COncursos

14

nas suas mãos CARTAZ ABERTO

Concursos JAN/2015

Inscrições até: 13/01/2014 Taxa: Gratuito Resultado: 20/08/2015

O ‘Cárcere Cotidiano’ é o tema da terceira edição do Cartaz Aberto. O júri composto por Alex Mazzini, Auresnede e Pires Stephan, irá levar em conta a qualidade gráfica e conceitual dos trabalhos.

Está em suas mãos ser o próximo premiado. Veja quais são os concursos em aberto nos próximos 3 meses.

IDENTIDADE VISUAL DA V BIENAL BRASILEIRA DE DESIGN Inscrições até: 26/01/2014 Taxa: R$60 Resultado: 20/05/2015

O “Concurso Identidade Visual da V Bienal Brasileira de Design” está com as pré-inscrições abertas para profissionais e estudantes maiores de 18 anos. Os participantes terão como objetivo criar um sistema de identidade visual para a comunicação e divulgação da quinta edição do evento, marcado para acontecer em 2015, em Florianópolis-SC. www.scdesign.org.br/concursobienal

www.cartazaberto.com.br

Heineken ideias brewery Inscrições até: 28/01/2014 Taxa: Gratuito Resultado: 02/11/2015

A Heineken lançou mais um concurso de open inovation (inovação aberta), o Heineken Ideas Brewery, para selecionar o projeto mais sustentavelmente criativo. Na busca por ideias de embalagens reutilizáveis e feitas de materiais recicláveis, a cervejaria também incentiva a otimização do espaço e maior facilidade do transporte com o concurso. www.openinovation.com

Segundo ano de parceria com a Icograda para expansão do alcance global A Adobe Systems Incorporated anunciou a abertura das inscrições para o 10º prêmio anual Adobe Design Achievement Awards (ADAA). Essa competição especial homenageia os melhores alunos de design gráfico, fotógrafos, ilustradores, cinegrafistas digitais, desenvolvedores e artistas da computação. www.adaaachievement.com

TALENTOS DO DESIGN Inscrições até: 15/01/2014 Taxa: Gratuito Resultado: 18/09/2015


raízes | A história da arte

Gombrich Mago das palavras, e sabe-tudo (mesmo) Ernst Gombrich é o autor do livro “A história da Arte”. A Leitura é obrigatória, mas deliciosa.

15

“A história da Arte” . Um livro que provavelmente nunca encontrará um rival à altura. A razão é simples: o austríaco Ernst Hans Josef Gombrich, ou simplesmente E.H. Gombrich (1909-2001), não escrevia exclusivamente para especialistas, mas para ser lido e entendido por todos. O livro “A história da arte” Durante 45 anos, permaneceu incomparável como uma introdução a todo o assunto, das mais antigas pinturas em cavernas à arte experimental de hoje. Gombrich é um verdadeiro mestre, que combina o conhecimento e a sabedoria a um talento excepcional para comunicar seu profundo amor pelas obras de arte que descreve. “A História da Arte” deve sua duradoura popularidade à objetividade e simplicidade do texto, sem falar na habilidade do autor para apresentar uma narrativa fluente. Em seu novo formato, a 16ª edição desta obra clássica mantém o seu progresso triunfante rumo às novas gerações, permanecendo como a primeira opção para os iniciantes no mundo da arte.

| Janeiro 2015


LENTES | Vidas dançantes

LENTES

redação: luís nunes fotografia: bethânia Matheus

16

“Vidas dançantes”


17 17 17 17 17 17 17 17 17 17

BETHÂNIA MATHEUS/SP

17 17 17 17 17 17 17 17 17 17 17 17


LENTES | Vidas dançantes

LENTES

redação: luís nunes fotografia: bethânia Matheus

18

“Vidas dançantes”


FORMA E FUNÇÃO | Cavalo-marinho

Espirais divinas Maio/2014 - Florianópolis

| Janeiro 2015


20 20

Lentes | Vidas dançantes

20 20 20 20 20 20 20 20

BETHÂNIA MATHEUS/SP

20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20

O ensaio é um grupo de fotografias sobre certo assunto ou tema, quase sempre realizados num só fôlego – um pequeno espaço de tempo – ou num espaço geográfico mais ou menos restrito. Ele deve ter unicidade de estilo, dada por certa coerência de composição, acompanhada por um acabamento que também mantenha a unidade. Em suma, um ensaio deve ser um conjunto de fotografias que possa ser reconhecido como tal, pelo assunto ou pela estética (preferencialmente por abusos), contido em si mesmo e que conte uma história ou revele um ponto de vista. Fotografar objetos em movimento é um desafio, no entanto o gesto congelado é algo encantador. A lente de uma câmera macro permite que uma fotografia seja tirada de muito perto, trazendo todos os detalhes, que mesmo a olho nú não poderiam ser vistos. Quem trouxe as dicas desse mês foi a Bethânia. Ela é fotografa. É livre, e profissionalmente, além de fotógrafa, dançarina. “Observando o movimento dos animais, aprendo a respeitar o ritmo da vida. Eles sabem aguardar com calma o momento certo de agir..” Algumas questões devem ser sempre levandas em consideração quando em busca de capturar ou selecionar uma imagem em movimento. Como Designer, você deve ser capaz de no mínimo reconhecer o melhor tipo de fotografia para um projeto. E os exercícios práticos desse mês vão te ajudar a ter um olhar mais atento para isso. Vivendo o presente, mais do que pensando no futuro, a nossa colaboradora do mês é uma mulher forte, linda, e extremamente viva. Vá até a MOP/CRIO desse mês, leia as dicas que ela compartilhou conosco, e registre algumas imagens.

Observando o movimento dos animais, aprendo a respeitar o ritmo da vida. Eles sabem aguardar com calma o momento certo de agir.


crônica ilustrada | Trabalho de parto

FORMA E FUNÇÃO | Cavalo-marinho

Crônica ilustrada

Receita de Menino Se me perguntam o que tenho feito, digo que estou preparando menino. Que me desculpem as outras mulheres e me desculpem os que não concordam, ou que não desculpem, mas isso é coisa muito grande. Digo que é das maiores, de modo que não só fila de banco, mas tudo que é pequeno (comparar detergente, cozinhar feijão, cortar o cabelo) deve ser poupado às grávidas.

21

Eu não sou daquelas mulheres que vai bater no peito e dizer que trabalhou até a hora do neném, com pé inchado e cabeça nas nuvens. Eu que tenho peito estufado menos de orgulho e mais de sangue e mais de leite. A sala é pequena e as meninas estão gripadas. Não devo ficar perto da gripe, por recomendação do médico. E só devo ficar perto de quem realmente gosta de mim por que pior que gripe é mau olhado. Mas a verdade é que acredito no santo forte e não acredito que não sei quem viajou para a Itália para comprar móvel é lá notícia que se dê. A verdade é que assessoria de imprensa e fila de banco. É coisa pequena para quem está preparando menino.

Crônica: Natasha Siviero Ilustrador/Leitor: RAFAEL RUIZ (BUIA)

| Janeiro 2015

| Janeiro 2015


crônica ilustrada | Trabalho de parto

TRABALHO DE PARTO As contrações eu ainda não senti, mas é essa água que escorre que dói. Eu ainda precisaria de tempo, incontáveis em meses e semanas, para me preparar para dividir o neném com o mundo. Essa que é a dor de ser mãe. Não são as semanas mais gorda e inchada, são esses minutos que se arrastam, que se arrastem!, os minutos que ainda o neném não tem nome e só para mim. 22 Os outros se ocupam com roupas, sapatos e toalhas e todos ao redor se preocupam em ficar por perto, pedem licença para sair. Mas saiam, saiam e me deixem sozinha com o bebê. Depois eles quererão ver, pegar, dar banho no meu filho. E eu o quero tanto meu, em mim, quero para mim o meu filho, que meu Deus, é do mundo.


a parte pelo todo | Embalagem Sabonete PHEBO

Dissecamos a embalagem do Sabonete Phebo. A estampa ilustrada à mão é única, aplicada à essa peça gráfica cheia de acabamentos.

A parte pelo todo

| Janeiro 2015


crônica ilustrada | Trabalho de parto

TRABALHO DE PARTO As contrações eu ainda não senti, mas é essa água que escorre que dói. Eu ainda precisaria de tempo, incontáveis em meses e semanas, para me preparar para dividir o neném com o mundo. Essa que é a dor de ser mãe. Não são as semanas mais gorda e inchada, são esses minutos que se arrastam, que se arrastem!, os minutos que ainda o neném não tem nome e só para mim. 24 Os outros se ocupam com roupas, sapatos e toalhas e todos ao redor se preocupam em ficar por perto, pedem licença para sair. Mas saiam, saiam e me deixem sozinha com o bebê. Depois eles quererão ver, pegar, dar banho no meu filho. E eu o quero tanto meu, em mim, quero para mim o meu filho, que meu Deus, é do mundo.


a parte pelo todo | Embalagem Sabonete PHEBO

IInformações Gerais

Dissecamos a embalagem do Sabonete Phebo. A estampa ilustrada à mão é única, aplicada à essa peça gráfica cheia de acabamentos.

Marca: Phebo. Pertencente à empresa Granado. Peça gráfica: Embalagem de sabonete Lançamento: Março de 2013 Substrato: Papel triplex Sistema de impressão: Offset Acabamentos: Cor especial, faca e hot stamping.

Paleta crômática Ilustração - Estampa floral

#fce477

#dce461

#de721

#62e47

#0edf11

#0dfc22

#fce477

#dde221

#dce461

#fwe777

Impressão: Quadricromia

A parte pelo todo #fce477

Marca e entorno Hot Stampping Prateado Impressão:

Quadricromia Pantone 127 C

#000000

Preenchimento e informações

Impressão:

Quadricromia Pantone 127 C

| Janeiro 2015


a parte pelo todo | Embalagem Sabonete Phebo

Embalagem / Sabonete Phebo

impacto nas vendas 1

Ilustração - Estampa floral A ilustração da embalagem é feita com aquarela, utiliza cores complementares (verde e roxo) e passa a sensação de ser algo manufaturado. A marca que é tradicional e existe há muitos anos, com a nova embalagem o objetivo era trazer um “ar fresco à marca” e trasmitir o conceito de leveza.

2

Informações complementares As informações, aparecem em branco e verde. Em vez de mostrar apenas os ingredientes, descrevem aqui o ingrediente principal do sabonete: Alfazema provençal. Citam a sua origem, descrevem o perfume inclusive separando em três níveis: Notas de topo, notas de corpo e notas de fundo. Aprofundando o contato com o ingrediente, agregaram valor simbólico ao produto. Na aba do lado esquerco, está o número do lote.

3

Marca e entorno A marca ganhou uma releitura, foi aplicada à um selo amarelo pastel. Mantendo a tipografia original, acrescentando apenas as atribuições so produto: “Sabonete cremoso” e o aroma principal: “Alfazema provençal ”. No plano de fundo foi usada uma cor pantone, o que deu destaque à marca e ao redor, sobre o preto, tanto na marca quando no contorno aplicaram um Hot stamping prateado. Valorizou o motivo floral, e deu volume à palavra “PHEBO”.

2

Informações técnicas As informações obrigatórias foram reunídas nessa porção da embalagem: Composição, informações de segurança e recomendações de conservação, além do contato do laboratório responsável pela produção. Por último, o site da empresa criadora da marca (Granado) e código de barras. Na aba do lado esquerdo, temos informações de contato da gráfica que imprimiu as embalagens.

Essa embalagem é parte de uma série da granado de três sabonetes com perfumes distintos. A nova embalagem alavancou as vendas do sabonete, aumentando em 130% o consumo do produto, em apenas 4 meses.

FACA A faca utilizada para o corte dessa embalagem, é uma faca comum. Na produção de qualquer peça gráfica, é possível solicitar opções de facas já prontas, para diminuir o custo de produção.Cada gráfica possui uma porção de facas prontas que se adaptam a diversos tipos de embalagem, é importante considerar esse opção, antes de pensar em facas especiais, pois têm um alto custo de produção.

cores especiais A cor pantone pode ser uma boa opção quando o acabamento da impressão tem que ser impecável, ou para manter um padrão de cor que está presente na odentidade corporativa (é o caso da granado). As cores especiais permitem a cobertura total do substrato e assim destacam algumas informações. Quando for trabalhar com ilustrações ou imagens que contenham mais de uma cor, ou degradês, a melhor opção continua sendo a quadricromia.

hot stamping A aplicação de cores metalizadas é uma boa opção para agregar valor ao produto. A técnica de Hot Stamping é semelhante a tipográfia processo o qual a gravura é feita em alto-relevo, porém, no processo de Hot stamping quando a camada metálica é pressionada pela chapa quente, a fita se desprende e adere ao material a ser impresso, formando assim a frase ou o detalhe desejado. Um arquivo separado é enviado para a produção, indicando os espaços onde a cor metalizada deve ser aplicada.


ofício | Ilustrador botânico

ofício Ilustrador botânico

Aos 35 anos, o biólogo Rogério Lupo talvez seja um dos melhores representantes da nova safra de ilustradores botânicos do País. Começou como estagiário de biologia em um laboratório de pesquisa e posteriormente, foi apresentado à ilustração botânica.

| Janeiro 2015

27


ofício | Ilustrador botânico

ofício: Ilustrador botânico Texto: solange sabóia fotografia: laura rocha Ilustrações: Rogério lupo

28

a ilustração bôtanica

equipamento necessário

É uma ilustração científica, voltada ao reino vegetal, ou seja, é o desenho científico das plantas. Pode ser em preto e branco ou colorido. Em preto e branco é mais utilizada a técnica de nanquim para as publicações. Para desenhos coloridos é mais utilizada a aquarela. Outras técnicas podem ser empregadas, inclusive as mistas, nas quais mais de uma técnica é utilizada. Existem várias outras técnicas, entre elas a pintura a óleo, acrílica, air brush, lápis de cor e uma das mais modernas que é a digital, facilitando o entendimento por meio de computadores.

O equipamento utilizado vai depender da técnica empregada em determinada ilustração. De qualquer forma um conjunto básico envolve lápis (H, HB, B, 2B e assim por diante), borracha, compasso, régua, papel apropriado (como Canson), prancheta. Ser for empregar o nanquim, deve buscar canetas e tintas profissionais, além de papel vegetal. Alguns ilustradores fazem ilustração a nanquim com bico de pena e o resultado final é de grande perfeição. Se a ilustração for colorida, além do material de lápis, é necessário um conjunto de aquarelas profissionais com algumas cores essenciais (Permanent Rose, Cadmiun Yellow, para exemplificar.); as tintas devem ser profissionais compradas em lojas especializadas; também é necessário o papel adequado e diversos pincéis macios.

a profissão no brasil

a profissão no mundo

O professor de botânica da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz” (Esalq), Lindolpho Capellari Jr., “o Brasil possui a maior diversidade florística do planeta, portanto, há muita pesquisa sendo feita e ainda por se fazer em termos de flora, o que inclue inevitavelmente o ilustrador botânico”.

“A maioria dos pesquisadores não domina a arte da ilustração, portanto, para a publicação de seus trabalhos sempre recorrem a esses profissionais. Portanto o ilustrador deve buscar nas universidades e nos centros de pesquisa o seu mercado de trabalho”, indica. Editoras com publicações científicas também buscam o ilustrador botânico, entretanto, a ilustração também serve a outros fins. Capellari conta que a amiga e também ilustradora italiana, Margherita Leoni, utiliza, atualmente, a ilustração para protestar contra desmatamentos e queimadas de áreas naturais. “Ela fez um vídeo no Parque das Emas (GO) onde, após fazer o desenho em aquarela sobre uma planta típica de lá, e colocou fogo.

Para ele, que é professor na área há 25 anos e é um apaixonado pela ilustração, a profissão acabou sendo um complemento da formação, já que em aula utiliza muitos desenhos para exemplificar a matéria no quadro-negro. Ele explica que, como em diversas áreas, o mercado é competitivo, mas bastante aberto a novos profissionais.


ofício | Ilustrador botânico

sobre rogério...

Rogério Lupo em seu estúdio

29

estudos

carreira

Quem admira esse profissional, não são apenas os profesGraduado em Ciências Biológicas pela Universidade de sores da própria USP, mas também pesquisadores e cienSão Paulo (USP) em 1997, Lupo envolveu-se, ainda durantistas de outras instituições. te o curso, em atividades de pesquisa em taxonomia vegeHoje, Lupo atua como free-lancer para várias universidades tal — ciência que trata da classificação, da identificação e da e instituições de pesquisa e trabalha incessantemennomenclatura das plantas. te para dar conta de tantas encomendas. Mas Paralelamente, por hobby, começou a freqüenencontra tempo para sonhar com a criatar a Escola Clássica de Arte, onde entrou ção de um Centro de Pesquisa e Ensino em contato com as mais diversas técni“Ignore o artista, admire em Ilustração Biológica, onde ele poscas artísticas. “De repente, percebi que a obra. Esqueça a obra, sa desenvolver pesquisas sobre novas a arte estava auxiliando-me nos trabaadmire a Arte. Conheça técnicas. lhos de pesquisa. Eu mesmo ilustrava para os desenhos e resgatar as antimeus trabalhos científicos e auxiliaa Arte, admire a tinta. gas, adequando-as à atualidade e à nova também os colegas que me pediam Esqueça a tinta, admire vas técnicas. para fazer isso”. os Seres. Reconheça o Ser, O rigor científico que Lupo imprimia a Hoje, Lupo atua como free-lancer para váadmire a Vida” seus trabalhos, entretanto, rapidamenrias universidades e instituições de pesquite começou a chamar a atenção não apenas sa e trabalha incessantemente para dar conta dos professores da própria USP, mas também de tantas encomendas. de pesquisadores de outras instituições. Lupo iniciou suas atividades profissionais como ilustraMas encontra tempo para sonhar com a criação de um Cendor no próprio Laboratório de Sistemática Vegetal, em que tratro de Pesquisa e Ensino em Ilustração Biológica, onde ele balhava. O rigor científico que Lupo imprimia a seus trabalhos, possa desenvolver pesquisas sobre novas técnicas. entretanto, rapidamente começou a chamar a atenção.

| Janeiro 2015


ofício | Ilustrador botânico

a técnica: A maior parte das encomendas que recebo ainda é de ilustrações em nanquim na área de taxonomia vegetal”, diz Lupo. “Entretanto, nos últimos anos, tenho diversificado meu trabalho, realizando desenhos também para as áreas zoológica e comportamental. Tenho tido ainda a preocupação de resgatar e adaptar antigas técnicas que haviam caído em desuso. Uma delas, em que já me aprimorei, é o tracejado, usado antigamente nas gravuras em madeira e metal. Hoje, eu a utilizo com o nanquim e o bico-de-pena, substituindo o tradicional pontilhado, largamente utilizado em ilustrações botânicas, pelo tracejado. Ganho tempo, embora a técnica exija grande habilidade para ser utilizada:

Técnica do pontilhismo aplicada à ilustração científica.

Assita à um video explicando a técnica do pontilhismo em: www.mopcrio.com/ilustrabotanica

eventos relacionados: Com a crescente demanda por discussões a cerca da profissão de ilustrador científico, o grupo independente UNIC vêm organizando encontros e exposições dentro do tema desde 2006. Quatro Encontros Nacionais e quatro exposições foram realizadas desde então: 2006 em Belo Horizonte MG, 2008 em Curitiba PR, 2010 em brasília DF e 2013 no Rio de Janeiro RJ.

30

cursos

A primeira jornada de Ilustração científica do País.

A “Primeira Jornada de Ilustração Científica – Sul” surgiu da necessidade de dar continuidade ao movimento da UNIC organizando palestras, cursos e discussões de interesse dos profissionais e aspirantes da área de ilustração científica e correlatas, além de promover o fortalecimento da profissão através da divulgação de seus trabalhos científicos/artísticos para o grande público.

SP

RJ

MG

Ilustração Botânica I e II Carga horária 72h De 2 a 26 de abril 2015 Inscrições até 18 de março

Intro à Ilustração Botânica Carga horária 18h De 11 a 27 de março 2015 Inscrições até 11 de março

Aquarela Botânica Carga horária 23h De 6 a 18 de março 2015 Inscrições até 12 de fev.

(11) 33226209 botanica@alameda.br www.alameda.com.br

(21) 38756209 extensao@jbrj.gov.br

(32) 42286209 aquarela@ufmg.com www.botanicaufmg.com.br


ofício | Ilustrador botânico

Taxonomia da família Orchidaceae

31

| Janeiro 2015


ofício | Ilustrador Botânico

para ser ilustrador botânico, é preciso: Perseverança: aceitar o desconforto e adversidades sem desanimar. Cada espécie tem seu hábito e se, por exemplo, uma planta tem flores que só abrem a noite, é preciso passar a noite trabalhando para registrá-la. Normalmente uma prancha leva alguns dias de dedicação e trabalho contínuos. Concentração: ao estar com uma espécie viva na frente é necessário toda atenção voltada à ela, é preciso grande senso de observação para ter os detalhes vistos, analisados, entendidos e registrados. Mais um motivo para se ter tanta concentração é o fato de que a cada minuto a planta muda e que brevemente terá cores, formas e texturas fora da realidade.

32

Paciência: desde os primeiros estudos de composição, a execução do desenho e da minuciosa técnica da pintura em aquarela levo normalmente 2 semanas, e isso requer uma grande dose de paciência. Acompanhar o desenvolvimento de uma espécie pode levar meses e com isso a prancha pode demorar ainda mais para ficar pronta. Caso as flores acabem, é necessário esperar normalmente por mais um ano até que floresça novamente. Já levei 3 anos para terminar um trabalho. Espírito de investigação: curiosidade científica a ponto de procurar orientação do botânico que estuda a espécie para conhecer os elementos da planta que está ilustrando. Pequenos e, às vezes, microscópicos detalhes definem diferentes espécies, um erro é inadmissível e pode invalidar o trabalho. A ilustração botânica possibilita o fascinante aprendizado e conhecimento das espécies, como o comportamento em seu habitat, quem é seu polinizador, como se reproduz ou que tipo de animais que dela se alimentam. Espírito de entrega e humildade: para saber que embora eu tenha um objetivo específico, tenho muito a aprender. Em oportunidades de trabalhar em matas, é importante ter espírito aberto para aprender com a população local, que tem muito a ensinar, pois conhece bastante o ambiente em que mora e que com ele se relaciona de forma íntima.


Tudo. Ao seu alcance.

| Janeiro 2015


Wacon 3022.Maior, melhor, mais elegante.


cor | Harmonia das cores

Inspire-se com as

corES da

natureza

35

Vamos falar sobre as cores na natureza. A proposta é: criar combinações de cores, a partir da observação da natureza. Além disso, para que você possa criar suas próprias combinações, vamos facilitar, mostrando10 regras de harmonização .

crio redação: luís nunes fotografia: laura rocha

| Janeiro 2015


cor | Harmonia das cores

Vamos estudar as Harmonias, ou seja, as possíveis combinações que podemos fazer a partir das Cores Puras. Essas combinações podem ser bastante variadas, pois quando mudamos uma cor, todo o conjunto da Harmonia também muda. Usando o Círculo das Cores como referência, vamos definir os dez principais esquemas harmônicos, lembrando que esses esquemas estão baseados nas Cores Puras. Para que as combinações produzam efeitos mais agradáveis, é aconselhável neutralizar as cores, clareando ou escurecendo com a adição do Branco, Preto ou com as Cores Complementares.

36


1

Complementares Diretas

2

Complementares Divididas

3

Complementares Duplas

4

Análogas Simples

5 6 7

Esta harmonia consiste em juntar duas cores opostas no Círculo Cromático. Trata-se de uma harmonia bem contrastante, pois teremos sempre uma cor quente e outra fria.

Escolhe-se uma cor junto com as duas vizinhas da sua Complementar Direta. É mais rica que a harmonia anterior, com a quebra de contraste imediato.

São duas duplas de Complementares Diretas cruzadas, intercalando uma cor. É uma harmonia bem contrastante, que produz efeitos interessantes.

São três cores consecutivas no Círculo, que podem ser quentes, frias ou temperadas. É uma harmonia de pouco contraste, pois todas as cores têm a mesma base. Produz um efeito agradável, porém logo se torna cansativo.

Análogas Compostas São as Análogas Simples com o acréscimo de mais uma cor. Esta quarta cor dá mais dinâmica à harmonia, pois se aproxima de uma cor mais pura.

Análogas com uma Complementar São três cores juntas no Círculo (Análogas Simples) mais a Complementar da cor que está no centro. A inserção desta cor na composição aumenta bastante o contraste e ajuda a “temperar” a harmonia, pois esta quarta cor é sempre fria ou quente em contraponto às análogas escolhidas.

Cores Intercaladas Escolhem-se três cores intercaladas no Círculo. Esta harmonia – também conhecida como Harmonia 120° (pelo ângulo que forma entre as cores) – traz um efeito interessante, se aplicada em tons suaves.

8

Trio Harmônico

9

Trio Harmônico

10

São as cores que formam um triângulo eqüilátero dentro do Círculo. É um tipo de harmonia bem contrastante e deve se usada com cautela, buscando sempre dar destaque a uma cor.

São as cores que formam um triângulo eqüilátero dentro do Círculo. É um tipo de harmonia bem contrastante e deve se usada com cautela, buscando sempre dar destaque a uma cor.

Quadrado Harmônico São quatro cores que formam um quadrado dentro do Círculo. Esta combinação é também conhecida como Harmonia 90° e forma uma harmonia contrastante.

37


crio

guia de REFERÊNCIA BÁSICo - HARMONIA DAS CORES


PIXEL | Fotografia e Ilustrações na web

pixel Como o tema do mês é: Natureza & Nanquim, selecionamos sites de referência de fotografia de animais e plantas, assim como sites de ilustrações científica à nanquim, entre outras coisas interessantes - e sem custo-

redação: luís nunes seleção de páginas: jhasuá rodrigues

Também no Pixel de Janeiro, touxemos a ferramenta Toggl, que ajuda na organização das tarefas e no gerenciamento do tempo. Fazemos questão de divulgar ferramentas web que possam auxiliar os nossos colegas de profissão. Faça o mesmo!

karenswhimsy.com/flower-graphics.shtm SOBRE: Uma coletânea de imagens de domínio público, que apesar de pertencer à artista Karen, é livre para ser utilizada, tanto em projetos acadêmicos, quanto para projetos comerciais. São centenas de imagens (muitas delas em alta resolução) e algumas delas estão disponíveis em grandes formatos para serem compradas. As imagens foram retiradas de livros antigos, revistas e cartões postais. Todo o material foi impresso antes de 1923, portanto - DOMÍNIO PÚBLICO! (Adoramos repetir...) A única condição de uso imposta pela artista, é que você não venda as imagens. Nós aquí do estúdio amamos essa tal de Karen.

40

vintageprintable.com/wordpress SOBRE:O dono do Blog enxerga isso como um hobby: Fazer de nós designers, pessoas mais felizes...Simplesmente trazendo uma coleção de ilustrações científicas sem copyright. As imagens não estão em alta resolução, mas podem ser redimensionadas e utilizadas para impressão.


pixel | Fotografia e Ilustrações na web

www.edupics.com

SOBRE: Um site que oferece diversas imagens para colorir. O que para eles é um material meramente educativo, nas mãos de alguem criativo, pode ser ouro. Encontramos uma infinidade de ilustrações temáticas contendo animais, plantas e milhões de outras coisas. Vale a pena explorar.

www.freeimages.com SOBRE: Uma ótima coleção de fotos. Muitas delas da natureza. E o mais importante é que as fotos realmente são de graça, e podem ser utilizadas para qualquer fim. Não é mais um daqueles sites, onde no fim das contas te pedem o número do cartão de crédito....

www.fotoplatforma.pl/pt/Fotos SOBRE: Coleção de imagens de pássaros. algumas fotos não são muito bem tiradas. Mas o lema é “quem procura acha” então, dá uma procurada, que você vai achar o que está buscando, e quem sabe se surpreender com as imagens belíssimas de pássaros do mundo todo.

41

Todas as referências MOP: mopcrio/referencias

| Janeiro 2015


pixel | Ferramenta Toggl

pixel

toggl

Descubra porque essa ferramenta online, é uma grande aliada dos freelancers, e das pequenas empresas.

42

intro

prós

Através do Toggl, você registra o tempo que levou em cada projeto e extrai relatórios mostrando o tempo que trabalhou em cada projeto ou com cada cliente. Além de ajudar no gerenciamento do tempo, serve como um documento para mostrar ao cliente quais foram os dias/horas dedicados a cada projeto

-Gratuito -Intuitivo -Estabelecido no mercado -Criado por experts -Interface agradável -Responsívo e ótimo em dispositivos móveis

contras -Os relatórios não são muito completos. -A ferramenta gratuita não mostra estatísticas -O site é todo em inglês.


pixel | Ferramenta Toggl

take the tour

toggl blog

sign up/sign in

relatórios

Antes mesmo de fazer o cadastro, você pode fazer um tour. Assim já dá pra ter ideia de como funciona a ferramenta.

Para se cadastrar, e para logar no site, você não terá nenhuma dor de cabeça. O cadastro exige poucas informações. A partir do momento em que você entra na sua área de usuário, tudo é muito simples. Todas as ações são pré indicadas, e se alguma informação errada é inserida, corrigir também é simples.

O blog que a equipe administra é muito interessante. Vale a pena seguir, mesmo que seja pra servir de referência. Se você utiliza a ferramenta, vai gostar das dicas que eles divulgam diariamente, para portencializar o uso, e conhecer as atualizações.

Os relatórios são muito úteis. Mostram a carga total de trabalho em cada dia/semana/mês, e podem ser filtrados por cliente ou projeto. Se o projeto envolve uma equipe, também é possível ver o que cada membro está fazendo, e qual é o andamento do projeto.

Saiba mais: www.toggl.com

43

*O conteúdo divulgado serve apenas como recomendação, não mantemos relação comercial com nenhuma empresa aqui citada.

| Janeiro 2015


tipografia | Tipografia Vernacular

Tipo grafia Texto: solange sabóia fotografia: laura rocha

vernacular

Tipografia Vernacular?

44

Ver.ná.cu.lo adj ( lat vernaculu) 1 Próprio do país a que pertence; nacional; 2 Próprio da região em que está. 3 Sem mescla de estrangeirismos (falando da linguagem); genuíno, correto, puro. 4 Que tanto no falar como no escrever, observa rigorozamente a pureza e correção da linguagem. Sm idioma próprio de um país.

Botequim informando que vai ter TV com jogo da Copa? Pois é a letrinha do seu Zé na faixa é a tal da tipografia vernacular, afinal de contas, cada letra sai em um formato e ninguém consegue fazer igual. É o contrario da folha impressa com Arial para informar um “volto logo” na porta de uma loja.

Vernáculo. {Do lat. vernaculu, ‘de escravo nascido na casa do senhor’; ‘de casa, doméstico’; ‘próprio do país, nacional’.] Adj. 1. Próprio da região em que está; nacional: Tipografia Vernacular nada mais é do que a “letrinha” com características de uma região ou povo, ou seja, sabe aquela faixa pintada à mão que o seu Zé pinta e pendura lá no

E se a gente disser, que está na hora de você criar a sua? Sem regras, sem medidas, apenas tente! Você já pensou que pode criar fontes manuscritas e incluir nos seu próximo projeto? Nesta edição, vamos mostrar alguns exemplos, falar sobre as partes que compõem um tipo, e o resto é com você. Se possível, siga as nossas recomendações de leitura!


Tipografia | Tipografia Vernacular

Pernambuco

São Paulo

Rio de Janeiro

Porto Alegre

Belém

Florianópolis

Diversos

45


A do

seu

al etr a

tipografia | Morfologia dos tipos

e nom

Saiba como classificar cada parte do corpo das fontes para saber reconhecer diferentes famílias de fontes. Use essas primeiras referências, para variar o traço parte por parte, criando tipos diferenciadas.

Texto: severo cruz curadoria: laura rocha

Imagens retiradas do livro Projeto Tipográfico: análise e produção de fontes digitais, de Claudio Rocha (2ed. Rosari, 2003).

46


tipografia | Morfologia dos tipos

Lucy Niemeyer

outros autores

“Tipografia: Uma apresentação”

Tipografia comparada Claudio Rocha

Projeto tipográfico Claudio Rocha Essa leitura inicial, que consideramos praticamente obrigatória, é uma das obras de Lucy Niemeyer.

Depois de se formar em design gráfico, Lucy não se limitou a atuar como design de escritório. Integrou diversas associações profissionais, organizou e participou de encontros e eventos para a discussão da atividade e do ensino no país. Permaneceu vinculada ao universo da ESDI, então ainda um ponto de referência do fazer design no Brasil. Publicou três livros indispensáveis para o estudo do Design no Brasil. Além disso publicou artigos científicos e de divulgação em revistas e outros periódicos. Integra o Comité Organizador dos Congressos Internacionais de Pesquisa em Design, cuja última edição ocorreu em 2003, no Rio de Janeiro, e actuou na organização dos P&Ds (Congresso Brasileiro de Pesquisa e Desenvolvimento em Design) em todas as suas edições até 2002.

Primeiros socorros em Tipografia Hans Peter Willberg

| Janeiro 2015

47


tipografia | Caracteres decorativos de nanquim

caracteres decorativos Selecione um e tente replicar com caneta nanquim bem fina

crio

48


tipografia | Caracteres decorativos de nanquim

| Janeiro 2015


50

Oficina mop | Criação de estampas no Photoshop

oficina mop

Hora de trabalhar


oficina mop | Criação de estampas no Photoshop

51

Criação de Estampas no Photoshop

crio colaborador: ciro malabares edição: luís nunes

PARTE 1

Pronto pra aprender a criar estampas no Photoshop? Nossa dicas para essa oficina, é que você selecione uma ilustração de sua autoria. Acreditamos que isso irá te estimular mais do que se você estiver usando uma genérica. Procure fazer o mesmo exercício, variando a estampa e as técnicas utilizadas.

PARTE 2

PARTE 3

descrição

descrição

descrição

Essa é uma estampa feita a partir de poucos pixels. A estampa é aplicada geralmente nos planos de fundo de blogs e websites por ser um arquivo muito leve que se repete automaticamente através do código.

Tutorial ensinando como colorir a estampa que criaremos no Photoshop. Tanto as formas quanto o plano de fundo da imagem. É uma lição simples, mas que você usará muito com tabalhos web, ou criando estampas para impressão.

Juntaremos as duas coisas: Uma estampa feita a partir de uma “forma customizada” e depois de pronta, pintamos as formas e o plano de fundo. Podendo experimentar diferentes combinações. Você pode treinar aqui, as habilidades aprendidas na seção COR desse mês!

Você vai aprender Nessa primeira parte, você vai aprender os básicos da criação de estampas. Para isso usaremos uma forma bem simples. A mesma técnica pode ser utilizada a partir de outras formas. Experimente criar uma nova.

você vai aprender A colorir suas estampas!Estampas preto e branco são legais, mas coloridas podem ficar ainda mais.Você terá a opção de colorir em cores chapadas ou degradês de 1 ou mais cores.

| Janeiro 2015

Você vai aprender A criar estampas, e colorir as formas da estampa, criando várias possibilidades de combinação, e aumentando a sua biblioteca de estampas. Lembre-se de salvar todas as estampas em um arquivo comum no seu computador, e salvar também no programa depois de prontas.


oficina mop | Criação de estampas no Photoshop

PARTE 1

o

52

1 o

2 NOVO ARQUIVO

Criando linhas-guia Agora já temos o novo arquivo pronto, vamos criar linhas guias, que vão nos ajudar mais pra frente, à posicionar as imagens dentro dese espaço. Siga as instruções nas imagens, criando linhas guias posicionadas exatamente à 50% da altura e largura.

novo documento. Começando do zero, vamos criar um novo arquivo.Insira os valores indicados na imagem. Se a estampa for criada com a finalidade de impressão, é necessário criar um documento em alta resolução: substitua 72 por no mínimo 300 ppis. O fundo será transparente.


oficina mop | Criação de estampas no Photoshop

53

3 Mudando a cor das guias Essa etapa é opcional. Se a cor das linhasguia estiverem mesclando com as cores da sua estampa, você tem a possibilidade de mudar as cores. Nós mudamos de azul para vermelho. O resultado é o que você vê à esquerda.

o criando e preenchendo o círculo Vamos criar um círculo que será a base da nossa estampa, e em seguida, preencher este círculo de preto. As instruções estão nas imagens à esquerda, e o resultado estou mostrando abaixo:

4

| Janeiro 2015


oficina mop | Criação de estampas no Photoshop

duplicando a camada

n

Através da opção de cópia da camada, você vai criar uma nova camada e vai perceber que com essa opção, a camada já aprece com o círculo dentro dela.. Siga as instruções à esquerda. Em seguida vai determinar o posicionamento dos círculos, configurando a opção “offset” em 50px na horizontal e na vertical.

54

o

5

o observação Se lá no início você criou um arquivo com mais pixels, você deve calcular metade dos pixels do seu arquivo inteiro, e inserir esse valor na caixa à direita.

6 7 aplicando a estampa O próximo passo é criar um novo arquivo, com novas dimensões, para preencher com a nossa estampa. Siga as instruções do quadro à esquerda.

o

Siga as instruções à direita, para definir sua estampa e inclui-la na sua biblioteca. Agora sua estampa já está pronta! Mas pra que ela crie vida, é preciso aplicá-a à uma forma ou canvas.

o

salvando a estampa


oficina mop | Criação de estampas no Photoshop

8

Preenchimento da camada Agora é a etapa final, A aplicação da estampa no arquivo que acabamos de criar. Vá em Layer> Fill e preencha com a estampa assim como indicado abaixo. Veja o resultado:

o

o

55

9

10

seleção da estampa Agora é a etapa final, A aplicação da estampa no arquivo que acabamos de criar. Vá em Layer> Fill e preencha com a estampa assim como indicado abaixo. Veja o resultado, e vamos para a segunda parte.

Salvando o arquivo. Se o arquivo for ser usado na Web, deve ser salvo como PNG. Vá em Salvar para a web. Assim o arquivo terá o máximo de compressão, sem perder a qualidade no monitor. a partir dessa estampa básica, É possível criar muitas variações. É o que veremos à seguir.

| Janeiro 2015


oficina mop | Criação de estampas no Photoshop

PARTE 2 colorindo uma estampa Se o arquivo for ser usado na Web, deve ser salvo como PNG. Vá em Salvar para a web. Assim o arquivo terá o máximo de compressão, sem perder a qualidade no monitor. a partir dessa estampa básica, É possível criar muitas variações. É o que veremos à seguir.

56

1

cor no plano de fundo Siga os passos dessa etapa, para colorir o plano de fundo do seu arquivo.

2 cor nos círculos Siga os passos dessa etapa, para colorir os círculos. Adicionando cor dessa maneira, você poderá mudar a cor a qualquer momento.

3

criando a máscara Crie uma máscara, ou “clipping mask” para incluir cor nos círculos do seu documento. Veja o resultado aqui.

4

mude as cores! Do fundo:

Das formas:


oficina mop | Criação de estampas no Photoshop

PARTE 3 estampas customizadas. Agora é só repetir os mesmos passos do primeiro exercício, mas quando chegar o momento de criar a elipse, você vai selecionar a forma customizada de coração (ou qualquer outra forma que te der vontade). Veja a seguir o passo a passo para a seleção da forma customizada.

Inspirações

| Janeiro 2015

57


FOne de ouvido | MĂşsica para andar de Bike

Trilha sonora para pedalar atĂŠ a natureza

58

fone de ouvido

budapest/george ezra fist in the ocean/braddigan nhem nhem nhen/fino coletivo try me/bob marley cristallize/stirling give it back/gaelle pull the catch/fat freddy´s drop muy tranquilo/gramatic dirty paws/of monsters and men o aroma da vida/carlinhos brown


fone de ouvido | MĂşsica para andar de Bike

descubra novos caminhos 59

no brasil revistaviajar.com.br/artigos/ler/525/roteiros-de-bike bikeanjo.com.br/2013/04/19/passeiosparainiciantes www.ondepedalar.com www.sampabikers.com www.auroraeco.com www.vadebike.org/tag/blog

no mundo www.copenhagenize.com www.auroraeco.com www.vadebike.org/tag/blog www.justbethere.com www.itsabikingworld.com

ouça a trilha online: www.mop/crio.com

| Janeiro 2015


60

crio espaรงo para desenhar pequenos seres


61

| Janeiro 2015


O papel certo para cada projeto.


eventos | JAN./FEV.

eventos

JAN.

São paulo Inscrições até: 11/01/2015 Taxa: R$70 Assuntos abordados: Design arte e moda

fev.

Minas gerais Inscrições até: 26/01/2015 Taxa: R$30 Assunto abordado: Técnicas de impressão

| Janeiro 2015

63


eventos | JAN./FEV.

JAN.

Inscrições até: 11/01/2015 Taxa: R$70 Assuntos abordados: Design arte e moda

Rio de janeiro 64

fev.

florianópolis Inscrições até: 11/01/2015 Taxa: R$70 Assuntos abordados: Design arte e moda

+informações: informações sobre os Eventos: contato@mopcrio.com Reservas: Maurício Dias (48)3038-5093 Responsável Geral:Vera Grandinsky e Evelise Paulis, Frederico Antunes, Julio Bahia. Reembolso: Rodrigo Barros e Douglas Ferreira - (48)3038-5103 Inscrições: Marcos Roberto - (48)3221-9283


jornada | Embalagens Qüi

jornada

“A jornada é mais importante que o destino”

| Janeiro 2015

65


Jornada | Embalagens Qüi

Criação das embalagens QÜI equipe

Maurício - Projeto gráfico

Luciana - Marketing

Hélio - Produção

Como a técnica abordada é o desenho à nanquim, selecionamos o projeto da criação das embalagens qüi para mostrar toda a jornada. Trata-se de uma família de embalagens para produtos de caligrafia/desenho. O produto principal é a caneta nanquim. Esperamos que você goste, e que possa ser útil como referência no seu próximo projeto de embalagem. 66

1 Análise dos produtos A primeira etapa do projeto, consistiu em analisar cuidadosamente os produtos à serem embalados. A forma, As dimensões, os cuidados necessários com cada um (questões de conservação e fragilidade). O objetivo do projeto, era criar uma família de embalagens que pudesse ser vendidas separadamente, mas que juntas, formassem um conjunto “difícil de resistir”. Para isso começamos a pensar nas proporções e nas possibilidades que teríamos de criar algo realmente único e que chamasse atenção nas prateleiras. a primeira parte que analisados foi o cabo e a ponta da caneta bico de pena.

-Objeto simples e leve -Ponta de metal separada do cabo


jornada | Embalagens Qüi

2 Avaliamos todos os outros produtos que teríamos que embalar. Abaixo, a família completa de produtos:

1 Cabo

4 Penas

1 Sinete

1 Cera

(Conjunto)

3 Nanquins

(3 cores)

3 Público-alvo

Painel do público-alvo

O briefing consistia em criar embalagens para produtos de caligrafia que teria que, além de representar bem o conceito da marca QÜI, fossem -Atraentes -Sofisticadas -Minimalistas -Resistentes - Atuais -Reaproveitáveis

| Janeiro 2015

67


Jornada | Embalagens Qüi

4 referências gráficas

Painel de referências visuais

O painel de referências visuais, serve para definir algumas diretrizes para o desenvolvimento das peças gráficas. Nesse caso, as luvas que iriam revestir as embalagens e a seleção de fontes para a descrição do produto. Imagens retiradas de banco de imagens gratúitos, servindo apenas como referência, sem fins comerciais. É muito importante atentar para os direitos autorais de imagens que possam vir a ser utilizadas em qualquer projeto gráfico.

68

5 referências da tipologia O briefing consistia em criar embalagens para produtos de caligrafia que teria que, além de representar bem o conceito da marca QÜI, fossem: -Atraentes -Sofisticadas -Minimalistas -Resistentes - Atuais -Reaproveitáveis

Sempre que for salvar imagens da internet para usar em um projeto, lembrese de nomeá-las de forma que seja intuitivo lembrar na hora de trazê+las para dentro do arquivo


jornada | Embalagens Qüi

6 geração de alternativas Geração de alternativas. Nesse momento, ainda não estávamos preocupados com questões de material e acabamento. Conforme as ideias surgiam, essas decisões eram tomadas naturalmente. Conforme você for criando as alternativas, tente pensar em como funcionariam e como seria a construção do objeto.

69

7 Refinamento das alternativas Refinamento das alternativas geradas. Neste momento, as decisões tomadas são mais conscientes. Já não há mais tempo para perder com idéias sem potencial, por isso as alternativas começam a ser eliminadas.

| Janeiro 2015


Jornada | Embalagens Qüi

8 seleção de alternativas Seleção de alternativas.Nessa etapa, já haviamos decidido grande parte do material que seria usado, e o formato principal das embalagens. Elas teriam a seguinte proporção: 3:2:1 . As embalagens dos nanquins, seriam 1/3 da embalagem do cabo da caneta, as embalagens do sinete e das pontas, seriam 1/2.

Lembre-se de fazer anotações conforme gera as alternativas. Não confie na memória, ela pode te desapontar. Aí perderá a chance de usar uma grande idéia, já que esqueceu!

9

tipografia

70

Novecento wide (light)

Gill Sans (italic)

Lato (light)

Lato (Regular)


jornada | Embalagens Qüi

10 definição das cores Para esse projetos, usamos apenas o preto. Foi uma maneira de diminuir o custo da produção, e manter a característica minimalista desejada. Além de ser pregnante, o preto faz referência ao nanquim, tema central do projeto.

Pantone Black C

C-0% M-0% Y-0% K-100%

R 0 G 0 B 0

# 231F20

11

71

indicações nos produtos

Marca

SINETE Flor de liz

Indicação do produto Especificações

Ilustração indicativa

| Janeiro 2015


Jornada | Embalagens Q端i

8 materiais Os materiais utilizados est達o aqui. As embalagens dos nanquins, seriam 1/3 da embalagem do cabo da caneta, as embalagens do sinete e das pontas, seriam 1/2.

Ponto de venda 72


73

| Janeiro 2015


Jornada | Embalagens Q端i

74


jornada | Embalagens QĂźi

75

*Os cĂĄlculos e valores citados devem ser usados apenas como referĂŞncia.

| Janeiro 2015


GARIMPO | MDF

2 1

Garimpo

Artesanato, decoração, brinquedos e até móveis. O MDF foi o tema do mês e escolhemos objetos interessantes que custam até R$120.

4

3

7

5 6

76

8

9

10


garimpo | MDF

12 13

11

14 15

77

Neste mês garimpamos MDF 1-Baús, DIVINA ARTE R$80 (Kit com 5) / 2-Prateleiras animais, SINCRONIA URBANA R$110 (cada) / 3-Carruagem-,ARTESANATOS RUANDA R$16 / 4-Girafinha, SONTTA R$21 / 5-Baú simples, NÓ ARTESANATO R$8 / 6-Porta-treco, MÃE JOANA R18 / 7-Placas lisas, LUZAZUL R$2,50 (cada) / 8-Porta Arquivo, SALÃO ARTESÃO R$56 / 9-Bandeja, SINCRONIA R$42 / 10-Cachepôs, SINCRONIA A partir de R$40 / 11-Porta vinho, CULTURA DA UVA R$60 (cada) / 12-Cubo-caixa, CULTURA DA UVA R$60 (cada) / 13-Caixa para trufas, SINHÁ R$21 (cada) / 14-Mesa NUTE R$120 / 14-Mesa NUTE pequena R$82.

| Julho 2013


freela | Como conquistar o cliente?

freela

Preste atenção em quem sabe mais / Cumpra os prazos / Não iluda o cliente

Texto: silvio abreu gonzaga

Antes de mais nada, para todas as pessoas que pretendem ter sucesso como freelancer, é importante perceber como fazem os outros profissionais da área, visto que podem transmitir dicas valiosas. Nada substitui a experiência, portanto ouça o que eles têm a dizer: O primeiro ponto que o Nelson referiu, e muito bem, foi o fato de que o freela deve cumprir os horários que propõe aos seus clientes. A imagem que você transmite a quem está trabalhando consigo é crucial. Criar uma imagem positiva sobre o seu trabalho é algo que demora muito tempo, mas para estragá-la por vezes basta um simples precalço. Os clientes geralmente apenas se recordam dos nossos erros e esquecem com facilidade os nossos acertos. Por isso, tente não criar uma oportunidade para ser criticado. Quando você realiza um portfólio, o habitual é que insira lá os seus melhores trabalhos. No entanto,

lembre-se que o cliente irá ter sempre como ponto de referência os trabalhos que viu nesse mesmo portfólio. Essa expectativa criada, que muitas vezes não é cumprida, pode gerar alguns insatisfação por parte do cliente. Portanto, tenha sempre cuidado com os prazos que define. Se o cliente pretende um trabalho semelhante ao que está no portfólio, é importante fazê-lo compreender que esses mesmos trabalhos demoraram dias a ser concluídos e que se ele nos pede um prazo mais curto, essa qualidade não será alcançada. Fazer a gestão correta desta triângulo (qualidade,tempo e expectativa) é o segredo para você conseguir ter uma boa relação com o seu cliente. Por vezes, nós como freelancers, esquecemos que o nosso cliente também é humano, e como tal também tem as suas dúvidas, indecisões ou mesmo insatisfações. Para que ele possa ter um relacionamento saudável connosco, é importante que saibamos mantê-lo tranquilo e vai te dar a

| Janeiro 2015

garantia de que o trabalho está sendo realizado. Em primeiro lugar, devemos pedir uma parte do custo do trabalho logo ao início, seja ela 30, 40 ou 50%. Desta forma, não corremos o risco de que o cliente desista a meio ou pelo menos se desistir, já temos uma parte do trabalho pago. A outra dica passada pelos profissionais foi a de estar sempre em contato com o cliente, de forma a ele saber que o seu trabalho está sendo desenvolvido da forma pretendida. Este misto de confiança mútua e regras bem definidas podem ajudar a que a sua relação se mantenha mais saudável. No entanto, quero alertar que o fato de estar partilhando constantemente a atualização do trabalho pode fazer com o cliente esteja sempre pedindo para fazer alterações. Partilhe o desenvolvimento do seu trabalho, mas tente fazer com que o cliente não se intrometa muito na construção do seu projeto.

79


freela | Como conquistar cliente?

Faça valer a experiência que você adquiriu como freelancer em uma entrevista de trabalho. 1. Você sabe lidar com negócios Ser um freelancer já proporcionou muitas experiências variadas. Por isso, você sabe lidar com os negócios e tem noção de como encontrar e manter clientes. Por meio de sua experiência anterior, você aprendeu a importância de um cliente potencial, como descobrir o que eles estão procurando e suas necessidades. Em outras palavras: você sabe comercializar e vender. 2. Você entende a importância de manter fortes relacionamentos com clientes Freelancers aprendem por meio de suas experiências que manter um cliente é muito mais rentável do que garantir um novo. Eles sabem o quanto é importante continuar com esses clientes e mantê-los felizes com o serviço oferecido. Acima de tudo, a

80

manutenção de fortes relacionamentos com clientes é fundamental para manter um bom negócio. 3. Você tem um conjunto de habilidades extra Para ser um bom freelancer e se estabelecer no mercado, você precisou desenvolver várias habilidades para atender cada um de seus clientes. E esse é o seu grande diferencial em relação ao outros candidatos. A ideia é encontrar maneiras de adicionar essas habilidades específicas para o seu currículo e fazer com que elas sejam úteis para seus potenciais empregadores. lembre-se que o cliente irá ter sempre como ponto de referência os trabalhos que viu nesse mesmo portfólio. Essa expectativa criada, que muitas vezes não é cumprida, pode gerar alguns insatisfação por parte do cliente. Portanto, tenha sempre cuidado com os prazos que define. Se o cliente pretende um trabalho semelhante ao que está no portfólio, é importante fazê-lo compreender que esses mesmos trabalhos demoraram

dias a ser concluídos e que se ele nos pede um prazo mais curto, essa qualidade não será alcançada. Fazer a gestão correta desta triângulo (qualidade,tempo e expectativa) é o segredo para você conseguir ter uma boa relação com o seu cliente. Por vezes, nós como freelancers, esquecemos que o nosso cliente também é humano, e como tal também tem as suas dúvidas, indecisões ou mesmo insatisfações. Para que ele possa ter um relacionamento saudável connosco, é importante que saibamos mantê-lo tranquilo e vai te dar a garantia de que o trabalho está sendo realizado. Em primeiro lugar, devemos pedir uma parte do custo do trabalho logo ao início, seja ela 30, 40 ou 50%. Desta forma, não corremos o risco de que o cliente desista a meio ou pelo menos se desistir, já temos uma parte do trabalho pago. Este misto de confiança mútua e regras bem definidas podem ajudar.


recorte | Animações mecânicas

recorte Mini animações mecânicas de 1912

81

| Janeiro 2015


recorte | Animações mecânicas

Use o espaço abaixo para desenhar ou rabiscar

82


recorte | Animações mecânicas

Mini animações mecânicas de 1912

Instruções Recorte os círculos. Em seguida marque um furo no centro do círculo, e com um compasso, lapiseira ou palito de churrasco, apoie o centro do círculo girando-o com a mão até enxergar o movimento da animação.

83

| Janeiro 2015


Use o espaรงo abaixo para desenhar ou rabiscar

84


Papel Especial


- Se não aguentar a saudade até Fevereiro, venha ao estúdio fazer uma visita -

Até logo...

| Janeiro 2015

87


88


A Revista brasileira de Design Gráfico MOP - Materiais/Ofício/ Produção

Natureza & Nanquim Edição #1 Janeiro/2015

R$12,00


MOP - Revista Brasileira de Design Gráfico