Page 1

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

1

Ano XXV - Nº.280 - Janeiro de 2020 - Distribuição no Grande Centro - www.jornalfolhadocentro.com.br

Abaixo-assinado pede a volta do estacionamento rotativo da Praça Cruz Vermelha- Pág.. 21

Grande espetáculo do Projeto Dançarte - Págs. 12 e 13

Restaurante Sobrenatural completa 30 anos Pág.19

Dom Orani Tempesta visita a Saara com a imagem de São Sebastião - Pág. 9


2

Edição 280- Janeiro de 2020

Jornal Folha do Centro é uma publicação da Folha do Centro Rio L t d a . C N P J 00.923.422/0001-39 Insc. Municipal 01.998.374 Endereço: Av. Nossa Senhora de Fátima, 22 - Sobreloja - Bairro de Fátima / Centro , CEP: 20240-051 . RJ Tels. (21) 2242-9344 e 3806-6368 e WhatsApp: 9-6471-7966 E-mail: folhadocentrorio@ gmail.com Site: www.jornalfolhadocentro.com.br www.jornalfolhadocentro.com Jornalista responsável Carlos Augusto Pinto Loureiro - Registro 33238MTB-RJ

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Exposição no Paço Imperial soleniza os 70 anos da UERJ E-mail: carlosaugustodacidaderj@gmail.com Diagramação e Arte Djalma Correia djalmacorreia@gmail. com Colaboradores: Fábio Torres, Simone Montenegro, Allan Souza e Jorge Luiz Castro. Tiragem: 20.000 exemplares Periodicidade: Mensal Impressão: Infoglobo: Telefone: (21) 2534 -9579 Distribuição: Todo o Grande Centro da Cidade Representante em São Paulo e Brasília: Tábula - Veículos de Comunicação: Tel. (11) 5507-5599 “Artigos assinados, informe publicitários e anúncios são de responsabilidade de seus autores”

A Universidade do Estado do Rio de Janeiro completa 70 anos em 2020 e inicia as comemorações em grande estilo. A exposição ESQUELE70 contará a sua história, desde sua criação até os dias atuais. Referência no ensino público, pesquisa e extensão; a Universidade amplia cada vez mais sua relação com a sociedade a partir de conhecimentos artísticos, científicos e culturais. A mostra foi inaugurada no Centro Cultural

Paço Imperial do Rio e é aberto para todos que quiserem prestigiar e conhecer a UERJ e as obras de artistas que fizeram parte da sua trajetória. A ideia de criar a ESQUELE70 surgiu a partir das pesquisas do professor Luís Reznik (Faculdade de Formação de Professores – FFP) e equipe, que levantaram extenso material acerca da história e das características da Universidade. A exposição foi dividida em

módulos: o primeiro é o “Núcleo histórico”; o segundo, “Campi e entorno”. Em seguida, serão apresentados “Movimentos docentes e discentes” e “Produção científica e Políticas públicas”. A exposição e segue em cartaz até 16 de fevereiro de 2020. O Paço Imperial fica na Praça Quinze de Novembro, 48 – Centro. O local funciona de terça a sexta, das 12h às 19h; sábados, domingos e feriados, das 12h às 18h.


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

3

Curso de idiomas no Centro traz para o Brasil método inovador no ensino do inglês

Com a técnica utilizada é possível aprender o idioma de forma imersiva, que acelera em até três vezes o aprendizado

A escola de idiomas Stay Connected trouxe para o Rio de Janeiro um curso de inglês focado na conversação, onde é utilizado o Método Callan, respeitado internacionalmente. O modo consiste em aprender inglês diretamente no idioma, onde o aluno está em contato com a língua em 100% do tempo. Os estudantes são estimulados a falarem o máximo possível na língua inglesa, fazendo com que rapidamente superem qualquer dificuldade com o idioma. A escola no Centro do Rio possui a matriz em Londres. A fluência no inglês é atualmente uma grande necessidade no mercado de trabalho e até mesmo na vida pessoal. O domínio de

línguas estrangeiras remete um sinal de qualificação cultural, o que é bastante considerado na hora de uma seleção de trabalho, por exemplo. Além disso, o inglês é considerado um idioma fácil de aprender, mais fácil até mesmo que o português. As oportunidades são sempre maiores para quem tem menos barreiras de comunicação. Nos cursos de idiomas tradicionais, o aluno é levado a assimilar teorias gramaticais, o que consome em média 75% do tempo das aulas. Com o Método Callan da Stay Connected, as aulas incluem bastante prática de linguagem falada e compreensão auditiva, além também de leitura e

redação, para que se possa revisar e consolidar o que foi aprendido. O aluno assimila rapidamente, pois está sempre imerso na língua inglesa. O reflexo linguístico também é desenvolvido através da prática do idioma em ritmo dinâmico, com as aulas focadas na fluência verbal. A curso tem se destacado no Rio de Janeiro devido ao método aplicado. Durante as aulas, o professor está constantemente fazendo perguntas e estimulando respostas. Perguntas feitas em ritmo rápido ajudam o aluno a pensar em Inglês sem traduzir mentalmente para o português. A gramática e o vocabulário são introduzidos sempre de forma contextualizada. Além disso, conversação, leituras e ditados também fazem parte do método. Os livros do Método Callan são cheios de perguntas. Cada pergunta serve como prática para uma palavra, expressão ou conteúdo gramatical. O professor fica de pé, e faz as perguntas aos alunos, um por um. Este, nunca sabe quando o professor vai lhe perguntar alguma coisa,

e por isso está sempre concentrado

no conteúdo. Com o andamento do curso, o aluno começa a entender o idioma na velocidade natural em que é falado, assim como compreender filmes, músicas e conversas telefônicas ou via aplicativos de

mensagens instantâneas. Apesar de eficiente e inovador, estudar inglês com o Método Callan na Stay Connected é bastante acessível, com cursos a partir de R$ 215,00 mensais. A Stay Connected fica localiazada na Av. Churchill, 109 – Sobreloja 103, Centro. A escola pode ser contatada para agendamento de aula demonstrativa gratuita através do telefone (21) 99951-3666. Maiores informações no site: https://efastconnexion.com e mídias sociais da Stay Connected idiomas.


4

Edição 280- Janeiro de 2020

Você já ouviu falar em Aromaterapia, mas não sabe como funciona? São fitoterápicos cujos tratamentos são baseados nos efeitos causados por aromas no organismo das pessoas, sua matéria prima é volátil que já tem resultados científicos comprovados. Seus benefícios são físicos e mentais e estão diretamente ligadas a escolha dos óleos essenciais e sua correta utilização. Pesquisas mostram que cheirar coisas certas pode beneficiar sua saúde. Seus benefícios tendem a se sobrepor, não existem dois óleos exatamente iguais, mas você pode fazer. Suas diversas possibilidades de combinações variam para quem busca tratamentos naturais. Então.. Pare! E respire... O óleo essencial atua na emoção especifica e é possível criar combinações próprias. Aromaterapia é um tratamento terapêutico baseado no uso de óleos essenciais e utilizado há milhões de anos no Oriente.

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Óleos essenciais

Como as formas de uso dos óleos são variadas a dica é carregar alguns na bolsa e também utilizar acessórios que ajudam a espalhar as essências pela casa e escritório. Temos: difusor, varetas, colar aromatizado, velas, pastilhas de gesso, tudo usado como gatilho para relaxar profundamente. Alguns de seus benefícios: • Combater o estresse e antidepressivo e calmante lavanda • Estimular o bom humor: May Chang

• Aliviar dor de cabeça e en-

xaqueca: hortelã pimenta •Afasta insônia: camomila romana •Clarear mental, energização estimular o foco e atenção: alecrim e sereal. • Fortalecem sistema imunológico e as defesas do organismo: limão siciliano. • Estimular a pressão sanguínea e pressão baixa: alecrim e tomilho. •Alivia o cansaço: cravo


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

5

Restaurante Sobrenatural completa 30 anos e exibe painel do artista plástico Mello Menezes Uma das joias gastronômicas e culturais de Santa Teresa está completando 30 anos em 2020. O restaurante Sobrenatural é referência no Rio de Janeiro quando se fala em cardápios de peixes e frutos do mar, além de ser um local de música e arte, consagrado na cidade. Refúgio do samba carioca, o Sobrenatural tem agora exposto um painel que é uma verdadeira obra prima do grande artista plástico Mello Menezes. O painel “Salve o Samba”, criado especialmente para o restaurante, em homenagem aos músicos e sambistas que sempre prestigiaram as célebres rodas de samba. “O Mello Menezes que é um artista maravilhoso! Ele fez esse painel homenageando os sambistas e artistas amigos meus que frequentaram aqui o restaurante. No painel tem todos os meus amigos da música, do samba e da vida.”, diz Sérvula Amado, proprietária do Sobrenatural. O artista Mello Menezes,

e me apresento aqui desde que o restaurante inaugurou. Ela realmente é uma guerreira do samba!”, diz Sombra, que se apresenta aos finais de semana no Sobrenatural e recentemente lançou o DVD “Vale a pena ouvir de novo”. Patrimônio de Santa Teresa, o restaurante Sobrenatural está inserido no contexto cultural e gastronômico do bairro, sendo

parada obrigatória para amantes da boa música e culinária. Com um ambiente rústico e descontraído, o restaurante mantém a padrão de qualidade característico da casa com peixes e frutos do mar sempre fresquinhos, de boa qualidade e procedência que garantem a suculência perfeita. O Sobrenatural fica na Av. Almirante Alexandrino, 432, no coração de Santa Teresa.

Painel “Salve o Samba”, criado especialmente para o restaurante autor da obra, é pintor e artista gráfico, morador de Santa Teresa, começou a pintar em 1960 e realizou diversas exposições individuais, e participou da produção artística em abertura de novelas para TV Globo, como “Gabriela”, “Saramandaia” e “O Velho Chico”. Para comemorar os 30 anos do restaurante, além do painel “Salve o Samba”, o Sobrenatural esta preparando uma festa com apresentações musicais, rodas de samba e choro, além do cardápio

que também promete novidades. Grandes artistas e talentos do samba fazem parte da história artística do Sobrenatural, como Martinho da Vila, Elza Soares, Gallotti e a cantora Beth Carvalho, que era frequentadora assídua do restaurante e amiga pessoal de Sérvula. Grandes talentos da música atual como a cantora Dorina e o cantor e compositor Sombra, também fazem parte da biografia musical do Sobrenatural. “Tenho amizade com a Sérvula há mais de 30 anos

Sérvula Amado com a cantora e compositora Dorina


6

Edição 280- Janeiro de 2020

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Verão exige cuidado redobrado com a saúde dos olhos Por: Ana Luisa Aleixo O verão tem como característica principal os dias quentes, além do sol que faz muitas pessoas buscarem opções para se refrescar tais como praia, cachoeiras e piscinas. Neste período, onde a intensidade dos raios ultravioleta aumenta, os olhos também exigem proteção. Para isso, os especialistas indicam o uso de óculos, mas alertam sobre a importância de fator de proteção que o acessório deve ter. O uso de óculos escuros sem filtros cria a falsa impressão de proteção e os raios nocivos não filtrados podem causar dano a pele ao redor dos olhos, conjuntivas, cristalino e retina. Lentes escuras de baixa qualidade filtram apenas raios visíveis, permitindo a passagem de raios ultravioleta tipo A e B, que estão relacionados ao fotoenvelhecimento e ao surgimento de alguns tipos de câncer. Os olhos também sofrem os efeitos da radiação excessiva que aumenta o risco de catarata precoce, degenerações da retina e pterígio. Nesta estação, também é comum o uso de ar-condicionado com frequência, o que diminui a umidade do ar e aumenta a evaporação da lágrima. Isso causa um desconforto, deixando os olhos mais secos e vermelhos, devido a longa exposição a esses ambientes. Outro aspecto que pede atenção é o uso de lentes em ambientes

Dra. Ana Luisa Aleixo, oftalmologista com doutorado em Infecções

aquáticos e o cloro das piscinas. O cloro pode causar irritações oculares e o uso de lentes de contato em praias e piscinas aumenta o risco de infeções relacionadas a água contaminada, como a ceratite por ameba. É importante não ir à praias consideradas impróprias para banho, pois a água contaminada, especialmente com coliformes fecais aumenta o risco de ocorrência de conjuntivites, infecções de pele e da córnea e até mesmo de hepatite. O uso de filtros solares na pele deve ser intensificado no verão, mas sua aplicação próxima aos olhos pode causar grande desconforto ardência ocular e até ceratites químicas. Dicas de verão: - Use óculos escuros de boa procedência e com selo de proteção UVA e UVB.

- Filtros solares não devem ser aplicados na borda da pálpebra - Evite abrir os olhos embaixo d’água - Direcione o fluxo de ar de ventiladores e aparelhos de ar condicionado no sentido contrário ao que você estiver no ambiente - Use lágrimas artificiais prescritas pelo seu médico caso tenha sintomas de olho seco: ardência, sensação de areia nos olhos, vermelhidão - Cuide das lentes de contato e evite exposição dos olhos a água contaminada * Dra. Ana Luisa Aleixo, é oftalmologista com doutorado em Infecções, sendo pesquisadora do Instituto Nacional de Infectologia da Fundação Oswaldo Cruz.


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

7

Rio de Janeiro já tem sua corte para o carnaval 2020 A corte do Rio de Janeiro já foi escolhida e a novidade este ano é que o novo rei momo e a nova reinha do carnaval são inéditos no concurso. Pela primeira vez, Djeferson Mendes foi eleito o Rei Momo e Camila Silva (ex-rainha de bateria do Vai-Vai, em São Paulo, e da Mocidade Independente de Padre Miguel) é a nova Rainha do Carnaval. A grande final do concurso aconteceu, na Praia de Copacabana, em um evento organizado pela Riotur que marcou também a abertura oficial do Carnaval 2020. Os escolhidos para compor a corte momesca 2020 levam para casa o prêmio de R$ 30 mil cada um. Deisiane Conceição de Jesus ficou como primeira princesa e Cinthia Aparecida é a segunda princesa. Alex de Oliveira terminou na segunda posição como vice-Rei

Momo. O evento teve mais de 300 mil pessoas na praia de Copacabana. Na ocasião, o Rei Momo recebeu às chaves da cidade, dando início ao maior carnaval da história do Rio de Janeiro com 50 dias de duração. Antes do evento houve a

apresentação do Bloco da Favorita que agitou Copacabana e deu o pontapé inicial aos eventos que irão anteceder o carnaval 2020, como desfiles de blocos e eventos pré carnavalescos.


8

Edição 280- Janeiro de 2020

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Caçambas obstruem calçada na Rua Riachuelo Fiz essa foto de duas caçambas que estavam largadas na Rua do Riachuelo já há dois dias ali no local. As calçadas são para o uso exclusivo dos pedestres para que possam caminhar em segurança, e deveriam ser respeitadas por todos. Um cadeirante ou uma pessoa idosa com dificuldade de locomoção certamente não conseguiria passar ali. Qualquer pessoa que passe é obrigada a desviar das caçambas, correndo o risco até mesmo de se acidentar. Cada coisa tem que estar no seu lugar, e a calçada não é lugar de caçamba de entulho. Além de tudo, fica uma imagem de desleixo com o nosso bairro. Os responsáveis pela fiscalização deveriam multar e responsabilizar os envolvidos para que isso não aconteça e deixe as calçadas liberadas para quem é de direito que são os pedestres.

Eduardo Lopes – Via Facebook

Bueiros entupidos nas ruas do Centro

É grande o número de bueiros entupidos de terra no Centro da cidade. Quando chove, esses bueiros dificultam muito o escoamento de água e causa alagamentos nas ruas. Aqui onde eu moro, na Rua do Resende alaga tanto que há muitos anos a altura da água chega a ultrapassar as rodas uma carreta. Em frente ao número 47 da Rua do Resende há um bueiro que está entupido há bastante tempo. A CEDAE já foi acionada mais ainda não apareceu e o bueiro está cheio de terra e entupido. A Comlurb deveria ter equipes prontas para eventualmente limpá-los a cada 8 meses ou um anos, que fosse. Essas limpezas poderiam ser feitas com equipes da Comlurb e Cedae. Tânia Rodrigues – Via e-mail

População de Rua faz fogueira em pleno Centro da cidade O excesso de população de rua no Centro está se tornando um problema cada vez mais acentuado. Além da sujeira e do acumulo de lixo que geralmente acontece, eles fazem fogueiras para cozinhar no meio do espaço público em pontos de grande movimentação no Centro. Muitas vezes eles fazem uma cozinha improvisada e deixam marcas de sujeiras e sinais de queimadura nas paredes. O poder público deveria acolher melhor essas pessoas e oferecer condições dignas para que eles possam se reabilitar e sair das ruas. Nos últimos anos aumentou e muito a quantidade de pessoas que vivem em situação de rua principalmente nas áreas aqui do Centro.

Apagões voltam a acontecer no Bairro de Fátima

Leitor - Via whatszzap

Os apagões voltaram a assombrar o Bairro de Fátima. Já chegamos a ficar mais de 4 horas sem eletricidade aqui durante toda uma tarde. Isso prejudica não apenas o comércio, mas também os moradores do bairro, ainda mais em período de férias onde muitas crianças estão em casa e ficar sem energia é muito desconfortável. Os apagões de um tempo pra cá se tornaram constantes. Tinha parado um pouco mas agora voltaram a prejudicar o bairro. Acho que a fiscalização deveria ser mais rigorosa para evitar que isso aconteça porque energia elétrica é essencial nas casas e no comércio em geral. Vamos ter mais cuidado com os moradores aqui do Centro. Claudia Santana - Via e-mail


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

9

Dom Orani Tempesta visita a Saara com a imagem de São Sebastião O Arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Orani Tempesta esteve na região da Saara no primeiro dia da trezena de São Sebastião. Até o dia 19 de janeiro, o arcebispo levará a imagem a diversos pontos da cidade. No comércio popular, Dom Orani concedeu entrevista à Luiz Antônio Bap na Rádio Saara, e logo em seguida seguiu pelas ruas do comércio com a imagem peregrina de São Sebastião. Na ocasião, Dom Orani exaltou a importância comercial e simbólica da Saara. “É uma grande satisfação estar aqui na Saara que é um lugar muito importante para o Rio de Janeiro, que junto com o comércio traz essa integração étnica, religiosa e cultural tão bonita e tão benéfica. Desejo que a Saara possa continuar florescendo com muitos dons para as famílias que aqui estão, os comerciantes, os comerciários e todos aqueles que aqui frequentam”, disse. Durante entrevista na rádio, Dom Orani deu a benção e saudou o ano novo que se inicia. “Eu desejo que em 2020 o Rio de Janeiro possa não desanimar pelos problemas que enfrentou e que enfrenta, e que possa sempre continuar se levantando e continuar na caminhada com esperança, coragem e otimismo. Respeitando uns aos outros, nós podemos conviver com alegria aquilo que nós cremos e ao mesmo tempo conviver construindo a paz. A Saara é um exemplo de vida, de convivência pacífica, de entendimento e respeito”, concluiu . A trezena deste ano traz como tema “São Sebastião, Ardoroso Missionário”, e teve início em uma cerimônia no Santuário do Cristo Redentor. A peregrinação é um evento importante da igreja católica, e tem como objetivo reavivar a fé, a devoção e a unidade do povo carioca.

Luiz Antonio Bap (Rádio Saara) e Dom Orani Tempesta

Imagem de Peregrina São Sebastião percorreu as ruas da Saara


10

Edição 280- Janeiro de 2020

Passagem de trem e barcas aumentam em fevereiro A partir do próximo mês, as tarifas dos trens e das barcas que operam na cidade sofrerão aumento na tarifa. Os trens terão reajuste de R$0,10 centavos, passando a custar R$ 4,70. Os falantes da Superfia já estão comunicando que o aumento na passagem será a partir do dia 02 de fevereiro. Na Praça XV, o aumento na tarifa das barcas será a partir do dia 12 de fevereiro. O novo valor para catravessar a Baía de Guanabara será de R$ 6,50. O aumento é previsto por lei e foi homologado pela Agetransp, Agência Reguladora de Serviços Concedidos de Transportes. A linha Charitas também sofreu aumento e a tarifa subiu de R$ 16,60 para R$ 18,20. Resta saber se a qualidade dos serviços de transportes oferecidos à população também irá aumentar.

Firjam projeta aumento na economia do Rio para esse ano

A Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro divulgou projeções econômicas que apontam crescimento de 2,1 do Produto Interno Bruto do Rio de Janeiro para esse ano de 2020. A recuperação da economia, segundo as projeções, será puxada pelo setor de petróleo e gás. O gerente de estudos econômicos da Firjan disse que os bens manufaturados do Rio de Janeiro devem enfrentar queda nas exportações para a América Latina, principalmente para a Argentina. Por outro lado, há expectativas bastante promissoras para a cadeia de óleo e gás e para a indústria de transformação que exporta do Rio para outros estados brasileiros.

Quase 90 mil turistas de cruzeiros chegam na cidade em janeiro Neste mês de janeiro, a cidade do Rio receberá 87 mil turistas de cruzeiros que estarão circulando pela cidade, e consequentemente injetando dinheiro na economia. As estimativas preveem mais de R$ 100 milhões cheguem ao Rio através destes turistas. A maioria deles são estrangeiros que estarão de passagem pela cidade. Estão marcadas 23 embarcações que irão atracar no Píer Mauá. Esta é a temporada com mais transatlânticos internacionais dos últimos 20 anos. No dia 21 de janeiro o Píer Mauá receberá ao mesmo tempo três grandes navios, que irão atracar na cidade. Para este ano, a previsão é que aumente em 12% o número de turistas de cruzeiro que estarão visitando a cidade.

Visite o Centro Cultural Laurinda Santos Lobo em Santa Teresa

Um belo casarão no nº 306 da Rua Monte Alegre, em Santa Teresa, é o endereço do Centro Cultural Laurinda Santos Lobo. O palacete foi construído no começo do século XX e é uma das joias da arquitetura carioca, assim como muitos dos casarões do bairro. O casarão pertencia aos herdeiros de um senador chamado Joaquim de Lima Pires Ferreira, que ganhou o imóvel de presente de um senador. A Prefeitura do Rio adquiriu o imóvel no governo do prefeito Marcos Tamoyo (1975 a 1979), o primeiro prefeito do Rio de Janeiro após a fusão com o Estado da Guanabara. Além do passeio pela história e arquitetura, o espaço comporta diversas atividades culturais e artísticas abertas ao público. No local são feitas exposições itinerantes, recitais, mostras de arte e fotografia, além de cursos de música e teatro.

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

11

Santa Teresa recupera fluxo turístico e consolida o charme cultural e artístico do bairro Queda nos índices de violência e promoção de eventos culturais e gastronômicos trouxe de volta a essência do tradicional bairro carioca

L a r g o d o C u r v e l o , o n d e e s t ã o c o n c e n t r a d o s c i n e m a e d i v e r s o s r e s t a u r a n t e s n o b a i r r o d e S a n t a Te r e s a O bairro de Santa Teresa voltou a respirar a atmosfera turística cultural e gastronômica, que caracterizam o icônico bairro na região central da cidade. Em tempo não muito distante, o bairro andou bastante esvaziado e com baixo fluxo de turistas, muito por conta das constantes narrativas de assaltos ocorridos na região. Com

o aumento da segurança e com a promoção de inúmeros eventos, o bairro agora reconquistou o seu status turístico que está sendo celebrado por moradores e comerciantes. O bairro literalmente renasceu e está de volta aos roteiros turísticos mais procurados da cidade, com grande movimentação de

estrangeiros valorizam bastante Santa Teresa mais até que os próprios cariocas. As pessoas precisam descobrir e valorizar o bairro”, comenta Domingos Cardoso, artista plástico bastante conhecido na região. A redução nos índices de violência teve grande contribuição para a retomada do bairro. O 5º BPM, responsável pela área, passou a fazer, cercos estratégicos nas principais vias de acesso e aumentou também o patrulhamento ostensivo. Entre janeiro e dezembro de 2019, houve uma queda de 55% nos índices de criminalidade, em relação ao mesmo período 2018. O ex sub-prefeito de Santa Teresa, Carlos Augusto da Cidade, comemora a recuperação do bairro. “Todo carioca tem um carinho muito especial por Santa Teresa e é muito gratificante ver as turistas e visitantes andando tranquilamente pelo bairro e consumindo toda a cultura, arte e gastronomia que só

visitantes. “Foi um trabalho muito interessante do AmeSanta, pois promoveram feiras gastronômicas mesmo contra a associação de moradores, eventos como o Cervejeresa e o natal de luz que movimentaram bastante o bairro, e tudo isso trouxe mais pessoas e turistas. A segurança também melhorou muito. Não tem acontecido

T u r i s t a s v i s i t a n d o o b a i r r o d e S a n t a Te r e s a

Santa Teresa têm várias entradas e saídas por diferentes bairro. Bairro visto pela Lapa

nenhum episódio que possa afastar as pessoas daqui do bairro”, relata Sérvula Amado do Restaurante Sobrenatural que fica no coração de Santa e tem como carro-chefe os pratos com pescados e frutos do mar, além de um cardápio musical de primeira qualidade. Santa Teresa têm várias entradas e saídas por diferentes bairros, e concentra excelentes restaurantes, hotéis e ateliês de arte, além de Centros Culturais como o Parque das Ruínas. “Santa Teresa é um bairro que é referência no mundo todo. O turista estrangeiro inclui a visita ao bairro como parte do roteiro de viagem à cidade. Os

se encontra aqui. É muito satisfatório esse momento que o bairro está vivendo e a perspectiva é de que melhore cada vez mais, pois Santa Teresa é um importante patrimônio da cidade e do país. Os comerciantes do bairro são unânimes ao reconhecer o grande empenho da Associação dos Amigos e Empreendedores de Santa Teresa, o AmeSanta, que reúne donos de 30 restaurantes e hotéis do bairro. A associação existe desde 2010 e suas ações e atividades estão sendo intensificadas para promover ainda mais o resgate da região.


Edição 280- Janeiro de 2020

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Fotos: Jorge Luiz Castro

12

Cia. Ballet Projeto Dançarte “A Criação do Mundo”, professora Rafaeli Mattos

Dançarte realiza grande espetáculo com a pres

O Projeto Dançarte encerrou 2019 com chave de ouro. O consagrado espetáculo de fim de ano trouxe o tema ‘Saúde do Planeta’, em uma nova versão do espetáculo apresentado em agosto.

Todos os bailarinos do Projeto se apresentaram no palco do Liceu de Artes e Ofícios, no Centro, sob intensos aplausos da platéia que acompanhou as apresentações. A montagem foi preparada e dirigi-

da pelos professores do Projeto, e interpretada pelos alunos das diferentes modalidades de dança. As coreografias apresentadas trouxeram uma reflexão sobre a criação do planeta, a natureza em

seu equilíbrio, a fauna e a flora e seus elementos. O espetáculo foi realizado no dia 21 de dezembro e se consagrou memorável tanto para os bailarinos quanto para o público expectador.

O caráter inclusivo e democrático do Projeto Dançarte trouxe para o palco apresentações com crianças, jovens e adolescentes, além de adultos e pessoas da terceira idade. Foram cerca de 20

Ballet Baby “Abelinhas”, professora Dani Melo

Pré-Ballet ”Flores”, professora Dani Melo

Ballet infantil/juvenil/adulto “água e arara azul”, Prof. Dani Melo

Ballet Juvenil “Poluição das águas”, professora Rafaeli Mattos

Jazz infantil/juvenil/adulto “Sol”, professora Dani Melo

Jazz infantil/juvenil “reciclagem”, professora Dani Melo

qu 15

qu ‘S Xa


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

13

Hip-Hop Ponto de Cultura Dançarte “Fake-News e Likes”, professor Well Santos

sença de artistas e de todo o elenco do Projeto

uadros de dança, apresentados por 50 bailarinos do Projeto. A cantora Giovana Galdino, ue recentemente gravou a música Salve a Natureza’ com o cantor ande de Pilares, esteve presente

e interpretou a música no encerramento das apresentações. Giovana participou do programa The Voice Kids 2017, da TV Globo e tem um enorme reconhecimento na internet, onde suas interpretações

viralizam rapidamente, chegando a alcançar mais de um milhão e meio de visualizações. Giovana esteve presente com o pai, o cantor Serginho do grupo Deita e Rola.

Ao final do Espetáculo, o

elenco do Dançarte foi calorosamente aplaudido pelo público, encerrando a maratona 2019 do Projeto. A temporada 2020 do Projeto Dançarte já começou e está com inscrições abertas para todas

as suas modalidades de dança, incluindo ballet, hip hop, jazz, dança do ventre, funk e sapateado. Informações pelos tels: 2222-0848 e 3806-6368 ou e-mail: ongdancarte@gmail.com;.br

Pre-Ballet ”Fauna”, professora Rafaeli Mattos

Ballet infantil/juvenil “Água e Arara Azul”, Prof. Dani Melo

Dança de salão Projeto Dançarte, professor Jonathan Wilian

Ballet infantil “A Margem” : They don`T Care About US, Prof. Rafaeli Mattos

Sapateado Ponto de Cultura “Energia Sustentável”, prof. Rafaeli Mattos Jazz/Ballet adulto “Semente”, professora Dani Melo


14

Edição 280- Janeiro de 2020

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

O chafariz da Rua do Riachuelo O intenso movimento de pessoas na Rua do Riachuelo, antiga Rua Mata-Cavalos, faz com que muitas vezes não se perceba a existência de um pequeno chafariz colonial, que é um dos mais antigos do Rio de Janeiro e tombado pelo IPHAN desde 1938. O Chafariz é localizado no nº 187 da rua e foi erguido em 1817 pelo Intendente geral de polícia Paulo Fernandes Viana, por determinação de D.João VI. Naquela época a falta d´água no Rio era um problema crônico e, por esse motivo, várias nascentes foram captadas para servir à população. Durante anos, os moradores da região usavam a água do chafariz. Ele também atendia ao tráfego de cocheiros e animais da rua. Suas feições originais foram alteradas com o tempo e hoje só resta a parte central, bastante descaracterizada. Foram preservados somente o tanque, as pilastras e a inscrição. Em 1951 nasceu a idéia de se transferir o chafariz para o pátio do Museu Histórico Nacional. A Prefeitura do então Distrito Federal aprovou o projeto, mas a remoção nunca foi realizada. De acordo com o livro “Terra Carioca – Fontes e Chafarizes”, de autoria de Magalhães Correia, As águas encontradas nas nascentes dos Morros de Mata-Cavalos, Desterro e Santa Teresa estavam localizadas em terras particulares. Por iniciativa do Desembargador do Paço e Intendente Geral da Polícia Paulo Fernandes Viana, foi construído no mesmo ano o chafariz na antiga Rua de Mata-Cavalos, hoje Riachuelo, após conseguir a doação do terreno do Tenente Coronel Cláudio José Pereira da Silva. Esquecido pela população carioca e abandonado à própria sorte, o Chafariz da Rua Riachuelo parece enfim ter tido sua importância histórica reconhecida: ele será um dos bens contemplados com a reurbanização da antiga rua Mata-Cavalos. Mas por enquanto sua restauração ainda não saiu do papel. No ano passado, a Secre-

Chafariz da Rua do Riachuelo, fica em frente a Academia Gift Club taria municipal de conservação e meio ambiente, esteve na Rua do Riachuelo, com um trabalho de limpeza e conservação do histórico

chafariz. Foram realizados serviços de lavagem do monumento, além da retirada de pichações e pintura das paredes do entorno.

Chafariz da Rua Riachuelo, da coleção Museu Histórico Nacional


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

Rosa Magalhães comemora aniversário na Feijoada do Leão A Feijoada do Leão do dia 11 de janeiro, foi de muita comemoração. A Estácio de Sá festejou os 50 anos de Carnaval e 73 anos de vida da carnavalesca Rosa Magalhães. O evento começou às 13h, na quadra, e contou com as apresentações de Luiz Camilo, Marcio Souto, Paulo Luiz, Chacal do Sax, Roda de Samba – Projeto da massa, Marquinhos Sensação e segmentos da vermelho e branco. Rosa Magalhães foi ovacionada pelo público presente na festa. A professora fez e continua fazendo história no carnaval. Feliz e cantando os sambas dos enredos que assinou, Rosa beijou e recebeu com muito carinho os pavilhões. Na sua segunda passagem pela primeira escola de samba do Brasil, Rosa afirmou estar muito feliz e desconversou quando questionada sobre uma possível

aposentadoria. Para o carnaval 2020, “a Estácio traz um enredo que é uma reflexão sobre tudo o que está acontecendo, de uma forma suave e carnavalesca. Eu espero que as pessoas gostem bastante”, disse Rosa à Folha do Centro. Um momento especial do evento foi a participação dos

pavilhões de todas as escolas de samba em que Rosa Magalhães trabalhou. A Estácio de Sá também preparou uma exposição sobre os três carnavais produzidos pela carnavalesca para a escola. Os livros A antropofagia de Rosa Magalhães, de Leonardo Bora, e Rosa Maglhães – Moça prosa da avenida, de Luiz Ricardo Leitão, estarão à venda.

15


16

Edição 280- Janeiro de 2020

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Colônia de férias do Dançarte vai até o dia 30 de Janeiro

Parque estadual Grajaú Localizado no bairro do Grajaú, o parque estende-se sobre a encosta nordeste da Serra dos Três Rios até os limites do Parque Nacional da Tijuca. Tem como marco notável a Pedra do Andaraí, com altitude de 444 metros, de elegante forma piramidal, que atrai muitos escaladores. A Reserva Florestal do Grajaú foi criada por meio do Decreto Estadual nº 1.921, de 22 de junho de 1978, atendendo a uma reivindicação dos moradores do bairro e da Sociedade dos Amigos da Reserva do Grajaú, sua denominação foi alterada para Parque Estadual do Grajaú, em 2002. A área, de aproximadamente 55 hectares, era de propriedade de uma companhia imobiliária até 1975, quando foi transferida para o Estado em pagamento de dívidas da empresa com o governo Estadual. Mais tarde, com a ocorrência de graves deslizamentos de terra provocados pelas chuvas de 1966 e a desocupação da encosta, foi dado início ao reflorestamento da área que, no entanto, não foi bem-sucedido, havendo ainda extensos trechos infestados pelo capim-colonião. A cobertura florestal mais significativa se restringe ao trecho inferior do vale do Rio dos Urubus, e lá são encontradas muitas espécies exóticas convivendo com as nativas. As espécies nativas mais comuns são figueira, embaúba, carrapateira, ipê-amarelo, cedro-branco e pau-d’alho. No interior da mata, orquídea, jurubeba e caiapiá, esta uma espécie ameaçada de extinção. A fauna, apesar de bastante reduzida, devido à perda de cobertura vegetal, ainda apresenta importantes espécies, como cachorro-do-mato, preá-do-mato e mico-estrela, dentre outras. As aves mais encontradas na região são saíra-azul, saíra-amarela, juriti, beija-flor (Amazilia fimbriata e Eupetomena macroura), urubu-caçador, gavião-carijó e tiribas, ameaçadas de extinção. Destaca-se ainda pela vista privilegiada para a Pedra do Andaraí (também conhecida como

Pico do Perdido), que se eleva 444 metros acima do nível do mar, muito procurada por praticantes do montanhismo e considerada um dos principais símbolos do bairro. O local é propício para piquenique, práticas de meditação, Yoga ou mesmo apreciar a natureza.

*Localização:* O Parque Estadual do Grajaú, fica na Rua Comendador Martinele, nº 742, no Grajaú, Rio de Janeiro. Aberto ao público de terça a domingo, das 8h às 18h Entrada grátis (Não esqueçam do repelente)

As férias estão aí e a criançada já está se divertindo bastante na Colônia de férias do Projeto Dançarte. As inscrições estão abertas e o as atividades vão até o dia 30 de janeiro. As atividades de recreação são conduzidas pela pedagoga Gabriela Varella, que conduz a programação com diversão garantida. Entre as atividades, os alunos participam de brincadeiras tradicionais, práticas de jardinagem, passeio cultural, ateliê com oficinas de artes e brincadeiras livres. A colônia de férias funciona de segunda à sexta-feira das 13h30min às 17h30min. A diária custa R$ 50,00, o valor semanal é R$ 200. Para duas semanas de atividades, o valor sai a R$350,00. Para irmãos que queiram participar juntos, a colônia de férias oferece um desconto de 5%.

As Colônias de férias são atividades programadas, recreativas e esportivas, organizadas por pessoas qualificadas, a serem realizadas no período de férias, para crianças e adolescentes. As atividades podem ser uma ótima opção para os pais que, sem férias de seus trabalhos, não teriam tempo durante a semana para estarem com seus filhos. Mais informações: Teles.: 2222-0848 ou 3806-6368.


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

17

Ensino de música nas escolas municipais é lei De autoria do vereador Reimont, lei estabelece conteúdo musical obrigatório no currículo escolar

Muitas pessoas não sabem, mas todas as escolas municipais do Rio de Janeiro deveriam ensinar música aos seus alunos. A Lei Beth Carvalho (Lei 6.594/2019),estabelece o ensino de música em todas as escolas municipais. De acordo com a lei, que já está em vigor desde junho do ano passado. As aulas precisam ser ministradas por professores com licenciatura em música, músicos profissionais, com formação pedagógica para portadores de diploma de nível superior,sendo admitida a atuação dos professores com formação de nível médio na modalidade normal, com habilidade musical, para a educação infantil e nas quatro primeiras séries do ensino fundamental. Autor da lei, o vereador Reimond, homenageou a madrinha do samba Beth Carvalho, uma das maiores cantoras do país e uma voz ativa em defesa da justiça social. Além de proporcionar bem-estar e alegria, o ensino de música ajuda a desenvolver habilidades motoras, de concentração e a capacidade de trabalhar em grupo, tornando os estudantes capazes de absorver os conteúdos de forma mais complexa. De acordo com a Lei, o ensino da música como conteúdo obrigatório do componente curricular Artes, deve contemplar todas as etapas e modalidades da educação básica, qualquer que seja a denominação e a organização do

Vereador Reimond, autor da lei Beth Carvalho que estabelece o ensino de músicas nas escolas currículo. Para efeito da aplicação na esfera municipal, serão consideradas as etapas da educação infantil e do ensino fundamental. Na educação infantil, para crianças de até seis anos, a Lei considera o caráter lúdico no método de ensino, observando-se o rico repertório de manifestações populares, folclóricas e também a diversidade cultural. Desta forma, consegue-se sequenciar a formação, preparando o aluno para absorver os conteúdos dos próximos

períodos. A lei prevê ainda carga horária semanal, obrigatória, durante todo

o ano letivo, para o ensino de música e atividades extraclasse relacionadas com o desenvolvimento da

formação musical do estudante. O professor de música também deve cumprir sua carga horária dentro da grade curricular e em atividades musicais extraclasse. A aprovação da lei tornou-se mais um passo importante em favor da educação musical no município do Rio, dando a devida importância à necessidade da presença do ensino de música na educação escolar. O ensino de música chegou ao Brasil juntamente com os jesuítas no ano de 1549 no período colonial brasileiro. Com a chegada da família real em 1808, D. João VI decidiu seguir a tradição da família e passou a patrocinar o desenvolvimento da cultura musical brasileira, criando a Capela Real e trazendo músicos europeus que exerceram grande influência na formação de músicos brasileiros. Em qualquer momento histórico em qualquer civilização, é notória a necessidade e importância da música no processo de desenvolvimento e humanização.


18

Edição 280- Janeiro de 2020

HÁ 30 anos de Funk Brasil no Ciro Voador

Há 30 anos era lançado um disco que se tornou o marco de um dos gêneros mais importantes da música brasileira. Sob o comando de DJ Marlboro, o álbum Funk Brasil abalou todas as estruturas e abriu os caminhos pra geral fazer suas próprias adaptações e criar novas tendências ano após ano. Uma data tão emblemática assim não podia passar batida. Domingo, 19 de janeiro, véspera de feriado, DJ Marlboro sobe ao palco do Circo cercado de convidados que fizeram parte dessa história pra celebrar 3 décadas de Funk Brasil e, de quebra, comemorar o seu aniversário. Os ingressos custam a partir de R$ 40. O Circo Voador fica na Rua dos Arcos s/n – Lapa.

Musical ‘Elza’ faz última temporada no Teatro Riachuelo

R$ 20.

A trajetória de Elza Soares é sinônimo de resistência e reinvenção. As múltiplas facetas apresentadas ao longo de sua majestosa carreira foram o ponto de partida para o musical “Elza”, que estreou no Rio de Janeiro, passou por 15 cidades do Brasil com imenso sucesso popular. Com aprovação irrestrita de sua homenageada, o musical faz a sua última temporada no Rio, no Teatro Riachuelo, mesmo local em que iniciou a sua jornada de sucesso. Ainda que muitos dos conhecidos episódios da vida da homenageada estejam no palco, a estrutura de ‘Elza’ foge do formato convencional das biografias musicais. Os personagens são vividos por várias atrizes ao mesmo tempo, a estrutura do texto também não é necessariamente cronológica. Da mesma forma que músicas recentes se embaralham aos sucessos das mais de seis décadas de carreira da cantora. A temporada ficará em cartaz de 09 a 25 de janeiro. Os ingressos custam a partir de

Música no Museu abre temporada 2020 homenageando Beethove

Em 2020, o mundo inteiro prestará reverência a Ludwig Van Beethoven, um dos maiores gêneros da humanidade, o compositor que transcende o seu tempo e, com incrível genialidade, opera o clássico do romantismo musical. Música no Museu mantendo uma tradição de realizar concertos de janeiro a janeiro e iniciando as comemorações de seus 23 anos de atividades ininterruptas, abre sua temporada 2020 no CCBB dia 15 de janeiro às 12h30min com pianistas apresentando a sua coleção de 15 valsas para piano solo que, se em algum momento, foram integrados no Rio de Janeiro, deu-se há muito tempo, pois não existe nenhum registro atual. Na sequencia, a programação 2020 de Música no Museu , traz Os Clássicos do Carnaval e Os clássicos no Carnaval em fevereiro, Março, mês da Mulher, musicicistas mulheres, musicas compostas e com nomes de mulheres e, na exceção, o dia 5 na homenagem a Villa-Lobos. Em abril prosseguem as homenagens aos 250 anos de Beethoven e em maio o XV RioHarpFestival, em grande estilo. A programação completa está no site do CCBB.

Ana Carolina faz apresentação única na Fundição Progresso

No dia 18 de janeiro a Fundição Progresso recebe a cantora Ana Carolina em apresentação única de sua turnê “Fogueira em Alto Mar”. No ano em que comemora vinte anos de carreira fonográfica, Ana Carolina pega novamente a estrada e sai pelo Brasil com a sua turnê, a décima segunda de toda a sua trajetória. Além de apresentar as músicas de seu novo álbum, a cantora, considerada uma das maiores intérpretes e compositoras do país, promete apresentações repleta de surpresas e, claro, um passeio pela sua carreira e revivendo seus grandes sucessos. Os ingressos custam R$ 80,00.

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

19

Reduto da Boemia, Bar Luiz completa 133 anos Fotos: Pedro Costa

Conhecido também pela qualidade do seu chope, um dos melhores da cidade, o Bar Luiz tem sido testemunha ocular dos eventos ocorridos nos últimos séculos no

Rio de Janeiro. Patrimônio histórico-cultural da cidade, além de reunir personagens das mais diversas condições sociais pelo próprio perfil do estabelecimento, o bar

O Bar Luiz fica Rua da Carioca, número 39, no Centro do Rio e abriu as portas em janeiro de 1887 O Mais antigo bar do Rio de Janeiro, o Bar Luiz completou no início de janeiro seus 133 anos em grande estilo. A comemoração foi com uma roda de samba do grupo Chorinho Orgânico e com a participação da bateria feminina do Mestre Rico. Reduto centenário da boemia antiga, com seu chope gelado e quitutes alemães famosos como o bolo de carne e a salada de batatas, o estabelecimento, que fica na Rua da Carioca, número 39, no Centro do Rio, abriu as portas em janeiro de 1887, ainda na época do Império.

Rosana Santos, do Bar Luiz e Mestre Rico da bateria feminina

espelha um pouco da peculiar cultura do Centro do Rio de Janeiro. Em setembro de 2019, o Bar Luiz esteve perto de fechar as portas, mas uma mobilização geral de sua clientela e de investidores fez com quem o estabelecimento fosse mantido como o mais antigo bar da cidade e um dos primeiros

do Brasil.


20

Edição 280- Janeiro de 2020

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Camisas 2020 de Blocos

Série A terá duas escolas de samba rebaixadas A disputa na série A este ano promete ficar muito mais acirrada. Uma mudança no regulamento prevê que agora serão rebaixadas as duas últimas colocadas do grupo, que passarão a desfilar na Intendente Magalhães. Em contrapartida, as duas primeiras colocadas do grupo irão desfilar na Marquês de Sapucaí em 2021. A novo regra foi anunciada pelo Presidente da Liesb, Clayton Ferreira, durante sua partucipação no programa “Vai dar Samba” da rádio 94 FM. A nova regra foi aprovada em plenário pelas agremiações da Liesb. A nova regra já consta no regulamento do Carnaval 2020. Em 2021 a série A terá 15 agremiações desfilando na Marquês de Sapucaí.

B

Cordão Carnavalesco Dhel e os Cabras da Peste.

Bloco Carnavalesco Engata no Centro

G.R, Bloco Carnavalesco Morena do Dom

Bloco Carnavalesco Dragões da Riachuelo

Riotur afirma que Sambódromo ficará pronto até o carnaval

Faltando pouco mais de um mês dos desfiles das escolas de samba, o Sambódromo ainda passa por obras de recuperação da estrutura estrutural e melhoria da iluminação. A Riotur afirmou que as obras de melhoria no Sambódromo estão seguindo os prazos previstos. A conclusão da obra está prevista para a primeira semana de fevereiro. Foram investidos pelo Ministério do Turismo R$ 8,1 milhões. A reforma inclui a implantação de novas escadas, 500 painéis de iluminação, alertas de incêndio e pânico, além do reforço estrutural das arquibancadas e a pintura de 36 mil metros. Após o carnaval, novas obras serão realizadas

Maria Bethânia lança disco em homenagem à Mangueira Tema do enredo2016 da Mangueira, a cantora Maria Bethânia lançou um disco em homenagem à Estação Primeira de Mangueira. A artista divulgou nas redes sociais a capa do álbum, intitulado “Mangueira – A menina dos meus olhos”. No álbum, a cantora interpreta famosos sambas da agremiação, incluindo composições de Nelson Cavaquinho, como ‘A flor e o espinho’ e ‘Luz negra’. No Carnaval 2016, Maria Bethânia foi campeã junto da Mangueira com o enredo “A menina dos olhos de Oyá”. Naquele ano, a campeonato da verde e rosa quebrou um jejum de 13 anos sem vitória no Grupo Especial

Cordão Carnalesco Dhel e os Cabras da Peste Festa de lançamento da camisa e do estandarte do Cordão Carnavalesco Dhel e os Cabras da Peste. Dia 19.01-domingo (véspera do feriado de São Sebastião), a partir das 16h Quadra do Bloco Dragões da Riachuelo. R. Riachuelo, 270, Centro, RJ. Entrada e macarronada grátis para quem estiver com a camisa do carnaval 2020 do "Cabras da Peste" Bateria do Bloco Dragões da Riachuelo, além de outras atrações! Preço da camisa: R$ 20,00. .Mais informações pelo whatsapp: 99970-5600

Bloco Carnavalesco Engata no Centro

Próximos eventos do Engata. 25/01 ensaio. 01/02 sábado: ensaio local a ser definido 15/02 sábado: ensaio geral Rua Ubaldino do Amaral local de concentração do bloco 24/02 segunda de carnaval desfile Concentração: Rua Ubaldino do Amaral.


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

Edifício Avenida Central recebe exposição gratuita Exposição fotográfica apresenta imagens capturadas por oito fotógrafos em diferentes países e povoados

Um dos principais prédios comerciais da cidade, o edifício Central na Avenida Rio Branco 162, irá receber a partir do dia 17 de janeiro a exposição “Viagens Fotográficas - Outros Olhares”. A mostra será exposta no segundo andar do edifício, com entrada gratuita. A exposição ficará dis-

ponível a todos que desejarem apreciar de maneira profunda as artes visuais produzidas por conceituados fotógrafos brasileiros, com um conceito moderno de levar inspiração visual ao cotidiano dos cariocas. A exposição contará com fotografias de paisagens e pessoas ao redor do mundo. Passando por países como Tibet, Nepal, Butão, Islândia, Noruega, Estados Unidos e também por paisagens brasileiras, como a Chapada dos Veadeiros e Lençóis Maranhenses, “Viagens Fotográficas - Outros Olhares” apresenta fotografias de paisagens e pessoas, cada uma abordando diferentes culturas e locais. A exposição conta com a obra de oito fotógrafos brasileiros: Marcelo Portella, Alexandre

Dutra, Cris Dieguez, Gustavo Gouvêa, Arthur Costa, Heloisa Rizzo, Marisa de Sá e Renato Tepedino. A fotógrafa Cris Dieguez comenta que “em era de redes sociais onde as imagens são visualizadas em pequenas telas de smartphones, é um previlégio poder expor fotografias em grande formato e impressão fine art. Além disso, a fotografia de viagem requer muito empenho e planejamento, pois uma imagem pode ser resultado de várias tentativas durante dias, meses e até anos”. A exposição dará a oportunidade dos cariocas estabelecerem conexões entre diversas culturas, e viajar por belas paisagens mesmo não saindo do Centro da Cidade. “A cada expedição fotográfica sempre descubro algo

novo, sempre renovo o desejo, e a paixão em descobrir novos lugares.”, assim define o fotógrafo e organizador da exposição Marcelo Portella. A exposição ficará aberta ao público das 09h às 19h, e aos sábados até às 14h.

Edifício Avenida Central

21

Abaixo-assinado pede a volta do estacionamento rotativo da Praça Cruz Vermelha Desde que foi implantado o corredor BRS na Av. Mem de Sá, a prefeitura do Rio proibiu os carros de pararem onde havia um estacionamento rotativo compreendido entre os números 28 e 42 da Praça Cruz Vermelha. Com o fim do estacionamento, pacientes e acompanhantes que fazem tratamento no Instituto Nacional do Câncer ficaram sem uma importante alternativa de embarque e desembarque próximo ao Instituto. Um grupo de moradores e comerciantes da área fizeram um abaixo assinado encaminhado à Administração Regional do Centro, pedindo o retorno do rotativo. De acordo com o documento, o estacionamento é de extrema necessidade para os moradores e comerciantes do entorno. “Uma pessoa que precisa deixar um paciente às pressas no INCA chegava aqui e tinha a alternativa de estacionar, mas agora não. Muitos chegam aqui nessa situação e muitas vezes param o carro sem saber que é proibido. A mudança foi feita de repente e sem nenhuma comunicação. O comércio também ficou prejudicado porque não tem como descarregar mercadoria”, disse Roberto Ferreira, comerciante que trabalha em frente ao estacionamento. De acordo com o abaixo assinado, o estacionamento não impede o bom funcionamento do sistema BRS, tendo em vista o formato da via que impossibilita a conversão da Praça Cruz Vermelha para a Av. Mem de Sá pela faixa da direita, local do estacionamento. “Tem pessoas que assinaram

Placas proibindo estacionar

Carros são rebocados pela Prefeitura

Estacionamento rotativo entre os números 28 e 42 da Praça Cruz Vermelha

o abaixo-assinado, que precisar trazer pacientes ao INCA às 4h da manhã, por exemplo, horário em

que nem os estacionamentos estão abertos ainda”, completa Roberto Ferreira.

O comércio também ficou prejudicado com a proibição de estacionar


22

Edição 280- Janeiro de 2020

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br Unesco declara o Rio como a capital mundial da arquitetura

Cantor e compositor Sombra é destaque no Restaurante Sobrenatural

O cantor e compositor Sombra se apresenta aos finais de semana no Restaurante Sobrenatural em Santa Teresa. Para os amantes da boa gastronomia e da música de qualidade é literalmente um prato cheio. Sombra conquistou o mercado fonográfico a partir do reconhecimento da cantora Beth Carvalho, que o convidou para participar do festival de Montreux, na Suíça. Sombra possui mais de 100 músicas gravadas por vários artistas da MPB como Zeca Pagodinho, Jorge Aragão, Beth Carvalho, Arlindo Cruz, Alcione, Alexandre Pires, Grupo Fundo de Quintal, Jovelina Pérola Negra, Neguinho da Beija-Flor e Leci Brandão. Atualmente o compositor está com a música “Ainda é tempo de ser feliz” na trilha sonora da novela Amor de Mãe, da TV Globo. O Restaurante Sobrenatural fica na Rua Almirante Alexandrino 432 em Santa Teresa.

Fotografia revela antiga tradição dos papéis picados no Centro

Uma fotografia que está circulando na internet revela um antigo hábito muito tradicional no Centro da cidade: a chuva de papel picado. Apesar de ir contra os princípios de limpeza e ordem urbana, era uma tradição muito comum entre os anos 60 e 70, que no último dia do ano, os prédios do Centro promoviam uma chuva de papeis picados para celebrar o último dia de trabalho de trabalho. A fotografia foi tirada na Avenida Rio Branco na década de 70. A imagem também revela outra tradição da cidade que se perdeu: os estandartes decorativos que se espalhavam pela Avenida sempre nas festas de fim de ano e durante o carnaval. A foto tem mais de 40 anos.

Rio vai ganhar Centro Cultural da Herança Africana

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional está com edital de licitação aberto para contratação do projeto executivo de restauro e adequação das Docas Dom Pedro II, que passará a integrar o circuito conhecido como Pequena África. Localizado na Zona Portuária, é um lugar simbólico da herança afro-brasileira por ter sido ponto de desembarque dos escravos no Porto do Rio. No local vai funcionar o Centro de Interpretação do Cais do Valongo e o centro cultural dedicado à herança africana, sob a gestão da Fundação Palmares. No local vai funcionar também o Laboratório Aberto de Arqueologia Urbana (Laau), centro de referência ligado ao Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), da prefeitura do Rio de Janeiro. O laboratório abriga cerca de 1,5 milhão de artefatos encontrados durante as escavações do sítio. O imóvel, atualmente ocupado pela ONG Ação da Cidadania, pertence à União. A ONG firmou acordo e será transferida para o Galpão da Gamboa, de propriedade da prefeitura.

Mudanças nos horários das barcas de Paquetá

CCR Barcas informou que as mudanças nos horários das linhas Arariboia, Cocotá e Paquetá acontecerão a partir do dia 15 de janeiro. O trajeto para quem vem de Paquetá passará a ter uma baldeação em Cocotá, seguindo depois para a Praça XV, um aumento de cerca de 1h no trajeto – ou seja, se antes os passageiros de Paquetá levavam 50 minutos para chegar à Praça XV, a partir do dia 15, vão levar 1h50. Na Linha Arariboia, haverá o aumento de 15 minutos nos intervalos. Em ambas as linhas, a mudança vai acontecer nos horários de rush. A mudança estava prevista para o dia 09, mas foi adiada. De acordo com a CCR Barcas, o prazo para a mudança foi alterado porque a companhia “aguarda uma intimação formal da secretaria Estadual de Transporte do Rio de Janeiro (Setrans) e da Agetransp, sobre a decisão judicial que autoriza a implementação das medidas”.

Além de ser patrimônio mundial como paisagem cultural urbana e destino mais famoso do Brasil, o Rio de Janeiro ostenta mais um título em 2020: o de primeira Capital Mundial da Arquitetura. A nomeação foi concedida à Prefeitura da Cidade pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) e pela União Internacional de Arquitetos (UIA) por ser a cidade-sede do 27º Congresso Mundial de Arquitetos, realizado em 2020 com o tema “Todos os Mundos. Um Só Mundo. Arquitetura 21”. O Rio traz em sua orla, seus parques e suas avenidas, exemplos de cinco séculos de estilos, representados por mais de dez mil imóveis preservados e cerca de dois mil tombados, muitos deles ficam no Centro da cidade. Sua população de quase sete milhões de habitantes convive diariamente com marcos urbanísticos que serão agora compartilhados com todo o mundo. A programação de 2020 abrangerá eventos turísticos, culturais, educativos e científicos por toda a cidade, envolvendo não só os cariocas, mas também os visitantes.


Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Edição 280- Janeiro de 2020

23

Administração Regional do Centro agrega a interação e o diálogo com a sociedade Com três meses da nova gestão, participação popular é cada vez mais ativa junto ao órgão O administrador Regional do Centro, Leandro Osny Ribeiro acaba de completar três meses a frente de uma das regiões administrativas mais complexas da cidade. Quando assumiu o cargo, o administrador do Centro trouxe um novo modelo de gestão onde trabalha com a informação, emitindo relatórios diários que contabilizam e acompanham as demandas geradas na circunscrição. Entre os dados considerados estão as solicitações feitas ao número da Central de Atendimento da Prefeitura (1746) e também as demandas que surgem através das redes sociais. A participação da comunidade do Centro tem crescido consideravelmente desde que a nova gestão passou a ouvir e a dar respostas à população em relação aos seus pedidos e requerimentos junto à Administração Regional. Para se ter uma ideia, o número de seguidores da Região Administrativa na internet saltou de 300 para mais de 1.150 em menos de três meses. A comunidade encontrou nas redes sociais uma importante ferramenta para dialogar com a Administração e ser atendida dentro de suas solicitações. “Tudo o que a gente observa em relação às mídias sociais nós contabilizamos como problema.

características peculiares, como a Lapa que é boêmia, por exemplo, mas temos que ter atenção com os pontos de desordem, obviamente sem descaracterizar o espaço. Nós estamos tentando entender o Centro de acordo com as suas características”, completa Osny. Em dias específicos o trabalho funciona quase que 24 horas, onde servidores do órgão cumprem expediente durante a noite para observar o período noturno do Centro e traçar melhorias como iluminação, por exemplo. O próprio administrador acompanha pessoalmente a execução de muitas das ações realizadas.

Administrador Regional do Centro Leandro Osny Ribeiro Nesses três primeiros meses pegamos as reclamações repetitivas e filtramos essas reclamações para dar um atendimento e uma resposta a cada uma delas, de uma forma individualizada. A minha preocupação não é porque o cidadão está reclamando e sim que o problema não está sendo resolvido”, considera Osny, que também utiliza as informações do número 1746 para mapear as questões levantadas na região. A Administração Regional do Centro é o órgão de representação

do Prefeito e de coordenação e supervisão da atuação dos demais órgãos do Poder Executivo na área. A região do Centro é uma das maiores e mais complexas áreas de administração, onde circulam pessoas de todas as regiões do município, além de turistas de todo o mundo. “Eu administro um local de convergência. Aqui no Centro nos temos moradores, comerciantes e grande parte do público daqui são pessoas que não são do Centro. Aqui é uma área heterogênea e tem locais com

Leandro Osny Ribeiro tem história na vida pública pois é guarda municipal com 16 anos de carreira, sendo nove deles dedicados ao Centro do Rio, onde participou também da equipe que criou a Coordenadoria Regional do Centro em 2015. Trabalhou em oito unidades da Guarda Municipal onde acumulou quase 50 elogios registrados em sua pasta devido a excelência no trabalho realizado, além de 03 Moções na Câmara dos Vereadores. Foi cedido para a Superintendência do Centro onde trabalhou durante 02 anos antes de assumir a Administração Regional.


24

Edição 280- Janeiro de 2020

Site: www.jornalfolhadocentro.com.br

Profile for Djalma Correia

FC 280 - JANEIRO DE 2020  

Jornal Folha do Centro circula mensalmente com uma tiragem de 20.000 exemplares no Grande Centro do Rio de Janeiro - Brasil

FC 280 - JANEIRO DE 2020  

Jornal Folha do Centro circula mensalmente com uma tiragem de 20.000 exemplares no Grande Centro do Rio de Janeiro - Brasil

Advertisement