Page 1


Caro Leitor, EDITORA Rosali Figueiredo DIRIGIDA A Condomínios residenciais, comerciais, administradoras, construtoras e shoppings PERIODICIDADE MENSAL Exceto dezembro / janeiro cuja periodicidade é bimestral TIRAGEM 20.000 exemplares (60.000 leitores em média) PÚBLICO LEITOR DIRIGIDO Síndicos, zeladores, administradores e construtores CIRCULAÇÃO São Paulo e Grande São Paulo JORNALISTA RESPONSÁVEL Rosali Figueiredo MTB 17722/SP rosali.figueiredo@gmail.com REPORTAGEM Manuel Lume CAPA Arte: Jonas Coronado Fotos: Daniel Rosa ASSINATURAS Emilly Tabuço faleconosco@grupodirecional.com.br GERENTE COMERCIAL Sônia Inakake sonia@grupodirecional.com.br DEPARTAMENTO COMERCIAL Alexandre Mendes Fabian Mesquita Francisco Grion Gabriel Youssef ATENDIMENTO AO CLIENTE Emilly Tabuço Coronado João Marconi Juliana Jordão Grillo DIAGRAMAÇÃO Editora Coronado - Jonas Coronado EQUIPE DISTRIBUIÇÃO Ailton Candido Evaldo Mendonça Inaldo Pereira José Ricardo da Silva Roberio Santos IMPRESSÃO Prol Gráfica ASSINATURA ANUAL R$ 180,00

Para anunciar, ligue: (11) 5573-8110 Filiada à

Tiragem auditada por

Nesta edição, a revista Direcional Condomínios oferece ampla cobertura jornalística de seu 6º Direcional Síndicos, realizado no último dia 19 de outubro, no Centro de Convenções do Shopping Frei Caneca, área central de São Paulo. Foi um encontro surpreendente. Pelo 6º ano consecutivo, o Grupo Direcional reuniu conferencistas especializados em temas pertinentes ao dia a dia condominial; fornecedores de produtos e serviços; e um público ávido por informação. Grande parte manifestou satisfação pelas dimensões tomadas pelo evento, já que, além de boa orientação junto aos especialistas, os síndicos buscam um contato pessoal com os prestadores de serviços. Muitos saíram do evento com contatos, visitas agendadas e até mesmo orçamentos. Neste ano, 48 empresas estiveram presentes nos estandes montados no amplo saguão da área externa do auditório do Centro de Convenções. Eram expositores de acessórios a condomínios, terceirização, elevadores, pintura predial, impermeabilização, segurança, administradora, softwares de gerenciamento, de racionalização de consumo de energia, soluções de individualização de água e gás, controle de pragas, desentupidora, pisos, playground, iluminação, lavanderia compartilhada, equipamentos de incêndio, bombas d’água, cobrança profissionalizada, itens de proteção para garagens e TV por assinatura. As empresas receberam a visitação de síndicos, administradores condominiais e zeladores ao longo de todo dia, entre 8h30 e 17h30. O coroamento dessa aproximação foi dado pelo sorteio de dezenas de prêmios concedidos pelos expositores e úteis aos condomínios. No total, 600 pessoas estiveram no encontro promovido pela Direcional, que contou ainda com palestrantes de primeira grandeza: o músico Marco Cesar Acras, o best-seller José Luiz Tejon Megido, os advogados Cristiano De Souza Oliveira e Ana Luiza Pretel, e o consultor de segurança, Luís Renato Mendonça Davini. Neste 6º ano, o Direcional Síndicos atingiu uma fórmula que efetivamente contempla a necessidade de todos os atores envolvidos com a gestão condominial: dos síndicos e gestores, dos empresários e da própria revista. Pois a Direcional Condomínios chega ao seu 16º ano como principal veículo de informação do segmento no País. E sente uma enorme satisfação em poder ver seus dois públicos reunidos, em contato pessoal, direto, buscando estreitar esse relacionamento, de forma que todos saiam ganhando. Agora é hora de planejar o ano de 2014, para que possamos continuar surpreendendo e oferecendo um ótimo serviço aos condomínios e aos seus fornecedores. Uma boa leitura a todos, Rosali Figueiredo PESQUISA COM O LEITOR: Editora VALORIZE A INFORMAÇÃO QUE CHEGA ATÉ VOCÊ! A Direcional Condomínios volta a publicar sua pesquisa anual junto aos eleitores. Confira o CONFIRAM NA DATA NOSSA formulário na página 4 desta edição, preencha HOMENAGEM ESPECIAL AO e nos envie. Assim, você nos ajudará a conhecer DIA DOS SÍNDICOS E SÍNDICAS, um pouco mais de suas necessidades e expecno site tativas. Todos que encaminharem o formulário www.direcionalcondominios.com.br respondido concorrerão a prêmios, que serão sorteados no próximo mês de dezembro.

EM 30/11:

Sumário Tiragem de 20.000 exemplares auditada pela Fundação Vanzolini, cujo atestado de tiragem está à disposição dos interessados. Não é permitida a reprodução total ou parcial das matérias, sujeitando os infratores às penalidades legais. As matérias assinadas são de inteira responsabilidade de seus autores e não expressam, necessariamente, a opinião da revista Direcional Condomínios. A revista Direcional Condomínios não se responsabiliza pelos serviços e produtos oferecidos pelos anunciantes.

R. Vergueiro, 2.556, 7º andar - conj. 73 Cep 04102–000 - São Paulo – SP Tel.: (11) 5573-8110 Fax: (11) 5084-3807 E-mail: faleconosco@grupodirecional.com.br www.direcionalcondominios.com.br

05. Informe Publicitário: ..................................................................................Seciesp 06.Seção Tira-Teima: O rateio da taxa de condomínio deve ser proporcional à unidade? 08. Coluna: ........................................................Quero trocar meu fornecedor, e agora? 10. Seção Tira-Teima: ...........................O síndico pode extinguir o livro de ocorrências? 12. Fique de Olho: ............................................Controle de pragas & Desentupimento 14. Capa: ................................Cobertura do 6º Direcional Síndicos / Palestras da manhã 18. Administração: ...................Cobertura do 6º Direcional Síndicos / Palestras da tarde 19. Produtos e Serviços:......................Cobertura do 6º Direcional Síndicos / Expositores 26. Dica: ...............................................................Segurança: Equipamentos eletrônicos 28. Dica: ......................................................................................Fitness: Equipamentos 30. Dica: .................................................................................... Fechamento de sacada

Direcional Condomínios | Novembro 2013

DIRETORES Sônia Inakake e Almir C. Almeida

Editorial

3


4

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013


SEÇÃO TIRA-TEIMA

O RATEIO DO CONDOMÍNIO DEVE SER PROPORCIONAL AO TAMANHO DA UNIDADE? EM DECISÃO tomada recentemente e que rendeu bastante polêmica junto aos especialistas e administradores da área, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) apontou que há possibilidade de se definir o rateio da taxa condominial por igual entre os condôminos, independente do tamanho de suas unidades (Recurso Especial nº 1.104.352, MG 2008/0256572-9). O advogado Paulo Caldas Paes analisa a seguir essa questão bastante delicada. 1 – QUE AMPARO LEGAL O SÍNDICO TEM PARA DEFINIR A PARTILHA DAS DESPESAS? O Art. 1.336, Inciso I, do Código Civil, determina que a contribuição das despesas condominiais seja baseada na proporção da fração ideal. Contudo, o mesmo dispositivo possibilita que a Convenção do condomínio estipule forma diversa de arrecadação, como, por exemplo, o rateio por igual, independentemente da área privativa de cada unidade.

Direcional Condomínios | Novembro 2013

2 – POR QUE SE CONVENCIONOU COBRAR PROPORCIONALMENTE? Existe uma cultura predominante, porém equivocada, de que os imóveis maiores geram maiores despesas e custos e, portanto, devem ter maior participação no rateio. Por outro lado, devemos considerar que a taxa de condomínio serve como fonte de recurso para a manutenção e reparos das áreas de uso comum dos condôminos. Dessa forma, o rateio igualitário representa critério de contribuição mais justo.

6

3 – COBRAR POR IGUAL NÃO SERIA INJUSTO? POR EXEMPLO, PROPRIETÁRIOS DE COBERTURAS OU DE MAIS VAGAS DE GARAGEM NÃO UTILIZARIAM MAIS RECURSOS DO CONDOMÍNIO (COMO ÁGUA E CONTROLE DE ACESSO)? Geralmente, o consumo de recursos está diretamente relacionado à quantidade de moradores em cada unidade e, neste sentido, não se pode afirmar que a unidade maior possua, necessariamente, maior número de habitantes que demandem maior consumo. Quanto às vagas de garagem disponíveis a mais em uma unidade, não é possível determinar o grau de sua utilização e, assim, afirmar que elas demandam maior uso do controle de acesso, por exemplo.


GK


COLUNA

QUERO TROCAR MEU FORNECEDOR,

E AGORA?

Direcional Condomínios | Novembro 2013

Por Rosely Schwartz

8

REALIZAR OBRAS no condomínio, que resultem em

síndico deverá reunir a comissão de obras e o

elevados valores, é sempre um momento de tensão, principalmente

responsável técnico para avaliarem o quanto foi

pela falta de preparo técnico do síndico em algumas das principais

realizado da obra e o valor já desembolsado.

áreas envolvidas, como: impermeabilização, pintura geral, instala-

Diante dessa situação, fica evidente a impor-

ções elétricas e hidráulicas. Os síndicos não precisam preocupar-se,

tância de se seguir o cronograma de obras para

pois esse conhecimento técnico não é inerente às suas atividades.

fazer a liberação dos pagamentos, o que contri-

Porém, é preciso buscá-lo para garantir a qualidade dos serviços

bui para minimizar as consequências danosas de

que serão prestados ao condomínio.

uma eventual interrupção de contrato.

Poderá ser de grande valia se o síndico dividir a responsabilida-

Após uma análise minuciosa dos fatos, há

de pela obra com uma comissão de moradores, eleita em assem-

necessidade de verificar junto às outras empresas

bleia, e também contratar um técnico (engenheiro ou arquiteto)

que fizeram parte da concorrência, se estariam

responsável pela elaboração de um escopo da obra, que servirá de

dispostas a continuarem a obra do ponto em

base para nivelar as propostas comerciais enviadas pelas empresas.

que se encontra. Mediante esse quadro, muitas

Esse profissional não deverá ter nenhuma ligação com os for-

empresas irão declinar ou solicitar um valor

necedores, podendo assim auxiliar no momento da contratação.

maior do que estava previsto inicialmente. Se

E uma de suas contribuições mais importantes será estabelecer

for esse o caso, recomenda-se que o síndico

um cronograma, o qual servirá de base para a liberação dos

realize outra concorrência e leve imediatamen-

pagamentos, o gerenciamento e a conclusão da obra, momen-

te o caso para uma assembleia, dividindo essa

to em que deverá emitir um laudo reconhecendo a execução e

responsabilidade.

entrega de todos os itens contratados, em conformidade, por

Os condôminos precisam saber exatamente

exemplo, com as normas técnicas da ABNT (Associação Brasileira

o que está ocorrendo e o síndico não deve ter

de Normas Técnicas).

medo, pois a administração interna adotou an-

Já a comissão de obras auxiliará o síndico na análise cadastral

teriormente todas as providências necessárias

das empresas, buscando cercar-se com todas as cautelas neces-

para o bom andamento da obra e seria muito

sárias para uma boa contratação, tais como certidões junto aos

ruim para todos se os serviços fossem executados

Cartórios de Protestos; à Justiça Municipal, Estadual e Federal;

de forma irregular, ou com pouca qualidade.

Justiça do Trabalho; além de certificados do uso de EPI’s, de treina-

Reforçará essa decisão o laudo do técnico con-

mento e exame médico, como é o caso das obras de pintura. Esses

tratado. Essa movimentação poderá trazer um

condôminos também auxiliarão o síndico no acompanhamento

período de intranquilidade para gestão, que será

estratégico, analisando os relatórios elaborados pelo profissional

revertida com ações planejadas, apoiadas em

técnico, e aprovando ou rejeitando adendos de serviços e custos

embasamentos técnicos e muita transparência.

que surjam no decorrer da obra. Deverão ainda estar atentos ao projeto, checando se os itens contratados estão sendo executados. Mas atenção: necessidades que surjam no decorrer da obra, e que impliquem em elevação de serviços e custos, devem ser colocadas em votação de nova assembleia convocada pelo síndico, para que assim ele divida a decisão com os condôminos. Mesmo adotando todos os procedimentos recomendados acima, poderá haver insatisfação com a qualidade dos serviços prestados ou pela forma de condução dos trabalhos, e que resulte na necessidade de trocar o prestador de serviço. Nesse caso, o

Rosely Benevides de Oliveira Schwartz é professora de Curso de Administração de Condomínio da EPD (Escola Paulista de Direito), autora do livro “Revolucionando o Condomínio” (Editora Saraiva/13ª Edição) e gestora do site: www.ocondominio.com.br. Mais informações: rosely@ocondominio.com.br


9

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013


SEÇÃO TIRA-TEIMA

O SÍNDICO PODE EXTINGUIR O LIVRO DE OCORRÊNCIAS? EM CONTATO com o serviço FALE CONOSCO (faleconosco@grupodirecional.com.br), do site da revista Direcional Condomínios (www.direcionalcondominios.com.br), uma condômina do Rio de Janeiro relatou que o síndico retirou “o livro preto de reclamações da portaria” e implantou o sistema de “folhas avulsas”. Ela disse que não há qualquer protocolo que confirme a queixa feita pelo morador, nem garantia de que as folhas sejam devidamente arquivadas. Entretanto, neste caso, o advogado Cristiano De Souza Oliveira afirma que o síndico tem autonomia para adotar a melhor forma de gerir sua administração, desde que isso não afete o princípio da “boa-fé”, o qual rege o atual Código Civil. Leia abaixo. 1. O CONDOMÍNIO É OBRIGADO A MANTER UM REGISTRO DE RECLAMAÇÕES? Reclamações e sugestões não carecem de registro formal, tanto que as próprias normas do condomínio não costumam determinar a obrigatoriedade de respostas por parte do síndico. Mas a boa-fé deve prevalecer, eis que esta compõe o tripé da filosofia do nosso atual Código Civil.

Direcional Condomínios | Novembro 2013

2. COMO DEVEM SER RECEBIDAS AS QUEIXAS DOS CONDÔMINOS? O mais usual é o recebimento de notificações em livro próprio, porém, na atualidade, os meios digitais podem ser usados para haver no condomínio este diálogo imediato com a administração e/ou o síndico.

10

3. O SÍNDICO ESTARIA COMETENDO IRREGULARIDADE NA AUSÊNCIA DE UM LIVRO FÍSICO? No caso especificamente relatado, o fato de se alterar o livro físico por folhas numeradas não agride o espírito do Código Civil, o qual, além da boa-fé, estimula a participação dos condôminos como forma de fazer valer o patrimônio de todos. De qualquer maneira, é sempre recomendável ao síndico manter a transparência de sua gestão, utilizando-se para isso de todos os canais de comunicação possíveis, além de prezar pelas obrigações previstas no Art. 1.348, do Código Civil.


Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013

CAPA

ATLAS

11


FIQUE DE OLHO / CONTROLE DE PRAGAS & DESENTUPIMENTO

HORA DE ACABAR COM ESSE Por Rosali Figueiredo

TORMENTO!

A proximidade do verão costuma acender um sinal de alerta entre os condomínios, pois essa é a época mais propícia para a proliferação das pragas urbanas, exigindo rápida ação de síndicos e gestores prediais. A administração também deve ficar de olho na limpeza e desentupimento de fossas e tubulações, conforme destacam as empresas deste Fique de Olho.

CLS CONTINENTAL SOLUÇÃO AMBIENTAL A CLS Continental Solução Ambiental oferece serviços de controle de pragas, limpeza e impermeabilização de caixas d’água, hidráulica e desentupimento. Nos contratos de controle de pragas das áreas comuns, a empresa oferece descontos especiais para os apartamentos. “Visamos a total satisfação do cliente e a resolução do problema tratado”, ressalta o técnico ambiental da empresa, Claiton Antonio Selloti Junior. Ele alerta que a aplicação exagerada de produtos pode surtir efeito reverso no combate às pragas, por isso, o serviço deve ser dimensionado conforme a necessidade do condomínio. Há mais de 15 anos no mercado, a CLS está devidamente registrada nos órgãos competentes, disponibiliza profissionais treinados e anuncia uma promoção especial de final de ano, a ser divulgada em suas redes sociais e site. Fale com a CLS Continental: 11 3427-1727 / 4725-5051

DESINTEC

www.clscontinental.com.br cls@clscontinental.com.br

A Desintec faz parte do "Programa de Proteção Bayer" e é credenciada pelo fabricante. De acordo com o empresário e diretor comercial José Aparecido Soares de Campos, a Bayer oferece todo apoio necessário aos trabalhos de controle de pragas feitos pela Desintec, que usa produtos de última geração no combate a cupins, baratas, formigas, aranhas, escorpiões, moscas e mosquitos transmissores da dengue. Um dos destaques da empresa é seu processo de descupinização e também a forma como elimina formigas e baratas, sem necessidade de o morador se ausentar da unidade. No mercado desde 1987, a Desintec é certificada pela SSC Systems & Services Certification e possui ISO 9001 e 14001. Ela executa ainda a higienização e desinfecção de reservatórios e caixas d’água. “Somos licenciados pela Vigilância Sanitária e temos agrônomos e biólogos especializados”, destaca o empresário. Fale com a Desintec: 11 5589-2520

LIMPTEC

www.desintec.com.br desintec@desintec.com.br /comercial@desintec.com.br / vendas@desintec.com.br

Direcional Condomínios | Novembro 2013

Há mais de 20 anos no mercado, a Limptec realiza diversos serviços aos condomínios, entre eles a descupinização, dedetização, o combate a roedores, o esgotamento e limpeza de fossas, hidrojateamento de rede e tubulações, desentupimento e raspagem de ramais de esgoto. A empresa atua com profissionais altamente qualificados, faz atendimento 24 horas e, além dos condomínios, possui grandes clientes, como redes hoteleiras e universidades públicas e privadas. Seu gerente comercial, Nilton de Assis Paulo Junior, anuncia uma promoção especial até o final do mês de dezembro: 10% de desconto para pagamentos à vista. Um dos diferenciais da empresa é o seu pós-venda. A empresa atua de duas formas: pela opção por contrato por um determinado período ou a contratação do serviço emergencial. Fale Com a Limptec: 11 3438-7000 / 3419-0500 / 3496-0088

12

NIKKEY

www.limptec.com nilton.jr@limptec.com

A Nikkey se notabiliza, entre outros, pelo tratamento contra cupins através do Sistema Sentricon*. Mas também oferece combate à praga por meio de técnicas convencionais, via inseticida, tanto nas áreas comuns quanto nos apartamentos. Pelo Sistema Sentricon*, é feita a eliminação conjunta dos cupins subterrâneos nas áreas comuns e das infestações nas unidades. O gerente comercial, Robson Nunes Gouveia, explica que “não dá para separar o tratamento”. Ele aconselha o combate das colônias pelo Sistema Sentricon*, que não é invasivo e “proporciona os melhores resultados, com segurança e praticidade”. Com mais de 16 anos no mercado, a Nikkey possui todos os registros necessários junto aos órgãos competentes, como o alvará da Vigilância Sanitária e do CREA, e trabalha com técnicos, engenheiros e biólogos especializados. Fale com a Nikkey: 11 5545 9958 www.nikkey.com.br nikkey@nikkey.com.br


Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013

CAPA

SEAC SP

13


CAPA / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS

SUCESSO NO MAIOR EVENTO

DE CONDOMÍNIOS DE 2013

Direcional Condomínios | Novembro 2013

Cerca de 600 participantes, 48 expositores de produtos e serviços diversos aos condomínios, cinco conferencistas, e uma programação que se estendeu das 8h30 às 17h30: esse o balanço do 6º Direcional Síndicos, encontro promovido no último dia 19 de outubro pelo Grupo Direcional e a revista Direcional Condomínios em São Paulo (Capital), no Centro de Exposições do Shopping Frei Caneca. Um sucesso junto ao público e às empresas participantes. É uma fórmula que deu certo, destaca Sônia Inakake, diretora da empresa e da revista. Sônia justifica que a proposta é colocar o público – síndicos, zeladores e gestores prediais, entre outros – em contato direto com fornecedores e também com consultores da área, o que vem dando bons resultados. Tanto que o primeiro evento do Grupo reuniu, em 2008, cerca de 50 pessoas em uma programação enxuta, de meio período, e depois cresceu, gradativamente, até chegar às dimensões de 2013. Confira, nas próximas páginas, os destaques das palestras, sua repercussão entre os presentes, além das empresas participantes.

14

Por Rosali Figueiredo Fotos Daniel Rosa

PALESTRAS MOTIVACIONAIS PELA MANHÃ: SUPERANDO DESAFIOS DIÁRIOS O MÚSICO Marco Cesar Acras e o best-seller José Luiz Tejon Megido surpreenderam o público com suas palestras na manhã do sábado, dia 19 de outubro, durante o 6º Direcional Síndicos. Enquanto coube a Marco Cesar demonstrar que os síndicos representam os maestros de uma verdadeira orques-

tra chamada condomínio, a José Luiz Tejon ficou a tarefa de provar, através de sua própria história de vida, que os obstáculos podem ser superados desde que os indivíduos procurem fazer e dar o melhor de si nos compromissos que assumem. Também síndico, Marco Cesar Acras ilustrou, de maneira bem humorada, algumas situações cotidianas enfrentadas pelos colegas, como a insistência do “morador biônico” em escutar barulhos que ninguém mais ouve; a do condômino “especialista”, que se mete a furar paredes em pleno domingo; ou a do “assessor de assuntos aleatórios”, aquele tipo de pessoa que acha que o síndico tem que resolver tudo o que acontece


CAPA / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS na vizinhança, questões nada pertinentes à sua função. “Isso mostra o quanto a liderança do síndico e também do zelador é desafiadora, pois lidamos com pessoas.” Além disso, completou Acras, “síndicos e zeladores têm que conhecer leis, de elétrica, hidráulica, saber o que o fornecedor está falando. Assim como um líder maestro, ele tem que buscar o melhor som da alma da coletividade”, comparou o músico. Ele defendeu que o síndico aprenda a motivar os colaboradores e a desenvolver empatia e carisma junto aos condôminos. Ao final, ensinou a plateia a reger uma música, destacando que, “para transformar o impossível em possível, basta acreditar”.

O músico Marco Cesar Acras, na abertura das palestras da manhã

José Luiz Tejon Megido emocionou a plateia com seu exemplo de superação, foco e liderança

ENCONTRO PROVEITOSO PARA O PÚBLICO Beatriz Tamiko Abe (À esq. na foto), síndica há seis anos do Condomínio Santa Cecília, e Daniele Cristal, síndica novata de condomínio em implantação, o Saint Jerome: Ambas destacaram os momentos de aprendizado proporcionados pelas palestras, em especial, o tamanho dos desafios e a sensibilidade necessária aos síndicos. Para Daniele, o conhecimento adquirido no 6º Direcional Síndicos dará credibilidade e força para que supere “os desafios que foram colocados em minha vida”.

Direcional Condomínios | Novembro 2013

SUPERAÇÃO – Em seguida à palestra de Acras, José Luiz Tejon Megido segurou o fôlego da plateia com sua incrível história de superação pessoal. Filho de mãe solteira espanhola que aportou grávida, sozinha e desempregada no País, Tejon foi acolhido por um casal de pequenos comerciantes – uma alemã e um português – estabelecidos em Santos, na Baixada Santista. Aos quatro anos, sofreu uma queimadura severa que lhe deformou o rosto, atingido por uma mistura de cera quente e gasolina. O acidente doméstico quase lhe custou a vida, rendeu anos de internação, inúmeras cirurgias plásticas e a necessidade de desenvolver a capacidade respiratória através da natação (praticada no mar com o pai). Formado em Harvard (Estados Unidos), ex-diretor do jornal O Estado de S. Paulo, Tejon enfrentou com coragem, determinação e foco cada um dos obstáculos que se interpuseram em seu caminho, tendo sido escolhido um dos 25 cases mais relevantes de superação do mundo todo, em obra produzida pelos norte-americanos Patrick Sweeney e Herb Greenberg (em “Succeed on your Own Terms”, editado pela McGraw Hill). Especialista em marketing, é autor de dezenas de livros, entre eles, “O Voo do Cisne” (em sua 12ª edição) e “O Código da Superação, uma fascinante jornada além da conquista”. Durante o 6º Direcional Síndicos, o conferencista se propôs a “falar sobre os desafios de superação de um ser humano na posição de síndico”. E ali, conforme foi descrevendo sua história, a forma decisiva com que seus pais adotivos o fizeram encarar a vida – mesmo com as marcas indevassáveis no rosto, Tejon apresentou “os ingredientes da superação”. São eles: 1. Estar preparado para as mudanças; 2. Dar valor e aproveitar bem o tempo; 3. Perder o medo de experimentar; 4. Recriar os papéis aos quais se está acomodado; 5. Dar sempre o melhor de si, fazer com amor, alegria, independente do resultado ou de haver plateia; 6. Tratar da criança interna que existe dentro de cada um; 7. Ter foco; 8. Ser criativo, inovar; 9. Fazer agora; 10. Saber usar os recursos que se tem em mãos, e; 11. Comunicar-se. Uma dica prática é noticiar para os condôminos os avanços que são conquistados durante a gestão do síndico, pois “a percepção do sucesso”, da melhoria, traz, em geral, bem-estar à coletividade, ensinou o palestrante.

15


CAPA / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS

José Máximo Pontes (Síndico do Condomínio Edifícios Atlas e Apolo, na Vila Mariana) e Lurdes de Fátima Affonso Anton (Há mais de 20 anos síndica do Condomínio Edifício Vila de Vitória, também na Vila Mariana): Lurdes acompanhou as seis edições do Direcional Síndicos e destacou que em 2013 as palestras motivacionais foram “empolgantes, surpreendentes, gratificantes, um bálsamo”. “Levo daqui uma aprendizagem de posicionamento, porque o síndico tem que ter superação diariamente com seus condôminos.” José Máximo observou, por sua vez, que “os palestrantes estiveram ótimos, pois souberam desenvolver assuntos de interesse do público presente. Em especial o Prof. José Luiz Tejon, que com seu exemplo de vida fez com que todos entendessem que os desafios diários fazem parte da nossa vida.”

Kelly Remonti (Do Condomínio Top Village, em Alphaville, acompanhada de seu gestor predial, Fernando Justino): “O evento, neste ano, com essa quantidade de expositores, trouxe os serviços que estou precisando levar para o condomínio em 2014. Muitos dos contatos já foram feitos aqui e a parte das palestras trouxe temas do dia a dia do síndico.”

Direcional Condomínios | Novembro 2013

Nelza Gava Huerta (Síndica do Condomínio Edifício Maison Du Rhone, no Campo Belo): “Gostei muito de participar do encontro, onde aprendi com as palestras, com os contatos que fiz e com a organização do evento.”

16

Zelador José Zilmar de Miranda (Ele lidera um grupo de funcionários de condomínios na região de Moema): “O evento foi de qualidade extraordinária, da mesma forma que os anteriores. Um dia inesquecível para quem vive o condomínio no dia a dia: aprender, tirar dúvidas, ouvir, rir e reencontrar e conhecer pessoas. Isto só a Direcional para propiciar-nos.”

Margarete Zanetti Alvarez (Síndica do Condomínio Edifício Ideali, no Parque Vila Prudente): “Foi um evento proveitoso, interessante, e os palestrantes, super competentes, passaram o recado de que a gente precisa ouvir, entender e aprender todo o dia.”

A síndica profissional Mila Fernandes Rocha, à frente do Condomínio Edifício Sucre e consultora de um grupo de condôminos do Edifício Britânia, ambos localizados em Santa Cecília, região central de São Paulo: segundo ela, os eventos do Grupo Direcional se aprimoram a cada ano, destacando-se, nesta 6ª edição do Direcional Síndicos, a organização, a qualidade dos palestrantes e o amplo portfólio dos expositores presentes.


DICA / UNIFORMES


ADMINISTRAÇÃO / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS

CÓDIGO CIVIL, MEDIAÇÃO DE CONFLITOS E SEGURANÇA: PAUTAS DA TARDE

Os palestrantes do 6º Direcional Síndicos (período da tarde): da esq. para a dir., Cristiano De Souza Oliveira, Ana Luiza Pretel e Luís Renato Mendonça Davini

Por Rosali Figueiredo Fotos Daniel Rosa

CRISTIANO De Souza Oliveira, Ana Luiza Pretel, advogados especializados na área de condomínios, além do consultor e delegado Luís Renato Mendonça Davini conduziram os trabalhos no período da tarde, durante o 6º Direcional Síndicos. A abordagem de Cristiano analisou o impacto sobre os condomínios dos dez anos de vigência do Novo Código Civil brasileiro. “É uma lei que permite criar regras novas, deixa que os condôminos definam o que seja área ou interesse comum a todos, como, por exemplo, a tipificação do comportamento antissocial”, explicou Cristiano. Ou seja, o Código estabelece deveres globais, mas, de outro modo, possibilita às assembleias condominiais determinar e gerir as normas relacionadas a assuntos específicos e próprios de cada coletividade. É o caso das multas, que deverão ser estabelecidas para cada evento que o condomínio vier a caracterizar como delito ou infração aos interesses comuns, disse. Ana Luiza Pretel falou, por sua vez, das possibilidades da medição dos conflitos condominiais, lembrando que, de fato, fica “difícil conciliar o amplo direito de cada proprietário com seu direito restrito de condômino”. De qualquer maneira, a mediação, que já acontece no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado, pode agilizar a resolução das pendências e facilitar a vida dos síndicos. Para isso, no entanto, é preciso saber escutar, aprendizado que se desenvolve com o uso de técnicas apropriadas, ensinou a advogada, desenvolvendo uma dinâmica com a plateia. E Luís Renato Mendonça Davini deixou o alerta de que “toda quebra de respeito às normas implica em riscos ao condomínio”. Com ampla experiência na área de segurança pública, Davini reiterou aos síndicos e gestores presentes que segurança implica em “planejamento, trabalho em equipe, treinamento (com atualização constante e repetitiva) e atitudes pautadas nas regras”.

Direcional Condomínios | Novembro 2013

UM EVENTO DINÂMICO

18

Cristiano De Souza (à esq.) autografa livro “Sou Síndico, E Agora?”, lançado em 2012 pelo Grupo Direcional. À dir., Cristiano participa, juntamente com Ana Pretel e Luís Renato M. Davini, do encerramento do 6º Direcional Síndicos, respondendo às dúvidas levantadas pelo público


EXPOSITORES / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS

AGILIMP / SORRENTINO’S

ALTERNATIVA ELEVADORES / INFOLEV

A Agilimp e a Sorrentino’s estiveram juntas no evento da Direcional. A Agilimp atua com impermeabilização, limpeza e manutenção de pisos, pintura, entre outros. Já a Sorrentino’s cuida da parte de reformas em geral, como pintura e revestimento em epóxi. 11 5814-7709

A Alternativa Elevadores, em parceria com a Infolev, promoveu algumas demonstrações na feira. A empresa de 18 anos faz modernização de elevadores (como troca de comandos e dos painéis de chamadas, com alta tecnologia em LCD) e redesign das antigas cabinas.

www.agilimp.com agilimp@agilimp.com 11 4401- 2779; 4472-9921 sorrentinos@terra.com.br

11 3782-5331; 3782-9503 www.altelev.com.br ws@altelev.com.br

BASE LINE IMÓVEIS

BASS ELEVADORES

BRASIL ANTENAS

A Base Line atua, entre outros, com administração predial e acredita que o contato direto com o cliente seja fundamental. Por isso esteve no evento da Direcional, para mostrar que trabalha “através de uma relação de transparência e confiança”.

A Bass Elevadores participou do evento para mostrar ao público toda a qualificação que acompanha os trabalhos de manutenção, modernização e conservação de elevadores. A empresa comercializa ainda elevadores e equipamentos originais para transporte vertical.

11 3293-2370 www.baselineimob.com.br baseline@baselineimob.com.br

11 3936-3663 www.basselevadores.com.br contato@basselevadores.com.br

A Brasil Antenas oferece grande variedade de produtos e serviços aos condomínios (centrais de interfone, CFTV, antena coletiva digital, portões automáticos etc.). Ela instala, dá manutenção e moderniza os equipamentos. Participou da feira para fidelizar os clientes e ampliar sua carteira.

ABRALIMP A Abralimp (Associação Brasileira do Mercado de Limpeza Profissional) reúne cerca de 230 empresas associadas (de equipamentos a produtos químicos, uniformes e mão de obra etc.) e sorteou cursos de profissionalização aos condomínios participantes do 6º Direcional Síndicos.

11 – 3079-2003 www.abralimp.org.br info@abralimp.org.br

11 5623-1389 www.brasilantenas.com.br brasilantenas@gmail.com

Direcional Condomínios | Novembro 2013

MUITAS OPÇÕES DE PRODUTOS E SERVIÇOS AOS CONDOMÍNIOS

19


EXPOSITORES / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS

CASA SECA / LWART

CONDOMÍNIO PRÁTICO

A Brasil Epoxi é especializada em pinturas e pisos em epóxi de alta resistência. Seu objetivo no 6º Direcional foi mostrar as vantagens e benefícios do revestimento epóxi nas garagens, além do padrão diferenciado de atendimento da empresa.

A Casa Seca Impermeabilizações buscou a divulgação institucional da empresa no encontro da Direcional, assim como fazer contatos com síndicos e captar novos negócios. Alguns clientes “já contrataram a Casa Seca”, empresa que tem como carro-chefe os serviços de impermeabilização.

Apresentar a marca para o mercado condominial foi o objetivo principal da Condomínio Prático na feira. A empresa mostrou ao público seu sistema de gerenciamento de condomínios. “Conseguimos demonstrar o sistema de forma simples e transparente.”

11 2855-6019 www.brasilepoxi.com.br brasilepoxi@brasilepoxi.com.br

11 5582-7933 www.casaseca.com.br atendimento@casaseca.com.br

11 3411-3572 www.condominiopratico.com.br contato@condominiopratico.com.br

Direcional Condomínios | Novembro 2013

BRASIL EPOXI (PISOS E REVESTIMENTOS)

20

CONECTCON

DESINTEC SERVIÇOS TÉCNICOS

A Conectcon buscou um contato direto com seu público-alvo (síndicos, condôminos e administradoras) no evento da Direcional. A ideia foi apresentar sua principal solução - a ConectCon Social, sistema online de gestão segura de condomínios. Ele foi demonstrado via navegação interativa aos visitantes da feira.

A Desintec está no mercado desde 1987 e presta serviços de controle de pragas e de qualidade da água. Entre seus destaques, está a parceira com o "Programa de Proteção Bayer". Ela buscou na feira aumentar o número de chamadas entre os condomínios. 11 5589-2520

11 3284-7492 www.conectcon.com sim@conectcon.com

www.desintec.com.br desintec@desintec.com.br comercial@desintec.com.br vendas@desintec.com.br

ECOMÍNIO (DEALS SOLUTIONS)

A Ecomínio atua com Gestão Operacional de Condomínios e procurou demonstrar ao público da feira “os passos corretos” para a informatização de suas rotinas de trabalho. A empresa defende que os gestores tenham acesso à informação e ao direcionamento adequados. 11 3569-4469 / 2843-4469 / 3172-8888

www.ecominio.com.br atendimento@ecominio.com.br atendimento@deals.com.br contato@frogsecurity.com.br

EKOLED (ILUMINAÇÃO) Há sete anos de mercado, a Ekoled trabalha com iluminação a LED e formas especiais de pagamento. A empresa proporciona ainda três anos de garantia, destacando que a durabilidade das lâmpadas pode chegar a 50 mil horas. Ela disponibiliza engenheiros para desenvolver projetos luminotecnicos.

11 2168-8585 www.ekoled.com.br vendas@ekoled.com.br


ELEVADORES OIWA A Elevadores Oiwa mostrou aos participantes da feira a grande estrutura construída pela empresa em quase 50 anos de mercado. Ela atua com elevadores novos, manutenção, modernização e embelezamento. E destacou o grande interesse do público pelas novas tecnologias. 11 5011-4819/ 5011-4820 – SP 4121-5311; 4121-5389 – ABC

www.elevadoresoiwa.com.br oiwa@elevadoresoiwa.com.br

ÊXITO GERENCIMENTO Um dos objetivos da Êxito no evento foi destacar ao público que a recuperação de créditos profissionalizada ajuda a reduzir ou mesmo eliminar a inadimplência em poucos meses. Isso não gera gastos extras ao condomínio, pois “os honorários são inteiramente suportados pelo devedor.”

11 4195-1192 www.cobrancaexito.com.br contato@cobrancaexito.com.br

EMPIRE BOMBAS

ESTANTEC / BETUMAC

A Empire fornece há mais de 20 anos diversos tipos de bombas d’água, equipamentos para piscinas e comandos elétricos. No 6º Direcional Síndicos, destacou ao público o diferencial de seu contrato de manutenção de bombas, que bonifica o primeiro mês.

A Estantec, em parceria com a Betumat, participou da feira buscando maior aproximação com síndicos e administradores de condomínios. A empresa se disse surpresa com os resultados obtidos, “foi muito positivo, superou nossas expectativas”.

11 4701-9872 www.empirebombas.com.br comercial@empirebombas.com.br

11 4301-4838 (Estantec) 4425-0360 (Betumat) www.estantec.com.br www.betumat.com.br estantec@estantec.com.br

FIT 4

FLAMMARION ENERGIA

A FIT 4, com unidades no Tatuapé e na Cantareira, em São Paulo, falou ao público do evento dos benefícios do fitness center para os condomínios: ele melhora a qualidade de vida dos moradores; valoriza o imóvel; e confere maior praticidade, entre outros.

Fruto de três gerações que atuam na área de energia, a Flammarion esteve no 6º Direcional Síndicos para destacar o sistema de medição eletrônica e os grupos geradores. Mas a empresa trabalha com todo tipo de instalação elétrica e projetos de aumento de carga, entre outros.

11 2309-9111 - Fit4 Cantareira; 11 2084-8644 2225-0714 - Fit4 Tatuapé 2579-2041 www.fit4.com.br www.flammarionenergia.com tatuape@fit4.com.br gerlane@flammarionenergia.com ricardo.santos@fit4.com.br selma@flammarionenergia.com

FRANCIS IMOVEIS Divulgar o trabalho personalizado da Francis Móveis foi seu grande propósito no evento da Direcional. A empresa tem como diferencial “cuidar do bem de terceiros como se fosse nosso”. É uma administração proativa, que preza a manutenção do patrimônio dos condôminos.

11 5070-3653 www.francisimoveis.com.br atendimento@francisimoveis.com.br

Direcional Condomínios | Novembro 2013

EXPOSITORES / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS

21


EXPOSITORES / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS

IGUATEMI COBERTURAS

INTERSERVICE / AMELCO

Uma grande variedade de pisos - gramado sintético esportivo, decorativo, pisos reciclados e tatames de EVA – compõe a carteira da GramaSintéticas. A empresa esteve na feira para se aproximar de seus clientes e ampliar o uso dessas linhas nos condomínios.

A Iguatemi atua há mais de oito anos com coberturas em policarbonato, fechamento em vidro, guarda-corpo etc. A empresa procurou destacar as coberturas refletivas, além de telhas termoacústicas e retráteis, junto aos participantes do encontro da Direcional.

11 3711-4448 / 19 3424-3056 19 83057770 - ID Nextel: 126*6959

11 2682-4039 / 2628-5880 www.iguatemicoberturas.com.br atendimento@iguatemicoberturas. com.br

Com mais de 25 anos de mercado e autorizada dos principais fabricantes, a Interservice buscou na feira estreitar o relacionamento com os clientes. Ela vende e instala centrais de interfones, CFTV, antenas e portões automáticos, e também faz manutenção e modernização dos equipamentos.

GRAMASINTÉTICAS

Direcional Condomínios | Novembro 2013

www.gramasinteticas.com.br vendas@gramasinteticas.com.br

22

11 2823-0555 / 5572-3838 www.interserviceamelco.com.br interservice@interserviceamelco.com.br

JUPITER DESENTUPIDORA

JJ COMÉRCIO

JM TERCEIRIZAÇÃO

A JJ Comércio oferece cerca de dois mil itens aos condomínios, de bicicletários e acessórios para garagens a carrinhos, travas, coletores etc. Seu objetivo na feira foi divulgar a empresa e destacar alguns produtos, como os tapetes personalizados para halls de elevadores.

A JM Terceirização buscou uma abordagem mais direta com os síndicos e administradores condominiais no evento da Direcional. A empresa ressalta que promove o treinamento constante de sua equipe (de portaria, controle de acesso, limpeza etc.) e preza pela idoneidade.

A Júpiter atua desde 1984 e oferece amplos serviços aos condomínios, de desentupimentos, limpeza de caixa d’água e análise da água, a dedetização e hidrojateamento. Os trabalhos de desentupimento foram destacados durante a feira da Direcional.

11 3854-3095; 3666-3095 www.jjtapetes.com.br comercial@jjtapetes.com.br atendimento@jjtapetes.com.br

11 2539-5956; 2593-5953 www.jmterceirizacao.com.br helon@jmterceirizacao.com.br

11 3851-8550 www.jupitersp.com.br jupitersp@jupitersp.com.br

KAMBAN Com 23 anos de mercado, a Kamban faz restauração de fachadas, pintura, lavagem, reposição e rejunte de pastilha, tratamento de concreto aparente, entre outros. Ela esteve no encontro dos síndicos com a ideia de “conquistar novos clientes e transmitir confiabilidade aos visitantes”.

11 5523-3434 www.kamban.com.br kambanpinturas@hotmail.com


EXPOSITORES / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS

A LiGPrédios obteve bom retorno junto ao público do 6º Direcional Síndicos. A empresa mostrou ao público produtos úteis aos condomínios, como caixa de correspondência, coletores, quadros de avisos e chaves, travas para carrinhos e placas de sinalização.

11 2631-1224 2832-9457 2922-9521 www.ligpredios.com.br comercial@ligpredios.com.br

NET

LINCE SISTEMAS DE SEGURANÇA

Os serviços da NET foram apresentados aos síndicos e gestores prediais durante o encontro da Direcional. O objetivo foi prospectar clientes, demonstrando-lhes os pacotes de serviço de TV, internet e telefonia. A empresa espera que o evento lhe abra oportunidades de agendar visitas para futuras vendas.

A Lince Sistemas de Segurança é especializada em planejamento na área e conta com grande experiência de sua equipe. No 6º Direcional Síndicos, ela buscou prospectar novos clientes, mostrando-lhes que “é possível melhorar e manter o sistema de segurança a um custo baixo”.

11 2509-9979 www.linceconsult.com.br comercial@linceconsult.com.br

11 4004-8844 www.netcombo.com.br

NVA ENGENHARIA

PONTUAL COBRANÇA

PRIMOS PREDIOS

Desde 1988 a NVA Engenharia executa serviços em fachadas, impermeabilização e recuperação estrutural. Sua participação no 6º Direcional Síndicos teve como propósito divulgar mais a empresa, e as áreas de recuperação estrutural e impermeabilização lhe proporcionaram um retorno satisfatório no próprio dia do evento.

Ha oito anos no mercado, a Pontual Cobrança realiza emissão de boletos, presta orientação jurídica aos gestores nesta área e realiza ação junto aos inadimplentes, sem custo algum para os síndicos. No 6º Direcional, a empresa apostou na divulgação da marca e prospecção de clientes.

A Primos Prédios fornece há 15 anos inúmeros produtos e acessórios aos condomínios. No encontro da Direcional, a ideia foi mostrar aos clientes seu “atendimento personalizado, rápido e eficiente”. Entre outros, a empresa vende travas, carrinhos, placas sinalizadoras, coletores, limitadores de vagas e bicicletários.

11 5585-0933 www.nvaengenharia.com.br nva@nvaengenharia.com.br

11 3522-3256 7777-2894 www.pontualcobranca.com contato@pontual.com

11 2951-1475 / 2983-4267 www.primospredios.com.br vendas@primospredios.com.br

PROTECHOQUE Pioneira em itens para as garagens dos condomínios, a Protechoque oferece protetores de para-choques, de portas, cantoneiras, limitadores de vaga etc. Fundada há 15 anos, esteve no encontro da Direcional para fidelizar os clientes e conquistar novas vendas.

11 5021-5172 / 5021-7731 / 5588-5921 www.protechoque.com.br pchoque@protechoque.com.br pchoque@uol.com.br comercial.protechoque@uol.com.br

Direcional Condomínios | Novembro 2013

LIGPRÉDIOS

23


Foto: Robério Santos

EXPOSITORES / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS

R&C CONSULTORIA

RV ENGENHARIA

Projeto de prevenção e combate a Incêndio e renovação do AVCB (Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiro), entre muitos outros, representam o portfólio de trabalho da R&C Consultoria. A empresa valoriza a preservação da vida e do patrimônio, e procurou ressaltar a qualidade de seus serviços junto ao público da feira.

A RV Engenharia buscou apresentar ao público do evento as vantagens da iluminação em LED. Mas a empresa trabalha com vários outros serviços na área da engenharia e construção civil, como manutenção predial e reformas em geral, além dos projetos de iluminação.

11 2533-1565 / 2241-6265 7867-8128 – ID: 55*38*213200 www.rcconsultoriaempresarial.com.br contato@rcconsultoriaempresarial.com.br rcconsultoriaempresarial@hotmail.com

SEGURANÇA PARA CONDOMÍNIO

Direcional Condomínios | Novembro 2013

Divulgar a empresa foi o grande objetivo da Segurança para Condomínio na feira da Direcional. A empresa destacou aos síndicos seu amplo portfólio, que inclui portaria e controle de acesso, serviços gerais, limpeza e conservação, vigias e rondas, monitoramento e consultoria.

24

11 2281-7448 www.segurancaparacondominio.com.br comercial@segurancaparacondominio.com.br

11 2367-4768 / 7797-9227 98777-0436 www.rvieiraengenharia.com.br engenharia@rvieiraengenharia.com.br rodrigo@rvieiraengenharia.com.br

RWR SERVIÇOS TERCEIRIZADOS A RWR Serviços Terceirizados oferece profissionais para portaria e controle de acesso, zeladoria, limpeza e conservação, manobrista e jardinagem. Ela buscou estreitar a relação com o público da feira, além de divulgar a empresa. Os colaboradores da RWR recebem treinamento constante.

11 5641-4226 / 5524-5098 www.gruporwr.com.br contato@gruporwr.com.br

SIGMA ELEVADORES

SMARTLAV

A Sigma buscou divulgar no evento da Direcional sua marca não apenas em São Paulo quanto alcançar projeção nacional. A empresa ressaltou ao público a qualidade de seus serviços de manutenção e modernização de elevadores, entre outros, além da eficiência no atendimento.

A Smartlav aposta no crescimento da lavanderia compartilhada entre os condomínios, pela funcionalidade que proporciona aos moradores. No evento da Direcional, a Smart apresentou todo seu rol de serviços, que vai do dimensionamento, projeto e layout da lavanderia, ao fornecimento e manutenção das máquinas.

11 2849-3393 / 2808-2974 www.sigmaelevadores.com.br contato@sigmaelevadores.com.br

11 7897-7498 www.smartlav.com.br allan@smartlav.com.br

SPECTRO PINTURAS Pinturas internas e externas, lavagens de fachadas, impermeabilizações e reformas em geral compõem os principais serviços da Spectro Pinturas. A empresa buscou na feira reafirmar a seriedade de seus trabalhos, além da “rapidez, capricho, eficiência e máxima segurança” que proporciona na execução das obras.

11 4330-5352 www.spectropinturas.com.br comercial@spectropinturas.com.br


EXPOSITORES / 6º DIRECIONAL SÍNDICOS

Pintura e manutenção predial fazem parte do escopo de trabalho da S.P. Pinturas. Presente pela primeira vez no Direcional Síndicos, a empresa procurou apresentar aos gestores condominiais presentes a qualidade e seriedade com que realiza os serviços, procurando fechar novos pedidos.

11 2221-0459 / 2221-1342 sppinturas@yahoo.com.br

STAR LIGHT SERV A Star Light Serv presta serviços de terceirização há 17 anos em portaria e controle de acesso, vigilância, zeladoria, manutenção predial e limpeza. Com nova sede na zona Sul de São Paulo, a empresa sempre investe em treinamento de funcionários e esteve na feira para divulgar a marca e expandir sua presença no segmento condominial.

11 5666-6410 www.starlightserv.com.br comercial@starlightserv.com.br

TECHEM (INDIVIDUALIZAÇÃO) Há oito anos a Techem trouxe ao Brasil uma tecnologia alemã de medição do consumo de água por rádio frequência. Ela atende a 750 empreendimentos em vários Estados e também individualiza a leitura do gás. A empresa apresentou na feira sua nova linha de medidores de água, desenvolvida para o mercado brasileiro e com preços competitivos.

11 3059-3030 www.techem.com.br eduardo.lacerda@techem.com.br

TIE TAPETES

VIDA DE SÍNDICO

WESBY SOLUÇÕES

Com novo endereço no bairro da Mooca, em São Paulo, a Tie Tapetes fornece diversos produtos e serviços aos condomínios, de bicicletários a tapetes de vinil personalizados, fabricados pela empresa. Ela marcou presença na feira para ampliar a carteira de clientes.

O sistema informatizado Vida de Síndico oferece aos condomínios a possibilidade de fazer todo seu gerenciamento online, do controle da portaria e emissão da 2ª via do boleto à comunicação com os moradores. A empresa demonstrou a solução durante o evento da Direcional.

A Wesby Soluções apresentou no 6º Direcional Síndicos seu sistema de software e hardware que permite gerenciar o consumo de energia nas edificações. Com equipamentos fáceis de instalar, seu controle também é simples, feito via internet, através de smartphones e PC.

41 3093-4434 / 11 4105-8058

21 9 9828-8337 www.wesbysolucoes.com hmiranda@wesbysolucoes.com escritorio@wesby-solutions.com

11 2659-4599 www.tietapetes.com.br tietapetes@tietapetes.com.br

www.vidadesindico.com.br contato@vidadesindico.com.br comercial.sp@vidadesindico.com.br

Direcional Condomínios | Novembro 2013

SP PINTURAS

25


DICA / SEGURANÇA – EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS

RECURSOS DIGITAIS Ilustração: Coronado

AMPLIAM PROTEÇÃO

SISTEMAS ELETRÔNICOS de segurança são cada vez mais comuns nos condomínios, residências, empresas, veículos e até nas ruas. A Abese (Associação Brasileira das Empresas de Segurança Eletrônica) estima que haja no País cerca de 710 mil imóveis monitorados por sistemas eletrônicos. O diretor de comunicação da entidade, Rogério Reis, afirma que pelo menos onze mil empresas atuam no segmento. Elas fabricam e instalam conjuntos de alarmes, sensores, circuitos fechados de TV, controles de acesso, portas e portões automáticos, detectores de metais e explosivos, dispositivos de identificação por biometria e de rastreamento de veículos e pessoas, entre outros. São diversos modelos e marcas, que Rogério Reis divide em quatro categorias: 1. Sistemas de alarme de detecção de intrusão: são instalados em portões, portas, muros, janelas ou dentro dos ambientes do condomínio. Utilizam sensores infravermelhos ou magnéticos. As cercas eletrificadas também têm essa função;

Direcional Condomínios | Novembro 2013

2. Sistemas de vídeo ou CFTV (Circuito Fechado de Televisão): São restritos ao ambiente. Utilizam câmeras digitais (IP’s) ou analógicas. A maioria ainda é analógica, mas as IP’s estão ganhando mercado e tendem a predominar ao final da próxima década;

26

Enquanto as analógicas usam cabo coaxial, as digitais operam como redes, utilizando, por exemplo, o protocolo TCP/IP para transmitir informações. Elas ainda são dotadas de software que avalia as imagens e, se houver algo fora do padrão, fazem acionar um alerta. Tudo depende do que é programado para a câmera fazer. É possível até registrar a placa de todos os carros de um condomínio. O CFTV pode ser equipado com vários tipos de câmeras. Existem os modelos speed dome (analógica ou digital), capazes de girar 360 graus e com zoom analógico de até 37 vezes. O mercado já oferece câmeras de alta definição que podem selecionar as pessoas pela cor dos olhos. Esses circuitos internos exigem um operador. O alerta pode ser disparado para onde for programado, através de e-mail ou chamada num celular. As imagens são gravadas em um DVR (gravador digital) e podem ser arquivadas na nuvem (em um domínio da internet). Dependendo da câmera, a transmissão das imagens exige internet com banda larga. 3. Sistemas de controle de acesso: Normalmente ficam instalados nas catracas, cancelas, portas e portões. Existem hoje sistemas de controle por cartão ou leitura biométrica – da face, digital e íris. Os leitores biométricos


DICA / SEGURANÇA – EQUIPAMENTOS ELETRÔNICOS são mais seguros que os cartões, que podem ser roubados ou entregues a outras pessoas. Mas o sistema biométrico exige cadastramento prévio; 4. Sistemas de alarme de incêndio: eles devem estar integrados ao projeto de prevenção e combate ao fogo, conforme a legislação e as normas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas). Os equipamentos vêm passando por grande desenvolvimento tecnológico, analisa Joelma Dvoranovski, empresária que doou os recursos de segurança do Masp (Museu de Arte de São Paulo). A oferta é grande e a tecnologia tão variada que, para os administradores de condomínios, fica difícil escolher o aparelho mais adequado e, sobretudo, a empresa instaladora.

TENTANDO MUDAR Luzia Maziero Fernandes é síndica de dois edifícios em Moema, zona Sul de São Paulo: o Marquês de São Vicente e o Montpelier, ambos com uma torre, pouco mais de 30 apartamentos e 40 anos de existência. Embora nunca tenha havido qualquer ocorrência nesses condomínios, Luzia se preocupa com a segurança e faz parte do Grupo de Síndicos do Programa Vizinhança Solidária, entidade na qual é tesoureira. A principal atividade do grupo de síndicos é a ajuda mútua. Eles se comunicam por rádio sobre qualquer anormalidade. Os dois edifícios que Luzia administra são equipados com sistemas de câmeras de vídeo (analógico) e monitores na portaria. O controle de entrada e saída de pessoas é feito pelo porteiro. Um dos edifícios é equipado com luzes que captam imagens à noite (infravermelho) em vários pontos (a área do condomínio é grande). Ele possui um contrato de monitoramento junto a uma empresa de segurança. A iluminação de ambos os condomínios não está ligada a sensores de presença, atendendo a uma recomendação da polícia, de que as luzes permaneçam sempre acesas. “Bandido não gosta de luz”, lhe disseram os policiais. Ela acompanha o mercado e pretende investir em câmeras speed dome, com visão de 360 graus, também por orientação da polícia. Mas enfrenta a resistência dos condôminos. “A gente tem que modernizar, mas, infelizmente, os moradores querem deixar tudo sempre para depois.” (Reportagem Manuel Lume)

PRÓXIMA EDIÇÃO SEGURANÇA - PROCEDIMENTOS

Direcional Condomínios | Novembro 2013

ACERTANDO NAS ESCOLHAS “Muitas empresas compram câmeras baratinhas e cobram preços de equipamentos importados”, comenta Joelma. Além disso, conferir a qualidade é complicado, diz. É preciso ver a imagem da câmera no escuro. Mas, quando nova, até uma câmera de segunda se mostra eficiente. O problema surge quatro ou cinco meses depois, quando um aparelho de má qualidade perde essa eficácia. A dificuldade do consumidor é ainda maior porque inexistem normas para a fabricação dos equipamentos eletrônicos de segurança. Para evitar aborrecimentos, Joelma recomenda comprar apenas de fabricantes de reconhecida qualidade. Outra providência é recorrer à própria Abese, que atribui um selo de qualidade às empresas que seguem determinadas normas. A entidade recomenda ainda que os síndicos contratem um consultor antes de comprar os equipamentos. O profissional deve fazer um projeto prévio, baseado na análise de risco do imóvel, dos pontos vulneráveis e das ocorrências passadas. Também deve considerar a infraestrutura do local, como tubulações etc.

27


EXERCÍCIOS COM ATENÇÃO À SAÚDE E AO CONFORTO

Direcional Condomínios | Novembro 2013

CYBER GYM

28

ESPAÇOS CADA vez mais utilizados pelos condôminos, as academias de ginástica exigem cuidados importantes para que se possa usufruir plenamente dos benefícios físicos, observa Givanildo Holanda Matias, personal trainer e empresário da área de fitness. Ele atende a mais de 50 condomínios em quatro cidades brasileiras. O especialista refere-se à atenção na compra de equipamentos, na sua instalação e nas regras de funcionamento da academia. Segundo ele, o projeto inicial desse espaço deve levar em conta as necessidades do condomínio, considerando-se ainda o tamanho da sala, as instalações e a quantidade de pessoas que irão utilizá-lo. “O mais comum é encontrar áreas pequenas e orçamentos apertados nos condomínios”, observa o professor. “Não dá, por exemplo, para colocar equipamento individual em salas pequenas.” As salas reservadas para ginástica nos condomínios têm, normalmente, de 30 a 50 metros. Mas há edifícios com áreas maiores, de até 400 metros quadrados. Nas salas menores, Givanildo diz ser possível instalar uma estação de musculação, onde se pode fazer vários exercícios e trabalhar todos os músculos. O equipamento permite ainda o uso simultâneo, por mais de uma pessoa ao mesmo tempo. Para um espaço com dimensões restritas, os demais equipamentos necessários são: uma torre de alteres, duas esteiras, uma bicicleta ergométrica, um elíptico, uma bola suíça, alguns colchonetes, pesos e caneleiras. ESPAÇO PARA ALONGAMENTO “Em condomínios, é mais comum termos esteiras, bicicletas e elípticos. Deve haver também um espaço para a realização de exercícios de solo, como abdominais, alongamento e treinamento funcional. Neste caso, é necessário ter colchonetes. Caneleiras e halteres também são acessórios bem-vindos no ambiente. Esse é o cenário básico, porém, podem ser acrescentados os equipamentos de força”, observa Patricia Totaro, arquiteta que atua desde 1994 no mercado esportivo, desenvolvendo projetos para academias de ginástica, escolas de natação, clubes, centros esportivos e spas. Givanildo, por sua vez, recomenda aos síndicos cuidado com os equipamentos que se vai adquirir. O mercado está em expansão e oferece soluções de má qualidade, que podem ser mais baratos apenas na hora da compra, diz

Ilustração: Coronado

DICA / FITNESS – EQUIPAMENTOS


DICA / FITNESS – EQUIPAMENTOS o especialista. Segundo ele, o custo dos aparelhos básicos de boa qualidade para uma sala pequena vai de R$ 20 mil a R$ 40 mil. Numa sala grande, pode chegar a 300 mil.

MANUTENÇÃO Com seu uso constante, os aparelhos de ginástica sofrem desgaste e necessitam de manutenção periódica. O mais indicado é que o condomínio faça um contrato de manutenção preventiva com uma empresa ou profissional especializado. Mensalmente, é preciso lubrificar, apertar parafusos e limpar as máquinas para que continuem seguras e durem mais. Esse contrato de manutenção preventiva foi exatamente o que fez o síndico Mário Sérgio Silva, do Condomínio Edifício Blue Star, localizado no bairro do Campo Belo, zona Sul de São Paulo. O Blue Star foi entregue com a academia pronta, há 29 anos, mas ao longo do tempo foi renovando os equipamentos, que já estão em sua quarta geração. É uma sala grande, diz Mário Sérgio, com 12 aparelhos: duas esteiras, duas bicicletas ergométricas, uma torre multiuso, pesos, cama elástica, bola de pilates e outros, além de um aparelho de TV e paredes espelhadas. O piso é antigo, de madeira. Uma dica de Mário Sérgio é que a sala tenha câmeras de circuito interno de TV com monitores na portaria. Segundo ele, é para controlar o movimento. As chaves também ficam com um funcionário habilitado. Só os condôminos podem usar. E a contratação do personal trainer fica por conta de cada usuário. “É uma academia completa, que representa uma forma de lazer, um importante local de convivência dos condôminos”, finaliza Mário Sérgio. (Reportagem Manuel Lume)

PRÓXIMA EDIÇÃO FITNESS - PERSONAL TRAINER

FUNCIONAL FITNESS

Direcional Condomínios | Novembro 2013

PREPARANDO O AMBIENTE As instalações do imóvel também são importantes para uma boa prática esportiva. No caso do piso, Patricia Totaro recomenda os de borracha ou vinílicos com manta de borracha por baixo. Os de madeira são mais indicados para exercícios de solo e dança, mas não devem receber pesos, que podem cair por acidente e danificar o revestimento. Dessa forma, se a academia tiver dois ambientes, pode-se mesclar os dois tipos de exercício, com uma superfície adequada para cada um. Os pisos frios - como cerâmica, mármores e granitos - devem ser evitados, diz a arquiteta. A parte de instalação elétrica também deve receber cuidado especial, pois há equipamentos que consomem muita energia. “Eu sempre aconselho que as esteiras tenham um circuito independente”, diz Patrícia. Na iluminação, por exemplo, a arquiteta propõe dois cenários: intercalar o uso de luz direta e o de molduras em gesso e iluminação indireta (para os momentos de relaxamento). Lâmpadas fluorescentes de temperatura de cor baixa também são recomendadas, pois não esquentam e gastam pouca energia. Sobre as paredes, ela sugere pintar uma delas com uma cor quente - como vermelho, amarelo-ovo ou laranja -, preferencialmente a parede em relação a qual o frequentador ficará de costas quando fizer o exercício. O resto poderá ser pintado com uma cor clara ou mesmo branco. “Deve-se tomar cuidado com os tons que dão sono, como o verde claro”, completa Patrícia. Finalmente, a arquiteta diz que outro fator importante é a ventilação. Aparelhos de ar-condicionado e ventiladores são muito usados, mas a ventilação natural é uma solução prática e econômica. Para a passagem do vento, basta ter janelas abertas em dois lados opostos do ambiente. Caso prefira o ar-condicionado, ele deve ser do tipo que proporcione a renovação de ar, orienta Patrícia.

29


DICA / FECHAMENTO DE SACADA

MELHOR É PADRONIZAR EMPREENDIMENTO novo e com cinco torres, o Condomínio Jardins de Tamboré, localizado em Santana de Parnaíba, Grande São Paulo, enfrentou um problema bastante comum hoje. Assim que começaram a se mudar, as unidades localizadas em uma face mais suscetível a ventos fortes, e invasão da água da chuva, não tinham outra opção senão providenciar o fechamento da sacada gourmet. Por isso, os condôminos procuraram a construtora logo que receberam as chaves, em 2009. E ela analisou o cálculo estrutural da obra e constatou que o fechamento era possível, mas com ressalvas: o material não poderia ser muito pesado, uma vez que a laje foi construída sem apoio em colunas. O caso é relatado pelo síndico atual, Paulo Eduardo Campos, eleito em abril de 2012. Segundo ele, a própria construtora tratou de fazer os estudos e propor um padrão técnico de fechamento. Optou-se pelo vidro laminado transparente com 10 milímetros de espessura, correndo sobre trilhos brancos, e abertura lateral. Convocou-se a assembleia dos moradores e ficou estabelecido que os apartamentos que queiram fechar a varanda têm que seguir esse perfil, além de arcar com os custos, estimados, segundo Paulo Eduardo, entre R$ 7 mil e R$ 9,5 mil. O síndico afirma que a mudança foi aprovada por maioria simples. “O fechamento não é obrigatório; eu mesmo prefiro a minha varanda aberta”, comenta. De qualquer forma, quem decidir fechar, terá que seguir o padrão. E além do envidraçamento, o condômino, também sob determinação da mesma assembleia, terá que adequar a cortina a ser usada nas sacadas aos modelos aprovados.

Direcional Condomínios | Novembro 2013

SEGURANÇA O que está em jogo é a segurança da edificação, e de seus moradores, bem como a preservação da fachada, fundamental para a valorização dos imóveis. De acordo com o engenheiro civil Celso Couto Júnior, professor da Fatec (Faculdade de Tecnologia de São Paulo), é indispensável que um técnico habilitado analise se a estrutura do prédio comporta um novo peso no fechamento das sacadas. Nem todos “calculistas de estruturas” dimensionam as varandas para suportar um peso extra, como o do vidro no peitoril, observa Celso Couto. O engenheiro alerta que se não houver aí reforço da estrutura, com o tempo poderão surgir problemas como fissuras, trincas e deformações. Morador de um apartamento com sacada, no bairro da Aclimação, em São Paulo, Celso comentou que a convenção de seu condomínio já tratou de proibir qualquer mudança nessa área. (Reportagem Manuel Lume).

30

VEJA O QUE DIZ A LEI (EM WWW.DIRECIONALCONDOMINIOS.COM.BR) Para o advogado Cristiano De Souza Oliveira, um condômino não pode fechar uma varanda como bem entender. Ele defende ainda quórum unânime para definição de um padrão pelo condomínio. Confira a reportagem com o especialista no endereço eletrônico acima, no link da Edição 185.

PRÓXIMA EDIÇÃO COLETA SELETIVA


ACESSÓRIOS...

Direcional Condomínios | Novembro 2013

31


ACESSÓRIOS

32

Direcional Condomínios | Novembro 2013


ACESSÓRIOS, ALAMBRADOS

Direcional Condomínios | Novembro 2013

33


ADMINISTRADORA, ANTENA, ASSESSORIA, BOMBAS, DESENTUPIDORA

34

Direcional Condomínios | Novembro 2013


CADEIRA PARA GUARITA, COBERTURAS

Direcional Condomínios | Novembro 2013

35


CAIXA D'ÁGUA, CONTROLE DE PRAGAS, ELÉTRICA

36

Direcional Condomínios | Novembro 2013


ELÉTRICA

Direcional Condomínios | Novembro 2013

37


ELEVADOR

38

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013


ELEVADOR...

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013

39


ELEVADOR

40

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013


ELEVADOR, EQUIPAMENTOS PARA GINÁSTICA...

Direcional Condomínios | Novembro 2013

41


EQUIPAMENTOS PARA GINÁSTICA, GERADOR

42

Direcional Condomínios | Novembro 2013


GERADOR, HIDRÁULICA, INSPEÇÃO PREDIAL

Direcional Condomínios | Novembro 2013

43


IMPERMEABILIZAÇÃO

44

Direcional Condomínios | Novembro 2013


IMPERMEABILIZAÇÃO...

Direcional Condomínios | Novembro 2013

45


IMPERMEABILIZAÇÃO, INCÊNDIO (PREVENÇÃO)

46

Direcional Condomínios | Novembro 2013


INTERFONE...

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013

47


INTERFONE, LUZ DE EMERGÊNCIA

48

Direcional Condomínios | Novembro 2013


PINTURA PREDIAL

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013

49


MANUTENÇÃO PREDIAL, PINTURA PREDIAL

50

Direcional Condomínios | Novembro 2013


PINTURA PREDIAL...

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013

51


PINTURA PREDIAL

52

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013


PINTURA PREDIAL

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013

53


PINTURA PREDIAL

54

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013


PINTURA PREDIAL...

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013

55


PINTURA PREDIAL, PLAYGROUNDS

56

Direcional Condomínios | Novembro 2013


PLAYGROUNDS...

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013

57


PLAYGROUNDS, PREVENÇÃO CONTRA INCÊNDIO, RADIOCOMUNICAÇÃO

58

Direcional Condomínios | Novembro 2013


PISOS, RECUPERAÇÃO ESTRUTURAL, SERRALHERIA, SISTEMAS DE SEGURANÇA...

Direcional Condomínios | Novembro 2013

59


60

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013


SISTEMAS DE SEGURANÇA...

Direcional Condomínios | Novembro 2013

61


SISTEMAS DE SEGURANÇA, TERCEIRIZAÇÃO

62

Direcional Condomínios | Novembro 2013


TERCEIRIZAÇÃO...

Direcional Condomínios | Novembro 2013

63


TERCEIRIZAÇÃO

64

Direcional Condomínios | Novembro 2013


TERCEIRIZAÇÃO...

Direcional Condomínios | Novembro 2013

65


TERCEIRIZAÇÃO, TRATAMENTO DE PISO

66

Direcional Condomínios | Novembro 2013


Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013

67


68

Direcional CondomĂ­nios | Novembro 2013


Revista Direcional Condomínios - Ed. 185 - nov/13  

A revista Direcional Condomínios tem 16 anos e é dirigida a síndicos, zeladores, conselheiros e administradores de condomínios do mais alto...