Page 1

A Voz da Diocese Informativo

CRUZ ALTA - Setembro de 2015 - ANO 45 - Nº 313

Setembro, Mês da Bíblia Na Bíblia, Deus nos revela através de palavras e de acontecimentos intimamente entrelaçados, de tal sorte que as obras ajudam a manifestar e confirmar os ensinamentos e realidades significadas pelas palavras; e estas, por sua vez, proclamam as obras e elucidam o mistério nelas contido (cfr DV 2/162)


l

2 - Setembro / 2015

Editorial O livro sagrado dos cristãos, escrito sob inspiração divina, a Bíblia, é destacado de maneira muito especial em setembro. O tema proposto para o mês da Bíblia em 2015 é o Evangelho segundo João (Jo), sob a perspectiva do discipulado missionário, conforme o enfoque do Projeto de Evangelização: “O Brasil na missão Continental”. O tema escolhido fundamentase nos cinco aspectos essenciais do processo do discipulado: o encontro com Jesus Cristo, a conversão, o seguimento, a comunhão fraterna e a missão. O lema “Permanecei no amor, para dar muitos frutos” (cf. Jo 15,8-9) foi indicado pela comissão bíblico-catequética, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), juntamente com as instituições bíblicas, entre elas o Serviço de Animação Bíblica. Lera Bíblia, mais que um compromisso diário, é assumir a proposta revolucionária da lei do amor trazida por Jesus Cristo. A leituraleva a ação que deve ser transformadora. A diocese de Cruz Alta terá a alegria da ordenação de um jovem que decidiu e preparou-se para a missão sacerdotal atendendo o chamado. Dia 13de novembro próximo , na catedral, o diácono Douglas Carré receberá o sacramento da Ordem. É umanotícia de relevância diante de um contexto que vivemos de desesperança e descrenças. Quesua decisão e testemunho seja motivo para que outras vocações despertem e igualmente sejam receptivas ao convite. Enquanto isso, nosso bispo, recém ordenado, D. Adelar, terá neste mês seu primeiro encontro com o papa Francisco que chamou à Roma os novos bispos. Umencontro de motivação e de incentivo à grandiosa missão a eles designada. Dentreos vários assuntos desta edição, vale o destaque para o encontro histórico dos catequistas da nossa diocese realizado em Ibirubá. Forammais de mil. Os catequistas são evangelizadores e, com certeza, resultará em frutos a serem colhidos a serviço do bem e do reino de Deus. Umalento. Porfim, salientamos a organização, cada vez mais intensa, para nossa romaria que será no próximo mês. É preciso que nos preparemos tendo sempre a dimensão que ela é ,por excelência , uma festa religiosa. Éo encontro de cada um com Nossa Senhora de Fátima e também um grande encontro de todos nós. João Verissimo verissimomatheus@gmail.com

A Voz da Diocese Informativo

A Voz da Diocese - Órgão informativo da Diocese de Cruz Alta-RS

Filiado a UCBC Duque de Caxias, 729 - Caixa Postal 51 - CEP 98005-020 PROPRIETÁRIA: Mitra Diocesana de Cruz Alta DIRETOR Dom Adelar Baruffi EDITOR: Pe. Magnus Camargo JORNALISTA E REVISOR ORTOGRAFICO: João Verissimo 204/02/02 V

CAPA E DIAGRAMAÇÃO: Greice Pozzatto MTB: 13956 CONSELHO EDITORIAL: Pe. Magnus Camargo da Silva e Greice Pozzatto IMPRESSÃO: Gráfica Líder Ltda Fone (54) 3383-1373

Tiragem: 1500 exemplares Contato: diocese@comnet.com.br

l

Opinião

Encontrar Deus no próximo “Então o Rei lhes responderá: 'Em verdade eu vos digo, que todas as vezes que fizestes isso a um dos menores de meus irmãos, foi a mim que o fizestes!” Mt 25,40. Sempre ao longo da história humana, o homem buscou para sua vida um sentido. Como cristãos, entendemos que o que dá sentido a nossa vida, nos garante a existência, nos move e faz ser o que somos, é Deus. Buscar o encontro, a experiência de/com Deus é o imperativo que alimenta em nós o dom da fé no Pai. Temos de Deus a imagem de um Pai que se faz presente na história humana, fala pelo meio de sinais e dos profetas, e se encarna no tempo como um de nós na pessoa de Cristo, Filho de Deus e Deus também. É o mistério de um Deus que é ao mesmo tempo, uma e três pessoas. Mistério por que foge a compreensão da razão humana, mas, graça que podemos e devemos contemplar como milagre e prova da infinita grandeza que é Deus. Assim, carinhosamente pode-se dizer que Deus uno e trino é uma comunidade de amor, que o tempo todo quer estar no meio da sua criação, da humanidade. Pela encarnação de Cristo, Deus mora com seu povo, e mostra que para a humanidade fazer a experiência de Deus precisa do encontro com os irmãos, a vida em comunidade, o acolhimento, a caridade, e o serviço aos mais necessitados, não obstante, é justamente isso que Cristo faz ao se colocar em nosso meio, como discípulos Dele, cabe imitá-lo em nossa cotidianidade, pois, Deus se faz em Cristo, tão semelhante a nós, para que nós, possamos aprender a sermos semelhantes a Ele. Por emquero retomar outro ponto essencial para o encontro com Deus, que é a caridade para com os menos favorecidos, Cristo se põe ao lado dos pobres, das viúvas, dos órfãos, dos estrangeiros, dos pecadores não por uma opção excludente em relação a quem não é menos favorecido na Igreja e no coração de Cristo há

A Voz da Diocese Seminarista: Daniel S. Chagas 6º semestre de Filosofia

lugar para todos, mas, faz a opção pelos sofredores justamente, para mostrar ao mundo que Deus está sempre do lado daqueles que não são vistos como sujeitos sociais. Talvez antes de uma religião intimista, se tenha uma prática religiosa em saída, uma fé ativa, que abra os nossos corações para as muitas faces de Deus que estão a nossa frente. Deus está no rosto daqueles que sofrem, está esperando para se encontrar conosco, Deus está no rosto de cada pessoa que encontramos, pois somos “sua imagem e semelhança”Gn. 1,26-27, “templos do Espírito Santo”1Cor 6,19. Reaprender a nos enxergar e ver aos outros como filhos e filhas de Deus é crucial para o futuro de nossa humanidade, que, cada vez mais, se ilude e se afasta do amor eterno, trocando este pela ganância material e a ilusão das riquezas. Como posso querer a experiência de Deus em minha vida se não me coloco a serviço como Cristo se colocou? Junto com nossa oração é preciso caminhar a prática da nossa fé.Deus assumiu a condição humana e do sofrimento para despertar em nós o amor uns pelos outros e redimir nosso pecado. Sejamos fiéis nas pequenas obras de caridade e peçamos o dom de sermos agraciados com a fé na grandiosidade das grandes obras, e na manifestação de Deus em nossa vida terrena, sobretudo na vida eterna. Só somos verdadeiramente Igreja se formos comunidade que se reúne para partilhar a vida e depositar em Deus e sentido de nossa existência. É na comunidade que se se reúne para comungar do corpo e sague do Senhor que somos irmanados na grande família de Deus, somos parte da família de Deus. Na humildade de um Deus que se oculta sob as aparências de pão e vinho, somos convidados ao exercício da humildade e de buscar a semelhança com Cristo. Nas palavras do papa Francisco vê-se que “Deus dá sempre o primeiro passo, ele se move para nós”, na Eucaristia e no encontro com os irmãos o Espirito Santo falar em nosso ser. Que possamos continuar com a Graça orando e praticando o seu mandamento: “amar a Deus sobre todas as coisas e o próximo como a nós mesmos”! PAPA FRANCISCO

MEDITAÇÕES MATUTINAS NA SANTA MISSA CELEBRADA NA CAPELA DA DOMUS SANCTAE MARTHAE

Antes de tudo ouvir Quinta-feira, 25 de Junho de 2015 Publicado no L'Osservatore Romano, ed. em português, n. 27 de 2 de julho de 2015

Como se reconhece o cristão? Da sua atitude. Assim comentou o Papa o trecho evangélico da liturgia, adaptando a imagem da casa construída sobre a rocha à vida diária dos fiéis. Em primeiro lugar, recordando que Jesus ensina como quem tem autoridade (Mt 7, 21-29), o Pontífice propôs um ensinamento para todos: As pessoas sabem discernir bem quando um sacerdote, um bispo, um catequista, um cristão tem a coerência que lhe confere autoridade. O próprio Jesus num trecho precedente, admoesta os discípulos, o povo, todos: “Estai atentos aos falsos profetas”. A palavra certa, embora seja um neologismo, deveria ser: pseudoprofetas, que se parecem com ovelhas boas, mas são lobos vorazes. Depois, o Papa citou o trecho em que Jesus explica como discernir «os verdadeiros pregadores do Evangelho dos que anunciam uma palavra que não é Evangelho. Existem três palavras-chave para entender isto: falar, fazer, ouvir. Começa-se pelo falar. Jesus diz: Nem todos aqueles que dizem: “Senhor, Senhor”, entrarão no reino dos Céus. E acrescenta: Naquele dia muitos dirão: “Senhor, não fizemos profecias no teu nome? No teu nome não expulsamos demônios? No teu nome não fizemos milagres?”. Mas Ele responderá: Nunca vos conheci, afastai-vos de mim, vós que realizais iniquidades. Por que esta oposição? Porque estes falam e agem, mas falta-lhes uma atitude que é essencial, o fundamento do falar e do agir: o ouvir. Jesus diz ainda: Quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática.... Portanto, o binômio falar-agir não é suficiente, mas até pode enganar. O binomio certo é outro: ouvir e agir, pôr em prática. Jesus diz-nos: Quem ouve estas minhas palavras e as põe em prática é como um homem sábio que construiu a sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, sopraram os ventos, mas a casa ficou firme, porque foi construída sobre a rocha. Mas quem ouve as palavras e não as faz suas, não as põe em prática, é como aquele que edifica a casa sobre a areia.

Eis a chave para reconhecer os falsos profetas: Podereis conhecê-los pelos seus frutos, ou seja, pela sua atitude: falam muito e realizam milagres, mas não têm o coração aberto para ouvir a palavra de Deus, têm medo do silêncio da palavra de Deus, são pseudocristãos, pseudopastores, que fazem coisas boas, mas falta-lhes a rocha. A prece da coleta do dia diz: Tu nunca abandonas quem confia na rocha do teu amor. Mas a estes pseudocristãos, falta a rocha do amor de Deus, da palavra de Deus. E, sem esta rocha não podem profetizar, nem construir, porque no final tudo desaba». Trata-se de pastores ou fiéis cristãos mundanos, que falam demasiado, talvez temam o silêncio, e agem demais. São incapazes de agir a partir da escuta; partem de si mesmos, não de Deus. Assim, quem só fala e age não é verdadeiro profeta, nem cristão autêntico, porque não está assente na rocha do amor de Deus, não é “rochoso”. Ao contrário, quem sabe ouvir e depois agir, com a força da palavra de Outro, não da sua, permanece firme como a rocha: mesmo sendo humilde e não parecendo importante, é grande. E quantos destes grandes vivem na Igreja!, frisou o Papa: Quantos bispos, sacerdotes, e fiéis grandes, que sabem ouvir antes de agir!. Francisco citou um exemplo dos nossos dias, Teresa de Calcutá, que ouvia a voz do Senhor: não falava, sabia ouvir no silêncio e depois agir. Ela fez muito!, disse o Pontífice. E, como a casa na rocha, não desabou, nem ela nem a sua obra. Do seu testemunho compreende-se que os grandes sabem ouvir antes de agir, porque a sua confiança e força estão na rocha do amor de Jesus Cristo. O Papa concluiu a meditação, recordando que a liturgia usa o altar de pedra, forte e sólido como símbolo de Jesus. No altar Jesus faz-se frágil, um pedaço de pão para todos, para nos fortalecer. Que Ele nos acompanhe nesta celebração, concluiu, e nos ensine a ouvir e a agir a partir da escuta, e não das nossas palavras.


A Voz da Diocese

l

Notícias

Dom Adelar participa de encontro com novos bispos em Brasília De 10 a 14 de agosto, em Brasília, Dom Adelar Baruffi esteve participando do Encontro de Novos Bispos. Ele é um dos 13 bispos nomeados pelo Papa Francisco entre os meses de agosto de 2014 a maio deste ano. Além dele, do Rio Grande do Sul, participou o bispo auxiliar de Porto Alegre, Dom Leomar Brustolin. O encontro, que está na sua 26ª edição, é promovido pela Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada. De acordo com Dom Adelar, o encontro oportunizou aos novos bispos aprendizagem sobre a nova missão que

Setembro / 2015 - 3

Palavra do Coordenador de Pastoral Pe Magnus Camargo, Pároco da Paróquia de Fátima e Coordenador Diocesano de Pastoral

Pão e Circo

estão assumindo em suas Dioceses. “Destaco pontos positivos de nosso encontro: o fato do local ser a sede da CNBB; a gentileza de vários bispos que estiveram conosco assessorando e partilhando seus conhecimentos; a vivência fraterna entre os bispos. Retornamos para nossas dioceses com renovado ardor em nossa missão”, destacou, Dom Adelar.

Padre da Alemanha visita Diocese de Cruz Alta Esteve visitando a Diocese de Cruz Alta, no dia 29 de julho, o Monsenhor Reinhold Pfafferodt, Pároco da Catedral São Sebastião da Diocese de Magdeburgo, região da SaxôniaAnhalt na Alemanha. Mons. Pfafferodt veio ao Brasil para conhecer algumas localidades do Rio Grande do Sul, em especial a região da Diocese de Cruz Alta, além de Santa Maria, e outros. Chegou no dia 25 de julho à Cruz Alta, onde está hospedado na residência do Bispo Emérito, Dom Jacó Hilgert, e retorna para a Alemanha no dia 03/08. Em sua visita à Diocese de Cruz Alta, foi recepcionado pelo Chanceler e Vigário Judicial, Pe. Sílvio Jorge Mazzarolo, e, também, pelo Pe. Marcos Denardi, que está em férias de seu Doutorado em Roma. Mons. Pfafferodt deixou para o Bispo Diocesano, Dom e,

l

Adelar Baruffi, que encontrava-se em atividades em Porto Alegre, uma doação para ser utilizada em seus trabalhos pastorais. Pfafferodt esteve acompanhado de Mauro dos Santos Ortiz, que fez intercâmbio em Magdeburgo, e auxiliou como interprete. Na foto, registramos o momento da entrega. Da esquerda para a direita: Mauro dos Santos Ortiz, Mons. Reinhold Pfafferodt, Pe. Silvio Mazzarolo e Pe. Marcos Denardi.

Bispo recebe representantes da PJ Regional

Um registro da reunião da Pastoral da Juventude Regional Sul 3, realizada na Cúria Diocesana de Cruz Alta, no dia 19 de agosto. Dom Adelar Baruffi, Bispo Referencial da Juventude do RS, recebeu Coordenadores e Assessores representantes da PJ Regional Sul 3, a fim de estreitar laços e partilhar a caminhada da PJ enquanto regional. O Coordenador da Pastoral da Juventude da Diocese de Cruz Alta, Pe. Eliseu Lucas de Oliveira, esteve presente na reunião.

Pão e Circo. Barriga cheia e alegria dos sentidos. Este era o ideal pagão de vida, da antiga civilização romana. Veio depois o Evangelho para transformar os pagãos em homens novos, novas mentalidades, novo estilo de vida. Para lá do útil e do fútil, do pão e do circo, havia lugar para a esperança e para o sentido, para a verdade e para o amor. Jesus encontrou, no seu tempo gente assim, de “pão e circo”. Gente que ficou de barriga cheia e não teve fome de mais nada. Os tempos hiper-modernos marcam, por esta fome de nada, na fruição e no vazio. Embora Deus não seja negado ou perseguido, é esquecido e dispensado. Vive-se, na prática, como se Ele não existisse. O mal desta geração é que, sem projeto nem sentido, carece de uma esperança, vagabundeia no incerto, não se apega a nada, não pergunta coisa nenhuma, come e cala... O panorama é este: o sentimento tornou-se a regra do pensamento. As emoções são afinal as grandes razões que movem o universo. E o direito de opinião vale sobre tudo, mesmo para quem não é entendido em nada. Em tempos de facebook todos podem ser “mestres em tudo”. O Brasil parece que vinha de um sonho cor-de-rosa. Vantagens, saldos, descontos, promoções, compras e facilidades. Tudo a crédito. Gasta agora e paga depois! Tudo muito facil, tinha-se que trocar os eletrodomésticos, o ar condicionado, o carro novo, a casa de praia, o último grito em celular. Um simples cartão, do Banco “Xis”, transformado em varinha mágica, dava corpo a todos os seus sonhos. É a alegria comprada e vendida, na grande feira das vaidades! É tal a oferta, que alguem julgará estar a perder a maior oportunidade da sua vida... E vive triste! Neste mundo cor-de-rosa em que o povo mergulhou, em que os sonhos em vez de subir acima do nível das nuvens, andam mais rasos que o chão, é difícil despertar o desejo da alma para o mais alto e mais profundo... O coração nem pode respirar o infinito, de tão afogado, num mar de sonhos e espuma. O desejo, servido a preços de loucura, depressa fará do sonho um pesadelo. No fim, o gasto, a dívida, a tristeza. Mas este “inverno do Espírito” parece querer ressuscitar em novas primaveras. Na verdade, a par deste consumismo e hedonismo, já começamos a perceber que o nada leva a nada e que, no alem desta desilusão, há uma Vida, existe esperança que dias melhores virão!


l

4 - Setembro / 2015

l

Notícias das Paróquias

A Voz da Diocese

Semana da Família foi comemorada nas paróquias de Cruz Alta De 08 a 16 de agosto, as paróquias Divino Espírito Santo – Catedral, Nossa Senhora do Rosário de Fátima, Imaculada Conceição e a quase paróquia São Marcelino Champagnat, viveram a semana da Família, no município de Cruz Alta. As comemorações iniciaram com uma celebração ecumênica, no calçadão. Após, teve seqüência em cada paróquia. Na Paróquia Nossa Senhora de Fátima, as atividades iniciaram com um jantar no sábado (08/08), no Salão Paroquial. Nos dias 13, 14 e 15, foi realizado um tríduo da família. No sábado, 15/08, foi realizado o Encontrão de Catequese, com palestra e missa com Dom Adelar Baruffi. Na Paróquia Imaculada Conceição, no dia 12/08, foi realizado um encontro com os pais dos catequizandos, no salão da paróquia. E, na Catedral Divino Espírito Santo, no dia 13/08, foi realizado um encontro dos familiares da catequese, no salão paroquial. No domingo, 16/08, com uma linda

Missa campal após caminhada pela família

caminhada de fé, a Semana Municipal da Família foi encerrada. A caminhada teve saída de frente ao antigo HGU, seguindo para o Monumento de Nossa Senhora de Fátima, onde foi celebrada uma missa campal, por Dom Adelar Baruffi. No caminho, foram realizadas três paradas – 1ª com a paróquia Imaculada Conceição, 2ª com a Catedral - Divino Espírito Santo, e a 3ª com a Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Fátima. As reflexões

Paróquia São José de Chapada realiza Encontro dos Missionários

foram baseadas no folder da CNBB Regional Sul 3 “O amor é a nossa missão”. A caminhada seguida de missa contou com a participação de centenas de pessoas das diversas paróquias.

Fatos e fotos * Encontro Diocesano de Catequistas Catequistas da Paróquia Santa Bárbara, de Santa Bárbara do Sul

Grupo São Francisco de Assis, da Paróquia Natividade de Ijuí

* Nossa Senhora Medianeira - Barros Cassal

As urgências da Ação Evangelizadora da Igreja no doc. 102 – “DGAEI” 2015 – 2019 destaca como 1ª Ação a “ Igreja em estudo permanente de missão (nº 35-40). Nas perspectivas de Ação (nº74-82) afirma que: “ As Missões Populares tem se mostrado um caminho eficaz de evangelização. Motivados por

este apelo da Igreja, que é do próprio Jesus Cristo, a Paróquia São José, de Chapada, já pelo 2º ano, está realizando as missões com visita e benção das casas por ocasião da Semana Nacional (municipal) da Família. No dia 31 de julho, na presença do pároco, Pe. Dino Antônio Ciotta, foi realizado o encontro de mais de 60 missionários. N e s t a oportunidade, refletiu-se sobre o tema: “Todo batizado é um missionário à luz do doc. 100 da CNBB. Após a entrega do material, o encontro foi finalizado com a celebração do envio.

Um registro especial da bênção e inauguração dos bancos novos da Paróquia Nossa Senhora Medianeira, de Barros Cassal, realizada no dia 15 de agosto.

* Nossa Senhora de Lourdes - Ibirubá

A Comunidade Santa Rita de Cássia, do Bairro Hermany, de Ibirubá, esteve reunida fazendo seu histórico, que será apresentado na celebração em preparação a festa da padroeira Nossa Senhora de Lourdes.


Setembro / 2015 - 5 l Paróquia São José de Pejuçara teve programação Paróquia Nsa Sra de Fátima especial para Semana da Família realiza 3º Encontrão de Catequese

l

A Voz da Diocese

Dentro da programação da Semana da Família, a Paróquia Nossa Senhora de Fátima realizou o III Encontrão da Catequese Familiar, que neste ano teve como tema: “Siga-me e eu o farei pescador de homens”. Foi no dia 15/08, e contou com a presença de catequistas, catequizandos e seus familiares. O Bispo Diocesano, Dom Adelar Baruffi, foi o palestrante da tarde e, também, celebrou a missa. De acordo com o Pároco, Pe. Magnus Camargo, foi um momento de fé e reflexão, onde pais e filhos, puderam juntos celebrar as maravilhas do amor de Deus, aprofundar conhecimentos e discutir sobre valores familiares. A programação da paróquia de Fátima, durante a Semana da Família, iniciou ainda no sábado, dia 08. A noite foi realizado, no Salão Paroquial, um jantar bingo.

Notícias das Paróquias

Dom Adelar foi assessor do 3º Encontrão de Catequese

Famíliass participam das noites de tríduo

De 13 a 15, foi realizado o tríduo da família, reunindo centenas de fiéis.

Região de Panambi realiza Escola Popular de Agentes Cristãos A Região de Pastoral de Panambi realizou, no dia 15 de agosto, mais uma etapa da Escola Popular de Agentes Cristãos, que teve como local a paróquia São João Batista, de Panambi. Um total de 105 inscritos participaram da palestra ministrada pelo Pe Sérgio Lasta, dos Palotinos da Fapas, de Santa Maria. Esta foi a 3ª das 10 etapas da EPAC, que devem acontecer 6 neste ano e mais 4 em 2016. A data para o próximo encontro já está confirmada. Será no dia 19 de setembro, tendo como local o município de Chapada.

A EPAC foi iniciada no mês maio, sendo a primeira etapa realizada em Saldanha Marinho, tendo como palestrante o Pe. Flávio Rohr, e a 2° em Santa Bárbara do Sul, com a assessoria do Pe. Gelson Bays. Confira as próximas etapas: 19/09 – Chapada 17/10 – Condor 21/11 – Saldanha Marinho

A Paróquia São José, de Pejuçara realizou uma intensa programação para a Semana da Família. A Abertura foi no dia 08/08, com Encontro de Jovens e Missa Dia dos Pais. A programação constou, também, de Missa em Homenagem Dia dos Pais (09/08); visita e programação nas Escolas - Escola Municipal e Escola Estadual (10/08); Reencontro Diocesano da Família de Nazaré (11/08); Encontro Paroquial da 3ª idade – Escolas (12/08); Encontro de Casais e pais de Catequizandos (13/08); Visita e Benção nas casas (14/08); Encontro Paroquial de Catequizandos (15/08). O encerramento foi no dia 16/08.


6 - Setembro / 2015

l

Setor Juventude

l

A Voz da Diocese

Escola Regional de Assessores da Juventude reúne mais de 40 participantes Missionários da Diocese de Cruz Alta participam de Semana Missionária Gaúcha 2015

Mais de 40 assessores da evangelização da Juventude, oriundos de 14 dioceses e arquidioceses do estado, estiveram reunidos em Porto Alegre, de 27 a 31 de julho, para a Escola Regional de Assessores da Juventude. Dom Adelar Baruffi, Bispo Diocesano de Cruz Alta e bispo referencial da Juventude, participou do evento acompanhado de Jacqueline Gazzola, Coordenadora do Setor da Juventude e do seminarista Valdecir Zohler. Esta é a primeira etapa de 3, que serão concluídas em julho de 2016, com o objetivo de formar assessores adultos para este importante serviço de evangelização da juventude. Para Dom Adelar, esta Escola insere-se num processo já iniciado em nossas dioceses de organização de toda a ação evangelizadora da juventude através do setor diocesano da juventude. “Os assessores estão sendo capacitados

Jacqueline Gazzola, Dom Adelar e Valdecir Zohler

para esta missão. São pessoas com muito entusiasmo e dedicação pela causa da juventude”, explica. Segundo ele, esta atividade soma-se a outras já realizadas, como a semana missionária e ao Bote Fé Regional, que acontecerá em Porto Alegre nos dias 31de outubro e 01 de novembro. “Pude ver como existe um significativo caminho que já foi realizado. Há muitas pessoas envolvidas. Há também desafios a serem superados”, diz. O encontro é uma iniciativa e realização do Serviço de Evangelização da Juventude do RS, em comunhão com as Arqui/Dioceses.

Seminaristas participam da Escola Vocacional Regional em Santa Maria Os Seminaristas Jean Pinheiro e Maurício Trevizan, da Diocese de Cruz Alta participam, de 20 a 24 de julho, no Seminário São José, em Santa Maria, do 3º Módulo do 12º Curso da Escola Vocacional. O evento tem como objetivo capacitar agentes para atuarem de forma mais qualificada no SAV/PV – também visa despertar novas lideranças, sensibilizar para a dimensão vocacional das pastorais, conhecer e aprofundar a mística do SAV/PV, além de proporcionar formação continuada para quem já atua diretamente e ou quer atuar na animação vocacional. São destinatários: ministros ordenados, seminaristas, religiosos(as), consagrados(as) de institutos seculares, formandos(as) e leigos(as). O 12º Curso da Escola Vocacional compreende três módulos: Julho de 2014; Fevereiro de 2015 e o 3º Módulo, que está acontecendo de 20 a 24 de julho. Este 3º Módulo é formado por 46 participantes, provenientes de diversas Dioceses do Regional Sul 3 e Santa Catarina, Padres, Irmãs, Seminaristas e Leigos que na alegria de ser Igreja, nas diferentes vocações, partilham saberes e vivencias da missão.

Jovens da Diocese participam de reunião da Coordenação Regional da PJ Nos dias 18 e 19 de julho os jovens Elise Severo e Jean Wagner representaram a Diocese de Cruz Alta na reunião da Coordenação Regional da Pastoral da Juventude (CRPJ) do RS, realizada no Santuário Nossa Senhora de Fátima de Erechim. O objetivo foi de partilhar a vida dos grupos de jovens, planejar e celebrar a caminhada já percorrida neste ano. O principal tema de discussão foi a preparação da 14ª Ampliada Regional da Pastoral da Juventude do regional Sul 3, que será realizada em Restinga, de 04 a 07 de setembro, e terá como tema: “PJ do RS: a cuia de mão em mão, nos torna profetas da esperança, construtoras(es)

da Civilização do Amor”. Jovens de todo o estado estão participando do processo de construção da ampliada através da “mateada pejoteira”, onde os grupos recebem as mateiras personalizadas da PJ e entre chimarrões escrevem suas angústias e alegrias em um caderno, rezam o ofício e tem a oportunidade de conhecer o sistema e a vida de outros grupos. A mateira deverá passar pela Diocese de Cruz Alta.

De 20 a 26 de julho, os missionários João Francisco Bóllico, comunicador da juventude da Diocese e comunicador do Eaí?Tchê no Estado, e Ana Luíza Pasinato, articuladora da juventude da Diocese de Cruz Alta, representaram a Diocese na Semana Missionária Gaúcha 2015, em Porto Alegre, promovida pela CNBB Regional Sul 3, sob a coordenação da Irmã Zenilde Fontes, com apoio de diversos movimentos e organizações religiosas. Ana Luiza e João Francisco estiveram presentes em realidades que ultrapassam os sentimentos de medo e tristeza. Conheceram jovens do Bairro Restinga de Porto Alegre, que é considerado um dos mais perigosos da capital, em função do tráfico de drogas. Estiveram frente a frente com a violência e a miséria, acompanharam durante um dia todo a rotina de mais de 4 mil detentos do Presídio Central de Porto Alegre. Conheceram algumas histórias das crianças do Centro de Proteção à Criança e Adolescente - CPCA - da Lomba do Pinheiro, que atende crianças em situação de vulnerabilidade social e, também visitaram a Casa Fonte Colombo, onde centenas de pessoas em situação

de abandono são atendidas mensalmente. Uma das missões mais marcantes para os jovens, foi o acompanhamento aos catadores de lixo na Ilha dos Marinheiros, na separação dos recicláveis. “As vivências são inenarráveis e quaisquer que sejam as palavras, nada irá descrever os sentimentos vividos na Semana Missionária e que esta mudou as formas de pensar dos missionários, diante da vida”, disseram eles. De volta à Diocese, João Francisco e Ana Luíza, com ajuda do Setor Juventude da Diocese, Bispo Dom Adelar Baruffi e todas as paróquias e comunidades, poderão aplicar do melhor modo possível às vivências realizadas em Porto Alegre. (Fonte: João Francisco Bóllico Comunicador da Juventude da Diocese de Cruz Alta/Comunicador Eaí?Tchê)

Congresso Um registro do Seminarista Maurício Trevizan que esteve em congresso no santuário Serra da Piedade, Belo Horizonte. Momento de espiritualidade e aprofundamento da vocação.


l

A Voz da Diocese

Movimentos, Pastorais e Cáritas

l

Setembro / 2015 - 7

Cáritas realiza mais uma etapa do Projeto Pe. Cleverson é designado referencial da Pastoral da Criança e participa de capacitação em Curitiba Construindo Futuro Preservando a Criação

A Cáritas Diocesana de Cruz Alta, através da Coordenadora Salete Wolf, juntamente com a Agente Cáritas, Cinara Dorneles, realizou, no dia 27 de julho, no município de Jóia Assentamento Rondinha, uma reunião para o desenvolvimento de mais uma etapa do Projeto Construindo o Futuro Preservando a Criação.

Participaram os grupos: Mãe Terra, Cantinho do Artesanato, Conquista da Terra, Coletivo Mãe Terra, Herdeiros da Luta, a diretora da E.E.E. Joceli Correa, Rosângela Nascimento, Irmã Norma Knob, Funcionário Hildo Signor. “Agradecemos desde já o empenho e acolhida deste grande grupo à Equipe Cáritas”, destaca Salete.

Diocese de Cruz Alta esteve representada no 25º Seminário de Alternativas à Cultura do Fumo A Diocese de Cruz Alta esteve presente no 25º Seminário de Alternativas à Cultura do Fumo, onde o tema foi: “Alimentos Saudáveis, segurança e soberania alimentar, pão justiça e solidariedade para toda a família humana.” e lema: Que bom que você não fuma.” O evento foi realizado no dia 15 de agosto, em Santa Maria, promovido pela Arquidiocese de Santa Maria. Entre os temas discutidos esteve o tratamento dos malefícios do tabaco, agrotóxicos e transgênicos,

além das experiências com alternativas à cultura do fumo. A Coordenadora das Pastorais Sociais e C á r i t a s , S a l e t e Wo l f , participou com uma representação das Comunidades Quilombolas e Pequenos Agricultores do Salto do Jacui, Jacuizinho e Fortaleza dos Valos, que, além da participação no seminário, expuseram produtos produzidos nas comunidades. No evento foi entregue troféu a exfumantes.

XII CONGRESSO DO APOSTOLADO DA ORAÇÃO O Coração de Jesus exulta de alegria, porque nós devotos de seu Coração, que é “manso e humilde” , estamos nos preparando para mais um grande momento deste encontro que nos alegra e emociona. Agora falta pouco, por isso precisamos nos preparar e organizar. Nossos encontros devem ser baseados nos encontros da Romaria; Organizar as caravanas e a contribuição do grupo; Reservar com antecedência o almoço do grupo – até 20/09/2015. Nosso encontro acontece no dia 26/09/2015 na Paróquia Nsa. Sra. de Lourdes de Ibirubá, o tema “A Espiritualidade do Apostolado em tempos pós-modernos”, que será refletido e trabalhado pelo palestrante Adroaldo Laussen. Com a presença e o empenho de todos, tenho certeza que mais uma vez faremos um grande Congresso, cujo objetivo é elevar a nossa devoção e adoração ao Coração de Jesus, fonte de nossa vida, na qual somos todos convidados. O Coração de Jesus espera por você.

Leci Nowaczyk Cordenação Diocesana

Designado por Dom Adelar Baruffi, para ser o padre referencial da Pastoral da Criança da Diocese de Cruz Alta, Pe. Cléverson Portolan, pároco da paróquia Nossa Senhora da Conceição de Tunas, participa de uma capacitação em Curitiba. “A Pastoral da Criança está feliz em enviar seu padre referencial para uma capacitação em Curitiba. Queremos rezar por ele para que tenha um bom proveito e venha realizar uma boa Missão”, destaca a coordenadora da Pastoral da Criança, Maria Klafke.

A foto registra momento de integração da Coordenadora, Maria Klafke, Pe. Cléverson e Dom Adelar.

Realizado o 2º Encontro da Natureza Solidária Como parte do Projeto de Prevenção de Emergências PPE, foi realizado no dia 08 de julho, o 2º Encontro da Natureza Solidária, no Salão Paroquial da Igreja Nossa Senhora dos Navegantes, em Salto do Jacuí. Foram abordados assuntos referentes ao cuidado com o meio ambiente, além de uma memória dos encontros anteriores. O encontro teve a participação de 46 pessoas, com a presença de parceiros da Emater, CEEE, Câmara de Vereadores, Cotriel, Alunos e professores da Rede Estadual e Municipal de Ensino, agentes de saúde, Defesa Civil, Gabinete da VicePrefeita e comunidade em geral. A ação da Cáritas com o Meio

Ambiente e Gestão de Risco e Emergências procura contribuir para um outro tipo de desenvolvimento possível: humano, integral, solidário e sustentável. Esta ação se dá com intervenção direta na realidade com o apoio da comunidade, instituições parceiras e essencialmente com a incidência sobre as políticas públicas que visam reduzir as vulnerabilidades e riscos.

Lideranças da Diocese de Cruz Alta participam do 4º Congresso Nacional da Pastoral da Terra Edilio Perin, assentado de Jóia, Oldemar Schneider, da Igreja luterana de Augusto Pestana, agricultor e Ir. Norma do Salto do Jacui, representando a Diocese de Cruz Alta, estiveram participando, em Porto Velho – Rondônia, do 4º Congresso Nacional da Comissão Pastoral da Terra (CPT). Cerca de mil pessoas, entre camponeses, indígenas, quilombolas, trabalhadores e trabalhadoras rurais de todo o Brasil, agentes pastorais, colaboradores de CPT, padres e bispos, estiveram reunidos no Congresso que celebra os 40 anos da Pastoral. A partir de intensos debates, os participantes puderam refletir sobre os principais desafios enfrentados pelas populações do campo na atual conjuntura e partilharam diversas experiências de memória, rebeldia e esperança postas em prática pelas comunidades. Para a CPT, o momento foi de escuta. É no Congresso que as diversas populações do campo de todo o país, reunidas, apontam as estratégias e propostas que irão orientar as ações da CPT para os próximos quatro anos. Em sua plenária de encerramento, os participantes aprovaram a Carta Final do IV Congresso da CPT. O documento é fruto deste conjunto de reflexões, debates e propostas feitas pelos camponeses e camponesas, trabalhadores e trabalhadoras

rurais que serão as luzes para a CPT no seu serviço às causas dos Pobres da Terra até o próximo Congresso, previsto para ocorrer em 2020.


l

8 - Setembro / 2015

Especial

l

A Voz da Diocese

Existe contradição entre fé e ciência? A

lgumas pessoas se questionam se a teoria do Big Bang e a teoria da evolução não contraria a nossa fé, uma vez que são explicações científicas para a criação de Deus. A teoria do Big-Bang surge da constatação de que, pelos cálculos de Albert Einstein (1915), o universo está em expansão, se afastando. Levando em consideração os dados de Einstein, o astrônomo, cosmólogo, físico e padre George Lemaitrê propôs, em 1927 que, se hoje o universo está em expansão, no início ele estava concentrado em um ponto que ele chamou de átomo primordial. Quando, em 1929, Edwin Hubble observou com um telescópio o afastamento das galáxias e, 1965, Arno Penzias e Robert Wilson encontraram o ruído do Big Bang, ganhando o prêmio Nobel em 1978, poucos cientistas se atreveram a contrariar a teoria do Big Bang. Como a ciência explica o surgimento da vida? Há 3,8 bilhões de anos, havia vários elementos químicos que teriam se unido de forma aleatória (?) formando a primeira estrutura com DNA . Estes elementos eram a amônia, hidrogênio, metano, gás carbônico, sulfeto de hidrogênio e vapor d'água que deu origem a um sistema biológico simples e autopoietico. Aparece, então, uma bactéria no fundo do mar. A evolução teria seguido a linha das algas e animais de corpo mole (2,5 bilhões a 542 milhões de anos atrás), peixes (444 a 416 milhões), anfíbios, insetos e plantas (416 a 359 milhões), florestas de plantas com sementes e répteis (359 a 299 milhões), répteis similares a mamíferos (299 a 252 milhões), mamíferos e dinossauros (252 a 200 milhões), aves (200 a 145 milhões),

extinção dos dinossauros e domínio dos mamíferos (65 milhões), símios antropomorfos que deram origem aos humanos (5,3 milhões a 1,8 milhão) e os humanos ou homo sapiens (300 mil anos). Estas afirmações científicas, que sempre podem ser revistas e aperfeiçoadas, mas se encadeiam uma na outra para dar uma visão de totalidade sobre a origem do universo e da vida, até chegar a nós, humanos, nos fazem pensar sobre o que isso implica na nossa fé. Questiona? Aperfeiçoa? Não muda nada? Em 1950, o Papa Pio XII, na Encíclica Humani Generis, no número 36, diz que “o magistério da Igreja não proíbe que nas investigações e disputas entre homens doutos de ambos os campos se trate da doutrina do evolucionismo”, ou seja, a Igreja não é contra a teoria da evolução. Porém, Pio XII deixa claro que a fé nos faz acreditar que, em determinado momento da evolução, Deus tenha colocado uma alma no ser humano, fato esse que o distingue de todos os outros animais. No documento do Vaticano II, Gaudium et Spes, no número 36, nos diz que é Deus quem dá a capacidade de refletir e pensar cientificamente. São João Paulo II confirma a teoria da evolução quando, em 1996, num pronunciamento para a Academia Pontifícia para as Ciências, diz que “novos conhecimentos dão-nos conta que a teoria da evolução não é mais uma mera hipótese. De fato, é notável que esta teoria tem sido, progressivamente aceita por investigadores, depois de uma série de

Por: Pe. Eliseu Lucas de Oliveira Pároco da Paróquia São Pedro Apóstolo, de Ajuricaba

descobertas em vários campos do conhecimento”. O Catecismo da Igreja Católica, no n. 283, nos aponta que as descobertas científicas, ao invés de questionar a nossa fé, nos fazem admirar ainda mais a obra do criador. Na sua Encíclica Laudato Si, no n. 81, o Papa Francisco retoma mais uma vez o argumento de Pio XII, que a evolução pode ser aceita, desde que seja admitida uma intervenção direta de Deus para criar a consciência do ser humano, sua alma, o que lhe distingue de todos os outros seres e o torna, não o centro da criação, mas a criatura responsável por todas as outras. O número 83 da Encíclica nos deixa claro aquilo que somente a fé, e não a ciência pode alcançar sobre a verdade do universo, ou seja, o sentido da criação. O Papa Francisco diz: “A meta do caminho do universo situa-se na plenitude de Deus, que já foi alcançada por Cristo ressuscitado, fulcro da maturação universal. E assim juntamos mais um argumento para rejeitar todo e qualquer domínio despótico e irresponsável do ser humano sobre as outras criaturas. O fim último das restantes criaturas não somos nós. Mas todas avançam, juntamente conosco e através de nós, para a meta comum, que é Deus, numa plenitude transcendente onde Cristo ressuscitado tudo abraça e ilumina. Com efeito, o ser humano, dotado de inteligência e amor e atraído pela plenitude de Cristo, é chamado a reconduzir todas as criaturas ao seu Criador”. Percebemos, então, que não há uma contradição entre fé e ciência, mas a fé nos ilumina sobre o próprio sentido do universo, pois atrás de tudo o que existe, há um amor criador e um projeto amoroso para sua criação.


l

A Voz da Diocese

Especial

l

Setembro / 2015 - 9

O Caminho da Palavra O

mês de setembro foi constituído pela Igreja Católica no Brasil como Mês da Bíblia. O motivo é a celebração da festa de São Jerônimo no dia 30 de setembro. São Jerônimo é o patrono dos estudiosos da bíblia, por ter se dedicado ao estudo da mesma. Foi o primeiro a fazer a tradução da bíblia para o latim. Foi ele que disse: “Ignorar as Escrituras é ignorar Cristo”. Houve tempos, séculos, que a bíblia esteve longe do povo. Isso por diversos motivos: eram poucos livros, pois as cópias eram manuais; a maioria do povo era analfabeta; e, principalmente a partir da Reforma Protestante que valorizou a Escritura, a Igreja Católica valorizou os sacramentos, criando assim uma contraposição entre Palavra e Sacramento. O Concílio Vaticano II, acontecido há 50 anos, tirou a Bíblia do segundo plano em que havia sido posta, recuperando a centralidade da Palavra na vida da Igreja e devolvendo ao povo de Deus o livro que lhe pertence. Sobretudo a constituição dogmática Dei Verbum restabelece a centralidade da Palavra e dá o impulso para a sua leitura: “Debrucemse, pois (os fiéis), gostosamente sobre o texto sagrado, quer através da sagrada Liturgia, quer através da leitura espiritual, quer por outros meios que vão espalhando tão louvadamente por toda a parte, com a aprovação e estímulo dos pastores da Igreja. Lembrem-se, porém, que a leitura da Sagrada Escritura deve ser acompanhada de oração” (DV 25). A partir do Concílio muita coisa mudou. O estudo bíblico ampliou-se na teologia e nos cursos populares. Ganhou em quantidade e qualidade. No Brasil destaca-se o trabalho de Frei Carlos Mesters. Foi o grande responsável em tornar o estudo bíblico popular, inclusive resgatando o método da Leitura Orante da Bíblia para o qual o Concílio já aponta. Mais recentemente tivemos a exortação apostólica Verbum Domini, escrita pelo Papa Bento XVI, fruto do

Sínodo sobre a Palavra de Deus em 2008. Começa afirmando: “A Palavra do Senhor permanece eternamente. E esta é a palavra do Evangelho que vos foi anunciada (...). Esta Palavra que permanece eternamente, entrou no tempo. Deus pronunciou a sua Palavra eterna de modo humano; o seu Verbo 'fez-se carne' (Jo 1,14). Esta é a boa nova. Este é a anúncio que atravessa os séculos, tendo chegado até nossos dias” (VD, 01). Depois veio a exortação apostólica Evangelii Gaudium, que recolhe as contribuições do Sínodo sobre o anúncio do Evangelho no mundo atual, realizado em 2012 e que contém também o pensamento do Papa Francisco. Nela destaca-se: “Toda a evangelização está fundada sobre esta Palavra escutada, meditada, vivida, celebrada e testemunhada (...). Superamos já a velha contraposição entre Palavra e Sacramento: a Palavra proclamada, viva e eficaz, prepara a recepção do Sacramento e, no Sacramento, essa Palavra alcança sua máxima eficácia” (EG 174). E continua: “É fundamental que a Palavra revelada fecunde radicalmente a catequese e todos os esforços para transmitir a fé. A evangelização requer a familiaridade com a Palavra de Deus, e isto exige que as dioceses, paróquias e todos os grupos católicos proponham um estudo sério e perseverante da Bíblia e promovam igualmente a sua leitura orante, pessoal e comunitária. (...) Acolhamos o tesouro sublime da Palavra revelada!” (EG 175).

Por: Pe. João Alberto Bagolin Pároco da Paróquia de Cristo Rei, Ijuí e Coordenador da dimensão bíblicocatequética da diocese de Cruz Alta

Comunidade cristã: casa da Palavra Os Bispos do Brasil, no Doc 100, Comunidade de comunidades: uma nova paróquia aponta para a comunidade cristã como casa da Palavra. “Nela o discípulo escuta, acolhe e pratica a Palavra” (179). Já nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil 20152019 reafirma como urgência da Evangelização: Igreja: lugar de animação bíblica da vida e da pastoral. Nela se afirma que “Iniciação à vida cristã e Palavra de Deus estão intimamente ligadas. Uma não pode acontecer sem a outra” (47). Também diz que “o discípulo missionário é convidado a redescobrir o contato com a Palavra de Deus como lugar privilegiado de encontro com Jesus Cristo” (49). Sendo casa da Palavra devese ter em conta algumas propostas de ação (os números são das Diretrizes): Incrementar a animação bíblica da vida e da pastoral, com envolvimento de toda comunidade, pessoas, pastorais, movimentos, associações e serviço (Diretrizes, 93); a catequese de iniciação à vida cristã, de inspiração catecumenal, supõe uma estreita relação com a bíblia, pois 'a catequese há de haurir sempre o seu conteúdo na fonte viva da Palavra de Deus (...) A catequese fornece uma adequada formação bíblica dos cristãos” (85). valorização da liturgia como âmbito privilegiado onde Deus fala à comunidade (94): cuidar, com adequada formação do múnus de leitor na celebração litúrgica (101), especial atenção para a homilia que atualiza a mensagem bíblica (95); formação bíblica nos grupos de famílias e outras pequenas comunidades bem como cursos e escolas bíblicas (96), dando destaque para a leitura orante da Bíblia (98); cada ano, no Mês da Bíblia, é proposto o estudo de algum tema ou livro da bíblia. Este ano se propõe estudar o Evangelho de João com o tema: Discípulos missionários a partir do Evangelho de João e lema: “Permanecei no meu amor, para dar muitos frutos” (Cf. Jo 15,8-9); incentivo para que a Bíblia esteja nas mãos de todos, ajudando a ler e interpretar corretamente a Escritura (97);


10 - Setembro / 2015

l

Geral

l

A Voz da Diocese

Dom Adelar ministra palestra em aula inaugural da FAPAS O Bispo Diocesano de Cruz Alta, Dom Adelar Baruffi proferiu, no dia 05/08, a aula inaugural deste semestre do Curso de Teologia da Faculdade Palotina (FAPAS), em Santa Maria, onde estudam os seminaristas da Diocese de Cruz Alta. Estiveram presentes os acadêmicos e os professores do Curso. O tema da aula inaugural foi a Encíclica Laudato Si' do Papa comum. Fonte: Seminarista Douglas Carré Francisco sobre o cuidado da casa

Visita à Fazenda do Senhor Jesus em Bozano Dom Adelar Baruffi, juntamente com os padres Gelson Bays e Márcio Laufer, e da coordenadora da Cáritas Diocesana, Salete Wolf, estiveram, na tarde de 04/08, visitando a Comunidade Terapeutica Fazenda do Senhor Jesus, em Bozano. Foi uma tarde de muita fé, com momentos de reflexão. Dom Adelar conversou com os internos, conheceu as dependências e celebrou uma santa missa. Durante o encontro, foi entregue ao projeto Gotas de Vida, aprovado na primeira etapa de avaliações do Fundo Diocesano de Solidariedade, um valor para a construção de

uma cisterna, que auxiliará nas atividades do local.

Bispo celebra missa nos 13 anos da Cotefem No dia 02/08, o Bispo, Dom Adelar Baruffi, também esteve visitando a Comunidade Terapêutica Feminina – Cotefem. Ele presidiu a celebração da missa, na presença de familiares dos internos, no dia da visita. Foi uma missa com muitas bênçãos, já que no dia se comemorou os 13 anos da comunidade e, a graduação de mais uma pessoa. “Só temos a agradecer a Deus por esses momentos maravilhosos e conquistas. Deus seja louvado!”, destaca a diretoria da Cotefem.

Através da observação de um pôster com detalhes do quadro A volta do Filho Pródigo, de Rembrandt, o autor inicia uma caminhada espiritual na qual analisa os personagens dessa famosa parábola bíblica à luz de sua experiência pessoal.

Dicas para evitar o estresse Em uma conferência, ao explicar para a plateia a forma de controlar o estresse, o palestrante levantou um copo com água e perguntou: -"Qual o peso deste copo d'água? " As respostas variaram de 250g a 700g. O palestrante, então, disse: - "O peso real não importa. Isso depende de por quanto tempo você segurar o copo levantado." "Se o copo for mantido levantado durante um minuto, isso não é um problema. Se eu o mantenho levantado por uma hora, vou acabar com dor no braço. Mas se eu ficar segurando um dia inteiro, provavelmente eu vou ter cãibras dolorosas e vocês terão de chamar uma ambulância." E ele continuou: - "E isso acontece também com o estresse e a forma como controlamos o estresse. Se você carrega a sua carga por longos períodos, ou o tempo todo, cedo ou tarde a carga vai começar a ficar incrivelmente pesada e, finalmente, você não será mais capaz de carregála." "Para que o copo de água não fique pesado, você precisa colocá-lo sobre alguma coisa de vez em quando e descansar antes de pegá-lo novamente. Com nossa carga acontece o mesmo. Quando estamos refrescados e descansados nós podemos novamente transportar nossa carga.” Em seguida, ele distribui um folheto contendo algumas formas de administrar as cargas da vida, que são: 1* Aceite que há dias em que você é o pombo e outros em que você é a estátua. 2* Mantenha sempre suas palavras leves e doces pois pode acontecer de você precisar engolir todas elas. 3* Só leia coisas que faça você se sentir bem e ter a aparência boa de quem está bem, caso você morra durante a leitura. 4* Dirija com cuidado. Não só os carros apresentam defeitos e têm recall do fabricante. 5* Se não puder ser gentil, pelo menos tenha a decência de ser vago. 6* Se você emprestar R$1.000,00 para alguém e nunca mais vir essa pessoa, provavelmente valeu a pena pagar esse preço para se livrar dela. 7* Pode ser que o único propósito da sua vida seja servir de exemplo para os outros. 8* Nunca compre um carro que você não possa manter. 9* Quando você tenta pular obstáculos lembre que está com os dois pés no ar e sem nenhum apoio. 10* Ninguém se importa se você consegue dançar bem. Para participar e se divertir no baile, levante e dance, pronto. 11* Uma vez que a minhoca madrugadora é a que é devorada pelo pássaro, durma até mais tarde sempre que puder. 12* Lembre que é o segundo rato que come o queijo - o primeiro fica preso na ratoeira. Saiba esperar. 13* Quando tudo parece estar vindo na sua direção, provavelmente você está no lado errado da estrada. 14* Aniversários são bons para você. Quanto mais você tem, mais tempo você vive 15* Alguns erros são divertidos demais para serem cometidos só uma vez. 16* Podemos aprender muito com uma caixa de lápis de cor. Alguns têm pontas aguçadas, alguns têm formas bonitas e alguns são sem graça. Alguns têm nomes estranhos e todos são de cores diferentes, mas todos são lápis e precisam viver na mesma caixa. 17* Não perca tempo odiando alguém, remoendo ofensas e pensando em vingança. Enquanto você faz isso a pessoa está vivendo bem feliz e você é quem se sente mal e tem o gosto amargo na boca. 18* Quanto mais alta é a montanha mais difícil é a escalada. Poucos conseguem chegar ao topo, mas são eles que admiram a paisagem do alto e fazem as fotos que você admira dizendo "queria ter estado lá". 19* Uma pessoa realmente feliz é aquela que segue devagar pela estrada da vida, desfrutando o cenário, parando nos pontos mais interessantes e descobrindo atalhos para lugares maravilhosos que poucos conhecem.


l

A Voz da Diocese

l

Dica de Liturgia

Setembro / 2015 - 11

Diocese de Cruz Alta esteve representada no Encontro de Organismos em Porto Alegre Cerca de 50 representantes das arquidioceses e dioceses da Igreja do Rio Grande do Sul estiveram reunidos nos dias 04 e 05 de agosto últimos, na Casa Vila Betânia, em Porto Alegre (RS), para o Encontro dos Organismos. A Diocese de Cruz Alta foi representada pelo Pe. Magnus Camargo, Coordenador Diocesano de Pastoral. A pauta principal do encontro esteve em torno da viabilização de estratégias para a concretização das cinco linhas de ação inspiradas nas cinco urgências lançadas pela CNBB Nacional, nas Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. Na manhã do primeiro dia do encontro, foi realizado um trabalho em grupos para que cada linha de ação tivesse apenas uma estratégia definida, com procedimentos que viabilizem sua execução de modo prático e objetivo pelas (arqui) dioceses do Rio Grande do Sul. À CNBB Sul 3 cabe a definição destas estratégias e a elaboração de subsídios que poderão ser utilizados pelas Igrejas Particulares que desejarem, lembrando sempre que as dioceses possuem autonomia na dinâmica de ação eclesial. No turno da tarde do dia 4 de agosto, foi realizada a reunião por organismos, com o grupo da Presidência, CEP, ECODIPA e ECORES, que seguiram nos trabalhos de definição iniciados durante a manhã. A programação do dia foi encerrada com a celebração da Eucaristia às 18h, seguida pelo jantar, às 19h. Na manhã da quarta-feira, dia 5 de agosto, foi concluída a definição das estratégias e linhas de ação para o quadriênio 2015-2019. Além

disso, foi dado um momento para comunicações e avisos, além do encaminhamento para a elaboração do calendário do Regional Sul 3 da CNBB para 2016. A reunião foi concluída com santa missa e com o almoço. Confira as linhas de ação para o REGIONAL SUL 3 da CNBB – 2015-2019: 1ª - CONVERSÃO PASTORAL em vista de uma “IGREJA EM SAÍDA” Estratégia: Promover a Pastoral de Conjunto, fortalecendo a identidade missionária na ação evangelizadora. Procedimentos: - Articular/criar Conselhos Missionários - Organizar iniciativas missionárias indo ao encontro dos socialmente excluídos e moralmente perdidos. 2ª - PROCESSO DA INICIAÇÃO À VIDA CRISTÃ com uma CATEQUESE DE INSPIRAÇÃO CATECUMENAL Estratégia: Promover o processo da Iniciação à Vida Cristã como eixo integrador de toda a ação eclesial. Procedimentos: - Constituir uma Comissão Animadora Regional

Diocese de Cruz Alta e o Regional Sul 3 são representados na Assembleia da Rede Celebra

- Criar/indicar material para o percurso formativo - Valorizar o Itinerário Catequético da CNBB 3ª – DISCIPULADO MISSIONÁRIO centrado na PALAVRA DE DEUS Estratégia: Incrementar a Animação Bíblica da Vida e da Pastoral no Regional. Procedimentos: - Constituir uma Comissão Animadora Regional - Garantir a Leitura Orante da Palavra de Deus nos subsídios pastorais - Motivar a prática da Leitura Orante nas Reuniões e Encontros Pastorais 4ª - REVITALIZAÇÃO DAS PEQUENAS COMUNIDADES em vista de uma “NOVA PA R Ó Q U I A : C O M U N I D A D E D E COMUNIDADES” Estratégia: Fortalecer a vivência comunitária da fé cristã. Procedimentos: - Promover a setorização da paróquia no espírito do Documento 100 da CNBB - Promover os Conselhos Pastorais e os ministérios na perspectiva da comunhão e participação. - Organizar a pastoral do dízimo no espírito de partilha e compromisso comunitário. 5ª - IGREJA PROFÉTICA E MISERICORDIOSA A SERVIÇO DA VIDA

Estratégia: Assumir o cuidado da vida e da casa comum. Procedimentos: - Capacitar pessoas para atuarem nas instâncias decisórias da sociedade. - Fortalecer as Pastorais Sociais e revitalizar os organismos de interação com a sociedade. - Evitar a comercialização e consumo de álcool nos espaços da comunidade.

64ª Romaria de Fátima:

Equipes de trabalho se reúnem para organizar novena - Imagem da Santa entrará todas as noites às 19h30min -

A Diocese de Cruz Alta e o Regional Sul III de Liturgia estiveram representados na Assembleia da Rede Celebra de Animação Litúrgica, realizada em Brasília, de 22 a 26 de julho. Vera Prevedello, da Paróquia São João Batista, de Panambi, e Marcos Cerezer, da Paróquia São Geraldo Magela, de ijui, estiveram reunidos a outros 90 participantes vindos dos estados de RS, PR, SC, SP, MG, RJ, ES, GO, MS, DF, MA, PE, PB, PI, CE, BA,PA, AM, RO, para comemorar os 20 anos da Rede Celebra. “Encanta-nos constatar que mesmo diante das dificuldades, tais núcleos continuam se encontrando para partilhar a vida, estudar e animar a liturgia das comunidades. Fizemos memória dos 20 anos de caminhada da Rede Celebra: o processo de surgimento, o encontro de fundação, os encontros anuais, a organização dos núcleos, a herança recebida das CEB's e dos Intereclesiais, o protagonismo das mulheres, as publicações, as escolas de liturgia para juventude, o

Vera Prevedello e Marcos Cerezer

aperfeiçoamento de sua metodologia e pedagogia, as intuições sobre a música litúrgica. Procuramos compreender, também, a atual conjuntura eclesial e social”, conta Vera. Os participantes destacam a presença e a dedicação de Maria de Lourdes Zavarez e Maria do Carmo de Oliveira a frente deste serviço. Na oportunidade foi eleita a Equipe de Articulação para os três anos 2015-2018, composta por: Ivani Brito, Alberto Reani e Danilo Alves. O encontro contou com a presença de Dom Edmar Peron, bispo auxiliar de São Paulo, membro da Rede Celebra, e de Dom Sergio da Rocha, arcebispo de Brasília e presidente da CNBB.

Estiveram reunidas na noite de 11/08, as equipes que irão preparar a liturgia das noites da novena preparatória para a 64ª Romaria ao Monumento de Nossa Senhora de Fátima. O encontro foi realizado na sala 6 da Catedral, Divino Espírito Santo, na presença do Pe. Ari Braganholo. Esta foi a primeira reunião do grupo, sendo na ocasião definida a responsabilidade de cada equipe na preparação das celebrações. Entre as definições do grupo foi a data do translado da imagem da Santa do Monumento para a Catedral, que será no dia 27/09, após a missa das 16h. A imagem deve sair do Monumento às 17h, com caminhada até a Catedral, onde será celebrada missa às 18h. Outro ponto importante discutido na noite foi a entrada da imagem da Santa nas noites de novena. A Coordenadora Diocesana de Liturgia, Néli Gambini, que coordenou o encontro, explicou que, conforme determinação da Equipe Diocesana de Pastoral - EDIPA – ficou definido que, neste ano, a entronização da imagem será às 19h30min, todas as noites, para ser dado início ao terço. Já a novena iniciará às 20h, conforme cronograma.


14 - Setembro / 2015 XVIII DOMINGO DO TEMPO COMUM 06/09/2015 Fazer o bem, e fazer bem feito! Iniciamos o mês de setembro, colocando-nos mais atentamente à escuta da Palavra. Somente pela Palavra de Deus, saberemos por onde andar. A leitura do profeta Isaías traz uma mensagem de esperança às pessoas aflitas. Através das palavras do profeta, Deus manifesta seu amor e sua solidariedade ao povo que sofre. Ele anuncia as coisas boas que irão acontecer: os cegos enxergarão, os surdos ouvirão,os aleijados saltarão, jorrará água em terra seca. No evangelho de Marcos, Jesus realiza atos de bondade, e cura o surdo-mudo. Estas atitudes já eram esperadas pelo povo, que exalta o Messias: “Ele fez bem todas as coisas.” As leituras de hoje não querem nos mostrar um exibicionismo de Deus. O que o profeta fala, e Jesus realiza, são demonstrações do amor de Deus, e da sua manifestação do Reino no meio de seu povo. A carta de Tiago chama atenção para uma atitude que até hoje é realizada, até mesmo em nossas comunidades: o rico e o pobre, são recebidos e conduzidos de maneira diferente. O apóstolo protesta, dizendo que estas são atitudes de quem é cego e surdo ao projeto de Deus. A palavra de Deus nos convoca a mudarmos de atitude; convoca nossas comunidades a serem locais de acolhimento, de compromisso com aqueles mais sofredores. Precisamos ser pessoas que são capazes de levar esperança e coragem àqueles que mais necessitam. Somente poderemos ser transformados quando nos colocarmos na escuta verdadeira da Palavra, e deixarmo-nos transformar o nosso agir por ela. XIV DOMINGO DO TEMPO COMUM 13/09/2015 As leituras deste segundo domingo do mês dedicado à Bíblia sugerem uma reflexão sobre a fé em Deus e a fidelidade ao seu plano de amor. Na primeira leitura, o profeta Isaías apresenta-se como o porta-voz do povo que sofre no Exílio da Babilônia e faz a experiência do amor terno e eterno de Deus. Conserva o ouvido aberto aos apelos divinos e o coração dócil às suas palavras. Mesmo perseguido, caluniado e desprezado, guarda a certeza do socorro que vem de Deus. Por isso, permanece de pé diante das dificuldades e resiste com coragem às investidas dos seus opositores. Essa firmeza se alicerça na

l

Reflexões convicção de fé no Deus que se manifestou na história de Israel como libertador de toda a opressão. O Evangelho de hoje indica em que consiste a fé em Jesus: não basta a confissão explícita de que ele é o Cristo. É preciso renunciar a si mesmo, renunciar a toda mentalidade triunfalista e segui-lo no caminho da cruz. Na segunda leitura, Tiago, em tom definitivo, esclarece: “A fé, se não tiver obras, está totalmente morta”. São palavras de Deus que iluminam os nossos passos e fortalecem o nosso ânimo no seguimento de Jesus dentro dos desafios da atualidade. Jesus repreende Pedro chamando-o de satanás. Isso não foi para afastá-lo, mas para fazer que ele mudasse sua mentalidade triunfalista. Para os discípulos, Jesus seria o grande vencedor, o imperador que faria o mundo todo mudar. Jesus não é este vencedor, mas é aquele que vence pelo bem,pela alegria do reino de paz e justiça.Nós somos convidados a sermos testemunhas vivas de Cristo,demonstrando nossa fé em obras, e pela capacidade de entrega e renúncia total para seguir Jesus. XV DOMINGO DO TEMPO COMUM 20/09/2015 Somos da paz. Iniciemos nossa reflexão pelas palavras do apóstolo Tiago: ele diz que do ciúme e das rivalidades é que brotam todos os tipos de discórdia: as brigas pelo poder, por prestígio e todo tipo de descontentamento. O evangelho de Marcos nos mostra os discípulos em uma discussão mesquinha, mas muito atual: quem é o maior? Esta tentação de disputa pelo poder, nos faz reféns da discórdia, da desunião, do descontentamento. Mas é o próprio Tiago que nos oferece a solução, em consonância com as palavras de Jesus: é preciso sabedoria, que vem do alto, para promover a paz e seus frutos. Nossa confiança em Deus, apesar das dificuldades, deve ser completa. Jesus nos ensina que entre aqueles que querem ser comprometidos com o Reino,não pode haver “maiores”. Todos devemos ser como crianças, na sua pureza e inocência. Ele nos convoca a nos colocarmos a serviço. Quem quer ser o maior, deve ser aquele que serve. Em nossos tempos, é comum acharmos que temos que ter mais e sermos mais: mais beleza, mais poder, mais inteligência, mais riqueza, promovendo uma desenfreada competição. Como

l

A Voz da Diocese

discípulos que caminham com Jesus, e põe em prática suas palavras, nos coloquemos a serviço de nossos irmãos e irmãs, de nossas comunidades e de nossa sociedade. Se hoje fosse a nós dirigida a pergunta: “Quem é Jesus?” teríamos condições de respondê-la? Peçamos a Deus o discernimento dos justos, a pureza e a sabedoria que vem do alto, para realizar com alegria a paz tão almejada por todos nós. XVI DOMINGO DO TEMPO COMUM 27/09/2015

Neste último domingo de setembro, celebramos o dia da Bíblia. Através da Bíblia temos a oportunidade de conhecer a Deus e o seu plano de amor. Ele se revela na história humana. Concede seus dons com liberalidade para o bem de todos. Os dons de Deus não podem ser privatizados ou restringidos a determinadas pessoas ou instituições. A primeira leitura relata um episódio de efusão do Espírito de Deus não somente sobre Moisés, o grande líder do Êxodo, mas sobre muitas outras pessoas, as quais começaram a profetizar. Diante disso, teve gente que tentou impedi-las. O evangelho de Marcos conta como os discípulos tiveram a mesma reação ao constatarem que outras pessoas faziam o bem em nome de Jesus sem pertencerem ao grupo deles. Essas reações revelam a descabida pretensão de privatizar os dons de Deus. Também os bens materiais são dons de Deus que devem ser administrados de forma a proporcionar vida digna para todos. A segunda leitura denuncia veementemente a atitude dos ricos que privatizam esses bens e exploram os trabalhadores. Deus não deixará de ouvir o grito das pessoas injustiçadas e pedirá contas de quem retém os recursos que ele destinou para todos. Jesus coloca no evangelho de hoje mais um aspecto: para segui-lo. Não basta apenas falar bem Dele para merecer sua confiança.É preciso fidelidade às suas palavras. E isto exige até mesmo sacrifícios, de “cortarmos” aquilo que nos prejudica ou afasta da vontade de Deus. Não é para ser levado ao pé da letra: ninguém é obrigado a cortar a mão, o pé ou o olho, se não houver conversão de coração. Mas de nós é exigido evitar a prática do mal. Busquemos pela Palavra, os caminhos mais corretos, os caminhos do bem e da justiça, que nos fazem mais próximos de Deus.


A Voz da Diocese

l

Geral

Dom Adelar recebe seminaristas para um dia de convivência

l

Setembro / 2015 - 15

Palavra do Bispo Dom Adelar Baruffi Bispo Diocesano de Cruz Alta

Dízimo: gratidão a Deus e amor à Igreja

O dia 31 de julho foi de encontro dos seminaristas da diocese com o Bispo Diocesano, Dom Adelar Baruffi, na Casa Episcopal. Na parte da manhã houve um momento de conversa, reflexão e celebração da Eucaristia, seguido de almoço e convivência. Os seminaristas e o diácono receberam como presente de Dom Adelar, por ocasião do início do mês

vocacional, o livro "Ser Padre hoje" (Pe. Vitor Feller). Da esquerda para direita: (em pé) diácono Douglas Carré, seminarista Lucas Mendes, Dom Adelar Baruffi, Pe. Gelson Bays, Pe. Luiz Bruno Kolling. (agachados) seminaristas Maurício Trevizan, Cleiton Turela, Jean Pinheiro e Daniel Chagas.

Agenda do Bispo

Setembro

03/09 – 09h – reunião EDIPA – Cúria; 03/09 - 19h - Novena - Paróquia Natividade; 04/09 – 16h - 3º Cursilho Masculino Jovem – CDFP; 05 a 18/09 – Enc. novos Bispos com Papa - Roma; 22/09 – 09h - Reunião Região de Espumoso – Alto Alegre; 23/09 – 09h – Reunião Região de Soledade – Soledade; 25 a 27/09 – 4ª Etapa Curso de Lideranças – CDFP; 26/09 – XII Congresso Apostolado da Oração – Ibirubá.

Agenda Diocesana

Setembro

03/09 – 09h – reunião EDIPA – Cúria; 04 a 6/09 – 3º Cursilho Masculino Jovem – CDFP; 07/09 – Independência do Brasil; 11 a 13/09 – 3º Cursilho Feminino Jovem – CDFP; 15/09 – 09h – Reunião Região de Ijuí – São Geraldo/Ijuí; 16/09 – 08h30min – Reunião Região de Cruz Alta – Par. Fátima/Cruz Alta; 17/09 – 09h Reunião Região Panambi – Panambi 20/09 – Dia do Gaúcho; 21/09 – Reunião Interdiocesana da Cáritas - CDFP; 22/09 – 09h - Reunião Região de Espumoso – Alto Alegre; 23/09 – 09h – Reunião Região de Soledade – Soledade; 25 a 27/09 – 4ª Etapa Curso de Lideranças – CDFP; 26/09 – XII Congresso Apostolado da Oração – Ibirubá.

Várias são as motivações que levam o cristão a ofertar o dízimo. Graças a Deus, já crescemos na consciência de que o dízimo não é uma taxa que se deve pagar para se ter alguns direitos, sobretudo na recepção dos sacramentos. Um dos maiores entraves, que ainda devemos superar, é a mentalidade mercantilista que perpassa todas as dimensões da nossa vida. Somos acostumados a comprar e vender. Então, há quem pense assim: sou fiel, “pago o dízimo”, então não terei males e Deus irá me retribuir com riquezas. Mas nossa relação com Deus imposta-se de outra maneira: tem a marca da graça, do amor gratuito de Deus por nós (cf. 1Jo 4,7-10). Embora alguns ainda insistam em se relacionar com Deus de maneira comercial, Deus não age assim conosco, pois “ele faz nascer o sol sobre maus e bons, e faz chover sobre justos e injustos” (Mt 5,45). Então, se não é para obter benefícios, porque o cristão é convidado a contribuir com o dízimo?

Ter um coração agradecido A primeira motivação é a gratidão a Deus. Um coração agradecido é generoso. O dízimo trata-se de uma questão de fé, de um olhar de fé! Sim, os olhos da fé reconhecem a presença constante de Deus, que se manifesta de várias maneiras, na vida pessoal, na Igreja, na sociedade, na criação. Assim, expressa sua gratidão: “Dai graças ao Senhor, porque o seu amor é para sempre! (Sl 118, 1). A Ele brota, desde nosso coração, um grande “muito obrigado”. Não é uma obrigação. Não estamos lhe pedindo nada, somente agradecendo. Então, o dízimo é como quando damos um presente a alguém que amamos, a quem somos muito gratos pela amizade e pelo lugar especial que ocupa em nossa vida. Quanto maior for a amizade por esta pessoa, maior será a gratidão por ela. A Deus nunca seremos suficientemente gratos. Ele não precisa de nossa gratidão, mas sermos gratos é uma obrigação a que nos impomos a nós mesmos. Por isso, vale para o dízimo a palavra de Paulo: “Cada um dê conforme decidir em seu coração, sem pena ou constrangimento, porque Deus ama quem dá com alegria” (2Cor 9,7). E a gratidão faz bem a quem dá e a quem recebe. Quebra nosso orgulho. Ensina a partilhar.Dízimo é ação de graças!

Amar a Igreja O segundo sentido refere-se ao vínculo do fiel com a comunidade de fé. A vida cristã se dá no seguimento de Jesus Cristo numa comunidade. O cristão compreende a comunidade paroquial como parte de sua fé. Não é uma realidade sociológica, muito menos uma mera instituição prestadora de serviços. É a comunidade, da qual é parte, junto com todos os outros irmãos e irmãs, com a missão de continuar a missão evangelizadora recebida de Jesus Cristo. Neste sentido, a oferta do dízimo é expressão do compromisso como discípulo missionário. Quanto maior for a consciência de pertença e amor à Igreja, maior será a alegria de participar dela nos diversos serviços, ministérios e, também, com a necessária ajuda econômica. Enfim, experiência do amor de Deus faz brotar a gratidão e a generosidade. Um dos jeitos de agradecer a Deus por tudo o que recebemos é ofertar o dízimo à comunidade, que tem a missão de continuar a obra iniciada por Jesus.


Lançada oficialmente a 64ª Romaria ao Monumento de Fátima Foi lançada, oficialmente, na noite de 06 de agosto, na Catedral Divino Espírito Santo, a 64ª edição da Romaria ao Monumento de Fátima, que neste ano traz o tema: Com Maria, formamos comunidade servidora da vida! e Lema: “Ouvintes e praticantes da Palavra de Deus” (cf. Lc 8,21). O evento, que será realizado no dia 11/10, espera receber cerca de 180 mil fiéis. Após missa, celebrada por Dom Adelar Baruffi, acompanhado do padre Luiz Bruno Kolling, uma solenidade foi realizada no salão paroquial da Catedral, reunindo autoridades civis e militares, recepcionados pela comissão de festeiros. O Pe. Márcio Laufer, referencial da comissão deste ano, lembrou as visitas com imagem da Santa, realizadas

nas paróquias. “Esta romaria traz para Cruz Alta, muitas demonstrações de fé. Por isso este trabalho é tão importante. Me sinto muito feliz em estar junto com este grupo”, destacou. “Inicialmente nos sentimos pequenos para este grande compromisso. Porém, com o passar do tempo, percebemos que

Nossa Senhora nos orienta e nos conduz no desenvolvimento do trabalho, e nos mostra que somos capazes de vencer”, conta o casal coordenador Sirlei e Carlos Alberto Machado. O Coordenador de Pastoral, Pe. Magnus Camargo, lembrou os encontros de família que estão acontecendo nas e de fé.

comunidades. “A romaria é sempre um momento muito marcante em nossa caminhada pessoal e de fé. E, com o tema e lema deste ano a igreja aproveita para evangelizar. Essa evangelização já vai acontecendo no processo de organização do evento”, disse. Dom Adelar Baruffi destacou que “esta é uma romaria que vai além das portas da igreja. Que está presente na sociedade cruz-altense e de toda nossa diocese”. Para Dom Adelar, a comunidade faz a festa, e a festa faz a comunidade. “Não é a romaria de uma ou de outra pessoa, mas é de toda uma comunidade e, a festa faz a comunidade, pois aquilo que ela produz, o retorno que ela dá, vai formando as pessoas”, disse.

Encontro reúne mais de mil catequistas da Diocese de Cruz Alta O dia 08 de agosto entrou para a história da Diocese de Cruz Alta, quando mais de mil catequistas estiveram reunidas, na Casa de Cultura de Ibirubá, para um encontro de formação. O evento contou com a assessoria de Dom Leomar Brustolin, Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Porto Alegre, que coordenou a elaboração da Coleção Catequese com Leitura Orante, que está sendo adotada como subsídio catequético na diocese. O encontro iniciou com a acolhida as caravanas. Às 08h30min, foi celebrada m i s s a c o m D o m A d e l a r B a r u ff i , acompanhado dos padres da diocese. Em seguida, a palestra, que se estendeu até a tarde. Para Dom Adelar Baruffi, Bispo da Diocese de Cruz Alta, este é um dia que ficará marcado na história da Diocese de Cruz Alta. "Neste momento em que na diocese está sendo aprofundada esta caminha da vida Cristã é importante ouvir uma palavra de alguém que conhece a fundo os texto utilizados em nossas comunidades. Dom Leomar foi quem os elaborou. Isso dá segurança para nossos catequistas, para que entendam a importância da missão que estão realizando, pois a catequese é uma

verdadeira missão de evangelização", destacou. De acordo com Dom Leomar Brustolin, no que se refere a catequese, hoje, o momento é de plantar a semente, para serem colhidos os frutos

Conselho dos Presbíteros esteve reunido no mês de agosto

Dom Adelar Baruffi e Dom Leomar Brustolin

necessários no futuro. "Esta assembleia pode ser o início de uma virada. Se esse grupo pensar um processo que venha a assumir uma catequese como iniciação, e não de instrução, poderemos ver, nesta região, em pouco tempo, os primeiros frutos. Vai demorar muito tempo, mas já é o começo de uma nova etapa", finalizou. Para o Coordenador Diocesano de Catequese, Pe. João Alberto Bagolin, o encontro superou as expectativas. "Ficamos muito felizes com o número de participantes, assim como com a presença dos padres e o conteúdo trabalhado", destacou.

Estiveram reunidos na tarde de 06/08, nas dependências da Cúria Diocesana, o Conselho dos Presbíteros. Vários assuntos estiveram na pauta, entre eles, foi definida a data da ordenação do diácono Douglas Carré, que deverá ser no dia 13 de novembro; o Projeto de formação presbiteral: Grupos Vocacionais - Propedêutico - Seminário Maior - SAV - Formação do Conselho Diocesano de Formação; Coordenação de pastoral: Resultado das novas diretrizes do regional sul 3 - Ano da Misericórdia – cuja abertura será no dia 13 de dezembro, às 18h na Catedral; os critérios para as nomeações e ou transferências; entre outros assuntos administrativos.

Diocese de Cruz Alta comemora Dia dos padres O dia 03/08 foi especial para a Diocese de Cruz Alta. Com muita fé, paz e alegria, padres e freis estiveram reunidos, com seu Bispo Diocesano, Dom A d e l a r B a r u ff i , p a r a comemorar o Dia do Padre. O local escolhido, neste ano, para o retiro espiritual, foi a Comunidade São Paulo, em Ijuí. As atividades iniciaram com celebração eucarística comemorativa a data, celebrada por Dom Adelar. O dia seguiu com várias atividades, momentos de reflexões e confraternização.

Entre os temas discutidos esteve a eleição do Coordenador Diocesano da Pastoral Presbiteral, sendo o Pe. Flávio Antônio Rohr, eleito pelos padres. Ele que, atualmente, é pároco das paróquias Sagrado Coração de

www.diocesecruzalta.com.br

Jesus, de Saldanha Marinho, e da Paróquia Santa Bárbara, de Santa Bárbara do Sul, sucede o padre José Rodolfo Jantsch. C o m a eleição, o padre passa a integrar o Conselho dos Presbíteros, sendo nomeado pelo Bispo Diocesano, Dom Adelar Baruffi, como novo membro.

www.facebook.com/diocesede.cruzalta

O Dia do Padre é celebrado oficialmente em 4 de agosto, data da Festa de São João Maria Vianney, desde 1929, quando o papa Pio XI o proclamou "homem extraordinário e todo apostólico, padroeiro celeste de todos os párocos de Roma e do mundo católico".

twitter.com/diocesecruzalta

Jornal setembro