Page 1

Cleber Dario Pinto Kruel

Memorial Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Concurso para provimento de Cargo de Professor Titular do Departamento de Cirurgia Subårea – Cirurgia Geral Porto Alegre, setembro de 2012.


Cleber Dario Pinto Kruel

Memorial Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Concurso para provimento de Cargo de Professor Titular do Departamento de Cirurgia Subårea – Cirurgia Geral Porto Alegre, setembro de 2012.


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

4


Agradecimentos

T

odo o trabalho envolvendo o presente concurso é dedicado à minha família, Inês, Cleber, Carolina, Augusto, Juliana, Paulo, Letícia, Antonio, Joana e Pedro, que me acompanharam e me deram condições de chegar até aqui.

5


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel


Identificação

Cleber Dario Pinto Kruel

C

leber Dario Pinto Kruel, nascido em 11 de maio de 1948, em Tupanciretã, Rio Grande do Sul, filho de Dario Viana Kruel e Ádila Pinto Kruel, casado com Inês Rosito Pinto Kruel, pai de quatro filhos Cleber, Augusto, Juliana e Leticia. Avô de Joana e Pedro. Residente na rua Coronel Bordini 300 apto 601, Auxiliadora, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. CREMERS: 5001, CPF:151473470-20, RG:2003177934

7


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

8


Sumário

1 2

Fase Pré-Universitária�������������������������������������������������������������������������������������������� 12

— A Faculdade de Medicina da Universidade Federal

do Rio Grande do Sul (Casa de Sarmento Leite)������������������������������������� 16

Residência médica em cirurgia geral����������������������������������������������������������������������������������� 18

Alguns indicadores de atividades acadêmicas���������������������������������������������������������������������� 31

4.1 Ensino de Graduação���������������������������������������������������������������������������������������������������� 31

4.2 Pós-graduação Stricto Sensu����������������������������������������������������������������������������������������� 35

4.3 Cursos de Especialização e Extensão � ����������������������������������������������������������������������������� 36

4.3.1 Menos de 40 Horas� ����������������������������������������������������������������������������������������������������� 36 4.3.2 Mais de 40 Horas� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � ��� 4 0

4.4 Orientação de Alunos de Graduação ���������������������������������������������������������������������������� 41 4.4.1 Iniciação Científica� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � ��� 4 1

4.5 Orientação de Alunos de Mestrado � ������������������������������������������������������������������������������ 43

4.6 Orientação de Alunos de Doutorado ����������������������������������������������������������������������������� 45

4.7 Supervisão de Pós-Doutorado � �������������������������������������������������������������������������������������� 46

4.8 Regência de Disciplina de Graduação � �������������������������������������������������������������������������� 47

5 Atividades Administrativas����������������������������������������������������������������������������������������������� 47

5.1 Cargos de Direção ��������������������������������������������������������������������������������������������������������� 47

5.2 Cargos de Chefia de Departamento e de Coordenação de Cursos, Programa de Pós- Graduação e de Outras Comissões ������������������������������������������������������������������������������������� 47

5.3 Participação em Órgãos de Colegiado na Administração Central da Universidade� �������� 48

5.4 Participação em Órgãos Colegiados no Nível das Unidades, Centros e Departamentos �� 48

5.5 Cargos Externos à Universidade������������������������������������������������������������������������������������ 51

5.6 Cargos Externos à Universidade Relacionados à Administração Hospitalar ������������������ 51 5.6.1 Chefia de Serviço � � � � � � � �� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � ��� 5 1

5.6.2 Outros Cargos� ������������������������������������������������������������������������������������������������������������ 52

5.7 Outros não Previstos pelo Departamento����������������������������������������������������������������������� 52

9


Memorial

3

Cleber Dario Pinto Kruel

— Liderança e Senioridade����������������������������������������������������������������������������������������� 54 Capacitacão de Pessoal de Nível Superior - CAPES� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 55 Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - CBCD� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 55 Coordenação de Eventos Científicos � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 58 Participação em Bancas de Concursos em Outras Universidades� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 59 Participação em Banca de Doutorado em Outras Universidades� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 59 Participação em Bancas de mestrado e doutorado na própria instituição de origem e mestrado em outras instituições� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 59 Pós-Doutorado � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 60 Alguns indicadores de liderança e senioridade� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 61 Prêmios e Distinções� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 61

2.1 Participação em Órgãos de Fomento e em Comissões���������������������������������������������������� 62

2.2 Participação em Diretorias e Conselhos de Sociedades Científicas ��������������������������������� 64

2.3 Coordenação de Eventos Científicos ������������������������������������������������������������������������������ 65

2.4 Participação em Bancas de Concursos em Outras Universidades ���������������������������������� 66

2.5 Participação em Banca de Doutorado em Outras Universidades������������������������������������ 67

2.6 Participação Em Comitês Editoriais De Periódicos � ������������������������������������������������������ 68

2.7 Coordenação De Projetos Colaborativos������������������������������������������������������������������������ 69

2.7.1 Coordenação Local de Projeto de Âmbito Nacional� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 69 2.7.2 Coordenação Local de Projeto de Âmbito Regional� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 70

2.8 Participação em Bancas de Mestrado e Doutorado na Instituição de Origem e Mestrado em Outras Instituições��������������������������������������������������������������������� 73 2.8.1 Mestrado – Instituição de Origem� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 73 2.8.2 Mestrado – Outras Instituições � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 80 2.8.3 Doutorado – Instituição de Origem� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 82

2.9 Título de Pós-doutor � ����������������������������������������������������������������������������������������������������� 83

4

2.10 Outros não previstos pelo Departamento� ��������������������������������������������������������������������� 83

2.10.1 Participação em Comissões e Membro Efetivo em Eventos Científicos� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 83 2.10.2 Participação em Bancas de Exame Geral de Qualificação� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 86 2.10.3 Visitas a Centros de Excelência no Exterior� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 86

— Geração. de Conhecimento� �������������������������������������������������������������������������������������� 88 Alguns indicadores de geração de conhecimento� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 93

3.1 Capítulos de Livros Publicados no País������������������������������������������������������������������������� 93

3.2 Capítulos de Livros Publicados no Exterior� ������������������������������������������������������������������ 94

10


Sumário

3.3 Artigos Completos Publicados em Periódicos Indexados no País (SCIELO)������������������� 95

3.4 Artigos Completos Publicados em Periódicos Indexados no Exterior (pubmed/medline)� �������������������������������������������������������������������������������������������� 96

3.5 Artigos Completos Publicados em Anais de Conferências/Congressos no País ������������� 116

3.6 Artigos Resumidos Publicados em Anais de Conferências/Congressos no Exterior � ������ 116

3.7 Artigos Resumidos Publicados Em Anais De Conferências/Congressos No País��������� 119

3.8 Apresentação de Palestras e Trabalhos Convidados em Eventos Científicos ����������������� 129

3.8.1 No País� ��������������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 129

3.8.2 No Exterior��������������������������������������������������������������������������������������������������������������� 142

3.9 Captação de Recursos Financeiros������������������������������������������������������������������������������� 145 3.9.1 Recursos para Projetos� � �� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 1 4 5 3.9.2 Recursos para Iniciação Científica� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 1 4 6

3.10 Coordenação e Participação em Grupo de Pesquisas�������������������������������������������������� 147

3.10.1 Coordenação� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �� 1 4 7 3.10.2 Participação � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �� 1 4 8

3.11 Participação como Comentarista, Moderador ou Presidente de Mesa em Evento Científico �������������������������������������������������������������������������������������������������������� 149 3.11.1 Nacional� � � � � � � � � � � � � � � � � � � �� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �� 1 4 9 3.11.2 Internacional� � � � � � � � � � � � � � �� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 1 6 0

3.12 ÍNDICE H ISI- WEB of SCIENCE= 7���������������������������������������������������������������������� 163

3.12.1 ISI-Web of Science

� ������������������������������������������������������������������������������������������������ 163

3.12.2 ÍNDICE H SCOPUS = 8� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �� 1 6 6

3.13 Outros Não Previstos Pelo Departamento� ������������������������������������������������������������������ 172 3.13.1 Artigos Publicados� � � � � � �� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 1 7 2 3.13.2 Participação em Eventos Científicos no País� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 1 7 2 3.13.3 Participação em Eventos Científicos no Exterior� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 1 7 4

5

Proposta de Trabalho���������������������������������������������������������������������������������������������� 176

6

— Linha do Tempo��������������������������������������������������������������������������������������������������������� 180

Pesquisa� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � 1 7 7 Ensino� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �� 1 7 8 Extensão� � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � � �� 1 7 9

11


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

1

— Fase Pré-Universitária


1 Fase Pré-Universitária

A

descrição de uma trajetória de vida, com a finalidade de apresentar-me a banca do concurso para o provimento do cargo de professor titular é uma tarefa que resgata o que de mais gratificante realizei na vida profissional.

Procurarei demonstrar o meu desempenho buscando a isenção, sem ultrapassar os limites da informação necessária para análise daquilo que eu construí ao longo de minha vida. Peço a compreensão dessa egrégia banca se, de alguma maneira, esse objetivo for ultrapassado em função da carga afetiva e emocional que o texto contém.

O memorial foi dividido em seis capítulos, sendo o último uma linha de tempo.

Neste inicial denominado fase pré-universitária são descritos sumariamente aspectos de minha família e motivações que me trouxeram a medicina. Os demais capítulos procuram seguir a trajetória do currículo segundo as normas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, porém, sem o mesmo ordenamento e com liberalidade de comentários entre as várias etapas. O segundo capítulo trata da minha vida na universidade e ações administrativas que demonstram experiência no setor, acompanhado da relação nominal dos tópicos para facilitar eventuais conferência de dados. O terceiro capítulo aborda os aspectos de liderança e senioridade conforme a sistemática do currículo, procurando acrescentar aspectos pessoais com a finalidade de esclarecer as diversas ações do candidato. O quarto capítulo enumera e ao mesmo tempo descreve a trajetória da geração de conhecimento a partir das suas diversas formas de expressão na vida universitária, publicações, palestras e no final a forma bastante discutida mas significativa dos índices de citações. O quinto capítulo, talvez o mais difícil de ser escrito porque trata das propostas para o futuro e sua execução dependerá da aprovação e do rigoroso e isento julgamento dessa banca.

13


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Convido os membros da banca a me acompanharem nessa descrição pelos seis capítulos deste memorial. Nasci no interior do Rio Grande do Sul, na cidade de Tupanciretã, em 11 de maio de 1948. Nossa família compunha-se de quatro pessoas, meu pai um pequeno industrial, que tinha como característica pessoal uma intensa paixão e dedicação pelo que fazia. Nunca desistia. Tinha uma máxima que sempre repetia: “o difícil se alcança logo, o impossível pode demorar um pouco”. Traços que hoje meus amigos dizem reconhecer em meus filhos. Apesar de não possuir formação acadêmica formal, desenvolveu alguns inventos na área da mecânica que no futuro tiveram importância na minha trajetória profissional paralela a medicina. Minha mãe professora da escola primária também foi figura marcante no meu desenvolvimento intelectual, mostrando o caminho da leitura, das enciclopédias, enfim tudo que o mundo da época poderia proporcionar de acesso ao conhecimento. Meu irmão, sete anos mais velho, até hoje meu fiel amigo, na época companheiro e instrutor das atividades lúdicas da infância, é um homem do campo dotado da sabedoria de quem vive em contato com a natureza. Não posso deixar de citar uma tia avó, mãe Nena, que me recitava Camões e quando dominei as primeiras letras formando palavras, me deu uma autorização para comprar livros, o que hoje corresponderia a um vale presente de livros. O exame de admissão ao ginásio, passando do quarto ano primário ao curso ginasial foi a primeira ousadia em termos intelectuais a que me propus. Ao ter êxito, consegui, com a mente de um menino de 10 anos, entender que o crescimento intelectual depende de muito esforço, sem esmorecimento e identificação clara do objetivo. Naquela fase da vida eu já tinha forte aspiração em ser médico, tendo como exemplo e inspiração um primo de minha mãe, importante médico e intelectual riograndense, Aureliano de Figueiredo Pinto, com quem convivi nesse período e me transmitiu uma idéia humana do exercício da Medicina. Aos 11 anos de idade acompanhei minha família que se mudou para Porto Alegre. Completei o curso científico e prestei o exame vestibular para admissão na nossa querida CASA de Sarmento Leite, no ano de 1966.

14


1 Fase Pré-Universitária

15


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

de Medicina 2 — daA Faculdade Universidade Federal

do Rio Grande do Sul

(Casa de Sarmento Leite)


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite)

N

este capítulo serão abordados aspectos pontuados no currículo como indicadores de atividades acadêmicas e administrativas assim como outros aspectos que me parecem relevantes para a análise e julgamento.

Calouros 1966 – Cleber Dario Pinto Kruel no destaque

No verão de 1966, aos 17 anos, fui aprovado no concurso vestibular, me tornando calouro dessa prestigiosa escola médica. Estava na casa de Sarmento Leite. Um adolescente que ao deparar-se com o mundo universitário foi tomado pelo sentimento de onipotência. Já no segundo semestre do primeiro ano, a disciplina coordenada pelo professor Tuiskon Dick, nos exigia habilidades como a determinação da Constante de Michaelis, também a bioquímica moderna

17


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

surgia através do conhecimento da alfa hélice de proteínas, ciclo de Krebs, estrutura do DNA e os aspectos promissores desses conhecimentos. O professor Dick afirmava que “até os cirurgiões deveriam saber bioquímica”. Foi, sem sombra de dúvida, um mestre que marcou a nossa geração. O livro chave para acompanharmos tudo isso era o White Handler Smith. No sétimo semestre tive meu primeiro contato com a Cirurgia, desde então, passaram-se 43 anos. Todo esse tempo foi extremamente gratificante, o que me leva a afirmar: a escolha foi certa. Durante o período de graduação acompanhei e participei ativamente da equipe cirúrgica do professor Carlos Cuervo Arango, que tinha como assistentes os Drs. Samuel Constant e Yssao Ymay. A amizade e o convívio com o professor Cuervo moldaram minha personalidade cirúrgica pela ética e rigor científico no trato do paciente, laços esses, que permaneceram até o final de sua vida em 2005. Como doutorando fiz todo o estágio na enfermaria 2, Nefrologia, sob a supervisão da competente professora Dra. Lydia Bischoff. Consolidei conhecimentos de equilíbrio hidrosalino e ácido básico que seriam fundamentais para a minha Livro de bioquímica ano 1966 atividade cirúrgica. Nesse período convivi com os residentes do Departamento de Cirurgia que ficava um andar acima da enfermaria de Nefrologia. Lá cumpriam seu trabalho os residentes de segundo ano de Cirurgia, Drs. Santo Pascoal Vitola, Ivan Cecconelo, João Carlos Ketzer de Souza, Marcelino Poli, Roberto Camozzato, Luis Deferrari e Jorge Antoniazzi e o residente do terceiro ano Dr.Patrick Laporte. De Anestesia, Drs.Itacir Uguini, Helena Arenson, Artur Burlamaque. Os de Cirugia do primeiro ano eram os Drs.Jorge Priori, Robert Estevão, Gastão Medeiros, Raul Nelstein, Celso Spadoni e Theobaldo Souza.

Professor Carlos Cuervo Arango

Residência médica em cirurgia geral

Ao terminar o período de graduação em Medicina, me submeti à seleção para Residência Médica em Cirurgia Geral, no departamento de Cirurgia da UFRGS. Fui aprovado e iniciei em janeiro de 1972. Era R1 na enfermaria 30 da Santa

18


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) Casa de Misericórdia de Porto Alegre. Foram meus colegas de residência os acima mencionados como residentes do primeiro ano em 1971. Éramos cinco residentes do primeiro ano, além de mim os drs., Luis Antônio Guaranha, Nelson Audino, Aurélio Ariza e Iran Maciel. Na Anestesia os Drs Fernando Wallau, Rubi Eloi Frantz, Eliana Pesoa, Nauro Machado . Completando essa nominata cito os residentes de primeiro ano em 1972, Drs. Gilberto Bortolini, Gilberto Ribeiro e Carlos Uebel. As enfermarias 30, 30ª, 17 e 18, da Santa Casa de Misericórdia, eram administradas pelo Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina. Os noventa leitos cirúrgicos que compunham as três enfermarias eram atendidos por onze residentes: cinco do primeiro ano, cinco do segundo e um do terceiro. O programa de residência em anestesia era coordenado pelo professor Flavio Dischinger, onde cumpríamos o estágio de um mês, executando procedimentos anestésicos com rigorosa metodologia e supervisão. O bloco cirúrgico da enfermaria 30 possuía duas salas cirúrgicas e uma de recuperação. Na enfermaria 18 havia uma sala com duas mesas cirúrgicas que compartilhávamos com os residentes da Faculdade Católica de Medicina. Nesse universo passei dois anos. Aprendi atitudes médicas, tornandome cirurgião. Convivi com pessoas que até hoje me servem de exemplo. Marcou a todos a figura da enfermeira responsável, Irmã Lina. Era uma religiosa da Ordem Franciscana, com graduação em enfermagem que desenvolvia um trabalho incansável de apoio aos pacientes e médicos, pessoa que deve ser sempre lembrada como modelo de dedicação e competência. Os dois anos de residência me deram experiência e conhecimento da prática cirúrgica. Convivi com a elite cirúrgica do Rio Grande do Sul: professores Carlos Cuervo Arango, João de Almeida Antunes, Loreno Brentano, Renato Amaral, Renan Marsiaj de Oliveira, Jose Kruel de Almeida, Josué Vieira, Carlos Heredia Antunes, Hilberto Almeida, João Mussnich, Pedro Gus, Alaor Teixeira, Gilberto Barbosa, Jair Saadi e Ivo Nesralla. O aprendizado diuturno da formação de um especialista em Cirurgia Geral foi moldando a minha personalidade cirúrgica, caracterizada por disciplina em todos os níveis: desde a consulta nos ambulatórios, a rotina de visitas nas enfermarias, cuidado com curativos, drenos e sondas, verificação constante do paciente como um todo e identificação precoce dos sinais de complicações. Naquela época, o banco de sangue da enfermaria era administrado pelos residentes de cirurgia da UFRGS, o que acabou por se tornar mais uma fonte de aprendizado. No decorrer do primeiro ano fui aprovado no exame da Associação Médica do Rio Grande do Sul e no exame do Educational Council for Foreign Medical Graduates, pois tinha intenção de ir aos Estados Unidos para complementar a formação cirúrgica e tornar-me cirurgião plástico. Em 1973 finalizei dois anos de residência com consistentes conhecimentos dos principais procedimentos da época: esofagectomia com esofagocoloplastia ou esofagogastrectomia, vagectomia com piloroplastia, as abordagens das vias biliares, cirurgia do pâncreas, cirurgia do cisto hidático de

19


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

fígado, gastrectomias, hernias da parede abdominal e a cirurgia da hernia hiatal ainda sem o conhecimento atual sobre refluxo gastroesofágico. Também fazia parte toda a coloproctologia da época, assim como as abordagens cirúrgicas das glândulas salivares, tireóide e paratireóides. Tanto a cirurgia pediátrica, como a vascular periférica e plástica, eram agregadas como parte da formação do programa de residência. No ano de 1974 recebi o convite para fazer parte do corpo docente do departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da Pontificia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS, que estava com os seus primeiros alunos cursando o quarto ano e iniciando a disciplina de Cirurgia. Iniciava, aos vinte cinco anos de idade, a minha carreira docente. Os desafios eram agora de ordem didática. O primeiro semestre foi caracterizado por um intenso trabalho organizacional, uma vez que o hospital escola não estava concluído e exigia constantes deslocamentos do corpo docente e discente ao Hospital São Francisco, em Porto Alegre, e ao Hospital da Aeronáutica de Canoas, que dispuseram de suas instalações para o ensino. Em 1975, fiz o curso de metodologia do ensino superior para docentes de Medicina na Faculdade de Educação da UFRGS. No mesmo ano, nasceu meu primeiro filho, Cleber, oportunidade em que tomei a decisão de permanecer no Brasil, pois afora a questão pessoal, estava me identificando com o exercício da docência, e o afastamento, certamente, me desvincularia da instituição, interrompendo a continuidade do sonho que se tornava real. Em 1976 recebi outro convite, dessa vez para participar do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da UFRGS como professor horista. Como as cargas horárias eram compatíveis, o retorno a casa de Sarmento Leite foi o passo definitivo para tornar-me um docente da Medicina. O desejo de fazer Cirurgia Plástica tinha me levado a aprender fundamentos importantes da especialidade, como o trato delicado com os tecidos e tentar entender as aspirações dos pacientes em relação a estética. As minhas primeiras publicações foram artigos de revisão sobre temas de interesse da cirurgia nos periódicos locais da PUCRS e da Associação Médica do Rio Grande do Sul. Em 1976 fui aprovado no exame para admissão como cirurgião geral do Instituto Nacional da Previdência Social do Rio Grande do Sul. Tal posição assegurava maior experiência cirúrgica para o início de carreira. A efetivação, como professor colaborador na UFRGS, ocorreu em 1977 para atuar nas enfermarias da Santa Casa de Misericórdia, onde havia feito a residência de Cirurgia Geral. O exercício da docência em duas escolas médicas e a atividade profissional como cirurgião me absorvia totalmente. Naquele momento minha formação estava voltada para o exercício profissional. A participação em diversos encontros, ministrando palestras, me possibilitou amadurecer profissionalmente. No ano de 1982 fui atropelado pelas circunstâncias, sofri uma profunda perda, que determinou uma intensa transformção na minha vida; fazendo-me rever valores e prioridades. Entendi e compreendi

20


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) as angústias e necessidades do paciente de forma sofrida, em razão disso, espero ter me tornado um melhor médico, no sentido humano. Isso me levou a decidir pela priorização das relações afetivas, com isso permaneci como docente na UFRGS e pedi demissão da PUCRS. Com o foco definido na UFRGS, a atuação docente passou a ser mais efetiva e consistente. Era membro do Colegiado do Departamento de Cirurgia por ocasião da designação de vagas e elaboração do edital do último concurso realizado para provimento do cargo de professor titular em Cirurgia Geral. Naquele concurso tornaram-se professores titulares: Loreno Brentano, Luis Rohde, Ivo Nesrala, Ubirajara Mota, Pedro Gus e Renato Amaral. Vivenciei como observador privilegiado, a montagem de um dos eventos mais importantes da vida acadêmica.

Estava lançada a semente no jovem docente.

Dando continuidade a trajetória acadêmica, após ser assistente da regência da disciplina de cirurgia, assumi a sua coordenação, conseguindo colocar em prática tudo o que vinha armazenando em termos de planejamento e avaliação do processo de ensino aprendizagem. Esse desempenho rendeu-me um voto de louvor do colegiado do Departamento em 1992, na gestão do professor Renato Amaral. Já em 1993, fui indicado para concorrer ao prêmio México de Ciências, oportunidade na qual recebi referência elogiosa de meu desempenho pelo professor Manoel Krimberg, então chefe do Departamento. Tais manifestações de aprovação foram consequência de significativas mudanças realizadas na técnica operatória, tornando-a uma disciplina atraente pelo seu conteúdo voltado para a pesquisa experimental, executadas no meu período de regência. A transmissão do conhecimento era gratificante na medida que estávamos formando médicos e especialistas para o exercício profissional, mas ao mesmo tempo percebia-se que a importação do conhecimento não era suficiente para resolver os nossos problemas de saúde. A UFRGS estimulava seus docentes a buscar a pós-graduação senso strito, através de bolsas da CAPES e liberação total ou parcial das atividades. Paralelamente a atividade acadêmica passei a administrar uma indústria familiar de fabricação de anzóis para pesca, na qual permaneci pelo período de cinco anos. Essa atividade proporcionou-me a aquisição de conhecimentos de gestão que seriam de muita importância no mundo da administração acadêmica e da pesquisa. A experiência empresarial encerrou-se no ano de 1988, quando iniciei o doutorado no programa de pós-graduação em Gastroenterologia Cirúrgica na Escola Paulista de Medicina – EPM. O doutorado na Escola Paulista de Medicina, teve a orientação do professor Jesus Pan Chacon. O projeto de pesquisa era ambicioso: desenvolver carcinogênese esofágica experimental em camundongos com a finalidade de descrever suas etapas e relacioná-las com o esfregaço citológico obtido nas várias fases do desenvolvimento tumoral. Fui motivado a trilhar este caminho pelo professor João Carlos Prolla,

21


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

eminente citologista com renome internacional, que me abriu as portas para o universo da pesquisa e os grandes questionamentos a respeito da neoplasia esofágica, que é um dos flagelos da nossa população. O professor Prolla planejava um rastreamento populacional em áreas de risco no Rio Grande do Sul, mas para tanto, deveríamos adquirir conhecimento de citologia das lesões precursoras nos camundongos e compará-las com os achados humanos. Surge então, o Grupo de Pesquisa em Câncer do Esôfago – GEPECE sob a sua coordenação.

Atividade de extensão e pesquisa em Taquara - ano 1993

O GEPECE também era composto pelo professor Sergio Gabriel da Silva Barros, docente de Gastroenterologia da UFRGS, que foi orientado em seu doutorado pelo professor Prolla, bem como por Judite Dietz (endoscopista), Antônio Carlos Gruber (internista), Ada Diehel (médica citologista), todos mestrandos em Gastroenterologia na UFRGS. O GEPECE era integrado ainda, por Inês Rosito Pinto Kruel, professora titular da Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS, minha esposa, doutoranda em Comunicação na USP. Em 1990, pela intermediação do professor Tuiskon Dick, obtive a dietilnitrosamina para iniciar a pesquisa do doutorado. Ao receber uma pequena caixa de papelão, contendo frascos do carcinógeno, me assaltou a dúvida: como manipular um potente carcinógeno? Foi então, que através da pesquisadora em fisiologia, Roselis Silveira Martins da Silva, recebi as orientações do uso da capela de fluxo laminar para diluir e manipular com segurança a droga.

22


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) Iniciava a pesquisa experimental em camundongos, utilizando a dietilnitrosamina na água de beber de acordo com o modelo publicado por Carlos Rubio, patologista pesquisador que atuava no Instituto Karolinska de Estocolmo. Após contato com o professor Rubio no Congresso Mundial de Patologia em Buenos Aires, em 1991, efetivou-se uma curta colaboração, que resultou na minha primeira participação em publicação internacional, no ano de 1993. A publicação de um artigo decorrente de material da tese de doutorado, relacionado com o projeto de pesquisa, o que hoje é uma das diretrizes claramente almejadas pela CAPES, sinalizava o bom rumo a ser seguido. O convívio com pesquisadores da EPM, que ocorria de várias formas (aulas, diálogos no biotério, na cantina e na BIREME), me mostrou o que era um ambiente de pesquisa em plena atuação. A orientação do professor Jesus Pan Chacon foi marcante na minha carreira como docente e futuro pesquisador independente, pois além de confirmar os princípios que eu trazia da formação profissional, acrescentou a objetividade e o rigor científico na condução da pesquisa e redação do texto técnico. O professor Jesus era um líder nato, que sempre dignificou o nome da EPM, participando também da fundação do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva – CBCD, entidade de grande importância para a cirurgia brasileira. Em 1992 defendi a tese de doutorado na Escola Paulista de Medicina com título de “Classificação citopatológica das lesões precursoras do carcinoma epidermóide de esôfago em um modelo experimental com camundongos”, obtendo grau dez de todos os membros da banca, que era composta pelos professores Ivan Ceconello, José Carlos Del Grande, João Carlos Prolla, João Guidugli Neto, além do professor Jesus Pan Chacon.

Defesa de tese doutorado EPM,1992. Da esquerda para direita: Cleber Kruel, Ivan Cecconello, João Carlos Prolla, Jesus Pan Chacon, João Guidugli Neto e José Carlos Del Grande.

23


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

A carcinogênese esofágica experimental abriu uma linha de pesquisa onde testamos os potenciais fatores de risco para a neoplasia esofágica. O primeiro foi a erva-mate “in natura” sem processamento industrial com o apoio do grupo do professor Eloir Schenkel, da Faculdade de Farmácia da UFRGS, que trabalhava com a ilex paraguariensis. Esse teste não demonstrou qualquer efeito do extrato de erva-mate na carcinogênese experimental, publicado como resumo no Gastroenterology. Sucederam-se os experimentos, com água quente que mostrou efeito promotor, apresentado no congresso da International Society of Diseases of Esophagus (Milão/1995) e publicado o texto completo no Recent Advances in Diseases of Esophagus de 1996, juntamente com o trabalho original do doutorado. A nitrosonornicotina e o álcool foram testados na tese de doutorado do professor Richard Gurski, mostrando forte efeito promotor de ambas as substâncias, publicado em 1999 no Diseases of Esophagus. A cafeína foi testada na tese de doutorado do professor Carlos Cauduro Schirmer, que contou com minha coorientação, não tendo apresentado efeito na carcinogênese esofágica. O resultado do estudo foi publicado em 2001 no Recent Advances in Diseases of Esophagus. Ainda, foram testados o chá preto nos trabalhos de mestrado e doutorado, com minha orientação, do professor Átila Varela Velho, que demonstrou efeito inibidor sobre o fenômeno estudado, tendo sido publicado em 2008 na Acta Cirúrgica Brasileira. Os trabalhos mais recentes utilizando o modelo experimental foram as dissertações de mestrado e doutorado, do Dr. Carlos Frota Dilemburg, que testaram a morfina. Os resultados, que não apresentaram efeito na carcinogênese, foram publicados no ano de 2008 nos Arquivos de Gastroenterologia. Já o professor Miguel Ângelo de Castro Junior analisou a expressão imunohistoquímica de P53 e Ki-67 na carcinogênese esofágica induzida pela dietilnitrosamina no modelo esperimental, que restou publicado na Revista do Colégio Brasileiro dos Cirurgiões em 2010. Vale destacar que os experimentos com o modelo persistem, acrescentando novos estudos de biologia molecular. Em 1993, o GEPECE ganhou atráves de edital da FAPERGS, a quantia de vinte e quatro mil dólares para realizar rastreamento populacional com a finalidade de fazer diagnóstico precoce da neoplasia esofágica. O método foi a utilização de balão de borracha com ranhuras (idealizado pelo grupo do GEPECE), introduzido via oral e retirado inflado, gerando um esfregaço esofágico que era posteriormente corado pela técnica de Papanicolau. O conhecimento e a utilização de um balão foi trazido pelo professor Sergio Barros, quando de seu estágio de pós-doutorado na China, onde atuou nas regiões de alto risco de He Nan. O referido trabalho, denominado projeto Taquara, foi desenvolvido na microregião GramadoCanela, no Rio Grande do Sul. A partir do rastreamento populacional em 1500 indivíduos assintomáticos em área de médio risco, resultaram 10 diagnósticos de neoplasia precoce. Essa pesquisa gerou três teses de doutorado,

24


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) duas dissertações de mestrado e o envolvimento de vários acadêmicos de iniciação científica, o que determinou várias citações pelo seu valor científico e trabalho de extensão a comunidade.

Por fim, cabe referir que o estudo obteve recomendação da FAPERGS para receber verbas de

pesquisa pelo valor de sua abrangência.

Em abril de 1994 fui convidado para assumir a chefia do Serviço de Cirurgia Geral do Hospital de

Clínicas de Porto Alegre, no qual permaneci até 2005.

Durante esse período houve um progressivo desenvolvimento das equipes de cirurgia com foco

em áreas especificas de órgãos e suas doenças. Essa organização foi implantada e gerida pelo professor titular Luis Rohde, quando ocupava a chefia do departamento de Cirurgia. Inicialmente com alguma resistência e posteriormente apoiada pela maioria dos docentes.

Essa sistemática de trabalho foi a semente que deu sustentação as linhas de pesquisa da pós-

graduação em Cirurgia, também iniciada e implantada pelo professor Rohde. Essa ação caracteriza bem as possibilidades que a liderança acadêmica do professor titular pode exercer na comunidade acadêmica.

Durante a chefia do serviço participei de todas as bancas de escolha dos residentes, exceto no ano

de 1999, no qual meu filho Cleber concorreu e ingressou como residente na Cirurgia Geral. Foi um total de 10 bancas de seleção, em torno de 100 residentes foram selecionados nesse período. Uma parcela representativa desse grupo ocupa destacada posição na docência e na assistência, tanto no país como no exterior. Sem dúvida foi uma época que recordo com satisfação por ter dado uma efetiva colaboração na formação de uma elite cirúrgica.

Voltando-me ao passado, no ano de 1975, na PUCRS e 1976 na UFRGS, iniciava minha participação

na formação de residentes de Cirurgia Geral. Dessa fase vale a pena citar os que hoje estão na PUCRS exercendo a docência: Claudio Corá Motin, Plinio Baú, Além Chedid, Gustavo Carvalhal, Eduardo Carvalhal, Elines Oliva Maciel. E os mais próximos exercendo a docência em nossa escola: Amarilio Macedo Neto, Oly Campos Corleta, Marcus Vinicius Colares, Eduardo Saadi, Milton Berger, Orlando Wender, José Carlos Fraga, Richard Gurski, Daniel Damin, Brasil da Silva Neto, Mauricio Sauaressig, Leandro Totti Cavazzola. Juntamente com esses cabe ressaltar os residentes do Hospital de Clínicas que hoje ocupam posições importantes no quadro de médicos contratados desse hospital e responsáveis pela excelência do atendimento. Entre eles, o professor da pós graduação de Cirurgia, Carlos Cauduro Schirmer, membro do grupo de pesquisa e assistência de êsofago, estômago e intestino delgado e André Rosa, doutor em cirurgia e membro do mesmo grupo. Na área de transplante de fígado o destacado cirurgião, doutor em Cirurgia, Aljamir Duarte Chedid, que compartilhou comigo os ensinamentos do prof Cuervo, Drs. Cleber Rosito Pinto Kruel, doutor em Cirurgia, Thomaz Grezzana, doutor em Cirurgia e o Dr. Ian Leipnitz renomado e experiente cirurgião. No grupo de pâncreas, o Dr. Alessandro Osvaldt e a Dra Vivian Bersch, ambos doutores em Cirurgia. No grupo da obesidade o Dr. Vinicius Von Diemen,

25


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

na oncologia o Dr. Diego Mosman, no plantão da urgência os Drs. Mario Sérgio Borges da Costa, Luiz Roberto Wednt, Mario Meine e Bernardo Volkweiss. Cabe ressaltar, ainda, a atuação nos Estados Unidos dos ex-residentes do Hospital de Clínicas, Drs. Gustavo Oderich, monitor na minha época de regência, hoje docente na faculdade de Medicina da Mayo Clinic de Rochester. Fabio Komlos, que após a residência de Cirurgia na Mayo Clinic em Rochester, especializou-se em radiologia intervencionista e atua em Stanford na Califórnia. Mais recentemente, o Dr. Marcio Fernandes Chedid, felow de Transplante na Mayo Clinic em Rochester. A partir da implantação da sistemática de trabalho que mantinha a qualificação dos egressos, percebeu-se a necessidade de formação qualificada na área de Cirurgia do Aparelho Digestivo. Isto, em virtude de que a residência em Cirurgia Geral era um período de passagem para outras especialidades, com diminuição do interesse dos residentes para os procedimentos complexos como esofagectomia, transplante de fígado, duodenopancreatectomias que as equipes focadas cada vez apresentavam maior volume de trabalho e a possibilidade de treinamento específico na complexidade da Cirurgia Digestiva. Objetivo foi atingido pelo professor Rohde, ao criar o Serviço de Cirurgia Digestiva no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, formando os primeiros residentes na especialidade no nosso hospital. Os resultados obtidos pelas equipes eram progressivamente melhores até atingirem no início do século XXI a equivalência aos grupos especializados de referência internacional. No ano de 1999, fui convocado pela vice-presidência médica do Hospital de Clínicas a reorganizar o programa de transplante hepático, que estava sem equipe cirúrgica, dissolvida por decisões administrativas da instituição. Sem dúvida, esse foi um importante desafio, que tornou-se uma grande realização. O grupo da hepatologia permaneceu coordenado pelos professores Carlos Francisconi e Mario Reis, contudo, iniciou-se um trabalho intenso de ordem assistencial e administrativa. Como eu não era transplantador, tive que formar uma nova equipe cirúrgica. Foi realizado um concurso com a finalidade de selecionar cirurgiões com conhecimento na área, tendo sido aprovado o Dr. Aljamir Duarte Chedid. Paralelamente, fui para a Clínica Mayo em Rochcester, Minesota, nos Estados Unidos, com a finalidade de acompanhar o programa de transplante hepático chefiado pelo dr. Ruud Krom, referênciado entre os transplantadores mais conceituados no mundo.

26


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite)

Documento emitido pelo professor Ruud A F Krom em 2001

Durante esse período, além do aprendizado técnico e administrativo, obtivemos a indicação do nome do Dr. Nelson Fernandes de Souza Jr., que havia terminado o programa de fellowship em transplante de fígado e rim e desejava retornar ao Brasil. Dando continuidade ao plano de organização do servico de transplante, foi realizado novo concurso, tendo sido aprovado o Dr. Nelson Souza. Assim, contando com dois cirugiões treinados, foram reiniciados os transplantes de fígado no Hospital de Clínicas. Com o pedido de afastamento do Dr. Nelson Souza, foram integrados ao grupo de transplantes, através de aprovação em concurso público, os Drs. Ian Leipnitz, Cleber Rosito Pinto Kruel e José Maria de Jesus Grezzana. Desde o ano de 2002 coordeno o programa, tendo o Dr. Aljamir, mais recentemente, assumindo a direção técnica. Atualmente, o grupo já ultrapassou o centésimo transplante com resultados comparáveis aos melhores programas do mundo. O transplante de fígado no Hospital de Clínicas de Porto Alegre está consolidado e avança com perspectivas promissoras. Em razão de estar ocupando o cargo de presidente do Colégio Brasileiro de Cirurgia do Digestivo – CBCD, e a partir de 2011, na CAPES, como coordenador adjunto da área de medicina 3 - Cirugia, gerou-se uma dificuldade operacional em participar ativamente nos atos cirúrgicos do transplante. Por fim, há de ser destacado que o grupo de transplantes do Hospital de Clínicas encontra-se em avançado processo de consolidação acadêmica. O programa de pós gradução em Cirurgia, senso strito, foi o meu caminho natural após o término do doutorado. Em 1993, participei da primeira banca de defesa de mestrado do programa, e desde então, estou envolvido com orientação de discentes de mestrado e doutorado, assim como, da iniciação

27


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

científica, que vejo como um dos pilares para o bom desempenho das escolas médicas, tanto no nível de graduação como de pós-graduação. Em 1997, iniciei na gestão da pós-graduação como coordenador substituto no programa da Gastroenterologia. Até hoje atuo nos dois programas. No ano de 2002 participei, na CAPES, como consultor da avaliação anual, atividade que será descrita no capítulo Liderança e Senioridade, e desde então, participo intensamente deste segmento acadêmico. Durante o período de 2003-2007 coordenei o programa de pós-graduação em Cirurgia, e desde então, ocupei por dois biênios o cargo de coordenador substituto e atualmente pela terceira vez atuo na coordenação. São nove anos de intenso trabalho e aprendizado. Em 2003 assumi o programa com nota 5 na CAPES, após uma profunda reestruturação executada pelo professor Rohde. Na avaliação trienal de 2006, o conceito voltou a ser 4. Nesse período concluímos um programa Minter com a Universidade de Caxias do Sul – UCS. O trabalho foi coberto de êxito, tendo completado em 24 meses todas as orientações. A coordenação do Minter foi realizada pelo professor Rohde durante a minha segunda gestão como coordenador do programa de pós graduação em Cirurgia.

Professores e alunos do Minter UFRGS_UCS em Porto Alegre

28


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite)

Professores e alunos do Minter UFRGS-UCS 2006

em Caxias do Sul

A atividade na CAPES continuava e percebíamos que a pós-graduação brasileira crescia em produtividade, específicamente a medicina 3, gerida com extrema competência e saudável ousadia. O nosso programa precisava responder à esse desafio. O corpo docente correspondeu: aumentamos todos os indicadores de produtividade e honrosamente retornamos a nota 5 na avaliação trienal de 2010. Atualmente, vivemos o último ano do triênio 2010-2012, o programa tem respondido a novos desafios e se organiza para a nova trienal. Ao iniciar a docência na graduação, na PUCRS, em 1974, e na UFRGS em 1977, dediquei-me intensamente ao aprendizado da docência de uma forma não regular. Ao final de oito anos na PUCRS cheguei ao nível de professor adjunto. Na UFRGS, completei trinta e cinco anos de atividade, tendo chegado ao nível de professor associado três com dedicação exclusiva, tendo encaminhado a progressão para o nível quatro. Durante o período de 1984 a 1998, atuei nas disciplinas do departamento de Cirurgia, inicialmente como assessor e, posteriormente, como regente de ambas, ministrando e coordenando vários cursos de extensão. Ao finalizar o doutorado em 1992, ocorre uma transição no meu perfil docente e passo então, a orientar iniciação científica, gerar conhecimento, compartilhando este processo com os discentes. Na UFRGS orientei, a partir desse momento, vinte dois alunos de iniciação científica, com excelentes resultados. Excetuando os últimos cinco alunos, sendo que três ainda são discentes e dois ainda não fizeram exames para pleitear a residência médica, todos os doze restantes foram aprovados em exames para formação como especialistas e alguns já ocupam posições de destaque na sua atividade. A Dra. Marcia Edelweiss é patologista no Memorial Sloan Catherine, NY. Conforme referido anteriormente, o Dr. Fabio Komlos, e o Dr. Marcio Fernandes Chedid também atuam nos Estados Unidos. O Dr. Alexandre Padoin é docente em Cirurgia na PUCRS e atua na área de Cirurgia Bariátrica, possuindo índice H de 6.

29


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Ainda, foram por mim orientadas dezenove dissertações, oito teses e participo de um trabalho de pós-doutorado, sendo que, a quase totalidade dos trabalhos concluídos estão publicados ou enviados para publicação. Atualmente, oriento dois alunos de mestrado e um de doutorado. É importante destacar também, que dos vinte e três orientados, seis exercem a docência em Medicina, sendo um em Rio Grande, dois em Caxias do Sul e quatro em Porto Alegre. A participação no pós-doc é exercida no projeto de avaliação da virulência da Escherichia coli humana, utilizando metodologia de biologia molecular e rede neural de informática para tomada de decisões. Trata-se de um projeto conjunto com o programa de pós-graduação de Veterinária da UFRGS, no qual o bolsista é o Dr. Felipe Salle, doutor em veterinária, e o orientador, o professor Walter José Koff.

Reunião do Departamento de Cirurgia FAMED. Da esquerda para direita: profs. Cleber Kruel, Luis Mzarckzic, Carlos Macedo,José Fraga, Daniel Damin, Milton Berger, Oly Corleta, Carlos Corso, João da Silveira, Adamastor Pereira, Richard Gurski, Brasil da Silva Neto.

Na administração universitária ocupo o cargo de Chefe do Departamento de Cirurgia e de coordenador do programa de pós-graduação, hoje denominado Ciências Cirúrgicas, após a reforma do regimento dando abertura a entrada de discentes não médicos. Ocupei por dois dias o cargo de Diretor da Faculdade de Medicina por ser o decano do Conselho da Unidade, tendo participado, como representante da Faculdade de Medicina na outorga do título de cidadã portoalegrense a nossa colega professora Dra. Olga Falceto, chefe do departamento de Psiquiatria, participação que muito me honrou. Ocupei durante o período de 2009 a 2011, o cargo de coordenador da Comissão de Pós-Graduação da Faculdade de Medicina. Nesses cargos de gestão universitária tive a oportunidade de desenvolver diversas ações, nos mais variados níveis, que determinaram mudanças e quebra de paradigmas, que acabaram proporcionando uma gratificante sensação de estarmos projetando um tempo melhor para a geração que nos sucede. A eleição para o primeiro mandato no Conselho Universitário foi uma grata surpresa, uma vez que recebi votos em várias unidades da universidade nas quais não imaginava ser conhecido. A reeleição faz

30


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) parte de um movimento dos docentes da Faculdade de Medicina, visando a participação mais ativamente nas ações da universidade, o que me deixa gratificado, mas ciente da necessidade de corresponder a confiança dos meus pares.

Alguns indicadores de atividades acadêmicas Total Ensino de graduação PUCRS

1974 a 1982

Ensino de graduação UFRGS

1977 até hoje

Ensino de pós-graduação

1996 até hoje

Ensino em cursos de especialização e extensão – Menos de 40 horas

29

Ensino em cursos de especialização e extensão – Mais de 40 horas

5

Orientação de alunos de iniciação científica

22

Orientação de alunos de mestrado

19

Orientação de alunos de doutorado

8

Coorientação de alunos de doutorado

3

A continuidade do capítulo se dará pela inclusão de indicadores de atividades acadêmicas e administrativas, utilizando a mesma numeração do currículo.

4.1 Ensino de Graduação

4.1.1

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS. PROFESSOR ASSISTENTE - de março de 1974 a fevereiro de 1977. PROFESSOR PADRÃO III - de março de 1977 a julho de 1978. PROFESSOR ADJUNTO - de agosto de 1978 a 1982.

4.1.2 PROFESSOR ASSISTENTE DE CIRURGIA GERAL, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 1977 a 1991. 4.1.3 MONITORIA DA MED-305 – AVALIAÇÃO DOS CANDIDATOS A MONITOR EM 1988, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - em 1988.

31


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

4.1.4 PROFESSOR ADJUNTO – NÍVEL 01, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - a partir de 1989. 4.1.5 PROFESSOR ADJUNTO – NÍVEL 02, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - a partir de 1991. 4.1.6 PROFESSOR ADJUNTO – NÍVEL 03, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - a partir de 1993. MED 3377 – Estágio em Cirurgia – 1991/1 MED 3375 – Internato em Cirurgia – 1991/1 MED 3377 – Estágio em Cirurgia – 1991/2 MED3375 – Internato em Cirurgia – 1991/2 MED 3377 – Estágio em Cirurgia – 1992/1 MED3375 – Internato em Cirurgia – 1992/1 MED 3377 – Estágio em Cirurgia – 1992/2 MED 3375 – Internato em Cirurgia – 1992/2 4.1.7 UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL, DEPARTAMENTO DE CIRURGIA DA FACULDADE DE MEDICINA, Porto Alegre, RS: a) Professor da MED-377 – Disciplina: Princípios Gerais da Cirurgia Videolaparoscópica e Patologias Cirúrgicas do Esôfago - 1996/1. b) Professor da MED-377 – Disciplina: Princípios Gerais da Cirurgia Videolaparoscópica e Patologias Cirúrgicas do Esôfago - 1996/2. c) Professor da MED-377 – Disciplina: Princípios Gerais da Cirurgia Videolaparoscópica e Patologias Cirúrgicas do Esôfago - 1997/2. d) Professor da MED-377 – Aula: Ca de Esôfago e Doenças Cirúrgicas da Motilidade Esofágica - 1998/1. e) Professor da MED-3377 – Disciplina: Patologias Cirúrgicas do Estômago - 1998/2. f) Professor da MED-3377 – Disciplina: Patologias Cirúrgicas do Esôfago e Refluxo Gastroesofágico e Patologias Cirúrgicas do Estômago e Duodeno - 2001/2. g) Professor da MED-3377 – Disciplina: Patologias Cirúrgicas do Esôfago e Refluxo Gastroesofágico e Patologias Cirúrgicas do Estômago e Duodeno - 2002/1. h) Professor da MED-3377 – Disciplina: Patologias Cirúrgicas do Esôfago e Refluxo Gastroesofágico e Patologias Cirúrgicas do Estômago e Duodeno - 2003/1. i) Professor da MED-3377 – Disciplina: Patologias Cirúrgicas do Esôfago e Refluxo Gastroesofágico e Patologias Cirúrgicas do Estômago e Duodeno - 2003/2. j) Professor da MED-3377 – Disciplina: Patologias Cirúrgicas do Esôfago e Patologias Cirúrgicas do Estômago e Refluxo Gastroesofágico e Duodeno - 2005/2. 4.1. 8 PROFESSOR ASSOCIADO – NÍVEL 02, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - a partir de 2008.

32


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) 4.1. 9 PROFESSOR COM DEDICAÇÃO EXCLUSIVA, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - a partir de 2010.

4.1.10 ATIVIDADES DE ENSINO Disciplinas Graduação

CIRURGIA E TÉCNICA OPERATÓRIA Carga Horária: 150 Atividade: Ministrante Data: 10/03/2011 a 18/07/2011

CIRURGIA E TÉCNICA OPERATÓRIA Turma: E Carga Horária: 150 Atividade: Ministrante Data: 09/08/2010 a 23/12/2010

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Turma: B Carga Horária: 675 Atividade: Ministrante Data: 09/08/2010 a 23/12/2010

INTRODUÇÃO ÀS TÉCNICAS CIRÚRGICAS Carga Horária: 150 Atividade: Ministrante Data: 01/03/2010 a 31/07/2010

TRAUMA Carga Horária: 240 Atividade: Ministrante Data: 01/03/2010 a 31/07/2010

TRAUMA Carga Horária: 240 Atividade: Ministrante Data: 03/08/2009 a 11/12/2009

INTRODUÇÃO ÀS TÉCNICAS CIRÚRGICAS Carga Horária: 150 Atividade: Ministrante Data: 03/08/2009 a 11/12/2009

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Carga Horária: 675 Atividade: Ministrante Data: 03/08/2009 a 11/12/2009

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Carga Horária: 675 Atividade: Ministrante Data: 03/08/2009 a 11/12/2009

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Carga Horária: 675 Atividade: Ministrante Data: 02/03/2009 a 30/07/2009

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Turma: D Carga Horária: 675 Atividade: Ministrante Data: 02/03/2009 a 30/07/2009

TRAUMA Turma: G Carga Horária: 240 Atividade: Ministrante Data: 02/03/2009 a 30/07/2009

INTRODUÇÃO ÀS TÉCNICAS CIRÚRGICAS Carga Horária: 150 Atividade: Ministrante Data: 02/03/2009 a 30/07/2009

CIRURGIA - ESTÁGIO Turma: D Carga Horária: 135 Atividade: Ministrante Data: 04/08/2008 a 09/12/2008

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Turma: D Carga Horária: 675 Atividade: Ministrante Data: 04/08/2008 a 09/12/2008

33


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Turma: D Carga Horária: 675 Atividade: Ministrante Data: 03/03/2008 a 10/07/2008

CIRURGIA - ESTÁGIO Turma: D Carga Horária: 135 Atividade: Ministrante Data: 03/03/2008 a 10/07/2008

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Turma: J Carga Horária: 675 Atividade: Ministrante Data: 03/03/2008 a 10/07/2008

CIRURGIA - ESTÁGIO Turma: D Carga Horária: 135 Atividade: Ministrante Data: 06/08/2007 a 14/12/2007

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Carga Horária: 144 Atividade: Ministrante Data: 06/08/2007 a 14/12/2007

CIRURGIA - ESTÁGIO Turma: D Carga Horária: 135 Atividade: Ministrante Data: 08/01/2007 a 18/05/2007

CIRURGIA - ESTÁGIO Carga Horária: 135 Atividade: Ministrante Data: 07/08/2006 a 15/12/2006

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Carga Horária: 144 Atividade: Ministrante Data: 07/08/2006 a 15/12/2006

CIRURGIA - ESTÁGIO Turma: D Carga Horária: 135 Atividade: Ministrante Data: 02/01/2006 a 02/05/2006

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Turma: D Carga Horária: 144 Atividade: Ministrante Data: 01/12/2005 a 28/02/2006

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Turma: M Carga Horária: 144 Atividade: Ministrante Data: 01/09/2005 a 30/11/2005

CIRURGIA - ESTÁGIO Turma: C Carga Horária: 60 Atividade: Ministrante Data: 27/06/2005 a 04/11/2005

CIRURGIA - ESTÁGIO Turma: D Carga Horária: 135 Atividade: Ministrante Data: 27/06/2005 a 04/11/2005

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Turma: D Carga Horária: 156 Atividade: Ministrante Data: 01/06/2005 a 31/08/2005

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Turma: P Carga Horária: 192 Atividade: Ministrante Data: 01/04/2005 a 30/06/2005

CIRURGIA - ESTÁGIO Turma: E Carga Horária: 180 Atividade: Ministrante Data: 03/01/2005 a 13/05/2005

34


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite)

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Carga Horária: 192 Atividade: Ministrante Data: 01/01/2005 a 31/03/2005

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Carga Horária: 240 Atividade: Ministrante Data: 23/08/2004 a 11/01/2005

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Carga Horária: 60 Atividade: Ministrante Data: 23/08/2004 a 11/01/2005

CIRURGIA - ESTÁGIO Turma: E Carga Horária: 180 Atividade: Ministrante Data: 23/08/2004 a 11/01/2005

INTERNATO EM CIRURGIA GERAL Carga Horária: 240 Atividade: Ministrante Data: 15/03/2004 a 23/07/2004

4.2 Pós-graduação Stricto Sensu

4.2.1 PROFESSOR RESPONSÁVEL PELA DISCIPLINA SEMINÁRIOS DE PESQUISA, Curso de Pós-Graduação ao Nível de Mestrado – Área de Concentração em Cirurgia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - desde 1996. 4.2.2 PROFESSOR VISITANTE COMO MEMBRO DE BANCAS EXAMINADORAS DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, TESE DE DOUTORADO E LIVRE-DOCÊNCIA da Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo, Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo, São Paulo, SP - 1997. 4.2.3 COORDENADOR SUBSTITUTO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA: GASTROENTEROLOGIA, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de julho de 1997 a dezembro de 1998. 4.2.4 COORDENADOR DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA: CIRURGIA, CÓDIGO FG-1 (20 horas semanais), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de janeiro de 2003 a maio de 2005. 4.2.5 PROFESSOR da Disciplina: “Modelos Experimentais em Animal”, Aula: “Modelos Experimentais de Carcinogênese Gástrica” do Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 24 de outubro de 2005. 4.2.6 PROFESSOR da Disciplina: “Modelos Experimentais em Animal”, Aula: “Modelos Experimentais de Carcinogênese Esofágica” do Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 24 de outubro de 2005.

4.2.7 SEMINÁRIOS DE PESQUISA Turma: U Carga Horária: 3.00 Atividade: Ministrante Data: 29/03/2011 a 20/12/2011

35


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

4.2.8 MOTILIDADE DIGESTIVA TURMA: A Carga Horária: 30.00 Atividade: Ministrante Data: 03/03/2010 a 14/07/2010

4.2.9 MOTILIDADE DIGESTIVA TURMA: A Carga Horária: 30.00 Atividade: Ministrante Data: 03/06/2009 a 14/10/2009

4.2.10 MOTILIDADE DIGESTIVA TURMA: A Carga Horária: 30.00 Atividade: Ministrante Data: 06/06/2007 a 08/08/2007

4.2.11 MOTILIDADE DIGESTIVA TURMA: A Carga Horária: 30.00 Atividade: Ministrante Data: 12/04/2006 a 20/12/2006

4.2.12 COORDENADOR E COORDENADOR SUBSTITUTO DA COMISSÃO DE PÓSGRADUAÇÃO, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 01 de maio de 2009 a 30 de abril de 2011.

4.3 Cursos de Especialização e Extensão

4.3.1 Menos de 40 Horas

4.3.1.1 MINISTRANTE NO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA ATUALIZAÇÃO EM GASTROENTEROLOGIA (1 hora-aula), Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Superintendência de Extensão Universitária, Porto Alegre, RS - de 02 a 31 de janeiro de 1980. 4.3.1.2 MINISTRANTE NO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA CIRURGIA DO ESÔFAGO E ESTÔMAGO, Programa de Educação Médica Continuada, Faculdade de Medicina, PróReitoria de Extensão, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 24 a 28 de maio de 1989. 4.3.1.3 MINISTRANTE NO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA PESQUISA MÉDICA: I SIMPÓSIO DE CIRURGIA EXPERIMENTAL DO RIO GRANDE DO SUL, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 03 de abril de 1990. 4.3.1.4 MINISTRANTE NO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA CIRURGIA DO ESÔFAGO E ESTÔMAGO (12 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS - de 08 a 12 de abril de 1991. 4.3.1.5 COORDENADOR NO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA ABDÔMEN AGUDO CIRÚRGICO (10 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS - de 25 de novembro a 10 de dezembro de 1991.

36


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) 4.3.1.6 MINISTRANTE NO CURSO CIRURGIA DAS VIAS BILIARES, AULA SOBRE CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA (2 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre, Fundação de Endocrinologia e Fertilidade, Porto Alegre, RS - de 10 a 14 de maio de 1993. 4.3.1.7 MINISTRANTE NO CURSO CIRURGIA DO ESÔFAGO E ESTÔMAGO (4 horasaula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Irmandade Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre, Fundação de Endocrinologia e Fertilidade, Porto Alegre, RS - de 23 a 27 de agosto de 1993. Round sobre pacientes internados Atividade teórica sobre lesões esofágicas precoses: câncer Seminário sobre úlcera péptica Demonstrações cirúrgicas Seminário sobre suporte nutricional em neoplasias esofagogástricas Discussão de casos sobre fístulas intersticiais 4.3.1.8 MINISTRANTE NO CURSO CIRURGIA DAS VIAS BILIARES, AULA SOBRE CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA (3 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 09 a 13 de maio de 1994. 4.3.1.9 MINISTRANTE NO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA VÍDEOCIRURGIA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE SOBRE COMPLICAÇÕES DA LAPAROSCOPIA (1 hora-aula), Pró-Reitoria de Extensão, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Ministério da Educação e Cultura, Porto Alegre, RS - de 08 a 18 de agosto de 1994. 4.3.1.10 COORDENADOR NO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA CIRURGIA DO ESÔFAGO E ESTÔMAGO (32 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, RS - de 22 a 26 de agosto de 1994. 4.3.1.11 MINISTRANTE NO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA CIRURGIA DO ESÔFAGO E ESTÔMAGO (23 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul,, Porto Alegre, RS de 22 a 26 de agosto de 1994. Cirurgia esôfago-gástrica Refluxo GE, esôfago de Barret Câncer de esôfago: diagnóstico

37


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Indicações, técnicas em vídeocirurgia Patologia do esôfago-gástrica

4.3.1.12 MINISTRANTE NO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA – PROGRAMA RADIOFÔNICO SAÚDE NO AR, Departamento de Psiquiatria e Medicina Legal, Faculdade de Medicina, Pró-Reitoria de Extensão, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de março a dezembro de 1995. 4.3.1.13 MINISTRANTE NO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA – CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA SOBRE CIRURGIA DAS VIAS BILIARES (2 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 08 a 12 de maio de 1995. 4.3.1.14 COORDENADOR E MINISTRANTE NO CURSO CIRURGIA DO ESÔFAGO E ESTÔMAGO (32 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - agosto de 1995. Cirurgia esôfago-gástrica Refluxo GE, esôfago de Barrett Câncer de esôfago: diagnóstico Indicações, técnicas em videocirurgia Patologia do esôfago-gástrica Vídeocirurgia 4.3.1.15 COORDENADOR E MINISTRANTE NO CURSO CIRURGIA DO ESÔFAGO E ESTÔMAGO (32 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - maio de 1996. Cirurgia esôfago-gástrica Refluxo GE, esôfago de Barret Câncer de esôfago: diagnóstico Indicações, técnicas em vídeocirurgia Patologia do esôfago-gástrica 4.3.1.16 ORIENTADOR DO CURSO DE VÍDEOCIRURGIA BÁSICA (20 horas-aula), Serviço de Cirurgia Geral, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 24 e 25 de agosto 1996. 4.3.1.17 MINISTRANTE NO CURSO ATUALIZAÇÃO EM DOENÇAS DO APARELHO DIGESTIVO – REFLUXO GASTROESOFÁGICO (2 horas-aula), Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Pró-Reitoria de Extensão Universitária, Programa de Educação Médica Continuada, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 14 a 18 de abril de 1997. 4.3.1.18 COORDENADOR DO CURSO DE PRÉ-TRANS E PÓS-OPERATÓRIO (12 horasaula), Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 12 a 15 de maio de 1997.

38


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) 4.3.1.19 PALESTRANTE NO CURSO DIAGNÓSTICO PRECOCE E SCREENING DE TUMORES SOBRE RASTREAMENTO DE TUMORES DE ESÔFAGO (10 horas-aula), Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 11 a 15 de agosto de 1997. 4.3.1.20 PALESTRANTE NO CURSO DE CIRURGIA ONCOLÓGICA HCPA/UFRGS (20 horas-aula), Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 25 de agosto de 1997. 4.3.1.21 MINISTRANTE NO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA – ATUALIZAÇÃO EM DOENÇAS DO APARELHO DIGESTIVO (2 horas-aula), Pró-Reitoria de Extensão Universitária, Programa de Educação Médica Continuada, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 04 a 08 de maio de 1998. 4.3.1.22 PALESTRANTE NO CURSO DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA (40 min.), Instituto de Gastroenterologia e Coloproctologia de Passo Fundo, Passo Fundo, RS - 1998. 4.3.1.23 COORDENADOR GERAL NO CURSO BÁSICO E EXPERIMENTAL DE VÍDEOCIRURGIA (30 horas-aula), Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 05 a 07 de junho de 1998. 4.3.1.24 COORDENADOR GERAL NO CURSO BÁSICO E EXPERIMENTAL DE VÍDEOCIRURGIA (30 horas-aula), Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 19 a 21 de setembro de 1998. 4.3.1.25 COORDENADOR GERAL NO XIII CURSO BÁSICO E EXPERIMENTAL DE VÍDEOCIRURGIA (30 horas-aula), Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 11 a 13 de junho de 1999. 4.3.1.26 COORDENADOR E MINISTRANTE DO CURSO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA CIRURGIA EM VÍDEOLAPAROSCOPIA (36 horas-aula), Pró-Reitoria de Extensão Universitária, Programa de Educação Médica Continuada, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 25 a 27 de agosto de 2000. 4.3.1.27 COORDENADOR E MINISTRANTE NO CURSO INTEGRADO DE ESÔFAGO E ESTÔMAGO (36 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 26 a 30 de novembro de 2001. Demonstração de cirurgias Doença do refluxo esofágico Esôfago de Barret 4.3.1.28 PROGRAMA DE EDUCAÇÃO MÉDICA CONTINUADA EM GASTROENTEROLOGIA, Federação Brasileira de Gastroenterologia (FBG), Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva (CBCD), Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), Brasília, DF - 22 e 23 de março de 2002.

39


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

4.3.1.29 TELECONFERÊNCIA NO CURSO CONTINUADO À DISTÂNECIA DE ATUALIZAÇÃO EM GASTROENTEROLOGIA E CIRURGIA GERAL SOBRE TRATAMENTO CIRÚRGICO LAPAROSCÓPICO DA ESOFAGITE DE REFLUXO, NETGASTRO (1 hora-aula), São Paulo, SP - março de 2010.

4.3.2 Mais de 40 Horas

4.3.2.1 MEMBRO DO GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISA EM CÂNCER DO ESÔFAGO, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de março de 1993 a dezembro de 1995. 4.3.2.2 COORDENADOR E MINISTRANTE NO CURSO INTEGRADO DE ESÔFAGO E ESTÔMAGO (40 horas-aula), Programa de Educação Médica Continuada, Pró-Reitoria de Extensão, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 27 de novembro a 1º de dezembro de 2000. Demonstração de cirurgias Doença do refluxo esofágico Esôfago de Barret 4.3.2.3 COORDENADOR (40 horas) E INTEGRANTE DA EQUIPE EXECUTORA DA ATIVIDADE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA – CURSO INTEGRADO DE ESÔFAGO E ESTÔMAGO (14 horas-aula), Pró-Reitoria de Extensão Universitária, Programa de Educação Médica Continuada, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 25 a 29 de novembro de 2002. Demonstração de cirurgias Doença do refluxo esofágico Esôfago de Barret 4.3.2.4 COORDENADOR E MINISTRANTE DO CURSO INTEGRADO DE ESÔFAGO E ESTÔMAGO (40 horas-aula), Pró-Reitoria de Extensão Universitária, Programa de Educação Médica Continuada, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS novembro de 2003. Demonstração de cirurgias Doença do refluxo esofágico Esôfago de Barret 4.3.2.5 MINISTRANTE DO CURSO PRESENCIAL (260 horas-aula), Pró-Reitoria de Extensão Universitária, Programa de Assistência à Saúde de Docência em Residência Médica/2009, Pró-Reitoria de Extensão, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS – de janeiro a dezembro de 2009. Apoio Pedagógico com contato aluno/público

40


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite)

4.4 Orientação de Alunos de Graduação

4.4.1 Iniciação Científica

4.4.1.1 DA LUZ, L.F.G. O efeito térmico na carcin161gênese esofágica: um modelo experimental em camundongos. Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul - 1993. 4.4.1.2 EDELWEISS, M. Efeito do reflexo duodeno-esofágico no desenvolvimento de adenocarcinoma de esôfago em ratos. Pró-Reitoria Adjunta de Pesquisa, Pró-Reitoria de Pesquisa e PósGraduação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1994 a 1995. Modelo experimental de carcinogênese esofágica em frangos - 1995 a 1996. 4.4.1.3 FACCINI, F.P. Tratamento multimodel para carcinoma epidermóide de esôfago, apoptose e expressão do P53. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1995 a 1998. 4.4.1.4 PADOIN, A.V. Fundoplicatura videolaparoscópica: a experiência no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Grupo de Pesquisa e Pós-Graduação - 1996 a 1997. Sistema de follow-up em pacientes com câncer gástrico. Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul - 1998 a 2001. 4.4.1.5 TELLES, J.P.B. Sistema de follow-up em pacientes com câncer gástrico. Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul - 1998 a 2001. 4.4.1. 6 FONTOURA, F.R. Avaliação do efeito da cafeína na carcinogênese esofágica induzida por dietilnitrosamina (DEN). Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1997. 4.4.1. 7 KOMLOS, F. Rastreamento populacional em câncer de esôfago - GEPECE. PróReitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1997. 4.4.1. 8 LAZZARON, A.R. Tratamento cirúrgico alternativo para fístulas enterocutâneas complexas. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1997. 4.4.1. 9 SILVA, R.M. Modelo experimental de refluxo duodeno gástrico associado ao uso de nitrito de sódio: estudo em ratos. Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul - 1997 a 1999. 4.4.1.10 PESCE, G.A. Análise dos pacientes com carcinoma epidermóide de esôfago submetidos a esofagectomia - 1999 a 2001. 4.4.1.11 DE VILAS, E.R. A influência da dissecção linfonodal externa (D2) na sobrevida a longo prazo dos pacientes portadores de adenocarcinoma gástrico submetidos a ressecção tumoral. Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul, Secretaria de Ciência e Tecnologia - 2002 a 2003.

41


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

4.4.1.12 TELLES, J.P.B. Análise de sobrevida e estudo de fatores prognósticos em pacientes com carcinoma epidermóide do esôfago torácico submetidos a esofagectomia. Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul, Secretaria de Ciência e Tecnologia - 2002 a 2003. 4.4.1.13 MIELKE, F.R. Análise de sobrevida e estudo de fatores prognósticos em pacientes com carcinoma epidermóide do esôfago torácico submetidos a esofagectomia. Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul - 2003 a 2004. Modelo experimental de carcinogênese e inflamação por lesão térmica em esôfagos de murinos. Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul, Secretaria de Ciência e Tecnologia - 2003 a 2004. 4.4.1.14 CHEDID, M.F. Transplante hepático adulto: casuística do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2003 a 2004. 4.4.1.15 CUNHA, G.L. Indução de carcinogênese esofágica por dietilnitrosamina e avaliação da expressão da COX-2 associada a lesão térmica: Modelo experimental em camundongos. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - 2005. 4.4.1.16 ROMANI, R.F. Avaliação da mutação do gene TP53 em carcinoma epidermóide de esôfago. Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2007 a 2011. 4.4.1.17 SUKSTERIS, M.L. Determinação do gasto energético basal medido por calorimetria indireta em pacientes com câncer de esôfago. Fundação de Amparo à Pesquisa do Rio Grande do Sul 2009 a 2010. 4.4.1.18 FRACASSO, G.L. Quimioembolização x embolização intra-arterial com microesferas no tratamento do carcinoma hepatocelular irressecável: ensaio clínico randomizado. Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2010. 4.4.1.19 VARGAS, J. Determinação do gastro energético basal medido por calorimetria indireta em pacientes com câncer de esôfago. Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2010 a 2011. Avaliação da mutação do Gene Tp53 em carcinoma epidermóide de esôfago. Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2011 a 2012. 4.4.1.20 FICK, M.D. Avaliação das mutações do gene Tp53 em carcinoma epidermoide de esôfago. Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2011 a 2012. 4.4.1.21 VARASCHIN, G.A. Avaliação das mutações do gene Tp53 em carcinoma epidermoide de esôfago. Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2012 (em andamento). 4.4.1.22 FAGAN, P.V.C. Avaliação da mutação do Gene Tp53 em carcinoma epidermóide de esôfago. Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2012 (em andamento).

42


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite)

4.5 Orientação de Alunos de Mestrado

4.5. 1 PESSINI, Roberto Arenhart. Modelo experimental de carcinogênese esofágica em frangos. 1997. Dissertação de Mestrado, Curso de Pós-Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1997. 4.5. 2 MELO, Levi Lourenço. Influência do refluxo de conteúdos gastroduodenais e gástricos, induzidos cirurgicamente, na carcinogênese esofágica - modelo experimental em ratas Wistar. Dissertação de Mestrado, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1997. 4.5. 3 VELHO, Átila Varela. A influência do chá preto sobre a indução tumoral esofágica pela dietilnitrosamina: modelo experimental em camundongos. Dissertação de Mestrado, Programa de PósGraduação em Medicina: Gastroenterologia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1998. 4.5. 4 ROSA, André Ricardo Pereira da. Sobrevida e fatores prognósticos em pacientes com carcinoma epidermoide de esôfago submetidos à esofagectomia. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1998. 4.5. 5 OLIVEIRA, Mário Rene Dias de. Fatores prognósticos e sobrevida de pacientes com adenocacinoma gástrico. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1999. 4.5.6 KAMINSKI, Eliane de Marco Ferreira. Modelo experimental de carcinogênese gástrica em ratos wistar submetidos à piloroplastia de Finney. Dissertação de Mestrado, Programa de PósGraduação em Medicina: Ciências em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1999. 4.5.7 DILLEMBURG, Carlos Frota. Influência da morfina na carcinogênese esofágica induzida pela dietilnitrosamina em ratos. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2000. 4.5.8 CAVAZZOLA, Leandro Totti. Resultados precoces da anastomose esofagogástrica tardia após tratamento cirúrgico do câncer esofágico: comparação entre levantamento gástrico e tubo gástrico da grande curvatura. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2000. 4.5.9 KRUEL, Cleber Rosito Pinto. O envolvimento do marcador inflamatório Heme Oxigenase-1 na carcinogênese experimental de esôfago. Dissertação de Mestrado, Programa de PósGraduação em Medicina: Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 12 de novembro de 2004.

43


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

4.5.10 MORAES, Ruver Mendes. Indução de carcinogênese esofágica por dietilnitrosamina e avaliação da expressão da Cox-2 associada a lesão térmica: Modelo experimental em camundongos. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 19 de dezembro de 2005. 4.5.11 CASTRO JÚNIOR, Miguel Angelo. Expressão imunohistoquímica do p53 e ki-67 na carcinogênese esofágica induzida pela dietilnitrosamina: modelo experimental em camundongos. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1º de agosto de 2005. 4.5.12 NASCIMENTO, Roberto Chiumeo do. Avaliação da mutação do gene TP53 em carcinoma epidermóide de esôfago. Dissertação de Mestrado: Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Gastroenterologia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 20 de dezembro de 2006. 4.5.13 CANTARELLI JUNIOR, João Carlos. Imunoreatividade das citoqueratinas 7 e 20 nas células caliciformes e células colunares azuis em pacientes com suspeita endoscópica de esôfago de Barret. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação: Ciências em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 14 de setembro de 2006. 4.5.14 MOLON, Vilmar. Avaliação do efeito analgésico preemptivo do lumiracoxibe no pósoperatório de cirurgia de mamoplastia de aumento: estudo randomizado, prospectivo e duplo-cego. Dissertação de Mestrado Interinstitucional em Medicina, Programa de Pós-Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Programa de Pós-Graduação em Cirurgia da Universidade de Caxias do Sul, Porto Alegre, RS - 2006. 4.5.15 AVINO, Alexandre José Gonçalves. Traqueoplastia em ratos: apresentação de modelo com suporte endoluminal. Dissertação de Mestrado Interinstitucional em Medicina, Programa de Pós-Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Programa de Pós-Graduação em Cirurgia da Universidade de Caxias do Sul, Porto Alegre, RS - 2006. 4.5.16 GUERRA, Léa Teresinha. Transferrina e pré-albumina séricas como marcadoras da resposta do suporte nutricional em pacientes com câncer de esôfago. Dissertação de Mestrado, PósGraduação em Medicina: Ciências em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina, Programa de Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2008. 4.5.17 DA SILVEIRA, Marner Lopes. Divertículo de Zenker: uma revisão sistemática do tratamento endoscópico versus cirúrgico. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2008.

4.5.18 BECKER, Camila Beltrame. Determinação do gastro energético basal medido por

44


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) calorimetria indireta em pacientes com câncer de esôfago. Pós-Graduação em Ciências em Cirúrgica. Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2009. 4.5.19 ZULIAN, Maurício Cardoso. Associação entre fator V e transaminase glutâmicopirúvica: Um recurso precoce e efetivo para predizer a mortalidade hospitalar após o transplante hepático em adultos. Dissertação de Mestrado, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2012.

4.6 Orientação de Alunos de Doutorado

4.6.1 GURSKI, Richard Ricachenevsky. Avaliação da ação indutora da dietiltrosamina e do

efeito promotor do álcool etílico e da N-nitrosonornicotina na carcinogênese esofágica experimental em camundongos. Tese de Doutorado em Medicina, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Clínica Médica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1999.

4.6.2 SCHIRMER, Carlos Cauduro. Avaliação do efeito da cafeína na carcinogênese esofágica

induzida pela dietilnitrosamina: Estudo experimental em camundongos. Tese de Doutorado em Medicina, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Clínica Médica da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1999.

4.6.3

CONSTANT NETO, Manoel. Otimização da técnica de cultivo para obtenção de culturas

primárias de câncer epidermóide do esôfago. Tese de Doutorado em Medicina, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 19 de dezembro de 2000.

4.6.4 DA ROSA, André Ricardo Pereira. Valor prognóstico das expressões da proteína p53

e do fator de crescimento do endotélio vascular em pacientes com carcinoma epidermóide de esôfago submetidos à esofagectomia. Tese de Doutorado em Medicina, Área de Atuação em Cirurgia, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2002.

4.6.5 VELHO, Átila Varela. Efeito do chá preto sobre a carcinogênese esofágica induzida por

dietilnitrosamina em camundongos. Tese de Doutorado em Medicina, Área de Atuação em Cirurgia, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Cirurgia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2003.

4.6.6 CAVAZZOLA, Leandro Totti. Avaliação da expressão da proteína p53 e do VEGF (fator

de crescimento do endotélio vascular) em pacientes com adenocarcinoma do esôfago. Tese de Doutorado em Medicina, Área de Atuação em Cirurgia, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas: Cirurgia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2003.

45


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

4.6.7 MEURER, Luise. Densidade microvascular intratumoral e expressão imuno-histoquímica de p21: associação com sobrevida em pacientes submetidos a cirurgia por carcinoma epidermóide de esôfago. Tese de Doutorado em Medicina, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciênciasem Gastroenterologia Cirurgia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2003. 4.6.8 DILLENBURG, Carlos Frota. Influência da morfina na carcinogênese esofágica e hepática induzida pela dietilnitrosamina em ratos. Tese de Doutorado em Medicina, Área de Atuação em Cirurgia, Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 06 de dezembro de 2005. 4.6.9 CHEDID, Aljamir Duarte. Duodenopancreatectomia no tratamento de doenças malignas para periampulares: O volume de casos operados determina bons resultados? Tese de Doutorado em Medicina, Área de Atuação em Ciências Cirúrgicas Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 15 de dezembro de 2009. 4.6.10 KRUEL, Cleber Rosito Pinto. Avaliação da reprodutividade e aplicabilidade de um novo modelo experimental para o estudo do dano precoce de isquemia e reperfusão em fígados de ratos. Tese de Doutorado em Medicina, Área de Atuação em Ciências Cirúrgicas Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 15 de dezembro de 2009. 4.6.11 VITOLA, Santo Pascual. Transplante renal em crianças com peso inferior a 15 kg: acesso cirúrgico extraperitoneal: experiência em 62 transplantes. Tese de Doutorado, Programa de PósGraduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2011.

4.7 Supervisão de Pós-Doutorado

4.7.1 PROJETO DE PÓS-DOUTORADO intitulado: Estabelecimento de uma nova análise de risco associando o uso da inteligência artificial (redes neurais artificiais), bacteriologia e técnicas de PCR para a classificação, gerenciamento e predição de infecções urinárias em humanos. Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), Conselho Diretor do Programa Nacional de Pós-Doutorado (PNPD), Centro de Pós Graduação de Medicina, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2009 (participação como membro do grupo de pesquisa).

4.8 Regência de Disciplina de Graduação

4.8.1 PROFESSOR ASSISTENTE IV – Assessor da regência da disciplina de Introdução à Prática Médica II (MED-305), aulas teórica, elaboração de seminários, atendimento de ambulatório e

46


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) atividades de ensino com pacientes, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 1984 e 1988. 4.8.2 REGENTE da Disciplina Introdução à Prática Médica II – Cirurgia Geral – MED/305 (1º e 2º semestres), Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 1985 a 1987. 4.8.3 PROFESSOR ASSISTENTE IV – Colaborador da regência da disciplina de Introdução à Prática Médica II (MED-305), aulas teórica, elaboração de seminários, atendimento de ambulatório e atividades de ensino com pacientes, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2o semestre de 1985. 4.8.3 REGENTE DA MED-305, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2º semestre de 1991.

5 Atividades Administrativas

5.1 Cargos de Direção

5.1.1 DIRETOR TEMPORÁRIO da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 22 a 24 de maio de 2012.

5.2 Cargos de Chefia de Departamento e de Coordenação de Cursos, Programa de Pós-Graduação e de Outras Comissões

5.2.1 CHEFE SUBSTITUTO, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 13 a 31 de janeiro de 1995. 5.2.2 COORDENADOR DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA: CIRURGIA, CÓDIGO FG-1, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS. a) Coordenador de maio de 2003 a abri de 2005 b) Coordenador de abril de 2005 a janeiro de 2007 c) Coordenador pró-tempore - de janeiro a abril de 2007 d) Coordenador substituto do Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas - de abril de 2007 a abril de 2010 e) Coordenador de abril de 2010 a abril de 2011. f) Coordenador de abril de 2011- mandato finda em 2013.

5.2.3

COORDENADOR E COORDENADOR SUBSTITUTO DA COMISSÃO DE PÓS-

47


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

GRADUAÇÃO, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de maio de 2009 a abril de 2011. 5.2.4 CHEFE DO DEPARTAMENTO DE CIRURGIA, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS – de maio de 2011- finda o mandato em julho de 2013.

5.3 Participação em Órgãos de Colegiado na Administração Central da Universidade

5.3. MEMBRO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - desde 2009. 5.3.2 MEMBRO DO CONSELHO UNIVERSITÁRIO, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de maio de 2010 a maio de 2012 (Reeleito para o biênio 2012/2014). 5.3.3 MEMBRO DA COMISSÃO DE PESQUISA DE MEDICINA, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de abril de 2009 a março de 2011.

5.4 Participação em Órgãos Colegiados no Nível das Unidades, Centros e Departamentos 5.4.1 MEMBRO DO COLEGIADO, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - Biênio 1981-1983 Biênio 1983-1985 Biênio 1985-1987 5.4.2 MEMBRO DA COMISSÃO ELEITORAL para as eleições dos Membros do Colegiado – período 1985-1987, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - em 1985. 5.4.3 MEMBRO DA COMISSÃO PARA REFORMULAÇÃO DO CURRICULUM DE CIRURGIA, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - em 1985. 5.4.4 MEMBRO DA COMISSÃO PARA ELABORAR PROJETO ALTERNATIVO – CRIAÇÃO ASSESSORIA PEDAGÓGICA PARA OS PROFESSORES, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - em 1985. 5.4.5 MEMBRO DO GRUPO DE TRABALHO PARA PLANEJAMENTO DO PROGRAMA DE MELHORIA EDUCACIONAL DA FACULDADE DE MEDICINA, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - em 1986.

48


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite) 5.4.6 MEMBRO DA COMISSÃO JULGADORA DA CORRELAÇÃO DE MATÉRIAS E COMPATIBILIDADE DE HORÁRIOS, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - em 1986. 5.4.7 MEMBRO DACOMISSÃO ELABORADORADOS PROGRAMAS DOS CONCURSOS PÚBLICOS PARA PROFESSOR AUXILIAR (SETOR UROLOGIA E ANESTESIOLOGIA), Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - em 1986. 5.4.8 MEMBRO DA COMISSÃO PARA ESTUDO DA REFORMA CURRICULAR, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - em 1987. 5.4.9 SUPLENTE DE REPRESENTANTE DA CATEGORIA DE PROFESSOR ASSISTENTE, Conselho Departamental da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 1987 a 1989. 5.4.10 MEMBRO DE COMISSÃO DE VISITAÇÃO da 13ª Semana Científica do HCPA - 09 de novembro de 1993. 5.4.11 MEMBRO DO COLEGIADO, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - Biênio 1995-1997. 5.4.12 MEMBRO DA COMISSÃO DE PESQUISA DA FACULDADE DE MEDICINA, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de abril a dezembro de 1996. 5.4.13 MEMBRO DA COMISSÃO DE ESTUDOS SOBRE O FUNCIONAMENTO DE TÉCNICA OPERATÓRIA E CIRURGIA EXPERIMENTAL, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1997. 5.4.14 COORDENADOR DO CURSO DIAGNÓSTICO PRECOCE E SCREENING DE TUMORES, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 11 a 15 de agosto de 1997. 5.4.15 MEMBRO DO GRUPO DE TRABALHO PARA ANALISAR A DISPONIBILIDADE DE RECURSOS MATERIAIS E TECNOLÓGICOS NAS UNIDADES DO BLOCO CIRÚRGICO, SALA DE RECUPERAÇÃO PÓS-ANESTÉSICO E NO SERVIÇO DE ANESTESIOLOGIA, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - em 1997. 5.4.16 MEMBRO DO GRUPO DE TRABALHO PARA ANALISAR A DISPONIBILIDADE DE RECURSOS MATERIAIS E TECNOLÓGICOS NAS UNIDADES DO BLOCO CIRÚRGICO, SALA DE RECUPERAÇÃO PÓS-ANESTÉSICO E NO SERVIÇO DE ANESTESIOLOGIA, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - em 1998. 5.4.17 MEMBRO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE BOLSISTA PIBIC/CNPq/98, Hospital de Clínicas Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 1998.

49


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

5.4.18 MEMBRO DA COMISSÃO PARA ELABORAÇÃO DOS ESTUDOS TÉCNICOS PARA CRIAÇÃO DO CENTRO DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE, Hospital de Clínicas Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 2001. 5.4.19 MEMBRO DA COMISSÃO DE SINDICÂNCIA – APURAR DENÚNCIA MATERIALIZADA NA OCORRÊNCIA No 049/02, Hospital de Clínicas Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 2002. 5.4.20 MEMBRO DA COMISSÃO PERMANENTE DE TRANSPLANTES DE ÓRGÃOS E DE TECIDOS, Hospital de Clínicas Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 2002 a 2004. 5.4.21 COMISSÃO EXAMINADORA PARA CONCURSO PÚBLICO DE TÍTULOS E PROVAS PARA PROVIMENTO DE CARGO NA CLASSE DE PROFESSOR ADJUNTO NA ÁREA DE NEUROCIRURGIA, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2005. 5.4.22 MEMBRO DA COMISSÃO DE ÉTICA MÉDICA, Hospital de Clínicas Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 2005 a 2007. 5.4.23 MEMBRO DO COLEGIADO, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS – de julho de 2005 a julho 2007. 5.4.24 COORDENADOR DE CURSOS, Homenagem por VINTE ANOS DE ATIVIDADES ININTERRUPTAS, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2006. 5.4.25 MEMBRO DO CONSELHO CONSULTIVO DO CENTRO DE PESQUISA CLÍNICA, Hospital de Clínicas Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 2009. 5.4.26 MEMBRO DO CONSELHO CONSULTIVO DO CENTRO DE PESQUISA EXPERIMENTAL, Hospital de Clínicas Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 2009. 5.4.27 MEMBRO DA COMISSÃO DE PESQUISA DA FACULDADE DE MEDICINA, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de abril de 2009 a março de 2011. 5.4.28 COMISSÃO EXAMINADORA PARA CONCURSO PÚBLICO DE TÍTULOS E PROVAS PARA PROVIMENTO DE CARGO NA CLASSE DE PROFESSOR ADJUNTO NA ÁREA DE CIRURGIA TORÁCICA, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2011. 5.4.29 MEMBRO DO COMITÊ DE PROJETOS E VIABILIDADE ECONÔMICA DE RECURSOS - PROVER, Hospital de Clínicas Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 2012.

50


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite)

5.5 Cargos Externos à Universidade

5.5.1 COORDENADOR ADJUNTO DA MEDICINA III: CIRURGIA, Fundação Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - desde 2011.

5.6 Cargos Externos à Universidade Relacionados à Administração Hospitalar

5.6.1 Chefia de Serviço

5.6.1.1 CHEFE DO SERVIÇO DE CIRURGIA GERAL, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Universidade Federal do Rio Grande do Sul a) abril de 1994 a janeiro de 2005. 5.6.1.2 MEMBRO DO GRUPO ASSESSORAMENTO DA VICE-PRESIDÊNCIA MÉDICA PARA A CRIAÇÃO DA UNIDADE DE TRANSPLANTE DE MEDULA ÓSSEA, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - em 1994. 5.6.1.3 COORDENADOR DO GRUPO DE TRABALHO PARA AVALIAR O CENTRO DE MEDICINA EXPERIMENTAL DO HCPA, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS em 1995. 5.6.1.4 COORDENADOR DA BANCA EXAMINADORA DO PROCESSO SELETIVO 61 (EDITAL 04/2000) – para a ocupação de Médico (Transplante Hepático), Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 2000. 5.6.1.5 COORDENADOR DA BANCA EXAMINADORA DO PROCESSO SELETIVO 03 (EDITAL 02/2001) – para a ocupação de Médico, Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 2000. 5.6.1.6 COORDENADOR DO CURSO: ABDÔMEN AGUDO – AVALIAÇÃO E TRATAMENTO, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 07 a 10 de maio de 2001. 5.6.1.7 COORDENADOR DA BANCA EXAMINADORA DO PROCESSO SELETIVO 22 (EDITAL 06/2001) – para a ocupação de Médico (Cirurgia Geral), Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 2001. 5.6.1.8 RESPONSÁVEL PELA PROPOSTA DE PROGRAMA DE RESIDÊNCIA MÉDICA EM CIRURGIA DO APARELHO DIGESTIVO, Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS fevereiro de 2004. 5.6.1.9 COORDENADOR DO PROGRAMA DE TRANSPLANTE HEPÁTICO ADULTO, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS -

51


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

desde 2005. 5.6.1.10 BANCA EXAMINADORA DO CONCURSO PÚBLICO PARA SELEÇÃO DE MÉDICOS RESIDENTES (R1), Programa de Residência Médica em Cirurgia Digestiva, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 2006. 5.6.1.11 MEMBRO E RESPONSÁVEL TÉCNICO PARA REALIZAR A RETIRADA E TRANSPLANTE DE FÍGADO, Portaria no 173 do Secretário de Atenção à Saúde do Ministério da Saúde, Diário Oficial da União (25/03/2008), Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS desde 2008.

5.6.2 Outros Cargos

5.6.2.1 MÉDICO PLANTONISTA do Hopital Moinhos de Vento, Porto Alegre, RS - de 1972 a 1981.

5.6.2.2 PROFESSOR da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 1974 a 1982. 5.6.2.3 MÉDICO “A” NÍVEL 4 do Instituto Nacional da Previdência Social (INPS), Porto Alegre, RS - 1975 a 2002. 5.6.2.4 MÉDICO-CIRURGIÃO do Hospital Nossa Senhora da Conceição, Porto Alegre, RS - de 1975 a 1976.

5.6.2.5 MEMBRO DO CORPO CLÍNICO do Hospital Mãe de Deus, Porto Alegre, RS - desde 1979.

5.7 Outros não Previstos pelo Departamento

5.7.1 MEMBRO DO CONSELHO DIRETOR, Hospital Universitário da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 1979 a 1980. 5.7.2 MEMBRO CONSELHEIRO DO CONSELHO DIRETOR, Associação Hospitar Moinhos de Vento, Porto Alegre, RS - desde 2000.

52


2 Faculdade de Medicina da UFRGS (casa de Sarmento Leite)

53


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3

— Liderança e Senioridade


3 Liderança e Senioridade

Capacitacão de Pessoal de Nível Superior - CAPES

• Coordenador adjunto da área de Medicina 3 – Cirurgia

Mandato: agosto de 2011 a abril de 2014.

Universidade Federal do Rio Grande do Sul-UFRGS

• Membro do Conselho Universitário – CONSUN Abril de 2010 a abril de 2012 e abril de 2012 a abril de 2014

• Coordenador do Programa de Pós-Graduacão em Ciências Cirúrgicas da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul Mandato de abril de 2011 a abril de 2013.

• Chefe do Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (mandato de setembro de 2011 a julho de 2013.

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva- CBCD

• Presidente Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Mandato de novembro de 2010 a novembro de 2012.

Da mesma forma que no capítulo anterior, serão incluídos, após o texto, os indicadores de liderança e senioridade, utilizando a mesma numeração do Currículo.

55


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

A CAPES é reconhecida como órgão responsável pela elaboração do Plano Nacional de PósGraduação Stricto Sensu, em 1981, pelo Decreto nº 86.791. É também reconhecida como Agência Executiva do Ministério da Educação e Cultura junto ao sistema nacional de Ciência e Tecnologia, cabendo-lhe elaborar, avaliar, acompanhar e coordenar as atividades relativas ao ensino superior. No ano de 2007, o Congresso Nacional aprova por unanimidade a Lei no 11.502/2007, homologada pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Cria-se assim a Nova Capes, que além de coordenar o alto padrão do Sistema Nacional de Pós-Graduação brasileiro também passa a induzir e fomentar a formação inicial e continuada de professores para a educação básica. Tal atribuição é consolidada pelo Decreto nº 6755, de 29 de janeiro de 2009, que instituiu a Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica. Atualmente ocupando o cargo de coordenador adjunto da medicina 3 e tendo participado da lista tríplice para coordenador da mesma área me obrigo a uma reflexão sobre o significado dessa atuação. O primeiro coordenador de área, após a sua reestruturação, foi o professor Osvaldo Malafaia, professor titular de Cirurgia da Universidade Federal do Paraná. Indivíduo de lideranca e qualidades organizacionais reconhecidas em todo país, que iniciou e deu forma a área e seu processo de avaliação. Após essa fase, assumiu o professor José Renan da Cunha Melo, professor titular de Cirurgia da Universidade Federal de Minas Gerais, tendo como adjuntos a professora Lydia Masako Ferreira, titular de Cirurgia Plástica da Universidade Federal de São Paulo e o professor Agnaldo Cedenho, professor adjunto de Urologia da mesma Universidade. No ano de 2005, assume a coordenacão o professor Francisco José Barcellos Sampaio, titular de Anatomia da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e como adjunto a professora Lydia Masako Ferreira. Em 2011 tenho a honra de assumir a coordenacão adjunta tendo como coordenadora a professora Lydia Masako Ferreira, atualmente o nome mais significativo da Cirurgia Plástica no país. Desde a reestruturação da pós-graduação, o período do professor Osvaldo Malafaia em 1994, até a gestão atual, em 2012, foram seis professores a quem coube a responsabilidade de administrar a pós-graduacão brasileira em cirurgia, a qual evoluiu da décima oitava posição em 2002, para a décima posição no ranking mundial da JCImago em 2010, evidenciando o competente trabalho exercido por esses professores. Tenho participado, desde 2002, das sucessivas avaliações anuais e trienais. Mesmo tendo consciência da responsabilidade do cargo e do consequente desgaste que é avaliar os seus pares, o considero um trabalho extremamente gratificante. Por isso mesmo só tenho a agradecer aos colegas que me concederam o privilégio de participar da lista tríplice para a coordenação. Ao chegar na CAPES, no ano de 2002, participei da avaliação anual preparatória para a trienal de 2004. Considero esse o marco da minha chegada a maturidade, na pós-graduação. Até esse ponto, o meu trabalho, no programa de pós-graduacão em Cirurgia da Faculdade de Medicina da UFRGS, era no sentido de produção de conhecimento e formação de recursos humanos através da pesquisa.

56


3 Liderança e Senioridade A percepcão da pós-graduação brasileira na sua pluralidade, assim como o complexo processo de avaliação, me permitiram ter uma visão abrangente que me proporcionou crescimento como pesquisador e gestor de pesquisa.

Comissão de avaliação da Medicina III CAPES – Cirurgia ano de 2005.

O processo de avaliação é um contínuo amadurecimento dos avaliadores, determinando aperfeiçoamento dos indicadores e melhoria progressiva da produtividade dos diversos programas, tendo como consequência o crescimento do país como fonte produtora de conhecimentos e recursos humanos qualificados para pesquisa e ensino. Participei na Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro como consultor ad hoc de diversos editais, desde o ano de 2007, o que me permitiu conhecer a realidade de um outro estado da Federação, onde está ocorrendo o crescimento de um polo importante de geração de conhecimentos. Essas participações propiciaram o contato com pesquisadores de áreas básicas e de outros setores das áreas biológicas, determinando mais uma parcela no aprendizado do julgamento e tomada de decisões quanto a distribuição de recursos para a pesquisa. Foi no Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva que iniciei a participar de diretorias de sociedades científicas. Ocupei a vice presidência da regional Sul, no biênio 1997-1998; estive na vice-presidência nacional no biênio 2001-2002. Também fiz parte de várias comissões nessa Sociedade. No Colégio Brasileiro de Cirurgiões participei da direção nacional, como vice presidente do setor VI, no - Biênio 2006-2007. Nesse momento ocupo o honroso cargo de presidente do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, sociedade que representa a sustentação da Especialidade de Cirurgia Digestiva no Brasil. A atuação em cargos nos diversos escalões de diretorias das duas principais sociedades da minha especialidade levou-me a perceber a importância das mesmas na promoção e melhoria da qualidade do exercício da cirurgia no Brasil.

57


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

O exercício da presidência deu-me a incumbência de participar da organização da X e XI Semanas Brasileiras do Aparelho Digestivo, presidindo as comissões organizadoras dos dois eventos nacionais. Ainda levou-me a coordenar diversas comissões de classe e participar de decisões na Associação Médica Brasileira e no Conselho Federal de Medicina. O Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva foi fundado pelo professor Henrique Walter Pinotti, de quem guardo uma lembrança de exemplo, dedicação e objetividade no trato das coisas da sociedade. Essa foto foi feita quando a diretoria do CBCD, da qual eu fazia parte como futuro presidente, foi eleita. Foi o último momento que tive oportunidade de trocar idéias com o professor Pinotti e por sugestão dele fizemos essa foto. Que mostra três gerações de cirurgiões dando uma idéia de continuidade da nossa sociedade.

Dr. Cleber Rosito Pinto Kruel, prof Dr Henrique Walter Pinotti, Prof Dr. Cleber Dario Pinto Kruel–SBAD 2008, Brasilia

Coordenação de Eventos Científicos

Desde o ano de 1990, quando estava no segundo ano do meu doutorado, participei de comissões organizadoras de eventos científicos o que representou o meu definitivo engajamento com a comunidade científica como agente efetor e não mais um participante passivo.

I Jornada do Piaui- Fundação Capítulo-2011

58


3 Liderança e Senioridade Foram quinze participações, sendo a última em novembro de 2011, na X Semana Digestiva Brasileira, em Porto Alegre, como Presidente da comissão organizadora do CBCD. No ano de 2011, durante minha gestão no CBCD, fundamos o capítulo do Piauí. Atualmente estou presidindo a comissão da XI Semana Digestiva Brasileira que será realizada em novembro de 2012, em Fortaleza. Trata-se do maior congresso da área digestiva no Brasil com aproximadamente cinco mil participantes.

Participação em Bancas de Concursos em Outras Universidades

Foi uma experiência enriquecedora, além de ser uma honra pessoal e uma deferência para a minha universidade o convite para atuar em duas comissões julgadoras para a admissão de docentes na reconhecida Universidade de São Paulo, sendo uma como membro titular e outra como suplente.

Participação em Banca de Doutorado em Outras Universidades

Foram sete participações, inicialmente na Faculdade de Medicina da PUC do Rio Grande do Sul, em um excelente trabalho sobre tumor de Wilms, de uma ex-aluna da graduação da PUC, da época em fui docente nessa escola. A segunda, na UERJ, abordava um tema de minha linha de pesquisa, orientada pelo professor Luis Felipe Ribeiro Pinto, parceiro de vários projetos e publicações na área da carcinogênese esofágica. O programa de Pós-graduação em Cirurgia Plástica UNIFESP me honrou com quatro convites. Trabalhos do mais alto nível, de um programa nota 6 na CAPES, orientados pela professora Lydia Masako Ferreira. Da Universidade Federal de Minas Gerais recebi o convite para participar de destacado trabalho sobre esquistosomose, orientado pelo professor Andy Petroinu.

Participação em Comites Editoriais de Periódicos

A participação nos comitês editoriais de periódicos científicos nos leva a vivenciar a administração da divulgação do conhecimento, experiência que complementa o exaustivo trabalho da geração do mesmo. Foram vários periódicos onde tive a oportunidade de vivenciar essa experiência. O momento mais gratificante foi durante a minha gestão na presidência do CBCD e editor associado da revista Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva, quando a mesma passou a ser indexada na Base de dados da Medline/PubMed, em janeiro de 2012.

Participação em Bancas de mestrado e doutorado na própria instituição de origem e mestrado em outras instituições

Participando de bancas de mestrado e doutorado o docente exerce uma das funções mais importantes de sua atividade na pós-graduação que é a de contribuir para o aprimoramento da produção de conhecimento e ao mesmo tempo complementar a formação do discente com a análise crítica e construtiva de seu trabalho.

59


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Participei de setenta e seis bancas, das quais doze foram de doutorado na minha instituição, doze de mestrado em outras instituições e as demais de mestrado na instituição de origem.

Pós-Doutorado

PÓS-DOUTORADO, Dipartimento di Scienze Medico-Chirurgiche, Universidade degli Studi di Milano, Milano, Italy - 2008. Esse foi um período importante de crescimento pessoal e ampliação de conhecimentos na área da pesquisa. Cheguei no serviço do professor Luigi Bonavina com a finalidade de estudar as micrometástases no carcinoma epidermóide do esôfago. Em uma semana, estava envolvido também com os aspectos práticos e teóricos da proteômica aplicada ao diagnóstico precoce dos tumores. Ao final do período tínhamos elaborado um protocolo conjunto para o desenvolvimento de um banco de tecidos.

Em 2008, a EMBRAPA utilizava a proteômica com resultados animadores.

Através da parceria com o professor Luis Felipe Ribeiro Pinto, do INCA, e participação no INCT no tratamento do câncer, como coordenador regional, conseguimos dar continuidade ao projeto incluindo ferramentas de proteômica na pesquisa do tumor de esôfago. Foi adquirido o equipamento para a linha de pesquisa em proteômica, espectrofotômetro de massa - MALDI-TOF-TOF – o qual está sendo utilizado na pesquisa do carcinoma epidermóide nas suas várias etapas, desde o diagnóstico precoce até o estudo do tumor e suas micrometástases . O estágio pós-doutoral com bolsa financiado pela CAPES atingiu plenamente seu objetivo no sentido de promover a aproximação do pesquisador brasileiro com centros de excelência no exterior determinando a transmissão de conhecimentos e gerando parcerias.

Professores Luigi Bonavina e Cleber Dario Pinto Kruel, de avental branco, ao centro, no primeiro plano.

60


3 Liderança e Senioridade

Alguns indicadores de liderança e senioridade Atividade

Total

Participação em bancas de Mestrado na UFRGS

55

Participação em bancas de Mestrado em outras universidades

12

Participação em bancas de Doutorado na UFRGS

11

Participação em bancas de Doutorado em outras universidades

7

Coordenação de eventos científicos nacionais

17

Coordenação local de projetos colaborativos de âmbito nacional envolvendo pesquisadores de diversas instituições

7

Coordenação de projetos colaborativos de âmbito regional envolvendo pesquisadores de diversas instituições

39

Prêmios e Distinções

VOTO DE LOUVOR AO TRABALHO DESENVOLVIDO NA DISCIPLINA MED 305 – INTRODUÇÃO A PRÁTICA MÉDICA II E CIRURGIA EXPERIMENTAL, Departamento de Cirugia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1992. PROFESSOR INDICADO AO PRÊMIO MÉXICO DE CIÊNCIAS E TECNOLOGIA 1993, Departamento de Cirurgia Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1993. MENÇÃO HONROSA NA ÁREA DE CIRURGIA EXPERIMENTAL AO TRABALHO APRESENTADO Modelo Experimental de Carcinogênese Esofágica em Frangos, 1º Congresso de Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde, 4ª Semana Científica do HCPA, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 1994. PRÊMIO HELIO BELTRÃO AO PROJETO APRESENTADO Sistemática de Avaliação e Priorização de Investimentos em Equipamentos, 6º Concurso de Inovações na Gestão Pública Federal Escola Nacional de Administração Pública, Brasília, DF - 2002. HOMENAGEADO PELOS VINTE ANOS DE ATIVIDADES ININTERRUPTAS, Programa de Educação Médica Continuada, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande Sul, Porto Alegre, RS - 2006.

61


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

MÉRITO EM ATITUDE SOLIDÁRIA, Viavida Pró-Doações e Transplantes, Porto Alegre, RS - 2006.

PRÊMIO ANÁLISE MEDICINA – POR SER O MAIS ADMIRADO NA ESPECIALIDADE - 2009.

HOMENAGEADO PELOS RESIDENTES do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Serviço de Cirurgia do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - 2009. PRÊMIO OSCAR ALVES AO MELHOR TRABALHO PUBLICADO, intitulado: Expresão Imuno-Histoquímica de P53 e Ki-67 na Carcinogênese Esofáfgica Induzida pela Dietilnitrosamina: Modelo Experimental, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Fortaleza, CE - 20

2.1 Participação em Órgãos de Fomento e em Comissões

2.1.1 CONSULTOR AD HOC PARA ACOMPANHAMENTO ANUAL DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO NA ÁREA DE MEDICINA III, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2002. 2.1.2 CONSULTOR DA AVALIAÇÃO TRIENAL 2004 DOS PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO STRICTU SENSU NA ÁREA DE MEDICINA III, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2004. 2.1.3 CONSULTOR DA AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO NA ÁREA DE MEDICINA III (Período de Avaliação: 2001/2003), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) -2004. 2.1.4 MEMBRO DO COMITÊ DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO EM MEDICINA III (CIRURGIA), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) para 2005 - 2005. 2.1.5 CONSULTOR PARA ACOMPANHAMENTO ANUAL DOS PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO NA ÁREA DE MEDICINA III, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2005. 2.1.6 MEMBRO DO COMITÊ DE AVALIAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO EM MEDICINA III (CIRURGIA), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) para 2006 - 2006. 2.1.7 CONSULTOR PARA ACOMPANHAMENTO ANUAL DOS PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO NA ÁREA DE MEDICINA III, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2006. 2.1.8 MEMBRO DA COMISSÃO DE PREMIAÇÃO MEDICINA III DO PRÊMIO CAPES DE TESES, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2007.

62


3 Liderança e Senioridade 2.1.9 MEMBRO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO TRIENAL 2007 DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU DA ÁREA DE MEDICINA III, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2007. 2.1.10 MEMBRO DO COMITÊ DE AVALIAÇÃO DA MEDICINA III (CIRURGIA) – avaliação trienal de 2007, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2007. 2.1.11 MEMBRO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO TRIENAL NA ÁREA DE MEDICINA III – PEDIDO DE RECONSIDERAÇÃO PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - Período de Avaliação: 2007/2009 - 2007. 2.1.12 MEMBRO DO COMITÊ DE AVALIAÇÃO DO EDITAL 07/2007, Programa de Apoio à Infraestrutura de Biotérios em Instituições de Ensino e Pesquisa, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2007. 2.1.13 MEMBRO DO COMITÊ DO EDITAL 2/2008 – PROGRAMA DE APOIO AOS HOSPITAIS SEDIADOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2008. 2.1.14 MEMBRO DO COMITÊ DE ESPECIALISTAS PARA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISAS, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos, Departamento de Ciências e Tecnologia, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico, Ministério da Saúde 2008. 2.1.15 MEMBRO DO COMITÊ AVALIADOR DE EDITAIS, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2009. 2.1.16 MEMBRO DO COMITÊ AVALIADOR DO EDITAL 18/2009, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2010. 2.1.17 MEMBRO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO TRIENAL 2010 DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU NA ÁREA DE MEDICINA III, Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2010. 2.1.18 MEMBRO DO COMITÊ JULGADOR DO EDITAL 19/2010 - PROGRAMA DE APOIO AO ESTUDO DA BIODIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2010. 2.1.19 MEMBRO DO COMITÊ JULGADOR DO EDITAL 20/2010 - PROGRAMA DE APOIO À PESQUISA CLÍNICA EM HOSPITAIS UNIVERSITÁRIOS SEDIADOS NO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2010. 2.1.20 MEMBRO DA COMISSÃO DE PREMIAÇÃO DA MELHOR TESE DEFENDIDA EM 2009 – MEDICINA III (CIRURGIA), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2011.

63


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

2.1.21 MEMBRO DO COMITÊ DE AVALIAÇÕES DOS EDITAIS 2011 (ARD, PqG e PRONEM), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2011.

2.1.22 COORDENADOR ADJUNTO DA MEDICINA III (CAPES) – 2011/2013.

2.1.23 MEMBRO PARTICIPANTE DA REUNIÃO DE APCN 2011 DA ÁREA DE MEDICINA III (CAPES), Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2011. 2.1.24 MEMBRO DO COMITÊ ASSESSOR PARA AVALIAÇÃO DOS EDITAIS 2011 (PqG, ARD e PRONEM), Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio Grande do Sul (FAPERGS) - 2011. 2.1.25 MEMBRO DA COMISSÃO DE PREMIAÇÃO DA MELHOR TESE DEFENDIDA EM 2010 – MEDICINA III (CIRURGIA), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2012.

2.2 Participação em Diretorias e Conselhos de Sociedades Científicas

2.2. 1 MEMBRO DA COMISSÃO DE REVISTA E DIVULGAÇÃO do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - 1996. 2.2. 2 MEMBRO DA DIRETORIA NACIONAL do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva na função de VICE-PRESIDENTE DA REGIONAL SUL - Biênio 1997-1998.

2.2. 3 SÓCIO TEMPORÁRIO da Associação Hospitalar Moinhos de Vento - 2000-2003.

2.2. 4 VICE-PRESIDENTE NACIONAL do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - Biênio 2001-2002.

2.2. 5 MEMBERSHIP do The International Society for Diseases of the Esophagus - 2002.

2.2. 6 MEMBRO DA COMISSÃO DE ENSINO-GRADUAÇÃO, PÓS-GRADUAÇÃO E RESIDÊNCIA MÉDICA do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - Biênio 2003-2004. 2.2. 7 MEMBRO DA COMISSÃO DE ÉTICA E DEFESA DE CLASSE E DE TABELA DE HONORÁRIOS MÉDICOS do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - Biênio 2005-2006.

2.2. 8 VICE-PRESIDENTE – Setor VI do Colégio Brasileiro de Cirurgiões - Biênio 2006-2007.

2.2. 9 MEMBRO DA COMISSÃO JULGADORA DO PRÊMIO OSCAR ALVES, MELHOR TRABALHO PUBLICADO no Colégio Brasileiro de Cirurgiões - 2007. 2.2.10 MEMBRO DA COMISSÃO DE TABELA DE HORÁRIOS MÉDICOS do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - Biênio 2007-2008. 2.2.11 MEMBRO DA COMISSÃO DE ÉTICA E DEFESA DE CLASSE do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - Biênio 2009-2010.

64


3 Liderança e Senioridade

2.2.12 PRESIDENTE ELEITO do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - Biênio 2011-2012.

2.3 Coordenação de Eventos Científicos

2.3. 1 MEMBRO DA COMISSÃO ORGANIZADORA, II Encontro de Cirurgia do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 24 a 26 de maio de 1990. 2.3. 2 COORDENADOR DO CURSO DE ABDÔMEN AGUDO CIRÚRGICO, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 07 a 22 de outubro de 1991. 2.3. 3 RESPONSÁVEL PELO PROGRAMA REGIONAL, 4º Simpósio de Medicina Experimental do Rio Grande do Sul “Pesquisa Experimental na Graduação Médica”, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 08 a 10 de novembro de 1992. 2.3. 4 COMISSÃO ORGANIZADORA, 12ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 09 a 13 de novembro de 1992. 2.3. 5 MEMBRO DA COMISSÃO CIENTÍFICA, 2º Gastrosul, 2º Simpósio de Atualização em Gastroenterologia, 1º Workshop Internacional em Câncer do Aparelho Digestivo: Esôfago, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 02 a 04 de junho de 1994. 2.3. 6 COORDENADOR DO PROGRAMA DE CIRURGIA, 14ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 07 a 11 de novembro de 1994. 2.3. 7 MEMBRO DA COMISSÃO ORGANIZADORA, 3º Gastrosul, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 01 a 03 de junho de 1995. 2.3. 8 DIRETOR EXECUTIVO, IV Congresso Nacional de Cirurgia Experimental, Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia (SOBRADPEC), Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Hospital Veterinário, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 22 a 25 de novembro de 1995. 2.3. 9 MEMBRO DA COMISSÃO COORDENADORA, 4º Gastrosul, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clinicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 06 e 07 de junho 1996. 2.3.10 COORDENADOR DE TRAUMAS E ATLS, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 19 a 23 de maio 1997. 2.3.11 MEMBRO DA COMISSÃO COORDENADORA, 5º Gastrosul, II Workshop Internacional de Doença do Esôfago, I Curso de Afecções e Patobiliares do Hospital de Clínicas de Porto

65


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Alegre, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 05 a 07 de junho de 1997. 2.3.12 MEMBRO DA COMISSÃO COORDENADORA, VI Gastrosul, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 18 a 19 de junho de 1998. 2.3.13 MEMBRO DA COMISSÃO ORGANIZADORA, XVI Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo (JACAD), VIII Jornada Sul-Brasileira de Cirurgia do CBCRS, I Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - 23 a 25 de setembro de 1998. 2.3.14 MEMBRO DA COMISSÃO COORDENADORA, IX GASTROSUL, III Encontro de Ex-Residentes dos Serviços de Gatroenterologia, Endoscopia Digestiva e Cirurgia Geral do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 14 e 15 de junho 2001. 2.3.15 MEMBRO DA COMISSÃO CONSULTIVA, VII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, São Paulo, RS - 19 e 23 de novembro 2006. 2.3.16 COORDENADOR do X Curso Nacional de Educação Médica Continuada à Distância de Gastroenterologia e Cirurgia Geral, NETGASTRO 2010, São Paulo, SP - 2010. 2.3.17 PRESIDENTE do XV Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, X SBAD, X Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XLI Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XXXVI Congresso Brasileiro do Endoscopia Digestiva, IV Congresso Brasileiro de Motilidade Digestiva, Porto Alegre, RS - 19 a 24 de novembro 2011.

2.4 Participação em Bancas de Concursos em Outras Universidades

2.4.1 COMISSÃO JULGADORA – MEMBRO SUPLENTE – PARA O CONCURSO PARA PROVIMENTO DE CARGO DE PROFESSOR DOUTOR, junto ao Departamento de Gastroenterologia, com base no Programa da Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo, na Área de Cirurgia Laparoscópica, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, SP - 17 e 18 de agosto de 2009. 2.4.2 COMISSÃO JULGADORA – MEMBRO SUPLENTE – PARA O CONCURSO PARA PROVIMENTO DE CARGO DE PROFESSOR DOUTOR, junto ao Departamento de Gastroenterologia, com base no Programa da Disciplina de Cirurgia do Aparelho Digestivo, na Área de Cirurgia Oncológica, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de São Paulo, São Paulo, SP - 19 e 20 de agosto de 2009.

66


3 Liderança e Senioridade

2.5 Participação em Banca de Doutorado em Outras Universidades

2.5.1 BANCA EXAMINADORA DA TESE DE DOUTORADO, intitulada: Análise da Expressão Imuno-histoquímica do Fator Tecidual no Tumor de Wilms e sua Relação com Angiogênese e Aspectos Clínico-Patológicos da aluna Elinês Oliva Maciel, Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde, Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - 18 de janeiro de 2008. 2.5.2 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Efeito da Lesão Térmica na Carcinogênese Esofágica do aluno Davy Carlos Mendes Rapozo, Curso de Pós-Graduação em Biociências. Centro Biomédico – Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes da Universidade do Estado do Rio de Janeiro - 21 de agosto de 2009. 2.5.3 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Sensação Cutânea Abdominal na Obesidade com e sem Abdominoplastia do aluno Rodolpho Alberto Bussolaro, Programa de Pós-Graduação em Cirurgia Plástica. Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo - 1º de dezembro de 2010. 2.5.4 BANCA EXAMINADORA DA TESE DE DOUTORADO, intitulada: Influência do Baço e de Operações para Tratamento de Hipertensão Porta Esquistossomática na Incidência de Trombose no Sistema Porta e em Exames Hematológicos e Bioquímicos do aluno Leonardo de Souza Vasconcellos, Programa de Pós-Graduação em Ciências Aplicadas à Cirurgia e à Oftalmologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais - 18 de abril de 2011. 2.5.5 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Seroma na Área Doadora do Retalho Musculocutâneo Transverso do Reto do Abdomên, em Pacientes Submetidas à Reconstrução de Mama do aluno Luís Antônio Rossetto de Oliveira, Programa de Pós-Graduação em Cirurgia Plástica, Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo - 02 de junho de 2011. 2.5.6 COMISSÃO JULGADORA DA TESE DE DOUTORADO, intitulada: Medical Outcomes Study 36-ITEM Short-Form Health Survey e Health Assessment Questionnaire em Mulheres Submetidas à Abdominoplastia em Âncora após Cirurgia Bariátrica do aluno Ivan Rene Viana Omonte, Programa de Pós-Graduação em Cirurgia Plástica, Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo - 07 de outubro de 2011. 2.5.7 COMISSÃO JULGADORA DA TESE DE DOUTORADO, intitulada: Tacrolimus e Rapamicina em Transplante Alógeno de Tecido Composto do aluno Matthias Wolfgang Mathony Weinstock, Programa de Pós-Graduação em Cirurgia Plástica, Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo - 01 de abril de 2012.

67


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

2.6 Participação Em Comitês Editoriais De Periódicos

2.6.1

MEMBRO do Conselho Editorial - v. 13, n. 3, dez., 1993. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 14, n. 1, abr., 1994. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 15, n. 2, ago., 1995. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 15, n. 3, dez., 1995. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 16, n. 1, abr., 1996. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 17, n. 2, ago., 1997. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 18, n. 1, abr., 1998. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 20, suplemento, set., 2000. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 21, n. 3, dez., 2001. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 22, n. 1, abr., 2002. REVISOR DO ARTIGO 605 - 10 de dezembro de 2002. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 23, n. 3, set., 2003.

2.6.2

MEMBRO do Conselho Científico - v. 37, n. 4, out./dez., 2000. MEMBRO do Conselho Científico - v. 38, n. 3, jul./set., 2001. MEMBRO do Conselho Científico - v. 38, n. 4, out./dez., 2001. EDITOR Associado - v. 40, n. 4, out./dez., 2003. EDITOR Associado - v. 41, n. 2, abr./jun., 2004. EDITOR Associado - v. 41, n. 3, jul./set., 2004. EDITOR Associado - v. 44, n. 3, jul./set., 2007.

2.6.3

MEMBRO do Conselho Editorial - v. 5, n. 2, jul./set., 2003.

2.6.4

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

REVISTA ARQUIVOS EM GASTROENTEROLOGIA

REVISTA DO MÉDICO RESIDENTE

REVISTA DO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIÕES

REVISOR DO TRABALHO “Novas técnicas ambulatoriais para avaliação da motilidade esofágica e sua aplicação no estudo do megaesôfago – artigo de atualização” - 2006. MEMBRO do Conselho Editorial - v. 33, n. 6, nov./dez., 2006. MEMBRO do Conselho de Revisores - Gestão 2008-2009. MEMBRO do Conselho de Revisores - v. 37, n. 1, jan./fev., 2010.

2.6.5

REVISTA ARQUIVOS BRASILEIROS DE CIRURGIA DIGESTIVA

EDITOR ASSOCIADO - v. 20, n. 2, abr./jun., 2007.

68


3 Liderança e Senioridade

2.7 Coordenação De Projetos Colaborativos

2.7.1 Coordenação Local de Projeto de Âmbito Nacional

2.7.1.1 COORDENADOR NO RIO GRANDE DO SUL - PROJETO DE PESQUISA INFLAMAÇÃO ASSOCIADA AO CÂNCER DE ESÔFAGO – Proc.: E-26/100.572/2007, Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (INCA), Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2007. 2.7.1.2 COORDENADOR DO PROJETO PARA DESENVOLVIMENTO DE NOVAS DROGAS, Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) para Controle do Câncer e Instituto Nacional de Câncer (INCA) - 2008. 2.7.1.3 COORDENADOR NO RIO GRANDE DO SUL - PROJETO DE PESQUISA ALTERAÇÕES MOLECULARES EM CARCINOMA EPIDERMOIDE DE ESÔFAGO COM POTENCIAL DE BIOMARCADORES DE EXPOSIÇÃO, DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA, Proc.: E-26/102.439/2009, Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (INCA), Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2009. 2.7.1.4 COORDENADOR NO RIO GRANDE DO SUL - PROJETO DE PESQUISA ESTUDO DAS ALTERAÇÕES MOLECULARES EM CARCINOMA EPIDERMOIDE DE ESÔFAGO POR FERRAMETAS GENÔMICAS E PROTEÔMICAS, Proc.: E-26/110.282/2010, Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (INCA), Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2010. 2.7.1.5 COORDENADOR NO RIO GRANDE DO SUL - PROJETO DE PESQUISA REDE PARA DESENVOLVIMENTO DE MARCADORES MOLECULARES EM NEOPLASIAS, Proc.: E-26/110.763/2010, Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (INCA), Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2010. 2.7.1.6 COORDENADOR NO RIO GRANDE DO SUL - PROJETO DE PESQUISA CARCINOMA EPIDERMOIDE DE ESÔFAGO: SUSCEPTIBILIDADE, ALTERAÇÕES E MARCADORES MOLECULARES, Proc.: E-26/110.763/ 2010, Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (INCA), Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - 2010. 2.7.1.7 INTEGRANTE DE EQUIPE DO PROJETO INFECÇÃO POR PAPILOMA VÍRUS HUMANO (HPV) E CÂNCER SUBMETIDO PARA CHAMADA DE PROJETOS no 12/2011 (AI), Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Auxílio para bolsas no exterior dentro do Programa Ciência sem Fronteira, Programa de Cooperação e Apoio a Redes de Pesquisas Brasileiras e Francesas. Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT) - desde 2011.

69


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

2.7.2 Coordenação Local de Projeto de Âmbito Regional

2.7.2.1 MODELO EXPERIMENTAL DE CARCINOGÊNESE ESOFÁGICA EM FRANGOS. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1995 a 1998. 2.7.2.2 ONCOGÊNESE E CITOLOGIA ESFOLIATIVA: EXPRESSÃO DO P53 E RÃS EM MUCOSA ESOFÁGICA. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1995 a 1996. 2.7.2.3 FATORES PROGNÓSTICOS NO CARCINOMA DE ESÔFAGO. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1996 a 1998. 2.7.2.4 EXPRESSÃO ONCOGÊNICA EM MUCOSA NORMAL E LESÕES PRÉ-MALIGNAS DE ESÔFAGO. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1996 a 1998. 2.7.2.5 ALTERAÇÕES MORFOLÓGICAS NO INTESTINO SUBMETIDO AO MEIO GÁSTRICO. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1996 a 2004. 2.7.2.6 CROMATOSCOPIA COM LUGOL NO DIAGNÓSTICO DE LESÕES PRECURSORAS DO CÂNCER ESOFÁGICO ESTUDO EM INDIVÍDUOS COM ALTO RISCO E ALTERAÇÕES CITOLÓGICAS DETECTADAS PELO BALÃO CITOLÓGICO CHINÊS (Projeto Taquara). Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1996 - 2000. 2.7.2.7 EFEITO INIBIDOS DO CHÁ PRETO SOBRE O CÂNCER DE ESÔFAGO INDUZIDO PELA DIETILNITROSAMINA NO CAMUNDONGO. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1997 a 1998. 2.7.2.8 ANÁLISE DE SOBREVIDA E ESTUDO DE FATORES PROGNÓSTICOS EM PACIENTES COM CARCINOMA EPIDERMÓIDE DE ESÔFAGO TORÁCICO SUBMETIDO À ESOFAGECTOMIA. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1999 a 2001. 2.7.2.9 SISTEMÁTICA DE FOLLOW-UP EM PACIENTES COM CÂNCER GÁSTRICO. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1998 a 1999. 2.7.2.10 ACALÁSIA: A EXPERIÊNCIA DO GRUPO DE CIRURGIA DO ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO DO HCPA. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1998. 2.7.2.11 NÚCLEO DE VÍDEO CIRURGIA EXPERIMENTAL. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1998. 2.7.2.12 DESENVOLVIMENTO E OTIMIZAÇÃO DE CULTURAS DE CÉLULAS INDIVIDUALIZADAS NO CARCINOMA EPIDERMÓIDE DO ESÔFAGO. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1998. 2.7.2.13 INFLUÊNCIA DA MORFINA NA CARCINOGÊNESE ESOFÁGICA INDUZIDA PELA DIETILNITROSAMINA EM RATOS. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1999 a 2005.

70


3 Liderança e Senioridade 2.7.2.14 O p53 NA AVALIAÇÃO DO EFEITO DO CHÁ PRETO SOBRE A INDUÇÃO TUMORAL ESOFÁGICA PELA DIETILNITROSAMINA. Hospital de Clínicas de Porto Alegre 2000 a 2008. 2.7.2.15 ESTUDO SOBRE A BIOLOGIA MOLECULAR DO CÂNCER DE ESÔFAGO NOS PACIENTES DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 2000 a 2004. 2.7.2.16 DETERMINAÇÃO DE FATORES PROGNÓSTICOS EM ADENOCARCINOMA DO ESÔFAGO: AVALIAÇÃO DA EXPRESSÃO DA PROTEÍNA P53 E DO VEGF (FATOR DE CRESCIMENTO DO ENDOTÉLIO VASCULAR). Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 2003 a 2004. 2.7.2.17 AVALIAÇÃO POR PCR DO P53 EM CARCINOMAS ESOFÁGICOS INDUZIDOS PELA DIETILNITROSAMINA: MODELO EXPERIMENTAL EM CAMUNDONGOS. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 2003 a 2005. 2.7.2.18 EXPRESSÃO DA COX 2 EM UM MODELO EXPERIMENTAL DE CARCINOMA EPIDERMÓIDE E INFLAMAÇÃO POR LESÃO TÉRMICA DE ESÔFAGO EM MURINOS. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 2003 a 2005. 2.7.2.19 EXPRESSÃO DA PROTEÍNA P53 EM MODELO EXPERIMENTAL DE CARCINOGÊNESE ESOFÁGICA INDUZIDA PELA DIETILNITROSAMINA ASSOCIADA AO USO DA ERVA-MATE – ESTUDO EXPERIMENTAL EM CAMUNDONGOS. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - desde 2003. 2.7.2.20 MODELO EXPERIMENTAL DE CARCINOGÊNESE E INFLAMAÇÃO POR LESÃO TÉRMICA EM ESÔFAGO DE MURINOS. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - desde 2003. 2.7.2.21 ANÁLISE DA EXPRESSÃO DO ÓXIDO NÍTRICO SINTETASE INDUZÍVEL (INOS), GUANYLATE-BINDING PRETEIN-2 (GBP-2) E INTERFERON REGULATORY FACTOR-1 (IRF-1) EM UM MODELO EXPERIMENTAL DE CARCINOMA EPIDERMÓIDE E INFLAMAÇÃO POR LESÃO TÉRMICA DO ESÔFAGO EM CAMUNDONGOS. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - desde 2004. 2.7.2.22 A PRESERVAÇÃO HEPÁTICA COM FRUTOSE-1, 6-BIFOSFATO E SUA INFLUÊNCIA NO DANO DE ISQUEMIA/REPERFUSÃO EM FÍGADO DE RATOS. Comitê de Ética em Pesquisa, Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 2004 a 2006. 2.7.2.23 COMPARAÇÃO ENTRE FRUTOSE-1,6-BISFOSFATO E SOLUÇÃO DA UNIVERSIDADE DE WISCONSIN NA PRESERVAÇÃO DE FÍGADOS DE RATOS: A PROTEÇÃO CONTRA O DANO ISQUEMIA-REPERFUSÃO. Comissão de Pesquisa de Medicina - desde 2005. 2.7.2.24 AVALIAÇÃO DA RESPOSTA NUTRICIONAL MEDIDA PELA TRANSFERRINA E PRÉ-ALBUMINA SÉRICAS EM PACIENTES COM CÂNCER DE ESÔFAGO INTERNADOS NO

71


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE. Comitê de Ética em Pesquisa, Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 2005 a 2008. 2.7.2.25 ANÁLISE DOS EFEITOS DO RINSE DE GLUTATIONA SOBRE OS DANOS HIRTOPATOLÓGICOS, MICROCIRCULAÇÃO HEPÁTICA, DEFESAS ANTIOXIDANTES, ESTRESSE OXIDATIVO E FUNÇÃO HEPÁTICA NO TRANSPLANTE DE FÍGADO HUMANO. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - desde 2008. 2.7.2.26 INFLAMAÇÃO ASSOCIADA AO CÂNCER DE ESÔFAGO. Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (INCA), Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - desde 2007. 2.7.2.27 AVALIAÇÃO DE MUTAÇÃO DO GENE TP53 EM CARCINOMA EPIDERMÓIDE DE ESÔFAGO. Comitê de Ética em Pesquisa, Hospital de Clínicas de Porto Alegre - desde 2008. 2.7.2.28 DETERMINAÇÃO DO GASTO ENERGÉTICO BASAL MEDIDO POR CALORIMETRIA INDIRETA EM PACIENTES COM CÂNCER DE ESÔFAGO. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - desde 2009. 2.7.2.29 SOBREVIDA EM UM ANO DOS PACIENTES SUBMETIDOS AO TRANSPLANTE HEPÁTICO NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - desde 2009. 2.7.2.30 ALTERAÇÕES MOLECULARES EM CARCINOMA EPIDERMOIDE DE ESÔFAGO COM POTENCIAL DE BIOMARCADORES DE EXPOSIÇÃO, DIAGNÓSTICO E TERAPÊUTICA. Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (INCA), Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - desde 2009. 2.7.2.31 TRANSPLANTE DE FÍGADO EM RATOS: IMPLANTAÇÃO DE UM MODELO EXPERIMENTAL NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE. Comitê de Ética em Pesquisa, Hospital de Clínicas de Porto Alegre - desde 2009. 2.7.2.32 QUIMIO-EMBOLIZAÇÃO X EMBOLIZAÇÃO INTRA-ARTERIAL COM MICROESFERAS NO TRATAMENTO DO CARCINOMA HEPATOCELULAR IRRESSECÁVEL: ENSAIO CLÍNICO RANDOMIZADO. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - desde 2010. 2.7.2.33 ESTUDO DAS ALTERAÇÕES MOLECULARES EM CARCINOMA EPIDERMOIDE DE ESÔFAGO POR FERRAMENTAS GENÔMICAS E PROTEÔMICAS. Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (INCA), Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - desde 2010. 2.7.2.34 REDE PARA DESENVOLVIMENTO DE MARCADORES MOLECULARES EM NEOPLASIAS. Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (INCA), Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - desde 2010.

72


3 Liderança e Senioridade 2.7.2.35 CARCINOMA EPIDERMÓIDE DE ESÔFAGO: SUSCEPTIBILIDADE, ALTERAÇÕES E MARCADORES MOLECULARES. Ministério da Saúde, Instituto Nacional do Câncer (INCA), Fundação Carlos Chagas Filho de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) - desde 2010. 2.7.2.36 PVA X MICROESFERAS NA EMBOLIZAÇÃO INTRA-ARTERIAL NO TRATAMENTO DO CARCINOMA HEPATOCELULAR IRRESSECÁVEL. Comitê de Ética e Pesquisa, Hospital de Clínicas de Porto Alegre - desde 2011. 2.7.2.37 AVALIAÇÃO DE MUTAÇÕES NO GENE BRCA2 EM CARCINOMA EPIDERMÓIDE DE ESÔFAGO: COMPARAÇÃO ENTRE A FREQUÊNCIA DE MUTAÇÕES EM TUMORES DE PACIENTES DE DIFERENTES FAIXAS ETÁRIAS. Hospital de Clínicas de Porto Alegre - aguardando aprovação. 2.7.2.38 MARCADORES MOLECULARES PARA A DETECÇÃO DE CARCINOMA EPIDERMÓIDE DE ESÔFAGO EM ESTÁGIOS INICIAIS. Hospital de Clínicas de Porto Alegre aguardando aprovação. 2.7.2.39 HISTÓRIA FAMILIAL COMO FATOR DE RISCO NO CARCINOMA EPIDERMÓIDE DE ESÔFAGO: UM ESTUDO EPIDEMIOLÓGICO PROSPECTIVO DO SUL DO BRASI. Hospital de Clínicas de Porto Alegre L - aguardando aprovação.

2.8 Participação em Bancas de Mestrado e Doutorado na Instituição de Origem e Mestrado em Outras Instituições

2.8.1 Mestrado – Instituição de Origem

2.8.1.1 BANCA EXAMINADORA DO SEMINÁRIO ESPECIAL DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Padrão Fluoresceinoscopico e Cintotilográfico de Esquemia em Estômago de Cão Preparado para Gastroplastia de Substituição ao Esôfago do aluno Carlos Alberto Cabeda Fischer, Área de Atuação em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 27 de novembro de 1993. 2.8.1.2 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Modelo Experimental para o estudo da gastrosquise em fetos de coelho do aluno Francisco Coutinho Kubaski, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 16 de setembro de 1994. 2.8.1.3 BANCA EXAMINADORA DO SEMINÁRIO ESPECIAL DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Acurácia da Cultura de Biópsia e Aspirado Hepáticos no Diagnóstico

73


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

da Colonização Bacteriana da Bile do aluno José Ricardo Guimarães, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Área de Concentração em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 17 de janeiro de 1995. 2.8.1.4 BANCA EXAMINADORA DO SEMINÁRIO ESPECIAL DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Alterações Hemodinâmicas Relacionadas ao Pinçamento da Aorta Abdominal Infrarrenal: Estudo Experimental em Suínos do aluno Eduardo Estevão Eggers, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 10 de março de 1995. 2.8.1.5 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: A Biópsia de Ângulo Venoso Bilateral e a Mediastinoscopia no Estadiamento do Carcinoma Brônquico - Estudo de 193 Casos do aluno Sérgio Tadeu Lima Fortunato Pereira, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Pneumologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 07 de dezembro de 1995. 2.8.1.6 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Comparação entre a Avaliação Nutricional Subjetiva Global, Índice Nutricional Prognóstico e Força do Aperto da Mão Não-Dominante na Avaliação Nutricional do Paciente Cirrótico Ambulatorial: A Contribuição da Dinamometria do aluno Mário Reis Alvares-da-Silva, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul 16 de dezembro de 1995. 2.8.1.7 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Aspectos Epidemiológicos e do Tratamento Endoscópico das Úlceras Pépticas Gástricas e Duodenais Sangrantes do aluno Fábio Segal, Programa de Pós-Graduação em Gastroenterologia Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 19 de dezembro de 1995. 2.8.1.8 BANCA EXAMINADORA DO SEMINÁRIO ESPECIAL DE DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Estudo Comparativo entre Microscopia Ótica Convencional e Imagens Microscópicas Digitalizadas de Derrames Serosos do aluno Vinícius Duval da Silva, Programa de PósGraduação em Medicina: Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 20 de dezembro de 1995. 2.8.1. 9 MEMBRO TITULAR DA BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Contribuição ao Estudo do Sistema Elástico do Colédoco Supraduodenal Humano Normal e Com Litíase do aluno José Artur Sampaio, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 02 de agosto de 1996. 2.8.1.10 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Biópsia Hepática Transjugular: Experiência Inicial com 39 pacientes do aluno Antônio Carlos Maciel, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 31 de outubro de 1996.

74


3 Liderança e Senioridade 2.8.1.11 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Contribuição do Lavado Peritoneal Diagnóstico na Peritonite Aguda do aluno Antônio Carlos Weston, Programa de Pós-Graduação em Medicina Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1º de novembro de 1996. 2.8.1.12 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Identificação de Displasias em Indivíduos sob Risco para o Carcinoma Epidermóide do Esôfago através da Cromoendoscopia com Lugol do aluno Renato Borges Fagundes, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Área de Concentração em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 04 de dezembro de 1996. 2.8.1.13 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Efeitos do Octreotide na Prevenção e no Tratamento da Pancreatite Aguda Experimental em Ratos do aluno Luiz Roberto Rigo Wendt, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1997. 2.8.1.14 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Comparação entre o Exame Clínico e a Fluorsceinoscopia na Determinação da Viabilidade de Segmento Jejunal Preparado para Esofagoplastia: Estudo Experimental em Ratos do aluno Raul Pruinelli, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1º de dezembro de 1997. 2.8.1.15 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Análise da Relação entre o Índice da Torg e Lesão Neural nas Fraturas e Luxações da Coluna Cervical do aluno Danilo Gonçalves Coelho, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 17 de dezembro de 1997. 2.8.1.16 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Rastreamento da Hiperplasia Prostática e Neoplasia de Próstata em Pacientes da Grande Porto Alegre da aluna Nancy Tamara Denicol, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 13 de agosto de 1998. 2.8.1.17 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Avaliação Funcional e Histopatológica por Morfometria no Período Inicial da Regeneração Neural após Microneurorrafias em Ratos da aluna Virgínia Piuma Pólvora, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 23 de novembro de 1998. 2.8.1.18 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Pancreatite Aguda Experimental Induzida pela Arginina Avaliação Histológica e Bioquímica do aluno Odery Ramos Júnior, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 25 de novembro de 1998.

75


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

2.8.1.19 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Videocolonoscopia Convencional e suas Imagens Digitalizadas: Estudo Comparativo do aluno Carlos Raul, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Área de Concentração em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 15 de dezembro de 1998. 2.8.1.20 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Determinação do Índice de Proliferação Celular em Carcinomas Epidermóides de Esôfago e Áreas Adjacentes com MIB-1 e 7B11 da aluna Lúcia Maria Kliemann, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 15 de janeiro de 1999. 2.8.1.21 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Influência de Três Tipos de Vias de Fornecimento de Dietas Pós-Operatórias em Cães Submetidos a Esofagotomia Cervical da aluna Heloísa Helena de Alcântara Barcellos, Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 05 de abril de 1999. 2.8.1.22 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Alterações Citológicas do Esôfago em uma População de Médio e Alto Risco Detectada por Balão Inflável da aluna Ada Regina Schenini Diehl, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 03 de março de 2000. 2.8.1.23 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Análise de Critérios Prognósticos de Gravidade na Pancreatite Aguda Biliar do aluno Alessandro Bersch Osvaldt, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 20 de julho de 2000. 2.8.1.24 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Associação entre Manometria Ano-retal e Neuropatia Pudenda em Pacientes com Incontinência Fecal do aluno Luciano Pinto de Carvalho, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 12 de janeiro de 2001. 2.8.1.25 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Expressão Imunohistoquímica da Proteína pRb na Mucosa Esofágica de Indivíduos Sob Risco para Carcinoma Epidermóide de Esôfago da aluna Simone Santana Contu, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 23 de outubro de 2001. 2.8.1.26 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Motilidade Esofágica Ineficaz - Impacto na Doença do Refluxo Gastroesofágico Através da Escala da Qualidade de Vida de Velonovich Modificada e Validada no Brasil do aluno Fernando Fornari, Programa de Pós-Graduação em Gastroenterologia e Ciências Aplicadas à Gatroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 07 de dezembro de 2001.

76


3 Liderança e Senioridade 2.8.1.27 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Modelo Experimental para o Estudo da Gastrosquise em Embriões de galinha do aluno Carlos André Tarrio Gandara, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 19 de dezembro de 2002. 2.8.1.28 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Fatores Prognósticos na Ressecção de Metástase Hepáticas de Câncer Colorretal do aluno Aljamir Duarte Chedid, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 03 de junho de 2002. 2.8.1.29 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Fatores de Risco para Óbito Precoce e Crianças e em Adolescentes Submetidos a Transplante Hepático Eletivo no Hospital de Clínicas de Porto Alegre do aluno Carlos Oscar Kieling, Programa de Pós-Graduação em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 14 de novembro de 2002. 2.8.1.30 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Avaliação Nutricional de Pacientes com Cirrose pelo Vírus da Hepatite C: A Aplicação da Calorimetria Indireta da aluna Catarina Bertaso Andreatta Gottshall, Programa de Pós-Graduação: Ciências em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 26 de agosto de 2003. 2.8.1.31 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Validação de um Questionário de Mensuração da Dispepsia Funcional Desenvolvida para a Língua Portuguesa do aluno Guilherme Becker Sander, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 08 de setembro de 2003. 2.8.1.32 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Relação entre os Critérios Diagnósticos Histológicos e a Expressão Imuno-Histoquímica da P53 no Carcinoma Prostático do aluno Guilherme Portella Coelho, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 27 de abril de 2005. 2.8.1.33 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Ensaio Clínico Randomizado da Preservação de Enxertos Hepáticos com Solução de Perfusão de UW e HTK no Transplante Ortotópico de Fígado do aluno Mario Henrique Mendes de Mattos Meine, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 20 de junho de 2005. 2.8.1.34 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Expressão do p16 e do PDGFR-beta no Adenocarcinoma Gástrico do aluno Rodrigo Pazza Pinto, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 16 de novembro de 2005.

77


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

2.8.1.35 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Estudo Controlado da Frequência do Anti-HSP70 pelos métodos de Elisa e Western Blot em Pacientes com Doenças de Ménière da aluna Anne Rose Wiederkehr Baú, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 18 de abril de 2006. 2.8.1.36 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Expressão Imuno-Histoquímica do CDX2 na Mucosa Esofágica de Pacientes com Doença do Refluxo Gastroesofágico, Esôfago de Barrett e Adenocarcinoma do Esôfago do aluno Leandro Almeida Streher, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Médicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 08 de dezembro de 2006. 2.8.1.37 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Efeito da Oxigenoterapia Hiperbárica na Cicatrização da Anastomose Esofagojejunal: Estudo Experimental em Ratos do aluno João Domingos Liongo, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 15 de dezembro de 2006. 2.8.1.38 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Avaliação Perfusional da Gastroplastia Pós-Esofagectemia Através de Estudo Radioisotópico do aluno Gemerson Gabiatti, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 08 de outubro de 2007. 2.8.1.39 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Miringotomia pelo Método de Microelétrocautério por Radiofrequência Associado à Mitomicina C em Modelo Animal da aluna Vanessa Chiste Guimarães Faccini, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 18 de dezembro de 2007. 2.8.1.40 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Expressão da Proteína p16 em Melanomas Cutâneos Primários, com ou sem Metástase em Linfonodo Sentinela do aluno Jorge Antônio Caleffi Fauri, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 25 de novembro de 2008. 2.8.1.41 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Identificação de Lesões Precursoras do Carcinoma Epidermóide de Esôfago Utilizando o Balão Citológico em Indivíduos sob Risco: Análise da Expressão Imunocitoquímica da Proteína p53 do aluno Antônio de Barros Lopes, Programa de Pós-Graduação: Ciências em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 15 de dezembro de 2008. 2.8.1.42 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Prevalência de Adenocarcinoma do Esôfago em Áreas Geográfica de Risco para Câncer de Esôfago – Resultados no Hospital de Clínicas de Porto Alegre entre 1997 e 2006 da aluna Fabiana Veiga Chiochetta, Programa de Pós-Graduação EM Medicina: Ciências em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 19 de março de 2009.

78


3 Liderança e Senioridade 2.8.1.43 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Efeito do Bypass Gástrico no Tratamento da Doença do Refluxo Gastroesofágico em Pacientes com Obesidade Mórbida do aluno Carlos Augusto Scussel Madalosso, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 13 de abril de 2009. 2.8.1.44 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Modelo Experimental de Bypass Gástrico em Y-de-Roux em Ratos do aluno Maurício Jacques Ramos, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 08 de maio de 2009. 2.8.1.45 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Retração e Fibroplasia em Prótese de Polipropileno – Estudo Experimental em Ratos do aluno Luciano Zogbi Dias, Programa de Pós-Graduação de Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 25 de novembro de 2009. 2.8.1.46 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Membrana Biológica Associada a Células-Tronco Mesenquimais no Reparo de Hérnia Abdominal Induzida em Ratos Wistar da aluna Janete Maria Volpato Marques, Programa de Pós-Graduação em Ciências Veterinárias, Faculdade de Veterinária da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 12 de março de 2010. 2.8.1.47 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Pesquisa do Linfonodo Sentinela em Câncer Gástrico Induzido por N-Methyl-N-Nitrosourea: Estudo Experimental em Ratos Wistar do aluno Lissandro Tarso, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 21 de dezembro de 2010. 2.8.1.48 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Existe Associação entre Dismotilidade Esofágica e Hérnia Hiatal em Pacientes com Doença do Refluxo Gastroesofágico? do aluno Leonardo Menegaz Conrado, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 13 de dezembro de 2010. 2.8.1.49 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Avaliação Nutricional Pré-Operatória e Prognóstico em Pacientes com Tumores do Trato Gastrointestinal Superior da aluna Aline Kirjner Poziomyck, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 10 de maio de 2011. 2.8.1.50 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Marcadores de Diferenciação Neuroendócrina no Carcinoma Prostático Resistente à Castração do aluno Marcelo Pimentel, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 19 de janeiro de 2011.

79


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

2.8.1.51 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Reparo do Nervo Ciático do Rato com Enxerto Venoso ao Avesso inside-out (veia de dentro pra fora) e Preenchido com Plasma Rico em Plaquetas da aluna Marjeane Cristina Jaques Hockmuller, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 12 de abril de 2011. 2.8.1.52 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Perfil Clínico Epidemiológico dos Recém-Nascidos Operados de Enterocolite Necrosante de acordo com a Idade Gestacional da aluna Letícia Feldens, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 22 de dezembro de 2011. 2.8.1.53 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Desenvolvimento e Aplicação de Método para Estudo da Ploidia do DNA em Carcinomas de Estômago e Cólon do aluno Raul Ângelo Balbinot, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1999. 2.8.1.54 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Modelo Experimental de Aneurismas em Carótida de Suínos Utilizando Veia Jugular Interna do aluno Severino Lourenço da Silva Júnior, Programa de Pós-Graduação em Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 2012.

2.8.2 Mestrado – Outras Instituições

2.8.2.1 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Avaliação da Vitalidade Histológica do Implante de Baço em Omento Maior, Retro-Peritônio, Mesentério e Tela Subcutânea de Cães Submetidos à Esplenectomia Total do aluno Romualdo Izon Heil, Programa de PósGraduação em Clínica Cirúrgica: Ciências da Saúde, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Paraná - 07 de dezembro de 2000. 2.8.2.2 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Avaliação da Efetividade do Auto-Transplante de Ovário em Omento Maior de Cadelas do aluno Marco Antônio Gonçalves Mendes Wanrowsky, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica: Ciências da Saúde, Universidade Federal do Paraná - 08 de dezembro de 2000. 2.8.2.3 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Enxerto Autólogo de Cartilagem em Defeitos Osteocondrais do Côndilo Femoral: Estudo Experimental em Cães do aluno Luiz Alberto Santa Rosa Chanamé, Programa de Pós-Graduação em Clínica Cirúrgica: Ciências Médicas, Universidade Federal do Paraná - 08 de dezembro de 2000. 2.8.2.4 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Biópsia Hepática em Cunha ou com Agulha em Cirurgia Bariátrica Convencional do aluno Alexandre Vontobel Padoin, Pós-Graduação em Medicina, Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - 12 de dezembro de 2005.

80


3 Liderança e Senioridade 2.8.2.5 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Avaliação Quantitativa da Expressão Citofotométrica dos Marcadores Tumorais Ki-67 e Caspase-3 em Adenocarcinoma de Ovário da aluna Mariliz Regina Antunes Lima, Instituto de Pesquisas Médicas, Programa de Pós-Graduação em Princípios da Cirurgia, Hospital Evangélico de Curitiba - 29 de junho de 2007. 2.8.2.6 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Estudo da Expressão Citofotométrica dos Marcadores Tumorais Ki-67 e CD34 no Adenocarcinoma de Estômago do aluno Augusto Menezes Freitas de Campos, Instituto de Pesquisas Médicas, Programa de Pós-Graduação em Princípios da Cirurgia, Hospital Evangélico de Curitiba - 30 de junho de 2007. 2.8.2.7 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Expressão Citofotométrica do Fator de proliferação Celular Ki-67 no Bócio Colóide e no Carcinoma Papilífero da Tireoide do aluno Gleim Dias Souza, Instituto de Pesquisas Médicas, Programa de Pós-Graduação em Princípios da Cirurgia, Hospital Evangélico de Curitiba - 30 de junho de 2007. 2.8.2.8 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Análise da Expressão Imunoistoquímica do Fator Tecidual no Tumor de Wilms e sua Relação com Angiogênese e Aspectos Clínico-Patológicos da aluna Elinês Oliva Maciel, Pós-Graduação em Medicina e Ciências da Saúde, Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - 18 de janeiro de 2008. 2.8.2.9 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Atividade da Catalase Após Reperfusão Intestinal e Repercussões Pulmonares, Renais e Intestinais da aluna Camila de Oliveira Ferro, Programa de Pós-Graduação em Cirurgia Geral, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro - 25 de março de 2010. 2.8.2.10 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Diodo Emissor de Luz (LED) 850 nm no Reparo do Tendão Calcâneo em Ratos do aluno Rafael Corrêa Gobbato, Programa de Pós-Graduação em Cirurgia Plástica, Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo - 02 de dezembro de 2010. 2.8.2.11 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: Resistência à Tração dos Componentes Músculos-Aponeuróticos na Área Doadora do Retalho Musculocutâneo Transverso do Reto do Abdômen do aluno Ronaldo Vidal, Programa de Pós-Graduação em Cirurgia Plástica, Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo - 02 de dezembro de 2010. 2.8.2.12 BANCA EXAMINADORA DA DISSERTAÇÃO DE MESTRADO, intitulada: A Prevalência do Papiloma Vírus Humano no Carcinoma Epidermóide de Esôfago do Brasil: Caracterizando duas Populações Distintas da aluna Suellen da Silva Gomes Herbster, Programa de Pós-Graduação Stricto Sensu em Oncologia, Instituto Nacional do Câncer - 31 de março de 2011.

81


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

2.8.3 Doutorado – Instituição de Origem

2.8.3.1 BANCA EXAMINADORA DA TESE DE DOUTORADO, intitulada: Detecção de Lesões Precursoras em Indivíduos sob Riscos para o Carcinoma Epidermóide do Esôfago. Experiência com a Histopatologia e a Citopatologia Endoscópicas e do Esfregaço pelo Balão Citológico Chinês do aluno Sérgio Gabriel da Silva Barros, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Clínica Médica, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 12 de setembro de 1992. 2.8.3.2 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Expressão Imunohistoquímica da Proteína p53 em Mucosa Esofágica de Indivíduos sob Alto Risco para Carcinoma Epidermóide do Esôfago do aluno Renato Borges Fagundes, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia. Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 1999. 2.8.3.3 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Qualidade de Vida, Função Pulmonar e Cardíaca em Pacientes Antes e Após Esofagectomia Transdiafragmática por Câncer de Esôfago Avançado com Uso do Estômago no Mediastino Posterior para Reconstrução do Trato Digestivo do aluno Roberto Pelegrini Coral, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Gastroenterologia. Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 10 de dezembro de 1999. 2.8.3.4 BANCA EXAMINADORA DA TESE DE DOUTORADO, intitulada: Associação entre o Carcinoma Epidermóide do Esôfago e a presença do Papilomavirus Humano Detectada pelo Método da Captura Híbrida II do aluno Antonio Carlos Weston, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Clínica Médica, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 19 de abril de 2001. 2.8.3.5 BANCA EXAMINADORA DA TESE DE DOUTORADO, intitulada: Dismotilidades Esofágicas e Colônicas estão associadas em Adolescentes com Constipação Funcional do aluno Carlos Zaslavsky, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências em Gastroenterologia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 21 de outubro de 2002. 2.8.3.6 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Cicatrização da Membrana Timpânica na Timpanocentese com Laser de Argônio Comparado à Técnica com Microlanceta: Estudo Experimental em Ratos do aluno Lúcio Almeida Castagno, Programa de PósGraduação em Medicina: Cirurgia. Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 22 de dezembro de 2003. 2.8.3.7 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Efeitos do Álcool e da Cafeína em Modelos de Lesões Intra-Epiteliais e de Carcinogênese Pancreática Induzida por 7,12 Dimetilbenzantraceno (DMBA) em Camundongos do aluno Luiz Roberto Rigo Wendt, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia. Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 15 de dezembro de 2004. 2.8.3.8 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Desenvolvimento de Haste Femoral não Cimentada Nacional, Validada por Normas Internacionais do aluno Carlos

82


3 Liderança e Senioridade Alberto Souza Macedo, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia. Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 19 de dezembro de 2007. 2.8.3.9 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Colonografia Tomográfica Computadorizada para Detectar Pólipos e Câncer Colorretal em Pacientes com Acromegalia do aluno Odery Ramos Junior, Programa de Pós-Graduação: Ciências em Gastroenterologia. Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 19 de dezembro de 2007. 2.8.3.10 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Infecção por Staphylococcus Epidermidis em Stents de Nitinol Revestidos com PTFEe ou DACRON na Aorta de Suínos do aluno Clandio de Freitas Dutra, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas. Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 22 de dezembro de 2008. 2.8.3.11 BANCA EXAMINADORA DE TESE DE DOUTORADO, intitulada: Polimorfismo do gene TP53 no câncer do canal anal da aluna Simone Santana Contu, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências Cirúrgicas, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 24 de janeiro de 2011.

2.9 Título de Pós-doutor

2.9.1 PÓS-DOUTORADO, Dipartimento di Scienze Medico-Chirurgiche, Universidade degli Studi di Milano, Milano, Italy - 2008.

2.10 Outros não previstos pelo Departamento

2.10.1 Participação em Comissões e Membro Efetivo em Eventos Científicos

2.10.1.1 MEMBRO EFETIVO da Associação Médica do Rio Grande do Sul - 1974.

2.10.1.2 MEMBRO EFETIVO no VI Congresso AMRIGS, Associação Médica do Rio Grande do Sul - de 17 a 22 de outubro de 1977. 2.10.1.3 MEMBRO DA COMISSÃO EXECUTIVA da Associação Brasileira de Educação Médica, VII Seminário Regional - de 1º a 3 de outubro de 1981. 2.10.1.4 MEMBRO EFETIVO da I Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Colégio Brasileiro de Cirurgiões - de 31 de agosto a 2 de setembro 1983.

83


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

2.10.1.5 MEMBRO EFETIVO no VI Congresso Brasileiro de Nutrição Parenteral e III Congresso Brasileiro de Nutrição Enteral, Sociedade Brasileira de Nutrição Parenteral - de 25 a 28 de agosto 1985. 2.10.1.6 MEMBRO EFETIVO na V Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo e IV Forum de Debates em Cirurgia Geral, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Colégio Brasileiro de Cirurgiões - de 30 de setembro a 3 de outubro de 1987. 2.10.1.7 MEMBRO EFETIVO na VII Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo e VI Forum de Debates em Cirurgia Geral, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Colégio Brasileiro de Cirurgiões - de 27 a 30 de setembro de 1989. 2.10.1.8 MEMBRO EFETIVO no IX Seminário Brasileiro de Endoscopia Digestiva e II Congresso Sul-Brasileiro de Gastroenterologia, Sociedade de Gastroenterologia do Rio Grande do Sul - de 22 a 25 de outubro de 1989.

2.10.1.9 MEMBRO ASSOCIADO do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - 1991.

2.10.1.10 MEMBRO EFETIVO do II Congresso Nacional de Cirurgia Experimental - de 15 a 18 de setembro 1991. 2.10.1.11 MEMBRO EFETIVO do I Seminário Nacional de Cirurgia Laparoscópica, Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica - de 22 a 24 de abril de 1993. 2.10.1.12 MEMBRO DA COMISSÃO DE SELEÇÃO E PREMIAÇÃO DE VÍDEOS LIVRES do I Seminário Nacional de Cirurgia Laparoscópica - de 22 a 24 de abril 1993. 2.10.1.13 SÓCIO EFETIVO da Sociedade de Cirurgia Geral do Rio Grande do Sul (SOCIGERS) - 1993. 2.10.1.14 SÓCIO ASPIRANTE da Sociedade Gaúcha de Gastroenterologia, Associação Médica do Rio Grande do Sul - 1993. 2.10.1.15 MEMBRO DA COMISSÃO CIENTÍFICA do 2º GASTROSUL, 2º Simpósio de Atualização em Gastroenterologia e 1º Workshop Internacional em Câncer do Aparelho Digestivo: Esôfago - de 02 a 04 de junho 1994. 2.10.1.16 MEMBRO EFETIVO no XXXIII Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, IX Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, VI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, Porto Alegre, RS - 20 a 23 de novembro de 1994. 2.10.1.17 MEMBRO EFETIVO no VI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, XXXIII Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, IX Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, Porto Alegre, RS - 23 a 25 de novembro de 1994.

84


3 Liderança e Senioridade 2.10.1.18 TITULAR DA BANCA EXAMINADORA DO EDITAL 08/95 – para a ocupação de Médico Plantonista (Cirurgia Geral), Hospital de Clínicas de Porto Alegre - 1995. 2.10.1.19 MEMBRO DA DA BANCA JULGADORA da V Jornada dos Médicos Residentes da PUCRS - de 19 a 20 de novembro 1996. 2.10.1.20 MEMBRO EFETIVO do 5º GASTROSUL, II Workshop Internacional de Doenças do Esôfago, I Curso de Afecções Hepatobiliares do HCPA - 05 e 06 de junho 1997.

2.10.1.21 MEMBRO da Society for Surgery of the Alimentary Tract - 1997.

2.10.1.22 MEMBRO DO THE INTERNATIONAL SOCIETY FOR DISEASES OF THE ESOPHAGUS - desde 1999. 2.10.1.23 MEMBRO EFETIVO do I Consenso Brasileiro da Doença do Refluxo Gastroesofágico - 09 e 10 de junho de 2000. 2.10.1.24 MEMBRO EFETIVO do Encontro Nacional de Pós-Graduação em Medicina - 22 a 24 de abril de 2001. 2.10.1.25 MEMBRO DA COMISSÃO JULGADORA DA SESSÃO CIRURGIA/ OTORRINO/ OFTALMO do XIII Salão de Iniciação Científica - de 11 a 15 de março de 2002. 2.10.1.26 BANCA EXAMINADORA DA PROVA ORAL DO CONCURSO PARA OBTENÇÃO DE TÍTULOS DE ESPECIALISTA EM CIRURGIA GERAL, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Porto Alegre, RS - 2003. 2.10.1.27 MEMBRO EFETIVO da 23ª Semana Científica do HCPA, 10º Congresso de Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde do Mercosul, 1º Forum de Desenvolvimento do Centro de Pesquisa do HCPA - de 01 a 05 de setembro de 2003. 2.10.1.28 MEMBRO DO COMITÊ DE AVALIAÇÃO DA PÓS-GRADUAÇÃO EM MEDICINA III (CIRURGIA), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) - 2006. 2.10.1.29 MEMBRO DA COMISSÃO CIENTÍFICA CONSULTIVA da VII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, São Paulo, SP - de 19 a 23 de novembro 2006. 2.10.1.30 BANCA EXAMINADORA DA PROVA ORAL DO CONCURSO PARA OBTENÇÃO DO TÍTULO DE ESPECIALISTA EM CIRURGIA GERAL, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Belo Horizonte, MG - 2007. 2.10.1.31 MEMBRO EFETIVO DA COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE PÔSTER do XI Congresso Nacional de Cirurgia Experimental (SOBRADPED), XXIV FÓRUM DE PESQUISA DO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIÕES, I ENCONTRO DE PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO EM CIRURGIA - de 05 a 09 de outubro de 2009. 2.10.1.32 MEMBRO EFETIVO do IV Encontro Nacional de Pós-Graduação na Área de Ciências da Saúde - de 03 a 05 de novembro de 2010.

85


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

2.10.2 Participação em Bancas de Exame Geral de Qualificação

2.10.2.1 BANCA DO EXAME GERAL DE QUALIFICAÇÃO do aluno Antônio Nocchi Kalil, Curso de Pós-Graduação em Medicina: Clínica Médica, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 11 de julho de 1995. 2.10.2.2 BANCA DO EXAME DE QUALIFICAÇÃO do aluno Marcelo Francisco Tibuti, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 04 de junho de 2002. 2.10.2.3 BANCA DO EXAME DE QUALIFICAÇÃO do aluno Leandro Totti Cavazzola, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Cirurgia, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 17 de dezembro de 2003.

2.10.3 Visitas a Centros de Excelência no Exterior

2.10.4.1 MÉDICO VISITANTE, Mayo Clinic, Rochester, Minnesota - de 26 de março a 06 de abril 2001. 2.10.4.2 PROFESSOR VISITANTE, Keck School of Medicine, University of Southern California, United State - 24 de julho 2003. 2.10.4.3 CIRURGIÃO VISITANTE, The University of Pittsburgh Medical Center, Presbyterian University Hospital, Pittsburgh, Pennsylvania - de 06 a 18 de junho 2004. 2.10.4.4 ESTÁGIO PÓS-DOUTORADO EM MEDICINA, Universitá degli Studi di Milano, Departamento di Scienze Medico-Chirurgiche - 2008.

86


3 Lideranรงa e Senioridade

87


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

4

— Geração de Conhecimento


4 Geração de Conhecimento

N

o início da minha atividade como estudante de medicina, o conhecimento assimilado era produzido distante da minha realidade. Os centros geradores de conhecimento ficavam em universidades e grupos de pesquisa no exterior, denominados à época, de primeiro mundo.

Destaco novamente o professor Tuiskon Dick, pois recém chegado de seu doutorado na Alemanha, me propiciou o primeiro contato com a possibilidade de geração de conhecimento no nosso meio. Ele desenvolvia e orientava projetos de pesquisa, bem como publicava em periódicos no exterior. A partir desse momento, participar da geração de conhecimento, me pareceu um objetivo a ser alcançado em algum momento da minha vida profissional. Após completar a graduação em Medicina e a formação de dois anos de Cirurgia Geral no Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da UFRGS, fui convidado a exercer a docência na iniciante Faculdade de Medicina da PUCRS. Precocemente, exercendo a docência, me deparei com a necessidade de transmitir conhecimentos, tendo percebido a diferença entre transmitir aquilo que era lido, e o que era vivenciado pelo professor. A vivência gera segurança e facilidade na transmissão do conhecimento. Essas constatações, me levaram a necessidade de pesquisar a nossa realidade, gerando conhecimento que algumas vezes era diferente do que tínhamos na literatura estrangeira. As minhas primeiras publicações eram transmissão de conhecimentos da literatura, artigos de revisão e capítulos de livros. Após quatorze anos como docente, no ano de 1988, a oportunidade de aprender a pesquisar, e assim poder gerar conhecimento, me levou a iniciar o doutorado na Escola Paulista de Medicina, com a orientação segura e competente do professor Jesus Pan Chacon. O ambiente de pesquisa na Escola Paulista de Medicina, e alguns núcleos na UFGRS como o Biotério do Instituto de Biociências coordenado pelo professor Mota, facilitavam o desenvolvimento

89


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

de meu projeto de doutorado. Havia necessidade adaptar pela primeira vez, em nosso meio, um modelo experimental de carcinogênese esofágica em camundongos, com a finalidade de participar de um grupo de pesquisa em neoplasia esofágica coordenado pelo professor Prolla. Estava começando a possibilidade de gerar conhecimento a partir da nossa realidade, onde há uma alta prevalência do carcinoma epidermóide do esôfago. Durante o doutorado, após desenvolver o modelo preconizado pelo professor Jose C. Rubio, iniciei a pesquisar fatores de risco para a neoplasia esofágica e ao mesmo tempo estudar a carcinogênese sobre o ponto de vista anatomopatológico e citopatológico, nos seus vários estágios de desenvolvimento. A minha tese de doutorado, Classificação Citopatológica das Lesões Precursoras do Carcinoma Escamoso do Esôfago: Modelo Experimental em Camundongos foi apresentada, quatro meses após a defesa, no Congresso Europeu de Citologia em setembro de 1992.

Capa da Tese 1992 e do abstracts e do Congresso Europeu Citologia -1992

Em 1995, fui procurado pelo professor Luis Felipe Ribeiro Pinto, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ. O referido professor acabara de chegar de seu doutorado, na Inglaterra, com o professor Peter Swan, um dos introdutores da utilização das nitrosaminas na carcinogênese experimental. Com o professor Swan, trabalhou na bioquímica da nitrosamina em carcinogênese esofágica de roedores.

90


4 Geração de Conhecimento Dada a afinidade de linhas de pesquisa, estabeleceu-se uma parceria entre os dois grupos, que tem gerado diversos trabalhos com significativo número de citações na literatura médica. Em 1995, o grupo do GEPECE participou do Congresso da International Society of Diseases of the Esophagus (ISDE), em Milão com apresentação de resultados do rastreamento populacional e dos fatores de rico para neoplasia esofágica. Participaram, além de mim os profs Prolla e Sergio Barros.

Congresso ISDE, Milão, 1995. Profs Sergio Barros, João C Prolla, Cleber D P Kruel.

Em janeiro de 2012 fui convidado pelo professor José Antônio Rodrigues Montes, catedrático de Cirurgia Geral da Universidade Autonoma de Madrid, a participar do Simposio Multidisciplinar sobre Neoplasia Colorretal com a palestra: “ Tratamento cirúrgico das metástases hepáticas das neoplasias colorretais.

Peter Sugarbaker, U.S.A; Victor Moreno Aguado, Barcelona-Espanha; José Antônio Rodrigues Montes,Madri-Espanha, Cleber Dario Pinto Kruel-Porto Alegre Brasil, componentes da mesa redonda sobre Câncer Colorretal, no Simpósio Multidisciplinar sobre Neoplasia Colorretal em Madrid, janeiro de 2012.

Em 2002 o Dr. André Rosa defendeu a tese com o título valor prognóstico da expressão da proteína p53 e do fator de crescimento do endotélio vascular em pacientes com carcinoma epidermóide do esôfago submetidos a esofagectomia. Participaram da Banca os drs. Luis Felipe Ribeiro Pinto, Maria Edelweiss e Renato Fagundes. Trabalho que após a publicação tem 16 citações na ISI e 16 na Scopus.

91


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Participantes da Banca de doutorado do Dr. André da Rosa.2002 Profrs Maria I. Edelweiss, Cleber D. P. Kruel, Luis Felipe Ribeiro Pinto, o doutorando, e prof .Renado Fagundes.

Tive o privilégio de orientar o Dr. André, tanto no mestrado como no doutorado. O primeiro trabalho, publicado na International Surgery em 1999, trata da análise de fatores prognósticos no carcinoma epidermóide de esôfago, onde são analisados os primeiros casos de uma série que foi submetida a neoadjuvância. Já sugerindo resultados promissores apesar do número reduzido de casos. O doutorado, publicado na Diseases of Esophagus de 2003, com 16 citações no ISI-Web of Science, aborda o valor prognóstico da p53 e do VEGF no mesmo tumor. Nesse momento a pesquisa em rede se consolidava e os projetos conjuntos com o prof Ribeiro Pinto, geravam captação de recursos e publicações consistentes em periódicos de impacto. Temos dado contribuições ao conhecimento do carcinoma esofágico no diagnóstico precoce, fatores de risco, mecanismos de carcinogênese e mais recentemente nos aspectos de questionamento da participação do HPV. Todas esses publicações estão disponíveis, como resumo e na integra no material do candidato. ( memorial e documentos do currículo). A na linha de pesquisa de isquemia e perfusão hepática está em fase de consolidação com a progressiva maturidade científica dos componentes, tendo gerado dois modelos experimentais publicados na Transplantation Proceedings e Acta Cirúrgica Brasileira.

Após essa exposição, me coloco a disposição da banca na fase de defesa pública desse memorial.

92


4 Geração de Conhecimento

Alguns indicadores de geração de conhecimento Total Capítulos de livros publicados no país

11

Capítulos de livros publicados no exterior

7

Artigos completos publicados em periódicos indexados no país (Scielo)

8

Artigos completos publicados em periódicos indexados no país (Base Lilacs, PubMed/Medline)

33

Palestras e trabalhos no país

133

Palestras e trabalhos no exterior

23

Artigos resumidos publicados em anais de conferências/congressos no exterior

21

Artigos resumidos publicados em anais de conferências/congressos no país

75

Captação de recursos financeiros em projetos FAPERGS

R$ 24.500,00

FAPERJ

R$ 2.154.000,00

CNPQ–INCT

R$ 80.000,00

FIPE–HCPA

R$ 46.124,21 Total R$ 2.304.624,21

3.1 Capítulos de Livros Publicados no País

3.1.1 COELHO, C.A.M.R.; KRUEL, C.D.P. Cirurgia da Unha. In: Serviço de Cirurgia Geral do Hospital de Clínicas de Porto Alegre e Departamento de Cirurgia da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Rotinas em Cirurgia Ambulatorial. Porto Alegre: Editora da Universidade/UFRGS, 1991, p. 87-91. 3.1.2 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R. Cirurgia da Unha. In: DUNCAN, B.B.; SCHIMDT, M.I.; GIUGLIANI, E.R.J. (Org.). Medicina Ambulatorial: Condutas Clínicas em Atenção Primária. 2ª

93


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 1996, p. 643-646. 3.1.3 CARVALHO, M.E.; DONCATTO, L.; KRUEL, C.D.P.; DUARTE, J.C.A. Os Cuidados Operatórios. In: XAVIER, N.L. Manual de Ginecologia. Artes Médicas: Porto Alegre, 1997, p. 269-274. 3.1.4 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.; KRUEL, C.R.P. Cirurgia da Unha. In: DUNCAN, B.; SCHIMDT, M.I.; GIUGLIANI, E.R.J. (Org.). Medicina Ambulatorial: Condutas de Atenção Primária Baseadas em Evidências. 3ª ed. Porto Alegre: Artmed, 2004, p. 1051-1055. 3.1.5 KRUEL, C.D.P.; ROSA; A.R.P.; DA SILVEIRA, M.L. Divertículo do Esôfago. In: COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIÕES. Programa de Atualização em Cirurgia (PROACI). Porto Alegre: Artmed/Panamericana Editora, 2004, p. 103-115. 3.1.6 KRUEL, C.D.P.; KRUEL, C.R. Obstrução do Intestino Delgado. In: COELHO, J.C.U. (Org.). Aparelho Digestivo - Clínica e Cirurgia. 3ª ed. São Paulo: Atheneu, 2005, Cap. 50, v. 1, p. 794-799. 3.1.7 KRUEL, C.D.P. Resultados do Tratamento Cirúrgico da Doença do Refluxo Gastroesofágico. In: CECCONELLO. I.; D’ALBUQUERQUE, L.A.C.; BRESCIANI, C.; GARRIDO JR, A.B.; ZILBERSTEIN, B.; MONTEIRO DA CUNHA, J.E.; SALLUM, R.A.A., NAHAS, S.C.; SAAD, W.A.; POLARA, W. (Org.). Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo e Coloproctologia. São Paulo: Editora Tecart, 2009, p. 79-83. 3.1.8 KRUEL, C.D.P.; KRUEL, C.R. Obstrução do Intestino Delgado. In: COELHO, J. (Org.). Manual de Clínica Cirúrgica. São Paulo: Atheneu, 2009, v. 1, p. 1026-1030. 3.1.9 DA ROSA, A.R.P.; KRUEL, C.D.P. Carcinoma Escamoso do Esôfago. In: ROHDE, L.; OSVALDT, A.B. (Org.). Rotinas em Cirurgia Digestiva. 2ª ed., Porto Alegre: Artmed, 2011, p. 220-233. 3.1.10 GREZZANA FILHO, T.J.M.; KRUEL, C.D.P.; LEIPNITZ, I. Doença Cística do Fígado. In: ROHDE, L.; OSVALDT, A.B. (Org.). Rotinas em Cirurgia Digestiva. 2ª ed., Porto Alegre: Artmed, 2011, p. 437-444. 3.1.11 CHEDID, A.D.; KRUEL, C.D.P.; GREZZANA FILHO, T.J.M. Tumores Hepáticos Primários Malignos. In: ROHDE, L.; OSVALDT, A.B. (Org.). Rotinas em Cirurgia Digestiva. 2ª ed., Porto Alegre: Artmed, 2011, p. 452-459. 3.1.12 KRUEL, C.D.P.; KRUEL, C.R. Obstrução do Intestino Delgado. In: COELHO, J.C.U. (Org.). Aparelho Digestivo - Clínica e Cirurgia. 4ª ed. São Paulo: Atheneu, 2012, Cap. 68, v. 1, p. 941-946.

3.2 Capítulos de Livros Publicados no Exterior

3.2.1 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; GOLBERT, L.; LUZ, L.; FERREIRA, M.; LEMOS, N. Effect of Thermal Injury and the Oral Administration of Diethylnitrosamine in the Development of

94


4 Geração de Conhecimento Esophageal Tumors in Mice. In: ROSATI, R.; BONAVINA, L.; FUMAGALLI, U.; BONA, S.; CHELLA, B. (Org.). Recent Advances in Diseases of the Esophagus. Bologna: Monduzzi, 1995, p. 37-40. 3.2.2 KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; DIEHL, A.S.; PÜTTEN, A.C. A New Cytopathological Classification of Esophageal Carcinoma Precursor Lesions. Experimental Model in Mice. In: ROSATI, R.; BONAVINA, L.; FUMAGALLI, U.; BONA, S.; CHELLA, B. (Org.). Recent Advances in Diseases of the Esophagus. Bologna: Monduzzi, 1995, p. 127-131. 3.2.3 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; KRUEL, I.; CAVAZZOLA, L.T.; KRUEL, C.; MADRUGA, G.S.P.; SFAIR, J.A. Hot-Water effect in the esophageal carcinogenesis experimental model in mice. Experimental Model in Mice. In: ROSATI, R.; BONAVINA, L.; FUMAGALLI, U.; BONA, S.; CHELLA, B. (Org.). Recent Advances in Diseases of the Esophagus. Bologna: Monduzzi, 1995, p. 127-131. 3.2.4 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; ROSA, A.R.P. da; CAVAZZOLA, L.T.; TELLES, J.P.B.; PESCE, G., VILAS, E.R. Squamous Cell Carcinoma of the Esophagus: Experience in South of Brazil. In: PINOTTI, H.W.; CECCONELLO, I.; FELIX, V.N.; OLIVEIRA, M.A. (Org.). Advances in Diseases of Esophagus. Bologna: Monduzzi Editore, 2001, p. 367-372. 3.2.5 SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; CAVAZZOLA, L.T.; TELLES, J.P.B.; KRUEL, C.D.P.; EDELWEISS, M.I. Effect of Caffeine on Induced Esophageal Carcinogenesis in Mice. In: PINOTTI, H.W.; CECCONELLO, I.; FELIX, V.N.; OLIVEIRA, M.A. (Org.). Advances in Diseases of Esophagus. Bologna: Monduzzi Editore, 2001, p. 393-401. 3.2.6 DILLEMBURG, C.F.; KRUEL, C.D.P.; SILVA, T.; SCHIER, A.; MARAFON, G. Influence of Morphine on Esophageal Carcinogenesis Induced by Diethylnitrosamine in Rats Preliminary Results. In: PINOTTI, H.W.; CECCONELLO, I.; FELIX, V.N.; OLIVEIRA, M.A. (Org.). Advances in Diseases of Esophagus. Bologna: Monduzzi Editore, 2001, p. 415-419. 3.2.7 CAVAZZOLA, L.T.; TELLES, J.P.B.; PESCE, G.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; ROSA, A.R.P. da; KRUEL, C.D.P. Delayed Cervical Esophagogastric Anastomosis. In: PINOTTI, H.W; CECCONELLO, I.; FELIX, V.N.; OLIVEIRA, M.A. (Org.). Advances in Diseases of Esophagus. Bologna: Monduzzi Editore, 2001, p. 579-584.

3.3 Artigos Completos Publicados Em Periódicos Indexados No País (SCIELO)

3.3. 1 KRUEL, C.D.P. Abordagem da veia jugular interna. Rev AMRIGS, 27, Supl, 2, p. 211, 1983.

3.3. 2 KRUEL, C.D.P.; BARROS, S.G.S.; GURSKI, R. Câncer de esôfago: Quais os aspectos epidemiológicos mais importantes? Existem aspectos específicos para o Brasil?. ABCD, Arq Bras Cir Dig, v. 12, n. 1, p. 114-115, 1997.

95


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.3. 3 BARROS, S.G.S. de; KRUEL, C.D.P. Ainda há lugar para os antiácidos e alginatos no tratamento da DRGE?. ABCD, Arq Bras Cir Dig, v. 12, n. 1, p. 116-117, 1997. 3.3. 4 CASTRO JÚNIOR, M.A.; KRUEL, C.D.P.; MEURER, L. Modelo experimental de carcinogênese esofágica. Rev Col Bras Cir, v. 34, n. 3, p. 153-156, 2007.

Fator de Impacto JCR: 0 ISSN: 0100-6991

3.3.5 RIBEIRO, G.B.A.; MIELKE, F.; VOLKWEIS, B.S.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.D.P.; MORELLATO, G.; BINATO, M.; GURSKI, R.R. Tratamento cirúrgico do divertículo de Zenker. ABCD, Arq Bras Cir Dig, v. 21, n. 3, p. 110-113, 2008. 3.3.6 GREZZANA FILHO, T.J.M.; MENDONÇA, T.B.; GOLBSPAN, L; KRUEL, C.R.P.; CHEDID, A.D.; KRUEL, C.D.P. GISTS Múltiplos em Neurofibromatose Tipo 1: diagnóstico incidental em paciente com abdômen agudo. ABCD. Arq Bras Cir Dig, v. 22, p. 65-68, 2009. 3.3.7 ANDREOLLO, N.A.; CECCONELLO, I.; KRUEL, C.D.P.; MALAFAIA, O. 25 anos de ABCD relação cirurgião-paciente no passado e no presente. ABCD, Arq Bras Cir Dig, v. 24, n. 4, p. 259-261, 2011. 3.3.8 KAMINSKI, E.M.F.; KRUEL, C.D.P. Modelo de carcinogênese gástrica utilizando piloroplastia de Finney: estudo experimental em ratos. ABCD, Arq Bras Cir Dig, v. 24, n. 4, p. 296-304, 2011.

3.4 Artigos Completos Publicados em Periódicos Indexados no Exterior (pubmed/medline)

3.4.1 RUBIO, C.; MUNCK-WIKLAND, E.; FAGERBERG, J.; STRANDER, H.; KUYLENSTIERNA, R.; KRUEL, C.D.P. Further studies on the carcinogenic-free interval following exposure in experimental esophageal tumorigenesis. In Vivo, v. 7, n. 1, p. 81-84, 1993. Abstract 247 C57B1 male mice were killed after Diethylnitrosamine (DEN) treatment at various time intervals ranging from one day to nine months. The number of esophageal tumors was divided by the length of the resected esophagus (i.e. Tumor Index = TI). Animals treated for up to 2 months had a TI of 0.1. Since the histological examination of the esophagi in those animals revealed only normal histology, the conclusion drawn was that the TI of 0.1 was a methodological error in assessing esophageal tumors by transillumination. Three months’ treatment with DEN resulted in a 9-fold increased TI and 6 months’ treatment in a 69-fold increased TI. Other groups of animals treated with DEN for the same period of time were allowed to survive 7, 9 or 12 months without further treatment. Animals treated with DEN for 1 day but followed without further treatment for 7 months demonstrated a 3.5-fold increased TI. For animals treated with DEN for only 14 days, (TI 0.1) and followed for 7 months with a carcinogenic-free diet, a 7-fold TI was observed. For the group of animals treated for 3 months (TI 0.9) but allowed to

96


4 Geração de Conhecimento survive to complete 7 months on a carcinogen-free diet, a 5-fold higher TI was recorded. DEN animals treated for 6 months (TI 6.9) but allowed to survive 3 additional months had a TI of 9.6. A similar TI, namely 9.7, was found when the carcinogen-free interval was prolonged for 6 more months. These results suggest that clones of esophageal cells are “programmed” for tumor growth at an early stage of DEN treatment.(ABSTRACT TRUNCATED AT 250 WORDS) Fator de Impacto JCR: 1,264 ISSN: 0258-851X 3.4.2 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; TONETO JÚNIOR, J.; ROSA, A.R.; TONIAZZO, G.P.; FASOLO, G.R.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Delayed cervical anastomosis of the esophagus for esophageal carcinoma. Int Surg, v. 82, p. 56-59, 1997. Abstract BACKGROUND: The surgical approach for patients with advanced epidermoid esophageal carcinoma should provide an effective palliative effect with morbidity ratio as low as possible. Anastomotic leakage is a frequent complication and may be responsible for both early and late morbidity and, therefore, we assessed the role of delayed cervical esophagovisceral anastomosis technique in relation to the incidence of anastomotic complications. METHODS: Eight patients (Group 1) and 12 patients (Group 2) submitted to one-stage or two-stage operation, respectively, were selected by an intraoperative assessment by the surgeon, considering mainly tissue blood flow of the replacement organ after its placement in the cervical region. RESULTS: In Group 1 anastomotic dehiscence was observed in 37.5% of patients, while in Group 2 no cases of dehiscence occurred (p = 0.049). However, the postoperative mortality rate did not differ between the two groups (12.5% versus 0%, NS). CONCLUSION: When organ viability is uncertain, esophagovisceral anastomosis is best done by two-stage operation, since it decreases the incidence of anastomotic leak. Fator de Impacto JCR: 1,264 ISSN: 0020-8868 3.4.3 SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; CASTRO, M.A.A.; MADRUGA, G.S.P.; PEDROSO, F.L.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Neoplasias associadas ao carcinoma epidermóide de esôfago. Rev Assoc Med Bras, v. 43, n. 4, p. 335-339, 1997. Abstract INTRODUCTION: The esophageal epidermoid cancer has an important association with aerodigestive tract neoplasms and possibly share the same risk factors. Furthermore, other neoplasms can be associated with esophagus cancer.

97


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

OBJECTIVE: To analyze retrospectively the patients with esophageal epidermoid cancer (EEC) and associated neoplasms, treated by the Esophagus Stomach and Small Intestine Group of Surgery at Hospital de Clinicas de Porto Alegre from January 1988 to June 1995. PATIENTS AND METHODS: Nineteen (7.28%) of the 261 studied patients had associated neoplasms to the EEC. Ten patients presented synchronic tumours and 9 metachronic ones. The predominant sex was the masculine with 17 cases. The mean age was 62.52 years in the moment of the esophageal cancer diagnostic. RESULTS: The aerodigestive tumours, squamous carcinomas in totality, represented the predominant associated neoplasm histological type in 68.42% of the cases. The most frequent associated aerodigestive tumours site was the respiratory tract (53.8%), followed by the oral cavity and oropharynx (23%) and larynx (23%). In our sample, twelve patients were smokers and 9 were alcohol abusers. In relation to the EEC treatment, surgery was performed in 6 patients. The associated neoplasm was treated with radical surgery in 11 patients and radiotherapy in 5. Surprisingly 4 cases (21%) of gastric adenocarcinoma associated to the EEC were diagnosed, treated with radical surgery in 3 patients. CONCLUSION: The authors call attention to the importance of a criterial staging as well as the follow up in patients with EEC owing to the significant association with others neoplasms, principally with aerodigestive tumours, and discuss the common risk factors possibility: tobacco and alcohol use. Important association with gastric neoplasms were found in this casuistry. Fator de Impacto JCR: nĂŁo avaliado ISSN: 0104-4230 3.4.4 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; FISCHER, C.A.C.; THOFEHRN, R.; OSVALDT, A.B.; PADOIN, A.V.; PORTINHO, C.P.; KRUEL, C.D.P. Laparoscopic approach to wandering spleen: a case report and an update to the question. Surg Laparosc Endosc, v. 8, n. 5, p. 363-365, 1998. Abstract Wandering spleen is seldom seen in everyday situations, and its prevalence is not well defined in the literature. Its causes are not precisely known, and there is controversy over its management. A 34-yearold woman experienced low-intensity abdominal pain associated with a palpable hypogastric mass, which was confirmed by imaging studies to be a wandering spleen. Because of ureteral compression, a surgical approach was decided upon, and videolaparoscopic splenectomy was chosen. This technique, comments about specific technical issues, and other treatment options presented in the literature are discussed. Videolaparoscopic splenectomy has excellent surgical results, both functional and aesthetic. Fator de Impacto JCR: 1,227

ISSN: 1530-4515

3.4.5 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; WAGNER, J.; BERLIM, G.L.; MĂœLLER, M.F.; BECK, P.E.; WEIDLICH, J.; TERUCHKIN, B.; SCHWARZBOLD, A.V.; LEITE, C.S.; TATSCH,

98


4 Geração de Conhecimento M.F.; SAUERESSIG, M; KRUEL, C.D.P.; EDELWEISS, M.I. The Influence of reperitonization on the induction of formation of intraperitoneal adhesions by polypropylene mash prosthesis: An experimental study in rats. Int Surg, v. 83, n. 1, p. 67-68, 1998. Abstract Thecorrection of groin hernias has increasingly been performed by transperitoneal videolaparoscopic methods, using a polypropylene mesh. This could lead to an increased incidence of adhesion formation. The incidence of adhesions induced by mesh placement and the influence of reperitonization was observed on 40 male adult Wistar rats. Adhesions were significantly more common on the groups in which the prosthesis was placed (59% vs 95%; p = 0.01), as well as on the groups in which reperitonization was performed (58% vs 100%; p = 0.03). The results suggest that polypropylene mesh placement and reperitonization are each independent factors in the induction of adhesions formation. Fator de Impacto JCR: 0,361 ISSN: 0020-8868 3.4.6 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.R.; KOMLOS, F.; KRUEL, C.D.P.; EDELWEISS, M.I. Induction of esophageal carcinogenesis by diethylnitrosamine and assessment of the promoting effect of the ethanol and n-nitrosonornicotine: experimental model in mice. Dis Esophagus, v. 12, n. 2, p. 99-105, 1999. Abstract It is known that some nitrosamines preferably affect particular organs because of their organospecificity. Diethylnitrosamine (DEN) is one of the most powerful nitrosamines for experimentally inducing esophagus cancer. The present study aimed to evaluate the rate and type of epithelial lesions induced by DEN in mice. We also assessed the role of alcohol and N-nitrosonornicotine (NNN) as promoters of this carcinogenesis. A total of 208 female mice (Mus musculus) were allocated to five experimental groups: group 1, water only (controls); group 2, DEN + water; group 3, DEN + NNN; group 4, DEN + 6% alcohol solution; group 5, DEN + NNN + 6% alcohol solution. Animals in groups 2, 3, 4 and 5 received DEN (0.04 ml/l) three times per week, and during the following 4 days they received the other solutions. NNN was provided at a final concentration of 30 mg/l. The overall experimental period was 180 days. At the end of this time, the animals were killed and their esophagus was dissected for macro- and microscopic analysis. There was no significant difference in relation to the size of the esophagus and to the average DEN intake by the animals (p > 0.05). A statistically significant difference (p < 0.0001) was observed between controls and all other experimental groups. There was no significant difference among experimental groups treated with carcinogens (p > 0.05). The average incidence of cancer was 85.4%. The experimental model used in the present study is a very potent indicator of esophagus cancer. Owing to the high incidence for cancer observed in the present study, it was not possible to assess the effect of alcohol and NNN as inducers for the development of esophageal cancer. Fator de Impacto JCR: 1,814 ISSN: 1120-8694

99


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.4.7 SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; GURSKI, R.R.; XAVIER, R.G.; ILHA, D.O.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Efficacy of computed axial tomography in the evaluation of the involvement of the respiratory tract in patients with scamous cell carcinoma of esophagus. Dis Esophagus, v. 12, n. 3, p. 196-201, 1999. Abstract Squamous cell carcinoma of the esophagus is endemic in Rio Grande do Sul, the most southern state of Brazil, where the incidence reaches 27 out of 100,000 inhabitants per year. Palliative treatments, surgical or nonsurgical, impose lower mortality and lower costs. The choice of the best treatment for each patient depends on the neoplasia staging, and the local involvement of the tracheobronchial tree by tumor characterizes incurability. Computed axial tomography (CAT) is indicated, but remarkable contradictions were found in the literature. We studied 134 patients, diagnosed with esophageal squamous cell carcinoma, who underwent computed tomography and fiberoptic bronchoscopy (gold standard) performed with an uniform technique. An accuracy of 85.1% was obtained when computed tomography was compared with bronchoscopy with regard to impingement, displacement and invasion of trachea and bronchi. In conclusion, there is no statistically significant difference between computed tomography and fiberoptic bronchoscopy in the evaluation of tracheobronchial involvement by squamous cell carcinoma of the esophagus (p < 0.05). Fator de Impacto JCR: 1,814 ISSN: 1120-8694 3.4.8 ROSA, A.R.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; BRENTANO, L.; KRUEL, C.D.P. Survival and prognostic factors in patients with resected epidermoid oesophageal carcinoma. Int Surg, v. 84, n. 3, p. 193-198, 1999. Abstract To determine long-term survival of patients with thoracic oesophageal tumor who underwent resection, and to identify possible associated prognostic factors, 58 patients underwent oesophagectomy alone (group A) and 16 combined with neo-adjuvant chemoradiotherapy (group B). Univariate and multivariate analysis of prognostic factors were performed for age, depth of oesophageal wall tumour penetration, node involvement, type of resection, TNM stage and degree of tumour differentiation. Long-term survival rates at 1-5 years were 81% versus 89%; 56% versus 67%; 30% versus 67%; 12% versus 44%; and 0% versus 33% for group A and B, respectively (P = 0.0543, NS). Univariate analysis revealed only depth of invasion (P = 0.0076) and TNM stage (P = 0.0452) as isolated prognostic factors for long-term survival and multivariate analysis did not demonstrate any independent factor. Despite the small number of cases, neoadjuvant chemoradiotherapy seems to improve prognosis as well as to allow resection in a greater number of cases due to tumor downstaging. Fator de Impacto JCR: 0,361 ISSN: 0020-8868

3.4.9 SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; GUGEL, F.L.; LAZZARON, A.R.; BRENTANO,

100


4 Geração de Conhecimento L.; KRUEL, C.D.P. Alternative surgical treatment for complex enterocutaneous fistula. Int Surg, v. 84, n. 1, p. 29-34, 1999. Abstract A retrospective analysis on the clinical-surgical handling of patients with enterocutaneous fistula (ECF) was performed, where an alternative surgical technique was discussed: intestinal bypass. Fistula with draining over 500 ml/24 h, which were present in 13 patients, were classified as high debit. We defined as complex, the fistula with multiple orifices, high defect of the abdominal wall or through the mesh. The population studied consisted of 25 patients, 11 male, in a total of 34 ECF and mean age of 41.9 years. At clinical treatment with TPN for high debit ECF, 2 patients (16.6%) were cured, another 2 died and 8 (66.8%) needed surgical treatment. The surgery cured 7 patients (77.7%) with high debit ECF but 2 (22.3%) died. In the patients with low debit ECF, TPN cured 2 patients (40%) but failed in another 3 (60%). All patients with low debit ECF resolved with surgical treatment. Fator de Impacto JCR: 0,361 ISSN: 0020-8868 3.4.10 MELO, L.L.; KRUEL, C.D.P.; KLIEMANN, L.M.; CAVAZZOLA, L.T.; BOENO, R.L.; SILBER, P.C.; GROSSI, R.S. Influence of the surgically induced gastric and the gastroduodenal content reflux on esophageal carcinogenesis experimental model in Wistar female rats. Dis Esophagus, v. 12, n. 2, p. 106-115, 1999. Abstract Studies in human beings and animals have shown that esophageal exposure to duodenal and gastric contents may be important for the development of Barrett’s esophagus and its complications, including adenocarcinoma and epidermoid carcinoma. Diethylnitrosamine (DEN) is a carcinogen that stimulates the development of epidermoid carcinoma in the esophagus of mice. The aim of this study was to evaluate the effect of gastroduodenal and gastric content reflux on induction of esophageal carcinogenesis. Gastroesophageal reflux (GER) and gastroduodenoesophageal reflux (GDER) were produced by cardioplasty and esophagoduodenostomy. The chosen carcinogen was DEN, diluted in drinking water, given 3 days a week for 20 consecutive weeks. One hundred Wistar female rats were divided into six groups, as follows: group 1 (18 rats), cardioplasty without DEN; group 2 (18 rats), cardioplasty with DEN; group 3 (10 rats), only water; group 4 (17 rats), cardioplasty with DEN; group 5 (17 rats), esophagoduodenostomy with DEN; group 6 (20 rats), only DEN. GER in isolation induced papillomatosis or ulceration in 22.2% of rats and, when associated with DEN, induced papillomatosis in 61.1% of rats. GDER in isolation induced marked esophagitis in 61.1% of rats, Barrett’s esophagus in 16.7% and esophageal adenocarcinoma in 16.7%; when associated with DEN, 23.5% of rats presented marked esophagitis, papillomatosis or ulceration, whereas 76.5% had esophageal carcinoma, with 70.6% epidermoid carcinoma and 5.9% adenocarcinoma. Rats treated with water alone did not show histologic abnormalities of the esophageal mucosa. Rats treated with DEN alone developed papillomas in 50.0% of the cases and remained histologically unchanged in 50.0%. There was no development of low- or high-grade dysplasia in any group. The conclusions are that (1) GDER is significantly more deleterious to esophageal mucosa than GER; (2) in this study, GER did not present carcinogenic potential in relation to the esophagus; (3) GDER in isolation is an esophageal carcinogen, producing Barrett’s esophagus

101


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

and esophageal adenocarcinoma; (4) esophageal oncogenesis caused by GDER is potentiated by DEN, inducing esophageal epidermoid carcinoma; (5) in this study, DEN in isolation did not generate tumors in the esophagus of rats. Fator de Impacto JCR: 1,814 ISSN: 1120-8694 3.4.11 FREITAG, C.P.F.; BARROS, S.G.S.; KRUEL, C.D.P.; PÜTTEN, A.C.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; DIEHL, A.S.; MEURER, L.; BREYER, H.P.; WOLFF, F.H.; VIDAL, R.M.; ARRUDA, C.A.; LUZ, L.; FAGUNDES, R.B.; PROLLA, J.C. Esophageal dysplasias are detected by endoscopy with Lugol in patients at for squamous cell carcinoma in southern Brazil. Dis Esophagus, v. 12, n. 3, p. 191-195, 1999. Abstract Diagnosis of squamous cell carcinoma of the esophagus is usually late. Staining of the mucosa with Lugol’s solution during endoscopy has been suggested to identify early cancer/dysplasia and may improve prognosis. Lugol was tested during endoscopy in 96 asymptomatic subjects at risk for this tumor, who were found to have atypias after exfoliative cytology in southern Brazil. Biopsies were obtained in Lugol’s ‘stained’ and ‘unstained’ areas in the esophageal mucosa and the histologic results were compared. ‘Unstained’ areas were present in 64 (66.7%) instances: 44 ‘unstained’ areas over mucosa with normal appearance revealed seven dysplasias (four high and three low grade), whereas 20 ‘unstained’ areas with visible lesions contained only one dysplasia (low grade). ‘Stained’ areas in 96 (100%) subjects showed two additional dysplasias (one high and one low grade). In this study, Lugol ‘unstained’ areas were of great value for detection of dysplasias (sensitivity = 80%; specificity = 63%; p = 0.01, Fisher’s exact test; CI = 95%; odds ratio = 6.7). Fator de Impacto JCR: 1,814 ISSN: 1120-8694 3.4.2 BARROS, S.G.; VIDAL, R.M.; LUZ, L.P.; GHISOLFI, E.S.; BARLEM, G.G.; KOMLOS, F.; WOLFF, F.H.; BREYER, H.P.; PÜTTEN, A.C.; DIETZ, J.; KRUEL, C.D.P.; GRÜBER, A.C.; PROLLA, J.C. Prevalência de adenocarcinoma do esôfago e da junção esofagogástrica durante 10 anos num centro de referência para câncer do sul do Brasil. Arq Gastroenterol, v. 36, n. 1, p. 32-36, jan./ mar., 1999. There is increasing incidence of adenocarcinoma of the esophagus and esophagogastric junction in the USA and Europe, however, data in Brazil are scanty. OBJECTIVE AND METHODS: We reviewed all histology confirmed esophageal and esophagogastric junction cancer reports during a 10-year period (1987-1996) obtained by upper digestive endoscopy biopsies at a cancer referral center in Southern Brazil. Cancer cases were classified in three categories: adenocarcinoma, squamous cell carcinoma, and others. RESULTS: Among 349 cases, adenocarcinoma was found in 53 (15.2%), squamous cell carcinoma in 283

102


4 Geração de Conhecimento (81.1%) and others in 13 (3.7%). CONCLUSIONS: In this study, the prevalence of adenocarcinoma was 15%. Fator de Impacto JCR: não avaliado ISSN: 0004-2803 3.4.13 BARROS, S.G.S.; KRUEL, C.D.P.; GHISOLFI, E.S.; BARLEM, G.; RM, V.; WOLFF, F.H.; LUZ, L.; MAGNO, V.A.; BREYER, H.P.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; PROLLA, J.C. High temperature matè infusion drinking in a population at risk for squamous cell carcinoma of the esophagus. Arq Gastroenterol, v. 37, n. 1, p. 25-30, 2000. Abstract “Matè”, a popular hot infusion of a herb (Ilex paraguayensis) drunk in large volumes, is a known risk factor for squamous cell carcinoma of the esophagus and there is a suspicion that high temperature of boiled water used for the infusion may contribute for carcinogenesis. METHODS: We measured the temperature of “matè” infusion drunk by a sample of the population at risk for this carcinoma in Taquara, southern Brazil. We interviewed inhabitants for drinking habits and the temperature of the infusion was measured with high precision thermometers. Temperature of the infusion was asked to consumers and their estimate compared to our measurements. We considered 60 degrees C or higher as “hot”. RESULTS: In 36 residencies, 107 individuals were drinking “matè”. Most individuals drank it daily (97.2%), and the medium daily volume was 1,265 ml (SD +/- 1,132 mL) ranging from 250 to 6,000 mL. The measured temperature was 60 degrees C or higher in 72% of residencies with medium of 63.4 degrees C (51-78 degrees C) and median 64.4 degrees C. CONCLUSION: In this study, “matè” was consumed in large volumes at high temperature and individuals did not estimate correctly the temperature of infusion. High temperatures of “matè” may contribute to carcinogenesis in this population. Fator de Impacto JCR: não avaliado ISSN: 0004-2803 3.4.14 GODOY, W.; KRUEL, C.D.P.; ALBANO, R.M.; MORAES, E.; PINHO, P.R.; NUNES, R.A.; SAITO, E.H.; HIGA, C.; M. FILHO, I.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; LANG, M.A.; PINTO, L.F. CYP2ª6/2ª7 and CYP2E1 expression in human oesophageal mucosa: regional and inter-individual in expression and relevance to nitrosamine metabolism. Carcinogenesis, v. 23, n. 4, p. 611-616, 2002. Abstract Oesophageal cancer is one of the most common and lethal malignancies in the world. Despite many efforts, treatment is still ineffective for most cases; thus, the development of preventive strategies

103


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

is crucial for decreasing the burden presented by this disease. Environmental factors, particularly nitrosamines, are thought to be involved in the genesis of oesophageal tumours, and knowledge about the expression of enzymes capable of activating pre-carcinogens in human oesophagus is very important for the development of preventive measures. We analysed the expression of CYP1ª1, CYP1ª2, CYP2ª6/2ª7, CYP2E1 and CYP3ª4 mRNA in oesophageal mucosa of 50 patients by semi-quantitative RT-PCR. In five patients, who suffered from squamous cell carcinoma, we measured Nnitrosodimethylamine and N-nitrosodiethylamine metabolism in normal and tumorous tissue. CYP2ª6/2ª7 mRNA was expressed in 61% and CYP2E1 mRNA in 96% of the patients, but in the latter a lower degree of inter-individual variation was observed. These enzymes were expressed either in the distal or middle portions of the oesophagus of 90% of the patients. CYP1ª1, CYP1ª2 and CYP3ª4 mRNA expression was not detected in any portion of the oesophagus. Oesophageal microsomes activated N-nitrosodimethylamine with a low degree of inter-individual variation and microsomes prepared from the tumour of a patient who strongly expressed CYP2ª6/2ª7 mRNA activated N-nitrosodiethylamine. We conclude that the human oesophagus expresses CYP2ª6/2ª7 and CYP2E1 and can activate nitrosamines. Notably, the expression of these enzymes is preferentially localized to the most common sites where tumours arise. Fator de Impacto JCR: 5,702 ISSN: 0143-3334 3.4.15 ROSA, A.R.P.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; MEURER, L.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Prognostic value of p53 protein expression and vascular endothelial growth factor expression in resected squamous cell carcinoma of the esophagus. Dis Esophagus, v. 16, n. 2, p. 112118, 2003. Abstract The most common genetic alterations found in a wide variety of cancers are p53 tumor suppressor gene mutations. p53 appears to be a nuclear transcription factor that plays a role in the control of cell proliferation, apoptosis, and the maintenance of genetic stability. Angiogenesis is a critical process in solid tumor growth and metastasis. Vascular endothelial growth factor (VEGF), a recently identified growth factor with significant angiogenic properties, may be a major tumor angiogenesis regulator. Few studies have investigated the association between p53 and VEGF expressions and prognosis in esophageal carcinoma. Forty-seven specimens resected from patients with stage II and III squamous cell carcinoma (SCC) of the esophagus were studied using immunohistochemical staining. VEGF and p53 expressions were observed in 40% and 53% of the tumors, respectively. The p53 and VEGF staining statuses were coincident in only 21% of the tumors, and no significant correlation was found between p53 and VEGF statuses. No clinicopathologic factors were significantly correlated with p53 or VEGF expression. No significant association between p53 and VEGF expressions and poor prognosis was found. In conclusion, p53 and VEGF were not correlated with prognosis in patients with stage II and III SCC of the esophagus. Fator de Impacto JCR: 1,814 ISSN: 1120-8694

3.4.16 GLEISNER, A.L.M.; KRUEL, C.D.P.; PIMENTEL, M.; SAUERESSIG, M. Infective

104


4 Geração de Conhecimento complications according to duration of antibiotic treatment in acute abdomen. Int J Infect Dis, v. 8, n. 3, p. 155-62, 2004. Abstract INTRODUCTION: Adjuvant antibiotic therapy for acute abdominal conditions is widely used. Its timing, duration, dose and spectrum, however, are not homogeneous amongst surgeons and prolonged courses are often used despite the unproven benefits of this practice. OBJECTIVE: To evaluate use and compare duration of antibiotic treatments in acute abdominal surgery. METHODS: Retrospective cohort study. The medical records of 290 patients who underwent operations for acute abdomen from July 1998 to July 1999 in a teaching hospital were reviewed. The pattern of antibiotic use and rates of postoperative complications were evaluated, along with surgical diagnosis, degree of contamination/infection, and incidence of postoperative complications. The patients were stratified according to the degree of contamination/infection noted during the operation. The study population was divided in two groups according to the duration of antibiotic use (cut-off point at the median antibiotic use in days, for each group of contamination/infection degree), and outcomes were compared. RESULTS: The degree of contamination/infection was significantly associated with an increased risk of wound infection, intra-abdominal abscess, postoperative infective complications and overall postoperative complications (p < 0.001). A long course of antibiotics was not associated with lower infective complication rates. CONCLUSIONS: Shorter courses of antibiotic therapy based on the degree of contamination/infection seem to be safe. A prospective study should confirm this hypothesis. Fator de Impacto JCR: 1,938 ISSN: 1201-9712 3.4.17 CHEDID, A.D.; KRUEL, C.D.P.; KRUEL, C.R.P. Extended right hepatectomy with total caudate lobe resection and biliary tree resection for a large colorectal liver metastasis involving both the right and left hepatic lobes and the umbilical fissure: a case report. Am Surg, v. 71, n. 5, p. 447-49, 2005. Abstract Very large right-sided liver tumors may grow up to the base of the umbilical fissure and involve the left hepatic duct and can occasionally reach the bile duct confluence. This kind of involvement has often been considered a contraindication to resection. We report a patient who presented with a large hepatic metastasis from colorectal cancer that reached the umbilical fissure and involved the left hepatic duct just above the bile duct confluence. An extended right hepatectomy including complete resection of caudate lobe was performed. We resected the left and common hepatic ducts, as well as both the entire hepatic and the proximal third of common bile duct. A long jejunal limb Roux-en-Y (45 cm) single-layer left intrahepatic hepaticojejunostomy was constructed. She is still well 14 months postoperatively. To

105


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

the best of our knowledge, this is the first report of such a procedure employed for the treatment of a liver metastasis from colorectal cancer. Extended right hepatectomy including complete caudate lobe resection can be feasible even when the majority of the extrahepatic biliary system needs to be resected. Our approach probably offers the only chance to prevent early death from liver failure in these patients. Fator de Impacto JCR: 1,285 ISSN: 0003-1348 3.4.18 SCHMIDT, M.K.; MEURER, L.; VOLKWEIS, B.; EDELWEISS, M.I.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R. c-Myc overexpression is strongly associated with metaplasiadysplasia-adenocarcinoma sequence in the esophagus. Dis Esophagus, v. 20, p. 212-216, 2007. Abstract We aim to determine the expression of the proto-oncogene c-Myc in patients with Barrett’s esophagus (BE) and esophageal adenocarcinoma, and to evaluate the prevalence of such expression in relation to the metaplasia-dysplasia-adenocarcinoma sequence. BE develops as a result of a severe esophageal mucosa injury from gastroesophageal reflux. BE is a premalignant lesion and plays an important role in the development of esophageal adenocarcinoma. Several genetic alterations have been identified in the process that transforms a normal cell into a tumorous one. In the development of human tumors, one of the most important genes is the proto-oncogene c-Myc. The c-Myc protein expression was determined by immunohistochemical analysis in four different groups: 31 patients with normal tissue, 43 patients with BE without dysplasia, 11 patients with dysplasia in BE and 37 patients with esophageal adenocarcinoma. The material was obtained from esophageal biopsies or the dissection of patient esophagectomy specimens. Demographic and endoscopic data (sex, age, race and intestinal metaplasia extension), and morphologic and histopathologic tumor characteristics (deep tumor invasion, lymph node status, and tumor differentiation) were analyzed. The c-Myc expression was assessed using the Immunoreactive Scoring System (IRS). Overexpression of c-Myc was found in only 9.6% of normal tissue specimens, 37.2% of Barrett’s esophagus, 45.5% of BE patients with dysplasia and 73% of adenocarcinoma samples, with significant statistical difference among these groups. No correlation was identified when the c-Myc expression was compared with morphologic and histologic tumor features or endoscopic data. However, linear correlation of c-Myc overexpression along the metaplasia-dysplasiaadenocarcinoma sequence was observed. This study demonstrates a significant increase in the expression of c-Myc in Barrett’s esophagus, dysplasia and adenocarcinoma in relation to the control group, as well as a linear progression of this gene expression in this sequence. These results point out the importance of this marker in the development of esophageal adenocarcinoma from BE. Fator de Impacto JCR: 1,814 ISSN: 1120-8694 3.4.19 ROSSINI, A.; RAPOZO, D.C.; LIMA, S.C.S.; GUIMARAES, D.P.; FERREIRA, M.A.; TEIXEIRA, R.; KRUEL, C.D.P.; BARROS, S.G.S.; ANDREOLLO, N.A.; ACATAUASSU, R.; MATOS, H.J.; ALBANO, R.M.; PINTO, L.F.R. Polymorphisms of GSTP1 and GSTT1, but not of CYP2ª6, CYP2E1 or GSTM1, modify the risk for esophageal cancer in a Western population. Carcinogenesis, v. 28, p. 2537-2542, 2007.

106


4 Geração de Conhecimento Abstract Esophageal cancer is among the most common and fatal tumors in the world. Eighty percent of esophageal tumors are esophageal squamous cell carcinoma (ESCC). Brazil is one of the high incidence areas in the West, where tobacco and alcohol consumption have been associated with ESCC. However, polymorphisms in xenobiotic metabolizing genes may also contribute to the risk. Therefore, in this study, we analyzed the risk of ESCC associated with tobacco and alcohol consumption and with polymorphisms of CYP2ª6 (CYP2ª6*2), CYP2E1 (CYP2E1*5B, CYP2E1*6), GSTP1 (Ile105Val), GSTM1 and GSTT1 null genotypes in 126 cases and 252 age- and gender-matched controls. Data on the amount, length and type of tobacco and alcohol consumed were collected, and DNA was extracted from blood lymphocytes from all individuals. Polymorphisms were analyzed by polymerase chain reaction (PCR)-multiplex (GSTM1 and T1), PCR-Restriction Fragment Length Polymorphism (CYP2E1*5B and *6 and GSTP1 Ile105Val) or allele-specific PCR amplification (CYP2ª6*2). Risks were evaluated by multivariate conditional regression analysis. As expected, tobacco [odds ratio (OR) = 6.71, 95% confidence interval (95% CI) 3.08-14.63] and alcohol (OR = 16.98, CI 7.8-36.98) consumption, independently or together (OR = 26.91, CI 13.39-54.05) were risk factors. GSTP1 Ile105Val polymorphism was an independent risk factor (OR = 2.12, CI 1.37-3.29), whereas GSTT1 wild-type was an independent protective factor for ESCC (OR = 0.37, CI 0.16-0.79). There was approximately 80% statistical power to detect both results. There was no risk associated with CYP2ª6, CYP2E1 and GSTM1 polymorphisms. In conclusion, this study suggests an opposite role of GSTP1 and GSTT1 polymorphisms for the risk for ESCC. Fator de Impacto JCR: 5,702 ISSN: 0143-3334 3.4.20 VELHO, A.V.; HARTMANN, A.; KRUEL, C.D.P. Effect of black tea in diethylnitrosamineinduced esophageal carcinogenesis in mice. Acta Cir Bras, v. 23, p. 329-336, 2008. Abstract PURPOSE: To evaluate the effect of black tea on esophageal carcinogenesis induced by the oral administration of diethylnitrosamine (DEN). METHODS: A population of 120 female mice (Mus musculus, strain CF1) were studied for 160 days. The animals were assigned to two control groups and three treatment groups. The control groups received water or tea throughout the study period, while the three experimental groups received DEN weekly, for three consecutive days, and water, tea, or both, in the other days of the week. On completion of the 160-day period, the animals were killed and their esophagi promptly examined macroscopically and subsequently submitted to histopathology (using the hematoxylin-eosin technique). RESULTS: In the comparative analysis between the treatment groups, tumor incidence (macroscopy) was significantly lower in those animals that received black tea besides the carcinogen. As regards the histopathologic changes, there was a greater number of low grade epithelial lesions in the same groups (p < 0.001). CONCLUSION:

107


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

The animals that received black tea had a lower incidence of effects related to the carcinogen’s action, thus indicating that, in this model, the infusion had a significant chemoprophylactic effect on experimental diethylnitrosamine-induced carcinogenesis. Fator de Impacto JCR: 0,584 ISSN: 0102-8650 3.4.21 DILLEMBURG, C.F.; KRUEL, C.D.P.; CERSKI, C.T.; EDELWEISS, M.I. Morphine does no promote esophageal carcinogenesis in rats exposed to diethylnitrosamine. Arq Gastroenterol, v. 45, n. 1, p. 87-92, 2008. Fator de Impacto JCR: não avaliado ISSN: 0004-2803 Abstract BACKGROUND: The high incidence of esophageal cancer in the north of Iran has been associated to the consumption of opium and exposure to nitrosamines. Diethylnitrosamine has an established potential of producing experimental cancer in the esophagus and liver. AIM: To evaluate by histopathology the effect of oral administration of morphine and diethylnitrosamine during 23 weeks on the hepatic and esophageal carcinogenesis on 176 rats. METHODS: We divided the rats into the following groups: Morph: morphine; Den: diethylnitrosamine; Den+morph: Den and morphine in the same solution; Den/morph: Den and morphine in different solutions and days. RESULTS: Morphine did not promote neoplasias. The highest neoplastic incidents were found: a) in the esophagus, Den in relation to Den/morph and Den+morph (71.1%, 55.8%, and 50.0%); b) in the liver, Den and Den/morph in relation to Den+morph (73.8%, 81.4%, and 40.9%); c) higher incident of hepatic neoplasia than esophageal in Den/morph (81.4% and 55.8%). Different doses of diethylnitrosamine were ingested among the groups Den, Den/morph, and Den+morph, respectively 2.9, 2.8, and 2.3 mg/kg/day. CONCLUSIONS: These results show that the morphine did not promote esophageal carcinogenesis and may have stimulated the hepatic metabolism of the first pass of the carcinogen. 3.4.22 GUERRA L.; ROSA, A.R.; ROMANI R.F.; GURSKI, R.; KRUEL, C.D.P. Serum transferrin and serum prealbumin as markers of response to nutritional support in patients with esophageal cancer. Nutr Hosp, v. 24, n. 2, p. 241-242, 2009. This study evaluated hospitalized patients with esophageal cancer at surgery clinic of Hospital de Clínicas de Porto Alegre. To determine nutritional status, patients underwent an anthropometric and biochemical evaluation. According to their nutritional status and degree of dysphagia, patients received nasoenteric tube feeding alone, an oral diet or a combined diet (oral and nasoenteric tube). Resting

108


4 Geração de Conhecimento energy expenditure were calculated using the Harris-Benedict equation adjusted with an appropriate stress factor for cancer of 1,45. The patients received nutritional support before oncology therapy. Serum prealbumin and transferrin levels were measured before and after nutritional support. IThere was a statistically significant association between transferrin and prealbumin variations from pre-to post nutritional support (r =0.568; p < 0.001). Assuming that protein-calorie malnutrition was the primary cause of the decreased protein concentrations in the study, provision of exogenous energy and proteins would invoke proteins syntesis. This significant increase after nutritional support may reflect an increase in the rate of protein syntesis. Clinically, the earliest detection of an anabolic response, or more importantly, a suboptimal response, provides information for the timely substituition of dietary nutrients, a measure that may avoid the deterioration of a patient´s nutritional status. In our study, serum transferrin and prealbumin levels seem to be sensitive parameters of the efficacy of short-term nutritional support in patients with esophageal cancer. Fator de Impacto JCR: 1,120 ISSN: 0212-1611 3.4.23. CANTARELLI, J.C.R; FAGUNDES, R.B.; MEURER, L.; ROCHA, M.P.; NICOLA, A; KRUEL, C.D.P. Immunoreactivity of cytokeratins 7 and 20 in goblet cells and columnar blue cells in patients with endoscopic evidence of Barrett’s esophagus. Arq Gastroenterol, v. 46, n. 2, p. 127-131, abr./jun., 2009. Abstract CONTEXT: Barrett’s esophagus is characterized by the presence of goblet cells. However, when alcian-blue is utilized, another type of cells, called columnar blue cells, is frequently present in the distal esophagus of patients with endoscopic evidence of Barrett’s esophagus. Cytokeratin 7 and 20 immunoreactivity has been previously studied in areas of intestinal metaplasia at the esophagogastric junction. However, the expression of these cytokeratins in columnar blue cells has not been characterized. OBJECTIVE: To compare the expression of cytokeratin 7 and 20 in goblet cells and columnar blue cells in patients with endoscopic evidence of Barrett’s esophagus. METHODS: Biopsies from 86 patients with endoscopic evidence of Barrett’s esophagus were evaluated. The biopsies were stained for cytokeratin 7 and 20. RESULTS: Goblet cells were present in 75 cases and columnar blue cells in 50 cases. Overall, cytokeratin 7 expression was similar in goblet cells and columnar blue cells (P = 0.25), while cytokeratin 20 was more common in goblet cells (P <0.001). In individuals with both cell types, however, cytokeratin 7 staining was the same in goblet and columnar blue cells in 95% of the cases, and cytokeratin 20 staining was the same in 77%. CONCLUSION:

109


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Goblet cells and columnar blue cells have similar immunohistochemical staining patterns for cytokeratins 7 and 20 in patients with endoscopic evidence of Barrett’s esophagus. Fator de Impacto JCR: não avaliado ISSN: 0004-2803 3.4.24. MOLON, V.; KRUEL, C.D.P.; MAIOLI, D.T; CARAN, J.Z; LOVISON, R.C. Avaliação do efeito analgésico preemptivo do lumiracoxibe comparado com placebo nas primeiras 24 horas de pós-operatório. Rev Col Bras Cir, v. 36, n. 1, p. 003-008, 2009. Fator de Impacto JCR: não avaliado ISSN: 0100-6991 Facudade de Medicina, Universidade de Caxias do Sul, Caxias do Sul, RS, Brasil. Abstract OBJECTIVES: To test lumiracoxib used preemptively against a placebo,and to analyse the analgesic administration (dipirona and tramadol) in the 24 first postoperative hours. METHODS: Sixty patients undergone to a breast aumentation, under epidural anesthesia, were selected and put randomly in two groups - GI and GII. Sixty minutes before the surgery, it was administered orally, one pill of lumiracoxib 400mg to the 30 GI patients and one pill of placebo to the 30 GII patients. The postoperative pain was evaluated through the visual analogic scale, ranged from 0 (painless) to 10 (most intensive pain), being applied to the patient whenever having pain. For the same scores or under 4, it was administered intravenously 15mg/kg of dipirona up to a maximum of 1g. For scores of 5, 6 or 7, the patient had intravenously 50mg of tramadol.Scores 8 or more were treated intravenously with 0,5 mg/ kg of meperidine. RESULTS: The scores in GI were significantly lower than the ones obtained in GII within the first 24 hours, with the need of 20% less dipirona and 56% of tramadol in this period of time. In the same way, it was observed that analgesic solicitation for the first time had a delay of 191 minutes in GI in comparison to GII. CONCLUSION: The use of lumiracoxib preemptively, was effective in the treatment of postoperative pain, reducing considerably the consume of analgesics, and enlarging the time for the first medication. 3.4.25 GREZZANA FILHO, T.J.M.; GABIATTI, G.; KRUEL, C.D.P.; CORSO, C.O.; MENDONÇA, T.B. Topic liver hypothermia and ischemic preconditioning. A new model of ischemia and reperfusion in rats. Acta Cir Bras, v. 24, p. 262-266, 2009. Abstract PURPOSE: Evaluation of the Mean Arterial Pressure (MAP) and body temperature changes in a new model of liver ischemia-reperfusion applying topical Hypothermia and Ischemic Preconditioning (IPC).

110


4 Geração de Conhecimento METHODS: Rats (n= 32) were divided in 5 groups: Control (C), Normothermic Ischemia (NI), Ischemic Preconditioning (IPC), Hypothermia 26 degrees C plus IPC (H+IPC) and Hypothermia 26 degrees C (H). MAP and body temperature were recorded at 30 minutes intervals throughout the entire experiment. The study groups underwent 90 minutes partial hepatic ischemia followed by 120 minutes of reperfusion. The median and lateral left lobes were isolated and topical 26 degrees C hypothermia was induced by superfusion of cooled saline solution in H+IPC and H groups. A 10 minutes protocol of ischemia and reperfusion was applied in the IPC and H+IPC groups before the major ischemic insult. RESULTS: There was no significant difference in MAP and body temperature means between the groups throughout the experiments. CONCLUSION: The present model allows the induction of topical hepatic hypothermia associated or not to IPC. New studies to evaluate the possible synergistic effects of these tools can be reproduced without significant changes in macrohemodynamics and body temperature, or in other words, under stable conditions. Fator de Impacto JCR: 0,584 ISSN: 0102-8650 3.4.26 CAVAZZOLA, L.T.; ROSA, A.R.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; TELLES, J.P.B.; MIELKE, F.; MEURER, L.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Immunohistochemical evaluation for P53 and VEGF (vascular endothelial growth factor)is not prognostic for long term survival in end stage esophageal adenocarcinoma. Rev Col Bras Cir, v. 36, n. 1, p. 24-34, 2009. Abstract OBJECTIVES: To correlate the expression of p53 protein and VEGF with the prognosis of patients submitted to curative resection to treat esophageal adenocarcinoma. METHODS: Forty-six patients with esophageal adenocarcinoma, submitted to curative resection, were studied. The expressions of p53 protein and VEGF were assessed by immunohistochemistry in 52.2% and 47.8% of tumors, respectively. RESULTS: P53 protein and VEGF expressions coincided in 26% of the cases, and no correlation between these expressions was observed. None of the clinicopathological factors showed a significant correlation with p53 protein or VEGF expressions. There was no significant association between p53 protein and VEGF expressions and long-term survival. CONCLUSION: The expression of p53 protein and VEGF did not correlate with prognosis in esophageal adenocarcinoma patients submitted to curative resection. Fator de Impacto JCR: não avaliado

111


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

ISSN: 0100-6991

3.4.27 CASTRO JÚNIOR, M.A.M. de; KRUEL, C.D.P.; MEURER, L.; CASTRO, A.P. Expressão imunohistoquímica de P53 e Ki-67 na carcinogênese esofágica induzida pela dietilnitrosamina: modelo esperimental. Rev Col Bras Cir, v. 37, n. 2, p. 128-134, 2010. Fator de Impacto JCR: não avaliado ISSN: 0100-6991 Abstract OBJECTIVE: To evaluate the expression of P53 and Ki-67 during esophageal diethylnitrosamine (DEN)induced carcinogenesis in 100 mice by immunohistochemistry. METHODS: The animals were assigned to 4 groups, receiving water and food ad libitum. Control groups I and II received weekly esophageal gavage with cold (room temperature) or hot (60-70 degrees C) water, respectively. Experimental groups III and IV were treated with DEN for 3 consecutive days during the week, and one weekly gavage as above. The mice were sacrificed in different periods from day 30 to day 150 after the beginning of the experiment, for collection of esophageal samples which were then submitted to microscopic and immunohistochemical analyses. The temperature of the water administered by gavage was not related to the frequency of esophageal tumors. RESULTS: The expression of Ki-67 was significantly higher in high-grade intraepithelial lesion (I.L.), and the expression of P53 was also higher in low-grade I.L. CONCLUSION: The results emphasize the direct relationship of the carcinogenic process with early cell alterations detected by immunohistochemistry. 3.4.28 KRUEL. C.R.P.; PINTO, L.F.R.; BLANCO, T.C.M.; BARJA-FIDALGO, T.C.; MELO, L.L.; KRUEL, C.D.P. Evaluation of the heme oxygenase-1 expression in esophagitis and esophageal câncer induced by different reflux experimental models and diethynitrosamine. Acta Cir Bras, v. 25, n. 3, p. 304-310 mai./jun., 2010. Abstract PURPOSE: To study the expression of heme-oxygenase-1 (HO-1), an enzyme induced by oxidative stress, in specimens obtained from an experimental model in rats that evaluated the role of gastric and duodenal reflux in esophageal carcinogenesis. METHODS: Esophageal specimens embedded in paraffin obtained from different experimental groups of rats were used for immunohistochemistry analysis of HO-1 expression. The rats had been divided into the following groups and were killed after 22 weeks: (1) cardioplasty to induce acid reflux;

112


4 Geraテァテ」o de Conhecimento (2) esophagoduodenal anastomosis to induce duodenal reflux; (3) no treatment; (4) cardioplasty + diethylnitrosamine (DEN); (5) esophagoduodenal anastomosis + DEN; and (6) DEN. The study sample comprised 3 specimens from each group with the most severe histopathological lesions found on each study branch. RESULTS: The expression of HO-1 was seen only in rat specimens submitted to esophagoduodenal anastomosis (Groups 2 and 5), and the analysis of mean fluorescence intensity revealed a significant increase of HO-1 expression (4.8 and 4.6 fold, respectively) when compared with the control group (Group 3) (p<0.05). The main target for HO-1 induction was the inflammatory cells inside the tumor or in subepithelial areas. Rats exposed to gastric reflux had no HO-1 expression. CONCLUSION: Reflux esophagitis induced by reflux of duodenal contents, which provoked considerable oxidative stress, may play an important role in esophageal carcinogenesis. Acid reflux did not induce oxidative stress in this experimental model. Fator de Impacto JCR: 0,584 ISSN: 0102-8650 3.4.29 LIMA, S.C.S.; HERNANDEZ-VARGAS, H.; SIMテグ, T.; DURAND, G.; KRUEL, C.D.P.; LE CIVEZ-KELM, F.; PINTO, F.R.L.; HERCEG. Z. Identification of a DNA methylome signature of esophageal squamous cell carcinoma and potential epigenetic biomarkers. Epigenetics, v. 6, n. 10, p. 1217-1227, 2011. Abstract Esophageal squamous cell carcinoma (ESCC) is believed to arise from esophageal mucosa through accumulation of both genetic and epigenetic changes. DNA methylation is a critical epigenetic mechanism involved in key cellular processes and its deregulation has been linked to many human cancers, including ESCC. The aim of this study is to examine the global deregulation of methylation states in ESCC and identify potential early biomarkers. With this purpose, we performed a bead array analysis of more than 800 cancer-related genes in ten ESCC samples, ten matched surrounding tissues and four esophageal mucosa from healthy individuals. Pyrosequencing was used for validation of DNA methylation changes in up to 106 cases and 27 controls. A total of 37 CpG sites were found to be differentially methylated between tumors and surrounding tissues. These CpG sites were significantly enriched in genes related to several pathways including IL-10 anti-inflammatory signaling pathway and cell communication pathway. In addition, by comparing with healthy esophageal mucosa, we identified TFF1 gene as a potential early marker of ESCC. This is the first study to address methylation changes in ESCC in a large set of genes. Methylome analysis is shown as a sensitive and powerful tool to identify molecular players in ESCC. These data should prove to be the reference for future studies identifying potential biomarkers and molecular targets in ESCC. Fator de Impacto JCR: 4,318 ISSN: 1559-2294

113


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.4.30 DE A. SIMÃO, T.; SOUZA-SANTOS, P.T.; DE OLIVEIRA, D.S.L; BERNARDO, V.; LIMA, D.S.L.; RAPOZO, D.C.M.; KRUEL, C.D.P.; ALBANO, R.M. Quantitative evaluation of SPRR3 expression in esophageal squamous cell carcinoma by qPCR and ita potential use as a biomarker. Exp Mol Pathol, v. 91, n. 2, p. 584-589, 2011. Abstract Esophageal squamous cell carcinoma (ESCC) is highly fatal due to late diagnosis and inefficient treatment. Early disease detection could improve diagnosis and patient survival. Esophageal squamous epithelial cells express SPRR3, a member of the small proline-rich protein family, which is downregulated in ESCC. Therefore, SPRR3 expression may be used as a biomarker to follow the transition from healthy mucosa to ESCC. Both SPRR3 mRNA splice variants, v1 and v2, were evaluated by real time PCR in tumor and histologically normal adjacent tissue biopsies from 84 ESCC patients and 18 healthy controls. SPRR3-v1 was most highly expressed in the esophageal mucosa of healthy subjects, with an increasingly lower expression in the adjacent mucosa of ESCC patients and in tumors, respectively. SPRR3-v2 expression was low in normal mucosa and in tumors but it was higher in the adjacent mucosa of ESCC patients. In addition, we found a significant correlation between a lower SPRR3-v1 and SPRR3-v2 expression and age and alcohol consumption, respectively. SPRR3 protein expression presented a good correlation with SPRR3 mRNA expression. Cut-off points to discriminate between healthy mucosa, tumor and adjacent mucosa were determined with receiver operating characteristic (ROC) curves. This analysis showed that SPRR3-v1 expression discriminates the esophageal mucosa of healthy subjects from the adjacent mucosa and the tumor of ESCC patients with high sensitivity and specificity. Our data shows that the quantitative analysis of SPRR3 mRNA is a robust and reliable method to monitor the malignant transformation of the healthy esophageal mucosa into ESCC. Fator de Impacto JCR: 2,425 ISSN: 0014-4800 3.4.31 SILVEIRA, M.L. DA; VILHORDO, D.W.; KRUEL, C.D.P. Divertículo de Zenker: tratamento endoscópico versus cirúrgico. Rev Col Bras Cir, v. 38, n. 5, p. 343-348, 2011. Abstract OBJECTIVE: To review the evidence of safety and effectiveness of endoscopic and surgical treatment of Zenker’s diverticulum. METHODS: Searches of MEDLINE, LILACS and SciELO by “Zenker’s diverticulum” or “pharyngoesophageal diverticulum,” and selection of studies for quality assessment and data extraction to a meta-analysis. RESULTS: The study did not find any randomized clinical trial. We found five comparative, non-randomized studies, with a total of 630 patients, 339 in the endoscopic arms and 291 in the surgical ones. The values for safety were a 0.29% mortality and 7% morbidity for the endoscopic treatment, and 0.34% mortality and 5% morbidity for surgical treatment. The values for effectiveness were 84% and 85%, respectively. The effect of endoscopic and surgical approaches for the treatment of Zenker’s diverticulum was comparable, the odds ratio for morbidity was 1.24 (0.56 to 2.74), and the odds ratio for success was 0.66 (0.41 -1.05).

114


4 Geração de Conhecimento CONCLUSION: The studies on the treatment of Zenker’s diverticulum have a low level of evidence and are not able to establish the best treatment in terms of safety and effectiveness. Fator de Impacto JCR: não avaliado ISSN: 0100-6991 3.4.32 KRUEL, C.D.P.; MALAFAIA O. ABCD included in Medline/Pubmed. ABCD, Arq Bras Cir Dig, v. 25, n. 1, p. 1, 2012. Abstracts: It is a great honor to announce to all members of the CBCD, all researchers in the large area of the Gastroenterology and Associations involving our correlated specialties (Digestive Surgery, Gastroenterology, Digestive Endoscopy, Digestive Motility, Hepatology and other connected) that ABCD was included in the MEDLINE / PUBMED database from 2012. This indexation gives the seal of international standard and quality to our journal, and from now on comes to be considered by all as INTERNATIONAL JOURNAL with benefit for all authors that use ABCD for their articles and scientific papers. It was a great pride as far as at the same time we give the opportunity to have one more Brazilian vehicle to compete with the best journals in the world, it may also help Brazil to climb another step on the already outstanding 13th place that Brazil has in number of publications in the world ranking of journals. The ABCD is proud to contribute to our country, enhancing our research and helping the suffered Brazilian authors to not have the need to submit themselves to long waits to see their scientific papers published. We encourage our community to send to ABCD the best researches done in our country, because the next step is to include our journal in the ISI / Web of Knowledge. This base uses citations located on the references of all published article to elaborate an index called “Impact Factor”. So, to help ABCD to be there with higher impact factor a long the time, its necessary that the authors do not forget to refer the ABCD in all their papers, and also in the submissions done in other journals. With this attitude of our countrymen, we are soon getting a relevant “Impact Factor” that represents the pinnacle of distinction that can be claimed by a journal. Therefore, LET´S PUBLISH IN THE ABCD! LET´S ALWAYS MENTION ABCD IN OUR PAPERS! This is the way to show that we are proud to be Brazilian and that we want a better country for everyone. Fator de Impacto JCR: não avaliado ISSN: 0102-6720 3.4.33 HERBSTER S, FERRARO CT, KOFF NK, ROSSINI A, KRUEL CD, ANDREOLLO NA, RAPOZO DC, BLANCO TC, FARIA PA, SANTOS PT, ALBANO RM, SIMÃO TD, PINTO LF. Cancer Lett. 2012 Jul 19. HPV infection in Brazilian patients with esophageal squamous cell carcinoma: interpopulational differences, lack of correlation with surrogate markers and clinicopathological parameters. Herbster S, Ferraro CT, Koff NK, Rossini A, Kruel CD, Andreollo NA, Rapozo DC, Blanco TC,

115


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Faria PA, Santos PT, Albano RM, Simão TD, Pinto LF. Programa de Mecanismos de Carcinogênese Molecular, Coordenação de Pesquisa, Instituto Nacional de Câncer, Rio de Janeiro, Brazil. Abstract The role of HPV in esophageal squamous cell carcinoma (ESCCs) is controversial. Therefore, we determined, through different methodologies, the prevalence of HPV in 264 ESCC samples from Brazil, and correlated it with the presence of surrogate markers and clinicopathological characteristics. HPV is present in 13% of ESCC, and with a 3-fold variation between high and medium incidence areas. Most HPV positive tumors were infected with HPV16, but this was not associated with p16 expression, TP53 mutation status, patient age, amount of tobacco or alcohol consumption, or overall survival. We conclude that HPV infection may not have a role in ESCC. Copyright © 2012. Published by Elsevier Ireland Ltd. Fator de Impacto JCR: 4,238

3.5 Artigos Completos Publicados em Anais de Conferências/ Congressos no País

3.5.1 BARROS, S.G.S. DE; KRUEL, C.D.P. Ainda há lugar para os antiácidos e alginates no tratamento da DRGE?. Simpósio Internacional sobre Doenças do Esôfago, Esôfago Hoje e GASTRÃO, XXIV Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XIX Curso de Atualização em Gastroenterologia, VI Curso de Cirurgia Laparoscópica, São Paulo, SP - de 29 de junho a 03 de julho de 1997. 3.5.2 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Avaliação nutricional pré-operatória. Quais os parâmetros realmente valorizáveis?. Simpósio Internacional sobre Doenças do Esôfago, Esôfago Hoje e GASTRÃO, XXIV Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XIX Curso de Atualização em Gastroenterologia, VI Curso de Cirurgia Laparoscópica, São Paulo, SP - de 29 de junho a 03 de julho de 1997.

3.6 Artigos Resumidos Publicados em Anais de Conferências/ Congressos no Exterior

3.6.1 KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; DIHEL, A.; PUTTEN, A.C. Cytopathological classification of esophageal carcinoma precursor lesions – experimental – model in mice. 20th European Congress of Cytology, Prague, Czechoslovakia - de 23 a 26 de setembro de 1992.

3.6.2

KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; DIEHL, A.S. PUTTEN, A.C. A new cytophatological

116


4 Geração de Conhecimento classification of esophageal carcinoma precursor lesions. 4th International Congress, Paris, France - de 1º a 04 de setembro de 1993. 3.6.3 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; KRUEL, I.; CAVAZZOLA, L.T.; KRUEL, C.; MADRUGA, G.S.P.; SFAIR, J.A. Hot-water effect in the esophageal Carcinogenesis experimental model in mice. Sixth World Congress of the International Society for Diseases of the Esophagus, Milan, Italy - de 23 a 26 de setembro de 1995. 3.6.4 KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; DIEHL, A.S. PUTTEN, A.C. A new cytophatological classification of esophageal carcinoma precursors lesions-experimental model in mice. Sixth World Congress of the International Society for Diseases of the Esophagus, Milan, Italy - de 23 a 26 de setembro de 1995. 3.6.5 KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; ZATTI, H.; MOTA, A.; KRUEL, C.; MELLO, K.; MUCENIC, M.; SFAIR, J.A. Mate-herb effect in esophageal carcinogenesis experimental model. Sixth World Congress of the International Society for Diseases of the Esophagus, Milan, Italy - de 23 a 26 de setembro de 1995. 3.6.6 FREITAG, C.P.F.; BARROS, S.G.S.; PROLLA, J.C.; KRUEL, C.D.P.; PUTTEN, A.C.P.; DIETZ, J.; GRUBER, A.C.; DIEHL, A.S.; SCHULTZ, R. Lugol esophagoscopy discloses occult dysplasia in asymptomatic patients at high risk for squamous cell carcinoma of the esophagus in southern Brazil. American Society for Gastrointestinal Endoscopy, The Society for Surgery of the Alimentary Tract, San Francisco, United States - de 19 a 22 de maio de 1996. 3.6.7 BARROS, S.G.S.; KRUEL, C.D.P.; DIEHL, A.S.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; OLIVEIRA. J.V.; PUTTEN, A.C.K.; CHULTZ, R.; KRUEL, I.R.; PROLLA, J.C. Population screening for precursor lesions and early squamous cell cancer of the esophagus in southern Brazil: Preliminary results. 97th Annual Meeting of the American Gastroenterological Association, Washington, United States - de 11 a 14 de maio de 1997. 3.6.8 MELO, L.L.; KRUEL, C.D.P.; KLIEMANN, L.M.; CAVAZZOLA, L.T.; BOENO, R.; SILBER, P.; GROSSI, R. Influence of gastroduodenal and grastric reflux contents, induced surgically, in the esophagus carcinogenesis: experimental model in Wistar rats. Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.6.9 PESSINI, R.A.; EDELWEISS, M.I.; EDELWEISS, M.; KRUEL, C.D.P. Experimental model of esophageal chicken carcinogenesis. Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.6.10 GHISOLFI, E.S.; LUZ, L.P.; BARLEM, G.G; KOMLÓS, F.; VIDAL, R.M.; LAZZARON, A.R.; BREYER, H.P.; WOLFF, F.H.; MAGNO, V.A.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; BARROS, S.G.S. High temperature ‘mate’ infusion drinking in a population at risk for squamous cell carcinoma of the esophagus (SCCE) in southern Brazil. Esophagus ’98, VIIth World

117


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.6.11 DIETZ, J.; DIEHL, A.S.; PROLLA, J.C.; BARROS, S.G.S.; GRÜBER, A.C.; KRUEL, C.D.P.; LAZZARON, A.R.; LUZ, L.P.; KOMLÓS, F.; BARLEM, G.G; SIMON, T. Risk factors for esophageal cytological atypias. Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.6.12 PROLLA, J.C.; BARROS, S.G.S.; DIEHL, A.S.; KRUEL, C.D.P.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; KRUEL, I.R.P.; LAZZARON, A.R.; KOMLÓS, F.; GHISOLFI, E.S.; VIDAL, R.M. Population screening for esophageal cancer in Southern Brazil – Preliminary results. Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.6.13 BARROS, S.G.S.; KRUEL, C.D.P.; DIEHL, A.S.; PÜTTEN, A.C.K.; DIETZ, J.; PROLLA, J.C.; LAZZARON, A.R.; KOMLÓS, F.; LUZ, L.P. Diagnosis of esophageal adenocarcinoma with Chinese cytologic balloon (CCB) – case report. Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.6.14 GURSKI, R.R.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P.; KOMLÓS, F.; KRUEL, C.; SCHRETSTATSKI, P. Effect of n’nitroso-norcicotine (NNN) and alcoholin di-ethylnittrosamine (DEN) induced esophageal cancer in mice. Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.6.15 KRUEL, C.D.P.; DILLENBURG, C.F.; CERSKI, C.T.; EDELWEISS, M.I.; SILVA, T.L.D.; SCHIER, A.S.; MARAFON, G. Morphine does not promote esophageal carcinogenesis in rats exposed to diethylnitrosamine. 11th World Congress of the International Society for Diseases of the Esophagus, Budapest, Hungary - de 10 a 13 de setembro de 2008. 3.6.16 MOREIRA, L.F.; FACCINI, F.P.; KRUEL, C.D.P.; TONETO, J.E.; NAOMOTO, Y. Apoptosis in esophageal carcinoma preoperatively treated by radiation and local injection of picibanil. European School of Oconlogy, São Paulo, SP - 1998. 3.6.17 PROLLA, J.C.; DIEHL, A.S.; KRUEL, C.D.P.; BARROS, S.G.S.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; PUTTEN, A.C.K.; CHULTZ, R.; VARGAS, J.O. Population screening for esophageal câncer – Preliminary results. Revista Gastroenterology, v. 110, no 4. 3.6.18 GHISOLFI, E.S.; LUZ, L.P.; BARLEM, G.G; KOMLÓS, F.; VIDAL, R.M.; LAZZARON, A.R.; BREYER, H.P.; WOLFF, F.H.; MAGNO, V.A.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; BARROS, S.G.S. High temperature ‘mate’ infusion drinking in a population at risk for squamous cell carcinoma of the esophagus (SCCE) in southern Brazil. Revista Gastroenterology, v. 114, no 4. 3.6.19 LAZZARON, A.R.; KOMLÓS, F.; BARLEM, G.G; GHISOLFI, E.S.; LUZ, L.P.; DIETZ, J.; DIEHL, A.S.; PROLLA, J.C.; GRÜBER, A.C.; KRUEL, C.D.P.; SIMON, T.; BARROS, S.G.S. Precursor lesions for esophageal câncer are associated with sex, age, current smoking and alcohol drinking in southern Brazil. Revista Gastrointestinal Oncology.

118


4 Geração de Conhecimento 3.6.20 VIDAL, R.M.; LUZ, L.P.; GHISOLFI, E.S.; WOLFF, F.H.; KOMLÓS, F.; BREYER, H.P.; BARLEM, G.B; LAZZARON, A.R.; DIETZ, J.; KRUEL, C.D.P.; MEURER, I.; PUTTEN, A.C.K.; GRÜBER, A.C.; PROLLA, J.C.; BARROS, S.G.S. Adenocarcinoma of the esophagus during a ten-year period in a câncer referral center in southern Brazil. Revista Gastrointestinal Oncology. 3.6.21 KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; ZATTI, H.; MOTA, A Mate-herb effect in esophageal carcinogenesis experimental model. Revista Gastroenterology, v. 110 no 4.

3.7 Artigos Resumidos Publicados Em Anais De Conferências/ Congressos No País

3.7.1 KRUEL, C.D.P.; GUIMARÃES, J.R. Rastreamento para carcinoma de esôfago. III Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, Porto Alegre, RS - 1991. 3.7.2 BORGES DA COSTA, M.S.; MOTTA NETO, A.A.; KRUEL, C.D.P.; JOCHELAVICIUS, G.; PADILHA, A.; GOUVEA, A.; BARROSO, J.C.; SEGATTO, L.; KEISERMAN, L.; FORTES, P. O efeito do verapamil na prevenção de lesões gástricas agudas induzidas por stress em ratas. IV Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, X JACAD – Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 16 a 18 de setembro de 1992. 3.7.3 KRUEL, C.D.P.; GUIMARÃES, J.R. Rastreamento para carcinoma de esôfago. IV Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva. X JACAD – Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 16 a 18 de 1992. 3.7.4 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; GOLBERT, L.; LEMOS, N.; LUZ, L.; FERREIRA, M.; FIOR, O. Efeito da água quente na carcinogênese esofágica – modelo experimental em camundongos. VI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva - 1993. 3.7.5 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; CARVALHAL, E.; OSVALDT, A.; BRENTANO, L. Adenocarcinoma precoce de estômago – casuística e resultados do tratamento no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. 13ª Semana Científica do HCPA, Porto Alegre, RS - de 08 a 12 de novembro de 1993. 3.7.6 SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; KRUEL, C.D.P.; MÜLLER, R.; CARVALHAL, E.; WAGNER, J.; BRENTANO, L. Adenocarcinoma de cárdia – análise da experiência no tratamento no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. 13ª Semana Científica do HCPA, Porto Alegre, RS - de 08 a 12 de novembro de 1993. 3.7.7 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.D.P.; CARVALHAL, E.; MÜLLER, R.; OSVALDT, A.; BRENTANO, L. Adenocarcinoma gástrico – experiência de tratamento no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. 13ª Semana Científica do HCPA, Porto Alegre, RS - de 08 a 12 de novembro de 1993.

119


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.7.8 BRENTANO, L.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; CARVALHAL, E.; MÜLLER, R.; WAGNER, J.; KRUEL, C.D.P. Carcinoma epidermóide de esôfago – resultado do tratamento cirúrgico no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. 13ª Semana Científica do HCPA, Porto Alegre, RS - de 08 a 12 de novembro de 1993. 3.7.9 CASTRO, M.A.A.; GURSKI, R.R.; MADRUGA, G.S.P.; PEDROSO, F.L.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.D.P. Neoplasias Associadas ao Carcinoma Epidermóide do Esôfago (CEE). XXI Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XVI Curso de Atualização em Gastroenterologia de 07 e 08 de julho de 1994. 3.7.10 BRENTANO, L.; TONETO JÚNIOR, J.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; KRUEL, C.D.P.; MÜLLER, R.; CARVALHAL, E.; WAGNER, J. Carcinoma epidermóide de esôfago – experiência do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. XXI Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XVI Curso de Atualização em Gastroenterologia - de 07 e 08 de julho de 1994. 3.7.11 GURSKI, R.R.; TONETO JÚNIOR, J.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.D.P.; WAGNER, J.; OSVALDT, A.; BRENTANO, L. Características de estadiamento e tratamento de pacientes com adenocarcinoma gástrico no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. XXI Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XVI Curso de Atualização em Gastroenterologia - de 07 e 08 de julho de 1994. 3.7.12 SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; KRUEL, C.D.P.; MÜLLER, R.; CARVALHAL, E.; WAGNER, J.; BRENTANO, L. Adenocarcinoma de cárdia – análise da experiência no tratamento no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. XXI Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XVI Curso de Atualização em Gastroenterologia - de 07 e 08 de julho de 1994. 3.7.13 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; CARVALHAL, E.; OSVALDT, A.; BRENTANO, L. Adenocarcinoma precoce de estômago – casuística e resultados do tratamento no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. XXI Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XVI Curso de Atualização em Gastroenterologia - de 07 e 08 de julho de 1994. 3.7.14 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; CARVALHAL, E.; OSVALDT, A.; BRENTANO, L. Adenocarcinoma precoce de estômago – casuística e resultados do tratamento no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. XIII Congresso Brasileiro de Cancerologia, I Congresso de Cancerologia do Hospital Santa Rita da Santa Casa de Porto Alegre, IV Congresso Brasileiro de Enfermagem Oncológica, I Congresso Brasileiro de Redes e Ligas Femininas de Combate ao Câncer, VI Encontro Brasileiro de Hospitais e Serviços de Oncologia, Porto Alegre, RS - de 07 a 10 de setembro de 1994. 3.7.15 BRENTANO, L.; AZEVEDO, S.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; CARVALHAL, E.F.; MÜLLER, R.L.; OSVALDT, A.B.; WAGNER, J.; KRUEL, C.D.P. Radioterapia e quimioterapia pré-operatórias no carcinoma epidermóide de esôfago. XIII Congresso Brasileiro de Cancerologia, I Congresso de Cancerologia do Hospital Santa Rita da Santa Casa de Porto Alegre, IV Congresso Brasileiro de Enfermagem Oncológica, I Congresso Brasileiro de Redes e Ligas Femininas de Combate

120


4 Geração de Conhecimento ao Câncer, VI Encontro Brasileiro de Hospitais e Serviços de Oncologia, Porto Alegre, RS - de 07 a 10 de setembro de 1994. 3.7.16 SCHIRMER, C.C.; BRENTANO, L.; GURSKI, R.R.; CARVALHAL, E.F.; MÜLLER, R.L.; OSVALDT, A.B.; WAGNER, J.; KRUEL, C.D.P. Estudos da Gastrectomia como tratamento para pacientes com adenocarcinoma gástrico no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. XIII Congresso Brasileiro de Cancerologia, I Congresso de Cancerologia do Hospital Santa Rita da Santa Casa de Porto Alegre, IV Congresso Brasileiro de Enfermagem Oncológica, I Congresso Brasileiro de Redes e Ligas Femininas de Combate ao Câncer, VI Encontro Brasileiro de Hospitais e Serviços de Oncologia, Porto Alegre, RS - de 07 a 10 de setembro de 1994. 3.7.17 EDELWEISS, M.; PESSINI, R.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Modelo experimental de carcinogênese esofágica em francos. VI Salão de Iniciação Científica, III Feira de Iniciação Científica, Pró-Reitoria Adjunta de Pesquisa, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 17 a 21 de outubro de 1994. 3.7.18 KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; CAVAZZOLA, L.T.; ODERICH, G.S.C.; WAGNER, J. Manejo do paciente com doença ulcerosa péptica (DUP) no Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). 14ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 07 a 11 de novembro de 1994. 3.7.19 BRENTANO, L.; KRUEL, C.D.P.; TONETTO, JÚNIOR, J.E.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; CAVAZZOLA, L.T.; SILBER, P.C.; BOENO, R.L. Manejo do paciente com esofagite de refluxo no Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). 14ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 07 a 11 de novembro de 1994. 3.7.20 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; GOLBERT, L.; LEMOS, N.A.; LUZ, L.G.; FERREIRA, M.; FIOR, O. Efeito da água quente na carcinogenese esofágica: Um estudo experimental em camundongos. 14ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 07 a 11 de novembro de 1994. 3.7.21 EDELWEISS, M.; PESSINI, R.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Modelo experimental de carcinogênese esofágica em francos. 14ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 07 a 11 de novembro de 1994. 3.7.22 BARROS, S.G.S. PROLLA, J.C.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; KRUEL, C.D.P.; DIEHL, A.S.; MEURER, L.; GHISOLFI, E.S.; LUZ, L.P.; BARLEM, G.G; VIDAL, R.M.; KOMLÓS, F.; LAZZAROM, A.R.; WOLFF, F.H.; SIMON, T.K.; AZAMBUJA, A. Rastreamento populacional em câncer de esôfago no Rio Grande do Sul: Projeto de Pesquisa. XXXIII Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, IX Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VI Congresso Nacional do

121


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XII Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo JACAD, XI Fórum de Debates em Cirurgia Geral, Porto Alegre, RS - 20 a 25 de novembro de 1994. 3.7.23 DIETZ, J.; DIEHL, A.S.; FURTADO, C.D.; HERZHEIM, E.; PROLLA, J.C.; KRUEL, C.D.P. Efeito do fumo, álcool e mate na pesquisa de micronúcleos da mucosa esofágica. XXXIII Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, IX Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XII Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo JACAD, XI Fórum de Debates em Cirurgia Geral, Porto Alegre, RS - 20 a 25 de novembro de 1994. 3.7.24 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; CARVALHAL, E.F.; MÜLLER, R.L.; OSVALDT, A.B. Adenocarcinoma precoce de estômago – casuística e resultados do tratamento no HCPA. XXXIII Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, IX Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XII Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo JACAD, XI Fórum de Debates em Cirurgia Geral, Porto Alegre, RS - 20 a 25 de novembro de 1994. 3.7.25 KRUEL, C.D.P.; EDELWEISS, M.I.A.; CASTRO, M.A.A.; MADRUGA, G.S.P.; PEDROSO, F.L.; SFAIR, J.A.; EDELWEISS, M.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C. Carcinogênese gástrica: um modelo experimental com diethilnitrosamina. XX Congresso Brasileiro de Patologia, Belo Horizonte, MG - de 29 de julho a 1º de agosto de 1995. 3.7.26 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; WAGNER, J.; OSVALDT, A.B.; FONTOURA, R.R. Dificuldades no seguimento de pacientes oncológicos. 15ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.7.27 EDELWEISS, M.; SANTOS, M.B.; CENTENO, A.D.; LIZARDO-DAUDT, H.; PESSINI, R.A.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Modelo experimental de carcinogênese esofágica em frangos: resultados preliminares. 15ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.7.28 KRUEL, I.R.; ASSIS, F.; CORREA, T.; KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; DIETZ, J.; BARROS. S.G.S.; WU, V.Y. Research in institucional communication apply in esophageal câncer screening. 15ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.7.29 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; KRUEL, I.; CAVAZZOLA, L.T.; KRUEL, C.; MADRUGA, G.S.P.; SFAIR, J.A. Hot-water effect in the esophageal carcinogenesis experimental model in mice. 15ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.7.30 KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; DIEHL, A.S. PUTTEN, A.C. A new cytophatological classification of esophageal carcinoma precursors lesions-experimental model in mice. 15ª Semana

122


4 Geração de Conhecimento Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.7.31 KRUEL, C.D.P.; PROLLA, J.C.; ZATTI, H.; MOTA, A.; KRUEL, C.; MELLO, K.; SFAIR, J.A. Mate-herb effect in esophageal carcinogenesis experimental model. 15ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.7.32 PROLLA, J.C.; DIEHL, A.S.; KRUEL, C.D.P.; BARROS, S.G.S.; GRUBER, A.C.; KRUEL, I.R.; MADRUGA, G.S.P.; KRUEL, C.; PITREZ, L.H.; SFAIR, J.A.; CASTRO, M.A.A.; CAVAZZOLA, L.T.; ARRUDA, C.A.; CHIES M.A.; TONIAZZO, G.; MELLO, K.; WU, V.Y.; FURTADO, C.D.; PEDROSO, F.; HARZHEIM, E.; TORRES, G.; MELLO, K.; MUCENIC, T. Population screening for esophageal cancer: preliminary results. 15ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.7.33 EDELWEISS, M.; SANTOS, M.B.; CENTENO, A.D.; LIZARDO-DAUDT, H.; PESSINI, R.A.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Modelo experimental de carcinogênese esofágica em frangos: resultados preliminares. IV Congresso Nacional de Cirurgia Experimental. Porto Alegre, RS - 22 a 25 de novembro de 1995. 3.7.34 PESSINI, R.A.; EDELWEISS, M.; SANTOS, M.B.; CENTENO, A.D.; LIZARDODAUDT, H.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Modelo experimental de carcinogênese esofágica em francos. 16ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 02 a 06 de setembro de 1996. 3.7.35 KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; WAGNER, J.; OSVALDT, A.B.; PADOIN, A.V.; FONTOURA, R.R. da. Gastrectomia total no tratamento do adenocarcinoma gástrico. 16ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 02 a 06 de setembro de 1996. 3.7.36 BRENTANO, L.; KRUEL, C.D.P.; TONETO JÚNIOR, J.E.; WAGNER, J.; PADOIN, A.V. Helicobacter pylori em pacientes com cirurgia gástrica prévia. XXII Congresso Brasileiro de Cirurgia, Recife, PE - setembro de 1997. 3.7.37 SCHIRMER, C.C.; GUGEL, F.L.; LAZZARON, A.R.; KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; BRENTANO, L. Tratamento cirúrgico alternativo para fístulas enterocutâneas (FEC) complexas-bypass intestinal. XV Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XIV Forum de Debates em Cirurgia Geral, III Encontro de Cirurgia Digestiva do Mercosul, Porto Alegre, RS - de 12 a 14 de novembro de 1997. 3.7.38 KRUEL, C.D.P.; SILVEIRA, I.M.; MALLMANN, I.; GUIMARÃES, J.R.; SILVA, R.O.; CAVAZZOLA, L.T.; OSVALDT, A.B.; BERSCH, V.; RODRIGUES, R.E.; CIOATO, M. Curso experimental em vídeocirurgia. XVI Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, VIII Jornada Sul-Brasileira de Cirurgia, I Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998.

123


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.7.39 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; CAVAZZOLA, L.T.; DA FONTOURA, R.; WAGNER, J.; PADOIN, A.; PESCE, G. Câncer de esôfago: Experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). XVI Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, VIII Jornada Sul-Brasileira de Cirurgia, I Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.7.40 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; CAVAZZOLA, L.T.; PADOIN, A.; DA FONTOURA, R.; GUIMARÃES, M.; TELLES, J.P. Carcinoma gástrico precoce: Experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). XVI Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, VIII Jornada Sul-Brasileira de Cirurgia, I Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.7.41 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; CAVAZZOLA, L.T.; GUIMARÃES, M.; DA FONTOURA, R.; PADOIN, A.; TELLES, J.P. Carcinoma gástrico: Experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). XVI Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, VIII Jornada Sul-Brasileira de Cirurgia, I Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.7.42 DE BARROS, S.G.S.; GRUBER, A.C.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; CAVAZZOLA, L.T.; ARRUDA, C.A.; BREYER, H.P.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Pseudoacalásia: Relato de caso e revisão da literatura. XVI Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, VIII Jornada Sul-Brasileira de Cirurgia, I Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.7.43 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; CAVAZZOLA, L.T.; WAGNER, J.; PADOIN, A.; DA FONTOURA, R.; TELLES, J.P. Gastrectomia total no tratamento do adenocarcinoma gástrico. XVI Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, VIII Jornada Sul-Brasileira de Cirurgia, I Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.7.44 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; CAVAZZOLA, L.T.; PADOIN, A.; WAGNER, J.; DA FONTOURA, R.; TELLES, J.P. Tratamento do adenocarcinoma de cárdia no Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA). XVI Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, VIII Jornada Sul-Brasileira de Cirurgia, I Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.7.45 MELO, L.L.; KRUEL, C.D.P.; KLIEANN, L.M.; CAVAZZOLA, L.T.; BOENO, R.; SILBER, P.; GROSSI, R. Influência do refluxo de conteúdos gástricos e gastroduodenal, induzidos

124


4 Geração de Conhecimento cirurgicamente, na carcinogênese esofágica – modelo experimental em ratas Wistar. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.46 GRÜBER, A.C.; GHISOLFI, E.S.; ARRUDA, C.; CAVAZZOLA, L.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L.; BARROS, S.G.S. Pacientes com refluxo gastroesofágico tem alta frequência de motilidade esofáguica inefectiva (IEM). 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.47 BARROS, S.G.S. PROLLA, J.C.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; KRUEL, C.D.P.; DIEHL, A.S.; MEURER, L.; GHISOLFI, E.S.; LUZ, L.P.; BARLEM, G.G; VIDAL, R.M.; KOMLÓS, F.; LAZZAROM, A.R.; WOLFF, F.H.; SIMON, T.K.; AZAMBUJA, A. Rastreamento populacional para o câncer de esôfago com balão citológico descartável. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.48 LUZ, L.P.; GHISOLFI, E.S.; VIDAL, R.M.; BARLEM, G.G; WOLFF, F.H.; KOMLÓS, F.; MEURER, L.; BREYER, H.P.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; KRUEL, C.D.P.; DIEHL, A.S.; PROLLA, J.C.; BARROS, S.G.S. Adenocarcinoma de esôfago e da junção esofagogástrica – está aumentando sua frequência no Brasil?. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.49 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; CAVAZZOLA, L.T.; GUIMARÃES, M.; FONTOURA, R. Carcinoma gástrico: experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.50 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; CAVAZZOLA, L.T.; PADOIN, A. Carcinoma gástrico precoce: experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.51 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; CAVAZZOLA, L.T.; PADOIN, A.; WAGNER, J. Tratamento de adenocarcinoma de cárdia no Grupo de Cirurgia de

125


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.52 DIETZ, J.; DIEHL, A.S.; PROLLA, J.C.; BARROS, S.G.S.; GRÜBER, A.C.; KRUEL, C.D.P.; LAZZARON, A.R.; GHISOLFI, E.S.; ROEHE, A,V.; BARLEM, G.G; VIDAL, R.M.; KOMLÓS, F.; AZAMBUJA NETO, A.; SIMON, T.; LUZ, L.P. Fatores de risco nas atipias epiteliais de esôfago. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.53 BARROS, S.G.S.; FREITAG, C.P.F.; GRÜBER, A.C.; DIETZ, J.; KRUEL, C.D.P.; DIEHL, A.S.; PUTTEN, A.C.K.; PROLLA, J.C.; GHISOLFI, E.S.; LUZ, L.P.; BARLEM, G.G; VIDAL, R.M.; WOLF, F.H. Lugol detecta displasia em mucosa com aparência normal a esofagoscopia convencional. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.54 DIETZ, J.; DIEHL, A.S.; BARROS, S.G.S.; KRUEL, C.D.P.; PUTTEN, A.C.K.; GRÜBER, L.C.; MEURER, L.; LAZZARON, A.R.; KOMLÓS, F.; LUZ, L.P.; PROLLA, J.C. Balão esofágico citológico diagnóstica adenocarcinoma de esôfago; relato de caso. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.55 BARROS, S.G.S.; GRÜBER, A.C.; SCHIRMER, C.C; GURSKI, R.R.; CAVAZZOLA, L.T.; ARRUDA, C.A.; BREYER, H.P.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Pseudoacalásia: relato de caso e revisão da literatura. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.56 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C; OSVALDT, A.B.; CAVAZZOLA, L.T.; WAGNER, J. Gastrectomia total no tratamento de adenocarcinoma gástrico. 3ª Semana do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva. VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.7.57 ROSA, A.R.P; SCHIRMER, C.C; GURSKI, R.R.; KRUEL, C.D.P. Sobrevida e fatores prognósticos de pacientes com carcinoma epidermoide do esôfago reversível. XXIII Congresso Brasileiro de Cirurgia, Rio de Janeiro, RJ - de 04 a 08 de julho de 1999.

3.7.58 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C; CAVAZZOLA, L.T.; PADOIN,

126


4 Geração de Conhecimento A.A.; PESCE, G.A. Câncer de esôfago: experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. XXIII Congresso Brasileiro de Cirurgia, Rio de Janeiro, RJ - de 04 a 08 de julho de 1999. 3.7.59 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C; GUIMARÃES, M.; TELLES, J.P.; PADOIN, A.V. Resultado do tratamento do adenocarcinoma do cardia. XXIII Congresso Brasileiro de Cirurgia, Rio de Janeiro, RJ - de 04 a 08 de julho de 1999. 3.7.60 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C; CAVAZZOLA, L.T.; TELLES, J.P.; PESCE, G. Carcinoma gástrico superficial: resultados do tratamento cirúrgico. XXIII Congresso Brasileiro de Cirurgia, Rio de Janeiro, RJ - de 04 a 08 de julho de 1999. 3.7.61 SCHIRMER, C.C; GURSKI, R.R.; FONTOURA, R.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Avaliação do efeito da cafeína na carcinogênese esofágica induzida por dietilnitrosamina (DEN). XXIII Congresso Brasileiro de Cirurgia, Rio de Janeiro, RJ - de 04 a 08 de julho de 1999. 3.7.62 KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; CAVAZZOLA, L.T.; ROSSA, A.R.; TELLES, J.P.B.; VILAS, E.R.; PESCE, G.A.; SCHIRMER, C.C. Acalásia: Onze anos de experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago. 20ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS setembro de 2000. 3.7.63 KRUEL, C.D.P.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; CAVAZZOLA, L.T.; ROSA, A.R.; PESCE, G.A.; VILAS, E.R.; TELLES, J.P.B.; GRANZOTTO, E.H. Adenocarcinoma do cárdia: experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago. 20ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - setembro de 2000. 3.7.64 KRUEL, C.D.P.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; CAVAZZOLA, L.T.; ROSA, A.R.; TELLES, J.P.B.; VILAS, E.R.; PESCE, G.A. Avaliação dos dez anos do tratamento cirúrgico da doença do refluxo. 20ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - setembro de 2000. 3.7.65 SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; KRUEL, C.D.P.; FONTOURA, R.; EDELWEISS, M.I. Efeito da cafeína na carcinogênese esofágica induzida. 20ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - setembro de 2000. 3.7.66 KRUEL, C.D.P.; SILVEIRA, L.M.; VOLKWEIS, B.S. Incidência de neoplasia gástrica em pacientes submetidos à cirurgia de desfuncionalização pilórica e denervação gástrica – Estudo histórico. 20ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - setembro de 2000. 3.7.67 TELLES, J.P.B.; KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; CAVAZZOLA, L.T.; ROSA, A.R.; VILAS, E.R.; PESCE, G.A. Resultados dos 11 anos de tratamento do adenocarcinoma gástrico pelo grupo. 20ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS setembro de 2000.

127


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.7.68 BARROS, S.G.S.; FREITAG, C.P.F.; LOPES, A.B.; KRUEL, C.D.P.; PÜTTEN, A.C.K.; DIETZ, J.; GRUBER, A.C.; DIEHL, A.S.; MEURER L.; BREYER, H.P. PROLLA, J.C. High grade dysplasias are present in normal appearing esophageal mucosa in subjects at risk for squamous cell carcinoma in southern Brazil. 20ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - setembro de 2000. 3.7.69 BINATO, M.; GURSKI, R.R.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Efeito da dietilnitrosaminam do álcool etílico e da N-nitrosonornicotina na carcinogênese gástrica: modelo experimental em camundongos. V Semana do Aparelho Digestivo, Rio de Janeiro, RJ - de 18 a 23 de agosto de 2002. 3.7.70 KRUEL, C.D.P.; LEIPNITZ, I.; CHEDID, A.D.; KRUEL, C.R.; SILVA, M.R.A. Situação atual do programa de transplante hepático adulto do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. XXV Congresso Brasileiro de Cirurgia, Porto Alegre, RS - 2003. 3.7.71 CHEDID, A.D.; KLEIN, P.W.; CHEDID, M.F.; KRUEL, C.D.P.; KRUEL, C.R.P. Experiência com ressecções hepáticas para metástases de câncer colorretal. XXV Congresso Brasileiro de Cirurgia, Porto Alegre, RS - 2003. 3.7.72 CHEDID, M.F.; CHEDID, A.D.; LEIPINITZ, I.; SILVA, M.R.A. da; KRUEL, C.D.P.; MIELKE, F.R.; FRANCESCONI, C.F.M. Transplante hepático adulto: casuística do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. XV Salão de Iniciação Científica, Porto Alegre, RS - de 24 a 28 de novembro de 2003. 3.7.73 ROSA, A.R.P. da; KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER C.C.; ROMANI, R.F.; FICK, M.D.; ROSSI, S.D.; GONÇALVES K.G.; MENDONÇA, A.J.C. Análise multifatorial das esofagectomias realizadas no Hospital de Clínicas de Porto Alegre: Experiência de Centro de Atendimento Terciário. X Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 19 a 24 de novembro de 2011. 3.7.74 ROSA, A.R.P. da; BECKER, C.B.; GUERRA, L.T.; GRIGOLETTI, S.S.; KRUEL, C.D.P. Gasto energético basal medido por calorimetria indireta em pacientes com carcinoma epidermoide de esôfago. X Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 19 a 24 de novembro de 2011. 3.7.75 ROSA, A.R.P. da; KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER C.C.; ROMANI, R.F.; FICK, M.D.; ROSSI, S.D.; GONÇALVES K.G.; MENDONÇA, A.J.C. Sobrevida global de uma coorte de pacientes com câncer de esôfago tratados com esofagectomia no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. X Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 19 a 24 de novembro de 2011.

128


4 Geração de Conhecimento

3.8 Apresentação de Palestras e Trabalhos Convidados em Eventos Científicos

3.8.1 No País

3.8.1.1 PARTICIPANTE PAINEL ICTERÍCIA COLESTÁTICA SOBRE ASPECTOS CIRÚRGICOS DAS COLESTASES, Porto Alegre, RS - 15 de janeiro de 1981. 3.8.1.2 PARTICIPANTE DA MESA REDONDA ANTIBIOTICOTERAPIA SOBRE ANTIBIOTICOTERAPIA NA CIRURGIA NAS VIAS BILIARES, ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO, Porto Alegre, RS - 10 de abril de 1981. 3.8.1.3 PARTICIPANTE DA MESA REDONDA ANTIBIOTICOTERAPIA SOBRE PAPEL DOS ANTIBIÓTICOS NA INFECÇÃO DA FERIDA OPERATÓRIA, Porto Alegre, RS - 10 de abril de 1981. 3.8.1.4 CONFERENCIASTA DA I JORNADA DOS EX-RESIDENTES SOBRE CHOQUE, Departamento de Cirurgia, Centro de Estudos da Enfermaria 30, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 26 a 29 de novembro de 1981. 3.8.1.5 PARTICIPANTE DO TEMA LIVRE SOBRE HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA – TRATAMENTO CIRURGICO, 28º Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, 4º Congresso Endoscopia Digestiva e 5º Congresso Lusíada de Gastroenterologia, São Paulo, SP - de 22 a 26 de agosto de 1982. 3.8.1.6 EXPOSITOR DO COLÓQUIO SOBRE CHOQUE, II Jornada dos Ex-Residentes da Enfermaria 30, Departamento de Cirurgia Geral, Centro de Estudos da Enfermaria 30, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Porto Alegre, RS - de 25 a 27 de novembro de 1982. 3.8.1.7 EXPOSITOR DO COLÓQUIO SOBRE ABDÔMEN AGUDO, II Jornada dos ExResidentes da Enfermaria 30, Departamento de Cirurgia Geral, Centro de Estudos da Enfermaria 30, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Porto Alegre, RS - de 25 a 27 de novembro de 1982. 3.8.1.8 PARTICIPANTE NO COLÓQUIO – PADRÕES CLÍNICOS NO CHOQUE: HIPODINÂMICO, II Semana de Terapia Intensiva, Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre, RS - de 27 a 30 de junho de 1984. 3.8.1.9 PALESTRANTE SOBRE INFECÇÕES HOSPITALARES, Associação dos Farmacêuticos Químicos do Rio Grande do Sul, Departamento de Microbiologia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 19 a 23 de novembro de 1984. 3.8.1.10 PALESTRANTE SOBRE ESTADO ATUAL DAS HEPATECTOMIAS, Curso de Temas Atuais em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Curso de Pós-Graduação da Disciplina Gastroenterologia Cirúrgica, Escola Paulista de Medicina, São Paulo, SP - 12 de julho de 1989.

3.8.1.11 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA SEMANA CIENTÍFICA DO HCPA,

129


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

intitulado: Índice de tumor induzido pela dietilnitrosamina (DEN) em camundongos CFL. Co-autor. Porto Alegre, RS - 22 de setembro de 1990. 3.8.1.12 PALESTRANTE NO SIMPÓSIO GRANDES TEMAS EM CIRURGIA, INFECÇÕES CIRURGICAS, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 15 de agosto de 1992. 3.8.1.13 APRESENTADOR DO POSTER EFEITO NA ERVA-MATE NA CARCINOGENESE ESOFÁGICA, I Reunião Técnica do Cone Sul sobre Cultura da Erva-Mate, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina, Universidade do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 02 a 04 de setembro de 1992. 3.8.1.14 CONFERENCISTA SOBRE CÂNCER PRECOCE DE ESÔFAGO – ASPECTOS CIRÚRGICOS E ESÔFAGO DE BARRET, Atividades Científicas, Departamento de Gastroenterologia, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Passo Fundo, RS - de 08 e 09 de outubro de 1993. 3.8.1.15 PALESTRANTE NA MESA-REDONDA SOBRE VIA BILIAR – TRATAMENTO CIRURGICO, VII Jornada Internacional de Doenças do Aparelho Digestivo, XI Encontro da SOBED, Santana do Livramento, RS - 20 e 21de maio de 1994. 3.8.1.16 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO XIII CONGRESSO BRASILEIRO DE CANCEROLOGIA, I CONGRESSO DE CANCEROLOGIA DO HOSPITAL SANTA RITA, SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE PORTO ALEGRE, VI CONGRESSO SUL-AMERICANO DE CIRURGIA DE CABEÇA E PESCOÇO, IV CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM ONCOLÓGICA, I CONGRESSO BRASILEIRO DE REDE E LIGAS FEMININAS DE COMBATE AO CÂNCER, VI ENCONTRO BRASILEIRO DE HOSPITAIS E SERVIÇOS DE ONCOLOGIA, intitulado: Radioterapia e quimioterapia pré-operatórias no carcinoma epidermoide de esôfago. Coautor. Porto Alegre, RS - de 07 a 10 de setembro de 1994. 3.8.1.17 PALESTRANTE SOBRE PROJETO INTEGRADO DE PESQUISA – RESTREAMENTO POPULACIONAL EM CÂNCER DE ESÔFAGO (GEPECE), 14ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 07 a 11 de novembro de 1994. 3.8.1.18 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO 1º CONGRESSO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE, 14ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, intitulado: Rastreamento populacional em câncer de esôfago no Rio Grande do Sul: Projeto de Pesquisa. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 07 a 11 de novembro de 1994. 3.8.1.19 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO 1º CONGRESSO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO EM SAÚDE, 14ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, intitulado: Balão esofágico citológico: uma proposta na detecção de lesões precursoras ao câncer de esôfago. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 07 a 11 de novembro de 1994. 3.8.1.20 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO XXXIII CONGRESSO BRASILEIRO DE GASTROENTEROLOGIA, IX CONGRESSO BRASILEIRO DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA,

130


4 Geração de Conhecimento intitulado: Rastreamento populacional em câncer de esôfago no Rio Grande do Sul: Projeto de Pesquisa. Co-autor. Porto Alegre, RS - 20 a 23 de novembro de 1994. 3.8.1.21 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO XX CONGRESSO BRASILEIRO DE PATOLOGIA, Intitulado: Carcinogênese gástrica: um modelo experimental com diethilnitrosamina. Co-autor. Belo Horizonte, MG - de 29 de julho a 1º de agosto de 1995. 3.8.1.22 PARTICIPANTE DO PAINEL ESÔFAGO SOBRE DIAGNÓSTICO PRECOCE DO CÂNCER DO ESÔFAGO, XIII JACAD Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XII Fórum de Debates em Cirurgia Geral, I Encontro em Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo do Mercosul, Porto Alegre, RS - 27 a 29 de setembro de 1995. 3.8.1.23 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 15ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Dificuldades no seguimento de pacientes oncológicos. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.8.1.24 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 15ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Modelo experimental de carcinogênese esofágica em frangos: resultados preliminares. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.8.1.25 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 15ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Research in institucional communication apply in esophageal câncer screening. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.8.1.26 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 15ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Hot-water effect in the esophageal carcinogenesis experimental model in mice. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.8.1.27 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 15ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: A new cytophatological classification of esophageal carcinoma precursors lesions-experimental model in mice. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.8.1.28 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 15ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Mate-herb effect in esophageal carcinogenesis experimental model. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.8.1.29 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 15ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Population screening for esophageal cancer: preliminary results. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de novembro de 1995. 3.8.1.30 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO IV CONGRESSO NACIONAL DE CIRURGIA EXPERIMENTAL, Intitulado: Modelo experimental de carcinogênese esofágica em francos: resultados preliminares. Co-autor. Porto Alegre, RS - novembro de 1995.

131


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.8.1.31 PARTICIPANTE NO PAINEL MODELOS EXPERIMENTAIS SOBRE CARCINOGÊNESE ESOFÁGICA NO IV CONGRESSO NACIONAL DE CIRURGIA EXPERIMENTAL. Autor. Sociedade Brasileira para o Desenvolvimento da Pesquisa em Cirurgia SOBRADPEC, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Hospital Veterinário, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 22 a 25 de novembro de 1995. 3.8.1.32 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO XXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE ENDOSCOPIA PERORAL, ENCONTRO DE ENDOSCOPIA RESPIRATÓRIA E DIGESTIVA DO CONE SUL, Intitulado: Cromatoscopia com lugol no diagnóstico de lesões precursoras do câncer esofágico estudo em indivíduos com alto risco e alterações citológicas detectadas pelo balão citológico chinês (Projeto Taquara). Co-autor. Gramado, RS - de 1º a 04 de maio de 1996. 3.8.1.33 PALESTRANTE SOBRE DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Sociedade Gaúcha de Gastroenterologia, Sociedade de Cirurgia Geral do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 18 de julho 1996. 3.8.1.34 PALESTRANTE SOBRE INVESTIGAÇÃO DE TRIAGEM DE CÂNCER DE ESÔFAGO, Simpósio Internacional do Instituto de Geriatria, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 18 a 20 de julho 1996. 3.8.1.35 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 16ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Modelo experimental de carcinogênese esofágica em francos. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 02 a 06 de setembro de 1996. 3.8.1.36 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO VIII SALÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, Intitulado: Modelo experimental de carcinogênese esofágica em francos. Co-autor. Porto Alegre, RS de 09 a 13 de setembro de 1996. 3.8.1.37 PARTICIPANTE DO PAINEL SOBRE CÂNCER DO ESÔFAGO – ESTÁGIO ATUAL, XIV JACAD - Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XIII Fórum de Debates em Cirurgia Geral, II Encontro de Cirurgia Digestiva do Mercosul, Porto Alegre, RS - 27 de setembro de 1996. 3.8.1.38 APRESENTADOR SOBRE DOR ABDOMINAL, Diagnóstico Diferencial na Prática Médica, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 07 a 30 de outubro de 1996. 3.8.1.39 PALESTRANTE NO CURSO DE DIAGNÓSTICO PRECOCE E SCREENING DE TUMORES SOBRE RASTREAMENTO DE TUMORES DE ESÔFAGO, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 11 a 15 de agosto de 1997. 3.8.1.40 PALESTRANTE DA MESA-REDONDA ATUALIZAÇÃO EM ESÔFAGO SOBRE TRATAMENTO CIRÚRGICO DO CÂNCER DE ESÔFAGO - EXPERIÊNCIA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, IV Jornada de Cirurgia Digestiva do Cone Sul, Santa Maria, RS - de

132


4 Geração de Conhecimento 28 a 30 de agosto de 1997. 3.8.1.41 COORDENADOR DA PALESTRA SOBRE CARCINOGÊNESE ESOFÁGICA, IV Jornada de Cirurgia Digestiva do Cone Sul, Santa Maria, RS - de 28 a 30 de agosto de 1997. 3.8.1.42 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 17ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Fundoplicatura videolaparoscópica no tratamento da doença do refluxo gastroesofágico. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 1º a 05 de setembro de 1997. 3.8.1.43 CONFERENCISTA SOBRE RESULTADO PRELIMINARES EM RASTREAMENTO POPULACIONAL PARA CÂNCER DE ESÔFAGO – PROJETO TAQUARA, 17ª Semana Científica Hospital de Clínicas de Porto Alegre, 4º Congresso de Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde, Porto Alegre, RS - 05 de setembro de 1997. 3.8.1.44 PALESTRANTE SOBRE NEOPLASIA DE ESÔFAGO, Curso de Cirurgia, Departamento Universitário, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 08 a 17 de setembro de 1997. 3.8.1.45 CONVIDADO COMO PALESTRANTE SOBRE CÂNCER DE ESÔFAGO, Io Curso Avançado em Cirurgia e Endoscopia, Io Curso de Oncologia Digestiva da Santa Casa, Porto Alegre, RS - 11 de setembro 1997. 3.8.1.46 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO IX SALÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, Intitulado: Fundoplicatura videolaparoscópica no tratamento da doença do refluxo gastroesofágico. Coautor. Porto Alegre, RS - de 15 a 19 de setembro de 1997. 3.8.1.47 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO IX SALÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, Intitulado: Modelo experimental de carcinogênese esofágica em frangos. Co-autor. Porto Alegre, RS de 15 a 19 de setembro de 1997. 3.8.1.48 PARTICIPANTE NO COLÓQUIO ENSINO DA GASTROENTEROLOGIA CLÍNICA – ENDOSCOPIA – CIRURGIA. VI Gastrosul, Centenário da Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 18 e 19 de junho de 1998. 3.8.1.49 CONFERENCISTA SOBRE DOENÇA DO REFLUXO GASTRO ESOFÁGICO, II Jornada de Cirurgia Videoendoscópica da PUCRS, I Simpósio de Enfermagem em Videoendoscópica do RS, Faculdade de Medicina, Hospital São Lucas, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 21 e 22 de agosto de 1998. 3.8.1.50 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 18ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Pseudoacalásia: relato de caso e revisão da literatura. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 14 a 18 de setembro de 1998.

3.8.1.51 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 18ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL

133


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Tratamento de adenocarcinoma de cárdia no Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 14 a 18 de setembro de 1998. 3.8.1.52 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 18ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Gastrectomia total no tratamento de adenocarcinoma gástrico. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 14 a 18 de setembro de 1998. 3.8.1.53 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 18ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Carcinoma gástrico: experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Coautor. Porto Alegre, RS - de 14 a 18 de setembro de 1998. 3.8.1.54 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 18ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Carcinoma gástrico precoce: experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 14 a 18 de setembro de 1998. 3.8.1.55 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 18ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Câncer de esôfago: experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Coautor. Porto Alegre, RS - de 14 a 18 de setembro de 1998. 3.8.1.56 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 18ª SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Intitulado: Tratamento cirúrgico da acalasia: dez anos de experiência. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 14 a 18 de setembro de 1998. 3.8.1.57 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA XVI JORNADA DE ATUALIZAÇÃO EM CIRURGIA DO APARELHO DIGESTIVO, VIII JORNADA SUL-BRASILEIRA DE CIRURGIA, I SEMANA GAÚCHA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Gastrectomia total no tratamento de adenocarcinoma gástrico. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.8.1.58 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA XVI JORNADA DE ATUALIZAÇÃO EM CIRURGIA DO APARELHO DIGESTIVO, VIII JORNADA SUL-BRASILEIRA DE CIRURGIA, I SEMANA GAÚCHA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Carcinoma gástrico precoce: experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.8.1.59 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA XVI JORNADA DE ATUALIZAÇÃO EM CIRURGIA DO APARELHO DIGESTIVO, VIII JORNADA SUL-BRASILEIRA DE CIRURGIA, I SEMANA GAÚCHA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Carcinoma gástrico: experiência do Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998.

134


4 Geração de Conhecimento 3.8.1.60 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA XVI JORNADA DE ATUALIZAÇÃO EM CIRURGIA DO APARELHO DIGESTIVO, VIII JORNADA SUL-BRASILEIRA DE CIRURGIA, I SEMANA GAÚCHA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Tratamento de adenocarcinoma de cárdia no Grupo de Cirurgia de Esôfago, Estômago e Intestino Delgado (GCEEID) do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.8.1.61 PALESTRANTE SOBRE CA ESOFÁGICO: RASTREAMENTO POPULACIONAL. QUANDO E COMO?, 3ª Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VIII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Congresso Brasileiro de Enfermagem em Gastroenterologia, Endoscopia e Cirurgia do Aparelho Digestivo, Salvador, BA - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.8.1.62 APRESENTADOR DE TEMAS LIVRES SOBRE CÂNCER DE ESÔFAGO: EXPERIÊNCIA DO GRUPO DE CIRURGIA DE ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO (GCEEID) DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VIII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Congresso Brasileiro de Enfermagem em Gastroenterologia, Endoscopia e Cirurgia do Aparelho Digestivo, Salvador, BA - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.8.1.63 APRESENTADOR DE TEMAS LIVRES SOBRE CARCINOMA GÁSTRICO: EXPERIÊNCIA DO GRUPO DE CIRURGIA DE ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO (GCEEID) DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VIII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Congresso Brasileiro de Enfermagem em Gastroenterologia, Endoscopia e Cirurgia do Aparelho Digestivo, Salvador, BA - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.8.1.64 APRESENTADOR DE TEMAS LIVRES SOBRE CARCINOMA GÁSTRICO PRECOCE: EXPERIÊNCIA DO GRUPO DE CIRURGIA DE ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO (GCEEID) DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VIII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Congresso Brasileiro de Enfermagem em Gastroenterologia, Endoscopia e Cirurgia do Aparelho Digestivo, Salvador, BA - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.8.1.65 APRESENTADOR DE TEMAS LIVRES SOBRE TRATAMENTO DO ADENOCARCINOMA DE CÁRDIA NO GRUPO DE CIRURGIA DE ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO (GCEEID) DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VIII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Congresso Brasileiro de Enfermagem em Gastroenterologia, Endoscopia e Cirurgia do Aparelho Digestivo, Salvador, BA - de 11 a 16 de outubro de 1998.

135


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.8.1.66 APRESENTADOR DA SESSÃO DE POSTER SOBRE GASTRECTOMIA TOTAL NO TRATAMENTO DO ADENOCARCINOMA GÁSTRICO DO GRUPO DE CIRURGIA DE ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO (GCEEID) DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VIII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Congresso Brasileiro de Enfermagem em Gastroenterologia, Endoscopia e Cirurgia do Aparelho Digestivo, Salvador, BA - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.8.1.67 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 3ª SEMANA DO APARELHO DIGESTIVO, XXXV CONGRESSO BRASILEIRO DE GASTROENTEROLOGIA, XI CONGRESSO BRASILEIRO DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA, VII CONGRESSO NACIONAL DO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIA DIGESTIVA, Intitulado: Influência do refluxo de conteúdos gástricos e gastroduodenal, induzidos cirurgicamente, na carcinogênese esofágica – modelo experimental em ratas Wistar. Co-autor. São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.8.1.68 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA 3ª SEMANA DO APARELHO DIGESTIVO, XXXV CONGRESSO BRASILEIRO DE GASTROENTEROLOGIA, XI CONGRESSO BRASILEIRO DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA, VII CONGRESSO NACIONAL DO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIA DIGESTIVA, Intitulado: Pacientes com refluxo gastroesofágico tem alta frequência de motilidade esofáguica inefectiva (IEM). Co-autor. São Paulo, SP - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.8.1.69 PALESTRANTE MESA-REDONDA CÂNCER DO ESÔFAGO SOBRE TRATAMENTO CIRÚRGICO, XIV Congresso Catarinense de Medicina, II Congresso Catarinense de Clínicas Médica e I Fórum Catarinense de Residência Médicas em Cirurgia, Florianópolis, SC - de 19 a 21 de maio de 1999. 3.8.1.70 PALESTRANTE MESA-REDONDA CÂNCER DO ESÔFAGO SOBRE TRATAMENTO PALIATIVO, XIV Congresso Catarinense de Medicina, II Congresso Catarinense de Clínicas Médica e I Fórum Catarinense de Residência Médicas em Cirurgia, Florianópolis, SC - de 19 a 21 de maio de 1999. 3.8.1.71 PALESTRANTE E MODERADOR DA MESA-REDONDA DOENÇAS DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO – TRATAMENTO POR VÍDEOCIRURGIA: INDICAÇÕES E TÉCNICA, II Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, XVII JACAD / V Endogastro, Porto Alegre, RS - de 22 a 24 de setembro de 1999. 3.8.1.72 PALESTRANTE SOBRE ESÔFAGO DE BARRETT, Sociedade de Medicina de Santa Maria, Santa Maria, RS - 1º de junho de 2000. 3.8.1.73 CONFERENCISTA SOBRE TRATAMENTO CIRÚRGICO NA DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO, Hospital Nossa Senhora da Conceição, Porto Alegre, RS - 06 de junho de 2000.

136


4 Geração de Conhecimento 3.8.1.74 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA IV SEMANA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: High grade dysplasia (HGD) are present in normal appearing esophageal mucosa in subjects at risk for squamous cell carcinoma (SCCE) in southern Brazil. Co-autor. Faz do Iguaçu, PR - de 08 a 12 de outubro de 2000. 3.8.1.75 PALESTRANTE NA MESA-REDONDA SOBRE CIRURGIA, IV Semana do Aparelho Digestivo, Foz do Iguaçu, PR - de 08 a 12 de outubro de 2000. 3.8.1.76 APRESENTADOR DO TEMA LIVRE SOBRE CARCINOMA EPIDERMÓIDE DE ESÔFAGO: EXPERIÊNCIA DO GCEEID DO HCPA, IV Semana do Aparelho Digestivo, Foz do Iguaçu, PR - de 08 a 12 de outubro de 2000. 3.8.1.77 APRESENTADOR DO TEMA LIVRE SOBRE RESULTADOS PRECOCES DA ANASTOMOSE ESOFAGOGÁSTRICA APÓS TRATAMENTO CIRÚRGICO DO CÂNCER ESOFÁGICO: COMPARAÇÃO ENTRE LEVANTAMENTO GÁSTRICO E TUBO GÁSTRICO DA GRANDE CURVATURA, IV Semana do Aparelho Digestivo, Foz do Iguaçu, PR - de 08 a 12 de outubro de 2000. 3.8.1.78 APRESENTADOR DO TEMA LIVRE SOBRE ACALÁSIA: ONZE ANOS DE EXPERIÊNCIA DO GRUPO DE CIRURGIA DO ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO DO HCPA, IV Semana do Aparelho Digestivo, Foz do Iguaçu, PR - de 08 a 12 de outubro de 2000. 3.8.1.79 APRESENTADOR DO TEMA LIVRE SOBRE EFEITO DA CAFEÍNA NA CARCINOGÊNESE ESOFÁGICA INDUZIDA PELA DIETILTROSAMINA (DEN) EM CAMUNDONGOS, IV Semana do Aparelho Digestivo, Foz do Iguaçu, PR - de 08 a 12 de outubro de 2000. 3.8.1.80 CHÁ PREATO NA QUIMIOPROFILAXIA DA TUMORIGÊNESE ESOFÁGICA EXPERIMENTAL INDUZIDA POR DIETILNITROSAMINA – UM ESTUDO RANDOMIZADO CONTROLADO, IV Semana do Aparelho Digestivo, Foz do Iguaçu, PR - de 08 a 12 de outubro de 2000. 3.8.1.81 APRESENTADOR DO TEMA LIVRE SOBRE RESULTADOS DOS 11 ANOS DE TRATAMENTO DO EDENOCARCINOMA GÁSTRICO PELO GRUPO DE CIRURGIA DO ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO DO HCPA, IV Semana do Aparelho Digestivo, Foz do Iguaçu, PR - de 08 a 12 de outubro de 2000. 3.8.1.82 APRESENTADOR DO TEMA LIVRE SOBRE ADENOCARCINOMA DO CÁRDIA: EXPERIÊNCIA DO GRUPO DE CIRURGIA DO ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO DO HCPA, IV Semana do Aparelho Digestivo, Foz do Iguaçu, PR - de 08 a 12 de outubro de 2000. 3.8.1.83 MEMBRO DA MESA-REDONDA CIRURGIA ONCOLÓGICA ESÔFAGOGÁSTRICA SOBRE CARCINOMA EPIDERMÓIDE DE ESÔFAGO: EXPERIÊNCIA DE 12 ANOS

137


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

NO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, I Semana Científica do HUSM, VI Semana Acadêmica da Medicina, I Encontro dos Ex-Médicos Residentes, Santa Maria, RS - de 27 de novembro a 1º de dezembro de 2000. 3.8.1.84 PALESTRANTE NO GRAND ROUND DOENÇAS DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO: DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO, Porto Alegre, RS - 13 de junho de 2001. 3.8.1.85 PARTICIPANTE DA SESSÃO INTERATIVA SOBRE CASOS DE REFLUXO GASTROESOFÁGICO, IX GASTROSUL, III Encontro de Ex-Residentes dos Serviços de Gatroenterologia, Endoscopia Digestiva e Cirurgia Geral do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 14 e 15 de junho 2001. 3.8.1.86 PARTICIPANTE DO CONSENSO 3: QUAL A CONDUTA ATUAL DO ESÔFAGO DE BARRETT?, XXIV Congresso Brasileiro de Cirurgia, São Paulo, SP - de 08 a 12 de julho de 2001. 3.8.1.87 INTEGRANTE DO CURSO 5: CIRURGIA MINIMAMENTE INVASIVA, MR DO MÓDULO 3 – VIDEOCIRURGIA E CÂNCER - LINFADENECTOMIA MEDIASTINAL, XXIV Congresso Brasileiro de Cirurgia, São Paulo, SP - de 08 a 12 de julho de 2001. 3.8.1.88 APRESENTADOR NA SESSÃO DE PÔSTER ESÔFAGO SOBRE ACALÁSIA ESOFÁGICA: A EXPERIÊNCIA DO GRUPO DE CIRURGIA DE ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO DO HCPA EM 12 ANOS, XXIV Congresso Brasileiro de Cirurgia, São Paulo, SP - de 08 a 12 de julho de 2001. 3.8.1.89 APRESENTADOR NA SESSÃO DE PÔSTER ESÔFAGO SOBRE ANÁLISE DA EVOLUÇÃO DOS RESULTADOS CIRÚRGICOS PÓS-ESOFAGECTOMIA DO GRUPO DE CIRURGIA DE ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO DO HCPA EM 13 ANOS, XXIV Congresso Brasileiro de Cirurgia, São Paulo, SP - de 08 a 12 de julho de 2001. 3.8.1.90 PARTICIPANTE DA MESA-REDONDA SOBRE REFLUXO GASTROESOFÁGICO – TRATAMENTO CIRÚRGICO, Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre, RS - 03 e 04 de agosto de 2001. 3.8.1.91 PALESTRANTE E COMENTARISTA DA MESA-REDONDA DOENÇAS MOTORAS DO ESÔFAGO SOBRE RESULTADOS DO TRATAMENTO CIRÚRGICO, IV Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 10 a 12 de setembro 2001. 3.8.1.92 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA IV SEMANA GAÚCHA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Influência da morfina na carcinogênese esofágica induzida pela dietiltrosamina em ratos – resultados preliminares. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 10 a 12 de setembro de 2001. 3.8.1.93 MESA-REDONDA REFLUXO GASTROESOFÁGICO SOBRE TRATAMENTO CIRÚRGICO DO RGE, I Jornada de Disfagia do Hospital Moinhos de Vento, Porto Alegre, RS - 12 e 13 de abril de 2002.

3.8.1.94 CONFERENCISTA SOBRE NEOPLASIA DE ESÔFAGO E MESA-REDONDA

138


4 Geração de Conhecimento DRGE SOBRE ABORDAGEM CIRÚRGICA, Federação Brasileira de Gastroenterologia, Departamento de Gastroenterologia da Associação Médica Brasileira, Porto Alegre, RS - 22 e 23 de março de 2002. 3.8.1.95 MESA-REDONDA SOBRE COMO EVITAR AS COMPLICAÇÕES DO TRATAMENTO DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO POR VIA LAPAROSCÓPICA, GASTRÃO 2003, XII Curso Internacional de Endoscopia Digestiva, XXX Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo HC-FMUSP, São Paulo, SP - de 02 a 04 de julho de 2003. 3.8.1.96 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO XV SALÃO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA, Intitulado: Transplante hepático adulto: casuística do Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Co-autor. Porto Alegre, RS - de 24 a 28 de novembro de 2003. 3.8.1.97 PALESTRANTE SOBRE TRATAMENTO CIRÚRGICO DO CÂNCER ESOFÁGICO, Fundação Riograndense Universitária de Gastroenterologia, Porto Alegre, RS - 22 de maio de 2003. 3.8.1.98 PALESTRANTE SOBRE QUANDO INDICAR FUNDOPLICATURA PARCIAL?, VIII Curso Avançado de Cirurgia Videolaparoscópica de Santa Maria, Encontro de Ex-Residentes em Comemoração aos 20 Anos de Residência Médica em Cirurgia da UFSM, Santa Maria, RS - 16 e 17 de abril de 2004. 3.8.1.99 PALESTRANTE SOBRE CARCINOMA EPIDERMÓIDE DE ESÔFAGO. A CIRURGIA AINDA É A MELHOR PALIAÇÃO?, VIII Curso Avançado de Cirurgia Videolaparoscópica de Santa Maria, Encontro de Ex-Residentes em Comemoração aos 20 Anos de Residência Médica em Cirurgia da UFSM, Santa Maria, RS - 16 e 17 de abril de 2004. 3.8.1.100 PALESTRANTE SOBRE CÂNCER PRECOCE DE ESÔFAGO: CIRURGIA? (SIM), VI Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XXVIII Congresso Brasileiro de Gastroeneterologia, XIV Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, XI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, IV Congresso Brasileiro Enfermagem em Endoscopia Gastrointestinal, Recife, PE de 17 a 21 de outubro de 2004. 3.8.1.101 PALESTRANTE SOBRE AS MANIFESTAÇÕES EXTRA-ESOFÁGICAS DA DRGE: O QUE FAZER?, VI Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XXVIII Congresso Brasileiro de Gastroeneterologia, XIV Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, XI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, IV Congresso Brasileiro Enfermagem em Endoscopia Gastrointestinal, Recife, PE - de 17 a 21 de outubro de 2004. 3.8.1.102 PALESTRANTE NA MESA-REDONDA 11 - CÂNCER DE ESÔFAGO: TRATAMENTO SOBRE ESOFAGECTOMIA E TRANS-MEDIASTINAL, XXVI Congresso Brasileiro de Cirurgia, Rio de Janeiro, RJ - de 05 a 09 de junho de 2005. 3.8.1.103 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO XXVI CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA, Intitulado: Influência da morfina na carcinogênese esofágica e hepática induzida pela dietilnitrosamina em ratos. Co-autor. Rio de Janeiro, RJ - de 05 a 09 de junho de 2005.

139


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.8.1.104 PALESTRANTE SOBRE CARCINOGÊNESE ESOFÁGICA E CARCINOGÊNESE GÁSTRICA, Disciplina Biotério e Modelos de Experimentação em Animais, Porto Alegre, RS - 29 de março de 2006. 3.8.1.105 MESA-REDONDA SOBRE CONDUTA NA SÍNDROME DE MIRIZZI, VII Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, São Paulo, SP - 19 a 23 de novembro de 2006. 3.8.1.106 PALESTRANTE NA MESA-REDONDA SOBRE ESÔFAGO DE BARRET COM DISPLASIA DE BAIXO GRAU. QUAL A MELHOR CONDUTA?, XXVII Congresso Brasileiro de Cirurgia. Belo Horizonte, MG - de 08 a 20 de julho de 2007. 3.8.1.107 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO XXVII CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA, Intitulado: Complicações Pós-Operatórias Precoces e Tardias em Pacientes com Câncer de Esôfago Submetidos à Esofagectomia. Co-autor. Belo Horizonte, MG - de 08 a 12 de julho de 2007. 3.8.1.108 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO XXVII CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA, Intitulado: Resultados Precoces e Tardios de Anastomose Esôfago-Gástrica Cervical nas Esofagectomias por Câncer de Esôfago. Co-autor. Belo Horizonte, MG - de 08 a 12 de julho de 2007. 3.8.1.109 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO XXVII CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA, Intitulado: Sobrevida a Longo Prazo de Pacientes com Câncer de Esôfago Submetidos à Esofagectomia. Co-autor. Belo Horizonte, MG - de 08 a 12 de julho de 2007. 3.8.1.110 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO XXVII CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA, Intitulado: Ressecção Hepática Videolaparoscópica de Hemangioma em Segmento Lateral Esquerdo sem uso de Grampeador Vascular. Co-autor. Belo Horizonte, MG - de 08 a 12 de julho de 2007. 3.8.1.111 PALESTRANTE na I Jornada Riograndina de Cirurgia do Aparelho Digestivo. Rio Grande, RS - de 25 a 28 de outubro de 2007. 3.8.1.112 PALESTRANTE SOBRE THE IMPACTO OF LATE DIAGNOSIS ON SURGICAL OPERABILITY AND RESSECTION, II Internacional Workshop on Cancer of the Esophagus, Porto Alegre, RS - 13 e 14 de março de 2008. 3.8.1.113 PALESTRANTE NA MESA-REDONDA SOBRE ESÔFAGO DE BARRETT - QUAL É O PAPEL DA BILE E SUCO PANCREÁTICO NA GÊNESE DO ESÔFAGO E BARRETT, VIII Semana Brasileira do aparelho Digestivo, Brasília, DF - de 05 a 09 de outubro de 2008. 3.8.1.114 PALESTRANTE SOBRE REFLUXO GASTROESOFÁGICO: NOVAS TENDÊNCIAS EM PATOLOGIAS DO ESÔFAGO, Sociedade de Medicina de São Lourenço do Sul, São Lourenço, RS - 14 de novembro de 2008. 3.8.1.115 PALESTRANTE NA MESA-REDONDA NEOPLASIAS DO TRATO DIGESTÓRIO SUPERIOR SOBRE ESÔFAGO, Simpósio Rio-Grandino de Cirurgia, II Encontro da SOBRACIL Zona Sul, II Jornada Rio-Grandina de Cirurgia do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 06 a 08 de maio de 2010.

140


4 Geração de Conhecimento 3.8.1.116 CONFERENCIASTA SOBRE CIRURGIA DO CARCINOMA DE ESÔFAGO DOS FATORES DE RISCO A NEOADJUVÂNCIA, FAPEGE - Curso da Federação Brasileira de Gastroenterologia, Porto Alegre, RS - 28 e 29 de maio de 2010. 3.8.1.117 CONFERENCIASTA SOBRE CIRURGIA DO REFLUXO GASTRO ESOFÁGICO, COMO PREVENIR COMPLICAÇÕES TRANS E PÓS-OPERATÓRIAS, FAPEGE – Curso da Federação Brasileira de Gastroenterologia, Porto Alegre, RS - 28 e 29 de maio de 2010. 3.8.1.118 PALESTRANTE NA SESSÃO DE ENCERRAMENTO SOBRE MESTRADO PROFISSIONAL ASSOCIADO À RESIDÊNCIA MÉDICA, 30ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 04 a 08 de outubro de 2010. 3.8.1.119 PALESTRANTE SOBRE CÂNCER DE ESÔFAGO – ALGORITMO TERAPÊUTICO, IX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.8.1.120 PALESTRANTE SOBRE HERNIA HIATAL E REOPERAÇÃO, IX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.8.1.121 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA IX SEMANA BRASILEIRA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Fístula Cervical após Esofagectomia: Aspectos Técnicos que Influenciam o Resultado. Co-autor do Pôster. Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.8.1.122 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA IX SEMANA BRASILEIRA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Esofagectomia: Morbi-Mortalidade está Relacionada à Via de Ressecção?. Co-autor do Pôster. Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.8.1.123 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA IX SEMANA BRASILEIRA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Sobrevida Tardia de Pacientes com Carcinoma Epidermóide de Esôfago Submetidos à Esofagectomia. Co-autor do Pôster. Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.8.1.124 PALESTRANTE NA MESA-REDONDA “COMO EU FAÇO ESOFAGECTOMIA”, III Encontro Regional do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Florianópolis, SC - de 20 e 21 de maio de 2011. 3.8.1.125 PALESTRANTE SOBRE ATUALIZAÇÃO EM CÂNCER DE ESÔFAGO, III Encontro Regional do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Florianópolis, SC - de 20 e 21 de maio de 2011. 3.8.1.126 PALESTRANTE SOBRE CÂNCER DE ESÔFAGO, 1ª Jornada Piauiense, Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva – Capítulo Piauí, Teresina, PI - de 29 e 30 de julho de 2011. 3.8.1.127 PALESTRANTE NA MESA-REDONDA “DIAGNÓSTICO PRECOCE E PREVENÇÃO DA NEOPLASIA ESOFÁGICA” SOBRE PERSPECTIVAS FUTURAS NA TERAPÊUTICA DO CÂNCER DE ESOFÁGICO, X Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 19 a 24 de novembro de 2011.

141


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.8.1.128 PALESTRANTE DA SESSÃO MULTIDISCIPLINAR – CÂNCER DE ESÔFAGO, X Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 19 a 24 de novembro de 2011. 3.8.1.129 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA X SEMANA BRASILEIRA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Gasto Energético Basal Medido por Calorimetria Indireta em Pacientes com Carcinoma Epidermóide de Esôfago. Co-autor do Pôster. Porto Alegre, RS - de 19 a 24 de novembro de 2011. 3.8.1.130 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA X SEMANA BRASILEIRA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Sobrevida Global de uma Coorte de Pacientes com Câncer de Esôfago Tratados com Esofagectomia no Hospital de Clínicas de Porto Alegre. Co-autor do Pôster. Porto Alegre, RS - de 19 a 24 de novembro de 2011. 3.8.1.131 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA X SEMANA BRASILEIRA DO APARELHO DIGESTIVO, Intitulado: Análise Multifatorial das Esofagectomias Realizadas no Hospital de Clínicas de Porto Alegre: Experiência de Centro de Atendimento Terciário. Co-autor do Poster. Porto Alegre, RS - de 19 a 24 de novembro de 2011. 3.8.1.132 PALESTRANTE DO TEMA RESIDÊNCIA EM CIRURGIA DIGESTIVA – UMA REALIDADE CONSOLIDADA, 2ª Semana Piauiense, Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva – Capítulo Piauí, Teresina, PI - 15 e 16 de junho de 2012.

3.8.2 No Exterior

3.8.2.1 APRESENTAÇÃO DO POSTER 17 TUMOR INDEX IN CFI MICE INDUCED BY DIETHYLNITROSAMINE (DEN), XVIIIth International Congress of the International Academy of Pathology, 9th World Congress of Academic and Environmental Pathology, Buenos Aires, Argentina de 09 a 14 de setembro de 1990. 3.8.2.2 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO 20th EUROPEAN CONGRESS OF CYTOLOGY, Intitulado: Cytopathological classifications of the esophageal precursor lesions in mice experimental model. Co-autor. Prague, Czechoslovakia - de 23 a 26 de setembro de 1992. 3.8.2.3 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO 4th INTERNATIONAL CONGRESS, Intitulado: A new cytopathological classification of esophageal carcinoma precursor lesions. Experimental model in mice. Co-autor. Paris, França - de 1º a 04 de setembro de 1993. 3.8.2.4 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO SIXTH WORLD CONGRESS OF THE INTERNATIONAL SOCIETY FOR DISEASES OF THE ESOPHAGUS, intitulado: Hot-water effect in the esophageal Carcinogenesis experimental model in mice. Co-autor. Milan, Italy - de 23 a 26 de setembro de 1995. 3.8.2.5 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO SIXTH WORLD CONGRESS OF THE INTERNATIONAL SOCIETY FOR DISEASES OF THE ESOPHAGUS, intitulado: A new

142


4 Geração de Conhecimento cytophatological classification of esophageal carcinoma precursors lesions-experimental model in mice. Co-autor. Milan, Italy - de 23 a 26 de setembro de 1995. 3.8.2.6 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO SIXTH WORLD CONGRESS OF THE INTERNATIONAL SOCIETY FOR DISEASES OF THE ESOPHAGUS, intitulado: Mate-herb effect in esophageal carcinogenesis experimental model. Milan, Italy - de 23 a 26 de setembro de 1995. 3.8.2.7 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO AMERICAN SOCIETY FOR GASTROINTESTINAL ENDOSCOPY, THE SOCIETY FOR SURGERY OF THE ALIMENTARY TRACT, Intitulado: Lugol esophagoscopy discloses occult dysplasia in asymptomatic patients at high risk for squamous cell carcinoma of the esophagus in southern Brazil. Co-autor. San Francisco, United States - de 19 a 22 de maio de 1996. 3.8.2.8 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO IX CONGRESO DE LA SOCIEDAD ESPAÑOLA DE INVESTIGACIONES QUIRÚRGICAS, Intitulado: Acción de la yerba-mate en un modelo experimental de carcinogenesis esofágica. Co-autor. León, Espanha - de 19 a 22 de junho de 1996. 3.8.2.9 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO 97th ANNUAL MEETING OF THE AMERICAN GASTROENTEROLOGICAL ASSOCIATION, intitulado: Population screening for precursor lesions and early squamous cell cancer of the esophagus in southern Brazil: Preliminary results. Co-autor. Washington, United States - de 11 a 14 de maio de 1997. 3.8.2.10 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NA II CONVENÇÃO LATINO-AMERICANA DA ESO, Intitulado: Apoptosis in esophageal carcinoma preoperatively treated by radiation and local injection of picibanil. Co-autor. São Paulo, SP - de 12 a 14 de junho de 1997. 3.8.2.11 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO ESOPHAGUS ’98, VIIth WORLD CONGRESS, intitulado: Influence of gastroduodenal and grastric reflux contents, induced surgically, in the esophagus carcinogenesis: experimental model in Wistar rats. Co-autor. Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.8.2.12 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO ESOPHAGUS ’98, VIIth WORLD CONGRESS, intitulado: Experimental model of esophageal chicken carcinogenesis. Co-autor. Montréal, Canada - de de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.8.2.13 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO ESOPHAGUS ’98, VIIth WORLD CONGRESS, intitulado: High temperature ‘mate’ infusion drinking in a population at risk for squamous cell carcinoma of the esophagus (SCCE) in southern Brazil. Co-autor. Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.8.2.14 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO ESOPHAGUS ’98, VIIth WORLD CONGRESS, intitulado: Risk factors for esophageal cytological atypias. Co-autor. Montréal, Canada de 1º a 04 de setembro de 1998.

143


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.8.2.15 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO ESOPHAGUS ’98, VIIth WORLD CONGRESS, intitulado: Population screening for esophageal cancer in Southern Brazil – Preliminary results. Co-autor. Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.8.2.16 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO ESOPHAGUS ’98, VIIth WORLD CONGRESS, intitulado: Diagnosis of esophageal adenocarcinoma with Chinese cytologic balloon (CCB) – case report. Co-autor. Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.8.2.17 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO ESOPHAGUS ’98, VIIth WORLD CONGRESS, intitulado: Effect of n’nitroso-norcicotine (NNN) and alcoholin di-ethylnittrosamine (DEN) induced esophageal cancer in mice. Co-autor. Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.8.2.18 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO VIIIth World Congress International Society for Disease of the Esophagus, Intitulado: Squamous cell carcinoma of the esophagus: experience in south of Brazil. Co-autor. São Paulo, Brasil - de 05 a 08 de setembro de 2001. 3.8.2.19 APRESENTAÇÃO DA SESSÃO ORAL NO VIIIth World Congress International Society for Disease of the Esophagus, Intitulado: Gerd surgical treatment. Co-autor. São Paulo, Brasil de 05 a 08 de setembro de 2001. 3.8.2.20 APRESENTAÇÃO DE POSTER NO VIIIth World Congress International Society for Disease of the Esophagus, Intitulado: Gerd – Barrett’s esophagus. Co-autor. São Paulo, Brasil - de 05 a 08 de setembro de 2001. 3.8.2.21 CONFERÊNCIA NO UNIVERSITÀ DEGLI STUDI DE MILANO, DIPARTIMENTO DI SCIENZE MEDICO-CHIRURGICHE, Intitulado: Epidemiologia e Patogenesi del Carcinoma Esofageo in Brasile: Prospettive nella Ricerca Clinica. Autor. Milão, Itália - 2008. 3.8.2.22 APRESENTAÇÃO DE TRABALHO NO 11th WORLD CONGRESS OF THE INTERNATIONAL SOCIETY FOR DISEASES OF THE ESOPHAGUS, intitulado: Morphine does not promote esophageal carcinogenesis in rats exposed to diethylnitrosamine. Co-autor. Budapest, Hungary - de 10 a 13 de setembro de 2008. 3.8.2.23 PALESTRANTE SOBRE CIRURGÌA DE LAS METÁSTASIS DEL CÁNCER COLORRECTAL. Simposio Internacional ABORDAJE MULTIDISCIPLIRIO DEL Cáncer Colorretal, Madri, Espanha - 25 e 26 de janeiro de 2012.

144


4 Geração de Conhecimento

3.9 Captação de Recursos Financeiros

3.9.1 Recursos para Projetos

3.9.1.1 FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (FAPERGS), concessão de R$ 500,00 (quinhentos reais) para projeto (Processo no 95/0420.8) - agosto 1995. 3.9.1.2 FUNDAÇÃO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL (FAPERGS), concessão de R$ 24.000,00 (vinte e quatro mil reais) para a aquisição de um sistema de videoendoscopia Pentax. Projeto de extensão: Rastreamento Populacional em Câncer de Esôfago do Rio Grande do Sul, Pró-Reitoria de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul - março de 1993 a dezembro de 1995. 3.9.1.3 HOSPITAL DE CLÍNICA DE PORTO ALEGRE, concessão de R$ 46.124,21 (quarenta e seis mil, cento e vinte e quatro reais e vinte e um centavos) para projetos - 2000 a 2011. 3.9.1.4 MINISTÉRIO DA SAÚDE, INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA), FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS FILHO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FAPERJ), concessão de R$ 57.600,00 (cinquenta e sete mil e seiscentos reais) para o projeto de pesquisa Inflamação associada ao câncer de esôfago - 2007. 3.9.1.5 CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO (CNPq), INSTITUTO NACIONAL DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (INCT) PARA CONTROLE DO CÂNCER E INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER (INCA), auxílio para o desenvolvimento de novas drogas, para pesquisadores mais produtivos e para apoio aos grupos emergentes no valor de R$ 80.000,00 (oitenta mil reais) - 2008. 3.9.1.6 MINISTÉRIO DA SAÚDE, INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA), FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS FILHO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FAPERJ), concessão de R$ 86.400,00 (oitenta e seis mil e quatrocentos reais) para o projeto de pesquisa Alterações moleculares em carcinoma epidermoide de esôfago com potencial de biomarcadores de exposição, diagnóstico e terapêutica - 2009. 3.9.1.7 MINISTÉRIO DA SAÚDE, INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA), FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS FILHO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FAPERJ), concessão de R$ 410.000,00 (quatrocentos e dez mil reais) para o projeto de pesquisa Estudo das alterações moleculares em carcinoma epidermoide de esôfago por ferrametas genômicas e proteômicas - 2010. 3.9.1.8 MINISTÉRIO DA SAÚDE, INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA), FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS FILHO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FAPERJ), concessão de R$ 1.490.000,00 (hum milhão, quatrocentos e noventa mil reais)

145


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

para o projeto de pesquisa Rede para desenvolvimento de marcadores moleculares em neoplasias - 2010. 3.9.1.9 MINISTÉRIO DA SAÚDE, INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER (INCA), FUNDAÇÃO CARLOS CHAGAS FILHO DE AMPARO À PESQUISA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO (FAPERJ), concessão de R$ 110.000,00 (cento e dez mil reais) para o projeto de pesquisa Carcinoma epidermoide de esôfago: susceptibilidade, alterações e marcadores moleculares - 2010.

TOTAL: 2.304.624,21

3.9.2 Recursos para Iniciação Científica

A captação de bolsas de iniciação científica mestrado e doutorado não fazem parte do cálculo da captação global, porque necessitam atualização conforme os seus períodos de concessão. 3.9.2.1 BOLSA DE AUXÍLIO PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, aluno Felipe Puricelli Faccini - de 1º de agosto de 1995 a 31 de julho de 1998. 3.9.2.2 BOLSA DE AUXÍLIO PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, aluna Marcia Edelweiss - de 1º de agosto de 1995 a 31 de julho de 1998. 3.9.2.3 BOLSA DE AUXÍLIO PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, aluno Alexandre Vontobel Padoin - de 1º de setembro de 1998 a 31 de julho de 1999. 3.9.2.4 BOLSA DE AUXÍLIO PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, aluno Guilherme Arend Pesce - de 1º de setembro de 1999 a 31 de julho de 2001. 3.9.2.5 BOLSA DE AUXÍLIO PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, aluno Guilherme Larsen da Cunha - de 1º de abril de 2005 a 31 de dezembro de 2005. 3.9.2.6 BOLSA DE AUXÍLIO PARA DOUTORADO, aluno Cléber Rosito Pinto Kruel - de 13 de abril de 2005 a 15 de dezembro de 2009. 3.9.2.7 BOLSA DE AUXÍLIO PARA MESTRADO, aluna Léa Teresinha Guerra - de 1º de março de 2006 a 06 de maio de 2008. 3.9.2.8 BOLSA DE AUXÍLIO PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, aluno Ricardo Filipe Romani - de 1º de abril de 2007 a 31 de dezembro de 2007 e 1º de abril de 2008 a 31 de julho de 2011. 3.9.2.9 ESTÁGIO PÓS-DOUTORAL, Unità Operative – Chirurgie Generale, Instituti di Ricovero e Cura a Carattere Scientifico – Policlinico San Donato da Università degli Studi di Milano de 1º de julho a 1º de outubro de 2008. 3.9.2.10 BOLSA DE AUXÍLIO PARA MESTRADO, aluna Camila Beltrame Becker - desde 1º de março de 2009. 3.9.2.11 BOLSA DE AUXÍLIO PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, aluno Guilherme Loureiro Fracasso - de 1º de janeiro de 2010 a 31 de dezembro de 2010.

146


4 Geração de Conhecimento 3.9.2.12 BOLSA DE AUXÍLIO PARA MESTRADO, aluno Maurício Cardoso Zulian - de 1º de outubro de 2010 a 15 de agosto de 2011. 3.9.2.13 BOLSA DE AUXÍLIO PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, aluno Marcio Fernandes Chedid - de 1º de agosto de 2010 a 31 de julho de 2012. 3.9.2.14 BOLSA DE AUXÍLIO PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, aluno Matheus Dorneles Fick - de 1º de agosto de 2010 a 31 de julho de 2012. 3.9.2.15 BOLSA DE AUXÍLIO PARA INICIAÇÃO CIENTÍFICA, aluna Juliane Vargas - de 1º de agosto de 2010 a 31 de julho de 2012. 3.9.2.16 BOLSA DE AUXÍLIO PARA MESTRADO, aluna Natália Kirsch Koff - desde 22 de fevereiro de 2011. 3.9.2.17 BOLSA DE AUXÍLIO PARA MESTRADO, aluna Vanessa da Silva Alves - desde 22 de fevereiro de 2011. 3.9.2.18 BOLSA DE AUXÍLIO PARA MESTRADO, aluno Paulo Vitor Campos Fagan – em andamento. 3.9.2.19 BOLSA DE AUXÍLIO PARA MESTRADO, aluna Gabrielle Aguiar Varaschin – em andamento.

3.10 Coordenação e Participação em Grupo de Pesquisas

3.10.1 Coordenação

3.10.1.1 GRUPO DE CIRURGIA DO ESÔFAGO, ESTÔMAGO E INTESTINO DELGADO, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 1993. O grupo é gerador de conhecimento na área clínica e na área experimental. Tem publicado regularmente em periódicos indexados. Atualmente o líder do grupo ocupa a coordenação da comissão de pós-graduação da Faculdade de Medicina da UFRGS e a Vice-Coordenação do Programa de PósGraduação em Cirurgia (mestrado e doutorado) da FAMED/UFRGS. Na linha de pesquisa carcinogênese esofágica experimental foram testados os fatores de risco da neoplasia no Rio Grande do Sul. O que contribuiu para a redução da temperatura da água ingerida no chimarrão. O grupo concorreu ao edital do CNPq em parceria com o grupo de INCA, com um projeto na área de proteômica no câncer de esôfago, tendo recebido R$ 80.000,00. Nos últimos doze meses houve 6 publicações internacionais. O líder do grupo fez um estágio pós-doutoral CAPES no Grupo de Estudos de Doenças do Esôfago da Università degli Studi di Milano com o professor Luigi Bonavina, na área de proteômica e micrometástases do câncer do esôfago.

147


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.10.2 Participação

3.10.2.1 GRUPO DE PESQUISA CLÍNICA EM ONCOLOGIA (GRUPESCO), Faculdade de Medicina, Departamento de Medicina Interna, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2002. O GRUPESCO (Grupo de Pesquisa Clínica em Oncologia) destina-se a condução de estudos clínicos em pacientes com câncer. Trata-se de um grupo interdisciplinar que desenvolve pesquisa clínica original mono-institucional e/ou integrada a outras intituições nacionais ou internacionais. As linhas de pesquisa são desenvolvidas em associação com outros grupos de pesquisa na área do câncer. Os estudos são prospectivos de fase II, fase III ou metanalíticos com enfoque predominantemente diagnóstico e terapêutico. Os estudos incluem a combinação de recursos terapêuticos como cirurgia, quimioterapia e radioterapia. A adequada integração destas três modalidades de tratamento do câncer tem resultado em importante melhora prognóstica das neoplasias mais prevalentes. A utilização da quimioterapia e da radioterapia em caráter adjuvante e neoadjuvante propiciam a ampliação de possibilidades curativas, especialmente em neoplasias localmente avançadas. O uso de novas drogas, avanços no fracionamento da radioterapia, integração destes dois métodos a cirurgias conservadoras ou a preservação de órgão representam algumas das repercussões de maior impacto do trabalho GRUPESCO. Ênfase tem sido dada a novas técnicas que potencialemente reduzem o risco de toxicidade associada ao tratamento oncológico. Dentro de cada uma das linhas de pesquisa GRUPESCO estimula-se a preservação de material biológico para posteriores estudos moleculares na avaliação de fatores preditivos e prognósticos. A utilização deste artifício permite o processamento futuro com novas técnicas em desenvolvimento. Adicionalmente, o GRUPESCO investe em projetos de desenvolvimento aplicados a telemedicina nas áreas de educação, prevenção e assistência clínica aos pacientes com câncer através de sua linha de pesquisa bio-psicosocial. 3.10.2.2 GRUPO DE ESTUDOS E PESQUISAS DO ESÔFAGO (GEPE), Faculdade de Medicina, Programa de Pós-Graduação: Ciências em Gastroenterogia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 2007.

Geração e aplicação de novos conhecimentos no diagnóstico e no tratamento das Doenças do Esôfago.

3.10.3 GRUPO DE ESTUDOS MOLECULARES E CLÍNICOS DO CÂNCER DE ESÔFAGO, Coordenação de Pesquisa, Programa Translacional de Tumores Aerodigestivos, Instituto Nacional de Câncer (INCA), Rio de Janeiro, RJ - 2010. O Grupo é composto por pesquisadores de diferentes áreas e tem por objetivo decifrar biomarcadores moleculares do carcinoma epidemoide de esôfago(CEE)em pacientes brasileiros que possam resultar em medidas preventivas mais eficazes ou beneficiar o tratamento clínico destes pacientes. Este grupo trabalha com modelos experimentais, cultura de células e com amostras de pacientes. Resultados: 1) CYP2ª3, expresso no esôfago, mas não no fígado de ratos, é responsável pelo metabolismo acentuado de nitrosaminas neste tecido, o que contribui para susceptibilidade a indução de tumores(Carcinogenesis, 2001) 2) O esôfago de pacientes brasileiros expressa CYP2ª6 (ortólogo ao CYP2ª3) e CYP2E1, ambos eficientes no metabolismo de nitrosaminas. A expressão ocorre no terço médio e distal, principais locais de aparecimento de CEE. Pacientes franceses apresentam diferenças na expressão de CYP no esôfago, o que sugere que diferentes populações possam apresentar diferentes susceptibilidades a compostos

148


4 Geração de Conhecimento ambientais (Carcinogenesis, 2002). Os níveis elevados de CYP2ª6 no esôfago de brasileiros podem ser causados pela fumaça do cigarro (Braz J Med Biol Res, 2003) 3) O perfil de mutações no gene TP53 em CEE difere entre as regiões do Brasil (Mut Res, 2003) 4) Baixa expressão de p14 e p16 em CEE, mas não da e-caderina, causadas por ação da DNMT3B, responsável pela hipermetilação de suas regiões promotoras(Hum Exp Toxicol, 2006) 5) Fatores de susceptibilidade genética ao CEE identificados pela primeira vez em população ocidental (Carcinogenesis, 2007; Pharmacogenomics, 2008) 6) Análises comparativas moleculares identificaram o camundongo como melhor modelo para estudos de quimioprevenção (Food Chem Toxicol., 2008). 7) Razão para resistência do esôfago de hamster à indução de tumores por nitrosaminas identificada (Toxicol. Lett., 2008). 8) P4erfil mutacional de TP53 de tumores de diferentes localidades do brasil reforça diferente etiologia (Mut. res, 2010).

3.11 Participação como Comentarista, Moderador ou Presidente de Mesa em Evento Científico

3.11.1 Nacional

3.11.1. 1 PROFESSOR DO CURSO CIRURGIA DO APARELHO DIGESTIVO – AULA SOBRE COMO FAÇO RENTEROCÓLICA E COLO COLÔNICA ANASTOMOSE, Congresso Médico Comemorativo do Sesquicentenário da Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 12 a 17 de setembro de 1976. 3.11.1.2 MESA-REDONDA SOBRE TIREOIDEOPATIAS CIRÚRGICAS, Coordenação de Residência de Cirurgia Geral do Hospital de Reumatologia, Porto Alegre, RS - 16 de junho de 1978. 3.11.1.3 PARTICIPANTE DO PAINEL SOBRE CONDUTA DOS LINFONODOS CERVICAIS, Departamento de Cirurgia da Associação Médica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 31 de maio de 1979. 3.11.1.4 CONFERENCISTA, III SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL MOINHOS DE VENTO, Comissão de Controle de Infecção, Porto Alegre, RS - de 19 a 22 de outubro de 1983. 3.11.1.5 APRESENTADOR DA DISCUSSÃO DE CASO FÍSTULA ENTERAL ACTÍNICA E HIPERALIMENTAÇÃO PARENTERAL AMBULATORIAL, Hospital Moinhos de Vento - Porto Alegre, RS - 24 de abril de 1986. 3.11.1.6 MESA-REDONDA SOBRE HÉRNIA DE HIATO ESOFÁGICO, I Encontro de Cirurgia do HCPA, Departamento de Cirurgia, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Colégio Brasileiro de Cirurgiões – Capítulo do RS, Departamento de Cirurgia da Associação Médica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre - de 17 a 19 de maio de 1989. 3.11.1.7 COMENTARISTA DA SESSÃO DE TEMAS LIVRES SOBRE ESÔFAGO, VII Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, VI Fórum de Debates em Cirurgia Geral, Porto Alegre, RS - de 27 a 30 de setembro de 1989.

149


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.11.1.8 MODERADOR DO DEBATE DO FILME HÉRNIA DE HIATO ESOFÁGICO: TRATAMENTO CIRÚRGICO E DEBATEDOR DO FILME TIREOIDECTOMIA SUBTOTAL, II Encontro de Cirurgia, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 25 de maio de 1990. 3.11.1.9 COORDENADOR DE SESSÃO DE TEMAS LIVRES, Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 22 de setembro de 1990. 3.11.1.10 DEBATEDOR NA SESSÃO DE TEMAS LIVRES SOBRE ESÔFAGO, II Congresso Nacional de Cirurgia Experimental, Foz do Iguaçu, PR - de 15 a 18 de setembro de 1991. 3.11.1.11 PRESIDENTE DA SESSÃO DE TEMAS LIVRES SOBRE CICATRIZAÇÃO, II Congresso Nacional de Cirurgia Experimental, Foz do Iguaçu, PR - de 15 a 18 de setembro de 1991. 3.11.1.12 PALESTRANTE NO SIMPÓSIO SOBRE GRANDES TEMAS EM CIRURGIA, INFECÇÕES CIRURGICAS, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 15 de agosto de 1992. 3.11.1.13 COMENTARISTA DA SESSÃO DE VÍDEOS SOBRE CIRURGIA MEGAESÔFAGO, IV Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, X Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, IX Fórum de Debates em Cirurgia Geral, Porto Alegre, RS - de 16 a 18 de setembro de 1992. 3.11.1.14 COORDENADOR DO TEMA REALIDADE DA PESQUISA E ENSINO DE TÉCNICA OPERATÓRIA E CIRURGIA EXPERIMENTAL NO RS, 4º Simpósio de Medicina Experimental do Rio Grande do Sul “Pesquisa Experimental na Graduação Médica”, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 08 a 10 de novembro de 1992. 3.11.1.15 COORDENADOR DO PAINEL MEDICINA EXPERIMENTAL SOBRE PESQUISA NA GRADUAÇÃO, 12ª Semana Científica do HCPA, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 09 a 13 de novembro de 1992. 3.11.1.16 COORDENADOR DA ATIVIDADE DE VÍDEOS LIVRES, I Seminário Nacional de Cirurgia Laparoscópica, Porto Alegre, RS - 23 de março de 1993. 3.11.1.17 COMENTARISTA DO TEMA LIVRE SOBRE EXPERIÊNCIA DE 5 ANOS DE TRATAMENTO CIRÚRGICO DA COMPRESSÃO COSTO-CLAVÍCULAR, II Congresso Médico de Passo Fundo, I Congresso de Enfermagem, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Passo Fundo, RS - 15 de maio de 1993. 3.11.1.18 COMENTARISTA DO TEMA LIVRE SOBRE COLECISTECTOMIA DURANTE A GRAVIDEZ, II Congresso Médico de Passo Fundo, I Congresso de Enfermagem, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Passo Fundo, RS - 15 de maio de 1993. 3.11.1.19 COMENTARISTA DO TEMA LIVRE SOBRE TRATAMENTO ENDOSCÓPICO DE ÚLCERAS GASTRO-DUODENAIS COM SANGRAMENTO ATIVO, II Congresso Médico de

150


4 Geração de Conhecimento Passo Fundo, I Congresso de Enfermagem, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Passo Fundo, RS - 15 de maio de 1993. 3.11.1.20 COMENTARISTA DO TEMA LIVRE SOBRE EFICÁCIA DA INJEÇÃO ENDOSCÓPICA DE ETANOL EM ÚLCERAS GASTRO-DUODENAIS COM VASO VISÍVEL, II Congresso Médico de Passo Fundo, I Congresso de Enfermagem, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Passo Fundo, RS - 15 de maio de 1993. 3.11.1.21 COMENTARISTA DO TEMA LIVRE SOBRE CIRURGIAS DAS VIAS BILIARES – ABORDAGEM ESTATÍSTICAS, I Congresso de Enfermagem, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Passo Fundo, RS - 15 de maio de 1993. 3.11.1.22 COMENTARISTA DO TEMA LIVRE SOBRE TRAUMAS VASCULARES DO SEGMENTO SUB-CLÁVIO-AXILAR, II Congresso Médico de Passo Fundo, I Congresso de Enfermagem, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Passo Fundo, RS - 15 de maio de 1993. 3.11.1.23 COMENTARISTA DO TEMA LIVRE SOBRE EVOLUÇÃO PÓS-OPERATÓRIA DE PACIENTES COM ESTENOSE MITRAL PURA, II Congresso Médico de Passo Fundo, I Congresso de Enfermagem, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Passo Fundo, RS - 15 de maio de 1993. 3.11.1.24 COORDENADOR DO SIMPÓSIO “CÂNCER DE ESÔFAGO”, 1º Gastrosul, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 27 a 29 de maio de 1993. 3.11.1.25 COMENTARISTA DO TEMA SOBRE CIRURGIA ENDOCRINA, XI JACAD Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, X Fórum de Debates Cirurgia Geral, Porto Alegre, RS - de 22 a 24 de setembro de 1993. 3.11.1.26 COORDENADOR DA MESA REDONDA PARTE TEÓRICA COM O TEMA SUTURAS MECÂNICAS EM CIRURGIA DO TUBO DIGESTIVO e parte teórica com o tema CIRURGIA COM SUTURAS EM ANIMAIS, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Capítulo do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 06 de novembro de 1993. 3.11.1.27 COORDENADOR DA COMISSÃO DE SELEÇÃO E APRESENTAÇÃO ORAL DOS TEMAS LIVRES DA ÁREA DE CLÍNICA CIRÚRGICA, 13ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Departamento de Cirurgia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 8 a 12 de novembro de 1993. 3.11.1.28 COMENTARISTA DA SESSÃO DE TEMAS LIVRES SOBRE URGÊNCIAS NÃO TRAUMÁTICAS, IV JOTRAUMA, IV Jornada de Urgências e Trauma do Hospital de Pronto Socorro, I Fórum de Debates em Medicina de Urgência, Porto Alegre, RS - de 13 a 15 de abril de 1994. 3.11.1.29 COMENTARISTA DA SESSÃO DE VÍDEOS LIVRES NO CURSO DE GASTROENTEROLOGIA CIRÚRGICA, IIo Curso de Gastroenterologia Cirúrgica, Io Simpósio de

151


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Cirurgia Digestiva, Porto Alegre, RS - 21 a 23 de abril de 1994. 3.11.1.30 MODERADOR NA ATIVIDADE CARCINOMA AVANÇADO DO ESÔFAGO, 2º GASTROSUL, 2º Simpósio de Atualização em Gastroenterologia, 1º Workshop Internacional em Câncer do Aparelho Digestivo Esôfago, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 02 a 04 de junho de1994. 3.11.1.31 APRESENTADOR DA ATIVIDADE CARCINOMA AVANÇADO DO ESÔFAGO, SOBRE O TEMA AVALIAÇÃO CRÍTICA DO TRATAMENTO PALIATIVO, 2º GASTROSUL, 2º Simpósio de Atualização em Gastroenterologia, 1º Workshop Internacional em Câncer do Aparelho Digestivo Esôfago, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 02 a 04 de junho de1994. 3.11.1.32 COMENTARISTA NA SESSÃO ESPECIAL TORÁCICA, CONTROLE LOCAL DO CÂNCER DE ESÔFAGO, XIII Congresso Brasileiro de Cancerologia, I Congresso de Cancerologia do Hospital Santa Rita, Santa Casa de Misericórdia de Porto Alegre, VI Congresso Sul-Americano de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, IV Congresso Brasileiro de Enfermagem Oncológica, I Congresso Brasileiro de Rede e Ligas Femininas de Combate ao Câncer, VI Encontro Brasileiro de Hospitais e Serviços de Oncologia, Porto Alegre, RS - de 07 a 10 de setembro de 1994. 3.11.1.33 DEBATEDOR CONVIDADO SOBRE ESÔFAGO, XXXIII Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, IX Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XII Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo JACAD, XI Fórum de Debates em Cirurgia Geral, Porto Alegre, RS - 20 a 25 de novembro de 1994. 3.11.1.34 DEBATEDOR DO COLÓQUIO SOBRE FATORES DE RISCO NO CARCINOMA DE ESÔFAGO, XXXIII Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, IX Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XII Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo JACAD, XI Fórum de Debates em Cirurgia Geral, Porto Alegre, RS - 20 a 25 de novembro de 1994. 3.11.1.35 PARTICIPANTE DA SESSÃO DE VÍDEO COMENTADOS - DISSECÇÃO LINFONODAL CELÍACA POR VIDEOLAPAROSCOPIA, XXXIII Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, IX Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VI Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XII Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo JACAD, XI Fórum de Debates em Cirurgia Geral, Porto Alegre, RS - de 20 a 25 de novembro de 1994. 3.11.1.36 PROFESSOR DA 6ª AULA SOBRE EPIDEMIOLOGIA E FATORES DE RISCO NO CÂNCER DE ESÔFAGO, I Curso de Cirurgia Oncológica para o Cirurgião Geral, Associação Médica do Rio Grande do Sul, Sociedade de Cirurgia Geral do Rio Grande do Sul (SOCIGERS), Colégio

152


4 Geração de Conhecimento Brasileiro de Cirurgiões, Porto Alegre, RS - 05 e 06 de maio 1995. 3.11.1.37 PARTICIPANTE NO COLÓQUIO FORMAÇÃO DO ESPECIALISTA EM APARELHO DIGESTIVO: MODELO ATUAL E O DESAFIO DO FUTURO, 3º Gastrosul, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 1º a 03 de junho de 1995. 3.11.1.38 COORDENADOR DA CONFERÊNCIA TERAPÊUTICA FOTODINÂMICA PARA ESÔFAGO E BRÔNQUIOS, XXVI Congresso Brasileiro de Endoscopia Peroral, Encontro de Endoscopia Respiratória e Digestiva do Cone Sul, VII Curso Multidisciplinar de Endoscopia Peroral, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Gramado, RS - 1º a 04 de maio de 1996. 3.11.1.39 COORDENADOR E APRESENTADOR NA SESSÃO DE VÍDEOS SEMIEDITADOS - SOBRE HÉRNIA HIATAL LAPAROSCÓPICA E HÉRNIAS, III Curso Internacional de Cirurgia Laparoscópica, X Curso Teórico-Prático de Cirurgia Laparoscópica Gastrointestinal, Fundação para o Progresso da Cirurgia, São Paulo, SP - de 30 de maio a 02 de junho de 1996. 3.11.1.40 DEBATEDOR DA MESA-REDONDA SOBRE CIRURGIA LAPAROSCÓPICA, III Curso Internacional de Cirurgia Laparoscópica, X Curso Teórico-Prático de Cirurgia Laparoscópica Gastrointestinal, Hospital São Lucas, Fundação para o Progresso da Cirurgia, Porto Alegre, RS - 30 de maio a 02 de junho de 1996. 3.11.1.41 PRESIDENTE DA MESA DE VÍDEOS CONVIDADOS, GASTRÃO - XXIII Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XVIII Curso de Atualização em Gastroenterologia, São Paulo, SP - de 01 a 03 de julho de 1996. 3.11.1.42 APRESENTADOR DO VÍDEO SOBRE HERNIOPLASTIA HIATAL, GASTRÃO - XXIII Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XVIII Curso de Atualização em Gastroenterologia, São Paulo, SP - de 01 a 03 de julho de 1996. 3.11.1.43 COORDENADOR NOS DEBATES SOBRE VÍDEOS COMENTADOS - FÍGADO E VIAS BILIARES, 4º Gastrosul, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clinicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 06 e 07 de junho 1996. 3.11.1.44 DEBATEDOR DA SESSÃO DE DISCUSSÕES DE POTERS, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, XXXIV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, Jornada de Hepatologia, X Congresso Brasieliro de Endoscopia Digestiva, VI Curso Internacional de Cirurgia Laparoscópica, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, 9º Curso Anual de Clínica e Cirurgia do Aparelho Digestivo, II Curso Internacional de Coloproctologia, Goiânia, GO - 30 de novembro de 1996. 3.11.1.45 EXPOSITOR DO SEMINÁRIO COLANGITE AGUDA: DESCOMPRESSÃO POR ENDOSCOPIA, PUNÇÃO OU CIRURGIA?, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia

153


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Digestiva, XXXIV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, Jornada de Hepatologia, X Congresso Brasieliro de Endoscopia Digestiva, VI Curso Internacional de Cirurgia Laparoscópica, VII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, 9 Curso Anual de Clínica e Cirurgia do Aparelho Digestivo, II Curso Internacional de Coloproctologia, Goiânia, GO - 30 de novembro de 1996. 3.11.1.46 COMENTARISTA NA SESSÃO DE VÍDEOS SOBRE ESOFAGECTOMIA VÍDEO ASSISTIDA, Sociedade de Cirurgia Geral do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 07 de dezembro 1996. 3.11.1.47 COORDENADOR DA MESA-REDONDA SOBRE REFLUXO GASTROESOFÁGICO: DIAGNÓSTICO E TRATAMENTO, 5º Gastrosul, II Workshop Internacional de Doença do Esôfago, I Curso de Afecções e Patobiliares do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Faculdade de Medicina, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 05 a 07 de junho de 1997. 3.11.1.48 PARTICIPANTE DO MÓDULO CÂNCER DO ESÔFAGO E DA CÁRDIA APRESENTANDO CÂNCER DE ESÔFAGO: QUAIS OS ASPECTOS EPIDEMIOLÓGICOS MAIS IMPORTANTES? EXISTEM ASPECTOS ESPECÍFICOS PARA O BRASIL?, XXIV Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XIX Curso de Atualização em Gastroenterologia, VI Curso de Cirurgia Laparoscópica, Simpósio Internacional de Doenças do Esôfago, Simpósio Internacional sobre Doenças do Esôfago, São Paulo, SP - 29 de junho a 03 de julho de 1997. 3.11.1.49 COORDENADOR DO COLÓQUIO ENTRE OS PARTICIPANTES DAS MINICONFERÊNCIAS E PLATÉIA, V Curso de Gastroenterologia Cirúrgica, V Encontro do Fígado, Porto Alegre, RS - de 07 a 09 de agosto de 1997. 3.11.1.50 COORDENADOR DA PALESTRA SOBRE CARCINOGÊNESE ESOFÁGICA, IV Jornada de Cirurgia Digestiva do Cone Sul, Santa Maria, RS - de 28 a 30 de agosto de 1997. 3.11.1.51 COORDENADOR DA MESA REDONDA ATUALIZAÇÃO EM ESÔFAGO E COORDENADOR DA PALESTRA SOBRE CARCINOGÊNESE ESOFÁGICA, IV Jornada de Cirurgia Digestiva do Cone Sul, Santa Maria, RS - de 28 a 30 de agosto de 1997. 3.11.1.52 COORDENADOR E CONFERENCISTA SOBRE GASTROENTEROLOGIA E RESULTADO PRELIMINARES EM RASTREAMENTO POPULACIONAL PARA CÂNCER DE ESÔFAGO – PROJETO TAQUARA, 17ª Semana Científica Hospital de Clínicas de Porto Alegre, 4º Congresso de Pesquisa e Desenvolvimento em Saúde, Porto Alegre, RS - 05 de setembro de 1997. 3.11.1.53 MODERADOR DO MÓDULO ESÔFAGO DE BARRET, XV Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, XIV Fórum de Debates em Cirurgia Geral, III Encontro de Cirurgia Digestiva do Mercosul, Porto Alegre, RS - de 12 a 14 de novembro de 1997. 3.11.1.54 PARTICIPANTE DA MESA-REDONDA SOBRE ATUALIZAÇÃO EM ESÔFAGO DE BARRETT – TRATAMENTO CIRÚRGICO, Programa de Atualização Gastro 98 FAPEGE/FBG,

154


4 Geração de Conhecimento Santa Maria, RS - 18 e 19 de setembro de 1998. 3.11.1.55 PARTICIPANTE DA MESA-REDONDA SOBRE CÂNCER EPIDERMÓIDE DO ESÔFAGO – TRATAMENTO CIRÚRGICO AVANÇOS, Programa de Atualização Gastro 98 FAPEGE/ FBG, Santa Maria, RS - 18 e 19 de setembro de 1998. 3.11.1.56 MODERADOR DO CURSO PRÉ-CONGRESSO VIDEOLAPAROSCOPIA – MÓDULO III, XVI Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, VIII Jornada sul Brasileira de Cirurgia, I Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.11.1.57 COORDENADOR DA MESA-REDONDA DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO, XVI Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, VIII Jornada sul Brasileira de Cirurgia, I Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 23 a 25 de setembro de 1998. 3.11.1.58 MODERADOR DA SESSÃO DE TEMAS LIVRE SOBRE ESTÔMAGO, 3ª Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VIII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Congresso Brasileiro de Enfermagem em Gastroenterologia, Endoscopia e Cirurgia do Aparelho Digestivo, Salvador, BA - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.11.1.59 MODERADOR DAMESA-REDONDASOBRE REFLUXO GASTROESOFÁGICO, 3ª Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, XXXV Congresso Brasileiro de Gastroenterologia, XI Congresso Brasileiro de Endoscopia Digestiva, VIII Congresso Nacional do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Congresso Brasileiro de Enfermagem em Gastroenterologia, Endoscopia e Cirurgia do Aparelho Digestivo, Salvador, BA - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.11.1.60 MODERADOR DA MESA-REDONDA DRGE, ESÔFAGO DE BARRETT E ADENOCARCINOMA DO ESÔFAGO. QUAIS AS CAUSAS DO AUMENTO DA PREVALÊNCIA E COMO IMPEDIR SUA PROGRESSÃO, 17º Congresso AMRIGS, Santa Maria, RS - de 17 a 20 de maio de 2000. 3.11.1.61 MODERADOR DA MESA-REDONDA SOBRE ACALACIA DO ESÔFAGO – ASPECTOS CIRÚRGICO, III Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, XVIII JACAD / VI Endogastro, II Seminário de Enfermagem de Cirurgia e Endoscopia do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 19 a 21 de julho de 2000. 3.11.1.62 COORDENADOR DA SESSÃO INTERATIVA SOBRE CASOS DE DISMOTILIDADES ESOFÁGICAS E PARTICIPANTE DA SESSÃO INTERATIVA SOBRE CASOS DE REFLUXO GASTROESOFÁGICO, IX GASTROSUL, III Encontro de Ex-Residentes dos Serviços de Gatroenterologia, Endoscopia Digestiva e Cirurgia Geral do Hospital de Clínicas de Porto Alegre,

155


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Porto Alegre, RS - 14 e 15 de junho 2001. 3.11.1.63 PALESTRANTE, MODERADOR E COMENTARISTA DA MESA-REDONDA DOENÇAS MOTORAS DO ESÔFAGO SOBRE RESULTADOS DO TRATAMENTO CIRÚRGICO, IV Semana Gaúcha do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 10 a 12 de setembro 2001. 3.11.1.64 DEBATEDOR DA MESA REDONDA ETIOLOGIA – CÂNCER GÁSTRICO, I Simpósio de Cirurgia Oncológica, I Jornada de Videocirurgia, III Jornada da Associação Brasileira de Câncer Gástrico, I Encontro dos Ex-Residentes de Cirurgia da Santa Casa, Porto Alegre, RS - 19 e 20 de outubro 2001. 3.11.1.65 PRESIDENTE DA MESA-REDONDA SOBRE HEMORRAGIA DIGESTIVA ALTA – QUANDO E COMO OPERAR?, V Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Rio de Janeiro, RJ - de 18 a 23 de agosto de 2002. 3.11.1.66 DEBATEDOR NA MESA-REDONDA CÂNCER DO ESÔFAGO E DA CÁRDIA SOBRE TRATAMENTO MULTI-MODAL – ANÁLISE CRÍTICA, V Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Rio de Janeiro, RJ - de 18 a 23 de agosto de 2002. 3.11.1.67 MODERADOR MESA-REDONDA SOBRE DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO, XX Jornada de Atualização de Cirurgia de Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - 26 e 27 de setembro de 2002. 3.11.1.68 PRESIDENTE DA MESA-REDONDA SOBRE CÓLON, XX Jornada de Atualização de Cirurgia de Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - 26 e 27 de setembro de 2002. 3.11.1.69 DEBATEDOR DO FÓRUM SOBRE A DISCUSSÃO SOBRE FORMAÇÃO DO CIRURGIÃO GERAL, XX Jornada de Atualização de Cirurgia de Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - 26 e 27 de setembro de 2002. 3.11.1.70 COMENTARISTA DA SESSÃO DE VÍDEO ESÔFAGO, GASTRÃO 2003, São Paulo, SP - de 02 a 04 de julho de 2003. 3.11.1.71 MODERADOR, SECRETÁRIO E DEBATEDOR DO WORKSHOP 4 – ATUALIZAÇÃO EM DRGE, XXV Congresso Brasileiro de Cirurgia, Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de julho de 2003. 3.11.1.72 COORDENADOR E DEBATEDOR DO ENCONTRO COM EXPERTS 4 – TRATAMENTO CIRÚRGICO DAS DOENÇAS MOTORAS DO ESÔFAGO, XXV Congresso Brasileiro de Cirurgia, Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de julho de 2003. 3.11.1.73 MODERADOR SOBRE O TEMA CHEFE DO SERVIÇO DE CIRURGIA GERAL DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE, Videoconferência Internacional – O Papel dos Antinflamatórios no Manejo da Dor Perioperatória – Dr. Scott Reuben, Porto Alegre, RS - 29 de abril de 2004.

3.11.1.74 DISCUTIDOR SOBRE O TEMA TRATAMENTO CIRÚRGICO DA CA DA

156


4 Geração de Conhecimento JUNÇÃO ESÔFAGO-GÁSTRICA, I Workshop em Carcinoma Gástrico, Porto Alegre, RS - 21 e 22 de maio de 2004. 3.11.1.75 MODERADOR DA CONFERÊNCIA TRANSPLANTE DE ÓRGÃOS, II Congresso Gaúcho de Gastroenterologia e Endoscopia, XXI JACAD DA IX Endogastro, XX Fórum de Debates em Cirurgia Geral, I Simpósio de Atualização do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, III Curso de Atualização de Enfermagem em Endoscopia Digestiva, Bento Gonçalves, RS - 24 e 25 de setembro de 2004. 3.11.1.76 DEBATEDOR DA SESSÃO INTERATIVA COM DISCUSSÃO DE CASOS (DRGE), II Congresso Gaúcho de Gastroenterologia e Endoscopia, XXI JACAD DA IX Endogastro, XX Fórum de Debates em Cirurgia Geral, I Simpósio de Atualização do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, III Curso de Atualização de Enfermagem em Endoscopia Digestiva, Bento Gonçalves, RS 24 e 25 de setembro de 2004. 3.11.1.77 COORDENADOR DO CURSO TÓPICOS DE CIRURGIA DIGESTIVA, DIRETRIZES DIAGNÓSTICAS E TERAPÊUTICAS, VI Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Recife, PE - de 17 a 21 de outubro de 2004. 3.11.1.78 DEBATEDOR DO TEMA CONJUNTO INTERATIVO CÂNCER DE ESÔFAGO E ESTÔMAGO, III Congresso Gaúcho de Gastroenterologia e Endoscopia, XXII JACAD, X ENDOGASTRO, XXI Fórum de Debates em Cirurgia Geral, II Simpósio de Atualização do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, I Simpósio de Cirurgia Bariátrica da SBCB/RS, V Curso de Atualização de Enfermagem em Endoscopia Digestiva, Gramado, RS - 1º e 02 de julho de 2005. 3.11.1.79 DISCUTIDOR DO TEMA GIST, II Workshop Câncer de Estômago, Tratamento Curativo, Porto Alegre, RS - 05 e 06 de agosto de 2005. 3.11.1.80 COMENTARISTA NOS SEMINÁRIOS INTEGRADOS DE PESQUISA – GAP15, na apresentação do trabalho da tese de doutorado, do aluno Odery Ramos Junior, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências em Gastroenterologia. Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 29 de setembro de 2005. 3.11.1.81 DEBATEDOR NO 1º SIMPÓSIO SOBRE NEOPLASIAS GÁSTRICAS - 26 de abril de 2006. 3.11.1.82 MODERADOR DA MESA-REDONDA ATUALIZAÇÃO NO TRATAMENTO DO CÂNCER DO ESÔFAGO E DA JUNÇÃO ESÔFAGO-GÁSTRICA, 33º Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo – GASTRÃO 2006, São Paulo, SP - 05 a 07 de julho de 2006. 3.11.1.83 MODERADOR DA SESSÃO INTERATIVA: CONDUTA NAS COMPLICAÇÕES CIRÚRGICAS E ENDOSCÓPICAS, SIMPÓSIO SUL-AMERICANO DO APARELHO DIGESTIVO, IV Congresso Gaúcho de Gastroenterologia e Endoscopia, XXIII JACAD, XI ENDOGASTRO, XXII Fórum de Debates em Cirurgia Geral, III Simpósio de Atualização do Colégio Brasileiro de Cirurgia, II Simpósio de Cirurgia Bariátrica da SBCB/RS, I Jornada de Gastroenterologia Pediátrica, I Congresso

157


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Gaúcho de Hepatologia, I Simpósio Internacional de Transplante Hepático, VI Curso de Atualização de Enfermagem em Endoscopia Digestiva, Bento Gonçalves, RS - 04 e 05 de agosto de 2006. 3.11.1.84 COMENTARISTA NOS SEMINÁRIOS INTEGRADOS DE PESQUISA – GAP15, na apresentação do trabalho da tese de doutorado, do aluno Odery Ramos Junior, Programa de Pós-Graduação em Medicina: Ciências em Gastroenterologia. Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul - 10 de maio de 2007. 3.11.1.85 DEBATEDOR NA MESA-REDONDA SOBRE CÂNCER DO APARELHO DIGESTIVO (ACS), XXVII Congresso Brasileiro de Cirurgia. Belo Horizonte, MG - de 08 a 12 de julho de 2007. 3.11.1.86 COLABORADOR NA SESSÃO DE APRESENTAÇÃO DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO, Área Ciências da Saúde, II Seminário Institucional de Avaliação da PósGraduação da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - de 26 de novembro a 03 de dezembro de 2007. 3.11.1.87 DEBATEDOR NA MESA-REDONDA SOBRE PASSOS TÉCNICOS DA CIRURGIA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO, 35º Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo e Coloproctologia, XVII Curso Internacional de Endoscopia Digestiva Terapêutica – GASTRÃO 2008, São Paulo, SP - de 02 a 04 de julho de 2008. 3.11.1.88 DEBATEDOR DO CURSO PRÉ-CONGRESSO DA CBCD SOBRE CENTRAL SITUAÇÃO CLÍNICO-CIRÚRGICAS DE DIFÍCIL SOLUÇÃO NO APARELHO DIGESTIVO, VIII Semana Brasileira do aparelho Digestivo, Brasília, DF - de 05 a 09 de outubro de 2008. 3.11.1.89 INTEGRANTE DA MESA-REDONDA DIRETRIZES DO TRATAMENTO CIRÚRGICO DA DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO SOBRE RESULTADO DO TRATAMENTO CIRÚRGICO, 36º Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo e Coloproctologia – GASTRÃO 2009, São Paulo, SP - 1º a 03 de julho de 2009. 3.11.1.90 MODERADOR DA MESA-REDONDA BARRET, IV Simpósio Sul- Americano do Aparelho Digestivo, Bento Gonçalves, RS - de 27 a 29 de agosto 2009. 3.11.1.91 DEBATEDOR NO SIMPÓSIO: MODELOS EXPERIMENTAIS CARCINOGÊNESE, IRRADIAÇÃO NO SISTEMA DIGESTÓRIO, TRANSPLANTES, XI Congresso Nacional de Cirurgia Experimental, SOBRADPEC, XXIV Fórum de Pesquisa do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, I Encontro de Programas de Pós-Graduação em Cirurgia, Rio de Janeiro, RJ - de 05 a 09 de outubro de 2009. 3.11.1.92 PRESIDENTE NA CONFERÊNCIA MATRIZ EXTRACELULAR E CICATRIZAÇÃO, XI Congresso Nacional de Cirurgia Experimental, SOBRADPEC, XXIV Fórum de Pesquisa do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, I Encontro de Programas de Pós-Graduação em Cirurgia, Rio de Janeiro, RJ - de 05 a 09 de outubro de 2009.

158


4 Geração de Conhecimento 3.11.1.93 DEBATEDOR SOBRE A IMPORTÂNCIA DA CIRURGIA SEGURA, Hospital Moinhos de Vento, Instituto de Educação e Pesquisa, Porto Alegre, RS - 23 de novembro de 2009. 3.11.1.94 DEBATEDOR SOBRE CIRURGIA DO ESÔFAGO, Encontro do Colégio Brasileiro e Cirurgia Digestiva, XV Congresso Médico Amazônico, Pará, PA - de 25 a 28 de abril de 2010. 3.11.1.95 MODERADOR DA MESA REDONDA CIRURGIA VIDEOLAPAROSCÓPICA, Encontro do Colégio Brasileiro e Cirurgia Digestiva, XV Congresso Médico Amazônico, Pará, PA - de 25 a 28 de abril de 2010. 3.11.1.96 PRESIDENTE do Simpósio do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, V Simpósio Sul-Americano do Aparelho Digestivo, XV Congresso Gaúcho de Gastroenterologia e Endoscopia, XXVII JACAD – Jornada de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, V Congresso Gaucho de Hepatologia, VI Simpósio de Cirurgia Bariátrica, X Curso de Atualização em Enfermagem em Endoscopia Digestiva, XXVI Fórum de Debates em Cirurgia Geral, VII Simpósio de Atualização do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva, III Encontro Sul-Brasileiro de Doenças Inflamatórias Intestinais, II Congresso Gaúcho de Motilidade Digestiva, Gramado, RS - de 20 a 22 de maio 2010. 3.11.1.97 MODERADOR DA MESA-REDONDA SOBRE ADENOCARCINOMA DO ESÔFAGO E JUNÇÃO GASTROESOFÁGICA, 37º Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo e Coloproctologia – GASTRÃO 2010, São Paulo, SP - de 30 de junho a 02 de julho de 2010. 3.11.1.98 MODERADOR NA SESSÃO DE ENCERRAMENTO, 30ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 04 a 08 de outubro de 2010. 3.11.1.99 COORDENADOR NA MESA-REDONDA SOBRE PESQUISA EM CIRURGIA: AVALIAÇÃO E CONSTRUÇÃO DE GRUPOS DE PESQUISA PRODUTIVOS, 30ª Semana Científica do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - de 04 a 08 de outubro de 2010. 3.11.1.100 RELATOR DE REUNIÃO DE ÁREA MEDICINA III SOBRE EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA, CAPTAÇÃO DE RECURSOS E DESAFIO FUTUROS NA MEDICINA III, IV Encontro Nacional de Pós-Graduação na Área de Ciências da Saúde, Bento Gonçalves, RS - de 03 a 05 de novembro de 2010. 3.11.1.101 COORDENADOR NO CURSO PRÉ-CONGRESSO, IX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.11.1.102 PRESIDENTE NA MESA-REDONDA ESÔFAGO – ATUALIZAÇÃO EM DRGE, IX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.11.1.103 PRESIDENTE E MODERADOR SOBRE CONFERÊNCIA NACIONAL: CÂNCER DA JUNÇÃO ESÔFAGO-GÁSTRICA, IX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.11.1.104 PRESIDENTE NA SESSÃO DE CONFERÊNCIA SOBRE A SITUAÇÃO ATUAL DO TRANSPLANTE HEPÁTICO NO BRASIL, Curso Pré-Congresso – CBCD, IX Semana Brasileira

159


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

do Aparelho Digestivo, Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.11.1.105 PRESIDENTE NA SESSÃO DE CONFERÊNCIA SOBRE TUMORES NEUROENDÓCRINOS DO PÂNCREAS: ATUALIZAÇÃO DO TRATAMENTO CIRÚRGICO, Curso Pré-Congresso – CBCD, IX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.11.1.106 PRESIDENTE SESSÃO DE CONFERÊNCIA INTERNACIONAL SOBRE NEW TECHNOLOGIES IN THE TREATMENT OF GERD, Curso Pré-Congresso – CBCD, IX Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010. 3.11.1.107 MODERADOR SOBRE O TEMA NEOPLASIA DO ESÔFAGO, Simpósio Internacional de Câncer do Aparelho Digestivo, Simpósio de Tratamento Integrado do Câncer, Porto Alegre, RS - de 07 a 09 de abril de 2011. 3.11.1.108 MEMBRO DA COMISSÃO DE JULGAMENTO DE TEMAS LIVRES, Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Capítulo de Santa Catarina, III Encontro Regional do Colégio Brasileiro de Cirurgiões, Florianópolis, SC - de 20 e 21 de maio de 2011. 3.11.1.109 MODERADOR DA SESSÃO MULTIDISCIPLINAR – CÂNCER DE ESÔFAGO, X Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 19 a 24 de novembro de 2011. 3.11.1.110 PRESIDENTE DA MESA REDONDA COMPLICAÇÕES EM CIRURGIA DIGESTIVA, X Semana Brasileira do Aparelho Digestivo, Porto Alegre, RS - de 19 a 24 de novembro de 2011. 3.11.1.111 MODERADOR DA MESA REDONDA ASSUNTOS DA ATUALIDADE EM CIRURGIA ESOFÁGICA, Sessão de Cirurgia do Esôfago, 39º Curso de Atualização em Cirurgia do Aparelho Digestivo, Coloproctologia e Transplante de Órgãos do Aparelho Digestivo, São Paulo, SP de 03 a 06 de julho de 2012.

3.11.2 Internacional

3.11.2.1 COMENTARISTA DO POSTER 17 TUMOR INDEX IN CFI MICE INDUCED BY DIETHYLNITROSAMINE (DEN), XVIIIth International Congress of the International Academy of Pathology, 9th World Congress of Academic and Environmental Pathology, Buenos Aires, Argentina de 09 a 14 de setembro de 1990. 3.11.2.2 COMENTARISTA SOBRE CYTOPATHOLOGICAL CLASSIFICATIONS OF THE ESOPHAGEAL PRECURSOR LESIONS IN MICE EXPERIMENTAL MODEL, 20th European Congress of Cytology, Prague, Czechoslovakia - de 23 a 26 de setembro de 1992. 3.11.2.3 COMENTARISTA SOBRE A NEW CYTOPATHOLOGICAL CLASSIFICATION OF ESOPHAGEAL CARCINOMA PRECURSOR LESIONS. EXPERIMENTAL MODEL IN MICE, 4th International Congress, Paris, França - de 1º a 04 de setembro de 1993.

160


4 Geração de Conhecimento 3.11.2.4 COMENTARISTA SOBRE HOT-WATER EFFECT IN THE ESOPHAGEAL CARCINOGENESIS EXPERIMENTAL MODEL IN MICE, Sixth World Congress of the International Society for Diseases of the Esophagus, Milan, Italy - de 23 a 26 de setembro de 1995. 3.11.2.5 COMENTARISTA SOBRE A NEW CYTOPHATOLOGICAL CLASSIFICATION OF ESOPHAGEAL CARCINOMA PRECURSORS LESIONS-EXPERIMENTAL MODEL IN MICE, Sixth World Congress of the International Society for Diseases of the Esophagus, Milan, Italy - de 23 a 26 de setembro de 1995. 3.11.2.6 COMENTARISTA SOBRE MATE-HERB EFFECT IN ESOPHAGEAL CARCINOGENESIS EXPERIMENTAL MODEL, Sixth World Congress of the International Society for Diseases of the Esophagus, Milan, Italy - de 23 a 26 de setembro de 1995. 3.11.2.7 COMENTARISTA SOBRE LUGOL ESOPHAGOSCOPY DISCLOSES OCCULT DYSPLASIA IN ASYMPTOMATIC PATIENTS AT HIGH RISK FOR SQUAMOUS CELL CARCINOMA OF THE ESOPHAGUS IN SOUTHERN BRAZIL, American Society for Gastrointestinal Endoscopy, The Society for Surgery of the Alimentary Tract, San Francisco, United States - de 19 a 22 de maio de 1996. 3.11.2.8 COMENTARISTA SOBRE ACCIÓN DE LA YERBA-MATE EN UN MODELO EXPERIMENTAL DE CARCINOGENESIS ESOFÁGICA, IX Congreso de la Sociedad Española de Investigaciones Quirúrgicas, León, Espanha - de 19 a 22 de junho de 1996. 3.11.2.9 COMENTARISTA SOBRE POPULATION SCREENING FOR PRECURSOR LESIONS AND EARLY SQUAMOUS CELL CANCER OF THE ESOPHAGUS IN SOUTHERN BRAZIL: PRELIMINARY RESULTS, 97th Annual Meeting of the American Gastroenterological Association, Washington, United States - de 11 a 14 de maio de 1997. 3.11.2.10 COMENTARISTA SOBRE APOPTOSIS IN ESOPHAGEAL CARCINOMA PREOPERATIVELY TREATED BY RADIATION AND LOCAL INJECTION OF PICIBANI, II Convenção Latino-Americana da ESO, São Paulo, SP - de 12 a 14 de junho de 1997. 3.11.2.11 COMENTARISTA SOBRE INFLUENCE OF GASTRODUODENAL AND GRASTRIC REFLUX CONTENTS, INDUCED SURGICALLY, IN THE ESOPHAGUS CARCINOGENESIS: EXPERIMENTAL MODEL IN WISTAR RATS, Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.11.2.12 COMENTARISTA SOBRE EXPERIMENTAL MODEL OF ESOPHAGEAL CHICKEN CARCINOGENESIS, Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.11.2.13 COMENTARISTA SOBRE HIGH TEMPERATURE ‘MATE’ INFUSION DRINKING IN A POPULATION AT RISK FOR SQUAMOUS CELL CARCINOMA OF THE ESOPHAGUS (SCCE) IN SOUTHERN BRAZIL, Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a

161


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

04 de setembro de 1998. 3.11.2.14 COMENTARISTA SOBRE RISK FACTORS FOR ESOPHAGEAL CYTOLOGICAL ATYPIAS, Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.11.2.15 COMENTARISTA SOBRE POPULATION SCREENING FOR ESOPHAGEAL CANCER IN SOUTHERN BRAZIL – PRELIMINARY RESULTS, Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.11.2.16 COMENTARISTASOBRE DIAGNOSIS OF ESOPHAGEALADENOCARCINOMA WITH CHINESE CYTOLOGIC BALLOON (CCB) – CASE REPORT, Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.11.2.17 COMENTARISTA SOBRE EFFECT OF N’NITROSO-NORCICOTINE (NNN) AND ALCOHOLIN DI-ETHYLNITTROSAMINE (DEN) INDUCED ESOPHAGEAL CANCER IN MICE, Esophagus ’98, VIIth World Congress, Montréal, Canada - de 1º a 04 de setembro de 1998. 3.11.2.18 COMENTARISTA SOBRE SQUAMOUS CELL CARCINOMA OF THE ESOPHAGUS: EXPERIENCE IN SOUTH OF BRAZIL, VIIIth World Congress International Society for Disease of the Esophagus, São Paulo, Brasil - de 05 a 08 de setembro de 2001. 3.11.2.19 CONFERÊNCIA SOBRE EPIDEMIOLOGIA E PATOGENESI DEL CARCINOMA ESOFAGEO IN BRASILE: PROSPETTIVE NELLA RICERCA CLINICA, Università degli Studi de Milano, Dipartimento di Scienze Medico-Chirurgiche, Milão, Itália - 2008. 3.11.2.20 COMENTARISTA SOBRE MORPHINE DOES NOT PROMOTE ESOPHAGEAL CARCINOGENESIS IN RATS EXPOSED TO DIETHYLNITROSAMINE, 11th World Congress of the International Society for Diseases of the Esophagus, Budapest, Hungary - de 10 a 13 de setembro de 2008. 3.11.2.21 PALESTRANTE SOBRE CIRURGÌA DE LAS METÁSTASIS DEL CÁNCER COLORRECTAL, Simposio Internacional Abordaje Multidisciplirio del Cáncer Colorretal, Madri, Espanha - 25 e 26 de janeiro de 2012.

162


4 Geração de Conhecimento

3.12 ÍNDICE H ISI- WEB of SCIENCE= 7

3.12.1 ISI-Web of Science

3.12.1.1 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; TONETO JÚNIOR, J.; ROSA, A.R.; TONIAZZO, G.P.; FASOLO, G.R.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Delayed cervical anastomosis of the esophagus for esophageal carcinoma. Int Surg, v. 82, p. 56-59, 1997. Citações: 6 ISSN: 0020-8868 3.12.1.2 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; FISCHER, C.A.C.; THOFEHRN, R.; OSVALDT, A.B.; PADOIN, A.V.; PORTINHO, C.P.; KRUEL, C.D.P. Laparoscopic approach to wandering spleen: a case report and an update to the question. Surg Laparoscopy Endoscopy, v. 8, n. 5, p. 363-365, 1998. Citações: 7 ISSN: 1530-4515

163


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.12.1.3 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; WAGNER, J.; BERLIM, G.L.; MÜLLER, M.F.; BECK, P.E.; WEIDLICH, J.; TERUCHKIN, B.; SCHWARZBOLD, A.V.; LEITE, C.S.; TATSCH, M.F.; SAUERESSIG, M; KRUEL, C.D.P.; EDELWEISS, M.I. The Influence of reperitonization on the induction of formation of intraperitoneal adhesions by polypropylene mash prosthesis: An experimental study in rats. Int Surg, v. 83, n. 1, p. 67-68, 1998. Citações: 0 ISSN: 0020-8868 3.12.1.4 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.R.; KOMLOS, F.; KRUEL, C.D.P.; EDELWEISS, M.I. Induction of esophageal carcinogenesis by diethylnitrosamine and assessment of the promoting effect of the ethanol and n-nitrosonornicotine: experimental model in mice. Diseases of the Esophagus, v. 12, n. 2, p. 99-105, 1999. Citações: 8 ISSN: 1120-8694 3.12.1.5 SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; GURSKI, R.R.; XAVIER, R.G.; ILHA, D.O.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Efficacy of computed axial tomography in the evaluation of the involvement of the respiratory tract in patients with scamous cell carcinoma of esophagus. Dis Esophagus, v. 12, n. 3, p. 196-201, 1999. Citações: 1 ISSN: 1120-8694 3.12.1.6 ROSA, A.R.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; BRENTANO, L.; KRUEL, C.D.P. Survival and prognostic factors in patients with resected epidermoid oesophageal carcinoma. Int Surg, v. 84, n. 3, p. 193-198, 1999. Citações: 4 ISSN: 0020-8868 3.12.1.7 MELO, L.L.; KRUEL, C.D.P.; KLIEMANN, L.M.; CAVAZZOLA, L.T.; BOENO, R.L.; SILBER, P.C.; GROSSI, R.S. Influence of the surgically induced gastric and the gastroduodenal content reflux on esophageal carcinogenesis experimental model in Wistar female rats. Diseases of the Esophagus, v. 12, n. 2, p. 106-115, 1999. Citações: 11 ISSN: 1120-8694 3.12.1.8 FREITAG, C.P.F.; BARROS, S.G.S.; KRUEL, C.D.P.; PÜTTEN, A.C.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; DIEHL, A.S.; MEURER, L.; BREYER, H.P.; WOLFF, F.H.; VIDAL, R.M.; ARRUDA, C.A.; LUZ, L.; FAGUNDES, R.B.; PROLLA, J.C. Esophageal dysplasias are detected by endoscopy with Lugol in patients at for squamous cell carcinama in southern Brazil. Diseases of the Esophagus, v. 12, n. 3, p. 191-195, 1999. Citações: 20 ISSN: 1120-8694

164


4 Geração de Conhecimento 3.12.1.9 SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; GUGEL, F.L.; LAZZARON, A.R.; BRENTANO, L.; KRUEL, C.D.P. Alternative surgical treatment for complex enterocutaneous fistula. Int Surg, v. 84, n. 1, p. 29-34, 1999. Citações: 2 ISSN: 0020-8868 3.12.1.10 GODOY, W.; KRUEL, C.D.P.; ALBANO, R.M.; MORAES, E.; PINHO, P.R.; NUNES, R.A.; SAITO, E.H.; HIGA, C.; M. FILHO, I.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; LANG, M.A.; PINTO, L.F. CYP2ª6/2ª7 and CYP2E1 expression in human oesophageal mucosa: regional and inter-individual in expression and relevance to nitrosamine metabolism. Carcinogenesis, v. 23, n. 4, p. 611-616, 2002. Citações: 36 ISSN: 0143-3334 3.12.1.11 ROSA, A.R.P.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; MEURER, L.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Prognostic value of p53 protein expression and vascular endothelial growth factor expression in resected squamous cell carcinoma of the esophagus. Diseases of the Esophagus, v. 16, n. 2, p. 112-118, 2003. Citações: 16 ISSN: 1120-8694 3.12.1.12 GLEISNER, A.L.M.; ARGENTA, R.; PIMENTEL, M.; KRUEL, C.D.P.; SAUERESSIG, M. Infective complications according to duration of antibiotic treatment in acute abdomen. Int J Infect Dis, v. 8, n. 3, p. 155-162, 2004. Citações: 3 ISSN: 1201-9712 3.12.1.13 CHEDID, A.D.; CHEDID, M.F.; KRUEL, C.R.P.; KRUEL, C.D.P. Extended right hepatectomy with total caudate lobe resection and biliary tree resection for a large colorectal liver metastasis involving both the right and left hepatic lobes and the umbilical fissure: a case report. Am Surg, v. 71, n. 5, p. 447-449, 2005. Citações: 1 ISSN: 0003-1348 3.12.1.14 ROSSINI, A.; RAPOZO, D.C.; LIMA, S.C.S.; GUIMARAES, D.P.; FERREIRA, M.A.; TEIXEIRA, R.; KRUEL, C.D.P.; BARROS, S.G.S.; ANDREOLLO, N.A.; ACATAUASSU, R.; MATOS, H.J.; ALBANO, R.M.; PINTO, L.F.R. Polymorphisms of GSTP1 and GSTT1, but not of CYP2ª6, CYP2E1 or GSTM1, modify the risk for esophageal cancer in a Western population. Carcinogenesis, v. 28, p. 2537-2542, 2007. Citações: 18 ISSN: 0143-3334

165


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.12.1.15 SCHMIDT, M.K.; MEURER, L.; VOLKWEIS, B.; EDELWEISS, M.I.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R. c-Myc overexpression is strongly associated with metaplasiadysplasia-adenocarcinoma sequence in the esophagus. Dis Esophagus, v. 20, p. 212-216, 2007. Citações: 3 ISSN: 1120-8694 3.12.1.16 GUERRA L.; ROSA, A.R.; ROMANI R.F.; GURSKI, R.; KRUEL, C.D.P. Serum transferrin and serum prealbumin as markers of response to nutritional support in patients with esophageal cancer. Nutr Hosp, v. 24, n. 2, p. 241-242, 2009. Citações: 1 ISSN: 0212-1611 3.12.1.17 KRUEL. C.R.P.; PINTO, L.F.R.; BLANCO, T.C.M.; BARJA-FIDALGO, T.C.; MELO, L.L.; KRUEL, C.D.P. Evaluation of the heme oxygenase-1 expression in esophagitis and esophageal câncer induced by different reflux experimental models and diethynitrosamine. Acta Cir Bras, v. 25, n. 3, mai./jun., p. 304-310, 2010. Citações: 1 ISSN: 0102-8650 3.12.1.18 LIMA, S.C.S.; HERNANDEZ-VARGAS, H.; SIMÃO, T.; DURAND, G.; KRUEL, C.D.P.; LE CIVEZ-KELM, F.; PINTO, F.R.L.; HERCEG. Z. Identification of a DNA methylome signature of esophageal squamous cell carcinoma and potential epigenetic biomarkers. Epigenetics, v. 6, n. 10, p. 1217-1227, 2011. Citações: 1 ISSN: 1559-2294 3.12.1.19 DE A. SIMÃO, T.; SOUZA-SANTOS, P.T.; DE OLIVEIRA, D.S.L; BERNARDO, V.; LIMA, D.S.L.; RAPOZO, D.C.M.; KRUEL, C.D.P.; ALBANO, R.M. Quantitative evaluation of SPRR3 expression in esophageal squamous cell carcinoma by qPCR and ita potential use as a biomarker. Exp Mol Pathol, v. 91, n. 2, p. 584-589, 2011. Citações: 1 ISSN: 0014-4800

3.12.2 ÍNDICE H SCOPUS = 8

3.12.2. 1 RUBIO, C.; MUNCK-WIKLAND, E.; FAGERBERG, J.; STRANDER, H.; KUYLENSTIERNA, R.; KRUEL, C.D.P. Further studies on the carcinogenic-free interval following exposure in experimental esophageal tumorigenesis. In Vivo, v. 7, n. 1, p. 81-84, 1993. Citações: 2 ISSN: 0258-851X

166


4 Geração de Conhecimento 3.12.2.2 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; TONETO JÚNIOR, J.; ROSA, A.R.; TONIAZZO, G.P.; FASOLO, G.R.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Delayed cervical anastomosis of the esophagus for esophageal carcinoma. Int Surg, v. 82, p. 56-59, 1997. Citações: 5 ISSN: 0020-8868 3.12.2.3 SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; CASTRO, M.A.A.; MADRUGA, G.S.P.; PEDROSO, F.L.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Neoplasms associated with esophageal epidemoid carcinoma. Rev Assoc Med Bras, v. 43, n. 4, p. 335-339, 1997. Citações: 2 ISSN: 0104-4230 3.12.2.4 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; FISCHER, C.A.C.; THOFEHRN, R.; OSVALDT, A.B.; PADOIN, A.V.; PORTINHO, C.P.; KRUEL, C.D.P. Laparoscopic approach to wandering spleen: a case report and an update to the question. Surg Laparoscopy Endoscopy, v. 8, n. 5, p. 363-365, 1998. Citações: 8 ISSN: 1530-4515 3.12.2.5 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; WAGNER, J.; BERLIM, G.L.; MÜLLER, M.F.; BECK, P.E.; WEIDLICH, J.; TERUCHKIN, B.; SCHWARZBOLD, A.V.; LEITE, C.S.; TATSCH, M.F.; SAUERESSIG, M; KRUEL, C.D.P.; EDELWEISS, M.I. The Influence of reperitonization on the induction of formation of intraperitoneal adhesions by polypropylene mash prosthesis: An experimental study in rats. Int Surg, v. 83, n. 1, p. 67-68, 1998. Citações: 8 ISSN: 0020-8868 3.12.2.6 SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; GUGEL, F.L.; LAZZARON, A.R.; BRENTANO, L.; KRUEL, C.D.P. Alternative surgical treatment for complex enterocutaneous fistula. Int Surg, v. 84, n. 1, p. 29-34, 1999. Citações: 5 ISSN: 0020-8868 3.12.2.7 ROSA, A.R.; GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; BRENTANO, L.; KRUEL, C.D.P. Survival and prognostic factors in patients with resected epidermoid oesophageal carcinoma. Int Surg, v. 84, n. 3, p. 193-198, 1999. Citações: 6 ISSN: 0020-8868 3.12.2.8 GURSKI, R.R.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.R.; KOMLOS, F.; KRUEL, C.D.P.; EDELWEISS, M.I. Induction of esophageal carcinogenesis by diethylnitrosamine and assessment of the promoting effect of the ethanol and n-nitrosonornicotine: experimental model in mice. Dis Esophagus,

167


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

v. 12, n. 2, p. 99-105, 1999. Citações: 10 ISSN: 1120-8694 3.12.2.9 MELO, L.L.; KRUEL, C.D.P.; KLIEMANN, L.M.; CAVAZZOLA, L.T.; BOENO, R.L.; SILBER, P.C.; GROSSI, R.S. Influence of the surgically induced gastric and the gastroduodenal content reflux on esophageal carcinogenesis experimental model in Wistar female rats. Dis Esophagus, v. 12, n. 2, p. 106-115, 1999. Citações: 12 ISSN: 1120-8694 3.12.2.10 FREITAG, C.P.F.; BARROS, S.G.S.; KRUEL, C.D.P.; PÜTTEN, A.C.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; DIEHL, A.S.; MEURER, L.; BREYER, H.P.; WOLFF, F.H.; VIDAL, R.M.; ARRUDA, C.A.; LUZ, L.; FAGUNDES, R.B.; PROLLA, J.C. Esophageal dysplasias are detected by endoscopy with Lugol in patients at for squamous cell carcinama in southern Brazil. Dis Esophagus, v. 12, n. 3, p. 191-195, 1999. Citações: 30 ISSN: 1120-8694 3.12.2.11 BARROS, S.G.; VIDAL, R.M.; LUZ, L.P.; GHISOLFI, E.S.; BARLEM, G.G.; KOMLOS, F.; WOLFF, F.H.; BREYER, H.P.; PÜTTEN, A.C.; DIETZ, J.; KRUEL, C.D.P.; GRÜBER, A.C.; PROLLA, J.C. Prevalência de adenocarcinoma do esôfago e da junção esofagogástrica durante 10 anos num centro de referência para câncer do sul do Brasil. Arq Gastroenterol, v. 36, n. 1, p. 32-36, jan./ mar., 1999. Citações: 4 ISSN: 0004-2803 3.12.2.12 SCHIRMER, C.C.; OSVALDT, A.B.; GURSKI, R.R.; XAVIER, R.G.; ILHA, D.O.; KRUEL, C.D.P.; BRENTANO, L. Efficacy of computed axial tomography in the evaluation of the involvement of the respiratory tract in patients with scamous cell carcinoma of esophagus. Dis Esophagus, v. 12, n. 3, p. 196-201, 1999. Citação: 0 ISSN: 1120-8694 3.12.2.13 BARROS, S.G.S.; KRUEL, C.D.P.; GHISOLFI, E.S.; BARLEM, G.; RM, V.; WOLFF, F.H.; LUZ, L.; MAGNO, V.A.; BREYER, H.P.; DIETZ, J.; GRÜBER, A.C.; PROLLA, J.C. High temperature matè infusion drinking in a population at risk for squamous cell carcinoma of the esophagus. Arq Gastroenterol, v. 37, n. 1, p. 25-30, 2000. Citações: 10 ISSN: 0004-2803

168


4 Geração de Conhecimento 3.12.2.14 GODOY, W.; KRUEL, C.D.P.; ALBANO, R.M.; MORAES, E.; PINHO, P.R.; NUNES, R.A.; SAITO, E.H.; HIGA, C.; M. FILHO, I.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; LANG, M.A.; PINTO, L.F. CYP2ª6/2ª7 and CYP2E1 expression in human oesophageal mucosa: regional and inter-individual in expression and relevance to nitrosamine metabolism. Carcinogenesis, v. 23, n. 4, p. 611-616, 2002. Citações: 36 ISSN: 0143-3334 3.12.2.15 ROSA, A.R.P.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; MEURER, L.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Prognostic value of p53 protein expression and vascular endothelial growth factor expression in resected squamous cell carcinoma of the esophagus. Dis Esophagus, v. 16, n. 2, p. 112118, 2003. Citações: 17 ISSN: 1120-8694 3.12.2.16 GLEISNER, A.L.M.; KRUEL, C.D.P.; PIMENTEL, M.; SAUERESSIG, M. Infective complications according to duration of antibiotic treatment in acute abdomen. Int J Infect Dis, v. 8, n. 3, p. 155-162, 2004. Citações: 6 ISSN: 1201-9712 3.12.2.17 CHEDID, A.D.; KRUEL, C.D.P.; KRUEL, C.R.P. Extended right hepatectomy with total caudate lobe resection and biliary tree resection for a large colorectal liver metastasis involving both the right and left hepatic lobes and the umbilical fissure: a case report. Am Surg, v. 71, n. 5, p. 44749, 2005. Citação: 1 ISSN: 0003-1348 3.12.2.18 SCHMIDT, M.K.; MEURER, L.; VOLKWEIS, B.; EDELWEISS, M.I.; SCHIRMER, C.C.; KRUEL, C.D.P.; GURSKI, R. c-Myc overexpression is strongly associated with metaplasiadysplasia-adenocarcinoma sequence in the esophagus. Dis Esophagus, v. 20, p. 212-216, 2007. Citações: 4 ISSN: 1120-8694 3.12.2.19 ROSSINI, A.; RAPOZO, D.C.; LIMA, S.C.S.; GUIMARAES, D.P.; FERREIRA, M.A.; TEIXEIRA, R.; KRUEL, C.D.P.; BARROS, S.G.S.; ANDREOLLO, N.A.; ACATAUASSU, R.; MATOS, H.J.; ALBANO, R.M.; PINTO, L.F.R. Polymorphisms of GSTP1 and GSTT1, but not of CYP2ª6, CYP2E1 or GSTM1, modify the risk for esophageal cancer in a Western population. Carcinogenesis, v. 28, p. 2537-2542, 2007. Citações: 19 ISSN: 0143-3334

169


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.12.2.20 DILLEMBURG, C.F.; KRUEL, C.D.P.; CERSKI, C.T.; EDELWEISS, M.I. Morphine does no promote esophageal carcinogenesis in rats exposed to diethylnitrosamine. Arq Gastroenterol, v. 45, n. 1, p. 87-92, 2008. Citação: 0 ISSN: 0004-2803 3.12.2.21 VELHO, A.V.; HARTMANN, A.; KRUEL, C.D.P. Effect of black tea in diethylnitrosamine-induced esophageal carcinogenesis in mice. Acta Cir Bras, v. 23, p. 329-336, 2008. Citações: 2 ISSN: 0102-8650 3.12.2.22 CANTARELLI, J.C.R; FAGUNDES, R.B.; MEURER, L.; ROCHA, M.P.; NICOLA, A; KRUEL, C.D.P. Immunoreactivity of cytokeratins 7 and 20 in goblet cells and columnar blue cells in patients with endoscopic evidence of Barrett’s esophagus. Arq Gastroenterol, v. 46, n. 2, p. 127-131, abr./jun., 2009. Citações: 3 ISSN: 0004-2803 3.12.2.23 GUERRA L.; ROSA, A.R.; ROMANI R.F.; GURSKI, R.; KRUEL, C.D.P. Serum transferrin and serum prealbumin as markers of response to nutritional support in patients with esophageal cancer. Nutr Hosp, v. 24, n. 2, p. 241-242, 2009. Citação: 1 ISSN: 0212-1611 3.12.2.24 MOLON, V.; KRUEL, C.D.P.; MAIOLI, D.T; CARAN, J.Z; LOVISON, R.C. Evaluation of the analgesic effects of the lumiracoxib compared with placebo in the primeiras 24 first postoperative hours. Rev Col Bras Cir, v. 36, n. 1, p. 3-8, 2009. Citação: 0 ISSN: 0100-6991 3.12.2.25 CAVAZZOLA, L.T.; ROSA, A.R.; SCHIRMER, C.C.; GURSKI, R.R.; TELLES, J.P.B.; MIELKE, F.; MEURER, L.; EDELWEISS, M.I.; KRUEL, C.D.P. Immunohistochemical evaluation for P53 and VEGF (vascular endothelial growth factor) is not prognostic for long term survival in end stage esophageal adenocarcinoma. Rev Col Bras Cir, v. 36, n. 1, p. 24-34, 2009. Citações: 4 ISSN: 0100-6991 3.12.2.26 GREZZANA FILHO, T.J.M.; GABIATTI, G.; KRUEL, C.D.P.; CORSO, C.O.; MENDONCA, T.B. Topic liver hypothermia and ischemic preconditioning. A new model of ischemia and reperfusion in rats. Acta Cir Bras, v. 24, p. 262-266, 2009. Citações: 2 ISSN: 0102-8650

170


4 Geração de Conhecimento 3.12.2.27 KRUEL. C.R.P.; PINTO, L.F.R.; BLANCO, T.C.M.; BARJA-FIDALGO, T.C.; MELO, L.L.; KRUEL, C.D.P. Evaluation of the heme oxygenase-1 expression in esophagitis and esophageal câncer induced by different reflux experimental models and diethynitrosamine. Acta Cir Bras, v. 25, n. 3, mai./jun., 2010. Citação: 2 ISSN: 0102-8650 3.12.2.28 CASTRO JÚNIOR, M.A.M. de; KRUEL, C.D.P.; MEURER, L.; CASTRO, A.P. Immunohistochemical expression of P53 and Ki-67 in dietylnitrosamineinduced carcinoma esophageal: Experimental model. Rev Col Bras Cir, v. 37, n. 2, p. 128-134, 2010. Citação: 0 ISSN: 0100-6991 3.12.2.29 SILVEIRA, M.L. DA; VILHORDO, D.W.; KRUEL, C.D.P. Zenker diverticulum: Surgical versus endoscopic treatment. Rev Col Bras Cir, v. 38, n. 5, p. 343-348, 2011. Citação: 0 ISSN: 0100-6991 3.12.2.30 LIMA, S.C.S.; HERNANDEZ-VARGAS, H.; SIMÃO, T.; DURAND, G.; KRUEL, C.D.P.; LE CIVEZ-KELM, F.; PINTO, F.R.L.; HERCEG. Z. Identification of a DNA methylome signature of esophageal squamous cell carcinoma and potential epigenetic biomarkers. Epigenetics, v. 6, n. 10, p. 1217-1227, 2011. Citação: 1 ISSN: 1559-2294 3.12.2.31 DE A. SIMÃO, T.; SOUZA-SANTOS, P.T.; DE OLIVEIRA, D.S.L; BERNARDO, V.; LIMA, D.S.L.; RAPOZO, D.C.M.; KRUEL, C.D.P.; ALBANO, R.M. Quantitative evaluation of SPRR3 expression in esophageal squamous cell carcinoma by qPCR and ita potential use as a biomarker. Exp Mol Pathol, v. 91, n. 2, p. 584-589, 2011. Citação: 1 ISSN: 0014-4800 3.12.2.32 HERBSTER, S.; FERRARO, C.T.L.; KOFF, N.K.; ROSSINI, A.; KRUEL, C.D.P.; ANDREOLLO, N.A.; RAPOZO, D.C.M.; BLANCO, T.C.M.; DE FARIA, P.A.S., SANTOS, P.T.S.; ALBANO, R.M.; SIMÃO, T.A.; PINTO, L.F.R. HPV infection in Brazilian patients with esophageal squamous cell carcinoma: interpopulational differences, lack of correlation with surrogate markers and clinicopathological parameters. Cancer Letters, 2012. Citações: in Press ISSN: 0304-3835

171


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

3.13 Outros Não Previstos Pelo Departamento

3.13.1 Artigos Publicados

3.13.1.1 CHEDID, A.J.; KRUEL, C.D.P. Choque séptico. Acta Médica, v. 1, p. 113-119, 1977.

3.13.1.2 CONSTANT, S.R.A.; ALVES, J.M.; KRUEL, C.D.P.; SCARAVAGLIONE, L.P. Complicações pós-operatórias imediatas. Acta Médica – HUP ATM 77, v. 1, p. 51-53, 1977. 3.13.1.3 KRUEL, C.D.P. Tumores de esôfago serão alvo de pesquisa. Jornal Panorama, 04 de fevereiro de 1994. 3.13.1.4 KRUEL, C.D.P. Doação. In: MACHADO, M.L. (Org.), et al. Simplesmente Doar. Porto Alegre: Via Vida, 2005, p. 31-32.

3.13.2 Participação em Eventos Científicos no País

3.13.2.1 4º CONGRESSO DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA DO RIO GRANDE DO SUL, Porto Alegre, RS – de 24 a 30 de outubro de 1971. 3.13.2.2 VI CONFERÊNCIA PAN-AMERICANA DE EDUCAÇÃO MÉDICA, XIV CONGRESSO BRASILEIRO DE EDUCAÇÃO MÉDICA, Rio de Janeiro, RJ - de 17 a 19 de novembro de 1976. 3.13.2.3 XV CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA, São Paulo, SP - de 29 de julho a 03 de agosto de 1979. 3.13.2.4 IX CONGRESSO BRASILEIRO DE CANCEROLOGIA, Rio de Janeiro, RJ - de 18 a 23 de novembro de 1979. 3.13.2.5 I JORNADA DOS EX-RESIDENTES DO DEPARTAMENTO DE CIRURGIA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL, Centro de Estudos Enfermaria 30 da Santa Casa, Porto Alegre, RS - de 26 a 29 de novembro de 1981. 3.13.2.6 28º CONGRESSO BRASILEIRO DE GASTROENTEROLOGIA, 4º CONGRESSO BRASILEIRO DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA e 5º CONGRESSO LUSÍADA DE GASTROENTEROLOGIA, São Paulo, SP - de 22 a 26 de agosto de 1982. 3.13.2.7 III SEMANA CIENTÍFICA DO HOSPITAL MOINHOS DE VENTO, Porto Alegre, RS - de 19 a 22 de outubro de 1983.

3.13.2.8 II SEMANA DE TERAPIA INTENSIVA, Porto Alegre, RS - de 27 a 30 de junho de 1984.

3.13.2.9 III SEMANA DE TERAPIA INTENSIVA DO HOSPITAL MOINHOS DE VENTO, Porto Alegre, RS - de 26 a 29 de junho de 1985. 3.13.2.10 XVII CONGRESSO BRASILEIRO DE CIRURGIA, Rio de Janeiro, RJ - de 21 a 26 de julho de 1985.

172


4 Geração de Conhecimento 3.13.2.11 ENCONTRO DE PROFESSORES SOBRE ENSINO MÉDICO, Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, RS - 06 de março de 1986. 3.13.2.12 I SIMPÓSIO DE CIRURGIA EXPERIMENTAL DO RIO GRANDE DO SUL, Porto Alegre, RS - de 10 a 11 de novembro de 1989. 3.13.2.13 CONFERÊNCIA DO DR. SALVADOR ABÍLIO DO HOSPITAL ALBERT PARTICIPOU, São Paulo, SP - 14 de maio de 1987. 3.13.2.14 2º SIMPÓSIO DE MEDICINA EXPERIMENTAL DO RIO GRANDE DO SUL: “ÉTICA NA PESQUISA”, Porto Alegre, RS - de 09 a 10 de novembro de 1990. 3.13.2.15 SEMINÁRIO DE IMPLANTAÇÃO DO PROJETO DE INTEGRAÇÃO DOCENTEASSISTENCIAL NA ÁREA DO CÂNCER, Porto Alegre, RS - de 13 a 15 de novembro de 1990. 3.13.2.16 II ENCONTRO DE CIRURGIA DO HCPA, Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, RS - 26 de maio de 1990. 3.13.2.17 II CONGRESSO BRASILEIRO DE TÉCNICA CIRÚRGICA E CIRURGIA EXPERIMENTAL, Belo Horizonte, MG - de 24 a 27 de maio de 1992. 3.13.2.18 IV SEMINÁRIO DE INTEGRAÇÃO COCENTE-ASSISTENCIAL NAÁREA DO CÂNCER, Departamento de Cirurgia, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Hospital de Clínicas de Porto Alegre – Serviço de Oncologia, Porto Alegre, RS – de 16 a 18 de julho de 1992. 3.13.2.19 I REUNIÃO TÉCNICA DO CONE SUL SOBRE A CULTURA DA ERVA-MATE, Porto Alegre, RS – de 02 a 04 de setembro de 1992. 3.13.2.20 IV CONGRESSO NACIONAL DO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIA DIGESTIVA, X JORNADA DE ATUALIZAÇÃO EM CIRURGIA DO APARELHO DIGESTIVO E IX FÓRUM DE DEBATES EM CIRUGIA GERAL, Porto Alegre, RS - de 16 a 18 de setembro de 1992.

3.13.2.21 3ª FEIRA MUNICIPAL DE SAÚDE, Canela, RS - 13 de abril de 1996.

3.13.2.22 II SEMANA DO APARELHO DIGESTIVO, XXXIV CONGRESSO BRASILEIRO DE GASTROENTEROLOGIA, JORNADA DE HEPATOLOGIA, V CONGRESSO BRASILEIRO DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA, VI CURSO INTERNACIONAL DE CIRURGIA LAPAROSCÓPICA, VII CONGRESSO NACIONAL DO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIA DIGESTIVA, 9º CURSO ANUAL DE CLINICA EM CIRURGIA DO APARELHO DIGESTIVO, II CURSO INTERNACIONAL DE COLOPROCTOLOGIA, Goiânia, GO - de 27 a 30 de novembro de 1996. 3.13.2.23 SEMANA ACADÊMICA DA FACULDADE DE MEDICINA DO CENTRO ACADÊMICO SARMENTO LEITE, Porto Alegre, RS - de 06 a 10 de outubro de 1997. 3.13.2.24 3ª SEMANA DO APARELHO DIGESTIVO, XXXV CONGRESSO BRASILEIRO DE GASTROENTEROLOGIA, XI CONGRESSO BRASILEIRO DE ENDOSCOPIA DIGESTIVA, VIII CONGRESSO NACIONAL DO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIA DIGESTIVA, I

173


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

CONGRESSO BRASILEIRO DE ENFERMAGEM EM GASTROENTEROLOGIA, ENDOSCOPIA E CIRURGIA DO APARELHO DIGESTIVO, Salvador, BA - de 11 a 16 de outubro de 1998. 3.13.2.25 III SEMANA GAÚCHA DO APARELHO DIGESTIVO, XVIII JACAD/VI ENDOGASTRO, II SEMINÁRIO DE ENFERMAGEM EM CIRURGIA E ENDOSCOPIA DO APARELHO DIGESTIVO, Porto Alegre, RS - de 19 a 21 de julho de 2000. 3.13.2.26 IV SEMANA GAÚCHA DO APARELHO DIGESTIVO, Porto Alegre, RS - de 10 a 12 de setembro de 2001. 3.13.2.27 II CONSENSO BRASILEIRO DA DOENÇA DO REFLUXO GASTROESOFÁGICO, São Paulo, SP - 12 de dezembro de 2003. 3.13.2.28 II CONGRESSO GAÚCHO DE GASTROENTEROLOGIA E ENDOSCOPIA, XXI JACAD, IX ENDOGASTRO, XX FÓRUM DE DEBATES EM CIRURGIA GERAL, I SIMPÓSIO DE ATUALIZAÇÃO DO COLÉGIO BRASILEIRO DE CIRURGIA DIGESTIVA, III CURSO DE ATUALIZAÇÃO DE ENFERMAGEM EM ENDOSCOPIA, Bento Gonçalves, RS - de 24 a 25 de outubro de 2004. 3.13.2.29 IX SEMANA BRASILEIRA DO APARELHO DIGESTIVO, Florianópolis, SC - de 21 a 25 de novembro de 2010.

3.13.3 Participação em Eventos Científicos no Exterior

3.13.3.1 10th INTERNATIONAL CONGRESS OF CYTOLOGY, 10e CONGRESS INTERNATIONAL DE CYTOLOGIE, 10 INTERNATIONALER KINGRESS FÜR ZYTOLOGIE, 10º CONGRESO INTERNACIONAL DE CITOLOGIA, Buenos Aires, Argentina - de 14 a 18 de maio de 1989. 3.13.3.2 XVIII INTERNATIONAL CONGRESS OF THE INTERNATIONAL ACADEMY OF PATHOLOGY 9º WORLD CONGRESS OF ACADEMC AND ENVIRONMENTAL PATHOLOGY, Buenos Aires, Argentina - de 09 a 14 de setembro de 1990. 3.13.3.3 20th EUROPEAN CONGRESS OF CYTOLOGY, Prague, Czechoslovakia - de 23 a 26 de setembro de 1992. 3.13.3.4 4th INTERNATIONAL POLYDISCIPLINARY CONGRESS, Paris, France - de 1º a 04 de setembro de 1993. 3.13.3.5 IX CONGRESO DE LA SOCIEDAD ESPAÑOLA DE INVESTIGACIONES QUIRURGICAS, Leon, España - de 19 a 22 de junho de 1996.

3.13.3.6 WORLD 5th CONGRESS, Paris, France - de 03 a 07 de setembro de 1996.

3.13.3.7 VII WORLD CONGRESS INTERNATIONAL SOCIETY FOR DISEASES OF THE ESOPHAGUS, Montreal, Canadá - de 1º a 04 de setembro de 1998.

174


4 Geração de Conhecimento 3.13.3.8 VIII WORLD CONGRESS INTERNATIONAL SOCIETY FOR DISEASES OF THE ESOPHAGUS, Montreal, Canadá - de 05 a 08 de setembro de 2001. 3.13.3.9 11th WORLD CONGRESS OF THE INTERNATIONAL SOCIETY FOR DISEASE OF THE ESOPHAGUS, Budapest, Hungria - 09 de setembro de 2008.

175


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

5 â&#x20AC;&#x201D; Proposta de Trabalho


5 Proposta de Trabalho

O

docente da pós-graduação compartilha suas atividades com a graduação, orienta bolsistas de iniciação científica, discentes de mestrado e doutorado, além da coordenação de disciplinas nos dois níveis. A participação em comissões na Unidade, na universidade, além de temporários cargos de gestão acadêmica, descrevem o universo de comprometimento dessa carreira. Na medicina, e mais específicamente, na cirurgia, essas atividades são acompanhadas de relevante carga horária assistencial, onde a formação senso lato ocupa importante papel. Após essa breve descrição das atividades docentes, cabe ressaltar a importância das viagens a outros centros, onde o docente vê a realidade extramuros, compartilha conhecimentos e retorna ao seu meio, enriquecido de experiências que levam a eventuais ajustes de rota, tanto no ensino, como na pesquisa e na assistência. Diante destas considerações, sobre a atividade docente, me obrigo a uma reflexão. O que eu fiz e o que falta fazer? Procurei atuar em todos os níveis, galgando degrau por degrau e nesse momento, após 40 anos de atividade médica e 38 na docência, me proponho a concorrer ao cargo de professor titular de Cirurgia Geral, nesta universidade, com o sentimento de que muito ainda precisa ser feito. O professor titular nesta universidade deverá ocupar uma liderança acadêmica, conforme as diretrizes do concurso, e exercê-la com o objetivo de gerar conhecimento, formar recursos humanos nos vários níveis, bem como influir na gestão acadêmica. Também deverá promover e desenvolver conhecimentos por meio do ensino e da pesquisa, estendendo a sociedade serviços indissociáveis dessas atividades.

Pesquisa

Com relação a pesquisa entendo que os grandes saltos de qualidade nas instituições superiores de ensino, como já me referi em outros capítulos deste memorial, passam pela geração de conhecimento.

A pesquisa coloca o docente como elo entre a assistência e a bancada.

177


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

Nessa virtuosa corrente temos o aluno de iniciação científica, o residente, que é o elo na pósgraduação senso lato, o discente de pós-graduação senso strito, nos três níveis que são: o mestrado, o doutorado e o pós-doutorado.

1. Incremento da iniciação científica.

Dentro da estrutura de ensino dos departamentos da Faculdade de Medicina ocorre uma interface com a pesquisa, que é a iniciação científica dos alunos de graduação. Esses alunos, além das atividades curriculares, participam ativamente dos projetos de pesquisa coordenados pelos docentes, sendo que os mesmos, na sua imensa maioria, também atuam na pós-graduação senso strito. Os resultados favoráveis decorrentes dessas atividades são comprovados nas estatísticas de desempenho discente. No entanto um número razoável de alunos não participa da iniciação científica e outra parcela de professores não orienta alunos nessa modalidade. Dentro de aproximadamente seis anos o departamento de Cirurgia terá a totalidade de seu quadro funcional composto por doutores. Considerando essa perspectiva, o estímulo para orientação científica, com ou sem bolsa, poderá ser uma realidade na quase totalidade dos docentes com reflexos na formação médica desta escola. 2. Estimular a formação de novas linhas de pesquisa nas áreas de conhecimento dos professores ainda não atuantes, de forma que haja um envolvimento, ativo deles, como coordenadores ou como membros, nos grupos de pesquisa. Também se procurará impulsionar os grupos consolidados, já com forte atuação na pós-graduação de Cirurgia. 3. Encorajar a captação de recursos junto as agências de fomento e a iniciativa privada, bem como solicitar bolsas de produtividade em pesquisa.

Ensino

4. Aumento de carga horária e aprimoramento de técnicas e recursos de ensino.

Houve uma significativa redução de carga horária do departamento de cirurgia para os alunos de graduação. Esta realidade necessita uma intensa ação na gestão do ensino e nos órgãos administrativos para obtenção de uma carga horária compatível com a formação essencial em cirurgia do médico egresso dessa escola. Os recursos se atualizam a cada momento. Pretendo implementar a utilização de modelos gráficos em computador para o ensino da cirurgia, bem como associar o ensino da cirurgia aos modelos anatômicos desenvolvidos no nosso Instituto de Morfologia, restabelecendo a ponte entre o estudo da cirurgia e da anatomia aplicada.

178


5 Proposta de Trabalho

Extensão

5. A educação continuada já é exercida pela nossa faculdade há longo tempo. Fiz parte do grupo dos primeiros professores a receber cirurgiões para esses programas. São programas presenciais envolvendo atividades de acompanhamento clínico. Ainda é incipiente a educação a distância em nossa área. Pretendo estimular a formação de um grupo de consultores do corpo docente para ministrar programas à distância, envolvendo consultoria de casos clínicos e tópicos de clínica cirúrgica das várias áreas de abrangência do departamento. Diante da análise de minhas atividades e das propostas a serem implementadas, aguardo o veredito desta conceituada banca com o sentimento de que tudo o que fiz foi o que eu tinha de melhor a oferecer a minha comunidade e ao meu país.

179


Memorial

Cleber Dario Pinto Kruel

6 â&#x20AC;&#x201D; Linha do Tempo

Faculdade de Medicina

Hospital de ClĂ­nicas de Porto Alegre


6

Memorial Descritivo Cleber Dario Pinto Kruel  

Projeto Gráfico e Editoração - Ronald Souza (Digitalcom.ART)

Memorial Descritivo Cleber Dario Pinto Kruel  

Projeto Gráfico e Editoração - Ronald Souza (Digitalcom.ART)

Advertisement