Page 1

pra você

• ano II • edição 12 • SET OUT 2018 •

atualidade

A gastronomia invadiu a TV g a st r o t o u r

São Paulo: terra de todos os sabores s a b o r b r a si l e i r o

Queijo da Canastra: uma riqueza nacional

primavera chegou a

Leve o frescor, as cores e a beleza da estação para dentro de casa


A


A


Sumário 14

Na casa do chef

28

Joicy Lima prepara um fabuloso bolo “red velvet”

20

Capa

Um almoço de domingo preparado pela jovem Luana Biancardini Araujo

32

4

Nutrição infantil Preparando uma lancheira saudável

Preparando a casa para a primavera

bigl ar

Em família

#pra você


37

Atualidade

46

Programas, séries e especiais gastronômicos na TV

42

Gastro tour São Paulo: terra de todos os sabores

Laticínio

54

O reconhecimento internacional do Queijo da Canastra

50

Saúde à mesa Turbérculos e raízes que fazem bem à saúde

bigl ar

5

#pra você

Arquitetura Inspire-se para ter uma cozinha dos sonhos

58

Pets Cuidados com a saúde dos animais


Editorial

A encantadora primavera

F

lores, cores, aromas e uma sensação de frescor no ar! É a primavera que desabrocha nas ruas, nos jardins e, porque não, também no interior das residências. Nesta edição, nossa matéria de capa é para inspirar. Conversamos com profissionais que entendem tudo de flores e plantas e eles nos deram dicas valiosas para dar um toque natural dentro de casa. Seja em um cômodo, em um cantinho especial ou mesmo na preparação de uma mesa, as flores e as plantas colaboram para que os ambientes tenham mais vida, despertem sensações e alegrem a vida doméstica. Aproveite a estação e deixe a natureza entrar, afinal, um ambiente mais alegre e acolhedor também é sinônimo de qualidade de vida. Luana Biancardini Araújo é uma jovem de apenas 13 anos. Apesar da pouca idade, Luana adora cozinhar. Para celebrar o mês das crianças, convidamos Luana para preparar um almoço de domingo para sua família e amigas. Com a ajuda do pai Rodrigo Araujo, ela mostrou que para fazer bonito na cozinha não tem idade, e sim muita paixão e dedicação. A dica de passeio gastronômico da edição é São Paulo, a cidade que não dorme também é, possivelmente, a cidade com maior diversidade gastronômica do país. Conversamos com pessoas que visitam São Paulo com frequência e eles nos deram muitas sugestões de restaurantes e pratos que são imperdíveis. O queijo da Canastra é hoje um patrimônio culinário do Brasil. Premiado e reconhecido internacionalmente, os produtores da região buscam cada vez mais excelência e qualidade para oferecer aos consumidores um produto único e especial. Entre outros assuntos, ainda destacamos: o boom dos programas gastronômicos na TV e na internet; orientações nutricionais para uma lancheira saudável para as crianças; dicas de arquitetos na hora de projetar uma cozinha dos sonhos; cuidados com a saúde e os hábitos dos pets, entre outros. Uma agradável leitura e um abraço fraterno da

Família BigLar bigl ar

6

#pra você


A revista “≠ pra você” está disponível gratuitamente para tablets e smartphones na App Store e Google Play

Coordenação Geral Genius Publicidade CEO Junior Brasa Atendimento Amanda Rodrigues Hedlaine Barros Produção Gráfica Tassia Nagazawa

Conteúdo, edição e arte Direção Editorial Glauco Piccirillo Redação Adriana Panzini Andressa Boa Sorte Elen Valereto Gabriela Ferigato Lidiane Barros Marcelo Xavier Michelle Monte Mor Priscila Vanti Protásio Morais Direção de Arte Juliano Polotto

Acompanhe

Revisão Bárbara Spigolon Loureiro

Siga o BigLar nas redes sociais e entre em contato conosco!

Impressão e Acabamento Gráfica Print Capa Produção: Cleber Clemente Foto: Wander Lima

supermercadosbiglar

@superbiglar

biglar.com.br

/supermercadosbiglar

/superbiglar

A Revista BigLar não se responsabiliza pelos conceitos emitidos em artigos assinados, bem como pelas informações ou conteúdo dos anúncios publicados. A reprodução total ou parcial do conteúdo desta obra é expressamente proibida sem prévia autorização. A Revista BigLar é produzida pela Goya Conteúdo Editorial.

bigl ar

7

#pra você

Tiragem 10 mil exemplares Para Anunciar marketing@biglar.com.br (65) 99920-5900 (65) 3317-5900


carta do leitor

Lindo, cheiroso e higienizado “Sou cliente BigLar há muito tempo. Eu trabalhava em Várzea Grande e já frequentava a loja e aproveitava para fazer umas comprinhas. Já no Jardim das Américas, desde quando abriu a unidade, passei a frequentá-la. Eu gosto do BigLar porque ele preza pelo diferencial. Os funcionários estão sempre com um sorriso no rosto. Além disso, tudo que precisamos de novidades no ramo alimentício, encontramos lá. O ambiente é lindo, cheiroso e higienizado. Realmente é um supermercado diferenciado!”

Ingrid Schmidt, cliente BigLar há mais de cinco anos

Respeito acima de tudo “A melhor definição que encontro para o Big Lar é respeito. Respeito com o cliente, que encontra sempre uma equipe atenta, disposta, educada, que valoriza o consumidor. Respeito pelo meu gosto e o de outras pessoas, pois lá eu encontro uma grande variedade e qualidade de produtos necessários para minha família. Respeito que me faz ser importante como cidadão e como cliente, fazendo com que eu volte sempre e me sinta especial.”

Marcus Vinícius Bez, cliente BigLar há mais de sete anos

Parte da família “Eu sou cliente do BigLar desde os meus 8 anos de idade, isso em 1988, na unidade Várzea Grande. Tanto eu como minha família continuamos clientes fiéis do BigLar. Eu gosto muito de comprar lá, primeiro por conta da qualidade, sempre tem uma grande variedade de produtos importados. Além disso, o atendimento é simplesmente excepcional. Adoro, adoro o atendimento! É o atendimento que faz o BigLar diferente dos outros supermercados, e posso dizer, que é único. O que eu mais gosto do BigLar é a sensação de segurança de que vou entrar em um supermercado, encontrar o que preciso, ser muito bem-atendida e até mesmo paparicada. Eu adoro, a minha mãe adora, os meus filhos adoram... o BigLar faz parte da nossa família.”

Hérica Castelo Branco, cliente BigLar há mais de 30 anos

bigl ar

8

#pra você


A


P r at e l e i r a — p o r P r is c i l a V a n ti —

P i ta da s d e s a b o r

P

or vezes, a diferença entre uma preparação cotidiana e uma refeição inesquecível se encontra na utilização de temperos. São pitadas que transformam. Além disso, muitas destas especiarias têm o poder de tornar sua alimentação muito mais saudável, como o sal com ervas, que permite a diminuição do uso do sal sem perder o sabor dos alimentos, ou ainda a passata de tomates, que é o puro purê de tomates sem aditivos químicos. Mergulhe de cabeça na seleção de temperos e molhos da Canpez disponível no BigLar e explore todas as possibilidades que estes produtos de alta qualidade podem trazer para sua vida.

Prazer sem risco Ser portador de alergia ou intolerância a determinados alimentos pode trazer frustrações como abdicar aos pequenos prazeres do dia a dia, como por exemplo: apreciar uma bela cerveja. No entanto, o cliente BigLar agora conta com a cerveja sem glúten, Farrapos Malzbier, produzida através de um processo de degradação de enzimas durante a fermentação que a torna segura para celíacos ou sensíveis ao glúten. A Malzbier é uma cerveja escura, leve e com notas de avelã. Já a cerveja Farrapos Pilsen Sem Glúten é leve e refrescante, possuindo paladar idêntico ao das cervejas Pilsen tradicionais, com coloração dourada e amargor moderado. A cerveja Farrapos Sem Glúten é produzida na cidade de Passo Fundo (RS).

D e s c o m pl i c a d o

e marcante

C

onsiderada um presente da região de Bordeaux para o Chile, a uva Carmenère adaptou-se perfeitamente aos solos chilenos. Com um sabor marcante, típico dessa uva, o vinho feito a partir dela possui leves traços de baunilha, café e chocolate decorrentes dos três meses de envelhecimento em barricas de carvalho. O Loma Negra Carmenère, um vinho descomplicado e perfeito para o dia a dia, harmoniza bem com frango, massas, queijos e carnes vermelhas. O Loma Negra foi premiado como melhor produtor chileno pelo International Wine & Spirit Competition (IWSC Trophy) 2012 e melhor produtor chileno pelo AWC 2013 e 2014.

bigl ar

10

#pra você


Cabelos com

movimento

Cabelos de diva

N

exxus chega ao Brasil trazendo produtos inovadores de cuidados para o cabelo. Além de revitalizar e nutrir os fios de dentro para fora, todas as linhas contêm proteína concentrada e ingredientes preciosos que ajudam a restabelecer o equilíbrio perfeito e dar vida e movimento ao cabelo. Fundada em 1979, nos Estados Unidos, por Jheri Redding, Nexxus foi a primeira marca de salão a desenvolver produtos com alta concentração ativa de ingredientes como antioxidantes, proteínas e vitaminas. Até 2015, Nexxus era vendida apenas em salões americanos e é uma marca que lidera as inovações dentro do segmento de cuidados com o cabelo, combinando níveis concentrados de proteína com ingredientes raros, criando fórmulas que restauram profundamente, resultando em cabelos com movimento impecável.

TIGI Bed Head é uma das linhas da marca TIGI que leva inteligência criativa a tudo o que produz na arte de cuidar dos cabelos. Trata-se de uma marca de cabeleireiros para cabeleireiros. De shampoos a tratamentos, passando por finalizadores para penteados incríveis. No Brasil, um dos produtos mais famosos, o After Party, além de promover brilho e maciez aos fios, também tirando o cheiro desagradável de cigarro, deu notoriedade à TIGI. Mas hoje outros produtos da linha Bed Head ganham fama e espaço na lista dos produtos mais vendidos. No BigLar, você encontra diversos produtos da marca, incluindo Bed Head Resurrection, desenvolvido especialmente para cabelos danificados e quebradiços, e o Bed Head For Men, destinado aos homens.

Vegano saudável

A

Vida Veg é uma empresa 100% vegana que fabrica produtos substitutos do leite como iogurtes, queijos e requeijões comercializados em 24 estados do Brasil. A empresa preza por produtos de alta qualidade, saudáveis e deliciosos, respeitando os animais, as pessoas e o planeta, promovendo um consumo responsável e livre de crueldade animal. No BigLar, você encontra produtos da Vida Veg, como: a linha de iogurtes, que são sem leite, zero lactose, sem glúten, zero colesterol, adoçado com stevia, além de ser fonte de cálcio, vitaminas e minerais.

bigl ar

11

#pra você


vitrine

Já Nas

gôndolas — I N S T AGRA M @ su p e r m e r c a d o s b i g l a r —

os produtos mais curt id os na s nossa s rede s so ciais t r a d i ç ã o i ta l i a n a

Belga de raiz

p u r o t o m at e A italiana De Cecco tem mais de um século de história construída pela qualidade. A receita de suas massas são passadas de pai para filho, dando vida à genial receita que, até hoje, faz da De Cecco única e excepcional.

O molho Passata di Pomodoro, da Canpez, é um verdadeiro purê de tomates, feito com frutos maduros e colhidos no ponto certo. Uma excelente escolha para dar sabor às suas melhores receitas italianas.

Chocolate belga é uma delícia! Por isso, não deixe de provar os chocolates da Cachet, preparados com os melhores ingredientes e respeito às tradições belgas, seja na versão extra dark, ou na seleção milky, dark & white.

Crocância saudável

A m o r a o c h o c o l at e

Os bombons Chocolate Belga, da Flormel, adoçam a vida de maneira saudável e prazerosa. Nas versões 54% cacau com creme de avelã whey, ao leite com nibs de cacau e 54% cacau com creme de avelã e nibs de cacau.

S e m d r i bl a r a d i e ta Que tal um snack crocante e saudável em qualquer lugar e a qualquer momento? A Rice Up! produz biscoitos à base de arroz, veganos, sem glúten, fritura, conservantes ou ressaltadores de sabor.

bigl ar

12

#pra você

Conheça o bombom de avelã belga da Haoma: proteico com zero açúcar, recheado com avelã, coberto com chocolate belga, com whey protein isolado e colágeno. Uma opção deliciosa para comer sem a menor culpa.


A


na casa do chef — Por adriana panzini —

Joicy Lima O

momento mais esperado de qualquer comemoração é talentosamente elaborado todos os dias pelas mãos da confeiteira Joicy Lima e sua equipe. De seu Ateliê do Açúcar, saem bolos e doces preparados com esmero e muito cuidado para encher os olhos e o paladar. Com a missão de “realizar os sonhos mais açucarados dos clientes”, como diz o slogan de sua confeitaria, ela preparou para nossos leitores uma das receitas mais celebradas entre os profissionais do ramo e que muita gente com certeza já tentou fazer em casa: o bolo Red Velvet, ou, em tradução livre, “Veludo Vermelho”. Verdadeiro ícone da culinária norte-americana, o Red Velvet curiosamente tem uma origem bastante simples. Durante a Segunda Guerra Mundial, era preparado pelas famílias para driblar o racionamento de alimentos. Na época, o bolo

bigl ar

14

#pra você

era feito com beterraba, que além de ser muito comum por lá, é rica em ferro e açúcares, portanto nutritiva, dando ainda o tom natural avermelhado à massa. “Depois da Guerra, com o sucesso da receita, começaram a substituir a beterraba por corante alimentício, que foi o que usamos na nossa cozinha também, pois obter o tom vermelho, hoje, apenas com os ingredientes naturais, não é mais tão simples, inclusive devido à alteração da cor do cacau comercializado”, explica Joicy. “O cacau de outros tempos era naturalmente mais avermelhado e, combinado com os demais ingredientes mais utilizados originalmente, como vinagre e nata, garantia a cor mais próxima ao tão desejado vermelho que vemos hoje nos bolos que nos enchem os olhos”, completa. Nos últimos anos, a deliciosa e aerada receita se tornou uma das mais procuradas aqui no Brasil, até mesmo para casamentos, inclusive pelas celebridades. Preta Gil é uma das que elegeram a saborosa combinação para marcar seu enlace. Mas os americanos também permanecem fiéis à tradição. Recentemente, o time New England Patriots preparou um Red Velvet gigante, com mais de 500 quilos, para celebrar os 41 anos do jogador Tom Brady, marido da modelo Gisele Bündchen.


Nossa convidada

tas Receivas em i s u l c ex página do nossa

k Faceboo

— w w w . f a c e b o o k . c o m / su p e r b i g l a r —

Que dica daria para quem pretende fazer a receita em casa e surpreender a família? Eu indico usar o corante em gel, ao invés de corante líquido. Ele é mais

concentrado para se obter o tom intenso de vermelho desejado. É facilmente encontrado em lojas de confeitaria, e todos os demais ingredientes você tem à disposição no BigLar, que é nosso fornecedor exclusivo, no Ateliê do Açúcar, do tipo de frutas perfeitas para acompanhar este bolo, como: framboesas, mirtilo e amoras frescas. O BigLar sempre dispõe dessas frutas frescas e de boa qualidade, que são tão delicadas e de difícil acesso em outros lugares.

assista

na casa do chef

Confira a receita completa no Canal BigLar no YouTube e na nossa página no Facebook. A cada edição, você vai encontrar uma receita especialmente preparada por nossos clientes apaixonados pela boa gastronomia.

bigl ar

15

#pra você

Fotos: Wander Lima

Entre tantas receitas irresistíveis, por que escolheu o Red Velvet para nossos leitores? Porque o Red Velvet é simplesmente lindo de se ver, gostoso de comer e poucos sabem fazer. É uma receita que desperta muita curiosidade, devido à cor exuberante que tem e vale muito a pena ser compartilhada.

Joicy Lima atua na área de confeitaria há cerca de 12 anos e comanda, desde 2007, o Ateliê do Açúcar, primeira confeitaria artística de Mato Grosso, apontada pela Veja Comer & Beber Cuiabá 2017/2018 como uma das sete melhores docerias da Capital. Aliou seu talento na arte de confeitar a especializações com profissionais e instituições referenciadas mundialmente no Brasil, na França e na Inglaterra. Anualmente, participa dos grandes congressos internacionais, sempre em busca de atualização e novidades. Em sua loja, localizada na área central de Cuiabá, destacam-se doces finos, bolos verdadeiros e cenográficos e bem-casados produzidos conforme a receita original. “Todo o nosso trabalho é artesanal, fazemos tudo com muito carinho”, destaca Joicy. “Há clientes que só nos dizem o tema que desejam e confiam plenamente em nosso talento e empenho para fazer os doces mais lindos para suas festas, outros querem um exemplo do que nunca foi feito, com uma ideia exclusivamente dele, personalizada, e todos são atendidos com a mesma dedicação, para nós, ser parte da comemoração é uma imensa alegria”, afirma. Para quem não quer passar vontade, mas não tem uma grande festa à vista, as receitas mais famosas dos bolos são vendidas também em versão cupcake, como de doce de leite com nozes, brigadeiro branco com damasco e leite Ninho com Nutella, além do brigadeiro de churros.


i nstag o u r m e t

crème brûlée — I N S T AGRA M @ su p e r m e r c a d o s b i g l a r —

de Furrundu

inspirada na c l á s s i c a r e c e i ta f r a n c e s a ´ e s ta delícia t em um to que regional

anote

ingredientes

• 300 ml de leite integral • 10 gemas peneiradas • 1 kg de Furrundu • 500 ml de creme de leite fresco • 1 fava de baunilha • Açúcar cristal

2

1

4

3

bigl ar

16

#pra você

Modo de preparo: 1. Cortar a fava de baunilha ao meio, retirar as sementes, adicionar ao leite e levar ao fogo, deixar ferver, desligar e adicionar o Furrundu, tampar e deixar esfriar; 2. Em uma vasilha, misturar as gemas e o creme de leite, vagarosamente, para não incorporar ar. Depois do leite frio, adicionar a mistura de gemas ao leite; 3. Dispor em travessas de cerâmica e levar ao forno por aproximadamente 20 minutos, em banho-maria. Resfriar; 4. Polvilhar açúcar cristal por cima e, com o auxílio de um maçarico, queimar o açúcar para fazer uma crosta crocante. Servir.


A


post do chef — ADR I ANA PANZ I N I —

tas Receivas em si exclu página do a noss

k Faceboo

Tambaqui crocante com purê de banana-da-terra e farofa de pimentas

De staq u e de s ab or e s r eg i onais e m de li ci os a har m on ia

bigl ar

18

#pra você


sobre o chef

U

m verdadeiro deleite para o paladar com o melhor do Brasil. Assim é a receita que o chef Marcelo Cotrim reservou para esta edição: Tambaqui crocante com purê de banana-da-terra e farofa de pimentas. Combinando com maestria sabores suaves e picantes, crocância e cremosidade, a preparação reúne ingredientes que representam, com orgulho, produtos naturais da região. “É um prato rico, em que podemos encontrar delícias dos três biomas contemplados no Mato Grosso, englobando a Amazônia, o Cerrado e o Pantanal”, explica Cotrim. “O Tambaqui, peixe de água doce, é originário da Bacia Amazônica, com poucas espinhas e gosto marcante, fica perfeito acompanhado com o purê de banana-da-terra, emulsionado delicadamente com creme de leite, e servido com a farofa, em que se destacam elementos igualmente presentes na culinária local, como a farinha de mandioca, as castanhas e as pimentas”, diz.

Ao gosto do freguês ´ mas com dicas do chef Com tanta diversidade, a receita certamente fará bonito naquela ocasião especial para reunir os amigos e a família, mas Cotrim traz algumas recomendações para quem vai preparar o prato

em casa. “É preciso ficar atento ao ponto certo do peixe, e isso vale para qualquer espécie, não só o Tambaqui, pois cozinhar ou assar em demasia deixa-o seco e fibroso, comprometendo o resultado, a regra aqui é seguir só o mínimo mesmo recomendado”, explica o chef. “Para o purê, é melhor assar a banana-da-terra para melhor consistência nessa forma de servir e, nesse caso, quanto mais madura, melhor”, indica. Para isso, na hora de comprar, prefira as totalmente amarelas, mas que ainda estejam firmes, sem rachaduras ou partes amolecidas.

Com pimenta e sem medo de ser feliz Muita gente tem receio de usar pimenta nas preparações e acabar com um prato excessivamente ardido, colocando a perder todo o trabalho e o equilíbrio correto dos diferentes sabores. Mas nessa receita, o chef Cotrim assegura que os tipos selecionados podem ser utilizados à vontade, sem esse risco. “A pimenta-de-cheiro, além de ser muito fácil de encontrar, pois é cultivada e vendida em todo o país, pode ser considerada das menos ardidas, em compensação, confere um aroma incrível, fazen-

bigl ar

19

#pra você

Cuiabano, formado em Gastronomia, Pós-Graduado em Chef de Cozinha Brasileira, vencedor da 2ª edição do concurso gastronômico Lufada de Peixes , indicado ao Prêmio Nacional Dólmã, como um dos três melhores Chefs de MT, no ano de 2015. Estagiou nos Restaurantes Epice, do Chef Alberto Landgraf, e nos premiadíssimos Mocotó, do Chef Rodrigo Oliveira, Dalva & Dito e D.O.M. Restaurante, do Chef Alex Atala, todos em São Paulo - SP. Foi colunista gastronômico da Folha do Estado, luta pela valorização dos ingredientes e preparações regionais. É o Chef por trás da Cotrim Gastronomia, empresa que trabalha com eventos gastronômicos personalizados, atualmente é consultor gastronômico responsável pelas receitas do Supermercado BigLar e realiza consultorias no Estado de Mato Grosso.

do toda a diferença e incrementando a farofa”, aponta. “E a dedo-de-moça também pode ficar menos picante, é só remover as sementes antes de usar, agregando apenas a casca”. A pimenta-de-cheiro tem um grau de ardência de somente 1.500 a 2.000, na Escala Scoville, enquanto a dedo-de-moça fica entre 5.000 e 15.000. Essa escala foi criada em 1912, por Wilbur Scoville, para justamente determinar quão ardida é a pimenta.

Fotos: Wander Lima

— w w w . f a c e b o o k . c o m / su p e r b i g l a r —


Wander Lima

CA P A

clima primaveril — P o r Li d i a n e B a r r o s —

N a e s t a ç ã o m a i s f lo r i d a d o a n o

´ e sp ecialista s dão di c a s de com o l e va r a s c o r e s e o f r e s c o r d a p r i m av e r a pa r a d e n t r o d e c a s a

bigl ar

20

#pra você


“Com a chegada da primavera, vem a chuva e os dias ficam mais amenos e bonitos. Irremediavelmente, a gente se contagia. A natureza se faz presente e nos sentimos estimulados a vivenciá-la. As flores ficam mais bonitas e a qualidade, excepcional” Cleber Clemente formar o cenário, deixando-a com a cara da estação. As flores invadem os ambientes e inspiram um novo comportamento ao estimular uma interação para lá de benéfica entre o ser humano e a natureza. Arranjos florais,

jardins verticais, muros vivos, hortaliças, temperos e plantas medicinais invadem os espaços. E veja só: as flores aparecem também na comida, para embelezar, serem degustadas e conectar todos os seus sentidos à estação que se descortina.

Flores mais bonitas

Wander Lima

O

despontar da florada dos ipês já dá o primeiro sinal de que a primavera vem chegando, trazendo frescor, aroma e uma explosão de cores, que saltam aos olhos. A vegetação se renova, as plantas florescem colorindo a natureza e até os animais polinizadores ficam mais ativos nessa época. Mas não é só a natureza que dá início à uma revolução. É possível que a primavera exerça também, algum poder sobre nós. Com a exuberância do verde e dos tons únicos e matizes das flores, o ânimo se renova. Ganhamos qualidade de vida e nossas emoções são contagiadas pela alegria da estação. Além de vivenciá-la nas ruas, parques e jardins, dá para levar esse clima para dentro de casa e trans-

bigl ar

21

#pra você

Profissional que assina assessoria de eventos e decoração, Cleber Clemente, já tão habituado a cenários em que as flores são protagonistas, encanta-se ainda mais com o período. “Com a chegada da primavera, vem a chuva e os dias ficam mais amenos e bonitos. Irremediavelmente, a gente se contagia. A natureza se faz presente e nos sentimos estimulados a vivenciá-la. As flores ficam mais bonitas e a qualidade, excepcional”, ressalta. Segundo ele, o momento é ainda mais propício para decorar a casa, já que a durabilidade delas é ainda maior, inclusive as de corte, que estão mais fortes e duram mais. “A gente fortalece nossa relação. É muito mais bacana para decorar a casa. Mesmo que não vá receber visitas ou hóspedes, é importante aproveitar esse momento, para chegar em casa ou acordar com o ânimo renovado. Uma casa com plantas e flores traz uma outra perspectiva. Que seja uma casa pequena, onde você possa colocar uma plantinha na sacada e esse ritual de regá-la ou podá-la, de colocar um vaso novo ou remanejar flores pela casa.” Essas atitudes dão prazer e relaxam, como reforça Cleber.


CA P A

“...No outono, temos a troca de folhagens e na primavera, o renascimento das folhas e principalmente das flores, abundantes nos ipês e árvores do cerrado, mas a primavera é a oportunidade perfeita, pois é quando temos uma quantidade mais significativa de flores disponíveis em mercados ou floriculturas” Karla Krause

“É tal qual um animal de estimação. Você faz um carinho e ela te presenteia com um botão, com flores, fica mais brilhante. É a forma que ela tem de retribuir o carinho.” Cleber dá dicas para quem quer entrar em sintonia com a estação. “Dá para decorar todos os cômodos da casa. É preciso estar atento apenas, para as especificidades de cada flor. Algumas têm a essência muito forte e devem ser evitadas em alguns deles. O lírio, por exemplo, é muito bonito e extremamente perfumado. Se você colocá-lo na cabeceira da cama vai ficar bonito, mas o cheiro forte pode te incomodar. Um lírio ou angélica à mesa, a exemplo, pode interferir no aroma da comida”, alerta. Para ambientes como quarto, banheiro, lavabo e até salas com pouca luminosidade, ele indica orquídeas e vegetações, que duram muito mais. “Sem contar que a orquídea, além de regar pouco, pode passar um tempo por lá

e depois ser levada para o jardim. Daí ela volta a florir e retorna para a casa. Vale apostar também no cultivo de suculentas, que requerem pouquíssimo cuidado, além de árvores que florescem”, aponta. O decorador também sugere que essa relação saudável com as plantas se estenda também ao local de trabalho. “Pessoas que possuem uma rotina muito estressante podem levá-las para lá. E ainda, investir em cursos e frequentar floriculturas para adentrar mais neste universo e renovar os espaços da casa.”

Tendências e acessórios O período é mesmo propício para espalhar arranjos de flores, enfeites florais e vasos bonitos pela casa. A arquiteta Karla Krause divide a mesma opinião: “A primavera traz alegria para o espaço urbano, não só na paisagem, mas especialmente, dentro de casa. Em nossa região temos duas estações muito bem definidas, que é o outono

bigl ar

22

#pra você

e a primavera. No outono, temos a troca de folhagens e na primavera, o renascimento das folhas e principalmente das flores, abundantes nos ipês e árvores do cerrado, mas a primavera é a oportunidade perfeita, pois é quando temos uma quantidade mais significativa de flores disponíveis em mercados ou floriculturas”. Segundo ela, é a hora perfeita de aproveitar. Para tanto, dá dicas que levam em consideração o tamanho das flores, dos vasos e os ambientes em que os arranjos estarão dispostos. “Dá para comprar ou mesmo aproveitar o que há no jardim. O objetivo é deixar a casa mais refrescante, com mais vida e cor. Mas cada espaço requer um tipo de arranjo diferente. No banheiro, a exemplo, um arranjo grande fica desproporcional. Já em uma mesa de centro, na sala de jantar, não pode ser pequeno, a não ser quando for só um detalhe para valorizar mais e atrair os olhares para o centro da mesa”, diz. No quarto, dá para montar uma ikebana, ou colocar um vasinho delicado na cabeceira, ou ainda, no banheiro,


uma única flor para compor. “Na cozinha, flores e frutas podem ficar juntas. Pode até envolver os legumes e outras peças, dá para fazer essa brincadeira, levando-se sempre em conta a função do ambiente e o tamanho dele. Temos que nos basear pela proporcionalidade.” Segundo ela, em vasos maiores dá para utilizar flores agrupadas de uma só espécie ou mix de flores. Dá também para misturar com galho seco. “Há muitas formas de se montar um arranjo. No estilo oriental, a exemplo, aposta-se em menos flores e harmonias das formas, como ocorre com as ikebanas.” Mas se a pedida for gerar um efeito delas se reproduzirem como estão dispostas na natureza, ela dá a dica: “quando você tem um vaso que precisa estar mais fluido, usa-se a mesma altura do cabo da flor para dentro e fora do vaso. Elas ficam mais leves e destacadas”. Para adorná-las ainda mais, há tendências também para os suportes. “No momento, a tendência é usar vasos de murano, não os feitos lá necessariamente, mas o estilo, que é um cristal colorido. Alguns, com mais detalhes possuem pó de ouro. É uma peça mais elaborada e por isso mesmo vão bem com flores de linhas mais retas, mais simples. Só colocando água mesmo fica bem harmônico. Gosto de usar folhagens ou flores mais retas como

copo-de-leite ou antúrios”, indica. Outros que estão em alta são os vasos pequenos, do tipo copinho. Para arranjos mais simples, flores rebuscadas, como cravos, cravíneas e as próprias rosas, flores de linhas mais sinuosas e detalhadas. “De tempos em tempos essa moda vai mudando, acompanho desde a época em que os arranjos eram feitos na base de donzelas e castiçais, mas ainda assim, vira e mexe a gente vê o ‘revival’ desses arranjos.” Segundo Karla, essa tendência floral se estende também às tapeçarias, cortinas e almofadas. “Quem não ama uma decoração com flores? As grandes maisons mundiais, de forma bem consolidada, utilizam o tema tanto na moda como na decoração. Dolce Gabana e Versace usam estampas inspiradas pela primavera. A Maison francesa Christian Lacroix é conhecida e famosa pela estamparia típica da primavera, utilizada praticamente durante o ano todo”, ressalta.

bigl ar

23

#pra você

“As plantas e flores utilizadas nos ambientes influenciam na vida das pessoas. Não só melhoram a qualidade do ar dentro de casa como também, melhoram a saúde, o estado mental e emocional. Refletem até mesmo no aumento da produtividade e na redução de níveis de estresse e ansiedade. Aumenta a autoestima ver uma planta crescer, florescer, frutificar” Luciana Wolf


CA P A

“Jamais deve-se comer flores de viveiros, mesmo sabendo serem comestíveis, bem como ao encontrá-las na rua.”

O pudim de Marcelo Dantas

Rita Vicente

Jardins A paisagista Luciana Wolf destaca que não há apenas uma aprazível mudança estética. “As plantas e flores utilizadas nos ambientes influenciam na vida das pessoas. Não só melhoram a qualidade do ar dentro de casa como também, melhoram a saúde, o estado mental e emocional. Refletem até mesmo no aumento da produtividade e na redução de níveis de estresse e ansiedade. Aumenta a autoestima ver uma planta crescer, florescer, frutificar”, destaca. “Quando a gente trabalha com espécies de flores e frutos comestíveis, a exemplo, atraímos passarinhos e borboletas. O cenário muda”. Segundo ela, o paisagismo se estende também à utilização de plantas que são úteis para nossa vida. “É crescente a criação de espaços gourmet dentro de casa que contam com plantas que utilizamos no preparo da comida. Além das ervas e temperos, as plantas

medicinais ganham cada vez mais espaço para tratar também da nossa saúde. Quem não quer um chazinho à mão de capim-cidreira ou o cheirinho gostoso que exalam a lavanda, o alecrim ou a hortelã? Isso influencia na qualidade de vida. Há plantas que cultivadas em casa, servem até mesmo para espantar bichinhos indesejáveis.” A tendência em transformar a casa em um espaço tem solo fértil na atualidade. Segundo Luciana, os jardins verticais estão virando febre. “Mesmo quem mora em apartamento quer trazer a natureza para dentro de casa, seja com os painéis ou muros verdes. Ajuda a aplacar o calor, manter a qualidade do ar e ainda, reter poluentes”, ressalta. E falando em tendência, o urban jungle é uma saída para trazer o verde para dentro de casa. “São miniflorestas que a gente vai levando para dentro de casa. Com plantas pendentes ou no chão, traz um aspecto mais tropical à residência. Plantas com flor ou não têm sua beleza e utilidade”, arremata.

“Não é qualquer flor e tudo depende da estação. Costumo usar begônias, rosas, violetas, astromélias e a feijão-borboleta, a exemplo” Marcelo Dantas

bigl ar

24

#pra você

Prato de Rita Vicente

comestíveis Flores

É tendência da gastronomia também, decorar pratos ou sobremesas com as flores. Dois entusiastas da culinária têm apostado nisso, caso do estudante Marcelo Dantas que decora verdadeiras joias açucaradas com elas, os seus pudins, e a artesão Rita Vicente, que dá oficinas de culinária baseadas no crudivorismo. Ela ressalta que é preciso estar alerta, pois não são todas as flores que podem ser utilizadas. “Eu cultivo as minhas flores, se tiver que comprar, só as orgânicas. Jamais deve-se comer flores de viveiros, mesmo sabendo serem comestíveis, bem como ao encontrá-las na rua. É preciso ter certeza que é realmente comestível. É preciso falar com alguém que tenha propriedade, ou depois de muita pesquisa. Na dúvida, não coma.” Marcelo Dantas faz o mesmo alerta. “Não é qualquer flor e tudo depende da estação. Costumo usar begônias, rosas, violetas, astromélias e a feijão-borboleta, a exemplo.” Segundo ele, as flores devem ser cultivadas para essa finalidade: orgânicas não podem conter agrotóxicos.


A


sommelier — Por Michelle Monte Mor —

Tannat o vinho que faz bem à saúde V

Originária de Madrian, sudoeste da França, onde são produzidos grandes vinhos com essa varietal, a Tannat apresenta grande concentração de taninos e antocianos. Hoje essa uva é muito cultivada nos países da América Latina, como Chile, Argentina, Uruguai e Brasil. A Tannat é uma uva tinta de forte carga tânica. Ou seja, é rica em taninos. Por isso ela é considerada tão boa para a saúde. É nos taninos que está o resveratrol, um polifenol que age como antioxidante, contra o desenvolvimento de tumores e como redutor do colesterol ruim (LDL). O resveratrol também protege os neurônios e é um potente anti-inflamatório. Com a intensa presença de taninos, os vinhos Tannat combinam a gastronomia típica de inverno e pratos encorpados e condimentados, como churrasco e carnes assadas. Harmoniza também com pato assado, cubos de queijo amarelo (gruyère ou provolone) e presunto cru ou cozido. Aqui no Brasil, a uva Tannat é cultivada nas regiões da Serra Gaúcha e da Campanha Gaúcha.

árias pesquisas já comprovaram que o consumo moderado de vinho tinto faz bem à saúde. De acordo com uma pesquisa realizada pela Queen Mary University of London e publicada na revista Nature, o vinho tinto também consegue reduzir a síntese de Endothelyn 1 (também conhecido como E-1), um peptídeo vasoativo que é crucial para o desenvolvimento da aterosclerose coronária. Já a American Heart Association descobriu que ao ingerir pequenas quantidades diárias de vinho tinto há uma redução de até 30% no risco de infarto e em até 40% na possibilidade de desenvolvimento de diabetes. E a uva Tannat, responsável por colocar o Uruguai no mapa mundial do vinho, é umas das mais benéficas à saúde. A uva dá origem a um vinho de cor profunda, estrutura firme e aroma de frutas negras. Tamanha potência faz com que muitas vezes ele seja usado para corrigir carências de outras castas em rótulos de corte. Esse vinho apresenta bom corpo, muita cor, taninos macios, olfato complexo, encorpado e instigante.

bigl ar

26

#pra você


A


e m fa m í l i a — P o r P r o t á si o M o r a is —

mais que uma brincadeira: Uma aventura

familiar Pa r a c e l e b r a r o m ês d a s c r i a n ç a s n e s ta e d i ç ã o c o n v i d a m o s ´ ´ a L u a n a pa r a p r e pa r a r u m d e l i c i o s o a l m o ç o E m Fa m í l i a

bigl ar

28

#pra você


Fotos: Wander Lima

M

uito mais que uma brincadeira, cozinhar passou a ser uma aventura deliciosa para cozinheiros cada vez mais jovens e habilidosos. E a cozinha, aquele espaço antes quase que exclusivo às mães, hoje, é um ambiente para encontros familiares, trabalho em conjunto e muita diversão. No apartamento onde mora com os pais, Luana Biancardini Araujo, de 13 anos, protagoniza o almoço de domingo. É ela quem orquestra os preparativos para o canelone (receita do paizão Rodrigo) que será servido como prato principal. E é dela a receita original da sobremesa, um curioso mix de creme de avelã, morangos e chantilly. Com auxílio do pai, o analista de sistemas Rodrigo Alexandre Azevedo Araujo, e da mãe, a psicóloga Mariangela Biancardini Araujo, a chef prodígio demonstra muita segurança e criatividade. Especialmente porque são delas também as convidadas para esse almoço especial. As inseparáveis amigas Júlia Kramm e Júlia Viegas também dão uma mãozinha no preparo do molho. E Luana demonstra um incrível senso de liderança, característica marcante dos grandes chefs. Mas para quem pensa que Luana engajou-se na arte da culinária assim tão cedo, graças a essa onda gourmet dos últimos tempos, engana-se. A

menina nasceu com o dom. Era o que afirmava com orgulho a sua saudosa bisavó, dona Elza Fortunato Biancardini, ainda quando Luana era pequenininha. Palavras de quem realmente entende do assunto. Dona Elza foi uma das maiores autoridades no ramo. Simplesmente a primeira banqueteira de Mato Grosso, inclusive, serviu sua comida ao Papa João Paulo II, quando o pontífice esteve em Cuiabá. “Essa paixão pela culinária não surgiu assim do nada, tem uma história linda por trás de tudo. Eu venho de uma família de cozinheiros e cozinheiras, que acorda e dorme gastronomia. E Luana nasceu e

bigl ar

29

#pra você

cresceu nesse ambiente. Desde sempre, ainda pequenininha, lá estava ela na cozinha, de aventalzinho, enrolando brigadeiros e ajudando no preparo dos famosos bombons de uva e bombons de nozes. Foi minha avó, a bisa dela, quem percebeu primeiro que ela tinha talento para a gastronomia”, recorda a mãe Mariangela, toda orgulhosa. E Luana faz questão de endossar a influência da bisavó em sua inclinação pela culinária. “Eu aprendi muito com a minha bisavó, passava horas na cozinha observando ela preparar pratos deliciosos e, principalmente, a decoração de suas famosas tortas. Adorava ficar na companhia dela. Foi com ela que aprendi as primeiras lições. Adoro a lasanha branca que ela preparava, é o meu prato favorito. Ainda não sei prepará-lo, mas já sei fazer as panquecas”, diverte-se Luana e complementa: “ainda bem que minha vó Gina (Virgínia Biancardini) faz a lasanha que eu tanto gosto com a mesma receita. É igualzinha”. Pois é, toda essa habilidade reservada a uma chef assim tão jovem parece mesmo estar no DNA da família. Um dom herdado de outras gerações. “Está no sangue, na mente e no coração. Não é nada profissional, é só algo que curtimos fazer juntos quando estamos em casa. É uma verdadeira aventura familiar, tão saudável quanto divertida. É maravilhoso poder aproveitar o tempo em


e m fa m í l i a

família. É claro que às vezes saem umas faíscas, mas tudo faz parte do processo criativo”, brinca o pai Rodrigo. Vale dizer ainda que o avô de Luana é ninguém menos que o sr. Jean Biancardini, proprietário do famoso restaurante Regionalíssimo, onde Luana passa a maioria das manhãs aprendendo, provando e dando pitacos. “Grande parte desse aprendizado, desse gosto pela gastronomia vem dos momentos vividos com a família de cozinheiros. Antes de ir para à escola, Luana aproveita seu tempo livre na cozinha do restaurante, observando, aprendendo e inspirando-se”, orgulha-se o pai.

canelone

“Cilindros mágicos italianos”

“ C i l i n d r o s M á g i c o s I ta l i a n o s ”

Ingredientes: • 4 latas de tomates pelados • 4 tomates italianos • 200 g de pimentão vermelho • 2 cebolas grandes • 1 cenoura • 50 g de açúcar cristal •2  50 ml de azeite extravirgem • 3 massas para lasanha • 500 g de presunto cozido • 500 g de muçarela • 200 g de extrato de tomate • 300 g de parmesão • 300 g de parmesão ralado grosso • 100 g de alho descascado • 2 maços de manjericão fresco • 100 g de gorgonzola • 1 maço de cheiro-verde (salsinha e cebolinha) • Pimenta-do-reino em grãos moída na hora e sal a gosto Modo de preparo: Em uma panela de borda alta, aqueça o azeite (meia xícara de chá) adicione a cebola, o alho e a cenoura, espere dourar. Em seguida, adicione o pimentão vermelho e por último os tomates. Quando começar a dourar novamente, adicione o manjericão e o restante do azeite. Mexa cuidadosamente. Acrescente os tomates pelados, vá adicionando

e mexendo até utilizar as 4 latas. Na sequência, adicione o extrato de tomate, acrescente sal, açúcar cristal e pimenta-do-reino. Mexa cuidadosamente para não deixar grudar e para homogeneizar todos os ingredientes. Com o fogo baixo, deixe apurar o molho por 10 minutos, mexendo a cada 3 minutos. Com a massa, utilize uma superfície lisa para fazer os cilindros. Vá intercalando a massa, o presunto e a muçarela. Adicione o cheiro-verde ao molho. Após a confecção de todos os cilindros, acomode na assadeira sob o molho. Após completar a assadeira, cuidadosamente vá adicionando o molho sobre os cilindros, de forma que, entre cada um deles tenha molho suficiente para não grudar um no outro. Na sequência, de forma aleatória, vá colocando pedaços pequenos do queijo gorgonzola e do queijo parmesão ralado grosso. Preaqueça o forno, depois asse em fogo baixo por 30 a 40 minutos. Para servir, polvilhe com o queijo parmesão ralado e decore com algumas folhas de manjericão. Dica: retire os talos do manjericão com uma pinça. Serve 10 pessoas.

bigl ar

30

#pra você

Esse foi o nome lúdico dado pelo pai à receita especial de canelone da família. Recheado com presunto e muçarela, coberto com molho fresco pomodoro e uma mistura de queijo parmesão e gorgonzola, o prato de hoje leva a assinatura do pai de Luana, que também é um apaixonado pela culinária. “Não sou chef profissional, claro, mas costumo chamar a responsabilidade para mim em almoços e jantares, tanto em casa quanto na casa dos parentes e amigos (risos). Minha especialidade é a feijoada cuiabana, uma receita muito pedida, mas essa fica para uma outra oportunidade”, descontrai o espirituoso Rodrigo. Mas quando o assunto é receitas açucaradas, Luana reina absoluta. Bolos e doces são sua especialidade. Ela adora preparar tais guloseimas e tem como


sobremesa predileta os famosos bem-casados. Apesar disso, escolheu uma receita bem mais simples para hoje, no entanto, tão saborosa quanto. “Eu ia preparar cookies integrais, uma receita adaptada que busquei na internet e aprimorei. Mas dá muito trabalho, envolve processamento de grãos e achei melhor deixar para outra ocasião. E também não sei se seria tão atrativo para a galera da minha idade. Por isso resolvi simplificar e trabalhar uma mistura infalível de creme de avelã, morangos e chantilly. Essa não tem erro”, arremata.

Temperos principais: amor e bom humor Para a jovem Luana, o que vale é que tudo seja feito com os mais importantes dos temperos, o amor e bom humor. “Para mim a comida representa algo feito com amor, temperado com carinho, feito para as pessoas que se ama. Não adianta fazer as coisas de má vontade, fazer por obrigação, assim não tem como dar certo. Mas quando bate aquela vontade de ir para a cozinha, aquele dia que você acorda inspirada, tudo corre bem.” Para suas amigas convidadas, as duas Júlias, Luana é um fenômeno na cozinha. As amigas mais próximas sabem que ela cozinha muito bem e estão sempre cobrando um bolinho, um docinho e Luana, é claro, atende com prazer. “Adoro quando a Luana me chama

para passar o dia ou o fim de semana na casa dela. Gosto tanto de ajudá-la a preparar quanto gosto de comer (risos). Na verdade, gosto mesmo é de comer (mais risos). Luana cozinha realmente muito bem, o pai dela também! O bom disso tudo é que perto dela nunca passaremos fome (gargalhadas) ”, brinca Júlia Viegas. “De todos os pratos que Luana prepara, o de hoje, canelone, é o meu preferido. Fico com água na boca só de pensar naquele molho especial, com muito tomate, alho, cebola e pimentão vermelho”, adianta Júlia Kramm. Apesar do dom apurado para gastronomia, prática que Luana leva muito a sério, sua verdadeira vocação é a medicina, diz sua mãe. A adolescente, bastante estudiosa, adora ler, assistir a séries médicas, ir ao cinema e se socializar com as amigas. Mas é claro, a culinária está em todos os momentos da sua vida. “Eu adoro realitys de gastronomia, gosto das competições, vejo vídeos no YouTube e estou sempre buscando uma leitura nova. Mas também me divirto muito assistindo a séries médicas e a filmes. Adoro fazer programações com minhas amigas. Teve uma época que gostava muito de videogames, mas hoje nem tanto. Agora, nada mais prazeroso do que brincar com meu cãozinho de estimação, o Lyon”, revela Luana.

Copinhos de creme de av e l ã c o m m o r a n g o s e

chantilly

Ingredientes: •1  lata de creme de leite sem soro • 350 g de creme de avelã • 2 caixas de morango •1  pacote de biscoito champanhe • Meia xícara de chá de leite • 1 tubo de spray de chantilly Modo de preparo: Em uma tigela, bata bem o creme de avelã e o creme de leite até ficar homogêneo e reserve. Lave, seque e pique os morangos. Umedeça os biscoitos no leite. Em taças individuais, alterne camadas do creme, biscoitos umedecidos e morangos. Sirva gelado e finalize com chantilly. Serve 6 pessoas.

Entretanto, nem tudo são flores quando o assunto é cozinhar em família. Há sim um fator importante que sempre deixa o pai Rodrigo inquieto. “Adoro passar o tempo na cozinha com a minha família, mas quando tudo termina, a louça suja sempre sobra para mim. É tudo bem pensado, mas o mais pesado sempre sobra para o pai, a bendita louça suja. Fazer o quê né”, conclui com muito bom humor.

bigl ar

31

#pra você


n u t r i ç ã o i n fa n t i l — P o r A n d r e ss a B o a S o r t e —

Lancheira saudável E d u c a ç ã o n u t r i c i o n a l c o m e ç a n a i n fâ n c i a : c o m e r b e m p a r a c r e s c e r s a u d áv e l

Q

uem nunca ouviu aquela frase: você é o que você come? Essa afirmação se torna cada vez mais evidente a partir de estudos que comprovam a íntima relação entre saúde e alimentação. É claro que uma dieta balanceada e saudável é essencial para o bem-estar em todas as fases da vida. Mas levando em conta que, quando o assunto é saúde, devemos sempre pensar a médio e longo prazo, então podemos afirmar que durante a infância, quando o organismo está crescendo e se desenvolvendo, a alimentação tem um papel ainda mais importante. O fato é que, tanto na infância quanto na idade adulta, os princípios para uma vida saudável são os mesmos. Todo mundo precisa dos mesmos tipos de nutrientes como minerais, carboidratos, gorduras e proteínas - no entanto, crianças precisam de diferentes quantidades de nutrientes específicos, de acordo com a idade.

bigl ar

32

#pra você


A nutricionista Welba Quirino de Andrade Baze, especialista em educação nutricional, explica que os hábitos alimentares dos pequenos começam justamente com o cuidado dos pais com a alimentação. “As crianças inevitavelmente vão comer aquilo que os pais prepararem para elas. Antigamente, a preocupação no país era com a desnutrição, mas hoje esse quadro tem mudado e estamos tendo cada vez mais crianças, jovens e adultos obesos”, explica a profissional. A nutricionista alerta ainda para o fato de que uma alimentação inadequada pode refletir no surgimento de diabetes, problemas hormonais em adolescentes, casos de pressão arterial elevada, entre outras complicações na saúde. “Essas alterações alimentares estão direta ou indiretamente ligadas a um cardápio inadequado desde a infância”, destaca. Alguns alimentos industrializados, como refrigerantes e bolachas recheadas precisam de atenção redobrada dos pais. A nutricionista destaca que esses alimentos possuem altos índices de corantes, açúcares, gorduras e conservantes. “Esses alimentos tem um valor energético muito grande, porém um valor nutritivo muito pobre, por isso a importância de escolher os produtos mais saudáveis”, alerta.

Invista em frutas fresquinhas As frutas são uma excelente fonte de nutrientes. Os pais podem enviar na lancheira dos filhos, já higienizadas e enroladas em papel-filme ou papel-alumínio. A nutricionista explica que, quanto menor a criança, mais facilidade ela deve ter, por isso, em alguns casos, o melhor é já enviar a fruta descascada e cortada, em potinhos de plástico com tampa. Outra dica de ouro é os pais darem preferência às frutas da estação. “Frutas da época tendem a ter mais vitaminas concentradas por não terem sido estimuladas em sua produção, além de serem mais baratas”, explica.

Legumes e folhas verdes também podem fazer parte do lanche Crianças precisam ser estimuladas a aprender novos sabores e texturas. A especialista indica legumes cozidos a vapor. “A mãe pode cozinhar alguns legumes no vapor e mandar em potinhos, como por exemplo: a vagem, o quiabo, os brócolis. O importante é a variedade e estimular a descoberta das texturas e sabores com criatividade. A criança não precisa comer uma grande quantidade, mas o suficiente para despertar o paladar”, ensina Welba. O tomate-cereja e a cenoura-baby podem ser enviados crus no lanche. A couve pode ser o ingrediente de um delicioso suco ao ser batida junto com a laranja.

Quanto mais cor, melhor Um cardápio equilibrado e com a quantidade de nutrientes necessários envolve uma variedade de alimentos. Ainda falando das frutas e das que são bastante regionais, podemos destacar o caju, a laranja e a goiaba, pois essas vão potencializar o ferro na alimentação. Manga, banana, melancia, maçã também estão no roll de frutas fáceis de encontrar nos supermercados e que são ricas fontes de nutrientes.

Como escolher os alimentos certos para um lanche saudável para os pequenos Não é preciso se desesperar. A especialista em educação nutricional explica que é perfeitamente possível preparar refeições saudáveis, com valor nutricional adequado para as crianças. As vitaminas A, D, E e K, e todas do complexo B são essenciais no desenvolvimento saudável dos pequenos, por isso é importante que as refeições incluam boas doses desses nutrientes. “Todas essas vitaminas estimulam o bom funcionamento e formação dos ossos, cabelo, pele e de todo o metabolismo, especialmente se aliadas a uma prática regular de atividade física”, comenta Welba.

bigl ar

33

#pra você

“As crianças inevitavelmente vão comer aquilo que os pais prepararem para elas. Antigamente, a preocupação no país era com a desnutrição, mas hoje esse quadro tem mudado e estamos tendo cada vez mais crianças, jovens e adultos obesos” Welba Quirino de Andrade Baze, nutricionista


n u t r i ç ã o i n fa n t i l

A lancheira deve conter, de preferência, sempre um líquido, uma fruta, uma proteína e um tipo de carboidrato para que possa abranger as necessidades da refeição.

Sanduíches naturais e Patês Os sanduíches naturais são uma excelente forma de inserir alimentos com folhas e legumes na alimentação dos pequenos. A nutricionista explica que, com requeijão light, é possível descobrir diversas receitas fáceis e saborosas. A lancheira deve conter, de preferência, sempre um líquido, uma fruta, uma proteína e um tipo de carboidrato para que possa abranger as necessidades da refeição: em termos técnicos, o lanche deve conter alimentos energéticos,

Ovos Cozidos O ovo é uma grande fonte de vitaminas A e D, e ainda é rico em proteínas. Além disso, é um aliado da saúde vascular, fornecendo minerais como ferro, zinco e potássio para o organismo, sendo uma ótima opção de lanche.

reguladores e construtores. O líquido é responsável pela hidratação da criança e reposição de sais minerais, as frutas são ricas em vitaminas e ajudam na imunidade, por isso a variedade é importante. Já a proteína auxilia no desenvolvimento e na construção celular do organismo, enquanto o carboidrato dá energia. Uma opção para variar o cardápio da lancheira, e que as crianças adoram, são os bolos. Nesse caso, os pais podem optar pelos caseiros, feitos com menos açúcar e sempre que possível, substituir o chocolate em pó pelo cacau. Os sucos também devem ser feitos em casa, sendo enviados para os filhos em garrafinhas térmicas. Bisnaguinhas e pães integrais são uma ótima combinação com queijos. Dê preferência aos queijos brancos como o minas, frescal e ricota, pois esses são bem menos gordurosos que a muçarela. Sobre as bolachas, a nutricionista orienta sempre as integrais, e alerta que as mães devem ficar atentas aos rótulos dos produtos. “As mães devem se habituar a ler os rótulos e buscar as marcas com menor teor de sódio e com mais vitaminas e nutrientes. Isso faz diferença na hora de compor essa dieta saudável.”

Sugestão de cardápio para duas semanas de lancheira saudável

Data

Lanche da Tarde 1a semana

Lanche da Tarde 2a semana

Segunda-feira

Terça-feira

Quarta-feira

Quinta-feira

Sexta-feira

Banana c/ aveia

Tangerina ou ponkan

Melancia

Maçã

Melão

Bisnaguinha c/ patê de cenoura

Bolo de fubá/ cenoura/ milho etc.

Biscoito sequilhos Iogurte

Cookies de chocolate

Pão de queijo

Limonada

Água de coco

Suco de maracujá

Suco de couve c/ laranja

Vitamina de banana

Goiaba

Uva

Pera

Abacate

Mamão

Cereal integral

Torta de legumes

Sanduiche natural

Barra de cereal

Bolachas salgadas

Suco de caju

Leite c/ cereais

Suco de laranja

Suco de abacaxi

Suco de manga

Cardápio sugerido pela especialista em educação nutricional Welba Quirino de Andrade Baze

bigl ar

34

#pra você


A


A


At u a l i d a d e

Gastronomia

na tela — Por Michelle Monte Mor —

Os programas e re alit y shows culinários c aíram no g o s t o d o s b r a s i l e i r o s e s ã o f e b r e n a TV a b e r t a a c abo

´

´

c anais

st r e am i n g e tam bé m na i nt e r n e t

Masterchef Brasil

M

uito famosos atualmente, os programas culinários fazem parte da história da TV brasileira. A primeira emissora, a TV Tupi, foi inaugurada em 1950. E oito anos depois, entrava no ar o primeiro programa de cozinha na TV Santos, “Cozinha Maravilhosa da Ofélia”, apresentado pela culinarista Ofélia Anunciato.

Nada de disputas ou pratos gourmet. Ofélia ensinava receitas caseiras, daquelas que a gente come na casa da avó. Ofélia ficou 30 anos no ar na TV Bandeirantes, até falecer em 1998. No mesmo estilo de culinária caseira estão Palmirinha Onofre e Ana Maria Braga. Mas há alguns anos, a culinária ganhou notoriedade e ares mais

bigl ar

37

#pra você

sofisticados. O número de programas de TV voltados para o tema aumentou e caiu no gosto do brasileiro. Homens passaram a se interessar mais pela cozinha. Um exemplo desse crescimento é que na primeira metade de 2017, programas e reality shows sobre gastronomia movimentaram mais de R$ 800 milhões. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Target


At u a l i d a d e

O levantamento realizado pela Kantar IBOPE Media revelou que 47 realities shows culinários foram transmitidos pela TV brasileira entre janeiro e julho de 2017. Um dos programas de maior sucesso na TV aberta é o Masterchef Brasil, da Band. Muito mais que gastronomia

Masterchef Brasil Group Index, este crescente interesse aumentou 15% entre os homens e 2% entre as mulheres. Já o levantamento realizado pela Kantar IBOPE Media revelou que 47 realities shows culinários foram transmitidos pela TV brasileira entre janeiro e julho de 2017. Um dos programas de maior sucesso na TV aberta é o Masterchef Brasil, da Band. Em sua 5ª temporada para amadores, é um sucesso de audiência na televisão e de engajamento na internet. São mais de dois milhões de seguidores no Facebook e 1,6 milhão no Twitter e no Instagram. No total, entre cozinheiros amadores, profissionais e crianças, já foram oito temporadas. Produzido em 55 países, o reality é exibido em mais de 200 territórios. Aqui no Brasil, a primeira temporada, em 2014, teve três mil inscritos. A quinta, encerrada em julho, teve 30 mil inscrições de cozinheiros amadores. Ainda na TV aberta, programas como a Batalha dos Confeiteiros, da Record, e Bake Off Brasil – mão na massa, do SBT, apostam em um perfil segmentado, com receitas de confeitaria e pani-

ficação. Os dois programas são um formato do Discovery Networks. E com a intenção de atingir um público cada vez maior, marcas se uniram aos produtores de conteúdo e chefs para criar programas culinários em sites, blogs, redes sociais e serviços de streaming, como o Netflix.

Enquanto na TV aberta o número de programas gastronômicos ainda é tímido, na TV fechada e na internet eles ganharam espaço. E tem para todos os gostos: realities shows de doces, de comidas de séries e filmes de TV, de churrasco, de pães, bolos, só de cupcakes, infantis, de comida saudável, comida caseira, comida de rua, de comida esquisita, com chefs profissionais e amadores, com bebidas e de turismo gastronômico. Um menu grande, variado e completo. E como a oferta é ampla, uma forma de se destacar é produzir um conteúdo original. Quem faz isso muito bem é a chef Isadora Becker. Largou a faculdade de Letras, fez gastronomia e criou o Gastronomismo. Com quase 300 mil inscritos no YouTube, seu canal é

Batalha dos Confeiteiros bigl ar

38

#pra você


Isadora ensina receitas inspiradas em séries de TV, filmes, desenhos, livros e até no folclore brasileiro. Tem, por exemplo, a receita de um pão de centeio inspirada no livro “O Apanhador no Campo de Centeio”, clássico do escritor americano J.D. Salinger.

Isadora Becker, Gastronomismo divertido, didático e muito original. Isadora ensina receitas inspiradas em séries de TV, filmes, desenhos, livros e até no folclore brasileiro. Tem, por exemplo, a receita de um pão de centeio inspirada no livro “O Apanhador no Campo de Centeio”, clássico do escritor americano J.D. Salinger. Os vídeos mesclam o preparo das receitas com imagens do filme ou da obra referenciada. Para quem curte séries de TV ou filmes, Isadora dá o passo a passo de receitas como Blue Sky (Bala de Menta) de “Breaking Bad”, bolinhos de limão da Sansa Stark de “Game of Thrones”, churros da Dona Florinda de “Chaves”, o cozido da Dona Nenê de “A Grande Família” e o pãozinho chinês de “Kung Fu Panda”. E para ensinar os pratos, a chef também se inspira nos figurinos das séries e filmes. Isadora Becker também fez algumas temporadas no Canal Sony e publica seus vídeos no site Tastemade, especializado em gastronomia. Na TV a cabo, o canal nacional GNT é um dos que mais produz programas gastronômicos: são 22. O canal aliás, lançou em agosto uma competição gastronômica com formato inédito, o “Sabor em Jogo”, comandado pelo chef André Mifano e as juradas, Andressa Cabral, chef e professora de gastronomia, e a sommelier Carol Oda. A cada episódio, eles recebem três co-

zinheiros profissionais ou amadores que disputam ingredientes, respondem perguntas sobre temperos e pratos e conquistam os utensílios necessários para preparar as receitas. “Eu apresento, oriento e atormento os participantes. Mas no final, o melhor prato leva. Se você gosta de cozinha, games e emoção, pode se animar, porque finalmente existe um programa para você: o Sabor em Jogo”, diz o Mifano. A jornalista Camila Moreira, 37 anos, do interior de São Paulo, foi uma das vencedoras do programa, que teve 90 participantes. A culinária

sempre fez parte da vida de Camila, que também é fã de programas gastronômicos. “Assisto a muitos programas de culinária, entre os realities e os de receitas. Considero também como um estudo, pois muita coisa levo para minha cozinha e testo muitas técnicas. Além de ampliar o repertório de pratos e ingredientes, acabo conhecendo culturas e costumes de outros lugares”, revela. Sobre a sua experiência no “Sabor em Jogo”, a jornalista conta que foi a verdadeira saga do herói. Ela chegou a quebrar o dente de André Mifano, o apresentador. “Naquele momento achei que não teria mais jeito, estava arrasada. Mas fiz o empadão de frango, conquistei o chef, as juradas e o troféu”, conta. Depois da experiência, Camila pretende ampliar sua atuação na cozinha e se profissionalizar. “Quero deixar de cozinhar em casa e virar uma chef de verdade.”

Camila Moreira uma das vencedoras do Sabor em Jogo bigl ar

39

#pra você


At u a l i d a d e

Chopped

Hell´s Kitchen Especializado em gastronomia

M a r ato n a g a s t ro n ô m i c a

O Discovery Networks é a rede com o maior número de programas gastronômicos e há 11 anos investe nesse filão. No Discovery Home & Health, por exemplo, os programas de culinária estrearam na grade em 2007, com séries como “Chefe a Domicílio”, no qual o chef australiano Curtis Stone escolhia uma pessoa num supermercado e se oferecia para cozinhar na casa dela e “Um Jantar de Mestre”. O TLC, desde sua estreia em 2011, exibe programas de gastronomia que atualmente já são consagrados. Os primeiros foram “Guerra dos Cupcakes” e a famosa competição “Masterchef Austrália”. A rede conta ainda com o canal “Food Network”, totalmente voltado à gastronomia. Atualmente, o canal dedica duas noites inteiras para a gastronomia, às quartas e às sextas. Os realities de gastronomia possuem conteúdo leve e divertido e geralmente são apresentados por personagens carismáticos que acabam se tornando verdadeiras celebridades, como Buddy Valastro, Gordon Ramsey, Erick Jacquin, Paola Carosella e Henrique Fogaça. Outro ponto importante é que, além de servirem como fonte de entretenimento, esses programas fornecem dicas práticas e inspiram o público, que não se restringe apenas a quem gosta de cozinhar.

Discovery Home & Health • Cake Boss – quartas, às 20h35 – Temporada 10 • A Batalha dos Carrinhos – quartas, às 21h30 • Duelo com Bobby Flay – quartas, às 22h25 • Chopped – quartas, às 23h20 • Masterchef Profissionais Temp. 3 (coprodução com Band) – sexta, às 20h35 • Bake Off Brasil Temporada 4 (coprodução com SBT) – sexta, às 22h50 TLC • Mestres da Sabotagem – segundas, às 20h30 • Hell´s Kitchen T12 – segundas, às 21h20 • Destinos Exóticos – segunda, às 22h10 • Rua Pra Toda Gula – segundas, às 23h05 • 200 Graus, com Henrique Fogaça – segundas e sextas, à meia-noite Food Network • Um Dia de Chefe – quartas, às 22h25 GNT • Sabor em Jogo - todos os dias, às 19h BAND • Masterchef Brasil Profissionais – terças, às 22h30 SBT • Bake Off Brasil – sábados, às 22h Rua Pra Toda Gula Internet • www.tastemade.com.br • Isadora Becker - Comida de Série e Gastronomismo (seu canal no YouTube)

P RODUÇ Õ ES B IG L AR • Na Casa do Chef – youtube.com/supermercadosbiglar • InstaGourmet – facebook.com/superbiglar • Post do Chef – instagram.com/supermercadosbiglar

bigl ar

40

#pra você

panhe Acom séries b as we ais do n i g i or r em BigLa redes s nossa iais soc


A


Gastro Tour

~ SÃO PAULO A c i d a d e q u e n ã o pa r a n u n c a

p o d e s e r fa c i l m e n t e ´ r e c o n h e c i d a c o m o a c i d a d e q u e n ã o pa r a n u n c a d e c o m e r — P o r P r o t á si o M o r a is —

É

certo que a cidade de São Paulo é a mais cosmopolita das capitais brasileiras. Pessoas de todas as partes do mundo configuram esse imenso mosaico cultural com mais de 12 milhões de habitantes, ao longo de 464 anos de existência. Mas o que come toda essa gente? Come de tudo, come o que seu paladar pedir e seu bolso permitir. Comida tailandesa, japonesa, francesa, coreana, nordestina, paraense e muita, muita pizza! Você sabia que só a cidade de São Paulo consome mais pizza do que toda a Itália? De acordo com a Associação Brasileira das Entidades de Gastronomia, Hospedagem e Turismo (ABRESI), a terra da garoa só não come mais pizza do que a cidade de Nova Iorque. Estima-se que no Brasil existam mais de 25 mil pizzarias, das quais 6 mil estão na região da grande São Paulo.

bigl ar

42

#pra você


Mas o curioso é que, em São Paulo, a pizza é tão comum quanto a emblemática garoa. Lá, você pode comer um generoso pedaço de pizza ou uma pizza inteira em qualquer esquina (mesmo), seja em padarias, lanchonetes, restaurantes, conveniências e... até em pizzarias (risos)! A advogada e empresária Maísa Pelett que o diga. Uma apaixonada pelo turismo gastronômico, entre tantos restaurantes que frequenta em São Paulo, Maísa destaca a Pinocchio Cucina, localizada na Rua Augusta 2420. Com um cardápio recheado de massas e pizzas, a advogada tem uma predileção, a pizza picante. O nome já diz tudo, ou quase tudo, mas o que esse disco recheado cortado em triângulos e vendido em caixas quadradas tem de tão especial? “Essa pizza tem a massa fina e suave, o recheio é bem temperado, com um toque picante, além de ser produzida e assada no forno a lenha bem ali na frente do cliente, o que dá um charme a mais”, lembra. O ambiente moderno da cozinha italiana, uma das mais badaladas da Alameda Tietê, também ajuda na fome. “Tem um barman que fica fazendo drinks ali no balcão também, ele tenta entender qual é o paladar do cliente e faz a bebida que mais vai agradar, os drinks são muito bons,

recomendo”, sugere Maísa. Mas nem só de pizza vive a cidade de São Paulo, longe disso. Há quem viaje à terra da garoa com intuito de conhecer cada vez mais lugares para se comer bem. E olha que lá tem opção para uma vida toda. E a diversidade é a grande característica do turismo gastronômico em São Paulo. Não é à toa que a capital paulista é a segunda maior cidade em número de restaurantes por habitante, tida como a capital Latino-Americana da boa mesa, ficando atrás apenas de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Só em São Paulo funcionam cerca de 12,5 mil restaurantes, de mais de 50 tipos diferentes de cozinhas. Só churrascarias são mais de 500. Comida japonesa, por volta de 250 restaurantes. Para quem prefere comer e beber em um boteco, também há um balcão diferente para cada dia, são 15 mil bares servindo, dentre outros pratos, o tradicional Virado à Paulista, um combinado composto, basicamente, de arroz, torresmo, couve, ovo frito, banana e linguiça (com algumas variações), protagonista absoluto do almoço dos paulistanos às segundas-feiras, prato que virou Patrimônio Imaterial de São Paulo.

Variação do Virado à Paulista bigl ar

43

#pra você

“Essa pizza tem a massa fina e suave, o recheio é bem temperado, com um toque picante, além de ser produzida e assada no forno a lenha, bem ali na frente do cliente, o que dá um charme a mais” Maísa Pelett, advogada e empresária

Para a empresária cuiabana Iandry Brito Torres, comer bem é uma obrigação e ela leva essa missão muito a sério. E que lugar seria melhor para desfrutar bons pratos e a incrível diversidade gastronômica do que São Paulo? “Vou de dois em dois meses a São Paulo e sempre me programo para conhecer um restaurante diferente. Vou de churrascarias a restaurantes que servem comida oriental, visito hamburguerias, padarias e bares, mas confesso que o meu sangue italiano sempre fala mais alto e nunca deixo de ir a um bom restaurante italiano. E os meus preferidos da capital paulistana são: Tatini, Zucco, Gero, Due Cuochi e Nino Cucina”, relata. É, deve ser mesmo uma difícil tarefa escolher algum lugar predileto para comer em São Paulo, mas a empresária arrisca: “Hoje eu indicaria o Nino Cucina & Vino por ser badalado e descontraído, porém é sempre bom fazer reserva, pois a fila é grande. A minha dica de entrada é a porção de azeitonas que é muito diferente e deliciosa, principalmente por conta


Gastro Tour

dos inúmeros temperos com um toque leve de pimenta. As polpetas são fantásticas e os espaguetes são servidos ao dente (adoro), o cardápio é farto de deliciosas massas”. Mas há também quem não vê a hora de parar para uma boquinha. Dada a necessidade de cumprir agenda intensa de trabalho e então, ter quer permanecer na capital paulista por semanas a fio, João Cunha aproveita para conhecer diversos estabelecimentos na cidade, especialmente porque é também, um entusiasta da gastronomia. “São Paulo é o paraíso.

Bacalhau à Narcisa “Conheci um restaurante português bem pequeno e acolhedor, chamado ‘Ora, pois’. Gostei muito do bacalhau à Narcisa” João Cunha

“Vou de dois em dois meses a São Paulo e sempre me programo para conhecer um restaurante diferente. E os meus preferidos da capital paulistana são: Tatini, Zucco, Gero, Due Cuochi e Nino Cucina” Iandry Brito Torres, empresária

Você consegue degustar incontáveis receitas, da baixa à alta gastronomia. Tem a alma à mesa.” Como são muitas as casas dedicadas às culinárias do mundo todo, as cantinas italianas e portuguesas sempre o atraíram. “Têm muita presença e são bastante populares. As cantinas que mais me chamam a atenção ficam na praça Dom Corleone, no Bixiga, onde aos domingos há uma formidável feirinha de antiguidades”, dá a deixa. Já quando o assunto é comida tradicional portuguesa, na Vila Madalena, há um restaurante encantador, se-

Eisbein à pururuca bigl ar

44

#pra você

gundo João. “Conheci um restaurante português bem pequeno e acolhedor, chamado ‘Ora, pois’. Gostei muito do bacalhau à Narcisa.” Mas se a dica for para cozinha oriental, ele avalia que os bairros da Liberdade e Ingleses são perfeitos. “As barcas do K & S Prime Sushi Bar são surpreendentes: muito sortidas e com sabores diferenciados nos molhos”, aponta. Mesmo fascinado pela alta gastronomia, as opções populares e próximas aos hotéis em que costuma se hospedar são certeiras. “No bar alemão Braugarten do Shopping Santa Cruz, experimentei um Eisbein à pururuca sensacional.” Há ainda uma última dica que ele considera essencial experimentar: é o tradicional bauru do Ponto Chic. “É obrigatório comer lá quando eu vou ao Shopping Pátio Paulista, que fica ao lado, no final da Avenida Paulista. Outro lugar bem bacana é o bar do Juarez, em Moema”, indica. “Guardo excelentes memórias afetivas destes lugares”, finaliza. Contudo, a cidade de São Paulo é realmente um lugar para se comer bem, comer de tudo e comer a qualquer hora. A cidade que não para também pode ser facilmente reconhecida como a cidade que não para de comer. E por que pararia, não é mesmo?


A


SABOR BRASILEIRO — Por Elen Valereto —

Mineiro famoso Com sabores comple xos e únicos

o queijo ´ da Serra da C anast ra é uma est rel a nacional

U

m dos melhores queijos do mundo é o brasileiro e os que saem na frente são os produzidos na Serra da Canastra, no estado de Minas Gerais. As produções são diferenciadas porque mantêm a cultura dos processos produtivos e a padronização de qualidade. A partir de regras determinadas por uma legislação específica, o queijo da Canastra é feito basicamente com leite cru (não pasteurizado) do gado Caracu (de origem europeia), coalho natural, sal e fermento do soro do leite, chamado de “pingo”. Esse “pingo” é retirado da produção do dia anterior, sendo responsável por dar mais consistência ao queijo e deixá-lo mais encorpado. O uso controlado do sal depende da receita de cada produtor, mas deve ser sempre adicionado assim que o queijo é colocado na forma. Com a massa pronta e moldada, há indicações específicas para a limpeza da casca e os tem-

bigl ar

46

#pra você


Produção do Vale da Gurita pos para virar ou não a peça de queijo, de acordo com o resultado desejado. Outra importante característica é o tempo mínimo de cura recomendado. Para um verdadeiro queijo da Canastra, as peças devem ficar, pelo menos, 21 dias descansando para maturação. Durante esse período, o queijo ganha sabor e intensidade, mas ao mesmo tempo fica macio e com leve frescor. Alguns queijos são maturados por mais tempo, entre dois meses até três anos. Essa maior exposição deixa o queijo com sabor mais picante e acentuado, que é um traço muito tradicional do queijo mineiro dessa região. Entre esses processos, o queijo da Canastra adquire casca levemente amarelada, massa semidura e o toque de acidez e picância. Nessa etapa de cura, é dado o sabor único de cada queijo, seguindo a receita do produtor. Como precisam ser lavados e virados regularmente, alguns queijeiros chegam a usar vinho, champanhe ou cerveja – o que confere aroma, sabor e cor diferenciados. As peças podem ser curadas ainda em caixas de madeira ventiladas, algodão ou até palha. A maturação ainda é importante por questões de prevenção de saúde, pois elimina o risco de contaminação por bactérias. Como o queijo é um alimento vivo, o período da maturação provoca transformações físicas, bioquímicas e microbiológicas, eliminando a umidade da peça e intensificando o sabor. Segundo dados da Associação de

Produtores de Queijo da Canastra (Aprocan), além de seguir a padronização de preparo indicada por lei, somente são reconhecidos como queijos da Canastra aqueles produzidos em apenas sete municípios mineiros: Medeiros, São Roque de Minas, Vargem Bonita, Piumhi, Delfinópolis, Bambuí e Tapiraí. Também é necessário integrar a Aprocan, que é a responsável legal pelo nome “Região da Serra da Canastra” – são esses os verdadeiros queijos da Serra da Canastra. A participação nessa associação também é importante porque é a entidade que orienta os produtores sobre o modo de preparo e sobre as regras impostas pelos órgãos que ditam a legislação do queijo – Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA) e Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). Outra questão é o fortalecimento da Serra da Canastra como uma Indicação Geográfica (IG) brasileira.

No caso dos queijos da Serra da Canastra, precisa ser oriundo do gado da raça Caracu, uma espécie de origem europeia

Leite especial A matéria-prima fundamental do queijo é o leite e, no caso dos queijos da Serra da Canastra, precisa ser oriundo do gado da raça Caracu, uma espécie de origem europeia. Esse gado, contudo, sempre foi muito tradicional na região mineira e sua criação vem sendo intensificada, principalmente pela obrigatoriedade no preparo do queijo. O leite das vacas dessa espécie destaca-se pelo maior teor de gordura, em torno de 5%, e também por ter uma massa seca elevada. Por isso, é considerado ideal para a produção de queijos e manteiga.

Queijos premiados Um momento de reconhecimento para a produção na Serra da Canastra foi a premiação de três queijos na última edição da competição francesa Mondial du Fromage, no ano passado. A avaliação foi às cegas e premiou os queijos Canastra do Reinaldo, do produtor Reinaldo de Faria Costa, de Vargem Bonita (MG), Capela Velha, do produtor Alexandre Pereira Silva, de São Roque de Minas (MG), e Canastra Vale da Gurita, do produtor Arnaldo Ribeiro, de Delfinópolis (MG).

Vale da Gurita bigl ar

47

#pra você


SABOR BRASILEIRO

Nessa mesma competição, em 2015, o queijo Capim Canastra, do produtor Guilherme Ferreira, também de São Roque de Minas, foi o primeiro a trazer uma medalha internacional para o Brasil.

Consumo em casa Muitas vezes, quando se compra uma peça de queijo da Serra da Canastra, o produto acaba não sendo consumido por inteiro em um primeiro momento. Guardar na geladeira, então? A resposta é não. Para esse tipo de queijo, o recomendado pelos mestres queijeiros é deixá-lo em uma tábua coberto com uma manta ventilada de cozinha (aquelas para cobrir alimentos, parecida com um mosqueteiro). Isso irá garantir que o queijo “respire”, pois como ele é um alimento vivo, continuará evoluindo. É importante ainda virá-lo pelo menos uma vez ao dia e, se necessário, lavá-lo e secá-lo. Mesmo assim, uma nova camada irá se formar e ela pode ser descartada na hora do consumo, preservando o interior. Seguindo essas dicas, o queijo durará – fora da geladeira – por muito mais tempo e

ainda garantirá um sabor diferente do apresentado no primeiro dia.

Valorização do produto Segundo a Aprocan, o Brasil tem registradas, atualmente, 56 IGs (Identificação Geográfica), sendo a Serra da Canastra uma importante região devido ao seu queijo. Essa nomenclatura nada mais é que uma proteção legal de um produto associado à localização de origem, que contribui diretamente para a preservação da cultura e identidade de alimentos e ingredientes de uma região ou cidade. Essa mesma proteção já acontece há muito tempo em regiões de países da Europa com os queijos e vinhos. O queijo francês Roquefort, por exemplo, tem sua origem na região de Roquefort-sur-Soulzon, ao sul da França, e precisa ser maturado em adegas subterrâneas da montanha de Combalou. Somente nesse local ocorre a exposição por um fungo específico, chamado de “Penicillium roqueforti”, que garante as características famosas do queijo Roquefort. Ou seja, o verdadeiro queijo Roquefort é feito

bigl ar

48

#pra você

somente naquela região delimitada, assim como o queijo da Canastra é produzido apenas nos locais determinados pela IG. Embora existam muitas regras que os produtores de queijos da Serra da Canastra devam seguir, essa legalização protege e valoriza a cultura dos mestres queijeiros, defendendo uma prática existente há mais de 200 anos na região. Outro benefício é o aumento da renda dos produtores, uma vez que o produto recebe selos de autenticidade e procedência – uma grande garantia de qualidade aos consumidores.


A


SAÚDE À MESA

Raízes do bem — Por Elen Valereto —

A l i m e n t o s d a t e r r a P RO P ORCIONAM b e n e f í c i o s à s a ú d e E SÃO c h e i o s d e s a b o r

O

s tubérculos e as raízes são um grupo de alimentos que vem da terra e de grande importância nutricional para a saúde. São fáceis de encontrar, gostosos e cultivados em várias regiões brasileiras, o que garante que estejam sempre fresquinhos e com muito sabor. Anote na sua lista: beterraba, cenoura, mandioca, mandioquinha, nabo, batata-doce, batata, cará, rabanete e inhame. Essas são algumas das opções disponíveis que podem compor uma refeição saudável e balanceada, todos os dias, sem cair na mesmice. Além de saborosos, os tubérculos e as raízes são compostos por importantes nutrientes, destacando-se as fibras, vitaminas C, A e do complexo B, além de serem uma boa fonte de energia. A nutricionista Roberta Sanches, do Sesi-Mato Grosso, explica que a vitamina A, por exemplo, é essencial para a saúde da pele e dos olhos, enquanto a vitamina C age no combate de infecções e aumenta a defesa do sistema imune.

bigl ar

50

#pra você


Pão de

batata-doce

Fonte: Ministério da Saúde

Ingredientes: • 400 g de batata-doce • 1¹/² colher (sopa) de açúcar • 1 envelope de fermento biológico granulado • ¹/² xícara (chá) de leite integral • ¹/² colher (sopa) de óleo • 1 ovo • 2 colheres (café) de sal • 3 ¹/² xícaras (chá) de farinha de trigo • 1 gema para pincelar • Óleo vegetal para untar Modo de preparo: Cozinhe a batata-doce na panela de pressão por 15 minutos ou até ficar macia. Em uma vasilha, misture o açúcar com o fermento e adicione o leite (morno), óleo, ovo e sal. Acrescente a batata-doce amassada e misture bem. Junte a farinha de trigo, aos poucos, e sove até obter uma massa lisa e homogênea. Deixe-a em repouso por 30 minutos. Volte a sovar a massa e faça bolas médias (no formato de brioches), e as coloque em uma assadeira untada com óleo vegetal. Deixe repousar por aproximadamente 10 minutos, pincele as bolinhas com a gema e leve ao forno preaquecido (200ºC) por 20 minutos.

“E as vitaminas do complexo B são importantes para o metabolismo energético e das funções do sistema nervoso central. Já os minerais, encontramos ferro – que previne a anemia e é essencial para a vitalidade – e o cálcio e o fósforo, que atuam na formação e manutenção dos ossos”, informa a nutricionista. Outro importante benefício é a liberação de serotonina, que é um neurotransmissor positivo que produz a famosa sensação de bem-estar e felicidade, regulando o humor. No entanto, não vale exagerar, sendo que o ideal é consumir esses alimentos combinados com proteínas, gorduras de qualidade e hortaliças para tornar a refeição equilibrada e leve. A indicação da nutricionista Roberta é que metade de um prato seja de salada crua e a outra metade dividida em quatro partes: um quarto de tubérculos e raízes, um quarto de feijão, um quarto de arroz e um quarto de carne. “Gosto de associar com uma porção do tamanho da mão fechada”, ensina. A beterraba, cenoura, nabo, rabanete e a batata-yacon, por exemplo, podem ser incluídos em pratos frios, como saladas, ou incorporados em receitas de sopas, suflês, ensopados, refogados, assados e salteados. Já as dicas da nutricionista para o consumo da batata-inglesa ou doce, mandioca, inhame e cará são para acompanhar carnes vermelhas, frango ou peixe. “Ou ainda podem ser ingredientes de receitas de pães, purês, escondidinhos, sopas e ensopados”, sugere.

O gengibre, conhecido tradicionalmente pelos seus efeitos digestivo, analgésico e anti-inflamatório e, por isso, muito consumido como remédio, os campos da gastronomia e da nutrição têm mostrado que é possível explorá-lo muito mais.

bigl ar

51

#pra você

Raiz saborosa Outra raiz comestível é o gengibre. Conhecido tradicionalmente pelos seus efeitos digestivo, analgésico e anti-inflamatório e, por isso, muito consumido como remédio, os campos da gastronomia e da nutrição têm mostrado que é possível explorá-lo muito mais. Seu sabor ardidinho e forte pode dar mais refrescância a sucos e vitaminas, intensificar temperos de carnes e saladas cruas, além de poder ser usado in natura para preparar conservas.

Perda de peso O interessante dos tubérculos e das raízes é que são ricos em fibras do tipo solúveis e, por isso, promovem maior saciedade e auxiliam no controle de níveis sanguíneos de colesterol e glicose. Isso significa que são alimentos positivos para quem quer perder peso. A batata-doce, que é famosa por integrar dietas de perda de peso, é rica em amido resistente (tipo de carboidrato), assim como a yacon é rica em inulina (um tipo de açúcar). Ambas são boas opções para incluir na dieta. Outro tubérculo disputado para perder medidas é a mandioca. Em porções adequadas – e nunca associada a outros alimentos do mesmo grupo –, ela é responsável por aumentar a saciedade, dar energia e mais disposição, sendo importante para ajudar nos treinos.


nutrição

molho vermelho

de beterraba e cenoura

Roberta Sanches, nutricionista do Sesi-MT Diferenças existentes Embora os tubérculos e a raízes sejam alimentos que cresçam embaixo da terra, há diferenças importantes entre eles. Essas diferenças são justificadas pelos locais onde são encontradas suas reservas de nutrientes. A nutricionista do Sesi-MT, Roberta Sanches, explica que, nos tubérculos, essas reservas são acumuladas dentro do caule do vegetal, “tornando-se muito mais desenvolvidos que as raízes, apresentando um formato ‘redondo-ovalado’, que constitui o alimento”, diz. São exemplos a batata-inglesa, o inhame e o cará. As raízes, contudo, têm suas reservas nutricionais acumuladas na própria raiz do vegetal, embaixo da terra. “São a cenoura, a beterraba, a batata-doce, o nabo e o rabanete.”

Em busca de sabor Além de mais saudáveis, os alimentos sem nenhuma interferência química são sempre mais saborosos. O aproveitamento dos nutrientes existentes nos alimentos também está em seu auge. A cenoura e a beterraba orgânicas, por exemplo, chamam atenção pelas cores mais intensas, mais brilho e doçura. Destacam-se ainda pela abundância de vitamina A e antioxidantes (cenoura) e grandes quantidades de ferro, vitaminas A e C (beterraba). Lembrando ainda que, para os diabéticos, não há contraindicação para consumir esses dois alimentos, desde que não seja isolado. “Pode quando consumidos na porção indicada, acompanhados de uma refeição rica em fibras, proteínas e gorduras de boa qualidade, a fim de obter melhor resposta metabólica. O consumo de alimentos ricos em amido exige equilíbrio e moderação sempre, seja por diabéticos ou não”, orienta a nutricionista Roberta Sanches, do Sesi-MT.

bigl ar

52

#pra você

Fonte: Blog Santo Legume

“O consumo de alimentos ricos em amido exige equilíbrio e moderação sempre, seja por diabéticos ou não”

Ingredientes: • 2 colheres (sopa) de óleo vegetal • 2 cenouras • 1 beterraba • ¹/² cebola • 2 dentes de alho picados • 1 colher (chá) de orégano seco • 1 folha de louro • 3 xícaras (chá) de água • Sal e pimenta-do-reino • 1 pitada de noz-moscada • 1 colher (chá) de vinagre de maçã • 2 colheres (sopa) de shoyu (molho de soja) Modo de preparo: Corte a cenoura, a beterraba e a cebola em pedaços médios. Aqueça uma panela grande e refogue a cebola no óleo até começar a dourar. Junte o alho e cozinhe por mais um minuto. Junte a cenoura, a beterraba, o orégano e a folha de louro e refogue bem. Acrescente a água, abaixe o fogo e cozinhe por cerca de 30 minutos, ou até que os legumes fiquem macios. Tempere com sal, pimenta-do-reino e noz-moscada. Retire do fogo, espere alguns minutos e bata no liquidificador com cuidado por causa do vapor. Junte o vinagre e o shoyu e bata novamente até que todos os ingredientes estejam incorporados e com aspecto de molho.


A


Arquitetura — Por Adriana Panzini —

tudo acontece na

Carla Almeida

C o r a ç ã o d e q u a lq u e r c a sa ambient e ganha ´ c a d a v e z m a i s e s pa ç o na hora de reunir com muito charme a fa m í l i a e o s a m i g o s em torno de delícia s ga st ronômic a s

D

iz a sabedoria popular que tudo acontece na cozinha e não tem jeito: o ambiente é mesmo o lugar mais concorrido da casa em todas as ocasiões. Afinal, é ali que se preparam as guloseimas daquela comemoração em família, os petiscos caprichados para aquele aniversário do amigo querido ou as receitas sofisticadas para um jantar a dois. Mas, mais do que servir a um propósito funcional, as cozinhas, hoje, ganham status de cantinho preferido para receber, com projetos de design mais interativo, confortável, e que permita ao cozinheiro da vez efetivamente participar da conversa e do convívio enquanto faz sua mágica nas panelas. “Há algum tempo, a cozinha saiu do setor de serviço das casas brasileiras e vem assumindo um papel importante na área social, tornando-se o coração de qualquer projeto e estimulando a tendência dos ambientes abertos, comumente integrados a outros ambientes sociais da casa, como a sala, varandas e áreas de lazer”, destaca a arquiteta e urbanista Karen Takashima. “Justamente por estarem mais expostas, recebem atualmen-

bigl ar

54

#pra você

Arquivo pessoal

cozinha


Carla Almeida, arquiteta e urbanista te mais atenção, com revestimentos especiais e armários que não são apenas funcionais, mas que compõem a decoração”, conta. Karen ressalta que, por ser um local de trabalho, é preciso conciliar no mesmo projeto beleza e funcionalidade, o que depende muito da rotina dos moradores e de suas necessidades específicas. “A cozinha deve ser

Tendência sim, mas com personalidade Com mais de 15 anos de carreira e especializada em arquitetura de interiores, a arquiteta e urbanista Carla Almeida fala com propriedade que, na hora de definir qual estilo será adotado para a nova

estrela da casa, os melhores resultados são obtidos quando se combina com maestria características do gosto pessoal do cliente às novidades em termos de produtos e acabamentos. “Podemos definir como rústico, clássico, contemporâneo e, dentro desses estilos, existem materiais que se encaixam mais, pois o mercado de revestimentos e mobiliário para cozinha é algo que não tem limitações, com porcelanatos imitando mármores e madeiras com tamanha perfeição que vieram para ficar, assim como os revestimentos volumétricos em 3D”, enumera. E se pouco espaço é um desafio, ter um ambiente muito amplo também pode ser, se não for bem definido, seja por abarcar elementos em profusão de forma descoordenada ou mesmo por trazer uma divisão que não atende à funcionalidade que os moradores desejam. “Fiz um projeto de um espaço gourmet onde a necessidade do casal era maior comunicação em família”, detalha a arquiteta. “Era um ambiente grande, mas com espaços delimitados, decorrido de uma má projeção anterior, e por causa disso, não havia integração das pessoas, cada um ficava no seu espaço”, indica. “Com a reformulação, além de unirmos tudo em só lugar, conseguimos um local superagradável para receber os amigos”, complementa.

Karen Takashima bigl ar

55

#pra você

Smyrna Yamashita

“Podemos definir como rústico, clássico, contemporâneo e, dentro desses estilos, existem materiais que se encaixam mais, pois o mercado de revestimentos e mobiliário para cozinha é algo que não tem limitações...”

ergonômica, com forno à altura de alcance fácil, bem como a bancada instalada conforme a estatura dos usuários”, explica. “É importante que tenha uma boa iluminação, natural ou artificial, com distribuição correta”, aponta. “Nas residências com menor espaço, o desafio é conseguir uma área maior de trabalho e armazenamento, por isso é preciso planejar e aproveitar bem o espaço, além de escolher eletrodomésticos e acessórios que se harmonizem bem com estas dimensões”. A profissional acrescenta, porém, que, seja qual for o espaço disponível, sempre é possível garantir elegância e charme, às vezes com um detalhe que faz a diferença. “Em um projeto recente, usamos um acabamento com formato hexagonal e metálico, que casou perfeitamente com os armários e painéis de madeira, compondo um visual original.”


Arquitetura

milionária Cozinha

muita tecnologia Com tantas inovações em materiais, equipamentos e sistemas, os projetos das cozinhas da nova era também se modernizam e surpreendem. “Os lançamentos da Eurocucina deste ano, em Milão, uma das mais importantes feiras do setor, trouxeram muita tecnologia a este ambiente, com mobiliários que abrem e fecham com muita precisão, elementos práticos que se escondem para um visual mais limpo, materiais que se integram de forma natural aos espaços, tudo muito funcional”, relata a arquiteta e especialista em design de interiores, Márcia Baziqueto Peres. “A automação chegou de uma maneira incrível para facilitar o dia a dia corrido e agitado, com eletrodomésticos que se transformam no sonho de consumo dos apaixonados por culinária”, acrescenta. Márcia avalia que as possibilidades oferecidas pela tecnologia se aplicam perfeitamente a diferentes conceitos, não estando restritas a projetos necessariamente “futuristas”, mas agregando conveniência e funcionalidade a todos os estilos. Para a arquiteta, o talento do profissional na combinação harmônica das cores, recursos estéticos e utilitários pode

assegurar um ambiente atual, inovador, porém em linha com o gosto pessoal dos moradores. “Um de nossos projetos recentes incluiu diversas tendências que vimos em Milão, com um direcionamento mais contemporâneo e clean, para uma cozinha gourmet com uma paleta monocromática em nuances de cinza, muito elegante, com a diferenciação na aplicação de elementos que remetem ao que é natural, como pedra, madeira, aço e vidro”, descreve. “Já para outro cliente, unimos um perfil mais clássico ao charme contemporâneo, mantendo as inovações em materiais e mesmo no design, com o módulo do triângulo na distribuição da bancada de preparo, higienização, fogão e geladeira, que é uma premissa em projetos para este tipo de ambiente, mas adotamos cores pastéis, neutras e muito usadas no século XIX e que estão em alta de novo, dando liberdade ao cliente de investir em objetos que traduzam sua identidade ou história”, pontua. “O resultado foi um ambiente muito bacana, com ar de frescor, elegância e contemporaneidade, bem ao gosto dos moradores”, completa.

bigl ar

56

#pra você

Chico Ferreira Fonte: http://www.claudioceliberti.co.uk/kitchen/

Márcia Baziqueto Peres

A expressão “cozinha dos sonhos” virou realidade pelas mãos do designer italiano Claudio Celiberti. A “Fiore di Cristallo” é a cozinha mais cara já criada no mundo, consumindo nada menos que um milhão de libras, ou quase cinco milhões de reais! O incrível ambiente levou mais de um ano para ficar pronto e incluiu diversas peças em cristal Murano e Swarovski, como a ilha central maciça e um belíssimo lustre, além de armários de cobre com puxadores também de cristal, tudo feito cuidadosamente à mão. Como não poderia deixar de ser, os acessórios são igualmente luxuosos, com torneiras Philip Starck de mais de sete mil reais e utilitários da famosa marca alemã Gaggenau, como uma geladeira de 24 mil reais e uma adega de mais de 13 mil reais. Já a máquina de café expresso foi uma pechincha: oito mil reais.


A


pets

Saúde animal — Por Gabriela Ferigato —

C o m o q u a lq u e r m e m b r o d e u m a fa m í l i a

um animal de ´ est imaç ão precisa de diversos cuidados em rel aç ão à s a ú d e e a o b e m - e s t a r . C o n f i r a a lg u m a s d i c a s

S

ão mais de 132,4 milhões de pets espalhados pelos lares brasileiros. O País ocupa o quarto lugar em população total de animais de estimação. Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 44,3% dos 65 milhões de domicílios possuem pelo menos um cachorro e 17,7% ao menos um gato. Os pets se tornaram membros das famílias, o que traz diversas responsabilidades para os tutores em relação ao cuidado com a saúde e bem-estar dos animais. Além da importância de manter a vacinação em dia, cuidar da higiene e marcar exames periódicos, listamos algumas atitudes e informações para se ter em mente.

bigl ar

58

#pra você


Alimentação

Castração De acordo com Cláudio José de Assis, sócio-administrador da Veterinária São Francisco, em Cuiabá, a castração diminui a incidência de câncer de mama e de problemas no útero e ovários nas fêmeas e, nos machos, reduz os problemas na próstata e testículos. “Hoje, quando o médico faz a primeira consulta, é sua função perguntar ao cliente se ele pretende reproduzir ou não o pet. A indicação é de castração, tanto no macho como na fêmea, de cães e gatos a partir do segundo mês de idade – na fêmea o ideal é que seja antes do primeiro cio que, em média, acontece a partir do sexto mês. Existem vários trabalhos publicados que mostram que 95% das fêmeas castradas antes do primeiro cio não tiveram tumores de mama na idade senil.” A veterinária Larissa Branco Costa Marques, sócia-proprietária da clínica Pet Gatô, em Cuiabá (MT), afirma que, após os devidos exames pré-operatórios, o animal deverá entrar em jejum alimentar por um período de, aproximadamente, 12 horas e hídrico de 6 horas, no dia anterior à cirurgia para evitar qualquer problema durante o procedimento. Realizar uma boa assepsia no curativo e evitar esforço físico (como pular, subir e descer de camas e sofás) contribuem para uma perfeita cicatrização e recuperação.

O veterinário Cláudio José de Assis chama a atenção para a alimentação correta. “O aparelho de mastigação, digestão deles é diferente do nosso. Por meio da humanização, fomos adaptando cada vez mais os pets aos nossos hábitos, mas a fisiologia é diferente. Conforme a pelagem, idade, crescimento, raça há um tipo de ração/ alimentação específica. Uma raça de porte grande (fila, dogue alemão) necessita de alimentos superconcentrados em aminoácidos, proteínas e sais minerais, porque crescem muito rápido – diferente de um Pinscher, Pequinês ou Shih tzu. A grande importância é ter uma alimentação saudável para aumentar a vida do animal. Se der demais faz mal, se der de menos também.”

Larissa Branco Costa Marques, da Pet Gatô, elenca algumas dicas para evitar o sobrepeso: •N  ão deixar um pote de ração cheio o dia inteiro para que o pet coma quando quiser, porque pode estimular um exagero na ingestão da comida. •C  omprar rações com menor quantidade de calorias, principalmente para animais com estilo de vida mais sedentário. Rações com mais fibras, nesses casos, ajudarão a atingir a saciedade com menor quantidade de comida. •L  imite a quantidade de petiscos. Eles possuem calorias extras, o que pode levar a um sobrepeso ou até a obesidade. • Exercícios físicos, além de ajudar a emagrecer, contribuem para fortalecer os sistemas respiratório e circulatório; tonificar os músculos; liberar energia; espantar o tédio; auxiliar na digestão, entre outros benefícios.

“Por meio da humanização, fomos adaptando cada vez mais os pets aos nossos hábitos, mas a fisiologia é diferente” Cláudio José de Assis, veterinário

bigl ar

59

#pra você


pets

“Passeios em horários frescos do dia e mais curtos – 10 a 15 minutos, lembrando de levar água durante a caminhada para manter uma boa hidratação, sendo indicado o uso de coleiras peitorais” Larissa Branco Costa Marques,veterinária da Pet Gatô

Raças A veterinária da Pet Gatô explica que os cães de raças braquicefálicas – de focinho curto, como Pug, Boxer, Bulldog Francês, Bulldog Inglês, Shih tzu, Boston Terrier e Pequinês – demandam cuidados específicos, principalmente, em regiões de clima muito frio ou muito quente, como é o caso de Cuiabá (MT). Geralmente, essas raças possuem síndrome respiratória; nem sempre todos os sintomas aparecem em um mesmo animal. Alguns possuem narinas estreitas, em muitos casos, sendo indicado passar por procedimento cirúrgico para correção. É comum roncarem devido à passagem nasal estreitada e à carinha curta, assim arfam mais (modo de se “refrescarem”) por conta da anatomia da cabeça. Possuem também os olhos mais saltados, mais propensos à secura, irritações e acidentes, podendo levar a uma úlcera de córnea. “Felizmente nem todos apresentam grandes ‘anormalidades’, mas a atenção é sempre necessária, sendo aconselhável seguir alguns passos básicos, como por exemplo evitar exposição em ambientes muito quentes, pois podem levar rapidamente à hipertermia – muitos cães vem à óbito por isso. Passeios em horários frescos do dia e mais curtos – 10 a 15 minutos, lembrando de levar água durante a caminhada para manter uma boa hidratação, sendo indicado o uso de coleiras peitorais. Cuidar bem

da saúde oral, já que o pouco espaço nas mandíbulas faz com que os dentes sejam mais encavalados e apertados, dificultando a limpeza e gerando doenças periodontais quando são novos”, ressalta Larissa. De acordo com Cláudio José de Assis, a principal atitude é ficar atento a qualquer mudança de comportamento e, nesse caso, procurar um veterinário imediatamente. “O leigo descuida por causa disso. Às vezes, o cachorro está com um olho fechado e outro aberto ou fez xixi uma vez e, logo em seguida, fez novamente e o tutor resolve aguardar. Não é normal. Já é o suficiente para tomar cuidado”, alerta o veterinário.

Vermifugação Segundo o sócio-administrador da Veterinária São Francisco, os cães têm mais facilidade de se contaminarem, porque possuem penetração ativa pela pele: “30% dos pets que passaram por algum tipo de internação aqui na clínica tinham verminose”, destaca Cláudio. Não há uma regra única sobre a frequência correta de vermifugação, devido às diferentes condições do ambiente e do animal, porém o Centers for Disease Control and Prevention (CDC), Centro de Controle e Prevenção de Doenças, em

bigl ar

60

#pra você

português, criou um protocolo padrão para referência. • Filhotes: o ideal é começar o tratamento o quanto antes, entre a segunda e a terceira semana de vida. Depois, deve ser repetido a cada duas semanas, até a 8ª semana, podendo ser prolongado até a 12ª semana para eliminar infecções patentes ou em locais de alta infestação ambiental. • Fêmea: a mãe lactente deve ser tratada também, concomitantemente aos filhotes, já que alguns parasitas podem ser transmitidos via lactação. Para a fêmea gestante, é necessário um tratamento profilático na cobertura (caso seja possível) e no terço final da gestação. • Adulto: devem ser monitorados duas vezes ao ano por meio de exames parasitológicos de fezes. No caso de infecção, o tratamento deve ser feito em dose única com ao menos um reforço após 15 a 21 dias. Um novo exame de fezes, após o tratamento, é recomendado para confirmar a desinfecção.


A


acontece — p o r Lu c i a n e M i l d e n b e r g e r —

sonhos de criança C a m pa n h a d o B i g L a r a r r e c a d a e d o a brinquedos no Dia das Crianç as

O

lhos brilhando. Um sorriso que não cabe no rosto. Na pontinha

dos pés, ela levanta os braços para pegar a tão sonhada boneca. Assim foi a reação da pequena Iara, de apenas 4 anos, ao receber o brinquedo no Dia das Crianças. Ela e as várias crianças da creche onde passa o dia foram beneficiadas, em 2017, com presentes doados pela campanha de arrecadação de brinquedos do BigLar. Em 7 anos, mais de 20 mil Iaras, Marias, Pedros, Davis e tantas outras crianças puderam sentir a mesma emoção em centenas de creches e instituições carentes de Cuiabá e Várzea Grande. “A primeira vez que participei da entrega achei que fosse apenas mais um dia de trabalho, sem me dar conta do quanto aquilo seria importante na vida de uma criança e, principalmente, na minha. Tive a oportunidade de entregar os presentes, brincar com as crianças sentado no chão da creche e vivenciar a alegria de cada uma ao receber o brinquedo. A minha emoção se equiparou a delas”, relatou o gerente do BigLar, Marcos Fromming. A campanha deste ano terá início no dia 10 de setembro e estende-se até 12 de outubro. Para facilitar a arrecadação, o BigLar disponibiliza postos de coleta nas três lojas da rede: Várzea Grande, Miguel Sutil e Jardim da Américas. Os brinquedos arrecadados, novos ou usados, são selecionados,

bigl ar

62

#pra você


higienizados e embalados. A iniciativa conta com a solidariedade dos clientes que acreditam e apoiam a ação, por chegar a quem realmente precisa. A fisioterapeuta Angélica Félix participa todos os anos e já separou alguns brinquedos da filha Helena, de 5 anos, para doar. “A campanha do Dia das Crianças demonstra o quanto o BigLar está empenhado em fazer a diferença na vida das pessoas. Os brinquedos que minha filha não usa mais farão a alegria de outras crianças”, disse emocionada. A doação dos brinquedos às creches e instituições começa na semana que antecede o Dia das Crianças. Antes, porém, é feita uma seleção de quais serão beneficiadas. As indicações acontecem por colaboradores que têm filhos ou

parentes nas entidades; clientes e amigos; e ainda por formulário disponível no espaço de atendimento ao cliente. A equipe de coordenação da campanha conhece pessoalmente todos os locais selecionados. Você também pode levar alegria para muitos pequenos no Dia das Crianças. Doe aquele brinquedo esquecido dentro de uma caixa ou espalhado pelo chão da casa e faça parte dessa história.

Ajude um brinquedo a encontrar uma criança e faça os dois felizes. Você doa um brinquedo e espalha sorrisos. Não deixe de participar!

bigl ar

63

#pra você

contempladas intituições em 2017

Creche Nossa Senhora do Carmo, Creche Municipal Colomba Cacélia Lombardi Dorileo, Creche Municipal Jayr Luiza de Campos Untar, Creche Centro Integrado Raio de Luz, Centro de Educação Infantil Padre José Tem Cate, Creche Municipal Sebastião Tolomeu, Creche Municipal Professor Aecim Tocantins, Creche Municipal Francisco Santana, Creche Municipal Manoel de Barros, Creche Municipal Lucila Ferreira Fortes, Creche Municipal Renisea Guilhermette Barua, Creche Municipal Antônio Norberto de Barros Corrêa Filho, Creche Municipal Santa Inês, Creche Municipal Espaço Livre e Creche Estadual Nasla Joaquim Aschar.


acontece — p o r p r is c i l a v a n ti —

Empresa

Amiga da Criança BigL ar recebe

p e lo s e g u n d o a n o ´ ´ reconhecimento da F undaç ão Abrinq por a ç õ e s v o lt a d a s a o p ú b l i c o i n fa n t i l

M

ais uma vez, o BigLar

recebe o certificado de reconhecimento da Fundação Abrinq como Empresa Amiga da Criança pelos compromissos assumidos na defesa dos direitos das crianças e adolescentes. No mês de julho, representante da fundação esteve no BigLar e foram apresentadas as ações realizadas pelo supermercado voltadas ao público infantil. O selo é concedido, anualmente, pela fundação, depois de uma criteriosa avaliação do estabelecimento em relação às ações desenvolvidas durante o ano. Criado pela Fundação Abrinq em 1995, o “Programa Empresa Amiga da Criança” reconhece, com um selo, empresas que cumprem os compromissos de não explorar o trabalho infantil e não o permitir em sua cadeia produtiva; promover a formação profissional e o acesso ao emprego protegido para adolescentes; e realizar o investimento social privado em benefício de crianças e adolescentes. Dentre as campanhas desenvolvidas pelo BigLar, está a de arrecadação de brinquedos novos e usados, realizada em todas as lojas da rede com a proposta de despertar e promover a solidariedade na comunidade, beneficiando crianças carentes de Cuiabá e Várzea Grande no mês das crianças. Outra ação é a campanha Amigas do

Peito que, em parceria com o Projeto Via Láctea, incentiva o aleitamento materno e a doação de leite para bebês prematuros. Além disso, o BigLar recebe durante todo o ano recipientes em vidro que são direcionados à coleta e armazenamento de leite humano. Em relação aos filhos dos colaboradores, há o Big Kids realizado em comemoração ao Dia das Crianças e o Kit Papai e Mamãe, uma forma de parabenizar os funcionários pela chegada de uma nova vida. O BigLar apoia ainda iniciativas e eventos promovidos pela Associação de Amigos da Criança com

bigl ar

64

#pra você

Câncer de Mato Grosso (AACC-MT) e Hospital do Câncer, entre eles, o McDia Feliz. Fundada em 1990, a Abrinq é uma organização sem fins lucrativos que tem a missão de promover a defesa dos direitos e o exercício da cidadania de crianças e adolescentes. Um dos principais compromissos da organização é o combate ao trabalho infantojuvenil.


Parceria solidária C a m pa n h a “ C o r t e s D i f e r e n t e s ” a r r e c a d a m e c h a s d e c a b e lo s pa r a c o n f e c ç ã o d e p e r u c a s d o a d a s a mu lh e r e s q u e e n f r e ntam o c ân ce r

P

arte da ação do Outubro Rosa do BigLar,

a campanha “Cortes Diferentes” visa arrecadar cabelos para confecção de perucas a serem destinadas a pacientes submetidas à quimioterapia. Em seu terceiro ano, a campanha pretende ir além dos resultados alcançados em 2017, quando o BigLar arrecadou 350 mechas de cabelos, todas doadas voluntariamente por clientes que se sensibilizaram com o drama das mulheres que enfrentam a dura luta contra o câncer. As doações podem ser feitas de 1º a 30 de outubro. A doença, segundo a Organização Mundial de Saúde, faz mais de 1,7 milhão de vítimas todos os anos, sendo a principal causa de óbito entre mulheres em idade fértil. A campanha tem como objetivo elevar a autoestima das mulheres em tratamento contra o câncer e também alertar para a necessidade da prevenção e do diagnóstico precoce da doença. A parceria é feita com os salões que participam da campanha. As interes-

sadas em doar, podem procurar um dos salões parceiros para que eles possam fazer o corte do cabelo, na medição correta. Tudo é coletado e enviado para a Associação Rapunzel Solidária. A ONG, com sede em São Paulo, é composta exclusivamente por voluntárias e é responsável por confeccionar as perucas. Os cabelos são tecidos de forma artesanal e remontados em tela sobre tela, uniformemente, até que a base da peruca ganhe o formato de um cabelo natural. Após esse processo, as perucas são enviadas às mulheres que lutam contra o câncer. A ação beneficia, principalmente, as mulheres de baixa renda, uma vez que uma peruca de cabelo natural pode custar até R$ 2 mil, dependendo do comprimento.

mento, sendo qualquer tipo de cabelo, inclusive os que já sofreram coloração ou outras alterações estéticas. Os salões parceiros da iniciativa são: Belviso, La Provance, Studio 278, Studio Blessing, Paula Cabeleireiros, Studio Leblô, Condessa Corpo e Imagem, Alice Cabeleireiro, Nina Cabeleireiro, Maison Visage.

Para doar Não é necessário doar todo o cabelo e as mechas precisam ter no mínimo 15 centímetros de compri-

bigl ar

65

#pra você

Para mais informações e conhecer o salão parceiro mais próximo de você, acesse o site www.cortesdiferentes.com.br


r a d a r c u lt u r a l — P o r M a r c e l o X a vi e r —

EXCE L Ê NCIA NA GASTRONOMIA

REGIONAL

CASACOR Mato Grosso 2018

Os amantes da gastronomia de todo o Mato Grosso tem um compromisso dos mais agradáveis: dias 9 e 10 de outubro, Cuiabá sedia mais uma edição do Pantanal Cozinha Brasil. A programação acontece no Centro de Eventos do Pantanal (Av. Bernardo Antônio de Oliveira Neto, s/n, Jardim Santa Marta). A edição 2018 do evento reúne atividades técnicas para estudantes de gastronomia e palestras com chefs de cozinha de projeção nacional e regional. Boa parte das atrações é gratuita, entre elas: a Fun Food Park reunindo food trucks e food bikes, empório com produtos regionais, artesanais e degustações. O tema desta edição é: “O que estamos comendo? De volta às origens”. A homenageada é Leila Malouf. O evento abrange desde aulas e palestras na Univag, Unic Pantanal, Senac até oficinas práticas com degustação, no Pantanal Shopping. E nos restaurantes Mahalo e Flor Negra, ocorrem jantares especiais, com menus criados especialmente para esta edição. As inscrições para as oficinas e palestras podem ser feitas no site do evento: www.pantanalcozinhabrasil.com.br

A

CasaCor Mato Grosso, evento que já integra a agenda cultural do estado, ocorre de 26 de outubro a 9 de dezembro no Shopping Estação Cuiabá (na Avenida Miguel Sutil, 9300, Duque de Caxias). A mostra ocupará 2 mil metros quadrados do shopping e promete promover uma experiência completa ao visitante. Com onze edições, a bienal tem como missão expor o trabalho de profissionais da arquitetura e do design de interiores na região, bem como valorizar a arte popular local – sempre uma das protagonistas da versão mato-grossense da CasaCor. A curadoria do evento também promete oferecer imersão completa ao visitante, incluindo eventos gastronômicos. A expectativa é superar o número de visitantes da edição anterior, que recebeu um público recorde de quase 24 mil visitantes. Mais informações no site da mostra (casacor.abril.com.br/ mostras/mato-grosso) ou pelo telefone: (65) 3615-7001.

E

R o b e rta M i r a n da

bigl ar

m turnê de divulgação do seu novo trabalho, “Os Tempos Mudaram”, a cantora Roberta Miranda tem presença confirmada em Cuiabá, em outubro. O show acontece no dia 11, no Musiva (Av. Beira Rio Sul, 4155). Referência na cena da música sertaneja, desde os anos 80, Roberta promete apresentar canções novas como “Manda Um Beijo Pra Ela” até clássicos que marcaram sua trajetória de três décadas – “São Tantas Coisas” e “Vá com Deus”. Em “Os Tempos Mudaram”, seu último disco, de 2017, a cantora reuniu as principais cantoras sertanejas da atualidade, como Simone & Simaria, Solange Almeida, Naiara Azevedo, Maiara & Maraísa, Day & Lara e Marília Mendonça para comemorar o sucesso do “feminejo”. Apenas em sua conta no YouTube, os vídeos de Roberta já passam das 146 milhões de vizualizações.

66

#pra você


A


A

EDIÇÃO Nº 12  

revista ≠ pra você

EDIÇÃO Nº 12  

revista ≠ pra você