Page 1

ANO 21 - EDIÇÃO 1472 - R$ 2,00

TERÇA-FEIRA 12 DE FEVEREIRO DE 2019 www.omunicipio.com

Pedágios no trecho Sul confirmados para 2020: Jaguaruna será umas das cidades que terá praça de pedágio PÁGINA 03

Uma nova massa de ar irá mudar o comportamento das temperaturas

Pescador do Balneário Rincão é multado em R$ 100 mil

PÁGINA 02

PÁGINA 04

Estado abre concurso: mil vagas para a PM PÁGINA 06


02

12 de Fevereiro de 2019

• www.omunicipio.com

GERAL

Uma nova massa de ar irá mudar o comportamento das temperaturas

D

urante as minhas férias, retornei nesta segunda-feira, algumas pessoas pelas redes sociais ou até pessoalmente perguntaram: Quando esse calorão vai dar uma trégua? Posso dizer para estas pessoas que as previsões da semana são

boas neste sentido. Vamos passar na próxima noite por um período quente. A madrugada será abafada na maior parte das cidades. Porém, ao longo desta terça-feira, o vento irá entrar para Sul até com algumas rajadas. Isso mostra a troca da massa

de ar que está por ocorrer. O calor da tarde ficará mais concentrado entre Grande Florianópolis, Vale do Itajaí e Norte. No final da terça, já na noite para o amanhecer de quarta, as temperaturas ficarão mais amenas e neste patamar deverão seguir na sequência

da semana. Para quem está na Serra, as noites serão até frias com alguns dias amanhecendo abaixo de 10°C. CONDIÇÃO DO TEMPO Amanhã o sol irá aparecer, mas na com-

panhia de muitas nuvens. Ao longo do dia, sobretudo tarde/ noite, tem previsão de chuva. Teremos uma frente fria. Bem isoladamente temporais. A semana deverá seguir com muitas nuvens. O sol apare-

ce nos dias seguintes, mas muito mais no Oeste. A quarta-feira terá a influência da umidade do mar. Condição que irá trazer um dia muito nublado com momentos de chuva isolada entre períodos de melhoria.

Os montes derretem como cera na presença do Senhor, na presença do Senhor de toda a terra. Salmos 97:5

Expediente Fundado em 07 de junho de 1997

Fones: (48) 3624-2456

Editor Chefe: Reinor Marcolino - Reg.SC 02.423-JP Designer/Diagramação: Fabio Julio Gonçalves Correção: Jatênia Elza Serafim da Silva Desenhos: Vitor Bitencourt Colaboradores: Jaison Bez Fontana, Evandro Marques Pacheco, Arilton Barreiros, João Carlos Idalêncio. Impressão: Gráfica Alternativa - Criciúma

Whatsapp: (48) 99671-3638 E-mails: diarioomunicipio@gmail.com Site: www.omunicipio.com Facebook: http://www.facebook.com/ jornalomunicipiojaguaruna Circulação: Gravatal, Jaguaruna, Sangão,

Treze de Maio, Pedras Grandes, Morro da Fumaça, Capivari de Baixo e Tubarão. Assessoria Jurídica: Diógenes Luiz Mina de Oliveira - OAB/SC 26.894

Matérias assinadas e colunas são de responsabilidade de seus autores


12 de Fevereiro de 2019

www.omunicipio.com •

03

GERAL

Bolsonaro tem alta da Unidade Semi-Intensiva O

presidente da República, Jair Bolsonaro, recebeu alta na manhã de hoje (11) da Unidade de Terapia Semi-intensiva, após melhora do quadro clínico, e está internado em apartamento no Hospital Israelita Albert Einstein, informou boletim médico divulgado há pouco. O presidente não tem dor, nem febre e segue com melhora do quadro pulmonar. Na última semana, ele havia sido diagnosticado com pneumonia. Foi suspensa a nutrição parenteral (endovenosa) e introduzida dieta leve e mantido o suplemento nutri-

cional. Estão sendo mantidas também as medidas de prevenção de trombose venosa, realizados exercícios respiratórios, de fortalecimento muscular e períodos de caminhada fora do quarto. Por ordem médica, as visitas permanecem restritas. O governador de São Paulo, João Doria, visitou o presidente na tarde desta segunda-feira e disse que ele deve ter alta ainda esta semana. Doria disse ainda que o presidente se reuniu com, pelo menos, um ministro hoje. A assessoria da presidência não confirmou a visitas de ministros.

Pedágios no trecho Sul confirmados para 2020: Jaguaruna será umas das cidades que terá praça de pedágio P

revisão da ANTT e Ministério de Infraestrutura é que as primeiras cobranças ocorram entre abril e maio do próximo ano. Que a concessão do trecho Sul da BR-101 irá sair não há mais dúvidas. O que é preciso vencer agora são as etapas burocráticas. E isso deve ocorrer somente em 2020. Pelo menos por enquanto, não há indicação de que o número de praças ou o valor do pedágio possam ser menores. Nos 220,42 quilômetros de concessão, que vão de Paulo Lopes a São João do Sul, a Agência Nacional de Trânsito e Transportes (ANTT) propõe que sejam instalados pedágios entre Imbituba e Laguna, Tubarão e Treze de Maio e

Jaguaruna, Maracajá e Araranguá e São João do Sul com Passo de Torres. A ANTT trabalha com a hipótese de realizar o leilão em dezembro deste ano, porém, segundo informações da própria agência, o processo depende de elementos externos. A primeira fase é a conclusão do relatório das audiências públicas realizadas em Brasília, Florianópolis e Criciúma. A previsão é que isso aconteça até o fim desse mês com o encaminhamento para aprovação da diretoria e publicação no site da ANTT. Vencida essa fase, haverá a correção dos estudos conforme as contribuições acatadas nas audiências públicas. É aqui que entra a rediscussão do número de praças e também do va-

lor. Alterações acatadas ou não, o Programa de Exploração da Rodovia, Contrato e Edital e redação da proposta do Pla-

no de Outorga vêm em seguida, que devem ser aprovados pela diretoria da ANTT. Vencida essa etapa,

a documentação é encaminhada ao Ministério de Infraestrutura, que também precisa dar o seu aval. Um dos últimos en-

traves burocráticos ainda do lançamento do edital é a aprovação da diretoria do Tribunal de Contas da União (TCU)


04

• www.omunicipio.com

12 de Fevereiro de 2019

GERAL

Pescador do Balneário Rincão é multado em R$ 100 mil O

bjetivo era capturar papa-terras e pescadas, mas espécimes em período de defeso também ficaram enroladas na rede Rogério Tavares é morador de Balneário Rincão, tem 39 anos de idade e há 20 exerce a profissão de pescador, da qual tira o sustento de sua família. Habilitado profissionalmente pela Colônia de Pescadores Z-33, inclusive com permissão nacional para pesca embarcada em alto mar, na última semana de janeiro ele teve uma surpresa desagradável, levou uma multa de R$ 100 mil do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). O caso aconteceu em Mostardas, no Rio Grande do Sul, para onde ele havia ido tentar uma pescaria melhor do que aquela que estava conseguindo em Santa Catarina. Ela conta que no dia 28 de janeiro saiu com sua pequena embarcação pela manhã, jogou a rede ao mar e lá deixou para buscar mais tarde, como é de costume na atividade. A intenção era pescar papa-terra e pescada. Retirou a rede e, quando voltou, já em terra firme, notou que duas espécimes protegidas haviam se prendido junto aos demais peixes. Como já estavam mortos, não havia mais a possibilidade de devolver à água.

Foi quando os fiscais do órgão ambiental chegaram para uma fiscalização e o autuaram por conta da pescaria. Dez peixes pescados As espécimes em questão eram dos tipos conhecidos como viola e cação. Eram dez peixes e a multa era equivalente a R$ 10 mil cada, chegando a R$ 100 mil no total. “A fiscal me perguntou se eu sabia que era proibido, eu disse que sim, eu sei, mas o peixe veio na rede e já estava morto quando eu tirei. Eu não ia vender e não ia transportar”, relata Tavares. Ele comenta, ainda, que existe um modelo específico de rede que é utilizado para pescar a viola, mas que estava utilizando outro tipo. “Eu estava pescando com a malha sete, não é para pegar viola, mas o problema é que tem muita viola no mar. Se a gente quiser, a gente pega uma tonelada de viola toda semana. Elas acabam ficando na rede e depois que cai na rede em questão de minutos já está morto, não tem o que fazer”, afirma. Valor alto, pagamento inviável Para o pescador, é inviável arcar com uma multa nesse valor. “Eu falei para os fiscais, se eu vender o carro, o barco e a casa eu ainda não

consigo pagar essa multa”, declara. “Não tenho condições de pagar essa multa. Em todos esses anos eu sempre respeitei o defeso, nunca pesquei o peixe que não podia, mas nesse caso não tinha o que fazer”, complementa. Ele explica que foi até o Rio Grande do Sul porque o estado vizinho costuma ser melhor para a pescaria. “O pescador é complicado, tem semana que dá peixe, tem semana que não dá. E o investimento é muito alto. Às vezes você tem que gastar R$ 2 mil em uma rede, mas não consegue tirar isso no mês porque não consegue pescar nem 200 quilos. E, enquanto aqui eu consigo pescar mil quilos, por exemplo, lá eu pesco quatro mil”, compara Tavares. Agora, ele está buscando informações para recorrer na justiça. “Tem 20 dias para recorrer, eu estou vendo com a Colônia de Pescadores. Penso que primeiro os fiscais deveriam me advertir de alguma forma e não já aplicar uma multa nesse valor por causa de dez peixes. É um abuso de autoridade”, afirma o pescador. Estudo precisa ser atualizado O peixe que Tavares pesca é comercializado em sua residência, na vizinhança, na Praia do Torneiro, em Jagua-

runa, e também é vendido em peixarias, como a da família do Saimon Serafim Borges. Há quase 50 anos no ramo, eles conhecem bem a atividade e sabem das dificuldades que o pescador passa para se manter financeiramente. Borges conta que participa de grupos com integrantes de vários estados brasileiros e que há uma discussão sobre as capturas da viola e do cação ainda se manterem proibidas no país. “Foi proibido lá atrás porque o peixe precisava cres-

cer, procriar, mas isso já aconteceu, já deu esse tempo. Tem lugar onde é possível pegar a viola com a mão de tanta que tem. O cação a mesma coisa, ele vem enrolado na rede”, relata. Para ele, é necessário que os órgãos ambientais façam novos estudos para concluir se há mesmo a necessidade de manter a proibição. “Tem que ser feita uma pesquisa, eu imagino que esteja muito desatualizada a informação”, afirma. “O que nós percebemos é que também tem havido muitas

mudanças no clima e isso tem afetado o setor. Antes era a sequência tainha, anchova e corvina, mas agora bagunçou tudo, quando é época de tainha está vindo corvina, por exemplo, o oceano está mudando”, observa. Enquanto a pesca não é liberada no Brasil, a saída para a peixaria da família é comprar o peixe vindo de outros países. “O cação a gente compra do Uruguai”, afirma. “Mas nós poderíamos estar comprando do pescador artesanal daqui se não fosse essa proibição”, completa.


12 de Fevereiro de 2019

www.omunicipio.com •

05

GERAL

Ricardo Boechat, jornalista, morre aos 66 anos em queda de helicóptero em SP O

jornalista, apresentador e radialista Ricardo Eugênio Boechat morreu no início da tarde desta segunda-feira (11), aos 66 anos, em São Paulo. O jornalista estava em um helicóptero que caiu na Rodovia Anhanguera, em São Paulo, e bateu na parte dianteira de um caminhão que transitava pela via. O piloto Ronaldo Quattrucci também morreu no acidente. Boechat era apresentador do Jornal da Band e da rádio BandNews FM e colunista da revista "IstoÉ". Ele trabalhou nos jornais “O Globo”, “O Dia”, “O Estado de S. Paulo” e “Jornal do Brasil”. Na década de 1990, teve uma coluna diária no "Bom Dia Brasil", na TV Globo, e trabalhou no "Jornal da Globo". Foi ainda diretor de jornalismo da Band e teve passagem pelo SBT. Ele ganhou três vezes o Prêmio Esso, um dos principais do jornalismo brasileiro. A morte do jornalista causou comoção entre políticos, personalidades e jornalistas. Perfil Filho de diplomata, Ricardo Eugênio Boechat nasceu em 13 de julho de 1952, em Buenos Aires. O pai estava a serviço do Ministério das Relações Exteriores na Argentina. Boechat era recordista de vitórias no Prêmio Comunique-se – e o único a ganhar em três categorias diferentes (Âncora de Rádio,

Colunista de Notícia e Âncora de TV). Em pesquisa do site Jornalistas & Cia em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado. Ele lançou em 1998 o livro “Copacabana Palace – Um hotel e sua história” (DBA). O jornalista deixa a mulher, Veruska, e seis filhos. Começo da carreira Boechat começou a trabalhar assim que deixou a escola, na virada de 1969 para 1970, após um período de militância em que fez parte do quadro de base do Partido Comu-

nista em Niterói (RJ). O pai de uma amiga, diretor comercial do "Diário de Notícias", foi quem o convidou. "Note que eu mal batia à máquina, não tinha noção de rigorosamente nada. Tinha morado a vida inteira em Niterói. O Rio de Janeiro para mim era o exterior", comentou ao site Memória Globo (leia o depoimento completo). Um de seus primeiros textos foi uma nota exclusiva sobre Pelé, que lhe garantiu mais espaço no jornal. Depois, Boechat passou a escrever na coluna de Ibrahim Sued (1924-1995), no mesmo "Diário de Notícias". Ele conside-

rava o período de 14 anos em que trabalhou com Sued como decisivo para sua "formação como repórter". "Eu pude ter uma escola na qual a doutrina era procurar informações, e por trás de mim o primeiro e maior dos pitbulls que eu já conheci, que era ele, rosnando no meu ouvido 24 horas por dia." Boechat saiu em 1983, quando a coluna já era publicada em "O Globo", após uma briga com o titular. Mudou-se, então, para o "Jornal do Brasil", a convite do concorrente Zózimo Barroso do Amaral, tendo retornado a "O Globo" pouco depois, na coluna "Swann".

Em uma segunda passagem pelo jornal, que durou até 2001, foi titular de uma coluna que levava o seu nome. Boechat deu uma palestra a representantes da indústria farmacêutica em Campinas, no interior do estado, na manhã desta segunda e retornava a São Paulo por volta das 12h. Ele deveria pousar no heliponto da Band, no Morumbi, Zona Sul da capital paulista. Anúncio na Band José Luiz Datena, apresentador da TV Band, anunciou a morte do colega às 13h51

durante programação da emissora. "Com profundo pesar, desses quase 50 anos de jornalismo, cabe a mim informar a vocês que o jornalista, amigo, pai de família, companheiro, que na última quarta, que eu vim aqui apresentar o jornal, me deu um beijo no rosto, fingido que ia cochichar alguma coisa, e, no fim, brincalhão como ele era, falou: 'É, bocão, eu só queria te dar um beijo'. Queria informar aos senhores que o maior âncora da televisão brasileira, o Ricardo Boechat, morreu hoje num acidente de helicóptero, no Rodoanel, aqui em São Paulo".


06

12 de Fevereiro de 2019

• www.omunicipio.com

SEGURANÇA

Estado abre concurso: mil vagas para a PM O

governador Moisés, acompanhado do comandante-geral da Polícia Militar de Santa Catarina e atual secretário da Segurança Pública, coronel PM Carlos Alberto de Araújo Gomes Júnior, anunciou a abertura de concurso com mil vagas para o ingresso na carreira da Polícia Militar e a prorrogação da Operação Veraneio até 11 de março. Os dois pronunciamentos foram feitos do gabinete da residência oficial do governador, em Florianópolis, na tarde desta segunda-feira, 11. “O ingresso de novos soldados fortalece o efetivo da PM e a nossa Segurança Pública como um todo. Já a manutenção da estrutura mobilizada na Operação Veraneio até o carnaval, assegura aos catarinenses e aos visitantes, uma melhor condição de logística, proteção e prevenção, justamente em um período em que muitos turistas vêm a Santa Catarina”, anunciou o governador. Juntas, as duas medidas representam um investimento de mais de R$5,4 milhões do Governo do Estado. O processo para o lançamento do edital do concurso será conduzido pelo departamento jurídico da PM. O coronel Araújo Gomes destacou que as duas ações são fundamentais para o desempenho da atividade policial com foco na redução dos índi-

OPORTUNIDADE ces de violência no estado. “Tanto é que o nosso trabalho foi muito bem avaliado durante a Operação Veraneio. Reduzimos a criminalidade durante esse período, e agora, estamos garantindo que o turista que ainda está vindo para Santa Catarina encontre mais segurança”, completou Araújo Gomes. Os resultados da Operação Veraneio e toda a força técnica e operacional dedicada à mobilização também visam alavancar o setor do Turismo, que representa cerca de 13% do PIB catarinense. “Turismo é feito de experiência, se ela for boa, o visitante volta. Nesse aspecto, a segurança é fator decisivo na escolha do visitante, da mesma forma em que o morador local também precisa viver e estar seguro”, enfatizou Moisés. Operação Veraneio em Santa Catarina A Operação Ve-

raneio 2018-2019 é uma das maiores mobilizações de prevenção e segurança desenvolvidas no estado e nesta edição ocorre em 61 dos 295 municípios catarinenses. Coordenada pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, a Operação reúne polícias Civil, Militar e Rodoviária, Bombeiros, IGP e Detran, as secretarias da Defesa Civil e da Justiça e Cidadania, Exército, Marinha, Aeronáutica, polícias Federal e Rodoviária Federal, bem como as prefeituras abrangidas por meio das guardas municipais. Cerca de nove mil profissionais de segurança pública e outros mil guarda-vidas contratados contam com cerca de duas mil viaturas, sete helicópteros e três aviões, além de quadriciclos, motonáuticas e embarcações. Devido à forte presença de turistas argentinos durante a temporada de verão em Santa

Catarina, policiais e bombeiros do país vizinho também estão integrados. A participação deles foi viabilizada através de convênio de cooperação na área de segurança pública entre Santa Catarina e a Província de Missiones (AR). As corporações também contam forte apoio tecnológico, e, de forma inédita nesta Operação, um sistema de inteligência analítica foi adotado pela Secretaria de Estado da Segurança Pública. A plataforma tecnológica permite acompanhamento em tempo real das ações de segurança em andamento. As autoridades de segurança e o próprio governador têm acesso online ao sistema de informações para acompanhamento permanente via tablet e smartfone. Ainda no âmbito do Governo do Estado, a Casan, a Celesc e a secretaria de Estado da Saúde reforçam suas ações durante a operação.

A CP Monitoramento, de Jaguaruna, está selecionando currículos para vaga de mantenedor de alarmes. Requisitos: Masculino, habilitação AB Os interessados devem enviar currículo para o e-mail jaguaruna@cpmonitoramento.com, ou comparecer na empresa que fica no Balneário Arroio Corrente, em horário comercial.


12 de Fevereiro de 2019

www.omunicipio.com •

07

GERAL

Volta às aulas requer atenção redobrada em pistas e vias lindeiras da BR-101 Sul

A

s aulas nas redes públicas municipal e estadual em escolas lindeiras da BR-101 Sul em Santa Catarina recomeçaram nesta semana.

Com isso, mais veículos e pedestres em movimentação pelas pistas duplicadas e vias laterais da BR-101 Sul catarinense. Maior quantidade de

motoristas e pedestres em circulação implica em maiores cuidados, principalmente em locais de conversão, como os viadutos e locais específi-

co para travessia de pessoas, como passarelas e passagens inferiores. Nos bordos da rodovia estão localizados vários estabelecimentos de ensino, com fluxo de pedestres, sendo alunos, professores e funcionários. Este movimento fica evidente no início da manhã, ao meio-dia e final de tarde, períodos que também registram grande tráfego de veículos. Para se deslocar, estes pedestres necessitam cruzar as pistas duplicadas da rodovia, onde não há passagens, ou usar transporte coletivo que transita pelas pistas quanto pelas vias pa-

ralelas. Em trechos duplicados, a recomendação do DNIT/SC é que os alunos procurem os dispositivos de segurança, como as passarelas e passagens inferiores para pedestres. Onde não houver este tipo de estrutura, a travessia das pistas deve ser realizada pelas passagens em nível – aberturas sinalizadas entre as proteções de concreto, obras de arte especiais (OAEs) como os viadutos e passagens inferiores para veículos. Os transportadores escolares devem atentar e respeita a sinalização vertical e horizon-

tal disposta na rodovia e vias laterais. Nas vias laterais, o limite de velocidade está fixado entre 40 km/h a 60 km/h, sendo que nas pistas duplicadas o limite de velocidade para ônibus está fixado em 90 km/h. Nos trechos urbanos pertencentes a BR-101 Sul, construídos nos municípios de Paulo Lopes, Imbituba, Laguna, Pescaria Brava, Tubarão, Sangão, Içara, Maracajá Araranguá, Sombrio, Santa Rosa do Sul, São João do Sul e Passo de Torres, o DNIT/SC instalou faixas de sinalização horizontal para travessia de pedestres.

Furto resulta em quase R$ 20 mil de prejuízo para proprietário de loja em Sangão U

m furto a uma loja de materiais de construção resultou em quase R$ 20 mil em prejuízo para o proprietário na manhã deste sábado (09), em Sangão. O estabelecimento teria sido arrombado durante a madrugada. Em depoimento à Polícia Militar, o empresário de 42 anos afirmou que o crime foi descoberto quando sua funcionária chegou a loja para trabalhar no período da manhã e se deparou com o arrombamento. Do local, foram levados duas baterias de trator e caminhão, aproximadamente R$

3 mil em cheques, R$ 500 em dinheiro, dois pacotes de moedas, botas, R$ 15 mil em fios, sprays, um talão de cheques e outros objetos. O arrombamento, segundo a vítima, teria ocorrido pela porta de trás da loja. Um boletim de ocorrência foi registrado e nenhum suspeito foi localizado.


08

• www.omunicipio.com

12 de Fevereiro de 2019

GERAL

Caso de violência doméstica é registrado em Tubarão U

ma mulher de 34 anos foi vítima de violência doméstica na noite desse domingo, dia 10, em Tubarão. O caso aconteceu por volta das 19 horas, no bairro Passagem, onde ela foi agredida pelo companheiro, um homem de 44 anos. Segundo informações da Polícia Militar (PM), ela estava com hematomas na testa e uma lesão no joelho. O agressor relatou para os policiais que houve uma discussão e ela teria quebrado o vidro de seu caminhão com pedradas e que também teria tentado agredi-lo. Ele foi preso e encaminhado à Delegacia de Polícia.

Profile for Diário O Município

ED.1472 - TER 12-02-2019  

ED.1472 - TER 12-02-2019  

Advertisement