Page 1

guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

19:21

Page 1

ESTA REVISTA FAZ PARTE INTEGRANTE DA EDIÇÃO DE HOJE DO DIÁRIO DE COIMBRA NÃO PODENDO SER VENDIDA SEPARADAMENTE


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

19:21

Page 2


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:38

Page 3

A Riqueza da Gastronomia Nacional O Diário de Coimbra coloca nas suas mãos o Guia Gastronómico 2011/2012 que, tal como nos anos anteriores, é publicado no mês da Alimentação. Todos os anos procuramos ir além do simples guia de restaurantes, pelo que incluímos um roteiro de boas práticas e de conselhos sobre alimentação. Contamos, este ano, com mais de 30 restaurantes do distrito de Coimbra que constituem uma verdadeira montra do que melhor há na restauração da região. Além de artigos sobre alimentação e nutrição, este guia contém conselhos práticos sobre vinhos, cervejas, águas, azeite entre outros produtos indispensáveis a uma "boa mesa". Num ano em que se promoveu o Concurso das Maravilhas Gastronómicas de Portugal e em que a Região Centro viveu uma dinâmica intensa de promoção das mesmas, não quisemos deixar de lhes prestar, neste guia, a devida homenagem. Mais uma vez contamos com a preciosa colaboração do Chefe de Cozinha de grande prestígio nacional e internacional, Henrique Sá Pessoa, e de vários técnicos na área da restauração, que presenteiam os nossos leitores com receitas especiais. Acreditamos, assim, que este Guia será um bom companheiro de viagens pelo rico mundo da Gastronomia Portuguesa!


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:38

Page 4

ÍNDICE 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32

A ADEGA - QUINTA DOS TRÊS PINHEIROS A CANTARINHA A TABERNA ACADEMIA DO LEITÃO BAGA CAÇAROLA DOIS CANTINHO DOS REIS CASA MARQUINHAS COVA FUNDA DOM DUARTE DOIS DONA XEPA ESCOLA DE HOTELARIA E TURISMO DE COIMBRA FUGAS FUSION GARFADAS GIUSEPPE & JOAQUIM JARDIM DA MANGA O GRAZINA O TELHEIRO PIZZA HUT PRAXIS PRAZERES DA CARNE QB QUINTA SÃO LUIZ RESTAURANTE PISCINAS DO MONDEGO SAL E BRASA TIVOLI CAFFÉ VIRABRASA - OLIVAIS

33 34 36 37 38 40 42 44 46 47 48 50 52 53 54 55 56 57 58 60 62 63 66

VIRABRASA - VALE DAS FLORES ALIMENTAÇÃO DIÁRIA MAIS SAUDÁVEL ESTUDO MOSTRA VALOR NUTRITIVO DA FOLHA DA OLIVEIRA NA ALIMENTAÇÃO ANIMAL A IMPORTÂNCIA DAS LEGUMINOSAS NA ALIMENTAÇÃO HUMANA CONSUMO DIÁRIO DE ÁGUA É ESSENCIAL CURIOSIDADES SOBRE CERVEJA COMBATER A VOLATILIDADE DOS PREÇOS DOS ALIMENTOS OPÇÕES "VERDES" NA ALIMENTAÇÃO SUGESTÃO DE GRAÇA VAZ SUGESTÃO DO CHEFE: HENRIQUE SÁ PESSOA ALGUNS PRODUTOS REGIONAIS ENRIQUECEM A ZONA CENTRO DICAS SOBRE VINHO SUGESTÕES DE TELMA BERNARDINO SUGESTÃO DE ADELAIDE MATIAS RECEITAS COM LICOR BEIRÃO AGRICULTURA BIOLÓGICA RECEITA DE CAFÉ ZONA CENTRO É LOCAL DE IGUARIAS CONVENTUAIS COMER BEM E BARATO POR ANA CARVALHAS TOQUES DECORATIVOS À MESA EX-LIBRIS GASTRONÓMICOS DA ZONA CENTRO DO PAÍS AS MARAVILHAS GASTRONÓMICAS DE PORTUGAL

AS NOSSAS SUGESTÕES

FICHA TÉCNICA DIRECTOR: ADRIANO CALLÉ LUCAS

VENDAS: ANA LOPES, HELENA GAUDÊNCIO,

DIRECTORES ADJUNTOS: MIGUEL CALLÉ LUCAS, J. C.

JOÃO SIMÕES, MARTA SANTOS, PEDRO SANTOS

GALIANO PINHEIRO, ARMÉNIO TRAVASSOS

E RITA MIRANDA

E JOÃO LUIS CAMPOS

DESIGN GRÁFICO: EMANUELA SOARES

EDITORA EXECUTIVA: MANUELA VENTURA

PUBLICIDADE: ARMANDO SÁ, CARLA BORGES

CHEFE DE REDACÇÃO: MANUEL DE SOUSA

E EMANUELA SOARES

TEXTOS: JOANA MARTINS

IMPRESSÃO: FIG - INDÚSTRIAS GRÁFICAS, S. A.

DIRECÇÃO COMERCIAL: MÁRIO RASTEIRO

TIRAGEM: 12 500 EXEMPLARES


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:38

Page 5

a Adega - Quinta dos Três Pinheiros

TIPO DE GASTRONOMIA: Cozinha Regional Portuguesa

EVENTOS: Empresariais - Reuniões - Palestras - Eventos Sociais Cerimónias Nupciais - Baptizados - Exposições Apresentação de Colecções LUGARES SENTADOS: 120 lugares PAGAMENTO: Todas as formas de pagamento

MORADA: Estrada Nacional nº 1 Sernadelo 3050-382 Mealhada TELEFONE: 231 202 391 FAX: 231 203 417 E-MAIL: geral@trespinheiros.com WEB PAGE: www.trespinheiros.com HORÁRIO: 12h00 - 15h00 19h30 - 22h00

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

ESPECIALIDADES: Salada de Marisco com Frutas Tropicais, Paelha de Marisco, Bacalhau à Três Pinheiros, Arroz de Tamboril, Leitão Assado à Bairrada, Chanfana à Bairrada, Cabrito no Forno à Transmontana, Arroz de Pato à Antiga, Bife com Pimenta.

05


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:39

Page 6

A Cantarinha

TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa ESPECIALIDADES: Tibornada de Polvo, Feijoada de Búzios, Bacalhau à Casa Gratinado, Robalo Escalado, Bife de Espadarte Grelhado, Bife de Atum Grelhado.

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

MORADA: Travessa da Rua das Tamargueiras, nº 3 Buarcos 3080-289 Figueira da Foz

06

PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 15 € LUGARES SENTADOS: 80 lugares

TELEFONE: 233 432 801

PAGAMENTO: Multibanco

HORÁRIO: 12h00 - 14h30 19h00 - 22h30

DESCANSO SEMANAL: Segunda-feira


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:39

Page 7

A Taberna

TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional, a Lenha ESPECIALIDADES: Entradas Tradicionais, Bacalhau com Batata a Murro, Polvo Assado, Cabrito Assado, Chanfana, Vitela à Lafões, Posta Mirandesa, Doces Conventuais

LUGARES SENTADOS: 38 lugares + 15 lugares PAGAMENTO: Todas as formas de pagamento

MORADA: Rua dos Combatentes da Grande Guerra, nº 86 3030 - 181 Coimbra

DESCANSO SEMANAL: Domingo (jantar) e Segunda-feira

TELEFONE: 239 716 265

ENCERRAMENTO FÉRIAS: 1 a 15 de Agosto

FAX: 239 780 034

E-MAIL: geral@restauranteataberna.com

HORÁRIO: 12h30 - 15h00 19h30 - 22h30

SITE: www.restauranteataberna.com

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 27,50 €

07


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:39

Page 8

Academia do Leitão

TIPO DE GASTRONOMIA: Leitão Assado

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

MORADA: Quinta da Ínsua - Azinhaga do Convento Velho 3020 Coimbra

08

MENU PARA GRUPOS: Entradas: Entradas Diversas e Miúdos de Leitão Prato Principal: Leitão Assado acompanhado com Batata Frita, Salada e Laranja Sobremesa Bebidas: Águas, Sumos, Cerveja, Vinhos da Casa Café PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 19 €

TELEFONE: 239 440 710

LUGARES SENTADOS: 300 lugares

HORÁRIO: 12h - 15h 19h - 00h

PAGAMENTO: Todos (excepto American Express)


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:39

Page 9

Baga

TIPO DE GASTRONOMIA: Cozinha Portuguesa ESPECIALIDADES: Farinheira à Brás com Tomate Confitado em Manjericão, Tarte de Leitão com Salada morna de Legumes, Tamboril salteado com Amêijoas à Bulhão Pato e Arroz do Baixo Mondego, Bacalhau do Lagar com Broa quente, Plumas de Perú com Morcela da Beira e Queijo Ilha, Cabrito assado no forno, Arroz doce de Coimbra com Ovos-moles de Aveiro, Cheesecake com Doce de Goiaba e Sorvete de Manga

LUGARES SENTADOS: 60 lugares E-MAIL: d.comercial@ambientesperfeitos.pt SITE: www.ambientesperfeitos.pt / www.trypcoimbra.com

MORADA: Hotel Tryp Coimbra Av. Armando Gonçalves Lote 20 3000-059 Coimbra TELEFONE: 239 480 800 / 913 616 303 HORÁRIO: Dom. a Quinta: 12h30 - 14h30 / 19h30 - 22h30

Sexta e sábado: 12h30 - 14h30 / 19h30 - 23h00

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 25 €

09


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:39

Page 10

Caçarola Dois

TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa ESPECIALIDADES: Mariscada Especial, Caldeirada de Peixe à Pescador, Cataplana de Peixes e Gambas, Traineira de Peixes, Naco de Novilho na Pedra e Espetada de Lombinhos com Gambas PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 15 €

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

LUGARES SENTADOS: 110 lugares

10

MORADA: Rua Bernardo Lopes, 85-89 3080 Figueira da Foz

PAGAMENTO: Todas as formas de pagamento FÉRIAS: 15 dias em Maio e 15 dias em Novembro

TELEFONE: 233 425 347 / 233 426 930

E-mail: info@cacaroladois.com

FAX: 233 425 278

SITE: www.cacaroladois.com

HORÁRIO: 09h30 - 01h00 Sextas e Sábados: 09h30 - 02h00


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:40

Page 11

Cantinho dos Reis

TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa ESPECIALIDADES: Bacalhau à Lagareiro, Cozido à Portuguesa, Arroz de Tamboril, Naco na Pedra com Arroz de Feijão, Porco Preto na Brasa, Chanfana à Moda de Miranda do Corvo, Lombinhos de Porco na Telha

LUGARES SENTADOS: 120 lugares + 60 lugares na esplanada PAGAMENTO: Multibanco, Visa, dinheiro

MORADA: Terreiro da Erva, nº 16-17 3000 Coimbra TELEFONE: 239 824 116 TELEMÓVEL: 969 083 192 HORÁRIO: 9h00 - 24h00

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

PREÇO MÉDIO POR PESSOA: Diária: 7 € (inclui bebida, café e sobremesa) À Lista: entre 10/12,5 € (inclui bebida, café e sobremesa)

11


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:40

Page 12

Casa das Marquinhas

TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

ESPECIALIDADES: Enguias Fritas, Caldeirada de Enguias, Bife à Casa, Bacalhau à Casa, Chocos Grelhados, Cherne Grelhado, Linguado Grelhado, Espetada de Carne, Espetada de Lulas, Enguias Doces.

12

PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 15 € MORADA: Armazéns de Lavos 3090-457 Lavos Figueira da Foz TELEFONE: 233 946 399

LUGARES SENTADOS: 65 lugares PAGAMENTO: Todas as formas de pagamento E-MAIL: info@rainhadasenguias.com

HORÁRIO: 10h00 - 24h00

SITE: www.rainhadasenguias.com


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:40

Page 13

Cova Funda - “Español”

TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa ESPECIALIDADES: Churrascão, Mariscos, Bacalhau, Todo o tipo de Grelhados, Lampreia na época PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 10 / 12,50 €

PAGAMENTO: Multibanco

MORADA: Rua da Sofia, nº 117 3000 Coimbra

DESCANSO SEMANAL: Domingos e Feriados

TELEFONE: 239 825 195 HORÁRIO: 07h00 - 24h00

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

LUGARES SENTADOS: 100 lugares

13


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:40

Page 14

Dom Duarte II

UM RESTAURANTE, DOIS AMBIENTES DIFERENTES TIPO DE GASTRONOMIA: Regional e Tradicional Portuguesa

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

MORADA: Rua de Moçambique, nº 34 3030 - 062 Coimbra

14

TELEFONE: 239 701 461 FAX: 239 701 461 HORÁRIO: 12h00 - 15h00 19h00 - 23h00

ESPECIALIDADES: Marisco Vivo, Peixe Fresco, Sapateira Recheada, Amêijoa à Bolhão Pato, Paelha de Marisco, Arroz de Marisco, Polvo à Lagareiro, Parrilha Criola com Mandioca, Posta de Carne à Mirandesa, Cabrito Assado à Padeiro (ao Domingo, por encomenda), Cabrito no Churrasco, Picanha à Dom Duarte, Chateaubriand, Tornedó à Americana, Costeleta de Novilho no Churrasco, Arroz de Pato à Moda Antiga. SALAS CLIMATIZADAS ACEITAM-SE RESERVAS PARA GRUPOS SERVIÇO DE ESPLANADA NA ÉPOCA LUGARES SENTADOS: 130 lugares PAGAMENTO: Multibanco


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:40

Page 15

Paladar da Alma Dona Xêpa

TIPO DE GASTRONOMIA: Culinária Tradicional Brasileira e Portuguesa ESPECIALIDADES: Moquecas, Bobó de Camarão, Camarão na Moranga, Camarão à Xepa, Rabo de Boi à Mineira, Filé à Parmegiana, Picanha, Costela Gaucheira, Filetes de Polvo com Migas, Polvo Salteado com Gambas, Cabrito Grelhado, Plumas de Porco Preto com Abacaxi, Bacalhau com Crosta de Broa PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 17,50 € / Diárias Semanais ao Almoço a 8 €

PAGAMENTO: Todos (excepto American Express) DESCANSO SEMANAL: Domingo e 2ª feira (almoço) E-MAIL: donaxepa.geral@gmail.com SITE: www.restaurantedonaxepa.com

MORADA: Rua António Pinho Brojo, lote 56 A - Quinta da Romeira 3030-784 Coimbra TELEFONE: 918 819 403 / 966 149 282 HORÁRIO: 2ª feira: 19h30 - 24h00 3ª a 5ª feira: 12h30 -15h00 / 19h30 - 24h00 6ª feira e sábado: 12h30 -15h00 / 19h30 - 02h00

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

LUGARES SENTADOS: 70 lugares

15


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:40

Page 16

Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra (EHTC)

TIPO DE GASTRONOMIA: Cozinha Regional, Cozinha Tradicional Portuguesa, Cozinha Internacional, Cozinha de Fusão, Cozinha Gourmet

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

MORADA: Rua Teófilo Braga (Quinta da Boavista, ao Pólo II da Universidade de Coimbra) 3030-076 Coimbra

16

TELEFONE: 239 007 000 (geral EHTC) 239 007 034 (directo Rest.) HORÁRIO: 2ª a 6ª: 13h00 - 15h00 2ª a 5ª: 20h00 - 22h30 Reservas exclusivamente por marcação

ESPECIALIDADES: Com vista para o rio Mondego e cidade de Coimbra, apresenta um variado conjunto de propostas gastronómicas e de serviço, com origem nos conteúdos programáticos que os formadores trabalham com os seus alunos, pois trata-se de um restaurante de aplicação pedagógica. Destacam-se como principais características deste espaço, para além do ambiente tranquilo e da luz natural da sala, o respeito pela tradição e classicismo da arte da restauração, com introdução de importantes notas de inovação e modernidade, acompanhando a constante evolução do mercado turístico e hoteleiro do país e do mundo. No Restaurante da Escola de Hotelaria e Turismo de Coimbra, o cliente tem ainda a oportunidade de ser parte ativa no processo de formação de futuros profissionais do turismo, pois enquanto almoça ou janta assiste ao desenvolvimento de uma aula prática de serviço de restaurante, degustando o produto das outras componentes letivas e técnicas, a cozinha e a pastelaria, realizando também o seu próprio juízo e avaliação sobre o trabalho e desempenho dos alunos. PREÇO MÉDIO POR PESSOA: sob consulta LUGARES SENTADOS: 80 lugares E-MAIL: ehtc.restaurante@turismodeportugal.pt


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:40

Page 17

Fugas

TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa com Apontamentos de Cozinha Internacional ESPECIALIDADES: Bacalhau à Lagareiro, Bacalhau no Forno, Bacalhau com Broa, Bacalhau à Lafões, Raia à Lagareiro, Polvo à Lagareiro, Entrecôte com Molho de Natas, Saltimboca à Fugas, Francesinha

PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 9 € / 10 € LUGARES SENTADOS: 32 lugares + 8 lugares balcão PAGAMENTO: Multibanco e Dinheiro DESCANSO SEMANAL: Domingos e Feriados E-MAIL: geral@restaurantefugas.com SITE: www.restaurantefugas.com www.facebook.com/restaurantefugas

MORADA: Rua António Vasconcelos, 17/19 3000-053 Coimbra TELEFONE: 239 827 195 HORÁRIO: 10h30 - 02h00

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

SERVIÇO DE TAKE AWAY

17


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:41

Page 18

Fusion Lounge Music Bar (Grupo Cerveja e Companhia)

TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa ESPECIALIDADES: Almoços - Prato Económico Jantares por marcação LUGARES SENTADOS: 100 lugares PAGAMENTO: Multibanco e Dinheiro

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

E-MAIL: fusion.cervejacompanhia@gmail.com

18

MORADA: Rua Infanta D. Maria, 23 (Pavilhão AAC/OAC) 3030-330 Coimbra TELEFONE: 239 051 954 HORÁRIO: 2ª a 6ª: 09h00 - 03h00 Sábado e domingo: 10h00 - 03h00

FACEBOOK: http://pt-br.facebook.com/pages/FusionBar/230097977016674


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:41

Page 19

Garfadas

ESPECIALIDADES: Bacalhau à Garfadas, Espiritual e com Natas, Chanfana, Leitão à Bairrada, Arroz de Pato, Cozido à Portuguesa, Saladas Frias, Frango de Churrasco, Francesinhas e também Doces Tradicionais Oferecemos um leque variado de pratos quentes e de saladas frias. Servimos refeições completa (pão, sopa, copo de vinho/sumo ou água, prato de carne ou peixe, sobremesa e café) a partir de 4,80 €. Servimos refeições a qualquer hora do dia, assim como comida para fora. Conte ainda com o serviço de cafetaria e esplanada, para pequenos-almoços e lanches igualmente económicos, como é o exemplo o Menú Café + Pastel de Nata a 0,80 €. PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 4,80 €

MORADA: 1º Piso Freixial Shopping 3060-228 Cantanhede

LUGARES SENTADOS: 120 lugares

TELEFONE: 231 410 747

SITE: www.freixialshopping.com

HORÁRIO: 09h00 - 21h00

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

TIPO DE GASTRONOMIA: Cozinha Tradicional Portuguesa

19


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:41

Page 20

Giuseppe & Joaquim

TIPO DE GASTRONOMIA: Portuguesa e Italiana ESPECIALIDADES: Bacalhau no Pão, Carnes Grelhadas a Carvão, Açordas (Pargo, Bacalhau, Gambas), Arroz de Cabidela, Peixe Fresco Diário e Gelados, Pizzas Forno a Lenha, Pastas Italianas. PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 15 / 17 €

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

LUGARES SENTADOS: 350 lugares

20

PAGAMENTO: Todos (Excepto American Express) MORADA: Rua da Sota, nº 12 3000-010 Coimbra TELEFONE: 239 098 990 HORÁRIO: 12h00 - 24h00

E-MAIL: reservas@giuseppe-joaquim.com SITE: www.giuseppe-joaquim.com


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:41

Page 21

Jardim da Manga

"Desfrute das nossas iguarias e deslumbre-se com um momento único." TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa ESPECIALIDADES: Cozido à Portuguesa, Costeleta de Novilho no Churrasco, Bife à Casa, Bacalhau (diversas receitas), Peixe Fresco Grelhado, Sobremesas Caseiras Variadas, Fruta da Época Laminada, Doces Conventuais.

LUGARES SENTADOS: 108 lugares + 50 lugares na esplanada (Fumadores) PAGAMENTO: Todas as formas de pagamento DESCANSO SEMANAL: Sábado E-MAIL: restaurante@jardimdamanga.net WEB PAGE: www.jardimdamanga.net

MORADA: Rua Olímpio Nicolau Rui Fernandes 3000-303 Coimbra TELEFONE: 239 829 156 TELEMÓVEL: 962 814 541 HORÁRIO: 8h00 - 23h00 (também c/ serviço de cafetaria)

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

Todos os dias temos um leque variado de pratos de Cozinha Tradicional Portuguesa e Regional. Jantares para grupos e Serviço de Take-Away

21


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:41

Page 22

O Grazina

TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa ESPECIALIDADES: Enguias Fritas com Batata Frita, Caldeirada de Enguias com Ensopado, Polvo à Lagareiro, Lulas à Casa, Bife à Palhaço, Costeleta de Novilho. PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 15 €

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

LUGARES SENTADOS: 60 lugares

22

MORADA: Largo dos Armazéns de Lavos nº 1 3090-451 Lavos

PAGAMENTO: Todas as formas de pagamento DESCANSO SEMANAL: Segunda-feira

TELEFONE: 233 946 423

E-MAIL: info@casadasenguias.com

HORÁRIO: 10h00 - 24h00

SITE: www.casadasenguias.com


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:42

Page 23

O Telheiro

TIPO DE GASTRONOMIA: Cozinha Tradicional Portuguesa ESPECIALIDADES: Cabrito Recheado, Costeletas de Novilho Grelhado, Cabrito de Churrasco, Espetada à Telheiro, Picanha, Naco de Novilho, Peixes Frescos Grelhados, Robalo Assado no Forno, Bacalhau à Lagareiro, Sobremesas Caseiras. PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 12,50 / 15 €

PAGAMENTO: Multibanco e Visa DESCANSO SEMANAL: Domingo SITE: http://telheirocoimbra.com

MORADA: Rua do Padrão, nº 262 3000 - 312 Coimbra TELEFONE: 239 492 345 919 026 017 / 918 832 615 HORÁRIO: 12h00 - 15h00 19h00 - 23h00

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

LUGARES SENTADOS: 90 lugares

23


GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

guia gastronomico

24

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:42

Page 24


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:42

Page 25

Praxis

TIPO DE GASTRONOMIA: Cervejaria / Brasserie

PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 12/15 € LUGARES SENTADOS: 80 lugares Não Fumadores + 150 lugares Fumadores

MORADA: Urbanização Quinta da Várzea, lote 29 3040-000 Coimbra TELEFONE: 239 440 207

PAGAMENTO: Todos os tipos de pagamento

FAX: 239 989 891

E-MAIL: cervejaria@praxis.pt

HORÁRIO: 10h30-02h00 c/ Cozinha sempre Aberta

SITE: www.praxis.pt

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

ESPECIALIDADES: Cerveja Artesanal com Água de Coimbra, Bifes da Vazia ou Lombo de Rezes de Pasto Açoriano e Nacional, Eisbein (Pernil Fumado Assado no Forno), Marisco, Peixe Fresco, Arroz, Cataplanas, Paelhas de Marisco, Arroz Tamboril com Gambas.

25


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:42

Page 26

Prazeres da Carne

MORADA: Quinta da Várzea (Rotunda da Quinta das Lágrimas) 3040 Coimbra TELEFONE: 239 440 140 TELEMÓVEL: 916 603 617 HORÁRIO: 12h00 - 15h30 19h00 - 24h00

O verdadeiro churrasco à brasileira ao ritmo dos sons brasileiros (cantados ao vivo) e vista para a parte histórica da cidade - Universidade de Coimbra. Situado junto ao Rio Mondego, Parque Verde da Cidade. Delicie-se e depois "dê uma esticada" até aos bares das Docas de Coimbra. TIPO DE GASTRONOMIA: Churrascaria Brasileira ESPECIALIDADES: Rodízio à Brasileira, Rodízio de Picanha, Bacalhau à Lagareiro, Polvo à Lagareiro, Moquecas, Caipirinhas

GPS: 40.195155,-8.431197

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

Música ao vivo todos os dias

26

PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 17,50 € LUGARES SENTADOS: 85 lugares PAGAMENTO: Todos os tipos de pagamento E-MAIL: prazeresdacarnequintadaslagrimas@hotmail.com


guia gastronomico

1 a 39.qxp

QB

20-10-2011

23:42

Page 27

Questão de Balança

TIPO DE GASTRONOMIA: Portuguesa / Estrangeira / Take-Away ESPECIALIDADES: Entradas, Bacalhau, Bifes, Sobremesas. PREÇO MÉDIO POR PESSOA: (Almoço) Prato do dia, Bebida e Café - 7,90 €

PAGAMENTO: Multibanco e dinheiro

MORADA: Rua Bernardo Albuquerque, 66 R/C 3000-071 Coimbra

Parceiros Estamos Aí para entregas

TELEFONE: 239 482 516

E-MAIL: qbcoimbra@gmail.com

HORÁRIO: 12h00 - 24h00

SITE: www.qbcoimbra.com

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

LUGARES SENTADOS: 15 lugares na sala + 26 lugares na esplanada coberta

27


GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

guia gastronomico

28

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:42

Page 28


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:43

Page 29

Rest. Piscinas do Mondego

TIPO DE GASTRONOMIA: Cozinha Tradicional Portuguesa

PREÇO MÉDIO POR PESSOA: Almoço (2ª a 6ª): 10 € Almoço (Sáb./Dom.) e Jantares (Seg. a Sáb.): 14 € LUGARES SENTADOS: 65 lugares + 10 lugares em sala reservada PAGAMENTO: Multibanco e Visa DESCANSO SEMANAL: Domingo à noite E-MAIL: reservaspiscinasdomondego@gmail.com SITE: www.piscinasdomondego.com

MORADA: Rotunda das Lajes - Santa Clara, Parque Verde do Mondego, junto ao Rio Mondego - Margem Esquerda - Complexo Piscinas 3041-901 Coimbra TELEFONE: 239 441 591 TELEMÓVEL: 914 824 042 / 912 664 223 HORÁRIO: Cafetaria/Esplanadas: 11h30 - 02h00 Refeições/Cozinha: Almoço: 12h00 - 15h00 Jantar: 19h00 - 22h30

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

ESPECIALIDADES: Espetada de Vitela Típica com Molho de Manga, Tornedó com Molho de Pimenta Preta, Lombo de Veado, Bacalhau com Broa, Espetada de Lulas e Gambas, Cataplanas (À Pescador, Terra e Mar, Amêijoa e Vegetariana). Também disponível: Menú Diário (Almoço) - tudo Incluído, Menú Vegetariano, Menú Infantil, Menús Proporcionais de Grupo, Carta de Vinhos com mais de 70 referências de qualidade.

29


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:43

Page 30

Sal e Brasa

TIPO DE GASTRONOMIA: Cozinha Brasileira ESPECIALIDADES: Rodízio à Brasileira e Picanha. PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 20 €

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

LUGARES SENTADOS: 86 lugares

30

MORADA: Rua Fausto Gonçalves, nº 42 A 3030-424 Coimbra

PAGAMENTO: Multibanco, Visa e Dinheiro

TELEFONE: 239 083 406

E-MAIL: salebrasacoimbra@gmail.com

TELEMÓVEL: 915 748 317

SITE: http://salebrasa.amawebs.com

HORÁRIO: 12h00 - 15h30 19h00 - 23h00


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:43

Page 31

Tivoli Caffè Coimbra

ESPECIALIDADES: Robalo ao Forno c/ Cupita de Porco Preto em Cama de Batata-Doce e Espinafres Salteados, Costeletinhas de Borrego Grelhadas c/ Batata Rosti e Molho de Pesto

MORADA: Rua João Machado nº 4 3000-226 Coimbra

PREÇO MÉDIO POR PESSOA: 20 €

TELEFONE: 239 858 300

LUGARES SENTADOS: 20 lugares

FAX: 239 858 345

PAGAMENTO: aceitamos todos os cartões de crédito

HORÁRIO: 12h00 - 22h00

SITE: www.tivolicoimbra.com

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

TIPO DE GASTRONOMIA: Cozinha de autor

31


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:43

Page 32

Virabrasa

- Olivais

Dê mais valor à vida. Divirta-se e deixo-nos cozinhar para si! TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa com Serviço de Take-Away, Self ESPECIALIDADES: Pato c/ Arroz, Bacalhau Escondido na Broa, Polvo à Lagareiro, Cozido à Portuguesa, Migas, Esparregado, as nossas deliciosas sobremesas feitas por nós.

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

Delicie-se com os nossos bolos de aniversário por encomenda, broinhas de Natal e ainda Cabrito, Perú Recheado, entre outros Grupos por marcação

32

MORADA: Rua Flávio Rodrigues, loja 2 (Nó dos Olivais) 3030 Coimbra TELEFONE: 239 780 666 969 026 165 / 913 635 731 HORÁRIO: 11h30 - 15h00 18h30 - 23h00

LUGARES SENTADOS: 100 lugares PAGAMENTO: Multibanco DESCANSO SEMANAL: Domingo (ao jantar) E-MAIL: contactos@virabrasa.com SITE: www.virabrasa.com


guia gastronomico

1 a 39.qxp

Virabrasa

20-10-2011

23:43

Page 33

- Vale das Flores

MORADA: Rua Dr. Alberto Castro, nº 9 - Chãs - Alto S. João 3030 Coimbra Venha conviver connosco. Nós fazemos a festa e o preço, uma agradável surpresa! TIPO DE GASTRONOMIA: Tradicional Portuguesa ESPECIALIDADES: Cozido à Portuguesa, Polvo à Lagareiro, Arroz de Pato à Antiga, Bacalhau à Lagareiro, Arroz de Polvo, Grelhada Mista

TELEFONE: 239 780 666 TELEMÓVEL: 915 413 336 HORÁRIO: 11h30 - 15h00 18h30 - 23h00

Sala de Jantar para 150 pessoas à carta.

LUGARES SENTADOS: 260 lugares PAGAMENTO: Multibanco E-MAIL: contactos@virabrasa.com SITE: www.virabrasa.com

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

Grupos por marcação.

33


guia gastronomico

1 a 39.qxp

21-10-2011

10:31

Page 34

Alimentação diária mais saudável A alimentação que fazemos no dia-a-dia influencia não só a nossa saúde, mas também o nosso desenvolvimento e estado de espírito. É por isso que existem algumas regras a seguir, nomeadamente, e tendo como base, a roda dos alimentos. Este instrumento de educação alimentar visa guiar os hábitos da população em termos de nutrientes, contendo, ao centro, o elemento água. Encontramos depois as sub-divisões, nomeadamente cereais e derivados e turbérculos, que ocupam 28 por cento da roda. Logo de seguida estão os alimentos hortícolas, com 23 por cento, e a fruta, com 20 por cento. Os lacticínios ocupam um espaço de 18 por cento e 5 por cento é a percentagem atribuída a carne, pescado e ovos. Por fim as leguminosas com 4 por cento e as gorduras e óleos com apenas 2 por cento. Existem várias dicas consistentes com um estilo alimentar saudável, começando por fazer uma alimentação o mais variada possível. É ainda importante tomar sempre o pequeno-almoço e evitar estar mais de três horas e meia sem comer. Também aconselhável é reduzir o consumo total de gordura, em especial da gordura saturada (existente principalmente em produtos de origem animal).

34

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

Para a prossecução de um estilo de vida saudável importa não utilizar gorduras que foram sobreaquecidas ou óleos queimados, bem como privilegiar sempre o consumo do azeite em relação às outras gorduras, tanto para cozinhar, como para temperar os pratos. Existem ainda outros conselhos relevantes, como o aumento do consumo de hortaliças, frutas e legumes, o consumo de peixes e carnes magras, como aves ou coelho, e a diminuição do consumo de sal. Para uma alimentação saudável contribuem também a não ingestão de açúcar e produtos açucarados, o consumo de água simples em abundância ao longo do dia e a fuga aos fritos em prol de métodos de culinária como estufados, cozidos e grelhados. Nos casos de consumo de bebidas alcoólicas, deve-se fazê-lo com moderação.


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:43

Page 35


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:44

Page 36

Estudo mostra valor nutritivo da folha de oliveira na alimentação animal

A Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD), em Vila Real, está a investigar a olivicultura em áreas que vão desde o aproveitamento da folha de oliveira na alimentação animal ao tratamento dos efluentes dos lagares de azeite. Uma equipa de investigadores UTAD tem vindo a desenvolver trabalhos que visam a valorização da folha da oliveira na alimentação animal. Portugal, Espanha, Itália, França e Grécia representam cerca de 73 por cento da produção mundial de 2,5 milhões de toneladas de azeite. Por sua vez, a folha da oliveira representa cerca de um milhão de toneladas de material remanescente após o processo de apanha das azeitonas. A valorização deste coproduto na alimentação animal pode ter, segundo o investigador Miguel Rodrigues, importantes benefícios económicos e sociais e reduzir um problema de poluição ambiental. A UTAD está a estudar o valor nutritivo da folha de oliveira na alimentação animal, através dos efeitos da incorporação deste produto, sem tratamento e sujeitas a tratamento prévio com fungos, nas performances de crescimento dos coelhos. "Observou-se que níveis de incorporação superiores a cinco por cento têm efeitos negativos mas que estes podem ser reduzidos com o tratamento biológico", refere o estudo. Estão ainda a ser avaliadas as propriedades antioxidantes destas folhas e o seu efeito sobre a capacidade antioxidante da carne de suíno. "Para níveis de

36

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

incorporação de cinco por cento de folha de oliveira na alimentação do porco foram observados efeitos positivos na capacidade antioxidante, o que poderá contribuir para um aumento do período de conservação da carne", explicou o investigador. João Claro, docente do Centro de Química da UTAD, desenvolveu o projecto BioCombus, que conta com um financiamento comunitário de 1,16 milhões de euros e está ser concretizado através de uma parceria com Cooperativa Agrícola dos Olivicultores de Murça. De momento está em construção a linha de produção do protótipo, que deverá entrar em funcionamento em Março de 2012 para tratar os resíduos desta campanha de apanha de azeitona. Os efluentes da produção de azeite, as chamadas águas ruças, representam um problema ambiental muito complexo, já que têm uma carga poluente 200 a 400 vezes superior ao esgoto doméstico. Fazendo uma média da produção de azeite a nível nacional, a totalidade das águas ruças que são produzidas correspondem à produção equivalente de 2,5 milhões de pessoas. O investigador propôs-se resolver dois problemas em simultâneo, os resíduos e efluentes resultantes dos sectores oleícola e da cortiça, juntando-os e transformando-os em biomassa, que poderá ser utilizada como combustível sólido para caldeiras domésticas. O processo que será implementado dá origem a um produto que revela um poder calorífico dos mais elevados existentes no mercado em termos de biomassa.


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:44

Page 37

A importância das leguminosas na alimentação humana Deste grupo de produtos fazem parte vários tipos de feijão como sejam o feijão vermelho, manteiga , frade e catarino passando ainda pelo grão de bico, lentilhas, ervilhas e pela fava. Estas são as leguminosas mais conhecidas das famílias portuguesas. No entanto, apesar do seu consumo estar enraizado, muitos desconhecem os benefícios que estes alimentos podem trazer à saúde. A sua pequena dimensão esconde o seu elevado potencial nutricional. Podemos elencar diversos benefícios: - composição nutricional rica em proteínas, que ajuda à manutenção dos tecidos do organismo, são igualmente ricos em hidratos de carbono complexos que fornecem energia ao organismo - é um alimento para todos, destaca-se as suas vantagens para grávidas e para o desenvolvimento dos bebes uma vez que contêm acido fólico e luteína, dois nutrientes essenciais ao bom desenvolvimento humano

- zinco, magnésio, potássio, manganês fósforo e vitamina B1 são fundamentais para o bom funcionamento do sistema nervoso. - apresentam-se como um alimento rico em fibras, desenvolvendo a fibra indestinal e regulando o seu trânsito.

A NEUTURA atenta às necessidades e têndencias de consumo Consciente da importância que as leguminosas podem representar para a qualidade da alimentação das famílias, na procura de refeições nutricionalmente equilibradas, a NEUTURA apresenta a sua gama de Leguminosas, uma proposta de qualidade a um preço acessível.

Esta empresa acredita que em tempos exigentes como os que vivemos, é possível oferecer aos clientes produtos de elevada qualidade nutricional a preços competitivos.

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

37


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

Consumo diário de água é essencial

23:44

Page 38

10 boas razões para momentos em que deve ter a água por perto: 1 - A saúde da pele é influenciada pelo consumo de água. Para além de torná-la mais brilhante e flexível, impede o seu envelhecimento precoce. 2 - Beberique sempre que possível! O sentir sede é sinónimo de que o nosso organismo já está ligeiramente desidratado. 3 - Nos dias muito quentes beba mais água. As águas naturais fornecem os elementos químicos essenciais ao equilibrado desenvolvimento e manutenção do organismo humano. 4 - Atenção aos idosos e crianças. Dois grupos que têm necessidades elevadas de água e esquecem-se com frequência de beber, ou porque não têm sede ou porque não gostam de água. Infusões de vários tipos e águas aromatizadas com teores reduzidos de calorias também podem ser uma opção para incentivar o consumo de água. 5 -Sabia que a desidratação potencia problemas renais? Beber água regularmente ao longo do dia torna a urina menos concentrada, forçando menos os rins. A urina abundante permite diluir melhor as substâncias tóxicas que o organismo produz e libertá-las melhor.

Ao falarmos de boa alimentação, não podemos esquecer a água, que é um complemento essencial e cujo consumo diário aconselhável são dois litros por dia, de acordo com as recomendações da Organização Mundial de Saúde. Além de ser o componente maioritário do corpo humano, a água é ainda o meio por onde se processam todas as reacções do nosso organismo, transporta nutrientes, regula a pressão sanguínea, participa no controlo da temperatura, mantém o equilíbrio dos ácidos, ajuda também a eliminar as impurezas e auxilia no processo da digestão. E porque o corpo humano está sempre a perder água, quer através da urina, suor ou respiração, é necessário repor o equilíbrio hídrico e beber cerca de dois litros de água por dia, conforme recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

38

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

6 - A hidratação nas grávidas é essencial, já que a água fica retida no saco amniótico, essencial para a protecção do bebé. Um consumo insuficiente de água pode contribuir, entre outros factores, para um parto prematuro. 7 - Pode e deve beber águas com gás depois das refeições. As propriedades do bicarbonato facilitam e garantem uma digestão mais eficaz dos alimentos. 8 - No trabalho, tenha sempre uma garrafa de água por perto. Todos os momentos são bons para repor os líquidos, em especial se trabalha num local com ar condicionado, que ajuda a secar o ambiente e contribui para a desidratação do organismo. 9 - Se tem fome… beba um copo de água. Muitas vezes essa impressão não passa de uma sensação de sede. Por outro lado, quando decidir comer, acaba por ingerir menos alimentos já que o estômago já ingeriu líquidos. 10 - Beba água antes, durante e no fim da actividade física. No fim, deve privilegiar-se as águas mais mineralizadas e com gás natural. A maior riqueza em sais minerais destas águas podem ajudar a uma absorção mais rápida e o seu bicarbonato ajuda a uma recuperação mais rápida do esforço físico.


guia gastronomico

1 a 39.qxp

20-10-2011

23:44

Page 39


guia gastronomico 40 a 68.qxp

21-10-2011

10:33

Page 40

Curiosidades sobre cerveja

O Porquê da espuma numa cerveja. A espuma da cerveja tem origem na proteína do cereal maltado, variando com a quantidade de proteína presente no cereal. E ainda serve como uma camada protectora aquando da sua tiragem, pois ajuda a preservar todas as suas características e temperatura. Assim como no vinho, na Cerveja existe uma categorização baseada nos diferentes tipos de cerveja existentes. As diferenças entre elas são determinadas pelo tipo de água, pelo processo de produção, pelos cereais maltados, pelos tipos de leveduras e pelo lúpulo. Os dois maiores grupos são as Lagers e as Ales. As Lagers são cervejas fermentadas e maturadas a temperaturas baixas (8-12ºC fermentação, -1-0ºC maturação). Dentro deste grupo existe a Pilsen que

40

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

na Praxis é Pilsener e também é conhecida pelo simples "fino" ou "imperial" em Portugal; tem uma côr levemente dourada, distingue-se pelo aroma suave a lúpulo. Existe a Bock que na Praxis é a Strong, tem uma cor escura, é encorpada, com aroma doce a malte com pouco lúpulo. E ainda a Munique que na Praxis é a Ambar que tem também uma cor escura e é caracterizada por uma espuma muito cremosa e pelos aromas de malte e caramelo. As Ales são cervejas produzidas quase que a uma temperatura ambiente (18-22ºC), sendo normalmente de cor escura e transmitem aromas fortes. Dentro deste grupo existe a Stout que na Praxis foi baptizada de Dunkel, é a nossa cerveja preta; tem uma cor escura com toques de cobre, caracterizase pelo aroma e travo a torrado. A Weiss é uma cerveja de 50-60% trigo e tem uma matriz dourada aspecto turvo, destaca-se pelo sabor e aroma intenso, com um aroma frutado a Banana e um pouco acido. Existe ainda as tipo Belgas com um aroma e gosto muito estruturado a fruta e especiarias. E as Porter que são escuras, são feitas com malte-chocolate e tem um gosto adocicado. Para além das Lagers e Ales existem as Lambics que se distinguem por ter uma fermentação livre, a partir do trigo e sem leveduras, ficando assim o trabalho da fermentação para os microorganismos que existem na região de Bruxelas. Podem ter os mais diversos aromas que vão dos mais frutados aos mais ácidos. Também existem as Trapist, que são consideradas por muitos as melhores cervejas do mundo, algumas chegam a ter 10 anos de "descanço", e são produzidas pelos monges da congregação religiosa da Ordem Trapista. CONSELHO PRAXIS


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:44

Page 41


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 42

Combater a volatilidade d o Comemorou-se no passado dia 16 de Outubro o Dia Mundial da Alimentação, uma data que tem como objectivo alertar e consciencializar a população para as questões globais relacionadas com nutrição e alimentação. Este dia assinalou também a fundação da FAO (Food and Agriculture Organization - Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação), que aconteceu no Canadá em 1945. Trata-se de uma organização cujo objectivo principal é elevar os níveis de nutrição e desenvolvimento rural. São objectivos do Dia Mundial da Alimentação, promover uma maior atenção à produção agrícola em todos os países e um maior esforço nacional, bilateral, multilateral e não governamental para este fim, bem como estimular a cooperação económica e técnica entre países em desenvolvimento. Ainda de destacar a importância da promoção da participação das populações rurais, especialmente das mulheres e dos grupos menos privilegiados, nas decisões e actividades que afectam as suas condições de vida. Para os resultados que se pretendem é ainda relevante aumentar a consciência pública sobre a natureza do problema da fome no mundo, promover a transferência de tecnologias para os países em vias de desenvolvimento, fomentar ainda mais o sentido de solidariedade nacional e internacional na luta contra a fome, a desnutrição e a pobreza e destacar os êxitos em matéria de desenvolvimento alimentar e agrícola. O Dia Mundial da Alimentação foi pela primeira vez comemorado em 1981, sendo que desde então em

42

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

cada ano é escolhida uma temática orientadora para a data, sobre a qual incidem as actividades comemorativas. Em 2011 a temática foi "Preços da Alimentação - Da Crise à Estabilidade". Jacques Diouf, director-geral da FAO, divulgou uma mensagem neste dia, salientando que o objectivo deste tema foi chamar a atenção para uma tendência que tem vindo a prejudicar os consumidores com menor poder de compra, o pequeno produtor e a agricultura em geral, face à volatilidade dos preços dos alimentos. Para o responsável, as causas da instabilidade de preços são bem conhecidas, com secas e inundações a contribuir para as baixas de stock e a agricultura sem condições para dar uma resposta suficientemente rápida. Jacques Diouf alerta ainda para o facto de oitenta milhões de pessoas nascerem a cada ano, criando maior necessidade de alimentos. Além disso, as políticas que distorcem o comércio agrícola e as políticas proteccionistas de trocas comerciais não estão isentas de culpa. No que toca à importação de alimentos, o aumento dos preços prejudica sobretudo os países pobres. Por outro lado, os agricultores também são afectados pela oscilação dos preços, algo que eles precisariam de saber antes da época da colheita para saberem a quantidade a semear. O director-geral da FAO aponta alguns caminhos, como uma maior coordenação de políticas no comércio internacional de alimentos e a eliminação de subsídios distorcidos ao comércio agrícola nos países ricos. Quanto à especulação o responsável sugere


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 43

d os preços dos alimentos mais e melhor informação, para que haja uma maior transparência no comércio e nos mercados futuros. A mensagem oficial do Dia Mundial da Alimentação fala ainda em reservas de alimentos de emergência, procurando assegurar o abastecimento de alimentos dos países mais pobres durante as crises. Por último,

Jacques Diouf defende um maior investimento na agricultura, particularmente nos países em desenvolvimento, onde estão 98 por cento das pessoas com fome e onde a produção de alimentos precisa de ser duplicada até 2050 para alimentar as populações em crescimento.

Datas: A Declaração Universal dos Direitos Humanos, em 1948, foi a primeira a reconhecer o direito à alimentação como um direito humano. Foi depois incorporado no Pacto Internacional sobre os Direitos Económicos, Sociais e Culturais (artigo 11), adoptado em 1966 e ratificado por 156 países que estão hoje vinculados pelas suas disposições. A 13 de Novembro de 1996 foi redigida a Declaração de Roma durante a Cúpula Mundial da Alimentação organizada pela FAO. Os 126 países membros da FAO apoiaram o documento que afirma o direito das pessoas a terem um alimento

seguro e nutritivo, bem como o direito fundamental a não sofrer de fome. No seguimento do Encontro Mundial Alimentar de 1996, o conselho da FAO adoptou as Orientações Voluntárias para Apoiar a Execução Progressiva do Direito ao Alimento no Contexto de Segurança Alimentar Nacional. Este conjunto de recomendações serve para construir uma ponte entre o reconhecimento legal deste direito e a sua concretização eficaz.

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

43


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 44

Opções “verdes” na alimentação Os vegetarianos são pessoas que optam por uma dieta alimentar composta por grãos, sementes, vegetais, cereais e frutas. Assim, deste menu alternativo não fazem parte carnes animais, havendo ainda quem exclua o consumo de lacticínios e ovos. São opções que podem basear-se em convicções pessoais, económicas, éticas, religiosas ou até em problemas de saúde. Certo é que a opção por uma alimentação "verde" parece ter um número cada vez maior de adeptos. Tomada a decisão de mudar de alimentação, esta

deve ser feita de forma progressiva, para que a adaptação do corpo seja gradual. Há vários factores a ter em conta quando se altera a dieta, nomeadamente em termos de saúde e de pressão social. Assim, é importante estar bem esclarecido acerca do vegetarianismo, bem como considerar o impacto das escolhas alimentares. Tomar contacto com a cozinha vegetariana também é importante para tornar a adaptação à nova dieta mais fácil. Um dos factores a ter em conta é também a resistência de amigos e familiares, sobretudo no que diz respeito às suas tradições alimentares.

Formas de vegetarianismo OVO-LACTO-VEGETARIANOS Além dos produtos de origem vegetal, comem lacticínios e ovos. OVO-VEGETARIANOS Os ovos estão incluídos na alimentação, mas o leite e seus derivados ficam de fora. LACTO-VEGETARIANOS Este grupo exclui os ovos da sua alimentação, mas não sentem necessidade de abdicar do consumo de lacticínios. VEGETARIANOS PUROS São todos aqueles que não comem ingredientes de origem animal como ovos, lacticínios, mel, gelatina, etc. VEGANOS São os chamados vegetarianos radicais por pertencerem a um grupo que não consome carne de animais (carne vermelha, aves,

44

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

peixe) nem produtos animais (ovos e lacticínios). Excluem ainda o mel e a gelatina e não usam produtos de origem animal como o couro, seda, lã e lanolina e os produtos testados em animais. Além disso rejeitam os espectáculos onde a exploração animal é motivo de entretenimento (circo, touradas, etc.). FRUGÍVOROS Também designados como frutívoros, os adeptos deste tipo de alimentação comem apenas frutos, grãos e sementes. Basicamente a diferença em relação aos veganos é que os frugívoros se recusam a comer alimentos que matam a planta. Evitam raízes (cenoura, batata, cebola) e rebentos (soja e alfafa). CRUDÍVOROS A opção deste grupo vai apenas no sentido dos alimentos crus. Apenas comem produtos no seu estado natural e, por norma, sem recurso a conservantes, temperos, fermentações ou preparos culinários.


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 45


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 46

Sugestão Graça Vaz LOMBO DE BACALHAU CONFITADO EM AZEITE VIRGEM DE SICÓ E ALECRIM, COM ESMAGADO DE BATATA E DESIDRATADO DE MORCELA DA BEIRA  Lombos  Azeite

de bacalhau virgem de Sicó

 Batata  Morcela

da beira

 Alecrim  Alho

seco

 Manteiga  Grelos

ou nabiças pretas

 Azeitonas

- Confitar os lombos de bacalhau em azeite abundante com alho seco esmagado e alecrim a 90º durante 12 minutos; - Colocar as rodelas de morcela num tabuleiro em cima de papel vegetal e levar ao forno o tempo que for necessário para desidratar;

- Cozer a batata com um pouco de sal; - Esmagar a batata com um garfo e juntar a morcela picada, misturar bem e ligar com um pouco de manteiga; - Guarnecer com nabiças ou grelos salteados no azeite do bacalhau e decorar com pepitas de azeitona crocante e folhas de alecrim glaceadas.

Graça Vaz FORMADORA E SUBCHEFE DE COZINHA DA ESCOLA DE HOTELARIA E TURISMO DE COIMBRA

A alimentação significa, necessariamente, um conjunto de fatores ou substâncias que o organismo precisa de receber do exterior para poder manter as suas funções vitais e garantir o funcionamento e sobrevivência do nosso corpo. Para isso temos que recorrer aos chamados géneros alimentícios ou produtos alimentares, dos quais obtemos os nutrientes, elementos necessários ao nosso organismo numa harmonia de quantidade e qualidade. Na medicina e na culinária considera-se que todas as refeições devem facultar cinco distintos sabores - picante, salgado, amargo, doce e ácido. Não esquecendo que tudo o que é por excesso não é bom, ingerindo grandes quanti-

46

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

dades destes sabores podemos danificar os órgãos do nosso aparelho digestivo, entre outros. Um bom técnico de cozinha tem que possuir as capacidades de criar e conjugar refeições para que haja um bom equilíbrio de sabores. Segundo a antiga teoria chinesa das cinco transformações:  O sabor doce tonifica o baço, pâncreas e o estômago,  O sabor picante estimula os pulmões e o intestino grosso;  O sabor salgado estimula os rins, a bexiga e os órgãos reprodutores;  O sabor ácido estimula o fígado e a vesícula;  O sabor amargo estimula o coração e o intestino delgado.


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

Sugestões...

23:45

Page 47

Henrique Sá Pessoa

ENTRADA CREME DE FEIJÃO BRANCO COM VIEIRA SALTEADA E COGUMELOS 250g de feijão branco previamente demolhado  1 cebola  1 rama de aipo  1 cenoura  1 folha de louro  1 ramo de tomilho 

50g de manteiga 120ml de natas  q.b. sal e pimenta  4 vieiras  4 cogumelos paris laminados  

Num tacho refogue ligeiramente 2 cebolas com 2 dentes de alho, o alecrim e um pouco de azeite. Junte o polvo ainda congelado, coloque o lume no mínimo, tape e deixe cozinhar cerca de 1 hora. Refogue em lume brando a restante cebola, 2 dentes de alho, o louro e o azeite. Deixe cozinhar até ficar tenra e tempere. Num tabuleiro coloque a batata-doce e leve a assar cerca de 45 minutos. Retire a casca e esmague bem com um garfo. Num tacho colocar um, pouco de azeite, o restante alho e os grelos. Misturar a batata-doce e temperar a gosto. Escorrer o polvo, cortar os tentáculos a gosto e acompanhar com a batata-doce e a cebolada.

SOBREMESA SOPA DE MORANGOS EM CALDA DE MANJERICÃO Num tacho coloque o feijão, a cebola, a cenoura, a rama de aipo, o louro, o tomilho, o sal e cubra com água fria. Coza cerca de 1 hora em lume brando. Escorra o feijão reservando o caldo e retire os legumes e as ervas aromáticas. Triture o feijão numa liquidificadora e vá adicionando caldo a gosto até obter um creme fino e termine com as natas e a manteiga. Numa frigideira saltear os cogumelos com um fio de azeite e temperar. Na mesma frigideira corar as vieiras cerca de 30 segundos de cada lado. Servir o creme quente acompanhado dos cogumelos e da vieira.

500g de morangos lavados e cortados em quartos  150g de açucar  200ml água  1 vagem de baunilha 

½ molho de manjericão 150ml de vinagre balsâmico  50g de mel  4 bolas de gelado de baunilha  

PRATO PRINCIPAL TENTÁCULOS DE POLVO COM BATATA-DOCE E GRELOS 1 polvo congelado(2Kg) 1kg batata-doce com casca lavada  350g de grelos cozidos  4 cebolas finamente laminadas  5 dentes de alho picados  2 folhas de louro  1 ramo de alecrim  q.b. de azeite  

Ferver o açucar com a água e a vagem de baunilha 5 minutos. Adicionar 5 folhas de manjericão, deixar em infusão 30 minutos e arrefecer a calda. Adicionar os morangos e deixar no frio cerca de 1hora. Ferver o vinagre balsâmico com o mel até obter um xarope. Arrefecer. Picar 4 folhas de manjericão e envolver nos morangos. Servir com o gelado e o xarope de vinagre balsâmico

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

47


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 48

Alguns produtos regionais que enriquecem a zona Centro QUEIJO RABAÇAL - DOP (Denominação de origem protegida) Entende-se por Queijo Rabaçal - DOP o queijo curado, de pasta semi-dura a dura, de cor branca-mate, com nenhuns ou poucos olhos irregulares e pequenos, forma cilíndrica, crosta uniforme, lisa, seca, ligeiramente untuosa, sem revestimento e de cor variando entre o branco e o amarelo-palha, sabor e aroma característicos, para os quais muito contribuem as pastagens da erva-de-santa Maria (tomilhinha) características da região do Sicó. O seu peso varia entre 300gr e 500gr. É elaborado de forma artesanal a partir da mistura de leites de ovelha e cabra na proporção de aproximadamente duas a uma partes de leite de ovelha para uma de leite de cabra, sendo a coagulação obtida por acção de coalho animal, resultando o queijo do esgotamento lento da coalhada. A área geográfica correspondente à produção do Queijo Rabaçal - DOP compreende os concelhos de Ansião e Penela e algumas freguesias dos concelhos de Alvaiázere, Condeixa-a-Nova, Pombal e Soure. É ideal como entrada ou sobremesa, podendo mesmo constituir uma refeição ligeira quando acompanhado por um bom vinho da região.

MEL DA SERRA DA LOUSÃ - DOP (Denominação de origem protegida) Mel da Serra da Lousã - DOP é o produto obtido por abelhas da espécie Apis melifera iberica em nectários florais da flora espontânea regional, onde predominam as ericáceas, como sejam a urze e o queiró, com maior ou menor presença de castanheiros. O Mel da Serra da Lousã - DOP é um mel mono floral de cor âmbar, âmbar escuro a quase negro e alta viscosidade. Apresenta um odor bastante acentuado, um paladar intenso e alguma adstringência devido ao néctar das urzes. A área geográfica correspondente à produção, extracção e acondicionamento do Mel da Serra da Lousã - DOP compreende os concelhos de Lousã, Miranda do Corvo, Figueiró dos Vinhos, Pedrógão Grande, Castanheira de Pêra, Pampilhosa da Serra, Arganil, Góis e Vila Nova de Poiares.

MAÇÃ BRAVO DE ESMOLFE - DOP (Denominação de origem protegida) A Maçã Bravo de Esmolfe - DOP deve o seu nome à aldeia de Esmolfe, no concelho de Penalva do Castelo, local onde deverá ter aparecido no séc. XVIII. Com origem mais que provável numa árvore de semente, esta variedade muito apreciada pelas características diferenciadoras dos seus frutos,

48

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

rapidamente se disseminou por concelhos vizinhos, tendo atingido o estatuto de variedade dominante em meados do século XX. Para isso muito terão contribuído as condições locais dos solos e as conjunturas climatéricas favoráveis, uma vez que tem uma grande necessidade do frio invernal para quebra de dormência. Com uma forma oblongo-cónica e um calibre que oscila entre o médio e o pequeno, a maçã bravo de Esmolfe apresenta uma polpa branca, macia, suculenta, doce e simultaneamente ácida, com boas qualidades gustativas, aroma intenso, agradável e bastante diferenciador. A área geográfica definida para a produção da Maçã Bravo de Esmolfe DOP, abrange os concelhos de Manteigas, Seia, Gouveia, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Guarda, Pinhel, Covilhã, Belmonte, Fundão, Arganil, Tábua, Oliveira do Hospital, Tondela, Santa Comba Dão, Carregal do Sal, Nelas, Mangualde, Penalva do Castelo, Sátão, Aguiar da Beira, Viseu, São Pedro do Sul, Vila Nova de Paiva, Castro Daire, Trancoso, Sernancelhe, Penedono, Moimenta da Beira, Tarouca, Lamego e Armamar. É excelente para consumir entre refeições ou no final da refeição como sobremesa, acompanhada de Queijo Serra da Estrela - DOP.

BORREGO SERRA DA ESTRELA - DOP (Denominação de origem protegida) O Borrego Serra da Estrela - DOP constitui um subproduto da produção do leite utilizado para a confecção do Queijo Serra da Estrela e é obtido a partir de animais filhos de pai e mãe inscritos no Livro Genealógico da Raça Bordaleira Serra da Estrela, cuja vocação é a produção leiteira. Os animais são criados de forma tradicional e são abatidos até aos 30 dias de vida, com peso vivo inferior a 12 quilos. Devido à forma de maneio tradicional, a carne do Borrego Serra da Estrela - DOP é particularmente macia e saborosa, de paladar bastante suave, com gordura intersticial e subcutânea bem distribuída. A área geográfica correspondente à produção do Borrego Serra da Estrela - DOP compreende os concelhos de Carregal do Sal, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde, Manteigas, Nelas, Oliveira do Hospital, Penalva do Castelo e Seia e algumas freguesias dos concelhos de Aguiar da Beira, Arganil, Covilhã, Guarda, Tábua, Tondela, Trancoso e Viseu. A carne do Borrego Serra da Estrela - DOP é ideal para a confecção de receitas tradicionais beirãs, onde assume principal destaque o borrego assado em forno de lenha.

Fonte: http://www.turismodocentro.pt/


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 49


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 50

Dicas sobre vinho

1) A PROVA DO VINHO Qualquer pessoa normalmente dotada dos sentidos da visão, do olfacto e do paladar pode ser provadora de vinho. Provar vinhos é, em absoluto, uma actividade subjectiva e não é raro, mesmo em provadores experimentados, haver opiniões contraditórias sobre o mesmo vinho. A prova do vinho destina-se a conseguir dizer dele mais do um simples "gosto" ou "não gosto". Aprenda a segurar no copo pelo pé para não afectar a temperatura do vinho, a menos que queira deliberadamente aumentar a sua temperatura. Comecemos pelo exame visual, a parte menos importante da prova, mas da qual poderemos extrair alguns dados úteis. Inclinando o copo contra um fundo branco poderemos observar as diferentes tonalidades de cor. Normalmente, num tinto, quanto mais castanho mais velho será e, num branco, quanto mais forte for o dourado mais idade terá.

50

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

Cheirar o vinho é das fases mais importantes da prova. Aproxime o copo do nariz e verifique se o aroma é limpo, puro e atraente, se é intenso. Procure associar a sensação olfactiva a outros aromas que retenha na sua memória, frutas, especiarias, ou vegetais, etc... A complexidade aromática (quantidade de aromas diferentes e por vezes sucessivos) do vinho é naturalmente um factor de valorização. Passemos de seguida à prova de boca. Aqui procuramos avaliar o equilíbrio entre a doçura, a acidez, o álcool e o eventual amargo, a presença do tanino, o corpo e a persistência ( quanto tempo demora a sensação do vinho depois de engolido). Para terminar devemos também avaliar parâmetros menos objectivos mas de grande importância na classificação final do vinho, como são a harmonia entre todas as suas componentes ou a sua elegância. Para um apreciador de vinho o que verdadeiramente interessa é o prazer que dele retira, a forma como o


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 51

impressiona e, quando estamos perante um vinho grandioso, a capacidade que tem de nos emocionar! 2) VINHO E COMIDA Com o seu teor alcoólico relativamente baixo, acidez que estimula o apetite e ausência de sabores artificiais enjoativos, o vinho é o acompanhamento perfeito para a comida. Não estaremos longe da verdade se dissermos que um vinho bem escolhido fará com que a comida saiba melhor e o inverso também não é mentira. A regra mais importante quanto ao casamento de vinho e comida é que não há regras. Pode-se beber qualquer vinho com qualquer comida. A ausência de preconceitos e a abertura de espírito devem ser atitudes a preservar. Sem prejuízo de o leitor consultar as inúmeras tabelas de harmonias publicadas na literatura nacional e estrangeira, adiantamos aqui algumas orientações muito simples que podem ajudar a tirar o melhor partido de cada tipo de comida e de vinho. O aspecto mais importante dum vinho para casar com comida não é a cor mas sim o corpo. O segundo aspecto mais importante são os taninos nos tintos e a doçura nos brancos. Sirva comidas de sabor delicado com vinhos de corpo mais leve e sirva comidas mais fortes com vinhos mais encorpados. Não se importe de servir um tinto mais ligeiro com um prato de peixe. Os tintos com mais tanino funcionam bem com carnes vermelhas sem molhos. Um branco de corpo médio e perfil seco pode acompanhar bem um queijo da serra. Um Vinho do Porto Vintage liga bem com sobremesas de chocolate preto e um espumante pode ser boa companhia desde o principio ao fim de uma refeição. Para terminar não é demais lembrar que a adequada

temperatura de serviço dos vinhos é fundamental para a sua apreciação, bem como o tipo de copos a utilizar. Aconselhe-se numa loja da sua confiança!

Valdemar Simões Loja Dom Vinho e Outros Parentes Nobres

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

51


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 52

Sugestões... Telma Bernardino MANJAR BRANCO DE COIMBRA Quantidade: 4 pessoas  Leite 0.5L  Caldo da cozedura das galinhas 0.5L  Amido 80 G  Açúcar 300 G

PASTÉIS DE SANTA CLARA Massa  Farinha 250 G  Margarina massa 100 G

 Ovos 1  Água qb.

Preparação: Juntar a farinha, a margarina e os ovos e deixar amassar. Juntar água se necessário. Apresentação: Empratamento: Coloca-se a redução de Vinho do Porto no prato com a disposição desejada, seguidamente o manjar branco. Com o recheio dos Pastéis de Santa Clara faz-se duas quenelles e dispõe-se perto do manjar. Decora-se a gosto.

Numa taça adiciona-se o açúcar e o amido e dissolve-se com um pouco do caldo da cozedura das galinhas. Leva-se o leite a ferver e verte-se em fio para o preparado anterior. Volta novamente ao lume sempre a mexer com colher no fundo em forma de cruz até engrossar bem. Unta-se a forma com gordura, coloca-se caramelo no fundo e o preparado. Levar ao frio para solidificar. Recheio:  Calda a 117º 0.25 L  Gemas 10  Amêndoa torrada 100 G (em farinha) Junta-se as gemas e a amêndoa torrada em farinha. Faz-se a calda e junta-se ao preparado anterior. Leva-se novamente ao lume até engrossar mexendo sempre no fundo. No final pode ser aromatizada com canela e deixa-se arrefecer. Redução de Vinho do Porto 10 Anos  Vinho do Porto 0,250 L Coloca-se o vinho num tacho em lume brando e deixa-se reduzir até cerca de metade da quantidade.

Telma Bernardino FORMADORA DE PASTELARIA DA ESCOLA DE HOTELARIA E TURISMO DE COIMBRA

Quando as lágrimas de Inês se convertem no néctar dos deuses "São rosas, senhor, são rosas"... e desta vez não há milagre, mas tecnologia que permite que as usemos desidratadas para embelezar os mais variados pratos. No caso usamo-las para dar nova vida aos Pastéis de Santa Clara, nascidos do labor secular das freiras clarissas que desde o século XIII ocuparam o convento homónimo. Entre as iguarias doces que firmam as mais antigas e requintadas sobremesas da cidade do Mondego conta-se também o Manjar Branco, cujas referências remontam pelo menos ao século XVI e ao Livro de Cozinha da Infanta D. Maria, o mais antigo tratado culinário português. Aquilo que nos propomos nesta receita é precisamente fundir a tradição da doçaria coimbrã com a modernidade da cozinha atual. Nesta proposta encontramos o recheio clássico dos Pastéis de Santa Clara, num casamento de simbiose com uma pequena mas rica porção do Manjar Branco. A celebrar esta união, num toque de atuali-

52

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

dade, o arco que une estes dois herdeiros da mais fina doçaria conventual: o arco crocante, feito com o que outrora servia de massa exterior dos pastéis. Uma desconstrução que permite trazer à nossa mesa a fusão de sabores seculares, embora em quantidades que respeitem as regras nutricionais ou, pelo menos, tornem esta iguaria um "pecado" que não pese demasiado nas nossas consciências. Terra de tradições culturais, gastronómicas e estudantis, Coimbra é também celebrada na mitologia lusa como a pátria dos amores de Pedro e Inês. E foi precisamente nas lendárias lágrimas de D. Inês - que reza a lenda ainda correm na Fonte dos Amores -que bebemos a inspiração para o detalhe final: a redução de Vinho do Porto que acompanha esta sobremesa. E que é, ela própria, uma piscadela de olho àquela que é considerada a mais antiga região demarcada de vinho no mundo.


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 53

Adelaide Matias FORMADORA DE RESTAURAÇÃO E BEBIDAS NA ESCOLA DE HOTELARIA E TURISMO DE COIMBRA

Um Vinho do Porto para um Doce Conventual Em Setembro começa a vindima nos socalcos do douro vinhateiro. As uvas são apanhadas à mão, com todos os cuidados necessários, são transportadas para a adega para se fazer a pisa, podendo esta ser manual ou mecânica. Posteriormente, o vinho é fortificado com aguardente vínica parando desta forma a fermentação, ficando adocicado e com alto teor alcoólico - entre 19 e 22 graus. Segue-se o armazenamento que é feito em cubas de carvalho que fornecem ao vinho aromas e cor. " The Tawny" é um porto reserva feito a partir de um lote especial, proveniente de vários vinhos envelhecidos em cascos, nas caves, entre 7 a 9 anos. Este vinho é o mais recente exemplo da arte de "blending " e é o resultado de um lote de vinhos que se completam na perfeição. É notório o equilíbrio

entre a fruta madura e os frutos secos, resultante do envelhecimento em casco, onde o vinho adquire uma suave tonalidade de âmbar. Os sabores intensos da doçaria conventual (açúcar e ovos na sua base) são realçados pelos aromas das nozes, amêndoas, alperces e casca de laranja do Porto Tawny reserva, sendo bem estruturado, elegante e com um agradável toque de sofisticação num perfil sóbrio e distinto.

Um fantástico final de refeição numa ligação perfeita de aromas e sabores. Aprecie e desfrute!

" O conhecimento e a educação sensorial apurada podem obter do vinho prazeres infinitos." Ernest Hemingway

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

53


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 54

Receitas com Licor Beirão SALADA DE FRUTAS 

2 laranjas sumo de 1 limão  1 maçã  6 morangos  1 pêra  2 metades de pêssego em calda  100 g de Uvas  5 cl de Licor Beirão 

Lave bem todas as frutas, descasque e elimine as sementes das frutas onde tal for necessário (incluindo sementes das uvas). Corte a maçã e a pêra em quadradinhos, coloque-os numa tigela grande e esprema sobre eles o sumo do limão, para que não oxidem. Retire a pele e as sementes das laranjas e corte em pedacinhos de tamanho semelhante. Misture todas as frutas delicadamente para não desfazer. Junte um pouco de calda dos pêssegos e o Licor Beirão. Leve ao frigorífico.

BOLO BEIRÃO

RECHEIO:



150 g nozes picadas 120 g açúcar  150 g margarina derretida  5 ovos  150 g farinha de trigo  3 colheres (chá) fermento em pó  2 cálices de Licor Beirão







Misture as nozes, o açúcar, a margarina e os ovos, até obter um creme espumoso. Acrescente a farinha com o fermento e o Licor Beirão. Coloque numa forma untada e leve ao forno médio, durante 45 minutos. Deixe arrefecer e fala o recheio.

Leve o açúcar ao lume com um pouco de água até fazer um ponto forte. Deixe arrefecer, junte as gemas e o Licor Beirão. Recheie e cubra com este doce.

250 g açúcar 6 gemas  2 colheres (sopa) de Licor Beirão

CAIPIRÃO O Caipirão é um cocktail de composição semelhante a uma bebida semelhante à famosa Caipirinha brasileira, em que o ingrediente principal para a ser Licor Beirão, sem a necessidade de ser adicionado açúcar. O Caipirão é composto por: 5 cl Licor Beirão, ½ lima macerada, gelo pica-

54

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

do e duas palhinhas. O modo de preparação é o seguinte: cortar a lima em rodelas finas e macerar no fundo do copo. Colocar gelo picado a gosto e cobrir o gelo com Licor Beirão. Servir num copo baixo (old fashioned).


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 55

Agricultura Biológica

O modo de produção de alimentos, em modo biológico (organic agriculture) tem por base os princípios da saúde, da ecologia, da justiça e da consciência (www.ifoam.org). Baseia-se em práticas agrícolas e métodos de criação animal extensivos e respeitadores do meio ambiente, recuperando práticas antigas de produção, adaptadas às regiões, às capacidades dos solos e à capacidade produtiva dos animais autóctones, com respeito pelo meio ambiente. Requer especialização e saber, o que se concretiza em formação técnica e científica, de vária duração, em instituições do ensino superior com vocação agrária, como é o caso da Escola Superior Agrária de Coimbra (www.esac.pt). Os alimentos são certificados por empresas certificadoras reconhecidas que dão garantias ao consumidor sobre os sistemas de produção dos alimentos fazendo cumprir legislação europeia, com logótipo próprio. A forma regionalizada da produção e a prática de uma

comercialização mais perto do consumidor, garantem também a qualidade e a confiança nos produtos (distribuição em cabazes, mercadinhos, etc.), disponibilizando-os a um preço justo e não inflacionado. A procura dos alimentos pelo consumidor mais esclarecido e preocupado com a saúde tem toda o cabimento, pois, para além da ausência de pesticidas, aditivos, hormonas e antibióticos, os produtos produzidos em modo biológico têm comprovadamente um valor nutricional superior em vitaminas (provitamina A, E, C e outras) e em minerais, como por exemplo, cálcio e magnésio, absolutamente essenciais na nossa alimentação. Em suma, a agricultura biológica produz alimentos de alta qualidade, mais saborosos e nutritivos que contribuem para a saúde do consumidor e de uma sociedade mais ligada à terra.

M. Antónia Conceição, Doutora, Prof.ª Adj.ª Escola Superior Agrária de Coimbra, IPC

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

55


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 56

Creme de Café Zineo e Chocolate

INGREDIENTES  1 chávena de chá de leite  1 pacote de mistura para pudim instantâneo sabor chocolate  2 cápsulas de Zineo  250 g de natas de bater  2 colheres (sopa) de açúcar  2 chocolatestipo kit kat

MODO DE PREPARO Na batedeira, bata o leite, o pó para pudim e o café durante 2 minutos. Reserve. Bata as natas com o açúcar até dar ponto de chantilly. Incorpore metade do chantilly na mistura de chocolate e café. Em taças individuais, intercale camadas de creme de chocolate, camadas de kitkat partido aos bocados pequenos e o restante do chantilly. Leve ao frigorificono mínimo 4 horas antes de servir. DICA: Misture ao creme de chocolate uma colher de sobremesa de conhaque.

56

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 57

Zona Centro é local de origem de iguarias conventuais A temática da Doçaria Conventual remete-nos de imediato para cenários antigos, para ambientes de azáfama criativa nas cozinhas conventuais, onde o tempo, a paciência, a habilidade e o espírito criativo abundavam. Desses tempos restam-nos hoje iguarias que adoçam a boca de todos os que passam pela zona Centro do país. Em matéria de doçaria conventual o Centro de Portugal é pródigo em receitas de grande riqueza de aromas e paladares, desenvolvidas no seio dos muitos conventos que ali existiam por freiras devotas e pacientes, ou trazidas de outros conventos portugueses por religiosas originárias da zona centro, e cujas memórias resistiram até aos nossos dias. Com uma profusão de aromas encorpados e quentes e de sabores por vezes enigmáticos e inebriantes, os doces conventuais do Centro apelam aos sentidos e fazem as delícias dos gulosos mais exigentes. Só para salientar alguns, podemos aqui invocar os famosos Ovos Moles de Aveiro, os pastéis de Vouzela, de folhado fino e estaladiço, os Pastéis de Tentúgal, de magnífico recheio de doce de ovos, as alvas Nevadas de Penacova, os pastéis de Lorvão ou os Pastéis de Mangualde, vulgarmente conhecidos por pastéis de Feijão do Patronato. É um saber passado de geração em geração, que ainda hoje subsiste e adoça a boca de muitos. A maioria destes doces encontram os seus segredos de confecção em técnicas artesanais, que mantêm vivos os paladares de outrora. DOCES SEGREDOS Estávamos numa época em que as famílias da nobreza, por sinal mais ricas e abastadas, na tentativa de uma mais eficaz expiação dos pecados familiares, entrega-

vam um dos seus membros, normalmente as segundas filhas ou as que não perspectivavam o casamento, ao recolhimento espiritual nos conventos. Estes começaram a ser encarados como locais obrigatórios de pernoita aquando das longas viagens ou peregrinações, não apenas por questões relacionadas com a Fé e a Oração, mas também pela quantidade e qualidade das refeições servidas naqueles locais aos seus hóspedes. As novas monjas, detentoras de hábitos alimentares e receitas familiares de grande riqueza e profusão de ingredientes, muitas das vezes com pouca ou nenhuma vocação religiosa, depressa descobriram que, entre novenas ou trabalhos diários maçadores, a criação culinária, principalmente de doces, podia tornar a sua vivência bem mais agradável. O empenho e dedicação com que abarcaram esta tarefa foram de tal ordem que resultaram em riquíssimas receitas doceiras, com nomes inspirados na fé católica, feitas à base de grandes quantidades de ovos e açúcar, que ultrapassaram os limites dos claustros e dos séculos. Apesar do compromisso assumido pelas freiras de jamais revelarem os segredos dos componentes e dos métodos de preparação de tão apreciadas e deliciosas guloseimas, propriedade dos conventos em que habitavam, sempre aconteciam algumas fugas de informação, principalmente pela mão das mulheres criadas dentro dos conventos que as difundiram pelos parentes mais chegados e assim de geração em geração. Dos mais simples aos mais elaborados, os doces conventuais do Centro de Portugal encerram em si segredos de prazeres inconfessáveis, perdurando na memória dos que um dia ousaram provar.

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

57


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:45

Page 58

Comer Bem e Barato almoço, que são mais caros e não são saudáveis. - Leve sempre fruta para o trabalho para comer a meio da manhã ou da tarde e faça os seus filhos levarem também os lanches da manhã e da tarde. Comer no bar da escola fica mais caro e, além disso, encontram-se aí alimentos pouco ou nada recomendáveis - O almoço e o jantar devem ser iniciados com um prato de sopa de legumes, um alimento muito barato, com poucas calorias, mas que é nutricionalmente inigualável. A 16 de Outubro comemorou-se o Dia Mundial da Alimentação. Este ano o dia foi dedicado ao tema Preços da Alimentação - Da Crise à Estabilidade, tema que vem muito a propósito nos tempos em que vivemos. A crise económica tem levado muitas famílias a cortar nas despesas com alimentação. Este facto que, à primeira vista, constitui um grave problema, pois comer é uma das mais básicas necessidades humanas, pode ser aproveitado de forma inteligente para dar uma volta nos maus hábitos alimentares em nossas casas. Como nutricionista, deixo um conjunto de regras para poupar na alimentação, sem nunca perder de vista as necessidades de nutrientes essenciais à saúde de todos os membros da família: - Tome o pequeno-almoço em casa com alimentos tradicionais: leite e pão. Parta o pão aos bocadinhos e coloque-os na sua taça de leite, como nas tradicionais "sopinhas de leite". Esqueça os cereais de pequeno-

58

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

- Dispense de vez em quando a carne e o peixe substituindo-os por leguminosas: feijão, grão, lentilhas, ervilhas, favas e soja. Estes alimentos contêm proteínas com um perfil de aminoácidos interessante sendo por isso bons substitutos da carne e do peixe. - Opte pela confecção de pratos, com menos carne e peixe, como empadões, feijoadas, jardineiras, caldeiradas e arroz ou massada de peixe. - Use os ovos nas suas refeições duas a três vezes por semana. Não tenha medo do colesterol. Está provado que as gorduras hidrogenadas e outras gorduras saturadas presentes nos mais variados produtos (bolachas, bolos, cereais de pequeno-almoço, molhos, refeições prontas, etc.) é que fazem subir o LDLcolesterol (o mau). - As frutas e legumes de origem nacional têm boa


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:46

Page 59

FRUTAS SÃO ELEMENTO ESSENCIAL PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

qualidade e são normalmente mais baratas. Pessoalmente privilegio o que é nosso.

alimentos naturais, que se situam nas zonas periféricas dos supermercados e que são os mais baratos.

- Os sumos podem ser substituídos por água da torneira. Na conta da água que pagamos está incluído o necessário tratamento e desinfecção. Para quê pagar água engarrafada?

Poderá não ser fácil abandonar alguns costumes caros e prejudiciais. Mas vivemos numa época em que as mudanças se tornam inevitáveis. Olhemos a crise como uma oportunidade de mudar o modo como fazemos compras, escolhendo melhor os alimentos, confeccionando-os em casa e levando para o trabalho alimentos naturais. Por: Ana Carvalhas (http://comerbemateaos100.blogspot.com)

- Por último, recomendo que planeie as suas refeições caseiras preparando um menu semanal. Poupará muito dinheiro porque só vai comprar o que realmente precisa. A alimentação para a saúde deve ser feita com base em

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

59


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:46

Page 60

Toques decorativos para uma mesa bem posta

A arte de saber receber também passa por saber pôr uma mesa, que seja original e convidativa, desde a toalha aos guardanapos, passando pela louça e talheres. Existem ainda alguns toques decorativos especiais que podem ajudar a fazer da sua mesa um sucesso. Desde logo a cor da toalha, que poderá ser tão variada quanto as ofertas existentes nas lojas de especialidade. Ainda assim, a cor branca será sempre uma aposta clássica, que permite jogar com apontamentos coloridos em outras peças, como os guardanapos ou os copos. Já uma toalha colorida é indicada para um almoço ou jantar durante o Verão. Para quem tenciona utilizar louça com motivos o melhor é escolher uma toalha lisa e vice-versa. Há ainda quem opte pelos individuais ou por um corre-mesa. No que diz respeito à louça, os serviços brancos nunca passam de moda e também eles combinam na perfeição com outros elementos de cor em cima da mesa. Há ainda quem opte por combinações entre as cores ouro e prata para reflectir o branco do serviço de mesa.

60

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

Os talheres devem ser colocados de cada lado do prato. No lado direito, de dentro para fora, coloca-se a faca para carne, faca para peixe e faca para aperitivos. No lado esquerdo, também de dentro para fora, o garfo para carne, garfo para peixe e garfo para aperitivos. As facas deverão estar voltadas para o prato e, quanto aos talheres de sobremesa, estes deverão ser colocados no topo do prato, voltados em direcções opostas. Os copos, por sua vez, deverão ser colocados do lado direito, acima das facas, na seguinte ordem: copo para água, para vinho tinto, para vinho branco e para champanhe. Existem alguns elementos e truques decorativos que garantem o sucesso de uma mesa. Uma das dicas é encher um recipiente baixo com água e com pequenas velas a flutuar. Pode ainda adicionar pétalas e usar esta peça como centro de mesa. Ainda no campo da decoração, as flores são sempre elementos importantes, mas não devem ter fragrâncias muito fortes, pois poderão interferir com os aromas do vinho e da comida. Em relação aos arranjos de flores, e numa perspectiva de simetria, não se aconselham arranjos florais redondos para mesas rectangulares e vice-versa. Há ainda quem espalhe pétalas de flores pela mesa, em vez de escolher um arranjo floral. Existem também outras opções, como uma planta, um jogo de velas ou uma taça com frutas variadas e coloridas. Independentemente da opção, o centro não pode tapar a linha de visão dos convidados, nem dificultar o acesso à comida e às bebidas.


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:46

Page 61


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:46

Page 62

DR

Ex-libris gastronómicos da zona Centro do país

O queijo Serra da Estrela, nas Entradas, a chanfana e o leitão, na categoria das Carnes, o coelho à caçador, na categoria de Caça, e, a rematar, o pastel de Tentúgal, nos doces. Foram estes os candidatos da região Centro entre os 21 finalistas do concurso 7 Maravilhas da Gastronomia. O queijo Serra da Estrela e o Leitão à Bairrada saíram vencedores, mas as restantes iguarias não deixam de ser ex-libris gastronómicos. O Convento da Nossa Senhora da Natividade, fundado em 1565, deixou um importante legado doceiro à vila de Tentúgal do qual sobressaem os famosos pastéis. Estes, para além de uma extraordinária experiência de degustação, incluem métodos de produção artesanais únicos no mundo que permitem a confecção de folhas de massa com 0,05mm de espessura. O pastel de Tentúgal tem como ingredientes açúcar, água, ovos e farinha e da sua produção destaca-se o esticar da massa que encanta quem vê e a pena de galinha utilizada para pincelar. Actualmente, o grande suporte da economia local é a produção desta doçaria de excelência que é já conhecida em todo o mundo e que emprega directamente 200 pessoas no concelho de Montemor-o-Velho. Falar da Chanfana é remeter para a genuinidade da cultura popular e para a cozinha de gentes pobres da Beira Litoral, já referenciada em escritos desde o século XVII (Miguel de Cervantes, Bocage, Nicolau Tolentino e Miguel Torga entre outros). Os elementos endógenos fundamentais para uma boa confecção são a carne de cabra e aqui, a especificidade da ali-

62

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

mentação do gado exerce larga influência na qualidade. A esta se associa o vinho carrascão, o forno de lenha e os caçoilos de barro preto. Composta por carne de cabra, uma cabeça de alho inteira, louro, banha de porco q.b., sal, colorau e vinho forte. Vai ao forno de lenha durante cerca de 4 horas em caçoilo de barro preto tapado. Serve-se acompanhada de batatas cozidas com pele e grelos. De referir ainda que a Chanfana se encontra em processo de qualificação pela marca ÉQualificado. A receita de Coelho à Caçador deve a sua designação ao coelho bravo que vive no mato em terreno seco e arenoso, em colónias bastante grandes e tem normalmente uma duração de cerca de nove anos de vida. A facilidade de reprodução e o elevado número que as suas populações podem atingir, desde cedo se tornaram razão para que os homens os caçassem, protegendo as suas colheitas e aproveitando a sua pele para o comércio e implementando a sua carne saborosa e abundante nos seus hábitos alimentares. Na confecção deste prato oriundo da região da Beira Litoral, o coelho é previamente colocado numa taça e temperado de alho, pimenta, louro e colocado em vinho tinto de qualidade (preferencialmente, vinho do Dão, produto com DOP) e deixado a marinar para o dia seguinte. Num tacho de ferro faz-se um refogado com o azeite, a cebola em rodelas finas, o toucinho e os tomates, ao qual se acrescenta a carne marinada. Ferve em lume brando, regando se necessário somente com vinho (nunca água). No final acrescenta-se o alecrim.


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:46

Page 63

As maravilhas gastronómicas de Portugal Foram conhecidos em Setembro os resultados da votação que elegeu as "7 Maravilhas da Gastronomia®". A Declaração Oficial teve lugar na Antiga Escola Prática de Cavalaria de Santarém e as eleitas por votação pública, entre 7 de Maio e 7 de Setembro, foram a Alheira de Mirandela, o Queijo Serra da Estrela - DOP; o Caldo Verde; o Arroz de Marisco; a Sardinha Assada; o Leitão da Bairrada; e o Pastel de Belém. Conheça um pouco melhor cada uma destas iguarias gastronómicas.

CATEGORIA: Entradas NOME: Alheira de Mirandela (IG) REGIÃO: Trás-os-Montes e Alto Douro - Mirandela DESCRIÇÃO: A Alheira de Mirandela, que absorve esta denominação associada ao local de comercialização e expedição, a cidade de Mirandela, é o enchido regional mais consumido e conhecido no país, mais envolto em mistério e único no mundo. O fumeiro transmontano enchido em tripa ou apenas de salga e fumo - quando não ia para as feijoadas e cozidos, quando não constituía só por si uma refeição, servia também como entrada aos melhores manjares festivos e domingueiros. A

sua função é servir de empurrão ao que se segue. As alheiras consomem-se depois de assadas em brasa suave ou depois de fritas num pouco de azeite e na gordura que vão largando.

CATEGORIA: Entradas NOME: Queijo Serra da Estrela - DOP REGIÃO: Beira Litoral / Beira Interior - Serra da Estrela DESCRIÇÃO: Composto por poucos ingredientes, o Queijo Serra da Estrela é um alimento completo e complexo na biodiversidade vertida do leite cru e inteiro das ovelhas autóctones Serra da Estrela e Mondegueira, flor de cardo (Cynara cardunculus) e sal marinho. Com um território de 3120 km², 110 queijarias e 100000 animais, este histórico alimento estruturou a vida social, hábitos e tradições das gentes desta região. Escritores como Gil Vicente, Eça de Queirós, Torga e Aquilino e geógrafos como Nuno de Leão, Emídio Navarro, Amorim Girão, Orlando Ribeiro, Adelino de Abreu, Alberto Marques, etnógrafos como José Leite de Vasconcelos e Jorge Dias referem-no. Na mais remota antiguidade Luculus Modestus e Columela, general romano no seu I Tratado de Agricultura também o citaram. Estrangeiros como

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

63


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

Link, Hoffmann, Jan Jansen e Lanteusach também dele se ocuparam. Queijo que celebra quadras festivas, momentos familiares e motivo para sentar os amigos tem vindo a ganhar num passado recente várias medalhas de ouro em concursos internacionais. O seu nome está reconhecido como DOP (Denominação de Origem Protegida) em todo o espaço Europeu.

CATEGORIA: Sopa NOME: Caldo Verde REGIÃO: Entre Douro e Minho DESCRIÇÃO: De origem minhota, mas adoptado por todas as regiões, a receita foi escrita em verso. Escritores e poetas referem-no: Camilo, Eça, Júlio Dinis, Ramalho Ortigão. Correia de Oliveira define-o: "Que núpcias de sustento e de sabor". Pessoa foi devoto desta simbiose de caldo de batata e couvegalega. O poeta Arnaldo Ferreira descreve o caldo verde num poema que Amália cantou e imortalizou tornando-se no segundo Hino Nacional, "Uma Casa Portuguesa": "Basta Pouco, Poucochinho p'ra alegrar, uma existência singela… É só Amor, pão e vinho, e um Caldo Verde, verdinho a fumegar na tigela". Como ingredientes tem couve-galega, batata, azeite, alho, cebola, água, chouriço e sal, sendo preparado num tradicional pote de ferro com a ajuda de uma colher de pau, até estar pronto a servir nas famosas tigelas de barro portuguesas.

CATEGORIA: Marisco NOME: Arroz de Marisco REGIÃO: Estremadura e Ribatejo - Praia de Viera Marinha Grande

64

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

23:46

Page 64

Descrição: O Arroz de Marisco, da Praia de Vieira de Leiria, é um prato muito conhecido. Nos nossos dias, esta praia é um ponto turístico muito procurado pela gastronomia, pelas virtudes medicinais das águas e dos banhos de mar muito ricos em iodo. O artesanato e a gastronomia descrevem a riqueza da ligação do Homem ao mar, quer nas cores vivas dos barquinhos de madeira, quer no sabor do famoso arroz de marisco, prato muito afamado no nosso território. Procurado pelos seus habitantes e pelos turistas, que têm no arroz de marisco uma forma de visitar mais frequentemente esta praia. Este prato diferencia-se dos restantes por ser servido directamente do lume num tacho de barro, ainda a fervilhar. A lagosta, os camarões grandes e as amêijoas conferem-lhe um sabor único a mar, muito bem acolitados com pimento, coentros e arroz carolino

CATEGORIA: Peixe NOME: Sardinha Assada REGIÃO: Lisboa e Setúbal - Setúbal DESCRIÇÃO: Na Península Ibérica já se reconhecia a importância e o valor da sardinha no século XVI, como se comprova no recenseamento de peixes do litoral lusitano, realizado pelo desembargador Duarte Nunes do Leão, no século XVI: "No mesmo mar de Setúbal e no de Sesimbra, sua vizinha, há a mais sardinha e mais saborosa que se pode dar". Reza a história que, em 1855, as sardinhas de Setúbal alcançaram menção honrosa na exposição Internacional de Paris. Em 15 de Janeiro de 2010, a sardinha portuguesa, de onde se destaca a que é pescada em Setúbal, foi a primeira pescaria na Península Ibérica e na União Europeia, a obter o rótulo azul com a certificação de sustentabilidade e boa gestão dos recursos piscatórios MSC ("Marine Stewardship Council"). "Puxar a brasa à nossa sardinha" é, no sentido literal e figurado, um elemento importante e determinante na confecção deste prato em Setúbal. A forma como se ateia e queima o carvão, a colocação das sardinhas com as


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

barrigas para dentro, o assar em lume brando, dando a volta na grelha dupla, fazem destas o ex-libris gastronómico da cidade. Para melhor saborear a sardinha, esta deverá ser comida em cima do pão, o qual poderá ser tostado nas brasas.

CATEGORIA: Carne NOME: Leitão da Bairrada REGIÃO: Beira Litoral - Bairrada DESCRIÇÃO: Desde o tempo dos romanos que o leitão assado é conhecido. Porém, o registo de nascimento comprovado por testemunhos orais e escritos data da década de 20, do século passado. Os primeiros locais de venda foram os hotéis de toda a região, na qual nasceram grandes assadores. São confeccionados aproximadamente três mil leitões por dia e o leitão assado é servido em dezenas de restaurantes e preparado por centenas de assadores nas suas casas, trazendo à Bairrada milhares de apreciadores durante todo o ano. É temperado com unto, sal, alhos e pimenta. É no forno bairradino aquecido com lenha vides ou eucalipto - que o leitão vai depois a assar lentamente, cerca de 2 horas, "espetado" numa vara. A sua qualidade deve-se à escolha das raças, como a Bisara (raça original e preferencial) e os vários cruzamentos de raças actualmente existentes. Deve ser cortado em pequenos pedaços, sem que sejam sobrepostos, servido em travessas com a pele sempre virada para cima, e acompanhado por pequenas batatas cozidas com a pele, laranja e salada. O leitão assado é um produto gastronómico reconhecido pela

23:46

Page 65

Entidade Regional de Turismo Centro de Portugal

CATEGORIA: Doces NOME: PASTEL DE BELÉM REGIÃO: Lisboa e Setúbal - Lisboa DESCRIÇÃO: No início do Século XIX, em Belém, junto ao Mosteiro dos Jerónimos, laborava uma refinação de cana-de-açúcar associada a um pequeno local de comércio variado. Como consequência da revolução liberal ocorrida em 1820, são em 1834 encerrados todos os conventos em Portugal, sendo expulsos o clero e os trabalhadores. Numa tentativa de sobrevivência, alguém do Mosteiro põe à venda nessa loja uns doces pastéis, rapidamente designados por "Pastéis de Belém". Na época, a zona de Belém era distante da cidade de Lisboa e o percurso era assegurado por barcos de vapor. No entanto, a imponência do Mosteiro dos Jerónimos e da Torre de Belém atraíam os visitantes que depressa se habituaram a saborear os deliciosos pastéis originários do Mosteiro. Em 1837 inicia-se o fabrico dos "Pastéis de Belém", em instalações anexas à refinação, segundo a antiga "receita secreta", oriunda do convento, a qual é exclusivamente conhecida pelos mestres pasteleiros que os fabricam artesanalmente, na "Oficina do Segredo". Esta receita mantém-se igual até aos dias de hoje. De facto, a única verdadeira fábrica dos "Pastéis de Belém" consegue, através de uma criteriosa escolha de ingredientes, proporcionar hoje o paladar da antiga doçaria portuguesa.

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

65


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

23:46

Page 66

As nossas sugestões CHOQUINHOS DE COENTRADA Ingredientes:  1,2 Kg de chocos  1,5 dl de azeite  4 dentes de alho  ½ pimento vermelho  Sal e pimenta  1 colher (chá) de vinagre  1 molho de coentros Preparação: Retire o osso aos chocos, lave-os muito bem e seque com a ajuda de um pano de cozinha. Coloque o azeite num tachinho e leve ao lume. Depois de aquecer, junte os choquinhos e frite-os até ficarem crocantes. Adicione os alhos esmagados e o pimento picado limpo de sementes e picado. Tempere com sal e pimenta e salpique com o vinagre. Quase no final, polvilhe com os coentros picados. Envolva muito bem e sirva de imediato, decorados com um raminho de coentros frescos. Sugestão: Acompanhe este prato de choquinhos com batatinhas cozidas com a pele, em água temperada com sal. Descasque-as apenas na altura de servir. BROINHAS DOCES Ingredientes:  500 g de farinha de milho  500 g de farinha de trigo  50 g de fermento de padeiro  3 dl de água  300 g de açúcar  1 pitada de sal fino  100 g de corintos  100 g de manteiga  1 colher (chá) de erva doce  1 colher (chá) de canela em pó  100 g de casca de laranja cristalizada Preparação: Misture as farinhas e coloque-as sobre uma bancada de trabalho. Faça uma abertura ao centro onde vai

66

GUIA GASTRONÓMICO 2011/2012

colocar o fermento previamente diluído na água morna. Adicione o açúcar, o sal, os corintos, a manteiga, a erva-doce e a canela. Amasse até obter uma massa macia. Polvilhe com a laranja picada e reserve até atingir o dobro do tamanho. Tenda a massa e dê-lhe a forma de pequenas broas com cerca de 70 a 100 gr. Disponha-as num tabuleiro untado e polvilhado e reserve num local aquecido até dobrarem de volume. Leve o tabuleiro ao forno, à temperatura de 200ºC, durante cerca de 25 minutos. Sirva depois de frias. Sugestão: Pode ainda juntar à massa das broinhas, cerca de 100 gr de miolo de noz picado. TARTE DE ABÓBORA Ingredientes: ½ chávena de açúcar mascavado ½ colher (chá) de noz-moscada ½ colher (chá) de sal ½ colher (chá) de sal 1 Chávena de abóbora 1 colher (chá) de canela 1 colher (chá) de gengibre em pó 1 colher (sopa) de manteiga 2 colheres (sopa) de melaço 2 ovos Massa areada q.b. Chantilly p/ decorar (opcional) Preparação: Corte a abóbora em pedaços pequenos e ponha-os a cozer em água a ferver. Bata os ovos e misture todos os ingredientes, à excepção da massa. Estenda esta na tarteira e deite sobre ela o preparado anterior. Leve a cozer em forno previamente aquecido a 250 graus durante 10 minutos. Reduza a temperatura para 160 graus e deixe cozer durante mais 40 minutos. Após esse tempo, verifique a cozedura com um palito. Se desejar, decorre com chantilly.


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

19:20

Page 67


guia gastronomico 40 a 68.qxp

20-10-2011

19:21

Page 68

Guia Gastronómico  

Guia Gastronómico

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you