Issuu on Google+

Diário da Manhã

DM.COM.BR

7

GOIÂNIA, SEGUNDA-FEIRA, 15 DE JULHO DE 2013

TEOTÔNIO SEGURADO E FÁBIO NASSER

“Cegos” e “surdos” no poder Idealizador de Palmas, capital de Tocantins, e jornalista enviam mensagens psicografadas com orientações gerais para Batista Custódio e sociedade goiana. Toque de despertar é dado para que pessoas mudem a postura moral MONTAGEM / CÂMARA MUNICIPAL DE PALMAS

ARQUIVO DM

 Joaquim Teotônio Segurado na ilustração, e ao fundo a principal avenida de Palmas, que leva seu nome

 Fábio Nasser responde a questionamentos que Batista faz pelo pensamento e pelas preces cotidianas

Arthur da Paz Editor-executivo do Diário da Manhã

Baixam-se as sombras do crepúsculo sobre os tempos atuais. Caem, murchas, as folhas secas da gigantesca árvore da Idade Contemporânea sobre todos os meridianos do orbe terrestre. Brisas leves destroem como tornados os antigos moldes. É o prenúncio da tempestade arrasadora que virá reciclar a atmosfera das eras. Em todos os continentes, absurdos naturais fazem escorrer rios no olhar de milhares de mães e pais, órfãos e flagelados. Porém, pior que as hecatombes da natureza estão os cataclismos do caráter humano corrompido. Estes, estilhaçam sonhos em corredores de hospitais, esmagam com mãos atrozes a garganta muda de inumeráveis famílias. Corrói a medula das civilizações, estabelecidas ao custo de suores e lágrimas milenares, a gangrena da insofreável corrupção. A Oceania, continente de países dóceis e afáveis, estarreceu-se ante 450 horas gravadas de estupros na semana passada, onde uma mulher sofreu abusos por mais de duas semanas amarrada e torturada sob rituais diabólicos. Na Ásia, as últimas ditaduras assistem suas estátuas monumentais tombarem destroçadas ante o brado democrático universal. O Império Norte-americano suicida-se nas próprias guerras. A Europa está em convulsões. Espasmos da economia dos países euroestrelados causam tumores e crises no financeiro de todo o globo. Orgias e bacanais escandalizam um dos povos mais eruditos da Terra. Na América Latina, a República sob o Cruzeiro do Sul vê extinguir-se ideais políticos que antes, nobres brilhantes, hoje desiluminam-se apodrecidos nos representantes do povo. É o negro carvão que entressurge na queima do madeiro e fragiliza em brasas os pilares do Brasil. Igrejas e religiões ainda digladiam-se por se afirmarem donas da Verdade. Dinheiro e desventuras sexuais formam as cores da serpente venenosa que rasteja livre nos cantos escuros dos templos humanos. É a edificação multissecular da humanidade que desaba ante os olhares do globo, mas raros parecem enxergar. Os homens e mulheres continuam quais cegos tateando os vales do egoísmo, como se ali, entre os escombros decadentes da cultura global, pudessem encontrar a Suprema Felicidade. Deus se compadece. Envia suas luzes. Anjos pousam na esfera terrestre. Uns brilham razão. Outros irradiam coração. São os grandes mártires e imortais que eternizam-se pelo

bem e amor que praticam sensibilizando até os corações humanos mais arraigados no mal ignóbil. Pois, se há mal, é porque há ignorância, e se há ignorância, é por ainda haver entre nós o egoísmo. Daí, o bom exemplo destes, que atuam qual feixe de luz injetado na crosta dos sentimentos que faz quebrar a rocha dura no peito e clarear bons ideais em um novo coração, um novo homem que surge inspirado pelo bem dos faróis dos povos.

CÁ ENTRE NÓS Em Goiás, uma lamparina está acesa no rancho da ignorância humana. É Batista Custódio. Sempre rodeado de mariposas que, volitantes no escuro, dele se aproximam e queimam-se na luz do seu conhecimento. Cegadas, saem feridas da chama erudita e não buscam modificar-se. Toda estirpe de jornalistas e políticos consulta-o, não lho compreendem a grandeza. E afastam-se, envergonhados. Ou por terem visto nos ensinamentos que dele recebem, onde erram, ou por terem o horizonte íntimo limitado nos interesses particulares. Não se pode querer que um oceano profundo caiba em um lago raso. Como não se pode esperar que as ideias de Batista Custódio caibam nas mentalidades goianas. Homem sozinho em espírito, está em coletivo com Deus. Comunhão esta que é própria das almas humildes que extraem das Vibrações Cósmicas a inspiração para realizar seus feitos. E é nesse laço estreito com a espiritualidade e a humanidade que Batista recebe com constância centenas de cartas e orientações de homens que já partiram da Terra e, graças à via mediúnica, conseguem se fazer ouvir e saber entre os que ainda partilham das oportunidades de crescimento na carne. Nos últimos seis meses o editor-geral do Diário da Manhã recebeu mensagens psicográficas com frequência semanal, de centros espíritas distintos, de espíritos diferentes, de médiuns diversos, e não pode divulgá-las todas, por, na maioria, apresentarem orientações a questões coletivas que só a ele compete. Outras, porém, necessitam ser expostas, e é a este fim que escrevo a ti, caro leitor.

PSICOGRAFIAS Joaquim Teotônio Segurado não viu seu desejo de criação do Tocantins virar realidade, mas mesmo assim fez história, e em sua homenagem, a principal avenida de Palmas (a capital do Estado) leva seu nome. Ele foi ouvidor, corregedor, desembargador, escritor, pesquisador, pensador, ativista, literato, administrador, comendador, provedor, político, advogado, deputado, fazendeiro e governador. Teotônio nasceu na cidade de Moura, Portugal, no dia 25 de fevereiro de 1775, e morreu as-

sassinado em Vila de Palma, 14 de outubro de 1831, no Brasil. Morto por questão política, pois foi o personagem central nas lutas pela emancipação do Estado de Tocantins. Quando em Portugal, Teotônio fora informado da independência do Brasil e sabia que neste momento seu retorno ao País poderia custar sua vida, mesmo assim aportou-se na terra dourada, pois desejava morrer em solo tocantinense. No último dia 9 de julho de 2013, enviou por intermédio de Mary Alves, nas Obras Sociais do Grupo Espírita Mãos Unidas, uma psicografia e orientação a Batista. E como toda mensagem que chegam de Lá, deve ser lida nas entrelinhas com todos os sabores da objetividade explícita na subjetividade do texto. Sem delongas, ele escreve: “Os céus se manifestam, mas ainda existem os ‘cegos’ e os ‘surdos’ que se recusam a participar do processo evolutivo”. E eles estão em todos os lugares, e o mais temerário, estão também ocupando cargos públicos da mais elevada responsabilidade. Feliz ou infelizmente, para todos, “a vida chega, repleta de mudanças não esperadas, e o arrependimento se fará tardio para muitos”, acrescenta Teotônio na psicografia. O que traz consequências sérias, pois quem adia decisões urgentes arcará com efeitos incalculáveis. Contudo, “Os dias estão delineados pelo pincel maravilhoso de Deus”, escreve. O que nos causa alegria, porém ao mesmo tempo preocupação. Pois sabemos também que o Criador é justo. Assim confessou Batista Custódio para este que vos escreve, caro leitor. Recentemente o jornalista dizia para seus familiares e amigos, e também a mim, estar sentindo um daqueles apertos que causam nostalgias angustiantes no peito. Teotônio ilumina o porquê: “O Fábio está mais presente em sua vida, por isso a saudade doída.” Fábio Nasser é a grande saudade do Batista. A vida incompleta no amor de um pai. A vaga aberta no peito de quem ama tão imensamente um filho que precisou retirar-se da vida tão cedo. E é o próprio Fábio que também envia cartas recentes ao pai, e que aqui não precisam de explicações da minha parte, apenas do olhar racional e percuciente de ti, leitor. Bom senso e razão trarão o lúmen da compreensão sobre as mensagens de Fábio para Batista, aqui publicadas. Ao final destas letras, contemplo o pôr do sol da era atual. A luz solar que se esvai de uma civilização tão ferida por si mesma. As folhas da árvore frondosa da Idade Contemporânea continuam caindo, e os galhos cada vez mais pálidos se ressecam na paisagem destes tempos. Em cada dor, cada lágrima, Deus prepara uma nova humanidade, pois refaz, ali, um novo homem.

MENSAGEM 1

 Psicografada na noite do dia 09/07/2013, pela médium Mary Alves nas Obras Sociais do Grupo Espírita Mãos Unidas, situado na Rua JDA-4, quadra 19, lote 4, no Jardim das Aroeiras, Goiânia, Goiás. Telefone: (62) 3208-5695

Prezado amigo, que Deus o fortaleça em sua luta diária. A conversa é pouca,mas o suficiente para afirmar que o seu coração precisa ser forte e se manter neutro ante os revezes da vida. Sofrer é natural ao homem,mas é necessário não sofrer por questões que estão acima do nosso alcance. Os céus se manifestam,mas ainda existem os “cegos”e os “surdos”que se recusam a participar do processo evolutivo. E a vida chega repleta de mudanças não esperadas,e o arrependimento se fará tardio para muitos. Mantenha-se calmo ante o futuro. Os dias estão delineados pelo pincel maravilhoso de Deus.

MENSAGEM 2

Estamos ao seu lado, ajudando-o a compreender o doloroso transe da Terra. O Fábio está mais presente em sua vida,por isso a saudade doída. Permaneça fiel aos seus princípios. Com o abraço de todos nós,sou o irmão que ombreia contigo sob o olhar do Altíssimo. Grato por suas lembranças. Com a estima do Teotônio Segurado

 Fac-símile da psicografia

 Psicografada na noite do dia 20/06/2013, pela médium Célia Maria no Centro Espírita Irmã Dulce, situado na Rua F 28 nº 175, no Setor Faiçalville, Goiânia, Goiás. Telefone: (62) 8466-3134

Querido pai,Deus nos abençoe. Que hora difícil esta que o senhor passa. Tenha fé e coragem,que tudo é passageiro. Temos que acreditar que tudo tem um porquê. Tudo tem uma causa e somos nós mesmos os responsáveis por ela. Estou rezando a Deus pelo senhor. Fique tranquilo que eu estou por perto, velando por ti. Que Deus o proteja. Fábio Nasser

MENSAGEM 3

 Fac-símile da psicografia

 Psicografada na noite do dia 04/06/2013, pela médium Mary Alves nas Obras Sociais do Grupo Espírita Mãos Unidas, situado na Rua JDA-4, quadra 19, lote 4, no Jardim das Aroeiras, Goiânia, Goiás. Telefone: (62) 3208-5695

Meu pai,abençoe-me. Vir ao seu encontro é trazer o abraço de fé e esperança. As palavras de hoje não serão longas e,sim,responderão ao seu questionamento. O senhor tem a decisão sobre o que fazer e sabe que será necessário mostrar o valor de sua crença. Não duvide de sua intuição e não tema. O momento reclama decisões e o senhor sabe disso. Estamos ao seu lado. O tio Alfredo ajuda-o no dia a

dia e conversamos sobre a sua hesitação. É preciso ser firme. Continuamos a buscar a força em Deus. Vovó Romana deixa o abraço. Com todo o amor de seu, sempre seu Fábio Nasser Custódio dos Santos

 Fac-símile da psicografia


Cegos e surdos no poder - psicografia - Fábio Nasser e Teotônio Segurado