Issuu on Google+

MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:07 PM

Page 1


MOTORES FEvereiro

20/2/09

9:43 PM

Page 2

abertura

O conimbricense Filipe Albuquerque está em grande no A1 GP. Venceu na China e subiu ao pódio noutras provas do campeonato. Em entrevista à Motores - páginas 24 e 25 abriu o livro das confidências e ao álbum de recordações juntou esta “corrida a três” na África do Sul.

8

10

12

Kia Soul desafia condutores arrojados Escuderia deseja kartódromo em Castelo Branco

Novo Lexus IS 220d preparado para o êxito

20

Presidente da ANECRA critica Governo

22

Às voltas no Peugeot 207 Rally 1.6 THP 150

33

Memórias de Rolo e do 2 cv encarnado

Director: António Abrantes | Director Adjunto: Soares Rebelo | Director Comercial: Luís Filipe Figueiredo Coordenadora de Produção: Carla Fonseca | Textos: Mário Nicolau | Paginação: Victor Rodrigues Endereços e Telefones: Rua 25 de Abril, n. 7 Apartado 44 - 3040-935 Taveiro | 239980280 site: www.asbeiras.pt | e-mail: beirastexto@asbeiras.pt | Tiragem: 12.000 exemplares

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

2

|

ficha técnica Publicação Mensal: n.º 2 | Fevereiro 2009

FEVEREIRO DE 2009


20/2/09

8:10 PM

Page 3

09/0127

09/0333

MOTORES FEvereiro


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:59 PM

Page 4

mercado

C

om preços a partir dos 10.500 euros, o Suzuki Splash refrescou o mercado desde o dia do lançamento. A marca nipónica apresenta-o como o novo mini monovolume, dando sequência à estratégia que está em marcha e que inclui o Swift, o Grand Vitara e o SX4. Com base na mensagem “Way of Life!”, a Suzuki produziu um automóvel jovem, dinâmico e divertido, com amplo espaço interior e exterior compacto. Além das motorizações a gasolina - com um litro de capacidade e 65 cavalos de potência e 1,2 litros com 88 cavalos, este último aliado em exclusivo à transmissão automática de quatro velocidades -, o Suzuki Splash conta ainda com o 1.3 DDiS, a diesel, com 75 cavalos de potência, já conhecido do Swift. De acordo com compatibilidade ambiental, as emissões de CO2 nos motores 1.0l e 1.3 litros DDiS, limitam–se a 120 g/km. A conjugação da segurança com o design não foi deixada ao acaso, com o Splash a incluir vários sistemas de segurança activa: ABS, assistência à travagem, distribuição electrónica da força de travagem e ESP. No

capítulo da segurança passiva, estão ao serviço seis airbags (frontais, laterais e de cortina) e o habitáculo possui célula rígida optimizada, além de limitadores de tensão nos cintos de segurança e pré–tensores para os cintos dos bancos da frente. Para garantir a protecção dos peões, a frente do Splash foi dotada de estruturas absorventes de energia. Com o posto de condução idêntico ao de um monovolume, com os bancos dianteiros colocados numa posição bastante alta, o divertido Suzuki marca pontos na versatilidade: os bancos traseiros podem regular–se longitudinalmente, de modo a aumentar ou a diminuir a capacidade da bagageira. A alavanca da caixa de velocidades foi colocada numa posição elevada para beneficiar o conforto do condutor. O revestimento do tablier e do forro dos bancos têm várias tonalidades e, no Splash, é possível harmonizar o interior com a cor da carroçaria. Nas versões

GLS, o conta–rotações surge aplicado no tablier no habitáculo existem vários compartimentos para guardar pequenos objectos - consola central com tampa, bolsas nas costas dos bancos dianteiros, porta–garrafas nas portas, caixas debaixo dos bancos, entre outros. Todas as versões do Splash estão equipadas com airbags frontais e laterais dianteiros, rádio com leitor de CD (compatível com discos MP3), jantes e fixações Isofix nos lugares laterais traseiros. O chassis do Splash é construído sob a plataforma herdada do desportivo Swift, tendo, por isso, comportamento excelente em qualquer situação, com controlo da inclinação da carroçaria e um conjunto de suspensões que permitem curvar bem e depressa com níveis de conforto inesperados num citadino. Revela–se uma excelente opção para jovens e famílias pequenas

Auto Morais & Duarte, Lda Rua Adriano Lucas - Coimbra Telefone: 239 841 502 Fax: 239 857 320 www.automorais.pt

Novo Suzuki

Splash na cidade DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

4

| FEVEREIRO DE 2009


09/0312

MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:14 PM

Page 5


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:20 PM

Page 6

notícias

C3 Picasso audacioso

■ CITROËN subverte outra vez as convenções apresentando um conceito inovador que vai desempenhar papel de destaque no segmento dos monovolumes do B2. Fruto da criatividade da marca, o C3 Picasso demarca–se por um estilo audacioso, uma arquitectura inovadora e uma inteligência marcante. Faz muito mais que sublimar as qualidades de um monovolume: a altura dos bancos e a visibilidade a bordo vão deliciar todos os passageiros, ao mesmo tempo que a modularidade completa e intuitiva facilitará o seu quotidiano. O comportamento em estrada, ágil e agradável satisfará uma clientela que busca prazer e sensações.

Nova versão

Panda para as mamãs

O

Panda Mamy amplia a gama do modelo mais vendido na Europa na sua categoria, propondo conteúdos específicos para o transporte dos mais pequenos com toda a segurança, como as fixações Isofix para a cadeira e o espelho retrovisor para um controlo permanente da criança. O Fiat Panda é, desde o seu lançamento, capaz de oferecer diferentes soluções conforme as diferentes exigências do consumidor. Os motores de baixo consumo (1.2 Gás Eco e 1.3 Multijet), cinco portas (o que facilita a acessibilidade aos bancos posterio-

res), dimensões externas reduzidas (tornando–se ágil para conduzir e fácil de estacionar), ao mesmo tempo que, consegue ter uma grande capacidade no interior (ao nível do espaço a bordo e bagageira principalmente com o re-

batimento dos bancos) tornam o Panda o automóvel indicado para as mamãs de hoje. Nesta nova versão é oferecido o Pack Mamy composto por uma cadeira para bebé Axiss (Bébé Confort), ar condicionado e airbags laterais. O que representa uma oferta cliente no valor de 1200 euros.

GM produz baterias para Chevrolet Volt

■ O CHEVROLET VOLT, automóvel eléctrico da General Motors com extensor de autonomia, vai utilizar baterias fabricadas nos Estados Unidos pela própria GM. O construtor vai implantar naquele país a primeira fábrica de baterias de iões de lítio operada por um grande construtor automóvel para produzir o sistema de armazenagem de energia eléctrica do Volt. Os conjuntos de baterias são compostos por células de iões de lítio agrupadas em módulos e outros componentes do veículo.

RENOVAÇÃO

Citroën com nova identidade visual ■ NOVA IDENTIDADE visual, nova relação com os clientes, nova linha de produtos: com 90 anos, a Citroën abre uma nova página na sua história. Num contexto económico difícil, mas também num período em que a utilização do automóvel está em mu-

tação e existe uma nova relação entre os consumidores e as marcas, a Citroën não sofre, age e reinventa–se. Um objectivo: continuar a dinâmica iniciada com o sucesso dos novos produtos lançados nos últimos dez anos para dar à marca mais

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

6

| FEVEREIRO DE 2009

valor e assim elevar e sustentar a gama. A Citroën empenha–se num projecto de marca global: uma nova identidade visual, uma nova relação com os seus clientes e uma nova linha de produtos automóveis para estabelecer a diferença.


20/2/09

8:21 PM

Page 7

09/0295

MOTORES FEvereiro


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:23 PM

Page 8

lançamento Kia Soul

MCoutinho Centro

Só para quem vibra

stand de Vendas

O lançamento do Kia Soul está previsto para o próximo mês, prometendo espaço, estilo e conforto sem igual. O desafio está lançado.

A

A irreverência, porém, não se fica pelo interior, pelo que o Soul irá surpreender muito boa gente. Hyoung–Keun Lee, senior executive e vice presidente da divisão de negócios internacionais da Kia, afirma que o Soul “irá desafiar os consumidores mais arrojados. O seu habitáculo dispõe de um generoso espaço para passageiros que iguala ou até supera as dimensões exteriores de outros veículos da sua classe”. O entusiasmo do responsável da Kia prolonga–se nas qualidades técnicas do novo veículo que inclui no leque de motorizações a unidade mais adaptada aos consumidores europeus: o 1,6 litros, a diesel, equipado com um avan-

çado turbo compressor com geometria variável (VGT). Altamente eficiente, debita 126cv às 4000 rpm e tem um binário máximo de 255Nm às 2000rpm. O Kia Soul é uma viatura de cinco portas, com tracção dianteira, de tecto sobre-elevado e com invulgar distância entre eixos. No comprimento conta com 4,105mm e uma distância entre eixos de 2,550mm. As medidas verticais são decisivas para a silhueta do Soul: altura total é de 1,610mm, a base do pára-brisas é 135mm mais alta do que um típico carro compacto, os assentos são 120mm mais elevados e a distância ao solo é maior em 45mm. O espaço disponível no inte-

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

rior do habitáculo para a cabeça, pernas e ombros supera muitos veículos de grandes dimensões. Dispõe de um generoso espaço (frente/trás) para a cabeça (1020mm/1005mm), bem como para as pernas (1007mm/990 mm) e ombros (1403/1400mm), acomodando, assim, cinco pessoas adultas confortavelmente. Segundo Gregory Guillaume, chief designer da Kia Motors Europe, o Soul “possui diversos aspectos que farão com que o acto de sentar seja uma experiência única e cujas primeiras impressões causarão um enorme impacto”. As portas e assentos altos facilitam a acessibilidade ao interior do Kia Soul, enquanto o de-

8

| FEVEREIRO DE 2009

Av. Fernão de Magalhães, 254 3000-172 Coimbra Telefone 23 982 0645 Fax: 23 943 3505 Serviço Zona Industrial da Pedrulha 3020-317 Coimbra Telefone 23 943 3500 Fax: 23 943 3505

sign recuado do tablier integra com grande estilo o painel de instrumentos, com mostradores circulares individuais, e um volante de grande espessura, tudo para conferir ao interior do habitáculo um ambiente muito cool onde reina o conforto para o condutor e espaço superior para seus ocupantes.


20/2/09

8:23 PM

Page 9

09/0149

MOTORES FEvereiro


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:24 PM

Page 10

clube

ESCUDERIA CASTELO BRANCO

Desporto automóvel desenvolve turismo O “gosto” pelo desporto automóvel levou um grupo de fans da Ferrari a concretizar a Escuderia Castelo Branco, que começou por organizar provas de perícia, alargando, depois, a actividade.

C

om cerca de 700 sócios e alguns dos fundadores ainda no activo, a Escuderia participa activamente no desenvolvimento económico da região. “Através do desporto automóvel contribuímos para a evolução do turismo quer na nossa região, quer nos locais em que realizamos as nossas provas”, explica Luís Moreira, presidente da Escuderia. Segundo o dirigente, o facto “de termos provas integradas nos campeonatos nacionais representa uma mais–valia, já que o desporto automóvel arrasta milhares de pessoas, que têm de dormir e que têm de comer nos dois dias de duração das provas, pelo que a sua presença tem impacto na economia local”.

Luís Moreira destaca o retorno para a hotelaria e similares de hotelaria da realização das provas, e, também, o “casamento perfeito” entre a Escuderia Castelo Branco e as entidades locais públicas e privadas, a visibilidade que a região já garantiu no contexto nacional e internacional. E os exemplos estão à vista: “este ano o Rali de Automóveis Antigos, pela primeira vez, será realizado em conjunto com o Rali Terras de Vide, em Castelo de Vide, na sequência da reunião com a Câmara de Castelo de Vide, que aderiu de imediato à ideia”. Manter a actividade da Escuderia não é tarefa fácil, pois, por vezes, “realizamos provas sem ter nenhum patrocinador connosco, contando apenas DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

com a carolice dos nossos sócios e de algumas empresas que nos acompanham e que acreditam na divulgação dos seus produtos através do desporto automóvel”. As autarquias têm, por isso, importância decisiva nas “grandes provas”, mas o presidente da Escuderia reconhece a dedicação dos sócios que “suportam muitas vezes os custos das deslocações e participam gratuitamente na organização das provas”. Face à actual situação económica, a imaginação revela–se uma arma essencial no combate à crise, repetindo os dirigentes da Escuderia “métodos” de outros tempos. “Nos 44 anos de existência já passamos por alturas em que foi necessário 10

| FEVEREIRO DE 2009

fazer as provas só com o valor das inscrições”, recorda. A recente edição do Rali Cereja do Fundão é exemplo da dedicação dos dirigentes e sócios, já que o número de inscritos - 56 inscritos, 47 participantes - é significativo. “Estamos a falar de cerca de 500 pessoas envolvidas na prova e, nalgumas aldeias, o retorno foi óptimo. Já recebemos solicitações para repetir para o ano. Aliás, 28 anos depois do rali ter passado naquela zona, o êxito repetiu–se, o tempo ajudou e, no dia dos namorados, muitos casais realizaram piqueniques”, conta. A recepção pela Câmara da Fundão “foi excelente” e a prova beneficiou do apoio e das instalações da autarquia. “O rali ganhou com a mudança para o Fundão e tivemos, além de portugueses, muitos espectadores espanhóis”, disse. No rol de projectos, a Escuderia Castelo Branco, em conjunto com a autarquia e outras entidades, pretende transformar o Parque de Desportos Motorizados, com 17 hectares, numa zona de lazer. A construção de um kartódromo é uma das ideias, de modo a satisfazer os desejos de quem pretende fazer o gosto ao dedo.


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:29 PM

Page 11

clube

RALI CEREJA DO FUNDÃO

Pedro Peres vence

■ PARA A DUPLA Pedro Peres–Tiago Ferreira, pode dizer–se que a segunda secção do Rali Cereja do Fundão, foi um passeio bem alegre. O piloto do Ford Escort Cosworth passeou a sua superioridade perante a concorrência, enquanto logo atrás de si a luta era intensa pelo segundo lugar, que acabou por sorrir a um combativo Jorge Santos, a superar Armindo Neves por 1,2s, no último troço! Apesar de o vencedor estar praticamente decidido após o abandono do Mitsubishi de Ricardo Costa ainda du-

rante a manhã, Pedro Peres decidira não se distrair com a concorrência e mantendo um ritmo bastante vivo, foi ganhando as excelentes classificativas realizadas numa soalheira tarde de inverno, na Serra da Gardunha, enquanto logo atrás a luta era espectacular entre Armindo Neves e Jorge Santos, que apesar de dispor de um carro notavelmente inferior, nunca baixou os braços e acabou mesmo por roubar o segundo lugar ao piloto do Hyundai. É claro que nada foi por acaso e os problemas de caixa de velocidades expe-

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

11

|

rimentados nos derradeiros troços por Neves, deverão ter facilitado a vida ao piloto do C2, que no entanto impressionou pelo seu andamento sempre vivo e espectacular. Foi assim uma tarde animada, igualmente com João Ruivo a confirmar o seu valor e a garantir um estupendo quarto lugar, à frente do Mitsubishi de Luis Mota – a falhar um pouco durante a tarde – e do bonito Ford Escort Rs 2000 de Frederico Ferreira, que sem grandes problemas acabou por ganhar entre os clássicos. Não sem menor mérito a actuação de Paulo Correia, que se “superou” durante a tarde e de uma assentada passou por Nuno Pina e Francisco Grilo – o melhor dos júniores – roubando ao piloto albicastrense uma sétima posição que tinha garantido ainda durante a secção matinal. Depois de Nuno Pina, Pedro Gaspar encerrou o top–ten, com o seu BMW 325 ix, também bastante espectacular durante todo o rali. Sem incidentes, a prova da Escuderia Castelo Branco provou assim a sua qualidade, indicando também como positiva a mudança para o Fundão que ofereceu à caravana do Open uma qualidade de excepção, esperando–se “nova colheita” em 2010, já que as referências dos intervenientes não poderiam ser mais positivas para o clube albicastrense.

FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:26 PM

Page 12

destaque

NOVO LEXUS IS 220d

Excelência... original A

paixão começou na geração anterior e, com o novo IS, confirmou–se no fim–de–semana de ensaio. Da segunda–feira, dia da entrega do “menino” ao dono, não reza esta história... As alterações começam na suspensão, passam pela direcção e transmissão manual. Não que a versão anterior tivesse pecados, mas a Lexus entendeu (e bem) que o IS merecia alguns ajustes. A intervenção dos técnicos da marca foi coroada de êxito, já que as modificações introduzidas contribuíram para um incremento do prazer de condução. O sistema de controlo de estabilidade VDIM está disponível em toda a gama IS e assume–se como o exemplo da estratégia da Lexus ao nível do dinamismo dos automóveis que produz e da segurança de todos os ocupantes. A Lexus pode causar dúvidas a muito boa gente, mas o contacto directo com o utilizador é o melhor remédio para receios sem qualquer justificação. Basta conferir os elevados níveis de equipamento que proporcionam um maior conforto e conveniência a todos os passageiros, sempre numa atmosfera luxuosa. No exterior do IS foram efectuadas alterações subtis. A frente incorpora o exclusivo design da Lexus, destacando–se o grupo óptico, a nova grelha e novo pára–choques frontal. A projecção de carroçaria frontal foi aumentada para 820 mm (o IS tem 4.585 mm de comprimento), a parte inferior da grelha foi rebaixada e o pára–choques sofreu alterações para aumentar a entrada de ar e acomodar os faróis de nevoeiro. Com espelhos retrovisores de maiores dimensões – equipados

com o sistema de retracção automático - e que integram os indicadores de mudança de direcção com luzes por LED, o novo IS possui ainda um novo sistema de abertura eléctrica dos vidros que permite abrir ou fechar os vidros com variação de velocidade. O tipo de farolins traseiros são completamente diferentes e o próprio vidro tem uma luz de marcha atrás de maiores dimensões de forma a realçar o dinamismo do novo IS. A Lexus coloca 10 cores à disposição dos clientes, incluindo as novidades Amber Mica e Truffle Mica. A excepcional qualidade de construção surge naturalmente aos olhos dos utilizador que além das novas inserções, cinza ou madeira, disponíveis em toda a gama e da cor sóbria no painel de instrumentos, regista design interior mais apelativo. A unidade ensaiada tinha interior em pele e... contribuiu para o sublinhar da paixão do autor destas linhas. A Lexus inclui dois tipos de pele no leque de escolha: uma pele suave (incorporando os ajustes eléctricos, incluindo o lombar) e pele semi anilina micro–perfurada (incorporando o sistema de aquecimento e ventilação dos bancos). Os bancos traseiros são um regalo para o corpo e estão agora equipados com encostos de cabeça rebatíveis. As costas dos bancos dianteiros são agora mais finos permitindo um incremento de 20 mm no espaço para as pernas dos ocupantes traseiros. Na consola central, os botões foram redesenhados para proporcionarem tacto mais suave e melhor ergonomia. Uma nova e simples estrutura, com nova cor e símbolos permitem maior requinte interior em especial à noite... devido à iluDIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

O novo Lexus IS 220d reflecte a evolução da marca em várias áreas, tendo o conforto e a segurança como referências.

minação. Com a chave especial e o sistema de entrada e arranque inteligente, é possível abrir ou trancar as portas, colocar o motor em funcionamento ou parar, apenas com um toque no botão e sem tirar a chave do bolso. A caixa manual de seis velocidades ganhou em suavidade e na facilidade de operação. O quatro cilindros em linha escondido sob o capot tem 2231 cc de capacidade, 177 cv e 400 Nm de binário, revelando–se precioso aliado no desempenho 12

| FEVEREIRO DE 2009

LEXUS COIMBRA


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:28 PM

Page 13

destaque

Mais dinâmico e desportivo, o novo Lexus IS incorpora várias melhorias, de modo a garantir dinâmica de condução mais apurada, mais segurança e estética mais apelativa.

O avançado sistema de gestão integrada dinãmica acompanha as qualidades do condutor e reage de forma amena nas situações limite.

Rua Entre Vinhas 1- Eiras 3020-171 Coimbra Telefone:239 433 990 Fax: 239 433 938

OFICINA Segunda–Sexta 08H30-13H00 14H00-17H45

magnifíco do novo IS. O avançado sistema de gestão integrada da dinâmica do veiculo da Lexus (VDIM) está ao serviço em toda a gama e integra os vários sistemas: ABS, assistência à travagem BA, controlo de tracção TRC, sistema de estabilidade VSC interligado com o sistema de direcção assistida EPS. O VDIM não condiciona a “arte” do condutor e mesmo no limite reage de forma amena, de modo a garantir maior prazer de condução.

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

ficha técnica Lexus IS 220d Motor Cilindrada (cc) 2231 Potência (cv/rpm) 177/3600 Binário (Nm/rpm) 400/2000/2600

Consumos Velocidade máxima (km/h) 220 Aceleração 0-100 km/h (s) 8,9 Consumo médio (l/km) 6,1 Emissões CO2 (g/km) 163

13

| FEVEREIRO DE 2009

Preço (a partir de)

40.715€


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:30 PM

Page 14

notícias

Facturação da IVECO cresce 12 por cento

SEAT

Olé Exeo! O Exeo possui qualidade alemã a preços mediterrânicos e sai da antiga linha de montagem do Audi A4, que foi “deslocalizada” para Martorell, em Barcelona.

■ COM um crescimento sustentado nos pesados de passageiros, um crescimento superior a 12 por cento nos pesados de mercadorias e um posicionamento entre os mais vendidos no segmento acima das 2,8 toneladas, a Iveco conheceu um ano de 2008 com resultados muito positivos. A qualidade dos produtos e dos serviços Iveco permitiram um resultado muito positivo com uma facturação líquida de 91 milhões de euros.

Ford valida formação nos concessionários

■ A FORD LUSITANA continua a apostar no desenvolvimento dos conhecimentos daqueles que são a sua imagem no dia–a–dia junto dos seus clientes, seja nos vários salões de vendas da sua rede de concessionários ou nas oficinas dos seus reparadores autorizados. Para o efeito, a companhia mantém a parceria com a Formoprojectos para realizar essas formações na área de pós–venda. Uma das suas mais recentes iniciativas neste domínio é a aposta num novo modelo pedagógico para o denominado “Treino Técnico Ford”.

C

om a economia realizada, a Seat vai colocar no mercado um automóveis oito mil euros mais barato (em média) do que o antigo Audi A4. Segundo a marca 35 por cento dos componentes são novos e foi efectuada a preparação específica da suspensão independente herdada do A4, nomeadamente no amortecimento. A qualidade dos materiais e dos acabamentos do Exeo criam um novo capítulo nos produtos Seat, que herda vários bons exemplos da Audi: painel de bordo do Audi A4 Cabrio e bancos confortáveis. Com niíveis de habitalidade aceitáveis face ao desafio a que se propõe, o Exeo tem na bagageira um dos argumentos e confirma no nível de equipamento ao que vem: airbag para os joelhos do condutor, vidros duplos, faróis bixenon direccionais e um tecto panorâmico que funciona como um painel solar (com célu-

las fotovoltaicas), produzindo energia para alimentar o sistema de ventilação mesmo quando o carro está parado. Mais confortável que o A4, o Exeo possui direcção Servotronic com assistência variável em função da velocidade, que permite colocar o novo Seat na trajectória desejada. A caixa manual de seis velocidade foi escalonada para extrair todo o potencial do 2.0 TDI de 170 cv, o primeiro common rail num

Estilo intacto

■ O NOVO Mini Cooper cabrio mantém intacto o estilo da marca, sublinhando aa exclusividade e o prazer. É oferecido nas versões básica e desportiva S, com a primeira equipada com o motor

1.6 de 120 cavalos, um bloco que no Mini Cooper S descapotável aumenta para 175 cavalos, graças ao Twin–Scroll Turbo e injecção directa de gasolina. Nos dois casos a marca incluiu o sistema de

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

14

| FEVEREIRO DE 2009

Seat. Eficaz nas acelerações e nas recuperações a médios regimes, este motor só é suplantado em prestações na actual gama pela versão com mais fôlego, ou seja, o 2.0 TSI de 200 cv.

recuperação de energia a partir da travagem. Nas versões de mudanças manuais é adicionado ao indicador o nível óptimo para o ponto de mudança de velocidades e função Auto Start–Stop, de modo a reduzir o consumo e as emissões de CO2. Foram alterados o chassis, elementos da suspensão, direcção e sistema de travões, de modo a melhorar a agilidade, a segurança e o conforto. O novo sistema electrohidráulico de abertura do tejadilho precisa apenas de 15 segundos para concluir a operação e também pode ser activada em andamento.


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:35 PM

Page 15

mercado Novo Skoda Octavia

Relançamento do “bestseller”

N

ovo e elegante design exterior e interior, nova tecnologia e novas motorizações, além da excelente relação preço/qualidade, são atributos do novo Skoda Octavia. A amplitude do espaço interior e da volumetria da bagageira, características tão apreciadas pelos utilizadores, estão presentes na mais recente proposta da Skoda. Com preços a partir de 20.374 euros (limousine) e 21.314 euros (break), o novo Octavia foi estudado e desenvolvido até ao mais ínfimo pormenor. A introdução de melhorias tecnológicas de vanguarda foi acompanhada pela revisão de todos os restantes componentes. Possui melhorias significativas desde a qualidade dos materiais até aos acabamentos, passando por um nível de equipamento ainda mais elaborado e por um design moderno e apelativo. A nova grelha dianteira, pára–choques redesenhados e novos grupos ópticos que podem ser equipados com faróis de Xénon com sistema AFS, são caracte-

risticas do novo Skoda Octavia que pela, primeira vez, conta com grupos ópticos equipados, em opção, com luzes diurnas ou com a função de iluminação em curva (função Corner Light). O aspecto possante e as formas modernas e harmoniosas, conferem maior dinamismo a toda a dianteira, assegurando

presença mais distinta e nova personalidade ao Octavia. Volante, bancos e revestimentos foram redesenhados, tendo a Skoda incluido no equipamento novos sistemas de navegação. O novo sistema WOKS de apoios de cabeça activos para os bancos dianteiros, que garante maior eficácia contra lesões cervicais em caso de colisão, está em destaque no completo equipamento do novo Octavia que é proposto em Portugal com cinco níveis de equipamento - Classic, Ambiente, Elegance, Sportline e Exclusive.

ficha técnica Skoda Octavia Gasolina 1.4 TSI - 122 Cv (90 kW) - Emissões CO2 154 g/km 1.8 TSI - 160 Cv (118 kW) - Emissões CO2 163 g/km

Gasóleo 1.9 TDI PD - 105 Cv (77 kW) Emissões CO2 130 g/km 2.0 TDI PD - 140 Cv (103 kW) Emissões CO2 145 g/km

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

15

|

FEVEREIRO DE 2009

Preço (a partir de)

20.374€


MOTORES FEvereiro

20/2/09

9:44 PM

Page 16

mercado

Novo Mercedes-Benz Classe E

No topo do segmento Com o novo Classe E, a Mercedes–Benz apresenta o modelo pioneiro em termos de segurança, conforto, agilidade e compatibilidade ambiental neste segmento de mercado.

O

novo Classe E chega a Portugal no final do próximo mês, com preços extremamente competitivos, quer ao nível de equipamento, quer ao nível do preço base. À data de lançamento, estarão disponíveis três motorizações diesel e três a gasolina. Com mais de 20 novidades a nível tecnológico, o novo Classe E reforça o posicionamento líder da Mercedes–Benz na classe de veículos topo de gama, introduzindo notáveis inovações para uma condução segura, que nenhum outro construtor automó-

vel dispõe: sistema “Attention Assist”, faróis adaptativos ou sistema de travagem de emergência automática (activada na iminência de uma colisão). A Mercedes–Benz melhorou, ainda, o exemplar conforto em percursos de longa distância, com uma nova tecnologia da carroçaria que a torna 30 por cento mais rígida, com bancos optimizados e uma nova suspensão, cujos amortecedores se ajustam automaticamente à situação de condução. A suspensão pneumática, opcional, opera agora em combinação com um sistema electró-

nico de amortecimento. A extraordinária segurança e conforto do Classe E situam-se ao nível da sua compatibilidade ambiental e economia: os motores de 4 e 6 cilindros consomem, agora, até menos 23 por cento de combustível. O consumo misto NEDC dos novos motores diesel de 4 cilindros é de apenas 5,2 l/100 km, correspondente a 131 g de CO2/km. Todos os motores do novo Classe E cumprem a norma de emissão EU5 e, no caso do E 350 BlueTEC, o nível de emissões já se encontra abaixo dos limites da

norma EU6 prevista para 2014 . A versão BlueEFFICIENCY do Classe E é, em grande parte, responsável pela considerável economia de combustível. Um visor no velocímetro informa o condutor quanto combustível é economizado e quando deverá seleccionar a velocidade seguinte, de forma a proporcionar um estilo de condução económico e compatível com o meio–ambiente. Com um novo motor de 4 cilindros, o Classe E permanece uma geração à frente no que respeita a tecnologia Diesel.

ficha técnica Mercedes Benz Motor E 250 CGI BlueEFFICIENCY Potência 204 cv Binário 310 Nm Consumo: 7,4 L/100 Km Emissões de Co2: 174 g/km Preço: 49.900 euros

Sodicentro – Coimbra Rua Dr. Manuel de Almeida e Sousa, 297 3020-258 Coimbra Tel: 239 497 450

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

16

|

FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

9:45 PM

Page 17

mercado NOVIDADE

Premium para Avensis

Volkswagen líder na Europa

A nova geração Avensis garante desempenho ainda mais dinâmico, graças aos novos motores e à revolucionária tecnologia Toyota, com uma significativa evolução dos níveis de qualidade, robustez e segurança já conhecidos da gama Avensis.

C

om um visual mais dinâmico e maior conteúdo tecnológico, a terceira geração Avensis não receia comparações com as referências do segmento Premium. O novo Avensis apresenta elevados níveis de qualidade, tecnologia e segurança, aliados a um visual mais expressivo, procurando cativar utilizadores mais jovens e sofisticados. O Toyota Avensis entra determinado num segmento dominado pelas propostas germânicas e quer melhorar o desempenho comercial da anterior versão. Na identidade visual do novo Avensis destacam–se as linhas vincadas, as formas robustas dos pára–choques e os novos grupos ópticos. A carrinha ganhou também novo dinamismo devido à linha de tejadilho mais curvilínea. A forma da traseira beneficia o a versatilidade. Além da elevada qualidade

nos materiais e na montagem, o novo Avensis é exemplar nos conteúdos tecnológicos: travão de mão eléctrico, e consoante o nível de equipamento, sistema de arranque inteligente com botão start/stop, faróis bi–xenon, o ‘cruise–control’ adaptativo, câmara traseira de auxilio ao estacionamento e sistema de segurança ‘Pre–Crash’. O novo Avensis amplia as qualidades da anterior geração,

Vencedor nato

■ DISPONÍVEL nas carroçarias berlina, Avant, Allroad quattro e S6, o novo A6 distingue–se por uma nova grelha frontal e grupos ópticos, além dos novos revestimentos, no interior, e da maior dotação de equipamento de que a nova geração do

interface MMI é excelente exemplo. O espaçoso interior do A6, com o seu elegante traçado e a sua perfeita qualidade de acabamentos, transmite ao condutor e ocupantes um completo bem-estar a bordo. DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

no capítulo do desempenho - segurança, conforto e dinamismo - introduzindo uma gama de motores com o novo conceito ecológico da marca, denominado «Toyota Optimal Drive», com o objectivo de reduzir emissões e consumos, sem prejudicar as performances. As motorizações diesel são a grande aposta, nomeadamente o motor dois litros D-4D de 126 cavalos.

No capítulo mecânico, destaque para a nova motorização 2.0 TDIe de 136 cavalos, que se coloca como a nova variante de acesso à gama. A gama A6 conta também, a diesel, com o 2.0 TDI de 170 cavalos (caixa manual ou Multitronic), o 2.7 TDI de 190 cv (caixa manual ou Multitronic) e o 3.0 TDI quattro de 240 cv (caixa manual ou Tiptronic). A variante A6 Allroad é proposta com cinco motores, dois dos quais diesel, mantendo–se ao serviço os blocos TDi de 2,7 e 3 litros.A gasolina, estarão disponíveis os blocos V6 de 3 litros e o V8 de 4,2 litros. Os preços do novo A6 iniciam–se nos 42 500 euros do 2.0 TDIe e terminam nos 160 025 euros do RS6 Avant. 17

|

FEVEREIRO DE 2009

■ PELA PRIMEIRA vez na história da marca, a Volkswagen Veículos Comerciais vendeu, em 2008, mais de meio milhão de viaturas num ano. Com 503.025 unidades entregues a clientes, a marca cresceu 2,9 por cento comparativamente ao ano anterior (2007 – 488.726). A família T5 (Transporter/Caravelle/Multivan/Califórnia), foi mais uma vez a mais vendida na marca, do que resultaram 178.000 entregas (191.200 em 2007). A Caddy atingiu as 151.570 unidades (147.130 em 2007).

Citroën C5 Volante de Cristal

■ O QUARTO título da Citroën no palmarés nacional do Carro do Ano/Troféu Volante de Cristal foi conquistado pelo C5 de uma forma brilhante, juntando ao ceptro principal as vitórias nos segmentos “Familiar do Ano” e “Carrinha do Ano”, aqui com a versão Tourer. Um júri composto por vinte jornalistas representando diversas áreas da comunicação social portuguesa, escolheu seis finalistas para a atribuição do galardão, elegendo o Citroën C5.


MOTORES FEvereiro

23/2/09

11:33 AM

Page 18

lançamento NOVO MOTOR

MiTo com diesel 1.3 e ... 90 cv Presente no MiTo, o diesel 1.3, com 90 cv, promete reforçar a carreira de sucesso do modelo italiano.

A

lém do 1.3 JTD, a Alfa Romeo incluiu no leque de motorizações o motor a gasolina 1.4T, com 120 cv. No caso português quer o 1.6 JTD e principalmente a unidade a diesel 1.3 coloca o MiTo em excelente posição nas escolhas do público devido ao apelo estético e à economia nos consumos. Começando pelo design, a entrada em cena do motor 1.3 JTD não altera em nada a filosofia original, ou seja, o MiTo mantém o estatuto de utilitário mais atraente devido às influências do Alfa 8 C. A grelha generosa e faróis de moldura cromada igualmente triangular provam–no, assim como a “arrumação” do conjunto. Os aros cromados nas ópticas traseiras, com luzes LED, foram harmonizados com o look agressivo e o estilo latino desta proposta italiana que já caiu no goto das condutoras nacionais. Os homens também gostam de emoções fortes quando rodam a chave e, no caso da versão 1.3 JTD, os 90 cv asseguram diversão q.b.

principalmente nos percursos sinuosos. Baseado na plataforma do Grande Punto, o MiTo apresenta um comprimento ligeiramente superior (4063 mm), a mesma distância entre eixos (2511 mm) e vias mais largas. É já uma referência entre os utilitários desportivos, além do universo feminino marca pontos entre o público mais jovem... e, agora, com o 1.3 JTD ao serviço e preços a partir de 21.450 euros os horizontes são diferentes... para melhor. O MiTo é atraente e divertido de conduzir, possui interior com ambiente desportivo e a posição de condução é óptima. As pernas adquirem um ângulo confortável e o volante está à distância correcta das mãos, havendo a possibilidade de regular a coluna de direcção em altura e profundidade. A montagem e os acabamentos surpreendem pela qualidade e rigor num habitáculo que, no banco tra-

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

seiro, oferece nível de conforto muito aceitável. A suspensão é firme, garante eficácia dinâmica, mas não penaliza o conforto. O sistema DNA permite escolher três tipos de atitude dinâmica distintos aravés de um mero toque no botão colocado na consola central. Entre o modo Dynamic, o mais desportivo, o Normal e o All Weather, para condições de aderência difícil, o sistema altera a resposta do motor e o grau de assistência da direcção consoante o tipo de condução desejado. As diferenças são evidentes no peso do volante e na reacção ao pedal de acelerador, que fica tanto mais sensível quanto mais desportivo for o modo escolhido. O comportamento não defrauda as expectativas e no modo Dynamic, o controlo de estabilidade (ESP) fica, inclusivamente, mais “suave”, aumentando a liberdade do condutor. O sistema que faz a função de diferencial autoblocante - trava a roda dianteira com

18

| FEVEREIRO DE 2009

menor aderência - contribui para a confiança de quem assume o volante. Entrar rápido em curva está ao alcance do comum dos condutores e o... escorregamento do eixo traseiro, para os mais experientes, é controlado com a direcção e o acelerador. A travagem é competente e a caixa (seis velocidades) exemplar no manuseamento. Mesmo com o 1.3 JTD, o MiTo mantém a personalidade dos produtos Alfa Romeo e faz dos consumos (4,3 litros/100 km) um argumento de peso nos tempos que correm. Em matéria de preços, tendo em conta o equipamento (inclui sete airbags!. Ou seja, frontais, laterais, cortina e joelhos para o condutor) o valor, a partir de 21.450 euros é adequado, revelando–se o MiTo uma excelente opção para eles e elas com espírito jovem e, também, para as empresas, que podem encarar o jovial Alfa Romeo como um óptimo cartão de visita para os colaboradores.


MOTORES FEvereiro

23/2/09

11:24 AM

Page 19

lançamento

v

ficha técnica Alfa Romeo MiTo

RENAMOTORES

Motor 1.3 JTD

Prestações

Cilindrada (cc) 1248 Potência (cv/rpm) 90/4000 Binário (Nm/rpm) 200/1750

Velocidade máxima (km/h) 178 Aceleração 0-100 km/h (s) 12 Consumo (l/100 km) 4,3

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

EN1 / IC2 - Km 185,6 Banhos Secos - Santa Clara 3041-901 Coimbra Telefone: 239 801 470 Fax: 239 801 479 Email: renamotores@grupo–as.net

19

| FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:41 PM

Page 20

entrevista

A Associação Nacional das Empresas do Comércio e da Reparação Automóvel está insatisfeita com “a discriminação feita pelo Governo às empresas por si representadas, em termos de apoios para fazer face à grave crise que atravessam e que põe em causa a sua subsistência”. A negociação Governo–ACAP está também sob a mira da ANECRA. António Ferreira Nunes, presidente da ANECRA

“Em democracia devem auscultar-se todas as partes interessadas” Motores - Está satisfeito com as medidas tomadas até ao momento pelo Governo face à crise económica? Ferreira Nunes - A Anecra não pode deixar de estar desiludida e mostrar a sua enorme insatisfação com a discriminação feita pelo Governo às empresas por si representadas, em termos de apoios para fazer face à grave crise que atravessam e que põe em causa a sua subsistência. De facto, o tecido empresarial do sector viu serem anunciados por parte do Governo apoios financeiros ao sector automóvel no valor de 900 milhões de Euros. Todavia, a área do comércio e da reparação automóvel foi relegada para 2º plano e os apoios foram dirigidos exclusivamente à indústria da produção automóvel e ao fabrico de componentes e montagem. Penso que preterir o comércio e a reparação automóvel, faz crer que a actividade do fabrico e montagem pode sobreviver sem que os segmentos das vendas e da reparação, façam escoar e assistir o produto automóvel, o que não faz qualquer sentido. O Governo negociou com a ACAP um plano de apoio ao sector, deixando de fora ou-

tros operadores. Qual é a posição da ANECRA face a esta negociação “a dois”? Em democracia devem auscultar-se todas as partes interessadas. Por outro lado, a ANECRA representa cerca de 4.000 empresas do sector, o que mais que justifica a sua consulta por parte do Governo. A nossa associação sempre se destacou por defender os interesses do sector de forma empenhada e responsável, nomeadamente através da proposta de políticas e de medidas no sentido de defender os interesses das empresas, dos consumidores e do próprio Estado. Esperamos que esta situação injusta e injustificada seja corrigida no futuro. O referido plano prevê apoios à indústria, ao emprego e incentivos às vendas. São suficientes? Todas as medidas de apoio ao ramo automóvel são bem vindas. No entanto, este plano é preferencialmente direccionado para a componente industrial. Convém não esquecer que grande parte das empresas laboram igualmente na vertente dos serviços e de reparação, e carecem de investimentos de forma urgente, até porque em regra são empresas de pequena e média dimensão

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

20

descapitalizadas. Não devemos descurar a sua importância, porque desempenham um papel fundamental na criação e manutenção de emprego, e contribuem de forma decisiva para a manutenção de bons índices da segurança rodoviária. Que se saiba ainda não foi produzido nenhum veículo que esteja isento de manutenção. É, portanto, insuficiente o âmbito de aplicação do plano governamental. Por outro lado, defendemos a tese de que, sem justiça e equilíbrio fiscal, nenhum plano per si, será suficiente para alavancar o ramo automóvel. O Governo deveria arrepiar caminho na dupla tributação de IVA sobre ISV? Desde há muitos anos que defendemos a extinção desta dupla tributação. Para além de ser, a nosso ver ilegal, tem o efeito prejudicial de aumentar a carga fiscal incidente sobre os automóveis, tornando o preço de venda ao público mais caro. Por esse motivo, afecta e influi o mercado de forma negativa. Apesar disto, o governo tem–se mantido inflexível na sua manutenção, e tudo nos leva a crer que teremos de esperar pela conclusão do processo que corre em Bruxelas para rectificar esta situação.

| FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:42 PM

Page 21

entrevista Matricular “agora” para vender “depois” é a inevitável sina das marcas em Portugal? A procura de carros novos está em queda e as marcas automóveis estão a sentir os efeitos da crise que está a abalar a economia mundial. Neste momento, o mercado está muito volátil. Enquanto há uns meses, quando o preço do petróleo batia recordes, a preocupação do BCE era a inflação, hoje é a deflação. Esta volatilidade dos mercados significa que muitas empresas estão a perder dinheiro e a produzir para stock. Para além disso, há mais dificuldade em planear, isto é, estabelecer estratégias por forma a combater o excesso de stock. Note–se, também, que quanto mais tempo os veículos fizerem parte dos stocks das empresas, maiores serão custos de armazenagem, para além da sua agravada desvalorização, repercutindo–se num ganho menor aquando da sua venda. O Governo conta cobrar, este ano, mais 63,9 milhões de ISV. Esta meta é realista? O Governo já sabia que nos primeiros anos de aplicação do novo Imposto iria perder receita. Os nosso estudos já apontavam nesse sentido e a recuperação de receita ocorreria a partir do quarto ou quinto ano de aplicação. Agora quer recuperar tudo quase uma só vez, e decidiu sobrecarregar o ramo fortemente. Se aliarmos a esta maior carga fiscal, uma expectativa verdadeiramente negativa da evolução económica e financeira para 2009, tudo aponta para que a queda do mercado seja abrupta. Não cremos que uma queda de mercado deste teor permita uma cobrança tão significativa de Imposto, como o previsto no Orçamento de Estado. O actual contexto económico aumentou as solicitações de apoio dos associados da ANECRA? Em que áreas? De facto, o actual contexto económico trouxe nitidamente mais solicitações aos serviços da ANECRA ao nível de apoios para as empresas (comunitários ou nacionais). Por outro lado, verificaram–se também muitas solicitações ao nível jurídico, nomeadamente, acerca de encerramento de empresas, apoio à contratação, cessação de contrato de trabalho (extinção de postos de trabalho e despedimentos colectivos). Ao nível da formação profissional, registou-se um menor interesse por forma a atenuar os custos. O número de associados aumentou, tendo em conta que a união faz a força em momentos complicados? Reflectindo a continuação de um período de muitas dificuldades, com a consequen-

te e contínua redução de operadores de mercado, no ano 2008 registámos perto de meio milhar de empresas anuladas, principalmente devido a cessação de actividade e dificuldades financeiras. Todavia, no que respeita à admissão de novas empresas, o resultado do ano passado foi muito bom, o que contribuiu para colmatar em grande parte o número de saídas verificadas. Em 2009, estamos convencidos que continuaremos a assistir a uma redução de empresas do sector automóvel em Portugal, com a consequente diminuição do número de associados da Anecra. A modernização do sector da reparação, por via da acção da ANECRA, é uma realidade? Há menos oficinas “de vão de escada”? Tem sido preocupação da ANECRA promover o salto qualitativo das empresas, nomeadamente, das que apresentam menores performances, sensibilizando-as para a melhoria da sua competitividade, por forma a

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

21

não porem em causa a sua existência. Exemplos disso são o Procom Especial ANECRA Ambiente e o projecto RINO. Devido ao aumento dos combustíveis os motociclos estão a cair no goto dos portugueses? Não somos da opinião que os motociclos sejam concorrentes ou sucedâneos dos automóveis. Embora alguns automobilistas tenham recorrido a esta forma de transporte, convém realçar que não se trata de uma atitude generalizada. As mentalidades e as atitudes são das componentes que mais tempo levam a mudar. Para os que buscam uma segurança reforçada, uma utilização integral (mesmo em dias de chuva) do meio de locomoção ou o transporte da família, a alternativa não existe. O motociclo como meio de transporte tem o seu espaço, mas é limitado por alguns factores que não apenas o comodismo explica na sua plenitude.

| FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:43 PM

Page 22

elas ao volante

Peugeot 207 Rally 1.6 THP 150

Anjo... só na cor A

A versão 1.6 THP com 150 cv do 207, decorada a rigor, encheu as medidas a Joana Falcão. É veloz, acessível e... não é só embalagem. Por outros palavras, o 207 Rally foi pensado para assinalar o desempenho acima da média da equipa Peugeot e do campeão nacional de ralis Bruno Magalhães, nas competições domésticas. A inspiração no 207 RC é um facto, mas sob o capot está ao serviço o bloco de 1,6 litros, turbo, com 150 cv. As enormes bacquets em pele e alcântara, pedais e punho da caixa em alumínio, são referências no interior da viatura cedida à Motores pela Automóveis do Mondego, conces-

sionário Peugeot. Os vidros traseiros escurecidos são de série e acompanham as jantes de 17 polegadas “Pitlane”, que a instrutora da Escola de Condução Inês de Castro elogiou pela beleza. O enquadramento do pára–choques dianteiro com grelha em alumínio e os autocolantes no capot, tejadilho e portas - são colocados pela Peugeot por decisão do cliente e... a custo zero - também marcaram pontos (positivos) na avaliação da convidada da Motores. Os 22 315 euros pedidos pelo Peugeot 207 Rally são perfeitamente aceitáveis tendo em conta a relação qualidade/preço. O equipamento está de DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

acordo com os objectivos do modelo francês - rádio com comandos no volante, ar condicionado, sensores de marcha–atrás, entre outros - e o comportamento entusiasma con-

dutor e demais passageiros ao fim de poucos quilómetros. Joana Falcão foi surpreendida pelo comportamento dinâmico do 207 Rally 1.6 THP 150, que beneficia do ajuste

AUTOMÓVEIS DO MONDEGO Rua da Casa Meada - Antanhol Coimbra Telf: 239 801 040 Fax: 239 801 049 Email: automondego@automondego.pt

22

| FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:43 PM

Page 23

elas ao volante desportivo da suspensão. “Permite uma condução agressiva e requer alguma experiência ao volante. Mas não é um bicho de sete cabeças, considero-o estimulante, pois conseguimos ler a estrada”, afirma. A suspensão permite “sentir todas as reacções” do Peugeot que se revela “firme”, mas sem condenar o conforto. A sensação de segurança é outro dos pontos positivos. Primeiro, pela envolvência das enormes bacquets, depois, e o mais importante, pela enorme capacidade do sistema de travagem. “As bacquets impedem que o corpo ande solto nas curvas, pelo que os andamentos mais vivos parecem absolutamente... normais. Tem grandes potencialidades”, garante. A direcção directa e intuitiva ficou registada no bloco de apontamentos, assim como a excelente ligação ao asfalto, mas Joana Falcão encontrou outras virtudes no 207 Rally 1.6 THP 150 que a Automóveis do Mondego disponibilizou para

ensaio. “A qualidade dos revestimentos e principalmente o cuidado na escolha dos materiais, é visivel e de uma forma uniforme. O banco traseiro está preparado para receber duas pessoas e a mala é suficiente para o dia–a–dia”, considera. A caixa de cinco velocidades tem escalonamento correcto e o apetite reflecte os excessos na utilização do acelerador. Mas, convém escrever, não se pode ter tudo, ou seja, um automóvel veloz, entusiasmante e económico a tempo inteiro. Na prática, é necessário saber aproveitar a raça em benefício da algibeira... O motor convenceu a instrutora da Inês de Castro, que destaca a óptima resposta às ordens do pedal mais à direita. A subida de regime até ao red–line é acompanhada por um “cantar” afinado ao pormenor. “É um automóvel para quem gosta de conduzir, que proporciona sensações fortes. Não vale a pena comprar o Peugeot 207 Rally 1.6 THP 150 só para passear...”, conclui.

O Peugeot 207 Rally proporciona intenso prazer de condução

O motor 1.6 THP 150 está de acordo com a filosofia do modelo francês

A decoração exterior, as jantes e a ponteira de escape anunciam máquina com personalidade refinada. O Peugeot 207 Rally 1.6 THP 150 promove a comunicação entre condutor (ou será piloto?) e o asfalto, saindo em beleza da tarefa. DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

23

| FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:44 PM

Page 24

desporto

FILIPE ALBUQUERQUE

Objectivo? ganhar! E

m Chengdu, na China, levou o A1 Team Portugal ao lugar mais alto do pódio numa corrida do A1 GP Powered by Ferrari. A bandeira portuguesa e o hino nacional emocionaram Filipe Albuquerque. O piloto conimbricense regressou ao pódio na Nova Zelândia, onde conseguiu um 3.º lugar. Com 49 pontos conquistados nas quatro primeiras jornadas da competição, Portugal ocupa a 3.ª posição da classificação geral, a 16 pontos da Irlanda, que lidera, e menos três que a Suíça, segunda classificada. A próxima prova realiza–se, em Março, no México. Filipe Albuquerque leva Coimbra “no braço direito”, orgulha–se da cidade e só tem um desejo: ganhar o A1 GP. Motores - Quando e como começou a aventura no automobilismo? Filipe Albuquerque - Começou por volta de 1992 quando o meu pai me levou a mim e ao meu irmão a um kartódromo para experimentarmos um kart. Adorei assim como o meu pai. Ele decidiu então comprar dois karts, um para ele e outro para

mim e para o meu irmão, e começamos a ir todos os fim–de–semana andar de kart. No início era um hobbie, estava longe de imaginar que seria a minha carreira profissional. De que modo encarou a passagem dos karts (foi vice–campeão Europeu de Karting em 2002 ou quando ficou entre os 10 melhores do mundo no Campeonato de Fórmula A) para a Fórmula Renault? Tremeu? Antes de entrar num Fórmula tinha receio de não me adaptar e quando me estreei foi logo na Fórmula 3 e num teste com chuva torrencial. Na primeira volta dei dois piões e entrei. Na altura tinha que fazer ponto–tacão senão a segunda mudança não entrava. Explicaram–me e fui outra vez sem problema nenhum. Andei todo o dia debaixo de chuva sem sair uma única vez de pista e rápido o suficiente para a equipa, na altura a Racing Engeneering, dizer à Redbull que gostava de me ter com eles para a temporada de 2005 de Fórmula 3. Em 2006 venceu duas provas na Fórmula Renault, um feiDIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

to inédito. Foi com estes resultados que ganhou notoriedade em Portugal? Coimbra já percebeu de vez que tem um piloto de nível mundial? Creio que ganhei grande notoriedade não só em Portugal, mas também lá fora, mas por todo um conjunto de situações e não apenas por uma isoladamente. Acho que Coimbra já percebeu que tem um bom representante da sua cidade. Devo admitir que sou apoiado pela cidade em muitos aspectos. E é por isso que levo Coimbra no meu braço direito do fato em todas as corridas. É uma cidade da qual me orgulho muito. O desempenho no A1GP é muito positivo, mas terá os resultados que deseja, nomeadamente para a próxima temporada? Ou seja, já sabe onde vai correr? Os resultados que desejo é ganhar a competição. No ponto de vista do futuro é difícil de dizer, nunca se sabe o dia de amanhã nos automóveis porque podem surgir propostas, testes, oportunidades únicas que não se podem desperdiçar. Neste momento estou focado 24

| FEVEREIRO DE 2009

no A1 GP e em dar à minha equipa os melhores resultados possíveis. No entanto, não escondo que gostava de, no interregno do A1GP, fazer outras corridas. Tudo depende das propostas que aparecerem. O Autódromo do Algarve é suficiente para salvar o automobilismo português? O Autódromo do Algarve é uma lufada de ar fresco na realidade do automobilismo e motociclismo em Portugal. Não é por acaso que é considerado um dos melhores da Europa. É uma estrutura magnífica que já recebeu elogios de toda a gente. É uma estrutura importante para fazer evoluir os desportos motorizados em Portugal, mas também para colocar o nosso país na rota dos melhores eventos desportivos. Basta para isso ver o calendário de provas e de testes que o novo autódromo tem. O título de campeão no Eurocup Fórmula Renault 2.0 e no NEC Fórmula Renault 2.0. podiam ter outras repercussões na sua carreira se fosse... alemão ou inglês?


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:45 PM

Page 25

desporto Sem dúvida. Tenho a certeza que se fosse alemão ou inglês já era piloto de F1. Fez história ao vencer a Feature Race no circuito de Chengdu, na China. A equipa desejava há muito um triunfo. Coloca esta vitória na galeria dos momentos especiais? Sim, foi um grande momento. A minha primeira vitória com o nome de Portugal, a primeira vitória na competição e logo na segunda corrida da época. Teve um significado muito especial. Outros momentos, igualmente marcantes na minha carreira como piloto, foram o título de vice–campeão da Europa de Karting. Não acreditava ser possível, pois parti para a final no 11º lugar. O título na Fórmula Renault Eurocup e o do Campeonato Norte Europeu de Fórmula Renault. Dois títulos num só ano marcam qualquer piloto.

Já alguém lhe perguntou o que é ou quem é o “Magalhães”? Sim e com muita frequência. E como sou o detentor das “chaves” do A1GP powered by Ferrari do A1 Team Portugal, explico o que é, sugiro e aconselho... Devido à passagem por Itália ficou viciado no esparguete? Ou é mais adepto da pizza? Gosto muito dos dois embora coma mais regularmente massa, por questões óbvias. De que sente mais saudades quando está longe de casa? Da comida, da namorada? Já, agora, ainda estuda ou abdicou dos estudos? Sinto falta em geral da minha casa, porque é lá que tenho tudo: família, amigos e a minha origem. Por razões que se debatem com os compromissos profissionais de uma carreira de piloto, tive forçosamente que abdicar dos estudos.

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

25

| FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:45 PM

Page 26

notícias Rali da Noruega

Loeb sem concorrência à vista

■ TEORICAMENTE mais propício aos adversários da Ford, nomeadamente Mikko Hirvonnen, que terminou em segundo, enquanto Armindo Araújo foi 4.º na Produção, o Rali da Noruega serviu a Loeb para mostrar, mais uma vez, toda a mestria. Na segunda prova do Campeonato

Dose dupla no Mundial de Superbike

■ A ALFA ROMEO está mais uma vez envolvida em todas as 14 provas do Campeonato Mundial de Superbike: 10 na Europa, uma na Austrália, uma no Qatar, uma na África do Sul e uma nos EUA. Atraindo audiências cada vez maiores, tanto nos circuitos de competição, onde o número de espectadores ultrapassou, em 2008, mais de um milhão de pessoas, e em casa (com mais de dois mil milhões de espectadores), estas provas estão particularmente em sintonia com o espírito desportivo da Alfa Romeo.

do Mundo, a estratégia não foi suficiente para o finlandês Hirvonnen derrotar o campeão do mundo de ralis, que conduziu sempre no limite, apesar das condições em que decorreu não favorecerem o francês. Loeb terminou a prova com o tempo total de 3:28.15,9 horas, seguido

O Campeonato SBK é transmitido por 95 canais de televisão, oferecendo um total de quase 3500 horas de cobertura durante a época de competição. Em cada prova, os 32 concorrentes do Campeonato serão precedidos por Safety Cars Alfa Romeo: quatro MiTo 1.4 Turbo - gasolina - de cor vermelha 8C, perfeitos para atraírem a atenção do público. A iniciativa alcançará uma imensa visibilidade, envolvendo uma audiência que inclui os frequentadores dos circuitos, a rede de vendas e os seus clientes. A Alfa Romeo também desempenhará um papel de primeiro plano no mundo das duas rodas através da sua aliança à Ducati Corse, seja no Moto GP patrocinando campeões como Nicky Hayden (campeão do mundo de 2006) e Casey Stoner (Campeão do Mundo de 2007), seja no Superbike com os pilotos Michel Fabrizio e Noriyuki Haga. Para além disso, a Alfa Romeo estará nas pistas durante o warm up e antes das provas que se desenrolam no contexto do Mundial de Superbike, ou seja, o Campeonato Europeu Superstock 600, Superstock 1000 FIM Cup e o Campeonato Mundial Supersport.

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

26

de Hirvonnen. a 9,8 segundos, e do também finlandês Jari–Matti Latvala, igualmente em Ford, a 1.21,8 minutos. O português Armindo Araujo, ao volante do Mitsubishi Lancer EVO IX, foi 17.º da geral, a 25.24,7 minutos de Loeb, e quarto em PWRC, a 3.56 do vencedor, o sueco Patrik Sandell, em Skoda Fabia Super2000. A classificação do Campeonato do Mundo de pilotos é comandada por Sébastian Loeb, que soma duas vitórias em dois ralis - e passou a totalizar 49 vitórias no Mundial -, seguido de Mikko Hirvonnen, que relegou para terceiro o espanhol Dani Sordo. A próxima prova do Mundial será disputada no Chipe, entre 13 e 15 de Março.

Cursos de condução e track days no Algarve ■ O AUTÓDROMO Internacional do Algarve e Miguel Praia, único piloto português a disputar um Campeonato do Mundo de Motociclismo, vão novamente promover cursos de condução desportiva e ‘track days’. Estão para já agendadas quatro datas: dias 1 e 2 de Maio, 13 e 14 de Junho, 18 e 19 de Julho e 8 e 9 de Agosto. Os cursos serão compostos por duas componentes: uma teórica e outra prática. O valor do curso mais o ‘track day’ é de 300 euros. Inscrições no site www.autodromodoalgarve.com

| FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:46 PM

Page 27

motos Buell City X XB9SX

De volta ao preto A Buell City X XB9SX, conhecida pelo seu estilo contemporâneo de destaque, é uma das motos mais vendidas de toda a gama Buell.

A

Buell City X XB9SX reforça os atributos com um novo modelo totalmente escurecido, por um preço extremamente acessível de 10.550 euros. Também disponível num azul Hero admirável e num vermelho Cherry bombástico, os motociclistas poderão conseguir um visual agressivo sem cair na ruína. Sendo uma moto de rua para o peso médio, a Buell City X XB9SX foi concebida especialmente para o ambiente urbano.

Características como a posição do condutor, as dimensões generosas e a condução intuitiva ajudam a Buell City X XB9SX a desviar-se dos buracos, tornando-a uma “streetfighter” na sua própria gama. Este novo acabamento em preto revestido a tinta em pó inclui–se no toque preto oculto e contemporâneo da Buell para 2009, que foi aplicado no quadro, no motor, nos tubos da forquilha, nas braçadeiras triplas, nos calibradores dos travões e noutros componentes. A ampla banda de potên-

cia do motor Buell Thunderstorm 984 V–Twin, que atinge uns extraordinários 79 Nm de binário, permite que a Buell City X XB9SX dê cartas no trânsito. Os pneus Pirelli Scorpion Sync aderem com firmeza a todos os tipos de piso e contribuem para um estilo agressivo. A Buell Motorcycle Company, empresa subsidiária da Harley–Davidson, Inc., fabrica motociclos e, também, peças, acessórios e complementos para motociclos.

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

27

| FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:47 PM

Page 28

tuning

PÓLO G40

histórico com raça H

surgindo quase diariamente. O mais potente Polo (2) foi o G40, lançado em 1986. O compressor volumétrico G–Lader (idêntico ao aplicado no 1,8 litros do Corrado, mas com menor capacidade) levava o 1,3-litros a notáveis 115 cv. Em teste de 24 horas no campo de provas da VW, em Ehra-Lessien, obteve média de 208 km/h e máxima de 218, mas com a potência aumentada para 129 cv. No caso de Hugo Carvalho o Polo G40 azul eléctrico mantém o carácter original e poderá ser analisado ao pormenor no encontro que o Rifos Club está a preparar para o final de Março. A iniciativa, segundo Carlos Santos e Carlos Delgado, inclui um passeio pela região Centro, de modo a divulgar a modalidade e “a assinalar o início das actividades do clube para 2009”. No passado dia 24 de Fevereiro, o Rifos Club completou três anos de actividade. E sempre a fundo...

09/0165

ugo Carvalho tinha o Polo G40 na gaveta dos projectos, pelo que mal surgiu a oportunidade, o sócio do Rifos Club abriu os cordões à bolsa. A inspiração familiar no mundo da mecânica fez “o resto”: o Polo G40 sofreu alterações na estética e ganhou um novo interior. Os dirigentes do Rifos Club, Carlos Santos e Carlos Delgado, explicam todo o processo: pintura, estofos, sistema de som, aplicação de película nos vidros, alteração dos espelhos retrovisores, novas jantes, alteração do escape, montagem de ponteira, e modificação do capot, com montagem de uma entrada de ar. O azul eléctrico foi outro dos passos da renovação do Polo G40 de Hugo Carvalho, que recuperou toda a mecânica. Até agora gastou cerca de cinco mil euros no automóvel de todos os dias e promete continuar a evolução ao ritmo das ideias que vão

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

28

| FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:48 PM

Page 29

boutique

Grelha para subwoofers

Sintonizador TDT

A grelha Star da Innovate é ideal para proteger os subwoofers do seu automóvel, ao mesmo tempo que realça o seu design com um elemento moderno. Para os subwoofers de 12 cm. (30 cm) Ter a TDT no seu automóvel? Com o KV-DT2000 desfrutará da apresentação multilingue e da escolha entre 16:9 e 4:3. Poderá ver os seus programas TDT preferidos nas melhores condições.

Câmara de marcha-atrás

Auto-rádio DVD/DivX

O auto-rádio CDV996 da Takara diverte-o e ajuda-o na sua condução. Este aparelho possui uma saída de vídeo para ligar um monitor, mas também, uma entrada de vídeo para uma câmara de marcha-atrás.

09/0286

Faça marchaatrás com toda a segurança com a câmara KVCM1K da JVC. Já não precisa de se virar quando realiza manobras. Graças ao seu formato compacto, poderá instalar a câmara onde quiser.

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

29

| 30 DE JANEIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:52 PM

Page 30

classificados

BMW 320 TOURING, Ano 2006. GPS Profissional, Sensores de parqueamento, Faróis de Xenon, 5.800 Km, Livro de revisões. Leitão e Santos, Tel.: 239 918 322. Tlm.: 967 400 569

PORSCHE 911 TURBO, Ano 2001. Nacional, 75.000 Km, Livro de revisões, 1 dono, Tecto de abrir, GPS profissional. Leitão e Santos, Tel.: 239 918 322. Tlm.: 967 400 569

MERCEDES BENZ CLASSE E 220 CDI STATION AVANTGARDE, Ano 2005. GPS, Sensores parqueamento, luz e chuva, Faróis Xenon, Pele, 1 dono, livro de revisões. Leitão e Santos, Tel.: 239 918 322. Tlm.: 967 400 569

MERCEDES BENZ CLASSE B 180 CDI SPORTPACKET. Sensores de parqueamento, luz e chuv, 1 dono, livro de revisões, GPS, Faróis de Xenon, Pele. Leitão e Santos, Tel.: 239 918 322. Tlm.: 967 400 569

FORD CONNECT T 200. Ano 2006. Airbag, Auto-rádio, Fecho central. Tel. 239 963 131, 239 964 028, 239 952 067. www.gentilauto.com

VW PASSAT TDI TREND LINE 130 CV. Ano 2003. ABS, Airbag, AC, comp. bordo, FC, JE, VE fumados. Tel. 239 963 131, 239 964 028, 239 952 067. www.gentilauto.com

PEUGEOT 407 2.0 HDI Sport. Ano 2004. ABS, Airbag, AC, bancos pele, comp. bordo, FC, JE, VE fumados. Tel. 239 963 131, 239 964 028, 239 952 067. www.gentilauto.com

RENAULT SCÉNIC 1.5 DCI. Ano 2005. ABS, Airbag, AC, comp. bordo, faróis nevoeiro, FC, JE, VE. Tel. 239 963 131, 239 964 028 , 239 952 067. www.gentilauto.com

MOTORES! SAI NA ÚLTIMA QUINTA-FEIRA DE CADA MÊS! 239 980 290 Anuncie aqui!

239 980 290 Anuncie aqui!

239 980 290

09/0331

Anuncie aqui!

PEUGEOT 307 SW 1.6 HDI. Ano 2006. FC, RCD, AC, VE, DA, JE, ABS, cruise control, comp. bordo, esp. Eléctricos. Preço 18.500 €. Stand Marcauto – Calvão. Telem. 966 939 588

SEAT IBIZA 1.4 Ano 2004. Alarme, VE, FC, RCD, AC, DA, JE, ABS, comp. bordo, esp. Eléctricos. Preço 12.000 €. Stand Marcauto – Calvão. Telem. 966 939 588

FIAT PUNTO 1.2, Ano 2002. VE, DA, FC, 5 portas. Preço 5.250 €. Stand Marcauto – Calvão. Telem. 966 939 588

Centro de recepção e Descontaminação automóvel Venda peças usadas Reciclagens NOVA FILIAL venda de peças em POMBAL - Outeiro de Galegas 236 922 201 // 911 036 609 Zona Industrial I - 3064-909 Cantanhede Telefone: 231 419 670 | Fax: 231 419 679 | E-mail: scrapluso@scrapluso.pt


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:53 PM

Page 31

classificados

RENAULT 12C “COMBI”, Ano 1983. Castanho (viatura de colecção). Particular. Tlm.: 967 519 309

09/0106

RENAULT 4 GTL, Ano 1982. Bege, inspeccionada e totalmente recuperada. Particular. Tlm.: 967 519 309

CITROËN JUMPY 1.9 TD. Ano 2000. Caixa frigorífica (conservação e congelamento – equipamento carrier). Garantia 1 ano em oficina própria. Crédito total. Tlm. 961 865 100 // 967 803 130

PEUGEOT 307 HDI, Ano 2003. JE, AC, FC, RCD, VE, DA, 3 portas. Cinza prata. Auto Mais - Figueira da Foz. Tlm. 966 796 478 – 917 598 508

Jantes | Pneus novos • Semi-novos | Alinhamento de direcção | Calibragens | Reparação de jantes

09/0169

2.ª a 6.ª - aberto: 9h-13h | 14h30-19h | Sábados - aberto: 9h-13h | 14h30-16h | Taveiro - Coimbra

• PEÇAS PARA AUTOMÓVEIS E CAMIONS • COMPRA DE VIATURAS USADAS E VIATURAS PARA PEÇAS Francisco José de Campos Carvalho

09/0334

Ventosa - 3350 Vila Nova de Poiares |Telef.: 239 422 067 | Telem.: 917 238 539 | 918 295 708

Peugeot 206 CC

Mazda MX 5

BMW 320 D Touring

Audi A4 1.9 Tdi Sport Avant

09/0287

www.ademiauto.pt


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:53 PM

Page 32

história Karl Abarth nasceu a 15 de Novembro de 1908, distinguiu–se como piloto, construtor e preparador de carros desportivos acessíveis ao grande público.

Karl Abarth CEM ANOS DE PREPARAÇÃO

C

em anos depois do seu nascimento, estes valores permanecem intactos na “sua” Abarth & C e, acima de tudo, permanece imutável a paixão dos entusiastas de motores e de automóveis desportivos, dos incontáveis fãs do Escorpião. Dentro deste contexto foi organizada nas instalações do centro Torino Esposizioni uma exposição ilustrativa das etapas fundamentais da vida de Karl Abarth, desde a competição em mota até aos recordes em pista, passando pelas panelas de escape e pelos kits de preparação e que encontra nas viaturas actuais, expostas também nesta mostra, a sua perfeita prossecução. Karl Abarth foi, antes de mais, um inovador, fazendo da tecnologia e da experimentação os pontos fortes do seu trabalho.

Para o centenário de Karl Abarth foi lançada a série especial do modelo 500 Abarth denominada “DA 0 A 100” de que serão produzidas 101 unidades. O Abarth 500 “DA 0 A 100” é um tributo à paixão do fundador da marca pelo mundo automóvel, com claras refe-

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

rências à sua história, a começar pela panela específica com sistema de escape de contrapressão variável, em homenagem a um dos produtos que tornaram o nome do Escorpião famoso no mundo. Os revestimentos em pele cor de couro com guarnições prateadas da

32

|

FEVEREIRO DE 2009

nova série especial recordam as viaturas históricas da Abarth, bem como os frisos nos montantes laterais. Máquina infernal Esta versão adopta o potente motor 1.4 Turbo T–Jet de 160 cv a 5750 rotações por minuto e binário máximo de 230 Nm a 3000 rotações. A velocidade máxima ascende a 211 km/h, e com a adopção de diferentes relações de caixa, o quilómetro de arranque é percorrido em 7,3 segundos e a recuperação de 40 para 100 km/h em quarta velocidade é feita em 8,5 segundos, melhorando num segundo as prestações da versão Esseesse. A adopção de travões de disco perfurados anteriores e posteriores, as pastilhas de travões anteriores de elevadas prestações, fizeram história.


MOTORES FEvereiro

20/2/09

8:54 PM

Page 33

clássicos PILOTOS

Rolo de histórias A

14H00 de domingo. “Era sempre a aviar”, garante. Na memória de José Rolo ficou ainda a duração de dois controlos: “vi que tínhamos hora e meia para fazer 500 metros e disse ao Carlos: este traçado deve ser muito mau, pois dão–nos tanto tempo. Afinal, a hora e meia era para almoçar... uma coisa levezinha: um ensopado de borrego”. O pop cross, durante quatro ou cinco anos, foi outro dos capítulos da actividade desportiva de José Rolo, que comprou um 2CV preparado na Bélgica. A competição era realizada em pistas fechadas e com piso “o pior que fosse possível, o que dava direito a algumas cambalhotas, felizmente na maioria dos casos sem consequências de maior”. Os clássicos foram a etapa seguinte na vida desportiva de José Rolo que se mantém fiel ao 2CV. “É preciso paciência para andar nele, pois é um carro que não anda... vai andando. Chega quando chega, mas chega”, assegura. O 2CV encarnado de Rolo já foi a França e à Suíça, em que sofreu com a altitude. “Abafou um bocadão, mas ao fim de quatro dias chegámos ao destino, vai devagarinho, mas vai”, lembra. Os meros 35 cv obrigam o 2CV a andar sempre “no vermelho”, mas nunca avariou. Quando a FPAK aumentar as exigências, os clássicos poderão ficar condenados, afirma José Rolo, que critica o preço das licenças. “Não há nada que justifique os cinco mil euros que são pedidos por uma licença para uma prova do campeonato nacional”, considera. O 2CV vai continuar na estrada, pelo menos até ao fim do ano. A hora do merecido descanso está a chegar. As “brincadeiras a sério” podem ter os dias contados, mas o 2CV vai continuar perto da vista e do coração, selando a paz entre Rolo e o próximo piloto: o neto André.

agronomia não se compara à mecânica, mas José Rolo gosta de automóveis desde garoto, pelo que no final de 1966 acertou agulhas com “um pessoal” do Clube Automóvel do Centro e ficou até hoje. Em 1968 comprou um Mini 1000, que foi transformado em grupo 2, na Garagem S. José, “pelo Dinis, que anda pelo Algarve”. José Rolo estreou–se no Rali da Universidade de Coimbra, em 1969, e, depois, entrou a todo o gás no Rali Rainha Santa, então do Campeonato Nacional, pois além de concorrente foi, também, director da prova. E, conta, noutras “frentes” navegador... de Carlos Laranjeira , “o homem do arroz de quem sou muito amigo” e que um dia surgiu com um projecto, apesar de nunca ter colocado a mão na roda. Laranjeira queria conduzir e precisava de um navegador, coisa que Rolo nunca tinha sido. Mesmo assim, lá foram... para a derradeira edição do Safari Montes Alentejanos num VW 1303S patrocinado pela John Deere, marca de tractores, ceifeiras–debulhadoras e maquinaria agrícola. Foi em 1972. “Conseguimos o 6.º lugar na geral e o 1.º lugar da classe sem saber ler nem escrever. Ainda tenho as notas que recolhemos na semana de treinos”, confessa. Nos mil quilómetros de prova andaram “seis quilómetros com o carro direito, pois ao fim deste percurso, o amortecedor esquerdo da roda traseira furou a carroçaria” e passou a viajar no interior da viatura. A protecção do cárter, a todo o comprimento do VW 1303S, não foi suficiente para evitar que uma pedra “batesse precisamente no único local que não estava protegido: o bujão”. E o óleo começou a perder–se. Os mecânicos da Volvo deram uma ajuda e tudo terminou em beleza num rali que começou, em Elvas, às 08H00, de sábado, e terminou, no mesmo local, às DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

33

| FEVEREIRO DE 2009


MOTORES FEvereiro

20/2/09

9:05 PM

Page 34

a fechar

calendário MARÇO Campeonato de Portugal de Ralis 07.08 Rali Torrié WRC - Rali Chipre 13, 14 e 15 Open Campeonato de Portugal Júnior 13.14 Rali de Barcelos PTCC 28.29 Circuito ACDME 1 Estoril Todo–o–Terreno 20.21 Rali TT Serras do Norte Fómula 1 - GP Austrália 29

Na próxima edição Toyota iQ Dacia Logan Break Seat Ibiza Cupra

Novo Fiat 500 Cabrio

QUIZZ códigodaestrada Pergunta da edição de Janeiro: “A que distância devo circular do veículo que se encontra à minha frente?” RESPOSTA a) - A uma distância que me permita fazer uma condução segura, evitando sempre situações de risco.

A regra geral de prioridade, de cedência de passagem ao veículo que se apresente pela direita, também se aplica aos ciclistas (entre eles e entre eles e os carros)? (resposta na próxima edição)

DIÁRIO AS BEIRAS MOTORES |

34

|

FEVEREIRO DE 2009

Conselhos & Segurança O peso dos objectos deve ser distribuído por todo o veículo. Os objectos pesados devem ser colocados no fundo da mala. No tejadilho, a bagagem deve estar presa de uma forma muito firme e sem possibilidade de cair.


20/2/09

8:55 PM

Page 35

09/0104

MOTORES FEvereiro


20/2/09

8:56 PM

Page 36

09/0322

MOTORES FEvereiro


MOTORES FEVEREIRO