Page 1

educação3.0 educação e escolas para o futuro edição de 21/10/15

Clube de Programação

, Robótica e Design da Escola Secundária Avelar Brotero, em Coimbra, foi distinguido, com outras duas escolas no país, com o prémio para os três melhores resultados do concurso para clubes de programação e robótica promovido durante o ano letivo 2014/2015 pela Direção-Geral da Educação. Participaram no concurso 104 clubes.

DR

Os Heróis da Fruta nas escolas O Projeto Heróis da Fruta – Lanche Escolar Saudável estabeleceu como objetivo chegar a todas as escolas do país. Promovido pela APCOI – Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil, a intenção é que o projeto se estenda já neste ano letivo de 2015/2016 a todas as escolas de 1.º ciclo e jardins de infância. Para já, encontramse abrangidos pela iniciativa gratuita 52.832 alunos de 2.607 turmas, de 875 jardins de infância e escolas do 1º ciclo de todos os distritos do país, incluindo a Madeira e os Açores, prevenindo uma realidade preocupante: 74% das crianças portuguesas não ingere fruta na quantidade recomendada diariamente.

Segredos que fazem a arte de bem estudar

Projeto previne o “maltrato” A Associação Integrar, em Coimbra, através do Centro de Apoio Familiar e Aconselhamento Parental (CAFAP) criou o Projeto Principezinho para as escolas do concelho. Ao longo de quatro sessões, dinamizadas em contexto de sala de aula com a colaboração dos professores e através da interação com um animal, vai ensinar-se o respeito, a responsabilidade e a empatia por todas as formas de vida. A prevenção do “maltrato” e da negligência infantil, intervindo junto das crianças e dos professores, é o grande objetivo.

Estudar é uma arte que crianças e jovens devem dominar. Num processo a que pais e encarregados de educação também têm de ser chamados pág.2-3


2 | boas experiências

diário as beiras | 21-10-2015

opinião

Luís Alcoforado Professor da Faculdade de Psicologia da Universidade de Coimbra

Ajuda no estudo: respostas diferentes para novos desafios

projeto#1

A importância de aprender a estudar

educação 3.0 // coordenação Lídia Pereira/texto Lídia Pereira/Fotografia /Carlos Jorge Monteiro

U

ma das acusações mais recorrentes que se tem vindo a fazer à Escola, ao longo das últimas décadas, relaciona-se com a sua dificuldade em empreender as mudanças desejáveis, continuando a enfrentar novos desafios com os procedimentos de sempre. Na verdade, assumindo as suas finalidades e métodos de origem, a Escola foi-se constituindo como uma instituição socializadora, que organiza a herança cultural das gerações adultas em saberes disciplinares sequenciados e hierarquizados, transmitindo-os às crianças e adolescentes que, no futuro, os deverão investir e potenciar, no desempenho dos diferentes papéis socias. Tendo de um lado os Professores, que dominam os conteúdos e a forma de os transmitir, e do outro os alunos, que devem aprender o que lhes é proposto e demonstrar a consistência dessas aquisições, a Escola constituiu-se também como um percurso seletivo, que foi contribuindo para legitimar algumas das diferenças sociais existentes. Hoje, temos que exigir muito mais da Escola, atribuindo-lhe, mesmo, um outro papel. Por um lado, devemos esperar que envolva todos/as as crianças e adolescentes, por muito mais tempo e lhes ensine mais coisas, fazendo tudo isto sem discriminar ninguém. Por outro lado, já consensualizámos a ideia de que é indispensável continuar a aprender ao longo da vida e, por isso mesmo, a Escola deve ser encarada, para além da sua vocação natural, como um espaço e tempo que ajuda a consolidar projetos pessoais e prepara homens e mulheres para conduzirem de forma autónoma e responsável a sua vida e as aprendizagens que ao longo dela forem ocorrendo. Para isto, torna-se indispensável acautelar três coisas fundamentais: garantir que todos aprendem o que é suposto aprender nos diferentes ciclos de estudo; otimizar as aprendizagens que potenciam os percursos resultantes de escolhas informadas e conscientes; alargar as preocupações formativas para áreas não disciplinares, mais holísticas, capazes de contribuir para um progressivo incremento da igualdade de sucesso à saída. Para encontrar as respostas necessárias as estes desafios, e para além das suas atribuições naturais, a Escola precisa de ser múltipla, tornando-se capaz de disponibilizar respostas diferenciadas, para diferentes talentos e interesses de públicos distintos (incluindo os desinteressados e, até, nalguns casos, os hostis), cuidando da consolidação e/ou otimização de saberes disciplinares para responder às necessidades e projetos dos/as alunos/as, mas ajudando todos/ as a serem capazes de planear, monitorizar e avaliar o seu pensamento, tornando-os capazes de autorregular as suas aprendizagens. Se é verdade que as opções políticas dos últimos anos pouco contribuíram para consolidar estas respostas, mais premente se torna planear e desenvolver as ações necessárias, a nível nacional e local, capazes de transformar as escolas em centros de comunidades educativas, naturalmente mobilizadoras de iniciativas da sociedade civil, que não nos deixem capitular na nossa missão comum de garantir que todos aprendem o que é necessário e o que desejam para dar sentido à realização dos seus (e nossos, enquanto sociedade) inéditos viáveis.

Estudar, tal como ler, andar ou falar, aprende-se. Essa devia ser uma preocupação do sistema de ensino. Mas não é. Por isso, não raras vezes, os jovens chegam ao ensino superior sem método de estudo, com prejuízo do aproveitamento A grave lacuna que grande parte das crianças e jovens no sistema de ensino em Portugal apresentam relativamente ao estudo, nomeadamente no que respeita ao domínio dos métodos necessários à melhor aquisição do conhecimento, é matéria do domínio público e motivo de preocupação de especialistas. Mas parece não mobilizar suficientemente os responsáveis pelo sistema de ensino, o que tem permitido a continuidade de práticas que pouco ou nada promovem essas competências básicas nos alunos. Com a escola mais ou menos arredada desta problemática, não se promovendo, nomeadamente, a necessária proximidade e o consequente aproveitamento da investigação e do estudo desenvolvidos nos diversos centros integrados nas universidades, sobra para os pais e encarregados de educação encontrar uma solução. Claro que, nesta equação, cabem e destacam-se os professores que, relativamente aos métodos de aprendizagem como noutras matérias, querem e sabem fazer a diferença junto dos seus jovens alunos. E muitos professores, mesmo num dia a dia que, cada vez mais, parece promover o desencontro e a indiferença entre os principais atores do sistema de ensino, fazem de facto essa diferença: esses deixam marcas para a vida nas crianças e nos jovens alunos, ensinando-lhes a ler, mas sobretudo o que ler e como ler. Mais de metade dos alunos chumbam no 3.º ciclo do básico Aos pais e encarregados de educação resta-lhes muitas vezes, movendo-se num processo

cada vez mais impiedoso de seleção e escolha dos melhores e mais aptos para as cada vez mais débeis respostas do mercado de trabalho, recorrer ao apoio externo ao sistema, onde coexistem respostas de qualidade e outras que apenas mitigam o problema. Tudo isto, num processo que corre sem qualquer tipo de controlo ou aferição da qualidade. Somadas as graves deficiências que ainda subsistem no nosso sistema de ensino, a falta de apoio com que, a esse nível, as famílias portuguesas, sobretudo as de mais escassos recursos – num processo extraordinariamente agravado pela crise atual –, continuam a sentir, mas também as inúmeras outras dificuldades encontradas pelas crianças e jovens ao longo de todo o processo educativo, a realidade devolve-nos uma imagem desoladora, com mais de metade dos alunos a chumbar no 3.º ciclo do ensino básico ou a reprovar nos exames nacionais do 9.º ano. Isso mesmo dizem os dados revelados recentemente e disponíveis no Portal Infoescolas http:// infoescolas.mec.pt. Dos 94.130 alunos que, no passado ano letivo, realizaram os exames do 9.º ano, apenas 39.610 conseguiram chegar ao secundário sem ficarem retidos no 7.º ou no 8.º ano e com notas positivas nas provas de Português e de Matemática. Os números do Ministério da Educação e Ciência (MEC) revelam, assim, que 54.520 alunos tiveram um percalço durante o 3.º ciclo. Depois há ainda questões como os problemas de visão que, de forma quase impercetível mas decisivas, afetam o rendimento escolar das crianças. E os números

são, uma vez mais, alarmantes: uma em cada cinco crianças tem problemas de visão que podem afetar o seu rendimento escolar. Rastreio oftalmológico deve ocorrer até aos três anos O alerta é da Sociedade Portuguesa de Oftalmologia (SPO), que veio recentemente denunciar a existência de “uma grande percentagem” de crianças em idade escolar com défices da função visual, que podem interferir com as capacidades de aprendizagem, realçando a importância da deteção precoce desses problemas. Entre as doenças que mais afetam as crianças, estão, segundo aquela entidade, os erros refrativos, a ambliopia e o estrabismo. O método mais adequado de deteção é o rastreio, que deve ocorrer antes dos três ou quatro anos. Para a direção da SPO, o ideal seria a existência de um programa nacional de rastreio dos fatores que levam à ambliopia a todas as crianças, logo a partir do primeiro ano de idade. Entretanto, também os horários escolares praticados em Portugal têm merecido reparos por parte de pais, professores e médicos, com os especialistas a defendem que estes devem ser adaptados ao relógio biológico dos alunos, sobretudo aos adolescentes, o que melhoraria o rendimento. Isto porque os padrões de sono se tornam mais irregulares na adolescência, o que devia levar, de acordo com os especialistas, a que os horários escolares se adaptassem às diferentes necessidades de saúde e às características dos vários grupos etários.


21-10-2015 | diário as beiras

boas experiências

conselhos aos alunos

conselhos aos pais

RNão há regras rígidas para um estudo com sucesso. Cada um deve perceber em que ambiente resulta melhor o seu estudo

RExames de rotina: uma vez por ano deve consultar-se o médico da criança, que recomendará rastreio auditivo e oftalmológico

R Estudar todos os dias, pelo menos durante uma hora, num local da casa preparado para o efeito, que seja arejado e tenha boa iluminação

RPequeno-almoço: essencial antes da criança ir para a escola. Deve incluir laticínios (fontes de proteínas e cálcio), pão/cereais (fontes de hidratos de carbono e fibra) e fruta (fontes de vitaminas, minerais e fibras)

RTem sempre o material ao alcance para não perderes a concentração à procura de um lápis, uma borracha, um livro... R Começa a estudar sempre pela matéria mais simples e avança para a mais complexa R Não memorizes o que não entenderes pois irás esquecerte disso facilmente. Toma nota da dúvida para a esclareceres com o professor na próxima aula

RTrabalhos para casa e estudo: devem estabelecer uma rotina diária. Depois do seu filho chegar da escola e de lanchar, deve fazer os trabalhos RTelevisão, computador e telemóvel: evite colocar uma televisão ou computador no quarto do seu filho. Com o telemóvel, estabeleça a regra de que tem de ser desligado enquanto faz os trabalhos de casa

RTermina sempre o estudo com uma atitude positiva. Verifica o que já aprendeste em vez de veres o que ainda te falta. Assim, estarás motivado para aprender mais

RAtividades extracurriculares: o desporto tem benefícios para a saúde do seu filho, previne a obesidade e fomenta a interação social e a disciplina

RNa sala de aula, tira apontamentos enquanto o professor dá a matéria, pois ajudate a estar concentrado e servem depois para estudar melhor

R Jantar em família: procure que esta refeição seja sempre feita em conjunto, ocasião ideal para a criança falar sobre o seu dia na escola

RUm bom descanso é fundamental para o sucesso. Podes beber um copo de leite antes de te deitares. O leite tem triptofano, uma substância que é indutora do sono

RSono: crianças em idade escolar devem dormir 8 a 10 horas por noite e devem ter uma hora fixa para se deitarem aos dias de semana, seguindo um ritual (ir à casa de banho, lavar os dentes, dizer boa noite)

educação 3.0 | 3

bibliografia para saber estudar

RCarrilho, F. ( 2013 ) Como Estudar Melhor- Um guia para o teu sucesso, Lisboa: Presença

RFranklin, A ( 1996 ) Estudar filosofia, Porto: Porto Ed.

RShirley,D. , Walshe, R. D. ( 1993 ) Como Estudar Melhor, Lisboa: Presença

R Dias, M. Olívia ( 2009 )Manual de Sugestões Para Estudantes - Estudar e fazer trabalhos académicos com método. Lisboa: Psicosoma


diário as beiras | 21-10-2015

4 | boas experiências

Agrupamento de Escolas da Lousã “O Museu vai à Escola” em sessões temáticas

EB 2/3 Eugénio de Castro “Estendal de Contos” em antestreia muito animada

A equipa técnica do Museu Municipal Prof. Álvaro Viana de Lemos realizou, a convite do departamento de Ciências Sociais e Humanas do Agrupamento de Escolas da Lousã, um conjunto de sessões temáticas, junto dos alunos do 7.º ano, sobre as origens do Homem e sua evolução, partindo do conhecimen-

“Estendal de Contos” é a nova produção da AtrapalhArte Produções Teatrais, que fez a 9 de outubro a sua antestreia na EB 2/3 Eugénio de Castro, em Coimbra, sede da companhia. O espetáculo “Estendal de Contos” resulta da junção de dois contos, a “Princesa e a Ervilha”, de Hans Christian Andersen (metas curriculares

to da pré-história na região da Lousã. Os alunos tiveram ainda uma pequena introdução à Arqueologia, percebendo o que é e quais são os métodos e técnicas de investigação. Foi ainda possível aos jovens ficarem a conhecer peças arqueológicas do concelho, em exposição na sala de história local do museu.

do 4.ºano) e os “Músicos de Bremem”, dos Irmão Grimm (metas curriculares do 6.ºano). Tratou-se de uma antestreia de sucesso, superando todas as expetativas da AtrapalhArte e da EB 2/3 Eugénio de Castro, tendo assistido ao espetáculo de apresentação mais de 400 alunos, professores e funcionários da escola.

Bandeira Verde Eco-Escolas hasteada em duas escolas da Lousã

Semana Mundial do Espaço com palestra apresentada por Nuno Peixinho

As escolas Secundária e Profissional da Lousã obtiveram o Galardão Eco-Escolas, no Dia das Bandeiras Verdes 2015, evento do programa Eco-escolas, promovido pela ABAE - Associação Bandeira Azul da Europa, que decorreu a 14 de outubro, em Torres Vedras. Nos últimos anos tem havido bastante adesão a este projeto, no âmbito do qual algumas escolas do

Integrada na Semana Mundial do Espaço, Nuno Peixinho, especialista em Astronomia e Astrof ísica, proferiu a 6 de outubro uma palestra para alguns alunos dos 7.º e 8.º anos da Escola Básica Eugénio de Castro. A palestra foi realizada no âmbito da Semana Mundial do Espaço e promovida pelo ESERO Portugal. A comunicação centrou-se no

concelho puderam já hastear a Bandeira Verde, como foi o caso da Escola Secundária da Lousã e da Escola Profissional da Lousã que, agora, foram novamente reconhecidas pelo trabalho desenvolvido na área da Educação Ambiental. Para além da representação das duas escolas, esteve também presente o projeto municipal “Oficina de Segurança”.

Sistema Solar, pequenos corpos, cintura de Kuiper, objetos trans-neptunianos e Plutão. A Semana Mundial do Espaço decorreu entre 4 e 10 de outubro, com a “descoberta” como tema central. O grande objetivo foi comemorar as novas descobertas espaciais que têm revolucionado o conhecimento sobre as nossas origens e o nosso futuro.


21-10-2015 | diário as beiras

boas experiências | 5

Escolas de Miranda do Corvo Projeto Mentes Brilhantes é um dos 10 finalistas do Prémio Manuel António da Mota

Escolas de Anadia Milhares de jovens coloriram as ruas em corrida a promover convívio e saúde

O projeto Mentes Brilhantes, promovido pela Fundação ADFP junto dos alunos das escolas de Miranda do Corvo, é um dos 10 finalistas do Prémio Manuel António da Mota. Mentes Brilhantes potencia os talentos e capacidades dos alunos através de cursos de estudos avançados e atividades de estimulação de forma

Cerca de mil e quinhentos alunos do 3.º ciclo do ensino básico e do ensino secundário dos estabelecimentos de ensino do concelho de Anadia participaram, a 9 de outubro, na corrida “Colorir Anadia”. Tratou-se de uma iniciativa destinada a fomentar o convívio entre os elementos da comunidade educativa do concelho, ao mesmo tempo que

inclusiva e totalmente gratuita. A promoção do sucesso escolar e o combate ao abandono escolar são tónicas no dia a dia dos técnicos que apoiaram mais de 100 crianças no ano letivo anterior. O projeto já tinha merecido outras distinções, nomeadamente da Fundação Gulbenkian, da revista Visão e da EDP.

chamava a atenção para a promoção de hábitos de vida saudáveis através da prática desportiva e da atividade física. No percurso existiram três “pontos de cor”, no quais os alunos eram pintados, terminando a corrida no anfiteatro do Vale Santo, junto ao Centro Cultural de Anadia, com uma aula de zumba, música e muita animação.

Escolas de Lamas recebem prémios pelo desempenho na recolha de resíduos

Escola Profissional Beira Aguieira Aprovação da Ação Chave I prossegue projetos transnacionais

Duas escolas de Lamas, Miranda do Corvo, ficaram no topo do ranking nacional dos estabelecimentos de ensino que se destacaram na Campanha Geração Depositrão. O Jardim de Infância Casais São Clemente destaca-se no segundo lugar, na categoria de peso por aluno, no ranking nacional da atividade de recolha da campanha Geração Depositrão da

A EBA - Escola Profissional Beira Aguieira, com sede em Mortágua, teve recentemente aprovada a sua candidatura à Ação Chave I (KA109, Vet Mobility Charter) vendo, assim, reconhecida a sua atuação ao nível da implementação de projetos transnacionais. A EBA, com o intuito de proporcionar aos seus alunos e colaboradores benef ícios ao nível do desenvolvimento pessoal, cul-

ERP Portugal, tendo recolhido 306,71kg por aluno, enquanto a EB1 de Lamas se posicionou em quarto lugar nacional com 164,46kg por aluno de Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE) e Resíduos de Pilhas e Acumuladores (RP&A), que, na sequência da campanha, foram conduzidos para reciclagem e tratamento pela ERP Portugal.

tural e socioprofissional e, desta forma, enriquecer o tecido social e empresarial ao nível regional e (inter)nacional, tem desenvolvido projetos que envolvem a mobilidade de jovens e colaboradores ao estrangeiro, os quais têm imprimido um caráter diferenciador e uma dimensão europeia ao seu projeto educativo. Projetos cuja continuidade fica agora garantida.


diário as beiras | 21-10-2015

6 | boas experiências

Instituto D. João V Entrega de diplomas e homenagem aos alunos que se distinguiram

Colégio Rainha Santa Isabel Pintura mural celebrou 500 anos da beatificação

O Instituto D. João V, em Louriçal, Pombal, promoveu a 16 de outubro uma cerimónia de entrega dos diplomas de conclusão do ensino secundário relativo ao ano letivo de 2014-2015. Toda a comunidade educativa participou na homenagem a estes jovens e a todos os que integraram o Quadro de Honra,

No âmbito do 500.º aniversário da beatificação da Rainha Santa Isabel, do 120.º aniversário das Irmãs de S. José de Cluny em Coimbra e do 75.º aniversário do atual edifício do Colégio Rainha Santa Isabel (CRSI), realizou-se a 16 de outubro a inauguração de uma pintura mural inspirada na obra de Nadir Afonso, arquite-

pelos seus resultados ou atitudes reconhecidamente meritórios. Os diplomas de conclusão do ensino secundário no Instituto D. João V foram entregues no decorrer de um espetáculo musical, que deu a oportunidade aos muitos talentos da escola de subir ao palco e mostrar as suas capacidades vocais e musicais.

to e artista português nascido em Chaves em 1920 e recentemente falecido. Este é o mais recente trabalho desenvolvido pelos alunos de Artes Visuais do CRSI. Ficou, assim, desvendado o projeto comemorativo com o tema “Janelas sobre Coimbra”, aglutinador de “conceitos, narrativas e valores caros à escola”.

Agrupamento de Escolas de Alvaiázere Intercâmbio com jovens alunos finlandeses

Colégio de S. Martinho Comemorações do Dia Mundial do Idoso na Casa dos Pobres

Dando continuidade ao trabalho que tem vindo a ser desenvolvido pelo Agrupamento de Escolas de Alvaiázere, proporcionando aos seus alunos oportunidades de contacto com jovens de outros países, esteve em Alvaiázere um grupo de 10 alunos finlandeses, acompanhados por duas professoras. O grupo foi recebido para um primeiro dia de atividades

O Grupo de Dança e Música do Colégio S. Martinho, em Coimbra, participou no passado dia 1 de outubro nas comemorações do Dia Mundial do Idoso promovidas pela Casa dos Pobres de Coimbra. A participação dos jovens estudantes na iniciativa ocorreu depois da inauguração do Gabinete de Apoio à Pessoa Idosa e ao Cuidador (GAPIC), criado pela colabo-

a 10 de outubro, tendo os jovens continuado a participar na vida escolar do agrupamento até ao dia 14 de outubro. Os alunos finlandeses foram recebidos por famílias que se disponibilizaram para os acolherem e integrarem no seu quotidiano familiar, numa experiência enriquecedora para todos, que motivará mais alunos e famílias a participarem.

radora da instituição de solidariedade social Diana Leite. O grupo dinamizado por jovens alunos do Colégio de S. Martinho teve a oportunidade de brindar os seniores presentes na iniciativa com a adaptação de dois temas musicais, enquanto na vertente da dança foi possível mostrar o trabalho efetuado nesta área naquele estabelecimento de ensino.


21-10-2015 | diário as beiras

boas experiências | 7

Colégio São Teotónio Ementas mediterrânicas propostas pelos alunos no Dia Mundial da Alimentação

Colégio Bissaya Barreto Comunidade educativa participou na abertura do ano letivo

O Dia Mundial da Alimentação, comemorado a 16 de outubro, foi assinalado no Colégio São Teotónio, em Coimbra, com diversas atividades dinamizadas sob orientação dos docentes do grupo de Ciências/Biologia. Dirigidas a toda a comunidade escolar, a sua realização contou com a participação ativa dos alu-

O Colégio Bissaya Barreto, em Coimbra, assinalou a abertura do ano letivo 2015/2016 com uma cerimónia, realizada no Auditório Bissaya Barreto, dirigida a alunos, pais e professores, no passadio dia 1 de outubro. Na cerimónia, o diretor do estabelecimento de ensino deu as boas vindas a toda a comunidade escolar, seguindo-se a entrega de

nos do 6.º e 9.º anos do S. Teotónio e do ensino artístico da música (regime integrado). Entre as atividades dinamizadas, destaque para a afixação, no refeitório do colégio, de ementas mediterrânicas elaboradas pelos alunos do 6.º ano e ainda para a palestra “Alimentação equilibrada e saudável”, proferida por Sofia Pires.

diplomas aos finalistas dos 4.º, 6.º e 9.º anos, bem como aos alunos que frequentam a Academia de Línguas. A comunidade educativa presente na cerimónia – que aconteceu no Dia Mundial da Música – teve a oportunidade de assistir a dois momentos musicais, com as apresentações de um grupo de flauta transversal e do Coro Infantil do CBB.

Dia Europeu das Línguas assinalado com a estreia dos alunos de Artes do Espetáculo

Hábitos saudáveis em destaque junto dos alunos no Dia Mundial da Alimentação

Pelo terceiro ano consecutivo, o Colégio de São Teotónio assinalou o Dia Europeu das Línguas (DEL) com algumas iniciativas, nomeadamente a estreia dos alunos do 10.º ano do Curso de Artes do Espetáculo – Interpretação, que apresentaram a toda a comunidade escolar o tema de José Cid “Adios, adieu, auf wiedersehen, goodbye”, seguindo-se a voz – já bem

O Dia Mundial da Alimentação, a 16 de outubro, foi o pretexto para o desenvolvimento de várias atividades de promoção da saúde e de escolhas saudáveis, no Colégio Bissaya Barreto. Sob o tema “A vida é feita de escolhas… Escolhe ser saudável”, foi distribuída fruta da época a todos os alunos e à comunidade escolar em geral, com o intuito de sensibilizar para importância deste tipo

conhecida – da aluna Beatriz Roxo, do 8.º C, com o tema em francês “Le sens de la vie”, da cantora Tal. A comemoração da efeméride ainda envolveu o lançamento da 2.ª edição do Concurso Escolar Constrói o teu Monumento Europeu em 3D, cartazes alusivos ao DEL, a decoração do refeitório com bandeiras europeias e a degustação de uma ementa europeia.

de alimentos, fonte de vitaminas, fibras e minerais, nas merendas da manhã e da tarde. A par desta iniciativa, os alunos do 6.º ano desenvolveram trabalhos com sugestões de ementas saudáveis. Por sua vez, os alunos do 1.º ciclo aprofundaram conhecimentos culinários, confecionando algumas receitas simples e apetitosas, tais como espetadas, batidos de fruta e cupcakes.


diário as beiras | 21-10-2015

8 | boas experiências

vida nas escolas

DB-Carlos Jorge Monteiro

A Comunidade Contra a Sida com educação pelos pares nas escolas

novas formas de aprender A pedagogia 3.0 explicada de forma simples Muito bom documento com explicação sobre a pedagogia 3.0, apoiada igualmente em vídeo explicativo

http://www.stephanecote. org/2014/01/28/tout-surla-pedagogie-3-0/

A Fundação Portuguesa A Comunidade Contra A Sida (FPCCSIDA) prepara-se para realizar o Curso de Formação Científica e Pedagógica de Voluntários para intervenção no Projeto Nacional de Educação pelos Pares, que desenvolve em parceria com o Ministério da Educação e Ciência, em escolas do ensino básico e secundário de todo o país. Este curso de formação, de periodicidade anual, destina-se a jovens a frequentarem o ensino superior universitário e politécnico e é promovido em parceria com a Associação Nacional de Estudantes de Medicina (ANEM) e com a Escola Superior de Educação de Coimbra (ESEC). A formação irá decorrer nos dias 23 e 24 de outubro, esta sexta-feira e sábado, no Polo 3 da Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra. O Projeto Nacional de Educação pelos Pares (PNEP) desenvolve-se num ciclo de três anos sequenciais correspondentes ao 7.º, 8.º e 9.º ano de escolaridade. Este programa prevê a abordagem de diversos temas no âmbito da educação para a saúde, sexualidade e direitos humanos, bem como a sua adequação às necessidades do público alvo e aos diferentes contextos sócio culturais dos jovens alunos a quem se

destina. As sessões do PNEP são desenvolvidas por jovens raparigas e rapazes voluntários, todos alunos do ensino superior, organizados em Brigadas Universitárias (BUI), os quais utilizam metodologias ativas e participativas, jogos pedagógicos seguidos de debate e reflexão. Todas as atividades desenvolvidas no âmbito do projeto de educação para a saúde, sexualidade e direitos humanos são supervisionadas por um conjunto de docentes destacados pelo Ministério de Educação e Ciência. Inscrições até amanhã Para além do PNEP, a FPCCSIDA desenvolve outros projetos no âmbito da prevenção e da intervenção, com recurso à metodologia da educação pelos pares em escolas, centros educativos da DGRSP, lares de jovens retirados às famílias e estabelecimentos prisionais, em que os voluntários também participam. As inscrições dos voluntários devem ser remetidas até amanhã, dia 22 de outubro, com a indicação do nome/ curso/ faculdade/ contacto por e-mail/ contacto telefónico para o e-mail caoj. coimbra.fpccsida@gmail. com ou para os contactos telefónicos 913 525 176, 917 032 375, 962 334 881 ou 965 469 745.

projeto#2

Edulab integra novos alunos na Martim de Freitas A Escola Básica 2,3 Martim de Freitas, em Coimbra, é uma das que integra desde o ano letivo 2014/2015 o projeto Edulab - Desenvolvimento de Escolas para o Futuro em Portugal, uma iniciativa promovida pelo consórcio com o nome E-xample, do qual fazem parte as empresas JP Sá Couto, Leya e Porto Editora entre outras, contando com o apoio do Ministério da Educação e Ciência. Para já, o projeto mantém-se nos agrupamentos escolares – de Lisboa, Oeiras, São João da Madeira, Aveiro, Coimbra e Lousã –, em que teve início no último ano letivo, apesar de ter como objetivo o alargamento a nível nacional. Assim e na sequência de uma primeira avaliação “muito positiva”, como destacou Alberto Barreira, diretor do agrupamento, a EB 2,3 Martim de Frei-

tas prossegue o projeto no presente ano letivo, devendo alargá-lo a mais uma turma do 7.º ano de escolaridade. Avaliação do “impacto” junta Coimbra e Aveiro A intenção tomada pela direção da escola de alargar a uma segunda turma o projeto Edulab, já comunicada a pais e encarregados de educação, depende agora do parecer positivo destes. Depois, os jovens alunos podem receber o equipamento informático – um tablet –, que lhes permitirá aceder a um conjunto alargado de conteúdos e plataformas de apoio ao projeto educativo da EB 2,3 Martim de Freitas. Para a direção do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas, a iniciativa visa a promoção do uso das novas tecnologias em sala de aula e o desenvolvimento de novos mo-

delos pedagógicos. Para concretizar tais objetivos, professores e alunos recorrem a plataformas eletrónicas e a conteúdos digitais através de dispositivos móveis, designadamente tablets. Com a finalidade de “ av a l i a r ” c o nv e n i e ntemente o impacto da utilização destas novas tecnologias no processo normal de aprendizagem, a direção do Agrupamento de Escolas Martim de Freitas estabeleceu um protocolo com a Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra, que integra ainda a Universidade de Aveiro. As escolas Edulab foram escolhidas pela DireçãoGeral da Educação e pelo E-xample. Os Edulabs são salas de aula com acesso sem fios à rede local da escola e encontram-se ainda equipadas com um quadro interativo.

Educação disruptiva explicada Propostas pedagógicas para novas formas de perspectivar a aprendizagem e a educação, utilizando as novas plataformas de comunicação.

http://www.scoop.it/t/e-learning-inclusivo

Educação 3.0: as melhores apps de outubro Para quem anda no móvel, algumas aplicações interessantes para o trabalho pedagógico

http://www.educaciontrespuntocero.com/recursos/lasmejores-apps-de-octubre-1aparte/29288.html

Este caderno estará disponível amanhã na página www.asbeiras.pt

Educação 3.0 21 outubro 2015  

Suplemento Educação 3.0 publicado pelo DIÁRIO AS BEIRAS no dia 21 de outubro de 2015.

Educação 3.0 21 outubro 2015  

Suplemento Educação 3.0 publicado pelo DIÁRIO AS BEIRAS no dia 21 de outubro de 2015.

Advertisement