Issuu on Google+

32 ônibus e um destino: Bota-fogo. Fabricio Bomjardim/Futura Press/Estadão Conteúdo

Nossa Posição: Apelo ao bom senso. Manifestações e vandalismo, por Roberto Ordine . Protestos, polícia e jogos políticos, por Denis Rosenfield. Págs. 2, 3 e 8

Banco Central aposta moedas de ouro na Copa

Atos anti-Copa Tiros em protestos Rolezinhos Ações contra a polícia Sem-teto Black Blocs

Em apenas 2 dias, 4 ônibus queimados na Zona Sul, elevando o total do ano a 32 na Cidade. O último foi incendiado às 12h30 na Estrada do M'Boi Mirim (foto) , em suposto protesto contra a morte de um jovem por um policial. Várias linhas deixaram de operar, afetando 120 mil pessoas. A Rota e o Choque devem reforçar o policiamento. Ano 90 - Nº 24.052

Pág. 10

Conclusão: 23h45

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

170 MIL MÍSSEIS MIRAM ISRAEL

Tobias Schwarz/Reuters

Tio Sam promete explicar espionagem ao Brasil. Hoje. O chanceler Luiz Alberto Figueiredo se reunirá em Washington com a conselheira de Segurança dos Estados Unidos, Susan Rice. Pág. 6

O sagrado arroz japonês está fazendo água Tarifas seculares no centro da crise. Pág. 16

Merkel condena bisbilhotagem dos EUA Traz desconfiança entre aliados e mais insegurança, diz a chanceler alemã, ao tomar posse do terceiro mandato. Pág. 7

Revolução na guerra: o front são os laptops. Mais importante do que a pólvora e o espaço aéreo é a cibernética, ilimitada – explica o chefe da Inteligência Militar de Israel, Aviv Kochavi. O poder de disparar milhares de mísseis simultâneos torna a ameaça nuclear do Irã um perigo menor. Soldado agora tecla e não aperta gatilho. Pág. 7 ISSN 1679-2688

24052

Página 4

9 771679 268008


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

O prejuízo moral que esse vandalismo traz para a sociedade brasileira é muito maior que o prejuízo material. Roberto Mateus Ordine

NOSSA POSIÇÃO

Apelo ao bom senso s manifestações de mbora nunca expresjunho e julho, que exsos, o objetivo desses pressavam o desejo grupos parece ser conde milhares de pes- testar a autoridade em geral e soas de mostrar sua insatisfa- o regime capitalista – ou de ção com diversos problemas mercado – sem se importar enfrentados pela população e com as consequências de com o comportamento da seus atos para a população, classe política, refluiu nos me- como se viu em São Paulo reses seguintes. Issoaconteceu centemente. O episódio do porque se considerou que as carro incendiado, no qual hamensagens já haviam sido via uma família, inclusive com transmitidas. E, ainda, para crianças, apavoradas com o evitar que elas fossem utiliza- tumulto, mostram os riscos das por elementos que visa- que essas ações apresentam. vam somente promover deNão satisfeitos com o atasordem e atos que ao patride violência, mônio, esses O objetivo desses aproveitandogrupos procugrupos parece ser se de uma sauram deliberadável mobili- contestar a autoridade em damente dez a ç ã o d a s o- geral e o regime capitalista s a f i a r a p o l íciedade para cia, buscando – ou de mercado – sem se danificar tanclaramente o to o patrimôconfronto, deimportar com as nio público comonstrando consequências de mo o privado. que não recoseus atos para As novas nhecem a m a n i f e s t aautoridade a população. ções, que e que não ocorrem agora em várias ci- se consideram sujeitos à dades contra a Copa Mundial lei e às regras de convivênde Futebol, embora legíti- cia de uma sociedade civilimas, soam extemporâneas, zada. Parece que pretendem pois os gastos para o evento mesmo provocar a reação da já foram feitos e sua realiza- polícia, que fica no dilema enção é inevitável. O mais gra- tre usar a força para defender ve é que elas deram oportuni- a sociedade ou deixar que dade a alguns grupos – que continuem a destruir o patripretendem provocar o caos mônio público, que é de n a s c i d a d e s – d e v o l t a r a todos, ou instituições atuar, utilizando de violên- particucia, com a depredação de ór- l ares , gãos públicos e empresas ge raprivadas, especialmente ins- d otituições financeiras. ras

E

A

de empregos e que promovem o crescimento da economia. Sempre que há reação policial, alguns "especialistas" contestam o grau de força empregado, sem esclarecer como se deve conter um grupo

numeroso, disposto à destruição e ao confronto. Não se defende a violência policial, mas é preciso reconhecer as circunstâncias em que a agressividade desses grupos não deixa outra alternativa para con-

ter a baderna e o caos que eles provocam. abe ao Estado o monopólio do uso da força, quando necessário, para defender a sociedade. E cabe à Justiça punir os que atentam contra o patrimônio e a população. É sempre melhor prevenir para evitar que tais atos aconteçam, usando a inteligência, mas há que se impor regras para que o legítimo direto às manifestações não se faça em detrimento dos direitos dos cidadãos, em especial o de circulação. É preciso estabelecer locais e horários para os protestos, de modo a compatibilizar esse direito com os da população. Não se pode aceitar que qualquer grupo, sob qualquer pretexto, paralise uma cidade como São Paulo, afetando as atividades econômicas, o deslocamento da população e a convivência social. Os próprios manifestantes precisam buscar formas de protesto que não sirvam para a atuação dos vândalos, cujos objetivos, seguramente, nada têm a ver com os daquel e s que

C

protestam de boa-fé. É hora de diálogo e bom senso, mas também hora de a autoridade se impor nos termos da lei, para garantir o direito de todos os cidadãos. É hora de prevenção e preparo dos agentes de segurança para agirem com cautela mas também com firmeza quando se fizer necessária a repressão. De nada valerão tais iniciativas se não houver a punição daqueles que insistem em cometer atos contra as instituições. A tolerância com depredações, agressões e desrespeito à autoridade estimula outros grupos a procurar atingir seus objetivos pela força. epetimos o apelo feito em 2013: "É preciso que o Estado assuma suas funções de mantenedor da lei e da ordem, usando os recursos da inteligência para se antecipar, a força quando necessário para impedir, e a punição rigorosa para desestimular a prática dessas ações. A sociedade precisa respaldar a atuação das autoridades, quando agem para impedir o vandalismo e a destruição, mesmo quando se torna necessário usar a 'violência legítima', de que somente o Estado é detentor, para coibir as ações de grupos que atentam contra a lei." A população ordeira de São Paulo precisa de tranquilidade para trabalhar e para fazer o país progredir.

R

Fab

io M

otta

/Es

tad

ão

Co

nte

údo

Protestos se espalham pelo País, misturando aspirações legítimas e vandalismo.

MANIFESTAÇÕES E VANDALISMO alvez tivesse sido melhor que a Copa do Mundo, prevista para este ano, ficasse para outra época, quando nossos problemas internos de infraestrutura e outros quesitos, como saúde e educação, reclamados pela população, já estivessem resolvidos. Agora, porém, não adianta "chorar pelo leite derramado" e o melhor a se fazer será transformar "o limão em limonada", recebendo os visitantes com a tradicional fidalguia que caracteriza o povo brasileiro.

T

ortanto, ainda que respeitáveis, o fato é que a realização de

P

manifestações contrárias a este evento terão pouco efeito prático, uma vez que o fato está consumado. O pior é que nestas manifestações de protesto, pacíficas e bem intencionadas, sempre surgem grupos de vândalos, que aproveitam o momento para destilar ódio gratuito, quebrando e ateando fogo onde puder, gerando prejuízo a terceiros e aumentando a insegurança da população. Na manifestação de sábado à noite, por pouco uma família, incluindo uma criança, não foi queimada dentro de seu automóvel, ao tentar escapar de um foco de fogo colocado por

marginais em plena rua da Consolação. quem interessa a depredação e os atos de vandalismo praticado, sob o amparo de uma legítima manifestação popular? Certamente esse vandalismo não interessa à democracia brasileira e muito menos à sociedade organizada. Logo, é de imaginar que esse caminho não interessa a ninguém que queira ver um Brasil melhor. Diante deste quadro, é preciso que as autoridades constituídas impeçam preventivamente que essa deturpação de manifestações não ocorra mais, impedindo e identificando os vândalos

A

a serviço de outros interesses, que certamente não são da sociedade brasileira, que apenas deseja paz para seus filhos. om certeza toda manifestação pacífica deve ser aceita por todos, não só em respeito à Carta Constitucional, como também por se constituir em uma forma democrática de o povo se manifestar contra algo errado. O vandalismo, porém, não pode ser admitido por nenhuma sociedade civilizada e muito menos pela sociedade brasileira. Por essa razão, o vandalismo precisa ser combatido pelas

C

autoridades constituídas, com a energia necessária para a sagrada paz social. O prejuízo moral que esse vandalismo traz para a sociedade brasileira é muito maior do que o prejuízo material. ão se pode aceitar a insegurança da população em pleno século 21. Esta baderna a que se assiste só serve para atrasar mais o progresso e a ordem social, gravadas em nosso pavilhão nacional. Não se pode aceitar que a qualidade de vida dos brasileiros retroaja aos tempos primitivos, em que o direito da força prevalecia

N

ROBERTO MATEUS ORDINE sobre a força do Direito. Hoje a sociedade brasileira quer a segurança jurídica com base na força do Direito, para que a democracia triunfe! ROBERTO MATEUS ORDINE INTEGRA O CONSELHO SUPERIOR DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE

SÃO PAULO E É JUIZ DO TIT

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibellis e Sílvia Pimentel. Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Arte e Diagramação: José dos Santos Coelho (Editor), André Max, Evana Clicia Lisbôa Sutilo, Gerônimo Luna Junior, Hedilberto Monserrat Junior, Lino Fernandes, Paulo Zilberman e Sidnei Dourado. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens: dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

3

O NOVO REGIME CAMBIAL ARGENTINO , COM DUAS TAXAS "OFICIAIS", É PERVERSO. Taba Benedicto/Folhapress)

TURBULÊNCIAS NA ESQUINA a semana passada o mercado cambial na Argentina aparentava estar fora de controle. Ontem, porém, parecia ter recuperado a calma, ao menos temporariamente: o dólar no oficial fechou a 8,015 pesos e o "dólar poupança" a 9,62. No ano passado a moeda argentina desvalorizou 32% e neste ano, 22%. No mercado paralelo, a cotação superou 13 pesos por dólar – um diferencial de 60%. Um ágio dessa magnitude reflete total desconfiança da população com a política econômica do país. E para enfrentar o problema, o governo da presidente Kirchner mais uma vez inova. A Argentina sempre surpreende com suas políticas econômicas e agora, após indas e vindas, o governo introduziu um curioso sistema de acesso da população aos parcos dólares do banco central.

N

Violência está se tornando usual nas manifestações, como se todos tivessem de tolerá-la em nome de uma suposta "livre manifestação".

Protestos, polícia e jogos políticos m cenário político particularmente inquietante está se desenhando no País. No espaço de poucas semanas, tivemos manifestações dos Sem Teto, o braço urbano do MST, dos rolezinhos e dos contrários à Copa. Algumas, como esta última, já repetindo o figurino pré-estabelecido de violência, com destruição, incêndio e vandalismo dos mais diferentes tipos. No caso dos rolezinhos, temos a especificidade de um movimento que, em sua irrupção anárquica, possui um perfil pró-capitalista, que se traduz por roupas de grife e uma demanda de usufruto de uma sociedade de consumo. Querem mais acesso aos produtos de uma sociedade de mercado, e não menos. Ocorre que essas manifestações surgiram praticamente instrumentalizadas pelos movimentos sociais organizados, tipo MST, CUT e UNE, além de partidos políticos de extrema esquerda, como PSOL e PSTU e de grupos mais à esquerda do próprio PT.

U

emos, aqui, um aspecto curioso, pois não se trata de uma oposição tradicional ao governo petista, quando mais não seja pelo fato de o PSDB de Aécio Neves e o PSB de Eduardo Campos não saberem tirar proveito da situação. Há em curso um confronto entre, de um lado, o governo petista e, de outro, grupos mais à esquerda do próprio PT, além dos movimentos sociais organizados controlados pelo partido. O mesmo acontece com o PCdoB, que controla a UNE e se manifesta contrariamente à Copa nas ruas, quando o próprio ministro dos Esportes pertence a esse mesmo partido. No caso das manifestações contrárias à Copa, assim como no movimento dos Sem Teto, há um espírito anticapitalista, com palavras de ordem contra o direito de propriedade, contra a economia de mercado e a livre iniciativa. Têm

T

igualmente como alvo o governo federal, que é petista, o que agudiza ainda mais as suas contradições. A violência, assim, está se tornando usual, como se a sociedade brasileira tivesse de tolerá-la em nome de uma suposta "livre manifestação". ra, o uso da violência se situa nas antípodas de uma sociedade democrática, que não pode, de forma alguma, compactuar com esse tipo de manifestações, por minar as bases mesmas de um Estado livre. São suas instituições que estão em questão. Neste contexto, ganha particular conotação o papel que deveria ser exercido pela Polícia na repressão das manifestações violentas ou preparatórias a elas. E digo "deveria ser exercido", pois nem sempre as polícias estão à altura de sua missão, com fraco serviço de inteligência e respostas desproporcionais aos atos cometidos por alguns indivíduos. Os indivíduos e grupos envolvidos na violência já deveriam há muito ser conhecidos, facilitando o trabalho de efetiva repressão e prisão.

O

ontudo, os problemas da atividade policial não podem ser apresentados como razão para a não repressão, propiciando a impunidade e, consequentemente, dando livre curso à violência. Alguns responsáveis do governo federal –ou deveríamos dizer irresponsáveis? – saíram criticando a atuação policial como se essa fosse a responsável da eclosão da violência. Os mais afoitos chegam a dizer que a causa

C

DENIS ROSENFIELD de manifestações dos rolezinhos e de movimentos sociais, além das ações contra a Copa, reside na atividade policial. Há uma clara confusão entre causa e efeito. O que deveria suscitar particular preocupação é o fato de que, se a missão policial é inviabilizada, livre curso é dado a essas manifestações, que não mais teriam um limite pré-estabelecido. É uma aquiescência dada à propagação da violência. O mesmo ocorreu nas Jornadas de Junho, com o resultado previsto, isto é, a generalização da violência por parte dos manifestantes, depredando e vandalizando "livremente". jogo é, neste caso, partidariamente curioso, pois se alguns responsáveis do governo federal estão adotando esse discurso, eles estão, na verdade, dando um tiro no próprio pé. Não podemos esquecer que a iniciativa da Copa, assim como a maior parte de seus recursos, é de origem federal. Ocorre, no entanto, que esses (ir)responsáveis estão querendo atingir, mediante crítica à atividade policial, os governos estaduais, em particular o tucano de São Paulo. O discurso implícito é o seguinte: o governo tucano seria o responsável

O

Brasil vive um momento de transição entre manifestações espontâneas e autônomas e a sua instrumentalização por movimentos organizados e partidos mais à esquerda .

pela violência urbana. O perigo consiste no efeito bumerangue! Do ponto de vista político, ou mais bem, estratégico, o Brasil está vivendo o que poderíamos chamar de um momento de transição entre manifestações espontâneas e autônomas, como nas Jornadas de Junho e nos rolezinhos em suas primeiras expressões, e a sua instrumentalização por movimentos sociais organizados e por partidos situados mais à esquerda do espectro partidário. Neste processo, a violência se torna cada vez mais protagonista, sendo assumida por grupos que têm a mesma orientação ideológica. Os shoppings, por sua vez, podem ser alvos do espírito anticapitalista existente nesses grupos. Há uma espécie de teste em curso, o de sua radicalização possível, precisando, com isso, contar com o apoio da opinião pública. Sem Teto, rolezinhos e ações anti-Copa inscrevemse em um espectro mais amplo de manifestações que deverão culminar na Copa do Mundo. o ponto de vista temporal e organizacional, eles se situam em uma espécie de etapa intermediária, que deverá ser testada nas próximas semanas. Ademais, se a instrumentalização política deles for bem sucedida, observaremos novas manifestações, que terão como objetivo ocupar o espaço que nos separa do início da Copa. O risco é que o primeiro semestre deste ano seja uma sequência de manifestações. Do ponto de vista organizacional, esses manifestantes e, sobretudo, os seus mentores se dotarão de uma experiência logística, capital para o "sucesso" deste seu empreendimento de natureza política e ideológica. A resposta se encontra no Poder Público e em sua forma de atuação.

D

DENIS LERRER ROSENFIELD É PROFESSOR DE FILOSOFIA NA UFRS

oi criado o chamado "dólar poupança", por meio do qual todos os argentinos que percebam um salário superior a 7.200 pesos (equivalentes a US$ 900) podem comprar dólares do sistema bancário a uma taxa de câmbio equivalente à oficial, acrescida de um percentual de 20%. Requer-se também do comprador que suas compras mensais da moeda estrangeira não ultrapassem US$ 2 mil. Esse sistema introduz uma peculiar forma de tributação sobre a compra de moeda estrangeira para poupança pessoal pelos argentinos. Mas o novo regime cambial, com duas taxas "oficiais", é perverso.De um lado, tributa a poupança com uma taxa confiscatória. De outro, distorce a atividade econômica ao introduzir dois preços oficiais para a mesma moeda. E as moedas oficiais convivem ainda com o dólar no mercado paralelo.

F

uriosamente, segundo estimativas locais, só 20% dos demandantes estão em condições de comprar o "dólar poupança" e apenas 2% podem adquirir o teto de US$ 2 mil mensais – do que resulta que se trata de mais um imposto, incidente apenas sobre a camada de maior poder aquisitivo da população. E os menos favorecidos precisam recorrer ao mercado paralelo , onde o dólar ultrapassa em muito o "dólar poupança". Os argentinos, tradicionalmente, fogem da moeda nacional para o dólar sempre que percebem que a situação econômica está se deteriorando.

C

ssa deterioração pode se dar por vários caminhos. Um deles, mais facilmente visível, é a aceleração da inflação e sua maquiagem nos

E

ROBERTO FENDT

índices oficiais. Não é mera coincidência que o dólar tenha se desvalorizado 32% no ano passado: a inflação, segundo consultorias independentes, deve ter chegado perto dos 30%. A má situação econômica se reflete também em desaceleração do crescimento e na ameaça de uma nova crise nas contas externas do país. É fácil perceber porque é alto o risco de uma crise no balanço de pagamentos argentino. Ontem o banco central do país terminou o dia com um saldo vendedor de US$ 60 milhões. Outros US$ 188 milhões foram deduzidos de suas reservas pelas perdas com títulos externos que fazem parte das reservas do banco central. inalizado o dia, o saldo das reservas era de US$ 28,7 bilhões. É muito pouco, considerando-se que as importações argentinas situam-se na casa dos US$ 66 bilhões. Estão cobertos com reservas só cinco meses de importações. Para efeito de comparação, o Brasil cobre 20 meses de importações com suas reservas internacionais . A Argentina não é o único país a passar por dificuldades no mercado cambial. A Turquia passa por problema semelhante. O banco central turco elevou a taxa básica de juros de 7,5% para 12% ao ano. Desde maio de 2013, a lira turca perdeu 20% frente ao dólar. Com a alta dos juros espera-se conter a desvalorização e reduzir a aceleração da inflação. Na Índia, a inflação está no patamar de 9% ao ano. Para contê-la, o banco central subiu também a taxa básica de juros, embora em percentual menor (0,25 ponto) do que o observado na Turquia.

F

udo isso sinaliza ao mercado que as coisas não vão bem em alguns mercados emergentes. Nada indica que estamos diante de uma situação semelhante a outras no passado, quando as crises em um país contagiavam os vizinhos ou o mercado como um todo. Mas não é bom para o Brasil, cujos fundamentos são melhores que os de outros países emergentes. O mercado financeiro nem sempre reconhece essas diferenças. Há turbulências na esquina e resta torcer para que estas amainem e não nos atinjam.

T

ROBERTO FENDT É ECONOMISTA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

José Sarney e Renan Calheiros não conseguem engolir Aloízio Mercadante na Casa Civil como super-ministro .

gibaum@gibaum.com.br

2 “Eu posso escolher o restaurante que for, desde que eu pague a

minha conta. E eu pago a minha conta, pode ter certeza disso.” DILMA ROUSSEFF // sobre o jantar no restaurante Eleven, em Lisboa.

Fotos: Giampaolo Sgura / Divulgação

Berros de estréia O presidente do PT, Rui Falcão, não é ministro, nem nada, só que já está debutando em cenas comuns à maioria dos integrantes do governo: engolir os berros de Dilma Rousseff. Quando ele faz relatos de decisões quase independentes de petistas nos Estados que não agradam a Chefe do Governo, ela sobe nas tamancas: “Enquadre esse pessoal”. Um dos casos: Dilma quer que a ex-prefeita Luzianne Lins seja candidata ao Senado pelo PT no Ceará. O irmão de José Genoíno, deputado José Guimarães, controla o partido e quer ser ele o candidato.

BARBA RALA A barba que o ex-presidente Lula resolveu deixar crescer, não terá o mesmo aspecto de outros tempos, em conseqüência dos tratamentos de químio e radioterapia aos quais ele se submeteu. É rala e com espaço onde os pelos teimam em não aparecer. O ex-chefe do Governo acha, contudo, que a barba será básica na campanha deste ano que, segundo alguns chegados, pode pavimentar o caminho para 2018, com ele ou outro nome que possa tirar do bolso, lá na frente.

Gisele Bündchen é a estrela do inverno 2014 da Colcci. Os cliques foram feitos em Nova York pelo fotografo Giampaolo Sgura e a campanha começa a ser veiculada em outdoors e revistas a partir de fevereiro. Ela posou usando uma série de looks da nova coleção, incluindo uma jaqueta jeans rasgada (usada sem sutiã) combinada com uma calça jeans destroyed e um mini-vestido de estampa miúda com farto decote. Esta semana, Gisele resolveu – em meio a suas férias nas Bahamas, com o marido e filhos – divulgar, através do seu Twitter, vídeo dos batidores do shooting.

De peito aberto

A presidente Dilma Rousseff tem direito, em viagens internacionais, a diárias, como qualquer servidor em missão oficial. Essas diárias, assim como a dos ministros e assessores, sofrem variações de acordo com o país visitado. Em Cuba, ministros receberam diárias de US$ 350 e outros servidores, US$ 300. Contudo, despesas de hospedagens, incluindo café da manhã e refeições no próprio hotel, desde que os viajantes estejam em caravanas oficiais, são pagos pelo governo, através do Itamaraty. Dilma, realmente, pode ter pago sua parte no jantar do Eleven, porque sua diária de viagem cobre esse custo-extra. Só que todos os gastos da presidente são considerados “segredo de Estado” e não revelados.

Diárias secretas

MAIS: ele já pediu, há poucos anos, a renúncia dos dois. Um, pelos gastos secretos ; outro, por denúncias de corrupção.

Blefaroplastia Cirurgiões plásticos daqui que examinaram bem a foto de Dilma Rousseff ao lado do chef do restaurante português Eleven, Joachim Koerper, onde a presidente exibe marcas profundas em torno dos olhos, inicialmente atribuídas a cansaço, chegam a acreditar que ela poderia ter se submetido, em algum ponto da viagem, a uma blefaroplastia a laser nas pálpebras. É uma cirurgia de ambulatório com anestesia local, recuperação e alta imediata, sem curativo. As marcas seriam seqüelas provocadas por hematomas. Com mais tempo, poderiam ser disfarçadas com make-up.

NAMORADINHAS As cenas finais de Amor à Vida foram gravadas em Angra dos Reis. Sem antecipar o desfecho, o autor Walcyr Carrasco cita Antonio Fagundes como o ponto alto da novela, elogia Mateus Solano e o “esforço para não parecer caricato” e garante que o personagem Niko, de Thiago Fragoso, foi a verdadeira heroína da história. Nas redes sociais, depois de elegida Dira Paes a Amante do Brasil, os internautas estão elegendo Mateus Solano e Fragoso como os Namoradinhos do Brasil.

MISTURA FINA NA COLUNA de ontem, na nota De volta ao ringue, foram suprimidas informações sobre a cirurgia de José Serra, por erro de edição, pelo qual nos desculpamos.

EM 2002, entre o primeiro e o segundo turno das eleições presidenciais, o senador Eduardo Matarazzo Suplicy (PTSP) também se submeteu a uma cirurgia de próstata semelhante à de José Serra. Na época, seus médicos optaram por retirada total da próstata.

A DELEGADA Marta Rocha está deixando a chefia da Polícia Civil do Rio para seguir carreira política: quer se eleger deputada estadual. O sonho de consumo do Palácio Guanabara, contudo, é outro: Marta é do PSD de Gilberto Kassab e pode virar candidata a vice-governadora de Luiz Fernando Pezão, candidato de Cabral.

Farra no Exterior Nos últimos dez anos, os financiamentos do BNDES a empreiteiras brasileiras no Exterior, cresceram 1.185%. A Odebrecht, que constrói o Porto Mariel, em Cuba, assina 26 dos 48 projetos de infraestrutura na América Latina nesse período. Em Angola, tem 35 outras obras, financiadas pelo mesmo BNDES. Detalhe: o banco – e o porto de Mariel é um exemplo – não envia a dinheirama ao país, remete direito à empreiteira. Já a Camargo Corrêa tem outros 7 projetos em Angola, a Andrade Gutierrez mais 13 e a Queiróz Galvão, 18. Nos últimos anos, Lula usou jatinho das empreiteiras em suas viagens internacionais e as construtoras pagaram suas palestras de US$ 200 mil cada.

O almoço da alta tucanagem, esta semana, no restaurante Ici, em Higienópolis, em São Paulo (é o bairro onde mora, há anos, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso), reunia o próprio FHC, Tasso Jereissati, Aécio Neves, Celso Lafer, Sérgio Guerra, Rubens Barbosa – e o vereador Andrea Matarazzo, muito ligado a José Serra. Ele não terá nenhum papel especial na campanha de Aécio, mas sua presença foi encarada como apoio dado pelo grupo, numa época em que desabam sobre Andrea denúncias na novela Alstom/ Siemens. E também poderia contar tudo o que aconteceu no almoço a Serra, depois.

Pós-operatório A cirurgia de próstata “para tratamento de quadro de crescimento benigno local” de José Serra, no Sírio-Libanês, estava marcada desde o ano passado. Nos exames preparatórios, surgiu um problema cardíaco, Serra recebeu um stent e seus médicos adiaram a cirurgia. Ele pediu que nada fosse comentado sobre o aumento da próstata, muito comum em homens de mais idade: temia que se criasse uma onda de boatos sobre a possibilidade de um tumor. Serra está bem – e “de volta ao ringue” (a expressão é dele) – e apenas terá de enfrentar um pós-operatório desconfortável na área urinária.

/ IN

Unhas com desenhos.

/

DANDO FORÇA

Recuperada do acidente quase fatal no ano passado, Maya Gabeira, 26 anos, surfista de ondas gigantes, mostrará na próxima edição da GQ que também pode ser uma mulher bonita e insinuante. Exibe suas intimates, com direito a calcinha de renda (larga nas laterais), mais cinta-liga. Filha do ex-militante da luta armada dos anos 60, Fernando Gabeira, ela é o principal nome feminino de um esporte radicalmente masculino. “Minha sensualidade vem de dentro, está nas minhas escolhas. Sou forte e decidida. Às vezes, isso mais intimida do que atrai os homens”.

De corpo inteiro

OUT

Unhas clássicas.

Previsão dos astros Wilma, mulher de Walter Feldman (PSBSP), que quer ser candidato ao governo de São Paulo (ele entrou no bloco socialista junto com Marina Silva), é astróloga. E tem consultado os astros sobre as possibilidades eleitorais do marido neste ano. Feldman é de Aquário, comemorou seus 60 anos esta semana e os astros não têm se mostrado favoráveis a vôos solos do deputado. Para Edson Aparecido, chefe da Casa Civil de Geraldo Alckmin, Feldman, ex-tucano, é o que mais trabalha contra uma aliança do PSB com o PSDB. Outros socialistas acham que Pedro Dallari seria melhor candidato.

ASSASSINATO de Reputações, livro do delegado Romeu Tuma Jr., que revela que Lula era informante de Romeu Tuma, quando comandava o Dops à época da ditadura militar em São Paulo, acaba de bater a casa dos 50 mil exemplares, o que no Brasil já é considerado besteller. Está entre os cinco mais vendidos na lista das revistas semanais no bloco de não-ficcão.

O EMPRESÁRIO alagoano Gilberto Farias, irmão do famoso PC Farias, tesoureiro da campanha de Fernando Collor à Presidência e assassinado em 1996 em circunstancias misteriosas, acaba de ser eleito presidente da Federação das Indústrias do Estado da Bahia (FIEP). Apoiado pelo governador Jaques Wagner.

JOÃO Santana e Franklin Martins já dividiram as áreas da campanha de Dilma: estratégia e comerciais de TV ficam com o primeiro, imprensa e internet com o segundo. A Pepper, que teria tido participação na ofensiva contra Eduardo Campos, fica de fora. Será responsável por uma agência de noticias do PT, a partir de março.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

5

GENOINO DÁ UMA MÃO A DELÚBIO Após arrecadar dinheiro além da conta para pagar multa do Mensalão, Genoino decidiu ontem doar R$ 30 mil para Delúbio Soares: o ex-tesoureiro do PT já contabiliza mais de R$ 400 mil em doações.

Lewandowski agiliza análise do pedido de José Dirceu ministro Ricardo Lewandowski, presidente em exercício do Supremo Tribunal Federal (STF), acatou o pedido da defesa do exministro José Dirceu e determinou que a Vara de Execuções Penais (VEP) do Distrito Federal analise o pedido de trabalho externo dele. A suspensão da análise havia sido determinada pela Vara de Execuções na última sexta-feira. Neste dia ficou decidido que deveriam ser refeitas as investigações sobre o uso de um celular por Dirceu no começo do ano. O secretário da Indústria, Comércio e Mineração da Bahia, James Correia, admitiu que conversou com Dirceu ao telefone no dia 6 de janeiro. Depois da polêmica chegar à imprensa, ele desmentiu a conversa. Em sua decisão, Lewandowski diz que a suspensão da análise do pedido de trabalho de Dirceu não poderia acontecer, uma vez que a própria direção do presídio da Papuda informou que não era possível provar a existência da ligação. "Ora, os elementos de prova à disposição do magistrado da VEP do Distrito Federal, em 24/1/2014, como se vê, davam conta de que os setores competentes do sistema prisional, concluíram, à unanimidade, após procederem às devidas investigações, que os fatos imputados ao sentenciado não existiram", diz trecho da decisão. Com a determinação do ministro, a Vara de Execuções pode ainda esta semana se manifestar sobre o pedido de trabalho de Dirceu, que recebeu oferta para trabalhar na biblioteca do escritório de advocacia de José Gerardo Grossi. (Folhapress)

O

Alô Suplicy, aqui é da Papuda. Algo estranho acontece na República da Papuda, relacionado a maconha, celular e números particulares – como o do senador petista. senador Eduardo Suplicy (PT-SP) escapou por pouco de cair em um golpe manjado de presidiários brasileiros. De acordo com o jornal O Globo, o petista recebeu uma ligação na última sextafeira de um presidiário da Papuda se passando por um de seus sobrinhos, de nome Sérgio. O pedido: R$ 1,4 mil para consertar um carro em Alexânia, no interior de Goiás. Na matéria, o jornal sustenta que o presidiário estaria preso na Penitenciária DF 1, que fica dentro do Complexo Penitenciário da Papuda e é

O

conhecida como Cascavel. À repórter Maria Lima, o detento disse que Suplicy chegou a depositar uma "mixaria" e que conseguiu o aparelho celular dos próprios agentes prisionais. Mas não detalhou como obteve o número do celular do petista. "Estou fumando do bom e do melhor. Comendo do melhor, e ele está pagando!", relatou o presidiário. Suplicy confirmou a tentativa de golpe e disse à reportagem que pensou tratar-se de seu sobrinho Sérgio Suplicy Goes. Segundo ele, o depósito acabou não sendo feito após suas secretárias checarem a

situação com o sobrinho verdadeiro. O senador recebeu a ligação quando estava em Madri, na Espanha, dando palestras sobre o renda mínima. Recentemente, a Folha de S.Paulo publicou que o secretário da Indústria, Comércio e Mineração da Bahia, James Correia, admitiu ter conversado por telefone com José Dirceu, que está preso na Papuda, no dia 6 de janeiro. Depois da repercussão na imprensa, ele negou o ocorrido. Além dele, estão presos na Papuda outros réus do Mensalão: o ex-tesoureiro do PT Delúbio Soares, o operador do es-

quema Marcos Valério, o exsócio dele Ramon Hollembach e o ex-deputado Romeu Queiroz (PTB-MG). Dirceu ousou solicitar formalmente autorização para atualizar seu blog da prisão e Hollembach fez uma exigência gastronômica: suco light. MACONHA LIBERADA Outro fato inusitado que envolve a Papuda foi a absolvição dada pelo juiz Frederico Ernesto Cardoso Maciel, da 4ª Vara Criminal de Brasília, (DF) a um homem acusado de entrar no presídio com 52 trouxinhas de maconha.

O juiz entendeu ser inconstitucional a proibição de maconha, embasado no princípio que a Lei de Drogas do Ministério da Saúde que não lista quais entorpecentes são ilícitos. Segundo o magistrado, a proibição do consumo de substâncias químicas deve respeitar os princípios da igualdade, liberdade e dignidade humana. Assim, afirmou que é incoerente que a maconha seja proibida, enquanto o álcool e o tabaco têm a venda liberada. "OTHC é reconhecido por vários outros países como substância entorpecente de caráter recreativo e medicinal", alegou. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

ESPIONAGEM

Chanceler vai aos EUA ouvir explicações

.Ó..RBITA

CABRAL

PSD & PSDB

O

PSD do Rio decidiu abrir mão ontem da précandidatura ao governo do Estado e indicou que apoiará o nome do vice-governador Luiz Fernando Pezão (PMDB) para a sucessão de Sérgio Cabral (PMDB). O convite ao presidente do diretório regional, Índio da Costa, para ocupar a Secretaria do Ambiente ainda não teve resposta definitiva. Deputados da sigla se reuniram na sede do partido para decidir sobre o convite. O PSD herdaria a pasta atualmente comandada pelo PT, que sairá do governo até amanhã. O PSD nacional já declarou apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff.

N

a semana em que o PT encerra a aliança com o PMDB no Rio de Janeiro, depois de sete anos, o governador Sérgio Cabral fez uma declaração pública de apoio à reeleição da presidente Dilma Rousseff. Cabral vinha evitando anunciar o apoio, devido ao lançamento da candidatura do senador petista Lindbergh Farias ao governo do Estado. Mas ontem ele disse que o palanque do vice-governador Luiz Fernando Pezão, précandidato do PMDB, está aberto para a reeleição de Dilma. "Não tenho medo da candidatura do PT. Nosso comprometimento é com a presidente Dilma, ela é amiga do Rio e minha amiga."

CULTO COM PADILHA ANOREXIA POLÍTICA

Q

uem está aqui não é o ministro, é alguém que crê em Deus. Foi o que disse o ministro Alexandre Padilha aos cerca de 60 funcionários da Saúde que participavam de culto evangélico no auditório principal do ministério. O culto de ação de graças, que levou cerca de meia hora, foi organizado a pedido do próprio Padilha e teve clima de despedida. O petista deve deixar a pasta na próxima segunda para se dedicar à corrida pelo governo de São Paulo. Os cultos para os funcionários acontecem com certa periodicidade no ministério, mas não contam com a presença do ministro.

O

governador Cid Gomes (Pros-CE) afirmou ontem que não tem nem "nunca teve menor apetite por ministério". Após se reunir com o futuro ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante (Educação), ele disse ainda que seu irmão, Ciro Gomes, não recebeu qualquer sondagem ou convite oficial para assumir um cargo no primeiro escalão de Dilma. A presidente voltou ontem de uma viagem internacional e a expectativa entre os aliados é a de que finalize as negociações para a reforma ministerial nos próximos dias. Aliados de Dilma, os Gomes abandonaram o PSB em 2013 após o partido lançar Eduardo Campos à Presidência.

Ministro recebeu convite do governo americano: Obama anunciou mudanças em agência de espionagem.

O

Aluísio Moreira/SEI - 29/01/2014

O

filho recém-nascido do governador Eduardo Campos (PSB), Miguel, foi diagnosticado com Síndrome de Down. A informação foi dada ontem no Facebook por Campos: "Hoje, os médicos confirmaram o que já estava pré-diagnosticado há algum tempo. Miguel, entre outras características que o fazem muito especial, chegou com a Síndrome de Down. Seja bemvindo, querido Miguel. Como disse seu irmão, você chegou na família certa! Agora, todos nós vamos crescer com muito amor, sempre ao seu lado." A nota leva também as assinatura da mulher Renata e dos filhos Maria Eduarda (21),

João (20), Pedro (18) e José (9). Miguel nasceu de parto normal, na última terça-feira, na maternidade Santa Joana, no Recife com 51,5 cm e 3,4 kg. A estrutura do governo de Pernambuco foi usada para noticiar o nascimento. Servidores da Secretaria de Imprensa foram deslocados para a maternidade e a notícia foi divulgada no site oficial do Estado. Ontem, após ser questionado, o governo retirou a informação do site oficial e admitiu ter cometido um erro por se tratar de um assunto da vida privada de Campos. O nome Miguel é uma homenagem a Miguel Arraes, avô de Campos.

Estou indo a Washington a convite de Susan Rice. Nova data para a visita da presidente Dilma não será discutida. LUIZ ALBERTO FIGUEIREDO Figueiredo aceitou o convite...

... da conselheira Susan Rice.

de países aliados. Depois das denúncias de que seu governo havia espionado cidadãos de outros países, além de presidentes e auxiliares próximos, as regras que regem a NSA foram alteradas. Após os dois encontros, Figueiredo deve falar com a imprensa brasileira nos Estados Unidos, informou a assessoria do ministério.

Edward Snowden, um ex-contratado da NSA e agora exilado na Rússia. Snowden divulgou por meses nos meios de comunicação internacionais denúncias sobre a espionagem americana de líderes de outros países, como a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel. O Palácio do Planalto brasileiro e o Itamaraty informaram que não comentarão a espionagem dos EUA. As revelações enfureceram os aliados de Washington, envergonharam a Casa Branca e escandalizaram le-

VAZAMENTOS As mudanças anunciadas por Obama em meados de janeiro foram estimuladas pelos vazamentos de informações ao longo do ano passado por

gisladores e ativistas do direito à privacidade. Dilma Rousseff chegou a cancelar a visita de Estado que faria a Washington em outubro e exigiu desculpas dos EUA. Durante a 68ª Assembleia Geral da ONU, em Nova York, ela conseguiu aprovar uma moção de repúdio à espionagem americana e qualificou o caso como "uma grave violação dos direitos humanos e das liberdades civis, de invasão e captura de informações sigilosas relativas a atividades empresariais e, sobretudo, de desrespeito à soberania nacional". (Agências)

REFORMA MINISTERIAL

MARANHÃO

Dilma pode ceder mais ao PMDB

Roseana se vangloria ... e morre mais um preso.

presidente Dilma Ro u s s e f f t e m s i d o aconselhada por interlocutores a rever sua posição e dar o sexto ministério ao PMDB. O objetivo é evitar rebeliões no partido, estratégico ao projeto de reeleição. Dilma retornou de Cuba ontem disposta a retomar as negociações para a última reforma ministerial deste ano. Ontem, integrantes do governo se mostravam pessimistas com a ida do empresário Josué Gomes para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio. Nos últimos dias a presidente foi avisada das dificuldades dele deixar a Coteminas. Com isso a pasta pode ser usada

A

PÚBLICO X PRIVADO

Eduardo Muñoz/Reuters

Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr

ministro de Relaç õ e s E x t e r i o re s , Luiz Alberto Figueiredo, vai se reunir hoje em Washington com a conselheira nacional de Segurança dos Estados Unidos, Susan Rice, segundo informações do Palácio do Itamaraty. O encontro servirá para discutir, entre outros temas, as mudanças anunciadas no dia 17 pelo presidente Barack Obama no monitoramento pela Agência de Segurança Nacional (NSA, em inglês). Em viagem a Cuba, onde participa da 2ª Cúpula dos Estados Latinoamericanos e Caribe (Celac), Figueiredo embarcou ontem para a capital norte-americana. De acordo com a assessoria do Itamaraty, ele aproveitará a passagem pelos Estados Unidos para se reunir com representante de Comércio do governo norte-americano, Mike Froman. O Ministério de Relações Exteriores não confirma qual será o tema do encontro. Segundo assessores, o convite foi feito pelos EUA. Há 12 dias, o presidente americano prometeu interromper as atividades de espionagem de chefes de Estado

para contemplar um aliado para acomodar alguém da cota pessoal de Dilma. Dilma tem três destinos para os aliados: Desenvolvimento; Ciência e Tecnologia; e Secretaria de Portos. Num dos cenários, o PMDB poderia ser alojado na primeira ou na segunda pasta. Nesse desenho, Portos poderia acomodar o PTB, com Benito Gama. A Secretaria de Relações Institucionais, responsável pela articulação política no Congresso, tende a seguir com a petista Ideli Salvatti. Só duas mudanças já foram confirmadas extraoficialmente: Aloizio Mercadante para a Casa Civil e Arthur Chioro na Saúde. (Folhapress)

m meio a uma das piores crises de segurança do País, o Maranhão lançou na primeira semana de janeiro uma campanha publicitária nacional para atrair investimentos ao Estado e exaltar obras da gestão de Roseana Sarney. O Estado tem um dos piores índices sociais do País. Ontem o governo maranhense confirmou mais uma morte dentro de presídios do Estado. É o quinto detento morto. Apenas neste ano. Valdivino Fernandes da Silva, 27, estava detido na Unidade Prisional de Ressocialização em Balsas, a cerca de 800 km de São Luís. O preso morreu em um hospital de

E

Imperatriz na noite de terçafeira. Ele foi internado depois de ser espancado pelos companheiros, segundo a Secretaria de Justiça e Administração Penitenciária. Mas não é isso que mostram os comerciais de um minuto. Neles, o governo diz que "grandes transformações constroem um novo Maranhão" e que o Estado é motivo de "orgulho". As peças publicitárias estão sendo exibidas nos canais por assinatura GNT, GloboNews e Sportv. Os anúncios destacam investimentos de R$ 3,8 bilhões em infraestrutura para atrair indústrias ao Estado, obras em educação e saúde. (Folhapress)

Sampaio: 'comissão não leu representação contra Dilma'. Além de ter arquivado processo contra Dilma, Comissão de Ética fez o mesmo com o de Cardozo. Ed Ferreira/Estadão Conteúdo

líder do PSDB na Câmara dos Deputad o s , C a r l o s S a mpaio (SP), criticou ontem a decisão da Comissão de Ética Pública da Presidência de arquivar um pedido de investigação contra a presidente Dilma Rousseff por escala feita em Lisboa (Portugal) no fim de semana. Segundo Sampaio, a comissão não leu a representação do partido. Para ele, a decisão do presidente do colegiado Américo Lacombe de arquivar a investigação foi "lastimável". Ele afirmou que pediu à comissão que avaliasse o caso e sugerisse aprimoramentos para o Código de Conduta da Alta Administração Federal. "Se tivesse lido a representação por inteiro, o presidente da Comissão saberia que eu não pedi para o Conselho julgar a Dilma, como ele disse. [...] É uma pena que, a pretexto de alegrar aquela que o indicou, o presidente do Conselho

O

de Ética da Presidência preste esse desserviço à nação". O PSDB ingressou anteontem com uma representação na comissão para analisar se a presidente infringiu o Código de Conduta da Alta Administração Federal por ter se hospedado em hotel de luxo sem compromissos oficiais e sem a divulgação da agenda oficial. Ontem, Lacombe anunciou que o pedido foi arquivado porque a comissão não tem competência para investigar a Presidência da República. "Nós não temos competência para julgar nem o presidente nem vice-presidente, só ministro de Estado pra baixo. Está na lá lei e não tem como. Quem fez o regulamento não foi o presidente Lula, foi o presidente Fernando Henrique Cardoso. Se o deputado quiser, que vá se queixar com o líder do partido dele." Sampaio rebateu as críticas e considerou a fala de Lacombe uma "provocação política".

Lacombe: Comissão de Ética arquiva dois processos no mesmo dia. Por unanimidade, a mesma Comissão de Ética Pública da Presidência da República decidiu arquivar processo para apurar a conduta do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, na investigação de cartel em licitações de transporte

público em São Paulo. "Foi arquivada porque ele não fez nada de extraordinário. Como Cardozo disse claramente, já passou do tempo do engavetador geral da república. Isso não existe mais", justificou Lacombe. (Folhapress)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

7

Tobias Schwarz/Reuters

Ainda se recuperando de acidente de esqui, Merkel vai ao Parlamento.

'Os fins não justificam os meios' Merkel critica espionagem dos EUA chanceler da Alemanha, Angela Merkel, advertiu ontem que os países que espionam seus aliados colocam em risco a confiança mútua, provocando mais insegurança. A crítica, dirigida aos Estados Unidos e ao Reino Unido, foi feita no discurso inaugural do terceiro mandato de Merkel perante o Parlamento alemão. Assim como a presidente do Brasil, Dilma Rousseff, Merkel foi alvo de escutas clandestinas executadas pela Agência Nacional de Segurança dos EUA (NSA, na sigla em inglês), segundo revelações feitas pelo ex-técnico da agência Edward Snowden. "Ações nas quais fins justificam os meios... prejudicam a confiança", declarou Merkel perante o Bundestag. "Tudo isso semeia desconfiança. No fim, o resultado será menos segurança, e não mais." Em seu discurso, a líder conservadora disse que ninguém duvida que agências de inteligência nacionais e estrangeiras aliadas ajudaram a proteger o povo alemão do terrorismo e do crime. "Mas isso torna certo que nossos aliados mais próximos, como os EUA ou o Reino Unido, acessem todos os dados imagináveis, argumen-

A

CYBER WAR

A nova fronteira AFP - 12/03/12

ara o chefe da inteligência militar de Israel, o major-general Aviv Kochavi, a maior re v o l u ç ã o n a h i s t ó r i a d a s guerras não foi a descoberta da pólvora ou o uso do espaço aéreo. A maior transformação ainda está por vir: a guerra cibernética está em seus passos iniciais, mas tem possibilidades "quase ilimitadas", capazes de provocar a maior mudança na doutrina de combate em mais de mil anos. O major-general revelou que as ameaças cibernéticas crescem "exponencialmente" em Israel, durante discurso na conferência anual do Instituto de Estudos para a Segurança Nacional, na quarta-feira, em Tel Aviv. No ano passado, o Estado judaico enfrentou centenas de ataques. "A grande maioria foi, felizmente, sem sucesso", apontou ele. "O virtual, na minha humilde opinião, e você não precisa concordar comigo, será revelado num futuro próximo como uma revolução maior do que a criação da pólvora ou do que o uso do espaço aéreo no início do do século passado", afirmou ele, segundo o jornal The Times of Israel. Kochavi citou as possibilidades inerentes à guerra cibernética como "quase ilimitadas, e isso não é uma metáfora". Para enfrentar o novo desafio, a inteligência militar israelense teve que mudar sua metodologia e, principalmente, sua abordagem. De acordo com Kochavi, o papel inicial dos serviços de inteligência era descrever a realidade. Agora, eles também devem

ele, acrescentando que o país está "cercado 360 graus com inimigos ativos". Pela primeira vez, o inimigo tem capacidade de atingir as cidades israelenses. "As ameaças convencionais não desapareceram", alertou. Por outro lado, ele afirmou que os países vizinhos têm pouco interesse em iniciar um confronto. "Os países que nos rodeiam estão ocupados consigo mesmos, eles tem menos recursos para começar uma guerra", afirmou ele, citado pelo The Jerusalem Post.

Kochavi revelou que os estoques de mísseis da Síria diminuíram por causa da guerra civil no país, enquanto os do grupo palestino Hamas também foram reduzidos durante a operação militar Pilar de Defesa em 2012. "O número voltará a subir", afirmou o oficial, citado pelo The Times of Israel. O major-general descreveu o declínio da popularidade do presidente sírio, Bashar al-Assad, e dos militantes aliados do Hezbollah, como positivo, assim como a "erosão" da popularidade da Irmandade Muçulmana no Egito. Além disso, Kochavi disse que os Estados sunitas moderados se alinham aos interesses mais urgentes de Israel, citando a Arábia Saudita, Jordânia, Egito e os países do Golfo. Quanto ao Irã, Kochavi limitou-se a dizer que o programa nuclear é mantido de tal modo que, se o aiatolá Ali Khamenei decidir, a República Islâmica poderá desenvolver "uma bomba atômica ou mais". Liderança - O avanço da tecnologia cibernética de Israel foi ressaltado pelo premiê Benjamin Netanyahu, durante a abertura da conferência Cybertech 2014, em Tel Aviv, no início desta semana. "Israel é um dos líderes (em cibersegurança), com grandes talentos e recursos", disse. Entre os visitantes do evento estão mais de 450 chefes de empresas e agências de cibersegurança, incluindo delegações dos EUA, Coreia do Sul e México. Representantes do Exército brasileiro também estão presentes, afirmou The Times of Israel. (Agências)

Ucrânia: anistia aos opositores.

Nas minas de urânio do Irã

Parlamento da Ucrânia aprovou ontem a concessão de anistia aos presos por participar de protestos contra o presidente Viktor Yanukovych, desde que manifestantes desocupem edifícios públicos como a prefeitura da capital, Kiev, e vários outros tomados em todo o país. Os partidos de oposição por trás dos protestos condenaram a medida e se abstiveram de votar. "Com essa lei, as autoridades do país admitem que fizeram reféns, como se fossem terroristas, para negociar com eles", declarou o líder do partido nacionalista Liberdade, Oleg Tiagnibok, à agência Interfax. (Folhapress)

nspetores da Organização das Nações Unidas (ONU) visitaram ontem uma mina de urânio no Irã pela primeira vez desde 2005, informou a mídia iraniana, num momento em que Teerã abre gradualmente seu controverso programa nuclear para um maior escrutínio internacional. Uma equipe de três membros da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) foi à mina de Gchine, perto da cidade de Bandar Abbas, ao sul do Golfo Pérsico. Teerã nega as acusações ocidentais de que busca fabricar armamentos nucleares e afirma que seu programa tem fins pacíficos. (Agências)

P

Soldados de Israel observam projétil lançado de sistema antimísseis "participar" dela e alterá-la. 'Era de fogo' - Por enquanto, a maior ameaça vem de armas convencionais, como foguetes e mísseis. Para o chefe da inteligência militar, o perigo que elas representam está acima inclusive da ameaça do programa nuclear do Irã. "Nós chamamos este período de 'era de fogo', levando em conta a quantidade de mísseis e foguetes que enfrentamos", disse ele, segundo o jornal The Jerusalem Post. "Cerca de 170 mil foguetes e mísseis ameaçam Israel", advertiu

Al Jazeera na mira do governo do Egito EFE - 21/11/12

Pro m ot oria do Egito anunciou ontem que a c u s o u f o rmalmente 20 jornalistas - 16 egípcios e quatro estrangeiros - da sucursal da rede de televisão Al Jazeera por juntar-se ou colaborar com um grupo terrorista e espalhar falsas notícias que ameaçam a segurança do país. O governo considera que a Al Jazeera, sediada no Catar, é tendenciosa no apoio ao expresidente deposto Moham-

A

O

med Morsi e à Irmandade Muçulmana. O grupo foi colocado na lista de organizações terroristas no mês passado. A Al Jazeera (acima, ataque ao estúdio da rede no Cairo) nega ser parcial e pede a libertação dos repórteres. (Agências)

I

tando que isso ajuda sua própria segurança e a de seus parceiros?", disse ela. "Será certo que não se trate só de se defender de ameaças terroristas, mas também de obter vantagens sobre seus aliados, por exemplo, em negociações nas cúpulas do G20 ou em sessões da ONU?", questionou. "Nossa resposta só pode ser: não, não pode estar certo." Para a chanceler, Berlim e Washington ainda estão "muito distantes" em suas visões sobre o monitoramento em massa feito pela NSA. Merkel afirmou ainda que seu governo também sente a responsabilidade de proteger o direito à privacidade de seus cidadãos, mas antecipou que não pretende pressionar Washington a assinar um acordo bilateral de "nãoespionagem" ou ameaçar com a suspensão das negociações de um acordo de livre comércio entre a União Europeia e os EUA. Gregor Gysi, líder do partido oposicionista Esquerda, acusou Merkel de "subserviência aos EUA". A NSA deve estar na pauta da reunião de Merkel com o secretário de Estado dos EUA, John Kerry, em Berlim, nesta sexta-feira. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Ônibus: frota paulistana em chamas Mais de 30 veículos foram queimados apenas este ano. Algumas linhas deixaram de operar à noite, por medo, obrigando passageiros a completar o percurso a pé. Marcelo Camargo/ Agência Brasil

anifestantes queimaram mais um ônibus na cidade de São Paulo, ontem. Foi o 32.º veículo destruído na Capital desde o começo do ano – quatro deles entre anteontem e ontem. O coletivo foi incendiado por volta das 12h30 na Estrada do M'Boi Mirim, zona sul. Os bombeiros chegaram dez minutos depois e controlaram as chamas, mas o ônibus ficou completamente destruído. Dois homens e três adolescentes foram detidos pela Polícia Militar acusados de participare m d a a ç ã o e l e v a d o s a o 100.º Distrito Policial (Jardim Herculano), na zona sul. De acordo com moradores da região, o protesto foi motivado pela morte do jovem Guilherme Augusto Gregório, de 19 anos, na madrugada da terça-feira, com um tiro. Suspeita-se que o disparo tenha saído da arma de um policial, mas não isso não foi confirmado. Guilherme foi morto após levar sua filha, de um ano, à casa da mulher. Sua amiga, Thais Medeiros dos Santos Gonçalves, disse que viu a vítima minutos antes do crime. "Eu estava com minhas amigas quando ele passou e falou com a gente. Depois, um Voyage preto o seguiu e a gente ouviu os tiros", disse. Familiares dos detidos afir-

M

maram que eles não participaram da manifestação e que viram o ônibus ser queimado pela televisão. Ao saírem na rua, foram presos por policiais militares porque estavam vestindo uma camiseta com uma foto de Guilherme utilizada pelas pessoas no sepultamento do jovem, ontem de manhã. Já a PM afirma que os detidos fazem parte do grupo de 30 pessoas que queimou o ônibus e que eles foram capturados quando se preparavam para atear fogo em um segundo coletivo. Paralisação – À tarde, ao menos cinco linhas de ônibus pararam completamente ou circularam com restrição na zona sul, devido à falta de segurança. Segundo a SPTrans (responsável pelo sistema de transporte), 120 mil pessoas foram afetadas. Motoristas e cobradores relatam o medo de operar em regiões sujeitas a ataques. A Secretaria de Segurança Pública prometeu deslocar policiais da Rota e dos Batalhões de Choque para reforçar o policiamento em áreas das zonas sul e oeste de São Paulo por conta dos recentes ataques a ônibus. Na zona oeste, passageiros que moram na região do Jardim João 23 tiveram que descer na Rodovia Raposo Tavares, até dez pontos antes da parada final. (Agências)

Ônibus queimado ontem à tarde no M'Boi Mirim, na zona sul: protesto contra a morte de jovem supostamente praticada por policiais.

Rolezinhos: shoppings e jovens em busca da paz. Pedro Ladeira/Folhapress

ovens de bairros da periferia de São Paulo e representantes de shopping centers anunciaram ontem que os "rolezinhos" na capital paulista passarão a ser feitos em conjunto. A ideia é combinar a data e o horário com o shopping, que destinará o local específico para o "rolê" com base no número de participantes previsto. Assim, eventos com até 500 pessoas, por exemplo, poderão acontecer dentro de determinado shopping, enquanto os com 5 mil serão feitos no estacionamento. As análises pelos shoppings que aderirem serão feitas caso a caso. O acordo entre organizadores de "rolezinhos" e representantes de shoppings foi selado em reunião intermediada pela Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial. A conversa foi acompanhada pelo promotor de Justiça Eduardo Valério. "Eles (os jovens) estavam dispostos a ter uma relação tranquila com os shoppings", disse o secretário da Igualda-

J .Ó..RBITA

TIRO NA PAULISTA

A

Polícia Militar baleou um suspeito na tarde de ontem durante uma perseguição na Avenida Paulista, em São Paulo, na altura da Rua Peixoto Gomide. O homem estava de capacete, carregando um revólver, e corria no sentido Consolação entre os carros, quando foi baleado por um dos cerca de 15 policiais que corriam atrás dele, também empunhando armas. O tiro entrou pela bochecha e saiu pela nuca do suspeito, que caiu no chão. Durante a perseguição, um PM foi atropelado por um ônibus. Testemunhas relataram que o suspeito, que antes dirigia uma moto, havia roubado o relógio de um motorista. O suspeito e o PM foram levados para o Hospital das Clínicas. (Folhapress)

ACIDENTE NO RIO

S

ubiu para cinco o número de mortos no acidente ocorrido ontem na Linha Amarela, uma das principais vias do Rio. Luiz Carlos Guimarães, 70, estava no Fiat Palio que foi esmagado pela passarela que desabou após o choque da caçamba de um caminhão. Os outros quatro feridos no acidente estão estáveis. O motorista do caminhão afirmou ontem à polícia que falava no celular no momento do acidente. O delegado Fábio Asty disse que a perícia irá verificar o aparelho para confirmar se, de fato, ele falava ao celular durante o percurso na via. O motorista Luiz Fernando da Costa manteve a versão de que não percebeu que a caçamba que atingiu a passarela estava levantada. (Folhapress)

inco adolescentes morreram afogados na tarde de ontem no lago de um parque municipal de Santo André, na Grande São Paulo. Três das vítimas tinham 13 anos; as outras duas, 14 e 16. Segundo o Corpo de Bombeiros, o local fica no bairro Cidade São Jorge.

Ainda de acordo com os bombeiros, um sexto jovem, que estava no grupo, ligou para pedir socorro por volta das 14h. Foram deslocados quatro carros da corporação e também um helicóptero da PM. Quando o resgate chegou, porém, os cinco já estavam mortos. (Agências)

Estadão Conteúdo

CALOR RECORDE – O mês de janeiro deve ser o mais quente da história da cidade de São Paulo desde 1943. A média das temperaturas máximas deste ano, até ontem, era de 31,7°C. A previsão para hoje e amanhã é de aumento das temperaturas.

de Racial, Netinho de Paula (PC do B). Segundo ele, os rapazes reclamaram da falta de espaços públicos que atraiam jovens da periferia. O objetivo do acordo é pôr fim aos desentendimentos gerados nos últimos "rolezinhos": de um lado, corre-corre e tumulto causado pelos jovens e, de outro, shoppings entrando na Justiça e fechando as portas. Participaram da reunião

cerca de 15 jovens das zonas sul, norte e leste de São Paulo, escolhidos por terem milhares de seguidores ("fãs") nas redes sociais. Da parte dos shoppings estiveram presentes Luiz Fernando Veiga, presidente da Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers), e representantes do Shopping Metrô Itaquera. Outros shoppings ainda não se posicionaram sobre o assunto.

Claudio Manculi/Frame

Ação na Cracolândia foi "incidente", diz Grella.

CINCO JOVENS MORREM AFOGADOS NO ABC

C

Reunião entre a Alshop e ministros ontem em Brasília

Mariana Missiaggia ma semana após a ação da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) na região da Cracolândia, no Centro de São Paulo, que acabou em um confronto entre policiais e usuários de drogas, o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Fernando Grella, afirmou, na tarde de ontem, que a operação foi um "incidente" e que não deve voltar a acontecer. O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, garantiu que, mesmo inadequada, a ação policial não prejudicou o programa Braços Abertos. Durante a apresentação de um balanço dos primeiros dez dias do programa, Grella, que esteve na Prefeitura ao lado de Haddad, falou sobre a operação do Denarc na semana passada: “Houve um incidente nessa operação específica,

U

que não queremos que aconteça mais e que não deve se repetir. No entanto, nosso trabalho tem por fim não deixar que ali se torne uma zona livre de tráfico de entorpecentes". De acordo com Haddad, a Prefeitura não perdeu a confiança dos beneficiários do programa. "Esse ocorrido já foi superado e o programa funciona normalmente. Prezamos pela não-violência e a prisão de traficantes deve ser feita sem uso desproporcional de força. Agora, município e estado estão alinhados para o progresso do programa. Estamos há 10 dias trabalhando em conjunto para o sucesso da operação. Não houve prejuízo, pelo contrário, só temos coisas positivas a comemorar", disse Haddad. Segundo o secretário Municipal de Segurança Urbana, Roberto Porto, nos últimos dias foram realizadas 25 prisões em flagrante por tráfico na região e aprendidas mais

Brasília – Após pedir ao governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP) a construção de "rolezódromos", o presidente da Alshop (Associação dos Lojistas de Shopping), Nabil Sahyoun, propôs ao Palácio do Planalto apoio para a criação de centros de convivência para jovens na capital paulista. Em reunião ontem com os ministros Gilberto Carvalho (Secretaria- Geral da Presidência), Marta Suplicy (Cultura) e Luiza Bairros (Igualdade Racial), além de representantes de outras entidades de comerciários e de trabalhadores do setor, Sahyoun pediu interlocução do governo federal com Estados e municípios. Ele refutou, contudo, que haja por parte dos shoppings qualquer tipo de reação histérica aos "rolezinhos", seja no fechamento dos shoppings, como ocorrido em Brasília no último fim de semana, seja na concessão de liminares para impedir a entrada de jovens da periferia, como ocorrido em São Paulo. (Folhapress)

Fernando Haddad: conflito não deve prejudicar Braços Abertos. de 1.130 pedras de crack. A secretária de Assistência e Desenvolvimento Social, Luciana Temer, também participou da apresentação e anunciou que o número de participantes do programa aumentou e que houve procura até de pessoas que não moravam na região e não eram usuárias de drogas. “Nossa equipe cadastrou, na última terça-feira, 41 novos integrantes para participação no projeto, que agora somam 386 participantes com direito a moradia, três refeições, trabalho e acompanhamento de

saúde a dependentes químicos da região da Luz. Também encaminhamos 349 homens e 24 mulheres, que não tinham o perfil do programa, para a rede socioassistencial”. Na tentativa de combater o uso de drogas na região da Cracolândia, nos últimos dez dias foram feitas 1.394 abordagens pela Prefeitura, sendo que 127 foram atendimentos médicos, nos quais a administração prestou assistência a cinco portadores de tuberculose, três portadores de HIV e nove grávidas, que terão acompanhamento pré-natal.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

9

Dois dias com Marco Nanini A Arte e a Maneira de Abordar o Seu Chefe para Pedir um Aumento, monólogo com Marco Nanini, será o cartaz deste fim de semana no Auditório Ibirapuera.

JAMES DEAN

Sexta (31) e 1º/02 (sábado). 21h. Portão 2 do Parque. Tel.: 3629-1075, R$ 20.

Mito do cinema americano, James Dean é cultuado como um ator de talento, de personalidade fascinante e enigmática. O Centro Cultural Banco do Brasil, caprichando sempre na programação cultural, o escolheu para um ciclo que vai até 16 de fevereiro. James Dean (1931-

1955), viveu apenas 24 anos, rodou três filmes emblemáticos e fez história. O ciclo do CCBB exibirá Juventude Transviada (Rebel Whithout a Cause/1955, esq.); Vidas Amargas (East of Eden/1955, centro) e Assim Caminha a Humanidade (Giant/1956, dir.). Na data de sua

Sal (2011), sobre o ator Sal Mineo, que teve marcante participação em Juventude Transviada; e Twoo Friendly Ghosts (2011), curtametragem especulativo sobre a morte de Dean. CCBB. Rua Álvares Penteado, 112. Tel.: 3113-3651. www.bb.com.br

morte (30 de setembro de 1955), em consequência de um acidente automobilistico, Vidas Amargas, seu primeiro filme, batia recordes de bilheteria nos EUA. Ainda na mostra: James Dean, o Mito Sobrevive (1982), com participação de Cher e Kathy Bates;

A M E N I C

TELEVISÃO

NO CCBB

Os três tempos do fim

Estreias em série

TEATR O

Estamos em uma época crucial para quem é apaixonado por séries: o meio da fall season. É agora que algumas atrações voltam da pausa de meio de temporada, e outras começam. No passado, eram conhecidos como "enlatados americanos", porém, estão ficando cada vez mais populares por aqui, a ponto de algumas emissoras, como a HBO, transmitirem as atrações simultaneamente com os Estados Unidos. Mas são tantas as opções e datas de estreia que é possível se perder neste emaranhado. Por isso que o DCultura fez uma pequena seleção. É só ficar atento com as estreias, preparar a pipoca e se jogar!

Sérgio Roveri

Ana Barella

The Following

athalia Timberg era uma jovem estudante de teatro na Paris do início dos anos 50 quando Samuel Beckett implodiu as bases do teatro ocidental com a estreia da peça Esperando Godot, inegavelmente o maior, mais influente e mais discutido clássico da dramaturgia do século 20. Em 1954, quando o público da capital francesa se perguntava se afinal de contas Godot viria ou não, foi Nathalia que voltou ao Brasil – para construir uma carreira de escolhas acertadas que fizeram dela uma das melhores e mais versáteis atrizes de sua geração. O encontro entre Nathalia e o dramaturgo, se não se deu na década de 50, está prestes a ocorrer agora, quando a atriz, aos 84 anos, encara, a convite do diretor Roberto Alvim, o primeiro Beckett de sua carreira. Por força do acaso ou forma de compensar o atraso, a verdade é que são três textos de Beckett de uma vez só: Para o Pior Avante , Companhia e Mal Visto Mal Dito , que integram o espetáculo Tríptico Samuel Beckett , em cartaz a partir de sábado, 1 de fevereiro, no

N

Teatro do Centro Cultural do Banco do Brasil. “Eu vinha me devendo esta incursão maior na obra de Beckett”, disse Nathalia no início de uma noite de domingo, visivelmente cansada após três ensaios do espetáculo no palco do Club Noir, na Rua Augusta. “Eu iria me sentir roubada se não fizesse este trabalho. Quando o convite chegou, eu senti que era irrecusável”. Alvim, que além de dirigir ainda traduziu e adaptou as obras, afirma que os três textos selecionados representam o testamento artístico do dramaturgo irlandês. “A obra de Beckett é uma espécie de maldição para a história da literatura”, sustenta. “Com estes textos ele caminhou em direção ao vazio. É como se ele bloqueasse o caminho para os que viriam depois. Claro que vieram novos e ótimos escritores depois, mas esta trilogia poderia ser a última peça da humanidade de todos os tempos. Não é, mas poderia muito bem ser”. Os três textos do espetáculo são literários e, justamente por não terem nascido como dramaturgia, sua transposição

para a cena pode representar um caminho árduo e de poucas, ou talvez nenhuma, concessão. As obras abordam, ainda que sem uma fronteira cronológica perceptível, três momentos na vida de uma mulher, que tudo indica ser a mesma: a infância, quando a personagem é vivida pela atriz Paula Spinelli, a idade adulta, na pele de Juliana Galdino, e finalmente a velhice e proximidade da morte, quando a bola passa para as mãos de Nathalia. Mas estes episódios não surgem no palco em um formato estanque e delimitado: as três mulheres se complementam, se preenchem e se fundem de maneira que, ao final, reste delas apenas uma voz, uma essência. “Este Tríptico é um texto pendular, que se desloca a ponto de não permitir a existência de personagens com histórias definidas”, diz o diretor. “Aqui, Beckett se reduz a ponto de chegar não ao vazio, mas a um grau antes do vazio. Os personagens que ele criou são quase uma fantasmagoria, principalmente nesta obra final”. Nathalia Timberg conciliou os ensaios deste Tríptico com o

final das gravações da novela Amor à Vida, em que vive a personagem Bernarda. O volume de trabalho parecia preocupar menos a atriz do que uma luxação no pé direito, que a obrigou, no último fim de semana, a se locomover em uma cadeira de rodas. Mas é sobre Beckett que ela deseja falar: “As incursões dele nesta obra não se esgotam, porque ele não propõe apenas a palavra, ele propõe o que está em volta da palavra”, diz. “No caso específico desta montagem, o Roberto Alvim conseguiu algo milagroso, que foi fazer um tríptico respeitando a individualidade de cada obra. Quando fui convidada para integrar este projeto, eu disse ao telefone que parecia tentador. Agora, às vésperas da estreia, eu diria que o tentador evoluiu para o estimulante, para o instigante e finalmente para o mágico”. Tríptico Samuel Beckett . Centro Cultural do Banco do Brasil. Rua Álvares Penteado, 112. Estreia sábado (1). Sábado e segunda, às 20h. Domingo, às 19h. Tel.: 31133651. Ingressos a R$ 10.

O thriller estrelado por Kevin Bacon chaga em sua segunda temporada, nesta sexta (31), às 22h25, na Warnner Channel. Na trama, ele é um a gente do FBI obcecado em prender o criminoso Joe Carrol, que através de seus seguidores, ordena mortes inspiradas em trechos de contos de Edgar Allan Poe.

Fotos: Divulgação

“Vai chegar uma época em que será preciso vestibular para o público entrar no teatro.”

Girls Mesmo estando na terceira temporada, Lenna Dunham continua a "voz de sua geração", como sua personagem, Hanna, já denominou-se. A HBO exibe a série que melhor retrata os Milleniuns todos os domingos, às 23h. É impossível não se apaixonar pelo novo quarteto preferido de Nova York.

The Walking Dead Zumbies, zumbies e mais zumbies. É o quê a segunda parte da quarta temporada de The Walking Dead promete. A estreia no Brasil ficou para o dia 11 de fevereiro, às 22h30, na Fox. A primeira parte já agradou os fãs, frustados com a terceira temporada, que se desenrolou com um ritmo pouco atraente.

Scandal A premiada atriz Kerry Washington dá vida, mais uma vez, à Olivia Pope, ex-consultora de mídia do presidente americano. A terceira temporada estreia na segunda (3), às 22h, na Fox. Scandal, escrita por Shonda Rhimes, teve a temporada reduzida: ao invés de 22, terá apenas 18 episódios produzidos.

GASTRONOMIA Pizza leve para o tempo quente Lúcia Helena de Camargo Mauro Holanda/Divulgação

izza com esse calor? Pode sim. Embora seja consenso entre donos de pizzarias que os pedidos diminuem quando a temperatura aumenta, é possível optar nesta época pelas mais leves, com massa integral e coberturas menos gordurosas. Algumas casas lançam novidades para quem quer manter a dieta, mas não fica sem as redondas. A tradicional pizzaria 1900 acaba incluir no cardápio as pizzas com cream cheese e queijo cottage, que substituem o catupiry e a mussarela. Além

P

disso, informa o número de calorias de cada uma. Entre as sugestões estão a Veneziana, coberta por queijo cottage, tomate seco e rúcula. Tem 221 calorias por fatia. Custa R$43,40 na versão individual; R$57,40 a média e R$73,50 a grande. Um pouco mais calórica (249 calorias) é a Tacchino, que leva peito de peru, cebola, mussarela de búfala e orégano. Os preços: R$44,60; R$59,10 e R$70,90. A pizza de espinafre com cream cheese leva espinafre ao alho e óleo e tiras de presunto e a

Zucchini light: Esperanza, Itaim.

Modena é preparada com frango defumado, farofa de azeitonas pretas e tomate, vendidas também nos três tamanhos, por R$44,60; R$59,10 e R$70,90. O molho de tomate fresco é um dos trunfos da 1900. Complementa com harmonia a massa integral saborosa. E se der vontade de comer pizza tarde da noite ou de madrugada, a unidade dos Jardins fica aberta até 5h da manhã e faz entregas até esse horário, de quarta a domingo. Outra pizzaria que lançou um

sabor para o verão é a Esperança, que chega com a Zucchine Light. A redonda é coberta por molho de tomate, ricota de búfala, abobrinha refogada e manjericão, regada com azeite. A pizza grande custa R$67,50. 1900 Pizzeria. Rua Barão de Capanema, 348. Jardins. Tel.: 3061-3123. Mais cinco endereços na cidade. www.1900.com.br Pizzaria A Esperança. Rua Pedroso Alvarenga, 716. Itaim Bibi. Tel.: 3078-2960. Dez endereços de entregas. www.pizzariaesperanca.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Moedas para ficar na história

Mais do que paixão, tradição brasileira.

Foram lançadas ontem as moedas comemorativas oficiais da Copa do Mundo de 2014, fabricadas pela Casa da Moeda do Brasil. São nove modelos disponíveis: um de ouro, dois de prata e seis de cuproníquel. A compra pode ser feita no site do Banco do Brasil ou em representações do banco. A moeda de ouro, com 4,4 gramas e valor de face de R$ 10 custa R$ 1.180. Um pouco maiores, com 27g, os dois modelos de prata vêm com valor de face de R$ 5 são vendidos a R$ 190. Os seis modelos em cuproníquel e valor de face de R$ 2, saem por R$ 30. As moedas têm certificado de autenticidade com selo holográfico da Fifa.

Inspirado do estádio que abrigará a final da Copa 2014, o artista brasileiro Nelson Leirner criou Maracanã, escultura em que a arena aparece lotada de figuras tradicionais de nossa cultura. A obra integra a exposição Fútbol: The Beautiful Game, do Museu de Arte do Condado de Los Angeles, para a comunidade latina. A exposição reúne pinturas, esculturas e vídeos de artistas de vários países apaixonados por futebol.

Fotos: David McNew/Reuters

Fotos: EFE

.H..ISTÓRIA Luke MacGregor/Reuters

Quadro de Matisse avaliado em US$ 14 milhões Mulher posa ao lado do quadro Bolero Violeta, de Henri Matisse, que vai a leilão na Sotheby's de Londres em fevereiro e deve ser vendido por cerca de US$ 14 milhões.

.C..IDADE

USP exumará D. Pedro II e filha, Isabel. C ientistas da Universidade de São Paulo (USP) devem estudar os corpos do imperador D. Pedro II e sua mulher, Dona Teresa Cristina, e também da filha do casal, princesa Isabel, e de seu marido, o conde D’Eu. Os trâmites já estão bem avançados e a exumação deve ocorrer neste semestre. D. Pedro II e a família estão enterrados a 463 quilômetros da capital paulista, no Mausoléu Imperial, na Cate-

dral de Petrópolis, no Rio de Janeiro. Os responsáveis pelo estudo ainda analisam se o transporte ao Hospital das Clínicas em São Paulo, onde serão feitas as análises, será realizado por via terrestre ou aérea, mas sabe-se que o trecho de serra será realizado por via terrestre. Os restos mortais da família devem ser submetidos a uma bateria de exames, incluindo tomografias e ressonâncias magnéticas. As análises serão

acompanhadas por radiologistas e patologistas, entre outros especialistas da área médica. Acredita-se que o corpo da princesa Isabel esteja embalsamado, o que é visto com otimismo pelos pesquisadores, uma vez que um corpo bem conservado propicia pesquisas avançadas. Entre fevereiro e setembro de 2012, a mesma equipe realizou, em sigilo, estudos com os restos mortais do primeiro

Denis Balibouse/Reuters

.L..EILÃO

.F..UTEBOL

Caso Neymar: pai será investigado. A Procuradoria da República, em Santos, instaurou investigação para apurar possíveis irregularidades na venda de Neymar para o Barcelona. O Ministério Público Federal pediu informações à Receita Federal sobre quatro empresas em que Neymar da Silva Santos, pai do jogador, é sócio. Se provado que o pai de Neymar cometeu algum crime, o craque também será investigado.

Belas Artes terá ingresso mais barato O Belas Artes, no qual a Caixa Econômica Federal investirá R$ 2 milhões nos próximos cinco anos, reabrirá em maio. A confirmação foi feita ontem pelo prefeito Fernando Haddad. O preço do ingresso será cerca de

20% mais baixo que o dos outros cinemas e os doces e pipocas, 10% mais baratos. O cinema terá meia-entrada para todos os trabalhadores às segundas, e uma sala voltada para produção nacional.

.C..RIATIVIDADE

s

ARTE E OFÍCIO - Relógio Cartier apresentado no Salão Internacional de Alta Relojoaria, em Genebra, na Suíça. O setor sofreu uma drástica queda no número de relojoeiros e de mulheres que dominam o ofício.

.A..RTE Alessandro Bianchi/Reuters

Eis o superpapa

Quando a arte vai à feira Boa alimentação pode mudar o mundo. Esse é o lema do projeto Goodforks, que tem artes promocionais como estas, criadas por Marion Luttenberger e Briony Crane. thegoodforks.com

imperador brasileiro, D. Pedro I, e de suas duas mulheres, as imperatrizes dona Leopoldina e dona Amélia. Entre outras revelações, o estudo desmentiu a versão histórica de que dona Leopoldina teria caído, ou sido derrubada, de uma escadaria e fraturado o fêmur. Ficou provado também que D. Pedro I tinha quatro costelas fraturadas, resultado de dois acidentes ocorridos quando cavalgava. (Estadão Conteúdo)

Pintura em um edifício perto do Vaticano mostra o papa Francisco na clássica posição do SuperHomem. A figura ganhou o nome de Superpapa.

.L..OTERIAS Concurso 1012 da LOTOFÁCIL

01

02

07

09

11

12

14

15

16

17

18

21

22

24

25

Concurso 1422 da LOTOMANIA

3

10

15

16

23

29

30

33

37

40

46

52

57

67

68

70

73

84

91

94

Concurso 1569 da MEGA-SENA

05

15

18

31

42

Concurso 3403 da QUINA

05

11

17

27

60

53


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

11

MOTOROLA CHINÊS O Google vendeu a Motorola Mobility, sua divisão de celulares, para a chinesa Lenovo por US$ 2,91 bilhões. A justificativa: prejuízos num mercado supercompetitivo.

Supermercados avanço inesperado O faturamento cresceu 5,36% em 2013 quando comparado ao do ano anterior, superando de longe a projeção inicial que indicava uma expansão de 3,5%. A Abras atribui o resultado a fatores como o desemprego, que permanece baixo, e a desoneração fiscal da cesta básica. Agora, conta com a Copa do Mundos para capitalizar novo empurrão nas vendas. Daniel Teixeira/AE

Paula Cunha setor de supermercados teve desempenho positivo em 2013, com crescimento de 5,36% nas vendas ante o ano anterior. O resultado ficou bem acima das previsões da Associação Brasileira de Supermercados (Abras), que esperava elevação de 3,5% no início do ano passado e a revisou para alta de 4,5% em agosto. A variação foi bem maior que a previsão de crescimento de 2% d o P ro d u t o I n t e r n o B r u t o (PIB) e é consequência da manutenção da política de criação de postos de trabalho e por medidas como a desoneração fiscal da cesta básica e carnes adotada pelo governo federal em março e cujos efeitos foram sentidos a partir de junho. Na avaliação de Sussumu Honda, presidente do Conselho Consultivo da Abras, "é um resultado para se comemorar, pois é, sem dúvida, um dos melhores desempenhos entre os diversos setores da economia brasileira em 2013. Apesar do bom resultado, a entidade prevê crescimento de 3% para este ano. Honda ressaltou que os efeitos destas medidas de desoneração já foram absorvidos pelo segmento e que ele poderá ser beneficiado pela Copa do Mundo, que será realizada em junho. "Em 2014, esperamos um ano muito parecido com o de 2013, com o PIB crescendo pouco, mas com a manutenção dos baixos níveis de desemprego". Segundo o economista da

O

É um resultado para se comemorar, pois é, sem dúvida, um dos melhores desempenhos entre os diversos setores da economia brasileira em 2013. SUSSUMU HONDA, ABRAS Abras, Flavio Tayras, as previsões da entidade levam em conta indicadores como o PIB, desemprego, produção industrial, serviços e balança comercial, entre outros. Para ele, as variáveis macroeconômicas ainda são incertas, mas deve-se ressaltar que o desemprego continuará em níveis baixos, o que contribuirá para bons resultados no segmento. A Abras não espera queda da inflação neste ano, em razão dos preços dos serviços que têm resistido em níveis mais altos e dos preços administrados, como os de energia elétrica e transportes públicos. Volume e porte – Durante a entrevista coletiva, a entidade também divulgou o Índice Nacional de Volume, que teve elevação de 0,8% nas vendas em comparação com 2012. Ao avaliar as cestas de produtos, o gerente de atendimento da Nielsen, Fábio Gomes da Silva, ressaltou que não considera fraco o resultado. "O setor vem apresentando crescimento contínuo. A economia como um todo se desacelerou em 2013 e este desempenho é melhor que o da economia em geral", disse.

Projeção da Abras para 2014 é de uma expansão de 3% no faturamento do setor supermercadista O estudo também avaliou o crescimento do volume comercializado de outras categorias de produtos em 2013 considerando o nível de contribuição para as vendas gerais dos supermercados. Os maiores destaques foram os sucos prontos para consumo (12,9%) pela praticidade que oferece aos consumidores, leite fermentado (12%) estimulado pelo lançamento de produtos considerados saudáveis

e óleo e azeite (8,3%) que registraram queda em seus preços. Entre as quedas de volumes observadas no período, as mais expressivas foram as das bebidas à base de soja (20,5%) que sofrem a concorrência dos sucos, álcool (15,2%), açúcar (9,1%), que não passou por inovação recente e farinha de trigo (7,1%). Este último tem sido pouco procurado porque a população passou a procurar produtos

semiprontos mais práticos. Quanto ao porte dos empreendimentos, o comportamento dos supermercados de pequeno porte foi o destaque com um a quatro caixas registrando crescimento de 3,1% em 2013 ante o ano anterior. Copa do Mundo – A competição de futebol que acontece em junho no Brasil também poderá propiciar mais movimento para o setor de supermercados. A expectativa é de

Governo garante que vai manter desoneração da folha Joel Rodrigues/EC

ão há perspectiva de retirada da desoneração da folha de pagamento das empresas que têm se beneficiado da medida, afirmou ontem o ministro da Fazenda, Guido Mantega. Ele afirmou que é mais provável que haja a renovação da desoneração, que se encerra em dezembro de 2014. "A desoneração tem ajudado muito, possibilitou que o setor produtivo continuasse contratando trabalhadores e aumentando a eficiência", afirmou. Os setores atendidos pela desoneração deixaram de pagar 20% de contribuição previdenciária sobre a folha de salários e passaram a arcar com uma alíquota de 1% ou 2% sobre o faturamento bruto anual, descontada a receita de exportação. O governo deixou de arrecadar em 2013, por conta do incentivo, R$ 13,2 bilhões. A projeção do governo para 2014 é de R$ 21,6 bilhões. Houve rumores de que o benefício não seria renovado para alguns setores no fim da validade da medida, em dezembro deste ano. Segundo o ministro, todos os setores beneficiados têm "aproveitado bem" o estímulo, que deve continuar. A presidente Dilma Rousseff afirmou há duas semanas que a desone-

N

Mantega: setores beneficiados (que esperam uma indicação de longo prazo) têm "aproveitado bem" os estímulos.

ração será "permanente". Representantes de vários setores da economia, como têxtil, se reuniram ontem com o secretário de política econômica da Fazenda, Márcio Holland, para uma avaliação dos resultados da política. O economista-chefe da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Flávio Castelo Branco, afirmou que a preocupação do setor industrial é com a continuidade da desoneração da folha de pagamento a partir de 2015. "Como as empresas precisam se planejar, essa decisão é importante", disse após participar da reunião. Segundo ele, no segmento indus-

trial a avaliação geral é de que a medida é bastante positiva. "Como uma medida estruturante, ela precisa ter caráter permanente", defendeu. Ele acrescentou que a desoneração da folha teve impacto positivo sobre o nível de atividade, do emprego, dos investimentos e das exportações. O presidente do Sindicato Interestadual da Indústria de Materiais e Equipamentos Ferroviários e Rodoviários (Simefre), José Martins, que também esteve na reunião, afirmou que o setor não demitiu no ano passado por causa da desoneração da folha, apesar de o setor de ônibus ter sido o que mais sofreu com a redução

de tarifas. Segundo ele, há uma expectativa de que a produção cresça este ano entre 1% e 2% em relação a 2013. "Não vai ser um ano tão bom como a gente esperava, mas não vai ser ruim", resumiu. De acordo com Holland, a discussão para tornar a renúncia fiscal permanente está iniciada. "A avaliação demonstra que a medida tem competência e capacidade para ser permanente, porque está beneficiando a economia brasileira", disse. Impactos – Segundo estimativas da CNI (Confederação Nacional da Indústria) divulgadas pelo secretário, 96% dos setores beneficiados aprovaram a medida, entre eles têxtil, autopeças, brinquedos, transporte, serviços e construção civil. A taxa média mensal de demissão das empresas enquadradas na política caiu de 15% (de janeiro de 2007 a dezembro de 2011) para -3% (de janeiro de 2012 a junho de 2013). De acordo com a CNI, 43% das empresas passaram a prever aumento de exportação. Antes nenhuma tinha perspectiva de ampliação das vendas para o mercado externo. Hollan disse que não haverá inclusão de novos setores na política de desoneração da folha. Pode haver eventuais ajustes, nada mais. (Agências)

crescimento nas vendas de bebidas como cervejas e refrigerantes e alimentos como snacks e salgadinhos em geral. No caso das bebidas, Honda ressaltou que a Abras está negociando com a indústria para oferecê-las com mais destaque e vantagens para os consumidores. Ele lembrou que, em razão da Lei Seca, o setor espera aumento nas vendas para consumo nas residências.

Comércio eletrônico contabiliza avanço nominal de 28% comércio eletrônico movimentou R$ 28,8 bilhões em 2013, alta nominal de 28% na comparação com 2012, quando o faturamento chegou a R$ 22,5 bilhões, de acordo com a E-bit, empresa especializada em informações do varejo online. O resultado superou expectativas de crescimento nominal de 25%. "Muitas pessoas das classes C e D, que não tinham acesso à internet, passaram a se conectar através de modelos mais simples de smartphones. E se tornaram, além de internautas, consumidoras online", avalia o diretor exe c u t i v o d a E - b i t , Pe d ro Guasti, em nota. Além disso, Guasti aponta que o evento conhecido como Black Friday rendeu R$ 770 milhões ao ecommerce, resultado que bateu recorde de faturamento em um único dia. A expectativa é de que, em 2014, o comércio eletrônico registre crescimento nominal de 20%, com faturamento de R$ 34,6 bilhões, puxado pela venda de materiais esportivos e de televisores de grandes proporções com tela fina por conta da Copa do Mundo. (EC)

O


12 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

13

O consumidor está demandando menos crédito porque a renda não cresceu tanto, a taxa de juros está subindo e a inflação diminui o poder de compra. Patricia Krause, economista

Juro ao consumidor foi de 38% ao ano Aumento na taxa no consumo foi superior ao promovido pelo governo na Selic taxa média de juros cobrada do consumidor brasileiro fechou 2013 em 38% ao ano, alta de 4,1 pontos percentuais frente ao registrado no ano anterior, informou ontem o Banco Central. O aumento é superior ao promovido pelo governo na taxa básica de juros, a Selic. No período, ela passou de 7,25% para 10% ao ano, alta de 2,75 pontos percentuais. A taxa de 38% refere-se ao crédito concedido a pessoas físicas com os chamados recursos livres, que excluem o crédito habitacional, o crédito rural e o concedido pelo BNDES. A diferença de aumento frente à taxa definida pelo governo ocorre mesmo com o recuo verificado no juro cobrado do consumidor em dezembro. Houve queda de 0,5% para pessoas físicas e de 0,1% nas linhas oferecidas às empresas neste segmento. O novo ciclo de aperto monetário promovido pelo BC este mês houve novo reajuste na Selic para 10,5% – tem como objetivo controlar a inflação. Com os juros altos, fica mais caro tomar empréstimos e fazer compras parceladas. Ao aumentar a taxa básica, o governo busca de-

A

sestimular o consumo e, assim, conter os preços. No segmento de recursos direcionados pelo governo, contudo, o reflexo da alta da taxa básica de juros é bem diferente: no ano, ela subiu apenas 0,5 ponto percentual, fechando 2013 em 7,5% ao ano. Em dezembro, ela se manteve estável, com pequena alta de 0,1% apenas nas linhas para as empresas. O crédito total seguiu em expansão em 2013, mas em ritmo menor. O saldo de empréstimos chegou a R$ 2,715 trilhões, alta de 14,6% em doze meses. Em 2012, o crescimento havia sido de 16,4%. Expansão Em dezembro, o aumento ficou em 2,4% frente ao mês anterior. A expansão foi puxada pelos financiamentos com recursos direcionados, que possuem taxas mais vantajosas, cujo saldo cresceu 24,5% em 2012, frente alta de apenas 7,8% no crédito com recursos livres. A diferença se manteve em dezembro, apesar de menor. Houve aumento de 3,3% no crédito com recursos direcionados frente ao mês anterior, enquanto a alta no crédito livre foi de 1,7%. Com a manutenção do aumento do crédito,

a relação entre o crédito e o PIB (Produto Interno Bruto) chegou a 56,5%, ante 55,5% em novembro e 53,9% em dezembro do ano passado. Ca lo te – Apesar da alta no custo dos empréstimos, a inadimplência segue sob controle. A taxa média de calote apresentou leve queda, chegando a 3%. No segmento de recursos livres, ela se manteve estável, com pequena alta de 0,1 p.p para pessoas físicas e queda de 0,2 ponto percentual para pessoas jurídicas. No crédito direcionado, houve queda de 0,1 ponto percentual na taxa média total. O spread total (diferença entre o custo de captação e o valor cobrado do tomador de empréstimo) recuou 0,4 ponto percentual, para 11,1 pontos percentuais Estimativas – O Banco Central projeta expansão de 13% no crédito neste ano, conforme anunciado em dezembro passado. Se confirmado, será o quarto ano consecutivo de desaceleração no crescimento do saldo de empréstimos e financiamentos. Desde 2010, quando houve aumento de 20,6%, a taxa vem caindo ano a ano. Para o BC, a relação entre o crédito total e o PIB deve ficar em 58% em 2014. (Folhapress)

Divulgação

"Empresas devem aguardar a Copa e as eleições para investir" A economista Patricia Krause diz que cenário não é favorável à aceleração do crédito Rejane Tamoto

mbora o ritmo de crescimento do crédito tenha desacelerado em 2013, algumas linhas de financiamento tiveram destaque, como a de imóveis e para empresas, principalmente com recursos direcionados, como os do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Para 2014, a perspectiva é que o crédito cresça num patamar igual ou um pouco menor do que o do ano passado, que foi de 14,6%. Para Patricia Krause, economista da Coface para a América Latina, neste ano haverá pouco espaço para uma aceleração, por causa de paralisações provocadas pelos jogos da Copa do Mundo e as incertezas até que terminem as eleições. A Coface é uma companhia de gerenciamento e soluções de crédito e atende a 135 mil empresas de todos os portes e setores em diversos países. Patricia, que é formada em economia pelo IBMEC-RJ,

E

está na companhia desde abril do ano passado e antes passou pela Euler Hermes, SBCE e General Motors. Nesta entrevista, a economista avalia o cenário do crédito para este ano no Brasil. Diário do Comércio – Qual a sua projeção para o crescimento do crédito neste ano? Patricia Krause – Acredito que este ano o crédito deve continuar crescendo menos, mas não muito menos do que o patamar de 14%. O que puxou o aumento do crédito no ano passado foram as operações com recursos direcionados, nas quais destacaram-se as linhas de crédito imobiliário, rural e de investimento em infraestrutura (com recursos do BNDES). Vejo o crédito para infraestrutura acelerado apenas no começo deste ano, por parte das empresas que ganharam leilões de concessão no ano passado. As empresas, de modo geral, devem aguardar a

Copa do Mundo e as eleições para fazer investimentos. DC – No ano passado, o crédito com recursos direcionados cresceu mais. Isso deve se repetir neste ano? PK – Acredito que o crescimento deve permanecer no mesmo ritmo e não vejo uma alta acelerada. As empresas não devem aumentar investimentos em ano eleitoral. O BNDES, por outro lado, não deve ampliar a oferta de crédito e injetar mais dinheiro na economia por causa das contas públicas. A dívida bruta do País aumentou por causa dos repasses do Tesouro Nacional ao BNDES e não há como aumentar a liquidez, não há espaço. A consequência pode ser o rebaixamento do rating. A ameaça ainda existe. DC – A inadimplência geral fechou 2013 em 3%, menor patamar da série histórica iniciada em 2011. Isso não pode

ajudar a estimular o crédito e o consumo agora? PK – Apesar da queda da inadimplência, o consumidor está demandando menos crédito porque a renda não cresceu tanto, a taxa de juros está subindo e a inflação diminui o poder de compra. Por isso, não vejo ainda o consumidor tomando recursos para consumo. A dívida que ele carrega hoje é imobiliária. DC – Com esse perfil de consumidor, qual sua perspectiva para o varejo? PK – Acredito que o crédito ao consumo deverá evoluir em um ritmo lento. Para o varejo estimo um crescimento de pouco menos de 3% neste ano. DC – E o cenário para empresas

de pequeno e médio portes? PK – Para elas, o desafio tende a ser maior pois geralmente têm acesso a taxas de juros mais elevadas. Vejo as empresas mais cautelosas ao tomar crédito. Primeiro, porque vão aguardar um cenário menos incerto, ou seja, após a eleição. Outro ponto é que muitas não devem investir muito porque vão ter de parar a produção para os jogos da Copa do Mundo.

Comércio puxa criação de postos de trabalho E ntre os setores analisados na Região Metropolitana de São Paulo, o comércio segue com crescimento nos postos de trabalho enquanto a indústria mostra retração, aponta a Pesquisa de Emprego e Desemprego, realizada pela Fundação Seade e pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). De 2012 para 2013, a porcentagem de ocupados que trabalham na Indústria de Transformação caiu de 17,5% para 16,9%, enquanto a proporção

dos empregados no Comércio, Reparação de Veículos Automotores e Motocicletas passou de 17,6% para 18,3%. De um ano para o outro, a indústria demitiu 62 mil pessoas, ou 3,6%, enquanto o comércio abriu 65 mil postos de trabalho (3,8% de variação). Serviços O setor que mais emprega na região, com 56% da força de trabalho, continua sendo o de Serviços. Mas, no ano passado, o desempenho foi ligei-

ramente negativo, com queda de 0,4% do nível de ocupação e 21 mil postos de trabalho a menos. O destaque positivo no setor de serviços veio do segmento de transporte, armazenagem e correio, que teve saldo positivo de 39 mil postos de trabalho (6,2%). Por outro lado, caiu o número de ocupados em alojamento e alimentação; outras atividades de serviços; artes, cultura, esporte e recreação (menos 51 mil postos de trabalho, queda de 4,9%). O segmento emprega aproximadamente 1

milhão de pessoas na região metropolitana de São Paulo. Inflação

Segundo os dados apurados, aumentam os serviços prestados às empresas, mas diminuem os prestados às p e s s o a s . E n t re a s c a u s a s apontadas para este movimento estão a inflação elevada dos serviços acompanhada de uma estagnação no nível de ocupação, que recuou 0,2% em 2013, e do rendimento médio na região no último ano. Em

2013, o rendimento médio real dos ocupados caiu 0,5% na comparação com 2012. A pesquisa mostra que houve uma diminuição de 5,6% no total de empregados domésticos, com 31 mil pessoas a menos nesta categoria, de 2012 para 2013, na região metropolitana de São Paulo. Enquanto o total de empregados domésticos mensalistas caiu 9,7% (44 mil postos de trabalho a menos), o de diaristas aumentou 5,7% (13 mil postos de trabalho a mais). (Estadão Conteúdo)

Tudo ligado: Patricia Krause alerta que jogos e disputa eleitoral interferem na economia do País.


14 -.ECONOMIA/LEGAIS

Fed corta mais U$ 10 bilhões na compra de títulos

DIÁRIO DO COMÉRCIO

or decisão unânime dos membros do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc, na sigla em inglês), o Federal Reserve, banco central dos EUA, anunciou ontem novo corte de US$ 10 bilhões, para US$ 65 bilhões, no programa de compras mensais de títulos. Não houve, contudo, mudança na grande política da autoridade monetária: manter os juros baixos por algum tempo. A partir de fevereiro, além do corte nas compras mensais

P

de títulos, o Fed reduzirá igualmente as compras de Treasuries para US$ 35 bilhões e de títulos hipotecários para US$ 30 bilhões. O Fed reconheceu que "a atividade econômica ganhou fôlego nos trimestres recentes" em comunicado divulgado após a reunião. Dados divulgados nas últimas semanas, incluindo gastos do consumidor e produção industrial, amplamente otimistas e alimentam essa tese. Analistas estimam que o Pro-

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

duto Interno Bruto (PIB) dos EUA cresceu no ritmo de 3,2% no quarto trimestre, acima da tendência, após avançar 4,1% nos três meses anteriores. Os sinais de recuperação sugerem que será mantida a redução gradual das aquisições, conforme previu o chairman do Fed, Ben Bernanke, até o programa ser concluído ainda neste ano. A reunião de ontem do Fomc foi a última presidida por ele, que passará o cargo amanhã à atual vicechair, Janet Yellen. Ele condu-

ziu o Fed em um território desconhecido nos oito anos em que ocupou o posto, construindo um balanço patrimonial de US$ 4 trilhões e mantendo os juros próximos de zero por mais de cinco anos para afastar a economia do pior revés em décadas. As autoridades mantiveram tal política até depois de a taxa de desemprego norte-americana, atualmente em 6,7%, cair abaixo de 6,5%, especialmente se a inflação fica abaixo da meta de 2%. (Reuters)


ECONOMIA/LEGAIS - 15

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Banco da Reserva da África do Sul engrossou ontem a fila dos países emergentes que estão elevando a taxa básica de juros, na tentativa de sustentar suas moedas e evitar a fuga de investimentos. A alta, a primeira em seis anos, foi de 0,50 ponto porcentual, para 5,5% e ocorreu no momento em que o rand, a moeda local, tem a menor cotação em cinco anos. Entretanto, a medida levanta o risco de afetar a lenta expansão econômica sul-africana e causar tensões com o partido Con-

Outro emergente sobe os juros. Agora, foi a África do Sul.

O

gresso Nacional Africano e o presidente Jacob Zuma, que enfrenta uma eleição em três meses, em meio a desemprego crônico e agitação social. O presidente do BC sul-africano, Gill Marcus, garantiu que a decisão não foi influen-

ciada pela forte elevação dos juros promovida anteontem pela Turquia e não tem o objetivo de afetar a taxa de câmbio. No caso da Turquia, a alta dos juros foi mais forte: o banco central elevou a taxa over-

night de 7,75% a 12% e a taxa das operações compromissadas de uma semana de 4,5% para 10%. Esta última, a partir de agora, será a referência para o banco central. A moeda do país está perto de seu menor nível histórico, acumulando

uma queda de 5% ao ano. A decisão de subir os juros foi tomada pelo presidente do banco central turco, Erdem Basci, batendo de frente com o primeiro-ministro, Tayyip Erdogan: ele afirma que e essa prática é uma forma de ceder

ao lobby de investidores estrangeiros e prejudica o crescimento econômico. Ontem, o ministro das Finanças, Mehmet Simsek, minimizou o impacto da alta dos juros, afirmando que a economia sofreria dano maior se a confiança no banco central fosse perdida. Além da África do Sul e Turquia, a Índia decidiu aumentar sua taxa de juros em 0,25 ponto porcentual, para 8% para frear a inflação e se preparar para lidar com o risco de grandes saídas de capital. (Agências)

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO/SP

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO/SP

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO/SP

AVISO DE LICITAÇÃO Comunicamos que está aberta a Licitação relacionada abaixo: MODALIDADE: Pregão Presencial 008/ 2014. PROCESSO: 081/2014. OBJETO: Aquisição de Hortifrutigranjeiros para a Merenda Escolar. INÍCIO DA SESSÃO PÚBLICA: 13/02/2014, às 14:00 h, na sala de Licitações da Prefeitura do Município de São Pedro, sita à Rua Valentim Amaral, n° 748, Centro, São Pedro/SP. O edital completo encontrase à disposição no Departamento de Compras e Licitações, sito à Rua Valentim Amaral 748, no horário das 08:00h às 17:00h. Fone: (19) 3481-9223 ou através do site: www.saopedro.sp.gov.br. São Pedro, 29 de janeiro de 2014. Valdemir Antonio Malaguetta - Pregoeiro.

AVISO DE LICITAÇÃO Comunicamos que está aberta a Licitação relacionada abaixo: MODALIDADE: Pregão Presencial 009/ 2014. PROCESSO: 082/2014. OBJETO: Aquisição de um veículo tipo PICK UP. INÍCIO DA SESSÃO PÚBLICA: 14/02/2014, às 14:00 h, na sala de Licitações da Prefeitura do Município de São Pedro, sita à Rua Valentim Amaral, n° 748, Centro, São Pedro/SP. O edital completo encontra-se à disposição no Departamento de Compras e Licitações, sito à Rua Valentim Amaral 748, no horário das 08:00h às 17:00h. Fone: (19) 3481-9223 ou através do site: www.saopedro.sp.gov.br. São Pedro, 29 de janeiro de 2014. Valdemir Antonio Malaguetta - Pregoeiro.

AVISO DE LICITAÇÃO Comunicamos que está aberta a Licitação relacionada abaixo: MODALIDADE: Pregão Presencial 007/ 2014. PROCESSO: 074/2014. OBJETO: Contratação de Empresa para fornecimento de Gêneros Alimentícios Estocáveis para a Merenda Escolar. INÍCIO DA SESSÃO PÚBLICA: 13/02/2014, às 09:00 h, na sala de Licitações da Prefeitura do Município de São Pedro, sita à Rua Valentim Amaral, n° 748, Centro, São Pedro/SP. O edital completo encontra-se à disposição no Departamento de Compras e Licitações, sito à Rua Valentim Amaral 748, no horário das 08:00h às 17:00h. Fone: (19) 3481-9223 ou através do site: www.saopedro.sp.gov.br. São Pedro, 29 de janeiro de 2014. Hélio Donizete Zanatta - Prefeito Municipal.

AVISO DE LICITAÇÃO. MODALIDADE: Pregão Presencial 16/2014, PROCESSO: 29/2014, OBJETO RESUMIDO: REGISTRO DE PREÇO DE PALMEIRA IMPERIAL (ROYSTONEA OLERÁCEA), DATA E HORA DA LICITAÇÃO: 17/02/2014 as 9h00, LOCAL DA LICITAÇÃO: Sala de Licitações do Paço Municipal, na Praça Cel. Brasílio Fonseca, 35, Centro, Guararema – SP. O Edital poderá ser lido e obtido na íntegra no Paço Municipal de Guararema, no período das 08h30min às 16h00. Os interessados poderão obter o Edital por e-mail, enviando mensagem eletrônica para o endereço licitacao@guararema.sp.gov.br, informando os dados da empresa, a modalidade e o número da licitação. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4693-8016. MARCIO LUIZ ALVINO DE SOUZA, Prefeito Municipal.

AVISO DE LICITAÇÃO. MODALIDADE: Pregão Presencial 17/2014, PROCESSO: 31/2014, OBJETO RESUMIDO: REGISTRO DE PREÇOS DE GÊNEROS ALIMENTÍCIOS PARA COMPOSIÇÃO DE CESTAS BÁSICAS, DATA E HORA DA LICITAÇÃO: 18/02/2014 as 9h00, LOCAL DA LICITAÇÃO: Sala de Licitações do Paço Municipal, na Praça Cel. Brasílio Fonseca, 35, Centro, Guararema – SP. O Edital poderá ser lido e obtido na íntegra no Paço Municipal de Guararema, no período das 08h30min às 16h00. Os interessados poderão obter o Edital por e-mail, enviando mensagem eletrônica para o endereço licitacao@guararema.sp.gov.br, informando os dados da empresa, a modalidade e o número da licitação. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4693-8016. MARCIO LUIZ ALVINO DE SOUZA, Prefeito Municipal.

AVISO DE LICITAÇÃO. MODALIDADE: Pregão Presencial 10/2014, PROCESSO: 18/2014, OBJETO RESUMIDO: REGISTRO DE PREÇOS DE MEDICAMENTOS VETERINÁRIOS, DATA E HORA DA LICITAÇÃO: 14/02/2014 as 9h00, LOCAL DA LICITAÇÃO: Sala de Licitações do Paço Municipal, na Praça Cel. Brasílio Fonseca, 35, Centro, Guararema – SP. O Edital poderá ser lido e obtido na íntegra no Paço Municipal de Guararema, no período das 08h30min às 16h00. Os interessados poderão obter o Edital por e-mail, enviando mensagem eletrônica para o endereço licitacao@guararema.sp.gov.br, informando os dados da empresa, a modalidade e o número da licitação. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4693-8016. MARCIO LUIZ ALVINO DE SOUZA, Prefeito Municipal.

AVISO DE LICITAÇÃO. MODALIDADE: Pregão Presencial 14/2014, PROCESSO: 22/2014, OBJETO RESUMIDO: REGISTRO DE PREÇOS DE SERVIÇOS DE MÃO DE OBRA PARA ASSENTAMENTO DE PARALELEPÍPEDOS, REJUNTAMENTO DE PARALELEPÍPEDOS, ARRANCAMENTO E REASSENTAMENTO DE PARALELEPÍPEDOS, DATA E HORA DA LICITAÇÃO: 13/02/2014 as 9h00, LOCAL DA LICITAÇÃO: Sala de Licitações do Paço Municipal, na Praça Cel. Brasílio Fonseca, 35, Centro, Guararema – SP. O Edital poderá ser lido e obtido na íntegra no Paço Municipal de Guararema, no período das 08h30min às 16h00. Os interessados poderão obter o Edital por e-mail, enviando mensagem eletrônica para o endereço licitacao@guararema.sp.gov.br, informando os dados da empresa, a modalidade e o número da licitação. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (11) 4693-8016. MARCIO LUIZ ALVINO DE SOUZA, Prefeito Municipal.

C&A Modas Ltda, CNPJ nº 45.242.914/0119-99 e IE nº 442.188.916.114, estabelecida a Av. Governador Mario Covas Junior, 01, Loja 151, Jd. Rosina, Mauá/SP, declara para os devidos fins de direito e conforme Boletim nº 568/2014 registrado em 23.01.14 que extraviou de sua loja o equipamento PDV nº 09 da marca ZPM, nº de fabricação ZP040708186.

Ministério da Fazenda

SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) REGIONAL SÃO PAULO

AVISO DE REABERTURA Pregão Eletrônico nº 2544/2013 – São Paulo PROCESSO VERDE Nº 2544/2013. OBJETO: Registro de Preços aquisição Switches e outros. DATA DE ABERTURA: 11/02/2013, às 9h30. LOCAL: www.comprasnet.gov.br. O Edital poderá ser obtido nos sítios www.serpro.gov.br e www.comprasnet.gov.br. Pregoeiro Designado.

Base Aerofotogrametria e Projetos S.A. CNPJ/MF n° 46.911.608/0001-79 - NIRE: 35.300.096.657 Extrato da Ata da A.G.E. realizada no dia 10/12/2013. Data, Hora e Local: 10/12/2013, às 10 horas, na sede social da Cia. Convocação: Dispensada. Presenças: totalidade. Mesa: Antonio Cobo Neto, Presidente; Hitoshi Ishihara, Secretário. Ordem do dia: Autorização para obtenção de mútuo pela Cia junto à acionista Pasco Corporation ou à sua subsidiária Pasco do Brasil Ltda, no valor total de R$ 4.700.000,00, à taxa de juros de 1,625% a.a., dando-se em garantia o imóvel de matrícula nº 115.952 junto ao 14º CRI de São Paulo e o imóvel de matrícula nº 123.009 junto ao 14º CRI de São Paulo, ambos de propriedade da Cia. Deliberações: Aprovada a autorização por unanimidade. Lavratura da ata e encerramento: Nada mais havendo a tratar, e como ninguém quisesse fazer uso da palavra, foi a presente ata lavrada, lida e por todos assinada, na forma de sumário dos atos ocorridos, conforme expressamente permitido pelo art. 130, § 1º, da Lei nº 6.404/76. Acionistas presentes: Antônio Cobo Neto; Ivan Valeije Idoeta; Irineu Idoeta; Hitoshi Ishihara; Karen Chinarelli Cobo; Lidia Maria Balle de Castro; Daniela Balle de Castro; PASCO Corporation, p.p. Hajime Zama; e Coldslim Importação e Exportação Ltda., p. Hiromu Ohnishi. Certifico que a presente é cópia fiel da ata lavrada em livro próprio. Hitoshi Ishihara - Secretário da Assembléia. JUCESP sob n° 28.787/14-6 em 20/01/2014. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

HAKKA EVENTOS SA. CNPJ 08.787.215/0001-06 Edital de Convocação HAKKA EVENTOS S.A., estabelecida na Rua São Joaquim, 460 mezanino Liberdade São Paulo/SP convoca todos os acionistas para a AGO, na sede da sociedade no dia 21/02/2014 as 14 hs, para deliberar sobre: 1) prestação de contas aos associados referente ao exercício 2013; 2) Eleição de diretoria triênio 2014/2017; 3)outros assuntos pertinentes à Associação, a serem levantados durante a reunião. Chang Yun Sea - Presidente.

Comunicamos aos Srs. Acionistas da Yakult S.A. Indústria e Comércio, que se encontram à disposição, na sede social da companhia, sita na Alameda Santos, 771, 13º andar, conj.131, Bairro Cerqueira César, em São Paulo - SP, os documentos a que se refere o artigo 133 da Lei nº 6404/76, relativos ao Exercício Social encerrado em 31 de dezembro de 2013. São Paulo, 28 de janeiro de 2014. Ichiro Amano - Diretor Presidente.

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba comunica que se acha publicado no Sistema Eletrônico do Banco do Brasil, o Pregão Eletrônico para Registro de Preços nº 01/2014 - Processo nº 11.013/2013, destinado ao fornecimento de materiais elétricos. SESSÃO PÚBLICA dia 13/02/2014, às 10:00 horas. Informações pelo site www.licitacoes-e.com.br, pelos telefones: (15) 3224-5814 e 5815 ou pessoalmente na Av. Pereira da Silva, 1.285, no Setor de Licitação e Contratos. Sorocaba, 29 de janeiro de 2014. Ema Rosane Lied Garcia Maia - Pregoeira.

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba comunica que se acha publicado no Sistema Eletrônico do Banco do Brasil, o Pregão Eletrônico nº 03/2014 - Processo nº 12.103/2013, destinado à aquisição de tubos, conexões, ventosa, válvula gaveta, válvula de redução e válvula borboleta de ferro fundido. SESSÃO PÚBLICA dia 13/02/2014, às 10:00 horas. Informações Pereira da Silva, 1.285, no Setor de Licitação e Contratos. Sorocaba, 29 de janeiro de 2014. Idiara Maria Diniz de Carvalho - Pregoeira

NIRE 3530036232-2 – CNPJ/MF n° 09.397.320/0001-00 (“Companhia”)

1. Data, Hora e Local: No dia 16 de dezembro 2013, às 11 horas, na sede social da Cromossomo Participações III S.A., localizada na Cidade e Estado de São Paulo, na Rua Joaquim Floriano, nº 413, conj.112, Parte B, Itaim Bibi, CEP 04534-011 (“Companhia”).2.Presença:Presente a totalidade dos membros do Conselho de administração, a saber: Srs. Alexandre de Araújo Abreu, Dulce Pugliese de Godoy Bueno e Pedro de Godoy Bueno.3. Convocação: Foram dispensadas as formalidades de convocação em virtude da presença da totalidade dos membros do Conselho de Administração.4.Mesa:Presidente:Sr.Pedro de Godoy Bueno;Secretário:Sr.RenatoTilkian Molinari.5.Ordem do Dia:Apreciar e deliberar sobre (i) a destituição dos membros atuais da Diretoria da Companhia;;e (ii) a eleição dos novos membros da Diretoria da Companhia. 6. Deliberações: Após análise e discussão da matéria da ordem do dia, os conselheiros presentes decidiram, por unanimidade dos votos, aprovar: 6.1. A destituição do Sr. Roberto Figueiredo Mello, brasileiro, casado, advogado, portador da Cédula de Identidade RG nº 3.922.596-SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 532.755.358-20, do cargo de Diretor Presidente, e do Sr. Ariovaldo Pereira Ribeiro Neto, brasileiro, divorciado, administrador, portador da Cédula de Identidade RG nº 14.763.713-2-SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob nº 088.916.378-23, do cargo de Diretor, ambos residentes e domiciliados na Cidade e Estado de São Paulo, com endereço comercial na Rua Líbero Badaró, 293, 27º andar, conjunto D. 6.2. A eleição (a) para o cargo de Diretor Presidente, do Sr. Pedro de Godoy Bueno, brasileiro, solteiro, economista, portador da Cédula de Identidade RG nº 22.352.879-5, inscrito no CPF/MF sob nº 126.861.457-22, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com escritório na Rua Joaquim Floriano, nº 413, conj. 112, Parte B, Itaim Bibi, CEP 04534-011, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, para um mandato de 2 (dois) anos, e (b) para o cargo de Diretor, a Sra.Maiana Stephanes, brasileira, casada, economista, portadora da Cédula de Identidade RG nº 952.427 SSP-DF, inscrita no CPF/MF sob nº 149.298.358-60, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com escritório na Rua Joaquim Floriano, nº 413, conj. 112, Parte B, Itaim Bibi, CEP 04534-011, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, para um mandato de 2 (dois) anos. Os membros da Diretoria ora eleitos serão investidos em seus cargos mediante assinatura dos respectivos termos de posse a serem lavrados emlivropróprioemedianteentregadedeclaraçãodedesimpedimento,deacordocomosartigos146e147daLeinº6.404/76.7.Encerramento: Como nada mais havia a ser tratado, os trabalhos foram suspensos pelo tempo necessário à lavratura da presente ata, a qual lida e posta em discussão, foi aprovada pela unanimidade dos conselheiros. Mesa: Sr. Pedro de Godoy Bueno (Presidente); e Sr. Renato Tilkian Molinari (Secretário). Conselheiros Presentes: Srs. Alexandre de Araújo Abreu, Dulce Pugliese de Godoy Bueno e Pedro de Godoy Bueno. Confere com o original lavrado em livro próprio. São Paulo, 16 de dezembro de 2013. Pedro de Godoy Bueno - Presidente; Renato Tilkian Molinari - Secretário. JUCESP nº 21.069/14-1 em 14/01/2014. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

CNPJ/MF nº 14.167.188/0001-71 - NIRE 35.300.411.714

Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 29 de janeiro de 2014, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Reqte: Suprema Revisional Ltda EPP - Autofalência - Reqdo: Suprema Revisional Ltda. EPP - Autofalência - Av. Paes de Barros, 3.363 - Mooca - 1ª Vara de Falências Reqte: RDG Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multissetorial LP - Reqdo: Flornil Consultoria em Publicidade e Propaganda Ltda. ME - R. Prefeito Milton Improta, 478 Sala 1 - Vila Maria Baixa - 1ª Vara de Falências Reqte: Aqueluz Elétrica e Hidráulica Ltda. - Reqdo: H. Guedes Engenharia Ltda. - R. Gomes de Carvalho, 1.510 - Conj. 51 - Vila Olímpia - 2ª Vara de Falências

Adonai Química S/A CNPJ/MF n.º 02.703.755/0001-88 - NIRE 35.300.156.315 Ata da Assembleia Geral Extraordinária Realização/Local: 20/12/2013, às 9h00, na R. Gomes de Carvalho, 1306, 8º andar, s/ 85, S. Paulo/SP. Convocação: Dispensadas as formalidades na forma da lei. Presenças: 100% do capital social. Mesa: Presidente: Carlos César Floriano e Secretário: Francisco Cassiani Filho. Ordem do Dia/Deliberações: “Aprovadas por unanimidade” a) O capital social subscrito e totalmente integralizado, atualmente no valor de R$ 96.356.300,00 é aumentado p/ R$ 150.000.000,00 c/ a subscrição de R$ 53.643.700,00 através de emissão de 536.437 novas ações nominativas s/ valor nominal. b) O aumento do capital social foi subscrito pelos acionistas Alípio José Gusmão dos Santos e Carlos Cesar Floriano, no valor de R$ 5.500.000,00 cada um e pela sócia Aba Infra-Estrutura e Logística Ltda. no valor de R$ 42.643.700,00 neste ato, conforme Boletim de Subscrição, que integra a presente ata como anexo. c) As ações subscritas pelos acionistas Alípio José Gusmão dos Santos e Carlos Cesar Floriano são integralizadas neste ato, c/ a utilização do saldo credor desses acionistas em conta corrente na sociedade. A Aba Infra-Estrutura e Logística Ltda. integraliza, neste ato, R$ 32.184.484,29 c/ utilização de seu saldo credor em conta corrente na sociedade. O saldo no valor de R$ 10.459.215,71 será integralizado em moeda corrente nacional até o dia 31/12/2014. d) A acionista Argemil Armazéns Gerais Mirambava Ltda., neste ato, e na melhor forma de direito, renuncia, como de fato renunciado tem, ao direito de preferência que lhe é assegurado nos termos do art.171 da Lei 6404/76. e) Em virtude das deliberações tomadas pelos acionistas, fica, desde já, alterado o art. 5º do Estatuto Social da Cia que passará a vigorar conforme abaixo: “Art. 5º - O capital social, totalmente subscrito pelos acionistas é de R$ 150.000.000,00 dividido em 1.500.000 ações ordinárias, nominativas, s/ valor nominal e indivisíveis em relação a cia, conforme abaixo: § 1º - A Assembleia Geral deliberará sobre o aumento de capital. § 2º - A cada ação ordinária nominativa caberá um voto nas deliberações das Assembleias Gerais. § 3º - Será mantido atualizado um quadro de participação societária relacionando todas as pessoas físicas ou jurídicas que detenham participação igual ou superior a 5% do capital da Cia.” f) Foi autorizada a publicação desta ata em forma de extrato. g) Em obediência ao disposto no § 3º, do art. 5º, do Estatuto Social consolidado, verifica-se que o quadro atualizado de participação societária no capital da cia é: Acionistas: - Ações Ordinárias; Argemil Armazéns Gerais Mirambava Ltda. - 211.580; Aba Infra-Estrutura e Logística Ltda. - 711.120; Alípio José Gusmão dos Santos 182.880; Carlos Cesar Floriano - 394.420; Total: - 1.500.000. h) Foi autorizada a publicação desta ata em forma de extrato. Encerramento: Formalidades legais foram devidamente arquivadas e registradas na JUCESP nº 40.982/14-2 em 27/01/2014.

Abiatar SPE Empreendimentos Imobiliários S.A. Ata de Assembleia Geral Extraordinária

Cromossomo Participações II S.A. FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL

CNPJ Nº 33.040.601/0001-87 - COMPANHIA ABERTA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA – EDITAL DE CONVOCAÇÃO FATO RELEVANTE Ficam convocados os senhores acionistas da Mercantil do Brasil Financeira S.A. - Crédito, Financiamento e Investimentos para a Assembleia Geral Extraordinária, a realizar-se no dia 06 de março de 2014, às 10:00 horas, na sede social, na Rua Rio de Janeiro, 654/680 - 5º andar, na sala de reuniões, em Belo Horizonte, Minas Gerais, a fim de discutir e deliberar a respeito da seguinte Proposta do Conselho de Administração, com parecer favorável do Conselho Fiscal: I) Homologação do Aumento de Capital Social deliberado pela Assembléia Geral Extraordinária de 02/12/2013, no valor de R$ 50.000.008,00 mediante subscrição particular de ações, com a emissão de 6.250.001 novas ações escriturais, sendo 3.532.609 ordinárias e 2.717.392 preferenciais; II) - Alteração do art. 5º do Estatuto Social para dispor sobre o aumento de capital. Todos os documentos relativos à pauta da Assembléia, exigidos a partir de 2010 pela Instrução CVM n. 481/09, estão disponíveis para consulta na Sede do Banco, bem como no sítio da Comissão de Valores Mobiliários (www.cvm.gov.br). Somente as ações ordinárias terão direito a voto. Para participar da Assembléia, os acionistas pessoas físicas deverão exibir documento de identificação pessoal, sendo que os representantes dos acionistas pessoas jurídicas deverão exibir os documentos que legitimem a representação, inclusive contrato social ou estatuto social. Os acionistas que detenham ações custodiadas na BMF&Bovespa, deverão exibir extrato de ações custodiadas atualizado. Conforme normas estatutárias, quando da representação do acionista por mandatário, o respectivo instrumento de procuração deve ser depositado, contra recibo, na Sede da Sociedade, até 05 (cinco) dias antes da data da Assembleia. Belo Horizonte, 27 de janeiro de 2014. MERCANTIL DO BRASIL FINANCEIRA S.A. CRÉDITO, FINANCIAMENTO E INVESTIMENTOS

pelo site www.licitacoes-e.com.br, pelos telefones: (15) 3224-5814 e 5815 ou pessoalmente na Av.

CNPJ/MF nº 13.487.195/0001-98 - NIRE 35.300.392.639

Processo n° 004/2014 - Tomada de Preços n° 001/2014 RERRATIFICAÇÃO AO EDITAL O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Pereira Barreto leva ao conhecimento de quem possa interessar, que o Processo supra epigrafado sofreu a seguinte rerratificação: a) O Item 5.2.3.2 do Edital passa a ter a seguinte redação: Comprovação de capacitação técnico-profissional, mediante a comprovação do licitante de possuir em seu quadro permanente, na data prevista para a entrega da proposta, profissional de nível técnico ou outro devidamente reconhecido por entidade competente, com capacidade técnica para a execução dos serviços objeto da licitação, ou com características semelhantes, inclusive com capacidade para os serviços de manutenção de grupo geradores e transformadores de alta tensão. b) Demais cláusulas e condições permanecem inalteradas. Pereira Barreto - SP, 29 de janeiro de 2014. José Carlos Fernandes - Diretor

FDE AVISA Tornando sem Efeito Fica sem efeito, na publicação do Diário do Comércio de 29-01-2014, o que diz respeito ao Pregão Eletrônico de Registro de Preços Nº 67/00020/13/05.

Yakult S.A. Indústria e Comércio

Cromossomo Participações III S.A.

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE PEREIRA BARRETO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

CNPJ nº 60.723.061/0001-09 - NIRE nº 35.3.0003245-4

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA Safere Sociedade Comercial de Administração de Bens Próprios Ltda. CNPJ N° 15.695.490/0001-65 - NIRE N° 35.226.661.457 Comunicado de Terceira Alteração Contratual RENATA MUNHOZ MEIRELLES, brasileira, advogada, casada, portadora da cédula de identidade RG n° 18.004.066-2 – SSP/SP e do CPF nº 030.165.318-60, residente e domiciliada nesta Capital à Rua Barão de Santa Eulália n° 126, apto 51, Bairro Real Parque, CEP 05685-090; FERNANDA LUNARDELLI MUNHOZ, brasileira, enfermeira, divorciada, portadora da cédula de identidade RG n° 23.434.049-6 – SSP/SP e do CPF nº 030.165.278-39, residente e domiciliada nesta Capital à Rua Massacá n° 325, apto 21, Bairro Alto de Pinheiros, CEP 05465-050; e SANDRA MUNHOZ ROW, brasileira, do lar, casada, portadora da cédula de identidade RG n° 22.433.703-8 – SSP/SP e do CPF nº 030.165.328-32, residente e domiciliada nos Estados Unidos da América à 2738 E Janelle Way, Gilbert, Arizona ZIP Code 85298, neste ato representada por sua procuradora ZAÍRA LUNARDELLI, brasileira, advogada, casada, portadora da cédula de identidade RG n° 5.342.011 – SSP/ SP e do CPF n° 014.303.238-09, residente e domiciliada nesta Capital na Rua Armando Petrella n° 431, apto 260, Torre 09, Bairro Cidade Jardim, CEP 05679-010. Únicas Sócias da Sociedade Empresária Limitada denominada SAFERE SOCIEDADE COMERCIAL DE ADMINISTRAÇÃO DE BENS PRÓPRIOS LTDA., com sede nesta Capital à Rua Jerônimo da Veiga n° 164 cj. 12-E, Jardim Europa, CEP 04536-000, com seus atos constitutivos devidamente registrados na Junta Comercial do Estado de São Paulo (JUCESP) sob n° 35.226.661.457 em sessão de 31/05/2012 e demais alterações, decidem em comum acordo, proceder a alteração contratual que segue, mediante as seguintes cláusulas: CLÁUSULA 1ª – Reduzir o Capital Social da sociedade de R$ 2.861.790,00 (Dois milhões, oitocentos e sessenta e um mil, setecentos e noventa reais) para R$ 242.710,00 (Duzentos e quarenta e dois mil, setecentos e dez reais) totalmente subscrito e integralizado em moeda corrente nacional e imóveis. PARÁGRAFO ÚNICO: As demais cláusulas e alterações contratuais serão elaboradas, redigidas e levadas para registro na Junta Comercial do Estado de São Paulo, com a presente publicação. São Paulo, 28 de Janeiro de 2014. RENATA MUNHOZ MEIRELLES; FERNANDA LUNARDELLI MUNHOZ; SANDRA MUNHOZ ROW (p.p. ZAÍRA LUNARDELLI).

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

1. Data, hora e local: No dia 9 de dezembro 2013, às 18 horas, na sede social da Cromossomo Participações II S.A., localizada na Cidade e Estado de São Paulo, na Rua Joaquim Floriano, nº 413, conj. 112, Parte, Itaim Bibi, CEP 04534-011 (“Companhia”). 2. Presença: Presente a totalidade dos membros do Conselho de administração, a saber: Srs. Alexandre de Araújo Abreu, Dulce Pugliese de Godoy Bueno e Pedro de Godoy Bueno. 3. Convocação: Foram dispensadas as formalidades de convocação em virtude da presença da totalidade dos membros do Conselho de Administração. 4. Mesa: Presidente: Sr. Pedro de Godoy Bueno; Secretário: Sr. Alexandre de Araújo Abreu. 5. Ordem do dia: Apreciar e deliberar sobre (i) a destituição e (ii) eleição dos membros da Diretoria da Companhia. 6. Deliberações: Após análise e discussão da matéria da ordem do dia, os conselheiros presentes decidiram, por unanimidade dos votos, aprovar: 6.1. A destituição do Sr. Roberto Figueiredo Mello, brasileiro, casado, advogado, portador da Cédula de Identidade RG nº 3.922.596-SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 532.755.358-20, do cargo de Diretor Presidente, e do Sr. Ariovaldo Pereira Ribeiro Neto, brasileiro, divorciado, administrador, portador da Cédula de Identidade RG nº 14.763.713-2-SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob nº 088.916.378-23, do cargo de Diretor, ambos residentes e domiciliados na Cidade e Estado de São Paulo, com endereço comercial na Rua Líbero Badaró, 293, 27º andar, conjunto D. 6.2. A eleição (a) para o cargo de Diretor Presidente, do Sr. Pedro de Godoy Bueno, brasileiro, solteiro, economista, portador da Cédula de Identidade RG nº 22.352.879-5, inscrito no CPF/MF sob nº 126.861.457-22, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com escritório na Rua Joaquim Floriano, nº 413, conj.112, Parte, Itaim Bibi, CEP 04534-011, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, para um mandato de 2 (dois) anos, e (b) para o cargo de Diretor, a Sra. Maiana Stephanes, brasileira, casada, economista, portadora da Cédula de Identidade RG nº 952.427 SSP-DF, inscrita no CPF/MF sob nº 149.298.358-60, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com escritório na Rua Joaquim Floriano, nº 413, conj. 112, Parte, Itaim Bibi, CEP 04534-011, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, para um mandato de 2 (dois) anos. Os membros da Diretoria ora eleitos serão investidos em seus cargos mediante assinatura dos respectivos termos de posse a serem lavrados em livro próprio e mediante entrega de declaração de desimpedimento, de acordo com os artigos 146 e 147 da Lei nº 6.404/76. 7. Encerramento: Como nada mais havia a ser tratado, os trabalhos foram suspensos pelo tempo necessário à lavratura da presente ata, a qual lida e posta em discussão, foi aprovada pela unanimidade dos conselheiros.Mesa: Sr.Pedro de Godoy Bueno (Presidente);e Sr.Alexandre de Araújo Abreu (Secretário).Conselheiros Presentes:Srs.Alexandre de Araújo Abreu, Dulce Pugliese de Godoy Bueno e Pedro de Godoy Bueno. Confere com o original lavrado em livro próprio. São Paulo, 9 de dezembro de 2013.Pedro de Godoy Bueno - Presidente; Alexandre de Araújo Abreu - Secretário. JUCESP nº 10.931/14-4 em 08/01/2014. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES – EBSERH

AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Pregão Eletrônico nº 31/2013 Processo nº 23000.013793/2013-55 A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares – EBSERH com sede na cidade de Brasília - DF, inscrita no CNPJ sob o nº 15.126.437/0001-43, torna público que realizará licitação, na modalidade de PREGÃO ELETRÔNICO SRP, sob o número 31/2014, do tipo MENOR PREÇO, cujo objeto é a aquisição de Produtos para Saúde. A abertura da sessão pública para a formulação dos lances está p prevista para ocorrer às 09:30 horas do dia 18/02/2014. A DISPONIBILIZAÇÃO DO EDITAL se dará a partir do dia 30/01/2014, nos sites www.comprasnet.gov.br ou www.ebserh.mec.gov.br ou no endereço: Setor Comercial Sul-B, Quadra 09, Lote C, Ed. Parque Cidade Corporate, Torre C, 1º andar – Brasília/DF – CEP 70.308-200. Brasília, 29 de janeiro de 2014 Walmir Gomes de Sousa Diretor Administrativo Financeiro

Dia, hora e local: Em 31 de dezembro de 2013, às 10:00 horas, na sede da Companhia, localizada na Rua Lemos Monteiro, nº 120, Butantã, São Paulo, SP, CEP 05.501-050. Convocação: Dispensada a publicação de Editais de Convocação, na forma do artigo 124, §4º da Lei nº 6.404/76. Presenças: Acionistas representando a totalidade do capital social, conforme assinaturas constantes no Livro de Presença de Acionistas. Mesa: Carla Gouveia Barreto, Presidente; Susan Barrio de Siqueira Campos, Secretária. Deliberações: 1) Aprovada a lavratura da presente Ata na forma sumária, conforme faculta o artigo 130, §1º da Lei nº 6.404/76. 2) Aprovada a alteração do objeto social da Companhia, de forma que o Artigo 2º do Estatuto Social passa a ter a seguinte redação: “Artigo 2º – A Companhia tem como objeto social a exploração no Brasil ou no exterior, direta ou indireta de a) incorporação imobiliária de terrenos; b) compra e venda de imóveis próprios; c) locação e ou leasing de bens próprios; d) administração de bens próprios; e) construção civil; f) desenvolvimento e exploração de shopping center; g) a incorporação, construção, benfeitoria, venda e/ou locação de imóveis, por si ou por terceiros; h) exploração de atividade de estacionamento; e i) exploração imobiliária, direta ou indireta, incluindo por intermédio de subsidiárias criadas pela sociedade ou por quaisquer das formas admitidas em Lei. Parágrafo Único – A Companhia poderá exercer as atividades de seu objeto social no País ou no exterior, seja diretamente ou através de subsidiárias, ou através de participação no capital de outras sociedades”. 3) Aprovado o aumento do capital social da Companhia em R$4.480.000,00 (quatro milhões, quatrocentos e oitenta mil reais), passando dos atuais R$38.517.762,79 (trinta e oito milhões, quinhentos e dezessete mil, setecentos e sessenta e dois reais e setenta e nove centavos) para R$42.997.762,79 (quarenta e dois milhões, novecentos e noventa e sete mil, setecentos e sessenta e dois reais e setenta e nove centavos), com a emissão de 4.480.000 (quatro milhões, quatrocentas e oitenta mil) ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal, conforme Boletim de Subscrição que integra a presente Ata como Anexo I, as quais foram totalmente subscritas e integralizadas pela Acionista Odebrecht Properties S.A., mediante a conferência da totalidade de crédito constante na conta de Adiantamentos para Futuro Aumento de Capital Social (AFAC). 4) Aprovada, em consequência da deliberação tomada no item 3 acima, a alteração do caput do Artigo 4º do Estatuto Social da Companhia, que passa a vigorar com a seguinte redação: “Artigo 4º – O capital social é de R$42.997.762,79 (quarenta e dois milhões, novecentos e noventa e sete mil, setecentos e sessenta e dois reais e setenta e nove centavos), dividido em 62.283.168 (sessenta e duas milhões, duzentas e oitenta e três mil, cento e sessenta e oito) ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal, totalmente subscritas e integralizadas”. Quorum das deliberações: Todas as deliberações foram aprovadas por unanimidade, sem reserva ou restrições. Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a Assembleia, lavrando-se a presente Ata que, após lida e aprovada, foi assinada por todos os presentes. São Paulo, 31 de dezembro de 2013. Mesa: Carla Gouveia Barreto, Presidente; Susan Barrio de Siqueira Campos, Secretária. Acionista: Odebrecht Properties S.A. Certifico e dou fé que essa Ata é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio. Susan Barrio de Siqueira Campos, Secretária. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o número 40.080/14-6 em 24.01.14. Gisela Simiema Ceschin, Secretária-Geral.

UNICRED BANDEIRANTE COOPERATIVA DE CRÉDITO DOS MÉDICOS E DEMAIS PROFISSIONAIS DA SAÚDE, PEQUENOS EMPRESÁRIOS, MICROEMPRESÁRIOS E MICROEMPREENDEDORES DAS MICRORREGIÕES DE AMERICANA, PIRACICABA E BOTUCATU - UNICRED BANDEIRANTE CNPJ nº 03.055.269/0001-63 - NIRE nº 35400055383 - OCESP nº 1933 EDITAL DE CONVOCAÇÃO PRÉ-ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA O Presidente do Conselho de Administração da COOPERATIVA DE CRÉDITO DOS MÉDICOS E DEMAIS PROFISSIONAIS DA SAÚDE, PEQUENOS EMPRESÁRIOS, MICROEMPRESÁRIOS E MICROEMPREENDEDORES DAS MICRORREGIÕES DE AMERICANA, PIRACICABA E BOTUCATU - UNICRED BANDEIRANTE, no uso das atribuições que lhe confere o Estatuto Social no artigo 28 do Estatuto Social, convoca os cooperados, que nesta data são em número de 10.196 (dez mil cento e noventa e seis), em condições de votar, para se reunirem em Pré-Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária, a realizar-se em 10 de fevereiro de 2014, no auditório da AMA Associação Médica de Americana, sito a Avenida Brasil, 1.390, Bairro Frezzarin, Americana/SP, para melhor acomodação física, às 17h00, com a presença de 2/3 (dois terços) dos cooperados, em primeira convocação; às 18h00, com a presença de metade mais um dos cooperados, em segunda convocação; ou às 19h00, com a presença de no mínimo 10 (dez) cooperados, em terceira e última convocação, para deliberar sobre os seguintes assuntos na ORDEM DO DIA: ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA 1. Prestação de contas relativas ao Exercício Social encerrado em 30/06/2013 e 31/12/2013, compre endendo: • Relatório da Gestão; • Demonstrações Contábeis, com os balanços dos dois semestres do exercício social findo, juntamente com o parecer dos Auditores Independentes e do Conselho Fiscal; • Demonstração das sobras apuradas; 2. Proposta de Aprovação das Contas do Exercício Anterior; 3. Proposta de Definição de Critério e Destinação das Sobras relativos ao exercício findo em 31/12/2013; 4. Proposta de Fixação de Honorários da Diretoria Executiva e das Cédulas de presença para os membros dos Conselhos de Administração e Fiscal; 5. Haverá eleição para o cargo de Conselho Fiscal e as inscrição serão realizadas de 10 de fevereiro a 24 de fevereiro de 2014. ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA 1. Proposta de regularização e ajuste do balanço da Cooperativa na rubrica ‘cota de capital a pagar’, ‘capital social’ e ‘reserva legal’, em razão do processo de incorporação deliberado na AGE de 4/12/2013, em análise perante o BACEN. Por fim, os cooperados tem o prazo de 5 (cinco) dias para impugnarem o presente edital. Americana, 29 de janeiro de 2014.

Dr. ARMANDO LAZZARIS FORNARI Presidente do Conselho de Administração


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A política agrícola do Japão não fortalece os agricultores – na verdade os enfraquece. Shigeaki Okamoto, produtor agrícola japonês

Em xeque, um ícone japonês. Fotos: Kentaro Takahashi/NYT

Alimento que se confunde com a própria sociedade japonesa, o arroz é produzido sob o apoio de subsídios e tarifas seculares. Agora, essa carapaça começa a ser quebrada. Hiroko Tabuchi *

urante décadas o Japão defendeu as taxas de 778% sobre o arroz com um zelo quase religioso. O arroz é um produto sagrado, argumenta o governo, e não está aberto à negociação. Os produtores não apenas defendem uma herança agrícola que é motivo de orgulho, mas que também compõe o centro espiritual da nação. Dificilmente, afirmou Hiromitsu Konsho, um jovem agricultor orgânico na região agrícola de Niigata. Muitos agricultores japoneses praticamente abriram mão de suas terras, afirmou. Eles conseguem a maior parte de sua renda em outros lugares, plantam apenas em meio período e não se esforçam para melhorar suas colheitas. Ainda assim, vivos graças aos subsídios, controles e tarifas, esses agricultores produzem um arroz medíocre ano após ano, afirmou. Agora, uma parcela considerável desse arroz não tem para onde ir, uma vez que os japoneses passaram a dar preferência ao pão. Em breve, o governo irá aumentar os subsídios para encorajar os agricultores a usarem o arroz como ração animal. Outras plantações mais empreendedoras enfrentam dificuldades para aumentar suas safras ou experimentar com formas de cultivo mais sustentáveis, medidas que ajudariam os produtores a competir no livre mercado. Konsho destaca que sua plantação, a Echigo Farm, é uma das raras iniciantes do Japão rural, cujo arroz orgânico é vendido em lojas de alta classe em locais como Tóquio e Singapura. No começo, ele enfrentou dificuldades, mas agora seu arroz é um sucesso, sendo vendido por até 5.500 ienes o quilo, quase dez vezes mais que o preço de mercado. "Esse é um bom momento para reavivar a produção agrícola no Japão", afirmou Konsho. A Echigo Farm quase não saiu do papel, dez anos atrás, quando Konsho chegou a Niigata depois de largar o trabalho em um escritório em Tóquio com a ideia de começar a plantar arroz orgânico. Os burocratas tentaram impedir a compra das propriedades e os agricultores locais jogavam pedras nas plantações e atiravam sal em Konsho, um insulto reservado apenas aos espíritos malignos.

D

"Aquelas plantações idílicas de arroz que as pessoas tinham como padrão são coisas do passado, pois o cultivo de arroz está acabado e não é por causa do livre mercado", afirmou ele. O debate recente em torno de quanto o Japão deveria abrir o setor agrícola para se unir a um grupo de livre comércio liderado pelos Estad o s U n i d o s , a Pa rc e r i a d o Trans-Pacífico, está causando conflitos no Japão, conflitos que colocam em questão a velha divisão entre campo e cidade. Um Japão cada vez mais urbano – e até mesmo alguns agricultores – começam a questionar o que exatamente essas tarifas estão protegendo. O Japão assinou apenas alguns acordos limitados d e l i v r e c omércio, graças a seu posicionamento rígido em relação às tarifas agrícolas. Os consumidores pagam mais de duas vezes a média global pelo arroz, e quatro vezes mais pelo trigo. A i n d a a ssim, o Japão não abre mão de suas tarifas agrícolas, afirmou o ministro do comércio do Japão, Akira Amari, nas últimas conversas sobre a Parceria do Trans-Pacífico (TPP, na sigla em inglês), em dezembro, cancelando o encontro nos 45 minutos do segundo tempo. A TPP, que envolve os EUA, o Japão e outros dez países banhados pelo Oceano Pacífico, criaria a maior zona de livre de comércio do mundo. Dezenas de milhares de pessoas correm o risco de perder seu sustento se as tarifas agrícolas forem canceladas, afirmam os críticos em um protesto recente contra a TPP, em Tóquio. "Como o governo irá proteger os pequenos agricultores espalhados pelo país?", questionou Kazumori Yamazaki, que planta arroz em Ishikawa no centro do Japão.

Arroz orgânico da Echigo Farm: sintonizado com os novos tempos, é melhor, mas, mais caro.

Shigeaki Okamoto (52), dono de uma plantação bem sucedida de frutas e legumes em Aichi, no centro do país, afirma que os agricultores japoneses são capazes de competir sem as tarifas. Ao contrário do arroz, os vegetais contam com impostos de importação que variam entre zero e 3%. Ainda assim, quatro quintos de todos os vegetais consumidos no Japão são produzidos no país. Produtores de vegetais ganham muito mais que os de arroz. Na verdade, as rígidas proteções japonesas já não têm mais muita relação com os agricultores, afirmou Okamoto. Na verdade, elas protegem a vasta rede de cooperativas que espanta agricultores e impede suas tentativas de inovar.

Protecionismo ou abertura comercial passam por esses dois pratos.

Essa rede, conforme Okamoto gosta de dizer, é uma burocracia descontrolada. Cerca de 216 mil pessoas trabalham em cooperativas agrícolas no Japão, sob o comando do Grupo Agrícola do Japão, ou JA. Existe um funcionário da cooperativa para cada dois rizicultores que trabalhem em tempo integral. O orçamento agrícola de 2,3 trilhões de ienes do governo central para este ano é sete vezes maior que o destinado para supervisionar os 99% restantes da economia japonesa. Boa parte desse dinheiro é destinado às cooperativas, encarregadas de administrar os controles de produção do arroz, além de sua venda e distribuição. Sob esse sistema, os agricultores recebem subsídios em troca de limitar a quantidade de arroz produzida, o que mantém os preços mais altos e viabiliza a produção de pequenos agricultores que trabalham em meio período. O rizicultor japonês passa em média apenas 30 dias por ano dedicados ao trabalho agrícola, e mais da metade dos produtores utiliza menos de um hectare de terra, de acordo com os últimos dados do censo. Economias de escala são algo impossível para os pequenos agricultores. Porém, isso é exatamente o que a JA quer, uma vez que a organização recebe uma comissão por cole-

tar e vender sua produção – algo que plantações maiores poderiam fazer por conta própria. A JA também ganha dinheiro com a venda de maquinário, fertilizantes e pesticidas necessários para que os pequenos rizicultores possam produzir em meio período. Além disso, a JA financia os agricultores japoneses, realizando depósitos, empréstimos e seguros, em um empreendimento que a transformou em uma das maiores instituições financeiras do Japão. O país poderia mudar para os subsídios de renda direta, como fizeram os EUA e a União Europeia, o que protegeria os agricultores da concorrência internacional, sem a necessidade de tarifas elevadas. Contudo, isso levaria a JA a perder boa parte de suas comissões e seu poder político. O surgimento de agricultores empreendedores como Konsho e Okamoto teria o mesmo efeito, uma vez que eles não contam com a JA para as vendas ou o fornecimento de equipamentos. Okamoto se nega a trabalhar com a JA para expandir suas atividades, que se concentram na produção de morangos, pois ele pode vendêlos de forma independente. "A política agrícola do Japão não fortalece os agricultores – ela os enfraquece ao ponto de falirem", afirmou. Entretanto, os maiores problemas se concentram no cul-

tivo do arroz, afirmou Okamoto. A maioria dos rizicultores japoneses não recebe incentivos para cultivar a qualidade de arroz que eles plantam, uma vez que a JA compra o arroz que produzem, independentemente da qualidade. Anos de negligência tornaram o arroz japonês não apenas mais caro, mas também de menor qualidade – e mais dependente de pesticidas e fertilizantes – do que a maior parte do arroz produzido nos EUA, no Sudeste Asiático ou na China, afirmam pessoas do setor. Kazuhito Yamashita, especialista agrícola do Instituto Canon de Estudos Globais, em Tóquio, afirmou que nas negociações da Parceria do TransPacífico o Japão poderia ser forçado a oferecer concessões de alguns produtos agrícolas aos americanos, tais como trigo e açúcar. O Japão poderia até mesmo expandir a pequena cota de arroz importado que aceita a cada ano para agradar os EUA e outros países produtores de arroz. "Contudo, o Japão nunca irá abrir seu mercado de arroz em um sentido real porque existem muitos interesses velados". Toyokazu Wakatsuki (47), um agricultor cuja família cultiva arroz há muitas gerações na cidade de Aga, estava entre os rizicultores que duvidavam da Echigo Farm. To d a v i a , a g o r a e l e a j u d a Konsho a gerenciá-la. "Estávamos cultivando arroz para a JA, não para o consumidor. Os rizicultores precisam começar a tomar iniciativas", afirmou Wakatsuki. * The New York Times


Diário do Comércio