Issuu on Google+

Troca de guarda: Brasil supera o Reino Unido.

De 16 feriados, 5 serão feriadões. Além das 'pontes', agenda nacional de feriados e pontos facultativos de 2012 tem sete datas em segundas ou sextas-feiras. Pág. 13

Jornal do empreendedor

Ano 87 - Nº 23.528

Conclusão: 23h30

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, terça-feira, 27 de dezembro de 2011

MAX.

A economia brasileira passou para o 6º lugar, atrás dos EUA, China, Japão, Alemanha e França. A notícia chega ao 'reinado' de Dilma pelo jornal inglês The Guardian. O ministro Mantega, porém, admite que serão necessários até 20 anos para que alcancemos um padrão de vida europeu. Pág. 13

A presidente já pôs os pés na água Dilma de férias na praia de Inema, Bahia. Pág. 7

Chico Ferreira/Luz

Papai Noel faz as contas e parte para as liquidações As consultas ao SCPC (vendas a prazo) tiveram alta de 1,9% entre 1º e 25 de dezembro em comparação com igual período de 2010. O resultado, nada extraordinário, confirma as previsões da ACSP. Nos shoppings, crescimento de 5,5% contra previsão de 6,5%. Pág. 11

Hora da troca, hora feliz. A cada 10 trocas de presentes de Natal, lojistas realizam até sete novas vendas. Pág. 11 L.C.Leite/Luz

Paulista: saem as renas, fica o palco.

De bom, este velhinho não tinha nada. Em Grapevine, capital do Natal no Texas, um homem vestido de Papai Noel matou 6 pessoas da sua família e depois se suicidou. Pág. 8

Congelamento à vista

Divulgação

Chico Ferreira/Luz

Governador se reúne hoje com a equipe econômica para avaliar as perspectivas para 2012. Ele ainda não definiu o valor do contingenciamento, mas a expectativa é de que seja próximo ao do ano passado, de R$ 1,5 bilhão. Pág. 6

O 15º Réveillon na Paulista deve reunir mais de dois milhões de pessoas na avenida símbolo de São Paulo para a queima de fogos (de 15 minutos) e grandes shows. Pág. 9

Sempre é data para um smartphone top HOJE

ISSN 1679-2688

23528

Muitas nuvens e chuva a qualquer hora. Máxima 25º C. Mínima 17º C.

AMANHÃ 9 771679 268008

Pancadas de chuva à tarde e à noite. Máxima 27º C. Mínima 17º C.

O bom de cada um dos quatro celulares campeões de vendas, entre eles o Milestone 3 (foto). Pág. 15. Informática


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

A verdade passará na Argentina, com ou sem mordaças, porque é da natureza humana lutar pela liberdade. Roberto Fendt

pinião

PAULO SAAB

JOVENS DEVEM PARTICIPAR MAIS

C

O

btida a independência das treze colônias que viriam a constituir-se nos futuros Estados Unidos da América, cogitouse oferecer a George Washington o título de rei do novo país. Sabedor da oferta, repeliu-a com firmeza, não aceitando qualquer benefício da nação que ajudara a construir. Não fez parte sequer do governo, retornando à atividade de produtor rural em sua fazenda. Para um homem do caráter de Washington não fazia qualquer sentido uma revolução – que havia livrado os colonos de um rei – para somente colocar em seu lugar um outro monarca. A grandeza dos Founding Fathers, os "pais fundadores" da república americana, manifestou-se de inúmeras maneiras em inúmeras ocasiões. Thomas Jefferson, o primeiro presidente dos EUA, embora tivesse dito que "os anúncios contêm as únicas verdades com que se pode contar em um jornal", afirmou também que "nossa liberdade depende da liberdade de imprensa, que não pode ser limitada sem que a percamos".

M

ais incisivo, em carta de 1787 a Edward Carrington, afirmou Jefferson que, "sendo a base de nossos governos a opinião do povo, o primeiro objetivo deveria ser mantê-la correta; e se competisse a mim decidir se deveríamos ter um governo sem jornais ou jornais sem um governo, não hesitaria um só momento em preferir a segunda opção". Lamentavelmente, não temos na América Latina em geral, e na vizinha Argentina em particular, governantes com o caráter de um Washington ou de um Jefferson. A presidente Cristina Kirchner acaba de levar a melhor em sua luta para suprimir a liberdade de

ROBERTO FENDT imprensa no país, abrindo caminho para eliminar a liberdade de expressão e para a supressão de todas as demais dimensões da liberdade.

E

ssa luta pela restrição à liberdade de expressão na Argentina vem de longe, e foi iniciada ainda no governo de seu falecido marido, Nestor Kirchner. Agora, com a aprovação pelo Senado argentino do projeto que declara de utilidade pública a fabricação de papel-jornal, o governo tem tudo para amordaçar a imprensa. Os atentados, contudo, não se restringiram ao papel de imprensa. Na semana passada, a empresa Cablevisión de TV a cabo do grupo Clarín foi invadida pela gendarmería, no melhor estilo do que ocorria na década de 1930, após a ascensão do nazismo na Alemanha. E não é somente o grupo Cla-

rín, opositor dos Kirchner, que paga pela sua independência e pelo direito – para não dizer o dever – de bem informar seus leitores. Também o grupo La Nación, que publica o jornal de mesmo nome, e é tão opositor do regime como o Clarín, foi "visitado" e autuado por agentes da Afip, a receita federal argentina.

É

compreensível a indignação dos jornais e outros veículos de comunicação de todo o mundo diante de tão flagrante arbítrio. Está em jogo o princípio fundamental de todo governo democrático, que se sustenta e deriva sua legitimidade da opinião dos governados. E essa opinião é grosseiramente distorcida na ausência do contraditório – na impossibilidade de cada um buscar as fontes de informação que julga mais verossímeis e confrontá-las com as versões oficiais.

A presidente Cristina Kirchner está levando a melhor, por ora, na luta para suprimir a liberdade de imprensa no país, abrindo caminho para eliminar a liberdade de expressão.

O legislativo e o executivo argentinos não necessitam restringir a liberdade de informar – exceto se tiverem muito a esconder. E a tentativa de amordaçar a imprensa livre pode sair pela culatra. A medida para controlar o acesso a papel de imprensa afeta apenas os jornais – por enquanto, já que também já se cogita controlar também os canais independentes de TV. Ocorre que o mundo contemporâneo tem outros canais de expressão, sendo a internet o principal deles. Como controlá-la, descentralizada que é, com milhões de "editores" e "colunistas" em outros tantos milhões de blogs? Quando as tentativas convencionais de fazer calar os jornais, as revistas, as TV e as rádios não impedirem os cidadãos de saber a verdade a respeito de seu governo, o que fará a senhora presidente? Transformará a sofrida Argentina em uma Coreia do Norte latino-americana, restringindo brutalmente o acesso à internet?

T

odas as tentativas de amordaçar a liberdade de expressão fracassaram porque, como disse Brecht na peça Galileu, Galilei, "da verdade passará o que fizermos passar". Nem na Rússia comunista foi possível calar um Aleksandr Solzhenitsyn ou tanto outros, que dispondo apenas de um mimeógrafo difundiam o que de fato se passava no país. A verdade passará na Argentina, com ou sem mordaças, porque é da natureza humana exigir a liberdade e lutar por ela. E o infeliz caminho escolhido pela senhora presidente ficará registrado na história argentina como mais uma aberração, infelizmente tão comum em nosso tão sofrido continente.

juventude brasileira, tendo conhecimento, formação, sobre como funciona o País, terá papel decisivo na construção de uma sociedade mais equilibrada, mais justa, que todos desejamos. Neste projeto, a iniciativa privada, por meio do Instituto da Cidadania Brasil, e o poder público, por intermédio da Secretaria de Participação e Parcerias da prefeitura de São Paulo, estão cumprindo sua vocação de criar oportunidades para que todos possam participar ativamente da vida de sua cidade, de seu estado, de seu País. DÊ SEU APOIO A ESSE MOVIMENTO A todos os eleitores, de todas as idades: entrem no site indicado abaixo (www.euquerorespeito.org.br) e apoie o manifesto para que o STF julgue os processos do "mensalão" antes que haja qualquer possibilidade de prescrição dos crimes. Difunda essa iniciativa junto aos seus amigos e familiares. E um feliz 2012 para todos!

A

PAULO SAAB É JORNALISTA E

ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cláudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

recisamos demonstrar aos jovens que é possível fazer política no sentido mais nobre da palavra, em que se busque o interesse da coletividade, com a aplicação do desejo da maioria, respeitando-se as minorias. Isso só é possível com a participação, com o interesse de todos em colaborar. Dando mais um passo, nessa direção, de mostrar aos jovens que o caminho é o da participação, seja na vida pública, seja nas atividades da vida pessoal, a partir deste mês de janeiro de 2012 a prefeitura de São Paulo, em parceria com o Instituto da Cidadania Brasil, estará realizando um curso a distância, gratuito, Liderança são Paulo para a Importância do Voto, destinado aos jovens interessados, para dar-lhes

P

formação mínima de entendimento do que é a vida política nacional. Sem nenhum caráter partidário, mas mostrando a importância do voto no regime republicano, o papel da representação política, dos próprios partidos, como participar do processo e o estado de Direito, o curso tem o objetivo de dar formação cívica aos jovens entre 15 e 18 anos, capacitando-os para melhor compreender e atuar com responsabilidade como eleitores e estimulá-los a serem, amanhã, participantes ativos da nossa democracia. A utilização do recurso do ensino a distância, via internet, democratiza também o acesso a todos e favorece os alunos que queiram realizá-lo de sua própria residência. Quem quiser se utilizar de equipamento público poderá fazê-lo através de onze Telecentros da Prefeitura.

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edi tor - Ch e fe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br) Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Darlene Delello, Eliana Haberli e Evelyn Schulke Repórteres: Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André de Almeida, Fátima Lourenço, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rafael Nardini, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente PL Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

ESCRITOR

Antonio Cruz/ABr

A MORDAÇA ARGENTINA

om a experiência proporcionada por dez anos de trabalhos realizados junto aos jovens estudantes de todo o Brasil, em projetos voltados para a educação e cidadania, o Instituto da Cidadania Brasil, organização de interesse da sociedade civil, tem hoje plena consciência de que somente com o interesse da juventude pelas coisas do País, o conhecimento de como este funciona e uma participação plena, por todos os meios possíveis, é que encontraremos o verdadeiro caminho do desenvolvimento social no Brasil. Vencer a resistência dos jovens para entender a política como uma atividade natural na vida de qualquer cidadão e cidadã é ainda um grande desafio. Os jovens enxergam – e assim a política aparece aos olhos da sociedade – como uma atividade pequena, mesquinha, em que cada um busca apenas a solução para seus interesses pessoais. Isso embora seja na atividade política, na arte de tornar possível o desejado, que se encontrem os caminhos, numa democracia como a nossa, para todos participarem e ajudarem a construir um grande país.

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

o

pinião

3

NO BRASIL, INTELIGÊNCIA É S U BS T IT U ÍD A PELO CULTO AOS TÍTULOS, CARGOS E HONRARIAS.

O

sr. Paulo Moreira Leite, que no exercício do jornalismo assumiu como sua particular missão e glória nunca entender nada, escreve que as reclamações contra a pletora de títulos universitários concedidos ao ex-presidente Luís Inácio da Silva refletem um preconceito, um pedantismo acadêmico que não se conforma em ver subir na vida um self made man cuja pobreza o impediu de adquirir educação escolar. Anos atrás dei ao sr. Moreira o apelido de sr. Moleira, por me parecer que a formação do seu aparato craniano tinha sido ainda mais incompleta que a educação do sr. Lula. Seu palpite de agora sugere que ela tenha mesmo retrocedido um pouco. Quem quer que conheça a história intelectual do nosso país sabe que é uma constante da sociedade brasileira o ódio à inteligência, misto de temor e despeito, e acompanhado, à guisa de compensação neurótica, pelo culto devoto aos títulos, cargos e honrarias exteriores que a substituem eficazmente em festividades acadêmicas e homenagens parlamentares. A mentalidade geral, já antiga e tão bem retratada por Lima Barreto, segue a das vizinhas fofoqueiras do Major Quaresma, que, ao ver pela janela a biblioteca daquele infausto patriota, comentavam: "Para que tanto livro, se ele não é nem bacharel?"

Q

ue, em contrapartida, faltem livros nas estantes dos bacharéis e doutores, onde abundam garrafas de uísque e fotos de viagens internacionais, é coisa que não ofende nem choca a alma nacional. O estudante universitário brasileiro lê em média menos de dois livros por ano, e nem por isso deixa de receber seu diplominha e tornar-se, no devido tempo, chefe de departamento, reitor ou ministro. Um amigo meu, nascido e criado no Morro da Rocinha, no Rio de Janeiro, confessava: "Sofri mais discriminação na favela,

Glórias acadêmicas lulianas por ler livros, do que aqui na cidade por ser preto". Todo mundo sabe que, neste país, para subir na carreira universitária não é preciso conhecimento nenhum, apenas ter as amizades certas e emitir, nos momentos decisivos, as opiniões políticas recomendáveis. Pessoas ilustres como o dr. Emir Sader, o ex-ministro da Educação, Fernando Haddad, o ex-reitor da UnB, Christovam Buarque, assim como inumeráveis outras cujos pensamentos e obras exaltei em O Imbecil Coletivo, já deram provas sobejas de que uma sólida incultura e uma inépcia pertinaz são não somente úteis mas indispensáveis ao sucesso acadêmico, desde que acompanhadas de uma carteirinha do PT ou documento equivalente. Se os títulos acadêmicos são tidos como valores absolutos em si mesmos, independentemente de quaisquer méritos intelectuais correspondentes, e se estes, por sua vez, nada valem se desacompanhados daqueles, a razão disso está nos profundos sentimentos democráticos do povo brasileiro. A inteligência e o talento são dons inatos, que a natureza ou a Providência distribuem desigual-

ça, dando aos incapazes e medíocres uma oportunidade de se sentir, ao menos em público e oficialmente, igualados aos maiores gênios criadores das artes, das letras, das ciências e da filosofia, se não mesmo aos santos da Igreja, aos anjos do céu e até à Segunda Pessoa da Santíssima Trindade, como é precisamente o caso do sr. Lula.

A

mente aos seres humanos, criando entre eles uma diferenciação hierárquica que, do ponto de vista dos mal dotados, é uma humilhação permanente, uma ofensa intolerável e um mecanismo de exclusão verdadeiramente fascista. Os títulos acadêmicos foram inventados para aplanar essa diferen-

o contrário do que diz o sr. Moleira, o que faltou a este último não foi a educação formal, foi justamente a educação informal, aquela que um trabalhador impedido de frequentar escola adquire em casa, em ônibus, em trens ou no metrô, lendo livros. O sr. Lula já expressou mais de uma vez sua invencível ojeriza a essa atividade dolorosa, na qual tantos escritores brasileiros, pobres como ele ou ainda mais pobres, adquiriram a única formação que tiveram. A diferença entre eles e o sr. Lula reside precisamente aí: eles conquistaram seus méritos intelectuais por seu próprio esforço solitário, sem a ajuda de professores,

do Estado ou de qualquer entidade que fosse, ao passo que o sr. Lula preferiu subir na vida sem precisar de méritos intelectuais ou morais nenhuns, contando apenas com a ajuda de algumas dezenas de organizações bilionárias – empresas, bancos, sindicatos, partidos – e o dinheiro do Mensalão. Isso não o torna nem um pouco diferente dos bacharéis e doutores, apenas mostra que ele levou à perfeição o sonho de todos eles: ostentar um punhado de títulos universitários sem precisar, para isso, ter estudado ou aprendido absolutamente nada exceto a arte sublime do alpinismo social. Quando cidadãos de nível universitário reclamam das glórias acadêmicas lulianas, não o fazem, como o imagina o sr. Moleira, por elitismo intelectual genuíno, que ao menos supõe algum amor ao conhecimento. Fazem-no por pura inveja do concorrente desleal que conquistou mais títulos sabendo ainda menos. Quem fala pela boca deles não é a inteligência humilhada pelo sucesso da ignorância: é o corporativis-

OLAVO DE CARVALHO mo do establishment acadêmico, que gostaria de reservar para si o monopólio da produção de analfabetos diplomados, sem dividi-lo com a mídia e os partidos políticos. O sr. Moleira imagina que se opõe a essas criaturas, mas na verdade expressa melhor que ninguém o sentimento delas todas, ao proclamar que os títulos acadêmicos de Lula devem ser motivo de orgulho nacional. Que maior motivo de orgulho existe, numa alma de brasileiro, senão o título enquanto tal, o título em si, o título sem nada dentro? OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA

Respostas simples para perguntas simples

H

á um quê de ingenuidade na movimentação pública em torno do tema da corrupção no Brasil. Cidadãos indignados com o desperdício e o mau uso do dinheiro público (aquele não necessariamente relacionado com a corrupção propriamente dita) exigem providências. O enredo é antigo: quem não se lembra da eleição de Fernando Collor de Mello, o "caçador de marajás" que iria prender os ladrões do erário e acabar com os abusos das autoridades e com os privilégios de funcionários fantasmas e salários abusivos? Se a história é a mesma e já dura, num cálculo cauteloso, perto de 30 anos, é mais do que evidente a necessidade de rever também o eventual remédio para a doença brasileira da má utilização do orçamento dos governos. A população parece saber as perguntas oportunas, mas está certamente confusa ou equivocada quanto às respostas aos problemas. Os formadores de opinião organizam-se em manifestos e protestos por meio da mídia e das redes sociais, exigindo medidas que combatam e punam os abusos com um dinheiro que é de todos.

s soluções propostas, no entanto, são sempre as mesmas, girando em torno de modificações na legislação penal (de forma a punir com mais rigor, ou mesmo com qualquer rigor, políticos e servidores que se apropriem de verba pública) e maior "controle estatal" sobre os gastos, no tom habitualmente moralista, tecnocrático e algo utópico que costuma permear discussões nesse sentido. Há um sentimento generalizado de indignação: sabe-se que bilhões

de reais vão todos os anos para o ralo ou para o bolso de desonestos engravatados. Por que é tão fácil roubar esse dinheiro? Por que é tão costumeiro desperdiçar o que é da sociedade e está sob a posse dos governos? E, especialmente, por que simplesmente clamar pelas mesmas saídas de sempre está longe de minimizar a tragédia, como essas décadas passadas de corrupção e desperdício – bem como de protestos moralizantes – demonstraram até hoje? Em primeiro lugar, é

preciso compreender que ambas as respostas habituais para o problema contêm falhas em sua essência, o que talvez explique por que até agora não surtiram qualquer efeito. amos separar todas as medidas propostas em dois grandes grupos correspondentes àquelas respostas: o grupo das propostas jurídicas e o grupo das propostas burocráticas. As propostas jurídicas, por mais moralmente oportunas que

V

PAULO DINIZ ZAMBONI possam parecer, esbarram num obstáculo impeditivo de peso: não é possível esperar que corruptos sejam responsabilizados com rigor (e com cadeia) por seus atos enquanto todo o ambiente jurídico brasileiro aponta na direção contrária.

Ou seja: leis mais duras contra eles esbarram nos mesmos problemas de outras leis também duras contra assassinos, traficantes, estupradores etc. Há possibilidades quase inesgotáveis de recursos e subterfúgios contidos na própria legislação para evitar que

Antonio Cruz/ABr

os culpados paguem efetivamente pelos seus erros. Prisão? Só em último caso, transitada em julgado, provavelmente impossibilitada por perda de prazo ou prescrição deste. Votar, simplesmente, leis mais duras para os assaltantes do dinheiro público sem recrudescer, também, o restante da lei penal, só ocasionará mais processos inúteis, postergados eternamente e frustrantes para a sociedade. As propostas burocráticas, por seu lado, incorrem em erro evidente de princípio. Consideram ser possível corrigir um erro potencializando sua causa. O fato é que há muito poder e muito dinheiro nas mãos do verdadeiro topo da pirâmide brasileira da desigualdade: os políticos e a elite burocrática. entar diminuir a corrupção dando ainda mais poder a quem, em último caso, pode estar direta ou indiretamente envolvido com o problema, vai na melhor das hipóteses causar uma outra situação igualmente nociva para o restante dos brasileiros. Ao gastar tanto em dinheiro para controlar e evitar a corrupção e o desvio, quanto seria o total eventualmente economizado com o combate à corrupção e ao desvio? Qual seria o limite desse controle? Destinar um funcionário vigilante para cada outro funcionário lotado? Um corregedor vigilante para cada político eleito? Quanto custaria esse exército de fiscalização? E quem vigiaria os vigilantes?

T

A

Na foto, de 2007, pilha de processos contra acusados de fazer parte do esquema do mensalão: dificuldade de punição

PAULO ZAMBONI É FORMADO EM HISTÓRIA E COM INTERESSE POR ASSUNTOS MILITARES, EM ESPECIAL A SEGUNDA GUERRA MUNDIAL. PUBLICADO POR WWW.MIDIAAMAIS.COM.BR


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Solução

T A L U A B C A M A R D E C MU S C A

J V C U V OR A D OR L R O LA C L T A I R A L E S T E M L T I R A L I O A MA C MP A O A A P E L A R E L N A S A I X E L A B O E S E T OS S E R AB E S I M

4 -.GERAL

Por: José Nassif Neto Rejeita.

Medida de potencial elétrico.

Variedade de milho indiano.

Aquele que come com voracidade.

Língua falada no Império Romano.

Pequena pomba. Fantasma. (fig.)

O segundo elemento de uma série.

Ter como verdadeiro. Irmã do pai em relação ao filho.

'Ela', em espanhol. Ponto cardeal lá nasce o sol. Shopping.

Penalidade por uma infração.

Relação moléculagrama.

Exprime surpresa. Montgome'Gato', ry é a capiem inglês. tal deste Estado.

Criada de dama nobre; aia.

O (?), indivíduo em evidência. 3ª pess. do singular.

Peça que cobre aparelho sanitário.

Produto para aderir.

(?) Paula Arósio, atriz.

Conjunto de conhecimentos. Invocar socorro. 'Porca', em alemão.

'Menos', em inglês.

Utensílios para serviço de mesa.

Indica exclusão.

Sobra de comida. A mais baixa graduação militar. Língua falada em países muçulmanos.

Símbolo de oxigênio. (quím.)

Silício, símbolo químico.

Expulsão brusca de ar dos pulmões. Exprime consentimento; afirmação.

(380) 3-cat; sau (Säue vulgarmente: porcalhão, porcalhona); 4-mall; less; ella; volt; juar; 5-árabe.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

5 NOVELA Campinas tem novo prefeito. Mas pode haver novas emoções até o final.

olítica

ALTA TENSÃO A crise do Judiciário gerou grandes atritos. A OAB quer pôr panos quentes.

Bernardo Coelho/Frame/AE

O vereador e presidente da Câmara Municipal de Campinas Pedro Serafim, do PDT, tomou posse ontem, pela segunda vez no ano, no cargo de prefeito. O TRE realizará eleição indireta em 90 dias.

Campinas troca de prefeito pela 5ª vez O presidente da Câmara assumiu ontem interinamente o cargo, até a escolha de novo nome pela Câmara de Vereadores. O TRE definirá como será feita a eleição.

90

OAB pede Judiciário sem paixões Alan Marques/Folhapress -– 23/8/2011

Wilson Pedrosa/AE – 19/12/2011

Sergio Lima/Folhapress – 23/9/2010

A

Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) divulgou ontem nota oficial para pedir que os envolvidos na crise do Judiciário "afastem as paixões corporativas" e "limitem o debate às questões institucionais". A crise teve início na segunda-feira, dia 19/12, quando o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco Aurélio Mello concedeu liminar para impedir que o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) investigue juízes antes que os tribunais onde eles atuam analisem sua conduta – o que, na prática, suspendeu todas as apurações abertas por iniciativa do CNJ. A decisão deve ser levada a plenário na primeira sessão do ano que vem, no início de fevereiro, para que seus colegas avaliem o tema. Na nota divulgada hoje, a diretoria do Conselho Federal da OAB voltou a defender o poder de investigação do conselho. "O CNJ não é mera instância recursal às decisões das corregedorias regionais de Justiça, sendo

Ophir faz apelo ao Judiciário

Peluso negou pedido da AGU

Mello: o início da crise.

clara a sua competência concorrente com a dos tribunais para apuração de infrações disciplinares", diz o presidente da OAB, Ophir Cavalcante, no texto. Sobre a polêmica envolvendo associações de juízes e a corregedora do CNJ Eliana Calmon, a OAB afirma que ela não pode servir para desviar o foco do assunto. "Nenhuma autoridade está imune à verificação da correção de seus atos, daí porque é fundamental que para além de preservar a competência concorrente do CNJ para apurar desvios éticos, em

respeito ao cidadão brasileiro, sejam apurados todos e quaisquer recebimentos de valores por parte de magistrados." Na mesma segunda-feira (19/12), o ministro Ricardo Lewandowski também suspendeu apuração sobre a folha de pagamento de servidores do Judiciário em 22 tribunais. O CNJ averiguava movimentações financeiras atípicas. As decisões criaram uma crise que abalou a cúpula do Judiciário e trouxe novamente à tona a discussão sobre a transparência da Justiça brasileira.

As liminares atenderam a pedidos feitos por três associações de juízes. Elas afirmam que o CNJ atuava de forma inconstitucional. As mesmas associações entraram durante a semana com um pedido para que a Procuradoria-Geral da República investigue Eliana Calmon. O mais recente ato da crise foi a decisão do presidente do STF Cezar Peluso, no sábado, de negar pedido feito pela Advocacia-Geral da União (AGU) para que fosse suspensa decisão liminar sobre o poder de investigação do CNJ. (Agências)

Barbalho toma posse, mesmo no recesso.

O

político paraense Jader Barbalho (PMDB) voltará a assumir uma vaga no Senado nesta quarta-feira, apesar do recesso parlamentar, após uma ampla batalha judicial que acabou livrando-o dos efeitos da Lei da Ficha Limpa, com a decisão do Supremo Tribunal Federal de derrubar a validade dessa lei para as eleições de 2010. Por causa do recesso, apenas a Comissão Diretora, formada por integrantes da Mesa, presidida por José Sarney (PMDB-AP), comparecerá à cerimônia de posse. "Não estamos fazendo um julgamento do caso, mas cumprindo aquilo que foi determinado [pelo STF], a exemplo dos dois casos anteriores", disse Cícero Lucena, primeiro secretário da Mesa. Na terça-feira passada, a Mesa do Senado havia escolhido o senador João Vicente Claudino (PTB-PI) para elabo-

Tarso Sarraf/AE – 15/12/2011

P

ela segunda vez neste uma Comissão Processante da ano, o vereador Pedro Câmara. Ela justificou que o Serafim (PDT), que petista não tomou providênera presidente da Câ- cias quanto às supostas irregumara Municipal, tomou posse laridades na Sanasa nas sete ontem como prefeito interino vezes em que ocupou a função de Campinas, até que seja es- de prefeito na ausência do encolhido, por eleições indiretas, tão chefe do Executivo, Hélio um novo chefe do Executivo de Oliveira Santos (PDT). municipal, que cumprirá manO relatório final da Comissão dato-tampão até 31 de dezem- Processante ficou com oito vobro de 2012. Nas duas oportu- lumes, num total de 1.440 páginidades, Serafim substituiu o nas. Começou a ser lido às 9h53 prefeito Demétrio Vilagra do dia 20 de dezembro e a ses(PT). A primeira foi em outu- são de cassação durou, ao todo, bro, com o afastamento provi- 33 horas ininterruptas. sório de Vilagra, e desta vez peO vice-prefeito foi denunla cassação, aprovada pela Câ- ciado pelo Ministério Público mara, na ultima quinta-feira como integrante de uma qua(22/12) por 29 votos a 4. Essa drilha que tinha como chefe a foi a quinta troca no comando ex-primeira dama, Rosely da administração de Campi- Nassim Jorge Santos. Ele é acunas nos últimos oito meses. E o sado de fraude em nove conpetista foi o setratos da Sanagundo prefeito sa. Demétrio da cidade caschegou a ficar sado em quapreso por 22 tro meses. horas, em "Vamos admaio, após seu ministrar com dias é o prazo máximo retorno das fére sp on sa bi lir i a s n a E s p apara a eleição dade e transnha, devido às indireta, pela Câmara denúncias. parência", disse Serafim em Vilagra disse Municipal, de um solenidade ontem que se novo prefeito, com simples e cursente "indignamandato-tampão até do" e que a Câta, mas que lotou a sala conmara cometeu dezembro de 2012. tígua ao Gabiuma injustiça. nete do PrefeiA defesa dele já to, no 4º andar afirmou que vai do Palácio dos recorrer da deJequitibás. cisão dos vereaDuas horas andores, que conVamos tes, Serafim sidera ilegal. transmitira o Pedro Seraadministrar cargo de presifim (PDT) deCampinas verá ficar no d e n t e d a C âcom cargo pelos mara para o responsabilidade próximos 90 vereador Thiae transparência dias. De acordo go Ferrari, do PTB. PEDRO SERAFIM com a Justiça Eleitoral, o noVilagra era o vo prefeito será v i c e - p re f e i t o da cidade quando assumiu a escolhido por eleição indireta prefeitura em agosto, após a com o voto dos 33 vereadores. A Câmara Municipal de cassação do prefeito Hélio de Oliveira Santos (PDT), acusado Campinas precisa aguardar rede omissão e negligência a par- solução do Tribunal Regional tir de denuncias do Grupo de Eleitoral de São Paulo, para enAtuação Especial de Combate tão definir os detalhes da eleiao Crime Organizado (Gaeco) e ção indireta, que deve ocorrer do Ministério Publico sobre um em um prazo de até 90 dias. Não está definido quem poesquema de corrupção, com desvio de dinheiro e seleção derá concorrer. Uma possibiliprivilegiada de empresas ter- dade é que qualquer pessoa ceirizadas pela Sociedade de elegível (filiada a um partido e Abastecimento de Água e Sa- com pelo menos 21 anos, por exemplo) possa se candidatar. neamento S/A (Sanasa). Falta de decoro – Vilagra foi Outra é cada legenda indicar cassado por falta de decoro por um representante. (Agências)

Jader Barbalho comemorou ao receber a notícia sobre a decisão do STF

rar relatório sobre o processo de posse de Barbalho. O parlamentar usou como base o ofício do TRE-PA, no qual consta a informação de que o paraense teve 1.799.762 votos, do total de 4.483.459 votos válidos registrados nas eleições de 2010. Barbalho recebeu votos suficientes para ser eleito em 2010,

mas foi barrado pela Lei da Ficha Limpa. O STF, no entanto, considerou a lei inaplicável nas eleições do ano passado, abrindo caminho para sua posse. A decisão final sobre Jader Barbalho só foi tomada pelo STF no dia 14 de dezembro. O julgamento de seu recurso contra a Ficha Limpa foi inicia-

do em novembro, mas estava empatado em 5 a 5. O impasse foi desfeito pelo ministro Cezar Peluso, que usou o chamado "voto de qualidade", que permite ao presidente desempatar uma disputa. PMDB cresce – Com a posse, o PMDB, que já tem o maior número de representantes na Casa, alarga sua bancada, passando a 18 senadores. A segunda maior bancada é a do PT, com 13 senadores. Com isso, a senadora Marinor Brito (PSol-PA), a quarta colocada na eleição, terá de deixar o cargo. Na quarta-feira passada, Marinor fez seu último pronunciamento na tribuna do Senado e disse que continuará "firme na luta pela ética e pela justiça". "Por um lado, tenho o sentimento claro de dever cumprido; por outro, não posso deixar de registrar meu sentimento de indignação", declarou. (Agências)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Nós só vamos lá cortar a fita Governador Geraldo Alckmin, sobre a concessão da asa leste do Rodoanel.

olítica

Crise pode levar Alckmin a congelar gastos em 2012

O

governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, deverá se reunir hoje com o núcleo econômico do Palácio dos Bandeirantes para avaliar as perspectivas de gastos, economias e investimentos para 2012. Na pauta, entre outros temas, será abordada a perspectiva de um contingenciamento de recursos do orçamento do Estado para o ano que vem, estimado em R$ 156,6 bilhões. O governador ainda não definiu o valor do congelamento, mas a expectativa de integrantes do núcleo econômico é de que ele seja similar ao do ano passado, da ordem de R$ 1,5 bilhão. "Os investimentos para 2012 devem ser menos afetados do que foram em 2011", antecipou um dos membros do governo estadual. No início do ano, do total de recursos congelados, R$ 1,259 bilhão eram voltados a investimentos. Cort es – Alckmin já havia pedido ao secretariado um cronograma de cortes em gastos em abril de 2011. Em um cenário de crise mundial, que já afeta a economia brasileira, a preocupação é de que a arrecadação governamental seja atingida, prejudicando sobre-

tudo a capacidade de investimento da máquina pública em 2012, justamente em ano de disputa municipal. Reeleição – Além desse eventual ajuste fiscal, o governador informou na semana passada, durante reunião com sua equipe de governo, que pretende deixar de gastar cerca de R$ 2,7 bilhões em custeio até o final de sua atual administração. Para o ano que vem, a economia deverá bater em torno de R$ 900 milhões. O corte de gastos com água, energia, telefonia, combustíveis, entre outros, tem como objetivo assegurar a capacidade de investimento do governo estadual até 2014, ano da Copa do Mundo e em que o tucano deverá disputar a reeleição ao Palácio dos Bandeirantes. Com o cronograma de cortes em gastos de custeio delineado para os próximos anos de sua gestão, Alckmin pretende estabelecer uma meta inicial de economia entre R$ 1 bilhão e R$ 1,2 bilhão. Esse dinheiro será aplicado, especialmente, no campo social, em mais uma tentativa do governador de recuperar espaço em uma área considerada uma das principais vitrines eleitorais do PT. (AE)

Ideli e Vaccarezza: curto-circuito.

A

pesar das vitórias no Congresso, a presidente Dilma Rousseff está preocupada com um curto-circuito na linha de transmissão entre o Planalto e a articulação política. No governo, já detectaram que é muito delicado o clima entre a ministra de Relações Institucionais Ideli Salvati e o líder do governo na Câmara Cândido Vaccarezza (PT-SP). Tornou-se cada vez mais usual o líder do governo e a ministra ficarem em lados opostos em votações de interesse do Palácio do Planalto. Lideranças de partidos alia-

dos garantem que os dois têm uma relação estritamente formal, o que rendeu momentos de tensão ao longo do primeiro ano do governo Dilma. Enquanto isso, o líder do PT na Câmara, deputado Paulo Teixeira (SP), ganhou relevância e, aos poucos, assumiu papel de destaque na interlocução entre Câmara e o Palácio do Planalto. A aposta agora é que Vaccarezza acabe substituído pela presidente na reforma ministerial do início de 2012. Antes considerado o patinho feio do PT, Teixeira é hoje o mais cotado para assumir o cargo. (AE)

O valor do contingenciamento de recursos poderá ser definido hoje, quando o governador deverá se reunir com o núcleo econômico do Palácio dos Bandeirantes. A expectativa é de que fique em torno de R$ 1,5 bilhão, similar ao corte feito no ano passado.

Cada secretaria de Estado, empresa ou fundação estatal já designou o seu guardião da economia. GERALDO ALCKMIN

Fotos: Chico Ferreira/Luz – 12/12/2011

As palavras de ordem do governador Geraldo Alckmin quer apertar o cinto no custeio e ampliar os investimentos em infraestrutura Mário Tonocchi

A

pertar o cinto no custeio e ampliar os investimentos na infraestrutura. Estas são as palavras de ordem do governo Geraldo Alckmin (PSDB) para os próximos três anos. "É um trabalho permanente. A gente está fazendo todo dia um ajuste, melhorando a eficiência e a competitividade. A busca é o quanto nós podemos fazer mais, melhor e com menos dinheiro. Estamos fazendo um esforço, área por área, no sentido de melhorar essa eficiência", disse o governador na Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Em meados de dezembro, ele ministrou a palestra "Administração do Estado de São Paulo" para os membros do Conselho Político e Social (Cops), da Associação Comercial. De acordo com Alckmin, para o crescimento do estado, é fundamental a associação do governo com empreendedores. "Mas nós devemos ser prómercado, não pró-empresa", afirmou, citando como exemplo a concorrência para a construção do Rodoanel. "Na asa leste, com concessão, a empresa deu 63% de desconto no pedágio. E teve que pagar R$ 381 milhões para ganhar a concorrência onerosa", contou. "E ainda terá que desapropriar todas as áreas, pagar todos, pagar as compensações ambientais, que em São Paulo são caríssimas, e executar toda a obra. Nós só vamos lá cortar a fita", disse o governador. "E mesmo com tudo isso, a empresa vai ganhar dinheiro."

Alckmin e Rogério Amato, presidente da ACSP: um ajuste por dia.

Regras rígidas – Para ampliar os investimentos, o governo de São Paulo entra em 2012 com regras rígidas de controle de gastos. "Cada secretaria, empresa, fundação já designou o seu guardião da economia", revelou. "Vamos economizar no ano que vem R$ 900 milhões no custeio", afirmou o governador. Nos próximos três anos de governo, os investimentos devem somar pelo menos R$ 22 bilhões entre o governo e as estatais a cada ano. "E para se somar a isso temos agora as Parcerias Público-Privadas (PPPs) tão bem dirigidas pelo

nosso vice-governador Guilherme Afif Domingos", afirmou. Para o ano que vem, os investimentos já orçados chegam a R$ 25 bilhões, somandose os R$ 22 bilhões mais R$ 3 bilhões vinculados às PPPs. Além disso, estão firmados investimentos com financiamentos de R$ 12 bilhões ao longo dos próximos quatro anos. MI P – O estado também criou ferramentas para chamar a atenção dos empresários para o investimento. "Nós lançamos o MIP, que é a Manifestação de Interesse da Iniciativa Privada", contou. "Quando o estado for fazer PPP, por exem-

plo, no Metrô, trem expresso, piscinões, presídios, hospitais, estradas, saneamento básico, vamos abrir para o setor privado e quem tiver um projeto de PPP que apresente", disse. "Aprovado pelo Conselho Gestor das PPP, você já desenrola o projeto, mas temos que licitar. Se você ganhar, toca o barco. Se perder, quem ganhou o indeniza, pagando o estudo que você fez", afirmou o governador. Segundo ele, o estado ainda tem uma margem de R$ 25 bilhões para fazer parcerias público-privadas. Os ajustes de São Paulo são realizados ao longo do tempo, desde o governo Mário Covas. De acordo com Alckmin, a Lei de Responsabilidade Fiscal diz que a relação entre a receita corrente líquida e a divida sobre a receita corrente líquida não pode ultrapassar dois. Se um estado tem uma receita de R$ 100 bilhões, a dívida não pode passar de R$ 200 milhões. "A lei dá até 2015 para todos os estados chegarem aos dois. Nós chegamos em 2005, dez anos antes, ainda em franca queda. Hoje a relação é 1,4 e caindo. Isso possibilitou em novembro de 2001 assinarmos com o governo federal o Programa de Ajuste Fiscal, que possibilitou mais R$ 7 bilhões de financiamento para a infraestrutura", informou. Alckmin ainda não definiu quanto. mas o governo deve fazer novo contingenciamento no orçamento aprovado pela Assembleia para o próximo ano, de R$ 156,6 bilhões. No início deste ano quando a economia brasileira mantinha-se aquecida, o governo paulista congelou R$ 1,5 bilhão.


p REFORMA AGRÁRIA Presente para 2.739 famílias

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Quem diz que ano eleitoral não compromete o Legislativo desconhece o passado Senador José Agripino Maia (DEM-RN)

olítica

U

m dia depois do Natal, o governo federal publicou 48 decretos de desapropriação de terra para fins de reforma agrária. No total, são 60 fazendas em 13 estados, somando uma área de 112,8 mil hectares para assentamento de 2.739 famílias sem-terra. A avaliação para as desapropriações e assentamentos foi feita ao longo do ano pelo ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). A formatação dos 48 decretos está baseada em três critérios básicos. O primeiro prevê que o valor das fazendas a serem

desapropriadas obedeçam a uma média histórica dentro da área onde estão situadas. O segundo define que cada área tenha capacidade de assentar um mínimo de 15 famílias. E o terceiro critério trata da localização. As áreas têm de estar próximas de estradas e em locais de fácil ingresso de políticas públicas para benefício das famílias assentadas. Os estados de Minas Gerais, da Bahia, do Ceará e do Maranhão estão entre os que mais concentram imóveis rurais para desapropriação. De acordo com informações do MDA, a partir da publicação dos decretos, o primeiro passo é a procuradoria do Incra requerer à Justiça Federal o ajuizamento. (ABr)

Luiz Alves/Ag. Senado – 21/11/2011

Geraldo Magela/Ag. Senado – 10/5/2011

7

Apu Gomes/Folhapress

Dilma Rousseff, após desembarcar na base da Marinha, em Aratu, na Bahia, aproveita o dia para passear tranquilamente pela praia de Inema.

Dilma está de férias. Na Bahia. Antes de trocar os despachos em Brasília pelo mar, reafirmou seu compromisso de erradicar a miséria.

A

presidente Dilma Rousseff chegou ontem à tarde na base da Marinha, em Aratu, distante 42 quilômetros de Salvador, na Bahia. A previsão é que ela permaneça no local, que fica na praia de Inema, até os dias 4 ou 5 de janeiro, embora o seu período de férias vá até o dia 10. As férias de Dilma na base militar podem custar ao menos R$ 650 mil aos cofres públicos. O valor é referente à reforma, compra de equipamentos ele-

trônicos e móveis para a casa. Esta é a primeira vez que Dilma escolhe o local para descansar como presidente. Ontem, no final da tarde, ela foi à praia com a filha, Paula. Dilma usava um maiô, chapéu e óculos escuros. A mãe, Dilma Jane; o neto, Gabriel, o genro, Rafael Covolo, o ex-marido Carlos Araújo e uma tia também passam férias com Dilma. Depois de eleita, em 2010, Dilma também escolheu a Bahia para descansar e foi para

Brasil terá novo emissário para o Oriente Médio

O Raupp: assuntos espinhosos.

Dornelles: Pré-sal vai dominar.

O que a Câmara deverá votar depois do recesso

O

primeiro projeto previsto para votação na Câmara, depois do recesso parlamentar, será o que cria o Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos Federais (Funpresp). A proposta deverá ser analisada ainda em fevereiro, quando os deputados voltam. O Funpresp estabelece novas regras para as aposentadorias dos servidores. O valor máximo será o teto pago pela Previdência Social aos trabalhadores celetistas, que hoje é R$ 3,6 mil. Para ter direito a um benefício maior, o servidor deverá aderir ao fundo. As novas regras, no entanto, só serão válidas para aqueles que ingressarem no serviço público depois da sanção e entrada em vigor da nova lei. Código Florestal – O novo Código Florestal também é considerado prioridade entre as votações no Congresso. A Câmara aprovou, em maio, o texto-base do novo Código, que regulamenta as áreas de proteção e preservação ambiental, impõe deveres aos produtores rurais em relação às áreas de mata das propriedades e define punições para os desmatadores. Como o projeto sofreu alterações no Senado, retornou à Câmara para apreciação final. "É um assunto que vai render muito e que deveria ter sido aprovado ainda em 2011", disse o presidente do PMDB, senador Valdir Raupp (RO). Ele avalia ainda que outra

proposta já apreciada pelo Senado e que aguarda conclusão da votação pelos deputados é a que trata da distribuição dos royalties da exploração do petróleo da camada pré-sal. "Isso vai dar muito problema", assegurou Raupp. Ano eleitoral – A matéria aprovada pela Câmara previa a distribuição dos recursos entre estados e municípios produtores e não produtores com base nos fundos de Participação dos Estados (FPE) e Municípios (FPM). Com a nova distribuição, estados produtores, como o Rio de Janeiro e o Espírito Santo, perderiam recursos. Como o Senado alterou a matéria, o texto retornou para a Câmara. Para Raupp, em ano eleitoral, "é inviável" aprovar esse tipo de matéria. "O impasse causado pelo Rio e Espírito Santo foi pior para eles, que deveriam ter aprovado a distribuição sugerida inicialmente." O senador Francisco Dornelles (PP-RJ) acredita que as definições dos novos critérios de distribuição do Fundo de Participação dos Estados e Municípios deverão tomar conta dos debates no primeiro semestre de 2012. Já o presidente do Democratas, senador José Agripino Maia (RN) destacou que os trabalhos legislativos em qualquer ano eleitoral fatalmente ficam prejudicados. "Quem diz que não compromete desconhece o passado", afirmou o senador. (ABr)

embaixador Césario Melantonio Neto assume, a partir de janeiro, a função de emissário especial do Brasil para o Oriente Médio, a Turquia e o Irã. Pela frente, o diplomata, com mais de 40 anos de profissão, prevê ainda um longo período de tensão na região, aliado às articulações para evitar o agravamento da violência. Segundo o embaixador, o desafio do Brasil será o de manter a posição não intervencionista e a defesa do diálogo, como alternativa de negociação. Nos últimos dias, ainda como embaixador brasileiro no Cairo, Melantonio Neto esteve às voltas com as eleições

parlamentares no Egito e as negociações para encerrar o impasse na Síria. O embaixador lembrou ainda que a sua função não é nova. No passado, foi desempenhada pelo embaixador Afonso de Ouro Preto, já aposentado. Melantonio Neto atribui sua escolha aos dez anos com os quais vem convivendo com a cultura e o mundo árabe, período no qual foi embaixador no Irã, na Turquia e agora no Egito. Além disso, antes da captura e da morte do ex-presidente líbio Muammar Khadafi, ele participou de negociações com integrantes do Conselho Nacional de Transição (CNT) da Líbia. (ABr)

Itacaré. No carnaval deste ano, em março, foi para a Praia de Barreira do Inferno, no Rio Grande do Norte, também acompanhada da família. Miséria – A presidente reafirmou em seu programa de rádio, a meta do governo de retirar da miséria 16 milhões de pessoas. Ela lembrou que, até o momento, 407 mil famílias foram localizadas pelo programa Brasil sem Miséria. De acordo com a presidente, o número representa 90 mil famí-

lias a mais do que a meta fixada para 2011. Desse total, 235 mil já estão recebendo o benefício. Levantamento do governo revelou que cerca de 800 mil famílias preenchem os requisitos para participar do programa, mas ainda não estão cadastradas. "Para identificar essas famílias, foi fundamental a chamada busca ativa, que é nosso compromisso de ir atrás dos extremamente pobres para garantir seus direitos", disse Dilma. (Agências) SECRETARIA DA SAÚDE

DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÕES Encontram-se abertos no Gabinete, os seguintes pregões: PREGÃO ELETRÔNICO 367/2011-SMS.G, processo 2011-0.299.675-7, destinado ao registro de preços para MEDICAMENTOS SUJEITOS A CONTROLE ESPECIAL IX, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras/Área Técnica de Medicamentos, do tipo menor preço. A sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 11 horas do dia 11 de janeiro de 2012, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 357/2011-SMS.G, processo 2011-0.287.433-3, destinado ao registro de preços para MATERIAL ODONTOLÓGICO, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras/Área Técnica de Odontologia, do tipo menor preço. A sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 11 horas do dia 12 de janeiro de 2012, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 384/2011-SMS.G, processo 2011-0.083.313-3, destinado ao registro de preços para MEDICAMENTOS PARA ATENDIMENTO DE DETERMINAÇÕES DO PODER JUDICIÁRIO, MINISTÉRIO PÚBLICO E CONSELHOS TUTELARES - AÇÕES JUDICIAIS, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras/Ação Judicial, do tipo menor preço. A sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 11 horas do dia 13 de janeiro de 2012, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAIS Os editais dos pregões acima poderão ser consultados e/ou obtidos nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br; www.comprasnet.gov.br, quando pregão eletrônico; ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas interessadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital.

SECRETARIA DE COORDENAÇÃO DAS SUBPREFEITURAS COORDENADORIA GERAL DE LICITAÇÕES TOMADA DE PREÇOS Nº 10/SMSP/COGEL/2011 PROCESSO: 2011-0.228.181-3 ENTREGA DOS ENVELOPES: Até as 14:00 hs do dia 13/01/2012 LOCAL: Rua Líbero Badaró, 425, 37º andar - Centro - São Paulo/SP DATA DA REALIZAÇÃO: 13/01/2012 HORÁRIO: a partir das 14:00 horas LOCAL: Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras, COGEL - Coordenadoria Geral de Licitações localizado na Rua Líbero Badaró, 425 - 33º andar - Centro - São Paulo/SP. SMSP. A PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, pela COORDENADORIA GERAL DE LICITAÇÕES-COGEL da Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras - SMSP, torna público que, na data e a partir do horário acima assinalado, fará realizar licitação na modalidade TOMADA DE PREÇOS, com critério de julgamento de MENOR PREÇO GLOBAL, em conformidade com as disposições deste edital e respectivos anexos. OBJETO O presente tem por objeto a CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA EXECUÇÃO DE GALERIA DE ÁGUAS PLUVIAIS NA AVENIDA DOUTOR ALBERTO DE OLIVEIRA LIMA ATÉ O LANÇAMENTO NO RIO PINHEIROS, SUBPREFEITURA DE BUTANTÃ, COM FORNECIMENTO DE, EQUIPAMENTOS, MATERIAIS DE 1ª LINHA, MÃO DE OBRA ESPECIALIZADA E PROJETO EXECUTIVO. O projeto básico, plantas, diretrizes executivas e demais informações técnicas deverão ser retiradas na SMSP/COGEL, mediante entrega de um CD-RW virgem, no endereço acima, no 37° andar. EDITAL DE LICITAÇÃO, DO ACESSO ÀS INFORMAÇÕES E IMPUGNAÇÃO DO EDITAL O Edital de licitação, assim como seus anexos poderão ser fornecidos mediante pagamento correspondente ao custo da cópia reprográfica no valor de R$ 0,15 (quinze centavos de real) por folha, de acordo com a Tabela integrante do Decreto Municipal Nº 52.040/2010, valor este a ser recolhido aos cofres públicos através da guia de arrecadação - DAMSP, que será fornecida pela SMSP/COGEL, Rua Líbero Badaró, 425, 37º andar, das 09h30 às 17h00, até o último dia que anteceder a data designada para a abertura do certame. O Edital juntamente com seus Anexos, estarão ainda disponíveis no sítio eletrônico da Prefeitura do Município de São Paulo, endereço http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br/. As informações relativas ao presente certame, deverão ser formuladas por escrito e dirigidas ao Pregoeiro(a), na Coordenadoria Geral de Licitações COGEL (Rua Líbero Badaró, 425 - 37º andar, Centro - São Paulo - SP) ou pelo Fax: (11) 3241-3957, até às 17:00 horas do segundo dia útil imediatamente anterior àquele marcado para a abertura do certame. Eventuais requerimentos de impugnação ao Edital deverão ser dirigidos ao Pregoeiro e protocolizadas nos dias úteis, das 09h30 às 16h00, na Rua Líbero Badaró, 425 - 37º andar - Centro - São Paulo - SP. O recebimento da impugnação estará condicionado à comprovação do recolhimento dos emolumentos devidos em agência bancária, em até 02 (dois) dias úteis antes da abertura da sessão, conforme legislação vigente.

SECRETARIA DE COORDENAÇÃO DAS SUBPREFEITURAS COORDENADORIA GERAL DE LICITAÇÕES TOMADA DE PREÇOS Nº 09/SMSP/COGEL/2011 PROCESSO: 2009-0.299.005-1 ENTREGA DOS ENVELOPES: Até as 14:00 hs do dia 12/01/2012 LOCAL: Rua Líbero Badaró, 425, 37º andar - Centro - São Paulo/SP DATA DA REALIZAÇÃO: 12/01/2012 HORÁRIO: a partir das 14:00 horas LOCAL: Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras, COGEL Coordenadoria Geral de Licitações localizado na Rua Líbero Badaró, 425 33º andar - Centro - São Paulo/SP. SMSP. A PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO, pela COORDENADORIA GERAL DE LICITAÇÕES-COGEL da Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras - SMSP, torna público que, na data e a partir do horário acima assinalado, fará realizar licitação na modalidade TOMADA DE PREÇOS, com critério de julgamento de MENOR PREÇO GLOBAL, em conformidade com as disposições deste edital e respectivos anexos. OBJETO O presente tem por objeto a CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA EXECUÇÃO DE GALERIA DE ÁGUAS PLUVIAIS NA RUA MAPORÉ JARDIM SÃO LUIS - SUBPREFEITURA DE BUTANTÃ, COM FORNECIMENTO DE, EQUIPAMENTOS, MATERIAIS DE 1a LINHA, MÃO DE OBRA ESPECIALIZADA E PROJETO EXECUTIVO. O projeto básico, plantas, diretrizes executivas e demais informações técnicas deverão ser retiradas na SMSP/COGEL, mediante entrega de um CD-RW virgem, no endereço acima, no 37º andar. EDITAL DE LICITAÇÃO, DO ACESSO ÀS INFORMAÇÕES E IMPUGNAÇÃO DO EDITAL O Edital de licitação, assim como seus anexos poderão ser fornecidos mediante pagamento correspondente ao custo da cópia reprográfica no valor de R$ 0,15 (quinze centavos de real) por folha, de acordo com a Tabela Integrante do Decreto Municipal Nº 52.040/2010, valor este a ser recolhido aos cofres públicos através da guia de arrecadação - DAMSP, que será fornecida pela SMSP/COGEL, Rua Líbero Badaró, 425, 37º andar, das 09h30 às 17h00, até o último dia que anteceder a data designada para a abertura do certame. O Edital juntamente com seus Anexos, estarão ainda disponíveis no sítio eletrônico da Prefeitura do Município de São Paulo, endereço http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br/. As informações relativas ao presente certame, deverão ser formuladas por escrito e dirigidas ao Pregoeiro(a), na Coordenadoria Geral de Licitações COGEL (Rua Líbero Badaró, 425 - 37º andar, Centro - São Paulo - SP) ou pelo Fax: (11) 3241-3957, até às 17:00 horas do segundo dia útil imediatamente anterior àquele marcado para a abertura do certame. Eventuais requerimentos de impugnação ao Edital deverão ser dirigidos ao Pregoeiro e protocolizadas nos dias úteis, das 09h30 às 16h00, na Rua Líbero Badaró, 425 - 37º andar - Centro - São Paulo - SP. O recebimento da impugnação estará condicionado à comprovação do recolhimento dos emolumentos devidos em agência bancária, em até 02 (dois) dias úteis antes da abertura da sessão, conforme legislação vigente.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Reuters

8

nternacional

AINDA NOS TRILHOS Silvio Berlusconi diz que sua carreira política não está acabada

INTOLERÂNCIA Nigéria terá cúpula por segurança nacional após ataques a igrejas

AFP

Um acordo de paz para árabe ver Monitores internacionais chegam à Síria em meio à repressão das forças de Assad

O

primeiro grupo de monitores árabes chegou à Síria ontem para avaliar se Damasco está cumprindo um plano para encerrar a repressão no país. Mas a visita não intimidou o regime de Bashar al-Assad: pelo menos 30 pessoas morreram e dezenas ficaram feridas ontem em diversas localidades da Síria, a maioria no principal reduto da oposição, a cidade de Homs, que foi bombardeada pelas forças leais ao governo, de acordo com o Observatório Sírio de Direitos Humanos. Os ataques aconteceram horas antes da chegada dos primeiros 50 observadores e dez representantes do secretariado da Liga Árabe. Segundo o Conselho Nacional Sírio, os monitores chega-

ram a Homs, cidade a cerca de 160 quilômetros de Damasco, por volta das 20h locais, mas não puderam trabalhar. "Eles declararam que não puderam ir aos lugares onde as autoridades não querem a presença deles", disse o presidente interino do conselho, Burham Ghaliun. Um vídeo amador publicado por ativistas na internet mostrou três tanques nas ruas de Homs, cidade que testemunhou a pior violência e onde não houve sinal de que Assad está realizando um plano firmado com a Líga Árabe para suspender a ofensiva. Um tanque usou sua metralhadora, enquanto outro lançou tiros de morteiro. "O que está acontecendo é um massacre", disse Fadi, morador do bairro de Baba Amr. Segundo o Observatório Sírio

Imagem de vídeo mostra tanque das forças leais a Assad em Homs, cidade onde se registrou o maior número de vítimas da repressão ontem.

de Direitos Humanos, o pesado bombardeio matou 25 pessoas em Homs ontem. "A situação é alarmante e o bombardeio é mais intenso que nos últimos dias", informou o grupo opositor. Outras mortes ocorreram em Hama, Idblib e Deraa. As informações não puderam ser verificadas pela imprensa internacional, impedida de entrar no país pelas autoridades sírias. Desde o início do conflito, em março passado, mais de 5 mil pessoas já morreram vítimas da repressão das forças leais ao regime, segundo da-

dos da Organização das Nações Unidas (ONU). Acordo - Uma primeira equipe da Liga Árabe chegou na última quinta-feira à Síria para preparar o envio de mais monitores que irão avaliar se o governo local está cumprindo um plano de paz definido no mês passado. O plano prevê a retirada das Forças Armadas das ruas, a libertação de presos políticos e um diálogo com a oposição. O regime havia assinado no Cairo o acordo da Liga Árabe que previa a entrada de observadores na Síria, como parte do esforço internacional para pôr

fim à repressão aos protestos populares que pedem a saída de Assad do poder. O Conselho Nacional Sírio acusa o regime de ter transferido "milhares de presos a guarnições militares fortificadas" onde os observadores da Liga Árabe não têm acesso. Segundo o conselho, o objetivo das autoridades é esconder dos observadores "qualquer rastro que provem os assassinatos, os atos de tortura e as valas comuns". As emendas exigidas pela Síria – e aprovadas pela organização pan-árabe – ao protocolo que enquadra a missão de ob-

servadores estipulam que estes últimos estão autorizados a visitar os centros de detenção, os hospitais, as delegacias, mas não as guarnições militares por razões de "soberania nacional". Representantes da Liga Árabe, porém, disseram que "haverá um elemento surpresa". "Informaremos a Síria sobre as áreas que serão visitadas no mesmo dia para que não tenham tempo para conduzir os monitores ou mudar a realidade de qualquer um dos lados", disse o monitor Mohamed Salem al-Kaaby, dos Emirados Árabes Unidos. (Agências)

Fotos: Darrell Byers/Reuters

A DIPLOMACIA DAS VIÚVAS

D

Policiais de Grapevine aguardam do lado de fora do apartamento...

... onde sete pessoas, inclusive o atirador, morreram no dia de Natal.

Um Papai Noel assassino na capital do Natal texano

A

polícia norte-americana encontrou ontem os corpos de sete pessoas mortas a tiros em Grapevine, um subúrbio de Dallas conhecido como "a capital do Natal do Texas". Um homem vestido de Papai Noel é o suspeito de ter aberto fogo contra seis pessoas de sua família e depois se suicidado, quando todos celebravam o Natal. O tenente Todd Dearing afirmou que as autoridades tentam esclarecer a sequência de eventos que levaram ao caso policial mais sangrento da história de Grapevine, município de 46 mil habitantes localizado na região metropolitana de Dallas. Os corpos estavam em um

apartamento, em meio a presentes de Natal desembrulhados. As vítimas – quatro mulheres e três homens, com idades entre 15 e 58 anos – foram encontradas no fim da manhã de domingo na sala do apartamento por policiais que atenderam a um chamado de emergência, disseram autoridades. As circunstâncias permanecem obscuras. Não foi encontrado ninguém com vida e nenhum vizinho ouviu os tiros. Duas pistolas foram recolhidas, segundo o sargento Robert Eberling, que descreveu a cena do crime como "repugnante". "Tudo indica que eles eram membros da mesma família", disse Eberling. (Agências)

uas comitivas sul-coreanas – autorizadas por Seul – estiveram ontem em Pyongyang para prestar homenagens a Kim Jong-il, morto há dez dias. A visita da ex-primeira-dama da Coreia do Sul Lee Hee-ho e da presidente do grupo Hyundai, Hyun Jeong-eun, é mais um sinal que Kim Jong-un, filho mais novo e sucessor do ditador Jong-il, vem ascendendo ao poder gradativamente e pode assumir o controle total do país depois do funeral do seu pai, que acontece amanhã. Embora o governo de Seul tenha proibido todos os sul-coreanos de atravessar a fronteira com o Norte para expressar condolências, com as comitivas de Lee e Hyun foi feita uma exceção porque anos atrás Pyongyang enviou delegações quando morreram os maridos de ambas. Tanto o ex-presidente sulcoreano Kim Dae-jung como o presidente de Hyundai Chung Mong-hun foram responsáveis por uma aproximação de seu país com Pyongyang – o primeiro no plano político, e o segundo no econômico. Lee, cujo marido se reuniu com Kim Jong-il no histórico encontro entre as duas Coreias em 2000, escreveu no livro de condolências que esperava uma "unificação rápida" dos dois Estados, segundo a agência oficial KCNA. Desde o anúncio da morte de Kim Jong-il, Seul – que não enviará delegação oficial – tem buscado manter a tranquilidade por temer que Pyongyang inicie uma ação armada. Para analistas, é crucial que o novo líder reafirme sua posição frente aos militares para exercer o poder na Coreia do Norte. A comunidade internacional seguirá de perto os detalhes do funeral de Kim Jong-il, que acontece amanhã, para tentar decifrar o entorno de Jong-un que possa ter algum tipo de influência sobre o líder. (Agências)

KCNA/Reuters

Seul não prestará condolências a Kim Jong-il. Mas duas sul-coreanas receberam autorização especial.

A ex-primeira-dama da Coreia do Sul Lee Hee-ho (centro, de saia) presta condolências a Kim Jong-il Kim Kyung-hoon/Reuters

Kim Jong-il de saia. Só na Coreia do Sul.

A

Nada de paz: para Song, a pomba simboliza a irrelevância de Kim.

cima do vestido esvoaçante de Marilyn Monroe aparece o rosto de Kim Jongil, o déspota norte-coreano morto neste mês. Uma pomba sobrevoa a cena, deixando uma pena caída no chão. O artista norte-coreano Song Byeok antigamente retratava o "Estimado Líder" em peças de propaganda comunista. Mas ele conseguiu desertar e hoje vive em Seul, na Coreia do Sul, onde se dedica a zombar do dirigente. Quanto a Kim Jong-un, filho de Kim que assumiu o poder antes de completar 30 anos, Song disse que por enquanto não pretende retratálo. "Ele é jovem demais, não quero dizer ainda (o que acho dele)", afirmou. (Reuters)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

c

9 RODÍZIO CONTINUA SUSPENSO É bom lembrar que, na Capital, o rodízio de veículos continua suspenso e só deve retornar no próximo dia 16. As restrições aos caminhões e fretados continuam valendo.

idades Fotos de L.C.Leite/Luz

Faltam apenas cinco dias para os paulistanos darem início à contagem regressiva para 2012. Por isso, a avenida Paulista, que já deu um show de decoração natalina, se prepara para a 15ª edição do Réveillon na Paulista, com atrações musicais e grande espetáculo de fogos de artifício. Para a festa são esperadas mais de dois milhões de pessoas. Esquemas especiais de segurança, de transporte e de atendimento médico estão sendo montados para que a chegada do Ano Novo seja feita com tranquilidade e alegria. Valerá a pena conferir.

Na avenida Paulista, ontem, o trabalho era intenso. A meta da Prefeitura é aprontar a decoração do Réveillon na Paulista até sexta-feira.

Paulista se prepara para a virada André de Almeida

M

al passou o Natal e já começaram os preparativos para o 15º Réveillon na Avenida Paulista, um dos mais tradicionais eventos da cidade realizado pela Prefeitura de São Paulo e SPTuris, e produzido pela Playcorp. Este ano, a festa terá como tema os 120 anos da avenida e deve reunir mais de 2 milhões de pessoas entre as 20h do dia 31 de dezembro até as 2h30 de 1º de janeiro. Os destaques, mais uma vez, ficam para os 15 minutos de espetáculo pirotécnico e as diversas atrações musicais. Para garantir o sucesso do evento, já foram definidas todas as estratégias operacionais de transportes, segurança, serviços, entre outros pontos. De acordo com o presidente da SPTuris, Marcelo Rehder, o Réveillon na Paulista recebe visitantes de todas as partes do Brasil, bem como de estrangeiros de diversas nacionalidades. "Por ser um marco no calendário da cidade, a festa conta com o apoio da Lei de Incentivo à Cultura e do Ministério da Cultura. Esperamos superar todas as expectativas este ano", afirma Rehder. Ontem, por volta das 14h, trabalhadores da equipe de montagem já tinham retirado todos os adereços e enfeites natalinos do palco e começaram a ampliar o espaço para o show da virada. Ao todo, serão cerca de mil metros quadrados para a apresentação dos artistas, 20% a mais que no ano anterior. A expectativa para o término da montagem do palco e das torres que abrigarão 13 telões é sexta-feira. Já estão confirmadas apresentações de artistas e bandas como Restart, Ultraje a Rigor, Roberta Miranda, Rio Negro e Solimões, Maestro João Carlos Martins com a Orquestra Bachiana Filarmônica SesiS P e a b a t e r i a d a Va i Va i , Jota Quest e KLB.

Segurança Cerca de três mil soldados da Polícia Militar, agentes da Guarda Civil Metropolitana e da CET, além de seguranças particulares serão mobilizados para o evento. Eles contarão com o apoio de viaturas, motocicletas, bases comunitárias, além de câmeras insta-

Em ritmo acelerado: a festa da virada terá como tema os 120 anos da avenida Paulista. São esperadas mais de 2 milhões de pessoas entre as 20h do dia 31 até as 2h30 do dia 1º.

Verde (Vila Prudente - Vila Madalena) e 3 -Vermelha (Corinthians/Itaquera - Palmeiras/Barra Funda). As estações dessas três linhas estarão abertas para embarque e desembarque até as 2 horas da manhã. Na Linha 2 - Verde, após esse horário, as estações Paraíso, Brigadeiro e Consolação ficarão abertas para embarque e desembarque, enquanto as demais continuarão funcionando somente para desembarque. A estação Trianon-Masp será fechada às 19h do dia 31 e reaberta às 4h40 do dia 1º de janeiro. A frota de trens será reforçada e haverá aumento no número de agentes de segurança e de funcionários nas estações. A orientação da Companhia do Metrô é que os usuários adquiram antecipadamente seus bilhetes, evitando filas nas bilheterias e tornando mais rápido o acesso às plataformas das estações, tanto na ida quanto na volta. A CET também preparou uma estratégia especial para garantir o conforto e a segurança da população. Entre as medidas está a interdição da avenida Paulista, a partir das 20h30 do dia 31 até o fim da festa, no trecho entre a rua Teixeira da Silva e a rua Augusta, no sentido ParaísoConsolação. No sentido contrário, a medida se estenderá entre as ruas Haddock Lobo e a Maria Figueiredo.

PREVISÃO DE CHUVA A virada do ano poderá ser de chuva na Grande São Paulo e na Baixada Santista. Segundo a Somar Meteorologia, os próximos dias serão nublados, com aberturas de sol e possibilidade de pancadas no fim do período. As temperaturas ficam mais amenas do que na semana passada, não passando dos 30º C. Para quem escolher a praia, o litoral sul terá melhores condições, com menos chuvas. O litoral norte, embora mais quente, deverá ter acúmulo maior de chuva. As praias paulistas são melhor pedida do que as cariocas: no Rio, a previsão é de que a chuva não dê trégua. (Folhapress)

INDO...

Fotos de Luiz Guarnieri/Folhapress

Muitos paulistanos começaram ontem suas viagens rumo às praias. A Imigrantes (fotos) teve trânsito pesado e um acidente.

VINDO... Fotos de Nilton Cardin/Folhapress

Serviços

ladas em pontos estratégicos da avenida. A infraestrutura da festa de passagem do ano na cidade de São Paulo também é grandiosa. Ao todo, serão utilizadas 250 toneladas de ferro e aço no palco e nas estruturas ao longo da avenida e 25 geradores para os quatro milhões de watts, necessários para alimentar toda a tecnologia distribuída pelos 13

telões espalhados pela via, canhões de luz e pelos 500 metros quadrados de painéis de LED sobre o palco.

Transportes Durante o dia 31 e toda a madrugada do dia 1º de janeiro, o metrô irá operar ininterruptamente nas linhas 1-Azul (Jabaquara - Tucuruvi), 2 -

Para atender aos visitantes com conforto, mais de 80 pontos de alimentação e bebidas estarão disponíveis pela avenida. Além disso, 450 sanitários químicos e 10 ambulatórios equipados com UTI móvel, médicos e enfermeiros de plantão estarão espalhados em pontos estratégicos da Paulista. Uma área especial para quem possui mobilidade reduzida também será preparada pela organização. “Temos muito orgulho de fazer parte desse evento desde o começo, em 1996. Hoje, o Réveillon na Paulista se consolida como uma das principais festas da virada no País, reconhecido por sua grandeza, qualidade de atrações e novidades que sempre apresenta ao público. A cada ano, buscamos criar uma festa ainda mais espetacular para a cidade de São Paulo”, conclui Fernando David Elimelek, diretor-geral da Playcorp.

A retorno a São Paulo, ontem, foi marcado por dificuldades. Na Rodovia dos Tamoios (fotos), que liga a Via Dutra ao Litoral Norte do Estado, houve cerca de 30 quilômetros de lentidão.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10 -.LOGO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Passeio entre esculturas de gelo

H OSPITAIS

Estoque de leite: campanha em SP.

Turistas se divertiam ontem em um trenó puxado por cachorros e guiado por um funcionário de um parque na cidade chinesa de Harbin.

Sheng Li/Reuters

www.dcomercio.com.br

Em razão das festas de fim de ano, as doações de leite humano diminuem cerca de 50% e para garantir um bom estoque para os bebês prematuros internados em hospitais, a Secretaria de Saúde do Estado convoca as mães em período de amamentação para doar leite humano. (Mais informações em www.redeblh.fiocruz.br) Segundo a coordenadora do banco de leite da maternidade estadual Leonor Mendes de Barros, Andrea Penha Spínola Fernandes, o consumo médio de leite no hospital é de 140 litros por mês, mas, em dezembro, por enquanto, a quantidade de doações não ultrapassou os 60 litros. Atendendo a algumas regras, qualquer mulher que tem sobra de leite materno pode colaborar muito com o banco de leite. (AE) E M

A VIAÇÃO G ADGET DU JOUR

C A R T A Z

Laser verde, perigo no ar.

O Esbanjando estilo sobre três rodas Este é um daqueles gadgets que dá vontade de sair correndo para comprar. O preço? US$ 10 mil. www.coolest-gadgets.com/20111223/ allied-victor y-sidecar-motorcycle/

D ESIGN

n ú m e ro d e v o o s prejudicados por raios laser no país aumentou quase quatro vezes neste ano, de acordo com o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), da Aeronáutica. O caso ocorre quando pessoas em solo apontam canetas de laser verde, mais potentes que os de cor vermelha, para a cabine de aeronaves. O facho de luz prejudica a visão dos pilotos e pode causar cegueira temporária, segundo especialistas. De acordo com o Cenipa, foram registrados 250 relatos de pilotos até novembro deste

ano, contra 58 no ano passado todo. Há relatos em Londrina (PR), Rio de Janeiro (RJ), Vitória (ES), Campinas (SP), João Pessoa (PB), Navegantes (SC) e Fortaleza (CE). A Aeronáutica considera ainda que o número real pode ser maior, já que a contabilização é baseada apenas nos relatos de pilotos sobre o voo em geral. A partir de 2012, o Cenipa irá disponibilizar um formulário específico para que os pilotos informem sobre ocorrências do tipo. Campanhas – O objetivo é direcionar campanhas e ações conjuntas envolvendo aeroportos e a polícia. Segundo a Aeronáutica, a

maior parte dos casos envolvendo laser são de crianças e jovens que desconhecem o risco da "brincadeira", também comum em estádios de futebol. Os casos começaram a aumentar em 2009. Facilidade de compra – "O que se vê hoje é uma maior facilidade de aquisição deste artefato e acredito que por isso no Brasil, nos últimos três anos, nós tivemos o incremento do número de reportes", afirma o major-aviador Márcio Vieira de Mattos, da Divisão de Aviação Civil do Cenipa. Segundo o órgão, existe o risco de o laser provocar acidentes, ainda que a probabilidade seja baixa. (Agências)

ARTE Obras dos artistas Minhau e Chivitz na galeria Choque Cultural. Rua João Moura, 997, Pinheiros, tel.: 3061-4051. Grátis.

Vanderlei Almeida/AFP

De pernas para o ar Um vaso que desafia a gravidade e faz você economizar espaço. Preço não disponível. http://fancycrave.com /2011/12/25/sky-planter-by-boskke

P OLÊMICA

Adriano nega ter atirado em jovem todas a estudante está registrada como vítima. "O fato de as outras cinco pessoas apresentarem a mesma versão do Adriano, por si só, não determina que a verdade está com ele. Estamos apenas no início das investigações", comentou. Caso fique comprovado que Adriene está mentindo, ela poderá ser enquadrada por crime de denunciação caluniosa, que prevê pena de 2 a 8 anos de prisão. Se Adriano for culpado, poderá pegar até 7 anos de prisão e responder pelos crimes de lesão corporal culposa (3 meses a 1 ano) e de fraude processual (6 meses a 6 anos). (Agências)

H ELLO KITTY Reuters

L

Avião da companhia Eva Airways decola da cidade de Narita, no Japão, decorado com desenhos da gatinha mais famosa do mundo, o personagem japonês Hello Kitty.

L

O jogador Adriano afirmou que a jovem baleada dentro do seu carro "não tem caráter e agiu de má-fé" ao acusá-lo de ter disparado a arma. Ele voltou a afirmar que estava no banco da frente do veículo e nega ter efetuado o disparo. O caso aconteceu quando o jogador saía de uma boate no Rio, com quatro mulheres e um amigo por volta das 5h30 de sábado. O delegado Fernando Reis, responsável pelo caso, declarou que averigua três ocorrências policiais (ameaça, lesão corporal e furto na porta de banco) em que Adriene Cyrilo Pinto, 20, esteve envolvida recentemente. Segundo ele, em

VERÃO AGUADO - Homem cruza a Avenida Rio Branco, no centro do Rio de Janeiro, em meio à chuva que atingiu a capital fluminense ontem. A mudança do tempo, nos primeiros dias do verão, foi resultado de uma frente fria que derrubou as temperaturas em 17 graus Celsius. Um 'frio' de 22 graus para carioca nenhum botar defeito.

Um hospital para papéis Antigos manuscritos são tratados como pacientes de hospital num famoso instituto de restauração de livros em Roma, na Itália. No local, técnicos já trabalharam com tudo, de pergaminhos do Mar Morto a uma das edições mais antigos do Corão. "Veja o sofrimento deste coitado!", exclama Marina Bicchieri, chefe do departamento de química do Instituto de Patologia do Livro, enquanto examina os níveis de oxidação de um dos mais recentes projetos: a análise científica de uma das últimas cartas escritas por Aldo Moro no cativeiro. Moro, ex-primeiro-ministro e então presidente da Democracia Cristã Italiana, foi sequestrado em 16 de março de 1978 pelo grupo terrorista Brigadas Vermelhas e assassinado depois de 55 dias de cativeiro. (AFP)

F ISCALIZAÇÃO

Placas de radares continuam em SP São Paulo vai manter as placas que sinalizam a presença de radares nas ruas, informou a Secretaria Municipal de Transportes. Desde quinta-feira, os órgãos de trânsito não são mais obrigados a avisar sobre a existência da fiscalização. L OTERIAS Alberto Pizzoli/AFP

Concurso 699 da LOTOFÁCIL Laboratório fundado em 1938 em Roma cuida de alguns dos mais relevantes arquivos históricos italianos.

02

03

04

06

08

09

10

15

16

18

19

21

22

23

25

Concurso 2781 da QUINA 08

13

53

54

55


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

e

11 ETANOL Subsídios do governo para estocagem serão de R$ 500 milhões.

conomia

AEROPORTOS Sem acordo entre empresas aéreas e aeroviários, risco de greve persiste.

JF Diorio/AE

Aumento moderado nas vendas Consultas feitas ao SCPC entre os dias 1° e 25 de dezembro sobem 1,9% Rafael Nardini

A

s consultas ao Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), que medem as vendas a prazo, registraram alta de 1,9% entre os dias 1º e 25 de dezembro deste ano, na comparação com igual período de 2010. Segundo a Associação Comercial de São Paulo (ACSP), com a mesma base de comparação, as consultas ao SCPC/Cheque (indicador das vendas à vista) também cresceram 1,9%. A pesquisa foi baseada nas informações fornecidas pela Boa Vista Serviços (BVS), que administra o SCPC. De acordo com Emilio Alfie-

ri, economista da ACSP, o resultado médio dos dois sistemas está dentro do previsto pela entidade para o período. "O crediário vem mantendo o ritmo próximo de 2% desde a prévia da primeira quinzena de dezembro. Já o SCPC/Cheque, que apresentou estabilidade na quinzena, começou a reagir a partir do dia 20, com o pagamento da segunda parcela do 13º salário." Segundo Alfieri, as vendas do comércio permaneceram mais aquecidas até o mês de agosto, mas depois acabaram por se retrair por causa do emprego de medidas de contenção do crédito anti-inflacioná-

Neste ano, o comércio pode se beneficiar do calendário: o período pós-Natal teve início em uma segunda-feira.

rias implementados pelo governo federal. "Em setembro, as vendas registravam alta de 2%. No mês de outubro, a alta foi de 0,5% e, em novembro, o movimento se recuperou um pouco, para 1%." Os estudos da ACSP apontam que o SCPC/Cheque acumulou alta de apenas 0,3% até o dia 20 deste mês. O índice só chegou à alta de 1,9% no dia 23, com crescimento das vendas à vista praticamente desprezível entre os dias 24 e 25.

Segundo Alfieri, as vendas à vista foram puxadas por movimento maior no mercado de roupas e calçados. Já as vendas a prazo foram incentivadas, principalmente, por telefones celulares e eletrodomésticos. As vendas pós-Natal devem ser beneficiadas por conta de um calendário mais favorável ao lojista, já que neste ano o dia 26 caiu numa segunda-feira, enquanto que no ano passado foi em um domingo. Com isso, o mês contará com um dia útil a

mais do que em 2010, impulsionando as vendas. "O resultado pode ser ligeiramente maior do que o ano passado", comentou o economista. Se o resultado deste Natal não foi extraordinário, ao menos a tendência é de que o crescimento nas vendas retorne a um patamar entre 5% e 6%. "Se as vendas não aumentarem com as liquidações e promoções após o Natal, a situação melhora mais para a frente", avaliou Alfieri. Para ele, até

abril ou maio, o cenário já deve ser mais favorável ao lojista. Endividamento – O endividamento do paulistano ficou estável em dezembro ante novembro, de 41% para 41,3%, nível que representa um total de 1,48 milhão de famílias, de acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic) divulgada pela Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (Fecomercio-SP).

Chico Ferreira/ LUZ

Nos shoppings, alta de 5,5%. Karina Lignelli

N

o Natal deste ano, as vendas ficaram 5,5% maiores em comparação a 2010, informou ontem a Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings (Alshop), em levantamento realizado com 150 associados no Brasil, que reúnem 6,4 mil lojas. Apesar de ficar abaixo das projeções anunciadas em novembro (6,5%), o resultado foi considerado positivo pelo presidente da entidade, Nabyl Sahyoun. A boa oferta de crédito no início do ano, as prestações com prazo longo, o aumento da renda do trabalhador e a ampliação do emprego formal puxaram perspectivas maiores para o Natal. "O consumidor preferiu esperar um pouco mais para gastar. Mas o importante foi manter o crescimento sobre 2010", disse Sahyoun. Outro dado positivo, segundo a Alshop, é o faturamento total do varejo brasileiro, que na estimativa da entidade deve fechar o ano em R$ 705 bilhões. O crescimento será de 10,5% em comparação a 2010. Já as vendas em shoppings em 2011 devem chegar a R$ 104,1 bilhões, alta de 12% no volume de vendas em relação ao ano passado. O reforço na mão de obra nos shoppings para o fim do ano também cresceu: a alta foi de 7% em 2011, com 140 mil

Fila de clientes ontem em loja do Centro da Capital para trocar produtos. Bom movimento, apesar da chuva.

Troca alavanca negócios Lojistas veem com bons olhos a presença do cliente com presente "errado" Paula Cunha

A

chuva persistente na t a rd e d e o n t e m n o Centro da capital paulista não aborrecia a maior parte dos comerciantes – eles estavam satisfeitos com o volume das trocas de presentes que levava alguns consumidores a adquirirem novos itens. Esse foi o caso da Mundial Calçados. Localizada na Rua Direita, a loja registrou no setor de trocas movimento igual ao do ano passado, segundo funcionários, ou seja de 20% das vendas. De acordo ainda com os funcionários, a cada dez trocas sete levaram a novas vendas. O resultado de ontem foi considerado positivo. Na concorrente Clóvis, o gerente Adilson Carvalho foi mais conservador – estimou

que 20% dos consumidores que realizaram trocas acabam fazendo novas compras. Ele considerou o movimento do dia normal. Na unidade próxima à Praça da Sé, a bancária Camila Cardoso trocou o calçado que ganhou na festa de Amigo Secreto e resolveu comprar mais dois pares – para ela própria e para a filha. Chuva – Em outros estabelecimentos, como a Hering, da R u a 1 5 d e N o v e m b ro , e a Overboard, na Rua São Bento, a chuva prejudicou um pouco o movimento, mas a expectativa é de reação nos próximos dias. Na primeira, a gerente Tatiane Ribeiro explicou que o fluxo maior foi de trocas durante todo o dia. Ela acredita que as vendas devem reagir a partir de quarta-feira. Na Overboard, o gerente Saulo Souza Pinto classificou como

bom o movimento de trocas. "Estaria melhor se não fosse a chuva", disse. Ainda no entorno da Rua São Bento, cerca de 70% do movimento correspondia a trocas. Um dos vendedores de uma loja de moda feminina disse que as vendas vão crescer ao longo da semana, com a procura por peças de vestuário brancas para a festa do Ano Novo. Mas em outra loja, de vestuário masculino, os funcionários queixavam-se do movimento fraco. As trocas concentram-se no horário do almoço. Sem tempo, o estudante Douglas concluiu rapidamente a substituição do tênis que ganhou no Natal. Também a assistente administrativa Andréia foi ágil ao trocar um modelo de sandálias por outro mais confortável.

Apas, embora ocorra no final do ano majoração em diversos produtos, desta vez os preços subiram menos do que os de outros segmentos de consumo. A inflação de 2011 nos supermercados deve ficar em torno de 5%. (AE)

Stefan Wermuth/ Reuters

A

tes, cervejas, refrigerantes, carnes, frutas, panetones, castanhas e outros itens típicos. Os preços dos produtos que compõem a cesta de Natal tiveram elevação de 7% a 10%, com destaque para bebidas e panetones de chocolate. Para a

104,1 bilhões de reais deve ser a soma do faturamento das lojas de shopping centers neste ano. Investimentos no setor prosseguem. dos, 4%. A "lanterna" ficou com o setor de vestuário, que cresceu apenas 2% no Natal, e zero ao longo do ano. "Com a elevação de 20% nos custos de importação do algodão, a indústria repassou preços rapidamente para as confecções e lojistas", explicou o diretor de relações institucionais Luis Augusto Ildefonso da Silva. As medidas do governo de

redução da taxa Selic e Imposto sobre Produtos Industriais (IPI) para linha branca foram positivas para as vendas de fim de ano, apesar de terem chegado "um pouco tarde", segundo Sahyoun. Já a saída de smartphones e tablets tiveram desempenho menor por serem produtos de maior valor agregado. "O esfriamento do consumidor fez com que ele procurasse locais com variedade de opções de compra e expectativa de gastos menores", disse o dirigente. Liquidações – O setor de shoppings espera o habitual aumento de circulação nesta última semana com as trocas de presentes, compras para o Réveillon (lingeries e roupa branca) e para viagens de férias. Já as tradicionais liquidações de Natal e de balanço, em janeiro, serão mais intensas que as do ano anterior, pois os estoques estão bem maiores. Segundo o diretor Luis Ildefonso, a situação econômica é menos favorável que no ano passado. Então, pode-se esperar de 50% a 60% de desconto nas promoções das lojas, pelo menos. "Se em 2010 o lojista cobrou R$ 70 em um item que custava R$ 100, este ano deve cobrar R$ 50", completou. De modo geral, segundo Sahyoun, para 2012 a expectativa de crescimento no setor de shoppings deve se manter entre os 10% e 12%. "Há muito investimento no setor."

PAPAI NOEL ATRASADO

Espumante lidera procura Associação Paulista de Supermercados (Apas) estima um crescimento de 6% das vendas, em termos reais, dos supermercados paulistas neste Natal. Segundo a Apas, as vendas foram puxadas por espuman-

temporários contratados. "A expectativa é que 25%, ou 35 mil admitidos, se tornem funcionários permanentes", apostou o presidente da Alshop. Entre os setores que mais se destacaram no Natal deste ano, segundo a Alshop, perfumaria e cosméticos ficaram no topo do ranking, com alta de 18% ante 2010. Depois, vêm óculos, bijuterias e acessórios, com 17%, joias e relógios, com 13%, calçados com 8%, eletroeletrônicos, 5% e brinque-

Consumidores correram para as portas da loja de departamentos londrina Selfridges , no início do feriado do Boxing Day, ontem. Um número recorde de lojas abriu no Reino Unido no dia seguinte ao Natal, com descontos de até 80% nos produtos. Para alguns consumidores, um verdadeiro presente de Papai Noel.


12 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

13

e Brasil já é a sexta economia do mundo O Brasil tem batido os países europeus no futebol há muito tempo, mas ultrapassá-los no campo da economia é um fenômeno novo. Douglas McWilliams, diretor-executivo do CEBR

conomia

País superou o Reino Unido em ranking das maiores economias do planeta e passou a ocupar a sexta posição, atrás da França, segundo o jornal The Guardian. Paulo Liebert/AE

A

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) contribuiu para o País ocupar posição atrás somente dos EUA, China, Japão, Alemanha e França.

Padrão europeu, só em 20 anos. Ernesto Rodrigues/AE

O

ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou ontem que, apesar de o Brasil estar crescendo a taxas superiores aos países desenvolvidos, vai levar entre dez e 20 anos para alcançar um padrão de vida europeu. "Vamos ter de continuar crescendo mais do que esses países, aumentar o emprego e a renda da população. Nós temos um grande desafio pela frente", disse Mantega, conforme nota distribuída ontem aos jornalistas. O ministro reafirmou que neste momento de crise internacional, centrada sobretudo nos países da zona do euro, os países emergentes vão ter uma expansão econômica superior à dos ricos. "Os países que mais vão crescer são os emergentes, como o

Os países que mais vão crescer são os emergentes, como o Brasil, a China, a Índia e a Rússia. O Brasil estará entre os maiores. GUIDO MANTEGA, DA FAZENDA Ministro Guido Mantega disse que aumentará o emprego e a renda

Brasil, a China, a Índia e a Rússia. Dessa maneira, essa posição vai ser consolidada e a tendência é de que o Brasil se mantenha entre as maiores economias do mundo nos próximos anos", afirmou. Segundo o comunicado do ministro da Fazenda, o Brasil

Na virada do ano, o salário-mínimo vai a R$ 622.

O

decreto que define o valor de R$ 622 para o salário-mínimo a partir de 1º de janeiro de 2012 foi publicado na edição de ontem do Diário Oficial da União. O novo valor representa um aumento de 14,13% em relação ao atual, de R$ 545. Com o reajuste, o valor diário do salário-mínimo corresponderá a R$ 20,73 e o valor pago pela hora de trabalho será de R$ 2,83. O método de reajuste do salário-mínimo foi definido por meio de uma medida provisória aprovada pelo Congresso. A lei que fixa a política de reajuste do salário-mínimo esta-

belece que o valor será reajustado, até 2015, com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos antes. O novo salário-mínimo de R$ 622 terá impacto de R$ 23,9 bilhões nos gastos públicos em 2012. A maior parte desse montante corresponde aos benefícios da Previdência Social no valor de um salário-mínimo, que serão responsáveis pelo aumento de R$ 15,3 bilhões nas despesas do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). (ABr)

hoje é um País mais "respeitado e cobiçado". "Tanto que os investimentos estrangeiros diretos devem somar US$ 65 bilhões neste ano", afirmou Guido Mantega, citando previsão do Banco Central. O ministro já havia dito que o Brasil se tornaria a sexta maior

Bovespa bate recorde histórico em 2011

M

esmo com a crise na Europa, o volume movimentado na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) bateu recorde histórico neste ano. Até o dia 23, as compras e vendas de ações no mercado à vista movimentaram R$ 1,505 trilhão, acima do R$ 1,490 trilhão de 2010, de acordo com dados da BM&FBovespa. Entre os papéis mais negociados estão Vale, Petrobras, Itaú e Bradesco. Quando se consideram os mercados de opções e a termo, o ano de 2011 também bate recorde histórico. Com

Em 2012, quatro feriados em sextas.

O

governo federal divulgou, ontem, no Diário Oficial da União, a relação de feriados nacionais e pontos facultativos para 2012. Segundo portaria assinada pela ministra Miriam Belchior, do Planejamento, quatro feriados cairão em sextas-feiras: Paixão de Cristo (6 de abril), Independência do Brasil (7 de setembro), Nossa Senhora Aparecida (12 de outubro) e Finados (2 de novembro). Destes, apenas o feriado da Semana Santa é considerado facultativo para órgãos públicos federais. Ao todo, serão 16 datas, sendo oito feriados nacionais

16 datas comemorativas estão no calendário de feriados divulgado pelo governo. Em oito dias, o ponto dos servidores é facultativo. e oito pontos facultativos. Não entram na lista datas municipais ou estaduais. De acordo com Marcel

economia do mundo – conforme foi divulgado ontem pelo jornal britânico The Guardian – e que o objetivo era ultrapassar a França para se tornar a quinta maior economia do planeta. Mas não estipulou um prazo para esta nova colocação no ranking. (Reuters)

Solimeo, economista chefe e superintendente institucional da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), as datas comemorativas não devem afetar diretamente os lojistas, mas elas acabam por atingir a "produtividade como um todo", principalmente a da indústria. Turismo – "Locais com foco no turismo podem ser beneficiados. A cidade de São Paulo sofre sempre um esvaziamento em datas como essas, o que acaba afetando um pouco as vendas por impulso. Mas o que é essencial, o consumidor acaba comprando de uma forma ou de outra", disse Solimeo.

mais esses dois segmentos de negociação, o volume financeiro total da bolsa chega a R$ 1,6029 trilhão até o dia 23, pouco acima do R$ 1,6027 trilhão do ano passado. Pessoas físicas – Por conta da crise na Europa, que aumentou a volatilidade do mercado acionário, muitas pessoas físicas saíram da bolsa brasileira. A participação desses investidores nos negócios ficou em 21,5% em 2011, até o dia 23, ante 26,4% no ano passado. Foi o menor percentual desde 2002. (AE)

crise do sistema financeiro internacional de 2008, somada aos períodos de recessão ou de baixo crescimento no Reino Unido e de expansão no Brasil nos últimos quatro anos, precipitou a chegada do País ao posto de sexta maior potência econômica, superando os britânicos. O dado, ainda não oficial, foi revelado pelo jornal The Guardian e se baseia em análises e projeções de especialistas do Centro para Pesquisa Econômica e Negócios (CEBR, sigla em inglês), de Londres. A mudança é a segunda mais importante do ano: no primeiro semestre, a China já havia passado o Japão. O ranking elaborado pelo CEBR coloca, pela ordem, Estados Unidos, China, Japão, Alemanha e França nas cinco primeiras posições. Aí surge a mudança: enfraquecido por um ritmo de crescimento baixo, avaliado pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) em 0,9% em 2011, o Reino Unido não consegue mais competir com o Brasil, mesmo que o Produto Interno Bruto (PIB) do País registre ampliação modesta, de 3% neste ano, bem inferior à projeção inicial. Segundo o CEBR, o PIB do Brasil deve fechar o ano em 1,61 trilhão de libras (US$ 2,51 trilhões, em números de hoje), enquanto o do Reino Unido não superará 1,58 trilhão de libras (US$ 2,48 trilhões). A ultrapassagem deve se consolidar nos próximos anos, já que as projeções indicam crescimento de 0,5% em 2012 e de 1,8% em 2013 para os britânicos – sempre inferior ao ritmo brasileiro. Europeus – Os dados do CEBR confirmam as análises ao longo do ano de dois outros institutos, o Economist Intelligence Unit (EIU) e o Business Monitor International (BMI), além do Fundo Monetário Int e r n a c i o n a l ( F M I ) . To d o s apontam a tendência: o Brasil, assim como Rússia e Índia, ultrapassará os quatro maiores mercados europeus – Alema-

nha, França, Reino Unido e Itália – nesta década. Ao superar os britânicos, a economia brasileira está no meio do caminho, à frente também da Itália, superada em 2010, e já colada na da França. Futebol – De acordo com o diretor-executivo do CEBR, Douglas McWilliams, as causas do declínio são evidentes: a crise da Europa, somada ao alto endividamento no bloco e à necessidade premente de reduzir déficits e dívidas, leva a políticas de austeridade que desaceleram o crescimento e precipitam a ascensão dos grandes emergentes. "O Brasil tem batido os países europeus no futebol há muito tempo, mas ultrapassá-los no campo da economia é um fenômeno novo", disse McWilliams ao Guardian. Para o economista, a produção de matérias-primas beneficia Brasil, Rússia e Índia, como também a China. O resultado é que, até 2020, o ranking de maiores economias será completamente alterado em relação ao início do século: os Brics ocuparão a segunda, a quarta, a quinta e a sexta posições, respectivamente com China, Rússia, Índia e Brasil, dividindo espaço com Estados Unidos, a primeira potência, e Japão, a terceira. Na Europa, que enfrenta a mais grave crise desde 1929, a notícia foi recebida com misto de admiração pelas conquistas do Brasil e de amargura pela má fase da União Europeia. Em Paris, o jornal Le Monde dedicou reportagem ao "aumento da potência do Brasil". Em Londres, o Financial Times foi realista: "Na realidade, ainda há muito trabalho para ser feito. Todos os Brics ainda estão muito atrás em PIB per capita", disse o periódico, lembrando as posições dos quatro países no ranking do Banco Mundial – todos a partir do 50º lugar. Como de praxe entre britânicos, a notícia foi recebida com pitada de rivalidade. A manchete do Daily Mail ignorou o Brasil e afirmou: "Economia britânica deve superar a da França em cinco anos". (AE)

Focus mostra IPCA de 5,33% no ano que vem

A

expectativa do mercado de inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2012 caiu de 5,39% para 5,33%, de acordo com a pesquisa Focus divulgada ontem pelo Banco Central (BC). Essa foi a quarta semana consecutiva de queda nas projeções dos analistas para o IPCA. Já para 2011, a estimativa para o índice oficial de inflação voltou a crescer, passando de 6,52% para 6,54%. Apesar do teto da meta de inflação ser 6,5%, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, considera que patamares infe-

riores a 6,55% deverão ser arredondados para baixo. Ainda segundo a pesquisa Focus, a taxa Selic no fim de 2012 deverá ser de 9,5%, como previsto na semana anterior. A projeção de mercado suavizada para o IPCA 12 meses à f re n t e c a i u d e 5 , 4 0 % p a r a 5,33%, de acordo com o relatório. Segundo a pesquisa, a estimativa para o IPCA de 2012 no médio prazo dada pelas instituições com maior índice de acerto (TOP5) caiu de 5,36% para 5,27%. Já para 2011, a previsão desses analistas aumentou de 6,48% para 6,52%. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14 -.ECONOMIA/LEGAIS

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

e Gargalo rodoviário prejudica logística Levantamento realizado pelo Comus mostrou que a maior parte dos órgãos anuentes do Porto de Santos funciona apenas das 7h às 17h.

conomia

Plano para o transporte de carga utilizar horários ociosos nas vias que levam ao Porto de Santos, como a Piaçaguera-Guarujá, é apresentado na ACSP. Renato Carbonari Ibelli

Fotos: Paulo Pampolin/Hype

A

logística de cargas no Estado de São Paulo esbarra na dificuldade de mobilidade. A maior parte das vias está saturada e é consenso que os investimentos para ampliação da oferta de rodovias não acompanha o crescimento da demanda por elas. Um paliativo para essa situação seria equacionar melhor a utilização das estradas, tornando-as atrativas em períodos nos quais elas estão com capacidade ociosa. Essa possibilidade foi apresentada na última quarta-feira durante reunião do Conselho dos Usuários dos Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo (Comus), da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Durante a reunião, Milton Xavier, assessor de planejamento da Secretaria Estadual de Logística e Transporte, apresentou um levantamento mostrando, por exemplo, que a PiaçagueraGuarujá – via fundamental para entrada e saída de produtos do País por meio do Porto de Santos – é pouco utilizada das 20 horas às 6 horas da manhã. Por outro lado, a partir das 6 horas, até o início da janela ociosa, a via, em ambos os sentidos, fica completamente saturada. Situação semelhante acontece na Anchieta, outra via de importância ímpar para o comércio exterior, mas que não comporta mais o tráfego que recebe. A descida da Anchieta – sentido Baixada Santista – é o ponto mais crítico. Embora esse sentido esteja saturado em quase todos os horários, foi identificada uma pequena janela ociosa que vai da meianoite às 4 horas. Vale lembrar que as cargas de exportação dependem exclusivamente dessa via para serem embarcadas em Santos, uma vez que os caminhões são proibidos de

Milton Xavier, da Secretaria Estadual de Logística e Transporte, à esquerda: "janela" noturna para cargas.

descer pela rota alternativa da Imigrantes. O estudo encabeçado por Xavier fez o monitoramento diário – ao longo de 219 dias, excluindo fins de semana e feriados – do fluxo de veículos pelas principais vias que levam à Baixada Santista. O mapeamento foi realizado entre novembro de 2010 e outubro de 2011. José Cândido Senna, coordenador geral do Comus, lembrou que o estudo está em consonância com o projeto do Porto 24 Horas, a principal linha de ação do conselho da ACSP. O Porto 24 Horas versa pela possibilidade de funcionamento ininterrupto dos entes públicos e privados que operam no Porto de Santos, agilizando a importação e exportação. "O mapeamento das rodovias nos possibilita mostrar às empresas que operam a cadeia logística no estado que é possível cadenciar o fluxo das mercadorias, utilizando melhor os horários de reserva de capacidade das estradas", disse Senna. Utilizando os horários de reservas de capacidade das rodo-

vias um exportador do interior do estado poderia programar melhor a escala de seus caminhões que seguem com destino ao Porto de Santos. Xavier concordou em realizar um estudo mais amplo para o Comus, mapeando os horários ociosos nas

rodovias de maior importância para o comércio exterior, como a Anhanguera e a Bandeirantes. Porém, para criar o interesse entre os exportadores e empresas de transporte em operar nesses horários alternativos é preciso que as operações do Porto de

Santos mudem de perfil. Hoje, em Santos, apenas a interação entre o navio atracado e o cais é que funciona ininterruptamente. Ou seja, não adiantaria nada os caminhões encontrarem vias livres em horários alternativos se não puderem descarregar as cargas ao chegarem no porto. Levantamento realizado pelo Comus mostrou que a maior parte dos órgãos anuentes do Porto de Santos funciona apenas das 7h às 17h. No caso de autarquias ligadas a ministérios, como as da Agricultura, Saúde, Fazenda e Transporte, o funcionamento é das 8h às 17h. Ou seja, mesmo que as cargas cheguem ininterruptamente ao porto, seu desembaraço não teria a mesma agilidade. Sem essa agilidade, as cargas de importação acabam armazenadas um longo tempo nos terminais portuários, concorrendo por espaço com as cargas de exportação. Em média, os contêineres de importação permanecem 17 dias nos terminais molhados de Santos. Destaca-se que o Porto 24 horas é uma proposta emergencial, para solucionar em curto prazo

os gargalos logísticos de Santos sem grandes interferências na infraestrutura já existente no porto. Segundo Xavier, para o longo prazo o problema pode ser aliviado com projetos de melhor aproveitamento da malha ferroviária. Entre os projetos ele destaca um realizado pela Rumo Logística para transportar carga de açúcar por ferrovias desde Itirapina, passando por Campinas até Santos. De acordo com Xavier, a Rumo está em busca de recursos de investidores para iniciar o projeto. Por fim, ele cita a conclusão do tramo norte do Ferroanel, projeto público que envolve um trecho de 60 quilômetros, que, segundo Xavier, já deve ter em janeiro o projeto de engenharia terminado para então ter os custos definidos. A obra deve durar três anos na sua visão. "Esses projetos tirariam 3.185 mil caminhões diariamente da descida da Anchieta, o trecho mais crítico analisado, deixando o fluxo de veículos nele abaixo do ponto de saturação da via", disse Xavier.

Omapeamento das rodovias nos possibilita mostrar às empresas que é possível cadenciar o fluxo das mercadorias, utilizando melhor a capacidade das estradas. JOSÉ CÂNDIDO SENNA, DO COMUS

Exportações batem recorde

A

EUROPETRO PARTICIPAÇÕES SA

Cidade de Deus - Companhia Comercial de Participações CNPJ no 61.529.343/0001-32 - NIRE 35.300.053.800 Assembleia Geral Extraordinária Edital de Convocação

Convidamos os senhores acionistas desta Sociedade a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária, a ser realizada no próximo dia 9 de janeiro de 2012, às 11h, na sede social, Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, Salão Nobre do 5 o andar, Prédio Vermelho, a fim de examinar proposta do Conselho de Administração para aumentar o Capital Social no valor de R$430.000.000,00, elevando-o de R$8.293.000.000,00 para R$8.723.000.000,00, mediante a emissão de 161.654.135 novas ações ordinárias, nominativas-escriturais, sem valor nominal, ao preço de R$2.660,00 por lote de mil ações, para subscrição particular pelos acionistas no período de 11.1 a 13.2.2012, na proporção de 2,432182223% sobre a posição acionária que cada um possuir na data da Assembleia (9.1.2012), com integralização à vista, de 100% do valor das ações subscritas, em 8.3.2012; Documentos à Disposição dos Acionistas: este Edital de Convocação e a proposta do Conselho de Administração encontram-se à disposição dos acionistas na sede da Sociedade e no Departamento de Ações e Custódia do Banco Bradesco S.A., Instituição Financeira Depositária das Ações da Sociedade, Cidade de Deus, Prédio Amarelo, Vila Yara, Osasco, SP. Cidade de Deus, Osasco, SP, 26 de dezembro de 2011. Lázaro de Mello Brandão Presidente do Conselho de Administração. 27, 28 e 29.12.11

CNPJ/MF nº 13.224.463/0001-89 NIRE 35.300390326 Extrato de Ata da Assembleia Geral Extraordinária Data e Horário: 16/11/ 2011 às 10:00 horas. Local: Sede -Rua Barra do Tibagi, 682 – 1. Andar – São Paulo-SP. Presença: Acionistas representando a totalidade do capital social. Ordem do Dia: (i) Deliberar e votar sobre o Balanço Patrimonial e as Demostrações Financeiras relativas ao exercício social findo em 31/12/2010. (ii) Aumento do Capital Social com consequente alteração do Estatuto Social. (iii)Demais assuntos de interesse da sociedade. Deliberações tomadas por unanimidade: 1)Observado o disposto em Lei , foram aprovadas as contas da administração e as Demonstrações Financeiras referentes ao exercício findo em 31/12/2010. 2) Resolvem aumentar o capital da sociedade em R$ 4.900.000,00 (quatro milhões e novecentos mil reais) mediante emissão de 4.900.000 (quatro milhões e novecentas mil) novas ações, ao preço de R$ 1,00 (Hum real) por ação, sendo 80.000 (oitenta mil) ações ordinárias nominativas e 4.820.000 (quatro milhões, oitocentos e vinte mil) ações preferenciais nominativas, as quais serão subscritas pelos acionistas e integralizadas até 30/06/2012. 3) Em decorrência do aumento do capital acima deliberado, o Artigo 5. do Estatuto Social passará a vigorar com a seguinte redação: “Artigo 5” – “O capital social é de R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais), dividido em 135.000 (cento e trinta e cinco mil) ações ordinárias nominativas no valor de R$ 135.000,00 (cento e trinta e cinco mil reais) e 4.865.000 (quatro milhões, oitocentos e sessenta e cinco mil) ações preferenciais nominativas no valor de R$ 4.865.000,00 (quatro milhões, oitocentos e sessenta e cinco mil reais). Ata reg. e arquivada na JUCESP em 16/12/2011 sob n. 501.140/11-6.

s exportações brasileiras ultrapassaram, pela primeira vez, a marca de US$ 250 bilhões neste ano, de acordo com dados divulgados ontem pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O volume recorde de US$ 250,3 bilhões, registrado entre janeiro e a quarta semana de dezembro, é 24% superior ao observado em todo o ano passado. A soma total registrada em 2010 havia sido de US$ 201,9 bilhões. A corrente de comércio (soma das exportações com as importações), de janeiro até a quarta semana de dezembro, chegou a US$ 473,8 bilhões, um

Sobe desemprego na França

O

COOPERATIVA DE CRÉDITO MÚTUO DOS EMPRESÁRIOS DE CAMPINAS – SICOOB-CREDIACIC (ACICOOP) EDITAL DE AVISO E CONVOCAÇÃO A Cooperativa de Crédito Mútuo dos Empresários de Campinas – SICOOB-CREDIACIC (denominada anteriormente de ACICOOP) convoca todos aqueles que comprovadamente quitaram, via boleto bancário emitido ao portador nos anos de 2007 a 2008, uma ou mais parcelas para integralização de cotas do capital social da entidade, mas não totalizaram o valor mínimo de uma cota, para comparecerem ou se comunicarem com a CREDIACIC (Av. José Paulino, 1.111, f. (19) 2511.2005), no prazo de 30 dias contados a partir da publicação do presente edital, a fim de resgatar dos valores pagos ou complementar a quantia necessária à integralização da cota, apresentando, para tanto, os respectivos comprovantes de pagamento, sendo que o não comparecimento no prazo ora estipulado será tido como manifestação volitiva de recusa à integralização da cota e desinteresse na admissão ao quadro de cooperados.

volume que também é recorde – 23,5% superior ao registrado em todo o ano de 2010 (US$ 383,6 bilhões). O saldo da balança comercial (diferença entre exportações e importações) neste ano é positivo em US$ 26,8 bilhões. Apenas na quarta semana de dezembro, entre 19 e 25, o Brasil exportou US$ 5,29 bilhões e importou US$ 4,55 bilhões, o que resultou em saldo positivo de US$ 740 milhões. No acumulado do mês , a balança comercial tem saldo positivo de US$ 870 milhões, com US$ 16,4 bilhões em exportações e US$ 15,5 bilhões em importações. (ABr)

número de pessoas buscando emprego na França subiu em novembro, segundo informou ontem o Ministério do Trabalho, em mais um sinal de que a segunda maior economia da zona do euro está sendo fortemente atingida pela crise da dívida no bloco e a desaceleração da atividade global. O total de pessoas buscando emprego na categoria A (apenas no território continental) avançou para 2.844.800 em novembro, um aumento de 1,1% na comparação com outubro e de 5,2% ante novembro do ano passado. Incluindo os territórios ultramarinos – como a Guiana e a Ilha Reunião, no Oceano Índico – o número de desempregados buscan-

do trabalho teve um avanço mensal 0,9%, para 3.080.500 em novembro. Prazo curto – O aumento nas taxas de desemprego, que atingiram 9,1% no segundo trimestre, enfraquece ainda mais a posição do governo, com a aproximação da campanha eleitoral no ano que vem. O presidente Nicolas Sarkozy, que deve disputar a reeleição, tem somente mais um mês para cumprir sua promessa de trazer a taxa de desemprego para 9% antes do final do ano. Segundo as pesquisas mais recentes do instituto nacional de estatísticas Insee, o governo não atingirá a meta, já que o desemprego deve subir novamente em dezembro, atingindo 9,2%. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

15

O iPhone 4S é somente um dos inúmeros smartphones top de linha que invadiram o mercado nesses últimos tempos.

nformática

Os tops pós-Natal Natal já passou, mas sempre é tempo de (se) presentear quando o assunto é smartphone "top" – principalmente para quem não dispensa as tecnologias mais recentes. Último a chegar no mercado brasileiro, o iPhone 4S já dá o que falar – tanto pelo

O

assistente pessoal Siri embarcado como pelas imensas filas que se formaram no dia do lançamento para adquirir o aparelho. Entretanto, o telefone da empresa da maçã é somente um dos inúmeros smartphones top de linha que invadiram o mercado nesses últimos tempos.

Ao lado dele, estão nas prateleiras ótimas pedidas como o Nokia N9, que utiliza sistema MeeGo, o robusto Milestone 3 e o – quem diria – divertido BlackBerry Torch 9860. Para descobrir qual a melhor opção entre os equipamentos de ponta, o DC Informática avaliou os quatro campeões de venda.

VEJA NOSSAS IMPRESSÕES MOTOROLA MILESTONE 3 O Milestone 3 é praticamente um PC de mão. Muito robusto, o smartphone é quadrado, feio, mas é pau para toda obra. Roda vídeos sem tropeçar, permite acesso à internet rapidamente (o conjunto de aplicativos do Android, com vasta gama de serviços Google é um diferencial) e tem ainda um ótimo teclado físico, especialmente indicado a usuários que não gostam de escrever no touchscreen (embora ele tenha o recurso de toque na tela também). A autonomia de bateria é um dos pontos fortes com relação a outros Android: chega a durar 3 dias no modo econômico, que desliga os softs automaticamente, até mesmo durante uma transmissão por streaming. Preço: R$ 1.800. Pontos positivos: robusto, realiza várias tarefas ao mesmo tempo sem pestanejar. Pontos negativos: quadradão e feio; poderia ter mais opções de personalização.

BLACKBERRY TORCH 9860 O Torch 9860 alia o apelo empresarial da série BlackBerry (com criptografia militar na transferência de dados e pacote de escritório profissional, com criados de planilhas e de documentos) com uma inesperada diversão. Isso porque o modelo é touchscreen e a nova interface implementada pela fabricante RIM lembra muito a dos equipamentos Android. Os ícones do smartphone podem ser acessados por meio de telas que são arrastadas na vertical e na horizontal. Com um clique, imediatamente o bom telefone acessa o aplicativo desejado. A câmera é de 5 Mpixel (mais fraca entre as avaliadas), pode filmar em HD e tem flash de LED. Preço: R$ 1.300. Pontos positivos: muito seguro, ótimo pacote de aplicativos profissionais. Pontos negativos: câmera mais fraca entre os avaliados, poucos apps disponíveis em sua loja online.

IPHONE 4S Com design praticamente idêntico ao iPhone 4, o 4S tem um processador extremamente rápído (é o A5, o mesmo que equipa o iPad) e ótima câmera de 8 Mpixel. Ele tem também bons aplicativos para multimídia e nunca "engasga". Basicamente, o usuário pensa, ele responde. Nesse caso, quase que literalmente – o maior atrativo é o assistente pessoal Siri. Trata-se de um sisteminha que reconhece comandos de voz e dá repostas afiadas a qualquer que seja a pergunta (até mesmo a questões filosóficas). Por enquanto, funciona somente em inglês. Para quem domina o idioma, vale muito a experiência. Preço: R$ 3.400 (versão mais cara). Pontos positivos: Siri, o assistente pessoal, boa câmera e pacotes de software. Pontos negativos: Preço alto e poucas mudanças no design com relação à outra versão.

NOKIA N9 O Nokia N9 é, sem dúvida, o melhor smartphone da empresa finlandesa desde há muito tempo. A tela de 3,9 polegadas é 100% touchscreen – o que, aliás, é um atrativo no telefone, que conta somente com três botões físicos em seu exterior. Ele é rápido realizando qualquer operação, principalmente as multimídias, como filmando, tirando fotos (com a câmera de 8 Mpixel) ou reproduzindo vídeos. Outros dois itens que chamam a atenção no telefone é a vasta gama de apps que acompanham o modelo: há softwares dedicados a mídias sociais (Facebook, Twitter, Youtube, FlickR), além de bons aplicativos de escritório (leitores de documentos) e jogos divertidos (a versão avaliada pela reportagem foi cedida com o Angry Birds). A autonomia de bateria é um atrativo a parte: com Wi-Fi ligado, o equipamento durou mais de quatro dias sem pedir recarga. Preço: R$ 1.700. Pontos positivos: Excelentes atributos de hardware; tela cristalina, que reproduz multimídia com perfeição. Pontos negativos: a versão avaliada era em um azul horrível.

ACESSÓRIOS

PERIFÉRICOS

Nikon com troca de lentes

n Mesinha que resfria o laptop verão vem com força total e os notebooks esquentam muito se funcionarem o dia inteiro em ambientes não refrigerados. O Cooler Table, da Multilaser, é uma solução para acomodar os portáteis e mantê-los resfriados. É uma mesa dobrável, fácil de montar e de ser levada para qualquer lugar pois, ao ser fechada, ocupa apenas 33 centímetros. Tem dois coolers, superfície texturizada, mouse pad e partes em metal. Suas pernas duplas são ajustáveis a quatro níveis de altura, e a inclinação vertical automática facilita na hora de abrir a mesa. Por R$ 130.

O

gora que a loja iTunes, da Apple, foi liberada no Brasil, os consumidores brasileiros poderão baixar à vontade suas músicas preferidas. A amplificação do som dos iPhones, iPads e iPods ganha qualidade com esta dockstation Ambience, da Sharper Image. O dock recarrega e toca os gadgets e pode ser conectado aos televisores para permitir a visualização de vídeos e filmes armazenados nos equipamentos, inclusive em full HD. A dock possui dois alto-falantes de 20 W de potência, combinados com um subwoofer integrado e controle remoto e comporta diferentes tipos de gadgets. Por R$ 1.000, na www.indieshop.com.br

A

Nikon lançou mundialmente sua nova família de câmeras Nikon 1 – V1 e J1 – cujo diferencial é a possibilidade de intercambiar lentes, mas mantendo um design leve e minimalista. Com elas, é possível fotografar até 60 quadros por segundo com toque de um botão. O obturador de alta velocidade permite que se capture a imagem enquanto se grava um vídeo em full HD. O modo Foto em Movimento une duas imagens (gravada e fotografada) para fazer uma foto que se move. O display de LCD é de 3 polegadas e o sensor de 10.1 MP. Os modelos vêm nas cores branca, rosa, vermelha, prata e preta. Preço: R$ 3.500.

A

GADGETS

Som do iTunes amplificado

CÂMERAS

Mouse e teclado do futuro mouse e teclado de vidro temperado e com design elegante são desenvolvidos pela Giddings Product Development que está utilizando o site Kiskstarter para conseguir investidores e colocar os produtos em produção comercial. Os produtos possuem uma base de metal onde são acopladas câmeras que captam os movimentos do mouse e das teclas utilizando luz infravermelha. Os equipamentos não possuem partes móveis, são wireless e carregados com baterias de lithium polímero. Para adquirir o conjunto, o consumidor paga US$ 350. Só o mouse custa US$ 150 e o teclado US$ 250. Na semana passada, o site já contabilizava 472 pessoas interessadas e US$ 122,4 mil doações feitas para o projeto. http://www.kickstarter.com/projects/ 1116966310/multi-touch-keyboard-and-mouse

O


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Segundo pesquisa da Cisco, sete em cada dez profissionais no âmbito global admitem violar políticas de segurança de TI frequentemente. nformática

Um perigo para as empresas Pesquisa demonstra que os jovens são vítimas de roubos de identidade e admitem violar políticas de TI BARBARA OLIVEIRA uso cada vez mais frequente de smartphones conectados, tablets e notebooks dentro e fora das empresas têm levado os profissionais, principalmente os jovens, a ignorarem as regras de segurança pessoal e corporativa. A pesquisa Connected World Technology, encomendada pela Cisco e realizada em 14 países, inclusive no Brasil, constatou que um em cada quatro jovens profissionais e universitários é vítima de roubo de identidade antes dos 30 anos de idade. Um resultado mais grave ainda revela que sete em cada dez profissionais no âmbito global – ou seja, 70% dos entrevistados – admitem violar políticas de segurança de TI frequentemente e alegam que não estão fazendo nada de errado: 28% dos brasileiros e 33% da média mundial pensam assim. O gerente de desenvolvimento de negócios de Borderless Networks da Cisco Brasil, Ghassan Dreibi, observa que o estudo internacional foi focado em pessoas que "adoram" a internet e a mobilidade e estão entrando no mundo corporativo. Essas pessoas não respeitam muito a segurança e nem as regras impostas pelas empresas. "São jovens muito acostumados com a tecnologia e têm a percepção de que não estão fazendo nada de errado, até porque acham que a empresa já se protege e eles podem fazer o que quiser". A pesquisa revela atitudes surpreendentes em relação a políticas

O

de TI e as crescentes ameaças de segurança que surgem com a próxima geração de profissionais que entrará no mercado de trabalho, um grupo demográfico que cresceu com a internet e possui um estilo de vida cada vez mais sob demanda, com acesso á internet, mídias sociais e liberdade no uso de dispositivos móveis, misturando atividades pessoais e profissionais no local de trabalho. O Cisco Connected World Technology demonstra que o dese-

jo á informação está tão impregnado nesses jovens que eles apelam a medidas extremas para acessar a internet, mesmo que isso comprometa sua empresa ou sua segurança pessoal, como usar secretamente as conexões sem fio de vizinhos, sentar-se na frente das companhias para entrar em redes wi-fi gratuitas e emprestar dispositivos a outras pessoas e sem supervisão. "Eles não percebem que estão fazendo

algo de ruim porque nasceram com toda essa tecnologia disponível, por isso as empresas precisam adotar mecanismos de proteção", afirma Dreibi. Pelo estudo, um em cada três jovens deu uma resposta negativa quando perguntado se respeita seu departamento de TI. Foram entrevistados 2.800 profissionais e universitários de 14 países que representam economias de rápido crescimento, entre eles o Brasil. Foram 100 participantes de cada país. Um em cada cinco (22%) citou a necessidade de acessar programas e aplicativos não autorizados para realizar seu trabalho, enquanto 19% admitiram que as políticas não são fiscalizadas esse índice foi de 6% no Brasil. Entre os brasileiros pesquisados, 22% afirmaram que "esqueceram" de obedecer as regras da empresa ou que seus chefes não estavam vigiando (14%). Dois em cada três (67%) entrevistados dos demais países disseram que as políticas de TI precisam passar por modificações para lidar com as demandas reais por mais flexibilidade no trabalho. O estudo da Cisco foi feito pela InsightExpress, dos Estados Unidos, para compreender como as empresas devem equilibrar necessidades corporativas e gestão de riscos com o comportamento e as expectativas da próxima geração de colaboradores. Mais detalhes no site h t t p : / / w w w. c i s c o . c o m / g o / connectedreport

Sergio Kulpas sergiokulpas@gmail.com

Social Commerce

O

encontro (ou fusão) do comércio eletrônico com as redes sociais é apontado como uma das maiores transformações do varejo em 2011, e essa tendência deve continuar em 2012, com força cada vez maior. Comerciantes de todos os tamanhos estão cada vez mais conscientes da importância de sites como o Facebook e Twitter em seus negócios. A firma britânica de comércio social Bazaarvoice acaba de publicar o estudo Social Commerce Trends Report 2012, destacando quatro fatores-chave que devem impulsionar o crescimento desse setor no próximo ano. Esses fatores foram debatidos durante um evento promovido pela empresa em outubro, reunindo líderes de agentes importantes como Facebook, Dell, John Lewis e várias outras empresas de tecnologia e varejo. 1) A internet social é uma mudança de paradigma. Graças ao surgimento dos canais digitais, o modo como as pessoas compram foi alterado de modo profundo e irreversível. Em poucos anos, o marketing de varejo passou de mensagens controladas pelas marcas para um mundo onde os consumidores detém cada vez mais poder, em uma oferta crescente de canais. A procura por produtos nos sites de busca ainda é importante, mas o tempo gasto com isso cresceu apenas 1%, enquanto o tempo nas redes sociais subiu 50%. 2) Os dados sociais revelam os motivos por trás das compras. As opiniões de amigos são a fonte mais confiável para as decisões de compras – segundo o estudo, 90% dos consumidores confiam em recomendações de seus amigos nas

redes sociais, comparado com 14% que confiam na publicidade dos produtos. Para as empresas, a importância estratégica de ouvir as opiniões sobre os produtos nas redes sociais nunca foi tão grande. 3) O foco no consumidor exige uma transformação cultural e organizacional. Os sites sociais aproximam as empresas de seus clientes – as pessoas que realmente se interessam, pesquisam, compram e usam os produtos e serviços. Vivemos hoje uma transição crítica: da distribuição generalizada para a comunicação personalizada, da marca para o consumidor, das mídias tradicionais para as mídias colaborativas. A coletivização do varejo exige um novo foco dos negócios. As empresas, mais do que nunca na história, terão que destinar a maior parte de seus investimentos, tempo e talento para entender e atrair os consumidores. 4) O contexto é o fator dominante nos dados sociais. Colocar as redes sociais em seu contexto correto para cada empresa deve ser a principal preocupação do varejo em 2012. Segundo Erin Nelson, executivo de marketing da Bazaarvoice, contextualizar os dados das redes sociais vai além de uma mera estratégia de negócios. O impacto das redes sociais no varejo é uma mudança de grande porte entre as empresas e os clientes, em um nível pessoal e individual. O estudo completo da Bazaarvoice pode ser baixado gratuitamente no endereço abaixo: h t t p : / / w w w. b a z a a r v o i c e . c o. u k / r e s o u r c e s / r e s e a r c h / social-commercetrends-report-europe2012?Aid=70150000000PIpY


Diário do Comércio