Issuu on Google+

Gol X Legacy Euler Paixão/Hype

154 mortos

Quem estava no controle não sabia inglês

O que o governo fará com R$ 1 triLeão?

Só um dos cinco controladores do ar foi condenado pela Justiça Militar pela tragédia da Gol. O terceiro-sargento Jomarcelo, sem "proficiência em inglês" para orientar a tripulação do Legacy, pegou 1,2 ano de prisão. Página 10

"É um direito de todos cobrar o bom uso desse dinheiro, que deveria ser investido na saúde, na educação...", disse ontem Alencar Burti, presidente da ACSP, durante o registro do número pelo Impostômetro. Economia, pág 15

Wagner Meier/AE

Ano 86 - Nº 23.235

Conclusão: 23h50

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Metrô Lilás descarrila em licitação suspeita O governador Goldman se rendeu à denúncia de que os vencedores da licitação da linha Lilás do Metrô, concluída semana passada, já eram conhecidos da Folha de S. Paulo desde abril. Suspendeu obras e ordenou investigação. Pág. 5 Evilazio Bezerra/AE

O adeus ao senador Tuma, o eterno xerife Romeu Tuma (PTB-SP), que nunca deixou de ser policial, morre aos 79 anos, em São Paulo. Pág. 8 Patrick Stollarz/AFP/9/7/2010

O jogo está 56% a 44% para Dilma

Morre Paul, o polvo oráculo, que terá estátua na Alemanha

No final do 2º tempo da campanha, o placar do Datafolha dá vitória para Dilma, o mesmo resultado obtido no dia 21. Para Serra, o jogo não acabou. Pág. 7

Molusco ficou mundialmente conhecido depois de acertar resultados de vários jogos da Copa. Logo, pág. 14

Marcos Mendes/LUZ

Adek Barry/AFP

Forca para o rosto internacional de Saddam Ex-ministro tem 30 dias para apelar da decisão. Página 13 HOJE Parcialmente nublado Máxima 25º C. Mínima 13º C.

AMANHÃ Parcialmente nublado Máxima 28º C. Mínima 11º C.

ISSN 1679-2688

23235

9 771679 268008

O Brasil que o inglês Blair quer ver Ao lado de Alencar Burti, ex-premiê fala sobre vantagens da Copa e da Olimpíada para o País. Economia, pág. 17

Terremoto, tsunami e lava de vulcão castigam um único país: a Indonésia. Vulcão Merapi matou 19. E o tsunami, mais de cem. E este é um balanço inicial. Pág. 13


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Foi um bordejar eleitoral sem tréguas, sem fim e sem muita cautela. José Márcio Mendonça

pinião

IVONE ZEGER

SENTENÇAS QUE AFETAM A TODOS

C

omo todo mundo que já se envolveu em alguma ação judicial deve saber, a lei é, em muitos casos, uma questão de interpretação. E essa interpretação é feita pelo juiz, que de acordo com seu conhecimento, com a sua sensibilidade e o entendimento dos fatos que lhe foram apresentados, reflete, analisa, pondera e decide – é isso que chamamos de "julgar". Quando um julgamento realizado por um tribunal de justiça estadual e por instâncias superiores, como o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF) resulta em uma sentença inédita, costuma-se dizer que o fato "abriu um precedente" ou, então, que "criou jurisprudência". Isso significa que a decisão poderá indicar uma tendência a ser seguida por outros juízes ao julgarem casos semelhantes.

importante notar que, antes de se tornar uma tendência do Judiciário, as decisões que dão origem a precedentes costumam refletir tendências da própria sociedade - que os juízes mais sensíveis à cultura na qual vivem e ao povo ao qual servem acabam por acompanhar. Vejamos alguns exemplos dessas decisões proferidas recentemente – e como elas podem nos afetar. 1) Divorciada pode receber a pensão previdenciária do ex-marido? Imagine a seguinte situação: uma mulher, divorciada há vários anos toma conhecimento da morte de ex-marido e ingressa com ação judicial para requerer a pensão previdenciária do falecido. Ela tem esse direito? Segundo a Quarta Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, tem sim, mas com uma condição: ela tem de provar que era dependente financeiramente dele. No caso em questão, embora a mulher alegasse que sua renda mensal era insuficiente para garantir sua sobrevivência, os juizes entenderam que a dependência não foi comprovada, pois ela não recebia pensão alimentícia quando o ex-marido estava vivo. Por decisão unânime do Tribunal, é preciso provar a dependência econômica em relação ao ex; não basta alegar dificuldades financeiras. 2) O pai que deve pensão alimentícia pode ser incluído no SCPC? O pai que deixa de pagar pensão alimentícia aos filhos pode ter os bens bloqueados e até ser forçado a usar seu fundo de garantia para saldar a dívida. Pode, também, parar na cadeia. A novidade é que, agora, o pai devedor também corre o risco de ter seu nome incluído no SCPC (Serviço Central de

É

As decisões da Justiça que dão origem a precedentes costumam refletir tendências da sociedade, que os juízes mais sensíveis acabam por acompanhar.

Proteção ao Crédito). O precedente foi aberto por uma decisão inédita do Tribunal de Justiça de São Paulo e a medida já está sendo adotada pelos tribunais de Goiás e Pernambuco. Vale lembrar quem tem o nome inscrito no cadastro de devedores do SCPC não pode obter empréstimos em instituições financeiras nem abrir crediários em lojas, entre outros problemas. 3) Um padrasto pode adotar a (o) enteada (o) ? O padrasto ou a madrasta podem adotar os enteados desde que o pai ou mãe biológicos do menor tenham falecido, sejam desconhecidos ou tenham perdido o poder familiar. Agora, suponha que o pai de uma criança vá para o exterior e deixe de ter contato com o filho ou a filha durante vários anos: seria motivo para perder o poder familiar, dando ao atual marido o direito de adotar a criança? O Tribunal de Justiça de São Paulo entendeu que sim. Os juízes permitiram que um policial civil adotasse a filha de 10 anos de um relacionamento anterior de sua mulher. Ele ingressou com ação no TJ de São Paulo, que lhe deu ganho de causa por entender que a adoção atendia aos interesses da menor. O pai biológico recorreu ao Superior Tribunal de Justiça, que manteve a decisão do TJ. Ao proferir seu voto, a relatora do recurso no STJ, Nancy Andrighi , disseque o alicerce do pedido de adoção reside no estabelecimento de relação afetiva mantida entre o padrasto e a criança. Citando o teólogo Leonardo Boff, a ministra afirmou que "o modo de ser cuidado revela de maneira concreta como é o ser humano. Sem cuidado, ele deixa de ser humano". ue a decisão sirva de alerta aos que acham que ser pai ou mãe é questão de engravidar alguém ou ficar grávida. É muito mais do que isso, como deixou claro a ministra e os demais juízes que julgaram o caso.

Q

IVONE ZEGER É ADVOGADA, CONSULTORA JURÍDICA EM DIREITO DE

FAMÍLIA E SUCESSÃO, AUTORA DOS LIVROS "HERANÇA: PERGUNTAS E RESPOSTAS" E "COMO A LEI RESOLVE QUESTÕES DE FAMÍLIA" WWW.PARASABERDIREITO.COM.BR

UMA CAMPANHA PARA ESQUECER

A

contar de hoje, quarta-feira, teremos ainda quatro dias de falação eleitoral, com tudo a que os candidatos têm direito: discursos, promessas, propaganda, um debate, seis pesquisas, uma dezena de carreatas e passeatas, comícios – com todo o vazio, a falsa ironia e certas grosserias desse período de caça aos eleitores. É a mais longa campanha eleitoral de que se tem notícia no Brasil, no ar desde os idos dos fins de 2008, quando, do lado do governo, apagou-se a chama – nunca confessada mas ardorosamente desejada – do sonho de um terceiro mandato consecutivo; e, do lado da oposição, ascenderam à liderança o então governador eleito de São Paulo, José Serra, e o governador reeleito de Minas Gerais, Aécio Neves. Foi um bordejar eleitoral sem tréguas, sem fim e sem muita cautela. Confirmando, aliás, a impressão – quase certeza – de que vivemos um clima sem fim de busca dos eleitores. Saímos de uma eleição municipal e imediatamente mergulhamos numa eleição estadual e federal, em um moto contínuo. Podemos ter certeza de que, na segunda-feira, o circo das prefeituras já estará abertamente nas ruas. E o circo federal estará aquecido nos bastidores, com seus jogos de esgrima e os seus golpes por debaixo da mesa. Já há presidenciáveis de 2014 com o bloco na rua (mais de um) e nominá-los

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA não exige muita argúcia política nem informações privilegiadas e de bastidores. Façamos um jogo de adivinhação, somente pelas iniciais: LS, AN, MS e EC. Desta campanha, desta eleição, muita coisa ainda será dita, mas uma coisa é inegável: é um exemplo. Não um exemplo a ser seguido, mas a nunca ser copiado. Nem na primeira eleição presidencial direta, em 1989, depois da saída da ditadura dos generais, tivemos tanto e tantas coisas a lamentar em matéria de incivilidade política. E, infelizmente, se não com o beneplácito, com a omissão da Justiça Eleitoral, como bem observou o ministro Marco Aurélio de Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF) e também componente do colegiado do Tribunal Superior

Eleitoral (TSE). Como faria um Chacrinha às avessas, bacalhau neles. Não na platéia, mas nos atores que estão no palco. O espetáculo de desrespeito à lei chegou quase ao paroxismo. O presidente da República despiu-se de todos os pudores para envolver-se na campanha como um cabo eleitoral qualquer. Sem se preocupar, até ironizando, os poucos puxões de orelha – via multas – que lhe passou a Justiça Eleitoral. Na esteira do mau exemplo, primeiro a candidata oficial, e depois o principal concorrente oposicionista, esbaldaram-se em agir à margem das normas. Só os dois e mais o presidente acumulam, juntos, cerca de 30 punições oficiais. E seguem impávidos.

O espetáculo de desrespeito à lei chegou quase ao paroxismo. O presidente da República despiuse de todos os pudores para envolver-se na campanha como um cabo eleitoral qualquer.

O tom dos debates, se podemos chamar o que se viu de debate, transcorreu entre o insípido e com boas doses de Dormonid até o entusiasmo das plateias de uma rinha de briga de galos, ressalvada a ausência de palavrões. Se formos tentar descer às grandes questões nacionais, ao que os candidatos pensam e ao que propõem, de fato, objetivamente, estaremos mergulhando num poço sem fundo, caindo num buraco negro. No máximo, promessas de pouca convicção e de exequibilidade duvidosa. E onde não há nada, cabe de tudo depois das eleições. Ninguém poderá cobrar, porque não há compromissos fechados – apenas vagas afirmações em tese.

J

á vimos um pouco de tudo nesses 21 anos, desde que Fernando Collor de Mello inaugurou este jeito de fazer campanha no Brasil – uma mistura de marketing com cara de pau. Nunca como agora, porém, o brasileiro foi reduzido à insignificância que os políticos, com alguma exceção, o tratam: no cotidiano, um contribuinte; em época de urnas, um possuidor de título eleitoral. Cidadão, só por acaso. É uma campanha para esquecer. Seria de graça sonhar com dias melhores, com a reforma política que anda na boca de todos. Não, porém, com a representação popular que saiu das urnas deste outubro. Se houver mudança, é para permanecer como está. JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

Fundado em 1º de julho de 1924 Presidente Alencar Burti Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto, Antonio Carlos Pela, Arab Chafic Zakka, Carlos Roberto Pinto Monteiro, Claudio Vaz, Edy Luiz Kogut, Gilberto Kassab, Guilherme Afif Domingos, João de Almeida Sampaio Filho, João de Favari, José Maria Chapina Alcazar, Lincoln da Cunha Pereira Filho, Luís Eduardo Schoueri, Luiz Roberto Gonçalves, Moacir Roberto Boscolo, Nelson F. Kheirallah, Roberto Macedo, Roberto Mateus Ordine, Rogério Pinto Coelho Amato, Sérgio Antonio Reze

CONSELHO EDITORIAL Alencar Burti, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo, Márcio Aranha e Rogério Amato Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro (aribeiro@dcomercio.com.br) Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Kleber Gutierrez, Marcus Lopes, Rejane Aguiar e Tsuli Narimatsu Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Giseli Cabrini e Sérgio Siscaro Repórteres: Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André Alves, Fátima Lourenço, Fernanda Pressinott, Geriane Oliveira, Ivan Ventura, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mário Tonocchi, Neide Martingo, Patrícia Büll, Paula Cunha, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vanessa Rosal, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Comercial Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações José Gonçalves de Faria Filho (jfilho@acsp.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Globo e Reuters Impressão Diário S. Paulo Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3344, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3030 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

o

pinião

3

INVENTOR DO COMPUTADOR TERIA SIDO O FÍSICO AMERICANO JOHN ATANASOFF.

A invenção do computador PAULO BRITO

É

enorme o número de inventores não reconhecidos pela mídia ou pela sociedade como responsáveis por descobertas que transformaram nossas vidas. Até com Santos Dumont isso aconteceu. Para nós, ele é o pai da aviação, mas isso não é unanimidade – os americanos dizem que os inventores do avião foram os irmãos Wilbur e Orville Wright. Por outro lado, é pequeno o número de pessoas que reconhece o brasileiro Roberto Landell de Moura como inventor do rádio – não o rádio do italiano Guglielmo Marconi, que transmitiu bipes de código Morse. O de Moura podia transmitir voz e música, tal como o rádio de hoje. Agora, a escritora Jane Smiley concluiu que o inventor do computador foi o físico americano John Atanasoff, e por isso escreveu The Man Who Invented the Computer: The Biography of John Atanasoff, Digital Pioneer (em português, "O homem que inventou o computador: John Atanasoff, pioneiro digital", Doubleday, 256 páginas). Não é a primeira obra sobre o cientista: outros livros já foram escritos sobre ele. De fato,

Atanasoff, um cidadão americano nascido na Bulgária, projetou e iniciou a construção de um computador eletrônico no início dos anos 40. Poderia tê-lo concluído e desenvolvido mais se não tivesse sido convocado para trabalhos como o projeto de minas e outros dispositivos bélicos para o governo americano, durante a 2ª guerra mundial. Só em 1973, depois de uma longa batalha judicial, seu invento foi reconhecido. Atanasoff, que morreu 22 anos depois, em 1995, era físico e dava aulas dessa disciplina na Universidade de Iowa, nos EUA. Sua invenção nasceu em 1937, num guardanapo de papel de um bar, numa estrada entre Iowa e Illinois. Quando conseguiu construir a máquina, quase seis anos depois, ela media 1m80 de comprimento e 1m de altura por outro tanto de profundidade. Nada parecido a um computador de hoje, seja pelo tamanho, seja pela capacidade.

O

trabalho de Atanasoff foi de fato pioneiro. Ele fez mesmo o primeiro computador eletrônico. E era um computador digital, ou seja, funcionava baseado na lógica binária, que pode ser considerada o pulo do gato para a computação. Num sistema binário só existem dois estados – ligado e desligado, um e zero, sim e não, preto e branco. Simples assim. O nosso sistema de contagem tem, para começar, dez algarismos diferentes. Muito complicado para o computador que, afinal, é bem burrinho: no fundo, no fundo, só sabe fazer somas e subtrações. Mas com a rapidez dele, usa essas operações para tornar possíveis todos os outros cálculos. Mas se Atanasoff não conseguisse desenvolver essa máquina, provavelmente algum outro cientista conseguiria, porque muitos estavam envolvidos em pesquisas desse tipo, por duas razões: pela descoberta de novos conhecimentos e para ajudar seus países no esforço de guerra. Na Alemanha, por exemplo, em 1941, Konrad Zuze conseguiu inventar também um computador. Esse era eletromecânico, cheio de fios e relês. A máquina fazia vários tipos de cálculos e exibia os resultados por meio de uma fita perfurada. Ao mesmo tempo, os pesquisadores Presper Eckert e John Mauchly trabalharam nos

EUA no desenvolvimento de outra máquina, o Eniac, que acabou reconhecido como o primeiro computador eletrônico digital. Mas ficou pronta apenas em 1946, depois que a 2ª guerra mundial já havia terminado. Outra vantagem: eles patentearam a invenção, coisa que Atanassof não fez.

D

e todo modo, atribuir a uma só pessoa a invenção de uma coisa complexa como o computador é um risco. É como escrever um trabalho acadêmico e não citar outros autores. Ou mais ou menos como dizer que todo o conhecimento contido no trabalho seria de uma só pessoa, seu autor. Os computadores, na verdade, estão sendo desenvolvidos há séculos. A primeira pessoa que pensou seriamente no assunto foi o inglês Charles Babbage, que projetou uma "máquina analítica" e apresentou seus estudos em 1833. A máquina nunca foi construída, porque sequer a eletrônica havia sido inventada e a eletricidade ainda engatinhava. O próprio Babbage, ao pensar em memória para sua máquina, valeu-se da invenção do francês Joseh Marie Jacquard – os cartões perfurados das máquinas de tecelagem, que determinavam o desenho dos tecidos. De lá para cá, a idéia de construir uma máquina capaz de calcular absolutamente tudo desenvolveu-se até o que conhecemos hoje. A falta de reconhecimento pelo trabalho de Atanasoff acontece especialmente porque, além de não ter patenteado seu invento,

seu trabalho foi interrompido.

D

epois da guerra, ele trabalhou no desenvolvimento de sismógrafos e outros equipamentos, mas não se envolveu na computação – a não ser processando as empresas Honeywell e Sperry Rand por causa da patente das memórias de computadores (na época, memórias magnéticas). Mas foram necessárias milhões de outras invenções para o computador transformar-se no que conhecemos hoje: aparelhos que cabem numa mesa, numa pasta ou no bolso da camisa, todas com um poder espantoso. Como Atanasoff, Santos Dumont também não patenteou o avião, enquanto os irmãos Wright fizeram isso. Pode não parecer, mas isso faz diferença, tanto para o desenvolvimento comercial de uma invenção quanto para a sua história. Como prova a de Atanasoff. PAULO BRITO É JORNALISTA, GRADUADO EM ECONOMIA E MESTRE EM COMUNICAÇÃO E SEMIÓTICA

Os computadores estão sendo desenvolvidos há muito tempo. O inglês Charles Babbage projetou uma "máquina analítica" e apresentou seus estudos em 1833. A máquina nunca foi construída, porque sequer a eletrônica havia sido inventada e a eletricidade ainda engatinhava .

COMO TRATAMOS NOSSAS TROPAS S

ó podemos torcer para que os esforços de paz no Afeganistão, ainda bem preliminares, deem fruto logo. Mas, diante da evidência de que os Estados Unidos estão deixando seus propósitos de grandeza e até de decência escorrerem pelos dedos, tudo o que precisamos fazer é olhar para a forma como tratamos nossas próprias tropas. A ideia de que os Estados Unidos estão em guerra e que os cidadãos americanos estão prestando pouca atenção à carga terrível que recai sobre seus homens e mulheres de uniformes é bem mais que assustadora. Nos empolgamos com Lady Gaga e com os malucos do Tea Party. Estamos interessados nos jogos de futebol americano, nas finais do beisebol e em nossos twets obsessivamente narcisistas. Mas os soldados norte-americanos lutando e morrendo no estrangeiro? Isso é tão enfadonho... Eu traria de volta as tropas imediatamente. Assim não teríamos essas guerras que duram a vida toda. E nem tragédias impressionantes, como a morte do sargento de primeira classe Lance Vogeler, de 29 anos, foi morto há poucas semanas, enquanto servia no Exército, durante sua 12ª temporada de combate. Isso mesmo, sua 12ª – quatro delas no Iraque e oito no Afeganistão. Vogeler era casado e pai de duas crianças. Sua esposa está esperando a terceira. Doze temporadas pode até ser algo raro, mas temporadas seguidas – três, quatro, cinco – são completamente normais. Não temos voluntários suficientes para lutar nessas guerras infinitas. Os norte-americanos são bons em pôr adesivos em carros e adoram ir a eventos esportivos e demonstrar seu patriotismo gritando "U-S-A! U-S-A!". Mas realmente, vestir um uniforme e ir para o combate? Não, obrigado. Esta é uma ideia curiosa, mas verdadeira: com as guerras vêm as responsabilidades. O moedor de carne que é a guerra executa sua tarefa de muitas formas e deveríamos estar prestando muita atenção em todos os aspectos dela. Em vez disso, enviamos nossos membros das Forças Armadas para o combate – e depois que eles partem, estão fora de nossa vista e de nossas mentes. Se estivéssemos mesmo interessados, teríamos tomado conhecimento de que um número recorde de soldados está se matando. Neste ano, no mínimo 125 deles cometeram suicídio até agosto;

BOB HERBERT não é algo que possa ser ligado e desligado como um interruptor. É uma carga potencialmente fatal, que exige atenção e diversos cuidados. As pessoas não deveriam ser expostas a ela se houver alguma alternativa possível. As guerras no Afeganistão e no Iraque têm sido fiascos memoráveis. Para continuá-las sem levar seriamente em conta os horrores enfrentados por nossas tropas e suas famílias é simplesmente errado. um ritmo terrível que, se continuar, vai ultrapassar a alta histórica do ano passado: 162. Soldados estressados, deprimidos e desanimados estão procurando ajuda para suas dificuldades mentais num ritmo que está soterrando a capacidade dos profissionais disponíveis. E pode apostar que há um número ainda maior de soldados com problemas que não estão procurando ajuda. Nas zonas de guerra, medicamos os soldados com problemas e os enviamos de volta ao combate, entupindo-os de antidepressivos, pílulas para dormir, remédios contra a ansiedade e Deus sabe que outros tipos de medicação. Um das coisas que sabemos há muito tempo sobre as guerras é que os problemas acompanham os soldados até em casa. A revista The Times publicou na semana passada um artigo de Aaron Glantz, um repórter da agência de notícias The Bay Citizen, em São Francisco, que focou o extraordinário aumento de mortes entre os veteranos do Afeganistão e do Iraque.

Esses jovens morreram, escreveu Glantz, "não somente como resultado de suicídio, mas também de acidentes de carros e de moto, overdoses de drogas ou de outras causas, depois de terem sido dispensados das Forças Armadas". Uma análise dos atestados de óbitos mostrou que, entre 2005 a 2008, mais de mil veteranos da Califórnia morreram com menos de 35 anos. Esse número é três vezes maior do que o número de soldados da Califórnia que foram mortos no Afeganistão e no Iraque durante o mesmo período. Os veteranos das duas guerras têm duas vezes e meia mais probabilidade de cometer suicídio do que pessoas da mesma idade que não serviram às Forças Armada. Eles tinham duas vezes mais probabilidade, informou Glantz, "de morrerem em acidentes de carro e cinco vezes e meia mais risco de morrerem em um acidente de moto". A aflição que as guerras impõemàs pessoas

A

guerra no Afeganistão, a mais longa em nossa história, começou em 7 de outubro de 2001. Ela está agora em seu 10º ano. Depois de todo esse tempo, de todo o sangue derramado, e de todas as vidas perdidas, ainda não está claro o que estamos fazendo. Osama bin Laden não foi encontrado. O exército afegão não se sustenta por si mesmo. Não se pode confiar em nossos aliados no Paquistão e nosso homem em Cabul é, na melhor das hipóteses, estranho. Uma sociedade boa e humana não continuaria mandando os seus jovens para esse caldeirão. William Shakespeare nos disse para "não ter medo da grandeza". Neste momento, estamos agindo como se estivéssemos apavorados. BOB HERBERT É COLUNISTA DO THE NEW YORK TIMES TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4 -.GERAL

Giba Um

3 Os

nostálgicos admiradores da ex-apresentadora Mara Maravilha, 42 anos, hoje cantora gospel, podem revê-la toda nua.

gibaum@gibaum.com.br

k Depois de um grande escândalo, sempre vem outro maior. «

No Brasil, quanto mais se reza, mais assombração aparece.

ROBERTO GURGEL // procurador-geral da República, sobre a corrupção que assola o país. Fotos: Paula Lima

Assinantes da TV paga estão se divertindo com os filmetes da série Green Porno, interpretada e dirigida por Isabella Rossellini, exibidos na programação do canal Max (HBO). A série foi lançada em 2008 nos Estados Unidos e mostra episódios eróticos focados no sexo dos animais, onde ela aparece vestida de abelha, mosca e aranha. A idéia é retratar de maneira educativa os jogos de sedução e métodos de acasalamento das espécies em questão.

MISTURA FINA 333 JOSÉ Maria Eymael, candidato à Presidência pelo nanico PSDC, está conclamando seus correligionários a votarem em Dilma. Agora vai!

333 NERVOSISMO à parte, a quantidade de erros de pronuncia e de concordância cometidos por Dilma Rousseff, no debate de segunda-feira, serviu para mostrar que pupila que se preza imita, sempre e o mais possível, seu padrinho. Ela já tentou fazer um intensivo de língua presa, só que o resultado não foi lá essas coisas.

UM DOS trunfos apresentados na campanha de José Serra, os medicamentos genéricos estão completando 10 anos no Brasil e comemorando a marca de R$ 17 bilhões economizados pelos consumidores brasileiros desde o começo da década, de acordo com a Pró-Genéricos. Em média, os genéricos são 40% mais baratos.

333

Com conhecidos nomes do fashion world protagonizando campanhas publicitárias, aumenta a guerra no mercado brasileiro de lingerie, que cresceu 5% no ano passado, com 650 milhões de peças e um faturamento próximo de R$ 2 bilhões. As confecções apostam em peças que criam o diferencial: a Duloren lança sutiãs com bojos numerados, a Loungerie avança com camisolinhas e as modelos Fernanda Tavares e Fernanda Motta estrelando seus lançamentos (esquerda) e Kate Moss comanda a nova investida da Valisère, insistindo nas cinta-ligas.

Camisolinha e cinta-liga

333

Agora, Daspi Enquanto a Daslu, que inspirou a versão criada pela ONG Davida, tenta sobreviver através de recuperação judicial, a Daspu negocia com investidores a abertura de rede de lojas próprias em bairros nobres do Rio, começando por Ipanema e Leblon. Se der muito certo, no ano que vem, pode começar a pensar no mercado paulista. Mais: na cola da idéia da Daspu, internos do famoso Instituto Pinel começam, igualmente, a produzir algumas peças de vestuário – e a marca é Daspi .

ADRIANO, o ex-imperador, está de folga do Roma e já pode ser visto nas baladas da noite carioca. Ele prefere as mais populares, de onde sai às cinco da manhã e sempre com três candidatas à maria-chuteira do lado. 333

333

h

h IN

Camiseta com estampa geométrica.

OUT

Camiseta com frases em inglês.

Dilma é a Weslian de Lula “Dilma não é Dilma, é uma invenção oportunista: Dilma é a Weslian do Lula”. A definição é da atriz Maitê Proença, a Stela da novela Passione, em seu blog, onde anuncia seu apoio à candidatura de José Serra, depois de ter apoiado Marina Silva no primeiro turno. “A grande diferença está na experiência de tocar o barco”, assinala Maitê, disparando, em seguida, sua metralhadora giratória contra Michel Temer, vice de Dilma. “Tenho muito medo da corja do PMDB de Michel Temer tomando conta do Congresso. A corrupção que deitou e rolou durante o governo vigente é um passeio no parque perto do que virá com essa gente no poder”. 333

Solução

I

A modelo GG, Tara Lynn, 28 anos, está em São Paulo fotografando para uma confecção de lingerie e na sessão de fotos, devido aos tecidos transparentes, quase ficou nua. O que para ela não é problema: em março, ela apareceu totalmente sem roupa nas páginas da revista Elle francesa, embora escondendo as regiões estratégicas. Além disso, já sabe que Hugh Hefner mandaria pagar o cachê que pedisse para mostrar tudo nas páginas de Playboy. Além de Tara, Crystal Renn e a brasileira Fluvia Lacerda também estão ganhando muito dinheiro. 333

lesbão entrou para a História como o rei negro e católico da nação etíope do século VI ao reagir contra a perseguição aos cristãos impulsionando a propagação da fé entre os povos vizinhos. Mais tarde, abdicou do trono para viver como eremita até morrer, em 555.

333

O O S O I CA A R O G R O

ROLIÇA EM ALTA

E

GREEN PORNO

L A O S

Uma verdadeira legião de empresários, dirigentes esportivos e políticos foram abraçar o ex-governador de São Paulo e ex-presidente do São Paulo F.C. (foi o criador do estádio do Morumbi), Laudo Natel, 90 anos, no Museu da Casa Brasileira, em São Paulo, esta semana, no lançamento do livro Laudo Natel – Um Bandeirante, de Ricardo Viveiros, publicado pela Imprensa Oficial do Estado. Entre tantos, estava o autor de novelas Benedito Ruy Barbosa, 79 anos. Para quem não sabe ou tem memória curta: Benedito começou sua carreira como jornalista esportivo e, durante anos, foi o principal homem de comunicação de Laudo. 333

Santo Elesbão

A

Outros tempos

Há um novo romance no ar: de um lado, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, 79 anos, viúvo e, de outro, a ministra Ellen Gracie, 62 anos, que namorou durante mais de um ano o jornalista e produtor Roberto D’ Ávila, 61 anos. O veterano colunista social de Brasília, Gilberto Amaral, foi o primeiro a informar o love affair e nenhum dos envolvidos desmentiu. FHC, à propósito, foi quem nomeou Ellen Gracie para o Supremo Tribunal Federal. Ou seja: o anunciado romance entre FHC e Patricia Scarlat, 40 anos, secretária executiva do Instituto Fernando Henrique Cardoso, não deve ter durado muito. 333

C A A D U B O A M A R OR

A ex-modelo Angela Birmarchi, recordista nacional de cirurgias plásticas (mais de vinte) e primeira brasileira a sair totalmente nua no desfile das escolas do Rio, quer virar escritora e prepara o lançamento de Os meus 10 mandamentos do amor escritos no monte de Vênus. Vai falar e dar dicas sobre sexo – “uma coisa que precisa ser ensinada” – do começo ao fim. Um conselho: “Durma pelada, não finja orgasmo e faça sexo 30 vezes por mês (essa regra vale também para fevereiro)”. Outro: “Dorsal, frontal, oral. Tudo no sexo que termina em al é normal”. 333

333

Love is in the air

D

ABC DO SEXO

Em qualquer pelada de rua na periferia, quem manda mesmo é o dono da bola. Desde a explosão do escândalo Erenice (e mais ainda agora, depois que ela confessou que havia mentido), Lula vem se comportando como o dono da bola, em relação ao comitê da campanha de sua pupila e mesmo em relação ao governo dela, caso vença. Antes, discutia com Dilma Rousseff nomes para os principais postos: nas últimas semanas, bate a mão na mesa – e está decidido. Na Casa Civil, não quer desestruturar o que está montado, mantendo Miriam Belchior e Clara Ant e dando a cadeira principal para Antonio Palocci (e essa idéia, a candidata não gosta). E depois da derrota de Aloizio Mercadante em São Paulo, Lula quer vê-lo na presidência da Petrobras, enterrando o sonho de Dilma de colocar no lugar de José Sérgio Gabrielli sua favorita Maria das Graças Foster.

A bola é minha !

27 de Outubro

P S N E N C I E R D U BA N O O MB I S A CU S I O E I G T O V O T T O R A T J U L A

Demitido da Secretaria Nacional de Justiça por suposto envolvimento com a máfia chinesa, terá sido mesmo Romeu Tuma Jr. (indicado para o cargo por José Eduardo Cardozo) quem gravou conversas em seu gabinete, incluindo o desabafo atribuído a Pedro Abramovay, atual titular da secretaria, que virou capa de Veja. Quando deixou o cargo, Tuma Jr., sentindo-se abandonado, já era visto como um homembomba. De lá pra cá, resolvera permanecer ao lado de seu pai, que não se reelegeu. Na semana passada, Tuma Jr. foi informado que o estado do senador era terminal. Agora, independente de quem vença no domingo, os petistas acham que novas gravações virão à tona. 333

São Paulo acaba de ganhar a primeira loja-conceito da C&A, no Shopping Iguatemi, em nova investida da rede holandesa no mercado brasileiro: projeto arrojado, design de interiores moderno e uma noite de largada onde se misturavam conhecidas figuras do mundo da moda e do showbiz. Da esquerda para a direita: Paulo Borges e Glória Coelho; Carol Ribeiro e Ana Beatriz Barros (as duas e Isabeli Fontana estão na nova campanha de lançamento de coleções); Fernanda (Amor & Sexo ) Lima; Milena Toscano (Araguaia) e Guilhermina Guinle (Ti-ti-ti); e a DJ Lara Gerin. 333

Noite de largada

MAIS: numa banca de sebos, no centro velho de São Paulo, um exemplar de Playboy, de 1990, está à venda por R$ 90.

A T E S AN S L A A N AV E M AN T A L U R B A

Festa de gravações

3

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

QUEM melhor observar os mais recentes discursos de Lula, verá que ele adotou um novo comportamento antes de deitar sua falação no microfone: tira um lenço do bolso e limpa o bocal do equipamento. Detalhe: o lenço é esterilizado.

Por: José Nassif Neto Forte emoção passageira.

Rodante de borracha dos veículos.

Título de Barão, em inglês.

Atento; gentil.

Ocupante de cargo eclesiástico.

Valiosa; preciosa.

333

É UMA das principais anotações da agenda de Franklin Martins, futuro ministro das Comunicações, se Dilma levar: no começo do ano que vem, SBT e Rede TV! enviarão toda a papelada necessária para a renovação de suas concessões, que vencerão em agosto de 2011. Atualmente, é a Bandeirantes que está em fase de renovação, que não sairá até o novo governo ser empossado. Saindo, a Band poderá funcionar até 2022, mesma data estipulada para Globo e Record.

Troféu do maior prêmio do cinema.

Bichopapão.

Eliminou. Guarnição de roda de caminhão. Laçada. Canoa para lavar diamante.

Sanduíche. (pop.) Único.

Comer pouco; petiscar.

Objeto da Cálcio, símbolo mais alta químico. aspiração.

Incriminado.

Embarcação de grande porte.

Um, em algarismo romano.

Iniciais de internet gratis.

Consoantes de balão. Célula Material feminina. para atar Manifesta- fraturas ção falada. ósseas.

Hábito vestido por religiosa.

Escolha através de eleição.

Joule, símbolo de física.

Muito querido. Orlando Azevedo, fotógrafo.

Etiqueta.

Aduladora.

País cuja língua falada é o laociano.

Urânio, símbolo químico.

Energia, símbolo da física.

333

Colaboração: Paula Rodrigues,Alexandre Favero

Conhecida também como Iansã. (candomb.)

Urânio, símbolo químico.

(394) 2-só; nó; 3-sir; oiá; 4-baco; ogro; 5-amado; baniu.

Rita Reword, cantora. Fiasco; gafe.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

5 100% TOLERÂNCIA Erenice Guerra foi protegida e governo acusou a imprensa pelas denúncias

olítica

Metrô: Serra entra em campo contra suspeição

O

candidato do PSDB à Presidência da República, José Serra, defendeu ontem a suspensão dos contratos assinados pelo governo de São Paulo na quartafeira passada para a construção de lotes da linha 5 (lilás) do metrô na capital paulista. De acordo com Serra, é preciso investigar as denúncias publicadas na edição de ontem no jornal Folha de S.Paulo, segundo as quais, o processo de licitação dos lotes teria tido irregularidades e os consórcios vencedores já teriam sido escolhidos seis meses antes. "Já não há mais licitação porque o contrato foi assinado semana passada, mas (o contrato) teria que ser suspenso. Tem algo rolando e acho que o governo estadual deveria promover uma investigação suspendendo o andamento", afirmou, após se reunir com oito deputados da bancada do PV da Assembleia Legislativa de São Paulo que declararam apoio à sua candidatura. Serra sugeriu que pode ter havido "entendimento" entre as construtoras que venceram a licitação. Ele lembrou que o metrô suspendeu o processo em abril deste ano e mandou as empresas concorrentes refazerem os preços. A decisão ocorreu três dias depois que a Folha de S.Paulo registrou os nomes dos vencedores em cartório.

TOLERÂNCIA ZERO Tucanos se baseiam em denúncias da imprensa para agir e suspender contratos

Suspeitas sobre a licitação do contrato da linha 5 (lilás) indicam que pode ter havido entendimento entre as construtoras vencedoras. Serra usa o caso para se diferenciar de Dilma. E diz que o Metrô agiu 'impecavelmente' ao exigir preço menor.

Wagner Meier/AE

"Eu lembro, não era mais governador, que o metrô inclusive anulou uma concorrência porque não gostou dos preços apresentados e exigiu diminuição nos preços, o que ocorreu na outra licitação", comentou. "Portanto, do ponto de vista dos custos, o metrô atuou impecavelmente. Se houve ou não entendimento entre os construtores é uma questão que, a meu ver, tem que ser in-

vestigada", disse. Na avaliação dele, se as investigações comprovarem a fraude, a licitação terá que ser revista. Serra ironizou também sua adversária, a candidata do PT, Dilma Rousseff, depois que a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra confessou à Polícia Federal (PF) ter se reunido com o consultor Rubinei Quícoli, da EBRB, que negociava um contrato com o Banco Nacional de Desenvolvimento

Econômico e Social (BNDES) e que ele teria sido pressionado a pagar uma comissão aos filhos e assessores de Erenice. "Pelo menos agora a candidata Dilma não vai atribuir à imprensa, como fez. Ela atribuiu o que tinha acontecido na Casa Civil a uma invenção da imprensa do ponto de vista eleitoral. Pelo menos agora ele não vai poder fazer isso", criticou. Apoio – Sobre o apoio que recebeu de deputados da bancada do PV da Assembleia, Serra disse ter ficado grato, principalmente porque os parlamentares daquele partido colaboraram na elaboração na Lei de Mudanças Climáticas do Estado. "Tem um significado importante para nós, eleitoral, mas também ideológico e psicológico, uma vez que nós estivemos identificados aqui em São Paulo com a defesa do meio ambiente", comentou. "É uma aliança em função do meio ambiente e da governabilidade", disse Serra. O líder da bancada do PV na Assembleia, Edson Giriboni, ressaltou que a bancada está 100% com Serra. "Viemos aqui pessoalmente, em nome de todos os deputados da bancada verde, declarar o apoio efetivo a Serra em função de sua visão ambiental", afirmou. Confiança – O senador eleito por Minas Gerais Aécio Neves (PSDB) disse ontem, em Salvador, acreditar que "existe

Serra tenta marcar o gol da vitória em visita ao estádio do Maracanã, que está em obras para a Copa de 2014

um movimento silencioso" no Brasil, formado por eleitores indecisos, que pode dar a vitória ao candidato à Presidência de seu partido, José Serra, na eleição do domingo. "Existe uma grande quantidade de pessoas que não votou nem em Serra nem em Dilma no primeiro turno e que ainda não definiu seu voto", avalia. "Essa parcela do eleitorado, em torno de 20%, atua como pêndulo, ora propenso a votar no candidato da oposição, ora no do governo, e vai definir seu voto nesses últimos dias. É agora que esse eleitor está fi-

Existe um movimento silencioso, formado por eleitores indecisos, que pode dar a vitória a José Serra no domingo. AÉCIO NEVES xando sua atenção no processo eleitoral." Para ele, a semana final de campanha deve ser a mais de-

cisiva para o resultado da eleição. "Estamos em um grande mutirão. Estive em oito Estados nos últimos oito dias, em lugares onde os companheiros acham que a nossa presença pode, de alguma forma, trazer confiança, e agora temos uma longa agenda de viagens dentro de Minas Gerais. Além disso, temos um debate" Para Aécio o debate entre os presidenciáveis promovido pela Rede Record na segundafeira "foi, talvez, o mais duro, mas o Serra foi extremamente contundente, firme, e saiu em vantagem". (AE)

Apu Gomes/Folhapress

Governador paralisa processo e solicita duas investigações Processo de licitação é suspenso até que todas as denúncias sejam esclarecidas

O

governador de São Paulo, Alberto Goldman (PSDB), informou ontem que determinou a suspensão do processamento da licitação dos lotes de 3 a 8 da linha 5 (Lilás) do metrô. Ele também determinou à Casa Civil que solicite uma investigação por parte do Ministério Público Estadual e da Corregedoria-Geral do Estado. "Já li, já analisei, já verifiquei os vídeos, passei essa manhã toda a respeito dessa questão. [...] Mandei suspender o processamento do andamento da licitação. A licitação tinha terminado, nós assinamos os contratos na semana passada, mas as empresas ainda não receberam ordem de serviço. Então nós paralisamos o andamento dessas licitações. Não havia iniciado nenhuma obra, nenhum tostão foi gasto até agora. Paralisamos até que tudo possa ser esclarecido". Goldman não descartou a possibilidade de ter havido formação de cartel entre as construtoras vencedoras. "Isso sempre é uma possibilidade. Em qualquer licitação que se faça essa possibilidade sempre

A responsabilidade do Metrô, enquanto empresa pública, é garantir o menor preço e a qualidade técnica exigida para a obra. NOTA DO METRÔ

existe. Por isso é que se estabelecem preços-tetos. Aliás, na primeira licitação que foi feita e nós cancelamos, os preços todos estavam acima dos tetos, 30%, 40%, 50% acima dos tetos, e então foi refeito todo o processo licitatório". "Agora, se entre eles [empreiteiras] foi feito algum tipo de conluio nós não sabemos. O que temos convicção é que da parte do Poder Público não houve nenhuma intervenção nesse processo, a não ser dentro da legalidade", completou. O governador disse esperar que o caso não ressoe na campanha eleitoral. "Espero que não, já que a atitude nossa é

uma atitude imediata em cima de uma investigação e não vamos deixar absolutamente nada sem esclarecimento". Vencedores – O resultado da licitação foi conhecido previamente pela Folha de S.Paulo apesar de o Metrô ter suspendido o processo em abril e mandado todas as empresas refazerem suas propostas. A suspensão do processo ocorreu três dias depois do registro dos vencedores em cartório. O Metrô, estatal do governo paulista, afirma que vai investigar o caso. Os consórcios também negam irregularidades ou "acertos". O valor dos lotes de 2 a 8 passa de R$ 4 bilhões. A linha 5 do metrô irá do Largo 13 à Chácara Klabin, num total de 20 km de trilhos, e será conectada com as linhas 1 (Azul) e 2 (Verde), além do corredor São Paulo-Diadema da EMTU. Vídeo e cartório – A Folha de S.Paulo obteve os resultados da licitação no dia 20 de abril, quando gravou um vídeo anunciando o nome dos vencedores. Três dias depois, em 23 de abril, a reportagem também registrou no 2º Cartório

Em qualquer licitação essa possibilidade de cartel sempre existe. Por isso é que se estabelecem preços-tetos. ALBERTO GOLDMAN

de Notas, em SP, o nome dos consórcios que venceriam o restante da licitação e com qual lote cada um ficaria. O documento em cartório informa o nome das vencedoras dos lotes 3, 4, 5, 6, 7 e 8. Também acabou por acertar o nome do vencedor do lote 2, o consórcio Galvão/ Serveng, cuja proposta acabaria sendo rejeitada em 26 abril. A seguir, o Metrô decidiu que não só a Galvão/Serveng, mas todas as empresas (17 consórcios) que estavam na concorrência deveriam refazer suas propostas. A justificativa do Metrô para a

medida, publicada em seu site oficial, informava que a rejeição se devia à necessidade de "reformulação dos preços dentro das condições originais de licitação". Em maio e junho as empreiteiras prepararam novas propostas para a licitação. Elas foram novamente entregues em julho. No dia 24 de agosto, a direção do Metrô publicou no "Diário Oficial" um novo edital anunciando o nome das empreiteiras qualificadas a concorrer às obras, tendo discriminado quais poderiam concorrer a quais lotes.

Na quarta-feira passada, Goldman assinou, em cerimônia oficial, a continuidade das obras da linha 5. O nome das vencedoras foi divulgado pelo Metrô no dia seguinte. Eram exatamente os mesmos antecipados pela reportagem. Em nota, o Metrô de São Paulo informou que vai investigar todo o processo de licitação e as denúncias da Fol ha , mas reiterou que "a responsabilidade do Metrô, enquanto empresa pública, é garantir o menor preço e a qualidade técnica exigida pela complexidade da obra." (Folhapress)

TSE nega 7 pedidos de resposta a tucano Ministra do TSE alega que candidatos podem se defender nos programas eleitorais, mas ainda assim, concede direito de resposta a Dilma no programa de Weslian Roriz

A

ministra do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Nancy Andrighi negou sete pedidos de resposta feitos pela coligação do candidato à Presidência, José Serra, contra a propaganda eleitoral de Dilma Rousseff que ressalta a participação do tucano nas privatizações da Vale, da Telebras e da Light, e o acusa de querer privatizar o pré-sal

e a Petrobras. A ministra alega que o candidato que se sentir atingido pelas críticas pode esclarecer os fatos em sua própria propaganda eleitoral. "A natural competição entre os candidatos leva cada contendor a lançar mão dos recursos permissíveis pela legislação de regência, de modo a angariar a simpatia e a confiança dos eleitores", justificou.

Outros dois processos analisados pela ministra trataram de pedidos de Dilma contra o programa eleitoral da candidata ao governo do Distrito Federal, Weslian Roriz (PSC). No programa, um padre pede aos fiéis, durante a homilia, que não votem na petista alegando que o PT seria a favor do aborto. Além de proibir a exibição da propaganda, a

ministra concedeu o direito de resposta, pelo tempo de um minuto, para cada veiculação feita, nos programas de bloco de televisão da candidata ao governo do DF. Em outra decisão, o ministro Henrique Neves acolheu em parte pedido de resposta feito pela coligação de Serra contra a propaganda eleitoral de Dilma – que

afirmou que o TSE julgou procedente denúncia do PT e autorizou a Polícia Federal a investigar "crime de difamação do qual Dilma vem sendo vítima". Segundo o ministro, a afirmação "não corresponde à verdade e, como veiculada, imputa ao candidato condenação que não houve". Serra teve negado, ainda, outro direito de resposta.

Dessa vez, contra mensagens exibidas no programa eleitoral de Dilma no dia 15 de setembro. O tucano alegou que a propaganda continha informações que não eram verdadeiras, ao tratar de escolas técnicas no período em que foi governador e ao tratar da mobilização da força policial em greve na Universidade de São Paulo (USP).(ABr)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

O perfil gerencial dos dois não consegue tirá-los da caixinha de ficar discutindo números e tabelas. Marina Silva

olítica

Press Office/AFP

Dilma encara 36 graus para falar por 5 minutos Sol abrasador de Fortaleza não intimidou a petista, que até aceitou sair em carreata

A

Sol na cabeça: Dilma se protege com chapéu enfeitado com adesivos de sua campanha

Lula ironiza caso da bola de papel

O

presidente Luiz Inácio Lula da Silva aproveitou um discurso sobre mudanças climáticas para ironizar o incidente envolvendo o candidato tucano à Presidência, José Serra, no Rio de Janeiro, quando foi atingido com uma bola de papel e um rolo de fita crepe. Em solenidade no Palácio do Planalto, Lula comentava a política brasileira para redução do desmatamento quando fez uma referência ao caso, de forma truncada. "Vencemos uma etapa importante na discussão do clima", começou ele. "Aos poucos, vamos compreendendo que ninguém é melhor do que ninguém, que o governo não se tranca numa redoma de vidro e acha que quem não

concorda com o governo é contra. Portanto, o governo ia para a reunião (de clima), como se fosse de forma preventiva, com aquele negócio que a polícia de choque usa para não tomar bordoada ou papelote na cabeça". A plateia, formada em sua maioria, por funcionários públicos, riu. O próprio presidente deu uma risadinha de seu comentário. A declaração do presidente foi feita em uma reunião do fórum brasileiro de mudanças climáticas. No longo discurso de cerca de 30 minutos, Lula fez uma avaliação pessimista da convenção da Organização das Nações Unidas (ONU) sobre mudanças climáticas – a COP-16 (Conferência do Clima) marcada para dezembro, em Cancún, no México.

Antonio Cruz/ABr

Lula se refere aos escudos: "Aquele negócio que a polícia de choque usa para não tomar bordoada ou papelote na cabeça".

"Em Cancún, eu não espero que os grandes líderes compareçam. Eu acho que, como não tem acordo, é possível que nenhum deles queira se expor", disse ele, avisando que o Brasil estará presente para marcar sua "posição de vanguarda". Ele disse que duvida que a COP-16 reúna presidentes de países grandes como a COP15, que ocorreu em dezembro passado na Dinamarca, embora não tendo apresentado grandes resultados. O presidente lembrou dos problemas enfrentados na conferência do ano passado e criticou os Estados Unidos por não levarem propostas e metas de redução de emissão de CO2. "O Brasil era o único país que tinha evoluído e feito uma proposta e que estava disposto a cumprir suas metas. O restante, era cada um tentando desfazer os compromissos que tinham assumido algum tempo atrás. Os americanos não queriam fazer absolutamente nada", afirmou. Lula avisou que a meta estipulada pelo governo de redução de 80% de desmatamento até 2020 poderá ser antecipada em quatro anos. O presidente disse ainda que, apesar da falta de resultados globais, o Brasil deve se orgulhar do trabalho feito pelo governo na área. Segundo ele, a meta anunciada de redução de 80% do desmatamento no país até 2020 será antecipada em quatro anos. (AE)

ria chegar perto. Um forte esquema de segurança foi armado e nem à imprensa foi permitido se aproximar da candidata. Depois da visita relâmpago ao Ceará, Dilma seguiu, sem falar com os jornalistas, para Caruaru, no agreste pernambucano, onde estava prevista uma carreata para o final da tarde. O dia de campanha dela terminaria em Vitória da Conquista, no interior da Bahia, onde faria um comício. Hoje, Dilma deve permanecer em Brasília para participar das comemorações de aniversário do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Marina lamenta – A senadora Marina Silva (AC), excandidata do PV à Presidência Sérgio Neves/AE

Marina: "Não temos de ter um olhar só para o negativo"

Faltou no 1º turno? Pode votar Como o prazo de justificativa é de 60 dias, todo eleitor pode votar normalmente

I

ndependentemente de terem ou não votado no primeiro turno das eleições, no próximo domingo todos os brasileiros aptos a votar devem comparecer às seções eleitorais, informou o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Aqueles que não compareceram e nem justificaram a ausência poderão votar normalmente, pois o prazo de justificativa é de 60 dias a partir da data de cada turno da eleição. De acordo com o artigo 14 da Constituição, o voto no Brasil é obrigatório para todo cidadão alfabetizado com idade entre 18 e 70 anos que esteja em gozo de seus direitos políticos.

No primeiro turno, realizado no dia 3 de outubro último, o índice de abstenção registrado no País foi de 18,12%, ou seja, 24,6 milhões de pessoas deixaram de votar e deverão justificar o não comparecimento às urnas. Justificativa – O eleitor que deixou de votar no primeiro ou que não venha a votar no segundo turno da eleição terá dois prazos para justificar sua ausência: um de até 60 dias contados a partir do dia 3 de outubro (1º turno) e outro em até 60 dias a partir do próximo 31 de outubro (2º turno). O requerimento de justificativa deve ser dirigido ao juiz da

INTERARMAS

SEGUROS

Você preocupado apenas com

o seu SUCESSO! Fone: 11 2941 3121

artefatos em couro

ASSISTÊNCIA TÉCNICA AUTORIZADA • TAURUS • CBC • ROSSI • CZ • IMBEL • GLOCK • SMITH & WESSON

MOEMA - Av. Jurucê, 639 Tel.: (11) 5041-9702 SANTANA - Av. Cruzeiro do Sul, 3.079 Tel.: (11) 2950-1681 CENTRO - Rua Barão de Itapetininga, 293 Tel.: (11) 3255-2169 Rua São Bento, 7/11 Tel.: (11) 3242-5884

Precisão, Qualidade e Responsabilidade. Armas - Consertos - Munições - Documentações Al. Nothmann, 1.209 - São Paulo - SP - CEP 01216-001 Fone: (11) 3825-8779 - Fax: (11) 3826-8006

VISITE NOSSAS OUTRAS LOJAS

interarmas@uol.com.br

MASSIS

ESTACIONAMENTOS

www.darco.com.br

DC

DC

Seguro Automóvel, Residencial, de Vida, Saúde e Previdência. Temos Condições Diferenciadas para Saúde Empresa.

zona eleitoral onde o eleitor é inscrito, pessoalmente ou pelos Correios. A ausência a cada turno da eleição deve ser justificada individualmente e a pessoa que não votar em três eleições consecutivas, não justificar a ausência e não quitar a multa terá sua inscrição cancelada e poderá ser excluída do cadastro de eleitores. Voto em trânsito – Para este segundo turno, 76.528 eleitores se cadastraram – entre 15/7 e 15/8 – para escolher seu candidato fora de seu domicílio eleitoral. O voto em trânsito só é permitido para os cargos de presidente e vice-presidente da República. (Folhapress)

A maior loja de artefatos em couro e acessórios do Brasil

Precisão e Qualidade

Tr a d i ç ã o e E x c e l ê n c i a e m s e g u ro s

da República, criticou ontem o comportamento dos presidenciáveis neste segundo turno. Para Marina, os candidatos estão desperdiçando uma grande oportunidade de aprofundar o debate. "Estão resvalando para o velho embate, o vale-tudo eleitoral. Não temos de ter um olhar só para o negativo", reclamou a senadora, após assistir em São Paulo a palestra do ex-primeiro-ministro britânico Tony Blair sobre educação. Na opinião da senadora, a falta de visão estratégica dos candidatos impede que eles discutam os assuntos que interessam ao País. "O perfil gerencial dos dois não consegue tirálos da caixinha de ficar discutindo números e tabelas", avaliou. "Lamentavelmente, a educação não está sendo debatida com a profundidade necessária". Marina voltou a dizer que o programa do PT foi o que melhor acolheu as propostas de sua candidatura, mas que nada impede que o próximo presidente, seja Dilma ou Serra, aprofunde as sugestões do PV. "Aquele que for eleito ainda pode se comprometer". (AE)

DC

Ironia veio no Palácio do Planalto em um discurso sobre condições climáticas

candidata à Presidência da República pelo PT, Dilma Rousseff, enfrentou, no início da tarde de ontem, em Fortaleza, um sol de 36 graus para falar por apenas cinco minutos. Em cima de uma picape, Dilma falou para cerca de 5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, na Praça do Ferreira, centro da capital cearense. Em seu discurso – o primeiro de agradecimento pelos 66% dos votos que obteve no primeiro turno no Ceará – ela traçou uma comparação sua com o concorrente José Serra (PSDB). Sem citar o nome dele, Dilma disse que "no próximo domingo vocês terão dois modelos para escolher: "Um que sempre deu as costas para o Nordeste e outro que sempre valorizou essa região". Em sua fala, a petista não citou as demais regiões brasileiras. Só disse que "o Nordeste continuará tendo nossa maior atenção, se formos eleita". Dilma disse que estava emocionada com a recepção em Fortaleza. "Jamais vou esquecer esta acolhida. Essa emoção é muito forte e espero que seja traduzida na nossa eleição no próximo domingo", destacou, para aplausos de militantes que em sua maioria portava bandeiras vermelhas e adesivos com a inscrição "Serra não, mamãe". Ao lado do governador reeleito do Ceará, Cid Gomes (PSB), da prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT) e do deputado federal Ciro Gomes (PSB), Dilma percorreu 200 metros de ruas laterais à praça, na carroceria da picape. Nesse pequeno trajeto, percorrido em 15 minutos, ela acenou para a multidão que que-

Parafusos

Ferramentas

Tradição e Qualidade.

Ferragens

Desde 1963, uma manobra certa. K&F

tel.: 11 3289-8688

ESAB

R

DOMER

NORTON

Infor me e ga que viu nhe esse em s 5% de d anúncio e uas com sconto pras .

Visite o nosso site:

www.corretoraelite.com.br Rua Dr. Miguel Vieira Ferreira, 275 - Tatuapé - São Paulo/SP

Rua Augusta, 1.598 - 7º andar

www.massisestacionamentos.com.br

Av. Guapira, 1848

Fone:

2212-3434 - 2201-2954 2949-4666 - 2951-7158


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

7 Estamos crescendo e vamos vencer [...] A diferença diminuiu de 11 para 5,5 pontos, pelo GPP! Índio da Costa, vice na chapa de José Serra (PSDB)

olítica

Diana Rocha/AE

Pesquisas: Índio aponta disparidades Instituto GPP, por exemplo, dá vantagem de apenas 5,5 pontos para Dilma

P

'PT paulista infiltrou dois espiões na campanha de Dilma' Amaury Ribeiro Jr. diz que vazamento de informações se deve a 'infiltrados'

O

jornalista Amaury Ribeiro Jr. disse, em seu depoimento à Polícia Federal na segunda-feira, que o petista Rui Falcão, coordenador da campanha de Dilma Rousseff (PT), infiltrou dois espiões no comitê eleitoral em Brasília. Segundo ele, essas duas pessoas foram apresentadas por Falcão como "voluntários" e militantes do PT paulista. Amaury disse aos policiais que acreditava ser esse "grupo do PT paulista", palavras dele, a origem dos vazamentos de informações sigilosas da coordenação de comunicação entre abril e maio deste ano. Seriam os "infiltrados", segundo palavras dele à PF. O Grupo Estado teve acesso ao depoimento prestado pelo jornalista. No último dia 15, Amaury já havia dito aos policiais que Rui Falcão furtou seu dossiê com informações sobre a privatização no governo do PSDB. Agora, indiciado [por

encomendar os dados fiscais dos tucanos] ele reafirmou o que já havia dito e acrescentou a existência de duas pessoas, cujos nomes não revelou à polícia – "tendo sido os mesmos os responsáveis pelo acompanhamento do que se passava na referida casa", disse, citando a casa do Lago Sul onde funcionava a coordenação de comunicação da campanha. No centro da disputa interna estava o dinheiro repassado a empresas de comunicação que atuavam na campanha. Rui Falcão estaria trabalhando por um grupo de São Paulo, contrário à contratação do jornalista Luiz Lanzetta, que deixou a função em junho, depois da revelação do escândalo dos sigilos fiscais. Em abril, jornalista Luiz Lanzetta convidou Amaury para fazer parte do grupo de inteligência petista. O objetivo era conseguir o material que o jornalista havia preparado nos últimos anos

Celso Junior/AE - 25.10.10

contra os tucanos. Parte dos dados fiscais dos integrantes do PSDB foi parar em dossiê que circulou entre integrantes da campanha de Dilma. Amaury se calou quando a PF lhe perguntou quem pagou as despesas de viagem e de hospedagem durante a violação dos sigilos dos tucanos. A investigação mostra que o jornalista encomendou as declarações de renda – protegidas por lei – do vice-presidente do PSDB, Eduardo Jorge, da filha e do genro do presidenciável José Serra, Verônica Serra e Alexandre Bourgeois, respectivamente. Ele também não respondeu se agiu em nome do jornal Estado de Minas quando buscou, em São Paulo, dados dos tucanos – entre 29 de setembro e 8 de outubro de 2009. Na época, Amaury estava formalmente em férias. Ele reafirmou que as investigações começaram depois de ser informado que um grupo ligado ao deputado federal Marcelo Itajiba (PSDB-RJ) estaria seguindo o ex-governador Aécio Neves. E diz saber que esse grupo fez mais de 300 dossiês contra pessoas do PMDB para impedir apoio à candidatura de Dilma. (AE)

Amaury Ribeiro Jr: 'voluntários" e militantes do PT paulista teriam sido apresentados por Rui Falcão. São Luiz Operadora Hospitalar S.A. CNPJ/MF nº 60.811.759/0001-86 – NIRE 35.300.102.941 Edital de Convocação de Assembléia Geral Extraordinária Os senhores acionistas da São Luiz Operadora Hospitalar S.A. (“Companhia”) ficam convidados, pelo Conselho de Administração, a se reunir em Assembléia Geral Extraordinária a ser realizada no dia 5 de novembro de 2010, às 18h00, na sede social da Companhia, localizada no Município de São Paulo - SP, na Rua Dr. Alceu de Campos Rodrigues, nº 95, Itaim Bibi, CEP 04544-000, a fim de deliberar sobre a seguinte ordem do dia: aprovação da renúncia de parte dos membros do Conselho de Administração e eleição dos respectivos substitutos, que completarão o mandato dos conselheiros renunciantes. O acionista ou seu representante legal deverá comparecer à Assembleia Geral munido dos documentos hábeis para comprovação de sua identidade e, na hipótese de representação do acionista, instrumento de mandato regularizado na forma da lei. São Paulo, 27de outubro de 2010. Luiz Antônio Corrêa Nunes Viana de Oliveira – Presidente do Conselho de Administração. (27, 28 e 29/10/2010)

HOSPITAL GERAL DE SÃO MATEUS “Dr. Manoel Bifulco” COMUNICADO DE RETIFICAÇÃO NO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO N° 122/10 – PROCESSO N° 001.0140.000595/10 – PROMOVIDO PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA ELETRÔNICA, CONSISTENTE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MONITORAMENTO E GERENCIAMENTO LOCAL DE IMAGENS, COM LOCAÇÃO DE CENTRAL DE MONITORAMENTO PARA CFTV E MANUTENÇÃO. Comunicamos a todos os interessados que, em virtude de alterações na especificação técnica do item “A”, constante do quadro “ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DOS EQUIPAMENTOS E ACESSÓRIOS”, do Projeto Básico - Anexo I ao edital do Pregão Eletrônico 122/10 - OC Nº 090159000012010OC00914, a sessão pública de processamento do Pregão fica adiada para o dia 10/11/2010, a partir das 09:00 horas. A vistoria técnica ocorrerá durante o período de publicidade do edital, com agendamento prévio pelos telefones (11) 2014-5187 ou 2014-5155 no horário compreendido entre 09:00 horas às 17:00 horas, de segunda à sexta feira. Salientamos que as demais condições do edital permanecem inalteradas e que a(s) visita(s) técnica(s), realizadas no período de 14/10/10 a 26/10/2010 permanecem válidas. O edital, retificado, encontra-se na íntegra disponível para consulta e retirada no site www.bec.sp.gov.br ou www.e-negociospublicos.com.br.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 26 de outubro de 2010, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Marina Ramos - Requerido:Mb Assistência Médica S/C. Ltda. - Rua Fernandes Pinheiro, 499 - 1ª Vara de Falências

SISTRAN INFORMÁTICA LTDA. CNPJ/MF nº 59.941.393/0001-80 Edital de Convocação para Reunião de Sócios - Ficam convocados, os senhores quotistas, dentro dos prazos estipulados em lei, para a Reunião de Sócios a realizar-se às 10h do dia 5 de novembro de 2010, na sede da Sistran Informática Ltda., localizada na Alameda Araguaia nº 762 - Loja 15-Superior, Condomínio Flamingo Mall, Alphaville, na cidade de Barueri, Estado de São Paulo (“Sociedade”), para discutir e deliberar sobre a seguinte pauta: (i) análise e aprovação de balanço especificamente levantado para apuração e liquidação de haveres do sócio excluído, com base na situação patrimonial da Sociedade, na data de 16 de agosto de 2010, conforme deliberado em Ata de Reunião de Sócios, registrada na Junta Comercial do Estado de São Paulo em 24 de agosto de 2010, sob o número 307.991/10-6 (“Ata de Reunião de Sócios de 16/8/2010”); e (ii) procedimento de liquidação e pagamento dos haveres do sócio excluído, conforme deliberado em Ata de Reunião de Sócios de 16/8/2010. Barueri/SP, 26 de outubro de 2010. Áureo Sandoval Crespo - Administrador.

D at af o lh a – Ontem, de acordo com o Datafolha, a candidata petista manteve 12 pontos percentuais de vantagem sobre seu adversário tucano. Dilma aparece com 56%, contra 44% de Serra. O resultado, em votos válidos, é idêntico ao registrado no último levantamento do instituto, realizado no dia 21. No total de intenções de voto houve leve oscilação: Dilma tem 49% dos votos contra 38% de Serra (na semana passada, a petista estava à frente com 50% a 40%). A segmentação dos resultados do novo levantamento mostra que não foi eficiente a estratégia de Serra de reforçar sua presença no Sudeste e no Sul do País, o chamado "cinturão tucano", onde teve votação expressiva no primeiro turno. No Sudeste, o tucano perdeu três pontos percentuais e agora é derrotado pela petista por

44% a 40%. No Sul, ele perdeu dois pontos percentuais, mas ainda vence Dilma – que cresceu dois pontos –por 48% a 41%. No Nordeste, ponto forte da petista, a distância entre os dois adversários, que oscilaram negativamente um ponto, ficou a mesma da pesquisa passada (64% a 27%). Desta vez, foram entrevistados 4.066 eleitores em 246 municípios em todos os Estados do País. A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais, para mais ou para menos. Pretendem votar em branco ou anular o voto 5% dos eleitores entrevistados (eram 4% no último levantamento), enquanto 8% dizem estar indecisos (contra 6% da última pesquisa). Contratada pela Folha e pela Rede Globo, a nova pesquisa Datafolha está registrada no T S E s o b o n ú m e r o 37.404/2010. (Folhapress)

Arcebispo defende debates livres Quase cardeal, dom Raymundo acha importante discutir temas como aborto

D

om Raymundo Damasceno Assis, arcebispo de Aparecida (SP), defendeu ontem a discussão de temas como aborto e união civil entre homossexuais na campanha presidencial. O arcebispo havia acabado de chegar de Roma. Veio de um encontro no Vaticano, no qual o papa Bento 16 lhe comunicou ele que será nomeado cardeal no próximo dia 20 de novembro. Em Aparecida, ele disse que o debate de tais temas ajudam o eleitor a votar com

MONTEBEL EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A. Empresa de Capital Fechado CNPJ/MF Nº 43.216.357/0001-14 - NIRE Nº 35.300.089.308 Ata de Reunião do Conselho de Administração 30/09/2.010 Convocada pelo Conselheiro Urbano Campos Ribeiral, instalou-se a Reunião do Conselho de Administração aos 30/09/2.010, às 14 horas., na sede social situada na Rua 1 JN, n° 1411 - Piso Superior - Sala 12, Jardim Novo, município de Rio Claro, Estado de São Paulo, com a presença da maioria dos membros eleitos na Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária de 30/04/2.008. A composição da mesa coube a Urbano Campos Ribeiral, Presidente e Valdir Delarco, Secretário. De acordo com a Ordem do Dia, este Conselho deliberou e aprovou o que segue: 1 - Ad referendum da próxima Assembléia Geral Ordinária, autorizar o pagamento de juros sobre o capital no valor de R$ 1.400.000,00 (um milhão e quatrocentos mil reais), proporcionalmente ao número de ações detidas pelos acionistas, valor esse sujeito a incidência do Imposto de Renda Retido na Fonte à alíquota de 15%. 2. Fica a Diretoria autorizada a tomar as medidas necessárias à execução da deliberação supra. Esgotada a ordem do dia foi encerrada a reunião e lavrada esta ata que, lida e achada conforme, segue assinada pelos presentes. Conselheiros presentes: Urbano Campos Ribeiral, Nice Araújo Ribeiral, Ricardo Araújo Ribeiral e Vitor Vanetti de Araújo. Certifico que esta é cópia fiel da ata original lavrada no livro próprio. Rio Claro, 30 de Setembro de 2.010. Urbano Campos Ribeiral - Presidente da mesa; Valdir Delarco - OAB/SP 82.960 Secretário. Jucesp: sob nº 372.949/10-1 em 18.10.10.

MONTEBEL EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A. Empresa de Capital Fechado CNPJ/MF Nº 43.216.357/0001-14 - NIRE Nº 35.300.089.308 Ata de Reunião do Conselho de Administração 30/07/2.010 Convocada pelo Conselheiro Urbano Campos Ribeiral, instalou-se a Reunião do Conselho de Administração aos 30/07/2.010, às 10 horas., na sede social situada na Rua 1 JN, n° 1411 - Piso Superior - Sala 12, Jardim Novo, município de Rio Claro, Estado de São Paulo, com a presença da maioria dos membros eleitos na Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária de 30/04/2.008. A composição da mesa coube a Urbano Campos Ribeiral, Presidente e Valdir Delarco, Secretário. De acordo com a Ordem do Dia, este Conselho deliberou e aprovou o que segue: 1 - Ad referendum da próxima Assembléia Geral Ordinária, autorizar o pagamento de juros sobre o capital no valor de R$ 1.400.000,00 (um milhão e quatrocentos mil reais), proporcionalmente ao número de ações detidas pelos acionistas, valor esse sujeito a incidência do Imposto de Renda Retido na Fonte à alíquota de 15%. 2. Fica a Diretoria autorizada a tomar as medidas necessárias à execução da deliberação supra. Esgotada a ordem do dia foi encerrada a reunião e lavrada esta ata que, lida e achada conforme, segue assinada pelos presentes. Conselheiros presentes: Urbano Campos Ribeiral, Nice Araújo Ribeiral, Ricardo Araújo Ribeiral e Vitor Vanetti de Araújo. Certifico que esta é cópia fiel da ata original lavrada no livro próprio. Rio Claro, 30 de Julho de 2.010. Urbano Campos Ribeiral - Presidente da mesa; Valdir Delarco - OAB/ SP 82.960 - Secretário. Jucesp: sob nº 372.948/10-8 em 18.10.10.

mais consciência. "Certos valores são fundamentais para a convivência harmoniosa e pacífica do País, como a questão da vida, dos direitos humanos, da família e do matrimônio. Não são coisas acidentais, secundárias. E o debate, quanto mais aberto e abrangente, tanto mais possibilita o eleitor ao voto responsável e mais livre". Apesar disso, Dom Raymundo fez questão de deixar clara a sua posição: ele defende que a Igreja não deve indicar aos católicos em que candidato eles devem votar,

"a não ser em casos extremos". Sobre a atitude do bispo de Guarulhos (grande São Paulo), dom Luiz Gonzaga Bergonzini, que orientou fiéis da cidade a não votarem na candidata petista Dilma Rousseff por suposta posição favorável à descriminalização do aborto, dom Raymundo disse que "cada bispo tem autonomia em sua diocese". Bergonzini chamou o PT de "partido da morte" e da "mentira" e admitiu que encomendou os 2 milhões de panfletos, apreendidos pela PF, que defendiam voto em José Serra, PSDB. (Folhapress)

Auto Posto Jamir Ltda, torna público que recebeu da Cetesb a Licença de Instalação 30004257 e requereu Licença de Operação, para atividade de comercio de produtos derivados de petróleo, Av. Inconfidencia Mineira, 2037 - Vila Antonieta - São Paulo - SP.

BRENCO - COMPANHIA BRASILEIRA DE ENERGIA RENOVÁVEL CNPJ nº 08.070.566/0001-00 - NIRE 35.300.329.112

Ata da Assembléia Geral Ordinária Realizada em 31/08/2010

Dia, Hora e Local: em 31/08/2010, ás 11h, na sede social da Cia., em São Paulo/SP, na Av. Rebouças, nº 3.970, 26º andar, parte, Pinheiros. Publicações: Relatório da Adm., Parecer dos Auditores Independentes, Bal. Patrimonial e demais Dem. Financeiras, referentes ao exercício social encerrado em 30/04/2010, publicados no DOESP e no Diário do Comércio, ambos em edição do dia 31/08/2010. Mesa: Sr. Luciano Nitrini Guidolin, Presidente; e Sr. Luciano Dequech, Secretário. Presenças: (i) acionista representando a totalidade do Cap. Social (Art.124, § 4º, da Lei nº 6.404/76), conforme assinaturas lançadas no Livro de Presença de Acionistas da Cia.; (ii) o Sr. Luciano Nitrini Guidolin, representante da administração da Cia.; e (iii) o Sr. Maurício Cardoso de Moraes, inscrito no CRC sob o nº 1 PR035795/O-1 “T” SP, representante da PriceWaterhouseCoopers Auditores Independentes, com sede em São Paulo/SP, na Av. Francisco Matarazzo, nº 1.400, Ed. Torre Torino, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 61.562.112/0001-20 (Art. 134, § 1º, da Lei nº 6.404/76). Ordem do Dia: Deliberar sobre as seguintes matérias: (i) exame, discussão e votação do Relatório da Adm., do Bal. Patrimonial e das demais Dem. Financeiras referentes ao exercício social encerrado em 30/04/2010; (ii) destinação do resultado do exercício social encerrado em 30/04/2010; e (iii) fixação da remuneração global dos Administradores da Cia. p/ o corrente exercício. Deliberações: Preliminarmente, foi autorizada a lavratura desta Ata em forma de sumário, conforme faculta o Art. 130, §1º, da Lei nº 6.404/76. (i) aprovados o Relatório da Adm., o Bal. Patrimonial e demais Dem. Financeiras referentes ao exercício social encerrado em 30/04/2010 sendo dispensada pelos acionistas a leitura de tais documentos, por serem de conhecimento geral. Os acionistas, na forma do Art. 133, § 4º da Lei nº 6.404/76, consideraram expressamente sanada a falta de publicação de avisos e a inobservância do prazo de 30 dias previsto p/ a publicação dos documentos mencionados no referido Art. 133; (ii) aprovada a reversão da totalidade do saldo do prejuízo do exercício findo em 30/04/2010, no montante de R$171.113.387,15, p/ a conta “Prejuízos Acumulados”; (iii) fixado o montante global de até R$ 1.100.000,00 p/ a remuneração dos Administradores no corrente exercício, ficando a individualização a cargo da Diretoria. Quorum das Deliberações: As deliberações foram tomadas por unanimidade de votos, sem reservas ou restrições, abstendo-se de votar os legalmente impedidos. Conselho Fiscal: Não há Conselho Fiscal permanente, nem foi instalado no presente exercício. Encerramento: Nada mais havendo a ser tratado, o Sr. Presidente ofereceu a palavra a quem dela quisesse fazer uso e, como ninguém a pedisse, declarou encerrados os trabalhos e suspensa a reunião pelo tempo necessário à lavratura desta Ata. Reaberta a sessão, a Ata foi lida, aprovada e por todos os presentes assinada. Presenças: (i) Mesa: Sr. Luciano Nitrini Guidolin, Presidente; e Sr. Luciano Dequech, Secretário, (ii) Acionista Presente: (aa) P. Eth Bio Participações S.A., p. Sr. Luciano Nitrini Guidolin e Sr. Luciano Dequech; (iii) Sr. Luciano Nitrini Guidolin, representante da administração da Cia.; e (iv) Sr. Maurício Cardoso de Moraes, representante da PriceWaterhouseCoopers Auditores Independentes. Na qualidade de Secretário da AGO, certifico que a presente é cópia fiel do original lavrado no livro próprio. São Paulo, 31/08/2010. JUCESP nº 369.807/10-8 em 07/10/2010. Kátia R. B. de Godoy - Secretária Geral.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Entre em contato com o Departamento de Publicidade Legal )RQH

3244-3175

Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 25 de outubro de 2010, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Intersmart Comércio Importação e Exportação de Equipamentos Eletrônicos Ltda. - Requerido: Provider Tecnologia e Sistemas Ltda. - Av. Dr. Cardoso de Melo, 1.450, cj. 205 - 2ª Vara de Falências

Requerente: Rodrigo Karpat - Requerido: ADR Park Estacionamento Ltda.-EPP - Rua Martinico Prado, 167 - 1ª Vara de Falências Requerente: Fundo de Investimento em Direitos Creditórios Multissetorial-Versailles Ltda. -

Requerido: DPA Plugs Indústria e Comércio Ltda.-EPP - Rua Julio Parigot, 289 - 2ª Vara de Falências Recuperação Judicial Requerente: Nife Baterias Industriais Ltda. - Requerente: Goran Par-

ticipações Ltda. - Requerido: Nife Baterias Industriais Ltda. - Av. Pires do Rio, 4.615 - Requerido: Goran Participações Ltda. - Av. Pires do Rio, 4.615, Sala 3 - 1ª Vara de Falências

winnerpublicidade.com

Índio da Costa, vice de Serra: pesquisas de opinião interna registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE)

esquisa de intenção de voto para presidente da República realizada pelo Instituto GPP indica diferença de 5,5 pontos percentuais a favor da candidata petista Dilma Rousseff. Segundo o instituto, ela tem 46,4% das intenções de voto, enquanto José Serra (PSDB) soma 40,9%. Se a eleição fosse hoje, os votos nulos seriam 6,1%. Entre as pessoas consultadas, 6,6% não sabem ou não responderam. A margem de erro é de 1,8 ponto percentual para mais ou menos. Considerados apenas os votos válidos, Dilma teria 53,2% e Serra, 46,8%. Nesse caso, a diferença sobe para 6,4 pontos percentuais. A pesquisa, contratada pelo candidato a vice na chapa de Serra, Índio da Costa (DEM), foi feita com 4.047 eleitores em 201 municípios do País, entre 23 e 25 de outubro, e divulgada hoje. Ela está registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob o número 37.219/2010. No Twitter, Índio da Costa comemorou o resultado. "Estamos crescendo e vamos vencer [...]. A diferença diminuiu de 11 para 5,5 pontos, pelo GPP!", postou o candidato, que demonstra preocupação com a abstenção – a eleição vai ocorrer em meio ao feriado prolongado de Finados. Ele conclui a mensagem com um pedido: "Viaje depois de votar!".


p Tuma, o eterno 'xerife', sai de cena DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Enquanto eu tiver pernas para andar, cabeça para pensar e boca para falar, vou trabalhar. Senador Romeu Tuma

olítica

O senador e veterano delegado de polícia Romeu Tuma (PTB-SP), 79 anos, morreu ontem, vítima de falência múltipla dos órgãos, no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.

O

filho de imigrantes sírios que, para desgosto dos pais, Zike e América, trocou uma próspera loja de vestidos de noiva da Rua 25 de Março pela Academia de Polícia, aos 20 anos de idade, jamais deixou de ser policial. Fez carreira de investigador e delegado na Secretaria de Segurança do Estado de São Paulo, foi transferido para o Departamento de Polícia Federal. Na hora de se aposentar, disputou uma vaga no Senado, para nos 16 anos seguintes dar sequência, em Brasília, à sua vocação – manter a ordem, combater o crime e punir os criminosos. Romeu Tuma, nascido em 4 de outubro de 1931, cumpriu a promessa que fez em 1992, ao voltar a São Paulo em meio aos inquéritos que apuravam desmandos e corrupção no governo Collor de Mello. E aqui morreu, ontem depois de completar 79 anos no dia 4 deste mês. Ele estava internado desde o dia 1º de setembro no Hospital Sírio-Libanês, primeiro para tratamento de um quadro infeccioso de afonia – perda ou diminuição da voz – e depois, para lutar contra insuficiências cardíaca e renal. O deputado faleceu em decorrência de falência múltipla de órgãos. Foi no Departamento de Ordem Política e Social (Dops) que Tuma trabalhou por mais tempo, durante 30 anos. Primeiro, foi investigador e depois, delegado. Tornou-se conhecido pelas qualidades que, segundo ele, deve ter o profissional: conhecimento técnico e um pouco de sorte.

Em seu caso, muita sorte. Ele atuou na repressão a militantes de esquerda no regime militar, enfrentou o narcotráfico, caçou nazistas alemães escondidos em São Paulo – entre eles o médico Joseph Mengele, "o carrasco de Auchwitz", cuja ossada descobriu numa praia do litoral paulista, prendeu o mafioso italiano Tommaso Buscetta, comandou o confisco de boi gordo no Plano Cruzado, acumulou a direção geral da Polícia Federal com o cargo de superintende da Receita Federal, combateu a corrupção e esclareceu sequestros de gente importante, sempre com sucesso. Seu nome ganhou prestígio internacional: acabou sendo vice-presidente da Interpol – cargo que continuou a ocupar, como título honorário, depois de eleito senador. Marcas – Alguns fatos deixaram marcas inesquecíveis. Uma delas foi a invasão da Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP), quando a polícia ocupou o campus da Rua Monte Alegre, em Perdizes, no governo Paulo Egydio. O delegado do Dops e sua equipe de agentes participaram da operação, identificando e prendendo líderes do movimento estudantil. Tuma, então exaluno da Faculdade de Direito da PUC, assim descreveu o episódio em entrevista a Veja, em janeiro de 1982: "Os estudantes insistiram em realizar uma manifestação ilegal. Não atenderam aos apelos da polícia do próprio secretário da Segurança, coronel Erasmo Dias. Então, tivemos que dispersá-los. Não havia

Paulo Liebert/AE

Ex-deputado federal Robson Tuma (PTB-SP), chora a morte do pai ao lado de familiares. Senador deixa mais três filhos, entre eles Romeu Tuma Jr. e Rogério Tuma.

Fabio Pozzebom/ABr - 04.07.07

Folhapress

Velhos tempos: Tuma mostra características faciais do carrasco nazista Joseph Mengele (à direita). Já senador, enfrentava o coração (acima).

espaço para a fuga e eles se acotovelaram no interior da faculdade, em corredores estreitos, e os incidentes se sucederam." Outro caso inesquecível para ele foi a investigação da morte do padre Josimo Tavares, assassinado em 10 de maio de 1986, em frente da sede da Comissão Pastoral da Terra (CPT) em Imperatriz, sul do Maranhão. Tuma era diretor da Polícia Federal e, como contou, saiu preocupado para essa missão, por causa do clima de violência na região. "Chegando lá, tinha até passeata a meu favor", contou mais tarde, ao se candidatar ao Senado. Esses dois episódios levaram o delegado a mexer com uma ala da Igreja que não era a de sua simpatia. Católico de missa e de comunhão semanais – embora seu pai pertencesse à Igreja Ortodoxa, onde ele se casou – Tuma discordava da ação política de bispos e padres do Brasil. Argumentava que vinha de uma época em que a Igreja não entrava no campo da reivindicação social, mas cuidava da alma. Contra tortura – Como policial de informação que defendia o recurso a métodos científicos e técnicos para combater o crime, Tuma dizia-se contra a tortura e a violência. Para quem duvidasse de sua palavra, ele evocava o testemunho insuspeito de militantes políticos e sindicais, como o do presidente Lula, para provar que respeitava os presos. Em 1980 o então delegado autorizou o prisioneiro Lula a visitar a mãe, dona Lindu, doente no hospital e a ir a seu enterro.

"Escalei dois policiais, que acompanharam o Lula até o hospital, onde ele conversou com a mãe", contou Tuma, dois anos depois do fato. Na mesma época, ele convenceu o então metalúrgico e seus companheiros a desistirem de uma greve de fome. E serviu-lhes um prato especial no xadrez – porções de lulas à doré. Workaholic – Tuma era um policial obstinado pelo trabalho. Vivia pendurado ao telefone, que nunca deixava de atender, sempre na expectativa de informação importante para o trabalho. Ligava constantemente para repórteres de sua confiança, para saber e informar acontecimentos. Para não perder tempo, almoçava sanduíches em restaurantes e botecos vizinhos de seu gabinete. Sintonizava as frequências da polícia no rádio do carro. Doméstico – era casado com a professora Zilda, tinhanove netos e quatro filhos, entre eles o ex-secretário nacional de Justiça Romeu Tuma Jr., o ex-deputado federal Robson Tuma (PTB) e o médico Rogério Tuma – gostava de ficar em casa e assistir filmes policiais. "A aposentadoria vai esperar, porque enquanto eu tiver pernas para andar, cabeça para pensar e boca para falar, vou trabalhar", anunciou, ao adiar os planos para 1994. Foi iquando se candidatou a senador e eleito com mais de 5,5 milhões de votos – façanha que repetiu em 2002, quando foi reeleito com 7.278.185 votos. Tuma era respeitado. Carregava consigo a fama de xerife dedicado e eficiente. (AE)

O coração que deu sobrevida ao senador Internado, Tuma resistiu graças a um coração artificial produzido na Alemanha, mas cedeu às infecções Divulgação

Marcos Gomes

O

aparelho que foi colocado no senador Romeu Tuma (PTB-SP), chama-se Incor-Berlin Heart– o mesmo nome da empresa que o fabrica – é o top de linha de uma tecnologia que se desenvolveu muito a partir dos anos 60, ganhou impulsona década de 70, quando se criaram os primeiros protótipos, até sua disseminação nos anos 80. Esse foi o terceiro implante do tipo feito aqui, se bem que outros modelos de coração artificial também já tenham sido implantados com sucesso no País. Quando o músculo do coração enfraquece, como ocorreu com o senador Romeu Tuma, instaura-se um quadro de insuficiência cardíaca, que pode levar à morte. "O Incor-B erlin Heart implantado no senador é um aparelho que trabalha em paralelo com o músculo cardíaco enfraquecido para suprir suas deficiências", explica o dr. Edimar Alcides Bocchi, chefe da Unidade de Insuficiência

Incor-Berlin Heart: top de linha de uma tecnologia avançada

Cardíaca e Transplante Cardíaco do Instituto do Coração. "O aparelho é composto de uma bomba eletromagnética com uma espécie de hélice que gira sem eixo". Diz o médico do Incor que essa bomba interna costuma ser definitiva. Esse tipo de equipamento (interno) é indicado para quem não pode fazer cirurgia de transplante, está à espera de doador ou precisa fazer ponte de safena e não tem condições pois precisa de período de fortalecimento.

Bocchi conta que, no caso de assistência transitória, usam-se equipamentos externos (como o Excor-Berlin Heart). Esses aparelhos são compostos de duas bombas ligadas ao coração por meio de cânulas: uma das bombas ajuda a levar o sangue não-oxigenado do ventrículo direito para a artéria pulmonar; e outra bomba ajuda a enviar o sangue para a aorta. O sangue é retirado do ventrículo esquerdo por uma cânula. "Há casos de pacientes de 80

anos que receberam implantes de Incor do Berlin Heart", diz Bocchi. Só as baterias são externas: elas são alimentadas na rede elétrica normal, de 220 volts. No caso do senador, essas bombas estavam fazendo 80% do trabalho do coração. As chances de sobrevida com a implantação do IncorBerlin Heart, segundo Bocchi, são de 50% em cinco anos, sendo mais baixas que os transplantes e mais altas do que as doenças graves do coração. A pessoa submetida a esse tipo de implante precisa tomar anticoagulantes, além de remédios indicados para seus problemas cardíacos. O aparelho também tem sofisticados mecanismos que permitem regular seu funcionamento, conforme as necessidades do paciente – pois o coração precisa bater com maior ou menor intensidade dependendo do esforço que a pessoa faz. Bocchi esclarece que o preço da cirurgia, ao contrário do mencionado alguns jornais, que o supervalorizam custaria R$ 500 mil e não US$ 500 mil.

Cotait assume 'com muito orgulho e em memória' Mário Tonocchi

Milton Mansilha/LUZ - 18.01.07

O

secretário de Relações Internacionais da Prefeitura de São Paulo e vice-presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Alfredo Cotait Neto, do Democratas (DEM), deve assumir a vaga do senador morto ontem, Romeu Tuma. Ele é o primeiro-suplente de Tuma. "Farei isso com muito orgulho e em memória a esse grande homem que perdemos", afirmou o secretário. Cotait Neto disse que, para assumir o cargo por três meses – um deles janeiro com recesso – ele vai conversar com o prefeito Gilberto Kassab (DEM) para tentar conciliar a atuação no Senado com as atividades na secretaria. "Vamos ver se é possível uma licença na Prefeitura já que estamos com muitos projetos em andamento". Cotait afirmou que vai apresentar projetos, decretos e propostas que atendam o interesse da ACSP e de seus associados, sem deixar de lado as aspirações da sociedade brasileira. Ele ainda expressou profunda tristeza com a morte

Alfredo Cotait Neto, 1º suplente

de Tuma, a quem classificou de grande amigo. "Fomos companheiros e líderes de partidos que apoiamos juntos. O PL, o PFL e agora o DEM", disse. Câncer -Outro político que passa por grave problema de saúde é o ex-governador Orestes Quércia (PMDB) que continua, em casa, tratamento contra uma recidiva de um tumor que tratou há mais de 10 anos na próstata. Internado pouco mais de um mês Hospital Sírio-Libanês, Quércia desistiu da disputa ao Senado ao descobrir a doença. E deu apoio a Aloysio Nunes (PSDB), que venceu a disputa em São Paulo com 11,9 milhões de votos.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

9

União forte e Estados fracos. Pior para a democracia Entrevista: Alexandre de Moraes

O

Diário do Comércio publica hoje a 26ª de uma série de entrevistas com os autores de "Propostas para o Próximo Presidente", que a revista Digesto Econômico, da Associação Comercial de São Paulo, reuniu em seis números mensais para contribuir ao debate entre os candidatos às eleições presidenciais. O sexto número, em circulação, pode também ser visualizado no site www.dcomercio.com.br, de acesso grátis. A escolha dos assuntos e dos pensadores apresentados aqui se baseia nos lemas que a ACSP, em seus 114 anos, sempre defendeu: o trabalho, a livre iniciativa, a união dos setores empresariais e a busca de melhores caminhos para o desenvolvimento brasileiro. As propostas de economistas, professores e outros especialistas têm o objetivo de mostrar caminhos melhores para o País, de torná-lo mais fácil de ser compreendido pelos próprios brasileiros - e, por isso, são revolucionárias.

A Digesto Econômico Digital pode ser lida em dcomercio.com.br

O Brasil tem 29 partidos, fica fácil demais para o presidente da República jogar com eles e sempre ter a maioria. Nem a oposição é coesa"

(O mais forte presidencialismo do mundo) Eliana Haberli

Newton Santos/Hype

prudência. Uma "novidade" de 1988 é que as assembleias legislativas, com maioria absoluta, podem oferecer emendas à Constituição. Simbolicamente e institucionalmente é mais importante, em prol do fortalecimento da Federação, do que as assembleias solicitarem aos deputados federais que apresentem a proposta de emenda na Câmara. Essa prerrogativa nunca foi usada.

N

o Brasil, os poderes da União são fortes demais diante dos estaduais e é imprescindível um maior exercício das competências dos Estados para o equilíbrio do princípio federativo e da democracia. Quem afirma é Alexandre de Moraes, professor doutor da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) e professor titular da Faculdade de Direito da Universidade Mackenzie, que escreveu o artigo "A necessidade de fortalecimento das competências dos Estados-Membros da Federação Brasileira" na revista Digesto Econômico de agosto. Alexandre de Moraes foi promotor de Justiça em São Paulo (1991-2002), secretário estadual de Justiça e Defesa da Cidadania (2002 a 2005), membro da primeira composição do Conselho Nacional de Justiça (2005-2007) e secretário municipal de Transportes e de Serviços de São Paulo, além de presidente da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e da SPTrans, de 2007 até junho de 2010. DC - A federação brasileira existe de fato? Moraes - Nós temos uma federação que foi formada de maneira artificial. Quando veio a República, o Brasil tinha um poder absolutamente centralizado, com vice-reis. A tendência era voltada muito mais para o Estado unitário do que para o Estado federal. Na época do império, não existia essa ideia de federalismo. Quando veio a primeira constituição republicana, por inspiração norte-americana, trazida por Rui Barbosa, principalmente, o País aderiu ao federalismo. A parte boa dessa opção foi que um país de dimensões continentais realmente precisava de autonomia local. Afinal, o Rio Grande do Sul é diferente do Ceará, etc. Mas se, juridicamente, o País escolheu uma federação, politicamente essa federação foi muito centralizada na União, diferentemente do que aconteceu no começo da história dos Estados Unidos, em que as treze colônias já eram politicamente muito autônomas em relação a Inglaterra. As colônias cederam só parte de sua autonomia para o novo país. No caso do Brasil, as unidades já eram todas juntas. Então a União ficou muito forte e os Estados ficaram fracos, o que se vê até hoje. DC - Nada mudou? E a Constituição de 1988? Moraes - Ela reserva para a União as principais competências e as constituições estaduais são quase cópias da federal. É cultural. Mas tivemos um avanço de 1988 para cá, principalmente nos últimos doze anos. O Supremo Tribunal Federal vem revendo algumas posições mais centralizadoras, deixando uma margem maior para os Estados. No entanto, o panorama da União forte permanece tanto

DC - Porque o senhor propõe uma mudança constitucional? Moraes - Pode-se alterar a constituição para equilibrar mais a federação, seria uma forma mais rápida, levando em conta que os deputados são eleitos pelo povo nos Estados. Os senadores também representam os Estados. O eleitor tem de lembrar que eles são representantes dos Estados. As bancadas federais deveriam ser pressionadas para haver o equilíbrio federativo maior. Porque, na verdade, a União não dá conta de todas as suas competências... DC - No que consiste essa mudança constitucional? Moraes - Seria transformar algumas competências privativas da União, que estão no artigo 22, em competências concorrentes. Em assuntos em que hoje só cabe à União decidir, a União ditaria normas gerais e os Estados fariam de acordo com suas peculiaridades.

cultural quanto politicamente. O Brasil começou com estado de sítio - marechais Deodoro da Fonseca e Floriano Peixoto. Depois tivemos quinze anos de centralismo na ditadura Vargas e, mais tarde, vinte anos de ditadura militar, que foi extremamente centralizadora. Ou seja, além da formação jurídica, a política sempre foi caracterizada por fortes governos centrais. DC - Como o Supremo está revendo essa situação? Moraes - Vários princípios que eram obrigatórios para os Estados, deixaram de ser. Por exemplo, a nomeação do procurador-geral do Estado, chefe da Advocacia estadual, sempre foi feita seguindo o modelo da União, o da escolha do procurador-geral da República. O Supremo determinou que a constituição estadual pode decidir por outra forma. É importante para a autonomia administrativa. DC - Quais são os maiores problemas para o crescimento da autonomia? Moraes - São econômicos. Apesar da repartição tributária, a arrecadação é muito centralizada na União. Na distribuição das receitas, a parte maior fica com a União e nem tudo o que o Estado arrecada volta para ele. Até certo ponto, isso é justo, porque um Estado tem de ser compensado diante de outro, mas a União é muito

discricionária. Com isso, ela fica com poder político enorme sobre os Estados.

merou-se quase tudo. Trânsito e transporte, inclusive, são competência da União.

DC - Os Estados brasileiros reagem diante desse poder excessivo? Moraes - Os Estados ainda não aprenderam a usar suas competências constitucionais. Há competências concorrentes, competências delegadas e as assembleias legislativas não se utilizam disso. Na hora em que Estados e assembleias "forçarem" sua participação, vão provocar uma revolução de mentalidade, porque a tendência do Supremo já é favorável à maior autonomia dos Estados. Eu digo que é a hora de usar a subsidariedade amplamente aceito na União Europeia, que não é uma federação, mas que precisa ser coesa. O que é mais importante para o Estado regulamentar, o Estado faz. O que é mais importante para a União, a União faz.

DC - Trânsito? Moraes - Artigo 22, inciso 11, competência da União. Foi formada a jurisprudência de que, quando existe o interesse local, a autoridade é do município e quando existe o interesse regional, a autoridade é do Estado. Mas é inegável que Estados e municípios têm de forçar a situação. Hoje, do ponto de vista legislativo, os Estados estão imprensados entre o forte poder da União e os poderes municipais, que cresceram com o crescimento das cidades. Para os Estados, restou pouco e o pouco que restou, eles não estão aproveitando. Os Estados e as assembleias legislativas precisam lutar um pouco mais por sua autonomia de legislar.

DC - O senhor diz que a competência do Estado é vaga... Moraes - Isso vem da estrutura do federalismo. São enumeradas algumas competências exclusivas da União - representação externa, controle do sistema tributário, etc. Todo o remanescente é competência dos Estados. Nos Estados Unidos, o direito penal é atribuição estadual, por exemplo. No Brasil, seguimos a mesma base teórica, só que ao enumerar as competências da União, enu-

DC - Por exemplo? Moraes - Os juizados especiais cíveis e criminais, que foram uma revolução na questão judiciária. A norma geral é da União e as normas específicas, dos Estados. Os Estados aceitaram que a União fizesse tudo. As assembleias legislativas precisam buscar mais competências delegadas e concorrentes e, também, usar mais frequentemente as ações diretas de inconstitucionalidade contra leis federais que avançam nas competências estaduais. Precisam "provocar" o Supremo para ir alterando a juris-

DC - O presidente da República brasileiro é poderoso demais? Moraes - O Brasil tem o mais forte presidencialismo do mundo. O presidencialismo foi criado nos Estados Unidos e seguido por toda a América Latina e, depois, pelas nações africanas. Ele acabou sendo o regime adotado por países que foram colônias. No Brasil, temos uma hipertrofia muito grande do papel do presidente da República. Imagine um presidente americano editando medidas provisórias... O que limita o poder do presidente norte-americano são os dois partidos fortes, sendo um de oposição. O Brasil tem 29 partidos, fica fácil demais para o presidente da República jogar com eles e sempre ter a maioria. Nem a oposição é coesa. Os cientistas políticos falam na figura de presidencialismo de coalizão. Na verdade, para amenizarmos a hipertrofia da presidência da República teríamos de ter quatro ou cinco partidos no máximo. A cobrança sobre o presidente é importante para a democracia. DC - Há algum exemplo de algum Estado brasileiro ter assumido para si a administração de assunto que seria da União? Moraes - Na questão fundiária, o Estado de São Paulo fez um convênio com o Incra, lá atrás, criou uma fundação, a Fundação Intesp e promoveu a reforma agrária no seu território. O Estado não pode desapropriar para fins de reforma agrária, só a União, mas São Paulo pegou áreas devolutas e transformou-as para aquele fim. Pegou a competência para si, é um exemplo importante.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

RECURSO Defesa de militar condenado pelo acidente da Gol vai recorrer.

idades

POR JUSTIÇA Para viúva, culpa do acidente é dos pilotos americanos do jato Legacy.

Condenado controlador em acidente da Gol Justiça Militar condenou um dos cinco controladores de voo acusados de envolvimento no acidente com o Boeing 1407, que se chocou com um Legacy, em 2006

A

Justiça Militar condenou ontem um dos cinco controladores de voo acusados pelo Ministério Público de envolvimento na colisão de um Boeing da Gol (o voo 1407) e um jato Legacy, que matou 154 pessoas em setembro de 2006. O terceirosargento Jomarcelo Fernandes dos Santos foi condenado a 1 ano e 2 meses de detenção por homicídio culposo – quando não há intenção de matar. Foram absolvidos João Batista da Silva, Felipe Santos Reis, Lucivando Tibúrcio de Alencar e Leandro José Santos de Barros. Santos trabalhava no dia do acidente no Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta-1), em Brasília. De acordo com a acusação, ele teve conduta negligente e deixou de observar normas de segurança, dando causa direta à colisão entre as duas aeronaves. "Não orientou" – Conforme a denúncia, ele não atentou para o desaparecimento do sinal do transponder do Legacy (o equipamento anticolisão que avisa os pilotos sobre a possibilidade de choque no ar), não orientou o piloto quanto a uma mudança de frequência, não deu importância ao nível de altimetria na aerovia e passou o serviço a outro militar sem alertá-lo de irregularidades. Vai recorrer – Santos não quis dar entrevistas após ouvir a sentença de condenação imposta por 4 votos a 1 pela auditoria da 11ª Circunscrição Judiciária Militar, em Brasília. O advogado dele, Roberto Sobral, afirmou que vai recorrer ao próprio Superior Tribunal Militar (STM) e, se necessário, ao Supremo Tribunal Federal (STF). Ele disse

André Dusek/AE

Viúva quer punição a americanos

R

Dois dos cinco controladores de voo militares envolvidos no acidente com o Boeing 1407, da Gol, em setembro de 2006, depois de um choque no ar Sebastião Moreira/AE - 01/10/2010

que seu cliente não tinha nível de proficiência em inglês para orientar um piloto estrangeiro – no caso, a tripulação do Legacy. "É inaceitável" – De acordo com Sobral, o militar está afastado e, se for condenado definitivamente, terá direito ao sursis - a suspensão da execução da pena. "A condenação é inaceitável", afirmou o advogado. O defensor lembrou ainda que tramita um outro processo contra o militar, na Justiça Federal, em Sinop (MT). No julgamento de ontem, a juíza Vera Lúcia da Silva Conceição foi a única a votar contra a condenação de Santos. Para ela, o acidente não teria acontecido se o transponder do Legacy estivesse ativado. (AE)

O Boeing da Gol caiu na selva, matando 154 pessoas. Jato Legacy estaria com seu transponder desligado.

osane Gutjahr , viúva de Rolf Gutjahr, um dos passageiros mortos no acidente com o Boeing da Gol, em setembro de 2006, no norte de Mato Grosso, afirmou ontem esperar "que o controlador de voo não se torne bode expiatório no caso do acidente do voo 1907. Os verdadeiros culpados pelo que aconteceu são os pilotos norteamericanos Jan Paul Paladino e Joseph Lepore". Os dois pilotavam o jato Legacy, fabricado pela brasileira Embraer, que se chocou com o jato da Gol. Segundo algumas versões da época, eles estariam voando com o transponder (equipamento que avisa sobre a possibilidade de colisão no ar) da aeronave desligado "Por mais que os controladores de voo tenham errado no momento do acidente, os verdadeiros culpados do acidente são os pilotos do Legacy. Eles estavam com o 'T-cas' desligado, infringiram as normas de aviação brasileira, desligaram o transponder e não sabiam usar a aeronave que pilotavam", disse Rosane. (Agências)

Mário Ângelo/AE

RECONHECIDO CORPO DE DESAPARECIDO

O Ó RBITA

ALZHEIMER

F

UM GOLPE NA PIRATARIA – Mais de um milhão de produtos falsificados foram apreendidos na madrugada de ontem nos principais centros de comércio popular da região central de São Paulo, entre eles o Brás e a rua 25 de Março. O material apreendido é composto DVDs, CDs, encartes, adesivos, e roupas. (Agências)

DC

ATEN Ç

ÃO R EV GANH ENDEDOR ES (A EM D S) INHE IRO

QUÍMICOS: Marcador Industrial, Pasta Ajuste e Diamantada; CORTE: Bedame, Bits, Serra Circular, Fresa; MANUAL: Lima KF e Diamantada, Retificador; ABRASIVOS: Rebolos, Pedras, Discos e MUITO MAIS.

Ferramentas

• Freios • Pneus • Amortecedores e Molas • Suspensão • Lubrificantes SAC 0800-771-5657 topstop@topstop.com.br •Baterias • Alinhamento •Balanceamento • Ar-Condicionado

PR Boli OMOÇ nh à APE as do PraO z NAS R$ er

0,99

Confira também as facilidades nos pagamentos: Compre no cheque R$300,00 em 40/70/100 dias Compre pelo site R$600,00 em 40/70/100/130 dias 100% seguro - Frete Grátis R$1.000,00 em 40/70/100/130/160 dias www.companhiadascalcinhas.com.br

Bom Retiro - São Paulo/SP R. José Paulino, 126 - Tel.: (11) 3337-0464 R. José Paulino, 240 - Tel.: (11) 3361-5627 R. José Paulino, 463 - Tel.: (11) 3333-5494

casacruz@casacruzferramentas.com.br

Rua Faustolo, 783 - Lapa - SP - Tel.: (11) 3877-5555

11 - 3362-3361 www.crksimoveis.com.br

Av. Guilherme Cotching, 1.298 - Tel.: (11) 2954-5102

CAMOSSATO CAMOSSA Contabilidade e Seguros

69 Anos de Mercado

VENDA E LOCAÇÃO

Televendas (11) 2201-4787

Vila Maria - São Paulo/SP

DC

Visite nossas lojas, aqui você encontra lançamentos imperdíveis, além das surpresas do nosso Sexy Shop.

www.CASACRUZFERRAMENTAS.com.br

Entre no site e confira nossos serviços gratuitos www.topstop.com.br

(11) 2215-5422 / 5244 / 5499

ADE DC

UNID

paradeiro de Silva. Segundo a Secretaria da Segurança Pública, a autópsia constatou que Heida fora vítima de homicídio, porém, ainda não é possível apontar como ocorreu o assassinato. Segundo a Polícia Civil, os PMs suspeitos de abordarem os dois amigos já foram identificados. No entanto, o delegado responsável pelo caso, William Wong, não revelou quem seriam. A Corregedoria da PM disse que não poderia detalhar suas investigações. Ontem, policiais fizeram uma busca pela região onde foi encontrado o corpo de Heida para tentar achar o corpo de Silva. No local, foram encontrados pedaços de roupas que podem ser dos dois amigos. (AE)

DC

umar entre os 50 e 60 anos dobra o risco de Alzheimer e outros tipos de demência na terceira idade, diz pesquisa americana. O estudo analisou dados de 21.123 pessoas entre 1978 e 2008. Em duas décadas, 5.367 pessoas (25,4%) desenvolveram alguma forma de demência. Um quinto dos casos era de Alzheimer. O estudo foi publicado ontem na revista "Archives of Internal Medicine''. (Agências)

corpo do segurança Emerson Heida, 29, desaparecido há um mês e meio, após uma abordagem da Polícia Militar na zona sul, foi reconhecido anteontem por um de seus irmãos. O metalúrgico Anderson Heida esteve no Instituto Médico Legal e reconheceu a vítima por causa de uma tatuagem no braço e de uma obturação dentária. O corpo foi encontrado por policiais em um matagal no bairro de Marsilac, extremo sul da cidade. Heida e o metalúrgico Edson Edney da Silva, 26, estavam desaparecidos desde o dia 10 de setembro depois que um carro da PM parou o veículo em que eles estavam. Até hoje, segundo familiares, não havia informações sobre o

E-mail: crks@terra.com.br Rua Dr. Martinico Prado, 26 - Sala 194 - Higienópolis

www.camossato.com.br ORGANIZAÇÃO CONTÁBIL CAMOSSATO Rua Pedro Alexandrino, 04 - Vila Matilde - CEP 03509-010 São Paulo - SP - PABX: (11) 2653-3010 / Fax: Ramal 104/113 E-mail: avcamossato@uol.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

c

11 Não interessa. Isso não vai trazer o meu filho de volta. Silvânia, sobre a possibilidade de encontrar o agressor de Henrique

André Vicente/Folhapress - 23/10/2010

idades Reprodução/Folhapress - 22/10/2010

Mãe do designer agredido com um taco de beisebol dentro da Livraria Cultura, no Conjunto Nacional, conta como foram os últimos meses da família e a luta do filho, Henrique de Carvalho Pereira, para continuar vivendo. Rique, como era conhecido, morreu na semana passada, após passar vários meses em coma profundo. Família pretende dar continuidade à sua obra artística.

Silvânia Pereira de Carvalho (acima) durante o enterro do filho, Henrique, no sábado passado. Obra de artista agredido com taco de beisebol foi um dos destaques da Cow Parade (ao lado). Fabio Braga/Folhapress - 21/12/2009

Silvânia, mãe de Rique: "ele lutou até o último minuto" Fabio Braga/Folhapress - 21/12/2009

Ivan Ventura

N

os últimos dez meses, a professora Silvânia Pereira de Carvalho lembra que deixou de visitar o filho, o designer Henrique de Carvalho Pereira, em apenas três oportunidades na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital das Clínicas, na região central. Foram momentos em que ela esteve doente, embora não se importasse muito com a sua saúde. Na verdade, sua vontade era estar ao lado do filho, conhecido na família por Rique, no momento em que ele despertasse do coma profundo. Para a infelicidade de Silvânia, Rique nunca despertou do coma profundo. Pior. Na mad r u g ada da ultima sextaFicava ao feira, lado do ele não Henrique e resi stiu aos gracontava ves fericoisas da m en to s família. n a c abeça em SILVÂNIA PEREIRA d e c o rCARVALHO, MÃE rência de uma agressão com golpes de taco de beisebol dentro da Livraria Cultura, no Conjunto Nacional, em dezembro do ano passado. Na ocasião, ele folheava livros na seção de artes quando foi surpreendido pelo agressor, o personal trainer Alessandre Fernando Aleixo, de 38 anos. Aleixo continua detido em um manicômio judiciário. Silvânia lembra que os primeiros dias após a agressão foram de muita apreensão para a família. Em menos de três dias, ele foi submetido a duas cirurgias no cérebro para a retirada de coágulos. O estado de saúde era grave, porém estável, segundo os médicos. Exposição – O Natal e o réveillon de 2009 foram tristes para a família de Pereira Carvalho. Apenas em janeiro deste ano a família recebeu a primeira boa notícia: era o início da exposição das vacas do Cow Parade e uma das peças em destaque era de Rique. O nome da obra era "Vaca de Sampa" e foi exposta na Avenida Brigadeiro Luís Antônio, na Bela Vista, região central. Mais tarde, o trabalho foi arrematado em um leilão e a renda foi

doada ao próprio jovem. No momento, ela é exibida em unidades da Universidade Bandeirante (Uniban), instituição onde Rique estudou. Em meados de fevereiro, a família do rapaz recebeu outra boa notícia. Nas visitas diárias, que duravam pouco mais de uma hora, o pai, Elifas Pereira Filho e a mãe, Silvânia, passaram a estimular uma resposta do jovem das mais variadas maneiras. O mais comum eram as conversas ao ouvido em que o casal contava sobre assuntos familiares, além de notícias de interesse do designer, como a exposição da "Vaca de Sampa" na cidade. "(Eu) fazia carinho. Ficava ao lado do Henrique e contava coisas da família. Também toquei músicas de artistas de new age e música instrumental, que ele adorava", lembra a mãe, em entrevista ao Diário do Comércio. Surpresa – Em uma das visitas, Rique surpreendeu os pais. Após ouvir algumas músicas e assuntos relacionados à espiritualidade, ele respondeu ao estímulo. Chegou a mexer um dos pés e até piscou para a mãe. "Uma vez ele chorou quando toquei uma música. Naquele momento tinha certeza da recuperação do meu filho", disse. Com o passar dos meses, pai e mãe continuavam a estimular o filho com música e histórias familiares. Os parentes souberam das boas notícias e também passaram a visitar o jovem c o m certa f r eSe ele não q u ê ntinha nada cia no contra o meu H o s p ifilho, só pode t a l d a s C l í n iser um cas. doente. " I a toda seIDEM, SOBRE O mana, AGRESSOR p o i s não podia ir todos os dias. Mas quando eu ia, conversava com ele. Achava que ia melhorar", disse a avó paterna de Henrique, Dolores Carvalho Pereira, de 73 anos. Nos meses seguintes, as respostas do paciente aos estímulos cessaram de vez até a sua morte, na semana passada. Até o falecimento, toda a família ainda confiava na recupera-

ção, segundo Silvânia. Em setembro, o jovem foi submetido a uma terceira cirurgia no cérebro, por causa do desenvolvimento de uma hidrocefalia – acúmulo anormal de líquido na caixa craniana. A mesma operação havia sido realizada anteriormente e, na ocasião, ele reagiu bem ao p ó s o p e r atório. Dessa Conversava vez, alcom ele. go saiu Achava que d i f erente. (Rique) ia Após a melhorar. c i r u rDOLORES PEREIRA, g i a , o AVÓ, SOBRE AS estado VISITAS AO NETO de saúde do p ac ie nte piorou. "Uma semana antes dele morrer, o médico nos chamou e informou que não mais o que fazer, pois tudo havia sido tentado. Entendi que ele não ia aguentar e que deveria me preparar para a morte. Ela ocorreu na semana passada, mas vi que ele lutou até o último minuto. O que me consola é que pessoas nas mesmas condições tinham horas de vida. Ele lutou por mais uma semana", lembrou a mãe. Doente mental – Na opinião da mãe, o agressor Aleixo é uma pessoa com alguma doença mental e deve ficar sob a supervisão do Estado por tempo indeterminado. "Se ele não tinha nada contra o meu filho, só pode ser um doente mental", disse. A mãe de Rique disse ainda que não se interessa em ficar frente a frente com o responsável pela morte do próprio filho. "Não interessa. Isso não vai trazer o meu filho de volta", disse a professora. Nesse momento, pai e mãe querem dar continuidade aos projetos de Rique, entre eles a venda pela internet dos brinquedos decorativos denominados "toy art" e que recriam deuses da Índia em versão animada. "Passado tudo isso, vamos retomar os projetos dos bonecos. Vamos vender os seus bonecos", disse. Missa – Amanhã será celebrada a missa de sétimo dia em homenagem ao designer morto. O culto está marcado para às 19h na Igreja São Marcos, no Parque São Rafael, na zona sul de São Paulo.

Ao lado, o personal trainer Alessandre Fernando Aleixo, que agrediu Henrique de Carvalho Pereira com um taco de beisebol (acima). Ele está detido em um manicômio.

No lugar errado, na hora errada Casos de pessoas que morreram por obra do acaso se repetem Paulo Liebert/AE - 29/11/2009

A

agressão e morte do jovem designer Henrique Pereira de Carvalho ilustra um velho ditado: "Ele estava no lugar errado, na hora errada". No Brasil, há outros casos de pessoas que morreram por uma infeliz coincidência de situações. Em novembro de 1999, o ex-estudante de medicina Mateus da Costa Meira, conhecido pelo apelido de atirador do shopping ou "Tela Quente", entrou ar mado com uma metralhadora 9 mm e atirou a esmo durante uma sessão de cinema no shopping Morumbi, na zona sul. Na ocasião, três pessoas desconhecidas de Costa Meira foram mortas e outras quatro, feridas. Este ano, outros dois casos chamaram a atenção. Em julho, o estudante Rafael Mascarenhas, de 18 anos, filho da atriz Cissa Guimarães, foi atropelado enquanto andava de skate dentro do Túnel Acústico, na Gávea, zona sul do Rio. O túnel estava interditado, mas um veículo invadiu a pista em alta ve-

Ao lado, Mateus da Costa Meira, conhecido como atirador do shopping

locidade e atropelou Rafael. Também no Rio, em maio, o supervisor de supermercados Hélio Barreira Ribeiro foi morto por engano pelo cabo do Bope Leonardo Albarello. Ribeiro estava em casa com uma furadeira na mão quando foi atingido por um tiro fatal a uma distância de quase 40 metros. Em depoimento à polícia, o PM disse ter confundido a furadeira com uma submetralhadora Uzi. Metrô – Em 2007, um acidente por obra do acaso (ou por negligência) durante a obra na estação Pinheiros do Metrô (Linha Amarela) dei-

xou sete pessoas mortas. Na ocasião, das sete pessoas que morreram, cinco estavam em uma lotação que passava na rua em frente à obra, justamente no momento do desabamento. No mesmo acidente do Metrô, houve a morte do motorista Francisco Sabino Torres, de 48 anos, funcionário do consórcio Via Amarela, responsável pela construção. Amigos da vítima dizem que ele saiu do local momentos antes do acidente. No entanto, decidiu voltar para buscar a carteira de habilitação – e morreu. (I.V.)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

3Doação de

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

º

NO ESTADO O Estado de São Paulo possui 53 bancos de leite humano.

setor

Fotos: Zé Carlos Barretta/Hype

leite: uma ação que salva vidas

O leite materno tem propriedades que garantem a boa alimentação do bebê e a recuperação mais rápida dos prematuros. Abaixo, à esquerda, mães retiram leite. À direita, Gildilene, com o filho Gabriel: doação de mais de 100 litros em 10 meses.

Mães de bebês saudáveis doam o excedente do leite que produzem para ajudar prematuros em risco

A

Kelly Ferreira

Organização Mundial de Saúde recomenda que todo bebê receba exclusivamente o leite materno até completar seis meses. Mas, infelizmente, nem sempre é possível transformar a teoria em prática. Por vários motivos, muitas mães não conseguem produzir leite suficiente para amamentar. A dona de casa Maria Sandra Ribeiro, de 26 anos, sabe bem o que é isso e valoriza cada gota de leite que a pequena Maria Lara, que nasceu prematura 70 dias antes do previsto, recebeu de outras mães. "No começo ela precisava de pouco leite e já usava o complemento de outras mães. Um dia antes de amamentá-la no peito nem dormi direito. Foi uma grande emoção", disse Sandra. Maria Lara continua internada e ainda não tem previsão de al-

EM 1998 A Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano foi criada em 1998.

Divulgação

ta. Ela e a mãe usam o método canguru – o bebê fica bem perto do corpo da mãe em uma sacola de tecido – na Maternidade Leonor de Barros, no Belenzinho, zona leste paulistana. Rede – Foi pensando nas dificuldade e na recuperação dos prematuros que o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz criaram, em 1998, a Rede Brasileira de Bancos de Leite Humano. A instituição tem o objetivo de coletar e distribuir leite humano com qualidade certificada, contribuindo para a diminuição da mortalidade infantil. São Paulo é o Estado que tem o maior número de bancos de leite humano – 23 na Grande São Paulo e 30 no Interior. Qualquer mãe que tenha leite excedente pode doar. O processo de retirada é simples. O leite doado é pasteurizado, submetido a controle de qualidade e dis-

tribuído aos prematuros e outros bebês clinicamente impossibilitados de serem amamentados. Devido às propriedades nutricionais e imunológicas do leite materno, a recuperação e o desenvolvimento dos recémnascidos são mais rápidos. "Não é fácil ter o cuidado de

não desperdiçar o excedente. Doar para salvar crianças prematuras é um ato duplo de amor", explicou Maria José Guardia Mattar, coordenadora do Centro de Referência Estadual em Bancos de Leite Humano de São Paulo. Segundo ela, não há dúvida de que o avanço tecnológico é fundamental para o bom desenvolvimento dos prematuros. "Mas não teria valor sem o leite materno". Doadora – Paraserdoadoraa mãe deve ser saudável e amamentar exclusivamente seu filho. No cadastramento, as mães passam por exames de saúde e são orientadas sobre higiene, ordenha, conservação e armazenamento do leite. A coleta é feita diariamente pela equipe do Banco de Leite. O produto coletado e oferecido aos prematuros e outras crianças passa por um processo de pasteurização e controle de qualidade. "A mãe só deve doar o leite ao banco depois de nutrir seu próprio filho. Não precisa se preocupar, pois não irá faltar leite. Quanto mais o seio é estimulado mais aumenta a produção", explica Maria José. Campeã – Sensibilizada, Gildilene Andrade dos Santos, de 31 anos, passou a doar o excedente que produzia ao Banco de Leite. Só não sabia que a quantidade retirada a faria ser a doadora de maior volume de leite humano do Hospital e Maternidade Leonor Mendes de Barros. Nos últimos dez meses, Gildelene doou 100,7 litros de leite materno para os estoques da unidade, quantidade suficiente para alimentar perto de 350 crianças durante um mês. "Ajudar uma mãe em dificuldade é muito gratificante, faz bem para quem doa e para quem recebe. Nós que temos condições de doar não podemos ficar paradas. O segredo para tanto leite? Manter a cal-

Maria Sandra: método canguru e leite doado para a prematura Maria Lara

ma sempre", disse Gildilene, mãe de Gabriel, de 1 ano, e de Natália, de 12 anos. Estoque – Na capital paulista, o Banco de Leite Humano do Hospital Maternidade Leonor Mendes de Barros arrecadou, de janeiro a agosto, 640 litros de leite materno que beneficiaram 2.243 bebês prematuros. Apesar disso, o hospital está à procura de novas doadoras para manter o estoque. Segundo Maria José, com a proximidade do final de ano, a quantidade de leite arrecadado está diminuindo e tende a

cair ainda mais devido às festas e também às viagens das doadoras durante as férias. "Gostaríamos de ter um estoque grande de leite materno. Ele não é apenas um alimento, mas um tratamento para melhorar a saúde e aumentar o peso de bebês que nascem com 500 ou 700 gramas. O ideal seria ter, pelo menos, o dobro de leite materno armazenado. Por isso entramos em campanha para captar doadoras com o Hospital São Luiz. Hoje temos 60 mães doadoras cadastradas. Mas esse número é muito variado, depende da época do ano ", disse Maria José. O Hospital Leonor de Barros atende atualmente em torno de 60 bebês prematuros, entre a UTI Neonatal, a UTI Semi-Intensiva e o método canguru.

S ERVIÇO Para doar basta ir a um Banco de Leite Humano ou ligar para 2692-4068. No Interior, informações pelo (16) 3610-2649. A lista de bancos de leite está no www.redeblh.fiocruz.br

Maria José Mattar (esq.), com a equipe do hospital, mães e bebês

Vantagens do aleitamento materno  Para a mãe – Perda de peso mais rápida, redução de incidência de câncer de mama, de ovários e osteoporose, maior espaçamento entre gestações, aumento do vínculo com o filho.  Para o bebê – Alimento completo, protege contra infecções, alergia e de doenças crônicas, previne problemas ortodônticos e

fonoarticulatórios.

 Para a família – Mais qualidade de vida, praticidade e economia, melhor vinculo familiar, menor gasto com doenças, mais investimento em alimentos e bens de consumo.  Para o hospital – Menos internações por doenças

infecciosas e infecções cruzadas, menor índice de infecção hospitalar e diminuição do tempo de permanência hospitalar.

 Para a sociedade – mais qualidade de vida, menos ausência no trabalho materno e doenças infantis e menor mortalidade infantil.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

13 QUEBRA DE SIGILO Site WikiLeaks tem mais documentos sobre guerras, diz Pentágono.

Natureza varre a Indonésia

Beawiharta/Reuters

nternacional

PRECAUÇÃO República Dominicana fecha fronteira com Haiti por cólera

Terremoto seguido de tsunami e erupção de vulcão deixam pelo menos 132 mortos e 500 desaparecidos no maior arquipélago do mundo

Senado aprova reforma previdenciária

D

o lado de fora, milhares de estudantes clamavam ontem por "resistência" frente à reforma da previdência em curso na França. Mas dentro do Palácio de Luxemburgo, em Paris, os senadores se mostraram indiferentes ao apelo. Por 177 votos a favor e 151 contra, o Senado aprovou ontem o aumento da idade mínima de aposentadoria no país de 60 para 62 anos. A

Assembleia Nacional deve confirmar seu aval hoje. Os sindicatos franceses já começam a pensar em suas próximas ações, já que as greves que se espalharam pelo país ao longo de outubro estão em seus últimos suspiros. Ontem, cinco das 12 refinarias de combustíveis do país voltaram ao trabalho. Com isso, 80% dos postos de combustíveis puderam ser reabastecidos. (AE)

Reprodução

Idosos e crianças são retirados; os adultos ficam para cuidar das casas.

legislativo das ilhas Mentawai, Hendri Dori Satoko. Vulcão - A mais de 1 mil quilômetros dali, na ilha de Java, a erupção do mais ativo vulcão do país provocou a morte de pelo menos 19 pessoas, informaram médicos e a mídia local. Funcionários de um hospital disseram que um bebê de dois meses morreu quando sua mãe saiu correndo em pânico por causa dos ruídos que antecede-

68 anos 1942 - 2010

Rua Riachuelo, 71 - Centro São Paulo - SP

Tel. 11 3105-2223 Fax: 11 3106-8701

ram a erupção do Monte Merapi. Outras três pessoas morreram ao sofrerem graves queimaduras. A emissora de televisãoMetro TVinformou que mais 15 corpos foram encontrados em casas próximas ao vulcão. A Indonésia repousa sobre o chamado Anel de Fogo do Pacífico, onde diversas placas continentais se encontram, causando intensa atividade vulcânica e sismológica. (Agências)

A nova fã do YouTube suária assídua do Twitter, a presidente argentina, Cristina Kirchner, lançou agora um canal próprio no YouTube.

U

Em seu vídeo inaugural, Cristina disse que o espaço "servirá para contar coisas de interesse geral para o país e o mundo". (Agências)

Irã: usina nuclear a todo vapor. Para Hillary, outras instalações estariam desenvolvendo armas atômicas.

O

s atrasos causados pelos fornecedores russos e, mais recentemente, por um ataque cibernético à usina nuclear de Bushehr não tiraram dos iranianos a oportunidade de desafiar os EUA. A usina foi inaugurada ontem carregada de um simbolismo amargo para o Ocidente, que contesta o programa nuclear de Teerã. A usina recebeu o primeiro carregamento de combustível e a previsão é que o reator passe a operar até o início de 2011. Em Nova York, a secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, minimizou a notícia. "Nos-

Ajuda a Karzai A usina de Bushehr tem capacidade de gerar mil megawatts de energia

so problema não é com o reator em Bushehr; nosso problema é com as instalações em Natanz,

Qom e outros lugares onde o Irã pode estar conduzindo seu programa de armas", disse. (AG)

O

Irã admitiu ontem que dá "assistência" ao Afeganistão, após o líder Hamid Karzai dizer que recebia "sacos de dinheiro" de Teerã.

Apagando o passado

SYLVIO R. COVAS & CIA. LTDA.

• Lustres • Luminárias • Chuveiros • Aquecedores

VENEZUELA Chávez anuncia expropriação de fabricante de garrafas dos EUA

Ó RBITA

ELÉTRICA SÃO PAULO PROMOÇÃO DE INVERNO Chuveiro e Aquecedores com ótimos preços

SANÇÕES Pelo 19º ano consecutivo, a ONU condena embargo dos EUA a Cuba.

Tribunal do Iraque condena à morte o rosto internacional de Saddam Hussein

A

Suprema Corte do Iraque condenou ontem à morte Tareq Aziz, o funcionário que se tornou o rosto internacional do regime do ex-ditador Saddam Hussein. Segundo a televisão estatal, o tribunal sentenciou Aziz à forca por seu papel na perseguição de partidos religiosos. Ele tem 30 dias para apelar da decisão. Antes da derrubada de Saddam, em 2003, Aziz era muito conhecido na comunidade internacional. Ele ganhou destaque na época da invasão iraquiana do Kuwait e depois na Guerra do Golfo, em 1991,

quando era ministro das Relações Exteriores. O tribunal também emitiu penas de morte contra outros dois funcionários de Saddam: o ex-ministro de Interior Saadoun Shaker e Abid Hamoud, que foi secretário do ex-ditador. O trio foi sentenciado por seu papel na perseguição aos xiitas, que se seguiu à tentativa de assassinato em 1982 sofrida por Saddam em Dujail, uma cidade de maioria xiita ao norte de Bagdá, disse o porta-voz da corte, Mohammed Abdul Saheb. No ano passado, Aziz foi condenado a 15 anos de prisão pela execução, em 1992, de 42 pes-

AFP - 03.08.98

Agora, aposentar na França só aos 62 anos.

Mulher protege bebê enquanto foge das cinzas vulcânicas, na vila de Kaliurang. Cientistas advertem que esta pode ser a maior erupção em anos.

Mohammad Babaie/Reuters

nal do Departamento de Pesca. "Das 200 pessoas que vivem no vilarejo, só 40 foram encontradas; 160 ainda estão desaparecidas, a maioria mulheres e crianças", disse o funcionário Hardimansyah (que, como muitos indonésios, usa um só nome). "Temos pessoas relatando ao posto de segurança daqui que não conseguiram segurar suas crianças, que elas foram arrastadas. Muita gente está chorando", acrescentou. Segundo Hardimansyah, 80% das casas foram danificadas na região, e há o risco de falta de alimentos. Equipes de resgate estão procurando um grupo de nove australianos que estava em um bote no mar durante o terremoto. Na ilha de Pagai do Sul, ondas de até três metros penetraram cerca de 600 metros pelos vilarejos; em Pagai do Norte, o mar chegou a cobrir os telhados, segundo o relato de Mudjiarto, chefe da unidade de reação a desastres do Ministério da Saúde. A polícia das ilhas Mentawai disse estar buscando os desaparecidos e montando postos de emergência. "Estamos prevendo que as pessoas vão precisar de mantimentos e abrigo. A chuva está caindo muito forte, o vento está muito forte", disse um policial que se identificou apenas como Ronald, na delegacia da localidade de Sikakap. Grandes ondas também estavam impedindo equipes de resgate de chegar à área afetada, disse à TV local o chefe do

Dwi Oblo/Reuters

C

omo se uma tragédia não fosse suficiente, as autoridades da Indonésia correm para lidar com dois grandes desastres que assolam o maior arquipélago do mundo. Em Sumatra, um tsunami que sucedeu um terremoto deixou 113 mortos e mais de 500 desaparecidos. Na ilha de Java, a erupção do vulcão Merapi provocou a morte de pelo menos 19 pessoas. O número de vítimas deve aumentar à medida que chegam informações de regiões remotas. A primeira catástrofe ocorreu na noite de segunda-feira (horário local), depois que um terremoto de 7,7 graus de magnitude desencadeou uma onda gigante que avançou sobre uma cadeia de ilhas da nação insular. Um porta-voz da Agência Nacional de Gerenciamento de Desastres afirmou que o tsunami provocou violentas inundações em pelo menos 10 vilarejos. Um alerta de tsunami chegou a ser divulgado logo depois do terremoto, mas o governo local o suspendeu após duas horas, acreditando não haver riscos de grandes ondas. O epicentro do tremor foi situado 78 quilômetros a oeste de Pagai do Sul, nas ilhas Mentawai, um popular destino turístico localizado a 12 horas de barco de Sumatra. Foi o segundo tremor de grande magnitude a atingir o país no mesmo dia. No vilarejo de Betu Monga, a maioria das casas foi destruída, segundo um funcionário regio-

Tareq Aziz diz ser inocente

soas em Bagdá, e recebeu outra pena de sete anos por expulsar curdos do norte do país. Ele

sempre afirmou ser inocente. O advogado de Aziz, Badee Izzat Aref, acusou o Iraque de orquestrar o veredicto para desviar a atenção das revelações feitas pelo site WikiLeaks, o qual postou documentos norteamericanos que mostram abusos contra presos feitos por forças de segurança iraquianas. Clemência - O Vaticano fez um apelo ao governo iraquiano para que suspenda a sentença de morte contra Aziz, o único cristão no círculo de poder de Saddam, formado por muçulmanos sunitas. Isto, segundo a Santa Sé, ajudaria na reconciliação, paz e justiça. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14 -.LOGO

Logo Logo

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

Modelo desfila criação do designer de moda indiano Nida Mahmood, durante a Semana de Moda da Índia, em Nova Délhi.

Manpreet Romana/AFP

www.dcomercio.com.br

27

OUTUBRO

C OPA 2010 E M

C A R T A Z

Polvo Paul morre na Alemanha

GALENO

O

polvo Paul, que foi amado e odiado mundo afora ao acertar os resultados de oito jogos que "analisou" na Copa de 2010, morreu na noite de segunda-feira, no oceanário Sea Life, na cidade alemã de Oberhausen. O molusco mais famoso do planeta, que nasceu em 2008, era um polvo comum, da espécie Octopus vulgaris. Ele teve morte natural e será cremado. O Sea Life, que se tornou famoso no mundo todo graças à popularidade do molusco, irá homenageá-lo com um monumento. "Ele era muito querido por nós e fará muita falta. Como ele virou celebridade em vida, parece apropriado uma estátua para ele", disse Stefan Porwoll, diretor geral do oceanário. Paul acertou que a Espanha venceria a Holanda na final da Copa.

Mostra expõe pinturas, objetos e esculturas do artista plástico Francisco Galeno. Galeria Pontes, rua Minas Gerais, 80, Higienópolis, tel.: 3129-4218. Grátis.

Wolfgang Rattay/Reuters

Michael Nagle/AFP

C IÊNCIA

A RÁBIA SAUDITA

Mais inteligentes que computadores

Eleita a rainha da 'beleza moral'

por néctar, encontrando seu caminho de volta para a colmeia. "Isso não é nada trivial, principalmente se você tem o cérebro do tamanho da cabeça de um alfinete", comenta o pesquisador. Para resolver o mesmo tipo de problema, computadores podem levar dias. Utilizando flores artificiais controladas por computador, a equipe testou se as abelhas seguiriam rotas quaisquer entre elas, mas, em pouco tempo, os animais descobriram a rota mais curta. Os cientistas esperam que o entendimento de como um cérebro tão pequeno consegue realizar cálculos tão complexos possa ajudar no desenvolvimento de redes e sistemas de comunicação mais modernos e eficientes, sem que sejam necessários supercomputadores.

L

Pesquisadores da Universidade de Londres afirmam ter descoberto que as abelhas são capazes de resolver complexos problemas matemáticos que computadores podem levar dias calculando. Segundo o estudo, as abelhas conseguem encontrar o caminho mais curto entre flores, mesmo que elas não estejam ordenadas. Elas são capazes de resolver o Problema do Caixeiro Viajante, que propõe a descoberta do menor caminho que o viajante deve fazer para que visite uma série de cidades, sempre retornando à sua cidade inicial. O problema tem alta complexidade. Segundo o professor Lars Chittka, da Escola de Ciências Biológicas e Químicas, as abelhas precisam fazer isso constantemente, ou seja, sempre calcular a menor distância entre flores para otimizar sua busca

NASCE UMA ESTRELA - Amanda Brook caminha com um camelo chamado Ted pela Sexta Avenida, depois de uma sessão de fotos em frente ao Radio City Music Hall. Camelos, ovelhas e um macaco integram o espetáculo de Natal da casa de shows.

Uma saudita cega foi coroada a "rainha da beleza moral", ao fim de um concurso do qual participaram 400 jovens com véus dos pés à cabeça, noticiou ontem o jornal Al Watan. Os concursos de beleza não existem na Arábia Saudita, reino muçulmano ultraconservador, que impõe uma estrita separação entre os sexos. Zeinab al Jatam, de 24 anos, disputava com outras 10 semifinalistas o título, em uma competição organizada na segunda-feira na cidade de Qatif. Ao invés dos dotes físicos, as jovens deviam se valer de seu respeito aos valores familiares. Ela foi eleita por dedicar-se a cuidar da família por um público exclusivamente feminino.

WWF/AFP

AMAZÔNIA DESCONHECIDA Estudo da organização World Wildlife Fund (WWF) divulgado ontem revela que ao longo dos últimos dez anos os cientistas descobriram 1.200 novas espécies na Amazônia. A média é de uma descoberta a cada três dias. As descobertas, segundo a organização, reforçam a importância de que cientistas, ONGs, governos e sociedade cuidem da Amazônia antes de a ação do homem prejudique a biodiversidade local. Segundo o relatório Amazônia Viva!: Uma década de descobertas 1999-2009, os cientistas encontraram 637 plantas, 257 peixes, 216 anfíbios, 55 répteis, 16 aves e 39 mamíferos, até agora não conhecidos, embora algumas possam ter origens pré-históricas.

Sapo Ranitomeya amazonica e a cobra Eunectes biniensis

S OCIEDADE F UTEBOL

T ECNOLOGIA

Livros eletrônicos em alta na Amazon

Os finalistas do Bola de Ouro

A venda de livros eletrônicos pela Amazon neste ano triplicam em relação às do mesmo período de 2009, fazendo com que a empresa, que nasceu como uma livraria pela internet há 15 anos, vendesse duas vezes mais best-sellers em formato digital do que impressos. A companhia, que comercializa o leitor de livros eletrônicos Kindle, revelou que no último mês as vendas em formato digital superaram as impressas tanto entre os dez mais vendidos quanto entre os 25, os 100 e os mil com mais saídas.

A Fifa divulgou ontem os candidatos ao prêmio Bola de Ouro, cujo vencedor será conhecido no dia 10 de janeiro de 2011, na Suíça. Entre os jogadores que concorrem ao prêmio, estão os brasileiros Daniel Alves, Júlio César e Maicon. Eleita melhor jogadora do mundo nos últimos quatro anos, a jogadora Marta é mais uma vez candidata ao prêmio na categoria feminina. O Bola de Ouro é entregue aos melhores jogadores, jogadoras e técnicos das categorias feminino e masculino.

O administrador de empresas Raphael Oliveira Misui colocou seu currículo em um outdoor na fachada de um edifício em Campinas (SP). Foi a maneira que encontrou para conseguir um emprego. Ele busca uma colocação como supervisor ou gerente comercial.

L OTERIAS Concurso 910 da DUPLA SENA

A TÉ LOGO

Segundo sorteio 42

43

08

15

16

19

30

50

Concurso 2432 da QUINA 25

41

59

66

47

Ronaldo deverá jogar os 90 minutos contra o Flamengo no Engenhão Governo estima queda de 19% das emissões de gases em quatro anos

L

35

L

28

Primeiro sorteio

Acesse www.dcomercio.com.br para ler a íntegra das notícias abaixo:

L

27

C AMPANHA

Carlos Souza Ramos/AAN/AOG

Jornal italiano revela que Adriano pode deixar a Roma em janeiro de 2011

74

George Soros a favor da maconha O milionário norte-americano de origem húngara George Soros doou ontem US$ 1 milhão à campanha para legalizar a maconha na Califórnia. A legalização será votada em 2 de novembro. O célebre investidor anunciou seu apoio à Proposta 19, em artigo publicado ontem do jornal The Wall Street Journal. Na nota, Soros escreveu que, embora a proposta que estabelece um imposto à comercialização da maconha não seja perfeita, sua aprovação "seria um grande avanço e suas deficiências poderiam ser corrigidas com base na experiência". "Regular e taxar a maconha poderia, poupar a quem paga impostos bilhões de dólares em forças de segurança e prisões caras, enquanto poderia prover muitos bilhões de dólares em ganhos anualmente".


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

e

15

Gostaria de entender por que há tanta dificuldade para se colocar em votação um projeto que estabelece garantias constitucionais. Guilherme Afif Domingos, vice-presidente da ACSP e vice-governador eleito de São Paulo

conomia

Fotos: Euler Paixão/Hype

Fotos: Paulo Pampolin/Hype

Rapidinho, R$ 1 tri chegou. Em um piscar de olhos, o Impostômetro alcançou a gigantesca cifra. Lideranças cobram melhor uso do recurso público. Renato Carbonari Ibeli

O

Leão abocanhou 12% de crescimento real em reontem R$ 1 trilhão lação a 2009. A arrecadação triem impostos pa- butária cresce mais que o Progos pelos brasilei- duto Interno Bruto (PIB) do ros desde o início do ano. De País. As previsões otimistas acordo com o Impostômetro, apontam que o PIB de 2010 terá painel eletrônico que indica a alta de 7%, somando R$ 3,587 arrecadação tributária da trilhões. Com tais números União, estados e municípios, concretizados, a arrecadação desde o início do ano em tem- passaria a representar 35,57% po real, nunca se arrecadou das riquezas brasileiras. tanto tão rapidamente quanto Em parte, o aumento esperaagora. No ano passado, por do na arrecadação de 2010 é reexemplo, a cifra trilionária só sultado da comparação com foi atingida em 14 de dezem- uma base fraca, pois ao longo bro, ou seja, 49 dias depois. "É de boa parte de 2009 a econopreciso que o cidadão se cons- mia esteve estagnada. Entrecientize de que é do bolso de to- tanto, há fatores inerentes ao dos nós que saem os recursos sistema tributário brasileiro que vão para o governo. Por is- que ampliam a arrecadação, so, é um direito de todos cobrar como explicou João Olenike, o bom uso desse dinheiro, que presidente do Instituto Brasideveria ser melhor investido leiro de Planejamento Tributána saúde, na educação, e em rio (IBPT). Para ele, a tributaoutras prioridades", disse ção em cascata é uma das pecuAlencar Burti, presidente da liaridades brasileiras. Ela Associação Comercial de São ocorre porque no País um item Paulo (ACSP) e da Federação é tributado várias vezes, sendo das Associações Comerciais que a multi-incidência embute do Estado de São Paulo (Fa- uma grande carga de impostos cesp) em coletiva de impren- no bem, que em consequência sa logo após o placar atingir é vendido por valor maior. R$ 1 trilhão. Outro motiP a r a c o n svo para o aucientizar o conmento da artribuinte de recadação é a É preciso que o que é do seu maior eficiêncidadão se próprio bolso c i a n o s p r oque saiu essa conscientize de que cessos fiscalidinheirama zatórios dos é do bolso de todos destinada aos fiscos. Exemnós que saem os cofres públip l o s e m b l erecursos que vão cos, a ACSP ormáticos de para o governo. ganizou o Feisistemas que rão do Imposdificultam a ALENCAR BURTI, ACSP to, no Pateo do sonegação são Colégio, onde a Nota Fiscal a população pôde verificar Eletrônica (NF-e) e o Serviço quanto os tributos incidem no Público de Escrituração Digipreço dos bens e serviços adqui- tal (Sped). "Esses fatores soridos cotidianamente. mados a expansão da econoCPMF – Na coletiva, Burti mia explicam o avanço de 12% declarou que discorda de polí- esperado para a arrecadação ticos que querem retomar a tributária", disse Olenike. CPMF. "O que o governo preciEntre os tributos que mais sa fazer é enxugar a máquina e pesam no bolso do consumidestinar melhor os recursos dor estão o Imposto sobre Cirpara saúde, educação e sanea- culação de Mercadorias e Presmento", afirmou. tação de Serviços (ICMS), que Para ele, o mais irônico é somou 21,47% do R$ 1 trilhão que, apesar de a arrecadação até ontem, e a Contribuição pacrescer ano a ano também au- ra o Financiamento da Segurimentam o déficit e a dívida dade Social (Cofins), que república. "A incoerência presentou 10,93% do valor. re v e l a m á g e s t ã o dos recursos públicos." Se a fome do Leão se mantiver nesse ritmo até o final do ano, estima-se uma arrecadação de R$ 1,27 trilhão em 2010, o que configuraria

O Pateo do Colégio foi palco do Feirão do Imposto, onde a população conferiu quanto de tributo incide sobre produtos e serviços.

Crédito: 46% do PIB.

A Burti (esq.) e Afif: Líderes cobram direito constitucional negado.

O peso dos tributos De Olho no Imposto está parado no Congresso

N

em todo mundo sa- é tributo. A i n sbe do impacto dos impostos no dia a tr umentadia. Guilherme Afif Domin- dora Vera gos, vice-presidente da As- R o d r isociação Comercial de São gues ficou Paulo (ACSP) e vice-gover- sur presa nador eleito em São Paulo, com o que lembrou ontem que é asse- v i u . " S e gurado pela Constituição o todo esse direito de o cidadão ser in- d i n h e i r o Biazin: surpreso formado sobre o quanto pa- q u e d acom carga ga de tributo a cada bem ou m o s a o tributária. gover no serviço adquirido. Os mecanismos legais fosse bem usado não teríapara que isso se torne viável mos falta de leitos em hospiestão no Projeto de Lei n° tais ou uma educação tão 1.472/2007, idealizado por precária", disse Vera, que Afif. Ele estabelece a obri- também testou a Calculadogatoriedade de as notas ou ra do Imposto. Com a ferracupons fiscais discrimina- menta, ela descobriu que rem o percentual de tributos R$ 400 saem do seu holerite incidentes no valor de pro- todo mês diretamente para a boca do Leão. dutos e serviços. Mesmo sabendo que é Em junho de 2007, o projeto, apelidado de "De Olho tributado a cada compra no Imposto", passou pelo que faz, o microempresário plenário do Senado. Recen- Humberto Biazin ficou surtemente, a Comissão de Fi- preso com os percentuais nanças e Tributação da Câ- de impostos em itens como mara dos Deputados apro- o açúcar, que tem mais de vou o texto e, desde então, 30% do preço acrescido está parado. "Gostaria de por tributos. "Seria imporentender por que há dificul- tante evidenciar ao consudade para se colocar em vo- midor o quanto ele paga de tação um projeto que esta- impostos. Assim, ele cobelece garantias constitu- braria o retorno adequado cionais. Vamos aproveitar o por parte do poder públigoverno que virá para reto- co", afirmou Biazin. (RCI) mar a campanha pela aprovação do projeto", disse. Vera: Ontem, no Feirão do Im- gostaria posto, no Pateo do Colégio demais foram expostos os percensaúde e tuais embutidos nos preços educação. de mercadorias como lata de leite em pó. Dos R$ 5,70 pagos pelo produto, R$ 1,50

s operações de crédito mantiveram em setembro a trajetória de crescimento verificada ao longo do ano e bateram recordes, com destaque para os bancos privados. O volume total de empréstimos alcançou o valor inédito de R$ 1,611 trilhão, aumento de 1,8% no mês e de 19,6% em 12 meses, de acordo com dados do Banco Central (BC). Isso equivale a 46,7% do Produto Interno Bruto (PIB). Os bancos privados nacionais ganharam participação e chegaram a 40,4% do total, enquanto os públicos recuaram para 42% e os estrangeiros ficaram em

17,6%. Houve aumento de 1,8% no crédito com recursos livres, e de 1,7% no crédito direcionado. Juros – A taxa média de juros cobrada no crédito livre caiu pelo segundo mês seguido em setembro e se manteve no menor nível da série histórica, iniciada em 1994 pelo BC. Os dados divulgados mostram que o juro médio dessas operações caiu de 35,2% ao ano em agosto para 35,1% ao ano no mês passado. Em setembro, a inadimplência recuou 0,2 ponto percentual para pessoas físicas, para 6%, e 0,1 ponto para empresas, atingindo 3,5%. (Agências)

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL COMUNICADO A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social - SMADS comunica que, a partir de 27/10/10, na Seção Técnica de Licitações e Contratos, na Rua Líbero Badaró, 561/569 - 5º andar - Centro - São Paulo, das 09:00 às 17:00 horas, fone para informações: 3291-9712, estará à disposição dos interessados o respectivo caderno de licitação para consulta e aquisição, até o último dia útil anterior à data designada para a sessão de abertura do aludido certame e no endereço eletrônico da Prefeitura Municipal de São Paulo: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br: PREGÃO 24/SMADS/2010 - Proc. 2010-0.163.807-3 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM SERVIÇOS DE LIMPEZA, ASSEIO E CONSERVAÇÃO PREDIAL PARA ATENDIMENTO NOS SEGUINTES EQUIPAMENTOS DE SMADS: LOTE 1: CAS NORTE, LOTE 2: CAS SUDESTE, LOTE 3: CAS SUL, LOTE 4: CAS CENTRO OESTE, LOTE 5: CAS LESTE E LOTE 6: SMADS - GABINETE/COMAS/GESTÃO DE BENEFÍCIOS/ SUPERVISÃO DE EVENTOS FUNCIONAIS/ALMOXARIFADO/CAPE. SESSÃO DE RECEBIMENTO E ABERTURA DOS ENVELOPES: 11/11/10 às 10:30 horas. CUSTO DO CADERNO: R$ 0,15 por folha.

SECRETARIA DA SAÚDE COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE CENTRO OESTE - CRSCO Abertura de licitação Encontra-se aberta na Coordenadoria Regional de Saúde Centro Oeste licitação na modalidade PREGÃO PRESENCIAL, do tipo menor preço. Processo 2010-0.289.612-2, destinado à prestação de serviços de limpeza hospitalar e predial, conservação, desinfecção, dedetização, desinsetização, descupinização, desratização, e jardinagem, incluindo, áreas externas (pátios, estacionamento e arruamento), área verde (coleta de detritos), vidros (face interna e externa), com fornecimento de mão de obra especializada, de saneantes e domissanitários, materiais de consumo, utensílios, máquinas, apropriados ao objeto e equipamentos de limpeza, incluindo a coleta de resíduo interno e externo do prédio e demais atividades correlatas, assegurando níveis de desinfecção ótimos, de acordo com os parâmetros determinados pelo Ministério da Saúde, ANVISA e ainda manter o estado geral de limpeza, preservando também, o bom aspecto visual interno e externo das áreas abrangidas, das Unidades pertencentes às Supervisões Técnicas de Saúde da COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE CENTRO OESTE em locais determinados na relação de endereços constantes do Anexo I do Edital. A sessão pública de pregão ocorrerá às 14:00 horas do dia 11 de novembro de 2010, na Rua Dr. Renato Paes de Barros nº 77 - 6º andar - Itaim Bibi São Paulo - CEP 04530-000. Os documentos referentes ao credenciamento, os envelopes contendo as propostas comerciais e os documentos de habilitação das empresas interessadas, deverão ser entregues diretamente ao Pregoeiro, no momento da abertura da sessão pública de pregão. O edital do pregão poderá ser consultado e/ou obtido pelo site da PMSP, no endereço: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br, ou na Coordenadoria Regional de Saúde Centro Oeste, local de realização do pregão, na Rua Dr. Renato Paes de Barros nº 77 - Itaim Bibi - São Paulo - CEP 04530-000 - 2º andar - Assistência Jurídica São Paulo/SP, mediante a Guia de Recolhimento.


16 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

COMÉRCIO

quarta-feira, 27 de outubro de 2010


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

e

17 Tony Blair mostrou uma visão global e contribuiu para o sucesso dos eventos. Alencar Burti, presidente da ACSP e da Facesp

conomia

Oportunidade olímpica Em visita ao Brasil, Tony Blair fala sobre as vantagens da Copa do Mundo e dos Jogos Olímpicos para o País.

Combate a emissões ainda não tem regras

Marcos Mendes/LUZ

Kety Shapazian

Rejane Tamoto

C

onsiderado o grande responsável por Londres ser a sede da Olimpíada de 2012, o ex-premiê britânico Tony Blair disse ontem, durante evento a cerca de 400 empresários em São Paulo, que o Brasil, por ser sede da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, deve aproveitar as duas oportunidades para transmitir uma imagem diferente da que as pessoas atualmente têm sobre o País. Segundo ele, os eventos esportivos mostram "confiança" dentro e fora do país e servem para gerar empregos e benefícios. "Os jogos são uma oportunidade social, cultural e ambiental", afirmou. Para o exprimeiro-ministro, as competições são uma enorme oportunidade de mostrar o Rio como um símbolo de mudança e desenvolvimento. "O mundo está com vocês e eu sei que vocês não decepcionarão", disse. Benefícios – Blair, que governou o Reino Unido entre 1997 e 2007, acrescentou que dificilmente os valores gastos na Olimpíada ou na Copa do Mundo equivalem ao que foi orçado inicialmente. "Tem de ter disciplina nos custos , mas as coisas se ajustam." "Existe um motivo para todos lutarem para sediar eventos como esses – porque, no fim, os benefícios serão enormes", disse. "Não entrem nos Jogos se não estiverem preparados. Mas saibam que vai valer a pena no final", emendou. Na plateia do seminário, or-

A

Para Blair (à esquerda, com Alencar Burti), a questão do transporte público merece atenção especial.

ganizado pelo Lide – Grupo de Líderes Empresariais, presidido por João Dória Jr., estavam políticos como o governador do Rio, Sérgio Cabral, o de São Paulo, Alberto Goldman, o prefeito do Rio, Eduardo Paes, e o da capital paulista, Gilberto Kassab. Também estavam presentes no Hotel Unique o presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Alencar Burti, o ministro dos Esportes, Orlando Silva, e vários atletas, como Raí, Ana Moser, Magic Paula e Hortência. "O ex-primeiro-ministro foi uma agradável surpresa. Político extremamente capaz, mostrou ter uma visão global e contribuiu com sua experiên-

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÕES Encontra-se aberto no Gabinete: PREGÃO PRESENCIAL 292/2010-SMS.G, processo 2010-0.009.706-0, destinado ao registro de preços de MATERIAIS DE ACUNPUNTURA, para a Coordenadoria da Atenção Básica/Área Técnica de Homeopatia, Medicinas Tradicionais e Práticas Integrativas em Saúde, do tipo menor preço. A sessão pública de pregão ocorrerá às 10 horas do dia 25 de novembro de 2010, a cargo da 5ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAL O edital do pregão acima poderá ser consultado e/ou obtido nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br, ou, no gabinete da Secretaria Municipal de Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Os documentos referentes ao credenciamento, os envelopes contendo as propostas comerciais e os documentos de habilitação das empresas interessadas, deverão ser entregues diretamente ao pregoeiro, no momento da abertura da sessão pública de pregão. DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS-SMS.3 Grupo Técnico de Compras - Ação Judicial MEMO 152/2010-SMS.G A Secretaria Municipal da Saúde TORNA PÚBLICO que irá adquirir os produtos abaixo relacionados, visando o atendimento de ordem judicial. Para tanto, informa que eventuais proponentes interessados poderão enviar proposta de preços pelo e-mail elizabeteth@prefeitura.sp.gov.br ou pelo fax nº 3397-2137 ou pessoalmente na Rua Gen. Jardim, 36, 3º andar (Grupo Técnico de Compras - Ação Judicial Fone 3397-2136) no prazo de 03 dias a partir da data da publicação. Deverá constar da proposta: 1. Descrição do produto. 2. Quantidade. 3. Preços unitários e globais. 4.Validade mínima de 06 meses na data da entrega. 5. A empresa deverá ter garantia de no mínimo 03 meses, a contar da entrega na Unidade Requisitante. 6. O produto deverá ter garantia contra defeitos de fabricação, da armação e lentes. 7. Declarar: marca fabricante e procedência do produto ofertado. 8. Informar valor mínimo de faturamento. 9.Validade da proposta: 60 (sessenta) dias. 10. Condição de pagamento: 30 (trinta) dias após adimplemento do objeto. 11. Prazo de entrega: 08 (oito) dias úteis. 12. Número de CNPJ e do CCM. 13. Deverá constar o número da agência e da conta para pagamento, no BANCO DO BRASIL, conforme Decreto Municipal nº 51.197/10 de 22/01/2010. 14. As empresas deverão estar com os seguintes documentos atualizados: 16.1. CND-INSS 16.2. CRS-FGTS 16.3. Certidões de Tributos Mobiliários 16.4. Cartão do CNPJ 16.5. Certidão Conjunta Negativa de Débitos Relativos a Tributos Federais e a Dívida da União. Obs.: -Conforme prescrição médica prescrito pelo CEMA HOSPITAL ESPECIALIZADO. -O produto deverá atender à Lei nº 8078/90 (Código de Defesa do Consumidor) e às demais legislações pertinentes Comunicado n° 01 de 03/02/2010. Segue abaixo, relação dos produtos, quantidades e número de processo: Processo nº 2010-0.243.205-1 Objeto: - Óculos Descrição/Caraterísticas: Óculos dotado de lentes bifocais “Flat Top”, com armação confecionada em acetato, ou em metal de alta qualidade, dotado de reforço nas hastes, com acabamento perfeito e durabilidade. Modelo: Adulto Feminino. Medidas da Armação: • Tamanho = 52 mm • Distância entre aros = 72 mm • Diâmetro do modelo = 50 mm • Altura do modelo = 40 mm (prescrito pelo CEMA HOSPITAL ESPECIALIZADO). Lentes: • Par de lentes bifocais “Flat Top” Para Longe Para Perto

O. D. O. E. O. D. O. E. A + 3,00 (A O)

ESFÉRICO + 3,00 + 3,50

CILÍNDRICO

EIXO

D.P.

-0,50

90%

MM

}

MM

Obs.:“Conforme prescrição médica”. Identificação • No corpo do produto deverá conter gravado de forma legível e permanente a marca do fabricante Embalagem • O produto deverá ser acondicionado conforme a praxe do fabricante, garantindo sua integridade até o uso. Local de Entrega • Avenida Jaguaré , 818 - Jaguaré - das 08h00 às 15h00. CRITÉRIO DE JULGAMENTO: PRIMEIRO MENOR.

cia para que nossa participação na Copa e nos Jogos Olímpicos seja bem-sucedida. Parabéns ao João Dória Jr. e ao Lide pelo evento", disse Burti. Transporte – De acordo com Blair, o Brasil deve aproveitar conselhos de Londres, principalmente na área de transportes. "Transporte publico é absolutamente vital. Os Jogos Olímpicos nos forneceram oportunidades de renovar áreas de transporte público em Londres". O político colocou também a estrutura aeroportuária como um ponto essencial para que os brasileiros recebam grandes eventos. O ex-premiê disse que os britânicos tiraram cinco lições do processo de organizar os jogos de 2012. A primeira é de "governança e organização" e o

país precisa provar que é capaz de fazer. A segunda é a necessidade de atrair o setor privado para trabalhar em parceria com o setor público. "Esses eventos são uma enorme oportunidade para as empresas fazerem publicidade em escala global." A terceira é que o pensamento de longo prazo – com a utilização dos investimentos para reabilitar áreas urbanas degradadas, por exemplo. A quarta lição é o legado que as competições devem deixar. Os jogos, segundo ele, precisam mostrar que o esporte pode mudar a sociedade e unificar a comunidade. Por fim, os jogos precisam ter uma marca. "Mais do que ser uma cidade turística, Londres é um grande centro multicultural, que abriga diversas etnias e religiões."

s medidas para reduzir as emissões de gases de efeito estufa ainda estão longe dos acordos comerciais entre os países, principalmente por causa do risco de se tornarem um argumento para o protecionismo. Na pauta brasileira, o assunto ganha espaço na agricultura. Segundo o presidente do Conselho Superior do Agronegócio da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Roberto Rodrigues, o desafio do Brasil é aumentar em 40% a produção de alimentos e, ao mesmo tempo, preservar o meio ambiente, nos próximos dez anos. "O Brasil tem condições de atender a demanda mundial, que será 20% maior neste período, em função do aumento da população e da renda nos países emergentes", afirmou Rodrigues ontem, durante seminário da Fiesp e do International Food & Agricultural Trade Policy Council (IPC). Segundo ele, o País fez a "lição de casa" ao adotar ações sustentáveis e novas tecnologias na produção de grãos, além de incentivar o uso de biocombustíveis como o etanol. "Mas isso não encerra o assunto. Temos de ficar atentos para não permitir o obstáculo comercial do protecionismo."

OMC – Segundo o diretorgeral do Instituto de Estudos do Comércio e Negociações Comerciais (Icone), André Nassar, o protecionismo é um dos impasses sobre os efeitos de medidas pró-clima no comércio exterior, no âmbito da Organização Mundial do Comércio (OMC). "Um país que taxar um produto importado, sob alegação de que emite mais gases porque não tem tecnologia ou porque tem de ser transportado, está agindo de forma discriminatória, o que fere as regras da OMC." Outro problema, segundo Nassar, é a metodologia para provar cientificamente que um produto emite menos gases de efeito estufa. Hoje, cada grupo cria um método de medição, que pode incluir apenas o produto ou todo o processo produtivo. Segundo ele, a tendência é que as responsabilidades sejam compartilhadas. "É preciso aprimorar acordos na OMC e definir o que é mais importante: proteger o mercado ou estimular adoção de tecnologias 'carbon friendly'", diz. Segundo o ministro do Comércio Exterior e responsável pelas Negociações Internacionais sobre Mudanças Climáticas da Nova Zelândia, Tim Groser, a união entre os dois conceitos leva tempo. "É preciso eficiência na agricultura para reduzir emissões. Na Nova Zelândia, exportamos quase toda a nossa produção de alimentos e investimos em soluções tecnológicas para manter o desenvolvimento produtivo e a redução de emissões. São pesquisas que levam tempo", afirmou.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

e Gargalos podem afetar setor de energia Os investimentos são grandemente prejudicados pela alta carga tributária. Cláudio Sales, presidente do Instituto Acende Brasil

conomia

Evento no Rio de Janeiro discute problemas como licenciamento ambiental, marco regulatório e reservatórios hidrelétricos. Agliberto Lima/AE

Indefinições no marco regulatório podem acarretar falta de investimentos na área

Paulo Ludmer*

U

m excesso de riscos paira no horizonte do setor elétrico brasileiro. Se por um lado o Brasil produz em boa escala uma energia hidrelétrica sustentável e competitiva, ao mesmo tempo sofre regularmente a perspectiva de problemas no fornecimento do insumo. O tema foi discutido na sétima edição do Encontro Nacional dos Agentes do Setor Elétrico (Enase), promovido no Rio de Janeiro pelo Canal Energia. De acordo com Saulo Cisneros, consultor do Operador Nacional do Sistema (ONS), é necessário que se discuta em profundidade qual é o tamanho adequado dos reservatórios hidrelétricos. Ele acredita que se deva aproveitar melhor os lagos de acumulação, uma vez que os rápidos esvaziamentos acarretados em estiagens são compensados por termelétricas caras e sujas, ou então por biomassa e por eólicas incentivadas. Concessões – A questão de uma melhor definição do marco regulatório do setor no País foi abordada por João Carlos Mello, titular da consultoria especializada Andrade Canellas. Ele afirmou que ainda faltam regras essenciais, como no caso

das renovações das concessões de 20% da capacidade das usinas atualmente em operação. "As empresas não podem, com segurança, contratar a compra de energia a longo prazo para seus programas de exportação, independentemente dos preços finais,

porque, no lado da oferta, não se sabe quem será o vendedor", disse. Com isso, salientou, os investimentos deixam de ser efetuados. Mello também indicou a abusividade da carga tributária incidente sobre a cobrança de serviços de energia elétrica.

Segundo ele, só de encargos os usuários pagarão perto de R$ 15 bilhões em 2010. Meio ambiente – Para Roberto Gomes, diretor do ONS, o ritmo do processo de licenciamento ambiental preocupa mais do que o desejável. Ele lembrou que uma linha de

transmissão – que permite o escoamento da energia de uma usina – corre o risco de ficar pronta antes da parte de geração, permanecendo vazia; ou então se atrasar, impedindo a produção e entrega da energia. O diretor disse que ainda falta uma sintonia entre

órgãos do governo, dentro e fora do setor elétrico. O especialista Mário Veiga, da PSR, ponderou que, em curto prazo, deverá haver excesso de oferta de energia, mesmo que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro cresça a 7% ao ano. Em contrapartida, o seu preço final subirá até 2015, sendo prevista alta efetiva de 30% na tarifa média da área regulada. "Veja que preço final é a soma da tarifa, mais impostos e mais encargos. Não se enxerga um equilíbrio entre o custo e a segurança do suprimento, diante da preservação da competitividade da economia brasileira", afirmou. Ele defendeu uma maior integração energética continental, citando obras no Peru que aumentariam, pela regularização de rios e afluências, em 100 MW médios as potências das usinas de Santo Antônio e Jirau, no Rio Madeira. * O repórter foi enviado especialmente ao Rio de Janeiro. Leia mais sobre o tema Energia na edição de amanhã.

Ricardo Kuehn/Folhapress

Instituto vê prejuízo nas elétricas Paula Cunha

nova queda em razão da crise econômica mundial, iniciada em setembro de 2008. Tributos – De acordo com Sales, uma das características do setor elétrico brasileiro é que os investimentos realizados pelas empresas são adequados mas são grandemente prejudicados pela alta carga tributária que recai sobre ele. É ela, disse o presidente do Acende Brasil, que torna as contas tão altas para os consumidores finais. A expectativa para os próximos três anos é de que o segmento alcance o nível de sustentabilidade. O primeiro estudo das duas entidades foi realizado em 2005. Ele foi atualizado em 2007, e a versão atual seguiu os mesmos critérios das avaliações contábeis das empresas escolhidas.

O

de máquinas e equipamentos, por exemplo. O mesmo ocorreu no caso do lucro líquido, pois ele não leva em conta o custo de oportunidade de capital próprio. De acordo com o estudo apresentado, houve dois períodos distintos avaliados. O primeiro, de 1998 a 2006, registrou rentabilidade permanentemente negativa, com destaque para a desvalorização cambial ocorrida em 1999 e as crises econômicas de 2001, 2002 e 2003. O índice voltou a ser positivo a partir de 2007. Em 2009, a rentabilidade apresentou

Errata José Roberto Sampaio é diretor da Associação Brasileira das Empresas Operadoras de Regimes Aduaneiros (Abepra) e não presidente, como veiculado na reportagem "Abepra defende Projeto Porto 24 horas" em 22/10/2010.

www.nativeconfeccoes.com.br atendimento@nativeconfeccoes.com.br

www.despachanteotimo.com.br

DC

analisadas de acordo com este critério. Investimento – Em comparação com mercados estrangeiros, o brasileiro foi o que apresentou pior geração de valor sobre o investimento, afirmou Cláudio Sales, presidente do Instituto. Segundo ele, a comparação foi estabelecida com empresas do Canadá, EUA, Japão e Europa. A utilização da análise isolada de medidas de lucro, como por exemplo o Ebitda (resultado antes de juros, impostos, depreciação e amortização), foi descartada porque desconsidera os custos associados às empresas de capital intensivo, como o desgaste

Fones: 11 3625 1411 / 3621 3616

A Native atende aos públicos feminino, infantil e masculino, com produtos de malharia circular e tecido plano.

Transferência - Licenciamento - Financiamento Atualização de Cadastro: Detran e Renavan

Rua Coronel Virgílio dos Santos, 63 - Vila Jaguara - São Paulo/SP

www.punhosegolas.com.br

O Tempo faz a Tradição... 26 anos dedicados à Contabilidade Associada: * AESCON * SESCON * ACSP * Fones: 11 2578-6920 • 2062-2332 • 2063-3933 / Fax: 11 2062-2331 E-mail: contburkle@uol.com.br *** procontabil@osite.com.br Rua Dois de Julho nº 17 - 1º andar - Ipiranga - Cep 04215-000 - São Paulo/SP

G.I. Têxtil Golas, Punho e Retilínea em geral. 3331 2915 gitextil@ig.com.br 3331 2114 Rua da Graça, 911 - Bom Retiro - São Paulo/SP

Fones:

11

DC

PRO-CONTÁBIL Assessoria Contábil e Fiscal Ltda.

contato@despachanteotimo.com.br DC

Rua Caripura, 281 São João Clímaco/SP Tel.: (11) 2083-4140 Fax: (11) 2083-4143

DC

Tamanho ideal dos reservatórios hidrelétricos também foi discutido por especialistas na 7ª Enase

Instituto Acende Brasil, em parceria com a consultoria Stern Stewart & Co, divulgou ontem em São Paulo um estudo sobre a rentabilidade econômica das empresas do setor elétrico brasileiro. Ele indica que, entre 1998 e 2009, o segmento registrou perda de R$ 49,3 bilhões, o que equivale a R$ 222 bilhões em valores atualizados. O documento aponta que o período mais crítico foi de 1998 a 2006, e que a partir de 2007 houve uma lenta retomada nos ganhos. Estes não foram, contudo, suficientes para uma recuperação significativa. Apesar disso, as entidades são otimistas e acreditam que, no médio prazo, estas companhias serão autossustentáveis. Para aferir esses prejuízos, as duas instituições escolheram um índice para medir o desempenho do segmento. Denominado Valor Econômico Adicionado (EVA, da sigla em inglês de economic value added), ele baseia-se no conceito de que só existe lucro quando todos os custos são cobertos. Assim, 22 empresas brasileiras foram


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

CPM BRAX S S A CN M –NR A a de Reun ão do Conse ho de Adm n s ação ea zada em 04 de ou ub o de 2010 D h A C A A B S C n p n C m m C A m C m A S C M M S Od md D D m m R S N m m m A B D b A m m m m mA m G A m m m mA m m m C A m m m m m m m m m A m m A m Bm m m n N m B n M M – R S N –S M mb d C n h d Adm n R S N A C R G M Am S G m M S B B D S M C m m B M – M R S N –S M C m S C m K R B G –S G

CPM BRAX S S A CN M –NR A a da Assemb e a Ge a Ex ao d ná a ea zada em 04 de ou ub o de 2010 D h m C A A B S C n C m SA P n A C m A BM M S R S N O d md D m m m m m m m S A m m A B m C m m A B m m C D b O m m m A Sum A m m m m m m m SA C d dn A m m m p m A B m C n b d d d A m dn m dn p m A d pu d d u S A C m A –O R m m m m m m A B A m m B m m A m A B m C m Su p n d b h D m m m m A B m A m m m m m m A B m m m m m C A m C m A B m m m m m m R m d d b h À m A C m A B m m m n D m m d dn p m m A B m m C A m C m m m A B m A B m m mp b d d d n d dn A m m m N d pu d d u S A C m A –O R m m m m A m m B m m n m n N m m m m m R C m m B S M M – R S N –S C m S C m K R B G –S G

CPM BRAXIS S.A. CNPJ/MF nº 65.599.953/0001-63 – NIRE 35.300.178.815 Ata de Assembléia Geral Extraordinária realizada em 06/10/2010 às 10 horas 1. Data, horário e local: Aos 06/10/2010, às 10 hs., na sede da (“Cia.”), na Al. Araguaia, nº 1.930, Barueri-SP. 2. Convocação: Edital de Convocação, datado de 23/09/2010, publicado nos dias 28, 29 e 30/09/2010 no “DOE-SP”; e nos dias 28, 29 e 30/09/2010 no “Diário do Comércio”. 3. Presença: Acionistas listados ao final desta ata, representando a totalidade do capital social da Cia.. Presente ainda, Sra. Suelly Morales Zinezi, representante da Deloitte Touche Tohmatsu (a “Empresa Avaliadora”). 4. Mesa: Presidente: Juan Jose Lucena Maguire; Secretário: Jair Ribeiro da Silva Neto. 5. Ordem do dia: 5.1. a lavratura e publicação desta ata em forma sumária, conforme faculta o Art. 130, § 1º e 2º, da Lei das S.A.; 5.2. a ratificação da nomeação da Deloitte Touche Tohmatsu (a “Empresa Avaliadora”), empresa especializada responsável pela elaboração do laudo de avaliação dos ativos a serem contribuídos em razão do aumento de capital social mencionado no item 5.3 abaixo (o “Laudo de Avaliação”), o qual foi colocado a disposição dos acionistas na sede da Cia.; 5.3. o aumento do capital social da Cia., por meio da emissão de ações ordinárias, mediante a subscrição em moeda corrente e em contribuição de ativos; 5.4. a alteração e consolidação do Estatuto Social da Cia.; 5.5. a eleição de membros do Conselho de Administração; e 5.6. a criação dos Planos de Opção de Subscrição de Ações da Cia. “Gama”, “Delta” e “Épsilon”. 6. Deliberações: Após exame e discussão, os acionistas presentes (abstendo-se de votar os legalmente impedidos), por unanimidade de votos e sem reservas, aprovaram: 6.1. Lavratura e publicação da presente ata. Aprovaram a lavratura e publicação da presente ata em forma sumária, sem as assinaturas dos acionistas presentes, conforme faculta o Art. 130, § 1º e 2º, da Lei das S.A.. 6.2. Ratificação de empresa avaliadora. Ratificaram a nomeação da Deloitte Touche Tohmatsu (a “Empresa Avaliadora”), empresa especializada responsável pela elaboração do Laudo de Avaliação dos ativos a serem contribuídos em razão do aumento de capital social mencionado no item 6.3 abaixo, e aprovaram ainda os acionistas o Laudo de Avaliação que lhes foi disponibilizado na sede da Cia. e é ora rubricado pela mesa passando a integrar a presente ata (Anexo I). 6.3. Aumento de Capital. Diante da aprovação do Laudo de Avaliação pelos acionistas da Cia., foram consideradas integralizadas todas as ações subscritas pela acionista Cap Gemini do Brasil em decorrência da emissão de 58.602.596 ações ordinárias, escriturais, sem valor nominal, aprovada pelo Conselho de Administração em reunião ocorrida nesta data, às 9 horas, tendo todos os demais acionistas da Cia. anteriormente renunciado ao direito de preferência na subscrição das novas ações emitidas pela Cia.. 6.4. Reforma do Estatuto Social. Resolveram ainda os acionistas reformar o Estatuto Social da Cia. cuja versão alterada e consolidada, lida e aprovada pelos presentes, é rubricada pela mesa para integrar a presente ata (Anexo II). 6.5. Alteração dos membros do Conselho de Administração. Em função da de renúncia dos membros do Conselho de Administração da Cia., conforme cartas arquivadas na sede da Cia. e noticiado pela mesa, resolveram os acionistas eleger os seguintes membros do Conselho de Administração: Membros efetivos do Conselho de Administração: Antonio Carlos Rego Gil, brasileiro, casado, engenheiro, portador do RG nº 2.116.902-0 SSP-SP, inscrito no CPF/MF sob nº 006.130.027-68, com domicílio comercial em São Paulo-SP; Milton Almicar Silva Vargas, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador do RG nº 7.006.035.096 SSP-RS, inscrito no CPF/MF sob nº 232.816.500-15, residente e domiciliado em Santana de Parnaíba-SP; Ettore Victor Biagioni, americano, casado, empresário, portador do passaporte nº 131911463, com domicílio comercial em 17 Ridge Road, Bronxville, NY 10708, Estados Unidos da América; Jair Ribeiro da Silva Neto, brasileiro, divorciado, empresário, portador da cédula do RG nº 6.988.460 SSP-SP, inscrito no CPF/MF sob nº 022.718.058-56, com domicílio comercial em São Paulo-SP; Carlos Geraldo Egydio Rameh, brasileiro, separado judicialmente, advogado, portador do RG nº 6.013.654 SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 049.934.688-22 e na Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional de São Paulo sob o nº 101.939, residente e domiciliado em São Paulo-SP; Jorge Alberto Ader, argentino, casado, engenheiro industrial, portador do RNE nº V545469-N, inscrito no CPF/MF sob o nº 742.324.791-04, com domicílio comercial em São Paulo-SP; Membros suplentes do Conselho de Administração: Mauricio Machado de Minas, brasileiro, casado, engenheiro, portador do RG nº 7.975.904 SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 044.470.098-62, com domicílio comercial na Cidade de Deus s/nº, Vila Yara, Osasco-SP; e André Jacintho Mesquita, brasileiro, casado, empresário, portador do RG nº 16.990.193-2, inscrito no CPF/MF 071767968-31, residente em São Paulo-SP, ambos como suplentes dos quatro primeiros membros efetivos acima qualificados. Os membros ora eleitos permanecerão em seus cargos até a realização da AGO que vier aprovar as o balanço de demais demonstrações financeiras do exercício social findo em 31/12/2010. A Cia. outorga aos até então membros do Conselho de Administração da Cia., Srs. (i) Ettore Victor Biagioni; (ii) Giampaolo Maria Sisto Felice Baglioni; (iii) Jair Ribeiro da Silva Neto; (iv) David Shpilberg; (v) Antonio Carlos Rego Gil; (vi) Milton Amílcar Silva Vargas; (vii) Juan Jose Lucena Maguirie; (viii) Mauricio Machado de Minas, a mais plena, geral, rasa, irrevogável e irretratável quitação para todos os fins de direito, para nada mais reclamar, seja a que título for. O Presidente da assembléia reconhece o recebimento dos currículos de todos os conselheiros eleitos acima, bem como das declarações obrigatórias devidamente assinadas por tais conselheiros, nos termos do Art. 147 da Lei das S.A. Os conselheiros também assinaram seus respectivos termos de posse no Livro de Atas do Conselho de Administração, nos termos do Art. 149 da Lei das S.A.. 6.6. Planos de Opção de Compra de Ações. aprovação e a criação de 3 novos Planos de Opção de Compra de Ações para aquisição das ações emitidas pela Cia., nos termos do Art. 168, § 3º, da Lei das S.A., conforme descritos nos Anexos III, IV e V da presente ata (respectivamente, Plano “Gama”, “Delta” e “Épsilon”). Os documentos mencionados acima foram numerados em seqüência e rubricados pela Mesa e serão arquivados na sede social da Cia., conforme dispõe o Art. 130, § 1º da Lei das S.A.. 7. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, a assembléia foi encerrada e a presente ata foi lavrada em forma sumária, lida, aprovada e assinada por todos aqueles presentes na assembléia. Barueri-SP, 06/10/2010. Mesa: Juan Jose Lucena Maguire – Presidente; Jair Ribeiro da Silva Neto – Secretário. Acionistas presentes: CPM Holdings Ltd.; Braxis Tecnologia da Informação S.A.; Braxis ERP Software S.A.; SBS Serviços de Informática Ltda.; Softinvest Participações e Administração S.A.; SerPartners Participações e Administração S.A.; BDS Technology LLC; Infors Investimentos Ltda.; NextGenB LLC; Cap Gemini Serviços de Consultoria e Informática Ltda.; GIF Mining Holdings LLC; Cristal Delaware LLC; União Participações Ltda.; Mauricio Machado de Minas; Antonio Carlos Rego Gil; Jair Ribeiro da Silva Neto; Giampaolo Maria Sisto Felice Baglioni; Ettore Victor Biagioni; Milton Almicar Silva Vargas; David Shpilberg; Juan Jose Lucena Maguire; André Jacintho Mesquita. Empresa Avaliadora: Deloitte Touche Tohmatsu, p. Suelly Morales Zinezi. Estatuto Social Alterado e Consolidado. Capítulo I – Denominação, Sede, Objeto e Duração. Art. 1º – A CPM Braxis S.A. é uma sociedade anônima, que se rege por este Estatuto e demais disposições legais que lhe forem aplicáveis. Art. 2º – A Cia. tem sede na cidade de Barueri, Estado de São Paulo e pode, por deliberação da Diretoria, abrir, manter e fechar filiais, Centros de Assistência Técnica, escritórios, depósitos, agências de representações ou outras dependências de qualquer natureza no País, e no exterior, com a aprovação adicional do Conselho de Administração. Art. 3º – A Cia. tem por objeto social: (a) a industrialização, importação, exportação, locação, instalação e manutenção de máquinas, acessórios e programas para computadores, equipamentos de telecomunicações, automação bancária, digitalização, arquivamento e processamento de documentos e imagens, e de periféricos relativos aos produtos acima especificados; (b) a prestação de serviços relacionados a cursos de treinamento e assessoria na área de informática e de telecomunicações; (c) a representação comercial de pessoas físicas e jurídicas, domiciliadas no País ou no Exterior; (d) oferecimento e desenvolvimento de serviços de consultoria em negócios, organizações, processos e tecnologia da informação; (e) o oferecimento, desenvolvimento e implementação de projetos de desenvolvimento, manutenção e projetos de reestruturação de sistemas; (f) desenvolvimento e implementação de programas de capacitação e treinamento em negócios e tecnologia; (g) desenvolvimento e implementação de projetos de integração em tecnologia da informação; (h) a distribuição e marketing de componentes e serviços de informática; (i) a participação em outras sociedades comerciais ou civis no País ou no Exterior, como sócio, cotista ou acionista; (j) a prestação de assistência técnica a terceiros, bem como a comercialização de quaisquer produtos em geral, inclusive de produtos primários, semi-manufaturados e manufaturados; e (k) o desenvolvimento de atividades de armazenamento, inventário e administração de estoque de terceiros. Art. 4º – O prazo de duração será por tempo indeterminado. Capítulo II – Do Capital Social e Ações. Art. 5º – O capital social é de R$ 765.821.201,10, dividido em 189.815.932 ações, todas nominativas, escriturais e sem valor nominal, sendo (a) 150.043.631 ações ordinárias e (b) 24.779.531 ações preferenciais classe “A”, sem direito a voto, conversíveis em ações ordinárias; (c) 14.992.770 ações preferenciais classe “B”, sem direito a voto, conversíveis em ações ordinárias. § 1º: Cada ação ordinária terá direito a um voto nas deliberações da Assembléia Geral. § 2º: A Cia. poderá emitir (i) ações preferenciais classe “A”, nominativas, escriturais, sem valor nominal e sem direito a voto, conversíveis em ações ordinárias, que terão prioridade no reembolso de capital no caso de liquidação da Cia., com prêmio equivalente a 12% sobre o preço de sua emissão caso venha a ser deliberada a liquidação da Cia. no prazo de 18 meses a contar da data de emissão dessas ações, bem como (ii) ações preferenciais classe “B” nominativas, escriturais, sem valor nominal e sem direito a voto, conversíveis em ações ordinárias, que terão prioridade no reembolso de capital no caso de liquidação da Cia., sem prêmio. § 3º: A Cia. está autorizada a aumentar seu capital social até o limite de 260.000.000 de ações, sendo 150.000.000 de ações ordinárias e 110.000.000 de ações preferenciais, das quais 50.000.000 poderão ser ações preferenciais classe “A” e 60.000.000 poderão ser ações preferenciais classe “B”, independentemente de reforma estatutária, mediante deliberação do Conselho de Administração, que fixará as condições da emissão, estabelecendo se o aumento se dará por subscrição pública ou particular, o preço e as condições de integralização. § 4º: Dentro do limite do capital autorizado, o Conselho de Administração poderá deliberar a emissão de bônus de subscrição. § 5º: O Conselho de Administração poderá outorgar, de acordo com plano aprovado pela Assembléia Geral, opção de compra ou subscrição de ações a seus administradores e empregados, assim como aos administradores e empregados de outras sociedades que sejam controladas direta ou indiretamente pela Cia., sem direito de preferência para os acionistas. § 6º: Dentro do limite do capital autorizado, a emissão de ações, debêntures conversíveis em ações e bônus de subscrição, cuja colocação seja feita mediante venda em bolsa de valores ou subscrição pública, ou ainda mediante permuta por ações, em oferta pública de aquisição de controle, poderá dar-se com exclusão do direito de preferência dos acionistas, ou redução do prazo para o seu exercício. § 7º: As ações da Cia. serão escriturais, mantidas em conta de depósito em nome de seus titulares, junto à instituição financeira autorizada pela Comissão de Valores Mobiliários – CVM e indicada pelo Conselho de Administração, podendo ser cobrada dos acionistas a remuneração de que trata o § 3º do art. 35 da Lei nº 6.404/76. Art. 6º – A Cia. não poderá emitir partes beneficiárias. Capítulo III – Da Administração da Companhia. Seção I – Da Assembléia Geral. Art. 7º – A Assembléia Geral tem poderes para decidir todos os negócios relativos ao objeto da Cia. e tomar as resoluções que julgar convenientes à sua defesa e desenvolvimento. § 1º: A Assembléia Geral reunir-se-á ordinariamente uma vez por ano e, extraordinariamente, sempre que convocada nos termos da Lei ou deste Estatuto. § 2º: Nas Assembléias Gerais, os acionistas deverão apresentar, com até dois dias de antecedência, além dos documentos de identificação, acompanhados, conforme o caso, de mandato que comprove a representação com reconhecimento da firma do outorgante, o comprovante expedido pela instituição depositária. § 3º: A Assembléia Geral será instalada e presidida pelo Presidente do Conselho de Administração ou, na sua ausência, por qualquer membro do Conselho de Administração designado previamente pelo Presidente do Conselho, ou na ausência da designação pelo Presidente do Conselho de Administração, por qualquer acionista escolhido pelos presentes, o qual indicará um secretário para auxiliá-lo. Art. 8º – Sem prejuízo das demais matérias previstas em lei, dependerá da aprovação da Assembléia Geral a prática dos seguintes atos societários: (i) qualquer alteração do objeto social da Cia.; (ii) desenvolvimento de atividades fora do objeto social ou da linha de negócios da Cia.; (iii) fixação e alteração do montante global da remuneração dos membros do conselho de administração e da diretoria da Cia.; (iv) qualquer aumento ou redução do capital social da Cia. (exceto se dentro dos limites do capital autorizado) com ou sem emissão de quaisquer títulos ou valores mobiliários, e qualquer emissão de valores mobiliários conversíveis em ações da Cia.; (v) fusão, incorporação, incluindo incorporação de ações, cisão, alteração de tipo societário ou qualquer outra reestruturação ou reorganização societária relevante diretamente envolvendo a Cia.; (vi) recompra, desdobramento, grupamento, conversão ou resgate de quaisquer títulos ou valores mobiliários de emissão da Cia.; (vii) liquidação, dissolução, falência, recuperação judicial, liquidação judicial ou extrajudicial da Cia.; (viii) qualquer

ECONOMIA/LEGAIS - 19 PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARAQUARA

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: CONVITE A Fundação para o Desenvolvimento da Educação - FDE convida as empresas interessadas em prestar serviços de engenharia nas atividades de projetos de estrutura e instalações hidráulicas e elétricas, a se cadastrarem à Av. São Luís, 99 - República - Capital/SP - Depto. de Cadastro, das 8:30 às 17:00 horas. Esclarecemos ainda, que tais serviços são realizados de acordo com as normas estabelecidas para esse fim, disponíveis no portal da FDE - www.fde.sp.gov.br, em Catálogos Técnicos/Normas de Apresentação de Projetos e Edificações - Estrutura - Instalações Hidráulicas - Instalações Elétricas.

CPM BRAXIS S.A. CNPJ/MF nº 65.599.953/0001-63 – NIRE 35.300.178.815 Ata da Assembléia Geral Ordinária realizada em 30 de agosto de 2010 1. Data, hora e local: Aos 30/08/2010, às 10 hs., na sede social da (“Cia.”), na Al. Araguaia, nº 1930, Barueri-SP. 2. Convocação e presenças: Dispensada a convocação, tendo em vista a presença da totalidade dos acionistas da Cia.. 3. Mesa: Presidente: José Luiz Teixeira Rossi; Secretário: André Jacintho Mesquita. 4. Ordem do Dia: (I) Tomar as contas da administração, examinar, discutir e votar as demonstrações financeiras, referentes aos exercícios sociais encerrados em 31/12/2008 e 31/12/2009; e (II) deliberar sobre a distribuição de dividendos referentes aos exercícios sociais encerrados em 31/12/2008 e 31/12/2009. 5. Deliberações: Os Srs. Acionistas, com direito a voto, tomaram, por unanimidade, e sem reservas ou ressalvas, as seguintes deliberações: (i) Aprovar as demonstrações financeiras referentes aos exercícios sociais encerrados em 31/12/2008 e 31/12/2009, conforme publicadas no jornais “DOE-SP” e “Diário do Comércio” do dia 06/10/2010, e previamente disponibilizadas aos acionistas. (ii) Em virtude da existência de prejuízos nos exercícios de 2008 e 2009, não foram distribuídos dividendos referentes a tais exercícios. 6. Encerramento: Nada mais havendo a ser tratado, foi a presente ata lavrada, lida, conferida e por todos assinada. Acionistas: CPM Holdings Ltd.; Braxis Tecnologia da Informação S.A.; Braxis ERP Software S.A.; SBS Serviços de Informática Ltda.; Softinvest Participações e Administração S.A.; BDS Technology, LLC, GIF Mining Holding LLC, Infors Investimentos Ltda., Nextgenb LLC, Serpartners Participações e Administração Ltda., União Participações Ltda., Cristal Delaware LLC, Jair Ribeiro da Silva Neto; Antonio Carlos Rego Gil; Milton Amilcar Silva Vargas; Giampaolo Maria Sisto Felice Baglioni; Ettore Victor Biagioni; David Spilberg e Juan Jose Lucena Maguire. A presente ata é cópia fiel da ata lavrada no “Livro de Registro de Atas de Assembléias Gerais” da Cia.. Barueri-SP, 30/08/2010. Mesa: José Luiz Teixeira Rossi – Presidente; André Jacintho Mesquita – Secretário. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 377.737/10-0 em 20/10/2010. Kátia Regina Bueno de Godoy – Secretária Geral.

CPM BRAXIS S.A. CNPJ/MF nº 65.599.953/0001-63 – NIRE 35.300.178.815 Ata da Assembléia Especial de Preferencialistas de 04 de outubro de 2010 Data, hora, local: Aos 04/10/2010, às 11 hs., na sede social da (“Cia.”) na Al. Araguaia, nº 1.930, Alphaville, Barueri-SP. Convocação e presença: Foi dispensada a convocação devido à presença de acionistas representando a totalidade das ações preferenciais classe A e a totalidade das ações preferenciais classe B de emissão da Cia., conforme faculta o art. 124, § 4º, da Lei nº 6.404/76 (“Lei das S.A.”). Mesa: Presidente: Jair Ribeiro da Silva Neto; Secretário: Juan Lucena Maguire. Ordem do Dia: em cumprimento ao Art. 136, § 1º da Lei das S.A., deliberar sobre (i) a criação de nova classe de ações ordinárias, denominada classe especial, que outorgará a seus titulares o direito de convertê-las em ações preferenciais classe A e/ou B; e (ii) a conversibilidade das ações ordinárias em ações ordinárias classe especial. Deliberações: Os acionistas, por unanimidade de votos e sem quaisquer restrições, aprovaram: 1. Criação de ações ordinárias classe especial. A criação de nova classe especial de ações ordinárias, nominativas, escriturais, sem valor nominal, conversíveis em ações preferenciais classe A ou B, às quais outorgarão ainda a seus titulares os demais direitos, prioridades, preferências e vantagens que são outorgados aos titulares das ações ordinárias; e 2. Conversibilidade das ações ordinárias em ações ordinárias classe especial. Alteração, com expressa anuência da totalidade dos acionistas detentores de ações ordinárias, dos direitos a estes atribuídos, para possibilitar a conversão das ações ordinárias em ações ordinárias classe especial. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foram os trabalhos suspensos para lavratura desta ata em forma de sumário. Sendo a presente ata lida e assinada por todos os presentes. Barueri-SP, 04/10/2010. Mesa: Jair Ribeiro da Silva Neto – Presidente; Juan Jose Lucena Maguire – Secretário. Acionistas Preferencialistas: GIF Mining Holdings LLC; Serpartners Particip. e Administração S.A.; BDS Technology LLC; Nextgenb LLC; Infors Investim. Ltda.; União Particip. Ltda.; Cristal Delaware LLC. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 377.457/10-3 em 20/10/2010. Kátia Regina Bueno de Godoy – Secretária Geral. INDUSTRIAL BATTERY HOLDINGS S/A CNPJ 05.467.215/0001-30 - NIRE 35.300.374.134 Ata de Reunião do Conselho de Administração realizada em 30/07/2010 Data, Hora e Local: 30 de julho de 2010, às 10:00 horas, na cidade e Estado de São Paulo, na Rua Funchal, 573, 9o andar, cj. 94, sala 6, CEP 04551-060. Mesa: Presidente - Sr. Antonio Carlos Rolim; Secretária - Sra. Gelza Bueno. Presença: Todos os membros do Conselho de Administração da INDUSTRIAL BATTERY HOLDINGS S/A. Ordem do Dia: Estabelecer, para efeitos dos arts. 11, letra “k”, 20, parágrafo único, e art. 21 do Estatuto social, os limites para a contratação de operações financeiras e concessão de garantias, tais como avais, fianças, endossos ou qualquer tipo de garantia em favor de terceiros, especialmente de sua subsidiária integral ENERSYSTEM DO BRASIL LTDA. (CNPJ/MF nº 05.260.429/0001-3). Deliberações: Colocada a matéria em discussão, ficaram estabelecidos os seguintes limites para a contratação de operações financeiras e concessão de garantias em favor de terceiros: (1) contratação de operações de leasing até o limite de R$1.000.000 (um milhão de reais); (2) contratação de empréstimos bancários até o limite de R$3.000.000 (três milhões de reais); (3) concessão de avais, fianças, CCBs ou outras garantias até o limite de R$8.000.000.00 (oito milhões de reais). Ficou ainda estabelecido que, acima de tais limites, tais contratações só poderão ser feitas com autorização expressa do Presidente do Conselho e do Diretor Presidente, através de carta ou facsímile. Encerramento: Nada mais havendo a tratar e a ser discutido, a reunião foi encerrada e esta ata preparada em 3 (três) vias de igual teor e forma, que, após lida e achada conforme pelos presentes, foi transcrita no Livro de Atas do Conselho de Administração, assinada pelos membros do Conselho, pelo Presidente, e pelo Secretário da reunião, ficando uma cópia arquivada na sede da sociedade. São Paulo, 30 de julho de 2010. (aa) Eduardo Alejandro Bocci; Silvia Rita Bocci; e Antonio Carlos Rolim. A presente é cópia fiel da ata lavrada no Livro de Atas do Conselho de Administração. ANTONIO CARLOS ROLIM - Presidente; GELZA BUENO - Secretária. JUCESP. Certifico o registro nº 379.836/ 10-5 em 22/10/2010. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

Maior cobertura pe o menor preço alteração na política de dividendos estabelecida no Estatuto; (ix) outorga e alteração de quaisquer planos de opção de compra de ações envolvendo a Cia.; (x) inclusão de quaisquer títulos ou valores mobiliários em bolsa de valores ou mercado de ações regulado ou mercado similar, bem como oferta pública de ações de títulos ou valores mobiliários de emissão da Cia.; e (xi) escolha da instituição ou empresa especializada responsável pela determinação do Valor Econômico da Cia., a partir de lista tríplice apresentada pelo Conselho de Administração, a qual será responsável pela preparação do laudo de avaliação das ações da Cia., em caso de cancelamento de registro de Cia. Aberta. Seção II – Dos Órgãos da Administração. Sub-Seção I – Disposições Gerais. Art. 9º – A administração da Cia. será exercida por um Conselho de Administração e por uma Diretoria. § 1º: A Assembléia Geral fixará o montante global ou individual da remuneração dos administradores. Se fixada globalmente, caberá ao Conselho de Administração efetuar a distribuição da verba individualmente. § 2º: A posse dos administradores estará condicionada à assinatura do termo respectivo, lavrado em livro próprio. § 3º: Os administradores da Cia. deverão aderir à Política de Negociação de Valores Mobiliários de emissão da Cia., mediante assinatura do termo respectivo. Sub-Seção II – Do Conselho de Administração. Art. 10 – O Conselho de Administração será composto por 9 membros efetivos, com igual número de suplentes, indicados pela Assembléia Geral, com mandato unificado de 1 ano, permitida a reeleição. § 1º: O Conselho de Administração reunir-se-á trimestralmente ou sempre que necessário, por convocação de seu Presidente, ou pela maioria de seus membros, através de carta, telegrama, fac-símile, correio eletrônico, ou outro meio de comunicação com comprovante de recebimento, com antecedência mínima de 48 horas, podendo tal convocação ser dispensada se presente a totalidade dos conselheiros. § 2º: Em caso de vacância de um ou mais dos cargos de conselheiro, não havendo suplente, o Conselho de Administração poderá eleger um ou mais conselheiros substitutos o(s) qual(is) permanecerá(ão) no cargo até a primeira Assembléia Geral que se realizar após aquela data. Para os fins deste Estatuto, considerar-se-á ocorrida a vacância em caso de morte, incapacidade permanente, renúncia, destituição ou ausência injustificada por mais de três reuniões consecutivas. § 3º: Em caso de ausência ou impedimento temporários, os membros do Conselho de Administração serão substituídos pelos respectivos suplentes vinculados, se houver, ou, na ausência destes, por outro conselheiro, munido de procuração com poderes específicos. Nesta última hipótese, o conselheiro que estiver substituindo o conselheiro ausente ou impedido, além de seu próprio voto, expressará o voto do conselheiro ausente. § 4º: Os conselheiros poderão participar das reuniões do Conselho de Administração por intermédio de conferência telefônica, vídeo-conferência ou por qualquer outro meio de comunicação eletrônico, sendo considerados presentes à reunião e devendo confirmar seu voto através de declaração por escrito encaminhada ao secretário da reunião por carta, fac-símile ou correio eletrônico logo após o término da reunião. Uma vez recebida a declaração, o secretário da reunião ficará investido de plenos poderes para assinar a ata da reunião em nome do conselheiro. § 5º: O conselheiro deve ter reputação ilibada, não podendo ser reeleito, salvo dispensa da Assembléia Geral e a maioria dos membros do Conselho de Administração, não se computando o voto do referido conselheiro, aquele que (i) ocupar cargos em sociedades não Afiliadas à Cia. ou às subsidiárias que possam ser consideradas concorrentes da Cia.; ou (ii) tiver ou representar interesse conflitante (interesse outro que não o de uma Afiliada) com a Cia.; não poderá ser exercido o direito de voto pelo conselheiro caso se configurem, supervenientemente, os mesmos fatores de impedimento. § 6º: Os membros do Conselho de Administração deverão permanecer em seus cargos e no exercício de suas funções até que sejam eleitos seus substitutos ou assumam os seus respectivos suplentes, exceto se de outra forma for deliberado pela Assembléia Geral de acionistas. § 7º: As despesas razoavelmente incorridas pelos membros do Conselho de Administração para comparecer a reuniões e outros compromissos relacionados à sua posição, incluindo, mas não se limitando a passagens aéreas, acomodação e outros, serão arcados pela Cia.. § 8º: Os acionistas poderão indicar observadores para participar de qualquer reunião do Conselho de Administração ou de qualquer outro comitê a este relacionado, sem qualquer direito de voto ou veto, mas podendo discutir toda e qualquer matéria na ordem do dia de respectivas reuniões. Os observadores receberão, concomitante aos membros do Conselho de Administração e/ou membros de qualquer comitê a este relacionado, conforme o caso, pelo mesmo meio, convocações e notificações de quaisquer reuniões relacionadas, incluindo, cópia de materiais e documentos fornecidos a tais membros. Os observadores poderão, também, comparecer a reuniões do Conselho de Administração ou de qualquer comitê a este relacionado nos termos do Art. 10 § 4 acima. Art. 11 – O Conselho de Administração poderá determinar a criação de comitês de assessoramento destinados a auxiliar os respectivos membros do Conselho de Administração, bem como definir a respectiva composição e atribuições específicas. § Único: Sem prejuízo do acima disposto, a Cia. terá 2 Comitês permanentes com papel consultivo (e não vinculativo), cada um dos quais será composto por 4 membros, conforme abaixo: (a) Comitê de Administração e Estratégia, o qual deverá auxiliar o Conselho de Administração, no desenvolvimento de suas atividades relacionadas a finanças, controle, administração de talentos, remuneração de administradores, assuntos legais, novos negócios, investimentos e acompanhamento dos resultados da Cia. e da performance de administradores. Neste caso, o Comitê de Administração e Estratégia deverá, em tempo, emitir uma recomendação não vinculativa prévia à reunião do Conselho de Administração acerca das matérias abaixo: (i) eleição, avaliação e destituição, a qualquer tempo, de Administradores, bem com definição de seus deveres e atribuições específicos, nos casos em que o presente Estatuto for omisso; (ii) fiscalização da gestão dos administradores, examinar, a qualquer tempo, livros e documentos societários da Cia., requerer informação relacionada a contratos relevantes celebrados ou em vias de celebração, bem como sobre quaisquer outros atos. (iii) definição do critério a ser adotado para remuneração variável e planos de opção dos administradores e empregados a serem outorgados pela Cia. e aprovados pelo Conselho de Administração; (iv) emissão de ações ou outros títulos e valores mobiliários conversíveis em ações pela Cia.; (v) emissão de recomendação acerca do relatório de administração e das contas; (vi) revisão da estratégia a longo prazo a ser seguida pela Cia. e suas subsidiárias; (vii) revisão da performance dos orçamentos de investimento anual e plurianual, bem como orçamentos operacionais a serem preparados pela Cia.; (viii) acompanhamento da avaliação da performance econômico-financeira da Cia., por meio de reuniões mensais realizadas com a administração da Cia.; (ix) emissão de recomendação acerca de propostas ou conselhos para a Diretoria e Assembléia Geral; (x) participação, inicial ou subseqüente, da Cia. como sócia ou acionista ou outra capacidade similar no empreendimento de outra Pessoa, a concessão de tal participação em garantia a obrigação de terceiros não relacionados à operação da Cia., bem como alienação de qualquer interesse material relacionado aos ativos da Cia.; (xi) alienação, oneração e aquisição de bens para o ativo permanente em valor superior a R$ 5.000.000,00; (xii) firmar acordos ou conceder renúncia no âmbito de processos judiciais, administrativos, medidas cautelares ou qualquer outra demanda legal, administrativa ou procedimento arbitral, bem como compensação voluntária de tributos, que resultem ou possam resultar em direitos ou obrigações, individualmente considerados, em valor superior a R$ 1.000.000,00; e (xiii) análise e acompanhamento de operações relevantes envolvendo a Cia. e seus acionistas e subsidiárias, bem como a promoção da integração da Cia. em atividades internacionais de seu acionista controlador. (b) Comitê Especial de Auditoria, o qual deverá, em tempo, emitir uma recomendação prévia à reunião do Conselho de Administração acerca das matérias abaixo: (i) escolha e contratação de auditores independentes da Cia.; (ii) aprovação das práticas contábeis e critérios da Cia.; (iii) acompanhamento do endividamento da Cia. e suas características; e (iv) revisão dos balancetes patrimoniais trimestrais e das demonstrações financeiras da Cia.. Art. 12 – O Conselho de Administração terá um Presidente e um Vice-Presidente, ambos eleitos na mesma reunião. Art. 13 – O Conselho de Administração instalar-se-á mediante a presença da maioria de seus membros e deliberará validamente pelo voto favorável da maioria de seus membros eleitos (exceto disposição em contrário constante de quaisquer Acordos de Acionistas firmados pelos acionistas da Cia. e arquivados na sede social da Cia.). § Único – As decisões do Conselho de Administração constarão de ata que será assinada pelos presentes. Art. 14 – Compete ao Conselho de Administração, pela maioria simples de votos (exceto disposição em contrário constante de quaisquer Acordos de Acionistas firmados pelos acionistas da Cia. e arquivados na sede social da Cia.): (i) fixar a orientação geral dos negócios da Cia., aprovando as diretrizes, política e objetivos básicos, para todas as áreas principais de atuação da Cia.; (ii) aprovar os planos de negócio e orçamentos anuais, os planos de investimentos, não previstos no orçamento, e os novos programas de expansão da Cia., bem como acompanhar a sua execução; (iii) eleger e destituir os diretores da Cia. e fixar-lhes as atribuições e competências; (iv) fiscalizar a gestão dos Diretores, examinar, a qualquer tempo, os livros e papéis da Cia. e solicitar informações sobre contratos celebrados ou em via de celebração, bem como sobre quaisquer outros atos; (v) atribuir, do montante global da remuneração fixada pela Assembléia Geral, os honorários mensais, a cada um dos membros da administração da Cia.; (vi) atribuir, conforme o caso, aos membros da administração a sua parcela de participação nos lucros apurados em balanços levantados pela Cia., inclusive intermediários, dentro dos limites determinados pela Assembléia Geral; (vii) manifestar-se sobre o relatório da administração e as contas da Diretoria, autorizar a distribuição de dividendos intermediários e, se distribuídos estes com base em resultados apurados em balanço intermediário, fixar a participação nos lucros a que farão jus os diretores; (viii) escolher, substituir e destituir os auditores independentes; (ix) autorizar qualquer mudança nas políticas contábeis ou de apresentação de relatórios da Cia., exceto se exigido pelos princípios contábeis geralmente aceitos nas jurisdições em que a Cia. ou suas Afiliadas operam; (x) convocar a Assembléia Geral quando julgar conveniente ou por exigência legal ou estatutária; (xi) submeter a deliberação da Assembléia Geral proposta de alteração deste Estatuto; (xii) deliberar, dentro dos limites do capital autorizado, sobre a emissão de ações da Cia. e bônus de subscrição, fixando as condições de emissão, inclusive preço e prazo de integralização, podendo, ainda, excluir o direito de preferência ou reduzir o prazo para o seu exercício nas emissões, cuja colocação seja feita mediante venda em bolsa ou por subscrição pública, ou em oferta pública de aquisição de controle, nos termos estabelecidos em lei; (xiii) outorgar, de acordo com plano aprovado pela Assembléia Geral, opção de compra ou subscrição de ações a seus administradores e empregados, assim como aos administradores e empregados de outras sociedades que sejam controladas direta ou indiretamente pela Cia., sem direito de preferência para os acionistas, na forma do disposto no Art. 5º, §4º deste Estatuto; (xiv) aprovar a prestação de fiança, aval, indenização ou outra garantia em favor de terceiros ou de sociedade em que a Cia. houver efetuado investimento, direta ou indiretamente; (xv) fixar critérios gerais de remuneração e política de benefícios (benefícios indiretos, participação no lucro e/ou nas vendas) da administração da Cia.; (xvi) aprovar a assunção de empréstimos (incluindo instrumentos de dívida) ou outro financiamento em uma operação ou em uma série de operações, no valor agregado igual ou superior a R$ 10.000.000,00 por ano fiscal; (xvii) aprovar a assunção de despesas, em operação única ou em uma série de operações identificadas e relacionadas em valor superior a R$ 20.000.000,00 por ano fiscal; (xviii) aprovar a emissão de instrumentos de dívida ou similares não conversíveis em ações, assunção, renovação ou qualquer outra forma de financiamento ou endividamento pela Cia. ou qualquer de suas subsidiárias, em valor, em uma operação única ou em uma série de operações identificadas e relacionadas, que seja, pelo menos, 25% mais alto do que o valor aprovado pela Diretoria para o orçamento operacional anual, conforme alterado de tempos em tempos pela Diretoria, bem como qualquer extensão ou modificação dos prazos de referidas dívidas; (xix) aprovar a constituição de joint venture, parceria, operação ou qualquer negociação societária similar fora do curso normal de negócios da Cia. e/ou de suas subsidiárias; aquisição ou subscrição pela Cia. ou qualquer de suas subsidiárias, de participação societária relevante em outra Pessoa; (xx) aprovar a venda, alienação ou transferência de tods ou substancialmente todos os ativos da Cia. e/ou de suas subsidiárias; (xxi) aprovar os termos e condições dos serviços a serem prestados pela Cia. ou suas subsidiárias nos termos de contratos globais celebrados por qualquer Afiliada da CapGemini S.A., desde que tais serviços sejam cobrados a uma taxa menor do que a média da margem bruta da Cia. ou de respectiva subsidiária para a linha de negócios em particular, tal como calculado no ano fiscal anterior; (xxii) sem prejuízo ao disposto no item (xxi) acima, aprovar a assinatura, término, alteração ou renúncia de quaisquer termos e condições de qualquer contrato, operação ou outra negociação pela e entre a Cia. e/ou suas subsidiárias, de um lado, e qualquer acionista, conselheiro ou diretor da Cia. ou de qualquer subsidiária, ou de qualquer de suas respectivas Partes Relacionadas e Afiliadas, de outro lado; (xxiii) fixar o conteúdo do voto a ser proferido pelo representante da Cia. nas Assembléias Gerais e reuniões das sociedades em que participe como sócia ou acionista, aprovar previamente as alterações do contrato social ou do estatuto social das sociedades em que a Cia. participa, inclusive aprovando a escolha dos administradores de sociedades controladas ou coligadas a serem eleitos com o voto da Cia.; (xxiv) fixar o conteúdo do voto a ser proferido pela Cia. ou qualquer de suas subsidiárias em Assembléia Geral de tais subsidiárias com relação aos assuntos listados no Art. 8 (incluindo aqueles que dependem de deliberação em Assembléia Geral, por

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL N° 063/2010 - PROCESSO LICITATÓRIO Nº 069/2010 Registro de preços para materiais odontológicos diversos. ESCLARECIMENTO - Com referência à licitação supra, solicitamos observar que: Devido o esclarecimento nos itens do Termo de Referência 2.2, 3.1, 3.6 e falta de publicidade, fica alterada a abertura das propostas para 17 de novembro de 2010, às 08:30 horas. A informação dos dados para acesso deve ser feita no site www.araraquara.sp.gov.br ou e-mail: licitacaosaude@araraquara.sp.gov.br ou no endereço da Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura do Município de Araraquara, Av. Espanha, nº 188 - 6º andar Centro - Araraquara - CEP: 14.801-130 - Fone/Fax: 3301-1704. Araraquara, 25 de outubro de 2010. Wagner dos Santos Tedesco - Pregoeiro

CPM BRAXIS S.A. CNPJ/MF nº 65.599.953/0001-63 – NIRE 35.300.178.815 Ata de Reunião do Conselho de Administração realizada em 05 de outubro de 2010 Data, hora e local: Aos 05/10/2010, às 12 hs., na sede social da (“Cia.”), na Al.Araguaia, nº 1.930, Barueri-SP. Convocação e presença: Face à presença da totalidade dos membros do Conselho de Administração da Cia., ficam dispensadas as formalidades de convocação, nos termos do Art. 10, § 1º do Estatuto Social da Cia.. Mesa: Presidente: Juan Jose Lucena Maguire; Secretário: Jair Ribeiro da Silva Neto. Ordem do Dia: Deliberar sobre o aumento do capital social da Cia., em decorrência do exercício de opção de subscrição de ações por beneficiários de planos de opção de compra de ações da Cia.. Deliberações: Após exame e discussão das matérias constantes da Ordem do Dia, os membros do Cons. de Administração aprovaram, por unanimidade, o aumento do capital social da Cia., nos limites de seu capital autorizado, em R$ 11.117.946,01, passando o mesmo de R$ 478.736.543,14 para R$ 489.854.489,15, mediante a emissão de 2.904.919 novas ações ordinárias, escriturais e sem valor nominal. As referidas ações foram emitidas pela Cia. em decorrência do exercício de direitos conferidos àqueles que celebraram com a Cia. contratos de opção de compra de ações C, Alpha e Beta, e são, neste ato, subscritas e integralizadas, em sua totalidade, em moeda corrente nacional, conforme Boletins de Subscrição que integram a presente ata (Anexos I a XXVI). Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente ata, depois de lida e conferida, foi por todos assinada. Presidente da Mesa: Ettore Victor Biagioni; Secretário: Jair Ribeiro da Silva Neto. Membros do Conselho de Administração: Jair Ribeiro da Silva Neto, Antônio Carlos Rego Gil, Milton Almicar Silva Vargas, Giampaolo Maria Sisto Felice Baglioni, Ettore Victor Biagioni, David Shpilberg e Juan Jose Lucena Maguire. Barueri-SP, 05/10/2010. Certifico que a presente ata é cópia fiel da ata lavrada em Livro próprio. Mesa: (ass.) Juan Jose Lucena Maguire – Presidente; Jair Ribeiro da Silva Neto – Secretário. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 377.459/10-0 em 20/10/2010. Kátia Regina Bueno de Godoy – Secretária Geral.

CPM BRAXIS S.A. CNPJ/MF nº 65.599.953/0001-63 – NIRE 35.300.178.815 Ata de Reunião do Conselho de Administração realizada em 06 de outubro de 2010 Data, Hora e Local: Aos 06/10/2010, às 9 hs., na sede social da (“Cia.”), na Al. Araguaia, nº 1.930, Barueri-SP. Convocação e presença: Convocação dispensada, diante da presença da totalidade dos membros do Cons. de Administração da Cia., nos termos do Art. 10, § 1º do Estatuto Social da Cia.. Mesa: Presidente: Juan Jose Lucena Maguire; Secretário: Jair Ribeiro da Silva Neto. Ordem do Dia: Deliberar sobre aumento do capital social da Cia. por meio da emissão de ações ordinárias, a ser integralizado em moeda corrente nacional e mediante contribuição de ativos. Deliberações: Após exame e discussão, os membros do Conselho de Administração presentes, por unanimidade, aprovaram o aumento do capital social da Cia. em R$ 275.966.711,95, mediante a emissão de 58.602.596 novas ações ordinárias, escriturais, sem valor nominal, ora emitidas pela Cia. ao preço unitário de emissão de, aproximadamente, R$ 4,709121, as quais são, nesta data, totalmente subscritas pela Cap Gemini do Brasil, Serviços de Consultoria e Informática Ltda., sociedade limitada, com sede na Av. Francisco Matarazzo, nº 1.500, 18º and., conj. 181 e 182, São Paulo-SP, inscrita no CNPJ/ MF sob o nº 05.617.473/0001-56, nos termos do Boletim de Subscrição que integra a presente ata como Anexo I, e integralizadas por meio de: (a) transferência à Cia. de R$ 268.966.711,95, em moeda corrente nacional, mediante fundos imediatamente disponíveis; e (b) aporte na Cia., em bens e direitos (“Contribuição de Bens e Direitos”) no montante de R$ 7.000.000,00, avaliados em R$ 7.546.637,58 pela empresa especializada Deloitte Touche Tohmatsu, de acordo com o Laudo de Avaliação emitido em 24/09/2010 (Anexo II), avaliação esta sujeita à aprovação dos acionistas da Cia. em Assembléia Geral convocada para as 10 hs. deste mesmo dia. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente ata, depois de lida e conferida, foi por todos assinada. Barueri-SP, 06/10/2010. Mesa: (ass.) Juan Jose M – R S N –S M mb d C n h d Adm n B R S N A C R G M Am S G m M S B D S M C m S C m K R B G –S G PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI MIRIM EXTRATO DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 017/2010 Objeto: Fornecimento de livros Jurídicos e paradidáticos, destinados para o Departamento Jurídico e Departamento de Educação, Recebimento das propostas comerciais a partir do dia 28/10/2010 até às 16:30 h do dia 11/11/2010. Abertura e julgamento das propostas: das 07:30 às 13:30 h do dia 12/11/2010. Abertura dos lances a partir das 09:01 horas do dia 16/11/2010. Retirada do Edital: Diretamente no site www.bbmnet.com.br e ou gratuitamente através do site www.mogimirim.sp.gov.br, para consulta. Demais Informações: Departamento de Recursos Materiais, à Rua Dr. José Alves, 129, Centro, ou pelos telefones: (19) 3814-1052. Pregoeira. EXTRATO DO EDITAL DO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 018/2010 Objeto: Aquisição de veículos (Caminhão caçamba, Caminhão com tanque pipa, Caminhão carroceria, Pá carregadeira, Trator de Esteira, Motoniveladora e Escavadeira Hidráulica) zero quilômetro ano/ modelo 2010/2011, destinados para o Programa de Intervenções Viárias - Provias, Recebimento das propostas comerciais a partir do dia 27/10/2010 até às 16:30 h do dia 09/11/2010. Abertura e julgamento das propostas: das 07:30 às 13:30 h do dia 10/11/2010. Abertura dos lances a partir das 09:01 horas do dia 11/11/2010. Retirada do Edital: Diretamente no site www.bbmnet.com.br e ou gratuitamente através do site www.mogimirim.sp.gov.br, para consulta. Demais Informações: Departamento de Recursos Materiais, à Rua Dr. José Alves, 129, Centro, ou pelos telefones: (19) 3814-1052. Pregoeira. EXTRATO DO EDITAL DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 107/2010 Objeto: Registro de Preços, Aquisição de Materiais de Processamento de Dados. Data de credenciamento e abertura dos envelopes proposta dia 11/11/2010 às 09:00 horas. Informações: Departamento de Recursos Materiais, à Rua Dr. José Alves, 129, Centro, ou pelos telefones: (19) 3814-1052/1059/1060. Disponibilidade do edital: Diretamente na Divisão de Licitações, mediante o recolhimento de R$ 10,00 (dez reais), conforme guia emitida pelo Setor Competente da PMMM e/ou através do site www.mogimirim.sp.gov.br, sem ônus, até o dia 10/11/2010. Pregoeira. EXTRATO DO EDITAL DA TOMADA DE PREÇOS Nº 015/2010 Objeto: Contratação de empresa especializada para construção do Centro para Idosos do Projeto Quero Vida. Data de encerramento: 12/11/2010 às 09:00h. Informações: Departamento de Recursos Materiais, à Rua Dr. José Alves, 129, Centro, ou pelos telefones: (19) 3814-1046/1052. Disponibilidade do edital: Diretamente na Divisão de Licitações, mediante o recolhimento de R$ 10,00 (dez reais), conforme guia emitida pelo Setor Competente da PMMM e/ou através do site www.mogimirim.sp.gov.br, sem ônus, até o dia 11/10/2010. Presidente da CPL.

requerimento legal) e neste Art. 14. (xxv) autorizar a concessão de qualquer modalidade de doação, contribuição ou auxílio, (i) no caso de o valor ser superior a R$30.000,00 por doação individual, ou R$100.000,00 acumulado em qualquer exercício fiscal, caso o beneficiário seja uma entidade sem fins lucrativos, e (ii) independentemente do valor, caso o beneficiário não seja uma entidade sem fins lucrativos ; (xxvi) aprovar a aplicação de recursos oriundos de incentivos fiscais; (xxvii) tomar decisões relativas à estrutura de capital da Cia.; (xxviii) apreciar os resultados trimestrais das operações da Cia. e manifestar-se, previamente, sobre qualquer assunto a ser submetido à Assembléia Geral; (xxix) avocar para sua órbita de deliberação assuntos específicos de interesse da Cia. e deliberar sobre os casos omissos; (xxx) aquisição, subscrição ou Transferência, pela Cia. ou qualquer de suas Subsidiárias de participação societária em qualquer Pessoa; (xxxi) (a) qualquer alteração no objeto social de qualquer Subsidiária, (b) desenvolvimento por qualquer Subsidiária em atividades fora de seu objeto social ou linha de negócios; (c) fixação em caso de alteração da remuneração global dos membros do conselho de administração de cada uma das Subsidiárias; (d) alteração no número de membros do conselho de administração de cada uma de suas Subsidiárias; (e) qualquer aumento ou redução de capital em cada uma das Subsidiárias e a emissão de quaisquer valores mobiliários conversíveis em capital de cada uma das Subsidiárias; (f) fusão, incorporação, incluindo incorporação de ações, cisão, alteração de tipo societário ou qualquer outra reestruturação ou reorganização societária relevante diretamente envolvendo qualquer das Subsidiárias; (g) recompra, desdobramento, grupamento, conversão ou resgate de quaisquer títulos ou valores mobiliários de emissão das Subsidiárias; (h) liquidação, dissolução, falência, recuperação judicial, liquidação judicial ou extrajudicial de cada uma das Subsidiárias; (i) outorga e alteração de quaisquer planos de opção de compra de ações envolvendo qualquer das Subsidiárias; e (j) inclusão de quaisquer títulos ou valores mobiliários emitidos por qualquer Subsidiária em bolsa de valores ou mercado de ações regulado ou mercado similar, bem como oferta pública de ações de títulos ou valores mobiliários de emissão de cada uma das Subsidiárias. § 1: Os valores mencionados neste artigo serão corrigidos anualmente a partir de 30/09/2010, pelo índice IGP-M da Fundação Getúlio Vargas ou outro índice de base equivalente que venha a substituí-lo, ou na menor periodicidade possível. § 2: Para os fins deste Estatuto, (i) “Afiliada” significa, com relação a qualquer pessoa jurídica, ou qualquer outra Pessoa direta ou indiretamente Controladora, Controlada por, ou sob controle comum com tal Pessoa; em caso de pessoa física, “Afiliada” também significa seu/sua esposo/esposa e parentes até o terceiro grau; (ii) “Controle” (incluindo seus significados relacionados, “Controlado por” e “sob controle Comum com”) significa, com relação a qualquer Pessoa, a posse, direta ou indireta, do poder de direcionar ou fazer com que seja direcionada a administração ou políticas de tal Pessoa, incluindo o poder de eleger a maioria dos membros do conselho de administração e/ou outros órgãos que administrem os negócios de tal Pessoa (seja por meio de titularidade de valores mobiliários, sociedade, ou titularidade de outra participação, por contrato ou de qualquer outra forma); (iii) “Pessoa” significa um indivíduo, sociedade, sociedade limitada, parceria, associação, fideicomisso, fundo ou outra pessoa jurídica ou organização, incluindo subdivisão política ou não; e (iv) “Parte Relacionada” significa, com relação a qualquer pessoa jurídica, qualquer detentor direto ou indireto de quaisquer quotas, ações ou outra participação em tal Pessoa e seus respectivos administradores. Sub-Seção III – Da Diretoria. Art. 15 – A Diretoria será composta por até 7 Diretores, sendo 1 Diretor-Presidente, 1 Diretor Financeiro, e outros que terão as atribuições definidas pelo DiretorPresidente e aprovadas pelo Conselho de Administração, todos com mandato de 3 anos, e permitida a reeleição. A Assembléia Geral terá poderes para alterar o presente Art. 15 pela maioria simples de votos § 1º: Compete à Diretoria exercer as atribuições que a lei, o Estatuto e o Conselho de Administração lhe conferirem para a prática dos atos necessários ao funcionamento regular da Cia., podendo o Conselho de Administração estabelecer atribuições específicas para os cargos da Diretoria. § 2º: Ocorrendo vacância de cargo de Diretor, ou impedimento do titular, caberá ao Conselho de Administração eleger o novo Diretor ou designar o substituto, fixando, em qualquer dos casos, o prazo da gestão e a respectiva remuneração. § 3º: A Diretoria poderá, ainda, designar um dos seus membros para representar a Cia. em atos e operações no país ou no exterior, ou constituir um procurador apenas para a prática de ato específico, devendo a ata que contiver a resolução de Diretoria ser arquivada na Junta Comercial, se necessário. § 4º: A Diretoria reunir-se-á sempre que necessário e a convocação cabe a qualquer Diretor. § 5º: A reunião instalar-se-á com a presença de Diretores que representem a maioria dos membros da Diretoria. § 6º: As atas das reuniões e as deliberações da Diretoria serão registradas em livro próprio. § 7º: Compete: (a) ao Diretor Presidente, incluindo-se, mas não limitadas às seguintes atribuições: (i) coordenar a ação dos Diretores, analisando a performance individual de cada membro; (ii) organizar, dirigir e controlar a gestão global das unidades da Cia.; (iii) convocar e presidir as reuniões da Diretoria; (iv) propor ao Conselho de Administração as atribuições de cada Diretor; (v) tomar decisões de caráter de urgência de competência da Diretoria, “ad referendum” desta; (vi) representar a Cia. em assembléias gerais de acionistas e/ou de quotistas de sociedades que a Cia. seja acionista ou quotista, ou indicar um Diretor ou um procurador para representá-lo; e (vii) exercer as demais atribuições que lhe foram conferidas por este Estatuto ou pelo Conselho de Administração. (b) ao Diretor Financeiro, incluindo-se, mas não limitadas às seguintes atribuições: (i) manter a relação da Cia. com bancos, seguradoras, investidores existentes e potenciais, (ii) preservar a integridade financeira da Cia.; (iii) manter os ativos da Cia. devidamente segurados; (iv) gerir o fluxo de caixa da Cia.; (v) propor e contratar empréstimos e financiamentos, operações de tesouraria e outras operações financeiras; (vi) planejamento e controle financeiro e tributário; (vii) acompanhar os trabalhos de consolidação das informações contábeis da Cia., a fim de assegurar a correta demonstração da situação financeira da Cia.; e (viii) prover a Cia. com as opções de financiamento mais vantajosas para atender suas necessidades de investimentos; (xi) planejar e gerenciar as despesas tributárias da Cia.; (xii) zelar pela otimização da estrutura de capital da Cia.. § 8º: Os demais cargos e respectivas atribuições da Diretoria serão determinados posteriormente, mediante sugestão do Diretor-Presidente e aprovada por deliberação do Conselho de Administração por maioria simples de votos. Art. 16 – A Diretoria tem todos os poderes para praticar os atos necessários à consecução do objeto social, por mais especiais que sejam, inclusive para ceder e onerar bens do ativo permanente, exceto com relação aos assuntos cuja deliberação incumbe ao Conselho de Administração ou à Assembléia Geral, bem como a transigir e consentir, observadas as disposições legais ou estatutárias pertinentes e as deliberações tomadas pela Assembléia Geral e pelo Conselho de Administração. Compete-lhe administrar e gerir os negócios da Cia., especialmente: (i) elaborar e submeter e discutir, primeiramente com o Comitê Especial de Auditoria e, posteriormente, ao Conselho de Administração, com pelo menos 45 dias antes do encerramento do ano fiscal, propostas de orçamentos operacional e de capital da Cia. e suas subsidiárias para o próximo ano, sendo que os orçamentos anuais propostos bem como qualquer alteração devem ser geralmente consistentes com os orçamentos dos anos anteriores aprovados pela Diretoria e com qualquer previsão de mercado e de economia apresentados por terceiros independentes; (ii) anualmente, o plano de trabalho, plano de negócios, novos programas de expansão da Cia., e de sociedades investidas, se houver; (iii) submeter, anualmente, à apreciação do Conselho de Administração, o Relatório da Administração e as contas da Diretoria, acompanhados do relatório dos auditores independentes, bem como a proposta de aplicação dos lucros apurados no exercício anterior; (iv) apresentar, trimestralmente, ao Comitê de Administração e Estratégia e posteriormente ao Conselho de Administração, o balancete econômico-financeiro e balanço patrimonial detalhado da Cia.; (v) observar e cumprir com as deliberações do Conselho de Administração, da Assembléia Geral e deste Estatuto; e (vi) decidir sobre qualquer assunto que não seja de competência privativa da Assembléia Geral ou do Conselho de Administração. Art. 17 – Ressalvados os casos dos parágrafos subseqüentes, os atos que criarem responsabilidade para com a Cia., ou dispensarem obrigações de terceiros para com ela, só serão válidos se tiverem: (i) a assinatura conjunta de 2 membros da Diretoria; ou (ii) a assinatura conjunta de dois procuradores nomeados conforme procuração em vigor. § 1º: Os mandatos serão sempre assinados por 2 Diretores e outorgados para fins específicos e por prazo determinado, não excedente de 1 ano, salvo os que contemplarem os poderes específicos da cláusula ad judicia ou para patrocínios de processos administrativos, que poderão ser outorgados por 1 Diretor e por prazo indeterminado. § 2º: A Cia. poderá ainda ser representada por apenas 1 Diretor ou 1 Procurador nos seguintes casos: (i) quando o ato a ser praticado impuser representação singular, será representada por qualquer diretor ou procurador com poderes especiais; (ii) em assuntos de rotina perante os órgãos públicos federais, estaduais e municipais, autarquias, sociedades de economia mista e sociedades privadas; (iii) na assinatura de correspondência sobre assuntos rotineiros; e (iv) na representação da Cia. em juízo. Capítulo IV – Do Conselho Fiscal. Art. 18 – A Cia. terá um Conselho Fiscal integrado por 3 a 5 membros efetivos e igual número de suplentes, de funcionamento não permanente, cuja instalação e atribuições obedecerão a Lei nº 6.404/76. Capítulo V – Do Exercício Social e Distribuição de Lucros. Art. 19 – O exercício social iniciar-se-á em 1º de janeiro e terminará no dia 31 de dezembro de cada ano. Art. 20 – Ao fim de cada exercício social, e no último dia de cada trimestre civil, serão levantadas as demonstrações financeiras previstas nas disposições legais em vigor. § 1º: O Conselho de Administração poderá declarar dividendos à conta de lucros ou de reservas de lucros, apurados em demonstrações financeiras anuais, semestrais ou trimestrais, que serão considerados antecipação do dividendo mínimo obrigatório a que se refere o Art. 22. § 2º: O Conselho de Administração poderá ainda determinar o levantamento de balanços mensais e declarar dividendos com base nos lucros então apurados, observadas as limitações legais. Art. 21 – O lucro líquido do exercício terá a seguinte destinação: (i) 5% para constituição da reserva legal, até atingir 20% do capital social; (ii) o necessário, quando for o caso, para a constituição da reserva para contingências, nos termos do art. 195 da Lei nº 6.404/76; e (iii) o valor necessário para o pagamento do dividendo mínimo obrigatório previsto no Art. 22 deste Estatuto. § Único: A participação dos administradores nos lucros da Cia., quando atribuída, não excederá o valor total da remuneração anual dos administradores, nem 10% do lucro ajustado do exercício. Art. 22 – A Cia. distribuirá como dividendo mínimo obrigatório entre todas as ações, em cada exercício social, 25% do lucro líquido do exercício, ajustado nos termos do art. 202 da Lei nº 6.404/76. § Único: Os lucros remanescentes terão a destinação que for aprovada pela Assembléia Geral, de acordo com a proposta submetida pelo Conselho de Administração. Art. 23 – O Conselho de Administração poderá pagar ou creditar juros sobre o capital próprio, ad referendum da Assembléia Geral que apreciar as demonstrações financeiras relativas ao exercício social em que tais juros forem pagos ou creditados, sempre como antecipação do dividendo mínimo obrigatório. Art. 24 – A Cia. poderá efetuar o pagamento de juros sobre capital próprio a crédito de dividendos anuais ou intermediários. Art. 25 – Os casos omissos no presente Estatuto serão resolvidos pela Assembléia Geral e regulados de acordo com as disposições da Lei nº 6.404/76. Capítulo VI – Da Liquidação. Art. 26 – A Cia. entrará em liquidação nos casos previstos em lei, ou por deliberação da Assembléia Geral, que estabelecerá a forma da liquidação, elegerá o liquidante e, se for o caso, instalará o Conselho Fiscal para o período da liquidação, elegendo seus membros e fixando-lhes as respectivas remunerações. Capítulo VII – Arbitragem. Art. 27 – A Cia., seus acionistas, administradores e membros do Conselho Fiscal concordam em submeter à arbitragem todas e quaisquer disputas, controvérsias ou demandas oriundas do, relacionadas ao presente Estatuto, sua interpretação, validade, execução, eficácia ou violação, à Lei nº 6.404/76 e outras regras aplicáveis às sociedades por ações (“Disputas”), nos termos abaixo. § 1º: A Cia., seus acionistas, administradores e membros do Conselho Fiscal concordam que quaisquer Disputas das quais o Acionista Controlador da Cia. seja parte deverão ser decididas de acordo com a cláusula 7.6 do Acordo de Acionistas datado de 6/10/2010. Para fins de clareza, a Cia., seus acionistas, administradores e Membros do Conselho Fiscal neste ato incorporam por referência e adotam o mecanismo de solução de disputas estabelecidos na cláusula 7.6 do Acordo de Acionistas para as Disputas definidas neste Estatuto das quais o Acionista Controlador seja parte. § 2º: A Cia., seus acionistas, administradores e membros do Conselho Fiscal concordam ainda que Disputas das quais o Acionista Controlador da Cia. não seja parte deverão ser decididas de acordo com a cláusula 9.1 do Acordo entre Acionistas Minoritários da CPM Braxis S.A. sob Condição Suspensiva datado de 2/09/2010 (“Acordo de Acionistas dos Minoritários”). Para fins de clareza, a Cia., seus acionistas, administradores e membros do Conselho Fiscal neste ato incorporam por referência e adotam o mecanismo de solução de Disputas estabelecido na cláusula 9.1 do Acordo de Acionistas dos Minoritários para as Disputas definidas neste Estatuto das quais o Acionista Controlador da Cia. não seja parte. Capítulo VIII – Disposições Gerais. Art. 28 – A Cia. observará os Acordos de Acionistas registrados na forma do art. 118 da Lei nº 6.404/76, cabendo à administração abster-se de registrar transferências de ações contrárias aos respectivos termos e ao Presidente das Assembléias Gerais e das reuniões do Conselho de Administração abster-se de computar os votos lançados contra tais acordos. Secretaria da Fazenda. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 377.461/10-6 em 20/10/2010. Kátia Regina Bueno de Godoy – Secretária Geral.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

conomia

DCARR

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

A exemplo do Japão, aposta é que modelos chineses conquistem os brasileiros. André Lessa/AE

Chineses apimentam evento cinquentão

Expectativa: maior evento automotivo do País deve ser mais atraente e movimentar um volume superior de negócios em comparação com a feira da França.

O 26º Salão Internacional do Automóvel completa 50 anos e reúne em um mesmo espaço compactos da China e as já tradicionais marcas luxuosas. chicolelis e Anderson Cavalcante

Genérico

Salão será comemorado com recorde de público, que começará a visitar a mostra a partir de hoje. "Não serão apenas as montadoras com seus modelos em exposição as responsáveis pelo sucesso que imaginamos. O mercado automobilístico, em alta, terá forte influência no

Belini destacou que na atual edição, a grande atração promete ser o bloco chinês. Os preços mais baixos dos modelos prometem aliviar a desconfiança inicial do consumidor brasileiro em relação à qualidade dos veículos e também ao

fato de que eles, em geral, são menores. No quesito carros, ainda existem alguns modelos que não alcançam o mesmo índice de qualidade do produto brasileiro, e estão ainda longe daqueles produzidos na Europa. Mas, como dizem os especialistas no assunto: é uma questão de tempo. Há 30 anos, o Japão não produzia os bons carros que atualmente estão entre os melhores do mundo. Na Coreia do Sul, o gosto e a qualidade também eram duvidosos há dez anos e, hoje, marcas – como Kia e Hyundai – surpreendem os consumidores em todo o planeta. Em mais cinco anos, a aposta é de que a China se destaque. Uma das marcas chinesas que promete chegar com força ao mercado brasileiro é a JAC. No Anhembi, mostra vários modelos, como o J3 1.4 litro e 108 cv (R$ 37,9 mil) e J3 sedan

(R$ 39,9 mil) que estarão disponíveis em 18 de março, quando serão abertas 46 concessionárias do grupo, todas na mesma data e hora – a exemplo do que fez o grupo Mazagine Luiza, no ano passado em São Paulo. Já os modelos da Haima têm preços menores, e custam entre R$ 39 mil e R$ 59 mil. A Brilliance trouxe modelos com preços entre R$ 55 mil e R$ 75 mil, enquanto a Chery planeja uma fábrica no Brasil em 2013, quando pretende conquistar 3% do mercado nacional. Luxo – Um outro grupo de montadoras sem produção de veículos no território brasileiro se destaca – só que na outra ponta. São as que trazem modelos importados, em sua grande maioria, com uma taxa de 35% sobre o valor do veículo já incorporado em seus preços. A Porsche exibe as últimas gerações de modelos, como o Cayenne, Panamera e o Boxter,

S ERVIÇO 26º Salão Internacional do Automóvel - de 27/10 a 07/11 Pavilhão de Exposições do Parque Anhembi Ingressos: R$ 40 (adultos) e R$ 30 (menores entre 5 e 12 anos). Acima de 60 anos e crianças até 5 anos, grátis. Outras informações: www.salaodoautomovel.com.br

tendo como grandes desta- durante o evento em 2008. O ques o Cayenne híbrido e o modelo será lançado no próxi911 GT2 RS. mo ano. Por enquanto, seu preOs luxuosos e clássicos mo- ço ainda não foi divulgado pedelos da Jaguar também estão la marca. presentes – entre eles o lançamento XJ, que custará R$ 580 mil. A também britânica Land RoA Kia parece ter decidido ver terá como desconcorrer ao posto de taque o Range montadora com o maior Rover Evoque, número de lançamentos em 2010. (oriundo do Para isso, está mostrando o conceito LRX), protótipo Soulster; três novas que esteve exversões do Cerato; o novo posto no Brasil, Sportage; os sedãs Optima (substituto do Kia Magentis) e Cadenza (categoria luxo). Além do crossover Soul flex.

Campeã

Frota de novidades para todos os gostos

N Divulgação

D

epois de visitar, em comparecimento. Todos terão Paris, um salão que vontade de visitar e ver nos esconsiderou "cho- tandes aquilo que as fábricas cho", o presidente estão prontas para mostrar." da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Cledorvino Belini – que também coO compacto Lifan 320 manda a Fiat na América montado no Uruguai logo foi Latina – disse ontem na apelidado de "mini-cover". Uma abertura para a imprensa alusão por ter o visual semelhante do 26º Salão Internacioao Mini Cooper. A marca parece nal do Automóvel de São não estar preocupada com as Paulo que o evento será comparações e, inclusive, colocou um grande sucesso. Na um genérico também do avaliação do executivo, a personagem Mr. Bean, que realidade do Brasil está usa um modelo original bem diferente da europeia e, em suas histórias. por isso, o 50º aniversário do

Peugeot: concept car HR1, cupê esportivo RCZ com motor 1.6 eTHP Turbo de 165 cv e câmbio automático sequencial.

os dois primeiros dias, o Salão esteve aberto para a imprensa e a Ford saiu na frente. A montadora mostrou a versão híbrida do Fusion, o novo Edge 2011, que chega com modificações em seu design e novo motor. Na Fiat, o Bravo, que será lançado em novembro, ocupa espaço ao lado do Mio, um microconceito, e do Uno cabriolet – que não deverá vir ao mercado nacional. A GM mostra o Chevrolet Camaro, com motor de 400 cavalos e preço de R$ 185 mil. "Se alguém encontrar um carro com essa potência e preço menor, venha falar comigo que eu cubro a oferta" disse no melhor estilo de lojas populares o presidente para a América Latina da empresa, Jaime Ardila. Na Volkswagen, o destaque fica para a picape Amaroq cabine simples, com a qual a montadora pretende repetir o sucesso do modelo cabine dupla quatro portas. O presidente da companhia no País, Thomas Schmall, revelou que os números da filial brasileira respondem por quase 20% das operações globais do grupo. A Peugeot trouxe o concept car HR1 e o cupê esportivo RCZ com motor 1.6 THP Turbo de 165 cv e câmbio automático sequencial de seis velocidades. Já os destaques da Citroën são o recém-lançado AirCross e o carro-conceito GT by Citroën, materialização de um veículo oriundo de games, fruto da parceira entre a montadora e Polyphony – criadora do jogo de simulação de corrida de automóveis Gran Turismo, para o Playstation 3. A Renault decidiu aposentar o sedan Mégane e apresentar o Fluence. Produzido na Argentina, o novo modelo é equipado com motor 2.0 16V HiFlex com143 cv. A Nissan chega motivada a ganhar terreno no mercado e mostra o novo compacto mundial da marca, o March, que será o primeiro modelo popular japonês a ser vendido no mercado brasileiro. Ele chegará no segundo semestre de 2011 com motores 1.0 e 1.6 flex. Já a Honda aposta na força de carros híbridos e conceitos, como o Honda CR-Z e o Insight. O principal deles é o EV-N, que é movido à eletricidade. (CL e AC)


Diário do Comércio