Page 1

Ano 87 - Nº 23.486

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, quarta-feira, 26 de outubro de 2011

A boa saúde dos micro e pequenos empresários Caderno especial

Arte de P.Zilberman sobre foto de Dida Sampaio/AE

Conclusão: 23h55

Jornal do empreendedor

STF

ENTRA EM CAMPO Aberto inquérito para apurar envolvimento do ministro Orlando Silva no esquema de corrupção no Esporte.

PCdoB chamado pelo Planalto "Quadro é de observância justa e preocupada", avisa secretário da Presidência .

Pede para sair Foi o conselho da oposição ao ministro do Esporte na Câmara. Pág. 5

EU SOU

´ INDESTRUTIVEL A Prefeitura é obrigada a cumprir a lei. É uma maneira de proteger o empreendedor Rogério Amato, presidente da ACSP

Zanone Fraissat/Folhapress

Foram uns 300 ilegais que, proibidos de montar barraca, saíram pelo Brás fechando lojas e pondo fogo em lixo e carros.

Camelôs atiçam fogo no Brás Ilegais, barrados pela Prefeitura na Feira da Madrugada, atearam fogo em carros e impediram o comércio de abrir. Página 10

AMANHÃ Pancadas de chuva à tarde e à noite. Máxima 27º C. Mínima 16º C. ISSN 1679-2688

23486

9 771679 268008

ACSP convocada para a Copa Integrará Conselho Municipal que estudará as demandas do comércio. Página 10

Chico Ferreira/LUZ

HOJE Períodos de nublado, com chuva. Máxima 28º C. Mínima 19º C.

Da esq. p/ dir.: Costa, Pela, Amato, Ribeiro Alves e Pizzimenti

Eurofobia antes da cúpula europeia Uma reunião de ministros antecederia hoje a cúpula de chefes europeus em Bruxelas. Mas ela foi cancelada, espalhando incerteza e tensão. Pág. 13


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Está nessa intervenção todo o projeto oficial, que não é só econômico, mas avança nas esferas política e social. José Márcio Mendonça

pinião

Estendendo os tentáculos Ueslei Marcelino/Reuters

E

m uma semana com temas tão emocionantes – e até emocionais – como a morte do ditador líbio Muamar Kadafi e as agruras "procedimentais" de mais um ministro do atual e do governo anterior, agora o do Esporte, Orlando Silva, passaram praticamente em branco declarações de imensa importância da presidente Dilma em terras africanas. Ao mesmo tempo, elas explicitam o projeto político e econômico do grupo que detém hoje de fato as rédeas de poder no Brasil e apontam para avanços nessa direção. Chamem-no de um novo modelo de capitalismo estatal ou uma emulação, naturalmente sem a dose de autoritarismo do gigante asiático, do modelo de sucesso econômico chinês, com seu crescimento ao modo do "milagre" brasileiro do fim dos anos 1960, início dos anos 1970. Não é de graça que algumas políticas daquela época recebem bons elogios e boas considerações das forças dominantes – até mesmo o período do início da decadência, na gestão Ernesto Geisel e João Figueiredo, com o reforço das estatais, e o protecionismo da substituição das importações e coisas como a reserva de mercado da informática. Para entender, veja-se o que disse a presidente em sua passagem por Moçambique, registrado pela repórter Ana Flor, do jornal A Folha de S. Paulo: "A presença do governo na decisão das orientações e das estratégias (dos investimentos) é essencial. Porque quem tem a legitimidade

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA dente da Vale, há cerca de um ano, induzida pelo Palácio do Planalto, é um marco.

O

A presidente Dilma tem mostrado em seus discursos a tendência por um modelo de capitalismo estatal.

de dizer para onde um país vai é o seu governo, eleito democraticamente". Dilma disse também aos empresários que é preciso pensar em projetos que acabem

com as "desigualdades sociais". Está nessa intervenção todo o projeto oficial, que não é somente econômico, mas avança nas esferas política e social. Tudo em no-

me da chamada inclusão social. Está nesta linha o reforço das estatais e a cada vez maior tentativa de influenciar as decisões das empresas privadas. A troca do presi-

Não é de graça que algumas políticas da época do "milagre brasileiro" recebem elogios do governo, por conta do reforço das estatais e do protecionismo da substituição das importações.

incentivo ao nascimento de uma quase paraestatal, a BrOi, fusão da Brasil Telecom com a Oi, é outro. A política de direcionamento dos investimentos do BNDEs, também e mais um indício. Sem contar o reforço da presença da Eletrobras no seu setor, o renascimento da Telebras, o esvaziamento – portanto corte de autonomia – das agências reguladoras, a ampliação da ação da Petrobras como executora também de política econômica e de desenvolvimento. Isso embora o modelo não seja, em muitos casos, ampliar o número de estatais ou reestatizar. É mais sutil: é direcionar a ação dos grandes grupos privados, com "conselhos" e "orientações" diretas – e às vezes, até ameaças. A orientação vale também para outras áreas. Está aí, para não deixar ninguém se enganar, a insistência do principal partido governista, com as bênçãos de seu mentor e também mentor do atual governo, de criar um con-

NA VIDA, NA C

mais utilizados (prepare-se para gastar seu latim): a "procuração ad judicia" e a "procuração ad negotia". Ad Judicia significa "para coisas da justiça". Uma procuração ad judicia é, pois, aquela que se outorga para um advogado, por instrumento público ou privado, habilitandoo a praticar atos necessários a um processo. Já a expressão ad negotia, é fácil de adivinhar, significa "para negócios". Essa procuração é extrajudicial, outorgada para a administração de negócios; pode ser confiada a um profissional que atue na área do negócio específico em que a transação vai ocorrer, ou para quem se desejar outorgar. Pode se referir a um procedimento único, ou conferir amplos e até irrestritos poderes para o procurador. Ao assinar uma procuração, outorgante e outorgado assumem uma série de responsabilidades, definidas pelo Código Civil. Justamente por ser instrumento de extrema interdependência, em que vigora a confiança que

uma pessoa tem na outra, deve haver transparência nas intenções, pois além de envolver assuntos de negócios ou processuais, o aspecto emocional está latente. ão por acaso esse aspecto emocional é fartamente explorado nos dramas novelescos. Exemplo recente foi o da novela Passione, de Silvio de Abreu. Totó – papel de Tony Ramos– é um pai de família que vive na Itália. Totó não sabe, mas é filho de Beth Gouveia ( Fernanda Montenegro), mulher poderosa que acaba de enviuvar de um magnata da indústria, no Brasil. Antes que Totó soubesse da novidade, que seria o herdeiro de um império, um casal de golpistas brasileiros (Clara e Fred – Mariana Ximenes e Reynaldo Gianecchini) vai à Itália para tentar arrancar de Totó o direito às empresas. Bonitona, Clara enreda Totó, e consegue o que? Uma procuração dele ! Bastou para os primeiros capítulos se tornarem um sucesso! Na vida real, certos episódios são mais impactantes que as

N

novelas. O mundo político está repleto deles. Em meio às disputas eleitorais, no ano passado, uma trupe criou a maior confusão com uma falsificação medíocre de uma procuração. E a tal procuração foi usada para providenciar a quebra do sigilo fiscal da filha do candidato José Serra, Verônica Serra. Fatos apurados, viu-se que as adulterações eram gritantes: o nome do tabelião estava grafado errado; não havia número do cartão de assinatura; a assinatura da escrevente era falsa e a marca holográfica também. partir do momento em que assina uma procuração, o mandante tem toda a sorte de responsabilidades em relação ao documento que ele outorga e até sobre os atos do procurador. Quanto mais o procurador agir de acordo com o documento assinado, isto é, com a vontade do mandante, menos é responsabilizado pelos resultados das ações empreendidas. Mas se o procurador "pisar na bola" e houver prejuízos, ele deverá

A

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cláudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

P

ode-se botar neste saco até mesmo as bem sucedidas e mais do que necessárias políticas sociais adotadas e ampliadas nos últimos anos. Elas são muito mais paternalistas, controladoras, embora se procure negar isto, do que emancipadoras para a cidadania. No Ministério da Saúde, no Ministério da Educação, no Ministério do Desenvolvimento social é esse o viés – fazer políticas como se fossem doações. É um modelo, em todos os campos, que trata o brasileiro como um "incapaz" de tomar decisões – e por isso o Estado precisa fazer por ele, levá-lo pelas mãos, ensinar o caminho. Ou seja, um país cada vez mais tutelado. JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

IVONE ZEGER

NOVELA E NO CINEMA omo vimos no artigo anterior, a procuração é um instrumento de extrema utilidade para a vida prática, servindo para objetivos que vão de matrícula ou inscrição em uma faculdade, dar poderes a um advogado, casar ou registrar uma criança. Serve para pequenas ou grandes empreitadas, que envolvam poucos recursos ou altas somas em dinheiro. Quem outorga a procuração é o outorgante ou mandante. Quem recebe é o outorgado, ou mandatário. Ou, mais popularmente conhecido, o procurador, que ficou responsável por uma tarefa. Vimos que a procuração pode ser pública – feita em cartório – ou particular, escrita pelo mandante, com firma reconhecida. As procurações têm ainda suas tipologias. Há quatro tipos principais, dois deles

trole social para a mídia. Na mesma estrada estão as reiteradas intenções de órgãos governamentais, avançando sobre a liberdade de escolha dos cidadãos e do direito a livre expressão, de controlar publicidade, de direcionar o consumo das pessoas. A Anvisa é mestra nisto, mas não somente ela.

ressarcir os envolvidos. Porém, ele tem seus direitos, como ser ressarcido de prejuízos que possa ter com a execução das tarefas (desde que não seja sua culpa). u seja, a procuração pode ser um instrumento muito simples, conforme o objetivo a que se presta, mas também pode ser muito complexa e com detalhes importantes. Por isso, um advogado é o profissional mais indicado quando se vai elaborá-la, em especial naquelas em que se deve delimitar muito bem a extensão do poder entregue a outro. Mesmo assim, algumas pessoas esquecem depressa aquilo que assinam. Mais, não sabem lidar com o mínimo de poder e dinheiro que lhes caem nas mãos. Um exemplo trágico: imagine um profissional brilhante, formado em medicina, professor universitário e pesquisador da Organização Mundial de Saúde, em Genebra. Ele é Jean-Marc, casado, duas filhas. Quem não confiaria numa pessoa assim? Pois foi com reiteradas "cartas

O

brancas" de amigos e parentes, para que ele investisse altas somas na Suíça, que o suposto médico – (nem a faculdade ele terminou) manteve uma farsa por 18 anos! Ele gastava tudo para manter seu estilo de vida. fato, ocorrido na França em 1993, virou livro, intitulado O Adversário ( L' Adversaire, de Emmanuel Carrère) e um filme super premiado da diretora Nicole Garcia. O "adversário", no caso, era o "outro" dentro do suposto médico, que transgredia toda e qualquer noção de ética. Para se livrar da situação que se tornava insustentável, Jean Marc comete vários crimes. Tragédias à parte, o ideal é se acercar das prerrogativas da lei. E vale lembrar, mais uma vez: sempre que se autoriza um terceiro, há de se ter em conta a transparência e a confiança mútua. IVONE ZEGER É ADVOGADA ESPECIALISTA EM DIREITO DE FAMÍLIA E SUCESSÃO, AUTORA DE"HERANÇA: PERGUNTAS E RESPOSTAS" E "FAMÍLIA: PERGUNTAS E RESPOSTAS" WWW.IVONEZEGER.COM.BR

O

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edi tor - Ch e fe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro (aribeiro@dcomercio.com.br) Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br) Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Darlene Delello, Eliana Haberli e Evelyn Schulke Repórteres:Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André de Almeida, Fátima Lourenço, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rafael Nardini, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente PL Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

pinião

O

Sebrae, IBGE e outros órgãos brasileiros costumam fazer, periodicamente, pesquisas sobre o nascimento e a morte das empresas. Entre os muitos objetivos disso está verificar quais as sobreviventes e entender as razões que as fazem durar mais, assim como descobrir por que as outras morreram. Uma das mais recentes pesquisas, publicada neste ano pelo Sebrae, mostra que das micro e pequenas empresas abertas em 2006, um total de 27% fecharam as portas em dois anos. A situação melhorou bastante em relação à pesquisa de 2004, por exemplo: nessa época, de cada dez empresas que eram abertas, perto de metade fechava antes de completar dois anos. A pesquisa mostrou as principais razões para o encerramento das atividades. Os empresários citavam, pela ordem: falta de capital de giro, falta de clientes, problemas financeiros, maus pagadores e falta de crédito. O que eles poderiam ter feito para que tudo desse certo? Onde erraram? Donald Trump e Robert Kiyosaki não oferecem exatamente uma resposta para isso, mas acreditam existir um caminho a ser percorrido pelos empreendedores que desejam ser bem sucedidos. Eles descrevem esse caminho em Midas Touch: Why Some Entrepreneurs Get Rich-And Why Most Don't (em português, "O toque de Midas: por que alguns empreendedores ficam ricos e a maioria não", editora Plata Publishing, 240 páginas). Donald Trump não precisa de grandes apresentações: é um bilionário americano que se notabilizou pelo comportamento extravagante de falar o que quer, sem se preocupar com boas maneiras Mas ele não é apenas um caipira rico: estudou economia numa das melhores escolas de seu país, a Wharton, da Universidade da Pennsylvania. Ao contrário de Trump, que

EMPREENDEDORES TÊM UM CAMINHO A PERCORRER PARA SEREM BEM SUCEDIDOS

Lições de ouro para empreendedores nasceu de pais ricos, Robert Kiyosaki é um autêntico empreendedor: trabalhou na Xerox para aprender a vender, foi à guerra do Vietnã, onde aprendeu a liderar, e escreveu Pai Rico, Pai Pobre, sobre educação financeira, livro que foi rejeitado por todos os editores a quem o ofereceu. Kiyosaki e sua mulher bancaram uma edição de mil exemplares e venderam muito pouco – até que o autor foi convidado a dar uma entrevista no programa de Oprah Winfrey, que tem audiência de 22 milhões de pessoas e é transmitido para cerca de 150 países. Então, tudo mudou – hoje, o livro de Kiyosaki já passou de 26 milhões de exemplares vendidos. Ele e Trump desenharam um caminho de seis passos para quem quer chegar ao sucesso como empreendedor. E isso não envolve decisões como escolher pontos de venda, manter a contabilidade em dia, desenvolver ações de marketing ou contratar consultores. Nada disso. O sucesso de um negócio, eles garantem, é feito de coisas bem mais simples e, no entanto, nem sempre fáceis de conseguir. A primeira delas é o que eles chamam de "força de caráter". Traduzindo melhor, é a persistência de cada um de nós para alcançar seu sonho. Um dos melhores exemplos que eles citam é a persistência de Thomas Edison no desenvolvimento da lâmpada: "Geralmente as pessoas elogiam Edison pelo que inventou, mas demorou muito para conseguir o que queria. Ele dizia que, na verdade, conhecia 10 mil maneiras de fazer uma lâmpada que não funciona-

PAULO BRITO

Toru Hanai/Reuters

o

3

um invento e um produto destinado ao mercado há uma grande diferença. Depois disso, ainda é preciso desenvolver um processo de fabricação (ou reprodução) do que foi inventado. Fazer protótipos, como os inventores, é uma coisa, enquanto fabricar é outra completamente diferente.

O

utra das questões abordadas na obra é a "zona de conforto", ou seja, a atitude que nos faz ficar na mesma - a preguiça de sair do lugar, de ir à luta. Há muitos exemplos de pessoas assim, diz Trump, a começar por gente que está num emprego achando que ele é seguro. É uma ilusão tão grande quanto achar que um político, depois de eleito, vai nos defender. Ou que cursar boas faculdades vai nos garantir emprego vitalício. PAULO BRITO É JORNALISTA, GRADUADO EM ECONOMIA E MESTRE EM COMUNICAÇÃO E SEMIÓTICA

va", diz Kiyosaki. Os outros pontos importantes são: foco no caminho escolhido, que deve ser percorrido e aperfeiçoado exaustivamente ; fidelidade ao que a marca representa e ao que ela promete entregar ao cliente; bons relacionamentos, porque não se consegue fazer bons negócios sem bons parceiros; e finalmente "pequenas coisas que fazem diferença" – neste caso, são as vantagens competitivas das gran-

des empresas. Trump e Kiyosaki têm de fato o que dizer sobre empreendimentos, mas há fatores que podem impedir o sucesso de uma empresa, a despeito da sua obediência aos itens que eles organizaram no livro. Para começar, nem todos nasceram para ser empreendedores: o caminho para o sucesso pode ser longo, pedregoso e muito sofrido. "O sucesso exige sacrifício. Se você é uma pessoa que não

está disposta a passar por isso, então provavelmente não será um empreendedor de sucesso", pondera Kiyosaki. Há também aqueles que não escolhem o caminho certo ou que decidem fazer tudo sozinhos, como é o caso de muitos inventores. Houve milhões deles, mundo afora, que depois de inventar alguma coisa tentaram chegar ao sucesso percorrendo as etapas seguintes sem ajuda de ninguém. Mas entre

AS "NUVENS" DA NOVA REVOLUÇÃO

N

ão sinto nenhum prazer em ver alguém perder emprego, mas não posso dizer que as últimas manchetes mostrando que os maiores bancos dos Estados Unidos estão perdendo dinheiro em suas operações de trading – e que estão precisando encolher radicalmente por conta disso – sejam notícias totalmente ruins para o país. Na última década, o setor bancário norte-americano foi bombeado por esteroides – na forma de crédito barato e de alavancagem – tanto quanto os rebatedores da principal Liga de Beisebol.

E se um resultado da diminuição de Wall Street é que mais dos brilhantes estudantes de matemática e física forem para as ciências e para a engenharia de verdade, em vez de irem para a engenharia financeira, o país ficará muito melhor. Por quê? Porque – para parafrasear o economista Jagdish Bhagwati, da Universidade Columbia – Wall Street, originalmente designada para financiar a "destruição criativa" (a criação de indústrias e produtos novos para substituir os velhos) na última década caiu no hábito financiar altamente a "criação destrutiva" (criar produtos financeiros alavancados com nenhum valor social mais do que apostar se a Lindy’s vendeu mais cheesecake do que strudel). Quando esses produtos explodiram, quase levaram a economia com eles. Estive em Wall Street há duas semanas e no Vale do Silício na semana passada. Que

contraste! Enquanto Wall Street está sendo sacudida por uma revolução social, o Vale do Silício está sendo transformado por outra revolução tecnológica – uma que está levando o mundo de conectado a hiperconectado e os indivíduos de poderosos a superpoderosos. É o maior salto para a frente na revolução de TI desde que o computador mainframe foi substituído por computadores pessoais e pela internet. la vai mudar tudo sobre o modo como operam as empresas e as sociedades. A última fase na revolução de TI está sendo provocada pela convergência da mídia social – Facebook, Twitter, LinkedIn, Groupon, Zynga – com a proliferação de conectividade sem fio barata e smartphones capazes de se conectar à internet e "a nuvem" – essas gigantescas fazendas de servidores que mantêm e constantemente atualizam milhares de aplicativos de programas, que são baixados (como se estivessem em uma nuvem) por usuários em seus smartphones, tornando-os instrumentos incrivelmente poderosos, que conseguem desempenhar uma miríade de tarefas. O surgimento da nuvem, explicou Alan Cohen,

E

vice-presidente da Nicira, uma nova empresa de rede, "significa que qualquer um pode obter os recursos do Google e alugá-los". Isso está acelerando tudo – inovação, ciclos de produtos e concorrência. O número de outubro da Fast Company tem um artigo sobre o designer Scott Wilson, que pensou em pôr no iPod Nano pulseiras coloridas, transformando-o num aparelho semelhante a um relógio, que pode despertar e tocar música. Mas ele não tinha verba para levar seu conceito ao mercado; foi então para a Kickstarter, a plataforma de financiamento para projetos criativos independentes baseada na web. Ele postou sua ideia em 16 de novembro de 2010, conta a Fast Company, e dentro de um mês, 13.500 pessoas de 50 países enviaram aproximadamente US$ 1 milhão. Apple logo pegou os produtos para suas lojas. lexis Ringwald, de 28 anos, que recentemente fundou uma empresa de educação, seu segundo empreendimento no Vale do Silício, afirmou: "Tenho muitos amigos – eles se apresentam como banqueiros e advogados de Wall Street 'regenerados' – que abandonaram as carreiras convencionais e estão lançando empreendimentos".

A

Marc Benioff, o fundador da Salesforce.com, um fornecedor de programas baseados em nuvem, descreve esta fase da revolução de TI com o acrônimo SOCIAL. Esse S, diz ele, é de velocidade (speed, em inglês) – tudo agora está ocorrendo mais rápido. O é de abertura (open, em inglês). Se não houver um ambiente aberto dentro de sua empresa ou de seu país, esses novos instrumentos vão explodi-lo. C é de colaboração, pois esta revolução permite que as pessoas se organizem dentro de companhias e de sociedades em equipes flexíveis para assumir qualquer tipo de desafios – desde projetar um novo produto até derrubar um governo. A letra Ié de indivíduos, que são capazes de atingir o mundo todo para começar algo ou colaborar com algo mais distante, de forma mais rápida, mais profunda e mais barata do que nunca – como indivíduos. O A é de alinhamento. "Nunca houve época mais importante para ter todos os navios navegando na mesma direção", afirma Benioff. "O poder da mídia social é que está mais fácil do que nunca articular ou reforçar a visão e os valores que criam e inspiram o alinhamento." Finalmente, o L é para a liderança que realiza isso. A liderança num mundo SOCIAL tem de ser a

THOMAS L. FRIEDMAN mistura de cima-para-baixo e de baixo-para-cima. Os líderes precisam inspirar, capacitar e fortalecer tudo que vem da base em uma empresa ou em um movimento social, depois editá-lo e esculpi-lo num produto final com a visão de cima.

grande coisa sobre a nova revolução de TI, diz Jeff Weiner, o CEO do LinkedIn, é que "ela torna deixa mais fácil e mais barato do que nunca se tornar um empreendedor em qualquer lugar" e ter acesso à melhor infraestrutura de inovação. E completa: "Apesar de todos os nossos desafios, ela está ocorrendo aqui, nos Estados Unidos". Como eu disse, a notícia não é de todo ruim.

A

THOMAS L. FRIEDMAN É COLUNISTA DO NEW YORK TIMES E TRÊS VEZES GANHADOR DO

PRÊMIO PULITZER TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

T R A R E R T A O A O M I A A S MU L A L C A P A E I A MA N R R U A R A

S C O S A R R

4 -.GERAL

I R S A L L

Solução

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

P D E R A S G O N F I F MI C V A Ç S A O

T A T M A M P B A E MA C E R O R B H A T L A

Por: José Nassif Neto Pedido de socorro. (sigla universal)

Pessoa que se incorpora a uma idéia.

Sem curvatura nem flexões.

Peso da Serve para embalagem fechar de uma frascos. mercadoria.

Da mesma forma; do mesmo modo. Reter na memória. Estabiliza o vôo.

Mapa, em inglês.

Estar; existir. 'Está', na linguagem falada.

Beira; borda; margem. Dano; estrago; prejuízo.

Carapuça; agasalho para a cabeça.

Principal cômodo de uma casa.

Cumprimento juvenil.

Anfíbio de carne apreciada.

Dançarino de corda; equilibrista.

Doença do aparelho respiratório. Pessoas dispostas em linha indiana.

Pessoa estúpida.(fig.) Cloreto de sódio.

Carbono, símbolo químico. Decifrar Afirmação. Indivíduo escrita. Estado cuja com mais Emitir som. Capital é de 18 anos. (aves) Fortaleza.

Bolsa onde caem as bolas de sinuca.

Recursos Humanos. (abrev.) Mil, em algarismo romano.

Mulher despida.

O dia seguinte. Seguir; caminhar.

Depressão entre montanhas.

Ruténio; símb. quím. Nada vulgar;

Símbolo do litro. (metrologia) Cada um dos flancos de um exército.

Deixar o local.

(1008) 3-map; 4-raro; piar; tara; 5-gorro; 6-amanhã; caçapa; 7-decorar; 8-acróbata.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

5 PORTA ABERTA Os movimentos em torno do ministro do Esporte indicam apenas uma saída.

olítica

DISCURSO VAZIO Delator do esquema tem mais um dia de fama. Na Câmara vazia.

Orlando Silva resiste. Mais um dia Abertura de inquérito no STF complica o ministro e o governo, preocupado, espera pela repercussão para tomar uma decisão sobre a permanência dele no cargo.

A

ministra Cármen houver, o inquérito do STJ já Lúcia Antunes Ro- fica no STF. cha, do Supremo Relação intensa – De acordo Tribunal Federal com Gurgel, existe uma "rela(STF), anunciou ontem a aber- ção muito intensa entre os fatura de inquérito para investi- tos". Antes de Orlando, o migar as suspeitas de envolvi- nistro do Esporte, entre 2003 e mento do ministro do Esporte, 2006, foi Agnelo, que trocou o Orlando Silva, no esquema de PCdoB pelo PT. Para o procucorrupção na pasta. Ela aten- rador, "há indícios de crime" e o deu ao pedido do procurador- suposto esquema de desvio de geral da República, Roberto dinheiro "teria escala nacioGurgel, que havia requerido a nal". Em seu parecer, "as graabertura da investigação. ves irregularidades não ocorEmbora a decisão, inicial- rem em Brasília ou em algum mente, não tenha mudado a estado, mas em todo o País". posição da presidente Dilma José Carlos de Almeida CasRousseff de manter o ministro tro, o Kakay, que defende Orno cargo, o secretário-geral da lando, disse que não há provas Presidência, Gilberto Carva- no inquérito que o incrimilho, afirmou que o governo vai nem. Segundo o advogado, a observar os i nv es ti ga çã o d e s d o b r aestá sendo mentos e a reaberta apenas percussão da com base em Temos que medida. "Terep or ta ge ns esperar pela mos que espede jornais. O ra pela quartaministro, tamquarta-feira, o feira, o quadro bém se defenquadro é de é de observândeu, dizendo observância cia justa e que as acusajusta e p re o c up a d a " , ções feitas pepreocupada. disse Carvalo policial milho, após se litar João Dias GILBERTO CARVALHO reunir, no final Ferreira "são da tarde, com mentirosas". presidente do PCdoB, Renato N e r u da – Em carta ao PCRebelo, para discutir a "evolu- doB, Orlando citou o poeta chição do quadro político". leno Pablo Neruda. "Neste moCármen determinou prazo mento, como disse Neruda em de dez dias para que o Tribu- sua carta ao partido, me sinto nal de Contas da União (TCU) indestrutível, porque contigo, e a Controladoria-Geral da meu partido, não termino em União (CGU) enviem ao tri- mim mesmo". bunal todos os convênios do Menos poética foi a reação ministério sob investigação de Agnelo. "Essa denúncia é de que foram assinados na ges- um mercenário que recebeu tão Orlando Silva. O prazo dinheiro para me acusar", afirvale também para que a pasta mou. "Eu sai do ministério do envie documentos relativos Esporte há seis anos e há seis ao programa Segundo Tempo. anos não sou mais ministro", A ministra estabeleceu prazo contabilizou. "Não tenho um de 48 horas para que o Supe- processo, um questionamenrior Tribunal de Justiça (STJ) to. O inquérito é fruto de deencaminhe o inquérito contra núncia na campanha política". Mochila – O motivo pelo o ex-ministro do Esporte e atual governador do Distrito qual o governador aparece na Federal, Agnelo Queiroz. Ela investigação da Polícia Fedequer saber se há conexão en- ral é o depoimento da testemutre os fatos investigados, Se nha Geraldo Nascimento An-

Dida Sampaio/AE

Carlos Humberto/STF

Orlando Silva: em entrevista, ele disse que é "indestrutível", mas a ministra Cármen Lúcia, do STF, acatou ontem o pedido de inquérito.

drade, que afirmou ter entregue no dia 8 de agosto de 2007 uma mochila com R$ 256 mil em dinheiro para Agnelo. Na época, ele já havia deixado o ministério. Em nota, o governador reafirmou que o inquérito "é um mero instrumento de apuração" e que "jamais foi considerado réu". A mesma interpretação do ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para defender Orlando. "Ação contra ele no STF não é uma sentença condenatória", afirmou. (Agências)

Oposição pede a sua demissão. E o ministro do Esporte ironiza

Base aliada combina esvaziar sessão do policial militar

Não adiantaram os apelos para que fosse embora. Orlando nem respondeu.

A

oposição conseguiu ontem estragar as pretensões do ministro do Esporte, Orlando Silva, de tentar impor uma "agenda positiva" e falar apenas da Lei Geral da Copa em audiência pública na Câmara Federal. Logo que chegou ao plenário, começou o constrangimento. Antes até de abrir a boca, os líderes da oposição pediram a palavra e soltaram o verbo. "A vinda de vossa excelência ao Congresso é uma afronta ao povo brasileiro", afirmou o deputado federal Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), líder do DEM. "A população quer o senhor anos luz da Copa do Mundo". Para ACM Neto, "Orlando não tem mais condições de seguir à frente do ministério".

O líder dos tucanos, Duarte Nogueira (SP) reforçou dizendo que Orlando deveria deixar o ministério enquanto é investigado. O líder do PPS, Rubens Bueno (MG), acusou a base governista de blindar o ministro do Esporte. Bueno se retirou, depois da audiência. "Vou me retirar dessa palhaçada". Fato novo – Após audiência na Câmara, Orlando disse que "não há nenhum fato novo" que altere a sua condição de inocente. Nem mesmo o inquérito aberto pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar denúncias de corrupção na sua pasta parece ter abalado. "Quem solicitou que fosse feita a apuração daqueles fatos fui eu", ressaltou. Mesmo assim, o ministro disse que vai conversar com

seus advogados para saber exatamente o conteúdo do inquérito do STF. Ele indicou ainda que não será dele a iniciativa de pedir demissão do cargo, passando a responsabilidade para a presidente Dilma Rousseff. "Quem nomeia e exonera ministros é a presidente da República. A função de ministro é uma função de confiança", disse. "Não é fruto de eleição, é feita de opção do chefe do poder Executivo". O ministro aproveitou para ironizar a oposição, que insistiu na sua saída. "Vocês imaginam que a oposição deve estar muito preocupada comigo, mas apesar de tantos conselhos, a decisão é personalíssima". E encerrou a conversa lembrando que as provas ainda não apareceram. (Agências)

André Dusek/AE - 10.10.11

Deputado Rubens Bueno (MG), líder do PPS, foi conciso em sua observação, após a audiência do ministro do Esporte: "Vou me retirar dessa palhaçada".

Estratégia já foi acertada durante um almoço dos líderes partidários

E

stá tudo acertado entre os líderes da base aliada. A estratégia é esvaziar o depoimento do policial militar João Dias Ferreira, marcada para hoje na Câmara Federal. Ferreira acusa o ministro do Esporte, Orlando Silva, de comandar esquema de desvio de recursos públicos. Durante almoço, o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP) sugeriu aos líderes partidários que não compareçam. "Mandem representantes", pediu.

Para Vaccarezza, o depoimento do policial militar "não deve e não vai mobilizar" a Câmara. "Tudo o que ele tinha para falar, já falou para os órgãos oficiais", afirmou. "Eu não tenho nada para perguntar a ele", enfatizou Vaccarezza. O líder do PCdoB na Câmara, Osmar Júnior (PI), também confirmou que não vai comoparecer à audiência. "Já foi dito que não é um assunto importante, que a Câmara não é palco para esse tipo de coisa". Os dois parlamentares dis-

cordaram que as mais recentes acusações contra Orlando o tenham enfraquecido. O ministro teria autorizado medida que beneficiou uma instituição do policial militar. "Isso não quer dizer nada, ele assinou essa contrapartida assim como deve ter assinado tantas outras", defendeu Júnior. "Não há nenhum agravamento da situação do Orlando", retrucou Vaccarezza. Enquanto isso, Orlando tentava impor agenda positiva na Câmara. Ficou na tentativa. (Folhapress)

Temer apoia o "indestrutível" Vice-presidente acredita na força do ministro, mas não faz apostas para o futuro.

O

vice-presidente Michel Temer disse ontem que concorda com o ministro do Esporte, Orlando Silva, que enfrenta denúncias de corrupção, de que ele tem uma reputação "indestrutível". Temer reforçou o que o ministro havia escrito, em carta enviada ao PCdoB, de que se sentia "indestrutível", numa citação ao poeta chileno Pablo Neruda. "Eu tenho a maior consideração pelo ministro", afirmou Temer. "Acho que ele faz um belíssimo trabalho e a reputação dele, acho que, sem dúvida alguma, é indestrutível", disse o vice-presidente antes de participar do Congresso Brasileiro de Avicultura, em São Paulo. Temer disse que "até hoje" a decisão é de manter Orlando no cargo, porém não saberia dizer "o que o futuro reserva". Na sexta-feira, a presidente o manteve à frente do ministério sob o argumento de que "não condena ninguém sem provas". Por isso, o vice-presidente reforçou que é preciso "esperar os acontecimentos para

Antonio Cruz/ABr - 04.10.11

Michel Temer: "Até hoje ele é ministro".

verificar o que o governo vai fazer". Temer acrescentou que "enquanto houver a presunção da inocência, tendo em vista a natural combatividade do ministro, o jeito é deixá-lo no lugar. O que o futuro vai dizer, não sei". (Folhapress)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

As eleições vão se realizar com pleno esclarecimento sobre quem pode se candidatar e quem não pode. Luiz Fux. ministro do STF.

olítica

Luiz Alves/Agência Senado - 30.08.11

Justiça bloqueia bens de Lindbergh Farias Senador fluminense e mais oito pessoas e três empresas são acusados de improbidade administrativa

A

Indeferimento: justiça não aceitou desbloqueio pedido por Lindbergh.

1ª Vara Cível de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, determinou ontem a indisponibilidade de todos os bens móveis e imóveis do senador Lindbergh Farias (PTRJ) e de mais oito pessoas e três empresas, informa o portal G1. Todos respondem por ação civil de improbidade administrativa por supostas fraudes em licitações. A decisão saiu no último dia 27 de julho e se refere a fatos relativos ao período em que Lindbergh era prefeito de Nova Iguaçu. O Ministério Público Estadual (MPE) acusa o senador fluminense de contratar ilicitamente uma empresa pa-

ra obras de saneamento. A contratação contestada aconteceu em 2005, quando Lindbergh ainda era prefeito da cidade de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

suspensão do bloqueio, mas, na segunda-feira, o seu recurso foi indeferido pela desembargadora Renata Cotta. Mérito – A manutenção do bloqueio requerida pelo MPE

Réu por improbidade administrativa, o senador teve os bens bloqueados em julho deste ano e justiça apenas confirmou a decisão. Lindbergh recorreu da liminar e pleiteou a

do Rio de Janeiro, foi deferida em caráter liminar, o que significa que o mérito da solicitação ainda será analisado. A juíza Maria Aparecida Silveira de Abreu negou o bloqueio em re-

lação a outros dois réus do processo – o município de Nova Iguaçu e a Companhia de Desenvolvimento de Nova Iguaçu (Codeni). Segundo a assessoria de imprensa do senador, os seus advogados já recorreram da decisão, considerando que ele só é réu na ação porque, como prefeito, assinou os documentos, mas não participou do processo de licitação. Ainda conforme a assessoria, o Tribunal de Contas do Estado do Rio aprovou integralmente o processo. Em sua decisão, a juíza diz que há "fortes indícios de violação de diversas normas de regência do procedimento licitatório". (Agências)

Erich Macias/A Gazeta/AE

No Amapá, desvio de R$ 68 milhões MP acusa Pedro Paulo Dias (PP) e Waldez Góes (PDT) de não repassarem pagamento de servidores a bancos

O

s ex-governadores do Amapá Pedro Paulo Dias (PP) e Wa l d e z G ó e s (PDT) foram acusados de não repassarem para quatro bancos pagamentos feitos por servidores do estado de empréstimos consignados. A Mesa, formada pelo subprocurador para Assuntos Institucionais e Administrativos, Márcio Augusto Alves, e os promotores Afonso Guimarães, André Luiz Araújo e Alexandre Flávio Monteiro, declarou que uma comissão especial conseguiu apurar que R$ 68 milhões deixaram de ser re-

passados para quatro instituições financeiras, no fim de 2009 e de 2010. A Promotoria explica que o governo seria um "intermediário" desses empréstimos, porque o dinheiro era descontado diretamente do pagamento dos servidores. De acordo com o Ministério Público, o governo atual já pagou R$ 6 milhões da dívida causada pelo suposto desvio. O promotor Afonso Guimarães destacou que "existem várias ações por danos morais de pessoas que estiveram com o seu nome negativado, por causa do não repasse da consigna-

ção". Diante do prejuízo provocado, os dois ex-governadores irão responder, solidariamente, por improbidade administrativa. "Esse dinheiro nem pertencia ao estado, e sim aos servidores que pagavam o consignado", afirma o promotor André Luiz Araújo, indignado. "Esses valores são referentes ao prejuízo causado". Os advogados de defesa dos ex-governadores não foram localizados, ontem. Também foram processados os ex-secretários Haroldo Victor de Azevedo Santos, Sebastião Rosa Máximo e Nelson

Américo de Moraes. O desvio, segundo a Promotoria, foi descoberto depois de duas professoras reclamarem que a dívida continuou a ser descontada de seus pagamentos. Em setembro do ano passado, durante Operação Mãos Limpas, Dias e Góes foram presos por suspeita de participação em um esquema de desvio de verbas federais. Eles passaram dez dias detidos. Solto, Dias reassumiu o cargo e chegou a tentar a reeleição, mas foi derrotado no primeiro turno. Góes também não conseguiu ser eleito para o Senado. (Agências)

Vereadores começam a discutir Orçamento Eles fizeram a terceira audiência pública ontem para discutir a origem e destinação dos recursos da cidade Guilherme Calderazzo

de vários movimentos sociais, e ainda do secretário municipal de Planejamento, Rubens Comissão de Fi- Chammas, e do secretário-adnanças e Orçamen- junto municipal de Finanças, to da Câmara Mu- George Tormim. Segundo Chammas, os gasnicipal realizou ontem a terceira audiência pú- tos com pessoal devem atingir R$ 9,8 bilhões; os blica para discuauxílios chegam a tir a proposta de R$ 715 milhões; as Orçamento da cioperações espedade para 2012, Os recursos ciais, em que se enviada pela Prefederais para as encontram as dífeitura para deáreas de risco vidas e os pagabat, no fim de setembro. Estão virão do PAC 2, mentos de precaprogramados já que aderimos tórios, atingem R$ 4,7 bilhões; o mais 17 desses ao programa. custeio da máquiencontros e, em RUBENS CHAMMAS na do município, m e a d o s d e d econtratos e apozembro, a lei orçamentária deverá ser aprova- sentadorias, entre outros, vai a R$ 18,1 bilhões; e os projetos e da pelos vereadores. O total do Orçamento 2012 os investimentos previstos determinado pela Prefeitura chegam a R$ 4,6 bilhões. O relator do Orçamento na alcança R$ 38 bilhões – montante 10,5% superior ao que foi Câmara e integrante da Coaprovado para este ano, de missão de Finanças, vereador Milton Leite (DEM), questioR$ 35 bilhões. O encontro de ontem contou nou o secretário em relação aos com a presença de integrantes recursos destinados às áreas

Paulo Pampolin/Hype

Pedro Paulo Dias: junto com Waldez Góes, réu no processo.

Câmara aprova lei mais dura contra a lavagem de dinheiro

A

A

Debate: Câmara discute recursos com líderes de movimentos sociais.

de risco geológicas, em 2011. 'Cadê' – "A previsão era de investimento de R$ 110 milhões, dos quais R$ 80 milhões seriam transferidos pelo governo federal. Não veio um centavo da União para esse fim. O que houve? O pior é que, para 2012, conta-se mais uma vez com recursos de Brasília para resolver esses problemas", cobrou Leite. De acordo com Chammas, o

governo municipal aplicou até agora R$ 61 milhões nessas áreas de risco, e deve investir nesse setor um total de R$ 70 milhões, até o fim do ano. "Os recursos federais para áreas de risco na cidade virão por meio do PAC 2, em razão da nossa adesão ao programa", diz Chammas. "A Caixa Econômica já aprovou a liberação dos R$ 80 milhões para esse fim", antecipa.

Câmara dos Deputa- (PT-RJ). "É o caso, por exemplo, dos aprovou ontem do jogo do bicho, que agora projeto de lei que en- passará a incluído em um dos durece a legislação sobre cri- crimes que levam ao crime lames de lavagem de dinheiro vagem". no Brasil. A proposta foi aproPara aprovar a projeto, convada em votação simbólica, tudo, o governo foi obrigado a por acordo entre todos os par- ceder e retirar do texto, na últidos, e agora setima hora, a posrá agora analisasibilidade de o da pelo Senado. Ministério PúbliCom a nova lei, Uma das princo e a polícia teaté contravenção rem acesso, sem cipais mudanças poderá levar previstas no proautorização jujeto é a ampliadicial, a dados ao crime de ção do conceito mantidos pela lavagem de de crime de lavaJustiça Eleitoral dinheiro. gem. Hoje, a Lei e pelas empre9.613 prevê oito sas telefônicas, ALESSANDRO MOLON t i p o s q u e p oentre outros, de dem configurar crime de lava- investigados. gem – como tráfico de drogas, O Ministério da Justiça avapor exemplo. liou, no entanto, que esse dis"Com a nova lei, todo crime positivo poderia vir a ser conou contravenção poderá levar testado na Justiça, mesmo ao crime de lavagem de di- que a ideia essencial da pronheiro", explicou o relator do posta fosse permitir acesso a projeto, Alessandro Molon dados não sigilosos. (AE)

Nelson Jr./SCO/STF

Ficha Limpa será votada no STF Relator libera processo que definirá validade da lei para a próxima eleição

L

Ministro Luiz Fux: autorizada a liberação da ação para voto em plenário pelo Supremo.

uiz Fux, ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) liberou para votação no plenário do tribunal o processo que definirá a validade da Lei da Ficha Limpa para as eleições municipais de 2012. Fux é o relator de uma ação ajuizada em maio deste ano, em que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) pede que o STF declare a ficha limpa constitucional para ser aplicada no pleito do ano que vem. Na prática, quem define a pauta de votação é o presidente da Corte, o ministro Cezar Peluso. Ele informou ao portal G1 que ainda não definiu a data do julgamento, mas que não

pretende esperar a indicação do 11º ministro da Corte. Segundo ele, a intenção é julgar "o mais rápido possível". Ainda não se sabe quando a presidente Dilma Rousseff vai indicar o novo ministro para assumir a vaga deixada por Ellen Gracie, que se aposentou. Em resumo – A lei da Ficha Limpa veta a candidatura de políticos condenados por órgãos colegiados ou que renunciaram a mandato eletivo para escapar de cassação. Em março, o Supremo derrubou a validade da Ficha Limpa para as eleições 2010, mas não analisou se a norma fere ou não a Constituição. A maior parte

dos ministros do Supremo entendeu que, com base na Constituição, a norma não poderia ser aplicada no mesmo ano em que entrou em vigor. Mas o debate não terminou. Apesar de valer para as eleições de 2012, a Lei da Ficha Limpa ainda pode ter sua aplicação questionada. No começo deste mês, o ministro Luiz Fux afirmou ao G1 que vai julgar todas as questões. " Não vai ficar pedra sobre pedra. As eleições vão se realizar com pleno esclarecimento da população sobre o que se pode ou não se pode fazer, quem pode se candidatar e quem não pode". (Agências)


p 'Endividados não devem transferir custos'

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

7 Há que se evitar que alguns países transfiram para outros, os custos de conjuntura difícil. Presidente Dilma Rousseff

olítica

Roberto SDtuckert Filho/PR

Dilma reitera a presidente ucraniano que países em crise contenham suas dívidas internamente

A

presidente Dilma lites na base de Alcantara Rousseff defendeu (MA); parceria para a produontem que os paí- ção de insulina pela Fundação ses que enfrentam Osvaldo Cruz; e fornecimento conjunturas econômicas difí- de matéria prima (ureia e amôceis não transfiram para outras nia) para a fabricação de fertinações os custos desta situa- lizantes no Brasil.. ção. "Há que sempre evitar que Jantar – À noite, Dilma recealguns países transfiram para beu o ex-presidente Fernando outros os custos de um conjun- Henrique Cardoso e outros lítura difícil, seja por artifícios deres mundiais para jantar no de controle cambial, seja por Palácio da Alvorada. Nove políticas monetárias excessi- anos depois de deixar o govervamente expansivas, seja por no, FHC voltou à antiga casa, qualquer desequilíbrio finan- junto com líderes mundiais. ceiro", afirmou ela, ao lado do O convite ao grupo The Elpresidente ucraniano, Viktor ders (Os Anciãos) – do qual Yanukovitch. FHC faz parte A crise eco– para o jantar nômica vem – partiu de dominando os D i l m a . F o rSair da crise exige discursos remado em 2007 combinação entre centes de Dilpelo ex-presima. Ontem, dente da Áfrimedidas de ajuste ela apelou paca do Sul, Nelfiscal e de estímulo ra que não se son Mandela – ao crescimento demore na que hoje é econômico busca de uma m e m b r o h oe ao emprego. solução e que norário –, o ela combine grupo tem dez DILMA ROUSSEFF políticas fiscal membros e e de emprego. um só brasilei"A falta de uma ação rápida ro, FHC. Os dez membros forsó levará ao agravamento da mam uma aliança de líderes crise, com sérias consequên- que, como informa a instituicias políticas e sociais... Por ou- ção, "oferece sua influência e tro lado, a saída da crise exige experiência na construção da uma combinação equilibrada paz e atua na defesa dos direientre medidas de ajuste fiscal e tos humanos". de estímulo ao crescimento Entre os convidados, estaeconômico e ao emprego. É vam Jimmy Carter, ex-presipreciso um esforço concertado dente norte-americano; Desde reequilíbrio de toda econo- mond Tutu, arcebispo sul-afrimia internacional". cano; Martti Ahtisaari, ex-preAcordos importantes foram sidente da Finlândia; Gro fechados com o governo ucra- Brundtland, ex-primeira-miniano. Liberação de recursos nistra da Noruega; e Mary Roucranianos para construção do binson, a primeira presidente foguete de lançamento de saté- mulher da Irlanda. (Agências)

Viktor Yanukovitch e Dilma: "A falta de uma ação rápida só levará ao agravamento da crise, com sérias consequências", alerta ela.

Código Florestal: votação adiada Senadores pediram vista do projeto e votação do relatório com emendas nas comissões ficou para o dia 8 Marcelo Camargo/Folhapress

A

pós leitura do relatório do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) sobre o novo Código Florestal na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária e na de Ciência e Tecnologia, os senadores fizeram pedido de vista conjunto para analisar o projeto com mais tempo. A votação do texto ficou para o dia 8 de novembro. Eles também decidiram que as apresentações de emendas devem ocorrer até terçafeira, dia 1º. O relator disse que dividiu o texto em uma parte permanente, que regula o direito ambiental para o futuro, e em outra transitória, com o objetivo de "corrigir os erros do passado". "Quero destacar que a regularização de áreas degradadas será única e não haverá outra no futuro". Segundo o texto, o proprietário rural em situação irregular pode aderir a programas de regularização ambiental, assumindo o compromisso de recompor áreas desmatadas em um Termo de Ajustamento de

Conduta (TAC). Para a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o debate no Senado "tem se mostrado revelador". "Estamos procurando dialogar pra procurar saídas permanentes. Precisamos produzir condições para todos usarem o meio ambiente de acordo com a lei. É preciso ter clareza na regra para que os que tinham propriedades anteriores ao código tenham o direito reconhecido". Previsões – Durante o prazo de vigência do TAC, não haverá autuação e as sanções recebidas antes de 22 de julho de 2008 serão suspensas, data também estabelecida na Câmara dos Deputados. Além disso, o relator destacou que o novo código proposto no Senado prevê "incentivos econômicos" a quem presta serviços florestais. "É o produtor rural tratado como o maior guardião do meio ambiente". O presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, Eduardo Braga (PMDBAM), confirmou a votação do relatório com as emendas nas

Luiz Henrique: "Incentivos a quem presta serviços florestais".

duas comissões no dia 8 de novembro às 8h30. O texto, que já foi apreciado pela Câmara dos Deputados, deve passar antes pelas comissões de Agricultura e Reforma Agrária e de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle. A proposta foi aprovada pelos deputados com pontos polêmicos, como o que permite aos estados legislar sobre a conservação de áreas rurais.

A presidente Dilma Rousseff já deu indicações de que deverá vetar alguns artigos. E o presidente da Câmara dos Deputados, Marco Maia (PTRS), avaliou que a votação do Código foi um avanço significativo. Prometeu esforço para que ela seja imediatamente votada pela Câmara Federal. "Assim que for votado no Senado Federal, imediatamente vai à votação na Câmara dos Deputados". (Agências)

COMUNICADO

Convenção com comerciários é assinada O Sindicato dos Lojistas do Comércio de São Paulo (Sindilojas-SP) informa às empresas do setor e aos escritórios contábeis que, em 24 de outubro úlmo, foram finalizadas as negociações com o Sindicato dos Comerciários da capital, tendo sido celebrada a Convenção Coleva de Trabalho, com vigência para o período de 1º de setembro de 2011 a 31 de agosto de 2012.

Divisão do Pará: propaganda em todo País

A

propaganda institucional do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o plebiscito de divisão do Pará será veiculada, a partir de quinta-feira, nas rádios e televisões de todo o Brasil. Serão feitas, diariamente, duas inserções de 30 segundos até 10 de dezembro, véspera do plebiscito. A propaganda é destinada principalmente aos paraenses que vivem fora de seu estado. Nela, o TSE explica que o plebiscito ocorrerá no dia 11 de dezembro, das 8h às 17h, e convoca os eleitores paraenses que residem fora a comparecer ao estado para votar. As urnas eletrônicas vão apresentar duas perguntas: "Você é a favor da divisão do Estado do Pará para a criação do Estado de Tapajós?" e "Você é a favor da divisão do Estado

do Pará para a criação do Estado de Carajás?". O voto é obrigatório somente para os eleitores paraenses. Quem não estiver no estado, terá até o dia 9 de fevereiro de 2012 para justificar sua ausência na votação em qualquer cartório eleitoral do Brasil. No estado do Pará, os eleitores assistirão a duas outras peças institucionais do TSE, específicas para o estado. A veiculação delas também tem data marcada para quinta-feira para começar. Essas peças enfatizam a importância da opinião do eleitor para a criação das novas unidades federativas. O horário eleitoral gratuito, no qual as frentes de campanha a favor e contra a divisão vão expor suas opiniões, será exibido a partir de 11 de novembro. Mas somente no estado do Pará. (Folhapress)

Dentre outras diversas condições, a referida convenção instui a Contribuição Assistencial Negocial Patronal, o Regime Especial de Salários para microempresas (ME), microempresas individuais (MEI) e empresas de pequeno porte (EPP), e contém regras específicas constantes em suas cláusulas 40 e 41 que, observadas, asseguram o funcionamento regular do comércio lojista do varejo do município de São Paulo aos DOMINGOS e FERIADOS, nos termos do disposto na Lei Municipal nº 13.473, de 26 de dezembro de 2002, alterada pela Lei nº 14.776, de 28 de junho de 2008. Lembramos também que, por força da citada legislação municipal, o empresário interessado no funcionamento de seu comércio aos domingos e em feriados deve sempre solicitar ao Sindilojas-SP a expedição do cerficado correspondente, documento que deve ser afixado em local de fácil visibilidade para o público em seu estabelecimento, sendo este indispensável atestado perante a fiscalização do funcionamento regular durante esses dias. Para mais informações sobre a CCT 2011/2012, o Sindilojas-SP se coloca à disposição para eventuais esclarecimentos. Telefone: 11 2858 8400. www.sindilojas-sp.org.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

ONU Assembleia Geral condena embargo dos EUA a Cuba pela 20ª vez

nternacional

BOLÍVIA Contrato com OAS sobre estrada será mantido, apesar de mudança de trajeto.

Fotos: Zohra Bensemra/Reuters

Abrindo caminho no mundo árabe Berço da Primavera Árabe, a Tunísia também pode ditar tendência das eleições.

S

sua história realizadas em liberdade, mas o sabor da vitória durou muito pouco. Quando só faltavam quatro dias para o segundo turno, o processo eleitoral foi suspenso e os militares ficaram com o poder. O FIS foi considerado ilegal, perante o silêncio cúmplice de quase todos os governos ocidentais. Em 25 de janeiro de 2006, 14 anos depois, o grupo islâmico palestino Hamas ganhou com grande vantagem eleições legislativas elogiadas pela transparência, inclusive por uma missão de observadores europeus. Entretanto, a mesma União Europeia interrompeu sua ajuda financeira ao governo palestino junto com os Estados Unidos, dois meses depois das eleições, e exigiu inutilmente que o Hamas reconhecesse Israel. Essa decisão gerou uma catástrofe nas operações humanitárias e motivou a ruptura entre Fatah (pró-Ocidente), que passou a controlar a Cisjordânia, e Hamas, que teve que se contentar com a Faixa de Gaza, uma divisão política dos territórios palestinos que sobrevive até hoje. Em nenhum outro país árabe os islâmicos ganharam eleições. Em alguns, como Jordânia ou Marrocos, esses grupos

Manifestante protesta contra Ennahda em Túnis. Resultados parciais mostram que o movimento islâmico moderado deve ganhar as eleições.

Simpatizantes do Ennahda, ou Partido da Renascença, comemoram diante da sede do partido na capital da Tunísia.

aceitaram as regras do jogo, mas tiveram que "negociar" sua participação nas eleições. Novos tempos - Muito diferente é o cenário da Tunísia de 2011. Por um lado, o Ocidente já não mostra antipatia, pelo menos não publicamente, aos islâmicas moderados, consciente de que existem outros mais radicais (como os salafistas, que rejeitam a democracia por pessoas sem religião). Por outro lado, os islâmicos

Iêmen: sem trégua.

O

acordo de cessar-fogo anunciado ontem entre as forças leais e opositoras ao presidente iemenita, Ali Abdullah Saleh, não foi levado adiante, já que, antes de seu início formal, os dois grupos voltaram a se enfrentar de forma violenta. A trégua foi anunciada para começar a partir das 10h (horário de Brasília). Porém, uma hora antes do inicio do acordo, os combatentes opositores incendiaram o Parlamento.

Pouco tempo depois, fortes explosões puderam ser ouvidas em bairros próximos de Al Hasaba, onde mora o líder tribal rival Sadeq al-Ahmar. Os dois grupos travam sangrentos confrontos desde maio, e as autoridades acusam Ahmar do atentado contra o palácio presidencial, que deixou o líder iemenita gravemente ferido em junho. Este último acordo foi firmado apenas quatro dias depois

também aprenderam as lições das experiências de 1991 na Argélia e de 2006 na Palestina, e nesta nova Tunísia apresentaram um discurso com credenciais democráticas perfeitas. Já admitem o Estado civil, separação de poderes, respeito às minorias e à igualdade entre homem e mulher. Não há alusão à sharia (lei islâmica), à imposição do véu ou a restrições sobre o álcool, citando os temas mais sensíveis. (Agências) Mohamed al-Sayaghi/Reuters

que o Conselho de Segurança da ONU condenou a violência e pediu a Saleh que assinasse uma proposta que prevê sua saída do poder. (Agências)

Feridos são socorridos em protesto contra Saleh

Na Síria, regime já prendeu 30 mil opositores Com prisões lotadas, campos de futebol abrigam detidos.

A

Síria prendeu mais de 30 mil pessoas desde o início da violenta repressão a protestos contra o governo e por democracia, afirmou um importante ativista sírio na segunda-feira. O regime do presidente Bashar al-Assad transformou os principais campos de futebol do país em prisões, segundo Radwan Ziadeh, cofundador do Centro Damasco pelos Direitos Humanos e pesquisador da George Washington University, nos EUA, durante entrevista coletiva na sede da Organização das Nações Unidas (ONU). Falando no lançamento do relatório anual do Observatório para a Proteção dos Defensores dos Direitos Humanos, Ziadeh disse que ninguém sabe o número exato de presos. A ONU afirma que mais de 3 mil pessoas, inclusive 187 crianças, já foram mortas na repressão que já dura sete meses. Com base em dados de ativistas trabalhando na Síria, Ziadeh declarou que foi feita a estimativa de mais de 30 mil presos. O próprio ativista teve cinco parentes detidos. "O regime sírio cancelou o campeonato de futebol porque eles transformaram os campos de futebol em centros de detenção e tortura", relatou ele. Ziadeh disse que a demora do Conselho de Segurança da ONU em aprovar uma resolução sobre a crise na Síria deixou os opositores do regime de Assad mais desesperados e dispostos a usar armas "para se defenderem contra as forças de segurança". Rússia e China vetaram uma resolução sobre a Síria, dizendo que não deve haver ameaças de sanções contra Assad, mas sim incentivo ao diálogo. (Agências)

DC

e os resultados parciais das eleições na Tunísia forem confirmados, o partido moderado islâmico Ennahda conseguiu alcançar um feito inédito para movimentos deste tipo no mundo árabe, cada um com suas particularidades, que foram afastados do poder apesar de terem ganhado suas respectivas eleições. Segundo a comissão eleitoral da Tunísia, o Ennahda obteve 15 das 39 cadeiras já definidas dentro da Tunísia. Somados os votos dos tunisianos que vivem no exterior, já computados, o partido obteve 24 das 57 cadeiras contadas. A Assembleia terá 217 cadeiras no total. A legenda estimou que obteria 40% das 217 cadeiras. O segundo partido mais popular no país, o Congresso Pela República (CPR), conquistou até agora dez cadeiras, incluídas duas conquistadas por votos de tunisianos que vivem na França. O partido é liderado pelo ativista Moncef Marzouki, um dos poucos políticos seculares que concordaram formar uma coalizão com o Ennahda. A Tunísia é o primeiro país árabe a ter eleições livres após ter derrubado seu governante autoritário, Zine El Abidine Ben Ali, em uma revolta popular em janeiro deste ano. A votação foi elogiada pelos observadores internacionais. "As eleições na Tunísia foram marcadas por uma participação entusiasta e pacífica e por procedimentos em geral transparentes, bem como uma confiança popular na transição democrática", informou em comunicado o Carter Center, que observou o sufrágio. Exceção - Caso confirmada, a vitória do Ennahda será uma exceção na região. Em 26 de dezembro de 1991, a Frente Islâmica de Salvação da Argélia (FIS) obteve uma clara vitória no primeiro turno das eleições legislativas, as primeiras de

FERRAMENTAS ELÉTRICAS PRODUTOS PARA CONSTRUÇÃO Rua Carneiro Leão 143 - Brás - São Paulo

desde 1926

www.pizzimenti.com.br (

(11)

3340-7200

Fax (11)

Lavadoras de alta pressão Wap e Karcher

é na 3340-7202


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

9 Adem Altan/AFP

nternacional Azra, de apenas duas semanas de vida, foi resgatada ontem em meio aos escombros de um prédio em Ercis. Foram salvas ainda a mãe e a avó da bebê.

Kadafi é enterrado no imenso deserto líbio Cerimônia foi realizada em lugar desconhecido para evitar que túmulo se transforme em local de peregrinação

M

Um pequeno milagre na Turquia

U

ma bebê de duas sem a n a s, s u a m ã e e uma de suas avós foram retiradas com vida ontem dos escombros de um edifício demolido pelo terremoto de domingo no leste da Turquia, que deixou mais de 459 mortos confirmados e desabrigou dezenas de milhares de pessoas. Pelo menos 1.352 pessoas ficaram feridas. "É um milagre!", disse Senol Yigit, tio da pequena Azra (pureza, em árabe). "Estou tão feliz. O que eu posso dizer? Passamos dois dias esperando

Reuters

uamar Kadafi, morto nas mãos das forças insurgentes em sua cidade natal, Sirte, em 20 de outubro, foi enterrado em segredo na madrugada de ontem nas areias do deserto líbio, para evitar que seu túmulo se transforme em local de peregrinação. De acordo com o Conselho Nacional de Transição (CNT), o clérigo Khaled Tantoush rezou pelos cadáveres de Kadafi, de seu filho Mutassim e do exministro da Defesa Abu Bakr Younis ainda no frigorífico em que eles foram expostos a civis, em Misurata. Tantoush era clérigo de Kadafi e também foi capturado pelos rebeldes. Familiares dos mortos puderam assistir à cerimônia. Entre eles, dois primos de Kadafi. Em seguida, os corpos foram entregues a rebeldes para serem levados a um local distante no deserto. Eles se comprometeram a jamais revelar a localização do jazigo. A medida contraria as tribos de Sirte, leais a Kadafi, que pediam que o cadáver do ditador lhes fosse entregue. A cerimônia encerrou a espera pelo enterro. O CNT era criticado pela demora. Segundo as leis islâmicas, anunciadas nesta semana como futura base para a Constituição líbia, mortos devem ser enterrados sem tardar. Reação - Ontem, um comunicado do influente centro de es-

Atestado de óbito de Kadafi afirma que líder teve ferimentos no lado esquerdo da cabeça e no peito

tudos sunitas Al Azhar – divulgado pela mídia estatal egípcia – aparentemente criticava o desrespeito dos insurgentes pelo cadáver de Kadafi. Apesar de não citar esse caso, o imã Ahmed al Tayyeb opõe-se ao "tratamento desumano de feridos e à violação dos corpos mortos ou a manutenção deles sem sepultamento". Por sua vez, Sadeq al Gheriany, autoridade religiosa na Líbia, havia dito que Kadafi não era muçulmano e, portanto, não era necessário realizar um ritual islâmico ou rezar por sua alma. Prenúncio - Aparentemente,

Kadafi previa que a sua situação não era favorável. A revista francesa Paris Match divulgou ontem que o ex-ditador escreveu a Silvio Berlusconi, premiê italiano, implorando que ele interrompesse os ataques da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na Líbia. A carta, com data de 5 de agosto, foi escrita em árabe. Kadafi mencionava, no texto, a amizade longeva com o premiê italiano e pedia uma intervenção a seu favor. "Eu esperava que pelo menos você... tentasse uma mediação antes de somar seu

apoio a essa guerra", disse o exditador ao premiê. Não está claro se a carta chegou às mãos de Berlusconi. Fuga - Enquanto isso, Seif alIslam, um dos filhos de Kadafi, está se dirigindo para o Níger, país onde seu irmão Al-Saadi Kadafi já está abrigado. Segundo Rissa ag Boula, conselheiro do presidente do Níger, um grupo de tuaregues está ajudando a guiar Seif até o país. O governo do Níger disse que se Seif, procurado pelo Tribunal Penal Internacional, chegar ao país, poderá receber asilo. (Agências)

por isso. Havíamos perdido a esperança ao vermos o prédio (destruído)", afirmou o homem, soluçando. Apesar das histórias felizes de resgate, a desorganização obrigou o governo turco a voltar atrás e aceitar a ajuda de outros países, inclusive de Israel, país com o qual Ancara possui relações estremecidas desde 2010. Segundo o governo israelense, Ancara pediu o envio de estruturas portáteis para que possam ser usadas como casas temporárias. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

quarta-feira, 26 de outubro de 2011 Helio Torchi/AE

CONFRONTO NO BRÁS Cerca de 300 camelôs entraram em confronto na madrugada de ontem com policiais militares contratados pela Prefeitura de São Paulo nas horas de folga.

idades Fotos de Mario Ângelo/AE

Ao lado, veículo incendiado durante as manifestações de ontem. Camelôs prometem novos protestos.

Camelôs: 'Prefeitura deve cumprir a lei, mas com respeito'

Copa: ACSP canalizará demandas do comércio

Presidente da ACSP comentou ontem conflitos entre ambulantes e a polícia, no Brás Rogério Amato, presidente da ACSP, e Gilmar Tadeu Ribeiro Alves em encontro do Conselho de Política Urbana

Ivan Ventura *

Chico Ferreira/Luz

"A

Prefeitura é obrigada a cumprir a lei. É uma maneira de proteger os empreendedores, alguns deles camelôs, e que trabalham legalmente. No mais, a Prefeitura deve cumprir a lei, mas deve fazer isso com humanidade e respeito." A afirmação é do presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Rogério Amato, referindo-se ao confronto ocorrido na madrugada de ontem entre vendedores ambulantes e a polícia próximo à Feira da Madrugada, no Brás. Os protestos ocorreram devido a uma operação da Prefeitura que impediu camelôs ilegais de montarem barracas na região. Os ambulantes espalharam e colocaram fogo no lixo, viraram e incendiaram dois carros que estavam estacionados. Durante toda a manhã, o grupo de cerca de 300 manifestantes realizou uma passeata na região. Aos gritos de "fecha, fecha", os camelôs impediram que comerciantes abrissem suas lojas próximo à feira. Os estabelecimentos começaram a abrir apenas depois das 12h. Ninguém foi preso. Por volta das 10h30, um comerciante da rua Oriente tentou abrir sua loja, mas foi impedido por manifestantes, que chutaram a porta. Houve gritaria e empurrões até que ele desistisse de abrir o comércio. A Feira da Madrugada foi fechada e reaberta por volta das 7h30. Os manifestantes também chegaram a interromper o tráfego na avenida do Estado. O grupo fechou a via por cerca de 30 minutos, o que complicou o tráfego em toda a região central. Licença – Segundo a Prefeitura, apenas 2.949 ambulantes com boxes dentro da área da feira são legalizados. Em novembro do ano passado, quando o município assumiu a administração do terreno, quase

O Comerciantes foram impedidos de abrir seus estabelecimentos no Brás Luiz Guarnieri/AE

Feira da Madrugada: ruas viraram cenário de guerra após protestos

9.000 atuavam no local – 4.700 ro, eles não deveriam estar na eram legais. A maior parte dos rua. Tem gente com mercadocamelôs que foi retirada da fei- rias roubadas ou trazidas do Para – cerca de 4.200 – atualmente raguai. Tem horas que a Prefeimontam suas barracas nas tura e a Polícia Militar precisam ruas do entorno. agir mesmo. Afinal, estamos no A operação de combate aos século 21 e vivemos numa épocamelôs ilegais da ca de comércio forregião já havia simal, inclusive com do anunciada no nota fiscal eletrôA Prefeitura é fim de setembro. nica", disse Roberobrigada a Na ocasião, a adto Mateus Ordine, cumprir a lei. É ministração muvice-presidente da nicipal já esperauma maneira de Associação Cova que houvesse m e rc i a l d e S ã o proteger os conflitos entre poPaulo (ACSP) . empreendedores. liciais e camelôs. "É claro que a ROGÉRIO AMATO, MEI – "Para maioria dos amPRESIDENTE DA ACSP sair da ilegalidabulantes é de pesde, os ambulansoas de bem e pretes poderiam recorrer às van- cisam sobreviver. Mas tem tagens programa Microem- gente que quer prejudicar, inp r e e n d e d o r i n d i v i d u a l clusive o comércio formal esta(MEI)", sugere Amato. belecido na região", comple"O pessoal extrapola. Primei- tou Ordine. (* com agências)

secretário municipal de Articulação da Copa do Mundo, Gilmar Tadeu Ribeiro Alves, anunciou ontem a inclusão da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) no Conselho Municipal da Copa - grupo que discutirá as demandas da cidade para o evento. Segundo Alves, a ACSP contribuirá com seu "know how" sobre o perfil do comerciante paulista. A novidade foi anunciada ontem, durante encontro do Conselho de Política Urbana (CPU) da ACSP. O convite foi feito há um mês ao presidente da ACSP, Rogério Amato. "E foi aceito com grande honra. Conte com esta casa", disse Amato. No encontro, Rogério Amato defendeu uma articulação nacional entre as instâncias de poderes (municipal, estadual e federal) para a realização da Copa de 2014. "É necessário essa articulação nacional, com a qual todos os agentes deveriam estar envolvidos", disse. O vice-presidente da ACSP e coordenador da CPU, Antonio Carlos Pela, também defendeu a articulação e falou da importância da Copa para novos negócios e frentes de trabalho. "Serão criadas novas oportunidades para todos e novos empregos. Ao redor do estádio, por exemplo, haverá barzinhos e outros pequenos donos de negócios. A ACSP estará atenta a tudo isso", disse. Alves disse que há uma articulação nacional disposta a deixar um legado de infraestrutura na cidade. Em entrevista ao Diário do Comércio, o secretário de Articulação da Copa do Mundo falou sobre o tema.

Diário do Comércio - Quais serão os legados da Copa à cidade? Gilmar Tadeu Ribeiro Alves - Primeiro, o grande legado é um estádio de primeiro mundo, com segurança, acessibilidade, conforto e de multiuso, onde as pessoas possam ir a um restaurante no próprio estádio e não só assistir a um jogo de futebol. Teremos melhor acessibilidade e melhorias em transporte. Vamos melhorar a zona leste. Vamos implantar o monotrilho, que sairá de Congonhas e se integrará à rede metroviária. A cidade ganhará mobilidade com o monotrilho de Vila Prudente até Cidade Tiradentes. Teremos uma melhora na segurança. Vamos unificar o uso das câmeras da CET, da GCM, SAMU, PM e outros. Haverá maior eficiência em benefício para o cidadão. DC - Qual será o legado de serviços para a cidade? Alves - Recentemente, participei de um evento no Sebrae. A entidade realizou um mapeamento na cidade e registrou 456 oportunidades de negócios, e só o comércio concentra 51% dessa demanda, entre pequenos e médios negócios. Outro exemplo é o próprio estádio. Após a Copa, serão necessários 200 funcionários fixos e 500 temporários para a sua manutenção. Isso não existia na região. DC- A comunidade empresarial se queixa da burocracia para a abertura ou regularização dos seus negócios. Alves - De fato, temos de simplificar o procedimento e melhorar. A Prefeitura já reali-

za esforços e precisa dar maior velocidade a esses procedimentos. Nesse contexto, a participação da Associação Comercial de São Paulo no Conselho Municipal da Copa vai trazer grande contribuição, pois convive com essa realidade, desde a abertura de uma empresa à manutenção da documentação, pagamento de impostos e outras necessidades. Estamos agregando essa experiência para superar esse fator e desenvolver o negócio na cidade. DC - Então, a ACSP fará parte do Conselho da Copa? Alves - Há um mês fiz o convite ao presidente Rogério Amato e sua resposta foi positiva. A ACSP tem experiência, pois participa de debates sobre a cidade. Ela defende a valorização do Centro, já tratou sobre a lei Cidade Limpa e, agora, nos ajudará com a Copa. A ACSP nos ajudará a lidar com algumas complexidades desse mega evento. DC - No encontro de hoje o sr. falou na valorização do turismo cultural e citou o Centro como polo indutor. Como fazer isso? Alves - Hoje a cidade já é um destino cultural. Ela tem teatros, cinemas e alternativas culturais para os mais diversos gostos, além de exposições e mostras de cinema. Há exposições de arte e museus, sem falar nos shows. São mais de 150 teatros, mais de 200 cinemas. Aqui tem show quase todo dia. A maioria está no Centro. Queremos valorizar isso e mostrar aos nossos visitantes. (I.V.)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

3

11

º

184 É o número de mamografias feitas em 2009 por meio do projeto.

setor

900 mamografias foram realizadas no ano passado pela Orientavida.

No mês rosa, ONG luta contra o câncer de mama Projeto da Orientavida, que era dirigido às mulheres do Vale do Paraíba, chega a São Caetano do Sul Kelly Ferreira

O

Pense Rosa, um projeto da ONG Orientavida, tinha como objetivo chegar às mulheres da região do Vale do Paraíba. Mas a campanha cresceu tanto que agora chega também ao município de São Caetano do Sul, na região do ABC paulista. Promovendo ações de combate e prevenção do câncer de mama, esclarecendo dúvidas sobre a doença e incentivando a realização de mamografia, por meio de caminhadas e palestras, o programa já beneficiou milhares de mulheres. Em 2009, 20 cidades do Vale do Paraíba aderiram à campanha. Foram realizadas 52 palestras para alertar sobre a doença e realizadas 184 mamografias, em parceria com a Scania e o Hospital de Câncer de Barretos. No ano passado, o projeto foi ampliado para 41 cidades. O número de mamografias subiu para 900. Renda – A campanha, que acontece desde 2009 em todo o Estado de São Paulo, tem a primeira-dama, Lu Alckmin, como madrinha. Além dela, este ano a estilista Isabela Capeto também faz parte e contribuiu no desenvolvimento da camiseta Pense Rosa, um dos produtos que começaram a ser vendidos em junho e que possuem verba revertida para o projeto. Com o objetivo de gerar trabalho e renda para famílias e comunidades carentes, por meio da confecção e customização das peças (camisetas, lenços e pulseiras da campa nha), a ONG dividiu a produção da coleção. As camisetas e lenços foram feitos na própria Orientavida. Já as pulseiras foram produzidas pelos jovens do Clube das Mães do Brasil. Parte da renda obtida com os produtos da campanha será revertida para palestras de esclarecimento sobre o tema e realização de mamografias em mulheres. Outra parte é destinada para a produção de folhetos explicativos, distribuídos em pedágios para outdoors localizados nas principais rodovias de São Paulo, veiculados até o final de outrubro. Mês este que é conhe-

Camiseta Pense Rosa

Fotos: Divulgação

cido mundialmente como Outubro Rosa e que estimula o movimento popular e empresarial em torno do combate à doença com ações já conhecidas, como a iluminação de monumentos com a cor rosa. Parcerias - Por meio da comercialização dos seus produtos, a Orientavida mantém, em atividade continuada, aproximadamente 300 artesãs, que passam por capacitação constante, além de realizar palestras sócio-educativas, dar apoio psicossocial, ginástica laboral e auxílio-alimentação. São contempladas mulheres da região do Vale do Paraíba, nas cidades de Aparecida, Arapeí, Guaratinguetá, Lorena e Pindamonhangaba. A s p a rc erias não pararam por ai. Em 2009, a ONG firmou convênio com a design e r A n a Strumpf. Juntas preparam o lançamento, no ano passado, da primeira coleção licenciada pela Walt Disney, com o tema Alice no País das Maravilhas e Zé Carioca. A linha Alice, com mais de 72 itens exclusivos, teve 18 modelos reeditados em abril deste ano. A coleção foi premiada pela Fashion & Home dos Estados Unidos como Melhor Produto Adulto na linha de decoração de 2010. Foi a primeira vez que a Walt Disney Brasil recebeu essa premiação. Por apresentar um trabalho

Eu Quero Viver precisa de um milhão de assinaturas

P

ara que os portadores de mucopolissacaridoses recebam o tratamento necessário para o controle da doença são necessários de R$ 50 a R$ 100 mil mensais ou entrar com um mandato judicial que obrigue o Governo a disponibilizar os medicamentos. Os remédios não estão disponíveis no Sistema Único de Saúde (SUS) e, por isso, o Instituto Eu Quero Viver fez uma petição por uma lei que obrigue o Governo a subsidiar o tratamento. Agora é preciso arrecadar um milhão de assinaturas para levar o pedido adiante. . Até a semana passada, 118 mil pessoas haviam aderido ao abaixo assinado. Para colaborar, basta acessar o site www.eu-

queroviver.org.br/Abaixo_assinado. Um gesto simples e que ajudará aproximadamente 600 portadores de mucopolissacaridoses, que necessitam de assistência médica. A doença – A mucopolissacaridoses é uma doença degenerativa, causada pela deficiência de enzimas nos lisossomos, o que leva ao acumulo de glicosaminoglicanos. Isso pode gerar disfunção no desempenho celular, e na maioria dos casos, efeitos patológicos nas células, tecidos e órgãos. O Instituto Eu Quero Viver tem contribuído na compra das agulhas para as infusões, já que os hospitais não mantêm esse tipo de insumo em estoque. Informações: www.euqueroviver.org.br.

delicado, minucioso e de qualidade, a ONG tem lojas famosas como clientes, entre elas a Tok Stok, Artefacto, Trousseau e Trussardi, Mandi & Co., Coisas de Doris, Chic Chic Lab de Criação, Irmãos Campana e Bo.Bô. Fora isso, participa anualmente das feiras Craft Design e Zero a 12. História - Há 12 anos, com o objetivo de combater a pobreza e a falta de oportunidade dos moradores de Potim, João Benedito Angelieri e Maria Celeste de Castro Chad, à época prefeito e primeira-dama, criaram o Instituto Orientavida. O trabalho começou pequeno, ensinando às mulheres da região bordados em bolsas, e os resultados foram surpreendentes, o que garantiu a conti-

nuidade do projeto. Em 2003, a ONG conseguiu autorização do Museu Maison Du Boutis, com sede na França, para produzir boutis e piquê de Provence, tipos de bordados com técnicas francesas. Foram treinadas 35 bordadeiras que, em 2007, utilizaram seus conhecimentos e habilidade para bordar o enxoval do Papa Bento XVI em sua visita ao Brasil. No mesmo ano, a Orientavida começou a participar de feiras, lançando seus produtos com marca própria. Conseguiu expandir o mercado atendendo lojistas e hoje desenvolve também produtos exclusivos. São mais de mil clientes em todo o Brasil e 15 espalhados por outros países.

Maria Celeste de Castro Chad (acima), fundou há 12 anos, ao lado do marido, a Orientavida. Na foto ao alto, mulheres atendidas pelo projeto fazem ginástica laboral.

Monumentos que mudam de cor

O

movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em dezenas de países. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. O movimento começou nos Estados Unidos, onde vários estados preparavam ações isoladas referente ao câncer de mama, como a realização de mamografias, em outubro. A primeira iniciativa brasileira do Outubro Rosa foi

a iluminação do Mausoléu do Soldado Constitucionalista, o Obelisco do Ibirapuer. No dia 2 de outubro de 2002, quando comemorava-se os 70 Anos do Encerramento da Revolução, o monumento ficou iluminado de rosa. A iniciativa foi de um grupo de mulheres, com o apoio de uma conceituada empresa européia de cosméticos. Hoje, o Outubro Rosa é lembrado em vários estados. Grandes monumentos paulistanos já mudaram de cor, e até o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e o Congresso Nacional, já vestiram rosa.

Fundação Cafu ainda festeja Dia das Crianças

A

festa do Dia das Crianças da Fundação Cafu acontece no próximo sábado (dia 29) e deve reunir cerca de 750 crianças e jovens, entre 3 e 17 anos, da comunidade carente do Jardim Irene. A Lego fez uma doação à fundação para garantir muita diversão à criançada. A sede irá se transformar em um parque de diversões, com brinquedos como pula-pula, piscina de bolinhas, futebol de sabão. Outras atividades estimulantes e divertidas também irão animar a garotada, além de barraquinhas de doces e cachorro quente. O evento marca o encerramento das comemorações do mês das crianças, que apresenta diversas atrações, como show de

talentos, olimpíadas, excursões e atividades de cidadania. A parceria entre a Lego, marca de brinquedos de montar, e a Fundação Cafu, entidade beneficente que busca combater a desigualdade social e atende a mais de 1,6 mil pessoas por mês, nasceu no início deste ano, quando Cafu, capitão da seleção pentacampeã de futebol, participou do evento Lego Tower na capital paulista. Na ocasião, Cafu subiu a mais de 30 metros de altura para ajudar o Brasil a bater o recorde da maior torre do mundo construída com peças Lego. A Lego foi fundada em 1932, na Dinamarca, e começou suas atividades no Brasil em 1986.

Congresso Nacional, em Brasília ficou rosa no início do mês

Campanha pergunta: O que vou ser quando crescer?

A

pergunta "o que vou ser quando crescer", constantemente presente no universo infantil, serviu de inspiração para a nova campanha de mídia da Oscip Criança Segura, que tem como objetivo promover a prevenção de acidentes com crianças e adolescentes. As lesões decorrentes desses acidentes representam a principal causa de morte na faixa que vai de 1 a 14 anos no Brasil. Assinados pela agência Young & Rubicam, os dois anúncios mostram quantas crianças têm os seus sonhos interrompidos diariamente por acidentes fatais que, em 90% dos casos, poderiam ser evitados com atitudes preventivas. Com os títulos "O mundo per-

de 1.598 astronautas por dia" e "O mundo perde 674 bailarinas por dia", as peças trazem imagens lúdicas desses personagens e ainda convidam os leitores a conhecer o site da organização, no endereço ht tp :// cri an cas eg ura .org. br para conhecer melhor a causa. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde(OMS) e do Unicef, 830 mil crianças e adolescentes de até 14 anos morrem anualmente no mundo vítimas de acidentes. Só no Brasil, segundo informação do Ministério da Saúde, esse número chega a mais de 5 mil. Também no País cerca de 110 mil crianças são hospitalizadas por ano pelo mesmo motivo.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12 -.LOGO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

As cores da prosperidade Corantes em pó vendidos para os devotos da deusa hindu da prosperidade, Lakshmi, durante o festival Tihar, em Katmandu, Nepal. Os fiéis utilizam os pós para colorir enfeites para a deusa.

USB Typewriter, criação do designer Jack Zylkin: um kit eletrônico permite que você use a máquina de escrever (com sua charmosa mecânica) como teclado. www.usbtypewriter.com

Logo Logo

Navesh Chitrakar/Reuters

www.dcomercio.com.br

P AN P ETS

T ECNOLOGIA

Ouro inédito

A

http://hungeree.com/?p=3473

R EDES SOCIAIS

Tuítes para preservar a história Um historiador de Puebla, México, utiliza o Twitter para financiar a restauração do acervo da catedral da localidade, levantada no século XV e que se deteriorou com a passagem do tempo. Por meio de tuítes que escreve em espanhol, francês, italiano, inglês e português, o historiador Alejandro Montiel Bonilla está desenvolvendo uma campanha mundial para arrecadar fundos destinados à construção, que foi

declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco em 1987. O historiador – cujo nome de usuário é @montielbonilla – já conseguiu arrecadar mais de 350 mil pesos (US$ 27 mil) com a hashtag #salvemoscatedraldepuebla. Embora a campanha seja realizada pelo Twitter, alguns moradores da cidade se sensibilizaram e doaram latas de tinta, impermeabilizante e mão de obra. (EFE)

V IDA SELVAGEM Russell Cheyne/Reuters

E M

John McCarthy, cientista da computação responsável por cunhar o termo "inteligência artificial", morreu, aos 84 anos, em Stanford, na Califórnia. McCarthy criou o termo em 1955, ao longo de suas pesquisas no desenvolvimento de máquinas que pudessem replicar o nível de inteligência humano. O cientista também desenvolveu a linguagem de programação Lisp, a mais empregada em projetos de inteligência artificial, e chegou a propor o projeto de um elevador espacial. Ele também escrevia contos bem-humorados de ficção científica.

Alfredo Estrella/AFP

Com uma rede de descanso como essas, seu gato ficará confortável e poderá relaxar ao ritmo de um suave balanço.

C ELEBRIDADES

Diego Hypólito beija medalha da equipe masculina

C A R T A Z

JORNALISMO

Gato na rede

equipe brasileira de ginástica artística masculina conquistou ontem nos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara uma medalha de ouro inédita para o Brasil. Após passagem pelos seis aparelhos, os brasileiros Diego Hypolito, Francisco Barreto, Petix Barbosa, Péricles da Silva, Arthur Zanetti e Sergio Sasaki Jr. marcaram 346.100 pontos. Porto Rico, medalha de ouro no Pan do Rio de Janeiro, em 2007, ficou com a prata desta vez, com 343.950. Os EUA garantiram o bronze, com 342.000 pontos. A conquista dos ginastas é também o 29º ouro do País em Guadalajara e a milésima medalha brasileira na história dos jogos. Com o resultado, Hypólito e Zanetti asseguraram presença nos Jogos Olímpicos de Londres, em 2012. Rosângela Santos também conquistou o ouro ontem nos 100m rasos no atletismo dos Jogos PanAmericanos de Guadalajara, quebrando um jejum de 28 anos do Brasil. A última brasileira a vencer a prova em um Pan foi Esmeralda Garcia, em 1983. Rosangela ficou com ouro por apenas 0s03 de vantagem sobre Barbara Pierre, dos EUA.

www.forbes.com/deadcelebs

Exposição 'Testemunha Ocular' reúne 600 fotos de 229 profissionais, entre eles Alex Ribeiro, autor da imagem acima - na fronteira do Afeganistão com o Paquistão - e editor de fotografia do Diário do Comércio. Senac Lapa. Rua Scipião, 67. Tel.: 3475-2200. Grátis.

O consumo de mais de cinco latas de refrigerantes por dia pode estar ligado a um comportamento mais agressivo nos adolescentes, diz um estudo publicado pela revista Injury Prevention. A pesquisa observou que o

L OTERIAS Concurso 1014 da DUPLA SENA Primeiro sorteio

Refrigerantes despertam agressividade Veado se chacoalha para secar os pelos no parque Highland, em Kincraig, Escócia.

Michael Jackson, faturando alto Michael Jackson é a celebridade morta mais bem paga do mundo, segundo o site Forbes.com. Ele manteve, assim, o posto conquistado em 2010. De acordo com estimativas, Jackson, que morreu em 2009, aos 50 anos, "faturou" US$ 170 milhões no ano passado. O médico de Jackson na época de sua morte, doutor Conrad Murray, está sendo julgado em Los Angeles, acusado de homicídio involuntário por ter administrado ao cantor o poderoso anestésico propofol para ajudá-lo a dormir. Murray se declarou inocente da acusação. A lista completa de celebridades mortas que mais faturaram em 2010 está no site da abaixo.

C IÊNCIA

Sai, água

Morre o 'pai' da inteligência artificial

alto consumo de refrigerantes nãodietéticos tornaria os jovens significativamente mais propensos a ter atitudes violentas, como portar armas e cometer agressões. O estudo baseou-se em entrevistas

com 1.878 adolescentes de 14 a 18 anos de 22 escolas públicas da cidade de Boston, nos EUA. A agressividade estaria ligada ao consumo em excesso de açúcar e cafeína nas bebidas.

06

07

21

37

44

50

22

24

31

Segundo sorteio 08

09

14

Concurso 2730 da QUINA 35

45

47

76

79

S EGURANÇA

EUA desmontam última superbomba - Os EUA desmontaram ontem a mais antiga bomba nuclear do seu arsenal da Guerra Fria – e uma das mais poderosas –, como parte da política nuclear do governo de Barack Obama. A bomba, do tamanho de uma van, pesa 4,5 toneladas. O desmanche ocorreu nos arredores de Amarillo, no Texas. A potência exata da bomba – chamada B53 – é secreta, mas acredita-se que ela seja centenas de vezes mais destrutiva do que a bomba atômica que devastou Hiroshima em 1945.

Bichos-papões. De medos. Os bonecos Boo-Boo, dos artistas do coletivo alemão Helle Freude, são amigos das crianças. Os pequenos desenham seus medos e os bonecos "comem" o papel, levando embora as preocupações. http://bit.ly/rXffFS


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

e

13 PAGA QUANTO? A Casas Bahia vai pagar R$ 5 mil por danos morais a uma funcionária por obrigá-la a usar broche com o bordão "Quer pagar quanto?".

conomia

EURO VENCERÁ ESTIGMA DO FIM? Para primeiro-ministro francês, se reunião de líderes fracassar, crise pode se intensificar já que as previsões para o crescimento da economia global estão caindo brutalmente. Tensão fez bolsas fecharem em queda ontem.

O

primeiro-ministro da França, François Fillon, afirmou ontem que se a cúpula da União Europeia, que será realizada hoje, fracassar, o continente europeu pode entrar em um território desconhecido. A informação é de autoridades do partido governista União por um Movimento Popular (UMP), que participaram de uma reunião com Fillon. "Nós estamos vivendo períodos cruciais. A pressão não para de crescer na zona do euro e na economia global como um todo", teria dito o primeiro-ministro, segundo os membros do UMP. "É inegável que as previsões para o crescimento da economia global estão caindo brutalmente. Se os resultados da cúpula europeia forem positivos, o pessimismo vai diminuir. É preciso encontrar um acordo com a Alemanha", comentou Fillon. O primeiro-ministro tam-

bém criticou matérias divulgadas pela imprensa de que a França estava sob a liderança da Alemanha na questão de como combater a crise financeira na zona do euro. "Eu lembro que as iniciativas (para lidar com a crise) são francesas", teria comentado. As declarações, que foram confirmadas pelo escritório de Fillon, ocorrem no momento em que os líderes europeus lutam para convencer os bancos do continente a aceitarem perdas maiores com os bônus soberanos da Grécia, além de tentar evitar que a Itália seja contaminada pela crise. A expectativa otimista do mercado com as medidas a serem anunciadas pelos líderes da União Europeia contra a crise na região se dissipou ontem. O cancelamento da reunião de ministros das Finanças marcada para hoje indicou que os países ainda não tinham conseguido resolver

suas divergências acerca das ações necessárias para acabar com a crise da dívida e de confiança no bloco. A reunião de ministros precederia em algumas horas a cúpula de chefes de Estado da União Europeia também hoje, em Bruxelas. Como o encontro de líderes foi mantido, não está descartado que algumas medidas sejam anunciadas. Contaminação – Ontem, o mercado apostava que o plano pode demorar algumas semanas para ser concluído. As bolsas europeias, que abriram em alta, fecharam em queda conforme o pessimismo foi se instalando. Em Paris, o recuo foi de 1,43%. Em Londres, de 0,41%. O resultado se refletiu também em Nova York, que fechou em queda de 1,74% (índice Dow Jones), e em São Paulo, que perdeu 1,07%. Os três principais temas que deveriam ser definidos nesta cúpula são o novo resgate da

Grécia, a recapitalização dos bancos e o aumento de recursos do Fundo Europeu de Estabilização Financeira para futuras ajudas a países em crise. A França e a Alemanha – as duas maiores economias do bloco e mais influentes vozes na cúpula – divergem sobre diversos pontos, principalmente a participação do Banco Central Europeu no socorro a governos com problemas. Ontem, a chanceler alemã, Angela Merkel, rejeitou um esboço do comunicado conjunto que seria emitido ao final da cúpula. Ela se opôs ao trecho que pedia ao BCE para seguir com as compras de títulos da dívida dos governos em situação mais frágil. "Esse trecho não tem o nosso apoio", afirmou Merkel, explicando que a Alemanha não quer uma declaração política que diga ao BCE o que fazer. O país é defensor da independência dos BCs. Desde 4 de agosto, o BCE re-

Economistas elevam projeção de PIB dos EUA para até 3%

A

Manifestantes acampados em Oakland há duas semanas foram retirados à força, ontem, pela polícia. Ao todo, 170 pessoas estavam no local no momento da desocupação.

Kim White/Reuters

pesar de o cenário global seguir muito incerto, especialmente por causa da crise na zona do euro, economistas em Nova York revisaram para cima suas projeções de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) americano para até 3% no terceiro trimestre e avaliam como baixo o risco de recessão. "Acho que escaparemos de uma recessão", acredita o economista-chefe da Rockwell Global Capital, Peter Cardillo. No segundo trimestre, o PIB cresceu 1,3% e, no primeiro, a expansão da economia foi de apenas 0,4% na comparação com o período anterior. Segundo o economista, a menos que a crise na Europa chegue a um ponto de default de alguns países, a economia americana deverá conseguir se recuperar. Ele estima que o PIB do terceiro trimestre terá crescimento de 2,6%, de 1,8% na

projeção anterior, e vê os riscos de recessão em "apenas" 20%. Já o economista-chefe da MF Global, Jim O'Sullivan, revisou recentemente a projeção de crescimento do PIB do terceiro trimestre de 2% para 3%, citando melhora nos investimentos e nos gastos do consu-

midor. A projeção do Crédit Suisse também é de expansão do PIB, de 2% para 3%. Wall Street – O otimismo dos economistas parece não ter chegado às ruas. Ontem, a polícia retirou à força manifestantes contra Wall Street e a crise financeira de uma praça im-

portante em Oakland, na Califórnia. Eles estavam acampados havia duas semanas. A polícia prendeu um total de 75 pessoas, a maior parte por suspeita de "alojamento ilegal". Cerca de 170 protestantes estavam na praça no momento da desocupação. (AE)

tomou o plano de compras desses títulos, o que ajudou a reduzir as taxas de juros pagas pelos governos. Itália – Depois de correr o risco de ver desfeita a sua coalizão por causa de novas medidas de austeridade, o premiê italiano, Silvio Berlusconi, conseguiu fechar um acordo com a Liga Norte, seu sócio no governo. Com isso, ele deve apresentar hoje um pacote de medidas para controlar as contas da Previdência de seu país. A Itália é criticada por ter a segunda maior dívida do bloco (121% do PIB). Umberto Bossi, líder político do movimento separatista Liga Norte, que participa da coalizão de governo do primeiro-ministro, confirmou o acordo. Segundo sua assessoria, o governo quer aumentar a idade da aposentadoria de 58 para 67 anos. Bossi é contra. A assessora, no entanto, não explicou qual solução foi a encontrada. (Agências)

Alemães estão mais confiantes

A

confiança do consumidor alemão aumentará em novembro, surpreendendo previsões, com o forte mercado de trabalho melhorando as expectativas de renda apesar da piora no cenário econômico, disse o grupo de pesquisa GfK, ontem. O índice antecipado de confiança, baseado em um levantamento com 2 mil consumidores, subiu de 5,2 em outubro para 5,3. Economistas previam queda para 5,1. Os componentes que medem as expectativas de renda e a disposição a gastar tiveram leve alta, sugerindo que o consumo privado ainda está contribuindo para o crescimento na maior economia da Europa.

"Ambos os indicadores se beneficiam da boa situação do emprego e do aumento de salários neste ano", escreveu o GfK em comunicado. Décadas – O total de pessoas sem trabalho caiu muito mais do que o esperado em setembro na Alemanha, levando a taxa de desemprego para o menor nível desde a reunificação, há duas décadas. "Porém, as discussões sobre a crise de dívida soberana e a ameaça de insolvência da Grécia, que também pesam sobre o sistema bancário, estão perturbando a população." O componente que mede as expectativas do consumidor para a economia caiu ao menor patamar em mais de dois anos. (Reuters)


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

e

15 Os supermercados registraram crescimento de 3,7% nas vendas reais em setembro na comparação com igual mês do ano passado

conomia

Superotimismo com o fim do ano chega às gôndolas Andrei Bonamin/LUZ

Encomendas de produtos para serem vendidos nas festas cresceram 15,6%. Cerveja é o item com maior aumento, seguido por frutas nacionais da época e refrigerantes. O peru e tender tiveram altas menores.

Rafael Nardini

O

s empresários do setor supermercadista brasileiro estão otimistas com as vendas de Natal deste ano. De acordo com pesquisa divulgada ontem pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), as encomendas de produtos para serem vendidos nas festas de fim de ano cresceram 15,6%. Em igual período do ano passado, as projeções apontavam para um aumento de 12,5%. A cerveja é o item com maior aumento de encomenda feita pelos supermercados, com 16,8%. Outros produtos que registraram as maiores procuras neste ano foram as frutas nacionais da época (16,3%) e refrigerantes (16,1%). Peixes frescos e congelados, responsáveis por níveis de crescimento baixos no ano passado, agora aumentaram suas encomen-

das em 6,8% e 9,1%, respectivamente. Na contramão ficaram produtos alimentícios tradicionais para o período, como peru (4,5%) e tender (3,9%), registrando as mais tímidas altas entre os itens pesquisados. Segundo o presidente da Abras, Sussumu Honda, o avanço nas expectativas frente a 2010 é, em parte, reflexo das preocupações que surgiram durante a Páscoa deste ano. Por erro de cálculo, chegaram a faltar alguns produtos nas prateleiras dos supermercados. "Não adianta, o empresário querer encomendar mais cervejas às vésperas do Natal", disse. Para Honda, os empresários estão otimistas em superar a marca do ano passado, já que o País passa por um momento de estabilidade econômica e mostra perspectivas de manutenção da geração de empregos e renda, com estabilidade maior dos preços. "Quando há uma forte alta nos preços, o orça-

mento familiar é afetado. Como isso não vem ocorrendo neste ano, teremos uma situação melhor no Natal", disse. A entidade manteve sua projeção de alta de 4% para o crescimento real das vendas neste ano. Segundo o presidente da Abras, apurações preliminares de outubro foram consideradas positivas, puxadas pelas vendas no Dia da Criança. "É provável que a tendência de crescimento se estenda até o fim do ano. Mas mesmo se os dois últimos meses forem muito ruins, eles não afetariam o acumulado até aqui", disse. C re s ci m en t o – Os supermercados registraram crescimento de 3,7% nas vendas reais em setembro na comparação com igual mês do ano passado. Segundo a Abras, no entanto, em relação a agosto deste ano, o faturamento caiu 0,75%. Nos primeiros nove meses, as vendas tiveram alta de 4,21% em relação a 2010.

O valor da cesta AbrasMercado, formada por 35 produtos de largo consumo (alimentos e ítens de limpeza e beleza), apresentou alta de 1,36% no mês de setembro, quando comparada com agosto, chegando a R$ 306,42. Já na comparação com setembro do ano passado, o valor subiu 10,71%. Segundo a pesquisa, os produtos com maiores altas em setembro frente a agosto foram leite longa vida (4,9%), queijo prato (3,13%) e café torrado e moído (3,11%). Já as maiores quedas no período ficaram com tomate (7,47%), cebola (6,13%) e batata (2,5%). Entre janeiro e setembro deste ano, a cesta elaborada pela Abras e medida pela GfK teve deflação de 0,21%, enquanto o IPCA Alimentos avançou 4,98% na mesma comparação.

Inflação recua em cinco capitais Em São Paulo, o IPC-S também perdeu força e passou de 0,41% para 0,32% entre os dias 15 e 22.

CRECI - 082585

ram Porto Alegre (de 0,65% para 0,47%); Rio de Janeiro (de 0,35% para 0,27%); Salvador (de 0,49% para 0,41%) e Brasília (de 0,57% para 0,52%). Já as capitais em que os preços aceleraram em igual período foram Belo Horizonte (de 0,33% para 0,39%); e Recife (de 0,04% para 0,07%). O IPC-S de 22 de outubro registrou variação de 0,31%, 0,08 ponto percentual abaixo da taxa divulgada na última apuração. Produtos – Dos grupos de produtos e serviços analisados pela FGV, seis registraram decréscimo em suas taxas de variação: Transportes (de 0,33% pa-

VILMA IMOBILIÁRIA

ra 0,08%), Despesas Diversas (de 0,61% para 0,47%), Alimentação (de 0,01% para -0,14%), Vestuário (de 0,59% para 0,49%), Habitação (de 0,92% para 0,87%) e Saúde e Cuidados Pessoais (de 0,38% para 0,35%). São Paulo – Ospreçosdosegurofacultativo para veículo (3,56% para 0,21%), alimento para animais domésticos (5,35% para 3,88%), frutas (0,41% para 1,22%), calçados (1,03% para 0,42%), taxa de água e esgoto residencial (5,67% para 4,08%) e dentista (2% para 1,03%) foram os que mais contribuíram para queda da inflação na capital paulista. (Agências)

CONGRESSO INTERNACIONAL DE SECRETARIADO Aproxima-se o dia do Congresso Internacional de Secretariado, que o SINSESP - Sindicato das Secretárias e Secretários do Estado de São Paulo realizará em 28 e 29 de outubro - no Sheraton WTC Hotel, em São Paulo. Ele trará como tema central Your Ticket to the Future Pontencialização das Competências Secretariais. DC

A

inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) desacelerou em cinco das sete capitais pesquisadas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), de acordo com dados divulgados ontem pela entidade. Na passagem do indicador de até 15 de outubro para o índice de até 22 de outubro, a taxa de inflação na cidade de São Paulo, que representa quase 50% do total do IPCS, também perdeu força, de 0,41% para 0,32% no período. As outras cidades que apresentaram inflação mais fraca no período fo-

os de e inte Requ

20 an Conforto!

Serão abordadas também as diferenças de atuação do Secretariado e Assistentes/Assessores no Painel Internacional, como a presença de: Marina Higdon (EUA), Lee Chapman (África do Sul), Maria da Graça Gomes (Portugal) e Isabel Baptista (Brasil), com tradução simultânea.

Compra - Vende - Administra - Advocacia Fone: 11 2741-1014 Av. Líder, 1.535 - Cid. Líder CEP 08285-000 - São Paulo - SP

www.vilmaimobiliaria.com.br vilma.da@uol.com.br

Dentre os palestrantes, estão confirmadas as participações de Miriam Leitão e Sérgio Abranches (cientista político), falando sobre Economia e Sustentabilidade.

Visite nosso site e verifique nossas acomodações.

www.asturiasmotel.com.br

Fone: 11 3816-6689

asturias@asturiasmotel.com.br Avenida Nações Unidas, 7.715 - Pinheiros - São Paulo/SP

Queremos que você, que valoriza o futuro da nossa profissão, seja nosso convidado especial, nesse momento único, com a presença de personalidades secretariais de vários continentes. COINS - Congresso Internacional de Secretariado 28 e 29 de outubro de 2011 sexta-feira (a partir das 14h) e Sábado (o dia todo) Local: Sheraton São Paulo WTC Hotel Av. Nações Unidas, 12.559 - Brooklin Novo - São Paulo Inscrições e informações: www.coins.sinsesp.com.br/coins Telefone: (11) 3662-0241 Realização: Sindicato das(os) Secretárias(os) do Estado de São Paulo


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

O cenário de moderação da atividade industrial afeta as expectativas dos empresários para os próximos seis meses Sondagem CNI

conomia

Indústria 'restringe' seu ânimo Sondagem da CNI aponta que atividade no setor caiu em setembro para 48,6 pontos; otimismo de empresários é cada vez mais restrito. Jonne Roriz/AE

O

otimismo entre os e m p re s á r i o s i ndustriais é "cada vez mais restrito", avaliou ontem o economista da Confederação Nacional da Indústria (CNI) Marcelo Azevedo durante a apresentação da Sondagem Industrial que analisa a tendência e a opinião de empregadores de 27 setores. Há razões estruturais e conjunturais para o pessimismo dos empresários. Em termos conjunturais, preocupam as dificuldades de aceso ao crédito, os juros ainda elevados e o real muito valorizado. Apesar da queda verificada desde agosto na cotação do dólar, para a CNI, o câmbio continua muito apreciado. "Até agora, [a queda do real frente ao dólar] não teve efeito na curva de valorização [da moeda norte-americana] que vem desde 2004", disse Renato da Fonseca, gerente-executivo de Pesquisa da CNI. Entre os problemas estruturais, os empresários queixam-se da elevada carga tributária. Segundo a sondagem, o lamento contra a carga de impostos, taxas e contribuições é maior entre os pequenos empresários (66,7 pontos) do que entre os grandes (50,8 pontos). Mesmo com as reclamações,

Fábrica de motores WEG em Jaraguá do Sul: sondagem da CNI, que analisa a tendência e a opinião de 27 setores, aponta que entre os problemas estruturais, os empresários queixam-se da elevada carga tributária.

ainda são positivas as expectativas quanto à manutenção dos atuais empregos, do nível de exportação e da situação financeira das empresas Queda no setor – O indicador que mede o nível de atividade da indústria caiu em setembro para 48,6 pontos, se-

gundo Sondagem Industrial divulgada ontem pela CNI. Em agosto, esse indicador atingiu 54,9 pontos, registrando alta de 53 pontos em relação a julho. Segundo a Sondagem, "o cenário de moderação da atividade industrial afeta as ex-

pectativas dos empresários para os próximos seis meses". Os dados mostram que a expectativa de demanda, que permaneceu acima de 50 pontos após a crise, "mostra uma tendência de queda." Pela metodologia da pesquisa, esse indicador varia no

intervalo de 0 a 100, sendo que valores acima de 50 indicam expectativa positiva. O uso da capacidade instalada (UCI) na indústria permaneceu estável em setembro, em 76%, mesmo nível apurado em agosto, segundo a Sondagem Industrial. (Agências)

Wilson Pedrosa/AE

Os desembolsos da agência de fomento Nossa Caixa Desenvolvimento, citados na reportagem "Microcrédito mais rápido em conta-corrente" (DC de 25/10/2011), entre janeiro e setembro de 2011 e 2010, se referem ao montante destinado apenas ao comércio. Em valores totais, a agência desembolsou, nos respectivos períodos, R$ 149,6 milhões e R$ 144,7 milhões.

Desoneração de tributos não aumenta vendas

U

m dos indicadores de que está havendo redução da produção industrial é o excesso de estoque de bens produzidos e ainda não vendidos no mercado, segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI). Conforme a Sondagem Industrial divulgada ontem, 19 dos 27 setores acompanhados apresentam nível de estoque maior do que o planejado. Entre os oito setores com maior excesso de estoque, conforme os empresários entrevistados durante a pesquisa, estão a indústria têxtil (2º lugar), a indústria de veículos automotores (3º lugar), a indústria de calçados (6º lugar) e a indústria moveleira (8º lugar). Os quatro setores foram beneficiados com desoneração de tributos pelo pacote de medidas do Plano Brasil Maior, lançado pela presidente Dilma Rousseff no começo de agosto. A iniciativa, no entanto, ainda não encontrou ressonância nas expectativas dos empresários, como mostra a Sondagem Industrial. "O Brasil Maior ainda não deslanchou",

avalia o gerente-executivo de Pesquisa da CNI, Renato da Fonseca. Para ele, a recente desvalorização do real e a diminuição dos juros também não surtiram efeito nas projeções da indústria. Segundo ele, a expectativa dos empresários é influenciada pelo aumento de concorrência nos mercados doméstico e internacional. "A demanda dos países desenvolvidos já está baixa e os países emergentes [como o Brasil] estão brigando". Além disso, há o temor que a crise econômica internacional se agrave, os mercados estrangeiros restrinjam as compras, os preços caiam e aumente a pressão por importação no Brasil. Na opinião dos empresários entrevistados de 1.731 companhias, os principais problemas enfrentados pela indústria brasileira no terceiro trimestre deste ano foram a elevada carga tributária, a competição acirrada no mercado, a taxa de juros elevada, a falta de trabalhador qualificado, a falta de demanda e o alto custo da matéria-prima. (ABr)

Mantega com representantes da Anfavea: exigências serão aumentadas.

Para Mantega, alta de IPI 'surte efeito'. O

ministro da Fazenda, Guido Mantega, classificou como uma medida de "sucesso" a elevação do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) sobre os veículos importados. Para Mantega, o anúncio de novos investimentos de empresas no Brasil é a prova "cabal" de que a medida está surtindo efeito. Mantega relatou que dados da Anfavea apontam investimentos de US$ 21 bilhões entre 2011 e 2014. "Está surtindo efeito, pois estamos vendo várias fábricas anunciarem novos investimentos", disse. Outro lado – O aumento de 30 pontos percentuais do IPI para veículos importados não foi suficiente para melhorar as perspectivas do setor automoti-

vo sobre as vendas nos próximos seis meses. A avaliação é do gerente-executivo de pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Renato da Fonseca, com base na sondagem industrial divulgada ontem. Nacionalização – O governo vai aumentar a exigência de índices de nacionalização dos automóveis fabricados no País, a partir de 2013, para além dos 65% hoje exigidos das montadoras que querem escapar do aumento de IPI. "Vamos aumentar as exigências, e não diminuí-las", afirmou Mantega ontem, após reunir-se com representantes da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). (Agências)

PRIMÍCIAS MODAS Moda Feminina e Acessórios

O mais novo conceito em Moda! 11 2791-3045 Rua Itinguçu, 671 - Vila Granada

DC

E R R ATA

Excesso de estoque atinge oito setores

A MAIS AVANÇADA TECNOLOGIA EM USINAGEM À SUA DISPOSIÇÃO

www.magsulparts.com.br

2010 7566 8718 8740

Av. Sapopemba, 15.126 - Săo Paulo - SP


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

e

17 O resultado é muito sensível à evolução do dólar, as pessoas ficam mais cautelosas. Túlio Maciel, chefe do Departamento Econômico do BC

conomia

País tem déficit de US$ 36 bilhões A conta-corrente negativa do Brasil no ano já representa 1,99% do Produto Interno Bruto. Segundo o Banco Central, em setembro o rombo foi de US$ 2,2 bilhões.

O

Brasil teve, no mês de setembro, déficit em conta-corrente de US$ 2,2 bilhões, de acordo com dados divulgados ontem pelo Banco Central (BC). O valor ficou dentro das estimativas dos analistas, que iam de déficit de US$ 1,9 bilhão a US$ 3,8 bilhões, com mediana negativa de US$ 2,95 bilhões. No resultado de setembro, a balança comercial registrou superávit de US$ 3,074 bilhões, enquanto a conta de serviços apresentou um déficit de US$ 3,081 bilhões e a de rendas, déficit de US$ 2,417 bilhões. As transferências unilaterais somaram um saldo líquido de US$ 225 milhões. Com o resultado de setembro, o déficit em conta-corrente no ano soma US$ 35,983 bilhões, o equivalente a 1,99% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro. Já no período de janeiro a setembro, a balança teve superávit comercial de US$ 23,034 bilhões; a conta de serviços registrou déficit de US$ 27,838 bilhões e a de renda, déficit de US$ 33,375 bilhões. As transferências unilaterais tiveram saldo positivo de US$ 2,195 bilhões. Em 12 meses, o déficit em conta-corrente soma US$ 47,988 bilhões, o equivalente a 2,05% do PIB. Em relação ao Investimento Estrangeiro Direto (IED), o Brasil alcançou US$ 6,326 bilhões também no mês de setembro, segundo o BC. O valor ficou acima do teto das expectativas de analistas, que variavam de US$ 4,5 bilhões a US$ 6 bilhões. O montante de IED registrado no mês passado foi também

Daniel Marenco/Folhapress

Gastos de turistas desaceleram

A

Viagens internacionais: oscilações no câmbio diminuíram o ritmo de crescimento das despesas dos turistas brasileiros pelo mundo.

superior ao observado em setembro de 2010, quando somou US$ 5,404 bilhões. Produtivos – Já no acumulado de janeiro a setembro de 2011, o ingresso de investimentos produtivos é de US$ 50,451 bilhões, o equivalente a 2,79% do PIB e superior ao registrado nos nove p r i m e i ro s m e s e s d e 2 0 1 0 , quando somou US$ 22,557 bilhões, o maior desde 1947. Nos 12 meses encerrados em setembro, o IED acumula entrada de US$ 76,332 bilhões, o

correspondente a 3,26% do PIB. Em relação ao tamanho da economia, o investimento produtivo cobre com folga o déficit em transações correntes, que soma o equivalente a 2,05% do PIB no período. Remessa – A remessa de lucros e dividendos feita por multinacionais instaladas no Brasil somou US$ 1,961 bilhão em setembro. O valor é superior ao registrado em igual mês do ano passado, quando essas transferências alcançaram US$ 1,628 bilhão. No acumula-

Antônio Cruz/ABr

Governo atribui queda do déficit da Previdência Social ao crescimento econômico e à criação de empregos

Previdência Social reduz rombo em 17,9%, com relação a 2010.

O

ministro da Previdência Social, Garibaldi Alves, avaliou ontem que a redução do déficit da Previdência Social neste ano se deve ao crescimento econômico e à geração de novos empregos formais no Brasil. Mas outro dado é relevante: em 2010, a Previdência teve 60,2 milhões de contribuintes e apenas 26,1 milhões de beneficiários. No acumulado do ano (de janeiro a setembro), o déficit da Previdência totaliza R$ 35,349 bilhões, queda de 17,9% ante igual período de 2010, quando somou R$ 43,066 bilhões. O déficit das contas registrado no acumulado de janeiro a setembro é o menor valor para o período desde 2005, quando o resultado negativo foi de R$ 33,5 bilhões. A Previdência Social registrou em setembro um

35,3 bilhões de reais é o déficit acumulado em conta-corrente da Previdência Social nos nove primeiros meses deste ano, segundo ministro.

déficit de R$ 9,35 bilhões, o que representa uma queda – corrigida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) – de 5,2% em relação a setembro do ano passado, quando o déficit foi de R$ 9,862 bilhões. Em agosto deste ano, o déficit havia sido de R$ 3,943

bilhões. Por isso, o resultado de setembro é 137,1% maior que o do mês anterior. Reflexo – Garibaldi disse que não espera que a desaceleração do ritmo de crescimento econômico afete os dados da Previdência ainda em 2011. "Temos segurança que a desaceleração da economia não afetará a Previdência neste ano. No próximo, pode ter algum reflexo", afirmou Garibaldi. Segundo ele, pode haver um crescimento menor da arrecadação em 2012. O ministro, no entanto, acredita que o déficit continuará em trajetória de queda. "Há uma previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) de 3,5% a 4% em 2012. É possível que não tenhamos resultado negativo em relação a este ano", disse o ministro. (AE)

do de janeiro a setembro de 2011, filiais de multinacionais já enviaram US$ 27,660 bilhões, bem acima dos US$ 20,908 bilhões enviados em igual período de 2010. Dívida externa – O BC informou que o pagamento de juros da dívida externa alcançou US$ 517 milhões em setembro, ante US$ 409 milhões em setembro de 2010. De janeiro a setembro de 2011, a despesa com juros alcança US$ 6,151 bilhões, menor que o gasto de US$ 7,596 bilhões nos nove pri-

meiros meses do ano passado. O déficit em conta-corrente de US$ 2,2 bilhões do País em setembro foi provocado principalmente por dois fatores: o câmbio mais fraco, em meados do mês passado, e o cenário externo adverso, na opinião do economista-sênior do Besi Brasil, Flávio Serrano. "É óbvio que o aumento do câmbio produziria uma remessa de lucros e dividendos um pouco menor, da ordem de 10% do que foi a depreciação do câmbio médio no período", disse. (AE)

s despesas dos turistas brasileiros no exterior estavam crescendo, desde o início deste ano, a um ritmo de 40% em relação a igual período de 2010. Mas isso mudou em setembro último. Segundo o chefe do Depar tamento Econômico do Banco Central (BC), Túlio Maciel, o aumento dos gastos desacelerou. Ele informou que o índice baixou para 12%, em relação a igual período do ano passado. "Claramente, foi o comportamento do câmbio que influenciou o resultado", disse Maciel. "Esse resultado é muito sensível à evolução do dólar, as pessoas ficaram mais cautelosas", afirmou, referindo-se às fortes oscilações de setembro. Transações – Maciel avaliou que o déficit em transações correntes do País registrado em setembro segue refletindo a "continuidade do crescimento da economia, como a demanda de brasileiros por bens e serviços no exterior". (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

e Investimento em habitação sobe 785% Não existe nenhum estudo em andamento na Petrobras para elevar os preços da gasolina Paulo Roberto Costa, diretor de Abastecimento da Petrobras.

conomia

Os recursos aplicados no setor popular de moradias do País passaram de R$ 7 bilhões para R$ 62 bilhões de 2002 para 2009, segundo o Ipea. Valter Campanato/ABr

O

Casas no interior de São Paulo: estudo mostra concentração de projetos em produtos voltados para quem ganha até três salários-mínimos.

fim do Banco Nacional de Habitação, banco público voltado ao financiamento e à produção imobiliária, criado no ano de 1964 e extinto em 1986. No início do governo Lula, em 2003, destaca o Ipea, há a definição de um novo período da política para a habitação. Social – No momento, a política habitacional tem sua diretriz dada pelo Ministério das Cidades e o Conselho Nacional das Cidades e há a definição da elaboração de uma Política Nacional de Desenvolvimento Urbano, de maneira federativa e com participação e controle social, diz o documento. "Destaque aqui para o programa Minha Casa, Minha Vida, bandeira encampada por Lula no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e cuja sucessora, a presidente Dilma Rousseff dá prosseguimento no PAC 2." As 11 principais regiões metropolitanas concentram 80% das favelas, 33% de déficit habitacional e cerca de 60% do Produto Interno Bruto (PIB), segundo o Ipea. (Folhapress)

s investimentos habitacionais no Brasil cresceram 785% de 2002 até 2009, passando de de R$ 7 bilhões para R$ 62 bilhões, segundo análise do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgada ontem. O comunicado do órgão, intitulado "O planejamento da habitação de interesse social no Brasil: desafios e perspectivas", não traz dados novos, mas avalia os gastos voltados às moradias de baixo custo entre 2002 até 2009. O Sistema Brasileiro de Poupança e Empréstimo (SBPE) aplicava R$ 1,7 bilhão em 2002, enquanto em 2009 atingiu cerca de R$ 33 bilhões. A faixa de renda entre zero e três salários-mínimos (SMs), na qual se concentra o déficit habitacional, recebia 32% dos investimentos em 2002, chegou a 77% em 2007 e se estabilizou em 64% em 2008 e 2009. Segundo a análise, o desenvolvimento habitacional ocorria de maneira errática e com poucos investimentos após o Marcos de Paula/AE

Petrobras fará mais gasolina

O

diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, previu que, em 2012, a petroleira aumentará ainda mais a sua produção de gasolina. Isso porque, segundo ele, serão realizadas menos paradas nos trabalhos das refinarias do que ocorreu este ano. O anúncio foi

feito durante a 11ª Conferência Hart Energy, no Rio de Janeiro. O executivo anunciou estimativas para a produção de óleo e gás. Para este ano, Costa informou que a produção de óleo e gás da companhia deve atingir 2,7 milhões de barris por dia. Também afirmou que a expectativa é chegar em 2015

com aproximadamente 3,9 milhões de barris diários. Em 2020, serão 6,4 milhões de barris por dia, o que, de acordo com Costa, tornará o Brasil um dos três maiores produtores mundiais, junto com a Rússia e a Arábia Saudita. Costa negou ontem que a companhia esteja pedindo que o governo brasileiro autorize um aumento dos preços domésticos da gasolina. "Não existe nenhum estudo em andamento na Petrobras para elevar os preços da gasolina", afirmou o executivo, durante conferência no Rio de Janeiro. Ele também negou relatos da imprensa de que a companhia pediu ao

Imobiliária Roda Viva Creci 19.406-J

anos de 30 Mais cado r e m no

Sem burocracia. Cuidamos de tudo para você.

2685 8213 Rua Itinguçu nº 175 - Vila Granada - SP www.rodavivaimoveis.com.br

Freguesia do Ó

saopaulo.freguesia@bitcompany.com.br

3977 2699 www.bitcompany.com.br Av. Itaberaba nº 1.340 - Freguesia do Ó - SP

Direção afirma que em 2012 haverá menos interrupções na produção

Etanol deve ter incentivos

Tranquilidade na hora de escolher seu imóvel. O conforto que você merece.

governo para reduzir um imposto sobre as vendas de combustível para compensar aumento de preço, o que evitaria qualquer impacto sobre os consumidores na bomba. "Nós não estamos solicitando nada", afirmou Costa. Analistas e investidores criticaram a estratégia da companhia de não repassar a alta dos preços internacionais do petróleo aos consumidores. A política reduz os lucros e margens de refino, dizem analistas. A Petrobras importará uma média de 32 mil barris por dia de gasolina em 2011 para atender à demanda. O volume é mais do que o triplo dos 9 mil barris importados por dia em 2010. (AE)

O

ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse que o Ministério da Fazenda está fazendo a "ultima avaliação" para a liberação da Medida Provisória com os incentivos que serão dados pelo governo para aumento da produção e estocagem de etanol, possivelmente, nesta semana. O objetivo do governo com a medida é fazer um estoque regulador de etanol para segurar o preço do combustível, principalmente durante a entressafra nos canaviais, quando o valor do álcool

sobe nos postos e chega, inclusive, a causar impacto no preço da gasolina. "A MP já era para ter saído. Eu suponho que nesta semana a Fazenda possa dar o seu aval final", declarou Lobão, que se referia à medida provisória que criará linhas de financiamento para o setor, com taxa de juros abaixo das praticadas no mercado. Essas linhas de crédito devem ser oferecidas pelo Banco do Brasil e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Lobão não quis falar sobre o volume de recursos que o

governo vai liberar para regular os estoques de etanol. Mas assegurou que "não faltarão recursos oficiais para estocagem". Inflação – O governo espera que, com esses financiamentos, o setor amplie a produção e crie uma infraestrutura suficiente para a estocagem de etanol de pelo menos três meses. O ministro lembrou que algumas posições já foram tomadas para segurar o preço do álcool e evitar pressão na inflação. Medidas como os empréstimos do BNDES para a renovação de canaviais.

Houve também redução de 25% para 20% na mistura do etanol na gasolina. Questionado sobre se a Petrobras estava insistindo junto ao governo na redução da alíquota da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), para evitar o aumento do preço da gasolina, o ministro disse: "A Petrobras está pedindo hoje, pedirá amanhã, pediu ontem e pede todos os dias". Depois, ele acrescentou: "Tem de ter uma solução. Afinal, coitada, também ela (Petrobras) não aumenta seus preços há nove anos." (AE)

www.dimibu.com.br Fone: 11 2651 6719

Desde 1968, fornecendo tubos especiais.

Rua Bento Quirino, 151 - Vila Talarico - São Paulo - SP

Fian House Melhor que Fiador comum. Mais barato que Seguro. Mais seguro que Depósito. Imobiliárias e Corretores: Tel./Fax: 11 2682-7929 cadastrem-se! contato@fianhouse.com.br www.fianhouse.com.br

Fabricação de Bobinas Plásticas e Sacos Plásticos www.climapla.com.br Fone: 11 2524 8181 | Fax: 11 2535 0077 Rua Itapitanga, 77 - Itaquera - São Paulo/SP

FLÓRIDA

REAL Negócios Imobiliários COMPRA - VENDA - ADMINISTRAÇÃO CRECI 22.425

IMÓVEIS

2 0

a n o s

fazendo bons negócios. Especializada em Galpões e Grandes Áreas

“O Cliente em 1º Lugar” Av. Esperantina, 1065 C.A.E. Carvalho - Cep: 03692-000 São Paulo - SP

Praça Isai Leiner, 18 Jardim Bonfiglioli - São Paulo - SP CRECI Nº 6083-J

Fone/Fax: 11 2714-8500 www.floridaimoveis.com.br floridaimoveis@ig.com.br

www.realnegocios.com 2280-5100 | 2280-2331

imoveis.real@hotmail.com


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

e

ECONOMIA/LEGAIS - 19 Equivalência é obter o mesmo resultado, utilizando ferramentas diferentes. Francisco Jardim, ministro da Agricultura

conomia

Embargo russo com dias contados Ministério da Agricultura informou que o Brasil enviará técnicos ao país para liberar acesso de carnes

O

secretário de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Francisco Jardim, informou ontem que em novembro um grupo de especialistas irá à Rússia para discutir a reversão do embargo a mais de 85 unidades industriais brasileiras de carnes e a equivalência dos sistemas de sanidade animal. "Já temos técnicos laboratoriais lá e, agora, outro grupo vai para discutir a grande questão com a Rússia, que é a de equivalência do sistema", disse Jardim, após participar da cerimônia de abertura do 22º Congresso Brasileiro de Avicultura, organizado pela União Brasileira de Avicultura (Ubabef). Segundo ele, dentro do sistema de sanidade animal da União Aduaneira, na qual está inserida a Rússia, o Brasil já executa alguns itens, mas de forma diferente. "Equivalência é obter o mesmo resultado,

Dilma desiste de aumentar ainda mais a carga tributária

O

Palácio do Planalto recuou ontem e mandou retirar da versão final da Medida Provisória 540, que institui a política industrial do governo Dilma Rousseff, as cinco emendas da Receita Federal que aumentariam a carga tributária de empresas e investidores. No relatório final sobre a MP, o deputado Renato Molling (PP-RS) ampliou de quatro para seis, os setores que serão beneficiados com a desoneração da folha de pagamento. Passarão a participar da experiênciapiloto os setores de couro e transporte de passageiros. Além disso, a troca da contribuição patronal sobre a folha de salário por uma alíquota de 1,5% sobre o faturamento será estendida até 2014 e não 2012. As negociações foram encerradas ontem à tarde, na segunda reunião de Molling com representantes da Casa Civil e dos ministérios da Fazenda, Desenvolvimento e Ciência e Tecnologia. Alíquota – Um dos principais pontos de discussão foi a alíquota sobre o faturamento das empresas, que substitui a contribuição patronal sobre a folha de pagamento. Molling queria reduzir de 1,5% para 1% a alíquota desse tributo, mas foi convencido pelo governo a manter o valor original para os setores têxtil, calçados, móveis e os novos segmentos de transporte de passageiros e couro. No caso específico do setor de tecnologia da informação e software, a alíquota será de 2,5%, conforme texto original da MP. Os setores beneficiados reclamam que a alíquota de 1,5% pode resultar em maior volume de impostos. Isso porque a desoneração da folha de pagamento beneficia setores intensivos em uso de mão de obra, com grande número de empregados. Mas a competição com importados já levou a mudanças na linha de produção de móveis, calçados e confecções. Com menos empregados, o setor acabaria pagando mais tributo com a alíquota sobre o faturamento. O relator também não conseguiu convencer o governo a elevar os valores do chamado Reintegra, um crédito que exportadores teriam direito para compensar tributos pagos ao longo da cadeia. (AE)

Edzon Silva/Folhapress

vado tem que cuidar mais fortemente da sua relação com fornecedores para que não haja mais violações. Da parte do Ministério, estamos centralizando todas as informações sobre o caso, com a criação de uma sala de situação para que não haja perda de informações no processo", informou. Já o vice-presidente da República, Michel Temer, disse, em rápida País mantém veto à entrada de itens produzidos por 85 unidades industriais conversa com jornalistas após sua participautilizando ferramentas dife- temente para apoiar as nego- ção na abertura do evento, ter rentes. É isso que queremos ciações e fazer mais pressão jantado com o ministro da acelerar nessa visita", expli- para a suspensão do bloqueio. Agricultura, Mendes Ribeiro cou. O secretário não quis pre"Tudo o que foi acordado Filho para tratar do tema. Ele ver quando o embargo seria re- com eles foi feito. Já responde- informou que as providências vertido, mas reiterou que a ex- mos tudo o que a Rússia pe- para reverter o embargo russo pectativa é de que seja "rapida- diu", ressaltou Jardim. Ele ad- estão sendo tomadas. "Há ramente". Ele admitiu que um mitiu que houve algumas vio- zões de natureza sanitárias, grupo de empresários brasilei- lações sanitárias do setor de mas elas já estão sendo solucioros esteve naquele país recen- carnes no Brasil. "O setor pri- nadas", declarou. (AE)

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEREIRA BARRETO/SP Processo n°5107/2011 - Tomada de Preço nº 006/2011 RE-RATIFICAÇÃO DE EDITAL Objeto: Contratação de empresa de engenharia para execução da Obra de Construção de Creche denominada Proinfância – Tipo B, incluindo material e mão de obra, a presente alteração ao edital do processo supra epigrafado conforme segue: 1 - Onde se lê: 5.2.3.2 – comprovação de capacitação técnico-profissional, mediante a comprovação do licitante de possuir em seu quadro permanente, na data prevista para entrega da proposta, profissional de nível superior ou outro devidamente reconhecido pela entidade competente, detentor de atestado de responsabilidade técnica por execução de Instalações elétricas e eletrônicas, (instalações de para-raios, quadro de força e moto bomba) e instalação mecânicas de utilidades (sistema de ar-condicionado central e gás combustível) (parcelas de maior relevância), que deverá participar da obra, admitindo-se a substituição por profissionais de experiência equivalente ou superior, desde que aprovada pela Administração. 2 - Leia-se: 5.2.3.2 – comprovação de capacitação técnico-profissional, mediante a comprovação do licitante de possuir em seu quadro permanente, na data prevista para entrega da proposta, profissional de nível superior ou outro devidamente reconhecido pela entidade competente, detentor de atestado de responsabilidade técnica por execução de Instalações elétricas e eletrônicas, (instalações de para-raios, quadro de força e moto bomba) e instalação mecânicas de utilidades (sistema de ar-condicionado central e gás combustível) (parcelas de maior relevância), devidamente registrado no Conselho Regional de engenharia, Arquitetura e Agronomia (CREA), que deverá participar da obra, admitindose a substituição por profissionais de experiência equivalente ou superior, desde que aprovada pela Administração. Estância Turística de Pereira Barreto, 25 de Outubro de 2011. Arnaldo Shigueyuki Enomoto - Prefeito

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: TOMADAS DE PREÇOS A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para execução de Obras: TOMADA DE PREÇOS Nº - PRÉDIO - LOCALIZAÇÃO - PRAZO - ÁREA (se houver) - PATRIMÔNIO LÍQUIDO MÍNIMO P/ PARTICIPAR - GARANTIA DE PARTICIPAÇÃO - ABERTURA DA LICITAÇÃO (HORA E DIA) 69/00623/11/02 - Construção de Cobertura de Quadra em Estrutura Mista e Reforma de Prédio Escolar - EE Pedro de Toledo - Av. Rio do Peixe, 400 - Cep: 13950-000 - Jd. Estância Lindóia - Lindóia/SP - 150 - R$ 35.626,00 - R$ 3.562,00 - 10:00 - 16/11/2011. 70/00488/11/02 - Reforma de Prédio Escolar e Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador - EE Prof. Izac Silverio - Rua Bitencourt da Silva, 218 - Cep: 02356-070 - Vila Albertina - São Paulo/SP - 210 - 15,80 - R$ 111.894,00 - R$ 11.189,00 - 10:30 - 16/11/2011. 70/00500/11/02 - Reforma de Prédio Escolar e Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador - EE João Vieira de Almeida - Av Guilherme Cotching, 1.272 - Cep: 02113-012 - Vila Maria - São Paulo/SP - 210 - R$ 102.479,00 - R$ 10.247,00 - 11:00 - 16/11/2011. 70/00569/11/02 - Construção de Cobertura de Quadra em Estrutura Mista e Reforma de Prédio Escolar - EE Alcides da Costa Vidigal - Rua Geremia Lunardelli, 145 - Cep: 05537-100 - Jd. Peri Peri - São Paulo/SP - 150 - R$ 40.835,00 - R$ 4.083,00 - 11:30 - 16/11/2011. 70/00570/11/02 - Construção de Cobertura de Quadra em Estrutura Mista e Reforma de Prédio Escolar - EE Prof. Adolfino Arruda Castanho - Rua Profª Ana Maria L. da Silva, 252 - Cep: 05361-010 - Rio Pequeno - São Paulo/SP 150 - R$ 39.314,00- R$ 3.931,00 - 14:00 - 16/11/2011. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital e o respectivo Caderno de Encargos e Composição do BDI na SEDE DA FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP ou através da Internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Os interessados poderão adquirir o Edital completo através de CD-ROM a partir de 26/10/2011, na SEDE DA FDE, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, mediante pagamento não reembolsável de R$ 40,00 (quarenta reais). Todas as propostas deverão estar acompanhadas de garantia de participação, a ser apresentada à Supervisão de Licitações da FDE, conforme valor indicado acima. Os invólucros contendo a PROPOSTA COMERCIAL e os DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO deverão ser entregues, juntamente com a Solicitação de Participação, a Declaração de Pleno Atendimento aos Requisitos de Habilitação e a garantia de participação, no Setor de Protocolo da Supervisão de Licitações - SLI, na SEDE DA FDE, até 30 minutos antes da abertura da licitação. Esta Licitação será processada em conformidade com a LEI FEDERAL nº 8.666/93 e suas alterações, e com o disposto nas CONDIÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES DA FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE. As propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEREIRA BARRETO/SP Concorrência Pública nº 003/2011 - Processo nº 5120/2011 RESUMO DO EDITAL Acha-se aberta, na Prefeitura de Pereira Barreto, até às 14h, do dia 30 de novembro de 2011, Processo Licitatório na modalidade Concorrência Pública 003/2011, objetivando a seleção de proposta mais vantajosa para a operacionalização pelo prazo de 10 anos, sob o regime jurídico de concessão, dos serviços de transporte coletivo de passageiros no âmbito do município da Estância Turística de Pereira Barreto, especificamente na rota urbana. Maiores informações e o edital completo e seus anexos poderão ser obtidos pelo telefone (18) 3704-8505 e pelo e-mail: licitacao@pereirabarreto.sp.gov.br, ou ainda, o Edital, no site www.pereirabarreto.sp.gov.br. Pereira Barreto, 21 de outubro de 2011. Arnaldo Shigueyuki Enomoto - Prefeito Municipal

ASSOCIAÇÃO SAÚDE DA FAMÍLIA – ASF SELEÇÃO DE FORNECEDORES A ASSOCIAÇÃO SAÚDE DA FAMÍLIA – ASF comunica às empresas interessadas que se acha aberta a Seleção de Fornecedores modalidade Coleta de Preços nº 002/2011 para CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA PRESTAR SERVIÇOS DE GUARDA E VIGILÂNCIA NÃO ARMADA A SEREM EXECUTADOS NO CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL – CAPS III ALCOOL E DROGAS SÉ E CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL – CAPS INFANTIL SÉ e UNIDADE ADMINISTRATIVA DA ASSOCIAÇÃO SAÚDE DA FAMÍLIA. Informações e Edital: Associação Saúde da Família, (11) 3154-7050, site: www.saudedafamilia.org, endereço eletrônico: nmarussi@saudedafamilia.org. Sessão Pública: 04/11/ 2011, às 10h00. Local da sessão: Associação Saúde da Família, Praça Marechal Cordeiro de Faria, 65 – Higienópolis – São Paulo.

A CETENCO ENGENHARIA S.A. torna público que requereu na CETESB a Renovação de Licença de Operação para a Usina de Asfalto sito a Rodovia CMTE João Ribeiro de Barros, Km 402+600, Municipio de Gália-SP.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 25 de outubro de 2011, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Pedreira Anhanguera S/A Empresa de Mineração. Requerido: Ecos Engenharia e Construções Obras e Serviços Ltda. Rua Padre Serafim Leite, 175 – Jardim Belém - 1ª Vara de Falências. ============== Recuperação Judicial ================== Requerente: Trends Engenharia e Infraestrutura Ltda. Requerente: GTT Serviços e Participações Ltda. Requerido: Trends Engenharia e Infraestrutura Ltda. Rua Brigadeiro Galvão, 288 – Barra Funda. Requerido: GTT Serviços Engenharia e Infraestrutura Ltda. Rua Brigadeiro Galvão, 288 – Barra Funda - 1ª Vara de Falências.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Se exportássemos eletrodomésticos ou autopeças, minha conversa seria outra. Os primeiros cortes no consumo ocorrem com esses produtos. Evaldo Alves, da FGV

conomia

Jason Lee/Reuters

Brasil não precisa temer a China Relação comercial entre os dois países garante superávit brasileiro de US$ 9,44 bilhões Rafael Nardini

O

ministro da Fazenda, Guido Mantega, se mostrou preocupado com uma possível desaceleração na economia chinesa antes mesmo que ela fosse confirmada pelos números. Apesar da crise com epicentro na Europa, é a diminuição no comércio com a segunda maior economia do mundo que pode, segundo Mantega, diminuir o dinamismo da riqueza brasileira. Na semana passada, os dados confirmaram a previsão do ministro brasileiro: o Produto Interno Bruto (PIB) da China registrou alta de 9,1% no terceiro trimestre, queda de 0,4 ponto percentual ante os três meses anteriores. Levantamentos já apontavam queda de 12,4% nas exportações do país ante o ano passado. Na avaliação de especialistas, o sinal vermelho, cor predominante na bandeira do país governado pelo partido comunista, ainda não foi aceso. Mas um sinal amarelo, de atenção, não pode ser desprezado.

"Concordo com o ministro. A economia chinesa vem desacelerando. O yuan tem se desvalorizado, há maior exigência para os depósitos compulsórios e redução do credito ao consumidor. Já se fala que a China crescerá 8% neste ano. Devemos lembrar que o volume de produtos que vendemos para eles não é desprezível", diz Celso Grisi, professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP). Outro fator a ser colocado na balança é a alta dos preços no país asiático. Em setembro, a inflação chinesa chegou a 6,1%, retração de 0,4 ponto percentual ante o mês anterior, mas indesejável para os planos do governo chinês. "Não interessa ter crescimento alto com inflação. E falamos de um país com pressões sociais enormes, que podem gerar a ingovernabilidade. A intenção deles é manter o sistema sólido, o que não ocorre agora. Eles estão administrando metas fiscais e monetárias", afirma Grisi. Ironicamente, a pauta de exportações brasileira, tão criti-

Pequim: quase três terços das vendas brasileiras para a China vêm do ferro e da soja. Juntos, eles representam 71,9% das exportações.

cada por ser baseada em commodities, deve aliviar nossa situação no comércio exterior com o gigante asiático. É o que pensa Evaldo Alves, coordenador do curso de negócios internacionais e comércio da

Fundação Getúlio Vargas de São Paulo (FGV-SP). "Se exportássemos eletrodomésticos ou autopeças, minha conversa seria outra. Os primeiros cortes no consumo ocorrem com esses produtos".

Minério – Quase três terços das vendas brasileiras para a China vêm do minério de ferro e da soja. Juntos, os dois produtos representam 71,9% das nossas exportações. Segundo dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, entre janeiro e setembro deste ano, o saldo da balança comercial entre os dois países foi positivo para o Brasil, com superávit de US$ 9,44 bilhões. Se a necessidade de comprar alimentos deve manter parte das nossas exportações estáveis, os chineses, por outro lado, têm se preparado para depender menos do nosso minério de ferro. "Em breve, eles podem não precisar mais do minério brasileiro. A China comprou minas no Brasil e na África", diz Grisi. Menores ainda são as

chances de vender aço. "A primeira siderúrgica que eles fizeram foi maior que toda a produção brasileira", completa. Para o professor, uma saída para o Brasil é começar a avaliar a Índia e aprofundar sua relação comercial com os países africanos. Se o pé no freio na economia chinesa não é motivo de alarmismo imediato, o fato de o país asiático ser o maior destino das exportações faz com que o Brasil o trate com atenção. Segundo Evaldo Alves, professor da FGV, o País não pode "bater de frente" em negociações sobre produtos e evitar o máximo possível pedidos de intermediação na Organização Mundial do Comércio (OMC), como foi feito nos casos dos brinquedos chineses. "Temos de negociar. Já fizemos isso no setor de calçados."

veres, coletes, bermudas, jutas e outras fibras têxteis. Raul Souza Sulbacher, cônsul geral de Bangladesh em São Paulo, lembrou que o Brasil produz pouca juta e que já existem negociações para reduzir as barreiras de importação do produto. Para Docal, estas cifras indi-

cam que há um enorme espaço que os exportadores brasileiros podem explorar. Faruque Hassan, vice-presidente da Associação de Fabricantes e Exportadores de Vestuário de Bangladesh lembrou que seu país é o segundo exportador mundial de vestuário, depois da China.

Bangladesh quer vender juta País quer estreitar relação comercial com o Brasil e reduzir barreiras de importação do produto Paula Cunha

Newton Santos/Hype

A

pesar da distância e das diferenças culturais e econômicas entre Brasil e Bangladesh, os dois países podem ser beneficiados pelo crescimento nas trocas comerciais no curto prazo. A nação asiática deseja aumentar suas importações de maquinários brasileiros e elevar o volume das exportações especialmente de produtos têxteis, os principais itens oferecidos a outros países. Atualmente, Bangladesh vende 60% de sua produção têxtil para a Europa, 31% para os Estados Unidos e o Canadá e, agora, pretende explorar novos mercados como a América Latina, especialmente o Brasil que dispõe de um crescente mercado consumidor, estimulado pelas classes C e D. Uma missão comercial do país asiático visitou ontem a sede da Associação Comercial

Fator Contábil Trabalhando por você

Comitiva de empresários de Bangladesh se reuniu, ontem, com representantes da ACSP. Na pauta, a ampliação das relações bilaterais e a redução das barreiras.

de São Paulo (ACSP). Para Sidney Docal, gerente-executivo da SP Chamber of Commerce, que faz parte da ACSP, o encontro é importante para que os dois países conheçam as suas necessidades, possam oferecer produtos e serviços específicos e, com isso, aumenwww.fatorcontabil.com.br fatorcontabil@fatorcontabil.com.br

Com a experiência de nossos profissionais e recursos técnicos de qualidade, atendemos as necessidades de sua empresa oferecendo praticidade e soluções No mercado eficazes. há mais de Rua São Brás, 52 - Conj. 01 - Tatuapé São Paulo - SP CEP 03406-020

15 anos.

Fone: 2091-2690/2092-5415/2091-0988 | Fax: 2537-9106

tem suas trocas comerciais. Em 2010, o Brasil exportou US$ 538 milhões para Bangladesh e importou US$ 88,1 milhões do país asiático. Entre os principais produtos vendidos ao parceiro, destacam-se açúcar de cana, soja em grão e seu óleo, algodão, cabos de filamentos,

m

fumo, maçãs e transformadores, entre outros, de acordo com os dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). As importações brasileiras concentraram-se em peças de vestuário como camisetas de malha e algodão, suéteres, pulô-

www.nualua.com.br M. Takaki Empreendimentos Imobiliários

Creci 7637-2-J

Vendas • Locações Administração de Imóveis 2685 6606 / 2685 6607 2685 6609 (fax)

(11) (11)

Rua Itinguçu nº 1.670 - Vila Ré - SP mtakakiimoveis@uol.com.br

• FABIANE • Moda Feminina

Moda Masculina fabianemodas@gmail.com

Serviços de entregas utilizando somente bicicletas.

2798-1234 8215-8816

www.carbonozerocourier.com.br CRECI 55881

2647 7693 (tel.) 2646 6868 (tel./fax)

imobiliaria.toyota@ig.com.br R. Miguel Garcia, 14 - Cangaíba - São Paulo- SP

Rua Erasmo Braga nº 60 - loja 6

2747-5394 7441-6108

(ao lado da padaria Anjo da Guarda - Loja 01)

Fones: 11 4113 3055 / 6493 7172

Diário do Comércio  

26 out 2011