Issuu on Google+

www.dcomercio.com.br

Alessandro Shinoda/Folhapress

São Paulo, sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

R$ 1,40

Jornal do empreendedor

Em semana decisiva de Mensalão e eleições, Lula parou na 6ª-feira, na novela Avenida Brasil, de onde extraiu exemplo de Carminha para comícios (à esq., em Diadema): "Não troque o certo pelo duvidoso". Pág. 5

MAS A SEMANA É DA AVENIDA BRASÍLIA

Marcos de Paula/Estadão Conteúdo

Conclusão: 23h55

Ano 87 - Nº 23.734

LULA FALA DE AVENIDA BRASIL

Astro principal do Mensalão, o juiz Joaquim Barbosa foi multiplicado por manifestantes que desfilaram do Leblon a Ipanema, no Rio, em apoio ao STF. Hoje, recomeça a Avenida Brasília para os capítulos finais, no STF. Do último, na 5ª-feira, restou um impasse: o relator condenou 11 de 13 réus por formação de quadrilha, mas o revisor Lewandowski absolveu a todos, até mesmo a quem já tinha condenado antes. Restam oito votos, depois a sentença a cada mensaleiro. É o Brasil na esquina das avenidas da ficção e da realidade. Págs. 6 e 7 Google Earth

1 a 1 nos EUA. Chegou a hora da verdade. Os candidatos à Casa Branca voltam a debater hoje, para falar de política externa. No 1º encontro, deu Romney. No 2º, Obama. Como se pode ver nas fotos abaixo, assunto é o que não falta. Págs. 9 e 10

Pré-debate ao vivo Mahmoud Kheir/Reuters

Líbano Funeral do chefe da inteligência, vítima de atentado, virou confronto. Manifestantes exigiam renúncia do premier.

A gota que pode salvar os oceanos Está aqui, neste marco amarelo. É a ilha Tatoosh. A acidez das águas que a banham antecipa perigo para a Terra. Pág. 11

Nir Elias/Reuters

Israel O treino militar é para enfrentar tsunami. Seria o segundo, após o dilúvio bíblico. Israel deve estar se preparando para uma guerra.

Marcos de Paula/Estadão Conteúdo

Reuters

Jordânia O próximo grande atentado da Al Qaeda golpearia a Jordânia. Mas os 11 terroristas que o preparavam foram presos.

Reuters

Síria O 1º atentado em bairro cristão de Damasco deixou 13 mortos e 15 feridos enquanto representante da ONU se reunia com Assad.

Riachuelo trata de seduzir a nova mulher O público feminino da nova classe média é, cada vez mais , o alvo da rede, que projeta inaugurar 160 lojas em quatro anos. Flávio Rocha conta os detalhes na pág. 19

Página 18 23734

9 771679 268008

Luis Fabiano voltou a desperdiçar. Desta vez, contra o Flamengo, que derrotou o São Paulo por 1 a 0. Esporte

Oh!Oh!Oh! Boa notícia de Papai Noel

ISSN 1679-2688

Página 4

'Melhor não bater mais pênaltis.'


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

Deve-se esperar, mais adiante, para ver os resultados das medidas tomadas pelo governo. Delfim Netto

pinião Leonardo Marques/Digna Imagem

A

leitura da ata da última reunião do Copom, em que foi decidido baixar a taxa Selic para 7,25% ao ano, permite concluir que, mais uma vez, o Banco Central analisou com muito cuidado a situação da economia mundial antes de aproveitar o espaço mínimo que se apresentou para trazer a taxa de juro real para o nível mais próximo de 2% ao ano, objetivo que perseguiu cuidadosamente nos doze meses recentes. Um gráfico que apresenta as variações da taxa Selic entre março de 1999 e outubro de 2012, produzido com dados do Banco Central e divulgado na internet e na mídia impressa na última quinta-feira, reproduz períodos selecionados da impressionante trajetória do juro básico, de 45% ai ano aos atuais 7,5%. As taxas percorreram picos e vales ao longo de 12 anos e só passam a obedecer a uma sequência harmoniosa de cortes a partir do dia 31 de agosto de 2011, quando estava em 12,5%. Um importante canal de notícias divulgou na internet um ranking abrangendo 40 países, feito em São Paulo por dois economistas – Jason Vieira e Thiago Davino – projetando para o Brasil um juro real de 1,7% ao ano (Selic 7,5% - inflação de 5,8%), o que sinalizaria um quarto lugar entre os maiores juros dentre as economias consideradas importantes, abaixo apenas da Austrália (2% aa), do Chile (2,3% aa) e da China (3,9% aa). O fato relevante é que o Banco Central, na gestão Alexandre Tombini, em especial, soube avaliar muito melhor a evolução da crise financeira mundial e principal-

DELFIM NETTO

dos a diversos setores, os cortes provisórios de alíquotas na indústria automobilística etc. Já estamos começando a sentir um começo de recuperação na atividade econômica; a atividade está aquecendo, já tivemos crescimento no terceiro trimestre em relação ao segundo trimestre, talvez 1,1% ou 1,2% – pouquinho mais, pouquinho menos –, o que já é muito significativo...

E

PRONTOS PARA CRESCER mente as condições próprias da economia brasileira, com muito mais critério do que a maioria dos analistas dos mercados financeiros. É evidente que a situação no mundo continua muito

complicada, o que dificulta compreender as dificuldades externas e afastar a insegurança interna. Basta ver que não foi unânime a última decisão do Copom, como as anteriores, mas o tratamento

desse processo pelo Banco Central me leva à conclusão que, ao cuidar do assunto, mediu-se criteriosamente as vantagens e desvantagens – e no final a maioria concluiu que outro 0,25% de corte na

taxa era o adequado. Deve-se esperar, mais adiante, para ver os resultados das medidas tomadas pelo governo, ou seja: quais os efeitos das reduções de impostos, os subsídios concedi-

ssa reação deve continuar: a taxa de crescimento do PIB em 2012 vai ser de 1,6% ou 1,7% , mas no final do ano, ao se comparar com o final do ano passado, vamos sentir uma recuperação importante. A economia do País vai estar rodando então uns 3,5% a 4%, e depois os efeitos desses programas deverão continuar a se fazer sentir. De forma que há esperança, sim, de que se volte a entrar no ritmo de crescimento de 4% e até um pouco mais em 2013 e nos anos seguintes. ANTÔNIO DELFIM NETTO É PROFESSOR EMÉRITO DA FEA-USP, EX-MINISTRO DA FAZENDA, DA AGRICULTURA E DO PLANEJAMENTO

contatodelfimnetto@terra.com.br

POR QUE A UNIÃO EUROPEIA GANHOU O NOBEL DA PAZ

A

história necessita ser aprendida e periodicamente reaprendida, diz Tony Judt na conclusão do seu magnífico livro Pós- Guerra: História da Europa desde 1945 (Editora Objetiva). De alcance permanente, essas palavras podem ser úteis à compreensão da

SXC

importância da concessão do Prêmio Nobel da Paz à União Europeia, ela própria, segundo Judt, "uma resposta à história". Como sói ocorrer aos grandes acontecimento, essa "resposta" ultrapassou as intenções dos atores, mesmo os grandes da cena mundial. Uma consciência coletiva, marcada pela difusa necessidade de esquecimento, contrarrestada pela aguda lembrança do Holocausto, funcionou, ao longo de cinquenta anos, como pano de fundo para a concertação que culminou no Tratado de Maastrich que, em 1993, criou a União Européia. Como ideal, pode ter sido a materialização da conclusão de Raymond Aron sobre o trabalho do historiador alemão Heinrich von Treitschke,

apresentado cem anos antes, em 1895, na Universidade de Berlim: "Nenhum povo pode realizar, sozinho, todo conteúdo da cultura humana". Mais difícil é entendê-la como fim – a compreensão sincrética daquilo para que Norberto Bobbio chamou a atenção: o desvendamento do "mistério" ou do "problema" do Mal, o ativo (a maldade), e o passivo ( o sofrimento).

S

im, por que a compreensão está além do conhecimento. Este, histórico ou não, pode nos ensinar sobre os séculos de guerras e o passado não muito distante de autoritarismo, totalitarismo, disfuncionalidade, desconfiança e ambição na Europa. Há uma geração, eram poucas as famílias europeias que não tinham uma estória de perda de parente próximo em guerra, uma dor coletiva que o esquecimento teve que sublimar. Já quem reconheceu um sobrevivente de campos de concentração alemães pela tatuagem no braço sabia

SÉRGIO P. MUNIZ COSTA estar diante de algo que, tal como aquela tinta na carne humana, era impossível de suprimir.

A

cultura europeia, só tornada acessível e visível em seu todo com a instituição da União Europeia, não maravilha apenas os visitantes de todo mundo: ela faz história. Quanto mais a União Europeia avançou, mais se inauguraram museus e memoriais, bem como contrições públicas pelo desastre do Holocausto. Foi como se o reconhecimento de um grande mal comum dependesse da evanescência moral das fronteiras nacionais para acontecer. Para os não europeus, a compreensão desse complexo processo pode se dar por meio da

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

visita a lugares da Europa onde ocorreram, ou estiveram para acontecer, enormes tragédias históricas. Um deles é Verdun, na França, sítio do Forte Douaumont – epicentro da carnificina que vitimou 700.000 alemães e franceses entre fevereiro e outubro de 1916, na Primeira Guerra Mundial –, cujas cúpulas de aço são hoje visitadas por estudantes falando indistintamente francês e alemão. Outro é Fulda, na Alemanha, local marcado para uma das maiores batalhas de Terceira Guerra Mundial, o cenário da confrontação, talvez nuclear, que deveria deter a vanguarda blindada soviética arremessada da fronteira entre as Alemanhas na direção de Frankfurt. Entre uma batalha travada e uma evitada, ambas catastróficas, os europeus percorreram um longo e acidentado caminho. A lição histórica de Verdun não são as fortificações, trincheiras e túmulos, mas as bandeiras alemã e francesa irmanadas.

Das vias de acesso de blindados na bucólica paisagem de Fulda, o que conduz às mais sombrias reflexões é o que poderia ter acontecido ali, retardando uma união da Europa por, no mínimo, outros cinquenta anos. Entre o que os europeus não souberam evitar e aquilo que tiveram a coragem de evitar está a grande resposta que deram à História.

O

s europeus conheceram, reconheceram e repudiaram o mal. Em 1945, ajudaram a vencê-lo, com armas, impondo a derrota à Alemanha nazista. Em 1989, venceram-no sozinhos, com as mãos, derrubando o Muro de Berlim e implodindo o comunismo para encerrar de vez a Segunda Guerra Mundial. Eles estão à frente do mundo, para sorte do mundo. Quem não os quiser assim, queira apenas por si e para sua própria infelicidade. O mundo está farto de utopias assassinas. E de seus idólatras. SÉRGIO PAULO MUNIZ COSTA É HISTORIADOR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edito r-Ch efe : José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Fernando Porto (fporto@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas @dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli e Evelyn Schulke, Ricardo Osman, Tsuli Narimatsu Repórter Especial: Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br), .Repórteres: André de Almeida, Fátima Lourenço, Guilherme Calderazzo, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, , Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 , Fax 3180-3355 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela Oesp Gráfica.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

3

o CULPA DA ZELITE pinião

A PA L AV R A Z E L I T E E S T Á C R I A N D O R A Í Z E S E M N O S S A T E R M I N O L O G I A P O L Í T I C A .

É um grande achado, a zelite. Ela vem desempenhando papel comparável ao dos comunistas de antigamente. Estamos com lastimável escassez de comunistas sobre os quais fazer recair a culpa de tudo o que o diabo apronta.

V

ejamos aqui que novidades há de que o distinto leitor e a cativante leitora (cartas sobre como estas designações são machistas devem, por caridade, ser encaminhadas ao editor) possam tirar muito proveito do que ainda nos dadiva a Natureza. Não muitas, acho eu. Talvez as novidades mesmo estejam nas páginas de medicina ou ciência dos jornais, onde sempre anunciamos sensacional estudo que desmente outro sensacional estudo de anos atrás, como acontece principalmente em relação a alimentos. A notícia mais recente, se não me trai outra vez a vil memória, é a respeito do camarão. Parece que aboliram a vingança do camarão. A vingança do camarão estava em que o freguês podia comê-lo, mas, em compensação, o colesterol entrava em órbita. Agora não mais, pelo menos até realizarem novo estudo. Periodicamente, a verdade científica vira mentira e, pensando bem, não há grandes novidades nem nas páginas de ciência. E, infelizmente, não são tampouco grande novidade os acontecimentos terrificantes em hospitais. De cabeça, lembro agora o da senhora que mataram, injetando-lhe café com leite na veia. Anteriormente, em outro hospital, um paciente morreu após lhe darem sopa por via endovenosa. Mataram um terceiro, trocando por glicerina o soro que receberia. Administraram a recém-nascidos remédio contra verrugas por via oral, causando lesões horrendas e permanentes. Amputaram por engano o braço de um bebê. E, como é de nossa prática de povo cordial, tolerante e compreensivo, não vai haver responsáveis em qualquer desses casos e de inúmeros ou-

Não deixa de ser uma contribuição ao vocabulário da perseguida língua portuguesa.

R JOÃO UBALDO RIBEIRO tros como eles, muito menos reparação para as vítimas. Nenhuma novidade.

N

o setor das grandes questões nacionais, o julgamento do Mensalão se aproxima do fim, grande parte do suspense inicial já se foi e agora o que se espera é, no interessante dizer do comentarista que escutei no rádio de um táxi, a customização das penas, ou seja, a definição das punições que receberá cada um dos réus condenados, por sinistro desígnio da zelite. Acho difícil haver um problema que não tenha sido causado pela ação da zelite; é um grande achado. E talvez nele esteja, afinal, uma novidade. Não muito importante, quiçá, mas, na falta de outra, quebra o galho. Creio que já podemos cogitar da inclusão de "zelite" nos dicionários como mais um coletivo da lavra popular, com a observação de que por enquanto leva o predicado ao plural, mas no futuro talvez perca essa peculiaridade. Acredito que logo estaremos dizendo coisas como "a zelite não vai aceitar" ou "ele pertence à zelite paulista".

esta, porém, definir direito o que é zelite. Não é muito fácil, pelo menos para quem acompanha o noticiário brasileiro. Por enquanto, lembra um pouco o que sucede com a palavra "democracia" e cognatas. Qualquer regime – e tem sido assim em toda a história contemporânea – pode apregoar ser uma democracia. A Alemanha Oriental era a República Democrática Alemã e a Coreia do Norte é oficialmente a República Democrática Popular da Coreia. Fenômeno semelhante acontece com a zelite, na direção oposta. É desejável ser democrático e é odioso ser da zelite; elogia-se com o primeiro e xinga-se com a segunda. Além disso, a zelite vem desempenhando um papel comparável ao dos comunistas de antigamente. No Brasil, com as notáveis exceções de Oscar Niemeyer e Zecamunista, sofremos de uma lastimável escassez de comunistas sobre os quais fazer recair a culpa de tudo o que o diabo apronta. Os comunistas, como testemunharão os mais velhos, tinham muita serventia e até moças de conduta avançadex, como se dizia, eram fruto da doutrinação dos comunistas. A zelite e seu braço direito, a imprensa venal, corrupta e a serviço de interesses tenebrosos, vêm preenchendo essa lacuna, tão útil para quem não tem nada de substancial a dizer em sua defesa a não ser, talvez, o inconfessável.

Mas que diabo é a zelite? É sabido que a palavra vem de “elite”. No caso, elite política e econômica. Imagina-se que a elite política seja composta por quem está no poder. Presidente da República é zelite política, assim como os que exercem alguma fatia do poder. Que outro critério haveria? Ou a elite política está diretamente no governo ou o exerce mediante fantoches e paus-mandados, caso em que, ao denunciar a zelite, estaria denunciando a si mesma. Qual a zelite que se opõe aos que estão no poder? A zelite financeira está com eles, os bancos prosperando e ganhando dinheiro como nunca, como já comentou o próprio ex-presidente Lula. A zelite

empresarial também não parece descontente, a não ser quanto a um ponto ocasional ou outro. A zelite das empreiteiras, então, nem se fala. A zelite artístico-intelectual, além de não ter poder concreto para nada, não costuma pensar uniformemente.

N

ão me ocorre nenhuma outra zelite à qual se possa atribuir a culpa dos infortúnios enfrentados pelos réus do mensalão. Quem aprontou a trapalhada foram eles, mas a culpa não é do despreparo e dos erros deles, é da zelite. A palavra já cria raízes em nossa terminologia política e, ao que tudo indica, terá vida longa, porque serve para fingir que se está explicando al-

guma coisa. Foi pegado com a boca na botija ou mentindo deslavadamente, os planos deram errado? Distribua uma nota ou faça um discurso, mostrando como a responsável é a zelite. O pessoal ganha, chega ao poder já pela terceira vez, está no topo da zelite governante e, no entanto, a zelite, até mesmo através do voto, fica atrapalhando.

É

por essas e outras que dá vontade de arrolhar a zelite e sua imprensa e estabelecer aqui uma verdadeira democracia, igual à da Coreia do Norte. JOÃO UBALDO RIBEIRO É CRONISTA, ROMANCISTA E PERTENCE À

ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS.

A DANÇA DOS NÚMEROS N

a mais recente pesquisa divulgada pelo Datafolha o candidato a prefeito de São Paulo pelo PT, Fernando Haddad, aparece com vantagem de 17 pontos percentuais sobre o candidato do PSDB, José Serra (49% contra 32%), no segundo turno. Serra venceu o primeiro turno com quase o mesmo percentual. (30,75% versus 28,98% de Haddad). Fazendo contas simples, Serra cresceu 1,25% e Haddad 20%. Serra está, atualmente, com 52% de rejeição e tinha 42% no primeiro turno. E é entre os nulos e brancos (10%) e indecisos (9%) da última pesquisa, totalizando 19%, está a esperança de Serra de ainda vencer o pleito em São Paulo. Os especialistas estatísticos, numerólogos, adivinhos, podem dar palpites, explicações variadas sobre o que está correndo. Na minha leiga visão de espectador da cena política, duas coisas estão acontecendo ao mesmo tempo: o profundo, imenso, desconcertante interesse de Lula, Dirceu, Dilma e demais membros do PT em vencer a eleição paulistana e a agora já consagrada e reconhecida

SXC

questão paulistana extrapola a própria cidade, já se tornou irreversível e nunca mais, a não ser em novo ambiente tecnológico, terá uma qualidade de vida decente para seus moradores, sejam eles de qualquer classe econômica e social.

O

incompetência do PSDB de enfrentar adversários em campanha eleitoral.

N

ote o leitor que não mencionei, ainda, as características dos dois candidatos, isto é, o que de bom e de ruim têm Haddad e Serra. A questão foi posta na mesa quando Dirceu, mais uma vez, desastradamente, ao ser condenado no STF, disse que o importante era vencer o segundo turno em São Paulo; antes, Lula havia

dito que morderia os calcanhares dos adversários, mas não perderia a eleição na capital paulista. Logo logo ele estará se tratando na terceira pessoa e se chamando de eleito divino.

seria, até o dia anterior à votação, o grande vitorioso, e ficou fora do segundo turno. O que significa que as pedras ainda estão rolando e que somente irão parar no encerramento das urnas eletrônicas.

A

A

inda não estou falando dos candidatos. Acima, entretanto, está registrado: Serra tem 52% de rejeição. Mas é cedo demais para dizer que Haddad já venceu. O primeiro turno ainda nem esfriou. Russomano

inda de forma leiga, eu disse que a disputa seria de baixo nível e, qualquer que venha a ser o vencedor, a situação em São Paulo só tende a piorar, porque independe de partidos e candidatos vencedores. A

s partidários de Serra se perguntam: com o Mensalão em julgamento, com tudo de ruim e de errado que o PT já fez – especialmente no terreno da ética, sua bandeira anterior, hoje rota, esfarrapada no mastro dos condenados – e pela derrota do partido nas urnas, em São Paulo, nos últimos dez anos, em todos os pleitos executivos, como o tucanato ainda está perto de deixar escapar seu poder na principal cidade do País? É culpa de Serra? É mérito de Haddad? VOLTA ATRÁS O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, merece nosso respeito. Não só pela toga, mas também pela carreira que o levou até a cadeira na qual hoje senta. Mas suas idas e vindas nos votos, a ginástica que faz

PAULO SAAB para absolver condenados por seus pares, seu compromisso de fidelidade aparente ao ex-presidente Lula, contrastam com o comportamento dos demais, sendo que dos dez ministros atuais, oito foram indicados pela dupla dinâmica Lula/Dilma. Em alguns momentos, é até constrangedor.

M

as, ganhando – se ganhar – a eleição em São Paulo, o PT vai fazer disso uma cortina de fumaça tão espetacular que a condenação dos petistas por crimes de corrupção, na mais alta corte do País, pode virar motivo de piada. Impressionante o poder de Lula de desfilar nu e todos acharem que está ricamente vestido. PAULO SAAB É JORNALISTA E EDITOR


4

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

5

olítica

'Tufão' Lula apela para Carminha em campanha Há, nos autos, diversos elementos de convicção harmoniosas ente em si de que Dirceu comandava o núcleo político. Joaquim Barbosa, ministro do Supremo Tribunal Federal e relator do processo do Mensalão.

Nelson Jr./SCO/STF

Ex-presidente pede para o eleitor não trocar o certo pelo duvidoso, como fez a personagem da novela.

Já destruíram a minha vida mesmo, não tenho pressa. Só digo uma coisa, ainda não apareceu nem metade da missa. José Roberto Arruda, o ex-governador do DF, 2 anos e meio após ser preso e ter o mandato cassado, acusado de chefiar esquema criminoso chamado de Mensalão do DEM em seu primeiro depoimento à Justiça. O Estado não te defende? Por que você não pode se defender?". Conte Lopes, futuro vereador (PTB) eleito sob a bandeira da segurança pública, ao defender o porte de arma por civis, mas "dentro das leis". Estou preparado para ser preso. José Dirceu, ex-ministro da Casa Civil do governo Luiz Inácio Lula da Silva, condenado por corrupção ativa pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no julgamento do Mensalão.

Beto Oliveira/Ag. Câmara

Rodrigo Dionisio/Frame/Estadão Conteúdo

Atenção, povo paulistano, vocês vão votar no pai do 'kit gay', no homem que não tem compromisso com a família. Jair Bolsonaro (PP-RJ), referindo-se ao candidato petista Fernando Haddad à prefeitura paulistana.

É bom ressaltar que a lei vale para todos os cursos inclusive, aos mais procurados, como medicina e engenharia, por exemplo. Presidente Dilma Rousseff, ao dizer que o decreto que determina reserva de metade das vagas de universidades e institutos federais para alunos de escolas públicas negros e índios contribui para saldar uma dívida histórica do Brasil com os jovens pobres.

Nelson Jr./SCO/STF

o Shinod

a/Folhap

"Vocês viram a desgraça que deu, diz Lula, lembrando a vitória de Collor.

ress

que teve desempenho abaixo do esperado no primeiro turno. "Se alguém da família tem um problema, a gente corrige, não troca de família. Estou há 38 anos com a Marisa e até agora não consegui cumpri todas as promessas, mas estamos juntos e ela sabe que não pode trocar o certo pelo duvidoso". Como ex-presidente, ele disse que irá cobrar os prefeitos que apoiou. Lula percorreu quatro bairros ao lado do candidato e fez a defesa do PT, sem se referir ao julgamento do Mensalão. "Eu queria lembrar o que era o Brasil e o que era Diadema antes do PT e o que é agora. Queria que vocês dessem uma olhada no que era o comércio dessa região há 15 anos e o que é agora. Foi a partir do nosso governo que os pobres ganha-

ram dignidade, pois criamos 17 milhões de empregos. Aqui era uma cidade pobre e envergonhada, agora até universidade tem". Ele voltou a falar do preconceito que sofreu até chegar à Presidência e provar que um operário podia mudar a história do País. "Diziam que o PT não podia governar porque era radical, mas pergunte a qualquer comerciante se em qualquer outro momento da história eles ganharam tanto dinheiro como quando fui presidente. Por isso é que a elite brasileira quis derrotar o PT". No sábado, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) esteve em Diadema no palanque do adversário do petista, aliado dos tucanos.

Foi a partir do nosso governo que os pobres ganharam dignidade, pois criamos 17 milhões de empregos. EX-PRESIDENTE LULA Por três vezes, durante o percurso, militantes do PT tiveram um princípio de confronto com simpatizantes de Michels. Houve troca de empurrões e ameaças de agressão. A Polícia Militar mobilizou seis viaturas para conter os ânimos. (Estadão Conteúdo)

Tucano acusa o partido de tentar se utilizar da eleição em São Paulo para "compensar o crime do Mensalão".

O

Vossa excelência pode fazer a comparação que quiser. E não vai me impedir de me manifestar no plenário em relação a pontos que estamos em divergência. Palavras do ministro do STF Gilmar Mendes, ao rebater o colega Lewandowski. Vou cumprir o mandato, sim. A gravação dessa entrevista (rádio CBN) já vale como prova. José Serra, candidato tucano à prefeitura de São Paulo.

Reinaldo Ferrigno/Ag. Câmara

Alessandr

Serra: 'O PT mente o tempo todo' Nelson Jr./SCO/STF

Se vossa excelência insistir em me corrigir, porque não sou aluno de vossa excelência, eu não vou admitir nenhuma vez mais, senão vamos travar uma comparação de votos. Ricardo Lewandowski, ministro do STF e revisor do Mensalão, dizendo que não aceitava lições do colega Gilmar Mendes.

O

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva citou ontem a personagem Carminha, da novela Avenida Brasil, exibida pela Globo, para insistir na tese da escolha certa, ao votar. "Vocês viram o que aconteceu com a Carminha, ela trocou o certo pelo duvidoso". A personagem de Adriana Esteves fez escolhas erradas e terminou num lixão. "Nós agora estamos vendo aqui em Diadema as mesmas fantasias. Temos de votar em pessoas que têm história. Colocar alguém que não administrou nem a cozinha de sua casa não é bom", disse. Lula também usou como exemplo o impeachment de Fernando Collor de Mello, deputado federal pelo PTB e aliado do governo Dilma, ao pedir ao eleitor para não trocar o certo pelo duvidoso, ontem, em Diadema, na região do ABC paulista. Ele fez quatro discursos durante carreata do prefeito Mário Reali (PT), candidato à reeleição e que está atrás nas pesquisas do candidato do PV, Lauro Michels. Lula lembrou que, em 1989, o povo preferiu Collor a outros candidatos de tradição, como Ulysses Guimarães e Mário Covas, mas "vocês viram a desgraça que deu", disse, referindo-se ao governo que congelou a poupança dos brasileiros e terminou com o impeachment do presidente. Em outra fala, citou o provérbio "mais vale um pássaro na mão que dois voando" para reafirmar a aposta em Reali,

Eu, que sempre fiz política somando, quero dizer que muitas vezes me entristece (...) num ressentimento desnecessário, os que criticam a minha postura por estar do lado do PT. Deputado Paulo Maluf (PP) da tribuna.

candidato do PSDB à os genéricos nas prateleiras prefeitura de São Pau- ele teve que "travar uma batalo, José Serra, disse on- lha" com os laboratórios fartem que o PT é um partido que macêuticos. "mente o tempo todo" e que "O PT não tem esse tipo inoestá tentando utilizar a elei- vação, até porque nem inteção em São Paulo para "com- resses eles têm", destacou o pensar o crime do Mensalão". tucano. "Eles deixaram de im"Mas não vai, esse pessoal pulsionar o genérico no Brasil (envolvido no Mensalão) vai só porque tinha a minha marpara a cadeia mesmo", disse à ca, assim como largaram os jornalistas em compromisso mutirões de cirurgia, a quesde campanha neste domingo. tão da campanha da Aids. Eles Sobre a comparação feita jogam eleitoralmente e à base ontem pelo ex-presidente Luiz da mentira". Inácio Lula da SilSerra particiva, em comício do pou ontem da Ascandidato petista sembleia Mensal F e r n a n d o H a ddo Movimento Eles deixaram Universitário, no dad, que o asseaté de melhou aos exbairro da Lapa, ao presidentes da impulsionar o lado de seu vice, R e p ú b l i c a , F e rAlexandre Schgenérico no nando Collor e Jâneider e do senaBrasil só nio Quadros, o dor Aloysio Nuporque tinha a nes Ferreira. candidato do minha marca. PSDB disse que Suspensão – A essa é uma estrac o l i g a ç ã o Pa r a JOSÉ SERRA tégia petista. "É tíMudar e Renovar pico. Eles jogam São Paulo, do canbaixo, muito baixo. Basta didato petista Fernando Hadolhar o que eles falam, de ata- dad, terá que deixar de veicuques, de infâmias e acusam o lar propaganda eleitoral em adversário. É a maneira mais que exibe parte de uma entrecômoda", disse. vista de José Serra ao jornalisGenéricos – Sobre a acusa- ta Gilberto Dimenstein, da ráção de que não seria o "pai" dio CBN. dos remédios genéricos, Serra A decisão é do juiz da 1ª Zodisse que ele não foi o inven- na Eleitoral, Henrique Harris tor, mas sim o "fazedor" des- Júnior. O mérito da ação ainda ses medicamentos. "O depu- será julgado, mas cabe recurtado Eduardo Jorge (na época so ao TRE-SP (Tribunal Regiodo PT/SP) fez o projeto origi- nal Eleitoral de São Paulo). nal. Eu peguei o projeto como O trecho questionado pela ministro da Saúde, refiz com a coligação Avança São Paulo, de concordância dele, fiz aprovar Serra, reproduz parte de uma e implementei", disse. Serra entrevista em que o tucano é disse, ainda, que para colocar questionado sobre sua pro-

messa de cumprir o mandato de prefeito, se eleito. De acordo com a decisão, na edição da entrevista foi cortado o trecho em que Serra se comprometia verbalmente, após ter dito que "...virou palhaçada a coisa do documento". Segundo o juiz, a propaganda "...em tese, degrada o candidato adversário".

A propaganda foi veiculada como inserção na noite de quinta-feira e na tarde de ontem. A coligação de Haddad poderá substitui-la por outra peça publicitária. A campanha do candidato petista informou que vai acatar a decisão, mas que pretende apresentar recurso ao TRE de São Paulo. (Folhapress)

Werther Santana/Estadão Conteúdo

Certeza: "Esse pessoal (envolvido no Mensalão) vai para a cadeia".


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

DIÁRIO DO COMÉRCIO

7 Com a conclusão do capítulo 2 [formação de quadrilha], os ministros começarão a discutir as penas para cada um dos réus.

olítica

Mensalão: os últimos capítulos de um julgamento histórico. Nesta semana, os ministros do Supremo Tribunal Federal encerram a Ação Penal 470, com a votação do último capítulo – a formação de quadrilha – e a definição das penas. Até agora, dos 37 réus arrolados no processo, 25 foram condenados.

O

Ronaldo Brandão/Brazil Photopress/E.C

julgamento do Mensalão, que será retomado hoje no Supremo Tribunal Federal (STF), termina nesta semana com a realização das últimas quatro sessões. O processo ganhou até passeata, ontem, no Rio, com os manifestantes usando máscaras de Joaquim Barbosa e levando faixas de apoio, como "Valeu, STF". Os ministros analisam atualmente o capítulo 2 da denúncia do Ministério Público Federal (MPF), que trata do crime de formação de quadrilha envolvendo os réus dos núcleos político (José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares), publicitário (Marcos Valério, Ramon Hollerbach, Cristiano Paz, Simone Vasconcelos e Geiza Dias) e financeiro (Kátia Rabello, José Roberto Salgado, Vinicius Samarane e Ayanna Tenório). Votos – Até agora, já votaram o relator Joaquim Barbosa – que condenou 11 dos 13 réus (exceto Geiza e Ayanna) – e o revisor Ricardo Lewandowski, que absolveu todos os acusados por acreditar que eles se uniram para obter vantagens individuais, sem perturbar a ordem pública, o que caracterizaria coautoria e não formação de quadrilha. O julgamento será retomado com o voto da ministra Rosa Weber, seguida dos ministros Luiz Fux, Antonio Dias Toffoli, Carmen Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e do presidente do STF, Carlos Ayres Britto. Sentenças – Dos 37 réus, o STF já condenou 25. Em rela-

ção aos outros 12 acusados, sete foram inocentados de todos os crime, dois aguardam conclusão do último capítulo e três ainda estão com a situação indefinida devido a empate no placar. Com a conclusão do capítulo 2, os ministros começarão a discutir as penas para cada um dos réus. Os condenados – Por corrupção ativa, José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares. Por corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e evasão de dívisas, Marcos Valério e Ramon Hollerbach. Por corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro, Cristiano Paz. Pelo crime de corrupção

ativa e lavagem de dinheiro, Rogério Tolentino, enquanto Simone Vasconcelos foi condenada por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Pelo crime de gestão fraudulenta de instituição financeira, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, Kátia Rebello e José Roberto Salgado. Por gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro, Vinicius Samarane. Pelo crime de corrupção passiva, peculato e lava-

gem de dinheiro, o deputado federal João Paulo Cunha (PTSP) e Henrique Pizzolato. O ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE) e João Cláudio Genu, ex-assessor de José Janene, ex-presidente do PP, foram condenados por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Já o ex-deputado federal Pedro Henry (PP-MT), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O doleiro Enivaldo Quadrado foi condenado por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, enquanto Breno Fischberg por lavagem de dinheiro. O deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP), o extesoureiro do PL (atual PR), Jacinto Lamas, e o ex-deputado federal José Borba (PMDB-PR) foram condenados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os mesmos crimes foram atribuídos ao ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), ao ex-deputado federal Bispo Rodrigues (PL-RJ), ao ex-tesoureiro do PTB, Emerson Palmieri, e Romeu Queiroz, atualmente deputado estadual em Minas Gerais, pelo PSB. Costa Neto e Lamas ainda dependem de decisão do STF pelo crime de lavagem de dinheiro, pois receberam cinco votos pela condenação e cinco pela absolvição. Absolvidos – Foram absolvidos Geiza Dias, Ayanna Tenório, Luiz Gushiken, Antonio Lamas, Anita Leocádia, José Luiz Alves, Professor Luizinho, Duda Mendonça e Zilmar Fernandes. E os que ainda estão com a situação indefinida por empate em lavagem de dinheiro:

Manifestante carioca usa máscara do ministro Joaquim Barbosa durante passeata no Rio, organizada para apoiar as decisões do Supremo Tribunal Federal no Mensalão.

Anderson Adauto, Paulo Rocha e João Magno. Os seis casos de empates do Mensalão serão revistos pelos magistrados. Essa situação ocorreu porque o tribunal está com um integrante a menos com a aposentadoria compul-

sória de Cezar Peluso em agosto, as 70 anos. Em relação ao crime de lavagem de dinheiro, estão com o placar empatado os ex-deputados João Borba (PMDBPR), João Magno (PT-MG), Paulo Rocha (PT-PA) e o ex-minis-

tro dos Transportes Anderson Adauto (PL, atual PR). Caso sejam inocentados, os três últimos serão absolvidos de todos os crimes a que respondem. Já Borba também foi condenado, por unanimidade, pelo crime de corrupção passiva.

Em relação ao crime de formação de quadrilha, estão com o placar empatado o deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP) e o ex-tesoureiro da legenda Jacinto Lamas. Mesmo se forem inocentados desse crime, ambos

continuam condenados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Há pelo menos quatro soluções possíveis para o empate. Parte dos ministros acredita que a dúvida favorece o réu, um dos princípios básicos do

SUA EMPRESA ESTÁ PRONTA PARA CRESCER? A DESENVOLVE SP ESTÁ PRONTA PARA AJUDAR.

direito penal. Outra corrente defende o voto de qualidade do presidente Ayres Britto, conforme prevê o regimento interno. Outra tese que surgiu nos bastidores é que os crimes contra a administração pública, que envolvem o direito co-

letivo, se sobrepõem às gaAlexandre Mo reira/Brazil Ph otopress/E.C rantias individuais do réu, que deve ser condenado. Existe ainda a possibilidade, considerada remota, de a Corte esperar a chegada do novo ministro para decidir a questão. Indicado pela presidente Dilma Rousseff, Teori Zavascki já passou pela sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e agora terá o seu nome analisado no plenário da Casa, o que ocorrerá depois do segundo turno das eleições municipais. Dosimetria – A semana também vai marcar uma das fases mais complexas do julgamento. Além de definir as punições de cada réu, o colegiado vai precisar superar questões técnicas que ainda não foram consolidadas. Uma delas é em relação a solução para os empates. Também será preciso definir se os ministros José Dirceu: ex -ministro é ap que votaram pela absolontado como o chefe do esqu vição de determinados réus ema. devem participar da fase de escolha das respectivas pemetido várias vezes, soma-se nas. A corrente majoritária ena pena para cada vez que o criDos 37 réus, tende que não é possível. me foi cometido), concurso 25 já foram Outro ponto em aberto é se formal (com uma só ação, se condenados, os parlamentares que estão pratica mais de um crime, aplienquanto sete sendo condenados devem ca-se a pena mais grave, poforam absolvidos perder o mandato por ordem dendo ser ampliada de um do STF ou se a decisão de cassexto até a metade) ou em e cinco deles sá-los cabe apenas à Câmara continuidade delitiva (quando ainda aguardam dos Deputados. o segundo ou demais crimes decisão final Três réus estão nesta situasão continuação do primeiro, do tribunal. ção: os deputados federal Valaplica-se a pena mais grave demar Costa Neto (PR-SP), Peampliada de um sexto até dois dro Henry (PP-MT) e João Paulo da definição das punições in- terços). Os ministros não têm Cunha (PT-SP). dividuais, analisando se os cri- feito essa distinção jurídica, Encerradas essas questões, mes foram cometidos em con- mas ela será fundamental pao julgamento entrará na fase curso material (quando é co- ra o resultado final. (Agências)

A Agência de Fomento Paulista agora se chama Desenvolve SP. Uma instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo que há mais de três anos ajuda os pequenos e médios empresários a crescer, oferecendo excelentes taxas e longos prazos em linhas de financiamento para máquinas e equipamentos, projetos de investimento, economia verde, franquias, entre outras. Tudo por meio de um site simples, ágil e seguro. Para mais informações, procure sua entidade empresarial ou acesse desenvolvesp.com.br e faça agora mesmo uma simulação. Desenvolve SP. Crédito para sua empresa crescer.

120 MESES PARA PAGAR. JUROS A AO MÊS PARTIR DE 0,41%+IPC FIPE.

Telefone: (11) 3123-0464 – Ouvidoria: 0800 770 6272

ATÉ

Para empresas com faturamento anual a partir de R$ 360 mil.

Cliente Fernando, empresa Lionfer, Máquinas e Equipamentos

Cliente Nelson, empresa Ecogen, Economia Verde

Cliente Reginaldo, empresa Metax, Projetos de Investimento

Acesse e assista ao filme da campanha.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

DIÁRIO DO COMÉRCIO

7 Com a conclusão do capítulo 2 [formação de quadrilha], os ministros começarão a discutir as penas para cada um dos réus.

olítica

Mensalão: os últimos capítulos de um julgamento histórico. Nesta semana, os ministros do Supremo Tribunal Federal encerram a Ação Penal 470, com a votação do último capítulo – a formação de quadrilha – e a definição das penas. Até agora, dos 37 réus arrolados no processo, 25 foram condenados.

O

Ronaldo Brandão/Brazil Photopress/E.C

julgamento do Mensalão, que será retomado hoje no Supremo Tribunal Federal (STF), termina nesta semana com a realização das últimas quatro sessões. O processo ganhou até passeata, ontem, no Rio, com os manifestantes usando máscaras de Joaquim Barbosa e levando faixas de apoio, como "Valeu, STF". Os ministros analisam atualmente o capítulo 2 da denúncia do Ministério Público Federal (MPF), que trata do crime de formação de quadrilha envolvendo os réus dos núcleos político (José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares), publicitário (Marcos Valério, Ramon Hollerbach, Cristiano Paz, Simone Vasconcelos e Geiza Dias) e financeiro (Kátia Rabello, José Roberto Salgado, Vinicius Samarane e Ayanna Tenório). Votos – Até agora, já votaram o relator Joaquim Barbosa – que condenou 11 dos 13 réus (exceto Geiza e Ayanna) – e o revisor Ricardo Lewandowski, que absolveu todos os acusados por acreditar que eles se uniram para obter vantagens individuais, sem perturbar a ordem pública, o que caracterizaria coautoria e não formação de quadrilha. O julgamento será retomado com o voto da ministra Rosa Weber, seguida dos ministros Luiz Fux, Antonio Dias Toffoli, Carmen Lúcia, Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e do presidente do STF, Carlos Ayres Britto. Sentenças – Dos 37 réus, o STF já condenou 25. Em rela-

ção aos outros 12 acusados, sete foram inocentados de todos os crime, dois aguardam conclusão do último capítulo e três ainda estão com a situação indefinida devido a empate no placar. Com a conclusão do capítulo 2, os ministros começarão a discutir as penas para cada um dos réus. Os condenados – Por corrupção ativa, José Dirceu, José Genoino e Delúbio Soares. Por corrupção ativa, peculato, lavagem de dinheiro e evasão de dívisas, Marcos Valério e Ramon Hollerbach. Por corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro, Cristiano Paz. Pelo crime de corrupção

ativa e lavagem de dinheiro, Rogério Tolentino, enquanto Simone Vasconcelos foi condenada por corrupção ativa, lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Pelo crime de gestão fraudulenta de instituição financeira, lavagem de dinheiro e evasão de divisas, Kátia Rebello e José Roberto Salgado. Por gestão fraudulenta e lavagem de dinheiro, Vinicius Samarane. Pelo crime de corrupção passiva, peculato e lava-

gem de dinheiro, o deputado federal João Paulo Cunha (PTSP) e Henrique Pizzolato. O ex-deputado federal Pedro Corrêa (PP-PE) e João Cláudio Genu, ex-assessor de José Janene, ex-presidente do PP, foram condenados por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e formação de quadrilha. Já o ex-deputado federal Pedro Henry (PP-MT), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O doleiro Enivaldo Quadrado foi condenado por lavagem de dinheiro e formação de quadrilha, enquanto Breno Fischberg por lavagem de dinheiro. O deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP), o extesoureiro do PL (atual PR), Jacinto Lamas, e o ex-deputado federal José Borba (PMDB-PR) foram condenados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Os mesmos crimes foram atribuídos ao ex-deputado federal Roberto Jefferson (PTB-RJ), ao ex-deputado federal Bispo Rodrigues (PL-RJ), ao ex-tesoureiro do PTB, Emerson Palmieri, e Romeu Queiroz, atualmente deputado estadual em Minas Gerais, pelo PSB. Costa Neto e Lamas ainda dependem de decisão do STF pelo crime de lavagem de dinheiro, pois receberam cinco votos pela condenação e cinco pela absolvição. Absolvidos – Foram absolvidos Geiza Dias, Ayanna Tenório, Luiz Gushiken, Antonio Lamas, Anita Leocádia, José Luiz Alves, Professor Luizinho, Duda Mendonça e Zilmar Fernandes. E os que ainda estão com a situação indefinida por empate em lavagem de dinheiro:

Manifestante carioca usa máscara do ministro Joaquim Barbosa durante passeata no Rio, organizada para apoiar as decisões do Supremo Tribunal Federal no Mensalão.

Anderson Adauto, Paulo Rocha e João Magno. Os seis casos de empates do Mensalão serão revistos pelos magistrados. Essa situação ocorreu porque o tribunal está com um integrante a menos com a aposentadoria compul-

sória de Cezar Peluso em agosto, as 70 anos. Em relação ao crime de lavagem de dinheiro, estão com o placar empatado os ex-deputados João Borba (PMDBPR), João Magno (PT-MG), Paulo Rocha (PT-PA) e o ex-minis-

tro dos Transportes Anderson Adauto (PL, atual PR). Caso sejam inocentados, os três últimos serão absolvidos de todos os crimes a que respondem. Já Borba também foi condenado, por unanimidade, pelo crime de corrupção passiva.

Em relação ao crime de formação de quadrilha, estão com o placar empatado o deputado federal Valdemar Costa Neto (PR-SP) e o ex-tesoureiro da legenda Jacinto Lamas. Mesmo se forem inocentados desse crime, ambos

continuam condenados por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Há pelo menos quatro soluções possíveis para o empate. Parte dos ministros acredita que a dúvida favorece o réu, um dos princípios básicos do

SUA EMPRESA ESTÁ PRONTA PARA CRESCER? A DESENVOLVE SP ESTÁ PRONTA PARA AJUDAR.

direito penal. Outra corrente defende o voto de qualidade do presidente Ayres Britto, conforme prevê o regimento interno. Outra tese que surgiu nos bastidores é que os crimes contra a administração pública, que envolvem o direito co-

letivo, se sobrepõem às gaAlexandre Mo reira/Brazil Ph otopress/E.C rantias individuais do réu, que deve ser condenado. Existe ainda a possibilidade, considerada remota, de a Corte esperar a chegada do novo ministro para decidir a questão. Indicado pela presidente Dilma Rousseff, Teori Zavascki já passou pela sabatina na Comissão de Constituição e Justiça do Senado e agora terá o seu nome analisado no plenário da Casa, o que ocorrerá depois do segundo turno das eleições municipais. Dosimetria – A semana também vai marcar uma das fases mais complexas do julgamento. Além de definir as punições de cada réu, o colegiado vai precisar superar questões técnicas que ainda não foram consolidadas. Uma delas é em relação a solução para os empates. Também será preciso definir se os ministros José Dirceu: ex -ministro é ap que votaram pela absolontado como o chefe do esqu vição de determinados réus ema. devem participar da fase de escolha das respectivas pemetido várias vezes, soma-se nas. A corrente majoritária ena pena para cada vez que o criDos 37 réus, tende que não é possível. me foi cometido), concurso 25 já foram Outro ponto em aberto é se formal (com uma só ação, se condenados, os parlamentares que estão pratica mais de um crime, aplienquanto sete sendo condenados devem ca-se a pena mais grave, poforam absolvidos perder o mandato por ordem dendo ser ampliada de um do STF ou se a decisão de cassexto até a metade) ou em e cinco deles sá-los cabe apenas à Câmara continuidade delitiva (quando ainda aguardam dos Deputados. o segundo ou demais crimes decisão final Três réus estão nesta situasão continuação do primeiro, do tribunal. ção: os deputados federal Valaplica-se a pena mais grave demar Costa Neto (PR-SP), Peampliada de um sexto até dois dro Henry (PP-MT) e João Paulo da definição das punições in- terços). Os ministros não têm Cunha (PT-SP). dividuais, analisando se os cri- feito essa distinção jurídica, Encerradas essas questões, mes foram cometidos em con- mas ela será fundamental pao julgamento entrará na fase curso material (quando é co- ra o resultado final. (Agências)

A Agência de Fomento Paulista agora se chama Desenvolve SP. Uma instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo que há mais de três anos ajuda os pequenos e médios empresários a crescer, oferecendo excelentes taxas e longos prazos em linhas de financiamento para máquinas e equipamentos, projetos de investimento, economia verde, franquias, entre outras. Tudo por meio de um site simples, ágil e seguro. Para mais informações, procure sua entidade empresarial ou acesse desenvolvesp.com.br e faça agora mesmo uma simulação. Desenvolve SP. Crédito para sua empresa crescer.

120 MESES PARA PAGAR. JUROS A AO MÊS PARTIR DE 0,41%+IPC FIPE.

Telefone: (11) 3123-0464 – Ouvidoria: 0800 770 6272

ATÉ

Para empresas com faturamento anual a partir de R$ 360 mil.

Cliente Fernando, empresa Lionfer, Máquinas e Equipamentos

Cliente Nelson, empresa Ecogen, Economia Verde

Cliente Reginaldo, empresa Metax, Projetos de Investimento

Acesse e assista ao filme da campanha.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

As estratégias que Haddad e Serra lançam definirão o vencedor do dia 28. Alberto Carlos Almeida, estudioso do comportamento do eleitor.

olítica

Rodrigo Coca

/Fotoarena/F

olhapress - 19

.10.12

16.10.12 ão Conteúdo -

Estad

Juliana Knobel/

Haddad: se atacado, pode ser beneficiado, pois pode mostrarse vítima de Serra – o que exerce forte apelo entre os eleitores.

Serra (com Rogério Ceni): a campanha do rival vai continuar apostando no fato de ele ter deixado a prefeitura em 2006.

Ganha quem atacar na dose certa Nessa fase final, de acordo com estrategistas, a chave do sucesso está em determinar com precisão qual deve ser o peso dos ataques entre os candidatos. Mário Tonocchi

A

s coordenações de campanha tanto do PSDB como do PT na disputa pela prefeitura em São Paulo este ano estão divididas no momento final da disputa entre José Serra e Fernando Haddad. A chave do sucesso, de acordo com estrategistas dos dois lados ouvidos peloDiário do Comércio, é determinar qual deve ser a dosagem da desconstrução de uma ou de outra candidatura e qual deve ser o peso dos ataques entre os candidatos. Nas duas coligações, há de um lado um grupo que defende a manutenção dos ataques e outro que aposta nos últimos dias de comunicação com o eleitor apenas apresentando propostas. A definição dos rumos das campanhas vai delinear o comportamento dos candidatos de hoje até sexta-feira, o último dia da campanha elei-

Na campanha de Serra, é certo que sai de cena a revolta evangélica contra o material didático anti-homofobia. toral tanto no rádio como na televisão determinado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O sinal amarelo acendeu na campanha de José Serra com a apresentação das pesquisas Ibope e Datafolha, esta última, observando que a rejeição do tucano subiu de 42% no final do primeiro turno para 52% agora. Reverter essa situação, segundo membros da direção da campanha, não será fácil. Até agora existe uma resistência do próprio Serra em abandonar os ataques ao petista, valendo-se do julgamento do Mensalão no Supremo Tribunal Federa (STF) e na falta de capacidade adminis-

trativa de Haddad, apontando principalmente as falhas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O problema para a campanha de Serra é que a resposta de Haddad consegue absorver o ataque e ainda colar na imagem dele o que seria uma "injustiça" do adversário político. Na campanha de Serra o que já está certo é que a revolta evangélica contra o material didático anti-homofobia taxado de "kit gay" com apoio do bispo da igreja Silas Malafaia vai sair de cena. A aproximação do tucano com o bispo considerado ultraconservador tanto retirou votos do PSDB como colaborou para o aumento da rejeição de Serra, como acreditam alguns membros da campanha tucana. Essa sensação não circula apenas dentro do comitê eleitoral mas entre os caciques do próprio partido. Na semana passada pronunciaram-se a respeito o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, o ex-governador de São Paulo Alberto

Goldman e o ex-ministro da Justiça no governo FHC, José Gregori. O presidente nacional do PSDB, deputado Sérgio Guerra (PE) também entrou no assunto afirmando, em coletiva para a imprensa, em Brasília, que o Mensalão não é pauta do PSDB nas eleições de São Paulo. Ele disse, entretanto, que o julgamento e as condenações da cúpula petista no governo Luiz Inácio Lula da Silva, tornou-se "uma marca indelével", do PT. Petistas – Na campanha do petista Fernando Haddad o clima, apesar das diferenças favoráveis nas pesquisas eleitorais, é um misto de euforia e cautela. A euforia é por conta da última pesquisa Datafolha que revelou o petista com 60% dos votos válidos e o tucano com 40%. A questão é saber se a continuidade dos ataques diretos a Serra também não irá ampliar a rejeição ao petista no momento em 34%, segundo a pesquisa Datafolha da semana passada.

Neste momento, a campanha do PT vai explorar ao máximo a rejeição de Gilberto Kassab na prefeitura. A provocação de Haddad, analisam os estrategistas da campanha, também o beneficia pois tem respostas e ele pode mostrar-se como vítima de Serra o que tem forte apelo entre os eleitores. Um dos ataques que não deve acabar nessa reta final é o de que Serra abandonou a prefeitura em 2006 para candidatar-se, então, a governador de São Paulo. O certo neste momento na campanha do PT para a prefeitura de São Paulo este ano é continuar batendo forte no atual prefeito Gilberto Kassab (PSD). A campanha quer explorar ao máximo a rejeição de Kassab na prefeitura.

O Datafolha mostrou que no momento 42% dos eleitores classificam a atual administração como ruim ou péssima. No início de setembro o índice chegava a 48%. Os eleitores que enxergam o prefeito como bom ou ótimo, entretanto, caíram de 20% para 19% e os que opinaram como regular a administração passaram de 29% para 37%. Na nota geral, de zero a 10, a gestão Kassab ficou com 4,4. Debates – Tanto o PT quanto o PSDB estão apostando suas fichas finais da campanha nos últimos debates na televisão que acontecem esta semana. O primeiro está marcado para o dia 24, quarta-feira, a partir das 18h, no SBT. Como tradicionalmente acontece, o último confronto acontece na Rede Globo. Este ano será no dia 26, sexta-feira, a princípio, a partir, das 22h. O debate da TV Record, que estava programado para hoje, foi cancelado. A emissora não aceitou adiantar o encontro das 23h para as 22h.

Transferência de votos, isso existe? Especialistas dizem que, no fim, o eleitor vota no candidato que tiver melhor programa de governo, credibilidade e capacidade de melhorar a vida de sua cidade. Massao Goto Filho/e-Sim - 13.01.10

Guilherme Calderazzo

E

m eleição, em especial no segundo turno, vem à tona o debate sobre o poder do líder político, tanto o com popularidade em alta quanto o derrotado em 1º turno, de influir no voto de quem o apoia ou de quem nele votou em primeiro turno. Ou seja, discutese a capacidade deles de transferir votos para os candidatos aos quais se aliam ou querem ver eleitos. Para estudiosos do assunto, o apoio desses líderes ajuda o candidato apoiado em uma eleição, mas não há transferência de voto automática. No essencial, para eles, entre as muitas variáveis que influem na disputa, o eleitor avaliará o cenário político no qual está inserido e tomará a decisão por si com total autonomia. Desde o 1º turno desta disputa eleitoral municipal, dois líderes com popularidade em alta, a presidente Dilma e o expresidente Lula, pedem votos para vários candidatos petistas em todo o País. Muitos se elegeram, outros foram derrotados, como o petista Humberto Costa, no Recife. "Não existe transferência de voto. Mesmo se o eleitor gosta do Lula e da Dilma, não votará em um candidato porque ambos pediram", diz o cientista político Alberto Carlos Almeida, estudioso do

Não existe transferência de voto. Mesmo se o eleitor gosta de Lula e Dilma, não votará no candidato porque pediram. ALBERTO CARLOS ALMEIDA comportamento do eleitor. Segundo Almeida, quanto ao apoio desses dois líderes, não ocorre a transferência de voto direto, mas outro fenômeno. Ou seja, "o eleitor avalia o indicado pelos líderes, e entende que o candidato tem condição de governar. Neste caso, é um aval, não é transferência de voto, já que o apoio daria segurança para a capacidade do indicado de comandar um governo", diz Almeida. Ainda segundo ele, há outra situação que favorece eleitoralmente um candidato apoiado por líderes políticos. "Quando o presidente, governador e um prefeito bem avaliados indicam um sucessor, é a garantia de continuidade de um governo que agrada à maioria. Em geral, o escolhido é eleito. Resumo isto da seguinte forma: presidente bem avaliado elege presidente. Governador elege governador. Prefeito elege prefeito", afirma Almeida. O cientista político Vitor

Marchetti, professor de políticas públicas na Universidade Federal do ABC, na Grande São Paulo, diz que a questão da transferência de voto ainda precisa ser mais bem aprofundada nas pesquisas. Mas, diz que, em 2º turno eleitoral, ocorre muito o voto útil, estratégico. Ou seja, o eleitor vota menos conforme sua preferência, e mais de acordo com o que considera melhor e com possibilidade de vencer. Para Marchetti, a participação de Lula e de Dilma beneficiou os candidatos que eles apoiaram, por meio de transferência de capital político. "Neste caso, os apoiados ficam com uma boa imagem diante dos eleitores. Deixam implícito que têm bom trânsito junto ao governo federal. Como eu disse, há aqui transferência de capital político e não de votos", diz Marchetti. São Paulo – Em relação à disputa na capital paulista, Almeida diz que é irrelevante a transferência de voto dos perdedores do 1º turno para os candidatos que apoiam nesta 2ª etapa. Usa como exemplo o resultado de pesquisas eleitorais. "Veja bem: o Russomanno perdeu no 1º turno, e no 2º, decidiu ficar neutro, não apoiar nenhum candidato. O Chalita também não foi para o 2º turno, mas dá apoio e está aliado ao candidato Haddad, do PT. Essas decisões mostram a irrelevância da transferência de votos", diz Almeida.

O eleitor vota menos conforme a preferência, e mais de acordo com o que considera ter mais possibilidade de vencer. VITOR MARCHETTI, Ele acrescenta que, segundo as pesquisas, a maioria dos eleitores do Russomanno passou a apoiar o Haddad. No caso dos eleitores de Chalita, houve divisão em favor dos dois candidatos no 2º turno: Haddad e Serra. "O eleitor decide sozinho. Apoia segundo suas afinidades com o candidato. Neste caso, vemos que transferência de voto é um mito". Marchetti também avalia que o eleitor decide sozinho, de acordo com o cenário político e com suas afinidades e preferências políticas. "O Serra, por exemplo, tem apoio de três perdedores no 1º turno: Soninha, Paulinho da Força e Borges D'Urso, vice de Russomanno. Mesmo que esses apoiadores transferissem os votos dos seus eleitores para o tucano, seria uma transferência pequena, sem importância, já que tiveram votação baixa no 1º turno. Ainda segundo Marchetti, não é a maneira como os candidatos compuseram os pa-

Antonio Carlos Almeida: "No segundo turno, o eleitor decide sozinho". lanques no 2º turno que fará a diferença na eleição do próximo domingo. "As estratégias que os candidatos Haddad e Serra lançam para conquistar o eleitor definirão o vencedor na eleição do dia 28", explica Marchetti. "O apoio de candi-

datos e líderes é uma dessas estratégias, mas é fraca. O eleitor votará no candidato que considerar que tem o melhor programa de governo, que tem credibilidade e capacidade de governar e melhorar a vida na cidade",


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

IRÃ ATÔMICO Teerã nega acordo para dialogar com EUA sobre programa nuclear

nternacional

EGITO Pastor e cristãos coptas dos EUA são julgados por filme anti-Islã

Rick Wilking/Reuters

Preparativos: estudantes fazem simulado do último debate presidencial dos EUA.

O MUNDO À MESA

PARA O DESEMPATE

Quando se sentarem hoje à mesa na Universidade Lynn, em Boca Raton, na Flórida, com o mediador Bob Schieffer para falar de política externa, é altamente improvável que os presidenciáveis norte-americanos citem a América Latina ou o Brasil. Schieffer, âncora da CBS, quer dedicar metade do debate desta noite – o terceiro e último entre os candidatos – ao Oriente Médio: dois de seis blocos tratarão das mudanças na região pós-Primavera Árabe e do terrorismo; um terceiro, da tensão com o Irã e de Israel. Reforçando a vocação de Defesa da política externa norte-americana, haverá um bloco sobre a guerra no Afeganistão e sua extensão ao

Paquistão, e um exame do papel dos EUA no mundo, no qual se pressupõe foco nas intervenções militares – dada a piora do conflito na Síria. O candidato republicano Mitt Romney terá outra chance para acuar o presidente Barack Obama pelas trapalhadas ao lidar com o assassinato do embaixador Chris Stevens na Líbia – no debate anterior, saiu-se mal. Os analistas, porém, concordam que Romney vai ao debate com desvantagem. "Romney chega a esse debate com uma desvantagem significativa, porque não teve as sessões informativas diárias sobre assuntos internacionais e de segurança nacional, como presidente Obama teve desde 2009", explicou

John Fauber/MJS/Reuters

Massagens e tiros em spa de Wisconsin

A polícia do estado norteamericano de Wisconsin confirmou que três pessoas morreram e quatro ficaram feridas durante tiroteio em um spa em Brookfield, subúrbio de Milwaukee, ontem. O suspeito, identificado como Radcliffe Franklin Haughton, foi encontrado morto horas depois. Por volta das 11h (horário local, 14h de Brasília), um homem negro e de 45 anos identificado como Haughton entrou no spa e começou a atirar, segundo as autoridades (acima, clientes e funcionários aguardam do lado de fora do spa). As primeiras hipóteses apontam que o tiroteio está relacionado com um caso de violência doméstica, já que uma das funcionárias do spa era esposa do suspeito, embora ambos estivessem separados. Segundo registros judiciais, há pou-

Reuters - 08/07/06

9

cos dias havia sido emitida uma ordem para que Haughton entregasse suas armas. O chefe da polícia de Brookfield, Dan Tushaus, disse à imprensa que três das vítimas do tiroteio morreram e outras quatro estão feridas, e foram levadas a hospitais da região. Tushaus revelou ainda que um explosivo foi encontrado no spa. Após horas de busca, Haughton foi encontrado morto no interior do spa, já que aparentemente se suicidou, embora as autoridades não tenham confirmado a informação. (Agências)

Morre McGovern, o pacifista. Morreu ontem, aos 90 anos, o ex-senador norte-americano George McGovern, cuja postura contra a Guerra do Vietnã na corrida presidencial de 1972, em oposição ao presidente Richard Nixon, causou a ele uma das maiores derrotas eleitorais da história dos Estados Unidos. McGovern morreu de maneira tranquila na manhã de ontem em um asilo em Sioux Falls, em Dakota do Sul, cercado por familiares e amigos próximos, segundo comunicado da família. Nascido em Avon, em Dakota do Sul, seu pai foi um pastor metodista e o político cresceu em um ambiente extremamente religioso. McGovern foi piloto durante a Segunda Guerra Mundial, estudou História na universidade e dirigiu o programa Alimentos para a Paz durante o governo de John F. Kennedy. O político representou a Dakota do Sul no Congresso durante mais de duas décadas, primeiro na Câmara dos Representantes (de 1957 a 1961) e depois no Senado (de 1963 a 1981). Ele foi um dos primeiros congressistas que se opôs à Guerra do Vietnã e este foi o principal argumento de sua campanha como candidato presidencial democrata em 1972. (Agências)

à agência Efe Diana Negroponte, do centro de estudos Brookings em Washington. Bruce Gronbeck, professor emérito da Universidade de Iowa, lembrou que Obama também pode mencionar conquistas como a retirada das tropas do Iraque, a saída planejada do Afeganistão e o duro golpe à Al-Qaeda com a morte de seu líder, Osama bin Laden. Paradoxalmente, a China, fantasma maior para a hegemonia norte-americana, será alvo só do último bloco, sob risco de ser reduzido. Empate - É a última chance que os dois candidatos na corrida à Casa Branca têm para se confrontar diretamente diante de milhões de telespectadores. O debate de 90 minutos em

Boca Raton ocorre apenas 15 dias antes do pleito, programado para 6 de novembro. As pesquisas mostram uma disputa empatada. Uma enquete da NBC/Wall Street Journal indicou os dois candidatos com 47% das intenções de votos entre prováveis eleitores, o que marca uma recuperação do republicano depois de uma série de gafes, incluindo a divulgação de uma gravação na qual ele sugere que quase metade do eleitorado depende do governo para o seu sustento. (Agências) Leia mais sobre os temas que podem ser debatidos na próxima página


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

O país inteiro será fechado até que Mikati renuncie. Ahmad Balaa, ativista libanês. nternacional

PRÉ-DEBATE ELEITORAL DOS ESTADOS UNIDOS. AO VIVO. Sob os acordes da marcha fúnebre de Chopin e protestos contra o governo, milhares de pessoas acompanharam ontem em Beirute o funeral do chefe da inteligência libanesa Wissam al Hassan, assassinado por um carro-bomba na sexta-feira. O funeral terminou em confrontos com a polícia próximo à sede do governo em Beirute. Simpatizantes da aliança opositora 14 de Março, à qual Al Hassan era ligado, exigem a renúncia do primeiro-ministro, Najib Mikati, que acusam de acobertar o crime. O protesto levou a choques com a polícia, que deu tiros de alerta e disparou gás lacrimogêneo contra manifestantes, que atiraram pedras e tentaram invadir o prédio (foto abaixo, à dir.). A tentativa foi contida, mas o clima de tensão não se dissipou em Beirute. "O país inteiro será fechado até que Mikati renuncie", disse à TV Al Jazeera o ativista Ahmad Balaa, filiado à coalizão 14 de Março. Síria - O assassinato de Al Hassan colocou a capital libanesa no mapa das tensões criadas pela guerra civil na Síria, que, nos últimos meses, já havia gerado choques entre defensores e opositores do presidente sírio, Bashar al-Assad. A oposição libanesa acusou Assad de estar por trás do carro-bomba que matou Al Hassan e outras sete pessoas em Beirute, numa tentativa de exportar sua guerra para o volátil país vizinho. O funeral virou a mais explícita manifestação já feita em Beirute em apoio aos rebeldes que tentam derrubar Assad (à esq., multidão acompanha caixões de Al Hassan e seu guarda-costas). Em

Tensão volta às ruas do Líbano

Hussam Shebaro/Reuters

meio a bandeiras libanesas tremularam bandeiras da oposição síria. O grito anti-Síria acabou se estendendo ao governo libanês e seu mais poderoso integrante, o grupo xiita Hezbollah, um dos principais aliados do regime Assad. Diante da multidão no funeral, o ex-premiê Fouad Siniora exigiu a renúncia de Mikati. "Não a um governo que acoberta crimes. Sim a um governo neutro de salvação", disse Siniora. Ele condenou, porém, os atos de violência. Depois de colocar o cargo à disposição, o premiê Mikati disse que ficaria no cargo a pedido do presidente, Michael Suleiman, para evitar o risco de um vácuo de poder. Investigação - Os Estados Unidos ofereceram ajuda ao Líbano para investigar o atentado. A secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, falou por telefone com o premiê libanês para condenar o ataque e fornecer ajuda para o Líbano manter a "estabilidade, independência, soberania e segurança". (Agências) Hasan Shaaban/Reuters

VIOLÊNCIA E PAZ NA SÍRIA Fotos: Sana/Reuters

Uma forte explosão atingiu Damasco ontem, matando 13 pessoas, enquanto o enviado de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), Lakhdar Brahimi, visitava a capital da Síria para conversas com o presidente Bashar al-Assad. O carro-bomba explodiu em frente a uma delegacia de polícia no bairro predominantemente cristão de Bab Touma, deixando outras 15 pessoas feridas. Este é o primeiro atentado ocorrido neste bairro, um dos mais antigos da capital. Por temer os islamitas, a hierarquia cristã e boa parte desta comunidade tomou partido do regime de Assad. A explosão coincidiu com a

chegada do enviado de paz da ONU, Lakhdar Brahimi. Em reunião com Assad, ele fez um apelo para que as partes em conflito na Síria proclamem uma trégua durante a festa muçulmana do Eid al-Adha, que é celebrada no próximo dia 26. "Peço a todos, a cada sírio, nas ruas, nas aldeias, aos combatentes no exército regular sírio e aos opositores, que tomem uma decisão unilateral de cessar as hostilidades por ocasião do Eid al-Adha", afirmou ele à imprensa após a reunião. A agência de notícias estatal Sana afirmou que o presidente Assad apoiava "qualquer esforço sincero para encontrar uma solução política para a cri-

Carro-bomba explode em bairro cristão de Damasco, enquanto mediador da ONU conversa com presidente sírio.

se, baseada no respeito da soberania síria e rejeitando intervenção estrangeira". Depois, Brahimi assinalou que entrou em contato com os dirigentes da oposição civil

dentro e fora da Síria e com grupos armados dentro do país. "Encontramos uma recepção muito favorável ao nosso chamado", afirmou. "Voltaremos à Síria depois

do Eid al-Adha e, se realmente for instaurada a calma durante a festa, continuaremos trabalhando para conseguir uma trégua duradoura", acrescentou o mediador. (Agências)

ISRAEL Israel realizou ontem o seu primeiro treinamento para o caso de sofrer um terremoto, em vez da simulação anual de um ataque com míssil. No entanto, autoridades insistem que o país permanece pronto para a possibilidade de uma guerra com o Irã. Estudantes, servidores públicos e outros esvaziaram prédios, ao mesmo tempo em que rádios e TVs simularam alertas de tremores. Em anos recentes, as pessoas receberam orientações para se dirigir aos abrigos antibomba para fugir de ataques imaginários com mísseis. "Queremos que as pessoas corram para dentro das casas durante ataques e corram para fora delas durante um terremoto", disse o premiê israelense, Benjamin Netanyahu. Autoridades negaram que o treinamento indica uma posi-

ção mais flexível em relação ao Irã. "Quem está pronto para terremotos aumenta a sua capacidade para enfrentar outros tipos de evento, incluindo eventos de guerra", afirmou o

general Mickey Tessler. O treinamento coincide com as manobras militares conjuntas de Israel e dos EUA. As duas atividades não têm relação, segundo Israel. (Reuters)

OU GUERRA?

Equipes de resgate participam de simulado, que teve presença do premiê.

O álbum da Al-Qaeda na Jordânia Fotos: Petra/Reuters

TERREMOTO?

Fotos: Nir Elias/Reuters

As autoridades da Jordânia desbarataram um grande plano de uma célula da Al-Qaeda para desestabilizar a segurança do país por meio de ataques a bomba em shopping centers e assassinatos de diplomatas ocidentais, afirmou a televi-

são estatal do país ontem. O canal estatal citou forças de segurança afirmando que tinham detido 11 suspeitos e que o plano estava sendo preparado desde junho (acima, alguns dos suspeitos detidos). As autoridades suspeitam

que o ataque ocorreria no próximo dia 9 de novembro, data de aniversário dos ataques de 2005 em Amã. De acordo com os militares citados pela emissora, o plano dos terroristas envolvia ataques na capital Amã com o uso

de armas e explosivos contrabandeados da Síria. "Os planos deles incluíam obter explosivos e morteiros da Síria", disse uma fonte da área de segurança à Reuters. Os atentados, direcionados a áreas ocidentais e comer-

ciais, provavelmente resultariam na morte de milhares de pessoas, segundo autoridades jordanianas. A fonte disse que os suspeitos tinham produzido explosivos "com objetivo de infligir o maior número de baixas hu-

manas possível". A Jordânia é um importante aliado dos Estados Unidos no Oriente Médio e parceiro de paz de Israel. O reino árabe tem sido alvo frequente da AlQaeda e outros militantes islâmicos. (Agências)


g

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

DIÁRIO DO COMÉRCIO

11

eral

PARA SE PREOCUPAR Ilha Tatoosh é objeto de análise há mais quatro décadas e os cientistas estão preocupados com a queda da população de várias espécies.

Fotos de Matthew Ryan Williams/The New York Times

A acidez cada vez maior da água dos oceanos, provocada pela absorção de dióxido de carbono liberado na atmosfera, poderá ser responsável pela redução de importantes populações de aves e de moluscos, entre outras. Cientistas que pesquisam na ilha Tatoosh, no estado americano de Washington, alertam que tal situação pode gerar reações em cadeia entre os animais que se alimentam dessas espécies, entre eles os seres humanos. A fauna da ilha Tatoosh, no estado americano de Washington, vem sendo estudada desde os anos 60. Cientistas estão preocupados com acidez nas águas.

Pequena ilha é chave para futuro dos mares Stacey Solie

A

partir de um trecho de litoral rochoso da pequena ilha Tatoosh, no estado americano de Washington, é possível observar lontras flutuando de barriga para cima, elefantes-marinhos e uma águia careca voando sobre araus-comuns agrupados no penhasco. Essa ave, que parece um pinguim em miniatura, mergulha em sincronia com as companheiras. A impressão é de que a fauna está em desenvolvimento nessa estação remota, que também serviu de base para a guarda costeira americana e possui um farol desativado. Ela também já foi usada como local de caça a baleias pelo povo makah, que tem a posse da terra. Com sua aprovação, a ilha vem sendo objeto de análise biológica intensa há mais quatro décadas e os cientistas afirmam que têm visto a preocupante queda da população de várias espécies. Essas alterações podem ser indicadoras de mudanças que ocorrerão em todos os oceanos. Cathy Pfister e Timothy Wootton, professores de biologia da Universidade de Chicago, visitam a ilha desde 1980, muitas vezes em companhia de Robert T. Paine, professor de zoologia aposentado da Universidade de Washington. Paine esteve em Tatoosh diversas vezes em 1979 para dar continuidade à sua pesquisa ecológica iniciada nos anos 1960. Entre as espécies cuja população diminuiu estão a gaivota e o arau-comum. Historicamente resistentes, as duas espécies foram reduzidas à metade em 10 anos, e poucos filhotes saíram do ovo na primavera deste ano. As cascas dos mexilhões estão notadamente mais finas e parecem se despregar das pedras com mais facilidade e maior frequência. Um marisco chamado perce-

As escarpas da ilha servem de hábitat para várias espécies

As cascas dos mexilhões estão notadamente mais finas

Cientistas também pesquisam as variações climáticas

Áreas desprovidas de moluscos nas rochas têm ficado maiores

Poucos filhotes de gaivota e de arau-comum saíram do ovo este ano

As estrelas do mar estão entre as espécies em estudo pelos cientistas

bes também está sumindo, assim como a alga coralina – sólida, cor de vinho e coberta de manchas. Embora não seja totalmente compreendida, essa diminuição populacional não é

um mistério total. Os biólogos suspeitam que as alterações estejam relacionadas com a grande redução do pH da água, mudança atribuída ao excesso de absorção de dióxido de car-

bono, que é liberado na atmosfera em quantidades cada vez maiores pela combustão de combustíveis fósseis para produção de energia. Com a absorção do dióxido

de carbono ocorre uma alteração química na água dos oceanos, tornando-a cada vez mais ácida. A sobrevivência de percebes, ostras e mexilhões fica cada vez mais difícil e isso pode

gerar reações em cadeia entre os animais que se alimentam dessas espécies, como os pássaros e os seres humanos. Na viagem que fizeram no ano 2000, Pfister e Wootton começaram a examinar o pH de amostras de água e descobriram que a acidez da água dos arredores da ilha Tatoosh e de áreas costeiras das proximidades é dez vezes superior à prevista pelos modelos aprovados de alteração climática. Os dados foram coletados durante sete anos. Quando estudava essa ilha e a costa de um continente próximo, Paine desenvolveu sua hipótese de espécie-chave, que descreve como os predadores no topo da cadeia alimentar dominam um ecossistema, muitas vezes para o benefício da diversidade das espécies. As espécies da ilha agora estão ajudando a esclarecer dúvidas importantes relacionadas à biologia. Os mexilhões parecem estar sucumbindo ao bater das ondas com mais facilidade. As áreas desprovidas do molusco nas rochas têm ficado maiores e numerosas, disse Wootton, que registra o tamanho dessas áreas por meio de medições em vários pontos da ilha. "As rochas estão diferentes", disse Pfister, apontando para uma área sem moluscos que parece coberta de ervas daninhas, próximo do local em que Paine realizou o estudo. Ele conta que as esponjas calcárias que habitam as cavernas da ilha formam seu esqueleto, ou espícula, a partir do carbonato de cálcio dissolvido na água, assim como as espécies de casca dura, o que as torna vulneráveis em águas mais ácidas. "Não se sabe quase nada sobre essa espécie", afirmou Paine. "Ninguém tem tempo de retirar amostras de esponjas calcárias, quanto mais reconhecê-las e elas provavelmente irão desaparecer." The New York Times News Service


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

acsp

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

VIDRO E VIGILÂNCIA Todo recuperado, o local é cercado de vidro, para garantir luminosidade, e tem vigilância 24 horas.

distritais

Mais flores para o Centro

Arquivo/DC

Sob o viaduto do Café, na rua Avanhandava, foi aberto o Mercado das Flores. São duas lojas e uma área de descanso. André de Almeida e Mariana Missiaggia

Fotos: L.C. Leite/Luz

Junto à Ação Local da rua Avanhandava, o empresário conseguiu que a Ilume – o Departamento de Iluminação Pública de São Paulo – recuperasse a iluminação do trecho, que estava desativada há anos. Para Darcy Gersósimo, diretor da Ação Local Avanhandava, a inauguração do Mercado das Flores é uma boa iniciativa. "Estamos muito satisfeitos com a novidade. Temos ótimos restaurantes na porta de nossas casas e muitas vezes viramos reféns do medo. Conheci pessoas que foram assassinadas em assaltos nesse trecho. Por isso, só temos a agradecer", afirmou. Planos -O Mercado das Flores funciona entre 7h e 23h, mas a intenção, futuramente, é que fique aberto 24 horas. "Não é uma proposta imediata, mas esperamos que, em um futuro próximo, isso seja possível e se concretize. Vai depender da demanda e da segurança", explicou Agnaldo. Quanto à demanda, o mercado, inaugurado em 29 de setembro, já supera as expectativas. "Praticamente todos os meus clientes fixos da praça Roosevelt vieram para cá. Além deles, as vendas aumentaram consideravelmente por causa dos restaurantes e teatros instalados na redondeza", disse. "O lugar ficou maravilhoso. Antes eu tinha medo de passar por aqui. Foi a escolha certa para o lugar certo", afirmou a aposentada Conceição Rúbio.

O

s moradores da rua Avanhandava, na Bela Vista, região central de São Paulo, ganharam uma nova área comercial e de convivência: o Mercado das Flores, instalado sob o viaduto do Café. Como o próprio nome sugere, no local há duas lojas de venda de flores, além de uma praça de convivência com 640 metros quadrados, aberta ao público. Os novos pontos, comerciais e de lazer e descanso, ajudaram a revitalizar uma área que já foi conhecida como como ponto de prostituição e que era frequentada por usuários de drogas e moradores de rua. A ideia de montar o mercado nasceu quando o empresário Agnaldo José dos Santos teve que sair de seu quiosque de flores na praça Roosevelt, onde estava há 20 anos, para a reforma daquele espaço, iniciada em 2010 e concluída recentemente. "Tive de procurar opções e vislumbrei na parte embaixo do viaduto uma ótima possibilidade", disse. Como está instalado na região central há anos, Agnaldo afirma que tem um bom relacionamento com os moradores e sabe do empenho dos dirigentes da Ação Local da Avanhandava para recuperar o entorno. "Trata-se de um recomeço, tanto para

mim quanto para a rua", disse. O espaço recém aberto também serve de passagem para quem quer ir da Avanhandava para a avenida Nove de Julho. Estrutura - Depois de apresentar a proposta à Subprefeitura da Sé e vencer a licitação, Agnaldo obteve autorização para revitalizar a área e dar início à obra, cujo investimento foi de R$ 200 mil. O Mercado das Flores, que começou a ser construído em maio, tem 200 metros quadrados, uma galeria de flores e uma floricultura, dirigidas pelo empresário e sua esposa, com a colaboração de 15 funcionários. Atrás das floriculturas há a praça de convivência com paisagismo especial, bancos e vigilância 24 horas. "Não é só comércio. Queremos que as pessoas encontrem aqui um refú-

Além das duas lojas de venda de flores, há uma área de convivência com 640 metros quadrados, aberta ao público. O projeto, que custou R$ 200 mil, ajudou a recuperar uma área da cidade que era conhecida como ponto de prostituição.

José Alarico Rebouças, superintendente

Pace poderá ser estendido para outras distritais

U

m serviço oferecido há quatro anos pela Distrital Centro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), com resultados bem positivos, poderá, em breve, estar disponível em outras distritais. Trata-se do Posto Avançado de Conciliação Extraprocessual (Pace), uma parceria entre a ACSP e o Tribunal de Justiça de São Paulo. Por meio do Pace, pessoas físicas e jurídicas podem, gratuitamente, participar de audiências de conciliação sobre direitos patrimoniais disponíveis, como dívida com bancos, cartões de crédito, renegociações de dívidas, cobrança de inadimplente, recuperação de crédito e contratos, entre outros pontos. Na parceria, o Tribunal presta a cooperação técnica, disponibilizando conciliadores judiciais, sistemas de informatização e cursos de capacitação que se mostrarem necessários. A ACSP, por sua vez, fornece os recursos físicos, tecnológicos e logísticos e o pessoal necessário para a instalação e manutenção do Pace. Segundo o superintendente da Distrital Centro, José Alarico Rebouças, desde a sua implantação, o Pace já realizou mais de 20 mil audiências. "São aproximadamente 500 casos atendidos por mês, sendo que em 75% deles são realizados acordos em um prazo de homologação que não passa de 30 dias. Queremos expandir ainda mais o serviço na distrital", afirmou o dirigente. André de Almeida

G Ir

Agendas da Associação e das distritais

Vislumbrei na parte embaixo do viaduto uma ótima possibilidade para a loja.

Amanhã I Noroeste – Às 19, 26ª reunião

Ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor . Rua Luis Braille, 8. I Jabaquara – Às 19h30, 26ª reunião Ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor e apresentação do Projeto Empreender. Avenida Santa Catarina, 641.

AGNALDO JOSÉ DOS SANTOS, DONO DAS LOJAS

Quarta I Uruguai – O conselheiro da ACSP

Conceição Rúbio aprovou o projeto e disse que agora sente segurança para passar pelo local.

gio agradável em seu próprio bairro". O espaço, antes abandonado, teve o muro alto trocado por grades e vidro, que deixam o ambiente ventilado e iluminado. Na fachada, tapumes pichados foram substituídos por madeira envernizada.

De todos os tipos e cores, as flores e plantas são vendidas em duas lojas. A ideia é, no futuro, funcionar 24 horas.

Exemplo - Além de conquistar o público e trazer uma nova opção de compra e lazer para a clientela local, o proprietário do Mercado das Flores espera que sua atitude sirva de exemplo e seja copiada por outros comerciantes da área central da cidade. "O Centro de São Paulo está voltando a ser o que era e as pessoas estão, novamente, circulando sem medo, prestigiando a região". Na opinião do superintendente da Distrital Centro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), José Alarico Rebouças, outros espaços públicos como esse poderiam ser ocupados com finalidades comerciais. "A iniciativa foi muito feliz, ainda mais no segmento de flores, que enfeita e ajuda a revitalizar a cidade", concluiu o dirigente.

Márcio Arroyo coordena a reunião preparatória para Missão ao Uruguai. Às 9h, rua Boa Vista, 51, 9º andar, plenária. I Santo Amaro – Às 19h, reunião Ordinária da Diretoria Executiva e Conselhos Diretor. Av. Mário Lopes Leão, 406. I Mooca – Às 19h30, 23ª reunião Ordinária com o relançamento do Projeto Empreender, com Pedro Ferreira Filho, agente do Empreender. Às 20h, palestra "Aprenda a comparar antes de Investir", com Carlos Roberto Cabeji Segura e Roberto Antonio Pancini, sócios proprietários da Money Coach Investimentos. Rua Madre de Deus, 222. I Tatuapé – Às 19h30, 25° reunião Ordinária Itinerante. Sociedade Amigos de Vila Formosa, praça Sampaio Vidal, 77. Confirmação: 2941-6397, 2092-2979 ou dtatuape@acsp.com.br

Quinta I Santo Amaro – Às 15h, reunião da

comissão do Natal Iluminado, coordenada por Paulo Bueno. Avenida Mário Lopes Leão, 406. I Penha – Às 19h30, reunião com homenagem a empreendedores da zona leste. Rua Boa Vista, 51, 12° andar. I Penha 2 – Às 19h30, 27ª reunião Ordinária com apresentação do Projeto Empreender. Av. Gabriela Mistral, 199.

Sexta I Penha – Às 9h30 e 14h30, curso

de coral infanto juvenil e às 16h, curso de coral adulto. Av. Gabriela Mistral, 199.


sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

DIÁRIO DO COMÉRCIO

13

facesp

18 MESES As obras na estrada Paraty-Cunha devem durar 18 meses, abrangerão 9,4 quilômetros e estão orçadas em R$ 80 milhões.

regionais

la Geraldo Mage

Tannús/Divulg

ação

Governo do Estado de São Paulo/Divulgação

Cunha será beneficiada com a recuperação da estrada, já que o acesso para turistas ficará mais fácil. Rios e cachoeiras serão preservados.

UM NOVO CAMINHO PARA O MAR Estrada que liga Cunha a Paraty passará por obras. Quando estiver pronta, será uma opção mais rápida para turistas de Minas e do Vale do Paraíba que vão ao litoral.

M

o r a d o r e s d a r egião do Vale do Paraíba e do sul de Minas Gerais terão um caminho mais fácil para chegar à conhecida cidade de Paraty, no litoral sul fluminense, e às praias do litoral norte paulista. Até o final deste mês começará a recuperação e pavimentação de um dos trechos mais problemáticos da estrada Paraty-Cunha – municípios do Rio e São Paulo, respectivamente – que já integrou a histórica Estrada Real. As obras, a cargo do governo do Estado do Rio de Janeiro, devem durar 18 meses, beneficiando diretamente o turismo nestas cidades, especialmente em Cunha. A pavimentação do trecho em questão – 9,4 quilômetros localizados no território fluminense, bem próximos à divisa com São Paulo – e a recuperação total da estrada são aguardadas há décadas por turistas e moradores da região. Depois de cinco anos de espera, a licença para a obra foi concedida no início deste mês pelo Ibama. O trajeto entre Paraty e Cunha tem, ao todo, 47 quilômetros. No território paulista, a estrada (SP-171) já está pavimentada, da mesma forma que no restante do trecho fluminense (RJ-165).

Conceito - A estrada ParatyCunha terá o conceito de estrada-parque, com asfalto menos poluente, preservação do curso de rios e córregos e criação de travessias aéreas e subterrâneas para animais. Alguns deles, inclusive, ameaçados de extinção, como o rato-toupeira, que tem cerca de 22 centímetros e 30 gramas. Um grupo do Laboratório de Zoologia de Vertebrados da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj) catalogou na região 31 espécies de mamíferos. Para investir na conservação na estrada haverá cobrança de taxa para os veículos, mas o valor ainda não foi definido. Outra medida em discussão é o fechamento da via à noite. De acordo com o coordenador de Turismo e Cultura de Cunha, Otávio Kalckman, o trecho, apesar de re-

lativamente curto, tem declive acentuado, neblina e chuva. O custo total estimado das obras é de R$ 80 milhões. Na opinião de Kalckman, a estrada será a opção mais econômica e curta para os turistas do Vale do Paraíba e do sul de Minas. "Sem falar na beleza das paisagens do Parque da Serra da Bocaina", disse. "A distância entre Paraty e Cunha será encurtada em 270 quilômetros", afirmou o subsecretário estadual de Urbanismo Regional e Metropolitano do Rio de Janeiro, Vicente Loureiro. Além do escoamento do pescado de Paraty e do turismo, principalmente em Ubatuba, o subsecretário listou outros benefícios. "Será um ganho para quem mora em Paraty e necessita, por exemplo, fazer tratamento médico em Taubaté", disse.

A estrada Paraty-Cunha já integrou a histórica Estrada Real

Cunha - Entre os municípios da região, incluindo os do Vale do Paraíba e do litoral norte paulista, o que sofrerá mais impactos positivos com a obra deve ser Cunha, localizado no meio do caminho entre Guaratinguetá, no vale, e Paraty. Atualmente a cidade, com 22 mil habitantes, recebe cerca de 30 mil turistas por ano, mesmo com a estrada em más condições. "Nossas 45 pousadas infelizmente apresentam uma taxa de ocupação média anual de 25%. Com a estrada recuperada e aumento no fluxo de veículos, esperamos triplicar tanto o número de turistas na cidade quanto o movimento nas pousadas", afirmou Kalckman. Hoje, com todos os obstáculos, o trajeto entre Cunha e Paraty, de 47 quilômetros, é feito em 90 minutos, na média. "Quanto pronta, a descida levará, no máximo, meia hora". O mesmo otimismo do coordenador de Turismo e Cultura é compartilhado por Jorge Samahá, presidente da Associação Comercial de Pindamonhangaba e representante da Facesp na região que engloba o Vale do Paraíba e o litoral norte paulista. Para ele, os setores de comércio e serviços de Cunha, principalmente restaurantes, ganharão com o aumento de turistas. "A própria cidade de Ubatuba se beneficiará bastante", concluiu o dirigente.

Pela estrada se chega ao Caminho do Ouro

A

estrada ParatyCunha preserva um jeito de interior. No seu percurso, áreas rurais, belas paisagens, esportes radicais, restaurantes e pousadas. A estrada encontra-se entre os rios Mateus Nunes e PerequêAçú, fornecendo piscinas naturais e cachoeiras em toda a sua extensão, sempre rodeada de Mata Atlântica preservada. A cachoeira do Escorrega, conhecida também como cachoeira da Penha, é uma das mais conhecidas.

É também a partir desta estrada que se chega ao acesso ao Caminho do Ouro, antigo calçamento recuperado, que atravessa a mata, por onde o ouro era escoado de Minas Gerais ao porto da cidade de Paraty. O caminho foi construído pelos escravos entre os séculos 17 e 18, a partir de trilhas deixadas pelos índios guaianazes. Ponto de passagem obrigatório naquela época, a estrada ligava Minas Gerais a Rio de Janeiro e São Paulo.

DC

André de Almeida

CONTABILIDADE LTDA.-ME

Tel./Fax: (11) 5686-2991 ou 3462-5267

- contalife@uol.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

LEGO é arte

Artista mantém em seu estúdio, em Nova York, um estoque de 1,5 milhão de bloquinhos coloridos.

Muita gente faz do LEGO uma ferramenta para criar miniaturas e maquetes, mas o artista Nathan Sawaya transformou os bloquinhos em matériaprima de sua arte, inspirada nas imagens digitalizadas. http://brickar tist.com/exhibitions/

Logo Logo

Ilusões espelhadas

www.dcomercio.com.br

A escultora Daniele Fratarcangeli utiliza a técnica tradicional de sopro para criar suas peças. Depois espelha os frascos por dentro, transformando-os em superfícies capazes de confundir o olhar. http://danielefratarcangeli.com

L ITERATURA L UXO

M ÍDIA

Kafka para todos

M

ilhares de manuscritos de Franz Kafka (18831924), autor imprescindível do século XX, poderão ser conhecidos pela primeira vez após uma recente decisão judicial israelense que segue um longo caminho de fugas, paixões, heranças, promessas, segredos e cofres ocultos.

Assim que for executada a sentença ditada no fim de semana passado pelo Tribunal de Família do Distrito de Tel Aviv, o legado do amigo íntimo de Kafka – o escritor e compositor judeu Max Brod – será em breve transferido de mãos privadas para a Biblioteca Nacional de Israel, onde estará acessível para pesquisadores do mundo todo.

A execução, porém, pode se prolongar durante anos se os até agora proprietários do tesouro literário resolverem apelar a uma corte superior, como seus advogados advertiram que farão. Alguns especialistas acham que pode haver mais cofres ocultos e mantêm a esperança de que exista alguma obra inédita no enorme legado de Kafka. (Estadão Conteúdo)

J.Duran Machfee/Estadão Conteúdo

Para um frio de rachar Quem sente muito, mas muito frio, pode se preparar para o próximo inverno com a jaqueta Ai Riders on the Storm. Até a cabeça fica totalmente protegida. Mas pode respirar tranquilo: a peça tem aberturas para a entrada de ar e proteção para os olhos. http://bit.ly/VcIGm5

E DUCAÇÃO

Unifesp decide próximo reitor peso para docentes e 15% para estudantes e técnicos administrativos em educação), a chapa teve 39% dos votos. Os resultados serão encaminhados ao Conselho Universitário, na quarta-feira, quando será elaborada uma lista tríplice com base nos resultados da eleição direta. A sanção final será do ministro da Educação, Aloizio Mercadante, que deve referendar o nome aprovado na eleição.

Agora clássicas L

Liderada pelas professoras Soraya S. Smaili e Valeria Petri, a Chapa 3 venceu a eleição direta para a reitoria da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), encerrada na quarta-feira à noite. A chapa, chamada de "Unifesp Plural e Democrática", teve 3.640 votos, dos quais 330 de professores, 2.267 de alunos e 1.043 de técnicos administrativos. Na ponderação final (70% de

A PRAÇA É DO POVO - O ato público "Existe Amor em SP" lotou a Praça Roosevelt, no centro de São Paulo. O clima era tranquilo, segundo a Polícia Militar. Não foi registrada nenhuma ocorrência até o começo da noite.

A revista Newsweek não terá mais versão impressa. Confira algumas capas históricas no site abaixo. http://bit.ly/RL07wl

Cartões postais literários O site Vintag.es reuniu uma série de cartões postais enviados por escritores famosos para seus colegas de profissão e prestígio. Nas imagens ao lado você vê frente e verso do cartão enviado por David Foster Wallace para Don DeLillo e apenas o texto de um cartão enviado por Truman Capote para Boris Groudinko nos anos 1960. Veja outras correspondências no site. http://bit.ly/Vdqhpe

E M

C A R T A Z

C RIME

Adolescente é morta em Higienópolis Exposição Naves exibe imagens do fotógrafo Luis Carlos da Silva. Salão da Fotografia Consigo. Rua Conselheiro Crispiniano, 105, 1º andar, Centro. Grátis.

Uma adolescente de 15 anos foi assassinada após reagir a um assalto na rua Sabará, em Higienópolis, região central de São Paulo, por volta das 2h de ontem. Caroline Silva Lee e seu namorado voltavam a pé de uma festa, próxima à casa da jovem, quando foram abordados por três suspeitos armados, em um Fiat Idea, que anunciaram o assalto. De acordo com a polícia, Caroline demorou para entregar sua bolsa e o celular aos criminosos, que atiraram duas vezes no pescoço da jovem. Os bandidos fugiram no carro. O namorado da vítima ligou para a

polícia, que localizou os três bandidos no Paraíso (zona sul). Marcos Vinícios Correia Gomes, 19, Alex Rodrigues Venancio, 18, e Claudinei Avelino Modesto, 18, confessaram o crime após serem presos. De acordo com o delegado Solano, do 27º DP (Campo Belo), onde o caso foi registrado, Gomes confessou que atirou em Caroline. "Ele disse que é isso que acontece com quem reage ao assalto. Ele falou com muita frieza". Caroline chegou a ser socorrida, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no prontosocorro do Hospital das Clínicas.


e CAIXA 1 conomia

O seu consultor financeiro

15

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012 Fotos: Newton Santos/Hype

DINHEIRO no bolso, saúde nas FINANÇAS .

Como presente de fim de ano, Paulo Cesar deu a si mesmo uma viagem a Nova York, mas sem fazer dívidas nem comprometer o seu orçamento.

Nunca é tarde para planejar: confira as dicas para usar bem o 13º e entrar em 2013 com o pé direito.

KARINA LIGNELLI

N

ada melhor do que dar de presente de Natal a si mesmo algo sonhado há muito tempo, como, por exemplo, uma viagem ao exterior. Mas, melhor ainda do que realizar um sonho, é entrar o novo ano com as finanças no azul. E antes de se empolgar com o 13º salário ou uma possível restituição do Imposto de Renda, especialistas recomendam: a dois meses do fim de 2012, é hora de colocar as contas em dia para não começar 2013 no prejuízo. Comprar presentes, programar viagens e gastar com as festas de fim de ano depende primeiro de pôr na ponta do lápis o quanto de dinheiro efetivamente entrará nesse período. "A fórmula é muito simples: destinar uma parte do dinheiro a mais para pagar dívidas, uma para poupar e outra para gastar", explica o economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Emilio Alfieri.

DE OLHO NO ORÇAMENTO Como dívidas são prioridade, o ideal para quem tem é listálas, começando das mais caras (que cobram juros mais altos, como o cartão de crédito) para as mais baratas, orienta o educador financeiro Mauro Calil. Depois, monte um plano de pagamento para começar a negociar com credores o desembolso do mínimo de juros possível. "Mesmo com as sucessivas quedas das taxas, pagar juros nunca é bom negócio", frisa. Nessa conta não se pode esquecer detalhes importantes, como já ter recebido metade do 13º, pago geralmente com as férias ou no mês de aniversário – que muita gente, além de receber, também usa antecipadamente. "Para quem não usou ou ainda vai receber o abono, o

Poupar sem sacrifício

F

oi bem cedo que o consultor de RH Paulo Cesar Tavares aprendeu a equilibrar as finanças. E também por crescer ouvindo de sua mãe a velha frase "nunca gaste mais do que ganha". Hoje, prestes a completar 40 anos, ele conseguiu realizar o sonho planejado há muito tempo: viajar para Nova York no fim do ano e, de quebra, assistir ao show de seu artista favorito. O melhor de tudo? Sem fazer dívidas, nem comprometer o orçamento mensal, e muito menos suas reservas financeiras. A recomendação aplicada à risca de "planejar os gastos de acordo com os ganhos para atingir os objetivos" – comportamento que orgulharia dez entre dez especialistas em finanças pessoais – começou quando ainda era criança e ganhava boas gorjetas fazendo feira para a vizinhança. Tudo isso Tavares fazia para comprar três gibis de super-herois, todos os meses.

Fazer pequenos trabalhos para garantir a renda se tornou um hábito até conseguir o primeiro emprego formal em um banco, aos 15 anos. "Eu planejava meus gastos apenas com metade do que ganhava: a outra eu dava para a minha mãe, para ajudar nas despesas de casa", conta. Com tanta organização, o consultor de RH conseguiu comprar o primeiro carro aos 19 anos, quitou o primeiro apartamento com 31, e depois usou-o como parte do capital utilizado para adquirir o imóvel em que vive atualmente com sua família. Ao garantir que "poupar não é sacrifício", Tavares destaca que isso depende de se organizar no dia a dia, de criar reservas para imprevistos e estabelecer limites para supérfluos. "Não é porque se tem cheque especial que é preciso usá-lo. Eu mesmo não uso porque não admito pagar juros. O que conquistei foi pensando primeiro em economizar um pouco aqui e ali. Mas sem deixar de fazer o que gosto."

Patrícia Cruz/LUZ

13º tem que ser um presente. Não é para sair gastando", diz o professor de finanças da Fundação Instituto de Pesquisas Contáveis, Financeiras e Atuariais (Fipecafi), Sílvio Paixão. Mauro Calil lembra ainda que, além organizar as finanças, é preciso fazer o 13º trabalhar para você. O plano mínimo implica em ter sonhos, como a tal viagem de fim de ano. Então, é só decidir se irá usar esse dinheiro agora, em três meses ou um ano e colocar em uma aplicação financeira que tenha a ver com seu perfil. "Quem não consegue prever o que quer para a sua vida, dificilmente encontra bom destino para o seu dinheiro", afirma. As famigeradas despesas obrigatórias de início do ano – como material escolar, Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto sobre Propriedade de Veículos Automotores

Mesmo com as sucessivas quedas nas taxas, pagar juros nunca é bom negócio MAURO CALIL

(IPVA) e renovação do seguro – não podem ser esquecidas, por aumentarem consideravelmente as despesas mensais. "Em muitas delas, dá para conseguir um bom desconto ao antecipar parcelas ou pagar à vista. Quando há disposição em pagar, todo mundo dá um jeitinho", lembra Sílvio Paixão.

Quem pretende assumir dívidas com as compras de Natal deve verificar o quanto sobra ao diminuir despesas (tanto fixas quanto variáveis) das receitas, ensina Alfieri, da ACSP. Depois, deve-se projetar o aumento das possíveis sobras de dinheiro no período de um ano — e observando sempre se elas se

tornarão permanentes. "Recomendo poupar o valor de uma ou duas prestações ou despesas obrigatórias – sempre contando com os reajustes anuais –, para evitar problemas em meses de gastos imprevistos, como carro quebrado e doenças. São reservas de contingência que ajudam a estruturar bem as finanças", diz.

RUMO ÀS COMPRAS E para quem não consegue fugir do espírito natalino e vai gastar parte do dinheiro, Calil lembra que, se todo ano tem Natal e férias, é mais fácil contabilizar quantos presentes serão dados para comprar com antecedência. A ideia é não deixar para a última hora. "É mais tempo para pesquisar, pechinchar, pagar menos e guardar. Quem compra antes e devagar, mesmo parcelado, nem sente – inclusive no cartão de crédito." Em relação aos gastos inevitáveis com festas e viagens de férias, Paixão orienta subdividir o orçamento em cinco categorias. Além de "poupar, claro", segundo ele, os demais itens são: básicos e previstos (alimentação, roupas etc, assim como despesas do tipo IPVA, IPTU, etc), regulares (telefone celular), bem-estar (atividades ligadas à qualidade de vida) e celebrações (que inclui qualquer festa – inclusive fim de ano). Outra dica do professor é usar duas folhas para montar o orçamento: uma, para anotar o quanto se tem de verdade, "e não o que se 'acha' que vai receber". Outra, com o que se entende que pode gastar – inclusive a quantia reservada aos presentes –, e ver se sobra algo. "É ótimo começar o ano com cabeça leve e paz de espírito. Mas para isso, as finanças têm que estar em ordem", ressalta.

O Q U E ' N Ã O ' FA Z E R A chamada "contabilidade mental", citada pela psicóloga especialista em Economia, Vera Rita de Mello Ferreira – onde se faz cálculos "de cabeça" acreditando que as contas fecham – é uma das grandes armadilhas que ajudam a desequilibrar as finanças em um período tão vulnerável como as festas de fim de ano. "Acontece que as pessoas

gastam primeiro e verificam depois. O ideal é ver primeiro o que se pode fazer para depois ter como sair", explica o educador financeiro Mauro Calil. Existem também outros fatores práticos que devem ser considerados para não fechar o ano no vermelho. Exemplo disso é o uso de produtos muito oferecidos por instituições financeiras

nos primeiros meses do ano, como a antecipação do 13º ou do Imposto de Renda. "É uma roubada em que não se deve entrar", segundo Calil, já que o valor pego será descontado do abono ou da restituição, mas acrescido dos juros e do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Silvio Paixão, da Fipecafi, é da mesma opinião. Segundo ele, isso só pode acontecer

se eventualmente houver alguma emergência. "Se for para regularizar o fluxo de caixa por descontrole, só se deve fazer se houver planos de saída. Ou só vai postergar o problema", destaca. Outra questão é o uso indevido do cartão de crédito, que atrai o consumidor principalmente pela facilidade de uso, segundo Emilio Alfieri, da

Associação Comercial de São Paulo (ACSP). O economista alerta que muitas pessoas até poupam, mas usam o cartão para despesas emergenciais ou para compras e acabam se complicando. "Poupar significa 'não gastar', e não usar o limite do cartão." Deixar a dívida do cartão rolar no rotativo e pagar pelo mínimo, que hoje

representa 20% do valor da fatura, é outro problema. "Apesar da redução dos juros do cartão de 10% para algo em torno de 6%, 7%, ainda se paga cerca de 100% ao ano. É uma bola de neve que leva ao endividamento", alerta Alfieri. "Usar o cartão para gastar nas festas, só se já estiver programado. Ou é quase como 'empenhar a própria alma'", diz Calil.


16 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012


sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

DIÁRIO DO COMÉRCIO

17

e No avião, aproveitando para trabalhar. O percentual de passageiros usando tecnologia de telecomunicação em voos nos EUA saltou de 17,6% em 2009 para 28,4% em 2011.

Uli Seit/The New York Times

conomia

Empresas aéreas norte-americanas ampliam a oferta de equipamentos que permitem a telecomunicação em voo.

O empresário Tony Drockton já incorporou o uso de dispositivos eletrônicos em suas viagens, e não abre mão deles.

Harriet Edleson*

T

ony Drockton, proprietário de uma empresa de bolsas de luxo no sul da Califórnia, costumava pegar o voo noturno para Nova York, em vez de desperdiçar horas úteis sem comunicação. Agora, porém, seu tempo de voo é tempo de trabalho: cada vez mais, as companhias aéreas vêm oferecendo conexão wi-fi em seus aviões. "Preciso ficar conectado para que as pessoas não percebam onde estou", disse Drockton, que viaja com laptop, smartphone e fones de ouvido. "Isso me permite voar durante horas úteis e não perder nenhum dia". Quanto aos viajantes que apreciavam algumas horas desconectados do escritório, esses dias podem estar chegando ao fim. Antes do wi-fi, "você tinha uma desculpa para ficar fora de alcance se quisesse", afirmou Henry H. Harteveldt, cofundador do Atmosphere Research Group, analista da indústria de viagens em São Francisco. "O último bastião da vida fora da rede foi derrubado." E com as companhias aéreas concorrendo para criar conectividade em voos internacionais por meio de satélites wi-fi, a capacidade de permanecer online nos céus só deve aumentar. 24 horas – "Os passageiros têm uma expectativa de conectividade onipresente em suas vidas, especialmente os viajantes jovens", declarou Harteveldt. "Eles ficam frustrados quando entram num avião e descobrem que estão off-line. Os viajantes querem ter controle sobre quando estão online ou não." Outros concordaram com sua análise. "As pessoas querem ficar conectadas 24 horas por dia, sete dias por semana", disse Jonathan Kletzel, analista de logística na PWC. "É uma questão de saber se as companhias aéreas estão à frente da curva ou não." Por enquanto, o uso de tecnologia no céu continua menor do que em outros meios de transporte, explicou Joseph P. Schwieterman, diretor do Chaddick Institute for Metropolitan Development da Universidade DePaul, em Illinois. Mesmo assim, o acesso wi-fi

se expandiu de 153 mil passageiros, em 2009, para 153 milhões em 2011, de acordo com a Gogo Wireless, provedora de wi-fi para companhias do setor aéreo. Segundo um relatório do Chaddick Institute, o percentual de viajantes aéreos usando tecnologia em "pontos aleatoriamente selecionados" num voo era de 28,4% em 2011, frente a 23,2% em 2010 e 17,6% em 2009. O relatório descobriu que mais viajantes estavam levando seus próprios dispositivos, incluindo tablets e e-readers, ao avião. Um em cada 12 passageiros hoje usa um tablet, e esse número continua crescendo. Os

As pessoas querem ficar conectadas 24 horas por dia, sete dias por semana. JONATHAN KLETZEL, ANALISTA DE LOGÍSTICA.

tablets representam quase 30% de todo o uso de tecnologia em voos comerciais, e essa parcela também deve crescer. A utilização de tablets e tecnologia em geral tende a ser "significativamente maior em voos mais orientados a negócios", afirmou o relatório. Isso deixa mais de 70% de passageiros que não estão usando dispositivos, e podem estar aproveitando as outras opções de entretenimento do avião, disse Schwieterman. Comercialmente, o wi-fi remonta a cinco anos atrás. Hoje, nove companhias aéreas possuem serviço wi-fi ininterrupto em todos ou em alguns voos domésticos nos Estados

Unidos. As tarifas dependem da duração do voo, e costumam variar de US$ 1,95 a US$ 19 ou mais. Com a porta aberta – Os viajantes vêm usando a conexão para mais do que enviar emails. O que eles querem, especialmente os viajantes corporativos, são várias maneiras de se manterem produtivos e entretidos enquanto seguem ao seu destino, segundo especialistas das companhias aéreas. Eles podem usar seus próprios laptops e tablets além do sistema de entretenimento do avião. Drockton, por exemplo, disse usar e-mail, videoconferência ar-solo, o sistema de mensagens instantâneas da companhia e o sistema de entretenimento quando está voando. Ele usa a tomada sob o assento para manter o laptop recarregado. "E conecto o aparelho antes mesmo de eles fecharem a porta", afirmou. "Já estou trabalhando antes da decolagem." Até alguns anos atrás, as companhias aéreas eram um "deserto de tecnologia", declarou Schwieterman. Hoje, a maior parte das empresas (mesmo aquelas que demoraram a se render ao wi-fi) fechou parceria com um dos quatro maiores provedores de wi-fi. Elas querem que você saiba que os voos oferecem wi-fi. Elas sabem que precisam disso para um posicionamento de marca. Há problemas – A conectividade à internet em voos tem seus problemas, embora Harteveldt e outros passageiros frequentes esperem que isso melhore na próxima geração. "Se o sistema wi-fi está no máximo, ele perde velocidade", disse Harteveldt. "Você pode fazer logoff e não conseguir voltar, ou ser removido do sistema." Geralmente, a largura de

Laptop e smartphone possibilitam ao passageiro ter contato com o mundo

banda wi-fi num avião de corredor único (como um Boeing 737 ou um Airbus A-320) consegue lidar com 25 usu��rios por vez. Se um passageiro começa a baixar um arquivo grande, o sistema fica lento demais. Segundo Kevin P. Nichols, de 39 anos, diretor de estratégia de conteúdo para a SapientNitro, essa foi a sua experiência. "A rede é inconsistente, e você nunca sabe se vai funcionar ou não", explicou. Nichols disse que o wi-fi e o

entretenimento oferecido pelas companhias aéreas estavam entre os fatores considerados pelos viajantes. "A escolha de uma companhia é influenciada por muitas coisas", afirmou. "As pessoas querem ter acesso a tudo, querem ficar conectadas continuamente." Quanto ao futuro da tecnologia nos voos, Harteveldt disse que depende de desenvolvimentos práticos, das preferências dos viajantes e do orçamento das companhias

aéreas. Elas costumam atualizar as cabines a cada cinco anos. Harteveldt prevê que, em dez anos, os voos serão um ambiente do tipo "traga seu próprio entretenimento". Até lá, os passageiros que quiserem se manter produtivos e entretidos a caminho de suas reuniões de negócios são dependentes do wi-fi. Ou, conforme colocou Drockton: "Tudo se resume a conveniência e conectividade. Eu preciso que isso funcione". *The New York Times


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

e

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

Tenho 12 vagas para temporários abertas, mas não encontro profissionais de vendas pra preenchê-las. José Romão, proprietário da Romão Calçados

conomia Fotos: Newton Santos/Hype

Calçados Romão: apesar de otimismo com as vendas, dificuldade é encontrar vendedores para o final do ano. Abaixo, Felipe Lamego, da Fênix: população já está bem endividada.

ACSP projeta alta entre 3% e 4% nas vendas deste Natal Comércio se apronta para a época de mais negócios do ano. Lojistas vão em busca de temporários e preparam os empreendimentos comerciais para incrementar as vendas neste final de ano. Renato Carbonari Ibelli

O

varejo está entrando no espírito do Natal. As promoções já aparecem em algumas vitrines, os estoques estão sendo reforçados e os temporários começam a reforçar o quadro das lojas. Esses preparativos são importantes pois as vendas dão indícios de que podem aumentar nestes últimos meses do ano. Os números do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), da primeira quinzena de outubro, indicam melhora no comportamento do consumidor, que voltou a comprar bens duráveis. Mas Emilio Alfieri, economista da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), prefere projetar alta moderada nos negócios deste Natal, entre 3% e 4%. Os dados da primeira quinzena mostram aumento de 6,4% nas vendas a prazo, ou seja, nas operações de bens de maior valor agregado. Até então, o que se desenhava era

um cenário de queda do consumo desses produtos. Um dos motivos que levaram o consumidor a segurar os gastos foi o elevado nível de endividamento. Além disso, as seguidas reduções da alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) fez o consumidor antecipar as compras de linha branca, móveis e demais bens englobados pela desoneração, o que, em teoria, reduziu sua capacidade de aquisições futuras, o que inclui as de Natal. Como os números do início de outubro apontam para um comportamento diferente do esperado, Alfieri acha que o consumidor está se desdobrando para aproveitar os benefícios da redução do IPI, prorrogada até o fim do ano, para linha branca e móveis. Outros fatores podem ajudar a vender mais neste Natal. Segundo Alfieri, apesar de o endividamento ser elevado, a inadimplência, medida pela ACSP, arrefeceu de 6%, em agosto, para 5,5%, em setembro. O otimismo do consumi-

dor tem melhorado. O Índice Nacional de Confiança (INC), medido pela ACSP em parceria com o Instituto Ipsos, mostra que, em setembro, a confiança aumentou – passou de 150 pontos em agosto para 158 em setembro – , encerrando uma sequência de queda

Tenho recebido pessoas que pedem para parcelar compras de R$ 30, ou seja, estão com pouco recurso para gastar. FELIPE LAMEGO, FÊNIX que durava desde o início do ano, quando o índice marcava 173 pontos. O indicador varia de zero a 200 pontos. Nesse cenário de expectativas incertas, os lojistas fazem projeções distintas. Para José Romão, proprietário da Romão Calçados, as vendas em

suas lojas devem crescer entre 10% e 15% neste Natal. "O consumo de calçados vem em um bom ritmo. Acredito que as vendas seguirão boas até o Natal", diz Romão. Para ele, a dificuldade atual é encontrar vendedores no mercado para reforçar a equipe para o final do ano. "Tenho 12 vagas para temporários abertas, mas não encontro profissionais de vendas pra preenchê-las", afirma o empresário. O complexo comercial do Shopping Metrô Tatuapé também projeta 15% de altas nas vendas de Natal, sendo que esse aquecimento será impulsionado por um esperado aumento de 18% no público do empreendimento, na comparação com o verificado em igual data do ano passado. Já Felipe Lamego, gerente da loja de brinquedos Fênix instalada no Shopping Metrô Tatuapé, tem projeção mais modesta para suas vendas. Segundo ele, o Natal deste ano será 5% melhor do que o do ano passado. "Os clientes estão com a renda comprome-

Provar dá dicas para vender mais

E

xistem alguns cuidados no ponto de venda que podem ajudar a incrementar as vendas no final de ano. Segundo Cláudio Felisoni, presidente do conselho do Programa de Administração de Varejo (Provar), os lojistas precisam criar ferramentas que atraiam os clientes para suas lojas e que os mantenham o maior tempo possível dentro delas. "Quanto mais tempo permanecerem, maiores as chances de comprarem mais", destaca. Uma dica é destacar produtos com margem de lucro maior, deixando-os, pelo menos, a 1,5 metro do chão, o que facilita a visualização pelos

clientes. Outra estratégia é usar 'preços quebrados', como R$ 9,90. Pesquisa do Provar aponta que, para 70% dos entrevistados, preços quebrados despertam mais interesse do que números cheios. Promoções são o principal chamariz para o consumidor. "Os clientes são atraídos por esses produtos, mas levam outros itens. É possível reduzir a margem de um produto para tentar vender outros", diz. Outra dica para os lojistas é fazer as compras gradualmente, pois o cenário é incerto em relação às perspectivas de vendas, e as sobras de mercadorias nunca são desejáveis.

tida com dívida. Tenho recebido pessoas que pedem para parcelar compras de R$ 30, ou seja, estão com pouco recurso para gastar. A expectativa é que, como costuma acontecer, o brasileiro deixe para correr às compras no último momento", afirma Lamego, que estima que o ticket médio de suas vendas para a data será de R$ 35. Mas, no geral, segundo Alfieri, os lojistas devem ter os pés no chão neste final de ano. Ainda que os números da quinzena do SCPC e os resultados pontuais dos indicadores de inadimplência e otimismo do consumidor tenham se mostrado melhores, na opinião do economista da Associação Comercial, eles ainda não são suficientes para confirmar uma tendência de alta nas vendas. "Eles oferecem um fio de esperança, mas o mais garantido é trabalhar com avanço de 3% a 4% nesse Natal", diz Alfieri.

$

$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $

Como contratar corretamente

O

Natal deste ano deve garantir a oferta de 155 mil vagas para trabalhadores temporários, com a projeção de que 75% do total ocupe vagas no comércio. A expectativa é da Associação Brasileira das Empresas de Serviços Terceirizáveis e de Trabalho Temporário (Asserttem). Reforçar o quadro de funcionários para o fim do ano é uma boa pedida, mas há detalhes que precisam ser considerados para garantir que a contratação da equipe seja feita dentro da lei. Jismália Alves, presidente da Asserttem, explica que o temporário tem garantido por lei praticamente todos os di-

reitos que um funcionário efetivo. As exceções são o aviso prévio e o recebimento da multa de 40% sobre o FGTS. Para ter caráter temporário, o trabalho deve ter duração máxima de três meses, com a possibilidade de prorrogação por mais três. A contratação legal tem que ser intermediada por agências de emprego. "É importante que o empregador verifique se a agência tem o CNPJ registrado no Ministério do Trabalho", recomenda. No caso de efetivação, o contrato inicial tem de ser encerrado. Depois, a contratação efetiva é formalizada entre trabalhador e contratante.


sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

19 A ruptura responde por 50% das vendas perdidas. Flavio Rocha, presidente da Riachuelo

conomia Demian Golovaty/Divulgação

$

$ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $ $

Nós perdemos competitividade por causa do Custo Brasil. Produzir no País é caro pois por muito tempo nós colhemos sem nos preocuparmos em plantar. FLÁVIO ROCHA, RIACHUELO

Riachuelo aposta na expansão da economia

A

Riachuelo projeta abrir 160 lojas nos próximos quatro anos, um número maior do que as inaugurações realizadas ao longo dos 50 anos de história da rede. A meta ousada, segundo Flávio Rocha, presidente da empresa, será sustentada, em especial, pelo aumento da renda das mulheres da nova classe média. Esse público feminino, aliás, passa a ser cada vez mais alvo da Riachuelo, tanto que lojas exclusivas, a Riachuelo Mulher, começam a ser abertas. Rocha falou ao Diário do Comércio sobre os desafios e metas da sua empresa para os próximos anos.

Diário do Comércio – A Riachuelo tem anunciado metas ousadas de crescimento para os próximos anos. Isso significa que o senhor é otimista com relação ao cenário econômico futuro? Flávio Rocha – Tivemos 50 milhões de entrantes na classe média, sendo que as mulheres, que são um público importante para nós, é que têm impulsionado a renda das famílias. Hoje, a mulher responde por 40% da renda familiar da classe média, algo impensado dez anos atrás. Além disso, temos a difusão do crédito e o crescimento da formalização do varejo. Ferramentas como a Nota Fiscal Eletrônica e o Sped (Sistema Público de Escrituração Digital) são grandes responsáveis por reduzir a clandestinidade e serão as propulsoras

Varejista pretende inaugurar 160 lojas em quatro anos, aproveitando, especialmente, o aumento da renda das mulheres da nova classe média. Rede também se beneficia da tecnologia para elevar lucratividade. Renato Carbonari Ibelli Fotos: Patrícia Cruz/LUZ

50% das vendas perdidas. Com o SKU, cada vez que o código de barra lê uma venda específica, toda a cadeia é acionada para fazer a reposição. É um sistema que só funciona bem em uma estrutura verticalizada. Até o final deste ano, a rede Riachuelo vai abrir 25 lojas.

do varejo nos próximos anos. DC – Há poucos dias, a Riachuelo inaugurou a primeira loja voltada especificamente para o público feminino. Esse público feminino é a principal aposta da rede? FR – I n a u g u r a m o s a R i achuelo Mulher no West Plaza. Junto com o aumento da renda da mulher veio um aumento do consumo dos segmentos de moda e beleza, que nos últimos dez anos cresceu 218%. Evidentemente, a mulher é a principal responsável por esse crescimento. É um público que não quer mais somente preço, mas sim, quer estar na moda. DC – Por outro lado, um desafio será lidar com o endividamento dessa nova classe média, que tem crescido?

FR – O cliente gasta 25% da renda com juros. Isso, mesmo com a redução da taxa básica (Selic), uma vez que essa redução não tem chegado na ponta. Por sua vez, com a redução das taxas, os bancos perderam ainda mais o interesse em fazer acordos financeiros com o varejo. O Itaú, por exemplo, acabou com contratos que tinha com 300 redes. Esse é um problema que não temos, já que possuímos financeira própria. Se perdemos um pouco nos financiamentos pela redução da Selic, ganhamos com mais vendas nas lojas. DC – A Riachuelo tem essa estrutura verticalizada, o que vai na contramão do varejo atual. Por que adotar essa estrutura? FR – Não queremos ser fatiados e sim ter uma visão global.

Nosso produto é desenvolvido já pensando no marketing. É um desafio gigantesco de gestão, mas o fato de termos um time coeso, que produz desde o fio das roupas, passa por toda a cadeia, até chegar ao financiamento da compra do cliente, temos vantagens competitivas. DC – Quais vantagens? FR – No próximo ano, nossa rede vai ser toda abastecida por SKU (Stock Keeping Unit, ou unidade de manutenção de estoque, em português), reduzindo prejuízos da operação. Esse sistema permite reabastecer diariamente as lojas com exatamente aquilo que foi vendido. Não tem sobra. Isso evita o que chamamos de ruptura, que ocorre quando falta na loja um produto que o cliente quer. A ruptura responde por

DC – Quais são os planos para os próximos anos? FR– Até o final deste ano, vamos abrir 25 lojas. Algumas, como a Riachuelo Mulher, terão formatos menores, com até 800 metros quadrados, para se adequar a formatos menores de shoppings e polos de vendas menores. Nossas lojas, em média, têm 2 mil metros quadrados. Para 2013, e para os próximos anos, nossa meta é abrir 40 lojas anualmente, isso significa que nos próximos quatro anos vamos abrir mais unidades do que em toda a nossa história. DC – Além do problema do endividamento do cliente, o

que mais pode atrapalhar essa meta? FR– Temos o problema da desindustrialização do País. Nós perdemos competitividade por causa do Custo Brasil. Produzir no País é caro porque por muito tempo nós colhemos sem nos preocuparmos em plantar. Aí, a demanda cresceu e não temos como atendê-la. Mas o governo começou a perceber o problema e tem adotado medidas positivas, como desonerar a folha (de pagamento).

Se perdemos um pouco nos financiamentos pela redução da Selic, ganhamos com mais vendas nas lojas. FLÁVIO ROCHA, RIACHUELO


20 -.ECONOMIA/LEGAIS

DIรRIO DO COMร‰RCIO

sรกbado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

" + < ) + +@+)+ ))@+)).3./ &$  3@3A )).0  ! +    "  '

 = :><  !   3 2  ">  "   !A '< 6  'K     % &" ' -,+ @@+@ */),0= B FFF$ F$!F ! $   $ = N ?<     =   6  T 3+* 4=@@ & A )).0=              = 7        9+   8  9 9 = 7 7       =   B  , =  7    <     &    N K  >0= 9  B   7   6 9= 6            = 7   + )  " "+  K     7  6  7   + b

   + < ) + + )))..3 /3)+ ))4+*+ @+)))4 &))4+)4+))..3 /0+  ! + " 6 = :><  !   3 2  ">  '  9  2  /  + '< 6  8 9  FN 'N / D *+*3)+3@= " ' 3@+-4,+-.*/)*= B "$  !"$ A= N ?<       $ K =      8  9  B  T -+).-=,4 < 8 &A ))40=       6     8   

 ( @)A-+)@ +4*+   B   9 9 = 7 7      =   B  , =  7   )   =   7= 6     /      7 9   +  K   7  6  7   + b

" + < )  e + ,*-+))+ ))+)@,))/) &$  --A ))0+ $ ! + # 9 FB  = :<  !   * 2  ">  "+ '< 6  FI 7H      % &" : ,)+,3.+,)3A)))/) 0   

  9= B 2 "$FF= N ?<    K    $ K = 6? ?      ?9   = 7 /          7       7        ( 3+@) / ,    T ,*=@*=      8= ?  4( "      %   F>   = 6    8  9  <     =   9    T ,+)))=))   B   6  6   !+ :><= 6     8  9  <    8     T + -4=))=  ?   

  K     6        8=   = 7               =   7   8       C6 =      &0 =    6    K   

,A)3A )).=   K 8  9    = N K  >     J 9+   8  9 9 = 7 7       =   B=  , =  7   )   =   7= 6     /      7 9   +  K     7  6  7   + b

    /  <  ) +  ( ))-*-/) + ))+*+ @+))). $&0 ! &0    "< = + :<&0  !   2  ">=  '  9 2 / B =  "    =     =  7   %= + '< 6  1d "   9 <= B FFF$ F$!F ! $   $ = N ?<      =   6  T .+).,=)4= &?NA ))0        7      = 

            ))*= 7     7    ?N= <    T 3+3 4=@,=  9+     9 9 = 7 7          BM 0   <  )- =  7   )   = 9  86 <   7  & + @, /=  K9 7 L  " "0=   B  N K    <  =   7 =      5  60   <  ,    6 9 Q  =  B   < N 8 7= N   8  B= =      -)O &   0     =    N K   9=  K   B   9    8 @ &0   =    

  K   ?   O &  0  Z 7  & + .3,/  " "0+     9  K    N    6 B 6    9   +  K     7  6  7   + b

"    + < ) + + ,@3+)+ ))+) .*,/. &  ), A ))0+ $ ! + : I : = :<  !  6  . 2  ">  "        "A + '< 6    7 K  29  &" ' @4,+4@)+@4*/,-0= B C $D  '"F$ D ! '$F$  "F% %F!= N ?<        F  ?= 6?  6    T .*+*4@=* &A ))0            d L       8  !d %=  9   =  B   K = 

     7  = 7   .A) A ))*=          d+     9 9 = 7 7          =   B   <  )- =  7   )   = 9  86 <  7   6 K N = 6        N   

 7 6 M 0  

  67  <           FI9= 9    "   `

   9a=  6 ( ,- +))+)@+)))+ $6?    ( --+ *@  ( "        " ; 0      B        + ( ,@3+)+ )),+)3.-))-/4=  

    D6 9   = 6   + ( ,@3+)+ ))+).)-/  

    "  = 6   [   2   '>  J  '        "A =    T )@+.4@=* =   7   BB    =   <  ,    6 9    =  Z    9 K    8 7+  K   7  6  7   + b

!F%    S    B   %"$ D$F '%#$ &" ' ),3+* 4+.@*/,0   N " F E2 %$ D$F &" ' ),*+,@,+,,*/*)0 Z 6    P2% 6  = 6       =       K =    7   = B   "$!$c$  D / + ( ,,3+)+ ))+)- 4,/. &$  ( @A ))0+ $ ! + 'K  #N= :<  !   - 2  ">  '   "     8A =  7   = + 'E    B      =   N  = B     )3  <6   ) = Q 3M-) N =    Q # L6  '  ">  "     8 A  =     2 "K  ( - ;   8 A  =         K    =    B   Z 6   6  6  =  9/  B  

   = 7  9 9   *  <6   ) = Q 3M-) N =    <    =   B  7  6  K  9  B   =      &  + @4  " "0=  <   =   N?     = 7       F!$=  9 J  =   ? >    + M    B   Z 6   6   9  M   ( ,= <  ,(   7>  9=     " = ( ,3= 

 " =  5      

 =    >= )3 &B 0   =      >      K   6N   =          K 5 )&0 6N  = <N= K     = ?  C"   9+   K     ,-=)@ , = K         9  3= ,)) = 

  )&0 9   9 9= K         3@=@**@ =  7<  K    > 

3=)) = 

/N  7    9  )=) ,=  =,O   33=3.,    

      <  + @)+3) + $6?    ( . +  ( "     8A + 2%SG$M T @))+)))=)) &?NA ) 0= B  K < Q 8   + "  7    7  +) =  ).AA )).=    6 ( .3,= 9   -)A)A )).=      )-A)4A )).  -( F6  = %  *3. ; '+ ), A),3=  7     4A)A )).   = %  *,- ; '+ 4A4 =    K    7   =            9 'N   N "  E % 9=   6?       T -)+)))=))= 7   6 ( )+,.+)*)+           ?9+  U   

     

+  K     7  6  7   + b

!F%        F !% "$  $!F  A- !  P2%         "  $2  &" ' ),,+*

+@@*/)0= "%!$$   "!$ D%% &" ' ) 3+4,*+,4*/.40  $D% $2  D%% &" ' )@,+-*4+33*/.05    =        !?  '  9 &%   0= + ( -)4+)+ ))@+)-* 3*/ &  ( .@*A ))@0= B   F F   2   &" '  *+,,.+@4*/,)0=  f 2 F  &" ' -.+,,3+).*/,)0  !    2   &" ' -.+,,3+)-*/@ 0+ $ ! +  8     <= :<  !   , 2  ">  '   "   :> A  =  7   = + 'E  = B      + @*4/  " "= 9   " ( @ ,A ))4  F:A &       + -   0     )A  A ) =  ,M))=  8    )@ A  A ) = Q ,M))=   98= ( +44@=  A =  %  $7  K      6  6  =  9/  B      =  B   7 < 8 6   )    T -4+ ,-=@) 7      6  A-5  N    = 7  ?K= 9         )@ A  A ) = Q ,M)  8    @ A  A ) = Q ,M)) N =   B  7  6   K  9  B   =     =  B     7     9 J  =   ? <      + F68      U &[   80  8   HHH+<I ++6 =       = B 

   9   J     +  P2%M  F !% "$  $!F g A- !$ F $=     =       9       "NK  F =       :>=  =,)  7      :    =  4*=))  7   7=     7     D =    = 8  [  3)=))5 7    

     D= > 7 Q B =    7   8        D 'N= > 6B Q  = 9     D 'N= 8  @-=))5    7  

9  7  =  7=   ,=))5 7     

9+ $6?   > ( 4 +).3  ( "   :>+ 'F$ M "7   %    7+ *  B 6   7  

 7     7 J    9=     6  ( *,= K   

 @*=))   K   > ).=)) 5    6  ( 4 K   

 @),=))  K   >  )-=)) + 2%SG$ ! F$F% !$ P2% T 3.+.@)=*) < 8 &6 A ) 0+ 2%SG$ !  F   "! &A-0 !$ M T -4+ ,-=@) &      = <  B   Z    0= < 8 &6 A ) 0+ VM "  7    9 +), N      

  A-   6?  & 6  .  <6   )).0 ;  >       "6    ( $7 ">  :>=  (

) A)@=  7   8   2   $ + " 68= 9 + )@ & A)A ))*0 N  B=    7  7+ ,-= 86    T 3 +-4=. < 8 &6 A ) 0+ "$!SY ! 2!M >   HHH+<I ++6 + %%$ $M $   K <   = '6 EI = :" ( .4= !  = :" ( .33  :N 6  = :" ( .4,= N  9      EI = :" ( - *+ DF$  "$ !  FSG$ / $     6 

=      8  9   ?      ++ &6   9Z0   8   HHH+66++6   <  3 N   <   = 6   K      %   8  9  N    6K = !$"  F! ; F 7 Z  U !>=   <  8 ) &0  L    

      %  $7M   EI  ; " ' *-.+-+),*/,-=  L= 9Z -.,@= "A" .@*/*+  8 , N    

  %=  

 6 K  /    J    ;     6     7  + !

   <  B 

 N <  =  7    K N  + :><         9 6>+     9

 K  ,O 6     

 =        +  

   K 7  9       

 7   J  9  +  =  K   9   <  , =     -)O    

  & + @4)  " "0+ SG$ ! W"SG$M  &0&0 &0&0=   6     >9 7= 9  >   ?&0  &0 &0 6&0=  7    9 @,=  "9   "=  K   8    N  9    =  9  6   7  9 N    7<     B Q     =      7      9 +  =  K &0 &0 9   [ <  >=  ? = = N K  >      %  $7  -O & Z  0 6    9 &> B0+ "$ !$M  7        =  K &0 &0       9      

  -O & Z  0 6    + !]2!  "% "F$M     $7   

 Q  =         7= <   98= ( +44@= @(  = #9= " ;  =  =  7 &0 *3/)4))  /M ^<I ++6 '  = F!$  9 J  =   ? <      +     N       ?9+ _ U 6   = 

     

_=   86   FAF      B   6/ 9    

       + -)= `a   K9 7 L=  "F=         

+    K 7   K `  a         B   +  K    =   = 7  6  7   + b

                   ! "#$% &" ' ( ) *+,--+.,*/)-0  1 ! "#$% %2 &" ' (

+ 3.+ ,*/)405 6   7   78 9  :'' $ ! "#$% ; " ' ) *+.3 +-**/-)   %  < ; " ' ))4+3*,+44*/ =    =  >       !?  7  9= + @+)+ )),+))3@@@/4 & ,@A )),0= B   C "#D %D &" ' ( .+)4@+-)*/)40+  ! +    "  '

 = :><  !   3 2  ">  '   "   ! A =  7   = + 'E  B=  7    9 @*4/  " "  9  + " @ ,A ))4  F:A =  8  E1  %%G &HHH+<I ++6 0    J /=  K  L6  9    

       >   3  6   ) =  )M)) N =      

 6   ) =  )M)) N =  9/  B    9       = 7  ?K 9       >  

 6  

) =  )M) N =         !<6   ) =  )M))=   N?    =   B  6    9  B   =     7 

 @)O      & + @4  " "   + -  + " + @ ,A ))40   6  = 7   J       + P2%M   8  

 

=  Q    !9 ( 4 = M )   = 6N = = <N= 

  K   >  ,3=.3   B 5  

 8    B  "  !  2 " = 9   =   = >      ,=3)    7 =      7   7 ,=,)     B   7   7 ,=,)     7 ,=3)  = 

  K   -.=.)   B = 7   B     !9 N    =       9    =   B    6  ( 43   7  B   +     ( @+*+)-*/))A.    6 ( )+)*-  "   !A + $M "7       = Q 7+ ,)  = 7     7   7 =    >=  <N= 6= K     = N

B = 6 9  

  ? = <  K   >  4)=@ R+ 2%SG$M T * + *)=)) &7  A ))40=  B  K <    7   U+ VM "  7   = 7  +) &

A)*A )).0=  #$  WX!+ "$!SY ! 2!M >   HHH+<I ++6 + %%$ $M $   K <   = '6 EI = :" ( .4= !  = :" ( .33  :N 6  = :" ( .4,= N  9      EI = :" ( - *+ DF$  "$ !  FSG$ / $     6 

=      8  9   ?      ++ &6   9Z0   8   HHH+66++6   <  3 N   <   = 6   K      %   8  9  N    6K = !$"  F! ; F 7 Z  U !>=   <  8 ) &0  L    

      %  $7M   EI  ; " ' *-.+-+),*/,-=  L= 9Z -.,@= "A" .@*/*+  8 , N    

  %=  

 6 K      J    ;     6     7  + !

   <  B 

 N <  =  7    K N  + :><         9 6>+     9  K  ,O 6     

 =        +  

   K 7  9       

 7   J  9  +  =  K   9   <  , =     -)O    

  & + @4)  " "0+ SG$ ! W"SG$M  &0&0 &0&0=   6     >9 7= 9  >   ?&0  &0 &0 6&0=  7    9 @,=  "9   "=  K   8    N  9    =  9  6   7  9 N    7<     B Q     =      7      9 +  =  K &0 &0 9   [ <  >=  ? = = N K  >      %  $7  ,O &  0 6   

9 &> B\0+ "$ !$M  7        =  K &0 &0       9      

  ,O &  0 6     + !]2!  "% "F$M     $7   

 Q  =         7= <   98= ( +44@= @(  = #9= " ;  =  =  7 &0 *3/)4))  M ^<I ++6 '  = 6   7   78 9  :77   N   %  <= F!$  9 J  =   ? <      +     N       ?9+ _ U 6   = 

     

_=   86   FAF      B   6/ 9    

       + -)= `a   K9 7 L=  "F=         

+    K 7   K `  a         B   +  K    = 

 = 7  6  7   + b

Publique balanรงos e atos legais de sua empresa no Jornal Diรกrio do Comรฉrcio

11

3180.3197


sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

De janeiro a setembro, os embarques para o mercado chinês recuaram 3,8% ante igual período em 2011, para US$ 32,3 bilhões, segundo a AEB.

conomia

Exportações para China devem recuar 12% Resultado pode ser menor por queda do preço do minério e crise global

A

ECONOMIA/LEGAIS - 21

s exportações brasileiras para a China devem cair pela primeira vez desde 1999, arrastadas pelos fracos preços do minério de

ferro e pela desaceleração do dragão asiático. Para analistas, pode ser o fim do veloz ciclo de aumento das vendas para a China, principal parcei-

BRYOPHYTA SP PARTICIPAÇÕES S.A. CNPJ/MF Nº 09.719.875/0001-12 - NIRE 35.300.355.776 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 07 DE AGOSTO DE 2012. 1. DATA, HORA E LOCAL: Aos 07 (sete) dias do mês de agosto de 2012, às 13h, na sede social, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida das Nações Unidas 13947, 9º andar, conjunto 91, parte, Market Place Center, CEP 04794-000. 2. PRESENÇA: Presentes os acionistas representando a totalidade do capital social da Companhia. 3. MESA: Presidente: Alex Waldemar Zornig; Secretária: Daniella Geszikter Ventura. 4. CONVOCAÇÃO: Dispensada, nos termos do §4º do art. 124 da Lei nº 6.404/76, face à presença de acionista representante da totalidade do capital social da Companhia, conforme assinaturas constantes do Livro de Presença de Acionistas. 5. ORDEM DO DIA: (i) Analisar, discutir e deliberar sobre a proposta de reforma do Estatuto Social da Companhia, com vistas a alterar, dentre outros pontos, aqueles relativos à composição, funcionamento e competências da Assembleia Geral e da Diretoria da Companhia; (ii) Homologar a aplicabilidade e utilização da Matriz de Alçadas da Oi S.A. pela Companhia; (iii) Eleição dos membros da Diretoria; (iv) Consolidar o texto do Estatuto Social, conforme deliberações acima; (v) Auditores Independentes para 2012. 6. DELIBERAÇÕES: Por proposta do Presidente, o acionista presente, representando 100% do capital social votante da Companhia, autorizou a lavratura da ata em forma de sumário, bem como sua publicação com omissão das assinaturas, nos termos do artigo 130 da Lei nº 6.404/76. Foram tomadas as seguintes deliberações, por unanimidade: 6.1. Quanto ao item (i) da Ordem do Dia, foi aprovada a proposta de reforma do Estatuto Social da Companhia, com vistas a revisar o funcionamento e competências da Assembleia Geral e da Diretoria, passando o mesmo a vigorar com a redação constante do ANEXO I à ata a que se refere esta Assembleia Geral. 6.2. Passando ao item (ii) da Ordem do Dia, homologar a utilização, pela Companhia, da Matriz de Alçadas da Oi S.A. (“Matriz”) aprovada em Reuniões do Conselho de Administração da Oi S.A. realizadas em 13 de março de 2012 e em 27 de junho de 2012. A Matriz passa a ser aplicável à Companhia no que não divergir com o Estatuto Social que constitui o ANEXO I à presente ata. Desse modo, as alçadas da Diretoria da Companhia passam a vigorar em consonância com o estabelecido pela Matriz, na forma do ANEXO II desta ata, sendo que, onde se lê: “Conselho de Administração”; “art. 24”; “art. 24, inciso XIII e Parágrafos 1º e 2º”; “art. 24, III”; “Parágrafo 3º do art. 24”; “art. 31”; e “art. 32, inciso X”, deve-se ler respectivamente, em referência à Companhia: “Assembleia Geral”; “art. 12”; “art. 12, inciso XI e Parágrafo 1º”; “art. 12, IX”; “art. 12, Parágrafo 2º”; “art. 10”; e “art. 9º, VII”. 6.3. Quanto ao item (iii) da Ordem do Dia, Acionista recebeu os pedidos de renúncia apresentados pelos Srs. MARCELO SILVA AGUIAR ao cargo de Diretor Presidente e ALEXANDRE JEREISSATI LEGEY ao cargo de Diretor sem designação específica, e decidiu eleger, em complementação ao mandado em curso, ou seja, até 07 de agosto de 2015, o Sr. FRANCISCO TOSTA VALIM FILHO, ao cargo de Diretor Presidente da Companhia e, ainda, os Srs. ALEX WALDEMAR ZORNIG, FRANCIS JAMES LEAHY MEANEY, PEDRO SANTOS RIPPER, JULIO CESAR FONSECA, EURICO DE JESUS TELES NETO, JOÃO DE DEUS PINHEIRO MACEDO, BAYARD DE PAOLI GONTIJO e TARSO REBELLO DIAS, abaixo qualificados, todos eles como Diretores, sem designação específica. Assim, considerando a deliberação ora aprovada, a Acionista decide consolidar a composição da Diretoria Estatutária da Companhia, que fica integrada pelos seguintes membros: (1) como Diretor Presidente, o Sr. FRANCISCO TOSTA VALIM FILHO, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da cédula de Identidade nº 1006855272, expedida pelo SSP/RS, inscrito no CPF/MF sob o nº 355.827.150-53; (2) como Diretor de Finanças, o Sr. ALEX WALDEMAR ZORNIG, brasileiro, casado, contador, portador da carteira de identidade nº 9415053, expedida pela SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 919.584.158-04; (3) como Diretor sem designação específica, o Sr. FRANCIS JAMES LEAHY MEANEY, irlandês, solteiro, economista, portador da carteira de identidade RNE nº V218988-N, expedida pela CIMCRE/CGPMAF, inscrito no CPF/MF sob o nº 054.404.117-80; (4) como Diretor sem designação específica, o Sr. PEDRO SANTOS RIPPER, brasileiro, solteiro, engenheiro, portador da Carteira de Identidade nº 084979806, inscrito no CPF/MF sob o nº 012.277.917-71; (5) como Diretor sem designação específica, o Sr. JULIO CESAR FONSECA, brasileiro, separado judicialmente, psicólogo, portador da carteira de identidade nº M-1.367.001, expedida pela SSP/MG, inscrito no CPF/MF sob o nº 318.103.906/30; (6) como Diretor sem designação específica, o Sr. EURICO DE JESUS TELES NETO, brasileiro, casado, advogado, portador da Carteira de Identidade nº 0002709809 SSP-BA, inscrito no CPF sob o nº 131.562.505-97; (7) como Diretor sem designação específica, o Sr. JOÃO DE DEUS PINHEIRO MACEDO, brasileiro, casado, engenheiro, portador da carteira de identidade nº 0056006420, SSP/BA, inscrito no CPF sob o nº 060.055.275-68; (8) como Diretor sem designação específica, o Sr. BAYARD DE PAOLI GONTIJO, brasileiro, casado, Administrador de empresas, portador da Carteira de Identidade nº 08.484.929-1 IFP/RJ, inscrito no CPF/MF sob o nº 023.693.697-28; e (9) como Diretor sem designação específica, o Sr. TARSO REBELLO DIAS, brasileiro, casado, economista, portador da carteira de identidade nº 08.401.392-9, expedida pelo IFP/RJ, inscrito no CPF sob o nº 021.455.577-17; todos com endereço à Rua Humberto de Campos nº 425, 8º andar, Leblon, Rio de Janeiro/RJ. Foi declarado que os ora eleitos não incorrem nas proibições constantes do artigo 147 da Lei nº 6.404/76, que os impeçam de exercer a função para a qual foram eleitos e tomarão posse nos respectivos cargos mediante a assinatura dos competentes Termos de Posse. 6.4. Quanto ao item (iv) da Ordem do Dia, foi aprovada a consolidação do Estatuto Social, conforme ANEXO I à presente ata. 6.5. Por fim, com relação ao item (v) da Ordem do Dia, ratificar a alteração da empresa de Auditoria Independente, tendo sido escolhida em 13 de março de 2012 a KPMG Auditores Independentes, por ter apresentado a proposta financeiramente mais vantajosa. 7. ENCERRAMENTO: Nada mais havendo a ser tratado, a presente ata foi lavrada, e depois lida, aprovada e assinada por acionistas representando a totalidade dos presentes à Assembleia, autorizada a publicação da ata sem as assinaturas dos acionistas presentes, na forma do art. 130, §2º da Lei nº 6.404/76. ASSINATURAS: Alex Waldemar Zornig - Presidente; Daniella Geszikter Ventura - Secretária. Acionista: TNL PCS S.A., neste ato representada por Tarso Rebello Dias. A presente ata é cópia fiel da original lavrada em livro próprio. São Paulo, 07 de agosto de 2012. Daniella Geszikter Ventura - Secretária. JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO JUCESP. Certifico o registro sob o nº 385.046/12-1 e data de 31/08/2012. Gisela Simiema Ceschin Secretária Geral. ANEXO I: ESTATUTO SOCIAL. CAPÍTULO I - DA DENOMINAÇÃO, SEDE, FORO, PRAZO DE DURAÇÃO E OBJETO. ARTIGO 1º - A BRYOPHYTA SP PARTICIPAÇÕES S.A., é uma sociedade anônima, que reger-se-á pelas leis e usos do comércio, por este Estatuto Social e pelas disposições legais aplicáveis. ARTIGO 2º - A Companhia tem por objeto a participação em outras sociedades civis ou comerciais, como sócia, acionista ou quotista, podendo representar sociedades nacionais ou estrangeiras. ARTIGO 3º - A Companhia tem sede e foro na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida das Nações Unidas 13947, 9º andar, conjunto 91, parte, Market Place Center,

ro comercial do Brasil. De janeiro a setembro, os embarques para o mercado chinês recuaram 3,8% ante igual período em 2011, para

US$ 32,3 bilhões. A queda pode se acentuar no último trimestre do ano, com o fim da safra de soja. Segundo a Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), o País vai vender US$ 39 bilhões para a China neste ano, 12% a menos que em 2011. "Foi mais de uma década de expansão. Chega uma hora que o fôlego diminui", diz José Augusto de Castro, vice-presidente da AEB. As exportações para a China saltaram de

CEP 04794-000, podendo por deliberação da Diretoria, criar e extinguir filiais, sucursais, agências, depósitos e escritórios de representação em qualquer parte do território nacional ou no exterior. ARTIGO 4º - O prazo de duração da sociedade será indeterminado. CAPÍTULO II - DO CAPITAL SOCIAL E AÇÕES: ARTIGO 5º - O Capital Social da Companhia é de R$500,00 (quinhentos reais), dividido em 500 (quinhentas) ações ordinárias, todas nominativas e sem valor nominal. § 1º - Todas as ações da Companhia serão nominativas, facultada adoção da forma escritural, em conta corrente de depósito mantida em nome de seus titulares, junto a instituição financeira indicada pela Diretoria, podendo ser cobrada dos acionistas a remuneração de que trata o parágrafo 3º do artigo 35 da lei 6.404/76. § 2º - A cada ação ordinária corresponde a um voto nas Assembleias Gerais. § 3º - A capitalização de lucros ou de reservas será obrigatoriamente efetivada sem modificação do número de ações. § 4º - Poderão ser emitidas sem direito de preferência para os antigos acionistas, ações, debêntures ou partes beneficiárias conversíveis em ações, desde que a eliminação do direito de preferência seja previamente aprovada em Assembleia especial, por acionistas representando a maioria das ações ordinárias. § 5º - A alteração deste Estatuto Social na parte que regula a diversidade de espécies e/ou classes de ações não requererá a concordância de todos os titulares das ações atingidas, sendo suficiente a aprovação de acionistas que representem a maioria tanto do conjunto das ações com direito a voto, quando das ações de cada espécie ou classe de ações. § 6º - A emissão de debêntures conversíveis, outros títulos ou valores mobiliários conversíveis em ações e partes beneficiárias, estas conversíveis ou não, bem como a outorga de opção de compra de ações, dependerá da prévia aprovação de acionistas representando a maioria das ações de cada espécie ou classe de ações. ARTIGO 6º - Os certificados representativos das ações serão sempre assinados por dois Diretores, ou mandatários com poderes especiais, podendo a Companhia emitir títulos múltiplos ou cautelas. Parágrafo Único - Nas substituições de certificados, bem como na expedição de segunda via de certificados de ações nominativas, será cobrada uma taxa relativa aos custos incorridos. ARTIGO 7º - O montante a ser pago pela Companhia a título de reembolso pelas ações detidas por acionistas que tenham exercido direito de retirada, nos casos autorizados por lei, deverá corresponder ao valor econômico de tais ações, a ser apurado de acordo com o procedimento de avaliação aceita pela Lei nº 9.457/97, sempre que tal valor for inferior ao valor patrimonial apurado de acordo com o artigo 45 da Lei nº 6.404/76. CAPÍTULO III - DA ADMINISTRAÇÃO: ARTIGO 8º - A companhia será administrada por uma Diretoria, composta de no mínimo dois e, no máximo, 10 (dez) membros, sendo um Diretor Presidente, um Diretor de Finanças e os demais, Diretores sem designação específica, residentes no País, acionistas ou não, eleitos e destituíveis pela Assembleia Geral, observado o disposto neste Estatuto. § 1º - O mandato da Diretoria será de 03 (três) anos, permitida a reeleição, sendo o mandato prorrogado, automaticamente, até a eleição e posse dos respectivos substitutos. § 2º - A investidura dos Diretores far-se-á mediante termo lavrado no livro de “Atas das Reuniões da Diretoria”. Os Diretores reeleitos serão investidos nos seus cargos pela própria Assembleia Geral, dispensadas quaisquer outras formalidades. § 3º - Nas ausências e impedimentos temporários do Presidente, este será substituído por qualquer Diretor por ele designado. § 4º - Nos casos de faltas e impedimentos temporários do Presidente e do Diretor por ele designado, a Presidência será exercida por outro Diretor designado pelo Diretor ausente ou impedido que estiver, na forma do parágrafo anterior, exercendo as referidas funções. § 5º - Os demais membros da Diretoria serão substituídos, nas suas ausências e impedimentos temporários, por um outro Diretor indicado pela Diretoria. § 6º - Na vacância de Diretor Presidente ou de Diretor de Finanças, e até que a Assembleia Geral delibere a respeito, as funções relativas ao respectivo cargo serão cumuladas por Diretor designado pela Diretoria. § 7º - A remuneração dos Diretores será fixada pela Assembleia Geral, em montante global ou individual, ficando os Diretores dispensados de prestar caução em garantia de sua gestão. ARTIGO 9º - Compete à Diretoria como órgão colegiado: I. estabelecer políticas específicas e diretrizes decorrentes da orientação geral dos negócios fixada pela Assembleia Geral; II. elaborar o orçamento, a forma de sua execução e os planos gerais da Companhia, submetendo-os a aprovação da Assembleia Geral; III. elaborar, em cada exercício, o Relatório Anual de Administração, as Demonstrações Financeiras, a proposta de destinação do lucro líquido do exercício e a de distribuição de dividendos, a serem submetidas à Assembleia Geral; IV. elaborar e propor à Assembleia Geral as políticas gerais de recursos humanos da Companhia, e executar as políticas aprovadas; V. criar e extinguir filiais, agências e sucursais, escritórios, departamentos e representações; VI. autorizar a celebração de acordos, contratos e convênios que constituam ônus, obrigações ou compromissos para a Companhia, podendo estabelecer normas e delegar poderes, conforme as alçadas de Diretoria estabelecidas pela Assembleia Geral; VII. estabelecer, a partir dos limites de alçada fixados para a Diretoria, os limites de alçada ao longo da linha hierárquica da organização administrativa da sociedade; VIII. deliberar sobre a estrutura organizacional da Companhia; IX. elaborar e propor à Assembleia Geral as políticas financeiras da Companhia, e executar as políticas aprovadas; X. gerir as participações societárias em sociedades controladas e coligadas, observadas as diretrizes fixadas pela Assembleia Geral; e XI. deliberar sobre outros assuntos julgados como de competência coletiva da Diretoria, ou a ela atribuídos pela Assembleia Geral. § 1º - A Diretoria reunir-se-á sempre que convocada pelo Diretor Presidente, com antecedência mínima de 2 (dois) dias úteis. § 3º - O quorum de instalação das reuniões de Diretoria é o da maioria dos membros em exercício e as deliberações serão tomadas pelo voto favorável da maioria dos Diretores presentes à reunião. § 4º - As reuniões da Diretoria serão objeto de atas circunstanciadas, lavradas em livro próprio. ARTIGO 10 - A Companhia será representada ativa e passivamente, em quaisquer atos que criem obrigações ou desonerem terceiros de obrigações para com a Companhia: (i) através da assinatura conjunta de 2 (dois) Diretores; (ii) através da assinatura de 1 (um) Diretor em conjunto com um procurador, ou (iii) através da assinatura de 2 (dois) procuradores em conjunto, investidos de poderes específicos. Parágrafo Único - As procurações outorgadas pela Companhia deverão ser assinadas por 2 (dois) Diretores em conjunto, definindo nos respectivos instrumentos, de forma precisa e completa, os poderes outorgados e o prazo de mandato, que, à exceção das procurações outorgadas a advogados para representar a Companhia em processos administrativos ou judiciais, não poderá ultrapassar 1 (um) ano. CAPÍTULO IV - ASSEMBLEIA GERAL: ARTIGO 11 - A Assembleia Geral reunir-se-á, ordinariamente, dentro dos 4 (quatro) meses subsequentes ao término do exercício social para fins previstos em lei e, extraordinariamente, sempre que os interesses sociais assim o exigirem. § 1º - A Assembleia Geral será convocada pela Diretoria, cabendo ao Diretor Presidente consubstanciar o respectivo ato. Poderá, ainda, a Assembleia Geral ser convocada na forma prevista no Parágrafo Único do artigo 123 da Lei nº 6.404/76, alterado pela Lei nº 9.457/97. § 2º - A Assembleia Geral será instalada pelo Diretor Presidente da Companhia, que procederá à eleição da mesa Diretora, composta de um presidente e um secretário, escolhidos dentre os acionistas presentes. Na ausência ou impedimento do Diretor Presidente, a Assembleia poderá ser instalada por qualquer Diretor ou por procurador devidamente investido

US$ 676 milhões em 1999 para US$ 44,3 bilhões em 2011, um crescimento médio anual de 43% Os embarques subiram 80% em 2003. A reversão que começa a ocorrer no comércio entre Brasil e China é consequência direta da queda do preço do minério e indireta da desaceleração chinesa. A crise global contagiou até mesmo a China, que reduziu o ritmo de alta de mais de 10% para 7% a 8%. Soja – O resultado dos negó-

cios entre os dois países só não foi pior porque a soja compensou parte do prejuízo do minério. Segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), o País deve exportar só 200 mil toneladas de soja para a China de outubro a dezembro, muito abaixo dos 2,6 milhões de toneladas do último trimestre de 2011. Minério de ferro, soja e petróleo respondem por 80% das exportações do Brasil para a China.(Estadão Conteúdo)

de poderes específicos para esse fim. § 2º - As deliberações da Assembleia Geral, ressalvadas as exceções previstas em lei, e neste estatuto, serão tomadas por maioria de votos, não se computando os votos em branco. § 3º - Os acionistas poderão ser representados nas Assembleias Gerais por mandatários nomeados na forma do § 1º do artigo 126 da Lei 6.404/76, devendo os respectivos instrumentos de mandato serem depositados, na sede social, com 03 (três) dias de antecedência da data marcada para realização da Assembleia Geral. ARTIGO 12 - Além das atribuições previstas em lei, compete privativamente à Assembleia Geral: I. autorizar a emissão de debêntures conversíveis ou não em ações ou vendê-las, se em tesouraria; II. autorizar a aquisição de ações de emissão da Companhia, para efeito de cancelamento ou permanência em tesouraria e posterior alienação; III. aprovar a outorga de opção de compra de ações a seus administradores, empregados e a pessoas naturais que prestem serviços à Companhia; IV. eleger ou destituir, a qualquer tempo, os Diretores da Companhia, inclusive o Presidente, fixando-lhes as atribuições, observadas as disposições deste estatuto; V. fixar a remuneração, global ou individual, dos membros da Diretoria e do Conselho Fiscal, quando em funcionamento; VI. deliberar sobre o aumento do capital social; VII. aprovar a proposta da Diretoria sobre o Regimento da Companhia, com sua respectiva estrutura organizacional, inclusive a competência e atribuição dos Diretores da Companhia; VIII. aprovar o orçamento anual da Companhia, o plano de metas e de estratégia de negócios da Companhia para o período de vigência do orçamento; IX. autorizar a emissão de notas promissórias comerciais (“commercial papers”); X. aprovar a realização de investimentos e desinvestimentos, inclusive no capital de outras sociedades, em montante superior à alçada da Diretoria; XI. estabelecer alçadas de Diretoria para a aquisição, alienação ou oneração de bens integrantes do ativo permanente, prestação de garantias em geral, celebração de contratos, realização de investimentos e desinvestimentos, renúncia de direitos e transações de qualquer natureza, contratação de empréstimos, financiamentos, arrendamento mercantil e emissão de notas promissórias (excetuada a hipótese do inciso IX deste artigo); XII. autorizar a aquisição de bens para o ativo permanente ou ainda a celebração de contratos, cujo valor individual seja superior à alçada da Diretoria; XIII. autorizar a alienação ou oneração de bens integrantes do ativo permanente da Companhia, cujo valor individual do bem seja superior à alçada de Diretoria; XIV. autorizar a prestação de garantias reais ou fidejussórias pela Companhia em favor de terceiros cujo valor ultrapasse a alçada da Diretoria; XV. autorizar investimentos em novos negócios ou a criação de subsidiária; XVI. autorizar a Companhia a celebrar, alterar ou rescindir acordo de acionistas; XVII. aprovar a política de patrocínios da Companhia, assim como autorizar a prática de atos gratuitos, em benefício de empregados ou da comunidade, tendo em vista as responsabilidades sociais da Companhia, sendo que a prestação de fianças para empregados no caso de transferências e/ou remanejamentos interestaduais e/ou intermunicipais não configura matéria que dependa de prévia aprovação da Assembleia Geral; XVIII. escolher, destituir e decidir a remuneração dos auditores independentes; e XIX. desempenhar quaisquer outras funções ou deliberar sobre quaisquer outros assuntos que não sejam da competência da Diretoria, tal como definido no presente Estatuto e expressamente na lei. Parágrafo 1º - As alçadas de Diretoria serão revisadas a cada exercício social, segundo as atribuições previstas neste artigo. Parágrafo 2º - Em quaisquer das hipóteses dos incisos X, XI, XII e XIII deste artigo 7º, em que o valor do ato ou contrato for inferior a cinco milhões de reais (corrigidos anualmente pela variação do IGP-M, a partir de 10 de abril de 2007), aplica-se o disposto no artigo 13 do presente Estatuto, não sendo exigível deliberação colegiada da Diretoria. CAPÍTULO V - CONSELHO FISCAL: ARTIGO 13 - O Conselho Fiscal da Companhia, que não terá caráter permanente, somente será instalado quando por solicitação dos acionistas na forma da Lei, e será composto por 3 (três) membros efetivos e 3 (três) membros suplentes, acionistas ou não, eleitos pela Assembleia Geral em que for requerido o seu funcionamento. § 1º - Os membros do Conselho Fiscal, quando em exercício, terão direito a remuneração a ser fixada pela Assembleia Geral que os eleger. § 2º - As deliberações do Conselho Fiscal serão tomadas por maioria de votos e lançadas no livro próprio. CAPÍTULO VI EXERCICIO SOCIAL E LUCROS: ARTIGO 14 - O exercício social terminará no dia 31 de dezembro de cada ano. Ao fim de cada exercício a Diretoria fará elaborar, com base na escrituração mercantil, as demonstrações financeiras previstas em Lei, observadas as normas então vigentes, as quais compreenderão a proposta de destinação do lucro do exercício. ARTIGO 15 - Do resultado apurado no exercício, após a dedução dos prejuízos acumulados, se houver, 5% (cinco por cento) serão aplicados na constituição da reserva legal, a qual não excederá o importe de 20% (vinte por cento) do capital social. Do saldo, ajustado na forma do artigo 202 da Lei nº 6.404/76, se existente, 25% (vinte e cinco por cento) serão atribuídos ao pagamento do dividendo mínimo obrigatório. § 1º - Atribuir-se-á à Reserva para Investimentos, que não excederá a 80% (oitenta por cento) do Capital Social subscrito, importância não inferior a 5% (cinco por cento) e não superior a 75% (setenta e cinco por cento) do lucro líquido do exercício, ajustado na forma do artigo 202 da lei nº 6.404/76, com a finalidade de financiar a expansão das atividades da Companhia e/ou de suas empresas controladas e coligadas, inclusive através da subscrição de aumentos de capital, ou a criação de novos empreendimentos. § 2º - O saldo do lucro líquido ajustado, se houver, terá a destinação quer lhe for atribuída pela Assembleia Geral. ARTIGO 16 - Os dividendos atribuídos aos acionistas serão pagos nos prazos da lei, somente incidindo correção monetária e/ou juros se assim for determinado pela Assembleia Geral, e, se não reclamados dentro de 3 (três) anos contados da publicação do ato que autorizou sua distribuição, prescreverão em favor da Companhia. ARTIGO 17 - A Companhia poderá levantar balanços semestrais, ou em períodos menores, e declarar, por deliberação da Assembleia Geral, dividendos à conta de lucros apurado nesses balanços, por conta do total a ser distribuído ao término do respectivo exercício social, observadas as limitações previstas em lei. § 1º - Ainda por deliberação da Assembleia Geral, poderão ser declarados dividendos intermediários, à sua conta de lucros acumulados ou de reservas de lucros existentes no último balanço levantado, inclusive à conta da reserva para Investimentos a que se refere o § 1º do artigo 16. § 2º - Também, mediante decisão da Assembleia Geral, os dividendos ou dividendos intermediários poderão ser pagos a título de juros sobre o capital social. § 3º - Dividendos intermediários deverão sempre ser creditados e considerados como antecipação do dividendo obrigatório. ARTIGO 18 - A Companhia pode, por deliberação da Assembleia Geral, observados os limites legais e conforme as determinações da Lei das Sociedades por Ações, atribuir participação nos lucros a seus administradores e empregados. Parágrafo Único - A Companhia pode, por deliberação da Diretoria, atribuir aos trabalhadores participação nos lucros ou resultados da empresa, na forma da Lei nº 10.101/2000. CAPÍTULO VII - LIQUIDAÇÃO: ARTIGO 19 - A Companhia somente será dissolvida e entrará em liquidação por deliberação da Assembleia Geral ou nos demais casos previstos em lei. § 1º - À Assembleia Geral que deliberar sobre a liquidação caberá nomear o respectivo liquidante e fixar-lhe a remuneração. § 2º - A Assembleia Geral, se assim solicitarem acionistas que representem o número fixado em lei, elegerá o Conselho Fiscal, para o período da liquidação.

Z.X.T.S.P.E. Empreendimentos e Participações S.A.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRO DE TOLEDO/SP Aviso de Licitação - EDITAL RESUMIDO PREGÃO PRESENCIAL Nº 20/2012 - PROCESSO ADMINISTRATIVO: 1103/2012 Objeto: AQUISIÇÃO DE MATERIAIS HOSPITALARES, EM ATENDIMENTO AO DEPARTAMENTO DE SAÚDE DA MUNICIPALIDADE. Credenciamento e entrega dos envelopes: 05 de NOVEMBRO de 2012, às 09:00 horas. Abertura dos envelopes: 05 de NOVEMBRO de 2012. O Edital completo poderá ser adquirido no Depto. de Compras e Licitações, em horário comercial, sito na Av. Cel. Raimundo Vasconcelos, 230, Centro, Pedro de Toledo-SP, e ou pelo site www.pedrodetoledo.sp.gov.br e/ou pelo e-mail: compras@pedrodetoledo.sp.gov.br, informações pelo fone:(13)3419-1599. Pedro de Toledo, 19 de outubro de 2012. Sergio Yasushi Miyashiro - Prefeito Municipal.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: PREGÃO ELETRÔNICO DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 36/00226/12/05 OBJETO: AQUISIÇÃO DE BALANÇA ELETRÔNICA DIGITAL A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para Aquisição de Balança Eletrônica Digital. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 22/10/2012, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 01/11/2012, às 09:30 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, o estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 22/10/2012, até o momento anterior ao início da sessão pública. HERMAN JACOBUS CORNELIS VOORWALD Respondendo pela Presidência Decreto s/nº de 03/10/2012

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SANTA MARIA DA SERRA/SP AVISO DE LICITAÇÃO - LEILÃO Nº 01/2012 De conformidade com a necessidade desta Prefeitura Municipal, faço público, para conhecimento dos interessados, que se acha aberta, na Prefeitura deste Município, o Edital de Leilão nº 01/2012, para realização de leilão público para alienação de bens inservíveis no Município de Santa Maria da Serra, pelo tipo de maior lance por lote, regida pela Lei Federal n 8.666/ 93, suas alterações e demais dispositivos legais expressos no item 3, deste Edital. O início do leilao dar-se-á às 14:00 horas, do dia 29 de novembro de 2012, na Prefeitura Municipal, sita à Praça Santo Zani, nº 30, nesta cidade. A Pasta Técnica contendo o Edital e seus respectivos anexos deverá ser retirada no Setor de Compras, sito à Praça Santo Zani, nº 30, Paço Municipal desta cidade, a qual será fornecida das 09:00 às 15:00 horas. Para conhecimento do público, expede-se o presente Edital, que será publicado pela Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, do Município de Santa Maria da Serra, em jornal de grande circulação no estado e no Município e afixado em Quadro de Avisos, no saguão do Paço Municipal. Santa Maria da Serra, 19 de outubro de 2012. a) JOSIAS ZANI NETO - Prefeito Municipal

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA NOTIFICAÇÃO Ficam Notificados os interessados na Tomada de Preços 016/2012 para aquisição de contratação de empresa especializada para elaboração de análise e laudo técnico de acessibilidade arquitetônica de próprios públicos que a sessão de abertura, ora marcada para 22.10.12 está suspensa “sine die”. Bragança Paulista, 18 de outubro de 2012. JOÃO ALBERTO SIQUEIRA DONULA SECRETÁRIO MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRO DE TOLEDO/SP Aviso de Licitação - EDITAL RESUMIDO MODALIDADE: PREGÃO PRESENCIAL Nº 19/2012 PROCESSO ADMINISTRATIVO: 1098/2012 Objeto: Aquisição de veículos para atender o Projeto Amigo de Valor. Credenciamento e entrega dos envelopes: 31 de OUTUBRO de 2012 às 10:00 horas. Abertura dos envelopes: 31 de OUTUBRO de 2012. O Edital completo poderá ser adquirido no Depto. de Compras e Licitações, em horário comercial, sito à Av. Cel. Raimundo Vasconcelos, 230, Centro, Pedro de Toledo-SP, e ou pelo site www.pedrodetoledo.sp.gov.br e ou pelo e-mail: compras@pedrodetoledo.sp.gov.br, informações fone: (13)3419-1599. Pedro de Toledo, 19 de outubro de 2012. Sergio Yasushi Miyashiro - Prefeito Municipal PREFEITURA MUNICIPAL DE IGARATÁ Aviso de Licitação Pregão Presencial nº 12/2012 - Processo Administrativo nº 1494/2012 Objeto: Aquisição de Equipamentos, Mobiliários e Instrumentais, visando atender as necessidades da Secretaria Municipal de Saúde de Igaratá/SP. O Município de Igaratá-SP torna público, para conhecimento dos interessados, que realizará no dia 07/11/2012, às 14h00, no endereço Av. Benedito Rodrigues de Freitas, nº 330, Centro, Igaratá/SP, o credenciamento de interessados e a abertura das propostas, conforme especificado nos autos surpra. O Edital encontra-se disponível através de solicitação pelo email:licitacaoigarata@gmail.com. Igaratá, 19 de outubro de 2012. Fátima M. A. Prianti - Pregoeira.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 19 de outubro de 2012, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Fort Credit Fomento Comercial Ltda. Requerido: HF Comércio Revestimento de Alto Dese. Rua João Álvares Soares, 637 – Campo Belo - 1ª Vara de Falências. Requerente: KFK Comércio de Tintas de Ferragens Ltda. ME. Requerido: Acesso Engenharia e Comércio de Materiais para Construção Civil Ltda. Rua Conde Sílvio Álvares Penteado, 48 - Pinheiros - 2ª Vara de Falências.

SR TECNOLOGIA EM INFORMÁTICA LTDA., CNPJ 03.224.653/0001-42, por seus sócios, declara extinta a sociedade em 18.09.2012, conforme distrato social.

NIRE 35.300.442.288 - CNPJ/MF 16.577.631/0001-08 Ata de Assembleia Geral Extraordinária Dia, Hora e Local: 03 de outubro de 2012, às 9:00 horas, na sede da Companhia, localizada na Alameda Rio Negro, nº 585, conjunto 121, torre C, Alphaville Industrial, CEP 06454-000, na Cidade de Barueri, Estado de São Paulo. Presença: Acionista representando a totalidade do capital social, conforme assinaturas constantes no Livro de Presença de Acionistas. Convocação: Dispensadas as formalidades de convocação, conforme disposto no Artigo 124, § 4º, da Lei nº 6.404/76. Mesa: Presidente, Sr. Irineu Berardi Meireles; e Secretário, Sr. João Luis Cumerlato. Ordem do Dia: Deliberar sobre: (i) reratificação da ata da Assembleia Geral Extraordinária da Companhia realizada em 20 de agosto de 2012 e arquivada perante a Junta Comercial do Estado de São Paulo - JUCESP, sob nº 386.010/12-2 com a consequente alteração do artigo 2º do Estatuto Social da Companhia; e (ii) alteração da denominação social da Companhia de “Z.X.T.S.P.E. Empreendimentos e Participações S.A.” para “Conectcar Soluções de Mobilidade Eletrônica S.A.”, com a consequente alteração do artigo 1º do Estatuto Social da Companhia. Deliberações: Após analisar e discutir as matérias constantes da ordem do dia, a acionista presente aprovou a lavratura desta ata sob a forma de sumário, na forma do Artigo 130, § 1º, da Lei nº 6.404/76 e deliberou: (i) Re-ratificar a ata de Assembleia Geral Extraordinária da Companhia realizada em 20 de agosto de 2012 e arquivada perante a Junta Comercial do Estado de São Paulo - JUCESP, sob nº 386.010/12-2, em sessão do dia 04 de setembro de 2012, para fazer constar que o endereço do Companhia é Alameda Rio Negro, nº 585, 12º andar, conjunto 121, torre C, Alphaville Industrial, CEP 06454-000, na Cidade de Barueri, Estado de São Paulo, em vez de Alameda Rio Negro, nº 585, conjunto 122, torre C, Alphaville Industrial, CEP 06454-000, na Cidade de Barueri, Estado de São Paulo. Em consequência do acima exposto, o Artigo Segundo do Estatuto Social da Companhia passa a ter a seguinte redação: “Artigo Segundo: A Companhia tem sede e foro na Cidade de Barueri, Estado de São Paulo, na Alameda Rio Negro, nº 585, 12º andar, conjunto 121, torre C, Alphaville Industrial, CEP 06454-000, podendo abrir filiais, agências ou escritórios por deliberação da diretoria.”. Todas as demais deliberações tomadas em referida assembleia permanecem inalteradas; e (ii) Alterar a denominação social da Companhia de “Z.X.T.S.P.E. Empreendimentos e Participações S.A.” para “Conectcar Soluções de Mobilidade Eletrônica S.A.”, com a consequente alteração do Artigo Primeiro do Estatuto Social da Companhia, que passará a ter a seguinte redação: “Artigo Primeiro: A Conectcar Soluções de Mobilidade Eletrônica S.A. é uma sociedade anônima que rege-se por este Estatuto Social e pelas demais disposições legais que lhe forem aplicáveis.”. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foram suspensos os trabalhos até a lavratura da presente ata a qual, reabertos os trabalhos, foi lida, aprovada e assinada por todos os presentes. Mesa: Presidente: Sr. Irineu Berardi Meireles; e Secretário, Sr. João Luis Cumerlato. Acionista: Odebrecht TransPort Participações S.A., por Marcelo Felberg e Irineu Berardi Meireles. (Cópia fiel da ata transcrita no livro de Registro de Atas das Assembleias Gerais da Companhia). Barueri, 03 de outubro de 2012. João Luis Cumerlato - Secretário. Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o Registro sob o número 447.749/12-2 em 11.10.2012. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: PREGÃO ELETRÔNICO DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 36/00387/12/05 OBJETO: AQUISIÇÃO DE INSTRUMENTOS MUSICAIS - LOTE 1 - FANFARRA BÁSICA. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para Aquisição de Instrumentos Musicais - Lote 1 - Fanfarra Básica. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 22/10/2012, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 05/11/2012, às 09:30 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, o estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 22/10/2012, até o momento anterior ao início da sessão pública. HERMAN JACOBUS CORNELIS VOORWALD Respondendo pela Presidência Decreto s/nº de 03/10/2012

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP TERMO DE HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO PROCESSO LICITATÓRIO 74/12 - TOMADA DE PREÇOS 03/12 Objeto: Contratação de empresa especializada para execução de obra de Reforma e Adaptação do Centro Integrado de Saúde - CIS. Considerando a regularidade do procedimento, hei por bem, com base no inciso VI, do artigo 43, da Lei Federal nº 8.666/93, de 21/06/1993, Homologar e Adjudicar o item do objeto licitatório, à empresa abaixo delineada: A. a Z. Comércio, Representação e Serviços Ltda. Avenida José Luciano Pereira, 641 - Centro - Castilho - SP. CNPJ (MF): 04.205.309/0001-79. Valor: R$ 353.991,29 (Trezentos e cinquenta e três mil, novecentos e noventa e um reais e vinte e nove centavos). Castilho - SP, 18 de outubro de 2012. Antonio Carlos Ribeiro. Prefeito. A Debitar (20.10.12)

RB Capital Holding S.A. - CNPJ/MF nº 10.140.272/0001-40 -NIRE 35.300.360.346 Extrato da Ata da Assembleia Geral Extraordinária de 02/10/2012 Data, Hora e Local: 02/10/2012,às 09hs.,sede,R.Amauri,255,5º and.,parte,SP/SP.Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade do capital social. Mesa: Presidente, Marcelo Pinto Duarte Barbará; e Secretário, Marcelo Meth. Deliberação Aprovada por Unanimidade: Distribuição de dividendos intercalares de R$ 12.100.000,00, apurados no balanço patrimonial especialmente levantado naquela data. Os dividendos deverão ser pagos aos acionistas nesta data, em moeda corrente nacional. Farão jus à Distribuição os acionistas que possuam ações nesta data. Encerramento: Nada mais, lavrouse a ata, que vai assinada por todos. SP, 02/10/12. JUCESP nº 448.976/12-2 em 15.10.12. Gisela Simiema Ceschin - Sec. Geral.

Posto de Serviço Confiança Ltda , torna público que recebeu da Cetesb a Renovação da Licença de Operação,29005929,valida até 19/10/2017, para comercio varejista de combustiveis , sito à Av. Morvan Dias de Figueiredo ,7035 - Vila Maria - São Paulo -SP


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

e

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

O número de reclamações feitas ao Ibedec por falta de peças de reposição para produtos aumentou em 12% no primeiro semestre deste ano.

conomia

Manter peças de reposição é obrigatório Segundo o CDC, mesmo que o produto não seja mais fabricado, elas devem estar disponíveis.

Q

uem compra um produto espera que ele funcione. Mas, caso ocorra algum problema, confia na agilidade do reparo por parte de seu fornecedor. Aliás, o Código de Defesa do Consumidor (CDC) estabelece prazos para que o produto retorne às mãos do comprador funcionando perfeitamente. Estando ou não no prazo da garantia (legal e contratual), o limite de tempo para reparo é de 30 dias. Essas determinações valem também para serviços e podem ser consultadas nos artigos 18, 19 e 20 do CDC, cuja seção trata "da responsabili-

O

juiz da 2ª Vara Cível do Fórum Clóvis Beviláqua, no Ceará, decidiu que uma empresa local deverá pagar R$ 7 mil de indenização a um jovem que foi agredido por seguranças em um shopping de Fortaleza. Conforme os autos, o estudante e alguns amigos tentaram entrar no estabelecimento pelo estacionamento, sendo impedidos pelos seguranças. Os jovens questionaram a atitude uma vez que havia entrada para pedestres e, na discussão, um dos estudantes foi agredido com um tapa no rosto. Depois, foi levado para uma sala, onde acabou espancado. Para comprovar as agressões, ele registrou Boletim de Ocorrência e fez exame no Instituto Médico Legal (IML). Por fim, entrou com ação na Justiça. A empresa responsável pelo shopping não apresentou contestação. Ao analisar o caso, o juiz considerou haver elementos suficientes para a concessão da indenização por dano moral, "comprovado por meio de farta documentação anexada aos autos". Fo n t e : Tr i b u n a l d e Justiça do Ceará (TJCE)

dade por vício do produto e do serviço". Mas e se não houver peças para o reparo? Quem deve resolver é o fornecedor. "A lei consumerista prevê no artigo 32 e seu parágrafo único que os fabricantes e importadores têm o dever de assegurar a oferta de componentes e p e ç a s d e r e p o s i ç ã o e nquanto não cessar a fabricação ou a importação do produto, e, mesmo cessadas, a oferta deverá ser mantida por período razoável de tempo", ressalta José Geraldo Tardin, diretor presidente do Instituto Brasileiro de Estudo e Defesa das Relações de Consumo (Ibedec). Segundo ele, o número de reclamações feitas ao instituto por falta de peças de reposição para produtos novos e usados aumentou em 12% no primeiro semestre deste ano. "Essa situação é cada vez mais

frequente e tem causado inúmeros transtornos para os consumidores." O descumprimento desse prazo, informa Tardin, dá ao consumidor o direito de optar, a seu critério, pela troca ou pelo desfazimento do negócio, com a restituição do valor pago, devidamente corrigido e ainda pagamento por danos morais. Tempo – Mas como estipular um período razoável de tempo para se manter peças de reposição no mercado após a cessão de um produto? A discussão sobre este assunto já dura mais de uma década e há inúmeras propostas de lei correndo na Câmara Federal. Especialistas ouvidos pela coluna dizem que a expressão usada no artigo 32 do CDC é vaga. Outros são categóricos ao afirmar que o período razoável de tempo depende da vida útil do produto. É isso também o que afirma

Fique por dentro MENOS BUROCRACIA Uma sondagem do DisqueCâmara mostra que 72,4% dos brasileiros querem mudanças no Código de Defesa do Consumidor (CDC). Para a pesquisa foram ouvidas 1.175 pessoas das cinco regiões do País. As principais alterações na lei consumerista, segundo os entrevistados, são mais punições para empresas que insistem em desrespeitar o consumidor e menos

burocracia na troca de produtos e revisão dos serviços. Outro dado interessante da amostra é que quase 40% dos entrevistados disseram que nunca procuraram um órgão de defesa do consumidor ou uma agência reguladora. As razões são a alta burocracia e a sensação de ter "muito esforço para pouco resultado". O Procon é a instituição mais procurada.

PORTABILIDADE

RECLAMAÇÕES

Cerca de 17 milhões de consumidores já solicitaram a portabilidade numérica de telefones fixo e móvel desde setembro de 2008, conforme dados da Associação Brasileira de Recursos em Telecomunicações (ABRTelecom), entidade que administra a migração. A troca de operadora fixa mantendo o número do telefone já foi feita por 5,9 milhões de assinantes. Para celulares, o número é de 11 milhões.

Levantamento da Fundação Procon-SP mostra que as prestadoras de telecomunicações representam 40% das dez empresas que mais deram problemas ao consumidor neste ano. As operadoras Vivo/Telefônica, Claro, TIM e Oi ocupam o segundo, o terceiro, o sexto e o décimo lugar, respectivamente, na lista das empresas reclamadas no Procon.

Angela Crespo é jornalista especializada em consumo. E-mail: doislados@dcomercio.com.br

o Procon-SP na página "fornecedores" de seu site. Conforme a instituição pública de defesa do consumidor, "cessada a produção e/ou importação, o fabricante deverá manter peças de reposição pelo prazo de vida útil razoável do produto, mantidas as condições normais de utilização". Para fixar o prazo de vida útil, o Procon-SP orienta que "o fabricante e o importador devem medir quais as condições normais de utilização, por um consumidor padrão, avaliando o desgaste natural de peças e componentes e, a partir deste dado, prever o tempo máximo em que seria economicamente viável a reposição de peças e componentes". Em caso de negligência do fornecedor para esse tema, serão aplicadas as sanções estipuladas em leis e decretos. Por exemplo, o artigo 13, inciso XXI do Decreto nº 2.181/97

determina ser prática infrativa deixar de assegurar a oferta de componentes e peças de reposição. Esse decreto dispõe sobre a organização do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor e estabelece as normais gerais de aplicação das sanções administrativas da Lei nº 8.078/90 (CDC), que, por sua vez, especifica no artigo 56 o que poderá acarretar a quem descumpre as normas, entre elas, a cassação da licença do estabelecimento ou da atividade, interdição e multa, entre outras. Crime – Se não há peça de reposição, o fornecedor deverá tomar alguma providência, que não seja a utilização de recondicionadas ou usadas, uma vez que pelo CDC isso é crime, a não ser que o consumidor concorde e assine. O artigo 21, conforme explica o Procon-SP em sua página, determina que no reparo é obrigatório o uso de itens novos. Caso não siga as regras, o fornecedor ou prestador de serviço poderá ser punido conforme o artigo 70. "Quando se pretende reparar produtos em assistência técnica, há a obrigação do emprego de componentes de reposição originais, adequados e novos, ou que mantenham as especificações técnicas do fabricante no caso de peças conhecidas como 'paralelas'. Mas as peças 'paralelas' somente poderão ser utilizadas quando o consumidor autorizar por escrito previamente. Logo, as peças usadas ou recondicionadas também podem ser utilizadas após a autorização do consumidor por escrito, antes da execução do serviço, sob pena do fornecedor cometer um crime", diz o Procon-SP.

Deputados propõem leis sobre o assunto

O

assunto peças de reposição tem rendido inúmeros projetos de lei na Câmara Federal. O mais recente, de nº 4.330/12, do deputado Pastor Marco Feliciano (PSC-SP), proíbe o desmanche e a venda de peças usadas de carros e motos irrecuperáveis ou definitivamente desmontados. Conforme a Agência Câmara de Notícias, o deputado propõe que esses veículos sejam ser prensados depois que o proprietário ou a seguradora pedir a baixa do registro no órgão de trânsito e leiloados como sucata. O objetivo é desestimular o mercado de peças usadas, que, segundo o deputado, sobrevive principalmente do desmanche de veículos roubados. "Nesse contexto, os veículos antigos, que não são mais produzidos,

tornam-se atraentes para o crime organizado, em contraposição ao interesse das empresas seguradoras, que cobram preços elevados pelo seguro", observa o parlamentar. Obrigar os fabricantes e importadores a manterem a oferta por período não inferior a 10 anos de componentes e peças de reposição de bens duráveis, incluindo veículos, é a proposta do deputado Sandes Júnior (PPO-GO) ao apresentar o Projeto de Lei 226/2011. Já o deputado Ricardo Izar (PSD-SP) pede alteração no artigo 32 do Código de Defesa do Consumidor por meio do Projeto de Lei 2.691/2011. Segundo o texto, os fornecedores deverão manter peças de reposição por um período mínimo de seis vezes o equivalente a garantia que está estipulada para o produto.

O QUE DIZ O CDC Artigo 21 No fornecimento de serviços que tenham por objetivo a reparação de qualquer produto considerar-seá implícita a obrigação do fornecedor de empregar componentes de reposição originais adequados e novos, ou que mantenham as especificações técnicas do fabricante, salvo, quanto a estes últimos, autorização em contrário por parte do consumidor. Artigo 32 Os fabricantes e importadores deverão assegurar a oferta de componentes e peças de reposição enquanto não cessar a fabricação ou importação do produto. Parágrafo único. Cessadas a produção ou importação, a oferta deverá ser mantida por período razoável de tempo, na forma da lei. Artigo 56 As infrações das normas de defesa do consumidor ficam sujeitas, conforme o caso, às seguintes sanções administrativas, sem prejuízo das de natureza civil, penal e das definidas em normas específicas: I - multa; II - apreensão do produto; III - inutilização do produto; IV - cassação do registro do produto junto ao órgão competente; V - proibição de fabricação do produto; VI - suspensão de fornecimento de produtos ou serviço; VII - suspensão temporária de atividade; VIII - revogação de concessão ou permissão de uso; IX - cassação de licença do estabelecimento ou de atividade; X - interdição, total ou parcial, de estabelecimento, de obra ou de atividade; XI - intervenção administrativa; XII - imposição de contrapropaganda. Parágrafo único. As sanções previstas neste artigo serão aplicadas pela autoridade administrativa, no âmbito de sua atribuição, podendo ser aplicadas cumulativamente, inclusive por medida cautelar, antecedente ou incidente de procedimento administrativo. Artigo 61 Constituem crimes contra as relações de consumo previstas neste código, sem prejuízo do disposto no Código Penal e leis especiais, as condutas tipificadas nos artigos seguintes. Artigo 70 Empregar na reparação de produtos, peça ou componentes de reposição usados, sem autorização do consumidor: Pena Detenção de três meses a um ano e multa.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

e

23 PALMEIRAS Time faz contas para se salvar no Brasileiro e joga amanhã pela Sul-Americana. Pág. 24

sporte

A

AUTOMOBILISMO Barrichello estreia na Stock Car chegando em 22º. Pág. 25

A LUTA CONTINUA

luta entre FluminenNo Engenhão, no Rio, além se e Atlético-MG, pe- de perder um pênalti pelo selo título do Campeo- gundo jogo seguido (o outro nato Brasileiro, e en- havia sido no meio da semana, tre São Paulo e Vasco, por uma na vitória por 2 a 0 sobre o Atlédas vagas na Libertadores do tico Goianiense, no Morumbi), ano que vem, continua. Com a Luis Fabiano saiu no intervalo, vitória por 3 a 2 sobre o Flumi- com dores musculares na conense, em Belo Horizonte, os xa esquerda. Talvez, até, não mineiros diminuíram de nove se recupere a tempo de ser espara seis pontos a distância calado quarta-feira, no Moque os separa da liderança, rumbi, contra a LDU de Loja, ocupada pelo próprio tricolor do Equador, no jogo de volta carioca. Já a derrota são-pauli- das oitavas de final da Copa na por 1 a 0 para o Flamengo, Sul-Americana (na ida, no no Rio, com direito a pênalti Equador, houve empate por 1 desperdiçado pelo tricolor a 1). O mais provável é que seLuis Fabiano e defendido pelo ja preservado para o duelo rubro-negro Felipe, permitiu contra o Sport, no sábado, no que o Vasco entre Recife, quando o em campo para posto no grupo enfrentar o Inter, dos quatro primeiem casa, na quarros do Brasileiro O momento t a - f e i r a , d e p e npoderá estar em não é bom, dendo da vitória jogo. “Não é uma para diminuir de contusão grave. é melhor cinco para dois Se não jogar na eu não pontos a distância quarta, acho que bater mais que o separa do trijoga no sábado, pênaltis.” color paulista. embora não posEm Minas, no josamos definir isso LUIS FABIANO go que poderia ter agora”, disse o decidido o próprio técnico Ney Francampeonato, o Atlético sofreu co, após ver seu time perder um gol do Fluminense, marca- com um gol marcado por Gondo por Wellington Nen, já no zález aos 26 minutos do sesegundo tempo. Isso depois gundo tempo e desperdiçar a de muito pressionar e ter um chance de abrir oito pontos de gol de falta de Ronaldinho vantagem para o Vasco, quinGaúcho anulado (na cobran- to colocado, que agora jogará ça, o árbitro Jailson Macedo sabendo o resultado do rival. Freitas marcou outra falta, do Segundo o técnico, a derroatleticano Leonardo Silva em ta, que interrompeu uma série cima da barreira tricolor). Con- de quatro triunfos consecutiseguiu virar com dois gols de vos, deve ser bem digerida peJô, sofreu novo empate (gol do lo grupo e não pode trazer reartilheiro tricolor Fred, já aos flexos para as próximas roda40 minutos) e ainda encontrou das. “Não podemos jogar por forças para, aos 47, fazer 3 a 2, terra todo o trabalho por causa com Leonardo Silva. “A vitória desta derrota. Temos condiencurta a diferença”, avaliou ções de iniciar uma nova boa Ronaldinho Gaúcho. “Agora, sequência na competição. De se eles derem mais um trope- toda forma, vamos nos manço e a gente continuar nessa ter no G4 nesta rodada, que pegada, temos tudo para se- não foi tão boa para nós quanguir no nosso sonho.” to a última.”

Marcus Desimoni/Estadão Conteúdo

O Atlético-MG de Bernard fez 3 a 2 no Flu de Carlinhos, em Belo Horizonte, diminuiu para 6 pontos a diferença que separa os dois e segue na luta pelo título

Wagner Meier/Estadão Conteúdo

O São Paulo de Luis Fabiano e Rogério Ceni perdeu para o Flamengo (1 a 0, no Rio), mas segue na frente do Vasco na luta por vaga na Libertadores

Ponte Preta respira, Santos lamenta

C

om a vitória sobre o Santos por 1 a 0, ontem, em Campinas, a Ponte Preta se manteve distante da zona de rebaixamento. O time da casa controlou a partida do início ao fim, marcou um gol aos 12 minutos, com o atacante Luan, e só não conseguiu um placar mais elástico porque o goleiro Rafael estava inspirado. O resultado levou o time campineiro aos 40 pontos, na 13ª colocação, sete à frente do Sport, que abre a zona de rebaixamento. Já o Santos está no 11º lugar, com 42 pontos. Nem mesmo Neymar conseguiu evitar a decepcionante atuação santista. O atacante havia pegado gancho de duas partidas por sua expulsão diante do Grêmio, mas o clube conseguiu efeito suspensivo, que garantiu a presença do jogador em campo. Ao tentar explicar a derrota, o craque foi direto. “Ninguém aqui foi mais ou menos, foi de ruim para

pior”, afirmou. “Nosso time não pode dar esse mole jogando fora de casa.” O meia Felipe Anderson também admitiu que foi uma das “piores apresentações do Santos” no Brasileiro, mas também reconheceu que a Ponte Preta soube neutralizar os pontos fortes do time. “A equipe deles marcou muito bem e foi feliz.” A derrota quebrou uma invencibilidade de cinco jogos do time no Brasileiro. A última havia sido há um mês, contra a Portuguesa, por 3 a 1, no Pacaembu. O Santos vinha também de bons resultados diante de equipes mais bem colocadas, como os empates com Grêmio, Internacional e Atlético Mineiro e as vitórias contra Botafogo e Vasco. Com a Vila Belmiro interditada até que uma ambulância consiga entrar em campo para atendimento, o jogo de quinta, com o Náutico, deve ser transferido para local ainda indefinido.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

24

e

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

Não posso perder algum atleta nessa reta final.” Gilson Kleina

sporte

L

ogo após a vitória do Palmeiras sobre o Cruzeiro por 2 a 0, no sábado, a emoção tomou conta do gramado da Arena da Fonte Luminosa, em Araraquara. Os jogadores se abraçaram e os torcedores aplaudiram de pé. “Ninguém acredita que Palmeiras vai cair”, disse o herói da partida, o argentino Barcos, autor dos dois gols, ambos marcados no segundo tempo. “O grupo está forte, o que é mais importante. O Palmeiras ganhou e estamos cada vez mais perto de sair dessa situação.” Mais econômico nas palavras, o técnico Gilson Kleina não deixou de elogiar a postura da equipe. "Estamos de parabéns pela luta, por não desistir de atacar." O jogo contra o Cruzeiro pode ter sido o último do Palmeiras em Araraquara. A diretoria estuda a possibilidade de mandar as partidas contra Botafogo e Fluminense em Presidente Prudente e o departamento jurídico tenta também que a pena seja suspensa e o time volte para São Paulo. O Palmeiras joga novamente amanhã, contra o MIllonários, em Bogotá, na Colômbia, pelas oitavas de final da Copa Sul-Americana. Como a permanência na Série A do Brasileiro em 2013 é a prioridade, Marcos Assunção, Maurício Ramos e Barcos serão poupados. Daniel Carvalho, afastado para recuperar a forma física, ganha nova oportunidade. João Denoni, Patrick Vieira e Wesley não estão inscritos na competição, e por isso ficam em São Paulo. Maikon Leite e Correa, que se recuperam de dores na coxa direita, são dúvidas. Hoje, Gilson Kleina comanda um treinamento de

Alex Silva/Estadão Conteúdo

PALMEIRAS ACREDITA Vitória por 2 a 0 sobre o Cruzeiro, com gols de Barcos, e empate do Bahia baixam para 4 pontos a diferença entre os dois times, que lutam para fugir da zona de rebaixamento

manhã na Academia de Futebol. Às 15 horas a delegação viaja para Bogotá. No primeiro jogo contra o MIllonários, o Palmeiras venceu por 3 a 1, no Pacaembu. Pode perder por até um gol que se classifica. Caso avance às quartas, enfrenta o vencedor de Barcelona-EQU e Grêmio, que jogam na quarta em Porto Alegre (no primeiro jogo, deu Grêmio, 1 a 0). Também na quarta, enfrentam-se em Goiânia Atlético-GO e Universidad Católica, do Chile (que venceu a primeira, por 2 a 0), e São Paulo e Liga de Loja, do Equador, no Morumbi (na ida, 1 a 1).

Corinthians pensa em 2013 Levi Bianco/Estadão Conteúdo

Time de Romarinho, Guerrero e Douglas fica no 1 a 1 com o Bahia, acaba ajudando o rival Palmeiras e agora só pensa no Mundial

N

o sábado, em mais um jogo apenas para cumprir tabela no Campeonato Brasileiro, o Corinthians empatou por 1 a 1 com o Bahia, no Pacaembu, com dois gols ainda no primeiro tempo (marcados por Douglas, de pênalti, e por Fahel) e acabou ajudando o rival Palmeiras em sua luta contra o rebaixamento. Agora, o time deverá focar ainda mais o Mundial de Clubes, que será disputado no Japão, em dezembro, e o próprio ano de 2013. Os titulares que descansaram nas últimas rodadas voltarão a atuar na próxima rodada, no sábado, contra o Vasco, no Pacaembu. Fazem parte desse grupo: o lateral-direito Alessandro, o lateral-esquerdo Fábio Santos, o zagueiro Paulo André e o volante Ralf. Dos atletas que estão machu-

cados, quem tem mais chance de atuar já no próximo jogo é o meia Danilo. Já o atacante Emerson deve ficar fora por mais uma rodada porque machucou o joelho. A maior prova de que Tite deve continuar à frente da equipe seja qual for o resultado do Mundial de Clubes da Fifa é que o treinador já conversa com a diretoria sobre possíveis reforços visando a próxim a t e m p o r a d a . O departamento de futebol deve se reunir nesta semana para traçar uma lista com nomes de jogadores que interessam ao clube, como o atacante Gabriel, revelação do Bahia. Também será decidido quais jogadores que estão emprestados retornam ao clube. Nesta lista estão o meia Vítor Junior (Botafogo) e o lateral-esquerdo Ramon (Flamengo). E quais jogado-

res da categoria de base serão aproveitados. Um planejamento necessário para formar o elenco para a disputa do Campeonato Paulista, pois os titulares terão suas férias prolongadas. Tite está a par de tudo isso, mesmo sem ter renovado contrato (o vínculo se encerra no final do ano). Ele já pediu à diretoria um outro lateral-esquerdo. Poderia ser a volta de Ramon ou contratar um novo jogador. A posição continua problemática porque não há reserva para Fábio Santos. A situação piorou com a nova contusão do garoto Denner, de 18 anos, no jogo contra o Bahia, logo nos primeiros minutos da partida. O lateral-esquerdo formado nas categorias de base torceu o joelho direito, deve ser operado e comprometeu o início de 2013. O zagueiro

Wallace também deixou o campo machucado no jogo de sábado. Tite e a diretoria também disseram internamente que gostariam que Paulinho permanecesse no Corinthians até a Copa do Mundo de 2014. Embora ele tenha contrato até 2015, já dão como certo que o meia receberá nova proposta do futebol europeu na próxima janela de transferências. Gabriel tem contrato até 2015 com o Bahia, que não está muito disposto a vender seu mais promissor jogador. A diretoria estuda trazer mais um camisa 9, alguém que substitua Guerrero. O peruano é nome certo nas convocações da seleção peruana e desfalca o time com frequência. Jogadores que estão na Europa e pensam retornar ao Brasil também interessam.

São Caetano sai do G-4

O

empate por 2 a 2, fora, com o lanterna Grêmio Barueri, na sexta, e os 2 a 0 do Atlético-PR no Vitória, em Salvador, no sábado, tiraram o São Caetano do G-4 da Série B. Agora, o time é quinto, um ponto atrás dos paranaenses. O líder segue sendo o Criciúma, que no sábado empatou (1 a 1) com o Paraná, em Curitiba. Na sexta, o vice-líder Goiás goleou o Avaí por 4 a 1, em Florianópolis. Demais resultados: na sexta, ASA 3 x 0 Ceará e IpatingaMG 4 x 0 América-RN. No sábado, Joinville-SC 3 x 1 CRB-AL, Guarani 0 x 3 América-MG, ABC 1 x 0 Bragantino e Boa 0 x 1 Guaratinguetá. Amanhã tem rodada completa, com Atlético-PR x Guarani, América-RN x Joinville-SC, CRB x Vitória, Goiás x ASA, Criciúma x Barueri, São Caetano x Ipatinga, Guaratinguetá x ABC, América-MG x Boa, Ceará x Paraná e Bragantino x Avaí.

PELO BRASIL

 A penúltima rodada da

das vagas que sobraram,

primeira fase da Série C

como o Paysandu-PA, que

definiu dois rebaixados:

ao golear o Salgueiro-PE

Guarany-CE, no Grupo A

por 4 a 0 subiu para 3º. No

(derrotado pelo Cuiabá-

Grupo B, estão garantidos

MT por 2 a 1), e Tupi-MG,

Macaé-RJ e Oeste-SP. O

no Grupo B (perdeu para o

Caxias é terceiro (3 a 0 no

Oeste-SP por 1 a 0, em Juiz

Brasiliense-DF) e o Duque

de Fora, MG). O Fortaleza-

de Caxias-RJ, quarto (1 a 0

CE garantiu o primeiro

no Santo André, que luta

lugar do Grupo A ao

contra o rebaixaqmento).

vencer o Icasa-CE (1 a 0). O

 Na decisão da Série D, o

vice-líder Luverdense-MT

Sampaio Corrêa fez 2 a 0

perdeu para o Santa Cruz-

no CRAC-GO, ontem,

PE, sábado, no Recife (2 a

em São Luís (MA), e se

1). O Santa (4º) está perto

sagrou campeão invicto.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

e

25 Pude sentir toda a diferença que existe em andar num carro fechado.” Rubens Barrichello

sporte Hugo Harada/Gazeta do Povo/Estadão Conteúdo

ESPANHOL

Barcelona ganha “como antigamente”

A

lguns fãs do Barcelona gostam de comparar o time de Messi & cia. às equipes do passado, que jogavam sem tanta preocupação defensiva e mais interessadas em dar espetáculo. Essas pessoas tiveram mais um exemplo desse tipo de jogo no sábado, quando o Barça conseguiu uma vitória sofrida sobre o La Coruña, por 5 a 4, um daqueles placares que hoje parecem até “antiquados”. Parecia que seria uma goleada: com 20 minutos o Barça já vencia por 3 a 0, gols de Alba, Tello e Messi. Mas o La Coruña reagiu e marcou com Pizzi e Bergantinos, este numa falha de Valdés. Messi fez o quarto ainda no primeiro tempo, e Pizzi descontou no comecinho

do segundo. Messi guardou seu terceiro aos 32, mas ainda houve tempo para um belo gol contra de Alba, aos 34, que selou o placar final. Com 22 pontos, o Barcelona lidera o Espanhol ao lado do Atlético de Madri, que ontem suou para bater a Real Sociedad por 1 a 0, fora de casa, com gol de Falcao Garcia no finzinho, e só está atrás no saldo de gols, 13 contra 11. O Málaga, que venceu o Valladolid por 2 a 1, é o terceiro, com 17, e o Real Madrid já está em quarto, com 14, depois de fazer 2 a 0 no Celta, com gols de Higuaín e Cristiano Ronaldo. Na acirrada briga pela artilharia, Messi ficou em vantagem: tem 11 gols, contra 9 de Cristiano Ronaldo e Falcao. Principal estrela da Stock Car em Curitiba, Rubens Barrichello chegou apenas em 22º lugar e ainda se envolveu num acidente; Átila Abreu venceu

Miguel Vidal/Reuters

FOI DEVAGAR

R

Messi fez três gols na sofrida vitória por 5 a 4 sobre o La Coruña

PELO MUNDO

Chelsea vence e segue na liderança

ubens Barrichello ficou longe de ter a estreia dos sonhos na Stock Car: ontem, em Curitiba, o veterano piloto não passou de um 22º lugar na prova, depois de se envolver num acidente múltiplo na largada, e viu que o currículo de mais de 300 provas e dois vicecampeonatos na Fórmula 1 fazem pouca diferença na pista. Átila Abreu venceu a prova e subiu para o terceiro lugar na classificação da temporada, com 134 pontos, 13 a menos que o líder Cacá Bueno, que chegou em quinto. Daniel Serra, que ficou em terceiro, é o vice-líder, com 135 pontos. A temporada ainda tem duas

corridas, em Brasília e São Paulo - esta última, a “Corrida do Milhão”, com prêmio de R$ 1 milhão para o vencedor e pontuação dobrada. Nessas duas corridas haverá mais um “convidado especial” direto da Indy: Tony Kanaan. “Foi muito divertido. Pena foi o enrosco na largada. Estava parecendo estacionamento de shopping center, aquele freia e acelera, mas de repente levei uma pancada na traseira que entortou o carro”, explicou-se Barrichello, que ainda se recuperou do acidente, mas perdeu mais tempo depois por causa de um pneu furado. Ele havia largado em 15º lugar, e achava que pode-

ria ter ficado entre os 10 primeiros, não fossem os incidentes. “Eu estava esperançoso de fazer uma boa corrida porque meu carro estava bom com pneus velhos. De qualquer forma, a experiência foi válida, pude sentir toda a diferença que existe em andar num carro fechado”, afirmou. Seu companheiro de equipe, Xandinho Negrão, também não teve um dia bom e ficou apenas em 19º lugar. Indeferente à participação de Barrichello, sobre quem chegou a colocar uma volta, Átila Abreu comemorou sua reação no campeonato, já que saltou duas posições com a vitória. “Foi um resultado muito

importante para o campeonato. Já estive 39 pontos atrás do Cacá Bueno, agora são 13, isso é fruto do trabalho excelente da equipe. A meta é chegar à Corrida do Milhão com 10 pontos ou menos de distância para o líder, para realmente brigar pelo título”, afirmou. Cacá Bueno comemorou, já que, antes da prova, sua vantagem para o segundo colocado, que então era Ricardo Maurício (que abandonou), era de apenas dois pontos. “Percebi que não teria ritmo para acompanhar os primeiros e passei a fazer uma corrida pensando no campeonato, e o resultado foi fantástico”, disse o tetracampeão.

TÊNIS

Nenê se machuca, mas PSG vence e lidera

Quase deu para Bellucci Grigory Dukor/Reuters

I

mpecável no Campeonato Inglês, o Chelsea venceu mais uma no sábado, 4 a 2 sobre o Tottenham, fora de casa, e manteve a liderança folgada, com 22 pontos, quatro a mais que os vice-líderes Manchester United, que venceu o Liverpool por 2 a 1, de virada, fora de casa, e Manchester City, que vacilou e perdeu a viceliderança isolada ao empatar por 1 a 1 com o Arsenal. Pior que o empate em casa para o City, contudo, foi a lesão sofrida por David Silva nas Eliminatórias, com a camisa da Espanha, e que deve tirá-lo do jogo de quarta-feira contra o Ajax, em Amsterdã, pela Liga dos Campeões - o time inglês é o terceiro colocado do Grupo D, com apenas um ponto, e está em busca de sua primeira vitória na competição.

Juve vence “final” contra o Napoli

D

eu Juventus no confronto direto entre os dois então líderes do Campeonato Italiano: em Turim, o atual campeão venceu o Napoli por 2 a 0 e se isolou na liderança, 22 pontos contra 19. Caceres e Pogba marcaram os gols da Juve, que agora é o único time invicto da competição e amanhã pega o Nordsjaelland, na Dinamarca, pela terceira rodada da Liga dos Campeões. O Napoli ainda é o vice-líder, mas agora seguido de perto por Lazio e Inter, ambos com 18 pontos. Com grande atuação e um gol de Hernanes, a equipe da capital bateu o Milan por 3 a 2, enquanto a Inter fez 2 a 0 no Cesena. Com a derrota, o Milan, que na quarta encara o Málaga, é o 15º colocado no Italiano, com apenas 7 pontos em oito rodadas.

O

Paris Saint-Germain enfim chegou à liderança do Campeonato Francês, neste fim de semana, ao vencer o Stade Reims por 1 a 0, com gol de Gameiro, num jogo em que o rival ainda perdeu um pênalti. O milionário time da capital chegou a 19 pontos e foi beneficiado pela derrota do Olympique de Marselha para o Troyes por 1 a 0 e parou nos mesmos 19 pontos, mas com saldo de gols pior, 4 contra 10. O Lyon venceu o Brest também por 1 a 0, e está na cola dos dois, com 18 pontos. Nem tudo foi alegria, porém, para o PSG: o atacante brasileiro Nenê saiu do jogo com uma fratura na face, foi operado, não tem previsão de volta e está fora do jogo de quarta contra o Dínamo Zagreb, na Croácia.

Bayern 100% sobra no Alemão

O

ito jogos, oito vitórias e incríveis 26 gols marcados com apenas dois sofridos. Esta é a campanha do Bayern de Munique, até agora a única equipe com 100% de aproveitamento nas principais ligas europeias. Neste sábado, o time destroçou mais um rival, o Fortuna Dusseldorf, com uma goleada por 5 a 0, fora de casa, gols de Müller (2), Mandzukic, Luiz Gustavo e Rafinha. Embalado, o time tenta agora levar a boa campanha para a Liga dos Campeões: com uma vitória e uma derrota, o time joga nesta terça contra o Lille, na França, de olho na liderança do Grupo F - hoje nas mãos do surpreendente BATE Borisov, que o venceu por 3 a 1 na última rodada, três semanas atrás, e amanha recebe o Valência, na Bielo-Rússia.

T

homaz Bellucci perdeu ontem a chance de conquistar seu primeiro título em quadras rápidas e acabou com o vice-campeonato do Torneio de Moscou. Na decisão, foi derrotado pelo italiano Andreas Seppi por 2 a 1, parciais de 3/6, 7/6 (7/3) e 6/3, num jogo com quase duas horas e meia de duração. “Perdi para mim mesmo. Estava jogando muito bem até a hora de fechar no segundo set. Perdi as duas oportunidades mais importantes da partida

Brasileiro foi batido pelo italiano Andreas Seppi na final de Moscou

que me custaram o título, não consegui manter a calma e, depois disso, ele cresceu no jogo”, explicou. Apesar da derrota, Bellucci comemorou a boa semana, que deve colocá-lo novamente entre os 40 melhores do mundo - estava em 41º nesta semana. “Fiz bons jogos aqui em Moscou, faltou pouco para o meu primeiro título em quadra rápida e espero ir bem nesta próxima semana na Suíça”, disse o brasileiro, que disputa o Torneio da Basileia.

OUTROS CAMPOS Divulgação

Pindamonhangaba mostra força no pedal

A

cabou ontem, com chegada na Ponte Estaiada, a Volta Ciclística de São Paulo. O argentino Francisco Chamorro, que defende o time de Sorocaba, venceu a última etapa, mas o título ficou com Magno Nazaret, de Pindamonhangaba - que levou também o título por equipes.

A oitava etapa saiu de Jundiaí e foi apenas para “cumprir tabela”, já que dificilmente Nazaret seria superado, após conseguir boa vantagem na etapa de sábado, que subiu a serra até Campos do Jordão. Ao todo, os ciclistas pedalaram por quase 1.000 km em oito dias, em todo o Estado.

Pedrosa vence terceira seguida na MotoGP

D

ani Pedrosa venceu a terceira prova seguida na MotoGP, na Malásia, mas ainda está longo do líder Jorge Lorenzo, que chegou em segundo na prova e tem 23 pontos de vantagem na liderança do Mundial (330 a 307), a duas provas do fim da temporada.

A corrida foi curta, com apenas 13 das 20 voltas previstas, por causa das fortes chuvas no circuito em Sepang - mesma situação vivida no local pela Fórmula 1 em 2009. Se vencer a próxima etapa, domingo, na Austrália, Lorenzo será campeão por antecipação.

Time de Zé Roberto alcança primeira final

C

riado há seis meses e sob o comando do tricampeão olímpico José Roberto Guimarães, o Campinas alcançou no sábado a final do Paulista feminino de vôlei, ao vencer o Sesi por 3 a 0. O outro finalista será decidido entre Pinheiros e o campeão mundial Osasco.

“Estou muito feliz com a evolução do time. Melhoramos muito técnica e taticamente, mas sabemos que temos um longo caminho pela frente”, afirmou o técnico, que prepara o time também para a disputa da Superliga, que começa em novembro.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

26 -.ESPORTE

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de outubro de 2012

FIM DE JOGO

L

Após derrota em casa, Paulo César Carpegiani não é mais técnico do Vitória

L

Jérôme Valcke, secretário-geral da Fifa, recebe alta de hospital no Rio

L

Bruno Soares e Marcelo Melo conquistam o ATP de Estocolmo, na Suécia

L

Vídeo em destaque - Jogadores estranhos - www.dcomcercio.com.br

www.dcomercio.com.br/esporte/

RECORDISTAS DESTA VEZ, NÃO TEM MAZEMBE

 O Mazembe,

Zoubeir Souissi/Reuters

aquele time do Congo que surpreendeu o Internacional no Mundial de Clubes de 2010, não vai ao Japão em dezembro. A Liga dos Campeões da África, que dá vaga para o Mundial, definiu seus finalistas: o Espérance, da Tunísia, que venceu o Mazembe por 1 a 0, no sábado; e o Al Ahly, do Egito, que, ontem,

Lucas Baptista/Estadão Conteúdo

bateu o Sunshine Stars, da Nigéria, também, por 1 a 0. O campeão africano ainda enfrentará o vencedor do confronto entre o Auckland City, da Nova Zelândia, e o campeão japonês para chegar à semifinal do Mundial como adversário do Corinthians. Sábado, 20, e domingo, 21

BOM DE BRIGA

Scott Miller/Reuters

Cruz sai do armário para vencer no ringue

P

oucos dias depois de assumir publicamente que é homossexual, o pugilista porto-riquenho Orlando Cruz, de 31 anos, vence, na Flórida, o mexicano Jorge Pazos, por decisão unânime dos jurados, mantém o cinturão latino dos pesos pena da Organização Mundial de Boxe e comemora: "Quero me vejam como atleta e como homem em todos os sentidos da palavra". Sábado, 20

NOVOS EXAMES

Ganso melhora e pode jogar ainda em 2012 aulo Henrique Ganso será submetido, nesta semana, a uma nova avaliação médica para definir as próximas fases do trabalho de reabilitação. Os médicos do São Paulo estão otimistas após constatar que a lesão na coxa esquerda está cicatrizada. "Agora, entraremos na reta final da reabilitação", diz o fisioterapeuta Luiz Rosan. Ganso quer voltar aos campos ainda nesta ano.

Por amor à camisa Neymar: 200 jogos pelo Santos; Harlei, 800 pelo Goiás

D

Mister Shadow/Estadão Conteúdo

P

Domingo, 21

DE VOLTA Wesley Santos/Estadão Conteúdo

Carlos Costa/Estadão Conteúdo

epois de marcar dois gols pela Seleção Brasileira nos 4 a 0 sobre o Japão, em amistoso disputado na cidade polonesa de Wroclaw, o santista Neymar viajou 12 horas, desembarcou em são Paulo na madrugada da quarta-feira, dia 17, descansou algumas horas no CT Rei Pelé e, à noite, entrou no gramado da Vila Belmiro, com a camisa 200, para brilhar mais uma vez pelo Santos, marcando um gol de placa no 2 a 2 com o Atlético Mineiro. O número da camisa era uma alusão a seu 200º jogo como profissional santista. É um feito significativo. Aos 20 anos, o craque santista entra para uma lista de apenas 24 jogadores do atual Campeonato Brasileiro com mais

de 200 partidas por um único time, segundo levantamento d o b l o g g l o b o e s p o r t e . g l obo.com/numerologos/platb. Sete jogadores da lista são goleiros, como o mineiro Harley, que, na véspera, completou 800 jogos pelo Goiás com uma goleada de 5 a 0 sobre o Guarani em jogo da Série B. Neymar está longe de alcançar os números de Harley, que bate os 732 jogos de Zico pelo Flamengo, mas perde para Ademir da Guia (901, pelo Palmeiras), Rogério Ceni (1.039, pelo São Paulo), Roberto Dinamite (1.100, pelo Vasco) e Pelé (1.114, pelo Santos). Feliz com a atitude de seu jogador, o técnico Muricy Ramalho se derrete em elogios e sintetiza: "Muito jogador deveria olhar o Neymar.”

ELAS E ELE Marcos Bezerra/Estadão Conteúdo

Este é o país do vôlei

A

costumadas a grandes conquistas com a seleção brasileira de vôlei, várias jogadoras da equipe do Sollys Nestlé, de Osasco, não esconderam a felicidade por voltar ao Brasil, neste domingo, com o título do Mundial de Clubes disputado em em Doha, no Catar. Apenas dois times brasileiros tinham vencido um Mun-

Grêmio elege Koff pela terceira vez

C

om 7.696 votos, equivalentes a 57,5% dos 13547 eleitores que compareceram às urnas, Fábio Koff é eleito para seu terceiro mandato como presidente do Grêmio. "Perdi para uma legenda", reconheceu o atual presidente e candidato

almanaque Celso Unzelte

Pelé faz 72 anos (seja na data que for)

I

ndependentemente da polêmica a respeito de sua verdadeira data de nascimento, nesta semana Pelé comemora 72 anos. Ao lado, as reproduções de sua certidão de nascimento (acima), com data de 21 de outubro de 1940 e o nome Edison, com "i", e a certidão de batismo (abaixo), com o nome Edson e a data de nascimento de 23 de outubro de 1940.

á reeleição, Paulo Odone. Koff, que dirigiu o Clube dos 13 nos últimos anos, presidiu anteriormente o Grêmio na conquista de um Campeonato Brasileiro, uma Copa do Brasil, duas Libertadores e um Mundial de Clubes. Domingo, 21

Arquivo Celso

Reprodução/

Unzelte

O

s registros da cert i d ã o d e n a s c imento teriam sido erros do escrivão, que grafou Edison, com i, para homenagear o inventor Thomas Edison. Ambos os documentos estão hoje em uma sala da Casa de Cultura de Três Corações (MG), onde Pelé nasceu.

Sou Edson, mas para meu incômodo esse 'i' aparece nos documentos.” Pelé

dial feminino: a Sadia, em 1991, e o Leite Moça/Nestlé, em 1994. Com 35 jogos de invencibilidade, a equipe de Osasco é a atual campeã da Superliga e do Sul-Americano: "É uma sensação especial ser campeã mundial porque lutamos muito nestes três anos. Agora tenho esse título na minha carreira e isso é para a vida inteira", feste-

27

dias levou o pai de Pelé, João Ramos do o, Nascimento, o Dondinh para registrar seu filho. Ele o fez somente em 19 de novembro de 1940, o que ajuda a explicar a imprecisão de dados ta quanto ao nome e à da de nascimento na certidão original.

jou a capitã Jaqueline. O Sada/Cruzeiro, que perdeu a decisão masculina para o italiano Trentino, também retornou neste domingo ao Brasil. Outro astro que deve retornar gloriosamente ao Brasil nos próximos dias é o bicampeão olímpico Maurício, imortalizado no Hall da Fama do Vôlei em cerimônia celebrada, sábado, nos EUA.

CURTAS

 Será lançado hoje, às 19

horas, na Livraria Fnac (Avenida Paulista 901), com a presença do exgoleiro Oberdan Cattani, o livro Morre Líder, Nasce Campeão! O autor, Fernando Razzo Galuppo, conta a história da troca de nome de Palestra para Palmeiras, em 1942, que fez 70 anos em 20 de setembro.


Dc 22/10/2012