Issuu on Google+

Jornal do empreendedor

Ano 87 - Nº 23.918

www.dcomercio.com.br

Conclusão: 23h55

R$ 1,40

São Paulo, sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

ENCONTROS DE PAZ NO BRASIL

E NA TERRA SANTA

O papa Francisco inicia hoje o seu pontificado, entre nós. Falará aos jovens da Jornada Mundial e aos que saíram às ruas por um outro Brasil. Págs. 6, 8 e 9

À semana dos cristãos no Brasil juntam-se judeus e árabes em Washington pela paz na Terra Santa, congelada há 46 anos. A Liga Árabe deu sua bênção. Pág. 7

Cristo Redentor, ontem, na foto de Ricardo Moraes para a agência Reuters.

Heuler Andreys/Estadão Conteúdo

Os brasileiros que ganham pé no mundo

Os $$$ do nosso pão de cada dia R$ 70 bilhões (2012), crescimento de mais de 11%. 115 mil empresários do setor criam 802 mil empregos diretos.

ISSN 1679-2688

23918

Página 4

9 771679 268008

Eduardo Knapp/Folhapress

Rica

rdo

Mor

aes

/Re u

ters

Nos pés de bebês africanos e de executivos e mulheres em muitos países, lê-se: "Made in Brazil". Pág. 17

Especial Padarias

É a lama, é a lama! Em campo encharcado, Timão comemorou gol de Pato (foto) contra Atlético Paranaense. Mas o jogo ficou no empate: 1 a 1. Esporte, págs. 13 e 14


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

Internamente precisamos melhorar os níveis de confiança entre o setor privado e o governo. Delfim Netto

pinião

ECONOMIA EM RETRAÇÃO

E

stamos chegando ao sexagésimo mês desde a eclosão da crise de 2008 no mercado financeiro americano e a economia mundial continua em retração. Na Comunidade Europeia – com exceção da Alemanha, que cresce moderadamente e tem baixo nível de desemprego – não se espera crescimento para este ano, com suas taxas de desemprego sinistras sustentando o namoro com o caos social. Os Estados Unidos – que desde o início do ano ameaçam retomar um ritmo decente de crescimento – aparentemente "puseram as barbas de molho" diante da fraca reação da oferta de emprego nos cinco primeiros meses, forçando o presidente do FED, Ben Bernanke, a manter por mais algum tempo a escandalosa política de afrouxamento monetário, ao menos até que a taxa de desemprego caia abaixo de 7%, que ele considera a melhor indicação de retomada firme da atividade econômica.

O

s EUA (e também o Brasil, pela parceria comercial) já estão tendo de lidar com as "ondas de choque" da desaceleração da economia da China, que pela sinalização do presidente de seu Banco Central, Zhou Xiaochuan, não terá como escapar do "doloroso ajuste" – o que foi interpretado pelos "mercados" como aviso de que o gigante chinês se con-

DELFIM NETTO

sas condições básicas, o governo terá bons resultados.

N

tentará com crescimento do PIB de "apenas" 7% ao ano, no curto prazo. Impressão sublinhada talvez pela singela justificativa do Sr.Zhou, conforme registro na mídia: "Há muitos fatores instáveis e incertos e muita pressão descendente sobre a economia"... O Brasil sofre as consequências dessa retração da economia mundial, mas está longe de entrar em estagnação. Nós vamos crescer menos, sem poder contar com estímulos

externos. Internamente precisamos melhorar os níveis de confiança entre o setor privado e o governo. A esperança de um cresci-

mento do PIB superior a 2% este ano reside na possibilidade de sucesso nas concessões para melhorar a infraestrutura: desde os transportes em

O Brasil sofre as consequências da retração da economia mundial, mas está longe de entrar em estagnação. Vamos crescer menos, sem poder contar com estímulos externos.

rodovias, estradas de ferro até a ampliação de instalações portuárias e dos leilões para as parcerias de exploração do petróleo do pré-sal. É possível realizar leilões inteligentes neste segundo semestre, especificando claramente o que a sociedade espera das obras de melhoria da infraestrutura e das condições que permitam ao mercado fixar as taxas de retorno dos empreendimentos. Não tenho dúvida de que, atendidas es-

ossa economia já deu exemplos de superação das enormes dificuldades que teve de enfrentar na crise financeira. Apesar de manifestações pessimistas que ganharam espaço na mídia recentemente, organismos internacionais importantes estão reconhecendo publicamente que "o Brasil teve um dos melhores desempenhos econômicos do mundo nos últimos cinco ou seis anos". Isso aconteceu nos piores momentos da crise de confiança, que não apenas desorganizou profundamente os mercados financeiros, mas abalou (e continua abalando) a crença de muitas sociedades democráticas sobre o funcionamento do regime de mercado e do próprio sistema representativo. ANTÔNIO DELFIM NETTO É PROFESSOR EMÉRITO DA FEA-USP, EX-MINISTRO DA FAZENDA, DA AGRICULTURA E DO PLANEJAMENTO CONTATODELFIMNETTO@TERRA.COM.BR

É SOMENTE UMA QUESTÃO DE ESCOLHA SÉRGIO P. MUNIZ COSTA

E

m pouco mais de um mês, a imagem do País foi alterada e hoje nos sentimos todos atingidos por algo que não compreendemos mas que nos acontece. A única certeza nesses dias de tumulto é que os nossos destinos vão depender do que decidirmos fazer com o que nos acontece, e o pior que podemos fazer é não termos a mesma audácia daqueles que estão agindo. No nosso caso, da esmagadora maioria da população, a audácia para pensar.

A semana foi pródiga em acontecimentos. Abriu-se com as declarações de uma agência do governo que indicavam os protestos como a maior ameaça à visita do Papa, quase simultânea à manifestação do superministro de que "o povo faria a segurança do Papa" e à uma reunião de ministros de Estado com representantes do Vaticano para pressionarem por mudanças na programação oficial. Isso é o governo federal atuando como caixa de ressonância de um não se sabe o quê. Ao mesmo tempo, o ex-presidente que em passado não distante esteve com blogueiros simpáticos ao PT, ressurgiu sorridente e saudável, cercado de jovens, fazendo em termos chulos e demagógicos a apologia dos protestos.

I

sso todo mundo sabe para quê, diante do que se dilui outra dúvida excruciante: a criatura está cumprindo o papel que lhe foi atribuído, desde o início. Se a violência que tomou

protege dos riscos e dos assaltos às suas instituições, aliás a nenhuma sociedade. A presente conturbação do quadro politico nacional está inserida na moldura sucessória que se completa em 2014 e isso está patente nos conflitos dentro do condomínio do poder e entre os poderes da República, cuja origem é a vontade do exercício absoluto do poder pelo PT.

Alexandre Vieira/Estadão Conteúdo

O

que está havendo com o Brasil, o país do futebol com mais católicos do mundo, que viveu confrontos nas imediações dos estádios em que sua seleção brilhava e agora se inquieta às vésperas da visita do Papa Francisco? Como é possível que tradicionais motivos de alegria e devoção da população brasileira tenham se transformado em oportunidades de frustração e constrangimento?

as ruas do Leblon na noite da quarta-feira passada foi desconcertante, a coletiva de imprensa da cúpula de segurança pública do Rio de Janeiro, no dia seguinte, foi patética. Repetiu-se ali a fraqueza das autoridades para enfrentar no campo das ideias a vontade perversa que está transformando as ruas em campo de batalha.

B

ovinamente vamos aceitando a neutralização das forças de segurança pública mediante o constrangimento midiático praticado por uma facção da imprensa

despudoradamente simpática ao caos e por intermédio da pressão de entidades nacionais e estrangeiras que, sem terem qualquer responsabilidade pela lei e pela ordem, pretendem impor limitações absurdas à sua imposição.

E

assim se encerra, de forma melancólica esta semana surpreendente, com a disseminação não contestada da notícia de que as autoridades não sabem como lidar com os protestos durante a visita do Papa. A maioridade política da sociedade brasileira não a

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

H

á parlamentares, autoridades e lideranças que resistem, na forma da Lei e dentro de suas atribuições, ao projeto de poder que ameaça a democracia brasileira, mas as suas atitudes e ações minguarão na medida em que continuarmos refugiados na cômoda visão dos protestos como iniciativas espontâneas e legítimas de uma população insatisfeita, ou pior, como já circula, extasiados na miragem sebastianista de que seremos "salvos" por uma intervenção, não

se sabe de quem, da qual desembarcam manifesta e preventivamente os militares, fartos de serem acusados de golpistas de oportunidade justamente pelos eternos golpistas da História.

N

a verdade, a nossa maioridade política se confirma pela resistência ao pensamento que pretende pensar por nós, a começar pelo da parcela da intelligentsia brasileira sempre tão diligente e "científica" para atacar as crenças religiosas de tantos, mas sempre tão incapaz de se despir do próprio criacionismo com que insiste em impor fatos estranhos à sociedade para recriá-la a seu molde. E não se diga que aqui se recorre ao reducionismo moralista da luta entre o bem e o mal. É mais simples: trata-se da escolha entre o bom e o ruim e é mais do que tempo de sabermos distinguir um do outro. SÉRGIO PAULO MUNIZ COSTA É HISTORIADOR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves e Sílvia Pimentel. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

o

3

A PROPALADA G OV ER NA BIL ID AD E ESTÁ CADA VEZ MAIS CAINDO PELAS TABELAS.

pinião

O fantasma da órfã

A

tribuem ao presidente Kennedy a observação de que a vitória tem muitos pais, mas a derrota é órfã. Melancólica verdade, sobretudo na política, que sempre a confirma sem perdão, bastando ver como as mãos políticas que hoje afagam são as mesmas que ontem apedrejavam e vice-versa. Em nosso caso, temos ainda uma tradição de adesismo por que zelar, bem como a prevalência do Sonho Brasileiro, que é descolar uma mamata vitalícia em algum lugar do governo ou do estado, porque aqui governo e estado são a mesma coisa. Entra um governo novo e declara "o Estado é nosso e só faz o que nós queremos". Isso torna impossível a realização do sonho sem que o sonhador abandone o inditoso derrotado e passe para o lado do futuroso vencedor. Suponho que devemos encarar essas coisas com compreensão e até caridade, pois o pessoal está apenas querendo sobreviver e subir na vida, é natural.

lo menos há alguns sinais dela, difusos nos noticiários e comentários políticos. O moral do governo não parece andar muito alto. O saco de gatos dos ministérios é um espetáculo triste, desanimado, desarvorado e sem aparentar saber muito para onde ir, ou o que fazer. Ninguém - arriscome a dizer que nem mesmo a presidente - é capaz de lembrar todos os ministérios e muito menos todos os ministros.

S

abe-se que muitos destes se esgueiram obscuramente pelos corredores e salas dos fundos do poder, sem sequer terem a chance de dar um bom dia à presidente, quanto mais de despachar alguma coisa. Fica aquela pasmaceira, interrompida por momentos de falató-

rio vago e repetitivo, que não prenunciam nada de importante. E há, seguramente, ministros que, se perguntados de surpresa, não saberão bem o que fazem suas pastas, acrescido o pormenor de que vários ministérios, ou grande parte deles, não fazem nada mesmo, a não ser dar despesa. A reação às manifestações de rua mostrou um esforço atarantado para manter a aparência de calma, equilíbrio e controle da situação, quando era visível que não havia nada disso e estava todo mundo de olho arregalado e sem saber o que dizer – ou, pior ainda, fazer. Comentou-se em toda parte que, como já teria acontecido antes com frequência, a presidente peregrinou ao expresidente, para saber dele

V

ários outros princípios e paradigmas de conduta estão também envolvidos na questão, entre os quais sobressai o "farinha pouca, meu pirão primeiro", farol ético que parece nortear nossa formação coletiva, tal o vigor com que se evidencia no comportamento de nossos governantes. Às vezes penso que a frase devia constar de algum emblema nacional, é muito injusto que não receba o reconhecimento merecido. No momento, a farinha ainda não está propriamente pouca, mas existem sempre os previdentes, que não querem deixar seu pirão aos cuidados do acaso. Melhor tratar de farejar os ares e descortinar por onde anda a temível assombração da derrota, para ir-se afastando dela quanto antes. Não sei se já começou a debandada, mas acho que pe-

como agir, porque ela mesma não fazia ideia, o que vem sublinhando a imagem de despreparo e insegurança mal articulada que ela cada vez mais projeta.

O

uvidos também os vizires do momento, saiu do Planalto uma voz chocha e pouco inspiradora, naquele tom de professora repetindo uma aula decorada a contragosto e sem nenhum entusiasmo ou até confiança, propondo absurdos, tentando espertezas quase amadorísticas e, em última análise mostrando a incompetência do esquema que a rodeia.

A

tal governabilidade, que tanto mal tem produzido, tão pouco bem tem causado e nunca funcionou direito, servindo basicamente para o intricado jogo das nomeações, colocações, favores e outros objetivos dos nossos homens públicos, está cada vez mais caindo pelas tabelas. Todo dia um cai fora, outro proclama dissidência e independência, formam-se alas e sub-alas, o rebuliço surdinado é grande. A turma da base aliada, que sempre deu trabalho e aporrinhação e nunca agiu pelos belos olhos da nação, começa a enxergar um governo fraco e a querer distância dele, ainda mais com as ruas pressionando. A corte continua lá, o expresidente continua lá, mas é de se acreditar que, de agora em diante, a solidão da presidente vai agravar-se. A inflação está voltando e as negativas e bravatas das autoridades não convencem, diante da realidade dos preços. As declarações otimistas do ministro da Fazenda são recebidas quase com deboche. O crescimento é mingua-

JOÃO UBALDO RIBEIRO

do, e economia cambaleia cada vez mais e o governo caracteriza seu comportamento por ações meramente conjunturais e pontuais, respondendo de forma superficial e casuística aos problemas que aparecem. Os índices de popularidade da presidente desabaram e mesmo um antes improvável segundo turno nas eleições já está sendo previsto. Até uma surpreendente vaia de prefeitos ela tomou em Brasília. Tudo isso com certeza provoca inquietude na alma e comichões nos pés de quem quer ficar longe da órfã derrota.

P

ara completar o quadro, o governo não dispõe de um Big Bang para apresentar, no encerramento destes seus quatro anos. Nenhuma grande obra, nenhum grande passo, nenhum grande marco. Inflação subindo, PIB baixando, educação alarmante, saúde escangalhada, infraestrutura desmantelada, transporte urbano infernal, segurança pública impotente, estrutura fiscal pervertida, ferrovia Norte-Sul em descalabro, transposição do São Francisco roubada e sucateada – nada a apresentar, nada a trombetear, nada a comemorar. A propalada truculência da presidente está virando folclore e em lugar de força, mais parece denunciar exasperação impotente. Cara de derrota para o governo e ninguém vai querer ser o pai dela. Mas receio que não terão dificuldade em apontar a mãe. JOÃO UBALDO RIBEIRO É CRONISTA, ROMANCISTA E PERTENCE À

ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS.

AINDA PROCURANDO LULA

L

ula sumiu em plagas africanas, de onde enviou os textos que lhe atribuem para o NYT. E dizendo, como sempre, coisas que somente atendem aos seus interesses

dão Co

estre do ilusionismo político, da bravata popularesca, da parábola futebolística, tão ao gosto do brasileiro iletrado, teve de um lado a inteligência de seguir a onda econômica mundial e obteve bons resultados para o País; mas de outro, liquidou os conceitos de valor, de ética, de moralidade pública, rasgou a Constituição, deu abrigo a corruptos e desonestos, e recolocou

nteúdo

M

a/Esta

into-me autorizado a mencionar essas coisas porque durante os últimos anos – até a incapacidade de governar da atual equipe federal levar o povo às ruas– era dos poucos que ousavam criticar o estilo lulopetista de

o Brasil num atraso de mentalidade que exigirá algumas décadas para sua reconstrução – a partir do momento que esse estilo mágico de governar for trocado nas urnas. E o será. Talvez já em 2014, antecipando as previsões de que isso só ocorreria depois de 2018.

o Pesso

S

governar, seguido por Dilma. Não tenho nada contra as poucas qualidades intelectuais do expresidente, nem com sua pessoa. Jamais o admirei, todavia, e acompanho desde a década de 70, como jornalista político, sua forma de fazer política. Desde o início de sua jornada sindical vislumbrei o potencial carismático de fazer do limão limonada e ainda conseguir, de iludidos, o açúcar e o gelo. Foi assim durante sua primeira gestão. Foi assim durante sua segunda gestão. E segue sendo assim.

Epitáci

N

ão sou especialista na arte de procurar alguém. Mas tenho visto tanta gente, em bons programas de televisão, na mídia em geral, nas conversas sociais e familiares, perguntando "onde anda o Lula", que, uma vez mais, neste espaço, invoco o filósofo grego Diógenes que, com sua lamparina na mão, perambulava pelas ruas, à procura de um homem honesto. Lula sumiu no calor da crise que está fazendo rolar ladeira abaixo a popularidade da presidente Dilma, do governo petista e a moral de todos os políticos pátrios. Inclusive, do próprio Lula, que acelerou tudo isso contra o que o País hoje se levanta e, na hora do aperto, saiu de fininho do País, fingindo que não tem nada a ver com isso. E pior, vai dar sua opinião, como se de fato nada fosse com ele, no New York Times.

pessoais. E depois apareceu numa Universidade do ABC, na sexta-feira, falando sua linguagem própria. E só. Ouso dizer, com responsabilidade, que Lula pode estar preparando o terreno para voltar como candidato à Presidência no ano que vem, embora negue. Há fortes indícios que apontam isso, com base em mais de 40 anos de cobertura jornalística. Ainda assim, por essa mesma experiência e pelo que vi e ouço da verdadeira classe média, não será como antes. Poderá até vencer, mas desta feita, seja Dilma, seja Lula, a propaganda fantasiosa, enganosa, das campanhas eleitorais, vai ser

contestada nas ruas. O estilo lulopetista de governar de algum modo idiotizou o País. E, acreditando que isso seria eterno, os próceres da agremiação e seus agregados comprados se sentiram (alguns ainda se sentem, não entenderam nada e acham que até o fim do ano tudo volta ao "normal") no direito de tratar a coisa pública como se deles fosse. Muito da coisa pública virou deles, mesmo, mas o País acordou, finalmente.

A

quela conversinha mole de Lula de que todos querem uma casinha, uma geladeirinha, como se todo o País fosse feito de imbecis dependentes do dinheiro que o governo arranca do pagador de impostos, terá efeito menor desta vez. Já tem, aliás. Algo simples, mas que os gênios petistas não percebem. A nova classe média, cantada e decantada, é conservadora e não quer mais ser pobre ou ser tratada como tal, da mesma maneira que passa a defender o que conquistou contra o avanço de outros. É errado? Talvez, mas é da natureza humana desde os tempos das

PAULO SAAB

cavernas. Esse contingente todo não votará mais alienadamente no poste que Lula indicar , ou até nele mesmo. Pesquise quem duvidar, e depois me cobrem, se eu errar.

V

ai lá, Diógenes! Siga procurando Lula. Até mesmo se ele for um homem honesto, o que talvez seja ser. Intelectualmente é difícil dizer. Do resto eu não sei. Nem ele sabe a corrupção que grassa em seu entorno, então como eu vou saber? Ilusionismo é bom no cinema. Recomendo filmes do tipo como diversão. Como vida para um povo, um país, é crueldade, maldade, má-fé. A história vai provar isso. E começou mais cedo do que eu imaginava... PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

Por

conta da Jornada da Juventude, nas últimas horas, as redes sociais proliferaram uma convocação muito especial.

gibaum@gibaum.com.br

2 “Eu viajar é um jeito de não encher o saco da presidenta Dilma. É um jeito de não ficar dando palpite.”

LULA // confessando sua vocação para palpiteiro.

Fotos: Terry Richardson

Ninguém pode imaginar que, dentro do Banco Central, existiriam grupos que revelam o pensamento de seus integrantes e a forma como cada um ingressou no serviço público. Tem os fraldinhas, que dominam o Copom, cujo apelido nasceu nos anos 90, quando o BC voltou a fazer concursos públicos, depois de mais de 20 anos sem contratar ninguém. O atual presidente Alexandre Tombini é do grupo dos fraldinhas. Tem também os dinossauros, apelido dos veteranos que entraram no concurso de 1977 e tem os forasteiros , funcionários públicos de carreira.

CONVOCADO

O único médico brasileiro informado, um dia antes, do lançamento do Mais Médicos, com todos seus problemas, especialmente profissionais estrangeiros e residência obrigatória no SUS, foi o ex-ministro da Saúde e cardiologista Adib Janete. Quem lhe telefonou foi o ministro Aloizio Mercadante. Janete tem pronto um superplano em relação às mudanças nos cursos de Medicina, não concorda como o Mais Médicos foi criado e agora, a pedido do mesmo Mercadante, vai colaborar com o governo para algumas alterações na Medida Provisória, que poderão ser feitas na Câmara.

Balas de borracha

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) está empenhado em abolir o uso de balas de borracha em todo o país. Ele conta que a Comissão Européia recomenda sua proibição devido a mortes e danos irreversíveis. A entidade britânica Omega-Overarching tem estudos que concluem que “a imprecisão dessas armas podem levar ao ferimento de qualquer um e não da pessoa visada, mesmo de terceiros sem relação com os distúrbios. E também o Centro de Inovação de Tecnologia Não Letal da Universidade de New Hampshire diz que “é muito fácil cegar alguém” com essa munição.

NA CONTRAMÃO

A manifestação já estava marcada e coincidirá com a estada do Papa Francisco no Rio: quatro mil mulheres deverão sair às ruas, dia 27, em mais uma Marcha das Vadias . Nos cartazes, protestos: “Tirem seus rosários dos nossos ovários”, “As católicas tem direito de decidir” e por aí vai. Também a ONG Católicas pelo Direito de Decidir se movimenta nesses dias: defende legalização do aborto, sexo antes do casamento, uso de anticoncepcional, adoção de crianças por casais gays e outras posições na contramão do que prega a Igreja.

Ex-primeira-dama da França, Carla Bruni, 45 anos, decide retomar sua carreira de modelo (nos anos 90, foi contemporânea de Claudia Schiffer, Naomi Campbell, Kate Moss e outras): é a protagonista da nova campanha da Bulgari, em fotos de Terry Richardson. De diamantes a pedras preciosas, as jóias integram a Coleção Diva e Carla foi escolhida “por sua beleza etérea e estilo exclusivo”. Cantora, compositora e mãe da Giulia (quase dois anos), de seu casamento com Nicolas Sarkozy, ela posou com jóias destinadas apenas as poderosas do planeta.

Coleção Diva

A ministra Ideli Salvatti, das Relações Institucionais, acaba de ganhar uma sobrevida: foi encarregada pela presidente Dilma Rousseff de encarar Henrique Alves (PMDB-RN), presidente da Câmara que, antes do recesso, pregou corte de ministérios de 39 para 25. Alves é velha raposa: sabe que esse enxugamento poderia ser feito sem grandes dores. As secretarias perderim status de ministério, titulares da Advocacia-Geral e do Banco Central deixariam de ser ministros (há anos, Henrique Meirelles pediu e Lula transformou o então presidente do BC em ministro) e, entre outras manobras, Relações Institucionais passaria para a Casa Civil. E enquanto ministra, Ideli sai em campo na defesa do Mais Médicos, da aprovação da Lei de Diretrizes Orçamentárias e abre guerra contra Henrique Alves. Se bem que, com o tempo, a investida se pode se revelar um mau negócio.

Guerra é guerra

é "Vem pra rua, Papa Francisco!" E que ninguém estranhe se o Pontífice acabe mesmo enfiado no meio do povo.

Gordo desembolso O pagamento de R$ 15 bilhões a titulo de bônus de assinatura para participar do primeiro leilão do pré-sal de acordo com o estabelecido pelo governo, criará problemas para a Petrobras. A Lei da Partilha obriga a estatal a ter uma participação mínima de 30%, ou seja, a empresa terá de desembolsar R$ 4,5 bilhões no leilão. A Petrobras enfrenta gordas dificuldades financeiras, convive com preços da gasolina e diesel congelados, desvalorização do real e não tem essa sobra em caixa.

SOZINHO O ministro Edison Lobão (PMBD-CE), de Minas e Energia, conversava com congressistas, de seu partido, noite dessas, na casa do vice-presidente Michel Temer e endossava a tese de que nos ministérios comandados por um peemedebista indicado, “do segundo escalão para baixo é tudo petista”. E garantia que, nos cinco andares ocupados por seu ministério, num prédio em Brasília, “o único do PMDB sou eu”.

MISTURA FINA COMO aconteceu nas trágicas chuvas e desabamentos em Angra dos Reis (2011) e Região Serrana (2011), o governador Sérgio Cabral, do Rio, sumiu e, com familiares, tem permanecido fora da cidade. Poucas pessoas sabem de seu esconderijo, até mesmo na cúpula da Secretaria de Segurança Publica. Além de carros blindados, está grudado nele um esquadrão de agentes e PMs.

SABRINA Sato, na madrugada, no programa de Jô Soares: “Quando faço tarefas de casa, fico nua para não sujar a roupa porque sou estabanada. Até para lavar a louça, fico pelada. Às vezes, coloco um guardanapo porque fica molhando todo o corpo”. E mais: “Sou praticamente um ogro no corpo de uma japonesa. Eu como de tudo, bebo e faço amor, porque emagrece”. A atriz Giovanna Ewbank, 26 anos, casada com Bruno Gagliasso, posou com oito animais que estão esperando adoção na ONG Amigos de São Francisco. Ela é engajada na campanha contra maus tratos e abandono de animais. Por outro lado, ganha ensaio na Top Magazine, bem mais comportado do que suas últimas travessuras em Status. Agora, ela se prepara para ser uma vedete de cabaré na próxima novela das 18h, Jóia Rara, de Duca Rachid e Thelma Guedes. A ação transcorre entre os anos 30 e 40, época de ouro das vedetes brasileiras. No passado, Giovanna foi Sharon, garota de programa em A Favorita.

Amiga dos bichos

Efeito Woytila Dilma Rousseff e outras autoridades que estarão, hoje, no Palácio Guanabara, para receber o Papa Francisco, terão que esperar um pouco. O Pontífice deve desembarcar no Galeão às 14h e quer primeiro ir ao centro do Rio, desfilar de papamovel, a partir da Catedral. O policiamento será gigantesco, mas nada impede que o Papa mude parte do roteiro, como na decisão de circular primeiro pelo centro. Alguns setores do governo estão preocupados: tem o chamado efeito Woytila, quando o Papa João Paulo II visitou a Polônia e apoiou o sindicato Solidariedade, sinalizando o fim do comunismo lá.

/

Blocos do BC

MAIS:

/ IN

OUT

Estampa de vaca.

Estampa de zebra.

Nova queridinha A nova queridinha dos adolescentes é Paula Pimenta, autora de O Livro das Princesas (Galera Record), que vendeu 250 mil exemplares desde o começo de junho, obrigando a escritora a viajar pelo Brasil, fazendo eventos onde mistura conversa com seu publico e autografa o livro. No Twitter, já tem mais de 20 mil seguidores e a maior parte de suas leitoras tem entre 10 e 16 anos de idade. Paula tem 38 anos, já lançou nove livros, é publicitária e ex-professora de música. Mora com a mãe e irmão mais novo em Belo Horizonte e – quem diria – dorme entre bichos de pelúcia.

MODELO, ator e DJ, Jesus Luz e a atriz Rita Guedes formam o novo par do showbiz nacional.

NA SEMANA passada, quem almoçava – e sozinho – no restaurante Cipriani, do Copacabana Palace, no Rio, era o ex-ministro e mensaleiro José Dirceu. Esperava alguém que não apareceu porque, por diversas vezes, ele espiava o relógio. Saiu depois, num carro negro, blindado, com motorista.

EM TODAS as pesquisas encomendadas pelo PT sobre as eleições presidenciais, o nome do ex-governador José Serra está incluído. Segundo um dos assessores de Rui Falcão, presidente nacional do partido, “é melhor prevenir do que remediar”.

GISELE Bündchen estará de volta a SP Fashion Week , entre 28 de outubro e 1º de novembro, como estrela da Colcci. Ela já foi musa da marca entre 2006 e 2011 e, depois, foi substituída por Alessandra Ambrosio.

QUEM diria: nas últimas semanas, congressistas do PMDB e do PSDB estão se tratando, no Congresso, como se fossem amigos de infância.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

5 CFM CONTRA MAIS MÉDICOS O Conselho Federal de Medicina ingressou com ação civil pública contra a União solicitando a suspensão do Programa Mais Médicos. A ação solicita que os CRMs não tenham de registrar estrangeiros que aderirem ao programa sem que haja a comprovação da revalidação de seus diplomas.

olítica

O Brasil pode ter sido uma escolha errada como sede da Copa. Joseph Blatter, presidente da Fifa, sobre Brasil receber a Copa de 2014 frente aos protestos ocorridos durante a da Copa das Confederações.

O ministro Joaquim Barbosa, do Supremo Tribunal Federal, pensa que ainda vive no período do absolutismo e tem sempre que prevalecer sua opinião. André Vargas, deputado (PT-PR) e vice-presidente do Congresso, em reação à suspensão da criação de quatro tribunais regionais federais no País. Gustavo Lima/Ag. Câmara

Isso foi sorrateiro, Barbosa esperou o Supremo e o Congresso entrarem em recesso para conceder a liminar. Ele fez isso porque sabe que, no recesso, ele é quem toma as decisões. Sérgio Souza, senador (PMDB-PR).

Causa estranheza e perplexidade que a medida tenha sido concedida com tanta rapidez. Nino Oliveira Toldo, presidente da Associação dos Juízes Federais do Brasil. Uéslei Marcelino/Reuters

Epitácio Pessoa/Estadão Conteúdo

Ninguém nesse último mês de várias manifestações pediu a volta ao passado. Pediram sim o avanço para um futuro de mais direitos. Dilma Rousseff, presidente Os 39 ministérios são para garantir a governabilidade com base na distribuição fisiológica de cargos. Isso precisa ser questionado. Essa discussão não se resolve com o sintoma, é preciso cuidar das causas. Marina Silva, ex-senadora, sobre proposta do PMDB de reduzir 14 ministérios. Há um consenso hoje na questão do número exagerado de ministérios. Nós queremos um Brasil mais ágil. Que a presidente dê respostas novas. Henrique Alves (PMDB-RN), presidente da Câmara.

André Dusek/Estadão Conteúdo

Nas filas, medo de perder a contribuição mensal dada pelo governo federal às famílias mais carentes do País.

Eu não consigo vislumbrar nenhuma modificação na estrutura de governo feita pela presidente Dilma. Ideli Salvatti, ministra das Relações Institucionais, sobre declaração de Henrique Alves, de enxugar 14 ministérios.

Não existe racha na base aliada. Existe uma divergência do Fontana com a bancada do PT. Cândido Vaccarezza, deputado (PT-SP), sobre a escolha de seu nome para coordenar o grupo de trabalho que discute a reforma política.

Bolsa Família? Sei lá... Diz o relatório da PF que seria impossível identificar a origem dos boatos sobre o fim do programa.

O

Juizado Especial Criminal de Brasília determinou o arquivamento da investigação criminal sobre o boato do fim do pagamento do Programa Bolsa Família, que ocorreu nos dias 18 e 19 de maio. De acordo com o site do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, o juiz responsável pediu o arquivamento por não verificar "nenhuma compro-

vação idônea e adequada de que o crime em investigação tenha sido praticado e que a pessoa investigada, ou indicada pela vítima tenha agido com culpa ou mesmo dolo". A decisão foi publicada neste domingo, no site do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e é acompanhada pela conclusão das investigações por parte da Polícia Federal. A Polícia Federal encerrou

as investigações sobre o caso no dia 12 de julho, após constatar que o boato sobre o fim do Bolsa Família "foi espontâneo não havendo como afirmar que apenas uma pessoa ou grupo os tenha causado". Dessa forma, a Polícia Federal determinou que não havia elementos que configurassem a possibilidade de "crime ou contravenção penal". Na decisão, o magistrado do

Sem alarde, Campos costura acordos.

A

dois meses do prazo final para filiações partidárias, o PSB intensifica negociações e contatos na busca de alcançar sua meta em 2014: lançar candidatura própria ao governo de 12 Estados e viabilizar alianças para uma eventual candidatura do governador de Pernambuco e presidente nacional do partido, Eduardo Campos, à Presidência da República. Sem alarde, Campos (à dir.) recebe políticos e empresários para almoço ou jantar. Ele já recebeu, por exemplo, o exprefeito de São Paulo Gilberto Kassab por duas vezes e recentemente conversou com o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB). Além de criar as condições para voo solo de Campos, o PSB faz acordos para eleger maior número de governadores e aumentar a bancada. "No momento, estamos trabalhando com menos holofotes, nos bastidores, e aprendendo com as ruas, dialogando com várias áreas: universida-

de, agricultura, indústria, movimentos sociais", afirmou o líder do PSB na Câmara, Beto Albuquerque (RS). Para ele, depois das manifestações de rua e da queda na popularidade da presidente Dilma Rousseff, "o jogo está zerado". Ele avalia que "muita gente que estava agarrada na taça do ‘já ganhou’ (reeleição de Dilma) está repensando. Deu uma desarrumada geral no Planalto, há um novo cenário e um quadro novo a ser prospectado". Campos mantém uma rotina de conversas com membros da Executiva Nacional do partido, que articulam a formação de palanques, pelo menos uma vez por semana. "Onde o Eduardo não pode ir, alguém de nós vai", avisa Albuquerque. O discurso anterior, "é possível fazer mais", foi remodelado após o recado das ruas: "governo digital". Na prática, Campos busca dotar o governo de Pernambuco de ferramentas que criem maior interação com a sociedade e redes. (Estadão Conteúdo)

Após nota do PT, Alves defende Vaccarezza .

O

presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), saiu ontem em defesa do coordenador do Grupo de Trabalho da Reforma Política, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP). Após o Diretório Nacional do PT endossar a nota da bancada na Câmara, que declarou que as opiniões de Vaccarezza "não expressam o pensamento nem da bancada na Câmara nem do PT", Alves disse: "Quem representa o pensamento e a diretriz do partido é o indicado pela bancada." Segundo ele, Vaccarezza precisa ter "ótimo relacionamento com todos os partidos". E lembrou que, com a desistência do petista Henrique Fontana (RS), seu substituto,

Ricardo Berzoini (SP), deve assumir a função natural de expressar as opiniões do PT. "O Berzoini agora dirá o que quer e como o PT quer a reforma. Simples." Alves enfatizou que os trabalhos deste comitê "não excluem qualquer outra iniciativa de plebiscito que, por outros caminhos, surgir" Vaccarezza foi indicado por Alves, enquanto o PT insistia em Fontana para o posto de relator da última proposta de reforma política em tramitação na Casa. Como Vaccarezza ficou, Fontana saiu. Vaccarezza preferiu botar panos quentes em torno de sua indicação. Disse que vai ajudar na coleta de assinaturas para o decreto legislativo do plebiscito e negou ressentimento. (Estadão Conteúdo)

Juizado Especial apreciou requerimentos pendentes e manifestou-se pela perda de objeto da decretação de segredo de justiça, pedida pela Polícia Federal. Segundo o TJDFT, o juiz analisou que, concluído o relatório que exauriu as diligências investigativas, não haveria risco de prejuízo ao trabalho investigativo, por isso não haveria motivo para decretação de sigilo. (Estadão Conteúdo)

Nova Cidade de Deus Participações S.A. CNPJ no 04.866.462/0001-47 - NIRE 35.300.194.845 Ata Sumária da 24a Assembleia Geral Extraordinária realizada em 7.3.2013 Data, Hora, Local: Aos 7 dias do mês de março de 2013, às 8h, na sede social, Cidade de Deus, 4o andar do Prédio Vermelho, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900. Mesa: Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Antônio Bornia. Quórum de Instalação: Totalidade do Capital Social. Edital de Convocação: Dispensada a publicação, de conformidade com o disposto no Parágrafo Quarto do Artigo 124 da Lei no 6.404/76. Deliberação: Aprovada, sem qualquer alteração ou ressalva, a proposta da Diretoria, registrada na Reunião daquele Órgão de 4.3.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para aumentar o Capital Social no valor de R$324.000.000,00, elevando-o de R$4.450.000.000,00 para R$4.774.000.000,00. Esclareceu o senhor Presidente que: serão emitidas 16.031.667 novas ações nominativas-escriturais, sem valor nominal, sendo 7.783.737 ordinárias, das quais 7.240.520 da classe “A” e 543.217 da classe “B”, e 8.247.930 preferenciais, ao preço de R$20,2100 por ação, para subscrição particular pelos acionistas, na proporção de 2,982717611% sobre a posição possuída na data da Assembleia (7.3.2013), com integralização à vista, no ato da subscrição, de 100% do valor das ações subscritas; o preço de emissão teve como base o valor do Patrimônio Líquido Contábil ajustado por ação da Sociedade em 31.10.2012; a redação do “caput” do Artigo 12 do Estatuto Social será alterada após completado todo processo do aumento do capital. Dando sequência aos trabalhos, o senhor Presidente disse que a Diretoria estava autorizada a dar andamento ao processo de aumento do Capital Social, abrindo a subscrição de ações, dentro das condições estabelecidas na proposta da Diretoria ora aprovada, ocasião em que os representantes dos acionistas, presentes à Assembleia, assinaram os respectivos Boletins de Subscrição, integralizando no ato, mediante compensação de crédito, em nome dos acionistas, existentes na Sociedade, relativos a Juros sobre o Capital Próprio declarados em 21.12.2012, e serão incorporados ao Capital Social. Em seguida, informou o senhor presidente que, considerando a subscrição e integralização do aumento do Capital Social ora aprovado, o “caput” do Artigo 12 do Estatuto Social passa a vigorar com a seguinte redação: “Art. 12) O Capital Social é de R$4.774.000.000,00 (quatro bilhões, setecentos e setenta e quatro milhões de reais), dividido em 553.516.910 (quinhentos e cinquenta e três milhões, quinhentas e dezesseis mil, novecentas e dez) ações nominativas-escriturais, sem valor nominal, sendo 249.989.617 (duzentos e quarenta e nove milhões, novecentas e oitenta e nove mil, seiscentas e dezessete) ordinárias da classe “A” e 18.755.355 (dezoito milhões, setecentas e cinquenta e cinco mil, trezentas e cinquenta e cinco) da classe “B”, e 284.771.938 (duzentos e oitenta e quatro milhões, setecentas e setenta e uma mil, novecentas e trinta e oito) preferenciais.”. Quórum da Deliberação: unanimidade de votos. Documentos Arquivados: arquivada na sede e autenticada pela Mesa da Assembleia a Proposta da Diretoria. Encerramento: lavrada e lida, foi esta Ata aprovada por todos os acionistas e assinada. aa) Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Antônio Bornia; Acionistas: Fundação Bradesco e BBD Participações S.A., representadas pelo Diretor-Presidente, senhor Lázaro de Mello Brandão. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Antônio Bornia - Secretário. Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 262.235/ 13-4, em 12.7.2013. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

Nova Cidade de Deus Participações S.A. CNPJ no 04.866.462/0001-47 - NIRE 35.300.194.845 Ata Sumária da 25a Assembleia Geral Extraordinária e da 11a Assembleia Geral Ordinária realizadas cumulativamente em 23.4.2013

Cleiton Lima/Estadão Conteúdo

Fernando Soutello/Estadão Conteúdo

Cremilson Campos/Estadão Conteúdo-19/05/13

Data, Hora, Local: Em 23.4.2013, às 15h, na sede social, Cidade de Deus, 4o andar do Prédio Vermelho, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06.029-900. Mesa : Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Antônio Bornia. Quórum de Instalação: Totalidade do Capital Social. Presença Legal: Administrador da Sociedade e representante da empresa KPMG Auditores Independentes. Publicações Prévias: Os documentos de que trata o Artigo 133 da Lei n o 6.404/76, quais sejam, o Relatório da Administração e dos Auditores Independentes; e as Demonstrações Contábeis, relativos ao exercício social findo em 31.12.2012, foram publicados em 11.4.2013, nos jornais “Diário Oficial do Estado de São Paulo”, páginas 2 e 3, e “Diário do Comércio”, páginas 9 e 10; Leitura de Documentos: Os documentos citados no item “Publicações Prévias”, bem como as propostas da Diretoria foram lidos, colocados sobre a mesa e entregues à apreciação dos acionistas. Edital de Convocação: Dispensada a publicação de conformidade com o disposto no §4o do Art. 124 da Lei n o 6.404/76. Deliberações : Assembleia Geral Extraordinária: aprovadas, sem qualquer alteração ou ressalva, as propostas da Diretoria, registradas na Reunião daquele Órgão de 15.4.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para: I. aumentar o Capital Social no valor de R$376.000.000,00, elevando-o de R$4.774.000.000,00 para R$5.150.000.000,00, sem emissão de ações, mediante a capitalização de parte do saldo da conta “Reserva de Lucros – Reserva Legal”, de acordo com o disposto no Parágrafo Primeiro do Artigo 169 da Lei no 6.404/76. Em consequência, a redação do “caput” do Artigo 12 do Estatuto Social passa a ser a seguinte: “Art. 12) O Capital Social é de R$5.150.000.000,00 (cinco bilhões, cento e cinquenta milhões de reais), dividido em 553.516.910 (quinhentos e cinquenta e três milhões, quinhentas e dezesseis mil, novecentas e dez) ações nominativas-escriturais, sem valor nominal, sendo 249.989.617 (duzentos e quarenta e nove milhões, novecentas e oitenta e nove mil, seiscentas e dezessete) ordinárias da classe “A” e 18.755.355 (dezoito milhões, setecentas e cinquenta e cinco mil, trezentas e cinquenta e cinco) da classe “B”, e 284.771.938 (duzentos e oitenta e quatro milhões, setecentas e setenta e uma mil, noventas e trinta e oito) preferenciais.”; II. alterar parcialmente o Estatuto Social, no Artigo 16, relativamente à extensão do prazo de mandato dos membros da Diretoria. Em consequência, a redação do “caput” do Artigo 16 passa a ser a seguinte: “Art. 16) A Diretoria da Sociedade, com mandato de 1 (um) ano, estendendo-se até a posse dos novos Administradores eleitos, é composta de 3 (três) a 16 (dezesseis) membros, sendo 1 (um) Diretor-Presidente, 1 (um) Diretor VicePresidente e de 1 (um) a 14 (catorze) Diretores.”; Assembleia Geral Ordinária: I) tomaram conhecimento dos Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes, e aprovaram, sem ressalvas, as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31.12.2012; II) aprovada a proposta da Diretoria, sem qualquer alteração ou ressalva, registrada na Reunião daquele Órgão de 15.4.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para destinação do lucro líquido do exercício no valor de R$1.355.915.893,00, da seguinte forma: R$67.795.794,65 para a conta “Reserva de Lucros - Reserva Legal”; R$887.120.098,35 para a conta “Reserva de Lucros – Estatutária”; e R$401.000.000,00 para pagamento de Dividendos, os quais já foram pagos como Juros sobre o Capital Próprio em 7.3.2013"; III) reeleitos, para compor a Diretoria da Sociedade, os senhores: Diretor-Presidente Lázaro de Mello Brandão, brasileiro, casado, bancário, RG 1.110.377-2/SSP-SP, CPF 004.637.528/72; Diretor Vice-Presidente - Antônio Bornia , brasileiro, viúvo, bancário, RG 11.323.129/SSP-SP, CPF 003.052.609/44; Diretores - Mário da Silveira Teixeira Júnior, brasileiro, casado, bancário, RG 3.076.007-0/SSP-SP, CPF 113.119.598/15; Luiz Carlos Trabuco Cappi , brasileiro, casado, bancário, RG 5.284.352-X/SSP-SP, CPF 250.319.028/68; Carlos Alberto Rodrigues Guilherme, brasileiro, casado, bancário, RG 6.448.545/SSP-SP, CPF 021.698.868/34; Milton Matsumoto, brasileiro, casado, bancário, RG 29.516.917-5/SSP-SP, CPF 081.225.550/04; Julio de Siqueira Carvalho de Araujo , brasileiro, casado, bancário, RG 55.567.472-1/SSP-SP, CPF 425.327.017/49; Domingos Figueiredo de Abreu , brasileiro, casado, bancário, RG 6.438.883-9/SSP-SP, CPF 942.909.898/53; José Alcides Munhoz , brasileiro, casado, bancário, RG 50.172.182-4/SSP-SP, CPF 064.350.330/72; Aurélio Conrado Boni , brasileiro, casado, bancário, RG 4.661.428-X/SSP-SP, CPF 191.617.008/00; Sérgio Alexandre Figueiredo Clemente, brasileiro, casado, bancário, RG 55.799.633-8/SSP-SP, CPF 373.766.326/ 20; e Marco Antonio Rossi , brasileiro, casado, bancário, RG 12.529.752-X/SSP-SP, CPF 015.309.538/55, todos com domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06.029-900. Todos terão mandato de 1 (um) ano, estendendo-se até a posse dos Diretores que serão eleitos na Assembleia Geral Ordinária que se realizar no ano de 2014. Os Diretores reeleitos declararam, sob as penas da lei, que não estão impedidos de exercer a administração de sociedade mercantil em virtude de condenação criminal; IV) fixado o montante global anual para remuneração dos Administradores, no valor de até R$150.000,00 (cento e cinquenta mil reais), a ser distribuída em reunião da Diretoria. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente esclareceu que, para as deliberações tomadas, o Conselho Fiscal da Companhia não foi ouvido por não se encontrar instalado no período, e encerrou os trabalhos, lavrando-se a presente Ata, que lida e achada conforme, foi aprovada por todos os presentes que a subscrevem. aa) Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Antônio Bornia; Administrador: Domingos Figueiredo de Abreu; Acionistas: BBD Participações S.A. e Fundação Bradesco, por seu Diretor-Presidente, senhor Lázaro de Mello Brandão; Auditor: Zenko Nakassato. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Antônio Bornia - Secretário. Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 262.236/13-8, em 12.7.2013. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.


g

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013 Max Rossi/Reuters

eral

BOA VIAGEM Mesmo sob o forte sol do meiodia, a Praça São Pedro ficou lotada para o último Angelus do papa Francisco antes de ele embarcar para o Brasil.

Max Rossi/Reuters

Francisco no Brasil

N

o último Angelus antes de embarcar ao Brasil (foto acima), o papa Francisco pediu ontem orações aos fiéis. "Peço-lhes para me acompanhar espiritualmente em oração na primeira viagem apostólica que farei a partir de amanhã (hoje). Como vocês sabem, vou viajar ao Rio de Janeiro, no Brasil, por ocasião da 28ª Jornada Mundial da Juventude." Na praça São Pedro cheia, apesar do sol do meio-dia e do calor de 29°C, prosseguiu: "Todos os que estarão no Rio querem ouvir a voz de Jesus: Senhor, o que devo fazer de minha vida? Vocês, jovens presentes aqui na praça, façam a mesma pergunta ao Senhor. Estarão lá tantos jovens, de todo o mundo! Penso que pode se chamar a semana da juventude!". E deixou claro o que quer da Igreja e dos fieis: "Uma ação concreta de ajuda ao irmão pobre, doente, necessitado de ajuda, em dificuldade". Segundo ele, sem a ação concreta, a oração é "estéril e incompleta". O papa ficará no Brasil por seis dias. Na agenda, visita a Aparecida, encontro com a presidente Dilma Rousseff e missa campal para centenas de milhares de fiéis (leia mais abaixo). TWITTER – Opapavoltouafalar sobre a Jornada Mundial da Juventude, no Brasil, em sua conta no Twitter (@Pontifex_pt). Na mensagem, disse que os que não puderem participar do evento católico devem serão bem vindos na oração. "Quantos gostariam de estar no Rio para a JMJ, mas não podem?! Que se sintam bem-vindos entre nós, por meio da oração". PESQUISA – Quatro meses após assumir o pontificado, o papa é visto por 46% dos brasileiros como igual a seu antecessor, Bento 16, mostra pesquisa Datafolha. O total dos que dizem não saber avaliar o pontificado do argentino é grande: 28%. Apesar de seu perfil moderado, distinto do de seu antecessor, Francisco só é visto como diferente do conservador alemão por uma minoria: 23% dos entrevistados o consideram melhor que o papa emérito, e 3%, pior. A opinião de que os dois pontificados são iguais é de 50%. Nesse grupo, o índice dos que acham o argentino melhor que o alemão sobe 3 pontos e chega a 26%; 22% dizem não saber avaliá-lo.

Apesar de seus hábitos simples e de ter adotado nome que faz referência ao voto de pobreza, Francisco tem preferência maior entre os mais ricos. Nos que têm renda familiar mensal entre cinco e 10 salários mínimos (R$ 3.390 a R$ 6.780), 32% o apontam como melhor que Bento XVI; e, entre os que ganham mais do que R$ 6.780, 31%. Entre os mais pobres (renda familiar mensal até R$ 1.356), Francisco é visto como melhor por 20%. Os mais velhos são os que veem Francisco com mais otimismo. No grupo dos que têm 60 anos ou mais, 26% o apontam como melhor que Bento XVI, contra 21% dos que têm de 16 a 24 anos. Nesses dois recortes, o total dos que consideram os papas iguais é de 43% e 53%. Considerando divisões por sexo, idade, escolaridade e renda, o grupo em que Francisco é pior avaliado é justamente entre os mais jovens: 5% o consideram pior que Bento XVI. Em todos os outros recortes, a preferência pelo alemão não ultrapassa os 3%. A pesquisa foi feita nos dias 6 e 7 de junho, com 3.758 pessoas em 180 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais. D. PAULO – Há anos longe da vida pública, o cardeal d. Paulo Evaristo Arns, 91, arcebispo emérito de São Paulo, recebeu a escolha do papa Francisco como uma "grata surpresa". O comentário foi feito no final de maio, durante visita do secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, d. Leonardo Steiner. Os dois são primos e franciscanos. "A visita a d. Paulo Evaristo foi muito fraterna. Ele estava tranquilo e bem humorado. Acompanha a vida da Igreja e as questões da realidade brasileira e mundial", disse Steiner em e-mail. "Naturalmente também conversamos sobre a eleição e a atuação do Santo Padre Francisco. A eleição para ele foi uma grata surpresa." "Destacou o modo do papa estar próximo aos fiéis e também o desejo de mudanças na Cúria Romana. O Santo Padre poderá levar a experiência latino americana para toda a Igreja." Um dos nomes mais importantes da história da Igreja no País, d. Paulo teve papel destacado nas denúncias de abusos do governo militar. (Agências) Leia mais nas páginas 8 e 9.

Sem a ação, a oração é estéril e incompleta.

'Aqui, o papa pode tudo.'

O

prefeito do Rio, Eduardo Paes, afirmou ontem que o papa Francisco pode tudo em sua visita ao Rio. Paes, que ressaltou a imprevisibilidade do sumo pontífice, disse que a cidade está preparada, mas que haverá "contingências". "O papa Francisco pode tudo, mas é óbvio que ele não é um cidadão comum. Todo lugar que ele for, a gente vai ter que se preparar, mas não vamos proibir ele de fazer o que quiser. Se quiser andar de bicicleta, passear a pé, ir de carro aberto, pode." Questionado se foi solicitado ao papa usar o papamóvel fechado, ele afirmou que esse é "um pedido impossível a se fazer a Francisco".

Paes disse que serão dias de muita paz e muita alegria, "mas também com algumas contingências pelo estilo informal do papa Francisco". A primeira mudança foi anunciada na sexta-feira, quando foi comunicado que o sumo pontífice faria um trajeto com o papamóvel aberto pelo centro da cidade. "Ainda não temos clareza se ele irá fazer os trajetos de carro fechado, aberto ou às vezes de helicóptero. Eu tendo a acreditar que, dada as características do papa Francisco e pelas notícias que temos tido, ele vai fazer muita coisa de carro aberto." Paes pediu compreensão dos cariocas pelos transtornos. "Acho que devemos nos pre-

parar. Pelo estilo do papa, a chance dele sair de carro aberto, parando e falando com as pessoas é grande. Confesso que não vejo isso como um problema, é uma qualidade do papa que deve ser saudada." O prefeito afirmou que foi informado ontem que o papa fará um encontro com peregrinos argentinos. A data não está definida MANIFESTAÇÕES – Sobre a possibilidade de ocorrerem protestos durante a visita do papa, Paes afirmou que não há preocupação. "Não sei se há algum sendo organizado, mas sabemos que sempre que o papa visita os países há algum protesto. É o direito das pessoas, somos um país livre".

Anonymous convoca protesto

O

grupo Anonymous Rio convocou para hoje uma manifestação em frente ao Palácio Guanabara, onde o papa Francisco será recebido pela presidente Dilma Rousseff e pelo governador Sérgio Cabral. Sete mil pessoas confirmaram presença. Os ativistas reclamam do custo de R$ 180 milhões aos cofres públicos com a vinda do papa e da violência policial nos protestos. Eles também são a favor do estado laico e contra a permanência de Cabral, do vice Luiz Fernando Pezão e do presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Paulo Melo, no poder.


sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

7

nternacional Depois de Bill Clinton e George W. Bush, agora é a vez do governo de Barack Obama tentar encerrar o conflito entre palestinos e israelenses. Nos próximos dias, representantes devem se reunir em Washington para retomar o diálogo, suspenso há três anos. Como sinal de boa vontade, uma reivindicação já foi aceita: a libertação de palestinos de prisões israelenses.

Conversa de paz na Terra Santa Mandel Ngan/Reuters

Uriael Sinai/EPA/EFE

O anúncio foi feito discretamente, de forma improvisada, no polêmica é que muitos dos presos, detidos antes dos Acordos de aeroporto da capital da Jordânia. Nem parecia refletir a impor- Oslo de 1993, estiveram envolvidos no assassinato de israelentância histórica do momento. Quando o secretário de Estado ses. As famílias das vítimas prometem lutar contra a decisão de norte-americano, John Kerry, declarou na sexta-feira que israe- soltar os palestinos (foto abaixo à esq., protesto na Cisjordânia em solenses e palestinos haviam concordado em tentar retomar as lidariedade aos detidos). negociações de paz, o mundo foi tomado de surpresa. Nos próSegundo o grupo israelense de defesa dos direitos humanos ximos dias, representantes dos dois lados devem se encontrar B'Tselem, cerca de 4.710 palestinos estão detidos em Israel. Pelo em Washington, "se tudo sair como esperado". Após três anos menos 169 deles estão em regime de detenção administrativa – o de impasse, israelenses e palestinos Reprodução que significa que podem ser mantidos presos sem parecem ter pressa. "Não há alternativa acusação formal por período indeterminado. para a paz", resumiu o presidente de IsO presidente Abbas ainda enfrenta outro obsrael, Shimon Peres. táculo: o Hamas. No território da Faixa de Gaza, Poucos teriam apostado no êxito de o porta-voz Sami Abu Zuhri disse que o grupo raKerry (foto no alto à esq., com Abbas) quandical palestino rejeita o anúncio de Kerry. "Nós do ele começou os contatos há quase seis não reconhecemos a legitimidade de Abbas pameses para reiniciar o diálogo. No seu prira negociar em nosso nome", afirmou. meiro fim de semana como secretário, Fronteiras - Mas quanto a outros pontos de em fevereiro, ele telefonou para o primeiatrito, o governo israelense não se mostra disro-ministro israelense, Benjamin Netaposto a ceder. nyahu, e para o presidente da Autoridade Segundo fontes, Abbas teria aceitado voltar à Nacional Palestina, Mahmoud Abbas, pamesa de negociação com Israel somente após ra enfatizar o seu "compromisso pessoal" Kerry lhe enviar uma carta garantindo que as baem buscar a paz no Oriente Médio. ses para a negociação seriam as fronteiras israeA Liga Árabe também anunciou onlenses anteriores à Guerra dos Seis Dias, de 1967, tem seu apoio ao diálogo. "Esta pode ser quando Israel capturou a Cisjordânia, a Faixa de a última oportunidade para reviver o Gaza e Jerusalém Oriental. processo de paz", disse o subsecretárioAlém disso, Israel teria se comprometido a geral, Mohamed Sabih, que advertiu não emitir novas permissões para assentamen'Cristo Crucificado', que "muitos no governo israelense não tos em territórios ocupados na Cisjordânia. quadro de Diego Velázquez. querem uma iniciativa de paz árabe". Em troca, os palestinos prometeram não busOs principais temas que precisam ser car uma ação diplomática contra Israel em nenegociados incluem fronteiras, o destino de refugiados pales- nhuma organização internacional. tinos, o futuro dos assentamentos judaicos na Cisjordânia e o No entanto, o Departamento de Estado dos EUA não confirstatus de Jerusalém. mou a existência da suposta carta enviada pelo secretário norIsrael - O premiê de Israel, Benjamin Netanyahu (foto, no centro), te-americano. afirmou ontem que o diálogo será "sério" e "discreto", e que os paJá Israel recusou a demanda, dizendo que tais fronteiras selestinos deverão fazer concessões que garantam a segurança de riam indefensáveis para o Estado judeu. O ministro de Assuntos seu país. "Não será fácil", advertiu Netanyahu, antes de assegurar Estratégicos, Yuval Steinitz, disse que não haveria nenhuma que "o processo será responsável, sério e direto ao ponto, e em concessão israelense sobre esse ponto e sobre a reivindicação suas fases iniciais, também discreto", segundo um comunicado do palestina de que Israel suspendesse toda a construção na Cisgabinete do primeiro-ministro israelense. jordânia e em Jerusalém Oriental. (Agências)

Banco Bradescard S.A. CNPJ no 04.184.779/0001-01 - NIRE 35.300.182.359 Ata Sumária das Assembleias Gerais Extraordinária e Ordinária realizadas cumulativamente em 19.4.2013

O processo será responsável, sério e direto ao ponto. BENJAMIN NETANYAHU Alaa Badarneh/EPA/EFE

Netanyahu afirmou que as conversas são de interesse vital para os israelenses e que ele se guiará por dois princípios: impedir a criação de um Estado binacional e o estabelecimento de um Estado terrorista apoiado pelo Irã nas fronteiras de Israel. "A retomada do processo de paz é um interesse estratégico vital para o Estado de Israel. É importante tentar encerrar o conflito entre nós e os palestinos, especialmente em função dos desafios que nós enfrentamos, com Irã e Síria", afirmou. Na tentativa de acalmar as vozes mais reticentes ao diálogo entre os membros de sua coalizão, o premiê reiterou que qualquer acordo de paz deverá ser referendado em um plebiscito. "Não acho que decisões deste tipo possam ser adotadas por uma ou outra coalizão, mas têm que ser levadas ao povo para que ele dê sua última palavra", explicou. As conversas se prolongarão entre nove e 12 meses, de acordo com fontes oficiais israelenses citadas pela imprensa. A parte israelense estará representada pela ministra de Justiça, Tzipi Livni, e o enviado de Netanyahu, Itzjak Moljo; e os palestinos pelo seu negociador-chefe, Saeb Erekat. Já os EUA contarão com a participação do ex-embaixador para Israel Martin Indyk. Prisioneiros - Do lado palestino, o presidente da Autoridade Nacional Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, também enfrenta resistência dos demais dirigentes a respeito do diálogo. Mas a iniciativa israelense de libertar cerca de 80 prisioneiros palestinos, uma das demandas históricas da liderança palestina para voltar às negociações, poderá servir como incentivo. O ministro de Assuntos Estratégicos israelense, Yuval Steinitz, confirmou a decisão. "Haverá alguma libertação de prisioneiros", disse Steinitz à Rádio Israel. "Eu não quero dar números, mas (a decisão) afetará prisioneiros pesos-pesados, que estiveram na prisão por dezenas de anos", afirmou. Os prisioneiros devem ser libertados em quatro fases – a cada quatro meses – à medida que as negociações avancem. A principal

Data, Hora, Local: Aos 19.4.2013, às 10h, na sede social, Alameda Rio Negro, 585, 15o andar, parte, Bloco “D”, Edifício Jauaperi, Alphaville Industrial, Barueri, SP, CEP 06454-000. Mesa : Presidente: Julio de Siqueira Carvalho de Araujo; Secretário: Antonio José da Barbara. Quórum de Instalação: Totalidade do Capital Social. Presença Legal: Administrador da Sociedade e representante da empresa KPMG Auditores Independentes. Edital de Convocação: Dispensada a publicação, de conformidade com o disposto no § 4 o do Art. 124 da Lei no 6.404/76. Publicações Prévias: Os documentos de que trata o Artigo 133 da Lei no 6.404/76, quais sejam, o Relatório da Administração, as Demonstrações Contábeis e o Relatório dos Auditores Independentes, relativos ao exercício social findo em 31.12.2012, foram publicados em 7.3.2013, nos jornais “Diário Oficial do Estado de São Paulo”, páginas 5 a 8, e “Diário do Comércio”, páginas 7 a 9. Leitura de Documentos: Os documentos citados no item “Publicações Prévias”, bem como a proposta da Diretoria foram lidos, colocados sobre a mesa e entregues à apreciação do acionista. Deliberações: Assembleia Geral Extraordinária: · Aprovada, sem qualquer alteração ou ressalva, a proposta da Diretoria, registrada na Reunião daquele Órgão de 15.4.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para alterar parcialmente o Estatuto Social, no Artigo 7 o, a fim de atender às disposições do Artigo 10 do Regulamento Anexo II à Resolução no 4.122, do Conselho Monetário Nacional, de 2.8.2012, relativamente à extensão do prazo de mandato dos membros da Diretoria; e na alínea “b” do Artigo 12, reduzindo o limite de idade para o exercício do cargo de Diretor-Presidente, Diretor Vice-Presidente, Diretor Superintendente e Diretor Gerente, de 65 para 62 anos, e de Diretor Geral, de 62 para 60 anos, excetuando-se dos novos limites ora propostos os Diretores em exercício na data de 18.4.2013, aos quais prevalecerá o atual limite de idade de menos de 65 anos e de menos de 62 anos, na data da eleição. Em consequência, a redação do “caput” do Artigo 7 o, da alínea “b” e Parágrafo Único do Artigo 12 do Estatuto Social passam a ser as seguintes: “Art. 7o) A Sociedade será administrada por uma Diretoria, eleita pela Assembleia Geral, com mandato de 1 (um) ano, estendendo-se até a posse dos novos Administradores eleitos, composta de 6 (seis) a 22 (vinte e dois) membros, sendo 1 (um) Diretor-Presidente, de 1 (um) a 10 (dez) Diretores Vice-Presidentes, 1 (um) Diretor Superintendente, 1 (um) Diretor Gerente, 1 (um) Diretor Geral e de 1 (um) a 8 (oito) Diretores. Art. 12) - b) que o candidato, na data da eleição, tenha: I. Diretor-Presidente, Diretor Vice-Presidente, Diretor Superintendente e Diretor Gerente - menos de 62 (sessenta e dois) anos de idade; II. Diretor Geral e Diretores - menos de 60 (sessenta) anos de idade. Parágrafo Único - O limite de idade disposto nos itens “I” e “II” da letra “b” deste Artigo não se aplica aos Diretores da Sociedade em exercício na data de 18.4.2013, aos quais continua prevalecendo o limite de idade de menos de 65 (sessenta e cinco) anos na data da eleição para os cargos de Diretor-Presidente, Diretor VicePresidente, Diretor Superintendente e Diretor Gerente, e de menos de 62 (sessenta e dois) anos para Diretor Geral.” Assembleia Geral Ordinária: I) tomaram conhecimento dos Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes, e aprovaram, sem ressalvas, as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31.12.2012; II) aprovada a proposta da Diretoria, sem qualquer alteração ou ressalva, registrada na Reunião daquele Órgão de 15.4.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para destinação do lucro líquido do exercício no valor de R$160.495.513,13, da seguinte forma: R$8.024.775,65 para a conta “Reserva de Lucros - Reserva Legal”; R$150.946.030,10 para a conta “Reserva de Lucros – Estatutária”; e R$1.524.707,38 para pagamento de Dividendos, os quais deverão ser pagos até 31.12.2013; III) reeleitos, para compor a Diretoria da Sociedade, os senhores: DiretorPresidente: Luiz Carlos Trabuco Cappi, brasileiro, casado, bancário, RG 5.284.352-X/SSP-SP, CPF 250.319.028/68; Diretores Vice-Presidentes: Julio de Siqueira Carvalho de Araujo , brasileiro, casado, bancário, RG 55.567.472-1/SSP-SP, CPF 425.327.017/49; Domingos Figueiredo de Abreu , brasileiro, casado, bancário, RG 6.438.883-9/SSP-SP, CPF 942.909.898/53, José Alcides Munhoz, brasileiro, casado, bancário, RG 50.172.182-4/SSP-SP, CPF 064.350.330/ 72; Aurélio Conrado Boni, brasileiro, casado, bancário, RG 4.661.428-X/SSP-SP, CPF 191.617.008/00; Sérgio Alexandre Figueiredo Clemente, brasileiro, casado, bancário, RG 55.799.633-8/SSP-SP, CPF 373.766.326/20; Marco Antonio Rossi, brasileiro, casado, bancário, RG 12.529.752-X/SSP-SP, CPF 015.309.538/55; Diretor Superintendente: Marcelo de Araújo Noronha , brasileiro, casado, bancário, RG 56.163.018-5/SSP-SP, CPF 360.668.504/15; Diretor Gerente: Josué Augusto Pancini, brasileiro, casado, bancário, RG 10.389.168-7/SSP-SP, CPF 966.136.968/20, todos com domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900; Diretor Geral: Marcos Bader , brasileiro, casado, bancário, RG 6.894.640-5/SSP-SP, CPF 030.763.738/70; Diretores: Alexandre Rappaport, brasileiro, casado, bancário, RG 23.102.640-7/ SSP-SP, CPF 261.852.188/95; Carlos Giovane Neves, brasileiro, solteiro, bancário, RG 09.002.454-8/IFP-RJ, CPF 019.600.887/50; Cesario Narihito Nakamura, brasileiro, casado, bancário, RG 14.130.520-4/SSP-SP, CPF 065.816.148/23; e Francisco José Pereira Terra, brasileiro, casado, bancário, RG 13.739.154-7/SSP-SP, CPF 111.112.668/24, todos com domicílio na Alameda Rio Negro, 585, 15 o andar, Edifício Jauaperi, Alphaville, Barueri, SP, CEP 06454-000. Todos terão mandato de 1 (um) ano, estendendo-se até a posse dos Diretores que serão eleitos na Assembleia Geral Ordinária que se realizar no ano de 2014, e os nomes serão levados à aprovação do Banco Central do Brasil, após o que tomarão posse de seus cargos. Os Diretores reeleitos declararam, sob as penas da lei, que não estão impedidos de exercer a administração de sociedade mercantil em virtude de condenação criminal; IV) fixado o montante global anual da remuneração dos Administradores, no valor de até R$170.000,00 (cento e setenta mil reais), a ser distribuída em Reunião da Diretoria, conforme determina a letra “g” do Artigo 9o do Estatuto Social. Em seguida, disse o senhor Presidente que todas as matérias ora aprovadas somente entrarão em vigor e se tornarão efetivas depois de homologadas pelo Banco Central do Brasil. Disse ainda o senhor Presidente que, nos termos do Parágrafo Terceiro do Artigo 289 da Lei n o 6.404/76, as publicações previstas em lei serão efetuadas, doravante, nos jornais “Diário Oficial do Estado de São Paulo” e “Valor Econômico”. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente esclareceu que, para as deliberações tomadas o Conselho Fiscal da Companhia não foi ouvido por não se encontrar instalado, e encerrou os trabalhos, lavrando-se a presente Ata, sendo aprovada por todos e assinada. aa) Presidente: Julio de Siqueira Carvalho de Araujo; Secretário: Antonio José da Barbara; Administrador: Domingos Figueiredo de Abreu; Acionista: Banco Bradesco Cartões S.A., por seus Diretores, senhores Julio de Siqueira Carvalho de Araujo e Domingos Figueiredo de Abreu; Auditor: Cláudio Rogélio Sertório. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Antonio José da Barbara - Secretário. Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 251.679/13-5, em 4.7.2013. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

c

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

PADROEIRO São Francisco é padroeiro em mais de 30 igrejas da capital. A mais antiga é o Santuário e Convento de São Francisco, de 1639.

idades

São Paulo recebe Francisco, o santo. Museu de Arte Sacra abre exposição especial chamada “São Francisco de Assis, das Chagas de Todo Mundo” na semana que o Papa visita o Brasil. Fotos: Newton Santos/Hype

Valdir Sanches

F

rancisco está entre nós. No altar da mais antiga igreja franciscana da cidade, de 1639, a do Largo São Francisco, ele tem os braços cruzados no peito, pois acaba de receber as chagas de Cristo. Agora que Francisco, o papa, estará no Brasil até o fim da semana, Francisco, o santo, tem uma sala especialmente dedicada a ele, no Museu de Arte Sacra, na Avenida Tiradentes. Lá, posta-se diante do Cristo com asas que vai passar-lhe as chagas, e lhe apareceu como um serafim, um anjo alado. Há mais. Na forma de paulistinhas, pequenas estátuas de barro, ocas, o santo foi mandado do museu para uma exposição especial em Niterói. A visita do papa ainda fez com que uma coleção de medalhas papais tomasse o mesmo rumo. E outra, de crucifixos, seguisse para o Rio de Janeiro. Pelos cálculos de frei Roger Brunorio, São Francisco está no altar, na condição de padroeiro, em mais de trinta igrejas da cidade de São Paulo. Frei Roger pertence à mais antiga, a de 1639, o Santuário e Convento de São Francisco, onde cuida dos bens culturais. Neste dias, recebe os peregrinos estrangeiros que chegam a São Paulo e querem conhecer a igreja. O frei fala ao DC com entusiasmo, sobre o Papa Francisco, até dizer que ele não é franciscano, mas jesuíta. Ora, pondera-se; nesse caso as atenções deveriam se voltar para a capela do Pátio do Colégio, onde desponta a estátua de José de Anchieta, o jesuíta que fundou São Paulo. "E o papa podia ter escolhido o nome de Inácio", completa o frei, referindo-se a Inácio de Loyola, fundador da Companhia de Jesus, a dos jesuítas. Mas explica: Inácio de Loyola foi evangelizado por franciscanos. Só mais tarde fundou a ordem dos jesuítas. Além disso, o papa "tem mais jeito de

O despojamento pontifical é uma mensagem de simplicidade. E ela se revela também em detalhes. FREI ROGER franciscano". Na juventude, São Francisco de Assis teve "aventuras joviais", ia a tabernas, foi trovador. Sua vida mudou, depois de um encontro com Deus. Dedicou-se a uma vida religiosa de absoluta pobreza e fundou a

ordem dos Frades Menores, conhecidos como franciscanos. Nos tempos atuais, o arcebispo de Buenos Aires, Jorge Bergoglio, andava de metrô e ônibus. Nada mais justo ter escolhido Francisco para seu nome de papa. Frei Roger acha "o despojamento pontifical" uma mensagem de simplicidade. E ela se revela também em detalhes, diz. Em Roma, Francisco usou não o sapato vermelho tradicional dos papas, mas um preto, com jeito de usado. Explicou que o ganhara de uma viúva, como lembrança do finado marido. A entrevista com frei Roger é feita na clausura, área reservada aos religiosos. Ali há um refeitório, de u m a s i m p l icidade... fr anc is can a. U m a c o z in h a , e m o utra parte, assa pães: 300 por dia. Destinam-se aos moradores de rua que, às duas da tarde, chegam ao convento para tomar o "chá do padre". Na verdade, café com leite e pão. Resgatar a dignidade – O "chá" é servido no salão São Francisco, no convento, que fica na parte de trás da igreja. O salão era a sala de cinema do convento (filmes selecionados), na década de 1940. Ali hoje, os sem-teto e necessitados ouvem palestras e têm outros tipos de atendimento. "Não é só dar o pão", diz frei Roger. "É resgatar a dignidade da figura humana." Esta proposta descortina um amplo leque de ações, por meio do Serviço Franciscano de Solidariedade. O serviço atende esta igreja, a de São Francisco, que é a unidade central; e as do Pari e de Vila Clementino. Beneficia moradores de rua, idosos e portadores do vírus HIV. Mobiliza assistentes sociais, psicólogos e outros profissionais. Um morador de rua pode receber seus documentos pessoais (como RG), ser encaminhado para trabalho, para sua família ou a cidade de onde veio. Frei Roger diz que a acolhida para os necessitados, e os fiéis que frequentam a igreja, é feita "com simplicidade e cordialidade" próprias dos franciscanos. Eles s e d i f e r e nc i a m , t a mbém, em um conceito religioso. Em outras ordens, o claustro é o lugar mais importante do convento. É um espaço, c o m u m j a rdim, onde os religiosos meditam em silêncio sobre a palavra de Deus. "São Francisco disse: o claustro é o mundo", contrapõe o frei. Assim, os franciscanos acham que podem meditar na

S ERVIÇO Museu de Arte Sacra – Av. Tiradentes, 676, Luz, Estação Tiradentes do metrô. Fone: 33263336. Até 11 de agosto. Terça a sexta das 9h às 17h. Sáb. e dom. 10h às 18h. Ingressos R$ 6 (estudantes meia entrada). Sábados grátis. Estacionamento grátis na R. Jorge Miranda, 43.

Imagem de São Francisco de Assis exibida no Museu de Arte Sacra. Mostra vai até 11 de agosto. Aos sábados a exposição é gratuita. rua, no metrô, na praia. "Para nós, isso é o mundo." A exposição especial aberta no Museu de Arte Sacra chama-se "São Francisco de Assis, das Chagas de Todo Mundo". Uma foto da porta da igreja de São Francisco de Assis, de São João Del Rey, Minas Gerais, que cobre toda uma parede, sugere a entrada do recinto.

Procissão – Chama imediatamente a atenção uma procissão de imagens do santo, voltadas para o altar-mor colocado ao fundo. É uma fileira de dezessete imagens. Começa pelas menores, termina com as maiores. O maior número delas é de paulistinhas, como se viu pequenas imagens de barro, ocas. A imagem de São Francisco

das Chagas com o santo alado, citada na abertura desta matéria, é do século XVII. Veio da capela Nossa Senhora dos Aflitos, em São Paulo. Hoje integra o acervo do museu. Aqui também estão um ostentório com o santo, e muitas aves, abaixo do lugar destinado à hóstia; e um São Francisco do século XX, do mestre Expedito. Em uma sala ao lado, pode ser

vista numerosa coleção de paulistinhas, de diversos santos, esculpidos pelo santeiro Dito Pituba, de Santa Isabel, na Grande São Paulo. Essas imagens, da passagem do século XIX para o XX, eram colocadas nos altares dos lares paulistas. Entre os paulistinhas mandados para Niterói, só alguns são imagens de São Francisco.

Peregrinos se encantam com interior da igreja Americanos viajaram 14 horas desde a Califórnia

N

o interior da Igreja de São Francisco, os peregrinos americanos ergueram a vista para o céu e ficaram encantados. No teto da nave, curvo, de madeira, estão pinturas sobre a vida do santo. “Sei que a igreja é muito antiga, e fiquei feliz em ver que está preservada”, disse a líder do grupo, Teresa Gonzales. São doze jovens, que viajaram 14 horas de San José, na Califórnia, até o aeroporto de Gua-

rulhos. Logo, perguntaram quando o templo foi construído. Ao saber que é do século XVII (1639) ficaram surpresos e empolgados. O roteiro do grupo incluía Guaratinguetá, no Vale do Paraíba. É terra de Frei Galvão, franciscano, o primeiro santo nascido no Brasil. A estátua de Frei Galvão foi levada para Aparecida, a sete quilômetros, onde o grupo chegaria para ver o papa Francisco. A próxima escala seria o Rio.

Interior da Igreja de São Francisco. Templo foi construído em 1639. Os americanos foram acolhidos por fiéis e religiosos da igreja São João Maria Vianney, na Lapa. “Foi um acaso divino”, disse Teresa. “Nos inscrevemos no

site da Arquidiocese de São Paulo e chegamos lá.” Amélia Enrietti, uma das hospedeiras, confirmou a ideia de acaso divino, disse que estavam todos muito felizes. (V.S.)

O PAPA NO BRASIL H

oje, pela quinta vez um papa desembarca no Brasil. A chegada do papa Francisco, porém, desperta interesse muito diferente das demais visitas, a começar pelo fato de ser o primeiro papa latino-americano e que, na prática, começa o pontificado pelo seu próprio continente. Estamos todos prestes a testemunhar um fato histórico certamente de grande relevância. Manifestações recentes chamaram a nossa atenção, despertam nossa reflexão: os jovens, aqui e no exterior, tomaram a dianteira nos protestos contra várias instituições – governos, partidos, sindicatos, escolas, famílias, religiões. Outros, se mostram indiferentes. Qual a razão desses protestos ou indiferença? Para o que diz respeito ao catolicismo, estatísticas de países tradicionalmente católicos na Europa apontam para menos de 20% a frequência às missas dominicais, na faixa etária dos 18 aos 30 anos. 85% dos jovens não têm nenhum contato estável com o mundo eclesial. Trata-se de uma situação alarmante, a ponto de se falar de "uma primeira geração incrédula",

coincidente praticamente com os chamados "nativos digitais". As estatísticas brasileiras hão de ser substancialmente análogas às europeias, sobretudo se levarmos em conta a componente sincrética do catolicismo em nosso País. Quando se trata de saber a razão da recusa dos jovens pela religião, a Igreja católica vem se convencendo que a tradição cultural do cristianismo ficou ilegível. A Igreja difunde, praticamente há vinte séculos, uma crença ligada aos valores da Europa e do Mediterrâneo, quando ultimamente despontam os valores da Ásia e do Pacífico (China, Tibete, Índia, Extremo-Oriente etc). Essa situação nova não exclui fatores antigos que há séculos desafiam o cristianismo nas Américas, a começar pelos indígenas. Estes, porém, são numericamente inferiores às extensas camadas de matriz africana, onde predominam as expressões da Umbanda, Candomblés, Vodus etc., que certamente também comportam valores nem sempre convergentes com os do cristianismo. As jornadas mundiais da juventude (a do Rio é a 28ª) têm

procurado reinterpretar o catolicismo para os jovens. Até agora, esses encontros trouxeram a marca acentuadamente europeia de João Paulo II (reuniões de massa, com efeitos midiáticos, para despertar a com efeitos midiáticos, para despertar a identidade católica e proporcionar uma experiência consolatória através de megafestas litúrgicas). Mas a jornada do Rio será a primeira do papa Francisco, que dá inequívocos sinais de retomada de um catolicismo sociologicamente menos atávico, e de maior densidade evangélica – e por isso mesmo mais aberto ao diálogo tal como foi concebido pelo Vaticano II. É claro que o papa terá imenso prazer de encontrar os jovens do mundo inteiro reunidos no seu continente. Mas seguramente pensará também nos milhões de jovens que nem pensaram em vir ao Rio, milhões dos quais nem sabem quem é Jesus Cristo, e deverá falar para todos. É a sua primeira chance de falar "para o mundo", a partir de um continente de jovens e de pobres. Virá para repetir os clichês eclesiásticos: culpa, demônio,

DOMINGOS ZAMAGNA

pecado, obediência, dízimo, inferno, salvação da alma, vida eterna...? Creio que não. Penso que se esforçará para apresentar um catolicismo em processo de reevangelização, pois nossos corações e mentes infelizmente, cobertos pela poeira de décadas de rotina e neocristandade, deixaram de ser seduzidos pela força e ternura de Deus, encarnado na fraqueza de um jovem crucificado. Aposto que o papa Francisco dirá aos jovens que Deus é justiça, amor, alegria e paz, que enviou seu Filho Jesus para nos ensinar a justiça, o amor, a alegria e a paz; e que o nosso mundo, com o qual estamos insatisfeitos, só será melhor pela justiça, pelo amor, pela alegria e pela paz. A Igreja está a serviço do Evangelho da justiça, do amor, da alegria e da paz. DOMINGOS ZAMAGNA É JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA.


sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

9

facesp

A TERCEIRA VEZ Esta é a terceira vez que a cidade de Aparecida recebe a visita de um papa. Os outros dois foram João Paulo II, em 1980, e Bento XVI, em 2007

regionais

Divulgação

APARECIDA É DO PAPA O papa Francisco visita a cidade da Padroeira por poucas horas, mas já movimenta positivamente comércio e serviços.

André de Almeida

dezenas de hotéis da cidade, que presenteiam os hóspedes com a camiseta. "Nossa produção aumentou 40% nos dois últimos meses", afirma. Outro setor que se beneficia com a visita do papa é o de serviços. Segundo o presidente do Sindicato dos Hotéis, Bares e Restaurantes de Aparecida, Ernesto José Elache, praticamente todos os 176 meios de hospedagem – 33 mil leitos – estão com 100% de ocupação. "Julho já é um mês muito bom. A vinda do papa, mais do que a lotação dos hotéis, é interessante porque traz um perfil diferente de turista, muitos estrangeiros, com maior poder aquisitivo e que costumam levar presentes para parentes e amigos", diz.

Q

uarta-feira, 10h. Nesta data e horário um helicóptero deve pousar na cidade de Aparecida do Norte, no Vale do Paraíba, trazendo o papa Francisco, que cumpre no Brasil a sua primeira viagem oficial ao exterior. O pontífice virá direto do Rio de Janeiro, onde acontece a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) 2013. Meia hora depois, o papa celebrará uma missa na Basílica de Nossa Senhora Aparecida e percorrerá o entorno do santuário de papamóvel, retornando no mesmo dia para a capital fluminense. Apesar de ser curta, limitando-se a algumas horas, a visita do papa Francisco é aguardada com grande expectativa pelos moradores e comerciantes. A sua pequena permanência movimentará positivamente comércio e serviços, como hotéis e restaurantes. A prefeitura de Aparecida espera que em torno de 250 mil turistas cheguem ao longo do dia. Esta é a terceira vez que o município recebe a visita de um papa. Os outros foram João Paulo II, em 1980, e Bento XVI, em 2007.

O papa e Aparecida: montagem feita para estampar as camisetas que serão vendidas e dadas como brindes a hóspedes de hotéis. Abaixo, as milhares de barracas de camelôs e a passarela que liga os dois lados da cidade. São esperadas 250 mil pessoas num só dia.

LOGÍSTICA A prefeitura de Aparecida já tem um esquema de trânsito e de segurança definidos para o dia da visita. As ruas pelas quais o papamóvel passará - muitas delas estreitas - serão interditadas e receberão gradis de segurança. Os visitantes serão encaminhados para os bolsões de estacionamento localizados fora da área do santuário. Banheiros químicos e p o s t o s d e i n f o r m ações turísticas serão instalados nas ruas da cidade, além de postos de atendimento médico. A prefeitura também recapeou e retirou as lombadas no percurso por onde o papamóvel passará.

Divulgação

PREPARAÇÃO "O comércio está bastante otimista e se preparou com antecedência para este momento", afirma o presidente da Associação Comercial e Industrial de Aparecida, Angelo Reginaldo Leite. Segundo ele, o papa Francisco é muito carismático e os artigos que levam sua foto deverão vender tão bem quanto aqueles que estampavam a imagem de João Paulo II quando de sua visita . "Isto não aconteceu com o papa Bento XVI. Muitos itens com sua imagem encalharam, foi um fiasco", diz. De acordo com o dirigente, certamente o comércio de artigos religiosos é o que mais lucrará com a visita do papa. Atualmente, a cidade tem aproximadamente 400 fabricantes de lembrancinhas, a grande maioria de pequeno porte e informal. A produção é caseira e inclui camisetas, santinhos, quadros e calendários. Além dos fabricantes, 360 lojas no shopping anexo à basílica e 800 lojas de rua também comercializam estes artigos, sem contar as duas mil barracas de camelôs. "A cidade recebe, em média, 180 mil visitantes aos sábados e domingos. Com a vinda do papa, o comércio ganhará em um dia mais do que o equivalente a um final de semana inteiro", afirma. Cada turista gasta, em média, R$ 30 em lembranças religiosas.

PROGRAMAÇÃO Após chegar de helicóptero, às 10 horas, Francisco entrará no papamóvel e saudará os fiéis ao redor do santuário. Depois de um breve intervalo, às 10h30 iniciará a celebração da missa, que deve terminar antes das 12h. A cerimônia será no altar central da basílica, que comporta 15 mil pessoas. Telões serão instalados na área externa do santuário nacional para que os fiéis possam acompanhar a missa. Ao término da celebração, o papa Francisco voltará ao papamóvel e se dirigirá ao Seminário de Bom Jesus. Com uma comitiva de 40 pessoas, o papa almoçará com os moradores da casa, entre eles dom Raymundo Damasceno, arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Lá. O pontífice também abençoará a estátua de Frei Galvão, retirada da entrada de Guaratinguetá e levada para Aparecida especialmente para receber a benção Depois do almoço, o papa Francisco terá à sua disposição uma área privativa com quarto, capela e refeitório, onde provavelmente descansará antes de voltar ao Rio de Janeiro. O voo de retorno à capital fluminense, também de helicóptero, está previsto para às 16h, com chegada às 17h20 no Aeroporto Santos Dumont.

Bruna Prado/AE/ARQuivo/DC

Arquivo/DC

OPORTUNIDADE Assim que saiu o anúncio oficial da visita do papa Francisco a Aparecida, em maio, o empresário Benedito Sebe Filho, o Dito, começou a confeccionar camisetas com a imagem do pontífice. Com 40 funcionários, Dito faz camisetas com a imagem de Nossa Senhora Aparecida há mais de três anos. Até sexta-feira, já haviam sido feitas em torno de seis mil peças com a foto do papa. Elas foram vendidas para 50 lojas e

Virgem de Lujan, padroeira da Argentina

Mais perto da Argentina

Q

uando o Papa Francisco entrar na Basílica de Aparecida e rezar diante da padroeira do Brasil, Nossa Senhora Aparecida, poderá se sentir um pouco mais próximo da Argentina, a sua terra natal. Ou melhor, mais perto de Lujan, uma localidade a 67 quilômetros de Buenos Aires. É que Nossa Senhora Aparecida guarda semelhanças com a Virgem de Lujan (ou Nossa Senhora de Lujan), a padroeira da Argentina. Ambas vestem o manto azul, carregam na cabeça preciosas coroas de ouro cravejadas de gemas e

estão protegidas em oratórios blindados, colocados no alto, ao alcance apenas dos olhares dos fiéis. As duas imagens possuem praticamente o mesmo tamanho (Nossa Senhora Aparecida tem 30 centímetros e sua 'irmã' argentina, 28), foram descobertas em datas não muito distantes – a Virgem de Lujan em 1630 e Nossa Senhora Aparecida em 1717 –, e, segundo registros históricos, foram feitas com argila proveniente de Santana do Parnaíba, cidade situada às margens do Rio Tietê. (AA)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

acsp

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

PRAZO ADIADO Até três meses atrás, a previsão era de que o trecho inicial do monotrilho – 2,4 quilômetros entre as estações Vila Prudente e Oratório – operasse até o final deste ano. Agora, o prazo foi adiado para 2014.

distritais

Comerciantes fogem da Anhaia Mello Construção do monotrilho da Linha 15-Prata do Metrô na venida, uma obra constantemente adiada, afasta clientes e provoca transtornos e fechamento de lojas. André de Almeida

Fotos: Tina Cezaretti/Hype

A

avenida Professor na Anhaia Mello. Desde o inicio L u i z I g n á c i o d e das obras do monotrilho, no fiAnhaia Mello, na zo- nal de 2009, suas vendas caína leste, sempre foi ram cerca de 80%. "Como conreferência no comércio de au- segui sobreviver até agora, não tomóveis. Até há quatro anos, vou desistir. Mas muitos coleaproximadamente, concessio- gas não tiveram a mesma sorte nárias e lojas do segmento se e não aguentaram os prejuízos enfileiravam pela via, principal- que esta obra interminável está mente na região da Vila Pruden- nos causando", afirmou. te. Hoje, no entanto, o perfil da avenida está mudando, e cada Atraso vez mais as placas dos nomes Os constantes atrasos no empresas estão sendo substi- cronograma de obras são duratuídas por outras, de aluga-se. E mente criticados pelo emprea mudança sário, que não se restrinaponta falta ge às lojas de d e p l a n e j aautomóveis. mento da O s p r i n c iCompanhia pais motivos do Metropolida debandatano de São d a d o s e mPaulo (Metrô). presários são Até três meos transtorses atrás, a nos causados previsão era pelas obras de que o tred e c o n s t r ucho inicial do ção do monomonotrilho – trilho da Linha 2,4 quilôme15-Prata do tros entre as Metrô, que liestações Vila gará a Vila Prudente e Prudente à CiOratório – endade Tiradentrasse em funtes. O trânsito ci on am en to carregado, até o final desc o n s e q u ê nte ano. Agora, cia das obras o prazo foi no canteiro adiado para central, e as 2014. Quanalterações do o então goviárias na revernador José James dos Santos, balconista gião dificulSerra (PSDB) de pet shop, e Marcelo Rossi, tam a chegaanunciou o dono de loja de motos. d a d e c l i e ninício dos trates. Além disbalhos na so, a poluição causada pelos avenida Luiz Ignácio de Anhaia caminhões a caminho da rodo- Mello, a previsão era de que o via Anchieta e as recorrentes mesmo trecho seria inauguraenchentes na avenida contri- do no final de 2010. buem para o cenário. "Agora os consumidores Somente no trecho entre as pensam duas vezes antes de ruas Taberoé e Torquato Tasso, fazer compras na avenida. Os de aproximadamente um qui- inúmeros desvios e a falta de lômetro, cerca de 20 empresas retornos confundem e irritam já fecharam as portas. Um dos os clientes. Isso quando con"sobreviventes" é o empresário seguem escapar dos congesMarcelo Rossi, proprietário de tionamentos", afirmou Rossi. uma loja de motos há 13 anos "Outro problema são as en-

chentes. Por causa das obras do monotrilho, a avenida teve a pista levantada. Isso provoca enchente nas lojas em dias de chuva forte". Para o balconista James dos Santos, que trabalha em um pet shop na avenida há cinco anos, a poluição e o barulho intenso provocado pelas obras e pelas carretas contribuíram para o afastamento dos comerciantes da Anhaia Mello. "Tenho que varrer a loja várias vezes ao dia. Nossa sorte é que trabalhamos com produtos em pacotes fechados e relativamente de fácil limpeza. Alguns vizinhos não suportaram e foram embora", disse. Locação Não são somente os comerciantes da avenida que estão

arcando com prejuízos em razão das obras do monotrilho. Segundo um corretor de imóveis que preferiu não se identificar, o segmento de locação na Anhaia Mello está praticamente estagnado. O corretor tenta alugar um espaço na avenida, mas ainda não obteve sucesso. "Estou aqui há 20 dias e não recebi sequer u m i n t e r e ssado em alugar o espaço. O excesso de barulho, poluição e congestionamento afastam os potenciais inquilinos", afirmou. Segundo ele, se a loja não tiver estacionamento o negócio se torna praticamente impossível. Para o superintendente da Distrital Mooca da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Francisco Antonio Pari-

si, uma das alternativas para os comerciantes minimizarem, por hora, os prejuízos é a adoção de promoções e descontos, principalmente aos finais de semana, quando o tráfego na região não é tão carregado. "Durante o período de obras, os inquilinos também podem tentar negociar os valores dos aluguéis de forma a não ter reajuste. É uma questão de conversar com os proprietários", concluiu o dirigente.

As obras na avenida, cujo término foi adiado para 2014, atrapalham os comerciantes. Muitas lojas fecharam e alugar os espaços se tornou quase impossível.

Meio século da ACE de Guarulhos Comemoração teve lançamento de livro e contou com a presença de autoridades e empresários

A

Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos (ACE) comemorou, sexta-feira, 50 anos de fundação e de dedicação ao empreendedorismo e à liberdade de empreender. A cerimônia oficial do cinquentenário aconteceu no Nosso Clube Vila Galvão, na cidade, e contou com a presença de aproximadamente 350 convidados, entre autoridades e líderes empresariais. Todos receberam um exemplar do livro "Jubileu de Ouro – Uma trajetória de sucesso", que traz os principais fatos deste meio século de existência. "É com muita satisfação que chegamos a esta marca. São 50 anos de muito trabalho e lutaremos cada vez mais para aumentar nossa representatividade na cidade", disse o presidente da ACE, Jorge Taiar. Hoje são 1,8 mil associados ativos. O objetivo é crescer, apostando em novos produtos e serviços, como o ACCelular, e ações, como a ACE nos bairros. "Surgem novos polos comerciais e temos de estar atentos a tudo", disse.

Newton Santos/Hype

GIr Agendas da Associação e das distritais

Hoje I Jabaquara – Às 9h30,

reunião Empreender – Saúde e Bem-Estar e palestra: "Invista no Planejamento", com Fabio Menezes, do Sebrae. Avenida Santa Catarina, 641.

Amanhã I Jabaquara – Às 19h30, 4ª

O prefeito Sebastião Almeida, e os presidentes Jorge Taiar, da ACE, e Rogério Amato, da Facesp e ACSP. Conquista – Para o presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) e da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Rogério Amato, a comemoração é mais do que justa. "Trata-se de uma grande conquista, que merece ser festejada", afirmou. Segundo ele, uma entidade que permanece por 50 anos com representatividade é um marco muito importante.

"A associação comercial é fundamental dentro do nosso sistema e hoje colhe os frutos do trabalho realizado por cada um dos dirigentes que por lá passou", completou o superintendente da Facesp, Natanael Miranda dos Anjos. Na abertura do evento de comemoração, Jorge Taiar entregou para Amato uma placa comemorativa pelo cinquentenário da Facesp,

que será em setembro. O prefeito de Guarulhos, Sebastião Almeida (PT), participou da comemoração e ressaltou a importância da entidade para o município. " Se a cidade cresceu tanto em 50 anos, isso só foi possível porque a ACE fez parte desse processo. Agradeço a todos que fizeram parte da história da entidade", concluiu o prefeito Almeida. (AA)

reunião Ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor, lançamento do ACCelular e a palestra "Futuro da Telefonia Celular", com Patrícia B. Teixeira, autora do livro "Caiu na Rede. E agora? Gestão e Gerenciamento de Crise nas Redes Sociais". Avenida Santa Catarina, 641. I Centro – Às 18h30, "Papo com Especialistas Finanças", com três palestrantes. Inscrições: 3208-5753/3207-9366 ou dcentro@acsp.com.br. Auditório da ACM, rua

Nestor Pestana, 147, Consolação.

Quarta I Noroeste – Às 19h,

distrital Noroeste e Sescon realizam a palestra "Conceitos Gerais da Eireli". Rua Luis Braille, 8. I Santo Amaro - Às 9h, reunião da Comissão de RH (Workshop). Avenida Mário Lopes Leão, 406.

Quinta I Jabaquara – Às 9h30, em

parceira com o Sebrae, a palestra "Site Empresarial: Uma Oportunidade de Negócio na Internet", com Jairo Lobo Migues, do Sebrae. Avenida Santa Catarina, 641. I São Miguel – Às 19h30, 4ª reunião ordinária. Av. Marechal Tito, 1042. I Centro – Às 17h30, 4ª reunião Ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor. Rua Galvão Bueno, 83.

Sexta I Centro – Às 14h30,

"Curso de Oratório – início do 4º Ciclo de estudos", com João Meireles Câmara e Sueli Carlos. Informações: 32085753/3207-9366 ou dcentro@acsp.com.br. Rua Galvão Bueno, 83.


sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

11

Mostra de animação

d

cultura

A 3ª Mostra de Animação em São Paulo exibe nesta segunda (22) o filme Max-Uma Amizade Diferente. Cinusp. Rua do Anfiteatro, 181. Colmeia, favo 4. Cidade Uiversitária. 19h. Tel.: 3091-3540. R$ 18 e R$ 24. NYT

Nos últimos tempos, os menus de degustação que custam 125 e 155 dólares - incluíram tributos a Cy Twombly feitos com arraia, urtiga e lingueirão, É a arte do chef Paul Liedrandt

Paul Liebrandt está pronto para abrir The Elm

A arte de um chef perfeccionista Jeff Gordiner

D

ebruçado sobre a mesa do Bar Masa, quatro andares acima do Columbus Circle, Paul Liebrandt gastava 800 dólares em petiscos e bebidas enquanto conversava sobre arte. "Um artista como Cy Twombly pra muita gente não passa de um monte de rabiscos", afirmou o chef. "Mas eu olho para aquilo e vejo ritmo no que ele faz. Como ele sabe fazer aquilo daquele jeito? Não faço ideia. Acho que ele só faz, sem ter um plano." Liebrandt só tem 36 anos, mas o chef britânico ocupa um local de destaque e, às vezes, impressionante, no panteão da alta gastronomia nova-iorquina da última década. Nessa rara noite de folga, ele se referia às curvas e cores de Twombly como uma facada na obviedade: quando Liebrandt cria um novo prato no Corton (foto abaixo, à dir.), seu ateliê culinário no TriBeCa, está reagindo ao mesmo ímpeto instintivo. "Enxergo uma conexão entre as coisas, mesmo sem poder vêla de verdade", afirmou. "É uma sensação e preciso explorar esse sentimento, que às vezes funciona, mas às vezes não." Diversos chefs premiados do mundo todo são tratados atualmente com a grande deferência que costumava ser reservada aos pioneiros da pintura e da música. Nova York certamente tem sua parcela de locomotivas criativas (basta pensar em Daniel Boulud, Eric Ripert, David Chang). Porém, muitos deles se esforçam para passar um desprendimento péno-chão, típico de Nova York; alguns podem até dispensar a palavra "artista". Não é o caso de Liebrandt. Ele adora isso. Com uma queda pelo perfeccionismo na cozinha, mas alérgico ao blábláblá do mundo exterior, é fácil respeitá-lo, mas difícil ficar encantado com ele: assim como muitos artistas,

Liebrandt parece viver em uma bolha inventada por ele mesmo. Apesar de ser relativamente jovem, ele não tem muito em comum do ponto de vista estilístico com seus camaradas da cena gastronômica do lado de lá do East River. "Quando você olha pra mim", afirmou, "eu não poderia estar mais longe de ser o Brooklyn." Portanto, será interessante ver o que acontece em julho quando ele estourar a bolha e abrir o The

Elm, uma empreitada mais casual no hotel King & Grove Williamsburg. Será que a terra dos hipsters vai encantar o chef perfeccionista? "Basicamente, é assim que ele se vê", afirmou Drew Nieporent, dono de restaurantes veterano que é o principal sócio do chef no Corton. "E a realidade sobre Paul Liebrandt, diferentemente de qualquer um em Nova York, é de que sua comida e sua abordagem não podem ser comparadas à de ninguém. Pelo menos eu acho que não. E isso é ao mesmo tempo bom e ruim." No Corton, você não chega e simplesmente janta; você vai e se maravilha com o vituosismo do chef. Com uma composição intricada e cheia de cores, quando seus pratos são servidos, se assemelham a bonsais comestíveis. Seu trabalho manual é tão artístico que às vezes parece um sacrilégio

cravar a garfo. (Nos últimos tempos, os menus de degustação - que custam 125 e 155 dólares incluíram tributos a Cy Twombly feitos com arraia, urtiga e lingueirão). Nieporent admite que sua parceria é complicada. (Liebrandt nem quis falar a respeito.) É o tipo de simbiose inquieta que se pode encontrar entre um pintor visionário e um dono de galeria que nunca sai do pé. Liebrandt precisa mostrar

suas obras no centro da cidade; Nieporent faz isso por ele, muito embora as obras o deixem um pouco perplexo. "Bom, eu trabalhei duro pra esse relacionamento dar certo", afirmou Nieporent. Aos 58 anos de idade, financiou 36 restaurantes ao longo dos anos e tem uma filosofia voltada para o cliente que nem sempre caminha de mãos dadas com as visões de um artista. "Sempre me importei com a acessibilidade, com facilitar a vida do cliente", afirmou Nieporent. "Tem sido um desafio, uma vez que sua comida é tudo menos acessível. Necessita de submissão". "Por que me acham pretencioso?" questionou Liebrandt. "Estou longe disso. Sou um cara muito tímido e despretensioso mas, por alguma razão, muita gente acha que sou um esnobe afetado. Isso não faz o

menor sentido. Pergunte pra qualquer pessoa que me conheça." Contudo, não é muito fácil encontrar gente que o conheça, já que Liebrandt não é o tipo de cara que faz amizade com os colegas de forno nas horas de folga. Embora ele seja tema de um documentário cativante (A Matter of Taste, lançado em 2011), outros chefs ainda dizem que ele é um tipo misterioso. "Estou tentando ser alguém mais sociável", afirmou. Porém, nos últimos tempos ele desenvolveu um relacionamento com alguém que pode ser considerado seu oposto estilístico: Danny Bowien, o homem que trouxe o pastrami kung pão e o arroz com bacalhau frito para Nova York, com a Mission Chinese Food. Quando Bowien se mudou de San Francisco para Nova York, ele cortou caminho pelo Corton. "Sempre ia ao restaurante", afirmou Bowien. "Ele é uma grande inspiração, embora não dê pra ver isso na comida que fazemos." Muitos chefs aprendem os truques do outro quando o prato chega à mesa. No Corton, não é tão fácil aprender a técnica. "Sinto que Paul está seis passos a frente de todo mundo", afirmou Bowien, e o enigma faz parte do charme. "Não sei se ele quer que as pessoas o compreendam", afirmou Bowien, "e, de certa forma, isso o torna ainda mais legal". Agora Liebrandt está planejando um cardápio completo para o The Elm, que será dividido em quatro categorias: cru, terra, mar e compartilhado. Além disso, uma vez que o restaurante ocupa o andar térreo de um hotel, Liebrandt será responsável por tudo: do serviço de quarto aos lanchinhos à beira da piscina. Então, por que o nome? Tem algum ulmeiro nos arredores? "Não sei", afirmou Liebrandt sorrindo. "Eu nem olhei. É um

nome legal. Eu só... eu só achei legal. Todos os nomes que inventei faziam o pessoal olhar para mim com aquela cara de 'não, não!'" Mas, assim como Cy Twombly e as linhas curvas, o instinto o levou para um arranjo de letras perfeito. "Se chama The Elm. Seis letras. Funciona muito bem", afirmou. "Por que não? Por que não?"

Jeff Gordiner Escreve para The New York Times

Cinema português

Noite de MPB. Grátis.

A Caixa Cultural São Paulo reúne filmes portugueses até o fim de semana. É a 2ª Mostra Cinema Português Contemporâneo. Com 19 obras do país, entre elas, Uma Abelha na Chuva, de Fernando Lopes. Caixa Cultural São Paulo. Praça da Sé, 111. Tel.: 3221-4400. Grátis. Retirar os ingressos uma hora antes. Informações: www.caixacultural.com.br.

Fabiana Cozza (foto) e Carlos Navas em noite dose dupla. Navas interpreta repertório dedicado a composições de Custódio Mesquita (19101945; autor de Adeus, com Evaldo Rui). E Fabiana canta sambas de raiz. Veríssimo Bar. Rua Florida, 1488. Cidade Monções. Tel.: 5506-5748. Nesta segunda (22), às 20h. Não recomendado para menores de 16 anos.

Flagrante da África. Na Oca. Oca expõe 35 obras africanas na mostra Transit_São Paulo. Dezenove artistas assinam trabalhos, como Mounir Fatmi, de Marrocos; Samuel Fosso, de Camarões e Edson Chagas, de Angola. Fotos, pinturas e vídeos retratam a África atual. Oca. Avenida Pedro Álvares Cabral. Ibirapuera. Tel.: 5082-1777. Terça a domingo. 9h às 17h.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

Logo Logo www.dcomercio.com.br

Escultura é som Ryan Jordan faz esculturas com pedras e fios. Quando a corrente elétrica passa pela pedra, o som se amplifica. www.r yanjordan.org

A MBIENTE C ONFORTO

M

Panfufas Lego Fãs dos bloquinhos Lego são fãs até no frio e no conforto de casa. Essas pantufas são uma homenagem ao brinquedo, custam U$ 24,99.

Pela vida de 30 árvores Chris Faga/Fox Press/Estadão Conteúdo

o r a d o r e s d a r egião da Água Branca, zona oeste de São Paulo, promoveram neste domingo um protesto bem-comportado: não querem o corte de 30 árvores da espécie tipuana do canteiro central da Avenida Francisco Matarazzo. A Prefeitura determinou a criação de uma nova faixa de rolamento na pista sentido Centro da via como forma de compensar os impactos no trânsito provocados pelas obras no novo estádio do Palmeiras. A produtora cultural Flávia Lemos, uma das organizadoras, diz que, além da preservação das árvores, a ideai é reivindicar mais transporte coletivo. Vincent Kessler/Reuters/Michael Kooren/Reuters

http://bit.ly/1bMGcWK

C ELEBRIDADES

Tina Turner, 73, se casa na Suíça. A cantora norte-americana Tina Turner, de 73 anos, se casou ontem às margens do lago de Zurique (Suíça) com seu parceiro, o produtor musical alemão Erwin Bach, de 57 anos, depois de 27 anos

de namoro. Para a cerimônia foi escolhida uma mansão de 5,5 mil metros quadrados em Kusnacht, cidade onde a cantora, com passaporte suíço recém-obtido, mora com seu agora marido há 17 anos.

A RTE

Desenhando em círculos

http://bit.ly/9KAANg

I TÁLIA

BÉLGICA DE TODOS - O príncipe- Philippe, 53 anos, subiu ao trono da Bélgica ontem como 7º rei do país, em meio às celebrações do Dia Nacional. Assume no lugar do pai, Albert II, 79 anos, que abdicou. Fez juramento em francês, alemão e holandês, idiomas oficiais do país. E pediu uma nação unida.

Cortadas ao meio

Dolce e Gabbana fazem protesto Os estilistas italianos Domenico Dolce e Stefano Gabbana, da grife Dolce & Gabbana, fecharam suas lojas de Milão durante três dias (sexta, sábado e domingo) em protesto por terem sido "ridicularizados". O que eles chamam de ridicularização é a condenação de ambos pela justiça italiana por sonegação de impostos há um mês. As palavras "Fechado por Indignação" foram estampadas na vitrine da loja dos estilistas em uma rua de comércio de luxo em Milão, cidade onde a dupla apresentou sua primeira coleção, em 1985. Domenico Dolce e Stefano Gabbana foram condenados a penas de prisão de 20 meses por sonegação de impostos relativa aos royalties sobre cerca de 1 bilhão de euros recebidos na venda de sua marca para uma holding com sede em Luxemburgo, em 2004. Eles prometeram recorrer.

L

Ben Heine usa a técnica chamada "digital circlism" em seus desenhos: ele compõe as imagens com círculos de diversos tamanhos e cores sobre um fundo preto. O retrato de Marilyn Monroe levou uma semana para ficar pronto.

Por fora, elas são todas iguais. Mas por dentro, cada bola de golfe é feita de um material diferente, responsável pelo peso e pela mobilidade da bola. Curioso, o fotógrafo norteamericano James Friedman decidiu saber o que tem em cada bolinha. Ele cortou ao meio 20 bolinhas, de marcas diferentes. Descobriu que os materiais criavam imagens coloridas e atraentes ao olhar. O resultado foi o projeto Interior Design. www.jamesfriedmanphotographer.com

F RANÇA

A mesa que levita

I NTERNET

Fim de uma antiga usina nuclear

Um complexo sistema de imãs e cabos de aço mantém essa mesa – feita com 27 ou 64 cubos de madeira. Os cubos flutuam sobre si mesmos e os cabos garantem que, ao ser empurrada ou receber peso, os cubos não se espalhem. A mesa com 64 cubos custa US$ 2 mil.

Cameron cobra respeito às crianças

A planta nuclear de Fessenheim, mais antiga da França, será fechada até dezembro de 2016, informa o ministro de Energia e Meio Ambiente do país, Philippe Martin. "Tenho mandato para tanto, disse ao Le Journal Du Dimanche.

http://bit.ly/16M1IoW

O primeiro-ministro inglês David Cameron pediu ontem, pela TV, que Google, Yahoo e Bing aumentem ações para bloquear imagens de abuso a crianças, cobrando uma blitz contra a pornografia online.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

SUPLEMENTO EXCLUSIVO PARA

SÃO PAULO

Confusão na Organizada l

O churrasco na sede social do São Paulo com presença de membros da torcida organizada Tricolor Independente acabou em briga na tarde deste domingo. Aliados do presidente Juvenal Juvêncio assistiam a um vídeo ironizando o pré-candidato de oposição Marco Aurélio Cunha quando os oposicionistas se irritaram e a dicussão começou. Os membros da Tricolor Independente que estavam no clube ficaram ao lado dos

13

PALMEIRAS

Semana livre para treinar l

aliados de Juvenal Juvêncio, e participaram da troca de ofensas e agressões, que contou com violência física e teve de ser apartada por seguranças do São Paulo. O vídeo que motivou a discussão mostra o ex-superintendente e pré-candidato Marco Aurélio Cunha cantando o hino do Santos, rival do São Paulo. Médico, ele trabalhou na Vila Belmiro no fim dos anos 1990, antes de retornar ao São Paulo. Marco Aurélio está viajando.

Se os técnicos reclamam da falta de tempo para treinar, Gilson Kleina não tem do que se queixar. Isso porque, hoje, o comandante do Palmeiras começará mais uma semana livre para trabalhar a equipe, sem jogos no meio. Kleina tem aproveitado bastante esse tempo para aprimorar a equipe realizando jogos-treino. Já foram realizados vários até agora, contra adversários como Audax, São Bernardo, Portuguesa e

Atibaia, entre outros. Para esta semana, está marcado mais um. Na quarta-feira, o Verdão enfrentará o SEV-Hortolândia, na Academia de Futebol. Com o jogo contra o Guaratinguetá só no sábado, na terça-feira o elenco terá atividades em dois períodos. O trabalho do comandante nessas pausas tem dado certo, já que o Alviverde é o líder da Série B atualmente e ganhou os últimos quatro jogos.

COR FELIPE GABRIEL

F

Molhado Edenilson passa pela marcação de Paulo Baier

ENCHARCOU VISÃO DE JOGO

MAURO BETING

maurobeting@lancenet.com.br

É A LAMA, É A LAMA! Atlético Paranaense criou muito e finalizou mal no

gramado encharcado; Corinthians jogou pouco e pode até celebrar empate

O

Furacão fez sua melhor exibição no Campeonato Brasileiro-13 e não venceu o campeão do mundo. O Corinthians parou na água, na poça e em mais uma atuação discutível. Vai crescer na tabela, pelo elenco que tem, como o Atlético pode acertar tudo que tem errado do modo como jogou muito mais que o Corinthians. Não apenas por conhecer melhor o gramado encharcado a partir de 9 minutos. Também por se atirar com mais intensidade na marcação e na busca do gol. Um bom trabalhado executado pelo recém chegado Vágner Mancini.

Montou o Furacão no 4-3-1-2, com Paulo Baier adiantado, ganhando quase todas do desambientado Maldonado (substituto do lesionado Ralf), e chegando bem à frente, dando ao ótimo e veloz Marcelo lances como o do gol, aos 4 minutos, às costas da esquerda paulista. Tite manteve-se fiel ao 4-2-3-1, mas sem o entrosamento dos volantes, sem a boa saída pelos lados com Romarinho e Renato Augusto, e apenas com Pato se movimentando bem e dando opções no lugar do poupado Guerrero. A chuva forte prejudicou demais

o jogo. Como a arbitragem foi branda demais com a tesoura aquática de Pedro Botelho, que merecia o vermelho. Expulsão que talvez desse ao Corinthians o que não teve nos 90 minutos. A bola e o controle do jogo que foi todo paranaense. O Corinthians só chegou ao gol rival no 1 o- tempo aos 25 minutos, quando Renato Augusto cruzou da esquerda para Pato fazer de peixinho. Honrando a piada (verdade?) do ex-presidente corintiano Vicente Matheus, que dizia que o pato era um animal completo, por ser tanto aquático quanto gramático...

Fora o gol, e mais um que Pato perdeu na segunda etapa, nada mais fez no ataque o Timão a não ser reclamar de um pênalti discutível de Bruno Silva em Ibson, no final do jogo. Indiscutível é que o Atlético foi muito mais time o tempo todo. Finalizou mal mesmo com as mudanças feitas por Mancini, que jogava o time mais à frente, contra um Corinthians que se jogou cada vez mais para atrás. E jogou menos que na primeira etapa.

1

1

ATLÉTICO-PR

CORINTHIANS

Weverton Léo Manoel Luiz Alberto Pedro Botelho Bruno Silva Juninho Zezinho 38’/2º T Everton Paulo Baier Marcelo Marcão Éderson 25’/2º T T: V. Mancini

6,5 6,0 5,0 n 6,0 5,0 n 5,5 5,5 5,0 6,5 n 7,0 6,5 5,5 5,5 6,5

Cássio Edenilson Paulo André Gil Fábio Santos Alessandro 12’/2º T Maldonado Guilherme Renato Augusto Danilo Romarinho Ibson 24’/2º T Pato Douglas 37’/2º T T: Tite

6,0 5,0 6,5 n 6,5 5,0 6,0 6,0 6,0 7,0 n 4,5 n 4,5 6,0 6,5 5,5 n 6,0

JUIZ: Ricardo Marques Ribeiro (MG) 5,5. Manteve o seu critério em lances mais ríspidos. Teve o trabalho dificultado por conta do estado do gramado. GOLS: 5’ 1ºT Marcelo (1-0) ; 25’ 1ºT Alexandre Pato (1-1) ; RENDA/PÚBLICO: R$ 180.600,00/6.799 LOCAL: Durival de Brito, Curitiba (PR) GRAMADO: Ruim. A drenagem não foi tão eficiente e o gramado apresentou condições impraticáveis de jogo.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

SAN

Aprende molecada! VISÃO DE JOGO

BRUNO CASSUCCI

brunoalmeida@lancenet.com.br

IDADE PESOU Em ótimo jogo, garotos do Santos desperdiçam chances de matar o jogo e veem o

experiente, e excelente, Alex decidir o resultado e manter a invencibilidade do vice-líder Coritiba

A

maturidade que sobra em Alex, que dita o ritmo, distribuiu a bola e decide quando o Coritiba mais precisa, faltou para os garotos do Santos. Em excelente partida na Vila Belmiro, o Peixe desperdiçou diversas chances de matar o jogo quando vencia por 2 a 1 e pagou caro, com um gol do maestro do Coxa aos 42 do segundo tempo. Aos 35 anos, o camisa 10 dos alviverdes ainda faz jogadas geniais – e com frequência. No primeiro tempo, foi o principal responsável por fazer o Coritiba dominar a partida. Jogando entre a linha de volantes e a defesa, deixou o jovem Alan Santos perdido e os experientes Edu Dracena e Durval vendidos por diversas vezes. Apesar de ter menos posse de bola e marcar no campo de defesa, o Santos também assustava quando ia ao ataque. Com Leandrinho e Montillo acesos, a ligação com o ataque era rápida e perigosa. Foi assim que o primeiro saiu, após ótima jogada de Galhardo e bom arremate de Neilton. A vantagem não durou muito. Alex, em jogada quase idêntica à de minutos antes, passou com facilidade pela defesa e igualou o placar. A equipe de Claudinei Oliveira voltou melhor do intervalo, mas ainda assim levou sustos na defesa. No entanto, novamente quando estava pior do que o Coxa, o Peixe marcou. Galhardo, em uma de suas melhores atuações pela equipe, cruzou na cabeça de Cícero, que aproveitou o cochilo verde para fazer de cabeça. Daí em diante, o que se viu foi um

IVAN STORTI

2

2

SANTOS

CORITIBA

Aranha Galhardo Pedro Castro 31’/2º T Edu Dracena Durval Léo Alan Santos Cícero Leandrinho Cicinho 30’/2º T Montillo Neilton Jogador Giva 17’/2º T T: C. Oliveira

6,0 7,5 5,5 5,5 5,5 6,5 5,0 6,5 7,0 6,0 7,5 7,0 5,0 6,0 6,5

Vanderlei 6,0 Victor Ferraz 6,0 Leandro Almeida6,0 n Chico 5,0 Raul Iberbia 5,5 Diogo 6,0 26’/2º T Júnior Urso 5,5 Botinelli 6,0 Keirrison 5,5 33’/2º T Alex 8,0 Robinho 7,0 Geraldo 4,5 Everton Costa 5,5 14’/2º T Deivid 5,5 T: M. Santos 6,5

JUIZ: Leandro Pedro Vuaden (RS) 6,0. Poderia ter advertido mais jogadores com amarelo, mas foi bem. GOLS: 19’ 1ºT Neilton (1-0) ; 40’ 1ºT Alex (1-1) ; 18’ 2ºT Cícero (2-1) e 42’ 2ºT Alex (2-2) RENDA/PÚBLICO: R$ 273,395,00/ 9.577 pagantes LOCAL: Vila Belmiro, em Santos (SP) GRAMADO: Bom

festival de gols perdidos pelo Santos. O Coritiba se abriu e poderia ter levado uma goleada, tantos foram os lances claros de gol desperdiçados pelo Peixe. Imaturos e ansiosos, os jovens alvinegros cansaram de perder oportunidades cara a cara com o goleiro Vanderlei. Qualquer um que já tivesse visto uma partida de futebol sabia que os erros seriam punidos. O Santos perde a chance de colar no G4, mas mantém a invencibilidade de cinco jogos. Vice-líder, o Coxa ainda não perdeu no Brasileiro.

F

Pontaria Neilton é travado por Bruno Ferraz: faltou acertar

OUTROS LANCES FLUMINENSE 1 X 3 VASCO

Fred é expulso e Juninho brilha ser considerada não apenas a volta dos clubes ao Maracanã após três anos, mas sim a reestreia de Juninho Pernambucano com a camisa cruzmaltina. O jogador de 38 anos foi com sobras o melhor em campo na vitória do Gigante da Colina por 3 a 1, neste domingo, em jogo válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, o time de São Januário saiu da zona de rebaixamento e pulou para 11ª colocação, enquanto o Tricolor caiu para o 14º lugar. Aos 25 minutos, Fred, que já vinha se estranhando com o zagueiro Jomar, deu uma cotovelada no defensor e foi expulso diretamente.

INTERNACIONAL

VÔLEI

3 Em Caxias do Sul, o Internacional conseguiu passar pelo Flamengo com um gol nos acréscimos do zagueiro Juan. Por ter sido revelado no clube rubro-negro, o defensor não comemorou. Com o resultado, o Colorado entrou no G4, com 14 pontos, enquanto o Flamengo ficcou na 15 a-posição, com nove pontos. Na Fonte Nova, o clássico Ba-Vi terminou empatado. O Bahia ocupa a 6 a- colocação, com 13 pontos e o Vitória está em 5 o- com 14. Já no Serra Dourada, Renan Oliveira fez o gol que garantiu a vitória do Goiás (em 9 o-, com 12 pontos) sobre a Lusa (penúltima com 7) por 2 a 1.

3 Em torneio preparatório para a temporada 2013/14, o Bayern de Munique não tomou conhecimento do Borussia Monchengladbach (que havia derrotado e eliminado o Dortmund) e aplicou impediosos 5 a 1 na final da Telekom Cup, em Hamburgo. O curioso é que, pela regra do torneio, cada tempo do jogo teve apenas 30 minutos. Ou seja, o massacre poderia ter sido maior. O brasileiro Thaigo Âlcantara, recém-chegado ao clube, fez um golaço, o terceiro da goleada. Os outros foram marcados pelos craques Ribèry, Miller, Robben, e para completar, o ala Lahm.

3 Para a infelicidade dos brasilei-

Inter bate Fla e Ba-Vi fica igual

BRUNO DE LIMA

3 Um retorno triunfal. Assim pode

OUTROS RESULTADOS

Juninho marcou na volta ao Maraca

Bayern ganha primeira taça

TIME 1 o2 o3 o-

Botafogo Coritiba

PG 16 16

J 8 8

V 5 4

E 1 4

D 2 0

GP 12 11

GC 7 7

SG 5 4

V 4 4

E

0 0

D 0 0

V 1 0

FORA E 1 4

D

AP

2 66.6% 0 66.6%

1 o- Palmeiras

8 a- RODADA

2 o-

São Paulo 0x3 Cruzeiro Criciúma 2x1 Grêmio Botafogo 2x0 Náutico

PM

106 21/7 - ONTEM 106

Atlético-PR 1x1 Corinthians Santos 2x2 Coritiba Internacional 1x0 Flamengo Vitória 0x0 Bahia Goiás 2x1 Portuguesa Fluminense 1x3 Vasco

Cruzeiro

15

8

4

3

1

18

7

11

3

1

0

1

2

1 62.5%

105

4 o- Internacional

15

8

4

3

1

17

12

5

3

0

1

1

3

0 62.5%

105

5 o- Vitória

14

8

4

2

2

13

8

5

3

2

0

1

0

2 58.3%

104

6 o- Bahia

13

9

3

4

2

8

9

-1

1

1

1

2

3

1

48.1%

100

7 o- Santos

12

8

3

3

2

12

9

3

2

3

0

1

0

2 50.0%

102

8 o- Grêmio

12

8

3

3

2

9

8

1

3

1

0

0

2

2 50.0%

102

9 o- Goiás

12

8

3

3

2

7

10

-3

2

2

0

1

1

2 50.0%

102 18h30

10 o- Atlético-MG

10

7

3

1

3

7

7

0

2

1

0

1

0

3

47.6%

103

11 o- Vasco

10

8

3

1

4

11

15

-4

2

1

1

1

0

3

41.6%

100 28/7 - DOMINGO

12 o- Criciúma

10

8

3

1

4

10

14

-4

3

1

1

0

0

3

41.6%

100

13 o- Corinthians

10

8

2

4

2

6

5

1

1

2

1

1

2

1

41.6%

100

14 o-

9

8

3

0

5

12

13

-1

3

0

2

0

0

3

37.5%

99

15 o- Flamengo

Fluminense

9

8

2

3

3

8

8

0

0

1

2

2

2

1

37.5%

99

16 o-

95

São Paulo

A DEFINIR **

Atlético-MG x Ponte Preta

27/7 - SÁBADO

Vasco x Criciúma 18h30 Portuguesa x Atlético-PR 21h Ponte Preta x Santos 16h Náutico x Internacional 16h Corinthians x São Paulo 16h Cruzeiro x Atlético-MG 16h Grêmio x Fluminense 18h30 Coritiba x Vitória 18h30 Bahia x Goiás 18h30 Flamengo x Botafogo

8

9

2

2

5

11

13

-2

1

0

4

1

2

1 29.6%

7

7

2

1

4

8

10

-2

0

1

3

2

0

1 33.3%

18 o- Atlético-PR

7

8

1

4

3

13

15

-2

0

4

0

1

0

3

29.1%

19 o- Portuguesa

7

8

1

4

3

8

12

-4

1

2

0

0

2

3

29.1%

97 19h30 Fluminense x Cruzeiro 97 21h Portuguesa x Criciúma

20 o- Náutico

4

8

1

1

6

4

16

-12

0

1

2

1

0

4

16.6%

94

REGULAMENTO: A Série A será disputada no sistema de pontos corridos em dois turnos. Critérios de desempate: 1) vitórias;2) saldo de gols; 3) gols pró; 4) confronto direto (apenas entre dois times, somados os dois jogos); 5) menos cartões vermelhos e amarelos e 6) sorteio. Os quatro últimos serão rebaixados. Os três primeiros (além do campeão da Copa do Brasil) disputarão a Libertadores 2014. Caso o campeão da Libertadores-2013 seja brasileiro, o terceiro se classifica, mas jogará o mata-mata da primeira fase. Para a SulAmericana (caso a CBF confirme que usará o regulamento de 2013) classificam-se os oito mais bem colocados excluindo os que estiverem disputando a quarta fase da Copa do Brasil-2014. CRITÉRIOS DE DESEMPATE: 1) vitórias; 2) saldo de gols; 3) gols pró; 4) confronto direto (apenas entre dois times, somados os dois jogos); 5) menos cartões vermelhos; 6) menos cartões amarelos; 7) sorteio. Os quatro últimos serão rebaixados.

19h30 Atlético-MG x Atlético-PR 21h Coritiba 21h50 Bahia 21h50 Corinthians 22h Náutico 22h Internacional

x x x x x

1/8 - QUINTA-FEIRA 19h30 21h

Ponte Preta Flamengo Grêmio São Paulo Santos

Botafogo x Vitória Goiás x Vasco

TIME

PG

21

9

J

V

Chapecoense

20

8

18

9

3 o- Sport 4 o-

E

D GP GC SG

2 19

6 13

6

2

0 20

7 13

6

0

3 18 12

6

7

0

Joinville

17

9

5

2

2 18

9

9

5 o- Figueirense

16

9

5

1

3 19 15

4

9

4

3

2 12

7

5

D. Britto V. Belmiro Centenário Fonte Nova S. Dourada Maracanã

6 o-

Paraná

15

7 o-

Bragantino

14

9

4

2

3 10

8

2

14

8

4

2

2 15 14

1

13

9

4

1

4

Independência

10 o-Oeste

12

9

3

3

3 11 14 -3

11 o- Boa

12

9

3

3

3

12 o- Guaratinguetá

10

9

3

1

5 13 17 -4

13 o- Icasa

10

9

3

1

5 12 17 -5

14 o- São Caetano

10

9

2

4

3

7

2

15 o- Ceará

10

9

2

4

3 10 10

0

16 o- Paysandu

9

9

2

3

4 12 13

-1

17 o- Avaí

9

9

2

3

4 11 15 -4

18 o-ASA

7

9

2

1

6

19 o- América-RN

6

9

1

3

5 10 20 -10

20 o-ABC

3

9

0

3

6

São Januário Canindé M. Lucarelli A. Pernambuco Pacaembu Mineirão A. do Grêmio Couto Pereira Fonte Nova Maracanã

10 a- RODADA

100 31/7 - QUARTA-FEIRA

LIBERTADORES SUL-AMERICANA REBAIXAMENTO

Morumbi H. Hülse São Januário

9 a- RODADA

17 o- Ponte Preta

PG: pontos ganhos, J: jogos, V: vitórias, E: empates, D: derrotas, GP: gols pró, GC: gols contra, SG: saldo de gols, AP: aproveitamento, PM: pontuação máxima.

ros, o time do momento no vôlei masculino é a Rússia. Depois de ser campeã olímpica em cima do Brasil nos Jogos de Londres, a equipe do técnico Voronkov repetiu a dose ontem na decisão da Liga Mundial em Mar del Plata, e faturou o terceiro título no torneio. Os europeus bateram a equipe de Bernardinho por 3 sets a 0, com parciais de 25-23, 25-19 e 25-19, e se consolidaram como a seleção a ser batida na modalidade. Já o Brasil, e perdeu terceira partida seguida para o rival. Equipe termina como vice pela quarta vez na história do torneio.

Rodada a rodada 20/7

CASA

Brasil perde na final da Liga

Independência A definir Canindé Couto Pereira Fonte Nova Pacaembu A. Pernambuco E. do Vale A definir Serra Dourada

** Jogo adiado por conta da participação do Atlético-MG na Libertadores

8 o- América-MG 9 o-

Atletico-GO

9 12 -3

7 11 -4

9

7 16 -9

4 16 -12

P: pontos, J: jogos, V: vitórias, E: empates, D: derrotas, GP: gols pró, GC: gols contra, SG: saldo de gols REGULAMENTO: A Série B será disputada no sistema de pontos corridos em dois turnos. Critérios de desempate: 1) vitórias; 2) saldo de gols; 3) gols pró; 4) confronto direto (apenas entre dois times, somados os dois jogos); 5) menos cartões vermelhos; 6) menos cartões amarelos e 7) sorteio. Se houver empate entre dois clubes na definção de título, acesso ou rebaixamento, não serão aplicados os critérios 5, 6 e 7, realizando-se um jogo extra em campo neutro (em caso de empate, pênaltis). O campeão será o time que conquistar o maior número de pontos. Os quatro últimos colocados serão rebaixados para a Série C do ano seguinte. Os quatro primeiros garantem vaga na Série A de 2014.


e CAIXA 1 conomia

O seu consultor financeiro

15

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

Caminho estreito para SAIR DAS DÍVIDAS REJANE TAMOTO

Fotos: Paulo Pampolin/Hype

A

ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) é clara: a taxa básica de juro (Selic) deverá continuar subindo nas próximas reuniões para atacar um inimigo persistente: a inflação. Para quem está endividado e planeja tomar crédito para pagar os débitos, isso significa uma elevação nas taxas de empréstimos e financiamentos dos bancos. Os juros estão subindo em algumas instituições financeiras desde maio, segundo levantamentos mensais da Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-SP). Especialistas dizem que o momento é propício para organizar todos os tipos de dívidas e fazer uma lista de prioridades. O ideal é fazer um plano para quitar tudo sem precisar de novos empréstimos, até mesmo para não correr o risco de tomar dinheiro a uma taxa de juro maior do que no início deste ano. "O melhor é liquidar logo, já que não existe aplicação que renda tanto quanto o que o consumidor paga em juros. Sugiro que o endividado tente buscar adiantamento de salário, férias e décimo-terceiro junto à empresa em que trabalha para acabar com as dívidas. Ou fazer trabalhos extras para aumentar a renda", afirma Keyler Carvalho Rocha, professor do Laboratório de Finanças da Fundação Instituto de Administração (LabFinFIA). Foi o que fez a bartender Caroline Castro, de 28 anos, que pediu para ser demitida para pagar dívidas com a rescisão. "Vou pagar um empréstimo de R$ 4,5 mil com uma financeira. Usei o dinheiro para fazer um curso em minha área de atuação. Mas achei que o juro está muito alto, de 2,4% ao mês", conta. Ela diz que vai antecipar o pagamento do débito dos 60 meses contratados para 18 meses. Agora, diz, vai procurar emprego e usar apenas parcelamentos sem juros, no boleto ou no cartão.

Troca de dívida fica mais cara

A outra opção, segundo o Rocha, do LabFin da FIA, é trocar uma dívida de alto custo por outra com uma taxa de juro menor. "As linhas com esse perfil são as de empréstimo pessoal e consignado. Mas ainda assim devem ser consideradas como última alternativa, já que será preciso obter crédito de baixo custo em uma instituição para quitar o débito em outra. É preciso negociar no banco onde já tem débitos para conseguir desconto", afirma. Quem optar por tomar recurso em um banco para

Vou usar a rescisão para pagar um empréstimo de R$ 4,5 mil com uma financeira. CAROLINE CASTRO, BARTENDER

quitar em outro deve comparar o Custo Efetivo Total (CET) de ambos, que inclui não só a taxa de juros, mas também tributos, como o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). A comparação é importante para o consumidor evitar pagar juro maior em uma nova dívida para quitar o débito atual, que pode ter sido obtido a uma taxa menor. Desde que a Selic começou a subir (em abril passou de 7% para 7,5% ao ano) alguns bancos elevaram suas taxas em financiamentos. Segundo a pesquisa que o Procon-SP realiza mensalmente em sete bancos, os acréscimos começaram em maio, quando o Bradesco subiu a taxa de empréstimo pessoal. Em junho, Bradesco e Santander aumentaram as taxas para o limite de cheque especial. Neste mês, o Banco do Brasil subiu a taxa para as linhas empréstimo pessoal e cheque especial – sendo esta também elevada no Bradesco. "Com o aumento do juro pelos bancos será preciso fazer uma pesquisa mais intensa para trocar a dívida de instituição financeira. O poder de negociação do consumidor diminui. Será preciso sair da

Aumento do juro básico é repassado para as taxas de financiamentos ao consumidor. Para quem está endividado, o momento é de elaborar estratégias rápidas de saída. mesmice da portabilidade e mudar de atitude", diz Reinaldo Domingos, consultor, educador e terapeuta financeiro do Instituto DSOP de Educação Financeira.

Faxina no orçamento Segundo Domingos, o juro alto é uma oportunidade para o endividado fazer um diagnóstico da situação financeira da família e estabelecer mudanças, como uma poupança para sonhos e aposentadoria. "De tudo o que se consome é possível cortar de 20% a 30%. É preciso um pouco de sacrifício. Olhar a receita, os gastos e repactuar o padrão de vida", afirma Domingos. Segundo o consultor, o endividado que já perdeu a capaci-

dade de honrar os débitos deve entrar em uma "operação de guerra" e dizer "não" a todas as despesas supérfluas. Foi a atitude da recepcionista Zenaide Ferraz, de 31 anos. "Por causa de uma cirurgia na coluna, fiquei sem renda por quatro meses e tive de entrar na Justiça para receber no INSS", conta. No período, Zenaide apertou o cinto e deixou de comprar roupas. Ela diz que teve a ajuda de parentes para pagar as despesas básicas. "Ganhei a ação judicial e quitei todas as dívidas. Mas agora sou uma consumidora mais controlada. Só tenho um cartão de crédito", diz. Na opinião de Domingos, quem está endividado precisa fazer uma faxina nas finanças pessoais e considerar vender um carro – se tiver dois – ou

mesmo mudar de casa se o aluguel tiver subido muito. E o mais importante: não comprar nada a prazo. Domingos explica que na hora de diagnosticar a situação das dívidas é preciso priorizar o pagamento dos débitos essenciais, como os com as contas de luz, água, telefone e gás. Em segundo lugar, ficam as dívidas de valor – que tenham como garantias carro ou imóvel. "Com isso, faça um orçamento para descobrir quanto sobra para o pagamento das demais dívidas. É importante priorizar as de maior custo (taxa de juro). Renegocie com credores e planeje os pagamentos", orienta. As dívidas de maior custo são as de cheque especial e rotativo do cartão de crédito. Domingos diz que outro perfil de endividado é aquele que está com as contas em dia, mas não tem liquidez. "É o que ganha R$ 1 mil e gasta R$ 1 mil e consegue pagar faturas, carnês e financiamentos. O problema é que paga mais por tudo porque só compra a prazo. Ele deve ficar atento ao juro das futuras parcelas que contratar para não perder o controle do orçamento", afirma.

Quitei as dívidas. Agora sou uma consumidora controlada e só tenho um cartão de crédito. ZENAIDE FERRAZ, RECEPCIONISTA

BANCOS MAIS RIGOROSOS COM O CRÉDITO O juro maior vai pressionar o custo de financiamentos para quem pegar crédito daqui para frente. E também a renda mensal das famílias com dívidas, segundo Wermeson França, economista da LCA Consultoria. "Nossa estimativa é que o comprometimento

da renda mensal das famílias com dívidas encerre o ano em 20% ou 21%, muito próximo dos atuais 22%", afirma. A média histórica (desde 2005) do comprometimento da renda mensal das famílias com dívidas é de 19,5%. O pequeno arrefecimento é esperado

porque os bancos estão mais rigorosos na concessão de crédito. "Além disso, até o momento, vimos a inflação comprometendo a renda, o que reduz a capacidade das famílias assumirem novos financiamentos. Ainda há muitas pessoas desembolsando

dívidas antigas", afirma. Para França, o crescimento do crédito total deverá ser menor neste ano, de 15,5%, ante 16,4% em 2012. "Os bancos privados devem diminuir a exposição em cartão de crédito e cheque especial, nos q u a i s o r i s co d e c a l o t e é

maior. O que deve puxar o crescimento serão as linhas de crédito consignado e imobiliário", diz. Para França, o aumento da inadimplência deve ser menor neste ano. A LCA estima que os atrasos de pagamentos acima de 90 dias da pes-

soa física cresçam 7,2% neste ano. Em maio, a elevação deste indicador era de 7,5%. A Boa Vista Serviços registrou uma queda da inadimplência de 2,4% no primeiro semestre deste ano ante o mesmo período de 2012 e estima queda para este ano. (RT)


16 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

17

e Ousadia que cruza as fronteiras Nossa intenção é abrir ainda mais mercados no exterior. Raquel Nunes, da Jorge Bischoff

conomia

Encarar o concorrido e exigente mercado externo mesmo diante dos grandes obstáculos brasileiros às exportações (sobretudo câmbio ainda valorizado e carga exagerada de impostos) requer coragem, persistência e planejamento. Felizmente existem muitas empresas nacionais com esses requisitos. Bons exemplos podem ser encontrados no setor calçadista, que recentemente recebeu compradores de 70 países na Feira Internacional da Moda em Calçados e Acessórios (Francal). Pequenos, médios ou grandes, grupos desse segmento continuam vendendo para clientes de centenas de países, adaptando as estratégias comerciais quando a situação exige e procurando novos mercados capazes de cobrir a eventual perda de outros. Assim, bebês moçambicanos e angolanos hoje dão seus primeiros passos com sapatinhos brasileiros, executivos europeus coordenam seus ternos bem cortados com calçados "made in Brazil" e mulheres de todos os continentes se encantam com as ousadas cores e aplicações das nossas sandálias. A seguir, as experiências de três marcas nacionais de calçados que insistem, com sucesso, nas exportações como parte importante de seus negócios. Rejane Aguiar

Democrata

Pimpolho

Fotos: Divulgação

Sapatos infantis para 44 países

Paludetto: mais valor na marca.

Indústria de Franca aposta em lojas exclusivas no exterior Marcas brasileiras de maior porte no setor de calçados combinam, em suas estratégias de negócios internacionais, exportações diretas com investimentos em pontos de venda exclusivos. Esse é o caso da Democrata, tradicional fabricante de calçados masculinos de Franca, interior de São Paulo. Além de exportar entre US$ 10 milhões e US$ 50 milhões por ano, segundo dado do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a Democrata tem três lojas exclusivas fora do Brasil: em Assunção, no Paraguai, em Quito, no Equador, e em Buenos Aires, na Argentina. A empresa busca também parceiros para operação no Chile, um dos mercados varejistas mais avançados da América Latina. "A presença no exterior é muito importante para a valorização e o reconhecimento de nossa marca", afirma o gestor comercial da Democrata, Marcelo Paludetto. Atualmente, cerca de 20% da produção anual da Democrata vão para o exterior. Com 30 anos de mercado, a empresa tem três fábricas – uma em Franca e duas no Ceará. Com isso, gera cerca de 2 mil empregos diretos. Os mercados para os quais a Democrata exporta são bem diversos, com destaque para Oriente Médio, Holanda, Estados Unidos e Colômbia. Os colombianos, por sinal, são grandes compradores de calçados brasileiros. A Espanha era um grande cliente, mas as vendas esfriaram com a crise no país nos últimos anos.

Jorge Bischoff

Estratégia para reforçar as marcas As marcas brasileiras de calçados – em especial as femininas – contam com a forte imagem descontraída e jovial do Brasil no exterior para alavancar os negócios. As estrangeiras estão sempre interessadas nas ousadas combinações de cores, estampas, aplicações e texturas das sandálias, sapatilhas, peep toes e sapatos fabricados no Brasil. E as empresas entregam o que elas querem. Exportadora há cerca de cinco anos, a marca gaúcha Jorge Bischoff já tem seus produtos à venda em cerca de 40 países, de características tão diversas quanto Colômbia, França e Turquia. "Nossa intenção é abrir ainda mais mercados e, para isso, trabalhamos com representantes internacionais capazes de trabalhar a identidade das marcas", afirma Raquel Nunes, do departamento de exportação da Jorge Bischoff. A empresa também aposta em ponto de venda exclusivo, com a inauguração de uma loja em Montevidéu, no Uruguai. Além da marca que leva o nome do estilista, de perfil um pouco mais clássico, o grupo tem uma segunda marca, a Loucos & Santos, mais ousada nas combinações. Leia mais sobre comércio exterior na página 19

Brito: tradiç

ão no exteri

or.

Mães e mulheres grávidas, pais atenciosos e avós corujas não resistem a tanta fofura. E o mesmo se pode dizer de quem cuida dos pequenos de até três anos nos 44 países para os quais a fabricante capixaba de calçados infantis Pimpolho exporta. "Vendemos para todos os países da América do Sul, exceto Venezuela e Argentina, mercados um pouco mais complicados, e temos boa presença na África, em países como Angola e Moçambique. A exportação já é uma tradição de muito tempo para a marca – vendemos para outros mercados desde 1995", afirma o diretor comercial da empresa, Ricardo Tavares de Brito. Da única fábrica da Pimpolho, instalada em Vila Velha desde 1962, saem sapatinhos para bebês e crianças bem pequenas, acessórios (chapéus, meias e bolsas para apetrechos infantis) e brinquedos. De acordo com dados do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), a Pimpolho está na categoria de empresas que exportam até US$ 1 milhão por ano – é, portanto, um bom exemplo de empresa de menor porte que consegue parte de sua receita fora do Brasil. O ambiente pouco favorável para as vendas de empresas brasileiras no mercado externo nos últimos anos – principalmente por causa do dólar baixo, que reduz a receita em reais da venda – também atingiu a Pimpolho. Segundo Brito, as exportações já representaram 12% do faturamento da Pimpolho, percentual que hoje está em 5%. "Mas essa redução também pode ser atribuída ao crescimento que a empresa teve no mercado interno", destaca o diretor, informando que a indústria fornece para grandes varejistas como Alô Bebê, C&A, Riachuelo e a virtual Dafiti.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

e

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

As taxas de crescimento econômico dos dois países vão convergir no futuro não tão distante, enquanto a Índia colhe os benefícios de ter uma população mais jovem.

conomia

Dois gigantes, China e Índia, desaceleram o crescimento. As economias chinesa e indiana deixaram de avançar a todo vapor. Sem essa expansão, o Ocidente precisará se virar por conta própria para melhorar seus PIBs. Pranab Bardhan *

Stringer/Reuters

O

s dois países mais populosos do mundo estão reduzindo o ritmo. Sem dúvida, a produção da China deve crescer 7,8% neste ano e a da Índia, 5,6% – bem acima dos 2% do Japão, 1,7% dos Estados Unidos, 0,9% da Grã-Bretanha e de uma retração de 0,6% na problemática zona do euro, segundo projeções divulgadas na semana passada pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). Porém, não existe continuação à vista para o crescimento acima dos 10% que China e Índia tiveram em 2010. O Ocidente não pode mais contar com sua expansão continuada para levantar suas economias flácidas. Para 2,5 bilhões de pessoas, as consequências são mais desesperadoras. Na Índia, menos dinheiro para fortalecer a puída rede de segurança social e, na China, possível instabilidade política. Produção de roupas na província chinesa de Anhui: jovens terão menos tolerância à falta de empregos bons e casas baratas do que seus pais. O que a desaceleração significa para esses dois gigantes e qual deles sairá na liderança? dade operadas por burocratas bem-estar social exemplares de direito eficaz). promoção tem pouco a ver Vamos começar pela China, leais muito distantes de firmas no estado de Kerala na Índia, e Sem inovação, a China não com o desempenho, incentia maior das duas economias. particulares menores e dinâ- em Sri Lanka, não foram acom- tem como sustentar o cresci- va ainda mais a prevaricação Praticamente não se ouve micas. panhados por desempenho mento elevado, enquanto os do que na China. Entretanto, mais de um "consenso de PeA riqueza concentrada re- econômico espetacular. Este preços artificialmente baixos a Índia tem juízes indepenquim" global – capitalismo presenta problemas para os último também requer melho- da terra e do capital para em- dentes, auditores governacontrolado pelo Estado como dois países. O "Hurun Report", rias na infraestrutura, menos presas favorecidas politica- mentais e imprensa livre – alternativa ao "consenso de monitor da riqueza de Xangai, regras burocráticas e uma cul- mente se tornam difíceis de uma série de controles em reWashington" a respeito de co- estimou no ano passado que tura que estimule o investi- manter e o suprimento de mão lação à corrupção que inexismo os países pobres devem se os 83 delegados mais ricos do mento empreendedor. de obra barata vai minguan- te na China. desenvolver. Os novos líderes Congresso Nacional do Povo e De moc rac ia – Sen mencio- do. Ao contrário da Índia, uma Corrupção – Enquanto a desida China estão concentrados um grupo consultor, a Confe- na, mas não examina um que- retração importante poderia gualdade cresce em conjunto em problemas domésticos: rência Consultiva Política do bra-cabeça: por que os eleito- ameaçar o governo chinês – os com o ressentimento à corrupcombater a corrupção, con- Povo Chinês, tinham um valor res da maior democracia do jovens de hoje em dia, com ex- ção oficial, a oligarquia corpotrolar o mercado habitacional líquido superior a US$ 250 bi- mundo não conseguem fazer pectativas mais elevadas do rativa e as depredações econôsuperaquecido, reduzir o pa- lhões. Em comparação, os os políticos fornecerem servi- que os pais, terão menos tole- micas e ambientais esquenpel descomunal do governo na bens declarados de todos os ços sociais eficazes. A morta- rância à falta de empregos tam a Índia, a pressão por meeconomia e eliminar a especu- 545 membros da Casa do Po- lidade infantil e maternal e o bons e casas baratas. Os líde- didas populistas paliativas a lação financeira. vo, a câmara baixa do Parla- saneamento público ruim não res da China podem estar ca- curto prazo – subsídios, benesA China pode estar próxima mento indiano, somam bem são questões eleitorais im- valgando um tigre do qual se- ses, perdão a empréstimos de exaurir as menos: US$ 2 Balu/Reuters possibilidade s bilhões. de recuperar o Na Índia, o terreno perdiconluio entre do em termos bilionários e tecnológicos políticos, emcom o Ocidenb o r a d e s e npor cento é quanto t e , p r i n c i p a lfreado, é medeve aumentar o m e n t e n a i nnos direto e dústria. Para a Produto Interno Bruto mais sujeito ao China subir na escrutínio polí(PIB) da China neste cadeia de valotico e da mídia. res e se tornar Na China, o ano. O índice é uma potência conluio entre inferior aos mais manufatureira autoridades do de 10% de 2010. avançada feito Partido Comua Alemanha, nista e interesprecisa se s e s c o m e rafastar da tecnologia produzi- ciais, principalmente regionalda em série e parar de copiar o mente, causou uma raiva poFábrica de computadores da Dell ao sul do estado indiano de Tamil Nadu: serviços públicos ineficazes. design rival para recolher ga- pular disseminada contra a nhos de inovação genuína, aquisição arbitrária de terra e a que pode surgir de qualquer poluição tóxica. Amartya Sen, portantes. Isso porque, em rá difícil apear. preços inferiores para energia departamento de pesquisa e economista e filósofo, defen- parte, a sociedade ingoverPor outro lado, a experiên- e água – também crescerá, à desenvolvimento. deu há pouco tempo que a Ín- nável da Índia (mais hetero- cia indiana, a exemplo da nor- custa de investimentos a longo Consumo – A China acumu- dia ficou para trás da China por- gênea do que a da China) mui- te-americana, demonstra co- prazo na infraestrutura, edulou reservas gigantescas no que não havia investido o sufi- tas vezes enfatizou a melho- mo a fragmentação sectária cação e saúde pública. A China câmbio internacional, em par- ciente em educação e saúde, ria da dignidade de grupos so- em uma democracia exube- desviou algumas dessas fruste ao manter baixo o valor de que elevam o padrão de vida e c i a i s a n t e s o p r i m i d o s e m rante pode solapar a gover- trações por meio de projetos de sua moeda. Agora, o país pre- a produtividade do trabalha- relação à boa governança. nança eficaz. Nos últimos construção famosos, espetácisa reequilibrar a economia dor. Corretamente, ele enfatiE quanto ao modelo chinês? anos, as manchetes econô- culos como os Jogos Olímpicos a f a s t a n d o - s e d o b o o m d a za que serviços sociais defi- A história dos países em de- micas na Índia falam sobre a de 2008 e a Exposição Mundial construção e da especulação cientes e a desigualdade resul- senvolvimento mostra que o corrupção generalizada: a de Xangai, em 2010, além de financeira, concentrando-se tantes não são apenas uma autoritarismo não é nem ne- alocação politizada de recur- orquestrar campanhas de ferno consumo privado e em me- questão de justiça social, mas cessário nem suficiente para sos públicos de alto valor (ter- vor nacionalista. lhorias nas aposentadorias, também de crescimento eco- que ele ocorra. O Partido Co- ras, direitos minerais, petróNos dois países existem fios sistema de saúde e outras for- nômico, como demonstra a munista encontrará cada vez l e o e g á s , t e l e c o m u n i c a- de esperança. A China está mas de proteção social. Per- história de boa parte do Extre- mais dificuldades para admi- ções), parcerias público-pri- p r o m o v e n d o p r o g r e s s o s mitiu-se o capitalismo cliente- mo Oriente. Contudo, não se nistrar uma economia (sem vadas duvidosas e o custo substanciais em tecnologia de lista para alocar capital indevi- deve ter a impressão de que o reguladores independentes) galopante das eleições finan- energia eficiente e na melhora damente para empresas esta- progresso nos serviços sociais e um sistema político compli- ciadas pelas receitas ilícitas da saúde pública e das apot a i s g r a n d e s d e m a i s p a r a seja em si suficiente para o cados (sem um judiciário in- dos políticos. O sistema admi- sentadorias. Na Índia, os eleiquebrar e de baixa produtivi- crescimento. Programas de dependente nem um Estado nistrativo da Índia, onde a tores estão começando a exi-

7,8

5,6 por cento é o avanço previsto para 2013 da economia da Índia. Embora baixo para esse país, índice está acima dos 2% do Japão.

gir uma boa governança, e movimentos sociais vigorosos contra a injustiça – opressão de casta, violência sexual e degradação do ambiente – estão tendo progresso. Porém, o sistema político rígido da China a torna extremamente dependente do consenso esclarecido entre os governantes não eleitos, enquanto a democracia pluralista e caindo aos pedaços da Índia tem sido surpreendentemente flexível, mesmo que os cidadãos ainda não tenham colhido os benefícios materiais. Eles compartilham de um problema fundamental – a falta de responsabilização – que, se não for resolvido, impossibilitará um crescimento econômico forte e o oferecimento de uma rede de segurança social. Na Índia, a democracia é mais fraca nas aldeias: a participação eleitoral é vigorosa, mas as elites locais costumam conquistar o governo local, deixando aos burocratas pouca autonomia (ou dinheiro) para executar melhorias de monta. Na China, o fracasso da responsabilização é nacional, além de inerente ao sistema autoritário. A curto prazo, espero que a China se saia melhor do que a Índia no aprimoramento da condição material de seu povo, principalmente porque a China tem mais dinheiro para gastar em projetos de redistribuição e porque sua infraestrutura e capacidade administrativa são um pouco melhor. A médio prazo, antecipo que as taxas de crescimento econômico dos dois países vão convergir no futuro não tão distante, enquanto a Índia colhe os benefícios de ter uma população mais jovem. A longo prazo, no entanto, a resposta sobre qual país se sairá melhor vai depender da reforma política ou da sua ausência.

* Pranab Bardhan é professor de pós-graduação do Departamento de Economia da Universidade da Califórnia. Artigo para o The New York Times.


sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

19

e MPEs devem ampliar comércio exterior Tudo tem que funcionar com dados simplificados, únicos e digitalizados, o importante é que todo mundo trabalhe com assinatura digital. Guilherme Afif Domingos, ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa

conomia

Ministro da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, afirma que programa Empresa Simples ajudará nas exportações e importações do segmento. Mário Tonocchi

O

ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, lançou a ideia na última sexta-feira de o País ampliar os negócios com importações e exportações entre micro e pequenas empresas de países de cultura e/ou língua comuns utilizando para isso o programa Empresa Simples. A ideia foi apresentado em palestra para empresários e membros da Câmara Portuguesa, em São Paulo – onde Afif Domingos falou sobre a "Globalização da Pequena Empresa". Para Afif, as micro e pequenas empresas da América Latina, Caribe, países africanos de língua portuguesa, além de Portugal e Espanha, poderiam ser integradas em um grande acordo feito país por país e não como grupo, estabelecendose regras de comercialização por porte de empresa. Hoje isso é feito por produtos. No Brasil ainda seria necessário viabilizar um sistema de exportação único para as micro e pequenas.

Burocracia – Depois da criação da Secretaria e da batalha anunciada contra a burocracia, a meta agora é levar adiante programas como o do sistema digital que vai agrupar e relacionar todas as micro e pequenas empresas brasileiras em uma única plataforma. Esse projeto é o Empresa Simples. O sistema vai reunir todos os sete milhões de CNPJs de micro e pequenas empresas do País, já inclusos os cerc a d e t r ê s m i l h õ e s d e M icroempreendedores Individuais. Será, segundo o ministro, um ambiente facilitador de negócios e de soluções para os pequenos e micros empreendedores. O desenvolvimento do portal foi assinado com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), na quinta-feira da semana passada. "Teremos aí seis meses de desenvolvimento e mais seis meses de implantação em todo o Brasil", disse. "Tudo tem que funcionar com dados simplificados, únicos e digitalizados, o importante é que todo mundo trabalhe com assinatura digital", disse o ministro. No encontro, Afif Domingos afirmou ainda que, depois de

designado pela presidente Dilma Rousseff para implantar a Secretaria, há dois meses, foi obrigado a reconhecer firma em cartório da própria assinatura ao solicitar um número de CNPJ para a nova pasta. "Como assumi o cargo em Brasília, tive que provar que não tenho imóveis lá. Para isso precisei tirar certidões negativas em todos os onze cartórios da cidade", revelou o ministrochefe que já foi deputado federal constituinte. Juntas – Mas a ação primordial da secretaria, hoje, é atacar a burocracia para a abertura e fechamento das empresas no Brasil. A tendência é que a abertura e fechamento das empresas em um sistema de "janela única" apenas nas juntas comerciais. "Hoje tem que ter CNPJ, licença ambiental, do Corpo de Bombeiros, da Vigilância Sanitária, alvará da prefeitura. Para se ter uma ideia, na cidade de São Paulo, 80% dos estabelecimentos não têm alvará. Como funciona? Alguém recebe alguma coisa", disse o ministro. "Para fechar a empresa você apresenta os documentos na junta; e a junta imediatamente dá baixa", afirmou.

Na França, briga pelo corte de subsídios do frango.

A

decisão da União Europeia de cortar os reembolsos nas vendas externas de frango, tomada na semana passada, gerou protestos na França, principal beneficiária do subsídio. As empresas locais estão alegando que a competição internacional se acirrou e tal decisão deve levar a perda de empregos. Um comitê de gerenciamento de mercado zerou o nível dos reembolsos destinados aos exportadores de frango congelado, depois de reduzir o apoio de 325 euros (US$ 430) por tonelada para 217 euros em outubro de 2012 e para 108,50 euros em janeiro deste ano. As indústrias de frango francesas, que têm contado com o reembolso para reforçar as vendas aos mercados do Oriente Médio, disseram que eles são indispensáveis em um período de altos custos com ração e diante da crescente competição com o Brasil. O governo francês disse que está considerando formas de responder à medida. "Nada justifica essa brutal decisão",

disse o Ministério da Agricultura e Alimentação. A direção da UE não concorda, argumentando que considera os reembolsos injustificáveis devido à melhora das condições de mercado. "(A) proposta para reduzir os reembolsos à exportação de frango foi baseada em uma situação de mercado e, em particular, nos altos preços observados no mercado interno, na esperada redução nos custos com ração – soja, milho e trigo – e na tendência positiva e sustentada nas exportações da UE a terceiros países", disse Roger Waite, porta-voz da UE para a comissão de agricultura da UE. A França recebeu cerca de 94% dos subsídios, que somaram 55 milhões de euros no total entre 2012 e 2013.O governo francês disse que o mercado de frango piorou desde o último corte nos reembolsos para exportação, devido principalmente à dura competição com o Brasil. E argumenta que 10 dos 28 Estados-membros concordaram com a França

Morre em São Paulo Michal Gartenkraut

em painel da UE. As indústrias francesas alertaram que a decisão poderá levar a severas perdas de empregos."Se o corte nos subsídios à exportação era parcialmente justificado seis meses atrás, não faz sentido hoje em um mercado que tem se deteriorado fortemente e com os brasileiros fazendo pesado dumping", disse Christian Marinov, diretor da associação francesa de carne de frango. (Reuters)

Odebrecht TransPort S.A. NIRE 35.300.381.548 CNPJ 12.251.483/0001-86

Ata de Assembleia Geral Extraordinária Dia, hora e local: Em 29 de abril de 2013, às 8:00 horas, na sede da Companhia, localizada na Avenida das Nações Unidas, nº 4.777, 5º andar Sala 08, Alto de Pinheiros, São Paulo/SP, CEP 05477-000. Presenças: Acionistas representando a totalidade do capital social, conforme assinaturas lançadas no Livro de Presença de Acionistas. Convocação: Dispensada a publicação de Edital de Convocação, conforme disposto no Artigo 124, § 4º, da Lei nº 6.404/76, conforme alterada (“Lei das S.A.s”). Mesa: Paulo Henyan Yue Cesena, Presidente; Adriano Sá de Seixas Maia, Secretário. Antes de iniciarem-se os trabalhos do dia, as acionistas tomaram conhecimento, nesta data, através de carta dirigida à Companhia, da renúncia dos Srs.: (i) André Amaro da Silveira, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob o nº 520.609.346-72, portador da cédula de identidade RG nº 1238071 SSP/MG, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo - SP, ao cargo de membro titular do Conselho de Administração da Companhia; (ii) Felipe Montoro Jens, brasileiro, casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/MF sob o nº 166.417.478-83, portador da cédula de identidade RG nº 17.032.674 SSP/SP, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo - SP, ao cargo de membro titular do Conselho de Administração da Companhia; (iii) Geraldo Villin Prado, brasileiro, casado, engenheiro, inscrito no CPF/MF sob o nº 031.429.758-88, portador da cédula de identidade RG nº 6.945.371 SSP/SP, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 31º andar, Pinheiros, São Paulo, SP, ao cargo de membro titular do Conselho de Administração da Companhia; (iv) Carla Gouveia Barreto, brasileira, casada, administradora de empresas, inscrita no CPF/MF sob o nº 617.162.195-15, portadora da cédula de identidade RG nº 03.191.314-83 SSP/BA, residente e domiciliada na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. das Nações Unidas, nº 8.501, 28º andar, Pinheiros, São Paulo-SP, ao cargo de membro suplentes do Sr. André Amaro da Silveira; (v) Luiz Antonio Mameri, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob o nº 603.563.597-00, portador da cédula de identidade RG nº 03.382.231-3, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo-SP, ao cargo de membro suplente do Sr. Geraldo Villin Prado; e (vi) Mônica Bahia Odebrecht, brasileira, advogada, divorciada, inscrita no CPF/MF sob o nº 541.080.715-49, portadora da cédula de identidade RG nº 2598721.64 SSP/BA, residente. e domiciliada na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com escritório na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo, SP, ao cargo de membro suplente do Sr. Adriano Chaves Jucá Rolim, e, nesta oportunidade, agradeceram a atuação eficaz e competente dos mesmos no exercício de seus cargos. Deliberações: 1) Autorizada a lavratura da presente ata na forma de sumário dos fatos ocorridos, conforme faculta o Artigo 130, §1º da Lei das S.A.s; 2) Aprovada a criação do cargo de Vice-Presidente do Conselho de Administração da Companhia, modificando-se, por consequência, os Artigos 12 e 13 do Estatuto Social da Companhia, que passarão a ter as seguintes novas redações: “Artigo 12 – O Conselho de Administração da Companhia é composto de, no mínimo, 07 (sete) e, no máximo, 09 (nove) membros, e respectivos suplentes, sendo 01 (um) Presidente e 01 (um) Vice-Presidente, todos eleitos pela Assembleia Geral da Companhia, com mandato unificado de 02 (dois) anos, sendo permitida a reeleição”, e “Artigo 13 – O Conselho de Administração elegerá, entre seus membros, o seu Presidente e Vice-Presidente.”; 3) Aprovar a eleição dos Srs.: (i) Felipe Montoro Jens, brasileiro, casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/MF sob o nº 166.417.478-83, portador da cédula de identidade RG nº 17.032.674 SSP/SP, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo, SP, para o cargo de Vice-Presidente do Conselho de Administração da Companhia; (ii) Luiz Antonio Mamieri, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob o nº 603.563.597-00, portador da cédula de identidade RG nº 03.382.231-3 IFP/RJ, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo-SP, para o cargo de membro titular do Conselho de Administração da Companhia; (iii) Newton Sergio de Souza, brasileiro, casado, advogado, inscrito no CPF/MF sob o nº 261.214.417-04, portador da cédula de identidade RG nº 03.604.882-5 IFP/RJ, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo - SP, para o cargo de membro titular do Conselho de Administração da Companhia; (iv) Jairo Elias Flor, brasileiro, casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/MF sob nº 407.391.209-72, portador da cédula de identidade RG nº 1.924.225-0 SSP/PR, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo - SP, para o cargo de membro suplente do Sr. Adriano Chaves Jucá Rolim; (v) Jorge Henrique Simões Barata, brasileiro, casado, engenheiro, inscrito no CPF/MF sob o nº 328.045.555-34, portador da cédula de identidade RG nº 15.446.492-9 SSP/BA, residente e domiciliado no Peru, com escritório na Av. Victor Andrés Belaúnde 280 – Of. 502, San Isidro Lima - Peru, para o cargo de membro suplente do Sr. Luiz Antonio Mameri; e (vi) Mônica Bahia Odebrecht, brasileira, advogada, divorciada, inscrita no GPF/MF sobo nº 541.080.715-49, portadora da cédula de identidade RG nº 2598721-64 SSP/BA, residente e domiciliada na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com escritório na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo, SP, para o cargo de membro suplente do Sr. Newton Sergio de Souza, todos com mandato até a Assembleia Geral Ordinária de 2014, sendo permitida a reeleição, conforme preceitua o Artigo 12 do Estatuto Social da Companhia. Os conselheiros e suplentes ora eleitos serão investidos em seus cargos mediante a lavratura e assinatura de termo de posse no Livro de Atas de Reunião do Conselho de Administração da Companhia. Atendendo ao disposto no Art. 147 da Lei das S.A.s, os conselheiros e suplentes ora eleitos declaram, sob as penas da lei, não estarem impedidos de exercer a administração da Companhia, por lei especial, ou em virtude de condenação criminal, ou por se encontrarem sob os efeitos dela, a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos, ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra normas de defesa de concorrência, contra as relações de consumo, fé pública, ou a propriedade. Diante do exposto, a composição do Conselho de Administração da Companhia com mandato unificado até a Assembleia Geral Ordinária de 2014, passa a ser a seguinte: Membros titulares: (i) Benedicto Barbosa da Silva Júnior, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob o nº 015.225.538-94, portador da cédula de identidade RG nº 7.730.356 SSP/SP, residente e domiciliado na cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Praia de Botafogo, nº 300, 8º andar, Botafogo, Rio de Janeiro - RJ, ao cargo de Presidente do Conselho de Administração da Companhia; (ii) Felipe Montoro Jens, brasileiro, casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/MF sob o nº 166.417.478-83, portador da cédula de identidade RG nº 17.032.674 SSP/SP, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo, SP, ao cargo de Vice-Presidente do Conselho de Administração da Companhia; (iii) Adriano Chaves Jucá Rolim, brasileiro, casado, advogado, inscrito no CPF/MF sob o nº 508.511.015-34, portador da cédula de identidade nº 280.660 OAB/SP, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Praia de Botafogo, nº 300, 8º andar, Botafogo, Rio de Janeiro - RJ; (iv) Luiz Antonio Mameri, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob o nº 603.563.597-00, portador da cédula de identidade RG nº 03.382.231-3, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo-SP; (v) Newton Sergio de Souza, brasileiro, casado, advogado, inscrito no CPF/MF sob o nº 261.214.417-04, portador da cédula de identidade RG nº 03.604.882-5 IFP/RJ, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo, SP; (vi) Édilo Ricardo Valadares, brasileiro, divorciado, economiário, inscrito no CPF/MF sob o nº 494.191.106-72, portador da cédula de identidade RG nº MG 2.976.493 SSP/MG, residente e domiciliado na SBS, Quadra 4, Lote 3/4, Asa Sul, CEP 70092-900, Brasília, Distrito Federal; e (vii) Flávio Eduardo Arakaki, brasileiro, solteiro, economiário, inscrito no CPF/MF sob o nº 283.844.958-31, portador da cédula de identidade RG nº 25.769.192-3 SSP/SP, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Paulista, nº 2.300, 11º andar, São Paulo, SP; e Membros suplentes: (viii) João Borba Filho, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/ MF sob nº 095.292.097-20, portador da cédula de identidade RG nº 1820.211 SSP/IFP, residente e domiciliado na cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Praia de Botafogo, 300, 8º andar, Botafogo, Rio de Janeiro, RJ, ao cargo de suplente do Sr. Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Presidente do Conselho de Administração da Companhia; (ix) Mauro Motta Figueira, brasileiro, casado, engenheiro de produção, inscrito no CPF/MF sob o nº 115.134.858-90, portador da cédula de identidade RG nº 11.335.092-2, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 28º andar, Pinheiros, São Paulo - SP, ao cargo de suplente do Sr. Felipe Montoro Jens, Vice-Presidente do Conselho de Administração da Companhia; (x) Jairo Elias Flor, brasileiro, casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/MF sob nº 407.391.209-72, portador da cédula de identidade RG nº 1.924.225-0 SSP/PR, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo - SP, ao cargo de suplente do Sr. Adriano Chaves Jucá Rolim; (xi) Jorge Henrique Simões Barata, brasileiro, casado, engenheiro, inscrito no CPF/MF sob o nº 328.045.555-34, portador da cédula de identidade RG nº 15.446.492-9 SSP/BA, residente e domiciliado no Peru, com escritório na Av. Victor Andrés Belaúnde 280 - Of. 502, San Isidro Lima - Peru, ao cargo de suplente do Sr. Luiz Antonio Mameri; (xii) Mônica Bahia Odebrecht, brasileira, advogada, divorciada, inscrita no CPF/MF sob o nº 541.080.715-49, portadora da cédula de identidade RG nº 2598721-64 SSP/BA, residente e domiciliada na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com escritório na Av. Rebouças, nº 3.970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo - SP, ao cargo de suplente do Sr. Newton Sergio de Souza; (xiii) Cássio Viana de Jesus, brasileiro, solteiro, economiário, inscrito no CPF/MF sob o nº 321.010.338-01, portador da cédula de identidade RG nº 22.797.727-0 SSP/SP, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Paulista, nº 2.300, 11º andar, São Paulo, SP, ao cargo de suplente do Sr. Édilo Ricardo Valadares; e (xiv) Yoshio Marcos Hashimoto, brasileiro, casado, economiário, inscrito no CPF/MF sob nº 719.229.209-59, portador da cédula de identidade RG nº 43.565.834 SSP/PR, residente e domiciliado na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Paulista, nº 2.300, 11º andar, Cerqueira César, São Paulo, SP, ao cargo de membro suplente do Sr. Flávio Eduardo Arakaki; Quorum das deliberações: Todas as deliberações foram aprovadas por unanimidade, sem reservas ou restrições. Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a Assembleia, lavrando-se a presente Ata que, após lida e aprovada, foi assinada por todos os presentes. São Paulo/SP, 29 de abril de 2013. Mesa: Paulo Henyan Yue Cesena - Presidente; Adriano Sá de Seixas Maia, Secretário. Acionistas: Odebrecht S.A. e Fundo de Investimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço - FI-FGTS. Certifico e dou fé que essa ata é cópia fiel da ata lavrada no livro próprio. São Paulo/SP, 29 de abril de 2013. Adriano Sá de Seixas Maia, Secretário. JUCESP – Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o número 237.775/13-0, em 25.06.2013. Gisela Simiema Ceschin, Secretária-Geral.

CARYOPOCEAE SP PARTICIPAÇÕES S.A.

CNPJ/MF Nº 09.719.920/0001-39 - NIRE 35.300.355.831 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 21 DE MARÇO DE 2013. 1. Local, Hora e Data: Realizada no dia 21 de março de 2013, às 18hs, na sede social da Caryopoceae SP Participações S.A. (“Companhia”), na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Paulista 2073 – sala 1221 (parte), Jardim Paulista, CEP 01311-300. 2. Convocação: Dispensada, nos termos do §4º do artigo 124 da Lei nº 6.404/76 (“Lei das S.A.”), em face à presença da Telemar Norte Leste S.A., na qualidade de acionista detentora das ações representativas da totalidade do capital social da Companhia (“Acionista”). 3. Presenças: Presente a Acionista, detentora das ações representando 100% do capital social da Companhia, conforme registro e assinatura constantes do Livro de Presença de Acionistas. 4. Mesa: Verificado o quórum legal, e em conformidade com as disposições do artigo 11, §2º, do Estatuto Social da Companhia, foi instalada a Assembleia, tendo assumido a presidência o Sr. Bayard de Paoli Gontijo e a secretaria dos trabalhos a Sra. Sofia Lemos Antunes Maciel. 5. Ordem do Dia: Em Assembleia Geral Ordinária: (i) Tomar as contas dos Administradores e deliberar sobre o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras, relativos ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012; (ii) Examinar, discutir e votar a Proposta da Administração para a destinação do resultado do exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012; e (iii) Fixar o valor global anual da remuneração dos Administradores da Companhia no exercício de 2013. Em Assembleia Geral Extraordinária: (i) Ratificar o orçamento de 2012; e (ii) Aprovar o orçamento de 2013. 6. Deliberações: Pela Acionista, representando a totalidade do capital social da Companhia, foi autorizada a lavratura da ata na forma de sumário, conforme o disposto no Art. 130, §1º, da Lei das S.A. e foram tomadas as seguintes deliberações: Em Assembleia Geral Ordinária: 6.1. Quanto ao item (i) da Ordem do Dia, foi dispensada, incialmente, a leitura do Relatório da Administração e as demais Demonstrações Financeiras referentes ao exercício encerrado em 31 de dezembro de 2012, por já serem do conhecimento da Acionista. A esse respeito, ficou decidido consignar em ata que a publicação dos referidos documentos foi dispensada em função do disposto no artigo 294, §1º, da Lei das S.A. Em seguida, foram aprovados o Relatório da Administração e as Demonstrações Financeiras, relativos ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012. 6.2. Na sequência, quanto ao item (ii) da Ordem do Dia, ficou demonstrado que a Companhia, desde sua constituição até a data de fechamento do exercício de 2012, não registrou atividades operacionais, não tendo, portanto, gerado resultados passíveis de destinação. 6.3. Por fim, passando ao item (iii) da Ordem do Dia, foi aprovada a proposta de fixação de verba global anual para a Administração da Companhia no exercício de 2013 em até R$ 112.720,00 (cento e doze mil, setecentos e vinte reais). Em Assembleia Geral Extraordinária: 6.1. Quanto ao item (i) da Ordem do Dia, foi ratificada a proposta de orçamento elaborada pela Diretoria, referente ao ano de 2012, que foi adotada ao longo do referido exercício. 6.2. Com relação ao item (ii) da Ordem do Dia, após apresentação e discussão do cenário estratégico em que a Companhia está inserida, incluindo aspectos mercadológicos, dentre outros, a proposta de orçamento para o ano em curso foi aprovada. 7. Encerramento: E, nada mais havendo a tratar, suspenderam-se os trabalhos pelo tempo necessário à lavratura desta Ata. Reaberta a sessão, foi esta lida, achada conforme e assinada pela Secretária, pelo Presidente da Mesa e pela Acionista. ASSINATURAS: Bayard de Paoli Gontijo (Presidente da Mesa); Sofia Lemos Antunes Maciel (Secretária); Acionista: Telemar Norte Leste S.A., neste ato representada por Bayard de Paoli Gontijo e Pedro Santos Ripper. A presente ata é cópia fiel do original lavrado em livro próprio. São Paulo, 21 de março de 2013. Sofia Lemos Antunes Maciel - Secretária. JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO - JUCESP. Certifico o registro sob o nº 159.663/13-1 e data de 24/04/2013. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

Cel-Lep Ensino de Idiomas S.A.

F

aleceu em São Paulo, na madrugada da última sexta-feira, 19, Michal Gartenkraut, membro da Comissão de Avaliação da Conjuntura e consultor do Instituto Gastão Vidigal (IEGV), da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Engenheiro, PhD em sistemas de engenharia e economia pela Universidade de Stanford, teve passagem profícua na área de Educação, como reitor do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), de 2001 a 2005. Atuou também no serviço público em vários cargos: presidente do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea); secretário-geral do Planejamento da Presidência da República no governo Sarney;

secretário de Assuntos Econômicos do Ministério da Fazenda; gerente-geral do Estudo dos Eixos Nacionais de Integração e Desenvolvimento. Na iniciativa privada, foi um dos fundadores da consultoria Rosenberg & Associados, da qual ainda era sócio. Como consultor, atendeu o Banco Mundial e o governo do Estado de Minas Gerais, entre outros. Foi ainda presidenteexecutivo da Fundação Nacional da Qualidade (FNQ). Gartenkraut, de 66 anos, estava se recuperando de cirurgia, em casa. Na noite de quinta-feira sentiu-se mal e faleceu na madrugada de sexta. Seu corpo foi velado e enterrado, no Cemitério Israelita do Butantã na tarde de sexta-feira.

CNPJ/MF nº 10.772.420/0001-40 - NIRE 35-3.0036757.0 Edital de Convocação - Assembleia Geral Ordinária Convocamos os srs. acionistas, a se reunirem em AGO, que se realizará no dia 31/7/13, 10hs, Av. Paulista, 2006, 1º, SP, para deliberarem a seguinte ordem do dia: (i) examinar, discutir e aprovar o Relatório da Administração, as contas da Diretoria, o Relatório da BDO RCS Auditores Independentes - SS, referentes às demonstrações financeiras do exercício social findo em 31/12/12; e (ii) examinar, discutir e votar a destinação do resultado do exercício retro mencionado e ratificar os pagamentos dos dividendos antecipados. Informações Gerais: Encontram-se à disposição dos acionistas, na sede da Cia., os documentos a que se refere o Art. 133 da Lei nº 6.404/76 e suas alterações. Os acionistas deverão comparecer à Assembleia munidos da seguinte documentação: (a) documentos hábeis de sua identidade; e (b) se for o caso, instrumento de mandato, na hipótese de representação do acionista por procurador, outorgado nos termos do Art. 126, §1º, da Lei das S/As. O representante legal deverá comparecer à Assembleia Geral munido dos documentos hábeis de sua identidade. SP, 19/7/13. Fernando Marques de Oliveira-Presidente do Conselho de Administração. (20, 23 e 24/7/2013)

CORPO DE BOMBEIROS

EDITAL DE LICITAÇÃO - Encontra-se aberta na UGE 180199 - Administração do Corpo de Bombeiros a seguinte licitação: PREGÃO ELETRÔNICO Nº. CCB - 026/421/13 - PROCESSO Nº. CCB - 052/421/13 - OFERTA DE COMPRA Nº. 180199000012013OC00152. LOCAL DO PROCESSO PARA VISTAS AOS AUTOS: UGE 180199 Administração do Corpo de Bombeiros sito à Praça Clóvis Bevilácqua, 421 - 3º andar - Centro – São Paulo – SP – Seção de Licitações. OBJETO: compra de 30 (trinta) Motos Aquáticas destinadas ao Corpo de Bombeiros. ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: às 09:30 horas do dia 19/08/13, sendo realizada por meio eletrônico através do site www.bec.sp.gov.br. EDITAL: As empresas interessadas em participar do certame poderão retirar o edital pelo site www.bec.sp.gov.br, www.e-negociospublicos.com.br e www.corpodebombeiros. sp.gov.br. Demais esclarecimentos no endereço acima, de segunda à sexta-feira, das 09:00 às 12:00 e das 14:00 às 18:00 horas, pelos tels: (11) 3396-2213, 3396- 2013 e 3396- 2207. Autoridade Subscritora do Edital : Maj PM Luiz Claudio de Freitas. Pregoeiro: Cap PM Cynthia Montanheiro de Godoy Cicerelli.

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÕES Encontram-se abertos no Gabinete, os seguintes pregões: PREGÃO ELETRÔNICO 172/2013-SMS.G, processo 2012-0.312.404-6, destinado ao registro de preços para o fornecimento de BROCAS DIAMANTADAS DIVERSAS, BROCAS DIAMANTADAS PARA ACABAMENTO DE RESINAS, BROCAS DIAMANTADAS PARA ACABAMENTO FINO DE RESINAS E BROCAS PONTA SHOFU EM FORMA DE VELA (BRANCA), para a Divisão Técnica de Suprimentos, SMS-3/Grupo Técnico de Compras, GTC/Área Técnica de Odontologia do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá através do sítio www.comprasnet.gov.br, a partir das 9 horas do dia 31 de julho de 2013, a cargo da 4ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 166/2013-SMS.G, processo 2013-0.073.072-9, destinado ao registro de preços para o fornecimento de MEDICAMENTOS EXTRA REMUME I, para a Divisão Técnica de Suprimentos, SMS-3/Grupo Técnico de Compras, GTC/Área Técnica de Medicamentos do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá através do sítio www.comprasnet.gov.br, a partir das 9 horas do dia 2 de agosto de 2013, a cargo da 5ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 225/2013-SMS.G, processo 2013-0.111.336-7, destinado ao registro de preços para o fornecimento de ANTI-INFECCIOSOS II, para a Divisão Técnica de Suprimentos, SMS-3/Grupo Técnico de Compras, GTC/Área Técnica de Medicamentos do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá através do sítio www.comprasnet.gov.br, a partir das 10 horas do dia 2 de agosto de 2013, a cargo da 1ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 247/2013-SMS.G, processo 2013-0.170.203-6, destinado ao registro de preço para o fornecimento de AGULHA, HIPODÉRMICA, DESCARTÁVEL, ESTÉRIL 20X5,5MM, para a Divisão Técnica de Suprimentos, SMS-3/Grupo Técnico de Compras, GTC/Área Técnica de Material Médico Hospitalar do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá através do sítio www.comprasnet.gov.br, a partir das 9 horas do dia 5 de agosto de 2013, a cargo da 3ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 256/2013-SMS.G, processo 2013-0.178.683-3, destinado ao registro de preço para o fornecimento de CARTÃO EM PVC - CARTÃO SUS, para a Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá através do sítio www.comprasnet.gov.br, a partir das 9 horas do dia 6 de agosto de 2013, a cargo da 3ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 259/2013-SMS.G, processo 2013-0.127.423-9, destinado ao registro de preços para o fornecimento de TESTES DE VELOCIDADE DE HEMOSSEDIMENTAÇÃO (VHS) POR SISTEMA AUTOMATIZADO EM COMODATO, para a Divisão Técnica de Suprimentos, SMS-3/Grupo Técnico de Compras, GTC/Área Técnica de Laboratório do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá através do sítio www.comprasnet.gov.br, a partir das 9 horas do dia 7 de agosto de 2013, a cargo da 3ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAIS Os editais dos pregões acima poderão ser consultados e/ou obtidos nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br, www.comprasnet.gov.br, ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas interessadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20 -.ECONOMIA/LEGAIS

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

e Mantega mantém otimismo moderado Teremos competitividade maior para exportar Guido Mantega, ministro da Fazenda.

conomia

O ministro reavalia o crescimento do PIB, critica o Federal Reserve por criar "estresse financeiro" e acredita que os investidores voltarão, com a turbulência superada.

A

economia brasileira pode crescer entre 2,5% e 3% em 2013, reavalia o ministro da Fazenda, Guido Mantega, que até agora fixava a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em redondos 3%. Motivam a diminuição no otimismo a instabilidade que abateu os mercados recentemente e as manifestações populares que eclodiram pelo País. Na opinião do ministro, o que mais afetou a atividade doméstica no segundo trimestre foi a volatilidade mundial no câmbio originada pela comunicação "não organizada" do Federal Reserve – Fed, o banco central norte-americano – de que diminuiria sua injeção de dólares no mercado. A medida, em si, é positiva, acentua Mantega; o problema ocorreu na forma de explicar como será aplicada. "No início, o Fed foi pouco claro na trajetória, muitos diretores falaram ao mesmo tempo, às vezes em direções confusas e contraditórias. Mesmo a ata do Fed não era clara, dava margem a várias interpretações", diz o ministro. "Na quarta-feira (dia 17), Ben Bernanke (chairman do Fed) foi mais claro, dizendo que não iria necessariamente diminuir estímulos no curto prazo... Com isso os mercados se acalmaram." O fim da volatilidade, para Mantega, é coisa de "algumas semanas". "Quando acalmar, teremos a volta de aplicações financeiras em renda fixa e bolsa, pois quando o dólar se valoriza, a aplicação externa pode perder recursos no Brasil", diz . "Podemos estar no início da superação da turbulência. Não tenho certeza, mas os

Ueslei Marcelino/Reuters

sinais são positivos. Nas economias emergentes, avalia, o câmbio não voltará aos patamares anteriores à turbulência: as moedas locais ficarão um pouco mais desvalorizadas. "Mas teremos competitividade maior para exportar (pois) as exportações ficarão mais baratas." Por trazer incertezas num cenário em que a economia mundial não está bem, a pane de comunicação causada pelo Fed paralisou os negócios financeiros no Brasil. Por exemplo, causou o adiamento de IPOs (ofertas iniciais de ações), prossegue o ministro. "Vamos colocar as coisas em seus devidos termos. O que abalou a confiança dos mercados ultimamente foi a ação do Federal Reserve, que criou um estresse financeiro na economia mundial quando começou, de forma não muito organizada, a anunciar que iria desativar os estímulos monetários. Aqui (no Brasil) não faltava confiança", resume. Contudo, Mantega admite que a inflação – "o maior problema que enfrentamos no primeiro semestre" – estava minando a confiança, porque "causa temor, dificulta planejamento das empresas, perturba a economia". Mas agora ele está confiante. "Felizmente isso está sendo superado. É preciso combater a inflação mesmo a custa de sacrifícios e juros altos. Isso foi feito. A inflação está e sempre esteve sob controle, teve um surto e as pessoas só acreditam depois que cai mesmo". Investimentos – Devido ao que chama estresse financeiro, o crescimento do PIB no segundo trimestre "tende a ficar próximo ou pouco acima da al-

"É preciso combater a inflação mesmo a custa de sacrifícios. Isso foi feito. A inflação está e sempre esteve sob controle" GUIDO MANTEGA

ta de 0,6 % do primeiro trimestre", prevê Mantega. Mantendo o bom humor e à vontade na véspera de definir novos cortes de gasto público, o ministro diz que o objetivo dessa medida é formar um colchão de reserva para cobrir eventual descumprimento por estados e municípios da meta de superávit primário – a economia feita pelo governo para pagamento dos juros da dívida pública. Mantega deixa aberta a possibilidade de recompor alguns tributos, sem especificar quais – "porque essas questões mexem com o mercado" – e ampliar a atual previsão de R$ 45 bilhões em abatimento da me-

ta em 2013, por investimentos e desonerações. (A pergunta sobre se essas últimas continuarão recebe resposta telegráfica: "Não tenho margem para cortar impostos".) Quanto ao tamanho do novo corte – que ficaria próximo de R$ 10 bilhões, nos comentários do mercado – Mantega é taxativo: "Não vou falar o dado, mesmo porque não temos o número final". É firme também ao negar que os cortes possam prejudicar o crescimento do País. "Não acredito, porque não vamos cortar investimento, vamos cortar gastos de custeio menos essenciais, que são funciona-

mento das máquinas", rebate. "Em compensação, acreditamos que com essa conduta haverá confiança maior do mercado para investir". Mentor financeiro do programa de concessões de infraestrutura, tido pelo governo como essencial para a recuperação econômica, Mantega defende as taxas de retorno fixadas para os principais empreendimentos. Tais taxas, afirma, representam atraentes oportunidade de negócio, sinalizando que os percentuais não serão alterados. "Para rodovias, há uma belíssima taxa e negociei isso. Para o primeiro lote de ferro-

vias, cuja licitação sairá mais rápido, fixamos em 8,5% a taxa de retorno do projeto; a do investidor, em torno de 15%. É excelente. E oferecemos condições de financiamento muito favoráveis", detalha. Ele reconhece que a situação internacional pode afetar "um pouco" o financiamento desses projetos. "Não conseguiremos fazer tudo só com capital nacional, precisaremos de capital externo... e neste momento o mercado internacional está um pouco estressado. Mas a tendência é que se normalize e tenhamos investidores. Porque o negócio é bom e rentável", finaliza.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

Odebrecht TransPort Participações S.A. CNPJ/MF Nº 10.143.462/0001-11 – NIRE 35.300.358.091

Ata de Assembleia Geral de Debenturistas Ata de Assembleia Geral de Debenturistas da 1ª Emissão de Debêntures Simples, não Conversíveis em Ações, da Espécie com garantia flutuante, em Série Única, para Distribuição Pública com esforços restritos de distribuição, da Odebrecht TransPort Participações S.A. realizada em 26 de junho de 2013. 1. Data, hora e local: aos 26 dias do mês de junho do ano de 2013, às 10:00 horas, na sede social da Odebrecht TransPort Participações S.A. (“Companhia”, “OTPP” ou “Emissora”), na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida das Nações Unidas, nº 4.777, 5º andar, Ala A, inscrita no CNPJ/MF sob n.º 10.143.462/0001-11. 2. Presença: Banco Bradesco S.A., debenturista representando a totalidade das debêntures em circulação emitidas pela Emissora (“Banco Bradesco”) nos termos do Instrumento Particular de Escritura da 1ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, da espécie com garantia flutuante, em série única, para distribuição pública com esforços restritos de distribuição, da Emissora (“Escritura” e “Emissão”), representado pela Sra. Rosa Maria Fernandez Rego e Sr. Edson Roberto Bueno; Odebrecht Transport S.A., na qualidade de garantidora da Emissão (“Garantidora”), representada pela Sra. Joyce Jane Saika e Sra. Iana Mayuri Shimizu da Silva; e Planner Trustee DTVM Ltda., na qualidade de agente fiduciário da Emissão (“Agente Fiduciário”), representado na forma de seu Contrato Social; e os representantes da Companhia, a Sra. Joyce Jane Saika e Sra. Iana Mayuri Shimizu da Silva. 3. Convocação: dispensada a convocação por edital em razão da presença do debenturista representando a totalidade das debêntures emitidas nos termos da Escritura, conforme faculta a Lei 6.404/76 em seus artigos 71, § 2º e 124, § 4º. 4. Mesa: Presidente: Edson Roberto Bueno, nos termos do item 9.3.1 da Escritura; Secretário(a) Ana Eugênia de Jesus Souza Queiroga. (i) 5. Ordem do dia: deliberar sobre a (a) Autorização pelo Debenturista, por esta única e exclusiva oportunidade, da realização pela Emissora de Amortização Extraordinária do Valor Nominal das Debêntures no valor de 17.000.000,00 (dezessete milhões de reais) em 27 de junho de 2013; (b) incorporação da parcela de juros devida em 27 de junho de 2013 ao Valor Nominal Unitário das Debêntures nesta data; (c) alteração da Cláusula 4.12 da Escritura de Emissão, referente as datas de pagamento de Amortização de Principal; (d) inclusão de novos Covenants financeiros à Cláusula 6.1 da Escritura de Emissão; (e) alteração da Cláusula 5.1.3 da Escritura de Emissão com a alteração dos prazos e valores de pagamentos de prêmio na hipótese de resgate Antecipado; (f) alteração do inciso (a), alínea (i), da Cláusula 7.1 da Escritura de Emissão; (g) inclusão da alínea (n) na Cláusula 7.1 da Escritura de Emissão; e (h) autorização para o Agente Fiduciário celebrar o Terceiro aditamento à Escritura. 6. Deliberações: Banco Bradesco S.A, o único debenturista, titular de 100% das Debêntures da Companhia em circulação: (a) Autorizou expressamente, com relação a esta única e exclusiva oportunidade, a realização por parte da Emissora de Amortização Extraordinária do Valor Nominal Unitário das Debêntures no valor de 17.000.000,00 (dezessete milhões de reais) em 27 de junho de 2013; (b) Aprovou, sem restrições, a incorporação da parcela de Juros, devida em 27 de junho de 2013 ao Valor Nominal Unitário nesta data das Debêntures; (c) Em virtude da deliberação acima, o debenturista aprova a alteração da Cláusula 4.12, da Escritura de Emissão, que passa a viger da seguinte forma: “4.12.1 O Valor Nominal das Debêntures será amortizado em 03 (três) parcelas anuais e sucessivas, calculadas sobre o Valor Nominal Unitário, de acordo com o fluxo abaixo, devidas no dia 27 de dezembro de cada ano, sendo o pagamento da primeira parcela devido em 27 de dezembro de 2018 e o último em 27 de dezembro de 2020. Nº da Parcela 1 2 3

Data de Amortização 27 de dezembro2018 27 de dezembro 2019 27 de dezembro 2020

% de Amortização sobre o Valor Nominal Unitário 33,33% 33,33% 33,33%

(d) aprovou, sem restrições, a inclusão de novos incisos à Cláusula 6.1 da Escritura de Emissão. Em virtude da deliberação acima a Cláusula 6.1 passa a viger com a inclusão dos seguintes incisos: “6.1 O Agente Fiduciário poderá declarar antecipadamente vencidas todas as obrigações da Emissora relativas às Debêntures e exigir imediato pagamento pela Emissora, do saldo devedor do Valor Nominal Unitário das Debêntures, acrescido da Remuneração devida desde a Data da Emissão, ou da data do último pagamento da Remuneração, conforme o caso, até a data do efetivo pagamento, calculada pro rata temporis, e demais encargos devidos pela Emissora nos termos desta Escritura (os “Eventos de Inadimplemento”): (...) (xvii) não observância, pela Garantidora, enquanto houver Debêntures em circulação, de qualquer dos seguintes índices e limites financeiros a serem calculados anualmente, nos termos do inciso (a), alínea (i), da Cláusula 7.1, com base nas demonstrações financeiras consolidadas do Grupo Econômico (“Índices e Limites Financeiros”): a) Endividamento Financeiro Líquido/Patrimônio Líquido limitado a 0,5x na holding controladora; b) Endividamento Financeiro Líquido/Dividendos, limitado a 4,5x (Quatro inteiros e cinco décimos) no ano de 2017; 4,0x (Quatro inteiros) no ano de 2018 e 4,0x (Quatro inteiros) no ano de 2019. Caso seja verificado que os índices acima mencionados não estejam cumpridos, a Garantidora deverá depositar os valores devidos a título de Principal e Remuneração do ano seguinte em uma conta vinculada, a ser informado pelo Agente Fiduciário, conforme orientação do debenturista, para os exercícios de 2018, 2019 e 2020. Tal valor será advindo do Caixa Mínimo (conforme abaixo definido) de R$ 200 milhões. O não atendimento da obrigação no prazo de 45 dias contados da data de notificação pelo Agente Fiduciário nesse sentido, poderá ensejar o vencimento antecipado de todas as Obrigações assumidas no âmbito da Escritura de Emissão. Para os fins do disposto no inciso acima: “Endividamento Financeiro Líquido”: é o endividamento financeiro deduzido do saldo de caixa e das aplicações financeiras da Garantidora (incluindo valores empenhados), relativo aos 12 (doze) meses anteriores ao cálculo; Dividendos: são os valores recebidos pela Garantidora a título de dividendos das empresas nas quais possua participação. (xviii) No período de vigência da Emissão, a Garantidora deverá manter caixa mínimo anual de R$ 200 milhões (Duzentos milhões de reais) (não vinculado), com base nas demonstrações financeiras anuais, data base 31 de dezembro (“Caixa Mínimo”); (e) aprovou, sem restrições, a alteração da Cláusula 5.1.3, que passa a viger da seguinte forma: “5.1.3 O prêmio de Resgate Antecipado incidirá sobre o Valor Nominal Unitário das Debêntures que estão sendo resgatadas ou do saldo devedor à época, acrescido da Remuneração (nos termos do item 5.1.2 acima), conforme abaixo (“Prêmio de Resgate Antecipado”): Ano do Resgate 2013 2014 2015 2016 2017 2018 2019 2020

Prêmio 0,70% 0,65% 0,60% 0,55% 0,50% 0,45% 0,35% 0,25%

(f) aprovou, sem restrições, a alteração do inciso (a), alínea (i), da Cláusula 7.1 da Escritura de Emissão que passa a viger da seguinte forma: “(i) no prazo máximo de 10 (dez) dias corridos contados da emissão do respectivo parecer dos auditores independentes ou da data da sua divulgação, cópia de suas demonstrações financeiras relativas ao exercício social então encerrado, devidamente auditadas por empresa de auditoria independente cadastrada na CVM, acompanhadas de parecer dos auditores independentes e ainda de relatório demonstrando a apuração dos Índices e Limites Financeiros, explicitando as rubricas necessárias à sua apuração; e declaração de Diretor da [Emissora e] Garantidora atestando o cumprimento das disposições desta Escritura de Emissão;” (g) aprovou sem restrições a inclusão da alínea (n) na Cláusula 7.1 da Escritura de Emissão: que passa a viger da seguinte forma: “(n) Encaminhar para o Agente Fiduciário, Cálculo do Caixa Mínimo da Garantidora devidamente assinado pelo Diretor Financeiro da Emissora, com base nas demonstrações financeiras anuais.” (h) autorizou, sem restrições, o Agente Fiduciário a praticar todas as providências necessárias para o cumprimento integral e implementação das deliberações aprovadas acima, incluindo a celebração do terceiro aditamento à Escritura, na forma do modelo do Anexo I, de forma a refletir as decisões listadas acima, em até 2 (dois) dias contados desta data. 7. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foram encerrados os trabalhos e lavrada a ata, a qual, lida e achada conforme, foi aprovada e assinada por todos. São Paulo, 26 de junho de 2013. Mesa: Edson Roberto Bueno - Presidente; Ana Eugênia de Jesus Souza Queiroga - Secretário(a); Odebrecht TransPort Participações S.A. - Emissora; Odebrecht TransPort S.A. - Garantidora; Banco Bradesco S.A. - Debenturista; Planner Trustee DTVM Ltda. Agente Fiduciário. Viviane Rodrigues - Diretora; Flávio D. Aguetoni - Procurador. JUCESP – Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o Registro em 10/07/2013, sob o nº 257.441/13-0. Gisela Simiema Ceschin – Secretária-Geral.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPÃO BONITO-SP ABERTURA DE LICITAÇÃO TOMADA DE PREÇOS Nº 26/2013 – Contratação de empresa para execução de obras de pavimentação e confecção de guias e sarjetas em trechos das ruas 02, 03, 07 e 08 no Jardim Boa Esperança, para a Secretaria Municipal de Planejamento, deste Município, conforme especificações constantes dos Anexos pertencentes ao presente instrumento convocatório. O encerramento (protocolização dos envelopes nº 01 e 02) dar-se-á na data de 14 de agosto de 2013, até às 09:00 horas. Edital e melhores informações mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) através de guia de arrecadação, no Setor de Licitações, sita o Paço Municipal localizado à Rua Nove de Julho, nº690, Centro, ou pelo Tel: (15) 3543-9900 – ramal 9936 ,de segunda a sexta-feira, das 09:00 às 11:00hs e das 13:00 às 16:00hs,ou através do e-mail: editalcapaobonito@gmail.com . Capão Bonito-SP, 18 de julho de 2013. TOMADA DE PREÇOS Nº 27/2013 – Contratação de empresa para construção de 01 (uma) Unidade Básica de Saúde no Bairro Nova Capão Bonito, para a Secretaria Municipal de Planejamento, deste Município, conforme especificações constantes dos Anexos pertencentes ao presente instrumento convocatório. O encerramento (protocolização dos envelopes nº 01 e 02) dar-se-á na data de 14 de agosto de 2013, até às 14:00 horas. Edital e melhores informações mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) através de guia de arrecadação, no Setor de Licitações, sita o Paço Municipal localizado à Rua Nove de Julho, nº690, Centro, ou pelo Tel: (15) 3543-9900 – ramal 9936 ,de segunda a sexta-feira, das 09:00 às 11:00hs e das 13:00 às 16:00hs,ou através do e-mail: editalcapaobonito@gmail.com . Capão Bonito-SP, 18 de julho de 2013. PREGÃO PRESENCIAL – REGISTRO DE PREÇO Nº 85/2013 – Aquisição de gás, para a Secretaria Municipal de Educação, deste Município, conforme especificação constante do anexo I – Termo de Referência, do presente instrumento convocatório. O encerramento (credenciamento e entrega dos envelopes) dar-se-á na data de 07 de agosto de 2013, às 14:00 horas. Edital e melhores informações mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) através de guia de arrecadação, no Setor de Licitações, sita o Paço Municipal localizado à Rua Nove de Julho, nº690, Centro, ou pelo Tel: (15) 3543-9900 – ramal 9936 ,de segunda a sexta-feira, das 09:00 às 11:00hs e das 13:00 às 16:00hs,ou através do e-mail: editalcapaobonito@gmail.com. Capão Bonito-SP, 18 de julho de 2013. PREGÃO PRESENCIAL – REGISTRO DE PREÇO Nº 86/2013 – Aquisição de pó de café, açúcar, copos descartáveis e guardanapos de papel, para a Secretaria Municipal de Educação, deste Município, conforme especificação constante do anexo I – Termo de Referência, do presente instrumento convocatório. O encerramento (credenciamento e entrega dos envelopes) dar-se-á na data de 13 de agosto de 2013, às 09:00 horas. Editais e melhores informações mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) através de guia de arrecadação, no Setor de Licitações, sita o Paço Municipal localizado à Rua Nove de Julho, nº690, Centro, ou pelo Tel.: (15) 3543-9900 – ramal 9936, de segunda a sexta-feira, das 09h00min às 11h00min as e das 13h00min às 16h00min as, ou através do e-mail: editalcapaobonito@gmail.com. Capão Bonito-SP, 18 de julho de 2013. PREGÃO PRESENCIAL Nº 87/2013 –Aquisição de 2.000 m2 Geomembrana de PEAD 2mm e 4.000 m2 de Manta Geotextil OP 30 gramatura 200 com serviços de instalação, para a Secretaria Municipal de Obras, deste Município, conforme especificação constante do anexo I – Termo de Referência, do presente instrumento convocatório. O encerramento (credenciamento e entrega dos envelopes) darse-á na data de 13 de agosto de 2013, às 14:00 horas. Editais e melhores informações mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) através de guia de arrecadação, no Setor de Licitações, sita o Paço Municipal localizado à Rua Nove de Julho, nº690, Centro, ou pelo Tel.: (15) 3543-9900 – ramal 9936, de segunda a sexta-feira, das 09h00min às 11h00min as e das 13h00min às 16h00min as, ou através do e-mail: editalcapaobonito@gmail.com. Capão Bonito-SP, 18 de julho de 2013. PREGÃO PRESENCIAL Nº 88/2013 – Aquisição de filé de frango em iscas, filé de frango cortados em cubos e iogurte com polpa de frutas, para a Secretaria Municipal de Educação, deste Município, conforme especificação constante do anexo I – Termo de Referência, do presente instrumento convocatória. O encerramento (credenciamento e entrega dos envelopes) dar-se-á na data de 14 de agosto de 2013, às 14h00min horas. Edital e melhores informações mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) através de guia de arrecadação, no Setor de Licitações, sita o Paço Municipal localizado à Rua Nove de Julho, nº690, Centro, ou pelo Tel.: (15) 3543-9900 – ramal 9936 ,de segunda a sexta-feira, das 09:00 às 11:00 as e das 13:00 às 16:00 as, ou através do e-mail: editalcapaobonito@gmail.com. Capão Bonito-SP, 18 de julho de 2013. Dr. JULIO FERNANDO GALVÃO DIAS - Prefeito Municipal

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPEÚNA/SP

AVISO DE LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2013 Pregão Presencial Nº 006/2013 – Objeto: Registro de Preços para o fornecimento parcelado de carnes (bovina, suína, frango, almôndegas, linguiça e peixe), frios (mortadela, presunto, salsicha e queijo mussarela), iogurte, margarina e requeijão, destinados aos estabelecimentos de ensino, saúde e assistência social do Município de Ipeúna. Recebimento dos envelopes: até às 9h00 do dia 1º/8/13; Sessão de lances: às 9h30 do dia 1º/8/213. O edital e anexos encontram-se à disposição dos interessados no Setor de Licitações da Prefeitura, situado na Rua 01, 275 – Centro, Ipeúna/SP, no horário das 8h00 às 11h30 e das 13h00 às 17h30, em dias úteis. Informações pelo telefone (19) 3576-9007 ou licitacao@ipeuna.sp.gov.br. Ipeúna, 19/7/2013. Carla Stefania Abdala Pazetto – Pregoeira.

K2 COMÉRCIO DE CONFECÇÕES LTDA CNPJ/MF 02.220.900/0001-70 - NIRE 35214841536 CONVOCAÇÃO - REUNIÃO DE SÓCIOS VALÉRIA STEK HIAR, brasileira, casada, CPF/MF 141.861.498-015, sócia da sociedade empresária K2 COMÉRCIO DE CONFECÇÕES LTDA., CNPJ/MF 02.220.900/0001-70, convoca todos os seus sócios para participarem da Reunião de Sócios a ser realizada, em 1ª convocação: 30/07/2013 10:00hs, e, 2ª convocação: 05/08/2013 10:00hs, na sede na Rua Bom Pastor, nº 1305, Ipiranga, São Paulo-SP, CEP 04203-000, para deliberarem na ordem do dia: abertura de filiais em Recife/PE, São Luis/MA, Belo Horizonte/MG e Cianorte/PA. São Paulo, 19/07/2013.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL NOS TERMOS DO PROVIMENTO CSM CXC/84, INFORMAMOS QUE NO DIA 19 DE JULHO DE 2013 NÃO HOUVE PEDIDO DE FALÊNCIA NA COMARCA DA CAPITAL.

ECONOMIA/LEGAIS - 21

ECOPART INVESTIMENTOS S/A E CONTROLADA

CNPJ 05.881.213/0001-93 Demonstrações Financeiras Balanços Patrimoniais Levantados em 31 de Dezembro de 2012 e de 2011 (Valores expressos em milhares de reais - R$) Nota Controladora Consolidado PASSIVO E Nota Controladora Consolidado ATIVO explicativa 31.12.12 31.12.11 31.12.12 31.12.11 PATRIMÔNIO explicativa 31.12.12 31.12.11 31.12.12 31.12.11 Circulante LÍQUIDO Caixa e Circulante equivalentes de caixa 6e7 256 13.286 273 15.001 Fornecedores 48 136 48 1.074 Contas a receber 8 3.965 Empréstimos e financiamentos 15 10.839 80.666 Impostos a recuperar 9 236 161 236 1.683 Debêntures 16 6.113 73.114 6.113 73.114 Adiantamentos 10 320 Salários e encargos sociais 73 Despesas antecipadas 867 1.050 Impostos a recolher 163 96 164 423 Outros ativos 116 25 246 278 Partes relacionadas 14 21 21 Total do ativo circulante 608 14.349 755 22.297 Outras contas a pagar 3 3 3 3 Não Circulante Total do passivo circulante 6.327 84.209 6.328 155.374 Partes relacionadas 14 113 220 113 107 Não Circulante Aplicações Debêntures 16 18.340 18.340 financeiras vinculadas 10 3.490 Provisão para riscos tributáImpostos a recuperar 9 9.213 rios, cíveis e trabalhistas 18 1.106 1.275 1.106 1.275 Investimentos 11 90.536 132.724 90.427 23.186 Imposto de renda e Imobilizado 12 120 9 386 contribuição social diferidos 26 3.794 Intangível 13 176 - 164.454 Provisão para Total do ativo não circulante 90.649 133.240 90.549 200.836 compensação ambiental 19,1 160 Provisão para desmobilização de ativos 19,2 425 Adiantamentos para futuro aumento de capital 17 9.000 46 9.000 Total do passivo não circulante 19.446 10.275 19.492 14.654 Patrimônio Líquido Capital social 20 84.214 75.214 84.214 75.214 Reserva de capital 9.726 9.726 9.726 9.726 Prejuízos acumulados (28.456) (31.835) (28.456) (31.835) Total do patrimônio líquido 65.484 53.105 65.484 53.105 Total do Passivo e Total do Ativo 91.257 147.589 91.304 223.133 Patrimônio Líquido 91.257 147.589 91.304 223.133 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e de 2011 (Valores expressos em milhares de reais - R$) Capital social Reserva de capital Pagamento Ágio na Total do Capital Capital a baseado subscrição Prejuízos patrimônio subscrito integralizar Subtotal em ações de ações acumulados líquido Saldos em 31 de Dezembro de 2010 75.214 (3.178) 72.036 7.787 (10.370) 69.453 Aumento de capital em 4 de novembro de 2011 com AFACs 3.178 3.178 3.178 Pagamento baseado em ações 1.939 1.939 Prejuízo do exercício (21.465) (21.465) Saldos em 31 de Dezembro de 2011 75.214 75.214 1.939 7.787 (31.835) 53.105 Aumento de capital em 4 de novembro de 2012 com AFACs 9.000 9.000 9.000 Pagamento baseado em ações Lucro líquido do exercício 3.379 3.379 Saldos em 31 de Dezembro de 2012 84.214 84.214 1.939 7.787 (28.456) 65.484 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras para o Exercício Findo em 31 de Dezembro de 2012 (Em milhares de reais - R$, exceto quando de outra forma indicado) 1. Apresentação das Demonstrações Financeiras: a) As demonstrações unitário de R$1.000, totalizando R$39.000, com vencimentos entre 23 de financeiras consolidadas da Sociedade e de sua controlada, foram elabora- maio de 2011 e 23 de maio de 2020. Sobre o valor principal incide 100% da das de acordo com as Normas Internacionais de Relatório Financeiro (“In- taxa média diária de juros dos CDIs, acrescida de uma taxa de 5,5% ao ano ternational Financial Reporting Standards - IFRS”), emitidas pelo “Internatio- a título de remuneração. Em 3 de outubro de 2012, a Sociedade quitou o salnal Accounting Standards Board - IASB”, e as interpretações do Comitê de do de R$34.208, restando o saldo devedor de R$7.775. Quinta emissão Interpretações das Normas Internacionais de Contabilidade (“International Banco Indusval - R$15.000 (valor original): Em Assembleia Geral ExtraorFinancial Reporting Interpretations Committee - IFRIC”) e também de acor- dinária realizada em 19 de março de 2012, os acionistas aprovaram a emisdo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, identificadas como Conso- são adicional de 3 novas debêntures, não conversíveis em ações, com o validado. b) As demonstrações financeiras individuais da controladora prepara- lor nominal unitário de R$5.000, totalizando R$15.000, com prazo de vigêndas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, identificadas cia de 36 meses, vencendo em 27 de março de 2015 e amortizadas em 4 como Controladora. As práticas contábeis adotadas no Brasil compreendem parcelas semestrais, iniciando em 27 de setembro de 2013. Sobre o valor aquelas incluídas na legislação societária brasileira e os pronunciamentos principal incide 100% da taxa média diária de juros dos CDIs, acrescida de técnicos, as orientações e as interpretações técnicas emitidos pelo Comitê uma taxa de 5,5% ao ano a título de remuneração. Em 31 de dezembro de de Pronunciamentos Contábeis - CPC e aprovados pelo Conselho Federal 2012, o saldo devedor é de R$16.678. 3. Evento Subsequente: Em 28 de de Contabilidade - CFC. Conforme permitido pelo CPC e de acordo com a fevereiro de 2013, a controlada SeaWest do Brasil Projetos e Participações legislação societária brasileira vigente, a Sociedade optou pela manutenção, Ltda. foi incorporada pela Ecopart. 4. Investimentos: Em 3 de outubro de nas demonstrações financeiras individuais, da apresentação da avaliação 2012, a Sociedade, por meio de Contrato de Compra e Venda, alienou a todos investimentos em controladas e coligadas pelo método da equivalência talidade de sua participação societária detida na Gargaú Energética S.A. patrimonial. Dessa forma, essas demonstrações financeiras individuais não para a Ômega, pelo valor de R$123.139, sendo R$62.140 pagos em dinheisão consideradas como estando em conformidade com as IFRSs, que exi- ro e a parcela remanescente quitada mediante troca de ações pelo valor jusgem a avaliação desses investimentos nas demonstrações separadas da to de R$60.999, passando a Ecopart a deter nesta data 12,18% do capital controladora feita pelo seu valor justo ou pelo custo. social da Omega. Do total recebido em dinheiro, o montante de R$13.788 foi 2. Debêntures utilizado para a quitação da dívida com o fornecedor Vestas. O ganho total Adições Despesas Encargos PagaPaga- Saldo apurado na alienação de Gargaú foi de R$16.937. Os efeitos da venda desSaldo em (recursos de finan- mento mento em sa participação estão demonstrados a seguir: 31.12.10 liberados) captação ceiros de juros principal 31.12.11 Gargaú 76.436 311 (235) 12.158 (15.556) - 73.114 Ativo 3.10.12 Adições Despesas Encargos PagaPaga- Saldo Circulante Saldo em (recursos de finan- mento mento em Caixa e equivalentes de caixa 2.518 31.12.11 liberados) captação ceiros de juros principal 31.12.12 Contas a receber 2.997 73.114 15.000 (195) 9.307 (9.865) (62.908) 24.453 Tributos a recuperar 2.304 Primeira e segunda emissões - pessoas físicas - R$19.087 (valor origi- Despesas antecipadas 50 nal): Em Assembleias Gerais Extraordinárias realizadas em 25 de agosto e Outros ativos 451 27 de outubro de 2009, os acionistas aprovaram a emissão de 32 debêntuTotal do ativo circulante 8.320 res, sendo 16 não conversíveis em ações e 16 conversíveis em ações ordiNão Circulante nárias no vencimento. Os recursos oriundos dessas emissões foram destiAplicações financeiras vinculadas 5.816 nados à construção do Parque Eólico Gargaú, de sua controlada Gargaú Impostos a recuperar 8.169 Energética S.A. O valor nominal unitário, na data de cada emissão, é de Imobilizado 554 R$500, totalizando R$16.000, com vencimento em 25 de outubro de 2011 Intangível 157.711 para as debêntures não conversíveis e 30 de janeiro de 2013 para as debênTotal do ativo não circulante 172.250 tures conversíveis. Sobre o valor do principal incide remuneração de 16% ao Total do Ativo 180.570 ano, que será paga integralmente na data de vencimento das debêntures. Passivo e Patrimônio Líquido Os detentores das debêntures conversíveis possuíam a opção de conversão das debêntures em ações, que deveria ser realizada até o dia 15 de setem- Circulante 453 bro de 2010. Os debenturistas optaram por não converter as debêntures em Fornecedores 4.710 ações no vencimento. Em 3 de outubro de 2012, a Sociedade quitou o saldo Empréstimos e financiamentos Salários e encargos sociais 77 remanescente no montante de R$24.777. Terceira emissão - Vestas do 725 Brasil Energia Eólica S.A. - R$18.386 (valor original): Em Assembleia Contas a pagar Impostos a recolher 208 Geral Extraordinária realizada em 7 de abril de 2010, os acionistas aprova6.173 ram a emissão adicional de 36 novas debêntures, não conversíveis em Total do passivo circulante ações, com o valor nominal unitário de R$500, totalizando R$18.000, com Não Circulante Empréstimos e financiamentos 61.537 vencimentos entre 31 de outubro de 2010 e 31 de outubro de 2012. Sobre o 6.070 valor principal incidia o percentual de 12% ao ano a título de remuneração. Imposto de renda e contribuição social diferidos 163 Em 3 de outubro de 2012, a Sociedade quitou o saldo remanescente no Provisão para compensação ambiental 425 montante de R$13.788. Quarta emissão - Banco Votorantim S.A. - Provisão para desmobilização de ativos Total do passivo não circulante 68.195 R$38.963 (valor original): Em Assembleia Geral Extraordinária realizada 106.202 em 24 de dezembro de 2010, os acionistas aprovaram a emissão adicional Ativos Líquidos 16.937 de 39 novas debêntures, não conversíveis em ações, com o valor nominal Ganho na Venda do Investimento Quantidade de ações Participação no Prejuízo do total das empresas capital integralizado - % Patrimônio líquido exercício 31.12.12 31.12.11 31.12.12 31.12.11 31.12.12 31.12.11 31.12.12 31.12.11 Gargaú Energética S.A. - 123.000.000 99,99 - 109.424 (5.591) SeaWest do Brasil - Projetos e Participações Ltda. 499 499 99,99 99,99 152 111 (5) (17) Gamma Energia S.A. 3.452.901 7.827.996 30,00 30,00 2.819 7.506 (440) (893) Omega Energia Renovável S.A. 312.601.037 230.327.539 12,35 4,10 515.483 322.647 (10.603) (6.047) Movimentação dos investimentos: Controladora SeaWest do Omega Energia Gargaú Energética Brasil - Projetos e Zeta Energia Gamma Energia Renovável S.A. S.A. (a) Participações Ltda. S.A. (c) S.A. (b) (b) e (a) Equivalência Equivalência Equivalência Valor Valor Critério de avaliação patrimonial patrimonial patrimonial justo justo Total Saldos em 31 de dezembro de 2010 115.015 131 10.837 5.954 17.500 149.437 Equivalência patrimonial (5.591) (17) (1.009) (268) (6.885) Venda de participação de investimentos (9.828) (9.828) Saldos em 31 de dezembro de 2011 109.424 114 5.686 17.500 132.724 Equivalência patrimonial (3.222) (5) (3.227) Aquisição de investimento 60.999 60.999 Permuta de ações (4.242) 4.242 Mudanças no valor justo dos investimentos 240 6.002 6.242 Venda de participação de investimentos (106.202) - (106.202) Saldos em 31 de dezembro de 2012 109 1.684 88.743 90.536

Demonstrações do Resultado para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e de 2011 (Valores expressos em milhares de reais - R$) Nota Controladora Consolidado explicativa 2012 2011 2012 2011 Receita Operacional Líquida Venda de energia 22 - 12.987 18.173 Construção dos ativos da concessão 22 453 891 Total - 13.440 19.064 Custos de Construção e de Operação Custos de operação e manutenção 23 - (9.377) (14.826) Construção dos ativos da concessão 23 (453) (891) Total - (9.830) (15.717) Lucro Bruto - 3.610 3.347 (Despesas) Receitas Operacionais Despesas gerais e administrativas 23 (517) (650) (1.827) (866) Despesas com pessoal (99) (1.916) (447) (2.367) Serviços de terceiros (5.237) (1.809) (4.778) (2.116) Baixa de projetos não recuperáveis Reversão (provisão) para riscos tributários, cíveis e trabalhistas 169 (141) 169 (141) Equivalência patrimonial 11 (3.227) (6.885) - (1.277) Ganho na alienação de participação 11 16.937 2.726 16.937 2.726 Mudanças no valor justo sobre investimentos 11 6.242 - 6.242 Outras receitas (despesas), líquidas (215) 97 (200) 299 Total 14.053 (8.578) 16.096 (3.742) Lucro (Prejuízo) Operacional antes do Resultado Financeiro 14.053 (8.578) 19.706 (3.742) Resultado Financeiro Receitas financeiras 24 377 502 1.121 894 Despesas financeiras 24 (10.955) (14.555) (15.075) (20.095) Lucro (Prejuízo) antes do Imposto de Renda e da Contribuição Social 3.475 (22.631) 5.752 (19.596) Imposto de Renda e Contribuição Social Corrente 26 (96) (96) Diferidos 26 1.166 (2.277) (1.869) Lucro Líquido (Prejuízo) do Exercício 3.379 (21.465) 3.379 (21.465) Lucro (Prejuízo) por Ação 0,03 (0,23) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. Demonstrações do Resultado Abrangente para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e de 2011 (Valores expressos em milhares de reais - R$) Controladora Consolidado 2012 2011 2012 2011 Lucro Líquido (Prejuízo) do Exercício 3.379 (21.465) 3.379 (21.465) Resultado Abrangente Total do Exercício 3.379 (21.465) 3.379 (21.465) As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. Demonstração dos Fluxos de Caixa para os Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 (Valores expressos em milhares de reais - R$) Fluxo de Caixa das Controladora Consolidado Atividades Operacionais 2012 2011 2012 2011 Lucro líquido (prejuízo) do exercício 3.379 (21.465) 3.379 (21.465) Ajuste para reconciliar o lucro (prejuízo) do exercício com o caixa líquido aplicado nas atividades operacionais: Encargos financeiros sobre empréstimos e financiamentos 1.648 439 5.768 5.880 Encargos financeiros sobre debêntures 9.307 12.158 9.307 12.158 Imposto de renda e contrib. social diferidos - (1.166) 2.277 1.869 Equivalência patrimonial 3.227 6.885 1.277 Mudanças de valor justo dos invest. (6.242) - (6.242) Provisão para riscos tributários, cíveis, trabalhistas e ambiental (169) 141 (172) 141 Baixa de ativo intangível/imobilizado 159 841 8 Ganho na alienação de participação (16.937) (2.726)(16.937) (2.726) Plano de pagamento baseado em ações - 1.939 1.939 Receita não faturada - (1.440) Depreciações e amortizações 137 130 6.250 8.262 (Aumento) redução dos ativos operacionais: Contas a receber 968 (638) Impostos a recuperar (75) (114) 187 553 Despesas antecipadas 867 877 1.000 1.162 Depósitos vinculados 632 Adiantamentos 10 20 320 101 Outros ativos (91) (25) (112) (276) Aumento (redução) dos passivos operacionais: Fornecedores (88) (159) (152) (428) Impostos a recolher 67 (212) 51 (270) Salários e encargos sociais (327) (4) (271) Outras contas a pagar 3 1 Caixa aplicado nas atividades operacionais (4.801) (3.602) 6.729 6.469 Pagamento de juros (11.515) (15.556)(15.623) (18.944) Caixa líquido aplicado nas ativs. oper. (16.316) (19.158) (8.894) (12.475) Fluxo de Caixa das Atividades de Investimento Aquisições de ativo imobilizado - (487) (37) Adições ao intangível (38) (466) Adiantamentos a controladas (46) Alienação de investimento 62.140 14.404 59.622 12.231 Caixa líquido gerado pelas ativs. de invest. 62.140 14.404 59.051 11.728 Fluxo de Caixa das Atividades de Financiamento Captação de empréstimos e financiamentos - 10.400 40 13.924 Emissão de debêntures 14.805 76 14.805 76 Aplicações financeiras vinculadas - (2.326) (3.490) Pagamentos de empréstimos e financ. (73.745) (47)(77.377) (2.771) Partes relacionadas 86 3.124 (27) (824) Adiantamentos para futuro aumento de capital - 4.484 4.484 Caixa líquido gerado pelas (aplicado nas) atividades de financiamento (58.854) 18.037(64.885) 11.399 (Reduçâo) Aumento Líquido(a) no Saldo de Caixa e Equivalentes de Caixa (13.030) 13.283(14.728) 10.652 Caixa e equiv. de caixa no início do exerc. 13.286 3 15.001 4.349 Caixa e equiv. de caixa no fim do exerc. 256 13.286 273 15.001 (Reduçâo) Aumento Líquido(a) no Saldo de Caixa e Equivalentes de Caixa (13.030) 13.283(14.728) 10.652 As notas explicativas são parte integrante das demonstrações financeiras. Consolidado Omega Zeta Gamma Energia Energia Energia Renovável S.A (c) S.A. (b) S.A. (a) e (b) Critério de Equivalência Equivalência Valor avaliação patrimonial patrimonial justo Total Saldos em 31.12.2010 1.291 5.954 17.500 24.745 Alienação de investimento (282) (282) Equivalência patrimonial (1.009) (268) - (1.277) Saldos em 31.12.2011 5.686 17.500 23.186 Aquisição de investimento 60.999 60.999 Permuta de ações (4.242) 4.242 Perda nas mudanças no valor justo sobre investimentos 240 6.002 6.242 Saldos em 31.12.2012 1.684 88.743 90.427 Em Assembleia Geral Extraordinária de 30 de novembro de 2012, a Gamma aprovou a cisão parcial de seu acervo líquido, através da redução do seu capital social no montante de R$4.375, de modo que seu capital social passou de R$7.828 para R$3.453, sem alteração na distribuição do capital social da Gamma. Em razão da incorporação do acervo líquido cindido da Gamma pela Omega, foi aprovado o aumento do capital social da Omega no montante total de R$1.313, equivalente à 30% do acervo líquido cindido da Ecopart, em troca da emissão de 2.609 novas ações ordinárias da Omega no valor de R$1,6256, totalizando R$4.242 (valor justo). As ações foram subscritas na sua totalidade pela Ecopart, passando a deter 12,35% do capital social da Omega.

A Diretoria Contadora: Andreia Tinoco Thomaz - CRC 1SP 207767/O-9 - CPF 147.038.998-33 “As Demonstrações contábeis com as Notas Explicativas e Parecer dos Auditores Independentes se encontram à disposição na sede da empresa, à Rua Padre João Manuel, 222 - parte - São Paulo, SP”

CUSTON PARTICIPAÇÕES S.A. - CNPJ Nº 00.116.037/0001-80 - NIRE Nº 3530044680-1 Extrato da Ata da Assembléia Geral Extraordinária de 17/06/2013 Data, Hora e Local: 17/06/2013, às 08hs, na sede social, Av. Brig. Faria Lima nº 2092, 20º and., Jd. Paulistano, SP/SP. Mesa: Antonio Martins Lima, Presidente; Josef Kryss, secretário. Presença: 100% do Capital Social. Convocação: regularmente através de correspondência (art. 124, da Lei 6.404/76). Deliberações Aprovadas por Unanimidade: AG: a) Alteração do art. 17º do Capítulo III - Administração do Estatuto Social: Art. 17º. A representação da Sociedade ativa ou passivamente perante quaisquer terceiros e a assinatura de escrituras de qualquer natureza, letras de câmbio, cheques, ordens de pagamento, contratos, em geral, e quaisquer outros documentos ou atos que importem em responsabilidade ou obrigação para a Sociedade ou que exonerem a Sociedade de obrigações para com terceiros, incumbirão e serão obrigatoriamente praticados por (i) dois Diretores em conjunto; (ii) um Diretor em conjunto com um procurador com poderes especícos, observado o disposto no Parágrafo Primeiro; ou (iii) por 2 procuradores devidamente constituídos na forma prevista neste Estatuto Social, os quais deverão estar agindo nos limites dos poderes que lhes foram outorgados. § 1º. As procurações serão outorgadas em nome da Sociedade, representada conforme disposto neste artigo, devendo a procuração especicar os poderes conferidos e, com exceção daquelas para ns judiciais, terão período de validade limitado a, no máximo, 1 ano. Para o m de representação da Sociedade em juízo e perante repartições públicas federais, estaduais ou municipais, os poderes poderão ser outorgados em nome de somente um procurador. § 2º. A sociedade será considerada validamente representada por um diretor, isoladamente, quando em Juízo e perante quaisquer repartições públicas federais, estaduais e municipais e entidades autárquicas, podendo praticar todo e qualquer ato necessário à boa representação da sociedade ativa e passivamente, inclusive constituir procuradores com a cláusula ad judicia, rmar acordos judiciais de qualquer natureza e nomear prepostos para representação em Juízo. b) Desligamento de Leo Kryss da Diretoria, e eleição de novo Diretor. Considerando, a mudança ocorrida no art. 17º do Estatuto Social, a Assembléia decidiu eleger nova diretoria, com mandato até 30/04/2015: Diretores: Josef Kryss, brasileiro, casado, administrador de empresas, RG nº 27.993.918-8-SSP/SP, CPF/MF nº 213.022.268-43; e Antonio Martins Lima, brasileiro, casado, administrador de empresas, RG nº 1.043.494-3 SSP/PR e CPF/MF nº 204.203.159-34, ambos residentes no Estado de São Paulo. Os quais, declaram, sob as penas da lei, de que não estão impedidos por lei especial, ou a pena que vede, ainda que temporariamente, o exercício de atividades mercantis. Encerramento: Nada Mais, Lavrou-se a ata. Mesa: Antonio Martins Lima - Presidente, Josef Kryss - Secretário. Diretores: Josef Kryss, Antonio Martins Lima. JUCESP nº 261.878/13-0, em 12/07/2013 - Gisela Simiema Ceschin Sec. Geral.

PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE MONGAGUÁ/SP AVISO DE EDITAL Processo nº 082/2013 - Edital do Pregão Presencial nº 027/2013 alterado, cujo objeto é Registro de Preços para Contratação de empresa para locação de 03 (três) máquinas capinadeiras hidráulicas, com cerdas rotativas de aço e rotação mínima de 500RPM e carenagem de proteção para absorção dos impactos dos resíduos, que serão utilizadas nos serviços de manutenção das vias públicas no município de Mongaguá/SP, pelo período de 12 (doze) meses, conforme descrição e quantidades constantes dos Anexos I - Termo de Referência do edital. O Início da sessão de lances dar-se-á às 14h30min do dia 01/ 08/2013. O edital encontra-se à disposição dos interessados, no endereço eletrônico www.mongagua.sp.gov.br, através do aplicativo “Licitações” Pregão Presencial. Para qualquer esclarecimento, entrar em contato: telefone (13) 3445-3067, telefax (13) 3445-3082, e-mail: licitacao@mongagua.sp.gov.br – Autoridade Competente.

ODEBRECHT AGROINDUSTRIAL S.A. CNPJ/MF nº 08.636.745/0001-53 – NIRE 35.300.350.391

Edital de Convocação de Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária

Ficam convocados os acionistas da Odebrecht Agroindustrial S.A. (a “Companhia”) para comparecerem à Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária que será realizada em 31 de julho de 2013, às 9h, na sede da Companhia, localizada na Cidade de São Paulo, na Avenida Rebouças, 3.970, 26º andar, parte 2, Pinheiros, CEP 05402-920, a fim de deliberarem sobre as seguintes matérias: (i) aprovação do Relatório da Administração, do Balanço Patrimonial e das demais Demonstrações Financeiras da Companhia, referentes ao exercício social encerrado em 31 de março de 2013; (ii) destinação do resultado do exercício social encerrado em 31 de março de 2013; (iii) fixação do montante global da remuneração anual dos Administradores da Companhia para o corrente exercício; (iv) alteração do Artigo 16 do Estatuto Social, a fim de excluir a exigência de que os Conselheiros da Companhia sejam acionistas; e (v) substituição e eleição de membros do Conselho de Administração. São Paulo, 20 de julho de 2013. ODEBRECHT AGROINDUSTRIAL S.A. Marcelo Bahia Odebrecht, Presidente do Conselho de Administração.

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPEÚNA/SP

AVISO DE LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Nº 007/2013 Pregão Presencial Nº 007/2013 – Objeto: Registro de Preços para o fornecimento parcelado de gêneros alimentícios não perecíveis, destinados aos estabelecimentos de ensino, saúde e assistência social do Município de Ipeúna. Recebimento dos envelopes: até às 9h00 do dia 5/8/13; Sessão de lances: às 9h30 do dia 5/8/213. O edital e anexos encontram-se à disposição dos interessados no Setor de Licitações da Prefeitura, situado na Rua 01, 275 – Centro, Ipeúna/SP, no horário das 8h00 às 11h30 e das 13h00 às 17h30, em dias úteis. Informações pelo telefone (19) 3576-9007 ou licitacao@ipeuna.sp.gov.br. Ipeúna, 19/7/2013. Carla Stefania Abdala Pazetto – Pregoeira. OTICA FREICAMP LTDA-EPP, CNPJ 17.032.008/0001-32, I.E. 145.729.311.114 , sito à Rua Frei Caneca, 569 - loja 208, São Paulo-SP, comunica o roubo do Talão de Notas Fiscais - Série D1 de n° 651 à 700, sendo emitidas de n° 651 à 659, em branco de n° 660 à 687 e emitidas de n° 688 à 700, conforme B.O. 1362/2013 de 02/07/2013 do 2º D.P. de Barueri.

Odebrecht TransPort Participações S.A. CNPJ/MF Nº 10.143.462/0001-11 - NIRE 35.300.358.091

Ata da Reunião do Conselho de Administração realizada em 06 de junho de 2013 Data, horário e local: Realizada no dia 06 de junho de 2013, às 10:00 horas, na sede da Companhia, localizada na Avenida das Nações Unidas, n° 4.777, 5° andar, Ala A, Alto de Pinheiros, São Paulo - SP, CEP 05477-000. Presença: A totalidade dos membros do Conselho de Administração da Companhia. Mesa: Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Presidente; Adriano Sá de Seixas Maia. Secretário. Deliberação: Os Conselheiros presentes, por unanimidade, tomaram expressamente as seguintes deliberações: 1) aprovar, até 05 de setembro de 2013, a extensão do aval concedido pela Companhia às obrigações assumidas pela Otima - Concessionária de Exploração de Mobiliário Urbano S.A. (atual razão social da PRA SP - Concessionária de Exploração de Mobiliário Urbano S.A.), sociedade por ações com sede na Rua Pedroso de Moraes, n° 1553, conjuntos 71, 72, 73 e 74, Pinheiros, CEP 05419-00 1, inscrita no CNPJ/MF sob o n° 17.104.805/0001-13 (“Otima”), na operação de crédito na modalidade CCB originalmente contratada junto ao Banco Bradesco S.A. em 2 de março de 2013 e posteriormente aditada para prorrogar o prazo de seu vencimento para até 10 de junho de 2013 (“1° Financiamento”), operação esta que terá seu vencimento novamente prorrogado, nos termos desta deliberação, mediante a formalização de aditamento(s). A Diretoria da Companhia, na forma do Estatuto Social, fica expressamente autorizada a praticar todos os atos que se fizerem necessários à implementação da deliberação ora tomada; e 2) aprovar a concessão de aval, pela Companhia, às obrigações a serem assumidas pela Otima junto ao Banco Bradesco S.A., em novas operação(ões) de crédito, na modalidade de CCB, com as seguintes principais características (“Financiamento(s) Complementar(es)”): (i) Valor Total Agregado: até R$ 23.480.000,00 (vinte e três milhões, quatrocentos e oitenta mil reais); (ii) Encargos financeiros: CDI acrescido de 2,25% (dois inteiros e vinte e cinco centésimos) ao ano; (iii) Vencimento: até 05 de setembro de 2013; e (iv) Garantia adicional: cessão fiduciária de 58,7% dos direitos creditórios depositados em conta vinculada à operação, de titularidade da Otima, garantia esta a ser compartilhada entre o 1° Financiamento e o(s) Financiamento(s) Complementar(es). A Diretoria da Companhia, na forma do Estatuto Social, fica expressamente autorizada a praticar todos os atos necessários à implementação do(s) Financiamento(s) Complementar(es) e aditamento(s) do 1º Financiamento, por ocasião do compartilhamento indicado no item “iv” acima - Garantia Adicional -, nos termos da deliberação ora tomada. Quorum da deliberacão: A deliberação acima foi aprovada por unanimidade, sem reservas ou restrições. Encerramento, lavratura, aprovação e assinatura da ata: Nada mais havendo a ser tratado, foi encerrada a reunião e lavrada a presente ata, lida, aprovada e por todos assinada. São Paulo, 06 de junho de 2013. Mesa: Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Presidente; Adriano Sá de Seixas Maia, Secretário. Conselheiros: Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Presidente; Felipe Montoro Jens, Vice-Presidente; Adriano Chaves Jucá Rolim; Newton Sergio de Souza e Luiz Antonio Mameri. Certifico e dou fé que essa ata é cópia fiel da ata lavrada no livro próprio. São Paulo/SP, 06 de junho de 2013. Adriano Sá de Seixas Maia Secretário. JUCESP – Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o Registro em 12/07/2013, sob o nº 262.207/13-8. Gisela Simiema Ceschin – Secretária-Geral.

PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE MONGAGUÁ/SP AVISO DE EDITAL Processo nº 073/2013 - Edital do Pregão Presencial nº 028/2013 alterado, cujo objeto é Registro de Preços para Locação de Tratores, Máquinas, Caminhão e Ônibus com fornecimento de Mão de Obra e Combustível por hora produtiva, pelo período de 12 (doze) meses, conforme descrição e quantidades constantes dos Anexos I - Termo de Referência do edital. O Início da sessão de lances dar-se-á às 09h30min do dia 01/08/2013. O edital encontra-se à disposição dos interessados, no endereço eletrônico www.mongaguá.sp.gov.br, através do aplicativo “Licitações” Pregão Presencial. Para qualquer esclarecimento, entrar em contato: telefone (13) 3445-3067, telefax (13) 3445-3082, e-mail: licitacao@mongagua.sp.gov.br – Autoridade Competente. ASSOCIAÇÃO SAÚDE DA FAMÍLIA – ASF RETIRRATIFICAÇÃO DO ATO CONVOCATÓRIO SELEÇÃO DE FORNECEDORES – COLETA DE PREÇO Nº 011/2013 E PROCESSO ASF 037/2013. A Associação Saúde da Família - ASF comunica alteração do Ato Convocatório de Seleção de Fornecedores, na modalidade COLETA DE PREÇO Nº 011/2013 que será realizada em 24 de julho de 2013, às 10h00, que tem por objeto a CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE REFORMA E ADEQUAÇÕES NO TELHADO DE COBERTURA DA UNIDADE DE ASSISTÊNCIA MÉDICA AMBULATORIAL ESPECIALIDADE – AMAE SOROCABANA, INCLUINDO O FORNECIMENTO DE INSUMOS MATERIAIS, MÃO DE OBRA E EQUIPAMENTOS – CRITÉRIO MENOR PREÇO – EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL, a saber: RETIRRATIFICAÇÃO DO ITEM 33.9 (Anexo I – Planilha Quantitativa) DO EDITAL. Esclarecemos que as alterações encontram-se disponíveis para consulta no site da ASF www.saudedafamilia.org

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO COMUNICADO DE 19/07/2013 FICA CANCELADA A AUDIÊNCIA PÚBLICA Nº - 001/CIMA/2013 - AQUISIÇÃO DE TABLETS MARCADA PARA O DIA 02/08/2013 ÀS 10 HORAS. TORNANDO SEM EFEITO A PUBLICAÇÃO NO DIÁRIO DO COMÉRCIO DE 18/07/2013 – PÁGINA 15.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA E SERVIÇOS ESCOLARES


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

e

sábado, domingo e segunda-feira, 20, 21 e 22 de julho de 2013

Em tudo que agrega valor a um estabelecimento comercial, e estacionamento é um item, é inquestionável a responsabilidade. Marcio Marcucci, diretor de Fiscalização do Procon-SP.

conomia

As empresas que oferecem estacionamento, gratuito ou pago, devem arcar com eventuais prejuízos do consumidor. Assim tem decidido a Justiça.

Empresa que oferece estacionamento é responsável pelo carro do cliente

A

s empresas que oferecem espaços para estacionamento dos veículos de seus clientes devem tomar o máximo de cuidado em sua guarda. Isso porque inúmeras decisões da Justiça dão ganho de causa ao consumidor nas situações de avaria, furto de objetos pessoais ou do próprio veículo. E mesmo para aqueles estacionamentos em que a administração é terceirizada – shoppings, por exemplo, que contratam empresas para administrarem o local, e cobram diretamente do consumidor –, o estabelecimento comercial que terceirizou o espaço poderá também ter de arcar com o prejuízo. Isso porque o artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), que trata da responsabilização pela reparação de danos causados por defeitos na prestação de serviços, determina que todas as partes envolvidas podem ser acionadas pelo consumidor para reparar seu dano. A exceção para a não aplicação da responsabilidade solidária em caso de estacionamento é se o espaço for locado para uma empresa e esta prestar seu serviço diretamente ao usuário e no local (ou próximo dele) não houver nenhuma atividade que atraia clientes. Ou seja, o consumidor não deixa seu veículo ali para ir até o shopping, ao cinema, a uma loja qualquer, mas o entrega a um manobrista, que o leva ao estacionamento. "O usuário pode não saber que o serviço foi terceirizado. Para ele, quem oferece o serviço é o estabelecimento comercial e não outra empresa, mesmo que na en-

trada ele receba um tíquete com nome da terceirizada", diz Marcio Marcucci, diretor de Fiscalização do Procon-SP. De cisõ es – Recentemente, decisão da 2ª Turma Recursal do Tribunal de Justiça do Distrito Federal condenou um shopping a reparar os danos materiais a um consumidor cuja moto foi furtada de um estacionamento próximo ao estabelecimento. De nada adiantou a defesa do shopping alegar que o furto ocorreu em estacionamento público próximo às dependências do centro comercial e, portanto, caberia ao Estado indenizar o cidadão. Para os julgadores da ação, o fato de o estacionamento ser público não afasta a responsabilidade do shopping, porque a utilização da área pública com a finalidade de captar clientes mediante oferta de comodidade e segurança aufere lucro ao empreendimento, o que gera o dever de guarda. Para o diretor do Procon-SP, “em tudo que agrega valor a um estabelecimento comercial, e estacionamento é um item, é inquestionável a responsabilidade.” Outro caso, relatado pelo diretor do Procon-SP, ocorreu também num shopping. Ao retirar o carro da vaga do estacionamento, o consumidor verificou a porta amassada. Ao registrar sua reclamação, exigiu a disponibilização da filmagem. Entretanto, o shopping alegou que o local em que o consumidor parou o seu veículo não estava no foco da câmera. “Ora, se a câmera não alcançava o local, ninguém poderia estacionar ali.” Placas – Quanto a furto de objetos de dentro dos carros, é

importante saber que as placas com os dizeres “não nos responsabilizamos pelos objetos deixados dentro do veículo” não têm validade legal. Muitos estabelecimentos se defendem dizendo que há consumidores que agem de má-fé e não provam que deixaram um determinado objeto no interior do carro. Marcucci, do Procon-SP, lembra que “o texto da placa configura cláusula contratual, e como o seu teor exonera o estacionamento de responsabilidade, é tida pelo CDC como cláusula abusiva”. Acrescenta que, neste caso, quem deve fazer a prova de que o objeto não estava lá é o estabelecimento. “É a chamada inversão do

ônus da prova, conforme o artigo 6º, inciso 8º.” Multas – Se o veículo é entregue a um manobrista ou a serviço de valets e ocorrer uma multa no período em que ele ficou sob a guarda desses profissionais, tanto a empresa que contratou o serviço quanto a de valet são responsáveis pelo pagamento da multa e pelos pontos na habilitação. “É bom destacar que também é considerada prática abusiva a exigência do pagamento da estadia máxima em caso de extravio do comprovante do estacionamento, se o fornecedor, por outros meios, puder determinar ou estimar o tempo utilizado pelo usuário”, assinala Marcucci.

O QUE DIZ O CDC Artigo 14º O fornecedor de serviços responde, independentemente da existência de culpa, pela reparação dos danos causados aos consumidores por defeitos relativos à prestação dos serviços, bem como por informações

insuficientes ou inadequadas sobre sua fruição e riscos. § 1° O serviço é defeituoso quando não fornece a segurança que o consumidor dele pode esperar, levando-se em consideração as circunstâncias relevantes, entre as quais:

I - o modo de seu fornecimento; II - o resultado e os riscos que razoavelmente dele se esperam; III - a época em que foi fornecido. § 2º O serviço não é considerado defeituoso pela adoção de novas técnicas. § 3° O fornecedor de

serviços só não será responsabilizado quando provar: I - que, tendo prestado o serviço, o defeito inexiste; II - a culpa exclusiva do consumidor ou de terceiro. § 4° A responsabilidade pessoal dos profissionais liberais será apurada mediante a verificação de culpa.

PRAZO

Texto substitutivo ao Projeto de Lei 754/11 da Comissão de Defesa do Consumidor (aprovado) determina que as montadoras de veículos deverão disponibilizar veículo similar para o consumidor quando o recém comprado apresentar defeitos e a espera pelo conserto ultrapassar cinco dias úteis. Serão considerados novos, conforme a Agência Câmara, os veículos com até seis meses de uso ou com, no máximo, 30 mil km rodados. O veículo reserva poderá ser alugado pela montadora e disponibilizado ao cliente. A proposta altera o Código de Defesa do Consumidor, que não prevê amparo ao consumidor que permanece sem o seu automóvel durante o tempo de reparo.

Está sendo analisada pela Câmara proposta de lei que estabelece dez anos como o prazo máximo para se requerer na Justiça reparação por dano moral decorrente de inscrição irregular em Serviços de Proteção ao Crédito. A medida está prevista no Projeto de Lei 5071/13, do deputado Major Fábio (DEM-PB). O texto acrescenta dispositivo ao Código de Defesa do Consumidor (Lei 8.078/90). De acordo com o autor, informa a Agência Câmara, a jurisprudência já consolidou a ideia de que a mera anotação irregular do consumidor gera direito inquestionável a indenização por danos morais. No entanto, acrescenta ele, a definição do

prazo limite para que a ação de reparação seja ajuizada ainda desperta dúvidas. “No silêncio do Código de Defesa do Consumidor acerca desse prazo, há quem recorra ao prazo de três anos estabelecido no Código Civil para as ações de reparação civil em geral”, explica Major Fábio. “Ganha força, contudo, a concepção de que, ao representar desobediência dos deveres de boa-fé objetiva, proteção e lealdade, anexos à relação contratual de consumo, a inscrição irregular caracterizaria o não cumprimento do próprio contrato que gerou a obrigação de pagar, razão por que na qualidade de ilícito contratual ficaria sujeita ao prazo de dez anos.”

Angela Crespo é jornalista especializada em consumo; e-mail: doislados@dcomercio.com.br

N

ão faltam leis, decretos e instruções normativas regulamentando os serviços de estacionamento. Uma delas, válida para a cidade de São Paulo, é a Lei nº 13.763/04, que estabelece normas para o exercício da prestação dos serviços de manobra e guarda de veículos. Conforme o texto legal, a empresa deve estar regularmente constituída, registrar os motoristas, contratar apólice de seguro contra incêndio, furto, colisão e roubo do veículo, entregar recibo ao proprietário do veículo, entre outras obrigações. Essa lei estabelece também a responsabilidade solidária dos estabelecimentos que contratam o serviço prestado pelos “valets” em caso de danos causados aos veículos de clientes ou de terceiros, atendendo ao artigo 14 do CDC. Já o Decreto nº 48.151, que regulamenta a lei acima, estabelece multa de R$ 5 mil para a prestadora do serviço e o estabelecimento que a contrata se houver descumprimento dos dispositivos legais. No caso de reincidência, o valor da multa

dobra e o estabelecimento pode ser interditado. Ainda com relação a valets, o município de São Paulo editou a Instrução Normativa 6/12, estabelecendo a obrigatoriedade de disponibilizar cupom de estacionamento fornecido pela Prefeitura. Recentemente, o prefeito Fernando Haddad assinou a Lei nº 15.763/2013, determinando que os estacionamentos destinem vagas, devidamente sinalizadas, a mulheres grávidas e pessoas com crianças de colo. Elas deverão estar próximas dos acessos de circulação de pedestres. “Lembramos que outras leis estabelecem nas áreas próximas às entradas de shopping, mercados, etc. vagas para deficientes e idosos". “Se alguém que não tem direito a essas vagas estacionar no local, comete infração de trânsito e quem administra o estacionamento, que deve zelar pelo uso correto das vagas, pode acionar o órgão de trânsito para a remoção do veículo”, completa o diretor de fiscalização do Procon-SP.

Sequestro em hipermercado dá direito a indenização

FIQUE POR DENTRO VEÍCULO

As leis que regulam a guarda dos veículos

O

hipermercado Extra foi condenado a pagar R$ 10 mil de indenização por danos morais a um consumidor que foi vítima de agressão física e sequestro relâmpago no estacionamento. A juíza da 18ª Vara Cível de Brasília também determinou o pagamento de R$ 8.900,59 de danos materiais pelo veículo roubado durante o sequestro, encontrado com danos. Um homem que estava junto com o consumidor e também foi sequestrado receberá R$ 5 mil. Os fatos ocorreram em maio de 2012. Conforme relato dos consumidores, no momento em que estacionavam o veículo em uma vaga de idoso, próxima à entrada do hipermercado e dentro da área coberta, foram abordados pelo bandido, menor de idade, que portava um revólver. Eles foram mantidos reféns no interior do veículo, agredidos (comprovado por laudo de lesão corporal da Polícia) e deixados num ma-

tagal. No momento do assalto não havia vigilância e o estacionamento não possui controle de entrada ou saída, apenas câmeras. Para a juíza de Direito, “é certo que a responsabilidade por roubo dentro de estacionamento mantido e oferecido pelo hipermercado a seus clientes é de índole objetiva, nos termos do artigo 14 do Código de Defesa do Consumidor, tendo em vista a falha na prestação do serviço. (...) Considerando o dever do réu de ofertar segurança pelo serviço prestado a seus clientes, somado à existência de câmeras no local cujas imagens foram negadas ao autor e não foram apresentadas em sede de contestação, entendo como incontestável que o veículo roubado estava no estacionamento do réu no momento da ocorrência do crime”. Fonte: Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF)


22072013