Page 1

São Paulo, terça-feira, 22 de janeiro de 2013

E compartilha por US$ 200

Sabe o monitoramento de tráfego nas lojas virtuais da internet? Não seria um grande aliado na administração de lojas físicas? Daria para saber como é o tráfego de clientes, quanto tempo ficam no local, quanto gastam, se e quando voltam etc. Pois é, um dos criadores do Google Analytics, a principal ferramenta de acompanhamento no mundo virtual, transferiu a tecnologia para o mundo real. O resultado é o Euclid. O sistema funciona assim: sensores instalados na loja (se já houver uma rede wi-fi, é só baixar o software) detectam dispositivos dos consumidores como smartphones e tablets e coletam os dados (eles são codificados para garantir o anonimato), que são compilados em várias análises. Nos EUA, o serviço custa US$ 200 por mês. E ele está disponível para o Brasil. Pág. 18

www.dcomercio.com.br

Têxteis querem Leão manso para costurar a boca do dragão

Conclusão: 23h50

Ano 87 - Nº 23.795

Jornal do empreendedor

R$ 1,40

EUCLID SABE TUDO DE SEUS CLIENTES

Fabrice Lerouge/Corbis

Associação Brasileira de Indústrias Têxteis (Abit) vai pedir ao governo a criação de um "Simples da Confecção", regime diferenciado de tributação para poder enfrentar em pé de igualdade a concorrência das indústrias chinesas. Pág. 11

Yes, we can. Parte II.

Apu Gomes/Folhapress

Obama toma posse em Washington (na foto, desfila com a mulher Michelle) e discursa defendendo a igualdade. Cerca de 700 mil pessoas acompanharam a festa sob frio de 4º C, com direito a hino nacional na voz de Beyoncé. Pág. 8

Dramas de craqueiros, na saída do inferno. Divulgação

No 1º dia da operação para combater o consumo de crack em São Paulo, a história de uma filha desesperada que só conseguiu internar o pai J.M., 62 anos, depois de colocar um calmante em sua comida. O programa do governo do Estado prevê a polêmica internação involuntária de dependentes e este pode se transformar hoje no 1º caso. Acima, voluntário auxilia usuário na Cracolândia. Pág. 9

Larry Downing/Reuters

ISSN 1679-2688

23795 Página 4

9 771679 268008

Novos voos da Embraer. A bordo de helicópteros. Fabricante brasileira de jatos decola rumo à produção de helicópteros para os mercados comercial e militar. Pág. 14


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

O segundo semestre poderá trazer notícias melhores no front da alta dos preços. Roberto Fendt

pinião

EDSON LUIZ SAMPEL

CRIMES CULPOSOS NO TRÂNSITO

U

Inflação desafia as previsões em 2013

Q

uem se der ao trabalho de colecionar previsões para 2013, lá pelo fim do ano vai provavelmente perceber que a inflação foi o indicador mais difícil de prever. Mas o que fazer? Certa vez, Henry R. Luce, o editor americano de grandes revistas, como Time e Life, disse que o ofício do empresário, mais do que qualquer outra ocupação, é um tratar contínuo com o futuro; é um cálculo permanente, um exercício instintivo de planejar prudentemente o que virá. As dificuldades em prever a inflação em 2013, mais do que em anos recentes, decorrem de diversos fatores que podem mudar a intensidade da alta dos preços. Por exemplo: quando e em quanto será reajustado o preço da gasolina? O ajuste é inevitável, depois de nove anos de preço congelado para o consumidor. A estatal perdeu sua capacidade de investir e desde 2010 a produção de petróleo no País não passa dos dois milhões de barris diários. O acréscimo de 25% de álcool à gasolina atenua um dos grandes problemas da empresa – a importação do combustível a um preço maior que o de venda – mas não resolve o problema. Caso se materializem os boatos de que o governo dará um aumento de 7% na gasolina e de 4,5% no diesel nas refinarias, o impacto final sobre o IPCA poderá ser da ordem de 0,3 ponto percentual. Na outra ponta, o governo vem pressionando os estados e municípios para que posterguem reajustes de preços de tarifas de serviços públicos. Aqui mesmo, em São Paulo, o governador afirmou que teria

ROBERTO FENDT recebido pedido para adiar reajustes tarifários na área de transporte e que o governo estadual estaria analisando com "boa vontade" a solicitação.

O

governo poderá também usar a medida provisória da "cesta básica" (MP 563) para desonerar de tributos os alimentos nela listados. Estima-se que essa desoneração poderá eliminar entre 0,3 e 0,4 ponto percentual na inflação de 2013 – o que compensaria os efeitos dos reajustes nos preços dos combustíveis. O primeiro trimestre de todo ano também é, sazonalmente, período de grande concentração de gastos e de reajustes de preços e tarifas. Se não bastassem as despesas com material escolar e das mensalidades das escolas, também é a época de pagar o IPTU. Se o primeiro trimestre vem com a inflação acelerando, podendo chegar muito perto dos

6,5%, limite superior da meta de inflação, o que esperar para o restante do ano? Afinal, cabe ao empresário o tratar contínuo com o futuro. Há reajustes de salários a negociar e preços de produtos e serviços a fixar. É simplesmente impossível tocar de ouvido a atividade empresarial. O segundo semestre poderá trazer notícias melhores no front da alta dos preços. Os alimentos pesam muito no IPCA e o comportamento dos preços desses produtos pode reverter a pressão de alta que se observa no primeiro trimestre.

P

arte da explicação da resistência da inflação à queda, a despeito do pífio desempenho do PIB, se deve ao aquecimento do mercado de trabalho e à forte demanda no mercado de serviços. Mas parte dela também se deveu à forte seca nos Estados Unidos e aos seus efeitos sobre os preços dos produtos

Caso se materializem os boatos de que o governo dará aumento de 7% na gasolina e de 4,5% no diesel nas refinarias, o impacto final sobre o IPCA poderá ser de 0,3 ponto percentual.

agrícolas. O impacto foi sentido em todo o mundo e não poderia deixar de afetar os preços no Brasil.

O

s próprios preços dos serviços foram muito influenciados pela forte alta da massa salarial em 2013. Não há razões para esperar que isso volte a acontecer neste ano, especialmente porque o reajuste do salário mínimo ficou muito abaixo do grande aumento ocorrido em 2012. O simples listar alguns, dentre os muitos fatores que podem afetar o IPCA e demais índices da inflação, mostra as dificuldade de antever o comportamento desses índices durante o ano e em seu final. É claro que tudo isso se sobrepõe ao que, em última instância, é a causa da inflação: a expansão monetária decorrente do excesso de gastos do governo. Os dados do Banco Central referentes ao aumento dos meios de pagamentos nos últimos doze meses até novembro mostram crescimento superior a 10%. Essa alta é incompatível com o crescimento de 1% no PIB e com a convergência para a meta de inflação – a rigor, sequer para o teto da meta, de 6,5%. Em 2013 o empresário, tateando para antever o rumo da inflação, terá que conviver com grande incerteza a respeito de sua evolução ao longo do ano. Talvez sirvam de consolo as palavras de Guimarães Rosa no grande épico Grande Sertão, Veredas: "Viver é muito perigoso... Porque aprender a viver é que é o viver mesmo... Travessia perigosa, mas é a da vida". ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

m assaltante aborda um cidadão, ameaçao de morte e termina por matá-lo, após resistência. Trata-se de um homicídio doloso (latrocínio), em que houve intenção clara de pôr fim à vida de um ser humano. Reflitamos, agora, sobre esta outra situação: um motorista, conduzindo seu carro em alta velocidade, à noite, sem nenhuma sinalização, numa curva, invade o acostamento de uma estrada de mãodupla, e provoca o óbito de uma família inteira (sete pessoas). Neste caso verídico, a lei diz que o crime é culposo, porque o agente (o motorista) não desejou produzir o resultado morte das vítimas. Os crimes culposos são punidos com sanções brandas. Os dolosos, por seu turno, recebem penas pesadíssimas. Entretanto, os praticantes dos chamados crimes culposos agem imbuídos de um profundo desprezo para com a incolumidade dos seus semelhantes. As atitudes dos que perpetram tais delitos revelam falta de responsabilidade, arrogância e ingente descaridade. Essa sorte de infração penal ocorre comumente no trânsito: são os motoristas que trafegam em velocidade elevada, cruzam o sinal vermelho, não param diante da faixa de segurança, costuram entre os carros etc.

E

stou convencido de que não há tanta diferença entre quem tira a vida humana com o disparo de um revólver e quem extermina uma família inteira, ou mesmo uma única pessoa, simplesmente por um egoísmo macabro e inescusável, que faz pensar somente no deleite da velocidade. Se o bandido conjuga o verbo "querer" de modo límpido: "Eu quero matar", talvez devêssemos cunhar outro verbo para o motorista arrogante: "Eu quase-quero matar". Com efeito, a prótese "quase", acoplada a "querer", dá uma ideia do estado de espírito de alguns péssimos motoristas. Nossa legislação tem de mudar, a fim de infligir

Aqui no Brasil, vige a impunidade para os que se comportam com virulência e descaso no trânsito, como se fossem donos do mundo e que matam pessoas de bem.

punições rigorosas aos que cometem os crimes culposos. Nos Estados Unidos, por exemplo, em certas regiões, o mero portar uma carteira de motorista vencida pode ensejar prisão por dois anos. Aqui no Brasil, vige a total impunidade para os que se comportam com virulência e descaso no trânsito, como se fossem donos do mundo e, culposamente, matam pessoas de bem.

H

á um imperativo de ordem moral relativamente à observância das normas de convívio societário. Deste assunto tratou o Concílio Vaticano II, reportando-se às pessoas que descumprem as leis de trânsito: "Têm outros em pouca conta algumas normas da vida social, como, por exemplo, (...) as estabelecidas para regular o trânsito de veículos, não advertindo que por esta falta de cuidado colocam em perigo a própria vida e a dos outros." (Gaudium et Spes, nº 30). Costuma-se dizer que no Brasil os bons motoristas não dirigem apenas para si próprios, uma vez que têm de guiar pelos outros: pelos automóveis próximos, pelo ônibus do lado, pelo motoqueiro nas frestas etc. Precisam, igualmente, contar com a sorte de não ser abalroados, lesionados ou virem a decesso, já que os maus motoristas são ressabidos da impunidade do seu comportamento arrogante e malsão. EDSON LUIZ SAMPEL É DOUTOR EM DIREITO CANÔNICO PELA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE LATERANENSE, DO VATICANO, PROFESSOR DA ESCOLA DOMINICANA DE TEOLOGIA (EDT) E MEMBRO DA UNIÃO DOS JURISTAS CATÓLICOS DE SÃO PAULO (UJUCASP).

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edito r-Ch efe : José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Fernando Porto (fporto@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas @dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli e Evelyn Schulke, Ricardo Osman, Tsuli Narimatsu Repórter Especial: Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br), .Repórteres: André de Almeida, Fátima Lourenço, Guilherme Calderazzo, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, , Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

o

3

DESREGULADORES ENDÓCRINOS PROVOCAM OBESIDADE E NÃO SÃO REGULAMENTADOS.

pinião

O ALERTA DOS RATOS

U

m dos enigmas do mundo moderno é por que nós humanos estamos ficando tão roliços. Talvez dois ratos possam oferecer uma pista. Geneticamente são idênticos, foram criados no mesmo laboratório e receberam a mesma comida e as mesmas chances de se exercitar. Mas um deles é esbelto, enquanto o outro parece, bem, um norte-americano. A única diferença é que o de cima foi exposto no nascimento a uma só parte por bilhão de um produto químico desregulador endócrino. A pequena exposição programou o rato a produzir gordura e, embora não houvesse diferença significativa no consumo ou gasto de calorias, ele continuava a mostrar flacidez bem depois do produto químico já ter desaparecido. Essa experiência é apenas uma do crescente número de estudos científicos avaliados por especialistas, sugerindo que um fator na epidemia de obesidade no mundo industrializado (além de bolinhos, refrigerantes e a TV) talvez sejam desreguladores endócrinos. Esses produtos químicos são em grande parte desregulamentados – estão nos alimentos, sofás, papéis térmicos e xampus – e um monte de novos estudos sugere que podem causar a formação de mais e maiores cédulas de gordura. Antes de descrever algumas dessas pesquisas, uma pergunta básica: por que um articulista deveria escrever sobre questões científicas publicadas em jornais especializados? Os intelectuais não têm coisas melhores para se preocupar, como a disputa entre democratas e republicanos? Uma resposta é que a obesidade é um importante problema nacional, parcialmente responsável por disparar os custos dos serviços de saúde. Contudo o lobby químico tem impedido uma regulamenta-

presentes em plásticos, alimentos enlatados, agrotóxicos, espuma de almofada e combustível de avião. Por exemplo, um estudo recente descobriu que triflumizole, um fungicida usado em muitas plantações de alimentos, como vegetais folhosos, provoca obesidade em ratos. Neste mês, um novo estudo do jornal do Environmental Health Perspectives revelou que os desreguladores endócrinos que às vezes são adicionados os plástico PCV fazem os ratos crescerem obesos e terem problemas hepáticos – e os efeitos continuam nos descendentes desses ratos, geração após geração.

ção séria e está tentando até bloquear as pesquisas. Uma segunda resposta é que os jornalistas têm feito um trabalho ruim na cobertura de questões de saúde pública (fomos lentos sobre os perigos do fumo e desleixados sobre os perigos do chumbo), fundamentais para nosso bemestar nacional. Nossas vidas são ameaçadas menos pelo Talibã no Afeganistão do que pela contaminação doméstica. Os desreguladores endócrinos são uma classe de produtos químicos que imitam os hormônios e, assim, confundem o corpo. De início, causaram preocupação em virtude de suas ligações com câncer e má-formação dos órgãos sexuais. Essas preocupações continuam, mas a área de pesquisa mais recente é o impacto que eles têm no armazenamento de gorduras.

O

B

ruce Blumberg, um biólogo desenvolvimentista da Universidade da Califórnia, em Irvine, cunhou o termo "obesígeno" em um artigo de jornal, em 2006, para se referir aos produtos químicos que levam os animais a armazenar gordura. Inicialmente, esse conceito foi muito polêmico entre os especialistas em obesidade, mas um número crescente de estudos avaliados por especialistas confirmou essa descoberta e identificou umas 20 substâncias como obesígenas. O papel desses produtos químicos foi reconhecido pela força tarefa presidencial contra a obesidade infantil, e o Instituto de Saúde Nacional se tornou um importante fundador de pesquisas sobre as relações entre os desreguladores endócrinos e a obesidade e a diabetes. Entre os produtos químicos identificados como obesígenos estão substâncias

A obesidade é um grave problema nacional e eleva os custos dos serviços de saúde. Mas o lobby químico impede a regulamentação séria.

utra pesquisa descobriu que mulheres com resíduos de um certo pesticida no sangue dão à luz bebês com mais possibilidades de terem sobrepeso aos 14 meses. Essa é uma ameaça comum: a fase mais importante para exposição parece ser no útero e na infância. Não está claro ainda se a maioria dos obesígenos vai agir muito para tornar um adulto mais gordo, mesmo uma mulher grávida (embora um deles já tenha demonstrado agir assim), e o maior impacto parece ser sobre os fetos e nas crianças antes da puberdade. A revista Scientific America n recentemente perguntou se os médicos deveriam se esforçar mais para alertar mulheres grávidas sobre alguns produtos químicos. A publicação citou uma pesquisa indicando que só 19% alertavam as grávidas sobre pesticidas, só 8% sobre BPA (um desregulador endócrino em alguns plásticos e papéis térmicos), e só 5% sobre ftalatos (desregulador endócrino encontrado em cosméticos e xampus). Blumberg, o pioneiro nesse campo, afirma que recomenda

AINDA O CÃOZINHO O

sr. Lucas Patschiki (ver artigo na edição anterior) tenta desesperadamente camuflar o seu panfleto vagabundo sob as aparências de uma tese científica, mas não tem a esperteza necessária para isso. Se tivesse, não apelaria de maneira tão confiante e ingênua a um dos chavões mais compulsivos e autodenunciadores da propaganda comunista, que é o de tentar desmoralizar o adversário, o anticomunista, como um agente pago da burguesia. No meu caso, a prova que ele fornece dessa vinculação monetária é de uma candura que chega a ser comovente na sua puerilidade: "A preocupação com que Olavo de Carvalho analisa a burguesia brasileira é retribuída, pois o dota de meios e rendimentos para levar essa luta adiante...: sua permanência nos EUA é financiada pelo Diário do Comércio.Descontado o português subginasiano, impotente para esclarecer se o sujeito da oração subordinada é a preocupação ou a burguesia, ele quis dizer que recebo subsídios do Diário para lutar em favor da classe que o jornal representa. Sou jornalista profissional há quarenta anos e nunca soube que salário fosse "financiamento". Se o fosse, e como o próprio sr.

Patschiki reconhece haver uma pletora de jornalistas de esquerda nas redações, deveríamos concluir que a burguesia financia muitos agentes para que lutem contra ela e só uns poucos para que a defendam. É claro que, se ela faz isso, só pode ser por estupidez genuína ou por algum tipo de malícia inversa cuja engenhosidade me escapa. Na primeira hipótese, fica impugnada a tese do sr. Patschiki de que a burguesia detém o controle ideológico dos seus órgãos de imprensa. O sr. Patschiki acredita piamente na segunda, mas não nos fornece a menor explicação do que pode fazer em benefício da burguesia um mecanismo tão paradoxal e contraproducente.

U

ma hipótese que nem lhe passa pela cabeça é a de que as empresas de mídia se atêm à mais rigorosa abstinência ideológica na contratação de seus empregados, acabando os esquerdistas por obter aí a superioridade numérica pelo simples fato de praticarem a gramsciana "ocupação de espaços" que a direita ainda não aprendeu. Todos os jornalistas profissionais recebem um salário, independentemente do conteúdo ideológico daquilo que escrevem. Se o fato de eu ser um deles basta para fazer de mim

um agente pago a serviço ideológico de um grupo ou classe, o sr. Patschiki teria a obrigação de perguntar se acusação idêntica não se aplicaria muito mais ao agente que é subsidiado para a tarefa específica de produzir um ataque político a determinada pessoa ou entidade, tal como ele foi financiado, não pelos proletários dos quais se imagina um porta-voz, e sim por um pool de bilionários interesses estatais e privados, a Fundação Araucária, para escrever contra mim e o Mídia Sem Máscara e defender assim a aliança comuno-dinheirista que nos governa. Todo historiador ou cientista social só pode compreender a posição dos outros na sociedade desde uma consciência clara da sua própria posição, da fonte dos seus meios de sustento, dos grupos que o protegem, etc. Mas o sr. Patschiki, que

não é nem uma coisa nem a outra, não apenas não precisa saber de nada disso como de fato não sabe e nem de longe suspeita que deveria saber. Por isso ele pode continuar sonhando que todo salário de jornalista profissional é um "financiamento" ideologicamente comprometedor e ignorando que o financiamento da sua tese é exatamente isso no mundo real e em grau superlativo.

M

ais esquisito ainda é que, vendo no salário que recebo do Diário do Comércio uma prova da conspiração fascista financiada pela burguesia, ele nem se dá conta de que, admitida essa hipótese, o comando da conspiração não teria como estar nas minhas frágeis mãos de agente contratado, e sim nas do meu poderoso contratador. De fato, não tem sentido ele me qualificar como um "litor" – segundo a sua

NICHOLAS D. KRISTOF com ênfase que as pessoas – especialmente crianças, mulheres grávidas e as que podem engravidar – tentem consumir alimentos orgânicos para reduzir a exposição aos desreguladores endócrinos e tentar evitar usar plásticos para armazenar comida ou água. "Minha filha usa uma garrafa d’água de aço inoxidável, e eu também", disse ele. Por todas essas incertezas, esses últimos estudos são mais uma razão para se considerar que os desreguladores endócrinos possam ser o fumo de nossa época.

D

ecisões baseadas na ciência para melhorar a saúde pública – como a eliminação do chumbo da gasolina – têm estado entre as mais benéficas mudanças de políticas públicas. Nesse caso, um ponto de partida poderia ser promover a pesquisa dos desreguladores endócrinos e aprovar a Lei de Segurança dos Produtos Químicos. Essa medida, há muito tempo parada no Congresso, exigiria mais testes e mais rigidez na segurança sobre produtos químicos potencialmente tóxicos em nossa volta. Afinal, com que rato nós gostaríamos de parecer? NICHOLAS D. KRISTOF É COLUNISTA DO NEW YORK TIMES. CONTATOS EM

FACEBOOK.COM/KRISTOF, TWITTER.COM/NICKKRISTOF . TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA

OLAVO DE CARVALHO definição, aquele que representa o poder sem exercê-lo – e ao mesmo tempo fazer de mim, e não daqueles que supostamente me comandam, o centro da trama conspiratória.

T

alvez haja nisso um secreto desejo de evitar briga de cachorro grande, trocando o comandante pelo comandado e batendo neste para acertar naquele sem que se possa dizer que o faz. Porém há mais provavelmente a confusão patética do semi-analfabeto que, mal conseguindo manejar o idioma pátrio, se mela todo ao tentar fazer bonito com um termo latino. Qualquer que seja o caso, o fenômeno Patschiki já estava prefigurado na contradição interna da própria doutrina marxista, como expliquei anos atrás: "A teoria marxista da ideologia de classe não tem pé nem cabeça. Ou a ideologia do sujeito traduz necessariamente os interesses da classe a que ele pertence, ou ele está livre para tornar-se advogado de alguma outra classe. Na primeira hipótese, jamais surgiria um comunista entre os burgueses e Karl Marx jamais teria sido Karl Marx. Na segunda, não há vínculo

entre a ideologia e a condição social do indivíduo e não há portanto ideologia de classe: há apenas a ideologia pessoal que cada um atribui à classe com que simpatiza, construindo depois, por mera inversão dessa fantasia, a suposta ideologia da classe adversária." Tudo o que o sr. Patschiki escreve sobre o Mídia Sem Máscara é, de fato, projeção inversa: como a esquerda é um movimento político unitário, riquíssimo e bem organizado, ele tem de imaginar que qualquer bloguinho anticomunista é exatamente a mesma coisa. Como trabalho científico, sua tese não vale nada, mas vale muito como informe de espião, desses que os comunistas sempre fazem para ter pronta a lista de inimigos a ser assassinados no momento propício. Correção – Por engano da redação, o nome do livro de Lucas Patschicki, citado no artigo anterior, foi grafado erradamente. O correto é Os Litores da Nossa Burguesia: O Mídia Sem Máscara em sua Atuação Partidária. OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

GibaUm

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

3 Dilma Rousseff viu na TV 3 MAIS: e manda assessores trailler do filme Lincoln, quando Daniel Day-Lewis bate na mesa: "Eu sou presidente, sou poderoso!"

gibaum@gibaum.com.br

k “Palhaço e político é tudo com p.”

conseguir dois votos no congresso para a 13ª Emenda. Aí, a presidente gargalhou: "Isso só acontece no cinema".

Fatia maior

CAMPOS MACHADO // deputado estadual (PTB-SP), elogiando o novo vereador de São Paulo, o palhaço Marquito, de seu partido, que trabalha com Ratinho. Fotos: Paula Lima

Por conta dos derivativos, na crise de 2008, o Banco Votorantim viu pela frente um rombo de R$ 2,2 bilhões, que fez muita gente profetizar até mesmo sua sobrevivência. Contudo, numa surpreendente operação, o Banco do Brasil acabou comprando nada menos do que 49% da instituição por R$ 4,2 bilhões e não participou da diretoria executiva. Agora, começou novo romance entre os sócios e o BB deverá aumentar sua fatia – e provavelmente, indicar uma nova diretoria.

333

MALHANDO Ex-senador e ex-vicepresidente da República, Marco Maciel, que o DEM quer que se candidateadeputadofederalno ano que vem para puxar a legenda, andava afastado da política, só que circula com freqüência em Brasília, onde tem uma casa. E até malha, regularmente, numa academia da cidade: faz esteira, alongamento e leve musculação. O físico, contudo, continua justificando antigo apelido de folha de papel – de perfil.

333

333 A ministra Gleisi Hoffmann está fazendo força para emplacar Gilson Alceu Bittencourt, secretário-adjunto da Casa Civil para o cargo de secretárioexecutivo, ocupado por Beto Vasconcelos, que está de saída para se dedicar a projetos acadêmicos. Na outra ponta, o nome do atual diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Nelson Hubner, é bem cotado para o mesmo lugar. Engenheiro elétrico de formação e pós-graduado em matemática, Hubner é bom de números, tem uma relação mais do que cordial com Dilma e, no passado, chegou até a fazer a declaração de Imposto de Renda da presidente.

NUA DE GRAÇA Depois de Pedro Scooby, marido de Luana Piovani, o peruano Mario Testino também acaba de fotografar, num apartamento que alugou perto da rua Farme de Amoedo, no Rio (a região é rotulada de paraíso gay), sem roupa, José Loreto e Débora Nascimento, o Darkson e a Tessália da novela Avenida Brasil, tudo para seu novo livro de retratos. Débora, que rejeita convites de revista masculinas, aparecerá até na base do nu frontal como, no livro anterior de Testino, aparecia Fernanda Lima, que também recusa convite dessas publicações. Detalhe: todos posam de graça. 333

Marina-Suplicy O senador Eduardo Matarazzo Suplicy, sempre um dos mais votados na história recente do país, já sabe que seu partido, o PT, fará de tudo para que ele fique sem a legenda para sua pretendida candidatura em 2014. A ex-ministra Marina Silva, que anda um pouco à deriva porque está achando que será muito difícil conseguir meio milhão de assinaturas para fundar seu novo partido, já emitiu, mesmo assim, sinais para Suplicy de que ele seria “recebido de braços abertos” em sua nova agremiação. Poderia ser candidato a vice-presidente com ela ou disputar o governo paulista no ano que vem.

333

PRÓXIMAVÍTIMA O PT acompanha, com apreensão, as denúncias contra Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), candidato a presidente da Câmara, já imaginando que o vice dele, o petista André Vargas poderá ser a próxima vitima. O partido tem medo que o passado de Vargas, com direito a escândalos no Paraná, passe a ser investigado. Entre eles, uma suposta lavagem de dinheiro em campanha, quando foram utilizados CPFs de vigilantes da Universidade Estadual de Maringá, que apareciam como doadores da campanha. O deputadopetistafoicondenado a indenizar por danos morais os vigilantes em R$ 120 mil.

333 E começa tudo de novo: nas quadras e mesmo nos sambódromos de São Paulo e Rio, as escolas de samba vão se preparando para o grande espetáculo do carnaval e algumas apresentando como musas, madrinhas ou rainhas de suas baterias as famosas do showbiz nacional. No fim de semana, entre as duas cidades, esquentavam seus motores, da esquerda para a direita, Ana Hickmann, madrinha da bateria da Vai-Vai; Sabrina Sato (Salgueiro); Gracyanne Barbosa (Mangueira); Caroline Bittencourt (madrinha da bateria da Unidos do Tucuruvi); e Mirella Santos, na União da Ilha.

Famosos nosamba

Com jegue e buchada

Dilma Rousseff no interior do Piauí, descontraída, vestindo um gibão e um chapéu de couro de vaqueiro oferecido pelo prefeito de São Julião, seu colega petista José Neci, que tratou de fazer referencias à continuação dela no Planalto, toda essa cena inspirou um comentário do ministro Aloízio Mercadante: “Está dada a largada da campanha pela reeleição”. Mais: ela foi até a região, onde Lula sempre deitou e rolou, e que andava meio esquecida, levando o que o sertanejo mais quer: água. Hoje, o Nordeste vive uma de suas piores secas. Para se ter melhor idéia: 37 cidades do interior de Alagoas estão em estado de emergência em função da estiagem que assola o Nordeste. Daqui para a frente, jegue ou buchada de bode é refresco. 333

MISTURA FINA NESSES dias, Lula vai a Cuba para se encontrar com Fidel Castro e ver de perto o estado de saúde do venezuelano Hugo Chávez. Depois, vai para Santo Domingo, na República Dominicana e em seguida, Washington, onde não se avistará com o reempossado Barack Obama.

333

ESTÁ começando uma campanha das Forças Armadas para que os jovens descolados do país se coloquem como voluntários do alistamento militar obrigatório. A idéia é tentar superar a imagem de que servir é uma tarefa muito chata. Para quem não sabe: os recrutas, hoje, dão expedientes de horários reduzidos e dependendo, nem almoçam nos quartéis. Só que tudo por problema de orçamento reduzido.

333

EM HISTÓRICA ironia, argentinos já foram chamados de “ingleses que não deram certo” e a mania deles por expressões do idioma de Shakespeare, sempre sujeita a gozações, pode ser constatada nos jornais, revistas, programas de televisão e na publicidade. Agora, nem a discutida presidente Cristina Kirchner consegue se agüentar: no Twitter, vira e mexe, despeja sorry, hello, friends e por aí vai. 333

A criadora, roteirista, diretora e protagonista da série Girls , da HBO, Lena Dunham, 26 anos, que começa a colecionar prêmios (acaba de ser capa e recheio da revista Fabulous), é a nova musa das gordinhas, baixinhas e um tanto rejeitadas jovens americanas que assistem a TV fechada e já aumentando sua legião de admiradoras no Brasil. A personagem Hannah que ela criou, também não tem nenhum pudor em tirar a roupa: num dos últimos capítulos exibidos no Brasil, no final, como é menos provida de poitrine , tira a roupa e exibe o derrière , mais do que farto, numa calcinha transparente – e fio dental. 333

Nova musa

Elas gostam de apanhar Virou febre entre modelos e artistas de televisão no Brasil uma moda importada dos Estados Unidos: é a prática do muay thai, arte marcial originária da Tailândia, onde é considerado desporto nacional. Exige uma disciplina fiscal e mental que inclui golpes de combate em pé e é conhecida como a arte das oito armas, porque é caracterizada pelo uso combinado de punhos, cotovelos, joelhos, canelas e pés. Elas praticam para manter o físico e, nas academias, com instrutores, mais apanham do que batem – e dependendo, até gostam por conta dos resultados. 333

A PARANAENSE Andressa Ganacin é a participante da nova edição do Big Brother Brasil que mais alegra técnicos e demais funcionários da Globo que trabalham nos bastidores do reality show. Bonita – e muito generosa – ela não vê nenhum problema em mostrar tudo sempre que troca de roupa. De vez em quando, parte dessa generosidade até é exibida no pay per view. 333

MARÍLIA Pêra, viceprimeira-dama do teatro brasileiro, chega hoje aos 70 anos de idade, em grande forma e debaixo de aplausos nacionais.

333

333

h IN

Renda natural do Ceará.

h

Homem do IR

OUT

Renda sintética da China.

Virou socialite Enquanto se anuncia a divulgação de novo dossiê envolvendo supostamente o nome de Renan Calheiros associado a BR Distribuidora, Monica Veloso, que protagonizou o famoso escândalo de 2007, mantém distancia do senador que, embora pague religiosamente gorda pensão, também não tem contato com a filha que teve com a ex-jornalista. Aos 44, Monica tem um relacionamento com o empresário mineiro Paulo Henrique Vieira, freqüenta rodas sociais de Belo Horizonte e está afastada, há seis meses, na TV onde tinha um programa semanal sobre automóveis. 333

333 NO FINAL do mês, haverá a primeira seleção de candidatas (mais de 500) do concurso Miss Brasil Vintage, no Rio: é uma tentativa de resgatar o estilo das pin-ups e exaltar formas bem torneadas. Recomenda-se cintura de 60 cm e quadris entre 95 cm e 100 cm. As moças desfilarão de roupa de banho no estilo anos 50 e 60 e de lingerie com cinta-liga e meias 7/8.

Colaboração: Paula Rodrigues / A.Favero

CHARGE DO DIA


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

5 É A REELEIÇÃO A eleição de 2014 está longe, mas o tema preocupa de Dilma a Alckmin.

olítica

O PT de Lula já tem seu candidato. É Dilma.

D

epois de classificar c o m o " e s p e c u l ação" a possibilidade de Luiz Inácio Lula da Silva voltar a ser candidato a presidente da República, em 2014, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, confirmou que "a nossa candidata chama-se Dilma Rousseff". "Vamos trabalhar por sua reeleição, para que a gente continue fazendo esse governo extraordinário, que tem dificuldades, mas pode fazer muita coisa pelo Brasil", explicou. Especulação – Paulo Okamoto destacou que qualquer discussão sobre a sucessão presidencial em 2013, "antes do Carnaval", é "mera especulação e não contribui, em nada, para a gente entender o que está acontecendo com o País". As declarações de Okamoto foram reforçadas pelo diretor do Instituto Lula, Paulo Vannuchi, ex-ministro da Secretaria de Diretos Humanos no governo Lula. Depois de negar qualquer intenção de Lula candidato a presidente, Vannuchi assegurou que nas eleições gerais de 2014, na disputa federal, o ex-presidente "vai gastar toda a energia para a manutenção da aliança entre o PT, o PMDB e o PSB", assegurou, ao avaliar que a aliança teria sofrido "arranhões" pelas tensões provocadas pelas eleições municipais. Além de 2014 – O ex-ministro descartou, até, a possibilidade de Lula vir a disputar as eleições de 2018. Vannuchi garantiu que ouviu do ex-presidente que ele não pretende disputar a última eleição da década e que não se opõe a uma candidatura de aliados do PT. Em sua avaliação, Vannuchi disse que Lula poderia ser candidato só em caso de uma "crise institucional", o que na sua interpretação está fora de qualquer cogitação.

Sergio Lima/Folhapress – 14/42010

A

Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula, nega Lula em 2014. Paduardo/Estadão Conteúdo – 10/1/2013

Luiz Marinho: "É papo furado." Entrosamento – O ex-ministro refutou também que haja uma crise entre Lula e a presidente Dilma. "Eu nunca vi um nível de entrosamento como o deles", afirmou Vannuchi, que também participou, ontem, de encontro com intelectuais da América Latina, promovido pelo Instituto Lula, em São Paulo (leia mais na pág. 6). Ele aproveitou ainda para provocar o PSDB ao dizer que o pré-candidato, o senador Aécio Neves (MG), "não é candidato para valer" no ano que vem. "Toda a construção da candidatura agora é para ele virar figura de proa, disputar para perder e contar com recall em 2018", afirmou. Vannuchi contou também que Lula proibiu que seus assessores próximos falassem sobre a candidatura dele ao

governo do Estado de São Paulo. Sobre a entrevista do marqueteiro João Santana, que levantou essa possibilidade, o ex-ministro disse que já teve uma conversa com o publicitário sobre o assunto. Caravana – Ele confirmou que Lula está para iniciar uma série de viagens pelo Brasil, mas assim como outros assessores do ex-presidente, negou que elas serão uma reedição da Caravana da Cidadania. Segundo Vannuchi, a proposta é a de se reunir com segmentos e grupos sociais, como trabalhadores rurais, para tratar de questões pontuais. Papo furado – O prefeito de São Bernardo do Campo, o petista Luiz Marinho, chamou de "papo furado" a provável candidatura de Lula para 2014. Ele garantiu que o assunto "nem está colocado" na agenda do partido. Marinho chegou a ser incisivo. "Isso não é nem especulação, isso é papo furado de quem não tem o que fazer." Marinho disse que o PT está focado na reeleição de Dilma. "Estamos trabalhando no processo de alianças para ter uma chapa forte para reeleger a presidente Dilma." Já o ex-presidente Lula, ao ser questionado sobre sua possível candidatura, desconversou: "Hoje não discuto política". (Agências)

dos estados, o governo federal tem o dever de participar, na sua área de atuação, para a melhoria da segurança pública", destacou a presidente. Dilma explicou que o plano consiste em duas grandes ações: a Operação Ágata, liderada pelo Ministério da Defesa e que mobiliza as Forças Armadas, e a Operação Sentinela, coordenada pelo Ministério da Justiça e que reúne a Polícia Federal, a Polícia Rodoviária Federal e a Força Nacional.

A presidente lembrou ainda que o Brasil tem uma fronteira de mais de 16 mil quilômetros com dez países da América do Sul. "Os criminosos escolhem as regiões mais vulneráveis da nossa fronteira para o tráfico de armas, de drogas e para o contrabando", disse. "Por isso, o combate ao crime tem exigido uma ação firme e uma presença forte do governo federal nas regiões de fronteira", justificou no programa Café com a Presidenta. (ABr)

Alckmin de olho em 2014

O

governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), criou um gabinete, com status de secretaria, para acompanhar e divulgar projetos estratégicos de sua administração. O tucano pretende "turbinar" as realizações de seu mandato para fortalecer a corrida, em 2014, para a sua reeleição. Alckmin nomeou para a nova pasta, subordinada diretamente a seu gabinete, o coordenador de sua campanha presidencial em 2006, João Carlos Meirelles. Ele será o responsável pela Assessoria Especial de Assuntos Estratégicos, criada por meio de um decreto do governador. A pasta terá uma estrutura responsável por ações de comunicação, acompanhamento de obras e elaboração da agenda do governador. O novo secretário também vai co-

Assessores próximos do ex-presidente chamam de "especulação" ou "papo furado" uma eventual candidatura dele para 2014. O foco do PT é a reeleição da presidente, mas não descarta a volta dele em 2018, embora seja possível a candidatura de um aliado do partido para o Planalto.

Clayton de Souza/Estadão Conteúdo

Atacando o crime, na fronteira. presidente Dilma Rousseff, ao analisar o Plano Estratégico de Fronteiras, disse ontem que o programa tem alcançado bons resultados na prevenção ao crime organizado. De acordo com a presidente, desde o início das ações, há um ano e meio, foram apreendidas 360 toneladas de drogas, 280 mil munições e 20 toneladas de explosivos. "Mesmo sendo área de segurança pública e uma responsabilidade constitucional

NA DIVISA Governo federal faz balanço de ações na fronteira. E gosta do resultado.

Alex Vianna/Estadão Conteúdo

Governador Geraldo Alckmin visita obra de piscinão da Vila Prudente ordenar "as atividades e os trabalhos essenciais à execução do plano de governo." Parte das ações era feita por outros assessores, mas Alckmin decidiu atribuir novas responsabilidades à estrutura e conferir "prerrogativa de secretário" a Meirelles. A criação

da pasta é uma tentativa de Alckmin de acelerar a execução de projetos do governo e, principalmente, divulgar as realizações de sua gestão. O núcleo político tem demonstrado preocupação com a falta de "marcas fortes" na administração. (Estadão Conteúdo)

Paulo Vannuchi: ex-ministro de Lula admite a candidatura do ex-presidente só em "crise institucional". Antonio Cruz/ABr – 24/12/2012

Tânia Rego/ABr – 4/12/2012

Gleisi Hoffmann: convocada pela presidente.

Miriam Belchior: papel de destaque na reta final.

Presidente cobra metas de ministros. É a reeleição. Dilma Roussef quer deixar uma marca para facilitar a campanha de 2014

E

m busca de deixar uma marca para seu governo e assim facilitar a campanha à reeleição, em 2014, a presidente Dilma Rousseff pediu metas prioritárias para parte do seu time de ministros. De acordo com o site Brasil 247, a atenção especial para os próximos dois e últimos anos de seu governo foi encomendada aos ministros Guido Mantega, da Fazenda; Gleisi Hoffmann, da Casa Civil: Fernando Pimentel, do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; Miriam Belchior, do Planejamento, e Gilberto Carvalho, da Secretaria-Geral da Presidência. A principal dificuldade que a presidente deverá enfrentar será na área econômica, já que o crescimento de 2012 ficou abaixo do esperado. Deve fechar próximo de 1%. Recentemente, até líderes do PT cobraram para que Mantega divulgue previsões menores e entregue um resultado maior. Dilma já disse que deseja um "pibão grandão" neste ano, mas em discurso no Piauí, na sexta-feira, reafirmou que o País terá crescimento "sustentável e sistemático" em 2013. Portanto, boa parte das medidas, a serem tomadas na segunda metade do seu mandato, estará focada no crescimento econômico. O governo, inclusive, aposta que as ações que já vêm sendo colocadas em prática desde o ano passado já apresentem resultados a partir de abril, como a redução de juros dos bancos e da tarifa de energia elétrica, a redução de tributos a empresas e a diminuição da dívida pública.

Sergio Lima/Folhapress

Dilma e o ministro Fernando Pimentel: planos para marcar o governo. Outros setores que precisam ser vistos com cuidado são a saúde e a segurança. De acordo com pesquisas obtidas pelo Planalto, são as duas áreas que mais recebem queixas da população.

Além disso, obras de infraestrutura também terão de ser aceleradas. Neste fim de semana, o governo anunciou a liberação de mais R$ 394 milhões para as obras de transposição do São Francisco.


p Lula: 'Este é o século da AL e da África'. DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

É natural que participantes da administração federal se reúnam com Lula. Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula.

olítica

Esse foi o mote do ex-presidente, na abertura do segundo seminário com intelectuais latino-americanos organizado pelo instituto que leva seu nome.

O

Fotos: Clayton de Souza/Estadão Conteúdo

Lula: "Países da AL viam EUA e Europa como parceiros preferenciais. Ficavam de costas uns para os outros."

Secretaria prorroga contratos

A

Secretaria de Comunicação Social da Presidência prorrogou por um ano o contrato com três empresas que prestam serviço de publicidade ao governo desde 2012. A renovação do vínculo até 15 de janeiro de 2014 com as empresas Leo Burnett, Propeg e Nova S/B foi publicada no Diário Oficial da União de ontem. Responsável por campanhas de utilidade pública com selo do governo federal, o Palácio deverá desti-

nar às agências R$ 187,5 milhões – R$ 35 milhões a mais que o previsto. Trata-se da prorrogação do contrato original das empresas, assegurado pela lei 8.666, que estabelece normas de contrato e licitação no governo federal. A lei também assegura reajuste no valor contratado de até 5%. Segundo publicado no Diário Oficial da União , a renovação tem como base o artigo 57 da Lei de Licitações, que prevê a possibilidade "com

vistas à obtenção de preços e condições mais vantajosas para a administração". A Secom define os serviços de publicidade como "conjunto de atividades realizadas integradamente que tenham por objetivo estudo, planejamento, conceituação, concepção, criação, execução interna, intermediação e supervisão da execução externa e a distribuição de publicidade de competência da contratante aos veículos e demais meios de divulgação". (Folhapress)

ex-presidente Lula abriu na manhã de ontem o seminário com intelectuais latino-americanos organizado em São Paulo pelo Instituto Lula. "Este é o século da América Latina e da África", disse ele, otimista, a respeito do quadro político e econômico dos dois continentes. A manifestação foi transmitida aos jornalistas pelo ex-ministro Luiz Dulci, diretor do Instituto. Isso porque o próprio Lula, a exemplo do que tem feito nas últimas semanas, recusou-se a atender aos pedidos de entrevista da mídia. Para Lula, segundo a versão de Dulci, nunca houve tanto desenvolvimento econômico e social na América Latina como agora, diz o site Brasil 247. Ele lembrou que os países da região viam os Estados Unidos e a Europa como parceiros preferenciais e ficavam "de costas uns para os outros", pois não acreditavam que pudesse ser uma relação frutífera. Lula defendeu a criação de "mecanismos efetivos para promover a integração". Um desses mecanismos é o Banco Sul, de fomento para obras de infraestrutura. Lula disse aos participantes que a vontade dos políticos da América Latina em avançar nas discussões sobre a integração não tem sido acompanhada por ações políticas da mesma força. "Queremos aprender com vocês, saber o que vocês estão pensando sobre esse tema na academia (...) para que se criem instrumentos para avançar na integração". Com convites oficiais para visitar "todos, sem exceção", países da América Latina, segundo Dulci, Lula cumprirá agenda internacional intensa nas próximas semanas. Ele estará em Cuba no final do mês, para as comemorações dos 160 anos de nascimento de José Martí. Em seguida, irá à Etiópia. Segundo Dulci, o expresidente não tem informações sobre o estado de saúde do presidente da Venezuela, Hugo Chávez. "Se for possível, quando estiver em Cuba, Lula certamente levará sua solida-

Luiz Dulci diz que Lula não sabe do estado de saúde de Chávez. Lula vai se encontrar com Fidel Castro? "Muito provavelmente."

riedade a ele, mas ainda não sabemos." O ex-presidente vai se encontrar com Fidel Castro? “Muito provavelmente", respondeu o ex-ministro. Encontros – Este é o segundo encontro realizado pelo Instituto Lula com representantes da América Latina. O primeiro foi com movimentos sindicais

Queremos aprender com vocês, saber o que vocês estão pensando (...) para que se criem instrumentos de avanço na integração. EX-PRESIDENTE LULA e populares. O próximo será com empresários da região. "Vamos levar as sugestões apresentadas no encontro para os organismos regionais, sem a preocupação de cobrar ações governamentais", disse Luiz Dulci, para quem os grandes desafios para a América Latina são basicamente as integrações física, energética e do setor produtivo.

Para Dulci, a integração física é necessária com a construção de estradas e melhoria da infraestrutura aérea. Já a ampliação da integração produtiva tem como exemplo o que ocorre no setor automotivo no Mercosul, que tem acordo para comércio na região. Segundo ele, a América Latina avançou muito nas últimas décadas e hoje há uma "democracia generalizada, com todos os governantes eleitos pelo voto popular". Entre os participantes estavam integrantes do governo, como o ministro da Defesa, Celso Amorim, o assessor especial da Presidência para assuntos internacionais Marco Aurélio Garcia e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho. Para Paulo Okamotto, presidente do Instituto Lula, é natural que participantes da administração federal se reúnam com o ex-presidente. "O Lula sempre está debatendo, tentando construir política." Segundo ele, neste ano Lula planeja ir a Brasília para intensificar conversas com as bases parlamentares na Câmara e no Senado, como fez no início do governo Dilma. (Agências)

José Cruz/ABr – 17/7/2012

Sérgio Guerra: "Lula de fato, não de direito, lançou a candidatura da Dilma antes das eleições de 2010".

PSDB: renovação para 2014.

E

m busca de um discurso capaz de representar uma alternativa ao governo federal, o PSDB enfrenta um processo de reestruturação. Fortemente identificada com a oposição ao modelo adotado nos últimos 10 anos de governo federal, a sigla prepara uma agenda de renovação nos principais estados e colégios eleitorais. Em 2013, o partido deverá promover mudanças nos diretórios estaduais, municipais e

no nacional para apressar as prévias que definirão com antecedência os nomes para disputar as eleições de 2014. As estratégias foram apresentadas pelo presidente nacional do PSDB e deputado federal Sérgio Guerra, em entrevista ao portal Sul 21. Ele explica que os tucanos amadureceram depois das derrotas de José Serra (PSDB) à Presidência da República (2010) e à Prefeitura de São Paulo (2012) e que a tendên-

cia natural é lançar o nome do senador Aécio Neves como presidenciável. "O exemplo do PT está dado. O ex-presidente Lula de fato, não de direito, lançou a candidatura da Dilma muito antes das eleições de 2010." Para Guerra, a adoção de agenda propositiva é a principal ferramenta para enfrentar eventual candidatura de Dilma Rousseff, em uma tentativa de reeleição, considerada eleitoralmente forte .


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

7 O País ainda está curtindo a conclusão bem sucedida do julgamento do século, o Mensalão. Financial Times

olítica

Divulgação – Ascom/CGU-2013

CGU coloca na internet dados de fiscalização Todas as informações sobre as inspeções de programas de governo e de 1.965 municípios brasileiros desde 2003 estão disponíveis.

Valdir Agapito: 99% dos documentos elaborados pela CGU podem ser acessados pelos cidadãos. Alan Marques/Folhapress – 25/10/2005

Ex-juiz Rocha Mattos (acima) vai ser processado criminalmente pelo presidente da OAB, por Ophir Cavalcante (ao lado) por voltar a cometer ilícito penal: "Esse reconhecimento é um escárnio".

O

Rocha Mattos: novo processo, por exercício irregular da advocacia.

A

preso em regime fechado e dois no semiaberto. Ele já foi condenado a mais de 20 anos de prisão em diferentes processos. Desde abril de 2011, cumpre a pena em regime aberto. Domingo, o jornal O Estado de S. Paulo publicou entrevista de Mattos afirmando que está advogando, mas não assina documentos. Em agosto de 2012, ele pediu à OAB para reativar seu registro. Mattos começou a advogar em 1975, mas interrompeu atividade depois que passou pela Polícia Federal, Ministério Público e Justiça Federal.

Para Ophir Cavalcante, a entrevista do ex-juiz é uma evidência do exercício irregular da profissão: "O ex-juiz reconhece publicamente que está advogando por interpostas pessoas, ou seja, que voltou a cometer novo ilícito penal. Esse reconhecimento é um escárnio". E Rocha Mattos conta que só assina habeas corpus em seu nome. "Quem melhor pode advogar para mim do que eu mesmo?" Segundo Mattos, seu sócio no escritório revisa os documentos antes de assiná-los. "Jamais assinei algo em nome de terceiros". (Folhapress)

Previdência para servidores de SP

O

Ministério da Previdência aprovou ontem os dois primeiros planos de previdência complementar para os novos servidores do Estado de São Paulo. A aprovação foi publicada no Diário Oficial da União em ato da Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc). Desde 2011, uma lei de iniciativa do governador Geraldo Alckmin mudou o regime de aposentadoria dos servidores ao criar um sistema de previdência complementar. As aprovações dos planos

pela Previc os tornam regularizados. De acordo com o governo, a previsão é de que o sistema já vai começar a funcionar em fevereiro. Os planos aprovados são chamados de Prevcom RG (destinados aos vinculados ao regime geral de previdência) e Prevcom RP (destinados aos servidores do regime próprio) e serão administrados pela SP-Prevcom (Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo). A mesma medida está sendo adotada pelo governo federal e por outros estados, co-

documentos com avaliação sobre a execução de programas de governo, da gestão dos administradores, ações investigativas e orientação aos gestores públicos. A ferramenta, explica o secretário Federal de Controle da CGU Valdir Agapito, se insere "no espírito da Lei de Acesso à Informação", que entrou em vigor em 16 de maio de 2012. A controladoria pretende atualizar a cada 15 dias os relatórios no site, segundo o secretário. Direito de defesa – De acordo com Agapito, 99% dos documentos elaborados pelo órgão estão disponíveis. Há, continuou, "o cuidado com alguns [documentos], que por lei são sigilosos, e o que deve estar acessível já é do conhecimento do gestor público, que em caso de irregularida-

des tem respeitado seu direito de defesa", antes da exposição pública. Os relatórios da CGU são encaminhados "para providências cabíveis", quando é o caso, aos ministérios, à Polícia Federal, aos ministérios públicos (federal e estaduais), ao Tribunal de Contas da União (TCU) e à Advocacia-Geral da União (AGU). No ano passado, 24 municípios receberam a visita de técnicos da CGU, que vistoriaram os gastos e execução de ações nas áreas de saúde, educação e desenvolvimento social. A inspeção fiscalizou a aplicação de R$ 496 milhões em recursos públicos. Haviam sido sorteados 60 municípios, mas o número final foi reduzido devido à greve dos servidores em 2012. (ABr)

Para Financial Times, corrupção brasileira está longe de acabar.

João Cruz/ABr -–16/2/2012

Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) informou ontem que vai processar criminalmente o ex-juiz João Carlos da Rocha Mattos por exercício irregular da profissão. Segundo a entidade, o presidente da OAB nacional, Ophir Cavalcante, conversou com o presidente da seccional paulista, Marcos da Costa, e pediu que ele entre com a representação. Rocha Mattos foi processado na Operação Anaconda, que investigou em 2003 membros do Judiciário. Então juiz federal, ele ficou cinco anos

A

Controladoria-Geral da União (CGU) criou ferramenta na internet que permite acesso a documentos sobre a execução dos programas de governo e aos relatórios das auditorias em municípios, feitas pelo Programa de Fiscalização do órgão, desde 2003. Desde esse ano, o programa inspecionou 35% dos municípios brasileiros (equivalente a 1.965 municípios) e fiscalizou o uso de R$ 18,4 bilhões. De acordo com o órgão, antes era possível encontrar "de forma dispersa" no site alguns relatórios de ações de controle e do programa de fiscalização nos municípios. Desde dezembro passado, estão disponíveis e reunidos em um único espaço todos os relatórios já publicados pela CGU, além de

mo o Rio de Janeiro. A intenção é combater o déficit da previdência no setor público. A quem se aplica – Esse sistema de aposentadoria só vai valer para os novos contratados e não deve ter impacto para servidores na ativa. Por ele, os novos servidores deverão se aposentar pelo teto do INSS, regime idêntico ao dos empregados do setor privado, que hoje é de R$ 4.159 mensais. Quem quiser aposentadoria maior terá de entrar para o novo sistema. O Estado também contribuirá para o fundo. (EC)

jornal econômico inglês Financial Times publicou artigo intitulado "Corrupção brasileira: longe de acabar", afirmando que o País ainda está curtindo a conclusão bem sucedida do chamado "julgamento do século", o Mensalão, em que ex-membros do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva foram condenados em processo de compra de votos no Congresso, nos primeiros anos de seu governo. O caso, segundo o jornal, foi saudado como o começo do fim da cultura de impunidade no Brasil, já que políticos e ricos raramente são responsabilizados por suas ações. "O princípio do fim, talvez – mas ainda muito longe do fim, infelizmente", comenta o artigo. Agora, diz o FT, o Congresso está examinando uma emenda constitucional que limita os poderes de investigação do Ministério Público Federal – precisamente a instituição que preparou o caso do Mensalão para julgamento. A ideia por trás da alteração, patrocinada pelo deputado Lourival Mendes, é que só a polícia deve ter poder de investigação. Ele argumenta: "A falta de regras claras definindo o papel dos órgãos de segurança pública na preparação do processo legal tem causado grandes problemas legais para o País". E tem um argumento. O sistema brasileiro de conceder ao Ministério Público independência investigativa imensa, às vezes leva ao caos. A Chevron descobriu isso, afirma o FT, quando um pequeno vazamento de óleo em uma de suas instalações no mar do Rio de Janeiro levou um promotor público a dar início a um processo judicial de US $ 11 bilhões contra a empresa de petróleo dos EUA e exigir confisco de passaportes de seus executivos. Mas o sistema que garante a independência dos promotores públicos, diz o Financial Tim es , foi desenvolvido para não ser adulterado por políticos, polícia ou Forças Armadas. Os críticos a chamam de "lei da impunidade". Eles afirmam que a polícia será oprimida se assumir os encargos das

Felipe Sampaio/SCO/STF – 6/12/2012

Joaquim Barbosa e o Mensalão: "O País ainda saboreia seus efeitos". promotorias. Resultado: muitos casos de interesse público jamais seriam investigados. Alexandre Camanho, presidente da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR), acusa a polícia, diz o FT, de se lançar em uma guerra para angariar mais controle sobre o processo legal, aumentar

seu próprio poder e prestígio: "Se aprovada, essa lei iria desestabilizar o sistema". O projeto ainda precisa ser votado na Câmara e no Senado. Se ele passar, sua existência mostra que o Brasil ainda tem um caminho a percorrer na marcha contra a impunidade, conclui o Financial Times.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Desânimo: estima-se que 700 mil pessoas participaram da festa – um terço dos que compareceram em 2009.

Roger Wollenberg/EFE

nternacional

Novos tempos, novos desafios.

Kevin Lamarque/Reuters

Guerra no Afeganistão? Meta cumprida. Crise econômica? Recuperação em curso. Em seu segundo mandato, presidente Obama promete defender os direitos dos homossexuais, das mulheres e dos imigrantes.

D

Jason Reed/Reuters

iante de uma multidão estimada em 700 mil pessoas e sob um frio de 4ºC, Barack Hussein Obama, de 51 anos, tomou posse ontem pela segunda vez como presidente dos Estados Unidos defendendo a igualdade e propondo uma agenda socialmente liberal para os próximos quatro anos. Para o segundo mandato, as expectativas sobre Obama estão atenuadas por causa da persistente fragilidade econômica do país e das divisões políticas em Washington. Apesar Obama é abraçado pela primeira-dama Michelle e pela filha Malia disso, o mandatário fez uma listagem confiante dos seus planos, abrangendo temas como cia das redes de amparo social, foi tratada como passado, mudança climática, imigração da regulação financeira e do in- "uma recuperação em curso". e direitos dos homossexuais. vestimento em educação. O fim das guerras no Iraque e no "Entendemos que, quando O t r e c h o , u m d o s m a i s Afeganistão, uma promessa há os tempos mudam, também te- aplaudidos, pareceu um reca- quatro anos, lembrado como mos que mudar; que fidelidade do à oposição, que insiste em uma meta cumprida. aos princípios de nossa funda- cortar o orçamento de prograObama também usou um reção (como país) exigem novas mas sociais para reduzir o curso retórico para defender a respostas a novos desafios e crescente déficit do país. ideia de que a interpretação da que preservar nossas liberdaO tom de Obama ontem foi Constituição e dos documentos des individuais requer ação co- de urgência e de que muito fal- de fundação dos EUA precisa letiva", disse o presidente após ta a ser feito, com a afirmação ser readaptada ao presente. fazer seu juramento ao chefe de que o país "não pode arcar A frase "Nós, o povo", que da Suprema Corte, John Ro- com os custos da demora" – abre a declaração de indepenberts, pela segunda vez. outra alusão à oposição. dência dos EUA de 1776, foi reO segundo mandato de ObaA crise econômica, evocada petida pelo presidente cinco ma, oficialmente, começara na no discurso de 2009, desta vez vezes no discurso, sempre véspera, mas o com um significaprotocolo nortedo novo. americano exige Diversidade - A que os eventos púplateia refletia a blicos da posse secoalizão que elejam adiados para geu Obama: musegunda-feira lheres e negros quando o dia 20 de eram maioria; jojaneiro é domingo. vens e latinos eram Houve palmas, frequentes. sobretudo quando Desta vez, atraObama defendeu ções pop foram os direitos dos hochamadas a entremossexuais, das ter o público. A canmulheres e dos tora Beyoncé interimigrantes, compretou o Hino Naparando suas decional; Kelly Clarkmandas às do moson, egressa do vimento pelos direality show "Amereitos civis nos rican Idol", cantou anos 1960 (os EUA "My Country, 'Tis of celebraram ontem Thee", e o veterano o feriado de Martin James Taylor deu Luther King). voz à folclórica Em contraste "America The com a retórica de Beautiful". união da primeira Na plateia, estaposse, desta vez vam artistas que Obama acenou à apoiaram Obama sua base eleitoral, durante a campainsistindo na defenha, como os cansa de oportunidatores Katy Perry e des iguais e reafirNuvem de tags mostra palavras mais Stevie Wonder. mando a importânusadas no discurso de Obama (Agências)

A cantora Beyoncé foi uma das celebridades que compareceu à cerimônia. Ela interpretou o Hino Nacional.

O líder do terror na Argélia era canadense Vítimas e militantes estrangeiros revelam: a insurgência virou globalizada. Canal Algerie/Reuters

P

elo menos um funcionário argelino e 37 trabalhadores estrangeiros de oito nacionalidades diferentes morreram durante o cerco a um campo de gás natural no deserto argelino, ocupado por um grupo islamita na semana passada. De acordo com o primeiro-ministro da Argélia, Abdelmalek Sellal, a captura de reféns foi liderada por um canadense, que comandava um grupo de sequestradores que vieram do Egito, Canadá, Mali, Níger, Mauritânia e Tunísia. "Um canadense estava entre os militantes. Ele estava coordenando o ataque", disse Sellal, em seu primeiro comentário público após quatro dias de combates encerrados no sábado. O nome do canadense foi divulgado apenas como sendo Chedad. O Canadá disse que estava buscando informações sobre o suspeito. "É triste que vitimas inocentes tenham sido mortas em ataques terroristas", afirmou o premiê, acrescentando que o número oficial de resgatados está em 685 argelinos, além de 107 estrangeiros. Segundo o premiê, 37 rebeldes entraram na Argélia vindo do Mali na quarta-feira passada com o objetivo de capturar estrangeiros no campo de gás In Amenas, próximo à fronteira com a Líbia. Sellal disse ainda que 29 islamitas tinham sido mortos no cerco, que chegou ao fim depois que as forças argelinas invadiram o local, e que três ha-

Delegação japonesa homenageia vítimas na usina argelina Joe Penney/Reuters

No Mali, soldados franceses tomam Diabaly dos insurgentes. viam sido capturados vivos. Ele pertenciam ao grupo Signatários por Sangue. Mali - O ministro do Interior da França, Manuel Valls, afirmou que os sequestradores provavelmente faziam parte do mesmo grupo que atacou o norte do país vizinho Mali. Os Exércitos de França e Mali avançaram, ontem, no território central do Mali, que

estava sob o controle de combatentes islamitas. Tanques entraram em Diabaly e Douentza, no que o governo francês descreveu como "sucesso militar certeiro" após a retirada dos islamitas. "O objetivo (dessa intervenção) é a reconquista total do Mali", disse o ministro da Defesa francês, Jean-Yves Le Drian. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

c

9 Hélvio Romero/Estadão Conteúdo

PROTESTO A internação compulsória de dependentes químicos não é uma unanimidade. Ontem houve protesto em frente ao Cratod.

idades

Marcelo Camargo/ABr

J. Duran Machfee/Futura Press/Estadão Conteúdo

Equipes do governo do Estado de São Paulo e entidades conveniadas participaram ontem do primeiro dia da operação conjunta que visa a combater o crack e tratar dependentes químicos.

Para livrá-lo do crack, filha dopa o pai e pede sua internação

Ontem foi o primeiro dia da operação montada pelo governo e Justiça paulista para combater o crack e recuperar dependentes químicos. Estão previstas internações compulsórias.

Jardiel Carvalho/CPN/Estadão Conteúdo

Ivan Ventura

údo

Estadão Conte

Hélvio Romero/

N

a manhã de hoje, o aposentado e dependente de crack J.M., de 62 anos, deverá ser oficializado como o primeiro caso de internação involuntária (a pedido da família) autorizada pela Justiça de São Paulo. O governo do Estado deu início ontem a seu programa de combate às drogas, com a introdução de três novas figuras para o tratamento de dependentes químicos: a internação compulsória (sem o consentimento da família), a internação involuntária (a pedido da família) e a voluntária. Epitácio Pessoa/Estadão Conteúdo Toda essa ação é realizada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), Ministério Público Estadual (MPE), Tribunal de Justiça, Defensoria Pública, secretarias estaduais e entidades religiosas. Atípico - O caso de J.M. chamou a atenção das crises de abstinência, dopou autoridades, pois é atípico. o próprio pai. Na tentativa Ontem, sua entrada no Centro de ajudá-lo a livrar-se do de Referência em Álcool, vício, colocou um calmante Tabaco e outras Drogas em sua comida. Sob o efeito (Cratod), no Bom Retiro, fugiu do medicamento, J.M. foi aos padrões planejados. levado ao Cratod no carro Dopado - A.P., 33 anos, sua de uma amiga de A.P., onde filha, cansada dos chegou por volta do meioconstantes furtos e das dia. Foi internado na

J.M. de 62 anos ( à esquerda), quando era levado para o Centro de referência. Para tentar interná-lo e livrá-lo da dependência do crack, A.P., sua filha (acima) colocou um calmante em sua comida. Hélvio Romero/Estadão Conteúdo

Abordado por um grupo religioso, um dependente de crack vai a um centro de reabilitação (foto maior). Depois de ter consumido crack a noite toda, usuário mostra a mão queimada. condição de paciente voluntário. Mas esse quadro deverá mudar na manhã de hoje. Como a avaliação médica de J.M. só foi concluída após o encerramento do plantão da Justiça (a quem cabe lavrar os termos de internação), o paciente passaria à noite no

Cratod. Hoje cedo sua filha entrará com o pedido de internação involuntária, tão logo o plantão seja reaberto. Além desse caso, a forçatarefa contra as drogas não registrou outra internação compulsória ou involuntária. Houve, sim, dois casos de internação voluntária, um

Marcos Bezerra/Estadão Conteúdo

deles de um adolescente de 16 anos, levado ao Cratod por sua mãe. No Centro de Referência em Álcool, Tabaco e outras Drogas, tanto as internações compulsórias como as involuntárias dependerão de avaliação médica e da decisão da Justiça, por meio

de um representante da OABSP, um integrante do Ministério Pública e um juiz. Sem a PM - Ontem, a secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania, Eloísa Arruda, esteve no Centro de Referência e descartou o apoio da Polícia Militar nas internações de dependentes químicos. A PM continuará restrita à Operação Centro Legal, destinada a combater ao tráfico de drogas. "O uso de força policial está descartada para essas abordagens e para a condução dos doentes para os prontos-socorros. Há equipes especializadas para essa intervenção", disse. Vagas - O governador Geraldo Alckmin voltou a defender ontem a internação involuntária de dependentes químicos e garantiu que São Paulo terá os leitos suficientes para todos aqueles que necessitem de tratamento. "Nós temos vagas. E se houver necessidade de mais vagas, nós as contrataremos". Atualmente, o Estado dispõe de 691 leitos para esse tipo de tratamento. Segundo Alckmin, outros 500 leitos serão entregues em breve.

Alexandre Moreira/Estadão Conteúdo

HELICÓPTERO CAI NA ZONA OESTE: UM MORTO E 3 FERIDOS.

A

Defesa Civil interditou cinco casas na região do Jaraguá, zona oeste, após um helicóptero cair ontem no local. O piloto Marcelo de Melo Ribeiro, 29 anos, morreu no local, e os três passageiros, funcionários da Prefeitura, ficaram feridos. De acordo com a Defesa Civil, as cinco casas foram atingidas durante o acidente. O acidente assustou os moradores. Segundo os bombeiros, uma pessoa passou mal ao ver a queda e foi socorrida. Outro morador saiu correndo ao ver o acidente, caiu e machucou o braço. (Folhapress)

JÁ CHOVEU 54% DO ESPERADO PARA O MÊS

O

Centro de Gerenciamento de Emergências informou ontem que já choveu na capital paulista 54% da média esperada para todo o mês de janeiro. Segundo o CGE, em

apenas três dias de janeiro não houve precipitação. A média climatológica esperada para janeiro é de 271,5 mm de chuva. Até o momento, a Capital registrou 146,3 mm. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

O mapa do carinho em cães e gatos Os desenhos mostram onde gatos e cachorros apreciam (ou não) um carinho e como eles encaram essa manifestação de amor. Enquanto o cão acha tudo lindo e maravilhoso, o gato é cheio de reservas. Melhor levar em conta se não quiser ser unhado pelo bichano.

www.dcomercio.com.br

E M

Q UADRADO

C A R T A Z

P OLÍCIA

Hackers milionários

O arquiteto Shigeru Ban é conhecido por sua consciência ambiental. Criou até um papel higiênico cujo rolo é quadrado, evitando o desperdício na hora do uso. W ALMOR CHAGAS

Vestígios de pólvora na mão do ator terá como principais fontes de informação os laudos do exame residuográfico do Instituto de Criminalística, para identificar vestígios de pólvora, e da necropsia, realizada pelo IML. Walmor Chagas foi uma das estrelas do TBC, o Teatro Brasileiro de Comédia – uma das referências de arte dramática no país nos anos 1950 e 1960 –, ao lado de Cacilda Becker (1921-1969), com quem se casou e teve uma filha. Em março deste ano, o ator seria homenageado pelos 64 anos de teatro na cerimônia do Prêmio Shell, no Rio.

Músico culpa drogas por pior momento

BIENAL - Começa hoje a segunda edição da Bienal Internacional Graffiti Fine Art do Museu Brasileiro da Escultura (MuBe), em São Paulo. Alguns dos 50 grafiteiros davam os últimos retoques em suas obras ontem.

F ILHOS

Mãe brasileira perde disputa judicial Alvo de disputa judicial por sua guarda desde 2006, dois meninos, filhos de mãe brasileira e pai norueguês, deverão voltar para o país paterno, decidiu o STJ (Superior Tribunal de Justiça). As crianças, de 13 e 10 anos, nasceram em Oslo, na Noruega, mas têm dupla nacionalidade. Eles vivem no Rio há seis anos e serão mandados de volta para a Noruega assim que forem encontrados. Oficiais de Justiça procuram os menores para que a decisão do STJ seja cumprida. Ainda cabe recurso.

Exposição Layers, Camadas, Sobreposições Interativas exibe desenhos da artista Magy Imoberdorf. Mônica Filgueiras & Eduardo Machado Galeria. Rua Bela Cintra, 1533, tel.: 3082-5292. Grátis.

D AVID BOWIE

L

Um laudo provisório do exame residuográfico indicou vestígios de pólvora na mão direita do ator Walmor Chagas, encontrado morto na última sexta-feira, em Guaratinguetá (a 187 quilômetros de São Paulo). O resultado comprova, em tese, a hipótese de suicídio. O mesmo exame foi realizado nas mãos do caseiro e foi descartada pela polícia qualquer hipótese de envolvimento dele na morte. De acordo com o delegado do 2º Distrito Policial de Guaratinguetá, Antonio Luiz Marcelino, o inquérito deve ser concluído em 30 dias e

cabana e Barra da Tijuca no período das festas de fim de ano. As investigações tiveram início em novembro do ano passado, quando foram sacados R$ 45 mil em uma agência bancária em Barra Mansa, desviados de uma empresa com conta numa instituição bancária de Mogi Guaçu (SP). (Folhapress)

Fabio Martins/Estadão Conteúdo

Chega de desperdício

nhã de ontem, três suspeitos ainda estavam foragidos. Os suspeitos são jovens de classe média, de 19 a 25 anos. Investigadores afirmam que a quadrilha mantinha uma vida de luxo e chegava a gastar R$ 20 mil em uma única noite de balada. Alguns costumavam se hospedar em suítes luxuosas nos melhores hotéis de Copa-

ARTE

P

oliciais civis do Rio de Janeiro prenderam 11 hackers no final de semana sob suspeita de desvio de mais de R$ 2 milhões – em dois anos – de correntistas de um banco, em diferentes regiões do país. No total, 14 mandados de prisão temporária foram expedidos pela Justiça. Até o final da ma-

O músico britânico David Bowie, 66, confessou ao tabloide The Sun que o pior momento de sua vida foi quando morava em Los Angeles, em 1975, e consumia drogas compulsivamente. O cantor explicou que gostaria de ter seguido o conselho de não usar drogas, que ouviu na adolescência. "Fui avisado antes, durante e depois de ser usuário. Todos os avisos estavam certos." Bowie deixou o alerta para os mais jovens e acrescentou que foi por essa razão que se mudou dos EUA para Berlim nos anos 1970, dando início a uma nova fase em sua carreira. O novo álbum do artista, The Next Day, chega às lojas em 11 de março. L OTERIAS Concurso 858 da LOTOFÁCIL

O tic-tac do relógio francês Como um relógio produzido na França funciona? A imagem explica, mas muitos no site abaixo acreditam que ela tenha sido 'photoshopada'.

Guidão animal O designer Taylor Simpson, de Brooklyn, Nova York, criou este guidão que vai deixar a sua bike com uma cara, digamos, bem invocada. Mais informações sobre o produto no site. http://taylorsimpsondesign.com/M-O-N-I-K-E-R

http://imgur.com/galler y/CZUHS

G RÉCIA, BRASIL, FRANÇA...

Ai, que delícia de bandeira... Para celebrar o Festival Internacional de Comida de Sydney (Austrália) foram recriadas as bandeiras dos países participantes, usando ingredientes típicos de cada nação. http://fancy-edibles.com/creativeedibles-ideas/tasty-national-flagsinspired-by-food-for-sydneysinternational-food-festival

01

03

04

05

06

08

09

11

12

17

19

20

22

23

25

Concurso 3100 da QUINA 16

23

24

30

76


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

e

11

conomia

Abit mira no Simples da Confecção A indústria têxtil nacional vai pedir benefícios tributários para competir com a asiática. E mais salvaguardas contra os chineses. Renato Carbonari Ibelli

O

setor de confecção encaminhará ao governo federal, agora em março, uma proposta para a criação de um regime diferenciado de tributação para suas indústrias. Seria uma espécie de 'Simples da Confecção', mas que abrangeria empresas de todos os portes. A ideia é reduzir a carga tributária do setor, hoje em 18% da receita bruta, para, no máximo, 12%. Segundo Aguinaldo Diniz Filho, presidente da Associação Brasileira da Indústria Têxtil (Abit), essa seria a alternativa para as confecções brasileiras competirem com as asiáticas.

A proposta da Abit pretende redimensionar o recolhimento de tributos federais, com Programa de Integração Social e Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Pis/Cofins) e Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), entre outros. Ela não envolve o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), tributo estadual que tem grande impacto na carga tributária das indústrias. Ainda assim, de acordo com Diniz, seria possível reduzir a carga do setor para até os 12% desejados. Reduzindo a tributação sobre a produção do setor para este percentual a Abit estima que seria possível à indústria de confecção aumentar em 69% o volume de produção até 2025 e gerar 300 mil empregos. O detalhamento do que o setor vem chamando de Regime Tributário Competitivo para Confecção (RTCC) deve ser apresentado somente após o

mesmo ser entregue ao governo. Para que a proposta seja acatada, um dos argumentos que devem ser levados a Brasília diz respeito ao fenômeno da fragmentação da indústria têxtil. Para ter uma carga tributária menor, grandes empresas do setor encontraram meios de se fatiar em empresas menores, compatíveis com o regime do Simples

Fenim quer vender R$ 600 milhões para o comércio

Flávio Guarnieri/Divulgação

Varejo melhora, indústria ficará estagnada.

A

Fátima Lourenço*

indústria de confecção se reúne há os clássicos masculinos. As opções a partir de hoje, até o próximo de compra para o público feminino tamdia 25, em Gramado, na Serra bém são muitas e incluem um espaço Gaúcha, para a 17ª edição da Feira Na- específico para a moda underwear, com cional da Indústria da Moda – a Fenim lingerie para a noite e para o dia. Inverno 2013. A expectativa da ExpoA Fenim receberá expositores de muivest, promotora do evento, é que os tos estados brasileiros, incluindo São 550 expositores e suas 2 Paulo, responsável, de acormil marcas presentes no do com Júlio Viana, por 50% centro de exposições Serra dos fabricantes presentes Park contabilizem, ao lonno evento. Há empresas go de quatro dias, aproxide portes variados, algumas O ano de mados R$ 600 milhões em já consagradas nacional2012 foi vendas para o varejo. mente, como Hering, Grupo muito "É um número expressiScalina (Trifil e Scala) e recessivo vo de expositores e os proAny Any. para as dutos de inverno são mais O diretor da Expovest caros que os de verão", jusconfecções. analisa que o momento é tifica o diretor da empresa, favorável para as vendas JÚLIO VIANA, Júlio Viana. Ele espera receda coleção do próximo inEXPOVEST ber 30 mil visitantes na Feverno. "O ano de 2012 foi nim, entre lojistas, atacamuito recessivo para as distas e representantes coconfecções e aquele invermerciais. A Expovest subsidia, tradi- no foi fraco. Agora, os lojistas estão cionalmente, a visitação de milhares com os estoques mais baixos", analisa de lojistas cadastrados para o evento. Júlio Viana. (FL) De acordo com Viana, para esta edição (A repórter acompanha a Fenim a conda feira, a empresa reservou cerca de vite da Expovest) 9 mil diárias nos hotéis de Gramado e região, investimento equivalente a ERVIÇO R$ 1 milhão. A Fenim apresenta lançamentos nos Fenim Inverno 2013. vários segmentos de moda masculina, Data: 22 a 25 de janeiro. feminina e infanto-infantil. "A linha masLocal: Centro de Eventos do Serra Park, culina cresceu bastante, no evento", deem Gramado (RS) talha Viana. Além das opções em jeans, Horário: das 10 horas às 19 horas

O

Edson Pelence/Divulgação

S

Ao longo de quatro dias, evento da Indústria da moda deve receber 30 mil visitantes, diz Júlio Viana.

Nacional, de tributação menos onerosa. O problema é que, além de perder escala, estas empresas têm o crescimento restrito ao teto de faturamento definido pelo Simples, de R$ 3,6 milhões anuais. Extrapolando este limite, as empresas acabam tributadas por regimes convencionais, o lucro real ou o lucro presumido, que são

bem mais onerosos. "A indústria de confecção teve o crescimento limitado pela tributação. O que queremos é um regime que permita a elas crescerem", afirma Diniz. Além de pedir um regime de tributação diferenciado para suas indústrias, independentemente do porte, o setor de confecção também tenta se blindar da ofensiva chinesa por meio de salvaguardas. Esta também será uma tarefa e tanto. Historicamente o Brasil não tem o hábito de pleitear esse instrumento – usado para proteger a indústria nacional de importações crescentes – junto da Organização Mundial

do Comércio (OMC). Ainda assim, a Abit protocolou junto ao governo brasileiro, em agosto do ano passado, o pedido de salvaguarda para 60 produtos de confecção chineses. Segundo Diniz, são 1,1 mil os produtos importados do segmento de confecção, sendo que aqueles 60 envolvidos no pedido de salvaguarda representam 82% das importações do setor. O governo respondeu ao pedido recomendando a Abit que faça a atualização dos dados envolvendo os itens importados para que, à posteriori, possam ser abertas investigações. Os países asiáticos, em especial a China, são os principais concorrentes das indústrias têxtil e de confecção brasileiras. Nos últimos dez anos as importações do segmento de vestuário cresceu 27%, de US$ 100 milhões para US$ 2,7 bilhões. A competitividade chinesa se dá pelo preço baixo, que por sua vez é conseguido pelo baixo custo da produção. "Não somos contra as importações, mas queremos condições de igualdade para competir com elas", disse o presidente da Abit.

diretor do IEMI Inteligência de Mercado, Marcelo Prado, estima que, em 2013, as vendas do varejo de vestuário crescerão 3,3%, em volume de peças, e um faturamento 5% maior que o registrado no ano passado. Na mesma comparação anual, Prado estima que o preço médio por peça será inferior, devendo variar 1,6% em 2013, bem abaixo dos 3% de alta no ano anterior. "O ritmo de crescimento em vestuário estará mais centrado na menor renda", afirma Prado. Em 2012, justifica o especialista, essa faixa da população foi estimulada a comprar itens como carro e geladeira, beneficiados pelos incentivos do Imposto sobre Produtos Industrializado (IPI). "Isso gerou uma onda de consumo dos produtos de linha dura. As pessoas adiaram outras compras. Agora, usarão um pouco mais de dinheiro para renovar o guarda-roupa", projeta Prado. O comércio de calçados e de acessórios de moda também poderá se beneficiar dessa dinâmica, acrescenta. Há um descolamento entre a expansão das vendas do varejo e a produção industrial. As projeções da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit) para 2013 mostram o volume de produção estagnada, podendo avançar 2% na visão mais otimista. No ano passado, a produção da indústria têxtil caiu 4,6% e a de vestuário 10,5%. A Abit espera um faturamento de US$ 53 bilhões neste ano, resultado US$ 3,7 bilhões inferior ao de 2012. "Essa disparidade é reflexo do crescimento das importações no varejo", diz Aguinaldo Diniz Filho, presidente da Abit. Pelas projeções do IEMI, o crescimento do varejo de vestuário será mais alinhado com o do PIB, em 2013. Já a indústria, segundo sua análise, "terá um repique", mas não tem perspectivas para crescer a médio (dois anos) e longo prazos, ainda que, em um primeiro momento, deva suprir as demandas do varejo.

"O ambiente de produção está deteriorado, no Brasil", diz o diretor do IEMI, se referindo a questões como baixo investimento; entraves logísticos e tarifas administrativas. "A redução de juros favorece o consumo e o investimento, mas o ambiente competitivo não favorece a indústria", afirma Prado. É um cenário que também afeta, segundo sua análise, outras cadeias produtivas longas e intensivas de mão de obra, casos das indústrias de móveis e gráfica. Ele acredita que se o consumo do varejo aumentar, o ambiente ficará favorável às importações. "Mas isso também depende do câmbio e do timing", ressalva. A importação de produtos para o próximo Natal, por exemplo, demanda efetivar pedidos em abril, para se ter a mercadoria no Brasil, em setembro. Nos EUA, há uma integração maior do varejo com o fornecedor. "Eles estocam menos. O Brasil não tem escala para isso". (*Colaborou Renato Carbonari Ibelli)

Prado: crescimento em vestuário estará mais centrado na menor renda.


12 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 22 de janeiro de 2013


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

ECONOMIA - 13


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

e

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Só no mês de dezembro do ano passado, a proporção de cheques devolvidos foi de 2,01%.

conomia Divulgação

Modelo de combate: objetivo é oferecer helicópteros para os mercados comercial e militar de toda a América Latina, diz comunicado da empresa.

Embraer planeja produzir helicópteros A fabricante brasileira de jatos anuncia a intenção de diversificar sua produção por meio de joint venture com a AgustaWestland, empresa de grupo italiano.

A

Embraer deu ontem mais um passo em sua estratégia de diversificar suas receitas, ao anunciar a intenção de ingressar na fabricação de helicópteros por meio de uma j oint venture com a AgustaWestland, empresa do grupo italiano Finmeccanica. A maior fabricante mundial de jatos regionais disse que estudos preliminares indicam grande potencial de mercado para helicópteros bimotores, de capacidade média, principalmente para atender o setor de óleo e gás. O memorando de entendimentos assinado entre a Embraer e a AgustaWestland visa

a criação de uma joint venture no Brasil, com produção dos helicópteros do grupo italiano no País para atender os mercados comercial e militar em toda a América Latina. Sem informar detalhes financeiros da parceria, ambas as companhias disseram que esperam estabelecer a joint venture "em poucos meses". "Este é um passo importante para a Embraer, em continuidade à expansão dos nossos negócios", disse o presidente-executivo da empresa brasileira, Frederico Curado, em comunicado. Crise internacional – A busca de novas áreas de atuação pela Embraer ganhou impulso

nos últimos anos, sobretudo após a crise financeira e recessão global de 2008 e 2009. Naquela ocasião, a fabricante, que tem sede em São José dos Campos (SP), tinha sua carteira de encomendas fortemente concentrada no

segmento de aviação comercial, mais suscetível aos ciclos econômicos. Além de se expandir na aviação executiva, a Embraer voltou a atenção mais recentemente ao segmento militar, em que desenvolve o carguei-

ro KC-390 – o maior avião já produzido no Brasil. Navios – A empresa também avalia sua entrada na construção de navios, mantendo conversas preliminares com estaleiros do Brasil e do exterior para a montagem de embar-

cações. Em outra frente, a Embraer está trabalhando no mercado de veículos aéreos não-tripulados (Vant), por meio de uma sociedade com a AEL Systems, subsidiária da israelense Elbit Systems. (Reuters)

Demanda aumenta e oferta diminui Grandes companhias aéreas do País adotam estratégia para melhorar resultados com ocupação maior

A

demanda por transporte aéreo no Brasil bateu recorde para o mês em dezembro, ainda que com crescimento de apenas 2,37%, mas a oferta de assentos em aeronaves recuou mais de 7% contra um ano antes, informou ontem a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Ao longo de 2012, as grandes companhias aéreas do País têm reduzido oferta, numa estratégia de melhorar seus resultados com ocupação maior de suas aeronaves diante de preços elevados de combustíveis e cenário de

câmbio desfavorável. Segundo os dados da Anac, a demanda por voos domésticos cresceu 2,37% no mês passado, "maior nível de demanda para o mês de dezembro desde o início da série, em 2000". Já a oferta de assentos nos aviões caiu 7,39%. Com isso, a taxa de ocupação de aeronaves em voos domésticos atingiu 77,73% em dezembro, ante 70,72% em igual etapa de 2011, também no melhor nível desde que a contagem começou. A Anac informou que Avianca e TAM, do Grupo La-

BB teve maior carteira de fundos em 2012

A

distribuidora de títulos e valores mobiliários do Banco do Brasil (BB DTVM) encerrou o ano de 2012 como a maior administradora de fundos de investimento do País, com um estoque de R$ 414,6 bilhões em recursos sob gestão, de vários tipos de investidores – dos pequenos às grandes empresas. Em seguida, na lista de maiores administradores, ficaram Itaú Unibanco (estoque de R$ 303,8 bilhões), Bradesco (255,5 bilhões) e a Caixa Econômica Federal (R$ 152,6 bilhões). Os dados foram divulgados ontem pela Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima), que representa as instituições financeiras que operam no mercado nacional. Embora tenha ficado com o primeiro lugar no ranking de estoque de recursos, a BBDTVM foi a administradora que teve maior perda em captação líquida (depósitos menos resgates) entre as dez maiores do mercado. No ano passado, a gestora do banco estatal registrou captação líquida negativa (mais saídas que entradas) de R$ 13,3 bilhões. A DTVM do banco BNY Mellon também teve perdas de recursos, com captação líquida negativa de R$ 9,11 bilhões no acumulado do ano. Considerando os dez primeiros em volume administrado, o Bradesco teve a melhor captação líquida, de R$ 28,7 bilhões. Também se destacaram a Caixa Econômica (R$ 24,5 bilhões), o Itaú Unibanco (R$ 17,2 bilhões) e o banco BTG Pactual (R$ 15,2 bilhões). (DC)

tam, tiveram as maiores taxas de ocupação em dezembro entre as empresas aéreas com participação em voos domésticos acima de 1%. A Avianca apurou 82,27% e a TAM registrou taxa de 81,89%. Em dezembro, a líder TAM teve participação nos voos domésticos de 43,66% em dezembro, ante 40,46% no mesmo mês de 2011. Enquanto isso, a Gol, que decidiu encerrar as atividades da Webjet em novembro passado, viu sua fatia recuar para 34,42% em dezembro, de 35,06% um ano antes. Em seguida aparece a

Azul, que elevou sua participação para 10,45%, na mesma base de comparação. A Trip, em processo de fusão com a Azul, subiu para 4,53%, enquanto a Avianca avançou para 6,45%. No fechamento de 2012, a demanda aérea doméstica cresceu 6,79%, no pior resultado para o setor desde 2003, quando houve retração de 5,89%, segundo a base histórica da Anac. A oferta de assentos no ano passado subiu 2,72%, também o pior número desde 2003. A taxa de ocupação no último ano foi de 72,95%. (Reuters)

Cresce devolução de cheques

D

urante todo o ano de 2012, o Contra dezembro de 2011, o último porcentual de cheques mês do ano passado registrou quedas devolvidos sobre o total de de 10,4% nos cheques devolvidos e cheques movimentados foi de 1,98%. de 12,7% no total de cheques O dado foi divulgado ontem pela Boa movimentados. Vista Serviços, administradora do O número de cheques devolvidos Serviço Central de Proteção ao de pessoas físicas no País, no Crédito (SCPC). acumulado de 2012, foi 8% menor do No fechamento dos anos de 2011 e que o registrado no ano anterior, 2010, a proporção de cheques segundo os dados divulgados pela devolvidos foi de 1,91% e 1,73%, Boa Vista Serviços. respectivamente. O resultado do ano Já para pessoas jurídicas, o recuo no passado é, portanto, o mais alto acumulado de 2012 foi menor, de desde 2009, quando a proporção foi 1,1%, na mesma base de de 2,10%. comparação. Só no mês de dezembro do ano Na comparação com dezembro de passado, a proporção de devoluções 2011, no último mês de 2012 a foi de 2,01%. O dado é superior ao devolução de cheques caiu 11% para registrado em novembro (1,93%) e pessoas físicas e 8,5% para pessoas também ao resultado de jurídicas. (Estadão Conteúdo) Marcos Peron/Virtual Photo dezembro de 2011, quando a porcentagem era de 1,95%. O número de cheques devolvidos em dezembro foi 2,6% superior ao mês anterior. Na mesma análise, houve queda de 1,4% no número de cheques movimentados. No ano – No acumulado do ano passado contra 2011, o número de cheques devolvidos caiu 6,3% e o de Boa Vista Serviços: em 2012 taxa foi de 1,98%. movimentados caiu 9,7%.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

e Balança tem déficit de US$ 2,7 bi

A malha da pessoa jurídica não saiu em 2012 por questões orçamentárias. Caio Marcos Cândido, subsecretário de Fiscalização da Receita

conomia

O saldo comercial do País nos primeiros dias de 2013 é negativo, e já supera o rombo registrado em janeiro do ano passado. Alex Almeida/Folha Imagem

A

balança comercial brasileira aprofundou a queda e já registra um déficit de US$ 2,7 bilhões nos primeiros 20 dias do ano. O saldo negativo do período é maior do que o rombo registrado em todo o mês de janeiro do ano passado, que foi de US$ 1,3 bilhão. Um desequilíbrio tão forte da balança não era observado ao longo de um mês desde a época em que o dólar ainda era fixo e estava cotado em R$ 1,00. Em outubro de 1998, o resultado ficou deficitário em US$ 1,4 bilhão. O primeiro sinal de fraqueza foi visto logo após a virada do ano, quando a balança ficou no vermelho em US$ 100 milhões. A partir daí, o rombo foi crescente: US$ 878 milhões na segunda semana do mês e mais US$ 1,7 bilhão na terceira, conforme divulgou ontem o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). No acumulado de 2013, as importações de US$ 12,2 bilhões superam os US$ 9,5 bilhões obtidos com as exportações do País no período. Esse resultado do começo do ano é, portanto, fruto de um claro descompasso do ritmo

das compras e vendas do País. Enquanto a média diária dos embarques de mercadorias nacionais caiu 0,5% em janeiro até a terceira semana, a das entradas disparou 18,3%. Nas vendas, o único segmento que conseguiu manter ainda algum crescimento foi o dos produtos semimanufaturados. Petróleo – Os itens básicos foram os que mais sentiram: a média diária recuou 3,2%, para US$ 306 milhões. O resultado foi fortemente influenciado pela redução das vendas de soja em grão, petróleo em bruto, arroz em grão, carnes salgadas e farelo de soja. A média diária das vendas de manufaturados caiu 0,8%, para US$ 279 milhões no período. Óleos combustíveis, máquinas e aparelhos para terraplenagem, partes de motores para veículos, aviões, bombas e compressores, calçados, autopeças e pneus estão entre as mercadorias que mais pesaram para que houvesse queda das exportações desse grupo. No caso de produtos semimanufaturados, o acréscimo foi de 6,7% nas saídas de mercadorias, para US$ 121 milhões. O resultado foi puxado, principalmente, por alumínio

Receita Federal pretende finalizar neste ano o projeto que cria a malha fina para pessoas jurídicas. Com o sistema informatizado pronto, será possível revisar de 20 mil a 30 mil declarações de empresas em um ano. Ontem, a Receita divulgou os números da fiscalização no ano passado e o resultado, sem a malha fina, foi recorde em lançamento de créditos tributários (valores supostamente devidos por contribuintes). No total, foram R$ 115,8 bilhões, valor que supera em 5,6% os créditos tributários de 2011. "A malha da pessoa jurídica, prevista para 2012, não

saiu por questões orçamentárias, mas temos perspectivas de implementá-la em 2013", disse o subsecretário de Fiscalização da Receita, Caio Marcos Cândido. A malha fina é um banco de dados usado atualmente para contribuintes pessoas físicas no qual são armazenadas as declarações que apresentam inconsistências após os diversos cruzamento realizados pelos sistemas informatizados do Fisco. De acordo com Caio Marcos, os números da fiscalização em 2012 poderiam ser melhores também, não fosse pelos cerca de 120 auditores que se aposentaram e por um movimento por rea-

O primeiro sinal vermelho foi visto logo após a virada do ano: importações superaram as exportações. em bruto, ouro, açúcar em bruto e ferro fundido. I m p or t a ç õ es – Ao mesmo tempo em que as vendas externas do País minguaram, houve um aumento de 18,3% das importações, para um total de US$ 938 milhões. O ministério do Desenvolvimento ressaltou que os maiores aumentos de gasto no mês foram com aeronaves e peças (aumento de 59,6%), produ-

tos diversos das indústrias químicas (mais 57,9%), combustíveis e lubrificantes (mais 51,9%), produtos farmacêuticos (48,0%), químicos orgânicos e inorgânicos (25,3%) e plásticos e obras (subiram 24,3%). Analistas de mercado preveem que a balança comercial fechará este ano com um saldo positivo de US$ 15,43 bilhões. A projeção foi apresen-

justes salarial conhecida como Operação Crédito Zero, que consistiu na realização de todo o processo de fiscalização, mas sem o lançamento do resultado nos bancos de dados da Receita Federal. Mesmo assim, os números divulgados foram considerados "muito bons" pela Receita. O subsecretário não acredita em prejuízos para os cofres públicos porque o trabalho ainda será concluído. "Em 2013, o auditor terá que dar o resultado da carga de trabalho deste ano e do ano passado. Receberá carga dobrada. A que ele não fez e a deste ano. Então, ele terá que se desdobrar para fazer os dois. É uma questão admi-

nistrativa que faremos funcionar", disse. Segundo Caio Marcos, o número de fiscalizações em 2012 diminui apenas em relação às pequenas e médias empresas. Em relação às empresas consideradas diferenciadas, que são os maiores contribuintes, responsáveis por 70% da arrecadação federal, o número de fiscalizações aumentou. Os contribuintes que serão fiscalizados neste ano já foram selecionados e dependem de cada unidade da Receita pelo Brasil. Porém, se ao longo do ano, houver um fato relevante, que não esteja entre os casos previstos, os fiscais poderão incluir o

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico de Registro de Preços nº 36/00166/12/05 OBJETO: AQUISIÇÃO DE MATERIAIS PARA PRODUÇÃO DE IMPRESSÕES DO CAPE - WIRE-O E CAPAS PVC A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Aquisição de Materiais para Produção de Impressões do Cape - Wire-O e Capas PVC. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 22/01/2013, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 06/02/2013, às 09:30 horas e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer rigorosamente ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 22/01/ 2013, até o momento anterior ao início da sessão pública. HERMAN JACOBUS CORNELIS VOORWALD Respondendo pela Presidência Decreto s/nº de 03/10/2012

Blau Farmacêutica S.A.

tada ao Banco Central (BC) por meio da pesquisa Focus antes do resultado divulgado ontem pelo MDIC. Mesmo assim já está menor do que a estimativa de US$ 15,52 bilhões apresentada pelo mercado no início da semana passada. Para 2014, os economistas acreditam que as exportações vão superar as importações em US$ 15 bilhões. (Estadão Conteúdo)

novo fato nas operações, ressaltou o subsecretário. Das fiscalizações encerradas em 2012, a Receita identificou 27%, em tese, com possibilidade de existência de dolo, por meio de fraude, simulação ou conluio. Nesses casos, o problema é encaminhado para o Ministério Público Federal, que pode entrar com ação penal contra os possíveis infratores. No universo das pessoas físicas fiscalizadas, as autuações se concentraram nos contribuintes cuja principal ocupação declarada foi a de proprietário ou dirigente de sociedades empresarias, além de profissionais liberais. (ABr)

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: TOMADAS DE PREÇOS A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para execução de Reforma de Prédio(s) Escolar(es): TOMADA DE PREÇOS Nº - PRÉDIO - LOCALIZAÇÃO - PRAZO - ÁREA (se houver) - PATRIMÔNIO LÍQUIDO MÍNIMO P/ PARTICIPAR - GARANTIA DE PARTICIPAÇÃO - ABERTURA DA LICITAÇÃO (HORA E DIA) 69/00005/13/02 - EE Profa Egle Luporini Costa - Praça Governador Carvalho Pinto, 122 - Cep: 13860-000 - Centro Aguaí/SP - 300 - R$ 85.470,00 - R$ 8.547,00 - 10:00 - 08/02/2013. 69/00045/13/02 - EE Chb Dona dos Anjos Macedo - Rua Amelia Selber Milanez, 309 - Cep: 13860-000 - Prq Ecolog.Centenario - Aguaí-SP - 300 - R$ 74.882,00 - R$ 7.488,00 - 10:00 - 10/02/2013. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital e o respectivo Caderno de Encargos e Composição do BDI na SEDE DA FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP ou através da Internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Os interessados poderão adquirir o Edital completo através de CD-ROM a partir de 22/01/2013, na SEDE DA FDE, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, mediante pagamento não reembolsável de R$ 40,00 (quarenta reais). Todas as propostas deverão estar acompanhadas de garantia de participação, a ser apresentada à Supervisão de Licitações da FDE, conforme valor indicado acima. Os invólucros contendo a PROPOSTA COMERCIAL e os DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO deverão ser entregues, juntamente com a Solicitação de Participação, a Declaração de Pleno Atendimento aos Requisitos de Habilitação e a garantia de participação, no Setor de Protocolo da Supervisão de Licitações - SLI na SEDE DA FDE, até 30 minutos antes da abertura da licitação. Esta Licitação será processada em conformidade com a LEI FEDERAL nº 8.666/93 e suas alterações, e com o disposto nas CONDIÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES DA FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE. As propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital. HERMAN JACOBUS CORNELIS VOORWALD Respondendo pela Presidência Decreto s/nº de 03/10/2012

PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE MONGAGUÁ/SP AVISO DE EDITAL PREGÃO PRESENCIAL N° 001/2013 - PROCESSO Nº 194/2012 A Prefeitura da Estância Balneária de Mongaguá torna público e para conhecimento dos interessados em participar da licitação do Edital do Pregão Presencial n° 001/2013, referente ao Processo nº 194/ 2012, cujo objeto é o Registro de Preços para Aquisição de Gás Liquefeito de Petróleo/GLP (gás de cozinha), para entrega parcelada pelo período de 12 (doze) meses, conforme descrição e quantidades constantes dos Anexos I - Termo de Referência do edital. O início da sessão de lances dar-se-á às 09h30min do dia 01/02/2013. O edital, na íntegra, encontra-se à disposição dos interessados, no endereço eletrônico www.mongaguá.sp.gov.br, através do aplicativo “Licitações” Pregão Presencial. Para qualquer esclarecimento, entrar em contato: telefone (13) 3445-3067, telefax (13) 3445-3082, e-mail: licitacao@mongagua.sp.gov.br - Fátima Ap. Machado - Autoridade Competente.

PREFEITURA MUNICIPAL DE IGARATÁ

CNPJ/MF nº 58.430.828/0001-60 Edital de Convocação - Assembleia Geral Extraordinária Ficam os Senhores Acionistas da Blau Farmacêutica S.A. (“Companhia”), convidados a participar da Assembleia Geral Extraordinária, a ser realizada às 15:00 horas do dia 30 de janeiro de 2013 (“AGE”), na sede social da Companhia, localizada no Município de Cotia, Estado de São Paulo, na Rodovia Raposo Tavares, Km 30,5, nº 2.833, Unidade I, Prédio 100, Bairro Barro Branco, CEP 06705-030, a fim de deliberar sobre a seguinte ordem do dia: (i) examinar, discutir e aprovar o Protocolo e Justificação de Incorporação da Ariston Indústrias Químicas e Farmacêuticas Ltda.(“Ariston”) pela Companhia, celebrado pelos Diretores das sociedades envolvidas; (ii) examinar e ratificar a nomeação e contratação da Assitec Organização Contábil Ltda.- EPP como empresa especializada responsável pela elaboração do Laudo de Avaliação do acervo patrimonial líquido da Ariston; (iii) examinar e aprovar o respectivo Laudo de Avaliação do acervo patrimonial líquido da Ariston;(iv) aprovar a incorporação da Ariston pela Companhia;e (v) aprovar o aumento de capital social da Companhia decorrente da incorporação da Ariston pela Companhia. Informações Gerais: (a) Cópia dos documentos a serem discutidos na AGE ora convocada já se encontra à disposição dos senhores acionistas na sede social da Companhia. (b) O acionista que desejar ser representado por procurador deverá apresentar o respectivo instrumento de mandato, com poderes especiais para tanto e firmas devidamente reconhecidas, à Companhia até o dia 28 de janeiro de 2013. Cotia, 22 de janeiro de 2013. Marcelo Rodolfo Hahn - Presidente do Conselho de Administração

AVISO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 01/2013 - PROCESSO Nº 0070/2013 Objeto: Registro de preços para futura Aquisição de Gás GLP – P 13 e P 45. O Município de Igaratá-SP torna público, para conhecimento dos interessados, que realizará no dia 04/02/2013, às 14h00, no endereço Av. Benedito Rodrigues de Freitas, nº 330, centro de Igaratá/SP, o credenciamento de interessados e a abertura das propostas, conforme especificado nos autos supra. O Edital encontra-se disponível na Prefeitura Municipal de Igaratá a um custo de R$ 15,00 ou mediante apresentação de CD, Pendrive ou Disquete e ainda pode ser solicitado gratuitamente através do e-mail: licitacaoigarata@gmail.com Igaratá, 21 de janeiro de 2013. Fátima M. A. Prianti - Pregoeira

Ç ALLIANCE INVESTIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A.

Brickell S.A. Crédito, Financiamento e Investimento

CNPJ/MF 08.440.746/0001-28 – NIRE 35.300.364.741 ATA DA ASSEMBLÉIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 17 DE AGOSTO DE 2010 Data, Hora, Local: 17/8/2010, 12hs, sede. Convocação: Dispensada. Quorum: 100%. Mesa: José Manoel Biagi Amorim, Presidente e Cláudio Monteiro da Costa, Secretário.Deliberações: A) Ratificada Counsel Auditores Independentes S/S, CRC/SP 2SP026655/0-7, responsável técnico Elias da Silveira Cerqueira, Contador CRC/RJ 053136/0-2 T-SP, p/ elaborar laudo avaliação contábil da parcela cindida da Cia. B) Aprovado protocolo e instrumento de justificação da Cia, c/ termos e condições gerais da cisão parcial.C) Aprovado laudo avaliação do acervo líquido da Cia. p/ cisão parcial, conforme valores contábeis em 31/7/2010.D) Aprovada incorporação da parcela cindida da Cia.pela Coomex Serviços e Coomex Operadora conforme Protocolo, sem aumento de capital das mesmas. E) Capital de R$ 14.654.554,45 p/ R$ 366.332,15. Redução R$ 14.288.222,30 sem cancelamento de 255.850 ações passando estas c/ valor nominal R$1,4318239 face cisão parcial conforme item “d” acima. F) Art. 5: Capital é R$ 366.332,15 totalmente subscrito e integralizado em moeda corrente nacional, dividido em 255.850 ações ordinárias nominativas, de valor nominal R$1,4318239. Encerramento: Lavrada, lida, aprovada e assinada. SP, 17/8/2010 (aa) José Manoel Biagi Amorim: Presidente e Cláudio Monteiro da Costa: Secretário. Certidão Jucesp: nº 309.830/10-2 em sessão de 26/08/2010.

GraalBio terá etanol celulósico

A

Vem aí a malha fina para pessoa jurídica

A

ECONOMIA/LEGAIS - 15

CNPJ nº 12.865.507/0001-97 - NIRE 35300133340 Data:12 de novembro de 2012, às 10 horas.Local:Sede social, na Rua Joaquim Floriano, nº 466 - salas 1302 e 1303 - Edifício Brascan Century Corporate - Itaim Bibi - São Paulo-SP. Presença: Totalidade dos acionistas. Mesa: Presidente: Nelson Nogueira Pinheiro. Secretário: Eduardo Rosa Pinheiro. Ordem do Dia: • Deliberar sobre a renúncia de membro da Diretoria. Deliberações: Após os debates, foi aceito, por unanimidade, o pedido de renúncia apresentado pela Diretora Sra. Celina Daiub Pirondi Tedesco, sendo consignado um voto de agradecimento pelos serviços prestados. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o Sr. Presidente declarou suspensos os trabalhos pelo tempo necessário à lavratura desta ata em livro próprio, a qual foi lida, aprovada e por todos assinada. São Paulo, 12 de novembro de 2012. Assinaturas: Presidente: Nelson Nogueira Pinheiro. Secretário: Eduardo Rosa Pinheiro. Acionistas: Nelson Nogueira Pinheiro; e Eduardo Rosa Pinheiro. A presente é cópia fiel da ata lavrada em livro próprio. Nelson Nogueira Pinheiro - Presidente. JUCESP nº 515.195/12-1 em 03/12/2012. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

empresa de biotecnologia GraalBio receberá um aporte de R$ 600 milhões do BNDESpar e destinará os recursos para o desenvolvimento de tecnologias e projetos para produção de etanol celulósico (de segunda geração), além da produção de bioquímicos. Com o investimento, o braço de participações do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deverá deter 15% das ações ordinárias da GraalBio, passando a ter um assento no Conselho de Administração, de acordo com comunicado divulgado ontem. Os aportes serão realizados em conjunto com a família Gradin, controladora da empresa, que concluirá um aporte inicial de R$ 300 milhões. O cronograma prevê investimentos da ordem de R$ 4 bilhões para os próximos sete anos. "O aporte dos acionistas viabilizará a aceleração do plano de negócios da GraalBio e seu objetivo de se tornar um dos líderes globais na integração de tecnologias e produção de etanol de segunda geração", afirmou o presidente da GraalBio, Bernardo Gradin, em nota. A primeira fábrica de produção de etanol de segunda geração do hemisfério sul começa a operar no início de 2014. A unidade, que está sendo erguida em São Miguel dos Campos, Alagoas, terá capacidade de produção nominal de 82 milhões de litros por ano, com investimentos totais de R$ 350 milhões. (Reuters)

D.B.G.S.P.E. EMPREENDIMENTOS E PARTICIPAÇÕES S.A. (em organização) Ata da Assembleia Geral de Constituição de Sociedade por ações realizada em 17/09/2012. Data, Hora e Local: Aos 17/09/2012, às 11:00h, na Rua Pamplona, nº 818, 9° andar, conjunto 92, Município de SP/SP. Quorum de Instalação: verificou-se a presença dos Fundadores da Sociedade conforme boletins de subscrição, (Anexo II) e lista de presença (Anexo III). Mesa: Os trabalhos foram presididos pela Sra. Sueli de Fátima Ferretti, que convidou a mim, Cleber Faria Fernandes para secretariá-la. Ordem do Dia: Deliberar sobre a: (a) Constituição da Cia; (b) subscrição e forma de integralização de seu capital social; (c) aprovação do Estatuto Social da Cia; (d) elaboração da ata em forma de sumário; e (e) eleição dos membros da Diretoria da Cia. Deliberações: Dando início aos trabalhos e seguindo a ordem do dia, a Assembleia deliberou, por unanimidade: (a) constituir a D.B.G.S.P.E. Empreendimentos e Participações S.A., sociedade por ações em SP/SP, na Rua Pamplona, 818 - 9° andar, conjunto 92; (b) fixar o capital social da Cia em R$ 500,00 dividido em 500 ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal, totalmente subscritas e parcialmente integralizadas, nesta data, conforme boletins de subscrição anexos. (c) aprovar, sem qualquer ressalva, o Estatuto Social da Cia, que passa a fazer parte integrante da presente ata (Anexo I); (d) aprovar, nos termos, do § 1º art. 130 da Lei nº 6.404/76, lavrar a ata desta assembleia em forma de sumário; (e) eleger as pessoas abaixo qualificadas para compor a Diretoria com mandato anual que vigorará até a posse dos eleitos pela AGO de 2013: Diretores: Sueli de Fátima Ferretti, brasileira, solteira, analista, residente e domiciliada SP/SP, com endereço comercial na Rua Pamplona, 818, 9º andar, conjunto 92, Bairro Jardim Paulista, CEP 01405-001, portadora da cédula de identidade RG nº 7.743.932, expedida pela SSP/SP, inscrita no CPF/MF sob o nº 764.868.778-04, para o cargo de diretora. Cleber Faria Fernandes, brasileiro, casado, técnico em contabilidade, residente e domiciliado na Cidade e Estado de São Paulo, com endereço comercial na Rua Pamplona, 818, 7º andar, conjunto 71, Bairro Jardim Paulista, CEP 01405-001, portador da cédula de identidade RG nº 23.360.684-1, expedida pela SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 192.212.358-74, para o cargo de diretor. Os membros da Diretoria ora eleitos declararam ter ciência do disposto no artigo 147 da Lei n° 6.404/76, não tendo sido condenados a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato; ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra as normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, a fé pública ou a propriedade. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, lavrou-se esta ata que, lida e aprovada, foi assinada pelos presentes. A presente é cópia fiel da ata lavrada em livro próprio. SP, 17/09/2012. Sueli de Fátima Ferretti Presidente da Assembleia e diretora eleita. Cleber Faria Fernandes - Secretário da Assembleia e diretor eleito. Visto do Advogado: Renato Dias Pinheiro - OAB/SP 105.311-A - OAB/RJ 19.553. (Anexo I) Estatuto Social - D.B.G.S.P.E. Empreendimentos e Participações S.A. (Assembleia Geral de Constituição em 17/09/2012). Capítulo I da Denominação, Sede, Objeto e Duração. Art. 1º A D.B.G.S.P.E. Empreendimentos e Participações S.A. é uma sociedade anônima que rege-se por este Estatuto Social e pelas demais disposições legais que lhe forem aplicáveis. Art. 2º A Cia tem sede e foro na em SP/SP, na Rua Pamplona n° 818, 9º Andar, conjunto 92, Bairro Jardim Paulista, em SP/SP, podendo abrir filiais, agências ou escritórios por deliberação da diretoria. Art. 3º A Cia tem por objeto social a participação em outras Sociedades, como sócia ou acionista, no país ou no exterior (“holding”). Art. 4º A Sociedade terá prazo indeterminado de duração. Capítulo II Do Capital. Art. 5º O capital social é de R$ 500,00, representado por 500 ações, sendo todas ordinárias nominativas, sem valor nominal, sendo R$ 200,00 integralizados e o restante a integralizar no prazo de 12 meses a contar desta assembleia. § 1º - Cada ação corresponde a um voto nas deliberações sociais. § 2º - As ações provenientes de aumento de capital serão distribuídas entre os acionistas, na forma da lei, no prazo que for fixado pela Assembleia que deliberar sobre o aumento de capital. § 3º - Mediante aprovação de acionistas representando a maioria do capital social, a Cia poderá adquirir as próprias ações para efeito de cancelamento ou permanência em tesouraria, sem diminuição do capital social, para posteriormente alienálas, observadas as normas legais e regulamentares em vigor. Capítulo III Da Assembleia Geral - Art. 6º A Assembleia Geral reunir-se-á, ordinariamente, nos 4 primeiros meses após o encerramento do exercício social, e, extraordinariamente, sempre que os interesses sociais o exigirem. § 1º - A Assembleia Geral será presidida por acionistas ou diretor eleito no ato, que convidará, dentre os diretores ou acionistas presentes, o secretário dos trabalhos. § 2º - As deliberações das AGO/E, ressalvadas as exceções previstas em lei e sem prejuízo do disposto neste Estatuto Social, serão tomadas por maioria absoluta de voto, não computando os votos em branco. Capítulo IV Da Administração - Art. 7º A administração da Cia será exercida por uma diretoria, composta por no mínimo 2 e no máximo 10 membros, todos com a designação de diretores, podendo ser acionistas ou não, residentes no país, eleitos anualmente pela Assembleia Geral, permitida a reeleição. Vencido o mandato, os diretores continuarão no exercício de seus cargos, até a posse dos novos eleitos. § 1º - Os diretores ficam dispensados de prestar caução e seus honorários serão fixados pela Assembleia Geral que os eleger. § 2º - A investidura dos diretores nos cargos far-se-á por termo lavrado no livro próprio. Art. 8º No caso de impedimento ocasional de um diretor, suas funções serão exercidas por qualquer outro diretor, indicado pelos demais. No caso de vaga, o indicado deverá permanecer no cargo até a eleição e posse do substituto pela Assembleia Geral. Art. 9º A diretoria tem amplos poderes de administração e gestão dos negócios sociais, podendo praticar todos os atos necessários para gerenciar a Sociedade e representá-la perante terceiros, em juízo ou fora dele, e perante qualquer autoridade pública e órgãos governamentais federais, estaduais ou municipais; exercer os poderes normais de gerência; assinar documentos, escrituras, contratos e instrumentos de crédito; emitir e endossar cheques; abrir, operar e encerrar contas bancárias; contratar empréstimos, concedendo garantias, adquirir, vender, onerar ou ceder, no todo ou em parte, bens móveis ou imóveis. Art. 10º A representação da Cia. em juízo ou fora dele, assim como a prática de todos os atos referidos no art. 9º competem a qualquer diretor, agindo isoladamente, ou a um ou mais procuradores, na forma indicada nos respectivos instrumentos de mandato. A nomeação de procurador(es) dar-se-á pela assinatura isolada de qualquer diretor, devendo os instrumentos de mandato especificarem os poderes conferidos aos mandatários e serem outorgados com prazo de validade não superior a um ano, exceto em relação às procurações “ad judicia”, as quais poderão ser outorgadas por prazo indeterminado. § Único: Dependerão da aprovação de acionistas representando a maioria do capital social a prestação de avais, fianças e outras garantias em favor de terceiros. Art. 11º Compete à diretoria superintender o andamento dos negócios da Cia, praticando os atos necessários ao seu regular funcionamento. Capítulo V Conselho Fiscal - Art. 12º A cia terá um Conselho Fiscal, de funcionamento não permanente que, quando instalado, deverá ser composto de, no mínimo, 3 e, no máximo, 5 membros efetivos e igual número de suplentes, acionistas ou não. § Único - Os membros do Conselho Fiscal serão eleitos pela AGO para um mandato de 1 ano, permitida a reeleição. Capítulo VI Disposições Gerais - Art. 13º O exercício social da Sociedade coincide com o ano civil, encerrando-se em 31 de dezembro de cada ano. Quando do encerramento do exercício social, a Sociedade preparará um balanço patrimonial e as demais demonstrações financeiras exigidas por Lei. Art. 14º Os lucros apurados em cada exercício terão o destino que a Assembleia Geral lhes der, conforme recomendação da diretoria, depois de ouvido o Conselho Fiscal, quando em funcionamento, e depois de feitas as deduções determinadas em Lei. Art. 15º Mediante decisão de acionistas representando a maioria do capital social, a Sociedade poderá preparar balanços intercalares a qualquer momento, a fim de determinar os resultados e distribuir lucros em períodos menores. Art. 16º A Sociedade distribuirá, como dividendo obrigatório em cada exercício social, o percentual mínimo previsto e ajustado nos termos da legislação aplicável. Art. 17º A Sociedade entrará em liquidação nos casos previstos em lei ou por deliberação da Assembleia Geral, com o quorum de acionistas representando a maioria do capital social, a qual determinará a forma de sua liquidação, elegerá os liquidantes e fixará a sua remuneração. Art.18º Qualquer ação entre os acionistas ou deles contra a Cia, baseada neste estatuto social, será proposta no foro da Comarca de São Paulo, Estado de São Paulo. Sueli de Fátima Ferretti - Presidente. Cleber Faria Fernandes - Secretário.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16 -.ECONOMIA/LEGAIS

e Mercado dá sinais mistos conomia

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Na banda larga fixa, os acessos somaram 20 milhões em dezembro.

Atari entra com pedido de falência nos EUA

Pesquisa Focus prevê alta de 5,65% na inflação e menos crescimento em 2013. Já o IGP-M começa a recuar.

ulg a

çã o

Agliberto Lima/ DC

Div

O

mercado elevou a expectativa para a inflação e reduziu novamente a do crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) para este ano, depois de o Banco Central (BC) indicar que a taxa básica de juros (Selic) se manterá estável pelos próximos meses. Desde o final de 2012, a inflação vinha dando sinais de força. Com isso, os analistas consultados no Focus estimam o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) neste ano em 5,65%, ante 5,53% na projeção anterior, na terceira semana consecutiva de revisão para cima. Para 2014, a projeção foi mantida em 5,5%. No comunicado na semana passada que acompanhou o anúncio da decisão do Banco Central de manter a Selic na mínima histórica de 7,25% ao ano, a autoridade monetária afirmou que os riscos de inflação pioraram no curto prazo. Entretanto, ontem o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M) voltou a indicar desaceleração dos preços no atacado ao avançar 0,34% na segunda prévia de janeiro, ante alta de 0,69% no mesmo pe-

A

O IGP-M indicou desaceleração dos preços no atacado ao avançar 0,34% na segunda prévia de janeiro. ríodo de dezembro. Crescimento – No Focus, os analistas voltaram a reduzir a projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) em 2013 também pela terceira vez, embora ligeiramente, a 3,19%, ante 3,2% na semana anterior. Para 2014, a perspectiva é de uma leve aceleração a 3,6%, projeção inalterada ante o dado anterior.

Com o Copom afirmando novamente que a estratégia de manter a "estabilidade das condições monetárias" por mais tempo é a mais adequada para garantir a convergência da inflação para a meta – de 4,5% pelo IPCA, com margem de tolerância de 2 pontos percentuais para mais ou menos –, os analistas consultados mantiveram a expectativa de

Selic a 7,25% no final deste ano. Para 2014, entretanto, a projeção é de elevação da taxa básica de juros a 8,25%, a mesma expectativa da semana anterior. O mercado elevou ligeiramente a previsão para o dólar para o fim deste ano. A projeção é que a cotação fique em 2,08 reais, ante R$ 2,07 anteriormente. (Estadão Conteúdo)

empresa que ajudou a criar a indústria dos games nos anos 70 entrou ontem com um pedido de falência nos Estados Unidos. Quer separar-se da companhia que a controla e não dá lucro desde 1999, a francesa Atari SA, antes conhecida como Infogrames. A criadora de "Pong" e "Asteroids" também pretende

conseguir um financiamento de US$ 5,25 milhões para focar no desenvolvimento e licenciamento de jogos para smartphones e tablets. Mergulhada em problemas financeiros há anos, a empresa de 31 anos de idade é uma das principais responsáveis pela popularização dos consoles de videogames. (Folhapress)

Tablet à prova d´água Steve Marcus/ Reuters

Sony apresenta a linha Xperia Z

Acessos com banda larga disparam

O

Brasil fechou o ano de 2012 com 86 milhões de acessos em banda larga, apresentando um crescimento de 45% em relação a 2011. Segundo levantamento da Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), 27 milhões de novos acessos foram ativados em 2012, a um ritmo de uma nova conexão por segundo. A expansão também se deu na cobertura das redes de banda larga móvel, que cresceu 24%, alcançando 3.285

municípios com a infraestrutura de terceira geração (3G). Do total de acessos, 50% foram ativados apenas nos últimos 18 meses. A evolução mais significativa em número de acessos em 2012 se deu no segmento móvel da banda larga, com 60% de crescimento em relação a 2011. A internet rápida pela rede móvel alcançou um total 66 milhões de acessos em dezembro. Na banda larga móvel, 52,5 milhões são de conexões de celulares 3G, incluin-

do os smartphones, e 13,5 milhões de terminais de dados, entre eles modems de acesso à internet e chips de conexão máquina-máquina (M2M). O avanço de 24% na cobertura da banda larga 3G permitiu a ativação de 635 novos municípios em 2012, numa média de dois municípios por dia. Ao todo, as redes 3G estão instaladas em 3.285 municípios, onde moram 88% da população. Esse total de municípios supera em mais de três vezes as obrigações de cober-

tura previstas no edital, que são de conectar 928 municípios até abril de 2013. Na banda larga fixa, os acessos somaram 20 milhões em dezembro. Desse total, 2 milhões de conexões foram ativadas nos últimos doze meses. A infraestrutura de banda larga fixa está presente em todos os municípios brasileiros. É por meio dessas redes que as concessionárias atendem com banda larga gratuita a mais de 66 mil instituições públicas. (EC)

www.dcomercio.com.br Publicidade Legal 3180 3175

A

Sony anunciou ontem o lançamento do tablet Xperia Tablet Z, equipado com sistema Android 4.1 e tela de 10,1 polegadas. O aparelho, à prova d'água, tem espessura de 0,69 cm, cerca de 17% menor que a do iPad (que é de 0,94 cm) e peso de 495 g, ante os 662 g do tablet da Apple. Inicialmente voltado para o mercado japonês, o Xperia Tablet Z chegará às pratelei-

ras entre março e junho deste ano, segundo a companhia. Não foram divulgadas informações sobre o lançamento em outros países. O tablet conta com processador de quatro núcleos e clock de 1,5 GHz, câmera de 8,1 Mpixels, entrada para cartão microSD e conectividade 4G do tipo LTE. O anúncio segue a divulgação do celular Xperia Z, também à prova d'água. (Folhapress)


terça-feira, 22 de janeiro de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO Alere S/A CNPJ/MF nº 50.248.780/0001-61 – NIRE 35.300.394.101 Ata de Assembleia Geral Extraordinária realizada em 31 de dezembro de 2012 Data, Hora e Local: aos 31/12/2012, às 12 hs., na sede social. Presenças e Convocação: presentes acionistas titulares da totalidade das ações da Cia., razão pela qual restam dispensadas as formalidades de convocação, nos termos do § 4º do Art. 124 da Lei 6.404/76. Mesa: Presidente: Sr. Ferran Prat Escude, Secretária: Sr. Jorge Luiz Balsalobre F. Alves. Ordem do Dia: Deliberar sobre as seguintes matérias: (i) redução do capital social da Cia., mediante a absorção de prejuízos acumulados; (ii) aprovação do Protocolo de Incorporação e Justificação referente à incorporação, pela Cia., da Prodimol Biotecnologia S/A (“Prodimol”) e da Bioeasy Diagnóstica S/A (“Bioeasy”) (em conjunto “Sociedades Incorporadas”); (iii) ratificação da nomeação da empresa encarregada da avaliação do patrimônio líquido das Sociedades Incorporadas; (iv) aprovação dos Laudos de Avaliação dos patrimônios das Sociedades Incorporadas; (v) aprovação da operação de incorporação da Prodimol e da Bioeasy pela Cia.; (vi) eleição dos membros da Diretoria da Cia.; e (vii) autorização aos Diretores da Cia. para praticar todos os atos relativos à concretização e regularização da incorporação, inclusive registros, averbações, publicações e transferências. Deliberações: Foram tomadas as seguintes deliberações, todas por unanimidade: (i) Aprovada, por unanimidade, a redução do capital social da Cia. mediante a absorção dos prejuízos acumulados registrados em 31/12/2012 no montante de R$ 37.258.959,72, de forma que tal redução implica no cancelamento de 37.258.960 ações ordinárias nominativas sem valor nominal de emissão da Cia., sem pagamento aos acionistas. Deste modo, o capital social da Cia. passa dos atuais R$ 74.560.526,00 para R$ 37.301.566,28, representado por 37.301.566 ações ordinárias nominativas sem valor nominal. (ii) Aprovado, na sua íntegra, o Protocolo de Incorporação e Justificação referente à incorporação, pela Cia., da Prodimol e da Bioeasy, documento firmado nesta data pelos administradores da Cia. e das Sociedades Incorporadas, nos moldes dos Arts. 223 a 234 da Lei 6.404/76 (“Protocolo”). O Protocolo passa a integrar a presente ata para todos os fins de direito como Anexo I. (iii) Ratificada a escolha da Tax Master Serviços Tributários e de Contabilidade Ltda., registrada no CRC nº 2SP 24.251/O-7 e no CNPJ nº 06.078.787/0001-90, (“Tax Master”), como empresa responsável pela avaliação do patrimônio líquido das Sociedades Incorporadas e elaboração dos respectivos Laudos de Avaliação. (iv) Aprovados os Laudos de Avaliação dos patrimônios líquidos da Prodimol e da Bioeasy, documentos que constituem o Anexo II da presente ata, de acordo com os balanços patrimoniais levantados em 31/12/2012. Conforme indicado nos Laudos de Avaliação, a Prodimol irá verter à Cia. o acervo líquido avaliado em R$ 74.911.010,01 e a Bioeasy irá verter à Cia. o acervo líquido avaliado em R$ 9.101.341,01. Dessa forma, as Sociedades Incorporadas irão verter à Cia. o acervo líquido total avaliado em R$ 84.012.351,02. (v) Aprovada a incorporação, pela Cia., da Prodimol e da Bioeasy, levando à extinção das Sociedades Incorporadas, nos termos do art. 227, § 3º da Lei 6.404/76. Ato contínuo, foi aprovado o aumento do capital social da Cia. no montante do acervo líquido vertido pelas Sociedades Incorporadas, conforme previsto no Protocolo, passando dos atuais R$ 37.301.566,28, para R$ 121.313.917,30, mediante a emissão de 84.012.351 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal, com as mesmas características constantes do Art. 5º do Estatuto Social da Cia.. As ações foram emitidas ao preço unitário aproximado de R$ 1,00, calculado nos termos do art. 170,§ 1º, incisos I e II da Lei 6.404/76, totalizando um aumento do capital social em R$ 84.012.351,02. As ações emitidas foram integralmente atribuídas aos antigos acionistas da Prodimol, na proporção de suas participações societárias nesta Cia.. Em decorrência da Prodimol e da Cia. serem os únicos acionistas da Bioeasy, ora incorporada, não será emitida e nem atribuída nenhuma ação para os antigos acionistas da Bioeasy. Em virtude do aumento de capital ora deliberado, o caput do Art. 5º do Estatuto Social da Cia. passa a vigorar com a seguinte redação: “Art. 5º - O capital social da Cia., totalmente subscrito e integralizado é R$ 121.313.917,30, representado por 121.313.917 ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal”. Em razão da incorporação da Prodimol e da Bioeasy pela Cia.: (a) a filial da Bioeasy localizada na Av. Barão Homem de Mello, 583, Belo Horizonte-MG, passa a figurar como nova filial da Cia.; (b) o endereço da filial da Cia. na Av. Barão Homem de Mello, 567, térreo (loja), Belo Horizonte/MG, passa a ser Av. Barão Homem de Mello, 567, térreo (loja); 1º ao 3º and., sl. 321; 4º and. e 5º and., Belo Horizonte/MG; (c) o endereço da filial da Cia. em Recife/PE, passa a ser na R. José da Silva Lucena, 102, galpões 01 e 02, Recife/PE. Dessa forma o § único do Art. 2º do Estatuto Social da Cia. passa a vigorar com a seguinte redação: “Art. 2º (...) § único. A Cia. possui filiais localizadas nos seguintes endereços: (i) Filial Recife – R. José da Silva Lucena, 102, galpões 01 e 02, Recife-PE; (ii) Filial Belo Horizonte 1 – Av. Barão Homem de Mello, 567, térreo (loja); 1º and.; 2º and.; 3º and., sl. 321; 4º and. e 5º and., Belo Horizonte-MG; e (iii) Filial Belo Horizonte 2 – Av. Barão Homem de Mello, 583, Belo Horizonte-MG.” (vi) Os acionistas consignaram a renúncia apresentada pelo Diretor Geral da Cia., Sr. Ferran Prat Escude, e em sequência elegeram (a) como novo Diretor Geral o Sr. Sérgio da Silva Oliveira, CTPS nº 057045 série 380a e do CPF/MF nº 875.106.428-68, residente e domiciliado na R. Barão de Castro Lima, 270, apto. 202, São Paulo-SP; e (b) como Diretor Financeiro, o Sr. Jorge Luiz Balsalobre Ferreira Alves, RG nº 21.663.030-7 SSP/SP e do CPF nº 164.102.328-70. O mandato dos diretores ora eleitos findarão em 30/04/2013. Os Diretores eleitos declararam não serem ou estarem impedidos por lei especial para ocuparem cargos de administração da Cia., bem como não serem condenados por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, contra a economia popular, a fé pública ou a propriedade ou a pena criminal que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos. Os Diretores declararam, ainda, não ocuparem cargo em sociedades que possam ser consideradas concorrentes no mercado, em especial, em conselhos consultivos, de administração ou fiscal, e nem possuírem interesses conflitantes com a Cia.. (vii) Os acionistas autorizam os Diretores da Cia. a praticar todos os atos complementares e necessários à concretização e regularização da incorporação, inclusive registros, averbações, publicações e transferências. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a Assembléia, sendo lavrada a presente Ata. (ass.) Mesa: Ferran Prat Escude, Jorge Luiz Balsalobre Ferreira Alves. Acionista Presente: Prodimol Biotecnologia S/A – Ferran Prat Escude, Gilton Sebastião Martins. Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 29.520/13-7 em 16/01/2013. Gisela Simiema Ceschin – Secretária Geral. Protocolo de Incorporação e Justificação: De um lado, como Incorporadora: Alere S/A, sociedade anônima fechada, inscrita no CNPJ sob o nº 50.248.780/0001-61, com sede na Rua dos Pinheiros, nº 498, conjuntos 71 e 72, Bairro Pinheiros, São Paulo/SP, CEP 05.422-000, neste ato devidamente representada nos termos de seu Estatuto Social por seus diretores Ferran Prat Escude, espanhol, casado, empresário, inscrito no CPF sob o nº 222.347.83879, portador do passaporte espanhol nº XDA458633, portador do visto de permanência nº 241942MD, registrado como permanente junto à RNE/DELEMIG/SR/DPF/RJ em 15/06/2012, sob o nº V285810-0, residente e domiciliado na Av. Prefeito Dulcídio Cardoso, nº 2.915, bloco 03, apto. 502, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro/RJ, CEP 22.630-021, e Sr. Jorge Luiz Balsalobre Ferreira Alves, brasileiro, divorciado, contabilista, portador do documento de identidade nº 21.663.030-7, expedido pela SSP/SP, inscrito no CPF sob o nº 164.102.328-70, residente e domiciliado na Rua Itapaiuna, nº 1.800, apto 102, bairro Panamby, São Paulo/SP, CEP 05.707-001 (“Alere”), E de outro, como Sociedades Incorporadas: Prodimol Biotecnologia S.A., sociedade anônima fechada, inscrita no CNPJ sob o nº 06.018.858/0001-60, com sede na Avenida Barão Homem de Mello, nº 567, 2º andar, sala 231, bairro Nova Granada, Belo Horizonte/MG, CEP 30.431-285, neste ato devidamente representada por seus diretores Ferran Prat Escude, acima já qualificado, e Gilton Sebastião Martins, brasileiro, casado, biólogo, portador do documento de identidade nº M3.274.825, expedido pela SSP/MG, inscrito no CPF sob o nº 496.135.106-72, residente e domiciliado na Rua Valença, nº 48, apto. 704, bairro Carlos Prates, em Belo Horizonte/MG, CEP 30.710-400, (“Prodimol”); e Bioeasy Diagnóstica S.A., sociedade anônima fechada, inscrita no CNPJ sob o nº 02.719.715/0001-24, com sede na Avenida Barão Homem de Mello, nº 567, 1º andar, 2º andar, sala 232; 3º andar, sala 321, 4º e 5º andares, Bairro Nova Granada, em Belo Horizonte/MG, CEP 30.431-285, neste ato devidamente representada por seus diretores Ferran Prat Escude, acima já qualificado, e Vinícius Silva Pereira, brasileiro, solteiro, farmacêutico, portador da cédula de identidade nº MG-7.723.258, expedida pela SSP/MG, inscrito no CPF sob o nº 036.698.766-69, residente e domiciliado na Rua Passa Tempo, 320/500, Bairro do Carmo, Belo Horizonte/MG, CEP 30.310-760 (“Bioeasy”); Convencionam firmar o presente Protocolo de Incorporação e Justificação (“Protocolo”) em que estabelecem os termos e condições que deverão reger a incorporação das Sociedades Incorporadas pela Incorporadora, bem como a motivação desta operação, observadas as disposições da Lei nº 6.404, de 15.12.1976, e da Lei nº 10.406, de 10.01.2002: I – Características Gerais das Sociedades. 1.1. A Incorporadora é uma sociedade anônima de capital fechado que tem como objeto social (i) a importação, exportação, produção, distribuição e comercialização de equipamentos e produtos para uso médico, hospitalar, veterinário e de laboratórios em geral, incluindo (a) reagentes e equipamentos para biologia molecular e identificação humana; (b) produtos para diagnóstico in vitro no setor de saúde humana e animal; e (c) meios de cultura e outros produtos para microbiologia; (ii) a manutenção de equipamentos médico-hospitalares e laboratoriais; (iii) a prestação de serviços de assessoria e assistência técnico-científica em áreas relacionadas às suas atividades; (iv) o aluguel de máquinas e equipamentos médico-hospitalares e laboratoriais; e (v) a participação em outras sociedades, na qualidade de sócia ou acionista. 1.2. A Prodimol é uma sociedade anônima cujo objeto social compreende: (i) a prestação de serviços de assessoria e assistência técnica/científica no campo da bioquímica, medicina, do diagnóstico e de laboratórios em geral; (ii) produzir, importar, embalar, reembalar, armazenar, transportar, distribuir e comercializar, nos mercados interno e externo, meios de cultura e outros produtos para microbiologia, reagentes e equipamentos para diagnóstico em geral; reagentes e equipamentos para biologia molecular e identificação humana, produtos químicos e suas sustâncias, produtos higiênicos e anti-sépticos, cosméticos, germicidas e saneantes, material médico-hospitalar e para laboratórios de análises clínicas, laboratórios de pesquisa e laboratórios veterinários, matérias primas e insumos correlatos; (iii) promover a locação e o comodato de produtos/equipamentos relativos a diagnósticos médicos; (iv) associar-se com outras empresas em negócios de interesse da Companhia; (v) participar em outras sociedades como acionista

ECONOMIA/LEGAIS - 17 ou quotista. A Prodimol é controladora da Incorporadora, sendo titular da totalidade das ações desta. 1.3. A Bioeasy é uma sociedade anônima cujo objeto social é a importação, exportação, armazenagem por conta própria, reembalagem, comercialização distribuição e a fabricação de produtos para diagnósticos in vitro no setor da saúde humana e animal bem como suprimentos médico hospitalar e laboratoriais, e a manutenção de equipamentos laboratoriais e hospitalares. Seu controle societário pertence à Prodimol, titular da quase totalidade das ações daquela. 1.4. A Prodimol é titular da totalidade das ações em que é composto o capital social da Alere. Adicionalmente, a Prodimol é titular de 99,9999% das ações representativas do capital social da Bioeasy, sendo a participação societária restante da Bioeasy detida pela própria Alere. A Incorporadora e as Incorporadas, portanto, fazem parte do mesmo grupo de fato. II – Justificativa da Operação e Interesse das Sociedades. 2.1. Justificação. Considerando que: (i) a Incorporadora e as Sociedades Incorporadas já pertencem ao mesmo grupo de fato; e (ii) as partes envolvidas na operação podem experimentar sinergias em função da operação ora proposta, a qual se espera implicará ainda em redução dos custos operacionais das sociedades; a incorporação do patrimônio das Sociedades Incorporadas ao patrimônio da Incorporadora constitui, no entendimento da administração das companhias envolvidas, o melhor caminho para permitir a otimização dos negócios das sociedades. 2.2. Resultado da Incorporação. Como resultado da incorporação ora proposta, todas as operações das Sociedades Incorporadas serão transferidas para a Incorporadora, que as sucederá em todos os seus bens, direitos e obrigações, a título universal e para todos os fins de direito, sem qualquer solução de continuidade, com a consequente extinção das Sociedades Incorporadas. III – Avaliação Patrimonial. 4.1. Laudo de Avaliação e Critérios de Avaliação. Para fins de incorporação, os patrimônios líquidos das Sociedades Incorporadas serão avaliados por seu valor patrimonial contábil, obtido a partir da análise de seus livros e registros contábeis, levantados em 31 de dezembro de 2012. O resultado da avaliação patrimonial será refletido nos Laudos de Avaliação Patrimonial das Sociedades Incorporadas (“Laudos de Avaliação”). 4.2. Nomeação de Empresa Especializada. As administrações da Incorporadora e das Sociedades Incorporadas nomearam, em comum acordo, para proceder à avaliação dos patrimônios líquidos das Sociedades Incorporadas, a empresa especializada Tax Master Serviços Tributários e de Contabilidade Ltda., sociedade simples limitada, registrada no Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo sob o CRC nº 2 SP 24.251/O-7, inscrita no CNPJ sob o nº 06.078.787/0001-90, com sede na Rua Major Sertório, nº 200, 5° andar, Vila Buarque, CEP 01.222000, São Paulo/SP, e com escritório na Avenida Afonso Pena, n°. 418, salas nº 21/22/23, CEP 11.020-000, Santos/SP (“Tax Master”). 4.2.1. A nomeação da empresa especializada acima qualificada deverá ser referendada na Assembleia Geral da Incorporadora e nas Assembleias Gerais das Sociedades Incorporadas. 4.3. Avaliação. A Tax Master, acima qualificada, já iniciou e concluiu o trabalho de avaliação dos patrimônios líquidos das Sociedades Incorporadas, assim avaliados, conforme dispostos nos Laudos de Avaliação: (i) Prodimol: patrimônio líquido a valor contábil avaliado em R$ 121.313.917,30 (cento e vinte e um milhões, trezentos e treze mil, novecentos e dezessete reais e trinta centavos). Descontado os efeitos da participação societária da Prodimol na Alere e na Bioeasy, o acervo líquido da Prodimol a ser vertido para a Alere está avaliado em R$ 74.911.010,01 (setenta e quatro milhões, novecentos e onze mil, dez reais e um centavo); e (ii) Bioeasy: patrimônio líquido a valor contábil avaliado em R$ 9.102.726,51 (nove milhões, cento e dois mil, setecentos e vinte e seis reais e cinquenta e um centavos). Descontados os efeitos da participação societária da Alere na Bioeasy, o acervo líquido da Bioeasy a ser vertido para a Alere esta avaliado em R$ 9.101.341,01 (nove milhões, cento e um mil, trezentos e quarenta e um reais e um centavo). 4.3.1. A aprovação do trabalho de avaliação dos patrimônios líquidos das Sociedades Incorporadas e a ratificação da nomeação da empresa especializada supramencionada serão deliberados pela Assembleia Geral da Incorporadora e pelas Assembleias Gerais das Sociedades Incorporadas. 4.4. Data Base e Variações Patrimoniais. Para a operação de incorporação das Sociedades Incorporadas será tomada como data-base a data do balanço levantado em 31 de dezembro de 2012. Ocorrendo quaisquer variações patrimoniais nas Sociedades Incorporadas entre a data-base dos seus Balanços e a data de realização efetiva da Incorporação, estas serão inteiramente absorvidas pela Incorporadora, sendo os lançamentos contábeis a elas referentes diretamente escriturados nos livros da Incorporadora. V – Capital Social das Sociedades antes da Incorporação. 5.1. Capital Social da Incorporadora antes da incorporação. O capital social da Incorporadora é de R$74.560.526,00 (setenta e quatro milhões quinhentos e sessenta mil quinhentos e vinte e seis reais), representado por 74.560.526 (setenta e quatro milhões quinhentas e sessenta mil quinhentas e vinte e seis) ações ordinárias nominativas sem valor nominal, distribuídas entre os acionistas da seguinte forma: Acionistas: Prodimol – 74.560.526 ações, 100%; Total: 74.560.526 ações – 100%. 5.1.1. Na data da Incorporação, pretende-se reduzir o capital social da Incorporadora mediante a absorção dos prejuízos acumulados registrados em 31 de dezembro de 2012 no montante de R$ 37.258.959,72 (trinta e sete milhões, duzentos e cinquenta e oito mil, novecentos e cinquenta e nove reais e setenta e dois centavos), de forma que tal redução implicará no cancelamento de 37.258.960 (trinta e sete milhões, duzentos e cinquenta e oito mil, novecentas e sessenta) ações ordinárias nominativas sem valor nominal de emissão da Companhia. Deste modo, o capital social da Companhia passará dos atuais R$ 74.560.526,00 (setenta e quatro milhões, quinhentos e sessenta mil, quinhentos e vinte e seis reais) para R$ 37.301.566,28 (trinta e sete milhões, trezentos e um mil, quinhentos e sessenta e seis reais e vinte e oito centavos), representado por 37.301.566 (trinta e sete milhões, trezentos e um mil, quinhentas e sessenta e seis) ações ordinárias nominativas sem valor nominal, distribuídas entre os acionistas da seguinte forma: Acionista: Prodimol – 37.301.566 ações, 100%; Total: 37.301.566 ações, 100%. 5.2. Capital Social da Prodimol antes da incorporação. O capital social da Prodimol é de R$ 114.880.508,00 (cento e quatorze milhões, oitocentos e oitenta mil, quinhentos e oito reais), representado por 145.191.412 (cento e quarenta e cinco milhões, cento e noventa e um mil, quatrocentas e doze) ações ordinárias nominativas, sem valor nominal, distribuídas entre os acionistas da seguinte forma: Acionista: Orgenics Ltd – 145.191.410 ações, 99,999999%; Acionista: Emanuel Hart – 1 ação, 0,000001%; Acionista: Dror Yeffet – 1 açã, 0,000001%; Total: 145.191.412 ações, 100%. 5.3. Capital Social da Bioeasy antes da incorporação. O capital social da Bioeasy é de R$7.850.000,00 (sete milhões oitocentos e cinquenta mil reais), dividido em 7.850.000 (sete milhões oitocentas e cinquenta mil) ações ordinárias nominativas e sem valor nominal, distribuídas entre os acionistas da seguinte forma: Acionista: Prodimol – 7.849.215 ações, 99,9999%; Acionista: Alere – 785 ações, 0,0001%; Total: 7.850.000 ações, 100%. VII – Composição do Capital da Incorporadora em Consequência da Incorporação. 7.1. Versão de Patrimônio. Como consequência da Incorporação, o patrimônio das Sociedades Incorporadas, incluindo todos os bens móveis e imóveis, créditos, direitos, dívidas, obrigações e demais passivos e ativos, tangíveis e intangíveis, passará a integrar o patrimônio da Incorporadora. 7.2. Alteração do Capital Social da Incorporadora. Considerando que: (i) a Incorporadora era subsidiária integral da Prodimol, conforme demonstrado no item 5.1 acima e; (ii) a Prodimol detém 99,9999% das ações de emissão da Bioeasy e a Incorporadora detém o restante de ações da Bioeasy, conforme demonstrado no item 5.3 acima; é necessário que, do patrimônio das Sociedades Incorporadas a ser vertido para a Incorporadora, seja descontado os efeitos das participações societárias entre as companhias, de forma que o aumento do capital social da Incorporadora seja correspondente tão somente ao acerto líquido vertido pelas Sociedades Incorporadas. 7.2.1 Considerando também que a Incorporação abrange uma incorporação reversa da Prodimol pela Alere e que a Prodimol e a Incoporadora são os únicos acionistas da Bioeasy, as ações a serem emitidas pela Incorporadora em decorrência da Incorporação devem ser conferidas unicamente aos acionistas da Prodimol, de acordo com suas participações no capital social desta. 7.2.2. Em virtude da incorporação do acervo líquido das Sociedades Incorporadas pela Incorporadora, o capital social da Incorporadora será aumentado em R$ 84.012.351,02 (oitenta e quatro milhões, doze mil, trezentos e cinquenta e um reais e dois centavos), caso ratificada a escolha da empresa avaliadora acima mencionada e a aprovação do Laudo de Avaliação. O referido aumento de capital dar-se-á mediante a emissão de novas ações ordinárias nominativas, sem valor nominal, ao preço de emissão aproximado de R$ 1,00 (um real), calculado nos termos do artigo 170, § 1º, incisos I e II da Lei nº 6.404/1976. Com base na estimativa de que o aumento de capital será no valor de R$ R$ 84.012.351,02 (oitenta e quatro milhões, doze mil, trezentos e cinquenta e um reais e dois centavos), serão emitidas 84.012.351 (oitenta e quatro milhões, doze mil, trezentos e cinquenta e uma) ações ordinárias nominativas, sem valor nominal, que deverão ser atribuídas aos acionistas da Prodimol, na mesma proporção de suas respectivas participações no capital social da Prodimol nesta data. 7.2.2. Capital Social da Incorporadora após a incorporação. Considerando que a redução do capital social mencionada no item 5.1.1. acima será aprovada no mesmo ato da Incorporação, o capital social da Incorporadora após a Incorporação passará a ser de R$ 121.313.917,30 (cento e vinte e um milhões, trezentos e treze mil, novecentos e dezessete reais e trinta centavos), dividido em 121.313.917 (cento e vinte e um milhões, trezentos e treze mil, novecentas e dezessete) ações ordinárias nominativas e sem valor nominal, distribuídas entre os acionistas da seguinte forma: Acionista: Orgenics Ltd – 121.313.915 ações, 99,999999%; Emanuel Hart – 1 ação, 0,000001%; Dror Yeffet – 1 ação; 0,000001%. Total: 121.313.917 ações, 100%. 7.3. Extinção de ações das Sociedades Incorporadas. Com a efetivação da incorporação, observados os termos em que está lavrado o presente Protocolo e dependendo da confirmação do Laudo de Avaliação, as ações representativas do capital social das Sociedades Incorporadas serão extintas. 7.4. Direitos dos Acionistas. Serão mantidos intactos os direitos que as ações da Incorporadora conferem a seus titulares. VIII – Condições Gerais. 8.1. Objeto Social. O objeto social da Incorporadora já abrange o objeto social das Sociedades Incorporadas e, dessa forma, não será alterado após a incorporação. 8.2. Foro. As partes elegem o foro da comarca de São Paulo, Estado de São Paulo, como competente para dirimir eventuais dúvidas e/ou controvérsias decorrentes do presente Protocolo, renunciando a qualquer outro, ainda que privilegiado. E, por estarem justas e acordadas, as partes assinam o presente Protocolo em 9 (nove) vias de igual teor e forma, na presença das testemunhas adiante qualificadas. São Paulo, 31 de dezembro de 2012. Como Incorporadora: Alere S/A, p. Ferran Prat Escude, Jorge Luiz Balsalobre Ferreira Alves; Como Sociedades Incorporadas: Prodimol Biotecnologia S.A., p. Ferran Prat Escude e Gilton Sebastião Martins; Bioeasy Diagnóstica S.A., p. Ferran Prat Escude e Vinícius Silva Pereira.

FLORESTAL NACIONAL S.A.

CNPJ nº 09.295.323/0001-24 - NIRE: 35300391217 Ata da Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária Realizada em 01 de Outubro de 2012 (Lavrada sob a forma de sumário de acordo com a autorização contida no parágrafo 1º do Artigo 130 da Lei 6.404/76) Data, Hora e Local: Em um de outubro de 2012, às 17:00 horas, na sede da Companhia, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 3400, 20º andar, parte, Itaim Bibi, São Paulo/SP. Convocação: Convocação dispensada, nos termos do artigo 124, § 4º, da Lei nº 6.404/76, face à presença da totalidade dos acionistas. Presença: Companhia Siderúrgica Nacional (representada por Luis Fernando Barbosa Martinez), Enéas Garcia Diniz, Luis Fernando Barbosa Martinez e David Moise Salama. Mesa: Assumiu a Presidência da Mesa, o Sr. Enéas Garcia Diniz, que convidou, a mim, Claudia Maria Sarti, para Secretariar os trabalhos. Ordem do Dia: Em Assembleia Geral Ordinária: (i) Tomar as contas dos administradores, examinar, discutir e votar as Demonstrações Financeiras e o Relatório da Administração relativos ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011; (ii) Deliberar sobre a destinação do resultado do exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011; e (iii) Fixar a remuneração anual global dos administradores da Companhia para o exercício de 2012; Em Assembleia Geral Extraordinária: (i) Aprovar o aumento do capital social, com emissão de novas ações, mediante capitalização de créditos decorrentes de Adiantamento para Futuro Aumento de Capital (AFAC) e a consequente alteração do art. 5º do Estatuto Social; e (ii) Aprovar a alteração do art. 12 do Estatuto Social. Deliberações: Foram tomadas, por unanimidade de votos, deixando de votar os legalmente impedidos, as seguintes deliberações: Em Assembleia Geral Ordinária: (i) Aprovadas as Demonstrações Financeiras e o Relatório da Administração relativos ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2011, na forma do documento que integra esta ata como Anexo II, sendo que a Companhia deixou de publicar os documentos de que trata o art. 133 da Lei nº 6.404/76, conforme autoriza o art. 294, caput e inciso II da referida lei. (ii) Aprovada a alocação do prejuízo apurado no exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2011, no valor de R$ 69.730.607,65 (sessenta e nove milhões, setecentos e trinta mil, seiscentos e sete reais e sessenta e cinco centavos) na Conta de Prejuízos Acumulados. (iii) Aprovada a remuneração anual global dos administradores no montante de até R$ 15.000,00 (quinze mil reais) para o exercício social de 2012. Em Assembleia Geral Extraordinária: (i) Aprovado o aumento de capital social no valor de R$ 8.521.889,00 (oito milhões, quinhentos e vinte e um mil, oitocentos e oitenta e nove reais), mediante a emissão de 8.521.889 (oito milhões, quinhentas e vinte e uma mil, oitocentas e oitenta e nove) ações ordinárias nominativas, sem valor nominal, ao preço unitário de emissão de R$ 1,00 (um real), fixado de acordo com o critério estabelecido no art. 170, § 1º, inciso I da Lei 6.404/76, as quais são, com expressa renúncia dos demais acionistas aos respectivos direitos de preferência, integralmente subscritas e integralizadas pela acionista Companhia Siderúrgica Nacional (“CSN”), mediante a capitalização de créditos decorrentes de Adiantamento para Futuro Aumento de Capital (AFAC) detidos pela CSN, nos termos do Boletim de Subscrição, que constitui o Anexo I desta ata, no valor de R$ 8.521.889,00 (oito milhões, quinhentos e vinte e um mil, oitocentos e oitenta e nove reais). (ii) Em decorrência da deliberação acima, o capital social da Companhia passa de R$ 15.474.625,00 (quinze milhões, quatrocentos e setenta e quatro mil, seiscentos e vinte e cinco reais) para R$ 23.996.514,00 (vinte e três milhões, novecentos e noventa e seis mil, quinhentos e quatorze reais), passando o art. 5º do Estatuto Social da Companhia a viger com a seguinte redação: Art. 5º - O capital social da Companhia, totalmente subscrito e integralizado, é de R$ 23.996.514,00 (vinte e três milhões, novecentos e noventa e seis mil, quinhentos e quatorze reais), dividido em 23.996.514 (vinte e três milhões, novecentas e noventa e seis mil, quinhentas e quatorze) ações ordinárias nominativas e sem valor nominal. (iii) Aprovada a alteração do art. 12 do Estatuto Social da Companhia a fim de excluir a necessidade de os membros do Conselho de Administração serem acionistas da Companhia, passando referido artigo a viger com a seguinte redação: Art. 12 - O Conselho de Administração será composto por 3 (três) a 6 (seis) membros, eleitos pela Assembleia Geral, com prazo de gestão de três anos, permitida a reeleição, sendo um deles indicado para o cargo de Presidente e outro para o de Vice-Presidente. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foram encerrados os trabalhos e lavrada esta ata que, tendo sido lida e achada conforme, foi assinada por todos os presentes. Documentos: Ficam arquivados, na sede da Companhia, o Relatório da Administração, Balanço Patrimonial e demais Demonstrações Financeiras relativas ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2011. Anexo: Boletim de Subscrição e Demonstrações Financeiras. Assinaturas: Enéas Garcia Diniz, presidente; Claudia Maria Sarti, secretária; Companhia Siderúrgica Nacional (representada por Luis Fernando Barbosa Martinez), Enéas Garcia Diniz, Luis Fernando Barbosa Martinez e David Moise Salama. Certifico que a Presente Ata é Cópia Fiel da Original Lavrada no Livro de Atas de Assembleias Gerais da Companhia. São Paulo, 01 de outubro de 2012. Claudia Maria Sarti - Secretária. JUCESP nº 472.408/12-4 em 29/10/2012. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL

NOS TERMOS DO PROVIMENTO CSM CXC/84, INFORMAMOS QUE NO DIA 21 DE JANEIRO DE 2013 NÃO HOUVE PEDIDO DE FALÊNCIA NA COMARCA DA CAPITAL.

Comunicado de Extravio de Documentos Fiscais SEB Sistema Educacional Brasileiro Ltda. inscrito no Cadastro Nacional de Pessoas Juridicas do Ministério da Fazenda (CNPJ/MF) nº. 56.012.628/0001-61 e Cadastro de Contribuinte Mobiliário da Prefeitura Municipal de São Paulo. (CCM/PMSP) nº. 2.692.387-4, estabelecida atualmente na Avenida Doutor Francisco Junqueira, 1835, CEP 14.091-000, Jardim Macedo, Ribeirão Preto/SP nos Termos do Artigo 126 do Decreto nº 22.470 de 18.07.1986, comunicam o extravio de Talões de Notas Fiscais de Serviços da Prefeitura Municipal de São Paulo, série A, numeradas de 22.025 a 22.200, objeto de autorização nº. 9000151, sendo que as Notas Fiscais de Serviços de 22.025 a 22.200 estavam em branco.

BRASBUNKER PARTICIPAÇÕES S/A

CNPJ/MF: 04.931.019/0001-02 - NIRE: 35.300.414.144 Convocação - AGE - Aumento de Capital. Convocamos os acionistas da Cia., a comparecer à AGE, a realizar-se dia 30/1/2013, 15hs, R.Senador Salgado Filho, 356 (Parte), Jd. Santense - Guarujá/SP, c/o objetivo de deliberar sobre o aumento de capital a ser efetuado na Companhia bem como a emissão de bônus de subscrição, além de decidir sobre outros eventuais assuntos de interesse da Companhia. Guarujá, 10/1/2013. Marcelino José Lobato Nascimento-Presidente do Conselho de Administração. (19, 22 e 23/01/2013)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

nformática

Surge o 'Google Analytics' das lojas físicas Um dos criadores da ferramenta de monitoramento de tráfego em sites levou a tecnologia para fora do mundo online. Basta o varejista colocar um sensor em sua rede Wi-Fi. O serviço está também disponível para o Brasil. Fernando Porto

M

uitos empresários de e-commerce utlizam ferramentas de monitoramento de tráfego na internet para tomada de decisões de planejamento na internet, principalmente para avaliar se um site tem potencial para investimentos. O mais famoso serviço é o Google Analytics, que mostra acessos às páginas, as formas de chegada ao site e até localização geográfica dos visitantes, entre outros dados. Para um dono de loja de varejo virtual, são dados importantes para avaliar o desempenho de vendas e o comportamento do consumidor. Agora imagine ter uma ferramenta dessas em uma loja física, obtendo os dados sobre o tráfego de entrada e saída de pessoas, sabendo quanto tempo elas gastam em seus centros de compras e a frequencia? Essa ferramenta de análise de lojas físicas já existe nos Estados Unidos, graças a Scott Crosby, co-criador do próprio Google Analytics, que se juntou ao empreendedor Will Smith - filho de John Smith, um dos pioneiros dos shoppings modernos nos anos 60. Eles criaram o Euclid Analytics. O sistema da startup usa o mesmo rigor dos monitores de sites em lojas de varejo. Ao pegar as identificações individuais que cada smartphone emite, quando reconhece uma rede Wi-Fi de loja, o software da empresa pode obter estatísticas que normal-

n GADGETS

Pássarobomba

ara os geeks que reclamam da falta de gadgets divertidos no Brasil, a Dabee (www.dabee.com.br), plataforma que ajuda a comprar produtos que não chegaram ainda ao País, oferece-os pela internet, com frete incluso e possibilidade de parcelamento. Um deles é uma homenagem aos fãs de um dos jogos mais viciantes: o Angry Birds. A caixa de som Pássaro Preto tem conector para iPod, iPhone e iPad. O "pássaro-bomba" carrega e toca os dispositivos da Apple e vem acompanhado de um controle remoto. Preço: R$ 340,66 ou 12 parcelas de R$ 32,19 (valor sujeito a alteração sem aviso prévio).

P

SOFTWARES

Lembranças de férias otografar e filmar é uma das partes mais divertidas das férias. Mas depois vem a parte chata: editar. Uma das soluções do mercado é o Nero 12 Platinum, software que edita vídeos em alta resolução e cria playlists, slide shows de fotos e apresentações – com mais de 800 efeitos especiais. E não é preciso ter diferentes reprodutores para vídeos e músicas; basta criar o conteúdo uma única vez e assistir em DVD ou Bluray (até mesmo no Windows 8) ou transmitir para o Facebook, YouTube, Android - e diferentes dispositivos. Disponível na loja www.nero.com/ptb. A versão em caixa sai por R$ 249.

mente são muito difíceis, co- mam as tendências de tráfego mo o percentual de pessoas dos sites e quais os produtos que entram em uma loja, a du- devem atrair compradores, os ração média de tempo que dados do negócio físico tampassam dentro do estabeleci- bém se destinam a influenciar mento e a frequência de visi- nas decisões de negócios. tas que se repetem. Entre os mais de 30 clientes "Estamos tentando fazer está o Philz café, uma popular um mundo legível por máqui- cadeia na Baía de São Francisnas", disse Crosby ao site MIT co. O CEO Jacob Jaber tem um Technology Review. Ele dei- sensor de Euclid instalado em xou o Google em 2010 para se cada uma de suas 11 frantornar diretor de operações da quias e controla seus dados a empresa de Palo cada duas semaAlto, na Califórnas. Ele aprennia. "A maioria deu que os cliendas lojas ainda tes que estudam estão usando na Universidade pranchetas e clida Califórnia, em ckers", diz ele. Berkeley, ficam dólares por mês S e g u n d o o e mem média 42 mié o valor pago presário, a tecnonutos dentro de logia do Euclid é seu estabelecipara se ter o relativamente mento na região. serviço Euclid simples. Basta Sabendo disso, que o estabelecipensou em muem uma loja mento instale os dar o layout da losensores do Euja e os móveis paclid. Se ele já tem uma rede Wi- ra tornar o lugar mais conforFi própria, faz o download de tável para os estudantes. software para essa rede. O sisPrivacidade em jogo – Embotema pode, então, detectar to- ra o Euclid codifique os IDs de dos os dispositivos de consu- dispositivo para torná-los anômidores que tenham Wi-Fi ha- nimos e não colete informabilitado e que estão no raio de ções pessoais, os consumidoalcance dentro da loja. Como o res ainda podem ter preocudispositivo móvel sinaliza a re- pações com a privacidade ao de Wi-Fi, o software recolhe o serem rastreados. ID do dispositivo, mesmo se Os criadores do Euclid tenele não se conectar. Ele tam- tam amenizar isso exigindo bém mede a intensidade do si- que as lojas emitam um sinal nal Wi-Fi para decidir se a pes- no smartphone informando soa com o dispositivo está aos clientes sobre a existência dentro ou fora da loja. da tecnologia e indicando que Assim como nos monitores as pessoas podem optar por do mundo online, que infor- sair da página do programa na

200

web. Se eles fizerem isso, o sistema saberá ignorar quando o ID do dispositivo detectado – pelo menos é o que garantem os diretores da empresa. Jaber, o CEO do Philz Café, disse que o software lhe confirmou que seus estabelecimentos de maior movimento estão em áreas que têm uma combinação de residências e escritórios. Então ele deve considerar essas regiões mistas para abrir novas franquias. "Atualmente, o varejo é um pouco cego. Isso ajuda a preencher uma lacuna ", diz ele. O pacote do Euclid inclui a análise de compradores para a loja física, com indicadoreschave, como "novas visitas vs repetição", duração das visitas, e outros dados. A empresa envia o sensor para colocar na loja física e a instalação leva menos de 5 minutos. O plano standard custa US$ 200 por mês por loja e inclui acesso ilimitado ao conjunto de análises. Para instalar o sensor, é necessária uma ligação à internet de banda larga com uma porta Ethernet aberta e uma tomada. O contrato poderá ser cancelado a qualquer momento. Apesar da startup não ter escritório no País, o diretor de marketing do Euclid, John Fu, informou que o serviço está disponível para outros países, incluindo Brasil. "Qualquer loja pode instalar nosso sensor desde que tenha fonte de energia e uma conexão à internet." Site oficial: http://euclidanalytics.com

F

ACESSÓRIOS

GADGETS

iPhone na carteira

P

roblema masculino: como carregar o smartphone e a carteira juntos na rua, sem o desconforto habitual? A empresa brasileira Kozo (www.kozo.com.br) resolveu o problema ao oferecer a carteira Classic, que tem espaço reservado para guardar iPhone 4 ou 5 ao lado do dinheiro e dos cartões de crédito. Segundo a empresa, cada peça é feita à mão, de couro legítimo. Preço para compra direta no site: R$ 95 cada, com modelos sob medida tanto para o iPhone 4 como para o Iphone 5.

David Chang / EFE

Transparência nas ligações erena Chen, vice-diretora da empresa Polytron, apresentou ontem em Taoyuan, no norte de Taiwan, um protótipo de um smartphone transparente . A Polytron espera comercializar esse telefone até o final deste ano.

S

DC 22/01/2013  

Diário do Comércio

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you