Page 1

Sorria! Braz il cai, mas continua de pé. O brasilianista Albert Fishlow rebate "os agourentos de plantão" admitindo que "o Brasil está para baixo, mas não fora do jogo". Ele escreveu para a revista Foreign Policy que, em um número anterior, publicou que "o Brasil emergente não emergiu". Fishlow observa, porém, que mesmo os investidores mais crédulos na economia brasileira estão ficando com o pé atrás. Para ele, surge um novo Brasil. Pág. 20

Ano 87 - Nº 23.628

Jornal do empreendedor

R$ 1,40

Grécia, à beira do abismo. Conclusão: 23h35

www.dcomercio.com.br

Em plena tragédia grega (pág. 17), eleitores terão de escolher no dia 17 se ficam ou não na zona do euro. Pág. 19

São Paulo, sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012 Thiago Teixeira/AE

Giorgio Benvenuti/Reuters

O 'fim dos tempos' no norte da Itália Um dos mais violentos terremotos a castigar a região causou pânico e matou pelo menos sete pessoas. Pág. 9

Reinaldo Canato/AE

Semana de 'veta, Dilma' Zé Carlos Barretta/Hype

Presidente decide sobre Código Florestal até 2ª-feira. 1,5 mil pessoas protestaram ontem no Ibirapuera. Pág. 6

Entregas garantidas no Centro de SP Comerciantes e transportadoras comemoram a liberação dos VUCs na região. Pág. 10 Reprodução

Devendo para a torcida Corinthians (foto), São Paulo e Ponte Preta apanharam. Palmeiras e Portuguesa empataram entre si. Para ver uma vitória, o paulista teve que apelar para a Série B, onde o Bragantino 'salvou a honra' do Estado ao derrotar o CRB-AL por 2 a 0. Esse é o amargo saldo da rodada de abertura do Campeonato Brasileiro. Esporte

Relatório Social da ACSP Extra! Nesta edição circula o relatório social da Associação Comercial de São Paulo de 2011, com uma novidade de 2012: o uso de Ecofont, menos poluente.

HOJE Sol com algumas nuvens. Não chove. Máxima 25º C. Mínima 14º C.

ISSN 1679-2688

23628

AMANHÃ Sol com algumas nuvens. Não chove. Máxima 26º C. Mínima 14º C.

9 771679 268008


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

Sair do euro, abandonar a moeda comum dos países e voltar para o dracma vai custar muito caro. Delfim Netto

pinião

PERTO DO IMPOSSÍVEL Esses países estão sujeitos ao engano que consiste em acreditar que o novo governo vai resolver o problema, sem maior custo.

A

s expectativas em torno dos resultados da eleição na Grécia no próximo mês de junho, com as opiniões extremamente divididas entre a permanência do país na zona do euro ou o retorno ao velho dracma (foto acima), aumentaram a instabilidade nos mercados financeiros num momento em que se confirmava um conjunto de notícias nada agradáveis sobre o comportamento da economia mundial. Pela ordem, a confirmação do estado de recessão em oito dos dezessete países da zona do euro e da estagnação da economia nos demais, com exceção da Alemanha que conseguiu crescer 0,5% no primeiro trimestre do ano. Com as eco-

nomias "tecnicamente" em recessão (dois meses seguidos de queda do PIB), estão Espanha, Itália, Portugal, Holanda, Eslovênia, Chipre e, evidentemente a Grécia, cujo Produto encolheu 20% nestes quatro anos de crise mundial.

P

or conta desses resultados, vão de mal a pior as avaliações sobre as possibilidades de reequilíbrio político no continente europeu, onde a crise econômica e social já derrubou (felizmente pela via eleitoral, por enquanto) onze governos, na esperança de que os novos governantes resolvam os problemas do crescimento e do emprego. A prestigiada revista inglesa The Economist, indiferente às ameaças

ANTONIO DELFIM NETTO de pânico que rondam o continente, não escondeu o humor negro com a publicação da piada (que inspirou o título deste meu comentário): o problema é que "o euro precisa de reformas na França, extravagâncias na Alemanha e de maturidade política na Itália". Chega perto do impossível... Não resta dúvida que a situação lá fora está se revelando mais complicada do que a gente pensava, há dois me-

ses, por exemplo: 1 – os Estados Unidos estão com uma recuperação mais lenta do que todos esperavam; 2 – na Ásia, o ritmo de crescimento continua se reduzindo e isto é mais visível na Índia, mas também se desacelera na China; 3 – e a Europa, como os resultados do primeiro trimestre mostraram, está praticamente num processo recessivo. Essas manifestações que estão ocorrendo na Grécia reve-

lam a gravidade da situação política em toda a zona do euro quando nenhum governo consegue fazer o que tem que ser feito. Os gregos se defendem (com razão), mostrando que não podem fazer o ajuste dramático que é necessário para permanecer no sistema do euro. Os europeus têm tratado os gregos com grande condescendência – já deram a eles mais de 200 bilhões de euros para pagar uma dívida que continua crescendo, enquanto o PIB do país encolheu 20%. Sair do euro, abandonar a moeda comum dos países e voltar para o dracma vai custar muito caro ao país. Ele vai retomar a possibilidade de ter sua moeda, mas vai fazer o mesmo que faria ficando no euro. A

desvalorização cambial vai cortar o salário pela metade, sem ter a quem se queixar. Se o governo aceitar o corte de salário, cai o governo.

O

problema é que esses países estão sujeitos ao engano que consiste em acreditar que o novo governo vai resolver o problema, sem maior custo. Impossível. Foi assim na Inglaterra, agora o poder trocou de mãos na França e vai ser assim na Alemanha quando houver a eleição geral no ano que vem. ANTÔNIO DELFIM NETTO É PROFESSOR EMÉRITO DA FEA-USP, EX-MINISTRO DA FAZENDA, DA AGRICULTURA E DO PLANEJAMENTO

contatodelfimnetto@terra.com.br

E

m junho, exatamente no dia 22, portanto daqui a 31 dias, esta coluna completará 30 anos de publicação ininterrupta no Diário do Comércio. Para saudar esta importante data, ao menos para o colunista, estou convocando a fazer contato comigo leitores que me acompanham nessas três décadas. Se é que os há. São mais de 7.500 colunas escritas de 1982 para cá, analisando o cotidiano da vida nacional. Falaremos disto no próximo mês. Para comemorar com os leitores que me acompanham nesse já longo período estarei ofertando livros de minha autoria e de autores importantes aos que me escreverem se identificando, além de uma assinatura gratuita do Digesto Econômico que será sorteada entre estes leitores. Se você é meu leitor trintão, mande um e-mail para psaab@uol.com.br, me dando essa alegria de saber quem tem tanta paciência. A história desta coluna e seu período de publicação até aqui bem como outros aspectos a ela referentes serão objeto de matéria em junho. Gostaria de ter a participação dos leitores

Pedro Ladeira/Folhapress - 16/05/2012

O LEITOR FIEL HÁ 30 ANOS PAULO SAAB

que atravessaram esse período vibrante para o País nessa abordagem. Escreva-me santo leitor de 30 anos de caminhada. A verdade – A presidente Dilma Rousseff reuniu, na posse dos membros da chamada Comissão da Verdade, em Brasília, os expresidentes Lula, Fernando Henrique Cardoso, José Sarney e Fernando Collor

(acima). Os que passaram pelo Planalto e ainda estão vivos (da era mais recente, Itamar Franco faleceu).

É

algo inédito e histórico porque civilizadamente foram deixados de lado os aspectos pessoais, as características individuais, partidárias e ideológicas para pensar no País. Algo que merece respeito.

Caso a presidente Dilma de fato consiga que a Comissão busque efetivamente a verdade sem ódios, revanchismos, vinganças, dará uma contribuição, ao lado de seus antecessores, que apoiaram essa busca para a consolidação da democracia. Espera-se que a maturidade revelada na presença de todos os

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

ex-presidente vivos ao lado da atual presidente se reflita nos atos dos integrantes da Comissão para que haja uma verdade que não seja instaladora de sentimentos capazes de dividir a unidade pátria que se quer consolidar. Respeito a todos e a tudo, é o que se espera. STF – Quando o Supremo (vejam a força dessa designação... Supremo)

Tribunal Federal vai colocar em pauta e votar o processo dos denunciados no Mensalão? O STF está devendo isto também na forma de verdade aos brasileiros. O tempo está passando e a possibilidade de que muitos que tenham cometido crime no exercício de cargos públicos, conforme as denuncias, não sejam punidos ou absolvidos, aumenta a cada dia pelo critério do decurso de prazo. Uma excrescência. Um desrespeito que marcará negativamente a mais alta corte do País se isso acontecer. CPI do Cachoeira – Muzzarela? Calabreza? Aliche? Portuguêsa?... Empadão goiano? PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Ed i to r - Ch e fe : José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Fernando Porto (fporto@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Darlene Delello, Eliana Haberli e Evelyn Schulke Repórter Especial: Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br), . Repórteres:André de Almeida, Fátima Lourenço, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rafael Nardini, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3176 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

o

pinião

3

NOSSOS LIBERAIS E CONSERVADO RES TERIAM ALGO A APRENDER COM ESSA LIÇÃO

A ordem dos fatores

N

o estudo admirável que publicou em 1994 sob o título The Soviet Tragedy, Martin Malia pergunta por que os sovietólogos ocidentais, tão prestigiosos, tão bem pagos, tão dotados de amplos meios de investigação, não atinaram nem por um momento com a queda iminente da URSS, e, ao contrário, continuaram prevendo, até a véspera do desenlace, uma nova era de progresso espetacular para o gigante de pés de barro. O caso mais patético foi o de Paul Kennedy, historiador da Yale University, cujo livro Ascensão e Queda das Grandes Potências, anunciando para breve a queda dos EUA e a ascensão da URSS como potência dominante, virou um best-seller mundial, foi traduzido em 23 idiomas e celebrado como o nec plus ultra em matéria de análise estratégica. Isso foi em 1987: três anos antes que o curso das coisas o desmentisse fragorosamente, provando, pela milésima vez, que o aplauso universal da mídia reflete apenas o entusiasmo de uma multidão de cegos tagarelas pelos cegos ainda mais tagarelas que os guiam. Em contraste, assinala Malia, os dissidentes internos, Bukovski, Soljenítsin, Zinoviev e tantos outros, nunca cessaram de insistir que o comunismo era irreformável, que sua autodestruição era apenas questão de tempo, mas eram recebidos com ceticismo no ambiente acadêmico ocidental, que os via como sonhadores incapazes de atinar com o poder de auto-renovação do regime soviético. Pior ainda, os desertores da KGB e do serviço militar soviético, que traziam inside information da melhor qualidade, anunciando que o sistema estava consciente de ter de desmantelar-se até mesmo para salvar o que restasse do movimento comunista mundial, foram desprezados como "teóricos da conspiração" pelos serviços de inteligência ocidentais, isto é, pelos mais autorizados sovietólogos do mundo, porque os diagnósticos que ofereciam vinham só dos altos círculos governan-

OLAVO DE CARVALHO zar-se, estrangulando a sociedade, ou suicidar-se para deixar a sociedade viver. O plano reformista de Gorbachov fracassou e o governo soviético foi repentinamente suicidado por um bêbado corajoso. Quod erat demonstrandum.

A

tes, sem levar em conta – alegava-se – as realidades sociais e econômicas do regime. O mais brilhante desses desertores, Anatolyi Golytsin, cujas previsões acabariam depois se revelando acertadas em pelo menos 94 por cento, foi o mais criticado e ridicularizado pelos bem-pensantes.

M

artin Malia perguntase como foi possível que erros tão colossais se tornassem verdades indiscutíveis para toda uma elite acadêmica espalhada pelas maiores universidades, institutos de pesquisa, think tanks e serviços da inteligência da Europa e dos EUA, praticamente sem uma única voz discordante.

Ele poderia ter respondido, genericamente, que a principal tarefa do consenso acadêmico há 200 anos tem sido precisamente a de impor a autoridade do erro como padrão supremo de racionalidade em todos os campos do conhecimento humano, e acabar sendo sempre desmentido por um ou dois gênios isolados, teimosos e mal subsidiados. Mas ele preferiu dar uma ilustração mais detalhada dessa resposta. Os estudos sovietológicos no Ocidente, no seu empenho de tornarem-se cientificamente respeitáveis, seguiram em linhas gerais as duas tradições mais badaladas no campo da sociologia histórica, o

positivismo e o marxismo. Segundo essas duas escolas, o rumo das coisas na esfera político-ideológica é, ao menos a longo prazo, determinado por fatores mais básicos de ordem econômico-social.

E

sse princípio servia portanto, uniformemente, para analisar tanto as sociedades ocidentais como a soviética. Dele os sovietólogos concluíam que o "potencial de crescimento" da sociedade soviética terminaria por prevalecer sobre a rigidez ideológica da elite governante, forçando-a modernizar o regime para liberar, como diria Marx, as "forças produtivas". Nesse diagnóstico, diz Malia, não contavam com dois fato-

res: a força avassaladora da elite revolucionária, que ao longo de seis décadas diluíra e remoldara a seu bel-prazer uma sociedade passiva e inerme, e a rigidez imutável das instituições de controle governamental criadas por essa mesma elite, capazes, no máximo, de variar a dose de violência repressiva que aplicavam a cada momento, porém jamais de reformarse de alto a baixo. Na URSS, em suma, não vigorava a hierarquia marxista de uma "infraestrutura" econômico-social a determinar os rumos da "superestrutura" ideológica e política. A superestrutura havia se fortalecido e enrijecido a tal ponto, que já não podia refletir as mudanças da infraestrutura: o regime soviético só podia eterni-

BATALHA CONTRA D

porque ela está logo depois dos limites da reserva. Assim, a Anheuser-Busch e outras cervejarias põem centenas de milhares de galões de álcool nas lojas de Whiteclay, sabendo que vão terminar consumidas ilicitamente pelos moradores de Pine Ridge, e alimentam o alcoolismo, o crime e a miséria ali. Em resumo, o modelo de negócio de uma corporação gigantesca aqui está baseado na violação das regras tribais e destruindo a forma de vida dos índios.

É

como se o México vendesse legalmente metanfetamina e crack para os norte-americanos em Tijuana e Ciudad Juárez. Pine Ridge faz parte de um dos condados mais pobres dos Estados Unidos – Shannon County – e a expectativa de vida é praticamente a mesma do Afeganistão. Até dois terços dos adultos aqui podem ser alcoólatras, e um quarto das crianças sofre devido a desordens fetais provocadas pelo álcool.

Em resumo, isso não é sobre adultos conscientes. As crianças estão nascendo com danos neurológicos e nunca tiveram uma chance. "Toda pessoa nesta reserva já viu pessoalmente os efeitos negativos do álcool, com entes queridos ou nelas próprias", afirmou John Yellow Bird Steele, o presidente da tribo.

O

único propósito de Whiteclay é vender para os integrantes da tribo – não há mais ninguém por perto – e a tribo não pode fazer nada sobre isso. "É desesperador; a tribo não consegue interromper o álcool", disse Kenny Short Bear, 45 anos, que estava caído no chão em frente a uma das lojas de bebida. Ele informou que tinha sido professor e que perdeu o emprego e a família por causa do alcoolismo – e então me pediu US$ 5. Algumas cervejas Miller, Coors e Pabst são vendidas nas lojas, mas a grande maioria são produtos Anheuser-Busch, incluindo o licor de malte Hurricane e a

cerveja Budweiser. A tribo afirma que mais de 90% das prisões pela polícia tribal estão relacionadas ao álcool, sendo 90% jovens. As crianças geralmente começam a beber por volta dos 12 anos. O álcool também alimenta os índices impressionantes de violência doméstica, suicídios e crimes na reserva. Eu falei com uma família que primeiro perdeu o pai para a cirrose, depois um filho, morto a facadas durante uma briga com o próprio primo por causa de uma garrafa de cerveja. Poucas semanas depois, a irmã mais jovem do rapaz morto se matou aos 16 anos.

D

esde março, eu tenho tentando diversas vezes conseguir um comentário da Anheuser-Busch ou, mais recentemente, de seus advogados. A empresa não teve nada a dizer – nem um pio em sua defesa. Em fevereiro, a tribo Oglala Sioux entrou com um processo contra a AnheuserBusch e outras cervejarias, bem como atacadistas locais

OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA

NICHOLAS D. KRISTOF

AS CERVEJARIAS epois de ver a exploração arrasadora dos índios norte-americanos feita pela Anheuser-Busch, eu rompi com sua cerveja. O custo humano é evidente aqui em Whiteclay, no Estado de Nebraska: homens e mulheres cambaleando nas ruas, ou desmaiados, sussurros de mulheres que se vendem por álcool. O vilarejo tem uma população de aproximadamente 10 pessoas, mas vende mais de 4 milhões de latas de cerveja e licor de malte por ano – porque ele é o principal canal por onde o álcool entra ilegalmente na Reserva Indígena Pine Ridge a poucos passos dali. Pine Ridge, uma das maiores reservas indígenas dos Estados Unidos, proíbe o álcool. Os Oglala Sioux que vivem aqui lutam para manter o álcool distante, chegando até a prender pessoas que estejam com uma lata de cerveja. Mas a tribo não tem jurisdição em Whiteclay

o consentir em usar as categorias de infra-estrutura e superestrutura como instrumentos essenciais de análise do fenômeno soviético, os sovietólogos ocidentais mostraram ter-se deixado hipnotizar pelos esquemas mentais do inimigo, tentando apenas usá-los com signo político invertido. Isso nunca funciona. Os dissidentes, ao contrário, jogaram o marxismo fora junto com a discurseira oficial do Kremlin e buscaram categorias de pensamento radicalmente novas, inspiradas em parte na filosofia da religião, em parte na lógica matemática, em parte na própria tradição literária russa, chegando a desvendar os mais íntimos segredos do sistema soviético ao ponto de diagnosticar com clareza o seu estado terminal. Nossos liberais e conservadores teriam algo a aprender com essa lição, mas quem pode com gente de casca grossa e miolo mole? Metade deles acredita que a economia move o mundo (como se hoje em dia não fosse ela o mais volátil dos fatores), a outra metade imagina que o melhor que tem a fazer é macaquear o programa cultural da esquerda.

e distribuidores. Não sei como o processo vai prosseguir, mas tenho certeza que um boicote nacional à Budweiser iria acordar a empresa. Victor Clarke, gerente de uma mercearia em Whiteclay e seu porta-voz não oficial, admitiu que o álcool vendido em Whiteclay tem um grande custo para a reserva. Mas ele disse que se essas lojas fecharem, os índios simplesmente iriam se dirigir para cidades mais distantes para conseguir um drink.

H

á algo para ser feito. Como Eli Bald Eagle, que descreve a si mesmo como um alcoólatra há mais de 20 anos, me disse hesitante: "Ninguém vai nos impedir de sermos alcoólatras". Contudo, Bald Eagle e muitos outros simplesmente caminham até Whiteclay. Eles não têm acesso fácil a um carro. Com certeza seria mais difícil para os jovens entrarem na estrada para o alcoolismo se tivessem de dirigir para conseguir uma bebida. Estudos mostram:

quando há menos lojas de bebidas, há menos pessoas bebendo e menos crimes relacionados ao álcool. Uma boa proposta, apresentada pelo ex-senador James Abourezk, de Dakota do Sul, prevê que o governo Obama amplie os limites da Reserva Pine Ridge para incluir Whiteclay. Nenhum título de propriedade mudaria de mãos, mas as leis da reserva seriam aplicadas e as lojas de bebida se tornariam ilegais.

P

or enquanto, o problema de álcool de Pine Ridge só é igualado pelo problema de ganância da AnheuserBusch. As cervejarias vendem cerveja com cenas campestres bucólicas, mas a imagem que agora eu associo à Budweiser é a de uma criança com síndrome fetal alcóolica. Essa é a razão pela qual recuso uma Bud – e espero que vocês me acompanhem. NICHOLAS D. KRISTOF É COLUNISTA DO NEW YORK TIMES

TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4 -.GERAL

GibaUm

3 Virou

mania: Mariana Ximenez e Leandra Leal protagonizarão no filme O Uivo da Gata, seu primeiro beijo lésbico.

gibaum@gibaum.com.br

k Sem duvida, se eu jogasse com o Neymar, ele seria meu reserva. ROMÁRIO // deputado federal (PSB-RJ), na TV, num surto de modéstia. Fotos: Mário Testino

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

3 MAIS: acontecerá em meio a cenas mais do que calientes. Antes, durante e depois não houve reclamações de ambas as partes.

Novo alvo 333 A presidente Dilma Rousseff vai começar a atacar a carga tributária – e repetindo o método ainda em vigor contra juros altos e taxas dos bancos. De cara, escolhe a energia elétrica, em que o peso dos tributos significa quase 50% das tarifas. E deverá cortar os excessos que encarecem essas mesmas tarifas. Como o ICMS (estadual) é parte, os governadores serão chamados a colaborar. Caso contrário, serão vistos como os banqueiros: na melhor das expressões, chamados de insensíveis. Quem viver, verá.

EM CAMPANHA Moças alegres 333 Grampos da Operação Monte Carlo revelam que Carlinhos Cachoeria pagou um jantar e contratou uma garota de programa para fazer companhia e alegrar a noite de Eduardo Siqueira Campos, quando era secretário de Planejamento do Tocantins e filho do governador Siqueira Campos (PSDB). E quem imaginar que esse tipo de generosidade do bicheiro era rara em suas relações com políticos, engana-se: quem se aventurou a vasculhar parte maior das 260 mil horas de gravação, já encontrou mais contratações de moças alegres em outras circunstâncias – e até mesmo em Anápolis. Entre os beneficiados, muitos veteranos.

MAIS LUXO 333 Josué Gomes da Silva, o poderoso da Coteminas, está reativando seu projeto de criar uma empresa para importar, distribuir ou mesmo se associar aqui a grandes nomes da moda internacional. Ele já havia pensado nisso há dois anos, mas na época resolveu engavetar tudo por conta da crise mundial. Agora, ao contrário, ele quer usar a complicada situação européia para alavancar seu projeto. Há pouco tempo, comprou a MMartan, rede varejista voltada para artigos de cama e mesa para o publico A.

A tradicional revista francesa Photo, a mais antiga voltada ao mundo da fotografia, dedica sua nova edição totalmente a Mário Testino, hoje um dos mais conhecidos profissionais do planeta. E acaba publicando um verdadeiro álbum de tesouros (a expressão é da revista), com grande maioria de fotos dedicadas às musas do peruano, entre elas, Kate Moss e Gisele Bünchen, fotografadas sem roupa, além de um capítulo dedicado a jovens atléticos, outra paixão do fotógrafo. Muitas das fotos são raras: Lady Gaga (esquerda), Demi Moore (centro, tirando o vestido no banheiro) e a brasileira Fernanda Lima (direita). 333

Álbum de tesouros

333 Quando a Polícia Federal foi buscar Carlinhos Cachoeira em sua casa no condomínio Alphaville, apreendeu cerca de R$ 1,5 milhão em dinheiro vivo. Ia levar também as jóias de Andressa Mendonça, mulher do contraventor, mas ela não deixou. Garantiu que todas as jóias eram presentes de seu ex-marido Wilder Pedro de Moraes, suplente do senador Demóstenes Torres, empreiteiro e secretário de Infraestrutura do governo de Marconi Perillo. Jurou que “até agora, o Carlinhos não me deu nenhuma”. Os policiais federais acreditaram. Hoje, pelos relatórios das investigações, nem se discute a generosidade do bicheiro, comprovada nos cartões de crédito dela. Numa viagem a Miami, ela torrou mais de R$ 62 mil.

Jóias do outro

333

A página de Lula no Facebook começou com 50 mil seguidores,migradosdoperfil não-oficial do ex-presidente, criado, curiosamente, por um admirador dele e morador da Índia, Alexander Grove. Como ele não domina o português, tratou de entregá-lo para ser cuidado pela brasileira Fernanda Galli, aeromoça da Air France, que mora em Buenos Aires e por outra fã do petista, Letícia Brito. Agora, quem vai gerenciar é o Instituto Lula. 333

Quer ser 007 Ao apresentar um novo comercial, o lutador de MMA e candidato ao estrelato Anderson Silva avisa: “É um treino, como eu treino para minha profissão. Fiquei nervoso. Está sendo um treino atuar, ainda mais contracenar com um grande ator como Steven Seagal. Adoro cinema, quero ser ator. Tenho projetos, quero ser um James Bond”. 333

Tatuado, Tom Cruise está quase irreconhecível em seu novo longa-mentragem Rock of Ages, que estréia em agosto e que é inspirado no roteiro de Chris D’Arienzo, criador do musical escrachado da Broadway com rock dos anos 80. O filme também focaliza o fenômeno das groupies da década, que eram fãs enlouquecidas de superstars do rock, que os perseguiam dispostas a ter um filho com eles. No elenco, Alec Baldwin, Paul Giamatti, Catherine Zeta Jones e outros. Por conta do filme, ele e admiradoras estão na capa e no recheio da nova W.

O roqueiro e as groupies

333

Olho nos espanhóis 333 Em decorrência de novos rebaixamentos dados a bancos de Espanha por agências de risco, correntistas e investidores do Brasil estão procurando as agências – e seus brokers – do Santander. Querem ouvir palavras que signifiquem atestados de garantia, por assim dizer. O Santander daqui não registra nenhuma corrida, como supostamente já poderia estar acontecendo na Espanha. Mais: outro espanhol, o BBVA, que fechou há tempos suas agências no Brasil e ficou com apenas uma e fora da calçada, vai fechar mais essa, se bem que o mercado nem notará.

h

ORIGEM

MISTURA FINA JORGE Paulo Lemann que, com os sócios Marcel Telles e Carlos Alberto Sicupira, controla a cervejaria AnheuserBush InBev e a rede Burger King, quer agora comprar a divisão de bebidas da PepsiCo que, entre outras marcas, tem a própria Pepsi, Gatorade, Lipton e sucos Tropicana e que respondem por 70% do faturamento do grupo. 333

333 JOÃO Santana criou um comercial de 30 segundos para o PT (já foi ao ar) onde Dilma Rousseff aparece ao lado de sete de suas nove ministras. Helena Chagas e Izabela Teixeira ficaram de fora porque não são filiadas ao partido. Izabela Teixeira, do Meio Ambiente, a propósito, anda numa fase meio apertada com Dilma, que não perde ocasião para pegar no seu pé. O pessoal do Planalto chama de “fase de espancamento”.

Perna esquerda No evento da instalação da Comissão da Verdade, o expresidente Lula, para descer a rampa interna do Planalto, pediu para o assessor especial Marco Aurélio Garcia ampará-lo. Nas fotos com Dilma e outros expresidentes, escondeu a bengala que continua usando porque o problema de sua perna esquerda permanece. Com a radioterapia, a massa muscular perdeu volume e provocou uma inflamação no joelho, o que compromete quase 50% do movimento.

333 A cantora Preta Gil está em plena campanha contra a homofobia e em seu blog, que tem 2,2 milhões de seguidores, batalhando pela aprovação de PLC 122 de 2006 no Congresso. Ao lado de sua foto, aparece a mensagem: “Homofobia é crime, é desumano. Sou bissexual assumida e estou lutando por igualdade”. Preta Gil é casada com o mergulhador Carlos Henrique, que não tem nenhuma queixa da bissexualidade dela: muito ao contrário.

h IN

OUT

Xadrez largo colorido.

Xadrez largo BP.

De novo, Oscar? Com as denúncias de que voou entre a Bulgária e a Itália, no ano passado, em avião fretado e pago por João Dória Jr., o ministro Fernando Pimentel, do Desenvolvimento Econômico, que vinha sendo blindado por Dilma, sua ex-companheira de guerrilha, vê ressuscitar a polêmica a consultoria, sobre a qual ainda não deu quaisquer explicações. Antes de entrar no governo, faturou R$ 2 milhões, metade da Federação das Indústrias de Minas Gerais, como pagamento de palestras que nunca foram feitas. De quebra, recebeu um telefonema de Dilma: “De novo, Oscar? (era o codinome do ministro na VAR-Palmares)”.

PARA o Rio+20, evento que, com a devida antecedência, já carrega o rótulo de fracasso, estão confirmadas as vindas de Mahmoud Ahmadinejad, do Irã e da secretária de Estado americano, Hillary Clinton.

333

REYNALDO Gianecchini até esticou seu período de careca por conta de alguns comerciais e agora está cultivando a volta de seus cabelos, preparandose para as gravações da novela Guerra dos Sexos. Só um problema: os cabelos estão nascendo brancos, o que obrigará Gianecchini a adotar coloração logo.

333

333 ENQUANTO ainda não acertou nada definitivamente com Michel Teló, Ronaldo Nazário conversa com Claudia Leite: sua empresa 9INE poderá ser responsável pela captação de novos patrocínios para as turnês e apresentações da cantora. Nada a ver com a área de gravadora: ela acertou com a Som Livre, depois de passar pela Universal e Sony, que não gostariam de repetir suas experiências com a baiana.

333

333 NA MESMA semana em que, para efeito oficial, comprou a Delta Construções por R$ 1, a JBS desembolsou US$ 50 milhões por um jato Gulfstream G 500. Vai se juntar à frota do grupo, que já possui um Legacy e um Learjet.

Colaboração: Paula Rodrigues / A.Favero

CHARGE DO DIA


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

5 EXPECTATIVA O ministro Celso de Mello decide se Cachoeira vai depor amanhã

olítica

EM BAIXA O prestígio político do governador Sérgio Cabral caiu com o caso Delta

Celso de Mello decide se Cachoeira depõe amanhã Outros seis integrantes da organização chefiada por ele vão prestar depoimento na próxima quinta-feira

André Dusek/AE

A força pode esconder a verdade, a tirania pode impedi-la de circular livremente, o medo pode adiá-la, mas o tempo acaba por trazer a luz. Hoje esse tempo chegou. Presidente Dilma Rousseff, ao encerrar seu discurso na posse dos integrantes da Comissão da Verdade.

Que nenhuma mágoa fique latente e que possamos promover a verdadeira reconciliação nacional. Esta é a missão dolorosa da comissão. Ministro Gilson Dipp, do Superior Tribunal de Justiça e coordenador da Comissão da Verdade.

Antônio Cruz/ABr

É importante lembrar que foi a única Comissão da Verdade no mundo que surgiu de baixo para cima, do povo para o povo. Um passo estupendo. Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, sobre a Comissão da Verdade.

Não tem essa história de dois lados, porque o outro lado já foi condenado, assassinado, desaparecido. Advogada Rosa Maria Cardoso da Cunha, integrante da Comissão da Verdade.

Alexandre Gondim/AE

Espero que a prática da escuta psicanalítica, que escuta também o que não é dito, possa ajudar. Psicanalista Maria Rita Kehl, integrante da Comissão da Verdade.

Não sei como a comissão pode dar certo, mas sei como ela pode dar errado: é cada um impondo o seu ponto de vista. Advogado José Paulo Cavalcanti Filho, integrante da Comissão da Verdade.

A

Dida Sampaio/AE Ed Ferreira/AE

Em nosso País, o que estamos vendo são os partidos apenas discutindo tempo de televisão para as eleições. É apenas isso. Analista político Denis Rosenfield. É razoável Reação do procurador-geral da República, Roberto Gurgel, quando soube que a CPMI do Cachoeira aceitaria suas explicações por escrito.

Dadá, acusado de ser "araponga" do grupo, teve conversas com vários políticos gravadas pela PF. Celso Junior/AE – 1/3/2004

O depoimento de Carlinhos Cachoeira é o mais esperado pela CPMI seria "araponga" do grupo, especialista em espionagem. Ele também é suspeito de arregimentar policiais federais, civis e militares para as atividades criminosas, além de atuar na promoção dos sites de aposta eletrônica da organização e nas frentes de fechamento de bingos rivais.

Dadá foi flagrado pela Polícia Federal em conversas com vários parlamentares. Outro preso convocado a depor é Lenine Araújo de Souza, apontado como integrante da organização, gerente do jogo do bicho e responsável pela contabilidade do grupo. O terceiro depoente é Jairo

Martins de Souza, também considerado um "araponga". Também vai depor na CPMI José Olímpio de Queiroga Neto, apontado pela Polícia Federal como membro da organização criminosa, gerente da organização na região do Distrito Federal e um dos responsáveis pelo pagamento de propina a agentes públicos. Gleyb Ferreira da Cruz é apontado como laranja de empreendimentos de Cachoeira. De acordo com os requerimentos de convocação, Gleyb aparece nas conversas interceptadas como elo entre Cachoeira e o delegado da polícia federal Deuselino Valadares, também preso. Wladmir Henrique Garcez, ex-vereador, apontado como um dos principais colaboradores da organização criminosa, seria facilitador do grupo junto a agentes públicos, como as polícias civil e militar de Goiás. (Agências)

Guto Maia/AE – 3/5/2012

Minha avó dizia que toda verdade tem três lados. O meu, o seu e o verdadeiro. Líder do governo no Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM).

Em nome da verdade, desafio o chefe-maior desse grupelho, Roberto Civita, para comparecer à CPMI e falar das relações que sua revista e alguns de seus jornalistas mantêm com o crime organizado. Senador Fernando Collor de Mello (PTB-AL), em discurso no plenário.

Antonio Cruz/ABr – 26/3/2009

Caso Delta desgasta Sérgio Cabral

Temos que revelar tudo, e essa revelação não tem como objetivo colocar alguém na cadeia. O objetivo é impedir que se repitam fatos que ocorreram. Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, sobre a Comissão da Verdade. Eu jamais permitiria que alguma empresa pagasse qualquer tipo de propina ao governo. Governador Marconi Perillo (PSDB-GO), suspeito de envolvimento com Carlinhos Cachoeira.

O

e s p e r a d o d e p o imento do contraventor Carlinhos Cachoeira na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito previsto para amanhã, depois de adiado na semana passada, depende de uma nova decisão hoje do ministro Celso de Mello, do Supremo Tribunal Federal. Na última terça-feira o ministro concedeu liminar suspendendo o comparecimento do bicheiro à CPMI, diante da argumentação de seus advogados de que não tinham tido acesso aos inquéritos da Polícia Federal referentes às operações Vegas e Monte Carlo. Na mesma terça-feira a comissão liberou o acesso e marcou novo depoimento para amanhã. Mas, na quinta-feira, a defesa entrou com outro pedido junto ao STF para manutenção da liminar concedida pelo ministro Celso de Mello garantindo ao contraventor goiano o direito de não depor. A alegação é de que não haverá tempo para analisar todos os dados sigilosos em posse da CPMI. Os comparsas – Se o depoimento de Cachoeira não for confirmado, as atenções se voltarão para a sessão de quinta-feira, quando serão ouvidos seis acusados de participar da organização criminosa de Carlos Augusto Ramos. Entre os crimes atribuídos à organização estão contrabando, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, peculato, violação de sigilo e formação de quadrilha. A maior parte dos convocados a prestar depoimento é de presos na operação Monte Carlo. A presença mais esperada é a do ex-sargento da Aeronáutica Idalberto Matias de Araújo, conhecido como Dadá, que

dificuldade do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), de reagir ao caso Carlinhos Cachoeira com algo além de notas oficiais, respostas curtas ou simplesmente o silêncio gera dúvidas sobre o futuro político do governador. Políticos se questionam sobre a capacidade de Cabral influir nas eleições de outubro e mesmo de fazer de seu vice, Luiz Fernando Pezão, seu sucessor em 2014. Há cerca de dez dias, em sua primeira declaração após a divulgação de imagens de suas viagens aos exterior com o empresário Fernando Cavendish, dono da Delta – acusada de ligações com o contraventor Carlinhos Cachoeira –, Cabral respondera a poucas perguntas de forma vaga e saíra com rapidez. Até então, se manifestara por escrito. Desgaste pessoal – Dirigentes do PMDB ouvidos pelo jornal "O Estado de S. Paulo" reconhecem que Cabral sofreu desgaste pessoal com o episódio. Segundo os peemedebistas, o caso gerou, apenas na capital, uma perda de avaliação positiva entre 300 mil e 400 mil eleitores. O estrago, porém, teria sido maior na classe média da capital. "Na classe média mais informada, certamente teve um impacto; hoje somos um País de classe média", avalia o cientista político Geraldo Tadeu Monteiro, presidente do Instituto Brasileiro de Pesquisa Social. Até o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, um aliado e

amigo a quem Cabral deve o pacote de obras de seus governos, parece convencido do enfraquecimento político do governador – e o demonstrou em conversa recente com o prefeito Eduardo Paes (PMDB), quando teria afirmado que Pezão "está superado". O governador foi arrastado para o escândalo por sua amizade com Cavendish. Até agora, não apareceu qualquer evidência de um possível envolvimento seu com Cachoeira, mas a empresa do amigo empresário somou contratos de R$ 1,49 bilhão em obras com o Estado do Rio de Janeiro. Pessoas próximas ao governador dizem que ele se mostra decepcionado com Cavendish. Essas pessoas descrevem um Cabral acabrunhado e contrariado com ataques que considera pessoais. É o caso das críticas do deputado Anthony Garotinho (PR-RJ), em seu blog, onde as imagens de Cabral com Cavendish foram divulgadas primeiro. Na semana passada, a CPI do Cachoeira evitou convocar Cabral e outros governadores para depor. Mas uma mensagem enviada pelo deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) para Cabral, garantindo que ele não seria chamado, revelada pelo SBT, gerou mais exposição e desgaste. "A relação com o PMDB vai azedar na CPI. Mas não se preocupe você é nosso e nós somos teu (sic)", escreveu o parlamentar, no torpedo enviado pelo celular e que foi parar na mídia. (AE)

Cabral terá dificuldades de influir nas eleições de outubro

Dilma vai autorizar obra que TCU vê como suspeita

A

pós cancelar uma programação em Diadema, na região metropolitana de São Paulo, para não ser confrontada com a insatisfação de professores em greve, a presidente Dilma Rousseff viaja nesta segunda-feira a Laguna, em Santa Catarina, para assinar uma ordem de serviço da obra de uma ponte que já virou alvo de suspeita de irregularidades pelo Tribunal de Contas da União (TCU) antes mesmo de sair do papel. Orçada em R$ 597 milhões, a Ponte de Cabeçuda vai possibilitar uma nova travessia sobre o Canal das Laranjeiras, localizado entre as lagoas de Santo Antônio dos Anjos e Imaruí. O objetivo é facilitar o escoamento de mercadorias dentro do estado e no comércio com países do Mercosul.

A cerimônia de assinatura da ordem de serviço está prevista para as 15h de hoje, no Terminal Pesqueiro de Laguna, município de 51 mil habitantes administrado pelo petista Célio Antônio. No ano passado, auditoria do TCU feita na superintendência regional do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) em Santa Catarina, com o objetivo de fiscalizar o edital do projeto, encontrou potencial dano ao erário de R$ 53 milhões, tanto no lote de duplicação e restauração dos acessos à ponte quanto no que se refere à construção da própria Cabeçuda. Foi apontado sobrepreço estimado em R$ 34,8 milhões na contratação de mão-de-obra e de R$ 8,5 milhões na aquisição de areia comercial. (AE)


p Protesto pede o veto da presidente DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

Não será por falta de celas que os juízes do STF terão motivo para atrasar o julgamento. Marcelo Medeiros, do grupo Queremos Ética na Política.

olítica

"Veta tudo, Dilma": esse é o lema de manifestação contra o Código Florestal aprovado pela Câmara e que agora receberá parecer da presidente: aprovação ou veto.

C

erca de 1.500 pessoas se reuniram na manhã de ontem, em frente ao Monumento das Bandeiras, no Parque do Ibirapuera, em um ato público em favor do veto do novo Código Florestal. De acordo com informações da Polícia Militar, o ato foi pacífico e terminou por volta das 13h, após o grupo ter feito uma passeata na região do Parque do Ibirapuera. O ato público com o tema #VetaTudoDilma pediu que a presidente Dilma Rousseff recuse a sanção do novo Código Florestal aprovado na Câmara no dia 25 de abril. A mobilização foi promovida pela Fundação SOS Mata Atlântica, com apoio dos comitês em Defesa das Florestas nacional e paulista, coalizões formadas por centenas de organizações da sociedade civil brasileira. O diretor de Políticas Públicas da Fundação, Mario Mantovani, afirmou que a aprovação do Código Florestal vai na contramão da opinião pública brasileira. "Chegamos a 1,8 milhão de assinaturas contrárias a esta aprovação. Portanto, a mobilização não é geograficamente localizada, é uma campanha nacional e internacional, uma atitude de cidadania." O movimento contrário ao texto aprovado pela Câmara ganhou corpo nas redes sociais e, em maio, teve apoio de artistas globais como Camila Pitanga, Vitor Fasano e Wagner Moura, entre outros. A campanha Veta, Dilma! virou febre nas redes sociais. Na sexta-feira, a modelo Gisele Bündchen postou foto na internet com um cartaz pedindo "Veta tudo, Dilma!''. Cortes – Apesar das manifestações que se espalharam pelo País pedindo o veto total ao Código Florestal, Dilma deve cortar apenas os pontos mais complicados do texto aprovado pelo Congresso. O foco da presidente é o artigo que trata da recuperação das margens dos rios. Com as modificações feitas pela Câ-

Thiago Teixeira/AE

mara, o resultado foi uma anistia a boa parte dos produtores que possuem terras cortadas por cursos d'água. A decisão deve ser tomada até o final desta semana, apesar de o prazo para publicação dos vetos ser a próxima segunda-feira – 15 dias úteis após o envio da lei aprovada ao Palácio do Planalto. Outra questão que preocupa a presidente é como o governo fará para recuperar o texto que prevê a necessidade de recuperação das Áreas de Proteção Permanente (APP), que incluem as margens dos rios. Levantou-se a possibilidade de uma Medida Provisória, mas o governo analisa que essa é uma alternativa menos palatável ao Congresso. O texto do deputado federal Paulo Piau (PMDB-MG), aprovado no último dia 25, desagradou ao Planalto. Dilma considerou que trechos importantes do texto foram suprimidos por ele. Por causa disso, o Planalto chegou a estudar um veto à íntegra do texto. Por outro lado, o governo também está de olho nos dividendos eleitorais da rejeição ao texto de Piau. Para a coordenadora da Rede das Águas da organização não governamental SOS Mata Atlântica, Malu Ribeiro, o texto "desrespeita a característica da função social da terra, como se, por um interesse econômico, fosse possível anistiar pessoas que desmataram e degradaram". Anistia – A própria Dilma não chegou a falar no assunto, mas vários ministros já avisaram que qualquer coisa que possa levar a uma anistia a desmatadores será vetada. Na última semana, Dilma se reuniu várias vezes com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira; da Casa Civil, Gleisi Hoffman; do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas; da Agricultura, Mendes Ribeiro Filho; e representantes da Advocacia Geral da União. A expectativa é que outros pontos sejam vetados, mas o Planalto não deu pistas de quais serão. (Agências)

Uniformizados com suas camisetas, os manifestantes querem que a presidente Dilma vete o texto do Código Florestal, linha por linha. Cris Faga/AE

Thiago Teixeira/AE

Protestos contra o Código: bandeira e balão no Parque do Ibirapuera.

Monumento das Bandeiras: ponto de encontro de 1.500 pessoas.

Em discussão: cidades sustentáveis.

E

m mais uma audiência pública de preparação para a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio +20, em junho no Rio de Ja-

neiro, a Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) discute, amanhã, modelos de sustentabilidade nas cidades.

A proposta é debater a preservação do meio ambiente em práticas urbanas como uso do solo, mobilidade, qualidade do ar, poluição sonora, construção civil. Entre os convidados estão Eduardo Rombauer, do Movimento Nossa Brasília e a professora Elizabeth Pereira, coordenadora do Projeto de

Energia do Centro Universitário, de Minas. E representantes do Ministério das Cidades, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA) e do Local Governments for Sustainability (ICLEI), associação internacional de governos comprometidos com o desenvolvimento sustentável. (Folhapress)

Nilton Júnior/AE

Murilo Rezende/AE

Cadeia improvisada: para lembrar que o lugar dos réus do Mensalão é atrás das grades.

Eles querem saber: quem pagou a farra em Paris?

Urgência para o Mensalão. É a voz das ruas. P

ara chamar a atenção dos passantes para a urgência da entrega do processo do Mensalão, foi montada ontem, no calçadão do Posto 9 da praia de Ipanema, no Rio de Janeiro, uma cela de cadeia simbólica. Mantido nas prateleiras e gabinetes do Supremo Tribunal Federal (STF) há quase sete anos, o processo do Mensalão "furou" todos os prazos estimados pelos ministros da Corte e, agora, produzirá um efeito que muitos queriam evitar: a combinação de seu julgamento com eleição. A agenda do julgamento depende do ministro Ricardo Lewandowski, revisor do processo. Só quando ele terminar o voto é que a ação estará pronta para ser julgada. Na semana passada, Lewandowski começou a escrever seu voto com a ajuda de dez assessores. O ministro vai concluir o trabalho em meados de junho, o que permitirá o julgamento em agosto, às vésperas do início da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na TV – no dia 21 de agosto. "Não será por falta de celas que os juízes do STF terão motivo para atrasar o julgamento", disse o engenheiro e empresário carioca Marcelo Medeiros, do grupo Queremos Éti-

ca na Política. No papel, o abaixo assinado SOS STF Julgamento do Mensalão já conseguiu 12 mil assinaturas no papel e mais outras 20 mil pela internet (www.peticaopublica.com.br). Em São Paulo, ontem de manhã, voluntários dos grupos Nas Rua Contra a Corrupção e Revoltados On Linepe rma neceram sob o vão do Museu de Arte de São Paulo (MASP) para recolher mais assinaturas para a causa. Já no Rio, além da manifestação do Mensalão, houve mais críticas. Um carro de som tocou músicas de Geraldo Vandré e a voz de Fafá de Belém cantou o Hino Nacional. De cima do automóvel, Medeiros e outros integrantes do grupo criticaram o ex-ministro petista José Dirceu e cobraram do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) "explicações sobre quem pagou a farra parisiense", em referência às fotos divulgadas da viagem de Cabral a Paris e sobre o que chamaram de "irmandade do governador com o empresário Fernando Cavendish" (controlador afastado da presidência da Delta Construções). A Delta é suspeita de envolvimento no esquema do bicheiro Carlos Augusto Ramos. Armando Serra Negra e agências

Comissão da Verdade precisa de ajuda Membros da comissão buscarão apoio em comitês estaduais de direito para resgatar o período militar Alexandre Gondim/AE – 24/6/2011

A

Comissão da Verdade quer trocar informações com os comitês estaduais de direito à memória e à verdade sobre os casos de violações de direitos humanos que ocorreram entre 1946 e 1988. Segundo o advogado pernambucano e membro da comissão José Cavalcante Filho, o grupo escolhido pela presidente Dilma Rousseff não vai conseguir apurar todos os fatos sem ajuda. Hoje, a Comissão da Verdade faz sua primeira reunião ordinária. Inicialmente, os integrantes tratarão de questões burocráticas, como definir as subcomissões e quem serão os 14 assessores que vão apoiar os trabalhos. "Se a gente conseguisse

Cavalcanti Filho: "Só com ajuda". que todos os estados instalassem comitês estaduais, a gente poderia ajudar. Quer quebrar sigilo? A gente ajuda. Se a

gente conseguir conquistar a confiança deles, eles vão apurar e a gente só vai filtrar”, afirmou Cavalcante Filho. Hoje, 25 estados brasileiros têm comitês de direito à memória e à verdade, mas nem todos são ligados aos governos estaduais. Há algumas iniciativas de organizações da sociedade civil. Segundo o coordenador-geral do Projeto Direito à Memória e à Verdade da Secretaria de Direitos Humanos (SDH), Gilney Viana, os comitês vão buscar documentos, analisar depoimentos e explicar à sociedade o papel da Comissão da Verdade. Segundo Viana, o Projeto Direito à Memória e à Verdade está entrando em uma nova fase com a parceria de sindica-

tos e entidades de classe. A Central Única dos Trabalhadores (CUT), a Central Sindical e Popular (Conlutas), e a Confederação Nacional dos Trabalhadores da Agricultura (Contag) mostraram interesse em criar comissões para resgatar a verdade a respeito do que ocorreu com os trabalhadores desaparecidos durante a ditadura militar. Outro instrumento que vai permitir a investigação dos fatos é a Rede dos Observatórios do Direito à Verdade, Memória e Justiça das Universidades Brasileiras. A rede tem a parceria do Arquivo Nacional e é composta por universidades públicas e privadas do País. (ABr) Leia mais sobre Comissão da Verdade na página 8.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

7 O Núcleo Sindical veio para acabar com a visão de que o PSDB é um partido elitista Antonio de Sousa Ramalho, coordenador sindical dos tucanos.

olítica

Partidos consolidam a SINDICALIZAÇÃO

Alianças servem para dar mais consistência às legendas perante a sociedade. Para as centrais, a união poderá beneficiar com mais força os trabalhadores no plano político e institucional, elegendo candidatos comprometidos com suas causas e equilibrando a relação com os empresários.

Guilherme Calderazzo

Paulo Pampolin/Hype – 29/3/2010

César Gontijo, do PSDB, e Antonio de Sousa Ramalho, que comanda o núcleo sindical dos tucanos, apostam nos sindicatos para voltar ao poder federal . Arquivo/DC

Reinaldo Canato/Folhapress

E

m acordos recíprocos Antonio de Sousa Ramalho, de interesse político, secretário nacional de Política centrais sindicais e Sindical do partido, presidensindicalistas unem- te do Sindicato da Construção se a partidos políticos para se Civil de São Paulo e um dos vifortalecer e tentar aprovar ce-presidentes da Força Sindiprojetos de lei voltados aos cal, a segunda maior central trabalhadores. do País, com 1.724 sindicatos E as siglas partidárias, por inscritos e 14 milhões de trasua vez, em especial aquelas balhadores associados. nas quais os termos social e A primeira é a Central Única d e m o c r á t i c o c o n s t a m e m dos Trabalhadores (CUT), com seus nomes, valem-se dessas 2.187 sindicatos inscritos e alianças para conseguir re- 7,8 milhões de associados e 22 presentação ampla na socie- milhões de trabalhadoras e dade e manter as chances de trabalhadores na base. chegar ou ficar no poder. DianUGT com o PSD – "Nossa cente disso, os partidos já elabo- tral, a UGT, abriga sindicatos e ram proposlíderes sinditas e metas c a i s p r ó x idestinadas mos ou filiaàs eleições dos a vários Nossa meta é de outubro. partidos, no aumentar o número P a í s . T a mExemplo dessa situabém estamos de eleitos ligados à ção é o acorclasse trabalhadora c o m o P S D , do recente porque há afinos parlamentos e entre a cennidade de nos governos, para tral sindical ideias e proequilibrar as forças. pósitos entre União Geral dos Trabalhanós e a sigla", RICARDO PATAH dores (UGT), afirma Ricarc o m a nd a d a do Patah. pelo também presidente do Como exemplos de pluraliSindicato dos Comerciários de dade partidária, ele menciona São Paulo, Ricardo Patah, com alguns integrantes da UGT, o Partido Social Democrático como Chiquinho Pereira, pre(PSD), sigla legalizada em se- sidente do Sindicato dos Patembro do ano passado e que deiros de Pernambuco e da tem como presidente o prefei- Executiva Nacional do Partido to de São Paulo, Gilberto Kas- P o p u l a r S o c i a l i s t a ( P P S ) ; sab. Patah dirige a unidade de Washington Maradona, do movimentos sociais e de sindi- Sindicato dos Eletricitários de catos do partido. A UGT é a ter- São Paulo e do PMDB Sindical, ceira maior central do Brasil, ou Gustavo Valfrido, coordecom 1.029 sindicatos inscritos nador do PSDB nas regiões e 7 milhões de trabalhadores Norte e Nordeste do Brasil. associados. A identidade – Segundo PaO Partido da Social Demo- tah, a UGT tem uma linha socracia Brasileira (PSDB) criou cial-democrática e o PSD, por o Núcleo Sindical em agosto sua vez, equilibra-se internapassado, consolidando-o nes- mente entre liberais e sociaiste ano nas 27 unidades da fe- democratas, chegando a uma deração, sob o comando de posição de centro. "É uma en-

L.C. Leite/Luz – 26/5/2010

genharia montada pelo prefei- ta é aumentar o número de to Kassab. Por isso, temos eleitos ligados à classe trabaidentidade com esse partido", lhadora nos parlamentos e assegura Patah. Acrescenta nos governos. Assim, vamos que, nos acordos para se inte- equilibrar nossas forças com a grar à sigla, houve a promessa dos empresários nos poderes de que 50% do fundo partidá- legislativos e executivos", jusrio será destinado à política da tifica o presidente da UGT. sigla voltada aos sindicatos e Pela aliança com o PSD, e aos movimentos sociais. também com outros partidos, No momento, a Justiça elei- a UGT está empenhada em toral avalia se o PSD tem direi- eleger em torno de 300 candito à propaganda eleitoral no datos, entre vereadores e prerádio e na televisão para as feitos, nas eleições de outueleições de outubro e ao fun- bro, em todo o País. Para isso, do partidário, já que foi criado leva suas bandeiras e suas reirecentemente e, embora te- vindicações políticas às dispunha 47 deputados federais, tas eleitorais deste ano, como nenhum deles foi eleito pela a redução da jornada de trabalegenda, isto é, vieram de lho para 40 horas semanais, outras siglas educação de partidárias. qualidade, Metas eleimelhorias na torais – O PSD saúde e no Estamos nos evita o erro do m e i o a mpreparando para partido do biente e o fim qual saiu, o do fator preeleger, em futuro D e mo c r at a s videnciário breve, mais (DEM), que se em relação às candidatos tornou sigla a p o s e n t a d orepresentantes da de quadros rias. classe trabalhadora. de elite, sem "Lutamos f o r ç a e p r ea i nda pela ANTONIO DE SOUSA RAMALHO sença na socriação de ciedade civil pacto pelo organizada, em especial nos trabalho decente no campo, movimentos sociais e nos sin- pela queda nos juros no cartão dicatos, perdendo força políti- de crédito, que deve começar ca a cada eleição que vem dis- a ocorrer com a nova política putando. Contra isso, o novo monetária do governo; pela partido procura, desde o nas- existência do Simples trabacimento, formar bases sociais lhista, que é obrigar a empreamplas, aliando-se a uma cen- sa do Simples a cumprir obritral, para se expandir com gações com os trabalhadores, consistência no cenário políti- como o depósito do FGTS", reco brasileiro. vela Patah. Já a UGT vale-se de sua preSegundo ele, muitas dessas sença em especial no PSD, reivindicações não são resolalém de em outras siglas, para vidas por prefeitos e vereadobeneficiar com mais força os res, mas no Congresso Naciotrabalhadores no plano políti- nal. Mesmo assim acha positico e institucional. "Nossa me- va sua discussão. "É bom que nossos candidatos e eleitos as defendam. Assim, temos mais poder para tentar aprová-las na Câmara dos Deputados e no Senado. No Congresso, já elaboramos com o partido os projetos de lei sobre essas questões", garante o dirigente da UGT. Núcleo Sindical – Na visão de César Gontijo, secretário-geral do PSDB no Estado de São Paulo, "um partido social-democrata sem braço sindical está sem direcionamento", afirma. Para tornar mais efetiva essa necessidade, o partido tem agora o Núcleo Sindical, com atuação em âmbito nacional e a presença de sindicalistas das centrais Força Sindical, Nova Central, União Geral dos Trabalhadores e Central Geral dos Trabalhadores Brasileiros. "O Núcleo veio para acabar com a visão de que o PSDB é um partido elitista. Deve redu-

Gilberto Kassab, do PSD, e Patah, da UGT, unem forças para ganhar espaço político.

zir a distância entre os líderes do Núcleo, o PSDB reivindica do partido e setores da socie- mudanças na política econôdade", garante Antonio de mica, redução maior dos juSousa Ramalho, sindicalista ros, fortalecimento do mercatucano organizador e coorde- do interno, distribuição de nador do setor sindical da le- renda, crescimento econômigenda. Segundo ele, sem a co com desenvolvimento, jorpresença mais intensa na so- nada de trabalho de 40 horas ciedade civil organizada, o semanais sem redução de PSDB terá mais dificuldade rendimentos, salário para mupara se expandir e voltar ao lheres em condições de igualpoder federal. "E nos prepara- dade com os homens e revolumos para eleger, em futuro ção na política educacional. breve, mais candidatos reprePara as eleições de outubro, sentantes da classe trabalha- o PSDB lançará vários candidora", explica. datos envolvidos com os traResgate – Ramalho diz que o balhadores. Serão 29 na capiNúcleo Sindical é uma ação tal, 300 no estado e ainda dois concreta do partido para res- nomes às prefeituras de Embu gatar "nossa história na so- das Artes e Macaubal. "Em cial-democracia". A unidade 2014, nosso objetivo será elesindical da legenda discute e ger 27 deputados federais saídifunde prodos do munpostas polítido do trabacas voltadas lho", afirma para o mundo Ramalho. PaUm partido do trabalho, ra as eleições social-democrata para o Brasil de outubro, e, ainda, coque não tenha na capital, o meça a divulNúcleo já tem um braço gar em cartipropostas do sindical lhas alguns setor sindical está sem d e s e m p ep a r a o p r odirecionamento. nhos socioegrama de Joconômicos sé Serra, fuCÉSAR GONTIJO d o s g o v e rturo candidanantes da sito da legenda gla. Os encontros para esse à prefeitura. fim reúnem trabalhadores e Hoje, no Estado de São Paucandidatos da legenda para as lo, o PSDB tem 205 prefeitos. eleições de outubro. Do total de 645 municípios, os "Por exemplo, mostramos 100 maiores concentram 80% como os efeitos da privatiza- do eleitorado estadual que, ção das telecomunicações e o em 2010, atingiu 30,3 milhões fim do descontrole da inflação de eleitores (22,3% de todo o beneficiaram os brasileiros, Brasil). "Temos 35% dos eleiinclusive os trabalhadores. tores nas 100 maiores cidades Também divulgamos mais do estado. Nossa meta é chenossa atuação em favor do en- gar a 45% desse eleitorado", sino técnico, como a criação diz Gontijo. E acrescenta: "O das Fatecs e das Etecs, em São Núcleo Sindical contribuirá Paulo", diz Ramalho. muito para que alcancemos Redução dos juros – Por meio esse nosso objetivo".


p 8

olítica

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

Hoje, é complicado dizer que a Lei de Anistia não serve mais. Essa lei é válida inclusive por decisão do Supremo Tribunal Federal. Roberto Romano, professor da Unicamp.

Fotos: Patrícia Cruz/Luz - 09.09.100

ROBERTO ROMANO

"Todo segredo de Estado é nocivo ao País" A Comissão da Verdade tem a grande oportunidade de mostrar isso, avalia o especialista. Guilherme Calderazzo

A

instalação da Comissão da Verdade no País não traz apenas a importância de apurar os casos de violação dos direitos humanos no País entre 1946 e 1988, com ênfase no período do regime militar (1964-1985). Acima de tudo mais, a comissão tem a possibilidade de atingir um dos privilégios dos operadores do Estado, que é o segredo. Ao dar luz aos atos estatais mantidos à distância da história nacional, a comissão ganha a oportunidade de contribuir para o avanço da democracia no Brasil e o fortalecimento do memorial brasileiro, avalia o professor Roberto Romano, responsável pelo curso de pós-graduação de Filosofia Política da Unicamp. Para ele, o País só tem a ganhar, como fica claro nesta entrevista ao Diário do Comércio. Acompanhe: Diário do Comércio – Qual é a real importância da Comissão da Verdade? Roberto Romano – A importância é o fato de ela ser uma comissão de Estado e não de governo. Há uma diferença grande nessa questão. A função da comissão é investigar, saber e definir como funcionou o Estado brasileiro entre 1946 e 1988. Se ela permanece nesse nível, dificilmente vai cair em questões de governo, partidos políticos e ideologias. Mantida essa linha, para se discutir o que é mais universal, e não ficar presa aos elementos mais conjunturais, ela vai prestar um serviço muito grande ao País, porque nosso problema não é apenas de governo, do Legislativo, do Executivo e do Judiciário. Nosso problema é que temos um Estado cuja natureza é ainda não plenamente democrática. DC – Como a Comissão poderá reforçar a nossa democracia? Romano – O primeiro ponto é que, desde que nós instauramos o Estado, houve uma diferenciação entre quem o opera e o cidadão. Ou seja, os operadores mantêm privilégios, entre eles a manutenção dos procedimentos em segredo. Tivemos duas ditaduras no século Questão de ordem: Comissão da Verdade deve se pautar pela prudência e respeito universal pelas partes envolvidas, diz Roberto Romano.

20 – a de Vargas, entre 1937 e 1945, e a civil e militar, entre 1964 e 1985. Essa participação civil no regime militar pode ser mais bem esclarecida pela Comissão. Ela poderá mostrar o quanto o uso do segredo é nocivo para a democracia e para a prestação de contas ao cidadão. É muito interessante que a Comissão tenha sido instau-

Desde a Independência vivemos sob o pressuposto de que aos operadores do Estado tudo é permitido. ROBERTO ROMANO rada no mesmo dia em que entrou em vigor a Lei de Acesso à Informação. Desde que nos tornamos independentes de Portugal, em 1822, vivemos sob o pressuposto de que aos operadores do Estado tudo é permitido, e ao cidadão cabe alguns poucos direitos. A comissão não irá resolver esse problema, mas mostrará como é danosa para a vida da cidada-

Caberia sempre à Comissão [da Verdade], até do ponto de vista ético, só se pronunciar coletivamente. IDEM nia o segredo de Estado. DC – A Comissão deve investigar todos os violadores dos Direitos Humanos, de ambos os lados? Romano – Acho que sim. Para mim, a Comissão teve início com um problema que deve resolver rapidamente, que é o fato de seus integrantes falarem individualmente à imprensa e à população sobre os rumos das investigações. Não devem falar individualmente porque irão tratar de problemas muito complexos, que envolvem atividade civis e oficiais. Portanto, caberia sempre à Comissão, até do ponto de vista ético, só se pronunciar coletivamente. Todos os problemas devem ser debatidos apenas no plano interno. DC – Quais são os riscos dos

pronunciamentos individuais? Romano – O risco é que poderá emaranhar-se em debates ideológicos, políticos, dos revanchistas contra os perdoares, que querem manter o status trazido pela Lei da Anistia. Tudo o que será investigado pela Comissão deverá receber uma luz mais intensa, já que são questões do Estado brasileiro que ainda não é plenamente democrático. A Comissão é do Estado, não é do Legislativo, do Executivo ou do Judiciário. Portanto, por prudência e respeito ao cidadão, as divergências devem ser resolvidas internamente. A Comissão andou mal nos primeiros dias por causa das posições divergentes de seus integrantes. DC – A posição da Comissão deverá ser acatada sem contestação? R om an o – Não necessariamente. Embora ela seja uma comissão de Estado, os integrantes são seres humanos. Como até mesmo o Supremo Tribunal Federal pode errar, assim também eles podem errar. Portanto, para evitar erros, eles devem usar a cautela, a prudência, o rigor, a exigência ao apurar e investigar. Eles têm dois anos para trabalhar nessas questões, que devem ser inquestionáveis no plano da cidadania e dos direitos humanos. DC – A Lei da Anistia poderá ser modificada? Romano – O que ocorreu foi que a Lei da Anistia foi promulgada ainda no regime militar. Foi aprovada e aceita pelos congressistas. No meu entender, essa lei poderia ter sido modificada logo no começo, se nós tivéssemos tido uma Assembleia Nacional Constituinte. Ela foi aceita universalmente por um Congresso Constituinte. Hoje, é complicado dizer que a Lei de Anistia não serve mais. Essa lei é válida inclusive por decisão do Supremo Tribunal Federal. DC – Os militares se mostram apreensivos com a atuação da Comissão. Há motivo para isso? Romano – A Comissão deverá pautar a atuação pela prudência e respeito universal pelas partes envolvidas. Isto valerá tanto para os que se sentiram ofendidos, lesados e sacrificados durante o período quanto para os que foram responsáveis e autores desses atos. Todos deveriam ficar com os ânimos serenados e dar um prazo para que a comissão cumpra seu trabalho.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

9

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

SÍRIA Bomba explode perto de chefe dos observadores da ONU em Damasco

nternacional

O tempo acabou em Finale Emilia

Um forte terremoto de 6,0 graus de magnitude atingiu na madrugada de ontem o norte da Itália, matando pelo menos sete pessoas, derrubando prédios e causando pânico entre a população. Os italianos, que não haviam se recomposto ainda da comoção causada pelo atentado em um colégio em Brindisi, que matou uma adolescente no sábado, amanheceram com a notícia de um terremoto às 4h03 locais (23h03 de sábado de Brasília) na região de Emilia-Romagna, sentido também em Toscana, Vêneto, Lombardia e Trentino-Alto Adige. Segundo sismólogos, esse foi um dos terremotos mais fortes que atingiu a região, já que sua profundidade foi de apenas cinco quilômetros, de acordo com dados do serviço geológico dos Estados Unidos. Em várias cidades, segundo

Nem a Torre do Relógio resistiu ao terremoto de 6,0 graus de magnitude que atingiu a Itália

IRÃ ATÔMICO Chefe nuclear da ONU viaja para fechar acordo de inspeção com Teerã

De acordo com a mídia local, a imprensa local, muitas pessoas saíram para as ruas em citando os serviços de atendipânico ao sentir o tremor, que mento médico de emergência, um marroquino que trabalhava durou cerca de 20 segundos. O abalo foi seguido por uma no turno da noite em uma fábrisérie de réplicas, renovando o ca em Bondeno morreu atingipânico, danificando ainda mais do pela queda de destroços. Um italiano de 57 anos foi prédios já enfraquecidos e causando o desabamento de mais m o r t o e m S a n t ' A g o s t i n o Fotos: Giorgio Benvenuti/Reuters estruturas. O s t r e m ores danificaram igrejas e outros edifícios históricos. O primeiro sismo destruiu parcialmente a Torre do Relógio em Finale Emilia, A torre, destruída no 36 quilômetros ao norte de Bolonha. Nas primeiro tremor, réplicas seguintes, a torre não desabou após a réplica. resistiu e desabou, ferindo um bombeiro que foi levado ao hos- quando parte de uma fundição pital em estado grave. desmoronou, e dois outros morreram na mesma cidade vitimados pelo colapso de uma fábrica de cerâmica. Uma mulher alemã, Gabi Ehsemann, de 37 anos, que estava na Itália por motivos de trabalho, morreu em San Pietro in Casale, na Bolonha, provavelmente por causa de uma crise de pânico diante do terremoto. Nerina Balboni, de 103 anos e moradora de Sant'Agostino, morreu atingida por destroços de sua casa. Anna Abeti, moradora de Vigarano Mainarda, sentiu-se mal após o tremor e teve um derrame. A idosa foi levada ao hospital, mas não resistiu. A Defesa Civil italiana divulgou ainda que cerca de 50 pessoas ficaram feridas em toda a região nordeste da Itália. Autoridades afirmaram ainda que mais de 3 mil pessoas ficaram desabrigadas. O primeiro-ministro Mario Monti antecipou a volta de sua viagem aos EUA e disse que o governo vai declarar estado de emergência e liberar dinheiro para a reconstrução das áreas atingidas. (Agências)

BRASILEIROS COMBATEM NO HAITI Swoan Parker/Reuters

O feriado prolongado no Haiti foi marcado por confrontos entre ex-soldados do antigo Exército do país e tropas brasileiras que integram a Minustah – as forças de paz da Organização das Nações Unidas (ONU), que são comandadas militarmente pelo Brasil. A Minustah auxiliou uma operação da polícia haitiana que resultou na prisão de cerca de 50 ex-militares. Os ex-soldados aproveitaram as comemorações do feriado do dia da bandeira, na

sexta-feira passada, para protestarem em todo o país pela volta do Exército haitiano. Nos últimos meses, esses ex-militares voltaram a se reunir e a treinar com armas, pressionando o governo do presidente Michel Martelly. Eles haviam dado um prazo até a última sexta-feira para que o governo anunciasse planos para as Forças Armadas. Em uma forma de protesto, os militares foram às ruas em marchas cívicas na capital Porto Príncipe e outras três ci-

dades do interior. Na capital, em frente ao Palácio Nacional, algumas centenas de ex-soldados, grande parte deles uniformizados e armados, atacaram os soldados brasileiros da Minustah, que faziam a segurança no local (à esq.). "Esse grupo atacou as tropas brasileiras, que responderam e contornaram a situação com armas não letais'', informou o porta-voz da parte militar da missão, o norte-americano Jim Hoeft. Segundo ele, não houve feridos. Sebastien Pirlet/Reuters

O fim da guerra no Afeganistão

David Moir/Reuters

Relembrando Lockerbie O líbio Abdelbaset Ali Mohmet al-Megrahi, único condenado pelo atentado a bomba de Lockerbie, na Escócia, em 1988, que matou 270 pessoas, morreu ontem, declarou seu irmão, Abdelhakim. Megrahi, de 60 anos, foi

condenado em 2001 na Escócia pelo ataque ao voo 103 da Pan Am. Em 2009, ele foi libertado e retornou à Líbia por razões humanitárias, após médicos afirmarem que ele tinha apenas três meses de vida por sofrer de câncer terminal. (Agências)

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, recebeu ontem em Chicago os líderes da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) para dois dias de uma cúpula marcada por dificuldades em selar a saída das tropas estrangeiras do Afeganistão. A expectativa é que a aliança militar ocidental anuncie para 2014 o fim das operações de combate no país, como fizeram os EUA. A Otan mantém 129 mil militares no Afeganistão. O planejamento da transição enfrenta desentendimentos dentro da aliança e fora dela (à dir, manifestantes em Bruxelas). Obama disse que encontrou um "amplo consenso", mas alertou que resta muito trabalho pela frente. "A cúpula da Otan... vai ser dedicada em grande parte a ratificar e refletir o amplo consenso com muitos de nossos par-

ceiros sobre como continuar apoiando durante os próximos anos a transição", afirmou. A cúpula ainda tenta desatar a resistência do Paquistão em abrir seu território para o envio de suprimentos ao vizinho Afeganistão. A única boa notícia veio da França, cujo novo presidente, François Hollande, deu sinais de que pode manter força residual no Afeganistão, após prometer sair até o final de 2012. Europa - Líderes da Otan ainda concordaram em lançar a primeira fase de um escudo antimísseis para proteger a Europa, apesar da oposição dos russos, que temem uma defesa contra suas armas nucleares. O sistema inclui um radar avançado na Turquia, um satélite de comunicações e uma embarcação especializada em defesa antiaérea, todos norte-americanos. (Agências)

A polícia haitiana aproveitou o momento de turbulência e, com a ajuda da Minustah, realizou uma operação na principal base ocupada pelos ex-soldados, em Camp Lamantin, em Carrefour, distrito na região de Porto Príncipe. O local era considerado o quartel-general dos ex-militares. As forças de paz da ONU invadiram a antiga base militar. As estimativas iniciais apontam que cerca de 50 ex-soldados foram presos por porte irregular de armas. (Folhapress)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

UM NOVO MOVIMENTO A migração dos veículos utilitários para os VUCs, pelo comércio, num movimento inverso ao observado há quatro anos, deverá ser mais lenta.

idades

Fotos de Zé Carlos Barretta/Hype

Hoje, depois da restrição imposta aos VUCs há quatro anos, a presença de veículos utilitários menores, como os das fotos acima, é fato comum na cidade.

Comércio aprova a volta dos VUCs ao Centro de SP

A Prefeitura de São Paulo acaba de liberar a circulação dos Veículos Urbanos de Carga, (VUCs) em todas as ruas da cidade. A medida recebeu o apoio do comércio e das empresas transportadoras. Agora, deverá começar uma nova batalha: a flexibilização das restrições na marginal Tietê.

Ivan Ventura

D

epois de quatro anos de restrições, a volta dos Veículos Urbanos de Carga (os VUCs) às ruas e avenidas de São Paulo, a qualquer hora do dia, desde que respeitem o rodízio de placas, foi uma boa notícia para o comércio e para as transportadoras da cidade. A decisão foi tomada pelo prefeito Gilberto Kassab, na última quinta-feira, mediante decreto municipal. O texto anunciou o retorno à circulação dos caminhões médios, com até 6,3 metros de comprimento, a uma área pouco maior que o Centro Expandido, conhecida como Zona Máxima de Restrição à Circulação (ZMRC). Nela está concentrado o grosso da atividade comercial da cidade ou, pelo menos, as principais vias de acesso aos centros comerciais. Daí a aprovação da medida pelos comerciantes, basicamente porque o retorno dos VUCs eliminaria de vez os riscos de problemas no abastecimento. Adotada em 2008 para ajudar a minimizar os efeitos dos congestionamentos nas vias centrais e adjacentes, a restrição à circulação dos VUCs passou a limitar as entregas de mercadorias à noite, mais exatamente durante as madrugadas. As restrições foram alvo de críticas vindas de duas frentes: do comércio e das transportadoras. Os comerciantes alegavam que para cumprir as determinações da Prefeitura e concentrar as operações de carga e descarga à noite seriam obrigados a con-

Maria Tereza Ramalho e José Custódio: dois exemplos de migração do VUC para os veículos utilitários. Marcos Mendes/Luz - 12/09/2011

Nilani Goettems/e-SIM - 14/05/2008

Marcel Solimeo, da ACSP: VUC é uma solução intermediária. tratar um ou mais funcionários extras, o que elevaria custos com o pagamento de adicional noturno, entre outras despesas trabalhistas. Do lado das empresas transportadoras, o argumento principal era o de que o fim dos VUCs causaria problemas no abastecimento da cidade. Comerciantes e transportadoras pressionaram e conseguiram fazer com que a Prefeitura reconsiderasse parte de suas determinações. Primeiro ela propôs um rodízio de placas entre os VUCs (placas pa-

res nos dias pares e ímpares nos dias ímpares). Depois, autorizou a circulação desses caminhões entre 10h e 16h. As entidades ainda não estavam satisfeitas e argumentavam que para compensar as restrições aos VUCs trocariam esse caminhão pequeno por veículos menores ainda, os chamados utilitários (caminhonetes e kombis, por exemplo), que demandariam mais viagens para executar o mesmo trabalho e, consequentemente, aumentando assim o risco de congestionamentos.

Francisco Pelúcio, do Setcesp: "liberdade de abastecimento" Ao reforçar suas frotas com utilitários de menor capacidade de carga, os resultados seriam bem ruins, pois a intenção de reduzir congestionamentos acabaria frustrada, uma vez que o cálculo inicial era de três utilitários para cada VUC - uma conta que acabou não se concretizando. De qualquer forma, a presença desses utilitários é visível por toda a cidade, caso da região da rua 25 de Março. Maria Tereza Ramalho, de 38 anos, há 10 como motorista, é um exemplo dessa migração

do VUC para a caminhonete. Há quase dois anos, ela trocou o caminhão de 6,3 metros de comprimento já quitado por uma caminhonete e um financiamento de 60 meses. "Não tenho como voltar para o VUC, mas é inegável sua maior capacidade de carga. Com a caminhonete, transporto uns 1.500 quilos. O VUC carrega três ou quatro toneladas", disse. Outro motorista, Antonio José Custódio, de 33 anos, trabalha há dois anos com um utilitário e diz que a quantidade de viagens diárias aumentou.

Para a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), o fim da restrição à circulação dos VUCs foi motivado pelos resultados de outra restrição: a de caminhões na marginal Tietê e no Minianel Viário. Segundo os dados da CET, a lentidão na Marginal caiu 24% e 13 % em toda a cidade. O economista e superintendente do Instituto de Economia Gastão Vidigal da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Marcel Solimeo, lembra que a entidade participou de todos os debates sobre o VUC e tinha posição clara: entendia a necessidade de algumas restrições para melhorar a fluidez, mas era importante preservar o suprimento e abastecimento dos estabelecimentos comerciais. "O VUC é uma solução intermediária, entre a proibição e a liberação total. Entendemos que ele causa menos transtornos, mas há uma expectativa de melhora e de que o impacto no transito será menor. Além disso, é necessário levar em conta a atividade econômica", disse Solimeo. Francisco Pelúcio, presidente do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas do E s t a d o d e S ã o P a u l o ( S e tcesp), lembrou que a reivindicação pela volta dos VUCs garante o que ele define como "liberdade de abastecimento". Segundo Pelúcio, muitas empresas tiveram de se adaptar à restrição e tiveram gastos extras. No entanto, seguiram adiante e se adaptaram. "Agora, o próximo passo é debater a restrição à circulação dos caminhões na marginal Tietê. Hoje, a proibição vigora das 5h às 9h da manhã. A proposta é reduzi-la em uma hora".

Mais turistas estrangeiros na Cidade Apesar da crise econômica, números indicam um crescimento de 3,8% no ano passado. Destinos tradicionais, como o Nordeste, "encolheram".

A

vinda de turistas estrangeiros para São Paulo no ano passado cresceu mesmo com a crise econômica, desempenho não acompanhado por alguns destinos tradicionais, como o Nordeste. Um levantamento do Ministério do Turismo sobre o número de turistas que entraram no País mostra que o Estado recebeu 3,8% mais viajantes em 2011. Em Pernambuco, ao contrário, esse número caiu 6,4%; no Rio Grande do Norte, a queda foi de 5%. "Foi um aumento pequeno, mas importante, pois mostra que nosso mercado é consistente", afirma o diretor de Ações Estratégicas da São Paulo Turismo, Luiz Sales. Segundo ele, está mudando o perfil turís-

Jonne Roriz/AE

tico. Os clássicos destinos de sol e praia estão aos poucos sendo substituídos pelos que oferecem opções culturais, de negócios ou eventos. "É mais barato para europeus e americanos viajarem para praias do Caribe ou Mediterrâneo. Com a crise econômica, a viagem de lazer não é prioridade em nenhum orçamento." Americanos, argentinos e alemães são, nesta ordem, os que mais vêm para São Paulo. Apesar dos principais motivos de viagem serem negócios, o setor de eventos tem atraído cada vez mais estrangeiros. Segundo a Associação Internacional de Congressos e Convenções, a Cidade abrigou 60 eventos do tipo no ano passado. O webdesigner inglês Peter

Gasston, 39 anos, não conhecer pessoas que tenham viajado para São Paulo apenas para fazer turismo. Casado com uma paulistana, Gasston está de passagem pela Cidade. "Todo mundo que vem para cá a negócios é surpreendido pelo aspecto social e cultural da Cidade." De acordo com Luiz Sales, os turistas de negócios são os que mais interessam. "Se você me perguntar se prefiro uma van com homens de negócio ou um avião cheio de turistas, não tenho dúvidas: prefiro a van." Além de serem "imperceptíveis" na rotina da Capital, eles são os que mais gastam na cidade. "São pessoas que vêm para São Paulo sabendo que vão gastar. E querem gastar." (AE)

Vista aérea da cidade de São Paulo, que recebeu 3,8% mas turistas estrangeiros em 2011.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

11

acsp

INDICADOS A Distrital Sudeste indicou cinco empresários, a Distrital Jabaquara, três, e o Sebrae, dois.

distritais

Fotos: Newton Santos/Hype

As distritais Sudeste e Jabaquara da Associação Comercial de São Paulo, em parceria com o Sebrae, homenagearam dez empresários que tiveram destaque em seus ramos de atividade no ano passado. Durante a cerimônia de premiação foi lembrada a luta que o empresariado trava, diariamente, contra a burocracia e a carga tributária.

André de Almeida

Zona sul premia empreendedores

O

s empreendedores, de maneira geral, contribuem para alavancar o progresso do País, já que produzem riquezas e geram empregos. As suas rotinas de trabalho não são nada fáceis pois, além de enfrentarem os desafios do mercado e as incertezas inerentes aos mais variados segmentos de atuação, têm pela frente entraves, como a burocracia e a alta carga tributária, apenas para citar alguns exemplos. Com o objetivo de homenagear os empresários que conseguiram superar dificuldades e se destacaram em seus ramos de atividade, no ano passado, as distritais Jabaquara e Sudeste da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) promoveram, pela sétima vez, o Prêmio Destaques Empresariais Zona Sul. A homenagem aconteceu no teatro do Sesc Vila Mariana, que, junto com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-SP), colaborou com a ACSP na realização do evento. Na abertura da cerimônia de premiação, o vice-presidente da ACSP e coordenador institucional das Sedes Distritais, Roberto Mateus Ordine, enalteceu o trabalho realizado pelos empresár i o s h o m e n a g e a d o s . " I n f e l i zmente o setor empresarial não recebe o reconhecimento merecido. O empresário brasileiro sofre, mas sofre sempre com vontade de vencer. Todos vocês estão de parabéns e podem contar com a ACSP para tornar suas rotinas mais tranquilas", afirmou Ordine. O vice-presidente representou o presidente da ACSP e da Facesp, Rogério Amato.

Na foto acima, os 10 premiados no no Destaques Empresariais Zona Sul. À esquerda, a plateia presente ao evento, no Sesc Vila Mariana.

Premiados - Ao todo, foram dez os empresários homenageados: cinco indicados pela Distrital Sudeste, três pela Distrital Jabaquara, além de dois escolhidos pelo Sebrae-SP. Pela Distrital Sudeste, foram premiados os empreendedores: Alessandro Azzoni, da Opzione Fomento Mercantil; Marco Kerkmeester, do Santo Grão; Wagner Marcelo Sanchez, do Colégio Paulista (COPI) e Faculdade de Informática e Administração Paulista (FIAP); Francisco de Oliveira Neto, do Hotel Comfort; e Silton José Silva, da SiltonFlex Móveis.

Ponte dos Mais uma praça Remédios é liberada revitalizada na ao tráfego hoje Casa Verde

A

Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) libera hoje o tráfego na Ponte dos Remédios, em ambos os sentidos, tendo em vista a conclusão das obras executadas pela Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb). A ponte será entregue com nova sinalização horizontal e melhorias para a passagem de pedestres. Com a abertura total será retomada a montagem da faixa reversível no sentido São Paulo, das 6h às 9h, visando melhorar as condições de segurança e fluidez do local. As linhas de ônibus retomarão seus itinerários.

O

s moradores da Casa Verde receberam de volta a segunda praça revitalizada pelo Projeto Florir: a Delegado Amoroso Neto. Os mais de 2,5 mil m² de área ganharam novo paisagismo, plantio de mudas, arbustos e forração. Também foram instaladas lixeiras e reformadas as calçadas. O objetivo principal do projeto é melhorar o espaço de lazer. A primeira praça remodelada pelo projeto foi a do Centenário, também na Casa Verde. O Projeto Florir é uma parceria entre as secretarias de Coordenação das Subprefeituras e do Verde e Meio Ambiente.

Na opinião do superintendente da Distrital Sudeste, Pedro Rodrigues, a escolha dos homenageados foi mais do que justa. "Cumprimento a todos que tiveram a ousadia de empreender e venceram. Aos jovens empreendedores, nossos votos para que não tenham as dificuldades do passado, que aprendam com o exemplo dos mais experientes e que sejam ousados para continuar a construir um Brasil verdadeiramente rico, forte e justo", disse. O dirigente aproveitou a ocasião para convidar os empresá-

G Ir Agendas da Associação e das distritais

Hoje I Penha – Das 8h30 às 17h30,

campanha fralda geriátrica. Avenida Gabriela Mistral, 199. A ação se repete em todos os outros dias da semana.

Amanhã I CPU – O presidente da

ACSP, Rogério Amato, convida o secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, para falar sobre o Metrô e CPTM. Às 10h, rua Boa Vista, 51/9º, plenária. I Penha – Às 14h30, 3ª reunião de organização da Tarde da Beleza. Às 19h, reunião da Associação Viva Penha. Av. Gabriela Mistral, 199.

rios presentes a conhecerem o trabalho da ACSP, com suas comissões técnicas, cursos, oficinas, produtos e serviços. "Nenhum de nós é mais forte do que a soma de todos nós. Unam-se a esta entidade apartidária e que tem como objetivo o nosso desenvolvimento empresarial", reforçou. Os três premiados pela Distrital Jabaquara foram: Charles Renato da Silva, da Excellence Bebidas Finas; Jean Felipe Lacerda, do Grupo Cintya; e Edgar Cabral, da transportadora Realeza Express. Completou a lista de homenageados duas empresárias indicadas pelo Sebrae-SP: Fátima Cristina Macedo, da Mental Clean Psicologia Clínica; e Sheila Martins Gonçalves, da Medicatriz Dermocosméticos. A superintendente da Distrital Jabaquara, Etles Maziero, afirmou que ao distinguir estes empresários com a premiação, a ACSP e seus parceiros não apenas reconhecem o valor de cada um, como também estimulam todos os empreendedores para que continuem na luta, vencendo dificuldades e elevando a qualidade profissional de seus colaboradores. "Sempre atentos na escolha dos melhores caminhos a serem seguidos, vencendo obstáculos e enfrentando a fúria tributária, esses homenageados demonstraram ser viável e compensador empreender em nosso País", concluiu. Homenagem - Durante o evento, foram homenageados os mais antigos associados da ACSP que residem na região sul de São Paulo. Todos tiveram seus nomes mencionados e foram aplaudidos pela plateia que lotou o teatro do Sesc Vila Mariana.

Pedro Rodrigues, superintendente da Distrital Sudeste da ACSP

Etles Maziero, da Distrital Jabaquara: "é viável empreender no Brasil".

Roberto Mateus Ordine, vice-presidente da ACSP e coordenador das distritais

I Tcheca – O vice-presidente

I Ipiranga – Às 19h30,

I Centro – Às 18h30, 20ª

da ACSP, Luiz Roberto Gonçalves, recebe o embaixador da Republica Tcheca, Ivan Jancarek. Às 17h, rua Boa Vista, 51/11º andar, sala Tadashi. I Santo Amaro – Às 19h30, Workshop Dia dos Namorados. Avenida Mário Lopes Leão, 406. I Pinheiros – Às 19h30, 21ª reunião ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor e homenagem ao Dia das Mães. Rua Boa Vista, 51, 11º.

palestra Celulas-tronco – Conceito, Atualidades e Tratamento, com o médico pediatra Carlos Alexandre Ayoub. Confirmação: 22744625/2063-3746 ou dipiranga@acsp.com.br. Rua Benjamin Jafet, 95. I Tatuapé – Às 19h30 – Palestra gratuita, com certificado e café de boas vindas, sobre Custos Invisíveis: Como Conhecê-los, Como Combatê-los e melhorar seu Lucro, com Sérgio Lopes. Público-alvo: pequenos e médios empresários. Rua Apucarana, 1.388. Inscrições: dtatuape@acsp.com.br ou 2093-3411/2092-2979

reunião ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor com a palestra Motivação e Produtividade, com João Vilas Boas. Confirmações: 3208-5753 dcentro@acsp.com.br. Rua Galvão Bueno, 83. I Noroeste – Às 19h, o Conselho da Mulher da distrital realiza a palestra Empresas nas Redes Sociais – prós e contras, com Douglas Sossai Marques. Rua Luis Braille, 8. I Penha – Às 19h30, 18ª reunião ordinária com a Diretoria Executiva, Conselho Diretor e Conselheiros Natos. Av. Gabriela Mistral, 199.

Quarta I Santo Amaro – Às 19h,

reunião ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor. Avenida Mário Lopes Leão, 406. I Butantã – Às 19h30, reunião ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor da Distrital Butantã. Rua Alvarenga, 591.

Quinta

Sexta

I Pinheiros – Às 11h30,

I Penha – Às 9h30 e às

reunião do Comitê Técnico de Política Urbana de Pinheiros. Rua Simão Álvares, 517

14h30, curso de coral infanto juvenil. Avenida Gabriela Mistral, 199.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

facesp

MILHÕES As obras, a cargo do Estado, estão orçadas em R$ 120 milhões.

regionais

SOROCABA Pesquisa aponta que Sorocaba tem mais de 300 mil bicicletas.

Passeio pelo Interior. De bicicleta. Projeto de construção de ciclovia na SP-079 irá ligar as cidades de Sorocaba, Itu e Salto. No total, serão 150 quilômetros de pistas, dentro e entre as cidades. André de Almeida

Divulgação

E

m tempos de discussão sobre regulamentação e instrumentos de proteção aos ciclistas, o Interior paulista investe cada vez mais na construção de ciclovias. A região de Itu, por exemplo, vai ganhar a primeira ciclovia do Estado de São Paulo a margear uma rodovia, a SP079. No trecho entre Sorocaba e Itu, com 23,2 quilômetros, a estrada, chamada Waldomiro Corrêa de Camargo, será duplicada e terá faixas para bicicletas em toda sua extensão. A iniciativa é apenas o início de um projeto maior, que pretende interligar por ciclovias as cidades de Sorocaba, Itu e Salto, somando em torno de 150 quilômetros de pistas, dentro e entre as cidades. Além do trecho que fará a liDivulgação gação entre Sorocaba e Itu, a SP-079 já está em fase final de duplicação entre Itu e Salto, num total de seis quilômetros de extensão. Este trecho, conheciQueremos do como Est r a d a d a estimular Convenção o uso da Republicana, bicicleta. também terá uma ciclovia. HERCULANO A previsão é PASSOS JÚNIOR, de que as PREFEITO obras, orçaDE ITU das em R$ 24 milhões, terminem no início próximo mês. "Queremos estimular os trabalhadores a usarem bicicletas para ir ao trabalho, evitando o tráfego intenso de veículos", diz o prefeito de Itu, Herculano Passos Júnior. De acordo com informações do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), o edital de licitação para as obras entre Sorocaba e Itu foi publicado no Diário Oficial do Estado em 19 de abril e os envelopes com as propostas serão abertos na próxima segunda-feira , dia 28, na sede do DER. O valor orçado das obras, custeadas pelo Governo do Estado, é de R $ 1 2 0 m ilhões e a ciclovia atenderá a todas as normas de segurança viária. As faixas para o trânsito de bicicletas estarão localizadas a alguns metros da pista, tendo como divisão um canteiro lateral.

Paulo Ochandio/Secom/Divulgação

Zaqueu Proença/Secom/Divulgação

Divulgação

Tamoios duplicada

A

duplicação da rodovia dos Tamoios (SP-99), no trecho de Planalto, entre os quilômetros 11,5 e 60,48, começou na semana passada. As obras, que serão executadas pelo Consórcio Encalso - S.A. Paulista, custarão, para o lotes 1 e 2, os valores globais de R$ 279,1 milhões e de R$ 278,3 milhões, respectivamente. Os contratos para a execução

Itu (ao alto) e Sorocaba (acima) ficarão interligadas por ciclovia. Abaixo, a pista vermelha que liga as áreas urbanas de Sorocaba e um trecho da SP-079, entre Itu e Salto, já duplicado.

Benefícios - A adoção da bicicleta como meio de transporte traz benefícios que impactam positivamente na qualidade de vida das pessoas. Esta é a opinião do presidente da Associação Comercial de Sorocaba, Nilton da Silva César. "Pedalar faz bem para a saúde. A bicicleta, na cidade, é utilizada tanto para lazer quanto como meio de deslocamento para o trabalho, inclusive por comerciantes e comerciários", diz. Além disso, segundo ele, andar de bicicleta é uma maneira de economizar combustível e não poluir o meio ambiente. "Um dos segmentos mais beneficiados é aquele formado pelas lojas que comercializam artigos para bicicletas", afirma o dirigente. Estima-se que existam na cidade mais de 300 mil bicicletas. Pe s q u i s a –Em Sorocaba, apesar de sua topografia urbana irregular – o contrário do verificado em municípios litorâneos, que são planos – pesquisa apontou que mais de 50% das pessoas usam a bicicleta como meio de transporte para o trabalho. Ao todo, o município já possui 76 quilômetros de ciclovias, que interligam todas as regiões da cidade. É possível, por exemplo, ir da zona sul à zona norte sem sair da ciclovia, que tem pistas com calçamento vermelho, sinalização, calçadas para caminhadas, iluminação e paisagismo. O percurso mais procurado, de 18 quilômetros, sai da zona oeste, passa pela sul, margeia o rio Sorocaba, corta a região leste e termina na norte. Meta - Segundo o prefeito Herculano Passos Júnior, a administração municipal de Itu está trabalhando em um projeto para implantar ciclovias na área urbana, a exemplo de Sorocaba e também de Salto. "Com as faixas dentro das cidades e as que serão construídas na SP-079, com previsão de conclusão em 18 meses a partir do início das obras, chegaremos em 150 quilômetros de pistas para bicicletas na região. Esta é nossa meta", conclui. Herculano destaca ainda que as obras de duplicação da rodovia SP-079 irão colaborar para o aumento da segurança no trânsito, com mais faixas de rolamento e nova sinalização.

das obras de duplicação da Tamoios totalizam R$ 557,4 milhões. O valor do convênio Dersa/DER para o empreendimento é de R$ 1,050 bilhão, montante que compreende, além das obras brutas, licenciamento ambiental para os trechos de Serra, Contorno Sul e Contorno Norte, programas e compensações ambientais,

desapropriações, gerenciamento, projeto executivo e obras complementares. A previsão é que a Nova Tamoios esteja duplicada em 20 meses, antes do início da temporada de verão 2013/2014. Nos dois lotes de duplicação do trecho de planalto, a rodovia percorre os municípios de São José dos Campos, Jacareí, Jambeiro e Paraibuna.

Vendas crescem 6%

Seminário da mulher

P

O

esquisa realizada pela Associação Comercial e Industrial de Taubaté (Acit), aponta que a segunda melhor data comemorativa para o comércio, o Dia das Mães, registrou um aumento de 6% nas vendas, quando comparadas com o ano passado. O resultado da pesquisa, realizada entre os associados da entidade nos setores de calçados, vestuários, eletrônicos e eletrodomésticos, da região central e bairros, ficou um pouco acima do resultado nacional, de 4,04%, divulgado Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). O resultado, no entanto, é 4% menor do que a média da previsão feita pelos próprios comerciantes de Taubaté, que apontava uma expectativa entre 9 e 11%.

Conselho da Mulher Empresária (CEM) da Associação Comercial e Industrial de Piracicaba (Acipi) realizará, dia 30, o 4º Seminário da Mulher. O evento terá como tema "A beleza de ser mulher", debatido por profissionais das áreas da saúde, beleza e bemestar, em palestras e salas de visitas. “Queremos trazer para o debate questões como a aceitação pessoal e o estímulo à qualidade de vida. Nossa intenção é mostrar a necessidade da aceitação pessoal, independentemente dos padrões de beleza impostos pela sociedade", explicou a coordenadora do CME, Damaris Verderame. As inscrições devem ser feitas até o dia 28 pelo www.acipi.com.br. A entrada é um litro de leite integral por período (manhã e tarde).


g

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

13

eral

Jonas Oliveira/Folhapress

GRÃOS

PODEROSOS Imagens do acervo Lúcia Maria Teixeira Furlani/Centro Pagu Unisanta

Musa da Antropofagia, Patrícia Galvão, comunista de carteirinha, pode ter introduzido sem querer no País uma das culturas mais rentáveis de nossa história.

À esquerda, Pagu retorna ao País em trajes orientais. Ela ganhou de Pu-Yi, acima, último imperador chinês, 19 mudas de soja enviadas ao Brasil e que podem ter colaborado para o País se transformar no segundo maior produtor mundial do grão.

Kleber Gutierrez

A

inda jovem, Patrícia Galvão foi descoberta pela trupe dos modernistas que mudavam a cara das artes em São Paulo e no Brasil. Virou uma espécie de boneca nas mãos de Oswald de Andrade e de sua mulher, Tarsila do Amaral. Até que desbancou a criadora do Abapuru da cama de Oswald e percorreu meio mundo em busca de histórias, que renderam mais que livros, pois de volta do oriente trouxe 19 mudas do 'feijão chinês', a soja, dadas pessoalmente pelo último imperador da Manchúria, aquele mesmo retratado por Bernardo Bertolucci no famoso filme. PRESENTE SOBERANO

O caminho percorrido pelas plantas, consideradas sagradas pela antiga nação oriental, foi descoberto pela professora Lúcia Maria Teixeira Furlani, escritora e presidente da Unisanta (Universidade Santa Cecília), de Santos (SP). Em 1934, Pagu embarcou com destino à Rússia mas, antes de chegar à terra dos czares, passou pela China, onde na Manchúria participou da coroação do último imperador chinês, Pu-Yi.

Conforme Lúcia, Pagu conquistou certa intimidade com o jovem monarca. É relatado, inclusive, que ambos pedalavam juntos suas bicicletas pelo palácio. Como resultado dessa amizade, Pagu recebeu das mãos de Pu-Yi os vasos com as mudas de soja. "Ela os repassou ao amigo Raul Bopp, poeta gaúcho (autor de Cobra Norato , um dos mais importantes livros de poesia do modernismo) cônsul do Brasil no Japão à época. Ele os entregou ao embaixador Alencastro Guimarães. As mudas chegaram ao ministro das Relações Exteriores, Afrânio de Mello Franco, que as encaminhou a Fernando Costa, o ministro da Agricultura de então". Diz a historiadora que Franco ordenou a plantação "nos campos experimentais do País". Mas é aí que perdemos a trilha das mudas. Todo o percurso descrito, até então, foi documentado por Pagu em cartas e diários. ANTES DA ANTROPOFAGIA Conforme Gil Miguel de Sousa Câmara, especialista no tema para a Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da Universidade de São Paulo (USP), em Piracica-

ba, a soja ganhou o território brasileiro antes do presente dado a Pagu. Ele, contudo, não descarta a importância de sua participação "em um eventual incremento do banco de genoplasma brasileiro, criado em 1926, e que hoje é o maior do mundo". Mas o fato é que o pesquisador desconhecia essa contribuição comunista no acervo brasileiro de soja. Para a ciência, o grão chegou à Bahia em 1882 trazido por Gustavo Dutra. Em 1887 o imperador D. Pedro II fundou o Instituto Agronômico de Campinas (IAC) que fez, em 1889, o primeiro registro brasileiro em papel do feijão chinês, identificado pelo professor "no boletim número 10, fascículo 3, páginas 131 a 139".

"Com a chegada maciça de imigrantes japoneses no Brasil, principalmente em São Paulo, a partir de 1908, introduziu-se o consumo massivo da soja." Entre 1921 e 1926, conforme Câmara, o agrônomo Henrique Lobbe trouxe ao País 48 variedades da planta. HISTÓRIA Ele explica que a soja foi selecionada na Manchúria há milhares de anos, "de tal maneira que nunca foi encontrada em estado selvagem". Segundo o professor, "o primeiro registro herbário ocorreu em 2.838 a.C. por um estudioso chamado Pen T'sao Kang Mu. E sua primeira descrição em papel data de 2.800 a.C."

O feijão chinês no mundo Principais produtores Outros 1 - Estados Unidos 4,2% 2 - Brasil 3 - Argentina 4 - China 5 - Índia

Os grandes do Brasil MT

SC

2%

MA SP

20,5%

MS GO 6,9% 10,9%

2,1% 2,3%

PR

27,1%

MG

RS 15,4%

BA

3,9% 4,7%

Fonte: Gil Câmara / Conab

O grão chegou ao ocidente em 1804, entrando em território norte-americano pela Pensilvânia. "No período que abrange as guerras mundiais, os Estados Unidos haviam conquistado o maior rebanho de bovinos do mundo e já utilizavam em escala a dobradinha soja-milho como matriz energético-protéica. Em 1880, os norte-americanos criaram o primeiro banco de genoplasma do ocidente". Independentemente do tutor brasileiro, Câmara comemora a importância conquistada pelo grão na economia nacional. O complexo soja (grão (55%), farelo (38%) e óleo (7%), assim divididos na pauta de exportações) trouxe ao Brasil, em 2011, US$ 22 bilhões em divisas. O professor também considera vital que "entre os grandes produtores, o Brasil mantenha enorme fatia (de 30% a 40%) de plantações de soja convencional, ou seja, não transgênica. Admirador assumido da Glycine Max (seu nome científico), Câmara assegura que "é a única cultivada pelo homem que, em apenas 120 dias, produz tanta proteína por unidade de área. Com a média da produção brasileira, nossa soja permite entre 1,2 mil e 1,6 mil quilos de proteína bruta por hectare. Nenhum vegetal é capaz disso!" PARA SABER MAIS Centro Pagu Unisanta www.pagu.com.br Telefone: 13 32027180 Soja Livre www.esalq.usp.br Palestra em parceria entre Esalq e a Associação Brasileira de Produtores de Grãos Não Geneticamente Modificados (Abrange) Dia 4 de junho, das 19 horas às 22 horas, no anfiteatro do Pavilhão de Química - Esalq (USP) Piracicaba SP Último imperador Pu-Yi tornou-se, em 1934, imperador da Manchúria, um estado-fantoche do Japão na China ocupada. Feito prisioneiro dos russos entre 1945 e 1950, foi entregue às autoridades chinesas.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14 -.LOGO

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

Tiranos cor-de-rosa O artista Scott Scheidly criou para a feira de artes ArtPadSF, que acontece na galeria Spoke, em San Francisco, nos EUA, uma série de retratos de tiranos mergulhados na cor do amor, o rosa. Os retratos, claro, são uma crítica bem-humorada e mordaz à ação de grandes ditadores da história, todos já mortos, como os que você vê ao lado: Hitler, Mao Tsé-Tung e Stalin. Ele também levantou uma polêmica ao incluir o papa João Paulo II em sua lista de tiranos. Veja os retratos e obras de outros artistas que podem ser encontradas na galeria Spoke acessando o site. http://spoke-ar t.com/blog/ 2012/05/15/scott-scheidlys-por traits/

Logo Logo

Luxo fosforescente

www.dcomercio.com.br

Uma caneta tinteiro para marcar seus textos em amarelo fosforescente. A criação é da Pelikan. Mas o preço não é de marca-texto: US$ 91,30 na Amazon. http://amzn.to/JpMVo4

C ALL PARADE E M

T ECNOLOGIA

C A R T A Z

Alô? É de uma obra de arte? VISUAIS

I MOBILIDADE O Uni-Cub Personal Mobility Device é uma cadeira com rodas da Honda desenhada para aumentar a mobilidade de qualquer pessoa em ambientes internos. Movida a bateria de lítio, tem velocidade de até 1,7 metros por segundo. http://bonjourlife.com/honda-uni-cub/

D ESIGN

Exposição 'Descair' exibe obras da artista plástica Kátia Fieira inspiradas no universo marítimo. Smith Galeria. Rua João Moura, 417/419. Grátis.

Felipe Rau/AE

nspirada na Cow Parade, mostra ao ar livre que espalhou vacas coloridas de fibra de vidro pela cidade em 2010, teve início ontem a Call Parade, apresentando, ao ar livre, cem orelhões (cabines telefônicas) transformados em obras de arte – à dir., O que você tem na cabeça?, de Carla P. de Carvalho. As peças, que continuam funcionando para fazer ligações, ficarão expostas até 24 de junho. Uma comissão escolhida pela organização do evento foi responsável por selecionar 90 artistas, que receberam a cúpula de fibra de vidro pintada de branco. Outros dez artistas foram convidados a produzir peças, entre eles Alan Chu, filho da designer Chu Ming Silveira – criadora do orelhão, nos anos 1970. O grafiteiro Eduardo Kobra, que tem cerca de 30

obras espalhadas por São Paulo – inclusive uma na Av. 23 de Maio –, também foi convidado. Sua peça ficará exposta em frente ao Masp. "Eu lembro dos orelhões de fichinha e, naquela época, os grafiteiros pintavam a cúpula de forma clandestina."

Para Kobra, os principais aspectos do evento são a interação das pessoas com o orelhão e o reconhecimento do trabalho de artistas de rua. "Gosto da ideia de pintar um orelhão porque é um objeto funcional." (Folhapress)

C ONCURSO Mark Blinch/Reuters

http://callparade.com.br/a-call-parade/

Rodrigo Dionisio/AE

Tirando luz da cartola Cartolas podem ser fora de moda na cabeça, mas a Innermost deu vida nova a esses objetos clássicos: transformou as peças em luminárias. www.innermost.net

Transexual é a Miss Simpatia no Canadá

F ACEBOOK

Allyson Magda/EFE

Casado. Curti.

L

EM LINHA, POR PORTINARI - O último dia da exposição Guerra e Paz, do pintor brasileiro Cândido Portinari, registrou longas filas de visitantes ontem no Memorial da América Latina, na zona oeste de São Paulo.

Jenna Talackova ganhou o prêmio de Miss Simpatia, oferecido pelo Miss Universo Canadá. Ela foi a primeira transexual a participar desse concurso. A participação de Jenna chegou a ser suspensa, mas a organização do concurso reviu a decisão e permitiu que ela voltasse à competição.

Espaço em mutação Uma mesa que se transforma em várias, permitindo multiplicidade de atividades e posições mais confortáveis para o usuário. Assim é essa criação de Radhi Desai e Varsha Menon, estudantes de Arquitetura de Interiores da Escola de Design de Rhode Island. A criação foi apresentada no Salão de Móveis de Milão. http://bit.ly/IQSiQr

A TÉ LOGO

Acesse www.dcomercio.com.br para ler a íntegra das notícias abaixo:

Após longa batalha contra o câncer, morreu ontem o músico Robin Gibb, 62 anos, do grupo Bee Gees.

L

Acordo no Rio de Janeiro permite que armas apreendidas sejam destruídas com rapidez

L

O casamento do bilionário de 28 anos tornou-se público um dia após a oferta pública inicial de ações na Nasdaq na sexta-feira. Mais de 650 mil pessoas "curtiram" a mudança de status de Zuckeberg.

L

O fundador e presidenteexecutivo do Facebook, Mark Zuckerberg, casou-se com sua namorada Priscilla Chan no sábado, anunciando as núpcias através de uma atualização de status no site de relacionamento social.

Em 20 anos, mortes maternas caem 51% no Brasil, passando de 120 para 56 por 100 mil nascimentos.


e CAIXA 1 conomia

O seu consultor financeiro

15

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

Na BAGAGEM, guia turístico e notícias ECONÔMICAS.

Incertezas pelo mundo elevam necessidade de planejamento financeiro nas viagens de férias.

REJANE TAMOTO

L.C. Leite/LUZ

C

omo a alta do dólar, as incertezas na economia europeia e a elevação da inflação na Argentina e no Brasil interferem nas suas férias? Estes indicadores econômicos podem afetar diretamente o orçamento de uma viagem internacional. Por isso, quem vai para o exterior deve iniciar o planejamento financeiro o quanto antes para minimizar os riscos de mudanças de preços na última hora. Segundo dados da Associação Brasileira das Agências de Viagem (ABAV), as cidades mais procuradas pelos brasileiros nos Estados Unidos são Miami, Orlando e Nova York. Na Europa, as mais visitadas são Lisboa (Portugal), Madri (Espanha), Paris (França), Londres (Reino Unido) e Roma (Itália). Na América Latina, as vedetes são Buenos Aires (Argentina) e Santiago (Chile). A ABAV recomenda ao turista comprar a passagem aérea e reservar o hotel com antecedência de um ano da data da viagem, para obter tarifas com desconto de 30% a 50%. O professor de Finanças da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Samy Dana, orienta a pagar a passagem aérea em reais. "Sugiro que os viajantes não fiquem sujeitos aos riscos de câmbio", afirma.

Pagamentos organizados No dia do embarque, o ideal é já ter pago não só o bilhete aéreo, mas também a hospedagem, segundo o professor de Administração e coordenador-adjunto de MBA da Fundação Instituto de Administração (FIA), Eduardo Armando. "Recomendo o pagamento da passagem aos poucos, em parcelas. Nos meses que antecedem a viagem, a dica é fazer uma poupança em dólar, para acertar a hospedagem e demais despesas." Comprar dólar aos poucos é recomendação unânime entre os especialistas. Para o diretor da Pioneer Corretora de Câmbio, João Medeiros, o ideal é comprar a moeda aos poucos, todo mês. Segundo ele, o mercado tem trabalhado com a expectativa de desvalorização do real desde abril. "O que influenciou a alta da moeda foi o mais do mesmo: as notícias da Europa." Embora não esteja na prioridade de muitos viajantes, fazer uma pesquisa sobre a inflação do país a ser visitado é uma forma de tentar prever gastos desconhecidos futuros. A alta dos preços geralmente interfere na alimentação e no transporte. Entre os destinos mais visi-

Aumentou o risco de usar o cartão de crédito e depois ter surpresas no fechamento da fatura. CRISTINA HELENA MELLO

tados por brasileiros, a Argentina registrou uma inflação alta, de 9,65% em março, segundo dados do Fundo Monetário Internacional (FMI). "Quem viaja para lá não encontra mais os mesmos preços de antes. Mas, em alimentação, hotelaria e transporte, os valores ainda são competitivos em relação a São Paulo", diz a professora de Macroeco-

nomia do curso de Administração da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Cristina Helena Pinto de Mello, que costuma visitar o país. Com uma viagem programada para o Canadá em julho deste ano, a professora da ESPM diz que usará outros meios de pagamento por causa da taxa de câmbio. "Quando o dólar estava baixo, valia a

pena usar o cartão de crédito, mesmo com o IOF (Imposto Sobre Operações Financeiras) maior (de 6,38%)", afirma. Desta vez, ela levará parte do valor a ser gasto em papelmoeda e em cartão pré-pago. "Comprei o dólar turismo acima de R$ 2. Acho que aumentou o risco de usar o cartão de crédito e depois ter surpresas no fechamento da fatura." Medeiros, da Pioneer Corretora de Câmbio, recomenda o uso dos pré-pagos, que são mais seguros que o dinheiro e podem ser recarregados facilmente, com uma transferência eletrônica pela internet. "Na corretora vendemos cartões de cinco moedas: dólar, euro, dólar australiano, libra e peso argentino", afirma. O professor da FIA, Eduardo Armando, diz que o viajante deve fazer um portfólio de meios de pagamento e levar um pouco de dinheiro, dois cartões pré-pagos e o cartão

de crédito. "Como eu e meus filhos viajamos muito, já percebi que ter dois pré-pagos, de duas bandeiras e corretoras diferentes, vale a pena. Antes de recarregar com moeda, sempre comparo a cotação oferecida por cada um e escolho o melhor preço", diz.

Europa incerta Para quem vai à Europa, o planejamento para comprar dinheiro pode ser diferente. A professora de Macroeconomia da ESPM, por exemplo, tem uma aposta de que o euro não subirá muito e vai deixar para comprar a moeda mais para frente, para o filho que visitará Paris em junho. "O cenário está incerto e quero aguardar para ver o que o Banco Central Europeu fará após as eleições (na Grécia). Não acho que o euro vá subir significativamente e vou deixar para comprar a moeda na última hora. Vou me arriscar", diz. Medeiros, diretor da Pioneer Corretora de Câmbio, segue a mesma linha de raciocínio e acredita que o euro ainda seja desvalorizado nos próximos dias. Isso porque o leque de incertezas aumentou após as eleições na França e na Grécia. Em ambos os países, o discurso dos novos governos é contrário ao modelo de austeridade defendido pelo BCE. "Ainda há dúvidas se a Grécia vai permanecer no euro. A expectativa do mercado é que a moeda ainda venha abaixo de US$ 1,30", afirmou.

CLIMA QUENTE ANTES DA HORA RICARDO OSMAN A Grécia marcou eleição para 17 de junho, quatro dias antes do início oficial do verão no hemisfério norte. A coincidência não é agradável aos turistas, que já preparam as malas para curtir as férias na Europa e nos Estados Unidos. Os mais precavidos devem anotar desde já a data no calendário. Isso ajudará no planejamento. Não é exagero afirmar que a alta temporada na Europa e nos EUA terá influência direta do resultado que sairá das urnas gregas no dia 17. As cotações do dólar e do euro vão oscilar conforme o perfil do novo governo – a exemplo do que aconteceu na semana passada, já por conta do simples anúncio de que haveria eleição. Neste momento, há indefinição sobre o destino do país. O que está em jogo é se a Grécia irá ou não continuar na zona do euro ao lado de 16 outros países. Se vencer o partido do líder radical Alexis Tsipras (da Coalizão da Esquerda Radical, conhecida como Syriza), favorito nas pesquisas, a Grécia deverá anunciar, mais cedo ou mais tarde, o calote aos credores – a não ser que o Alexis Tsipras da chefia do governo seja distinto do candidato, fenômeno comum em política. No momento, Tsipras aposta que tem forças para exigir melhores acordos para a Grécia na negociação das dívidas. É o que ele afirma em entrevista e diz nos palanques. Ele deixa clara sua estratégia catastrófica: ou o cenário fica bom para a Grécia ou ficará ruim para todo mundo, diante do "colapso do euro". Portanto, se você já sonha em ver, ou rever, o Partenon, a Torre Eiffel ou o Coliseu já saiba que o verão europeu vai ficar quente antes da hora neste ano. E o problema não pode ser atribuído ao aquecimento global por ser de natureza distinta. Dessa vez a razão é política e econômica.


16 -.ECONOMIA

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

conomia

CAIXA 1 O seu consultor financeiro

AGENDA 22

Terça-feira

IBGE apresenta o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15

24

Quinta-feira

IBGE publica a pesquisa mensal de emprego referente ao mês de abril

25

Sexta-feira

A Fundação Getulio Vargas (FGV) divulga a Sondagem do Consumidor

A

Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (BM&FBovespa) encerrou a sextafeira com alta de 0,88%, que levou o índice para 54.513 pontos. O movimento é atribuído muito mais a um ajuste técnico do que a um distanciamento dos problemas no mercado internacional. O avanço dos papéis da Petrobras, da Vale, do setor de bancos e da OGX contribuíram para a boa performance da bolsa na sexta-feira. Diferentemente do que ocorreu nos dias anteriores, o desempenho da bolsa brasileira na sexta-feira não foi for-

MERCADO mantém estado de ALERTA temente contaminado pelas preocupações com a economia na zona do euro. No ano, o Ibovespa tem perda acumulada em 3,95%. Em maio, a queda é de 11,82% e na semana, de 8,3%. Foi o pior desempenho semanal desde a primeira semana de agosto do ano passado, quando os Estados Unidos tiveram seu rating rebaixado e o Ibovespa

recuou 9,99%. Na sexta-feira, o Ministério do Planejamento anunciou a manutenção da previsão de aumento do Produto Interno Bruto (PIB) em 4,5%. Dólar – Já o dólar manteve a valorização ao longo da semana. A moeda norte-americana encerrou em alta de 0,62% na última sexta-feira, a R$ 2,0185 e alcançou o maior

patamar desde 22 de junho de 2009, quando fechou cotado a R$ 2,024. No ano, a moeda sobe 8,03%. Nas três semanas de maio, a variação positiva acumulada é de 5,85% e na semana, de 3,2%. Ao longo de toda a semana, a negociação do dólar foi impactada pela continuidade da incerteza em relação à zona do euro e à possibilidade da

saída da Grécia da moeda comum. Na sexta, o governo grego divulgou um comunicado em que afirma que a chefe do governo alemão, Angela Merkel, teria proposto a realização de um referendo sobre a permanência da Grécia no euro junto com as eleições legislativas de 17 de junho. O governo de Berlim, porém, negou que a proposta tenha sido feita. Para especialistas, o mercado continua perdido em relação aos possíveis desdobramentos da Grécia e em outros países da zona do euro e isso vai continuar pesando nesta semana. (DC/Agências)


sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

conomia

Cartunistas retratam a crise na zona do euro e o papel de seus líderes. A Grécia está no centro deste enredo dramático que ameaça pôr fim à moeda comum.

O Partenon, o templo da deusa Atenas, construído na Grécia Antiga, surge como cenário favorito dos cartunistas do jornal The New York Times para relatar a atual tragédia grega. As consagradas esculturas do país ganharam vida ao lado de vilões modernos, como os problemas econômicos. Alguns artistas buscaram inspiração até no filme Titanic. Na proa do trágico navio estão a chanceler alemã, Angela Merkel, e o novo presidente da França, François Hollande – assumindo os lugares dos atores Leonardo DiCaprio e Kate Winslet na cena imortalizada no cinema.

17


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

e Pequenas livrarias encolhem ainda mais As grandes redes não se instalam em cidades pequenas. Afonso Martin, proprietário da Supercap Livraria

conomia

L.C.Leite/LUZ

Faltam lojas no Brasil

A Associação Nacional de Livrarias (ANL) está preocupada com a retração das pequenas e médias livrarias no País. São elas que ajudam na capilaridade da produção cultural e agem como ferramenta social e educativa.

A

Paula Cunha

A

s pequenas livrarias estão enfrentando dificuldades para sobreviver em um mercado cada vez mais concentrado nas megastores. Em 2008, eram responsáveis por 50% das vendas de livros no País, mas agora representam apenas 25%. O Brasil conta com 3.481 livrarias, contabilizadas em dezembro de 2011, número que vem caindo ano a ano. Em 2010 eram 3.511. Todos os 30 empreendimentos que encerraram suas atividades no ano passado fazem parte do grupo dos livreiros independentes de pequeno e médio portes. Afonso Martin, proprietário da Supercap Livraria e Papelaria, há 47 anos na Lapa, zona Oeste da capital paulista, vem observando de perto o encolhimento dos livreiros independentes. Há 15 anos havia dez livrarias nas imediações da Supercap e agora só existe uma outra que está passando por sérias dificuldades.

Quando as livrarias morrem, é um problema do autor, da livraria, da editora, do leitor, dos produtores de cultura... AFONSO MARTIN, DA SUPERCAP

Martin é veemente em suas críticas aos rumos do setor livreiro nos últimos anos. Para ele, as pequenas editoras e livrarias têm um papel fundamental, pois são elas as responsáveis pelo lançamento dos novos autores que não encontram espaço nas grandes casas editoriais. E são também as livrarias de pequeno e médio portes que se encarregam da tarefa de comercializar esta produção cultural. "Isso afeta a capilaridade da produção cultural nacional. Quando as livrarias morrem, é um problema do autor, da livraria, da editora, do leitor,

dos produtores de cultura e das gráficas", opina. O empresário prevê que, a curto prazo, a unificação dos preços de capa dos lançamentos de livros por um ano possa ser uma medida para diminuir as diferenças entre pequenos e grandes livreiros e para mostrar ao País, à população e aos agentes econômicos – inclusive ao governo – que o livro representa uma cadeia econômica importante e que deve receber a mesma atenção que outros setores. Impostos – Para o empresário, a redução do Programa de Integração Social (PIS) e da Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (Cofins) para os livros não beneficiou as pequenas livrarias, pois elas optam pelo regime simplificado de cobrança de impostos, o Simples, e pagam de acordo com seus rendimentos totais. Como não vendem apenas livros, o benefício fiscal acaba sendo diluído. Além disso, ele ressalta que a recusa das editoras em conceder descontos aos pequenos empreendimentos contribui

para a concentração do setor em estabelecimentos de grande porte. Vendas diretas – Outra política prejudicial é a redução de preços para escolas e consumidores finais que compram diretamente das editoras. Quanto a isso, o dono da Supercap propõe que, para estimular as vendas, ao invés de comprar os livros didáticos e distribui-los nas escolas, o governo distribua um vale para que os pais escolham as livrarias próximas de suas casas. Para que a ideia seja implementada, diz ele, seria necessário criar mecanismos para que estes vales fossem utilizados exclusivamente para a compra de livros. A médio prazo, a iniciativa afetaria positivamente toda a cadeia de pequenos e médios livreiros. No longo prazo, ele acredita que as medidas para melhorar o nível de ensino nas escolas públicas e medidas de estímulo ao consumo de bens culturais para a nova classe média também seriam essenciais para se consolidar o livro como um bem que faz parte do dia a

quantidade de livrarias no Brasil é ínfima para um País de 192 milhões de habitantes. Isso quer dizer que existe uma livraria para cada 55 mil habitantes. A Unesco recomenda uma para cada 10 mil. O Brasil tem mais de 5,5 mil municípios, portanto, o déficit de livrarias é alto. E a desigualdade entre os empreendimentos de grande e pequeno portes também se reflete na distribuição de livrarias por todo o território nacional. De acordo com a Associação Nacional de Livrarias (ANL), São Paulo é o Estado com o maior número de estabelecimentos (989), seguido de Rio de Janeiro (427), Rio Grande do Sul (424), Minas Gerais (361) e Paraná (219). As unidades federativas com o menos livrarias são Roraima (5), Acre (7), Tocantins (9) e Amapá (10). As capitais com menor número de lojas são Rio Branco (7), Porto Velho (5), Boa Vista (5) e Palmas (4). Para Ednilson Xavier, presidente da ANL, o baixo número de livrarias pode ser um dos responsáveis pelo mínimo índice de leitura do brasileiro, que, segundo o Instituto Pró-Livro, é de quatro livros por ano. E a situação pode piorar com o encolhimento das pequenas livrarias. "As grandes redes não se instalam em cidades pequenas", lembra Afonso Martin, proprietário da Supercap Livraria. Por isso a ANL aposta em duas ações para garantir a sobrevivência do setor: a lei do preço único, que depende de mobilização política, e o livro digital. Dos 89% dos livreiros que ainda não vendem e-book, 62,5% esperam fazê-lo em 2012.

dia de toda a população. "Estamos muito próximos do limite para resolver a situação das pequenas livrarias ou os novos empreendedores não escolherão este ramo no futuro", conclui Martim. Iniciativa – Diante desse quadro, a Associação Nacional de Livrarias (ANL) aposta na profissionalização do segmento e anuncia, além de a intensificação de pesquisas junto aos empreendedores, medidas para acelerar o processo de profissionalização dos estabelecimentos de pequeno porte. E volta a reivindicar o tabelamento dos preços dos livros. Sugere, ainda, a criação de uma lei, adotada pela França e pelo México, que exige o preço único do livro por um ano após o seu lançamento para garantir a continuidade dos pequenos livreiros. O vice-presidente da ANL, Augusto Mariotto Kater, lembra que os pequenos e médios estão preocupados em encontrar caminhos para se manter no mercado e sobreviver à concorrência com as grandes redes de livros.

Mercado livreiro cresceu menos em 2011 Convite para Reunião do Conselho de Política Urbana - CPU (informações, debates e busca de soluções)

TEMA: “Trilhos (Metrô - CPTM)”. PALESTRANTE:

Jurandir Fernando Ribeiro Fernandes Secretário de Estado dos Transportes Metropolitanos

DEBATEDORES:

Massimo Giavina-Bianchi

Presidente Sócio da Trans Sistemas de Transportes S.A. - T’TRANS

Telmo Giolito Porto

Diretor Comercial do Grupo Tejofran

Dia: 22 de maio de 2012, terça-feira Horário: 10 horas Local: Rua Boa Vista, 51 - 9º andar - Centro - SP Reunião aberta ao público

E

m declínio nos últimos quatro anos, o faturamento do segmento de livrarias no Brasil foi de R$ 2,2 bilhões em 2011. Segundo o Levantamento Anual do Segmento de Livrarias, da Associação Nacional de Livrarias (ANL), esse índice ficou em apenas 5,26%, ou seja, 1,24% abaixo da inflação. Foi o menor valor desde que a ANL começou a fazer a pesquisa, em 2009. Naquele ano, o crescimento foi de 10,46%. Em 2011 houve queda nos preços finais dos livros, da ordem de 4,9%, pois houve o benefício da redução do PIS/Cofins. Para o presidente da ANL, Ednilson Xavier, o setor livreiro passa por uma fase de concentração significativa em redes de grande porte. O estudo da ANL indica que as redes com mais de cinco lojas, que representam 19% deste total, detêm 43,75% do faturamento do segmento. Do total, 21,88% registraram faturamento anual inferior a R$ 1,2 milhão, contra 32,35% em 2010. Este recuo é consequência do fechamento das lojas de pequeno porte. Os empreendimentos que faturam de R$ 1,2 milhão a R$ 9,6 milhões passaram de 29,41% para 34,88% do total. Segundo a ANL, para 70% dos pesquisados, a venda de livros representa 56,25% do faturamento total. Quanto ao

Participação de mercado

Médias/ grandes 250 mil a 500 mil livros/ano

Grandes redes Mais de 500 mil livros/ano

32,14%

14,29%

Médias 50 mil a 250 mil livros/ano

25%

Pequenas/médias 10 mil a 50 mil livros/ano

25%

Fonte: Associação Nacional de Livrarias (ANL)

Pequenas Vendas anuais até 10 mil livros

3,57%

Aumenta a concentração das grandes redes Faturamento 2010 2011 Até R$ 1,2 milhão 32,35% 21,88% De R$ 1,2 milhão a R$ 9,6 milhões 29,41% 34,88%

total de exemplares vendidos, 3,57% das livrarias vendem até 10 mil livros por ano. Os estabelecimentos que comercializam de 10 mil a 50 mil anuais somam 25%, de 50 mil a 250 mil são 25% e de 250 mil a 500 mil unidades representam 14,29%. Os maiores, com mais de 500 mil livros vendidos, são 32,14%. Dentro das estratégias de crescimento, as vendas pela internet foram adotadas por

quase 60% das redes. Para 63,1% dos estabelecimentos, o e-commerce representa até 5% do faturamento. Para 10,5% deles, situa-se entre 5% e 10%. Para 21,05%, está na faixa de 10% a 15%, e para 5,25%, a comercialização via web é superior a 15% dos ganhos. No caso dos livros digitais, somente 24,2% das livrarias comercializam o novo formato e 89% ainda pretendem oferecê-lo. (PC)


sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

DIÁRIO DO COMÉRCIO

ECONOMIA/LEGAIS - 19

e Decisão deve ser da Grécia, diz Cameron. Favorito na eleição do dia 17 de junho na Grécia, Alexis Tsipras, da Coalizão da Esquerda Radical, percorre a Europa em busca de apoio.

conomia

E

leitores gregos terão sentimento anti-Merkel na ende escolher se per- dividada Grécia, onde muitos m a n e c e r ã o c o m o acusam a líder alemã de elemembros da zona do var a crise por ser lenta para euro nas eleições do mês que agir, e, logo depois, exigir mevem, disse ontem o primeiro- didas de austeridade que são ministro britânico, David Ca- muito duras. meron, que fez um apelo à zoUm porta-voz de Angela na do euro para implementar Merkel disse no sábado que planos de contingenciamen- "não há verdade no rumor" de to, qualquer que seja a deci- que a líder alemã pediu que a são grega. Grécia realize um referendo, "Agora, temos de mandar mas se recusou a dar detalhes uma mensagem muito clara à do que havia sido discutido. população grega. Há uma esPaul Ronzheimer, repórter colha: você pode votar para do jornal alemão Bild, escreque a Grécia continue na zona veu que ele estava na sala em do euro, com tudo o que o país que estava Papoulias em Atese comprometeu, ou, se você nas quando esse recebeu o tevotar em outra opção, na prá- lefonema da chanceler alemã. tica você está votando na saí- Ronzheimer disse que ouviu da", disse ele, referindo-se à Papoulias falando alemão eleição do dia 17 de junho. fluentemente com Merkel enCameron, que falou em Chi- quanto eles discutiram a ideia. cago antes do início de uma Ele não especificou se tinha cúpula da Organização do Tra- ouvido o lado de Merkel na t a d o d o A t l â n t i c o N o r t e conversa. (Otan), negou que a cúpula do "Ela queria falar com ele a G8 que terminou no domingo respeito de um possível refeem Camp David, Maryland, te- rendo sobre o euro. A ideia nha sido um fracasso. "Eu apareceu há alguns dias em acredito que uma reunião as reuniões de ministros ajudaram a das finanças cristalizar o da União EuA mensagem é p e ns a m en t o r o p e i a " , e sclara: você pode dos líderes creveu o joreconômicos nalista, que votar para que a do mundo e, a c o m p a n h aGrécia continue na p a r t i c u l a rv a o p r e s izona do euro ou mente, crisdente do Parvotar pela saída. talizar o penlamento Eusamento dos ropeu Martin DAVID CAMERON, PRIMEIROmembros da Schulz para o MINISTRO BRITÂNICO z o n a d o e uencontro com ro", disse. Papoulias. "O mais importante é que os "Merkel quis saber o que ele líderes da zona do euro têm de pensava da ideia – e ele a rejeipreparar planos de contingên- tou", disse o repórter. cia para essas possíveis situaA Alemanha é o principal ções, planos realmente claros contribuinte para os esforços que mantenham nossas eco- de resgate à Grécia. nomias seguras e estáveis. Eu Histórico – Os líderes polítifarei de tudo, no Reino Unido, cos da Grécia não conseguipara garantir que estejamos ram formar uma coalizão após nessa situação também", dis- uma eleição inconclusiva em 6 se Cameron. de maio, quando partidos que Referendo – A chanceler ale- se opõem aos termos de ausmã Angela Merkel perguntou teridade do resgate internaao presidente da Grécia, Karo- cional à Grécia tiveram bons los Papoulias, o que ele acha- resultados. Por isso, não se va da ideia da realização de formou um novo governo. um referendo sobre a adesão Na semana passada, nova grega ao euro, mas não o pres- eleição foi marcada para o dia sionou, afirmou um jornalista 17 de junho e a Coalizão da Esque acompanhou a conversa querda Radical, do líder Alexis no fim de semana. Um porta- Tsipras, é favorita nas urnas, voz do governo grego disse segundo pesquisas. A Coalique Merkel lançou a ideia em zão é contra o atual acordo um telefonema na sexta-feira, com os credores da Grécia e mas Berlim rapidamente ne- prega o não pagamento das gou a informação. dívidas, o que poderá levar o O incidente reacendeu o país a sair do euro. (Agências)

Líder grego Tsipras inicia viagem a Paris e Berlim

O

líder grego Alexis Tsipras, da Coalizão da Esquerda Radical (Syriza), segunda legenda mais votada nas eleições na Grécia de 6 de maio, iniciará hoje uma viagem a Paris e Berlim. Segundo um comunicado publicado ontem pelo partido, considerado favorito por algumas pesquisas para as novas eleições de 17 de junho, Tsipras se reunirá hoje em Paris com os dirigentes da Frente de Esquerda, Jean-Luc Melenchon, e o presidente do Partido Europeu de Esquerda (PIE), Pierre Laurent. Amanhã, o líder esquerdista grego se reunirá em Berlim com os dirigentes do partido Die Linke, Gregor Gysi e Oskar Lafontaine. Tsipras viaja acompanhado pelos parlamentares Yannis Dragasakis, Yorgos Stazakis e Panayiotis Lafazanis, assim como pelos responsáveis pela política econômica de seu grupo, Yannis Milios, e de política europeia, Yannis Burnus. Uma fonte do Syriza, que pediu para se manter no anonimato, disse em Atenas que não podia confirmar nem desmentir se haverá contatos com o Partido Socialista francês e o Partido Social-Democrata alemão.

Memorandos – Enquanto isso, Tsipras continuou ontem enviando claras mensagens de rejeição ao memorando que inclui medidas de austeridade econômica exigidas pela União Europeia (UE) e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI), conforme o acordo feito entre esses organismos e a Grécia para a concessão de empréstimos ao país. "No dia 18 de junho não haverá mais memorando", declarou ontem Tsipras à emissora de rádio "Skai", em reação à recente advertência do ministro das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, que disse que, "se o memorando não for aplicado ao pé da letra, não haverá ajuda econômica para a Grécia". O político grego disse que seu partido não tem a intenção de "dar passos unilaterais" e, por isso, espera que tampouco a zona do euro o faça. "Mas, se por acaso, chegarem a nós e disserem: 'vão embora, não há dinheiro', nós teremos de escolher entre pagar os salários e aposentadorias ou pagar os credores", afirmou Tsipras, antes de concluir: "e nesse caso, não pagaremos os credores". O dia 17 de junho será decisivo.(EFE)

Primeiro-ministro britânico, David Cameron, diz que os eleitores da Grécia devem decidir, na eleição do dia 17 de junho, se querem permanecer na zona do euro. A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, teria sugerido a realização de um referendo.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

A inflação é uma realidade que esfria o recente entusiasmo dos investidores estrangeiros por tudo que traz o nome do País. Albert Fishlow, em artigo na Foreign Policy

conomia

O Brasil não está fora do jogo Brasilianista Albert Fishlow alerta, em recente artigo, que os desafios da economia não impedem o surgimento de um novo Brasil. André Dusek/AE

Kety Shapazian

O

último artigo do brasilianista norteamericano Albert Fishlow publicado na Foreign Policy sexta-feira, dia 18, avisa: Não é por que os juros no País estão em queda que os agourentos de plantão estão com a razão. O Brasil pode "estar para baixo, mas não está fora" do jogo. Segundo Fishlow, autor do livro O Novo Brasil, o "cachinhos de ouro da economia latino-americana" na grande maioria da última década tem recentemente renovado o pessimismo daqueles que nunca compraram a ideia de que seu mercado emergente realmente emergiu. Artigo recente na mesma Foreign Policy disse que "o tal gigante se estende sob pés de argila. A economia depende muito dos altos preços das commodities e, se a procura cai, o Brasil também cai". Mesmo os crédulos estão ficando com pé atrás. Wall Street decidiu que o Banco Central (BC) brasileiro é "um pouco mole demais com o dinheiro, agora que as taxas reais (taxas nominais menos a taxa de inflação) têm registrado quedas recordes". Sim, a inflação parece estar querendo mostrar suas caras, diz Fishlow, "uma realidade que esfria o recente entusiasmo dos investidores estrangeiros por tudo que traz o nome Brasil". E o brasilianista se pergunta – e indaga os leitores – se a hora do Brasil, como a "economia de centro-esquerda latino-americana provida tanto de um cérebro quanto de um coração, está chegando ao fim". Após um crescimento anual de em média 5% de 2004 a 2010, período em que a pobreza caiu "vertiginosamente" e cerca de 35 milhões de brasileiros se juntaram à classe média, a economia nacional começou a perder m om en tu m

Presidente Dilma Rousseff adotou coordenação fiscal inédita e busca dar competitividade ao País na disputa pelos mercados globais. Na última década, 35 milhões de brasileiros foram para a classe média.

em 2011. No ano passado, "um ano muito bom, por sinal, na maioria dos mercados emergentes", segundo Fishlow, o Produto Interno Bruto (PIB) registrou decepcionante crescimento de 2,7%. Muitos fabricantes sofreram, já que produtos importados aumentaram sua fatia de mercado às custas de bens nacionais. J ur o s – Sob pressão para restaurar o brilho da economia, o BC, sob seu novo líder – Alexandre Tombini –, escolheu fazer do crescimento a sua mais alta prioridade. As taxas de juros caíram 2,5% desde agosto de 2011, uma política que se tornou mais aceitável graças à coordenação fiscal contida e orquestrada pela administração da presidente Dilma Roussef. Esse tipo de coordenação é novidade para o Brasil (e inusitada para um país em desenvolvimento).

Durante os anos nos quais o presidente Luiz Inácio Lula da Silva esteve à frente do País, quando o governo trilhava um caminho estreito entre ser populista e políticas centrais de economia, o banco quase sempre agia de forma independente. Mas, de acordo com o brasilianista, um estudioso da economia nacional há quatro décadas e que nunca se deixou levar pelas ondas de p e ss i m is m o no País, a e c o no m i a n ã o r e spondeu c o m o e sperado. O crescimento no primeiro bimestre de 2012 se deu a uma taxa morna de 3,2% e a indústria continua sofrendo. Daí os mais recentes esforços para melhorar a competividade do Brasil nos mercados globais através da intervenção do BC no mercado de câmbio estrangeiro. No último mês, o real perdeu cerca de 12% de seu valor perante o dólar e alguns analistas esperam uma desvalorização ainda maior. Há planos em progresso para baixar as taxas do Instituto Nacional do Seguro So-

cial (INSS) pagas pelas empresas como forma de reduzir os custos de produção e tornálas mais competitivas. Copa do Mundo – Esses pequenos curativos estão completamente de acordo com a estratégia a longo prazo estabelecida por Dilma para estimular a inovação e o avanço tecnológico. A Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016 são boas desculpas para obras públicas que manterão seu valor m u i t o tempo depois do fim dos eventos. E não há dúvida de que a necessidade do País de infraestrutura – estradas, aeroportos etc – é imensa. A grande questão é se a inflação, atualmente na casa dos 5%, se manterá estável agora que ambas as políticas monetária e fiscal estão a todo vapor. Certamente ninguém põe muita fé na previsão do governo de que a inflação irá realmente cair até o patamar estabelecido pelo BC até dezembro. Muitos críticos, inclusive, acham que o governo não conseguirá mais conter a

inflação às custas do crescimento. "Eu acho que eles estão errados", diz Fishlow, professor emérito da Universidade Columbia, em Nova York, e doutor pela Universidade de Harvard. "A indústria brasileira ainda consegue acomodar algum crescimento na demanda sem provocar um aumento na inflação." Em palestra a empresários em Porto Alegre no fim de março, o estudioso destacou que o desenvolvimento atual do Brasil vai muito além de uma política industrial isolada. Mas para ter o crescimento desejado, na ordem de 5%, o País necessita de um investimento de 25% do PIB e para isso precisa da poupança nacional. "Para sustentar a indústria do País deve-se avançar na área de tecnologia, aumentando o valor agregado", destacou. "Os industriais necessitam rever custos, buscar acesso a novas tecnologias e usá-las para aumentar as exportações". Fishlow disse que o aumento do consumo, sobretudo na classe C, não pode ser considerado uma política. "São necessárias outras estratégias." Ele afirmou que todos os setores devem ser beneficiados com as políticas industriais. "O setor público deve acabar com o déficit fiscal e começar a poupar. O início pode ser com a reforma da Previdência".

Imobiliária Santa Therezinha S.A.

Construtora Centenário S.A. Empreendimentos e Participações

CNPJ/MF nº 61.530.200/0001-40 – NIRE 35.300.013.786 Ata da Assembléia Geral Ordinária realizada no dia 30 de abril de 2012 Data, Hora e Local: Dia 30/04/2012, às 10 hs., na sede social no Largo Padre Péricles, 145, 9º and., São Paulo-SP. Presença: Acionistas representando a totalidade do Capital Social com direito a voto. Mesa: Presidente – Therezinha Maluf Chamma, Secretária – Nelly Maluf Chamma. Publicações: As Demonstrações Financeiras e Relatório da Administração referentes ao exercício encerrado em 31.12.2011, foram publicados no Diário Oficial do Estado do dia 28, às fls. 102 (empresarial), e no Diário do Comércio do dia 28, às fls. 20, todos do mês de março de 2012. Está sanada a ausência da publicação dos anúncios, de que trata o art. 133, com base no § 4º, do mesmo Art., da Lei nº 6.404/76. A ausência da Convocação também está sanada a teor do § 4º, do art. 124, da Lei nº 6.404/76. Ordem do Dia: (1) Tomada de contas da Administração, exame, discussão, e votação das Demonstrações Financeiras e demais documentos relativos ao exercício social encerrado em 31/12/2011; (2) Deliberação sobre a proposta da Diretoria quanto à destinação do resultado; e (3) Eleição dos membros da Diretoria, fixando-lhes a remuneração global. Deliberações: Foram aprovadas, por unanimidade de votos, as seguintes deliberações: Item (1) da Ordem do Dia: Tomada de contas da Administração, exame, discussão, e votação das Demonstrações Financeiras e demais documentos relativos ao exercício social encerrado em 31/12/2011. O valor de R$ 4,92 é o valor nominal de cada ação ordinária, ficando retificada a nota explicativa; e Item (2) da Ordem do Dia: Destinação do resultado do exercício e a distribuição de dividendos, como segue: o Balanço da Sociedade apontou um lucro líquido de R$ 874.770,00, o qual será mantido na conta de reserva de lucros. Ainda, sobre o total do lucro líquido, será calculado o percentual de 1,7%, que será dividido em igualdade e paga aos administradores, a título de participação nos lucros. Item (3) da Ordem do Dia: Para compor a Diretoria, cujo mandato encerrará em 30/04/2015, ficam eleitos, sem impedimentos legais, os seguintes diretores: Diretora Presidente – Therezinha Maluf Chamma, inscrita no CPF nº 143.225.458-82, e do RG nº 922.167 – SSP-SP; Diretora Superintendente – Nelly Maluf Chamma, inscrita no CPF nº 952.371.278-00, e do RG nº 3.651.482-2, inscrita no CRECI-2ª Reg. sob o nº 96.441; e Diretor Vice-Presidente – Dilermando Cigagna Junior, portador do RG nº 3.292.521-SSP-SP., e do CPF/MF nº 193.934.318-68, residente nesta Capital. A Diretora Superintendente também será a Diretora Técnica e responsável pela Sociedade perante o CRECI-2ª Região. A posse dos diretores e declaração de ausência de impedimentos será no livro próprio. Como verba destinada à remuneração dos diretores é fixado o valor global de R$ 1.800.000,00, para o período da gestão, sendo que o saldo anual deverá ser atualizado.Autorização: Fica autorizada a publicação da Ata com omissão das assinaturas dos acionistas. Encerramento: Nada mais havendo a tratar a Senhora Presidente suspendeu a assembléia pelo tempo necessário à lavratura desta Ata, a qual, lida e aprovada, foi assinada pelos presentes. (Ass.) Therezinha Maluf Chamma – Presidente da Mesa; Nelly Maluf Chamma – Secretária da Mesa; Nelly Maluf Jafet (pp. Therezinha Maluf Chamma); Therezinha Maluf Chamma; Esp. Maria Estefno Maluf (Inventariante Therezinha Maluf Chamma); Nelly Maluf Chamma; Empreend. Lo-Ma Adm.E Agr. Ltda. (Therezinha Maluf Chamma e Nelly Maluf Chamma); Esp. Roberto Maluf (Inventariante: Lina Saigh Maluf); Maria Teresa Maluf Chamma; Lina Saigh Maluf. Confere com o original. São Paulo, 30 de abril de 2012. Nelly Maluf Chamma – Secretária da Mesa; Márcio Luís Maia – OAB/SP nº 82513-B. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 199.318/12-8 em 16/05/2012. Gisela Simiema Ceschin – Secretária Geral.

CNPJ/MF nº 43.382.027/0001-07 – NIRE 35.300.113.594 Extrato da Ata de Reunião do Conselho de Administração Data, Hora e Local: 19/04/12, às 13:00 horas, na Rua Maria Paula, 36 – 4º andar cj. A. Composição da Mesa: Presidência – Sr. Domingos Malzoni, Secretário – Sr. Gildo Alberto Olson. Deliberações: Por unanimidade dos conselheiros presentes foi escolhido para a Presidência do Conselho de Administração o Sr. Domingos Malzoni. Por unanimidade, foram reeleitos membros da Diretoria, para o mandato com duração até a primeira reunião do Conselho de Administração após a Assembléia Geral Ordinária a realizar-se em 2014, Sr. Marco Antonio Malzoni, brasileiro, casado, administrador de empresas, RG. nº 4.113.865-X SSP/SP e CPF/MF nº 006.325.158-21, domiciliado em São Paulo na Rua Maria Paula, 36, 9º andar, conj. A, e Sr. Luiz Carlos Magalhães, brasileiro, casado, administrador de empresas, RG. nº 3.273.884-5 SSP/SP e CPF/MF nº 061.384.708-34, domiciliado em São Paulo – SP, na Rua Maria Paula, 36, 8º andar – conj. A, para ocuparem o cargo de Diretores, sem designação específica. São Paulo, 19/04/2012. Domingos Malzoni – Presidente, Marco Antonio Malzoni e Gildo Alberto Olson – Conselheiros. A presente é cópia fiel da Ata original arquivada na sede da sociedade. a) Gildo Alberto Olson – Secretário. JUCESP – Certifico o registro sob o nº 182.579/12-8 em 27/04/12. a) Gisela S. Ceschin – Secretária Geral.

Construtora Centenário S.A. Empreendimentos e Participações CNPJ nº 43.382.027/0001-07 – NIRE 35.300.113.594 Extrato da Ata da Assembléia Geral Ordinária Data, Hora e Local: 19/04/12, às 11:00 horas, na Rua Maria Paula, 36 – 4º andar cj. A. Composição da Mesa: Presidência – Domingos Malzoni, Secretário – Gildo Alberto Olson. Edital de Convocação: Publicado nas edições dos dias 11, 12, e 13/04/12 do “Diário Oficial do Estado de São Paulo” e do “Diário do Comércio”. Deliberações: Por unanimidade de votos, foram aprovados: 1) As contas da Diretoria consubstanciadas no Balanço Patrimonial e demais demonstrações financeiras do exercício findo em 2011, colocados à disposição dos Srs. Acionistas através de anúncios publicados nos dias 06, 07 e 08/03/12 no “Diário Oficial do Estado de São Paulo e no “Diário do Comércio” e publicado na íntegra em 12/04/12 no “Diário Oficial do Estado de São Paulo” e no “Diário do Comércio”. 2) A distribuição do lucro líquido: a) do lucro líquido de R$ 22.499.760,87 (vinte e dois milhões, quatrocentos e noventa e nove mil, setecentos e sessenta reais e oitenta e sete centavos) deduzir a importância de R$ 1.124.988,05 (um milhão, cento e vinte quatro mil, novecentos e oitenta e oito reais e cinco centavos) a título de Reserva Legal; b) transferência do saldo remanescente para a Reserva de Lucros a Realizar, tendo em vista de o mesmo não ter sido realizado financeiramente. 3) A reeleição dos membros do Conselho de Administração, Srs. Domingos Malzoni, brasileiro, separado judicialmente, engenheiro, domiciliado em São Paulo, SP, Rua Maria Paula, nº 36, 9º andar, conjunto A, RG nº 1.636.397-8 SSP/SP e CPF/MF nº 003.552.678-53, Marco Antonio Malzoni, brasileiro, casado, administrador de empresas, domiciliado em São Paulo, SP, Rua Maria Paula, nº 36, 9º andar, conjunto A, RG nº 4.113.865-X SSP/SP e CPF/MF nº 006.235.158-21 e Gildo Alberto Olson, brasileiro, casado, técnico de contabilidade, domiciliado em São Paulo – SP, à Rua Gabrielle D’Annunzio, 1409, apto 92, RG. nº 3.211.772-3 SSP-SP e CPF/MF nº 043.282.308-59, para ocuparem o cargo de membros do Conselho de Administração, com mandato até a Assembléia Geral Ordinária a realizar-se em 2014. São Paulo, 19 de abril de 2012. Domingos Malzoni – Presidente. Gildo Alberto Olson – Secretário. Acionistas: p/ Redoma – Administração de Negócios e de Imóveis Ltda. – Domingos Malzoni e Renato Aufiero Malzoni, p/ Malzoni Empreendimentos Imobiliários S.A. Marco Antonio Malzoni e Renato Aufiero Malzoni – Domingos Malzoni, Marco Antonio Malzoni, Renato Aufiero Malzoni, Luiz Carlos Magalhães e Gildo Alberto Olson A presente é cópia fiel da Ata original arquivada na sede da sociedade. a) Gildo Alberto Olson – Secretário. Junta Comercial do Estado de São Paulo – Certifico o registro sob o nº 182.578/12-4 em 27/04/12. a) Gisela Simiema Ceschin – Secretária Geral.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 18 de maio de 2012, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Nicoletti Indústria Têxtil S/A. Requerido: Tok Lok Jeans Ltda. ME. Avenida Alan Kardec, 43 - Canindé - 1ª Vara de Falências. Requerente: Fornari e Associados Produções Fotográficas Ltda. - ME. Requerido: Trio Promoções e Confecções Ltda. EPP. Avenida Candido Portinari, 690 – Sala 01 - Vila Jaguara - 1ª Vara de Falências. Requerente: Cláudio de Almeida Metello. Requerido: Fama Music Produções Artísticas Ltda. Rua Doutor Eduardo Victor de Lamare, 174 - Sala 1 - Pirituba - 2ª Vara de Falências. Requerente: Banco Safra S/A. Requerido: Taif Internacional Indústria e Comércio de Roupas Ltda. Rua Catumbi, 431 - 2° Andar - Brás - 2ª Vara de Falências. Requerente: Buy Cred Tecnologia de Ativos e Fomento Mercantil Ltda. Requerido: Sanzil Ltda. - EPP. Rua Tenente Sotomano, 50 – Jardim Brasil (zona norte) - 1ª Vara de Falências. Recuperação Judicial Requerente: Patagônia Transporte Internacional Ltda. Requerido: Patagônia Transporte Internacional Ltda. Avenida José César de Oliveira, 181 - Sala 809 – Vila Leopoldina - 1ª Vara de Falências. Requerente: S4&S4 Gráfica e Editora Ltda. Requerente: Studio 4 Cópias e Serviços ME. Requerente: S4 Gráfica e Editora Ltda. – EPP. Requerente: S4&2 Serviços de Cópias Ltda. Requerente: Malegraf Serviços de Cópias Ltda. – EPP. Requerente: Ticegraf Serviços de Cópias Ltda. Requerido: S4&S Gráfica e Editora Ltda. Avenida Doutor Guilherme Dumont Villares, 1.210 - Loja 7K/7J – Jardim Londrina. Requerido: Studio 4 Cópias e Serviços ME. Rua Visconde de Taunay, 711 – Vila Cruzeiro. Requerido: S4 Gráfica e Editora Ltda. – EPP. Rua Periperi, 142 – Vila Socorro. Requerido: S4&2 Serviços e Cópias Ltda. Rua Periperi, 142 - Sala 1 – Vila Socorro - Requerido: Malegraf Serviços de Cópias Ltda. – EPP. Estrada do Tambory, 150 - Sala 01 – Vila Centenário – Carapicuiba. Requerido: Ticegraf Serviços de Cópias Ltda. Estrada do Tambory, 150 – Vila Centenário - Carapicuiba.


sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

Mediservice - Administradora de Planos de Saúde S.A. CNPJ no 57.746.455/0001-78 - NIRE 35.300.360.249 Grupo Bradesco de Seguros e Previdência Ata das Assembleias Gerais Extraordinária e Ordinária realizadas cumulativamente em 28.3.2012 Data, Hora e Local: Aos 28 dias do mês de março de 2012, às 11h, na sede social, Avenida Ipiranga, 210, 11o e 12 o andares, República, São Paulo, SP, CEP 01046-010. Presença: Compareceram, identificaram-se e assinaram o Livro de Presença os representantes da Bradesco Saúde S.A., única acionista da Sociedade. Verificou-se também a presença dos senhores Tarcísio José Massote de Godoy, Diretor, e Luciene Teixeira Magalhães, representante da empresa KPMG Auditores Independentes. Mesa: Presidente: Marcio Serôa de Araujo Coriolano; Secretário: Antonio José da Barbara. Convocação: Dispensada a convocação por Edital, de conformidade com o disposto no Parágrafo Quarto do Artigo 124 da Lei n o 6.404, de 1976. Ordem do Dia: Assembleia Geral Extraordinária: aprovar a alteração da redação do Anexo A da Convenção do Grupo Bradesco de Seguros e Previdência, referente ao rateio das despesas da administração financeira do referido Grupo. Assembleia Geral Ordinária: I) tomar conhecimento dos Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes, e examinar, discutir e votar as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31.12.2011; II) deliberar sobre proposta da Diretoria para destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31.12.2011 e distribuição de dividendos; III) eleger os membros da Diretoria da Sociedade; IV) fixar o montante global anual da remuneração dos Administradores; V) ratificar as seguintes designações de Diretor: de Relações com a Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS; responsável pela Área Técnica de Saúde; responsável pelo cumprimento do disposto na Lei no 9.613, de 3.3.1998, que trata dos crimes de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores; responsável pelo acompanhamento, supervisão e cumprimento das normas e procedimentos de contabilidade. Deliberações: Assembleia Geral Extraordinária: aprovada a alteração da redação do Anexo A da Convenção do Grupo Bradesco de Seguros e Previdência, referente ao rateio das despesas da administração financeira do referido Grupo. A mencionada Convenção consolidada será registrada na Junta Comercial do Estado de São Paulo e ficará arquivada na sede da Sociedade, nos termos da alínea “a” do Parágrafo Primeiro do Artigo 130 da Lei no 6.404/76. Assembleia Geral Ordinária: I) tomaram conhecimento dos Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes, e aprovaram, sem ressalvas, as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31.12.2011, de conformidade com as publicações efetivadas no dia 29.2.2012, nos jornais “Diário Oficial do Estado de São Paulo”, páginas 99 a 103 e “Diário do Comércio”, páginas 41 a 44; II) aprovada a proposta da Diretoria registrada na Reunião daquele Órgão, de 24.2.2012, para destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31.12.2011 e distribuição de dividendos, conforme segue: “Tendo em vista que esta Sociedade obteve no exercício social encerrado em 31.12.2011 lucro líquido de R$10.809.973,38, propomos que seja destinado da seguinte forma: R$540.498,67 para a conta “Reserva de Lucros - Reserva Legal”; R$10.166.779,96 para a conta “Reserva de Lucros Estatutária”; e R$102.694,75 para pagamento de Dividendos, o qual deverá ser feito até 31.12.2012.”; III) para composição da Diretoria, foram reeleitos, com mandato de 1 (um) ano, até 28.3.2013, os senhores: Diretor-Presidente: Marcio Serôa de Araujo Coriolano, brasileiro, divorciado, economista, RG 02.686.957-8/SSP-RJ, CPF 330.216.357/68, com domicílio na Rua Barão de Itapagipe, 225, Rio Comprido, Rio de Janeiro, RJ; Diretor Gerente: Ivan Luiz Gontijo Júnior, brasileiro, casado, advogado, OAB/RJ 044.902, CPF 770.025.397/87; Diretores: Enrique Adan Y Coello, espanhol, casado, securitário, RNE W491929-4/SE/DPMAF/DPF, CPF 037.520.188/28, ambos com domicílio na Avenida Paulista, 1.415, parte, Bela Vista, São Paulo, SP; Flávio Bitter, brasileiro, casado, administrador, RG 10.591.790-0/IFP-RJ, CPF 044.453.707/46, com domicílio na Rua Barão de Itapagipe, 225, parte, Rio Comprido, Rio de Janeiro, RJ; Haydewaldo Roberto Chamberlain da Costa, brasileiro, casado, contador, CRC RJ-075823/0-9, CPF 756.039.427/20, com domicílio na Avenida Paulista, 1.415, parte, Bela Vista, São Paulo, SP; Jackson Fujii, brasileiro, casado, securitário, RG 05.783.872-4/IFP-RJ, CPF 864.908.267/04; Manoel Antonio Peres, brasileiro, casado, médico, RG 8.014.301.397/SSP-RS, CPF 033.833.888-83; Mauro Silverio Figueiredo, brasileiro, separado judicialmente, médico, RG 11.621.057-6/SSP-SP, CPF 045.083.978-83; Sérgio Azoury Galvão, brasileiro, casado, médico, RG 3.134.119/IFP-RJ, CPF 344.270.237/20, todos com domicílio na Rua Barão de Itapagipe, 225, parte, Rio Comprido, Rio de Janeiro, RJ; e Tarcísio José Massote de Godoy, brasileiro, casado, securitário, RG 554.548/SSP-DF, CPF 316.688.601/04, com domicílio na Avenida Paulista, 1.415, parte, Bela Vista, São Paulo, SP, sendo que permanecerão nas suas funções até que a Ata da Assembleia Geral Ordinária que eleger os novos membros em 2013 seja arquivada na Junta Comercial e publicada. Os Diretores reeleitos preenchem as condições previstas na Resolução Normativa no 11, da Agência Nacional de Saúde Suplementar - ANS, de 22.7.2002, e declararam, sob as penas da lei, que não estão impedidos de exercer a administração de sociedade mercantil em virtude de condenação criminal; IV) fixado o montante global anual da remuneração dos Administradores, no valor de até R$120.000,00 (cento e vinte mil reais), a ser distribuída em Reunião da Diretoria, conforme determina a letra “g” do Artigo 9o do Estatuto Social; V) ratificadas as seguintes designações de Diretor: senhor Flávio Bitter - Relações com a Agência Nacional de Saúde Suplementar – ANS; e responsável pelo cumprimento do disposto na Lei n o 9.613, de 3.3.1998, que trata dos crimes de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores; senhor Manoel Antonio Peres - responsável pela Área Técnica de Saúde; senhor Haydewaldo Roberto Chamberlain da Costa - responsável pelo acompanhamento, supervisão e cumprimento das normas e procedimentos de contabilidade. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente esclareceu que para as deliberações tomadas, o Conselho Fiscal da Companhia não foi ouvido por não se encontrar instalado no período e encerrou os trabalhos, lavrando-se a presente Ata, que lida e achada conforme, foi aprovada por todos os presentes, que a subscrevem. Assinaturas: Presidente: Marcio Serôa de Araujo Coriolano; Secretário: Antonio José da Barbara; Administrador: Tarcísio José Massote de Godoy; Acionista: Bradesco Saúde S.A., por seus procuradores, senhores Carlos Laurindo Barbosa e Johan Albino Ribeiro; Auditora: Luciene Teixeira Magalhães. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Antonio José da Barbara – Secretário. Certidão – Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob no 188.039/12-0, em 4.5.2012. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

Bradesco Seguros S.A. CNPJ no 33.055.146/0001-93 - NIRE 35.300.329.091 Grupo Bradesco de Seguros e Previdência Ata da 133a Assembleia Geral Extraordinária realizada em 27.12.2011 Data, Hora e Local: Aos 27 dias do mês de dezembro 2011, às 17h, na sede social, Avenida Paulista, 1.415, parte, Bela Vista, São Paulo, SP. Quorum: Compareceram, identificaram-se e assinaram o Livro de Presença os representantes da Bradseg Participações Ltda., única acionista da Sociedade. Mesa: Presidente: Marco Antonio Rossi; Secretário: Marcos Suryan Neto. Convocação: Dispensada a convocação por Edital, de conformidade com o disposto no Parágrafo Quarto do Artigo 124 da Lei n o 6.404, de 1976. Ordem do Dia: Ratificar: 1) a deliberação tomada na 131a Assembleia Geral Extraordinária realizada em 23.9.2011; 2) as designações de Diretores responsáveis perante à Superintendência de Seguros Privados SUSEP, por áreas de atuação. Deliberações: Ratificadas: 1) a deliberação tomada na 131a Assembleia Geral Extraordinária realizada em 23.9.2011, conforme segue: 1) “Eleito Diretor, com mandato coincidente com o dos demais membros da Diretoria, até 30.3.2012, o senhor Mauro Silverio Figueiredo, brasileiro, separado judicialmente, médico, RG 11.621.057-6/SSP-SP, CPF 045.083.978-83, com domicílio na Rua Barão de Itapagipe, 225, parte, Rio Comprido, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20261-901, cujo nome será levado à aprovação da Superintendência de Seguros Privados - SUSEP, após o que tomará posse de seu cargo, sendo que permanecerá em suas funções até que a Diretoria a ser eleita no ano de 2012 receba a homologação da Superintendência de Seguros Privados - SUSEP e seja a Ata arquivada na Junta Comercial e publicada. O Diretor eleito preenche as condições previstas na Resolução CNSP no 136, de 7.11.2005, da Superintendência de Seguros Privados - SUSEP, e declarou, sob as penas da lei, que não está impedido de exercer a administração de sociedade mercantil em virtude de condenação criminal. Em consequência, a Diretoria da Sociedade fica assim composta: Diretor-Presidente - Marco Antonio Rossi; Diretores Gerentes - Aurélio Conrado Boni, Marcio Serôa de Araujo Coriolano, Ricardo Saad Affonso, Norton Glabes Labes, Ivan Luiz Gontijo Júnior e Marcos Suryan Neto; Diretores – Enrique Adan Y Coello, Haydewaldo Roberto Chamberlain da Costa, Tarcísio José Massote de Godoy, Alexandre Nogueira da Silva e Mauro Silverio Figueiredo.”; 2) as designações de Diretores responsáveis perante à Superintendência de Seguros Privados SUSEP, por áreas de atuação, conforme segue: a) senhor Marcos Suryan Neto, como Diretor responsável: pelo cumprimento do disposto na Lei no 9.613, de 3.3.1998, que trata dos crimes de “lavagem” ou ocultação de bens, direitos e valores; pela implementação de controles internos das atividades da Sociedade; pelos controles internos específicos para a prevenção contra fraudes; b) senhor Haydewaldo Roberto Chamberlain da Costa, como Diretor: administrativo-financeiro; responsável pelo acompanhamento, supervisão e cumprimento das normas e procedimentos de contabilidade; c) senhor Tarcísio José Massote de Godoy, como Diretor: de Relações com a SUSEP; responsável pela Área Técnica de Seguros; responsável pelos registros de apólices e endossos emitidos e dos cosseguros aceitos; Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente esclareceu que as matérias ora aprovadas somente entrarão em vigor e se tornarão efetivas depois de homologadas pela Superintendência de Seguros Privados - SUSEP e de estarem atendidas todas as exigências legais de arquivamento na Junta Comercial e publicação. Em seguida, encerrou os trabalhos, lavrando-se a presente Ata, que lida e achada conforme, foi aprovada por todos os presentes, que a subscrevem. Assinaturas: Presidente: Marco Antonio Rossi; Secretário: Marcos Suryan Neto; Acionista: Bradseg Participações Ltda., por seus Diretores, senhores Marcos Suryan Neto e Haydewaldo Roberto Chamberlain da Costa. Declaração: Declaramos para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata original lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. Bradesco Seguros S.A. aa) Marcos Suryan Neto e Norton Glabes Labes. Certidão – Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob no 196.588/12-1, em 11.5.2012. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

PALHAGÕES PATRIMONIAL E PARTICIPAÇÕES S/A CNPJ nº10.570.982/0001-00 – NIRE 35.300.364.201 Ata da Assembléia Geral Ordinária realizada em 30/03/2012 1. DATA e LOCAL: Aos 30 dias do mês de março de 2012, às 10,00 hs., na sede social localizada à Rua Pascal, 1310, cj.71, Campo Belo, na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 04616-004. 2. PRESENÇA: Compareceram, identificaram-se e assinaram o Livro de Presença os acionistas da Sociedade representando a totalidade do capital social. 3. CONVOCAÇÃO: Dispensada a publicação do Edital de Convocação, de conformidade com o par. 4º do artigo 124 e par. 4º do art. 133, ambos da Lei 6.404/76. 4. CONSTITUIÇÃO DA MESA: Presidente: Antonio Adelino Pereira Fernandes; Secretária: Alice dos Anjos Dias Fernandes. 5. ORDEM DO DIA: a) Tomar as contas dos Administradores, examinar e votar o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e as Notas Explicativas relativos ao exercício social findo em 31/12/2011; b) Deliberar sobre a proposta da Diretoria para a destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31/12/2011; e c) Deliberar sobre a não instalação do Conselho Fiscal neste exercício. DELIBERAÇÕES: a) aprovadas, sem reservas ou restrições as contas dos Administradores, o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e as Notas Explicativas relativos ao exercício social findo em 31/12/2011, os quais foram publicados em 21/03/2012, nos jornais: Diário Oficial do Estado de São Paulo, página 90, e Diário do Comércio, página 23; b) aprovada a proposta da Diretoria, registrada na Reunião daquele órgão, de 20/01/2012, para a destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31/12/2012. c) aprovada a não instalação do Conselho Fiscal neste exercício. ENCERRAMENTO: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente declarou o encerramento dos trabalhos pelo tempo necessário à lavratura da presente em livro próprio, a qual, reaberta a sessão, foi lida, achada conforme, aprovada e assinada por todos os presentes. ATA E PUBLICAÇÃO: A presente deverá ser publicada de forma resumida nos termos do art. 130 da Lei 6.404/76. DECLARAÇÃO: Declaramos que a presente é cópia fiel da Ata lavrada em livro próprio. JUCESP - Registro nº 156.793/ 12-0. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

COOPERATIVA DE PRODUTORES DE ALGODÃO – OTC IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO. Edital de Convocação para Constituição da Cooperativa de Produtores de Algodão – OTC – Importação e Exportação. Os membros da Comissão Organizadora convocam para Constituição da Cooperativa de Produtores de Algodão - OTC – Importação e Exportação, à Rua Anhanguera, 167, bairro Jardim Piratininga, CEP 06230-110, Osasco/ SP, a realizar-se no dia 07/05/2012, às 15:00 horas, em primeira, segunda e última convocação respectivamente, para deliberar sobre a seguinte ordem do dia: 1. Constituição da Cooperativa – OTC – Importação e Exportação. 2. Eleição dos membros do Conselho de administração. 3. Leitura, discussão do Estatuto Social. 4. Outros assuntos não deliberativos. São Paulo, 17 de maio de 2012. CHARLES EDWARD TRUMAN Vanguarda g Agro g S.A. - Cia. Aberta - CNPJ/MF 05.799.312/0001-20 - NIRE 35.300.380.657 Ata da Reunião do Conselho de Administração de 12/04/2012 1. Data, Hora e Local: Realizada às 15:30 h do dia 12/04/2012, na sede da Cia., localizada na Cidade de São Paulo/SP, na Av. Brig. Faria Lima 1461 - 4º andar - Torre Sul - Pinheiros, CEP 01452-921. 2. Convocação e Presença: Convocação efetuada na forma do art. 17 do Estatuto Social da Cia., reuniram-se os membros do Conselho de Administração da Cia: Srs. Katia Martins Costa, José Ferraz Ferreira Filho, Rodrigo Geraldi Arruy, Otaviano Olavo Pivetta e Neusa Lucia Pivetta. 3. Mesa: A Reunião foi presidida pela Sra. Katia Martins Costa e secretariada pelo Sr. Cristiano Soares Rodrigues. 4. Ordem do Dia: Autorizar a Diretoria a tomar as providências para a convocação da (a) AGO para aprovar as contas dos administradores, deliberar sobre o resultado do exercício social encerrado em 31/12/11, eleger os membros do Conselho de Administração, fixar a remuneração anual global dos membros da administração e a alterar os jornais de publicações; e da (b) AGE para ratificar e aprovar conferência dos ativos das Unidades de Porto Nacional/TO e Iraquara/BA para a sociedade V-Biodiesel Ltda. 5. Deliberações Tomadas pelos Presentes: Os membros do Conselho de Administração resolvem, por unanimidade: 5.1. Aprovar que a Diretoria tome as providências necessárias para a convocação da (a) AGO para aprovar as contas dos administradores, deliberar sobre o resultado do exercício social encerrado em 31/12/11, eleger os membros do Conselho de Administração, fixar a remuneração anual global dos membros da administração e a alterar os jornais de publicações; e da (b) AGE para ratificar e aprovar a conferência dos ativos das Unidades de Porto Nacional/TO e Iraquara/BA para a sociedade V-Biodiesel Ltda. 6. Encerramento: Nada mais havendo a ser tratado e inexistindo qualquer outra manifestação, foi encerrada a presente reunião, da qual lavrou-se a presente ata que, lida e aprovada, foi assinada por todos os presentes. São Paulo, 12/04/2012. Conselheiros: Katia Martins Costa, José Ferraz Ferreira Filho, Otaviano Olavo Pivetta, Neusa Lucia Pivetta e Rodrigo Geraldi Arruy. Certifico com o original lavrado em livro próprio. Katia Martins Costa - Presidente; Cristiano Soares Rodrigues - Secretário. JUCESP nº 195.221/12-6 em 09/05/2012. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral. EXTRAVIO JOSE PAPA JUNIOR, registro 9784 no CORECON, informa que foi extraviada a carteira de economista emitida pelo CORECON - SP e o Diploma de Bacharel em ciências econômicas pelo Mackenzie.

Auto Posto F 360 Ltda, torna público que requereu da Cetesb a Renovação Licença de Operação, para comercio varejista de combustiveis e lubrificantes, sito à Av.Presidente Wilson, 2594 - Parque da Mooca - S.Paulo-SP Auto Posto Rocht III Ltda, torna público que recebeu da Cetesb a Licença Prévia,15001914, e requereu a Licença de Instalação para combustiveis para veículos automotores( postos revendedores) , sito à Estrada da Agua Chata, 3500 - Ferrão - Guarulhos -SP

DIÁRIO DO COMÉRCIO

ECONOMIA/LEGAIS - 21 Mc Mall Properties S.A. – CNPJ/MF nº 03.690.859/0001-68

Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios sociais encerrados em 31 de dezembro de 2011 e 2010 (Valores expressos em Milhares de Reais) Balanços Patrimoniais Demonstrações do Resultado 2011 2010 Ativo 2011 2010 Passivo e patrimônio líquido 2011 2010 Receita líquida 5.095 6.827 Ativo circulante 8.114 6.202 Passivo circulante 2.389 2.139 Custo das vendas e prestação de serviços – (1.784) Caixa e equivalentes de caixa 1.500 166 Empréstimos e financiamentos 2.085 1.944 Lucro bruto 5.095 5.043 Contas a receber 1.135 636 Impostos e contribuições a recolher 150 110 Receitas (despesas) operacionais: Outros valores a receber 38 59 Emprestimo de mutuo 149 51 Gerais e administrativas (846) (3.137) Impostos a recuperar 14 14 Contas a pagar 5 34 Depreciação (186) (45) 7.876 7.819 Resultado de atividade não continuadas Estoques 5.427 5.327 Passivo não circulante – (346) Empréstimos e financiamentos 7.876 7.819 Resultado de equivalência patrimonial Ativo não circulante 45.001 45.116 – 67 42.850 41.360 Amortização de diferido Outros créditos 601 530 Patrimônio líquido – (79) Capital social 40.000 40.000 Resultado operacional Imobilizado 44.394 44.580 4.063 1.503 Reservas de lucros 2.707 1.360 Despesas financeiras Intangível 6 6 (2.225) (2.279) Reservas legal 143 – Receitas financeiras Total do ativo 53.115 51.318 160 114 Total do passivo e patrimônio líquido 53.115 51.318 Result. do exerc. antes do IRPJ e da Contrib. Social 1.998 (662) Demonstrações dos Fluxos de Caixa Provisão para Imposto de Renda e Contribuição Social (529) (426) 2011 2010 Das atividades operacionais 2011 2010 Lucro líquido do exercício 1.469 (1.088) 3.887 19.178 Lucro líquido antes do IR e Contribuição Social 1.998 (662) Caixa gerado das operações Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido Imposto de Renda e Contribuição Social pagos (529) (426) Aj. p/ reconciliar o result. ao caixa ger. p/ ativ. operac.: 3.358 18.752 Res. de lucros Depreciação 186 45 Caixa líquido prov. das atividades operacionais – (174) Ações Res. p/ Lucros Resultado de equivalencia patromonial – (67) Das ativ. de invest.: Aquisições de ativo imobilizado Caixa usado nas atividades de investimento – (174) Capital em Res. investi- acumuAtualização monetária e juros sobre financiamentos 2.222 2.175 social tesour. legal mentos lados Total Ajuste de exercícios anteriores 21 (121) Das ativ. de financ. (com acionistas e com terceiros) – 3.306 Saldo 31/12/2009 58.063 (4.654) 329 6.413 – 60.151 Imposto de renda difeirido – (250) Empréstimos captados junto à terceiros – (710) Aj. de exerc. anteriores – – – – 121 121 4.427 1.120 Distribuição de Lucros Pagamento de empréstimos (2.024) (6.185) Dividendos – – – – (710) (710) Decréscimo/Acréscimo nos ativos e pass. operac. Contas a receber (499) 3.554 Versão vertidos Cisão – (15.346) Cisão Parc. 01/09/10 (18.063) 4.654 (329) (5.910) 2.534 (17.114) Estoques (100) 11.364 Caixa gerado (usado) nas ativ. de financiamento – – – – (1.088) (1.088) (2.024) (18.935) Prej. líq. do exercício Impostos a recuperar (50) (7) Aumento (redução) de caixa e equivalentes de caixa 1.334 – – – 857 (857) – (357) Transf. p/Res. p/Invest. Outros créditos – 4.300 Caixa e equivalentes de caixa: No início do exercício 40.000 – – 1.360 – 41.360 166 523 Saldo 31/12/2010 Partes relacionadas 98 (249) – – – 21 – 21 No final do exercício 1.500 166 Aj. de exerc. anter. Fornecedores – (371) Aumento (redução) de caixa e equivalentes de caixa 1.334 – – 143 – (143) – (357) Const. de res. legais Salários e encargos sociais – (24) Lucro líq. do exercício – – – – 1.469 1.469 A Diretoria Impostos e contribuições a recolher 40 (108) Transf. p/Res. p/Invest. – – – 1.326 (1.326) – Contas a pagar adiantamentos de clientes (29) (401) José Alcides Gimenez – Contador CRC 1SP 133.346/O-7 Saldo 31/12/2011 40.000 – 143 2.707 – 42.850

CIA TEXTIL NIAZI CHOHFI CNPJ. 60.397.361/0001-45 Relatório da Diretoria Senhores Acionistas.: Em Cumprimento as Disposições Legais e Estatutarias, temos a satisfação de apresentar as Demonstrações Financeiras , referente ao Exercicio Encerrado em 31 de Dezembro de 2011. Permanecemos outrossim a inteira disposição de V.Sas. para quaisquer esclarecimento que porventura se façam necessários. São Paulo, 29 de Março de 2012. Demonstração do Resultado em 31/12/2011 Balanço Patrimonial Encerrado em 31/12/2011 Ativo: Ativo Circulante 2011 2010 Passivo: Passivo Circulante 2011 2010 1 ( + ) Receita Operacional Bruta 2011 2010 Caixa e Bancos 171.104,90 1.098.299,10 Circulante Vendas de Mercadorias 100.940.371,04 95.456.094,21 Dupl. a Receber 6.164.022,67 4.922.085,72 Fornecedores 150.954.113,92 113.397.403,59 2 ( - ) Deduções De Renda Bruta 27.779.641,37 26.185.229,33 Estoques 182.550.530,69 150.988.624,97 Obrig. Sociais Fiscais 910.388,95 635.492,58 ICMS 17.704.643,09 16.829.128,19 Outros Créditos 6.484.999,16 5.229.672,37 Financiamentos PIS S/Faturamento 1.665.260,67 1.574.689,10 Despesas Exerc. Seguinte 92.707,10 41.524,76 151.864.502,87 114.032.896,17 COFINS 7.670.291,54 7.253.113,47 195.463.364,52 162.280.206,92 Passivo Não Circulante Vendas Canceladas 899.823,06 642.580,80 Ativo Não Circulante: Imobilizado Financ. a Longo Prazo ( - ) ICMS S/Vendas Canceladas (160.376,99) (114.282,23) Bens Moveis, Imóveis e Invest. 7.351.214,37 6.438.819,27 Financiamentos 60.175.601,07 65.170.946,91 3 ( = ) Receita Operacional Liquida 73.160.729,67 69.270.864,88 ( - ) Deprec. Amort. Acumulado (2.014.826,95) (1.562.157,31) 60.175.601,07 65.170.946,91 4 ( - ) C. M . V 50.393.218,90 47.734.675,53 5.336.387,42 4.876.661,96 Patrimonio Liquido 5 ( = ) Resultado Bruto 22.767.510,77 21.536.189,35 Itangiveis Capital Social 6 ( - ) Despesas Operacionais 21.436.267,05 21.413.563,66 Marcas Pat., Diret. uso Telef 255.507,53 255.507,53 Capital Subscrito 2.100.000,00 2.100.000,00 Despesas C/Vendas 51.865,35 38.560,58 Diferido 2.100.000,00 2.100.000,00 Despesas C/ Pessoal 13.511.816,96 12.544.520,54 Correc. monet. Dif. IPC/BTNF 540.578,57 540.578,57 Reservas Despesas Administrativas 5.565.923,82 5.219.520,59 Depreciação Dif. IPC/BTNF 1.357,35 1.357,35 Lucros Exercício 1.090.312,21 367.756,31 Depreciação 452.669,64 339.594,42 541.935,92 541.935,92 Prejuizo Acumulado (13.633.220,76) (13.717.287,06) Despesas Financeira 1.410.955,07 2.833.526,74 Total do Ativo 201.597.195,39 167.954.312,33 (12.542.908,55) (13.349.530,75) Despesas Tributária 380.601,19 410.179,83 Total do Passivo 201.597.195,39 167.954.312,33 Despesas Indedutíveis 62.435,02 27.660,96 Demonstração de Lucros ou Prejuízo Acumulados em 31/12/2011 7 ( + ) Outras Rec. Operacionais 87.616,84 401.106,41 Notas Explicativas 2011 2010 87.616,84 401.106,41 1) Práticas Contábeis: As principais práticas contábeis adotadas pela Outras Receitas Saldo Anterior de Prejuízo Acumulados (13.349.530,75) (13.717.287,06) Companhia para elaboração das demonstrações Financeiras são as 8 ( + ) Outras Rec. não Operacionais Ajustes de Exercícios Anteriores seguintes: a) Estoques:- são avaliados ao custo médio da aquisição. b) Outras Receitas Não Operac. 8 ( = ) Lucro Antes das Prov. IRPJ/CSLL 1.418.860,56 523.732,10 Processo de Impostos (283.690,01) - As demonstrações financeiras foram elaboradas de acordo com a lei nº 9 ( ) Prov do IRPJ e CSLL 328.548,35 155.975,79 Lucro Líquido do Exercício 6404/76 e suas alterações e legislação em vigor. c) O ativo permanente 10 ( = ) Lucro / Prejuizo do Exercicio 1.090.312,21 367.756,31 Lucro do Exercício está registrado ao valor do custo e corrigido monetariamente até 1995. Reginaldo Chohfi - Dir.Presidente Compensação do Prejuízo 1.090.312,21 367.756,31 As depreciações e Amortizações são calculadas pelo método Linear com Prejuízo Acumulado (12.542.908,55) (13.349.530,75) base na vida útil dos bens. São Paulo, 29 de Março de 2012 Marcia Pereira dos Santos - TC. CRC 1SP187961/0-2

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEREIRA BARRETO/SP PROCESSO Nº 2152/2011 - TOMADA DE PREÇOS 002/2011. EXTRATO - 2º TERMO DE PRORROGAÇÃO CONTRATUAL Prefeitura da Estância Turística de Pereira Barreto. WILSON DOS ANJOS BERTIPAGLIA & CIA LTDA. - EPP. A Contratada compromete-se a executar os serviços constantes do Objeto do contrato nº 4.589/2011, nas mesmas condições nele estabelecidas. A Presente Prorrogação terá vigência de 3 (três) meses. As demais condições seguem as cláusulas estabelecidas no Contrato nº 4.589/2011. Pereira Barreto, 31 de janeiro de 2012. Arnaldo Shigueyuki Enomoto - Prefeito. PROCESSO Nº 2152/2011 - TOMADA DE PREÇOS 002/2011. EXTRATO - 3º TERMO DE PRORROGAÇÃO CONTRATUAL Prefeitura da Estância Turística de Pereira Barreto. WILSON DOS ANJOS BERTIPAGLIA & CIA LTDA. - EPP. A Contratada compromete-se a executar os serviços constantes do Objeto do contrato nº 4.589/2011, nas mesmas condições nele estabelecidas. A Presente Prorrogação terá vigência de 3 (três) meses. As demais condições seguem as cláusulas estabelecidas no Contrato nº 4.589/2011. Pereira Barreto, 31 de abril de 2012. Arnaldo Shigueyuki Enomoto - Prefeito. TERMO DE ALTERAÇÃO CONTRATUAL QUE ENTRE SI FAZEM A PREFEITURA DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE PEREIRA BARRETO E A EMPRESA WILSON DOS ANJOS BERTIPAGLIA & CIA LTDA.- EPP. REGISTRADO Nº 4.589/2012 de 01 de agosto de 2011, REFERENTE AO PROCESSO: 2152/2011 TOMADA DE PREÇOS: 002/2011. Prefeitura da Estância Turística de Pereira Barreto. WILSON DOS ANJOS BERTIPAGLIA & CIA LTDA - EPP. I) O OBJETO: A contratada abriga-se a execução da obra de construção de Palco Fixo na Praia Municipal nos termos do contrato de repasse 0235565-94, em convênio firmado com o Governo Federal através do Ministério do Turismo, representado pela Caixa Econômica Federal conforme memorial descritivo, projeto, planilhas de orçamento e cronograma físico-financeiro, constantes de sua proposta. II) REPROGRAMAÇÃO: Considerando a reprogramação das planilhas de orçamentos, projeto básico memorial descritivo e cronograma físicofinanceiro, entre o município de Pereira Barreto e a Caixa Econômica Federal, fica adequado o valor do contrato administrativo 4.589/2011 para o valor de R$ 236.949,10 (duzentos e trinta e seis mil, novecentos e quarenta e nove reais e dez centavos), conforme o termo de reprogramação, que equivale ao percentual de 0,40229 % por cento. III) DISPOSIÇÕES FINAIS: As demais cláusulas permanecem inalteradas. Pereira Barreto, 31 de abril de 2012. Arnaldo Shigueyuki Enomoto - Prefeito.

Bradesco Seguros S.A. CNPJ no 33.055.146/0001-93 - NIRE 35.300.329.091 Grupo Bradesco de Seguros e Previdência Ata da 131a Assembleia Geral Extraordinária realizada em 23.9.2011 Data, Hora e Local: Aos 23 dias do mês de setembro de 2011, às 17h, na sede social, Avenida Paulista, 1.415, parte, Bela Vista, São Paulo, SP. Quorum: Compareceram, identificaram-se e assinaram o Livro de Presença os representantes da Bradseg Participações Ltda., única acionista da Sociedade. Mesa: Presidente: Marco Antonio Rossi; Secretário: Ivan Luiz Gontijo Júnior. Convocação: Dispensada a convocação por Edital, de conformidade com o disposto no Parágrafo Quarto do Artigo 124 da Lei n o 6.404, de 1976. Ordem do Dia: Eleger novo membro para compor a Diretoria da Sociedade. Deliberação: Eleito Diretor, com mandato coincidente com o dos demais membros da Diretoria, até 30.3.2012, o senhor Mauro Silverio Figueiredo, brasileiro, separado judicialmente, médico, RG 11.621.057-6/SSP-SP, CPF 045.083.978-83, com domicílio na Rua Barão de Itapagipe, 225, parte, Rio Comprido, Rio de Janeiro, RJ, CEP 20261-901, cujo nome será levado à aprovação da Superintendência de Seguros Privados - SUSEP, após o que tomará posse de seu cargo, sendo que permanecerá em suas funções até que a Diretoria a ser eleita no ano de 2012 receba a homologação da Superintendência de Seguros Privados - SUSEP e seja a Ata arquivada na Junta Comercial e publicada. O Diretor eleito preenche as condições previstas na Resolução CNSP no 136, de 7.11.2005, da Superintendência de Seguros Privados - SUSEP, e declarou, sob as penas da lei, que não está impedido de exercer a administração de sociedade mercantil em virtude de condenação criminal. Em consequência, a Diretoria da Sociedade fica assim composta: Diretor-Presidente - Marco Antonio Rossi; Diretores Gerentes - Aurélio Conrado Boni, Marcio Serôa de Araujo Coriolano, Ricardo Saad Affonso, Norton Glabes Labes, Ivan Luiz Gontijo Júnior e Marcos Suryan Neto; Diretores – Enrique Adan Y Coello, Haydewaldo Roberto Chamberlain da Costa, Tarcísio José Massote de Godoy, Alexandre Nogueira da Silva e Mauro Silverio Figueiredo. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente esclareceu que a matéria ora aprovada somente entrará em vigor e se tornará efetiva depois de homologada pela Superintendência de Seguros Privados - SUSEP e de estarem atendidas todas as exigências legais de arquivamento na Junta Comercial e publicação. Em seguida, encerrou os trabalhos, lavrando-se a presente Ata, que lida e achada conforme, foi aprovada por todos os presentes, que a subscrevem. Assinaturas: Presidente: Marco Antonio Rossi; Secretário: Ivan Luiz Gontijo Júnior; Acionista: Bradseg Participações Ltda., por seus Diretores, senhores Ivan Luiz Gontijo Júnior e Haydewaldo Roberto Chamberlain da Costa. Declaração: Declaramos para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata original lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. Bradesco Seguros S.A. aa) Marcos Suryan Neto e Tarcísio José Massote de Godoy. Certidão – Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob no 196.587/12-8, em 11.5.2012. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE BISCOITO WAFER COM RECHEIO SABOR MORANGO (EM EMBALAGEM INDIVIDUAL). EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 035/2012. PROCESSO n° 2347/0000/2012. OFERTA DE COMPRA N° 08035800001201200038. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br pg ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 22/05/2012. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 04/06/2012 – 10:00 horas. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE NÉCTAR DE MAÇÃ. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 036/2012. PROCESSO n° 2356/0000/2012. OFERTA DE COMPRA N° 080358000012012OC00039. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 22/05/ 2012. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 04/06/2012 – 10:00 horas. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE MOLHO DE TOMATE ITALIANO. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 037/2012. PROCESSO n° 2367/0000/2012. OFERTA DE COMPRA N° 080358000012012OC00040. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 22/05/ 2012. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 04/06/2012 – 10:00 horas. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE MOLHO DE TOMATE AO SUGO. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 038/2012. PROCESSO n° 2368/0000/2012. OFERTA DE COMPRA N° 080358000012012OC00041. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 22/05/ 2012. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 04/06/2012 – 10:00 horas. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE BISCOITO DOCE SABOR COCO. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 039/2012. PROCESSO n° 2374/0000/ 2012. OFERTA DE COMPRA N° 080358000012012OC00042. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 22/ 05/2012. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 04/06/2012 – 10:00 horas. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE BEBIDA LÁCTEA U.A.T OU U.H.T COM FRUTAS. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 040/2012. PROCESSO n° 2375/0000/2012 OFERTA DE COMPRA N° 080358000012012OC00043. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 22/05/ 2012. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 04/06/2012 – 10:00 horas. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE BEBIDA LÁCTEA U.A.T OU U.H.T COM CHOCOLATE. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 041/2012. PROCESSO n° 2376/0000/2012. OFERTA DE COMPRA N° 080358000012012OC00044. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 22/05/2012. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 04/06/2012 – 10:00 horas. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE NÉCTAR DE PÊSSEGO. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 042/2012. PROCESSO n° 2359/0000/ 2012. OFERTA DE COMPRA N° 080358000012012OC00045. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 22/05/2012. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 04/06/ 2012 – 10:00 horas. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE BARRA DE CEREAIS COM BANANA. EDITAL DE PREGÃO ELETRÔNICO n° 043/2012. PROCESSO n° 2362/0000/ 2012. OFERTA DE COMPRA N° 080358000012012OC00046. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 22/05/2012. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 04/06/2012 – 10:00 horas. INFORMAÇÕES: fones: (11) 3218-3485 (11) 3218-3493, de 2ª a 6ª feira, no horário das 8h às 17h. ENDEREÇO ELETRÔNICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO DEPARTAMENTO DE SUPRIMENTO ESCOLAR TUTELAR EMPREENDIMENTOS S/A CNPJ nº 55.389.399/0001-36 – NIRE 35.300.376.536 Ata da Assembléia Geral Ordinária realizada em 28/02/2012 1. DATA e LOCAL: Aos 28 dias do mês de fevereiro de 2012, às 10, 00 hs., na sede social localizada à Rua Rodrigo Vieira, 107, Vila Mariana, na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 04115060. 2. PRESENÇA: Compareceram, identificaram-se e assinaram o Livro de Presença os acionistas da Sociedade representando a totalidade do capital social. 3. CONVOCAÇÃO: Dispensada a publicação do Edital de Convocação, de conformidade com os par. 4º do artigo 124 e par. 4º do art. 133, ambos da Lei 6.404/76. 4. CONSTITUIÇÃO DA MESA: Presidente: José Pereira Fernandes; Secretário: João Fernandes d’Almeida. 5. ORDEM DO DIA: a) Tomar as contas dos Administradores, examinar e votar o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e as Notas Explicativas relativos ao exercício social findo em 31/12/2011; e, b) Deliberar sobre a proposta da Diretoria para a destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31/12/2011. DELIBERAÇÕES: a) aprovadas por todos os acionistas, sem reservas ou restrições as contas dos Administradores, o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e as Notas Explicativas relativos ao exercício social findo em 31/12/2011, os quais foram publicados em 15/02/2012 nos jornais: Diário Oficial do Estado de São Paulo, página 122, e Diário do Comércio, página 15; b) aprovada a Proposta da Diretoria, registrada na reunião daquele órgão, de 13/02/2012, para a destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31/12/2011, matéria esta previamente apreciada e aprovada pelo Conselho de Administração na reunião de 14/02/2012, conforme segue: “Tendo em vista que a Sociedade obteve no exercício social encerrado em 31/12/2011 lucro líquido no valor de R$ 14.871.354,41, propomos que seja destinado da seguinte forma: R$ 743.568,00 para a conta Reserva Legal; R$ 1.127.786,41 para a conta Reserva de Lucros a Distribuir; e, R$ 13.000.000,00 para pagamento de Dividendos, dos quais R$ 9.600.000,00 já foram pagos antecipadamente, respectivamente em 13/04/2010 no valor de R$ 3.200.000,00; 12/07/2010 no valor de R$ 3.200.000,00; 13/10/2010 no valor de R$ 3.200.000,00; e o saldo, no valor de R$ 3.400.000,00, foi pago em 11/ 01/2011”. ENCERRAMENTO: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente declarou o encerramento dos trabalhos pelo tempo necessário à lavratura da presente em livro próprio, a qual, reaberta a sessão, foi lida, achada conforme, aprovada e assinada por todos os presentes. ATA E PUBLICAÇÃO: a presente deverá ser publicada de forma resumida, nos termos do art. 130 da Lei 6.404/76. DECLARAÇÃO: Declaramos que a presente é cópia fiel da Ata lavrada em livro próprio. JUCESP nº 156.791/12-2. Gisela Simiema Ceschin – Secretária Geral.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEREIRA BARRETO/SP Tomada de Preços nº 005/2012 - Processo nº 2291/2012. Julgamento de Documentações e Habilitação A Prefeitura de Pereira Barreto, leva ao conhecimento de quem possa interessar, em especial às licitantes participantes do certame supra citado, que em decisão exarada na ata de sessão, realizada às 09h00min do dia 18/05/2012, a CPL decidiu por habilitar as empresas WILSON DOS ANJOS BERTIPAGLIA & CIA LTDA. – EPP, ENGERB CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES LTDA. e JACARANDÁ CONSTRUÇÃO CIVIL LTDA., ficando desde já designado o dia 30 de maio de 2012, às 14h00min, como a data para abertura dos envelopes de proposta, caso não haja manifestação de recurso contra a decisão da habilitação. Pereira Barreto, 18 de maio de 2012. ARNALDO SHIGUEYUKI ENOMOTO - Prefeito Municipal NS Water International Holding S.A.

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARAQUARA SECRETARIA M. DE SAÚDE DE ARARAQUARA – LICITAÇÃO – AVISO DE LICITAÇÃO Fica alterada a data de abertura abaixo, na Secretaria Municipal de Saúde da Prefeitura do Município de Araraquara, Av. Barroso, nºs 238, 244 - Centro - Araraquara/SP - Fone/Fax nº 3301 1704, do Edital de PREGÃO ELETRÔNICO nº 043/2012, que visa o “registro dos preços de vagas em clínica especializada em tratamento de dependentes químicos, em regime de contenção (internação compulsória e voluntária) para adolescentes e adultos de ambos os sexos, usuários da rede pública de saúde do Município de Araraquara”. A informação dos dados para acesso deve ser feita no site www.licitacoes-e.com.br ou pelo e-mail: licitacaosaude@araraquara.sp.gov.br. ABERTURA DAS PROPOSTAS: às 08:30 h do dia 21 de maio de 2012 para 31/05/2012. INÍCIO DA SESSÃO DE DISPUTA DE PREÇOS: às 09:30 h do dia 21 de maio de 2012 para 31/05/2012. Araraquara, 18 de maio de 2012. WAGNER DOS SANTOS TEDESCO - Gerente de Compras e Licitações - Secretária Municipal de Saúde. EXTRAVIO A empresa Presbitério de São Paulo da Igreja Presbiteriana Renovada do Brasil, CNPJ 54.003.363/ 0001/00, CCM 9.173.610-2, com sede na Rua São João Clímaco, 430 – São João Climaco – São Paulo – SP, comunica o extravio do livros contábeis Diário Geral e Razão Analítico de números 5, 6, 7, 11, 12, 13.

CNPJ/MF nº 11.874.175/0001-44 – NIRE nº 35.300.395.271 Assembleia Geral Extraordinária Edital de Convocação Convoco os Srs. Acionistas a se reunirem em AGE, realizada dia 29/05/12, às 14h00, na sede, localizada em SP/SP, na R. Gomes de Carvalho, nº 1.507, 14º, s/ 141, V. Olímpia. Ordem do Dia: 1. Ratificação do aumento do endividamento da Cia., mediante execução de mútuo entre partes relacionadas, conforme contrato firmado em 17/02/12, cuja finalidade foi garantir e financiar as operações e atividades sociais da Companhia; e 2. Deliberação sobre (i) a realização da segunda oferta privada de 1.063.277 Debêntures Conversíveis em Ações, em Série Única, com Garantia Real (“Debêntures” e “Oferta Privada”), no valor total de R$ 1.063.277,00; e (ii) autorizar a Diretoria da Companhia a praticar todos os atos necessários para a formalização da deliberação referida no item (i) anterior. Informamos aos Srs. Acionistas que todos os documentos relacionados à Ordem do Dia já se encontram disponíveis para consulta, na sede social da Companhia. Solicitamos que os eventuais representantes legais dos acionistas apresentem, na ocasião, procuração com poderes para comparecer e votar todas as matérias da Ordem do Dia. São Paulo, 17 de maio de 2012. José Carlos Semenzato - Diretor Comercial e Administrativo 17,18,19/05/2012

AvnetTechnology Solutions Brasil S.A. CNPJ 06.135.938/0001-03 - NIRE 35.300.314.131 Edital de Convocação de Assembleia Geral Extraordinária São convidados os acionistas da Avnet Technology Solutions Brasil S.A. (“Companhia”) a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária, que ocorrerá em 25 de maio de 2012, às 10:00 horas, na sede social da Companhia, na Rua Dr. Rafael de Barros, 209, 12º andar, Paraíso, CEP 04003-041, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, a fim de deliberar acerca dos seguintes assuntos: (i) a alteração do Artigo 2º do Estatuto Social da Companhia, relacionado ao objeto social da Companhia, para formalizar a inclusão das atividades de montagem e customização de equipamentos de informática, telecomunicações e eletro-eletrônicos, por conta própria ou por conta e ordem de terceiros, as quais serão desenvolvidas unicamente pela filial da Cidade de Jundiaí; (ii) a alteração do Artigo 4º do Estatuto Social da Companhia, relacionado às disposições da administração da Companhia, para alterar as restrições nos poderes de assinatura dos Diretores; e (iii) a consolidação do Estatuto Social da Companhia. São Paulo, 17 de maio de 2012. Carlos Negri Ferreira Diretor Presidente.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

e

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

Alguns advogados consideram que a exigência de garantias de pagamento é uma prática comercial e o consumidor tem liberdade de aceitar ou não.

conomia

A regra aprovada pelo Senado só vale para atendimento de emergências médicas

Nova lei criminaliza quem exige cheque caução

O

s senadores aprovaram na semana passada projeto de lei que torna crime a exigência de cheque caução no atendimento de emergências médicas. As penas para quem não cumprir as determinações, se a lei for sancionada pela Presidência da República, vão de seis meses a um ano de prisão e poderão ser aplicadas inclusive para as situações em que o atendimento não é imediato por questões burocráticas. Caso o não atendimento resulte em lesão grave ao paciente, a pena pode ser dobrada, ou triplicada se ocorrer morte. A proposta da nova lei foi encaminhada pelo Poder Executivo ao Senado e está sendo chamada de Lei Duvanier porque foi desenvolvida após a morte por infarto do secretário executivo do Ministério do Planejamento, Duvanier Costa, que teve negado atendimento em um hospital particular de Brasília por não ter em seu poder cheque para deixar em caução. Desvantagem – A criminalização por exigir cheque caução, conforme a proposta de lei aprovada no Senado, só será aplicada nas situações de atendi-

mento de urgências médicas. No entanto, as entidades de defesa do consumidor, com base no artigo 39 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), consideram prática abusiva a exigência de garantias que exponham o consumidor a uma desvantagem exagerada e causem desequilíbrio na relação contratual.

Mas o advogado Luiz Carlos Monteiro, que trata do tema relações de consumo no escritório Siqueira Castro-Advogados, não concorda com o entendimento dos órgãos públicos e dos advogados que defendem o consumidor. De acordo com ele, exigir garantias de pagamento é uma prática comercial e o

consumidor tem liberdade de aceitar ou não. "O próprio CDC não faz impedimento de garantias, ou seja, não implica ilícito exigir cheque caução", acrescenta Monteiro. O a d v o g a d o r e ssalta que se fala muito em cheque caução e que essa palavra está estigmatizada. "No entanto, locadoras de veículos também exigem essa garantia e ninguém questiona. Assim como ninguém discute a exigência de fiador em locações, nota promissória etc. Tudo isso também onera o consumidor." A pessoa que não concordar em oferecer esses tipos de garantias na contratação de algum serviço pode acionar o Procon que, provavelmente, irá interpelar a empresa. Portanto, alguns advogados que cuidam de contenciosos quando o assunto é relação de consumo recomendam: quem vende deve tomar cuidado na hora de exigir garantias de pagamento do consumidor e, assim, evitar problemas futuros.

DATA DE VALIDADE

O Procon-SP e a Secretaria da Fazenda de São Paulo devem encaminhar até meados de junho 4.333 autos de infração ante 2.690 empresas, resultado da análise de mais de 50 mil denúncias de consumidores. As reclamações foram checadas com a emissão da Nota Fiscal Paulista. Quem não enviou ou atrasou na informação para o sistema que controla as notas foi autuado. Alguns estabelecimentos irão receber mais de um auto. Quem caiu na malha fina estadual está sendo notificado por carta registrada ou edital publicado no Diário Oficial do Estado, mas as informações também estão disponíveis no site www.nfp.fazenda.sp.gov.br. Os infratores têm 30 dias de prazo, a partir do recebimento da citação, para efetuar o pagamento e garantir redução no pagamento da multa (no valor de 100 Ufesp, equivalente a R$ 1.844, por cada documento fiscal não registrado ou registrado em atraso) ou então apresentar defesa.

Informar ao consumidor sobre a data de validade do produto adquirido no momento em que ele passa pelo caixa é a proposta de um novo código de barra desenvolvido pela Toledo do Brasil. O sistema ainda garantirá o rastreamento do item comprado pelo consumidor e a comunicação à direção do estabelecimento sobre a aproximação do vencimento da data de validade, que poderá atuar na troca evitando prejuízos aos clientes.

SACOLAS O consumidor brasileiro reduziu o consumo de sacolas plásticas, conforme pesquisa da Fecomercio-RJ/Ipsos. Foram entrevistadas 1 mil pessoas de 70 cidades: 17% informaram que preferem a sacola ecológica. Em 2010, o primeiro ano em que o tema foi levantado na pesquisa, 5% dos entrevistados responderam que sempre usavam sacolas ecológicas. O percentual dos que nunca usam sacolas ecológicas caiu de 84% em 2010 para 60% em 2012. A pesquisa apurou ainda que 49% dos entrevistados separam o lixo para reciclagem. O percentual era de 40% em 2007, primeiro ano da pesquisa.

RECLAMAÇÕES A r e d u ç ã o d a s r e c l a m ações dos consumidores não vem se concretizando conforme compromisso assumido por algumas empresas. Segundo Paulo Arthur Góes, diretor executivo do ProconSP, as reclamações contra as operadoras de telefonia no primeiro trimestre em 2012

aumentaram, levando o setor novamente ao topo das mais reclamadas. O grupo NET se comprometeu a reduzir 3% neste ano o número de reclamações; a Oi, 2%; a TIM 1%, e a Vivo, 3,09% para o celular e 0,39% para telefonia fixa e TV paga. A Claro não apresentou proposta.

CARTÃO A Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito (Abecs) divulgou resultado de levantamento realizado em 11 capitais, mostrando que a posse de cartão de débito ou crédito vem crescendo de forma expressiva entre os consumidores jovens e tam-

bém os da terceira idade. Cerca de 70% dos jovens afirmaram possuir algum meio de pagamento eletrônico. Em 2009, esse percentual era 65%. Entre os que têm mais de 60 anos, a posse do cartão passou de 52% (2009) para 68% (2011).

BULA A Comissão de Seguridade Social e Família, da Câmara dos Deputados, aprovou, na semana passada, proposta que obriga as farmácias de manipulação a incluírem bula em seus medicamentos. O folheto deverá conter dados

como contra-indicações ao uso do remédio, possíveis interações medicamentosas e posologia para cada caso. A medida está prevista no Projeto de Lei 856/07, do deputado Neilton Mulim (PR-RJ).

A proposta foi aprovada na forma de um substitutivo do relator, o deputado Mandetta (DEM-MS). Ela tramita em caráter conclusivo e será analisada também pela Comissão de Constituição e Justiça e Cidadania.

Angela Crespo é jornalista especializada em consumo. E-mail: doislados@dcomercio.com.br

O

s fornecedores que recusam cheque de conta corrente nova, que estipulam valores (máximos ou mínimos) ou só aceitam cheque especial também cometem falta grave. Conforme o Procon-SP, respaldado pelo inciso III do artigo 4º do Código de Defesa do Consumidor (CDC), a negativa da conta recém aberta é "ato discriminatório e fere o princípio da igualdade e da boa-fé". Acrescenta o órgão público de defesa do consumidor que "o tempo de abertura de uma conta não comprova o poder de compra nem as condições econômicas do

consumidor". É considerada prática abusiva estipular valores máximo ou mínimo, assim como aceitar somente cheque especial (artigo 39). Além do mais, nenhuma empresa é obrigada a receber por meio de cheque. A aceitação desse meio de pagamento é uma opção da companhia. Pelo inciso IX do artigo 39 do CDC, nenhum estabelecimento pode "recusar a venda de bens ou a prestação de serviços a quem se disponha a adquiri-los mediante pronto pagamento". Por "pronto pagamento" entenda-se moeda corrente.

Tipos de cheques Conheça alguns cheques que circulam no Brasil: Cheque ao portador: é aquele sem a indicação do beneficiário. Só pode ser emitido com valor até R$ 100. Cheque nominal: é obrigatório indicar o beneficiário se o cheque tiver valor acima de R$ 100. A instituição financeira exige, para o pagamento do cheque nominal, a identificação do beneficiário ou de quem está indicado no verso. Cheque pré-datado: é emitido para pagamento futuro, cuja data é previamente acertada entre quem o emitiu e seu fornecedor. Como não é oficial, ele pode ser apresentado a qualquer momento mas, com a vigência do CDC, o combinado deve ser cumprido, uma vez que o acerto entre fornecedor e

cliente sobre a data determinada para ser sacado configura um contrato, conforme o artigo 30. Se descontado antecipadamente, o consumidor, com base no artigo 35, pode exigir a restituição da quantia assim como indenização por perdas e danos. Cheque cruzado: seu pagamento só é feito por meio de depósito em conta-corrente. Pode ser ao portador ou nominal. O símbolo do cruzamento são dois traços paralelos, em diagonal, na frente do documento. Cheque administrativo: é aquele emitido pelo banco em nome de quem efetuará o saque. Cheque sem fundo: aquele que não é compensado por falta de saldo na conta-corrente do emitente. Fonte: Banco Central do Brasil

Rede varejista terá que trocar máquina fotográfica

Fique por dentro AUTUAÇÕES

Princípio da igualdade e da boa-fé deve ser respeitado

U

ma rede de lojas de departamentos deverá trocar uma máquina fotográfica entregue ao consumidor com defeito ou, então, no prazo de dez dias, devolver o valor pago na compra. A sentença é do 7º Juizado Especial Cível de Brasília, mas ainda cabe recurso. A decisão foi tomada à revelia, uma vez que a rede de loja não enviou representante no julgamento, mesmo intimada. Com o não comparecimento da ré, a juíza entendeu que o caso teria de ser decidido à luz do Código de Defesa do Consumidor (CDC), já

que se trata de relação de consumo, em que se discute a existência de defeito na câmera fotográfica adquirida pelo autor, mais notadamente falhas nas fotos tiradas com o equipamento. O CDC estabelece que fornecedores de produtos de consumo duráveis ou não duráveis respondem solidariamente pelos vícios de qualidade ou quantidade que os tornem impróprios ou inadequados ao consumo

(CDC, art. 14). Assim, a magistrada assegurou que a responsabilidade é objetiva, ou seja, não depende da demonstração de culpa por parte da ré. A culpa, neste caso, decorre unicamente do defeito no produto, competindo ao consumidor demonstrar o dano e o nexo causal, que, no caso, ficaram provados pela documentação juntada. Fonte: Tribunal de Justiça do Distrito Federal (TJDF)

O QUE DIZ O CDC Artigo 4º A Política Nacional das Relações de Consumo tem por objetivo o atendimento das necessidades dos consumidores, o respeito à sua dignidade, saúde e segurança, a proteção de seus interesses econômicos, a melhoria da sua qualidade de vida, bem como a transparência e harmonia das relações de consumo, atendidos os seguintes princípios: (Redação dada pela Lei nº 9.008, de 21.3.1995) III – harmonização dos interesses dos participantes das relações de consumo e compatibilização da proteção do consumidor

com a necessidade de desenvolvimento econômico e tecnológico, de modo a viabilizar os princípios nos quais se funda a ordem econômica (art. 170, da Constituição Federal), sempre com base na boa-fé e equilíbrio nas relações entre consumidores e fornecedores; Artigo 39 É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas: I - condicionar o fornecimento de produto ou de serviço ao fornecimento de outro produto ou serviço, bem como, sem justa causa, a limites quantitativos;

II - recusar atendimento às demandas dos consumidores, na exata medida de suas disponibilidades de estoque, e, ainda, de conformidade com os usos e costumes; V - exigir do consumidor vantagem manifestamente excessiva; IX - recusar a venda de bens ou a prestação de serviços, diretamente a quem se disponha a adquiri-los mediante pronto pagamento, ressalvados os casos de intermediação regulados em leis especiais; (Redação dada pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994).


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

e

23 LIBERTADORES Corinthians e Santos jogam para ir às semifinais. Pág. 24

sporte

DECEPÇÃO GERAL

saldo dos times paulistas na rodada de estreia do Campeonato Brasileiro foi decepcionante: nenhuma vitória, três derrotas e três empates, sendo que um deles, entre Palmeiras e Portuguesa, foi conquistado com dois paulistas jogando entre si. Somando-se as Séries A e B, apenas o Bragantino venceu (leia mais sobre os resultados da Série B na página 24). Está certo que, mais preocupadas com os jogos decisivos dos mata-matas pela Libertadores, no meio desta semana, algumas equipes entraram em campo com os reservas. Casos do Corinthians, derrotado pelo Fluminense — que também jogou com seus reservas —, por 1 a 0, no Pacaembu, e do Santos, que foi a Salvador e não saiu do 0 a 0 com o Bahia. Esse argumento, porém, não serve para justificar a goleada do Botafogo por 4 a 2, no Rio, sobre o São Paulo, que optou por utilizar todos os seus titulares, mesmo tendo de enfrentar o Goiás, em Goiânia, pelas quartas de final da Copa do Brasil, na quarta-feira. Nem o empate do Palmeiras diante da Portuguesa por 1 a 1, no sábado, com um gol sofrido a quatro minutos do final da partida, já que o Alviverde também estava inteiro. Para completar a má jornada paulista na rodada de estreia do Brasileiro, a Ponte Preta, de volta à primeira divisão, também foi derrotada, em Campinas, pelo Atlético Mineiro: 1 a 0,gol do argentino Escudero, marcado no último minuto. “O resultado não foi o que a gente esperava”, confessava o corintiano Liedson na saída do Pacaembu, um dos poucos jogadores renomados que enfrentaram o Fluminense na derrota por 1 a 0, mais para ganhar ritmo de jogo.“Pelo que as duas equipes produziram, na pior das hipóteses o empate seria o resultado mais justo. A derrota foi um pouco pesada para a gente. Temos de ter paciência, sabia que seria fundamental estrear com vitória, porém futebol é isso, momento. Eles tiveram a chance e aproveitaram.” A chance que deu a vitória ao Fluminense em um jogo que, apesar de recheado de reservas dos dois lados, contou com o bom público de 16.683 pagantes apareceu aos 26 minutos do segundo tempo. O zagueiro Leandro Euzébio escorou, de cabeça, a cobrança de um escanteio, quebrando a invencibilidade do goleiro Cássio, que ainda não havia sofrido gols em suas primeiras quatro partidas pelo time. No Engenhão, no Rio, o São Paulo terminou o primeiro tempo derrotando o Botafogo por 1 a 0, gol de Jadson. No segundo, sofreu o empate, gol do argentino Herrera. A equipe paulista voltou a estar na frente, com Luis Fabiano, mas acabou goleada por 4 a 2. Herrera, que havia entrado no lugar do uruguaio Loco Abreu, marcou mais duas vezes. Vítor Júnior fez o último gol botafoguense. “Esse resultado é muito difícil de digerir, principalmente quando você tem absoluta certeza de que o seu adversário é inferior”, bradava no vestiário o técnico sãopaulino, Emerson Leão. “No dia que o Botafogo homenageou o Nílton Santos, nós homenageamos o Botafogo”, ironizou, referindo-se principalmente ao lateral-esquerdo Márcio Azevedo, que jogou com a camisa número 87 em referência à idade do aniversariante da semana. Leão só não concordou com a opinião do meia Lucas, que disse na saída do campo que o São Paulo se acomodou com a vitória parcial do primeiro tempo. “Poderia usar tais palavras como desculpa. Mas não foi assim. Poderíamos ter feito dois ou três gols no primeiro tempo”, argumentou o treinador. Ele estava mais propenso a concordar com o atacante Luis Fabiano, que pediu uma equipe mais “cascuda” quando estiver à frente do marcador. “Cascudo é simplificar o jogo, não querer inventar. No quarto gol, um volante técnico (Maicon) tentou sair driblando e perdeu a bola”, criticou Leão, que evitou depositar a culpa na defesa pelos quatro gols sofridos. O técnico destacou também que dois deles se originaram em bolas paradas e elogiou o atacante botafoguense Herrera no primeiro gol, isentando os zagueiros Paulo Miranda e Rhodolfo. Fechando a rodada, um Santos formado totalmente por reservas empatou por 0 a 0 com o Bahia em um gramado castigado pela chuva. O técnico Muricy Ramalho aproveitou a partida para promover a estreia de cinco jogadores recém-contratados: o lateral Galhardo, o zagueiro David Braz (que acabou se machucando com apenas 35 minutos de jogo e ficará fora nas próximas semanas), os volantes Ewerton Páscoa e Gerson Magrão e o meia Bernardo. De todos os que jogaram, o mais conhecido era o centroavante Borges. Depois de ser o artilheiro do Campeonato Brasileiro em 2011, a competição deste ano começa de forma bem diferente para ele. As sucessivas atuações ruins no Paulista fizeram com que perdesse a titularidade para Alan Kardec. No domingo, teve as duas melhores chances para abrir o placar, mas acabou desperdiçando ambas. “Foi bom resultado para o Bahia”, analisou ao final da partida. “Se alguém tem que sair de campo satisfeito são eles.” Como saíram todos os outros adversários que enfrentaram equipes paulistas nesta primeira rodada.

Léo Pinheiro/AE

almanaque Celso Unzelte

Primeira rodada do Brasileiro de 2012 repete três jogos de 1971

P

almeiras e Portuguesa no Pacaembu, Sport e Flamengo no Recife, Bahia e Santos em Salvador. O Campeonato Brasileiro de 2012 começou com três confrontos exatamente iguais aos da primeira rodada do primeiro Campeonato Brasileiro a receber este nome (antes, eram disputados a Taça Brasil e o Robertão), o de 1971, há 41 anos. Jogando também em um sábado, no Pacaembu, o Palmeiras derrotou a Portuguesa por 1 a 0, gol do centroavante César. Na foto abaixo, porém, quem aparece é o camisa 16 Paulo Borges, que estava emprestado pelo Corinthians e entrou no decorrer daquela partida. Na Ilha do Retiro, no Recife, o Sport ganhou do Flamengo por 1 a 0, também com um gol de um jogador chamado César. E na Fonte Nova, em Salvador (que está sendo reconstruída para a Copa de 2014), o Santos, mesmo contando ainda com Pelé, não foi além de um empate com o Bahia por 0 a 0. Demais resultados daquela primeira rodada do primeiro Campeonato Brasileiro,toda ela disputada naquele sábado, 7 de agosto de 1971: Internacional 0 x 0 Fluminense, Ceará 0 x 0 Vasco, Coritiba 0 x 2 Cruzeiro, Atlético-MG 1 x 1 América-MG, Botafogo-RJ 0 x 0 América-RJ, São Paulo 0 x 3 Grêmio e Santa Cruz 1 x 4 Corinthians,

Recheado de reservas, o Corinthians de Elton parou no Fluminense de Leandro Euzébio: 1 a 0 no Pacaembu Wallace Teixeira/AE

No Rio, Herrera marcou três vezes na goleada do Botafogo por 4 a 2 sobre o São Paulo de Cícero Felipe Oliveira/AE

Reprodução/Arquivo Celso Unzelte

O

SELEÇÃO Amistosos definem time olímpico e o futuro de Mano. Pág. 25

Todas as lutas do Nacional.” Chamada de capa da revista Placar de 13 de agosto de 1971, referindo-se à primeira rodada do primeiro Brasileiro.

37.972 gols foram marcados nos 15.252 jogos disputados nos últimos 41 anos de Campeonatos Brasileiros, entre 1971e 2011. A média é de 2,48 gols por partida. O Santos também jogou com reservas, como Felipe Anderson. E ficou no 0 a 0 com o Bahia de Gabriel

CURTAS

 Há 108 anos, em 21 de maio de 1904,

era fundada em Paris a Fifa (Fédération Internationale de Footbal Association). Atualmente com sede em Zurique, na Suíça, a entidade rege o futebol no mundo. Conta, atualmente, com mais países ou territórios filiados que a própria ONU (Organização das Nações Unidas): 208 contra 193.  Na quarta, 23 de maio, completa 80

anos o volante Dino Sani, campeão mundial pelo Brasil em 1958 e ídolo de São Paulo, Boca Juniors-ARG, MilanITA e Corinthians. Na quarta passada, 16 de maio, Nílton Santos, ex-lateral esquerdo do Botafogo, bicampeão do mundo em 1958 e 1962, fez 87 anos.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

24

e

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

"Temos de pensar positivo para essa decisão pela Copa do Brasil.” Cicinho, do Palmeiras

sporte

COPA DO BRASIL

COPA LIBERTADORES

PELA PELA VANTAGEM VITÓRIA Daniel Augusto Jr./AE

JF Diorio/AE

Palmeiras de Maikon Leite recebe Atlético-PR podendo até empatar

Emerson é uma das armas do Corinthians, que após o 0 a 0 no Rio precisa fazer gols no Vasco no Pacaembu

Wallace Teixeira/AE

São Paulo de Leão pode até perder para o Goiás por um gol de diferença que enfrentará o Goiás. Duas são obrigatórias: o zagueiro Paulo Miranda e o volante Denilson cumprem suspensão. “O Casemiro não é um super-

volante marcador, gosta de ir à frente, mas vai atuar no lugar do Denilson. Na zaga existe a chance de uma mudança tática”, adiantou o treinador.

Ricado Saibun/AE

P

almeiras e São Paulo entrarão em campo na quarta-feira, pela Copa do Brasil, com boa vantagem sobre seus adversários na luta por uma vaga nas semifinais. Após o empate da semana passada por 2 a 2, em Curitiba, o Alviverde recebe o Atlético-PR, na Arena Barueri, às 19h30, podendo até empatar por 0 a 0 ou 1 a 1 para se classificar. Já o Tricolor, depois dos 2 a 0 no jogo de ida, no Morumbi, também disputado na semana passada, pode até perder por um gol de diferença para o Goiás, em Goiânia, também na quarta, às 22 horas. Logo depois do empate de sábado por 1 a 1, com a Portuguesa, na estreia no Brasileiro, os jogadores do Palmeiras já falavam em mudar o foco. “Vamos pensar na Copa do Brasil”, afirmou o atacante Maikon Leite. “É outra competição. A gente tem que continuar pensando positivo. O próximo jogo é decisão”, reforçou Cicinho. Para o jogo de quarta, Barcos está suspenso e Luiz Felipe Scolari vai ter que encontrar um substituto. Logo após a derrota de domingo por 4 a 2 para o Botafogo, no Rio, na estreia no Brasileiro, o técnico são-paulino Emerson Leão antecipou que deve fazer mudanças no time

Derrotado pelo Vélez por 1 a 0 na Argentina, Santos de Ganso e Neymar terá de reverter o resultado na Vila

S

Paulistas também começam mal

T

PELO BRASIL

 No próximo domingo,

27 de maio, começam

rês derrotas, um empate e os Brasileiros das Séries C uma única vitória. Assim como na Série A, os times e D, equivalentes à paulistas também não começa- terceira e à quarta divisões ram bem na Série B. A vitória solitária foi do Bragan- nacionais. A Série C com tino, que na sexta-feira, mesmo jovinte equipes divididas gando fora de casa, em Maceió, conseguiu fazer 2 a 0 no CRB-AL. O em dois grupos de dez. empate foi do Guarani, que no sábado, em Curitiba, segurou o 1 a 1 A D, com oito grupos de com o Paraná. Também jogando cinco, totalizando no sábado, Barueri, Guaratinguetá e São Caetano foram derrota- quarenta participantes. dos. O Barueri perdeu em casa, para o Vitória-BA (1 a 0). O Guará foi a Santa Catarina e acabou go-  No sábado, o Ceilândia leado pelo Criciúma: 4 a 1. Por fim, mesmo jogando no ABC paulista, o perdeu do Luziânia (1 a 0), São Caetano perdeu para o ASA- mas mesmo assim ficou AL: 1 a 0. Demais resultados: na sexta, Ceará 1 x 2 América-MG e com o bicampeonato do Ipatinga 1 x 1 ABC. No sábado, Distrito Federal. No América-RN 5 x 2 Goiás, Boa 2 x 2 Avaí e Joinville 1 x 4 Atlético-PR. A domingo, o Itabaiana segunda rodada começa amanhã, com Avaí x São Caetano. Na sexta, também perdeu (1 a 0 o Guarani recebe o Boa. No sábapara o Confiança), mas foi do, jogam Guará x Ceará, Bragantino x Criciúma e ASA x Barueri. campeão em Sergipe.

ó a vitória interessa aos times brasileiros que no meio desta semana disputam três vagas nas semifinais da Copa Libertadores da América. Na quarta-feira, às 19h30, o Fluminense recebe no Rio o Boca Juniors, precisando reverter a derrota por 1 a 0 na Argentina. Às 22 horas, no Pacaembu, Corinthians e Vasco fazem o duelo brasileiro. No jogo de ida, em São Januário, no Rio, houve empate por 0 a 0, e por isso uma nova igualdade, desde que com gols, classificará o time carioca. Na quinta, às 20 horas, na Vila Belmiro, será a vez do Santos tentar reverter sua situação diante do Vélez Sarsfield, após a derrota da semana passada, por 1 a 0 em Bue-

nos Aires. Às 22h30, em Santiago, acontece a definição do único encontro que não envolve equipes brasileiras, entre Universidad de Chile e Libertad, do Paraguai, que no jogo de ida, em Assunção, empataram por 1 a 1. No jogo de domingo, contra o Fluminense (derrota por 1 a 0 na estreia no Campeonato Brasileiro), o técnico Tite deixou Douglas, Willian e Liedson em campo até o fim, jogando entre os reservas, justamente para ganhar ritmo de jogo. Eles devem ser as opções diante do Vasco, caso haja a necessidade de mudanças durante a partida. “Temos uma equipe experiente para buscar o importante resultado”, avisou o treinador. Tite saiu, ainda, em defesa do atacante

Liedson, apesar de ele não ter realizado uma grande partida contra o Fluminense: “Ele está preparado para quarta-feira.” No empate por 0 a 0 diante do Bahia, em Salvador, o Santos atuou com uma equipe 100% reserva. Poupados para a disputa da Libertadores, Neymar, Ganso & Cia. realizaram, no sábado, apenas trabalhos regenerativos no Centro de Excelência em Prevenção ao Atleta de Futebol (Cepraf). Borges, que entrou no segundo tempo na Argentina, foi titular e voltou a perder vários gols, mostrando poucas chances de recuperar o lugar perdido para Alan Kardec. “Tive duas chances e a bola não entrou, mas não acho que seja má fase. Há dois jogos tinha feito gol”, disse o atacante.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

e

25 Me sinto privilegiado por estar no top 10 em minha primeira vez.” Rubens Barrichello

sporte

Marlon Falcão/Foto Arena/AE

Mano Menezes inicia nesta semana uma sequência de quatro amistosos que servem para definir a equipe que disputará os Jogos Olímpicos de Londres, e também como avaliação para o próprio técnico

SELEÇÃO EM TESTE C

omeça no sábado, contra a Dinamarca, uma sequência importante de amistosos para a Seleção Brasileira. A equipe enfrenta os dinamarqueses em Hamburgo, às 10h30 (de Brasília), e depois joga nos Estados Unidos, contra os donos da casa, no dia 30, o México, no dia 3, e a Argentina, no dia 9, e o técnico Mano Menezes deve aproveitar para definir quem defenderá o Brasil nos Jogos Olímpicos de Londres - dos 23 jogadores que estarão nos amistosos nos Estados Unidos, 18 têm idade para a Olimpíada, e os “velhinhos”, como o zagueiro Thiago Silva, são fortes

candidatos a ocupar uma das três vagas para jogadores acima dos 23 anos. Mas o teste não é só para os jogadores: o próprio Mano estará em observação. Serão suas primeiras partidas sob a presidência de José Maria Marin na CBF, e nos bastidores há quem diga que o cartola não hesitará em trocar o técnico, antes mesmo da Olimpíada, em caso de vexames. A informação foi divulgada na semana passada pelo jornalista Ricardo Perrone, em seu blog no UOL. Mano já teve um problema para enfrentar antes mesmo de o trabalho começar: o lateral-di-

reito Daniel Alves sofreu uma contusão na clavícula e acabou cortado, dando lugar a Rafael, do Manchester United. E, contra a Dinamarca, não terá os santistas Neymar, Ganso e Rafael, liberados para defender o time no jogo contra o Vélez Sarsfield, pela Libertadores. Será a primeira vez neste ano que Mano terá tempo de treinar a Seleção - antes do primeiro jogo do ano, a vitória por 2 a 1 contra a Bósnia, na Suíça, em fevereiro, a equipe fez só um rápido coletivo. Desta vez, o técnico terá dois dias de trabalho, quinta e sexta, antes do jogo contra os dinamarqueses. Os jogadores que atuam

no Brasil viajam na quarta-feira e se juntam aos “estrangeiros”. Mano já está na Europa, e no sábado viu ao vivo a final da Liga dos Campeões, entre Bayern de Munique e Chelsea. Marin também está na Europa. A partir de hoje, ele e Marco Polo del Nero, presidente da Federação Paulista de Futebol e membro do Comitê Executivo da Fifa, participam de congresso na entidade que discutirá, entre outros assuntos, a criação de um seguro para jogadores que se contundirem enquanto defendem as seleções, assunto que tem causado bastante controvérsia na Europa.

PELO MUNDO

Napoli ergue a Copa da Itália contra a Juve

O

Napoli conquistou neste domingo o título da Copa da Itália, ao vencer a Juventus por 2 a 0 na decisão, disputada no estádio Olímpico de Roma. Além de acabar com um jejum de mais de duas décadas sem títulos de elite, desde o Campeonato Italiano de 1990, nos tempos em que Maradona e Careca eram os donos do ti-

O

Montpellier conquistou neste domingo o primeiro título do Campeonato Francês de sua história, ao vencer o Auxerre por 2 a 1 num jogo bastante tumultuado, fora de casa. O resultado deixou a equipe com 82 pontos, três a mais que o milionário Paris SaintGermain, que fez sua parte e bateu o Lorient por 2 a 1.

O jogo do título foi interrompido duas vezes por causa de protestos da torcida do rebaixado Auxerre, que jogou sinalizadores no campo - o árbitro chegou a cogitar o adiamento da partida, mas levou o jogo adiante. O nigeriano Utaka marcou os dois gols da vitória e se consagrou como um dos heróis do título inédito.

ATLETISMO

Instabilidade marca o começo do Brasil

A

Montpellier ganha inédito título francês

me em campo, a conquista ainda serviu para acabar com a invencibilidade da Juventus na temporada. Os dois gols saíram no segundo tempo: Cavani abriu o placar de pênalti, sofrido por Lavezzi, e Hamsik liquidou a fatura, após contra-ataque, quando a Juve pressionava em busca do empate.

LIGA MUNDIAL

pós duas derrotas por 3 a 2, para Polônia e Canadá, o Brasil finalmente venceu na Liga Mundial: neste domingo, bateu a Finlândia por 3 a 1 (23/25, 25/13, 25/22 e 31/29), no encerramento da primeira rodada, em Toronto. Ricardinho, que voltava à seleção depois de cinco anos, foi titular nos primeiros jogos, mas deu lugar a Bruno neste domingo, entrando apenas em alguns momentos. “Essa é uma composição nova, de jogadores que nunca jogaram juntos. Os resultados não são os que gostaríamos, mas apresentamos pontos positivos. Ainda sentimos falta

Max Rossi/Reuters

de consistência, mas isso é normal no início do trabalho”, defendeu Bernardinho. “Tivemos partidas difíceis e estou feliz porque contra a Finlândia jogamos como um verdadeiro time. Todos se ajudaram e isso é muito importante para nós“, afirmou Bruno A seleção volta a jogar pela Liga de 1 a 3 de junho, em Kotowice, na Polônia - pela ordem, pega Finlândia, Canadá e os donos da casa. O torneio teve o formato modificado, e as equipes agora se enfrentam em quatro quadrangulares. De 8 a 10 de junho, os duelos serão em São Bernardo do Campo, e, na semana seguinte, em Tampere, na Finlândia.

Phillip MacCallum/FIVB

Rosângela voa... Marcelo Ferrelli/CBAt

C

ampeã pan-americana dos 100 m rasos, Rosângela Santos alcançou neste domingo o índice para disputar a prova na Olimpíada de Londres. Ela venceu a disputa do GP Brasil, no Rio, com o tempo de 11s21, e contou que relaxar antes da prova lhe deu a tranquilidade necessária para se dar bem. “No sábado fui ao cinema, comi pipoca. Coisas que não costumo fazer normalmente, e deu certo”, conta a corredora, uma entre os três atletas a alcançar no Rio a chance de

Velocista consegue vaga nos Jogos de Londres nos 100 m rasos

... e Fabiana desaponta F

Wallace foi o astro na primeira vitória deste ano, contra a Finlândia

competir na Olimpíada. Ronald Julião foi outro a se garantir, ao vencer o lançamento do disco com 65,51 m, novo recorde brasileiro. “Estou feliz e ansioso por representar o Brasil numa modalidade em que não temos tradição”, disse o lançador. No lançamento do dardo, Laila Ferrer e Silva venceu a prova com 60s21, mas diz que ainda teme ser superada por outras brasileiras. "Há competições fortes pela frente e temos outras atletas em condições de superar essa marca.”

abiana Murer voltou a decepcionar a torcida e ficou apenas com a medalha de prata no salto com vara. Como na quarta-feira, no GP de São Paulo, ela só conseguiu saltar 4,50 m neste domingo, no Rio, e ficou com o segundo lugar na prova, superada pela cubana Yarisley Silva, com 4,60 m - ela havia conseguido 4,65 m em São Paulo. A campeã mundial admitiu a frustração com seu desempenho, e sabe que terá de melhorar bastante para se dar bem nos Jogos de Londres.

Adriano Ishibashi/AE

“Esperava estar bem no Rio, mas as coisas não saíram como eu queria. Para conquistar medalha em Londres, tenho que saltar mais que 4,85 m.” Maurren Maggi, por sua vez, não deu sopa para o azar e venceu novamente. Se em São Paulo ela havia saltado 6,85 m, terceira melhor marca do mundo neste ano, agora ela foi mais “light” e venceu com 6,69 m. “Estou bem preparada para Londres. Falta acertar alguns detalhes, mas tenho tempo para isso”, disse a campeã olímpica em Pequim.

Em segunda prova no ano, saltadora de novo não passa de 4,50 m

OUTROS CAMPOS

Adiamento de final frustra torcida em Roma

G

arrafas foram parar dentro da quadra central do Foro Italico, em Roma, após o anúncio de que a final do Masters 1000 da capital italiana, entre Novak Djokovic e Rafael Nadal, havia sido adiado para esta segunda-feira. O motivo foi a forte chuva que caiu durante a tarde na cidade. A tempestade ocorreu durante a decisão do torneio feminino. A russa Maria Shara-

pova e a chinesa Na Li tiveram de esperar mais de duas horas para voltar ao jogo, que terminou com vitória de Sharapova por 2 a 1 (4/6, 6/4 e 7/6 (7/5)). O problema é que não haveria luz natural para que a final masculina fosse jogada até o fim. Em protesto pelo adiamento, os torcedores italiano responderam com garrafas. Se o tempo deixar, o jogo começa hoje, às 7h (de Brasília).

Alessandro Bianchi/Reuters

Barrichello larga em 10º nas 500 Milhas

E

streante nas 500 Milhas de Indianapolis, Rubens Barrichello vai largar em décimo lugar na prova, que será no próximo domingo. “Eu me sinto privilegiado por estar no top 10 em minha primeira participação. Agradeço muito à equipe por ter me dado todo o suporte para aprender um pouco de o que envolve Indianápolis. Se eu ainda estava aprendendo no

meu 19º ano de Fórmula 1, imagina o que eu estou aprendendo aqui agora“, disse. Barrichello será o terceiro melhor brasileiro do grid - Hélio Castroneves sai em sexta, Tony Kanaan é o oitavo e Bia Figueiredo larga em 13º. A pole position ficou com o australiano Ryan Briscoe, companheiro de Helinho na Penske. Líder da temporada, Will Power larga em sexto.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

26 -.ESPORTE

sábado, domingo e segunda-feira, 19, 20 e 21 de maio de 2012

FIM DE JOGO

L

Yan Gomes é o primeiro brasileiro a conseguir um home run na MLB

L

PSG oferece 25 milhões de euros para tirar Kaká do Real Madrid

L

Rio Branco é campeão da Série A-3 paulista ao vencer o Osasco por 2 a 0

L

Vídeo em destaque - Top 10 gols da Champions - www.dcomercio.com.br

www.dcomercio.com.br/esporte/

OS DONOS DA BOLA AQUELE ABRAÇO Fotos: Dylan Martinez/Reuters

Suspenso, Ramires ficou fora da final contra o Bayern, pela Liga dos Campeões, mas foi muito festejado pelo capitão Lampard, pelo conterrâneo David Luiz e pelo técnico Roberto Di Matteo, companheiros de Chelsea. Agora, quer convencer Mano Menezes a chamá-lo de volta para a seleção brasileira. O técnico alega que Ramires joga como ponta no Chelsea e não tem

rendido como volante na seleção. O jogador acha que a polivalência conta a seu favor: "No Chelsea já joguei em várias posições, até de lateraldireito, contra o Barça (após a expulsão do zagueiro John Terry). Não vou reclamar, o que seria estranho num momento em que estamos festejando um título. Prefiro trabalhar e continuar sonhando com a seleção."

Paul Hackett/Reuters



Sábado, 19

A nova ordem

DE VOLTA Mário Angelo/Folhapress

Chelsea, campeão da Europa, é a prova: proprietários e acionistas bilionários estão mudando o futebol

B

arrado do time desde a eliminação no Campeonato Paulista, Júlio César volta ao banco de reservas na derrota por 1 a 0 para o Fluminense, na estreia do Corinthians no Brasileiro, e não dá muita sorte a Cássio. O novo titular, primeiro goleiro a completar quatro jogos sem tomar gol em 102 anos de história do Corinthians,

viu evaporarem as chances de novos recordes aos 26 minutos do segundo tempo, quando sofreu o gol marcado por Leandro Euzébio. Com a expressão fechada, Júlio César assiste ao lance do banco de reservas do Pacaembu, que frequentará daqui em diante em rodízio com Danilo Fernandes. Domingo, 20

COPA 2014

Rebelo diz que atraso só preocupa jornalistas

E

Silva Junior/Folhapress

m visita ao interior paulista para inaugurar praças de esporte, o ministro Aldo Rebelo diz, em Barretos, que só os jornalistas se preocupam com atrasos nas obras da Copa 2014: "Vejo preocupação da imprensa em geral, mas não vejo desconfiança da sociedade." O ministro lembra que "o Brasil já fez coisas muito mais difíceis e importantes", como a construção de Brasília, e pergunta: "Como, agora, vamo s n o s a tr ap alhar co m uma Copa do Mundo?" Domingo, 20

MUDANÇAS SEM PRAZO

Fifa exigirá ficha policial de candidatos

A

Fifa reúne dirigentes do futebol de todo o mundo em Budapeste, na Hungria, a partir desta segunda, para discutir maneiras de evitar a corrupção dentro da entidade, com direito à criação de um novo código de ética. O pacote de medidas prevê que os futuros candidatos à entidade tenham de apresentar ficha policial completa, e uma personalidade internacional será anunciada para ajudar a “limpar” a enti-

dade. Para os críticos do presidente Joseph Blatter, porém, são medidas “cosméticas”, que só serão colocadas em prática quando os atuais dirigentes, muitos deles acusados de corrupção, estiverem aposentados. Outra ideia que não valerá tão cedo é a fixação de um limite de dois mandatos (oito anos) para o presidente. Blatter, que assumiu em 98, tem mandato até 2015. A partir de segunda, 21

Michael Dalder/Reuters

Diante de Júlio César, Cássio leva primeiro gol

Pete Souza/Reuters

A

festa do Chelsea pela conquista do primeiro título da Liga dos C a m p e õ e s c o n t inuou neste domingo, em Londres, onde os jogadores foram recebidos como heróis pela torcida inglesa, menos de 24 horas após o empate por 1 a 1 em 120 minutos de jogo e a emocionante vitória por 4 a 3 nos pênaltis diante do Bayern de Munique, na Alemanha. A final do sábado, acompanhada em todo o mundo, interrompeu até a reunião dos líderes do G8 em Camp David, nos EUA, para a alegria do primeiro-ministro britânico David Cameron, a admiração do presidente norte-americano Barack Obama e a tristeza da chanceler alemã Angela Merkel. Tristeza maior só nas arquibancadas e no campo da Allianz Arena, onde os anfitriões Mario Gómez, Robben e Schweinsteiger sucumbiram diante do visitante Drogba e companhia. Além do inédito título de campeão europeu, conquistado pela primeira vez por uma equipe londrina, o Chelsea garantiu a presença na Liga dos Campeões de 2013 - tomando a vaga que seria do Tottenham, quarto colocado no Campeonato Inglês. Mais significativo do que o feito esportivo, na atual economia do futebol, é o fato de que o título do Chelsea fortalecerá a presença de grandes investidores como proprietários ou acionistas majoritários de grandes e médios 'clubes' europeus. Chelsea, o novo campeão europeu, Manchester City, campeão inglês depois de 44 anos na fila, Paris Saint-Germain, vice-campeão francês, e Málaga, quarto colocado e sensação do Campeonato Espanhol - todos com presença garantida na Liga dos Campeões da Europa na próxima temporada - têm donos bilionários: respectivamente, o russo Roman Abramovich e os sheiks Mansour bin Zayed Al Nhyan, Nasser Al-Khelaifi e Abdullah Al-Than. Até o Brasil, em escala mais modesta, participa da nova ordem do futebol: o pequeno Estoril, do brasileiro J. Hawilla, ganhou o título da Segunda Divisão e vai disputar o Campeonato Português de 2013.

Um Mundial para estreantes?

M

ais do que inédita, a final do próximo Mundial de Clubes - que, mais uma vez, será disputado no Japão, em dezembro - pode confrontar dois times estreantes. A Europa será representada, na competição, pelo Chelsea, campeão continental pela primeira vez, e a América do Sul ainda pode consagrar um inédito campeão nesta temporada.

Oito times estão na briga pelo título da Libertadores, e três nunca jogaram um Mundial - Fluminense, Universidad de Chile e Libertad, do Paraguai. Dos três, só dois passarão das quartas de final, pois La U e Libertad, depois do 1 a 1 em Assunção, decidirão em Santiago uma das vagas nas semifinais. O Flu perdeu para o Boca Juniors por 1 a 0 em Buenos Aires e decidirá a vaga no Rio.

Diário do Comércio  

21 mai 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you