Issuu on Google+

Contador não é mais só domador de Leões.

Cadê o meu Mercedes?

Caderno especial traz o novo perfil da profissão, que comemora seu dia no próximo domingo. Ano 90 - Nº 23.962

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

Conclusão: 23h35

Foi a 250 km/h para a pág. 20

R$ 1,40

São Paulo, sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Corbis

Pré-sal amargo jorra frustração para governo As gigantes BP, BG e Exxon não se candidataram à licitação da área de Libra do pré-sal, em Santos. A ANP esperava 40 empresas e só 11 compareceram. A nova frustração para o governo se segue ao recente desinteresse de investidores pela BR-262. Pág. 17 Stefano Rellandini/Reuters

Francisco abre a Igreja Católica a homossexuais, divorciados e mulheres que fizeram aborto em longa entrevista publicada ontem pela revista La Civiltà Cattolica, na qual não foge de temas como contracepção e união homoafetiva. Pág. 9 A íntegra você confere em www.dcomercio.com.br

Papa critica obsessão da Igreja com gays, aborto...

Divulgação

Ed Ferreira/Estadão Conteúdo

Newton Santos/Hype

Agora, o negócio é ir pela Porta dos Fundos.

Fim de semana nas asas da dança. E da aventura.

O grupo que faz humor (e fatura) na internet é assediado por anunciantes. Pág. 13

Companhia Alvin Ailey (foto) está chamando para a fantasia. Aventura Elysium, com Wagner Moura e Matt Damon, é a estreia de cinema mais esperada. Roda do Vinho nos leva à vinícola Centopassi, na Sicília. Que história! Pág. 11

Jens Buettner/EFE

Mensalão: day after tem 37 pizzas para Lewandowski.

J. Guilherme Ferreira/DC

Enquanto o ministro Fux diz que vai agilizar trâmites do novo julgamento do Mensalão, para que os crimes não prescrevam, 37 pizzas foram entregues no STF, endereçadas ao ministro Lewandowski, em protesto contra a decisão de reabertura do processo. Pág. 5 ISSN 1679-2688

23962

9 771679 268008

Página 4

Sangue frio, Merkel é favorita para domingo.

Penedo ao resgate da sua alma finlandesa

Chanceler alemã tem o trunfo de ter mantido a saúde econômica do seu país durante a crise europeia. Pág. 8

Distrito de Itatiaia, Penedo empreende para focar seu turismo tanto nas belezas naturais como nas tradições de sua colônia de origem. Pág. 22


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

Fez bem a senhora presidente em levar adiante o programa de concessões de rodovias ao setor privado. Roberto Fendt

pinião

PROBLEMAS E SOLUÇÕES O PÃO QUE O

A

concessão da BR 050 para gestão pelo setor privado saiu, para surpresa de muitos. para um grupo de empresas sem grande visibilidade entre as construtoras. Mais surpreendente ainda foi a oferta de um deságio de mais 42% sobre o teto do pedágio constante do edital de concessão. A razão para esta surpresa prende-se à enorme distância daquilo que o governo considerava como aceitável a ser cobrado dos usuários. Esse preço-teto para o pedágio levava em conta, é certo, que o vencedor da licitação teria de desembolsar R$ 3 bilhões em investimentos.

Brasília

P

or essa mesma razão, a BR 262 esteve na testa do processo licitatório, destinada a mostrar o vigoroso interesse do setor privado em complementar o magro investimento do governo em infraestrutura. A ausência de licitantes jogou água na fervura e levou à reavaliação de todo o programa. Há muitas razões para o desapontamento com a inviabilidade de passar ao setor privado a BR 262 nas condições originalmente oferecidas. Com relação a essa estrada, entre os motivos apontados para a falta de interesse estão o baixo volume de tráfego, sua concentração nos finais de semana e, portanto, uso intensivo de carros particulares.

DIABO AMASSOU

BR-050

Q

Cristalina

ROBERTO FENDT Goiás em situações em que parte dos trabalhos executados em trechos da rodovia está sob a responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Atrasos na conclusão dessas obras poria em risco o fluxo de receita do concessionário, sem que esse tenha qualquer ingerência sobre o cronograma de execução do Dnit.

Catalão

Uberlândia Minas Gerais

O

fato de Camargo Corrêa, Andrade Gutierrez e Odebrecht não terem vencido a licitação, embora tenham apresentado proposta no certame, é também intrigante. Pelo sim, pelo não, fez bem a senhora presidente em determinar que a execução do contrato pelo grupo vencedor seja acompanhado de perto, com uma lupa. Já ocorreram surpresas suficientes nessa licitação. O fato é que, a despeito da BR 050 ter encontrado comprador, não há como ignorar que persistem problemas importantes com o processo de concessão de rodovias pelo governo federal. Esses problemas estão refletidos na ausência de interessados na gestão da BR 262 – considerada por muitos como uma das joias da coroa das estradas em processo de licitação.

Distrito

Uberaba

E

sse problema é também experimentado na BR 262 e apresenta-se em outras rodovias que fazem parte do programa de concessões rodoviárias. A proposta de outorga ao menor lance pelo valor presente da receita contornaria também esse problema, mas outras soluções podem ser pensadas e utilizadas para tornar rentável ao setor privado investir na infraestrutura de transporte do País. Fez bem a senhora presidente em levar adiante o programa de concessões de rodovias ao setor privado. Decerto ela terá enfrentado todo tipo de objeções de seus “bolsões sinceros, porém radicais” – para usar a expressão do presidente Geisel aos opositores da abertura política que então colocava em prática.

Ribeirão Preto

São Paulo

Campinas Jundiaí

São Paulo

Santos

E

ssas características aumentariam muito o risco para o vencedor da licitação. A demanda pelo pedágio seria incerta e a incerteza da demanda, dados o valor do pedágio e o prazo concedido para a exploração, magnificariam os riscos para a receita do concessionário. As condições do edital, portanto, deveriam ser modificadas. Vinícius Carrasco e João M. P. de Mello apontaram, em recente artigo, uma forma de contornar o problema em situação de elevado risco de receita para o grupo vencedor de uma concessão de estradas. Em lugar de outorgar a gestão da estrada a quem ofertar o menor pedágio, o

vencedor seria quem fizesse o menor lance pelo valor presente da receita que estão dispostos a aceitar. Como não é possível saber de antemão qual será o valor dessa receita, a variável de ajuste seria o período de exploração da rodovia. O prazo de concessão terminaria quando o concessionário obtivesse o valor da receita oferecido na licitação.

C

om essa mudança nas condições oferecidas nos editais seria possível contornar os riscos de receita que foram experimentados em outras rodovias com condições de tráfego semelhantes às da rodovia BR 262. Riscos diferentes emergem

O

orçamento federal não comporta recursos em valores minimamente necessários sequer para a manutenção das rodovias federais – e muito menos para a duplicação de trechos e abertura de novas rodovias. O mundo emergente como um todo demanda recursos para investimento em infraestrutura. Receberá esses recursos o país que oferecer melhores condições para o retorno dos investimentos, considerados os riscos envolvidos. Reavaliar o programa é o primeiro passo para garantir o seu sucesso. E dele depende a retomada do crescimento sustentado do Brasil. ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

O VOTO DO DECANO Entendo que o decano simplesmente fez cumprir a Constituição, que já está mais que remendada, e que os Embargos Infringentes são uma realidade jurídica. Mas senhor decano do Direito, nóis aqui nesse mundico tamo tão sofridos por causa da teta do Estado e da corrupção que quase não temos mais em quem acreditar. Nos apegamos ao STF como a uma tábua de salvação, mas a tábua já começa a ficar pequena e nós não vemos o horizonte. Tenho medo do preço desta decisao de sua parte. E tambem concordo o senhor José Márcio Mendonça (página 2 de quinta-feira), quando

ele cita Eça de Queiroz em "O primo Basílio". E em cima desse artigo, o senhor pode ler também "Derrota da Sociedade", sobre a votação do PLP 200/130, escrito pelo senhor Marcel Solimeo. E assim, de derrota em derrota, vamos vivendo amargamente. João Camargo - São Paulo

No tocante ao resultado do nosso STF, "infringentes", lamentavelmente, foram alguns ministros, que permitiram, com a aceitação dos vergonhosos "embargos", que os brasileiros continuem a usar o nariz de palhaço, entre outras coisas! Atestaram, tais ministros, que o crime para os maus políticos e ricos

compensa! E, assim, viva a indústria que mais cresce nesta terra: Viva a PIZZA! Manuel Alves Valente - São Paulo

O voto do min. Celso de Mello, que toda a imprensa chamava de " voto de Minerva" foi apenas o voto de um juiz da corte. Voto de Minerva é a prerrogativa dada ao presidente da Corte de votar pela segunda vez, em caso de empate . Logo o termo "voto de minerva" está mal aplicado no caso. Todavia, analisando a decisão do ministro Celso de Mello, concluo que foi um voto de "mi enerva". Claudio Juchem - São Paulo

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

uem acompanha o dia a dia da política no País recorda que o agora imortal Fernando Henrique, Mário Covas, Franco Montoro e José Serra se uniram para criar um novo partido, que viria a ser o PSDB, porque não queriam continuar convivendo com Orestes Quércia no PMDB. Os quatro dissidentes tinham algo em comum: sonhavam em ser Presidente da República, mas só FHC conseguiu transformar o sonho em realidade. Quando chegou a vez de Mário Covas tentar conquistar o Planalto, o PSDB puxou seu tapete, graças à artimanha urdida no Congresso Nacional, a peso de ouro, que permitiu a FHC renovar seu mandato de presidente por mais quatro anos.

O

partido recémcriado ganhou corpo e se estruturou em todos os estados e apenas o PT tem condições de enfrentá-lo de igual para igual nas urnas. Covas e Montoro morreram; Fernando Henrique se aposentou depois de dois mandatos presidenciais, nunca imaginando que depois de passar a mocidade se reunindo com outros intelectuais no Cebrape, para debater o marxismo, acabaria "enrolado" num fardão da Academia Brasileira de Letras. Restou José Serra, que caiu em desgraça no partido após perder as últimas eleições que disputou, não podendo concorrer em 2014 de novo a presidente porque seu melhor amigo e ex-professor, Fernando Henrique, entregou a legenda presidencial tucana a Aécio Neves.

S

erra não pode também aspirar a outra candidatura ao governo de São Paulo, porque o partido aposta na reeleição de Geraldo Alckmin. Se continuar no PSDB e não quiser atravessar mais um longo período sem mandato, Serra tem de entrar na lista de candidatos a deputado. A legenda para concorrer ao Senado já estaria prometida ao secretário de Energia do Estado, José Aníbal. Há uma saída para Serra, caso queira tentar

EYMAR MASCARO

a sucessão de Dilma: é aceitar o convite do deputado Roberto Freire e se filiar ao PPS. Lá, ele teria a garantia da legenda presidencial.

M

as o tempo urge: Serra tem prazo para mudar de partido até o fim do mês, enquanto tucanos ligados a Aécio Neves apelam para que ele não se desligue do PSDB. Aécio precisa da união do partido em São Paulo, sabendo que nenhum candidato a presidente logra êxito caso não seja bem votado no principal colégio eleitoral do País. Mas os últimos

movimentos de Serra indicam que ele não tem interesse em comandar a campanha do partido ao Planalto, como sugeriu FHC. Serra quer distância de Aécio. A situação deste nas pesquisas não é boa: seu índice de intenção de voto não passa de l5%, amargando num incômodo 3º lugar, superando apenas Eduardo Campos, que oscila entre 5% e 7%.

A

pré-candidata Marina Silva já alcança 23% de preferência do eleitor, perdendo apenas para Dilma Rousseff, que bate nos 37%. Marina ainda não conseguiu registrar seu partido, o Rede Sustentabilidade, no TSE, mas tem convite para se candidatar ao Planalto pelo mesmo PV que ancorou sua candidatura em 2010, quando obteve um expressivo sucesso: 20 milhões de votos. EYMAR MASCARO É JORNALISTA E COMENTARISTA POLÍTICO MASCARO@BIGHOST.COM.BR

CORREÇÃO Diferentemente do que foi informado na matéria "Um defensor dos caminhoneiros", publicado no caderno especial de Logística (17/09), a União Nacional dos Caminhoneiros (Unicam) representa 1,5 milhão de caminhoneiros autônomos no Brasil.

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Car valho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli e Sílvia Pimentel. Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Arte e Diagramação: José dos Santos Coelho (Editor), André Max, Evana Clicia Lisbôa Sutilo, Gerônimo Luna Junior, Hedilberto Monserrat Junior, Lino Fernandes, Paulo Zilberman e Sidnei Dourado. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

o

3

NO BRASIL APÓS OS ANOS 80, A DEMONSTRAÇÃO LÓGICAÉ TIDA COMO IMPOSIÇÃO AUTORITÁRIA.

pinião

Capítulos de história bestial

A

história das reações da esquerda à minha presença no cenário público brasileiro divide-se em três fases. Na primeira, logo após a publicação de O Imbecil Coletivo (1995), os guias iluminados dessa facção política saltaram sobre minha pessoa como um esquadrão de ninjas alucinados, imaginando que poderiam suprimi-la do universo com dois ou três sopapos. Deram-se muito mal e, quando da minha edição dos Ensaios Reunidos de Otto Maria Carpeaux (1999), da qual não podiam falar mal sem arranhar a pele póstuma de um ídolo do esquerdismo, passaram à segunda fase, a Operação Vaca Amarela, ou Bocade-Siri, condensada na instrução baixada pelo comissário geral Milton Temer aos miltantes e companheiros de viagem do comunismo pátrio: do Olavo de Carvalho não se fala.

Q

uer dizer: não se fala em público. Não se fala, porque ele responde, porca miséria, e aí a gente passa vexame. Em privado, longe dos ouvidos do monstro, sem perigo de um revide, podia-se rosnar à vontade, fazer a caveira do desgraçado, inventar contra ele as histórias mais escabrosas. Podia-se e devia-se fazer isso sobretudo nas salas de aula, vacinando a juventude contra a tentação de ler o que ele escreve, ensinando-a a odiá-lo sem passar por esse doloroso sacrifício preliminar. O ataque frontal foi trocado pelo zunzum sorrateiro e onipresente, planejado para transferir o abacaxi às mãos da geração mais nova e pro-

duzir,debaixo das aparências de uma retirada geral, os mais bombásticos efeitos de longo prazo. A coisa foi bem calculada, até certo ponto: a terceira fase eclodiu quando o muro de silêncio erigido na grande mídia foi rompido na esfera bloguística. De repente, centenas de jovens impregnados de visceral anti-olavismo começaram a desferir-me os ataques mais cretinos e involuntariamente cômicos, tentando vencer pelo número e dispensando seus mestres de passar vergonha pessoalmente. De uma fase até a outra decorreram aproximadamentequinze anos – o prazo que, em La Teoría Historica de las Generaciones, Julián Marías diz marcar o trânsito entre duas gerações de agentes históricos.

vendo naqueles improvisos, não raro despudoradamente humorísticos, a expressão formal e acabada do meu pensamento, dando por pressuposto que eu nada mais sabia nem dissera a respeito.

P

D

evo confessar que eu mesmo contribuí, inadvertidamente, para o sucesso da transição. Em 2006, cansado de receber mais e-mails de amigos, alunos e leitores do que jamais daria conta de responder por escrito, criei o programa True Outspeak para me comunicar com esse círculo mais facilmente, calculando que no rádio a gente fala umas vinte linhas por minuto e levaria uma hora para escrevê-las. Sendo o programa como que um encontro em família, podia ali me contentar com afirmações compactas e sumárias, ciente de que, em caso de dúvida, aquele público afeito ao meu trabalho procuraria maiores explicações nos meus livros, artigos e nas quase 40 mil páginas de transcrições das minhas aulas. Contra todas as minhas in-

Reação da esquerda após publicação de O Imbecil Coletivo assemelhava-se a um ataque ninja alucinado. tenções e previsões, o programa acabou sendo ouvido por centenas de milhares de pessoas, que, sem ter lido uma só linha da minha autoria nem

NA FOTO, OS MEUS CANDIDATOS: FHC E JOAQUINZÃO Antes Scripto – O Ministro Celso de Mellou e votou pela Afundação da República um ano depois do seu voto considerado o da Refundação da República. Se eu pudesse, entraria com um Embargo Infringente contra o voto dele a favor dos Embargos Infringentes. Vamos infringir geral, já que lavaram a cara do Dirceu, do João Paulo Cinquenta Conto Cunha, do Nosso Delúbio e do Genoíno o Coitadinho. Agora é tarde, Inês é morta, não adianta chorar. A Inês sempre morre antes do começo, no momento exato do “agora é tarde”. De luto por ela, bola pra frente; todos nós temos 2014 pra luta. (NF).

L

ulla, que não abre a boca nem pra falar “Rosegate”, escancarou-a pra lançar perdigotos e espalhar o seu bafo com esta barbaridade: “O Estado de Sumpolo num pode ficá pur conta de um bicho de bico grande e voo curto”. Eu escancaro a minha pra apresentar aqui os meus candidatos. Recebi dois sinais do céu que estão escritos nas árvores. Os meus candidatos são FHC e Joaquinzão, pousados numa das jabuticabeiras carregadas do meu jardim, com toda elegância. FHC, lindamente emplumado, leva Joaquinzão no bico – aqui reproduzidos na foto que

NEIL A LUTA CONTINUA FERREIRA

não me deixa mentir; os dois em pessoa, sem photoshop pra te enganar.

L

evar no bico, please, não é levar na conversa; ninguém leva Joaquinzão na conversa. Melandowsky tentou o quanto pode; seu office-capa, o Capinha Preta Dias Toffoli, suou a Capinha de tanto obedecer às ordens do Melandowsky. Teve na maior parte do tempo as duas cabrinhas Capinhas Pretinhas como cúmplices leais. Rezingou, altercou, resmungou e de nada adiantou; exigiu desculpas e menos adiantou. Tenho um jardim plantado com frutinhas de todas as estações (só temos duas estações: a poluída e a mais poluída) que servem de bandejão aos passarinhos e macaquinhos, que passam aos bandos fugindo das motosserras assustadoras; meu bairro está sendo devastado à velocidade de uma Amazônia. Há fregueses habituais.

presenciado minhas aulas, não podiam captar corretamente as alusões e subentendidos de que aquela conversa estava repleta, e acabavam

ara os que vinham da universidade babando de vontade de dizer alguma coisa, qualquer coisa, contra o abominável Olavo de Carvalho, foi um prato cheio. O pesquisador interessado nesse capítulo estranhíssimo da devastação cultural nacional confirmará que, na totalidade dos casos, os referidos nada mais conheciam das minhas ideias senão o que tinham ouvido em duas ou três emissões radiofônicas, o que não os impedia de, com base nelas, lançar os mais temerários julgamentos de conjunto sobre a minha pessoa e obra, um deles chegando a falar de “trajetória de vida inteira”.Não podendo responder a um por um como fazia com seus gurus no tempo do Imbecil Coletivo, tomei por norma selecionar a esmo alguma dessas baratas de vez em quando e esmagá-la em público para não encorajar as outras por omissão. Meus alunos e leitores habituais nem sempre gostam disso: dizem que estou batendo em criança e desperdiçando tempo. Mas, da minha parte, entendo que esses episódios têm de ser documentados porque um dia, quando o QI da nação voltar ao normal, ninguém vai acreditar que sucederam.

U

m detalhe significativo nessa inumerável produção de micagens histéricas é que, no instante

OLAVO DE CARVALHO

mesmo em que estou desmontando um por um esses arremedos de argumentos, com todos os requintes da lógica e uma paciência de Jó, seus autores berram que sou “avesso ao debate” e que não argumento jamais, só xingo e “desqualifico os adversários” – expressão que subentende terem eles alguma qualidade.

D

esde o tempo do “Imbecil” eu já havia notado que, no Brasil dos anos 1980 em diante, a demonstração lógica é tida na conta de imposição autoritária e, em compensação, a adesão devota, impulsiva e acrítica ao discurso coletivo politicamente correto vem sempre com o rótulo de “pensamento independente”. Esse vício indescritivelmente grotesco tornou-se ainda mais deprimente quando transmitido a uma nova geração que, alfabetizada no método socioconstrutivista, tem tudo para não entender nada e para deformar por completo o senso das proporções no julgamento do que quer que seja. OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA

Juliana Machado Ferreira

Os macaquinhos aparecem em bandinhos cada vez maiores, uns trombadinhas, tudo maninho dimenor, comem na minha mão banana descascada e partida em pequenos pedaços, pra caberem nas mãozinhas deles, delicadas e geladinhas.

O

s jacus, que parecem umas galinhonas, comem maçãs, aprendi. Os papagaios com ninho num tronco de palmeira abatido por um raio, me acordam às 5h30 ou 6 da manhã. A algazarra pra mim é puro Mozart. Ok, não sou lá essas coisas em Mozart, falei por granfininsmo; equivalem aos Stones, com esses sou mais familiarizado. Quem gosta de She´s a Rainbow como eu, gosta da canção mais bela dos anos 70 (Jagger e Richards, tenho a gravação de 1972).

N

ão tenho coragem de cortar esse tronco. Se cortá-lo vou criar uma categoria nova, a dos Papagaios Sem Ninhos; não vou contribuir pro fortalecimento da esquerda cantante; vai que tem lá um Papagaio Stédeli, repetindo as palavras de ordem do Foro de Sumpolo e haja barulheira pra gente aguentar. FHC tem bicão pra bicar a eleição de 2014, se tiver o juízo de concorrer e com

Joaquinzão de vice. Não sei como fazer pra conseguirmos isso, talvez você saiba; fale, num deixa quieto.

A

necessidade das suas candidaturas é um caso de segurança nacional. Os dois, soma de um mais um, somam quatro – o todo é maior do que a soma das partes. São os Beatles da política. Sabem disso, não são os Dois Patetas. Minha filha estava de câmera na mão e só uma única ideia na cabeça: a bebezinha que tem dentro dela, mais uma netinha pra mim.

E

la viu o momento chegar batendo asas, que parecem desajeitadas; não sei como tucano voa, não sei como besouro voa, não sei como avião voa, não sei como navio flutua. FHC pousou na

jabuticabeira carregada. As patinhas agarradas firmezinhas num galho, o bicão faz um safari entre as folhas, reaparece com o Joaquinzão escolhido a bico, brilhante e saudável, a foto é agora. Valeu o dia de intenso calor e a espera de que algo de sobrenatural houvesse. Houve.

O

bediente ao mantra de Cartier Bresson – “Vale mais o momento do que a técnica”, por mim a ela, transmitido quase como uma oração ao Nosso Senhor dos Fotógrafos, aguardou o momento com paciência zen. David Seymour, o cabeça de melão, famoso fotógrafo de várias guerras e co-fundador da Agência Magnum, ficou de Anjo da Guarda, brindando a todos, como na vida inteira. Minha filha procurou o ângulo e tentou compensar

a luz. Há grande dificuldade em conseguir registrar as cores do FHC contra um fundo de pequenas folhas verdes, com o Joaquinzão sustentado cuidadosamente, quase amorosamente pelo bicão do bicudo. O resultado está aqui, não vou oferecer ao PSDB, não vão entender.

A

chapa fictícia passou a ser a minha realidade, FHC e Joaquinzão. Vamos ter que engolir alianças espúrias em troca do tempo na tv? Isso é coisa de profissa, e somos amadores, acho que há algum jeito pra quem tem vergonha na cara concorrer. Pode ser a vez do Aécim, concordo mas discordo; pra mim não é. Aécim é jovem e pode esperar mais um tiquim. Vamos entrar pra ganhar. NEIL FERREIRA É PUBLICITÁRIO


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

Na largada do Rock in

Rio, a starlet Nicole Bahls viu Aécio Neves por perto e pediu a um amigo para ser apresentada a ele.

gibaum@gibaum.com.br

2 “O sistema de recursos não é indefinido, tem limites. Nos tribunais humanos, alguém tem a prerrogativa de errar em último lugar.”

PAULO BROSSARD // 88 anos, ex-ministro e ex-presidente do Supremo. Fotos: BusinessNews

Estado-Maior Domingo passado, ou seja, um dia antes de Dilma conversar pelo telefone com Barack Obama e ouvir dele que, se fosse melhor para ela, poderia adiar sua ida a Washington, a presidente reuniu, na Granja do Torto, uma espécie de EstadoMaior . Estavam lá Lula, os ministros Aloizio Mercadante (Educação) e José Eduardo Cardozo (Justiça), o presidente nacional do PT, Rui Falcão, o exministro Franklin Martins, ainda aguardando uma boquinha no ministério, o chefe de gabinete da Presidência, o discreto Giles Azevedo e o marqueteiro João Santana, que hoje dá palpites até na política externa.

FICA, ALDO! A presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Lula já conversaram e estão tentando convencer Aldo Rebelo, ministro do Esporte, a permanecer no cargo durante a Copa 2014 e, claro, durante o segundo mandato dela, se vencer. Só que Rebelo teria de desistir de sua candidatura à reeleição na Câmara Federal. Ele é bom de voto e puxa a bancada do PCdoB. Para quem tem memória curta: Aldo foi ministro de Relações Institucionais no governo Lula. E Dilma também gosta dele porque o ministro não é lá muito chegado em José Maria Marin, presidente da CBF.

O MoMa – Museu de Arte Moderna de Nova York foi palco, esta semana, da 11ª edição do baile de gala da Brazil Foundation, que auxilia entidades de carentes no país e que homenageou Alfredo Setubal pelas atividades filantrópicas do ItaúUnibanco e Luiz Felipe Diniz por seu trabalho com a amfAR, voltada para a pesquisa e combate a Aids. Como sempre, teve leilão de peças de arte, jóias e até estadia na suíte presidencial do Fasano. Lá, entra as brasileiras elegantes, da esquerda para a direita, Mariana Aurieno, Mariana Ximenez, Regina Casé (usando Diane von Furstemberg), Izabel Goulart, de Calvin Klein e Carlos Alberto Parreira, leiloando uma camisa da Seleção assinada pelos jogadores.

Noite em benefício

Nenhum dos réus do mensalão quer ver o Supremo julgar seus embargos infringentes tão cedo. Para eles, o sorteio de um relator como Luiz Fux significa um novo pesadelo. Ele foi contra os embargos, foi o que mais proferiu condenações e é o ministro mais próximo de Joaquim Barbosa. É o interlocutor do presidente do SFT todas as vezes que Barbosa tem uma discussão quente em plenário. No ano passado, quando ele sentia fortes dores nos quadris, Fux o acompanhou numa consulta médica no Rio. E na festa de sua posse, tocou guitarra, cantou Um dia de domingo, gravada por Tim Maia e falou que era uma homenagem a Barbosa: “Ele disse, em seu discurso, que nós, ministros e juízes, somos homens simples e do povo”.

Um novo pesadelo

Ela faz mais sucesso entre Chile, Equador e Estados Unidos do que no Brasil, já teve música emplacada na parada da Billboard e no México, virou embaixadora da Diversidade Sexual: Lorena Simpson, 26 anos, está lançando seu novo single, This Moment, que tem capa inspiradora. A música foi produzida pelo israelense Yinon Yahel, que já trabalhou com Jennifer Lopez e Christina Aguilera. Lorena nasceu em Manaus, defende o bloco da house music nacional e começa sua nova turnê To The Ground dia 4 de outubro, em São Paulo.

Atração lá fora

Quitutes de Renata Nessa separação do PSB do governo, a presidente Dilma Rousseff acabou confessando, depois do encontro com Eduardo Campos, que agora poderá ficar mais difícil ir almoçar na residência do governo pernambucano e saborear os cardápios especiais preparados pela mulher dele, Renata, por quem a Chefe do Governo tem grande apreço. E também alguns doces especiais do Nordeste que, vira e mexe, a primeira-dama de Pernambuco mandava para o Alvorada, deverão escassear.

/

Lembrando a velha máxima de Andy Wharol, segundo a qual todo mundo tem direito a quinze minutos de fama, Ana Paula Seibert, 25 anos, a nova namorada de Roberto Justus, não perde tempo. Desfilou de calcinha e sutiã no Vogue Fashion’s Night Out para a Loungerie, fez uma campanha publicitária na base de topless ao lado do ator Julio Rocha e adora postar no Instagram fotos com pouca roupa. O site Paparazzo deverá fazer um ensaio com ela e Ana Paula já está preparada para receber um convite de Playboy. O namorado incentiva.

Fôlego próprio Desse desembarque do PSB do governo, o pessoal chegado a Lula, que desdenha p ex-parceiro, considera que foi a melhor coisa que poderia ter acontecido. Não é bem assim: em 2010, os socialistas contabilizaram milhões de votos para a eleição de Dilma. O partido elegeu seis governadores, foi um dos recordistas em reeleição de prefeitos, tem governadores bem avaliados e isso tem um peso significativo nesse período de pré-campanha. Para o ano que vem, Eduardo lançará 19 candidatos a governos, pelo PSB ou em alianças. Até agora não tem ninguém em outros oito Estados, entre eles, São Paulo e Rio.

PREGO TORTO Fernanda Montenegro, 83 anos, vai aparecer no Preview, do Telecine, dia 23, dando uma entrevista: no meio dela, fala de seu fascínio por prego torto. “Não posso ver um no set ou no palco que coloco na roupa, no sutiã. Quem me ensinou foi uma querida atriz, Ivete Vargas, nos anos 50. Ela dizia pra eu guardar o prego torto, porque as descargas negativas vão para o aço”.

MISTURA FINA A CONHECIDA GAP inaugura sua primeira loja no país, dia 25, no JK Iguatemi, em São Paulo, com direito a festa para 300 convidados na área externa do shopping. E a não menos festejada Abercrombie & Fitch está escolhendo local, também em São Paulo, para desembarcar no Brasil no começo do ano que vem. No mercado dos genércios, as duas marcas formam entre as mais pirateadas do Brasil.

DE DIA 26 próximo a 10 de outubro, acontece o Festival de Cinema do Rio e entre outras atrações, quem chega, semana que vem, é a ex-garota-prodigio Dakota Fanning, hoje com 19 anos. Vem para a estréia de Night Moves, de Kelly Reichardt.

15 MINUTOS

dizendo que "era petista". E a ex-panicat, um pouco confusa com a negativa: "O que é ser petista, hein?

Mais espionagem Para quem quer saber mais de relações diplomáticas: uma visita de Estado (como a cancelada por Dilma a Casa Branca) representa o ponto máximo de uma relação bilateral, só possível quando os dois países têm mais do que saudáveis relações. O presidente anfitrião recebe o visitante em casa e o apresenta a cada uma das sedes dos poderes de seu país. E o máximo da honra é o visitante dormir lá. Na conversa que Dilma teve como Obama, o problema maior é que nenhum dos dois tinha certeza de que não explodirão novas denúncias de espionagem. Até mesmo no próximo fim de semana.

MAIS: aí, o amigo negou,

/ IN

OUT

O DEPUTADO federal Inocêncio Oliveira (PR-PE), com dificuldades de audição e mobilidade, está avisando os mais chegados que vai mesmo pendurar suas chuteiras: não disputará sua reeleição para a Câmara. Por outro lado, o expresidente da República, Marco Maciel, que deverá se filiar ao PSB de Eduardo Campos, volta à política. Deverá concorrer a uma cadeira na Câmara Federal.

O EX-jogador e deputado federal Romário entra no PR e pode sair candidato ao Senado. Só que, para trocar de partido, exigiu uma condição de Anthony Garotinho, candidato ao governo do Rio: em 2016, quer concorrer à prefeitura carioca. Clarissa Garotinho deve concordar e, dependendo, pula para o PSDB, para deputada federal, para puxar a legenda, desde que os tucanos apóiem seu pai para a sucessão de Sérgio Cabral.

Chá preto.

Chá verde.

A volta de Palocci O ex-ministro Antonio Palocci conversa, regularmente, com o ex-presidente Lula: agora, está esperando um chamado de Dilma Rousseff, da qual foi braço direito nos primeiros meses de seu governo. Ele sabe que a presidente ficou contente ao receber as notícias de que todas as denúncias contra Palocci haviam sido arquivadas. Lula já andou espalhando que ele “está no aquecimento” e numa reforma ministerial, não seria surpresa a volta de Palocci ao governo. Dilma confia nele e o atual consultor tem apoio do mercado.

A REVELAÇÃO de que a presidente Dilma Rousseff gosta, de vez em quando, de fumar um charuto e que sua marca favorita seria Davidoff, hoje produzido na República Dominicana, provocou uma enxurrada de caixas enviadas por amigos – e alguns, não tão amigos - para o Alvorada e para a Granja do Torto.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

sexta-feira, 20 de setembro de 2013


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

5 REFORMA MINISTERIAL A presidente Dilma Rousseff pretende entregar o Ministério da Integração Nacional ao PMDB, mas é provável que a pasta dos Portos continue sob controle dos irmãos Gomes, desafetos do governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB).

olítica

Mensalão está nas mãos de 3 ministros Julgamento dos embargos infrigentes de 12 réus do Mensalão dependerá da agilidade de Fux, Barroso e Zavascki para que parte das penas não prescreva.

H

á condições para que o julgamento dos embargos infringentes do Mensalão seja concluído até o primeiro semestre do ano que vem, mas isso vai depender basicamente de três ministros do Supremo Tribunal Federal (STF): o novo relator que assumirá o caso, Luiz Fux, e os dois magistrados que não participaram da primeira fase do processo, Teori Zavascki e Luís Roberto Barroso, segundo especialistas ouvidos. O procurador de Justiça do Ministério Público de São Paulo, Luiz Antonio Marrey, avalia que o caso possa ser resolvido até o primeiro semestre de 2014. Marrey, que comandou o Ministério Público paulista em três mandatos, ressalta que a rapidez no julgamento dos infringentes vai depender do novo relator. Segundo as regras do STF, como Joaquim Barbosa não pode ser relator da nova etapa

Reprodução Instagram

do julgamento, ocorreu um sorteio que definiu que Luiz Fux ocupará o cargo na fase dos embargos infringentes. RISCO DE PRESCRIÇÃO O juiz do Tribunal Regional Federal (TRF) da 3ª Região Fausto De Sanctis lembra que a velocidade do novo julgamento poderá ser prejudicada por eventuais pedidos de vista dos novos ministros do STF. De Sanctis também aponta que se as penas dos réus forem reduzidas para menos de dois anos as punições estarão prescritas. Isso ocorrerá porque as penas inferiores a dois anos prescrevem em quatro anos, e, no caso do Mensalão, esse prazo foi superado – considerando os marcos para a contagem da prescrição, que foram as datas do oferecimento da denúncia (2007) e da publicação do acórdão do julgamento (2013). Carlos Ari Sundfeld, professor da Escola de Direito de São

Luto pelo Brasil, declararam as atrizes Carol Castro, Rosamaria Murtinho, Nathalia Timberg, Susana Vieira e Bárbara Paz.

Paulo da Fundação Getulio Vargas, acha que o processo poderá ter desfecho rápido porque a única novidade nos recursos será a votação dos ministros que tomaram posse mais recentemente no STF. Sundfeld admite, porém, que

os réus poderão apresentar novos embargos de declaração para apontar erros, omissões ou contradições. PRISÕES Os 13 condenados que não têm direito aos embargos in-

fringentes poderão ter suas penas executadas logo depois que o STF publicar os embargos de declaração. Mesmo tendo direito a mais recursos do gênero, os condenados poderão ter de cumprir suas penas se os ministros entende-

Fux avisa que será ágil nos trâmites

O

ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), deverá ser ágil na condução do novo julgamento do Mensalão. Em nota à imprensa, o chefe de gabinete de Fux, José Antônio Nicolao Salvador, afirmou que após receber os requerimentos dos advogados dos réus e preparar o processo, o ministro vai levá-lo à Corte. "Tão logo todas as partes se manifestem nos autos, obedecido o devido processo legal, colocará o feito em pauta para julgamento", informou Salvador, na nota. Ele acrescentou que, devido à Lei Orgânica da Magistratura, Fux está impedido de comentar o processo. (EC)

rem que esses recursos são apenas protelatórios. O novo procurador-geral da República, Rodrigo Janot, afirmou ontem que só pedirá a execução das penas – prisão para alguns, multas para outros – após o caso transitar em julgado, ou seja, após todos os recursos possíveis serem analisados pelo Supremo. Os ministros do STF, porém, podem tomar a decisão de prisão imediata mesmo sem serem acionados pela Procuradoria. ATRIZES DA GLOBO Atrizes da novela 'Amor à Vida', da Rede Globo, foram ontem trabalhar de preto. A atriz Bárbara Paz postou fotos no seu Instagram: "Atrizes em luto pelo Brasil", dizia a legenda. Ao lado dela, Carol Castro, Rosamaria Murtinho, Nathalia Timberg e Susana Vieira. A imagem foi reproduzida em diversas redes sociais. A equipe de 'Amor à Vida' gravava cenas da festa de casamento da personagem Paloma, na tarde de quartafeira. Coube a Ary Fontoura, num intervalo das gravações, atualizar o elenco sobre o voto do ministro Celso de Mello. "Quando ele voltou, ficamos todos tão estupefatos. Combinamos com algumas pessoas de vir de luto, o que eu sinto é indignação", reagiu Rosamaria Murtinho. "O Celso de Mello precisava falar duas horas, como se pedisse desculpas pelo voto dele? O Toffoli, que foi subordinado ao Dirceu, deveria ter um pouco menos de cara de pau e ter se declarado impedido", disse, referindo-se ao fato de o ministro Dias Toffoli ter sido advogado do PT. "O Joaquim Barbosa estudou o processo por seis anos. E tem gente que entrou agora e está dando palpite; o Luís Roberto Barroso, que entrou outro dia." "Sou uma cidadã, sou um ser político. Tenho direito como qualquer pessoa a dar opinião", finalizou a atriz. (Agências)

'Impacto negativo', diz Gandra. 'Não pode ser vergonha nacional'

O

jurista Ives Gandra Martins avaliou, ao repercutir a decisão de quarta-feira do Supremo Tribunal Federal (STF) de aceitar a possibilidade de embargos infringentes no caso do Mensalão, que do ponto de vista jurídico a decisão do ministro Celso de Mello é "inatacável". Por outro lado, prosseguiu, essa decisão não cumpriu o que seria um dos papéis do STF – dar estabilidade às instituições. "As cortes supremas também têm como objetivo dar estabilidade às instituições. Nesse caso, uma questão de relevância para as instituições como a impunidade aos poderosos, que nunca havia sido discutida com tanta amplitude dentro do STF, esteve presente no julgamento. Nesse

caso poderia ter sido uma decisão para estabilizar as instituições. Pela primeira vez havia a sensação para a população de que haveria punição pelo crime. O povo passou a achar que podia acreditar na justiça, de que o Brasil entraria em uma fase sem a impunidade. O impacto foi negativo sobre o povo", afirmou. Gandra comparou o caso às investigações da época do impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello. Então, explicou, o Congresso negou acesso do ex-presidente aos documentos da investigação sobre seu governo. "O presidente recorreu ao STF, que negou esse acesso. Naquela ocasião, contra a jurisprudência, a Corte decidiu pela estabilidade das instituições."

Ele ressaltou que o Brasil estava passando por um momento em que poderia ficar "ingovernável". O jurista participou ontem de seminário de Segurança Pública, da Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). Para o Secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Fernando Grella Vieira, "existem aqueles que entendem que a decisão da Suprema Corte seria o suficiente". "Quem está sendo julgado em um foro privilegiado , nesse caso pela Suprema Corte, já teria ali a palavra final e definitiva daqueles que compõem a cúpula do judiciário, então não haveria espaço para outro exame. É uma posição defensável." (EC)

O

governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou ontem que o novo julgamento de 12 condenados no Mensalão pelo Supremo Tribunal Federal (STF) "não pode ser uma vergonha nacional". "Temos muita confiança de que o novo julgamento vai

fazer justiça, para que o País não se envergonhe da impunidade", disse. Para ele, a decisão do tribunal foi "técnica" e, por isso, "deve ser respeitada". O STF decidiu que 12 dos 25 condenados pelo Mensalão terão direito a reavaliação de algumas de suas penas. Assim, réus como o ex-

ministro José Dirceu, o extesoureiro do PT Delúbio Soares e o ex-presidente da Câmara João Paulo Cunha (PT-SP) poderão escapar da prisão em regime fechado. O ministro Celso de Mello aceitou essa possibilidade ao desempatar a discussão parada em cinco votos contra cinco. (Folhapress)

Pedro Ladeira/Folhapress

Jurista avalia o voto de Celso de Mello e compara a situação à época de Collor.

Vivi Zanatta/ Estadão Conteúdo

Pela primeira vez havia a sensação para a população de que haveria punição pelo crime. O impacto foi negativo sobre o povo. IVES GANDRA MARTINS

PROTESTO PALATÁVEL – Manifestantes do Movimento Novo Brasil realizaram um protesto diferente, ontem. Entregaram pizzas na sede do STF, em Brasília. Motivo? Eles queriam "presentear" o ministro Ricardo Lewandowski, mas foram impedidos pelos seguranças. Então, obedientemente, depositaram os 37 mimos culinários no chão. As 37 pizzas logo foram recolhidas pelos seguranças.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

A lei não submete a eficácia constitucional (da livre criação dos partidos) à eficácia cartorial. Torquato Jardim, ex-ministro do TSE

olítica

ASSINATURAS FALSIFICADAS

Ó RBITA

RACHA

O

plenário do Senado aprovou ontem, em votação simbólica, projeto de lei que aumenta as punições para quem dirigir perigosamente em rachas. A proposta prevê que o motorista que participar de "racha" será multado em R$ 1.915,40. Atualmente, pela tabela do Conselho Nacional de Trânsito (Contran), a punição é de R$ 574,62. Outra inovação é que o motorista reincidente será apenado com o dobro do valor da multa – no caso de rachas, o motorista derá que pagar R$ 3.830,80. O projeto, que está em tramitação no Congresso desde 2007, terá de voltar à Câmara porque o Senado alterou o texto aprovado em abril passado pelos deputados.

BEZERRA

U

m dia depois de Eduardo Campos anunciar o desembarque do PSB do governo federal, dando o primeiro passo para sua candidatura ao Palácio do Planalto, Dilma tentou contornar o mal estar com o antigo aliado e pediu ao ministro da Integração, Fernando Bezerra (PSB), que fique mais uma semana no cargo. Afilhado de Campos, Bezerra esteve ontem no Planalto e se reuniu com Dilma por meia hora. Pretendia entregar a carta de demissão, seguindo decisão da Executiva Nacional do PSB, mas Dilma disse a ele que gostaria de conversar depois que voltasse dos EUA. Ela embarcará domingo para Nova York, onde participará da abertura da Assembleia Geral da ONU.

Tarso Sarraf/EC

CASO DOROTHY STANG

C

omeçou por volta das 8h30 de ontem o quarto julgamento do acusado de ser o mandante do assassinato da missionária norteamericana, Dorothy Stang. Valtamiro Bastos de Moura – mais conhecido pelo apelido Bida – foi a julgamento outras três vezes por este caso. Condenado em dois deles, acabou sendo absolvido em um. Bida cumpre regime semiaberto desde a anulação do terceiro julgamento, em maio deste ano, pela Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal (STF). A expectativa do Tribunal de Justiça do Pará (TJ-PA) é a de que a sentença do acusado fosse anunciada ainda no final do dia de ontem. Até o horário de fechamento dessa edição, o resultado não havia sido divulgado.

A missionária Dorothy Stang foi morta a tiros no município de Anapu, no sudoeste paraense, no dia 12 de fevereiro de 2005. De acordo com o Ministério Público, a americana foi assassinada porque defendia a implantação de assentamentos para trabalhadores rurais em terras públicas que eram disputadas por fazendeiros e madeireiros da região. No início da sessão de ontem, presidida pelo juiz Raimundo Moisés Alves Flexa, um dos jurados foi dispensado por alegar que já teria opinião formada sobre o acusado. O tribunal do júri, aberto ao público, foi acompanhado por manifestantes, representantes de movimentos religiosos aos quais Dorothy era ligada e estudantes.

Partido que Paulinho quer criar, o Solidariedade, falsificou até assinaturas de chefes de cartórios eleitorais.

O

Tribunal Superior Eleitoral (TSE) adiou novamente na noite de ontem o julgamento sobre a criação do 31º e do 32º partidos políticos do País, o PROS (Partido Republicano da Ordem Social) e o Solidariedade. Com isso, os cerca de 50 deputados federais que negociam ingressar nas novas siglas terão que esperar mais alguns dias para inaugurar a temporada do troca-troca entre as legendas. O Solidariedade é montado pelo deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP), presidente da Força Sindical, que foi à sessão acompanhado de 12 deputados federais. O caso foi adiado devido a um pedido de vistas do Ministério Público Eleitoral. Recémempossado na função, o viceprocurador-eleitoral da República, Eugênio Aragão, argumentou que, por ter assumido agora o processo, gostaria de ter 48 horas para analisá-lo. A manifestação anterior do Ministério Público recomendava a aprovação da sigla, mas nas últimas semanas surgiram suspeitas de fraude no recolhimento das assinaturas de apoio pelo Solidariedade.

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÃO Encontra-se aberto no Gabinete: PREGÃO ELETRÔNICO 370/2013-SMS.G, processo 2013-0.251.413-6, destinado ao registro de preços para o fornecimento de PROGESTAGENOS E ANTI-INFECCIOSOS, para a Divisão Técnica de Suprimentos, SMS-3/Grupo Técnico de Compras, GTC/Área Técnica de Medicamentos, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá através do sítio www.comprasnet.gov.br, a partir das 9 horas do dia 3 de outubro de 2013, a cargo da 3ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAL O edital do pregão acima poderá ser consultado e/ou obtido nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br, www.comprasnet.gov.br, ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas interessadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital.

Denúncia de problema com ficha tem em todo lugar. PAULO PEREIRA DA SILVA Um caso curioso ocorreu em Várzea Paulista (SP). Ao receber as fichas de apoio para criar o partido, a própria chefe do cartório eleitoral da cidade localizou sua assinatura falsificada entre os eleitores que supostamente apoiavam a criação do Solidariedade. Em troca de e-mails pela rede interna da Justiça Eleitoral de São Paulo, a chefe do cartório eleitoral de Várzea Paulista (242ª Zona Eleitoral), identificada por Francy, afirmou: "Re-

cebemos semana passada três listas de apoiadores desse partido e, para a minha surpresa, uma das fichas era com meus dados e com a minha assinatura falsificada. Fiquei indignada com a falta de caráter que esses representantes de partidos têm". O mesmo teria ocorrido com o chefe do cartório eleitoral de Osasco (SP) (213ª Zona Eleitoral). Helder Ito de Morais respondeu, também pela rede interna de comunicação dos ser-

vidores: "Isso também aconteceu comigo. Foi aberto inquérito policial e prestarei declarações sobre o ocorrido. De fato, isso é um absurdo!" Em Suzano, o juiz eleitoral Rodrigo de Oliveira Carvalho determinou a anulação das 2.660 assinaturas de apoio apresentadas pelo Solidariedade por "fraude" e quebra da "presunção de boa-fé". O cartório selecionou aleatoriamente 30 dessas assinaturas e convocou os eleitores para confirmá-las pessoalmente. Todos, 100% dos contatados, negaram que tivessem assinado as fichas. As assinaturas eram parecidas com as originais, mas nenhum eleitor recordava ter apoiado o partido em criação. Inconformado, o Solidariedade recorreu ao Tribunal Regional Eleitoral para que as outras 2.630 assinaturas fossem consideradas. O pedido foi negado, o Solidariedade recorreu e o caso está agora para análise no TSE. "Denúncia de problema com ficha tem em todo lugar", disse Paulinho. O Solidariedade tem a tendência de orbitar em torno do grupo político do presidenciável Aécio Neves (PSDB-MG). (Agências)

Rede não consegue os 492 mil nomes Sigla de Marina vai ao TSE com menos assinaturas que o previsto. O caso será julgado no início de outubro. André Borges/ Estadão Conteúdo

A

Rede Sustentabilidade entregou na manhã de ontem ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o seu último lote de assinaturas de apoio, mas não conseguiu chegar aos 492 mil nomes, o que levará o partido da ex-senadora Marina Silva a ir a julgamento sem ter o apoio popular formal exigido em lei. O lote entregue ontem soma 136 mil assinaturas, o que totaliza 440 mil nomes. A Lei dos partidos políticos exige pelo menos 492 mil. A estratégia jurídica da Rede, comandada pelo ex-ministro do TSE Torquato Jardim, será argumentar no dia do julgamento que o TSE tem que considerar válidas as 95.206 assinaturas que foram recusadas pelos cartórios eleitorais sem que eles tenham divulgado o motivo da rejeição. Torquato usará como argumento a lei que regula o processo administrativo federal e que prevê a nu-

lidade de atos sem motivação que "neguem, limitem ou afetem direitos ou interesses". "A lei não submete a eficácia constitucional (da livre criação dos partidos) à eficácia cartorial", disse Torquato. O caso da Rede deve ser julgado na primeira semana de outubro. Marina precisa que o partido seja legalizado até 5 de outubro para concorrer por ele à Presidência da República. Se não conseguir, pode se filiar a outra legenda, hipótese que ela não comenta. Apesar de a assessoria do partido dizer que há ainda cerca de 80 mil assinaturas de apoio entregues até o último dia 10 sendo analisadas pelos cartórios eleitorais, as novas certificações só deverão ser comunicadas ao tribunal, já que o protocolo oficial delas acarretaria o atraso no trâmite do processo e levaria sua conclusão para depois do prazo – 5 de outubro.

Marina nem comenta a possibilidade de se filiar a outro partido Na entrevista de ontem, dirigentes da Rede voltaram a reclamar de problemas burocráticos dos cartórios eleitorais e do índice de rejeição aos nomes apresentados – segundo a Rede, de 24% no País. Segundo eles, vários nomes foram barrados pelos cartórios por motivos não previstos em lei, além de mais da meta-

de terem descumprido o prazo legal de 15 dias para análise das assinaturas. Por isso, os advogados da sigla afirmaram que enviarão até hoje aos 27 Tribunais Regionais Eleitorais pedido para que determinem aos cartórios a certificação das assinaturas com prazo de análise vencido em até 72 horas. (Folhapress)

POLÍCIA FEDERAL

SECRETARIA DA SAÚDE AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL Torna público que realizará no dia e hora a seguir determinado: Pregão Presencial nº 269/2013 - Processo nº 2013-0.154.623-9 Objeto: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO PREVENTIVA E CORRETIVA DE CABINES PRIMÁRIAS E SECUNDÁRIAS SEM FORNECIMENTO DE PEÇAS, PARA AS UNIDADES PERTENCENTES À AUTARQUIA HOSPITALAR MUNICIPAL. Data Abertura: 03/10/2013 - às 09:00 horas. Endereço:Rua Frei Caneca,1398/1402,2º andar - Consolação - São Paulo - Capital. Custo do Edital: R$ 7,35. O edital do pregão poderá ser consultado e/ou obtido no site: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br ou no Núcleo de Licitações da Autarquia Hospitalar Municipal, situada na Rua Frei Caneca, 1398/1402 - 9º andar - Consolação - São Paulo - Capital, das 9:00 às 16:00 horas, aquisição mediante depósito em nome da Autarquia Hospitalar Municipal - Conta-Corrente: 5.415-1 - Agência: 1.897-X -Banco do Brasil - (Apresentar comprovante do depósito).

J.Duran Machfee/EC

Operação apreende Ferrari e lancha Desde o início da manhã de ontem, 300 policiais cumpriram 102 mandados judiciais no DF e em 9 Estados.

A

Polícia Federal prendeu ontem de manhã dois delegados da Polícia Civil do Distrito Federal, um expolicial e um doleiro suspeitos de participar de esquema de lavagem de dinheiro e desvio de recursos de fundos de pensão que teria movimentado R$ 300 milhões em 18 meses. A polícia ainda procura 10 pessoas alvos de mandado de prisão, segundo balanço parcial. A PF informou que até o fim da manhã 17 pessoas foram presas, sendo 14 no Distrito Federal, dois no Rio de Janeiro e um em Goiás. Desde o início da manhã, mais de 300 policiais cumpriram um total de 102 mandados, sendo 5 de prisão preventiva, 22 de prisão temporária e 75 de busca, no Distrito Federal e em nove Estados. Foram apreendidos documentos, computadores e car-

ros de luxo, entre eles, um Por- ressuscitada". Em 2008, escuche no Rio de Janeiro e uma tas flagraram Fayed pedindo Ferrari em Brasília, além de ajuda a Toledo para que ele uma lancha avaliada em R$ 5 usasse os contatos no govermilhões. no para desEntre os cobrir se o dopresos em leiro era Brasília estão grampeado. o doleiro T o l e d o F a y e d T r atambém foi boulsy e o exgravado num milhões: esse foi o policial civil dos vídeos da movimento do Marcelo ToleCaixa de Pando. Ambos dora, que esquema de lavagem s ã o i n v e s t iapurou o Mene desvio de dinheiro gados desde salão do DEM 2008, numa n o D F , p e rde fundos de operação guntando soprevidência de chamada de bre dinheiro servidores Tucunaré do então vice(peixe grangov erna dor de) por lavaPaulo Octávio gem e remessa ilegal de di- que seria dado a prefeitos. nheiro para o exterior. Fayed fora preso em março, em Investigadores disseram operação da polícia do DF. que a operação deflagrada onOs advogados de Toledo e tem é a "operação Tucunaré Fayed estiveram na superin-

300

tendência da PF, tentando soltar os clientes. Ambos têm pedidos de prisão temporária e provisória. A defesa afirma que as atividades deles são legais. "São duas organizações distintas com membros em comum, por isso deflagramos uma única operação. Os líderes são os mesmos e ficam em Brasília", explicou a delegada responsável pela operação, Andréa Pinho. Segundo a PF, a operação Miquéias começou há um ano e meio para apurar uso de contas bancárias de empresas de fachada ou fantasmas, abertas em nome de "laranjas" ou "testas-de-ferro", para ocultar a verdadeira origem do dinheiro e também os beneficiários de saques de R$ 300 milhões. Foram identificadas 30 empresas de fachada, 35 "laranjas", 7 sacadores contumazes e 4 eventuais. (Folhapress)


p

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

olítica

DIÁRIO DO COMÉRCIO

7

Desta vez estávamos tão perto. Mas eles (Brasil e EUA) não sabem como lidar um com o outro. Moises Naim, do Carnegie Endowment for International Peace

Kevin Lamarque Reuters

T

odas as vezes que Brasil e Estados Unidos chegam ao altar, o teto da igreja parece desabar. Em 1982, o presidente norte-americano Ronald Reagan veio ao Brasil para um banquete planejado para sinalizar uma nova era nas relações entre os dois maiores países das Américas. Mas quando Reagan ergueu a taça de vinho e brindou ao "povo da Bolívia", a situação pareceu confirmar os piores temores dos anfitriões: que os EUA viam o Brasil só como mais um país pobre na região tida como seu quintal. Esta semana, a esperança de um avanço desmoronou novamente, e de um modo ainda mais dramático. A decisão da presidente Dilma Rousseff de cancelar sua visita de Estado à Casa Branca, o único evento formal desse tipo planejado para Washington este ano, é um revés embaraçoso que provavelmente vai brecar a cooperação no comércio, assuntos regionais e outras questões nos próximos anos. Dilma, esquerdista pragmática, ficou indignada com as recentes revelações de que a Agência de Segurança Nacional dos EUA (NSA: sigla em inglês) espionou suas comunicações particulares, bem como a de seus principais assessores. Embora os dois países continuem a manter de modo geral relações cordiais, Dilma plaCom o cancelamento da visita de Dilma à Casa Branca, a relação entre dois países estremeceu. neja adotar algumas medidas retaliatórias, incluindo novas taxações e normas onerosas para companhias norte-ame- resses dos EUA nas recentes De seu lado, os EUA espera- ca monetária expansionista. atrás era o principal conselheiricanas de Internet operando descobertas brasileiras de pe- vam que ao estender o tapete À medida que a visita se ro de Obama para a América no Brasil, e o afastamento da tróleo no pré-sal. "Mas eles não vermelho para Dilma os ouvi- aproximava, algumas autori- Latina. Restrepo afirmou que, possibilidade de compra de sabem como lidar um com o dos dela ficariam mais atentos dades brasileiras demonstra- com a possível exceção da Arcaças da Boeing, segundo dis- outro. Há razões para que isso em várias questões, acima de vam preocupação pelo fato de gentina, nenhum outro país na seram autoridades à Reuters. continue acontecendo." tudo para garantir melhor os EUA estarem dando ênfase América Latina teve líderes Dilma afirma que a espionaacesso para as empresas nor- excessiva ao comércio. que tenham passado tão pougem é "incompatível" em relaCOMÉRCIO, FOCO DOS EUA te-americanas ao imenso Ficou claro também que a co tempo nos EUA. cionamento entre aliados, e Os dois países tinham gran- mercado de 200 milhões de viagem não traria avanço em As autoridades brasileiras disse a assessores que não há des esperanças para o evento consumidores brasileiros ca- duas antigas metas do Brasil: têm queixa semelhante: que, sentido em levar adiante uma de 23 de outubro, que incluiria da vez mais vorazes. remoção da exigência de visto com exceção de uns poucos viagem cuja ostensiva finali- jantar black-tie na Casa Branca Devido à alta carga tributá- para brasileiros que viajam cargos importantes, a política dade é simbolie saudação mili- ria, o Brasil tem a economia do p a r a o s E U A e de Washington zar o crescente tar para Dilma. Ocidente mais fechada ao co- a p o i o n o r t e para a América respeito. Para o Brasil, a mércio. Quando o vice-presi- americano para Latina é dominaO c a n c e l avisita confirma- dente norte-americano, Joe a campanha do da por veteranos mento de uma viria o fato que, de- Biden, visitou o Brasil, em Brasil por um asda guerra fria Eles são Os nortesita de teor tão pois de um boom maio, ele instou o País a aban- s e n t o p e r m aque falam espadois países americanos não elevado, apesar econômico nos donar essas barreiras se qui- nente no Consenhol, que entenque têm ideia de de apelos de últiúltimos 20 anos, ser se tornar um aliado estra- lho de Segurandem de Cuba ou ma hora de Bara- fundamentalmente o País chegara à tégico dos EUA. ça das Nações Guatemala, mas como é duro ser ck Obama a Dilcondição de po"Cabe ao Brasil decidir se Unidas. não compreennão entendem pró-americano ma, aborreceu tência mundial quer seguir este caminho e dem as nuances um ao outro. no Brasil. autoridades dos digna da mais al- agarrar as oportunidades", " FANTASMAS de seu país-conDAN RESTREPO dois países. Além FONTE ANÔNIMA ta honra cerimo- declarou Biden. VOLTARAM" tinente. disso, causou n i a l e m Em retrospecto, esse coDiplomatas Nesse contextambém uma coWashington. mentário pode ter refletido esperavam que t o , a s r e v e l anhecida sensação de desaponDilma esperava que a via- uma questão que tem conta- a viagem desse ao menos a ções da NSA pareceram explotamento entre observadores gem abrisse nova onda de in- minado as relações Brasil- chance aos líderes de estabe- rar as piores suspeitas dos que há muito tempo tentavam vestimentos dos EUA na maior EUA: expectativas irrealistas. lecer laços duradouros nos dois países, um sobre o outro. fincar melhores relações entre economia da América Latina, Como a maioria dos políti- jantares oficiais costumeiros O Brasil encarou a espionaas duas democracias gigantes que enfrenta dificuldades des- cos brasileiros, Dilma nutre em visitas de Estado. Mas ha- gem, que também incluiu o e similares em sua história de de que ela assumiu a Presidên- profunda desconfiança pelo li- via um problema com esse monitoramento da estatal Pecadinho multirracial. cia, em 2011. Uma foto oficial vre comércio, especialmente plano, que remonta a um ou- trobras, como outro sinal de Em outro exemplo recente com Obama também iria bran- nos termos defendidos por tro antigo obstáculo. que os EUA são uma arraigada de um momento promissor dir suas credenciais modera- Washington. Em várias oca"Eles são dois países que superpotência que fará qualque de algum modo desan- das, num momento em que se siões, acusou os EUA de infla- fundamentalmente não en- quer coisa para bloquear a asdou, Obama fez um grande prepara para tentar uma a re- rem injustamente suas expor- tendem um ao outro", disse censão de outras. Enquanto alarde em 2011 ao levar sua eleição no ano que vem. tações por meio de uma políti- Dan Restrepo, que até um ano isso, muitos em Washington mulher e filhas em uma viaSebastião Moreira/ EFE gem ao Brasil, anunciando "cooperação ainda maior nas décadas que virão". Mas muitas autoridades brasileiras sentiram que, ao chegar tarde ao Palácio do Planalto porque estava coordenando os ataques dos mísseis norte-americanos na Líbia, Obama estava dando um clássico sinal do pouco caso de uma potência imperial. Moises Naim, membro sênior do Carnegie Endowment for International Peace, Washington, disse que a visita oficial teria sido uma grande oportunidade de jogar tais episódios para o passado e superar um longo legado de desconfiança. "Desta vez estávamos tão perto. Não há outros dois países que pudessem estabelecer tamanho progresso tão rapidamente como Brasil e EUA", disse Naim. Ele citou o potencial para acordos de comércio bilaterais e regionais, cooperaEXILADO FALA DE LIBERDADE NA INTERNET – O fundador do portal WikiLeaks, Julian Assange (na tela), participou, na quarta-feira ção com lugares politicamente à noite, de videoconferência no Centro Cultural São Paulo. Autor de 'Cypherpunks: liberdade e o futuro da internet', publicado este ano pela conflituosos na América Latieditora Boitempo, Assange – que é editor, jornalista e ativista – vive como asilado político na embaixada do Equador, em Londres. na, como Venezuela, e os inte-

Amantes infelizes, Brasil e EUA se frustram.

O Brasil pareceu petulante. Não é assim que se espera que grandes potências se comportem. CHRISTOPHER SABATINI

consideraram a reação de Dilma às revelações – que abrangia uma exigência de desculpas e um relato completo sobre as atividades do setor de inteligência dos EUA – como nova evidência do senso exagerado de importância por parte do Brasil e ingenuidade sobre o que significa ser uma grande potência mundial. "Todos os fantasmas voltaram", disse Carlos Eduardo Lins da Silva, editor da revista Política Externa. De qualquer forma, os dois governos deram suficiente valor à visita para buscar uma solução, até que chegaram ao amargo final. Apesar de ter outras prioridades, em especial, a Síria, Obama passou 45 minutos com Dilma em uma cúpula na Rússia, em 5 de setembro, para tentar minimizar as preocupações dela. E também telefonou na segunda-feira. Dilma também tentou uma solução. Mas ela acreditava ser necessário um gesto mais forte e público de Obama para tornar a viagem politicamente viável – para impedir que a poderosa ala esquerda do PT a atacasse, tachando-a de fraca. "Os norte-americanos não têm ideia de como é duro ser pró-americano no Brasil", disse um importante funcionário ligado a Dilma. AS CONSEQUÊNCIAS O esforço de última hora elevou ainda mais os riscos e ajuda a explicar por que o desentendimento pode durar algum tempo. E, a curto prazo, haverá consequências para os dois lados. Dilma propôs nova lei para forçar o Google, a Microsoft e outras companhias estrangeiras de Internet a arquivar as informações recolhidas localmente em servidores do Brasil. O projeto tem como objetivo melhorar a segurança na Internet e também retaliar os EUA pela espionagem, disseram autoridades brasileiras. Dilma provavelmente vai expressar maior oposição ainda à espionagem dos EUA, incluindo na Assembleia da ONU, este mês, segundo altos funcionários. Alguns acreditam que o modo como Dilma conduziu o episódio solidifica as noções de que ela é incapaz de inserir o Brasil mais plenamente no mundo, tanto estratégica como economicamente. Essa é uma impressão que pode permanecer por muito tempo entre empresas estrangeiras interessadas em investir no Brasil, bem como outros governos. "O Brasil pareceu petulante", disse Christopher Sabatini, editor da revista Americas Quarterly. "Não é assim que se espera que grandes potências se comportem." Restrepo, o ex-assessor de Obama, afirmou pensar que a política interna brasileira foi o principal motivo para a não realização da viagem de Dilma a Washington. Mas ele também afirmou que o episódio pode, finalmente, enterrar a ideia "desenfreadamente simplista" de que os dois países são destinados a um casamento diplomático por compartilhar alguns traços comuns. "Boa parte do que leva as pessoas ao altar é aquela compreensão superficial", disse Restrepo. "E então eles olham um para o outro e dizem: 'humm, talvez, afinal, não tenhamos tanto em comum'".


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

O encanto da chanceler de ferro

nternacional

Alavancada pela economia, Angela Merkel deve ganhar um terceiro mandato na Alemanha.

A

dois dias das eleições gerais na Alemanha, a chanceler Angela Merkel aparece como favorita nas pesquisas, oito anos após chegar ao poder como uma líder atípica e transformada agora em arquétipo do sangue frio e do domínio absoluto, em escala alemã e internacional. Conhecida como "chanceler de ferro" ou "chanceler teflon", como foi apelidada porque nada gruda contra ela, Merkel desfruta de um mercado de trabalho estável, um desemprego em seu ponto mais baixo e em uma situação econômica saneada, sobretudo se comparada ao resto da Europa. Sua gestão diante da crise europeia, apesar da resistência dos países mais afetados, é vista na Alemanha como uma defesa dos interesses nacionais, e os membros da zona do euro reconhecem que ela pode impor na Europa sua receita de austeridade e reformas estruturais como caminho de volta ao sucesso. A chanceler lidera nas pesquisas, mas não deve ter maioria no Parlamento para manter a atual coalizão de centro-direita. Os dois partidos que integram o governo somam 44% das intenções de voto, segundo pesquisa divulgada pelo jornal Bild. A União Democrata Cristã (CDU, na sigla em alemão), de Merkel, oscilou um ponto para baixo e tem agora 38% das intenções de voto junto com sua sigla-irmã na Baviera, a União Social Cristã (CSU, na sigla em alemão). Principal aliado da chanceler, o Partido Liberal Democrata (FDP, na sigla em alemão) oscilou dois pontos para cima e agora tem 6%. Se confirmados nas urnas, os números devem obrigá-la a negociar uma "grande coalizão" com o Partido Social-De-

Fabrizio Bensch/Reuters Maxim Shipenkov/Reuters

Presidente russo defende ex-premiê em caso 'bunga-bunga'

Economia estável, sobretudo se comparada aos demais países europeus, deve garantir reeleição de Merkel mocrata (SPD, na sigla em alemão), de centro-esquerda. Força-tarefa - Mas a oposição social-democrata fez um apelo para que os eleitores indecisos votem no domingo e impeçam a reeleição da chanceler. Ela pode ser beneficiada por uma abstenção recorde de até 36%, segundo pesquisa da emissora pública ZDF. Historicamente, a abstenção prejudica a centro-esquerda. O SPD montou força-tarefa para caçar eleitores e visitará 900 mil casas até domingo. O prefeito de Berlim, Klaus Wowereit, reconheceu que a economia melhorou – o Produto Interno Bruto (PIB) alemão avançou 0,7% no segundo trimestre –, mas pediu que a militância ignore o favoritismo da rival. "A Alemanha está bem apesar da senhora Merkel, e não por causa dela", disse. O candidato da centro-esquerda, Peer Steinbrück, acusou a chanceler de fazer o pior governo desde a reunificação do país, em 1990, e dar as costas aos países europeus mais

afetados pela crise. Ele prom e t e u a mpliar a ajuda ao bloco. " S e a lguém pensa que a Al eman ha p o d e d i sputar a C o p a d o s C a mp e õ e s sozinha, sem seus parceiros europeus, está enganado. Sei que alguns s e p e rg u ntam se d e v emos ajudar. Mas houve um tempo em que quem teve ajuda fomos nós", disse ele, referindo-se ao pósSegunda Guerra. (Agências)

Tomas Bravo/Reuters

A

Confusão: racionamento de água e comida provoca filas em Acapulco.

PESADELO NO MÉXICO solado pelas fortes chuvas, o balneário mexicano de Acapulco se tornou um pesadelo para um grupo de 42 brasileiros, parte de cerca de 40 mil turistas retidos no local.

Wolfgang Ratta

y/Reuters

O

O partido FDP, do vice-chanceler Guido Westerwelle, integra a coalizão. Mas Merkel tentará atrair mais aliados. Reuters

No Egito, a batalha é por Kerdasa.

I

Se fosse gay, Berlusconi não seria julgado.

O caos pegou de surpresa uma guia turística, 38 idosos de Manaus, além de três estudantes brasileiros. O Itamaraty trabalha com o governo local para retirar o grupo. (Agências)

s forças de segurança egípcias deram início ontem a uma operação para retomar o controle de Kerdasa, nos arredores do Cairo, uma área dominada por islamitas onde uma delegacia de polícia foi atacada no mês passado. Houve confronto armado e um oficial da polícia foi morto. O oficial, Nabil Farrag, era assistente do secretário-geral de segurança da província de Gizé e morreu ao ser atingido por disparos (foto). Outros quatro oficiais ficaram feridos. A polícia está à procura de cerca de 140 suspeitos. (Agências)

presidente russo, Vladimir Putin, manifestou apoio a seu velho amigo Silvio Berlusconi, ontem, dizendo que o exprimeiro-ministro italiano não teria sido julgado por ter mantido relações sexuais com uma menor de idade se ele fosse homossexual. "Berlusconi está sendo julgado porque convive com as mulheres. Se ele fosse homossexual, ninguém iria levantar um dedo contra ele", disse ele em reunião com jornalistas e analistas russos. Berlusconi está ameaçado de ter cassado seu mandato de senador após condenação por fraude fiscal. Em processo separado, ele é acusado de ter pago por fazer sexo com uma exdançarina de cabaré quando ela era menor de idade. O comentário de Putin é

também uma referência às críticas que ele vem sofrendo por ter patrocinado uma lei proibindo a difusão de " p r o p a g a n d a h o m o s s exual" entre menores. Putin negou ontem que os homossexuais sejam discriminados em seu país. Segundo ele, a nova legislação "proíbe apenas a propaganda de relações sexuais não tradicionais entre menores" de idade e em nenhum momento "infringe os direitos das minorias sexuais". Putin observou que, ao passo que alguns países da Europa aprovaram a união gay, "os europeus estão morrendo... e casamentos gays não resultam em filhos". Ele defendeu que heterossexuais tenham mais filhos. "Deixem-nos fazer nossa escolha do jeito que for melhor para nosso país." (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

c

9

FALA, FRANCISCO

idades

Papa Francisco dá novo sopro liberal na Igreja Em entrevista feita para revista católica, argentino defende maior respeito às liberdades individuais das pessoas. Reuters

Não podemos insistir somente sobre as questões ligadas ao aborto, matrimônio homossexual e ao uso de contraceptivos. Isso não é possível.

Essa Igreja com a qual devemos conviver é a casa de todos e não a pequena capela que pode conter somente um grupinho de pessoas selecionadas. Não podemos reduzir o seio da Igreja universal ao ninho protetor da nossa mediocridade. E a Igreja é Mãe. A Igreja é fecunda, deve sê-lo.

Eu vejo com muita clareza que a coisa que a Igreja mais tem necessidade agora é a capacidade de curar feridas e de aquecer o coração dos fiéis, avizinhar-se, aproximar-se. Eu vejo a Igreja como um hospital de campanha depois de uma batalha.

Para o pontífice, Igreja Católica deve discutir e rever seus conceitos para que "não caia como um castelo de cartas e perca o perfume do Evangelho"

O

papa Francisco abriu a Igreja Católica para homossexuais, divorciados e para as mulheres que fizeram o aborto. "A religião tem o direito de exprimir sua opinião própria a serviço das pessoas, mas Deus na criação nos fez livres: a ingerência espiritual na vida das pessoas não é possível", disse o papa, em entrevista ao padre Antonio Spadaro, feita em agosto e publicada ontem pela revista jesuíta italiana La Civiltà Cattolica. A longa entrevista foi realizada em três sessões e divulgada simultaneamente ontem em publicações dos jesuítas em todo o mundo, traduzida para vários idiomas. Na matéria, Francisco amplia seus comentários inovadores sobre gays e reconhece alguns de seus próprios erros.

Ele falou sobre seus compositores, artistas, autores e filmes favoritos (Mozart, Caravaggio, Dostoiévski e "La Strada", de Fellini) e disse que reza mesmo quando está no consultório do dentista. Mas sua opinião sobre a Igreja destaca-se, principalmente, porque contrasta fortemente com muitas das prioridades de seus antecessores imediatos – João Paulo II e Bento XVI – que eram intelectuais, para quem a doutrina era suprema, uma orientação que guiou a seleção de uma geração de bispos e cardeais em todo o mundo. "Não podemos insistir somente sobre as questões ligadas ao aborto, matrimônio homossexual e ao uso de contraceptivos. Isso não é possível." A reforma mais importante para ele, não é, pois, a admi-

nistrativa da Igreja. Mas a que deve abrir a Igreja aos feridos. "Eu vejo a Igreja como um hospital de campanha depois de uma batalha." Seus comentários foram elogiados por católicos liberais, mas devem ser vistos com preocupação por conservadores. Para Francisco, a Igreja deve "encontrar um novo equilíbrio". "De outra forma até o edifício moral da Igreja corre risco de cair como um castelo de cartas e de perder a frescura e o perfume do Evangelho." Em julho, no voo de volta a Roma, depois de participar da Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, o papa argentino já havia surpreendido ao afirmar que o catecismo da Igreja "diz que eles (gays) não devem ser discriminados por causa disso, mas devem ser integrados na sociedade."

"Quem sou eu para julgar os gays?", afirmou, na ocasião, com a frase mais contundente de um papa sobre o tema. Francisco, o primeiro jesuíta a se tornar papa, foi entrevistado pelo editor da Civiltà Cattolica, reverendo Antonio Spadaro, durante três dias no hotel do Vaticano onde Francisco escolheu viver. O Vaticano examinou todo o conteúdo da publicação e o papa aprovou a versão em italiano da matéria. Nada do que Francisco disse indica qualquer mudança real nos ensinamentos, mas ele também acenou com a possibilidade de um maior envolvimento das mulheres na Igreja. Deixou claro, no entanto, que isso não incluirá a ordenação de mulheres. (Agências) Leia a íntegra da entrevista do papa em www.dcomercio.com.br

Nelson Antoine/Estadão Conteúdo

Ó RBITA

CRACK: NORDESTE CONCENTRA USUÁRIOS.

M

Esquina da Avenida Brigadeiro Faria Lima com Rua dos Pinheiros

Chuva em São Paulo apaga semáforos de novo

A

cidade de São Paulo amanheceu ontem com 86 semáforos funcionando irregularmente (amarelo piscante) ou quebrados, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET). Às 8h, eram contabilizados 49 equipamentos funcionando no modo amarelo intermitente e 37 apagados. Uma hora depois, o número de semáforos com defeitos subiu para 119. O problema é comum na Capital após algumas horas de chuva, como ocorreu na madrugada de ontem. No total, de acordo com a CET, há mais de 6.100 cruzamentos semafóricos em São Paulo. A Prefeitura pretende reformar, até dezembro deste ano, 1.995 semáforos nas ruas da ci-

dade. Serão instalados equipamentos que evitam panes como as que aconteceram ontem. O serviço já está sendo feito e ao menos 233 semáforos foram restaurados. A ideia, segundo a CET, é trocar os cabos de alimentação dos controladores e das botoeiras de pedestre, além da instalar dispositivo de proteção contra descargas atmosféricas. A companhia ainda pretende aterrar algumas partes do sistema para evitar curto-circuitos. Após reformados, se estiverem em pane, os semáforos precisam ser consertados em, no máximo, duas horas após a constatação da ocorrência de defeitos, informou a CET. (Agências)

aior pesquisa já feita no País sobre o crack, divulgada ontem, revela que 40% dos usuários regulares da droga ou similares (pasta base, merla e oxi) que vivem em capitais (370 mil pessoas, no total) estão concentrados no Nordeste. Segundo os dois estudos realizados pela Fiocruz, sob encomenda da Senad (Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas), a segunda região com maior número absoluto de usuários é a Sudeste, com 113 mil, ou 30,5%. O estudo mediu outra condição de vulnerabilidade: o uso do crack por menores de 18 anos. Dos 370 mil usuários regulares, 50 mil são crianças e adolescentes. (Folhapress)

O confessionário não é uma sala de tortura, mas o lugar da misericórdia no qual o Senhor nos estimula a fazer o melhor que podemos. Penso também na situação das mulheres que tiveram sobre os ombros um matrimônio falido no qual até mesmo tenham abortado.

O povo de Deus precisa de pastores e não funcionários ou clérigos de Estado. O que importa é saber como estamos tratando o povo de Deus.

Eu sou um pecador. Esta é a definição mais justa. E não é um modo de dizer, um gênero literário. Sou um pecador. Sim, posso dizer que sou um pouco esperto, sei me mover, mas é verdade também que sou ingênuo.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

idades Paulo Pampolin/Hype

Cowboys fazem arrasta-pé em SP Baile amanhã vai marcar os 36 anos do Clube Amigos do Western Valdir Sanches

O

xerife Diamantino da Silva seguramente não vai precisar disparar seu rifle para reprimir brigas, tiros, garrafas arremessadas contra os espelhos do saloon. Os cowboys que estarão lá para dançar, amanhã, no começo da tarde, são pessoas educadas, a maior parte sem idade para arruaças. Na verdade, nem cowboys são. O baile comemora os 36 anos do Clube Amigos do Western, um grupo de cinéfilos da cidade apaixonados por filmes do gênero. Um dos sócios, Dédy Edson, é dançarino. Vai ensinar aos outros os passos de uma “quadrilha abrasileirada”, parente daquelas que se dançam em festas juninas. Edson Sespede, o Dédy, não fica só nisso. Acha que esse será “o primeiro baile country do Brasil.” Pelo menos em suas características. Música embalada por banjo, como a dos filmes de bangue-bangue. E os pares vestidos a caráter. Neste ponto, o da vestimenta, não há muita novidade. Para as sessões de cinema, toda tarde de sábado, os sócios comparecem com o mesmo traje dos personagens dos filmes. Então, veem-se cowboys com chapéu, lenço no pescoço, revólveres e rifles, na tela e na plateia. As armas destes pelo menos não dão tiro, nem de festim; são de plástico. Diamantino ostenta no peito a estrela de xerife. Tem o posto porque foi dele a ideia de

criar o clube, em 1977. Vai dançar, no baile? “Estou pronto para isso!”, responde, firme em seus 87 anos. É viúvo, quem será seu par? “O par sempre aparece.” Dédy Edson é mais novo, 76 anos. Seu par pode ser uma amiga, ou sua própria irmã, Elizabeth Gomes. Se pudesse, Elizabeth seria Jane Powell, estrela da comédia musical Sete Noivas para Sete Irmãos, de 1954, em que os sete pares dançam magistralmente em

Os convidados vão com suas roupas típicas, e há até mexicanos com seus sombreiros. Só não tem cavalo. DÉDY EDSON cenário country. “Até hoje é o meu preferido”, diz ela, antes de começar a ensaiar passos com o irmão. O baile organizado por Dédy é apenas uma festa de aniversário. Mas ele quer que seja um belo momento. Para isso até reuniu os participantes e ensinou-lhes os passos da quadrilha. O som do banjo virá de um CD, a menos que conseguisse o interesse de um músico camarada. O local... Bem, o local é a atual sede do clube, na rua Santa Cruz, 1584, Vila Gumercindo, zona sul (telefone 5063-3145). Aqui, há dezesseis anos, uma pequena ca-

sa de fundos teve as paredes internas demolidas, para dar lugar à plateia da nova sede (antes tinham uma sala no Cine Clube Bandeirantes, na Aclimação). Cadeiras de segunda mão, compradas de um cinema antigo, equiparam a sala. Restou ainda um “puxado”, que serve de área social, e onde são feitos pipoca e café para as seções de cinema. Mas, fora do conjunto, há uma boa área livre. Ali (e não em um saloon, afinal) será o baile, se não cair um pé d’água. Se cair, enquanto esperam passar, os dançarinos poderão assistir a um bom filme de faroeste. Vilões – Ou ler gibis, se Dédy ou Diamantino, grandes colecionadores, levarem alguns. Nos quadrinhos estarão os mesmos heróis das telas. Roy Rogers, que enfrentava os vilões com seu cavalo Trigger e o cachorro Bullet. Ou Cisco Kid e Diablo, o cavalo, mais Pancho, o fiel amigo. Não poderão faltar, naturalmente, o Cavaleiro Negro, Bufalo Bill e Ney Foguete. Este não é um cowboy, mas um herói espacial criado por Diamantino. Pois o xerife de brincadeira, ex-professor de desenho e artes gráficas da Fundação Armando Álvares Penteado, FAAP, criou personagens e editou revistas de HQ, histórias em quadrinhos e livros. Aos sábados, às nove horas, apresenta o programa Mocinhos e Bandidos, pela TV Ger a ç ã o Z ( w w w . t v g e r acaoz.com.br). Mas os encontros com os outros “cowboys” para assistir aos filmes parecem ser a sua predileção.

Edson Sespede, o Dédy, acha que a festa na Vila Gumercindo será “o primeiro baile country do Brasil". Agora, além do cinema, às vezes há atrações ao vivo. “Convidamos músicos que se apresentam no centro da cidade, conjuntos de bolivianos ou nordestinos.” Os convidados vão com suas roupas típicas e há até mexicanos com seus sombreiros. “Só não tem cavalo”, avisa Diamantino, bem-humorado. Nos gibis de Dédy Edson também destaca-se um herói sem chapéu. O Fantasma, criado em 1936 por Lee Falk, é uma paixão que traz da infância. “Sou o maior colecionador e pesquisador do Fantasma no País”, assegura. Criou um fanzine, uma publicação artesanal, com a história da dinastia dos 21 Fantasmas. Professor de dança – O fascínio pelos cowboys não fica atrás. Dédy conta que tem cinco mil CDs de filmes antigos, com destaque para dança e faroeste, além de coleções de gibis e revistas (veja em hemer o t e c a d o t a t u a p e . b l o g spot.com.br). Aprendeu a dançar com o pai, Mister Jack, que imitava Al Jolson, em O Cantor de Jazz, o primeiro filme fala-

do, de 1927. Dédy fez shows, participou de filmes, e é professor de dança de salão. John Wayne – Enquanto o filme não começa, fala-se sobre os heróis que aparecem nos filmes. O repórter do DC chegou com um nome na cabeça, quando esteve no clube, há certo tempo. O nome: John Wayne (1907-1979). O ator de No Tempo das Diligências (1939), com seu corpanzil de 1,92 metro de altura, e sua marcante presença em cena, parecia unanimidade como maior cowboy de todos os tempos.

Heróis de filmes de faroeste ilustram também revistas em quadrinhos do colecionador Mas não foi assim. Um dos sócios veio com esta: “Para começar, Wayne tinha medo de cavalo”. Alguns outros o consideravam da geração dos “glamourizados” de Hollywood. Sem a autenticidade dos atores do cinema em preto e branco, que está na raiz dos filmes de faroeste. Uns anos antes, no entanto, o clube promovera uma eleição para escolher seu patrono. Quem ficou com o primeiro lugar? John Wayne.

TOCA RAUL!

S

Arquivo pessoal

ylvio Passos, 50 anos, que fundou o Fã Clube Raul Seixas aos 17, fala da grande surpresa que o cantor Bruce Springsteen apresentou no seu show de anteontem no Espaço das Américas. Metrópole – Você soube que Bruce Springsteen ia cantar Sociedade Alternativa? Raul Seixas e Sylvio Passos, que fundou o Fã Cube Raul Seixas há 33 anos. Sylvio Passos – Houve um zum-zum na quarta-feira à tarde. Talvez vez melhor. É uma forma de Ambos estavam lendo Bruce tenha se inspirado na tornar Raul presente. muito o Aleister Crowley homenagem do Rock in Rio ao Metrópole – Por que você acha (1875-1942)* e foram muito Raul na noite do que Bruce escolheu influenciados por ele. sábado. Mas Sociedade *O inglês Aleister Crowley foi também acho que Alternativa? uma espécie de bruxo que criou é por causa do Sylvio Passos – uma corrente esotérica chamada movimento Toca Talvez por ser fácil Lei de Thelema, que anunciava a Raul, que cada vez de cantar e por Nova Aeon, período da busca de cresce mais. ter um arranjo nova espiritualidade do ser Metrópole – O sem maior humano, com duração de 2.000 que vem a ser esse complexidade. E é anos, iniciado em 1904. Alguns dos movimento? o tipo de música principais conceitos aparecem na Sylvio Passos – Há muito que levanta a galera. Também canção: Faz o que tu queres/Há de tempo, em todo show de rock no não podemos esquecer que ser tudo da Lei; Todo homem, toda mundo sempre alguém grita Raul terminava todos os seus mulher é uma estrela. Dizia ser a "Toca Raul". Eu já vi isso shows com Sociedade Alternativa. besta do Apocalipse e, além de muitas vezes, inclusive em Era como se fosse Raul, foi referência shows do Paul McCartney. um ritual. para outros Essa expressão começou Metrópole – A roqueiros como a ser usada logo depois da morte música é de 1974, Black Sabbath e de Raul, em agosto de 1989. não é? Beatles. A propósito, Nasceu espontaneamente. Sylvio Passos – sua foto aparece na Ela faz lembrar aquele costume Ela foi composta capa do disco Sgt. dos argentinos em dizer que por Raul e Paulo Pepper's Lonely Carlos Gardel canta cada (Coelho) em 1973. Hearts Club Band.

VOAR PARA QUE? E PARA ONDE?

H

oje é o Dia da... Se alguém decidir festejá-lo corre o risco de se passar pelo sujeito que contou piadas em velório, pois o homenageado é a Pomba da Paz. Basta pensar nas armas químicas da Síria – sem falar do Afganistão, Iraque, Iêmen e outras guerras por ai – para constatarmos a impropriedade da data. Aliás, na semana passada, o Diário do Comércio mostrou, sugerindo uma alegoria sinistra, uma profusão de pombas mortas pelo gás sarin em Damasco. Em todo caso, a pomba da concórdia continua insistindo em cruzar os céus. Iniciou seu voo no Gênesis, conforme está anotado. "Ao entardecer, a pomba voltou para Noé trazendo no bico um ramo novo de oliveira. Desse modo, Noé ficou sabendo que as águas tinham escoado da superfície da

Terra. Noé esperou mais sete dias e soltou novamente a pomba, que não voltou mais". Em 1949 ela ganhou forma

através dos traços do pintor Pablo Picasso (1881-1973). Ele a fez para o Congresso da Paz, realizado em Paris, por iniciativa de intelectuais franceses e

poloneses, ainda sobre o impacto das atrocidades da Segunda Guerra Mundial. Cartazes com o seu desenho cobriram toda a capital francesa. Simultaneamente mereceria um companheiro, o símbolo da paz (à esq.) criado pelo inglês Gerald Holtom (1914-1985) no calor dos movimentos contra as armas nucleares em início dos anos 50, e popularizado pelo movimento hippie, o qual Lady Gaga traz tatuado no pulso esquerdo. No momento, porém, a pomba está pousada, sem previsão de bater asas. Isto é uma ironia, pois, ao sabor da natureza, uma pomba pode voar até 300 km em um dia, sem escala. Outra ironia: a medicina sanitária informa que, em nossos dias, pombas podem transmitir ao homem cerca de 57 doenças. Este mundo vai tão mal que até as doces pombinhas estão perdendo a inocência.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

11

d

cultura

O VINHO ÉTICO DA SICÍLIA José Guilherme R. Ferreira

O

O ESPETÁCULO DA ALVIN AILEY

A

Companhia Alvin Ailey American Dance Theater se apresenta na Cidade até domingo (22) no Credicard Hall. Coreografias espetaculares misturam elementos da cultura afro-americana com a dança americana moderna. O programa inclui Revelations foto), de Alvin Ailey. Outras coreografias: Petite Mort (Jirí Kylián);

Takademe (Robert Battle): Grace (Ronald K. Brown); From Before (Garth Fagan); Strange Humors (Robert Battle);Minus 16 (Ohad Naharin). O Alvin, criado em 1958, foi visto no Brasil pela primeira vez há 50 anos: sucesso. Uma nova geração de bailarinos, versáteis, excepcionalmente ágeis e flexíveis, continua dançando com

ímpeto, de forma arrebatadora nada a ver com as sutilezas do clássico. Mas em nenhum momento há banalidade. A dança moderna de Alvin nos remete, às vezes, às coreografias atléticas de Gene Kelly. Credicard Hall. Avenida das Nações, 17955. Tel.: 4003-5588. Sábado (21), 21h. Domingo (22), 16h e 20h. R$ 50 a R$ 320. (MMJ )

Sony Pictures/Divulgação

Wagner Moura e Matt Damon: ação em 2154.

Elysium, a estreia da semana. Lúcia Helena de Camargo

M

isto de ficção científica, ação e aventura, Elysium (EUA, 110 minutos) chega ao País tendo como principal atrativo o fato de ter os atores brasileiros Wagner Moura e Alice Braga entre os personagens principais. Protagonizado por Matt Damon, o filme traz uma distopia que lembra o início da animação WallE. No ano de 2154, a Terra está poluída, cheia de lixo e habitada por pessoas doentes, que se amontoam em favelas e são obrigadas a

trabalhar em locais desumanos e abusivos para garantir a subsistência. Enquanto isso, há Elysium, a estação espacial na qual vivem os ricos. Ali as casas são enormes, limpas e confortáveis; as ruas, arborizadas, e ninguém se preocupa com doenças, já que há máquinas capazes de curar de resfriado a câncer. Damon é Max, um dos moradores da Los Angeles arruinada. Alice vive Frey, sua amiga de infância, que se tornou enfermeira e

tem uma filha com uma doença terminal. Moura encarna Spider, uma espécie de hacker mercenário, que comanda computadores capazes de burlar o sistema e se infiltrar em Elysium. Segundo longa-metragem do sul-africano Neil Blomkamp (o primeiro foi Distrito 9), é um filme de ação com algo mais. "Questões importantes são discutidas. Talvez plateias do terceiro mundo consigam compreender melhor", resume Moura.

jornal italiano Corriere della Sera batiza de ético o vinho produzido pela vinícola Centopassi na Sicília. Isso porque trata-se de um vinho feito com uvas que nascem em terras confiscadas de mafiosos. É considerado ético também porque é elaborado na esteira da cultura biológica, natural, que respeita o meio ambiente e, principalmente, a tradição dos viticultores da região. Mas o apelo dessa origem – “terras dos chefões da Cosa Nostra” – por si só não bastaria para que os vinhos alcançassem tanto sucesso, como vem acontecendo em grandes feiras internacionais. “A nossa ideia fixa agora é a busca da excelência”, disse ao Corrieri o jovem Francesco Galante, que comanda a Centopassi, o braço vinícola da Libera Terra. O site da inglesa Jancis Robinson tem sido generoso com esses vinhos sicilianos enquanto outros críticos são unânimes em apontar os avanços na qualidade da bebida. As 200 mil garrafas produzidas pela Centopassi são vendidas na Europa, mas já chegam aos Estados Unidos e ao Japão. Nada mal para uma vinícola que teve sua primeira colheita em 2006. A Centopassi é resultante da fusão de três cooperativas (Libera Terra, Cooperativa Sociale Pio La Torre e Cooperativa Sociale Placido Rizotto) e trabalha em 90 hectares de vinhedos na região de Palermo e também na província de Trapani e Agrigento, terras legalmente confiscadas pelo estado italiano e confiadas a organizações populares. Além das uvas e dos vinhos, a Centopassi produz pastas, azeite e cultiva legumes. A Itália, em conjunto com a União Européia, já investiu 1,2 bilhão de euros em projetos de reaproveitamento e integração das terras dos mafiosos à economia formal na Sicília, mas também na Calábria, Puglia e Campânia. O governo não nega que está interessado nos empregos que as iniciativas podem gerar. No início do ano passado, foram notícia os investimentos do banco Unicredit feitos na recuperação de 150 hectares de vinhedos perto de Palermo, de propriedade de Michele Grego, o papa, morto na prisão em 2008, sentenciado por vários assassinatos, entre eles o do general Carlo Alberto Dalla Chiesa, conhecido pelo combate à máfia. Na descrição técnica de seus vinhedos, a Centopassi faz questão de incluir originais itens que mostram seu engajamento político. Nos vinhedos de Scheda Vigna Pietralunga, em Monreale, anuncia que as variedades grillo e chardonnay estão em terras de Simonetti, do clã dos Riina. A Scheda Vigna Muffoletto, onde se cultiva a trebbiano toscano, foi confiscada de Genovese, da família mafiosa de Giovanni Brusca. Alguns personagens da luta contra a máfia também aparecem nas fichas técnicas de seus vinhos varietais. O Rocce di Pietra Longa Grillo Terre Siciliane IGT 2012 (100% da uva Grillo) foi dedicado a Nicoló Azoti, sindicalista de Baucina, assassinado pela máfia, “para que sua memória possa ser difundida de maneira indelével na nossa consciência”. Terre Rosse di Giabbascio Catarratto Terre Siciliane IGT 2012 (vinho com certificação biológica) homenageia o diri-

gente comunista Pio La Torre, “por sua incessante luta pela paz e pela justiça”. Tendoni di Trebbiano Sicilia IGT 2011 é dedicado a “todos os cidadãos que, conhecendo a arrogância e violência da máfia, tiveram a coragem de reagir e levantar a cabeça restituindo dignidade e esperança à própria terra”. Giuseppe Peppino Impastato é um deles. Argille di Tagghia Via Nero d’Avola Terre Siciliane IGT 2012 faz uma homenagem especial a esse jovem morto pela máfia, “cujas ideais continuam apaixonando quem ama a liberdade”. O próprio nome da vinícola Centopassi (cem passos, em português) foi e m p r e s t a d o d o f i l m e I C e n t o Pa ssi(2000), de Marco Tullio Giordana. O filme conta a história de Peppino, que enfrentou um chefão que morava a cem passos da sua casa. O jovem militante antimáfia que lutava via rádio a partir de Cinisi foi morto em 1978, du-

rante campanha como candidato à prefeitura da sua cidade. Gaetano Badalamenti, mafioso traficante de heroína, mandou amarrar o corpo de Peppinonum trilho de ferrovia e o explodiu com TNT. P.S.: Vale a pena ler Palmento – A Sicilian Wine Odyssey (University of Nebraska Press/2010), no qual Robert V. Camuto dedica um capítulo inteiro a suas andanças por Corleone e toda Sicília e os primeiros passos da Centopassi.

José Guilherme R. Ferreira é membro da Academia Brasileira de Gastronomia (ABG) e autor do livro Vinhos no Mar Azul – Viagens Enogastronômicas(Editora Terceiro Nome)

PIANISTA-COMPOSITORA A pianista venezuelana Gabriela Montero interpreta obras de Brahms (Três Intermezzi Op. 11) e Robert Schumann (Fantasia em Dó Maior Op. 17). Na segunda parte do recital, atende a pedidos: ela sugere que alguém da plateia proponha um tema, uma canção, um estribilho. A partir dessa "provocação", ela prossegue sozinha para criar uma música. É trabalho puro de composição, de criação. Algo que, em outros tempos, Mozart, Beethoven, Brahms, Liszt e jazzistas como Duke Ellington e Count Basie faziam. Gabriela Montero integra o clã de uma diva da música erudita, a pianista argentina Martha Argerich. Isso já diz muito. Sala São Paulo. Praça Júlio Prestes, 16. Tel.: 3223-3966. R$ 60 a R$ 170. (MMJ)

O enterro de Peppino, em I Cento Passi.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

www.dcomercio.com.br

Pode comer a xícara O cafézinho no meio da tarde que vem numa xícara que já é o biscoito. Perfeito. http://goo.gl/Uj0yj2

Baleias pintoras As baleias beluga do aquário Hakkeijima Sea Paradise, de Tóquio, estão aprendendo a pintar. A atração será em breve levada ao público. http://goo.gl/6fQDVQ

C IÊNCIA L EILÃO

P RODUTOS

Mais 1,7 bilhão de anos

Bobby Yip/Reuters

P Perfeição Modelo exibe um diamante de 118,28 quilates que vai a leilão na Sotheby's de Hong Kong em 7 de outubro. A pedra é avaliada em US$ 35 milhões.

esquisa divulgada ontem na revista Astrobiology estima que as condições que fazem com que a Terra seja habitável durarão no mínimo por mais 1,75 bilhão de anos. O responsável pelo estudo, Andrew Rushby, da Escola de Ciências Ambientais da Universidade de East Anglia, explicou que foi utilizado "o conceito de zona habitável para fazer estimativas", ou seja, "a distância de um planeta em relação a sua

estrela, que faz com que as temperaturas sejam propícias para que haja água líquida na superfície". Usando modelos de evolução estelar, a equipe calculou que a Terra deixará de ser habitável no período entre 1,75 bilhão e 3,25 bilhões de anos. "Passado este ponto, a Terra estará na zona quente do sol, com temperaturas tão altas que os mares se evaporarão. Acontece um evento de extinção

catastrófica e terminal para toda a vida", explicou o Rushby. Ele acrescentou que "certamente, as condições dos seres humanos e de outras formas de vida complexas se tornarão impossíveis muito antes". "Os humanos teriam dificuldades inclusive com um pequeno aumento na temperatura e, perto do final, somente os micróbios em alguns nichos ambientais seriam capazes de suportar o calor", explicou. (EFE)

Max Rossi/Reuters

S OCIEDADE

Anatomia para degustar

Menos desigualdade Os países em desenvolvimento obtiveram mais acesso a novas tecnologias, conseguiram mais mercados para seus produtos e obtiveram um alívio de suas dívidas no decorrer do último ano, revela a Organização das Nações Unidas (ONU) na mais recente atualização das Metas do Milênio. A vida de milhões de pessoas melhorou em 2012, ano no qual diversos países conseguiram reduzir a pobreza, expandir o acesso à água potável e levar

Visual Anatomy é uma empresa que vende chocolates em formato de partes do corpo humano. Coração, ossos, pâncreas, cérebro, fígado... Todos doces e prontos para serem degustados.

meninas à escola primária. Tais avanços, segundo a ONU, alimentam a esperança em que a maioria das Metas do Milênio seja alcançada até 2015. Ao apresentar o relatório, o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, afirmou que é possível ir além. Segundo o documento, o mundo precisa aumentar a ajuda e promover mais acordos comerciais multilaterais com o objetivo de fomentar o progresso. A ONU tenta estimular os países para que estipulem uma nova fase de desenvolvimento no mundo.

http://goo.gl/nchQ9C

T ECNOLOGIA

Morre o pioneiro dos videogames O ex-presidente da Nintendo Hiroshi Yamauchi, responsável por transformar a companhia de uma fabricante de jogos de carta em uma gigante dos videogames, morreu ontem, vítima de uma pneumonia, informou a empresa. Hiroshi Yamauchi tinha 85 anos e presidiu a empresa, fundada por sua família em 1889 em Kyoto, de 1949 a 2002. Sob sua liderança, a Nintendo desenvolveu os consoles NES e o videogame portátil Game Boy, que apontaram tendências para a atual indústria de videogames.

L UXO Ahmed Jadallah/Reuters

L OTERIAS

L

L

Miniatura de um Lamborghini de ouro exposto em Dubai e que vai rodar o mundo para divulgar um projeto da Robert Gulpen Engineering: construir um verdadeiro Lamborghini com 500 quilos de ouro e muitos diamantes para o Livro dos Recordes.

BOM HUMOR - Modelo apresenta uma das criações da grife Prada na passarela da Semana de Moda de Milão. A marca apostou em muita cor e no bom humor para a primavera e o verão 2014.

Concurso 3295 da QUINA 05

09

31

73

Bem-vindos a Springfield Os fãs da série Os Simpsons esperaram por mais de 20 anos pela oportunidade de visitar a cidade natal da família, mas ela chegou. O Universal Studios Orlando inaugurou em agosto a área de seu parque que reproduz Springfield. http://goo.gl/Clio7k

Telefone em blocos Celular que você monta como Lego http://goo.gl/aZZ7AE

77


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

e

13 FACEBOOK A empresa começa a oferecer à indústria de telecomunicações de nove países um serviço que mede o sucesso alcançado pelos anúncios publicados na rede social. O serviço inovador já funciona nos EUA.

conomia

COMO O PORTA CONSEGUE FUNDOS O mais recente sucesso da internet e do YouTube, o Porta dos Fundos, é também um negócio promissor. Seus idealizadores estão rindo à toa. Fotos Newton Santos/Hype

Palestra sobre empreendedorismo: os humoristas Fábio Porchat (à esq.) e Ian SBF estiveram no Expo Money, em São Paulo, para falar do projeto bem-sucedido. Mas não revelam o faturamento.

Rejane Tamoto

U

ma garota está compenetrada em frente a uma gôndola cheia de refrigerantes. O atendente do supermercado pergunta se pode ajudar. "Estou procurando meu nome na latinha", diz a garota. Ele pergunta: Qual o seu nome? "Kellen", ela responde. "Kellen é nome ruim. A Coca não faz", devolve o atendente. O diálogo, reproduzido aqui com cortes (por causa dos palavrões), é o primeiro trecho do vídeo "Na Lata", que já teve mais de 11,4 milhões de acessos no YouTube. É o mais acessado do Porta dos Fundos, coletivo de humor na internet que se tornou um case de em pr een dedorismo digital brasileiro. O coletivo completou um ano de existência no mês passado com mais de 5,5 milhões de assinaturas no YouTube. Isso significa que é o quinto site de comédia mais assistido no mundo nesta plataforma, sendo que no Brasil é o primeiro em relação a canais de qualquer gênero. A fonte de receitas do Porta dos Fundos, que tem 38 funcionários, vem do YouTube e das empresas que solicitam filmes de suas marcas. "Hoje a divisão de receitas está meio a meio, mas o YouTube vai superar", afirmou Ian SBF, um dos fundadores da empresa.

assistem apenas a tradicional TV. Longe de pensar em vender a empresa, e de mudar de meio de comunicação, o grupo tem consciência do poder da internet e planeja a internacionalização em uma plataforma já global. "Não queremos fazer programa de TV. Já temos uma emissora na internet", disse Fábio Porchat, também fundador do Porta dos Fundos. Com sacadas criativas, o diferencial do grupo é o esmero na produção e na qualidade dos vídeos. Tudo isso tem se revertido em cifras que são guardadas a sete chaves pelo coletivo de humor. Tanto que, em palestra sobre empreendedorismo no evento Expo Money, na semana passada, Porchat e I a n d i s s er a m n ã o s aber quanto custa um vídeo. No evento, revelaram q u e n ã o s abem avaliar bem o custo de produtos como camiseta e livros. "Estamos buscando um profissional de administração, para começarmos a dar passos conscientes e bem pensados. Eu tenho dúvidas sobre, por exemplo, como tirar um cartão de crédito com o nome da empresa", revelou Ian. Hoje, o grupo toma decisões administrativas e sobre o lançamento de produtos após as reuniões de criação de suas esquetes, que são postadas na internet duas vezes por semana, às 11 horas (sempre às

O segredo é ser engraçado. A Coca-Cola não pagou para a gente fazer o vídeo. Se ser engraçado é falar que não quer Pepsi ou atirar palmito em uma loja do Spoleto, a gente faz. Não falamos mal de marcas, mas podemos ter uma visão crítica sobre elas.

Estamos buscando um profissional de administração para começarmos a dar passos conscientes e bem pensados. Eu tenho dúvidas sobre como tirar um cartão de crédito com o nome da empresa.

FÁBIO PORCHAT, FUNDADOR DA EMPRESA

IAN SBF, FUNDADOR DA EMPRESA.

segundas e quintas-feiras). Fundado por Antonio Tabet, Fabio Porchat, Gregório Duvivier, Ian SBF e João Vicente de Castro, o Porta dos Fundos está subvertendo a lógica de exposição de marcas na internet. "O segredo é ser engraçado. A Coca-Cola não pagou para a gente fazer o vídeo. Se ser engraçado é falar que não quer Pepsi ou atirar palmito na cara de uma pessoa em uma loja do Spoleto, a gente faz. Não falamos mal de marcas, mas podemos ter uma visão crítica sobre elas, sobre o atendimento, o marketing das empresas e sobre tudo", explicou Porchat. Coca-Cola Zero O vídeo sobre a garota que não encontra seu nome na Coca-Cola Zero pode até parecer irônico e ofensivo, mas no fundo é mesmo engraçado. E foi aprovado pela marca, que não abriu nenhum processo judicial e até devolveu a brincadeira nas redes sociais ao postar uma foto de uma lata es-

tampada com "Quanto mais Porta dos Fundos melhor". Mas a empresa que abriu primeiro a cabeça para ver, propositadamente, sua marca se tornar alvo de risos foi a rede de restaurantes Spoleto, que emprestou seu espaço para o grupo fazer um vídeo que ironizava o conceito de fast food. Engraçado, alcançou mais de 7,3 milhões de acessos, o que fez a empresa pedir para que o nome do vídeo fosse o da própria marca. E, ainda, a encomendar outros dois esquetes de humor, dando continuidade à história original. O vídeo virou um case para o Festival de Cannes deste ano. "Eu escrevi esse roteiro e todo mundo ficou com medo de fazer, porque na época estava na moda esse negócio de processar só porque você disse que alguém é feio. O Spoleto foi a primeira empresa que acreditou e percebeu essa nova forma de lidar com a crítica e o humor e se tornou nosso aliado", lembrou Porchat. Depois, quem embarcou nessa onda foram a marca de

Livros e camisetas A única condição para o Porta fazer um webfilme para uma marca é que o roteiro, texto, produção e todos os detalhes sejam criados por eles. Além disso, eles lançaram outros produtos com a marca do Porta dos Fundos: um livro com os roteiros dos vídeos e camisetas que remetem às suas criações. E preparam o lançamento de um DVD, o que vai popularizar de vez o trabalho, chegando a pessoas que

Crítica humorada: o vídeo 'Spoleto' (com Fábio Porchat) fez sucesso até junto à direção da rede de alimentação.

refrigerante Kuat, o relaxante muscular Dorflex, a montadora Fiat, a bandeira de cartões Visa, a marca de eletrônicos LG e a Vivo. O vídeo da operadora de telefonia mostra quatro integrantes do Porta dos Fundos marcando uma balada e a conversa acaba virando um telefone sem fio – tudo para promover a oferta de prépago. A brincadeira já teve mais de 5 milhões de visualizações desde 19 de agosto. Retorno para as marcas A parceria com o Porta dos Fundos para o vídeo da Vivo foi bem avaliada pela agência de publicidade Wunderman, responsável pela campanha. "O vídeo ficou entre os 10 comerciais mais vistos no YouTube neste mês, o que contribuiu para se tornar o de maior popularidade e de comentários positivos da marca nos últimos 12 meses", afirma Paulo Sanna, vice-presidente de criação da Wunderman. Para ele, o Porta dos Fundos é um canal notável no mundo digital, enquanto celebridades muito exploradas como Gisele Bündchen e Ivete Sangalo são claramente de televisão. "Haverá muito mais campanhas de outros anunciantes com o Porta dos Fundos porque eles estão no primeiro estágio de participação em publicidade, quando as marcas seguem o modelo editorial que eles criaram. Em breve, e já há casos disso, o Porta dos Fundos e seus atores serão usados sem o contexto editorial do grupo", afirma Sanna. Para Ian, a propaganda que o grupo faz traz um retorno

que é avaliado mais artisticamente do que numericamente. "A repercussão não tem a ver necessariamente com números, mas o feedback é bom e funciona. O que eu sei é que quando o Porta dos Fundos faz um vídeo para uma marca, o aproveitamento é muito maior do que o de uma propaganda convencional", diz. Inovação digital O fato é que o Porta dos Fundos está no centro das atenções. Para Fábio Coelho, diretor-geral do Google no Brasil, o Porta dos Fundos é um exemplo de inovação digital. "Das sete bilhões de pessoas no mundo, duas estão conectadas. A produção de conteúdo do Porta dos Fundos mostra que existe uma relação direta com o consumo e a publicidade para um novo tipo de público. Hoje, o que existe é a geração C – que Consome, que é Curadora de conteúdos, que os Cria e os Compartilha", disse, durante palestra em almoço do congresso da BM&FBovespa, no mês passado. O desafio do coletivo é que eles chegaram a um ponto em que é difícil saber o que vem depois. O que Porchat sabe é que o desafio é atender os anseios do público, que quer que os vídeos sejam engraçados, de qualidade, mas que não se vendam e mantenham suas raízes. "Espero que quando a bolha da novidade exploda possamos conseguir manter uma constância para ganhar dinheiro. As pessoas acham errado ganhar dinheiro pela internet, mas precisamos dele para produzir. Precisamos das empresas, desde que tenhamos nossa liberdade, para sacanear se a gente quiser", concluiu Porchat. Para Daniel Petit, publicitário e planejador de mídia digital da TV1, o usuário percebe se há uma "forçação" para impor a marca ou não. "A criatividade sempre vai reinar nos vídeos, com sacadas que entendam as pessoas e que retratem situações reais e humanas, com conteúdos q u e e m o c i o n e m e i n f o rmem", opinou Petit.


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 20 de setembro de 2013


sexta-feira, 20 de setembro de 2013

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

15

Será o fim da prática das empresas que montam sedes de fachada em municípios que reduzem a base de cálculo do imposto. Kiyoshi Harada, Sócio da Harada Advogados Associados

conomia

Redes de farmácias contra o Leão Lideranças do setor farmacêutico buscam o apoio da população para dar força a projeto que reduz a carga tributária de medicamentos. Paula Cunha

brados sobre um brinquedo, no caso um bichinho de pelúcia, são menores do que os insetor farmacêuti- cidentes sobre os remédios c o d e c i d i u l u t a r em geral. contra a força do Cerca de 70% dos medicaLeão ao desenvol- mentos são adquiridos pela ver uma campanha que pede a população brasileira com seus desoneração de impostos e ta- próprios recursos, segundo os xas incidentes sobre os medi- estudos divulgados pelo Insticamentos. Em média, a carga tuto Brasileiro de Planejamende tributárias dos medica- to e Tributação (IBPT). Segunmentos de uso humano é de do a avaliação elaborada pela 33,87%, bem superior a inci- Interfarma, o governo atende dente sobre aqueles destina- apenas uma pequena parcela d o s a a n i m a i s , q u e é d e da população, apesar de ad13,11%. A campanha será lan- quirir 20% dos remédios coçada oficialmente em outu- mercializados em todo o País e bro, mas já está sendo divul- de distribuí-los gratuitamente gada em algumas farmácias através do Sistema Único de através de folhetos explicati- Saúde (SUS). vos. O objetivo da mobilização Gilberto Amaral, coordenaé arrecadar 10 milhões de as- dor de estudos do IBPT, lemsinaturas em seis mil estabe- bra que a carga tributária solecimentos do País que servi- bre os medicamentos brasileirão de apoio às ações da Fren- ra é o dobro da observada na te Parlamentar para Desone- França, na Suécia e e na Dinaração de Medicamentos da marca, países que apresenCâmara dos t a m a t u a lDeputados. m e n t e o A c a m p am a i o r v o l unha foi elame de imposNão há como a borada pela tos incidente Associação cadeia produtiva se sobre as maBrasileira térias primas apropriar da das Redes de para a elaboredução de Farmácias ração dos impostos e não e Drogarias me dica men(Abrafarma) repassá-la para a tos. "Estas e pela Assoiniciativas população. ciação da Ins ã o i m p o rGILBERTO AMARAL, DO IBPT d ú s t r i a F a rtantes para macêutica discutir esta de Pesquisa (Interfarma). Em realidade e incentivar outros algumas drogarias da aveni- movimentos com o mesmo da Santo Amaro, na zona Sul objetivo", opinou. da capital paulista, o abaixo Exem plo – Amaral ressalta assinado já está à disposição que já houve algumas desonede seus clientes. rações pontuais para o setor e Preços – O projeto tem a me- que existe esperança de que ta de, com a redução dos im- ocorra a real redução da carga postos que incidem sobre toda porque o governo federal tem a cadeia produtiva dos medi- se mostrado sensível à quescamentos, diminuir os seus tão, chegando a reduziu alípreços finais. Os idealizadores quotas do PIS e Cofins de meda proposta calculam que os dicamentos de uso contínuo. medicamentos poderiam ter Ele opina que é possível reredução de até 30% nos pre- duzir impostos e cita o caso do ços com as desonerações. estado do Paraná onde a alíEles argumentam que, se este quota do Imposto sobre Circuplano for bem sucedido, pro- lação de Mercadorias e Serviporcionará queda nas despe- ços (ICMS) sobre medicamensas para toda a população, tos foi reduzida de 18% para além de garantir mais acesso 12%. Em São Paulo, ela contia remédios e à melhoria de nua em 18%. "Com a iniciatisuas condições de saúde. Di- va, houve diminuição do preço zem ainda que a medida con- final para os consumidores, tribuiria, consequentemente, com aumento de consumo e para o aumento do poder aqui- consequente alta na arrecasitivo e permitiria que a popu- dação de impostos no Paraná. lação adquira outros tipos de Não há como a cadeia produtibens de consumo. va se apropriar da redução de A campanha visa, além da impostos e não repassá-la paredução real dos preços de ra a população", diz. medicamentos, conscientizar E conclui que outros estados a população brasileira a res- deveriam seguir o exemplo do peito das distorções criadas governo paranaense, pois a pelo sistema tributário brasi- saúde é um direito fundamenleiro, já que os impostos co- tal previsto na Constituição.

O

ISS em reforma no Congresso Projeto acaba com a guerra fiscal, mas abre brecha para cobrar mais de sociedades profissionais. Silvia Pimentel

T

ramita na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado um projeto que propõe uma minirreforma na legislação do Imposto sobre Serviços (ISS), administrado pelos municípios e considerado o carro-chefe das finanças de grande parte das prefeituras. O texto amplia a lista de serviços sujeitos à tributação, proíbe a cobrança de alíquota menor que 2%, bem como a adoção de incentivos camuflados que impliquem redução da base de cálculo do imposto sob pena de sanção e estabelece que a cobrança será feita no local onde se encontra o tomador do serviço, pondo fim à guerra fiscal entre os municípios. De autoria do senador Romero Jucá (PMDB-RR), o Projeto de Lei do Senado (PLS) 386 seria relatado pelo senador Armando Monteiro (PTB-PE). Mas o parlamentar decidiu devolver a proposta à comissão pela dificuldade em conciliar interesses. Os prefeitos têm pressa na atualização da lei que trata do tema, inalterada há mais de dez anos, de olho no incremento da arrecadação e saneamento dos cofres públicos. E pressionam para que as novas regras comecem a valer a partir de 2014. Por fora do Congresso, entidades que representam os municípios devem fechar na próxima semana com a Secretaria de Relações Institucionais (SRI) o texto da proposta conjunta que atualiza o mesmo imposto. De acordo com a ministra Ideli

Salvatti, do SRI, já foram dis- ros, entre outros com profiscutidos os pontos de consenso são regulamentada, recoentre governo e as prefeitu- lhem um valor fixo de ISS. O ras. Uma negociação prévia, projeto abre brechas para que segundo ela, é importante pa- essas sociedades passem a ra que o projeto tenha o apoio recolher o imposto sobre o fado governo no Congresso. turamento, com alíquotas que Embora considerem impor- podem variar de 2% a 5%. "A tante a atualização da norma, questão é séria e preocupa. sobretudo para acabar com a Caso seja modificada a tribuprática de alguns municípios de tação, o impacto será giganoferecer incentivos fiscais para tesco e a alternativa será reatrair empresas, entidades li- passar o aumento do custo aos gadas à contabilidade veem clientes", alertou Approbato. com apreensão alguns pontos Ele também teme a não no texto. Na existência de semana pasuma "trava" sada, os presina cobrança. dentes da FeA preocupaderação Naç ã o d o d i r iÉ uma cional de Congente tem progressividade tabilidade fundamento. absurda porque o (Fenacon) e Há tempos a recolhimento seria do Sindicato Prefeitura de pelo faturamento, das Empresas São Paulo, Contábeis no por exemplo, sem dedução. Estado de São vem autuanMARCEL SOLIMEO, P a u l o ( S e sdo escritórios ECONOMISTA DA ACSP con-SP), Valc la ss i fi ca dos dir Pietrobon como sociee Sérgio Approbato, respecti- dades uniprofissionais sob a vamente, foram a Brasília para alegação de que são empresaexplicitar ao então relator, se- riais e, portanto, sujeitos ao nador Armando Monteiro, um recolhimento do imposto pelo dos pontos mais preocupantes faturamento. E cobra a difeda proposta: a extinção do regi- rença do que deixou de ser reme diferenciado de recolhi- colhido de ISS nos últimos cinmento do ISS para sociedades co anos. "A proposta é positiva de profissionais civis. porque tem o objetivo de acaAs entidades informam que bar com a guerra fiscal. Mas é o texto revoga os parágrafos preciso melhorar o texto para 1º e 3º do art. 9º, do Decreto esclarecer os pontos mais poLei nº 406, de 1968, que trata lêmicos", afirmou. do regime especial para socieNa opinião do advogado dade e profissões regulamen- Kiyoshi Harada, Sócio da Haratadas. Pela norma em vigor, da Advogados Associados, "o sociedades formadas por mé- texto deveria deixar claro que dicos, advogados, contado- essas sociedades têm tributares, economistas, engenhei- ção diferenciada, enfraquecendo as investidas dos fiscos municipais", afirma. Excluindo algumas falhas, Harada acha o projeto positivo porque vai acabar com a guerra fiscal. "Será o fim da prática das empresas que montam sedes de fachada em municípios que reduzem a base de cálculo do imposto", prevê, ao lembrar da existência, na cidade de Santana do Parnaíba, de 700 empresas em um imó-

vel menor do que 40 metros quadrados. O advogado destaca como ponto positivo no texto a punição – por crime de improbidade administrativa – imposta aos prefeitos que cobrarem alíquota menor do que 2% por meio de benefícios tributários ou financeiros. A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e a seccional paulista da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) também acompanham o andamento da proposta do Senado. Para o economista da ACSP, Marcel Solimeo, mudar a tributação das sociedades uniprofissionais é como impor o pagamento de mais um Imposto de Renda, ou mais. "É uma progressividade absurda porque o recolhimento do imposto seria pelo faturamento, sem direito a qualquer dedução", afirma.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

A Embraer aposta não apenas em alcançar o Hércules como superá-lo em várias frentes

conomia

SEM BARRAGEM

A

TV Globo conta hoje com 94 advogados para combater a propagação de seus vídeos pela internet. A informação, divulgada pelo colunista de televisão Daniel Castro nas redes sociais, não foi contestada pela emissora sediada no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro. Segundo Castro, essa força-tarefa do Direito produz, em média, 154 notificações por dia. A maioria em vão. No debate que se formou em torno da internet e dos veículos tradicionais de comunicação, a lucidez de Rodrigo Lara Mesquita, da fam í l i a q u e d urante décadas exerceu o poder no grupo O Estado de S. Paulo – hoje dividido com credores, é um bom ponto de partida. Ele diz ao comentar a informação de Daniel Castro: “Podem botar mil advogados. Vão continuar dançando. Não dá para barrar o rio para sempre nem cercar todo o campo.” Fato. O internauta cada vez mais faz varredura, busca na rede o que deseja. Proibição ou veto é convite para a pulverização, primeiro passo para que determinada informação se torne um hit. Por pura ironia, o portal www.estadao.com.br, no passado idealizado por Rodrigo Lara Mesquita, hoje só contabiliza perdas – nem chega a figurar entre os cinco mais acessados da internet brasileira, justamente por ter erguido diques, barreiras ao leitor. O internauta encontra a notícia de várias formas e privilegia aquelas que pode acessar gratuitamente. Não deu para ler naquele portal, basta buscar a informação em outro. Não raro, o

outro que a oferece gratuitamente serve exatamente aquela do portal que se tentou acessar amigavelmente sem sucesso ou mediante a irritante solicitação de cadastramento. Resultado: dificilmente esse internauta (exceto se for sado masoquista) voltará a acessar esse portal que o repele. Ou melhor, o deseja por meio de cadastro que o transformará em alvo de anunciantes e promoções. Um claro sinal de que esses anunciantes estão mais perdidos que os veículos na selva da comunicação, guiados por agências de publicidade mais tontas e t re sl ou ca da s ainda sem terem aprendido que a comunicação digital é participativa e não impositiva. Parece piada de salão, a ausência de comunicação em empresas de comunicação, mas não o é. Administradores dessas empresas têm, em comum, a falta de conhecimento do mercado e contabilizam sempre mais perdas do que ganhos. Seria divertido, não fosse mais trágico do que cômico, esses choques de gestão, que sepultam não apenas vagas, mas os próprios veículos de comunicação. Portais sem inteligência e permeabilidade com os leitores são convite claro ao esquecimento do veículo quando não de sua rejeição, enquanto a proliferação de seu bem mais precioso, a informação cresce em velocidade. Rodrigo Lara Mesquita está certíssimo: não dá para barrar o rio para sempre por meio de diques. Ainda bem. O jogo é esse.

Envie informações para esta coluna. E-mail: carlosfranco@revistapublicitta. com.br

MODERNIDADE

A

vodca sueca Absolut, em poder da f r a n c e s a P e r n o d R icard, lança a campanha global “Transform Today”e busca no mundo da arte nomes que provocam transformações entre os quais Aaron Koblin (atual diretor criativo do Google), a estilista chinesa Yiqing Yin e o cartunista brasileiro Rafael Grampa. Assinada pela agência holandesa SidLee, a campanha foi adaptada ao Brasil pela Lew,Lara/TBWA. Tudo muito digital.

O BRASILEIRO Grampa: provocador de transformações.

GUERRA

CICLISMO

É

O

da agência carioca Artplan o novo filme da Live TIM, ultra banda larga fixa da operadora de telefonia TIM. Protagonizado por um gladiador, o comercial lança um desafio: quem usar Live TIM por um mês e não gostar pode cancelar o serviço sem pagar nada. Guerra é guerra.

DESAFIO: usou e não gostou, pode cancelar.

IDENTIDADE

A

Companhia Telefônica do Brasil Central (CTBC) recorreu à Fischer & Friends para mudar a sua identidade. Agora, será apenas Algar Telecom. Conhecida pelo monopólio exercido durante décadas no Centro-Oeste e pelos altos preços dos seus serviços de telefonia, sobretudo tudo de internet residencial e empresarial, a CTBC busca, assim, nova roupagem ancorada na simpatia de Reynaldo Gianecchini e no mote “Sempre junto”. Até, é claro, que a concorrência desafie com mais vigor a empresa.

Grupo B r adesco Segur o s c o m em o r a o s ucesso nas redes sociais CAMPANHA: paz em meio d e c o m e ra cenas de gentileza. cial, onde em duas semanas, o filme do www.movimentoconviva.com.br ultrapassou a três milhões de visualizadores. A ação integra a campanha “Paz nas Ruas”, criada pela Agência M&C Saatchi F&Q, e mostra paisagens de uma São Paulo vibrante, onde é possível perceber cenas de gentileza e respeito mesmo em meio ao trânsito intenso. O objetivo do filme é motivar as pessoas a compartilhar o desejo de andar por ruas mais seguras. A campanha “Paz nas Ruas” também estará presente na mídia impressa com o mote “A harmonia nas ruas está em suas mãos”, reforçando que a convivência harmoniosa não depende de carros, motos ou bicicletas, e sim de pessoas.

Embraer, de cabeça levantada. Depois de anos evitando confronto com gigantes, a empresa usa seu cargueiro militar para desafiar o Hercúles e entrar em nova rota de negócios.

P

or décadas a Embraer manteve a cabeça baixa, longe de aviões maiores e da competição com gigantes da indústria que seus executivos chamavam de "cachorros grandes". Um avião cargueiro militar está prestes a mudar isso. Em desafio direto ao Hércules, da Lockheed Martin, a companhia promete lançar até o fim de 2014 seu KC-390, um jato que voa mais alto, mais cheio e mais rápido – e a um preço menor. Se tudo correr como planejado, será bem sucedida onde concorrentes tropeçaram, ultrapassando programas lançados por Rússia, Índia e China durante a última década. A Embraer aposta não apenas em alcançar o Hércules como superá-lo em várias frentes, ao usar motores a jato – da mesma família dos que alimentam o Airbus A320 – em vez das robustas turboélices que alimentam a aeronave da Lockheed desde os anos 1950. A vantagem alegada para a troca é o ganho em carga útil máxima, velocidade e altitude de cruzeiro. A Lockheed contra-argumenta que nada iguala a durabilidade das turboélices. "Elas nos dão uma tremenda vantagem ao entrar na terra, em cascalho e em pistas de pouso despreparadas", diz Larry Gallogly, ex-piloto da Força Aérea dos EUA que ago-

ra trabalha para a Lockheed. "Nessas pistas um motor a jato pode ser destruído". Executivos da Embraer, dizem que o medo de motores de jato frágeis é baseado em suposições antigas que estão sendo derrubadas pelo KC390. "Há 30 anos, eu teria dito que um turboélice é melhor em terrenos acidentados; hoje, tenho certeza de que não é", garante Paulo Gastão, diretor do programa KC-390 da Embraer e ex-engenheiro de vôo da Força Aérea Brasileira. O avião está projetado para pousar em pistas improvisadas da Amazônia à Antártida. Mesmo assim, segundo especialistas, abandonar as turboélices significa sacrificar eficiência de combustível e autonomia – pontos em que o Hércules sairá ganhando. COM NAÇÕES PARCEIRAS O motor a jato pode ajudar a definir o KC-390, em um mercado que dá sinais de estagnação sob o domínio da Lockheed. A fabricante americana vendeu mais de 2 mil Hércules em suas primeiras quatro décadas, mas os pedidos do atualizado Super Hércules quase não somam 300 unidades desde a virada do século. A demanda inicial foi morna, mas as vendas aceleraram nos últimos cinco anos e a Lockheed espera fechar negócios para outras 300 aeronaves nos próximos anos.

Reuters

O KC-390, afirma a Embraer, é projetado para pousar em pistas improvisadas, da Amazônia à Antártida. A chave da Embraer para ganhar a corrida do Super Hercúles seria um preço competitivo para o KC-390. A empresa não pode contar com um enorme mercado interno como muitas outras fabricantes de produtos militares. Além disso, o momento é complicado, de cortes no orçamento das maiores forças armadas do mundo. Por isso, o Brasil tem se aproximado de nações par-

ceiras que manifestaram interesse no novo avião em troca de um papel no seu desenvolvimento industrial – versão latino-americana das coligações que apoiaram grandes produtos de defesa europeus. INVESTIMENTO FORTE Brasil, Argentina, Colômbia, Chile, Portugal e República Tcheca, em conjunto, solicitaram 60 novos aviões de carga. Para os próximos dez anos, a

Embraer vê pedidos potenciais de mais de 700 aviões no valor de US$ 50 bilhões. "Estamos olhando para uma parcela razoável disso", disse Gastão, acrescentando que 15% seria uma fatia saudável. As entregas estão programadas para começar em 2016 e a empresa deve levar cerca de quatro anos para atender a demanda inicial, segundo ele. O destino do KC-390 vai pro-

var se o foco da Embraer em mercados de fronteira na América Latina, África, Sul da Ásia e no Oriente Médio pode salvar sua divisão de defesa da crise mais ampla. Quase 90% do mercado de aviões de carga está fora de EUA, Europa, China e Rússia. Se o KC-390 tivesse chegado uma década atrás, teria sido um excelente candidato para o programa Joint Cargo Aircraft dos EUA, mas o excesso de aviões de carga e cortes no orçamento diminuíram suas chances no país, de acordo com fonte de Washington. A maior abertura do mercado dos EUA pode vir depois de 2020, quando o Pentágono começará a substituir centenas de seus C130s antigos. O Ministério da Defesa brasileiro está investindo fortemente no programa KC-390: US$ 2 bilhões em custos de desenvolvimento, além de um contrato para 28 aviões, que deve ser assinado nos próximos seis meses. Mesmo com o investimento inicial, segundo o coronel Sergio Carneiro, que supervisiona o programa da Força Aérea Brasileira – que encomendou o K-390 –, o Brasil provavelmente economizará dinheiro com o novo avião na comparação com o custo de vida útil do Super Hércules ou com a manutenção contínua da frota existente de 22 Hércules. (Reuters)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

e

17 Recebi telefonemas das três, dizendo que não participarão por questões muito específicas. Magda Chambriard, diretora-geral da ANP

conomia Alan Marques/Folhapress

Leilão do pré-sal começa com frustração

Magda Chambriard, diretora-geral da ANP, afirmou que esperava a presença de 40 interessados.

Grandes empresas privadas não se inscreveram para a licitação. A presença forte da Petrobras no processo pode ter sido a causa do desinteresse.

O

nze empresas petroleiras pagaram a taxa de inscrição para participar, no dia 21 de outubro, do leilão de Libra, maior reserva já descoberta no pré-sal brasileiro. O prazo para o pagamento das taxas terminou ontem. A lista de inscritos frustrou as expectativas da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), organizadora da licitação. Tanto pela quantidade – a ANP esperava 40 inscrições, como confessou sua diretora-geral, Magda Chambriard – quanto pela qualidade: três gigantes do setor – a norte-americana Exxon Mobil e as britânicas BP e BG, não se interessaram. "Recebi telefonemas das três, dizendo que não participarão por questões muito específicas de cada uma. No entanto, reafirmaram o interesse no

Brasil", afirmou Magda . Além das três, também a Chevron – segunda petroleira dos EUA – ou qualquer outra companhia norte-americana mostrou interesse. Uma fonte, próxima à Shell (que se inscreveu) disse que o fato de a companhia ter pago a taxa não significa necessariamente que ela fará lances no leilão. A única presença garantida, confirmada depois, era a da Petrobras. Pelo sistema de partilha adotado no País, todo campo do pré-sal deve tê-la como operadora. Além disso, a estatal fica com 30% de participação em qualquer consórcio vencedor. Sem influência – O número reduzido de participantes surpreendeu o experiente Paulo Roberto Costa, da Costa Global Consultoria, que fez carreira de 35 anos na Petrobras, onde seu último cargo

Dilma desabafa contra pessimismo

A

presidente Dilma Rousseff comemorou ontem o alto deságio (desconto) obtido na concessão da BR-050 e criticou avaliações de que o consórcio vencedor ofereceu uma tarifa baixa de pedágio por ser novo no setor. "Vi uma observação no jornal que me surpreendeu: que a empresa ganhou porque era aventureira, dando deságio de 42%. Sabe quanto foi o deságio da segunda? Foi de 37% ou 36%, se não me engano. Da terceira e da quarta também. Hoje, você tem um deságio das quatro empresas bastante significativo", afirmou. Ao ser questionada por atraso em outras obras de infraestrutura no País, Dilma apenas disse: "Não vou dizer que somos absolutamente perfeitos e que está tudo andando, mas acho que tem um pessimismo adversativo no País. Outro dia vi uma manchete assim: 'Inflação está caindo, mas não parece'. Acho estranho." As declarações foram feitas em Rondonópolis, onde a presidente inaugurou trecho de 147 km da ferrovia Ferronorte. Ali, Dilma anunciou que o governo licitará, em novembro, 851 quilômetros da BR-163, rodovia de grande importância para o escoamento da produção agrícola do Mato Grosso. "Qualquer grande investidor, desde os chineses aos grandes bancos, olha essa região de Rondonópolis como um centro produtor de alimentos, como um dos maiores do mundo", disse Dilma.(Agências)

foi o de diretor de Abastecimento. "É uma surpresa. A área (de Libra) é extremamente promissora, e não existem oportunidades no mundo (em exploração de petróleo) como as das áreas do pré-sal brasileiro", afirmou. A baixa adesão, avaliou, pode ter relação com o fato a participação obrigatória da Petrobras. "Pode ser que isso tenha afugentado as empresas... Talvez, se tivesse uma abertura para a Petrobras não ser a operadora...", afirmou ele, indicando que as petroleiras poderiam ter mais autonomia para operar, não fosse a dominância da estatal que foi estabelecida pela lei. Para o diretor do Centro Brasileiro de Infra Estrutura (CBIE), Adriano Pires, a falta de interesse das grandes empresas globais do setor de petróleo e gás, como Exxon Mo-

bil, British Gas (BG) e British Petroleum (BP), de participar desse primeiro leilão do présal segue uma lógica de mercado, pois o modelo oferecido pelo governo brasileiro atende mais aos interesses de petroleiras estatais que aos de companhias privadas. Segundo Pires, as empresas globais de capital mais ou menos pulverizado, classificadas no setor como companhias internacionais de petróleo (International Oil Companies – IOC), estão habituadas a operar seus campos produtores e não apenas a investir na exploração de petróleo e gás. É o caso da Exxon Mobil, da BP e da BG. Pelo modelo de partilha vigente, entrariam apenas como sócias que aportam recursos, mas que pouco influenciam na operação. "Por isso, muito se fala nas chinesas", disse Pires. As pe-

troleiras da China, como a Petrobras, são classificadas no setor como companhias nacionais de petróleo (National Oil Companies – NOC). Segundo Pires, o modelo de partilha criado no Brasil é mais afeito a esse tipo de empresa. Para

elas, prevalece o interesse estratégico de cada país. "As companhias chinesas não estão preocupadas em operar plataformas, mas sim em ter reservas e produção para levar para a China", afirmou Pires.(Reuters)

ANP destaca inscritas

A

o divulgar a lista das 11 empresas que pagaram a taxa de participação para o leilão da área de Libra, a ANP acentuou que sete delas pertencem ao grupo com maior valor de mercado no mundo, de acordo com ranking da consultoria global PFC Energy. A relação das empresas inscritas inclui as chinesas

CNOOC International Limited e China National Petroleum Corporation: Ecopetrol (Colômbia), Mitsui & CO (Japão), ONGC Videsh (Índia), Petrogal (Portugal), Petrobras (Brasil), Petronas (Malásia), Repsol/Sinopec (hispano-chinesa), Shell (anglo-holandesa) e Total (França). (Estadão Conteúdo)

Varejo: avanço moderado em agosto. Boa Vista Serviços, empresa que administra o SCPC, aponta desempenho dinâmico do comércio no País. Masao Goto Filho/e-SIM

Eletrodomésticos puxaram as vendas no mês passado

Paula Cunha

O

movimento do comércio varejista do País registrou avanço moderado de 0,5% em agosto ante o mês anterior, já descontados os efeitos sazonais, informou ontem a Boa Vista Serviços (BVS), administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), que apontou ganho de 3,1% nos últimos 12 meses em comparação com o mesmo período imediatamente anterior. Na avaliação dos economistas da Boa Vista Serviços, o desempenho do setor foi muito dinâmico em razão da relativa estabilidade da inflação no período e de políticas de distribuição de renda e de concessão de crédito, com destaque para o consignado. Para todo este ano, no entanto, a expectativa é de avanço moderado, já que em quase todos os segmentos acompanhados houve desaceleração e até

mesmo resultado negativo. Essa mudança ocorreu devido ao crescimento menor do poder aquisitivo dos salários da população ocupada, à perda de eficácia das políticas do governo de estímulo ao consumo e à retomada da alta dos juros.

Móveis – Na avaliação por setor, o de móveis e eletrodomésticos cresceu 1,7% em agosto sobre julho, já descontados os fatores sazonais, sendo responsável, pela segunda vez consecutiva, pela variação positiva do indicador geral.

Porém, quando s e a n a l i s a o d es e m p e n h o a c umulado dos últimos doze meses ante o período i me di at am en te anterior há uma retração de 1,1% nesse setor. No caso dos combustíveis e lubrificantes, o desempenho foi positivo, de mais 0,3% ante julho, sem sazonalidade. Entre janeiro e agosto de 2013, o ganho foi de 3,8% sobre os primeiros oito meses de 2012. A maior queda ficou com supermercados, alimentos e bebidas, com recuo de 0,4% sobre julho.


18 -.ECONOMIA/LEGAIS

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 20 de setembro de 2013


DIà RIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

ECONOMIA/LEGAIS - 19

e Bolsa recua com investidor cauteloso AtÊ que haja o ajuste nas posiçþes dos investidores, Ê difícil prever que a volatilidade do dólar cairå de maneira consistente. Tony Volpon, chefe de pesquisa do Nomura Securities

conomia

ApĂłs a forte alta registrada na Ăşltima quarta-feira, motivada pelas notĂ­cias positivas vindas dos Estados Unidos, a Bovespa fechou ontem com queda de mais de 1%. Jonathan Ernst/ Reuters

O

principal índice da Bovespa caiu 1,09% ontem, devolvendo parte da forte alta da vÊspera, quando investidores comemoraram a decisão do Banco Central norte-americano de manter o seu programa de estímulo à economia. O Ibovespa recuou a 55.095 pontos. O giro financeiro do pregão foi de cerca de R$ 7 bilhþes. Depois de o índice ter atingido seu maior nível desde o fim de maio na última sessão, com alta de 2,64%, investidores preferiram tomar fôlego antes de efetuar novas compras e optaram por embolsar lucros. "Depois da alta de ontem, abriu-se espaço para uma realização, mas o 'mood' continua positivo para a bolsa por causa da decisão do Federal Reserve (Fed) de manter os estímulos", disse o economista-chefe da SulAmÊrica Investimentos, Newton Rosa. "Isso talvez continue trazendo um fluxo externo maior para cå, pode dar um alento nas próximas semanas". O Fed surpreendeu os mercados ao anunciar que manterå o ritmo atual de seu programa de compra de títulos, que

O sobe e desce do dĂłlar

A Lagarde, diretora do FMI, disse que o Fed tomou decisão acertada. injeta mensalmente US$ 85 bilhþes na economia. Investidores temem que a redução do programa do Fed reduza a liquidez internacional e o apetite por ativos mais arriscados, como os de países emergentes. Ontem, a diretora-gerente do Fundo Monetårio Internacional (FMI), Christine Lagarde, afirmou que a decisão do Fed de não reduzir o programa de compras de ativos nesta semana estå em linha com a visão da instituição. "O FMI sempre disse que deveria ser gradual, que deveria ser baseado em dados, com clara indicação de qual critÊrio

serå adotado", afirmou Lagarde a repórteres, após discurso na Câmara do ComÊrcio dos Estados Unidos. "A clara mensagem da decisão e os comentårios do chairman são exatamente o que o Fundo defendia", completou. Lagarde disse que, baseada nas previsþes do FMI para a economia dos EUA feitas em julho, o Fed deve começar a redução do estímulo no fim de 2013. "O futuro dirå quando o chairman e sua equipe acharão adequados, mas, por enquanto, estå claro que Ê o que nós recomendamos", disse a diretora-gerente. (Reuters)

$QWNGXCTF ,CTFKPU 'ORTGGPFKOGPVQU G +PEQTRQTCn|GU 5#

%02,/( PÂ?   0+4'   #VC FC #UUGODNGKC )GTCN 'ZVTCQTFKPhTKC GO  FG #IQUVQ FG  +PUVCNCnlQ  iU JU UGFG UQEKCN 2TGUGPnC )2 &GUGPXQNXKOGPVQ  (WPFQ FG +PXGUVKOGPVQ GO 2CTVKEKRCn|GU TGRTG UGPVCFC RQT UWC CFOKPKUVTCFQTC *5+  *GOKUHoTKQ 5WN +PXGUVKOGPVQU 5# ,QTIG %CTNQU 0WwG\ G .WEKCPQ .GYCPFQYUMK %QPXQ ECnlQ Âœ EQPXQECnlQ TGCNK\CFC G RWDNKECFC PQ &1'52 G PQ &KhTKQ FQ %QOoTEKQ PQU FKCU   G  PQU VGTOQU FQU CTVU  G  FC .GK  /GUC 2TGU ,QTIG %CTNQU 0WwG\ 5GET 'NKUC )JK\\K .QWUCFC &GNKDGTCn|GU K &CT EKqPEKC FC UGPVGPnC CTDKVTCN RTQHGTKFC GO  RGNQ %GPVTQ FG #TDKVTCIGO G /GFKCnlQ FC %jOCTC FG %QOoTEKQ $TCUKN ° %CPCFh TGNCVKXC CQ 2TQEGFKOGPVQ #TDKVTCN PÂ?  RTQRQUVQ RGNQU CEKQPKUVCU )2 &GUGPXQNXKOGPVQ  (WPFQ FG +PXGUVKOGPVQ GO 2CTVK EKRCn|GU ,QTIG %CTNQU 0WwG\ G .WEKCPQ .GYCPFQYUMK EQPVTC QU VCODoO CEKQPKUVCU %QPUVTWVQTC /-( .VFC G /CTEGNQ 4COKTQ -TGKOGT PQU VGTOQU FC %NhWUWNC FG #TDKVTCIGO EQPUVCPVG FQU KVGPU  G  FQ #EQTFQ FG #EKQPKUVCU FC %KC ²5GPVGPnC #TDKVTCNÂł  +PHQTOCO SWG C sPVGITC FC 5GPVGPnC #TDKVTCN GPEQPVTCUG CTSWKXCFC PC UGFG UQEKCN FC %KC C SWGO RQUUC KPVGTGUUCT

KK %QPUQNKFCT C TGUQNWnlQ FQ #EQTFQ FG #EKQPKUVCU FC %KC G C EQPUGSWGPVG GZVKPnlQ FQ %QPUGNJQ FG #FOKPKUVTCnlQ RGNQ SWG Q OGUOQ FGKZC FG RTQFW\KT QU UGWU GHGKVQU GPVTG QU CEKQPKUVCU FC %KC G RGTCPVG VGTEGKTQU C RCTVKT FC FCVC GO SWG C 5GPVGPnC #TDKVTCN HQK RTQHGTKFC &KCPVG FC TGUQNWnlQ FQ #EQTFQ FG #EKQPKUVCU RCUUC C XKIGT NGICN G PCVWTCNOGPVG C EQORGVqPEKC FC CUUGO DNGKC IGTCN FC %KC RCTC C FGNKDGTCnlQ FG VQFC G SWCNSWGT OCVoTKC TGNCEKQPCFC C %KC G CQ UGW QDLGVQ UQEKCN KK  7OC XG\ GZVKPVQ Q %QPUGNJQ FG #FOKPKUVTCnlQ QU CVo GPVlQ EQPUGNJGKTQU G CEKQPKUVCU ,QTIG %CTNQU 0WwG\ G .WEKCPQ .GYCPFQYUMK GUVCPFQ RTGUGPVGU PC CUUGODNGKC OCPKHGUVCTCO UGW KPVGTGUUG GO FGXQNXGT C WOC CnlQ FC %KC SWG TGEGDGTCO FC CEKQPKUVC )2 &GUGP XQNXKOGPVQ ° (WPFQ FG +PXGUVKOGPVQ GO 2CTVKEKRCn|GU SWCPFQ GNGKVQU RCTC QU ECTIQU FG EQPUGNJGKTQU RQT OGKQ FG CUUKPCVWTC FQ 6GTOQ FG 6TCPUHGTqPEKC FG #n|GU TGURGEVKXQ NCXTCFQ G CUUKPCFQ PQ .KXTQ FG 4GIKUVTQ FG 6TCPUHGTqPEKC FG #n|GU 0QOKPCVKXCU PC %KC FGKZCPFQ FG HC\GT RCTVG FQ SWCFTQ CEKQPhTKQ FC %KC KKK 0lQ QDUVCPVG Q SWCPVQ FKURQUVQ PC 5GPVGPnC #TDKVTCN QU CEKQPKUVCU RTGUGPVGU TCVKHKECO VQFQU QU CVQU RTCVKECFQU RGNQU CVo GPVlQ OGODTQU FC &KTGVQTKC FC %KC 5TU ,WNKQ 4KECTFQ /CICNJlGU G .WK\ $KCIKQ FG #NOGKFC QU SWCKU JCXKCO UKFQ GNGKVQU RCTC QU ECTIQU SWG QEWRCXCO GO 4%# FC %KC GO   TGIKUVTCFC RGTCPVG C ,WPVC %QOGTEKCN FQ 'UVCFQ G 5lQ 2CWNQ  ,7%'52 PÂ?  GO  FC FCVC GO SWG C 5GPVGPnC #TDKVTCN HQK RTQHGTKFC CVo C FCVC FC RTGUGPVG CUUGODNGKC KX 4GGNGIGT RCTC QU ECTIQU FG &KTGVQTGU UGO FGUKIPCnlQ GURGEsHKEC FC %KC RCTC GZGTEGTGO OCPFCVQ CVo C TGCNK\CnlQ FC CUUGODNGKC QTFKPhTKC SWG CRTQXCT CU EQPVCU FQ GZGTEsEKQ FG  C 5T .WK\ $KCIKQ FG #NOGKFC 1#$52  G D 5T ,}NKQ 4KECTFQ /CICNJlGU 4) 55252 G %2(/(  X (QK FGNKDGTCFQ SWG ECFC WO FQU OGODTQU FC &KTGVQTKC CEKOC TGGNGKVQU TGEGDGTh WOC TGOWPGTCnlQ OGPUCN EQTTGURQPFGPVG C 4  XK 4GIKUVTCT C FGENCTCnlQ FG FGUKORGFKOGPVQ FQU OGODTQU FC &KTGVQTKC FC %KC QTC TGGNGKVQU PQ UGPVKFQ FG SWG  PlQ GUVlQ KORGFKFQU RQT NGK GURGEKCN QW EQPFGPCFQU RQT ETKOG HCNKOGPVCT FG RTGXCTKECnlQ RGKVC QW UWDQTPQ EQPEWUUlQ RGEWNCVQ EQPVTC C GEQPQOKC RQRWNCT C Ho R}DNKEC QW C RTQRTKGFCFG QW C RGPC ETKOKPCN SWG XGFG Q CEGUUQ C ECTIQU R}DNKEQU EQPHQTOG RTGXKUVQ PQ Â…Â? FQ CTV  FC .GK   CVGPFGO CQ TGSWKUKVQ FG TGRWVCnlQ KNKDCFC GUVCDGNGEKFQ RGNQ Â…Â? FQ CTV  FC .GK  G  PlQ QEWRCO ECTIQ GO UQEKGFCFG SWG RQUUC UGT EQPUKFGTCFC EQPEQTTGPVG FC %KC G PlQ VqO PGO TGRTGUGPVCO KPVGTGUUG EQPHNKVCPVG EQO Q FC %KC PC HQTOC FQU KPEKUQU + G ++ FQ Â…Â? FQ CTV  FC .GK  XKK CNVGTCT Q GPFGTG nQ FC UGFG FC %KC NQECNK\CFC PC %CRKVCN FQ 'UVCFQ FG 5lQ 2CWNQ PC #NCOGFC $CTTQU PÂ?  Â? CPFCT 5CPVC %GEsNKC %'2   RCTC Q UGIWKPVG PQXQ GPFGTGnQ %CRKVCN FQ 'UVCFQ FG 5lQ 2CWNQ PC #XGPKFC 2TGUKFGPVG ,WUEGNKPQ -WDKVUEJGM PÂ?  Â? CPFCT 8KNC 0QXC %QPEGKnlQ %'2  'O XKTVWFG FC OWFCPnC FQ GPFGTGnQ FC UGFG FC %KC HKEC CNVGTCFQ Q TGURGEVKXQ CTVKIQ FQ 'UVCVWVQ 5QEKCN SWG RCUUC C XKIQTCT EQO C PQXC TGFCnlQ TGRTQFW\KFC PQ 'UVCVWVQ 5QEKCN FC %KC XKKK TGHQTOWNCT Q 'UVCVWVQ 5QEKCN FC %KC FGUVCECPFQ C GZVKPnlQ FQ %QPUGNJQ FG #FOKPKUVTCnlQ G D FCT PQXC TGIWNCnlQ i EQORGVqPEKC FC &KTGVQTKC FC %KC G E EQPUQNKFCT CU FGOCKU CNVGTCn|GU VQOCFCU PCU FGNKDGTCn|GU FC RTGUGPVG CUUGODNGKC (QK CRTQXCFC RGNQU CEKQPKUVCU C TGHQTOWNCnlQ G EQPUQNKFCnlQ FQ 'UVCVWVQ 5QEKCN FC %KC Q SWCN RCUUC C XKIQTCT EQPHQTOG TGFCnlQ EQPUVCPVG FQ #PGZQ + C GUVC CVC SWG CRxU CWVGPVKECFQ RGNC OGUC HKECTh CTSWKXCFQ PC UGFG FC %KC 0CFC OCKU 52  ,WEGUR PÂ?  GO 

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAĂ‡ĂƒO

GOVERNO DO ESTADO DE SĂƒO PAULO

FDE AVISA: ERRATA A Comissão de Julgamento de Licitaçþes comunica alteração na Minuta de Contrato, na Clausula DÊcima Segunda – Prazo de Vigência, conforme abaixo discriminado. NO SUBITEM 12.1 PROCESSO – 46/00114/13/02 ONDE SE LÊ: Independente do prazo de execução e entrega previsto na Clåusula Segunda, subitem 2.1., o presente contrato terå vigência por 300 (trezentos) dias, contados da data de sua assinatura. LEIA-SE: Independente do prazo de execução e entrega previsto na Clåusula Segunda, subitem 2.1., o presente contrato terå vigência por 210 (duzentos e dez) dias, contados da data de sua assinatura. PROCESSO – 46/00853/13/02 ONDE SE LÊ: Independente do prazo de execução e entrega previsto na Clåusula Segunda, subitem 2.1., o presente contrato terå vigência por 450 (quatrocentos e cinquenta) dias, contados da data de sua assinatura. LEIA-SE: Independente do prazo de execução e entrega previsto na Clåusula Segunda, subitem 2.1., o presente contrato terå vigência por 330 (trezentos e trinta) dias, contados da data de sua assinatura. PROCESSOS - 46/00358/13/02 - 46/00365/13/02 - 46/00414/13/02 - 46/00651/13/02 - 46/00478/13/02 - 46/00480/13/02 46/00793/13/02 - 46/00795/13/02 - 46/00846/13/02 - 46/00868/13/02 - 46/00925/13/02 - 46/00932/13/02 - 46/00835/13/02 46/00849/13/02 - 46/00850/13/02 - 46/00860/13/02 - 46/00926/13/02 - 46/00927/13/02 - 46/00787/13/02 - 46/00788/13/02 46/00851/13/02 - 46/00894/13/02 - 46/00898/13/02. ONDE SE LÊ: Independente do prazo de execução e entrega previsto na Clåusula Segunda, subitem 2.1., o presente contrato terå vigência por 330 (trezentos e trinta) dias, contados da data de sua assinatura. LEIA-SE: Independente do prazo de execução e entrega previsto na Clåusula Segunda, subitem 2.1., o presente contrato terå vigência por 240 (duzentos e quarenta) dias, contados da data de sua assinatura.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEDRO DE TOLEDO/SP

EDITAL DE LICITAĂ‡ĂƒO PREGĂƒO PRESENCIAL NÂş 16/2013 - PROCESSO NÂş 1197/2013 A Prefeitura Municipal de Pedro de Toledo torna pĂşblica a abertura do PregĂŁo Presencial nÂş 16/2013 – Processo nÂş 1197/2013, para Registro de Preço para a Aquisição de Cartuchos originais, compatĂ­veis, remanufaturados e refil de toner e de tinta e chips de cartuchos. Recebimento dos Envelopes Proposta, Documentação de Declaração de pleno atendimento aos requisitos de habilitação: 08/10/2013, Ă s 09h30min. O edital em inteiro teor encontra-se Ă  disposição dos interessados, gratuitamente atravĂŠs do site: www.pedrodetoledo.sp.gov.br ou mediante pagamento de taxa no Depto de Compras/Licitaçþes da Prefeitura Municipal de Pedro de Toledo, de 2ÂŞ a 6ÂŞ feira das 09h00min Ă s 11h30min e das 13h00min Ă s 16h00min, na Av. Coronel Raimundo Vasconcelos, 230 – Centro, mediante pagamento. Informaçþes poderĂŁo ser obtidas no endereço acima ou pelo telefone (13) 3419-7000. Pedro de Toledo, 19 de Setembro de 2013. Sergio Yasushi Miyashiro - Prefeito Municipal. Clube de Xadrez SĂŁo Paulo CNPJ 62.107.388/0001 81 Edital de Convocação Convoco os sĂłcios do Clube de Xadrez SĂŁo Paulo, em situação regular perante os Estatutos Sociais, para se reunirem em AssemblĂŠia Geral ExtraordinĂĄria na sede social, Ă  rua AraĂşjo, 154 - 3Âş andar - SĂŁo Paulo, no dia 16 de outubro de 2013, Ă s 17 horas em primeira convocação com a presença da maioria dos associados ou Ă s 18 horas com qualquer nĂşmero de sĂłcios presentes, para tratar de: 1- Ratificação e convalidação da AssemblĂŠia Geral OrdinĂĄria de 4 de julho de 2013, que foi realizada fora do prazo estatutĂĄrio; 2- Eleição de associados para as vagas existentes no Conselho Deliberativo; 3- Outros assuntos. SĂŁo Paulo, 2 de setembro de 2013. JosĂŠ Belfort Mattos - Presidente

ALVEAR EMPREENDIMENTOS IMOBILIĂ RIOS EIRELI, neste ato representada pelo seu titular EDGAR ASCHER, portador da CI RG nÂş 3.337.146 SSP SP e do CPF nÂş 100.318.208-91, comunica que pretende efetuar REDUĂ‡ĂƒO NO SEU CAPITAL SOCIAL em razĂŁo de venda de diversos imĂłveis de sua propriedade nos Ăşltimos anos. A consequente redução do ativo da empresa tornou excessivo o montante do seu Capital Social que se pretende reduzir em R$ 1.970.00,00 (Hum milhĂŁo, novecentos e setenta mil reais) para R$ 500.000,00 (Quinhentos mil reais), perfeitamente adequado Ă  suas necessidades atuais. Esta comunicação ĂŠ feita em cumprimento ao que dispĂľe o § 1Âş do Art. 1.084 do CĂłdigo Civil.

intensidade das oscilaçþes do dólar ante o real mais do que duplicou desde que integrantes do Federal Reserve, o banco central dos Estados Unidos, começaram a sinalizar, no fim de maio, uma redução no estímulo monetårio, e continuou em patamares elevados mesmo com o programa de intervençþes diårias do Banco Central. Desde o início de junho, as cotaçþes do dólar oscilam em mÊdia R$ 0,033 por pregão, ante variação mÊdia diåria de R$ 0,015 do início do ano atÊ o fim de maio, quando a divisa norte-americana começou sua escalada em relação ao real. Em setembro, a oscilação mÊdia diåria do dólar em relação ao real estå em R$ 0,037, praticamente o mesmo número de agosto, de R$ 0,038, pico do ano. "Se o objetivo oficial do programa de intervençþes do Banco Central era conter volatilidade, foi um insucesso. Se o

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINDAMONHANGABA EDITAL RESUMIDO PREGĂƒO NÂş 020/2013 A Prefeitura torna pĂşblico que se acha reaberto no Depto. de Licitaçþes e Compras, sito na Av. N. Sra. do Bom Sucesso, n° 1.400, Bairro Alto do Cardoso, o PP nÂş 20/2013, referente Ă  “Contratação de empresa especializada em prestação de serviços de alinhamento, balanceamento, cambagem e cĂĄster para atender os veĂ­culos pesados (caminhĂľes) pertencentes Ă  frota municipal, por um perĂ­odo de 12 (doze) mesesâ€?, com encerramento dia 03/10/2013, Ă s 8h, e abertura Ă s 8h30. O edital estarĂĄ disponĂ­vel no site www.pindamonhangaba.sp.gov.br. Maiores informaçþes poderĂŁo ser obtidas no endereço supra das 8h Ă s 17h ou atravĂŠs do tel.: (12) 3644-5600. Pindamonhangaba, 19 de setembro de 2013. PREGĂƒO NÂş 169/2013 A Prefeitura torna pĂşblico que se acha aberto no Depto. de Licitaçþes e Compras, sito na Av. N. Sra. do Bom Sucesso, n° 1.400, Bairro Alto do Cardoso, o PP nÂş 169/13, referente Ă  “Aquisição de Software AutoCAD e Software Abobe Photoshop, para adequação das normas tĂŠcnicas e modernização das Secretarias e Departamentos do MunĂ­cipios de Pindamonhangabaâ€?, com encerramento dia 02/10/2013, Ă s 14h, e abertura Ă s 14h30. O edital estarĂĄ disponĂ­vel no site www.pindamonhangaba.sp.gov.br. Maiores informaçþes poderĂŁo ser obtidas no endereço supra das 8h Ă s 17h ou atravĂŠs do tel.: (12) 3644-5600. Pindamonhangaba, 19 de setembro de 2013. PREGĂƒO NÂş 172/2013 A Prefeitura torna pĂşblico que se acha aberto no Depto. de Licitaçþes e Compras, sito na Av. N. Sra. do Bom Sucesso, n° 1.400, Bairro Alto do Cardoso, o PP nÂş 172/13, referente Ă  “Aquisição de material de enfermagem (coletor, catetes, lancetas e luvasâ€?, com encerramento dia 02/10/2013, Ă s 8h, e abertura Ă s 8h30. O edital estarĂĄ disponĂ­vel no site www.pindamonhangaba.sp.gov.br. Maiores informaçþes poderĂŁo ser obtidas no endereço supra das 8h Ă s 17h ou atravĂŠs do tel.: (12) 3644-5600. Pindamonhangaba, 19 de setembro de 2013.

“CONDOMĂ?NIO EMPREENDIMENTO NOVA BARĂƒOâ€? CONVOCAĂ‡ĂƒO ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINĂ RIA

Dia: HorĂĄrio: Local:

09.10.2013 (quarta-feira) 1ª Convocação às 18 horas - 2ª Convocação às 18 horas e 30 minutos Subsolo das lojas 16 e 18 tÊrreas do Condomínio Empreendimento Nova Barão.

Ficam convocados os senhores condĂ´minos do CondomĂ­nio Empreendimento Nova BarĂŁo, situado na Rua BarĂŁo de Itapetininga, 37, SĂŁo Paulo, para Assembleia Geral ExtraordinĂĄria, a ser realizada no dia, horĂĄrio e local acima indicados, para deliberar a respeito do item Ăşnico da Ordem do Dia:

DISCUSSĂƒO E APROVAĂ‡ĂƒO DA RESTAURAĂ‡ĂƒO E PINTURA DA FACHADA LATERAL E Ă REA DO TOPO DOS EDIFĂ?CIOS (CORREDORES, CASA ZELADOR, CAIXA D´à GUA E CASA DE MĂ QUINA EXTERNOS). SĂŁo Paulo, 17 de setembro de 2013.

Carlos G. Fesdian SĂ­ndico

Ines Capellini GerĂŞncia de CondomĂ­nios

Importante: 1Âş) Para evitar transtornos na identificação do proprietĂĄrio, antes da assembleia, certifique-se de que o cadastro da unidade estĂĄ atualizado. Os proprietĂĄrios poderĂŁo ser representados por procuradores munidos de Procuração. â€?Conforme faculta o disposto no artigo 654, § 2Âş, Lei 10.406/02- CĂłdigo Civil Brasileiro, o condomĂ­nio dispensa o reconhecimento de firma nas procuraçþes. 2Âş) Conforme, dispĂľe o artigo 1335, da mesma lei, “somente os condĂ´minos quites com suas obrigaçþes condominiais poderĂŁo participar das assembleiasâ€?.

GOVERNO DO ESTADO DE SĂƒO PAULO Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania

objetivo era derrubar o patamar do câmbio, foi um sucesso", afirmou o estrategista para AmÊrica Latina do banco BNP Paribas, Diego Donadio. O Banco Central anunciou em agosto que atuaria nos mercados de câmbio, potencialmente injetando R$ 60 bilhþes atÊ o fim do ano. Autoridades da årea econômica vêm afirmando que as intervençþes têm o objetivo de conter a volatilidade da divisa e não limitar a alta do dólar. No entanto, a cotação da divisa sofreu grande impacto. Depois de acumular alta de 21,52% ante o real entre o início de maio e o dia 22 agosto, quando o BC anunciou o programa, o dólar reverteu a trajetória e passou a cair. Desde a implementação do programa, a divisa norte-americana acumula queda de 9,48% em relação à moeda brasileira. Segundo analistas, a volatilidade elevada deve-se ao alto grau de incertezas em

relação às perspectivas macroeconômicas globais e isso não deve melhorar no curto prazo. Haja visto a recente decisão do Fed, que manteve na quarta-feira o ritmo de seu estímulo de compra de títulos e surpreendeu os mercados, que vinham precificando uma redução no estímulo monetårio. "AtÊ que haja efetivamente o ajuste nas posiçþes dos investidores, Ê difícil prever que a volatilidade irå cair de maneira consistente", disse o chefe de pesquisa em mercados emergentes do Nomura Securities, Tony Volpon, em Nova York. Volpon ressaltou, entretanto, que o programa do Banco Central adicionou um elemento de previsibilidade aos mercados que pode, no futuro, diminuir a intensidade das oscilaçþes. Ainda assim, comentou Volpon, a melhora não deve ser total, uma vez que o componente de incertezas global ainda Ê forte. (Reuters)

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAPĂƒO BONITO-SP ABERTURA DE LICITAĂ‡ĂƒO CONCORRĂŠNCIA PĂšBLICA – NÂş 03/2013 – Contratação de empresa para exploração de serviços funerĂĄrios no MunicĂ­pio de CapĂŁo Bonito, conforme especificação constante do anexo I – Termo de ReferĂŞncia, do presente instrumento convocatĂłrio. O encerramento (credenciamento e entrega dos envelopes) dar-se-ĂĄ na data de 08 de novembro de 2013, atĂŠ as 09:00 horas. Edital e melhores informaçþes mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) atravĂŠs de guia de arrecadação, no Setor de Licitaçþes, situado a Paço Municipal localizado Ă  Rua Nove de Julho, nÂş 690, Centro, ou pelo Tel: (15) 3543-9900 – ramal 9936, de segunda a sexta-feira, das 09:00 Ă s 11:00 hs e das 13:00 Ă s 16:00 hs ou atravĂŠs do e-mail: editalcapaobonito@gmail.com. CapĂŁo BonitoSP, 19 de setembro de 2013. PREGĂƒO PRESENCIAL – REGISTRO DE PREÇO – NÂş 96/2013 – Aquisição de mesas, cadeiras, armĂĄrios, aparelhos de fax, bebedouros, aparelhos de telefone, pen drive, calculadoras, scanners e ventiladores, para a Secretaria de Administração e Finanças, deste MunicĂ­pio, conforme especificação constante do anexo I – Termo de ReferĂŞncia, do presente instrumento convocatĂłrio. O encerramento (credenciamento e entrega dos envelopes) dar-se-ĂĄ na data de 03 de outubro de 2013, Ă s 09:00 horas. Edital e melhores informaçþes mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) atravĂŠs de guia de arrecadação, no Setor de Licitaçþes, situado a Paço Municipal localizado Ă  Rua Nove de Julho, nÂş 690, Centro, ou pelo Tel: (15) 3543-9900 – ramal 9936, de segunda a sexta-feira, das 09:00 Ă s 11:00 hs e das 13:00 Ă s 16:00 hs ou atravĂŠs do e-mail: editalcapaobonito@ gmail.com. CapĂŁo Bonito-SP, 19 de setembro de 2013. PREGĂƒO PRESENCIAL –NÂş 97/2013 – Contratação de empresa para promover cursos de Formação aos cidadĂŁos inscritos nos Programas de AuxĂ­lio Desemprego e Medidas Socioeducativas atravĂŠs do CREAS, para a Secretaria Municipal de AssistĂŞncia Social, deste MunicĂ­pio, conforme especificação constante do anexo I – Termo de ReferĂŞncia, do presente instrumento convocatĂłrio. O encerramento (credenciamento e entrega dos envelopes) dar-se-ĂĄ na data de 03 de outubro de 2013, Ă s 14:00 horas. Edital e melhores informaçþes mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) atravĂŠs de guia de arrecadação, no Setor de Licitaçþes, situado a Paço Municipal localizado Ă  Rua Nove de Julho, nÂş 690, Centro, ou pelo Tel: (15) 3543-9900 – ramal 9936, de segunda a sexta-feira, das 09:00 Ă s 11:00hs e das 13:00 Ă s 16:00hs ou atravĂŠs do e-mail: editalcapaobonito@ gmail.com. CapĂŁo Bonito-SP, 19 de setembro de 2013. PREGĂƒO PRESENCIAL – NÂş 98/2013 – Aquisição de motocicleta ano/modelo 2013/2013, TV LCD de “32â€?, Computador, MĂĄquina de lavar roupas, fogĂŁo de 06 bocas na cor branca e DVD Player, para distribuição na Campanha IPTU Premiado 2013, para a Secretaria de Administração e Finanças, deste MunicĂ­pio, conforme especificação constante do anexo I – Termo de ReferĂŞncia, do presente instrumento convocatĂłrio. O encerramento (credenciamento e entrega dos envelopes) dar-se-ĂĄ na data de 04 de outubro de 2013, Ă s 09:00 horas. Edital e melhores informaçþes mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) atravĂŠs de guia de arrecadação, no Setor de Licitaçþes, situado a Paço Municipal localizado Ă  Rua Nove de Julho, nÂş690, Centro, ou pelo Tel: (15) 3543-9900 – ramal 9936, de segunda a sexta-feira, das 09:00 Ă s 11:0 0hs e das 13:00 Ă s 16:00 hs ou atravĂŠs do e-mail: editalcapaobonito@gmail.com. CapĂŁo Bonito-SP, 19 de setembro de 2013.

PREGĂƒO PRESENCIAL – REGISTRO DE PREÇO – NÂş 99/2013 – Aquisição de mesas e bancos para refeitĂłrio das Escolas de Ensino Fundamental, pertencentes Ă  Secretaria de Educação, deste MunicĂ­pio, conforme especificação constante do anexo I – Termo de ReferĂŞncia, do presente instrumento convocatĂłrio. O encerramento (credenciamento e entrega dos envelopes) dar-se-ĂĄ na data de 04 de outubro de 2013, Ă s 14:00 horas. Edital e melhores informaçþes mediante o recolhimento da taxa de R$ 10,00 (dez reais) atravĂŠs de guia de arrecadação, no Setor de Licitaçþes, situado a Paço Municipal localizado Ă  Rua Nove de Julho, nÂş 690, Centro, ou pelo Tel: (15) 3543-9900 – ramal 9936, de segunda a sexta-feira, das 09:00 Ă s 11:00 hs e das 13:00 Ă s 16:00 hs ou atravĂŠs do e-mail: editalcapaobonito@gmail. com. CapĂŁo Bonito-SP, 19 de setembro de 2013. Dr. JULIO FERNANDO GALVĂƒO DIAS - Prefeito Municipal

Sascar Participaçþes S.A.

CNPJ nÂş 12.984.267/0001-40 - NIRE 35.300.387.473 Edital de Convocação - Assembleia Geral ExtraordinĂĄria Ficam os Acionistas da Sascar Participaçþes S.A. (“Sascar Participaçþesâ€? ou “Companhiaâ€?), convocados a se reunirem em Assembleia Geral ExtraordinĂĄria (“Assembleiaâ€?), a ser realizada em 26 de setembro de 2013, Ă s 08h00, na sede da Companhia, localizada na Cidade de Santana de ParnaĂ­ba, Estado de SĂŁo Paulo, na Avenida Marte, 537, tĂŠrreo, sala 1, Centro de Apoio 1, Alphaville, CEP 06541-005 (“Sedeâ€?), para tratarem das seguintes matĂŠrias constantes da ordem do dia: (i) analisar, discutir e aprovar o Protocolo e Justificação de Incorporação da Berna Participaçþes S.A., companhia aberta, com sede social na Rua Pamplona, 818, conjunto 92, na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob o nÂş 09.400.937/0001-29 (“Bernaâ€?), celebrado em 29 de agosto de 2013 entre a Companhia, na qualidade de incorporadora, e a Berna, como incorporada (“Protocolo e Justificaçãoâ€?); (ii) ratificar a contratação da empresa especializada WFS Serviços de Contabilidade Ltda., sociedade com sede na cidade e estado de SĂŁo Paulo, na Rua Pamplona, 818 - conj. 92, inscrita no CNPJ/MF sob o nÂş 02.084.005/0001-75 e no CRC sob o nÂş 2SP019858/O-0, responsĂĄvel pela avaliação contĂĄbil do acervo lĂ­quido da Berna a ser incorporado ao patrimĂ´nio da Companhia; (iii) aprovar o laudo de avaliação elaborado pela Empresa Especializada; (iv) aprovar a incorporação da Berna ao patrimĂ´nio da Companhia nas condiçþes constantes do Protocolo e Justificação; (v) aprovar a alteração do artigo 5Âş do estatuto social da Companhia, de modo a refletir o aumento de capital resultante da incorporação; e (vi) autorizar os administradores a praticarem todos os atos necessĂĄrios Ă  efetivação da incorporação da Berna. Informaçþes Gerais: os documentos e informaçþes pertinentes Ă s matĂŠrias a serem deliberadas encontram-se Ă  disposição dos Acionistas, para consulta, na Sede da Companhia. Santana de ParnaĂ­ba, 18 de setembro de 2013. Eduardo Alcalay - Presidente do Conselho de Administração.

Banco ItaĂş BBA S.A.

AVISO Encontra-se aberta, na Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, a Tomada de Preços nº 06/2013, Processo SJDC nº 000414/2013, para fins de contratação de empresa para execução de obras de acessibilidade no Fórum de Ribeirão Pires. A data da sessão pública serå no dia 09/10/2013, às 10h00min., no Påteo do ColÊgio, nº 184, 1º andar, sala 12 (Salão dos Anjos). O edital na integra, encontra-se à disposição para consulta no site www.e-negociospublicos.com.br, podendo tambÊm ser solicitado atravÊs do e-mail (osjesus@sp.gov.br) ou pessoalmente no endereço acima, das 09h00min às 12h00min e das 13h00min às 17h00 min., devendo a empresa apresentar um CD virgem.

CNPJ 17.298.092/0001-30 NIRE 35300318951 ATA SUMĂ RIA DA REUNIĂƒO DO CONSELHO DE ADMINISTRAĂ‡ĂƒO DE 22 DE AGOSTO DE 2013 DATA, HORA E LOCAL: Em 22.8.13, Ă s 18h30, na Av. Brigadeiro Faria Lima, 3.400, 4Âş andar, em SĂŁo Paulo (SP). PRESIDĂŠNCIA: Roberto Egydio Setubal. QUORUM: Maioria dos membros eleitos. DELIBERAĂ‡ĂƒO TOMADA POR UNANIMIDADE: Encerrado o mandato de Marcos Augusto Caetano da Silva Filho, que deixa de exercer suas funçþes nesta data. ENCERRAMENTO: Encerrados os trabalhos, lavrou-se esta ata que, lida e aprovada por todos, foi assinada. SĂŁo Paulo (SP), 22 de agosto de 2013. (aa) Roberto Egydio Setubal - Presidente; Alfredo Egydio Setubal e Candido Botelho Bracher - Vice-Presidentes; Antonio Carlos Barbosa de Oliveira, Caio Ibrahim David, Eduardo Mazzilli de Vassimon e Henri Penchas - Conselheiros. CĂłpia fiel da original lavrada em livro prĂłprio. JUCESP - Registro nÂş 348.361/13-0, em 9.9.13. (a) Gisela Simiema Ceschin - SecretĂĄria Geral.

SERVIÇO AUTÔNOMO DE à GUA E ESGOTO DE SOROCABA

SERVIÇO AUTÔNOMO DE à GUA E ESGOTO DE SOROCABA

O Serviço AutĂ´nomo de Ă gua e Esgoto de Sorocaba comunica que se acha aberto o PregĂŁo EletrĂ´nico para Registro de Preços nÂş 85/2013 - Processo nÂş 7.619/2013, destinado Ă  aquisição de cal virgem para tratamento de esgoto. SESSĂƒO PĂšBLICA dia 03/10/2013, Ă s 10:00 horas. O edital completo serĂĄ disponibilizado no site www.licitacoes-e.com.br. Informaçþes pelos telefones: (15) 3224-5810/ 5811/ 5812/ 5813/ 5814/ 5815/ 5816/ 5817/ 5818/ 5819/ 5821/ 5822/ 5823/ 5824/ 5825 e 5826 ou pessoalmente na Avenida Pereira da Silva, nÂş 1.285, no Setor de Licitação e Contratos. Sorocaba, 19 de setembro de 2013. Erica Aparecida de Menezes - Pregoeira.

O Serviço AutĂ´nomo de Ă gua e Esgoto de Sorocaba comunica que se acha publicado no Sistema EletrĂ´nico do Banco do Brasil, o PregĂŁo EletrĂ´nico nÂş 84/2013 - Processo nÂş 7.056/2013, destinado Ă  contratação de empresa para locação de CaminhĂŁo Tanque (Pipa). SESSĂƒO PĂšBLICA dia 03/10/2013, Ă s 14:00 horas. Informaçþes pelo site www.licitacoes-e.com.br, pelos telefones: (15) 32245810/5811/5812/5813/5814/5815/5816/5818/5819/5821/5822/5823/5824/5825 e 5826 ou pessoalmente na Av. Pereira da Silva, 1.285, no Setor de Licitação e Contratos. Sorocaba, 19 de setembro de 2013. Elisete Regina Mota Fernandes - Pregoeira.

CENTROPROJEKT DO BRASIL S.A. - CNPJ/MF 03.581.470/0001-84 - NIRE 35.300.328.426

ASSOCIAĂ‡ĂƒO SAĂšDE DA FAMĂ?LIA – ASF A ASSOCIAĂ‡ĂƒO SAĂšDE DA FAMĂ?LIA - ASF torna pĂşblico que se acha aberta procedimento licitatĂłrio de SELEĂ‡ĂƒO DE FORNECEDORES - COLETA DE PREÇO NÂş 032/2013, PROCESSO ASF NÂş 069/2013, OBJETIVANDO A CONTRATAĂ‡ĂƒO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA ADEQUAÇÕES NAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DA UBS JARDIM EDITE, INCLUINDO O FORNECIMENTO DE INSUMOS MATERIAIS, MĂƒO DE OBRA E EQUIPAMENTOS - CRITÉRIO MENOR PREÇO EMPREITADA POR PREÇO GLOBAL. O edital na Ă­ntegra poderĂĄ ser consultado no sĂ­tio ASF: www.saudedafamilia.org e ou retirado na sede da Associação, sita Ă  Praça Mal. Cordeiro de Farias, 65 (011) 3154-7050. Infor maçþes no endereço eletrĂ´nico: licitacoesasf@saudedafamilia.org | Data da SessĂŁo PĂşblica: 27/09/2013, Ă s 09h30. - Local da SessĂŁo: Associação SaĂşde da FamĂ­lia, Praça Mal. Cordeiro de Farias, 65 - HigienĂłpolis - SĂŁo Paulo/SP.

A CONSTRUTORA OAS S.A. torna público que requereu na CETESB a Licença PrÊvia para a produção de concreto misturado à Avenida Santa Inês, nº aprox. 4.700, Pq. Mandaqui, São Paulo/SP.

Extrato da Ata de Assembleia Geral ExtraordinĂĄria dos Acionistas Data, Hora, Local: 03.09.2013, 14hs, sede social, R. Alexandre Dumas 2200, 2Âş and., SP/SP. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade do capital social. Mesa: Presidente: Amilcar Rossini, SecretĂĄrio: Edison Costa Porto. Deliberação Aprovada: i) Alteração do caput do art. 24 do Estatuto Social: “Art. 24. Para efeitos de constituição de procuradores da Sociedade, bem como para a revogação dos respectivos mandatos, os respectivos instrumentos deverĂŁo ser executados por apenas um diretor”. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. SP, 03.09.2013. Amilcar Rossini: Presidente. Edison Costa Porto: SecretĂĄrio. JUCESP nÂş 360.672/13-9 em 16.09.2013. Gisela Simiema Ceschin - Sec. Geral.

FALĂŠNCIA, RECUPERAĂ‡ĂƒO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAĂ‡ĂƒO JUDICIAL

Uniligas Com. De Ferroligas LTDA torna público que recebeu da CETESB a Licença PrÊvia N°30002234 e requereu a Licença de Instalação p\ Beneficiamento de minerais não-metålicos não associado a extração,R França Velho,366-Vila Carmosina-Sp

COSEDI COOPERATIVA DE SERVIÇOS DIVERSOS

Posto de Serviços Vila Carmozina Ltda, torna público que recebeu da CETESB a Licença de Operação N 30008619, vålida atÊ 18/09/2018, para ComÊrcio Varejista de Comb. e Lubrificantes, sito à Rua Jacatiba, 01 - Vila Carmosina - São Paulo - SP

CNPJ 01.553.623/0001-54 - NIRE 35.400.042.583 Edital de Convocação de Assembleia Geral Extraordinåria São convocados os Srs. liquidante e conselheiros nomeados na ata de Assembleia Geral Extraordinåria, registrada na JUCESP sob nº 314.235/13-9 em 19/08/2013, a se reunirem em uma AGE a ser realizada aos 07/10/2013, às 9h30min., na sua sede na Rua Antonio Coelho, 176 - ap. 91, São Paulo, SP, para examinar, discutir a cerca da seguinte Ordem do dia: Extinção da Cooperativa. São Paulo, 19/09/2013. NINA IWANAJEW FONTERRADA liquidante.

Auto Posto Petróleo Real de Limeira Ltda, torna publico que requereu da CETESB a Licença de Operação para Comb. para veículos automotores (postos de abastecimento), Rua Miguel Amato, 201 – Vila Piza – Limeira – SP

EXTRAVIO Franco Serviços Ltda. – EPP, CNPJ 02.801.544/0001-88, I.M. nº 12.048, comunica os extravios das NF de Serviço, SÊrie A 050 X, 3 vias AIDF 8883 001 a 200; NF Fatura de Serviço 50X, 3 vias AIDF 12734 001 a 200; NF Fatura de Serviço 50X, 3 vias AIDF 14503 201 a 450 e NF Fatura de Serviço 50X, 3 vias AIDF 17452 451 a 1450.

NOS TERMOS DO PROVIMENTO CSM CXC/84, INFORMAMOS QUE NO DIA 19 DE SETEMBRO DE 2013 NĂƒO HOUVE PEDIDO DE FALĂŠNCIA NA COMARCA DA CAPITAL.

www.dcomercio.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20 Nº 482

DCARR

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

A mais jovem brasileira a chegar ao cume do Everest, a médica Karina Oliani, é a embaixadora da marca MINI no Brasil. Ela é praticante de esportes radicais e fez seu primeiro salto de paraquedas aos 12 anos.

MERCEDES-BENZ

A máquina de 557 CV: E 63 AMG 4MATIC. Chegou o sedã esportivo Mercedes-Benz, com seu motor V8 biturbo, tração integral e custando US$ 245.900, cerca de R$ 520 mil. Vale cada centavinho.

Fotos: divulgação

CHICOLELIS

B

asta olhar para ele e logo se vê que é um esportivo de verdade. A aparência é de um AMG, marca da Mercedes-Benz que prepara seus carros "bravos". Este, que chega ao Brasil custando mais de R$ 500 mil, completa a linha Classe E. Apesar de ser o último a chegar, seus 250 km/h – limitados eletronicamente – deixam todos os demais "irmãos E" na "poeira". E sua tração integral garante o desempenho e segurança nas curvas. Do modelo anterior para este, o motor V8 5.5 litros turbo ganhou mais 32 cavalos, ficou com torque de 720 Nm e faz de 0 a 100 km/h em 3,7s. O negócio dele é performance. Uma prova disso é que seus turbocompressores, quando a plena carga, giram 185 mil rpm, fazendo entrar nada me-

nos que 1.750 kg de ar por hora nas câmaras de combustão. Apesar de toda esta força, o E 63 AMG, no trânsito da cidade, é um senhor bem-comportado com seu sistema ECO startstop, que desliga o motor no anda e para dos centros urbanos. Além disso, um gerenciador de eletricidade age sempre que a velocidade for reduzida, ou nas frenagens. Então a energia cinética excedente é usada para recarregar a bateria e não é dissipada como calor, o que é o normal. Assim, o gerador trabalha em baixa voltagem, exigindo menos do motor. A tração integral distribui a força do propulsor entre os eixos dianteiro e traseiro, respectivamente 33 e 37%. 260 milhões – Não, este número não se refere a uma eventual performance do AMG, mas à quantidade de

operações individuais, por segundo, geradas pelo computador que gerencia todas as funções do motor do carro. Ele tem mais de 30 mil diferentes funções e parâmetros para alcançar estes números. Um espetáculo à parte, não é? Uma curiosidade é que cada motor é montado à mão na fá-

brica da AMG. E, em cada um deles, uma placa com a assinatura do funcionário que realiza esta tarefa. Isto é resultado da filosofia da empresa: um homem, um motor. Vogais e consoantes – A transmissão esportiva ganhou o sugestivo nome de AMG SPE-

BLINDAGEM X VIOLÊNCIA

EDSHIFT MCT. Tem sete marchas, com borboletas no volante e quatro modos de utilização: "C", de eficiência controlada, "S", de esporte, “S+” de esporte plus, e "M" de manual. Nos três últimos, o ronco do motor é uma emoção à parte. Por dentro, a marca de um esportivo, com bancos em

couro e volante esportivo achatado nas partes superior e inferior. Ele carrega todos os atuais sistemas de segurança, como controles de tração e estabilidade, air bag e ABS. As rodas de liga leve são nos tamanhos 9,0 x 19 e 9,5 x 19 polegadas. As pinças de freio são na cor prata. Uma beleza!

AVENTURA?

Estacionando lá no alto Focus que chega ao Brasil em outubro entra na vaga sozinho

Alto preço pela segurança Cresce o volume de carros blindados em São Paulo

O

aumento da violência e do poder aquisitivo faz com que os brasileiros procurem cada vez mais alternativas para se proteger. Uma delas é a blindagem de veículos. Segundo pesquisas, o aumento na procura deste tipo de segurança chegou a quase 40% no primeiro semestre deste ano. Outro dado é que 72% dos veículos blindados ficam no Estado de São Paulo. O custo da blindagem de um carro fica entre R$ 40 mil e R$ 80 mil, dependendo do seu tamanho. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Estado, neste primeiro semestre, em relação ao mesmo período de 2012, o roubo de carros cresceu 6,4% e os latrocínios (roubo seguido de morte) 10,6%, no mesmo período. Segundo informações da Abrablin (Associação Brasileira de Blindagem), quase dez mil veículos devem ser blindados neste ano, um aumento de quase 20% em relação a 2012. A mais procurada é a blindagem nível III-A, que protege os ocupantes até de sub-metralhadoras. Para o especialista da Concept Blindagens, Fabio Rovedo de Mello, todos os modelos de carros podem receber a

blindagem, com a ressalva de que tenham potência superior a 90 cavalos. Veículos com potência menor - como os de motor um litro - não devem receber a proteção, já que o peso da blindagem prejudicariam o desempenho e diversos sistemas. Depois de passar por uma vistoria onde se verifica a funcionalidade dos sistemas em geral, o carro recebe uma proteção externa. As peças internas de forração, bancos e sistemas de acionamento de vidros são desmontados para que a parte opaca (lataria) receba os painéis balísticos. Eles são instalados no teto, portas, painel inferior (onde ficam os pedais), caixas de rodas, paralamas dianteiros e painel corta-fogo. Nas colunas, no encosto do banco e tampão traseiro, fechaduras e retrovisores das portas é colocado aço inox. O aço também é fixado em toda a borda do para-brisa, vigia, portas e vidros fixos para impedir qualquer ponto de vulnerabilidade que pode haver nas dobras do painel. Os vidros são substituídos por outros, especiais, compostos por diversas lâminas de vidros e polímeros. O número de camadas varia

de acordo com o nível de proteção. O trabalho é feito em aproximadamente 30 dias, porém, com o aumento, algumas empresas estão solicitando prazos de até 60 dias. O ideal durante esse período é que o dono do carro visite a fábrica para acompanhar todas as etapas do processo. Isso gera mais confiança com relação ao trabalho ali realizado. Um carro blindado necessita alterações na documentação. Pessoa física e jurídica precisam apresentar vários documentos, inclusive atestado de antecedentes criminais para obter a licença, obrigatória, junto ao Exército. Logo após ganhar a blindagem, que pode custar, em média, R$40 mil para um sedan médio, até R$80 mil para um veiculo maior, o carro tem uma boa valorização. Com o passar dos anos, porém, esse fator se inverte. É carro para os consumidores normais de usados e não interessa para os de alto poder aquisitivo, que vão em busca de um modelo 0 KM. Mas pode ser uma alternativa válida, para quem quer segurança e não tem muito para gastar.

S

e você entrar no site do Diário do Comércio (www.dcomercio.com.br) vai ver como a moça da foto é corajosa. É que a Ford instalou o sistema de estacionamento automático no Focus 2014 e montou um espetáculo no alto de um edifício, na Europa. Colocou no carro uma motorista profissional que acreditou no sistema e fez a manobra, estacionando na beira do prédio, como se fosse ao longo de uma guia normal, sem as mãos no volante e brecando ou acelerando de acordo com as instruções emitidas pelo computador do carro. Não havia barreiras de proteção.

O carro, que chega ao Brasil em outubro, promete, além do sistema, uma série de equipamentos não encontrados em outros modelos do segmento de médios. Como funciona – Sensores ultrassônicos detectam a vaga e avisam ao motorista que deve seguir as instruções, inicialmente parando, depois tirando as mãos do volante e ouvindo o que o carro “diz”. Em cerca de 15 a 30 segundos, o carro está estacionado, mesmo que a vaga seja apenas 20% maior que o comprimento do carro.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

DCARR PEQUENOS

Encantadores de crianças Carrinhos com pedal ou controle remoto para a alegria da sua turma

A

pesar das campanhas das nossas autoridades, que resolveram transformar o automóvel em inimigo público nº 1, ele ainda encanta as pessoas e também os pequenos, que podem receber lições de direção brincando. Para estes existem várias opções de presente para o Dia da Criança que se aproxima (12/10). O carro pode ser pequeno, com controle remoto. As meninas podem transportar suas bonecas e os meninos, viver um dia de super-herói. Existem aqueles maiores, nos quais os pequeninos entre 2 e 5 anos podem entrar e pedalar a vontade, como se fossem motoristas dos bombeiros, da polícia ou de um táxi. Todos eles podem ser encontrados nos vários tipos de comércio, como lojas de brinquedos, grandes supermercados e magazines ou especializadas em produtos infantis. Bateria – Um dos modelos para encantar as meninas, a começar pela cor, é o Fabulous Car, com rádio controle de sete funções de condução, bateria recarregá-

vel e carregador bivolt incluso. O controle usa duas pilhas AA. O preço, R$ 199,99. Para os meninos, mas que o papai também vai gostar, por R$ 129,99, o Batmóvel Batman Returns, também com rádio controle de sete funções e bateria recarregável. No controle bateria de 9v. Também para eles, por quase R$ 200, o Tufão, uma versão "abrutalhada" de uma picape, com o mesmo tipo de controle. Os modelos são da Candide. Pedalando – O Carro Táxi tem luminoso, um rádio que emite efeitos sonoros e busina. Tem portatrecos também e custa R$ 963. É acionado por pedais, o que garante o exercício dos pequeninos entre 2 e 5 anos de idade. Também a pedal, o Carro Bombeiro tem um pequeno tanque de água e uma mangueira para espirrá-la. Seu preço, R$ 941. O Carro Polícia, como os demais, produto da Girotondo, não tem sirene, mas uma boa buzina e chave de ignição. Este modelo custa R$ 862.

21


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

t

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

CARA A CARA - Na loja Viva Penedo!, na Pequena Finlândia, estão à venda camisetas elegantes com o tradicional "Suomi" ("finlandês" em finlandês) e o "Minä Penedoa" (Eu amo Penedo). Mas uma estampa especial trabalha com inteligência a ideia da Penedo ao mesmo tempo natural e finlandesa: a do "the jacu zangado", um pássaro da região. Enquanto o "jacu" representa a exuberância local, o "zangado" é divertida homenagem à finlandesa Roivo, criadora dos mais que globais joguinhos Angry Birds.

urismo

PENEDO, FINLÂNDIA.

A 260 quilômetros de São Paulo, descendentes de imigrantes e antenados empresários vão à luta para recolocar a cultura finlandesa no foco do turismo local José Guilherme R. Ferreira

Fotos: José Guilherme R. Ferreira/DC

S

oile Peltola estava na orangerie quando chegamos. Do moderno espaço envidraçado onde trabalha, consegue admirar o jardim e o casarão colonial. Um sobradão histórico que ela e o marido Mika compraram em 2010 e que estão restaurando. Já cuidaram do paisagismo e trocaram todo o telhado. Trata-se de "um projeto de vida", diz Soile. Projeto que se soma a várias iniciativas de resgate da cultura finlandesa de Penedo, a única colônia finlandesa no Brasil. O casarão, sede de uma antiga fazenda de café comprada há décadas do Mosteiro de São Bento por finlandeses, serviu de hospedaria para muitos imigrantes que ali desembarcaram no Entreguerras. Atrás do casarão estão as ruínas da primeira sauna pública de Penedo, de 1929, que um dia será também reconstruída, estimulando a volta de uma tradição que foi sendo deixada de lado. A história de Penedo, a 260 quilômetros de São Paulo, confunde-se com a da própria colônia finlandesa. Em 1927, o sonhador e místico Toivo Uuskalio desembarcou no Brasil, em busca de terras para um Paraíso. Logo depois vieram outras famílias, arregimentadas, que tiveram de por a mão na enxada para plantar e replantar esse Eden tão idealizado em terras geladas. Foi duro, mas deu certo. A fileira de frondosas mangueiras na principal avenida de Penedo é uma herança dos velhos tempos e marca a persistência dessa gente. E com a fartura de mangas vieram os deliciosos chutneys até hoje preparados por mãos habilidosas. Se pudesse indicar uma trilha sonora para essa visita ao casarão, escolheria o poema sinfônico Finlandia, do compositor Jean Sibelius (1865-1957), peça-símbolo da luta de seu país pela independência e elegia para a Finlândia nação – a mesma força que vislumbramos em Soile, uma filha de imigrantes. Vestida com coloridos trajes típicos, como que saída das páginas do épico Kalevala, Soile acabava de chegar de uma panfletagem, divulgando seu restaurante recém-inaugurado. N'O Finlandês, ambientado como um refúgio de esquiadores, a comida é finlandesa, é caseira. Ali uma singela trouxinha de repolho com carne tem o poder de desmistificar os menus escandinavos, quase sempre (e sem desmérito) afogados em peixes. É natural que a truta de águas geladas nade pelos res-

Casas coloridas no Parque Finlândia (acima), onde está a fábrica de chocolates de Ricardo Leite e Ricardo Sato (ao lado).

Ao lado, um dos salões do Jardim Secreto e a torta de natas, figos e calda de vinho do Porto (detalhe).

RAIO X COMO CHEGAR Penedo, distrito de Itatiaia (RJ), fica a 260 quilômetros de São Paulo (Via Dutra até km 311, acesso à Rodovia Dr. Rubens Tramujas Mader, mais 3 quilômetros até o portal).

Hotel Pequena Suécia: Rua Toivo Suni, s/nº, reservas pelo tel. (24) 3351-1275, www.pequenasuecia.com.br. Diária para casal de R$ 250 a R$ 695 (com café da manhã de delícias suecas).

ONDE FICAR Hotel Girassol: Av. Casa das Pedras, 766, www.girassolpenedo.com.br, reservas pelo tel. (24) 33511237. Diária para casal de R$ 170 a R$ 387 (com café da manhã). Restaurante atende com reserva aos hóspedes; pratos com bacalhau e farto rodízio de fondue.

ONDE COMER Jardim Secreto: Estrada das Três Cachoeiras, 3899, tel. (24) 3351-2516, www.penedo.com/jardimsecreto. Chef Fabiano Almeida. Comida contemporânea; excelente carta de vinhos. O Finlandês: Av. das Mangueiras, 10, tel. (24) 3351-3243. Proprietários: Mika e Soile

Peltola. Especialidade: autêntica comida caseira finlandesa. Funciona quinta e sexta-feira, das 18h a meia-noite; sábado das 11 a meia-noite; e domingo das 11h às 16h Jazz Village Bistrô: Restaurante do Pequena Suécia Rua Toivo Suni, 33, tel. (24) 3351-1275, www.jazzvillage.com.br. Destaque para os pratos suecos e a comida vegetariana Atrações: consulte as atrações musicais dos fins de semana e do festival de jazz & blues nos meses de inverno.

ONDE PASSEAR Pequena Finlândia: Rua das Velas, 100. Casa do Papai Noel: tel. (24) 3351-2002. Tonttulakki Suklaat: fábrica de chocolates. Viva Penedo!: camisetas e souvenires da Penedo natural e finlandesa. Clube Finlândia: Av. das Magueiras, 2.601.

taurantes de Itatiaia. A Penedo finlandesa, além dos sabores, está cenicamente presente no casario colorido do Parque Pequena Finlândia, inspirado nas cidades de Porvoo e Rauma. Não à toa, ali fica a residência oficial do Papai Noel no Brasil. Essas casas abrigam lojas (decoração, s o u v e n i r e s , i g u arias), café, cervejaria e também uma fábrica de chocolates (chancelada pela belga Barry Callebaut). Ricardo Sato, um dos sócios da fábrica – a simpática Tonttulakki ("gorro do gnomo", em finlandês) –, é descendente de japoneses e "finlandês-honorário". Não perde um só dos animados bailões levados geralmente no primeiro sábado de cada mês no Clube Finlândia. Com um pouco de sorte, é possível assistir ao grupo folclórico Penedon Kansantanssin Ystävät, que fez dez anos e é um dos orgulhos da comunidade. Sato defende a retomada da cultura finlandesa como foco central do turismo de Penedo. Outros empresários olham com certa preocu-

pação a proliferação de galerias e lojinhas "sempre com os banalizados produtos" de outras cidades turísticas. Como se o artesanato da colônia (velas, tapetes e bordados) não pudesse dar colorido especial às prateleiras. Hoje há consenso de que o futuro de Penedo também depende de empreendimentos diferenciados. Sato e seu sócio Ricardo Leite devem inaugurar uma gelateria de primeira linha, em meados de outubro. Já o restaurante Jardim Secreto, do chef Fabiano Almeida, é modelo do que poderá ser uma Penedo procurada por sua gastronomia contemporânea de excelência. Sofisticado e com preço justo é, por exemplo, o pirarucu grelhado com moqueca de palmito pupunha (R$ 56) do tranquilo Jardim Secreto. E se um bom restaurante também se conhece pela carta de vinhos, o que dizer desse que oferece modernos espumantes Filipa Pato e alvariño Paco & Lola? Perto da Tonttulakki está a Viva Penedo ! de Hugo Souza. A boutique temática vende camisetas e souvenires de qualidade, com motivos locais, recuperando até desenhos feitos por antigos imigrantes. Viva Penedo! já é mot e d e u m movimento informal em favor do resgate das tradições. É da lavra de Hugo o slogan "PeUm dos nedo natural chalés do e finlandesa". Hotel Pequena O fato é que Suécia (foto os roteiros maior), o por trilhas e casarão cachoeiras colonial que são mais visíabrigou veis e fáceis imigrantes, e de percorrer interior do do que os carestaurante minhos dos O Finlandês finlandeses. (ao lado), de No final da Mika e rua Toivo SuSoile Peltola. ni fica o Hotel Pequena Suécia, "guardado" pelo cavalo alaranjado de Dalarna. O hotel está intimamente ligado à tradição finlandesa. Nasceu nos anos 50 como chácara e retiro de Helmi Lindell e Vivi Ramstadf, imigrantes intelectualizadas, amantes da natureza. Na década de 60 foi comprado por uma família sueca. À frente do hotel está Marie Louise, que cuida com carinho do patrimônio herdado dos pais. Os chalés parecem emular as casinhas dos mineiros das minas de cobre de Falun, que as pintavam com pigmento das profundezas da terra. O casarão da Chácara das Duas continua inteiro, como sede do hotel. Filósofa apaixonada por música e holística, Marie Louise não só criou um SPA de estrato zen, como introduziu a boa música na agenda de Penedo. As sessões de fim de semana e o Penedo Winter Jazz & Blues, já na 8ª edição, estão entrando para a história. Assistir ao show Ain't no Strangers, dos blueseiros Álamo Leal e Flávio Guimarães, na mesa do gargarejo do Jazz Village Bistrô, foi uma experiência inesquecível. Leia mais sobre a região de Itatiaia na semana que vem


Diário do Comércio