Issuu on Google+

São Paulo, sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

R$ 1,40

Policial que acusa Orlando Silva, ministro dos Esportes, espera "ansiosamente" que o chamem para falar mais. Pág. 5

Pan: Bruxas X Brasil. Jaqueline com fratura cervical; Cielo, no hospital; Jade machuca o tornozelo; o patinador Stümer, roubado. Nem o ministro escapou. Pág. 24

Conclusão: 23h55

Ano 87 - Nº 23.479

www.dcomercio.com.br

Jornal do empreendedor

Ministro na marca do pênalti

Daniel Marenco/Folhapress

Cielo: ouros. Com recorde.

Inadimplência cai no CEU de Paraisópolis Em ação promovida pela ACSP e Boa Vista Serviços, moradores de Paraisópolis renegociam dívidas com descontos entre 50% e 90% e limpam seus nomes. Pág. 13

Nadador 'sobrou' nos 100 m livre nos Pan-Americanos. Depois, outro ouro no revezamento 4 por 100 m. Pág. 23

Satiro Sodré/AGIF

L.C.Leite/Luz

Em debate, uma nova Constituição. Daniel Augusto Jr./Fotoarena/Folhapress

Revisão constitucional enviada ao Senado pelo PSD será tema de encontro hoje com Ives Gandra na ACSP. Pág. 6

Priscila Oliveira e Ewerton Ferreira com os filhos: ela limpou o nome após 2 anos e ele se tornou um empreendedor.

Robert Laberget/Getty Images

F-Indy: morte em Las Vegas. Acidente envolveu 15 carros. Dan Wheldon, o campeão de 2005, não resistiu. Pág. 23 e www.dcomercio.com.br HOJE Pode garoar de manhã e à noite. Máxima 20º C. Mínima 14º C.

AMANHÃ Sol com muitas nuvens durante o dia. Máxima 21º C. Mínima 11º C. ISSN 1679-2688

23479

9 771679 268008

Líder. 'É isso que eu quero!' Palavras do técnico Tite ao elogiar o desempenho do Timão no 1 a 0 sobre o Cruzeiro (gol de Paulinho, foto). Esporte


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

No meu entender a política está na direção correta, pois deu-se ênfase no crescimento da economia. Delfim Netto

pinião

John Kolesidis/Reuters

PAULO SAAB

INDIGNAÇÃO E DEMOCRACIA

T

Manifestação de desempregados na Grécia: um quadro que o Brasil precisa evitar, mantendo a atividade econômica e segurando a inflação.

TEMOS DE SALVAR OS EMPREGOS

H

á um surto inflacionário no mundo inteiro e o Brasil começa a sentir o sopro deste vento contrário, antecipando as dificuldades que devemos ter para chegar ao final do ano sem ultrapassar o limite superior da nossa meta de inflação, que é de 6,5%. O Banco Central aceita o risco de uma pequena ultrapassagem, mas em nenhum momento admitiu mudar o núcleo da meta de 4,5% para 2012 ou o abandono da atual política monetária. Alexandre Tombini, presidente do BC, tem dito que existe uma boa probabilidade de a taxa de inflação encerrar o ano um pouquinho abaixo do topo da meta. Não é uma situação confortável, mas também não é nada dramático, até porque o ritmo do crescimento dos preços está arrefecendo e a taxa deverá cair nesses três últimos meses de 2011, de forma a entrarmos o novo ano com a perspectiva renovada de poder atingir o centro da meta no final de 2012, de acordo com as previsões do governo. Em outubro, novembro e dezembro do ano passado, as taxas de inflação se mantiveram ao redor de 0,7%, ora um pouco acima, ora um pouco abaixo. A média este ano está um pouquinho abaixo disso, de forma que ao substituir as taxas, nos três últimos meses de 2010, pelos correspondentes em 2011, provavelmente vamos ob-

DELFIM NETTO servar uma queda no ritmo do crescimento da inflação em 12 meses, o que permitirá terminarmos o ano tangenciando o limite da meta, talvez sem furar o teto. Mesmo que isso aconteça, como foi dito, não se trata de nenhuma tragédia, comparado com o que se poderia esperar diante desse aumento das tensões mundiais. No meu entendimento, a política está na direção correta, pois preferiu-se colocar a ênfase no crescimento da economia, admitindo que as taxas de inflação possam cair com menor velocidade, mas

Temos de continuar atentos ao objetivo principal, que é manter a atividade econômica sustentada, garantindo a oferta adequada de crédito à produção agrícola e os financiamentos à indústria e ao comércio.

T

emos de continuar atentos ao objetivo principal, que é manter a atividade econômica sustentada, garantindo a oferta adequada de crédito à produção agrícola e os financiamentos à indústria e ao comércio. É a forma correta de evitar que se concretizem as previsões alarmistas de redução da taxa de crescimento do PIB para menos de 3% e a queda consequente dos níveis de emprego nos primeiros meses de 2012. O controle da meta de inflação é sempre uma tarefa difícil. Por isso mesmo é preciso apoiar o grande esforço fiscal que o governo está fazendo, com resultado, e, ao mesmo tempo, cobrar as reformas microeconômicas que tornem mais eficiente o serviço público. ANTÔNIO DELFIM NETTO É PROFESSOR EMÉRITO DA FEA-USP, EX-MINISTRO DA FAZENDA, DA AGRICULTURA E DO PLANEJAMENTO

O ALERTA DE RUI BARBOSA Quero cumprimentá-los pela iniciativa de publicar o texto "Esgotada a Paciência, vem o Corcovo" (edição de 1/10). Impressionante a atualidade do conteúdo, principalmente no tocante à citação da Mentira Eleitoral, bem como da previsão de que a paciência do povo se esgota diante de tanta corrupção, incompetência,

sempre fazendo convergir para a meta de 4,5% em 2012. O trabalho do governo para não deixar o crescimento desacelerar é de fundamental importância para manter baixo o índice de desemprego, dado que a presidente Dilma está consciente de que não há nada mais injusto em uma sociedade do que impedir as pessoas de ganharem seu sustento e o de suas famílias com o fruto do seu trabalho. Basta olhar o mundo à nossa volta e acompanhar o crescimento da revolta dos desempregados gregos, espanhóis, irlandeses e is-

landeses, franceses e portugueses e, mais recentemente, os milhões de homens e mulheres que sempre encontraram nos Estados Unidos um ambiente propício ao trabalho e que agora se desesperam com a privação de suas rendas e com a destruição de seus sonhos, mesmo podendo recorrer provisoriamente ao seguro-desemprego. Não são poucos os brasileiros nessas condições na América, como as redes sociais e às vezes as TVs têm mostrado.

delapidações e anulação da defesa da Pátria. Agradeço ao Diário do Comércio por tantas atitudes pela restauração da verdadeira democracia no Brasil. Da minha parte, tirei cópias do texto e estou distribuindo aos amigos e conhecidos que muito têm elogiado o artigo. João Alfredo Castelo Branco São Paulo

AINDA O CASO BATTISTI O caso Battisti é a cara do Brasil. Após concederem todas as regalias a um fugitivo julgado por assassinato na Itália, agora uma luz brilha na memória do Procurador Geral Hélio Heringer Junior e o recorda que pela nossa Constituição assassinos julgados por crime em outro país não podem ter visto de

permanência. Ou seja, nem o ex-presidente, o ministro da Justiça ou ministros do STF, que deveriam conhecer e defender a Constituição sabiam disso. É tenebroso estar nas mãos de tantos incompetentes . Leila Elston - São Paulo

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cláudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

em sido muito rica essa interação com os leitores na discussão de uma eventual medida legal para acabar com o foro privilegiado de congressistas e ministros de Estado. Tenho recebido sugestões, críticas, informações – enfim, contribuições que estou compartilhando por meio da coluna e do e-mail direto. Da riqueza desse debate, porquanto tenho conversado também com lideranças políticas, empresariais e cidadãos comuns como eu, tem surgido a necessidade de um perfeito entendimento sobre como é nossa legislação, a razão do foro privilegiado e desdobramentos do tema. Refiro-me aos juristas que entendem ser necessário preservar o foro como forma de defesa da própria autonomia de ação e decisão dos parlamentares e ministros –salientando que o uso dessa prerrogativa por alguns, em benefício ilegal próprio, deve ser combatido com outros instrumentos que não necessariamente a mudança da regra constitucional, em prejuízo da própria liberdade democrática. Há quem entenda e defenda a existência de uma nova Assembleia Nacional Constituinte, separada do Congresso Nacional, com a missão específica de criar uma nova Constituição adequada às demandas perenes do País, em vez de buscar emendá-la a todo momento de forma pontual. efensores dessa tese argumentam que a Constituinte anterior agiu ainda sob o efeito do final da Guerra Fria, quando o mundo ainda se dividia em esquerda e direita, coisas anacrônicas hoje em dia. A Constituição é de 1988 e o Muro de Berlim caiu em 1989. Argumentam ainda que o Brasil, nos últimos anos, teve toda a sorte de experiências no poder, com a "direita" de Collor, a "esquerda" de FHC, o "sindicalismo socialista" de Lula, e viveu na prática a necessidade de mudança nas normas constitucionais. Nesse momento o Brasil está em paz social, a questão ideológica esvaziou-se e todos têm interesse em desenvolver o país de forma harmônica e pacífica. Essa seria a lógica da bandeiras de uma Constituinte geral, claro que considerando as reformas que nosso crescimento e modernidade demandam. A legião de leitores que disse apoiar a limitação de imunidade e que pediu para

D

Estamos todos tão indignados com os ladrões encastelados em funções públicas, que pensamos puni-los de forma epidérmica, com os nervos à flor da pele. Há que refletirmos.

trabalhar na coleta de assinaturas, deve, assim como o colunista, refletir, como estamos fazendo, sobre as sugestões recebidas, de apoio, mas em outro sentido de ação. Alega-se por exemplo, e com razão, que todos estamos tão indignados com os ladrões encastelados em funções públicas, que pensamos em puni-los de forma epidérmica, com os nervos à flor da pele. É preciso, dizem, deixar o estômago de lado e pensar em aperfeiçoamentos que alcance os bandidos e preservem as conquistas já feitas pela democracia brasileira. a verdade, podemos dizer que os parlamentares, ministros, servidores, cidadãos que se servem dos recursos públicos em benefício pessoal, estão cometendo crime de lesa-pátria. Mas os honestos não podem ser punidos, perdendo sua independência de ação. A ponderar. Acresce nesse raciocínio mais largo incluir a necessidade de todos nós, que estamos indignados, apoiar de forma efetiva outros projetos e medidas que estão na pauta, como a vigência do Ficha Limpa, o Voto Distrital e outros. Para seguir provocando o leitor, pergunto: se dizem que o ótimo é inimigo do bom ("ótimo" seria uma reforma geral e o "bom" medidas pontuais que corrijam distorções), por qual das opções lutar nesse momento? Uma coisa parece certa: a corrupção, como já mencionei, tem mil faces. E existem poucos modos de combatê-la dentro da ordem jurídica constitucional vigente, conquistada a duras penas. A legislação favorece a democracia e os bandidos se acolitam na trincheira da democracia e do populismo para solapar a democracia, roubando o dinheiro público. Vamos seguir na discussão e nas ações.

N

PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR. PSAAB@INSTITUTO CIDADANIA.ORG.BR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edi tor - Ch e fe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro (aribeiro@dcomercio.com.br) Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Kleber Gutierrez, Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli e Evelyn Schulke Repór teres: Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André de Almeida, Fátima Lourenço, Ivan Ventura, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente PL Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

o

3

C U L PA D E T U D O N O B R A S I L É C O L O C A D A I N V A R I A V E L M E N T E N A D I TA D U R A .

pinião

Bode expiatório - I Q

ue os brasileiros vêmse tornando um povo de egoístas cínicos não é nenhuma grande novidade. Mas no Estadão de 9 de outubro o prof. José de Souza Martins explica o fenômeno como reação coletiva à falta de liberdade que a nação sofreu no período militar. Teríamos passado, segundo ele, da repressão à esculhambação. Apelar tão resolutamente à metáfora hidráulica de fluxo e refluxo como princípio explicativo já é, em si, um delito mental que não se deveria perdoar num sociólogo, especialmente quando este vem com o título de "professor emérito". O prof. Martins não recorreria a esse automatismo pueril se se não lhe desse a oportunidade de cumprir o mandamento número um do Decálogo Uspiano: lançar a culpa de tudo, sempre e invariavelmente, na maldita ditadura. Infelizmente essa intenção devota esbarra em alguns obstáculos invencíveis. Metade da população brasileira tem menos de 30 anos e não pode ter sofrido nenhuma privação de liberdade num regime que terminou duas décadas e meia atrás. O que essa gente sabe da ditadura é o que lhe foi transmitido por professores, jornalistas e artistas de TV – os "intelectuais" no sentido elástico que Antonio Gramsci dá ao termo. O mau comportamento dos brasileiros não pode portanto ser uma reação direta a experiências de trinta ou quarenta anos atrás, mas o resultado da educação que receberam, das crenças e reações que aprenderam. Se alguém achou que as incomodidades sofridas no período militar justificavam a permissão para a busca irrefreada de satisfa-

OLAVO DE CARVALHO Metade da população brasileira tem menos de 30 anos e não pode ter sofrido nenhuma privação de liberdade num regime que terminou já há duas décadas e meia. ro, com o cuidado de se isentar preventivamente de qualquer responsabilidade pelas eventuais consequências adversas.

A

ções egoístas como uma espécie de compensação psicológica, foram os "intelectuais", não a população em geral. Esta limitou-se a praticar o que eles lhes ensinaram – e quando o resultado começou a aparecer, com sua feiúra deprimente, logo veio um porta-voz dos "intelectuais" para fazer o que eles costumeiramente fazem: apagar as pistas de suas próprias ações, jogar as culpas nos outros e aproveitar o desastre como oportunidade para reforçar sua autoridade de conselheiros da nação. Mas também é errado imaginar

que dentro do próprio círculo de "intelectuais" uma ética de autoindulgência viesse como resposta a uma situação local especialmente opressiva. Na década de 60, a onda hedonista brotou simultaneamente em dezenas de países, a maioria dos quais não passou por ditadura militar nenhuma. Nos focos principais de onde a moda irradiou – a França e os EUA –, os mais extremados apologistas do "prazer" desfrutavam não só de uma liberdade invejável, mas de financiamentos bilionários vindos das altas esferas do establish-

ment (a história de Alfred Kinsey é modelar: v. Judith Reisman, Kinsey: Crimes and Consequences, Institute for Media Education, 3rd. ed., 2003). Não faz sentido atribuir a causas locais um fenômeno de escala universal. Os "intelectuais" da taba aderiram à ideologia do prazer porque quiseram, porque era a moda internacional, e não porque a isso os forçasse o governo militar. Quando a repassam a jovens e crianças nas escolas, estão apenas formando as novas gerações à sua imagem e semelhança – sempre, é cla-

demais, a análise do prof. Martins erra também por anacronismo. O culto do prazer a todo preço não surgiu no Brasil após o advento da Nova República, mas já nos anos 60, fomentado não só pela influência das modas culturais importadas, mas por toda uma militância local onde se destacaram importantes órgãos de mídia como Realidade, Nova e Cláudia, sem contar uma infinidade de publicações menores como O Pasquim, Ex, Rolling Stone, Flores do Mal e não sei mais quantas, todas dirigidas por ativistas de esquerda empenhados em destruir o capitalismo por via vaginal, o cristianismo por via anorretal ou ambos por via dupla. Uma coisa não pode ser reação tardia a outra coisa quando ambas acontecem

ALGO ESTÁ Q

empresas se focarem no lucro, se deixarmos a poluição seguir sem taxação e sem controle, então todos nós estaremos melhor. Talvez não igualmente distribuído, mas os pobres vão ficar menos pobres, quem trabalha duro terá empregos melhores, quem estuda muito terá empregos melhores e teremos dinheiro suficiente para consertar o meio ambiente". O que temos agora, completa Gilding – mais especificamente nos EUA, mas praticamente em todos os lugares – " é a mãe de todas as promessas quebradas". Sim, diz ele, "os ricos estão ficando mais ricos e as empresas estão lucrando, com seus executivos sendo ricamente recompensados. Mas, enquanto isso, o povo está piorando, se afogando na dívida imobiliária e/ou na educacional; muitos dos que trabalharam duro estão desempregados; muitos dos que estudaram muito não têm meios de encontrar um bom emprego; o meio ambiente está cada vez mais prejudicado; e as pessoas se dão conta de que seus filhos ficarão numa situação ainda pior." Para ele, esta jornada específica de protestos pode se consolidar ou não, "mas o que não vai continuar é a ampla coalizão daqueles sobre quem o sistema está montado e que agora acordaram. Não são só os ambientalistas, os pobres, os desempregados. É a maioria da população, incluindo a classe média altamente instruída, que está

O

u a ditadura incentivou as pessoas a subir na vida por meio do capitalismo ou as inibiu de fazer isso, alimentando nelas um desejo insatisfeito a que só puderam dar vazão na Era Lula. As duas coisas ao mesmo tempo, não pode ser. OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA

THOMAS L. FRIEDMAN

ACONTECENDO AQUI uando se veem os movimentos sociais espontâneos surgindo da Tunísia a Tel-Aviv e a Wall Street, fica claro que há algo acontecendo mundialmente e que precisa ser definido. Há duas teorias que me intrigam. Uma afirma que se trata do início da "Grande Ruptura". A outra diz que tudo isso faz parte da "Grande Mudança". Você decide. Paul Gilding, o ambientalista australiano e autor do livro The Great Disruption (A Grande Ruptura), argumenta que esses protestos são um sinal de que o atual sistema capitalista, obcecado pelo crescimento, está chegando a seus limites ecológicos e financeiros. "Olho o mundo como um sistema integrado; assim, não vejo esses protestos, ou a crise da dívida, ou as desigualdades, ou a economia, ou o clima ficando estranho, isoladamente: vejo nosso sistema no doloroso processo de colapso" (que é o que ele quer dizer com Grande Ruptura), afirmou Gilding. "Nosso sistema de crescimento econômico, de democracia ineficiente, de um planeta Terra supercarregado – o nosso sistema – está se autodevorando. Ocupar Wall Street é como o menino no conto de fadas dizendo o que todo mundo sabe, mas tem medo de falar: o rei está nu. O sistema está quebrado. Pensem na promessa do capitalismo de mercado global. Se deixarmos o sistema funcionar, ele vai levar o rico a ficar mais rico; se deixarmos as

simultaneamente. Para piorar, o prof. Martins não assinala como sintoma da desordem moral nacional só a busca de satisfações imediatas a todo preço, mas também a cobiça financeira, a sede de bens materiais. Ora, como é possível explicar esse fenômeno como reação de alívio subsequente a uma situação repressiva, e ao mesmo tempo acusar a ditadura de ter fomentado o espírito capitalista, o consumismo, o culto da mercadoria e o império da "lei de Gérson"?

Morteza Nikoubazi/Reuters

em Stanford, para começar uma empresa com clientes em qualquer lugar ou para colaborar com as pessoas em qualquer lugar. Temos mais problemas grandes do que nunca e mais resolvedores de problemas do que nunca. ssim, temos isto: duas narrativas de mestres – uma baseada na ameaça, outra baseada na oportunidade – mas ambas envolvendo transformações sísmicas. Gilding, no fundo, é um otimista mesmo. Ele acredita ao mesmo tempo que a Grande Ruptura é inevitável mas que a humanidade fica melhor durante uma crise. Mas acha que quando ela atingir tudo, vamos nos mostrar à altura da ocasião e produzir transformações sociais e econômicas (utilizando instrumentos da Grande Mudança). Hagel também é um otimista. Ele sabe que a Grande Ruptura pode estar nos derrubando, mas acredita que a Grande Mudança também criou um mundo onde mais pessoas têm os instrumentos, os talentos e o potencial para sair da crise. Meu coração está com Hagel, mas minha cabeça diz que só se pode ignorar Gilding por sua conta e risco. Você decide.

A

sentindo os resultados de um sistema que vê todo o crescimento das últimas três décadas ir para o 1% do topo". ão tão rápido, crê John Hagel III, que é copresidente do Centro para a Periferia em Deloitte, junto com John Seely Brown. Em seu livro mais recente, The Power of Pull (O Poder da Influência), eles sugerem que estamos nos primeiros estágios de uma "Grande Mudança", precipitada pela junção da globalização com a revolução da tecnologia da informação. Nos primeiros estágios, experimentamos esta Grande Mudança como uma pressão crescente, um desempenho deteriorado e estresse cada vez maior – porque continuamos a operar com instituições e práticas que se tornam progressivamente

N

disfuncionais. Assim, a explosão de movimentos de protesto não é surpresa. im, a Grande Mudança também desencadeia um gigantesco fluxo global de ideias, inovações, novas possibilidades colaborativas e novas oportunidades de mercado. Esse fluxo está constantemente ficando mais rico e mais rápido. Hoje, aproveitar o fluxo global se tornou a chave para a produtividade, o crescimento e a prosperidade. Mas para explorá-lo com eficiência, cada país, cada empresa e cada indivíduo precisa estar constantemente ampliando seus talentos. "Estamos vivendo num mundo onde essa corrente vai prevalecer e derrubar quaisquer obstáculos no caminho", afirma Hagel. "À medida que o fluxo ganha

S

força, ele mina os preciosos estoques de conhecimento que no passado nos deram segurança e prosperidade. Ele nos convoca a aprender mais rápido trabalhando em equipe e a arrancar de nós mesmos nosso verdadeiro potencial, tanto individual quanto coletivamente. Ele nos estimula com as possibilidades que só podem ser alcançadas participando de um amplo conjunto de fluxos. Essa é a essência da Grande Mudança." im, as empresas agora têm acesso a programas, robôs, automações, força de trabalho e gênios mais baratos do que nunca. Assim, manter um trabalho exige mais talento. Mas o outro lado é que as pessoas – as pessoas – em qualquer lugar podem ter acesso ao fluxo para de uma vila na África ter aulas online

S

THOMAS L. FRIEDMAN É COLUNISTA DO NEW YORK

TIMES E TRÊS VEZES GANHADOR DO PRÊMIO PULITZER TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA


DIà RIO DO COMÉRCIO

4 -.GERAL

GibaUm

3 No primeiro mandato, Lula criou o cineminha do Alvorada. SĂł com filmes brasileiros, ele dormia e a idĂŠia acabou morrendo.

gibaum@gibaum.com.br

sĂĄbado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

3 MAIS: quando ministra, Dilma ia ao cinema e hoje espia DVDs que sua mãe, Dilma Jane, aluga. E vê lançamentos no AeroDilma.

k NĂŁo agĂźento mais receber telefonema de Lula. Ele liga toda semana Abertura da Copa ÂŤ

como se ainda fosse presidente.

MARCO MAIA // (PT-RS), presidente da Câmara Federal, reclamando que o ex-presidente não desencarna do poder.

Fotos: Paula Lima

333 Apesar dos esforços de Brasília, a Fifa deve escolher (o anúncio serå feito quintafeira próxima em Zurique) os estådios Itaquerão (São Paulo) e Maracanã (Rio) para abertura e final da Copa de 2014. São Paulo tem a seu favor o lado da publicidade: Ê a cidade onde se concentram escritórios de seus patrocinadores. O Rio tem as tradiçþes do Maracanã, sede da Copa de 1950, mais o centro de mídia, que ficarå localizado lå. A idÊia do Itaquerão não ficar pronto Ê fora de qualquer cogitação.

MALHADINHA SĂŁo Paulo ĂŠ palco de O Libertino, em temporada no Teatro Cultura ArtĂ­stica Itaim, baseado em texto de EricEmmanuel Schmidt e que conta a histĂłria do filĂłsofo Denis Diderot, que resiste ao pedido, no sĂŠculo XVIII, de ser retratado nu.OdiretorJĂ´Soares,contudo, colocaDiderot,vividoporCĂĄssio Scapin,queaindanĂŁoselibertou do Nino do Castelo RĂĄ-TimBum, pelado no palco. E estĂĄ encantado com o derrière dele: â€œĂ‰ toda malhadinhaâ€?. Ă€s aficcionadas (e aficcionados) pela ĂĄrea, JĂ´ recomenda que “comprem ingressos na fila do gargarejo para ver melhorâ€?. 333

333 Outubro ĂŠ o mĂŞs que marca o nascimento (1916) e a morte (1992) de Ulysses GuimarĂŁes e o PMDB vai transformĂĄ-lo em estrela de seu programa de TV em novembro. É uma desculpa para fazer lembrar os bons tempos do partido, cujo atual presidente, Valdir Raupp, estĂĄ em campanha pedindo a Dilma Rousseff o fechamento de dez ministĂŠrios. Ulysses foi um polĂ­tico de frases memorĂĄveis: “Vamos tomar essa Bastilha nojenta e repugnante que ĂŠ o ColĂŠgio Eleitoral, um câncer que estĂĄ apodrecendo a polĂ­tica e matando a Naçãoâ€? (antes das eleiçþes diretas); “Eu tenho Ăłdio e nojo Ă  ditaduraâ€? (na promulgação da Constituição em 1988); e “Minha paciĂŞncia ĂŠ tĂŁo infinita como a do povo brasileiro. SĂł se irrita com o bĂŞbado e o chato. O chato ĂŠ o inimigo do gĂŞnero humano. É o maçante a quem vocĂŞ pergunta como vai? e ele resolve contarâ€?.

Na platĂŠia de Clapton

Quem foi ao show de despedida de Eric Clapton sua turnê brasileira, no estådio do Morumbi, em São Paulo, não deixou por menos: Ê o melhor guitarrista do mundo. E tem público cativo, que aplaudiu de pÊ, de Layla (anos 70) ao clåssico Cocaine. Foram 45 mil fãs entusiasmados que, no bis, ganharam Crossroads. Entre tantos, na platÊia paulista, da esquerda para a direita, Fabiana Scaranzi, as modelos Izabel Goulart e Fernanda Motta (estå negociando sua volta à TV), a princesa-modelo Paola de Orleans e Bragança (fazendo o gênero plebÊia) e, de quebra, no Rio, a atriz Christine Fernandes, à bordo de seu shortinho. 333

Parece aquelas antigas latas quatro em uma , que reuniam goiabada, pessegada, marmelada e figada. A Secretaria dos Direitos Humanos, pilotada por Maria do Rosårio, vai virar MinistÊrio dos Direitos Humanos no começo do ano que vem, incorporando mais três: Políticas para Mulheres, Igualdade Racial e Secretaria Nacional de Juventude. A idÊia do Planalto, que estå satisfeito com Maria do Rosårio, que seria a titular do novo ministÊrio (apesar de discussþes referentes à Comissão da Verdade), Ê racionalizar e enxugar. As secretarias funcionariam dentro do MinistÊrio dos Direitos Humanos, onde jå existem as da Criança e do Adolescente, Pessoas com Deficiência e de Promoção dos Direitos Humanos. Luiza Bairros (Igualdade Racial) permaneceria na nova estrutura, como tambÊm Severine Carmen Macedo (Juventude). Iriny Lopes (Políticas para Mulheres) não fica. 333

Quatro em uma

ESCOVA

Terror chic Dia 21, em SĂŁo Paulo, o champanhe Veuve Clicquot promove uma festa em clima de terror chic numa “mansĂŁo abandonadaâ€?, com convidados na base de black-tie ou fantasia no estilo. A promoção ĂŠ conhecida como Yelloween, em homenagem Ă  cor sĂ­mbolo da bebida, o amarelo Clicquot. EpisĂłdios sinistros e surpreendentes acontecerĂŁo em todos os cĂ´modos e o ambiente foi criado por Carlos Pazetto. A noite antecede as festas de Halloween (ĂŠ dia 31 de outubro). 333

ENCURTADO O tempo de JosĂŠ Serra no novo programa do PSDB foi devidamente encurtado na pĂłs-produção – e sem que ele tivesse sido avisado. Mesmo assim, SĂŠrgio Guerra, presidente dos tucanos, acredita que ele ficou contente, pelo menos para deixar de espalhar boatos de que sairia do partido. Dia 23 de novembro, a propĂłsito, ele recebe, na Câmara Federal, a Medalha do MĂŠrito Legislativo, “por serviços prestados Ă  Naçãoâ€?. Anteriormente, Lula e JosĂŠ Alencar receberam a homenagem. 333

333 OS MAIS nostålgicos estão gostando de assistir o espetåculo Palavra de Mulher, só com músicas de Chico Buarque, no teatro Cleyde Yaconis, em segunda temporada em São Paulo. No elenco, alÊm da cantora Virginia Rosa, participam Tânia Alves e Lucinha Lins, as duas com 58 anos de idade e usando no palco meias arrastão ou pretas. Tânia Alves coloriu as påginas de Playboy em 1984 e Lucinha Lins, em 1983.

O PUBLICITà RIO Nizan Guanaes agora usa óculos de aro grosso, lembrando anos 60, Acha que marca mais sua personalidade em meio à febre de mini-óculos retangulares de hastes de aço. E faz lembrar estilo adotado, hå anos (embora o dele seja menor), pelo publicitårio Washington Olivetto. 333

Os jornais americanos – e entre elas, The New York Times , Los Angeles Times e Chicago Tribune , sĂł para começo de conversa – ainda nĂŁo engoliram a substituição, no corpo de jurados do novo programa de Simon Cowell, X Factor (Sony), da inglesa Cheryl Cole (Ă  esquerda) por Nicole Scherzinger (direita). A primeira ĂŠ integrante do grupo britânico Girls Aloud e a segunda ĂŠ vocalista do The Pussycat Dolls (ela esteve no Brasil no carnaval). Cowell achou que Cheryl estava confusa, mas o Times classificou Nicole “nĂŁo muito mais do que um aquecedor de assentoâ€?.

Duelo de talentos

333

De novo

333 LEVI Fidelix, presidente do super-nanico PRTB serå candidato (ele Ê candidato a tudo) a prefeito de São Paulo, no ano que vem. Desde 1994, ele aparece em todas as eleiçþes propondo o seu aerotrem. E mais uma vez, colocarå no ar seu jingle, um plågio (letra trocada) de Varre, Varre, Vassourinha, de Maugeri Neto, feito especialmente para as campanhas de Jânio Quadros.

A DIREĂ‡ĂƒO artĂ­stica da Band e a produção executiva do CQC querem que Rafinha Bastos permaneça no programa. A direção da emissora topa, se ele se controlar na TV, nas declaraçþes a jornalistas e no Twitter, o que o comediante jĂĄ considera exagero. No final da semana passada, Rafinha postou no miniblog uma foto sua lendo o jornal, como se estivesse procurando emprego.

Solução

( 

)  +2. 3     

  !        



      *    +! ,-. +'  .       

      

   

          %   ) 

: 

   %  <=>>  3   $      %    3  

&

& !



  

333

333 O deputado federal Candido Vaccarezza (PT-SP) estå conseguindo irritar, de novo, a presidente Dilma Rousseff. Primeiro, na eleição da presidência da Câmara, onde Ê líder do governo; depois, no Código Florestal e mais recentemente, garantindo que o Planalto era a favor da volta da CPMF. Agora, Vaccarezza estå espalhando que estå com Marta Suplicy e não abre para sucessão municipal em São Paulo, ano que vem.

h IN

Lingerie de bolinhas.

h

333 Quem foi ao lançamento do livro Tempos de PlanĂ­cie, de JosĂŠ Dirceu, em SĂŁo Paulo, na semana passada, pode conferir â&#x20AC;&#x201C; e de perto. Entusiasmado com o farto resultado de sua cirurgia de implante de cabelos, o exministro e deputado cassado estĂĄ aderindo Ă  escova, quando vai aparecer em algum evento pĂşblico. Ele acha que dĂĄ maior volume. Seu muso inspirador ĂŠ o empresĂĄrio e apresentador de TV, Roberto Justus que, segundo sua exmulher Adriane Galisteu, nĂŁo sai de casa sem fazer escova nos cabelos, todas as manhĂŁs.

MISTURA FINA

                                    

  

                 

         

Lembrando Ulysses

OUT

Lingerie estampada. LEITOR atento desta coluna corrige nota sobre mãe e filha que jå saíram juntas e nuas em Playboyy: antes de Helô Pinheiro e Ticiane, que ocuparam påginas da revistas em abril de 2003, Maria Lucia Dahal e sua filha Joana tambÊm rechearam (e bem) a publicação em maio de 1985. Maria Lucia, hoje com 70 anos, foi casada com o cineasta Gustavo Dahal e hoje Ê cronista e escritora.

/  &    %   

      

  

 !   

"#  

   %  

(

&    

/

 

 ! 

   

/  5  0 %   

  1   +   + .  .

A presidente Dilma Rousseff ficou irritada com a novela criada por Iriny Lopes (PolĂ­ticas para Mulheres) com referencia ao comercial de Gisele Bundchen. Achou uma ação totalmente desnecessĂĄria (o Conar decidiu pela permanĂŞncia da propaganda no ar) e que expĂ´s a secretaria ao ridĂ­culo, criando â&#x20AC;&#x153;uma piada nacionalâ&#x20AC;?. Iriny (PT-ES) deve ser candidata Ă  prefeitura de VitĂłria, no ano que vem, quando a histĂłria de Gisele certamente serĂĄ lembrada â&#x20AC;&#x201C; e gozada. A oposição atĂŠ jĂĄ pensa em contratar o cartunista Laerte, sĂłsia da ministra, para a campanha. AtĂŠ a fala começa a ser estudada: â&#x20AC;&#x153;Eu adoro Gisele e faço lĂĄ em casa tudo o que ela ensinou pela televisĂŁoâ&#x20AC;?. 333

Colaboração: Paula Rodrigues,Alexandre Favero

'     ! 

 :    0+2.   4   

333

Virou piada nacional

7 7   8 /9       

  ! 

4

7  7   8

 70

7   8

$    %&   ! ' &      

 

'  6  

  

 

 

  ;  !

?     

  ) 

+<<@@. "A B

A  A C A A @   A D  A    +    )

8.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

5 BANDIDO Ministro e acusador usam essa mesma palavra para se atacarem.

olítica

MOCINHA Dilma não precisou mudar de estilo para conquistar a plateia.

Dida Sampaio/AE

Ex-militante do PCdoB ameaça dizer toda verdade Não fui aderir ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. Ele foi à minha casa pedir o meu apoio. Da mesma forma, não fui aderir ao ex-presidente Lula. Ele foi à minha casa pedir o meu apoio. Portanto, acho injusto quando dizem que estou apoiando todos os governos. Solicitado a colaborar, não tenho me furtado a fazê-lo. José Sarney (PMDB-AP), presidente do Senado em entrevista ao jornal Zero Hora (RS).

Geraldo Magela/Agência Senado

A Ficha Limpa é a reforma política possível no que tange à moralidade dos costumes políticos. Ricardo Lewandowski, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ao apostar na aplicação da lei para garantir alguma barreira à corrupção nas eleições de 2012.

Onde você estiver, vá para a rua. Exija. Cobre. Se quiser dizer desaforo de nós, diga. Mas vá para a rua. Senador Pedro Simon (PMDB-RS), ao pedir que a população vá às ruas protestar contra a corrupção.

Se não colocar a Fifa no seu determinado lugar, daqui a pouco ela vai mandar mais que a nossa presidente e a Copa vai ser do jeito que a Fifa quer, não como a gente tem que fazer. Deputado federal Romário (PSBRJ), vice-presidente da Comissão de Turismo e Desporto da Câmara, antes de participar de debate na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro.

Dida Sampaio/AE

Juiz que não tem nenhum tipo de problema ético, juiz que é sério e honesto não teme qualquer tipo de fiscalização e muito menos um Conselho Nacional de Justiça forte. Ophir Cavalcante, preside da Ordem dos Advogados do Brasil.

O

O Brasil precisa apressar a reforma política, para evitar que a situação fique pior. Governador Geraldo Alckmin, durante celebração, em Aparecida, no Dia de Nossa Senhora, padroeira do Brasil. O Congresso está fazendo mais uma reforma eleitoral do que política. D. Raymundo Damasceno Assis, cardeal arcebispo de Aparecida e presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Em se tratando de matemática, é preciso que sejamos realistas. Só podemos gastar dentro do que vamos realmente arrecadar. Ministro Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência da República, ao comentar o Orçamento da União para 2012, que deve ser aprovado pelo Congresso Nacional.

A

meaçado de ser processado pelo ministro do Esporte, Orlando Silva, o policial militar e ex-militante do PCdoB, João Dias Ferreira, enviou mensagens ao ministro e a seu ex-partido. Em seu blog, Ferreira escreveu diretamente ao ministro. Diz compreender o direito defesa dele, mas aguarda "ansiosamente" ser chamado para relatar sua versão, e ainda mostra intenção de dizer mais. "O que falei pra revista está devidamente gravado e será apresentado às autoridades competentes". Ferreira conta que foi procurado – a mando de Silva – pelo secretário nacional Ricardo Leiser. "E se tu não deves nada, porque mandou seu secretário nacional Ricardo Leiser tentar me localizar na sexta-feira, quando soube da matéria; o que ele queria comigo? Fazer mais um daqueles acordos não cumpridos?". Prossegue dizendo: "Você está equivocado, eu não sou bandido, bandido é você e sua quadrilha que faz e refaz qualquer processo do ministério de acordo com sua conveniência e você sabe muito bem disso". A seguir, em letras maiúsculas, Ferreira escreveu mensagem a todos os membros do partido. "SUGESTÃO: ERA BOM O PCDOB NACIONAL FICAR CALADO ANTES DE SAIR EM DEFESA DO ORLANDO SUMARIAMENTE". Acusações– O ministro do Esporte Orlando Silva é apontado como principal beneficiário de suposto esquema de desvio de dinheiro público por meio de convênios de sua pasta com organizações não governamentais (ONGs) pelo policial militar João Dias Ferreira, investigado como um dos integrantes do grupo. Em reportagens de fevereiro deste ano, O Estado de S. Paulo revelou, que o principal programa do ministério, o Segundo Tempo, virou instrumento financeiro do PCdoB, partido do ministro. Sem licitação, Silva entregou o programa a entidades ligadas ao partido, cujos contratos somaram R$ 30 milhões, só em 2010.

Daniel Marenco/Folhapress – 15/10/2011

Orlando Silva, em Guadalajara: "Um bandido me acusa, e eu que tenho que me explicar".

Não sou bandido. Bandido é você e sua quadrilha, que faz e refaz qualquer processo do ministério. Você sabe bem disso. JOÃO DIAS FERREIRA Em entrevista à Veja, o policial confirma o favorecimento do partido nos contratos e afirma que o ministro recebeu, pessoalmente, remessas de dinheiro do esquema. A entrega, diz a reportagem, foi feita na garagem do Ministério do Esporte por Célio Soares Pereira, que servia de motorista e mensageiro do grupo. À revista, Pereira disse que presenciou pelo menos quatro entregas dessas, além da ocasião em que repassou diretamente ao ministro "maços de notas de R$ 50 e R$ 100" em caixa de papelão. Proc esso – Orlando Silva interrompeu sua agenda de trabalho em Guadalajara, cidade mexicana em que são realizados os Jogos Pan-Americanos, para falar por quase 40 minutos sobre as denúncias de Veja. Afirmou que vai processar José Dias Ferreira e Célio Soares Pereira por calúnia, e que acionou o ministro da Jus-

tiça, José Eduardo Cardozo, para que as denúncias sejam investigadas pela Polícia Federal (PF). Disse estar disposto a ir ao Congresso para dar explicações sobre o assunto. "Tem gente na política que acaba banalizando acusações, mas eu não. Estou sereno, diante de tamanha agressividade, e também confiante, porque sei que rapidamente, até mais do que as pessoas imaginam, a verdade virá à tona. São acusações gravíssimas e vou reagir à altura." E os encontros com Ferreira? "O único momento que encon-

Sugestão: Era bom o PCdoB nacional ficar calado antes de sair em defesa do Orlando, sumariamente. JOÃO DIAS FERREIRA, AUTOR DO TEXTO (ESCRITO EM MAIÚSCULAS).

trei este caluniador foi em uma audiência, em 2004 ou de 2005, por recomendação do então ministro Agnelo Queiroz. Ele era presidente de uma entidade kung- fu em Brasília e queria estabelecer um convênio com o ministério. Foi a única vez que encontrei essa pessoa.

Sobre a segunda pessoa (Célio), o que posso dizer é que não faço a mínima ideia de quem seja. Nunca o encontrei na vida", respondeu Silva. "Existe um processo no TCU que exigirá a devolução destes recursos, porque não temos conduta complacente com a má utilização de recursos públicos. O fato de ele ter sido membro do meu partido e de ter relações políticas em Brasília não me interessa. Percebo que pode estar sendo criada uma cortina de fumaça em torno deste assunto". "Agora, uma pessoa que já foi presa, é alvo de um inquérito policial, vira a fonte da verdade. Coloco-me à disposição para ir ao Congresso Nacional, já na próxima semana, para dar explicações. Estou consciente da minha conduta e do meu compromisso ético. Um bandido me acusa, e eu que tenho que me explicar." O ministro contou que conversou com a presidente Dilma Rousseff assim que soube da denúncia – os dois conversaram neste último sábado. "O que fiz foi procurá-la para informar da notícia. Foi uma conversa muito direta. Vou seguir minha agenda de trabalho; foi a recomendação da presidente. Ela não quer que a minha rotina seja impactada." Silva volta a Brasília hoje, e diz que tomará providências. (AE)

El País: A hora da verdade de Dilma.

José Cruz/ABr

Rahel Patrasso/Frame/Folhapress

A corrupção mata. Por isso, esse crime tem de ser tratado como hediondo. Lygia Fernandes, advogada e coordenadora do Pátria Livre na internet, durante marcha contra a corrupção na Avenida Paulista.

Em seu blog, o policial militar que delatou fraudes no Ministério dos Esportes ameaça o partido e Orlando Silva.

jornal espanhol El País para permanecer no poder. Passados os 10 primeiros de ontem trouxe reportagem com o ba- meses, Dilma teria conseguido lanço dos 10 meses do governo o que parecia impossível: sem Dilma. No final, conclui que a mudar seu estilo sério e nada hora da verdade vai chegar complacente, ela conseguiu com as auditorias das contas 71% de popularidade – e não da Olimpíada e da Copa do há dúvidas de que agora quem Mundo no Brasil. Referindo-se manda é ela (daí o título da matéria: Ma nd a à ela como su- Shanon Stapleton/Reuters – 22/9/2011 perpresidente ella). Por fim, o jornal conclui em tom elogioque, se tudo so, a matéria cita a demissão continuar desse jeito, dos ministros ninguém duenvolvidos em casos de corvida que ela será a próxirupção e a luta ma candidata travada por Dilma pela reàs eleições presidenciais. f o r m a a d m iÁfrica – Dilnistrativa do País. ma viajou, ontem à noite, Segundo o para a África El País , a prinDilma, na versão cípio Dilma do Sul, de ondo jornal espanhol: de segue para era uma incóg"Manda ella". Moçam bique nita e estava muito associae Angola. Esta será a primeira visita de da à imagem de seu antecessor, o ex-presidente Luiz Inácio Dilma ao Continente Africano. Lula da Silva. Pouco sentimen- Hoje, por volta das 7h de Bratal e nada sorridente, segundo sília ela desembarcou em PreEl País, Dilma parecia uma ges- tória (África do Sul), onde partora que precisaria de ajuda ticipa da 5ª Cúpula do Fórum

de Diálogo do Ibas (Índia, Brasil e África do Sul). Os líderes dos três países querem a reforma do Conselho de Segurança das Nações Unidas, querem cadeira permanente no conselho, e criticam ações militares para encerrar impasses – posição oposta à dos EUA e União Europeia. Dilma, o presidente da África do Sul, Jacob Zuma, e o primeiro-ministro da Índia, Manmohan Singh, devem conver-

sar sobre os impactos da crise internacional e os desafios dos países em desenvolvimento. Nas visitas à África, Dilma Rousseff será acompanhada dos ministros Antonio Patriota (Relações Exteriores), Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) e Luiza Bairros (Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial). Edison Lobão (Minas e Energia) deve integrar a comitiva. (AE)

SECRETARIA DE CULTURA ABERTURA DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 04/DPH/2011 Processo Administrativo nº 2011-0.185.650-1 O Departamento do Patrimônio Histórico - DPH, torna público para conhecimento de quantos possam se interessar, que fará realizar a licitação na modalidade PREGÃO, do tipo menor preço, objetivando a prestação dos serviços de vigilância/segurança patrimonial desarmada para as unidades do Departamento do Patrimônio Histórico - DPH, de acordo com as especificações do Caderno Técnico (ANEXO I). A sessão de abertura será realizada na sala de reuniões da Seção de Licitações e Contratos, anexa ao auditório, da Secretaria Municipal de Cultura, à Av. São João, 473 - 8º andar, Centro - São Paulo/SP, às 14:30 horas, do dia 31 de outubro de 2011. O Caderno de Licitação composto de Edital e Anexos poderá ser retirado mediante a entrega de um CD-R na Divisão Administrativa do Departamento do Patrimônio Histórico, à Av. São João, 473 - 7º andar - Centro - São Paulo SP, no horário das 10:00 às 16:00 horas, até o último dia útil que anteceder a data designada para a abertura do certame ou poderá ser obtido via internet, gratuitamente. no endereço eletrônico da Prefeitura do Município de São Paulo: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br. Maiores esclarecimentos poderão ser obtidos pelos interessados através do telefone 3397-0191.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

Pretendemos jogar luz em passagens até agora obscuras na história recente do sindicalismo. Milton Cavalo, do Centro de Cultura e Memória Sindical.

olítica

L. C. Leite/Luz – 27/6/2011

PSD dá a largada para rever a Constituição Senadora Kátia Abreu consegue apoio para a proposta. Agora, espera o relator. Mário Tonocchi

A

A senadora Kátia Abreu se baseou no histórico de propostas à Constituição de 1988 para encaminhar a PEC

A Constituição de 1988 nunca deixou de ter revisão. Durante todos esses anos, propostas e mais propostas de alteração foram feitas.

A Constituição não tem que ter uma linguagem de regulamentação. Deve ser, sim, uma carta de princípios do País.

Se fosse fácil, o sociólogo teria feito a reforma política e tributária. Se fosse fácil, o operário teria feito a trabalhista. Não foi.

KÁTIA ABREU

ALEXANDRE PAGLIARINI

MARINA SILVA

Proposta de Emenda à Constituição (PEC) apresentada pela senadora Kátia Abreu (PSD-TO) já está na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aguardando a designação de um relator. A PEC acrescenta o artigo 98 ao Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, o que possibilita a realização da revisão constitucional por meio de uma Câmara Revisional exclusiva. A proposta recebeu 28 assinaturas, uma a mais que as 27 necessárias para a abertura do procedimento. A defesa do PSD a favor da revisão na Constituição foi feita pelo prefeito Gilberto Kassab, após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ratificar o registro do partido no dia 27 de setembro. "Para que essa PEC pudesse ser elaborada e para o convencimento da Nação, especialmente dos partidos e dos colegas parlamentares, nós fizemos um levantamento nesta Casa e observamos que nossa Constituição de 1988 nunca deixou de ter revisão. Durante todos esses anos, propostas e mais propostas de alteração foram feitas", disse a senadora. Pelo projeto, em 2014 deverá ser eleita uma Assembleia Nacional Constituinte, com 250 parlamentares constituintes exclusivos para concluir o trabalho revisional no prazo de dois anos. Para que a Assembleia seja criada, a proposta precisa ser aprovada no Senado e na Câmara, em duas votações. Levantamento preliminar realizado pelo senador Pedro Taques (PDT-MT) mostra

que pelo menos 26 dispositivos constitucionais precisam de regulamentação. De acordo com Kátia Abreu, as partes da Constituição Federal que receberiam as mudanças devem ser definidas pelo grupo que será escolhido para a revisão. "As reformas tributária, administrativa e da previdência mereceriam destaque da assembleia", disse. Contra – Alexandre Coutinho Pagliarini, diretor de relações internacionais do Instituto de Direito Constitucional e Cidadania (IDCC) e especialista do Instituto Millenium é contra uma nova Assembleia, mesmo que exclusiva. "Sou contra termos mais regulamentações. A Constituição não tem que ter uma linguagem de regulamentação. Deve

ser, sim, uma carta de princípios do País", afirmou. A favor - A candidata do Partido Verde (PV) à Presidência da República nas últimas eleições, Marina Silva, defendeu a convocação de uma Constituinte para que sejam feitas as reformas necessárias no país, como a tributária, política e trabalhista. "Se fosse fácil, o sociólogo teria feito a reforma política, tributária e previdenciária. Se fosse fácil, o operário teria feito a reforma trabalhista. Isso não foi feito por nenhum deles. Por isso, temos que formar uma Constituinte e fazer as reformas de que o Brasil precisa", disse durante as eleições. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva também defende uma Constituinte para a reforma política.

Divulgação

Pagliarini, diretor de relações internacionais do IDCC: contra a revisão.

E o tema será debatido hoje na ACSP O jurista Ives Gandra Martins é o convidado do Conselho Político e Social (Cops) da ACSP para tratar da proposta apresentada ao Congresso pelo PSD Newton Santos/Hype – 28/9/2011

A

Ives Gandra Martins: defesa da Constituinte exclusiva agora.

revisão constitucional encaminhada pelo Partido Social Democrático (PSD) ao Senado será tema de debate hoje, a partir das 10h, na Associação Comercial de São Paulo (ACSP), durante a reunião do Conselho Político e Social (Cops). O encontro terá a participação do jurista Ives Gandra da Silva Martins, que falará sobre o tem a " P ro p o s t a d e R e v i s ã o Constitucional". Para o presidente da ACSP e da Federação das Associações

do Estado de São Paulo (Facesp), Rogério Amato, é muito importante discutir com a sociedade a possibilidade de uma nova Constituição. "Acredito que uma proposta como esta, sobre uma Constituinte exclusiva, pode ajudar a sociedade a se tornar mais democrática. Para isso, nada melhor que conversar com especialistas. Debateremos temas essenciais, como os sistemas tributário e previdenciário, entre outros pontos relevantes", disse. O palestrante Ives Gandra

Martins defende a Constituinte exclusiva agora. "Temas essenciais como a simplificação do sistema tributário; o enxugamento da máquina administrativa; a modernização do sistema previdenciário; a adequação dos encargos trabalhistas à realidade; a eliminação das descompetitividades interna e externa, fiscal e administrativa; a implantação de controles sobre os três poderes; a reforma política e outros pontos deveriam ser previamente definidos e levados a debate, para que a

Constituição passasse a expressar a vontade popular em dotar o País de instrumentos viáveis para o progresso e a concorrência internacional", escreveu o jurista, em artigo publicado no último dia 12 neste Diário do Comércio. Estão confirmadas as presenças do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab; do vice-governador paulista, Guilherme Afif Domingos; do ex-vice-presidente da República, Marco Maciel; e do ex-senador catarinense Jorge Bornhausen. (MT)

Andre Dusek/AE – 26/11/2008

Força Sindical, uma história em livro. Trajetória da central expõe as mudanças do sindicalismo brasileiro – da gritaria inconsequente ao debate. Victória Brotto

E

ra 1991, terceiro ano de vigência da Constituição democrática de 1988, após 21 anos de regime militar. Os ventos stalinistas, trotskistas e maoístas já tinham se dissipado do lado de cá dos trópicos e o movimento sindical precisava de novas bases. Para Fernando Henrique Cardoso, "o Brasil carecia de um movimento sindical moderno. Os tempos de gritaria não cabiam mais." A Força Sindical nasce nesta brecha entre o radicalismo de esquerda da Central Única dos

Trabalhadores (CUT) e o conservadorismo da Confederação Geral dos Trabalhadores (CGT). Depois do nascimento, a Força dilui um pouco o tom regional das centrais sindicais e insere-se em questões como salário mínimo, previdência social e macroeconomia. Essas mudanças e o nascimento são relembrados no livro A História da Força Sindical – 20 Anos de Luta. "Queremos não só contar os momentos históricos da Força, mas também mostrar às pessoas o quão importante ela foi para o País", disse o presidente da Força Sindical, deputado federal Paulo Pereira da Sil-

va ao Diário do Comércio. Lançado hoje pela Geração Editorial, o livro inclui cinco artigos: um do próprio presidente da Força, outros dois dos expresidentes Luiz Inácio Lula da Silva e Fernando Henrique Cardoso, seguidos pelo artigo do presidente do Centro de Cultura e Memória Sindical, Milton Cavalo. Por último, uma carta escrita pelo atual secretário-geral da Força Sindical e um dos organizadores do livro, João Carlos Gonçalves, o Juruna. Destinado a um leitor independente, o livro tem três capítulos que, segundo Milton Cavalo, podem ser lidos fora de or-

dem. O primeiro traz a história da Força Sindical; o segundo apresenta depoimentos de sindicalistas, metalúrgicos e sociólogos. No último, estão dois artigos e um breve expediente. Nas 144 páginas do livro, os assuntos que despontam são a crise econômica brasileira do final dos anos 80, manifestações de trabalhadores e a relação da organização com a ECO-92 e os governos federais. "Pretendemos jogar luz em passagens até agora obscuras na história recente do sindicalismo, não deixando que ela se perca em discursos difamatórios", explicou Cavalo.

Paulinho, presidente da Força Sindical, pretende, com o livro, jogar uma luz sobre a história do sindicalismo e evitar difamações.


p

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

DIÁRIO DO COMÉRCIO

7 Só com pressão sobre as instituições vamos pôr fim à corrupção. Lucianna Kalil

olítica

Rauil Spinassé/A Tarde/AE

Guilherme Calderazzo

em crime hediondo, direito de o Judiciário eleger de forma direta os seus dirigentes, a transparência administrativa, o financiamento público das campanhas, a informação em cada produto do valor do imposto pago e liberdade de imprensa sem questionamentos. Acampamento – Criado no ano passado, o grupo Revoltados Online iniciou a atuação ao posicionar-se contra a violência sobre a mulher e os animais, e defesa do meio ambiente e das relações familiares. "Agora, aderimos à luta contra a corrupção", diz Marcelo Reis, um dos organizadores da comunidade, que hoje tem 7.500 militantes na rede mundial. "Estamos contra todos os partidos políticos", esclarece. "Queremos que a corrupção seja considerada crime hediondo e exigimos mudanças que impeçam a impunidade. Se não nos atenderem, vamos até acampar em frente ao Congresso Nacional." Outro grupo na web contra a corrupção, criado no começo deste mês, em São Paulo, é o Pátria Minha. "Estamos com pouco mais de 700 integrantes. Somos novos, mas vamos crescer muito. A corrupção tem causado muita revolta na população. Isto tem ajudado nosso movimento a atrair novos adeptos", diz Ligya Fernandes, advogada e organizadora da comunidade na web. "Somos apartidários. Temos o foco na aprovação da Ficha Limpa, no fim do voto secreto no Congresso e da imunidade dos parlamentares. O roubo do dinheiro público provoca mortes. Por isso, queremos que esse crime seja considerado hediondo", diz Ligya, animada com a causa. Importância – "Esses movimentos contra a corrupção criados a partir da internet são importantes. Expressam a indignação da sociedade", avalia o sociólogo e cientista político Aldo Fornazieri. Segundo ele, movimentos espontâneos como esses avançam se unidos em forças organizadas. "Esses grupos só precisam de organização e de objetivos mais definidos. Eles crescem porque os partidos políticos estão esvaziados. Hoje é uma incógnita se vão tornar-se uma organização política nova e diferenciada", diz.

O

s grupos contra a corrupção no País, que proliferam há meses em redes sociais na web, em especial no Facebook, movimentam-se com base em posições e princípios idênticos. Eles sustentam, em conjunto, que vão se expandir cada vez mais por meio da atuação digital, apresentam-se como apartidários e acreditam que, fortalecidos, vão fazer tanta pressão sobre o governo e parlamentares que algo vai mudar. Esses grupos estão crescendo no País todo, mas com mais força em São Paulo e em Brasília. Mais visíveis desde o dia 7 de setembro, quando realizaram as primeiras marchas e passeatas, agora procuram se unir nas manifestações, como ocorreu na capital paulista, no dia 12 passado, quando cinco dessas comunidades atuaram em conjunto. No momento, eles se mobilizam para a terceira passeata anticorrupção, marcada para São Paulo, no dia 15 de novembro. Em Brasília, será no dia 26, e o foco é cobrar do Supremo Tribunal Federal o julgamento da Lei da Ficha Limpa como constitucional. Um desses grupos, o Anonymous, existe desde 2009 e é formado em sua maioria por jovens até 30 anos. Tem hoje mais de 60 mil integrantes de todo o País. "Nós crescemos apenas com base nas ideias de liberdade e justiça, no Brasil e no mundo. Estamos nessa luta para acabar com a corrupção no País", diz Ronaldo S., de 20 anos, integrante do grupo. "Existimos por causa das falhas no sistema partidário. A roubalheira no Brasil causa revolta. Estamos crescendo e vamos mudar essa situação", acredita Rafael M., outro militante do Anonymous. Ambos recusam-se a dizer os nomes completos, como todos. Ronaldo S. e Rafael M. acham que a batalha contra a corrupção será bem-sucedida pela força da reação da sociedade. "A luta não pode ser comandada por instituições organizadas, porque assim não vai ter resultado real. A pressão popular dos nossos movimentos é que vai fazer a mudança", diz Rafael M.

Caras pintadas, jovens se mobilizam em todo o País em várias frentes, mas sob a mesma bandeira: todos contra a roubalheira no País.

Eles se rebelaram. E prometem mais barulho. Comunidades proliferam na internet com o mesmo objetivo: combate pesado contra a corrupção. grupo contra a corrupção Re- internet é muito grande", diz. Serra Negra sugere que os forma Política Já se prepara para participar do protesto no 15 de paulistanos engrossem o pronovembro. A primeira partici- testo no dia 15 de novembro colocando alpação foi no guma coisa na dia 7 de setemjanela da casa bro, e a outra, ou do apartano dia 12 pasmento. "Pode sado. O grupo Queremos que a ser uma toatem quase corrupção seja lha, camisa, duas mil pescamiseta ou soas cadastraconsiderada crime lençol", diz das no Facehediondo e book. "O núexigimos mudanças Serra Negra. Para redumero é bem que impeçam a zir a corrupmaior e vai impunidade. ção, o Reforma crescer mais, já Politica Já pede que um cadasMARCELO REIS o voto distritrado convida tal, a aprovaseus amigos para entrar na comunidade. ção da Lei da Ficha Limpa, o Depois, esses amigos convi- fim do foro privilegiado para o dam outros amigos e assim julgamento de políticos, o fim crescemos. O potencial de ex- do voto secreto no Congresso, pansão de todos os grupos na a transformação da corrupção

Jovens querem democracia direta Victória Brotto

A

2412-4948

.br www.qualiflextintas.com

INTERARMAS Precisão e Qualidade

ASSISTÊNCIA TÉCNICA AUTORIZADA

interarmas@uol.com.br Precisão, Qualidade, Responsabilidade e Clube de Tiro. Armas - Consertos Munições - Documentações

DC

• TAURUS • CBC • ROSSI • CZ • IMBEL • GLOCK • SMITH & WESSON

Al. Nothmann, 1.209 - São Paulo - SP - CEP 01216-001 DC

Bruno Poletti/Luz

chuva atrapalhou o movimento nacional "Democracia Direta Já" em São Paulo, que reuniu apenas cerca de 80 pessoas no Largo São Bento no último sábado. A versão paulistana do movimento saiu às ruas no chamado "Dia dos Indignados", marcado por protestos em 950 cidades de 82 países em todo o mundo exigindo democracia participativa e o fim do sistema capitalista diante da crise econômica que atinge principalmente países da zona do euro e até os Estados Unidos. "Não estamos sozinhos, não somos um movimento isolado", disse uma das organizadoras, Maia Gonçalves Fortes, 23 anos. Questionada se, ao ir contra o capitalismo, o movimento não poderia ser taxado de socialista radical, Maia respondeu que a indignação parte de uma nova geração que, apesar de não ter visto o fim do socialismo real, sabe de seus fracassos. "Não queremos o socialismo soviético ou cubano. Queremos o fim da corrupção política e da desigualdade, com a implantação de uma democracia mais participativa." Para a professora de Biologia da rede de cursinhos populares Emancipa, Maíra Tavares Mendes, 27, "não temos medo de sermos vistos como socialistas. Estamos construindo uma alternativa de sistema. Ainda não sabemos qual, mas estamos discutindo".

• Tintas Látex • Massa Acrílica • Massa Corrida • Textura • Selador • Verniz • Esmalte Sintético • Complementos

DC

Nova mobilização – A co- nidade, criada em agosto pasmunidade Marcha Contra a sado. Segundo ela, o moviCorrupção, de Brasília, mobili- mento se alastra na internet e já za-se para concentrar-se em tem mais de 25 mil pessoas no Facebook. frente ao prédio do Supre"Somos apartidários. As m o Tr i b u n a l pessoas desFederal, onde pedirá a conscreem dos A roubalheira no partidos e dos t it uc i on al id aBrasil causa políticos", exde da Lei da Firevolta. Estamos cha Limpa. Seplica. O movimento luta r á a t e rc e i r a crescendo e vamos a ç ã o – a p r iainda pelo fim mudar essa meira foi no fedo voto secresituação. riado de 7 de to no Congresso e para que o setembro e a RAFAEL M., DO ANONYMOUS segunda na seConselho Nam a n a p a s s acional de Justiça não perca da, dia 12, Dia de Nossa Senhora Aparecida. o direito de julgar e punir juí"Só com pressão sobre as ins- zes corruptos. Criado no Facebook pelo tituições vamos pôr fim à corrupção", alerta Lucianna Kalil, jornalista Armando Serra Neuma das fundadoras da comu- gra, em agosto, em São Paulo, o

Na manifestação no Largo São Bento, temas variados: educação, corrupção, machismo no futebol...

Primavera brasileira – Apesar do baixo número de pessoas na concentração, Pedro Fuentes, um dos integrantes do movimento, disse que este é "o ponta-pé inicial" dentro de um País em mudança. "Hoje no Brasil o movimento ainda é pequeno, mas no mundo é muito forte, e aqui ele vai crescer." Uma primavera brasileira? "Ainda não", respondeu Maíra Tavares ao Diário. Na capital paulista, a concentração começou por volta das 10h em frente ao Mosteiro de São Bento. Ao meio dia, com apitos, máscaras, capas de chuva e segurando faixas com mensagens como "Punição aos torturadores da ditadura" e "Polí-

tica se faz com gente na rua", os manifestantes marcharam até a Praça do Patriarca, onde grupos de discussão foram montados para debater temas desde educação até a Copa 2014. Ainda reunidos no Largo São Bento, alguns participantes indignados usaram altofaltantes para reivindicar e fomentar palavras de ordem como "Vem, vem com a gente, queremos um futuro diferente" e "Não tem dinheiro pra educação, mas tem dinheiro pra banqueiro e pra ladrão". A versão brasileira do dia dos indignados foi realizada em 30 cidades, entre elas Porto Alegre, Rio de Janeiro e Belo Horizonte. As reivindicações

incluem fim da corrupção política, investimento na Educação, suspensão da construção da usina hidrelétrica de Belo Monte, fim da homofobia e reformulação do projeto de lei do novo Código Florestal. Diferentes grupos fazem parte dos indignados brasileiro, entre eles a rede Emancipa de cursinhos populares, Matilha Cultural, movimento Xingu Vivo, Anonymous, PSTU e Juntos – Juventude em Luta. Para Maia Gonçalves, os diferentes movimentos e reivindicações não enfraquecem a causa. "Ao contrário, você percebe que não é o único indignado, aí você vai pra rua. E é isso que estamos vendo no mundo."

os de e inte Requ

20 an Conforto!

Visite nosso site e verifique nossas acomodações.

www.asturiasmotel.com.br

Fone: 11 3816-6689

asturias@asturiasmotel.com.br Avenida Nações Unidas, 7.715 - Pinheiros - São Paulo/SP


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

VENEZUELA Ex-médico de Chávez diz que expectativa de vida do líder é de dois anos

nternacional

CHILE Cinzas de vulcão fazem Argentina e Uruguai suspenderem voos ao Brasil

Ilan Assayag/Reuters

Troca de 1.027 por 1 vai começar Jack Guez/AFP

Sob forte esquema de segurança, Israel levou cerca de 430 prisioneiros palestinos até um presídio no deserto de Negev ontem, em uma preparação para que sejam trocados nesta terça-feira pelo soldado israelense preso Gilad Shalit. Outros 47 palestinos previstos para serem libertados foram transferidos para uma prisão no centro de Israel. Em meio aos preparativos, parentes de vítimas de atentados entraram com recursos na Suprema Corte de Israel na última tentativa de barrar o acordo. Israel publicou ontem uma lista de todos os 477 prisioneiros que deverão ser libertados em troca de Shalit, na primeira fase de um acordo mediado por Egito e Alemanha, abrindo caminho para que aqueles que se opõem à sua libertação apresentem uma apelação legal em 48 horas. Como se previa, a lista divulgada não inclui alguns prisioneiros de alto calibre político, co-

Palestinos são transferidos para troca

mo o líder da segunda intifada (levante palestino), Marwan Barghouti. Mas entre os que figuram na lista de soltura estão 288 presos que cumpriam prisão perpétua por acusação de terrorismo. Os outros 550 prisioneiros devem ser libertados dentro de dois meses.

Divergências - Pelo menos três familiares de israelenses mortos ou feridos em atentados, além de uma associação de vítimas do terrorismo, recorreram contra a libertação dos 1.027 presos palestinos. Um deles foi Yitzchak Maoz, que perdeu a filha Tehila, de 18 anos, no atentado em uma pizzaria de Jerusalém, em 2001. Na explosão morreram 15 pessoas, entre eles o brasileiro Giora Balazs. "Isso aumentará o terrorismo no país e em todo o mundo", disse Maoz, afirmando que tem pouca esperança de que a corte acate os recursos. No passado, os tribunais nunca foram contra acordos similares feitos pelo governo. A família do soldado Gilad Shalit, preso na Faixa de Gaza há mais de cinco anos, pediu para estar presente na audiência que julgará os recursos. De acordo com o jornal Haaretz, Noam Shalit, pai do soldado capturado em 2006, afirmou que "qualquer atraso na implementação do acordo pode ser trágico e causar um dano irreparável" a seu filho de 25 anos de idade. "Se o acordo não progredir agora, pode ser que nunca seja feito", acrescentou.

Se o acordo for adiante, será o maior número de prisioneiros palestinos já soltos pelo Estado judeu para garantir a liberdade de apenas uma pessoa. Também será a primeira vez em 26 anos que um soldado capturado retorna a Israel com vida. Liberdade - A previsão é de que o soldado israelense seja levado na terça-feira para o Egito, de onde seguirá de helicóptero para Israel. Já os prisioneiros palestinos libertados serão divididos em quatro destinos. Mais da metade será enviada à Faixa de Gaza, outra parte para a Cisjordânia, seis ficarão em Israel e 41 serão expulsos do país. Os líderes islâmicos do Hamas, que governam Gaza, prepararam uma recepção de heróis para 295 dos prisioneiros que deverão ser enviados para o território. Trabalhadores montaram um palco aberto e as ruas foram decoradas com bandeiras palestinas e do Hamas. "Estou tão feliz que não sei o que farei, como vou segurá-lo? Já se passaram 20 anos", disse a mãe de Baseem al-Kurd, um membro do Hamas, que foi condenado em 1992 a oito penas de prisão perpétua por ataques que mataram israelenses. (Agências)

Thomas Samson/AFP Marco Longari/AFP

Strauss-Kahn em apuros

O ex-diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI) Dominique Strauss-Kahn (acima) se vê novamente envolvido em um escândalo sexual. Desta vez, ele é acusado de ser cliente de uma rede de prostituição em Lille, no norte da França. Três hotéis de luxo na cidade foram fechados. Strauss-Kahn quer conversar com a polícia para "acabar com as insinuações maldosas ". AFP

Juízes (e Morales) nas urnas

Os bolivianos votaram ontem para eleger os principais juízes nacionais, um evento que testará a liderança do presidente Evo Morales (acima), a quem a oposição denuncia de tentar se apoderar dos tribunais. A oposição, que acusa os candidatos de serem aliados do governo e de sindicatos pró-Morales, decidiu fazer campanha pelo voto nulo em um tipo de plebiscito sobre o líder.

Festa na casa de Kadafi Dois tratores protegidos por homens armados começaram ontem a derrubar os muros que cercavam o complexo presidencial de Muamar Kadafi em Trípoli, conhecido como Bab al-Aziziya. Enquanto as escavadeiras seguiam ao local, homens gritavam "Deus é maior. Isto é para o sangue dos mártires". Alguns dispararam metralhadoras para o ar. De acordo com Ahmad Ghargory, comandante da brigada revolucionária, as forças estavam ocupadas com a guerra, mas agora é hora de "derrubar esse símbolo da tirania." Pessoas que passavam dirigindo seus carros próximas ao local pararam e se juntaram à multidão acenando novas bandeiras da Líbia. Ghargory afirmou que a área será transformada em um parque público. "Vamos continuar até destruir tudo o

que pertence a Kadafi", disse o comandante Etman Lelktah. "Pedimos que uma organização de paz seja construída aqui, no lugar da casa de Kadafi". O local foi visto por muito tempo como coração simbólico do regime de Kadafi. O complexo fortemente fortificado, tinha seis quilômetros quadrados e era onde o ex-ditador líbio morava e exercia seu poder. A construção foi alvejada por aviões da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) várias vezes antes da nova liderança dirigente em Trípoli, o Conselho Nacional de Transição (CNT), assumir o poder em agosto. Apesar de ter assumido o controle da capital líbia, o CNT insiste que não anunciará a formação do governo transitório até a queda dos últimos focos de resistência das forças pró-Kadafi: as cidades de Bani Walid e Sirte. (Agências)

Conspiração do Irã contra saudita chega à ONU A Arábia Saudita tomou o primeiro passo para denunciar o Irã ao Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), medida que poderá levar a novas sanções, enquanto Teerã rejeitou as alegações de que teria planejado matar um embaixador saudita. "A missão permanente da Arábia Saudita à ONU... pediu ao secretário-geral da ONU para que informe o Conselho de Segurança de sua conspiração hedionda", disse o jornal Asharq al-Awsat, ontem, citando um co-

municado do governo saudita. Dois homens ligados às forças de segurança do Irã foram acusados pelos Estados Unidos, na semana passada, de conspirar para matar o diplomata saudita Adel Al-Jubeir. Teerã nega as alegações. "O Irã é uma nação civilizada e não precisa recorrer ao assassinato", disse o presidente do país, Mahmoud Ahmadinejad, segundo a agência de notícias IRNA. "O terror pertence a vocês", afirmou ele, dirigindose aos EUA. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

c

9 CARTOLA E NELSON Lançado em 1970, o álbum é uma coletânea de músicas dos sambistas interpretadas por outros cantores.

idades No próximo dia 28 será comemorado o centenário do sambista Nelson Cavaquinho. Parceiro do mestre Cartola, pouca gente sabe que o carioca da gema também fez muito samba por aqui, enterrando de vez a ideia de que São Paulo é o túmulo do samba. Em suas andanças na capital paulista, passou por endereços memoráveis, como o antigo Bar Riviera e o Bar do Alemão.

Com Nelson, era samba, alegria e garoa Manoel Pires/Folhapress - 01/01/1982

S ERVIÇO Reprodução

Ao lado, disco de Nelson Cavaquinho lançado em 1973 e produzido por João Carlos Botezelli

Nelson Cavaquinho durante show em São Paulo, em 1982. O cantor e compositor volta e meia estava na capital paulista, onde fazia samba e amigos. L.Gevaerd/AE

Felipe Carrilho

N

elson Antônio da Silva, o sambista Nelson Cavaquinho, completaria 100 anos no próximo dia 28. Autor de hinos da música popular, como "A flor e o espinho" e "Folhas secas", o poeta e músico carioca atravessou gerações. Sua música está viva nas vozes de intérpretes que vão de Cyro Monteiro, seu descobridor, à Cássia Eller. Sem falar nas gravações de artistas como Beth Carvalho, Chico Buarque, Clara Nunes, Elis Regina, Paulinho da Viola e muitos outros. O poeta dos mistérios da morte mostrou que São Paulo não era o túmulo do samba. Nelson Cavaquinho participou de uma intensa agenda cultural na terra da garoa. Nos anos 1970, gravou dois discos na capital paulista (ver quadro ao lado). Até o início da década de 1980, brilhou em programas de televisão e se apresentou em universidades, teatros e bares da cidade. Às vezes vinha de ponte aérea, mas quase sempre tomava um ônibus na rodoviária da capital fluminense. Então os botecos sujos da Lapa e da praça Tiradentes ficavam privados de seu principal personagem e viam crescer o estoque de cerveja preta e de conhaque, suas bebidas prediletas. Um amigo o apanhava na antiga rodoviária da Praça Julio Prestes, na região central paulistana. Era a "estrutura" de que precisava para fazer seus "shows". Boemia – Boêmio convicto, Nelson não se apresentava apenas em casas de espetáculos. "Estive com ele em bares onde tocava até a madrugada de graça, ou pela bebida que consumia", diz o jornalista e crítico musical Tárik de Souza, que visitou diversas cidades brasileiras com o sambista. "Ele não era ligado ao profissionalismo. Para o Nelson, a arte não era

Ao lado, Nelson Cavaquinho em 1985, durante uma de suas várias viagens a São Paulo, onde se apresentava em programas de televisão e casas de espetáculos

Newton Santos/Hype - 05/08/2011

um produto, era a vida." São muitos os estabelecimentos que testemunharam a arte do trovador dos aflitos. A maioria hoje se chama saudade, como o tradicional Riviera, na rua da Consolação, que ficava em frente ao também extinto Cine Belas Artes. Alemão – Mas há ainda um botequim que guarda a memória viva de Nelson Cavaquinho. Trata-se do Bar do Alemão, na avenida Antártica, na Água Branca, onde o artista se apresentou inúmeras vezes. O atual proprietário é o músico Eduardo Gudin, com quem Nelson compôs o samba "Euforia". "No batizado da minha filha Nelson foi padrinho dela - ele me gravou o primeiro verso da letra e mais a melodia da primeira parte. Então fui desenvolvendo a melodia seguinte e o Roberto Riberti colocou a letra", conta. Instrumentista respeitado, Gudin faz uma observação estética sobre a obra do compadre: "Fala-se muito a respeito do violão dele que, de fato, era bastante original. Mas eu admiro as melodias do Nelson. Outro que ficava impressionado era o Baden

João Carlos Botezelli, o Pelão, produtor musical e antigo amigo de Nelson Cavaquinho: "Vi o Nelson defendendo prostitutas na rua."

Powel", afirma. No Bar do Alemão é possível assistir ainda as performances de outro companheiro de "biritadas" de Nelson. Barão do Pandeiro exibe o seu instrumento há anos no local nas noites de quinta-feira. "Era uma pessoa muito generosa. Jamais fez um samba rancoroso", diz, sobre o amigo. Cortiço – Barão guarda na lembrança um episódio de solidariedade: "Eu ia voltar ao Rio com ele. Chegamos à rodoviária (na praça Julio Prestes) e fomos beber num botequim, para esperar o

ônibus. Nisso um casal com três filhos nos pediu do que comer. Só sei que terminamos no cortiço da família, ali pela Luz mesmo. Eles queriam voltar para a terra deles. O Nelson pagou a passagem de todos com o dinheiro dos shows", conta. O produtor musical João Carlos Botezelli, mais conhecido como Pelão, também se recorda de passagens semelhantes. "Vi o Nelson defendendo prostitutas na rua. Uma vez, fomos comer uma feijoada no Restaurante do Papai, que funcionava na avenida São

João. De repente, chegaram dois travestis enormes. O Nelson, só por farra, os chamou para a mesa e começou a tocar um tango para eles no violão", revela. A incrível resistência ao álcool era outra das lendas pessoais do sambista. "O Nelson era capaz de passar três dias sem dormir, bebendo o tempo todo. De vez em quando, ele ia até a pia do banheiro, lavava o rosto e, com as mãos molhadas, ajeitava os cabelos. Alguns fios caíam e eu guardei três", recorda Pelão. Mas nem só de boemia

Álbuns produzidos em São Paulo História da MPB, vol. 17 Cartola e Nelson Cavaquinho Lançado em 1970 pela Abril Cultural, o álbum é uma coletânea de músicas dos sambistas interpretadas por outros cantores, como Cyro Monteiro e Elizeth Cardoso. Apenas em algumas faixas é possível ouvir as vozes de Cartola e Nelson. Nelson Cavaquinho, Série Documento 1972 Em seu segundo álbum solo, Nelson é acompanhado por músicos paulistas da mais alta competência. A contracapa, assinada por Sérgio Cabral, pesquisador da música popular brasileira, traz uma advertência: "Não ouça este disco como se ele fosse de um cantor comum. Detenha-se no que há dentro dessa voz, nas entranhas deste genial poeta". Nelson Cavaquinho, 1973 Produzido por Pelão, o disco traz a original batida do violão de Nelson em todas as faixas e um dos raros registros do sambista ao cavaquinho. Além disso, apresenta Guilherme de Brito que, ao lado do parceiro, interpreta clássicos, como "Quando eu me chamar saudade" e "Pranto de Poeta".

viveu o existencialista dos morros. Em 1970, o artista plástico Elifas Andreato esteve à frente do projeto "História da Música Popular Brasileira", junto de Tárik de Souza e do pesquisador José Ramos Tinhorão. Lançado pela Abril Cultural, era uma série de LPs ilustrados, com grandes nomes da canção brasileira. Cartola – Conseguir gravar um volume em homenagem a Nelson Cavaquinho não foi fácil. "Música para intelectual" era o que alegavam os responsáveis pela divulgação da série. Nelson dividiu o seu volume com o parceiro Cartola. Porém, o sucesso foi tão grande que a Abril teve de lançar um LP para cada um, na sequência. Andreato também esteve ao lado do sambista em suas incursões pela televisão. "Certa vez, levei o Nelson e o Cartola à Record, pois os dois iam participar do programa da Hebe, ao vivo. O Cartola subiu direto comigo, mas o Nelson quis ficar num botequim . Quando resolveu subir, abriu um embrulho que trazia debaixo do braço, tirou um smoking amarrotado e disse que ia se apresentar com ele. Já estava quase na hora de entrar no ar! Foi uma loucura para arrumar quem passasse a roupa", conta rindo. No dia 18 de fevereiro de 1986, o Brasil ficou mais triste. Nessa data, Nelson morria no seu querido Rio de Janeiro.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

acsp

SÓ EM 2013 As obras da arena começaram há um ano e devem estar concluídas no primeiro semestre de 2013.

distritais

Palestra Itália: arena agita o comércio

Bruno Poletti/Luz

ximadamente sete mil shows p o r a n o e g e re 1 0 0 a re n a s nos cinco continentes. O contrato terá dez anos de duração, renovável por mais 20. "Como será uma arena de primeiro mundo, o empreendimento gerará uma nova economia, com reflexos positivos, entre eles a valorização imobiliária da região e a modernização de estabelecimentos comerciais", diz Dimitrie. Segundo ele, os empresários certamente investirão em na reforma de fachadas e em capacitação de seus funcionários. Otimismo -Comerciantes e prestadores de serviços ouvidos pelo Diário do Comércio estão otimistas com as oportunidades de negócios que serão abertas com a inauguração da Arena Palestra Itália. Na opinião de Herman Correia, proprietário de uma lanchonete na rua Turiassú, quando o complexo multiuso estiver pronto, certamente será possível recuperar a clientela, perdida em decorrência das obras de reforma do estádio.

Novo estádio não empolga ex-goleiro e ídolo do clube

U

m dos maiores ídolos da história do Palmeiras, Oberdan Cattani, que atuou como goleiro nos clube nas décadas de 1940 e 1950, aguarda a nova Arena Palestra Itália sem muita empolgação. Aos 92 anos, Oberdan é adepto da tese de que o clube não precisava construir um novo estádio. "Seria necessária apenas uma pequena reforma, mas já que vão construir outro, vamos ver no que vai dar". O ex-goleiro, no entanto, vê com bons olhos o atual desenvolvimento do comércio do entorno do Parque Antártica, no bairro da Pompeia, principalmente por causa de dois shopping centers. Na época em que era atleta no clube, o comércio praticamente não existia na rua Turiassú, onde fica a sede do Palmeiras. " A principal lembrança que tenho

daquela época é que passava um córrego naquela rua e, certa vez, salvei dois garotos que caíram na água.". Oberdan Cattani, que testemunhou o fim do

Vista aérea das obras da nova arena (acima) e o projeto do futuro estádio (esquerda). Abaixo à esquerda, Gabriel Mantia, vendedor da loja oficial do clube, onde o movimento caiu entre 70% e 80%. Abaixo, Herman Correia, dono de lanchonete na Turiassú, que espera ansioso a abertura do espaço multiuso.

Palestra e o nascimento do Palmeiras, em 1942, é conselheiro vitalício do clube e costuma visitá-lo com frequência. Mora nas Perdizes, também na zona oeste. (AA)

Folhapress

Bruno Poletti/Luz

A arena movimentará o setor empresarial, promovendo desenvolvimento local. DIMITRIE GHEORGHIU, SUP. DA DISTRITAL LAPA

"Tivemos de nos adaptar durante este período de obras. Atualmente, nossa clientela é formada basicamente pelos operários que trabalham na construção da Arena", afirma Correia. Uma das maiores preocupações do empresário é a provável valorização dos imóveis da região. Como não é proprietário da lanchonete, ele está preocupado com um possível aumento de aluguel que, se houver, terá de ser repassado. "Mas, no geral, tudo vai melhorar. Terei de volta toda

G Ir Agendas da Associação e das distritais Hoje

minha clientela junto com os jogos e também os shows musicais", completa. Gabriel Guedes, gerente de um estacionamento na mesma rua, também aguarda com otimismo a conclusão das obras no Palestra Itália. Como os jogos representavam 40% do faturamento total, a esperança é recuperar o prejuízo com a a abertura da Arena. Até mesmo o faturamento da loja oficial do Palmeiras no Parque Antártica sofre com a falta de jogos. "As vendas caíram de 70% a 80%. Com o no-

William Pereira. Confirmações: 3208-5753 ou dcentro@acsp.com.br. Na ACM, rua Nestor Pestana, 147, Consolação I Penha – Às 19h, reunião da Associação Viva Penha. Avenida Gabriela Mistral, 199. Informações: dpenha@acsp.com.br

Quarta

I Centro – Às 9h, Comitê Técnico

I Noroeste – Das 9h às 13h,

de Política Urbana da distrital. Rua Galvão Bueno, 83. São Miguel – Às 9h30, reunião do Núcleo da Beleza do Empreender, coordenada por Vilma Lopes Fernandes. Av. Mal. Tito, 1042. I Santo Amaro – Às 10h30, 1ª reunião do Núcleo de Pet Shop do Projeto Empreender. Avenida Mário Lopes Leão, 406.

Oficina Sebrae – Fluxo de Caixa. Às 14h, Comitê Técnico de Política Urbana da distrital. R. Luis Braille, 8 I Coordenadoria – Às 17h, cerimônia em homenagem aos professores, realizada pelas quinze sedes distritais. Câmara Municipal, Palácio Anchieta , viaduto Jacareí, 100, 8º andar. I Ipiranga – Às 19h30, 11ª reunião ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor da distrital e reunião do Conselho da Mulher. Às 20h, encerramento oficial dos festejos, com a comissão organizadora. R. Benjamin Jafet, 95. I Tatuapé – Às 19h30 – Reunião do Núcleo Empreender, coordenada pela agente Izildinha Franco Farro. Rua Apucarana, 1.388.

Amanhã I Mooca – Das 13h30 às 18h30, a

Cattani atuou no Palmeiras nas décadas de 1940 e 1950

Marcos Mendes/Luz/Arquivo/DC

O

futuro estádio do Corinthians, em Itaquera, que cost u m a o c u p a r a lguns minutos nos noticiários e que, possivelmente, sediará a abertura da Copa do Mundo de 2014, promete levar desenvolvimento econômico e social para a região leste de São Paulo. Na mesma linha, mas nem tão comentada, está a Arena Palestra Itália, do Palmeiras, na zona oeste da capital. Da mesma forma que o estádio do rival alvinegro, a conclusão da arena alviverde é ansiosamente aguardada pelos comerciantes que estão no entorno do Parque Antártica. Para eles, a finalização da obra significa aumento nos lucros, por causa da realização de eventos esportivos e culturais que acontecerão no estádio. A construção da nova Arena Palestra Itália está a cargo da WTorre. As obras começaram há um ano e devem estar concluídas no primeiro semestre de 2013. Com a reforma, o Parque Antártica, que antes abrigava em torno de 30 mil expectadores, terá capacidade para 45 mil pessoas em jogos de futebol e para até 60 mil pessoas em shows musicais. Pelo contrato de modernização do estádio, a construtora ficará com a direção da Arena

por 30 anos, repassando ao Palmeiras uma parte das receitas. No caso de shows, por exemplo, a parcela alviverde variará de 20% a 45%. Já as bilheterias dos jogos continuarão sendo integralmente do clube. Desenvolvimento - Segundo Dimitrie Gheorghiu, superintendente da Distrital Lapa da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), a Arena Palestra movimentará o setor empresarial da região, promovendo um grande desenvolvimento local. Entende-se como setor empresarial os segmentos de hotéis, bares, restaurantes, postos de combustíveis, comércio varejista e prestadores de serviços, como os taxistas, por exemplo. "O futebol, dentro da nova Arena, será apenas uma das atividades desenvolvidas. As principais delas, em minha opinião, serão os eventos musicais. Esses mega eventos, por sua vez, irão gerar muitos negócios paralelos", afirma. Parceria – A aposta do dirigente nos shows musicais tem fundamento. Há menos de duas semanas, o Palmeiras fechou uma parceria com a empresa AEG para a operação da Nova Arena. Maior grupo de gestão de entretenimento do mundo e responsável por casas de shows como o Staples Center (Los Angeles), O 2 ( L o n d re s ) e O 2 Wo r l d (Berlim), a AEG realiza apro-

Divulgação

André de Almeida

Moacyr Lopes Junior/Folhapress

Empresários instalados próximos ao Palmeiras apostam que o novo espaço trará crescimento

Associação Comercial de São Paulo, com o apoio do Banco Santander, realiza o Curso Gratuito Sustentabilidade na Prática Caminhos e Desafios. Entrada: um quilo de alimento não perecível. R. Madre de Deus, 222. I Santo Amaro - Às 18h30, fórum Cidade Limpa com Regina Monteiro. Av. Mário Lopes Leão, 406. I Centro – Às 18h30, palestra Saber Parar Para Prosseguir, com

Quinta I Penha – Às 9h30, curso de coral

infanto juvenil, realização Conselho da Mulher. Curso acontece

vo estádio, nosso faturamento deve dobrar em relação ao período anterior às obras", diz Gabriel Mantia, vendedor do estabelecimento. Crescimento - Próximo ao Parque Antártica, o Shopping West Plaza divulgou, por meio de nota, que todas as ações que proporcionem investimentos e o crescimento da região são interessantes para o empreendimento. O comunicado ainda enaltece a importância da parceria entre o Palmeiras e a AEG. "A Arena aumentará a visibilidade da região. E, especificamente para o West Plaza, a possibilidade de novos consumidores para o Shopping, atraídos pelo novo estádio, também nos deixa ainda mais otimistas e confiantes no sentido de continuarmos apresentando crescimento de vendas e aumento de fluxo".

também na sexta, às 14h30. Às 19h30, 9ª reunião ordinária da Diretoria Executiva, Conselho Diretor e Conselheiros Natos da distrital. Av. Gabriela Mistral, 199. Informações: dpenha@acsp.com.br I Santo Amaro – Às 18h, Comitê Técnico de Política Urbana da distrital. Av. Mário Lopes Leão, 406. I Pinheiros – Às 19h, homenagem aos participantes da abertura da Semana da Pátria . Rua Simão Álvares, 517

Sexta I Vila Maria – 9h, Comitê

Técnico de Política Urbana da distrital. Rua do Imperador, 1660. I Pinheiros – Às 19h, audiência pública da Câmara Municipal. Rua Simão Álvares, 517

Sábado I Pinheiros – Das 9h às 16h,

inscrições para o 24º Salão de Artes de Pinheiros. Rua Simão Álvares, 517. I Lapa. – Às 10h, homenagem a policiais – Marco da Paz. Na praça das ruas Mercedes com Brigadeiro Gavião Peixoto.

Domingo I Pinheiros – Das 9h às 16h,

julgamento das obras do 24º Salão de Artes de Pinheiros. Rua Simão Álvares, 517.


sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

DIÁRIO DO COMÉRCIO

11

facesp

1,5 MIL É o número de participantes esperado para o evento.

regionais

ASSOCIAÇÕES Representantes de 420 associações participarão dos debates.

Tadeu Nascimento/Arquivo/DC

Além da beleza, Santos foi escolhida por ter uma das mais antigas associações do Brasil. Abaixo, o Mendes Convention Center, que sediará o evento.

Hora de Agir chega a Santos Cidade do litoral paulista sediará, entre os dias 26 e 28 deste mês, o 12º Congresso da Facesp. Paulo Pampolin/Hype/Arquivo/DC

André de Almeida

Arquivo/DC

Arquivo/DC

E

ntre os dias 26 e 28, a cidade de Santos sediará o 12º Congresso da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp). Com o tema Hora de Agir, o evento deve receber 1,5 mil participantes, representando as 420 associações comerciais que integram a rede. Ao longo dos três dias de atividades, os participantes debaterão questões importantes para o setor empresarial, entre elas o desafio da sustentabilidade no dia a dia das empresas. Simultaneamente ao congresso, serão realizados o 9º Encontro Estadual do Projeto Empreender, a 8ª Feira de Empreendedores Econômicos e Sociais e o 5º Encontro de Gestores da Câmara Brasileira de Mediação e Arbitragem Empresarial (CBMAE). Importância – Para o presidente da Facesp e da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Rogério Amato, a escolha do tema Hora de Agir reflete a intenção da entidade de mobilizar as associações comerciais filiadas para iniciativas de fomento ao empreendedorismo. "Com a Boa Vista Serviços, chegou o momento de agir, isto é, de assumirmos

Arquivo/DC

nossa empresa e nosso papel institucional, tudo com muita inteligência, além de exercermos nossa pressão democrática. O congresso vai mostrar que o empresário que conseguir se adaptar às mudanças é o que sobreviverá no mercado", afirma Amato. A escolha do município de Santos para sediar o evento, segundo o superintendente da Facesp, Natanael Miranda dos Anjos, deve-se ao prestígio da Associação Comercial de Santos (ACS), uma das mais antigas do Brasil, e a única a prestar o serviço de certificação de café no País. "A cidade oferece ótima infraestrutura em serviços, grande rede hoteleira, um centro de convenções adequado para as atividades e o porte do

congresso. Os palestrantes, de alto nível, foram muito bem escolhidos e vêm de encontro ao tema do evento", diz. Programação – Todas as atividades do congresso serão realizadas no Mendes Convention Center. A abertura oficial, no dia 26 à noite, terá a participação do Coral e Orquestra Baccarelli. Logo depois, acontecerá a abertura da 8ª Feira de Empreendedores Econômicos e Sociais, seguido por um coquetel. No dia seguinte, pela manhã, estão programadas, entre outras atividades, a apresentação de casos de sucesso do Projeto Empreender Competitivo, o 5º Encontro de Gestores da CBMAE e uma plenária da Boa Vista Serviços (BVS).

Após o almoço, o representante no Brasil do Disney Institute, David Lederman, falará sobre o Jeito Disney de Encantar o Cliente. Em seguida, o destaque fica para a palestra magna do vice-governador do Estado de São Paulo, Guilherme Afif Domingos. Encerrando as atividades, o consultor do filme Tropa de Elite, Paulo Storani, graduado pela escola de formação de oficiais da Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro, fará a palestra Construindo uma equipe de excelência. Associativismo – No dia 28, pela manhã, haverá a apresentação de mais casos de sucesso do Projeto Empreender e de ações voltadas para o desenvolvimento das micro e pequeDivulgação

Empreendedores estão prontos

D

irigentes e executivos que integram as 420 associações comerciais filiadas à Facesp já estão se preparando para marcar presença e aproveitar a vasta gama de informações que serão disponibilizadas durante os três dias de congresso. Grande parte do trabalho de mobilização está sendo feito pelos presidentes e vicepresidentes das 18 Regionais Administrativas (RAs) da Facesp. O vice-presidente da RA 3, Wilson Lourenço, tem conversado com os presidentes das associações comerciais da região do Alto do Tietê sobre a importância da participação

das entidades. "Os dirigentes que vão ao congresso respiram empreendedorismo e associativismo, bandeiras defendidas pelo sistema das associações comerciais. Este ano, especialmente, eles terão a oportunidade de ouvir, falar e debater a sustentabilidade, palavra que está na ordem mundial e que teremos que colocar à frente das discussões em nosso dia a dia", diz Lourenço. Jorge Taiar, presidente da Associação Comercial e Empresarial de Guarulhos (ACE), é um dos dirigentes que já confirmaram presença no evento. "Tive a oportunidade

de participar de outros congressos da Facesp e sei o quanto foi importante para mim. No evento, temos a oportunidade de debater as soluções de negócios de nossas entidades, trocar experiências, bem como saber o que está sendo preparado para ser implantado nas associações comerciais", afirma. Na região centro-oeste do Estado, os dirigentes das associações comerciais da RA 15 também estão se mobilizando para o congresso. "Trata-se do principal evento empreendedor do País, em razão de reunir

nas empresas através do associativismo, além de plenárias que mostrarão os resultados alcançados pela rede Facesp. À tarde, o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente de São Paulo, Eduardo Jorge, fará palestra sobre sustentabilidade e meio ambien-

empreendedores para a discussão de importantes temas em comum", conclui o presidente da Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), Sérgio Lopes Sobrinho. (AA)

te. Encerrando o congresso, o especialista em técnicas de comunicação para desenvolvimento de líderes, Reginaldo Tadeu de Souza, falará sobre Liderança pela emoção. As inscrições ainda estão abertas e podem ser feitas, até o dia 21, pelo site www.facesp.com.br.

Taubaté: vendas a prazo apresentam queda.

A

Wilson Lourenço: conversas.

Estarão no congresso o superintendente da Facesp, Natanael dos Anjos, o presidente da Facesp e da ACSP, Rogério Amato (acima), e o vicegovernador do Estado, Guilherme Afif Domingos (esquerda).

s vendas a prazo apresentaram queda de 13,06% em setembro, com relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados do SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito) de Taubaté. Segundo o relatório da Associação Comercial e Industrial da cidade, a Acit, no mês passado foram realizadas 22.082 consultas, contra 25.398 no mesmo mês de 2010. O percentual de vendas também teve ligeira queda: 1,5% com relação a agosto. O panorama de compras a prazo deste ano também mostra uma desaceleração com relação ao ano passado. A diferença entre o acumulado de ja-

neiro a setembro deste ano e de 2010 já chega a 2,06%: 208.732 em 2010 e 201.453 em 2011. O índice de recuperação de crédito, no entanto, cresceu 33,56% com relação a setembro de 2010. A diferença entre os consumidores que recuperaram a possibilidade de comprar a prazo foi de 900, com 3.702 em 2011 e 2.802 em 2010. Inadimplência – A aceleração das inserções no SCPC aumentou 88,31% em setembro, em comparação ao mesmo mês de 2010, com uma diferença de 3.331 registros. A aceleração se deve ainda à liberação desta medida para as instituições de ensino.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12 -.LOGO

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

Malas acima de qualquer suspeita

Lady Gaga diverte Clinton com versão de Bad Romance

Talvez estas malas não façam muito sucesso com as pessoas que você pode encontrar pelos aeroportos, especialmente os fiscais de alfândega de outros países. Mas uma coisa é certa: com uma dessas dificilmente você terá dificuldades para localizar qual, entre as centenas de malas pretas despejadas na esteira de bagagens de seu voo, é aquela que você deve carregar. O site The Cheeky vende adesivos com essas e outras imagens provocativas para malas de tamanho pequeno. Cada adesivo custa US$ 25. Há desconto para quem comprar três de uma vez.

A cantora Lady Gaga homenageou Bill Clinton com uma versão personalizada de seu hit Bad Romance na noite de sábado, em um espetáculo que contou com várias estrelas em homenagem ao ex-presidente americano e sua fundação. Usando uma peruca loira para seu "momento Marilyn Monroe" com Clinton, a super estrela do pop desejou "feliz aniversário" atrasado ao ex-presidente, lançando logo em seguida um hilário Bill Romance no Hollywood Bowl de Los Angeles. Durante a interpretação, a diva desceu do palco para cantar "solo" para o ex-presidente, sentado ao lado de sua mulher, a secretária de Estado americana, Hillary Clinton, e da filha Chelsea. No final, ele brincou: "Sou a única pessoa na história que foi presidente e que depois tem uma festa de aniversário com Lady Gaga e a secretária de Estado".

http://thecheeky.com/suitcase-stickers

SEDE DE CHUVA

www.dcomercio.com.br

Este casaco não apenas protege contra a chuva como também capta, filtra e armazena a água que cai para que você possa beber. Ideal para motociclistas e trilheiros. http://bit.ly/rpE2N1

E -BOOKS NO BRASIL

Google entra no páreo

Câmera panorâmica

A

venda de e-books pela Amazon no Brasil é aguardada desde o começo do ano. Outra marca que começou sua aproximação é a rede de varejo canadense Kobo. Como a Amazon, porém, a Kobo também não tem data para estrear no país. Deve ser mesmo o Google, que corre por fora, o primeiro entre os estrangeiros a operar nesse segmento. Segundo brasileiros que participaram dos encontros na Feira do Livro de Frankfurt (terminada ontem), a chegada de livros

Tirar fotos de qualquer ângulo é possível com esta bola que tem 36 câmeras internas. http://bit.ly/n8CPxV

H OMENAGEM

Monumento a Martin Luther King

ximo. O negócio é mais simples que o da Amazon, pois o Google não tem aparelho próprio. A Amazon, além de contratar conteúdo e lançar Em breve: livros digitais vendidos via Google. uma livraria virtual em portudigitais vendidos via Google pode guês, tem de acertar esquema triser esperada para breve. Eles esti- butário, comercial e logístico para mam que isso aconteça entre o vender a preços baixos as versões fim deste ano e o começo do pró- do seu Kindle. (Folhapress)

Christophe Archambault/AFP

Esculturas de Dolly Moreno. Arte Aplicada Galeria de Arte, rua Haddock Lobo, 1406, tel.: 30644725. Grátis.

T ESTAMENTO

Herança digital em alta no Reino Unido

D ESIGN

A revolução da bicicleta L

Uma bicicleta que para quando você quer, sem que seja necessário acionar freios por meio de alavancas e cabos que vivem quebrando. A criação é de cientistas alemães e a confiabilidade do sistema de frenagem, eles garantem, é de 99,999999999997%. Tudo graças a sinais de rádio sem fio que ativam o disco de freio a partir de uma pressão no guidão. Ainda sem previsão de lançamento no mercado mundial.

C A R T A Z

Daniel Roland/AFP

Mandel Ngan/AFP

Uma controversa história de 15 anos culminou ontem com a inauguração pelo primeiro presidente negro dos EUA do monumento a Martin Luther King Jr no Washington Mall, palco de seu discurso de 1963 I Have a Dream (Eu tenho um sonho). Ícone da luta pelos direitos civis, assassinado em 1968 aos 39 anos, King é o primeiro líder negro a ganhar uma homenagem no Mall – até então um panteão de presidentes americanos: George Washington, Thomas Jefferson, Abraham Lincoln e Franklyn Roosevelt.

E M

VISUAIS

G @DGET DU JOUR

SUBMERSA - Imagem aérea mostra templo em meio à inundação em Ayutthaya, na Tailândia. A capital Bangcoc seguia ontem protegida das águas graças a diques e represas erguidos ao norte da cidade, que parecem resistir às piores inundações no país em décadas.

Britânicos estão incluindo senhas de Internet em testamentos para garantir que suas músicas, fotos, vídeos e outros dados digitais não sejam perdidos quando eles morrerem. Cerca de 11% dos dois mil britânicos entrevistados pelo Centro de Tecnologia Criativa e Social (Cast, na sigla em inglês) da Universidade de Londres, disseram que tinham incluído senhas de Internet ou planejavam incluí-las em seus testamentos, uma tendência que o Cast batizou de "herança digital". (Reuters)

C ULINÁRIA

Monte seu chocolate

http://bit.ly/pC1Ggy

CCBB reduz preço

E SPAÇO Nasa/AFP

Os centros culturais do Banco do Brasil em Brasília, no Rio de Janeiro e em São Paulo passam a cobrar R$ 6 pelos ingressos de teatro (R$ 3, para os que pagam meia). A ação é comemorativa do aniversário da instituição.

L

A agência espacial norte-americana Nasa divulgou ontem novas imagens da impressionante nebulosa Carina, 'lar' das maiores estrelas já conhecidas – algumas podem ser até 100 vezes maiores que o sol.

A ideia é da designer francesa Elsa Lambinet. O chocolate Sweet Play é montado ao gosto do freguês: cereja aqui, castanha ali e... nhac! www.lambinetelsa.com


e CAIXA 1 conomia

O seu consultor financeiro

13

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

Saúde financeira

É TER CONTAS EM DIA

Moradores de Paraisópolis aproveitaram o fim de semana para renegociar dívidas e limpar o nome

REJANE TAMOTO

A

dona de casa Priscila Adriana da Silva Oliveira e seu marido Ewerton Pereira Ferreira, ambos de 30 anos, têm uma vida financeiramente nova a partir de hoje: ela renegociou uma dívida e teve seu nome limpo depois de dois anos e ele se tornou um Microempreendedor Individual (MEI). Eles conseguiram regularizar as finanças e reconquistar a credibilidade no evento Acertando suas Contas, promovido pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e pela Boa Vista Serviços (BVS), em parceria com a Cantarino Brasileiro Comunicação, no Centro Educacional Unificado (CEU) Paraisópolis, na zona sul da capital paulista, entre sexta-feira e ontem. A abertura oficial do evento teve a presença de Rogério Amato, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp); de Dorival Dourado, presidente da BVS; de Bruno Caetano, diretor-superintendente do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae-SP); de Marcos Cantarino, diretor da Cantarino Brasileiro de Comunicação; e de Natanael Miranda dos Anjos, secretário do Microempreendedor Individual (MEI) da Prefeitura de São Paulo. Na ocasião, eles entregaram uma placa comemorativa para a comunidade. Para Amato, o movimento Acertando suas Contas permite que as pessoas recuperem seu nome e, junto com isso, a dignidade e credibilidade. O resultado é uma perspectiva positiva de consumo e de formalização. "O MEI é uma conquista da ACSP, é a carteira de trabalho do empreendedor. Quem entrou no evento com dívidas, saiu com o nome limpo e, ainda, com sua atividade econômica formalizada. Ele tem a chance de progredir e de mudar não só a sua vida, como a de toda a família. Em suma, é um ganha-ganha porque beneficia a todos, consumidores e empresas", disse. Durante o evento, Casas Bahia, Banco Ibi, Eletropaulo, Banco do Brasil e Sabesp ofereceram descontos para a renegociação de dívidas que, segundo os consumidores, variaram de 50% a 90%, dependendo de cada empresa. Em três dias, 6 mil pessoas passaram no CEU Paraisópolis, espaço onde houve atividades para as crianças, como pinturas e cortes de cabelo gratuitos pelo instituto Embelleze. Ao todo, 2.532 consumidores fizeram consultas no balcão do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), da Boa Vista Serviços, da ACSP, que publica este Diário do Comércio. No total, 1.532 pes-

O casal Priscila Oliveira e Ewerton Ferreira limpou o nome e se formalizou

Não consegui pagar a conta de água por 20 meses porque tenho três filhos e muitas despesas. Devia R$ 4 mil e agora vou pagar R$ 290. LUCIENE PEDREIRA, AUXILIAR DE LIMPEZA Fotos: L.C. Leite/LUZ

soas foram encaminhadas para renegociação com as empresas participantes. A ação possibilitou aos moradores do bairro a oportunidade de ficarem com as contas no azul e o nome limpo para começar a fazer as compras de Natal. "O objetivo é recuperar esses consumidores para que possam voltar a comprar dentro de outra expectativa. Por isso, promovemos treinamentos em finanças pessoais e domésticas para que eles possam usar o crédito de forma sustentável e se tornarem consumidores positivos. Nas palestras mostramos a importância de ter uma reserva ou para evitar a inadimplência em caso de imprevistos, como doença na família e desemprego. Nossas pesquisas mostram que 60% dos que estão no SCPC não têm poupança", afirmou Dourado, presidente da BVS. Segundo ele, o próximo Acertando suas Contas será realizado no Vale do Anhangabaú, entre os dias 28 de novembro e 4 de dezembro. "Estamos planejando mais

eventos similares em outras comunidades da Capital, no interior paulista e em outros estados", comentou Dourado.

33 mil registros de inadimplência Segundo pesquisas do SCPC, existem 33 mil registros de inadimplência em Paraisópolis, onde residem cerca de 100 mil habitantes. Os números de registros, porém, não correspondem ao de pessoas, pois um mesmo consumidor pode ter mais de um registro no sistema. Para Marcos Cantarino, da Cantarino Brasileiro de Comunicação, o evento é uma forma de aproximar também os bancos dos consumidores da comunidade. O gerente do Banco do Brasil de Paraisópolis, Paulo Laverde, informou que a agência inaugurada em novembro do ano passado congrega 1,3 mil contas-correntes na região. Para ele, o evento é mais uma oportunidade para divulgar também o Microcrédito Produtivo Orientado (MPO), já

que o bairro tem cerca de oito mil estabelecimentos comerciais. Nos dois primeiros dias de evento, de 100 correntistas atendidos pelo banco, 30% renegociaram débitos e 60,7% levaram propostas para serem concluídas no início desta semana. Antes de acertar as contas, o programador Adilson da Silva Mota, de 40 anos, assinou um termo de autorização para entrar no Cadastro Positivo, disponibilizado na Cartilha do Orçamento Doméstico, da Boa Vista Serviços e no site www.consumidorpositivo.com.br. "Quero mostrar que minha família consome bastante e paga as contas no vencimento. Às vezes consigo antecipar pagamentos. Espero que isso ajude a termos juros menores nos parcelamentos no futuro", ressaltou. O casal Flávio da Silva, de 20 anos, e Rosicleide Conceição Almeida, de 23 anos, participou do evento. Eles renegociaram um débito de R$ 1.131 com o Banco Ibi por R$ 628,80. "Vou quitar a dívida nesta semana aprovei-

Vou quitar a dívida nesta semana aproveitando que vou começar a trabalhar FLÁVIO DA SILVA, AO LADO DA SUA MULHER

ROSICLEIDE ALMEIDA

tando que vou começar a trabalhar", animou-se Flávio, que é ajudante de cozinha e receberá um salário de R$ 749 por mês. Ele diz que tudo começou em dezembro, quando a esposa Rosicleide comprou roupas para a passagem do Ano Novo. Em seguida, veio o desemprego e o plano agora é concentrar todos os esforços para terminar de construir a casa própria. Quem também regularizou as finanças depois de arranjar um novo emprego foi a auxiliar de limpeza Luciene Pedreira Soares, de 33 anos. "Eu trabalhava como diarista e não consegui pagar a conta de água por 20 meses porque tenho três filhos e muitas despesas. Devia R$ 4 mil e agora vou pagar R$ 290", explicou. A Sabesp, por meio da assessoria de imprensa, disse que

o evento foi positivo e que gerou 100 negociações e 20 solicitações de serviços. A dona de casa Priscila, mencionada no início desta reportagem, disse que passou dois anos sem comprar no crediário por causa do não pagamento das prestações de um fogão de seis bocas. "E comprar tudo à vista é difícil quando se tem três filhos e muitos gastos. A dívida, que era de R$ 411, ficou em R$ 200", desabafou. Ela disse que emprestou o nome para a compra do fogão, que ficou com seu ex-marido e a lição que tirou dessa história é que não vale a pena fazer isso para ninguém. "Nem para parente." O plano agora é terminar de construir a casa própria e voltar ao crediário para mobiliá-la. "Vou sair do aluguel e comprar cama, fogão, tudo novo."

COMUNIDADE DE PARAISÓPOLIS ADERE À FORMALIZAÇÃO No mesmo fim de semana em que a dona de casa Priscila Adriana da Silva Oliveira reconquistou sua credibilidade como consumidora, o marido Ewerton, tapeceiro autônomo há 15 anos, conseguiu se tornar um Microempreendedor Individual (MEI), depois

de receber orientações do Sebrae-SP e de passar pelo estande de formalização da Facesp. "Fizeram o meu cadastro de MEI em 30 minutos. Foi rápido e sem burocracia. Saio daqui com o boleto para pagar a primeira parcela do INSS", comentou.

Segundo o tapeceiro, a mudança será boa para família, que terá uma segurança financeira caso ele sofra um acidente ou tenha de parar de trabalhar temporariamente. "Trabalho com meu pai e não contribuía para a Previdência. Só paguei por três anos,

quando fui empregado de uma empresa. O serviço prestado para a abertura do MEI foi muito bom", disse. De acordo com Natanael Miranda dos Anjos, secretário do MEI na Prefeitura, a região tem 20 mil pessoas com potencial de formalização.

Na cidade, já foram feitos 125 mil MEIs em mais de um ano. No estado, há potencial para 3,5 milhões de pessoas se formalizarem. "No evento o empreendedor conseguiu tirar o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). Agora, só precisará obter o Cadastro

Contribuinte Mobiliário, documento expedido pela Secretaria de Finanças da Prefeitura, para emitir nota fiscal. "Isto é um grande ganho da formalização, já que com nota fiscal ele pode prestar serviços a grandes empresas", afirmou.


14 -.ECONOMIA

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

conomia

CAIXA 1 O seu consultor financeiro

AGENDA 18

Terça-feira

Apresentação de estudo sobre desoneração tributária pelo IPEA

19

Quarta-feira

Divulgação da taxa básica de juros (Selic) pelo Copom

20

Quinta-feira

IBGE publica o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA15)

N

a esteira das expectativas positivas do mercado financeiro em relação aos anúncios dos governos europeus e de boas notícias dos Estados Unidos, a Bolsa de Valores, Mercadorias & Futuros de São Paulo (BM&FBovespa) operou em alta durante a semana passada e encerrou o pregão com 55.030 pontos na sexta-feira. Os ganhos acumulados foram de 7,39%, a primeira alta semanal desde o intervalo encerrado no dia 16 de setembro. No mês, os ganhos foram menores, de 5,17%. Ao observar a performance da bolsa no ano, no entanto, a queda acumula 20,6%. Apesar

Bovespa SOBE NA ONDA otimista da semana positiva, o mercado ainda está preso às manchetes, segundo a avaliação do diretor de pesquisas do JMP Securities, Peter Coleman. "As notícias foram positivas, mas não estamos fora de perigo. Ainda estamos presos em uma economia lenta e morosa nessa questão da dívida europeia. Basta apenas um choque negativo e estamos de volta à recessão", disse.

Na sexta-feira, o pregão foi bastante volátil, mas acabou seguindo a alta das bolsas internacionais, onde os investidores foram às compras estimulados pelo resultado da reunião dos ministros de Finanças do G20, em Paris. A onda de otimismo beneficiou as blue chips brasileiras: os preços das ações preferenciais da Vale (PNA) e da Petrobras (PN), valorizaram mais

de 7% na semana. No mesmo dia, os principais índices do mercado de ações dos Estados Unidos fecharam a semana em alta, impulsionados pelo crescimento de 1,1% nas vendas do varejo do País em setembro, maior do que a previsão de 0,8% dos analistas. Nos dias anteriores, o mercado foi motivado pelas propostas apresentadas pela Comissão

Europeia para fortalecer o setor bancário da região. As autoridades locais discutiram esforços para recapitalizar os bancos por meio de injeções de recursos privado e público, mas sem detalhamentos, o que fez as bolsas internacionais oscilarem. O presidente da Comissão Europeia, José Manuel Barroso, disse que os bancos expostos a dívidas soberanas devem ter exigências de capital mais altas. Disse ainda que instituições com baixo nível de capital deveriam ser impedidas de pagar bônus e dividendos. O plano será discutido em uma reunião de ministros das Finanças da União Europeia, no dia 23 de outubro. (DC com AE)


sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

15

conomia

CAIXA 1 O seu consultor financeiro

Crise não

espanta INVESTIDOR DA BOLSA Volume de pessoa física que aplica em ações passou de 85,2 mil, em 2002, para 593,3 mil até setembro deste ano

REJANE TAMOTO

band, de 30 anos, orientou Okazaki nesse processo. O profissional utiliza um método de análise da bolsa que leva em consideração os fundamentos da economia e das empresas, os indicadores antecedentes, preços das ações e sentimentos de mercado. "Quando as pessoas estão muito otimistas a bolsa cai. Se estão pessimistas, sobe. Constatei isso ao mapear o desempenho do Ibovespa versus as capas da revista Ve j a , desde 1968", afirma. O economista avalia que a pessoa física ainda tem muito a aprender. "Ela ainda é muito induzida por notícias e compra ações quando a bolsa está em alta. É difícil sair da manada e aguentar a pressão da queda. Mas perder faz parte do jogo e o pior erro do investidor é achar que já sabe o suficiente", afirma Rytenband.

A

crise fiscal dos Estados Unidos e dos países da Europa deixou a bolsa de valores volátil e o mercado financeiro cheio de incertezas, um ambiente que não espantou de forma significativa as pessoas físicas desse tipo de aplicação. Dados da BM&FBovespa mostram que esses investidores suportam não só o atual nervosismo do mercado, causado pelo cenário externo incerto, como também resistiram à crise econômica dos Estados Unidos, que fez as bolsas de todo o mundo desabarem em 2008. Neste ano, a bolsa registrou a exclusão de 10,2 mil CPFs de pessoas físicas de suas corretoras, entre os meses de janeiro e setembro. A quantidade é considerada pequena se comparada com a evolução do número de investidores a cada ano (vej a gráfico). O número instiga um questionamento: a pessoa física está mais amadurecida no mercado financeiro? "Eles cresceram em números e começaram a fazer o exercício da visão de médio e longo prazos porque a economia hoje fornece essa perspectiva", diz a consultora da BM&FBovespa para a campanha de popularização, Tércia Rocha. Para a especialista, a noção de que a bolsa é um investimento de longo prazo está cada vez mais consolidada na cabeça da pessoa física. O desafio agora é fazê-la se sentir realmente sócia de uma empresa. Para tentar explicar isso, a campanha da BM&FBovespa usa o exemplo do ex-jogador Pelé, que passou por altos e baixos na carreira. "A vida dele é como o ciclo de uma empresa. Ensinamos os seis passos para os iniciantes entenderem e se aproximarem da bolsa", conta Tércia. O diretor da corretora Geração Futuro, Amilton Bardelotti, diz que também conscientiza a pessoa física sobre o que é ser sócio para vender cotas de fundos de ações. "Eu pergunto às pessoas quantas têm ações da Petrobrás e muitas levantam a mão. Quando questionadas sobre se abastecem seus automóveis em postos de combustíveis de seu sócio, no caso a Petrobras, muitas dizem não. É isso que falta a pessoa física entender", afirma.

Qualquer pessoa pode investir

Fotos: Newton Santos/Hype

Nunca zerei minhas ações. Vendi uma parte da carteira para aplicar em imóveis e em renda fixa. FELIPE OKAZAKI, EMPRESÁRIO

Aumenta o volume de investidores

Em pouco menos de dez anos, a quantidade de pessoas físicas aumentou mais de seis vezes na bolsa de valores. Passou de 85,2 mil em 2002 para 593,3 mil até setembro deste ano. A estatística considera o número de CPFs cadastrados em cada corretora de valores até o último dia útil do mês de referência. Neste caso, pode contabilizar o mesmo investidor se ele tiver conta em mais de uma corretora. Embora os homens sejam maioria na bolsa – correspondem a 75,1% do total –, as mulheres aumentam sua participação a cada ano (veja quadro). Hoje, em número de investidores, os jovens de 26 a 35 anos lideram e são 149,6 mil, ou seja, 25,23% do total de pessoas físicas.

Quando as pessoas estão muito otimistas a bolsa cai. Se estão pessimistas, sobe. RICHARD RYTENBAND, ECONOMISTA

Um deles é o empresário Felipe Okazaki, de 30 anos, que entrou na bolsa de valores após o ataque terrorista às Torres Gêmeas do World Trade Center (WTC), em setembro de 2001. Naquele dia as bolsas brasileira e norte-americana interromperam as negociações por causa da queda brusca das ações, num movimento conhecido no mercado

por circuit breaker. "Comprei ações em baixa e vi os preços se recuperarem em 2002. Como não vendi os papéis assisti a queda deles após a eleição do então presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Passei a estudar mais o mercado para entendê-lo", comenta. Okazaki diz que aprendeu logo que o certo é comprar ações quando os preços estão baixos e

vendê-las na alta. Em tom de brincadeira diz que, às vezes, até "torce" por mais crises. Ao longo dos últimos dez anos, o empresário também aprendeu a incrementar a carteira com os dividendos que recebe das empresas das quais é sócio. "Nunca zerei minhas ações. Vendi uma parte da carteira para aplicar em imóveis e em renda fixa", enfatiza.

Sobre o prazo do seu investimento na bolsa, Okazaki diz que não pensa em menos do que 15 anos. "Entrei para diversificar meus investimentos e ter segurança financeira. Ainda não penso na aposentadoria, mas em ampliar as aplicações e poupar", ressalta o empresário, que é solteiro. O economista e especialista em investimentos, Richard Ryten-

O "pai" da popularização da bolsa para a pessoa física, o expresidente da então Bovespa e diretor-presidente da Magliano S/A, Raymundo Magliano Filho, diz que a pessoa física está no meio de uma revolução cultural, que começou há dez anos. "É um trabalho que foi feito, está sendo feito e continuará a ser feito. Isso porque a mudança de cultura leva tempo e ainda vai dar muitos frutos no futuro. O investimento na bolsa será uma cultura em todas as gerações das famílias: avôs, pais, filhos, netos", observa. Na opinião de Tércia, consultora da BM&F, o aumento do número de pessoas físicas na bolsa é resultado de uma série de ações desenvolvidas ao longo dos últimos dez anos, a partir do lançamento da campanha de popularização "A bolsa vai até você". A campanha iniciada pelo então presidente da bolsa, Magliano, fez profissionais irem aos lugares mais inusitados para explicar como funciona a bolsa: à praia, ao campo, às indústrias, empresas e escolas. Depois, a ação foi mantida e incrementada com cursos de educação financeira voltados a diversos públicos como mulheres, adolescentes e crianças. "A qualidade das perguntas dos nossos alunos tem melhorado e não são mais tão básicas", avalia Tércia. Para o gestor e sócio-fundador da Local Invest, Luis Fernando Barboza Pessôa, um sinal de evolução da pessoa física na bolsa é que ela não se interessa mais só por blue chips – as ações mais negociadas. "Hoje, eles adquirem ações de empresas que acabaram de lançar a oferta pública de ações (IPO). Isso também é mérito da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que regula o mercado e melhorou a divulgação e explicação para o investidor", conta. O presidente da Associação dos Analistas e Profissionais de Mercado (Apimec), Reginaldo Alexandre, diz que um sinal de amadurecimento desse público é a busca por conhecimento. "As variações do dia a dia assustam o investidor. É preciso uma visão amadurecida, para identificar uma chance de investimento em longo prazo", diz Alexandre.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

Uma loja premiada tem chancela de qualidade e inovação Fernando Abdalla, diretor da Doural

conomia

O melhor do varejo na 25 de março Centenária, a Doural é a primeira loja popular a conquistar o Global Innovator Award (GIA), espécie de selo de qualidade no setor de artigos para casa. Karina Lignelli

Fotos: Divulgação

A

Doural Presentes, comércio centenário de artigos para casa da Rua 25 de Março, é a primeira loja popular a ganhar a etapa nacional do Global Innovator Award (GIA), o mais importante prêmio do setor – e no mesmo ano em que comemora 106 anos de atividades. Em março de 2012, a Doural representará o Brasil na etapa internacional do GIA, que será realizada nos Estados Unidos. Pela terceira vez no páreo, a empresa conquistou o prêmio escolhida por uma bancada de formadores de opinião do segmento. Segundo o diretor Fernando Abdalla, quarta geração da família à frente do negócio, a premiação é uma chancela de qualidade e de reconhecimento. "Também afirma que nosso mix de produtos é inovador e aliado às estratégias desenvolvidas para encantar e atender ao nosso exigente consumidor", disse. Apesar da tradição e de estar há mais de um século na ativa, a Doural não deixa de crescer e acompanhar o mercado. Entre as inovações que vêm fazendo sucesso, o destaque vai para o ecommerce, considerada por Abdalla "uma ferramenta facilitadora para atender clientes em todo território nacional." Para aumentar a interação com seu público, a loja, além do endereço fixo na Rua 25 de Março, 595, está presente na internet também com perfis no Facebook e no Twitter, e no portal Club Doural, lançado em agosto. O espaço oferece nove portais, que trazem um universo de informações interligadas para

Vista geral do interior da Doural: prêmio nacional chega no ano em que a loja comemora 106 anos de atividades; etapa internacional será em março nos Estados Unidos.

os seguidores da loja. Entre eles, o Espaço Noivas, Seu Site Pessoal (uma espécie de clube de descontos e oferta exclusivas), o Doural Sustentável e o Blog da Doural, entre outros. Mesmo sem revelar expectativas futuras, a empresa espera que a conquista do GIA traga mais credibilidade junto ao mercado e aos seus clientes. "Não podemos parar, isso é muito importante para nosso público. Uma loja premiada tem chancela de qualidade e inovação", acredita Abdalla. A loja, que oferece produtos variados de R$ 10 a R$ 5 mil trazidos da Europa com exclusividade pela importadora Basic Kitchen, também comemora a conquista recente do 12º prêmio House & Gift de Design pela britânica Joseph Joseph, marca revendida no Brasil pela Doural. O Pie Kitchen Timer, cronômetro de cozinha da marca, recebeu o prêmio de produto inovador na categoria Utility House.

Doural começou como pequena tecelagem

A

história da centenária Doural se confunde com a de milhares de imigrantes portugueses, italianos, sírios e libaneses que chegavam a São Paulo em meados do século 19. Neste caso, o personagem principal é Assad Abdalla, o fundador da empresa que chegou à Capital paulista em 1895, aos 25 anos, e foi um dos pioneiros do comércio da Rua 25 de Março, quando ainda era uma rua de paralelepípedos. Por conta de dificuldades financeiras em sua terra natal, na Síria, Assad veio para o Brasil com seu primo Nagib Salem e outros patrícios. Eles começaram a mascatear pelos bairros da Penha, Santana e arredores. Em pouco tempo, os dois primos já trabalhavam

por conta própria, e foram para a região da 25 de Março, onde se concentravam muitos imigrantes. Assim como boa parte dos 90% de mascates de origem sírio-libanesa, Assad optou por trabalhar com o comércio de tecido e armarinhos devido à concorrência menor. Em 1900, quando completou 30 anos, decidiu criar um

fundo de reserva para aquisição de construções e imóveis. Em pouco tempo, abriu empresa e montou lojas em dois endereços, que foram compradas e formaram um só empreendimento – a pequena tecelagem na Rua 25 de março que se tornou famosa em todo o Brasil, e que em 1905 se transformaria na Doural. Visionário – Assad Abdal-

Fundada por Assad Abdalla, a Doural hoje vende artigos para casa.

la, que morreu em São Paulo aos 80 anos, sempre ensinou à família que ao ouvir a opinião de seus clientes, vendedores, amigos e funcionários, novas e boas ideias surgiriam. Foi assim que começaram a diversificar os negócios, além de vender cortinas, artigos para cama, mesa e banho e tapetes e passaram a comercializar utilidades domésticas, itens de decoração, eletroportáteis e eletrodomésticos. Contrariando os hábitos e consumo da região e de seus concorrentes, a Doural passou a oferecer os serviços de lista de casamento, chá-bar, lista de casa nova e desenvolveu até um espaço exclusivo para noivas – sempre com a prioridade de atender cada vez melhor aos seus clientes.


sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

17 Segmento brasileiro de pet shop deve fechar neste ano com faturamento superior a R$ 11,3 bilhões e crescimento de 4,5% em relação a 2010

conomia

Fotos: Divulgação

Glamour no mundo pet inclui ouro 18 quilates Mercado de produtos para animais de estimação investe em criatividade, luxo e serviços personalizados. Paula Cunha

T

ratamentos com banhos de vinho, guias com pedras preciosas e cristais Swarovski que custam R$ 1 mil, cosméticos e linhas de xampu que levam ouro em sua formulação. Não há limites para a criatividade dos fabricantes de produtos voltados para animais de estimação, que investiram na profissionalização e na oferta de serviços especializados. Apesar da expectativa de crescimento menor para este ano, de 43% em 2010 para 33%, o segmento de luxo tem fatia expressiva deste mercado. Por isso, pet shops e empresas investem na participação em feiras para lançar novidades. A Central Vet leiloará uma guia para cães com cristais Swarowski durante a décima edição da Pet South América (www.petsa.com.br), que acontecerá em São Paulo a partir de amanhã no Pavilhão Vermelho do Expo Center Norte. O evento trará lançamentos e o Congresso de Especialidades, voltado para os profissionais da área médica. A gerente de marketing, Cinthia Nakamura, explica que o leilão faz parte de uma série de ações para comemorar o quinto aniversário da empresa. Seu preço é R$ 1 mil. Além da guia, a empresa lançará uma linha especial de cosméticos batizada Pet Esthé. Ela apresenta xampus e tinturas de restauração de pelos para cães envelhecidos e para os que se apresentam em feiras e exposições. "Queremos conquistar pet shops e profissionais do ramo de banho e tosa", explica. Quem quiser proporcionar bem-estar ao seu animal de estimação também encontrará

no mercado tratamentos alternativos como os criados pela Empóriopet, que tem linha de xampus e hidratantes à base de vinho para higienizar e perfumar os pelos de cães e gatos. A empresa gaúcha (www.emporiopet.ind.br) quer conquistar os proprietários de animais preocupados em proporcionar tratamento natural aos seus pets. A fabricante Pet Life investiu neste ano em uma linha de xampus e sabonetes que contém ouro 18 quilates em sua formulação. Segundo seus representantes, o metal precioso repõe os sais minerais da pele e torna os pelos mais brilhantes. A Poliuretanos Brasil, especializada em produtos para cama, também decidiu oferecer sua tecnologia a cães e gatos. Ela criou a cama PetNap, elaborada com tecnologia da Nasa, a agência espacial norte-americana. Elaborada com espuma viscoelástica antimicrobial, a cama oferece alívio para os pontos de pressão em partes específicas do corpo e relaxamento muscular. Apresentada em três tamanhos e preço a partir de R$ 120 , a empresa promete sono dos céus aos animais. Números – Com esta estratégia, o segmento brasileiro de pet shops deve fechar este ano com faturamento superior a R$ 11,3 bilhões, com cresciDivulgação

Venda de filhotes é contestada

P

ara enfrentar a concorrência e atender às necessidades de seus clientes, grande parte das pet shops brasileiras comercializam filhotes de animais de estimação. Em São Paulo essa prática está sendo contestada pelo Projeto de Lei nº 477/10, que proíbe qualquer tipo de exposição em suas dependências. A proposta, atualmente em tramitação na Câmara Municipal, gerou descontentamento entre os empreendedores e o Sindicato dos Lojistas do Comércio de São Paulo (Sindilojas-SP) que, inclusive, divulgou uma nota com as reclamações e as reivindicações

do segmento. Walquiria Furlan, assessora jurídica, argumenta que o projeto não protege os animais e, ao mesmo tempo, prejudica os lojistas que oferecem animais com procedência definida aos consumidores. Além disso, argumenta, os consumidores terão menos opções para adquirir animais de estimação. "Com isso, o mercado corre o risco de ir para a informalidade. Queremos a readequação da lei para conciliar os interesses de todas as partes e atender à legislação vigente", conclui. (PC)

mento real de 4,5% frente ao ano anterior. Em 2010, o avanço já foi de 8,5% em relação a 2009. Esta expansão ocorreu em função de fatores como a profissionalização do setor, o que fez o número de unidades atingir a marca de 25 mil em todo o Brasil, de acordo com os

dados do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). Assim, o País já é o quarto mercado do segmento em todo o mundo, superado apenas pelos Estados Unidos, Japão e Reino Unido. Atualmente, o Brasil possui 98 milhões de animais de estimação, o que corresponde à segunda maior população mundial de cães e gatos e à quarta maior em número de animais de estimação. Para atender a esta demanda, que tem sido impulsionada pelo crescimento do poder aquisitivo da população nos últimos anos e

Puro luxo: camas PetNap de fibra siliconada com íons de prata (no topo, à esquerda) e com espuma viscoelástica (à esquerda), vinhoterapia da Empóriopet (acima) e guia com cristais Swarovski da Glam Flexi (à direita).

pelas campanhas de conscientização para a oferta de melhor alimentação e cuidados aos seus pets, houve uma segmentação crescente nessa indústria. Assim, os fabricantes

de alimentos representam 66% do mercado, seguidos de serviços (20%), equipamentos e acessórios que incluem produtos de higiene e beleza (8%) e medicamentos veterinários (6%).


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

e Natal pede mais segurança na loja No Brasil, 15% dos varejistas fazem prevenção de perdas. Nos Estados Unidos, Suíça, Argentina e Uruguai esse percentual varia de 60% a 70%.

conomia

Os furtos, principais causas das perdas do varejo, são favorecidos, no fim de ano, pelo maior fluxo de pessoas e de volume de produtos expostos na área de venda.

A

s perdas do varejo chegam a triplicar no Natal e os cuidados para evitálas devem ser redobrados por todos, alerta o presidente do Programa de Administração de Varejo, da Fundação Instituto de Administração (Provar/FIA), Claudio Felisoni de Angelo. Os eventos do gênero tendem a se concentrar nesse período, impulsionados pelo crescimento do volume de vendas, de uma maneira geral 48% maior no quarto trimestre, na comparação com o desempenho dos primeiros três meses do ano, calcula o especialista. "A demanda é maior, mas a estrutura do lojista não se dilata com a mesma amplitude", ressalva. Os furtos internos e externos, apontados como as principais causas das perdas do varejo, são favorecidos, no período de Natal, pelo aumento do fluxo de pessoas na loja e pelo maior volume de produtos expostos na área de venda. Há variações, conforme o segmento de atuação (veja algumas delas no quadro ao lado). Em números médios, os furtos internos e externos respondem por 41,18% das perdas totais do varejo, aponta estudo anual do Provar sobre o tema. Prevenção – A prevenção é o melhor caminho. Na Caedu, rede de moda masculina, feminina e infantil, com 35 anos de mercado e 25 lojas em operação acontecem, por semana, até três episódios com potencial de gerar perdas em cada uma das unidades. "A nossa vivência nos mostra que no Natal esse número é três vezes maior", conta o gerente de auditoria e prevenção de perdas, Carlos Landi. Antes da criação, há cinco meses, do departamento de prevenção, a empresa desconhecia esses detalhes, explica o executivo. "O que não havia

Fotos: Vivi Andreani/LUZ

era uma gestão para medir resultados. Os equipamentos ajudavam a inibir os furtos, mas não se conheciam as perdas", afirma Landi. "A instalação da tecnologia pode ser feita rapidamente, mas a montagem de um departamento de prevenção de perdas não se faz de um dia para o outro", diz o executivo da Caedu, com a experiência de quem atua há 13 anos na área. Ele ensina que o processo requer, além de equipamentos, conhecimentos sobre a região e a clientela; definição de procedimentos (onde e por quem será feita a etiquetagem de segurança nos produtos, por exemplo); estudo das áreas de maior risco no ponto de venda (para instalação de câmaras); tipos de abordagem, no caso de situações potenciais de furto; e treinamento da equipe (vendedores, fiscais, seguranças), entre outras providências. "Tudo tem que estar escrito. Quando a gente cria regras, é o processo que acaba denunciando as fraudes, na hora da

Uma loja de shopping center com porta de até 1,8 metro pode gastar entre R$ 2 mil e R$ 20 mil com a antena para a entrada do estabelecimento

A montagem de um departamento de prevenção de perdas não se faz de um dia para o outro CARLOS LANDI, CAEDU auditoria", recomenda. Mundialmente, afirma Landi, os furtos internos são maiores que os externos. Ao comerciante pouco familiarizado com o tema, ele recomenda que não sejam feitas, nesta época do ano, mudanças radicais de procedimentos em função do Natal. "A equipe não conseguirá absorver a tempo". Para quem já tem

equipamentos instalados, é hora de verificar se a manutenção está em dia, alerta. Ele assegura que a Caedu já tomou essas providências e neste momento cuida do treinamento dos funcionários extras, recrutados para suprir as demandas da época. Custos – O diretor de comunicação da operação brasileira da Gateway Security, Luiz Fer-

nando Sambugaro, afirma que atualmente até o pequeno comerciante consegue instalar equipamentos de segurança. Uma loja de shopping center com porta de até 1,8 metro, gastaria entre R$ 2 mil e R$ 20 mil com a antena para o local (variáveis conforme design e tipo de material), além dos custos unitários de etiqueta de proteção entre R$ 0,60 e

R$ 2 (material rígido), e do desativador. Há a possibilidade de locação dos equipamentos necessários, ao custo mensal aproximado de R$ 400, no caso de uma loja. Sambugaro estima que no Brasil 15% dos varejistas façam prevenção de perdas. Nos Estados Unidos, Suíça, Argentina e Uruguai esse percentual varia de 60% a 70%, compara.

Os pecados da gestão

O

professor de pósgraduação em marketing digital da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), Alexandre Marquesi, afirma que o Natal já está acontecendo e o lojista que não pensou sobre ele está perdendo dinheiro. O consumo é mais intenso nas três semanas que antecedem a data, mas as vendas de ocasião (como as de produtos para decoração da casa) já ocorrem, justifica o especialista. Ele alerta que o varejo se depara, no geral, com dois tipos de perdas. Há aquelas que podem ser contabilizadas (como os furtos internos e externos) e as perdas de oportunidades de se efetuar um negócio – por exemplo, pela falta de opções (ou não exposição) de produtos inerentes ao ramo de atividade da empresa. O empresário, nesses casos, além de não faturar, perde a fidelidade do cliente para a concorrência ou deixa de conquistar um consumidor. Em última instância, diminui a participação de mercado. "Se estiver preparado, o lojista poderá estimular o consumidor a antecipar as compras, com promoções, parcerias com lojas

CASA CRUZ

FERRAMENTAS

vizinhas, ou envio de mala-direta para informar a clientela sobre os produtos à venda", sugere o especialista. Nesta época do ano, acrescenta, questões como a seleção de funcionários temporários para o Natal e o abastecimento do ponto de venda já deveriam estar equacionadas. A entrada de funcionários novos na loja, ressalta o professor da ESPM, requer treinamento. O consumidor mal atendido também vai embora. "As câmaras de segurança são cegas para esse tipo de problema", diz. Ele lembra que essas providências exigem conhecimento do perfil da clientela e do fluxo de público que a loja recebe. Além disso, acrescenta, é necessário conhecer a rentabilidade de cada item vendido para fazer valer o esforço que datas como o Natal exigem. Ele estima, com base em clientes que acompanhou como consultor, que a desatenção com detalhes como esse pode resultar em perda de oportunidades da ordem de 20% no volume de vendas de um Natal. Também contribui para isso a desatenção com aspectos básicos relacionadas ao bem-estar de clientes e funcionários. (FL)

DC

Fátima Lourenço

(11) 2215-5422 / 5244 / 5499

www.CASACRUZFERRAMENTAS.com.br vendas@casacruzferramentas.com.br

QUÍMICOS: Marcador Industrial, Pasta Ajuste e Trava Rosca; CORTE: Bedame, Bits, Serra Circular, Fresa, Macho, Broca; MANUAL: Lima, Algarismo/Alfabeto Chapa; ABRASIVOS: Rebolos, Pedras, Discos e MUITO MAIS.

Rua Silva Bueno, 2.719 - Ipiranga

Corneta

No quarto trimestre, o empresário contabiliza crescimento das vendas da Gateway entre 50% e 60%. Além dos lojistas que buscam se prevenir para o Natal, há uma concentração de abertura de negócios no segundo semestre. São necessários pelo menos 15 dias para orçar e fazer a instalação de equipamentos de segurança em uma loja.

Atenção no shopping

O

lojista instalado em centros de compra fechados também está sujeito às perdas, inclusive aquelas provocadas por furtos. "Os índices talvez sejam menores porque o shopping oferece mais inibidores do que as ruas", comenta o diretor de relações institucionais da Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop), Luís Augusto Ildefonso da Silva. O executivo lembra, no entanto, que o aparato oferecido nesses condomínios comerciais não interfere na operação interna dos empreendimentos. "As mesmas recomendações feitas para o varejo em geral também valem para essas lojas", esclarece Silva, referindo-se aos equipamentos e pessoal de segurança contratados. Segundo a percepção do executivo, a preocupação com a questão e a tomada de providências para evitar o problema já melhorou muito entre os lojistas desses centros de compra. Ainda há, no entanto, situações surpreendentes, como a de uma marca de grande porte que observou, depois de iniciar o monitoramento das perdas, que elas representavam 4% do seu resultado líquido. Silva conta que a adoção de ações preventivas, nesse caso, reduziu o índice para 0,37% do resultado líquido. (FL)


sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

ECONOMIA/LEGAIS - 19

O presidente do Banco Central Europeu (BCE), Jean-Claude Trichet, afirmou que a Europa precisará mudar seu tratado no futuro, de modo que as decisões possam ser impostas aos governos da zona do euro

conomia

Premiê grego pede ação decisiva da UE

‘Dia da Raiva’ sem fúria Ação global contra banqueiros e políticos foi tranquila na maioria dos países que aderiram ao movimento

A

ressaca do "Dia da Raiva" global contra banqueiros e políticos foi tranquila ontem, depois de vários protestos pacíficos promovidos no sábado em vários países da Europa e de outros continentes. Cidades do leste da Ásia até a Europa e América do Norte tiveram comícios no sábado, protestando contra o capitalismo, a desigualdade e a crise econômica, mas episódios violentos só ocorreram em Roma. A cidade foi limpa no domingo, um dia depois de manifestantes armados e mascarados do grupo "Black Bloc" incendiarem carros, atirarem pedras e atacarem bancos. "Ontem nós mostramos ao mundo mais uma vez a anomalia da Itália e hoje, novamente, temos de sentir vergonha," disse o jornal La Stampa. O prefeito Gianni Alemanno disse que a capital sofreria o "dano moral" do vandalismo. Milhares de cidadãos também indignados protestaram pacificamente contra o governo da Itália, um país profundamente endividado. Na Bélgica, 7 mil manifestantes desfilaram com cartazes pelas ruas da capital Bruxelas. Dezenas de milhares também fizeram manifestações em Lisboa e Madri, embora em número menor. "As pessoas não querem se envolver. Eles preferem assistir na TV," disse Troy Simmons, de 47 anos, durante o protesto "Occupy Wall Street" em Nova York, que inspirou o movimento mundial. Em Nova York, algumas dezenas foram presas por delitos menores. Outras cidades dos

Sebastien Pirlet/Reuters

O

Manifestantes caminham pacificamente com faixas e cartazes pelas ruas de Bruxelas, Capital da Bélgica

Estados Unidos e do Canadá tiveram manifestações modestas e pacíficas. "Eu vou começar a minha vida adulta em dívida, o que não é justo," disse o estudante de Nathaniel Brown, em Washington. "Milhões de adolescentes de todo o país vão começar o seu futuro com dívidas, enquanto todas essas empresas estão recebendo dinheiro o tempo todo e n��s não recebemos nada", completou. Londres – Cerca de 250 manifestantes montaram acampamento diante da Catedral de São Paulo, próximo ao centro financeiro de Londres, prometendo permanecer no local para mostrar sua revolta com a crise econômica global. O grupo já havia tentado ocupar uma área em frente à Bolsa de Londres, no sábado. Depois de ter o plano frustrado pela polícia, o gru-

Receita libera restituição

A

Receita Federal deposita hoje a restituição do quinto lote do Imposto de Renda Pessoa Física 2011. Também serão pagos os valores referentes aos lotes de 2008, 2009 e 2010 só agora desbloqueados da malha fina. Ao todo serão liberados R$ 2,5 bilhões que vão beneficiar 2.690.743 contribuintes. O quinto lote de restituição do Imposto de Renda 2011 é o maior já liberado pela Receita Federal. Serão creditadas restituições para 2.656.556 contrib u i n t e s , c o m c o r re ç ã o d e 5,93%. Dos contemplados do

lote, 6.221 tiveram prioridade por estar protegidos pelo Estatuto do Idoso. Quanto ao lote residual de 2010, serão creditadas restituições para 24.665 contribuintes, com correção de 16,08 %. Com relação ao lote de 2009, 6.491 pessoas receberão a restituição. Os valores serão corrigidos em 24,54 %. Do lote de 2008, são 3.031 e a correção de 36,61 %. Com o quinto lote de 2011, a Receita Federal praticamente liberou todas as restituições dos contribuintes que enviaram a declaração deste ano dentro do prazo. (AE)

Bancários avaliam proposta

O

s 483 mil bancários de todo o país decidem hoje, em assembleias marcadas para as 18h, se acabam com a greve, que vai completar 21 dias – a mais longa da categoria desde 2004, quando a paralisação durou 30 dias. Na última sexta-feira, os representantes dos trabalhadores e a Federação Nacional dos Bancos (Fenaban) chegaram a um acordo para encerrar o movimento. A proposta prevê ainda reajuste salarial de 9%, que inclui a inflação dos últimos 12 meses até setembro último mais 1,5% de aumento real.

Na reunião de sexta, também foi proposta a valorização do piso com correção de 12%. Com isso, a base salarial passará para R$ 1.400 (aumento real de 4,3%). Ficou acertada ainda uma elevação do percentual para o cálculo da Participação nos Lucros e Resultados (PLR). Segundo a presidente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Juvandia Moreira, além de concordar em não descontar os dias parados, os representantes dos banqueiros assumiram o compromisso informal de ampliar o número de vagas nas agências. (Agência Brasil)

6,86 milhões demissões

O

Ministério do Trabalho informou na últim a t e rç a - f e i r a q u e 41,92 milhões de trabalhadores foram demitidos sem justa causa entre janeiro de 2007 e agosto de 2011. O número representa cerca de 57% de um total de 72,80 milhões de desligamentos ocorridos no período. Apenas neste ano foram 6,86 milhões de demissões sem justa causa. Segundo dados da pasta, no mesmo período, pessoas que foram dispensadas por justa causa somaram 975.281. Para o ministro Carlos Lupi

(Trabalho), os números mostram uma realidade do mercado de trabalho que pode estar ligada à falta de qualificação profissional. "O nível de demissão sem justa causa está muito alto e precisa ser acompanhado de perto", disse. Já as contratações no período somaram 80,60 milhões, sendo 12,80 milhões de trabalhadores em seu primeiro emprego. Em São Paulo, foram 25,62 milhões de admissões em quatro anos e 22,96 milhões de desligamentos – 12,79 milhões sem justa causa e 409.121 por justa causa. (Folhapress)

po montou até 70 barracas diante da catedral. Alguns disseram que iriam ficar lá por tempo indeterminado. "As pessoas estão dizendo basta, queremos uma democracia real, não uma que seja baseada nos interesses de grandes empresas e do sistema bancário," disse a manifestante Jane McIntyre. O ministro das Relações Exteriores britânico, William Hague, disse compreender a revolta. "É verdade que muitas coisas devem ser enfrentadas no mundo ocidental e tem havido muitas dívidas construídas pelos estados e, claramente, no sistema bancário muita coisa saiu errada. "No entanto, o protesto não será a resposta para isso. A resposta será o controle de suas dívidas e déficits pelo governo. ", disse ao canal de TV britânico BBC.

Ásia – A região da Ásia-Pacífico também contou com manifestações, no sábado, embora menos expressivas. Centenas de protestantes se reuniram no Japão e no Sudeste Asiático. Na Cingapura, não ocorreram protestos, apesar da chamada para a marcha no país. Em uma região onde muitos países ainda estão crescendo, as queixas da população tinha pouco a ver com a crise econômica. "Anticapitalismo não é a minha causa, mas o antiautoritarismo é definitivamente a minha causa e, como cidadãos, viemos aqui para defender os nossos direitos", disse o professor Wong Chin Huat, de 38 anos. Em Tóquio, muitos se reuniram para reclamar sobre o vazamento da usina nuclear de Fukushima, sete meses após terremoto e o tsunami. (Reuters)

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: CONCORRÊNCIA A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para execução de Construção de Prédio Escolar em Estrutura Pré-Moldada de Concreto com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador: CONCORRÊNCIA Nº - PRÉDIO - LOCALIZAÇÃO - ÁREA (se houver) - PRAZO - PATRIMÔNIO LÍQUIDO MÍNIMO P/ PARTICIPAR - GARANTIA DE PARTICIPAÇÃO - ABERTURA DA LICITAÇÃO (HORA E DIA) 70/00571/11/01 - Terreno Vila Nova Jaguaré III - Rua Eulo Maroni s/n - Jaguaré - São Paulo-SP - 3.490,98 - 240 R$ 772.033,00 - R$ 77.203,00 - 09:30 - 17/11/2011. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital e o respectivo Caderno de Encargos e Composição do BDI na SEDE DA FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP ou através da Internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Os interessados poderão adquirir o Edital completo através de CD-ROM a partir de 17/10/2011, na SEDE DA FDE, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, mediante pagamento não reembolsável de R$ 50,00 (cinquenta reais). Todas as propostas deverão estar acompanhadas de garantia de participação, a ser apresentada à Supervisão de Licitações da FDE, conforme valor indicado acima. Os invólucros contendo a PROPOSTA COMERCIAL e os DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO deverão ser entregues, juntamente com a Solicitação de Participação, a Declaração de Pleno Atendimento aos Requisitos de Habilitação e a garantia de participação, no Setor de Protocolo da Supervisão de Licitações - SLI, na SEDE DA FDE, até 30 minutos antes da abertura da licitação. Esta Licitação será processada em conformidade com a LEI FEDERAL nº 8.666/93 e suas alterações, e com o disposto nas CONDIÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES DA FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE. As propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

ESTADO DO ESPÍRITO SANTO - PODER JUDICIÁRIO CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM – 2º VARA CÍVEL

Fórum Des. Horta Araújo. Av. Monte Castelo, S/N, Bairro Independência - Cachoeiro de Itapemirim - ES CEP: 29306-550 - Telefone(s): (28) 3526-1839 – Email: 2civel-cachoeiro@tjes.jus.br

EDITAL DE CITAÇÃO PELO PRAZO DE 20 DIAS N° do Processo: 011050183299; Ação: Reparação de Danos; Requerente: VIAÇÃO ITAPEMIRIM S/A; Requerido: José Leonardo dos Santos Souza, Rua Alda, 963, S50 Paulo/SP. MM. Juiz(a) de Direito da Cachoeiro de Itapemirim - 2ª VARA Cível do Estado do Espirito Santo, por nomeação na forma da lei etc. Finalidade: Dar Publicidade a Todos que o Presente Edital Virem que fica(m) devidamente citado(s): Requerido(a): José Leonardo dos Santos Souza, CPF 048.447.758-71, atualmente em lugar incerto e não sabido, de todos os termos da presente ação para, querendo, oferecer contestação. Advertências: a) Prazo: O prazo para contestar a presente ação é de 15 (quinze) dias, a partir do prazo supracitado, b) Revelia: Não sendo contestada a ação, presumir-se-ão aceitos pela parte requerida como verdadeiros os fatos alegados na inicial, salvo no que diz respeito aos direitos indisponíveis. E, para que chegue ao conhecimento de todos, o presente edital vai afixado no lugar de costume deste Fórum e, publicado na forma da lei. Cachoeiro de Itapemirim-ES, 24/02/2011 José Antônio Nazário da Silva - Chefe de Secretaria Aut. pelo Art. 60 do Codigo de Normas

primeiro-ministro da Ragkoussis e pelo ministro da Grécia, Georges Pa- saúde Andreas Loverdos pepandreou, pediu que diu aos membros do Partido a União Europeia (UE) resolva Socialista, conhecido como Paa crise de dívida que golpeia a sok, que deem apoio às mediGrécia e a zona do euro "cole- das de austeridade e ajudem o tivamente e de forma decisi- primeiro-ministro Papanva", segundo entrevista conce- dreou, "que vai negociar uma dida ao jornal grego Proto The- solução final e definitiva para ma. "Chegou a hora de agir co- n o s s o p a í s c o m o p a r t e d a letivamente e decisivamente", União Europeia". O parlamento grego deve afirmou Papandreou. "Estou convencido de que a UE pode e votar as pesadas medidas de o fará, de modo que possamos austeridade para 2011 e 2012 levar com segurança a Grécia e na quinta-feira, um pré-requisito para receber a próxima a Europa para fora da crise." parcela do pacote A Europa prode ajuda de 110 bimeteu aos memlhões de euros bros do G-20 no úlconcedido no ano timo sábado que a Chegou a hora passado Sem a zona do euro aprede agir t r a n c h e d e 8 b isentará um plano coletivamente e lhões de euros. abrangente para decisivamente. Europa - O presolucionar a crise de dívida ainda no Estou convencido sidente do Banco Central Europeu próximo fim de sede que a UE (BCE), Jean-Claumana, na cúpula pode e o fará. de Trichet, afirde líderes da UE, mou ontem que a em Bruxelas. GEORGES PAPANDREO, Antes da cúpuPRIMEIRO-MINISTRO GREGO Europa precisará mudar seu tratado la, o governo grego deve votar no próximo dia no futuro, de modo que as de20 um novo conjunto de medi- cisões possam ser impostas das de austeridade exigido pe- aos governos da zona do euro. O G-20 informou em um cola UE e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI). "Nossa municado, também divulgaluta é garantir que a Grécia não do no fim de semana, após deixe o euro e proteger os inte- uma reunião de dois dias, que resses da esmagadora maioria aguarda um plano abrangendos cidadãos, para a qual seria te prometido pela zona do euuma verdadeira catástrofe se o ro para sanar sua crise de dívipaís declarasse um default", da soberana que já dura dois anos, incluindo uma solução afirmou Papandreou Um artigo publicado ontem para a Grécia, a recapitalizapela ministra da educação An- ção dos bancos e o fortalecina Diamantopoulou, pelo mi- mento do fundo de resgate de nistro de transportes Giannis 440 bilhões de euros. (AE) COMPANHIA DE DESENVOLVIMENTO AGRÍCOLA DE SÃO PAULO-CODASP Ata da 391ª Reunião do Conselho de Administração da Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo-CODASP, realizada no dia 29 de setembro de 2011. No dia 29.09.2011 (vinte e nove do mês de setembro do ano de dois mil e onze), às 10:00 horas, realizouse a 391ª reunião do Conselho de Administração da Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo - CODASP, na sua sede central, situada na Avenida Miguel Estéfano nº 3.900, São PauloCapital. Presentes a Dra. MÔNIKA CARNEIRO MEIRA BERGAMASCHI, Presidente (eleita na reunião do Conselho de Administração de 25.08.2011), e os demais membros, Drs. ANTONIO JULIO JUNQUEIRA DE QUEIROZ, JAIRO DE ALMEIDA MACHADO JUNIOR, TIRSO DE SALLES MEIRELLES, ANTONIO VAGNER PEREIRA, Dra. MARIA DE FÁTIMA ANDRADE SANDOVAL SANTANA (eleitos na Assembleia Geral Ordinária de Acionistas realizada em 27.04.2011), Drs. EVALDO CALIL PEREIRA JARDIM e JAIR MORETTI (eleitos na reunião do Conselho de Administração realizada em 26.05.2011 às 10:00 horas), todos empossados nas datas das respectivas eleições. Deu-se início à reunião para exame e discussão sobre a matéria constante da pauta.- ELEIÇÃO DE DIRETOR DE OPERAÇÕES DA CODASP.- A Sra. Presidente informou aos demais Srs. Membros: a) que recebeu do Conselho de Defesa dos Capitais do Estado - CODEC, da Secretaria da Fazenda do Estado, o OFÍCIO Nº 396/2011 GS-CODEC, de 12.09.2011, a ela dirigido na qualidade de Presidente do Conselho de Administração da CODASP, encaminhando o PARECER CODEC Nº 195/2011, da mesma data, versando sobre a eleição de membro para compor a Diretoria da CODASP; b) que no mesmo Parecer, aquele Órgão informou que a indicação havida contou com a competente autorização governamental, nos termos do OFÍCIO ATG Nº 391/11-CC, podendo ser formalizada por ato do Conselho de Administração, nos termos do Estatuto Social da Companhia e do inciso II, do artigo 142, da Lei Federal 6.404/76 (Lei de S/A); c) que dessa forma, fica o Conselho de Administração autorizado a eleger o Senhor WEBER CILONI, engenheiro civil, portador da cédula de identidade nº 7.837.463, para o cargo de Diretor de Operações da CODASP, em substituição a Luiz Gonzaga de Godoy e Vasconcelos. Por oportuno, foi lembrado ao Colegiado o que dispõe a respeito o Estatuto Social da Companhia: “Artigo 14 – Além das atribuições previstas em lei, compete ainda ao Conselho de Administração: I ...; ...; XVIII ... .”, e que nesse sentido, remetendo-se a situação presente para o preceituado na Lei Federal nº 6.404/1976 e suas alterações (Lei das Sociedades por Ações), tem-se que: “Artigo 142 – Compete ao Conselho de Administração: I - ...; II – eleger e destituir os diretores da Companhia e fixar-lhes as atribuições, observado o que a respeito dispuser o estatuto.”. FEITA ESSA EXPOSIÇÃO, o Sr. Presidente submeteu a matéria a exame, colocando o Parecer e o expediente em referência à disposição. DELIBERAÇÕES DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO: o assunto foi examinado. Após discussão, considerando tudo quanto exposto; considerando a indicação havida, que mereceu aprovação governamental; considerando o teor do Parecer CODEC nº 195/2011; considerando, por fim, tratar-se de atribuição deste Colegiado, consoante disposto no Estatuto Social e na Lei Federal nº 6.404/1976 e suas alterações, o Conselho de Administração DECIDE ELEGER: para exercer as funções de Diretor de Operações, o Dr. WEBER CILONI, brasileiro, separado, engenheiro civil, carteira de identidade RG nº 7.837.463/SSP-SP, CPF/MF nº 019.993.108-96, residente e domiciliado na Av. Espanha nº 60, ap. 122, Centro, Araraquara-SP, em substituição ao Eng. Agr. Luiz Gonzaga de Godoy e Vasconcelos, ficando este último destituído do cargo. DELIBERA, ainda, o Conselho, em consonância com as determinações trazidas no já referido Parecer CODEC nº 195/2011: a) que, nos termos do Estatuto Social da Companhia, o Diretor ora eleito cumprirá mandato complementar, coincidindo com o do Diretor Presidente, devendo expirar por ocasião da Assembleia Geral Ordinária que se destinar à aprovação das contas anuais do exercício de 2012 (isto é, em 2013), considerando que o mandato da atual Diretoria, unificado de 2 (dois) anos (nos termos do artigo 15 do Estatuto Social), teve início em 27/04/2011, data da eleição do Diretor Presidente, conforme a respectiva ata; b) que a investidura no cargo deverá obedecer aos requisitos, impedimentos e procedimentos previstos na Lei das Sociedades Anônimas e demais disposições normativas vigentes, inclusive no que se refere à entrega da declaração de bens, para a qual deverá ser observada a normatização estadual aplicável; c) que sua remuneração será fixada de acordo com as orientações do CODEC, fazendo jus, ainda, ao prêmio eventual, conforme disposto no Parecer CODEC nº 150/2005; d) que, por importante, conforme ressaltado no mesmo Parecer CODEC Nº 195/2011, nos casos em que o Diretor acumular funções de outro Diretor, perceberá apenas uma remuneração. O Diretor de Operações ora eleito, Dr. Weber Ciloni, declarou não estar incurso em nenhum dos crimes previstos em lei que o impeçam de exercer a administração da Empresa, nos termos do artigo 1.011, parágrafo 1º, do Código Civil.- Nada mais havendo a ser tratado, foi franqueada a palavra. Como ninguém mais quis fazer uso dela, o Sr. Presidente encerrou a reunião, da qual, para constar, foi lavrada a presente ata, sendo a mesma assinada pelos Srs. Conselheiros presentes.- São Paulo, 29 de setembro de 2.011. a) Mônika Carneiro Meira Bergamaschi, Antonio Julio Junqueira de Queiroz, Jairo de Almeida Machado Junior, Tirso de Salles Meirelles, Antonio Vagner Pereira, Maria de Fátima Andrade Sandoval Santana, Evaldo Calil Pereira Jardim, Jair Moretti. Certifico que a presente á cópia fiel da ata lavrada em livro próprio. a) Diógenes Madeu - Assessoria Jurídica-Advogado-OAB/SP 128.467. SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA - JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO - CERTIFICO O REGISTRO SOB O NÚMERO 405.255/11-1, EM 07.10.11 a) KÁTIA REGINA BUENO DE GODOY-SECRETÁRIA GERAL.

COOPERATIVA DOS PROFISSIONAIS EM ADMINISTRAÇÃO DE COOPERATIVAS COLIGADAS - COOPCO CNPJ 07.221.416/0001-89 – NIRE 35400079355 EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA A COOPERATIVA DOS PROFISSIONAIS EM ADMINISTRAÇÃO DE COOPERATIVAS COLIGADAS - COOPCO convoca os seus 26 (vinte e seis) associados para comparecerem à ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA, que será realizada na Rua Dr. Isaias Salomão, nº 91, Bairro Saúde, na cidade de São Paulo às 10:00 horas do dia 28 de outubro de 2011. Serão deliberados os assuntos da Assembleia Geral Ordinária em primeira convocação, às 08:00 horas, com 2/3 (dois terços) dos seus associados; em 2ª convocação às 09:00 horas, com metade mais um dos seus associados, ou em terceira convocação, às 10:00 horas, com o mínimo de 10 associados, para tratar da seguinte ordem do dia: a) Prestação de contas do órgão de administração, compreendendo Balanço Geral do exercício de 2010, das Contas de Sobras e Perdas, Parecer do Conselho Fiscal e do Relatório da Diretoria, documentos esses que estão à disposição dos associados, em sua sede social; b) Destinação das sobras apuradas no exercício (ou rateio das perdas; c) Eleição de membros da Diretoria para o preenchimento de cargos vagos; d) Eleição anual de membros do Conselho Fiscal. São Paulo, 17 de Outubro de 2011. Luiz Carlos da Silva- Diretor.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO - ETE torna público que recebeu da CETESB a Licença de Operação nº 58000036, válida até 29/03/2016, para Estação de Tratamento de esgotos; à ESTRADA MUNICIPAL CTH-040 (PROLONG. R. URANO), S/N, KM 1,5, ZONA RURAL, CASTILHO.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 14 de outubro de 2011, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: IOL Implantes Ltda. Requerido: Health System Implantes Ortopédicos Ltda. Alameda dos Ubiatans, 8 – Planalto Paulista - 2ª Vara de Falências.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: PREGÃO ELETRÔNICO DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 36/00766/11/05 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA AQUISIÇÃO DE CONSUMÍVEIS ATRAVÉS DA REDE DE SUPRIMENTOS PARA AS ESCOLAS DA CEI - POLO 6 - DIRETORIAS DE ENSINO: MIRACATU, REGISTRO, SANTOS E SÃO VICENTE A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Registro de Preços para aquisição de consumíveis, através da rede de suprimentos para as escolas da CEI - POLO 6 - Diretorias de Ensino: Miracatu, Registro, Santos e São Vicente. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 17/10/2011, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet, no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 31/10/2011, às 09:00 horas e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer rigorosamente ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 17/10/2011, até o momento anterior ao início da sessão pública. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP PROCESSO LICITATÓRIO Nº 73/11 - PREGÃO Nº 33/11

Acha-se aberto, na Prefeitura do Município de Castilho, o Processo Licitatório 73/11, na modalidade de Pregão 33/11, na forma presencial, para aquisição de balança, forno industrial e mesa em aço inox, para panificadora comunitária, destinados a atender o objeto do Convênio FUSSESP nº 363/2010. Data: 28 de outubro de 2011, às 09 horas. O edital, na íntegra, encontra-se à disposição dos interessados na Praça da Matriz, 247, Castilho. Informações complementares serão fornecidas pelo telefone (18) 3741-9000, ramal 9034 e pelo e-mail: licitacaocastilho@gmail.com.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

O prestador de serviços não pode dispor – vender, doar ou descartar – de produto deixado pelo consumidor nas oficinas Procon-SP

conomia

Cerca de 20 milhões de produtos foram abandonados por consumidores nas oficinas

Assistências técnicas de mãos atadas

C

omo proceder com os equi- mas subentendido entre fornecedor e cional de Resíduos Sólidos. A lei determina que o lixo sólido deve ter uma pamentos abandonados consumidor. Outros especialistas em defesa do con- destinação final ambientalmente adenas oficinas de reparos é um dos dilemas das assistên- sumidor ouvidos dizem que ninguém quada, incluindo "a reutilização, a recicias técnicas. Não é para menos. A As- perde o direito sobre um bem em razão clagem, a compostagem, a recuperação sociação Brasileira das Entidades Re- de negligência, esquecimento ou atraso e o aproveitamento energético ou oupresentativas de Empresa de Serviço na retirada. Ou seja, não há motivação le- tras destinações admitidas pelos órAutorizado (Abrasa) calcula que em gal para caracterizar "abandono", que só gãos competentes... de modo a evitar todo o País cada uma das cerca de 20 pode ser qualificado com a expressa von- danos ou riscos à saúde pública e à semil oficinas acumulam uma média de tade do dono do objeto. Nunca por pre- gurança e a minimizar os impactos ambientais adversos". 1 mil produtos que foram "esqueci- sunção ou esquecimento. Direitos – A situação muda se hou"A Promotoria do Meio Ambiente já dos" pelos consumidores. "Isso representa mais de 20 milhões de itens, obri- ver autorização judicial. Essa é outra se posicionou que é crime ambiental gando as empresas de assistência téc- orientação inserida nas páginas do abandonar aparelho no meio da rua ou nica a manter espaços para estocar o Procon-SP. Para tanto, as oficinas de- mesmo mandar para os lixões. Estaque o consumidor não quer mais ou vem recorrer ao Poder Judiciário plei- mos estudando com os grandes fabriabandonou", informa Bruno Poletti/LUZ Norberto Mensório, presidente da entidade. Ele próprio mantém um galpão de 120 metros quadros onde estão cerca de 5 mil produtos não retirados nos 22 anos de sua empresa. A lógica seria o descarte desses equipamentos depois de um determinado período, mas isso não é possível porque a legislação não permite. O Código Penal, no artigo 168, define "a apropriação indébita como o apossamento de coisa alheia móvel de que se tenha a posse indireta em razão de Norberto Mensório em seu galpão que armazena aproximadamente 5 mil produtos abandonados uma relação de confiança". É essa uma das explicações que o Procon-SP es- teando "os direitos totais sobre o bem. cantes como será feito o recolhimento creve em seu site na página "Fornece- Só o juiz pode dar aos prestadores de desses itens nas oficinas", salienta dor" aos empresários do ramo que serviço que provarem que o bem foi Norberto Mensório. Mas isso só será questionaram a entidade sobre os pro- abandonado o direito de vender ou possível se a Abrasa conseguir no cedimentos com relação a esses itens. doar". "Só que para cada produto não campo Legislativo as alterações que A orientação do órgão é clara ao men- retirado temos de abrir uma ação judi- pleiteia na interpretação da lei para cionar que "o prestador de serviços não cial, o que é inviável pelo custo", pon- que os prestadores de serviços possam pode dispor – vender, doar ou descartar tua Mensório, da Abrasa. Ele acrescen- dispor dos itens "esquecidos" ou aban– de produto deixado pelo consumidor ta que é menos oneroso armazenar do donados pelos consumidores após senas oficinas". Se assim proceder poderá que recorrer à Justiça. rem enviados para reparos. "Hoje soser responsabilizado criminalmente Descarte – Por outro lado, mesmo mos considerados fiéis depositários por apropriação indébita. Isso porque, havendo permissão judicial para que pelos Códigos de Defesa do Consumientendem, há um contrato implícito de se descartem os itens que já estão obso- dor, Civil e Penal. Queremos uma noguarda entre o consumidor e a assistên- letos, os prestadores de serviços esbar- va legislação que convirja para uma cia técnica sobre o item entregue para re- r a m e m o u t r a n o r m a l e g a l : a L e i solução menos custosa para as empreparo. Esse contrato tático não é claro, 12.305/2010, que criou a Política Na- sas", finaliza o presidente da Abrasa.

O QUE DIZ O CDC

U

ma solução que pode ser utilizada pelas oficinas é estabelecer, por escrito, as responsabilidades e deveres do consumidor e da oficina quando um produto é entregue ao prestador de serviço. Fábio Korenblum, sócio do Escritório Siqueira Castro Advogados, orienta que esse "contrato" deve ser estabelecido quando do pedido de orçamento. "Nele precisa conter expressamente a informação sobre o prazo do orçamento, o prazo de retirada, o que será feito com o produto se não for retirado. Tudo seguindo o que determina os artigos 6 e 30 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), ou seja, a informação deve ser clara e objetiva e com destaque para as cláusulas restritivas (parágrafo 3º, artigo 54)." Tendo seguido todos esses procedimentos e, mesmo assim, o consumidor abandonado o item na oficina, o advogado recomenda que se envie uma carta, que pode ser com Aviso de Recebimento ou telegrama, ao consumidor dando um prazo para retirar o item. Deve haver a menção de que se o prazo não for cumprido, a oficina procederá conforme está determinado no termo assinado pelo consumidor. "É indispensável que o fornecedor do serviço tenha também registrado os dados pessoais do consumidor, como nome completo, endereço e telefone para que possa 'cobrar' dele a retirada do produto." O advogado salienta que as partes têm livre direito de convencionar o que quer que seja e os prestadores de serviços não estão sem saída no caso de abandono de produtos. "Que fique claro que na atividade empresarial não existe 100% de certezas. Mesmo todo documentado, o consumidor po-

de entrar com uma reclamação contra a empresa caso ela faça algo com o equipamento não retirado. Até porque, pela cultura nacional há um protecionismo exacerbado ao consumidor. Até considero correto o estabelecimento de algumas determinações que protegem o consumidor, como a inversão do ônus da prova para assuntos técnicos, mas o consumidor também tem de ser responsabilizado pelos seus atos." Para o Procon-SP, conforme o seu site, "mesmo que seja determinado prazo para que o consumidor retire o produto deixado para conserto ou orçamento e que haja informação prévia sobre o procedimento, não poderá o fornecedor colocar à venda o produto, visto que o fornecedor ou a assistência técnica têm apenas a posse precária do produto, e não sua propriedade". Entretanto, o órgão afirma que "o fornecedor deve acordar com seu cliente um prazo limite para a retirada do produto podendo, a partir desta data, cobrar um valor referente à guarda do bem". Essa cobrança é justificada em razão da manutenção de espaço pelo fornecedor e pelo fato de a obrigação ter sido descumprida pelo consumidor. Mas o valor deve estar limitado ao da prestação de serviço realizada.

E R R ATA Na coluna de 10/10/2011, com o título "Procons estão mais atuantes", está escrito que Ana Paula Moraes Satcheki é diretora do Procon de São Caetano. Na verdade, é diretora do Procon de Santo André. E foi o Procon de Santo André que "já multou mais empresas neste ano do que a soma dos 21 anos de existência do órgão", e não o de São Caetano.

Legislação proíbe cobrança por produto não solicitado

T

oda empresa que entregar ao consumidor produto ou serviço que não foi por ele solicitado não pode depois cobrar, conforme o artigo 39, III, do Código de Defesa do Consumidor. Assim também entendeu a 1ª Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça de Santa Catarina ao confirmar a sentença da comarca de Blumenau, que condenou uma editora a pagar a título de danos morais indenização de 10 sa-

lários-mínimos a uma consumidora. Na ação, a consumidora alegou que, em maio de 2003, foi abordada por vendedores da editora na universidade em que estudava, os quais lhe entregaram um "brinde" após comprovar que tinha cartão de crédito. No mês seguinte, ela verificou o lançamento na fatura do cartão no valor de R$ 44,70, em nome da editora.

Na apelação após condenação em Primeira Instância, a empresa sustentou que a consumidora não comprovou o dano moral e que, se a indenização fosse mantida, deveria ser minorada. Para o desembargador Carlos Prudêncio, a editora não comprovou a assinatura por parte da consumidora, nem mesmo seu desejo de assinar qualquer revista.

"Verificam-se os danos morais indenizáveis, tendo em vista que eles derivam da própria conduta ilícita da empresa ao oferecer 'brinde' mediante apresentação de cartão de crédito, formulando contrato unilateral de assinatura de revista e efetuando cobrança indevida de serviço não contratado". A decisão foi unânime. Fonte Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC)

Fique por dentro

Projeto de lei impõe limite para lançamento de dívida

P

assou pela Comissão de Defesa do Consumidor o Projeto de Lei 786/11, do deputado Andre Moura (PSC-SE), que estabelece que o prazo de prescrição relativo à cobrança de dívida do consumidor tem início na sua data de vencimento. O projeto proíbe qualquer atualização dessa data. O texto ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania. Pelo Código de Defesa do Consu-

midor é proibida a manutenção do registro negativo do consumidor nos serviços de proteção ao crédito de qualquer dívida por mais de cinco anos. No entanto, destaca o autor da proposta, a lei consumerista "não especifica de maneira clara se a contagem do prazo de prescrição começa a valer na data de vencimento do débito ou na data em que ele é registrado nos serviços de proteção ao crédito".

Para o relator do projeto, deputado Deley (PSC-RJ), "alguns fornecedores têm registrado mensalmente o lançamento de juros sobre o valor devido, como forma de renovar a data de inscrição da dívida e, assim, eternizar a negativação do consumidor, impedindo a prescriç��o de sua negativação no cadastro de proteção ao crédito". Segundo ele, "essa prática afronta a Constituição, uma vez que resulta em perpetuação da pe-

DC DC

Artigo 6º III – a informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade e preço, bem como sobre os riscos que apresentem; Artigo 30 Toda informação ou publicidade, suficientemente precisa, veiculada por qualquer forma ou meio de comunicação com relação a produtos e serviços oferecidos ou apresentados, obriga o fornecedor que a fizer veicular ou dela se utilizar e integra o contrato que vier a ser celebrado. Artigo 54 § 3° Os contratos de adesão escritos serão redigidos em termos claros e com caracteres ostensivos e legíveis, cujo tamanho da fonte não será inferior ao corpo 12, de modo a facilitar sua compreensão pelo consumidor. (Redação dada pela nº 11.785, de 2008) § 4° As cláusulas que implicarem limitação de direito do consumidor deverão ser redigidas com destaque, permitindo sua imediata e fácil compreensão.

Há saídas para prestadores de serviços

Locação - Vendas - Administração Tel.: (11) 3744-5500

Rua Ministro Heitor Bastos Tigre, 81 - Morumbi – 05634-060 - São Paulo www.lavieriimoveis.com.br

Creci 55.948

nalidade imposta ao consumidor". De acordo com o texto do projeto, o novo prazo passará a valer independentemente da data de inscrição da dívida nos serviços de proteção ao crédito. Fonte: Agência Câmara Angela Crespo é jornalista especializada em consumo. E-mail: doislados@dcomercio.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

e

21

sporte

A

vitória de ontem sobre o Cruzeiro por 1 a 0, em Sete Lagoas, gol de Paulinho aos 19 minutos do segundo tempo, serviu para o Corinthians se manter em primeiro lugar no Campeonato Brasileiro. Pelo menos até quarta-feira, quando o Botafogo, atualmente em terceiro e com dois pontos a menos, enfrenta o Santos na Vila Belmiro com possibilidades de tomar a liderança (leia mais ao lado). O resultado na Arena do Jacaré serviu também para aprofundar a crise do time mineiro, cada vez mais próximo da zona de rebaixamento. Sem Emerson, com dores musculares, Jorge Henrique, suspenso, e Adriano, poupado para melhorar a forma física, o técnico Tite contou com o retorno do atacante Liedson, que não atuava havia quatro partidas por causa de dores no joelho esquerdo. O Cruzeiro teve a chance de empatar quando o árbitro capixaba Pablo dos Santos Alves marcou pênalti de Edenílson em Élber. Montillo, porém, bateu por cima do gol, desperdiçando a oportunidade aos 34 minutos do segundo tempo. Mais que a vitória, o que deixou animado o técnico Tite foi a segurança tática que sua equipe apresentou. “A bola não queimou no pé. Tem que ter personalidade para jogar diante da torcida adversária e a bola não queimar”, afirmou. “Construímos as melhores oportunidades. No primeiro tempo já poderíamos ter aberto o placar com o Paulo André. O Júlio César só trabalhou no segundo tempo.” A forma como o Corinthians venceu também ameniza a preocupação do treinador para a reta final do Brasileirão. “Temos que pensar a cada jogo. Faltam oito rodadas e temos que repetir o desempenho. Hoje (domingo), repetimos o desempenho do segundo tempo contra o Botafogo. É isso que eu quero. Temos que construir o resultado. Não dá para ganhar de qualquer jeito, tem que saber jogar pressionado.” Tite só não se conformou com a penalidade marcada para o Cruzeiro, em lance muito parecido com o polêmico pênalti marcado no ex-atacante Ronaldo em jogo entre Corinthians e Cruzeiro no Brasileirão do ano passado. Tanto que acabou expulso.

Satiro Sodré/Folhapress

Pedro Vilela/AE

PÓDIO NO PAN O Brasil perde Jaqueline (foto) e Jade, mas ganha cinco ouros e fecha o domingo em segundo lugar. Páginas 23 e 24.

LÍDER...

Vitória por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, gol de Paulinho, mantém o Corinthians em primeiro. Com dois pontos a menos, Botafogo é 3º e no meio da semana faz jogo atrasado com o Santos

...pelo menos até quarta O

Campeonato Brasileiro não tem rodada marcada para o meio desta semana. Mesmo assim, poderá ter um novo líder. Tudo porque na quarta-feira, na Vila Belmiro, Santos e Botafogo fazem um jogo atrasado da 21ª rodada. Em caso de vitória, a equipe carioca, atualmente em terceiro lugar, tomará o primeiro lugar do Corinthians. Para este jogo, o Santos, que ontem foi derrotado pelo Grêmio pela primeira vez em toda a história do Campeonato Brasileiro na Vila, deverá ter de volta Neymar, seu principal jogador, que não enfrentou o Grêmio por ter sido expulso na quinta-feira, na derrota por 2 a 1 para o Atlético-MG, em Sete Lagoas. Após a derrota para o Grêmio, o zagueiro Edu Dracena reconheceu que o Santos não vem jogando bem no Brasileirão. “Temos de reconhecer que o time não está jogando bem. Temos que melhorar e podemos melhorar bastante”, afirmou o capitão santista em entrevista à rádio Estadão/ESPN. Com o resultado de domingo, o Santos segue com 38 pontos e chega a duas derrotas consecutivas no Brasileirão.

Apesar de já não ter mais grandes pretensões no campeonato, ainda precisa afastar qualquer risco de rebaixamento. Para o meia Ibson, a equipe se comportou bem no jogo de domingo, mas faltou marcar o gol. “Agora é colocar a cabeça no lugar e trabalhar porque temos um jogo importante na quarta”, disse o jogador, referindo-se justamente à partida contra o Botafogo. Ibson também disse que as vaias da torcida santista no momento em que ele foi substituído ocorreram apenas porque o time não está vencendo. “Faz parte quando a gente não ganha, acontece. Mas não adianta lamentar. É por a cabeça no lugar e trabalhar”, afirmou o meia, que ainda busca conquistar a confiança do torcedor do Santos. Já o técnico Muricy Ramalho não esconde que a preocupação maior é somar os pontos para não correr mais riscos de rebaixamento. “Pelas contas dos matemáticos, com 45 ou 46 pontos dá para se livrar. Importante é conseguir logo (essa pontuação), para começarmos a treinar o time para o Mundial”, afirmou o comandante santista.

Já o Botafogo vem embalado pela boa vitória de 2 a 0 sobre o Atlético Paranaense, também no domingo, no Engenhão, a segunda seguida neste Brasileiro. Com isso, o time carioca alcançou os 52 pontos, apenas dois atrás do líder Corinthians, e joga por uma vitória para assumir a primeira colocação. O principal desfalque diante do Santos será o volante Renato, que, aos 34 anos, cumprirá uma suspensão automática pela primeira vez na carreira. O atleta nunca havia recebido três cartões amarelos no Brasileirão e ficará de fora justamente no duelo contra o último time pelo qual atuou no Brasil antes de se transferir para a Espanha. Seu substituto deve ser o meia Bruno Tiago, como adiantou o técnico Caio Júnior. “Em relação à partida, não podemos ver como decisão, é um crédito”, procurou despistar o treinador botafoguense. “Estamos em cima, com possibilidade de título e liderança, mas não podemos colocar esta carga. É normal o Santos jogar para buscar a vitória, independentemente de ter o Mundial para disputar.”


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

e

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

A bola comigo não está entrando.” Adílson Batista

sporte

Adalberto Marques/Folhapress

TROPEÇO FATAL O

técnico Adílson Batista não resistiu a mais um fraco aproveitamento à frente de um time paulista: foi demitido ontem, após a derrota do São Paulo para o AtléticoGO por 3 a 0, no Estádio Serra Dourada, em Goiânia. O treinador são-paulino acabou caindo ao somar o sexto jogo seguido sem vitória. Com a derrota, o São Paulo caiu para o sexto lugar, com 48 pontos, e pela primeira vez neste Brasileiro está fora da zona de classificação para a Libertadores. Já o Atlético-GO, que vem fazendo boa campanha no segundo turno, soma agora 42 pontos, na 10ª colocação. Após passagens curtas e frustradas por Corinthians e Santos, Adílson teve de lidar com a reprovação dos torcedores desde o início do trabalho no São Paulo. Eles o vaiaram desde a estreia, contra o mesmo Atlético-GO (2 a 2, no Morumbi). Acabou não resistindo à pressão. “Ele fez um trabalho que, infelizmente, não trouxe resultados, mas o time esteve comprometido. Achamos que uma chacoalhada agora vai ser benéfica para o clube”, disse o diretor de futebol Adalberto Batista, que confirmou o auxiliar Milton Cruz como interino até a chegada de um novo treinador. Depois de se segurar na defesa, o São Paulo assumiu o controle do meio-de-campo e passou a ditar o ritmo da partida. Chegou a registrar 65% de posse de bola. Com maior volume de jogo, conseguiu levar mais perigo ao gol atleticano. O domínio, contudo, não se concretizava em vantagem no placar. Dagoberto, aos 12 minutos, e Rogério Ceni, em co-

Ed Ferreira/AE

COPASUL-AMERICANA

São Paulo volta a campo na quarta

J

á sem o técnico Adílson Batista, o São Paulo volta a campo na quarta-feira, para enfrentar o Libertad, do Paraguai, no Morumbi, no jogo de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana. No mesmo dia e horário (21h50), o Flamengo recebe o Universidad de Chile, no Engenhão. O jogo de volta, em Assunção, está marcado para a terça-feira da próxima semana, dia 25. PELO MUNDO

Inter leva virada e afunda na crise Derrota por 3 a 0 para o Atlético-GO custa o emprego de Adílson Batista. São Paulo de Lucas deixa a zona de classificação para a Libertadores

brança de falta aos 21, desperdiçaram boas oportunidades de gol para o São Paulo. Mais efetivo no ataque, o AtléticoGO abriu o placar aos 25 minutos, em uma cabeçada do zagueiro Gílson. O São Paulo não se abalou e esboçou pressão sobre a defesa atleticana. Sem sucesso. Na melhor chance de chegar ao empate, aos 32 minutos, o ataque são-paulino acertou três bolas na trave em incrível baterebate dentro da área. Dagoberto, aos 34, e Luís Fabiano, aos 44, perderam outras chances. No segundo tempo, o Atlético ampliou, aos 14 minutos, com Felipe, aproveitando o re-

bote de um chute na trave. Dez minutos depois, Xandão colocou a mão na bola dentro da área e o árbitro assinalou pênalti. Anselmo bateu firme no canto esquerdo e selou a vitória do Atlético-GO por 3 a 0. No vestiário, a demissão do técnico Adílson Batista foi anunciada pelo diretor de futebol Adalberto Baptista com as seguintes palavras: “O Adílson não é mais técnico do São Paulo na sequência da temporada. A partida contra o Atlético-GO era de suma importância e tivemos um resultado adverso. O trabalho se encerra no dia de hoje.” Em um pronunciamento

após a partida, ainda no vestiário do Serra Dourada, Adílson Batista se despediu pedindo desculpas ao torcedor sãopaulino. “Futebol é resultado. Infelizmente, o nosso segundo turno não tem sido dos melhores”, admitiu o treinador. “A bola comigo não está entrando. Peço desculpas ao torcedor são-paulino. Eu entendo a revolta deles”, afirmou Adílson Batista, que também aproveitou o rápido pronunciamento para agradecer ao clube. “Gostaria de agradecer ao São Paulo pela oportunidade. Me dediquei ao máximo, mas infelizmente não foi possível.” Foi a sexta partida seguida

sem vitória. Mesmo assim, os jogadores tiraram a responsabilidade de Adílson. “É injusto culpar o Adilson”, disse Luis Fabiano. “Sinceramente, quem tem culpa são os jogadores que vão a campo e estão tentando produzir, mas não estamos conseguindo. Não adianta querer jogar tudo nas costas do treinador.” Rogério Ceni seguiu a mesma linha de raciocínio: “O Adilson faz o que ele pode, mexe, orienta. Agora, não é ele quem entra em campo. Tivemos chances, mandamos bola na trave, criamos, mas não marcamos. Depois, erramos muito, mas não adianta culpar o Adílson.”

Tão perto e tão longe Piervi Fonseca/AE

F

Com mais dois gols de Fred, Flu vence e já é o 5º. Palmeiras cai para 12º

SÉRIE B

A

gal) e o atacante Kleber. Resultado: a boa vitória fora de casa, além de manter o Fluminense na luta pelo bicampeonato do Brasileirão, já o coloca em quinto lugar, dentro da zona de classificação para a Libertadores. Do outro lado, agravou a crise do Palmeiras. A equipe, além de despencar para o 12º lugar, perdeu a invencibilidade no Canindé neste campeonato - até então, eram cinco vitórias e três empates. Aos 10 minutos, Fred cabeceou para fazer 1 a 0.No segundo tempo, o Palmeiras chegou

mente definido já na próxima rodada. Penúltimo colocado, o Salgueiro perdeu para o Criciúma, em Santa Catarina (3 a 0), também na sexta. Ocupam, ainda, a zona de rebaixamento: o Vila Nova, que no sábado perdeu mais uma, em casa, para o Paraná, por 1 a 0; e o Icasa, após a derrota de sábado, em Juazeiro do Norte (CE), por 1 a 0, para o Grêmio Barueri. A rodada começou na terçafeira, com o empate entre a líder Portuguesa e o Boa, por 1 a 1, no Canindé. Na sexta, Sport e Bragantino empataram (1 a 1), no Recife. Completaram a rodada no sábado: ASA 0 x 0 São Caetano e Vitória 3 x 2 Goiás. Amanhã tem rodada completa, com Náutico x Vila Nova, Guarani x ASA, Salgueiro x Sport, Icasa x Duque de Caxias, ABC x Boa, Bragantino x Ponte Preta, Goiás x Americana, Paraná Clube x Criciúma, Grêmio Barueri x São Caetano e Portuguesa x Vitória.

 O Santa Cruz está

Inter de Milão escreveu mais um capítulo de sua crise neste início de temporada: foi derrotada por 2 a 1 pelo Cagliari, no sábado, de virada, e terminou a sexta rodada do Campeonato Italiano na 17ª posição, apenas uma acima da zona do rebaixamento - só não está lá porque tem saldo negativo de 5 gols, contra -6 do Bologna. O Milan, que também não faz uma campanha das melhores, chegou a 8 pontos e escapou um pouco da pressão, depois de vencer o Palermo por 3 a 0, um dos gols marcados por Robinho, que voltou ao time depois de se recuperar de contusão. Lá em cima, a liderança é dividida por Juventus e Udinese, ambos com 12 pontos após empates sem gols contra Chievo e Atalanta, respectivamente. A Lazio venceu a Roma por 2 a 1, com um gol de Hernanes, e tem 11 pontos.

City se isola na ponta do Inglês a empatar com Valdivia, cobrando pênalti. Mas o Fluminense teve forças para buscar a vitória. Já aos 40, o argentino Martinuccio cruzou para Fred marcar 2 a 1. “Não sei como é que pode a bola cruzar à frente do gol do Diego Cavalieri e ninguém colocar ela para dentro”, reclamou Valdivia. “Aí fica difícil, perdemos muitas oportunidades.” Está marcada para amanhã uma reunião da diretoria do clube com Scolari. Ele deve reiterar que não deseja mais contar com Kleber no elenco.

PELO BRASIL

Ponte Preta também fica mais perto do acesso lém da líder Portuguesa, a Ponte Preta também está bem perto de garantir sua volta à Série A em 2012. Com a vitória por 3 a 0 sobre o Guarani no Derby Campineiro disputado no sábado, no Estádio Brinco de Ouro, a equipe não só diminuiu a distância que a separa da Lusa, de dez para oito pontos, como está, atualmente, a seis pontos do Boa, a primeira equipe fora da zona de acesso. Americana e Náutico, que na terça-feira empataram por 0 a 0, em Americana, ocupam a terceira e a quarta posições com o mesmo número de pontos (50). Tão emocionante quanto a briga pelo acesso está a definição dos quatro times que cairão para a disputa da Série C no ano que vem. Último colocado com apenas 15 pontos, o Duque de Caxias, na sexta-feira, conseguiu derrotar o ABC jogando em Volta Redonda (RJ): 1 a 0. No entanto, pode ter seu rebaixamento matematica-

oi uma semana completamente oposta para Fluminense e Palmeiras. O tricolor carioca viu seu artilheiro Fred marcar os três gols da vitória sobre o Coritiba, no meio da semana, e mais dois ontem, na vitória por 2 a 1 sobre o próprio Alviverde, no Canindé. Já o clube paulista teve de conviver com agressões na rua entre torcedores e o jogador João Vítor, além do atrito público entre o técnico Luiz Felipe Scolari (ausente na partida de ontem para acompanhar o casamento do filho, em Portu-

A

JC Imagem/Folhapress

de volta à Série C. Jogando diante de 59.966

A

goleada por 4 a 1 sobre o Aston Villa fez o Manchester City se isolar na liderança do Campeonato Inglês, com 22 pontos. Balotelli, Johnson, Kompany e Milner marcaram os gols da equipe, e Warnock descontou. O City foi beneficiado pelo tropeço do Manchester United, que foi a 20 pontos depois de empatar por 1 a 1 no clássico contra seu maior rival, o Liverpool, fora de casa - Gerrard abriu o placar para os mandantes, e Chicharito Hernandez empatou para o United. O Chelsea também aproveitou o tropeço e enconstou, com 19 pontos, depois de vencer o Everton por 3 a 1, e o Newcastle, que empatou por 2 a 2 , está em quarto, com 16. O Arsenal deu mais um passo em sua recuperação ao vencer a terceira partida na temporada, 2 a 1 em cima do Sunderland.

Barça, Levante e Real mantêm a rotina

pessoas (terceiro maior público do ano no Brasil),

B

empatou por 0 a 0 com o Treze-PB, resultado suficiente para se classificar às semifinais da Série D por ter feito mais gols fora de casa. Também já subiram:

acontece o jogo

Oeste-SP, nos pênaltis,

remarcado entre

após vencer e perder para

Anapolina e

o Mirassol-SP pelo mesmo

Tocantinópolis, que

placar (3 a 1), e Cuiabá-MT,

definirá o adversário do

que fez 3 x 2 no

Tupi-MG no jogo que falta

Independente-PA. Hoje

das quartas de final.

arcelona, Levante e Real Madrid, os três primeiros colocados, venceram seus jogos neste fim de semana e mantiveram suas posções na classificação do Campeonato Espanhol. O Barça fez 3 a 0 no Racing Santander, com dois de Messi e um de Xavi, e divide a ponta com o Levante - curiosamente, também dono de camisa azul e grená -, que venceu o Málaga também por 3 a 0. Ambos chegaram a 17 pontos, um a mais que o Real, que fez 4 a 1 no exlíder Betis, com três de Higuaín e um de Kaká. O argentino chegou a cinco gols e entrou de vez na briga pela artilharia, hoje nas mãos de Messi, que já marcou oito vezes- Cristiano Ronaldo é o vice-artilheiro, com sete gols, sendo três de pênalti. O Sevilla assumiu a quarta posição, com 15 pontos, depois de vencer o Sporting Gijón por 2 a 1 e contar com o empate do Valencia, que parou em 14 após o 1 a 1 com o Mallorca.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

e

23 Neste ano tive o ponto mais baixo da carreira, mas também cheguei ao topo.” Cesar Cielo

sporte Jefferson Bernardes/Vipcomm

Satiro Sodré/Agif

Cesar Cielo mostrou sua força e conquistou o ouro nos 100 m livre, com direito a novo recorde pan-americano; Felipe França levou a melhor nos 100 m peito e ainda teve a companhia de Felipe Lima, segundo colocado

ÁGUAS DE OURO Jorge Silva/Reuters

A

natação é a principal responsável pela presença do Brasil em segundo lugar no quadro de medalhas dos Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, após dois dias de competição. Das cinco medalhas de ouro conquistadas pelo País, apenas uma não veio das piscinas, na conjunto da ginástica rítmica (veja abaixo). Além de Thiago Pereira (ao lado), primeiro campeão braLuiz Pires/Vipcomm

sileiro deste Pan, a natação ainda teve, na noite deste domingo, os triunfos de Cesar Cielo, nos 100 m livre, Felipe França, nos 100 m peito, e no revezamento 4x100 m livre, que teve Cielo, Bruno Fratus, Nicholas Santos e Nicolas Oliveira. Cielo bateu o recorde pana m e r i c a n o d a p ro v a , c o m 47s84, e deixou para trás o cubano Hanser Garcia, prata, e Shaune Fraser, de Ilhas Cayman, que levou o bronze. O

tempo de Cielo foi melhor que o do Mundial de Xangai, quando foi quarto, com 48s01. Nos 100 m peito, Felipe França fez 1min00s34, e teve no pódio a companhia do xará Felipe Lima, que ficou com a segunda posição na prova após bela arrancada nos últimos metros. No revezamento, Fratus deu a saída e, apesar de uma largada ruim, terminou sua parcial na frente. Nicholas Santos,

Cielo e Nicolas Oliveira só mantiveram a vantagem e venceram com folga, com novo recorde do Pan, 3min14s65. Além dos ouros, o Brasil acumulou mais medalhas na natação com as mulheres. Foram três prata: Joanna Maranhão, nos 400 m medley; Daynara de Paula, nos 100 m borboleta; e o revezamento 4x100 m livre, com a mesma Daynara e mais Flávia Delaroli, Michelle Lenhard e Tatiana Barbosa.

Jefferson Bernardes/Vipcomm

A DECEPÇÃO – Dono do primeiro ouro do Brasil no Pan de 2007, Diogo Silva desta vez ficou pelo caminho e não passou das quartas de final, batido pelo norte-americano Terrence Jennings, e manteve a língua solta de sempre, ao culpar dirigentes por chegar "cansado" ao Pan.

O ESPECIALISTA – Dono de oito medalhas no Pan do Rio, em 2007,

Martin Bernetti/AFP

O BOM DE MIRA – Júlio Almeida levou a medalha de bronze na prova da pistola de ar de 10 m, com 675,2 pontos na final disputada neste domingo. Ele já havia conquistado a medalha de prata no Rio, em 2007, e agora busca uma vaga nos Jogos Olímpícos de Londres, no ano que vem.

seis delas de ouro, Thiago Pereira começou bem em Guadalajara, com o título dos 400 m medley. Ele disputará mais seis provas até o fim de semana e espera, com desempenho parecido ao de quatro anos atrás, superar Hugo Hoyama, do tênis de mesa, atual recordista brasileiro de medalhas de ouro na competição, com nove vitórias. Enrique Jiménez/Photo & Grafia

AS MALABARISTAS – O conjunto do Brasil ganhou pela quarta edição seguida a medalha de ouro no Pan, com a nota 48,575, à frente de Canadá e Cuba. Uma das participantes, Angélica Kviecyzinski, já havia conquistado o bronze na disputa individual geral

AS FAVORITAS – A seleção feminina de handebol mostrou na estreia por que é favorita disparada à medalha de ouro no Pan - que seria a quarta consecutiva: o time venceu os Estados Unidos por 50 a 10. Ontem, os rapazes também começaram arrasando: 46 a 17 sobre o Canadá. Para o handebol, o título do Pan é fundamental porque vencer o torneio é a única chance de garantir vaga na Olimpíada de Londres.

OUTROS CAMPOS Robert Laberge/AFP

O carro 77, de Wheldon, voou e chocou-se com a tela que separa a pista do público em Las Vegas

Decisão da Indy termina com morte e sem festa

D

an Wheldon, piloto britânico de 33 anos, morreu neste domingo, vítima de um grave acidente na última etapa da Fórmula Indy, no circuito oval de Las Vegas. A batida ocorreu na 12ª volta e envolveu 15 dos 36 carros que estavam na pista. Campeão da Indy em 2005, Wheldon não estava disputando a temporada completa - esta era apenas sua terceira corrida no ano, e ele, que já havia vencido as 500 Milhas de Indianapolis, em maio, havia resolvido participar em busca do prêmio recorde de US$ 5 milhões

(R$ 8,7 milhões) que seria oferecido ao vencedor. A grande festa acabou de forma melancólica. Após a limpeza da pista e o anúncio da morte, os pilotos voltaram aos carros, muitos deles às lágrimas, para dar cinco voltas em homenagem a Wheldon. Com o encerramente precoce da corrida, sem pontuação para ninguém, o título ficou com o escocês Dario Franchitti, que terminou a temporada com 573 pontos, 18 a mais que Will Power, um dos envolvidos no acidente que culminou com a morte de Wheldon.

Vettel vence e garante título para a Red Bull

C

ampeão antecipado, Sebastian Vettel venceu neste domingo o GP da Coreia do Sul, seu décimo triunfo no ano, e ajudou a Red Bull a garantir o bicampeonato do Mundial de Construtores, com 558 pontos, contra 418 da McLaren e 308 da Ferrari. Entre os pilotos, Vettel chegou a 349 pontos, seguido por Jenson Button (222), Fernando Alonso (212), Mark Webber (209) e Lewis Hamilton (196). Os brasileiros fizeram mais uma corrida medíocre: Felipe Massa foi o sexto colocado, Rubens Barrichello o 12º e Bruno Senna, o 13º. A F-1 volta a correr no dia 30, com a estreia do GP da Índia. Depois, haverá provas em Abu Dabi (13/11) e no Brasil (27/11).


DIÁRIO DO COMÉRCIO

24 -.ESPORTE

sábado, domingo e segunda-feira, 15, 16 e 17 de outubro de 2011

FIM DE JOGO

L

Jorge Lorenzo perde título da MotoGP e pedaço do dedo na Austrália

L

Andy Murray vence o Masters de Xangai e sobe para 3º no ranking da ATP

L

A ginasta Gabriela Soares vai substituir Jade Barbosa no Pan-Americano

L

Vídeo em destaque - Morte na Fórmula Indy - www.dcomercio.com.br

www.dcomercio.com.br/esporte/

GUADALAJARA 2011 BRASIL EM PRATA E BRONZE Fotos: Kim Kyung-Hoon/Reuters

Brasileiros sofrem no México: Cesar Cielo toma um susto, Jaqueline se contunde e Jade nem sequer viaja Jonne Roriz/AE

E

m Guadalajara, onde o ministro Orlando Silva soube que a revista Veja o acusa de receber propina para beneficiar projetos do programa Segundo Tempo, as bruxas não esperam pelo Halloween e já atacam os brasileiros que disputam os Jogos Pan-Americanos. Na sexta à noite, o campeão olímpico Cesar Cielo sentiu uma indisposição e baixou ao hospital. Foi só um susto: no sábado, estava na piscina treinando para a prova dos 100 metros livre. No sábado, a vitória da seleção de vôlei feminino sobre a República Dominicana por 3 sets a 1 foi ofuscada pela contusão da ponteira Jaqueline, que bateu cabeça com a líbero Fabi e teve de ir para o hospital com concussão cerebral e uma fratura cervical. Ontem, Jaqueline saiu do hospital, mas dificilmente poderá jogar a Copa do Mundo no mês que vem. Também ontem, o COB anunciou o corte da ginasta Jade Barbosa, que machucou o tornozelo esquerdo na final do Campeonato Mundial de Ginástica disputado em Tóquio. As bruxas do Pan não lhe permitiram sequer embarcar para o México.

 O Brasil encerra a

participação no Mundial de Ginástica Artística em oitavo lugar, com uma prata, de Arthur Zanetti, na disputa das argolas, e um bronze, de Diego Hypólito, no solo. Os dois garantem, assim, a presença na Olimpíada de Londres. As seleções masculina e feminina terão de disputar o PréOlímpico, no começo de 2012, em Londres. Sábado, 15

AGORA, ELE É CAMELÔ

Campeão da Libertadores é preso por pirataria

O

ex-jogador Fabrício Eduardo da Silva Alves, que atuou em 118 jogos do Vasco, fazendo parte do elenco campeão brasileiro de 1997 e da Libertadores de 1998, é preso por agentes da Delegacia de Repressão contra os Crimes de Propriedade Imaterial por comercializar produtos piratas no Mercado Popular da Uruguaiana, no centro do Rio. Desde 2007, o ex-volante trabalha como camelô. Na operação, a polícia apreendeu 2.017 DVDs falsificados. Após sair do Vasco em 1999, Fabrício Eduardo jogou no Paraguai e passou por Náutico, América do

Raul Arboleda/AFP

Rio, Americano, Remo e Treze da Paraíba, encerrando a carreira no interior fluminense. Quando ainda era uma promessa das divisões de base do Vasco, o volante foi convocado algumas vezes para as seleções brasileiras Sub-17 e Sub-20 e chegou a atuar ao lado de Ronaldo. Há pouco tempo, em entrevista a Fred Huber, do www.globoesporte.com, Fabrício Eduardo falou de seu trabalho: "Não tenho vergonha do que faço. Pago as minhas contas. Teria vergonha se estivesse no tráfico. Tenho orgulho de ser camelô e não faço mal para ninguém".

Divulgação

Sexta-feira, 14

DESESPERO CRUZEIRENSE

Montillo vive drama antes do pênalti Pedro Vilela/AE

O

Cruzeiro perdia para o Corinthians por 1 a 0 quando, aos 33 minutos do segundo tempo, Montillo teve a chance do empate ao cobrar um pênalti sofrido por Élber. O chute do argentino, no entanto, passou muito acima do gol de Júlio Cesar, para desespero dos 17 mil cruzeirenses presentes na Arena do Jacaré. A derrota deixa o Cruzeiro próximo da zona de rebaixamento do Brasileirão. Maior destaque do time na temporada, Montillo saiu de campo muito chateado e, visivelmente emocionado, reconheceu o erro: "A verdade é que estou mal." Razão não lhe falta: seu filho Santino, de um ano e sete meses, está internado em um hospital de Belo Horizonte. O garoto tem Síndrome de Down e teve de ser operado do intestino. "É um dos piores dias da minha vida", resumiu o craque.

Kazuhiro Nogi/AFP

Patinador fica sem roupa e sem patins

A

inda no Brasil, a caminho do aeroporto de Porto Alegre, de onde voaria para o México, o patinador Marcel Stürmer também foi vítima da má sorte neste domingo: o carro que carregava seu equipamento foi roubado. Mesmo sem a roupa e os patins que usaria no Pan, Marcel viajou. A treinadora Jaqueline Nonnenmacher, que dirigia o carro, garante: "Numa competição tão importante usar um equipamento novo gera sempre dificuldade, mas ele está preparado para tudo."

Domingo, 16

Reprodução/Arquivo Celso Unzelte

almanaque

A

Celso Unzelte

No Pan 75, a maior goleada brasileira

C

omeçou na sexta-feira, em Guadalajara, no México, a 16ª edição dos Jogos PanAmericanos. Coincidentemente, foi nesta competição, em 17 de outubro de 1975 - portanto, há exatos 36 anos -, que o futebol brasileiro alcançou a maior goleada de sua história: 14 a 0 na Nicarágua. Luís Alberto marcou quatro gols, Batista, Marcelo e Santos fizeram dois e Rosemiro, Erivelto, Eudes e Chico Fraga, um gol cada um.

Entregaram o ouro dos nossos mocinhos.” Revista Placar, na semana em que se decidiu que a medalha de ouro no futebol teria de ser dividida.

maior goleada da Seleção Brasileira principal continua sendo 10 a 1 sobre a Bolívia, pelo Sul-Americano de 1949. Isso porque os times que disputam o Pan-Americano são seleções restritivas, convocadas com restrições em relação à idade dos atletas. Na foto, o time-base daquele Pan, disputado na Cidade do México: Mauro, Batista, Edinho, Chicão, Carlos e Chico Fraga (em pé). Rosemiro, Eudes, Luís Alberto, Cláudio Adão e Santos (agachados). O técnico era Zizinho, ex-craque da Copa de 50. A decisão contra o México terminou empatada por 1 a 1 e foi interrompida na prorrogação, por falta de energia elétrica no estádio. Brasil e México tiveram que dividir a medalha de ouro.

4

vezes o Brasil ganhou a medalha de ouro no torneio masculino de futebol dos Jogos Pan-Americanos, em 87. 1961, 1975, 1979 e 19 A maior vencedora é a m Argentina, que ficou co o ouro seis vezes, em , 1951, 1955, 1959, 1971 1995 e 2003.

CURTAS

 Em 17 de outubro de

2000, com Rogério Ceni, em um 1 a 1 com o Inter, o São Paulo tornou-se o primeiro clube a fazer 1.000 gols no Brasileiro.  Em 18 de outubro de

1989, no jogo Náutico 3 x 2 Atlético-MG, Nivaldo, do Náutico, fez, aos 8 segundos, o gol mais rápido dos Brasileiros.


Diário do Comércio