Page 1

PARABÉNS, COMERCIANTE!

2º SEMESTRE CHEIO DE DESAFIOS PARA O VAREJO

Vendas das linhas branca e marrom podem crescer até 10% este ano Estimativa é do presidente da Associação Eletros, Lourival Kiçula, durante abertura, ontem, da Eletrolar Show. Pág. 13

No Dia do Comerciante, o DC publica caderno especial de 16 páginas (à esq.) analisando o cenário atual e o que vem pela frente. "O comércio precisa se preparar para essa nova realidade, que vai exigir, além da criatividade, capacidade de trabalho e coragem de assumir riscos", diz Rogério Amato, presidente da ACSP e da Facesp, aos maiores geradores de emprego e desenvolvimento do País.

Dia do Homem, essa data ainda vai pegar. Varejistas já ensaiam campanhas de marketing e promoções para o dia do sexo masculino, comemorado ontem. Pág. 13

Ano 87 - Nº 23.914

Conclusão: 23h40

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, terça-feira, 16 de julho de 2013 Moacyr Lopes Júnior/Folhapress

Presos 7 policiais especializados em combater (e ajudar) o tráfico Até o chefe da inteligência do Denarc (departamento de narcóticos) está entre os policiais civis presos sob acusação de envolvimento com o tráfico. Eles receberiam até R$ 30 mil por mês para passar informações a quadrilhas. Falta prender mais 6. Pág. 8 Newton Santos/Hype

Protesto de sem-teto-com-barraca Acampados no Viaduto do Chá, cobram 55 mil moradias do prefeito Haddad. Pág. 8 Ide Gomes/Frame/Folhapress

Habemus papamóvel! Veículos do papa já estão no Rio. Programação de protestos também. Pág. 8

Férias na Cidade. Uma viagem. Pintar, brincar, sumô, cosplay e até velejar são algumas das opções para se fazer neste mês – e melhor, tudo de graça, como o curso na Guarapiranga (foto). Pág. 9

O nobre salarião de deputados e senadores

Nasce uma rede social no Brasil. E ela paga.

Ganham mais que seus pares em alguns países ricos, revela The Economist. Pág. 5

A Teckler paga pelo conteúdo gerado. Ela já tem 500 mil usuários em 164 países. Pág. 20

Página 4 ISSN 1679-2688

23914

9 771679 268008


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 16 de julho de 2013

O comunicado final serviu para mostrar que se aprofundaram os impasses em que se encontrava a união aduaneira. Roberto Fendt

pinião

MERCOSUL: IMPASSE CONTINUA.

ARISTÓTELES DRUMMOND

HOMENS PÚBLICOS

Iván Franco/EFE

SEM QUALIDADE

P

erto de completar meio século de atividade jornalística e militância política – nunca fui candidato, mas sempre filiado a algum partido –, fico realmente triste ao comparar a qualidade de nossos homens públicos. Hoje, são ilhas de respeitabilidade nas diferentes bancadas, e bolsões de excelência nos órgãos públicos, com o melhor que sobrevive em marcha batida para aposentadoria. Reside, aí, a facilidade com que o Brasil caminha para a perda do controle sobre os padrões éticos e morais. A meritocracia é coisa do passado e a escolha de notáveis, praticamente inviável.

Reunião dos chefes de estado do Mercosul: pontos essenciais para renovar o bloco comercial passaram longe. Divergências só aumentaram.

A

reunião de chefes de Estado do Mercosul, encerrada na última sexta-feira, em Montevideo, teve de tudo, menos o essencial: a indicação de um caminho para renovar o bloco comercial. O comunicado final da reunião serviu apenas para mostrar que se aprofundaram os impasses em que se encontrava a união aduaneira. Aos empecilhos que impediam o seu aprofundamento somou-se outro, com a suspensão do Paraguai e, em sua ausência, a entrada da Venezuela no bloco comercial. Pelas regras de governança do Mercosul, a presidência pro tempore do bloco passou, na última semana, do Uruguai para a Venezuela. Na ocasião, o presidente pro tempore venezuelano, Nicolás Maduro, anunciou o retorno do Paraguai à convivência com seus pares a partir de 15 de agosto próximo. Nessa data, Horacio Cartes tomará posse como presidente constitucional eleito do Paraguai. Não cabe, contudo, à presidência do Mercosul determinar a data de retorno do Paraguai à convivência de seus pares, mas sim aos paraguaios e a seu chefe de Estado. Referindo-se à decisão de Maduro, Horacio Cartes rejeitou enfaticamente reintegrar o país ao Mercosul em agosto. Segundo ele, a Venezuela exerce ilegalmente a presidência rotativa do Mercosul.

ROBERTO FENDT com o disposto na Constituição paraguaia.

E

stando o Paraguai impedido pela suspensão de participar dos processos decisórios do bloco, os sócios remanescentes – Argentina, Brasil e Uruguai – decidiram pela entrada da Venezuela como novo membro pleno do Mercosul. Com razão os paraguaios argumentaram que o seu Congresso havia rejeitado a adesão venezuelana à união aduaneira. Argumentaram, além disso, que a aprovação de novos parceiros requer o voto unânime dos países membros fundadores, o que não ocorreu. Armou-se, portanto, o impasse. A posse do presidente venezuelano não resolveu o imbróglio; ao contrário, agravou-o. Antes da reunião trabalhavase com duas hipóteses. A primeira consistia em adiar a reunião de cúpula para 15 de agosto, data da posse do presidente eleito do Paraguai, quando a Venezuela pediria permissão para assumir a presidência do bloco. Contra essa alternativa está o fato de que

A

origem da questão é conhecida, mas vale a pena recordá-la. Em junho de 2012 o então presidente do Paraguai, Fernando Lugo, foi destituído pelo congresso daquele país em processo considerado pelos demais parceiros como sumário e contrário à cláusula democrática do Protocolo de Ushuaia – embora de acordo

ela requer que o Congresso paraguaio aceite a entrada da Venezuela até 15 de agosto. A segunda alternativa consistiria em reintegrar o Paraguai ao Mercosul a partir de dezembro, quando a Argentina assume a presidência do bloco. Contra essa alternativa está o fato de que a partir de 15 de agosto presidirá o Paraguai um governante legítimo e legalmente eleito.

A

lém de aprofundar o impasse, os chefes de Estado do Mercosul perderam uma excelente oportunidade de tratar do que realmente interessa ao bloco comercial: eliminar os entraves tarifários e não tarifários entre os países membros e aprofundar a integração, e encontrar meios que permitam ao Mercosul – e eventualmente a cada um dos países, individualmente – firmar acordos de livre comércio com outros blocos comerciais ou países. O Mercosul tem somente acordos de livre comércio com Israel e a Autoridade Palestina e o acordo com o Egito ainda não foi ratificado pelo Congresso brasileiro. É muito pouco pa-

Os chefes de Estado perderam a chance de tratar do que realmente interessa ao Mercosul: eliminar os entraves entre os países membros e aprofundar a integração do bloco.

ra as pretensões que inspiraram a criação do Mercosul. Como disse o vice-presidente do Uruguai, Danilo Astori, "nunca conseguimos formar o mercado comum; a união alfandegária está totalmente derrotada, e a zona de livre comércio não funciona em absoluto, porque não há livre circulação de bens e serviços. O Mercosul se encontra hoje num estado de paralisia quase total”.

N

ão podemos mais ignorar que o mundo caminha para acordos bilaterais e sub-regionais de comércio. A rapidez com que se forma a Aliança para o Pacífico, a zona de livre comércio entre o Chile, Peru, Colômbia, México e Costa Rica e que cobre 90% do comércio entre esses países, deve servir como advertência para o Mercosul. Como um grande número de países do Oriente, a Aliança pretende incorporar-se à Parceria do Pacífico (Transpacific Partnership), mega área de livre comércio que inclui entre os parceiros os Estados Unidos e o Japão – onde reside o maior dinamismo comercial e econômico do planeta.

M

elhor teriam feito os chefes de Estado se tivessem tratado sobre como os países do Mercosul devem inserir-se competitivamente na economia mundial. É certo que não poderiam deixar de repudiar atos de espionagem de terceiros países na região ou o ainda ao sobrevoo de um chefe de Estado da região sobre alguns países europeus. Entretanto, a ênfase nessas manifestações é muito pouco diante da necessidade de reformar o Mercosul para que este supere o "estado de paralisia quase total" em que se encontra atualmente. ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

M

esmo durante o período militar, em que o Congresso sofreu perdas importantes, os nomes eram do maior respeito, inclusive na oposição. O MDB, que reunia os descontentes com o regime, ofereceu ao Brasil senadores inesquecíveis, como Oscar Passos, Amaral Peixoto, Paulo Brossard, Nélson Carneiro, Marcos Freire, Franco Montoro e Itamar Franco. E deputados como Thales Ramalho, Tancredo Neves, Caruso da Rocha, J. G de Araújo Jorge. Na Arena, Daniel Krieger, Gilberto Marinho, Petrônio Portela, Dinarte Mariz, Arnon de Mello, Magalhães Pinto, Gustavo Capanema, Milton Campos, Nei Braga. E, na Câmara, José Bonifácio, Rondon Pacheco, Flexa Ribeiro, Sandra Cavalcanti, Eurípides Cardoso de Menezes, Monsenhor Arruda Câmara, Raimundo Padilha, entre outros. Desta época, com atuação sempre digna, o carioca Miro Teixeira, no nono mandato.

U

ma sucessão de erros foi se acumulando ao longo do tempo, até chegarmos a essa crise, que abala a democracia, que tem como referência maior o voto que leva aos mandatos no Executivo e no Legislativo. Primeiro com o afastamento de grandes nomes do empresariado – Herbert Levy, Magalhães Pinto, Pereira Lopes, Antônio Luciano, Paulo Sarazate, João Cleofas, Basílio Machado Neto, Maurício Andrade, Gilberto Faria,

Os poucos homens públicos do País, com mandato ou sem, precisam superar divergências e desenvolver um plano de emergência que nos devolva a paz e a confiança .

Jessé Pinto Freire, Euvaldo Lodi. Depois, dos militares, afastados por legislação criada na Revolução, que, no passado, havia consagrado nas urnas Menezes Cortes, Caiado de Castro, Janari Nunes, Juraci Magalhães, Costa Cavalcanti. E, por fim, intelectuais, como Gilberto Freire, Menotti Del Picchia, Jorge Amado, Plínio Salgado, Luiz Vianna Filho, Assis Chateaubriand, Santiago Dantas e Mário Martins. SXC

U

ma pequena amostra do nível de nossa representação política: as crises de 54, 55, 61 e 64 contaram sempre com a habilidade, a criatividade e o espírito público de nossos políticos. JK, que enfrentou dois movimentos militares de contestação, a todos anistiou. Hoje, e como disse Oswaldo Aranha há décadas, o Brasil é um deserto de homens e ideias. E não se sabe que homens e que ideias surgirão dessas manifestações ainda não decifradas. Os poucos, mas respeitados homens públicos do país, com mandato ou sem ele, precisam superar divergências para criar um plano de emergência que devolva a paz e a confiança à nossa gente. Ainda é tempo! ARISTÓTELES DRUMMOND É JORNALISTA E VICE-PRESIDENTE DA

ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DO RIO DE JANEIRO. aristotelesdrummond@mls.com.br

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves e Sílvia Pimentel. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 16 de julho de 2013

o

3

INCULTURA POPULAR NÃO RESULTOU DA EDUCAÇÃO CA T ÓL IC A , MAS DO ESTRANGULAMENTO DELA.

pinião

CONSULTORES ILUMINADOS

P

elo seu currículo de cientista político membro de não sei quantas associações e outras tantas comissões, o sr. Alberto Carlos Almeida é um típico representante da classe de consultores iluminados a que as nossas elites políticas e empresariais concedem atenção reverente e sólida remuneração. Tão típico que, em entrevista ao programa Marília Gabriela, ele mostrou mais uma vez que o exercício de tão altas funções, neste país, independe de qualquer domínio das matérias sobre as quais se opina. Não digo que todos os seus pareceres sobre o que quer que seja ilustrem esse fenômeno. Não li, por exemplo, o seu livro A Cabeça do Brasileiro, que juram que é bom, coisa em que vou continuar acreditando sob palavra até que um exemplar dessa obra me caia nas mãos e mostre se ela é, ou não, capaz de se defender sem apoio externo. Mas, quando um cidadão investido de autoridade científica, consultado em público nessa qualidade, emite sobre matéria grave uma opinião que ameaça lançar o descrédito sobre uma instituição milenar e todas as pessoas que a representam, espera-se que o faça, pelo menos, com algum senso de responsabilidade e conhecimento de causa. Se ele falha a esse dever elementar em circunstância tão exigente, não é demasiado supor que o fará mais ainda em assuntos de menor consequência, como, por exemplo, "a cabeça do brasileiro".

P

erguntado pela entrevistadora sobre quais as causas do atraso brasileiro, e em especial do desprezo do nosso povo pela educação, o distinto não hesitou em lançar todas as culpas sobre um único suspeito: a Igreja Católica. E fez isso não no tom de quem arriscasse um palpite informal, mas de quem transmitisse a plateia uma certeza

OLAVO DE CARVALHO científica bem provada. Sua tese, em resumidas contas, foi esta: a Igreja Católica, ao longo da História europeia, e também nas Américas desde a descoberta, só se ocupou da educação da elite, da aristocracia, deixando o povo na ignorância. Foi a Reforma protestante que inaugurou a educação popular, datando daí o progresso com que as nações assim beneficiadas sobrepujaram as suas concorrentes católicas. No Brasil em especial, os grandes malvados foram os jesuítas, que apenas davam instrução às elites e nada para o povo.

O

sr. Almeida, com toda a evidência, jamais leu uma história da educação. Então eis aqui algumas coisinhas que ele teria a obrigação de saber para poder opinar a respeito: 1. Ao longo de toda a História medieval, a Igreja não educou aristocracia nenhuma. Os nobres, os barões, consideravam que só a guerra era atividade à sua altura, o estudo sendo bom apenas para as mulheres, os futuros padres e alguns empregados subalternos. 2. Desde o começo da Idade Média até épocas bastante avançadas para dentro da modernidade, as escolas elementares fundadas pela Igreja funcionavam ou nas catedrais, ou nos templos paroquiais, ou nos monastérios. O sr. Almeida acredita realmente que os nobres, abandonan-

do seus palácios, iam frequentá-las, submetendo-se ao vexame de nivelar-se aos padrecos e escreventes? 3. Quanto às universidades, elas não formavam os nobres e sim médicos, advogados, professores, funcionários: eram uma via de ascensão social para quem vinha de baixo. A aristocracia reinante só passou a se interessar por elas quando se tornaram centros de uma influência política independente. Começou então, entre os governos monárquicos e a Igreja, a disputa pelo domínio sobre a massa universitária. Como a Igreja levou a melhor, o que se seguiu foi um dos fenômenos mais característicos da modernidade: a criação de uma nova intelectualidade composta quase que inteiramente de nobres, alheia e não raro hostil às universidades. Os nomes de Descartes, Bacon, Montaigne e Newton representam-na exemplarmente, assim como a criação da Royal Society. A história real é exatamente inversa à história imaginária do sr. Almeida. 4. Em meados do século 18, decorridos nada menos do que dois séculos da Reforma protestante, a França católica ainda era o país mais próspero e culto da Europa, enquanto a Alemanha, berço de Lutero, jazia no atraso econômico e cultural mais abjeto, ao ponto de que o alemão não tinha sequer s e c o n s o l i d ado como língua de alta cultura (os int e l e ctuais escreviam em francês ou latim). Ainda em meados do século 19, foi em Paris que pela primeira vez um governante alemão, Otto von Bismarck, percebeu que era importante para cada nação ter uma classe média educada, modelo que ele então procurou

entrevista foi o que o sr. Almeida disse dos jesuítas. Quem quer que tenha estudado um pouquinho a história deles sabe que seu principal esforço foi educar índios, que estavam no fundo do poço social. Nas Missões, os nativos brasileiros receberam educação muito superior àquela de que dispunha, nas capitais, uma classe alta notabilizada pela mais acachapante indolência intelectual e que, quando desejava educar seus filhos, os enviava à Europa e não aos jesuítas. 6. Desde a Independência até o advento da República, a Igreja esteve proibida de abrir escolas, de modo que a população urbana em expansão se viu cada vez mais privada de uma instrução comparável, pelo menos, àquela que os índios haviam recebido nas Missões. A incultura popular no Brasil não resultou da educação católica, mas do estrangulamento dela ao longo de quase um século. O sr. Almeida jura que o problema do Brasil é a educação. É sim. A começar pela dele próprio. E pela dos consultores iluminados em geral. implantar no seu país, apenas com signo religioso invertido, perseguindo os ca-

tólicos e fomentando a educação protestante. 5. Porém, o mais bonito na

SE FALTAR O RESPEITO...

PAULO SAAB

S

em nenhuma dose de pretensão ou falsa modéstia, ouso chamar a atenção dos nossos políticos e governantes para um detalhe que começa a ficar ostensivo: o comportamento desrespeitoso deles para com a população brasileira. Antes das mobilizações de junho, o nível de desrespeito era assombroso. Anos a fio, neste espaço, adverti, mostrei, reclamei, fiz o possível e impossível para mostrar que esse comportamento, notadamente no plano federal e no dos representantes populares eleitos, estava fora de sintonia com os anseios nacionais. Por anos, me senti solitário, a enxergar a realidade política nacional, enquanto o País parecia comprado, anestesiado, sem enxergar os desmandos, a inépcia, a corrupção, o, mau gerenciamento, o aparelhamento, o compadrio que tomaram conta da cena nacional a partir do primeiro mandato de Lula . Como se diz em espanhol, em junho "el vaso se colmo". Como por milagre, aquilo pelo qual eu pedia e

não havia sido advertido. E veio a advertência, clara, sonora, barulhenta: mudem seu comportamento. Os advertidos, assobiando e olhando para o lado, até agora tentam demonstrar para si mesmos que a coisa não era com eles. Era e é. Como minhas preces estão sendo ouvidas, o movimento veio para as ruas. Defendo também, claro que com educação, que maus políticos e maus governantes não sejam aplaudidos em aviões, restaurantes, espaços públicos onde se apresentarem. trabalhava, como provei na última segunda-feira, neste espaço, a população, desvinculada de sectarismos e desprovida de palavra de ordem de partidos e organizações, foi às ruas protestar contra o que sintetizo como desrespeito do poder para com a população.

P

egos no contrapé, governo, Congresso, partidos políticos, centrais sindicais, movimentos diversos, atarantados,

batendo cabeça, correndo para lá e para cá, tentaram, num primeiro momento, tirar proveito da situação. Foram rechaçados. Num segundo momento buscaram dar respostas, especialmente o governo federal, anunciando medidas de efeito propagandístico, sem conteúdo nem necessidade primordial. Foram rechaçados. Todos os que se sentiam incomodados com alguma coisa foram para as ruas. Da

associação dos portadores de joanete até as grandes centrais sindicais, todos se sentiram no direito de ocupar sua rua, sua estrada, seu pedaço e engrossar o caldo dos protestos.

D

ona Dilma disse, entre tantas trapalhadas, que estava ouvindo o que as ruas diziam. Não estava e ainda não está. E aqui entra minha preocupação com a questão do respeito. Até então, quem estava desrespeitando a população

OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA

S

e o desrespeito continuar, com o governo achando que somos todos os mesmos tolos de antes de junho, temo que a situação fuja ainda mais do controle nas ruas, aviões (no vai e vem de políticos para Brasília, quando não usam jatos da FAB com dinheiro público), restaurantes, espaços públicos etc . Dona Dilma – será que ainda não percebeu? –, está perdendo o respeito do público. O mesmo que os governantes e políticos

nunca tiveram pelos brasileiros, fora da propaganda e das jogadas de marketing. Respeito é bom e todo mundo gosta. Seria recomendável que os gênios do Planalto parassem já, agora, nesse momento, de urdir ilusões, magias, manobras, cortinas de fumaça, e dessem à população o que ela está pedindo. Eu tenho acertado e não gostaria de ver o respeito diluir-se de vez na relação povo-governantes. COINCIDÊNCIAS Na edição de segunda-feira este Diário do Comércio mostrou, inclusive com fotos, que o recurso que havia usado em 10 de julho, Dilma com chapéu de enfermeira pedindo silêncio, foi também adotado pela revista Veja na edição de 17 de julho. Posso então assinalar: na edição desta coluna de 30 de junho usei como título "Deu curto-circuito nos postes". também na edição de Veja de 17 de julho, o colunista Roberto Pompeu de Toledo escreveu como título: "O poste em curto-circuito". PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4



 O Planalto encomendou  MAIS: deu Sérgio Cabral pesquisa nacional para ver quais governadores foram mais atingidos pelas manifestações de rua.

gibaum@gibaum.com.br

 Hoje, qualquer um é celebridade! O Zé Dirceu e todos esses políticos bandidos. O Renan Calheiros? Celebridade!

SUSANA VIEIRA // atriz, 70 anos, a Pilar da novela Amor à Vida, de olho na cena política nacional.

Fotos: Paula Lima

Risco de vaia  Dilma Rousseff gravou, no final de semana passada, uma mensagem exclusiva para a Rede Vida, emissora católica oficial da Jornada Mundial da Juventude, de acolhida ao Papa Francisco e aos jovens que estão chegando ao Brasil para o evento. A Chefe do Governo não poderia falar em rede nacional sobre o evento porque o governo é laico e na mensagem, a presidente levou em conta a importância da vinda do Pontífice, sem entrar no aspecto religioso. No passado, Dilma tinha restrições ao Papa Emérito Bento 16 devido às suas manifestações nas eleições de 2010. A mensagem de Dilma será exibida (sujeita a vaias) em telões na praia de Copacabana.

SEM CAMA O Papa Francisco virá ao Brasil a bordo de um avião da Alitalia e mandou avisar a companhia que não queria nenhuma decoração especial à bordo, nem a cama que costumava ser colocada na cabine por seus antecessores. O Pontífice acha que o conforto de uma cadeira da primeira classe é mais do que suficiente. Em seus tempos de cardeal na Argentina, voava entre Buenos Aires e Roma na classe econômica.



Camila Morgado (primeira foto à esquerda) foi a mestre de cerimônias da inauguração do novo Teatro Bradesco, no Rio, no Village Mall. A noite marca também a estréia da temporada carioca de La Veritá, espetáculo surrealista (tem uma tela gigante e original de Dali no cenário) de dança, música e acrobacias. Em São Paulo, estréia dia 8 de agosto. Detalhe: à certa altura, dois palhaços cantaram Ai se eu te pego, de Michel Teló. Lá, entre tantas, da segunda foto à esquerda para a direita, Thaila Ayala (Sangue Bom); Débora Nascimento (Flor do Caribe); a novata Yanna Lavigne; e Fernanda Montenegro. 

Novo teatro

Malgrado desmentidos da presidente Dilma Rousseff, mudanças nos ministérios estão sendo planejadas, até mesmo para correr atrás de investidores, desconfiados dos rumos da política econômica. De cara, para o lugar de Guido Mantega, o novo nome cotado é o Luiz Gonzaga Belluzzo, que ela até consulta, de vez em quando. Delfim Netto também está pressionando pela saída de Mantega. Henrique Meirelles é carta fora do baralho: até no governo Lula trombava com Dilma na Casa Civil. Os nomes de Luciano Coutinho (BNDES) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento Econômico) são muito ligados à atual gestão. Aloizio Mercadante vai mesmo para a Casa Civil e Aldo Rebelo, ministro do Esporte, pode assumir Relações Institucionais (já ocupou o cargo no governo Lula).

Dança das cadeiras





Depois de se recusar raspar seus cabelos em Amor à Vida, Marina Ruy Barbosa verá seu personagem Nicole que luta contra um câncer, morrer. Depois – haverá uma passagem de tempo de nove meses – reaparecerá como fantasminha, roupas brancas, sem maquiagem e, claro, com cabelo ruivo. Decidida a novela do cabelo, a atriz poderá assinar seu contrato com a Avon: será o novo rosto para a America Latina, ganhando R$ 900 mil. 

Antonia Morais, 20 anos, filha de Gloria Pires com o músico Orlando Morais, que tem como irmãos Ana, Beto e Cléo Pires, filha do casamento de Gloria com Fábio Junior, aparece na nova edição de Alfa num certo clima sensual. Ela estreou em novelas em Guerra dos Sexos, de Silvio de Abreu, ao lado da mãe, com quem já havia gravado um episódio da série As Brasileiras chamado A mamãe da Barra. Depois de três anos morando em Paris, voltou ao Brasil e decidiu ser atriz. 

Filha de peixe

Sensitiva Os últimos empréstimos liberados pelo BNDES para o grupo de Eike Batista, foram embalados por estrondosas reclamações da presidente Dilma Rousseff, à qual, antecipadamente, o presidente do banco, Luciano Coutinho, pedira uma espécie de autorização diante do volume. Na época, a Chefe do Governo empurrou ainda alguns sonoros palavrões na história e acabou capitulando. Agora, diante do colossal naufrágio das empresas de Eike, que ninguém se atreva a citar o nome do empresário em sua presença. Ela quase enlouquece e repete: “Eu sabia! Eu sabia! Parece que alguém estava me avisando!”



 IN

Meias com risca atrás (estilo 40).



FANTASMA RUIVA

Dois bordões Dois bordões usados por personagens de novelas da Globo ganham as ruas: de um lado, a periguete Valdirene (Tatá Werneck) de Amor à Vida, repete sempre “Eu sou inteligência pura”; de outro, na novela Sangue Bom , Brunetty, funkeira, também chamada de mulher-mangaba, arrasa com o hit “Hoje eu tô descontraída”. A personagem é vivida pela exuberante Ellen Roche, que começa a provar que não é apenas curvas e volumes bem distribuídos. 

PÂNICO GERAL Se a Siemens revolver entregar todos os nomes envolvidos no super-esquema de corrupção, respinga para todos os lados: do empresário José Amaro Pinto Ramos a algumas figuras tucanas da cena política nacional, estadual e até mesmo municipal, que continuam circulando por aí. Por enquanto, todo mundo está se fingindo de morto .



MISTURA FINA NÃO é que o governador Eduardo Campos (PSB), de Pernambuco, tenha desistido de disputar o Planalto: apenas entrou em período de hibernação, depois de duas conversas prolongadas com Lula que, a propósito, acha que ele poderia ser o vice de Dilma em 2014. 

 PARA quem gosta de contas: a fator previdenciário, uma das principais reivindicações das centrais sindicais, teria um custo de R$ 97,7 bilhões em 10 anos, segundo estimativa do próprio Ministério da Previdência Social. Esse custo cresce a cada ano por conta de concessão de novas aposentadorias a pessoas que não teriam mais que ficar esperando para receber o valor integral. Em 2050, poderia estar em R$ 157 bilhões.

HÁ DIAS, no teatro Sesi, no Rio, durante a série A Canção Brasileira, o veterano Luiz Vieira, criador do cult Menino Passarinho, confessava: “Estou completando 85 anos e estou com dois filhos gêmeos, de seis anos. Mas comigo não teve essa de inseminação, não. Fiz os filhos à moda antiga: uma pequena entrada e nove suaves prestações”. 

Outra delação A disposição da Siemens de entregar empresas parceiras num esquema corrupto de compra de equipamento ferroviário, bem como de construção e manutenção de linhas de trens e metrô em São Paulo e Distrito Federal é uma espécie de delação premiada. A multinacional alemã quer anistia para continuar participando de licitações. As parceiras denunciadas vão desde a Alstom, cuja distribuição de propinas se arrasta desde o final do século passado até a Tejofran, de Antonio Dias Felipe, compadre de Mário Covas. A primeira denúncia sobre a Alstom no Brasil envolvendo propinas de US$ 200 milhões vem desde a concessão da Usina Hidrelétrica da Itá (contrato de US$ 1,4 bilhão). Depois, trens e metrô de São Paulo em vários governos tucanos. Já tiveram contas bloqueadas Robson Marinho e Jorge Fagali Neto, irmão de expresidente do Metrô. No meio de tudo, o lobista Romeu Pinto Jr.

na cabeça e Dilma foi aconselhada a manter distância dele para não contagiar sua imagem.

OUT

Meias com desenhos geométricos.

Quer comprar Playboy  O ex-jogador Ronaldo Nazário estaria disposto a comprar a licença da revista Playboy, no Brasil, hoje pertencente a Editora Abril. A idéia nasceu depois que ele ouviu boatos de que a publicação brasileira poderia encerrar suas atividades. Por outro lado, nos últimos dias, o ex-craque andou visitando uma super-mansão na rua Venezuela nos Jardins, em São Paulo, interessado em sua compra. Poderia ir morar lá com sua namorada Paula Morais. A ex-mulher Bia Antony, com as duas filhas, ficou na casa do Jardim Europa, numa área de 41 mil metros quadrados, comprada de Pedro Paulo Diniz por R$ 17 milhões.

UM ESTUDO chamado 2013 Mobile Consumer Habits, feito pela Harris Interactive, nos Estados Unidos, revela que um entre cada dez americanos não larga o celular nem da hora de fazer sexo; 12% durante o banho; 19% na igreja; e 33% durante um jantar romântico. Outros 35% não largam de mexer no aparelho nem durante sessões de cinema. 

A GEO Eventos, empresa integrante das Organizações Globo, poderá encerrar suas atividades no segundo semestre. Depois de cancelar o Lolapalooza, também suspendeu projeto em parceria com a Billboard, que seria uma revista estrangeira gospel. Do começo do ano para cá, a Geo demitiu 40% de seu corpo de funcionários.



ANITTA, funkeira que se transformou no novo fenômeno da música brasileira, já ganhou até uma cover transsexual: chama-se Transanitta, tem página no Facebook, veste-se como ela e dubla as músicas da original. E já vem sendo contratada para shows.



Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

terça-feira, 16 de julho de 2013


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 16 de julho de 2013

5 VIAGENS DE CAMPOS A bancada oposicionista quer o detalhamento das viagens do governador Eduardo Campos. Nos últimos 18 meses, o governo do Estado já gastou R$ 5,7 milhões com locação de jatinhos e helicópteros. Foram R$ 4,3 milhões em 2012 e R$ 1,4 milhão nos seis primeiros meses deste ano.

olítica

O alto custo dos nossos parlamentares O salário dos parlamentares no Brasil supera o de países ricos como Japão, Alemanha ou Canadá. Mesmo sem o 14º e o 15º, eles ainda têm outros tipos de ganhos.

O

salário básico dos que o Brasil aos seus parlaparlamentares no mentares, em termos absoluBrasil é maior do tos: Nigéria, Itália, Estados que o de países ri- Unidos e Austrália. Desses, no cos como Japão, Alemanha e entanto, somente a Nigéria é Canadá, segundo um levanta- mais pobre que o Brasil, em mento feito pela revista britâ- PIB per capita. nica The Economist. Se for conNa Austrália, os parlamensiderado como proporção do t a r e s g a n h a m m a i s d e Produto Interno Bruto (PIB) US$ 200 mil por ano, mas esse per capita, os valor equivaganhos dos le a menos de legisladores quatro vezes do Brasil suo PIB per capiperam o de ta. Essa pro24 dos 29 paíporção é coses analisamum a diverforam os países dos. sos países riexaminados pela At ua lm encos, como te, os deputaEstados Unirevista britânica The dos e senadod o s , A l e m aEconomist. res brasileinha, Japão, Os ganhos dos ros ganham o Canadá e Reiequivalente a no Unido. nossos legisladores US$ 157,6 mil Na França e superam os de 24. por ano de sana Suécia, o lário básico, salário dos ou 13 vezes o pa rla men taPIB per capita. O cálculo usa res equivale a, no máximo, uma cotação do dólar em pari- duas vezes o PIB per capita. Na dade do poder aquisitivo, com Espanha e na Noruega, a reo objetivo de neutralizar as va- muneração dessas autoridariações do poder de compra do des é muito próxima ao pródólar nas diferentes nações. prio PIB per capita do país. Entre os 29 países examinaEntre os países estudados, a dos pela The Economist, ape- Espanha é o que paga menos nas quatro deles pagam mais aos parlamentares, apenas

29

FAB divulga dados sobre voos oficiais

A

s informações relativas aos voos em aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) já estão disponíveis para consulta pública na internet. Basta acessar o site da FAB (www.fab.mil.br), depois seguir para o item "acesso à informação" e, por fim, "registro de voos". No portal, pode-se obter informações sobre os voos feitos em atendimento a autoridades, informou o Ministério da Defesa em nota à imprensa. Estão disponíveis dados referentes às autoridades apoiadas, trajetos, datas, horários de decolagem e pouso do voo, além do motivo da solicitação da aeronave, conforme previsto no Decreto nº 4.244, de 22 de maio de 2002. A página também veiculará o total de passageiros previstos para embarque nas aeronaves, com base na informação prestada pela autoridade solicitante do voo.

O Ministério da Defesa informou que, por segurança, as informações sobre os voos serão inseridas na página da FAB até às 18 horas do primeiro dia útil seguinte ao término da viagem. Quando a missão oficial for composta de mais de um trecho, a informação virá no primeiro dia útil após a conclusão do último trecho voado. O arquivo disponível ontem informava as viagens entre 12 e 14 de julho. Cita entre as autoridades apoiadas em 13 de julho. O ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, foi de Brasília a Caxias do Sul (RS), por motivo de "residência" com dois passageiros. E a ministra chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, foi de Brasília a Curitiba no dia 13 com motivo de "residência", e retorno a Brasília no domingo, dia 14, com motivo de "serviço" e previsão de seis passageiros nos dois trechos. (Estadão Conteúdo)

US$ 43,9 mil por ano. O levantamento da Economist foi feito porque no Reino Unido existe uma proposta de aumento do salário dos congressistas em 11,5%, em um momento em que a renda média do país está estagnada. Se o projeto vingar, a remuneração dos parlamentares deles subirá de US$ 105,4 mil por ano para US$ 117 mil (ainda abaixo da verificada no Brasil). Custo do Congresso – Considerando todo o Orçamento da Câmara e do Senado, o Poder Legislativo do Brasil gasta mais, por ano, do que o de Alemanha, França, Canadá e, inclusive, Itália, país onde os parlamentares ganham mais, segundo outro estudo, este feito pela Transparência Brasil, realizado em 2007. Hoje,

os congressistas brasileiros ganham R$ 26.723,13 por mês. No entanto, apesar de terem acabado com o 14º e o 15º salários, ainda têm vários outros tipos de remuneração. Os senadores têm auxíliomoradia (R$ 3.800 por mês), plano de saúde (sem limite para despesas médicas), cota parlamentar (até R$ 15 mil mensais com telefone, correio, alimentação e outros itens), passagens aéreas (cinco por mês, de ida e volta, entre Brasília e a capital do Estado que representa), carro oficial (com 10 litros de gasolina ou 14 de álcool por dia) e cargos de confiança (11 servidores comissionados, além de sete efetivos). Os deputados têm auxílio-moradia (R$ 3.000 por mês), reembol-

so com gastos em saúde, cota parlamentar (até R$ 34.258, dependendo do Estado que representa, para passagens aéreas, telefone, correio, alimentação e outros) e cargos de confiança (até 25 secretários, cuja soma de salários pode chegar a R$ 78 mil mensais). Prefeitos – Recentemente, o portal UOL fez um ranking dos maiores salários de prefeitos das 26 capitais do Brasil. O mais bem pago é o de Curitiba, Gustavo Fruet (PDT). Ele recebe nada menos que R$ 26.723 por mês. Ele ganha o mesmo valor do governador do seu Estado (Beto Richa, do PSDB) e até da presidente da República, Dilma Rousseff (PT). Logo em seguida, aparecem os prefeitos de São Luís (Maranhão); São Paulo (SP),

FÉRIAS ACABAM RÁPIDO. PRINCIPALMENTE SE VOCÊ NÃO DIRIGIR COM CONSCIÊNCIA. Quem viaja traz na lembrança paisagens incríveis, os lugares que descobriu e muitos momentos felizes. Mas, sem o cuidado e a atenção necessária ao volante, pode trazer também muitas lembranças ruins. Nestas férias, dirija com responsabilidade e volte para casa tranquilo. Respeite as leis de trânsito. Faça um Pacto pela Vida.

A imprudência pode acabar com suas férias. E deixar muita dor pelo caminho. transportes.gov.br paradapelavida.com.br rotasdascidades.com.br

157,6 mil dólares por ano: esse é o salário básico dos deputados e senadores brasileiros, ou seja, 13 vezes o PIB per capita. Aracaju (Maceió) e Belo Horizonte (Minas Gerais). O menor salário entre os prefeitos de capitais é o do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), com ganho mensal de R$ 13.965. (Agências)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 16 de julho de 2013

Não vou fazer atropelos. Não vou desrespeitar o Congresso. Danilo Forte, deputado (PMDB-CE)

olítica

Joel Rodrigues/Folhapress

PROPOSTA

VOTAÇÃO

Contas de campanha mais frouxas

Vem aí a PEC dos Mensaleiros

O

O

senador Jarbas Vasconcelos (PMDBPE) elogiou em Plenário, ontem, a decisão do presidente da Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), Vital do Rêgo (PMDB-PB), de votar nesta quarta-feira a PEC que torna automática a perda de mandato de parlamentares em determinados casos. A PEC 18/2013, de autoria de Jarbas e apelidada por ele de 'PEC dos Mensaleiros', determina a perda automática de mandato em caso de condenação por improbidade administrativa ou por crimes contra a Administração Pública. Jarbas observou que prevaleceu o "bom senso" depois de seus reiterados pedidos pela inclusão da matéria na pauta prioritária da Casa, para fortalecer o papel do Legislativo em um momento em que o Congresso Nacional se encontra com a imagem desgastada, "em crise de popularidade e credibilidade". "Lutei pela PEC 18, vim a esta tribuna cobrar sua apreciação, por ter a convicção de que esta é a decisão certa na hora certa", resumiu ele. O senador atribuiu a maior parte dessa perda de prestígio aos próprios deputados e senadores, que, segundo ele, permitem que o Executivo atue de "maneira autoritária, centralizadora e desrespeitosa". (Ag. Senado)

Cadeiras vazias: em julho, esse cenário costuma se repetir no Congresso, em Brasília, de onde fogem todos os parlamentares.

Congresso manobra para ter recesso branco Câmara e Senado só poderiam entrar em recesso se a LDO fosse votada. Não votaram, mas vão sair de férias.

O

presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), admitiu ontem que o Congresso deve entrar em uma espécie de "recesso branco", quando não há votações no plenário da Câmara e do Senado nem nas comissões das Casas. De acordo com a Constituição, o Congresso entraria em recesso a partir de quinta-feira, mas para que isso aconteça, os deputados e os senadores precisam aprovar a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias). O problema é que uma rebelião na bancada do PMDB da Câmara tem travado a discussão da proposta e as manobras do governo para tentar acelerar a tramitação. A expectativa é a de que nesta semana tão somente o relatório preliminar do depu-

tado Danilo Forte (PMDB-CE) duais, então é um tema de seja analisado. muita sensibilidade. Esse peSegundo ele, após a aprova- ríodo vai ser para apresentação dessa versão do parecer é ção de emendas que após dez preciso conceder um prazo de sessões, portanto no fim do dez dias para mês, serão a p r e s e n t aapreciadas ção de emenp e l a c o m i sdas com mosão de orçaEsse período será dificações na m e n t o e d epara apresentação matéria. pois chegar a "Não vou faplenário". de emendas que z e r a t r o p eOs peemeapós dez sessões, los. Não vou debistas conno fim do mês, desres peitar dicionam a serão apreciadas o C o n g r e svotação da pela comissão. so", afirmou o Lei de Diretrideputado Daz e s O r ç aHENRIQUE ALVES nilo Forte. mentárias ao O p r e s iprojeto que dente da Câmara defendeu a torna obrigatório o pagamenmovimentação e o período pa- to das emendas parlamentara apresentação de emendas. res – recursos direcionados "É um período muito impor- pelo Congresso no Orçamento tante porque são emendas de da União para redutos eleitointeresses regionais, esta- rais.

A medida é a principal bandeira de campanha de Henrique Alves e enfrenta resistência do Palácio do Planalto. A votação do orçamento impositivo para emendas está marcada para o início do agosto. Os deputados do PMDB temem que com a LDO aprovada o governo manobre para não colocar as emendas no Orçamento de 2014. Curiosidade – Vale lembrar que, em 2006, o Congresso Nacional aprovou emenda constitucional que determina que nenhum parlamentar de qualquer casa legislativa do Brasil pode receber remuneração extra se convocado para sessão extraordinária durante o recesso parlamentar. Curiosamente, não houve mais convocações extraordinária no Senado e na Câmara depois disso. (Agências)

deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP) concluiu relatório sobre mudanças nas regras eleitorais que na prática enfraquecem a atuação da Justiça Eleitoral. Articulado com representantes de partidos da base e da oposição, o texto propõe o fim da exigência de apresentação de recibos das doações de campanha e estabelece que para ter o registro de candidatura basta apresentar as contas, "independentemente de aprovação". O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDBRN), negou que a Casa esteja empenhada em aprovar um projeto que estabeleça um menor rigor para a prestação de contas de candidatos. De acordo com o projeto, a comprovação será feita por recebidos com registros da movimentação bancária das campanhas, onde os doadores seriam identificados. "Não afrouxamos. A ideia é aperfeiçoamento. Vamos aguardar o projeto votado pela comissão, uma comissão extensa e de muitos partidos representados, e que vai ser debatida abertamente", afirmou Eduardo Alves. O presidente da Câmara afirmou que a votação da matéria, prevista para ocorrer esta semana, ainda vai depender do aval dos líderes. (Folhapress)

DILMA 'ORA POR MOMENTO DELICADO' DO BRASIL Presidente recebe grupo de evangélicas, entre elas, pastoras e cantoras, e chora com o apoio recebido. Pedro Ladeira/Folhapress

A

presidente Dilma Rousseff recebeu ontem um grupo de 16 líderes evangélicas e, segundo presentes na reunião, se emocionou e orou junto com as religiosas pelo "momento delicado" pelo qual o País está passando. A audiência faz parte da estratégia do governo de dar resposta às manifestações que tomam conta das ruas em vários Estados. Há pouco mais de 15 dias, pelo Twitter, o deputado Pastor Marco Feliciano mandou uma mensagem ao pastor Silas Malafaia sobre uma reunião da presidente com ativistas LGBT. "Somos ou não somos invisíveis?", questionou. Ainda pela rede social, Mala-

faia disse que Dilma tem recebido até "vadias", mas esqueceu dos evangélicos. A resposta do governo veio ontem. Estavam na reunião a cantora gospel Ana Paula Valadão, Damares Oliveira, Mara Maravilha e outras líderes conhecidas, como Cristiana Cardoso (filha do bispo Edir Macedo) e a bispa Sônia Hernandes, da Igreja Renascer. Mara contou que cantou para a presidente, entre várias orações, a música "Sabor de mel", do álbum "Apocalipse". "Foi uma festa bonita ali dentro. A presidente Dilma nos recebeu com muita humildade, carinho. Ela se emocionou algumas vezes, a gente chorou juntas. Foi muito positivo", disse Damares após o enconSECRETARIA DA SAÚDE COORDENADORIA REGIONAL DE SAÚDE LESTE

EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL Nº 14/2013 - CRS/Leste PROCESSO Nº:2013-0.162.916-9 OBJETO: Contratação de empresa especializada em prestação de serviços de manutenção preventiva e corretiva em equipamentos odontológicos com reposição de peças. COMUNICADO - REABERTURA DE LICITAÇÃO FICA ABERTA a licitação na modalidade PREGÃO PRESENCIAL, tendo como objeto: Contratação de empresa especializada em prestação de serviços de manutenção preventiva e corretiva em equipamentos odontológicos com reposição de peças.Preço do Edital:Preço por cada folha solicitada.(xerox:R$ 0,15). Os documentos referentes ao credenciamento, os envelopes contendo as propostas comerciais e os documentos de habilitação das empresas interessadas deverão ser entregues diretamente ao Pregoeiro da Comissão Julgadora de Licitações, no momento da abertura da sessão pública de pregão, que ocorrerá às 09:30 horas do dia 07 de agosto de 2013, na Coordenadoria Regional de Saúde Leste, na Av. Pires do Rio, 199 - São Miguel Paulista/SP. O edital de pregão poderá ser consultado e/ou obtido no site: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br ou na Seção de Compras/Licitação, na sede da Coordenadoria Regional de Saúde Leste, na Av. Pires do Rio, 199 São Miguel Paulista/SP, no horário das 8:00 às 17:00 h, ou mediante o pagamento de cópias reprográficas, com o recolhimento junto à instituição bancária oficial.

tro. "Deus está restaurando a saúde dela, porque é um momento de muita pressão. O Brasil está vivendo um momento muito delicado, e nós viemos aqui representando a igreja evangélica no Brasil e apoiando ela no que ela precisar. A gente não veio pedir nada. A gente veio apoiar, nesse momento de tantas manifestações, porque a gente sabe que é uma carga muito pesada o que ela está levando." Em meio a especulações sobre redução de ministérios, o ministro Marcelo Crivella (Pesca), presente na reunião, descartou que seria rifado de sua pasta em eventual reintegração com o Ministério da Agricultura. Para ele, o potencial do Brasil é "tão grande para a produção de peixes", que os brasileiros não deveriam abrir mão de uma pasta exclusiva para esse tema. (Folhapress)

Em encontro com evangélicas, entre elas Sônia Hernandes e Mara Maravilha, Dilma participa de orações.

Presidente irá à posse de Cartes

A

presidente Dilma Rousseff deve ir à posse do presidente eleito do Paraguai, Horacio Cartes, informou ontem o ministro das Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota. A cerimônia de posse está marcada para o próximo dia 15 de agosto.

Na semana passada, Cartes rejeitou a oferta de o Paraguai ser reintegrado ao grupo do qual está afastado há cerca de um ano. A proposta foi feita na semana passada, quando os presidentes do bloco decidiram, na XLV Reunião de Cúpula de Chefes de Estado do Merco-

sul, em Montevidéu. O Paraguai foi suspenso do Mercosul em 2012, em reflexo ao impeachment de Fernando Lugo da Presidência do País. Para os demais membros do bloco, o processo de destituição violou o direito de defesa de Lugo e teria rompido com a ordem democrática. O im-

peachment ocorreu no final de junho do ano passado. A presidência temporária é rotativa entre os sócios do grupo, com substituição a cada seis meses. A sequência, desde a fundação do bloco, em 1991, é por ordem alfabética. A suspensão do Paraguai alterou essa rotina. (EC)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 16 de julho de 2013

Se ele tiver uma empresa privada, faz o que quiser com o dinheiro, mas não com verba pública. Major Olímpio, deputado estadual (PDT)

olítica

Auxíliomoradia, acaba, surge o bônus de gabinete.

T

rês semanas após o Tribunal de Justiça determinar o fim do pagamento de auxíliomoradia aos deputados estaduais, a Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) aumentou o valor da verba disponível para que os parlamentares distribuam entre os servidores de seus gabinetes: a chamada Gratificação Especial de Desempenho (GED). Até 1.º de junho, os parlamentares tinham até R$ 5.700 para distribuir mensalmente entre seus funcionários a título de GED, o que representa 1,5 cota da gratificação (atualmente, cada cota equivale a R$ 3.800). A partir desta data, os parlamentares passaram a ter direito a 2,5 cotas, ou seja, a R$ 9.500. O gasto com a medida, que pode chegar a R$ 4,3 milhões anuais, deve superar o dispêndio da Casa com o extinto auxíliomoradia, que era de R$ 2,5 milhões. Curiosamente, a medida passou a valer no mês em que centenas de milhares de pessoas foram às ruas no País demonstrar sua insatisfação com os políticos. O aumento da verba foi adotado discretamente. Não houve registro em documentos. O deputado estadual Major Olímpio (PDT) confirmou a elevação da verba. O jornal O Estado de S.Paulo ainda colheu depoimentos de servidores que, sob a condição de anonimato, disseram que alguns parlamentares pedem o dinheiro para eles. A extinção do auxíliomoradia, benefício de R$ 2.250 que era recebido mensalmente pelos 94 deputados, foi determinada pelo Tribunal de Justiça em 9 de maio. Em 17 de maio, a Alesp desistiu de recorrer e criou no lugar o auxíliohospedagem, este de caráter indenizatório. Esse auxílio de R$ 2.850 mensais só é pago aos deputados que não moram na região metropolitana e ou não têm imóvel em São Paulo. (EC)

7

Alesp pede investigação de filha de ex- presidente da Cesp Denise Christofari foi às bienais de Florença, em 2009, e Roma, em 2010, com patrocínio da Cesp. Pode isso?

D

e p u t a d o s e s t aduais de São Paulo vão pedir ao Ministério Público que investigue o patrocínio de R$ 46,5 mil que um diretor de uma empresa do governo estadual viabilizou para que sua própria filha viajasse para a Itália a fim de participar de exposições de arte. Reportagem da Folha de S. Pa u l o de ontem mostrou que a pintora Denise Chiaradia Christofari foi às bienais de Florença, em 2009, e Roma, em 2010, com patrocínio

da Companhia Energética de São Paulo (Cesp). Quem viabilizou a ajuda foi o pai de Denise, o engenheiro Vilson Christofari, que na época era diretor de geração da empresa e, meses após a filha voltar de Roma, assumiu a presidência da companhia. O patrocínio foi pago por meio de um instituto tocado por Emanuel von Laurenstein Massarani, superintendente do patrimônio cultural da Assembleia Legislativa de SP (Alesp), acusado de distribuir falsas bençãos papais.

"Vou esperar a mobiliza- lia, mas diz não haver conflito ção da Mesa Diretora da As- ético no caso. "Melhor pedir à sembleia, se ela não ocorrer, Cesp do que a qualquer um vou levar minha representa- dos fornecedores da compação ao Ministério Público", nhia, que certamente não disse o deputado iriam se negar a estadual Major ajudar", disse Olímpio (PDT). Christofari. Isso pode O ex-presidenPara Olímpio, te da Cesp admiao admitir que ser ilegal te ter atuado na a t u o u p e l o p ae configurar estatal para ajutrocínio, o excaso de dar a financiar a presidente da improbidade participação da estatal "se conadministrativa. filha em duas exf e s s a m i n i m ap o s i ç õ e s i n t e rm e n t e i m p r oCARLOS GIANNAZI nacionais na Itábo". "Se ele tiver

NCF Participações S.A. CNPJ no 04.233.319/0001-18 - NIRE 35.300.183.371 Ata Sumária da 25a Assembleia Geral Extraordinária e da 12a Assembleia Geral Ordinária realizadas cumulativamente em 23.4.2013 Data, Hora, Local: Em 23.4.2013, às 14h, na sede social, Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06.029-900, no Salão Nobre do 5 o andar. Mesa: Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Antônio Bornia. Quórum de Instalação: Totalidade do Capital Social. Presença Legal: Administrador da Sociedade e representante da empresa KPMG Auditores Independentes. Publicações Prévias: Os documentos de que trata o Artigo 133 da Lei n o 6.404/76, quais sejam, o Relatório da Administração e dos Auditores Independentes, e as Demonstrações Contábeis, relativos ao exercício social findo em 31.12.2012, foram publicados em 11.4.2013, nos jornais “Diário Oficial do Estado de São Paulo”, páginas 6 e 7, e “Diário do Comércio”, páginas 11 e 12; Leitura de Documentos: Os documentos citados no item “Publicações Prévias”, bem como as propostas da Diretoria foram lidos, colocados sobre a mesa e entregues à apreciação dos acionistas. Edital de Convocação: Dispensada a publicação de conformidade com o disposto no §4o do Art. 124 da Lei no 6.404/76. Deliberações : Assembleia Geral Extraordinária: aprovada, sem qualquer alteração ou ressalva, a proposta da Diretoria, registrada na Reunião daquele Órgão de 15.4.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para alterar parcialmente o Estatuto Social, no “caput” do Artigo 7o, relativamente à extensão do prazo de mandato dos membros da Diretoria; e excluir o Artigo 13, renumerando-se os demais. Tendo em vista a aprovação das alterações propostas, foi dispensada a transcrição do Artigo mencionado, considerando que o Estatuto Social consolidado passa a fazer parte integrante desta Ata, como Anexo. Assembleia Geral Ordinária: I) tomaram conhecimento dos Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes, e aprovaram, sem ressalvas, as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31.12.2012; II) aprovada a proposta da Diretoria, sem qualquer alteração ou ressalva, registrada na Reunião daquele Órgão de 15.4.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para destinação do lucro líquido do exercício no valor de R$416.248.769,45, conforme segue: R$20.812.438,47 para a conta “Reserva de Lucros - Reserva Legal”; R$391.295.623,84 para a conta “Reserva de Lucros – Estatutária”; e R$4.140.707,14 para pagamento de Dividendos, o qual deverá ser feito até 31.12.2013; III) reeleitos, para compor a Diretoria da Sociedade, os senhores: Diretor-Presidente - Lázaro de Mello Brandão, brasileiro, casado, bancário, RG 1.110.377-2/SSP-SP, CPF 004.637.528/72; Diretor Vice-Presidente - Antônio Bornia , brasileiro, viúvo, bancário, RG 11.323.129/SSP-SP, CPF 003.052.609/44; Diretores - Mário da Silveira Teixeira Júnior, brasileiro, casado, bancário, RG 3.076.007-0/SSP-SP, CPF 113.119.598/15; Luiz Carlos Trabuco Cappi, brasileiro, casado, bancário, RG 5.284.352-X/SSP-SP, CPF 250.319.028/68; Carlos Alberto Rodrigues Guilherme, brasileiro, casado, bancário, RG 6.448.545/SSP-SP, CPF 021.698.868/34; Milton Matsumoto, brasileiro, casado, bancário, RG 29.516.917-5/ SSP-SP, CPF 081.225.550/04; Julio de Siqueira Carvalho de Araujo, brasileiro, casado, bancário, RG 55.567.472-1/SSPSP, CPF 425.327.017/49; Domingos Figueiredo de Abreu , brasileiro, casado, bancário, RG 6.438.883-9/SSP-SP, CPF 942.909.898/53; José Alcides Munhoz , brasileiro, casado, bancário, RG 50.172.182-4/SSP-SP, CPF 064.350.330/72; Aurélio Conrado Boni , brasileiro, casado, bancário, RG 4.661.428-X/SSP-SP, CPF 191.617.008/00; Sérgio Alexandre Figueiredo Clemente , brasileiro, casado, bancário, RG 55.799.633-8/SSP-SP, CPF 373.766.326/20; e Marco Antonio Rossi, brasileiro, casado, bancário, RG 12.529.752-X/SSP-SP, CPF 015.309.538/55, todos com domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06.029-900. Todos terão mandato de 1 (um) ano, estendendo-se até a posse dos Diretores que serão eleitos na Assembleia Geral Ordinária que se realizar no ano de 2014. Os Diretores reeleitos declararam, sob as penas da lei, que não estão impedidos de exercer a administração de sociedade mercantil em virtude de condenação criminal; IV) fixado o montante global anual para remuneração dos Administradores, no valor de até R$150.000,00 (cento e cinquenta mil reais), a ser distribuída em reunião da Diretoria, conforme determina a letra “g” do Artigo 9o do Estatuto Social. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente esclareceu que, para as deliberações tomadas, o Conselho Fiscal da Companhia não foi ouvido por não se encontrar instalado no período, e encerrou os trabalhos, lavrando-se a presente Ata, que lida e achada conforme, foi aprovada por todos os presentes que a subscrevem. aa) Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Antônio Bornia; Administrador: Domingos Figueiredo de Abreu; Acionistas: Cidade de Deus - Companhia Comercial de Participações; Fundação Bradesco e Nova Cidade de Deus Participações S.A., representadas por seu Diretor-Presidente, senhor Lázaro de Mello Brandão; Auditor: Zenko Nakassato. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Antônio Bornia – Secretário. Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 210.210/13-8, em 4.6.2013. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral. Estatuto Social - NCF Participações S.A. - Título I - Da Organização, Duração e Sede. Art. 1o ) A NCF Participações S.A., doravante chamada Sociedade, rege-se pelo presente Estatuto. Art. 2 o) O prazo de duração da Sociedade é indeterminado. Art. 3o) A Sociedade tem sede e foro no município e comarca de Osasco, Estado de São Paulo. Art. 4o ) Poderá a Sociedade instalar ou suprimir Filiais, Escritórios e Dependências de qualquer natureza no País, a critério da Diretoria, observados os preceitos legais. Título II - Dos Objetivos Sociais. Art. 5o) A sociedade tem por objeto: a) participação como sócia ou acionista em outras sociedades; b) realização de aplicações em títulos e valores mobiliários. Título III - Do Capital Social. Art. 6o) O Capital Social é de R$4.265.401.906,86 (quatro bilhões, duzentos e sessenta e cinco milhões, quatrocentos e um mil, novecentos e seis reais e oitenta e seis centavos), dividido em 2.121.728.396 (dois bilhões, cento e vinte e um milhões, setecentas e vinte e oito mil, trezentas e noventa e seis) ações nominativas-escriturais, sem valor nominal, das quais 1.121.871.405 (um bilhão, cento e vinte e um milhões, oitocentas e setenta e uma mil, quatrocentas e cinco) ordinárias e 999.856.991 (novecentos e noventa e nove milhões, oitocentas e cinquenta e seis mil, novecentas e noventa e uma) preferenciais, estas sem direito a voto, mas com prioridade no reembolso do Capital Social, em caso de liquidação da Sociedade e com todos os direitos e vantagens conferidos às ações ordinárias, bem como a dividendos 10% (dez por cento) maiores do que os atribuídos às ações ordinárias. Parágrafo Primeiro - Nos aumentos de capital, será realizada no ato da subscrição a parcela mínima exigida em lei e o restante será integralizado mediante chamada da Diretoria, observados os preceitos legais. Parágrafo Segundo - Todas as ações da Sociedade são escriturais, permanecendo em contas de depósito, no Banco Bradesco S.A., em nome de seus titulares, sem emissão de certificados, podendo ser cobrado dos acionistas o custo do serviço de transferência da propriedade das referidas ações. Parágrafo Terceiro - Não será permitida a conversão de ações ordinárias em preferenciais e viceversa. Título IV - Da Administração. Art. 7 o) A Sociedade será administrada por uma Diretoria, eleita pela Assembleia Geral, com mandato de 1 (um) ano, estendendo-se até a posse dos novos Administradores eleitos, composta de 3 (três) a 16

BSP Empreendimentos Imobiliários S.A.

Deputado quer fim de sigilo no BNDES

U

m projeto do deputado federal César Colnago (PSDB-ES) quer retirar qualquer proteção de sigilo bancário sobre operações financeiras e de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e suas subsidiárias. A justificativa dessa proteção foi usada pelo BNDES para não informar ao Congresso qual a dívida atual do grupo empresarial de Eike Batista e os pagamentos já efetuados nos contratos. Ontem, O Estado de S.Paulo mostrou que aditivos em contratos beneficiaram empresas do grupo de Eike com prorrogação de prazos de pagamento, de disponibilidade de recursos em contas de reserva e de cumprimento de exigências técnicas. De acordo com os documentos, entre 2009 e 2012 foram firmados 15 contratos no valor de R$ 10,7 bilhões com juros baixos, garantias em ações das próprias companhias ou bens que ainda seriam adquiridos. O deputado espera que a aprovação do projeto possibilite abrir a "caixa preta" do banco. (EC)

CNPJ no 14.312.353/0001-31 - NIRE 35.300.413.245 Ata Sumária das Assembleias Gerais Extraordinária e Ordinária realizadas cumulativamente em 29.4.2013 Data, Hora, Local: Em 29.4.2013, às 8h, na sede social, Avenida Paulista, 1.415, parte, Bela Vista, São Paulo, SP, CEP 01.311-925. Mesa: Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Carlos Alberto Rodrigues Guilherme. Quórum de Instalação: Totalidade do Capital Social. Presença legal: Administrador da Sociedade e representante da empresa KPMG Auditores Independentes. Publicações Prévias: Os documentos de que trata o Artigo 133 da Lei no 6.404/76, quais sejam, o Relatório da Administração e dos Auditores Independentes, e as Demonstrações Contábeis, relativos ao exercício social findo em 31.12.2012, foram publicados em 28.2.2013, nos jornais “Diário Oficial do Estado de São Paulo”, páginas 35 a 39, e “Diário do Comércio”, páginas 13 a 15; Leitura de Documentos: Os documentos citados no item “Publicações Prévias”, bem como as propostas da Diretoria foram lidos, colocados sobre a mesa e entregues à apreciação dos acionistas. Edital de Convocação: Dispensada a publicação, de conformidade com o disposto no §4o do Art.124 da Lei no 6.404/76. Deliberações: Assembleia Geral Extraordinária: aprovada, sem qualquer alteração ou ressalva, a proposta do Conselho de Administração, registrada na Reunião Extraordinária daquele Órgão de 19.4.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para alterar parcialmente o Estatuto Social: a) nos Artigos 8 o e 12, relativamente à extensão do prazo de mandato dos membros do Conselho de Administração e da Diretoria; b) excluir os Artigos 18 e 19, renumerando-se os Artigos seguintes, em face da unificação dos Comitês Estratégico e de Desenvolvimento de Negócios, que constituirão o Comitê Estratégico, órgão não estatutário que incorporará as funções dos mencionados Comitês, alterando-se, em consequência, o Parágrafo Segundo do Artigo 9o . Tendo em vista a aprovação das alterações propostas, foi dispensada a transcrição dos Artigos mencionados, considerando que o Estatuto Social consolidado passa a fazer parte integrante desta Ata, como Anexo. Assembleia Geral Ordinária: I) tomaram conhecimento dos Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes, e aprovaram, sem ressalvas, as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31.12.2012; II) aprovada a proposta do Conselho de Administração, sem qualquer alteração ou ressalva, registrada na Reunião daquele Órgão de 19.4.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para destinação do lucro líquido do exercício no valor de R$265.721.565,35, conforme segue: R$13.286.078,27 para a conta “Reserva de Lucros - Reserva Legal”; R$249.911.132,21 para a conta “Reserva de Lucros - Estatutária”; e R$2.524.354,87 para pagamento de Dividendos aos acionistas da Sociedade, o qual deverá ser feito até 31.12.2013, na proporção de suas participações no capital social; III) reeleitos, para compor o Conselho de Administração, os senhores: Lázaro de Mello Brandão , brasileiro, casado, bancário, RG 1.110.377-2/SSP-SP, CPF 004.637.528/72; Antônio Bornia , brasileiro, viúvo, bancário, RG 11.323.129/SSP-SP, CPF 003.052.609/44; Mário da Silveira Teixeira Júnior, brasileiro, casado, bancário, RG 3.076.007-0/SSP-SP, CPF 113.119.598/15; Luiz Carlos Trabuco Cappi , brasileiro, casado, bancário, RG 5.284.352-X/SSP-SP, CPF 250.319.028/68; Carlos Alberto Rodrigues Guilherme, brasileiro, casado, bancário, RG 6.448.545/SSP-SP, CPF 021.698.868/34; e Milton Matsumoto , brasileiro, casado, bancário, RG 29.516.917-5/SSP-SP, CPF 081.225.550/04, todos com domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029900. Todos terão mandato de 1 (um) ano, estendendo-se até a posse dos Conselheiros que serão eleitos na Assembleia Geral Ordinária que se realizar no ano de 2014. Os Conselheiros reeleitos declararam, sob as penas da lei, que não estão impedidos de exercer a administração de sociedade mercantil em virtude de condenação criminal; IV) fixado o montante global anual da remuneração dos Administradores, no valor de até R$3.100.000,00, a ser distribuída em Reunião do Conselho de Administração, aos membros do próprio Conselho e da Diretoria, conforme determina a letra “o” do Artigo 9o do Estatuto Social. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente esclareceu que, para as deliberações tomadas, o Conselho Fiscal da Companhia não foi ouvido por não se encontrar instalado no período, e encerrou os trabalhos, lavrando-se a presente Ata, que lida e achada conforme, foi aprovada por todos os presentes que a subscrevem. aa) Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Carlos Alberto Rodrigues Guilherme; Administrador: Samuel Monteiro dos Santos Junior; Acionistas: Bradesco Seguros S.A., Bradesco Vida e Previdência S.A., Bradesco SegPrev Investimentos Ltda. e Bradesco Auto/RE Companhia de Seguros, todas representadas por seu Diretor, senhor Haydewaldo Roberto Chamberlain da Costa; Auditor: Ederson Rodrigues de Carvalho. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Carlos Alberto Rodrigues Guilherme – Secretário. Estatuto Social - BSP Empreendimentos Imobiliários S.A. - Título I - Da Organização, Duração e Sede - Art. 1o)A BSP Empreendimentos Imobiliários S.A., doravante chamada Sociedade, rege-se pelo presente Estatuto. Art. 2o) O prazo de duração da Sociedade é indeterminado. Art. 3 o) A Sociedade tem sede na Avenida Paulista, 1.415, parte, Bela Vista, no município e comarca de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 01311-925, e foro no mesmo município. Art. 4o ) Poderá a Sociedade, observados os preceitos legais, instalar ou suprimir Escritórios e Dependências de qualquer natureza no País, a critério da Diretoria, e no Exterior, com a aprovação adicional do Conselho de Administração, doravante chamado também Conselho. - Título II - Dos Objetivos Sociais - Art. 5o) A Sociedade tem por objeto: a) a participação em sociedades, consórcios, fundos de investimento e demais veículos que tenham por objeto a atividade imobiliária; e b) a compra, venda, locação e administração em geral de bens imóveis próprios. - Título III - Do Capital Social - Art. 6o) O Capital Social é de R$859.011.295,21 (oitocentos e cinquenta e nove milhões, onze mil, duzentos e noventa e cinco reais e vinte e um centavos), dividido em 850.627.906 (oitocentos e cinquenta milhões, seiscentas e vinte e sete mil, novecentas e seis) ações ordinárias, nominativas-escriturais, sem valor nominal. Parágrafo Primeiro - Nos aumentos de capital, será realizada no ato da subscrição a parcela mínima exigida em lei e o restante será integralizado mediante chamada da Diretoria, observados os preceitos legais. Parágrafo Segundo - Todas as ações da Sociedade são escriturais, permanecendo em contas de depósito, na Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários, em nome de seus titulares, sem emissão de certificados, podendo ser cobrado dos acionistas o custo do serviço de transferência da propriedade das referidas ações. - Título IV - Da Administração - Art. 7 o) A Sociedade será administrada por um Conselho de Administração e por uma Diretoria. - Título V - Do Conselho de Administração - Art. 8o) O Conselho de Administração, com mandato de 1 (um) ano, estendendo-se até a posse dos novos Administradores eleitos, é composto de 3 (três) a 8 (oito) membros, que escolherão entre si 1 (um) Presidente e 1 (um) VicePresidente. Parágrafo Primeiro - O Conselho deliberará validamente desde que presente a maioria absoluta dos membros em exercício, inclusive o Presidente, que terá voto de qualidade no caso de empate. Parágrafo Segundo - Na vacância do cargo e nas ausências ou impedimentos temporários do Presidente do Conselho, assumirá o Vice-Presidente. Nas ausências ou impedimentos temporários deste, o Presidente designará substituto entre os demais membros. Vagando o cargo de VicePresidente, o Conselho nomeará substituto, que servirá pelo tempo que faltar para completar o mandato do substituído. Parágrafo Terceiro - Nas hipóteses de afastamento temporário ou definitivo de qualquer dos outros conselheiros, os demais poderão nomear substituto para servir em caráter eventual ou permanente, observados os preceitos da lei e deste Estatuto. Art. 9o) Além das previstas em lei e neste Estatuto, são também atribuições e deveres do Conselho: a) zelar para que a Diretoria esteja, sempre, rigorosamente apta a exercer suas funções; b) cuidar para que os negócios sociais sejam conduzidos com probidade, de modo a preservar o bom nome da Sociedade; c) sempre que possível, preservar a continuidade administrativa, altamente recomendável à estabilidade, prosperidade e segurança da Sociedade; d) fixar a orientação geral dos negócios da Sociedade; e) estabelecer o limite de endividamento da Sociedade; f) deliberar sobre as condições das operações ativas e passivas; g) autorizar, nos casos de operações com empresas não integrantes da Organização Bradesco, a aquisição, alienação e a oneração de bens integrantes do Ativo e de participações societárias de caráter não-permanente da Sociedade e

uma empresa privada, faz o que quiser com o dinheiro, mas não com verba pública." Carlos Giannazi (PSol) avisou que vai pedir explicações por escrito à Mesa Diretora para saber se a Assembleia Legislativa de SP tem em seus quadros outra pessoa na mesma situação de Massarani – sem vínculo empregatício, mas com direito a sala, equipamentos, funcionários e carro oficial. "Isso pode ser ilegal e configurar caso de improbidade administrativa", afirmou. (Folhapress)

(dezesseis) membros, sendo 1 (um) Diretor-Presidente, 1 (um) Diretor Vice-Presidente e de 1 (um) a 14 (catorze) Diretores. Art. 8o) Aos Diretores compete administrar e representar a Sociedade, com poderes para obrigá-la em quaisquer atos e contratos de seu interesse, podendo transigir e renunciar direitos e adquirir, alienar e onerar bens, observando o disposto no Parágrafo Primeiro deste Artigo. Parágrafo Primeiro - A aquisição, alienação ou oneração de bens integrantes do Ativo Permanente, inclusive participações societárias, observados quanto a estas os preceitos legais, e a concessão de garantias reais ou pessoais a obrigações de terceiros, serão deliberadas em reunião da Diretoria, observando, porém, a presença e os votos favoráveis de todos os Diretores em exercício, sendo obrigatória a presença de quem estiver no exercício do cargo de Diretor-Presidente. Parágrafo Segundo - Ressalvadas as exceções previstas expressamente neste Estatuto, a Sociedade só se obriga mediante assinaturas, em conjunto, de no mínimo 2 (dois) Diretores. Parágrafo Terceiro - A Sociedade poderá também ser representada por no mínimo 1 (um) Diretor e 1(um) procurador, ou por no mínimo 2 (dois) procuradores, em conjunto, especialmente constituídos, devendo do respectivo instrumento de mandato constar os seus poderes, os atos que poderão praticar e o seu prazo. Parágrafo Quarto - A Sociedade poderá ainda ser representada isoladamente por qualquer membro da Diretoria ou por procurador com poderes específicos, nos seguintes casos: a) mandatos com cláusula “ad judicia”, hipótese em que a procuração poderá ter prazo indeterminado e ser substabelecida; b) recebimento de citações ou intimações judiciais ou extrajudiciais; c) participação em licitações; d) em Assembleias Gerais de Acionistas ou Cotistas de empresas ou fundos de investimento de que a Sociedade participe, bem como de entidades de que seja sócia ou filiada; e) perante órgãos e repartições públicas, desde que não implique na assunção de responsabilidades e/ou obrigações pela Sociedade; f) em depoimentos judiciais. Art. 9 o) Compete à Diretoria, reunida e deliberando de conformidade com o presente Estatuto: a) deliberar sobre as condições das operações ativas e passivas; b) estabelecer o limite de endividamento da Sociedade; c) zelar para que os Diretores estejam, sempre, rigorosamente aptos a exercer suas funções; d) cuidar para que os negócios sociais sejam conduzidos com probidade, de modo a preservar o bom nome da Sociedade; e) sempre que possível, preservar a continuidade administrativa, altamente recomendável à estabilidade, prosperidade e segurança da Sociedade; f) fixar a orientação geral dos negócios da Sociedade; g) limitado ao montante global anual aprovado pela Assembleia Geral, realizar a distribuição da verba de remuneração aos Administradores; h) autorizar, “ad referendum” da Assembleia Geral, a concessão de qualquer modalidade de doação, contribuição ou auxílio, independentemente do beneficiário; i) aprovar a aplicação de recursos oriundos de incentivos fiscais; j) submeter à Assembleia Geral propostas objetivando aumento ou redução do capital social, grupamento, bonificação ou desdobramento de suas ações, operações de fusão, incorporação ou cisão e reformas estatutárias da Sociedade; k) deliberar sobre associações, envolvendo a Sociedade, inclusive participação em acordos de acionistas. Art. 10) Além das atribuições normais que lhe são conferidas pela lei e por este Estatuto, compete especificamente a cada membro da Diretoria; a) ao Diretor-Presidente, presidir as reuniões da Diretoria, supervisionar e coordenar a ação de seus membros; b) ao Diretor Vice-Presidente, colaborar com o Diretor-Presidente no desempenho de suas funções; c) aos Diretores, coordenar e dirigir as atividades de suas respectivas áreas, reportando-se ao Diretor-Presidente e ao Diretor VicePresidente. Art. 11) A Diretoria fará reuniões sempre que necessário, deliberando validamente desde que presente mais da metade dos seus membros em exercício, com a presença obrigatória do titular do cargo de Diretor-Presidente, ou seu substituto. As reuniões serão realizadas sempre que convocadas pelo Presidente da Diretoria ou, ainda, por 3 (três) Diretores. Parágrafo Primeiro - A Diretoria deliberará por maioria de votos, cabendo ao seu Presidente voto de qualidade no caso de empate. Parágrafo Segundo - Nas ausências ou impedimentos temporários do Presidente da Diretoria, assumirá o Diretor Vice-Presidente. Parágrafo Terceiro - Em caso de ausências ou impedimentos temporários dos demais Diretores, a própria Diretoria escolherá o substituto interino dentre seus membros. Em caso de vaga, a eleição do substituto se fará de acordo com o que dispõe o Artigo 7 o deste Estatuto. Art. 12) Para o exercício do cargo de Diretor é necessário dedicar tempo integral aos serviços da Sociedade, sendo incompatível o exercício do cargo de Diretor desta com o desempenho de outras funções ou atividades profissionais, ressalvados os casos em que a Sociedade tenha interesse. Título V - Do Conselho Fiscal. Art. 13) O Conselho Fiscal, não-permanente, compor-se-á, quando instalado, de 3 (três) a 5 (cinco) membros efetivos e de igual número de suplentes. Título VI - Das Assembleias Gerais. Art. 14) As Assembleias Gerais Ordinárias e Extraordinárias serão presididas pelo Presidente da Diretoria, ou, na sua ausência, por seu substituto estatutário, que convidará um dos presentes para Secretário. Título VII - Do Exercício Social e da Distribuição de Resultados. Art. 15) O exercício social coincide com o ano civil, terminando no dia 31 de dezembro. Art. 16) Será levantado balanço no dia 31 de dezembro de cada ano, facultado à Diretoria, determinar o levantamento de balanços semestrais ou em menores períodos, inclusive mensais. Art. 17) O Lucro Líquido, como definido no Artigo 191 da Lei n o 6.404, de 15.12.76, apurado em cada balanço, terá, pela ordem, a seguinte destinação: I. constituição da Reserva Legal; II. constituição das Reservas previstas nos Artigos 195 e 197 da mencionada Lei no 6.404/76, mediante proposta da Diretoria, deliberada pela Assembleia Geral; III. pagamento de dividendos propostos pela Diretoria que, somados aos dividendos intermediários e/ou juros sobre o capital próprio de que tratam os Parágrafos Segundo e Terceiro deste Artigo, que tenham sido declarados, assegure aos acionistas, em cada exercício, a título de dividendo mínimo obrigatório, 1% (um porcento) do respectivo lucro líquido, ajustado pela diminuição ou acréscimo dos valores especificados nos itens I, II e III do Artigo 202 da referida Lei n o 6.404/76. Parágrafo Primeiro - A Diretoria fica autorizada a declarar e pagar dividendos intermediários, especialmente semestrais e mensais, à conta de Lucros Acumulados ou de Reservas de Lucros existentes. Parágrafo Segundo - Poderá a Diretoria, ainda, autorizar a distribuição de lucros aos acionistas a título de juros sobre o capital próprio, nos termos da legislação específica, em substituição total ou parcial dos dividendos intermediários, cuja declaração lhe é facultada pelo parágrafo anterior ou, ainda, em adição aos mesmos. Parágrafo Terceiro - Os juros eventualmente pagos aos acionistas serão imputados, líquidos do imposto de renda na fonte, ao valor do dividendo mínimo obrigatório do exercício de 1% (um porcento), de acordo com o Inciso III do “caput” deste Artigo. Art. 18) O saldo do Lucro Líquido, verificado após as distribuições acima previstas, terá a destinação proposta pela Diretoria e deliberada pela Assembleia Geral, podendo ser destinado 100% (cem porcento) à Reserva de Lucros - Estatutária, visando à manutenção de margem operacional compatível com o desenvolvimento das operações ativas da Sociedade, até atingir o limite de 95% (noventa e cinco porcento) do valor do capital social integralizado.Parágrafo Único - Na hipótese da proposta da Diretoria sobre a destinação a ser dada ao Lucro Líquido do exercício conter previsão de distribuição de dividendos e/ou pagamento de juros sobre capital próprio em montante superior ao dividendo obrigatório estabelecido no Artigo 17, Inciso III, e/ou retenção de lucros nos termos do Artigo 196 da Lei n o 6.404/76, o saldo do Lucro Líquido para fins de constituição da reserva mencionada neste Artigo será determinado após a dedução integral dessas destinações. Declaramos que o presente é Estatuto Social desta Empresa e contém a deliberação aprovada na AGE de 23.4.2013. NCF Participações S.A. aa) Domingos Figueiredo de Abreu e José Alcides Munhoz.

de suas controladas diretas e indiretas, quando de valor superior a 1% (um porcento) de seus respectivos Patrimônios Líquidos; h) autorizar a concessão de qualquer modalidade de doação, contribuição ou auxílio, independentemente do beneficiário; i) aprovar o pagamento de dividendos e/ou juros sobre o capital próprio propostos pela Diretoria; j) submeter à Assembleia Geral propostas objetivando aumento ou redução do capital social, grupamento, bonificação ou desdobramento de suas ações, operações de fusão, incorporação ou cisão e reformas estatutárias da Sociedade; k) deliberar sobre associações, envolvendo a Sociedade ou suas controladas diretas e indiretas, inclusive participação em acordos de acionistas, e a constituição de ônus reais e a prestação de garantias a obrigações de terceiros; l) aprovar aplicação de recursos oriundos de incentivos fiscais; m) examinar e deliberar sobre os orçamentos e demonstrações contábeis submetidos pela Diretoria; n) avocar para sua órbita de deliberação assuntos específicos de interesse da Sociedade e deliberar sobre os casos omissos; o) limitado ao montante global anual aprovado pela Assembleia Geral, realizar a distribuição das verbas de remuneração aos Administradores; p)autorizar, quando considerar necessária, a representação da Sociedade individualmente por um membro da Diretoria ou por um procurador, devendo a respectiva deliberação indicar os atos que poderão ser praticados. Parágrafo Primeiro - O Conselho poderá atribuir funções especiais à Diretoria e a qualquer dos membros desta, bem como instituir comitês para tratar de assuntos específicos. Parágrafo Segundo – Compete à Diretoria, reunida e deliberando de conformidade com o presente Estatuto, observado o disposto no Artigo 9 o, letra “e”, estabelecer os limites de endividamento vinculados aos empreendimentos imobiliários. Art. 10) Compete ao Presidente do Conselho presidir as reuniões deste Órgão, podendo indicar para fazê-lo, em seu lugar, qualquer dos membros do Conselho. Parágrafo Único - O Presidente do Conselho poderá convocar a Diretoria e participar, com os demais Conselheiros, de quaisquer de suas reuniões. Art. 11) O Conselho reunir-se-á semestralmente e, quando necessário, extraordinariamente, por convocação do seu Presidente ou da metade dos demais membros em exercício, fazendo lavrar Ata de cada reunião. - Título VI - Da Diretoria Art. 12) A Diretoria da Sociedade, eleita pelo Conselho, com mandato de l (um) ano, estendendo-se até a posse dos novos Administradores eleitos, é composta de 2 (dois) a 5 (cinco) membros, sendo 1 (um) Diretor-Presidente e de 1 (um) a 4 (quatro) Diretores. Parágrafo Único – O Conselho fixará em cada eleição as quantidades de cargos a preencher e designará, nomeadamente, entre os Diretores que eleger, o que ocupará a função de Diretor-Presidente, observados os requisitos do Artigo 17 deste Estatuto. Art. 13) Aos Diretores compete administrar e representar a Sociedade, com poderes para obrigá-la em quaisquer atos e contratos de seu interesse, podendo, ainda, independentemente de autorização do Conselho, transigir e renunciar direitos e adquirir, alienar e onerar bens, observando o disposto nas letras “e” e “g” do Artigo 9 o deste Estatuto. Parágrafo Primeiro - Ressalvadas as exceções previstas expressamente neste Estatuto, a Sociedade só se obriga mediante assinaturas, em conjunto, de no mínimo 2 (dois) Diretores, devendo um deles estar no exercício do cargo de DiretorPresidente. Parágrafo Segundo - A Sociedade poderá também ser representada por no mínimo 1 (um) Diretor e 1 (um) procurador, ou por no mínimo 2 (dois) procuradores, em conjunto, especialmente constituídos, devendo do respectivo instrumento de mandato constar os seus poderes, os atos que poderão praticar e o seu prazo. Parágrafo Terceiro – A Sociedade poderá ainda ser representada isoladamente por qualquer membro da Diretoria ou por procurador com poderes específicos, nos seguintes casos: a) mandatos com cláusula “ad judicia”, hipótese em que a procuração poderá ter prazo indeterminado e ser substabelecida; b) recebimento de citações ou intimações, judiciais ou extrajudiciais; c) participação em leilões e licitações, públicos e privados; d) em Assembleias Gerais de Acionistas ou Cotistas de empresas ou fundos de investimento de que a Sociedade participe, bem como de entidades de que seja sócia ou filiada; e) perante repartições, instituições e órgãos, públicos ou privados, desde que não implique na assunção de responsabilidades e/ou obrigações pela Sociedade; f) em depoimentos judiciais. Art. 14) Além das atribuições normais que lhe são conferidas pela lei e por este Estatuto, compete especificamente a cada membro da Diretoria: a) ao Diretor-Presidente, presidir as reuniões da Diretoria, supervisionar e coordenar a ação dos seus membros; b) aos Diretores sem designação especial, colaborar com o DiretorPresidente no desempenho de suas funções, supervisionar e coordenar as áreas que lhes ficarem afetas. Art. 15) A Diretoria fará reuniões sempre que necessário, deliberando validamente desde que presente mais da metade dos seus membros em exercício, com a presença obrigatória do titular do cargo de Diretor-Presidente ou seu substituto. As reuniões serão realizadas sempre que convocadas pelo Presidente do Conselho, Presidente da Diretoria ou por no mínimo 2 (dois) Diretores. A Diretoria deliberará por maioria de votos, cabendo ao Presidente voto de qualidade, no caso de empate. Art. 16) Em caso de vaga, ausência ou impedimento temporário de qualquer Diretor, inclusive do Presidente, caberá ao Conselho indicar o seu substituto. Art. 17) Para o exercício do cargo de Diretor é necessário dedicar tempo integral aos serviços da Sociedade, sendo incompatível o exercício do cargo de Diretor desta com o desempenho de outras funções ou atividades profissionais, ressalvados os casos em que a Sociedade tenha interesse, a critério do Conselho. - Título VII - Do Conselho Fiscal - Art. 18) O Conselho Fiscal, não-permanente, compor-se-á, quando instalado, de 3 (três) a 5 (cinco) membros efetivos e de igual número de suplentes. - Título VIII - Das Assembleias Gerais - Art. 19) As Assembleias Gerais Ordinárias e Extraordinárias serão presididas por um Presidente e um Secretário, escolhidos pelos acionistas presentes. - Título IX - Do Exercício Social e da Distribuição de Resultados - Art. 20) O ano social coincide com o ano civil, terminando no dia 31 de dezembro. Art. 21) Serão levantados balanços em 31 de dezembro de cada ano, facultado à Diretoria, mediante aprovação do Conselho, determinar o levantamento de outros balanços, em menores períodos, inclusive mensais. Art. 22) O lucro líquido, como definido no Artigo 191 da Lei no 6.404, de 15.12.76, apurado em cada balanço semestral ou anual terá, pela ordem, a seguinte destinação: I - constituição da Reserva Legal; II - constituição das Reservas previstas nos Artigos 195 e 197 da mencionada Lei no 6.404/76, mediante proposta da Diretoria, aprovada pelo Conselho, “ad referendum” da Assembleia Geral; III - pagamento de dividendos, propostos pela Diretoria e aprovados pelo Conselho que, somados aos dividendos intermediários e/ou juros sobre o capital próprio de que tratam os Parágrafos Segundo e Terceiro deste Artigo, que tenham sido declarados, assegurem aos acionistas, em cada exercício, a título de dividendo mínimo obrigatório, 1% (um porcento) do respectivo lucro líquido, ajustado pela diminuição ou acréscimo dos valores especificados nos itens I, II e III do Artigo 202 da referida Lei n o 6.404/76. Parágrafo Primeiro - A Diretoria, mediante aprovação do Conselho, fica autorizada a declarar e pagar dividendos intermediários, especialmente semestrais e mensais, à conta de Lucros Acumulados ou de Reservas de Lucros existentes. Parágrafo Segundo - Poderá a Diretoria, ainda, mediante aprovação do Conselho, autorizar a distribuição de lucros aos acionistas a título de juros sobre o capital próprio, nos termos da legislação específica, em substituição total ou parcial dos dividendos intermediários, cuja declaração lhe é facultada pelo parágrafo anterior ou, ainda, em adição aos mesmos. Parágrafo Terceiro - Os juros eventualmente pagos aos acionistas serão imputados, líquidos do imposto de renda na fonte, ao valor do dividendo mínimo obrigatório do exercício (1%), de acordo com o Inciso III do “caput” deste Artigo. Art. 23) O saldo do Lucro Líquido, verificado após as distribuições acima previstas, terá a destinação proposta pela Diretoria, aprovada pelo Conselho e deliberada pela Assembleia Geral, podendo ser destinado 100% (cem porcento) à Reserva de Lucros - Estatutária, visando à manutenção de margem operacional compatível com o desenvolvimento das operações ativas da Sociedade, até atingir o limite de 95% (noventa e cinco porcento) do valor do Capital Social integralizado. Parágrafo Único - Na hipótese da proposta da Diretoria sobre a destinação a ser dada ao Lucro Líquido do exercício conter previsão de distribuição de dividendos e/ou pagamento de juros sobre capital próprio em montante superior ao dividendo obrigatório estabelecido no Artigo 22, Inciso III, e/ou retenção de lucros nos termos do Artigo 196 da Lei n o 6.404/76, o saldo do Lucro Líquido para fins de constituição da reserva mencionada neste Artigo será determinado após a dedução integral dessas destinações. Declaramos que a presente é copia fiel do Estatuto Social desta Sociedade, contendo a deliberação aprovada na AGE de 29.4.2013. BSP Empreendimentos Imobiliários S.A. a) Haydewaldo Roberto Chamberlain da Costa. Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 212.377/13-9, em 6.6.2013. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

c

terça-feira, 16 de julho de 2013

idades

Devassa no Denarc: 7 policiais presos.

Entre os presos, estavam dois delegados do Departamento de Narcóticos acusados de cobrar propina de traficantes ligados ao PCC. Governo quer reestruturação.

S

ete policiais civis foram detidos ontem, na Capital e em Campinas, por envolvimento em um esquema de achaque a traficantes. Seis eram integrantes ou ex-funcionários do Departamento Estadual de Investigações sobre Narcóticos (Denarc). As denúncias apontam para pagamento de propina mensal de até R$ 30 mil para cada um. Após a operação, a Secretaria de Segurança destacou que o Denarc será reformulado. Dois dos presos eram delegados do departamento: o supervisor da Unidade de Investigações (responsável pelo setor de inteligência), Clemente Castilhone Junior, e Fábio Amaral de Alcântara, da Delegacia de Apoio. O advogado de Castilhone afirmou que a prisão do seu cliente foi "arbitrária". Ao todo, foram expedidos 13 mandados de prisão contra policiais – 11 em São Paulo e 2 em Campinas, onde começou a investigação, com base em escutas de traficantes feitas a pedido do Grupo de Atuação de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público. O promotor Amauri Silveira Júnior, do Gaeco de Campinas, disse que " a ação de alguns policiais tornou impraticável o trabalho do Ministério Público" na região de Campinas. "Tentouse forjar evidência, comprometer e constranger vítimas e testemunhas (...) Daí se pediu a prisão temporária." Segundo ele, desde o come-

ço das investigações houve vários vazamentos de informações. Mas não confirmou se o delegado Castilhone ou algum de seus subordinados diretos estiveram envolvidos no repasse de dados de inteligência policial para os criminosos. Afirmou, porém, que há indícios de mais policiais envolvidos - e novas investigações serão feitas. Segundo a promotoria, agentes recebiam propina para passar informações ou retardar investigações. Entre os crimes investigados estão roubo, extorsão mediante sequestro, formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva e tortura. De acordo com o delegado Maurício Blazeck, o Denarc vai passar por uma reestruturação. Uma das ideias seria o enxugamento de cargos. O inquérito foi aberto em outubro contra traficantes ligados ao Primeiro Comando da Capital (PCC) na região de Campinas. Foram descobertas conversas do sequestrador Wanderson Nilton de Paula Lima, o Andinho, preso desde 2002, mas que ainda mandaria no tráfico. Criminosos de Campinas, sob a chefia de Andinho, seriam obrigados a pagar anuidade de R$ 300 mil para os policiais civis acobertarem ações e darem informações. A situação saiu de controle quando houve atraso no pagamento de propina e os policiais teriam cobrado dívidas até de parentes dos bandidos. (Estadão Conteúdo)

Eduardo Ferreira/Estadão Conteúdo

Mariana Topfstedt/Estadão Conteúdo

Manifestantes acampados em frente à sede da Prefeitura de São Paulo, no Centro da cidade, desde a madrugada de ontem.

Em busca de moradia, sem-teto acampam em frente à Prefeitura. C erca de 150 famílias estão acampadas em frente à sede da Prefeitura de São Paulo desde a madrugada de ontem. De acordo com a Polícia Militar, manifestantes do Movimento Moradia Casa Dez chegaram ao Viaduto do Chá, no Centro, por volta da uma da manhã e montaram barracas no local. Eles reivindicam a construção de moradias populares na cidade. Ao ser questionado sobre as exigências dos acampados, o prefeito Fernando Haddad (PT) afirmou que as 55 mil habitações prometidas não são suficientes para atender a demanda e que as moradias não vão só para movimentos sociais. "Temos

de ter transparência para destinar as moradias. Não posso destinar as moradias só para as entidades que fazem parte do movimento sem-teto", afirmou. Ele disse estar disposto a conversar com os manifestantes e que se reuniu com o movimento de moradia no ano passado. Segundo Haddad, 17 mil habitações estão em fase de construção. "Em julho, vamos doar terrenos para a Caixa Econômica Federal para mais 3 mil", afirmou o prefeito, ontem de manhã, em visita à favela de Paraisópolis, na zona sul da capital paulista. Facebook – "Não dá mais para esperar o prefeito nos

dar uma resposta sobre terrenos que protocolamos há mais de dois meses", diz o grupo de manifestantes em sua página no Facebook. Ainda de acordo com o perfil na internet, o objetivo inicial dos manifestantes era montar um segundo acampamento em frente ao prédio onde mora Haddad. A PM informou que não houve registros de manifestações no local. Túneis – O prefeito vai construir dois túneis de R$ 219 milhões sob a Rua Domingos de Morais, entre a Rua Sena Madureira e a Avenida Ricardo Jafet, na Vila Mariana, na zona sul de São Paulo. O valor do contrato, assinado pelo então prefeito Gilberto Kassab

(PSD) em julho de 2010, ficou à época 48% mais caro que o estimado dois anos antes. A inflação entre 2008 e 2010, pelo IPCA, limitou-se a 9%. A obra ganhou licença ambiental no sábado. O dinheiro que será aplicado nos túneis seria suficiente para construir, por exemplo, 20 quilômetros de corredores de ônibus. L uc ro – Haddad também prometeu ontem que irá rever o lucro das empresas que operam o sistema de ônibus em São Paulo. Segundo ele, o fim do contrato de concessão do transporte público abre margem para uma discussão com o setor privado sobre uma remuneração mais justa. (Agências)

Viatura em frente à Corregedoria da Polícia Civil: corrupção de policiais. Ricardo Moraes/Reuters

Rio se prepara para chegada do papa. Com protestos.

A

onda de protestos iniciada no País em junho alcançará o papa Francisco em sua estadia no Rio de Janeiro. Pelo menos duas manifestações já estão confirmadas para a próxima semana na cidade, durante a Jornada Mundial da Juventude (JMJ). Os atos ocorrerão em Copacabana nos dias 26 e 27. O papa chega na próxima segunda-feira. Ontem houve uma plenária do Fórum de Lutas, coletivo que reúne estudantes e representantes de movim e n t o s s ociais, para decidir sobre o possível apoio a essas manifestações e discutir sobre novos atos durante a visita do papa à cidade. Batizado de "Papa, veja como somos tratados", o protesto do dia 26 está previsto para as 17 horas, com concentração na estação de metrô Cardeal Arcoverde. Os organizadores afirmam que o ato não é contra a vinda do pontífice ou contra a Igreja Católica. Eles pretendem

aproveitar a visibilidade da JMJ para protestar contra a corrupção e pela melhoria dos serviços públicos. A partir das 18 horas, o papa estará no palco montado a um quilômetro do local de concentração da manifestação para acompanhar a Via Sacra, programação da Jornada na qual um elenco de 300 pessoas encenará, na orla, o trajeto percorrido por Jesus em Jerusalém. No sábado, 27, a Marcha das Vadias organiza um ato a partir das 14 horas. A concentração será no Posto 5, de onde os manifestantes devem caminhar pela orla em direção ao Posto 2. Neste dia, as atividades da Jornada se concentrarão em Guaratiba, zona oeste do Rio, onde ocorrerá uma série de shows, além da vigília. Papamóvel – O Hércules C130 da Força Aérea Brasileira pousou no início da tarde de ontem na Base Aérea do Galeão trazendo a bordo o papamóvel

Grupo de jovens franceses posa em frente à Catedral da Sé, no Centro de São Paulo, ontem à tarde. Abaixo, o papamóvel que será utilizado pelo Papa Francisco em seus deslocamentos durante a Jornada Mundial da Juventude.

Mariana Topfstedt/Estadão Conteúdo

e o jipe que serão usados pelo Papa Francisco em deslocamentos pelo Rio de Janeiro. O avião partiu de Roma e fez escalas nas Ilhas Canárias e em Fortaleza. O papamóvel, veículo blindado, chegou sem os vidros, que serão instalados aqui no Brasil. Segundo informou a assessoria de imprensa da Jornada, os veículos ficarão na Força Aérea, à espera do papa. Delegações de jovens de diversos países já começaram a chegar ao País, mas a estimativa de peregrinos, cerca de 2,5 milhões, é menor do que os 4 milhões previstos há dois meses. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 16 de julho de 2013

c

9 No primeiro dia de aula eles já vão para a água para aprender a velejar. Richard Paul Andersen, coordenador do projeto Clube Escola de Iatismo.

idades Fotos: Newton Santos/Hype

Alunos do curso gratuito de iatismo realizado no São Paulo Yacht Club, na represa de Guarapiranga, zona sul da cidade.

Aproveite as férias sem sair da cidade São Paulo oferece uma variedade de atividades gratuitas, entre cursos e brincadeiras, para as crianças e adolescentes durante o mês de julho Mariana Missiaggia

T

odo mês de julho é a mesma coisa. Pais (e avós, tios...) têm de se desdobrar para entreter a criançada que estão em férias, enquanto os adultos continuam trabalhando. Em São Paulo, as opções de atividades são inúmeras e destinadas a todas as idades. Dá para pintar, correr, brincar e até velejar. Todas as unidades Sesc estão cheias de oficinas e brincadeiras para passar o dia se divertindo e aprendendo coisas novas. Uma maneira de mostrar para os pequenos como se brincava na época dos seus pais é levá-los às oficinas de pipas, ioiô e pião. Além de confeccionar e decorar seus próprios brinquedos, as crianças irão descobrir um pouco da história do artefato e aprender sobre segurança, reciclagem e até física. Quem quiser soltar ainda mais a imaginação pode criar chaveiros em toy art e levá-los para casa. Além de ícone da cultura japonesa contemporânea, a toy art permite diversas combinações de cores e temas, e fica linda como chaveiro. Para se sentir viajando sem sair de São Paulo é só participar do curso de vela do São Paulo Yacht Club, na represa de Guarapiranga. Crianças de 10 à 16 anos podem participar e o curso dura uma semana, no período da manhã ou da tarde. "É um curso bem prático e no primeiro dia de aula eles já vão

para a água com três alunos em cada barco para aprender a velejar, o uso do leme, a regulagem da vela, identificar as condições climáticas e direções", explica o coordenador do projeto Clube Escola de Iatismo Richard Paul Andersen, 54 anos.

Algumas atividades do Sesc não tem limite de idade. Acima, participantes da oficina de cosplay.

Até aula de sumô, famosa luta de competição japonesa, dá para fazer no Sesc Consolação.

Tayná Cristina da Conceição Calado, 10 anos, já sabe até como colocar o barco na água sozinha. Ela mora perto do Yacht Club e nessas férias está frequentando o curso ao lado da irmã. "É diferente de tudo que já

É diferente de tudo que já fiz porque nas férias sempre brinco na rua ou assisto televisão. TAYNÁ CRISTINA DA CONCEIÇÃO CALADO, ALUNA DO CURSO DE VELA DO YACHT CLUB.

fiz porque nas férias sempre brinco na rua ou assisto televisão", disse enquanto passava protetor solar e vestia um boné e o colete salva-vidas, obrigatório durante a aula. As crianças vão para a água em trio e velejam sozinhas sob o olhar atento da professora Graziella Katinda, 37 anos, que as acompanha em um bote e também há outros três professores em terra observando a aula. "É muito seguro", garante Graziella. Quem era fã de papel de carta e adesivos na infância vai adorar acompanhar os filhos nas aulas de scrapbook, na Biblioteca de São Paulo, em Santana. A ideia é construir um diário de bordo, com a combinação de papéis, desenhos, fitas e adesivos, para registrar histórias, lugares visitados e momentos de viagens.

Tainá, 10 anos, já sabe até como colocar o barco na água sozinha. Ela mora perto do Yacht Club e está frequentando o curso ao lado da irmã nestas férias.

"Férias do outro lado do mundo" - A cultura japonesa é o tema do mês no Sesc Consolação.

S ERVIÇO Oficina de ioiô, pipa e pião. Domingos, (21 e 28 de julho), das 14 às 16 horas. A partir de 7 anos. Chaveiros em toy art de tecido. Todos os dias, até 25/07, das 13h às 15h e das 16 às 18h. Sesc Consolação - Rua Dr. Vila Nova, 245, Vila Buarque. Gratuito. Oficina de scrapbook. Terças-feiras, (hoje, 23 e 30/7), das 15h às 16h30. A partir de 14 anos. Parque da Juventude Avenida Cruzeiro do Sul, 2.630 - Santana. Grátis. Curso de vela. Segunda à Sexta-feira, das 8h às 11h e das 14h às 17h. A partir de 10 anos. São Paulo Yacht Club - Rua Francisco de Seixas, 225 Socorro. Gratuito.

Cidade de Deus - Companhia Comercial de Participações CNPJ no 61.529.343/0001-32 - NIRE 35.300.053.800 Extrato da Ata da Reunião do Conselho de Administração realizada aos 10 dias do mês de junho de 2013 Aos 10 dias do mês de junho de 2013, às 11h, na sede social, Cidade de Deus, Salão Nobre do 5 o andar do Prédio Vermelho, Vila Yara, Osasco, SP, reuniram-se os Membros do Conselho de Administração, no final assinados, atendendo à convocação feita pelo seu Presidente, senhor Lázaro de Mello Brandão, por meio de cartas expedidas em 31.5.2013, conforme comprovantes que estavam sobre a mesa, e que ficarão arquivados juntamente com exemplar desta Ata na sede da Sociedade, para os devidos fins de direito. Assumiu a Presidência dos trabalhos o senhor Lázaro de Mello Brandão, que convidou o senhor Antônio Bornia para Secretário. ............................................................................................................................................. 1) de conformidade com o disposto no “caput” do Artigo 13 do Estatuto Social, elegeram os membros que integrarão a Diretoria da Sociedade, tendo sido reeleitos os senhores: DiretorPresidente: Lázaro de Mello Brandão , brasileiro, casado, bancário, RG 1.110.377-2/SSP-SP, CPF 004.637.528/72; Diretor Vice-Presidente: Antônio Bornia , brasileiro, viúvo, bancário, RG 11.323.129/SSP-SP, CPF 003.052.609/44; Diretores: João Aguiar Alvarez , brasileiro, casado, engenheiro agrônomo, RG 6.239.718-7/SSP-SP, CPF 029.533.938/11; senhora Denise Aguiar Alvarez, brasileira, separada consensualmente, educadora, RG 5.700.904-1/ SSP-SP, CPF 032.376.698/65; e senhor Luiz Carlos Trabuco Cappi , brasileiro, casado, bancário, RG 5.284.352-X/SSP-SP, CPF 250.319.028/68, todos com domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900, os quais: I) terão mandato até a 1 a Reunião do Conselho de Administração que se realizar após a Assembleia Geral Ordinária de 2014, sendo que permanecerão em suas funções até que a Ata da referida Reunião deste Órgão seja arquivada na Junta Comercial e publicada; II) declararam, sob as penas da lei, que não estão impedidos de exercer a administração de sociedade mercantil em virtude de condenação criminal; ............................................................................................................................................. Quorum das Deliberações: unanimidade de votos dos membros presentes. -.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. Não havendo mais nada a tratar, a palavra foi colocada ao dispor de quem dela quisesse fazer uso, sem que ninguém se manifestasse. Desse modo, o senhor Presidente deu por encerrados os trabalhos, agradecendo a presença de todos e suspendendo a sessão para lavratura desta Ata. Posteriormente lida, foi aprovada e assinada pelos presentes, registrando-se a ausência das senhoras Lia Maria Aguiar, Lina Maria Aguiar e Maria Angela Aguiar. aa) Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Antônio Bornia; Membros: Lázaro de Mello Brandão, Antônio Bornia, Mário da Silveira Teixeira Júnior, João Aguiar Alvarez, Denise Aguiar Alvarez, Luiz Carlos Trabuco Cappi, Carlos Alberto Rodrigues Guilherme, Milton Matsumoto, Julio de Siqueira Carvalho de Araujo, Domingos Figueiredo de Abreu, José Alcides Munhoz, Aurélio Conrado Boni, Sérgio Alexandre Figueiredo Clemente e Marco Antonio Rossi. -.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-. Declaramos que a presente é cópia fiel de trecho da Ata da Reunião do Conselho de Administração realizada em 10 de junho de 2013, lavrada em livro próprio. a) Antônio Bornia - Secretário. Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 255.961/13-3, em 4.7.2013. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

terça-feira, 16 de julho de 2013

INCOMPETÊNCIA Presidente eleito do Irã critica política econômica de Ahmadinejad

nternacional

PARAGUAI Diretor de Itaipu reconhece contratação de 'filhos de políticos'

Espanha atolada na crise. Desta vez, da corrupção.

Premiê Rajoy é acusado de ter recebido 25 mil euros em dinheiro vivo de caixa dois do PP

O

primeiro-ministro espanhol, Mariano Rajoy, disse ontem que não vai ceder à pressão para que deixe o cargo após líderes da oposição pedirem sua renúncia devido à divulgação de seu suposto envolvimento no caso do "mensalão" do Partido Popular (PP). "Isto é uma democracia séria, e as instituições não se submetem à chantagem", disse Rajoy ao assegurar que existe atualmente na Espanha "um governo estável que vai cumprir com sua obrigação". A afirmação foi

Sergio Perez/Reuters

feita ontem em uma entrevista coletiva na sede do governo espanhol após o extesoureiro do PP, Luis Bárcenas, ter reconhecido à Justiça que os documentos publicados na imprensa sobre a contabilidade paralela do partido conservador seriam verdadeiros. Bárcenas revelou que o premiê estaria ciente da existência de um suposto caixa dois do PP e de salários extras a altos cargos da legenda. O ex-tesoureiro teria reafirmado a ligação de Rajoy com o caixa dois do partido com novas provas, como a troca de mensagens pelo telefone celular entre os dois. Em depoimento à Justiça ontem, Bárcenas afirmou que entregou 25 mil euros a Rajoy em março de 2010, informou o jornal El País. A secretária-geral do PP,

María Dolores de Cospedal, teria recebido outros 25 mil euros. Rajoy, que luta contra uma recessão econômica e tenta tapar um buraco no Orçamento, tem até agora minimizado o impacto do escândalo a respeito de doações supostamente ilegais feitas por magnatas da construção, que teriam sido distribuídas como pagamentos em dinheiro aos líderes partidários em troca de contratos suculentos. "Os dois pilares da política espanhola são as reformas para sair da crise e a estabilidade política. Como primeiro-ministro, não vou consentir que nenhum desses dois pilares sofram danos", disse. "E ninguém pense que vamos sair do objetivo de tirar o país da crise. A Espanha é um país sério." (Agências)

Amr Abdallah Dalsh/Reuters

'Não vim para dar sermão em ninguém' O subsecretário de Estado dos EUA William Burns realiza primeira visita de um funcionário de alto escalão ao Egito desde o golpe militar que depôs o presidente Mohamed Morsi. Em jogo, a frágil democracia egípcia e US$ 1,3 bilhão em ajuda norte-americana. Os islamitas receberam o diplomata com manifestações.

O

s Estados Unidos retomaram ontem os esforços para normalizar as relações com o Egito, após o golpe militar que depôs o presidente islamita Mohamed Morsi, no último dia 3. O subsecretário de Estado William Burns garantiu não ter ido ao Cairo para "dar sermão em ninguém", mas muitos egípcios, de ambos os lados do espectro político, acham que Washington está tramando algo. "Só os egípcios podem determinar seu futuro. Não vim com soluções norte-americanas. Não vim para dar sermão em ninguém", disse Burns em rápida entrevista coletiva após reuniões com o presidente interino, Adly Mansour, e com o primeiro-ministro, Hazem el-Beblawi. "Não tentaremos impor nosso modelo ao Egito", garantiu. O diplomata norte-americano pediu que esta etapa de transição seja "transparente e inclusiva" e afirmou que o "diálogo contínuo sem excluir lugar algum" permitirá aos egípcios reformar a Constituição e realizar eleições. Burns chegou mantendo a posição cautelosa dos EUA, que evitaram descrever a deposição de Morsi como um golpe militar, já que isso poderia acarretar cortes na ajuda militar de US$ 1,3 bilhão do governo norte-americano ao Egito. O Departamento de Estado dos EUA disse que Burns vai se reunir com "grupos da sociedade civil", mas o partido islâmico Al-Nour e o movimento Tamarud, ambos anti-Morsi, rejeitaram o convite. A Irmandade Muçulmana, grupo ao qual Morsi pertence, disse que não tem planos para se reunir com Burns, mas não ficou claro se os EUA fizeram algum convite nesse sentido. Farid Ismail, dirigente do Partido Liberdade e Justiça (PLJ), braço político da Irmandade, acusou os EUA de serem responsáveis pela derrubada de Morsi. "Não nos ajoelhamos para ninguém, e não respond e m o s à p r e s s ã o d e n i nguém", declarou.

Burns, dos EUA (à esq.), pede 'transparência e inclusão' ao presidente interino egípcio, Adly Mansour.

A baleia branca acabou nas mãos de Putin O

Protestos - A chegada de Burns coincidiu com uma nova rodada de manifestações de islamitas ao redor do país, em especial no Cairo. Os simpatizantes de Morsi e da Irmandade repudiam o golpe militar e não reconhecem o governo interino no país. A polícia disparou gás lacrimogêneo no centro do Cairo depois que simpatizantes de Morsi brigaram com motoristas e pedestres irritados com o bloqueio das principais ruas. Os manifestantes atiraram pedras contra a polícia perto da rua Ramsés, uma das principais vias da capital, e na Ponte Seis de Outubro, sobre o Nilo, no primeiro surto de violência no Egito em uma semana. "É o Exército contra o povo, esses são os nossos soldados, não temos armas", disse Alaa

el-Din, um engenheiro de computação de 34 anos, segurando um laptop, à Reuters. "O Exército está matando nossos irmãos, ele está destinado a me defender e ele está me atacando. O Exército se voltou contra o povo egípcio", declarou ele. O dirigente do PLJ, Farid Ismail, disse à agência Efe que as manifestações serão "pacíficas", mas não descartou que os participantes façam vigília na sede da Presidência egípcia ou na Guarda Republicana. Ismail reiterou que, para o PLJ iniciar conversas com os militares, devem ser cumpridas suas reivindicações: a restituição do presidente Morsi, da Constituição e do Senado, assim como a anulação do golpe militar e suas consequências. (Agências)

presidente da Rússia, Vladimir Putin, disse ontem que gostaria que Edward Snowden fosse embora após três semanas instalado em um aeroporto de Moscou, mas acusou os Estados Unidos de impedir o extécnico de inteligência da CIA de sair do país. "Ele veio ao nosso país sem ser convidado. Ele não veio para ficar aqui", declarou Putin, citado por agências russas. "Eles (os norte-americanos) assustaram todos os outros países. Ninguém quer ficar com ele (Snowden). Portanto, eles mesmos acabaram deixando ele preso aqui", afirmou. Snowden viajou de Hong Kong para o aeroporto Sheremetyevo, em Moscou, no dia 23 de junho, na esperança de embarcar de lá para algum país que o protegesse de perseguições judiciais nos EUA, onde foi acusado de ameaçar a segurança nacional ao divulgar programas governamentais secretos de espionagem. Sem passaporte válido e sem visto para entrar na Rússia, o ex-técnico de 30 anos não pôde passar pelo guichê da imigração e permaneceu em um limbo jurídico. Os EUA pressionam outros países para que não concedam asilo ao foragido, e Putin, tentando não complicar ainda mais suas relações com Washington, disse que a Rússia só concederia asilo a Snowden se ele parar de fazer revelações prejudiciais aos EUA. Três governos latino-americanos – da Bolívia, Nicarágua e Venezuela – já ofereceram asilo a Snowden, mas não há voos diretos de Moscou para essas nações, o que gera o risco de que ele seja barrado ao fazer conexão em outro país. Ontem, a Espanha pediu desculpas ao presidente boliviano, Evo Morales, cujo avião

Kremlin/Reuters

Aventuras de Putin: mergulho para observar restos de fragata. teve o acesso ao espaço aéreo espanhol negado há duas semanas diante da suspeita de transportar o fugitivo. Asilo - Putin sinalizou ainda que Snowden estaria se encaminhando para atender às condições da Rússia para a concessão de asilo. "Assim que houver a oportunidade para que ele se desloque para outro lugar, espero que o faça", afirmou. "As condições para lhe conceder asilo político são conhecidas por ele. E a julgar por suas ações mais re-

centes ele está mudando sua posição. Mas a situação ainda não foi esclarecida." Profundezas - A declaração foi feita durante visita à ilha de Gogland, a 180 quilômetros da cidade de São Petersburgo. A bordo de um pequeno submergível, Putin mergulhou a 50 metros de profundidade para observar os restos da fragata naval Oleg, que afundou em 1869. A ação foi vista por analistas como uma tentativa do presidente de aumentar sua popularidade. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 16 de julho de 2013

d

cultura

11

Acordeão em camerata A Camerata Fukuta acompanha o acordeonista Toninho Ferragutti em Fantasia para Acordeão e Cordas. Ainda no programa, Suíte Nº 3 de Ottorino Respighi. Espaço Cultural Doutor Além. Avenida Dr. Januário Miráglia, 1582. Vila Abernéssia. Campos do Jorsão. Tel.: (12) 3664-2300. Terça (16). 18h45. Grátis.

O banquete de Macalé André Domingues Marcos D' Paula/Estadão Conteúdo

U

ma pauta constante da cultura paulistana, principalmente nas iniciativas da rede Sesc, tem sido a memória dos vanguardismos da MPB. Nesse caminho, o Sesc Vila Mariana preparou uma homenagem aos 40 anos do disco Banquete dos Mendigos, que Jards Macalé idealizou em 1973, em pleno governo militar, para comemorar os 25 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos. Na ocasião, Jards gravou Anjo Exterminado e Rua Real Grandeza, parcerias suas com Waly Salomão, e conseguiu reunir um time sensacional de compositores e intérpretes, indo de Paulinho da Viola a Raul Seixas, passando por Chico Buarque, Milton Nascimento, Luiz Gonzaga e outros. Dos originais, apenas

Jards Macalé: vanguardismo antológico. um está ao seu lado na versão atual, o tropicalista Jorge Mautner, que cantou o irônico Samba dos Animais. Os demais convidados, porém, são

claramente afinados com a proposta original, sobretudo Walter Franco e Zeca Baleiro (Thaís Gulin ainda não tem uma obra que permita se parear

com eles). São dois exemplos do que se chama de vanguarda na MPB e, aliás, dois temas certeiros para futuras antologias.

Generosas doses de samba

O

mês é julho, mas a programação de shows de São Paulo sugere um começo de fevereiro, quase carnaval, com o samba em evidência. À frente da batucada vem o veterano Wilson das Neves (foto) lançando o disco Se Me Chamar, Ô Sorte, em que mostra um pouco mais do seu ótimo trabalho autoral, só tardiamente revelado. Seu canto macio, de saboroso suingue arrastado, é uma atração à parte em meio às novas composições, em maioria coassinadas por Paulo César Pinheiro, mas com ocasionais parcerias com o amigo Chico Buarque e com o falecido Luiz Carlos da Vila. O samba também é o centro de dois grandes espetáculos: o de Virgínia Rosa, cantando obras do mestre paulista Geraldo Filme, e o do jovem Diogo Nogueira, gravando seu próximo DVD. Ainda que não seja o único tema, o samba também aparece com destaque em outros bons shows desta semana. É o caso de Moraes Moreira em A Revolta dos Ritmos, que retoma festivamente a brasilidade suingada que marcou sua

A nossa música, segundo o idealista Marcus Pereira.

O

timing: se viesse depois, teria muito mais sucesso no Brasil, talvez fosse cultuado como é no exterior até hoje", diz Carolina. Marcus Pereira foi o responsável por impulsionar a carreira de talentos como Renato Teixeira, Elomar, Jane Duboc e até Cartola, de quem produziu os dois primeiros - e sensacionais - álbuns solo. Seu projeto mais ambicioso, contudo, foi o Mapa Musical do Brasil, que derivou 16 discos sobre a música folclórica ou de inspiração folclórica, divididos pelas regiões brasileiras. Era quase uma obcessão dele, que desde o contato com Violeta se meteu a registrar manifestações como as modinhas de Goiás e as cantorias do Rio Grande do Sul. Na coleção, porém, Marcus deu ouvidos à sua experiência de publicitário e procurou combinar os registros mais brutos com obras rearranjadas por gente do gabarito de Radamés Gnatalli ou Rogério Duprat. Para cantar,

Diogo Nogueira Gênero: samba universitário HSBC Brasil – Rua Bragança Paulista, 1281. Tel.: 4003-1212 Dia 20, às 22h De R$ 80 a R$ 220 Hamilton de Holanda Trio Gênero: choro universal Teatro Sesc Belenzinho – Rua Padre Adelino, 1000. Tel.: 2076-9700 Dia 21, às 18h R$ 24 Jards Macalé, part. Walter Franco e Zeca Baleiro (16), Thaís Gullin e Jorge Mautner (17) – Banquete dos Mendigos Gênero: reminiscências vanguardistas Teatro Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141. Tel.: 5080-3000 Dias 16 e 17, às 21h. R$ 24 Maria Rita – Redescobrir Gênero: tributo de filha para mãe Credicard Hall. Av. das Nações Unidas, 17955. Tel.: 4003-5588 Dias 19 e 20, às 22h De R$ 80 a R$ 220 Moraes Moreira – A revolta dos ritmos Gênero: sarau sincopado Teatro Sesc Pinheiros - Rua Paes Leme, 195. Tel.: 3095-9400 Dias 20, às 20h, e 21, às 19h R$ 32

Renato Braz, Nailor Proveta e Edson José Alves – Ensaio sobre o silêncio – Tributo a João Gilberto Gênero: antologia bem orquestrada Auditório Ibirapuera – Parque do Ibirapuera, portão 2. Tel.: 3629-1075 Dia 21, às 19h Grátis Benjamin Taubkin, Tiê, Thiago Pethit, Blubell, Orquestra de Berimbaus e outros – 4° Vira Cultura Gênero: miscelânea cult Livraria Cultura Conjunto Nacional – Avenida Paulista, 2073. Tel.: 3285-4457 Dia 20, à partir das 9h, até dia 21, às 20h – programação em www.viracultura.com.br Grátis (distribuídos 1h antes de cada show) Virginia Rosa canta Geraldo Filme Gênero: antologia sambada Teatro Cleide Yáconis – Av. do Café, 277. Tel.: 5070-7018 Dia 21, às 18h Grátis Wilson das Neves, part. Quinteto em Branco e Preto – Se me chamar, ô sorte Gênero: samba macio Teatro Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93. Tel.: 3871-7700 Dias 20, às 21h, e 21, às 19h R$ 20 (Cotação AD)

Arquivo DC

buscou profissionais de renome, a exemplo de Nara Leão, Elis Regina e Clementina de Jesus. O folclore ficava, assim, um produto mais atraente. No mesmo espírito, ainda, concebeu duas outras grandes coleções: A História das Escolas de Samba e Brasil Instrumental, com frutos também valiosos. Atualmente, apesar de alguns ameaços, o acervo do selo Marcus Pereira Discos tem sido pouco aproveitado. Já passou pela Copacabana, pela ABW e agora pertence à EMI, mas, segundo Carolina, "está encostado", sem sequer suscitar sondagens para uma reedição completa em formato digital. É realmente uma pena. Afinal, pouca gente até hoje se dispôs a mergulhar tão profundamente nas entranhas do Brasil como ele ou como Mário. (André Domingues)

trajetória em novas canções e poesias. O Tributo a João Gilberto, protagonizado por Renato Braz, Nailor Proveta e Edson José Alves, também dialoga com o samba, mas pela via estilizada da bossanova, revisitando o legado de João com o acertado título Ensaio Sobre o Silêncio. Mais uma generosa dose de samba vem em forma de homenagem, na visita de Maria Rita ao repertório da mãe, Elis Regina, em que constam clássicos como Vou Deitar e Rolar e O Bêbado e a Equilibrista. Fora do samba, ainda chamam a atenção na agenda paulistana o choro moderno, hibridizado com jazz e pop, do virtuoso bandolinista Hamilton de Holanda e o combinado cult do festival Vira Cultura, com atrações como Benjamin Taubkin, Tiê e a Orquestra de Berimbaus. (A D)

Arquivo DC

concebido como um brinde de final de ano aos clientes da sua agência. O interesse pela cultura popular, porém, surgiu um pouco antes, quando teve contato com a cultura pernambucana através de Violeta Arraes, cujo trabalho com o artesanato local o influenciou decisivamente. A experiência do Jogral foi o que deu forma aos anseios musicais de Marcus Pereira. Seus parceiros diretos eram gente que vivia por lá, como o sócio Luis Carlos Paraná, Adauto Santos, Théo de Barros, Papete e Renato Teixeira. Imerso naquele ambiente efervescente, ele logo deixou de ser publicitário e embarcou numa empreitada musical que lhe rendeu gravações memoráveis, mas também dívidas aterradoras. "Acho que o Marcus teve um problema de

Seleção dos espetáculos da semana

Mais do que os filmes, as atrizes.

Fotos: Reprodução

Marcus Pereira (acima, no traço de Zélio) que há 40 anos fundou o memorável selo de discos que levou seu nome teve algo de Mário de Andrade em seu tempo. Era intuitivo, sem o preparo das teorizações modernistas, mas com a mesma empolgação genuína pela cultura brasileira. "Ele não tinha a noção de eternidade do Mario, queria só registrar e valorizar aquelas manifestações que estavam se perdendo. Folclore, naquela época, era quase uma piada!", explica a jornalista Carolina Andrade, viúva do empresário. Marcus, falecido em 1981, era um publicitário bem-sucedido que, por sua ligação com o lendário bar Jogral e com a intelectualidade nacionalista que ali se reunia, se meteu a produzir discos. Já no primeiro ensaio criou um clássico: Paulo Vanzolini - Onze Sambas e Uma Capoeira, de 1967, inicialmente

GARGAREJO

Christa Theret: musa em Renoir.

A

s atrizes Christa Theret (no papel da dançarina Andrée Heuschling) e Stéphanie Sokolinski (a paciente Augustine) iluminam com sensibilidade maior os filmes Renoir (Id em/F rança/2012/111 minutos) e Augusti-

ne (Idem/França/2012/101 minutos). Em Renoir, o pintor Pierre-Auguste Renoir (1841-1919) por Gilles Bourdos, que mostra Renoir em torno da família à qual se agrega a mocinha Theret, sonhando tornar-se mais uma de

Stéphanie Sikolinski: cobaia em Augustine. suas musas. Em Augustine, obra áspera e trágica dirigida por Alice Vinocour, a enigmática Sokolinski (conhecida também como Soko, cantora pop) leva ao espectador o sofrimento da jovem cobaia submetida a experiên-

cias dolorosas comandadas pelo neurologiata Jean Martin Charcot, em 1885. Renoir está em exibição nos Cines Sabesp e Espaço Itaú de Cinema 2. Augustine, no Reserva Cultural 3. Censura: 14 anos. (MMJ)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

terça-feira, 16 de julho de 2013

www.dcomercio.com.br

Impacto do clima Estudo divulgado ontem pelo Instituto Potsdam de Pesquisa sobre Impacto no Clima (IPCC), da Alemanha, mostra que a cada 1 °C de aumento na temperatura do planeta, o nível do mar poder subir 2,3 metros e permanecer elevado por séculos. O estudo simulou, por computador, os efeitos de fatores que contribuem para a elevação do nível do mar a longo prazo: a expansão termal de oceanos, o derretimento de geleiras nas montanhas e o degelo na Groenlândia e Antártica [fotos]. A temperatura média da superfície do planeta subiu cerca de 0,8 °C desde a Revolução Industrial e o IPCC afirma que as temperaturas provavelmente vão ficar de 0,4 °C a 1 °C mais altas entre 2016 a 2035, em comparação com as décadas de 1985 a 2005.

Fotos: Reuters

P RIVACIDADE M ODA

J OIAS

Google: mais um processo. Audrey Hepburn

Michael Jackson

Carrie Bradshaw

Clint Eastwood

Pegada registrada Sapatos que são as marcas dos famosos em criação do artista Federico Mauro. Lady Gaga

http://bit.ly/15wyQ4H

L ITERATURA

A identidade secreta de J. K. Rowling Você nunca ouviu falar em Robert Galbraith? Talvez não, mas se você conhece a série Harry Potter, sabe muito bem quem ele é. Ou ela. O nome foi o pseudônimo usado pela escritora J.K. Rowling para lançar um romance policial chamado The Cuckoo's Calling (O Chamado do Cuco), que ontem alcançou o topo da

lista dos livros mais vendidos no Reino Unido. O sucesso do livro, entretanto, se deve à revelação, no fim de semana, por um jornal britânico, de que ela era a verdadeira autora da obra. Desde o lançamento, em abril, o livro havia vendido 1,5 mil exemplares. Ontem, as encomendas literalmente "bombaram" nas livrarias.

E UROPA Andrew Winning/Reuters

L

Jovem aproveita o calor do verão londrino para se refrescar com os jatos de uma fonte na margem sul do rio Tâmisa, região central da capital inglesa. Os termômetros marcavam ontem 30 °C, média prevista para a cidade nos próximos dias.

J ORNALISMO

C IÊNCIA

Fundação cria novo prêmio

EUA abrem banco de dados sobre câncer

Medellín, na Colômbia, será a sede da primeira edição do prêmio Gabriel García Márquez de Jornalismo, criado pela fundação que leva o nome do escritor. O prêmio será entregue a trabalhos de jornalistas que publicam em espanhol e português. A premiação da "melhor profissão do mundo", como define o próprio García Márquez, vai acontecer em novembro, e será transmitida pela internet. (Folhapress)

O Instituto Nacional do Câncer nos EUA tornou público o maior banco de dados da história de variações genéticas relacionadas ao câncer, oferecendo a pesquisadores a forma mais abrangente até agora de descobrir como direcionar tratamentos para a doença. O acesso mundial ao banco de dados, com base em estudos do genoma, ajudará pesquisadores a acelerar o desenvolvimento de novas drogas e terapias.

O

Google Street View é objeto de um novo processo contra o Google no Brasil. Em ação movida pelo Instituto Brasileiro de Política e Direito da Informática (IBDI), a gigante da internet terá de responder na justiça brasileira sobre a coleta de informações sigilosas de brasileiros durante o registro de imagens para o serviço de mapeamento. No último dia 9, a 23ª Vara Cível de Brasília concedeu liminar obrigando a companhia a fornecer informações em até cinco dias após a citação, que ainda não ocorreu. Em caso de

descumprimento, o Google terá de pagar R$ 15 mil. O alvo do processo são coletas realizadas em 2009 pelos carros do Google em cidades brasileiras como São Paulo e Rio de Janeiro. Os carros trafegavam pelas ruas registrando e transmitindo imagens para os servidores do Google. Para realizar a transmissão dos dados, segundo o processo, a companhia acessou redes WiFi domésticas que não estavam bloqueadas por senhas e recolheu algumas informações pessoais de brasileiros como e-mails, senhas e históricos de navegação.

Em nota, o Google disse que "sempre se preocupa com o respeito à privacidade. Todos os aspectos relacionados à coleta de dados no projeto Street View foram endereçados tão logo identificados em 2010, e não há nenhum fato novo". A empresa já respondeu a processos semelhantes por causa do Street View em outros países. Na Alemanha, foi multada em 150 mil euros. Nos EUA, após acordo, pagou indenização por danos morais coletivos de US$ 7 milhões, além de ter de prestar esclarecimentos sobre seus métodos de coleta de dados.

Pedra com papel O designer Mark Montano usa páginas de revistas velhas e pedras – inclusive sintéticas – para criar joias inspiradas nas peças criadas nos anos 1980 pelo designer Christian Lacroix. http://bit.ly/14gTu9r

Bobby Yip/Reuters

GIRASSÓIS Escadaria de cinco metros é usada para reproduzir o quadro "Girassóis", de Vincent van Gogh, na entrada de um terminal no porto de Hong Kong. A imagem em 3D foi aprovada pelos curadores do Museu Vincent Van Gogh de Amsterdã.

Madeira viva O artista italiano Bruno Walpoth cria imagens realistas de pessoas usando apenas a técnica de escultura em madeira. Nós e imperfeições do material bruto, bem como as marcas do entalhe, são deixadas nas peças porque, para o artista, esses detalhes trazem a vida das árvores para suas figuras humanas inanimadas. www.walpoth.com

R EINO UNIDO

Lordes aprovam casamento gay O projeto de lei que regulamenta a união civil e religiosa entre pessoas do mesmo sexo no Reino Unido foi aprovado ontem na Câmara dos Lordes. O projeto retorna agora para a Câmara dos Comuns, onde os parlamentares revisarão as emendas propostas pelo governo antes de uma nova votação. A expectativa é de que a lei passe sem problemas, já que a Câmara dos Comuns aprovou uma versão anterior do projeto por 390 votos a favor e 148 contra. L OTERIAS Concurso 931 da LOTOFÁCIL 02

03

05

06

08

10

11

12

14

16

19

20

22

24

25

Concurso 3239 da QUINA 24

26

63

72

75


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 16 de julho de 2013

e

13

conomia

Dia do Homem

Mais uma data para agitar o varejo Homenagem ao sexo masculino teve, ontem, campanhas promocionais de lojas em São Paulo. Paula Cunha

Foto divulgação

O

Dia Nacional do Homem foi comemorado ontem e não passou despercebido pelo comércio da cidade de São Paulo. Não foi tão badalado quanto o Dia da Mulher – comemorado em 8 de março –, nem tão concorrido quanto o Dia das Mães – em maio –, e o Dia dos Namorados – no mês passado. Mas a homenagem, no calendário, em todo dia 15 de julho, contou com algumas promoções e campanhas de marketing, embora a data ainda não tenha despertado completamente o varejo. Alguns estabelecimentos de São Paulo decidiram não perder a oportunidade para atrair mais clientes – até uma sósia de Marilyn Monroe foi usada –, e aumentar as vendas. Para aproveitar a ocasião, o Top Center Shopping, localizado na Avenida Paulista, elaborou uma promoção especial: um grupo de lojas de vestuário e acessórios está oferecendo por toda esta semana descontos de até 35% nas compras. Estrela – Na Urban Folks, especializada em moda masculina, a estratégia adotada foi, além de destacar as peças na vitrine, colocar uma atriz caracterizada como Marilyn Monroe, a grande estrela norte-americana que protagonizou filmes como "Quanto Mais Quente Melhor" e "O Pecado Mora ao Lado". Além disso, um carro antigo na entrada do espaço também contribuiu para criar uma atmosfera especial para o Dia do Homem. Juliano Mariano, proprietário da Urban Folks, avaliou que a iniciativa foi positiva tanto para sua loja quanto para o shopping center porque sentiu que os frequentadores "entraram no clima" da data. Segundo ele, as mulheres que circulavam pelas lojas e pela praça de alimentação estavam dispostas a adquirir presentes para seus maridos ou namorados. "Eu acredito que as vendas serão

Recepção calorosa: loja do Top Center Shopping, localizado na Avenida Paulista, buscou atrair consumidores masculinos com imitação da atriz Marilyn Monroe ao lado de carro antigo.

maiores durante esta semana porque o shopping se empenhou em mostrar aos frequentadores que o Dia do Homem existe no calendário", disse Juliano Mariano. Ofer tas – Outra unidade, a Não+Pelo, instalada nesse centro de compras e especializada em depilação, também participa do evento. O empreendimento começou a divulgar ofertas e produtos a preços especiais, como carteiras, óculos e jeans da marca Calvin Klein e M.Officer, por exemplo, nas redes sociais e em seu site na internet. Trata-se de promoção comemorativa que tem validade até o dia 19. Para Maurício Morgado, professor do Centro de Exce-

lência em Varejo da Fundação Getúlio Vargas (FGV), este tipo de estratégia adotada pelo Top Center visa explorar o caráter inusitado da comemoração que, para ele, por si só já chama a atenção. Para alcançar o objetivo de atrair o público e convencê-lo a consumir, é necessário que o empreendimento ofereça produtos voltados para este público. "O fato de um shopping como o Top Center, localizado na Avenida Paulista, área de grande fluxo de público consumidor, adotar estratégia de marketing a partir do Dia do Homem mostra que a data consegue cumprir o seu objetivo de aumentar as vendas ", disse Morgado.

F é r ia s – Na opinião do professor, é importante que o varejo tenha datas comemorativas consideradas fortes todos os meses. Segundo ele, o segmento deveria cultivar diversos tipos de comemorações ao longo do ano. Neste caso, a escolha de julho para o Dia do Homem é interessante, pois esse mês não conta com nenhuma data expressiva e é esvaziado pelo período de férias escolares. Uma data como esta pode ajudar a aquecer as vendas. Ele ressaltou que a relativa proximidade com o Dia dos Pais, comemorado em agosto, não é um fator negativo para o comércio. "Por isso, é importante que o varejo como um todo elabore

uma campanha para consolidar o Dia do Homem, pois ela é uma excelente oportunidade para que o comércio se comunique e se relacione com mais clientes", explicou. Natal – Para Fábia de Mattos Spadoto, coordenadora do MBA de Gestão de Negócios, do Programa de Administração de Varejo da Fundação Instituto de Administração (Provar/Fia), o Dia Nacional do Homem tem grandes chances de se consolidar no calendário, já que atualmente há mais homens vaidosos preocupados com a aparência. Na sua opinião, um bom uso das redes sociais para divulgar ofertas e itens especiais, além do aproveitamento da mala-dire-

ta – recursos utilizados em outras datas pelo varejo –, pode ajudar o comerciante. "Acredito que nos próximos anos haverá mais ações especialmente criadas para a data", afirmou Fábia. Com isso, a coordenadora acredita que, como ocorre com o Dia das Mães e dos Namorados, os varejistas criarão uma identidade visual específica para suas lojas. Para alcançar este objetivo, eles devem conhecer bem seus consumidores e, com isso, conseguirão atender os seus desejos. Segundo ela, a data é uma boa oportunidade para o comércio, pois ela cobre o intervalo que há entre o Dia dos Namorados e o Dia dos Pais.

Masao Goto Filho/e-SIM

Pesquisa aponta deflação no universo virtual

Vendas das linhas branca e marrom devem crescer

A

Eletros prevê aumento de até 10%

A

s vendas de produtos das linhas branca e marrom deverão crescer de 5% a 10% neste ano no País. A estimativa foi feita ontem pelo presidente da Associação Eletros, Lourival Kiçula, na abertura da Eletrolar Show - 8ª Feira de Negócios para a Indústria e o Varejo de Eletrodomésticos e Eletroeletrônicos. De acordo com ele, a expectativa é de que as vendas de máquinas de lavar roupas compensem a queda prevista em 6% nas vendas de geladeiras e em 5% de fogões. Para Kiçula, as máquinas de lavar seguem beneficiadas

pelo fato de o governo ter mantido a alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) em 10% até 1º de outubro e o fato de apenas 52% dos lares brasileiros serem equipados com o produto. "O IPI para máquinas de lavar foi mantido em 10% e, segundo o ministro Mantega (ministro da Fazenda, Guido Mantega), permanecerá neste patamar", disse o presidente da Eletros. Crescimento – O ano, segundo ele, se desenha como mais difícil do que o ano passado pela deterioração da economia e pelo aumento do IPI para al-

guns produtos do setor. "Mas a expectativa é de crescimento", reforçou. Lourival Kiçula ainda vê como favorável para o setor o programa Minha Casa Melhor, do governo federal, que visa a financiar itens das linhas marrom e branca para as famílias que participam do Minha Casa Minha Vida. "O programa (Minha Casa Melhor) foi um prêmio para o setor e para as pessoas de baixa renda, que não tinham condições de colocar estes produtos em casa", disse o presidente da Associação Eletros. (Estadão Conteúdo)

lguns sites de e-commerce registraram deflação de preços em junho. O índice e-Flation apresentou recuo de 0,13% nos preços, o que aponta uma queda de 0,81 ponto porcentual em relação ao mês anterior, que terminou em 0,68%, e elevação de 2,57 pontos porcentuais ante junho de 2012, quando situou-se em 2,70%. Para Claudio Felisoni de Ângelo, presidente do conselho do Progama de Administração do Varejo (Provar) da Fundação Instituto de Administração (FIA), a inflação em alta e a dificuldade para se obter crédito fizeram com que o consumidor assumisse uma posição mais cautelosa. O índice foi desenvolvido pelo Provar, da FIA, em parceria com a Felisoni Consultores Associados e com a Íconna Monitoramento de

Preços no e-commerce. Segundo Felisoni de Ângelo, "o consumidor está selecionando mais os preços na internet, com isso a concorrência entre as lojas virtuais fica mais acirrada, levando a baixas pontuais nos preços, mas as séries acumuladas deste ano e dos últimos doze meses salienta a tendência de aumento da inflação da economia". De acordo com o levantamento, esta é a segunda alta do ano, o que acarretou no primeiro semestre de 2013 uma inflação de 5,21%. Quando se leva em conta os últimos 12 meses, o índice indica inflação de 1,18%, com aumento de 2,60 pontos porcentuais em comparação com igual período do ano anterior. Livros e remédios – O estudo apontou que sete grupos de produtos foram os res-

ponsáveis pelo resultado geral: livros (menos 0,29% no preço), medicamentos (queda de 0,22%), brinquedos (menos 0,18%), perfumes e cosméticos (menos 0,04%), telefones e celulares (menos 0,04%), CDs e DVDs (0,03%) e cine e fotos (queda de 0,01%). As categorias que registraram inflação foram eletrodomésticos (mais 0,16%), eletroeletrônicos (0,20%) e informática (0,29%). O objetivo do índice é monitorar as variações de preços de produtos comercializados na internet e também acompanhar as tendências de mercado de consumo. O índice é elaborado com dados coletados a partir da segunda quinzena do mês anterior e acompanha os números dos primeiros quinze dias do mês em que é divulgado. (PC)


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 16 de julho de 2013


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 16 de julho de 2013

e

15 Analistas esperam nova alta de 0,5% da Selic em agosto

conomia

Na Focus, inflação menor e Selic igual.

Endividamento das famílias recuou no ano passado

Em junho, cesta básica do consumidor de baixa renda ficou mais barata.

O

E

conomistas de instituições financeiras mantiveram sua projeção para a Selic e reduziram as previsões de inflação e de crescimento. A Selic, segundo a pesquisa Focus do BC divulgada ontem, encerrará este ano a 9,25%, depois de o Banco Central ter dado continuidade, na semana passada, ao ciclo de aperto monetário, elevando a taxa básica de juros a 8,50%. Para o final de 2014, os analistas elevaram a perspectiva a 9,50%, ante 9,25% na pesquisa anterior, prevendo que o Banco Central seguirá com o aperto monetário no ano eleitoral. Em relação ao IPCA neste ano, os economistas baixaram a expectativa a 5,80%, ante 5,81% na pesquisa anterior; para os próximos 12 meses, elevaram ligeiramente, de 5,67% a 5,68%. Para 2014, permaneceram com 5,90%. O nível elevado de preços continua preocupando ainda mais diante da fraqueza da economia brasileira, o que ficou evidenciado na queda de 1,4% do Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br) de maio, ante abril. O indicador é considerado uma

espécie de sinalizador do PIB. Frente a esse cenário, os profissionais consultados pelo Focus baixaram pela nona semana seguida a expectativa para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano a 2,31%, ante 2,34% anteriormente. Para o ano de 2014, a projeção foi mantida em 2,80%. Para a reunião de agosto do Comitê de Política Monetária (Copom) do BC, os analistas esperam nova alta de 0,5%, mantendo o ritmo de aperto monetário. O mercado aguarda a divulgação, depois de amanhã, da ata da reunião da semana passada, em que a decisão de elevar a Selic foi unânime, em busca de mais indícios sobre os rumos da política monetária. Por sua vez, o Top 5 – instituições que mais acertam as projeções no médio prazo – mostra que a estimativa para a Selic é de 9,50% por cento neste ano, inalterado ante a semana anterior. Para 2014, por outro lado, a projeção foi reduzida a 9,50%, ante 9,75%. O Focus mostrou ainda que os economistas mantiveram a expectativa para o dólar no final deste ano em R$ 2,20. (Reuters)

Patrícia Cruz/Luz

Na pesquisa semanal do Banco Central, caiu também a previsão de crescimento.

Queda no preço de produtos alimentícios importantes pressionou índice.

P

ressionada por uma queda de 2,90% na média de preços de itens alimentícios, a cesta básica do consumidor paulistano de baixa renda recuou 2,31% – de R$ 383,20 para R$ 374,34 – em junho na comparação com maio, informa a Fundação Procon-SP, responsável pela coleta dos preços, em parceria com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). No ano e nos 12 meses encerrados em junho acumula quedas de 0,77% e 7,45% respectivamente. Dos 31 itens da cesta básica paulistana, 10 tiveram os preços aumentados na passagem de maio para junho, 19 diminuíram o custo e dois ficaram estáveis. O grupo Higiene Pessoal encerrou

Recuperação de crédito ganha vigor no semestre Foi de 4,1% o aumento de de exclusões dos registros de inadimplentes no período. Leandro Moraes/Luz

Paula Cunha

O

indicador de recuperação de crédito da Boa Vista Serviços registrou aumento de 4,1% no primeiro semestre de 2013 ante o mesmo período de 2012. O desempenho foi influenciado pelas condições de crédito mais favoráveis e pelo crescimento da oferta de trabalho no período. Segundo a administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC), o resultado, obtido a partir da quantidade de exclusões dos registros de inadimplentes no período, foi considerado positivo por seus economistas, levando em conta a retração mensal de 2,8% observada em junho ante maio. Nos 12 meses encerrados em junho, a recuperação de crédito aumentou 7,4% ante igual período anterior. Com esse avanço, considerado expressivo, a empresa manteve a sua expectativa de aumento de 3% na recuperação de crédito para todo o ano de 2013 ante 2012. Na análise do desempenho regional, as regiões Norte e Sul registraram retração de 5,5% e 3,9% em junho ante maio deste ano, respectivamente, já descontados os fatores

sazonais. Em relação aos números obtidos no acumulado do primeiro semestre deste ano ante os seis primeiros meses do ano passado, o Nordeste foi a região com alta mais expressiva, de 8,7%, ficando o Norte em segundo lugar (6,8%). Quando se leva em conta os 12 meses terminados em junho em comparação com o mesmo período imediatamente anterior, os maiores avanços foram registrados no Nordeste (11,5%) e Centro-Oeste (8,7%). O menor aumento foi o do Sudeste, de 6,3%, considerando-se a mesma base de comparação. Varejo – No caso do varejo, a recuperação de crédito registrou queda de 4,9% em junho frente a maio, sem os efeitos sazonais. De acordo com o estudo da Boa Vista Serviços, as retrações observadas em todas as regiões brasileiras contribuíram para o resultado geral, com as quedas mais expressivas nas regiões Centro-Oeste (6,4%) e Norte (6,3%). Quando se leva em conta o acumulado dos últimos 12 meses diante do período imediatamente anterior, houve alta de 8,4%. Nessa base de comparação, todas as regiões apresentaram aumentos, com destaque para Nordeste (12,4%), Sul (8,9%) e Sudeste (7,6%).

Expectativa da Boa Vista é de um aumento de 3% no indicador para todo o ano de 2013.

o mês passado em queda de 0,29% A única alta, de 1,15%, foi apresentada pelo sub-grupo composto pelos produtos de limpeza. Da lista dos produtos cujos preços caíram em junho, os cinco destaques foram do grupo Alimentação: pacote de um quilo do feijão carioquinha (-8,75%), alho (-8,62%), batata (-7,83%), ovos brancos de galinha (-7,54%) e linguiça fresca (-5,90%). Das cinco maiores altas, quatro são do grupo Alimentação: leite em pó integral na embalagem de 400-500 gramas (4,14%), salsicha a granel (4,10%), farinha de mandioca torrada – pacote de 500 gramas (3,69%) e o quilo do queijo muçarela fatiado (2,20%). O creme dental no tubo de 90 gramas (Higiene Pessoal) subiu 2,26%. (Estadão Conteúdo)

número de famílias brasileiras endividadas caiu para 59% em 2012 de 62% em 2011, mas o valor dos débitos cresceu – para R$ 16,2 bilhões, de R$ 15,9 bilhões respectivamente, um aumento de R$ 346 milhões – devido ao aumento da concessão de empréstimos. Os números são de pesquisa da Fecomercio-SP (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo), baseada em informações do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística ( IBGE) e da Confederação Nacional do Comércio (CNC). O valor médio real da dívida mensal cresceu 7,6% em 2012, de R$ 1.812 para R$ 1.950. O índice de inadimplência teve leve queda no ano passado, para 22%, contra 23% em 2011, enquanto o comprometimento de renda se manteve estável em torno de 30%, nível considerado adequado. São Paulo detém o maior volume de dívidas, R$ 3,6 bilhões; na média mensal de 2012, o total de débitos cresceu 15%. Palmas, capital do Tocantins, registrou a maior variação nacional de aumento de dívidas, 43%, em relação a 2011, para R$ 59 milhões. EmBelo Horizonte, ocorreu a maior taxa de variação no indicador de famílias com contas atrasadas: 31%. São Paulo vem em segundo lugar (26%), seguida por Maceió (22%), Vitória (7%) e Aracaju (6%). A média das capitais brasileiras aponta queda de 5% no número de famílias inadimplentes. (Folhapress)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

terça-feira, 16 de julho de 2013

Num primeiro momento, os novos produtos não farão alusão aos veículos. Joaquim Arruda Pereira, gerente de vendas e marketing da Ford

conomia

Divulgação

Jatos da Embraer ganham mercado

Das estradas para a... cozinha.

A

A

Embraer entregou 51 aviões no segundo trimestre deste ano, sendo 22 da aviação comercial e 29 da executiva, informou a fabricante brasileira ontem. O número configura um crescimento de 75,9% em relação as 29 entregues nos três primeiros meses. No cômputo geral, as entregas da Embraer em 2013 totalizam 80 aeronaves, sendo 39 de aviação comercial e 41 da aviação executiva. Entre abril e junho, o destaque foi o modelo E190, da aviação comercial, com 14 entregas, enquanto na aviação executiva os jatos leves responderam por 23 entregas. A carteira de pedidos firmes a entregar (backlog) totalizou US$ 17,1 bilhões em 30 de junho, o que configurou um aumento de US$ 3,8 bilhões ante março, no maior valor desde o terceiro trimestre de 2009, informou a empresa. "O backlog do segundo trimestre inclui também os pedidos já anunciados para 40 jatos E175, vendidos para a Skywest, bem como 30 jatos E175 para a United Airlines, entre outros", informou a fa-

bricante em comunicado. Em maio, a Embraer anunciou um acordo para a venda de 40 jatos regionais modelo 175 à norte-americana SkyWest, com opções de compras adicionais, que poderiam levar a um contrato total de mais de US$ 8 bilhões. Já com a United, o acordo anunciado no fim de abril considera a venda de 30 jatos Embraer 175, em um negócio que está sendo avaliado em mais de US$ 1 bilhão. Novidades – A Embraer planeja novidades em suas aeronaves para se manter competitiva no mercado internacional. Recentemente a empresa anunciou uma nova linha mais eficiente de jatos comerciais que entrarão em circulação em 2018, uma forma de enfrentar a rival Bombardier. Para o aperfeiçoamento das suas aeronaves a Embraer planeja investir US$ 1,7 bilhão nos próximos oito anos para reformular sua linha de aviões E-Jets, que ganharão novas asas, sistemas eletrônicos atualizados e motores da Pratt & Whitney, entre outras alterações. A companhia brasileira planeja adicionar três filei-

ras de assentos no maior jato, o E195, e uma linha cadeiras no E175, O principal avião da empresa, o E190, será o primeiro da próxima geração com os novos recursos. Segundo a Embraer, os jatos da nova geração serão até 23% mais econômicos no consumo de combustível por assento em relação aos modelos atuais. A empresa também disse que os

preços da nova família de aviões são cerca de 15% mais caros que os modelos atuais. A Bombardier, que competiu durante décadas com a Embraer no segmento de jatos comerciais, tem como foco os CSeries, de 110 a 130 lugares. A nova versão do maior jato comercial da Embraer, o E195, terá capacidade para 118 passageiros em duas classes. (Agências)

Mais um teste de fogo para o Boeing 787

A

Boeing deve ser última sexta-feira. testada pela opinião Entretanto, as companhias publica após mais um aéreas estão mantendo acidente envolvendo um seus 787 no ar e os 787 Dreamliner, o incêndio passageiros não estão que ocorreu a bordo de uma cancelando viagens no aeronave da Ethiopian Japão, o maior mercado do Airline no aeroporto de Boeing 787. Heathrow, em Londres, na Mas o fogo visível na semana passada. O parte superior traseira do acidente avião de ocorreu 250 lugares mesmo após coloca uma a companhia grande realizar inovação do modificações 787 – a sua no modelo, leveza, a por cento foi que havia construção quanto caíram as passado por com incêndios carbonoações da Boeing anteriores. plástico – após acidente com nvestigasob um dores holofote o modelo 787 britânicos com um dizem que novo as baterias de íon de lítio conjunto de questões em do avião da Ethiopian torno do avião. Airlines provavelmente A questão é: o avião que não provocaram este pegou fogo pode ser último acidente, aliviando consertado facilmente e a temores sobre um retorno um custo razoável? do problema que levou ao Esses reparos ainda não cancelamento dos voos foram feitos em nenhum com aviões Dreamliner por avião comercial mais de três meses no operacional. Assim, o fogo início deste ano, quando na Ethiopian Airline é a uma bateria pegou fogo e primeira chance que o outra superaqueceu. mercado, passageiros e Wall Street reagiu ao concorrentes têm de ver incidente de Londres, um como, e mediante qual levando as ações da custo, o reparo pode ser Boeing a cair 4,7% na feito. (Reuters)

4,7

A Ford disponibiliza, em um primeiro momento, 20 itens para o lar a partir de setembro.

presença no mercado com produtos de última geração e design atual e ergonômico, somados ao acabamento premium. "Num primeiro momento, os produtos não farão qualquer alusão aos veículos da marca, mas terão o mesmo padrão de qualidade, durabilidade, design, tecnologia e inovação", explica o gerente de vendas e marketing de peças e serviços da Ford, Joaquim Arruda Pereira, que diz que será lançada também uma linha de iluminação disponível a partir de julho em Minas Gerais e Rio de Janeiro, e depois em outros estados. Novos itens como forno elétrico, grill, liquidificador, cafeteira, ferro a vapor, aspiradores de pó fritadeiras e umidificadores, entre outros, estarão expostos na Eletrolar Show.

Fotos: Divulgação

Entre os modelos mais vendidos está o E175, encomendado pela United Airlines

Ford anunciou ontem, na Eletrolar Show 2013, o lançamento da linha de produtos licenciados Ford Home Solutions, em parceria com a SuperMarcas e a NKS, empresa brasileira fabricante de eletrodomésticos com 20 anos de atuação no mercado. Em comunicado, a companhia diz que "a Ford Brasil está alinhada ao plano estratégico global de licenciamento de itens não-automotivos ao lançar, no País, uma gama de produtos licenciados". Inicialmente estarão disponíveis cerca de 20 itens nas linhas de iluminação, eletroportáteis e eletrodomésticos que, "além de reforçar a promessa da marca (...) criam experiências positivas – o que resulta em um engajamento mais profundo com a Ford", diz a companhia. Os produtos estarão à venda em grandes redes varejistas já em setembro. Com a iniciativa, a Ford pretende se aproximar ainda mais dos consumidores e ampliar sua

O design exclusivo é uma aposta da montadora.

Nissan quer classe média

A

Nissan Motor pode vender carros de sua marca Datsun no Brasil, disse ontem um executivo sênior da empresa, como parte da estratégia da montadora para atingir a crescente classe média em mercados emergentes. A empresa disse no ano passado que iria reavivar a Datsun como uma marca para os mercados emergentes, com início na Índia, Rússia e Indonésia. A empresa também irá vender o veículo na África do Sul no próximo ano. A montadora tem dito que quer expandir a marca para o Sudeste da Ásia, América Latina, Oriente Médio e África. Nesse processo de expansão, o Brasil é alvo. "O Brasil é uma possibilidade", disse

Trevor Mann, vicepresidente executivo da empresa japonesa, quando questionado sobre mercados específicos. Na manhã de ontem, a montadora japonesa anunciou um novo veículo de cinco portas chamado Go, o primeiro carro novo a partir de sua linha Datsun de baixo orçamento, em um evento em Nova Délhi. O carro será vendido na Índia por menos de 400 mil rúpias – o equivalente a US$ 6,7 mil – a partir do próximo ano e serão fabricados na fábrica da Nissan e da parceira Renault 400.000 unidades por ano nas proximidades de Chennai, sul da Índia. A Nissan pode também exportar carros Datsun da Índia para a África do Sul, disse Mann. (Reuters)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 16 de julho de 2013

e

A Eletrobras ofereceu o IPCA e disse que não tinha mais nada a oferecer Emanoel Torres, diretor da Associação dos Empregados da Eletrobras

conomia

OI vende ativos avaliados em R$ 2,5 bilhões As vendas envolveram torres de telecomunicações e a empresa GlobeNet

O

grupo Oi anunciou ontem acordos, num total de cerca de R$ 2,5 bilhões, para venda de sua empresa de cabos submarinos GlobeNet, além de cessão comercial de mais de 2 mil torres de telecomunicações. Os acordos foram acertados em uma estratégia da companhia para melhorar sua estrutura

de custos em um momento em que promove plano de investimentos de R$ 6 bilhões e política de dividendos de R$ 8 bilhões até o fim de 2015. As ações da Oi disparavam cerca de 7% após os anúncios. A Oi encerrou o primeiro trimestre com dívida de R$ 27,5 bilhões e índice de endividamento sobre Ebitda (lucro an-

tes de juros, impostos, depreciação e amortização) de 3,05 vezes. No final de abril, o então diretor financeiro da empresa, Alex Zornig, havia afirmado que a Oi estava em processo de venda de ativos não estratégicos e que esperava que a venda de direitos de uso de torres poderia acrescentar

R$ 1 bilhão ao caixa da companhia "nos próximos meses". Ele se referiu na ocasião a 4 mil torres. Zornig deixou o cargo em 20 de junho. Compradores – A cessão da exploração comercial e uso de 2.113 torres de telecomunicações para a SBA Torres Brasil, unidade da norte-americana SBA Communications Corp, foi rendeu R$ 686,72 milhões. A Oi também anunciou a venda da participação integral que mantinha na GlobeNet, rede de cabos de comunicação submarinos, por R$ 1,745 bilhão. O negócio foi acertado com o BTG Pactual

YS Empreendimentos e Participações, empresa controlada pelo BTG Pactual Infraestrutura II Fundo de Investimento em Participações. O contrato com o fundo do BTG Pactual estabelece o fornecimento de capacidade para a Oi com volume e preço garantidos. O sistema de cabos submarinos negociado conta com 22.500 quilômetros e é composto por dois anéis de cabos submarinos protegidos, interligando pontos de conexão entre Estados Unidos, Ilhas Bermudas, Colômbia, Venezuela e Brasil. Já o acordo com a SBA prevê

a locação de espaço nas torres por meio de contrato de longo prazo. A implementação desse acordo está sujeita ao cumprimento de condição precedente prevista em contrato para o fechamento, relativa à aprovação da operação pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) Ao mercado norte-americano, a SBA Communications Corp afirmou que as torres vão contribuir com uma receita adicional de R$ 73,5 milhões em 2014, além de um fluxo de caixa de R$ 67,3 milhões no ano que vem. (Reuters)

PPX Participações S.A.

Lucivaldo Sena/EC

Grevistas prometem realizar manifestação na próxima semana para reivindicar aumento salarial

Funcionários da Eletrobras cruzam os braços

E

m torno de 80% a 90% dos funcionários do sistema Eletrobras, inclusive os das distribuidoras federalizadas no Norte e Nordeste, estão neste momento de greve por tempo indeterminado. A paralisação tem como objetivo retomar as negociações entre a administração da estatal e as entidades sindicais, interrompidas desde a última reunião, ocorrida em 04 de julho. "Não queremos estar em greve, mas queremos a retomada das negociações", afirmou o diretor da Associação dos Empregados da Eletrobras (Aeel), Emanoel Torres. Ontem, pelo menos 50 pessoas estiveram concentradas na frente da sede da Eletrobras, no Rio de Janeiro. De acordo com Torres, as equipes de operação que entraram no turno da noite não seriam rendidas, enquanto as equipes de manutenção não realizarão seus serviços. O sindicalista, no entanto, garantiu que a greve não coloca em risco a operação do sistema Eletrobras, responsável por gerar e transmitir boa

parte da energia consumida no Brasil. De acordo com Torres, o impasse nas negociações do acordo coletivo estão em torno do reajuste salarial. Enquanto a Eletrobras está oferecendo o IPCA, que seria em torno de 6,5%, os trabalhadores querem 6,88% de aumento, calculado pelo Dieese, mais 4,3% que seria relativo ao crescimento do consumo de energia residencial no ano passado. "A Eletrobras ofereceu o IPCA e disse que não tinha mais nada a oferecer", disse. Protestos – Os trabalhadores do Sistema Eletrobras prometem realizar, na próxima quinta-feira, dia 18, às 11h, uma passeata pelas ruas do Rio de Janeiro contra o atual processo de reestruturação da companhia e a proposta para o acordo coletivo deste ano. Os funcionários disseram que irão se reunir em frente à sede da holding federal, na Avenida Presidente Vargas, e marcharão até a Cinelândia através da Avenida Rio Branco, no centro da cidade. (EC)

Petrobras e BP fazem parceria para exploração

A

17

britânica BP anunciou ontem que concluiu acordo com a Petrobras para entrar em cinco concessões operadas pela estatal em águas profundas da bacia de Potiguar, na margem equatorial brasileira. Sem divulgar valores, a BP informou que vai assumir entre 30% e 40% de participação em cinco blocos. Os blocos foram adquiridos pela Petrobras e parceiros na sétima rodada de licitações da ANP (Agência Nacional do Petróleo), em 2005. Estão localizados entre 40 e 110 quilômetros da costa dos Estados do Rio Grande do Norte e Ceará, em águas com profundidade que vão de

1.400 até 2.100 metros. Sem conseguir gerar caixa suficiente para cobrir seus elevados investimentos, a Petrobras tem feito parcerias para dar continuidade ao desenvolvimento dos seus blocos em exploração. A BP informou que após as aprovações regulatórias, o bloco BM-POT-16 será explorado por um consórcio formado por Petrobras, que continua como operadora, com 30%; BP, com 30%; Petrogal Brasil, com 20%; e IBV, com 20%. No BM-POT-17 a Petrobras também se manteve como operadora, com 40%; a BP terá 40%; e a Petrogal Brasil, com 20%. (Folhapress)

CNPJ 11.425.560/0001-04 Relatório das Demonstrações Contábeis da Controladora e Consolidado dos Exercícios findos em 31 de Dezembro de 2012 e de 2011 Demonstração do Resultado dos Exercícios findos em: Em R$ Mil Balanço Patrimonial em: Em R$ Mil Controladora Consolidado Controladora Consolidado Controladora Consolidado Nota 31.12.12 31.12.11 31.12.12 31.12.11 Ativo Nota 31.12.12 31.12.11 31.12.12 31.12.11 Passivo Nota 31.12.12 31.12.11 31.12.12 31.12.11 14 83.212 117.708 Ativo circulante 14.523 25.251 139.838 141.806 Passivo Circulante 41.669 53.738 70.596 19.137 Receita Operac.Liquida Caixa e Equiv. de Caixa 4 14.187 25.245 53.445 128.331 Empréstimos e Financ. 10 56.994 999 (-) Custo dos Serviços - (75.684) (126.394) Clientes 5 8.770 10.895 Fornecedores 2.382 6.882 Prestados 7.528 (8.686) Conta Corrente Consórcio 1.160 842 Obrig. Sociais e Trabalhistas 1.237 2.418 Lucro Bruto (698) 944 (580) (5.667) Créditos Fiscais 6 336 6 1.185 572 Obrigações Tributárias 3 297 837 1.093 Receitas / (Desp.) operac.: Despesas Administrativas (2) (3) (13.484) (9.148) Partes Relacionadas 7 60.313 - Dividendos a Pagar 41.666 53.441 (1.688) (1.892) (11.044) Bens Destinados a Venda 1.900 Contas a Pagar 7.417 6.403 Outras Desp. Operacionais 992 947 14.796 14.525 Outros Créditos 13.059 1.076 Parcelamentos Tributários 11 1. 729 1.342 Resultado Financeiro (698) 944 6.948 (14.353) Despesas Antecipadas 6 90 Passivo não circulante 242.162 296.266 304.972 365.582 Resultado Operacional Ativo não circulante 269.308 324.753 235.730 242.913 Exigível a Longo Prazo 21.143 15.875 Result. de Equiv.Patrimonial 8 (33.405) 283.453 (38.276) 32.651 Realizável a Longo Prazo 7.960 67.199 112.258 Empréstimos e Financ. 10 10.000 636 Lucro/(Prejuízo) antes Clientes 5 33.488 35.918 Adiantamento de Clientes 4.929 8.801 do Imposto de Renda (34.103) 284.397 (31.328) 18.298 Partes Relacionadas 7 7.960 11.860 15.514 Contas a Pagar 105 105 e Contribuição Social (212) (589) (737) Outros Créditos 6.953 16.389 Parcelamentos Tributários 11 4.816 4.911 Imposto de Renda Contribuição Social (85) (1.424) (1.405) Depósitos Judicais 691 472 Provisões 12 1.114 1.291 2.12 (762) 9.449 Adiantamento p/Futuro Tributos Diferidos 2.12 179 131 IR/CSLL Diferidos (34.103) 284.100 (34.103) 25.605 Aumento de Capital 5.342 34.385 Patrimônio líquido 13 242.162 296.266 283.829 349.707 Lucro/(Prej.) do Exerc. Tributos Diferidos 2.12 8.865 9.580 Cap. social integralizado 45.900 45.900 298.556 298.556 Demonstração do Fluxo de Caixa dos Exercícios findos em: Em R$ Mil Permanente 261.348 324.753 168.531 130.655 Reserva de Capital 20.410 20.410 20.410 20.410 Controladora Consolidado Investimentos 8 261.348 324.753 165.211 126.754 Reserva de Lucros 18.408 Descrição 31.12.12 31.12.11 31.12.12 31.12.11 Imobilizado 9 3.240 3.858 Lucros/Prej. Acumulados 175.852 229.956 (35.137) 12.333 Fluxos de caixa das Intangível 9 80 43 Total do Ativo 283.831 350.004 375.568 384.719 Total do Passivo 283.831 350.004 375.568 384.719 atividades operacionais (Prej.)/Lucro líquido do exerc. (34.103) 284.100 (34.103) 25.605 Relatório das Demonstrações Contábeis da Controladora e ConsoliDemonstração das Mutações do Patrimônio Líquido em: Em R$ Mil Ajustes: dado dos Exercícios findos em 31 de Dezembro de 2012 e de 2011 Reserva Reserva Prejuízo/ Depreciação e Amortização 776 899 1. Contexto Operacional: A PPX Participações S.A. é uma sociedade Capital de de Lucros (2.601) (714) por ações regida pelo seu estatuto e disposições da legislação societária Social Capital Lucros Acumul. Total Variação Cambial Líquida vigente. A companhia tem sede no município de São Paulo/SP e tem como Saldo em 31/12/2010 293.966 33.405 (283.453) 38.276 (32.651) 31.349 (13.272) 312.043 Resultado de Equiv. Patrimonial objeto social a participação como acionista e/ou quotista no capital social • Integralização de Tributos Diferidos 763 (9.449) de outras empresas/sociedades/entidades localizadas no Brasil e no exte- Capital com Agio 4.590 20.410 25.000 Provisão para Contingência (177) 1.291 rior. 2. Resumo das Principais Políticas Contábeis: As principais políti- • Lucro do Exercício 25.605 25.605 Ajuste de Exercícios Anteriores (6.411) cas contábeis aplicadas na preparação destas demonstrações financeiras • Distrib. de Lucros - (12.941) - (12.941) Provisão juros s/ Empréstimos (9.617) estão definidas abaixo. Essas políticas vêm sendo aplicadas de modo con- Saldo em 31/12/2011 298.556 20.410 18.408 12.333 349.707 Valor Justo dos Bens sistente em todos os exercícios apresentados, salvo disposição em contrá- • Transferência para Destinados a Vendas (1.789) rio. As demonstrações contábeis da Companhia para o exercício findo em Reserva de Lucros 12.333 (12.333) (698) 647 (8.472) (21.430) 31 de dezembro de 2012 foram aprovadas pela Diretoria da Companhia • Prej. do Exercício (34.103) (34.103) Total em 27 de maio de 2013. • 2.1 Base de preparação: A preparação de de- • Distrib. de Lucros - (30.741) (1.034) (31.775) Variações nos ativos e passivos monstrações financeiras requer o uso de certas estimativas contábeis críti- Saldo em 31/12/2012 298.556 20.410 circulantes e não circulantes: (35.137) 283.829 cas e também o exercício de julgamento por parte da administração da financeiros: Instrumentos financeiros não derivativos incluem aplicações Clientes 4.555 (46.814) Companhia no processo de aplicação das políticas contábeis. Aquelas áre- financeiras, investimentos em instrumentos de dívida e patrimônio, contas Conta Corrente Consórcio (318) (842) as que requerem maior nível de julgamento e possuem maior complexida- a receber e outros recebíveis, caixa e equivalentes de caixa, empréstimos Créditos Fiscais (330) (6) (613) (572) de estão divulgadas na Nota 3. (a) Critérios para elaboração dos De- e financiamentos, assim como contas a pagar e outras dívidas. InstrumenOutros Créditos (1.461) (1.076) monstrativos Contábeis Consolidados: As demonstrações contábeis tos financeiros não derivativos são reconhecidos inicialmente pelo valor Despesas Antecipadas 84 (90) consolidadas incluem as demonstrações contábeis da sua subsidiária inte- justo acrescido, para instrumentos que não sejam reconhecidos pelo valor (219) (472) gral “PLANOVA Planejamento e Construções S.A.” e o processo de conso- justo através de resultado, de quaisquer custos de transação diretamente Depósitos Judicais (4.500) 6.882 lidação das contas patrimoniais e de resultados, corresponde à soma hori- atribuíveis. 3. Estimativas e julgamentos contábeis críticos: As estimati- Fornecedores (1.181) 2.418 zontal dos saldos das contas de ativo, passivo, receitas e despesas, se- vas e os julgamentos contábeis são continuamente avaliados e baseiam- Obrigações Sociais e Trabalhistas gundo a natureza de cada saldo, complementada com as eliminações dos se na experiência histórica e em outros fatores, incluindo expectativas de Obrigações Tributárias (295) 297 (256) 1.093 saldos das contas correntes e outros saldos, integrantes do ativo e/ou pas- eventos futuros, consideradas razoáveis para as circunstâncias. Contas a Pagar 1.014 6.508 sivo, mantidos entre as companhia. (b) Demonstrações contábeis indivi- 4. Caixa e Equivalentes de Caixa Adiantamento de Clientes (3.873) 8.801 duais e consolidadas: As demonstrações contábeis individuais (controControladora Consolidado Parcelamentos Tributários 292 6.253 ladora) e consolidadas foram preparadas e estão sendo apresentadas con- Descrição 31.12.2012 31.12.2011 31.12.2012 31.12.2011 Total (625) 291 (6.476) (17.911) forme as práticas contábeis adotadas no Brasil, incluindo os pronuncia- Caixa e Bancos 5 6 788 1.847 Caixa liquido gerado (aplicado) mentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPCs). Nas Aplicações Financeiras (a) 14.182 25.239 52.657 126.484 nas atividades operacionais (1.323) 938 (14.948) (39.341) demonstrações contábeis individuais (controladora), a controlada e coliga- Total 14.187 25.245 53.445 128.331 das são contabilizadas pelo método de equivalência patrimonial. (c) Moe- (a) trata-se de aplicações financeiras realizadas em bancos nacionais de Fluxo de caixa das atividades da funcional e moeda de apresentação: Os itens incluídos nas demons- primeira linha, nas modalidades de CDB – Certificado de Depósitos Bancá- de investimento trações financeiras da Companhia são mensurados usando a moeda do rios Debentures e Debentures e com remuneração atrelada a taxa CDI. Inversões para Investimentos - (41.300) (35.474) (93.345) principal ambiente econômico, no qual a empresa atua (“a moeda funcio- 5. Clientes Recebimentos de Dividendos 30.000 nal”). As demonstrações financeiras estão apresentadas em Reais (R$), Controladora Consolidado Inversões p/Imobiliz. e Intangível 245 (4.851) que é a moeda funcional da Companhia. 2.2 Apuração do resultado: O Descrição 31.12.2012 31.12.2011 31.12.2012 31.12.2011 Caixa liquido gerado (aplicado) resultado das operações é apurado em conformidade com o regime Órgãos/Entidades Públicas 10.947 10.437 nas atividades de investimento 30.000 ( 41.300) (35.229) (98.196) contábil de competência. A receita é reconhecida na extensão em que for Entidades Privadas 25.517 24.420 Fluxo de caixa das atividades provável que benefícios econômicos serão gerados para a Companhia e Precatórios 2.235 2.236 de financiamento quando possa ser mensurada de forma confiável. A Companhia avalia as Outros 3.559 9.720 66.300 - 318.966 transações de receita de acordo com os critérios específicos para determi- Total 42.258 46.813 Aumento de Capital 24.488 nar se está atuando como agente ou principal e, concluiu que está atuando Ativo Circulante 8.770 10.895 Aumento de Reserva de Lucros como principal em todos os seus contratos de receita. 2.3 Caixa e equiva- Ativo não Circulante Pagamento de Dividendos e JCP (31. 775) (701) (31. 775) (12.941) 33.488 35.918 lentes de caixa: Caixa e equivalente de caixa incluem dinheiro em caixa, 6. Créditos Fiscais Captação/(Pagamento) depósitos bancários, investimentos de curto prazo e alta liquidez e com risControladora Consolidado dos Empréstimos 64.811 1.635 co insignificante de mudança de valor. 2.4 Ativos financeiros: (a) Classi- Descrição 31.12.2012 31.12.2011 31.12.2012 31.12.2011 Partes Relacionadas (7.960) - (57.745) (66.288) ficação e mensuração: A Companhia classifica seus ativos financeiros IRRF sobre Aplicações 336 6 336 6 Caixa liquido gerado (aplicado) sob as seguintes categorias: empréstimos e recebíveis, mensurados ao Saldo Negativo de IR e CS 849 566 das ativ. de financiamento (39.735) 65.599 (24.709) 265.860 valor justo através do resultado. A classificação depende da finalidade para Total 336 6 1.185 572 Variação do Caixa e a qual os ativos financeiros foram adquiridos. A administração determina a 7. Partes Relacionadas - Consolidado Equivalente de Caixa (11.058) 25.237 (74.886) 128.323 classificação de seus ativos financeiros no reconhecimento inicial. (b) Em31 de dezembro de 2012 31 de dezembro de 2011 Aumento (redução) liquido do préstimos e recebíveis: Incluem-se nessa categoria os recebíveis que Ativo Ativo são ativos financeiros não derivativos com pagamentos fixos ou determicaixa e Equivalente de Caixa Não Não náveis, que não são cotados em um mercado ativo. São incluídos como Companhias Circulante Circulante Circulante Circulante Disponibilidades no início ativo circulante, exceto aqueles com prazo de vencimento superior a 12 BEVAP 60.313 do período/exercício 25.245 8 128.331 8 meses após a data de emissão do balanço (estes são classificados como OUTROS 11.860 15.514 Disponibilidades no final ativos não circulantes). Os empréstimos e recebíveis são contabilizados Total 60.313 11.860 15.514 do período/exercício 14.187 25.245 53.445 128.331 pelo custo amortizado, usando o método da taxa de juros efetiva. (c) Ati- 8. Investimentos (Redução)/Aumento do Caixa vos financeiros mensurados ao valor justo por meio do resultado: Os Controladora Consolidado e Equivalente de Caixa (11.058) 25.237 (74.886) 128.323 ativos financeiros mensurados ao valor justo por meio do resultado são ati- Descrição 31.12.2012 31.12.2011 31.12.2012 31.12.2011 vos financeiros mantidos para negociação ativa e frequente. Os ativos des- Avaliados por Controladora Consolidado sa categoria são classificados no ativo circulante e não circulante. Os gan- Equivalência Patrimonial: Descrição 31.12.2012 31.12.2011 31.12.2012 31.12.2011 hos ou as perdas decorrentes de variações no valor justo de ativos finan- • Planova Planejamento Outros Investimentos: ceiros mensurados ao valor justo por meio do resultado são apresentados Construções S.A. 261.348 324.753 - • Participação em na demonstração do resultado em “resultado financeiro” no período em • BEVAP – Bioenergética Outras Companhias 17.242 15.778 que ocorrem. 2.5 Contas a receber: As contas a receber de clientes são Vale do Paracatu S.A. 1.141 322 95.431 110.654 • Propriedades p/Invest. avaliadas no momento inicial pelo valor presente e deduzidas, quando for o • Outros Investimentos 18.383 16.100 51.397 - Subtotal caso, da provisão para créditos de liquidação duvidosa. A provisão para Subtotal 324.753 165.211 126.754 261.348 324.753 146.828 110.654 Total dos Investimentos 261.348 crédito de liquidação duvidosa é estabelecida quando existe uma evidência A seguir, são apresentados os detalhes dos investimentos avaliados por Equivalência Patrimonial: objetiva de que os clientes não serão capazes de liquidar todos os valores • Exercício de 2012 Participação devidos de acordo com os prazos originais da contas a receber. O valor da Resultado Patrimônio Capital de Capital Equivalência provisão é a diferença entre o valor contábil e o valor recuperável. 2.6 Ou- Companhias do período Líquido Social Votante % Investimentos Patrimonial tros ativos circulante e realizável a longo prazo: São apresentados ao Planova Planejamentoe Construções S.A. (33.405) 261.348 293.956 100,00% 261.348 (33.405) valor de custo ou de realização, incluindo, quando aplicável, os rendimen- BEVAP - Bioenergética Vale do Paracatu S.A. (213.306) 333.652 529.892 28,60% 95.431 (77.076) tos e as variações monetárias auferidos. Quando requerido, os elementos Outros 28.988 29.801 50.860 51.397 38.800 do ativo decorrentes de operações de longo prazo são ajustados a valor • Exercício de 2011 Participação presente, sendo os demais ajustados quando houver efeito relevante. 2.7 Resultado Patrimônio Capital de Capital Equivalência Investimentos: Consistem em investimentos em controladas e coligadas Companhias do período Líquido Social Votante % Investimentos Patrimonial avaliadas pelo método de equivalência patrimonial avaliados pelo custo de Planova Planejamentoe Construções S.A. 24.958 324.753 293.956 100,00% 324.753 283.453 aquisição. Os movimentos cumulativos após as aquisições são ajustados BEVAP - Bioenergética Vale do Paracatu S.A. 67.073 370.387 335.231 29,88% 110.654 33.354 contra o custo do investimento. Ganhos ou transações a realizar entre a 9. Imobilizado e Intangível – Consolidado Companhia e sua controladas são eliminados na medida da participação 9.1 Imobilizado Valores em 31.12.2012 em R$ 31.12.2011 da Companhia; perdas não realizadas também são eliminadas, a menos Descrição Taxa de Anual (%) Custo Depreciação Valor Liquido Valor Liquido que a transação forneça evidências de perda permanente (impairment) do Equipamentos de Informática 20% 115 (60) 55 60 ativo transferido. 2.8 Imobilizado: O imobilizado é mensurado pelo seu Ferramentas 10% 7 (1) 6 custo histórico, menos depreciação acumulada. O custo histórico inclui os Maquinas e Equipamentos 10% 2.802 (897) 1.905 2.154 gastos diretamente atribuíveis à aquisição dos itens e os custos financia- Moveis e Utensílios 10% 360 (148) 212 141 mentos relacionados com a aquisição de ativos qualificados. Os ganhos e Veículos 20% 2.365 (1.265) 1.100 1.503 as perdas de alienações são determinados pela comparação dos resulta- Total 5.649 (2.371) 3.278 3.858 dos com seu valor contábil e são reconhecidos em “Outros ganhos/(per- 9.2 Intangível Valores em 31.12.2012 em R$ 31.12.2011 das), líquidos” na demonstração do resultado. 2.9 Contas a pagar aos for- Descrição Taxa de Anual (%) Custo Depreciação Valor Liquido Valor Liquido necedores: As contas a pagar aos fornecedores são obrigações a pagar Software 20% 80 (38) 42 43 por bens ou serviços que foram adquiridos de fornecedores no curso nor- Total 80 (38) 42 43 mal dos negócios, sendo classificadas como passivos circulantes se o pa31.12.2012 31.12.2011 gamento for devido no período de até um ano. Caso contrário, as contas a 9.3 Redução ao valor recuperável dos ativos – Teste de Impairment: A Descrição 5.279 6.179 pagar são apresentadas como passivo não circulante. 2.10 Outros passi- Companhia efetua análises sobre a existência de evidências de que o valor Pedido de Parcelamento Incentivado – PPI 1.267 74 vos circulante e não circulante: Os demais passivos circulante e não contábil de um ativo não será recuperado. Caso se identifique tais evidên- Outros Parcelamentos Total 6.546 6.253 circulante são demonstrados por valores conhecidos ou calculáveis, acres- cias, a Companhia estima o valor recuperável do ativo. O valor recuperável Ativo Circulante 1.729 1.342 de um ativo é o maior valor entre: (a) seu valor justo menos custos que cidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos e das variações Ativo não Circulante 4.816 4.911 monetárias incorridos. Quando requerido, os elementos do passivo decor- seriam incorridos para vendê-lo, e (b) seu valor de uso. O valor de uso é 12. Provisões: A Companhia, no curso normal de suas operações, está enrentes de operações de longo prazo são ajustados a valor presente, sendo equivalente aos fluxos de caixa descontados (antes dos impostos) derivavolvida em processos legais, de natureza cível (incluindo ambiental), tributáos demais ajustados quando houver efeito relevante. 2.11 Imposto de ren- dos do uso contínuo do ativo até o final da sua vida útil. Quando o valor ria e trabalhista. A Companhia constituiu provisões para processos legais a da e contribuição social: Os tributos foram calculados com base no lucro residual contábil do ativo exceder seu valor recuperável, a Companhia revalores considerados pelos assessores jurídicos e sua Administração como real. O imposto de renda e a contribuição social são recolhidos mensal- conhece uma redução do saldo contábil deste ativo (impairment ou deterio- sendo suficientes para cobrir perdas prováveis, nas datas das demonstramente sobre bases de cálculo apuradas através de balancetes de verifica- ração). Para os ativos registrados pelo custo, a redução no valor recuperá- ções contábeis. A Companhia é parte envolvida em processos trabalhistas, ção, suspensão ou redução, nas formas e alíquotas previstas na legislação vel é registrada no resultado do período. Se não for determinado o valor cíveis, tributários e outros em andamento, e está discutindo essas questões vigente. 2.12 Tributos diferidos : O imposto de renda e a contribuição so- recuperável de um ativo individualmente, é realizada a análise do valor re- tanto na esfera administrativa como na judicial, as quais, quando aplicáveis, cial diferidos são reconhecidos sobre as diferenças temporárias no final de cuperável da unidade geradora de caixa à qual o ativo pertence. Na avalia- são amparadas por depósitos judiciais. As provisões para as eventuais percada período de relatório entre os saldos de ativos e passivos reconheci- ção da Administração, inexistem indicadores de “impairment”, sejam eles das decorrentes desses processos são estimadas e atualizadas pela admidos nas demonstrações financeiras e as bases fiscais correspondentes externos ou internos relacionados a fatos negativos que poderiam influen- nistração, amparada pela opinião de seus consultores legais externos. A nausadas na apuração do lucro tributável, incluindo saldo de prejuízos fiscais ciar de forma relevante o desempenho dos ativos da Empresa. 9.4 Revi- tureza das obrigações pode ser sumariada como segue: • Contingências trae base negativa de contribuição social, quando aplicável. Os tributos e consão da vida útil estimada: Conforme Pronunciamento Técnico CPC 27, a balhistas e previdenciárias - consistem, principalmente, em reclamações de tribuições diferidos passivos são geralmente reconhecidos sobre todas as empregados vinculadas a disputas sobre o montante de compensação pago diferenças temporárias tributáveis e os tributos diferidos ativos são reco- Companhia revisou os critérios utilizados para determinação da vida útil- sobre demissões. • Ações cíveis - as principais ações estão relacionadas a nhecidos sobre todas as diferenças temporárias dedutíveis, apenas quan- econômica estimada dos ativos e para cálculo da depreciação, exaustão e reclamações de contratados relativas a perdas que supostamente teriam do for provável que a Sociedade e suas controladas apresentará lucro amortização, não identificando variações significativas no método/estimati- ocorrido como resultado de vários planos econômicos. 13. Patrimônio Litributável futuro em montante suficiente para que tais diferenças temporári- va que já vinha sendo utilizada. Dessa forma, não houve ajustes na de- quido - 13.1 Capital e Reservas: O capital social integralizado é de R$ as dedutíveis possam ser utilizadas. 2.13 Provisões: As provisões para monstração do resultado e no patrimônio liquido. 10. Emprestimos e Fi- 45.900 mil (quarenta e cinco milhões e novecentos mil reais) representado ações judiciais (trabalhista, civil e impostos indiretos) são reconhecidas nanciamentos - Consolidado: A Companhia possui compromissos futu- por 45.900.000 (quarenta e cinco milhões, novecentos mil) ações ordinárias. quando a Companhia tem uma obrigação presente ou não formalizada ros referentes a empréstimos e financiamentos, bem como a arrendamen- As ações ordinárias da Companhia dão o direito a voto, sendo que, cada como resultado de eventos passados; é provável que uma saída de recur- tos mercantis de máquinas e equipamentos, veículos e equipamentos de uma representa um voto na assembléia geral. sos seja necessária para liquidar a obrigação; e o valor tiver sido estimado informática, com opção de compra no final dos pagamentos previstos em 14. Conciliação entre a Receita Bruta e a Receita Liquida 31.12.2012 31.12.2011 com segurança. Quando houver uma série de obrigações similares, a pro- contratos Os saldos correspondentes em 31 de dezembro de 2012 e de Descrição Receitas Brutas babilidade de liquidá-las é determinada, levando-se em consideração a 2011 estão representados a seguir: 55.362 102.013 classe de obrigações como um todo. Uma provisão é reconhecida mesmo Modalidade Taxas de juros e comissões 31.12.2012 31.12.2011 Receitas de Serviços 22.129 23.549 que a probabilidade de liquidação relacionada com qualquer item individual Capital de Giro (a) Pós Fixado 35.750 - Receitas de Consórcios Outras Receitas 10.588 incluído na mesma classe de obrigações seja pequena. 2.14 Ajuste a va- Capital de Giro (b) Pré Fixado 30.000 88.079 125.562 lor presente de ativos e passivos: Os ativos e passivos monetários de Conta Garantida (a) Pós Fixado 51 - Total das Receitas Brutas Deduções das Receitas longo prazo são atualizados monetariamente e, portanto, estão ajustados Leasing Financeiro 1,20% a.m. 644 1.635 Tributos sobre a Receita (PIS, COFINS e ISS) (4.867) (7.854) pelo seu valor presente. O ajuste a valor presente de ativos e passivos Total 66.445 1.635 Cancelamentos monetários de curto prazo é calculado, e somente registrado, se consideCirculante 55.801 999 Total das Deduções (4.867) (7.854) rado relevante em relação às demonstrações financeiras tomadas em conNão circulante 10.000 636 Receita Líquida 83.212 117.708 junto. Para fins de registros e determinação de relevância, o ajuste a valor 15. Cobertura de Seguros: Em 31 de dezembro de 2012 e em 2011, a presente é calculado levando em consideração os fluxos de caixa contra- 11. Parcelamentos Tributários - Consolidado tuais e a taxa de juros explícita, e em certos casos implícita, dos respecti- Os saldos correspondentes em 31 de dezembro de 2012 e de 2011 estão cobertura de seguros é considerada suficiente pela Administração para cobrir eventuais sinistros. vos ativos e passivos. De acordo com a análise realizada sobre as opera- representados a seguir: Gerson Aguiar de Brito Vianna Márcia Vieira Rodrigues ções da Companhia, a Administração conclui sobre a não necessidade de constituição de provisão para ajuste a valor presente. 2.15 Instrumentos Diretor Contadora - CRC SP-194330/O-3 Relatório dos Auditores Independentes sobre as Demonstrações Contábeis Aos sócios da PPX Participações S.A. São Paulo - SP. Examinamos as demonstrações contábeis com base em nossa auditoria, conduzida de a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar demonstrações contábeis individuais e consolidadas da PPX Participações acordo com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas nor- nossa opinião. Opinião sobre as demonstrações contábeis individuais: S.A. (Companhia), identificadas como Controlada e Consolidado, respecti- mas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a Em nossa opinião, as demonstrações contábeis individuais anteriormente vamente, que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a 2012 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do razoável de que as demonstrações contábeis estão livres de distorção re- posição patrimonial e financeira da PPX Participações S.A. em 31 de depatrimônio líquido e dos fluxos de caixa para o exercício findo naquela levante. Uma auditoria envolve a execução de procedimentos seleciona- zembro de 2012, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais no- dos para obtenção de evidência a respeito dos valores e das divulgações caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as práticas tas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demons- apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos seleciona- contábeis adotadas no Brasil. Opinião sobre as demonstrações trações financeiras: A Administração da Companhia é responsável pela dos dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos contábeis consolidadas: Em nossa opinião, as demonstrações contábeis elaboração e adequada apresentação das demonstrações contábeis indivi- de distorção relevante nas demonstrações contábeis, independentemente consolidadas anteriormente referidas apresentam adequadamente, em toduais de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e das de- se causada por fraude ou erro. Nessa avaliação de riscos, o auditor consi- dos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira consolidada monstrações contábeis consolidadas de acordo com as Normas Internaci- dera os controles internos relevantes para a elaboração e adequada apre- da PPX Participações S.A. em 31 de dezembro de 2012, o desempenho onais de Relatório Financeiro (IFRS), emitidas pelo “International sentação das demonstrações contábeis da Companhia para planejar os consolidado de suas operações e os seus fluxos de caixa consolidados Accounting Standards Board - IASB”, e de acordo com as práticas procedimentos de auditoria que são apropriados às circunstâncias, mas para o exercício findo naquela data, de acordo com as de acordo com as contábeis adotadas no Brasil, assim como pelos controles internos que ela não para fins de expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles Normas Internacionais de Relatório Financeiro (IFRS), emitidas pelo determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstra- internos da Companhia. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da ade- “International Accounting Standards Board - IASB”, e as práticas contábeis ções contábeis livres de distorção relevante, independentemente se cau- quação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas adotadas no Brasil. Santo André, 28 de maio de 2013. sada por fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independen- contábeis feitas pela Administração, bem como a avaliação da apresentaSAX Slavic Auditores Independentes S.S. - CRC 2SP 024845/0-2 tes: Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas ção das demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que Alexandre Ralf Slavic - Sócio-Diretor - CRC 1SP207032/O-5


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18 -.ECONOMIA/LEGAIS

e

O comércio teve o melhor desempenho, com alta de 7,7%.

conomia

MPEs paulistas O faturaram mais em maio Esse foi o melhor resultado para o mês desde 2001

terça-feira, 16 de julho de 2013

faturamento real das MPEs paulistas manteve-se elevado em maio: R$ 47,3 bilhões, 2,5% superior ao do mesmo período de 2012 e o melhor resultado para o mês desde 2001, de acordo com a pesquisa Indicadores Sebrae-SP. Entre os setores, o comércio teve o melhor desempenho, com alta de 7,7%. Na outra ponta, serviços

e indústria caíram 0,4% e 6,1%, respectivamente. "O setor de serviços teve influência da base forte de comparação. Em maio de 2012, as MPEs desse ramo aumentaram o faturamento em 14,7% ante maio de 2011. Já a indústria sofre com problemas de competitividade", explica o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano.

No acumulado de janeiro a maio de 2013, a receita real das MPEs cresceu 3,9% ante os cinco primeiros meses de 2012. Porém, o percentual caracteriza uma desaceleração, pois na comparação desse período de 2012 com o de 2011 o crescimento fora de 8,9%. A maioria dos empresários (56%) acredita em estabilidade no faturamento nos próxi-

mos seis meses. No ano passado, esse grupo representava 54% do total. Porém, a parcela dos que esperam piora nos negócios subiu de 5% em junho de 2012 para 7% agora. Quanto à perspectiva com a economia, a percepção tornou-se mais negativa: 47% esperam melhora no nível de atividade; em junho de 2012, a marca era de 55%.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 16 de julho de 2013

e China desacelera e Bolsa sobe

A confirmação das expectativas na China trouxe certo alívio para países relacionados com commodities, o que respinga da Bolsa. Silvio Campos Neto, economista da Tendências Consultoria

conomia

O crescimento anual do PIB chinês caiu para 7,5% entre abril e junho. Mas dado fortaleceu ações do mercado brasileiro.

O

ECONOMIA/LEGAIS - 19

O

Wu Hong/EFE

crescimento anual do Produto Interno Bruto (PIB) da China desacelerou para 7,5% entre abril e junho – o nono trimestre dos últimos dez em que a expansão enfraqueceu –, colocando pressão sobre Pequim para acelerar as reformas. Os dados mostraram que a segunda maior economia do mundo desacelerou em linha com a previsão em pesquisa da Reuters após crescimento de 7,7% entre janeiro e março. As ações asiáticas subiram em meio ao alívio de que o crescimento não ficou ainda menor após uma queda inesperada nas exportações em junho passado. Um porta-voz da Agência Nacional de Estatísticas afirmou que a economia ainda pode atingir a meta de crescimento no ano de 7,5%, enquanto o presidente do banco central disse que o governo vai aumentar os incentivos para sustentar pequenas empresas buscando estabilizar o crescimento. Mas analistas afirmaram que a desaceleração vai encorajar o governo a avançar com mais força nas reformas. A alternativa – injetar mais dinheiro na economia através de afrouxamento monetário – levanta o risco de exacerbar os já aquecidos mercados imobiliário e de crédito. "A desaceceleração forçará o governo a avançar com reformas para ajudar a acionar novos motores de crescimento", disse Xiang Songzuo, economista-chefe do Agricultural Bank of China. O crescimento anual foi o segundo mais baixo desde a crise financeiro global, após

Na província de Shandong: chineses trabalham na construção civil. O investimento foi o maior motor do crescimento do país.

taxa de 7,4% no terceiro trimestre do ano passado. O porta-voz da agência de estatísticas, Sheng Laiyun, afirmou que a desaceleração deve-se em parte ao resultado dos esforços de Pequim de reformar a economia, um programa cujo objetivo é reduzir sua dependência de exportações e investimentos para encorajar mais consumo doméstico. O investimento foi o maior motor do crescimento no primeiro semestre, contribuindo com 4,1 pontos porcentuais para a taxa de 7,6% dos seis primeiros meses do ano, enquanto o consumo contribuiu com 3,4 pontos porcentuais e as exportações chegaram a 0,1 ponto porcentual, disse a agência. Outros dados divulgados junto com os do PIB mostraram que a produção industrial cresceu 8,9% em ju-

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA ODESSA

AVISO DE EDITAL DE LICITAÇÃO BENJAMIM VIEIRA DE SOUZA, Prefeito do Município de Nova Odessa, torna público que se acha aberto Pregão Presencial nº. 87/PP/2013 que será realizada na sala de reuniões da Prefeitura Municipal de Nova Odessa, situada a Avenida João Pessoa, 777, Centro, Nova Odessa/SP, CEP: 13460-000, iniciando-se a sessão no dia 31/07/2013, às 9h15min, e tem por objeto o registro de preços para futura e eventual contratação de empresa especializada para o fornecimento de serviços de outsourcing de impressão nas dependências da Prefeitura Municipal de Nova Odessa, conforme especificações constantes do termo de referência do edital. Informações poderão ser obtidas das 8h00min às 16h30min, no endereço acima mencionado ou através do telefone (19) 3476.8602. O edital estará disponível para download no seguinte link de acesso: http://www. novaodessa.sp.gov.br/Licitacoes.aspx. Nova Odessa, 15 de Julho de 2013. Setor de Suprimentos e Licitações

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS AVISO DE LICITAÇÃO Processo nº 2.442/2013 - Tomada de Preços nº 05/2013 Objeto: Contratação de empresa para execução da obra de reforma dos Sanitários do Terminal Rodoviário de Passageiros, com área de 122,64m², localizado à Rua Santa Catarina, nº 415, Vila Perino - Ourinhos, SP., conforme projetos, orçamento e memorial descritivo anexo. Data de recebimento dos envelopes: 07/08/2013. Horário limite para recebimento dos envelopes: 14h30 horas. Abertura: 07/08/ 2013 – 15h00 horas. Cadastro até o dia 31/07/2013. Visita Técnica: Agendamento a partir do dia 17/ 07/2013 a 02/08/2013, no horário das 8h30min às 11h30min e das 14h30min às 17h30min, devendo o interessado agendá-la com 1 (um) dia de antecedência, por escrito ou através de endereço eletrônico (licitacoes.pmo@ig.com.br). O Edital completo poderá ser retirado na Diretoria de Suprimento, sita à Rua Euclides da Cunha, nº 522, Centro, das 08:00 às 12h00 horas e das 14h00 às 18h00 horas ou maiores informações pelo telefone (14) 3302-6000 ramal 6032 e 6076. Ourinhos, 15 de julho de 2013. Comissão Permanente de Licitação.

PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE MONGAGUÁ/SP AVISO DE EDITAL PROCESSO Nº 055/2013 EDITAL DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 011/2013 Objeto é registro de preços para fornecimento de gêneros alimentícios estocáveis, perecíveis e hortifrutigranjeiros, pelo período de 12 (doze) meses, no item 12.1, onde-se lê: Após a avaliação das amostras, leia-se: Após a avaliação das documentações técnicas dos produtos. ASSOCIAÇÃO CIVIL PARQUE ITAPETINGA EDITAL DE CONVOCAÇÃO De conformidade com o capítulo V, artigos 14º. e 23º. do Estatuto da Associação Civil Parque Itapetinga ficam os senhores associados (Águia Branca I,II e Recanto Serrano I,II) convocados para a Assembleia Geral Ordinária a ser realizada em 27 de julho de 2013, em única convocação, às 16h, nas dependências do salão de festas das piscinas do Atibaia Clube de Montanha, Parque das Cascatas, s/n- Atibaia, São Paulo, para deliberarem sobre: EXPEDIENTE - a) Leitura e aprovação da ata da reunião anterior; b) Leitura de papéis encaminhados à mesa; c) Comunicação de assuntos de livre escolha dos oradores. ORDEM DO DIA - 1) Análise e aprovação do balancete de janeiro a dezembro do ano de 2012; 2) Critério para associado proprietário de um ou mais lotes de terrenos adjacentes; 3) Exclusão de associado em débito com a associação por um período maior que 6 (seis) meses; 4) Eleição do Conselho Diretor para o biênio 2013/2015; 5) Assuntos Gerais. Dada a relevância dos assuntos é indispensável a presença de todos os associados. São Paulo, 10 julho de 2013. - Conselho de Administração - Erni Carlos Waclawovsky - Presidente

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 15 de julho de 2013, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: José Luiz Queiroz dos Santos ME. Requerido: Artell Empreendimentos Promoções Artísticas e Editora Ltda. Rua Haddock Lobo, 1.626 – Cerqueira César - 2ª Vara de falências. Requerente: Banco Alfa de Investimento S/A. Requerido: Uni Engenharia e Comércio Ltda. Alameda Vicente Pinzon, 173 – 5° Andar – Vila Olímpia - 1ª Vara de Falências. RECUPERAÇÃO JUDICIAL Requerente: Albimax Comércio de Suprimentos e Eletroeletrônicos Ltda. Requerido: Albimax Comércio de Suprimentos e Eletroeletrônicos Ltda. Rua Hanna Abduch, 107 – Vila Palmeiras - 2ª Vara de Falências.

www.dcomercio.com.br

BNDES nega favorecimento

nho sobre o ano anterior. As vendas no varejo em junho avançaram 13,3% ante o ano anterior. As ações asiáticas subiram por alívio uma vez que o mercado interpretou que os dados do PIB não foram piores após uma queda inesperada nas exportações de junho na semana passada, o que sugeriu que a economia pode enfrentar obstáculos maiores do que se imaginava. I bo ve sp a – Menos temerosos com o risco de menor crescimento da China, investidores compraram barganhas na Bovespa e levaram o principal índice à maior alta diária em mais de quatro meses, em dia também marcado pelo exercício de opções. O Ibovespa teve alta de 2,65%, a 46.738 pontos. Foi a maior alta desde 6 de março, quando o índice subiu

3,55%. O giro financeiro do pregão foi de R$ 7,5 bilhões, incluindo os R$ 2,18 bilhões do exercício de opções. As blue chips Petrobras e Vale, as mais importantes do mercado de opções, fecharam em alta. O exercício movimentou R$ 850 milhões em opções de compra e R$ 1,32 bilhão em opções de venda. "A confirmação das expectativas trouxe certo alívio para países relacionados com commodities, o que respinga da bolsa", avalia Silvio Campos Neto, economista da Tendências Consultoria. O dólar recuou quase 2% ante o real ontem, a maior queda em mais de um ano, após a divulgação do crescimento econômico da China ter estimulado a demanda por ativos de países com perfil exportador de commodities, como é o caso do Brasil. (Agências)

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) negou ontem que tenha facilitado pagamentos de financiamentos concedidos às empresas de Eike Batista. Na edição de ontem, com base em documentos enviados pelo banco ao Congresso, o jornal O Estado de S.Paulo informou que contratos de empréstimos ao grupo sofreram alterações vantajosas ao empresário, com adiamento de prazos de pagamento, extensão de recursos e relaxamento de exigências. O banco firmou 15 contratos no valor de R$ 10,7 bilhões com empresas do grupo X. "O tratamento dispensado pelo banco ao Grupo EBX é rigorosamente igual ao dado a qualquer empresa tomadora de crédito no BNDES. O banco refuta, portanto, quaisquer insinuações de que tenha havido vantagens ou tratamento privilegiado nas concessões de financiamento ao referido Grupo", disse o BNDES por meio de nota distribuída ontem. No comunicado, o banco afirmou que a estruturação de garantias foi feita "com o rigor usual adotado pelo BNDES em todas as suas operações, obedecendo às melhores práticas bancárias". A reportagem mostra que algumas operações foram feitas com penhor de ações das próprias companhias de Eike, cartas de fiança assinadas por empresas do grupo e bens que ainda seriam comprados. CPI – A oposição na Câmara e no Senado busca apoio para criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a atuação do BNDES e sua ligação com o empresário Eike Batista. A intenção é apurar eventuais privilégios dados a grupos empresariais como o de Eike. Em paralelo, o deputado César Colnago (PSDB-ES) apresentou projeto retirando o sigilo bancário de todas as operações do banco. Ontem, o líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira (SP), disse que a situação patrimonial do banco é difícil, pois uma parte do capital do BNDES "naufragou" com Eike Batista. Ele quer apurar os critérios de empréstimos para os chamados campeões nacionais e o papel do banco na "contabilidade criativa" do governo. (EC)

Ebpark Empresarial SPE S/A C.N.P.J 10.336.227/0001-66 Senhores Acionistas: Em cumprimento aos preceitos legais e estatutários, submetemos à apreciação de Vs.Ss., nossas demonstrações financeiras correspondentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012. Esta Diretoria coloca-se à disposição dos Senhores Acionistas para quaisquer esclarecimentos e informações que julgarem necessárias. (+)Recebimentos de Clientes 22.562.454,16 32.790.975,46 18.292,38 123.197,89 Ativo 2011 2012 Passivo 2011 2012 (+)Descontos obtidos 6.513.316,39 73.980.514,40 Circulante 2.058.455,78 204.409,21 Circulante 5.053.438,18 4.404.473,10 (-)Pag. a Fornecedores e empregados 3.188.795,45 65.202,10 Disponível 65,33 447,06 Fornecedores 4.063.815,99 3.298.481,76 (-)Juros Pagos 4.365.878,78 8.012.976,05 Caixa/Bco Movimento 65,33 447,06 Impostos e Contribuições e Recolher 979.528,43 1.097.678,36 (-)Pagamentos de Impostos e Contrib. 0,00 Valores A Receber a Curto Prazo 2.058.390,45 203.962,15 Adto.de clientes 7.996,42 2.947,80 (-)Pagamentos de Despesas Antecipadas 1.789.715,55 Aplicações Financeiras 268.674,90 203.962,15 Ordenados a pagar 2.097,34 5.365,18 (=)Caixa Gerado (+) Consumido (-) na Atividade Operacional 6.723.040,37 (49.144.519,20) Adiantamento a fornecedores 1.789.715,55 - Não Circulante/ Exigível Longo Prazo 29.572.060,00 1.288.775,44 Não Circulante/ Permanente 100.971.143,08 172.402.197,19 Financiamentos 29.572.060,00 - Fluxo de Caixa das Ativ. de Financiamento Imobilizado 100.971.143,08 172.402.197,19 Retenções Contratuais 1.288.775,44 (+)Recebimento de Empréstimos de 29.572.060,00 49.080.188,18 Imobilizações Técnicas 100.971.143,08 172.402.197,19 Patrimonio Líquido 68.404.100,68 166.913.357,86 Curto e Longo Prazo Total do Ativo 103.029.598,86 172.606.606,40 Capital Social 64.379.000,00 64.379.000,00 (=)Caixa Gerado (+) ou Consumido 29.572.060,00 49.080.188,18 Reservas de Capital - 78.652.248,18 (-) na Atividade de Financiamento 4.025.100,68 23.882.109,68 Fluxo de Caixa das Ativ. de Investimentos 2011 2012 Reservas de Lucros 36.028.214,48 0,00 103.029.598,86 172.606.606,40 (-)Pag. por Aquisição de Ativos Imob. Receita Bruta de Locação 22.562.454,16 32.790.975,46 Total do Passivo (=)Caixa Gerado (+) ou Consumido (–) Impostos s/ receita 823.529,58 1.196.870,61 (36.028.214,48) 0,00 Receita Líquida de Locação 21.738.924,58 31.594.104,85 Nota 1-Apresentação das Demonstrações Contábeis-As demonstrações (-) na Atividade de Investimento Lucro Bruto 21.738.924,58 31.594.104,85 contábeis foram preparadas em consonância com as práticas contábeis Caixa Gerado ou Consumido (=)Variação no Disponível 266.885,89 (64.331,02) (–) Despesas C/ Pessoal 147.279,50 141.529,65 emanadas da legislação societária e em conformidade com Lei 11638/2007 1.854,34 268.740,23 (–) Encargos Sociais 53.267,62 51.899,14 e posteriormente alterada pela MP 449/2008. Nota 2-Principais Práti- Saldo do Disponível no Início do Exerc. 268.740,23 204.409,21 (–) Outras Despesas 2.538.238,28 7.772.020,32 cas Contábeis-a) Imobilizado: Os Imóveis estão demonstrados ao custo Saldo do Disponível No Final do Exerc. Lucro Operacional 19.000.139,18 23.628.655,74 de aquisição. B) Patrimônio Líquido: O Capital Social em 31/12/2012 è Capital Reservas Patrimonio Outras Receitas / Despesas 3.060.257,45 881.972,08 de R$ 64.379.000,00 totalmente subscrito e integralizado, composto por Social de Lucros Liquido (–) Despesas Financeiras 3.188.795,45 72.090,90 128.758.000 ações ordinárias,nominativas e sem valor nominal. Em 31/12/2011 64.379.000,00 4.025.100,68 68.404.100,68 (+ ) Receitas Financeiras 778.336,66 135.149,30 Adto para aumento de Cap. - 78.652.248,18 (–) Contribuição Social 649.798,66 945.030,48 Sidney Saad Angulo - Diretor Lucros distribuidos (288.589,98) -288.589,98 Lucro Antes do Imposto de Renda 15.939.881,73 22.746.683,66 Helio Seibel - Diretor Lucro do Exercício - 20.145.598,98 20.145.598,98 Provisão p/Imposto de Renda 1.780.996,31 2.601.084,68 Em 31/12/2012 64.379.000,00 23.882.109,68 166.913.357,86 Edvaldo Valentim de Farias - TC CRC 1SP104413/0-5 Resultado do Período 14.158.885,42 20.145.598,98

PREFEITURA MUNICIPAL DE OURINHOS MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO AVISO DE LICITAÇÃO Pregão nº 036/2013 - Processo nº 246/2013 Acha-se aberto no Ministério Público do Estado de São Paulo o Pregão Presencial nº 036/2013 - Processo nº 246/ 2013, que tem por objeto a contratação de serviços de manutenção preventiva e corretiva, em bombas d’água, painéis de controle elétrico e reservatórios, em edifícios do Ministério Público do Estado de São Paulo, localizados na Rua Benjamin Constant nº 3.821, na cidade de São José do Rio Preto, e Rua Sete de Setembro, nº 138, cidade de Guarulhos, estado de São Paulo, com fornecimento de peças. O Edital da presente licitação encontra-se à disposição dos interessados, gratuitamente, na Comissão Julgadora de Licitações, situada na Rua Riachuelo nº 115, 5º andar, sala 506, de 2ª a 6ª feira, das 09:30 às 18:30 horas, ou através da Internet nos Sites www.mp.sp.gov.br e www.e-negociospublicos.com.br. Os envelopes serão recebidos na sessão pública de processamento do Pregão, na Rua Riachuelo nº 115, na Rua Riachuelo nº 115, na sala 926, no dia 29/07/2013, e sua abertura dar-se-á às 11:00 horas no mesmo dia e local. Comissão Julgadora de Licitações, em 12 de julho de 2013.

AVISO DE LICITAÇÃO Processo nº 2.441/2013 - Tomada de Preços nº 04/2013 Objeto: Contratação de empresa para execução da obra de reforma do Cemitério Municipal, localizado à Rua Gaspar Ricardo, nº 1.313, Vila Marcante - Ourinhos, SP, conforme projetos, orçamento e memorial descritivo anexo. Data de recebimento dos envelopes: 07/08/2013. Horário limite para recebimento dos envelopes: 09h00 horas. Abertura: 07/08/2013 – 09h30 horas. Cadastro até o dia 31/07/2013. Visita Técnica: Agendamento a partir do dia 17/07/2013 a 02/08/2013, no horário das 8h30min às 11h30min e das 14h30min às 17h30min, devendo o interessado agendá-la com 1 (um) dia de antecedência, por escrito ou através de endereço eletrônico (licitacoes.pmo@ig.com.br). O Edital completo poderá ser retirado na Diretoria de Suprimento, sita à Rua Euclides da Cunha, nº 522, Centro, das 08h00 às 12h00 horas e das 14h00 às 18h00 horas ou maiores informações pelo telefone (14) 3302-6000 ramal 6032 e 6076. Ourinhos, 15 de julho de 2013. Comissão Permanente de Licitação. PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Acha-se aberto, na Prefeitura do Município de Bragança Paulista, o seguinte certame licitatório: Pregão Presencial n° 093/2013 - Objeto: Registro de preços para prestação de serviços de conservação de estradas rurais. Data de abertura: 01/08/2013 às 14h30. O edital completo está disponível no Balcão da Divisão de Licitação, Compras e Almoxarifado e no site www.braganca.sp.gov.br. As informações poderão ser obtidas na Divisão de Licitação, Compras e Almoxarifado da Prefeitura Municipal, sita à Avenida Antonio Pires Pimentel, nº 2.015, Centro ou pelo telefone (11) 4034-7059/7091/7094, em dias úteis das 09h00 às 16h00 horas. Brag. Pta., 11/07/2013. Carlos Alberto de Oliveira Preto - Chefe da DLCA.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA Extrato de Homologação - Processo nº 58/13 - Pregão Nº 32/13. Objeto: Contratação de empresa especializada para confecção e instalação de placas e banners para divulgação do programa Segundo Tempo - Convênio 760046/2011, Ministério do Esporte. Considerando a regularidade do procedimento, hei por bem, com base na Lei Federal nº 10.520, de 17 de julho de 2002, Homologar o lote do objeto licitado, à empresa: Marcio M. Guedes - ME. Andradina, 15 de julho de 2013. Jamil Akio Ono - Prefeito. Cel-Lep Ensino de Idiomas S.A CNPJ/MF nº 10.772.420/0001-40 - NIRE 35-3.0036757.0 Edital de Convocação - Assembleia Geral Ordinária Ficam convocados os srs. acionistas de Cel-Lep Ensino de Idiomas S.A.(a “Companhia”) a se reunirem em AGO, que se realizará no dia 18/07/2013, às 10hs, na sede da Cia. localizada na Av. Paulista, 2006,1º andar, Bela Vista, CEP01310-200, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, para, nos termos dos Artigos 121 e seguintes da Lei nº 6.404/76, conforme alterada e em vigor (a “Lei das Sociedades por Ações”), deliberarem a respeito da seguinte ordem do dia: (i) examinar, discutir e votar as contas dos administradores e as demonstrações financeiras relativas ao exercício social findo em 31/12/2012; e (ii) examinar, discutir e votar a destinação do resultado do exercício retro mencionado e ratificar os pagamentos dos dividendos antecipados. Informações Gerais: Os acionistas da Companhia deverão comparecer à Assembleia munidos da seguinte documentação: (a) documentos hábeis de sua identidade; e (b) se for o caso, instrumento de mandato, na hipótese de representação do acionista por procurador, outorgado nos termos do Art. 126, §1º, da Lei das Sociedades por Ações. O representante legal deverá comparecer à Assembleia Geral munido dos documentos hábeis de sua identidade. São Paulo, 05/7/2013. Fernando Marques de Oliveira-Presidente do Conselho de Administração. (13, 16 e 17/07/2013)

SALOPET INDÚSTRIA E COMERCIO EIRELI torna público que solicitou junto à CETESB a Licença Prévia de Instalação e de Operação para a atividade de “Artefatos de Plásticos; Fabricação de” localizada à Rua Dr. Euclydes da Cunha, 309, Socorro, São Paulo/SP.

Centro Automotivo Royale Ltda , torna público que recebeu da Cetesb a LICENÇA DE OPERAÇÃO, 45005683, Valida até 12/07/2018, para comercio de combust p/veic. automot. (posto revend.) .sito à Rua João Tibiriça,705- Lapa -São Paulo -SP

AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Acha-se aberto, na Prefeitura do Município de Bragança Paulista, o seguinte certame licitatório: NOTIFICAÇÃO: P.A. nº 9416/2013 - Pregão Presencial nº 075/2013. Objeto: Registro de preços para prestação de serviços de tapa-buracos. Considerando as divergências entre a qualificação técnica exigida no edital e as constantes da justificativa do órgão requisitante que demandam a retificação do ato convocatório, fica adiada a sessão do pregão presencial nº 075/2013 para o dia 26/07/2013 às 09h30. Brag. Pta., 12/07/2013. Carlos Alberto de Oliveira Preto - Chefe da DLCA.

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE COORDENADORIA DE PARQUES URBANOS - Comunicado Acha-se aberta na Coordenadoria de Parques Urbanos da Secretaria do Meio Ambiente, a licitação na modalidade Pregão Eletrônico nº 08/2013/CPU, Processo nº 11.378/2012, destinada à contratação de empresa para prestação de serviços de manutenção, adubação e conservação de áreas verdes para o Parque Gabriel Chucre – Lagoa de Carapicuíba. A abertura das propostas dar-se-á no dia 30/07/2013 às 09:00 horas, no site www.bec.sp.gov.br, através da Oferta de Compra 260121000012013OC00008. As propostas serão recebidas no site a partir do dia 16/07/2013. Os interessados poderão consultar o Edital completo nos sites http://www.e-negociospublicos.com.br; www.bec.sp.gov.br ou www.ambiente.sp.gov.br. Maiores esclarecimentos: (11) 3133-3979 ou email: centro_suprimentos@ambiente.sp.gov.br

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO SECRETARIA DO MEIO AMBIENTE COORDENADORIA DE PARQUES URBANOS - Comunicado Acha-se aberta na Coordenadoria Parques Urbanos da Secretaria do Meio Ambiente, a licitação na modalidade Pregão Eletrônico nº 09/2013/CPU, Processo nº 668/2013, destinada à contratação de empresa para prestação de serviços de manutenção, implantação, adubação e conservação de áreas verdes no Parque Dr. Fernando Costa (Parque da Água Branca). A abertura das propostas dar-se-á no dia 29/07/2013 às 09:00 horas, no site www.bec.sp.gov.br, através da Oferta de Compra 260121000012013OC00009. As propostas serão recebidas no site a partir do dia 16/07/2013. Os interessados poderão consultar o Edital completo nos sites http://www.e-negociospublicos.com.br; www.bec.sp.gov.br ou www.ambiente.sp.gov.br. Maiores esclarecimentos: (11) 3133-3979 ou email: centro_suprimentos@ambiente.sp.gov.br.

Rohr S.A. Estruturas Tubulares - CNPJ/MF: 61.480.380/0001-01 – NIRE: 35.300.041.216

Extrato da Assembleia Geral Ordinária de 26 de Abril de 2013 JUCESP/SP nº 191.936/13-3 em 23/05/2013 (Lei 6.404/76, Art.130, § 3º) Data, Hora e Local: 26 de abril de 2013, às 10hs, na Av. Francisco Matarazzo, 1400, 18º, SP/SP. Comparecimento: Totalidade dos acionistas. Deliberações: Todas aprovadas por unanimidade: a) as contas dos administradores, as demonstrações financeiras e o relatório da administração, referentes ao exercício de 2011. b) a destinação do lucro líquido de 2012 da seguinte forma: (i) R$ 1.014.082,00 para reserva legal; (ii) R$ 6.300.000,00 para distribuição como juros sobre capital próprio; (iv) R$ 2.000.000,00 para gratificação da Diretoria; e (v) R$ 10.967.560,95 para reserva de retenção de lucros para investimentos conforme orçamento de capital aprovado. c) reeleitos para o triênio de 2013 a 2016 os diretores Oscar Vicente Ferro, Fernando Rossi Canteruccio, Katia Cristiane Arjona Maciel Ramacioti, Manuel Carlos Escaleira e Haroldo Miller Junior. d) fixada verba de remuneração da diretoria para 2013 em até R$ 3.960.000,00. e) instalado o Conselho Fiscal, com a remuneração fixada no mínimo legal e a recondução dos mesmos membros dos exercícios de 2011 e 2012. Presidente: Victorio Canteruccio. Secretária: Kátia Cristiane Arjona M. Ramacioti.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

terça-feira, 16 de julho de 2013

nformática

Uma rede social que remunera Na Teckler, o internauta posta seu texto, foto, vídeo ou link musical e recebe por isso – de centavos a dezenas de dólares, de acordo com o número de visualizações. Barbara Oliveira

C

evitar duplicidade e fraudes. Textos consequentes

riar, compartilhar e ganhar. Essas são as três palavras que definem a nova rede social Teckler, nascida no Brasil há dois meses com o objetivo de disseminar informações, conhecimento e opiniões de internautas, remunerando-os pelos conteúdos gerados. A plataforma, embora ainda em fase inicial, já conta com 500 mil usuários únicos, 20 mil deles participantes ativos, com mais de 90 mil tecks (como são chamados os posts na forma de textos, fotos, vídeos ou músicas). São pessoas do mundo todo, pois a rede abrange 164 países em 13 idiomas. Os participantes mais ativos são os brasileiros, norte-americanos, portugueses e italianos. Quem tiver algo a dizer e gosta de escrever, ou quiser colocar uma foto, um vídeo ou um link musical, pode escolher entre as 25 categorias de temas existentes na rede: amor/relacionamento, cultura/artes, culinária, medicina/saúde, livros/cinema, religião, tecnologia, viagens, entre outras. Os comentários podem render de centavos a dezenas de dólares. Não existe mágica. A remuneração da rede social é calculada de acordo com o número de visualizações nos tecks (ou posts) e que possam gerar anúncios na página do perfil do usuário. O valor dessas visualizações varia, de acordo com o anunciante exibido naquele post, de US$ 0,10 a US$ 15 a cada mil views. A Teckler tem parceria com os anunciantes, repassando 70% da receita com a publicidade para os produtores de conteúdos e retém 30% para o site. Todas as visualizações são auditadas (de forma automática pela ferramenta) para

Vitor Clemon, diretor-comercial da agência de marketing digital Afilio, é um dos usuários da Teckler que já recebeu seu primeiro "dinheirinho" com posts. Curioso para testar a rede social criou cinco perfis (o número máximo permitido pela plataforma) para escrever sobre assuntos variados. Em dois deles fala sobre tecnologia e em outro, sobre cotidiano e comportamento – nesse já tem mais de 50 mil views. "Quanto mais visualizações mais chances de eu ser remunerado", diz. Na semana passada ele recebeu um crédito de US$ 10 na sua conta do Pay Pal – também é preciso se cadastrar no serviço de pagamentos online para ter direito ao recebimento do dinheiro.

Queremos terminar o primeiro ano com um bilhão de page views por mês e dois milhões de conteúdos armazenados CLÁUDIO GANDELMAN "Entrei para testar e ver se dava certo; continuei por causa da adrenalina de estar num jogo para ganhar", comenta. Cláudio Gandelman, fundador da Teckler, conta que a ideia de criar uma plataforma

Fotos Divulgação

social com espaço para textos maiores surgiu do interesse das pessoas em escrever ou criar conteúdos que possam ser compartilhados, quase como eram os blogs há alguns anos, mas sem o trabalho que o blog dá (atualizações constantes, dispor de ferramentas de compartilhamento, fazer parcerias com anunciantes). "Fazemos tudo para o interessado na Teckler e a vantagem é que ele pode se conectar por meio do Facebook (existe um botão para isso) ou chamar seus amigos de lá para visualizar seus conteúdos". O usuário só precisa escolher um ou mais perfis (até cinco), um apelido/nome para cada um deles, e as categorias sobre as quais deseja escrever. "Não é trabalho jornalístico, porque jornalismo é muito mais sério e profissional do que isso, mas também não são textos inconsequentes e informais como se costuma ver em outras redes sociais", observa Gandelman. O próprio Gandelman mantém cinco perfis na Teckler. Em um deles, escreve sobre culinária, um de seus hobbies, com dicas e receitas. Em outros, fala sobre esportes, negócios e relacionamentos (Ele já foi

CEO para a América Latina do site de relacionamentos Match.com, um dos mais conhecidos nesse segmento). Alguns assuntos são proibidos na Teckler, como apologia ao nazismo, ao terrorismo, às drogas, violência e pornografia. Assim como fotos de pessoas nuas ou insinuando nudez. Terceiro passo da Web Segundo o executivo, essa nova plataforma significa o próximo passo da internet. Na Web 1, a maioria dos serviços eram gratuitos; na Web 2, as empresas começaram a ganhar dinheiro com o conteúdo dos usuários; na Web 3, quem começa a ganhar dinheiro é o próprio usuário gerador de conteúdo. "Não temos concorrência com esse modelo de negócios ainda, porque é uma forma de disseminar cultura e ainda gerar valor para as pessoas", afirma Gandelman. A publicidade

gerada no site também não é considerada invasiva, segundo ele, como se vê no Facebook ou em sites. "Porque está em um contexto do que é escrito ali". Os anunciantes também têm uma alternativa interessante por contarem com visibilidade de conteúdos definidos, por relevância e nicho de interesse. Os amigos de outras redes (Facebook, Twitter, Google+ e LinkedIn) podem ser chamados a ver os posts de uma pessoa na Teckler e, com isso, engrossam o lucro dos usuários, pois quanto mais vistos e lidos, mais ganham. "Nas outras redes não ganham nada e é tudo muito confuso, além disso, elas impõem limite de caracteres", observa Gandelman. O prazo para que as pessoas recebam seu dinheiro é de 35 dias úteis após a colocação do primeiro post. Por isso, alguns participantes já começaram a receber a sua parte. No Brasil, cerca de 30 pessoas já ganharam, além de Vitor Clemon. E, lá fora, outros 100 usuários foram remunerados, em valores variáveis (US$ 0,50 a US$ 30). O pagamento é feito pelo Pay Pal i n t e r n ac i o n a lmente que liber a a o p a r t i c i-

Entrei para testar e ver se dava certo; continuei por causa da adrenalina de estar num jogo para ganhar. VITOR CLEMON pante um extrato online de quanto ele está ganhando até aquele momento. A meta do site, que possui 10 sócios, é ambiciosa. "O importante é o número de conteúdos e não de usuários", diz Gandelman. Queremos terminar o ano (em maio de 2014) com um bilhão de page views por mês e 2 milhões de conteúdos armazenados na rede social (entre textos, fotos, vídeos e músicas).

VÍDEO

n

MÍDIA

Câmaras que enxergam tudo. Mesmo na escuridão. Axis está lançando câmaras digitais de videomonitoramento IP que podem ser instaladas dentro ou fora de casa. Têm qualidade de 1 e 2 megapixels (HDTV e Full HD) e iluminador infravermelho embutido para a captura de imagens em alta definição, mesmo na escuridão total. O modelo pode ser ajustado para gerar alerta no celular ou tablet do proprietário se alguém invadir a casa ou estabelecimento comercial. Como a iluminação é infravermelha, acionada por dois LEDs e somente funciona se há movimento em cena, o equipamento não é percebido pelo eventual invasor e garante melhor qualidade na imagem. Preços sob consulta na rede de integradores da Axis. http://www.axis.com/pt/sales/index.php

A

CELULAR NOTEBOOK

Cinco famílias a escolher, do básico ao sofisticado. Samsung anunciou sua nova linha de notebooks ATIV Book com sistema operacional Windows 8. São cinco famílias, cada uma para um perfil de consumidor – dos básicos, a R$ 1.300, aos sofisticados – R$ 4.000, para a linha ATIV 9, cuja ênfase é o design. Este equipamento é um dos mais finos e leves do mercado: 13,6 mm de espessura quando fechado e peso de 1,3 kg, graças à estrutura de liga de magnésio. A tela tem 13,3 polegadas. Um recurso que vem embarcado de fábrica em toda a linha é o SideSync, que sincroniza o portátil ao smartphone Samsung com Android (versão 4.1 ou superior) e também usa o teclado ou mouse do computador para controlar o smartphone.

A

Com cara tradicional, a preços competitivos. Nokia anunciou na semana passada aparelhos com design clássico no antigo formato barra, cujo teclado alfanumérico é físico. Mas a fabricante promete preços competitivos: abaixo de US$ 100. Os Nokia 207 e 208 Dual SIM suportam rede 3,5 G, os aplicativos sociais mais populares, acesso à internet e o programa de email Exchange. O Nokia 208 vem com recurso Troca Fácil quer permite a troca do chip secundário sem desligá-lo. Facebook, Whatsapp, Twitter e YouTube são as redes sociais compatíveis com os dois aparelhos. Os modelos devem chegar ao Brasil em 2014.

A

Calçadão de Copacabana inspirou o Rio Edition calçadão de Copacabana inspirou a SanDisk a criar o flash drive Cruzer Pop – Rio Edition. Além do desenho com as linhas curvas das calçadas da famosa praia carioca, com suas pedras brancas e pretas, e criado por uma equipe brasileira para o mercado global, o pen drive tem formato minúsculo e tem menor espessura entre os dispositivos da marca. Com 8 GB de capacidade de armazenamento, vem carregado com o software de segurança SecureAcess, para a criptografia de arquivos em 128 bits e proteção por senha. O preço sugerido no varejo é de R$ 24,90.

O

Diário do Comércio - 16/07/2013  

Ano 87 - Nº 23.914 - terça-feira, 16 de julho de 2013

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you