Issuu on Google+

A CPI entra em recesso pela Rio+20 e festas juninas. E para manter o Ibope do show, anuncia

AS PRÓXIMAS ATRAÇÕES Cachoeira II promete: a musa da CPI, Andressa Mendonça, mulher de Cachoeira, entra em cena como depoente. Mistério: a Tropa do Cheque se reuniu em Paris?

Enquanto Andressa, a nova atração, chega, o personagem principal Demóstenes faz de tudo para evitar uma cena de cassação. Pág. 5 a 7

Conclusão: 23h55

Ano 87 - Nº 23.646

www.dcomercio.com.br

Jornal do empreendedor

R$ 1,40

São Paulo, sexta-feira, 15 de junho de 2012

Ao vivo, direto de Brasília.

Arquivo DC

EURODRAMA

TESOURO GREGO

Murad Sezer/Reuters

O teatro, de tragédias e comédias, é um cerne do saber, que vem de autores como Aristófanes (foto). O que ficou desse legado? Leia mais: a ficção de Bruno Schulz; bandas universitárias; Tostão escritor. cultura E Roda do Vinho.

Após fracasso na composição de um governo de coalizão, Grécia deve decidir seu futuro (e da própria zona do euro) no domingo, com mais uma rodada de eleições. O resultado das urnas será como um cara e coroa: a aceitação de regras externas e o euro ou a volta ao velho dracma. Pág. 15

d

Fox Fil,/Divulgação

O cinema investiga a origem da humanidade. Aliens estavam lá? Pág. 23

PROMETHEUS

CAOS NO EGITO Khaled Elfiqi/EFE

A Justiça dissolveu o Parlamento e uma junta militar assumiu o Legislativo às vésperas do 2º turno da eleição presidencial, que começa amanhã. Manifestantes voltaram às ruas para "recomeçar a revolução do zero". Houve confrontos diante da Suprema Corte (à esq.). Pág. 9

Sergio Guerini

Baleado, foi degolado ainda vivo e depois esquartejado. Esta é a nova versão. Laudo contradiz confissão de Elize. Asfixia por sangue aspirado e tiro mataram o marido. Pág.13 Divulgação

Obras de Oswaldo Goeldi no MAM. Acima, xilografia Chuva. Pág. 28

Mickey. Minnie e a constelação Disney dão show na pista de gelo. Espetáculo para crianças e adultos, no Ginásio do Ibirapuera. Até domingo (24). Pág. 24 HOJE Parcialmente nublado Máxima 26º C. Mínima 14º C. T4F/Time For Fun

Heróis-HQ, há tempo contidos, começam a revelar-se. Saem do armário, mas não abandonam suas missões edificantes. Pág. 23

Divulgação

AMANHÃ Parcialmente nublado Máxima 27º C. Mínima 14º C.

AO MAR!

Fiat + 15, sem debates. Montadora faz lançamento por atacado. Só da picape Strada (foto) são 9 versões. Ainda têm mais 6 para Siena e Palio Weekend. Pág. 21

Página 22

ISSN 1679-2688

23646

9 771679 268008


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sexta-feira, 15 de junho de 2012

A "generosidade" do Palácio do Planalto com os governadores, porém, deverá ter contrapartidas. José Márcio Mendonça

Beto Barata/AE

pinião

EYMAR MASCARO

CONSELHO QUE NÃO CUSTA NADA

O

A presidente Dilma Rousseff vai tentar convencer governadores a investir; mas também terá de ouvir reivindicações.

Revoada em Brasília

B

rasília amanhece hoje atulhada de governadores e estrelada de jatinhos executivos oficiais – afinal, é só para os simples mortais esse negócio de aeroportos cheios, desagradáveis salas de embarque e desembarque, esperas de voos, atrasos e coisas assim. Convocados de surpresa, às pressões, no meio de um discurso da presidente Dilma Rousseff em Belo Horizonte, na terça-feira, os 27 chefes estaduais vão à capital da República ouvir apelos para que ampliem os investimentos estaduais nesta hora em que a assombração do PIBinho tira o o conforto presidencial e põe em polvorosa os operadores econômicos do governo. Além deste apelo, os governadores receberão também incentivos. Como já pré-anunciado, poderão contar com uma linha de crédito de no mínimo R$ 10 bilhões do BNDES – e outra fonte de financiamento, inicialmente de R$ 39 bilhões, do Banco do Brasil. Rápido no gatilho – pois esses créditos não poderão ser liberados, por causa das eleições, depois do dia 7 de julho e até fim do segundo turno – o BB, com Dilma presente, assinou ontem mesmo um contrato de R$ 3,6 bilhões com o Estado do Rio de Janeiro. Arno Agustín, secretário do Tesouro Nacional, diz que esse pacote poderá crescer com novas revisões na capacidade de endividamento dos estados. A última foi realizada no ano passado. Esses acordes financeiros, entoados por Dilma e seus assessores econômicos, soam aos ouvidos dos governadores mais maviosos do que uma fuga que Johan Sebastian Bach pudesse compor para ilustrar o momento festivo de hoje no Palácio do Planalto. O dinheiro vem no momento em que eles arregimentam suas baterias para testar suas forças políticas nas eleições

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA municipais – e com a vantagem de poderem fazer os negócios em reais, sem necessidade de buscar os financiamentos externos, em dólares, para os quais precisam pegar autorizações — não muito fáceis de conseguir "gratuitamente" no Senado. Tais negociações com os senadores sempre têm um componente político... A "generosidade" do Palácio do Planalto, porém, deverá ter contrapartidas. Com o alívio que permitirá aos governadores para investir mais, Dilma quer inicialmente do Estados o compromisso de reduzirem o ICMS cobrado nas contas de luz, o menor deles em 25%, mas em muitos passando dos 30%.

A

presidente tem anunciado essa intenção aos empresários para reduzir um dos muitos "custos Brasil". Os estados entrariam com uma parte de sua arrecadação e o governo federal também abriria mão de uma parcela dos seus impostos e contribuições que pesam sobre a energia elétrica. O governo federal quer também, a partir desse acerto, avançar mais rapidamente na reformulação completa do ICMS, o imposto apontado unanimemente com o mais complicado do intricado, pesado e iníquo sistema tributário brasileiro. Sobre a questão da energia é possível que se chegue a um acerto com alguma rapidez, em troca apenas dessa montanha de dinheiro que será posta

à disposição dos governadores, a juros moderados e prazos longos. Quanto ao ICMS como um todo, a situação é mais complicada, pois nenhum deles aceita qualquer conversa que signifique, mesmo que marginalmente, diminuição de suas receitas. Na realidade, a pretensão dos estados é ampliar sua arrecadação ou o poder de competição, traduzido na "guerra fiscal" que eles travam entre si e que ninguém consegue de fato suprimir.

A

inda mais que agora eles estão com pescoço bem perto da corda, depois da resolução do Supremo Tribunal Federal (STF) que considerou ilegais todos os incentivos fiscais concedidos pelos estados sem a aprovação unânime do Confaz. A partir do momento em que for publicado o acórdão dessa decisão – publicação que está sendo protelada para que se encontre uma solução para o problema – não mais poderão atrair empresas e investimentos usando a renúncia de impostos, como terão de cobrar os impostos não cobrados no passado. Portanto, para começo de conversa, deverão pôr na mesa de Dilma esse caso, que afeta quase todo mundo. Não houve quem não abriu seus cofres com incentivos, uns mais, outros menos. Além disso, os Estados do Norte, Nordeste e Centro-Oeste não aceitam perder essa faculdade, alegando que sem ela não têm como competir com os estados do Sul e Sudeste. E vão pedir ao

governo uma compensação para a perda, um Fundo Regional especial para atrair investimentos para suas regiões. Mas as reivindicações dos governadores não pararão por aí. Eles desejam resolver também o imbróglio da nova divisão dos royalties do petróleo, tema que antepõe, até quase o limite de um duelo de morte, estados e municípios produtores e não-produtores de petróleo. A ideia que eles alimentam é o governo federal diminuir sua participação, para nenhum governador ou prefeito sair perdendo – só ganhando.

P

ara a mesa de negociações os governadores levarão também duas propostas de modificação nos contratos de renegociação das dívidas estaduais (e de alguns municípios também), acertados ainda no governo Fernando Henrique Cardoso. O pagamento desses compromissos, segundo eles, tornouse inviável e está asfixiando as finanças estaduais. A proposta seria mudar o indexador da dívida, para um índice menos pesado e reduzir também as parcelas de amortização. Com esse dinheiro eles se comprometeriam a fazer mais investimentos. É uma conta que não fecha. Ou se vestem os estados e se desveste o governo federal ou o contrário. Na realidade, para ampliar os investimentos, além naturalmente de melhorar a gerência da coisa pública, essencial mesmo é cortar os desperdícios na máquina, as despesas de custeio, os gastos dispensáveis e inúteis. Sem isso, os investimentos em infraestrutura e as aplicações em áreas vitais como educação, saúde, segurança, estarão sempre abaixo do mínimo necessário para melhorar o bem estar dos brasileiros. JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

PT sugere a Marta Suplicy que não perca de vista o destino político dos deputados do partido que desobedeceram uma determinação interna e compareceram ao Colégio Eleitoral que acabou por eleger Tancredo Neves presidente da República, em eleição indireta. Como não contaram mais com o apoio do partido, após o ato de desobediência, os infiéis sumiram do mapa político. Marta, no entanto, não vai precisar tão cedo do apoio do partido para se eleger porque seu mandato de senadora tem a duração de oito anos. É por isso que ela enfrenta Lula e deixa de prestigiar o précandidato Fernando Haddad à Prefeitura.

M

arta tem sido bem votada nos bairros da periferia, mas parte de sua votação se deve ao apoio do partido, reduto em que o PT é forte. Se tivesse de disputar hoje a eleição para o Senado sem a ajuda do partido, ela teria dificuldade de se eleger, segundo cálculos petistas. Quem está gostando do gesto da senadora é o précandidato tucano José Serra. Marta e Serra tinham índices semelhantes de preferência eleitoral nas pesquisas, em torno de 30%. Mas é verdade também que os dois sustentavam uma taxa de rejeição acima dos mesmos 30%. Apesar do bom índice que a senadora alcançava nas pesquisas, Lula entendeu que o partido deveria lançar um candidato novo à Prefeitura, tese contestada por Marta. Lula está convicto de que candidato que tiver alto índice de rejeição corre o risco de perder a eleição no 2º turno. O ex-presidente toma como exemplo o que aconteceu com candidatos de outros partidos, que também dispunham de alto índice de aceitação nas pesquisas mas acabaram perdendo a eleição no 2º devido às mesmas circunstâncias. O PSDB saiu na frente do PT e, com atuação eficiente do governador

Marta tem sido bem votada na periferia, mas se tivesse de disputar hoje a eleição para o Senado sem a ajuda do partido, teria dificuldade de se eleger, dizem petistas.

Geraldo Alckmin, já "amarrou" o apoio do PR e PP, através de entendimentos com os deputados Valdemar da Costa Neto e Paulo Maluf.

E

mbora Serra tivesse marcado seu passado criticando os dois políticos, a adesão deles à sua pré-candidatura foi comemorada no QG tucano. Além do PR e PP, o PSDB já tinha o apoio do DEM e do PSD do prefeito Gilberto Kassab. Detalhe: o nome mais indicado a vice de Serra é Alexandre Shneider, do PSD. Lula correu atrás do apoio do PSB até conseguir convencer o presidente do partido, governador Eduardo Campos a apoiar Fernando Haddad em São Paulo. Sua luta é evitar que o PSDB amplie muito seu tempo de campanha na televisão com as coligações já asseguradas. Lula confia que será através da tevê que conseguirá alavancar a candidatura de seu candidato: hoje, a diferença entre os dois apontada nas pesquisas ainda incomoda o expresidente. Um detalhe importante nos bastidores da campanha: Geraldo Alckmin tem duplo interesse em conseguir o maior número de coligações do PSDB com outros partidos, que facilitaria sua campanha à reeleição em 2014. O governador pode comemorar 20 anos de poder do PSDB em São Paulo quando completar seu mandato e ainda pleiteia mais quatro anos no comando políticoadministrativo do estado, a partir de 2014. EYMAR MASCARO É JORNALISTA E COMENTARISTA POLÍTICO MASCARO@BIGHOST.COM.BR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edi tor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Fernando Porto (fporto@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli e Evelyn Schulke, Ricardo Osman, Tsuli Narimatsu Repórter Especial: Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br), . Repórteres:André de Almeida, Fátima Lourenço, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, , Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 , Fax 3180-3355 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela Oesp Gráfica.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

o

3

CAOS MORAL SE ESPALHA COM O PODER ANÔNIMO CRESCENTE SOBRE A SOCIEDADE.

pinião

O PODER ANÔNIMO

D

istinguindo entre a ação das forças da natureza e a do poder humano, Romano Guardini assinalava que a segunda se distingue por um senso de propósito, portanto pela presença de um agente humano responsável. É tão absurdo perguntar quem foi o culpado por um terremoto quanto imaginar um poder político, econômico, militar ou cultural sem um ou vários agentes responsáveis por trás dele. Guardini escreveu isso no seu livro Die Macht ("O Poder"), de 1951. Já naquela época ele notava um fenômeno que então despontava no horizonte, mas que com o tempo só fez crescer até proporções colossais: o poder anônimo, sem agentes responsáveis conhecidos ou conhecíveis. Ninguém, hoje em dia, escapa à experiência de ligar para uma empresa em busca de assistência técnica, ou de explicações sobre uma cobrança indevida, e ser atendido por sucessivas camadas de secretárias eletrônicas, em busca de um inacessível gerente humano. Mas esse é só o aspecto mais banal e cotidiano do

fenômeno. Mudanças políticas, jurídicas e culturais que afetam brutalmente a vida da população são quase que diariamente introduzidas em vários países ao mesmo tempo, sem que o cidadão tenha a menor possibilidade de rastrear de onde partiram, quem responde por elas.

O

crescimento exponencial da administração pública, sua íntima associação com organismos internacionais, com macroempresas sem nacionalidade definida e com uma rede imensurável de agências políticas não-governamentais faz do processo decisório um labirinto onde mesmo o estudioso especializado tem dificuldade de se orientar. Com frequência as discussões no Parlamento ou na mídia não pas-

sam de uma camuflagem destinada a acobertar decisões que já vêm prontas de instâncias superiores inacessíveis ao olhar do público. Um fator complicante é acrescentado pela extensão progressiva e ilimitada do campo de atuação dos serviços secretos. Antigamente restritos às áreas de interesse militar, desde o começo do século 20 passaram a interferir ativamente na política, na cultura, na educação, na indústria de comunicações e, por fim, cada vez mais na vida privada dos cidadãos. Para fazer uma ideia da força avassaladora com que essas organizações influenciam e às vezes chegam a determinar não só o curso dos acontecimentos como até mesmo a imagem pública (falsa) que se faz dele, basta ter notícia do

que se passou quando, no começo dos anos 90, os Arquivos de Moscou foram abertos, por um curto período, ao exame dos pesquisadores ocidentais: praticamente tudo o que o público imaginava sobre a história do comunismo no século 20 revelou-se nada mais que um conjunto de mitos tranquilizantes criados pelo próprio governo soviético e reproduzidos "ipsis litteris" pela mídia ocidental.

A

verdade que os documentos mostraram correspondia quase que milimetricamente àquilo que, décadas antes, a unanimidade dos bem-pensantes havia condenado como "teoria da conspiração", "delírio de extrema-direita" etc. Existe, ademais, a elite político-financeira global, cujos interesses, planos e meios de ação transcendem incalculavelmente os dos governos nacionais, reduzidos, em muitos casos, ao papel de aplicadores de decisões cuja origem permanece desconhecida do público. É tolice imaginar que esses grupos decidam a seu belprazer o rumo da História mundial, mas é tolice maior ainda imaginar que sua ação seja inó-

OLAVO DE CARVALHO cua ou inexistente. Por fim, é preciso contar com o profundo despreparo dos "cientistas sociais" para lidar com o assunto. Georg Jellinek, na sua clássica Teoria Geral do Estado (1900), advertia que a precaução número um no estudo da sociedade, da política e da História deveria ser a distinção criteriosa entre os processos que atendem a um plano premeditado e aqueles decorrentes da acumulação mais ou menos fortuita de fatores causais impessoais.

P

or desgraça, as ciências sociais, desde o seu nascimento, infectadas de preconceitos positivistas e marxistas, teimaram em enfatizar unilateralmente o segundo tipo de processos, julgando que os elementos anônimos e coletivos eram mais suscetíveis de tratamento "científico" e criando assim a fantasmagoria de uma sociedade movida por "leis gerais", sem responsabilidade humana. Resultado: quando uma vanguarda revolucionária ou uma elite de oligarcas bem assessorados impõe sua vontade a populações inteiras, que não sabem de onde as ordens partiram, tudo se passa como se ninguém tivesse decidido nada, como se as mudanças tivessem caído prontas do céu. Já na década de 30 Antonio Gramsci havia codificado esse

processo numa técnica sistemática para elevar o Partido Comunista às alturas de "um poder onipresente e invisível como um imperativo categórico ou um mandamento divino". Em vez de lançar clareza sobre o seu objeto de estudo, muitas vezes as ciências sociais se transformam elas próprias em instrumentos de camuflagem. Aliás, se não fosse assim, talvez não recebessem subsídios tão polpudos de governos, serviços secretos, bancos internacionais, etc.

E

mbora tivesse observado somente os primeiros lances dessa gigantesca transformação da sociedade, Romano Guardini enfatizava que, nas condições que ela criava, a noção mesma de "responsabilidade" desaparecia por completo, as decisões do poder tornando-se inocentes, inimputáveis como fenômenos da natureza. Será de espantar que, quanto mais cresce a capacidade de controle do poder anônimo sobre a sociedade, mais se espalhem por toda parte o caos moral, a confusão das consciências, a perda do discernimento? E quem disse que os próprios detentores do poder anônimo são imunes à desordem que criaram? OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA

Mudanças políticas, jurídicas e culturais que afetam a vida da população são introduzidas em vários países ao mesmo tempo, sem que o cidadão possa rastrear de onde partiram.

CHAT PODE SER FATAL; USE COM MODERAÇÃO. V

ocê sabe quase tudo, ou tudo, sobre o recente "Crime das Malas", ou “Crime dos Sacos de Lixo", ou o "Esquartejamento com Faca de 30 cms". Logo aparecerão anúncios de grandes magazines, tipo "Compre a Faca de 30 cms do Esquartejamento e pague em vezes sem juros"; "Leve os mesmos sacos de lixo do..." A participanta do evento maligno pode ir parar na tv por assinatura, no programa Até que a morte nos separe ("Till death do us part"). Ou no BBB 13. Na barbaridade em questão, o "Modus Operandi", ou “M.O", foi uma obra-prima de concepção, só desvendado pelo faro de Sherlock Holmes quando sua mente brilhante, aguçada pela solução 7%, a tudo percebe, por mais obscuro que o quadro se apresente. Este humilde Watson registra o acontecido para que gerações futuras se admirem com o conhecimento que o meu amigo tem da aplicação da "Lâmina de Occam", quando se refugia no seu covil, 223 Baker Street, para tocar violino, raciocinar, fumegar o cachimbo com fumo, fumito ou "otras cositas más" ("más": mais;

Reprodução

"más": más, ruins). O princípio da "Lâmina de Occam", atribuído ao teólogo do século 14, monge Ockham, em tradução macarrônica mas compreensível, reza que: "Quando um problema tem duas ou mais soluções possíveis, a correta é a mais simples" . A aplicação deste postulado ao comportamento humano valeu a Holmes a reputação de resolver crimes insolúveis com velocidade e acertos inquestionáveis. Quando todo mundo vai plantar o milho, Holmes já está de volta com o beiju pronto e crocante.

M

ergulhemos nas águas límpidas mas profundas da inteligência, surpreendente pela clareza e simplicidade; nada é mais intricado do que percorrer os ínvios caminhos da busca da simplicidade. O cromossomo "Y", masculino, internet nerd, quarentão frequentador adicto das salas de chat, nelas conheceu na realidade virtual a cromossoma "X", feminina, então bela garota de programa. A Veja desta semana dá na capa uma foto dela, de encher de água a boca até de sessentões. Conheceram-se também na

Um encontro de cromossomos: o início de tudo realidade real. Amaram-se, estabeleceram uma relação que poderia ser sólida, tiveram um bebê. Mas nada é perfeito neste mundo de imperfeições. O cromossomo "Y" não percorreu nem o 3º passo dos IAA, Internet Adictos Anônimos: cedeu à adicção e voltou a frequentar as salas de chat na moita; a cromossoma "X", na sua virginal inocência de ex-garota de programa, nada percebeu.

O

cromossomo "Y" sentiu-se no melhor dos mundos, desfrutando dos favores regiamente pagos das duas cromossomas "X", a titular e a caixa dois. Mal sabia ele que esse não é o melhor dos mundos, é o pior. A caixa dois colocou pressão no "Y" e ele criou o plano obra-prima para livrar-se da titular.

Comprou uma faca de 30 cms, especial para a serventia a ela destinada. Pegou uma arma da coleção que a cromossoma "X" mantém em casa para fins inconfessáveis; para comprometê-la, deu um tiro na própria cabeça.

F

eito o quê, morto, o cromossomo "Y" trancou-se no banheiro da empregada e esperou uma noite e um dia (ou mais) para o sangue coagular, evitando sangueira no chão; aí pegou a faca de 30 cms e deu continuidade ao plano. Auto-esquartejou-se, colocou seus pedaços nas malas, enrolados em sacos plásticos de lixo. Carregou as malas 17 andares abaixo pelo elevador, colocou-as no carro, dirigiu até uma estrada do Condado de Cotia, onde seus pedaços

atiraram-se do carro de moto-próprio, à distância de poucos kms um dos outros. A intenção era a de que fossem achados com facilidade, para comprometer a de vez por todas a cromossoma "X", que passou a ser a suspeita Nº 1 do fato hediondo. Tiro e queda. Com o povo e a polícia montados na certeza da culpa da cromossoma "X", eis que ela, talvez hipnotizada pela maquiavélica maldade do cromossomo "Y", confessou a autoria, cujo verdadeiro autor Holmes descobriu num átimo ser outro. Claro, ninguém acreditou nela. Sua folha corrida registra a carreira de uma menina pobre, ex-garota de programa que virou esposa amantíssima e mãe amorosa; não poderia carregar toda culpa sozinha; a vítima também tinha culpa no cartório, com cópia xerox e firma reconhecida. Parte da imprensa defende essa "tese" e caminha para beatificar a cromossoma "X". Nos trash movies, o culpado é, invariavelmente, o cara com a cara mais inocente. Holmes destrincha o mistério e descobre da mesma maneira que o verdadeiro culpado é a vítima, o cromossomo "Y".

NEIL desatinei

Ferreira Como neste mundo de CPIs nada é o que parece, prova-se assim que o culpado é o autoesquartejado, que aparenta total inocência, por estar tecnicamente morto e enterrado. Com isso, é capaz de mandar a inocente cromossoma "X" para a cana, a não ser que o doutor Márcio Thomaz Bastos entre em campo. MTB é "Tiro Fijo". E o bebê, herdeiro milionário, cadê ? "NESSPAÍZ" EM QUE TODO CULPADO É TÃO INOCENTE QUANTO ZÉ DIRCEU, GARANTO QUE A REALIDADE ACIMA DESCRITA É PURA FICÇÃO. NEIL FERREIRA É PUBLICITÁRIO


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

GibaUm

3 A indicação de Luiza

Erundina (PSB) para a vice na chapa de Fernando Haddad provocou até riso em Marta Suplicy.

gibaum@gibaum.com.br

k Somos os exterminadores do futuro.

MARINA SILVA // ex-ministra do Meio Ambiente, sobre a falta de uma política de preservação ambiental do governo.

Fotos: Paula Lima

A última edição da revista semanal francesa L’Express dedica uma grande matéria ao ex-jogador de futebol e hoje deputado federal Romário (PSBRJ), elogiando sua atuação como parlamentar, especialmente na defesa dos deficientes (ele tem uma filha portadora da Síndrome de Down). À certa altura, contudo, publica também reclamações de Romário, que não é chamado para integrar comissões na Câmara Federal nas quais teria interesses e incluindo também a presidente Dilma Rousseff. Romário não se conforma em não conseguir uma audiência com a Chefe do Governo: “A presidente é uma funcionária pública paga com dinheiro do povo como eu”. 333

HABILITADA 333 A Delta Construções que, nos últimos 12 anos, recebeu R$ 4 bilhões do governo federal (desde 1996, os valores cresceram em 193 vezes e o grande salto ocorreu com a criação do PAC, em 2007), está recorrendo à justiça depois de ter sido considerada inidônea pela CGU. Antes do escândalo Cachoeira, já haviam sido detectadas irregularidades em 60 contratos somando R$ 632,3 milhões. Só que, sendo considerada inidônea na terçafeira (12), a Delta foi habilitada no dia seguinte (13) com outras empresas pelo Dnit, numa concorrência no valor de R$ 13,6 milhões.

Graça em cena A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, a Graciosa como é chamada por Dilma Rousseff, tem comparecido a alguns programas de entrevistas, contando sua infância na Favela do Alemão, sua paixão pelo Botafogo e pela escola de samba União da Ilha, onde sempre sai, praticamente incógnita, numa das alas. Graça não entende por que a ação da Petrobras está tão aviltada (cerca de R$ 20), quando a empresa tem grandes reservas e em 2020 estará produzindo seis milhões de barris diários. Expresidente da BR, garante que a estatal tem controle de qualidade do produto através programa De Olho no Combustível. E não é bem assim: a própria Agência Nacional de Petróleo diz que são poucos fiscais em ação. 333

DOSE DUPLA De volta à circulação, depois de um litfing , dieta e muito exercício, a veterana Vera Fischer, 60 anos, está avisando que, na próxima novela Salve Jorge, de Gloria Perez, ela será “uma dominadora, que toma conta de uma boate em Madri, que não tem pudores e transa com mulheres”. Ao mesmo tempo, começa a se dedicar para remontagem da peça As Lágrimas Amargas de Petra von Kant, inspirada no filme de Fassbinder (era homossexual), na qual será uma estilista lésbica e que também dará beijos em mulheres em cena. 333

Teve de tudo e para todos na 23ª edição do Prêmio de Música Brasileira, organizada por Maurício Machline, no Teatro Municipal do Rio: o grande homenageado era João Bosco, por seus 40 anos de carreira e entre outros, foram premiados Criolo, Chitãozinho e Xororó, Nelson Freire, Cauby, Banda Calypso, Zimbo Trio, Marisa Monte e muitos mais (eram 104 indicados divididos em 35 categorias). Na platéia, entre tantas, da esquerda para direita, Luiza Brunet, Baby do Brasil, Vera Fischer, em grande forma, Patrícia Pillar, available e de quebra, a veterana Rogéria.

Noite de prêmios

333

333 Nove entre dez advogados que defendem os 38 réus do mensalão estão tranqüilizando, pelo menos por enquanto, seus clientes, mais do que assustados diante da possibilidade de irem para a cadeia. Se todos fossem condenados por todos os crimes dos quais são acusados, as penas mínimas superariam 800 anos e as máximas, 3.700 anos. O julgamento começa dia 1º de agosto, as sessões serão de cinco horas e Roberto Gurgel, procurador-geral da República, terá cinco horas para fazer a acusação (oito minutos para cada réu). Em caso de condenação (o julgamento terminaria em setembro), as penas começariam a ser cumpridas em outubro (antes das eleições). Contudo, cabem recursos, com os réus respondendo em liberdade. São os chamados embargos de declaração – e o STF não tem prazo para julgá-los.

Ninguém vai preso

3 MAIS: aquela história do "novo" de Lula rola ladeira abaixo. Mesmo aos 67 anos, não deixa de lembrar que Erundina tem 77.

Medalha no peito A nova moda para os homens, incluindo os mais jovens, para o inverno, exige trench coat de lã (ou poliéster, claro), que ressuscita um certo estilo militar. Tem também jaquetas à altura da cintura e outras, na altura dos quadris, sempre em cores e tons sóbrios, embora camisas e gravatas possam ser coloridas. E a grande novidade – quem diria – é o uso de medalhas de todos os tipos e tamanhos, com pedaço de tecido ou não, que podem ser usadas no peito, uma ou várias. Essas medalhas podem até ser alugadas em casas especializadas em objetos vintage.

333

APOSTANDO 333 Entre advogados de Brasília, Rio e São Paulo que possuem clientes no mensalão, a versão que corre é que a Procuradoria-Geral da República considera que há provas mais do que suficientes para condenar os 38 réus, lembrando que o Supremo concordou com ela ao acolher a denúncia. Mais: os que têm certo trânsito pelas imediações da Alta Corte, apostam na condenação de José Dirceu por dois ou três votos de diferença.

MISTURA FINA O PROCURADOR-geral da República, Roberto Gurgel, está se recuperando de uma pequena cirurgia no braço esquerdo, feita no começo desta semana, quebrado depois de uma queda em casa. Está de licença, mas na semana que vem volta ao trabalho, braço na tipóia. A agenda do mensalão será mantida.

333

333 INTERNAUTAS de boa memória estão alardeando, em seus blogs, que o ex-presidente Lula deveria mais é ser grato ao ministro Gilmar Mendes, do Supremo. Muitos apostam que ele absolverá Jos�� Dirceu, como retirou Luis Gushiken da lista dos mensaleiros e assegurou o direito de Aloizio Mercadante de disputar o Senado. Fora ter salvado Antonio Palocci da acusação de ter quebrado o sigilo bancário de Francenildo dos Santos.

333 Em fotos de J.R.Duran entre as capas e recheios de Nova e RG, além de outras revistas, Ísis Valverde, mineira de 25 anos, a periguete Suelen da novela Avenida Brasil, está em alta e não fazendo nenhuma questão de deixar de exibir seu lado sensual. “O corpo é muito burro, a gravação acaba e os movimentos do personagem ficam. É muito difícil me livrar de alguns trejeitos de Suelen. Muitas vezes, ela segue comigo”. Antes, tratou de se preparar para criar o personagem: “Conversei com a menina que transa porque gosta e fui conhecer a que transa porque precisa de dinheiro”.

Periguete bem amada

Contra-ofensiva 333 Há quem aposte que Abílio Diniz que, no próximo dia 22, deixa a presidência do Conselho de Administração do grupo Pão de Açúcar (ainda não há nada definido sobre a venda ou não de sua participação no conglomerado), poderia ter uma super-carta na manga – e chamada Carrefour. Diniz poderia estar mantendo, com grande discrição, outras conversações com o grupo francês rival do Casino que, quando desembarcou no Brasil, foi inspiração para o Pão de Açúcar e, nos últimos anos, enfrenta sérios problemas financeiros.

h IN Charutos.

h

Paga pelo povo

sexta-feira, 15 de junho de 2012

OUT

Cigarrilhas.

Colocando o pijama 333 O embaixador José Viegas deverá se aposentar em outubro, deixando vago o cobiçado posto em Roma, para o qual aumenta a cada dia a lista dos ambiciosos pretendentes. Foi ministro da Defesa no governo Lula em 2003 e 2004 e renunciou devido a uma crise gerada por uma nota do Exército, que fazia apologia do governo militar. No governo FHC, foi embaixador no Peru, convenceu o então presidente a condecorar Fujimori com a Ordem do Cruzeiro do Sul e chegou até a sugerir que o governo brasileiro desse asilo ao peruano, quando a situação dele lá ficou insustentável. Aos 70 anos, Viegas é casado com a ex-apresentadora de TV, Erica Stockholm (sua primeira mulher, irmã de Paulo Henrique Amorim, suicidou-se).

333 DEPOIS de uma série de apresentações pelo mundo afora, Michel Teló acaba de acertar sua primeira turnê pelas Américas Latina e do Norte, com o título América, eu te pego.

A COMISSÃO de Ética da Presidência da República, presidida pelo ex-presidente do Supremo, Sepúlveda Pertence, a mesma que recomendou a demissão Carlos Lupi do Ministério do Trabalho, acaba de absolver o ex-ministro Orlando Silva (Esporte) de envolvimento em supostas irregularidades no Programa Segundo Tempo. Silva é candidato a vereador em São Paulo pelo PCdoB. 333

OLHEIROS do Planalto estimam que é cada vez maior o abismo que separa a presidente Dilma Rousseff do vice-presidente Michel Temer, nunca consultado sobre quaisquer assuntos, raramente convocado a uma reunião e cujo poder de influencia junto à Chefe do Governo se esvazia cada vez mais. 333

A MINISTRA do Planejamento, Miriam Belchior tem feito supermercado em Brasília de madrugada. Sem segurança, usando óculos escuros e lenço na cabeça. E longe de lideranças sindicais do funcionalismo.

333

Colaboração: Paula Rodrigues / A.Favero

CHARGE DO DIA


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

5 MUSA Andressa, mulher de Cachoeira, é chamada para depor na "sua" CPI.

olítica

CPMI aprova convocação da mulher de Cachoeira

A

C o m i s s ã o P a r l amentar Mista de Inquérito, a CPMI do Cachoeira, decidiu ontem aprovar requerimento para ouvir Andressa Mendonça, mulher de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, por conta do seu suposto conhecimento sobre a rede de influências do marido. O requerimento foi apresentado na comissão pelos senadores do PT José Pimentel (CE), Humberto Costa (PE) e Walter Pinheiro (BA) com a justificativa de que "ela tem contato muito próximo com as atividades ilegais perpretadas pela organização criminosa comandada pelo seu marido". Destaca ainda que "circulava com seu marido entre figuras importantes, como políticos, empresários e jornalistas". Musa – Em uma das entrevistas que concedeu, Andressa reclamou de políticos, sem identificá-los, que estariam se recusando a reconhecer proximidade com o contraventor depois da sua prisão. "O Carlinhos tem tantos amigos de todos os níveis sociais. Não vejo problema em dizer que o conheciam". Andressa também chamou a atenção dos parlamentares quando compareceu ao depoimento de Cachoeira na CPMI, no final de maio, recebendo o apelido de musa. Ela visita regularmente o bicheiro no presídio da Papuda, em Brasi-

O Carlinhos tem tantos amigos de todos os níveis sociais! Não vejo problema em dizer que o conheciam. ANDRESSA MENDONÇA lia. Foi por conta da prisão dele, em 29 de fevereiro, que os dois não puderam ficar noivos, em março. Turma do Perillo – A CPMI decidiu também convocar mais nove pessoas, das quais cinco ligadas ao governador Marconi Perillo (PSDB-GO). Além disso, aprovou as quebras dos sigilos bancário, fiscal e telefônico de cinco empresas. Uma delas, a Confecções Excitant, que pertence a uma cunhada de Cachoeira e emitiu três cheques no valor de R$ 1,4 milhão usados para pagamento da venda da casa de Perillo. Também foram quebrados os sigilos da Rental Frota Logística, da Faculdade Padrão (o dono, Walter Paulo Santiago, se diz o comprador da casa de Perillo), da Mestra Administração (aparece como dona do imóvel no registro feito em cartório) e da GM Comércio de Pneus e Peças, outra empresa de fachada comandada por Alcino de Souza, policial aposen-

tado que também teve seus sigilos quebrados. Além das empresas e de Andressa, foi chamado o jornalista Luiz Carlos Bordoni, que afirma ter recebido cerca de R$ 40 mil por serviços prestados na campanha eleitoral do governador. Ele alega que o pagamento foi depositado na conta da sua filha por uma empresa que, segundo a Polícia Federal, abastecia o grupo. Até o arquiteto – A lista da CPMI incluiu ainda Lúcio Fiúza, ex-assessor especial de Perillo, que teve os sigilos fiscal, bancário e telefônico quebrados. Ele é mencionado em gravações da PF entre integrantes do grupo de Cachoeira. Também foram convocados Alexandre Milhomem, arquiteto responsável pelo projeto da casa do governador, e Ana Cardozo de Lorenzo, que seria sócia de empresa de opinião contratada para a campanha de Perillo em 2010. Consta que ela recebeu dois cheques de R$ 56 mil da empresa de fachada Alberto e Pantoja, um mês após ter prestado serviço para o governador. A lista é completada por João Furtado Mendonça, atual secretário de Segurança Pública de Goiás; Hiller Ananias, ex-segurança de Demóstenes Torres; o contador Rubmaier de Carvalho, que teve os sigilos quebrados; e Aredes Pires, ex-corregedor da Polícia Civil. (Agências)

FESTAS JUNINAS Parlamentares trocam investigações pelo arraial.

Andressa Mendonça deverá depor na comissão, bem como vários auxiliares do governador de Goiás, Marconi Perillo. No total ,foram chamadas dez pessoas e quebrado os sigilos bancário, fiscal e telefônico de quatro delas e de cinco empresas suspeitas de alimentar o esquema.

Ed Ferreira/AE - 22.05.12

Andressa Mendonça, atual mulher de Cachoeira: convocada a depor na comissão da qual já virou musa.

Wilson Dias/ABr

Pausa para as festas juninas CPMI do Cachoeira para na semana que vem para o quentão e a quadrilha

A

Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, a CPMI do Cachoeira, já tem pronta a programação para a semana que vem: recesso. Não haverá sessões administrativas nem depoimentos. O motivo para a paralisação são as festas juninas e a Rio+20. "Vamos nos dedicar na próxima semana à análise dos documentos que estão chegando", afirmou o relator da CPMI, deputado Odair Cunha (PT-MG). Ele, inclusive, pretende

reservar parte de sua agenda para tentar melhorar sua performance nos questionamentos de convocados pela comissão. A sua falta de traquejo ficou evidente, principalmente durante os depoimentos dos governadores Marconi Perillo (PSDB-GO) e Agnelo Queiroz (PT-DF). Para tanto, o relator vai contar com a ajuda de delegados da Polícia Federal. Vai treinar interrogatórios. Novo relator – Os inquéritos abertos no Superior Tribunal de Justiça

(STJ) para apurar denúncias de envolvimento dos governadores de Goiás e do Distrito Federal com o esquema de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, terão novo relator. Mais uma vez a sorteada foi a ministra Laurita Vaz e, mais uma vez, se declarou impedida, porque mantém relacionamento social com pessoas ligadas ao bicheiro. A mesma postura que adotou para não julgar pedido de liberdade a Cachoeira.(Agências)

Dúvida: Miro Teixeira quer mais informações sobre passeios com Fernando Cavendish, em Paris.

Miro Teixeira requer dados sobre a 'tropa do cheque'.

Marconi e Agnelo pediram e os parlamentares atenderam

Deputado fluminense diz que quer esclarecer envolvimentos com a construtora Delta

CPMI do Cachoeira formaliza a quebra dos sigilos dos dois governadores

O

deputado federal Miro Teixeira (PDT-RJ) confirmou para O Globo que pediu formalmente ontem à presidência da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, a CPMI do Cachoeira, uma investigação junto ao Congresso sobre um possível encontro, em Paris, de deputados e senadores com o expresidente da Delta Construção, Fernando Cavendish. Teixeira se referiu a possível existência do grupo como a "tropa do cheque". Teixeira protocolou o requerimento para saber quais são os nomes daqueles parlamentares que integraram uma missão oficial a países africanos e retornaram ao Brasil passando pela capital francesa, logo após o feriado da Semana Santa. O pedido foi feito ao final da polêmica sessão administrativa marcada pelo adiamento da convocação justamente de Cavendish e de Luiz Antônio

O encontro com Cavendish teria acontecido em Paris, depois que os parlamentares fizeram uma visita oficial à Uganda. MIRO TEIXEIRA (PDT-RJ ) Pagot, ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit). O encontro, de acordo com Teixeira, "teria acontecido em Paris, depois que os parlamentares fizeram uma visita oficial à Uganda". Antes de regressarem, passaram por Paris. O deputado carioca disse ainda que o objetivo da investigação é vereficar se isso de fato ocorreu e se dentre esses parlamentares estariam integrantes da CPMI do Cachoeira. Caso essa informação seja

confirmada, segundo Teixeira, será preciso verificar se os votos desses parlamentares teriam evitado a convocação de Cavendish na sessão de ontem. O placar, inclusive, foi apertado: 16 votos pelo adiamento contra 13 pela convocação do dono da Delta. Irritado, Teixeira chegou a denunciar a existência do que chamou de "tropa do cheque" ao comentar que a CPMI se recusava a ouvir Cavendish e Pagot. "Reproduzi o que eu tenho ouvido por aqui", afirmou o deputado ao blog do Noblat. Para ele, "a CPMI está com medo da verdade", acusou o parlamentar, que sugeriu uma audiência informal no Congresso para ouvir Pagot, que já se dispôs a depor. O senador Pedro Simon (PMDBRS) aceitou o convite para presidir a audiência. A CPMI também formalizou a quebra dos sigilos dos governadores Marconi Perillo (PSDB-GO) e Agnelo Queiroz (PT-DF).

A

Fernando Bezerra Jr./Efe - 13.06.12

Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, a CPMI do Cachoeira, formalizou ontem a quebra dos sigilos bancário, fiscal e telefônico dos governadores Marconi Perillo (PSDB-Go) e Agnelo Queiroz (PT-DF), desde 2002. Um dia antes, em depoimento, Agnelo se dispôs a abri-los. A oferta do petista forçou Perillo a fazer o mesmo, depois de ter recusado ao depor na mesma comissão. "Sei que não é usual uma testemunha fazer o que vou propor agora, mas não posso conviver com desconfiança e coloco aqui, à disposição da CPMI, meus sigilos", anunciou Agnelo, que foi aplaudido pelos parlamentares da base. Ao saber da postura adotada pelo governador do DF, Perillo anunciou que também havia mudado de ideia. "Telefonei para dois líderes do PSDB,

Queiroz discursa para comunicar quebra do sigilo, que estava aberto. na Câmara e no Senado, autorizando a quebra dos meus sigilos. Quem vai estabelecer os períodos será a CPMI", disse. O governador de Goiás não confirmou quais sigilos aceita abrir: fiscal, bancário ou telefônico. Ou se todos eles. Anunciou ainda que oferecia contas de quatro instituições finan-

ceiras para a CPMI escolher. O sigilo de Agnelo também já havia sido quebrado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), que vem investigando a sua passagem pelo ministério do Turismo. Portanto, os dados estão disponíveis para a CPMI, se assim desejar. (Folhapress)

Leia mais sobre a CPMI do Cachoeira nas páginas 6 e 7


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sexta-feira, 15 de junho de 2012

O senador Demóstenes Torres está se defrontando com patente constrangimento ilegal. Advogado Carlos de Almeida Castro, o Kakay.

olítica

Guto Maia/Brazil Photo Press/AE

CPMI DO CACHOEIRA

Nem Cavendish, nem Pagot. Comissão rejeita convocação do dono da Delta e do ex-diretor do Dnit.

A

Cartaz contra o governador Sérgio Cabral, amigo de Fernando Cavendish, em protesto no Rio.

Convocar Dilma? Nem pensar, decide a base aliada. Requerimento tucano é considerado pela comissão "uma afronta à Constituição" .

O

presidente da CPMI do Cachoeira, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB), recusou ontem aceitar o requerimento do PSDB que pedia explicações à presidente Dilma Rousseff sobre as obras da Delta com o Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes). A base aliada do governo protestou acusando os tucanos de querer usar o requerimento para constranger o governo. Vital foi aplaudido por deputados e senadores da base ao anunciar que sequer receberia o requerimento por ser "uma afronta à Constituição". Os aplausos foram puxados pelo deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP). Antes do anúncio do Vital, o líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PTCE), passou de mesa em mesa dos integrantes da base na CPMI coletando assinaturas con-

Torpedo: em mensagem aos aliados, Vaccarezza diz que iniciativa do PSDB é "inconstitucional e idiota"

tra o requerimento de convocação de Dilma. A iniciativa do senador ocorreu após ele se reunir de forma reservada com o líder do PT na Câmara, Jilmar Tatto (SP), e no Senado, Walter Pinheiro (BA). Também participou da reunião improvisada atrás da mesa da presidência da CPMI o deputado Paulo Teixeira (PTSP), vice-presidente da comissão. Após coletar o apoio contra o requerimento do PSDB, Pimentel se conduziu até a mesa da presidência com o saldo das assinaturas e mostrou a Paulo Teixeira que comemorou com um largo sorriso: "Beleza!". Quatro deputados do PSDB – Carlos Sampaio (SP), Vanderlei Macris (SP), Domingos Sávio (MG) e Fernando Francischini (PR) – apresentaram na quarta-feira à noite o requerimento para convocar a presidente Dilma. Argumento – Na justificativa, os tucanos argumentavam que a Delta Construções, envolvida nas investigações da Operação Monte Carlo, que prendeu o contraventor Carlinhos Cachoeira, doou R$ 1 mi-

lhão para a campanha da presidente da República. A empresa JBS, que pretendia comprar a empreiteira, também repassou outros R$ 12 milhões para a então candidata presidencial. "Fica claro, portanto, que as doações de campanha escondem interesses escusos", disseram os deputados do PSDB, que também querem convocar o ex-tesoureiro da campanha, o deputado federal José de Fillippi. Nos bastidores, o pedido para convocar Dilma é um antídoto para impedir a convocação de pessoas ligadas ao PSDB, como Paulo Vieira, o Paulo Preto, ex-diretor da Dersa (empresa do estado responsável do Estado de São Paulo pela manutenção de obras). O ex-diretor do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit) Luiz Antonio Pagot acusou-o de ter feito caixa 2 para as campanhas dos tucanos José Serra (à presidência) e de Geraldo Alckmin (ao governo do Estado). Os petistas já haviam apresentado pedido para ouvir Serra, candidato à prefeitura paulista. (Agências) Alan Marques/Folhapress

Comissão Parlamentar Mista de Inquérit o , a C P M I d o C achoeira, decidiu ontem em sessão polêmica adiar a votação de convocação do ex-presidente da Delta Construção, Fernando Cavendish, e do ex-diretor Luiz Antônio Pagot, do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit). Em votação apertada, com 16 votos contrários e 13 favoráveis, a comissão entendeu que este não é o melhor momento para avaliar a presença de Cavendish, cuja empresa estaria envolvida com o esquema criminoso comandado por Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. O relator da comissão, deputado Odair Cunha (PT-MG) fez a defesa para retirar o pedido da pauta. "O que tem de motivar a a convocação é a análise da investigação. Por isso, neste momento, entendo não ser ideal a aprovação ou a rejeição do requerimento". Amigo aliviado – O deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), ligado ao governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, também do PMDB, que, por sua vez, é amigo de Cavendish, concordou com adiamento da decisão. "Nós não temos de ter a ânsia de convocar sem ter o que perguntar, apenas para fazer o espetáculo de quem quer que seja", disse. O líder do PSDB no senado, Álvaro Dias (PR), afirmou que a convocação de Cavendish era "urgente, inadiável e imprescindível". Dias argumentou que Cavendish já teria dito que "compra políticos". O deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) também era favorável à convocação. "Podemos votar hoje a convocação de Cavendish e deixar a data para ser determinada quando

maiores elementos chegarem à CPI. Não é, portanto, uma postura radical. Procuro o caminho do bom senso". Oposição irritada – A blindagem do dono da Delta irritou a oposição. O deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) disse que não convocar Cavendish "seria como justificar a adoração

Não convocar Fernando Cavendish (dono da Delta) seria como justificar a adoração ao bezerro de ouro. MIRO TEIXEIRA (PDT-RJ )

ao bezerro de ouro, seria como dar razão aos que já começam a fazer charges falando de uma tropa de cheque para defender Cavendish", numa referência a um possível grupo de parlamentares que teria se encontrado com o dono da Delta, em Paris. (Leia mais na página 5) . Teixeira lembrou ainda

quem era Cavendish, "É o presidente da empresa que se deixou gravar dizendo que conseguiria obras por R$ 30 milhões, que não estava interessado em comprar esses politiquinhos pequenos não, por que ele comprava os grandes. Senadores? R$ 6 milhões. Mas com R$ 30 ele consegue qualquer obra". Saída – Teixeira chegou a propor uma saída de bom senso. Aprovar a convocação de Cavendish sem marcar uma data, deixando para o chamado "momento oportuno". Mesmo assim, sua proposta foi rejeitada com 14 votando contra, 6 abstenções e apenas 8 votos favoráveis. O resultado da votação revoltou a oposição. Para os parlamentares, a decisão de evitar a ida de Cavendish e de Pagot demonstra "medo de alguns" e pode "decretar o fim da CPMI", como afirmou o senador Cássio Cunha Lima (PSDB-PB). (Agências)

Deputados da base aliada discutem blindagem do dono da Delta e irritam a oposição

Wilson Dias/ABr

Demóstenes pede suspensão de processo no Conselho de Ética Senador goiano entra com liminar no Supremo para evitar ação disciplinar em curso Ivaldo Cavalcante/Hoje em Dia/AE - 31.05.12

O

senador Demóstenes Torres (sem partidoGO) apresentou ontem ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedido de liminar (decisão provisória) para que seja suspenso o processo disciplinar que tramita no Conselho de Ética do Senado para apurar se ele cometeu quebra de decoro parlamentar. A informação é do portal G1. O senador corre pode ter o mandato cassado. Ele é acusado de favorecer a organização do bicheiro Carlinhos Cachoeira, preso em fevereiro pela Polícia Federal e apontado como chefe de uma quadrilha que explorava o jogo ilegal em Goiás. Cachoeira é alvo de uma CPMI no Congresso, que investiga suas ligações com políticos e empresários. Os advogados do senador sustentam no mandado de segurança que o senador teve seu direito de defesa cerceado pelo Conselho de Ética. O colegiado rejeitou pedido do senador para que fosse realizada uma perícia técnica nas provas coletadas pela Polícia Federal que indicariam o envolvimento dele com o bicheiro, lembra o portal. A ministra Cármen Lúcia foi designada para analisar o pedido de liminar. Não há prazo definido para que apresente a resposta. Constrangimento – O advogado de Demóstenes, Antônio

Carlos de Almeida Castro, o Kakay, argumenta que seu cliente estaria "se defrontando com patente constrangimento ilegal" por parte da presidência do Conselho e da mesa diretora do Senado. Além de questionar a rejeição do pedido para analisar as gravações usadas no processo disciplinar, a defesa reclama que não teriam sido observados os prazos previstos no regimento do conselho. Diante das supostas irregularidades cometidas pelos dirigentes da comissão, Demóstenes requisitou ao Supremo a suspensão do processo no Senado até que o mérito do mandado de segurança seja analisado pelo tribunal. Os advogados também pedem no documento que o STF

Tentativa: advogados de Demóstenes Torres alegam que senador teve a sua defesa cerceada.

autorize a perícia técnica nas provas. Outro apelo da defesa é para que a sessão de quarta-feira do Conselho de Ética, que negou o pedido de análise, seja anulada e os prazos para as alegações finais no processo, que expiram nesta sexta-feira sejam reconsiderados. O senador Humberto Costa (PT-PE), relator do processo que investiga Demóstenes, deve apresentar o relatório final na próxima semana, indicando qual penalidade deve ser aplicada ao senador.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

7 Vou pedir afastamento da Igreja, quero viver essa experiência na política. Padre Edilson Nascimento

olítica

STF suspende 10 magistrados em MT Punidos por envolvimento em um suposto esquema de desvio de verbas do tribunal, eles se mantinham no cargo sustentados por liminares, que foram cassadas. Carlos Humberto/SCO/STF - 13.06.12

O

Ministro Celso de Mello: liminares concedidas por ele, em 2010, em favor de três juízes e sete desembargadores, caíram em nova decisão do STF.

Pimentel promete se explicar Ministro diz que mostrará como sua empresa faturou mais de R$ 2 milhões com consultorias de 2009 a 2010

O

ministro do Desenvolvimento, Fernando Pimentel, afirmou ontem que vai prestar todos os esclarecimentos solicitados pela Comissão de Ética da Presidência da República sobre seu trabalho como consultor. Na última segunda-feira, a Comissão voltou a pedir informações sobre as consultorias que ele realizou entre 2009 e 2010, principalmente em relação ao "encerramento dos contratos" com as empresas. "Todos os esclarecimentos necessários serão dados. Já foram dados e serão dados de novo", disse o ministro. Em reunião da Comissão de Ética na última segunda-feira, o relator Fábio Coutinho – acompanhado pela conselheira Marília Murici – apresentou voto favorável a uma pena de "advertência" a Pimentel no caso das consultorias. Mas os outros integrantes da Comissão votaram pela instalação de um processo de "diligência", em que o ministro deverá fornecer novos documentos pedidos pelos conselheiros. O presidente da Comissão de Ética, Sepúlveda Pertence, disse que "o procedimento servirá para esclarecer pontos que pareceram duvidosos". "Já esclareci e se precisar esclarecer de novo, será dado, evidentemente", acrescentou o ministro. Pimentel também será alvo de um procedimento preliminar da Comissão de Ética para apurar uma viagem em avião fretado pelo empresário João Dória Jr, presidente do Lide (Grupo de Líderes Empresariais).

Valter Campanato/ABr - 21.05.12

Arcebispo pede que padres deixem partidos

A

Fernando Pimentel: "Todos os esclarecimentos necessários serão dados. Já foram, e serão dados de novo". Em outubro de 2011, Pimentel estava na Bulgária, em comitiva presidencial e depois embarcou para Roma e fez palestra em evento do grupo. Investigação – Esta é a terceira vez que a Comissão de Ética da Presidência dá mais prazo para que o ministro se explique. O procedimento para investigar consultorias realizadas por Pimentel foi aberto em fevereiro, a partir de pedido do PSDB, protocolado em dezembro, para abertura de processo administrativo para a apurar sua conduta. A atividade levantou suspeitas de tráfico de influência. O ministro – que é amigo de longa data da presidente Dilma – nega. Na ocasião do pedido, o PSDB afirmou que solicitou o

CPMI pedirá esclarecimentos a ex-procurador-geral

A

CPMI do Cachoeira aprovou ontem um pedido de esclarecimentos dirigido ao ex-procuradorgeral da República Geraldo Brindeiro. A comissão quer saber o motivo de o escritório de advocacia, no qual Brindeiro, é sócio ter recebido recursos de Geovani Pereira da Silva, o contador do contraventor goiano Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. O repasse, de R$ 161 mil, consta do inquérito da Operação Monte Carlo, iniciada pela Polícia Federal em novembro de 2010. Pereira da Silva é o único foragido desde a operação policial.

Tribunal de Justiça sos, e os juízes Marcelo Souza d e M a t o G r o s s o Barros, Antônio Horácio da Silamanheceu sob o va Neto, Irênio Lima Fernanimpacto da cassa- des, Juanita Cruz da Silva Clait ção, pelo STF (Supremo Tribu- Duarte, Marcos Aurélio Reis nal Federal) das liminares que Ferreira, Maria Cristina Oliveimantinham no cargo 10 ma- ra Simões e Graciema Ribeiro gistrados aposentados com- Caravellas. pulsoriamente pelo CNJ, ConSegundo as investigações selho Nacional de Justiça. do CNJ, o grupo participou de As liminares haviam sido uma "operação de socorro": concedidas pelo ministro Cel- usou as verbas do tribunal so de Mello em 2010 e benefi- (cerca de R$ 1,5 milhão) para ciavam três desembargado- cobrir um rombo nos cofres da res e sete juízes, todos puni- entidade maçônica Grande dos por envolvimento em um Oriente de Mato Grosso, dirigisuposto esquema de desvio da pelo então presidente do de verbas do tribunal. tribunal, desembargador José Na ocasião, o ministro consi- Ferreira Leite. Ele explicou derou que o processo, origina- que recebeu a notícia da casdo no CNJ, era sação das liuma "premaminares com t u r a i n t e rt r an q u i li d av e n ç ã o " s ode. Sobre as acusações, b r e a t r i b u i" E m r e l aestá provado ções da corç ã o à d e c iregedoria são, não há o que tudo não estadual. q u e c o m e npassou de uma A questão tar. Sobre as grande mentira acabou deracusações, já que foi acolhida rubada em feestá mais do como verdade. vereiro pasque provado sado, quando de que tudo JOSÉ FERREIRA LEITE o plenário do não passou STF reconhede uma granceu a competência do conse- de mentira que, infelizmente, lho para abrir investigações foi acolhida como verdade". sobre magistrados. Esperado – O desembargaEm nota, o desembargador dor José Tadeu Cury disse que Rubens de Oliveira Santos Fi- o desfecho era esperado. lho, presidente do TJ-MT, disse "Com o entendimento do que dará "imediato cumpri- STF sobre as atribuições do mento à decisão" assim que CNJ, não havia mais argumennotificado. "Trata-se de uma to para sustentar as liminares. matéria judicializada e, por- Então, já sabíamos que a castanto cabe ao Poder Judiciário sação viria mais cedo ou mais estadual cumpri-la". tarde. Eu recebi R$ 120 mil reQuem são – Na lista estão os ferente a créditos que tinha didesembargadores José Ferrei- reito a receber. Por isso, fui pura Leite, José Tadeu Cury e Ma- nido com aposentadoria comriano Alonso Ribeiro Travas- pulsória". (Folhapress)

Transferência de verbas – De acordo com o senador Pedro Taques (PDT-MT), autor do requerimento aprovado, a Polícia Federal constatou cinco transferências feitas para o escritório Morais, Castilho e Brindeiro. Até o momento, Brindeiro ainda não se manifestou publicamente sobre o assunto. O senador Pedro Taques também pede que o atual procurador-geral da República, Roberto Gurgel, tome as devidas providências para apurar o repasse a Brindeiro, ex-chefe do Ministério Público durante o governo Fernando Henrique Cardoso e atual subprocurador-geral da República. (AE)

processo "devido à possível prática de ato atentatório contra os princípios éticos que norteiam as atividades dos órgãos superiores da Presidência da República e a quebra de decoro por parte do representado". Em dezembro do ano passado, Pimentel disse que informou a comissão sobre seus negócios antes de assumir o cargo no governo Dilma. Ele teria se afastado da empresa em 10 de dezembro de 2010. Na ocasião, o ministro afirmou que não havia falado sobre clientes, contratos e valores recebidos à presidente Dilma antes de tomar posse. Advertência – O conselheiro Fábio Coutinho defendeu, durante a última reunião da comissão, a imposição de uma

advertência a Pimentel. Apesar do voto favorável de Coutinho e da conselheira Marília Muricy, os demais membros optaram por pedir mais esclarecimentos ao ministro – a próxima reunião do grupo está marcada para 02 de julho. A oposição vê semelhanças entre a situação de Pimentel e a do ex-ministro da Casa Civil Antonio Palocci, que saiu do governo devido à denúncia de ter o patrimônio ampliado em 20 vezes após a prestação de serviços de consultoria. Pimentel é alvo de denúncias de que sua empresa, P-21 Consultoria e Projetos, teria faturado mais de R$ 2 milhões com consultorias entre 2009 e 2010. Há suspeitas de tráfico de influência. (Agências)

política ou a igreja. Esse é o entendimento do arcebispo metropolitano de Natal, dom Jaime Vieira Rocha. Ele discorda que padres desempenhem funções políticas. Depois de ter anunciado que não aceitará religiosos candidatos, a autoridade maior da Igreja Católica no Rio Grande do Norte emitiu ontem comunicado pedindo a todos os sacerdotes filiados a partidos políticos deixarem as agremiações. O documento ratifica a posição do religioso, que já havia determinado que os padres que desejassem disputar o pleito municipal de 2012 necessariamente precisariam pedir licença da Igreja. E lembrou que os padres já conheciam as normas do Direito Canônico quando se ordenaram. Mesmo com a posição da Arquidiocese, o padre Edilson Nascimento, que atua

na Paróquia de Parnamirim (região da Grande Natal) já anunciou que será candidato a vice-prefeito de Extremoz (região da Grande Natal). "Vou pedir afastamento da Igreja, quero viver essa experiência na política", disse o padre, no sacerdócio há 15 anos. Sobre o comunicado do arcebispo, o padre disse que a "Igreja é severa", mas observou que é preciso analisar os casos isoladamente. Ele afirmou que pretende voltar a exercer o ministério: "Estou saindo para viver uma experiência". Já o padre Antonio Nunes, filiado ao PR, foi convidado para ser candidato a viceprefeito de Natal na chapa do deputado estadual Hermano Morais (PMDB). Optou pelo sacerdócio. E em Jardim do Seridó (220 km de Natal), padre Jocimar Dantas, o atual prefeito, é candidato à reeleição. (AE)


p Brasil ilustra Mapa Mundial da Corrupção DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Luiza Erundina é uma mulher partidária, que tem tradição na luta social e um padrão ético incontestável. Fernando Haddad, candidato petista à prefeitura paulistana.

olítica

O deputado Paulo Maluf (PP-SP) e os ex-banqueiros Daniel Dantas e Edemar Cid Ferreira figuram na listagem reunida em publicação lançada pelo Banco Mundial Adriano Machado/Folha Imagem - 21.09.05

O

Banco Mundial acaba de lançar um banco de dados que reúne informações sobre 150 casos internacionais onde houve, comprovadamente, a movimentação bancária de um montante igual ou superior a US$ 1 milhão relacionado à corrupção e desvios de dinheiro. Os dados foram obtidos mediante investigações feitas entre 1980 e 2011 a partir de documentos (processos e registros corporativos) e entrevistas com auditores e instituições financeiras. O internauta pode buscar por país casos de pedido de retorno de dinheiro desviado em contas bancárias no exterior. A proposta é estruturar um mapeamento global de iniciativas dedicadas a promover a transparência, visando coibir a corrupção no mundo. Batizado de The Grand Corruption Cases Database Project, o projeto teve origem num relatório publicado pelo Banco Mundial no final de 2011 chamado "mestres da manipulação de marionetes", que investigou como governantes corruptos se utilizam das próprias estruturas legais dos governos para mascarar condutas indevidas. Segundo o relatório, a corrupção movimenta cerca de US$ 40 bilhões por ano no mundo. O estudo também investigou os caminhos pelos quais o dinheiro é desviado dentro de mecanismos financeiros legais e revelou as falhas do sistema bancário e corporativo que é utilizado como fachada para crimes de lavagem de dinheiro e corrupção.

Lista negra: presidente do Grupo Opportunity, Daniel Dantas é destaque pelo bloqueio de US$ 46 milhões em contas do Reino Unido, em 2008.

Nomes conhecidos – No banco de dados é possível encontrar nomes conhecidos do público brasileiro, como o exbanqueiro Daniel Dantas e Paulo Maluf, ex-governador e ex-prefeito de São Paulo. Dantas é citado pelo caso do Grupo Opportunity, em 2008, quando teve US$ 46 milhões bloqueados em contas do Reino Unido e foi condenado por corrupção na tentativa de suborno de US$ 1 milhão para que um investigador desistisse das acusações contra ele, sua irmã e sócia, Veronica Dantas, e seu filho.

Além de Dantas, outro banqueiro foi parar na lista do Banco Mundial: Edemar Cid Ferreira, fundador e ex-presidente do Banco Santos. Ferreira foi condenado, em 2006, pela justiça brasileira a uma pena de 21 anos pelos crimes contra o sistema financeiro e lavagem de dinheiro. Durante o processo, o juiz do caso determinou a busca e apreensão de bens adquiridos com o dinheiro ilegal. Entre os bens apreendidos estavam obras de arte avaliadas entre US$ 20 e US$ 30 milhões, de artistas do porte de Roy Lie-

chenstein, Jean Michel Basquiat e Joaquin Torres Garcia. Segundo os dados do processo, US$ 8 milhões ainda estão sendo monitorados pela Justiça. Duas citações – Paulo Maluf é citado pelo banco de dados duas vezes. Na primeira, Maluf acusado pelo Procuradorgeral de Nova York de movimentar US$ 140 milhões no Banco Safra, entre 1993 e 1996. Durante esse período, era prefeito da cidade de São Paulo e participou de um esquema de desvio de verbas durante a construção da Ave-

nida Água Espraiada. O dinheiro foi transferido para contas de Nova York e, posteriormente, enviado para paraísos fiscais nas Ilhas do Canal no Reino Unido e, segundo as investigações, parte do dinheiro retornou ao Brasil para gastos com despesas pessoais e campanhas políticas. Num outro processo, o exprefeito é acusado de desviar dinheiro oriundo de pagamentos fraudulentos para contas em bancos em Nova York e na Ilha de Jersey, no Reino Unido. Maluf e seu filho foram enquadrados nos crimes de apro-

priação indébita e lavagem de dinheiro e tiveram US$ 26 milhões bloqueados em contas de duas empresas, Durant Internacional Corporation e Kildare Finance Limited, de propriedade do político. As volumosas transferências entre as contas levantaram a suspeita da promotoria de Nova York, que decretou a prisão de Maluf, colocando-o na lista dos mais procurados pela Interpol em 2011. Propinoduto – Outro caso que aparece no banco de dados do Banco Mundial é o Propinoduto, investigado desde 2003, após a descoberta de envio de remessas de dinheiro a bancos suíços, feito por funcionários da Administração Tributária do Rio de Janeiro. Liderados por Rodrigo Silveirinha Corrêa, os 22 envolvidos foram condenados por corrupção e lavagem de dinheiro por conta do recebimento de propina em troca de benefícios fiscais. Dos cerca de US$ 45 milhões desviados pelo grupo de Silveirinha, US$ 30 milhões já foram repatriados, e retornou aos cofres públicos brasileiros. Lá fora – O levante egípcio – que teve como uma das causas a indignação do povo com a corrupção institucionalizada no país – motivou uma série de denúncias ao Procurador-Geral que serviram de base para uma investigação da ONU sobre desvios realizados durante o governo Hosni Mubarak. Apontada como destino do dinheiro ilegal, a Suíça concentrava cerca de US$ 1bilhão, fruto de corrupção, que pertenciam a Mubarak e outros membros do governo.

Andre Dusek/AE

Erundina aceita convite e será vice de Haddad Com a escolha, PT pretende conquistar eleitor mais pobre e compensar boicote de Marta

L

uíza Erundina (PSB-SP) aceitou oficialmente o convite do seu partido e será apresentada hoje como vice na chapa do pré-candidato Fernando Haddad (PT) à prefeitura paulistana. A ideia do PT ao escolher Erundina, é aproveitar sua imagem de política honesta e apostar em sua identificação com os eleitores mais pobres – auxiliando Haddad, especialmente na periferia. Para dirigentes do partido, a escolha de Erundina vai ajudar Haddad a compensar, em parte, o boicote da senadora Marta Suplicy. A ex-prefeita também foi elogiada ontem pelo ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho. "É um excelente nome. Me entusiasma muito e vai entusiasmar muito a nossa militância toda". Erundina registra suas maiores votações em áreas que são redutos eleitorais do

Leonardo Prado/Ag. Câmara - 18.04.12

À espera: presidente Dilma apresentou projeto ao Congresso em setembro do ano passado. Retorno: Luíza Erundina deixou o PT em 97 e volta a convite. PT, mas onde Haddad ainda é pouco conhecido. Na última eleição para a Câmara, em 2010, 71,3% de seus 178 mil votos na capital vieram das zonas sul e leste. O "sim" da ex-prefeita e deputada federal foi dado na noite de ontem ao vice-presiden-

te socialista, Roberto Amaral, em jantar na capital. Aliança – A união com os petistas, a ser formalizada hoje pelo governador Eduardo Campos (PE), principal dirigente do partido, será às 16h em um hotel no centro paulistano. Pela manhã, Erundina se reunirá com dirigentes municipais e estaduais do PSB. A ex-prefeita, que militou no PT até 97, era, a princípio, refratária à ideia de participar da chapa com Haddad. Distante da direção socialista em São Paulo, a deputada tinha planos de trabalhar exclusivamente na campanha de sua assessora Mona Zeyn à Câmara da capital. Mas desde maio ela vem sendo procurada por aliados de Haddad, que comunicou publicamente seu desejo de tê-la como companheira de chapa. Questionado sobre a escolha, Haddad limitou-se, por enquanto, aos elogios. "Luiza é uma mulher partidária, que tem tradição na luta social e um padrão ético incontestável e respeitado por todos os partidos. Mesmo tendo saído do PT, ela tem muito respeito da militância petista". (Agências)

ONU cobra Mecanismo de Prevenção à Tortura no Brasil Nações Unidas reiteram necessidade de grupo para evitar agressões nas prisões

A

Organização das Nações Unidas (ONU) cobrou do Brasil a criação do Mecanismo Nacional de Prevenção à Tortura, grupo responsável por monitorar e acompanhar locais de detenção para apurar a ocorrência desse tipo de agressão. Em relatório divulgado ontem, o Subcomitê de Prevenção da Tortura (SPT) da ONU reiterou a necessidade de uma política eficaz de combate a esse crime em estabecimentos prisionais. O País se comprometeu, em 2007, a instaurar, no prazo de um ano, os mecanismos preventivos propostos pela ONU, após ratificar o Protocolo Facultativo à Convenção contra Tortura. Mas até hoje as ações não saíram do papel. Em setembro do ano passado, a presidente Dilma Rousseff apresentou um projeto de lei (PL) ao Congresso Nacional que estabelece esse mecanismo preventivo.

À espera – Segundo a coordenadora-geral de Combate à Tortura da Secretaria de Direitos Humanos, Ana Paula Moreira, a expectativa do governo brasileiro é que o projeto seja votado até o fim deste ano. O texto foi apensado a três projetos de lei que já tramitam no Congresso. "Esses projetos estão para votação em plenário. Uma vez apensado, ele vai para votação em plenário. Há uma ação de governo para a provação desse PL o mais rápido possível". Parte do Sistema Nacional de Prevenção e Combate à Tortura, o mecanismo estabelece formas objetivas de enfrentar o problema, como a inspeção dos cerca de 1,2 mil estabelecimentos penais existentes em todo o País, assim como de hospitais psiquiátricos e outros locais de acolhimento público. A preocupação do SPT é com a escolha dos membros do grupo, responsáveis pelas vi-

sitas aos locais de detenção. Segundo o relatório, o atual projeto de lei propõe um sistema em que a presidente Dilma escolhe os integrantes entre uma lista de candidatos preparada pelo Comitê Nacional de Prevenção e Combate à Tortura. No Brasil, hoje, apenas Rio de Janeiro, Alagoas e Paraíba têm legislação que estabelecem mecanismos locais para a prevenção da tortura. Mas, dos três, só o do Rio de Janeiro está em funcionamento. Corrupção – Casos de corrupção de agentes penitenciários e a presença de grupos criminosos organizados nos presídios brasileiros preocupam o Subcomitê da Organização das Nações Unidas (ONU). Segundo o relatório divulgado ontem pelo colegiado, a prática de corrupção foi evidenciada pelo controle quase completo de certos locais de detenção pelos grupos do crime organizado. (ABr)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

9 VENEZUELA 1 Chávez exibe 1º avião teleguiado do país para fins defensivos

nternacional

VENEZUELA 2 Ele diz ter recebido ajuda do Irã, China, Rússia e outros países aliados.

UM PASSO PARA TRÁS Junta Militar do Egito assume Poder Legislativo após a dissolução do Parlamento. 'A revolução agora recomeça do zero', dizem manifestantes indignados. Suhaib Salem/Reuters

E

m uma ação que cria novas dúvidas sobre a conturbada transição democrática no Egito, a Junta Militar do país assumiu ontem o Poder Legislativo, depois que a Suprema Corte decretou a dissolução do Parlamento. A decisão, às vésperas do segundo turno das eleições presidenciais, que começa neste sábado, agrava o clima de confronto e polariza ainda mais o país entre islamitas e as forças do antigo regime. Revoltados com o que consideraram um golpe para perpetuar a ditadura militar, manifestantes cantavam "Abaixo, abaixo o governo militar" e entraram em choque com forças de segurança em frente à corte. Centenas de soldados e rolos de arame farpado protegiam a sede do tribunal, à beira do rio Nilo. O alvo dos manifestantes são os "feloul", como são conhecidos os remanescentes do antigo regime. Na noite de ontem, centenas de pessoas se reuniram na praça Tahrir, epicentro dos protestos que levaram à queda do presidente Hosni Mubarak, produzindo uma cacofonia de angústia e frustração. "Foi mais um golpe dos miliManifestantes protestam diante da Suprema Corte, protegida por centenas de soldados e rolos de arame farpado, após decisão dos juízes de dissolver o recém-eleito Parlamento. tares", disse o contador Samy Ahmed Jadallah/Reuters Hamdi, de 28 anos, em um dos grupos de discussão formados na praça. "Nosso Monitores da ONU encontram Heffa deserta após intensos combates; carro-bomba explode em Damasco. maior erro foi não ter ficado na Tahrir Sana/Reuters até que os militabservadores da Orga- tas abertas e destruídas no res deixassem o nização das Nações interior. "A sede do Partido poder. A revoluUnidas (ONU) entra- Baath (do governo) na cidação agora recoram ontem na cidade de Hef- de tinha sido bombardeada e meça do zero." fa, após tropas sírias terem re- parecia que ainda era o palco O Supremo Tritomado a área perto da costa de uma luta intensa". bunal Constitu- Egípcio mostra frustração na praça Tahrir do Mediterrâneo, depois de Os observadores tentacional, a corte mácombates que se alastraram vam entrar em Heffa, na proxima do país, justificou a disso- nova Constituição, que agora por oito dias. A cena era deso- víncia costeira de Latakia, há lução do Parlamento afirman- também tem futuro incerto. ladora: ruas desertas, com vários dias. Foi levantada a do que as eleições legislativas, corpos espalhados e prédios suspeita de que um assalto Agora, novas eleições terão em que partidos islamitas con- de ser organizadas para a escosaqueados. A visita ocorreu brutal das tropas de Bashar quistaram 70% das cadeiras, lha de um novo Parlamento e a algumas horas após um suici- al-Assad estava ocorrendo foram inconstitucionais. da detonar seu veículo em um contra o vilarejo. Irmandade está em uma posiA alegação é que houve viola- ção mais enfraquecida do que subúrbio de Damasco, ferindo Os relatos da ONU são dição da regra eleitoral de que um durante o primeiro pleito, reali14 pessoas e danificando um vulgados um dia após o regiterço das cadeiras deveria ter zado em três etapas a partir de dos mais sagrados santuários me sírio anunciar ter restausido ocupado por candidatos in- novembro do ano passado. da minoria xiita na Síria. rado a segurança e a calma dependentes. Na prática, boa S a u s a n G h o s h e h , u m a na região, após "limpá-la de Ao mesmo tempo, há grande parte deles era filiada à coliga- insatisfação pública com o Parporta-voz dos observadores, g r u p o s t e r r o r i s t a s " , e nção da Irmandade Muçulmana. lamento, composto por maioconfirmou que a equipe de quanto os rebeldes alegaIndicado por Mubarak, o Su- ria islamita, que muitos consimonitores da ONU conse- ram uma retirada tática. premo Tribunal é visto como deram ineficiente. A populariguiu entrar em Heffa e testeEstes enfrentamentos terMoradores observam local de atentado perto de Damasco simpatizante do antigo regime. dade da Irmandade também munhas que viajam com os minaram com a morte e prisão Isso reforça a suspeita de que caiu por causa de medidas visobservadores confirmaram de um grande número de terhouve motivação política. que viram cenas de destrui- roristas, de acordo com a quais pelo menos 40 eram citas como uma tentativa de moA explosão destruiu as ja"A decisão lembra a Argélia nopolizar o cenário político e ção e combates pesados. agência de notícias oficial Sa- vis ou soldados desertores e nelas da mesquita e ruiu de 1991", declarou o historia- estabelecer-se no poder. "A cidade estava deserta. na, assim como vítimas do la- combatentes da oposição. mosaicos que decoram as dor Khaled Fahmy, em refeA maior parte das institui- do do regime. Eleições presidenciais - Em Xiitas - A violência também paredes. A agência Sana rência ao golpe militar que im- outra decisão que enfureceu ções governamentais, inA porta-voz dos observa- atingiu a capital síria ontem, disse que 14 pessoas ficapediu a chegada ao poder dos os manifestantes, o tribunal clusive o escritório dos Cor- dores apontou que ainda depois que um carro-bomba ram feridas. islamitas no país. reios, foi incendiada por ocorrem combates em bol- explodiu perto de Sayeda egípcio aprovou a candidatuUm segundo carro-bomba Força islâmica - Após sair de ra presidencial de Ahmed Shadentro", disse a missão da sões opositores na cidade Zeynab, local de peregrina- explodiu ontem em Idlib, no décadas na ilegalidade e con- fiq, último premiê de Mubarak, ONU em comunicado. montanhosa. O número de ção xiita próximo a Damas- norte do país. O alvo foi um quistar quase metade do Le- rejeitando a lei que bania da O relatório também desta- mortos em Heffa, até o mo- co. Milhares de xiitas, irania- posto de verificação do Exérgislativo, tornando-se a prin- política membros do antigo recou que os arquivos da cida- mento, é desconhecido. nos e libaneses, entre ou- cito, informaram ativistas, cipal força política do país, a Ir- gime por dez anos. de foram queimados, lojas Segundo ativistas e o regi- tros, viajam todos os anos ao acrescentando que vários mandade Muçulmana vê seu saqueadas e incendiadas, e me sírio, 46 pessoas foram mausoléu de Zeynab, irmã soldados foram mortos e feriApós o anúncio do tribunal, poder ameaçado. casas estavam com as por- mortas ontem no país, das do imã Hussein. Shafiq discursou durante um dos no ataque. (Agências) "O país entra em um túnel comício, que teve característiescuro, pois o próximo presi- cas de uma celebração da vitódente assumirá sem Parla- ria. Ele classificou as decisões mento ou Constituição", disse de ontem como "históricas". o vice-presidente da IrmandaFrustrado, o candidato preside, Essam el Erian. dencial da Irmandade, MohaO Parlamento dissolvido era med Mursi, disse que irá respeiresponsável por escrever uma tar a decisão. (Agências)

Uma cidade-fantasma na Síria

O

Khaled Elfiqi/EFE - 23/01/12

O tribunal alega que as eleições legislativas, em que partidos islamitas conquistaram 70% das cadeiras, foram inconstitucionais.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Como vocês pretendem que, a 14 mil quilômetros de distância, esse território integre o Reino Unido? A presidente argentina, Cristina Kirchner. nternacional Fotos: Enrique Marcarian/Reuters

Morador hasteia bandeira nas Malvinas durante as homenagens de 30 anos do fim da guerra. Veteranos britânicos participavam dos eventos, enquanto Cristina pedia diálogo (abaixo).

Por quem a bandeira das Ilhas Malvinas tremula

ris/Reuters

Olivia Har

Cristina pede negociações. Em resposta, Cameron hasteia bandeira das Malvinas em Londres.

A

pós publicar anúncios em jornais do mundo todo pedindo que o Reino Unido negocie a soberania sobre as Ilhas Malvinas (Falklands, para os britânicos), a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, fez uma rara aparição ontem no Comitê de Descolonização da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova York, para defender que as ilhas são território argentino e não devem ficar sob domínio britânico. Diplomatas disseram que Cristina solicitou a realização dessa sessão neste 14 de junho por se tratar do 30º aniversário da vitória britânica em uma guerra entre os dois países pela posse do arquipélago. Durante a audiência, ela disse que a permanência das Malvinas sob controle britânico é "uma afronta". "Como vocês pretendem que, a 14 mil quilômetros de distância, esse território inte-

gre o Reino Unido?", indagou. "Não somente as Malv i n a s s ã o a rgentinas como são parte dos contornos sulame ricano s", disse Cristina, a primeira chefe de Estado a discursar no comitê. " N ã o e s t amos pedindo que (o Reino Unido) diga que as Malvinas são argentinas. Estamos pedindo só, e nada menos, que o país se sente para negociar", disse ela. Antes, ela se reuniu com o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, que reiterou sua oferta para mediar a disputa caso os dois lados solicitem. Bandeira - A resposta do governo britânico foi imediata: a bandeira das Ilhas Malvinas foi hasteada ontem em Downing Street, residência oficial do pri-

meiro-ministro, David Cameron, em Londres. O premiê disse que a soberania das ilhas não é negociável. "Isso não é um jogo de tabuleiro global, com nações passando territórios entre si. Isso é sobre os habitantes da ilha determinando seu próprio futuro." Perante o comitê da ONU, representantes das ilhas disseram que o espaço deixou de ser colônia britânica para se transformar em território democrático ligado ao Reino Unido. Eles disseram ainda que os moradores não são hispânicos e querem continuar ligados a Londres. Um plebiscito será realizado em 2013. Mike Summers, do Conselho Legislativo das ilhas, tentou entregar a Cristina uma carta em que a convidava para visitar o arquipélago, mas foi impedido de se aproximar dela. Brasil - A subsecretária-geral de Assuntos Políticos do Itamaraty, Vera Lucia Machado, chamou o discurso de Cristina de "magistral" e pediu a retomada das negociações. (Agências)

Eric Thayer/Reuters

Cameron: amizades suspeitas.

Cameron quer discutir relação com a mídia

N

o mesmo dia em que fechava as portas para o diálogo com a Argentina, o primeiro-ministro britânico, David Cameron, enfrentou um interrogatório sobre a sua relação com as empresas do magnata da mídia Rupert Murdoch, como parte de um inquérito que se transformou em um desastre político para o líder. O premiê opinou que a relação entre políticos e a imprensa precisa ser repensada. "Eu acredito que os políticos acham que a imprensa está sempre errada. E a imprensa acha que os políticos só se preocupam consigo mesmos." (Agências)

Reuters - 26/07/10

Acabou a esperança

O

f u n d a d o r d o W i k iLeaks, Julian Assange, poderá ser extraditado para a Suécia em duas semanas para enfrentar questionamento sobre supostos crimes sexuais, depois que o Supremo Tribunal do Reino Unido disse ontem que havia rejeitado um pedido para reconsiderar seu caso. A Suécia pediu a extradição do australiano de 40 anos porque duas mulheres o acusam de ter cometido estupro

e assédio sexual durante uma viagem de Assange ao país em meados de 2010. O advogado das mulheres, Claes Borgstrom, disse à Associated Press ontem que a decisão "era óbvia e esperada, e foi adiada por muito tempo". Assange nega ter cometido os crimes, afirmando que o sexo foi consensual. Ele diz que o caso é manipulado por pessoas irritadas com as revelações feitas pelo site e tem fins políticos.

Assange: extradição à vista. O WikiLeaks é responsável pelo maior vazamento de documentos secretos na história norte-americana, dentre eles cerca de 250 mil telegramas diplomáticos do Departamento de Estado. A decisão de ontem encerrou a batalha jurídica de 18

meses nos tribunais britânicos do auto-intitulado "ativista antisigilo" contra a extradição. A corte rejeitou os argumentos de que a defesa não teve chance de examinar adequadamente as provas usadas pelos juízes para negar a apelação contra a extradição. O resultado efetivamente encerra as opções legais de Assange no Reino Unido. O australiano ainda pode apelar ao Tribunal Europeu de Direitos Humanos em Estrasburgo, mas especialistas dizem que ele teria poucas chances. A advogada de defesa, Jennifer Robinson, disse que não está claro se ele vai apelar ao tribunal europeu. "Ainda estamos estudando", escreveu ela no Twitter. (Agências)


g

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

eral

11

FÓSSIL DO DIA Jovens que participam da Rio+20 vestiram trajes de gala ontem para entregar o prêmio que é dedicado aos países que "menos apoiam o progresso em questões relevantes às mudanças climáticas". Primeiro laureado: Estados Unidos.

Ricos descartam criação de fundo Crise econômica internacional e até eleições viraram motivo para que os países desenvolvidos rejeitem a formação do instrumento para financiar a sustentabilidade Tasso Marcelo/AE

Fundo começaria com recursos anuais de US$ 30 bilhões e que poderiam chegar a US$ 100 bilhões em 2018. As indefinições também pairam sobre a criação de um organismo ambiental com poder sobre os países, nos moldes da OMC.

Enquanto dezenas de nações indígenas, inclusive internacionais, participam da cena midiática montada em torno da Rio+20, em Jacarepaguá, na chamada Kari-Oca (na imagem superior com membros da tribo Xavante), os índios que não foram ao Rio lançaram em Altamira, no Pará, o movimento Xingu+23 (vinte e três anos após a primeira vitória dos povos contra o projeto de barramento do rio, em 1989). Mais resistência à construção da usina hidrelétrica de Belo Monte.

Mortos pelo clima

O

Escritório das Nações Unidas para a Redução de Riscos de Desastres (Unisdr) criticou a falta de ação dos Estados-membros da ONU para prevenir tragédias causadas pelas mudanças climáticas, que afetaram 4,4 bilhões de pessoas – mais da metade da população mundial – nos últimos 20 anos. Segundo o levantamento, desde 1992, desastres naturais como enchentes, furacões, secas e terremotos deixaram um saldo de 1,3 milhão de mortos e um prejuízo de cerca de US$ 2 trilhões em todo o mundo. O Unisdr defende a "introdução de metas realísticas de desenvolvimento sustentável", que considerem a redução de riscos de desastres ambientais. (Folhapress)

Vários países, como o Canadá e os Estados Unidos – que estão em plena campanha presidencial e cujo presidente, Barack Obama, é ausência na Rio+20 – resistem à ideia. Esses países têm ainda o apoio dos europeus, que argumentam que os efeitos da crise econômica os impedem de avançar principalmente em questões financeiras. O secretário-executivo da delegação brasileira na Rio+20, embaixador Luiz Al-

berto Figueiredo Machado, reconheceu ontem que os países ricos adotaram um movimento de "retração forte" devido às condições internas que vivem. O embaixador, no entanto, não acredita que seja definitiva a posição. "Não há rechaço de uma ou de outra parte negociadora. Vamos buscar a melhor condição possível. É fundamental que cada ação corresponda a meios de financiamento ou indicações para que isso seja possível."

Ricardo Moraes/Reuters

OCA LÁ E KARI-OCA –

atacado por fogo amigo, ontem, em frente ao mais conhecido monumento brasileiro, o Cristo Redentor. Cerca de 30 servidores do Ibama e do Instituto Chico Mendes cobraram o cumprimento de promessas que teriam sido feitas em 2008 pela União às duas categorias, como reestruturação do plano de carreira, revisão da tabela salarial, implementação de gratificações e realização de concurso público. Na sextafeira, haverá assembleias em todos os estados do País para decidir se os cerca de 6 mil servidores entram em greve. (AE)

Tarso Sarraf/AE

E

m meio aos impactos da crise econômica internacional e das limitações financeiras dos países mais pobres, o projeto de criar um fundo de incentivo ao desenvolvimento sustentável deve ser retirado do texto final da Conferência da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável, a Rio+20. Pela proposta, o fundo começaria com US$ 30 bilhões, em 2013, mas poderia chegar a US$ 100 bilhões, em 2018.

BANANAS – O governo foi

Mordida– Para o professor de relações internacionais da Universidade de Brasília (UnB) e especialista em mudanças climáticas Eduardo Viola, o mundo precisa de um órgão ambiental com poder para normatizar, fiscalizar e punir países – uma instituição global "com dentes". Ele critica a posição contrária do Brasil à elevação de status do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma), que poderia vir a exercer essa função.

A proposta é defendida por europeus e africanos. "A posição do Brasil é muito conservadora, pois se opõe a um desenvolvimento da governança ambiental, que significa criar uma nova institucionalidade poderosa na área, ou seja, uma organização mundial do meio ambiente equivalente à Organização Mundial do Comércio (OMC)", afirmou Viola no Rio/Clima, evento sobre mudanças climáticas, na Firjan.

"É preciso ter uma instituição global com dentes. Tem que ter capacidade de dissuasão, de denunciar um país e de punir eventualmente", defendeu. Ele também criticou as políticas econômicas do governo brasileiro, que "vão na direção oposta à do desenvolvimento sustentável. Os impostos dos carros teriam que aumentar para que isso fosse para um fundo de investimento em trens, em ônibus, em transporte coletivo". (Agências)

Patriota: "não transforme objetivos em barreiras".

D

iante de uma plateia de empresários em evento na Rio+20, o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, afirmou que é preciso estar atento para não transformar objetivos futuros (de desenvolvimento sustentável) em barreiras comerciais. A afirmação veio em resposta à preocupação externada pelo presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, de que seja criado um "protecionismo verde". O setor privado brasileiro participou ativamente das discussões para o documento entregue ao secretariado da ONU para a elaboração dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) na Rio+20. Patriota ressaltou o contato estreito com o setor privado como uma das características da política externa do governo Dilma, o que fortalece a negociação internacional e a diplomacia brasileira. Apesar das dificuldades nas negociações e da crise financeira internacional, a avaliação de Patriota é que a Rio+20 pode ser considerada um marco histórico não só pelo número de representantes governamentais e delegados presentes, mas sobretudo pelo modelo de inclusão, com os diálogos e eventos paralelos da sociedade civil. A CNI entregou ao governo federal um documento que relata iniciativas de 16 setores, que representam 90% do PIB industrial, para reduzir o impacto de suas atividades no meio ambiente. De acordo com o texto, o resultado das iniciativas nas duas últimas décadas foram "fábricas menos poluentes, mais eficientes no consumo de energia e que encontraram soluções melhores para o uso da biodiversidade".

Paulo Liebert/AE

Questionado se a indústria brasileira é poluidora, ele declarou que as empresas vêm trabalhando para reduzir os impactos ambientais de suas operações para atender uma legislação rígida que "fecha fábricas" e também ao consumidor, que hoje prefere produtos sustentáveis: "Não é apenas uma questão de responsabilidade social, mas de sobrevivência. "No evento, que reuniu centenas de empresários, o presidente da CNI ressaltou que o governo, e não a indústria brasileira, deve ser responsabilizado pela poluição do País. "Hoje quem polui é a população, a sociedade", disse, acrescentando que é preciso cobrar investimentos públicos em saneamento, mobilidade urbana e infraestrutura. (AE)

SEM ESTUFA – O chanceler Patriota foi o primeiro a passar um cartão para compensar as emissões de gases do efeito estufa durante seu deslocamento aéreo para a Rio+20. O valor: R$ 10, pela viagem de Brasília ao Rio. Com a ação, ele lançou a ferramenta desenvolvida em parceria com a Caixa Econômica Federal e o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) para doações voluntárias. Qualquer participante poderá fazer o mesmo. O cálculo é de R$ 10 por tonelada de gás carbônico equivalente. (Folhapress)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

c

sexta-feira, 15 de junho de 2012

AÇÃO CONTRA A PIRATARIA A Subprefeitura da Mooca é a responsável pelas autuações, que já causaram a interdição de 100 lojas que vendiam produtos piratas.

idades

Shopping 25: um milhão de itens apreendidos. No Brás, Prefeitura faz vistoria em estabelecimento associado à comercialização de produtos piratas. Prédio foi lacrado e alvará cassado.

A

Prefeitura de São Paulo apreendeu um milhão de produtos piratas durante vistoria realizada ontem no Shopping 25 Brás, localizado na rua Barão de Ladário, centro da Capital. De acordo com a assessoria de imprensa da Prefeitura, o estabelecimento está lacrado e seu alvará de funcionamento será cassado. Foram vistoriadas, segundo a Prefeitura, 355 lojas e apenas 26 apresentaram nota fiscal de seus produtos, provando que estão sendo analisadas pela Secretaria da Fazenda Estadual. Entre os produtos apreendidos pela polícia estão tênis, roupas, bolsas, celulares e relógios. A assessoria de imprensa da Prefeitura informou que nenhuma das lojas apresentou licença de funcionamento. A Subprefeitura da Mooca é a responsável pelas autuações, que já causaram a interdição de 100 lojas. Cinco estabelecimentos alimentícios, que também funcionavam no Shopping 25 Brás, foram interditados pela Coordenação de Vigilância em Saúde (Covisa). Durante a ação, que contou com apoio das polícias Federal e Civil, 139 pessoas foram identificadas como estrangeiras e três acabaram conduzidas por agentes federais por não estarem com a documentação regularizada. O shopping, depois de apresentar problemas com comércio ilegal, com os proprietários das lojas e irregularidades na segurança da construção, foi interditado pelo Departamento de Controle Urbano (Contru). "Após constatarmos as diversas irregularidades no

Fábio D'Castro/Hype - 23/11/2007

Newton Santos/Hype - 10/08/2011

O mesmo shopping foi lacrado em 2007 (acima), durante operação da Prefeitura. O secretário municipal de Segurança, Edson Ortega (à esq., no centro da foto). estabelecimento, o Gabinete de Segurança pediu à Subprefeitura da Mooca a cassação do alvará de funcionamento do shopping, propondo que ele só reabra após regularizarse e assumir compromisso de não mais permitir comércio ilegal", afirmou o coordenador do Gabinete de Segurança e secretário municipal de Segurança, Edson Ortega. A Prefeitura informou

O

organismos federais, estaduais e municipais. Mais de 600 estrangeiros foram detidos por estarem sem documentação regular e 150 foram notificados pela Polícia Federal a deixar o País. Em operações conjuntas das subprefeituras, da Guarda Civil Metropolitana (GCM) e da Operação Delegada, já foram apreendidos mais de 20 milhões de produtos ilegais. (AE)

255

milhão de produtos piratas foram apreendidos ontem, durante blitz da Prefeitura no Shopping 25 Brás.

lojas do Shopping 25 foram vistoriadas por força tarefa da qual também participaram agentes das polícias Federal e Civil.

26

139

lojas apresentaram nota fiscal de seus produtos, provando que estão sendo analisadas pelo governo.

pessoas foram identificadas como estrangeiras e três acabaram conduzidas por agentes federais .

60

36

milhões de produtos ilegais foram apreendidos na cidade, de dezembro de 2010 a maio deste ano.

blitze foram feitas com organismos federais, estaduais e municipais, de dezembro de 2010 a maio deste ano.

600

20

estrangeiros foram detidos no mesmo período por estarem sem documentação; 150 foram notificados a deixar o País.

milhões de produtos ilegais já foram apreendidos em operações da Prefeitura, GCM e Polícia Militar.

Edu Silva/Futura Press/AE

Consulado dos EUA cria canal para receber queixas Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo divulgou ontem um novo canal para receber reclamações de brasileiros que estão há mais de um mês com seus passaportes perdidos. É o e-mail entrega@usvisa-info com. Os documentos haviam sido entregues ao consulado durante o processo de obtenção do visto americano e não foram mais localizados. Sem revelar o paradeiro dos passaportes, o consulado informou, em nota, que cerca de 300 documentos não foram devolvidos para os donos brasileiros dentro do prazo prometido (15 dias), mas que fará as devoluções. Há quem espere pelo documento desde o fim de abril. Na quarta-feira, o consulado estimava em "menos que 400" o número de prejudicados. Agentes da Polícia Federal que atendem brasileiros que procuram por passaportes de urgência e emergência estimavam esse número em 700. Dois fatores dificultam a ação do Brasil na localização dos passaportes sumidos: o consulado é tido como parte do território americano - onde nem policiais brasileiros nem procuradores federais podem atuar sem autorização prévia. O segundo é o fato de parte dos funcionários ter imunidade diplomática. (AE)

ontem que mesmo com o término desta primeira fase das apreensões, agentes da Subprefeitura da Mooca continuarão na região vistoriando as documentações das lojas. Balanço – De dezembro de 2010 a maio deste ano foram apreendidos na cidade mais de 60 milhões de produtos ilegais, sendo 40 milhões em estabelecimentos comerciais, resultado de 36 operações integradas com

1

Ó RBITA

J

ean Barbosa Rosa, 27, soldado do Corpo de Bombeiros de São Paulo, foi preso pela Polícia Civil sob suspeita de liderar uma quadrilha que cometia sequestros-relâmpagos na zona oeste de São Paulo, principalmente nos bairros de Pinheiros e Lapa.

VACINAÇÃO

A

campanha de vacinação contra a paralisia infantil terá início amanhã, dia nacional de mobilização, e se estenderá até 6 de julho. A meta do governo é imunizar mais de 14 milhões de crianças em 115 mil postos de vacinação. Apesar do cronograma divulgado pelo Ministério, a Secretária de Saúde de São Paulo informou que no Estado a campanha ocorrerá apenas no sábado. O governo pretende imunizar 2,84 milhões de crianças, o que corresponde à meta de cobertura de 95% de paulistas menores cinco anos de idade. As duas gotinhas, como dose de reforço, serão dadas a crianças menores de 5 anos, mesmo que elas já tenham sido imunizadas contra a doença. Se as crianças tiverem febre alta ou alguma doença aguda, os pais devem conversar com os profissionais de saúde antes da vacinação, orienta o Ministério da Saúde. A pasta reforça que, apesar de o País ter erradicado a pólio, a vacinação é importante para evitar a reintrodução da doença por viajantes. Ainda há 16 países com casos registrados da doença. (AE)

Arrastões: bombeiro é suspeito de liderar bando.

CONFRONTO – Depois de uma troca de tiros com uma guarnição da Rota (foto) na zona leste, um jovem foi baleado e morto e um segundo conseguiu fugir. Eles haviam roubado um carro e atiraram nos policiais. Nilson Sandre/ABCDIGIPRES/AE

SOCORRO – O motorista de um ônibus de São Bernardo do Campo sofreu um acidente após sentir-se mal, perder o controle do veículo e invadir a área do Paço Municipal. Ele foi socorrido por bombeiros.

Barbosa Rosa, reconhecido em um caso de sequestro-relâmpago, é investigado em pelo menos outras nove ocorrências. Imagens de câmeras de segurança flagraram o bombeiro no crime. O bombeiro é apontado como chefe de uma quadrilha que tem ao todo seis integrantes. Todos eles já estão identificados. Além de Barbosa Rosa, outros três suspeitos (dois deles irmãos) já foram presos. A quadrilha, segundo informações da Polícia Civil, usava como cativeiro um edifício no bairro Palmas do Tremembé, na região do Jardim Tremembé (zona norte de São Paulo). O soldado do Corpo de Bombeiros de São Paulo foi preso em uma clínica para recuperação de dependentes químicos, onde estava internado para se tratar do vício em cocaína, segundo disse aos policiais civis que o prenderam. (Folhapress)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

c

13 Vou confrontar esse laudo com as provas que tenho. É preciso procurar a verdade real. Mauro Dias, delegado

idades

BRASIL PRÉ-HISTÓRICO Dia do Paleontólogo, comemorado hoje, faz lembrar que, a julgar pelo nosso histórico, essa ciência tem um extraordinário potencial para se desenvolver entre nós. O primeiro a farejar tal possibilidade foi o dinamarquês Peter Lund (1801-1880), que aqui descobriu fósseis de 115 espécies pré-históricas, entre elas o tigre dente-de-sabre e os famosos preguiças-gigantes, além, é claro, do homem de Lagoa Santa, datado de 12 mil anos atrás, encontrado em 1843. O primeiro nome da paleontologia brasileira vem a ser Llewllin Ivor Price (19051980), gaúcho de Santa Maria, filho de norteamericanos. Este sujeito era professor na célebre Universidade de Harvard, largou a cátedra para fazer pesquisas no Brasil. Em 1936 descobriu em Santa Maria (RS) um dos primeiros dinossauros de que se tem notícia, o Estariocossauro, lagarto que

Paulo Pampolin/Hype

NO ESCURINHO É QUE É BOM

A

Rua XV de Novembro, no Centro Antigo, está às escuras há mais de duas semanas. Talvez a Ilume, responsável pela iluminação da Cidade, queira resgatar a atmosfera das noites do século XVII, data do primeiro registro a respeito da rua. Naquela época, levava o nome de Manuel Paes Linhares, um possível bandeirante, e por esse tempo vivia às escuras, a menos que moradores acendessem velas de sebo nas janelas, papel cumprido agora pelas vitrinas das lojas. Com a Independência, seria batizada como Rua da Imperatriz, em homenagem a Leopoldina. Os românticos lampiões a gás seriam implantados 17 anos depois. A luz elétrica chegaria em 1905. A rua ganhou o nome atual com a proclamação da República.

viveu há 225 milhões de anos, com 2,5 m, 80 cm de altura e 30 kg. Hoje, nossa grande figura é Niéde Guidon, 79 anos, criadora do Parque Nacional da

Serra da Capivara (PI). Ela está agitando a área, pois conseguiu provar que o homem chegou a America do Sul há 45 mil anos, portanto, bem antes dos 15 mil que se imaginava.

No alto, a arqueóloga Niéde Guidon; à esq., versão tridimensional do Estariocossauro.

G Reprodução Google Maps

cidade de Homs, no oeste da Síria, 1,6 milhão de habitantes, a 160 km da capital Damasco, reduto da oposição que ficou famosa por ser constantemente bombardeada pelas tropas do ditador Assad na guerra que civil que varre o país, tem um pezinho em São Paulo. Trata-se do tradicional Clube Homs, fundado em 1920, assim batizado em sua homenagem.

Subentende-se que seus idealizadores ou que boa parte da colônia síria de então fosse proveniente de lá. Fica na Avenida Paulista e certamente

ainda está para nascer algum paulistano que nunca tenha dançado ali num baile de formatura. O Homs, à semelhança do Clube do Círculo Militar, é campeão nesses eventos. Nele saltam à vista as raízes árabes, como a sala do taule, típico jogo árabe, parente do gamão. Ou o salão de mobiliário característico, que tem uma cor de mil e uma noites.

üido Palomba, o mais conhecido psiquiatra forense do País, ainda não tem uma opinião formada sobre a sanidade de Elize Matsunaga, que matou e retalhou o marido. Nilton Fukuda/AE Em principio, parecia tratar-se de um crime passional provocado pelo ciúme. A ausência de planejamento, própria de episódios desse tipo, confirmava a possibilidade. No entanto, certos procedimentos da autora não coadunam com

Divulgação

LUZ AMARELA

LEMBRANÇAS DE HOMS

A

Armando Fávaro/AE

O

comportamentos registrados na história médica-jurídica. No caso de passionalidade, era de se esperar que houvesse mais tiros para afirmar a emoção incontrolável, temperada pelo sentimento de ódio, que caracteriza o criminoso nessas ocasiões. Por outro lado, o esquartejamento revela uma frieza de tal ordem que

desmente o descontrole suposto, sugerindo desordem mental. "Eu acendi a lâmpada amarela porque é muito difícil para uma pessoa mentalmente sadia levar a efeito um esquartejamento, isto é, suportar realizar o processo. Não há esquartejamento movido pelo ódio", afirma Palomba.

Suspeita: executivo foi decapitado vivo. Polícia passou a considerar essa hipótese depois de receber laudo do IML de Cotia, que cita "asfixia respiratória por sangue aspirado devido à decapitação".

O

diretor executivo da Yoki, Marcos Kitano Matsunaga, de 42 anos, pode ter sido decapitado ainda vivo pela mulher, Elize Araújo Kitano Matsunaga, de 30 anos, no dia 19 de maio, na Vila Leopoldina. A dúvida foi levantada depois que a Polícia Civil recebeu o laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Cotia, onde foram encontrados restos do corpo. O laudo, assinado pelo médico legista Jorge Pereira de Oliveira, aponta que o executivo foi morto por um tiro associado à "asfixia respiratória por sangue aspirado devido à decapitação". Isso indica que Matsunaga respirava quando teve a cabeça cortada pela mulher. A informação contradiz a versão de Elize, de que teria matado o marido com um tiro, arrastado o corpo para um quarto e o esquartejado dez horas depois,

Rubens Cavallari/Folhapress - 06/06/2012

Elize no elevador, com as malas onde estariam pedaços do marido. tempo suficiente para que o sangue coagulasse e não deixasse mais vestígios no apartamento onde viviam. Além de apontar que o executivo estava vivo quando foi decapitado, o laudo afirma que o tiro foi disparado de cima para

baixo, da esquerda para a direita e próximo, encostado, com vestígios de pólvora no rosto da vítima. Esse é outro ponto do laudo que contradiz a versão de Elize, de que teria matado o marido numa discussão e que ambos estariam em pé.

O relatório da investigação foi apresentado ontem à Justiça pelo delegado responsável pelo caso, Mauro Dias, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP). Segundo o delegado, que pediu a prisão preventiva de Elize, independentemente de ter entregue o relatório, é preciso saber o que de fato aconteceu no dia do crime. "Vou confrontar esse laudo com as provas que eu tenho. É preciso procurar a verdade real", afirmou. Para Dias, o que mais se destacou em relação ao laudo foi a distância do tiro. "Me chamou a atenção ela ter dito que foi a dois metros e o laudo afirmar que não, que foi próximo." Segundo Dias, o fato de o laudo apontar que o executivo foi decapitado ainda com vida não muda a tipificação do crime. Já tinha sido registrado como homicídio qualificado. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

Logo Logo

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Sentidos invertidos

www.dcomercio.com.br

O ilustrador Marco Angeles transforma itens do cotidiano e elementos icônicos da cultura de consumo em mensagens pouco otimistas. http://bit.ly/KxoYTa

Dentro da Terra A alemã Cornelia Konrads é a autora dessas instalações, que representam a matéria emergindo da Terra - ou sendo engolida por ela. www.cokonrads.de

C INEMA G @GDET DU JOUR

Morre Carlos Reichenbach

O Patins motorizados É preciso ter tanto equilíbrio para usar um par do SpnKix quanto para andar de patins. Mas os motores livram você de fazer força. http://bit.ly/KrIJqz

A RQUEOLOGIA

Neandertais, os primeiros artistas. Os neandertais podem ter sido os primeiros artistas de pinturas rupestres, indica um estudo divulgado ontem. Feito a partir da aplicação de um novo método de análise de pinturas em cavernas na Espanha, o estudo mostra as pinturas rupestres já eram feitas há aproximadamente 40 mil anos. Os testes foram feitos com 50 pinturas em 11 cavernas no norte da Espanha. É a primeira vez que evidências de que os neandertais produziram arte

rupestre são descobertas, mas já se sabia que eles enterravam os mortos, usavam técnicas decorativas primitivas e faziam enfeites a partir de ossos, explicam os especialistas em artigo da revista científica norteamericana Science. Uma das figuras estudadas, da caverna de El Castillo, data de mais de 40,8 mil anos atrás, o que faz dela a arte rupestre mais antiga da Europa, segundo a equipe de pesquisadores.

O cineasta brasileiro Carlos Reichenbach morreu na tarde de ontem, em São Paulo, aos 67 anos. A causa da morte não foi informada pela família. Segundo a assessoria de imprensa do diretor, ele se sentiu mal e morreu a caminho do hospital. Nascido em Porto Alegre, Reichenbach fez carreira no cinema nacional a partir de 1945, quando se mudou para São Paulo. Seu primeiro trabalho como diretor, um curta-metragem de 1969, chama-se Esta rua tão Augusta. Carlão, como era conhecido, fez 22 filmes, entre eles títulos fundamentais para a história do cinema nacional como A Ilha dos Prazeres Proibidos, de 1979, Império do Desejo, de 1981, Anjos do arrabalde, de

M ODA

Eduardo Nicolau/AE

1987, Alma corsária, de 1993 e Garotas do ABC, lançado em 2003. Seu filme mais recente foi Falsa Loura, de 2007. Ele também atuou como diretor de fotografia em 38 filmes. Combativo, defendeu o cinema autoral brasileiro e participou de grupos como o do cinema marginal e da Boca do Lixo. Alcançou reconhecimento internacional quando, nos anos 1980, sua obra foi tema

de mostra no Festival de Roterdã, na Holanda. Em 2012, o mesmo festival exibiu uma cópia restaurada de Liliam M - Relatório Confidencial, de 1975, icônico na sua filmografia. Reichenbach, que também foi professor do curso de cinema da Universidade de São Paulo. Ele era casado com Lygia Reichenbach e deixa três filhos e uma neta. (Folhapress)

Reuters

F UTEBOL

O peixe vidente Um peixe auranã chamado Big Huat, de Cingapura, é o novo vidente da Eurocopa 2012. Ele previu a vitória da Suécia sobre a Inglaterra.

Cabelo construído

L OTERIAS

19

24

40

75

80

L

Concurso 2922 da QUINA

VIDA - Foto da barreira de corais da Austrália. O país criará a maior rede de parques marinhos do mundo protegendo da exploração de petróleo e da pesca uma área de oceano maior do que o território da Índia.

FARH021.3 é o nome do coletivo que cria os "penteados" acima. www.fahr0213.com

Templo de leitura Uma igreja dominicana localizada em Maastricht, na Holanda, foi transformada em livraria, mantendo as características arquitetônicas originais. O projeto da empresa Merkx + Girod adicionou à construção do século 13 tecnologia moderna, criando contrastes. http://bit.ly/M4mI1r

Ousado projeto arquitetônico converteu igreja em livraria mantendo elementos originais


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

e

15 ITÁLIA Governo apresenta hoje medidas a favor do crescimento

conomia

REINO UNIDO Unilever fechará quatro fábricas e demitirá 800 empregados

Yorgos Karahalis/Reuters

Ameaça de ruptura: o líder radical de esquerda Alexis Tsipras faz campanha em Atenas: ele diz que, se vencer, vai rever as imposições da UE para a recuperação da economia.

Em jogo, o destino da Grécia. Os gregos vão às urnas no domingo em momento decisivo para o país. O resultado deve indicar se aceitam as regras da União Europeia e querem ficar no euro. Murad Sezer/Reuters

Renato Carbonari Ibelli

A

Grécia realiza novas eleições no domingo após o fracasso na tentativa de criar um governo de coalizão no início de maio. Independentemente do resultado, o novo governo terá o desafio de reorganizar uma economia devastada pela crise, tendo de ponderar entre o risco de sair da zona do euro e as consequências da adoção de impopulares medidas de austeridade. As condicionantes impostas pela cúpula da União Europeia (UE) para que a Grécia permaneça sob a égide do euro são duras. Os salários foram rebaixados, os impostos aumentaram e os investimentos públicos foram paralisados. São medidas para tentar diminuir o endividamento público, que hoje equivale a 150% do Produto Interno Bruto (PIB) grego. Em contrapartida, os bancos centrais da UE têm disponibilizado, a conta-gotas, 130 bilhões de euros na tentativa de diluir a dívida do país. Claro que essas condições não foram bem recebidas por parte da população grega. Por que a Grécia toda teria de pagar pelos pecados de governos irresponsáveis? Essa tam-

bém passou a ser a bandeira levantada por líderes políticos locais, em especial os de extrema esquerda, contrários à interferência do bloco no problema grego. Esse posicionamento radical vem ganhando força, a ponto de a saída da Grécia da zona do euro não ser mais tratada como tabu. A cúpula da UE já teme por esse final, tanto que reduziu a última fatia do empréstimo a Grécia. Inicialmente o montante era de 6,8 bilhões de euros, mas foi limitado a 4,2 bilhões de euros. Caso a esquerda radical vença as eleições do dia 17, a opção por uma Grécia autônoma pode vir a ser o caminho natural. Dracma – Para o economista Evaldo Alves, professor de economia internacional da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a saída da UE seria a pior alternativa possível. Abrir mão do euro implicaria a adoção de uma nova moeda – ou na volta da antiga, o dracma –, que dificilmente teria valor de mercado comparável à moeda comum da região. "Isso significa dizer que os valores das dívidas seriam multiplicados e as aplicações perderiam valor. Ou seja, seria a agonia da economia grega", diz Alves. De acordo com o banco grego BNG, o principal do país,

Os gregos em ato decisivo de sua tragédia: permanência no euro (notas, na foto) ou a volta ao dracma (moedas com a figura de corujas)?

abandonar o euro resultaria na redução pela metade da renda e na escalada do desemprego, que hoje já atinge 20% da população economicamente ativa. A saída do bloco significaria deixar de receber 130 bilhões de euros. Sem acesso ao recurso, a tendência no curto prazo seria do déficit primário do país aumentar, comprometendo ainda mais a capacidade de honrar compromissos, inclusive os domésticos. Destaca-se que o custo da máquina estatal grega é elevado: cerca de 50% dos trabalhadores do país estão ligados ao setor público.

Turismo – Segundo o economista da FGV, a vantagem em deixar o euro estaria no fato de a nova moeda, menos valorizada, contribuir para o aumento da competitividade dos produtos gregos. "O problema é que a Grécia não tem nada para exportar além de uns poucos produtos agrícolas. Ela vive de serviços. Além disso, deixando a União Europeia, os gregos perderiam o privilégio do livre fluxo de bens junto de seus principais parceiros comerciais, que estão no bloco", observa Alves. De acordo com o economista Manuel Enriquez Garcia, presidente do Conselho Re-

gional de Economia de São Paulo (Corecon-SP), a nova moeda grega teria valor 60% inferior na comparação com o euro. Segundo ele, isso seria bom para o forte setor de turismo grego. Mas Garcia lembra que os gregos tentariam tirar o dinheiro aplicado no país por causa da desvalorização. "Isso comprometeria definitivamente a Grécia. Mas a União Europeia tem mecanismos para impedir que essa fuga de capital ocorra", afirma o presidente do Corecon-SP. O mecanismo consta do tratado de Schengen, segundo o qual os bancos da UE devem suspender temporariamente

as transferências de bancos e pessoas físicas oriundas de países problemáticos. "É uma medida preventiva, mas decretaria o isolamento total da Grécia", diz Garcia. Permanecer na zona do euro não implica em soluções mais simples. A economia grega está destroçada. Desde 2008, o PIB do país acumula queda de 15%. Os recursos emprestados pelos bancos europeus ajudam basicamente a pagar os juros da enorme dívida. Mas as contrapartidas pelos recursos significam redução da renda e demissões no funcionalismo público, como forma de conter os gastos do Estado. Como desempregados não gastam dinheiro, a economia fica estagnada. O dilema do próximo governo grego será encontrar um meio para reativar uma economia fraca. Na opinião do professor da FGV, os gregos precisam reinventar sua economia. "A Grécia precisa se aproximar das economias emergentes, que é onde estão o dinheiro e o crescimento hoje em dia. O problema é que novos acordos comerciais levam tempo para se efetivarem, e não sei quanto tempo a Grécia ainda aguentará", completa Alves. Leia mais sobre o drama grego no DCultura.

Hiroko Masuike/NYT

Os magnatas e a pobreza Landon Thomas Jr. e Eleni Varvitsioti

S

Andreas Dracopoulos, da Fundação Stavros Niarchos: cupom de comida para crianças.

omente no ano passado, estima-se que 8 bilhões de euros em impostos estavam em atraso – quase a metade do déficit orçamentário do país. Os magnatas da Grécia têm todos os incentivos para manter o país na união do euro. A questão é: eles estão dispostos a arcar com os custos disso? "Os oligarcas querem manter o euro – em grande parte por causa dos bancos, profundamente integrados ao sistema do euro", explicou Costas Lapavitsas, economista da Universidade de Londres. "Mas eles estão em silêncio sobre o assunto."

Enquanto crianças passam fome em escolas gregas porque seus pais não têm dinheiro para alimentá-las, e com as ruas de Atenas sendo tomadas por números crescentes de pessoas sem emprego e desesperadas, a pressão está se acumulando sobre os ricos do país – para que eles façam o que o Estado já não consegue fazer com eficiência: assinar cheques. Afinal, filantropia é uma palavra grega. Mas, com muitos gregos ricos ainda receosos de exibir sua mão financeira, as doações privadas têm sido relativamente magras. "Tenho a sensação de que praticamente nada está sendo feito", afirmou Andreas Dracopoulos, copresidente da Fundação

Stavros Niarchos – criada na década de 1990 para colocar os ganhos de seu fundador magnata na caridade. "Todos estão dizendo para deixar que outra pessoa ajude, e até agora vi pouca coisa acontecer." Em janeiro passado, a fundação Niarchos – que se autodescreve como uma entidade internacional de caridade – declarou que doaria 100 milhões de euros a uma série de projetos com foco em ajudar os gregos com a crise. Os planos incluem cupons de comida para pais que não conseguem alimentar seus filhos. "O maior problema não é alimentar os jovens. É lhes oferecer empregos", disse Thanassis Martinos, da Eastern

Mediterranean, indústria do setor naval da Grécia. Vários armadores afirmaram ter doado recursos para a campanha do grupo que representa os proprietários de navios em Atenas – embora seu presidente, Theodoros Veniamis, não divulgue o valor. O que os magnatas do transporte naval não estão fazendo, porém, é pagar os impostos. A empresa de Martinos, por exemplo, tem a base de sua frota de petroleiros em alto mar – como fazem todas as empresas de transporte naval daqui –, embora os escritórios administrativos sejam localizados em Atenas. * The New York Times


16 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

e

17 Franquias de idiomas que participam da ABF Franchising, em São Paulo, têm boas expectativas por causa da Copa do Mundo e da Olimpíada no País.

conomia

Vendas do varejo crescem 0,8% Instituto indica que, em relação a igual mês de 2011, os negócios no varejo registram aumento de 6%. Perspectiva é de crescimento gradual em 2012. Ernesto Rodrigues/AE

A

s vendas do comércio varejista restrito subiram 0,8% em abril ante março, na série com ajuste sazonal, informou ontem o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com abril do ano passado, as vendas do varejo tiveram alta de 6% em igual mês deste ano. Nesse confronto, as projeções variavam de um crescimento entre 5,2% e 9,4%. Até o mês de abril, as vendas do varejo restrito acumulam avanços de 9,2% no ano e de 7,2% nos últimos 12 meses. Quanto ao varejo ampliado, que inclui as atividades de material de construção e de veículos, as vendas subiram 0,7% em abril sobre março, na série com ajuste sazonal. Na comparação com abril de 2011, as vendas do varejo ampliado apresentaram acréscimo de 2,9% em igual período de 2012. Nesse confronto, as projeções variavam de um avanço de 0,1% a 9,3%. Até abril, as vendas do comércio varejista ampliado acumulam altas de 6,2% no ano e de 6% nos últimos 12 meses. O crescimento de 0,8% nas vendas do comércio varejista no conceito restrito em abril ante março fez a média móvel trimestral do setor ficar em 0,4% ao final do período. Em março, a média móvel das vendas no varejo foi de 1,1%. Veículos – A redução das alíquotas de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis no mês de maio ainda não surtiu efeito nas vendas de abril do setor de veículos e motos, partes e peças,

Crédito e consumo sustentáveis

O

de acordo com a pesquisa. No entanto, houve melhora nas vendas em relação a março, que pode ter sido puxada pela campanha das montadoras e concessionárias de vendas a juro zero. Em abril, o volume de vendas de veículos e motos teve crescimento de 0,2% em relação a março, quando tinha recuado 1,4%. "Os veículos ainda não captaram a redução de IPI. Mas o governo vem baixando juros, então, os financiamentos ficam mais baratos, e há muita propaganda de venda para redução de estoques", contou Reinaldo Pereira, gerente da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE. "A propaganda de juro zero veio mesmo antes da redução de IPI,

porque os estoques estão altos. Para reduzir (os estoques), houve incentivos na venda." Na comparação com abril de 2011, as vendas de veículos e motos caíram 4,4% em abril deste ano, o que resultou em uma contribuição negativa de 52,3% para a taxa de 2,9% do varejo ampliado no período. A redução de preços nos equipamentos e materiais para escritório e informática e comunicação levaram o setor a registrar um avanço de 33,2% nas vendas no varejo em abril, na comparação com igual mês de 2011, segundo a pesquisa do IBGE. No mês de março, a expansão nas vendas, nesse tipo de comparação, tinha sido de 27,3%, e, em fevereiro, de 33,5%.

Per sp e ct iv a – Na avaliação de Pereira, a tendência para as vendas no varejo em 2012 é de crescimento gradual, a taxas menores do que as verificadas em 2011. "Olhando as informações da pesquisa, a gente vê uma linha ascendente, principalmente neste ano", disse o gerente. "Há interesse do governo em que o País cresça igual ou mais do que no ano passado, que não é o que vêm mostrando os resultados dos últimos indicadores. A economia vem com uma tendência de crescer menos do que no ano passado, e isso não interessa ao governo. Então, ele vem tomando medidas para estimular o mercado interno", lembrou Pereira. (AE)

Alterado IOF para empréstimo externo

O

Franquias de escolas de idiomas em expansão

A

Anúncio: Mantega diz que os empréstimos no exterior realizados com prazo de até dois anos pagarão 6% do tributo.

Elza Fiúza/ABr

governo alterou novamente a medida que elevou para cinco anos a cobrança de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) que incide em empréstimos no exterior. De acordo com decreto publicado ontem no Diário Oficial da União, apenas empréstimos feitos com prazo de até dois anos pagarão 6% de tributo. Os de prazo maior estão isentos. Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o objetivo da medida é reduzir o custo do crédito fazendo com que as empresas brasileiras e os bancos voltem a tomar empréstimos no exterior. "O mercado estava com muita liquidez e estava entrando muito dinheiro externo no País. Agora, nós julgamos que esse excesso terminou e, portanto, a medida é fundamentalmente de liquidez, de aumento da disponibilidade financeira", afirmou Mantega. A medida passa a valer em meio a um contexto de pressão sobre a cotação do dólar, que vinha aumentando nos úl-

Em abril, antes do anúncio de redução das alíquotas do IPI para veículos, as vendas desses itens subiram 0,2% em relação a março.

timos dias e chegou a ultrapassar R$ 2,05. Porém, o ministro negou que o objetivo seja conter o aumento da cotação da moeda norteamericana. "Essa medida tem mais a ver com o crédito do que com o câmbio". A última alteração nas regras de incidência do IOF foi feita em 12 de março, quando o governo aumentou o prazo de três para até cinco anos,

COMUNICADO

ÀS AGÊNCIAS DE PUBLICIDADE E AOS ANUNCIANTES

Informamos que, a partir do dia 01/07/2012, nossa Central Telefônica terá um novo prefixo de telefones: 3180

Depto. de Publicidade: 11 3180-3197

mantendo a alíquota de 6%. Essa é a quinta vez que o governo altera as regras da incidência do IOF sobre esse tipo de operação. No final de fevereiro, a moeda norte-americana chegou a ser cotado a R$ 1,699, o que levou o Banco Central (BC) a voltar a comprar moeda no mercado à vista e no mercado futuro. Mas a turbulência internacional se agravou e forçou

uma alta mais forte da divisa, levando o governo a reverter sua estratégia para impedir uma depreciação muito acentuada do real. Um dos canais onde mais se percebeu essa piora foi o fluxo cambial. Em maio, essa conta ficou negativa em US$ 2,691 bilhões, pior resultado mensal desde junho de 2010, quando registrou perdas de US$ 4,279 bilhões). (Folhapress)

ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou ontem que o nível de consumo e de crédito no País é sustentável, pois a renda do brasileiro continua em crescimento. Mantega disse que a inadimplência está caindo e atingiu patamares considerados bastante "toleráveis". Na opinião do ministro, com a queda na inadimplência e o aumento da renda, também é normal que as famílias tenham mais crédito. Para ele, houve uma mudança no Brasil: mesmo com o aumento do endividamento, quem não tinha crédito, agora passou a ter. Mantega ressaltou, porém, que com a crise internacional o consumidor brasileiro tornou-se mais prudente nos últimos meses e, com o aumento de renda, passou a quitar parte dos débitos assumidos. Fácil de pagar – "Esse é o diferencial do Brasil, onde a renda continua subindo, com o mercado de trabalho aquecido, diferentemente do que acontece nos Estados Unidos e na Europa. A maior parte dos empréstimos no País é de 12 meses, o que é fácil de pagar", disse. O ministro da Fazenda destacou que apenas os empréstimos habitacionais são de longo prazo e, mesmo assim, devem ser considerados como "bons débitos" porque o comprador tem um ativo que "só se valoriza" ao longo do tempo. "Então, está havendo queda da inadimplência no País, e o crédito só aumenta. Vinha caindo, mas aumentou, permitindo um aumento do consumo que já pode ser visto na pesquisa apresentada pelo IBGE. Estamos aumentando gradualmente – o que é salutar – o nível de consumo e o de crédito." (ABr)

s franquias de escolas do Diário do Comércio no de idiomas passam por evento, representantes de um momento de franquias, de expansão, estimuladas pelo empreendedores e de crescimento da classe C no entidades do comércio País e pelas boas procuravam informações expectativas em relação à sobre o jornal. Segundo Vítor Copa do Mundo de 2014 e Hugo Ferreira Takacks, do à Olimpíada no Rio de departamento de logística, Janeiro, em 2016. cerca de 1,2 mil exemplares O consultor Luís Henrique do jornal foram distribuídos Stockler, diretor da BA até ontem na feira e a Stockler, ressaltou que o expectativa é de um total de segmento já é maduro e que 5 mil até o final do evento. seu crescimento ocorre em Ele destacou o interesse bases firmes. Por isso, redes pela ecofonte, modelo que como Fisk-PBF, Influx, Yazigi, utiliza menos tinta para a Skill Idiomas e Centro impressão do jornal. Paula Cunha Britânico oferecem na ABF Newton Santos/Hype Franchising, feira que acontece no Expo Center Norte em São Paulo, diversos modelos de franquias, com taxas de investimento variadas. No estande Visitantes na ABF Franchising, feira em São Paulo.


DIà RIO DO COMÉRCIO

18

e

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Se os publicitĂĄrios nĂŁo agirem rĂĄpido, criando e propagando otimismo, em breve, nĂŁo terĂŁo mais o que anunciar.

conomia

CRISE E OPORTUNIDADE

O

megainvestidor global George Soros sempre soube tirar proveito das crises. Repetiu durante anos aquilo que Ê a essência do especulador: jogar contra para reduzir o preço dos ativos, comprå-los na baixa e vendê-los na alta. Foi assim que ganhou US$ 5 bilhþes em uma única tacada, ao apostar que o orgulho inglês, quando do lançamento do euro, elevaria a cotação da moeda que sempre reinou soberana na Europa. Rodou a banca europeia e comprou libras, guardou, esperou, e ganhou a diferença contra o Tesouro de sua majestade jubilosa Elizabeth II. Agora, a crise na zona do euro atrai investidores para açþes de empresas reluzentes, fruto de sólidas construçþes de marca ao longo dos sÊculos, que consumidores de todo o mundo admiram e que estão em baixa nos pregþes. Enquanto o Festival Internacional de Publicidade de Cannes se descortina no Mediterrâneo, empresas banhadas pelo mesmo mar, na GrÊcia, desmoronam. Marcas como Korres (de cosmÊticos), Zagori (bebidas), Mykonos (azeite de oliva), Kourtaki (vinhos), Olympic Air (companhia årea), Pelargos (alimentos), entre outras, chegam a valer menos – em bolsa – que pequenas franquias brasileiras,

Fotos: divulgação

apesar do prestígio internacional de que desfrutam. E a crise, independentemente do pleito grego neste domingo – decisivo para a continuidade ou não do país na zona do euro (leia mais na pågina 15), estå longe do fim. Especuladores agem como quem arrasa as terras ao redor, concluído o feito desastroso na GrÊcia, agora em Chipre, partem para a Espanha, com Itålia na sequência. Portugal e Irlanda jå foram devastados. Marcas jå mudaram de mãos, em um movimento que os publicitårios brasileiros em Cannes insistem ou não querem entender, atÊ que em-

INSTITUTO MISSĂ•ES CONSOLATA

DEMONSTRAĂ‡ĂƒO DO RESULTADO DO EXERCĂ?CIO

de todos. Mexe com o emprego, faz empresas engavetarem planos de investimentos produtivos, paralisa o varejo e parece não se contentar com medidas de estímulo, como queda de juros e aportes para a indústria. Se os publicitårios, alegremente em Cannes, como se a vida seguisse seu dolce far niente, não agirem, e råpido, criando e propagando otimismo, em breve não terão mais o que anunciar. A crise Ê grave! E, como toda crise, o seu sinal contrårio Ê a oportunidade – melhor que seja a oportunidade para todos, não apenas para especuladores como Soros.

ODEBRECHT REALIZAÇÕES IMOBILIà RIAS S.A.

CNPJ (MF) nÂş 60.915.477/0001-29 BALANÇO PATRIMONIAL ENCERRADO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 E DE 2010 ATIVO CIRCULANTE DISPONIBILIDADES Caixa .............................................................................................................. Bancos ........................................................................................................... Aplicação de liquidez imediata ........................................................................ NumerĂĄrio em Trânsito .................................................................................... OUTROS CRÉDITOS Adiantamentos, EmprĂŠstimos e Cheques em Cobrança ................................... DESPESAS DO EXERCĂ?CIO SEGUINTE PrĂŞmios de Seguros a Apropriar ...................................................................... ATIVO NĂƒO CIRCULANTE REALIZĂ VEL A LONGO PRAZO ....................................................................... Contas a Receber,C/C. e Venda de ImĂłvel........................................................ IMOBILIZADO Terrenos ......................................................................................................... EdifĂ­cios e Construçþes ................................................................................... VeĂ­culos .......................................................................................................... MĂłveis e UtensĂ­lios ......................................................................................... Instalaçþes, Mqs. e Equipamentos .................................................................. Biblioteca........................................................................................................ (-) Depreciaçþes do Imobilizado ...................................................................... TOTAL DO ATIVO .............................................................................................. PASSIVO CIRCULANTE EXIGĂ?VEL A CURTO PRAZO Titulos, Duplicatas e Contas a Pagar ............................................................... Seguros a Pagar ............................................................................................. Encargos Sociais a Pagar ................................................................................ ProvisĂŁo de FĂŠrias........................................................................................... Obrigaçþes TributĂĄrias a Pagar ........................................................................ Adiantamento de Subvenção Municipal ........................................................... Contas-Correntes ............................................................................................ PATRIMĂ”NIO PatrimĂ´nio Social ............................................................................................ Resultado do ExercĂ­cio a Incorporar ................................................................ TOTAL PASSIVO ...............................................................................................

pregos e verbas desapareçam sem que tenham criado belíssimas campanhas para conter esse tsunami monetårio devastador. E como o especulador não tem påtria, nem mãe, só se sabe dele onde e quando começou a atuar: em 2008, nos Estados Unidos, nos primeiros sintomas de inadimplência imobiliåria, que derrubaria seguradoras, depois bancos, e diminuiria o consumo norte-americano, com reflexos em todo o mundo. Só que a onda não parou, segue firme. Aos publicitårios, fica lançado o desafio de campanhas para estancar esse mal estar global, que afeta a vida

CNPJ Nº 06.206.132/0001-50 – NIRE 35.300.354.338

2011 260.705,10 241.752,10 36.341,60 86.449,33 118.961,17 – 4.855,21 4.855,21 14.097,79 14.097,79

2010 357.141,57 324.276,70 67.575,05 98.474,92 156.848,73 1.378,00 4.881,33 4.881,33 27.983,54 27.983,54

– – 6.314.051,72 956.111,56 5.216.780,57 439.165,00 328.629,67 724.192,59 13.063,48 (1.363.891,15) 6.574.756,82 2011 101.026,54 101.026,54 – – 3.900,45 37.669,69 28.775,42 28.800,00 1.880,98 6.473.730,28 6.720.833,36 (247.103,08) 6.574.756,82

45.893,97 45.893,97 6.447.374,88 956.111,56 5.216.780,57 402.680,00 328.629,67 714.059,02 13.063,48 (1.183.949,42) 6.850.410,42 2010 129.577,06 129.577,06 198,11 22.386,81 10.711,80 40.476,68 1.241,98 28.800,00 25.761,68 6.720.833,36 6.742.500,22 (21.666,86) 6.850.410,42

2011

2010

RECEITA BRUTA OPERACIONAL Receita de Subvençþes de Instituiçþes............................................................ 221.608,20 475.694,35 Receita de Contribuiçþes ................................................................................ 901.849,52 1.286.835,39 Receita dos Religiosos Associados .................................................................. 519.052,93 – Receita de Operaçþes Sociais ......................................................................... 1.168.878,95 944.975,18 Receita de Eventos ......................................................................................... 260.608,40 253.883,75 Receita de contribuição p/ Public. Revista MissĂľes.......................................... 127.329,20 162.300,61 Receita Financeira .......................................................................................... 27.488,92 45.490,33 Receita Outras ................................................................................................ 27.401,20 30.607,00 TOTAL DA RECEITA ........................................................................................ 3.254.217,32 3.199.786,61 CUSTO E DESPESAS OPERACIONAIS Despesas com Administração ......................................................................... 440.677,05 709.941,21 Despesas com AssistĂŞncia Social.................................................................... 1.713.198,73 1.270.784,35 Despesas Trabalhistas .................................................................................... 1.147.148,01 1.043.974,59 Despesas com Tributos ................................................................................... 19.671,82 19.488,62 Despesas com Administração de ImĂłveis ........................................................ 77.225,54 68.989,50 Despesas com Publicaçþes da Revista MissĂľes .............................................. 103.399,25 108.275,20 TOTAL DAS DESPESAS .................................................................................. 3.501.320,40 3.221.453,47 RESULTADO LĂ?QUIDO DO EXERCĂ?CIO ............................................................... (247.103,08) (21.666,86) Reconhecemos a exatidĂŁo do presente Balanço e da Demonstração do Resultado dos ExercĂ­cios de dois mil e dez e dois mil e onze e, para os devidos ďŹ ns, abaixo datamos e assinamos. SĂŁo Paulo, 31 de dezembro de 2011. Pe. Elio Rama - Presidente • Pe. Luiz Andriolo - Tesoureiro Nelson Luiz da Silva - CRC 1SP 081578/O-8

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP Processo LicitatĂłrio 14/12 - ConcorrĂŞncia 02/12 TERMO DE RE-RATIFICAĂ‡ĂƒO Na decisĂŁo da ComissĂŁo Permanente de Julgamento de Licitaçþes quanto Ă  fase de julgamento das propostas do processo supra, publicada em 12 de junho de 2012, constou-se, equivocadamente, a descrição do objeto, sendo que o correto ĂŠ a concessĂŁo de direito real de uso de 22 (vinte e dois) lotes localizados numa ĂĄrea desmembrada do imĂłvel denominado “Fazenda ParaĂ­soâ€?, localizada na margem da pista leste da Rodovia Marechal Rondon SP – 300, denominada Distrito Industrial Benedito Rodrigues de Matos, relativa Ă  matrĂ­cula 29.012, com ĂĄrea superficial de 74.530,00 metros quadrados ou 7,4530 hectares, para a implantação, expansĂŁo e/ou ampliação de empresas industriais, agroindustriais e comerciais, pelo perĂ­odo de 30 (trinta) anos, prorrogĂĄvel por igual ou inferior perĂ­odo, a teor da Lei 2.108, de 27 de abril de 2011 e Lei 2.164, de 24 de janeiro de 2012. A Debitar dia (15.06.12)

SND Distribuição de Produtos de Informåtica S/A

CNPJ/MF nº 02.101.894/0001-31 – NIRE 35.300.386.418 Ata de Reunião de Diretoria realizada em 11 de maio de 2011 1. Data, hora e local: 11/05/2011, às 10 hs., na sede social. 2. Presença: totalidade dos membros da Diretoria. 3. Mesa: Presidente: Sr. JosÊ Bublitz Machado; Secretårio: Sr. Edson Geraldo Fruchi. 4. Ordem do Dia: Deliberar sobre (i) alteração do endereço da filial São João do Meriti-RJ. 5. Deliberação: Nos termos do art. 3º do Estatuto Social, os Diretores aprovam, por unanimidade: (i) a alteração do endereço da filial localizada em São João do Meriti-RJ, na Rod. Pres. Dutra, 4.300, parte, Jd. JosÊ Bonifåcio, NIRE 35.904.005.487, que passarå a situar-se em Resende-RJ, na Rua Alan Kardec, 50, sala 512, Edif. Golden Center, Jd. Tropical. 6. Conclusão: Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reunião da qual, para constar, lavrou-se esta ata, que, lida e aprovada, vai assinada pelos presentes. Barueri, 11/05/2011. (aa) JosÊ Bublitz Machado – Diretor Presidente e Edson Geraldo Fruchi – Diretor. Certifico que a presente Ê cópia fiel da original lavrada no livro de Atas de Reuniþes da Diretoria da Cia. Barueri, 11/05/2011. (aa) JosÊ Bublitz Machado – Presidente; Edson Geraldo Fruchi – Secretårio. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 198.777/11-5 em 25/05/2011. Kåtia Regina Bueno de Godoy – Secretåria Geral.

,Ws\Q FG FKTGKVQ FC Â&#x153; 8CTC %sXGN FG )WCTWNJQU52 ,7Ă&#x160;< 6+67.#4 41&4+)1 /#4<1.# %1.1/$+0+ '&+6#. FG %+6#cÂŹ1 FQ ToW /#4%'.1 2'4'+4# $#4$+'4+ GZRGFKFQ PQU CWVQU FC CnlQ FG %1$4#0c# TGSWGTKFC RQT $#0%1 5#06#0&'4 $4#5+. 5# EQPVTC /#4%'.1 2'4'+4# $#4$+'4+ RTQEGUUQ PÂ?  1TFGO   EQO RTC\Q FG XKPVG  FKCU 1 &17614 41&4+)1 /#4<1.# %1.1/$+0+ // ,7+< &' &+4'+61 &# 010# 8#4# %Ă&#x160;8'. &'56# %+&#&' ' %1/#4%# &' )7#47.*15 52 0# (14/# &# .'+ '6% (#< 5#$'4 CQ ToW /#4%'.1 2'4'+4# $#4$+'4+ DTCUKNGKTQ KPUETKVQ PQ %2(/( PÂ?  SWG RGTCPVG GUVG ,Ws\Q G TGURGEVKXQ %CTVxTKQ FQ Â? 1HsEKQ %sXGN RTQEGUUCOUG QU VGTOQU FC CnlQ FG %1$4#0c# QDLGVKXCPFQ Q TGEGDKOGPVQ FG 4  5GVGODTQ   'PEQPVTCPFQUG Q ToW GO NWICT KPEGTVQ G PlQ UCDKFQ GZRGFGUG Q RTGUGPVG RQT OGKQ FQ SWCN HKEC Q OGUOQ FGXKFCOGPVG EKVCFQ RCTC QU VGTOQU FC CnlQ DGO EQOQ CFXGTVKFQ FG SWG VGTh Q RTC\Q FG SWKP\G  FKCU EQPVCFQU FQ GUIQVCOGPVQ FQ RTC\Q FG XKPVG  FKCU FQ RTGUGPVG GFKVCN RCTC EQPVGUVCT Q RGFKFQ UQD RGPC FG PlQ Q HC\GPFQ RTGUWOKTGOUG CEGKVQU EQOQ XGTFCFGKTQU QU HCVQU CNGICFQU RGNC TGSWGTGPVG 1 RTGUGPVG UGTh RWDNKECFQ G CHKZCFQ PC HQTOC FC NGK %WORTCUG PC HQTOC G UQD CU RGPCU FC NGK )WCTWNJQU  $  G 

Ata da Assembleia Geral ExtraordinĂĄria realizada em 02 de maio de 2012

Data, hora e local: Em 02 de maio de 2012, Ă s 17 horas, na sede social da Companhia, na Cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, na Avenida das Naçþes Unidas, nÂş 4.777, 3Âş andar, parte, EdifĂ­cio Villa Lobos, Alto de Pinheiros, CEP 05477-000. Convocação e presença: Dispensada face Ă  presença de acionistas representando a totalidade do capital social, nos termos do artigo 124, § 4Âş, da Lei nÂş 6.404, de 15 de dezembro de 1976, bem como do Presidente do Conselho Fiscal da Companhia. Mesa: Presidente, Sr. Rodrigo JosĂŠ de Pontes Seabra Monteiro Salles; SecretĂĄria, Sra. Cristiana de Povina Cavalcanti Shayer. Ordem do dia: Deliberar sobre: (i) o Protocolo de Incorporação e Justificação relativo Ă  incorporação da Companhia pela Odebrecht Realizaçþes ImobiliĂĄrias e Participaçþes S.A., sociedade por açþes, com sede e foro na Cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, na Avenida das Naçþes Unidas, 4.777, 3Âş andar, sala 33, Alto de Pinheiros, CEP 05477-000, registrada sob o NIRE 35300369611 e inscrita no CPNJ/MF sob o nÂş 10.917.143/0001-16 (â&#x20AC;&#x153;Nova ORâ&#x20AC;?), celebrado em 02 de maio de 2012, pelas administraçþes da Companhia e da Nova OR (â&#x20AC;&#x153;ProtocoIoâ&#x20AC;?); (ii) a nomeação e contratação da GuimarĂŁes e Sieiro Consultoria e Serviços ContĂĄbeis Ltda., sociedade limitada, com sede na Cidade de Salvador, Estado da Bahia, na Avenida Tancredo Neves, nÂş 939, sala 907, EdifĂ­cio Esplanada Tower, Caminho das Ă rvores, CEP 41820-021, inscrita no CNPJ/MF sob o nÂş 07.533.214/0001-72 (â&#x20AC;&#x153;Avaliadoraâ&#x20AC;?), para proceder Ă  elaboração do laudo de avaliação do patrimĂ´nio lĂ­quido da Companhia, pelo critĂŠrio contĂĄbil, na data-base de 30 de abril de 2012, de acordo com os balanços patrimoniais levantados na mesma data (â&#x20AC;&#x153;Laudo de Avaliaçãoâ&#x20AC;?), trabalho este jĂĄ concluĂ­do; (iii) o Laudo de Avaliação; (iv) a incorporação da Companhia pela Nova OR; (v) a extinção da Companhia em virtude da incorporação. Deliberaçþes tomadas por unanimidade de votos dos acionistas: Foram aprovados pela unanimidade dos acionistas, sem quaisquer ressalvas ou restriçþes, tendo o Conselho Fiscal opinado a favor da aprovação das matĂŠrias constantes na ordem do dia: (i) a celebração do Protocolo pela Companhia, o qual integra a presente ata como â&#x20AC;&#x153;Anexo Iâ&#x20AC;?; (ii) a nomeação da Avaliadora para proceder Ă  avaliação do patrimĂ´nio lĂ­quido da Companhia e Ă  elaboração do respectivo Laudo de Avaliação, trabalho este jĂĄ concluĂ­do; (iii) o Laudo de Avaliação, preparado pela Avaliadora, pelo critĂŠrio contĂĄbil, na data-base de 30 de abril de 2012, de acordo com os balanços patrimoniais levantados na mesma data, o qual integra a presente ata como â&#x20AC;&#x153;Anexo IIâ&#x20AC;?; (iv) a incorporação da Companhia pela Nova OR nos termos e condiçþes estabelecidos no Protocolo e no Laudo de Avaliação; (v) a extinção da Companhia, com incorporação do todo o seu patrimĂ´nio e a transferĂŞncia de todos os bens, direitos e obrigaçþes para a Nova OR, a qual passa a ser a Ăşnica sucessora da Companhia, a tĂ­tulo universal e para todos os fins de direito. Fica autorizada a administração da Companhia a realizar todos os atos complementares e/ou decorrentes da incorporação ora aprovada, com amplos e gerais poderes para proceder a todos os registros, transcriçþes, averbaçôes ou comunicaçþes que se fizerem necessĂĄrios de modo a aperfeiçoar a referida operação. Lavratura e leitura da ata: Nada mais havendo a ser tratado, o Sr. Presidente ofereceu a palavra a quem dela quisesse fazer uso e, como ninguĂŠm a pedisse, declarou encerrados os trabalhos e suspensa a reuniĂŁo pelo tempo necessĂĄrio Ă  lavratura desta ata, a qual, reaberta a sessĂŁo, foi lida, aprovada e por todos os presentes assinada. Mesa: Presidente, Sr. Rodrigo JosĂŠ de Pontes Seabra Monteiro Salles; SecretĂĄria, Sra. Cristiana de Povina Cavalcanti Shayer. Acionista presente: Odebrecht Realizaçþes ImobiliĂĄrias e Participaçþes S.A. Certifico que a presente ĂŠ cĂłpia fiel do original lavrado no livro prĂłprio. SĂŁo Paulo, 02 de maio de 2012. Rodrigo JosĂŠ de Pontes Seabra Monteiro Salles, Presidente; Cristiana de Pavina Cavalcanti Shayer, SecretĂĄria. Os documentos citados nos anexos encontram-se arquivados na sede social da Companhia. n Secretaria de Desenvolvimento EconĂ´mico, CiĂŞncia e Tecnologia. Junta Comercial do Estado de SĂŁo Paulo. Certifico o registro sob o nĂşmero 241.383/12-2, em 06.06.12. Gisela Simiema Ceschin, SecretĂĄria Geral.

Itautec S.A. - Grupo Itautec

CNPJ 54.526.082/0001-31

Companhia Aberta NIRE 35300109180 Edital de Convocação ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINà RIA Os Senhores Acionistas da ITAUTEC S.A. - GRUPO ITAUTEC são convidados a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinåria, que serå realizada em 02.07.2012, às 10:00 horas, no auditório da sede social, localizado na Avenida Paulista, 1938 - 5º andar, em São Paulo (SP), a fim de deliberarem sobre proposta de eleição de 1 (um) novo membro para o Conselho de Administração da Companhia, para tÊrmino do mandato anual em curso. Nos termos das Instruçþes CVM 165/91 e 282/98, os interessados em requerer a adoção do voto múltiplo nessa eleição deverão representar, no mínimo, 5% do capital social. São Paulo (SP), 13 de junho de 2012. Conselho de Administração - Ricardo Egydio Setubal - Presidente. Os documentos a serem analisados na Assembleia encontram-se à disposição dos Acionistas no website de relaçþes com investidores da Companhia (www.itautec.com.br), bem como no website da CVM (www.cvm.gov.br) e da BM&FBOVESPA (www.bmfbovespa.com.br). Para exercer seus direitos, os Acionistas deverão comparecer à Assembleia portando documento de identidade e comprovante de depósito das açþes emitido pela instituição depositåria, contendo a respectiva participação acionåria. Os Acionistas podem ser representados na Assembleia por procurador, nos termos do artigo 126 da Lei 6.404/76, desde que o procurador esteja com documento de identidade e respectivo instrumento de mandato. Mårio Anseloni Neto - Diretor de Relaçþes com Investidores. (15/18/19)

SND Distribuição de Produtos de Informåtica S/A

CNPJ/MF nÂş 02.101.894/0001-31 â&#x20AC;&#x201C; NIRE 35.300.386.418 Ata da Assembleia Geral ExtraordinĂĄria realizada em 28 de dezembro de 2010 I. Data, Hora e Local: 28/12/2010, Ă s 10 hs., na sede social. II. Convocação e Presenças: Dispensado o edital de convocação nos termos do disposto no art. 124, § 4Âş, da Lei nÂş 6.404/76, tendo em vista a presença da totalidade dos Acionistas da Cia., conforme se verifica das assinaturas lançadas no Livro de Presença. Registrada a presença do Diretor Presidente da Cia., Sr. JosĂŠ Bublitz Machado. III. Mesa: Presidente: Sr. JosĂŠ Bublitz Machado; SecretĂĄrio: Sr. Edson Geraldo Fruchi. IV. Ordem do Dia: (1) destituir membro da Diretoria; e (2) eleger novo Diretor sem designação especĂ­fica. V. Deliberaçþes: Por unanimidade, foram tomadas as seguintes deliberaçþes: (1) destituir o Sr. ClĂĄudio Igawa Yamamoto do cargo de diretor sem designação especĂ­fica, para o qual fora eleito em 30/09/2010; e (2) eleger o Sr. Edson Geraldo Fruchi, RG/SSP-SP nÂş 10.364.324-2 e CPF nÂş 028.794.088-81, para o cargo de Diretor sem designação especĂ­fica, que darĂĄ cumprimento ao mandato do Diretor ora destituĂ­do. O Diretor ora eleito firma o respectivo termo de posse nessa data e declara que nĂŁo estĂĄ impedido por lei especial nem incurso em nenhum dos crimes previstos em lei que o impeça de exercer o cargo para o qual foi eleito. VI. ConclusĂŁo: ConcluĂ­da a matĂŠria da pauta e nĂŁo havendo manifestação contrĂĄria dos presentes, o Sr. Presidente encerrou os trabalhos desta Assembleia da qual, para constar, foi lavrada a presente Ata que, apĂłs lida e aprovada, foi assinada por todos. (ass.) JosĂŠ Bublitz Machado â&#x20AC;&#x201C; Presidente, Edson Geraldo Fruchi â&#x20AC;&#x201C; SecretĂĄrio, First Alliance & Capital Invest AG â&#x20AC;&#x201C; p.p. Alexandre Rodrigues, e Brazil Swiss Alliance LLC â&#x20AC;&#x201C; p.p. Alexandre Rodrigues. Barueri, 28/12/2010. (ass.) Edson Geraldo Fruchi â&#x20AC;&#x201C; SecretĂĄrio. Secretaria da Fazenda. Junta Comercial do Estado de SĂŁo Paulo. Certifico o registro sob o nÂş 46.042/11-8 em 03/02/2011. KĂĄtia Regina B. de Godoy â&#x20AC;&#x201C; Secret. Geral.

SND Distribuição de Produtos de InformĂĄtica S/A CNPJ/MF nÂş 02.101.894/0001-31 â&#x20AC;&#x201C; NIRE 35.300.386.418 Ata de ReuniĂŁo de Diretoria realizada em 02 de março de 2011 1. Data, hora e local: 02/03/2011, Ă s 10 hs., na sede social. 2. Presença: totalidade dos membros da Diretoria. 3. Mesa: Presidente: Sr. JosĂŠ Bublitz Machado; SecretĂĄrio: Sr. Edson Geraldo Fruchi. 4. Ordem do Dia: Deliberar sobre (i) alteração do endereço da filial em Resende-RJ; e (ii) abertura de filial em Barueri-SP. 5. Deliberação: Nos termos do art. 3Âş do Estatuto Social, os Diretores aprovam, por unanimidade: (i) a alteração do endereço da filial localizada em Resende-RJ, na Rua Alan Kardec, 50, sala 512, Edif. Golden Center, Jd. Tropical, NIRE 33.999.132.943, que passarĂĄ a situar-se em SĂŁo JoĂŁo do Meriti-RJ, na Rod. Pres. Dutra, 4.300, parte, Jd. JosĂŠ BonifĂĄcio; (ii) a abertura de filial em Barueri-SP, na Rua Prefeito JoĂŁo Vila Lobo Quero, 2253, parte, Jd. Belval. 6. ConclusĂŁo: Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reuniĂŁo da qual, para constar, lavrou-se esta ata, que, lida e aprovada, vai assinada pelos presentes. Barueri, 02/03/2011. (aa) JosĂŠ Bublitz Machado â&#x20AC;&#x201C; Diretor Presidente e Edson Geraldo Fruchi â&#x20AC;&#x201C; Diretor. Certifico que a presente ĂŠ cĂłpia fiel da original lavrada no livro de Atas de ReuniĂľes da Diretoria da Cia. Barueri, 02/03/2011. (aa) JosĂŠ Bublitz Machado â&#x20AC;&#x201C; Presidente; Edson Geraldo Fruchi â&#x20AC;&#x201C; SecretĂĄrio. JUCESP nÂş 110.663/11-1 em 24/03/2011. KĂĄtia Regina Bueno de Godoy â&#x20AC;&#x201C; SecretĂĄria Geral.

OlĂŠ no pessimismo

A

s imagens que ilustram esta coluna são da Eurocopa, torneio das seleçþes do continente que atÊ o dia 1º de julho embala os sonhos de países que enfrentam uma crise financeira sem precedentes na história. Campanhas como a da

Coca-Cola convidam para uma pausa refrescante nessa turbulência, que afeta inclusive o Brasil. Mas a bola rola e na Polônia e Ucrânia, que recebem os melhores times europeus, a ideia Ê dar um basta no pessimismo.

Envie informaçþes para essa coluna para o e-mail: carlosfranco@revistapublicitta. com.br

SND Distribuição de Produtos de Informåtica S/A

CNPJ/MF nÂş 02.101.894/0001-31 â&#x20AC;&#x201C; NIRE 35.300.386.418 Ata de ReuniĂŁo de Diretoria realizada em 20 de dezembro de 2010 1. Data, hora e local: 20/12/2010, Ă s 10 hs., na sede social. 2. Presença: totalidade dos membros da Diretoria. 3. Mesa: Presidente: JosĂŠ Bublitz Machado; SecretĂĄrio: ClĂĄudio Igawa Yamamoto. 4. Ordem do Dia: Deliberar sobre: (i) alteração do endereço da sede social; e (ii) alteração do endereço da filial no Rio de Janeiro, Capital. 5. Deliberação: (i) alteração do endereço da sede social, localizada em Barueri-SP, na Av. Piracema, 1411, GP 01, Cond. Empresarial MĂşltiplo TamborĂŠ 02, que passarĂĄ a situar-se em Barueri-SP, na Av. Copacabana, 238, conj. 2005-B, 5Âş and., 18 do Forte Empresarial, Alphaville. No endereço acima nĂŁo haverĂĄ movimentação de mercadorias, o que serĂĄ feito por CustĂłdia ArmazĂŠns Gerais Ltda., com estabelecimento na Rua Prefeito JoĂŁo Vila Lobo Quero, nÂş 2253, Jd. Belval, Barueri-SP, inscrita no CNPJ/MF sob nÂş 02.464.464/0001-84, nos termos do contrato de prestação de serviços firmado em 01/12/2010; (ii) alteração do endereço da filial localizada no Rio de Janeiro, Capital, na Av. Luis Carlos Prestes, 350, sl. 307, Barra da Tijuca, NIRE 3399 906932-0, que passarĂĄ a situar-se na Av. Rio Branco, 4, salas 1307, 1308 e 1309, Centro. No endereço acima nĂŁo haverĂĄ movimentação de mercadorias, o que serĂĄ feito por CustĂłdia ArmazĂŠns Gerais Ltda., com estabelecimento na Rod. Presidente Dutra 4300, SĂŁo JoĂŁo do Meriti-RJ, inscrita no CNPJ/MF sob nÂş 02.464.464/0002-65 nos termos do contrato de prestação de serviços firmado em 01/06/2009. 6. ConclusĂŁo: Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reuniĂŁo da qual, para constar, lavrou-se esta ata que, lida e aprovada, vai assinada pelos presentes. Barueri, 20/12/2010. (a.a.) JosĂŠ Bublitz Machado â&#x20AC;&#x201C; Diretor Presidente, e ClĂĄudio Igawa Yamamoto â&#x20AC;&#x201C; Diretor. Certifico que a presente ĂŠ cĂłpia fiel da original lavrada no livro Atas de ReuniĂľes da Diretoria da Cia.. Barueri, 20/12/2010. (a.a.) JosĂŠ Bublitz Machado â&#x20AC;&#x201C; Presidente; ClĂĄudio Igawa Yamamoto â&#x20AC;&#x201C; SecretĂĄrio. Junta Comercial do Estado de SĂŁo Paulo. Certifico o registro sob o nÂş 33.754/11-1 em 21/01/2011. KĂĄtia Regina Bueno de Godoy â&#x20AC;&#x201C; SecretĂĄria Geral.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SĂ&#x192;O CARLOS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAĂ&#x161;DE - FUNDO MUNICIPAL DE SAĂ&#x161;DE PREGĂ&#x192;O ELETRĂ&#x201D;NICO FMS NÂş 067/2012 - PROCESSO ADMINISTRATIVO NÂş 1286/2012 Faço pĂşblico, de ordem do Senhor SecretĂĄrio Municipal de SaĂşde, que se encontra aberto o PregĂŁo EletrĂ´nico FMS nÂş 067/2012, tendo como objeto o registro de preços de medicamentos para uso em pacientes atendidos nas unidades de saĂşde do municĂ­pio, constantes da Relação Municipal de Medicamentos (REMUME), conforme especificaçþes e quantidades constantes nos Anexos II e V. O Edital na Ă­ntegra poderĂĄ ser obtido nos sites: www.licitacoes-e.com.br e www.saocarlos.sp.gov.br, opção Licitaçþes. O recebimento e a abertura das propostas dar-se-ĂŁo atĂŠ Ă s 8 horas e 30 minutos do dia 27 de junho de 2012 e o inĂ­cio da sessĂŁo de disputa de preços serĂĄ Ă s 9 horas e 30 minutos do dia 27 de junho de 2012. Maiores informaçþes pelo telefone (16) 3362-1350. SĂŁo Carlos, 14 de junho de 2012. Chayana Antonio de Moura - Pregoeira.

Prefeitura do MunicĂ­pio de Santa Gertrudes PregĂŁo Presencial 11/2012 A Prefeitura do MunicĂ­pio de Santa Gertrudes torna pĂşblico que, no dia e hora especificados, nas dependĂŞncias do Paço Municipal, Ă  Rua 01A, 332, Centro, Santa Gertrudes/SP, realizar-se-ĂĄ licitação, na modalidade PregĂŁo Presencial 11/2012, objetivando o registro de preços, pelo tipo menor preço global, com vistas a eventual e futura contratação de empresa objetivando o fornecimento de mobiliĂĄrios especiais, de forma parcelada e a pedido. O edital completo poderĂĄ ser retirado no endereço supracitado, no horĂĄrio das 8:00 Ă s 11:00 e das 13:00 Ă s 16:00 horas, sendo necessĂĄria a retirada no local. NĂŁo serĂŁo enviados editais pelo correio ou por e-mail. Os envelopes com as propostas e os documentos de habilitação devem ser protocolados atĂŠ Ă s 9:30 horas do dia 29/06/2012, no Paço Municipal. A sessĂŁo de lances e julgamento serĂĄ neste mesmo dia Ă s 10:00 horas. Santa Gertrudes/SP, 14 de junho de 2012. Danielle Zanardi LeĂŁo â&#x20AC;&#x201C; Pregoeira.

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAGUAĂ? A PREFEITURA MUNICIPAL DE TAGUAĂ? - Estado de SĂŁo Paulo, atravĂŠs de sua ComissĂŁo Municipal de Licitaçþes, FAZ SABER aos interessados que se encontra aberto o processo licitatĂłrio na modalidade PREGĂ&#x192;O PRESENCIAL sob o nÂş 021/2012, cujo objeto ĂŠ a Aquisição de um Trator/ Retroescavadeira. A sessĂŁo de credenciamento, a abertura dos envelopes de propostas de preços e de habilitação serĂĄ realizada no dia 28/06/2012, Ă s 09:00 horas, no Paço Municipal, sito a Praça ExpedicionĂĄrio Antonio Romano de Oliveira, 44, Centro, TaguaĂ­ - SP. A forma de entrega, de pagamento, a lista de itens, a Ă­ntegra do Edital e demais informaçþes poderĂŁo ser obtidas junto Ă  ComissĂŁo Municipal de Licitação, Ă  Praça ExpedicionĂĄrio Antonio Romano de Oliveira nÂş 44, Centro, TaguaĂ­ - SP, Fone/Fax 14 3386 1265 das 08:00 Ă s 11:00 horas e das 13:00 as 17:00 horas, de segunda a sexta-feira, e pelo e-mail pmtaguai.licitacao@uol.com.br.

PREFEITURA MUNICIPAL DE SĂ&#x192;O CARLOS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAĂ&#x161;DE - FUNDO MUNICIPAL DE SAĂ&#x161;DE PREGĂ&#x192;O ELETRĂ&#x201D;NICO FMS NÂş 068/2012 - PROCESSO ADMINISTRATIVO NÂş 1291/2012 Faço pĂşblico, de ordem do Senhor SecretĂĄrio Municipal de SaĂşde, que se encontra aberto o PregĂŁo EletrĂ´nico FMS nÂş 068/2012, tendo como objeto o registro de preços de medicamentos para uso em pacientes atendidos nas unidades de saĂşde do municĂ­pio, constantes da Relação Municipal de Medicamentos (REMUME), conforme especificaçþes e quantidades constantes nos Anexos II e V. O Edital na Ă­ntegra poderĂĄ ser obtido nos sites: www.licitacoes-e.com.br e www.saocarlos.sp.gov.br, opção Licitaçþes. O recebimento e a abertura das propostas dar-se-ĂŁo atĂŠ Ă s 8 horas e 30 minutos do dia 27 de junho de 2012 e o inĂ­cio da sessĂŁo de disputa de preços serĂĄ Ă s 9 horas e 30 minutos do dia 27 de junho de 2012. Maiores informaçþes pelo telefone (16) 3362-1350. SĂŁo Carlos, 14 de junho de 2012. Chayana Antonio de Moura - Pregoeira.

EMPRESA MUNICIPAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS â&#x20AC;&#x201C; EMPRO AVISO DE REABERTURA DE LICITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - PREGĂ&#x192;O PRESENCIAL NÂş 009/2012 Comunicamos a reabertura do PregĂŁo Presencial 009/2012, cujo objeto ĂŠ a aquisição de câmeras de vĂ­deomonitoramento via TCP/IP, CFTV-IP, de alta qualidade de imagem, a fim de proporcionar monitoramento, possibilitando o reconhecimento de fatos e pessoas envolvidas, visando a segurança patrimonial e pessoal, conforme especificaçþes tĂŠcnicas contidas no Anexo I deste Edital. Edital completo e as alteraçþes realizadas em seus anexos podem ser retiradas na sede da Empro: Av. Romeu Strazzi, 199 â&#x20AC;&#x201C; Bairro Vila Sinibaldi, SĂŁo JosĂŠ do Rio Preto/SP, ou pelo site http://www.empro.com.br â&#x20AC;&#x201C; Fone: (17) 3201-1201/1216. Data da reabertura: 28 de junho de 2012, Ă s 9h30. SĂŁo JosĂŠ do Rio Preto/ SP, 14 de junho de 2012. CĂĄssio Domingos Dosualdo Moreira â&#x20AC;&#x201C; Pregoeiro.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

GOVERNO DO ESTADO DE SĂ&#x192;O PAULO

FDE AVISA: COMUNICADO REF.: Pregão Eletrônico nº 36/00977/11/05 - Objeto: Ata de Registro de Preços - Instrumentos Musicais A pedido da årea tÊcnica, comunicamos a suspensão da sessão pública do pregão eletrônico nº 36/00977/11/05 que ocorreria em 14/06/2012, às 09:30h.

FALĂ&#x160;NCIA, RECUPERAĂ&#x2021;Ă&#x192;O EXTRAJUDICIAL E RECUPERAĂ&#x2021;Ă&#x192;O JUDICIAL Conforme informação da Distribuição CĂ­vel do Tribunal de Justiça de SĂŁo Paulo, foram ajuizados no dia 14 de junho de 2012, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falĂŞncia, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Valman IndĂşstria MetalĂşrgica Ltda. Requerido: Sotep Sociedade TĂŠcnica de Perfuração S/A. Requerido: Prest Perfuraçþes Ltda. Requerido: San Antonio Internacional do Brasil Serv. de PetrĂłleo Ltda. Todos com endereço na Avenida Maria Coelho Aguiar, 215 - Bloco B â&#x20AC;&#x201C; Jardim SĂŁo Luiz - 1ÂŞ Vara de FalĂŞncias. Requerente: Crespan IndĂşstrias QuĂ­micas Ltda. Requerido: Engepassos Construtora Ltda. Rua Doutor Franco da Rocha, 137 â&#x20AC;&#x201C; Sala 71 - Perdizes - 2ÂŞ Vara de FalĂŞncias.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

ODEBRECHT REALIZAÇÕES IMOBILIÁRIAS E PARTICIPAÇÕES S.A.

VOTORANTIM INVESTIMENTOS LATINO-AMERICANOS S.A. CNPJ/MF Nº 06.276.938/0001-15 - NIRE 35300320956 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2012 1. HORÁRIO E LOCAL - às 10h30min, na sede social nesta Capital, na Rua Amauri, nº 255, 13º andar, conjunto “B”. 2. CONVOCAÇÃO - Dispensada em virtude da presença da totalidade dos acionistas. 3. PRESENÇA - Acionistas representando a totalidade do capital social, conforme assinaturas lançadas no livro “Presença de Acionistas”. 4. MESA DIRIGENTE – Alexandre Silva D’Ambrosio, Presidente e João Carvalho de Miranda, Secretário. 5. PUBLICAÇÕES – a) os presentes consideraram sanada a falta de publicação dos anúncios de “Aviso aos Acionistas”, conforme o disposto no a § 4º do art. 133 da Lei n.º 6.404/76; b) o presidente declarou regular a Assembléia, tendo em vista o disposto no § 4º do art. 124 da Lei 6.404/76; c) o Relatório de Administração, o Balanço Patrimonial, as Demonstrações Financeiras e o Parecer dos Auditores Independentes, relativo ao exercício social encerrado em 31/12/2011, foram publicados no Diário Oficial de São Paulo e Diário do Comércio no dia 28/04/2012. 6. DELIBERAÇÕES – a) Foram aprovadas as Demonstrações Financeiras e Relatório da Diretoria referentes ao exercício encerrado em 31.12.2011. b) foi aprovada a seguinte destinação do Lucro Líquido do exercício, que totalizou R$ 179.798.802,05 (cento e setenta e nove milhões, setecentos e noventa e oito mil, oitocentos e dois reais e cinco centavos): “Reserva Legal” R$ 10.604.050,29 (dez milhões, seiscentos e quatro mil, cinqüenta reais e vinte e nove centavos); “Reserva de Retenção de Lucros” R$ 118.825.512,88 (cento e dezoito milhões, oitocentos e vinte e cinco mil, quinhentos e doze reais e oitenta e oito centavos) e “Dividendos Propostos” R$ 50.369.238,88 (cinqüenta milhões, trezentos e sessenta e nove mil, duzentos e trinta e oito reais e oitenta e oito centavos). c) Aprovar que os Diretores possam receber remuneração pelos cargos de administração ocupados, conforme deliberação a ser tomada oportunamente, incluídos os benefícios disponíveis e as verbas de representação. d) Foram reeleitos os membros do Conselho de Administração, com mandato até 30.04.2013, os Srs.: JOÃO BOSCO SILVA, brasileiro, casado, engenheiro, portador da Cédula de Identidade RG nº 50.667.667 SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob nº 044.001.436-00, domiciliado nesta Capital, na Praça Ramos de Azevedo, nº 254, 6º andar, como Presidente do Conselho de Administração; JOÃO CARVALHO DE MIRANDA, brasileiro, casado, economista, portador da Cédula de Identidade RG nº 52.238.193 IFP/RJ, inscrito no CPF/MF sob nº 772.120.887-49, domiciliado nesta Capital, na Rua Amauri, nº 255, 13º andar, como Vice-Presidente do Conselho de Administração; e ALEXANDRE SILVA D’AMBROSIO, brasileiro, casado, advogado, portador da Cédula de Identidade RG nº 7.124.595 SSP/SP e inscrito no CPF/MF sob o nº 042.170.338-50, domiciliado nesta Capital, na Rua Amauri, nº 255, 13º andar, como membro do Conselho de Administração. e) Os membros do Conselho de Administração ora eleitos declaram que não estão impedidos por lei especial ou condenados por pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; ou processo falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato; ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra as normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, a fé pública ou a propriedade. 7. ENCERRAMENTO – nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente ata, que lida e achada conforme, foi por todos assinada. (a.a.) Alexandre Silva D’Ambrosio, Presidente e João Carvalho de Miranda, Secretário; p. Votorantim Industrial S.A., Alexandre Silva D’Ambrosio e João Carvalho de Miranda p. Votorantim Metais Zinco S.A.: João Bosco Silva e Paulo Prignolato.; p. Votorantim Cimentos S.A.: Luiz Alberto de Castro Santos e Marcelo Chamma; João Bosco Silva, João Carvalho de Miranda e Alexandre Silva D’Ambrósio, sócios. A presente transcrição é cópia fiel da ata lavrada no livro próprio. São Paulo, 30 de abril de 2012. ALEXANDRE SILVA D’AMBROSIO - Presidente - JOÃO CARVALHO DE MIRANDA Secretário. Secretaria da Fazenda. Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro na JUCESP sob número 247.064/12-9 em 12/06/2012. (a) Gisela Simiema Ceschin, Secretária Geral.

ECONOMIA/LEGAIS - 19

CNPJ Nº 10.917.143/0001-16 – NIRE 35.300.369.611

Fato Relevante Ata da Reunião Extraordinária no 1.824, de 14.6.2012, da Diretoria do Banco Bradesco S.A. CNPJ no 60.746.948/0001-12 - NIRE 35.300.027.795 Aos 14 dias do mês de junho de 2012, às 16h, na sede social, Cidade de Deus, 4o andar do Prédio Vermelho, Vila Yara, Osasco, SP, reuniram-se os membros da Diretoria sob a presidência do senhor Luiz Carlos Trabuco Cappi. Durante a reunião, os Diretores deliberaram submeter ao Conselho de Administração, em reunião a ser realizada em 27.6.2012, a seguinte proposta: “Proposta da Diretoria a ser submetida à deliberação do Conselho de Administração do Banco Bradesco S.A. em Reunião a ser realizada em 27.6.2012. Senhores Conselheiros, Vimos propor o pagamento de Juros sobre o Capital Próprio Intermediários, relativos ao primeiro semestre de 2012, aos acionistas da Sociedade, no valor total de R$754,3 milhões, sendo R$0,188184678 por ação ordinária e R$0,207003146 por ação preferencial. Serão beneficiados os acionistas que se acharem inscritos nos registros da Sociedade em 27.6.2012, passando as ações a ser negociadas “ex-direito” aos Juros Intermediários a partir de 28.6.2012. Aprovada a proposta, o pagamento será feito em 18.7.2012 pelo valor líquido de R$0,159956976 por ação ordinária e R$0,175952674 por ação preferencial, já deduzido o Imposto de Renda na Fonte de 15% (quinze por cento), exceto para os acionistas pessoas jurídicas que estejam dispensados da referida tributação, que receberão pelo valor declarado. Os Juros Intermediários, líquidos de Imposto de Renda na Fonte, a serem aprovados: 1. Representam 10 vezes o valor dos Dividendos mensalmente pagos; 2.

serão computados no cálculo dos Dividendos obrigatórios do exercício previstos no Estatuto Social.”.

Nada mais foi tratado, encerrando-se a reunião e lavrando-se esta Ata que os Diretores presentes assinam. aa) Luiz Carlos Trabuco Cappi, Julio de Siqueira Carvalho de Araujo, Domingos Figueiredo de Abreu, José Alcides Munhoz, Aurélio Conrado Boni, Sérgio Alexandre Figueiredo Clemente, Marco Antonio Rossi, Candido Leonelli, Maurício Machado de Minas, Alexandre da Silva Glüher, Alfredo Antônio Lima de Menezes, André Rodrigues Cano, Josué Augusto Pancini, Luiz Carlos Angelotti, Marcelo de Araújo Noronha, Nilton Pelegrino Nogueira, Altair Antônio de Souza, André Marcelo da Silva Prado, Denise Pauli Pavarina, Luiz Fernando Peres, Moacir Nachbar Junior e Octávio de Lazari Júnior.

AKX Holding S/A CNPJ/MF n° 12.075.465/0001-90 – NIRE 35300379632 Ata da Assembleia Geral Extraordinária Realizada em 30/03/2012 1. Data, Hora e Local: 30/03/12, 10hs, na sede. 2. Convocação e Presenças: Dispensada em razão da presença de acionistas representando a totalidade do capital social. 3. Mesa: Presidente: Lucia de Fátima Oliveira; Secretário: Kiyoshi Uota. 4. Ordem do Dia: (i) alteração da sede social; (ii) reforma das regras estatutárias referentes à Adm. da Cia.; (iii) nomeação da nova Diretoria, em face da renúncia dos antigos membros. 5. Deliberação: Por unanimidade dos acionistas presentes, sem quaisquer ressalvas, foram tomadas as seguintes deliberações: 5.1 Transferir a sede da Cia. para a Rod. Padre Manoel da N obrega, Km 278,8, Samaritá, São Vicente/SP. Dessa forma, o art. 3° passará vigorar com a seguinte redação: “Art. 3. A Cia. terá sede e foro em São Vicente/SP, podendo, por deliberação da Diretoria, criar e extinguir filiais, agências e escritórios de representação em qualquer ponto do território nacional ou no exterior. “5.2 Alterar o Cap. III do Estatuto Social que rege a Adm. da Cia., que passará a vigorar com a seguinte redação: “Cap. III - Da Adm. - Art. 9. A Cia. será Adm. por uma Diretoria, constituída de no mínimo 2 diretores, acionistas ou não, todos residentes no País e eleitos pela Assembleia Geral. Os Diretores terão prazo de mandato unificado de 3 anos, considerando-se o ano o período compreendido entre duas AGO. Todos os diretores deverão permanecer em exercício até a investidura de seus sucessores, podendo ser reeleitos. § Único Em caso de destituição, renuncia, substituição, impedimento permanente, ou qualquer outro evento que resulte na vacância de cargo de Diretor, deverá ser convocada Assembleia Geral, no prazo de 30 dias contados da ocorrência da vaga, a fim de que seja eleito o respectivo substituto. Art. 10. Compete à Diretoria a administração dos negócios sociais em geral e a prática, para tanto, de todos os atos necessários ou convenientes, ressalvados aqueles para os quais seja, por lei ou pelo presente Estatuto, atribuída a competência à Assembleia Geral. Seus poderes incluem, mas não estão limitados a, entre outros, os suficientes para: (a) zelar pela obsevancia da lei e deste Estatuto; (b) zelar pelo cumprimento das deliberações tomadas nas Assembleias Gerais e nas suas próprias reuniões; (c) administrar, gerir e superintender os negócios sociais; e (d) emitir e aprovar instruções e regulamentos internos que julgar úteis ou necessários. Art. 11 As escrituras de qualquer natureza, as letras de câmbio, os cheques, as ordens de pagamento, os contratos e, em geral quaisquer outros documentos que importem em responsabilidade ou obrigações para a Cia., serão obrigatoriamente assinados: (a) por 1 Diretor, agindo isoladamente; ou (b) por 1 procurador, agindo isoladamente, desde que investido de especiais e expressos poderes. § 1°. A representação da Cia. em Juízo e perante quaisquer repartições públicas ou autoridades federais, estaduais ou municipais, bem como autarquias, sociedades de economia mista e entidades paraestatais, compete a qualquer Diretor ou a procurador, desde que investido de especiais e expressos poderes, agindo isoladamente. § 2°. A venda, permuta, transferência ou alienação por qualquer outra forma, ou a hipoteca, penhor ou ônus de qualquer espécie, de bens imóveis da Cia., dependem da autorização e aprovação prévia da Assembleia Geral. § 3°. São expressamente vedados, sendo nulos e inoperantes com relação à Cia., os atos de qualquer Diretor, procurador, ou funcionário, que a envolverem em obrigações relativas a negócios ou operações estranhos ao objeto social, tais como fianças, avais, endossos ou quaisquer garantias em favor de terceiros, salvo quando previamente expressamente autorizados pela Assembleia Geral. Art. 12. As procurações serão sempre outorgadas em nome da Companhia por 1 Diretor, agindo isoladamente, devendo especificar os poderes conferidos e, com exceção daquelas para fins judiciais, terão um período de validade limitado ao máximo de um ano”; 5.3 Ratificar a renúncia aos cargos que a Sra, Regiane Nogueira e a Sra, Annie Katarine de Oliveira ocupavam na Diretoria da Cia., e, concomitantemente, nomear a nova Diretoria, mediante a eleição de: (a) Lucia de Fátima Oliveira, RG n° 10,581.620-6, CPF /MF n° 041.027,758-46, para o cargo de Diretor sem designação específica; e (b) Kiyoshi Uota, RG n° 2,693,189-8, CPF /MF n° 333.755.858-53, para o cargo de Diretor sem designação específica, ambos com mandato de 3 anos. Os Diretores ora eleitos serão investidos em seus cargos mediante assinatura do termo de posse no livro de atas da Diretoria, ocasião na qual declararão que não estão impedidos por lei especial, nem estão incursos em nenhum dos crimes previstos em lei que os impeça de exerce os cargos para os quais foram eleitos. 6. Encerramento: Nada mais. SP, 30/03/12. Mesa: Lucia de Fátima Oliveira - Presidente - Kiyoshi Uota - Acionistas: Limitless Investment Returns - p.p. Lucia de Fátima Oliveira - Two Dolphins Partners Holding Ltd - p.p. Lucia de Fátima Oliveira. Jucesp 239.751/12-7 em 04/06/2012. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

Ata da Assembleia Geral Extraordinária realizada em 02 de maio de 2012 Data, hora e local: Em 02 de maio de 2012, às 17:30 horas, na sede social da Companhia, localizada na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida das Nações Unidas, 4.777, 3º andar, sala 33, Alto de Pinheiros, CEP 05477-000. Convocação e presença: Dispensada face à presença de acionistas representando a totalidade do capital social, nos termos do artigo 124, § 4º, da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976. Mesa: Presidente, Sr. Rodrigo José de Pontes Seabra Monteiro Salles; e Secretária, Sra. Cristiana de Povina Cavalcanti Shayer. Ordem do dia: Deliberar sobre (i) o Protocolo de Incorporação e Justificação da Incorporação, pela Companhia, da Odebrecht Realizações Imobiliárias S.A., sociedade por ações, com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida das Nações Unidas, nº 4.777, 3º andar, Edifício Villa Lobos, Alto de Pinheiros, CEP 05477-000, registrada sob o NIRE 35.300.354.338 e inscrita no CPNJ/MF sob o nº 06.206.132/0001-50 (“OR”), celebrado em 02 de maio de 2012, pelas administrações da Companhia e da OR (“Protocolo”); (ii) a nomeação e contratação da Guimarães e Sieiro Consultoria e Serviços Contábeis Ltda., sociedade limitada, com sede na Cidade de Salvador, Estado da Bahia, na Avenida Tancredo Neves, nº 939, sala 907, Edifício Esplanada Tower, Caminho das Árvores, CEP 41820-021, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 07.533.214/0001-72 (“Avaliadora”), para elaboração do laudo de avaliação do patrimônio líquido da OR (“Laudo de Avaliação”), com base em seu valor contábil, na data-base de 30 de abril de 2012, de acordo com os balanços patrimoniais levantados na mesma data, trabalho este já concluído; (iii) o Laudo de Avaliação; (iv) a incorporação da OR pela Companhia; (v) aprovação da assunção pela Companhia de todos os direitos e obrigações relativos à “Escritura Particular de Primeira Emissão Pública de Debêntures Simples Não Conversíveis em Ações da Odebrecht Realizações Imobiliárias S.A. com Garantia Real e Garantias Adicionais”, em decorrência da incorporação; (vi) a instalação do Conselho Fiscal para o exercício de 2012, a eleição de seus membros, bem como a definição de sua remuneração; e (vii) aprovação da remuneração global dos administradores da Companhia. Deliberações tomadas por unanimidade de votos dos acionistas: Foram aprovados, por unanimidade dos acionistas, sem quaisquer ressalvas ou restrições: (i) a celebração do Protocolo pela Companhia, o qual integra a presente ata como “Anexo I”; (ii) a nomeação da Avaliadora para proceder a avaliação do patrimônio líquido da OR e a elaboração do respectivo Laudo de Avaliação, trabalho este já concluído; (iii) o Laudo de Avaliação, preparado pela Avaliadora, pelo critério contábil, na data-base de 30 de abril de 2012, de acordo com os balanços patrimoniais levantados na mesma data, o qual integra a presente ata como “Anexo lI”; (iv) a incorporação da OR pela Companhia, nos termos e condições estabelecidos no Protocolo e no Laudo de Avaliação. Assim, a Companhia passa a ser a sucessora da OR em todos os direitos e obrigações, a título universal e para todos os fins de direito. A Administração da Companhia fica desde logo autorizada a praticar todos os atos complementares e/ou decorrentes da incorporação ora aprovada, com amplos e gerais poderes para proceder a todos os registros, transcrições, averbações ou comunicações que se fizerem necessários de modo a aperfeiçoar a referida operação; (vi) a assunção pela Companhia de todos os direitos e obrigações decorrentes da “Escritura Particular de Primeira Emissão Pública de Debêntures Simples Não Conversíveis em Ações da Odebrecht Realizações Imobiliárias S.A. com Garantia Real e Garantias Adicionais”, conforme aditada em 26 de março de 2010 e 21 de julho de 2011, devendo a referida escritura passar a se chamar “Escritura Particular de Primeira Emissão Pública de Debêntures Simples Não Conversíveis em Ações da Odebrecht Realizações Imobiliárias e Participações S.A.”; (vii) a instalação do Conselho Fiscal da Companhia para o exercício de 2012, bem como a eleição dos seguintes membros titulares, e os respectivos suplentes, todos com mandato até a Assembleia Geral Ordinária que vier a deliberar acerca dos resultados do exercício de 2012: (a) Aluízio da Rocha Coelho Neto, brasileiro, casado, contador, portador da Cédula de Identidade RG nº 923.502 SSP/ES, inscrito no CPF/MF sob o nº 031.525.087-94, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Avenida das Nações Unidas, 8.501, 27º andar, Pinheiros, CEP 05425-070; (b) Dimitri Lopes Ojevan, brasileiro, casado, economista, portador da Cédula de Identidade RG nº 25.947.115-X, inscrito no CPF/MF sob o nº 280.900.138-30, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Rodrigo Cláudio, 161, apto. 131, Aclimação, CEP 01532-020; (c) Eduardo Felipe da Silva Soares, brasileiro, divorciado, contador, portador da Cédula de Identidade RG nº 061.132.710-2, inscrito no CPF/MF sob o nº 776.754.877-53, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Avenida Ataulfo de Paiva, 1.100, 7º andar, salas 701 e 702, parte, Leblon, CEP 22440-035; e (d) Marcelino Bispo do Sacramento, brasileiro, casado, contador, portador da Cédula de Identidade RG nº 0061587-41, inscrito no CPF/MF sob o nº 003.860.495·72, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Avenida das Nações Unidas, 8.501, 27º andar, Pinheiros, CEP 05425-070; e Membros Suplentes: (a) Alexandre Pereira do Nascimento, brasileiro, solteiro, economista, portador da Cédula de Identidade nº 23.685.952-3, inscrito no CPF/MF sob o nº 255.296.248-39, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua São Vicente de Paula, 457, apto. 91, Higienópolis, CEP 01229-010, como suplente do membro efetivo Dimitri Lopes Ojevan; (b) Carolina Carvalho de Abreu, brasileira, solteira, economista, portadora da Cédula de Identidade RG nº 25.004.798-8 SSP/SP, inscrita no CPF/MF sob o nº 253.424.938-03, residente e domiciliada na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Avenida das Nações Unidas, 8.501, 27º andar, Pinheiros, CEP 05425·070, como suplente do membro efetivo Marcelino Bispo do Sacramento; (c) Marcio Villas Boas Passos, brasileiro, casado, economista, portador da Cédula de Identidade RG nº 08.424.708-9 IFP/RJ, inscrito no CPF/MF sob o nº 911.779.797-72, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Avenida Ataulfo de Paiva, 1.100, 7º andar, salas 701 e 702, parte, Leblon, CEP 22440-035, como suplente do membro efetivo Eduardo Felipe da Silva Soares; e (d) Tatiana Macedo Costa Rego Tourinho, brasileira, casada, administradora, portadora da Cédula de Identidade RG nº 08237103-27 SSP/BA, inscrita no CPF/MF sob o nº 951.929.135-00, residente e domiciliada na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Avenida das Nações Unidas, 8.501, 27º andar, Pinheiros, CEP 05425-070, como suplente do membro efetivo Aluízio da Rocha Coelho Neto. Os acionistas, neste ato, expressamente dispensam os Srs. Dimitri Lopes Ojevan e Alexandre Pereira do Nascimento do cumprimento do requisito previsto no art. 147, § 3º, I, da Lei das S.A., em razão de sua atuação como membro do Conselho Fiscal de sociedades consideradas concorrentes diretas da Companhia, confirmando sua eleição para os cargos de membro efetivo e membro suplente, respectivamente, do Conselho Fiscal da Companhia, conforme aqui deliberado. Aprova-se ainda verba global de até R$ 240.000,00 (duzentos e quarenta mil reais) para a remuneração dos membros do Conselho Fiscal para o corrente exercício social. Os membros do Conselho Fiscal ora eleitos foram imediatamente empossados em seus cargos, mediante assinatura dos termos de posse lavrados em livro próprio, tendo declarado, sob as penas da lei, não estarem impedidos de exercer a administração da Companhia: por lei especial; em virtude de condenação criminal, ou por se encontrar sob os efeitos dela; em virtude de pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato; ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra as normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, a fé pública ou a propriedade, ou qualquer outro que os impeça de exercer atividades mercantis, bem como preencherem os demais requisitos do artigo 162 da Lei nº 6.404/76, Foi aprovada a remuneração mínima prevista em Lei, para cada membro do Conselho Fiscal; (viii) a remuneração global anual dos administradores da Companhia para o exercício social de 2012 é fixada em até R$ 15.781.156,31 (quinze milhões, setecentos e oitenta e um mil, cento e cinquenta e seis reais e trinta e um centavos), devendo ser o montante individual apurado oportunamente em reunião do Conselho de Administração. Lavratura e leitura da ata: Nada mais havendo a ser tratado, o Sr. Presidente ofereceu a palavra a quem dela quisesse fazer uso e, como ninguém a pedisse, declarou encerrados os trabalhos e suspensa a reunião pelo tempo necessário à lavratura desta ata, a qual, reaberta a sessão, foi lida, aprovada e por todos os presentes assinada. Mesa: Presidente, Sr. Rodrigo José de Pontes Seabra Monteiro Salles; e Secretária, Sra. Cristiana de Povina Cavalcanti Shayer. Acionistas presentes: GIF III Fundo de Investimento em Participações e Odebrecht S.A. Certifico que a presente é cópia fiel do original lavrado no livro próprio. São Paulo, 02 de maio de 2012. Rodrigo José de Pontes Seabra Monteiro Salles, Presidente; Cristiana de Povina Cavalcanti Shayer, Secretária. Os documentos citados nos anexos encontram-se arquivados na sede social da Companhia. n Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o número 241.382/12-9, em 06.06.12. Gisela Simiema Ceschin, Secretária Geral.

Lazam-MDS Corretora e Administradora de Seguros S.A. CNPJ/MF n° 48.114.367/0001-62 – NIRE 35.300.335.228 Ata da Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária 1. Data, Hora e Local: 26/04/12, 10hs, na sede social da Cia., em SP/SP, na R. Doutor Fernandes Coelho, 85, 12°, Pinheiros, SP/SP. 2. Presença: Acionistas representando a totalidade do capital social, conforme assinaturas no Livro de Presença de Acionistas, na conformidade do art. 124, § 4, da Lei n° 6.404/76. 3. Mesa: Presidente: Hélio Pinheiro de Vasconcellos Novaes. Secretário: André Cardoso Tostes. 4. Demonstrações Financeiras: As Demonstrações Financeiras da Cia. relativas ao exercício social encerrado em 31/12/11, foram publicadas nas edições do dia 25/04/12, nos jornais DOESP e Diário do Comércio. 5. Ordem do Dia: Exame, discussão e votação: a) do relatório de Adm., das contas da Diretoria, do Balanço Patrimonial, das demais Demonstrações Financeiras e das Notas Explicativas referentes ao exercício encerrado em 31/12/11; b) da destinação do resultado do exercício mencionado em (a) acima, c) fixar para o exercício de 2012, o montante global da remuneração do Cons. de Adm. e da Diretoria; d) alterar o caput do art. 14 do Estatuto social, Seção II - Do Cons. de Adm., com o objetivo de possibilitar a eleição de membro do Cons. de Adm. sem que seja acionista; e) Eleição do novo membro do Cons. de Adm.. 6. Resumo das Deliberações. A Assembléia Geral, por decisão unânime, aprovou, sem ressalvas, abstendo-se de votar os legalmente impedidos: 6.1 o relatório da Adm., as contas da Diretoria, e Balanço Patrimonial, as demais demonstrações Financeiras e as Notas Explicativas referentes ao exercício encerrado em 31/12/11. 6.2 a destinação do prejuízo do exercício, no valor de R$ 2.150.931,33 à conta de prejuízos acumulados. 6.3 fixar em até R$5.000.000,00 para o exercício de 2012, o montante global da remuneração do Cons. de Adm. e da Diretoria. 7. Deliberou alterar o caput do art. 14, Seção II - Do Cons. de Adm. do Estatuto Social, mantido o respectivo parágrafo único, que passará à seguinte redação: Art. 14 - O Cons. de Adm. será composto por 03 membros, acionistas ou não, residentes ou não no País, eleitos pela Assembléia Geral, devendo o Presidente ser eleito pelos membros do Cons. de Adm. por maioria de votos. 8. Em face da renúncia do Sr. Adriano Virgílio Guimarães Ribeiro de seu cargo de membro do Cons. de Adm., a AGO aprovou a eleição das Sra. Jacqueline Legrand, Francesa, casada, gestora, residente e domiciliada na R. Dupanloup, 11, Annecy, França, Passaporte n° 04RE95766, como membro do Cons. de Adm. da Cia., com mandato até a AGO de 2013. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foram encerrados os trabalhos e lavrada esta ata que lida e achada conforme, foi aprovada pelos presentes que a subscrevem: Hélio Pinheiro de Vasconcellos Novaes - Presidente da Mesa, André Cardoso Tostes Secretário; Acionistas: MDS Corretor de Seguros S.A. - pp. Maria Cecília Castro Neves Ipiña; MDS, SGPS, S.A, pp. Maria Cecília Castro Neves Ipiña, José Manuel Queirós Dias da Fonseca, pp. Maria Cecília Castro Neves Ipiña e Hélio Pinheiro de Vasconcellos Novaes. SP, 26/04/12. Certifico que a presente é cópia fiel da ata lavrada em livro próprio. Presidente da Mesa: Hélio Pinheiro de Vasconcellos Novaes - Secretário: André Cardoso Tostes. Jucesp 239.944/12-4 em 04/06/2012. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

PREFEITURA MUNICIPAL ESPÍRITO SANTO DO TURVO EXTRATO DE EDITAL - TOMADA DE PREÇO nº 04/2012 A Prefeitura de Espírito Santo do Turvo torna público, para conhecimento dos interessados, que está aberta a licitação na modalidade Tomada de Preços do tipo Menor Preço, para pessoas previamente cadastradas até dia 26 de junho de 2012, para a contratação de empresa para execução de Recapeamento Asfáltico CBUQ em 10.635,00 m², nas ruas do centro e Jardim Canaã, em Espírito Santo do Turvo, conforme descrição e detalhamento previsto no anexo I (Memorial Descritivo, Planilha Orçamentária e Cronograma Físico Financeiro e projetos), no prazo máximo de 90 (noventa) dias, contados a partir da assinatura do contrato, onde se dará a autorização do início de obra. O recebimento dos envelopes contendo os documentos e proposta será até o dia 29 de junho de 2012 às 14h00min na sede da Prefeitura de Espírito Santo do Turvo, situada na Rua Lino dos Santos, s/nº, sendo que a sessão será realizada a seguir, nos termos da legislação vigente. O edital na íntegra encontra-se à disposição no endereço acima e poderá ser retirado no horário de expediente, no site www.espiritosantodoturvo.sp.gov.br ou solicitado por e-mail: marcos@espiritosantodoturvo.sp.gov.br, por telefone: 14-3375-9500, até às 24 horas que antecedem a data de recebimento dos envelopes, mediante o pagamento de uma taxa de R$ 25,00 (vinte cinco reais). Maiores informações poderão ser obtidas na Prefeitura – Setor de Licitações, ou através do telefone acima indicado. Espírito Santo do Turvo/SP, 12 de junho de 2012. Marcos Aurélio Oliveira - Presidente da Comissão de Licitação

3ª Vara Cível do Foro Regional III – Jabaquara EDITAL DE CITAÇÃO, COM PRAZO DE 20 DIAS. Proc. nº 0016489-26.2011.8.26.0003. O DOUTOR Paulo Furtado de Oliveira Filho, MM. JUIZ DE DIREITO DA 3ª Vara Cível, DO ESTADO DE SÃO PAULO, NA FORMA DA LEI, FAZ SABER a Fernando Esteves Afonso Brinde-ME, CNPJ. 09.220.979/0001-88, e Fernando Esteves Afonso, RG nº 45.996.913-4 e CPF. 392.264.158-03 que Banco Bradesco S/A, lhes ajuizou uma ação MONITÓRIA, objetivando a cobrança da quantia de R$ 42.585,43 (04/04/2011), decorrente de contratos de desconto de direitos creditórios oriundos de títulos de créditos. Encontrando-se os réus em local ignorado, foi expedido o presente edital, para que em quinze dias, a fluir após o prazo de vinte dias contados a partir da publicação deste edital, efetuem o pagamento do “quantum” reclamado ou ofereçam embargos monitórios sob pena de não o fazendo, constituir-se em título executivo judicial a inicial pretendida e prosseguindo-se na forma prevista no Livro I, Título VIII, Capítulo X do CPC. O presente será afixado e publicado na forma da lei. São Paulo, 05 de junho de 2012.

RB Capital Holding S.A. - CNPJ/MF nº 10.140.272/0001-40 - NIRE 35.300.360.346 Extrato da Ata da Assembleia Geral Extraordinária em 15.05.2012 Data, Hora, Local: 15.05.2012, 09hs, sede da Cia., R. Amauri, 255, 5º and., parte, Jd. Europa, CEP 01448-000, SP/ SP. Convocação: Dispensada (§ 4º, art. 124, Lei 6.404/76). Presença: Totalidade do capital social. Mesa: Presidente: Marcelo Pinto Duarte Barbará; Secretário: Marcelo Meth. Deliberação: Aprovada por Unanimidade: Distribuição de dividendos, no valor de R$ 9.000.000,00, referentes a lucros do exercício social encerrado em 31.12.2011. Os dividendos deverão ser pagos aos acionistas em até 90 dias a contar da presente data, em moeda corrente nacional, créditos ou bens. Farão jus à Distribuição os acionistas que possuam ações nesta data. Encerramento: Nada mais. Marcelo Pinto Duarte Barbará: Presidente; Marcelo Meth: Secretário. Acionistas: RB Capital Fundo de Investimento em Participações, Luis Cláudio Garcia de Souza e Marcelo Pinto Duarte Barbará. SP, 15.05.2012. Marcelo Meth - Secretário. JUCESP 239.296/12-6 em 04.06.12. Gisela Simiema Ceschin - Sec. Geral.

PREFEITURA MUNICIPAL ESPÍRITO SANTO DO TURVO Extrato de Edital - TOMADA DE PREÇO nº 03/2012 A Prefeitura de Espírito Santo do Turvo torna público, para conhecimento dos interessados, que está aberta a licitação na modalidade Tomada de Preços do tipo Menor Preço Global, para pessoas previamente cadastradas até dia 26 de Junho de 2012, para a contratação de empresa para execução de obra de Construção 3 (três) salas de Aulas e Reforma da Escola Estadual “Prof. Terezinha Mariano Magnani” em Espírito Santo do Turvo, conforme descrição e detalhamento previsto no anexo I (memorial descritivo, Planilha Orçamentária e Cronograma Físico Financeiro e projetos), no prazo máximo de 150 (Cento e Cinquenta) dias, contados a partir da assinatura do contrato, onde se dará a autorização do início de obra. O recebimento dos envelopes contendo os documentos e proposta será até o dia 29 de Junho de 2012, às 10h, na sede da Prefeitura de Espírito Santo do Turvo, situada na Rua Lino dos Santos, s/nº, sendo que a sessão será realizada a seguir, nos termos da legislação vigente. O edital na íntegra encontra-se à disposição no endereço acima e poderá ser retirado no horário de expediente, no site www.espiritosantodoturvo.sp.gov.br ou solicitado por e-mail: marcos@espiritosantodoturvo.sp.gov.br, por telefone: 14-33759500, até as 24 horas que antecedem a data de recebimento dos envelopes, mediante o pagamento de uma taxa de R$ 25,00 (vinte cinco reais). Maiores informações poderão ser obtidas na Prefeitura – Setor de Licitações, ou através do telefone acima indicado. Espírito Santo do Turvo/SP, 11 de junho de 2012. Marcos Aurélio Oliveira - Presidente da Comissão de Licitação 6ª Vara Cível do Foro Central da Capital - SP Edital de Citação. Prazo: 15 (quinze) dias. Processo nº 583.00.1998.729431-3. Requerente: Special Promotions S/C Ltda. Requerido: Jairo Ribeiro Produções e Publicidade S/C Ltda. e Leila Aparecida Ribeiro. A MM. Juíza de direito da 6º Vara Cível do Foro Central da Comarca da Capital do Estado de São Paulo Dra. LÚCIA CANINÉO CAMPANHÃ, na forma do artigo 232 do Código de Processo Civil, FAZ SABER a Jairo Ribeiro Produções e Publicidade S/C Ltda. inscrita no CNPJ/MF sob o nº 01.262.581/0001-00; a seus sócios Jairo Ribeiro, portador da Cédula de Identidade RG nº 7.266.457, e Regina Amélia Ribeiro de Souza, portadora da Cédula de Identidade RG nº 11.449.256; e Leila Aparecida Ribeiro inscrita no CPF/MF sob o nº 275.035.018-20, que perante esse MM. Juízo e respectivo Cartório correm os autos da Ação Monitória, que lhe move Special Promotions S/C Ltda., referente à locação de equipamentos geradores, tendo em vista que o pagamento fora frustrado pela sustação do cheque nº AF433064, Banco Itaú, Conta Corrente nº 20397-9, no valor, de R$1.300,00 (hum mil e trezentos reais). Encontrando-se os requeridos em lugar incerto e não sabido foi determinada a citação por Edital, devendo os réus, no prazo de quinze 15 (quinze) dias, manifestar-se acerca da presente ação, sob pena de se presumirem aceitos como verdadeiros os fatos articulados pelos autores, na forma do artigo 285 do Código de Processo Civil. E para que produza seus efeitos de direito, será o presente Edital afixado e publicado na forma da Lei. São Paulo, 14 de junho de 2012.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Clayton de Souza/AE

SPFW

conomia

NEON

Coleção verão 2013 da Neon é inspirada na liberdade e no mistério das ciganas. O desfile, no chão de terra, foi marcado pela presença de lenços e saias rodadas.

Mundo fashion perto da natureza Neon abre o quarto dia da 33ª edição da SPFW com desfile ao ar livre

A

Clayton de Souza/AE

dupla de estilistas da Neon, Dudu Bertholini e Rita Comparato, resolveu sair do prédio da Bienal e levou seu desfile, ou melhor, seu "piquenique", para o Viveiro Manequinho Lopes, uma área bem verde dentro do Parque do Ibirapuera. E assim foi aberto o quarto dia da 33ª edição de São Paulo Fashion Week (SPFW) em dia de outono ensolarado. A grama virou passarela. As modelos usavam alpargatas e sandálias sem salto nos pés, tudo no maior clima de conforto – inspiradas na liberdade e no mistério das ciganas. Os lenços marcaram presença, assim como as saias, que apareceram bem longas, assimétricas e em camadas. Pareôs, calças com amarrações e macacões ganharam estampas dos artistas plásticos Yassin Lahmar, Kleber Matheus e Camila Levy.

DEGRAS

Um dia de sol na Bahia

O primeiro da corrida sustentável

Hector Moreno/Futura Press/AE

JEFFERSON KULIG

nspirada em escravas negras, a coleção teve looks brancos e fluidos, além de texturas em forma de crochês dourados, miçangas e piquê de algodão. A estilista Adriana Degreas se inspirou em um dia de sol na Bahia. "Minha nova proposta foi o poncho como saída de praia", explicou. Toques sutis de sensualidade apareceram em recortes reveladores de maiôs e vestidos longos. Alguns looks lembravam lingeries, com peças transparentes e calcinhas com babados.

Marcos Madi/AE

Thiago Bernardes/AE

I

Hector Moreno/Futura Press/AE

ideia do estilista Jefferson Kulig para o próximo verão era mostrar como a moda pode contribuir para a preservação do meio ambiente, por isso, ele resolveu criar tecidos biodegradáveis. Assim, tafetá, seda, algodão e couro passaram por um processo enzimático, tudo em prol da sustentabilidade. A feminilidade apareceu em cinturas marcadas e silhuetas ajustadas ao corpo e a assimetria se fez presente em vestidos, calças, jaquetas e camisetas. Na cartela de cores, preto e branco foram pontuados por rosa, azul e tons metalizados, além dos verdes bem marcantes.

JULIANA JABOUR

Brilho dos anos 70

A

elegância e a sofisticação do Studio 54, ícone dos anos 1970, foram a inspiração. Para dar mais vida ao brilho das peças, o lurex entrou em cena. Alguns trajes da coleção de Juliana Jabour traziam uma leve lembrança de peças esportivas, com acabamento em elástico, bem despojadas, apesar do toque final chique e moderno. Cortes mais ajustados nos macacões e calças de alfaiataria estruturada, além de vestidos amplos marcaram o desfile. As jaquetas utilitárias traziam bolsos, zíperes e elásticos nas barras e punhos.

FORUM

Caipirinha para brindar

M

arta Ciribelli, o nome por trás do estilo da Forum, comemorou os 30 anos da marca com um brinde. Os primeiros looks da passarela traziam uma estampa inusitada: caipirinhas. Para entrar no clima, o tecido do primeiro look escolhido tinha um aspecto molhado, alcançado com um tipo especial de celofane. A alfaiataria, item forte na história da marca, continua firme com pregas e lapelas.

JOÃO PIMENTA

Folia de Reis embala criação

Amana Salles/AE

Festa de Reis, celebração religiosa tradicional em Minas Gerais, deu o ponto de partida para que João Pimenta criasse sua coleção de verão 2013. O boi e a flor do maracatu viraram estampas. O estilista apostou em formas ajustadas ao corpo, com golas menores, ternos com costuras que modelam a silhueta e calças com bocas ajustáveis, que podem ficar mais estreitas dependendo do modo como se abotoa. “Minhas coleções misturam o feminino e o masculino”, explicou o estilista. (Agências)

Amana Salles/AE

A

Hector Moreno/Futura Press/AE

Amana Salles/

AE

A

Hector Moreno/Futura Press/AE


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Nº 421

DCARR

21

No final deste mês, a Ford apresentará, na Argentina, a nova picape Ranger, que chegará para uma boa briga com a líder do segmento, a Chevrolet S10.

LINHA 2013

LANÇAMENTOS POR ATACADO CHICOLELIS

A

mudança mais importante na linha 2013 da Palio Weekend e da picape Strada é a inclusão do freio ABS com EBD e do air bag, como itens de série (no Palio EL é oferecido como opcional), antecipando a legislação que obrigará estes equipamentos a partir de 2014. Não confundir com o Grand Siena, lançado recentemente. Nos interiores e frentes dos três modelos, com novas grades, estão as principais mudanças. Ganharam novos sistemas de som e ocorreram alterações também na motorização. A Strada, que lidera o mercado há 12 anos, recebeu motorização E-torQ 1.6 16V. Ela já contava com a Fire 1.4 e E-torQ 1.8 16V. A cabine dupla agora será vendida em todas as versões, da mais simples, a

Work, à mais sofisticada. A Palio Weekend, por sua vez, oferece as motorizações Fire 1.4, E-torQ 1.6 16V e E-torQ 1.8 16V, a mais sofisticada. O sedã Siena EL oferece opções de motores Fire 1.0 e 1.4. Os preços foram alterados para valores acima dos modelos anteriores, mas o diretor de marketing de produtos, Edison Mazzucato, explica que isto ocorreu em função de a Fiat ter agregado vários itens, antes opcionais, como ABS e air bags, que custavam, no caso da linha Weekend, por exemplo, em torno de R$ 2.500. O preço do modelo foi elevado em pouco mais de R$ 1 mil. "Então, no conjunto, o consumidor acaba pagando mais barato pelos novos modelos", afirma. Assim, o Siena EL 1.0 8V custa R$ 28.150 e o 1.4 8V, R$ 30.970. Os preços da Palio Weekend vão de R$ 44.490 a

R$ 53.390 e os da picape Strada estão entre R$ 31.490 e R$ 54.060. A Adventure Palio Weekend também oferece o câmbio Dualogic® (semiautomático) e o bloqueio de diferencial o Locker. E vem com o conceito HSD (High Safety Drive), composto por air bag duplo e freio ABS com EBD. Como na Strada, a Palio Adventure também recebeu novos para-choques que, segundo a Fiat, dão a sensação de um carro mais alto. Além disso, conjunto de novas rodas e calotas para os veículos 2013, com destaque para a roda de 16 polegadas para a versão Adventure, com pneus de uso unicamente urbano. Os interiores dos modelos foram melhorados, recebendo tecidos mais nobres nas forrações, novos volantes, instrumentos com novas grafias para melhorar a leitura por parte do motorista.

Nove picapes – Agora, a Strada oferece nove versões: cabines simples, estendida e dupla, com três níveis de acabamento (Working, Trekking e Adventure), além de três diferentes motorizações: Fire 1.4 HP, E-torQ 1.6 16V e E-torQ 1.8 16V. Em sua versão de entrada, a Strada Working, é equipada com motor 1.4 e oferecida em três opções de cabines (simples, estendida e dupla). A razão da inclusão da cabine dupla na versão de entrada se deve à grande procura – o modelo responde por 50% das vendas. A versão top vem com motor E-torQ 1.8 16V, com 130 cv, gasolina e 132 cv, álcool. A grande atração do Siena EL está na inclusão, como opcional, do HSD (High Safety Drive – air bag duplo mais freios ABS com EBD), ar-condicionado, direção hidráulica, que não podiam ser colocados na versão anterior.

Divulgação

De uma só tacada, a Fiat lança 15 versões dos modelos Siena EL (à dir.), Palio Adventure (esq.) e Strada, estes dois com ABS e air bag de série. VIAGEM

UM SONHO EM DUAS RODAS MÁRIO TONOCCHI

C

irculam por aí listas de coisas que se deve fazer antes de morrer. Para o motociclista sem preconceitos e apaixonado pelas duas rodas, não pode faltar uma longa viagem-passeio com a estradeira Honda GL 1800 Gold Wing. Confortável ao extremo, ela deixa boas lembranças e muita disposição depois dos mais longos caminhos. Para atestar isso, rodamos 1,6 mil quilômetros entre São Paulo e as Serras Gaúchas (RS). Paulista, Rebouças e Francisco Morato até a Régis Bittencourt, rumo a Curitiba (PR). O trajeto exigiu atenção redobrada e respeito pela Gold Wing.

Afinal são 381 quilos de peso seco, com mais 147 litros de porta-bagagem e tanque de 25 litros sem considerar piloto e garupa. Colocar tudo isso em movimento parece missão impossível, mas não é. Começando pela marcha a ré elétrica que torna tranquila a manobra em estacionamentos. O peso que o piloto, muito tenso a princípio, equilibra se transforma em agilidade assim que a moto entra em movimento. A tocada macia e maleável é fruto de um chassi em alumínio aliado ao conjunto de suspensões: na dianteira, telescópica, o sistema "anti-dive" controla a velocidade de compressão e retorno dos amortecedores evitando que a frente "afunde" em freadas firmes. Na traseira, o sistema, composto de monobraço de alumínio e amortecedor único, absorve grande parte das irregularidades do solo. O ajuste de tensão da mola traseira é elétrico e tem 26 posições.

O percurso mais longo (sete horas) foi entre Curitiba (PR) e Florianópolis (SC), 312 quilômetros. E mostrou que o que mais relaxa na Gold Wing é a ausência de vibrações aliada ao ronco suave do motor de seis cilindros, 1.832 cm³, 12 válvulas, com 118 cv a 5 500 rpm e torque máximo de 17 kgf.m a 4 000 rpm. Apesar do peso do conjunto, o motor 1.8 garante retomadas que proporcionam segurança nas ultrapassagens. A transmissão, por cardã, não afeta o desempenho. Já no Rio Grande do Sul,

depois de mais cinco horas de viagem, Cambará do Sul. As serras exigiram bastante do conjunto de rodas dianteira de 18’ e traseira de 16’ de liga leve, revestidas com pneus sem câmara. Nesses momentos, a Sport Touring mostra que pode divertir o piloto com curvas elegantes e limites amplos mesmo nas inclinações intensas. Também auxiliam na tocada de serra os freios dianteiros com dois discos flutuantes e traseiros pinçados por sistemas com três pistões aliados ao ABS (Antilock Brake System) e Dual CBS (Combined Brake System) que evitam o travamento das rodas. Na última etapa, entre Canela, Gramado e Bento Gonçalves, os trechos foram os que mais exigiram em termos de consumo do motor 1.8. Enquanto no plano a média variou em torno de 16 km/l, nas subidas e descidas íngremes ela não passava de 12 a 13 km/l, resultando numa média de 15 km/l. O modelo avaliado, 2010, é o mais recente importado pela Honda do Brasil e tem preço sugerido de R$ 92 mil. Oferece pacote tecnológico difícil de ser encontrado em outros modelos e marcas. O grande diferencial é o air bag instalado na parte superior do tanque. Ele se abre em colisões dianteiras, impedindo que o piloto seja lançado sobre a moto.

E O PESADELO NO PEDÁGIO

T

oda atividade implica riscos e, em uma longa viagem de moto, não é diferente. Por isso, pensar em um seguro total é tão imprescindível quando o planejamento do roteiro. Aprendi isso da maneira mais difícil, com um acidente tolo na passagem do primeiro pedágio da estrada Gramado/Nova Petrópolis, já a caminho de Bento Gonçalves (RS). O resultado: fraturas na perna direita. O acidente aconteceu porque a ponta da minha bota enroscou no alambrado de proteção lateral de uma muito estreita passagem para motos no pedágio. Tanto que a Polícia Civil de Gramado instaurou inquérito para averiguar o que considerou, a princípio, lesão corporal culposa por parte da concessionária da rodovia. Depois, a questão foi voltar para casa com gesso da ponta do pé até acima do joelho. De avião, impossível. A Azul recusou-se a vender a passagem alegando que não transporta passageiros naquela situação. A Gol o faria se recebesse pedido especial com 48 horas de antecedência e atestado médico. E cobraria R$ 9 mil para instalar uma maca na aeronave. A escolha final foi o ônibus leito. Saindo de Porto Alegre, foram onze horas e meia até Curitiba. Um dia de descanso, e mais sete horas até São Paulo. Resta a recuperação da implantação de uma haste na tíbia e uma placa na fíbula. (MT).


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

t

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Fotos: Divulgação

urismo

DE VOLTA AO SONHO, NOS AZUIS DO MAR. Nosso repórter embarcou no Costa Favolosa, navio que é quase gêmeo do Costa Concórdia que naufragou em janeiro no litoral da Toscana. E verifica novas medidas no comando Fabio Steinberg

P

erplexo, acompanhei com o mundo o naufrágio do Costa Concórdia em janeiro no Mediterrâneo. Então, quando surgiu a oportunidade de fazer um cruzeiro de uma semana que saía de Dubai em um navio que era quase gêmeo do que naufragou, vi a chance de avaliar como foi possível um desastre desses em pleno século 21. Ainda mais com um transatlântico de uma empresa tradicional e com farta experiência como a Costa Cruzeiros. Tinha interesse espe-

tros de comprimento e 35 de largura, o navio tem 10 mil metros de área externa para os 3.800 passageiros se esparramarem em espreguiçadeiras, quatro piscinas, cinco jacuzzis e cachoeiras. Com uma linha entre a fantasia e o luxo que tomou conta da empresa nos últimos anos, paira o conceito do conto de fadas. Lembrando um castelo encantado em granito, pedras preciosas e cristais, há inspirações em obras de arte de palácios, museus e mitos. Entre restaurantes, bares, cassinos, spa, fitness center, Fotos: Fabio Steinberg conta ainda com cinema 4D, PlayStation e simuladores Grand Prix e golfe. E, diante de tantas opções, uma biblioteca quase sempre vazia. Pe rce be- se que a tripulação está mais atenta à segurança. Por exemplo, o Alfredo Romeo, o comandante, quase burocrácuja função é comparada à de um tico treinamengerente-geral. Ponte de comando t o p a r a e m e ragora tem acesso restrito. gências feito nas primeiras 24 horas de embarque agora ocorre quando o navio ainda está atracado no porto. Há um cont r o l e p a r a g arantir a presença obrigatória de todos os passageiros, que t a m p o u c o e nc o n t r a m a mcial em conhecer o papel do biente para tirar fotos ou fazer comandante em um navio nos gracinhas enquanto as instrudias de hoje, e que medidas de ções são fornecidas. Além das segurança a companhia havia instalações comuns a todos os navios de cruzeiro, como 4 mil tomado após o acidente. O Costa Favolosa, um ano de detectores de fumaça, 500 exvida, que vem ao Brasil na pró- tintores de incêndio, 32 quilôxima temporada marítima ao metros de cabos que integram lado do Fascinosa, Serena e 5 mil sprinklers e 10 km de Fortuna, lá estava no Porto de mangueiras, ele carrega em Dubai. Imponente nas suas média 60 embarcações com 113 mil toneladas em 290 me- capacidade para transportar

quase o dobro dos passageiros embarcados. Não são medidas isoladas. Um documento de fevereiro deste ano enrijece os padrões de segurança da frota Costa com sete iniciativas de segurança. Entre outras, a empresa acabou com o fácil acesso de pessoas estranhas à ponte de comando. "Antes, além da navegação, a ponte de comando acomodava também a função de relações públicas e representação", comenta Renê Hermann, presidente da Costa Cruzeiros para a América do Sul. Agora é restrita a oficiais. Novos ventos – A função do comandante também reflete a mudança de ventos. De senhor absoluto do destino do navio, ele hoje é como um gerente-geral, com forte viés para atuar como relações públi-

cas de um gigantesco e sofisticado hotel flutuante. "A função dos comandantes se alinha hoje ao de um alto executivo que dirige a equipe, o rumo dos negócios, responde pela performance técnica e econômica, e se empenha pelo índice de satisfação dos clientes", a f i r m a H e rmann. No Favolosa, o simpático italiano Alfredo Romeo se ajustava como luva ao nov o " j o b d e scription". Dividia a rotina diária em três partes. A primeira era uma reunião com a equipe de navegação para saber se o navio estava no rumo certo e no horário. A segunda era conhecer o sta-

Decoração do Favolosa faz lembrar um castelo em granito, pedras preciosas e cristais (à esq.). Ao todo, são quatro piscinas (à dir.), cinco jacuzzis e cachoeiras.

tus das instalações, da tripulação com 1.100 pessoas e os hóspedes. E a terceira, e talvez a mais delicada: em seu garboso uniforme branco, tirar centenas de fotos ao lado de passageiros sorridentes, além de levantar brindes em quatro idiomas em infindáveis coquetéis com os passageiros em eventos que ninguém sabia a razão. Por fim, esta é uma boa notícia. Afinal, não faz sentido a Costa (ou concorrente) entregar nas mãos de um profissional, por mais qualificado e experiente, um dos seus 25 ativos que juntos carregam 61 mil pessoas. Se no passado havia margem de manobra para o comandante exercitar a veia autoritária e tomar decisões unilaterais, ela se desfez junto com a

Favolosa, que vem ao Brasil no próximo verão, tem 10 mil metros de área externa para seus 3.800 passageiros.

espuma do mar no naufrágio do Concórdia. Hoje o navio é comandado não por uma pessoa, mas por uma equipe. A novíssima implantação de um sistema de monitoramento da rota da frota em tempo real, o HT-SMS (sigla de High Tech Safety Monitoring System), compartilha a posição e curso da supervisão entre o comando do navio e a equipe em terra, possibilitando à companhia captar e corrigir na hora eventuais desvios de conduta. No clima de fantasia dos cruzeiros, segurança é uma questão vital. Afinal, nenhum passageiro quer que o seu sonho se transforme de repente em pesadelo. Costa Cruzeiros: www.costacruzeiros.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

23 Fotos: Fox Film/Divulgação

d

cultura

A origem da humanidade entre aliens, segundo Ridley Scott.

Lúcia Helena de Camargo

G

eologia, história, moda, filhos, comida, amor, fé, câncer, ternura, curiosidade. Qual o sentido de tudo isso, dentro do contexto da vida? De onde viemos? Por que existimos? Perguntas como essas estão no cerne do longametragem Prometheus, que estreia nos cinemas brasileiros nesta sexta (15). Dirigido e produzido por Ridley Scott, vai em busca de questões que inquietam boa parte da humanidade desde o início dos tempos. Tenta explicar parte delas com teses sobre existência

de seres em outros planetas. Trata-se da chamada "prequência". Ou seja, ele situa sua história em um tempo anterior ao dos longas da série Alien, também por ele. Alien, o 8º Passageiro (1979), inovador em sua época, abriu caminho para os posteriores filmes sobre alienígenas gosmentos que matam pessoas. Sigourney Weaver foi a protagonista que mais sofreu com os ataques dos aliens assasinos. Em Prometheus, é Noomi Rapace que encarna a heroína Elizabeth Shawn (Sherlock Holmes

- O Jogo de Sombras), cientista obstinada em busca de vestígios de vida no remoto planeta para onde a nave é enviada no ano de 2093. No papel do andóide quase humano David (foto acima) está Michael Fassbender (Shame), mais uma vez com desempenho muito acima da média. E Charlize Theron (Branca de Neve o o Caçador) esbanja olhares ferinos como Meredith Vickers (foto), mulher que tem um cargo de destaque, mas não está muito interessada nos objetivos que motivam o restante da equipe. Grande parte das locações

foram na Islândia, onde a produção encontrou paisagens inóspitas, adequadas à ambientação em um planeta longínquo. O simbólico nome da nave e do longa, Prometheus, acrescenta sentido à ação. De acordo com a mitologia, o titã Prometeu, afeiçoado pela humanidade, rouba o fogo do Olimpo e o entrega aos homens, despertando a fúria de Zeus, que

o mantém acorrentado durante 30 mil anos. Prometeu tem seu fígado bicado continuamente por uma águia. Como é imortal, o órgão se regenera, para no dia seguinte ser novamente destruído. Assim até ser libertado por Quíron. Talvez a nave espacial seja aqui o perigoso agente dos deuses que tenta beneficiar os humanos. Para saber qual será a punição da instância superior –

Zeus, Deus ou outro – ao pecado de xeretar demais a origem da criação, será preciso ver o filme de Ridley Scott. Mesmo que você não ligue a mínima para toda a filosofia, o filme pode valer pelo visual e efeitos especiais, que são de primeira. Além de funcionar sob medida para quem adora levar um susto na sala de projeção.

Prometheus (EUA, 2012, 124 minutos). Direção: Ridley Scott. Com Michel Fassbender, Charlize Theron, Noomi Rapace, Guy Pearce, Idris Elba, Logan Marshall-Green.

CICLO Em fotogramas, o tempo que passa pelas estradas. AP Photo

Fotos: Divulgação

N

o mês que vem está previsto para chegar aos cinemas Na Estrada, de Walter Salles (foto acima), baseado no clássico livro On The Road, de Jack Kerouak. Pegando carona no lançamento, a Cinemateca Brasileira montou o ciclo Cinema com o Pé na Estrada. Serão exibidos filmes como Diários de Motocicleta, também de Salles, sobre a saga de Che Guevara,

então um jovem estudante de medicina, e seu amigo Alberto Granado, que viajaram pela América do Sul em uma velha moto. E Família Rodante, de Pablo Trapero, sobre a viagem da senhora idosa, convidada para ser madrinha do casamento de uma sobrinha, até a fronteira entre Argentina e Brasil. Entraram na programação também A Fuga da Mulher Gorila, de Felipe Bragança e Marina Meliande. Duas irmãs atravessam as estradas do Rio de Janeiro apresentando um espetáculo circense. O filme foi rodado em oito dias,

com equipe mínima e baixo orçamento, e já recebeu prêmios como o de Melhor filme pelo Júri Oficial na 12ª Mostra de Tiradentes. E ainda o imperdível No Decurso do Tempo (Im Lauf der Zeit), de Wim Wenders. Rodado em 1976, funciona como uma aula de cinema ao mostrar o técnico de projeção que encontra o suicida na estrada, e juntos partem em viagem pela Alemanha. Belíssimo trabalho de WW na fase alemã, mas já flertando com os EUA, pois a trilha é recheada de rock americano. (LHC) www.cinemateca.gov.br

Diários de Motocicleta: saga de Che Guevara, com Gael García Bernal e Rodrigo de La Serna.

Super-heróis fora do armário Kety Shapazian

T

odos aqueles momentos compartilhados entre Batman e Robin. A Mulher Maravilha sempre na companhia de outras garotas. O Super-Homem se trocando numa cabine de telefone – uma alusão à expressão "saindo do armário"? Ultimamente essas mensagens nas entrelinhas viraram 'realidade' no mundo dos quadrinhos. A editora DC Comics revelou que Alan Scott, o Lanterna Verde original, é gay e

tem um namorado chamado Sam (os dois aparecem se beijando na sequência abaixo). Scott, super-herói do chamado primeiro escalão, assumiu sua homossexualidade nas páginas de Earth 2, revista que começou a ser vendida nos EUA na semana passada. Já a Marvel Comics, que detém a liderança do mercado de HQ com a DC Comics, celebrou o casamento entre o mutante Estrela Polar e seu

Imagens: reprodução

Lanterna Verde beija seu namorado, Sam.

namorado de longa data, Kyle. Os leitores descobriram que Estrela Polar era assumidamente gay em 1992, mas as menções à sua opção sexual foram raríssimas nesses últimos 20 anos. Na verdade, o personagem foi idealizado nos anos de 1970 para ser gay, mas a editora rejeitou a ideia o máximo que pode. Nem o Batman escapou da onda gay que está sacudindo os quadrinhos. Antes de o Lanterna Verde "se assumir", havia boatos de que o parceiro do Robin seria o próximo personagem a sair do armário. Mas o que estaria por trás da nova tendência? Fim da política de Don't Ask, Don't Tell (não pergunte, não conte), extinta recentemente no exército americano? Ou como o conservador grupo cristão One Million Moms (Um Milhão de Mães) bradou num comunicado recentemente: "Uma traição dos valores da família!"? Há quem ache que não passe de uma

"cínica ação de marketing das editoras na tentativa de manter a provocação", como o jornal canadense Globe and Mail escreveu na segunda-feira (11). Resta agora saber quem será o próximo a sair do armário... A Mulher Maravilha é uma escolha, digamos, sensata. Ela foi criada em 1941 pelo psicólogo William Moulton Marston, um profissional considerado radical que celebrou o casamento entre pessoas do mesmo sexo quando isso era tabu dos mais fortes. Noah Berlatsky, escritor americano que está preparando um livro sobre o universo dos HQ, lembra que nas primeiras edições de Mulher Maravilha, "Marston colocava a personagem entre garotas, uma amarrando a roupa da outra e declarando seu amor pela Mulher Maravilha. As implicações ali são absolutamente intencionais".

Casamento de Estrela Polar e Kyle

Nem Batman, um dos mais másculos super-heróis do universo dos quadrinhos, escapou: muitos apostaram que ele finalmente assumiria sua homossexualidade. Mas a DC Comics decidiu pelo Lanterna Verde.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

24

sexta-feira, 15 de junho de 2012

SÃO PAULO ABAIXO DE ZERO

d

cultura

Rita Alves

O

clima vai ficar mais frio no Ginásio do Ibirapuera. Mas nada que atrapalhe a diversão. Pelo contrário. O espetáculo Disney On Ice - 100 anos de Magia promete animar adultos e crianças, exibindo uma apresentação de patinação no gelo com mais de 60 personagens do universo da Disney. Fazem parte dele ícones de filmes como O Rei Leão, Os Incríveis e Procurando Nemo. A dupla Mickey e Minnie vai comandar a apresentação. No gelo, o público poderá contemplar coreografias criadas pela bailarina Sarah Kawahara, responsável, por

exemplo, por coreografar o número de patinação da Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos de Inverno de 2002. Quem dirige a trilha sonora é o diretor de música e arte Kempel Beard Stan. Chama a atenção ainda o trabalho cênico do designer David Potts. Ele criou carros alegóricos e mais de 100 elementos de cena para o espetáculo. No número It's a Small World diversos carros alegóricos motorizados entram no palco, representando a Ásia, a Europa, a Rússia e a América Central. A aparição de Monstro, a infame baleia de Pinóquio, também deve surpreender o público, deslizando

pelo chão com seus 10m de comprimento e 3,5m de largura. Disney On Ice - 100 anos de Magia já passou por diversos lugares do mundo. Entre 2011 e 2012, o espetáculo visitou 38 cidades.

mediante apresentação de RG ou Certidão de Nascimento. Vendas: Central Tickets For Fun: Pelo telefone, entrega em domicílio (taxas de conveniência e de entrega), tel.: 4003-5588 (válido para todo o país), das 9h às 21h, segunda a sábado. Pela Internet: www.ticketsforfun.com.br (entrega em domicílio – taxas de conveniência e de entrega). Vendas a grupos: confira condições especiais para vendas de ingressos a grupos no telefone: (11) 28466232/e-mail: grupos@t4f.com.br.

Ginásio do Ibirapuera. Rua Manoel da Nóbrega, 1361. Sexta (15), 10h30, 15h30 e 20h. Sábado (16), 15h e 19h. Domingo (17), 11h, 15h e 19h. Terça (19), 20h. Quarta (20), 20h. Quinta (21), 15h e 20h. Sexta (22), 20h. Sábado (23), 11h, 15h e 19h. Domingo (24), 11h, 15h e 19h. R$ 50 a R$ 200. Crianças de colo de até 1 ano (incompleto) não pagam. Crianças de até 12 anos (incompletos) pagam meia-entrada

Colorido e pulsante universo das batucadas Fotos: Divulgação

O

À BEIRA DO ABISMO

A T4F/Time For Fun

O título Por um Fio evoca a ideia de limite, de situação extrema, onde em geral algo está à beira do abismo, sustentado por um frágil equilíbrio. Helena Martins-Costa

partir desta sexta-feira (15) os visitantes do Museu de Arte Moderna de São Paulo (MAM) terão uma nova obra de arte para admirar, antes mesmo de entrar no museu. Trata-se da videoinstalação Por um Fio, da artista Helena Martins-Costa. Ela é a segunda convidada do ano para participar do Projeto Parede 2012, cuja proposta é mostrar um trabalho artístico no corredor de acesso entre o saguão de entrada e a Grande Sala do MAM. Dessa vez, a surpresa vem das alturas: a videoinstalação será projetada no teto. É nele que o espectador verá o vídeo de alguém andando em uma corda bamba e terá a sensação de que de fato o funâmbulo caminha sobre sua cabeça. As passadas a��reas são feitas a cerca de 1,5m de altura e percorrem o

trajeto do corredor. Segundo a artista, o nome do trabalho remete à ideia de limite e situação extrema. “O título Por um Fio evoca a ideia de limite, de situação extrema, onde em geral algo está à beira do abismo, sustentado por um frágil equilíbrio. Por um Fio sugere um enorme risco, uma intercessão feita no último momento e a cada instante", explica. "Nesse jogo, como alegoria de sua própria condição, o que estará em risco no corredor talvez seja a própria imagem”. (RA)

Museu de Arte Moderna de São Paulo – corredor de acesso à Grande Sala. Parque do Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 3, tel.: 5085-1300. Grátis. Até 20 de dezembro de 2012.

vasto panorama do samba de São Paulo é o tema do originalíssimo evento É Tradição e o Samba Continua... - 2ª edição, que já passou pelo Memorial da América Latina, pelo Auditório Ibirapuera e agora chega ao palco do Espaço Cachuera. Não se trata mais de dizer que São Paulo também faz samba bom ou de se ancorar nos antigos feitos de Adoniran Barbosa. O projeto mostra um universo atual, colorido e pulsante, com gente de origem muito distinta, mas bem acomodada sob o estandarte das batucadas. A amostragem inclui desde os congadeiros Seu Benedito e sua família, formados na festiva São Luis do Paraitinga, até o simpático Toinho Melodia, compositor da Vai-Vai, da Unidos da Vila Maria, do Samba da Vela e do Grêmio Kolombolo, passando, ainda, por uma série de artistas profissionais ligados à cultura popular tradicional, como os competentes Tião Carvalho e Marcelo Pretto. Um atrativo especial é

Inspiração nordestina A Cia. Mauricio de Oliveira & Siameses se inspirou na cultura tradicional do reisado nordestino para criar o espetáculo Nigredo, do coreógrafo Mauricio Oliveira. Sesc Pompeia. Rua Clélia, 93, Pompeia. Sexta (15), quinta (21), sexta (22), terça (26) e quarta (27). 21h. R$ 20.

a forte presença de grupos de pesquisa no roteiro, com o Paranapanema (anfitrião das duas noites), o Sambaqui e o Cachuera. São eles alguns dos principais responsáveis por uma das novidades mais interessantes na música paulista contemporânea: o sensível aprofundamento do conhecimento sobre o samba paulista, não só na maltratada memória urbana do rádio e do carnaval, mas, sobretudo, nas suas quase esquecidas vertentes rurais. (AD)

É Tradição e o Samba Continua 2ª Edição. Espaço Cachuera. Rua Monte Alegre, 1094, tel.: 38728113. Domingo (17), às 20h, com Grupo Paranapanema, Cássio Portuga, Teroca, Toinho Melodia, A Quatro Vozes e Sambaqui. Segunda (18), às 18 h, com Grupo Paranapanema, Tião Carvalho, Marcelo Pretto, Seu Benedito e família, Daniel Reverendo e Grupo Cachuera. R$ 6.

TINETTI Beethoven, Brahms e Debussy.

Wilian Aguiar

O pianista Gilberto Tinetti (foto) interpreta Beethoven - Rondó Op. 51 Nº 1 e Sonata Op. 28. Brahms Rapsódia Op. 79 Nº 2; e Debussy - Pour Le Piano. Cultura Artística Itaim. Av. Juscelino Kubitschek, 1830. Tel.: 3258-3344. Quarta (20). 21h. R$ 40.

UM REALISMO MÁGICO QUE VEM DA KAFKIANA EUROPA OCIDENTAL Renato Pompeu

I

magine a cena: numa clara noite de inverno, com o céu limpo fulgurante de estrelas e a terra abaixo dela coberta, tanto quanto a vista alcança, de neve infinita caída antes, as estrelas começam a descer do céu sobre a neve, sendo colhidas pelos caminhantes nas montanhas. Ora, direis, colher estrelas; certo, perdeste o senso. Ou outra cena: seu pai, que de noite usa camisola, se transforma numa barata e depois num escorpião. Esse é o mundo, entre o realismo mágico e otimismo típico dos escritores latinoamericanos e a estranheza pessimista do checo Franz Kafka, do grande escritor polonês Bruno Schulz (1892-1942). Sua Ficção Completa acaba de ser lançada em caprichada edição em capa dura pela CosacNaify, contendo os livros Lojas de Canela, Sanatório Sob o Signo da Clepsidra e mais quatro contos. As ilustrações, muito bonitas e bastante expressivas e impressionantes, são também de Schulz, que também era bem dotado pintor, gravador e desenhista. A muito bem feita tradução de Henryk Siewirski recria todos os efeitos estilísticos, a sonoridade, as evocações religiosas e o maravilhamento filosófico de

Schulz. O tradutor só não consegue o impossível: recriar a estranheza que o leitor eslavo sente diante de palavras inventadas pelo autor a partir de palavras de outros idiomas, como "indiferentcji", "antecedensów". Por outro lado, o grande escritor russo Leon Tolstoi certa vez recomendou, a jovens escritores: "Canta a tua aldeia e serás universal". A ficção tão universal de Schulz, que mostra um mundo encantado, tanto no sentido de ser belo como no sentido de ser enfeitiçado, se passa toda numa pequena cidade, na verdade a cidade em que o escritor nasceu, Drohobycz, e onde passou a vida inteira, com exceção de curtas saídas para estudar arquitetura em Lviv (agora uma das sedes ucranianas da Eurocopa), e depois em Viena. A própria história de sua cidade - ainda hoje pequena, com menos de 80 mil habitantes, 70 anos depois da trágica morte de Schulz (assassinado durante a ocupação nazista), que por sua vez parece descrever Drohobycz tal como era na sua infância, na passagem do século XIX para o século XX - respira a atmosfera de sonho de seus mágicos contos. Segundo a lenda, por

volta do século XII, na antiga Rus, origem do povo russo e que corresponde à atual Ucrânia, produtores de sal à beira de onde o Rio Seret conflui para o Rio Tysmenitsya criaram um acampamento que se transformou num povoado com o nome de Bych, logo destruído por invasores turcos chamados de cumanos pelos ocidentais e de polovitsianos pelos russos, consagrados pelo compositor russo Borodin em suas famosas Danças Polovitsianas do Príncipe Igor. Ainda segundo a lenda, depois que os turcos foram expulsos, o povoado foi reconstruído num ponto um pouco mais além, com o nome de Drohobych, que significa "Segunda Bych". A Polônia conquistou a região no século XIV, tendo mudado a grafia para Drohobycz, mas nos fins do século XVIII, com a partilha da Polônia, a cidade passou para a Áustria e depois para o Império AustroHúngaro. Schulz nasceu como cidadão da Áustria-Hungria, mas depois se tornou cidadão polonês, quando a Polônia foi restaurada como nação soberana, em 1919, e cidadão soviético, quando, em 1939, a Polônia foi dividida entre a Alemanha nazista e a União Soviética. Então, a cidade

retomou a grafia original de Drohobych e hoje pertence à Ucrânia. Ali vivem ucranianos (grande parte deles da minoria católica-romana nessa nação de maioria católica-ortodoxa), poloneses, judeus como Schulz e russos. Durante a vida de Schulz, a cidade passou de cidade salineira tradicional para um moderníssimo

centro petrolífero, transformação que assombra sua obra. Também mágica e kafkiana é a própria vida de Schulz. Nasceu filho de um vendedor de tecidos, e só saiu de Drohobycz aos 19 anos, em 1911, para estudar arquitetura em Lviv e Viena. De 1924 a 1941, foi professor de desenho numa escola polonesa em Drohobycz, de onde nunca mais saiu, basicamente por não ter encontrado outro emprego. Seus amigos não gostaram de seus primeiros contos e desaconselharam a publicação. Entretanto, paradoxalmente, suas cartas a um amigo morador em outra cidade, em que descrevia de um modo poético e mágico sua vida reclusa, a de seus familiares e de seus vizinhos, chamaram a atenção de uma

romancista, que o aconselhou a publicar as cartas como se fossem contos. Assim foi lançado, em 1934, Lojas de Canela, e, três anos depois, Sanatório Sob o Signo da Clepsidra. Depois de ter ajudado sua noiva a traduzir O Processo, de Kafka, para o polonês, ele ganhou um prêmio da Academia Polonesa de Letras, em 1938. No ano seguinte, ao se desencadear a Segunda Guerra Mundial, a cidade foi anexada à União Soviética. Em 1941 a região passo u a ser ocupada pela Alemanha nazista. Apesar de judeu, Schulz não foi de início muito afetado pela ocupação alemã, pois um oficial nazista se encantou com sua pintura e lhe encomendou um mural. Schulz assim circulava livremente, saindo do gueto, para a área "ariana" da cidade. Numa dessas saídas, entretanto, em 1942, quando levava um filão de pão pela área "ariana", foi assassinado a tiros por outro oficial nazista, desafeto do seu protetor. O livro em que Schulz estava trabalhando, O Messias, jamais foi encontrado. Muito provavelmente, se perde u uma obra-prima, talvez ainda mais bem acabada do que as que ele nos legou.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

25

Entre livros e acordes Afinados com a música, universitários embalam milhares de jovens nas festas estudantis. Fotos: Newton Santos/Hype

Ana Barella

d

Além de formar

Madrugas. Ele sabe o risco que corre, caso decida seguir a educadores e carreira de músico. "Como vou pensadores, as dizer aos meus pais que eu quero universidades também atuam ser um rockstar? O jeito é apostar como um celeiro de músicos, também na carreira de físico. estimulando a formação de Vou bem nas provas, de olho grupos vocais, instrumentais - e numa bolsa nos EUA". aqui entram as bandas. Bandas Já o pessoal da banda Vó de rock, folk, metal, sertanejo, Tereza, mesmo cursando entre outros estilos. As festas, faculdades privadas e já organizadas pelas faculdades, trabalharem em suas respectivas costumam atrair milhares de carreiras, decidiram mudar suas jovens e abrem espaço para prioridades e se dedicar bandas formadas pelos próprios inteiramente ao grupo. estudantes, transformando-os "Contratamos músicos para em profissionais (às vezes, participar da seção de metais nos astros). Essa trajetória, em geral, nossos shows e estamos vai ganhando consistência até o bancando o nosso primeiro clipe, ano de formatura. "Como o da música Eu Posso Mais", explica orçamento dessas festas não é Natan. A banda também conta grande, os organizadores com uma equipe de amigos que acabam abrindo espaço para as os ajudam a realizar o sonho de bandas dos alunos", explica construir uma carreira musical. Natan Kurata, 23 anos, estudante Empresário, produtor, diretor de de administração de empresas arte, fotógrafo, ativador de redes da ESPM (Escola Superior de sociais, técnico de som, segundo Propraganda e Marketing), e Natan, todos esses serviços são vocalista da banda Vó Tereza "descolados na camaradagem". (samba-rock e pop). Rumo ao estrelato - Os meninos Rock - Lucas Guratti, 21 anos, é da banda de pop-rock Jamirulus recém-formado em estão vivendo o publicidade na ESPM sonho. Quando e vocalista da banda formaram o grupo É um desafio Diablo. Ele conta não imaginaram tocar Queen que o maior desafio que um dia de tocar em festas é assinariam um para um agradar ao público contrato com o público que, habitualmente, produtor musical ligado em ouve sertanejo e Rick Bonadio, que Michel Teló. funk. "Acho que o lançou bandas pessoal curtiu a Lucas Guratti como Mamonas banda e aceitou o Assassinas, Titãs e rock, pelo fato de termos adotado Ira!. Hoje, eles já gravaram um um estilo performático que beira CD, com o nome 54, e lançam na o bizarro", conta. Outra banda semana que vem seu primeiro roqueira que, também, está videoclipe - da música Vou Para a contagiando o meio é a The Praia, com participação especial Madrugas. Alunos das do apresentador de TV José Universidades UFSCar Luiz Datena. (Universidade Federal de São O que começou há nove anos Carlos) e USP (Universidade de como uma brincadeira, virou São Paulo). Eles apostaram no coisa séria. "Éramos moleques rock indie (alternativo). "No tocando metal, dai foram começo, achamos que ninguém surgindo oportunidades, ia gostar muito, mas, pelo visto, assinamos com o Rick e já tem público para todos os ramos fazemos shows para milhares de do rock", comenta Augusto pessoas", conta Phillip Knijinik, 21 anos, estudante de Schrijnemaekers, 23 anos, engenharia da computação na guitarrista da banda. UFSCar e vocalista da banda. Dos livros ao mainstream - É Próximos shows provável no entanto, um freio Vó Tereza. Ton Ton Jazz. nesse embalo, assim que eles Alameda dos Pamaris, 55. receberem o diploma; muitos Sexta, 6 de julho. 22h. R$ 25. jovens acabam trocando o Jamirulus . Clube do Vinil. projeto de carreira que Rua Carioba, 2001. Americana. almejavam, pelo sonho de Sábado, 7 de julho. 22h. R$20. brilharem na música. The Madrugas. II Feed Back Insegurança - Dúvidas? Sim, elas Music Festival. Instituto Cultural tomam conta de Victor Ferrari, Janela Aberta. Rua Conde do estudante de física na USP, e, ao Pinhal, 2340. São Carlos . mesmo tempo, baterista e Sábado (30). 16h. R$ 10. backing vocal da banda The

cultura jovens profissionais,

Pessoal da The Madrugas na loja The Records, Nova Barão.

Madruguinha: mascote da banda de indie rock The Madrugas.

Como eu vou dizer aos meus pais que quero ser um rockstar? Victor Ferrari Fábio Marino/Divulgação

Banda Vó Tereza: show no evento Jogos Mix em Bauru, SP.

Rock acadêmico Mesmo com tantos universitários querendo jogar tudo para o alto e se tornar rockstars, alguns têm outros sonhos. Thomás Rodrigues, por exemplo, é baixista da banda de indie rock, The Madrugas. Estudante de engenharia física da UFSCar, almeja seguir carreira acadêmica. Segundo Thomás, o sonho de um país com melhor qualidade de ensino e a paixão pela pesquisa o levaram a querer se tornar um professor universitário.

"Quero que os alunos enxerguem a beleza e a importância por trás de cada uma das disciplinas consideradas chatas", explica Além de estudante e músico nas horas vagas, ele faz iniciação científica no Laboratório Interdisciplinar de Eletroquímica e Cerâmica - LIEC. "Meus planos são fazer um intercâmbio pelo programa Ciências sem Fronteiras e voltar ao Brasil para fazer uma pós", entusiasma-se. (AB)

Acho que o pessoal curtiu a banda e aceitou rock, porque também somos performáticos. Lucas Guratti

Talentos nada convencionais André Domingues obras pouco lembradas, como o bonito baião Rosa do Mearim e o sensacional xote Ou Casa ou Morre. A audácia dos dois, contudo, também traz seus revezes, seja por esbarrar em duas peças pouco relevantes na trajetória de Gonzaga, Rei Bantú e Tenho Onde Morar, seja por apostar em ideias curiosas mas deslocadas, como os ares de tango platino dados à interpretação de Acácia Amarela. O prejuízo, felizmente, não chega nem perto dos benefícios da aventura.

ção

vo, de 1964, o disco retoma a obra do mestre bossa-novista com uma música instrumental um pouco menos consagrada à habilidade dos solistas - comum naqueles anos 60 - e mais aberta ao diálogo dos instrumentos. O elo entre Marcos e Edison não é só a profunda admiração demonstrada pelo primeiro, mas também a influência em comum do maestro Moacyr Santos, com seus intrincados trançados de vozes e sua farta exploração da rítmica afroamericana. Além disso, há o gosto pelo mesmo tipo de formação: um sexteto com piano, baixo, bateria e três sopros. Dentre as seis faixas do disco, vale a pena notar a instigante Edson #2, criada sobre um groove torto de trombone, e a versão desmanchada de Aquarela do Brasil, feita à moda de Moacyr, num saboroso concurso de linhas independentes e complementares e com uma rítmica de forte s matizes afros, tributária do samba-de-roda baiano.

Fotos:Divulga

B

asta ouvir algumas das homenagens que estão pipocando pela MPB para se notar o quanto a ideia pode ir bem além do convencionalismo das flores e placas de bronze. É o caso de três ótimos lançamentos: Meu Samba no Prato - Tributo a Edison Machado, de Marcos Paiva; Que Se Deseja Rever, de Mateus Sartori e Guilherme Ribeiro, uma homenagem a Luiz Gonzaga; Ra sgando Seda, do Quinteto Villa-Lobos, dedicado a Guinga. Cada um, à sua maneira, mostra que o formato antes marcado por um oficialismo laudatório, quase avesso a novidades, pode ser tão radicalmente original quanto foram os homenageados. Meu Samba no Prato - Tributo a Edison Machado é um trabalho que reafirma o lugar do jovem contrabaixista, compositor e arranjador Marcos Paiva entre os nomes mais interessantes da sua geração. Livremente inspirado no LP Edison Machado É Samba No-

Guinga e Sartori: exercício do requinte. Com belos resultados. O centenário de Luiz Gonzaga é o motivo da união entre o cantor Mateus Sartori e o pianista e acordeonista Guilherme Ribeiro em Que Se Deseja Rever. Ancorado no bom domínio técnico de Guilherme e na inabalável segurança de Mateus, o disco escapou ao peso que um Gonzagão costuma trazer e saiu

ousado, com espaço de sobra para a modernização harmônica e a maior exploração do teor passional das canções. A escolha do repertório também surpreende, deixando um pouco de lado os clássicos, representados apenas por Qui Nem Jiló, Assum Preto e Asa B ra nc a, e se chegando mais a

Shows de lançamento Sábado (16). 21h. Teatro Cemforpe. Rua Antenor Leite da Cunha, 55. Mogi das Cruzes. Tel.: 4699.1512. R$ 20. Quarta (20). 20h30. Sesc-Pinheiros. Rua Paes Leme, 195. Tel.: 3095.9400. R$ 16. A comemoração dos 50 anos do Quinteto Villa-Lobos se deu com mais um interessante projeto sobre a ligação entre as músicas erudita e popular no Brasil, espe-

cialidade do grupo. Dessa vez, a proposta escolhida foi uma releitura camerística da música do compositor carioca Guinga, com participação do próprio ao violão (ele também canta em um único número, a modinha Porto da Mad am a). A complexidade dos arranjos, na maioria das faixas executados com precisão irretocável, é o centro do trabalho. Por meio deles, temas como Ellingtoniana e Nítido e Obscuro comprovam a ambivalência de Guinga para os dois universos, recebendo uma roupagem de grande sofisticação sem se descaracterizar. A contraface da ênfase na complexidade da obra do homenageado, entretanto, é a falta da fluência popular em muitas das performances. Não é um problema que afaste o ouvinte, em função da riqueza dos outros elementos em jogo, mas chega a incomodar, sobretudo em peças que exigem essa fluência, como a brejeira O Coco do Coco.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

26

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Fotos: Divulgação

d

De Lattara para qual França ?

cultura

José Guilherme R. Ferreira

Bisteca La Vera Fiorentina: uma das principais atrações do cardápio. Para duas pessoas.

Convite ao almoço gostoso na casa da nona Lúcia Helena de Camargo

A

berto no ano passado na Vila Leopoldina, o restaurante Mangiare vale a visita. Fora do circuito Itaim-Jardins, foi instalado em um antigo galpão. Durante um ano o casal Juliana e Benny Burattini Goldenberg trabalharam para transformar o espaço, conseguir as licenças e montar o leque de fornecedores de produtos artesanais. O passo seguinte foi criar o cardápio de inspiração italiana, que privilegia orgânicos, verduras e legumes sazonais. "Temos exemplos de culinárias da Bologna, Piemonte, Toscana e outras regiões. A ideia foi montar um menu eclético e caseiro", diz o proprietário. A inspiração vem da slow food. Na prática, aquela comidinha caprichada da casa da nona (a vovó). Pães - Depois de escolher a mesa, o garçom com a enorme cesta vai oferecer o singelo couvert: pães feitos na casa e azeite de oliva. Custa R$ 9 por pessoa. Chega também à mesa a jarra de água, com ou sem gás, que é grátis. Se a ideia é petiscar, vão bem os embutidos da salumeria (R$ 40) e a seleção de queijos da casa (R$ 35). Ou uma das cinco brusquettas, que podem conter de tomate a pasta de tutano (ambas R$ 12) até mix de cogumelos (R$ 18). Faz sucesso também a porção de azeitonas empanadas e recheadas (R$ 12). Ainda para comer como entrada: bolinhos, polentas, saladas e a Batuta di Manzo (R$ 25), versão italiana do steak tartare. Leva sal de pimenta, parmesão, azeite e verdurinhas. Acompanha torrada no azeite. O tempero é mais ameno do que no tradicional. Um dos destaques entre os pratos principais é a bisteca La Vera Fiorentina (R$ 120, serve duas

pessoas). Grelhada e finalizada na lenha, fica suculenta e muito saborosa. "A carne precisa ter a marmorização na medida certa", explica Benny. E para dividir entre até quatro pessoas, peça o Pollo al Matone (também R$ 120), franguinho caipira feito no forno à lenha. Cosa Nostra Há massas, como a maltagliati com ragu à bolognesa (R$ 32), nhoque de farinha integral com ragu de rabada (R$ 35). E ainda pizzas, chamadas de Cosa Nostra (referência a Nápoles), como de mussarela, R$ 32; ZuccaZucchini (R$ 35), coberta por abobrinha caipira e abóbora no forno à lenha, com sálvia e gorgonzola, entre outros sabores. Para beber, o Mangiare oferece, além da água grátis, sucos da estação (R$ 7), drinques (capirinha, R$ 12); carta de vinhos com 170 rótulos e 50 rótulos de cerveja, todos de fabricação brasileira artesanal. "Faço questão de ter apenas cervejas nacionais. E garanto que são todas de altíssima qualidade", afirma Benny. Segurança - Com o recente problema dos arrastões de ladrões em restaurantes, Benny se previne mantendo seguranças à porta,

cinco botões de pânico no salão e outro acionado remotamente, além de diversas câmeras em lugares estratégicos. "Infelizmente, hoje precisamos nos precaver dessa maneira, porque o governo não nos proporciona a segurança que deveria", diz. De segunda a sexta, na hora do no almoço (meio-dia às 15h), é servido o menu executivo, com

T

raços de vinhedos da Idade da Pedra foram escavados por arqueólogos franceses em Port Ariene, colados a uma das muralhas da portuária Lattara dos romanos. O sítio está localizado em território da atual Lattes, 5 km ao sul de Montpellier, província de Hérault, na tradicional região vitivinícola de Languedoc-Roussillon, sul da França. Os especialistas acreditam que o desenvolvimento da vinicultura local se deu principalmente a partir do século III a. C., o que não significa que o cultivo das uvas não fosse conhecido séculos antes – a presença de sementes não mente. A profusão de ânforas de vinho encontradas em antigas casas e armazéns em Lattes, por sua vez, tem confirmado a grande influência da Massalia grega (atual Marselha) no comércio mediterrâneo não só de vinhos, mas de outras commodities agrícolas. Não há dúvidas sobre o gosto dos latterenses pelo vinho de Marselha, servido em peças (crateras, taças) importadas de Atenas, mais tarde vindas de Roma. Esses serviços em terracota estão hoje à mostra no Museu Arqueológico Henri Prades, em Lattes, batizado em homenagem ao pesquisador pioneiro. O projeto agora é pesquisar como se deu "a transferência da cultura de vinho" dessa área para o resto da França, explica o arqueólogo molecular americano Patrick McGovern, da Universidade da Pennsylvania. Ele vai apoiar as pesquisas de rastreamento que começam a ser feitas

por Benjamin Luley e Michael Dietler, da Universidade de Chigaco. Eles estão debruçados nos vestígios enológicos encontrados nessa região lagunar, cruzamento de culturas desde 600 a. C. – de fenícios e etruscos a gregos e romanos. O Languedoc-Roussilon é uma das maiores regiões vinícolas do mundo (283 mil hectares), com mais de 20 mil pequenos agricultores em ação, a maioria fornecendo suas uvas para cooperativas (caso de Hérault). Durante anos, a região produziu um tinto pálido, vin ordinaire, explica o crítico inglês Hugh Johnson, atualmente animado com produtores de primeira geração, que retomaram posições nas colinas onde os romanos plantaram alguns dos primeiros vinhedos de toda Gália. Hoje a mais importante appelation é a Languedoc, que desde 2006 substitui a denominação Coteaux du Languedoc.

José Guilherme R. Ferreira é membro da Academia Brasileira de Gastronomia (ABG) e autor do livro Vinhos no Mar Azul – Viagens Enogastronômicas (Editora Terceiro Nome)

Baianidade entrada, prato principal e sobremesa, pelo preço de R$ 37,50. A constante desse cardápio é o corte argentino bife ancho. As demais opções variam toda semana. E diariamente há também um novo prato do dia (R$ 26,50).

Mangiare. Avenida Imperatriz Leopoldina, 681. Vila Leopoldina. Tel.: 3034-5074. www.mangiaregastronomia.com.br

Premiação aos melhores Na noite da última segunda (11) foi entregue o Prêmio Melhores do Ano da Gastronomia, da revista Prazeres da Mesa, em 15 categorias. Rodrigo Oliveira, do Mocotó, venceu como Chef do Ano e Restaurante de Culinária Brasileira. Alex Atala (D.O.M.) recebeu o prêmio de Personalidade da Gastronomia. Arnor Porto (Emiliano) ganhou na categoria Chef Pâtissier. Veja todos os premiados em www.prazeresdamesa.com.br

Aquiles Rique Reis

J

oão Gilberto costuma separar bem as coisas: "há os que são de vocal" e "há os que não são de vocal". Os primeiros são viciados em cantar junto, os segundos não dão muita bola para vozes harmonizadas. "De vocal" e baianos como o mestre, Adslan Corrêa, Eduardo Pinheiro e Jel Negromont são o trio Cama de Voz, que agora lança seu terceiro CD, Cama de Voz Convida (independente). Doze arranjos do disco foram criados por Braulio Villares Barral, sendo que em um contou com a participação de Tony Mello. O som vocal do CdV, pautado por tonalidades mais baixas, para conforto dos três vocalistas, é todo puxado para o grave. A primeira voz, a que conduz a melodia, é sempre cantada numa região intermediária de conforto – por isso não carece de falsete – e conduz as outras duas. Estas, por sua vez, são quase No alto, sempre vocalizadas em Juliana e tom mais grave do que a primeira. Além dos Benny, os uníssonos precisos, o resultado é uma sonoriproprietários. dade encorpada e popular, no sentido de que O ambiente soa como um grupo de amigos improvisando do Mangiare, abertura de vozes, agradável de ouvir, que facom câmeras cilita o entendimento das letras e cria atmosespalhadas fera de agradável festividade. para a Clima esse que está implícito na seleção segurança. das músicas e nos nomes dos convidados E o Pollo que dividem as interpretações com o CdV. O al Matone. samba da Bahia pontifica, bem como surgem firmes outros ritmos tradicionais da terra de Caymmi. Impulsionada pelos competentes arranjos instrumentais (onze dos doze) do mesmo Braulio Barral, a alegria está presente da primeira à última faixa. Dentre outros convidados, a prazerosa surpresa é

ouvir Dóris Monteiro. Ela canta Rosa Morena (Dorival Caymmi) com o trio. Piano, sopros (belo intermezzo do sax), bateria e violão dão suingue ao samba. Dóris se esbalda junto com os meninos. Show. Cada Macaco no Seu Galho tem a participação da figuraça que é Riachão, o autor desse sucesso. Com sua voz diferenciada somada ao vocal do trio, ele dá um banho de bola. Outra convidada é Carla Vise. Ótima cantora, ela divide Chiclete com Banana com o CdV. O coro come. A levada esperta do samba dá a eles a chance de interpretar um arranjo à altura do grande sucesso de Gordurinha e Almira Castilho, com direito a fino improviso de piano sobre o coro. I je xá (Edil Pacheco), tendo o autor como convidado, é exemplo da diversidade rítmica da música baiana. Contagiando as vozes, os sopros e a percussão dão as cartas. Os "de vocal" atraem seus iguais. E foi assim que o CdV se juntou ao Trio Irakitan para cantar Eu Vim da Bahia. As seis vozes se integram à perfeição e cantam o samba de Gilberto Gil com o molho com que ele foi criado. A festa se completa com o contagiante Pombo Correio (Dodô, Osmar e Moraes Moreira). Vibrando ao som da guitarra baiana de Armandinho, do Trio Elétrico de Armandinho, Dodô e Osmar, os meninos do Cama de Voz fecham o álbum com a certeza de que elevaram a música da Bahia a um posto que dispensa concessões popularescas para se fazer popular de fato.

Aquiles Rique Reis, músico e vocalista do MPB4.

MART´NÁLIA Produzida por Djavan A cantora e compositora interpreta canções do disco Não Tente Compreender, produzido por Djavan. Sem renegar a origem de sambista, a artista aposta num estilo mais reflexivo, menos festeiro. Sesc Vila Mariana. Rua Pelotas, 141. Tel.: 5080-3000. Sexta (15). Sábado (16). 21h. Domingo (17). 18h. R$ 42.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 15 de junho de 2012

d

27

cultura

New York, New York Carlos Celso Orcesi da Costa

À

s 3 da tarde de uma 5ª feira, mesmo com GPS, tentávamos levar o carro ao centro de Nova York, mais exatamente à garagem da locadora na 23 West. O trânsito simplesmente empacou, em boa parte porque os carros não respeitavam a placa de "nunca fechar o cruzamento". Cansado após 550 kms. de viagem desde o interior da Virgínia (Charlotsville, aonde visitei Monticello, a bela fazenda de Thomas Jefferson) parecia que "jamais" nos livraríamos do automóvel. No túnel Lincoln foi difícil entrar e mais difícil ainda sair! No auge da irritação me veio à mente Frank Sinatra cantando New York Niuu Yôórrk, quando meu estado de espírito estava mais para maldizer o dia em que acumularam tantos automóveis numa maçã. Fazia mais de dez anos que não voltava à Big Apple, desde a coincidência da viagem no feriado de 12 de outubro de 2001, exatos 30 dias após o atentado às torres do World Trade Center. Essa viagem estava paga quando houve o ataque. Maria Helena queria desistir com medo do antrax e outras ameaças, mas as agências de viagem, hotéis e outros não devolviam um centavo do preço. Optamos por não perder nosso rico dinheirinho. Fomos a pé até os

escombros do WTC, sete andares de entulho, fumaça, poeira e indizível mistura azeda que parecia carne humana. Pelo país inteiro, Montana, Massachucetts e Connecticut as bandeiras foram hasteadas com a frase united we stand, que no contexto significava continuamos de pé. Onze anos depois NYC cicatrizou as feridas, os teatros da Broadway continuam cheios (não para mim que já cansei dessa maratona), novos

restaurantes abrem e fecham, e a disputa por táxis continua renhida. A recomendar o charmoso mercado Eataly, na 5ª Avenida 200, que tem o que há de melhor de peixes, verduras, pães, sorvetes e vinhos... italianos. No mercadão de luxo há 5 ou 6 restaurantes: pizza, pasta, peixes e frutos do mar, carne (Manzo), lanches rápidos etc. No restaurante central vendem vinhos a copo, e então dezenas de pessoas circulam bebericando vinho branco fácil (do tipo Tocai

do Friuli ou Frascati). Beber e comer Itália, eat Italy. No sábado fomos ao Aldea (1 estrela Michelin) de George Mendes, filho de pais portugueses. O chefe sofisticou o bacalhau e até mesmo o bolinho de bacalhau, mas erra na dose e na substância. O bacalhau chegou em corte homeopático, acompanhado de um molho escuro desenhado no prato. O que seria aquilo? Espuma de azeitona; mas porque não a própria para

mastigar? E menos: a espuma de azeitona deu para duas garfadinhas, quase pedi mais para acompanhar. Achei que não seria venerável e só fui forrar o estômago com um belo sorvete no caminho de volta para o hotel. Apenas se salvou o serviço de vinhos a copo, que me permitiu comparar Esporão Reserva com Albariño espanhol e por fim encerrar com Meandro do Vale Meão, esse notável português que, aqui no Brasil, a importadora Mistral carrega no preço porque é excelente relação custo-benefício. No domingo visitamos o Marea do chefe Michael White, muito bem localizado perto do Plaza na 240 Central Park South. Como o nome indica, é forte nos frutos do mar (esplêndida ambientação e lotado), mas está longe de ser "imperdível". Por exemplo, traz o absoluto inconveniente de deixar ao cliente a opção entre 4 ou 5 molhos e acompanhamentos. Prefiro quando o chefe escolhe o que é melhor para mim. Não é

que comemos mal; e até imaginávamos que o jantar custaria o dobro (duas estrelas Michelin). Bom peixe, mas aqui o Ruffino's serve igual e o Amadeus muito melhor. O Guia Michelin, tão rigoroso ao avaliar restaurantes na Itália e em Portugal, pelo visto é generoso quando se trata de proclamar o glamour da Big Apple. Fomos também ao Lever House na Park Avenue, mas essa estória engraçada eu contarei outro dia. Niuiórk continua cheia de executivos, táxis amarelos, prédios altos e moçada bonita correndo no Central Park, indiferentes às levas de turistas que tentam tomar conta do mesmo espaço. Depois que nos livramos do Cruise da Budget recuperamos o bom humor, renovamos o espírito e fomos ao Metropolitan, ao Frick e... às compras. Comprei algumas roupas baratas que no Brasil seriam caras e vinhos tops da Califórnia (entre eles Montelena e Caymus). Por fim acompanhei MH pacientemente, até desistir de entender o que ela estava procurando. Até utensílios de cozinha vimos, embora nos falte espaço para qualquer alfinete. Vale a pena ficar à toa olhando o ir e vir das gentes; NYC continua bombando, desta vez para o alto, como o skyline do novo WCT que permanece de pé.

TOSTÃO

A letra de um grande cronista da bola Felipe Carrilho

Tostão vai e vem no tempo histórico sem se esquecer de ponderar tudo de acordo com a realidade do período abordado

T

ostão maneja tão bem as palavras que, certa vez, um radialista colocou em dúvida a autoria de suas crônicas. Seria o escritor mineiro Roberto Drummond o verdadeiro dono daquelas precisas linhas. Tostão sentiu-se ofendido e ao mesmo tempo lisonjeado. No prefácio do livro que o ex-jogador acaba de publicar, A Perfeição Não Existe – Paixão do Futebol por um Craque da Crônica, lançado pela editora Três Estrelas, o jornalista Juca Kfouri afirma que o mestre não gostou de ser comparado por ele a Graciliano Ramos, clássico autor de Vidas Secas. Além de considerar um exagero, Tostão apontou uma diferença estética entre a escrita dos dois:

Graciliano não gostava de usar adjetivos, ele sim. Tostão não é apenas um exatleta que resolveu se aventurar no jornalismo. Craque do Vasco da Gama (RJ) e principalmente Cruzeiro (MG), disputou pela Seleção a Copa do Mundo de 1966, na Inglaterra, e participou brilhantemente da conquista do tri-campeonato mundial de 1970, no México, ao lado de boleiros como Carlos Alberto Torres, Gérson, Rivelino, Jairzinho e Pelé. “As tabelinhas de Pelé e Tostão confirmam a existência de Deus”, escreveu Armando Nogueira. Tostão pertence, além disso, ao seleto grupo de atletas brasileiros politizados, como Afonsinho e Sócrates, ambos médicos que tam-

bém se arriscaram no jogo da palavra escrita. É um exemplo de jogador cuja a dimensão da obra não se limita à quantificação de seus feitos dentro das quatro linhas. Trata-se de um personagem histórico para além do futebol. O lançamento de A Perfeição Não Existe, uma seleção das colunas publicadas no jornal Folha de São Paulo desde o ano 2000, confirma o posto de Tostão ao lado dos grandes representantes da crônica esportiva brasileira, como o próprio Armando Nogueira, Mário Filho, Nelson Rodrigues, João Máximo e outros. Em sua prosa concisa, repleta de citações e referências a personalidades que admira, reside um olhar delicado e poético que procurar dimensionar

o esporte como um fenômeno de implicações variadas. Partindo da sua formação de médico e professor universitário e do seu amor pela psicanálise, por filosofia e literatura, Tostão procura desvendar os homens que suam a camisa dos clubes e defendem a bandeira das seleções. Mas não fica restrito ao nível individual. Sem demonstrar pretensões acadêmicas, busca relacionar os fatos do universo da bola com os da política e da sociedade de modo acessível ao leitor comum. A Perfeição Não Existe preteriu acertadamente a maioria das crônicas de caráter meramente factual. No dia a dia da notícia, nem sempre o assunto em voga encontra-se à altura do articulista. As-

sim o leitor terá em mãos o que existe de mais geral e reflexivo nos escritos de Tostão. Não que o autor se furte de analisar questões proverbiais como estilos de jogo, esquemas táticos ou desempenho de jogadores. Tostão faz isso muito bem e de maneira quase didática. Vai e vem no tempo histórico sem se esquecer de ponderar tudo de acordo com a realidade do período abordado. Revela-se um profissional em dia com as partidas e competições mais importantes. Mas a sua temática frequentemente extrapola o âmbito do jogo propriamente dito. Não raro, encontramos nas suas crônicas reflexões sobre o cotidiano, a descoberta tardia dos encantos da natureza, a passagem do

tempo, os desafios da carreira profissional, entre outros assuntos. Noutras vezes, Tostão se permite enveredar pela narrativa ficcional, encarnando, por exemplo, o alter ego de treinadores brasileiros. É possível que as novas gerações olhem com estranheza para esse senhor sexagenário, da mesma maneira que Tostão estranha a tecnologia impositiva da vida contemporânea. Uma das modas da atualidade é a dos jornalistas esportivos que se comportam como verdadeiros bancos de dados. Com tantos números e datas, suas publicações lembram balanços anuais de um banco ou uma seção de obituários de jornal. Este livro de Tostão mostra que os fatos têm múltiplos sentidos.

CLÁSSICOS NA TV CULTURA. SÁBADO (16). 16H. A Cultura dá sequência a programação de documentários sobre mitos da música erudita. O tema desta semana é Jascha Heiffetz, o Violinista de Deus.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

28

sexta-feira, 15 de junho de 2012

Sergio Guerini

d

cultura

Museu de Arte Moderna abriga retrospectiva de Oswaldo Goeldi e remonta ateliê do artista

Sonâmbula: obra integrante da exposição Oswaldo Goeldi: Sombria Luz.

Belo mundo sinistro Rita Alves

U

ma das boas mostras da Cidade acaba de chegar esta semana ao Museu de Arte Moderna (MAM). Trata-se da exposição Oswaldo Goeldi: Sombria Luz, com curadoria de Paulo Venâncio Filho. Em cartaz na Grande Sala, apresenta a maior retrospectiva do artista carioca, considerado um dos expressionistas de maior destaque do País. No espaço estão cerca de 200 obras, entre desenhos e gravuras originais, criadas entre 1920 e 1961, ano de sua morte. Mas não espere ver os trabalhos do artista distribuídos de maneira

cronológica. O curador Paulo Venâncio Filho procurou agrupar obras com características recorrentes. Dessa maneira, é possível admirar, por exemplo, trabalhos que retratam o espaço urbano carioca, com suas ruas, casarões e moradores. Outro fato que contribui na percepção desses conjuntos temáticos é o projeto expográfico. Criado por Felipe Tassara, o projeto permite que o público percorra a mostra por caminhos diferentes. Tal característica também combina com o clima de desconforto, desarticulação e solidão

presentes no universo melancólico do artista. "Meio século após sua morte, a obra de Oswaldo Goeldi ainda desafia os clichês que retratam o Brasil como uma espécie de paraíso tropical", afirma o curador. "Com os recursos limitados da xilogravura e do desenho a lápis ou carvão, mostrou que sob a luz solar havia um mundo em desassossego e desajuste.” Para Venâncio Filho, Goeldi conseguiu revelar na paisagem urbana do Rio de Janeiro, a condição trágica do homem moderno. “Este singular expressionista deslocado nos

trópicos, que encontrou em Alfred Kubin – com quem se correspondeu – um amigo e admirador, vislumbrou, especialmente na paisagem urbana do Rio de Janeiro, a condição trágica do homem moderno; seu isolamento, sua solidão, sua disjunção com o real", diz. "Através da simples oposição entre luz em sombra da xilogravura, com uma economia mínima de elementos, revelou um mundo subterrâneo, às vezes fantástico, às vezes sinistro e ameaçador, e não menos verdadeiro.” Além de Sombria Luz, o

visitante ainda pode conhecer como era o espaço de criação do artista, dentro de seu apartamento no Leblon. Na Sala Paulo Figueiredo a mostra O Ateliê de Goeldi exibe diversos instrumentos de trabalho e objetos pessoais do gravurista. Com curadoria de Lani Goeldi, sobrinhaneta de Goeldi, apresenta documentos, desenhos, cartas e

fotografias de época e uma prensa.

Museu de Arte Moderna de São Paulo. Parque do Ibirapuera. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 3, tel.: 5085-1300. Terça a domingo, das 10h às 17h30 (com permanência até as 18h). R$ 5,50. Grátis aos domingos.

A Grécia, entre a tragédia no palco e a de hoje. Sérgio Roveri João Caldas/Divulgação

E

xiste uma série de elementos cruéis a separar a tragédia grega surgida em Atenas no século VI a.C., que serviu de matriz ao teatro moderno e costumava subjugar o ser humano aos caprichos divinos , e a tragédia que se abate sobre a Grécia atual - que, por coincidência, também subjuga os gregos a diversos tipos de entidade, não exatamente celestiais. Na tragédia dos palcos havia a catarse, aquele efeito psicológico que se presta à função de atenuar os queixumes da plateia, expurgar seus medos e oferecer um sentimento de vitória, vingança e bem-estar, ainda que momentâneo. Na presente tragédia que engolfa a economia e a política gregas, não há

catarse à vista. Na tragédia das arenas, por mais impiedoso que fosse um enredo que obrigava pais a sacrificarem suas filhas virgens e irmãos a esquartejarem seus pares, não havia infortúnio que se estendesse por mais de um par de horas - uma intervenção divina ou um gesto heroico de alguma forma assentaria um ponto final em tamanhas provações. A tragédia que engolfou a Grécia do século XXI ainda está sendo escrita com mão pesada e não parece provável que a chanceler alemã Angela Merkel ou a direção do FMI se transmutem em figuras etéreas dispostas a conduzir 11 milhões de figurantes gregos entorpecidos a algum porto seguro. A Grécia é responsável por grande parte do conhecimento que deu forma à coluna do homem ocidental. A democracia, a filosofia, a matemática, a leitura, os jogos olímpicos e o teatro, dividido em tragédias e comédias, tiveram como berço comum aqueles 32 mil quilômetros quadrados de terreno montanhoso e praias paradisíacas ao sul dos Balcãs,

Hécuba, de Eurípides: trajetória de pessoas reais. onde o território europeu já está dando boas-vindas à Ásia. O teatro, um dos mais longevos produtos de exportação da Grécia, pode ter surgido por volta de 534 a.C, durante os festivais anuais que celebravam o deus Dioníso. "Este festival era um acontecimento muito especial", ensina a tradutora Barbara Heliodora no livro O Teatro Explicado aos Meus Filhos. "Em uma data determinada pelo governo, os autores apresentavam seus textos a uma comissão que escolhia os três primeiros colocados". Somente

estes textos podiam ser encenados no festival e jamais entrariam em temporada fora do evento. As regras determinavam que, para participar destes festivais, cada autor devia apresentar três tragédias e um drama satírico, a comédia, em que se permitia ridicularizar a figura dos deuses. "Normalmente diz-se que nós nos sentimos exaltados ao final de uma grande tragédia porque vimos um ser humano de alta qualidade enfrentando a adversidade e o infortúnio com nobreza", diz o teórico austríaco

Martin Esslin no seu chegaram até nós sete: livro clássico Uma Ájax, Electra, As Traquínias, Anatomia do Drama. Filoctetes, Édipo Rei, Édipo "Mesmo quando os em Colono e Antígona, nossos heróis estas três últimas sofrem ou morrem, encontram-se a natureza, em toda reunidas no volume A sua nobreza e Trilogia Tebana, da esplendor, é Jorge Zahar Editor. reafirmada". Mais jovem entre os Foram estes três grandes trágicos e festivais em honra a também o mais atento à Dionisio que alma feminina, Eurípides revelaram os três (480 a.C - 406 a.C) foi principais nomes da aquele que nos deixou o tragédia, Ésquilo, maior legado em termos Sófocles e Eurípides. numéricos, 18 peças Não se sabe com entre as 95 que assinou. exatidão o quê ou Dono de uma visão quanto cada um mais realista do deles produziu, já mundo, Eurípides que a imensa inovou ao levar maioria dos seus para o palco a textos não trajetória de Eurípides sobreviveu ao pessoas reais, tempo. De Ésquilo deixando de lado (aprox. 525 a.C - 452 a.C), por as narrativas ligadas aos deuses exemplo, restaram seis e mitos. Mais do que isso: deu voz tragédias, As Suplicantes, Os aos fracos, perdedores e Persas, Sete Contra Tebas, covardes. Seus textos mais Prometeu, Oresteia I e Oresteia II. comumente encenados até hoje Das 123 peças provavelmente são Medeia, Hécuba, escritas por Sófocles (497 a.C ou As Troianas, As Bacantes, 496 a.C - 406 a.C ou 405 a.C), Orestes e Ifigênia em Táuris.

Caminhada cênica O

Teatro da Vertigem é uma das raras companhias brasileiras que, ao longo de 20 anos de estrada, fugiu o quanto pôde dos palcos convencionais. Seus espetáculos de maior impacto - e foram vários - tiveram como moldura espaços raramente associados às artes cênicas, como hospitais e presídios desativados, fachadas de edifício, igrejas e até mesmo as águas poluídas do Rio Tietê. Agora, a nova odisseia da trupe vai se espalhar por um quilômetro de ruas do tradi-

Sófocles

cional bairro do Bom Retiro, famoso por seu comércio de roupas e sua população de imigrantes. Bom Retiro 958 Metros, que estreia nesta sexta (15), é definida pelo diretor do Vertigem, Antônio Araújo, como uma caminhada cênica pelas ruas e pela memória do bairro. Bom Retiro 958 Metros poderá ser visto por até 60 pessoas por

sessão. O público, agrupado nas dependências da Oficina Cultural Oswald de Andrade, na Rua Três Rios, será convidado a acompanhar a p er e gr in a çã o teatral dos 15 atores da companhia por vários espaços do bairro. O Lombroso Fahion Mall foi escolhido para abrigar a primeira cena. Diversos endereços famosos do bairro, entre eles

o Teatro Taib, servirão de cenário para as sequências seguintes. O início das sessões coincide com o momento em que o comércio cerra as portas e o Bom Retiro mergulha aos poucos numa atmosfera fantasma, de ruas e bares vazios. O espetáculo, que tem dramaturgia assinada pelo escritor Joca Rainers Terron, pretende explorar o que acontece no bairro no momento em que aparentemente nada acontece. A produção do espetáculo recomenda que o público use sapatos confor-

táveis, evite bolsas e sacolas e, nas noites mais frias, tenha sempre agasalhos em mãos. (SR)

Bom Retiro 958 Metros, estreia sexta, 15, com ponto de encontro na Oficina Cultural Oswald de Andrade, Rua Três Rios, 363. Quinta a sábado às 21h, domingo às 19h. Duração: 110 minutos. Ingressos a R$ 30, vendidos exclusivamente pelo telefone 4003-5588 ou pelo site www.ticketsforfun.com.br . Não haverá venda de ingressos no local.


DC 15/06/2012