Issuu on Google+

Rodrigo Coca/Foto Arena/AE

Impedimento! O apito interior tira o Fenômeno de campo. E ele sai com lágrimas e glórias. Pág. 11 Ano 86 - Nº 23.311

Conclusão: 23h50

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Bouteflika, Argélia

Coronel Kadafi, Líbia

Assad, Síria

O NOVO ORIENTE MÉDIO Rei Abdullah, Jordânia

Ali Saleh, Iêmen

Rei Abdullah, Arábia Saudita AFP

Governo do Irã reprime protestos

Newton Santos/Hype

Lá vem a noiva, correndo da multa.

Enquanto a secretária americana Hillary Clinton defende uma revolução no país, "como a do Egito". Pág. 12

Se a noiva não for pontual, ganha multa e perde a chuva de pétalas em várias igrejas. Pág. 10 AFP

Patricícia Cruz/LUZ

Turbilhão na rua árabe

Invasão feminina nas empresas vir tuais

Dilma não abre mão do mínimo a R$ 545

Elas já são 53% no empreendedorismo da web. Informática

E líderes prometem ser duros na votação do novo salário mínimo, amanhã. Pág. 5

Dia de Fúria e de morte no Bahrein A polícia não deixou que o Bahrein imitasse o Egito e a Tunísia: gás, tiros, um morto e feridos acabaram com os protestos. Pág. 12 HOJE Nuvens e chuva a qualquer hora. Máxima 29º C. Mínima 20º C.

AMANHÃ Pancadas de chuva à tarde e à noite. Máxima 28º C. Mínima 20º C.

ISSN 1679-2688

23311

9 771679 268008

Qual o caminho do Egito pós-Mubarak? Como sua queda agita a região? Opinião, págs. 2 e 3

DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

É somente com uma cidadania ampliada que se pode hoje falar do governo do povo para o povo. Roberto Fendt

pinião

ROBERTO FENDT

Manifestação no final de janeiro de 1979, em Teerã: povo iraniano foi às ruas contra o monarca Reza Pahlevi. Em março, o aiatolá Khomeini (na foto) subia ao poder e instaurava o fundamentalismo islâmico no Irã.

nada nos escritos de Maquiavel, que considera apenas duas formas de governo: a monarquia e a república, sendo a democracia clássica uma forma de república.

Tampouco o acesso à cidadania pode ser vetado por diferenças de gênero, dura conquista das mulheres inglesas que só se materializou com as "sufragetes" americanas no século passado. É somente

O

s modelos de democracia contemporânea adicionam outros elementos a essa caracterização. A cidadania moderna, pelo menos no Ocidente, estendeu a noção de cidadania a praticamente todo o povo. O acesso a ela não pode ser vetado por diferenças de raça, conquista da Guerra Civil americana que somente se difundiu lentamente no Ocidente ao longo do século vinte.

com uma cidadania ampliada que se pode hoje falar do governo do povo para o povo. Finalmente, reconhece-se hoje que o simples ato de votar a escolher representantes para exercer

Talvez a pergunta relevante não seja a antinomia entre democracia e tirania, mas sim qual tipo de democracia poderá vir a emergir depois da queda de Mubarak.

AS RUAS ESTÃO DANDO O RECADO

J

Estado de Direito: o respeito à vida, à liberdade e à busca da felicidade de cada um à sua maneira. Onde situar as raízes políticas do regime político que sucederá Mubarak? Certamente não na democracia grega clássica, da cidade-estado, sobrevivente apenas nos cantões suíços. Tudo indica que o regime político no Egito estaria mais bem enraizado em uma concepção mais próxima à noção de que o poder se transmitiria de cima para baixo. Também é questionável se em seus corações o povo egípcio crê firmemente que a cidadania é direito de todos. Em muitos de seus vizinhos, por exemplo, a cidadania não se estende às mulheres.

AFP/Getty Images

O

Egito acha-se em um turbilhão após a queda de Hosni Mubarak e o fim de seu governo de 30 anos. Agora a questão é saber-se o que ocorrerá depois da transição do governo militar. Será possível caminhar para uma democracia ao estilo ocidental ou os militares se manterão indefinidamente no governo? James Clavell publicou em 1986 um romance com o título que tomei emprestado para a coluna. Clavell havia se tornado mundialmente famoso com a publicação de uma série de romances ambientados na Ásia e que formaram uma saga. Turbilhão foi o último romance da série. Nele, Clavell narra em mais de mil páginas os eventos ocorridos entre 9 de fevereiro e 4 de março de 1979 que marcaram a queda do Xá Reza Pahlevi e da monarquia iraniana e a ascensão do aiatolá Ruhollah Khomeini e do fundamentalismo islâmico no Irã. Não sei se alguém vai escrever um romance sobre a queda de Hosni Mubarak da presidência de 30 anos no Egito. Se alguém o fizer, não poderá ignorar o que está por baixo da superfície geopolítica da região. A democracia que praticamos no Ocidente, em alguns lugares sob uma forma mais pura que em outros, sustenta-se em alguns poucos princípios. Sua eficácia depende mais, contudo, na fé inquebrantável de que esses princípios não podem deixar de ser observados em qualquer circunstância. Ensinou-nos Norberto Bobbio que na democracia real confluem três tradições históricas. A primeira delas é a tradição grega clássica, aristotélica, da teoria das formas de governo. O que distinguiria a democracia da monarquia (governo de um só) e da aristocracia (governo de poucos) é o fato de constituir regime em que o governo pertence a todos que detêm a cidadania. A segunda delas é a tradição medieval, de acordo com a qual o poder deriva do príncipe e se transmite por delegação do superior para o inferior. A terceira, moderna, origi-

TURBILHÃO

á mencionei o assunto aqui na semana anterior, antes mesmo da queda do ditador egípcio, por conta do que havia ocorrido na Tunísia e seus reflexos no norte da África e Oriente Médio: o povo nas ruas pedindo o fim das ditaduras e dos abusos governamentais. Citei que se tratava de um fenômeno recente de mobilização via meios modernos de comunicação da Internet e, por conta própria, adverti os políticos e governantes em geral que esse tipo de comportamento pode se tornar comum pela instantaneidade da comunicação e poucos recursos exigidos para se criar

uma mobilização social. Mubarak renunciou. Em seguida, em diversos países, o povo foi para as ruas também, pedindo a renúncia de seu governante. Em menor escala, é verdade, mas na tendência apontada neste espaço e de fácil observação para quem acompanha os movimentos sociais. a Itália, na sequência, milhares de mulheres tomaram as ruas em diversas cidades, certamente numa mobilização organizada via mídia social, para pedir a saída do premiê Silvio Berlusconi, notório protagonista de escândalos de ordem sexual

N

que começam a envergonhar o povo daquele país. Ou já envergonha faz tempo, mas chegou agora a um ponto intolerável. Os protestos tiveram reflexos em outros países da Europa e até na ONU. qui no Brasil, onde nossa jovem democracia ainda floresce e se consolida, o que vem deixando a população envergonhada é a desfaçatez com que os nossos políticos e governantes, democraticamente eleitos, se apossam de benefícios, privilégios, salários exorbitantes para si, e bondades para os apaniguados, sem nenhum

A

respeito à moralidade pública e aos recursos vindos dos contribuintes honestos. Porque os desonestos sonegam. eitero – e meus leitores de quase três décadas neste Diário do Comércio são testemunhas – que sou um propagador da tolerância, do uso de meios legais e pacíficos para resolver pendências. Abomino qualquer tipo de violência. Começo a ter a convicção de que não haverá mudança na questão da probidade, da moralidade pública, em nosso país, se o clamor não vier das ruas.

R

um poder delegado não esgota a noção contemporânea de democracia. O governo representativo, infelizmente, pode não ser democrático no sentido mais amplo, se os direitos fundamentais da cidadania não forem resguardados por uma constituição. Se uma tirania é geralmente um governo de poucos, é sempre bom lembrar que o fascismo e o nazismo chegaram ao poder pela via do voto. Portanto, a verdadeira democracia, com a qual sonha o Ocidente, calca-se no governo representativo de uma cidadania ampliada, mas não ignora que sua legitimidade reside nas instituições do

T

alvez a pergunta relevante não seja a antinomia entre democracia e tirania, mas qual democracia possa vir a emergir após Mubarak. A Turquia percebeu há muito que a democracia é regime laico, incompatível com a ausência de separação entre a religião e o Estado. Conseguirá o Egito encontrar um caminho para a democracia que, sem ignorar suas raízes, se aproxime paulatinamente do modelo democrático ocidental? É disso que trata a transição, que mal se inicia, e que se segue ao turbilhão das últimas semanas. ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

PAULO SAAB Quando o Congresso Nacional, as assembleias estaduais, as câmaras municipais – a de São Paulo é uma vergonha – , agem de forma arbitrária em favor de seus interesses pessoais, dissociados dos interesses coletivos e da missão para a qual foram eleitos, sem dar a mínima satisfação e ainda praticando atos imorais com um cinismo espantoso, é hora de pensar em iniciar protestos públicos pacíficos nas ruas do País. Só para mostrar que nós, os pagadores de impostos que os sustentam, estamos infelizes com o desperdício de dinheiro público que

promovem. Dinheiro que eles consomem vorazmente em proveito pessoal. Minha restrição a esse tipo de mobilização no Brasil é que sempre quem sai na frente e a organiza são os grupos políticos radicais que tomam as ruas com bandeiras de cunho de revolução populares e outras coisas anacrônicas, tirando a legitimidade do protesto e desvirtuando as finalidades perseguidas. Ainda por cima, gerando tumultos, violência e reações que não deveria haver. E, assim, "la nave va"... PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR

Fundado em 1º de julho de 1924 Presidente Alencar Burti Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto, Antonio Carlos Pela, Arab Chafic Zakka, Carlos Roberto Pinto Monteiro, Claudio Vaz, Edy Luiz Kogut, Gilberto Kassab, Guilherme Afif Domingos, João de Almeida Sampaio Filho, João de Favari, José Maria Chapina Alcazar, Lincoln da Cunha Pereira Filho, Luís Eduardo Schoueri, Luiz Roberto Gonçalves, Moacir Roberto Boscolo, Nelson F. Kheirallah, Roberto Macedo, Roberto Mateus Ordine, Rogério Pinto Coelho Amato, Sérgio Antonio Reze

CONSELHO EDITORIAL Alencar Burti, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo, Márcio Aranha e Rogério Amato Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro (aribeiro@dcomercio.com.br) Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Fernanda Pressinott, Kleber Gutierrez, Marcus Lopes, Rejane Aguiar e Tsuli Narimatsu Redatores: Adriana David, Anna Lucia França, Eliana Haberli ,Evelyn Schulke, e Sérgio Siscaro Repórteres:Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André Alves, Fátima Lourenço, Geriane Oliveira, Giseli Cabrini , Ivan Ventura, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mário Tonocchi, Neide Martingo, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vanessa Rosal, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Comercial Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações José Gonçalves de Faria Filho (jfilho@acsp.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Globo e Reuters Impressão Diário S. Paulo Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3344, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3030 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

o

3

O CAMINHO PARA A DEMOCRACIA EGÍPCIA AINDA É LONGO E BASTANTE INSTÁVEL.

pinião

O longo caminho do Egito N

o final das contas, o p re s i d e n te B a ra c k Obama deu uma cont r i b u i ç ã o e n o r m emente importante, mas involuntária, à revolução democrática no Egito. Como a equipe de Obama nunca encontrou o tom para apoiar completamente a revolução na Praça Tahrir, até que ela tivesse terminado, as pessoas que estavam naquele local sabem algo fundamental: elas fizeram tudo isso por elas mesmas. Isso é muito importante. Tanto que um dos gritos de guerra mais poderosos escutados na praça sexta-feira à noite era: "O povo derrubou o regime". A sensação de poder e de autenticidade – "fizemos para nós mesmos e por nós mesmos" – é o que torna o movimento democrático do Egito com tanto potencial para mudar o jogo em toda a região. E, caso outros autocratas não tenham percebido, deixemme compartilhar o meu segundo grito favorito das ruas do Cairo, depois do presidente Hosni Mubarak ter renunciado. Ele era dirigido ao ditador vizinho, o coronel Muammar el-Gadhafi, da Líbia, e dizia assim: "Não vamos deixar a Tahrir até que Gadhafi deixe seu gabinete". Alô, Trípoli! Cairo está chamando. Isso poderá ser interessante – para todos os autocratas da região. Os democratas jovens e criativos do Egito estão apenas começando. Até agora o movimento pró-democracia no mundo árabe estava em grande parte confinado à liberação do Iraque, liderada pelos EUA, e que, por ter sido liderada pelos EUA, não pôde servir como modelo para imitação. Se – e isso significa um grande se–o Egito conseguir fazer agora a transição para a democracia, guiado por seus próprios jovens e sob a proteção de suas próprias Forças Armadas, cuidem-se. A mensagem enviada do Cairo será: "Nós tentamos o nasserismo, tentamos o islamismo, e agora estamos tentando a democracia". Mas não a democracia importada da Grã-Bretanha ou a entregue pelos Estados Unidos – uma democracia concebida, gerada e nascida na Praça Tahrir. Isso vai ressoar entre os árabes – e no Irã. Algumas pessoas, porém, estão preocupadas que o Exército egípcio venha a sufocar esse movimento democrático egípcio no berço. Pessoalmente, acho que a liderança do Exército está um pouco assustada com os jovens usuários de Twitter da Tahrir. O movimento democrático que surgiu na Praça Tahrir é como um tigre que esteve vivendo numa jaula minúscula por 30 anos. Vendo-o livre, há duas coisas que eu poderia dizer sobre esse tigre. A primeira é que qualquer um que tentar pô-lo de volta na jaula

minúscula terá sua cabeça arrancada. E, segunda, qualquer político que tentar domar o tigre para seus próprios interesses, e não no interesse do Egito, também será devorado. O Irã, outro dia, divulgou uma mensagem exortando os jovens da Tahrir a fazerem uma "revolução islâmica" e ninguém mais se não a Irmandade Mulçumana do Egito disse a Teerã para ficar de fora, porque o movimento democrático daqui é pan-egípcio e inclui cristãos e muçulmanos.

M

as a grande questão no Egito agora é: esse movimento democrático liderado por jovens consegue pegar o poder e a energia que desenvolveu na Praça Tahrir, todos focados em um só objetivo – livrar-se de Hosni Mubarak – e transformá-los numa transição sustentável para a democracia, como uma nova Constituição, vários partidos políticos e uma eleição presidencial livre em tempo hábil? Aqui, a força do movimento – o fato de ter representado toda a pressão po-

lítica, todo segmento e toda classe da sociedade egípcia – é também sua fraqueza. Ele ainda não aceitou nenhuma plataforma política ou liderança. "É essencial que o movimento democrático forme agora sua própria liderança e mostre suas próprias visões e prioridades para que consiga ocupar o governo; do contrário, todo esse esforço será perdido", alertou Rachid Mohamed Rachid, o liberal ex-ministro do Comércio e Indústria, que se recusou a continuar servindo no gabinete de Mubarak antes que a revolta começasse. "Eles têm de ter uma visão sobre o que deve ser a educação no

Egito, sobre a política agrícola e sobre os diretos humanos. Livrar-se de Mubarak não era a única esperança. O objetivo final era ter um novo Egito."

D

esde que a revolta começou, os Estados Unidos, Israel e a Arábia Saudita pareciam ter expectativas de que houvesse duas opções aqui – uma chamada "estabilidade", que de algum modo envolveria Mubarak, e outra chamada "instabilidade", que devia ser evitada. Bem, deixem-me explicar isso da forma mais clara possível: aqui no Egito a estabilidade saiu do prédio. Para

A sensação de poder e de autenticidade – "fizemos para nós e por nós" – é o que dá ao movimento democrático do Egito o potencial para mudar o jogo em toda aquela região.

ela, eu digo: "Bons ventos a levem". Ou como Ahmed Zewail, o egípcio-americano ganhador do Nobel de Química me disse: "O Egito ficou estável nos últimos 30 anos porque não tinha visão, não tinha aspiração e estava estagnando. Esse tipo de estabilidade não podia continuar."

E

ssa é a razão pela qual o Egito de hoje tem diante de si dois caminhos, e ambos são complicados. No primeiro caso, esse movimento democrático fracassa e o país se transforma em um Paquistão raivoso, como era sob os generais. E o outro é necessariamente instável, com altos e baixos, na transição para a democracia, que termina com um Egito estável, ao estilo da Indonésia ou da África do Sul. Isso será difícil. Muitos dias duros estão à frente, mas eles ficarão bem mais fáceis graças à autoconfiança produzida aqui entre os jovens do Egito nestas últimas três semanas. Ver tantos egípcios se orgulharem do nascimento da liberdade, de um modo

THOMAS L. FRIEDMAN geral pacífico – ouvi-los dizer de várias formas para eles mesmos e para cada um dos outros: "Eu sou alguém" – foi testemunhar uma das grandes vitórias do espírito humano. THOMAS L. FRIEDMAN É COLUNISTA DO NEW YORK TIMES E TRÊS VEZES GANHADOR DO PRÊMIO PULITZER. ELE ESTÁ NO CAIRO. TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA

ABAG NEGA TUTELA

O

O artigo publicado neste Jornal, em 30 de dezembro passado, intitulado Nosso Agronegócio sob a tutela do Greenpeace, de Denis Rosenfield, comete sério equívoco ao citar um convênio inexistente assinado entre Greenpeace (ONG holandesa), a ABAG (Associação Brasileira do Agronegócio) e o Banco do Brasil. Na verdade, o que existe é um Termo de Compromisso da Moratória da Soja, assinado em 24 de julho de 2006, entre ABIOVE (Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais) e a ANEC (Associação Brasileira dos Exportadores de Cereais). Renovado a cada ano, desse acordo faz parte várias associações empresariais, empresas do setor e organizações da sociedade civil. A falta de conhecimento das condições operacionais da Moratória da Soja, iniciativa que objetiva conciliar a produção agrícola e a preservação dos recursos naturais do Bioma Amazônia, levou o professor de filosofia da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), a afirmações

incorretas. Diferentemente do que diz no artigo, nenhuma ONG certifica o cumprimento de diretrizes ou exerce papel de intermediação com empresas. A gestão operacional da Moratória é totalmente executada e custeada pelo setor privado, sob a coordenação da ABIOVE e ANEC. A operação da Moratória é privada e as decisões são tomadas por um colegiado. Graças à Moratória não foram impostas barreiras ao complexo soja brasileiro na Europa. ão temos espaço para esclarecer aqui todos os pontos dúbios sobre a Moratória e sua importância para o agronegócio brasileiro. O professor Rosenfield tem sistematicamente enriquecido o debate democrático de temas relevantes ao agronegócio e ao país. A nossa convicção é de que o referido artigo teria outro conteúdo se tivesse acesso às informações que estão disponíveis nos sites: www.abag.com.br e www.abiove.com.br.

N

Carlo Lovatelli - Presidente da ABIOVE e ABAG

FATOS QUE FALAM POR SI

P

ara começar, nunca está demais citar o próprio Greenpeace: "A entrada do Banco do Brasil na moratória da soja _- que tem tudo para colocar mais um prego no caixão do desmatamento na Amazônia - foi firmada na manhã de hoje durante encontro na sede do banco em Brasília entre os coordenadores do Grupo de Trabalho da Soja (GTS) Paulo Adario, do Greenpeace, e Carlos Lovatelli, presidente da Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais, e o vice-presidente de Agronegócios do Banco do Brasil, Luís Carlos Guedes Pinto. Na ocasião, Guedes assegurou que o banco adotará os critérios da moratória da soja na análise para liberação de crédito". Isto significa: 1) Que o Greenpeace se torna parceiro da assinatura da moratória, sendo ele também responsável desse acordo assinado conjuntamente. Ou seja, essa ONG internacional passa a interferir diretamente na concessão de financiamento de um Banco

Público. Não vejo porque um banco público brasileiro deva seguir orientações estrangeiras; 2) O precedente é extremamente perigoso, pois essa ONG passaria com a soja, e depois com qualquer outro produto da agropecuária, do agronegócio, a certificar o que é um produto ambientalmente correto. Ela tomaria o lugar, por exemplo, do Ministério da Agricultura, do Ministério do Meio Ambiente ou do Ministério Público Federal; 3) Quem determinará onde houve desmatamento? O Greenpeace. Quem controla o Greenpeace, cuja sede internacional se localiza na Holanda? 4) O único equívoco de meu artigo, retificado aliás em email enviado à própria ABAG, a pedido de seu Diretor Executivo, foi a de ter indevidamente utilizado o nome da ABAG, em vez da ABIOVI. Seja dito de passagem que o senhor Carlos Lovatelli é presidente de ambas. Os fatos falam por si mesmos. Denis Rosenfield, colunista do DC

DIÁRIO DO COMÉRCIO

4 -.GERAL

Giba Um

3 André Esteves, do BTG

Pactual, anda mais guloso do que nunca: agora, quer comprar a BR Malls, dona de vários shoppings.

gibaum@gibaum.com.br

3

MAIS: e ainda estica o olho de cobiça em cima do Center Norte e do Lar Center, em São Paulo, em fase meio complicada

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

15 de Fevereiro

P

k Eu apenas não estou no governo. Mas sou tão governo quanto qualquer Sumiu o espelho «

um deles que lá está.

LULA // avisando que ainda não desencarnou de governo, não.

Fotos: BusinessNews

A presidente Dilma Rousseff desativou o gabinete (ao lado do gabinete presidencial) que, durante oito anos, era ocupado por Marisa Letícia, única primeira-dama a ter uma sala só sua, com assessoras, no Planalto. O gabinete ficou famoso pela atuação de Marisa Letícia: ela entrava sem bater no gabinete de Lula, dizendo que era tarde e levando-o para casa. Mais: no banheiro do gabinete, havia um espelho de cristal redondo, com moldura de jacarandá, assinado por Sérgio Rodrigues, que ninguém sabe onde foi parar.

333

Santo Cláudio Colombiere

FIM DE LINHA Velhos amigos 333 Enquanto o mundo concentrava suas atenções no Egito, o Irã alcançava um número recorde de execuções de 97 pessoas num único mês. O regime de Mahmoud Ahmadinejad, grande amigo de Lula, deverá alcançar, este ano, um volume igualmente recordista de execuções de mil pessoas, ou seja, uma média de 2,5 por dia. Por outro lado, o site de humor Kibeloco publica foto de Lula, em 9 de junho de 2009, entregando ao ditador Hosni Murabak, do Egito, camisa autografada da Seleção Brasileira. Título: Mão de pântano. Subtítulo: Você sabe como acabar com uma ditadura de 30 anos e perder uma Copa do Mundo ao mesmo tempo?

NEGUINHO 2012 333 Neguinho da Beija-Flor está anunciando, em entrevista a Playboy, que será candidato a prefeito de Nova Iguaçu no ano que vem. Lembra que já namorou um monte de mulheres, “NicolePuzzi,AdeleFátima,Enoli Lara e muitas mais”. Depois, dizendo que tem um gay da família (“é meu sobrinho, uma pessoa maravilhosa”), garante não ter preconceito, mas adverte: “Sou contraocaraquequer que eu aceite que dois homens se beijemnabocaaomeio-dianum shopping. Não concordo e não sou obrigado a concordar”.

Numa noite em que a grande vencedora foi Lady Gaga ( álbum pop e performance pop feminina ), que entrou dentro de um ovo, cantou Born This Way e depois foi para a platéia, numa roupa de couro de Thierry Mugler (primeira foto à esquerda), foram entregues, em Los Angeles, em sua 53ª edição, os prêmios Grammy aos melhores da música. E atrações especiais foram mesmo os vestidos usados por muitas das presentes: da segunda foto á esquerda para a direita, Beyoncé (a estilista é sua mãe Tina Knowles) Katy Perry, de Armani; Jeniffer Lopez (Pucci) e a estimulante Kim Kardashian, num dourado de Kaufman Franco.

A noite do Grammy

333

Amanhã, o país assiste a um novo Dia D, sem nenhuma parada de veteranos (os que sobraram) das tropas aliadas que desembarcaram na Normandia. É o Dia D de Dilma, que enfrentará na votação do novo salário mínimo seu primeiro round no Congresso. O líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP), avisa que não haverá flexibilização e “quem não votar com o governo será considerado dissidente”. Antonio Palocci, ministro da Casa Civil e numero dois do Planalto, vai mais longe: “Votar contra o mínimo de R$ 545 é bilhete sem volta para a oposição”. Qualquer que seja o resultado, duas providências serão tomadas: Carlos Lupi (PDT), ministro do Trabalho, deverá dançar e Dilma enviará ao Congresso projeto restabelecendo a CPMF, o imposto do cheque, provavelmente com outro nome. 333

Outro Dia D

Divulgação

TROPEÇÃO: a doação de Eike Batista para a ONG de Madonna é de US$ 7 milhões e não como saiu publicado.

333

Corpo fechado Ana de Hollanda, ministra da Cultura e irmã de Chico Buarque, foi até Salvador entregar a reforma das casas de Oxalá e Iemanjá no terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, executada pelo Iphan e acabou caindo nas graças de mãe-de-santo Stela de Oxossi. A veterana ialorixá garantiu que Ana, no candomblé, é filha de Oxalá e Iemanjá, ou seja, tem todos os caminhos abertos, equivalendo a ter corpo fechado. Agora, vai. 333

333 Separada do segundo marido Edson Celulari, Claudia Raia, 44 anos, 1m80, 91cm de busto e 99cm de quadris, chega ao final de Ti-ti-ti mais em forma do que nunca: está com menos 10 quilos e sete deles por conta da dieta do tipo sanguíneo. Esse monumento nacional (a expressão é de Roberto Carlos) está fazendo questão de exibir o resultado em Boa Forma e, de quebra, usando apenas uma meiacalça de renda em Playboy, onde foi atração em 1984. Ela já namorou Jô, Faustão e mantém uma relação de amizade com Alexandre Frota, primeiro marido e hoje ator do cinema pornô.

Dez quilos mais magra

Geladeira forrada 333 O tetrapresidente do Senado, José Sarney, começa seu novo período no comando da Casa, com a geladeira (e o freezer também) devidamente reforçada. Recursos de R$ 64 mil foram autorizados para a compra de produtos de açougue, frios e frutas, tudo remetido à residência oficial do presidente do Senado. Mais: outros R$ 5,1 mil foram programados para garantir a limpeza da casa, fora R$ 7,8 mil para a compra de 75 panos nas cores verdes e azuis, o equivalente de R$ 104 cada um.

h IN

h

Já tradicionalmente, todos os participantes do Forum Empresarial de Comandatuba, no Transamérica, na Bahia, levam suas mulheres que, durante o dia, ficam se dourandonapiscinadohotel. Em abril, haverá a 10ª edição do encontro e o vice-presidente Michel Temer já confirmou sua participação.Epor enquanto,o que se nota entre os poderosos participantes do encontro é uma discreta torcida para que o vice leve sua reclusa Marcela.

333

NEM BEM José Sarney assumiu, pela segunda vez em dois mandatos consecutivos, a presidência do Senado e o alagoano Renan Calheiros (PMDB), protagonista do famoso episódio de Mônica Veloso e desdobramentos que lhe custaram a mesma cadeira, já está em campo. Quer voltar à presidência da Casa na sucessão de Sarney.

Solução

333

TORCIDA

MISTURA FINA 333

333 O PREFEITO do Rio, Eduardo Paes (PMDB), entra no bloco do ministro Orlando Silva, do Esporte e batalha contra a indicação de Henrique Meirelles para Autoridade Olímpica Pública, responsável pela organização da Olimpíada 2016.

Ragu beneficente Pela primeira vez, 21 chefs de São Paulo e Rio assinarão um menu de cinco pratos, no restaurante Le Pré Catalan, no Sofitel carioca, dia 20, com renda aos flagelados da Região Serrana do Rio, para quem estiver disposto a pagar R$ 2,5 mil por pessoa. Entre outros que formam no time dos chefs generosos estão Claude Troisgros, Alex Atala, Felipe Bronze, Roland Villard, Roberta Sudbrack, Jun Sakamoto e Bel Coelho.

Eles já vinham atravessando umdiscretoeprolongadoperíodo de maré baixa: agora, depois de quinzeanos,ChristianeTorloni está separada do marido, o diretor Ignácio Coqueiro. Também chegaram ao final os romances entre Maitê Proença e AlexandreColombo,dabrasileira AnaAraújoeo RollingStone Ron Wood e igualmente de Luana Piovani e Felipe Simão. E como a fila anda, Débora Falabella, ex-Chuck Hipólito, engata com o ator Daniel Alvim, ex- Paula Burlamaqui e Mel Lisboa. 333

Roupas metalizadas para elas.

OUT

Calças metalizadas para eles.

Com direito a barraco 333 Yara Baumgart está pedindo, na justiça, uma pensão de R$ 430 mil mensais ao exmarido Rolly (Roberto) Baumgart, um dos controladores do Center Norte e Lar Center, em São Paulo. O processo corre sob sigilo de Justiça, mas há quem aposte que a quantia é estimada diante dos gastos mensais de Yara (no passado, ela processou José Simão porque ele a chamou de perua)) em relação ao que o ex-marido recebe, em média, todos os meses, da área de shopping. O mais surpreendente, contudo, são os lances que motivaram a separação, que incluiriam sherlocks, eventuais fotos e até supostos barracos, tudo devidamente espalhado nos salões de beleza de São Paulo.

O PRESIDENTE nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, um dos queridinhos de Lula, já avisou ao ex-presidente que havia convidado o prefeito Gilberto Kassab, de São Paulo, para ingressar no partido. E Lula deu sua benção. Eduardo Campos, que joga contra Cid e Ciro Gomes no Ceará, quer ser candidato a vice-presidente da República em 2014, com Dilma – ou com Lula.

333

EX-namorada do ator e diretor Marcos Paulo, Marina Mantega, que colocou e depois diminuiu os 300 ml de silicone que colocara no busto, já desistiu de sua carreira de atriz e, formada em Administração, vai dar dicas de economia na Record News. Marina, como se sabe, é filha do ministro Guido Mantega e foi acusada, no ano passado, de fazer lobby no Banco do Brasil, a favor de outro namorado.

333

333 HÁ QUEM aposte que o ministro José Antonio Toffoli, do Supremo, deverá se declarar impedido, na hora do julgamento do mensalão. E há quem seja capaz de jurar que o advogadogeral da União, Luis Inácio Adams, só não foi indicado para a Alta Corte, no lugar de Eros Grau, porque também poderia se declarar impedido.

Colaboração: Paula Rodrigues,Alexandre Favero

adre jesuíta na região de Paray-leMonial, na França do séc. XVII, foi diretor espiritual de Sta. Margarida M. Alacoque (vidente das promessas do Sagrado Coração) e vigoroso apóstolo da devoção, assim como defensor da Igreja contra o jansenismo (influência protestante).

p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

5 MAIS Centrais sindicais não concordam com o mínimo do governo

olítica

MENOS Governo antevê disputa dura contra o baixo mínimo proposto

Uéslei Marcelino/Reuters

Governo será firme em votação do mínimo

Movimentação dos líderes no Senado

R$ 545

A

Líderes governistas deixam claro que serão duros na negociação do valor do novo salário

A

dois dias da votação do valor do salário mínimo na Câmara, o ministro Luiz Sérgio (Relações Institucionais) e o líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), mantiveram o discurso de que o governo trabalha com a proposta de R$ 545, que consta em projeto de lei enviado pelo Executivo ao Congresso na semana passada. "Não é uma luta fácil, mas nós estamos confiantes de que o Congresso, a maioria dos partidos e dos líderes entendem que esse projeto está dando certo", afirmou Luiz Sérgio, após reunião da coordenação do governo, no Palácio do Planalto, ontem. O ministro confirmou que Guido Mantega (Fazenda) irá ao Congresso amanhã para argumentar a favor da proposta de R$ 545. A oposição e parte dos aliados, defendem valores de R$ 560 a R$ 600. Possibilidade remota – Luiz Sérgio negou a possibilidade de a base do governo manobrar para adiar a votação do salário mínimo caso haja sinais de dissidências significativas entre os aliados, a ponto de a proposta de R$ 545 ser derrotada em plenário. "De forma alguma. Nós temos uma relação

de confiança com os partidos que compõem a base de sustentação do governo". Ele afirmou que a reunião de ontem serviu, também, para uma análise dos "embates" que o governo terá para fazer passar os R$ 545. Segundo Vaccarezza, o PC do B definiu apoio, o PDT abriu discussão interna e o PSB "avançou" na defesa dos R$ 545. "Não há nenhuma discussão no governo que altere o valor de R$ 545. Ele é fruto de um acordo e o governo será firme no convencimento da base para aplicação desse acordo". Para ele, "o PT, o PMDB, o PR, o PTB e o PP já estão bastante definidos". Ele ainda anunciou uma reunião com a base do governo ainda hoje, para fazer uma " avaliação mais precisa" do apoio à proposta do governo. E deixou claro que agirá com firmeza no primeiro teste político de Dilma no Congresso. "A nossa expectativa é aprovar o reajuste na quarta-feira, com a aprovação de 100% dos parlamentares da base aliada do Planalto". O governo sustenta seus argumentos na formalização de uma política uniforme de reajuste do mínimo até 2015. A proposta, que mantém a regra

Retrato da presidente Dilma Rousseff: mais um para fazer parte da galeria presidencial do Planalto.

informal acordada entre o governo Lula e as centrais sindicais em 2007, também está incluída no projeto de lei em análise no Congresso. Crescimento robusto – A metodologia respeita a variação da inflação do ano anterior mais o crescimento do PIB de dois anos antes. Como o crescimento de 2010 foi robusto, o valor do salário mínimo será maior em 2012. Luiz Sérgio chegou a falar no valor estimado de R$ 613 para

o ano que vem. Um dos argumentos da oposição e de parcela dos aliados para um valor maior já neste ano é antecipar parte dos ganhos previstos para 2012. "Os que querem antecipação podem ser vítimas de parcelamento amanhã". A presidente Dilma Rousseff, que reuniu a coordenação de governo ontem, voltou a reafirmar que não há mais negociação em torno do valor de r$ 545. E a CUT admitiu, pela primeira vez, reduzir a de-

manda de R$ 580 para R$ 560, valor que equivale a emendas de deputados. Segundo Luiz Sérgio, o governo ainda definiu que só depois da aprovação do mínimo é que será discutida a correção da tabela de Imposto de Renda da pessoa física. "Acreditamos que os aliados não faltarão ao País", disse ele a jornalistas após a reunião, ressaltando que não haverá sanções contra os parlamentares que votarem contra a proposta. (Agências)

falta de acordo em torno da composição de dez das 11 comissões permanentes do Senado pode ser contornada nesta semana. A expectativa do líder do Bloco de Apoio ao Governo, Humberto Costa (PT-PE), é a de que os partidos aliados (PT/PR/PDT/PSB/PCdoB/PRB) indiquem seus representantes nas comissões amanhã. O líder do PSDB no Senado, Alvaro Dias (PR) agendou reunião para tratar do assunto hoje. Pelo critério da proporcionalidade partidária, o PSDB tem direito a presidir uma comissão permanente e tem manifestado interesse pelo comando da Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI). A presidência da CI também está sendo disputada pelo PT. Dentro do bloco governista estão sendo postulados a presidência da Comissão de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) para o PDT – o cargo poderia ser ocupado pelo senador Acir Gurgacz (RO) – e o comando da Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle (CMA) para o PSB. O provável indicado seria o senador Rodrigo Rollemberg (DF). Também interessa ao PT dirigir a Comissão de Assuntos Econômicos (CAE). Como não chegam a consenso, cogita-se na regra da proporcionalidade partidária e resolver o impasse. Até ontem, PTB e o PSol eram os que mais haviam feito indicações à Secretaria Geral da Mesa. (Ag. Senado)

Zé Carlos Barreta/Hype - 13.04.10

Economista ligado a Serra vai defender salário na Câmara

F

echada em torno da proposta do salário mínimo a R$ 600, a bancada do PSDB na Câmara dos Deputados promete provar, hoje, que o valor defendido pelo partido na campanha eleitoral de 2010 não vai afetar as contas da União, se forem feitos devidos ajustes nos gastos do governo. Para isso, a bancada tucana convocou um dos principais consultores econômicos do exgovernador José Serra, o economista Geraldo Biasoto Junior. Em Brasília desde sextafeira, o economista vai expor no plenário da Casa de que maneira é possível fazer para que o novo salário mínimo de R$ 600 realmente se viabilize.

O foco da apresentação deve ser o aumento das despesas do governo entre 2008 e 2010. Nela, Biasoto vai defender a necessidade de redução das despesas aos níveis de 2009, apontando o que dá para cortar. Diretor executivo da Fundação do Desenvolvimento Administrativo de São Paulo (Fundap), Biasoto – que colaborou com Serra na disputa pela presidência – tem os números que embasam a proposta do mínimo de R$ 600. Pela análise do economista, o governo central gasta demais com programas de pequena abrangência, transferências de recursos para entidades não governamentais, políticas an-

ticíclicas que já poderiam ter sido abandonadas, entre outros. Na lista de exemplos de Biasoto devem constar programas dos ministérios de Esporte e Cultura de baixa execução orçamentária. Em alguns casos, o total de recursos executados não passa de 20%. O economista fará sua apresentação na sessão extraordinária de hoje, que funcionará como comissão geral para debater o mínimo. O encontro convocado pelos líderes partidários acontece na véspera da votação, marcada para quartafeira, 16. Também participará do debate o secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Nelson Barbosa. (AE)

R$ 600

Geraldo Biasoto vai explicar, no plenário da Câmara, como é possível aumentar o valor do novo mínimo.

Leonardo Prado/Ag. Câmara

Almeida: ganho real para os trabalhadores

A

Câmara analisa o Projeto de Lei 323/11, do deputado Daniel Almeida (PCdoB-BA), que determina o reajuste anual e permanente do salário mínimo com base na soma das variações do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC e do Produto Interno Bruto (PIB), garantido um percentual mínimo de 3% do PIB. Para Almeida, "o estabelecimento de um piso de pelo menos 3% como ganho real resolve os problemas decorrentes da vinculação com o PIB nos casos em que essa variação for pequena ou mesmo negativa". Hoje, o governo calcula o reajuste do salário mínimo a partir da variação do INPC

acumulado nos 12 meses anteriores ao mês do reajuste, mais a taxa de crescimento real do PIB de dois anos antes. Mas ao propor o reajuste de 2011, o governo usou apenas o INPC, pois a variação do PIB de 2009 foi negativa (-0,2%). Segundo o projeto de Almeida, a variação do INPC deve ser apurada no mês de novembro do ano anterior ao reajuste e leva em conta os últimos 12 meses. Para o PIB, o projeto estabelece que o reajuste também será medido pelo percentual equivalente a sua variação real no penúltimo ano. Garante percentual mínimo de 3%. O texto prevê a adoção das regras já a partir de janeiro de deste ano. (AE)

3%

Daniel Almeida: garantias de um percentual mínimo de 3% do PIB

Centrais querem mais

A

manhã, quando os parlamentares discutirem o reajuste do salário mínimo, as centrais sindicais esperam reunir, em Brasília, cerca de 500 dirigentes sindicais e militantes. As centrais defendem um valor maior do que os R$ 540 propostos pelo governo. Segundo a Força, a estimativa dos trabalhadores é a de que

centenas de pessoas se dividam entre a ala das comissões e o Salão Verde do Congresso, por onde circulam os parlamentares, para fazer "sensibilização" um salário mínimo maior. Após duas rodadas de negociações com os sindicalistas, o governo ofereceu aumento de R$ 5 no valor estabelecido pela MP. (Folhapress)

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

ELEIÇÕES PARA AS DIRETORIA EXECUTIVA, DIRETORIA PLENA E CONSELHO DELIBERATIVO BIÊNIO MARÇO DE 2011 / MARÇO DE 2013 EDITAL DE ENCERRAMENTO DO PRAZO PARA REGISTRO DE CHAPAS ELEITORAIS 1. Nos termos do disposto no Estatuto Social, da Associação Comercial de São Paulo, e no Regulamento das Eleições, aprovado em reunião do Conselho Deliberativo, realizada em 17 de janeiro de 2011, faço público que, no prazo estatutário encerrado no dia 11 de fevereiro de 2011, às 18 horas, e observadas as exigências legais, foi registrada, em livro próprio, a chapa única completa, abaixo transcrita. 2. Tendo sido registrada somente uma chapa completa para os cargos de Diretoria Executiva, Diretoria Plena e do Conselho Deliberativo, ficam dispensadas, de acordo com o artigo 54, do Estatuto Social, e artigo 32, do Regulamento das Eleições, as

formalidades subsequentes de convocação de Assembleia Geral (art. 41, do Estatuto Social), votação e apuração dos votos, submetendo-se a chapa única, verificado o cumprimento das formalidades legais, à homologação do Conselho Deliberativo, que proclamará eleitos os seus integrantes. São Paulo, 11 de fevereiro de 2011 Luiz Márcio Domingues Aranha Secretário do Processo Eleitoral

PRESIDENTE ROGÉRIO PINTO COELHO AMATO Springer S/A

DIRETORIA EXECUTIVA (Vice-Presidentes) Alfredo Cotait Neto Engenharia e Construções Engetécnica Ltda. Antonio Carlos Pela GRM Consultoria e Participações Ltda. Carlos Roberto Pinto Monteiro Multihab Engenharia e Serviços Ltda. Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira OMNI S/A. - Crédito, Financiamento e Investimento Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho Borracha Olho D’Água Agroindustrial Ltda. (Interlatex)

João de Favari Sobel Indústria e Comércio de Produtos de Limpeza Ltda. Lincoln da Cunha Pereira Filho UAB Motors Luciano Afif Domingos Punch Corretora de Seguros Luís Eduardo Schoueri Lacaz Martins, Halembeck, Pereira Neto, Gurevich & Schoueri Advogados Luiz Gonzaga Bertelli Centro de Integração Empresa Escola - CIEE Luiz Roberto Gonçalves L.R.G. Comércio Exterior Ltda. Nelson Felipe Kheirallah

Nílton Molina Mongeral Aegon Seguros e Previdência S/A. Paulo Roberto Pisauro Indústria e Comércio Metalúrgica Atlas e Fundação Senador José Ermírio de Moraes Renato Abucham Euroban do Brasil Participações e Serviços Ltda. Roberto Faldini Faldini Participações, Administração e Investimentos Ltda. Roberto Mateus Ordine Ordine, Saraiva e Advogados Associados

DIRETORIA PLENA André de Souza Peixoto André de Souza Peixoto Drogaria e Manipulação Ltda. André Luis Marchesin Gonçalves Marchesin Gonçalves Comunicação Ltda. Antonio Marangon Pena de Ouro Contabilidade e Assessoramento Antonio Viotto Netto Escritório de Advocacia Bortolo Calovini Rancho Grande Indústria, Comércio e Distribuição de Alimentos Ltda. Carlos Antônio Barros de Moura BarrosDeMoura & Associados, Corretagem de Seguros Ltda. Cesário Ramalho da Silva Sociedade Rural Brasileira Daniel Gomes Aguilar DDJ - Multi-Visão Comunicação Audio-Visual e Fotográfico Ltda. Diva Helena Furlan Bacco’s Comercial e Importadora Escócia Ltda. Eduardo Adamo Capozzi Rayton Industrial S/A. Eduardo Ferreira Lafraia Construtora Elecon Ltda. Eduardo Rosa

Edward Tadeusz Launberg Euroban do Brasil Participações e Serviços Ltda Eloy Gonçalves de Oliveira Empowerment Ltda. Fábio Luiz Ralston Salles Ralston Ferraz Assessoria Farid Murad Famel Mercado Exterior Ltda. Flávio Arnaldo Yazbek Roy Participação e Empreendimentos Ltda Francisco Caiuby Vidigal Filho Marítima Seguros Giacinto Cosimo Cataldo Construtora Cosimo Cataldo Ltda. Guilherme Afif Domingos Filho Guaimbé Bureau de Cultura Ltda. Guilherme Cotait Engenharia e Construções Engetécnica Ltda. João Carlos Belda Sincro Sistemas Eletrônicos Ltda. Jorge Lutfi Status Comércio de Móveis Ltda. José Antonio Rodrigues Lojas Riachuelo S/A.

José F. Brunetto Brasimpar Indústria Metalúrgica Ltda. José Fernandes Vasquez No-Sag Molas e Fixadores Ltda. José Luiz Nogueira Fernandes Federação de Serviços do Estado de São Paulo - FESESP José Ramos Rocha Neto Banco Bradesco S.A. José Reinaldo Tosi Witbusiness Juan Quirós Grupo Advento Luiz José de Oliveira Olitel Telecomunicações Ltda. Lys dos Santos Diretriz Assessoria em Segurança e Medicina do Trabalho S/S Ltda. Marco Aurélio Sprovieri Rodrigues JSR Empreendimentos Imobiliários Ltda. Maria José Ribeiro Devesa da Silva Trust Trading Miguel Antonio de Moura Giacummo Target Desenvolvimento Imobiliário Ltda. Miguel Rachid Ponto Zero Reposição Automotiva Ltda.

Nelson Ibrahim Maluf El-Hage Og Pozzoli Isoterma Construções Técnicas Ltda. Orlando de Almeida Neto Triumpho Associados Consultoria de Imóveis Ltda. Paulo dos Santos Filho Casa Bahia Comercial Ltda. Pedro Grünauer Kassab Ricardo Luis Martins Scalise Central Brasileira do Setor de Serviços - Cebrasse Roberto Marin Odontologia Marin, Clínica e Convênios Odontológicos Empresariais Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Três Marias, Exportação, Importação Ltda. Rodrigo Garcia Centroeste Participações e Agropecuária Ltda. Ronaldo Francisco Cabral Ronaldo Cabral – Advocacia e Administração de Bens Sérgio Antonio Reze Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores - Fenabrave Sergio Giorgetti Orion do Brasil Participações e Negócios Ltda. Sergio Murilo Bahdur Vieira Quantum Strategics Soriano Muller de Mello

CONSELHO DELIBERATIVO Ângela Aparecida Simões Centro Rotário Educacional, Social, Cultural e Recreativo de Santo Amaro - CRESCER Antonio Vico Mañas Estudos e Realizações em Informática e Administração Ltda. Arab Chafic Zakka Preçolândia Comercial Ltda. Arnaldo Dellivenneri Domingos Jiral Empreendimentos e Participações Ltda. Ary Giron Giron Artefatos de Couro Ltda. Carlos Alberto Nicolini Vértice Engenharia e Consultoria Ltda. Celso de Souza Azzi Telles Pereira, Azzi, Ferrari e Almeida Salles Sociedade de Advogados David Eduardo de Camargo Fernandes Ótica Voluntários Ltda. Douglas Formaglio Saneterra Engenharia Civil Ltda. Gerson Gomez AAA Brasil Consultoria Patrimonial Ltda Gilberto Kfouri Ativos Administração de Carteira de Valores Mobiliários Ltda. (Grupo Verdi) Ivan Lorena Vitale ILV - Empreendimentos Agrícolas José Eduardo Mesquita Pimenta Mesquita Pimenta Advocacia José Garris Del Valle

José Marcelino Lanzotti Lanzotti Serviços Médicos S/S. Ltda. José Maria Chapina Alcazar Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis e das Empresas de Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo - Sescon-SP e Aescon-SP – Associa��ão das Empresas de Serviços Contábeis do Estado de São Paulo José Sérgio Pereira Toledo Cruz Luiz Antonio Caldeira Miretti Approbato Machado Advogados Marcelo André Tomelin Marcelo Flora Stockler Óptica Foto Roxy Ltda. ME Marco Antonio Jorge Marco Antonio Imóveis Ltda. Marly Meirelles Breves Baruffaldi Moacir Roberto Boscolo Boscolo Motores e Retífica Ltda. Oswaldo Roberto Pacheco Campiglia Alpes Administração, Comunicações e Intermediações Ltda. Paulo de Andrade Costa Paulo A. Costa - Arquitetura e Construções Paulo Roberto Pasian Paulo Pasian Consultoria Pedro Zidoi Sdoia Associação Brasileira do Comércio Farmacêutico - ABCFARMA Reinaldo Bittar Enprin Comercial Ltda.

p Jobim nega desprestígio junto à presidente

Minha relação com Dilma está ótima. (...) Não mando recado, no Rio Grande não é assim. Nelson Jobim, ministro da Defesa

olítica

Convocação Ficam convocados os senhores membros do Conselho Deliberativo, da Associação Comercial de São Paulo ACSP, para a reunião a realizar-se no dia 21 de fevereiro de 2011, às 10h30, no 9º andar do edifíciosede da entidade, na Rua Boa Vista, 51, Centro - São Paulo, para deliberarem sobre a seguinte: Ordem do Dia I. Homologar a chapa única registrada, encabeçada pelo empresário Rogério Pinto Coelho Amato, e proclamar eleitos seus membros, nos termos do artigo 54 do Estatuto Social II. Outros assuntos. São Paulo, 14 de fevereiro de 2011

Alencar Burti Presidente

Estado clínico de José Alencar é estável

Ladrões roubam a prefeitura de Colombo

O

D

ex-vice-presidente José Alencar entrou em seu sexto dia de internação na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) Cardiológica do hospital Sírio-Libanês. Segundo boletim médico, ele está consciente, clinicamente estável e, desde ontem, voltou a se alimentar. Alencar está sendo tratado à base de antibióticos e interrompeu a quimioterapia para cuidar de um câncer no abdome, de acordo com a assessoria do hospital. Na última quarta-feira, o ex-vice voltou ao hospital devido a uma inflamação consequente de perfuração no intestino. (Agências)

uas irmãs do prefeito de Colombo, na região metropolitana de Curitiba, José Antônio Camargo, que ocupam cargos de secretárias municipais, foram feitas reféns quando retornavam ontem para casa, após o encerramento da 48ª Festa da Uva e do Vinho. Três assaltantes encapuzados renderam Rita de Cássia e Maria Amélia, que foi obrigada a voltar até a prefeitura, abrir o cofre e entregar todo o dinheiro que estava lá. A bilheteria da festa foi uma das melhores dos últimos anos, mas o total do valor não foi revelado. A polícia procura pelos assaltantes. (AE)

Reinaldo Pedro Corrêa Correa Tintas Ltda. ME. Ricardo Aparecido Granja dos Santos Santa Bárbara Express Negócios e Logística Ltda. Roberto Macedo USP, Faap e Consultor Roberto Manin Frias Oxivida, Oxigênio e Ortopedia Roberto Michele Silberstein Baltimore Serviços Ltda. Teruo Yatabe Renome Empreendimentos e Administração Ltda. Valdir Abdallah Maral Tecidos e Confecções Ltda. Valdir de Oliveira Neves Banif Banco Internacional do Funchal Victoria Ayroza Saracchi Prima - Escola Montessori de São Paulo Ltda. Virgilio Nelson da Silva Carvalho ADVB - Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil Confederação Nacional de Turismo / RDC Clube de Férias Viviano Ferrantini Consultor autônomo em Fibrocimento e Amianto Walter Shindi IIhoshi Escritório Walter Shindi Iihoshi

Ministro da Defesa desmente boatos e afirma que vai negociar a compra dos novos caças para a FAB Juan Mabromata/AFP

O

ministro Nelson Jobim (Defesa) negou estar sendo desprestigiado no governo Dilma Rousseff. E disse que vai participar da compra dos novos caças da FAB (Força Aérea Brasileira). Ontem, em Buenos Aires, onde está para a assinatura de acordos bilaterais com seu equivalente argentino também, Jobim negou que o governo brasileiro tenha suspendido a negociação, o que chamou de "invenção" da imprensa. Segundo a Folha de S.Paulo, a presidente decidiu adiar a decisão da compra dos novos caças para o final do ano devido ao aperto fiscal. Ela optou por consultar outras pessoas sobre a negociação, entregando documentos referentes à compra ao ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento). Jobim conta que a história é outra: "Perguntei ao Pimentel, e ele disse que não foi escolhido e que não recebeu nada." Sobre o suposto mal-estar com Dilma, comentou: "Minha relação com ela está ótima. (...) Não mando recado, no Rio Grande não é assim." Jobim disse que vai se reunir com a presidente hoje, em Brasília, para tratar de temas como a compra dos caças para Força Aérea Brasileira. (AE)

Em Buenos Aires, Jobim nega 'mal-estar' e diz que governo brasileiro não suspendeu a compra dos caças.

p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

7 Campos é um cidadão que busca de forma irresponsável desestabilizar Roraima. José de Anchieta Júnior (PSDB)

olítica

PODER EM DISPUTA Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr - 11.12.08

Diógenis Santos

José de Anchieta afirma que não há instabilidade no Estado e garante: "Estamos com os poderes consolidados para exercer a democracia em harmonia".

Campos seria empossado mas já esperava que o TSE mantivesse Anchieta no cargo. "A decisão ainda é uma vitória, pois a liminar é provisória".

Quem vai governar Roraima? Anchieta, cassado na sexta pelo TRE foi mantido no cargo ontem pelo TSE. A liminar, porém, ainda será julgada pela justiça eleitoral.

O

governador de Roraima, José de Anchieta Júnior (PSDB), cassado na sexta-feira, obteve liminar ontem no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e continua no cargo. A decisão saiu a tempo de impedir a posse de Neudo Campos (PP), o segundo colocado nas eleições. Anchieta fica no cargo até uma decisão final da Corte Superior do tribunal. No processo julgado pelo Tribunal Regional Eleitoral de Roraima, os advogados de Neudo Campos sustentaram que Anchieta usou, indevida-

mente, os meios de comunicação durante a campanha de 2010, para se reeleger. Para Anchieta, a batalha judicial para definir quem vai governar não causa "instabilidade". "Sou o governador diplomado e empossado. Nós estamos com os poderes consolidados para exercer a democracia em harmonia". De acordo com o governador, seu adversário, que obtivera no TRE o direito de assumir o cargo (mas foi impedido pela liminar de ontem), "é um cidadão com vários processos" que busca "de forma irrespon-

sável desestabilizar" Roraima. Neudo Campos afirma que já esperava que o TSE mantivesse Anchieta no cargo."Esse procedimento cuidadoso tem sido adotado pela corte, mas a decisão ainda não é vitória, pois a liminar é provisória". Segundo a advogada de Campos, Maria Claudia Bucchianeri Pinheiro, o julgamento será rápido, "em função da gravidade das denúncias e da premência de uma solução para o Estado de Roraima". Eleitores e correligionários de Campos passaram a noite em vigília em frente à Assem-

bleia Legislativa de Boa Vista para acompanhar sua posse, ontem. Após a liminar, fizeram uma passeata de protesto até a sede do Tribunal Regional Eleitoral. Ao mesmo tempo, a Praça do Centro Cívico era tomada por apoiadores de Anchieta, que soltaram fogos. Os juízes do Tribunal Regional Eleitoral de Roraima (TRERR) reprovaram ontem as contas de campanha de Campos e de sua vice, Marília Pinto (PSB). Para o presidente do TRE, desembargador Ricardo Oliveira, isso não impede a posse no futuro. (AE)

Melo e das Verduras: cassações suspensas

O

ministro do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) Arnaldo Versiani suspendeu liminarmente a cassação do deputado federal Francisco Vieira Sampaio (PRP), o Chico das Verduras, e o estadual George de Melo (PSDC), eleitos em Roraima no ano passado. Em setembro de 2010, eles

foram presos pois, segundo a Polícia Federal, prometeram sortear a 200 pessoas três carros novos com R$ 1.000 no porta-luvas, se fossem eleitos. Em 2007, Chico das Verduras teve o mandato de deputado estadual cassado por distribuir sopa para carentes no período eleitoral de 2006. (Folhapress)

Bolsas para aliados de Roseana sob suspeita Dida Sampaio/AE

Fato Relevante

O

Ministério Público do Maranhão vai investigar supostas irregularidades no pagamento de bolsas de incentivo à pesquisa científica a aliados políticos da governadora reeleita Roseana Sarney (PMDB). Há suspeita de que a concessão das bolsas esconda um esquema para o pagamento de servidores temporários, contratados sem concurso público. Entre os beneficiados estaria o secretáriogeral do PT maranhense, Fernando Antonio Magalhães de Sousa, que é ligado ao vice-governador Washington Luiz de Oliveira (PT). Nomeado este ano assessor especial do vice, o dirigente recebeu cerca de R$ 32 mil no ano passado, quando trabalhava na Secretaria da Educação. Sousa assessorava o ex-secretário-adjunto da pasta e presidente do diretório do PT em São Luís, Fernando Silva. Os R$ 32 mil foram pagos a ele pela Fapema (Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão), órgão vinculado à Secretaria da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Desenvolvimento Tecnológico. A promotora do caso, Sandra Elouf, disse que a presidente da fundação, Rosane Guerra, será ouvida amanhã. O presidente estadual do PT, Raimundo Monteiro, confirmou que a Fapema intermediava a contratação de funcionários temporários, mas ne-

Ata da Reunião Extraordinária no 1.737, de 11.2.2011, do Conselho de Administração do Banco Bradesco S.A. CNPJ no 60.746.948/0001-12 - NIRE 35.300.027.795. Aos 11 dias do mês de fevereiro de 2011, às 8h, na sede social, Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, 4 o andar do Prédio Vermelho, reuniram-se os membros do Conselho de Administração sob a presidência do senhor Lázaro de Mello Brandão. Durante a reunião, os Conselheiros aprovaram a proposta da Diretoria da Sociedade, registrada na Reunião n o 1.777, de 31.1.2011, daquele Órgão, para pagamento de Dividendos aos acionistas da Sociedade, em complemento aos Juros sobre o Capital Próprio e Dividendos relativos ao exercício de 2010, no valor de R$315.100.000,00, sendo R$0,079771188 por ação ordinária e R$0,087748307 por ação preferencial. Serão beneficiados os acionistas que se acharem inscritos nos registros da Sociedade nesta data (11.2.2011), passando as ações a ser negociadas “ex-direito” aos Dividendos a partir de 14.2.2011. O pagamento será feito em 18.2.2011, pelo valor declarado, não havendo retenção de Imposto de Renda na Fonte, nos termos do Artigo 10 da Lei n o 9.249/95. Os referidos Dividendos relativos às ações custodiadas na BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros serão pagos à referida BM&FBOVESPA, que os repassará aos acionistas titulares por intermédio dos Agentes de Custódia. Assim, o montante de Juros e Dividendos distribuídos aos acionistas, relativos ao exercício de 2010, totaliza R$3.368.743.286,83, conforme demonstrativo abaixo: Em R$ Dividendos Mensais pagos Juros Intermediários do 1 o semestre pagos Subtotal – Valores pagos*

589.104.992,04 558.538.294,79 1.147.643.286,83

Juros Complementares a serem pagos em 18.2.2011

1.906.000.000,00

Dividendos Complementares a serem pagos em 18.2.2011

315.100.000,00

Subtotal – Valores a pagar

2.221.100.000,00

Total

3.368.743.286,83

(*) Considera as bonificações aprovadas nas AGEs de 18.12.2009 e 10.6.2010. Por ação em R$ Espécie

Dividendos Mensais

Juros Intermediários do 1 o semestre

Juros Complementares

Dividendos Complementares

Total

ON PN

0,158631000 0,174494100

0,155520588 0,171072647

0,482461664 0,530707830

0,079771188 0,087748307

0,876384440 0,964022884

Em seguida, disse o senhor Presidente que: 1) a Diretoria estava autorizada a tomar todas as providências necessárias para que os referidos Dividendos fossem creditados individualizadamente, a partir desta data, à conta de ações dos acionistas na Sociedade; 2) para os acionistas cujas contas estejam paralisadas, o valor dos Dividendos deverá ser mantido à disposição na Sociedade, o mesmo ocorrendo no caso daqueles em que nos registros não conste o número do CPF ou CNPJ, até que satisfaçam a exigência legal.

Roseana Sarney: governadora reeleita do Maranhão pelo PMDB

gou qualquer irregularidade. "A Fapema cumpria essa tarefa, de contratar pessoas para trabalhos temporários, já que a secretaria não podia contratar profissionais assim", afirmou Raimundo Monteiro.

Procurada, a presidente da Fapema não foi localizada. A fundação informou que só o governo do Estado poderia se manifestar sobre o caso, o que não aconteceu até o fim da tarde. (Folhapress)

Nada mais foi tratado, encerrando-se a reunião e lavrando-se esta Ata que os Conselheiros presentes assinam. aa) Lázaro de Mello Brandão, Antônio Bornia, Mário da Silveira Teixeira Júnior, João Aguiar Alvarez, Denise Aguiar Alvarez, Luiz Carlos Trabuco Cappi e Carlos Alberto Rodrigues Guilherme.

p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Como falar em unidade com advogado contratado para montar novo partido? Isso é chantagem. Ronaldo Caiado, deputado federal do DEM

olítica

Marcos Mendes/LUZ

Alencar Burti, Antonio Paim e Luiz Gutemberg: os desafios para consolidar e enriquecer a democracia brasileira a partir da mobilização dos setores organizados da sociedade.

Os pecados da oposição no Brasil Em evento na Associação Comercial de São Paulo, o jornalista e escritor Luiz Gutemberg revela por que falta consistência aos oposicionistas, um mal da política Sergio Kapustan

O

jornalista e escritor Luiz Gutemberg criticou ontem, na reunião do Conselho Político e Social (COPS), da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), a oposição brasileira. Segundo ele, os oposicionistas pecam por não terem um método de trabalho – que chamou de "análise de risco político" – para dar mais consistência à atuação dentro e fora do Congresso Nacional. Conselheiro do COPS, Gutemberg citou alguns exemplos, como a falta de uma posição clara sobre a exploração do pré-sal. Ou ainda sobre a estratégia do PT de reabilitar os "companheiros mensaleiros" – entre eles, José Dirceu e Delúbio Soares –, e a invasão de produtos chineses no País. "Como a oposição não tem um método, perpetua-se um alheamento da realidade. Isso é um mal da política brasileira

Atualmente, a oposição não se utiliza de um método na política. Ouve mais a sugestão dos marqueteiros. LUIZ GUTEMBERG porque o governo também não faz a sua análise de risco." No caso da oposição, Gutemberg enfatizou a "invasão chinesa" no Brasil e o silêncio oposicionista. "Qual é o risco da China no Brasil? Não há de parte da oposição uma análise do problema". Ao discorrer sobre o tema, ele resgatou a história política do presidente Juscelino Kubitschek (1902-1976), que traçou objetivos e métodos para conquistar a Presidência da República ao longo de sua carreira política.

Conforme Gutemberg, quando prefeito de Belo Horizonte, de 1940 a 1945, JK já manifestava, publicamente, na época a sua intenção de disputar a Presidência, que conquistou em 1955. "Atualmente, a oposição não se utiliza de um método na política. Ouve mais a sugestão dos marqueteiros." Reforma política – Outro conselheiro do COPS, o professor e escritor Antonio Paim, analisou o quadro partidário nacional e a dificuldade de o Congresso Nacional aprovar a reforma política. Em sua palestra, Paim comparou o número de legendas com representação no Parlamento (22) com as democracias consolidadas, como a Bélgica (oito partidos) e a Holanda (quatro partidos). Em sua análise, a proliferação de forças políticas, ao contrário dos países europeus, tem como resultado o distanciamento delas da opinião pública. "Nos países de democracia consolidada, é reduzido o

Nos países de democracia consolidada, é reduzido o número de partidos que se fazem representar no Parlamento. ANTONIO PAIM número de partidos que conseguem se fazer representar no Parlamento", disse. "As tendências consistentes da opinião pública estruturam-se com vistas à conquista de determinado modelo de sociedade, que não são muitos." Para melhorar o sistema partidário, Paim defendeu o voto distrital em lugar do proporcional, com lista aberta adotado no País há mais de 70 anos. Mas a questão esbarra no Congresso e na pluralidade de forças, que impedem qualquer prognóstico favorável à pro-

posta. A ACSP defende o voto distrital para melhorar a qualidade da atividade parlamentar. "Com 22 partidos, o voto distrital não passa no Congresso", garantiu Paim. De acordo com o professor, há uma hipótese de se aprovar o financiamento público de campanha. Junto com o financiamento, poderia se aprovar o voto de lista pré-ordenada e o fim das coligações em eleições proporcionais fechadas. Quando era senador, Jorge Bornahusen – atual coordenador do COPS – já havia apresentado essas propostas. "A condição para o financiamento público é saber quem será eleito. Não pode ser como o sistema que está aí, em que não se sabe quem dará dinheiro a quem", declarou Paim. Sonho e realidade – O presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), Alencar Burti, elogiou a participação dos palestrante convidados.

Nós queremos que o sonho se torne realidade. E os dois palestrantes apresentaram a realidade como um sonho. ALENCAR BURTI De acordo com Burti, cada um dos temas tem a sua especificidade, entretanto, caminham sempre para o mesmo destino: "A cobrança do eleitor em relação ao eleito". Nesse aspecto, ele reiterou a necessidade de uma mobilização dos setores organizados da sociedade para aprovar a reforma política e as demais reformas, como a trabalhista e a tributária. "Nós queremos que o sonho se torne realidade. E os dois palestrantes apresentaram a realidade como um sonho", encerrou Burti.

Paulo Liebert/AE

Morte de prefeito tem 7 suspeitos

Kassabistas dão ultimato à direção do DEM

A

liados do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, deram ontem um ultimato à direção dos Democratas, que esteve reunida na capital paulista justamente para tentar acomodar as duas principais alas do partido, com a criação de uma espécie de direção compartilhada. O prazo dos seguidores de Kassab termina amanhã. Ou o DEM viabiliza chapa única para a direção do partido ou eles deixarão a sigla. Como o clima é de beligerância, o gesto foi recebido como sinal de que, diante do risco de derrota na convenção, o grupo prepara o desembarque. D e s f il i a ç ã o – Em almoço em São Paulo, o ex-senador Jorge Bornhausen (SC) avisou ao líder do DEM no Senado, José Agripino Maia (RN), que se desfiliará se não prosperar o acordo. Ao seu lado, estava o ex-senador Marco Maciel (PE). "Minha contribuição acaba amanhã. Se não construirmos um acordo, encerro minha participação. Não adianta tentar por mais um mês", disse Bor-

nhausen. A sua saída pavimentaria a adesão do governador Raimundo Colombo (SC) à base governista. Apoiado pela atual direção para a presidência do DEM, Agripino explica que o grupo pediu resposta já para avaliar seu futuro um mês antes da eleição do partido. O grupo apresentou uma proposta de difícil aceitação como condição de permanência. Pela ideia de Bornhausen, o grupo apoiaria a eleição de Agripino, abrindo mão do nome de Maciel, desde que a Executiva fosse mantida como está. A proposta será submetida hoje ao líder do DEM na Câmara, Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), mas deverá ser vetada pelos 17 novos deputados que reivindicam espaço. Chantagem – Na avaliação deles, o grupo ligado a Bornhausen e a Kassab disputa o poder para depois conduzir o partido para o destino que melhor convier ao futuro político do prefeito, o que incluiria até uma guinada governista. "Querem discutir espaço no

partido, mas espaço é proporcional à votação na convenção. Como falam em unidade, se já têm advogado contratado para montar novo partido? Isso é chantagem", disse Caiado. O atual comando do DEM até admite compor com a ala de Kassab, contanto que tenha garantia de que o prefeito sairá sozinho do partido. Só que ele, ao reafirmar a sua disposição de deixar o DEM, mostrou hesitação sobre o melhor instrumento político. Mão dupla – Mesmo assim, os fundadores do DEM discutiram a criação de uma direção compartilhada para evitar o esfacelamento do partido e acomodar as alas divergentes. Entre outros pontos, o acordo prevê que o grupo ligado à atual presidência, ocupada pelo deputado Rodrigo Maia (RJ), indique o futuro dirigente, que seria Agripino. A outra facção ficaria com o segundo posto na hierarquia, a secretaria-geral, para a qual poderia ser indicado Marco Maciel ou algum outro nome ligado a esse grupo. (Agências)

O

Jorge Bornhausen, presidente de honra do DEM, e o ex-senador Marco Maciel tentam costurar um acordo para manter o prefeito Gilberto Kassab na sigla e garantir o futuro do partido. O esforço, concentrado em São Paulo, pode se revelar inútil.

Ministério Público (MP) ofereceu ontem denúncia à Justiça contra sete pessoas suspeitas da morte do prefeito de Jandira, Walderi Braz Paschoalin (PSDB), assassinado na manhã do dia 10 de dezembro do ano passado. Foram denunciados como mandantes do crime, o exsecretário de Governo de Jandira, Sérgio Paraízo, o exsecretário de Habitação, Wanderley Lemes de Aquino, e o ex-candidato a vereador Anderson Luiz Elias Muniz, o Ganso. Também foram denunciados Adílson Alves de Souza, o Alemão ou Dilsinho; Lázaro Teodoro Faustino, o Lazinho; Lauro de Souza, o Negão, e o expolicial militar Robson da Silva Lobo. Na versão do MP, os ex-secretários tramaram a morte do prefeito para assumir o controle dos esquemas de corrupção e contrataram os quatro denunciados para executar o crime. (Folhapress)

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

c

9 Zé Carlos Barretta/Hype

VIGILÂNCIA Agentes da Saúde ainda esperam autorização para inspecionar casa.

idades Zé Carlos Barretta/Hype

GOLPES Os pais de Suzane foram mortos a golpes de barras de ferro. André Vicente/Folhapress

Novo assalto no Morumbi Shopping

A

loja Live Pass, que vende ingressos para shows e eventos, foi assaltada anteontem à noite no Morumbi Shopping (zona oeste de São Paulo). Foi o segundo assalto ao shopping em uma semana. A Live Pass tem acesso apenas pelo estacionamento e foi invadida por volta das 20h, quando o centro comercial já estava fechando. Os dois bandidos, ambos armados, não chegaram a disparar tiros e não chamaram a atenção dos clientes. Os funcionários da loja foram dominados e liberados logo após entregarem o dinheiro do caixa. Segundo a polícia, os ladrões fugiram com R$ 100 mil, documentos e vários cartões de crédito. O roubo não afetou o funcionamento do shopping, que ontem abriu normalmente. Lojistas e clientes não tomaram conhecimento do roubo, já que a loja fica na área externa do shopping, em frente a uma loja de departamentos. Ninguém havia sido preso até a noite de ontem. Joalheria – No dia 7, pelo menos seis bandidos armados com pistolas e metralhadoras invadiram a joalheria Dryzun e fizeram reféns a gerente e uma funcionária da loja. Após roubar as joias da vitrine, dispararam vários tiros para provocar correria e fugiram. A polícia conseguiu as imagens dos suspeitos, mas nenhum deles ainda foi preso. (Folhapress).

USP faz trote voluntário

P

ara se sentirem mais seguros na hora de levar o tão esperado – e temido – trote, muitos calouros da Universidade de São Paulo (USP) levaram ontem seus pais para participar do primeiro dia de matrícula. A presença da família tornou ainda mais divertidos os banhos de farinha, ovos, tinta e leite condensado. Na lateral da arena onde ocorreu o trote da Escola Politécnica, foi erguida a "barraca dos pais", onde as famílias podiam assistir a tudo. "Não esperava uma recepção tão organizada. A gente tem tanto medo do trote, mas me deram até água", disse Virgínia Kuratomi, de 54 anos, mãe de Raphael, de 17, calouro de Engenharia Mecânica. Só participou dos trotes da Politécnica quem quis. O mesmo ocorreu em outras unidades, como a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA). Depois da matrícula, os calouros podiam optar por ir embora ou passar pelo trote. Quem escolheu a última opção foi pintado com tinta e levou banho de mangueira. Cerveja – A p e s a r d e proibido pela USP, houve consumo de bebidas alcoólicas em diferentes unidades. Em algumas, como a Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) e a Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU), latinhas de cerveja eram vendidas pelos veteranos. (AE)

Vanessa V. Duarte

Polícia já tem suspeito para assassinato de Vanessa

A

A piscina dos Richthofen está tomada pelo musgo e pelas folhas. A água parada é potencial criadouro de mosquitos, entre eles o da dengue

Mansão Richthofen também é vítima de um crime bárbaro Abandonado há anos, imóvel na zona sul está sujo, pichado e pode até ser criadouro do mosquito da dengue Ivan Ventura /AE ulo Pinto

/2006

10/04

Pa

N

a semana passada, a Justiça de São Paulo considerou a ex-estudante de Direito Suzane von Richthofen indigna de receber uma herança avaliada em R$ 11 milhões, deixada por seus pais, Marísia e Manfred von Richthofen. Em 2006, ela foi condenada pelo assassinato do casal. A ação para deserdá-la foi movida pelo irmão Andreas von Richthofen. Ainda cabe recurso. Na relação de bens do casal assassinado, o destaque é a mansão localizada na rua Zacharias de Góes, no bairro do Campo Belo, na zona sul da cidade. A casa da família Richthofen também foi o palco do bárbaro crime ocorrido em 2002. O casal foi morto enquanto dormia, a golpes de barras de ferro na cabeça. Abandono – Ontem, o Diário do Comércio foi à rua Zacarias de Goes e encontrou um imóvel abandonado, em péssimo estado de conservação e que, supostamente, abrigaria um criadouro do mosquito transmissor da dengue, o Aedes aegypti. O abandono do imóvel teve início poucos meses depois da morte do casal Richthofen. Herdeiro e irmão de Suzane, o jovem Andreas decidiu se mudar para a casa dos avós, em local não divulgado. Num primeiro momento, a família contratou um caseiro para realizar a limpeza da propriedade durante o dia. Para impedir ataques noturnos à mansão e até impedir possíveis invasões foi contratado um segurança. Em 2009, o vigilante e logo depois o caseiro decidiram ir embora da casa. O comentário entre os vizinhos era que a família havia deixado de pagar parte dos salários dos funcionários. Na época, Andrea e seus representantes não foram localizados para comentar sobre a casa e a suposta dívida com os ex-funcionários. Deterioração - Sem caseiro ou segurança, a casa passou por um rápido processo de degradação, que pode ser notado logo na entrada da residência. Há anos a fachada está pichada com frases ofensivas a Suzane. Na garagem é possível encontrar centenas de folhetos promocionais e outros papéis - inclusive jornais. A própria caixa de cor-

Suzane von Richthofen, presa pelo assassinato dos pais, em 2002

Zé Carlos Barretta/Hype

Na entrada da residência, muita sujeira: folhas e folhetos

reio, cheia de correspondência, comprova o total abandono do imóvel. No interior da propriedade os sinais do abandono é ainda mais evidente. No quintal, o acúmulo de folhas criou uma espécie de tapete verde que chega até a porta da residência dos Richthofen. O portão da rua possui um curioso brasão com detalhes em dourado, mas já todo empoeirado. O brasão foi coloca-

do por Manfred e faz referência ao lendário piloto alemão da Primeira Guerra Mundial também Manfred von Richthofen, o Barão Vermelho. Manfred, pai de Suzane e de Andreas, alegava ser sobrinho neto do Barão Vermelho, um parentesco que nunca chegou a ser confirmado. Dengue -A má conservação da piscina é outro traço da péssima conservação no imóvel. A transparência natural

da água deu lugar a uma espécie de caldo de coloração esverdeada, causada pela presença de musgo nas bordas e no fundo da piscina. Isso sem falar nas folhas que se acumulam na superfície da água. A sujeira ainda esconderia um outro e conhecido problema típico dos meses de verão. Vizinhos da mansão Richthofen afirmam que a água da piscina virou um criadouro do Aedes aegypti, o mosquito transmissor da dengue. Para piorar a situação, no ano passado um caso da doença foi registrado em um local próximo ao imóvel. Daí em diante, a ligação do caso com a mansão ficou ainda mais estreita. Reclamação –O co-proprietário de uma casa localizada ao lado da casa do casal morto, o empresário Irineu L. L. Strenger, de 23 anos, jura que viu e até matou um inseto com características semelhantes às do mosquito Aedes aegypti Em decorrência do suposto aparecimento do mosquito, no fim do ano passado ele entrou em contato com a Coordenação de Vigilância em Saúde da cidade (Covisa) e protocolou uma reclamação, registrada sob o número 286285. "No ano passado eu reclamei com a Vigilância Sanitária sobre o aparecimento desses insetos. Um funcionário do órgão apareceu e confirmou a suspeita, mas disse que precisaria entrar na casa para analisar in loco o problema", afirmou o empresário. A Covisa confirmou que esteve no local para checar a denúncia feita por Strenger. No entanto, até agora nenhum funcionário teve acesso à casa. Ainda segundo a Covisa, o órgão municipal entrou em contato com a Justiça, com a subprefeitura do bairro e com o proprietário do imóvel (no caso, Andrea) para ter acesso à casa e checar a denúncia. Desvalorização -Irineu Strenger ainda relatou um outro transtorno, este relacionado ao desejo de vender o seu imóvel. Segundo ele, o assassinato do casal provocou uma desvalorização de alguns imóveis na região, inclusive do seu. "Tento vender minha casa há seis meses, mas sem sucesso. Os poucos interessados lembram da morte e pedem um desconto que não posso dar. O crime aconteceu há quase dez anos, mas ainda parece que foi ontem".

Polícia Civil já tem um suspeito do assassinato da supervisora de vendas Vanessa de Vasconcelos Duarte, de 25 anos, encontrada morta anteontem, em um matagal em Vargem Grande Paulista, município da Grande São Paulo. O suspeito foi visto por uma testemunha abandonando o Ford Fiesta ocupado pela vítima. O carro foi encontrado numa estrada, em Vargem Grande Paulista, a 7 quilômetros do local onde o corpo da jovem foi localizado. O corpo da supervisora de vendas estava a pelo menos 25 quilômetros de Barueri, também na Grande São Paulo, onde ela morava com o noivo – proprietário do carro que ela dirigia no dia em que foi morta. Sangue –Nova perícia concluiu que Vanessa sofreu agressões dentro do carro e lutou com o assassino, que provavelmente conhecia. Marcas de sangue e fios de cabelo foram encontradas no estofado. De acordo com o delegado Zacarias Katzer Tadros, o crime não apresenta características de latrocínio (roubo seguido de morte). Nesses casos, afirma o delegado, o comportamento do criminoso costuma ser o de se livrar logo de problemas. Dessa forma, o ladrão não ficaria andando com o carro da vítima após abandonar o corpo da jovem, pois isso representaria uma chance maior de ser reconhecido e descoberto. Sem saque –Uma outra característica do latrocínio é o saque do dinheiro da vítima rapidamente, em um caixa eletrônico. Apesar de a bolsa, documentos, cartões bancários e o telefone celular da supervisora de vendas terem sumido, até a noite de ontem, não havia informações de que tivesse ocorrido algum saque em sua conta bancária. Com base em informações fornecidas pela testemunha, a polícia prometeu divulgar hoje o retrato falado do suspeito. O delegado também acredita que a vítima tenha sofrido violência sexual e que tenha sido abordada por, pelo menos, duas pessoas. Hoje a polícia deverá ouvir mais duas pessoas. O delegado Tadros, porém, não revelou se são testemunhas nem divulgou seus nomes. O delegado também pediu a quebra do sigilo fiscal, bancário e telefônico da vítima. Casamento – Vanessa, que iria se casar em novembro, saiu de casa no sábado de manhã para se encontrar com três amigas em um posto de gasolina em Carapicuíba, na Grande São Paulo, para fazer um curso de maquiagem. (Agências)

DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Um grande atraso é abuso. Já vi convidados irem embora antes da cerimônia. Padre Sextílio Focchesatto

idades

Fotos de Newton Santos/Hype

Manter a tradição do atraso pode custar caro aos noivos É cada vez mais comum as igrejas cobrarem multas de noivas que se atrasam em seus casamentos. Em alguns casos, a tolerância é de quinze minutos. Mesmo assim, muitas noivas preferem pagar e honrar o costume. Mariana Missiaggia *

Reprodução/TV Globo

A

decisão do padre Roberto Carrara, pároco da Catedral Nossa Senhora de Lourdes, em Apucarana (PR), em multar noivas que se atrasem para casar, levantou, sem trocadilho, o véu de uma questão que parece ser comum nos altares do País, a julgar por algumas constatações feitas na Capital e arredores. Na região do ABC, por exemplo, a prática já está implantada há muito tempo, se bem que a punição – R$ 300 – é mais módica do que a do pároco apucaranense, que bateu o martelo em R$ 500, levado possivelmente pela paciência perdida. Nas paróquias de São Camilo de Lellis, em Santo André, e na de São Bento, em São Caetano do Sul, o casal já deixa um cheque-caução naquele valor, prevenidos de que não o verão de volta se não forem pontuais. Nesse sentido, a tolerância chega a ser britânica: 15 minutos, o que significa que a noiva deve estar a postos bem antes do horário para ter o tempo necessário de ajeitar a cauda do vestido e perfilar convenientemente os daminhos e daminhas etc. Os padres das duas igrejas não quiseram se pronunciar oficialmente, mas garantiram que a medida funcionou, embora tenham dito que, por incrível que pareça, existem noivas que pagam e até correm o risco de ver seu casamento transferido para o último lugar do dia, apenas para confirmar a folclórica tradição de fazer esperar. Os padres de São Paulo devem ser mais tolerantes. Os da Igreja Nossa Senhora do Brasil, nos Jardins, e da Consolação, no Centro, não estão cogitando estabelecer multas e dizem que não enfrentam o problema. Mas, pelo menos no primeiro caso, seria embaraçoso fixar penalidades em um lugar no

qual a cerimônia pode custar R$ 5 mil. Idem para a Catedral da Sé, onde os noivos devem desembolsar R$ 4 mil, embora ali exista a opção de casar a custo zero, desde que não se peça enfeites nem adereços, contrapartida para atestar a gratuidade do sacramento. Nas áreas mais afastadas, o sim pode ficar em apenas R$ 200. Pétalas – Mas talvez a solução mais engenhosa para coibir atrasos tenha partido da Igreja de Santa Terezinha, de Higienópolis. Ali prevalecia um ritual com mais de 50 anos que consistia em derramar uma chuva de pétalas de rosas vermelhas sobre o casal na hora do sim. Desde 2004 ficou estabelecido que apenas os casadouros pontuais teriam direito à emblemática homenagem. O relato entusiasmado de frei carmelita Luis Fernando Negrão, 39 anos, dá a entender que a iniciativa foi uma espécie de descoberta da roda. "Não há mais atrasos", diz. "As noivas chegam dentro do horário". Não se sabe quando e porque a figura da noiva atrasada entrou da moda e tornou-se uma quebra protocolar de boas maneiras. Mas, se for levada em conta a memória do frade fran-

No alto, à esquerda, o padre Roberto Carrara, pároco da Catedral Nossa Senhora de Lourdes, em Apucarana (PR), que resolveu aplicar multas. Acima e ao lado, chuva de pétalas na paróquia de Santa Teresinha, em Higienópolis. Mas só os casais pontuais ganham o brinde.

ciscano Giorgio Cunial, 74 anos, da igreja de Santo Antonio, na Praça do Patriarca, é coisa das quatro últimas décadas. Ele evoca uma época em que chegava a fazer até 15 casamentos por sábado, todos rigorosamente dentro do horário. "Hoje, as noivas atrasam até sem necessidade", diz. A propósito, seu colega de Ordem Sextílio Focchesatto, tem experiências amargas. Certa vez, ficou plantado no altar por duas horas, tempo suficiente para Jesus repetir várias vezes o milagre das bodas de Caná. "Um grande atraso é abuso. Já vi convidados irem embora antes da cerimônia", afirma. Aliás, ele presenciou e sentiu a cobrança dos convidados a respeito. No seu entender, essa foi uma das razões para a decisão

de cobrar multas. Cestas – Em Marília, no interior do Estado, as noivas que se atrasam para a cerimônia do casamento religioso pagam multa de R$ 510 na maioria das 13 paróquias da cidade. A punição alternativa é a entrega de cestas básicas às famílias carentes. A cobrança foi instituída no fim da década de 1980. O casal assina um contrato e um cheque-caução, que é devolvido se não houver atraso superior a 15 minutos. "Após essa tolerância no primeiro casamento, o casal paga dez cestas básicas que são entregues às famílias carentes", avisa o frei Leandro Sanches, pároco da Igreja Nossa Senhora de Fátima, que não cobra multa. A cerimônia é encurtada quando há atraso. (* com AE)

José Patrício AE

PASSAPORTE BRASILEIRO AGORA TEM CHIP

Ó RBITA

REFÉNS

U

m homem surdo e mudo que fazia parentes reféns (foto) em sua casa, em Vila Nova Perus, na zona norte, se entregou à polícia por volta das 20h50 de ontem. Segundo a PM, a mulher dele foi encontrada morta dentro de casa com um tiro. A filha do casal foi libertada e medicada. (AE)

novo passaporte com chip, também conhecido como E-Passaporte, já está sendo emitido em todo o País desde sexta-feira, segundo a Polícia Federal (PF). A emissão do novo modelo não invalida os anteriores ainda vigentes. O documento eletrônico vai proporcionar mais agilidade, praticidade e conforto aos seus portadores. A tecnologia empregada permitirá a sua utilização, no futuro, em portais automatizados de controle migratório. Quem possuir o passaporte no modelo anterior (sem chip), e ainda estiver dentro do prazo de

validade, não precisa se preocupar em requerer novo documento. A substituição acontecerá gradativamente, na medida em que os passaportes expirarem o prazo de validade. Além do chip, o novo documento eletrônico conta com outros dispositivos de segurança, como marca d'água, fundo invisível, fio de segurança, fio de costura composta por três fios de alta qualidade e tinta opticamente variável. O projeto piloto de emissão do novo passaporte começou em dezembro do ano passado, em Brasília e Goiânia. (AE)

• Balanceamento • Alinhamento • Suspensão Tel.: (11) 2628-2079 Rua Chamantá, 212 - Mooca - SP

DC

O

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

e

11 DA SELEÇÃO AO TIMÃO Duas vezes campeão mundial, três vezes o melhor pela Fifa, carisma na Espanha e na Itália. E o Corinthians: eternamente...

sporte

Nacho Doce/Reuters

Lágrimas, emoção, elogio à torcida corintiana e ausência de mágoa: "essa carreira foi maravilhosa".

DERROTA PARA O CORPO Perseguido pelo excesso de peso e por dores musculares, o Fenômeno, serenamente, anuncia o fim.

O

atacante Ronaldo, 34 anos, considerado um dos principais jogadores da história do futebol e eleito três vezes o melhor do ano pela Fi fa, anunciou, oficialmente, ontem, em entrevista coletiva no Centro de Treinamento Joaquim Grava, do Corinthians, a sua aposentadoria do futebol. "Eu queria continuar, mas não consigo. Penso uma jogada, mas não executo como quero. Tá na hora. Mas foi lindo pra caramba", antecipou em entrevista no domingo. Nesta segunda, emocionado e sentado ao lado dos filhos Ronald e Alex e do presidente corintiano Andrés Sanchez, ele ratificou a informação. Respirando fundo, ele demorou a começar o seu pronunciamento. "Boa tarde a todos. Como vocês devem imaginar, como ouviram falar no final de semana, eu estou aqui hoje para. (hesitando) falar que estou encerrando a minha carreira como jogador profissional e dizer que essa carreira foi linda, foi maravilhosa, emocionante. Tive muitas derrotas, infinitas vitórias, fiz

G Queria continuar, mas não consigo. Penso uma jogada, mas não executo como quero. G Tenho tido nos últimos dois anos uma sequência muito grande de lesões, que vão de um

lado para o outro, de uma perna para outra, de um músculo para outro... muitos amigos, não lembro de ter feito nenhum inimigo e, enfim, estou antecipando o fim da minha carreira por alguns motivos importantes." Em seguida, Ronaldo enumerou os motivos da decisão. "Todos sabem aqui do meu histórico de lesões. Tenho tido nos últimos dois anos uma sequência muito grande de lesões, que vão de um lado para o outro, de uma perna para outra, de um músculo para outro e essas dores me fizeram antecipar o fim da minha carreira. Há quatro anos, no Milan, eu descobri que sofria de um distúrbio que se chama hipotireoidismo, um distúrbio que desacelera o metabolismo e que para eu controlar esse distúrbio teria que tomar uns hormônios que não são permitidos no futebol, que seria um doping. Muitos aqui ficarão arrependidos de

terem feito tanta chacota com o meu peso, mas não guardo mágoa de ninguém e só quero explicar isso no último dia da minha carreira", reforçou o Fenômeno, lembrando que a sua condição física não permitia a ele jogar futebol de forma competitiva como no passado que o consagrou. O contrato de Ronaldo com o Corinthians iria até o final de 2011, quando ele pretendia parar, mas a eliminação precoce na Libertadores, o protesto dos torcedores, as dores musculares e os problemas físicos o levaram a antecipar a aposentadoria. Ronaldo teve carreira brilhante tanto no futebol brasileiro, com passagens por Cruzeiro e Corinthians, como na Europa, onde atuou pelos rivais espanhóis Real Madrid e Barcelona e, também, na Itália, onde defendeu Internazionale e Milan. Na seleção brasileira,

conquistou dois títulos da Copa do Mundo (1994 e 2002) e se consagrou como o maior artilheiro da história da competição, com 15 gols. Ronaldo, porém, encerra a sua carreira após ser alvo de protestos da torcida do Corinthians, que o apontou como principal responsável pela eliminação da equipe na fase preliminar da Libertadores. A derrota por 2 a 0 para o Deportes Tolima, na Colômbia, no dia 2 de fevereiro, foi a última partida oficial do atacante, que marcou o seu último gol no triunfo do Corinthians por 1 a 0 sobre o Cruzeiro, em 13 de novembro de 2010. O atacante pediu desculpas à torcida corintiana, sob lágrimas, por ter fracassado duas vezes na tentativa de levar o time a conquistar pela primeira vez o título da Libertadores. "Gostaria de agradecer em

especial ao torcedor do Corinthians porque eu nunca vi uma torcida tão empolgante, apaixonada, tão entregue a um time de futebol. É certo que algumas vezes essa cobrança por resultados faz dessa torcida um pouco agressiva, fora

do controle. Mas eu disse outras vezes que não me imaginava ter vivido sem o Corinthians", disse. Após torcedores apedrejarem o ônibus do Corinthians no dia 5 de fevereiro, Ronaldo descartou antecipar a sua aposentadoria, prevista para o final de 2011, quando se terminaria o seu contrato. O atacante, porém, garantiu que o encerramento da sua carreira não tem qualquer relação com os protestos. As dores e o hipotireoidismo foram as principais razões da aposentadoria.

Maurício Lima/AFP

Na entrevista, com o filho Alex: pedido de desculpa.

O cérebro e as pernas nas jogadas geniais Luis Gene/AFP/AE

Filipe Marcel

J

ogadas geniais como as demonstradas em campo pelo ex-jogador de futebol Ronaldo, que anunciou ontem, oficialmente, sua saída dos gramados, seriam resultado de uma intensa atividade cerebral e não apenas de uma familiaridade com a bola. De acordo com um estudo divulgado pela revista Nature Neuroscience, craques como o Fenômeno conseguem processar com mais rapidez a posição dos jogadores no campo e são capazes de memorizar um grande repertório de jogadas. Além disso, antecipam com mais facilidade o movimento de outros jogadores. A tese foi apresentada pelo neurologista John Krakauer, diretor do laboratório de desempenho motor da Universidade Colúmbia, em Nova York, e pode ser a explicação que faltava para esclarecer a desistência repentina do camisa 9 do Corinthians. Ronaldo chegou a afirmar,

durante a coletiva, que sua aposentadoria chega no momento em que seu físico já não aguenta mais a quantidade de exercícios. "Todos sabem do meu histórico de lesões. Tenho tido, nos últimos anos, uma sequência de lesões que vão de um lado para o outro, de uma perna para a outra, de um músculo para o outro. Essas dores fizeram com que eu antecipasse o fim da minha carreira", declarou. Não teria sido apenas uma questão física, nem seu quadro de hipotireoidismo – disfunção causada pela produção insuficiente de hormônios da glândula tireoide – detectado em 2007, que o levou a tomar essa decisão. É certo que o jogador vinha travando uma guerra contra a balança nos últimos anos, mas só agora deixou transparecer que suas pernas já não eram mais capazes de acompanhar a velocidade do seu raciocínio. Tentando entender o que passa na mente de atletas como Ronaldo, o fisiologista Clodoaldo Galiano De Chichi des-

No auge, a 150 quilômetros por hora.

tacou: "O futebol tem sofrido muitas mudanças nos últimos anos, principalmente em função das exigências físicas cada vez maiores, o que obrigam os atletas a trabalharem perto de seus limites máximos de exaustão, com maior predisposição às lesões". Ele acredita que isso tem diminuído a vida útil dos jogadores em campo, fazendo com que as recuperações ina-

dequadas entre os jogos levem os jogadores a um estado de fadiga nas partidas, elevando com isso as probabilidades de lesões e facilitando o agravamento de problemas antigos. No caso de Ronaldo, porém, nem o aumento de peso, nem as oitos lesões que carregava em diversas partes do corpo eram problemas a ponto de impedir sua atuação dentro do

Corinthians. O fator psicológico, no entanto, pode ter sido uma barreira determinante para seu afastamento, já que esta tem sido uma das partes mais afetadas nos jogadores de futebol que anunciam aposentadorias precocemente. "Alguns poucos atletas conseguem se adequar em outras posições. Rivaldo e Liédson foram alguns deles. O próprio Pelé foi jogar nos Estados Unidos (no Cosmos) e o lateral Roberto Carlos acaba de ir para a Rússia", ressalta o médico Ricardo Nahas, diretor científico da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte. Ele explica que o maior desafio entre os atletas, que se encontram na mesma situação de Ronaldo, é passar pelo processo batizado de "destreinamento", no qual a pessoa precisa se acostumar a não ter a mesma representação de antes ou aparecer menos na televisão. "O atleta deixa de ser o foco, e isso o Ronaldo vai ter de encarar daqui pra frente", acrescenta Nahas. Como funciona - Um ata-

cante, parado em frente ao gol para cobrar o pênalti, tem diversas opções: um lançamento curvo, um lançamento rápido, um lançamento articulado. Essas alternativas são filtradas através dos gânglios basais e, de volta ao córtex, até que a decisão seja tomada tendo como base a experiência. As áreas do cerebelo tomam a decisão de jogar a bola ao gol e enviam instruções para a medula espinhal. A ativação de neurônios gera um movimento coordenado da coxa, perna e pés, enquanto as regiões cervical e torácica evitam que o jogador caia durante o lance. "Atletas como Ronaldo agem sobre previsões, lêem o jogo como poucos e contam com a antecipação para alcançar a bola que cruza o gramado com velocidades muitas vezes superiores a 150 quilômetros por hora. E nessa arte o Fenômeno sempre foi destaque. Resta saber se ele também calculou sua aposentadoria no momento certo", emenda o fisiologista Marcelo Carneiro.

DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

nternacional

C

hoques entre a polícia iraniana e milhares de manifestantes que saíram às ruas de Teerã, ontem, resultaram na morte de pelo menos uma pessoa, enquanto grupos de oposição tentavam capitalizar o espírito da recente revolta popular que resultou na renúncia do egípcio Hosni Mubarak depois de quase 30 anos no poder. E não foram só os opositores que tentaram aproveitar a onda de protestos: a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, pediu a Teerã que garanta aos seus cidadãos as mesmas liberdades recentemente obtidas por manifestantes no Egito. Líderes opositores haviam pedido permissão para realizar uma manifestação de solidariedade aos tunisianos e egípcios, que recentemente derrubaram seus próprios governos, mas o governo iraniano não deu seu aval. Mesmo assim, os manifestantes foram para as ruas e realizaram a primeira grande demonstração de força contra o regime em mais de um ano. A passeata começou pacífica, com milhares de pessoas caminhando em silêncio pelas avenidas no centro de Teerã. Os confrontos começaram quando a polícia e membros da milícia Basij, favoráveis ao governo, usaram gás lacrimogêneo e balas de tinta para impedir que a multidão se concentrasse nas praças principais da capital. A telefonia celular foi cortada. Os manifestantes, que se dirigiam à praça AFP Azadi (Liberdade), local tradicional de protestos, responderam ateando fogo em latas de lixo para se protegerem contra a nuvem branca de gás lacrimogêneo. A agência F ar s, pró-goKarroubi verno, infore Mossavi: mou que uma mordaça. pessoa que passava por um dos locais onde ocorreram os choques foi morta pelos manifestantes. Testemunhas relataram que pelos menos três manifestantes foram atingidos por disparos de armas e levados ao hospital central de Teerã, e que dezenas de outros foram hospitalizados por causa de ferimentos provocados por espancamento. "Um iraniano morre, mas não aceita humilhação", gritavam os manifestantes, que também diziam "Morte ao ditador", referindo-se ao presidente linhadura Mahmoud Ahmadinejad. 'Hipócritas' - Membros das forças de segurança em motocicletas também foram vistos perseguindo manifestantes pelas ruas. A agência Fars chamou os manifestantes de "hipócritas, monarquistas, desordeiros e sediciosos", além de ridicularizálos por não gritarem slogans sobre o Egito, como haviam prometido em princípio. Forças de segurança cercaram as casas dos líderes oposicionistas Mir Hossein Mousavi e Mehdi Karroubi, impedindoos de participarem das manifestações, segundo seus sites. Houve ainda confrontos entre policiais e manifestantes e dezenas de prisões na cidade de Isfahan, a 320 km da capital. Apoio - Criticados pela demora em apoiar os protestos no Egito, os Estados Unidos rapidamente saudaram a "coragem" e as "aspirações" dos manifestantes iranianos. "Queremos para a oposição e o povo heroico nas ruas e nas cidades de todo o Irã as mesmas oportunidades que alcançaram seus homólogos egípcios na semana passada", disse Hillary. "Apoiamos os direitos universais do povo iraniano. Merecem os mesmos direitos (dos exigidos pelos egípcios), que são parte de seus direitos naturais", acrescentou. (Agências)

Uma nova revolução iraniana Confrontos entre a polícia e a oposição deixam ao menos uma pessoa morta. EUA pedem levante igual ao do Egito. AFP

Manifestantes em Teerã atearam fogo em latas de lixo. Agência oficial criticou 'hipocrisia' da oposição, que teria usado a revolta egípcia como desculpa para protestar contra o regime. AFP Fotos: Khaled Abdullah/Reuters

Iêmen: cada dia mais violento.

P

Ativistas lançaram pedras para conter a repressão da polícia Jim Watson/AFP

artidários do governo armados com garrafas quebradas, punhais e pedras perseguiram milhares de manifestantes pró-reformas na capital do Iêmen, Sanaa, ontem, tornando cada vez mais violentos os protestos inspirados no levante egípcio. Pelo menos 17 pessoas ficaram feridas no quarto dia de protestos, uma das quais seriamente, após ter sido esfaqueada. A polícia, que vinha tentando manter os dois lados separados, bloqueou milhares de manifestantes em fuga dentro do campus da Universidade de Sanaa. "Depois de Mubarak, Ali", pediam os manifestantes antigoverno, aludindo ao presidente Ali Abdullah Saleh, que está no poder há 32 anos. "Chega de corrupção." (Agências)

Iemenitas exigem saída do presidente Saleh, há 32 anos no poder.

Simpatizantes do governo usaram punhais contra opositores

Hillary pediu compromisso do Irã com a abertura política Hamad Mohammed/Reuters

O 'Dia de Fúria' no Bahrein

A

Jovens protestam diante da polícia, que disparou balas de borracha e gás lacrimogêneo para dispersá-los.

polícia do Bahrein usou gás lacrimogêneo e balas de borracha contra manifestantes, ontem, e uma pessoa morreu durante o "Dia de Fúria" motivado pelas rebeliões populares do Egito e da Tunísia. Helicópteros sobrevoavam Manama, capital do país insular do golfo Pérsico, onde os manifestantes deveriam se congregar – algo que não ocorreu por causa da presença das forças de segurança nos bairros xiitas. No entanto, mais de 20 pessoas ficaram feridas, uma delas em estado grave, em confrontos nas aldeias xiitas em torno da capital, segundo testemunhas. Os manifestantes no Bahrein disseram que não desejam

derrubar a monarquia, mas que desejam maiores liberdades e direitos civis. A maioria da população, muçulmana xiita, se sente sistematicamente discriminada pela minoria muçulmana sunita que governa o reino. Internet - Diplomatas dizem que as recentes manifestações no Bahrein, organizadas via Facebook e Twitter, servem como ensaio para protestos eventualmente mais volumosos. "Gostaríamos de salientar que o 14 de fevereiro é só o começo. O caminho pode ser longo, e as manifestações vão continuar por dias e semanas, mas se um povo um dia escolhe a vida, então o destino irá responder", dizia uma convocação pelo Twitter. (Agências)

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

13 Sempre tentei fazer com que toda mulher se sinta especial. O primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi.

nternacional Mohamed Abd El-Ghany/Reuters

Do outro lado: os temidos policiais estavam entre os grevistas que reivindicavam aumentos salariais. AFP

A nova onda no Egito: greves.

Tantawi: homem forte, caixa-forte.

E

Após protestos que afastaram Mubarak, população pede melhores salários.

O

s protestos políticos no Egito que derrubaram o presidente Hosni Mubarak deram espaço para uma "explosão" de greves pelo país. Trabalhadores nos setores bancário, de transportes, petróleo, turismo, têxteis, comunicação estatal e os funcionários públicos cruzaram os braços, exigindo melhores salários e condições de trabalho, disse o líder sindical Kamal Abbas. "É difícil dizer exatamente quantas pessoas estão em greve e onde. Quem não está em greve?", disse ele. Os novos governantes militares do Egito pediram que os trabalhadores voltem a seus empregos e ajudem a reativar a economia, afetada pela revolta que pôs fim ao governo de 30 anos de Mubarak. Em um comunicado trans-

mitido pela televisão, o Conselho Superior Militar fez um apelo à unidade nacional. "Os nobres egípcios percebem que essas greves, neste momento delicado, conduzem a resultados negativos", disse um porta-voz do Exército. Ele acrescentou que as paralisações prejudicam a segurança e a produção econômica. Protestos - Os trabalhadores citam uma série de queixas. O que os une é a nova percepção de ser capaz de se expressarem na era pós-Mubarak. Ao menos 500 pessoas participaram de um protesto diante do prédio da televisão estatal. "Se eles distribuírem todos os bilhões de dólares roubados por Mubarak aos 80 milhões de egípcios, isso será o suficiente", disse uma das manifestantes, a viúva Safat Mohamed Guda, de 52 anos, mãe de cinco filhos.

As últimas dezenas de manifestantes da praça Tahrir, epicentro dos protestos no Cairo, foram retiradas ontem. Pouco depois disso, porém, centenas de policiais fizeram uma marcha em solidariedade aos ativistas pró-democracia e novamente interromperam o trânsito no centro da cidade. Eleições - Os generais, que tiveram um papel importante na revolta anti-Mubarak ao não fazerem nenhum esforço para reprimi-la, estão exercendo o controle sobre o país e tentam fazer a vida voltar ao normal. Reunidos com jovens opositores que deflagraram os protestos contra o regime, os militares disseram que as emendas à Constituição serão finalizadas em dez dias. Após dois meses, elas irão a referendo popular, abrindo caminho para a realização de eleições. (Agências)

Berlusconi, o galanteador. Premiê italiano nega afastamento e diz: 'tenho muito respeito pelas mulheres'.

O

p r i m e i ro - m i n i s t ro ao considerar que a dignidade italiano, Silvio Ber- das mulheres está sendo atacalusconi, disse ontem da pelo escândalo conhecido que não tem intenção alguma como Rubygate, que envolve o de renunciar e qualificou de chefe do governo italiano com "vergonhosas" e "subversi- uma menor. Os protestos de domingo invas" as manifestações realizadas no dia anterior em várias cluíram diversas figuras de licidades do país contra seu en- derança da oposição de centrovolvimento em um escândalo esquerda e muitas mulheres sexual. "São mobilizações conservadoras de meia-idade, grupo que tradicionalmente subversivas, partidárias, contra minha pes- AFP - 13/12/10 soa e impulsionadas por uma esquerda que utiliza qualquer meio para tentar vencer um adversário que não consegue vencer nas urnas", afirmou o mandatário durante uma participação telefônica no programa de televisão "Mattino Cinque". "Me pareceu um pretexto para apoiar um teorema judicial que não tem nada a ver com a realidade, uma manifestação partidária contra a minha pessoa por parte de uma esquerda que se vale de todos os meios possíveis para acabar comigo", disse o premiê ao programa da rede Canale 5 q ue Escândalo sexual abala pertence a seu grupo, o Mediaset. "Todas as mulhe- popularidade de Berlusconi res que me conhecem sabem que tenho muita considera- apoiou o premiê de 74 anos. ção e respeito (por elas)", Turim, Veneza e Palermo foacrescentou ele. ram algumas das cidades cujas Centenas de milhares de ita- ruas são palco de novos proteslianas se manifestaram no do- tos convocados pelo movimingo em todo o país para di- mento social do Povo Violeta zer "Basta!" a Silvio Berlusconi, ("Popolo Viola", em italiano),

um dos mais críticos ao líder. Além das cidades italianas, estavam previstos protestos também em Amsterdã, Bruxelas, Londres, Nova York, Zurique (Suíça) e Manchester (Reino Unido). Julgamento- Na semana passada, a Promotoria de Milão solicitou o julgamento imediato do premiê por suposta concussão e incitação à prostituição de menores. A investigação apura os supostos serviços sexuais da jovem marroquina Karima El Mahrug, conhecida como Ruby, prestados a Berlusconi quando ela ainda era menor de idade, assim como a intervenção do primeiro-ministro junto à polícia para libertar a jovem depois que ela foi detida por roubo, em maio de 2010. A decisão sobre o pedido deve ser divulgada ainda esta semana. Berlusconi disse que não renunciaria por causa dessa questão, o que potencialmente abriria caminho para novas eleições. "Sempre tentei fazer com que toda mulher se sinta especial", afirmou. Berlusconi se mostrou convencido de que as mulheres têm "algo mais" que os homens e sentenciou: "São sempre melhores na escola, são mais inteligentes e estão mais preparadas, são mais responsáveis e chegam à solução dos problemas sem tantos rodeios". (Agências)

Trabalhadoras da indústria têxtil aderiram à greve, em Mansoura.

Primeiro, renúncia. Agora, doença.

O

ex-ditador do Egito Hosni Mubarak pode estar em más condições de saúde, afirmou ontem o embaixador egípcio nos EUA, Sameh Shoukry. Falando à rede NBC, Shoukry fez os primeiros comentários de um funcionário egípcio sobre o estado de

saúde de Mubarak, de 82 anos. Shoukry foi questionado sobre reportagens segundo as quais Mubarak teria sofrido um derrame ou pudesse estar em coma. "Posso ter recebido alguma comunicação pessoal indicando que ele está possivelmente, de alguma forma, com má saúde", disse o embaixador na entrevista. As especulações sobre a saúde de Mubarak acontecem há anos. Seu estado de saúde era tratado como segredo de Estado no país. (AE)

le controla uma rede de padarias no Egito. E cuida da produção de azeite de oliva e de leite. Além de água mineral. O ramo da construção é controlado por ele. O transporte depende dele – já que atua no ramo da gasolina. Sem contar que fatura alto com o turismo. A indústria de produtos eletrônicos também está em suas mãos; assim como a de veículos. Como se não bastasse comandar esse aparato, responsável por 15% do Produto Interno Bruto do país, o marechal Mohammed Tantawi também é, hoje, o homem mais poderoso da política no Egito, como chefe do Conselho Superior Militar. Uma das dúvidas é se os militares vão abrir mão dos privilégios que tiveram desde 1952, quando derrubaram a monarquia. A outra questão é se Tantawi vai, de fato, promover algo que sempre rejeitou: as reformas política e econômica. (AG)

DIÁRIO DO COMÉRCIO

14 -.LOGO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

www.dcomercio.com.br

Logo Logo

Divulgação

HIPERLINK DE PAPEL A artista plástica Maria Fischer descobriu uma maneira de transformar o hiperlink, característica essencial das mídias digitais, em uma ferramenta analógica. Em "Pensamentos sobre sonhos" (Traumgedanken, no título original) ela utiliza linhas extremamente delicadas em diversas cores para recriar a ideia do hiperlink: palavras que levam a outras informações em outras páginas. A lógica do hiperlink, entretanto, não foi o que a inspirou, mas sim a lógica da interpretação dos sonhos, em que cada imagem e cada acontecimento estabelece uma rede de relações com outros elementos e significados. www.maria-fischer.com/en/traumgedanken_en.html

D IREITOS HUMANOS V ALENTINE'S DAY

29

Síria condena blogueira

Reuters

U

m tribunal especial da Síria sentenciou ontem uma blogueira adolescente a cinco anos de prisão pelo crime de revelar informações a um país estrangeiro, segundo ativistas de direitos humanos. Tal al-Molouhi, aluna do ensino médio, tem 19 anos e está presa desde 2009. Os EUA já fizeram apelos pela liberdade da moça,

mas o governo sírio está intensificando a repressão depois das revoltas na Tunísia e no Egito. Molouhi havia publicado no seu blog artigos em que dizia ansiar por um papel no futuro da Síria, governada há 50 anos pelo partido Baath. Ela também pediu ao presidente dos EUA, Barack Obama, que desse mais apoio à causa palesti-

SETEMBRO

na. A mãe de Molouhi, que a viu apenas duas vezes desde a prisão, escreveu no ano passado uma carta ao presidente sírio, Bashar al Assad, implorando pela libertação da filha. A prisão da blogueira causou uma tempestade de protestos na blogosfera árabe e críticas acusando a Síria de repressão indiscriminada.

M ÍDIA

'Le Monde' de cara nova O novo diretor do prestigioso jornal francês Le Monde, Erik Izraelewicz, ressaltou ontem a necessidade de se "repensar" o veículo para situá-lo melhor na cultura multimídia, após o sucesso do norte-americano The Huffington Post. Em seu primeiro editorial como diretor, Izraelewicz referiu-se ao veículo fundado em 2005 pela empresária Arianna Huffington como exemplo da transformação "radical" que vive a indústria da comunicação. O The Huffington Post foi adquirido na semana passada pela AOL por US$ 315 milhões. Esse número é "duas vezes superior à soma paga pelos novos proprietários do Le Monde", lembrou em referência aos cerca de 110 milhões de euros recentemente desembolsados pelos empresários Pierre Bergé, Xavier Niel e Matthieu Pigasse.

Daniel Teixeira/AE

L

Casal chinês atravessa uma ponte de Pequim de bicicleta no dia de São Valentim, comemorado ontem. A data de 14 de fevereiro é dedicada à celebração do amor entre casais e também entre amigos e familiares em diversos países do hemisfério norte.

C ELEBRIDADES

Vestido de futura princesa vai a leilão

EM EXPOSIÇÃO - Quadro 'Imigrantes III', pintado por Lasar Segall, em 1936, é a mais nova obra do acervo da Pinacoteca do Estado. A pintura, adquirida pelo governo paulista por R$ 1,4 milhão, pode ser vista pelo público a partir de hoje.

Obras de arte por toda parte Instalação artística intitulada The Runner (O corredor)' ocupa parte de um estacionamento da cidade inglesa de Liverpool. A instalação faz parte de uma série de onze trabalhos de artistas locais espalhados em lugares públicos da cidade para um festival de descoberta de novos artistas.

Divulgação

O Departamento de Estado dos EUA começou a escrever no domingo mensagens em farsi no Twitter, para dirigir-se aos iranianos e insistir na necessidade de que o Irã permita que sua população se manifeste de forma pacífica e livre, como no Egito. No lançamento de sua nova conta no Twitter, @USAdarFarsi, os EUA evocaram "o papel histórico" que as redes sociais tiveram para os iranianos nos protestos, após as eleições presidenciais de 2009. "Queremos nos unir a vocês, às suas conversas diárias", escreve o Departamento de Estado em uma mensagem. Os EUA também acusaram as autoridades iranianas de hipocrisia por saudarem a revolta egípcia mas proíbem a realização de protestos no seu país.

A TÉ LOGO

O russo Aleksandr Smoleyevsky e o ítalocolombiano Diego Urbina, integrantes do voo simulado a Marte, realizaram ontem a primeira de três caminhadas na "superfície" do planeta. Os dois participantes do experimento Mars 500 iniciaram a caminhada com o hasteamento das bandeiras dos organizadores da "missão simulada" ao planeta: Rússia, a Agência Espacial Europeia (ESA, na sigla em inglês) e China. A próxima simulação de caminhada, da qual participarão o russo Aleksandr Smolyevsky e o chinês Wang Yue, está programada para 18 de fevereiro. A primeira simulação de voo a Marte aconteceu em julho do ano passado e durou 105 dias. L OTERIAS

Mostra 'Encapelado (ou Contenções)' exibe obras da artista plástica Flora Assumpção. Galeria Emma Thomas. Rua Barra Funda, 216, tel.: 3666-6489. Grátis.

Concurso 609 da LOTOFÁCIL 01

02

04

07

09

10

11

12

14

15

16

19

20

23

25

Acesse www.dcomercio.com.br para ler a íntegra das notícias abaixo:

Gastos de Londres com Olimpíada de 2012 estão dentro do previsto Saneamento básico no litoral de São Paulo têm US$ 200 mi do Japão

L

O CEO do Twitter, Dick Costolo, apresentou ontem no Mobile World Congress uma novidade pela qual muitos internautas fãs da rede social esperavam: uma ferramenta, o Translation Center, que traduzirá o conteúdo da página para os idiomas português, turco, russo e indonésio. Assim, disse o executivo, o idioma deixará de ser uma barreira para que usuários acompanhem os assuntos e pessoas de seu interesse. Atualmente, o Twitter existe em espanhol, inglês, francês, alemão, italiano, japonês e coreano. Costolo também adiantou que a que a página principal do serviço de microblog deve receber novas simplificações, sem alterar a sua principal característica: as mensagens de até 140 caracteres.

L

EUA criam perfil para falar com Irã

L

Vem aí o Twitter em português

Caminhando em Marte

C A R T A Z

VISUAIS

E M

I NTERNET

E SPAÇO Phil Noble/Reuters

interesse de William por Middleton passar de mera amizade para algo mais sério. O casal começou a sair junto pouco depois. "É verdade que meu desenho ajudou a mudar o interesse do príncipe em Kate do platônico para o romântico como se informou, com o que estou satisfeita de haver contribuído, ainda que minimamente," disse a designer do vestido, Charlotte Todd, que espera receber até 10 mil libras pelo vestido.

L

O vestido transparente usado por Kate Middleton em um evento de moda e com o qual ela atraiu o olhar do príncipe britânico William será leiloado no mês que vem. William estava na primeira fila do evento beneficente da Universidade St. Andrews, da Escócia, em 2002, quando Middleton desfilou vestida com pouco mais do que as roupas de baixo enquanto desfilava com o vestido. Os diários britânicos sempre citam esse momento como início do

Igreja mais antiga de São Luís do Paraitinga começa a ser reconstruída

Concurso 2523 da QUINA 36

38

57

67

68

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

e

15 BNDES MPF vai investigar compra de R$ 3,5 bi em debêntures da JBS Friboi

conomia

ANAC Demanda por voos internacionais aumenta 11,48% em janeiro

Filipe Araújo/AE

País prepara medidas para conter a invasão de produtos importados que ameaçam alguns setores da economia.

Programa de Sustentação do Investimento será prorrogado e, para isso, uma Medida Provisória será publicada em até 48 horas detalhando as condições. FERNANDO PIMENTEL, MINISTRO

União garante política industrial em 60 dias R

epresentantes do governo federal anunciaram ontem que as linhas gerais da nova política industrial do País devem ser divulgadas em até 60 dias. Entre eles estava o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, que estipulou um prazo após reunião com empresários, na unidade da Confederação Nacional da Indústria (CNI), localizada em São Paulo, para obter contribuições do setor para a formulação da Política de Desenvolvimento Produtivo (PDP ).

O ponto central do encontro foi a preocupação da indústria com a importação de produtos manufaturados devido à desvalorização do dólar. Pente-fino – No início de fevereiro, o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, afirmou que sua pasta realizará um "pente-fino" nos cerca de 12 mil itens da pauta de importações brasileira. A meta é identificar produtos que foram subfaturados e aplicar sobretaxas para proteger a indústria nacional. O plano do governo federal é criar uma nova estratégia de defesa

comercial, mais firme do que a Sustentação – Pimentel conutilizada pelo País até agora. firmou ainda que o Programa "Não vamos elevar alíquota de Sustentação do Investimende forma indiscriminada. Va- to (PSI) será prorrogado por mos examinar meio de um com lupa a baaporte de recurlança, item por sos no BNDES, item, e aplicar as de R$ 45 bilhões sobretaxas prea R$ 55 bilhões. vistas dentro das Ele também é a alíquota regras da Orgainformou que a nização Mundial Medida Provisómáxima que do Comércio ria que detalha pode ser ( O M C ) " , a f i ras condições do mou. A alíquota programa será imposta máxima para a publicada em para barreiras imposição de até 48 horas. "O tarifárias barreiras tarifáPSI continua e rias é de 35%. vai ser prorroga-

35%

Fiesp lamenta crescimento recorde na importação Índice que mede a participação dos estrangeiros saltou para 21,8% Ricardo Osman

A

Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) divulgou pesquisa, ontem, que aponta um recorde para o coeficiente de importação do Brasil. Criado em 2003, o índice mede a participação das importações no consumo aparente no País. De 2009 para 2010 o indicador saltou de 18,3% para 21,8% – o que significa dizer que dos produtos totais do consumo nacional 21,8% são importados. Já o coeficiente de exportação, o índice que mede a participação das exportações nas receitas totais do setor, ficou no mesmo patamar: foi de 18% para 18,9%, no final de 2010. "O Brasil está sendo vítima de um surto de importação", disse Roberto Giannetti da Fonseca, diretor do Departamento de Relações Internacionais e Comércio Exterior (Derex) da Fiesp. "A situação é preocupante. Se nada for feito, e por hipótese a curva ascendente atual se mantiver, em menos de

dois anos 40% de todo o consumo será de importados. Isso representará o caos", acrescentou Fonseca. Segundo o diretor da Fiesp, os principais fatores que estimulam a importação são a valorização do câmbio, a carga tributária enfrentada pelas empresas no País (que onera os produtos) e a guerra fiscal entre os Estados por produtos

Se nada for feito, em menos de dois anos 40% do consumo será de importados. ROBERTO GIANNETTI importados. "Mas o fator câmbio é o que mais pesa. Atualmente, ele desestimula as empresas a investir em tecnologia e a aumentar a produção", afirmou Fonseca. Conforme observou, os dados mostram que a produção doméstica está sendo substituída por importação. O representante da Fiesp disse ainda que empresários e governo

devem combater os especuladores e buscar uma taxa de câmbio equilibrada. "O ideal seria o dólar atingir em junho a cotação de R$ 1,80 e no final do ano R$ 2. Isso iria melhorar o cenário para as empresas do País e o impacto na inflação não seria tão grande", declarou. Ontem, o dólar fechou cotado a R$ 1,669 na venda. A pesquisa da Fiesp indicou ainda que um dos setores mais vulneráveis às importações é o de máquinas e equipamentos, cujo coeficiente de importação é de 47,2%. Mas o aumento mais expressivo ao longo de 2010 ocorreu no setor de siderurgia. O coeficiente de importação da siderurgia nacional saltou de 9,3% para 16,9%. "As importações estão ameaçando a sobrevivência da indústria siderúrgica brasileira", disse Fonseca. O setor têxtil, que sofre enorme concorrência dos produtos da China, apresenta índice de 19,6%. "Isso significa dizer que, no Brasil, onde temos equipamentos e especialistas em moda, de cada cinco roupas, uma é importada", acrescentou o diretor da Fiesp.

do em condições muito adequadas", afirmou. "Acho que as condições serão muito favoráveis ao que foi acordado com o setor produtivo. Os juros serão equalizados, como eram antes", acrescentou Pimentel. Mais cedo, o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Luiz Aubert Neto, presente ao encontro, disse que Pimentel garantiu que o PSI seria uma política definitiva para o setor e que não haveria mais necessidade de prorrogá-lo. Atualmente, o PSI financia a compra de máquinas e equi-

pamentos com juros 5,5% ao ano, em média, com prazo de 10 anos e carência para o pagamento de dois anos. Desoneração – O ministro disse também que a desoneração da folha de pagamento das empresas continua a ser discutida dentro do governo e que o debate está sendo conduzido pela equipe do ministro da Fazenda, Guido Mantega. A intenção da presidente Dilma Rousseff é avançar nessa direção e enviar ainda neste primeiro semestre para a Câmara dos Deputados as medidas, mas não posso adiantá-las", explicou Pimentel. (Agências)

Taxa sobre têxteis e eletroeletrônicos pode subir

E

ntre os setores mais afetados pelas concorrência asiática estão calçados, têxteis e eletroeletrônicos. Durante evento em São Paulo, promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) – que reuniu o ministro de Ciência e Tecnologia, Aloísio Mercadante, e grandes empresários brasileiros para discutir a inovação na indústria brasileira – o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), Fernando Pimentel, admitiu que o governo federal adotará práticas de defesa comercial. "Não é protecionismo, é defesa do setor produtivo, como qualquer país faz, dentro das regras da OMC (O rganização Mundial do Comércio)". Na quarta-feira passada, o ministro do Desenvolvimento já havia afirmado que o governo está avaliando a possibilidade de elevar o Imposto de Importação para alguns produtos da pauta de compras do exterior brasileira. Entretanto, não quis revelar quais produtos poderiam ser sobretaxados. Quanto à valorização do real sobre o dólar, o ministro disse tratar-se de um movimento esperado em países fortes e que não deverá ser revertido tão cedo. "Não devemos ter a ilusão de que o cenário vai mudar em relação ao câmbio", afirmou. "Não vamos acreditar que a nossa moeda vai se desvalorizar de uma ho-

Aly Song/Reuters

Concorrência asiática afeta alguns setores da indústria

ra para outra", acrescentou. Balança comercial – O anúncio da possibilidade de sobretaxas às importações de alguns produtos vem no momento de deterioração da balança comercial brasileira. No último ano, o saldo positivo de US$ 20,27 bilhões foi o mais baixo em oito anos. E, para

9,5 bilhões é a expectativa do mercado financeiro para o saldo da balança comercial em 2011

2011, a expectativa de economistas do mercado financeiro é de um saldo positivo menor ainda: de US$ 9,5 bilhões. A balança comercial está dentro das contas externas brasileiras, que registraram forte deterioração no ano passado, quando foi apresentado um rombo recorde de US$ 47,5 bilhões. Os investimentos diretos, porém, cobriram todo o rombo, uma vez que somaram US$ 48,4 bilhões em 2010. Para 2011, porém, o Banco Central (BC) projeta um rombo de US$ 64 bilhões nas contas externas brasileiras e investimentos estrangeiros diretos da ordem de US$ 45 bilhões. Com isso, o Brasil vai passar a depender de aplicações financeiras (entrada de recursos no País para bolsas de valores e renda fixa) e de empréstimos do exterior para cobrir o rombo das contas externas. (Agências)

16 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

e Distorções do Simples afastam MPEs

17

Ao criar barreiras, Fisco fere princípio do desenvolvimento nacional. Humberto Gouveia, tributarista

conomia

Marcos Fernandes/Digna Imagem

Especialistas defendem mudanças no regime, a fim de aproximá-lo das necessidades de pequenos empreendimentos. Renato Carbonari Ibelli

T

ributaristas e empresários pedem a correção de distorções do Simples Nacional e que tornam o regime simplificado desinteressante para as micro e pequenas empresas. O advogado tributarista Kiyoshi Harada, por exemplo, defende o fim da exclusão imediata das empresas que superam o limite de faturamento do Simples, hoje de R$ 2,4 milhões. Ele sugere que, mesmo superando essa margem, a empresa continue tributada de maneira simplificada até o final do exercício fiscal. A proposta foi apresentada ontem, durante reunião do Conselho de Altos Estudos de Finanças e Tributação (Caeft), da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Segundo Harada, praticando a exclusão imediata o Fisco inibe o crescimento das empresas – o que feriria direitos constitucionais, como o da liberdade de lucro. "O Fisco não pode amarrar a empresa. Ele tem de respeitar o direito de ela crescer. Não é fácil prever o quanto o faturamento vai ampliar no ano, por isso é

preciso mantê-la no mesmo regime pelo menos até o final do exercício", disse Harada. Ao ser excluída do regime simplificado, o pequeno empreendimento é obrigado a se enquadrar em regimes tributários mais onerosos – como o Lucro Real, por exemplo. Esse choque de transição também foi criticado pelos participantes da reunião do Caeft, que sugeriram "suavizar o degrau" entre os regimes, também sob pena de inibir o crescimento natural das empresas. O tributarista Humberto Gouveia sugeriu que a lucratividade possa ser um parâmetro mais adequado do que o faturamento bruto para enquadramento das empresas no regime simplificado. "O artigo terceiro da Constituição fala do desenvolvimento nacional como um objetivo fundamental. Ao criar barreiras para que as empresas cresçam, o Fisco fere esse princípio", disse. Projeto – Algumas das demandas tratadas na reunião do Caeft podem ser concretizadas com a aprovação do projeto de lei complementar (PLP)

O Fisco não pode amarrar a empresa. Ele tem de respeitar o direito de ela crescer. KIYOSHI HARADA, ADVOGADO TRIBUTARISTA

591/ 2010. Entre outros pontos, esse projeto (arquivado no final do ano passado) aumenta o teto do Simples dos atuais R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões. Recentemente foi pedido o desarquivamento do texto na Câmara dos Deputados. Guilherme Campos (DEMSP), um dos parlamentares

que assinou o pedido de desarquivamento, defende a revisão do texto. O deputado federal sugere a ampliação dos tetos das 20 faixas de faturamento que compõem as tabelas do Simples Nacional – e não apenas a da última faixa, que hoje termina nos R$ 2,4 milhões. Além disso, Campos pre-

Duplica número de empresas

D

ados divulgados pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) mostram que, ao longo do ano passado, 1,37 milhão de empresas foram abertas no Brasil. Esse número corresponde a um crescimento de 101% em relação ao volume de novos empreendimentos verificado em 2009. Essa expansão foi impulsionada pelo programa Empreendedor Individual (EI), que só em 2010 formalizou 752 mil negócios. Segundo as informações do ministério, os estados da região Sudeste foram os que apresentaram o maior número de empresas constituídas no ano passado – 635,49 mil ao todo, uma expansão de 92% em relação a 2009. A Nordeste também se destacou, aparecendo na lista com 294,6 mil registros – o que representa um aumento de 154%. A seguir vêm os estados da região Sul, que assistiram à criação de 116 mil novas empresas em 2010 – um cresci-

1,37 milhão de novos empreendimentos foram criados no ano passado, de acordo com dados divulgados pelo MDIC.

mento da ordem de 57%. A Centro-Oeste viu surgirem 130 mil empreendimentos, uma expansão de 112% ante 2009, ao passo que a Norte, com 89.089 companhias constituídas no ano passado, teve a maior alta percentual do País, tingindo 189%. A figura jurídica do Empreendedor Individual foi instituída pela lei complementar

128, de dezembro de 2008, e entrou em vigor no dia 1º de julho de 2009. Até o início de fevereiro, o programa registrava 891 mil adesões. Os estados com maior número de inscrições são os seguintes: São Paulo, com 181,583 mil; Rio de Janeiro, com 116,884 mil; Minas Gerais, com 85,689 mil; Bahia, com 85,152 mil; e Rio Grande do Sul, com 49,758 mil. A atividade mais procurada pelos novos empreendedores que entraram no mercado no ano passado foi a do comércio varejista de vestuário e acessórios. Foram contabilizadas 92,78 mil inscrições para o segmento. Em seguida vieram cabeleireiros, com 67,13 mil, minimercados, mercearias e armazéns, com 28,64 mil, lanchonetes, e casas de chá, de sucos e similares, com 28,12 mil, entre outras. Em contrapartida, foram verificados 215 mil cancelamentos de registros de empresas no ano passado, 5,4% a mais em relação a 2009. (Agências)

tende incluir no texto a dissociação do faturamento auferido internamente e externamente pelas empresas exportadoras, sendo que apenas o faturado internamente seria auferido para efeito do enquadramento no Simples. O PLP 591/2010 também amplia o limite de enquadra-

mento para o Empreendedor Individual (EI) dos atuais 36 mil por ano para R$ 48 mil por ano de receita bruta. O projeto institui também o parcelamento automático para empresas que estejam inadimplentes no regime simplificado. Caso sejam aprovadas, as mudanças passam a vigorar em 2012.

Mais vendas ao governo

E

m 2010, as micro e pequenas empresas (MPEs) venderam para o governo federal R$ 15,9 bilhões em bens e serviços. Esse valor – nominal – representa cerca de 30% dos R$ 57,3 bilhões em aquisições realizadas por parte da administração direta, autarquias e fundações. O resultado registrado é R$ 1,3 bilhão superior aos R$ 14,6 bilhões comprados pelo governo em 2009. Além disso, o montante é R$ 13,9 bilhões maior do que os R$ 2 bilhões de 2006. O crescimento da participação das MPEs nas compras governamentais é consequência da aprovação, em 2006, da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa

15,9 bilhões de reais foi o total obtido por MPEs em 2010 com a comercialização de bens e serviços à administração federal

(lei complementar 123/2006). O capítulo V dessa lei estabelece a criação de mecanismos que possibilitam maior acesso dos pequenos negócios às compras públicas – como, por exemplo, a exclusividade em compras de até R$ 80 mil.

De acordo com o Ministério do Planejamento, em 2010 – em valores corrigidos pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) do mesmo ano – os pequenos negócios participaram de 67%, ou o equivalente a R$ 2,3 bilhões , das aquisições governamentais efetuadas até o valor de R$ 80 mil. A maior participação dos pequenos negócios nas compras públicas federais se deu via pregão eletrônico, respondendo por R$ 12,8 bilhões do total adquirido por essa modalidade. Conforme o ministério, dos R$ 7 bilhões economizados pelo poder público federal com o uso do pregão eletrônico, quase a metade, R$ 3,4 bilhões, deve-se aos micro e pequenos negócios. (Agência Sebrae)

Energia: R$ 1,8 bi em 2010. Agliberto Lima/AE

A maior parte do valor da produção de energia por usinas hidrelétricas no ano passado foi direcionado a municípios e estados: R$ 1,515 bi.

DC

A

Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou ontem que a produção de energia por usinas hidrelétricas gerou R$ 1,889 bilhão a municípios, estados e União em 2010, valor 5% superior ao recolhido no ano anterior (R$ 1,799 bilhão). O montante é referente à Compensação Financeira pela Utilização de Recursos Hídricos (CFURH) e ao recebimento de royalties pela geração da Usina Itaipu Binacional. A soma de CFURH e royalties destinada à União foi de R$ 340,5 milhões, dos quais R$ 37,5 milhões a título de royalties e R$ 303 milhões por compensação financeira. A maior parte da quantia, R$ 1,515 bilhão, foi destinada a municípios e estados. O montante foi dividido em: compensação financeira, de R$ 1,21 bilhão, distribuída a 663 municípios de 21 estados e o Distrito

os de

19 ane Conforto! te

in Requ

Visite nosso site e verifique nossas acomodações.

www.asturiasmotel.com.br Federal; e royalties, de R$ 337,47 milhões, destinados a 341 municípios de cinco estados e do Distrito Federal. Os recursos destinados à União são distribuídos à Agência Nacional de Águas (ANA), ao Fundo Nacional de Desenvolvimento

Científico e Tecnológico (FNDCT) e aos ministérios do Meio Ambiente, Recursos Hídricos e Amazônia Legal (MMA) e Minas e Energia (MME). A fatia encaminhada a municípios e estados deve ser aplicada em programas de saúde, educação e segurança.

Segundo a Aneel, a quantia não pode ser utilizada para abater dívidas, a não ser que o credor seja a União, nem para o pagamento de pessoal. A Aneel é responsável pela arrecadação e distribuição da compensação e dos royalties. (AE)

Fone: 11 3816-6689

asturias@asturiasmotel.com.br Avenida Nações Unidas, 7.715 - Pinheiros - São Paulo/SP

DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

e Superávit : US$ 1,4 bi no ano.

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

O ideal seria que 30 gramas fossem consumidos por dia por pessoa Antonio Pont, presidente de honra da Fundação Internacional de Frutos Secos

conomia

Monalisa Lins/e-SIM

Apenas na segunda semana de fevereiro, total foi de US$ 548 mi.

A

balança comercial brasileira apresentou superávit de US$ 548 milhões na segunda semana de fevereiro, conforme dados divulgados ontem pelo Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC). Entre os dias 7 e 13 deste mês, as exportações totalizaram US$ 4,226 bilhões, com média diária de US$ 845,2 milhões. As compras externas somaram US$ 3,678 bilhões, com média de US$ 735,6 milhões. A balança comercial brasileira acumula um superávit de US$ 1,404 bilhão em 2011, até a segunda semana de fevereiro. Em igual período do ano passado, a balança obteve saldo positivo de US$ 340 milhões. A corrente de comércio (soma das exportações e das importações) chegou a US$ 44,54 bilhões, superando em 25,6% o total de US$ 35,448 bilhões apurado em igual período de 2010. No acumulado do mês até a segunda semana, a balança co-

mercial brasileira teve superávit de US$ 980 milhões. Nos nove primeiros dias úteis de fevereiro, as exportações totalizaram US$ 7,757 bilhões e as importações, US$ 6,777 bilhões. Em relação à média diária de embarques de fevereiro do ano passado, houve crescimento de 27,2%. Na comparação com janeiro, houve aumento de 19% na média. Nas importações, o valor foi 14,8% superior à média registrada no segundo mês de 2010 e 6,9% maior que o apurado no mês passado. Até a segunda semana de fevereiro, as exportações somaram US$ 22,972 bilhões, com média diária de US$ 765,7 milhões, equivalentes a um crescimento de 28,4% ante a média de US$ 596,5 milhões registrada em igual período de 2010. Em 2011, as importações foram de US$ 21,568 bilhões, com média diária de US$ 718,9 milhões. O valor é 22,9% superior à média de US$ 585,1 milhões registrada em igual período do ano passado. (AE)

Companhia Aberta CNPJ. 97.837.181/0001-47 - NIRE 35300154410

FATO RELEVANTE

DTEX3

Ata Sumária da Reunião do Conselho de Administração, Realizada em 14 de Fevereiro de 2011 Data, Hora e Local: Em 14 de fevereiro de 2011, às 15:00 horas, na Av. Paulista, 1938, 5º andar, em São Paulo (SP). Mesa: Salo Davi Seibel - Presidente; e Andrea Seibel - Secretária. Quorum: Totalidade dos membros eleitos. Deliberações Tomadas por Unanimidade: Considerando que: a) atualmente existem em tesouraria 624.572 ações ordinárias de emissão própria; e, b) o processo de aquisição das ações tem por objetivo a aplicação de recursos disponíveis, sendo certo que a Companhia entende ser no melhor interesse de seus acionistas a presente autorização, bem como quaisquer recompras feitas ao seu amparo, Deliberaram: a) autorizar a aquisição de até 18.459.674 ações ordinárias de emissão própria, sem redução do valor do capital social, para manutenção em tesouraria, cancelamento ou recolocação no Mercado, consoante §§ 1º e 2º do artigo 30 da Lei 6.404/76 e Instruções CVM 10, 268 e 390; b) atribuir à Diretoria competência para estabelecer a oportunidade de aquisição das ações dentro desse limite, que representam menos de 10% das 190.842.469 ações ordinárias em circulação no Mercado; e, c) que essas aquisições sejam efetuadas na Bolsa de Valores no período de 24/02/2011 a 23/02/2012, a valor de mercado, utilizando-se recursos disponíveis da “Reserva Estatutária - Reserva para Reforço do Capital de Giro”, e intermediadas pela Itaú Corretora de Valores S.A., sediada na Av. Brigadeiro Faria Lima, 3.400, 10º andar, em São Paulo (SP). Encerramento: Nada mais havendo a tratar e ninguém desejando manifestar-se, encerraram-se os trabalhos, lavrando-se esta ata que, lida e aprovada, foi por todos assinada. São Paulo (SP), 14 de fevereiro de 2011. (aa) Salo Davi Seibel - Presidente; Andrea Seibel - Secretária; Alfredo Egydio Arruda Villela Filho e Ricardo Egydio Setubal - Vice-Presidentes; Alcides Lopes Tápias, Fábio Schvartsman, Helio Seibel, Olavo Egydio Setubal Júnior, Rodolfo Villela Marino e Rogério Ziviani - Conselheiros. Flávio Marassi Donatelli - Diretor de Relações com Investidores.

Estrangeiros apostam no consumo dos itens no Brasil pela expansão da renda e da conscientização da população sobre a importância nutricional

Produtores de nozes de olho no País Brasileiro consome 1,5 grama de fruto seco ao ano, bem menos que o norte-americano que come 50 gramas. Vanessa Rosal

O

mercado brasileiro de nozes e frutos secos ainda é pequeno, mas chama a atenção de grandes produtores mundiais, como Espanha, África do Sul e Austrália. Uma análise da Fundação Internacional de Frutos Secos (INC) indica que o País tem potencial de produção e pode se destacar entre as demais agriculturas, considerando o número de habitantes e o clima. O a u m e n t o d e re n d a d a classe C também poderá contribuir para a expansão do setor, pois o consumo de nozes e

frutas secas por essa fatia da população fica restrito às festas de final de ano pelo preço alto do produto. "Infelizmente, 70% do consumo é feito nessas datas", diz o presidente da Associação Brasileira de Noz Macadâmia (ABM), José Mendes de Camargo. Segundo ele, em 2009, a produção da macadâmia movimentou US$ 6 milhões no Brasil, com a produção de 3,7 mil toneladas, 800 toneladas a mais que no ano anterior. Para 2011, a expectativa é de alta da produção e faturamento em torno de 15%. "Estamos fazendo um forte trabalho de divulgação junto a produtores brasi-

DECLARAÇÃO DE PROPÓSITO

leiros para que a população conheça os benefícios das nozes, que ajudam a equilibrar os níveis de colesterol e previnem doenças cardiovasculares." O potencial de consumo de nozes é grande no Brasil, com 1,5 grama per capita ao ano, mas está longe do consumo africano (10 gramas), europeu (50 gramas) e norte-americano (50 gramas). "Um dos vilões do consumo é o preço elevado por causa do difícil plantio. Um pé de macadâmia leva quatro anos para começar a produzir", explica Camargo. Para o presidente de honra do INC, Antonio Pont, o País está entre as maiores apostas

da entidade. "Acreditamos na capacidade de produção de quatro tipos de nozes: castanha de caju, castanha do Brasil (antiga castanha do Pará), macadâmia e pecan." No ranking mundial do Instituto, a amêndoa está em primeiro lugar, com 900 mil toneladas produzidas em 2010. Depois aparecem o pistache e a castanha de caju, ambos com 500 mil toneladas e a avelã, com 400 mil toneladas. "Novas receitas na gastronomia, que incluem nozes nas preparações, também ajudam. O ideal seria que 30 gramas fossem consumidos por dia por pessoa", diz Pont.

DECLARAÇÃO DE PROPÓSITO

BR Partners Banco de Investimento S.A.

BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.

As pessoas físicas e jurídicas abaixo identificadas, por intermédio do presente instrumento, I – DECLARAM sua intenção de constituir uma instituição com as características abaixo especificadas: Denominação social: BR Partners Banco de Investimento S.A. Local da sede: Município de São Paulo, Estado de São Paulo. Capital Inicial: R$ 50.000.000,00 (cinqüenta milhões de reais). Composição Societária: Controladores: O BR Partners Banco de Investimento S.A. será controlado diretamente pela BR Partners Participações Financeiras Ltda., CNPJ/MF n°: 11.353.770/0001-34, que deterá 99,99% (noventa e nove vírgula noventa e nove por cento) do seu capital social. A BR Partners Participações Financeiras Ltda., é controlada diretamente pela BR Advisory Partners Participações S.A., CNPJ/MF n°: 10.739.356/0001-03, que detém 97% (noventa e sete por cento) de suas ações com direito a voto. A BR Advisory Partners Participações S.A. é controlada diretamente por BR Partners Holdco Participações Ltda., CNPJ/MF n°: 10.494.341/0001-14, que detém 100% (cem por cento) de suas ações ordinárias e 50,79% (cinqüenta vírgula setenta e nove por cento) da totalidade de suas ações. O controle societário da BR Partners Holdco Participações Ltda. é exercido através de acordo de quotistas, pelos quotistas detentores, em conjunto, de 83,57% (oitenta e três vírgula cinqüenta e sete por cento) das quotas da sociedade, a saber: Sr. Ricardo Fleury Cavalcanti de Albuquerque Lacerda, CPF/MF n°: 088.785.278-58, detém 35,95% (trinta e cinco vírgula noventa e cinco por cento); Sra. Andrea Capelo Pinheiro, CPF/MF n° 256.600.043-34, detém 9,47% (nove vírgula quarenta e sete por cento); Sr. Renato Naigeborin, CPF/MF n°: 109.628.848-63, detém 9,58% (nove vírgula cinquenta e oito por cento); Sr. Jairo Eduardo Loureiro Filho, CPF/MF n°: 032.508.808-09, detém 9,28% (nove vírgula vinte e oito por cento); Sr. Enrico Anção Carbone, CPF/MF n° 269.821.98820, detém 9,21% (nove vírgula vinte e um por cento); Sr. Otávio Guazzelli, CPF/MF n° 613.223.346-68, detém 5,05% (cinco vírgula zero cinco por cento) e o Sr. Renato Massucci Pessoa Cesar, CPF/MF n° 109.628.488-08, detém 5,03% (cinco vírgula zero três por cento). Controladores Finais: O controle final do BR Partners Banco de Investimento S.A. será exercido indiretamente, através de acordo de quotistas, pelos quotistas indicados a seguir, da BR Partners Holdco Participações Ltda.: Sr. Ricardo Fleury Cavalcanti de Albuquerque Lacerda, Sra. Andrea Capelo Pinheiro, Sr. Renato Naigeborin, Sr. Jairo Eduardo Loureiro Filho, Sr. Enrico Anção Carbone, Sr. Otávio Guazzelli e o Sr. Renato Massucci Pessoa Cesar. Outros acionistas detentores de participação qualificada indireta da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. são: (i) O Brapinvest Fundo de Investimento em Participações, CNPJ/MF n° 11.294.864/000180, é detentor direto em ações preferenciais de 13,62% (treze vírgula sessenta e dois por cento) do capital social da BR Advisory Partners Participações S.A. e, portanto, detentor indireto de 13,21% (treze vírgula vinte e um por cento) do capital total do BR Partners Banco de Investimento S.A.; (ii) O Sr. João Alves de Queiroz Filho, CPF/MF n° 575.794.908-20 é detentor direto de 100% do capital do Brapinvest Fundo de Investimento em Participações, e, portanto, detentor indireto de 13,21% (treze vírgula vinte e um por cento) do capital total do BR Partners Banco de Investimentos S.A.; (iii) O Brapinvest II Fundo de Investimento em Participações, CNPJ/MF n° 11.584.532/000130 é detentor direto em ações preferenciais de 27,69% (vinte e sete vírgula sessenta e nove por cento) do capital social da BR Advisory Partners Participações S.A., e, portanto, detentor indireto de 26,85% (vinte e seis vírgula oitenta e cinco por cento) do capital total do BR Partners Banco de Investimento S.A.; (iv) O INFORS – Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Multimercado Crédito Privado – Investimento no Exterior, CNPJ/MF n°: 09.485.235/0001-95, é detentor direto de 28,85% (vinte e oito vírgula oitenta e cinco por cento) do capital do Brapinvest II Fundo de Investimento em Participações, e, portanto, detentor indireto de 7,75% (sete vírgula setenta e cinco por cento) do capital total do BR Partners Banco de Investimento S.A.; (v) O JPP Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Investimento, CNPJ/MF n° 10.432.496/0001-33, é detentor direto de 26,92% (vinte e seis vírgula noventa e dois por cento) do capital Brapinvest II Fundo de Investimento em Participações e, portanto, detentor indireto de 7,16% (sete vírgula dezesseis por cento) do capital total do BR Partners Banco de Investimento S.A., sendo que a totalidade de suas quotas é detida indiretamente pelo Sr. Francisco Jaime Nogueira Pinheiro Filho, CPF/MF n° 000.937.853-72; (vi) A Negotio Magni S.A. de C.V., CNPJ/MF n° 09.051.893/0001-79, sociedade constituída de acordo com as leis dos Estados Unidos Mexicanos, detentora direta de 19,23% (dezenove vírgula vinte e três por cento) do capital do Brapinvest II Fundo de Investimento em Participações, e, portanto, detentor indireto de 5,16% (cinco vírgula dezesseis por cento) do capital total do BR Partners Banco de Investimento S.A.; (vii) O Sr. Waldemar Verdi Júnior, CPF/MF n°: 056.374.498-72, é detentor direto de 19,23% (dezenove vírgula vinte e três por cento) do capital do Brapinvest II Fundo de Investimento em Participações, e, portanto, detentor indireto de 5,16% (cinco vírgula dezesseis por cento) do capital total do BR Partners Banco de Investimento S.A.; e (viii) O Brapinvest III Fundo de Investimento em Participações, CNPJ/MF n° 11.436.206/0001-85 é detentor direto em ações preferenciais de 7,90% (sete vírgula noventa por cento) do capital social da BR Advisory Partners Participações S.A., e, portanto, detentor indireto de 7,66% (sete vírgula sessenta e seis por cento) do capital total do BR Partners Banco de Investimento S.A., observado que nenhum dos seus quotistas detém, indiretamente, participação superior a 5% no capital do BR Partners Banco de Investimento S.A. Administração: Sra. Andrea Capelo Pinheiro, CPF/MF n° 256.600.043-34, Diretora; Sr. Enrico Anção Carbone, CPF/MF n° 269.821.988-20, Diretor; Sr. Renato Naigeborin, CPF/MF n°: 109.628.848-63, Diretor; e Sr. Ricardo Fleury Cavalcanti de Albuquerque Lacerda, CPF/MF n°: 088.785.278-58; Diretor. II – ESCLARECEM que, nos termos da regulamentação em vigor, eventuais objeções à presente declaração devem ser comunicadas diretamente ao Banco Central do Brasil, no endereço abaixo, no prazo de trinta dias contados da data da publicação desta, por meio formal em que os autores estejam devidamente identificados, acompanhado da documentação comprobatória das razões da objeção. Os declarantes podem, na forma da legislação em vigor, ter direito à vistas do processo respectivo.

As pessoas físicas e jurídicas abaixo identificadas, por intermédio do presente instrumento, I – DECLARAM sua intenção de constituir uma instituição com as características abaixo especificadas: Denominação social: BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Local da sede: Município de São Paulo, Estado de São Paulo. Capital Inicial: R$ 15.000.000,00 (quinze milhões de reais). Composição Societária: Controladores: A BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A., será controlada diretamente pelo BR Partners Banco de Investimento S.A., sociedade a ser constituída e que deterá 100% (cem por cento) de seu capital social. O BR Partners Banco de Investimento S.A. será controlado diretamente pela BR Partners Participações Financeiras Ltda., CNPJ/MF n°: 11.353.770/0001-34, que deterá 99,99% (noventa e nove vírgula noventa e nove por cento) do seu capital social. A BR Partners Participações Financeiras Ltda., é controlada diretamente pela BR Advisory Partners Participações S.A., CNPJ/MF n°: 10.739.356/0001-03, que detém 97% (noventa e sete por cento) de suas ações com direito a voto. A BR Advisory Partners Participações S.A. é controlada diretamente por BR Partners Holdco Participações Ltda., CNPJ/MF n°: 10.494.341/0001-14, que detém 100% (cem por cento) de suas ações ordinárias e 50,79% (cinqüenta vírgula setenta e nove por cento) da totalidade de suas ações. O controle societário da BR Partners Holdco Participações Ltda. é exercido através de acordo de quotistas, pelos quotistas detentores, em conjunto, de 83,57% (oitenta e três vírgula cinqüenta e sete por cento) das quotas da sociedade, a saber: Sr. Ricardo Fleury Cavalcanti de Albuquerque Lacerda, CPF/MF n°: 088.785.278-58, detém 35,95% (trinta e cinco vírgula noventa e cinco por cento); Sra. Andrea Capelo Pinheiro, CPF/MF n° 256.600.043-34, detém 9,47% (nove vírgula quarenta e sete por cento); Sr. Renato Naigeborin, CPF/MF n°: 109.628.848-63, detém 9,58% (nove vírgula cinquenta e oito por cento); Sr. Jairo Eduardo Loureiro Filho, CPF/MF n°: 032.508.808-09, detém 9,28% (nove vírgula vinte e oito por cento); Sr. Enrico Anção Carbone, CPF/MF n° 269.821.988-20, detém 9,21% (nove vírgula vinte e um por cento); Sr. Otávio Guazzelli, CPF/MF n° 613.223.346-68, detém 5,05% (cinco vírgula zero cinco por cento) e o Sr. Renato Massucci Pessoa Cesar, CPF/MF n° 109.628.488-08, detém 5,03% (cinco vírgula zero três por cento). Controladores Finais: O controle final da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. será exercido indiretamente, através de acordo de quotistas, pelos quotistas indicados a seguir, da BR Partners Holdco Participações Ltda.: Sr. Ricardo Fleury Cavalcanti de Albuquerque Lacerda, Sra. Andrea Capelo Pinheiro, Sr. Renato Naigeborin, Sr. Jairo Eduardo Loureiro Filho, Sr. Enrico Anção Carbone, Sr. Otávio Guazzelli e o Sr. Renato Massucci Pessoa Cesar. Outros acionistas detentores de participação qualificada indireta da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. são: (i) O Brapinvest Fundo de Investimento em Participações, CNPJ/MF n° 11.294.864/000180, é detentor direto em ações preferenciais de 13,62% (treze vírgula sessenta e dois por cento) do capital social da BR Advisory Partners Participações S.A. e, portanto, detentor indireto de 13,21% (treze vírgula vinte e um por cento) do capital total da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.; (ii) O Sr. João Alves de Queiroz Filho, CPF/MF n° 575.794.908-20 é detentor direto de 100% do capital do Brapinvest Fundo de Investimento em Participações, e, portanto, detentor indireto de 13,21% (treze vírgula vinte e um por cento) do capital total da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.; (iii) O Brapinvest II Fundo de Investimento em Participações, CNPJ/MF n° 11.584.532/000130 é detentor direto em ações preferenciais de 27,69% (vinte e sete vírgula sessenta e nove por cento) do capital social da BR Advisory Partners Participações S.A., e, portanto, detentor indireto de 26,85% (vinte e seis vírgula oitenta e cinco por cento) do capital total da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.; (iv) O INFORS – Fundo de Investimento em Cotas de Fundos de Investimento Multimercado Crédito Privado – Investimento no Exterior, CNPJ/MF n°: 09.485.235/0001-95, é detentor direto de 28,85% (vinte e oito vírgula oitenta e cinco por cento) do capital do Brapinvest II Fundo de Investimento em Participações, e, portanto, detentor indireto de 7,75% (sete vírgula setenta e cinco por cento) do capital total da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.; (v) O JPP Fundo de Investimento em Cotas de Fundo de Investimento, CNPJ/MF n° 10.432.496/0001-33, é detentor direto de 26,92% (vinte e seis vírgula noventa e dois por cento) do capital do Brapinvest II Fundo de Investimento em Participações e, portanto, detentor indireto de 7,16% (sete vírgula dezesseis por cento) do capital total da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A., sendo que a totalidade de suas quotas é detida indiretamente pelo Sr. Francisco Jaime Nogueira Pinheiro Filho, CPF/MF n° 000.937.853-72; (vi) A Negotio Magni S.A. de C.V., CNPJ/MF n° 09.051.893/0001-79, sociedade constituída de acordo com as leis dos Estados Unidos Mexicanos, detentora direta de 19,23% (dezenove vírgula vinte e três por cento) do capital do Brapinvest II Fundo de Investimento em Participações, e, portanto, detentor indireto de 5,16% (cinco vírgula dezesseis por cento) do capital total da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.; (vii) O Sr. Waldemar Verdi Júnior, CPF/MF n°: 056.374.498-72, é detentor direto de 19,23% (dezenove vírgula vinte e três por cento) do capital do Brapinvest II Fundo de Investimento em Participações, e, portanto, detentor indireto de 5,16% (cinco vírgula dezesseis por cento) do capital total da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A.; e (viii) O Brapinvest III Fundo de Investimento em Participações, CNPJ/MF n° 11.436.206/0001-85 é detentor direto em ações preferenciais de 7,90% (sete vírgula noventa por cento) do capital social da BR Advisory Partners Participações S.A., e, portanto, detentor indireto de 7,66% (sete vírgula sessenta e seis por cento) do capital total da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A., observado que nenhum dos seus quotistas detém, indiretamente, participação superior a 5% no capital da BR Partners Corretora de Títulos e Valores Mobiliários S.A. Administração: Sr. Enrico Anção Carbone, CPF/MF n° 269.821.988-20 e o Sr. Ricardo Fleury Cavalcanti de Albuquerque Lacerda, CPF/MF n°: 088.785.278-58; Diretor. II – ESCLARECEM que, nos termos da regulamentação em vigor, eventuais objeções à presente declaração devem ser comunicadas diretamente ao Banco Central do Brasil, no endereço abaixo, no prazo de trinta dias contados da data da publicação desta, por meio formal em que os autores estejam devidamente identificados, acompanhado da documentação comprobatória das razões da objeção. Os declarantes podem, na forma da legislação em vigor, ter direito à vistas do processo respectivo.

BANCO CENTRAL DO BRASIL Departamento de Organização do Sistema Financeiro — Gerência Técnica de São Paulo Avenida Paulista n° 1804, 01310-922, São Paulo — SP Protocolo n°: 100 149 61 18

BANCO CENTRAL DO BRASIL Departamento de Organização do Sistema Financeiro — Gerência Técnica de São Paulo Avenida Paulista n° 1804, 01310-922, São Paulo — SP Protocolo n°: 100 149 82 35

São Paulo, 09 de fevereiro de 2011.

São Paulo, 09 de fevereiro de 2011.

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

e

19 O investimento faz com que o SCPC receba atualizações constantes. Sérgio Arai, diretor de TI da Boa Vista Serviços

conomia

Boa Vista Serviços aposta na tecnologia Administradora do SCPC está duplicando capacidade de processamento para atender melhor seus clientes

A

Boa Vista Serviços (BVS) está investindo na duplicação de sua capacidade de processamento de informações comerciais, com a aquisição de novos servidores. Isso permitirá à empresa, que administra o Serviço Central de Proteção de Crédito (SCPC), garantir mais agilidade ao atendimento das demandas de seus clientes – criando soluções sob medida, desenvolvendo soluções e se consolidando como a maior rede verde-amarela de informações para negócios. Essa estratégia foi detalhada pelo diretor de Tecnologia da Informação (TI) e Processos da

BVS, Sérgio Arai, responsável pela modernização do parque tecnológico da empresa. Segundo ele, a ideia daqui para frente é expandir a capacidade de atuação da organização. "Nossa empresa já nasce reunindo dados comerciais de mais de 150 milhões de consumidores em todo o território nacional, vindos dos mais diferentes perfis. Como parte de nossos esforços nessa área, iniciamos 2011 com a aquisição de novos servidores, que garantem performance e disponibilidade adequadas ao negócio", destacou Arai, que trouxe consigo a experiência adquirida como diretor de TI do Hospital Israelita Albert Einstein.

Iniciamos 2011 com a aquisição de novos servidores, que garantem performance e disponibilidade ao negócio. SÉRGIO ARAI, DIRETOR DE TI Novo modelo – De acordo com o diretor, a implantação dos novos equipamentos tem dois objetivos principais: reduzir o tempo de resposta e possibilitar a redefinição do modelo atual de processamen-

to adotado pela BVS, com maior capacidade para atendimento de demanda. "Esse investimento no parque tecnológico da organização faz com que nosso bureau de crédito, o SCPC, receba atualizações constantes, mantendo a empresa no topo do ranking de soluções adequadas para pessoas físicas e jurídicas. Mediante esse gigantesco potencial do processamento de dados, é primordial que haja esse investimento", ponderou o diretor de TI. Ele também reforçou que a finalidade dessa iniciativa é aprimorar ainda mais a excelência dos serviços. "Nosso objetivo é proporcionar ainda

mais qualidade no tempo de resposta e disponibilidade das consultas", disse. Formalizada em dezembro do ano passado, a Boa Vista Serviços efetua mais de 145 milhões de transações de negócios mensais por meio do SCPC. Com isso, ela atende a um universo de 1 milhão de clientes, diretos e indiretos. "Para que possamos manter a excelência de um negócio com essa magnitude, é vital que a BVS continue a investir agressivamente em tecnologia. É sobre esse princípio que a empresa nasceu e norteará suas ações em 2011, tendo como meta um crescimento nacionalmente estruturado."

Foto: Paulo Pampolin/Hype. Arte: Ariane Zambaldi/Hype

Feira movimenta setor de smartphones

O Nokia e Microsoft se armam contra o iPhone

casamento forçado entre as plataformas para celulares inteligentes da Nokia e da Microsoft deu destaque aos produtores e companhias de software no Mobile World Congress, evento anual aberto ontem em Barcelona (Espanha). Nokia e Microsoft, líderes mund i a i s e m c e l u l a re s e s o f t w a re , anunciaram uma ampla aliança na sexta-feira, que esperam ser capaz de dar às empresas oportunidade de criar um aparelho capaz de derrotar o iPhone. Apple e Google já assumiram posições de liderança na batalha dos celulares inteligentes, ao atraírem os programadores

que criam pequenos aplicativos usados para ampliar as funções dos celulares inteligentes. O Apple iPhone foi elogiado por seu design, quando lançado em 2007, mas foi a App Store que transformou o setor, ao permitir que os usuários personalizassem seus celulares por meio de jogos fáceis de instalar e outras ferramentas. As vendas totais das lojas de aplicativos devem triplicar neste ano e atingir os US$ 15 bilhões, de acordo com a empresa de pesquisa Gartner. " A m a i o r i a d o s c r i a d o re s d e software está trabalhando para Android e Apple; não querem trabalhar com outros sistemas, mes-

Twitter: oferta do Google é 'rumor'.

O

executivo-chefe do Twitter, Dick Costolo, n e g o u c a t e g o r i c amente a aquisição da companhia pelo Google. De acordo com ele, que participava ontem do Mobile World Congress, evento do setor que está sendo realizado em Barcelona (Espanha), as informações a respeito de uma oferta de US$ 10 bilhões pela empresa de mensagens seriam falsas. "As pessoas escrevem isso o tempo todo. Eu não sei de onde essas coisas vêm; é apenas

um rumor", afirmou Costolo, ao ser indagado se o Google poderia de fato bancar uma aquisição de US$ 10 bilhões pela sua empresa. O executivo também sugeriu que o Twitter deverá lançar ainda neste ano um novo método de se ganhar dinheiro – que seria oferecido junto aos serviços já existentes. No entanto, Costolo não detalhou a iniciativa. Ele aproveitou para informar que atualmente o Twitter já transmite diariamente 130

Sergio Kulpas

milhões de tuítes – 30% a mais que os 100 milhões registrados no final de 2010. O pico teria ocorrido na passagem do ano novo no Japão, quando foram contabilizados 6 mil tuítes por segundo. Além disso, Costolo disse que 40% dos acessos são feitos via celular. O site de microblogs levantou US$ 200 milhões de dólares em uma rodada de financiamento realizada em dezembro do ano passado. Na ocasião, a empresa foi avaliada em US$ 3,7 bilhões. (Agências)

sergiokulpas@gmail.com

Celular em site de varejo

D

ois estudos recentes nos EUA, o RIS/IHL Store Systems Study de 2011 e a pesquisa da ForeSee Results, indicam que o uso de celulares está ganhando velocidade nos hábitos de compras dos consumidores. O estudo "Report on Mobile Shopping" da ForeSee mostra que 33% dos entrevistados já acessaram o site de um varejista através do celular, em comparação com 24% em 2009. Outros 26% disseram que pretendem usar aparelhos móveis para visitar sites de varejo e usar aplicativos para compras no futuro próximo. Em outras palavras, a maioria dos consumidores consultados já usa ou pretende usar o celular como ferramenta nas compras. O estudo da ForeSee confirma as conclusões da pesquisa Store Systems, que também mostra que mais da metade dos varejistas está investindo em aplicativos móveis e promoções em redes sociais. Entre as principais conclusões desses estudos estão: a) 33% dos entrevistados já usaram seus celulares para acessar o site de uma loja, e outros 26% planejam baixar aplicativos específicos de varejo e fazer compras pelo celular no futuro. b) 11% dos compradores online disseram que fizeram compras através

de seus aparelhos móveis na temporada de final de ano, em comparação com apenas 2% no final de 2009. c) 56% dos consumidores usaram os celulares para comparar informações sobre preços, enquanto 46% deles usaram os aparelhos móveis para comparar produtos diferentes e consultar detalhes técnicos. d) 69% dos usuários móveis usaram seus celulares para visitar o site do varejista enquanto visitavam uma loja dessa rede, e 46% usaram o celular para acessar o site de um concorrente enquanto faziam compras. e) Os compradores ainda acham os sites tradicionais em PCs mais satisfatórios que os sites criados especialmente para celulares. f ) Os consumidores que se dizem "muito satisfeitos" com a experiência de compras no celular são 30% mais inclinados a comprar direto pelo celular, e 30% a comprar na própria loja física. A pesquisa da ForeSee Results entrevistou 10 mil visitantes dos maiores sites de e-commerce dos EUA, e uso a metodologia do American Customer Satisfaction Index (ACSI) para indicar a satisfação dos clientes com os sites e aplicativos móveis e avaliar o impacto sobre as intenções de compras no futuro, a fidelidade dos clientes e as recomendações em todos os canais de vendas.

A pesquisa destacou que os principais interesses dos consumidores móveis são a identificação dos melhores varejistas em cada categoria de produtos, comparações de preços, comparações de produtos, detalhes técnicos sobre produtos e resenhas críticas de outros consumidores sobre os itens procurados. Site móvel – Um detalhe muito relevante dessas pesquisas é que mais de dois terços dos usuários que entram em uma loja física acessam o site desta loja – para ver ofertas, checar promoções e localizar informações. E quase a metade desses consumidores também acessam o site móvel do varejista concorrente, durante as compras. As duas pesquisas confirmam que o número de consumidores que checam promoções de concorrentes no celular enquanto fazem compras numa determinada loja quase dobrou em comparação com o ano anterior. Os estudos apontam para a urgência estratégica de criar sites específicos para celulares e aplicativos muito atraentes. Com a explosão no uso de smartphones e outros aparelhos móveis avançados, os consumidores terão armas cada vez melhores para fazer suas compras de modo mais eficiente e econômico. Isso deve deflagrar uma revolução tecnológica no varejo nos próximos anos.

mo que sejam pagos para isso. Vai ser muito, muito difícil para os demais", afirmou Magnus Jern, presidente-executivo da Golden Gekko, empresa criadora de software para aparelhos móveis. A plataforma Android, sistema de fonte aberta lançado apenas dois anos atrás pelo Google, já chegou ao topo do mercado de celulares inteligentes. No final do ano passado ela superou o Symbian, desenvolvido pela Nokia. Fabricantes de aparelhos como Samsung, HTC e Sony Ericsson adotaram o sistema, porque oferece recursos e funções que seriam difíceis de serem desenvolvidos de

modo independente por elas mesmas com igual rapidez. No domingo, tanto a Sony Ericsson quanto a Samsung revelaram novos modelos Android; o da Sony Ericsson vinha sendo muito aguardado, porque leva a marca PlayStation ao mercado de celulares. Muitos fabricantes também tentarão atrair criadores de software durante a feira, por meio da promoção de eventos especiais. As operadoras esperam que sua loja de atacado, da qual as lojas individuais de cada uma das operadoras obterão conteúdo, tenha escala suficiente para combater Apple e Google. (Reuters)

DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

É um ambiente para mulheres que querem ser donas de seu próprio sucesso Ana Fontes, sócia da rede Mulher Empreendedora

nformática Patrícia Cruz/LUZ

n AUTOMAÇÃO

ATM com energia solar ste terminal de autoatendimento (ATM) foi projetado pela gaúcha Perto, e é acionado por energia solar. O equipamento está sendo negociado com bancos indianos, já que na Índia o sol é abundante e ocorrem muitas falhas no fornecimento de energia elétrica. O ATM pode ser instalado em ambientes internos e externos e a comunicação com o painel solar ocorre via cabo especial. O terminal tem uma autonomia para 1.200 operações de saque (ou 10 dias no modo stand by). O custo é 40% inferior ao dos equipamentos movidos à energia elétrica. No Brasil, não existem máquinas com essa tecnologia ainda, apesar de não existirem limitações técnicas nem naturais para sua fabricação.

E

GADGETS

GPS de bicicleta s ciclistas já não precisam mais se perder por aí. A Bryton está lançando o Rider50, um aparelho de GPS integrado com várias funções. Ele vem com o mapa do Brasil instalado e permite ao ciclista traçar rotas, gravar trilhas, avaliar velocidade e cadência, monitorar resultados de treinos e controlar o nível de exercícios, batimentos cardíacos e calorias. O Rider50 é encaixado no guidão com um suporte e possui seis modos de treinamento de acordo com o tipo físico e bicicleta. O aparelho resiste à água e tem autonomia para 15 horas de uso contínuo. Por R$ 1.699. Site www.brytonsport.com.br

O

MOBILIDADE

Ana Fontes, uma das idealizadoras da Rede Mulher Empreendedora, focada no público feminino que deseja criar ou expandir seus negócios

Enfim, o tablet da HP

Cada vez mais as mulheres se destacam como proprietárias de empresas. E já existe rede social para que elas compartilhem ideias e gerem negócios. ALICE SOSNOWSKI las já são maioria no empreendedorismo brasileiro. Segundo dados do GEM (Global Entrepreneurship Monitor), as mulheres dominam 53% dos negócios em estágio inicial. Seja para sustentar a casa, complementar a renda ou porque vislumbrou uma oportunidade de negócio, a mulher tem investido crescentemente na carreira de empreendedora. E, para isso, encontra facilidades tecnológicas e um ambiente que não existia uma década atrás. De acordo com o professor da FGV, Tales Andreassi, o empreendedorismo feminino surge a partir da necessidade da mulher alavancar sua carreira tendo que conciliar trabalho com as obrigações familiares. "O papel que a mulher exerce na criação dos filhos é preponderante e ela vê no empreendedorismo uma forma de ter flexibilidade para crescer profissionalmente sem comprometer a família", explica. Os especialistas concordam que, além da mudança cultural, a evolução tecnológica contribui para este novo papel da mulher na sociedade. Com o advento da internet e da era pós-industrial, em que o serviço agregado tem mais valor do que o produto em si, a mulher achou um campo fértil de trabalho. "Na sociedade do conhecimento, dominada pela lógica comercial, as mulheres levam vantagem, já que têm mais facilidade de comunicação e relacionamento", explica Antônio Carlos de Matos, consultor de empresas e diretor do Ibelg (Instituto Brasileiro de Excelência em Liderança e Gestão). Seja aproveitando a mobilidade conquistada

E

com as novas tecnologias, o baixo custo de abrir ou ampliar um negócio na internet ou aproveitando a criação de mercados consumidores antes inexistentes, as mulheres estão diversificando sua atuação profissional e entrando com força na prestação de serviços e na criação de negócios que atendem a nichos específicos. Um exemplo ilustrativo é o das sócias Taís Tadros e Guita Drummond, que empreenderam na web com o portal Beleza Club (www.belezaclub.com.br). Focado no mercado de cosméticos, o site se propõe a servir de confluência entre consumidoras e produtos de beleza. Nele, as usuárias podem conhecer pessoas, trocar experiências e saber das tendências. "Com o tempo percebemos que as mulheres estão a procura de informações qualificadas sobre os produtos que compram", explica Taís. E afirma: "Nosso maior desafio é explorar a tecnologia para ajudar este novo perfil de consumidor num mercado que ainda tem muito a crescer". Rede Mulher Empreendedora Com o mesmo conceito colaborativo e a exemplo de iniciativas similares em outros países, surgiu no Brasil uma rede social voltada exclusivamente para as mulheres empreendedoras. Lançada em janeiro deste ano, a Rede Mulher Empreendedora (www.redemulherempreendedora.com.br) foca no público feminino que deseja criar ou expandir seus negócios. "É um ambiente virtual de troca de conhecimento para mulheres que querem ser

HP lançou, na semana passada, o seu aguardado tablet TouchPad com sistema operacional webOS (da antiga Palm) e tela de 9,7 polegadas. O processador é o dual core Snapdragon, da Qualcomm, que consome pouca energia e tem 1.2 GHz. Serão colocados à venda equipamentos com 16 e 32 GB de memória, com câmera de 1.3 MP e espessura de 1.3 cm. O tablet vem com Wi-Fi e Bluetooth e permite fazer videochamadas, impressão sem fio e é multitarefa. Ele pesa 750 gramas. Se o usuário preferir, pode usar um teclado wireless e um suporte de apoio.

A

donas de seu próprio sucesso profissional", explica Ana Fontes, sócia da AG4 Global Services e uma das idealizadoras do projeto. Além da rede social, a plataforma Rede Mulher Empreendedora inclui também um espaço físico na zona sul de São Paulo, que é um misto de coworking e incubadora. Com estações de trabalho, auditório, sala de reuniões e terraço de convivência, o escritório coletivo conta ainda com uma rede de fornecedores e serviços. O objetivo é reunir negócios de ramos diferentes para proporcionar apoio mútuo entre as mulheres. Com menos de um mês de existência, a rede social já conta com mais de cem cadastradas que publicaram seu perfil e participam de fóruns de discussão, acessam dicas e notícias. "As redes são oportunas para ampliar os contatos existentes e criar novas oportunidades de negócios", afirma o consultor Matos. Para o público feminino que deseja empreender é uma motivação a mais saber que existem ferramentas que facilitam a troca de experiência entre pessoas que vivenciam as mesmas dificuldades e dilemas. "As mulheres empreendedoras, mais do que os homens, precisam compartilhar para crescer. Afinal, ser mãe, esposa e empresária não é uma tarefa fácil", completa Ana Fontes.

S ERVIÇO www.redemulherempreendedora.com.br www.belezaclub.com.br www.ibelg.com.br

ACESSÓRIOS

Mouses adaptáveis s mouses Cruiser, da Cooler Master, são perfeitos para usuários que se deslocam muito e precisam trabalhar em qualquer tipo de superfície (vidro, madeira, azulejo, mármore, metal), sem perder precisão e agilidade. Wireless, os mouses operam a distância do micro com resolução de 1.600 dpi. O modo hibernação automático estende a duração da bateria em até seis meses. Disponíveis em várias cores, são acompanhados de mouse pad à prova d'água e antiderrapante. Por R$ 90.

O

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

e

ECONOMIA/LEGAIS - 21 A taxa média do empréstimo pessoal de crédito em fevereiro foi de 5,39% ao mês, segundo o Procon-SP.

conomia

Imóvel com dois quartos lidera

Taxas de juros sobem

A

s taxas de juros cobradas pelos bancos no cheque especial apresentaram crescimento de 0,16 ponto percentual em fevereiro ante janeiro, de acordo com levantamento divulgado ontem pela Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP). A taxa média de juros no cheque especial passou de 9,13% para 9,29% ao mês. Essa foi a maior variação positiva da taxa desde julho de 2010, quando houve aumento de 0,16 ponto percentual em relação ao mês anterior. As taxas de juros para empréstimo pessoal também apresentaram alta no período, de 0,05 ponto percentual, na comparação mensal. A taxa média nessa categoria de crédito em fevereiro foi de 5,39% ao mês, superior à verificada em janeiro, de 5,34% mensal. (AE)

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL

Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 14 de fevereiro de 2011, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial:

Requerente: Redelease Produtos para Indústria Ltda. Requerida: Perc Engenheira Ltda. Rua Joaquim Faustino nº 49 - Vila Maria - 1ª Vara de Falências Requerente: Banco Safra S/A Requerida: ASD Fomento Mercantil Ltda. - Rua Xavantes nos 715/719 - Brás 1ª Vara de Falências Requerente: Abdiel Andriolo de Andrade - Requerida: Vida Clube de Seguros em liquidação extrajudicial - Rua Dona Elisa Pereira de Barros nº 715 Jardim Europa - 2ª Vara de Falências

O

s imóveis de dois dormitórios sem elevador e do segmento econômico lideraram os lançamentos no interior paulista nos últimos anos, de acordo com estudo divulgado ontem pelo Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais e Comerciais de São Paulo (Secovi-SP). A pesquisa, elaborada pela Robert Michel Zarif Assessoria Econômica, em parceria com o Secovi-SP, teve como

alvo empreendimentos residenciais verticais de São José do Rio Preto (janeiro de 2007 a maio de 2010), Campinas (fevereiro de 2007 a julho de 2 0 1 0 ) , S o ro c a b a ( j u l h o d e 2007 a setembro de 2010), Jundiaí (abril de 2007 a novembro de 2010) e Bauru (janeiro de 2004 a janeiro de 2011). Conforme a entidade, o resultado pode ser atribuído à facilidade de crédito para a compra do imóvel, ao programa "Minha Casa, Minha Vida" e à alta da renda das classes C e

Associação Beneficente dos Hospitais Sorocabana Edital de Convocação A Associação Beneficente dos Hospitais Sorocabana convoca seus Associados para participarem da Assembléia Geral Extraordinária que se realizará no dia 25 de Fevereiro de 2011, em primeira chamada às 09 horas e em segunda chamada às 09 horas e 30 minutos, na sede do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas Ferroviárias da Zona Sorocabana, sito à Rua Reverendo João Euclides Pereira, número 29, em Osasco, no Estado de São Paulo, nos Termos do artigo 23, alínea “G” do Estatuto em vigor, para deliberarem quanto a: 1º - Eleger novos membros do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal, por motivo de renúncia; 2º Deliberar dentre os eleitos, quem assumirá os cargos de Diretor Comercial, de Vice-Diretor Comercial, de Diretor Secretário e de Vice-Diretor Secretário, visando recompor a Diretoria da Associação. São Paulo, 11/02/2011. Ivens Scruph - Presidente ABHS, RG: 6.100.345-1

CALMIT MINERAÇÃO E PARTICIPAÇÃO LTDA. NIRE nº 35.221.023.649 - CNPJ/MF nº 25.679.465/0001-41 ATA DA REUNIÃO EXTRAORDINÁRIA DE SÓCIOS REALIZADA EM 31 DE DEZEMBRO DE 2010 1. DATA, HORÁRIO E LOCAL - Dia 31 de dezembro de 2010, às 09:00 horas, na sede social da CALMIT MINERAÇÃO E PARTICIPAÇÃO LTDA. (“Sociedade”), localizada na Praça Professor José Lannes, nº 40, 9º andar, parte B, na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo. 2. CONVOCAÇÃO Dispensada em virtude da presença da totalidade dos sócios da Sociedade. 3. PRESENÇA – Sócios representando a totalidade do capital social, quais sejam: (i) ACARIUBA MINERAÇÃO E PARTICIPAÇÃO LTDA., sociedade empresária limitada com sede na Rua José Cesar de Oliveira, nº 21/111, 8º andar, conjunto 81, CEP 05317-000, na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 24.963.407/0001-82, com seu Contrato Social registrado na JUCESP sob o NIRE 35.221.016.529, neste ato representada por Walter Schalka, brasileiro, casado, engenheiro, portador da Cédula de Identidade RG nº 6.567.956-8 SSP-SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 060.533.238-02, e Luiz Alberto de Castro Santos, brasileiro, casado, engenheiro, portador da Cédula de Identidade RG nº 4.447.247-X, inscrito no CPF/MF sob o nº 213.852.898-72, ambos com escritório na Praça Professor José Lannes, nº 40, 9º andar, na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo; e (ii) LUIZ ALBERTO DE CASTRO SANTOS, acima qualificado. 4. MESA DIRIGENTE – Walter Schalka, Presidente, e Luiz Alberto de Castro Santos, Secretário. 5. ORDEM DO DIA – A ordem do dia da presente Reunião Extraordinária dos Sócios compreende a deliberação, por parte dos sócios da Sociedade, das seguintes matérias: (i) redução do capital social da Sociedade no valor de R$ 300.000.000,00 (trezentos milhões de reais), com o conseqüente cancelamento de 300.000.000 (trezentas milhões) de quotas, por julgá-lo excessivo em relação ao objeto da sociedade, conforme facultado pelo Artigo 1.082, inciso II, da Lei nº 10.406/2002, conforme alterada; e (ii) a conseqüente alteração da Cláusula 6ª do Contrato Social da Sociedade. 6. DELIBERAÇÕES – Os sócios da Sociedade aprovam, por maioria de votos: (i) A redução do capital social da Sociedade, com cancelamento de quotas correspondentes ao valor do capital social reduzido, restituindo-se o valor das quotas correspondentes aos sócios de acordo com os seguintes termos e condições: a) Justificativa: a redução do capital social se dá com base no Artigo 1.082, inciso II, da Lei nº 10.406/2002, por ser considerado excessivo para a consecução do objeto social da Sociedade; b) Montante do capital a ser reduzido: R$ 300.000.000,00 (trezentos milhões de reais); c) Preço por quota: o valor por quota sujeita à redução de capital é de R$ 1,00 (um real), correspondente ao valor nominal das quotas representativas do capital social da Sociedade; d) Quantidade de quotas a serem canceladas: 300.000.000 (trezentos milhões) de quotas com valor nominal de R$ 1,00 (um real), todas elas detidas pela sócia ACARIUBA MINERAÇÃO E PARTICIPAÇÃO LTDA., uma vez que o outro sócio da Sociedade, o Sr. LUIZ ALBERTO DE CASTRO SANTOS, presente à Reunião Extraordinária de Sócios não manifestou seu interesse de participar da redução do capital social da Sociedade, ora deliberada, com o conseqüente cancelamento da quota de sua titularidade; e) Efetividade da Redução de Capital: em atendimento ao disposto no Artigo 1.084, §1º, da Lei nº 10.406/2002, a redução do capital ora aprovada somente será efetiva após transcorridos 90 (noventa) dias contados da data da publicação desta; f) Prazo e Pagamento: a Sociedade efetuará o pagamento à sócia ACARIUBA MINERAÇÃO E PARTICIPAÇÃO LTDA. pelas quotas ora canceladas dentro do prazo de 05 (cinco) dias após decorrido o prazo previsto no item “e” acima, pela dação em pagamento, através da cessão e transferência dos créditos de diversas naturezas que detém em face da sociedade ACARIUBA MINERAÇÃO E PARTICIPAÇÃO LTDA., sociedade empresária limitada com sede na Rua José Cesar de Oliveira, nº 21/111, 8º andar, conjunto 81, CEP 05317-000, na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 24.963.407/000182, no valor de R$ 300.000.000,00 (trezentos milhões de reais), conforme contabilizado no balanço patrimonial da Sociedade de 30 de outubro de 2010. (ii) Em virtude da deliberação acima, uma vez que a redução de capital da Sociedade passe a surtir efeitos, o caput da Cláusula 6ª do Contrato Social da Sociedade passará a vigorar com a seguinte nova redação: “Cláusula 6ª: O capital social subscrito e totalmente integralizado é de R$ 4.350.839,00 (quatro milhões, trezentos e cinqüenta mil, oitocentos e trinta e nove reais), dividido em 4.350.839 (quatro milhões, trezentos e cinqüenta mil, oitocentos e trinta e nove) quotas, com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada, distribuídas entre os sócios na seguinte proporção: I. A sócia ACARIUBA MINERAÇÃO E PARTICIPAÇÃO LTDA. detém 4.350.838 (quatro milhões, trezentas e cinqüenta mil, oitocentas e trinta e oito) quotas representativas do capital social da sociedade; II. O sócio LUIZ ALBERTO DE CASTRO SANTOS detém 1 (uma) quota representativa do capital social da sociedade”. As demais disposições do Contrato Social da Sociedade não alteradas neste ato permanecerão inalteradas e em vigor em conformidade com os seus termos. (ii) Fica a Administração da Sociedade, na forma de seu Contrato Social, autorizada a assinar toda documentação necessária para efetivação do acima deliberado. 7. ENCERRAMENTO – a) O Sr. Presidente franqueou o uso da palavra, não havendo, todavia, nenhuma manifestação; b) Os trabalhos foram suspensos para a lavratura da presente ata, que tendo sido lida e achada conforme, vai assinada pelo Presidente, Secretário e pelos sócios da Sociedade. São Paulo, 31 de dezembro de 2010. (a.a.) Walter Schalka, Presidente e Luiz Alberto de Castro Santos, Secretário; p. Acariuba Mineração e Participação Ltda., Walter Schalka e Luiz Alberto de Castro Santos; Luiz Alberto de Castro Santos. SECRETARIA DA FAZENDA – JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO – CERTIDÃO – Certifico o Registro sob o nº 45.926/11-6 em 02.02.11. (a) Kátia Regina Bueno de Godoy, Secretária Geral.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: COMUNICADO A Fundação para o Desenvolvimento da Educação - FDE comunica, a todos os interessados em licitar e contratar na área de Obras, Serviços de Engenharia, Outros Serviços, Fornecimento de Material e/ou Equipamentos Diversos, que seu Departamento de Cadastro encontra-se permanentemente aberto para novas inscrições, bem como para atualização dos registros existentes. A retirada dos procedimentos cadastrais poderá ser feita na sede da FDE - Av. São Luís, 99 República - Guichê da Licitação - térreo, das 8:30 às 17:00 horas nos dias úteis, ou ainda via Internet: www.fde.sp.gov.br.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: CHAMAMENTO PÚBLICO PROJETO BOLSA ESCOLA PÚBLICA E UNIVERSIDADE NA ALFABETIZAÇÃO - PROGRAMA LER E ESCREVER A Fundação para o Desenvolvimento da Educação - FDE comunica a abertura de inscrições de Instituições de Ensino Superior para apresentação do Plano de Trabalho/2011, de acordo com a Resolução SE nº 90, de 08/12/2008, da Secretaria de Estado da Educação. Poderão se inscrever todas as Instituições de Ensino Superior sediadas no Estado de São Paulo, que possuam cursos presenciais, devidamente autorizados e/ou reconhecidos, nas áreas de Pedagogia, com habilitação para magistério de 1ª a 4ª série ou Letras com habilitação para o magistério, desde que os alunos estejam cursando a partir do 2º semestre. As Instituições interessadas deverão apresentar proposta com o número de classes e respectivas regiões a serem atendidas. A efetiva participação da Instituição de Ensino Superior interessada será condicionada à aprovação do Plano de Trabalho e à existência de vagas na região pretendida (vagas remanescentes do 1º Chamamento Publicado no DOE de 20 de outubro de 2010 - Poder Executivo - Seção I). A documentação exigida, as especificações do projeto pedagógico, os formulários a serem preenchidos, a legislação e demais informações pertinentes, deverão ser consultadas no site do Projeto: http://lereescrever.fde.sp.gov.br - no menu O PROGRAMA BOLSA ALFABETIZAÇÃO - link Documentação. As instituições deverão entregar seus projetos a partir de 01/03/2011, e respectiva documentação, observadas as instruções disponibilizadas no site, na sede da FDE - Fundação para o Desenvolvimento da Educação, sita na Av. São Luís nº 99 - Centro - São Paulo-SP, CEP 01046-001, no 15º Andar, das 08h30 às 17h.

FATO RELEVANTE

DTEX3

PAGAMENTO DE JUROS SOBRE O CAPITAL PRÓPRIO Comunicamos aos Senhores Acionistas que o Conselho de Administração da Duratex S.A., reunido em 14/02/2011, deliberou: 1. declarar juros complementares sobre o capital próprio, imputados ao valor do dividendo obrigatório de 2010, no valor de R$ 0,058801941 por ação, que serão pagos a partir do dia 23/02/2011, com base na posição acionária final do dia 14/02/2011 e com retenção de 15% de imposto de renda na fonte, resultando em juros líquidos de R$ 0,049981650 por ação, excetuados dessa retenção os acionistas pessoas jurídicas que comprovarem, até 22/02/2011, a sua condição de imune ou que estejam desobrigados da retenção por disposição legal; 2. pagar, também com início no dia 23/02/2011, os juros sobre o capital próprio declarados pelo Conselho de Administração em reunião de 17/12/2010, no valor líquido de R$ 0,122876347 por ação, já deduzido o imposto de renda na fonte de 15%, excetuados dessa retenção os acionistas pessoas jurídicas comprovadamente imunes ou desobrigados da retenção por disposição legal; o crédito contábil individualizado desses juros foi efetuado em 30/12/2010, com base na posição acionária de 17/12/2010, conforme anteriormente divulgado; e 3. dessa forma, os acionistas detentores de ações desde 17/12/2010 perceberão juros sobre o capital próprio, conforme segue: Reunião do Conselho de Administração Declarados em 17/12/2010 .............................................................. Declarados em 14/02/2011 .............................................................. Total ..................................................................................................

JCP (*) a ser pago em 23/02/2011 R$ 0,122876347 R$ 0,049981650 R$ 0,172857997 por ação

(*) juros sobre o capital próprio, após a retenção de 15% de imposto de renda na fonte. São Paulo (SP), 14 de fevereiro de 2011 Flávio Marassi Donatelli - Diretor de Relações com Investidores

tos e vendas. A exceção fica para o município de São José do Rio Preto, que teve um número superior de unidades lançadas com até 45 m². Já o preço do metro quadrado dos imóveis oscilou de R$ 2 mil a R$ 2,3 mil, de acordo com o município, sendo o de Campinas o mais valorizado, e os de Sorocaba e São José do Rio Preto os menos. Nos segmentos tradicionais, o valor de compra variou entre R$ 2,4 mil e R$ 4,9 mil, dependendo do município, localização e padrão. (AE)

VOTORANTIM CIMENTOS S.A.

CNPJ/MF 01.637.895/0001-32 - NIRE 35300370554 ATA DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 19 DE JANEIRO DE 2011. 1. DATA, HORÁRIO E LOCAL: 19 de janeiro, às 12:00 horas, na sede social As Debêntures objeto deste procedimento poderão (i) ser canceladas, devendo o cancelamento ser objeto de ato deliberativo da Companhia, (ii) da Companhia situada nesta Capital, na Praça Prof.º José Lannes, n.º 40, permanecer em tesouraria, ou (iii) ser novamente colocadas no mercado, 9º andar, Cidade Monções. 2. PRESENÇA: Acionistas representando a sendo que as Debêntures adquiridas pela Companhia para permanência totalidade do capital social, conforme assinaturas lançadas no livro“Presença em tesouraria, se e quando recolocadas no mercado, farão jus à mesma de Acionistas”. 3. MESA DIRIGENTE: Marcelo Chamma, Presidente e remuneração das demais Debêntures que ainda estiverem em circulação; Walter Schalka, Secretário. 4. CONVOCAÇÃO: Dispensada em virtude da (o) Resgate Antecipado: A partir de 14 de fevereiro de 2013, e desde que presença da totalidade dos acionistas. 5. ORDEM DO DIA: Deliberar sobre haja expressa anuência dos Debenturistas, as Debêntures poderão ser (I) a aprovação da 3ª emissão, pela Companhia, de debêntures simples, facultativamente resgatadas, total ou parcialmente, a qualquer momento, não conversíveis em ações, em série única, da espécie quirografária, com por meio de envio ou de publicação de comunicado aos Debenturistas, garantia fidejussória, para distribuição pública com esforços restritos de nos jornais usualmente utilizados pela Companhia para suas publicações colocação, com valor nominal unitário de R$10.000.000,00 (dez milhões de legais, bem como mediante envio de comunicação escrita ao Agente reais) (“Valor Nominal Unitário”), no montante total de R$600.000.000,00 Fiduciário com antecedência mínima de 10 (dez) dias úteis, informando: (i) (seiscentos milhões de reais) (“Debêntures” e “Emissão”, respectivamente), a data; (ii) o número de Debêntures que serão resgatadas; e (iii) qualquer em consonância com a Instrução da Comissão de Valores Mobiliários outra informação relevante aos Debenturistas. O valor de resgate será – CVM nº 476, de 16 de janeiro de 2009 (“ICVM 476”), bem como equivalente ao Valor Nominal ou saldo do Valor Nominal, acrescido dos sobre os seus termos e condições, nos termos do artigo 59 da Lei das Juros Remuneratórios e dos encargos moratórios, se for o caso, devidos Sociedades por Ações, e (II) a autorização a ser concedida aos diretores desde a data do último pagamento de juros remuneratórios ou amortização da Companhia para que estes adotem todas as medidas necessárias para até a data do resgate e acrescido de prêmio sobre o valor de resgate a a formalização da Emissão. 6. DELIBERAÇÕES: Os acionistas presentes, ser estabelecido na Escritura; (p) Amortização: O valor nominal das por unanimidade de votos e sem quaisquer restrições, aprovaram: (I) a Debêntures será amortizado pela Companhia em 3 (três) parcelas, nas Emissão, pela Companhia, de 60 (sessenta) Debêntures, nos seguintes datas e percentuais detalhados abaixo, salvo possibilidade de aquisição termos e condições: (a) Data de Emissão: 14 de fevereiro de 2011 (“Data antecipada facultativa (vide item (n) acima) e de resgate total antecipado de Emissão”); (b) Valor Total da Emissão: O valor total da Emissão será (vide item (o) acima): de R$600.000.000,00 (seiscentos milhões de reais); (c) Quantidade e Séries: Serão emitidas 60 (sessenta) Debêntures, em série única; (d) Data de Amortização Percentual do Valor Nominal de Emissão Valor Nominal Unitário: O Valor Nominal Unitário das Debêntures será de das Debêntures a Ser Amortizado R$10.000.000,00 (dez milhões de reais) na Data de Emissão; (e) Forma e Emissão de Certificados: As Debêntures serão emitidas na forma nominativa 14/08/2018 20,0000% e escritural, sem a emissão de certificados; (f) Espécie e Conversibilidade: 14/02/2020 40,0000% As Debêntures serão simples, não conversíveis em ações de emissão 14/02/2021 40,0000% da Emissora, e serão da espécie quirografária, sem garantia real e nem preferência, com garantia fidejussória; (g) Prazo e Data de Vencimento: O (q) Vencimento Antecipado: Por meio do Agente Fiduciário, os titulares vencimento final das Debêntures ocorrerá ao término do prazo de 10 (dez) das Debêntures poderão declarar antecipadamente vencidas todas anos contados da Data de Emissão, vencendo, portanto, em 14 de fevereiro as obrigações objeto da Escritura e exigir o imediato pagamento, pela de 2021 (“Data de Vencimento”), ressalvadas as hipóteses de vencimento Companhia, do Valor Nominal Unitário das Debêntures acrescido dos Juros antecipado previstas no “Instrumento Particular de Escritura da 3ª Emissão Remuneratórios e dos encargos moratórios, se houver, calculados pro rata de Debêntures Simples, não Conversíveis em Ações, em Série Única, temporis a partir da Data de Subscrição das Debêntures até a data do efetivo da Espécie Quirografária, com Garantia Fidejussória, para Distribuição pagamento, na ocorrência de quaisquer dos eventos de inadimplemento Pública, com Esforços Restritos de Colocação, da Votorantim Cimentos S.A.” a serem definidos na Escritura; (r) Procedimento de Distribuição: As (“Escritura”). Na ocasião do vencimento, a Emissora obriga-se a proceder Debêntures serão objeto de distribuição pública, com esforços restritos de ao pagamento das Debêntures que ainda estejam em circulação pelo distribuição, sob o regime de garantia firme, com intermediação do Banco saldo de seu Valor Nominal Unitário, acrescido dos Juros Remuneratórios Santander S.A. (“Instituição Intermediária”), instituição financeira integrante devidos (conforme definidos abaixo), calculados na forma prevista na do sistema de distribuição de valores mobiliários, por meio do módulo SDT, Escritura; (h) Remuneração:As Debêntures farão jus ao pagamento de administrado e operacionalizado pela CETIP, e destinadas exclusivamente juros remuneratórios correspondentes à variação acumulada de 113,90% à subscrição por, no máximo, 20 (vinte) Investidores Qualificados (conforme (cento e treze inteiros e noventa centésimos por cento) das taxas médias definidos na Escritura), observados o artigo 3º da ICVM 476 e os termos e diárias das Taxas DI – Depósitos Interfinanceiros de um dia, Over Extracondições do Contrato de Coordenação e de Distribuição Pública Restrita, Grupo (“Taxas DI”), expressas na forma percentual ao ano, base 252 sob o Regime de Garantia Firme de Colocação, de Debêntures Simples, (duzentos e cinquenta e dois) dias úteis, calculada e divulgada diariamente não Conversíveis em Ações, em Série Única, da Espécie Quirografária, pela CETIP S.A. – Balcão Organizado de Ativos e Derivativos (“CETIP”) no com de Garantia Fidejussória, da 3ª Emissão da Votorantim Brasil S.A.” informativo diário, disponível em sua página na Internet (http://www.cetip. (“Contrato de Colocação”); (s) Registro para Distribuição e Negociação: com.br), calculados de forma exponencial e cumulativa, pro rata temporis As Debêntures serão registradas (i) para distribuição no mercado primário por dias úteis decorridos, incidentes sobre o Valor Nominal Unitário de cada através do SDT – Módulo de Distribuição de Títulos (“SDT”), e (ii) para Debênture, desde a Data de Emissão das Debêntures até a data efetiva negociação em mercado secundário através do SND – Módulo Nacional de pagamento de juros remuneratórios (“Juros Remuneratórios”). (h)(i) Os de Debêntures (“SND”), ambos administrados e operacionalizados Juros Remuneratórios correspondentes ao período de capitalização das pela CETIP, sendo a custódia eletrônica das Debêntures e a liquidação Debêntures (conforme definido na Escritura) serão pagos semestralmente, financeira realizadas através da CETIP. As Debêntures somente poderão a partir da Data de Emissão, no dia 14 de agosto e de fevereiro de cada ser negociadas em mercado de balcão organizado e não organizado ano até a Data de Vencimento das Debêntures, ou, caso estes não sejam depois de decorridos 90 (noventa) dias de sua subscrição ou aquisição dias úteis, no primeiro dia útil subsequente, conforme o caso, sendo que pelo investidor, nos termos dos artigos 13 e 14 da ICVM 476. Somente o 1º (primeiro) pagamento de Juros Remuneratórios ocorrerá em 14 de investidores qualificados, conforme definidos na Instrução da CVM nº 409, de agosto de 2011; (i) Prazo de Subscrição: As Debêntures serão subscritas 18 de agosto de 2004, conforme alterada, e observado o disposto no artigo e integralizadas, em uma única data, a qualquer tempo, no prazo de até 4 4º da ICVM 476, poderão adquirir as Debêntures, ressalvado o disposto no (quatro) dias contados da Data de Emissão (“Data de Subscrição”); (j) Preço parágrafo 1º do artigo 15 da ICVM 476; (t) Distribuição Parcial: Não haverá de Subscrição e Integralização: O preço de subscrição das Debêntures distribuição parcial das Debêntures, uma vez que a Instituição Intermediária será seu Valor Nominal Unitário, acrescido dos Juros Remuneratórios irá prestar garantia firme de subscrição e integralização da totalidade das (conforme definidos acima), calculados pro rata temporis desde a Data Debêntures; e (u) Destinação dos Recursos: Os recursos captados através de Emissão até a Data de Subscrição, sendo que as Debêntures serão da presente Emissão serão destinados para investimentos em ativos fixos integralizadas à vista, em moeda corrente nacional, na Data de Subscrição, e em capital de giro. (II) autorizar a Diretoria da Companhia a praticar de acordo com as normas aplicáveis à CETIP; (k) Garantia Fidejussória: todos os atos necessários à efetivação das deliberações acima, incluindo, Para assegurar o cumprimento das obrigações pecuniárias, principais e mas não se limitando a celebração, em nome da Companhia, de todos e acessórias, assumidas pela Companhia na Escritura em decorrência da quaisquer documentos necessários à efetivação da Emissão, bem como Emissão, a Votorantim Industrial S.A., controladora direta da Companhia, de quaisquer aditamentos, termos, anuências e/ou notificações previstos prestará fiança em favor dos Debenturistas (“Fiança”), representados na ou necessários, e à adoção, junto a órgãos governamentais e entidades Escritura pelo agente fiduciário, obrigando-se como fiadora e principal privadas, das providências que se fizerem necessárias à efetivação das pagadora dos valores devidos nos termos e condições da Escritura; (l) medidas aprovadas nesta Assembleia. 7. ENCERRAMENTO: Nada mais Atualização do Valor Nominal Unitário: Não haverá atualização do Valor havendo a tratar, encerrou-se a sessão da qual se lavrou a presente ata, Nominal das Debêntures; (m) Repactuação: Não haverá repactuação que lida e aprovada, segue assinada pelos acionistas presentes. São das Debêntures; (n) Aquisição Antecipada Facultativa: A Companhia Paulo, 19 de janeiro de 2011. (a.a.) Marcelo Chamma e Walter Schalka, poderá, a qualquer tempo, observadas as restrições impostas pela ICVM respectivamente, Presidente e Secretário. p. VOTORANTIM INDUSTRIAL 476 e demais disposições aplicáveis, adquirir Debêntures em circulação S.A.: Alexandre Silva D’Ambrosio e João Carvalho de Miranda, diretores; no mercado, por preço não superior ao de seu Valor Nominal, acrescido p. INECAP INVESTIMENTOS S.A.: Raul Calfat e Gilberto Lara Nogueira, dos Juros Remuneratórios e dos encargos moratórios, se for o caso, diretores; p. LATIN AMERICA CEMENT INVESTMENTS LIMITED.: Marcus observado o disposto no artigo 55, §2º, da Lei das Sociedades por Ações. Olyntho de Camargo Arruda e Nelson Koichi Shimada, diretores.

Juruá Auto Posto Ltda, torna público que recebeu da Cetesb a Licença de Operação 45004329 valida até 14/02/2006 para ativ. de com. de prod. deriv. de petróleo, sito à Rua Cardoso de Almeida ,751 - Perdizes - São Paulo- SP. Centro Automotivo Fiandeiras Ltda, torna público que requereu da Cetesb a Licença Previa e de Instalação para ativ. de com. de prod. deriv. de petróleo, sito à Av.Santo Amaro,1510 Vila Olimpia - São Paulo- SP. PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Serviço Municipal Autônomo de Água e Esgoto de São José do Rio Preto - SeMAE AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO – CONCORRÊNCIA Nº 03/2011 – PROC. Nº 016/2011 Entrega dos envelopes: até 22.03.2011, às 08h45. Abertura da licitação: 22.03.2011, a partir das 09h. Objeto: Contratação de empresa para a realização de recomposição de área de preservação permanente referente à recuperação da mata ciliar do córrego do Cedro e afluentes, em São José do Rio Preto/SP. Custo global estimado: R$2.702.700,96 – Prazo de execução: 36 meses. Demais informações e retirada do edital com a C.L., na Rua Antônio de Godoy, 2.181, Jd. Seixas, S. J. do Rio Preto/SP, das 7h30 às 12h00 e 13h30 às 17h00, de segunda a sexta, fone/fax: (17) 32118105, e página do SeMAE na internet: www.semae.riopreto.sp.gov.br. AVISO ÀS LICITANTES Adiamento da Data da Sessão de Abertura da Concorrência 14/2010 – Proc. 116/2010 Objeto: Contratação de empresa especializada para elaboração de estudos, projetos, gerenciamento e fiscalização de obras, e apoio técnico ao desenvolvimento tecnológico, ambiental e institucional do SeMAE, em atendimento ao crescimento vegetativo do município, e às ampliações e melhorias do sistema de abastecimento de água e do sistema de esgotos sanitários de São José do Rio Preto/SP. Ficam as licitantes interessadas, notificadas de que, por interesse da Administração, a sessão de abertura dos envelopes da Concorrência 14/2010, programada para o dia 16.02.2011, foi ADIADA “SINE DIE”. A nova data será comunicada através de publicação na Imprensa Oficial do Estado e do Município. S. J. Rio Preto, 14.02.2011 – Gabriela Cavalcanti da Silva – Presidente da C. L.

VOTORANTIM INDUSTRIAL S.A.

Companhia Aberta CNPJ. 97.837.181/0001-47

D. Nos períodos analisados, em São José do Rio Preto, o segmento econômico de dois dormitórios representou 47,1% do total lançado, o equivalente a 1.556 unidades. Em Campinas, 42,2% (8.358 unidades), em Sorocaba, 57,2% (5.740 unidades), em Jundiaí, 33,8% (3.744 unidades), e em Bauru, 42,4% (2.033 unidades). Reflexo direto de mais demanda no segmento econômico, as unidades de 46 m² a 65 m² foram as que tiveram maior número de lançamen-

CNPJ/MF Nº 03.407.049/0001-51 - NIRE 35300313216 ATA DE REUNIÃO DOS MEMBROS DA DIRETORIA, REALIZADA EM 19 DE JANEIRO DE 2011 1. DATA, HORÁRIO E LOCAL: 19 de janeiro de 2011, às 09:00 horas, na sede social da Companhia situada na Rua Amauri, n.º 255, 13º andar, Cj. “A”, na Capital do Estado de São Paulo. 2. PRESENÇA: A totalidade dos Membros da Diretoria. 3. COMPOSIÇÃO DA MESA: Alexandre Silva D’Ambrosio, Presidente e João Carvalho de Miranda, Secretário. 4. ORDEM DO DIA: (i) aprovar a concessão de garantia fidejussória por meio de fiança da Companhia em favor de sua controlada Votorantim Cimentos S.A. (“Votorantim Cimentos”), no âmbito da 3ª emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações, em série única, da espécie quirografária, com garantia fidejussória, para distribuição pública com esforços restritos de colocação, da Votorantim Cimentos, no montante de até R$600.000.000,00 (seiscentos milhões de reais) (“Debêntures” e “Emissão”, respectivamente), sendo que, nos termos da escritura de emissão a ser firmada no âmbito da Emissão, as Debêntures farão jus ao pagamento de juros remuneratórios correspondentes à variação acumulada de 113,90% (cento e treze inteiros e noventa centésimos por cento) das taxas médias diárias das Taxas DI – Depósitos Interfinanceiros de um dia, Over Extra-Grupo, expressas na forma percentual ao ano, base 252 (duzentos e cinquenta e dois) dias úteis, calculada e divulgada diariamente pela CETIP S.A. – Balcão Organizado de Ativos e Derivativos, no informativo diário, disponível em sua página na Internet (http://www.cetip.com.br), calculados de forma exponencial e cumulativa, pro rata temporis por dias úteis decorridos, incidentes sobre o valor nominal unitário de cada Debênture, desde 14 de fevereiro de 2011 (“Data de Emissão”) até a data efetiva de pagamento de juros remuneratórios; bem como (ii) autorizar os diretores da Companhia a tomarem todas as medidas e a praticarem todos os atos necessários à formalização da Emissão, em especial da garantia objeto desta reunião. 5. DELIBERAÇÕES: Após discussão da ordem do dia, que era de prévio conhecimento de todos os presentes, os membros da Diretoria da Companhia decidiram, por unanimidade de votos e sem quaisquer ressalvas e/ou restrições: (i) aprovar, nos termos do artigo 9º, parágrafo 3º, do Estatuto Social da Companhia, no âmbito da Emissão, a concessão de garantia fidejussória pela Companhia à Votorantim Cimentos por meio de fiança, por considerar que a Emissão e a concessão desta garantia em nome da Votorantim Cimentos são de interesse da Companhia; e (ii) autorizar os diretores da Companhia a tomarem todas as medidas e a praticarem todos os atos necessários à formalização da Emissão, em especial da garantia objeto desta reunião, incluindo, mas não se limitando à celebração dos documentos, contratos e certificados necessários à formalização da Emissão e à constituição da garantia. 6. OBSERVAÇÕES FINAIS: Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente ata, que lida e achada conforme, vai assinada pelo Presidente, Secretário e demais Diretores presentes. São Paulo, 19 de janeiro de 2011. (a.a.) Raul Calfat, Alexandre Silva D’Ambrosio e João Carvalho de Miranda, Diretores.

CNPJ Nº 62.876.768/0001-80 EDITAL CONSELHO DAS ASSOCIAÇÕES FILIADAS ELEIÇÕES PARA VICE-PRESIDENTES DA DIRETORIA BIÊNIO 2011/2013 O Presidente da FACESP, Sr. Alencar Burti, no uso legal de suas atribuições, DECLARA registrados os candidatos abaixo relacionados, para o cargo de Vice-Presidente Regional, indicados pelas respectivas Associações Comerciais nos termos do artigo 23 do ESTATUTO SOCIAL e das INSTRUÇÕES PARA AS ELEIÇÕES REFERENTES AO CARGO DE VICE-PRESIDENTE e baixa as seguintes normas para a realização das ELEIÇÕES: I - DISPENSA DE REALIZAÇÃO DE ASSEMBLEIA REGIONAL: RA2 - METROPOLITANA ABC - IVAN CARLOS CAVASSANI - AC de São Caetano do Sul. RA3 - METROPOLITANA ALTO DO TIETÊ - WILSON JOSÉ LOURENÇO - AC de Guarulhos. RA4 - METROPOLITANA OESTE - PAULO CONTIM - AC de Barueri. RA6 VALE DO PARAÍBA - JORGE RICARDO BARUKI SAMAHÁ - AC de Pindamonhangaba. RA7 - CAMPINAS - ANTONIO MARCOS MARCONDES FERRAZ - AC de Vinhedo. RA9 - SOROCABA - BRAZ CASSIOLATO - AC de Sorocaba. RA11 RIBEIRÃO PRETO - JOSÉ CARLOS CARVALHO - AC de Ribeirão Preto. RA12 BAURU - ARIOVALDO ARI GABRIEL - AC de Barra Bonita e Ig. do Tietê. RA13 ARAÇATUBA - LUIZ EDUARDO DONÁ - AC de Birigui. RA14 - SÃO JOSÉ DO RIO PRETO - ANTONIO CARLOS PARISE - AC de São José do Rio Preto. RA16 - BAIXA MOGIANA - JOSÉ EDUARDO RODRIGUES DE CARVALHO - AC de Mococa. RA17 PRESIDENTE PRUDENTE - RICARDO ANDERSON RIBEIRO - AC de Presidente Prudente. RA18 - SÃO CARLOS - GINO JOSÉ TORREZAN - AC de Dourado. RA19 FRANCA - JOÃO CARLOS CHEADE - AC de Franca. RA20 - ALTA NOROESTE ROLANDO CÉSAR CASTREQUINI CASTILHO NOGUEIRA - AC de Votuporanga. Essas regionais, em razão de candidatura única, ficam dispensadas da realização de Assembleias dos Conselhos, conforme determina o parágrafo 2º do artigo 23 do Estatuto Social, porém, a Assembleia Geral homologará a candidatura única desde que o candidato apresente a indicação de pelo menos 50% das entidades da Região. II - RA1 - REGIÃO CIDADE DE SÃO PAULO - O Vice-Presidente será designado pelo Presidente da Associação Comercial de São Paulo e o seu nome submetido à homologação da Assembleia Geral, como dispõe o artigo 23 do Estatuto Social. III REGIONAIS NAS QUAIS NÃO HOUVE INDICAÇÃO DE CANDIDATOS: RA5 - LITORAL PAULISTA. RA8 - JUNDIAÍ. RA10 - VALE DO PARANAPANEMA. RA15 - MARÍLIA. Em tais regionais, em virtude da inexistência de candidatos, o Sr. Presidente seguirá as formalidades legais, conforme disposto no parágrafo 3º do artigo 23 do Estatuto. IV MESA ELEITORAL - A mesa eleitoral a ser instalada na sede da região administrativa do Município, onde ocorreria a eleição para Vice-Presidente, cujas normas de funcionamento constam das Instruções para as Eleições 2011, está suspensa em virtude da não existência de dois ou mais candidatos nas respectivas regiões. V HOMOLOGAÇÃO - Os Vice-Presidentes eleitos terão seus nomes homologados pela Assembleia Geral, nos termos do artigo 12, inciso VII do Estatuto Social. VI - CONVOCAÇÃO - Ficam, pelo presente EDITAL, convocadas as Associações filiadas, integrantes dos Conselhos Regionais, para, através do seu Presidente ou substituto legal, comparecerem no dia, hora e locais designados para deliberarem sobre a homologação dos Vice-presidentes, indicados na forma prevista no artigo 23 (parágrafos 2º e 3º), do Estatuto Social. O presente Edital retifica e ratifica o anteriormente publicado no dia 11 de fevereiro de 2011, na página 17 deste jornal (Diário do Comércio), ficando cancelado o Edital publicado no dia 09 de fevereiro de 2011 (página 5 do mesmo jornal). São Paulo, 14 de fevereiro de 2011.

ALENCAR BURTI Presidente

DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

e

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

A Constituição protege a imagem das pessoas, mas no ambiente de trabalho essa proteção não é absoluta. Sandra Weber, advogada

conomia

Sorria, você pode ser filmado! Em nome da segurança, câmeras de monitoramento ganharam as ruas, lojas, elevadores, prédios e até locais de trabalho. Mas é preciso observar algumas regras para evitar complicações com a Justiça. Sílvia Pimentel

S

orria, você está sendo filmado. O singular aviso no ambiente de trabalho tem o poder de livrar empregadores de sentarem no banco dos réus nos tribunais. Os processos movidos por empregados em defesa de sua privacidade já bateram às portas da Justiça. E os recentes julgados dão sinal verde para que empregadores vigiem por meio de câmeras o ambiente corporativo, com exceção do banheiro e vestiário, desde que os colaboradores saibam previamente que serão filmados. De acordo com a advogada, Sandra Paula Tomazi Weber, do escritório Peck Pinheiro Advogados, especializado em direito digital, é grande o interesse das empresas pelo tema. E muitas têm procurado o escritório em busca de pareceres jurídicos de como devem proceder para evitar problemas na Justiça. "A Constituição Federal protege a imagem e a honra das pessoas, mas no ambiente de trabalho essa proteção não é absoluta na interpretação do Judiciário", explica. A condição do aviso para evitar problemas futuros, segundo a advogada, foi colocada pelo Judiciário para evitar conflitos com o texto constitucional. E mais. O empregador que decidir instalar os equipamentos deve estabelecer, com muito cuidado, o colaborador que terá acesso às gravações coletadas. "Sempre orientamos as empresas a assinarem

um acordo de confidencialidade, pois esse profissional não pode, em hipótese alguma, divulgar o material", explica. Além de afastar possíveis demandas e evitar condenações, o comunicado é importante caso a empresa precise usar o material como prova. Em outras palavras, nos casos de roubo ou furto de empregados, mesmo que filmados, a gravação perde todo o seu valor em favor da empresa. São inúmeras as formas que a empresa tem para avisar seus colaboradores, segundo a advogada. Outros exemplos além do aviso "Sorria, você está sendo filmado" são cláusulas no contrato de trabalho e a divulgação do procedimento por meio de campanhas internas. Como regra geral, valem as mesmas recomendações para o monitoramento de emails, um tema que bateu mais cedo às portas da Justiça. Cabe ressaltar que banheiros e vestiários são sagrados nessa questão. E muitas empresas foram obrigadas a pagar indenização por dano moral por terem instalado câmeras nesses locais. No ano passado, por exemplo, uma companhia de Minas Gerais ligada ao setor de transporte foi condenada em ação movida em 2003 por um funcionário que se ofendeu com a instalação de câmeras no banheiro. Para se livrar da condenação, a defesa alegou que não houve divulgação de imagens que pudessem comprovar consSECRETARIA EXECUTIVA DE COMUNICAÇÃO

ABERTURA DE LICITAÇÃO Comunicamos que, a partir de 15/02/2011 até 31/03/2011, estará à disposição dos interessados, para consulta, retirada e/ou aquisição, o caderno da licitação abaixo, no Setor de Licitações e Compras, tels. 3113-8762/63, desta Pasta, no Edifício Matarazzo, Viaduto do Chá nº 15 - 6º andar - Centro, das 10h30 às 15h30. CONCORRÊNCIA PÚBLICA nº 001/SECOM/2011 - 2010-0.051.908-9 Contratação de empresa para execução de serviços técnicos especializados em assessoria de imprensa para atender a Secretaria Executiva de Comunicação da Prefeitura de São Paulo, pelo período de 06 meses, conforme informações contidas no Edital e Anexos. ENTREGA DOS ENVELOPES/ SESSÃO DE ABERTURA: dia 01/04/2011 às 11h00. CADERNO DE LICITAÇÃO: O caderno de Licitação composto por Edital e Anexos estará disponível pelo site http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br ou poderá ser retirado mediante a entrega de 1 CD ou adquirido mediante o recolhimento, por Guia de Arrecadação, do valor referente às cópias reprográficas (R$0,15) por folha.

SECRETARIA DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÕES PREGÃO PRESENCIAL 04/SMADS/2011 - PROCESSO: 2010-0.350.790-1 OBJETO: REGISTRO DE PREÇO para fornecimento de água mineral natural SESSÃO DE RECEBIMENTO E ABERTURA DE ENVELOPES: 14:30 horas do dia 02/03/2011. A Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social - SMADS, comunica aos interessados que fará realizar a licitação acima mencionada, ficando o caderno de licitação disponível para consulta na Internet no site http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br e na Seção Técnica de Licitações e Contratos, na Rua Líbero Badaró, 561/569 - 5º andar - Centro São Paulo - Telefone para informações: 3291-9712. O caderno de licitação, composto de edital e anexos, poderá ser adquirido mediante o pagamento do preço público de R$ 0,15 (quinze centavos) por folha, no horário das 09:00 às 17:00 horas, no local acima, até o último dia anterior à data designada para a sessão de abertura do aludido certame.

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÕES Encontram-se abertos no Gabinete: PREGÃO PRESENCIAL 012/2011-SMS.G, processo 2011-0.007.404-6, destinado ao registro de preços para fornecimento de ATADURA DE CREPE E ATADURA GESSADA, para Central de Distribuição de Medicamentos e Correlatos - CDMEC / Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço. A sessão pública de pregão ocorrerá às 10 horas do dia 25 de fevereiro de 2011, a cargo da 5ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 033/2011-SMS.G, processo 2010-0.133.713-8, destinado a aquisição de MOBILIÁRIO - CADEIRA FIXA, CONJUNTO COM TRÊS CADEIRAS E MESA DE ESCRITÓRIO, para o PROESF - Programa de Expansão da Fase II, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 09 horas do dia 1º de março de 2011, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da Comissão Especial de Licitação (Portaria 1527/2010-SMS.G) da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DOS EDITAIS Os editais dos pregões acima relacionados poderão ser consultados e/ou obtidos nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br; www.comprasnet.gov.br, quando Pregão Eletrônico; ou, no gabinete da Secretaria Municipal de Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Os documentos referentes ao credenciamento, os envelopes contendo as propostas comerciais e os documentos de habilitação das empresas interessadas, deverão ser entregues diretamente ao pregoeiro, no momento da abertura da sessão pública de pregão. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas interessadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital.

MAX

trangimento à moral porque os equipamentos eram falsos. Para o ministro relator do processo, Walmir Oliveira da Costa, a não divulgação das

imagens não afasta a responsabilidade da empresa. "A divulgação apenas agravaria o dano, repercutindo no valor da indenização", concluiu.

Em 2007, a C&A foi obrigada a pagar R$ 45 mil a uma vendedora por instalar equipamentos no vestiário feminino. Em defesa, a companhia

alegou que a iniciativa teria partido de um gerente, sem o conhecimento ou autorização da chefia, argumento que não foi aceito pela Justiça.

Cosan e Shell criam empresa de US$ 12 bilhões no Brasil

A

multinacional Shell e a brasileira de açúcar e etanol Cosan anunciaram ontem a criação da Raízen. A empresa, que integrará as operações em etanol e distribuição de combustíveis das duas companhias no Brasil, já nasce com um valor de mercado de aproximadamente US$ 12 bilhões e vendas anuais estimadas em cerca de R$ 50 bilhões. A empresa tem 40 mil funcionários e dispõe de uma rede de 4,5 mil postos de distribuição de combustíveis, além de capacidade para produzir 2,2 bilhões de litros anuais de etanol. Anunciada há um ano, a joint venture ganha agora nom e , m a rc a e u m p l a n o d e ação. O início das atividades está previsto para o primeiro semestre deste ano. A Raízen pretende dobrar a produção de álcool em cinco anos para 5 bilhões de litros por ano, segundo o presidente da empresa, Vasco Dias.

Filipe Araujo/AE

Os postos de combustíveis ficam com a marca Shell e a Esso, da Cosan, deve desaparecer.

A capacidade de processamento de cana, hoje em 62 milhões de toneladas por safra, deve subir para 100 milhões de toneladas em igual período. Já a produção de açúcar passará de 4 milhões para 6 milhões de toneladas anuais. A empresa também não forneceu detalhes sobre o financiamento do pla-

no de expansão, mas sinalizou que pode emitir títulos de dívida para se capitalizar. "O tamanho da emissão vai depender do valor das sinergias que serão criadas a partir da união, cálculo que deve sair em 30 dias'', disse. Ele afirma que a empresa está com a situação financeira confortá-

vel, pois da dívida de US$ 2,5 bilhões com que nasce, US$ 1,6 bilhão deve ser amortizado pelo aporte da Shell. O nome Raízen – união das palavras raiz e energia – ficará restrito à corporação. Nos postos, a marca Shell foi escolhida e a Esso, que pertencia à Cosan, deve desaparecer. (Folhapress)

Falha no atendimento fecha agência Desrespeito ao prazo máximo de 20 minutos de espera leva Procon a interditar banco em Florianópolis

P

ela primeira vez, em Florianópolis, uma agência bancária é fechada com base na lei 699/2002, que prevê o atendimento a seus clientes em um prazo máximo de 20 minutos. Ontem, o Procon da capital catarinense fechou a agência do Banco do Brasil – localizada na Rua Nereu Ramos, no centro –, atendendo reclamações de clientes. Segundo o diretor do órgão,

Thiago Silva, a agência em questão é campeã em reclamações e já havia sido autuada 81 vezes em um único dia. A determinação inicial é para o fechamento por um período de dois dias. Até mesmo os caixas eletrônicos no hall de entrada do banco estão impedidos de uso pelos clientes. Um agente do Procon municipal foi designado para fiscalizar a agência. O descumprimento à ordem, salvo determinação

judicial, representará uma multa de R$ 200 mil. Trata-se de uma decisão administrativa do Procon, conforme o promotor de justiça do Ministério Público Paulo Locatelli. Ele acrescenta que já tramita na Justiça uma ação civil pública contra o Banco do Brasil. As fundamentações e a ação de fechamento da agência da rua Nereu Ramos serão anexadas ao processo. A agência do Banco do Brasil

foi a primeira de uma série de instituições bancárias que poderão sofrer intervenção pelo mesmo motivo. Em nota oficial, a Superintendência do Banco do Brasil considerou que a suspensão do atendimento constitui-se em um fato isolado que ocorreu em função de uma situação atípica ocorrida em duas oportunidades, onde houve um considerável aumento na demanda pelos serviços bancários. (AE)


Diário do Comércio