Page 1

Rugido de hoje: R$ 1,2 trilhão

Rugido novo: Leão é cibernético.

O Impostômetro da Associação Comercial de São Paulo registra nesta terça, ao meio-dia, R$ 1,2 trilhão – fome do Fisco bateu recordes em 2010. Pág. 13

Receita começará a receber as declarações do Imposto de Renda 2011 (ano base 2010) em 1° de março. Mas agora só via Internet ou em disquetes. Pág. 13 Ano 86 - Nº 23.267

25 de Março é retrato da alegria das vendas

Conclusão: 23h25

www.dcomercio.com.br

O INCC, na pág. 16

Jornal do empreendedor

R$ 1,40

São Paulo, terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Lula e Sarney, mas podem chamar de dupla da CPMF "Só ódio, rancor e maldade explicam o fim da CPMF" disse o presidente, em discurso no hospital Sarah Kubitschek. Presente, o senador ouviu e fez coro: "É um imposto muito pequeno e um imposto muito bom". Pág. 5

Dida Sampai

o/AE

Alessandro Shinoda/Folhapress

Feliz Natal, só nas zonas seguras da Internet Devem manter atenção redobrada contra hackers quem tem loja na Internet e quem está do outro lado do balcão virtual, o internauta consumidor. Pág. 18. Informática

Dilma, à frente de Lady Gaga, é vice no Twitter E hoje ela agradeceu: "Amigos, muito legal ser tão lembrada no twitter em 2010. Logo eu, que tive tão pouco tempo p/estar aqui c/vcs. Vamos conversar mais em 2011". Pág. 12

Raio X do terrorista de Estocolmo

AFP

Abdulwahab (foto) era ligado à Al Qaeda iraquiana. Que promete caos no Natal. Pág. 11

HOJE Nubladocom chuva Máxima 22º C. Mínima 16º C.

AMANHÃ Nublado com chuva Máxima 22º C. Mínima 16º C.

ISSN 1679-2688

23267

9 771679 268008

Filipe Araújo/AE

TEMPORADA DE CASTIGOS Em duas horas de chuva, ontem à tarde, 70 pontos de alagamentos, Congonhas fechado e 156 km de congestionamento. Na avenida Pompeia, zona oeste, queda de árvores (foto). Página 10


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Com a Europa, os problemas não se resumem à perda de competitividade de uma parte da União. Roberto Fendt

pinião

O

escritor e ex-editor de Ciências da prestigiosa revista inglesa The Economist, Matt Riddley, costuma dizer que nos angustiamos demais diante dos problemas do mundo e de menos em encontrar solução para esses problemas, reais ou imaginários. E que não teríamos chegado aonde chegamos, como espécie, se nos últimos dez mil anos não tivéssemos nos concentrado nas soluções. Volto hoje a um tema que já abordei nesse espaço, motivado pelo excelente artigo de Dani Rodrick, Pensando o impensável na Europa (http://www.projectsyndicate.org/commentary/rodrik51/English), postado em seu blog no último dia 10 de dezembro. Professor de economia na Universidade de Harvard, Rodrick escreve sobre o que mais sabe. Ele tem abordado, frequentemente, os efeitos da globalização sobre o desenvolvimento e uma das áreas que mais conhece é a dos arranjos monetários internacionais. O que estaria a pensar de impensável na Europa o professor Rodrick? Vou direto à conclusão de seu artigo: para ele, melhor ficaria a União Europeia se pensasse seriamente em liberar alguns dos seus membros da amarra da moeda comum, o euro. Essa conclusão se aplicaria, como não poderia deixar de ser, à Grécia e à Irlanda. Em menor extensão, a Portugal e, talvez, à Espanha. Mas não se descartaria a possibilidade que também valesse para a Itália. Qual a razão para uma conclusão tão impensável? Afinal, a moeda comum europeia, o euro, é a moeda de 16 dos 27 países da União, existe como unidade de conta desde 1º de janeiro de 1999 e circula sob a forma de moedas e cédulas desde 1º de janeiro de 2002. Como expressão de um desejo de aprofundamento do ideal de união para todos os países europeus, o euro tem profundo valor simbólico. Representa o coroamento de um processo de integração das nacionalidades da região, que se iniciou com a Comunidade Europeia do Carvão e do Aço em 1951, ampliou-se para a Comunidade Econômica Europeia pelo Tratado de Roma de 1957 e, através do seu chamado "alargamento", foi crescendo com a adesão de novos países, até incluir, hoje, 27 diferentes nacionalidades. Um processo longo e gradual que já dura quase 60 anos. Com o tratado, conseguiu-se o impensável: sob a mesma união, mas com nacionalidades distintas, acabou-se com pesadelo das guerras periódicas que opunham seus membros e que, no curto espaço de menos de trinta anos, provocou duas guerras mundiais. Aboliram-se também as barreiras que emperravam o comércio entre os países membros, aumentando o emprego e a competitividade dos países da região, em um mundo cada vez mais competitivo. A moeda comum foi vista como o coroamento desse processo e foi levada adiante, a despeito da desconfiança das populações de vários dos países europeus quando de sua introdução. Razões para isso não faltaram. Qual a abrangência geográfica de uma moeda comum? Responder a essa pergunta é muito mais do que meio caminho andado para encontrar a solução para o problema que aflige os europeus. Uma moeda comum reduz custos nas transações diárias dos cidadãos e das empresas. Facilita também identificar onde estão os produtos melhores e mais baratos e onde produzi-los.

PENSAR O IMPENSÁVEL

PAULO SAAB

A LIDERANÇA QUE FAZ FALTA

N

o período de redemocratização do País alguns políticos tiveram papel importante na transição e no pensamento de um Brasil livre e em busca de seu desenvolvimento. A necessidade, talvez, sem lhes tirar o mérito, pode ter sido a maior motivadora de um sentimento mais amplo de liderança que neste momento da vida nacional parece inexistir. Nomes como Ulysses Guimarães, Teotônio Vilela (pai), Paulo Brossard, para ficar só em alguns, exerceram influencia tal como hoje em dia não se vê mais. Ao contrário do que possa parecer não se trata de saudosismo, mas sim de lamento pela simples constatação de que os políticos de expressão nacional, hoje em dia, em grande parte das vezes, surgem no noticiário por envolvimento em assuntos de conotação negativa, para ser fino na abordagem. O Brasil pede com urgência um plano estratégico nacional acima dos interesses partidários e de grupos, ou apenas políticos de carreira e suas vaidades. Assiste-se cada vez mais a uma verdadeira guerra de bastidores entre os grupos políticos vencedores das eleições presidenciais em torno de uma candidatura, como foi o caso de Dilma Rousseff. igladiam-se PT, PMDB e outros partidos que orbitaram na coligação vencedora por nomeações, cargos e, acima de tudo, embutido na busca, o desejo de administrar as gordas verbas federais. Difícil seria entender tanta abnegação em nome dos interesses nacionais não fosse a luta pelo controle de recursos do erário que, sabe-se lá como serão empregados, destinados, desviados por muitos. Faltam lideranças políticas, na situação ou na oposição, que estejam acima dos interesses circunstâncias, de momento, dos grupos eles que defendem – isso quando não pensam, conforme

D

ROBERTO FENDT Mas, como a experiência do Brasil Império mostrou, usar uma moeda comum em um espaço geográfico muito grande não é isento de problemas. O Nordeste do Brasil foi um grande produtor e exportador de açúcar até a introdução do café no sul do País, em meados do século 19. A rápida expansão da cultura cafeeira, primeiro no estado do Rio de Janeiro e logo depois nas terras férteis de São Paulo, tornou o Brasil o maior produtor de café do mundo. A exportação do café logo valorizou a taxa de câmbio do Império, retardando a industrialização e penalizando a produção açucareira. Com o passar dos anos, o Nordeste foi perdendo competitivida-

de, em razão do câmbio valorizado, até que precisou de estímulos governamentais para que se impedisse a erradicação da produção canavieira do Nordeste.

C

om a Europa, os problemas não se resumem à perda de competitividade de uma parte da União. A possibilidade de alguns dos países se endividarem além dos limites ditados pela prudência criou outro tipo de problemas – nomeadamente, a de alguns membros poderem comprometer a saúde financeira do conjunto. Essa possibilidade não se restringiu à irresponsabilidade de alguns governos de se endivida-

rem além da conta. O caso da Irlanda é diferente, porque lá um dos principais causadores dos problemas não foi o governo, mas o excessivo endividamento do sistema bancário privado. Como pensar na solução, em lugar de nos concentrarmos na análise do problema? Como Rodrick sugere, talvez seja a saída da área do euro da Grécia e Irlanda, e eventualmente, da Espanha e Portugal. Essa saída não seria necessariamente permanente, já que, lá na frente, quando as condições estiverem maduras, esses países poderiam retornar à zona do euro. Permanecer nela agora, com certeza, implicará em recessão, desemprego e instabilidade política. É claro que se perderá um símbolo importante da "europeidade" nos países da região. Mas, diferentemente do dito popular, não se estará perdendo os anéis para salvar os dedos, mas, quem sabe, apenas retirando-os temporariamente, para repô-los mais tarde, no momento adequado.

O Brasil pede com urgência um plano estratégico nacional que esteja acima dos interesses partidários e de grupos, ou de políticos de carreira com as suas vaidades. mencionei, apenas em si próprios. Não há quem, nesse momento, esteja pensando no Brasil para além das eleições de 2014, dentro deste contexto egoísta, sem visão suprapartidária voltada exclusivamente para o resgate de tantos anos ainda de atraso para nosso melhor desenvolvimento. ssistir diariamente ao jogo de bastidores do poder, seja para a composição dos escalões governamentais, seja para a escolha de dirigentes das estatais e afins e mesmo das presidências da Câmara Federal e do Senado, são exercícios de deglutição pouco saudável para quem olha um objetivo maior, o dos interesses nacionais, e não dos partidários grupais. Há um enorme vácuo na cena do País, esperando que algum político comece a falar em políticas publicas de união de todos os partidos e interesses para a formulação de um plano comum, com objetivos e metas que venham a ser alcançados num prazo entre dez e vinte anos, com vistas aos planos da economia, educação, a infraestrutura, ciências e tecnologia, no mínimo, para a Nação. Olhar em volta revela apenas um deserto de ideias, de lideranças e de perspectivas que estejam um passo à frente de lutar por cargos, nomeações e verbas do Tesouro Público.

A

PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR

FLANELINHA OFICIALIZADO Os flanelinhas são consequência da ausência do poder público, em especial, das prefeituras, pois é nas cidades que a cidadania se inicia. O domínio do espaço público por pessoas sem qualificação se dá pela percepção que elas têm da ausência do Estado. É hora de os

prefeitos assumirem sua parte na segurança municipal. Se a prefeitura estruturar e der condições para a Guarda Civil Metropolitana fazer o serviço, tenho convicção de que ele será feito com presteza e competência. Silvan Matias - São Paulo

ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

Fundado em 1º de julho de 1924 Presidente Alencar Burti Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto, Antonio Carlos Pela, Arab Chafic Zakka, Carlos Roberto Pinto Monteiro, Claudio Vaz, Edy Luiz Kogut, Gilberto Kassab, Guilherme Afif Domingos, João de Almeida Sampaio Filho, João de Favari, José Maria Chapina Alcazar, Lincoln da Cunha Pereira Filho, Luís Eduardo Schoueri, Luiz Roberto Gonçalves, Moacir Roberto Boscolo, Nelson F. Kheirallah, Roberto Macedo, Roberto Mateus Ordine, Rogério Pinto Coelho Amato, Sérgio Antonio Reze

CONSELHO EDITORIAL Alencar Burti, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo, Márcio Aranha e Rogério Amato Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro (aribeiro@dcomercio.com.br) Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Kleber Gutierrez, Marcus Lopes, Rejane Aguiar e Tsuli Narimatsu Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Giseli Cabrini e Sérgio Siscaro Repórteres: Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André Alves, Fátima Lourenço, Fernanda Pressinott, Geriane Oliveira, Ivan Ventura, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mário Tonocchi, Neide Martingo, Paula Cunha, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vanessa Rosal, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Comercial Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações José Gonçalves de Faria Filho (jfilho@acsp.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Globo e Reuters Impressão Diário S. Paulo Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3344, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3030 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

o

3

EUA DEVERIAM SAIR DE CENA E DEIXAR QUE A PAZ SEJA INICIATIVA DE ISRAEL E DOS PALESTINOS.

pinião

A

tentativa fracassada dos Estados Unidos e m s u b o r n a r I s ra e l com um pacote de ajuda de proteção de US$ 3 bilhões, cobertura diplomática e caças F-35 avançados – isso se o primeiro-ministro simplesmente congelasse por 90 dias a construção de novos assentamentos judeus para reiniciar as negociações com os palestinos – tem sido imensamente esclarecedora. Ela revela como ficaram desconectadas da realidade tanto as lideranças israelenses quanto palestinas. O petróleo é para a Arábia Saudita o que a ajuda e amizade incondicionais dos norte-americanos são para Israel, e o que a ajuda e a amizade incondicionais dos árabes e dos europeus são para os palestinos: uma droga alucinógena que os faz achar que podem desafiar as leis da história, da geografia e da demografia. Faz muito tempo que deixamos de ser seus fornecedores de crack. Numa época de desemprego de quase 10% nos Estados Unidos, temos israelenses e palestinos sentados de braços cruzados, esperando por mais empenho ou dinheiro dos EUA para convencê-los a fazer o que é claramente do próprio interesse deles: negociar um acordo entre dois Estados. É vergonhoso para eles. E é vergonhoso para nós. Não se pode desejar a paz mais do que as próprias partes envolvidas. E é exatamente isso o que os EUA estão fazendo atualmente. As pessoas que estão governando Israel e a Palestina têm outras prioridades. É hora de deixar que elas sozinhas se ocupem disso – e assumam as consequências. Eles simplesmente não entenderam: não somos mais seus avós dos EUA. Nós temos problemas mais sérios. Os negociadores israelenses e palestinos deveriam parar um minuto e pôr estas sete palavras no Google: "cortes no orçamento e Corpo de Bombeiros". Eis o que eles vão descobrir: cidades norte-americanas – Phoenix, Cincinnati, Austin, Washington, Jacksonville, Sacramento, Filadélfia – todas tendo de fazer cortes no Corpo de Bombeiros. Depois, deveriam digitar estas cinco palavras: "escolas e cortes no orçamento". Uma das primeiras reportagens citadas é do The Christian Science Monitor: "Com os governos estaduais e municipais reduzindo os gastos drasticamente e os estímulos federais secando, os cortes nos orçamentos das escolas para o próximo ano acadêmico poderá ser o pior em em uma geração" Eu lhes garanto que se alguém chegar a essas cidades e disser: "Temos US$ 3 bilhões que gostaríamos de

Como incentivar a paz doar para suas escolas e seu Corpo de Bombeiros, se vocês simplesmente fizerem o que é nitidamente do interesse de vocês mesmos", a resposta unânime seria: "Onde temos de assinar?". E deveria ter sido assim com Israel. Prezada Israel, quando os Estados Unidos, um país que tem gasto bilhões com você nos últimos 50 anos e agido em sua defesa em inúmeros fóruns internacionais, lhe pede para interromper os assentamentos por três meses a fim de que avancem as conversações de paz, só existe uma resposta certa, que não é "Quanto?", mas "Sim, o que quiserem, porque vocês são o nosso único amigo verdadeiro no mundo". Presidente palestino Mahmoud Abbas, o que você está pensando? Ehud Olmert, ex-primeiro-ministro de Israel, lhe ofereceu um ótimo acordo de dois Estados, incluindo Jerusalém Oriental, e você o desperdiçou. Entretanto, em lugar de ir atrás de Obama e dizer que

THOMAS L. FRIEDMAN está disposto a negociações sob quaisquer condições que o presidente pedir, você também está impondo seus termos. Eis um conselho grátis: quando os Estados Unidos se enfraquecerem, se você acha que os chineses vão lhe entregar Israel, está muito enganado. Conheço bem a China. Ela vai traí-lo por uma remessa de software, aviões não tripulados e microships tão rápidamente que sua cabeça vai girar. Eu entendo o problema: os líderes israelenses e palestinos não conseguem acabar com o conflito entre eles sem ter

uma guerra civil dentro de suas respectivas comunidades. Netanyahu teria de desafiar os colonos e Abbas teria de desafiar os radicais do Hamas e do Fatah. Os dois homens possuem maiorias silenciosas que os apoiariam se eles agissem, mas nenhum deles se sente tão incomodado com a atual situação para arriscar uma guerra civil, em casa, para conseguir a paz do lado de fora. Não há nenhum Abe Lincoln lá. O que isso significa, afirma o filósofo Moshe Halbertal, da Universidade Hebraica, é que a janela da "solução

dois Estados" está se fechando rapidamente. Israel vai terminar ocupando permanentemente a Cisjordânia, com seus 2,5 milhões de palestinos. Teremos a solução de um Estado. Israel terá dentro de sua barriga 2, 5 milhões de palestinos, sem os direitos de cidadania, com mais 1,5 milhão de árabes israelenses. "Assim, a única questão será qual vai ser a natureza desse único Estado – sera um apartheid ou será o Líbano? –, afirmou Halbertal. "Seremos confrontados por dois horrores." A coisa mais valiosa que o presidente Barack Obama e a secretária de Estado Hillary Rodham Clinton poderiam fazer agora é simplesmente sair de cena – para que os dois líderes e os dois povos tenham a visão desimpedida do futuro horrível que terão juntos em um só Estado, se eles não conseguirem se separar. Não devemos mais permitir que usem desculpas do tipo: "A secretária de Estado está chegan-

PARA SALVAR AS CRIANÇAS NEGRAS

Q

uando eu era garoto, meu tio Robert, com cujo nome fui batizado, costumava dizer que os negros precisavam "lutar em todas as frentes, em casa e no exterior". Com isso, ele queria dizer que ao mesmo tempo que era sumamente importante lutar contra a injustiça social e a opressão, também era igualmente importante apoiar, cuidar e lutar pelas famílias e pelas comunidades de cada um. Tio Robert (meu pai sempre o chamava de Jim, não perguntem o motivo) morreu há muitos anos, mas lembrei-me dele quando estava examinando as informações desoladoras de um recém-saído relatório sobres as trágicas condições enfrentadas por uma grande parte da população negra dos Estados Unidos, especialmente pelos homens. Já sabemos, é claro, que a situação é grave. Sabemos que mais de um terço das crianças negras vive na pobreza; que mais de 70% nasceram de mães solteiras; que quando chegar aos 35 anos, a maioria dos homens negros sem diploma do ensino médio já terá passado uma temporada na prisão. Nós sabemos de tudo isso, mas ninguém parece saber como mudar as coisas. Ninguém foi capaz de parar esse mergulho sem fim dos jovens norte-americanos negros num abismo socioeconômico. Agora surge um relatório do Conselho das Escolas da Cidade que deve atrair a atenção de

qualquer um que se importe com os negros jovens, começando com esses pais que enganaram seus filhos de uma forma tão monstruosa que é difícil compreender totalmente. O relatório, intitulado Um Pedido por Mudança, inicia-se afirmando que "os homens negros jovens do país se encontram em estado de crise" e descreve a condição deles como uma "catástrofe nacional". Ele nos diz que os homens negros continuam bem atrás de seus colegas de escola em conquistas acadêmicas e que abandonam a escola quase duas vezes mais do que os brancos. s crianças negras – meninos e meninas – têm três vezes mais probabilidade de viver em lares só com o pai ou a mãe do que as crianças brancas e duas vezes mais probabilidade de viverem em uma casa onde nenhum dos pais tem um emprego em tempo integral ou que dure um ano. Em 2008, os homens negros foram presos com um índice 6,5 vezes acima do que o dos homens brancos. A terrível crise econômica tornou mais difícil do que nunca apagar esse fogo feroz que está consumindo as perspectivas de vida de tantos negros jovens, e o sentimento crescente em Washington é de agir ainda menos para ajudar qualquer norte-americano que esteja em necessidade.

A

Neste ambiente, é inconcebível que os próprios negros não se mobilizem de uma forma expressiva para salvar esses jovens. Eu não vejo outra alternativa. O primeiro e mais importante passo seria um grande esforço para começar a unir novamente a família negra. Não há como exagerar os inúmeros riscos enfrentados por crianças cujos pais as abandonaram efetivamente. É a família que protege as crianças contra a ignorância e os danos físicos, que oferece segurança emocional e os fundamentos para um conhecimento de si mesmas, que permite que a crianças acredite – de verdade – que coisas maravilhosas são possíveis. Tudo isso está desaparecendo da vida de muitos crianças negras. ão vou, nem por um momento, ignorar a terrível taxa que a injustiça econômica e racial tem cobrado, década após década, da vida de milhões de negros norte-americanos. Mas isso não é motivo para abandonar uma criança ou se curvar ao ataque contínuo daqueles que vão lhe fazer mal. É necessário lutar em todas as frentes, como dizia meu tio Robert. Os homens negros precisam estar em casa, cuidando de suas crianças. A comunidade em geral – incluindo os muitos que se deram bem, que conseguiram um lugar na classe média ou na alta – precisa se unir para dar apoio e ajuda aos que ainda estão na luta.

N

Dorothy Height, que durante muito tempo presidiu o Conselho Nacional das Mulheres Negras e que morreu em abril, com 98 anos, sempre insistia que "os negros sobreviveram por causa da família". E ela aconselhava: "Ninguém vai fazer por você o que você precisa fazer por você mesmo". xistem muitas pessoas que já trabalham duro nessas questões, mas uma liderança é necessária para expandir e maximizar amplamente esses esforços. Uma mudança cultural ocorre com dificuldade e demora muito tempo – mas uma mudança cultural profunda é simplesmente essencial agora . Vamos divulgar a mensagem de que andar pelos corredores de uma escola traz grandes responsabilidades, mas também pode trazer grandes alegrias, e ver seu filho se formar com mérito é uma enorme emoção. As crianças negras não podem esperar por Washington para conseguir agir em conjunto. Elas não têm tempo de esperar que a economia melhore. Elas precisam da mãe, do pai e da comunidade em geral para agirem agora, fazerem a coisa certa sem atraso. Essa não é uma luta só para os negros. Todos os aliados são bem-vindos. Mas o imperativo cultural está predominantemente com a própria comunidade negra. BOB HERBERT É COLUNISTA DO THE NEW YORK TIMES TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA

E

do. Sejam pacientes. Algo está ocorrendo. Estamos trabalhando num acordo. Estamos perto. Se os norteamericanos não fossem tão ingênuos, nós estaríamos prestes a fazer um compromisso (...) Sejam pacientes".

T

udo isso é uma fraude. Os Estados Unidos devem sair do caminho para que israelenses e palestinos possam ver claramente, sem nenhum obstáculo, que escolhas temerárias os seus líderes estão tomando. Não se enganem, sou a favor do maior esforço possível dos EUA para ser mediador a fim de promover a paz, mas a iniciativa tem de partir deles. O Oriente Médio só põe um sorriso em seu rosto quando a atitude começa com eles. THOMAS L. FRIEDMAN É COLUNISTA DO NEW YORK TIMES E TRÊS VEZES GANHADOR DO PRÊMIO PULITZER TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA

BOB HERBERT


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4 -.GERAL

Giba Um

3 Ricardo Teixeira, da CBF,

está irritado: até agora, não foi incluido em nenhuma lista dos 100 Brasileiros mais Influentes de 2010.

gibaum@gibaum.com.br

k Talvez Lula venha a se arrepender. Quanto mais as pessoas se «

informarem, menos acreditarão no refrão nunca antes neste país.

FHC // sobre as declarações de Lula defendendo o Wikileaks. Fotos: BusinessNews

3

MAIS: Orlando Silva, do Esporte, é quem o consola: "Você é o máximo!" Quem diria: os dois viraram amigos de infância .

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

14 de Dezembro

N

Até no cartório Lula vai registrar em cartório, em evento marcado para amanhã, no Planalto, todas as realizações executadas em seus dois mandatos. Há quase dois meses, os ministérios trabalham elaborando listas para atender o desejo do Chefe do Governo. Mais à frente, se algum governante puxar para seu lado alguma realização que Lula se atribui, tira da manga o relatório registrado. Mais: na solenidade, Lula quer reunir todos os ministros e exministros, incluindo-se Benedita da Silva e José Dirceu.

333

São João da Cruz

asceu na região de Castela (Espanha), em 1542. Ingressou na Ordem dos Carmelitas muito jovem, ordenando-se em 1567. Foi colaborador incansável de Santa Teresa d'Ávila. Místico e amante dos sofrimentos de Cristo, é autor do tratado "Noite Escura da Alma".

BIG BUSINESS

OengenheiroPauloVieirade Souza,ex-Dersa,distribuiu umemailcomo título Esclarecimento a cerca de 500 pessoas, incluindo diretoria do PSDB, diretores e secretários de Estado, entidades de classe, empreiteiras e mais grupo de opinion makers, onde passa em revista todos os episódios que desabaram sobre sua vida, fazendo questão de salientar que, hoje, não existe nenhum processo contra ele (a começar pelo caso Gucci, onde foiinocentadopeloTribunalde Justiça). Depois, recapitula quem está processando: Eduardo Jorge, Evandro Losacco, revistas e jornalistas. E passa em revista todas as obras que pilotou. No final, diz: “Não guardo rancor, nemmágoas.Tenhoaindignação dos que se senteminjustiçados”. 333

Do bolso à boca 333 O brasileiro que gosta de uísque dá maior importância ao bolso do que a boca: a Internacional Wine and Spirit Research acaba de divulgar o ranking dos mais vendidos no ano passado e o campeão é o escocês Johnnie Walker Red, com 880 mil caixas de nove litros. É também o resultado de campanha publicitária, mas o Red é o Johnnie Walter mais democrático. Melhor do que ele, Black, Green e Blue. Entre os cinco mais consumidos, formam os brasileiros Teachers (600 mil), Natu Nobilis (450 mil), Old Eight (380 mil) e Drury’s (270 mil).

DE VOLTA Andréa Calabi, que já foi secretário de Economia e Planejamento do governo Geraldo Alckmin no passado, deverá voltar na Secretaria da Fazenda. Nos anos 80, foi secretário do Planejamento da Presidência da República e nos anos 90, presidente do Banco do Brasil. No governo FHC, foi presidente do BNDES. E foi sócio de Cássio Casseb nas consultorias Traliz e Solpart. Casseb foi investigado pela Kroll nos tempos de guerra de Daniel Dantas contra os grandes grupos de telefonia. E é casado com Marta Groestein, mãe de Luciano Huck.

333

333 Nunca antes neste país tanto dinheiro foi torrado na campanha eleitoral (presidente, governadores, senadores e deputados) e nunca antes a dinheirama maior correu por conta das grandes empreiteiras nacionais. No primeiro turno, oficialmente, candidatos gastaram R$ 2,7 bilhões, valor que corresponde a um gasto médio de cerca de R$ 20 por eleitor (são 130 milhões de eleitores). Analistas da área, contudo, estimam que, entre primeiro e segundo turno, foram gastos R$ 3,9 bilhões, equivalendo a um custo médio por voto de R$ 30, incluindo-se estimativas tradicionais de caixa dois. As empresas de construção pesada admitem em off que foram responsáveis por 58% desse total, o que significaria uma dinheirama de R$ 2,2 bilhões.

Nunca antes

MISTURA FINA 333 QUEM esperava que Dilma Rousseff fizesse qualquer comentário em cima da reação de Lula sobre as declarações de Guido Mantega, ministro da Fazenda, enganou-se: “Até dia 31 de dezembro, Mantega é funcionário dele e qualquer coisa que fale deve ser combinado antes com Lula”.

333 QUEM DIRIA: o nacional Tropa de Elite 2 com faturamento de R$ 100,5 milhões até agora, caminha para tentar superar Avatar que, no Brasil, faturou R$ 102,3 milhões.

333 JOSÉ Dirceu está embarcando para uma semana em Portugal, ao lado do amigo Paulo Coelho: vão circular pelo interior e Dirceu ficará lá, para reveillon, com a sua Ivanise. Solução

LARISSA Maciel, a Felicia de Passione, vai viver três papéis na montagem de A Eva Futura, com direção de Denise Bandeira e um dos quais será uma andróide. É um texto do século 19 e no espetáculo, Pedro Paulo Rangel será o cientista Thomaz Edison. 333

Ela ganhou um Oscar pelo filme Piaf – Um hino de amor e de lá para cá, não parou de subir: no ano passado, fez Inimigos Públicos, com Johnny Deep, depois emendou com Nine e A Origem, com Leonardo DiCaprio. Agora, Marion Cottilard, encerrando sua campanha como contratada da Dior, estrela um curta-metragem dirigido por John Cameron Mitchell, ao lado de Ian McKellen, como peça publicitária do perfume Lady Grey. Começa numa ampulheta e vira bailarina de cabaré. De quebra, entrevistada por Nicole Kidman, faz sua primeira incursão sensual em QG.

Lady Grey na ampulheta

333

Primeira vez Nesse verdadeiro festival de biografias de Silvio Santos, que acaba de chegar aos 80 anos e não vai se aposentar no ano que vem, há um capítulo dedicado à sua iniciação: aos 14 anos, perdeu a virgindade, “com uma francesa” (conforme relato dele a Sergio Mallandro) e “tudo foi muito bem”. Na segunda vez, com outra “francesa”, “nada funcionou”. Mais: depois da morte de Aparecida, sua primeira mulher, em 1976, ele confessava “correr atrás de muitas mulheres”. Até conhecer Íris que, a propósito, era casada com um alto funcionário do Baú. 333

h IN

h

SEM PROCESSOS

Hot Ke$ha

333 A rede de varejo Magazine Luiza, com 456 unidades e faturamento anual de R$ 3,8 bilhões,está sendodevidamente cortejada pelo BTG Pactual, de AndréEsteves,quequer adquirir umaparticipaçãonacompanhia. Háalguns anos,oMagazineLuiza, num momento de expansão e necessidade de aumentar o caixa, vendeu 14% para um sócio estrangeiro. Os analistas do mercado apostam que, hoje em dia, a rede pilotada por Luiza Trajano atravessa situação semelhante,malgrado tenhafeito algumas pequenas aquisições.

Plataforma: palha e pano.

OUT

Plataforma: madeira e couro.

Porco no Coelho 333 2011 será o Ano do Coelho no horóscopo chinês. A presidente eleita Dilma Rousseff, que festeja hoje seus 63 anos de idade, é do Ano do Porco. Para quem é de Porco no Ano de Coelho, os estudiosos orientais de plantão vislumbram um ano de muito trabalho, com direito a otimismo, cuidados na saúde e quem sabe, até um novo amor e um casamento. Já para os nascidos em Sagitário, os astrólogos prenunciam um ano de trabalho duro, que exigirá muita coragem e, de novo, a chance de um novo romance. Para quem tem memória curta: antes mesmo do esquentamento da campanha do primeiro turno, muita gente apostava que a amizade entre Dilma Rousseff e o senador Gim Argelo iria mais longe em direção ao cuore.

LULA deverá conceder ao terrorista italiano Cesare Battisti, antes do Natal, um asilo humanitário e há quem aposte que ele poderá ser brindado até com cidadania brasileira. O Chefe do Governo alegará que os crimes do assassino do grupo Proletários Armados pelo Comunismo já foram prescritos pelas leis brasileiras. Só que todos foram cometidos na Itália.

ME A V E L I N O M T E T O E E N R E T A MA M I P U R A L P A C I O L A R E C A L O F A A

O próprio Silvio Santos determinou que a vida pessoal dos principais ex-executivos do banco Panamericano, especialmente Rafael Palladino, que era presidente e Wilson Roberto de Aro, que ocupava a diretoria financeira, fosse devidamente investigada. Contratou uma empresa semelhante a Kroll Associates e de cara descobriu que Palladino, no ano passado, adquiriu dois imóveis de luxo no condomínio Artech Residences, em Miami (estão registrados em nome de suas empresas lá). Já Wilson Roberto de Aro comprou um apartamento de 734 metros quadrados no famoso edifício L’Essence, na Haddock Lobo, nos Jardins, um dos três mais caros de São Paulo (cada um custa entre R$ 14 milhões e R$ 18 milhões). 333

Na mesma edição dedicada ao balanço de tudo o que aconteceu no mundo da música em 2010, a revista Billboard consagra Lady Gaga como a artista do ano e coloca Kesha (estilizado Ke$ha) na capa e no recheio, no topo de sua tradicional lista Hot 100. A nova bad girl estourou no ano passado com Tik Tok e emendou com os álbuns Animal e Cannibal (1,1 milhão vendidos). Nas fotos, o mínimo que Kesha faz é aparecer com um casado de lã de carneiro, nada por baixo, beber champanhe, usar batom turqueza e piercings fakes, fazer caretas e de quebra, o famoso gesto com o dedo médio esticado. Detalhe: poderá vir ao Brasil em 2011. 333

D B R E N O V B S A D R O E U D A N A C O H A T O R N O R S E F A I A L MA D E C O R RA T E R T A MA R

Super-imóveis

333

ENTRE as novas missões que Antonio Palocci terá, quando assumir a Casa Civil do governo Dilma Rousseff, será restabelecer as relações entre a grande imprensa e o Planalto. E atuará independentemente da futura secretária de Comunicação Social, Helena Chagas.

333

O QUE mais irrita José Serra é quando o acusam de ter perdido as eleições presidenciais “para um poste”, mesmo sendo “o poste que Lula inventou e apoiou”. Mais pragmáticos alegam que ele teve 44% dos votos validos, ou seja, 2,4% a mais do que Geraldo Alckmin teve no primeiro turno de 2006 (41,6%). E Alckmin disputava com Lula, que buscava sua reeleição.

Por: José Nassif Neto Altiva; soberba.

Indivíduo tolo.

Reciclável; pode ser reaproveitado.

Caminho; via pública.

Vanádio, símb. quím. 'Não', em inglês. Habitação; abrigo. Compaixão; pena.

Sem restrições; ilimitado. (fem.).

Príncipe ou caudilho árabe.

Museu de Arte Enfeitar em derredor. Moderna. (abrev.)

Maior autoridade no regime monarca.

Urânio, símbolo químico.

Fósforo, símbolo químico.

Relativo ao campo. Fruto da amoreira.

Máquina p/ tornear metal. Vaticano.

Imundície; Pará,sigla porcaria. do Estado. Cólera; (infantil) raiva.

333

Colaboração: Paula Rodrigues,Alexandre Favero

Ensaia; experimenta;exercita.

Conceda; entregue. 'Poder', em inglês.

Espaço arborizado; pátio externo.

Penitente que vive na solidão. (sent.fig.)

Grito para Barro; evocar lama; lodo. Baco.

Conservar; sustentar.

Bosque; 'Ladeira', mata de em faias. italiano. Memorizar.

Mulher de mau gênio. (fig.)

Suave; fofo. Vão ao chão. Interjeição de susto. Decifra um escrito.

'Trazer', em espanhol. Fruto da tamareira.

Endurecimento da pele por atrito. Pessoa admiradora de um artista.

(1010) 2-fã; no; sé; dê; 3- can; 4-erta; traer; evoé; 5-faial; ampla; 6-tâmara;9-anacoreta (monge cristão ou eremita que vive em retiro, solitariamente, especialmente nos primeiros tempos do cristianismo).


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

5 ALÍVIO Paulo Vanucchi se despede do cargo, do qual só passou por críticas

olítica

SAUDADE Lula curte os últimos dias como presidente. Está mais emotivo.

Lula e Sarney, unidos pela CPMF Últimos dias de Lula no cargo de presidente o deixam bastante emotivo: "Só ódio, rancor e maldade explicam o fim da CPMF", diz ele. Sarney o consola e apoia. Dida Sampaio/AE

Lembro da fatídica noite do fim da CPMF com certa mágoa. Só existe uma explicação: Ódio, rancor e maldade.

A CPMF é um imposto muito pequeno e um imposto bom. Não tira mais dos pobres, mas tira dos que mais têm.

PRESIDENTE LULA

JOSÉ SARNEY

O

Sarney é só afagos com o presidente: "Lula tirou 30 milhões de brasileiros da miséria. É um dos maiores brasileiros de todos os tempos", disse ele.

do com 0,38% de desconto", afirmou o presidente. No discurso para uma plateia formada por funcionários do hospital, Lula disse que só os ricos no País têm direito a tratamento complexo de saúde e que o Sarah é uma exceção. Em tom bem humorado, afirmou que, antes em Brasília, as pessoas diziam que o melhor hospital era o aeroporto. "Eu também já disse isso",

Para ele, política de direitos humanos foi uma 'goleada'

D

epois de ouvir manifestações pela "abertura já" dos arquivos do regime militar (1964-1985) o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem, durante a solenidade de entrega do Prêmio Nacional dos Direitos Humanos, realizada no Palácio do Planalto, que a política do seu governo para os direitos humanos "foi uma goleada de cinco a zero". Lula reclamou que muitos "'pessimistas" queriam que esse "jogo" fosse de 15 a 0. "A política é um pouco assim: eu sei que fizemos muito, mas sei que podíamos ter feito muito mais neste País". A cerimônia de premiação foi interrompida duas vezes por manifestantes. Primeiro, um grupo aproveitou uma brecha em que ninguém estava discursando e gritou em coro: "Abertura dos arquivos já". Em seguida, quando Lula discursava, uma manifestante parou em sua frente e abriu uma faixa pedindo uma audiência com ele ou com Dilma Rousseff. A manifestante Ana Elisabeth Faria Costa disse depois do evento que um irmão e outras quatro pessoas estão presas por índios dentro de uma reserva no Pará. Ela contou correr risco de morte por ter ido a Brasília protestar. Depois das duas saiasjustas, Lula fez elogios à atuação de Paulo Vannuchi na Secretaria de Direitos

Humanos e acabou cometendo uma gafe que logo tentou minimizr. Lula convidou a futura ministra da Secretaria de Direitos Humanos, a deputada Maria do Rosário (PT-RS), para sentar ao seu lado, como se ela já estivesse nomeada oficialmente ministra de Estado. De acordo com Maria do Rosário, "é um privilégio para mim estar aqui com o ministro Paulo Vannuchi, que teve um trabalho de muito respeito nos últimos anos". Vannucchi foi bastante criticado por entidades por não avançar na questão dos arquivos do regime militar e na localização dos corpos das vítimas. "Nunca antes na história do Brasil todos os segmentos dos direitos humanos estiveram tão unidos em torno de uma política de Estado", concluiu Lula. "Vamos trabalhar com certeza como um direito humano o direito à memória e à verdade. Essa é a trajetória do ministro Vannuchi e que certamente terá o mesmo direcionamento no governo Dilma", comentou o presidente A deputada Maria do Rosário (PT-RS), escolhida por Dilma para a Secretaria de Direitos Humanos, se comprometeu com o direito à verdade. "Os países que instalaram comissões de memória e verdade viveram com tranquilidade esse processo". (AE)

lembrou. E relatou que certa vez estava na Câmara quando sofreu um problema de apendicite e que um deputado médico sugeriu que fosse se tratar em São Paulo. Lula lembrou que três meses antes de sua reeleição, em 2006, o Congresso Nacional retirou R$ 900 milhões do orçamento previstos para o Sarah. Segundo o presidente, isso foi uma "atitude de má-fé", para

prejudicá-lo na disputa eleitoral. Por isso espera que a saúde deixe de ser tratada como despesa de Estado. "Fico pensando se é gasto tratar as pessoas com carinho e esperança", afirmou. "O hospital não pode ser um martírio". Para o presidente, não há como melhorar a situação da área de saúde no Brasil sem uma nova fonte de arrecadação nos moldes da CPMF.

Confete – Presente na cerimônia, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), fez elogios a Lula. Na semana passada, em visita ao Maranhão, o presidente defendeu a oligarquia formada pelo senador no Estado. "Lula da Silva fez um dos maiores governos do Brasil contemporâneo. Mudou a face do Brasil, olhou para o povo brasileiro, tirou mais de 30 mi-

lhões da miséria, atendeu a todas as classes. É um dos maiores brasileiros de todos os tempos", discursou Sarney. Lula ganhou o título de consultor honorário da rede hospitalar Sarah, especializada em reabilitação. Na ocasião, foi assinado termo aditivo do contrato de gestão da Rede Sarah com a União. Recriação – O presidente do Senado também se manifestou favorável à criação de um novo imposto nos mesmos moldes da CPMF. Na opinião do senador, que votou pela manutenção do imposto, é necessário disponibilizar mais recursos para a saúde. "Acho que é um imposto muito pequeno e um imposto bom porque não tira mais dos pobres, mas tira dos que mais têm. São recursos que deixam de entrar para a saúde pública, onde o Brasil mais necessita e o povo mais necessita", resumiu Sarney. (AE/Folhapress)

Vannuchi elogia governo FHC Depois de toda a 'fidelidade' a Lula, as últimas palavras dele exaltaram o ex-presidente tucano

A

o se despedir ontem do cargo de ministro chefe da Secretaria Especial de Direitos Humanos, Paulo Vanucch reconheceu que houve avanços na área desde o governo de Fernando Henrique Cardoso. Ele qualificou como extraordinário o 3º Plano Nacional de Direitos Humanos – lançado no ano passado pelo governo e que causou muita polêmica, como artigos que preconizavam o controle da mídia e a defesa do aborto – e adiantou que até o dia 31 sua pasta editará um novo livro, chamado Habeas Corp us , que tem como premissa relembrar que há cerca de 180 desaparecidos políticos e o Estado tem de apurar o paradeiro desses corpos. Ao falar do livro que a Secretaria irá lançar, Vanucchi disse que o Brasil ainda não resgatou a dívida de devolver os corpos dos desaparecidos às famílias e elogiou o fato de que, desde 1988, haja uma política de direitos humanos no país. "No governo FHC houve importantes avanços e esses avanços foram multiplicados no governo Lula", afirmou ele. "As férias deste ano foram interrompidas porque houve o extraordinário evento de lançamento do PNDH 3, um grande legado do governo Lula", disse Vannuchi. Na verdade, o Plano foi lançado em dezembro de 2009. "O tema dos direitos humanos ainda está sujeito a muitas incompreensões, distorções, que lamentavelmente contaminaram inclusive o processo eleitoral", reconheceu. Um dos momentos mais ruidosos protagonizados por Vannuchi ocorreu no fim de 2009 e início deste ano, ao apre-

sentar o 3º PNDH, por conta da abrangência de temas, o que causou reações contrárias de tradicionais aliados do PT, como a Igreja Católica. Para Vanucchi, as dificuldades estão sendo superadas com a busca de bom-senso. "Não havia porque pretender que o PNDH3 fosse um documento perfeito, onde não coubessem ajustes, alterações. Isso é a vida democrática". Arquivos – Entidades de direitos humanos criticam a decisão das Forças Armadas, chancelada pelo Planalto, de não abrir os arquivos dos serviços de inteligência do período da guerrilha do Araguaia (19721974), episódio em que o Exército executou 41

"No governo Fernando Henrique Cardoso houve importantes avanços e esses avanços foram multiplicados no governo", disse Paulo Vanucchi, da Secretaria Especial de Direitos Humanos.

guerrilheiros e matou outros 18 em combate. Além de manter um compromisso firmado no início do governo com comandantes da Aeronáutica, da Marinha e do Exército de não entrar no assunto, o presidente Lula pediu, reiteradas vezes, a Paulo Vannuchi para minimizar as críticas aos militares. O Planalto também é agradecido a ele por ter colaborado com a política externa do ministro Celso Amorim e não ter feito discursos contundentes

contra ditaduras e regimes totalitários da África, da América Central, da Ásia e do Oriente Médio. Auxiliares do presidente dizem que Lula pode decidir pela permanência, no Brasil, do ativista italiano Cesare Battisti, ainda nesses últimos dias de mandato – o que viria a ser um "prêmio de consolação" para Vannuchi por seu silêncio e por ter carregado consigo toda a "culpa" e toda a saraivada de críticas com o lançamento do PNDH3. (Agências)

Alan Marques/ Folhapress

presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse ontem que " i n d e p e n d e n t emente de quem venha a ser o novo ministro da Saúde" deverá ter a responsabilidade de se reunir com senadores e deputados para buscar uma nova fonte orçamentária para a Saúde. Em visita ao hospital Sarah Kubitschek, em Brasília, Lula reclamou mais uma vez da perda de receita da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), em 2007, que classificou como uma "insanidade". "Lembro da fatídica noite do fim da CPMF. Digo isso com certa mágoa. Que só existe uma explicação para terem acabado com a CPMF: ódio, rancor e maldade. Em um ato de insanidade, em uma noite que não tem explicação, tiraram mais de 150 bilhões da saúde. Digo todo dia que não vi nenhum produto no merca-


p Prioridade é a infância, diz presidente DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Estamos no mesmo barco. Quem quiser ficar, ótimo. Quem não quiser, pode pular fora. Nelson Jobim, ministro da Defesa

olítica

Dilma pede tecnologia social mais elaborada para o combate à pobreza: quer ampliar e modificar o Programa Bolsa Família (PBF) e dar maior foco à infância Antonio Cruz/ABr - 03,11.10

A

presidente eleita, Família é um programa bemDilma Rousseff, sucedido, mas pode se tornar quer que seu go- obsoleto. Por isso, é preciso verno desenvolva buscar novos desafios". uma "tecnologia social mais Neri acredita que a política elaborada para o combate à po- social deva ser capaz de "transbreza". Para isso, ela pretende formar a vida" dos mais pobres ampliar e modificar o Progra- e "desafiá-los". Ele sugere a inma Bolsa Família (PBF) e dar clusão de "novas condicionaliprioridade à infância. dades factíveis" como estabeA informação é do econo- lecer incentivo para melhoria mista Marcelo Neri, coordena- nas avaliações feitas pelo Midor do Centro de Políticas So- nistério da Educação (Prova ciais da Fundação Getulio Var- Brasil e Índice de Desenvolvigas (FGV). mento da A convite da Educação Báequipe de sica – Ideb). transição, Neri A s s i m c oO Bolsa Família apresentou m o M a rc e l o é um programa um seminário Neri, o econosobre políticas bem-sucedido, mas mista Ricardo sociais em Paes e Barros, pode se tornar meados de nodo Instituto obsoleto. Por isso, vembro, em de Pesquisa é preciso buscar Brasília, para Econômica novos desafios. cerca de 30 Aplicada pessoas que ( I p e a ) , t a mMARCELO NERI trabalharão no bém acredita futuro goverque a ênfase no, entre elas, a própria Dilma nas crianças seja apropriada. O e seu vice, Michel Temer, Anto- pesquisador calcula que "a ponio Palocci e José Eduardo Car- breza hoje no Brasil é dez vezes dozo. Para o economista, "as- maior em famílias que têm sociar o combate à miséria e o crianças do que nas famílias atendimento de crianças é mú- que têm idosos". sica para os ouvidos". Paes e Barros sugere que a "A ênfase não só é a erradica- política social do futuro goverção da pobreza, mas às crian- no mobilize agentes locais, ças, que eu ouvi da presidente, destinados a percorrer os doreiteradas vezes, ser algo que micílios para saber quais as neme chama atenção. Uma coisa cessidades de cada família. Se, pouco comum de se ouvir dos por exemplo, há crianças em políticos", elogiou o economis- idade de creche (até 3 anos), ta. De acordo com ele, "o Bolsa pré-escola (4 ou 5 anos) ou en-

A pobreza, hoje, no Brasil é dez vezes maior em famílias que têm crianças, do que nas famílias que têm idosos. RICARDO PAES E BARROS

sino fundamental (6 a 14 anos). E se a família necessita de apoio para cuidar dos filhos. O economista avalia que todas as crianças de mais de 4 anos devam ser encaminhadas para a pré-escola, mas ele não é categórico quanto à creche para as menores. "Pré-escola, a gente tem que universalizar o mais rápido que puder. Já no caso de crianças de até 3 anos,

que é o caso da creche, a situação é mais complicada". Paes e Barros acredita que o agente local, responsável por percorrer os domicílios, poderá obter informações mais precisas sobre a família, ou seja, se o responsável pela criança precisa trabalhar para aumentar a renda da família ou se é possível que o governo dê uma ajuda financeira a essa pessoa. De

acordo com ele, o repasse de recursos direto à família é mais econômico do que construir ou então terceirizar creches. Segundo dados compilados pelo Fundo das Nações Unidas para o Desenvolvimento da Infância (Unicef), apenas 17,1% das crianças menores de 3 anos estão em creches; 70,1% dos meninos e meninas de 4 e 5 anos estão na pré-escola; e

97,6% das crianças de 7 a 14 anos estão no ensino fundamental (percentuais de 2007). Os dados mostram que o ensino fundamental está universalizado, mas dos 680 mil que não frequentam escola (e provavelmente não frequentaram creche nem pré-escola): 450 mil são crianças negras e pardas e a maioria vive nas regiões Norte e Nordeste. (ABr)

Jobim: Aviação Civil será nova Secretaria Segundo o ministro da Defesa, a intenção da presidente eleita é dar à nova secretaria os mesmos moldes da Secretaria dos Portos, vinculada à Presidência Gustavo Miranda/AOG

O

ministro da Defesa, Nelson Jobim, reiterou, ontem, que a presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), tem planos de criar uma Secretaria de Aviação Civil, nos mesmos moldes da Secretaria dos Portos, vinculada à Presidência da República. Jobim, que vai continuar à frente do mesmo Ministério durante o governo de Dilma, esteve reunido com a presidente eleita no último sábado, por cerca de duas horas, na Granja do Torto. O ministro relembrou que a aviação civil "era o último elemento externo que estava na Defesa, embora

tenha nascido na FAB". Jobim não quis falar a respeito das indicações para a nova pasta, alegando que essa é uma decisão de Dilma Rousseff. "O importante é a decisão política da presidente Dilma de ter um organismo dessa natureza". Em relação aos comandantes das três Forças, Jobim afirmou que "a tendência da presidente eleita é pela manutenção (dos atuais)". Já sobre a decisão da compra dos 36 caças para a Força Aérea, o ministro informou que a presidente eleita ainda vai conversar com o presidente Lula, esta semana mesmo, para estabelecer se a decisão sai

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÃO Encontra-se aberto no Gabinete, o seguinte pregão: PREGÃO ELETRÔNICO 380/2010-SMS.G, processo 2010-0.310.700-8, destinado ao registro de preços de MEDICAMENTOS DIVERSOS XI, para a Central de Distribuição de Medicamentos e Correlatos - CDMEC/Área Técnica de Medicamentos, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá através do sítio www.comprasnet.gov.br, a partir das 14 horas do dia 12 de janeiro de 2011, a cargo da 2ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAL O edital do pregão acima poderá ser consultado e/ou obtido nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br; www.comprasnet.gov.br, quando pregão eletrônico; ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas interessadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital.

SECRETARIA DO VERDE E DO MEIO AMBIENTE COMUNICADO DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL Nº 071/SVMA/2010 PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 2010-0.218.959-0 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS DE MANEJO E CONSERVAÇÃO DOS PARQUES MUNICIPAIS DO GRUPO HERCULANO: PARQUE HERCULANO, PARQUE M´BOI MIRIM E PARQUE SETE CAMPOS, nos termos das especificações constantes no Termo de Referência - ANEXO I, elaborado pela Divisão Técnica de Gestão de Parques - DEPAVE 5, parte integrante deste edital, como se nele efetivamente tivesse sido transcrito e em conformidade com as demais disposições do ato convocatório. A COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO - CPL.4 torna público que a Abertura do Pregão Presencial em epígrafe fica redesignada para o dia 17 de DEZEMBRO de 2010, às 09:30 horas, na Rua do Paraíso, 387/389, 11º andar, Capital, no prédio da SECRETARIA MUNICIPAL DO VERDE E DO MEIO AMBIENTE, quando as empresas interessadas em participar deverão entregar os documentos referentes ao Credenciamento, a Declaração de Cumprimento das Condições de Habilitação, os envelopes contendo a Proposta de Preços - escrita e em meio eletrônico e os Documentos de Habilitação, diretamente ao Pregoeiro. O caderno de licitação, composto de edital e dos anexos, poderá ser obtido sem custo, através da Internet pelo site http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br, onde os interessados deverão se cadastrar conforme orientações ou retirado, mediante a entrega de 1 (um) CD-R ou CD-RW sem uso, na Unidade de Licitação, situada na Rua do Paraíso, nºs 387/389, 9º andar, Paraíso, nesta Capital, das 09:00 às 17:00 horas, tels. 3396-3104/3396-3103 e fax 3396-3106.

agora em dezembro. Ou se será muito diferentes e cada uma adiada para janeiro ou quem delas tem lá as suas peculiarisabe, fevereiro. "É um assunto dades. Mas o ministro foi enfáque está no nível do presidente tico. Segundo ele, "a sociedade da República e não mais no ní- não enxerga as forças individualizadas". vel de ministro". Depois de falar sobre as etaCom relação à Força de Pacificação que está sendo criada pas vencidas no processo de para atuar nos Complexos do formação da estrutura do MiAlemão e da Penha, no Rio de nistério da Defesa, Jobim aviJaneiro, Jobim disse que estão sou que o momento é de consosendo preparadas as regras de lidação da pasta. Ele mencionou ainda que esengajamento e o plano de operação que serão aprovados por te é um momento de desafio, ele e pelo governador do Rio. porque os problemas econôSegundo o ministro a expecta- micos que atingiram a Europa tiva é a de que o Exército assu- começarão a ter reflexos no ma logo. Mas ele evitou estabe- Brasil, em sinalização das dificuldades que poderão ser enlecer qualquer data. União – Na parte reservada frentadas. Nesta parte da cerimônia, da cerimônia em comemoração ao Dia do Marinheiro, no houve um sobressalto. Foi Clube Naval, em Brasília, o mi- quando o adido militar egípcio nistro fez um longo discurso passou mal e caiu no cão desde balanço sobre a nova fase da maiado, machucando o rosto. Depois da parte reservada, pasta, no qual pediu união da tropa para que os projetos das veio a solenidade de condecotrês Forças possam ter prosse- ração com a medalha Mérito Tamandaré a guimento. c e rc a d e 2 0 0 "Estamos pessoas. O no mesmo evento contou barco, que esA aviação civil com a presentá navegando. era o último ç a d o p r e s iQuem quiser elemento externo dente Luiz ficar e navegar Inácio Lula da conosco, ótique estava na Silva. mo. Mas, Defesa, embora Em mensaquem não quitenha nascido g e m à M a r iser, pode puna FAB. nha, o presilar fora do bardente Lula obco", avisou JoNELSON JOBIM servou que bim. "vivemos um E s s a a f i rmação foi feita dois dias depois momento de grande euforia de Jobim ter participado da se- com as descobertas das resergunda – e demorada – conver- vas de petróleo e de gás da casa com a Dilma, na Granja do mada de pré-sal", lembrando Torto. Aliás, a frase já foi per- que "ainda não conhecemos feitamente entendida como t o t a l m e n t e a e x t e n s ã o d o um recado para quem, por imenso patrimônio que ainda ventura estiver insatisfeito e s t á g u a rd a n d o e m n o s s a com o comando dela do País ou Amazônia Azul" e que, por isso, "é imprescindível contarmesmo o dele na Pasta. Igualdade nas forças – Em mos com uma Marinha adeseu discurso, o ministro ainda quadamente equipada, com fez questão de destacar a igual- efetivo poder de dissuasão". O comandante da Marinha, dade de tratamento a ser dada ao Exército, à Marinha e à Ae- almirante Júlio Soares de Mouronáutica. Ele ressaltou que as ra Neto, completou, dizendo forças são iguais – o que provo- que "deve ser priorizado o siscou reação imediata entre al- tema da Amazônia Azul, ferraguns militares que observa- menta vital para o monitoraram que, ao contrário do que o mento e a vigilância de nossas Jobim afirmou, as Forças são águas jurisdicionais". (AE)

Jobim: 'O importante é a decisão de um organismo dessa natureza'

Prefeita quer concluir o mandato viva

A

médica Anabel Sabatine (PSDB) assumiu ontem a prefeitura de Jandira, na Grande São Paulo, protegida por dois guarda-costas. Ela disse que está com medo de ter o mesmo fim de seu antecessor, o tucano Braz Paschoalin, executado a tiros de grosso calibre às 7h55 de sexta-feira. "Mas eu espero concluir o meu mandato viva", declarou, após reunião com vereadores e parte do secretariado municipal. Além da escolta armada, ela decidiu usar carro blindado. Anabel foi eleita vice-prefeita na chapa de Paschoalin, em 2008, mas rompeu com o tucano ao descobrir supostas irregularidades na compra de R$ 1,5 milhão em remédios para a rede pública, e deixou o

cargo de secretária municipal de Saúde. Ela fez a denúncia no Tribunal de Contas do Estado (TCE) e ao Ministério Público. "Eu tinha divergências administrativas com o prefeito, não pessoais", afirma. "Disse a ele que voltaria à Secretaria se as coisas fossem esclarecidas. Quero ajudar a limpar Jandira. Vou verificar todos os contratos. As coisas boas serão mantidas. Tenho receio, mas vou em frente. Seria leviano dizer que o motivo da morte tem origem aqui na Prefeitura". Quatro suspeitos foram presos depois do fuzilamento de Paschoalin – os legistas contaram 11 furos de bala em seu corpo. Uma suspeita é que a emboscada teria relação com suposto mensalinho na Câmara de Jandira. (AE)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

7 Neste ano, nós chegaremos a 12,2% ou a 12,3% [gastos com Saúde]. É o limite mínimo, não máximo. Alberto Goldman, governador de São Paulo

olítica

Mateus

Bruxel/

Folhap

ress

AE

ixeira /

aniel Te

Fotos: D

eral doria-G

ocura mos: Pr

a Ra l da Silv

Eliva

Emanuel Fernandes: Secretaria de Planejamento

do

do Esta

Andrea

Calabi:

Governo confirma mais três secretários

Secreta

ria da F

azenda

Geraldo Alckmin anuncia antigos parceiros para pastas-chave em São Paulo (Planejamento , Fazenda e Procuradoria-Geral do Estado)

E

missários do governador eleito, Geraldo Alckmin (PSDB), informaram ao governador de São Paulo, Alberto Goldman, os nomes de outros três futuros secretários. Segundo Goldman, os indicados são Emanuel Fernandes, para a Secretaria de Planejamento e Andrea Calabi, que ocupará a Fazenda. "São dois bons nomes", elogiou Goldman.

O deputado federal Emanuel Fernandes (PSDB) irá assumir a Secretaria de Economia e Planejamento. Fernandes, ex-prefeito de São José dos Campos, foi secretário de Habitação na gestão anterior de Alckmin a frente do Estado. A vaga deixada pelo deputado, reeleito com 215 mil votos em outubro, deverá ficar com Vanderlei Macris (PSDB), que foi líder de Alckmin na Assem-

bleia Legislativa de São Paulo entre 2002 e 2005. O economista Andrea Calabi ficará com a Fazenda. Expresidente do BNDES e do Banco do Brasil no governo de Fernando Henrique Cardoso, Calabri também já integrou o primeiro escalão do governo anterior, comandando a pasta de Planejamento. Ele confirmou à Folha de S.Paulo ter sido escolhido para o cargo.

Elival da Silva Ramos será reconduzido à ProcuradoriaGeral do Estado. Ramos foi procurador na gestão do governador Mário Covas (PSDB) e permaneceu no cargo após a morte de Covas, quando o então vice-governador, Alckmin, assumiu o posto. Com isso, chegam a dez os nomes já formalizados para o primeiro escalão paulista. Os outros sete são Giovanni Cerri

(Saúde), Linamara Battistela (Pessoa com Deficiência), Admir Gervásio (Casa Militar), Sidney Beraldo (Casa Civil), Saulo de Castro Abreu Filho (Transportes), Jurandir Fernandes (Transportes Metropolitanos) e Guilherme Afif Domingos (Desenvolvimento). Saúde – Goldman afirmou ontem que o Estado se adequou ao porcentual mínimo de gastos exigido por lei na área

de Saúde. "Na realidade o que nós temos é um limite mínimo que os estados devem obedecer, que é de 12% do orçamento. Neste ano, nós chegaremos a 12,2% ou a 12,3%. É o limite mínimo, não máximo". Segundo o O Estado de S.Paulo de ontem, as despesas do Estado com Saúde tiveram aumento real de 22% em 2010. É a área que mais expandiu em gastos. (Folhapress/AE)

DC

DC

DISTRITAL PINHEIROS os de

19 ane Conforto!

Que, neste Natal, novas energias e bons fluidos venham abastecer nosso espírito para que, em 2011, possamos navegar com bons ventos!

te

in Requ

www.asturiasmotel.com.br

OXIVIDA O O OXIGÊNIO E ORTOPEDIA Venda e Locação de Equipamentos Hospitalares X X

Entrega em Domicílio

Visite nossa loja virtual. Site:

Roberto Manin Frias Diretor-Superintendente da Distrital Pinheiros

• Bengala • Inalador • Andador • Muleta • Umidificador • Oxigênio Medicinal Tel: (11) • Cama Hospitalar • Cadeira de Rodas 3064-4392

Fone: 11 3816-6689

asturias@asturiasmotel.com.br

Rua Amália de Noronha, nº 130 - Pinheiros Cep: 05410-010 - São Paulo - SP

Avenida Nações Unidas, 7.715 - Pinheiros - São Paulo/SP

www.gevdiesel.com.br

Qual é a estratégia da sua empresa para a abordagem desse assunto? Entre em contato conosco.

3097 5555 0800-8889555 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1.739 - 7º andar - Jd. Paulistano - São Paulo/SP

Fones:

11

Precisa-se de Mecânico e Borracheiro

www.facprodutos.com.br

Persianas Toldos

Fones:

11

A FAC Produtos Arquitetônicos deseja a todos boas festas e um ano de 2011 repleto de realizações.

Forros

3081 9865 / 9880 7822

Fachadas

Rua Alves Guimarães, 254 - Pinheiros - São Paulo/SP

3 form

FAC - Rua Amália de Noronha, 268 Pinheiros - CEP 05410-010 - São Paulo/SP facpersianas@facprodutos.com.br Tel./Fax: (11) 3081-0811

DR. ARISTIDES DE AQUINO MEDEIROS

DC

Cortinas

Cirurgião Dentista

Um Feliz Natal e um Próspero Ano Novo a todos os amigos do Rotary Clube, ACSP, e a todos os meus pacientes. Tel.: (11) 3082-7480

Praça Benedito Calixto, 36 - São Paulo - SP

MEAÍPE COZINHA CAPIXABA PINHEIROS: Rua Fradique Coutinho, 276 CEP 05416-010 - Pinheiros/SP (de Terça a Domingo) - Tel.: (11) 3088 9103 rlcasagrande@uol.com.br METRÔ CLÍNICAS: Rua Cristiano Viana, 506 CEP 05411-000 - Jd. América/SP (de Segunda a Sábado) - Tel./Fax: (11) 3081 5945 rlcasagrande@uol.com.br Av. Ministro Laudo Ferreira de Camargo, 101 CEP 05537-001 - Jd. Peri Peri/SP Tel.: (11) 3283 5762 PRAÇA DA ÁRVORE: Rua Caramuru, 768 CEP 04148-002 - Saúde/SP - Tel.: (11) 2275 2884

www.moquecapixaba.com.br

DC

DC

DC

www.cincom.com

Soluções de ECM

- Check-up preventivo para inspeção ambiental veicular - Mecânica e retífica em geral

www.oxivida.com.br

DC

Visite nosso site e verifique nossas acomodações.


p Convidado, Ciro ainda não respondeu DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Por que pensaria em renúncia? Não fiz emenda nesse sentido, nunca cometi irregularidade. Senadora Serys Slhessarenko (PT-MT)

olítica

Ele deve integrar o primeiro escalão, mas não confirmou se aceita. E Maria Lúcia de Oliveira Falcón deve ocupar o Ministério de Desenvolvimento Agrário. Roosewelt Pinheiro/ABr - 29.07.10

O

Ciro Gomes: resposta ao convite deve ser dada até amanhã

deputado federal Ciro Gomes (PSB) foi convidado a ser ministro do governo Dilma Rousseff (PT). A confirmação foi feita pelo irmão dele, o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), ontem pela manhã, em Fortaleza. "Mas cabe à presidenta anunciar seu ministério. O que conversamos na última sexta-feira em Brasília não foi nada conclusivo. Ela me disse que até a próxima quarta-feira (amanhã) deve apresentar os nomes dos ministros que ainda estão faltando", disse ele, depois de assinar ordem de serviço para a construção do novo estádio Castelão, pela manhã. "Será no primeiro escalão e isso deve ficar definido entre hoje e amanhã", antecipou Cid. Ele disse que Ciro continua de férias no exterior. O governador disse que espera pelo anúncio total do ministério de Dilma para fechar seu novo secretariado. "Começo a pensar nisso a partir de quarta-feira e até antes do Natal", anunciou. O PSB teria no governo Dilma os ministérios da Integra-

ção Nacional e as secretarias especiais dos Portos e Aeroportos e das Micro Empresas. Desagrado – A provável nomeação do deputado para o primeiro escalão do futuro governo desagradou tanto o PSB quanto o PMDB. A decisão de Ciro de integrar o ministério de Dilma Rousseff desarrumou todo o espaço negociado anteriormente entre o PSB e a presidente eleita. Para o PMDB é difícil aceitar Ciro no ministério após ele ter classificado o partido como "um ajuntamento de assaltantes", enquanto Michel Temer (PMDB-SP) seria o "chefe dessa turma de pouco escrúpulo". Por outro lado, o presidente nacional do PSB e governador de Pernambuco, Eduardo Campos, é um dos mais irritados com a possível nomeação de Ciro para a Integração Nacional. Campos queria emplacar nesse ministério o nome de Fernando Bezerra Coelho, seu afilhado político e ex-prefeito de Petrolina. Com o novo cenário, Coelho deve ficar com a secretaria de Portos, que será turbinada com a parte de aviação civil, incluindo a Infraero.

Além de se sentirem insultados, os peemedebistas também estão certos, com a chegada de Ciro, de que as nomeações que pretendiam para o segundo escalão do ministério não permanecerão Subordinado à Integração Nacional – já que o Departamento Nacional de Obras contra a Seca (DNOCS) deveria ir para as mãos do PMDB do Rio Grande do Norte. Diante da irredutibilidade de Ciro na negociação de cargos, assessores de Dilma chegaram a propor uma troca: o deputado ficaria com a pasta de Cidades, que não dispõe de empresas importantes em sua estrutura, e o PP comandaria a Integração Nacional. Em viagem pela Europa, Ciro Gomes deve bater o martelo sobre sua posição no futuro governo entre hoje e amanhã, mas ainda não se pronunciou. Mais uma – Convidada pela presidente eleita, a atual secretária de Desenvolvimento de Sergipe, Maria Lúcia de Oliveira Falcón, deve ocupar o Ministério de Desenvolvimento Agrário a partir de janeiro. Falcón tem o apoio dos gover-

nadores de Sergipe, Marcelo Déda (PT), e da Bahia, Jaques Wagner (PT). O principal concorrente de Falcón era o senador eleito e ex-governador do Piauí, Wellington Dias. Na última semana, entretanto, Dilma fez o convite a Maria Lúcia. A mudança de mãos do ministério desagradou a DS, corrente do PT que historicamente comanda a pasta nos governos Lula. Dilma ainda precisa acertar o espaço de outros aliados, como o PDT e o PCdoB. Além do PSB, que deve ficar com mais uma segunda pasta mesmo pleiteando uma terceira, Dilma precisa acertar o espaço de outros aliados, como o PDT e o PCdoB. O PT também reivindica mais espaço na Esplanada, por considerar que muitos dos petistas que foram nomeados até agora não representam efetivamente as bancadas ou tendências do partido – eles fariam parte de uma cota pessoal de Dilma e Lula. Ela avisou que deseja acertar o ministério antes de sua diplomação, na sexta-feira, em Brasília. (AE)

Sérgio Lima/Folhapress

Oposição pede a saída da relatora do Orçamento Depois de Gim Argello e Ideli Salvatti, Serys Slhessarenko pode deixar o cargo

A

oposição defendeu ontem o afastamento da senadora Serys Slhessarenko (PT-MT) da relatoria do Orçamento da União de 2011, depois das denúncias de que uma de suas servidoras n o S e n a d o t e r i a re c e b i d o emendas parlamentares para o instituto que preside. O presidente do PPS, Roberto Freire (PE), sugeriu que "se encontre outro senador para o lugar desta senadora, senão contamina o Orçamento tanto quanto aconteceu com o relator anterior. Não é possível que o governo não tenha um senador ficha-limpa para ser relator", reclamou. Antes de Serys, o senador Gim Argello (PTB-DF) teve de se afastar da relatoria por ter destinado R$ 3 milhões em emendas de sua cota individual para supostas entidades

fantasmas de Brasília. Em seguida, a senadora Ideli Salvatti (PT-SC) assumiu o cargo por um dia. Deixou a função alegando "incompatibilidade" – ela vai assumir um ministério no governo da presidente eleita Dilma Rousseff (PT). Liane Muhlenberg foi exonerada na manhã de ontem, assim que vieram à tona as informações de que o Ipam, criado em 1997 e por ela chefiado, recebeu R$ 1,8 milhão em 2010. Para o senador Álvaro Dias (PSDB-PR), Serys deveria tomar a iniciativa de se afastar, já que há suspeitas sobre sua servidora direta. "É uma denúncia com repercussão, a iniciativa de sair deve ser pessoal". Na opinião de Dias – e dos oposicionistas –, a exoneração da servidora de Serys não acaba com os problemas em torno da relatoria. "O correto seria a

substituição da relatora", disse. Apesar da pressão para deixar o cargo, Serys disse que não pretende renunciar. A petista afirmou que, como já exonerou a servidora Liane Muhlenberg, e não tem envolvimento na liberação de emendas para o Ipam (Instituto de Pesquisa e Ação Modular), não vê motivos para sair da relatoria. "Não penso em renúncia. Por que pensaria? Nunca fiz emenda nesse sentido, nunca cometi irregularidade. Não usaram meu gabinete. Ela nunca me pediu nenhuma emenda, nunca. Eu não tenho participação nenhuma nessa história", avisou. Ao confirmar que sua assessora já fora demitida, Serys insistiu num ponto: "Se existirem irregularidades por parte desta entidade ou desta funcionária, elas devem ser analisadas

Na defesa: "Não penso em renúncia. Não tenho participação nenhuma nessa história", diz a senadora Serys.

pelo Tribunal de Contas e órgãos competentes. Informo que nunca apresentei emendas e não fiz nenhuma gestão para liberação de recursos para este instituto". Os recursos públicos chegaram por meio de emendas de

E Maluf poderá assumir

A

nal Superior Eleitoral) contra a decisão do TRE-SP e fará com que ele seja diplomado como eleito nesta sexta-feira. O Ministério Público Estadual pedia a devolução do dinheiro aos cofres públicos ao acusar superfaturamento na compra de 1,4 tonelada de frango, em julho de 1996, por R$ 1,39 milhão, da empresa de sua mulher. O caso tornou-se um dos mais polêmicos envolvendo a gestão de Maluf. A ação já havia sido julgada improcedente em primeira instância, em 2002, isentando o ex-prefeito de devolver o prejuízo aos cofres públicos. Além do ex-prefeito, foram citados

Janine Moraes/Ag. Câmara - 08.06.10

Quase lá: desembargador Sérgio Coimbra Schmidt reconhece que decisão do TJ deverá confirmar mandato de Paulo Maluf

na ação Marcelo Daura, expresidente da Comissão de Preços, Francisco Martin, exsecretário de Abastecimento, e as empresas Obelisco Agropecuária, que pertence à mulher de Maluf, e Ad'Oro. Ao final do julgamento, o desembargador Sérgio Coimbra Schmidt reconheceu que a decisão dará o mandato de deputado ao político. Schmidt foi um dos dois desembargadores que votou contra Maluf no julgamento, que foi vencido pelo deputado por 3 a 2. Segundo Schmidt, a decisão deverá levar à recontagem dos votos em São Paulo e permitirá a diplomação. (Folhapress)

tagem do jornal O Estado de S.Paulo. A verba destinada ao Ipam foi usada em shows e eventos culturais. Para consegui-la, Liane teria apresentado um documento em que diz não trabalhar no Senado, de acordo com o jornal. (Agências)

Ruralistas vão à Justiça contra invasões

Tribunal de Justiça cassa decisão que enquadrou deputado na Lei da Ficha Limpa

7ª Câmara de Direito Público do TJ (Tribunal de Justiça) de São Paulo cassou a decisão que condenou Paulo Maluf por improbidade administrativa em uma suposta compra superfaturada de frangos pela Prefeitura de São Paulo. A decisão revogada foi a que levou o deputado a ser enquadrado na Lei da Ficha Limpa pelo TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral), que então anulou os 497 mil votos que ele recebeu nas eleições. Segundo o advogado de Maluf, Eduardo Nobre, essa decisão permitirá que o deputado vença recurso no TSE (Tribu-

três deputados – Jilmar Tatto (PT-SP), Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) e Geraldo Magela (PT-DF). A entidade teria conseguido R$ 4,7 milhões em convênios com o governo que dispensaram licitação, segundo repor-

A

dvogados da União Democrática Ruralista (UDR) entraram ontem com ações na Justiça de interdito proibitório na tentativa de impedir a onda de invasões prometida pelo grupo do Movimento dos SemTerra (MST) liderado por José Rainha Júnior. De acordo com Rainha, o ano de 2011 vai começar com o "Janeiro Quente", com a ocupação de terras consideradas devolutas e fazendas passíveis de serem usadas para a reforma agrária. No Pontal do Paranapanema, no Estado de São Paulo, está na mira dos sem-terra uma área de 92,6 mil hectares que, conforme decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), seria de terras devolutas. O interdito proibitório é uma ação que visa a repelir alguma ameaça à propriedade. De acordo com o presidente da UDR, Luiz Antonio Nabhan Garcia, os pedidos foram baseados na "promessa de invadir" feita pelo líder dos sem-terra. No último sábado, José Rainha reuniu 1,5 mil acampados e trabalhadores rurais na localidade de Engenheiro Taveira, em Ara-

çatuba (SP), para tratar das ocupações. De acordo com Nabhan, ontem mesmo a Justiça deu os primeiros interditos, mas as propriedades beneficiadas não foram reveladas. A UDR encaminhará ofícios aos comandos das forças de segurança na região para que a vigilância na área seja aumentada.

A entidade pedirá ainda que, em caso de invasão, os líderes e integrantes sejam identificados. "Vamos reforçar o cerco jurídico para que respondam civil e criminalmente pelos seus atos", disse o dirigente. Nabhan Garcia disse que a decisão do STJ sobre as terras do 15º Perímetro não é definitiva, pois há recursos pendentes. "Não é o José

Rainha, nem o MST que vão dizer se a terra é devoluta". Caso a sentença seja mantida, o Estado ainda precisa entrar com ação reivindicatória e indenizar os proprietários. "É um processo que ainda está longe do fim e, se houver invasão, quem invadir vai responder (judicialmente)", afirmou. Prisões – Os fazendeiros têm o direito de defender suas terras de invasores, sozinho ou com a ajuda de seguranças, segundo a UDR. "O dono tem todo o direito de colocar seguranças para defender sua propriedade. Ele está respaldado pela lei", explicou o presidente da UDR, em entrevista ao jornal O Estado de São Paulo. "Ele também pode, se for o caso, fazer isso sozinho (expulsar invasores)", acrescentou o líder ruralista. "Ninguém tem alvará para invadir fazenda. Invasão é crime e ponto final", enfatizou ele. Nabhan negou que as terras do chamado 15º perímetro, no Pontal do Paranapanema, sejam devolutas. "Os proprietários têm escrituras registradas em cartórios", avisou. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

c

9 DIVERSÃO Até o dia 23, público poderá se divertir patinando no gelo, no Centro.

idades

PACIÊNCIA Tempo de espera na fila para a patinação chega a ser de uma hora.

Em dia de verão, paulistano desliza no gelo

Prefeitura monta pista de patinação no gelo no Vale do Anhangabaú. Novidade atrai a população que deseja conhecer esporte popular nos países do hemisfério norte. Fotos: Luiz Prado/Luz

Guilherme Carvalho

O

operador de telemarketing Luciano Menezes já decidiu. Até o próximo dia 23 sairá mais cedo de casa e, antes de começar a dura rotina de trabalho, irá relaxar patinando no gelo. Luciano é um dos muitos que já descobriram a pista de patinação montada pela Prefeitura no Vale do Anhangabaú, debaixo do Viaduto do Chá. É tudo gratuito. Para praticar, basta ter mais de cinco anos e levar um documento com foto. Menores de 14 anos precisam estar acompanhados por um responsável. Patins, capacete e o resto do equipamento são fornecidos no local pela Prefeitura e instrutores ajudam os que não têm muita prática. A pista comporta 50 pessoas de cada vez e cada grupo tem direito a meia hora de brincadeira. Quem puder pode voltar quantas vezes quiser, é só ir para o fim da fila que, aliás, é o único inconveniente. Como tem muita gente querendo participar, a espera costuma ser de aproximadamente uma hora. Mesmo assim, a iniciativa agradou bastante os frequentadores do Vale. "Trabalho aqui perto e, como eu gosto muito de esporte e sempre tive vontade de patinar no gelo, aproveitei para conferir", comentou Luciano, que usou a pista pela primeira vez no sábado e voltou ao local ontem. Após deixar a pista, Luciano estava como uma criança, exibindo um sorriso de orelha a orelha. "Vou fazer um esforço para vir todos os dias, já chamei vários amigos, mas a maioria é sedentária e não vem", afirmou o operador, que pratica kung fu, jiu jitsu e natação. Assim como Luciano, Danielly de Paula também aproveitou a proximidade do trabalho para se divertir. Ela trabalha no programa Jovem Aprendiz e, como entra de manhã e sai na hora do almoço, aproveitou para passar a tarde patinando. "É bom demais. Eu costumo

patinar com patins de rodinha (in line), mas no gelo foi a primeira vez. É bem mais legal", explicou Danielly. "Adorei a iniciativa. Faz com que muita gente que nunca patinou tenha a oportunidade. Eu vou passar a tarde toda e pretendo voltar outros dias. Vou chamar todos que conheço", disse a jovem. Crianças – Mas quem faz a festa mesmo na pista são as crianças. É período de férias e muitos aproveitam para praticar algo que sempre tiveram vontade, mas não tinham onde. Lucas Gomide, de oito anos, é um exemplo. Com uma camisa do São Paulo F.C., o menino praticava pela primeira vez, mas mostrava desenvoltura. Isso porque tem um par de patins "de rodinhas" desde os quatro anos e gosta muito de patinar no asfalto. "No gelo é mais difícil, mas dá pra aprender rápido. Só não consegui fazer algumas manobras, porque desliza muito", contou. Lucas trouxe a família toda para o passeio: a irmã Ana Caroline, a prima Vitória Regina, a mãe Rosângela e o pai Klenilton. O único que ficou do lado de fora da pista foi o pai. "Tenho medo de cair", admitiu. Além dos frequentadores

Com 286 metros quadrados, a pista de patinação no gelo montada no vale do Anhangabaú tem recebido cerca de 500 pessoas por dia. Cada grupo tem direito a brincar por meia hora. Ao lado, Danielly aproveita a hora do almoço para se divertir.

diários do Vale do Anhangabaú, a iniciativa despertou o interesse de quem não costuma passar pelo local no dia-adia. A dona de casa Ondina Marasco Feliciano e sua filha Eduarda viram uma reportagem na televisão e resolveram encarar a viagem do Jabaquara, zona sul de São Paulo, até o Centro, para conhecer a pista. Na fila, Eduarda estava apreensiva. Apesar de ter intimidade com patins in line, estava com medo de não se adaptar. "Será que é a mesma coisa que patinar no asfalto?", pergunta-

Fabio Motta/AE

Ó RBITA

FUVEST

A

Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) divulgou ontem a nota de corte para o acesso à segunda fase do vestibular 2011. Segundo a Fuvest, do total de 89 questões da prova, o candidato tem de acertar pelo menos 70 delas para seguir na disputa por uma vaga em medicina. Outra carreira concorrida é Ciências Médicas, em Ribeirão Preto. O número de pontos necessário é 69. A lista completa pode ser conferida no site da Fuvest (www.fuvest.br). A segunda fase começa no dia 9 de janeiro de 2011. (AE)

ROUBO DE SINOS

S

inos de igrejas do Vale do Paraíba estão sendo alvo de furto. A diocese de Taubaté acredita na ação de uma quadrilha interessada em revender o cobre dos sinos. O primeiro furto ocorreu na semana passada na igreja matriz de Santo Antônio do Pinhal. Na sequência, desapareceram sinos de igrejas em São Luiz do Paraitinga, Natividade da Serra e Taubaté. Nos três casos, as igrejas ficam em comunidades rurais. (AE)

ALEMÃO: TELEFÉRICO EM FASE DE TESTES

A

linha de teleféricos que vai integrar as favelas do Complexo do Alemão ao sistema de transporte público do Rio entrou em fase final de obras e passa por uma bateria completa de testes antes de sua inauguração, prevista para março de 2011. As gôndolas em que viajarão os passageiros foram

fixadas nos cabos de sustentação e já começaram a circular, vazias. Quando entrarem em funcionamento definitivo, as 152 gôndolas do teleférico vão percorrer 3,5 quilômetros, com capacidade para transportar dez pessoas em cada cabine. O público esperado é de 30 mil pessoas por dia. (AE)

SANTA CASA MUDA RÓTULOS DE FRASCOS

A

Santa Casa de São Paulo decidiu mudar as etiquetas e rótulos dos frascos de seus remédios nos 39 hospitais que fazem parte da Irmandade. A decisão foi tomada após a auxiliar de enfermagem Cátia

Aragaki aplicar 50 ml de vaselina em vez de soro nas veias de Stephanie Teixeira, 12, em um dos hospitais da rede, o São Luiz Gonzaga, no Jaçanã, zona norte. A menina morreu no dia 4. (Folhapress)

va. Assim como Eduarda, quem também chegou de longe para patinar foi Priscila Juliana Queiroz de Souza, de 11 anos, e seu pai Luiz Carlos de Souza, que vieram da zona leste. Luiz Carlos aproveitou que iria fazer um exame no Centro e resolveu fazer uma surpresa à filha. O aposentado de 62 anos não se arriscou a entrar na brincadeira, mas estava empolgado para ver a filha patinando. "Ela nunca patinou no gelo, mas deve se sair bem, ela gosta muito desse tipo de esporte", disse. Tombos – A estrutura monta-

da pela Prefeitura já havia sido usada na última Virada Esportiva. A pista tem 286 m² e tem recebido cerca de 500 pessoas por dia, segundo Rafael Romano, diretor técnico da pista. Tombos são comuns, mas quem nunca praticou patinação não precisa temer. Cinco instrutores ficam o tempo todo na pista para ajudar os que estão dando os primeiros passos no esporte. "É fácil e rápido de aprender. Para patinar precisa de ginga e isso é uma coisa que o brasileiro tem bastante", explica Robson Corvo, um dos instrutores.

S ERVIÇO Patinação no Gelo no Vale do Anhangabaú Data: até o dia 23/12 Horário: das 10h às 18h Local: Vale do Anhangabaú (embaixo do Viaduto do Chá) Entrada: Grátis Necessário levar: documentação com foto (menor de 14 anos deve ir acompanhado por responsável). Maiores informações: SPTuris


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Às 19h45, o CGE suspendeu os estados de atenção de todas as regiões de São Paulo.

idades

TUDO DE NOVO

m duas horas de chuva pesada, todas as regiões da cidade registraram alagamentos.

E

oram pelo menos 70 pontos alagados. Às 19h havia 156 km de congestionamento.

F

Daniel Marenco/Folhapress

SOLIDARIEDADE Fotos de Grizar Junior/AE

Em www.dcomercio.com.br, uma galeria de fotos sobre a chuva

O

Cristiano Novais/AE

A

chuva do fim da tarde de ontem inundou uma série de ruas e avenidas da cidade, numa extensão de 40 km, chegando até a municípios da Grande São Paulo. Da região do Aricanduva, na zona leste, até Carapicuíba, carros ficaram ilhados, semáforos apagaram e o trânsito ficou caótico. Às 16h, o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) decretou estado de atenção para todas as regiões da Capital. O córrego da Mooca transbordou e naquela subprefeitura foi decretado estado de alerta. Segundo o serviço de meteorologia, ontem choveu 10% do que se esperava para todo o mês de dezembro. Os níveis de precipitação atingiram índice de 38,1 mm. O Aeroporto de Congonhas fechou por 31 minutos e o Túnel do Anhangabaú, no Centro, foi interditado por 20 minutos. Foram 70 pontos de alagamento (58 transitáveis e 12 intransitáveis) e pelo menos 11 quedas de árvores numa mostra do que o paulistano pode esperar das chuvas no verão. O Corpo de Bombeiros recebeu dezenas de chamadas e o Grupamento Aéreo da Polícia Militar não pôde fazer suas aeronaves decolarem, até as 19h, devido à falta de visibilidade. Na avenida Áureo Soares M. Andrade, próximo ao Memorial da América Latina, a queda de um ponto de ônibus feriu uma mulher. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a chuva se formou porque uma frente fria, que estava no centro do Estado, se deslocou para a Capital, onde encontrou muito calor e umidade. De acordo com o instituto, a chuva for te não fugiu do que é esperado para este mês. A média histórica de c h u va s p a ra dezembro é de 2 0 2 m i l í m etros. Só que, n e s te a n o, a previsão é de que chova até 300 milímetros. O motivo é o fenômeno La Niña, que esfria as águas do Oceano Pacífico e, no Sudeste do Brasil, favorece a formação das chuvas fortes do verão logo no começo da estação. Apesar dos transtornos, a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrava, às 18h30, congestionamento de 127 km em toda a cidade, pouco acima da média para o horário (120 km). Às 19h, eram 156 km de lentidão. Um córrego da Mooca transbordou e os alunos de uma escola estadual ficaram ilhados. Às 18h15, o CGE decretou estado de alerta na região. A chuva deu uma trégua e o alerta cessou às 19h45. Um dos piores pontos de alagamento ocorreu na avenida Professor Luís Ignácio de Anhaia Melo, que ficou intransitável. Os reflexos atingiram a avenida Salim Farah Maluf. A CET registrou 11 quedas de árvores, cinco delas na zona leste. Outras três caíram no Centro. As demais, nas zonas oeste e sul. Nenhuma das vias atingidas foi completamente interditada. Às 19h45, o CGE suspendeu os estados de atenção de todas as regiões de São Paulo. (Agências)

Aeroporto de Congonhas ficou fechado para pousos e decolagens das 17h15 às 17h46.

Filipe Araújo/AE

Vítima da chuva, motoboy cai com sua moto em córrego próximo à Ponte de Interlagos, na marginal Pinheiros, zona sul da cidade...

... ajudado por colegas de profissão, ele, já sem capacete, consegue chegar à margem e tenta retirar sua motocicleta...

Na zona leste, a avenida Professor Luís Ignácio de Anhaia Melo (foto no alto da página) ficou totalmente intransitável. Ontem, essa região da cidade foi uma das mais castigadas. Na foto do centro, mulher que esperava ônibus ficou caída na avenida Áureo Soares M. Andrade, próximo ao Memorial da América Latina, depois de atingida pelo ponto que desabou. Acima, árvore bloqueou uma pista da avenida Pompeia. A queda foi provocada pela chuva da madrugada de ontem.

... em seguida, com a ajuda de mais motoboys que pararam para auxiliá-lo, ele consegue recuperar sua moto da água


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

11 ANTÁRTIDA Naufrágio de navio sul-coreano pode ter matado até 22 pessoas

nternacional Shumkh Al-Islam/AFP

ESTADOS UNIDOS Juiz declara parte da reforma no sistema de saúde inconstitucional

Jonathan Nackstrand/AFP

Em site de relacionamentos, Abdulwahab (à esq.) postou que procurava uma segunda esposa. Nascido no Iraque, com formação na Grã-Bretanha, Abdulwahab seria o autor dos ataques inéditos na Suécia (à dir.).

Uma questão de segundos Autor de atentados em Estocolmo planejava atacar locais movimentados, mas bomba explodiu antes do previsto. Suspeito é um iraquiano com cidadania sueca.

U

m homem nascido no Oriente Médio que morreu em uma explosão, no sábado passado, em Estocolmo usava um cinto com explosivos e provavelmente pretendia atacar uma estação ferroviária ou loja de departamentos repleta de pessoas, mas o artefato explodiu antes do previsto, disse uma autoridade sueca ontem. O promotor-chefe da Suécia, Tomas Lindstrand, afirmou em coletiva de imprensa que o homem estava bem equipado com explosivos e acredita-se que ele tivesse cúmplices, já que o ataque era bem planejado. O suspeito ainda não foi identificado por testes de DNA nem por parentes e era um completo desconhecido para a polícia antes do incidente. "Ele usava um cinto com explosivos e carregava uma mochila contendo uma bomba.

Além disso, levava um objeto que lembra um pouco uma panela de pressão. Se tudo isso tivesse explodido ao mesmo tempo, poderia ter causado danos muito sérios", declarou o promotor. Um carro contendo bujões de gás explodiu em uma área comercial movimentada no centro de Estocolmo, no sábado, seguido dez minutos depois por uma explosão a pouca distância, que matou o homembomba e deixou dois feridos. "Não é descabido imaginar que ele deveria estar indo a algum lugar onde haveria o maior número possível de pessoas – talvez a estação central ou a (loja de departamentos) Ahlens", disse Lindstrand. Globalizado - O promotor disse que é quase certo que o hom e m e r a T a y m o u r A bdulwahab, cujo nome vem sendo citado em relatos da mídia.

WIKILEAKS

Segundo as autoridades, Abdulwahab havia mandado um e-mail com ameaças à polícia, pouco antes da explosão. De acordo com Lindstrand, Abdulwahab nasceu em 1981 e tornou-se cidadão sueco em 1992. O promotor disse que Abdulwahab também era o dono registrado do carro que explodiu em Estocolmo pouco antes do atentado suicida de sábado. A polícia sueca agora investiga a página de Abdulwahab no site de relacionamentos Facebook. Segundo informações no perfil de Abdulwahab no site islâmico de encontros românticos muslima.com – onde Abdulwahab postou que procurava uma segunda esposa –, ele nasceu em Bagdá e foi morar na Suécia. Em 2001, ele se mudou para a Grã-Bretanha, para estudar na Universidade de Bedfordshire, em Luton, perto em Londres.

A universidade confirmou que um aluno chamado Taymour Abdulwahab, de nacionalidade sueca, se matriculou em 2001 e se formou em 2004 em terapia esportiva. Extremista - Entre 2006 e 2007, ele passou a frequentar o Centro Islâmico de Luton, onde começou a fazer comunicados extremistas, dizendo que os governos de países muçulmanos são corruptos e justificando os atentados praticados por homens e mulheres-bomba. O secretário do centro, Farasat Latif, disse que Abdulwahab era simpático, mas começou a mostrar um forte radicalismo. "Em um sermão, durante o Ramadã, o pregador da mesquita começou a falar contra o suicídio e homens-bomba, bem como contra o radicalismo. Ele percebeu que o discurso era contra ele, saiu furioso e nunca mais voltou", disse. (Agências)

U

ma mensagem colocada na internet ontem, atribuída a um importante líder da AlQaeda no Iraque, afirma que os ataques a bomba realizados no sábado em Estocolmo foram "apenas o começo" e ameaça atacar países da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) e da Europa. Em gravação de áudio colocada no site islâmico Shumukh al-Islam, um homem identificado como Abu Suleiman al-Nasser, líder do grupo ligado à AlQaeda no Iraque, disse aos países da Otan para "retirarem suas tropas do Afe-

ganistão" e para "encerrarem sua guerra contra o Islã", caso contrário "aguardem nossos ataques no coração da Europa". Em outro comunicado assinado também por AlNasser, o desconhecido grupo Partidários da Jihad Islâmica pede que os jihadistas provoquem confusão durante os feriados de Natal e Ano Novo no Ocidente com falsas notícias sobre ataques iminentes. "Cuidem nos próximos dias de espalhar o terror e o pânico em solo profano", diz o comunicado. "Queremos espalhar o terror com falsos alertas." (AE)

Filippo Monteforte/AFP Atta Kenare/AFP

Nem a Igreja Católica escapou dos vazamentos vido pelas pessoas a seu redor, com suas próprias agendas, especialmente o ex-ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu". Apoio - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a defender ontem o fundador do WikiLeaks, Julian Assange, detido em Londres na semana passada. Ao se despedir de militantes de Direitos Humanos, Lula disse que voltaria a vê-los em alguma manifestação por aí. "Em algum protesto contra alguma coisa. Ah, um protesto contra aqueles que censuraram o WikiLeaks. Vamos fazer uma manifestação porque a liberdade de imprensa não tem meia cara. É total e absoluta", disse. Não foi só o presidente que manifestou seu apoio a Assange. Cerca de 600 mil pessoas já aderiram a um abaixoassinado, realizado pelo site Avaaz, em apoio ao WikiLeaks. Embora o abaixoassinado não mencione Assange, muitos partidários ligam a campanha contra o site a acusações de crimes sexuais feitas contra ele na Suécia. O australiano de 39 anos vai se apresentar a um tribunal londrino pela segunda vez hoje, quando seus advogados farão um segundo pedido para que ele deixe a cadeia sob fiança. O fundador do WikiLeaks nega as acusações. (Agências)

Sai Mottaki (à esq.), entra Salehi: força no cenário internacional.

Um chanceler à altura de Ahmadinejad

O

presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, indicou ontem a maior autoridade nuclear do país para ministro interino das Relações Exteriores. Ahmadinejad queria que Ali Akbar Salehi fosse seu chanceler quando chegou ao

poder em 2005, mas pressões de facções o forçaram a aceitar Manouchehr Mottaki. As relações com Mottaki nunca foram tranquilas, mas ele foi substituído após críticas de que não era persuasivo no meio internacional. (Agências)

Celebridades apoiam Sakineh

C

elebridades como Robert Redford, Robert de Niro e Sting pediram ao Irã a libertação de Sakineh Mohammadi Ashtiani, condenada à morte por apedrejamento, em carta publicada ontem. Mais de 80 atores, músicos, artistas, acadêmicos e políticos firmaram a carta, argumentando que ela "já sofreu o suficiente". (AE)

Berlusconi por um fio Press TV/AFP - 05/12/10

O

cardeal Cláudio Hummes, arcebispo emérito de São Paulo, responsabilizou o ex-ministro José Dirceu pelos escândalos de corrupção do governo Lula, afirmando que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva "não merecia isso", em conversa com o então cônsul-geral dos Estados Unidos em São Paulo, Christopher McMullen, em março de 2006. O encontro foi relatado em telegrama ao Departamento de Estado norte-americano, e divulgado pelo WikiLeaks, informou a Agência O Globo. Para dom Cláudio, Lula foi mal servido de pessoas que possuíam seus próprios interesses e, no caso de Dirceu, o ex-ministro aparelhou o governo para atender à ânsia de poder do PT. Amigo de Lula desde os anos 70, dom Cláudio tentou poupá-lo das críticas relacionadas ao escândalo do mensalão e ao crescimento econômico insuficiente à época. "Ele (o cardeal) sabia que Lula estava, de fato, desapontado por não ter criado mais empregos. E, então, veio o escândalo de corrupção", escreve o cônsul, que continua, citando a conversa com o cardeal: "Não que ele (Lula) não soubesse de nada que estava acontecendo, como afirmou. Mas Lula foi mal ser-

'Ela já sofreu o suficiente'

Em tom conciliador, o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi (acima), pediu ontem apoio dos parlamentares, inclusive de exaliados da direita, para sobreviver a uma moção de censura, que pode ser definida por apenas dois votos de diferença. Caso sobreviva à votação de hoje, o premiê disse que abriria seu governo aos "moderados". (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

Logo Logo

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

DEZEMBRO

12 -.LOGO

Galhos de plantas do seu jardim e rolhas de vinhos viram renas divertidas para a decoração de Natal. Veja como fazer.

www.dcomercio.com.br

www.flickr.com/photos/ made_by_beag/4218878897/

Dia do Ministério Público

I NTERNET T ENDÊNCIA

A número 2 do Twitter

A COR DE 2011

D

Depois do turquesa em 2010, e do amarelo mimosa, de 2009, os profissionais da cor da Pantone elegeram o tom que vai dominar 2011: é o rosa madressilva escuro, que tem o código Pantone 182120. Segundo especialistas em cromaterapia, o tom de rosa

escolhido tem propriedades terapêuticas - ajuda a combater a depressão - e produz o sentimento de vitalidade. Na moda, segundo os estilistas consultados pela Pantone, a cor combina com trajes para o dia e a noite. La vie en Rose!

ilma Rousseff, futura presidenta do Brasil, comemorou ontem a divulgação da lista de termos e pessoas mais citadas no Twitter em 2010. Dilma ficou em 2º lugar na lista de pessoas mais citadas, atrás do cantor canadense Justin Bieber e à frente da estrela pop Lady Gaga. A comemoração, é claro, só poderia ser pelo próprio Twitter. "Amigos, muito legal ser

tão lembrada no Twitter em 2010. Logo eu, que tive tão pouco tempo para estar aqui com vocês. Vamos conversar mais em 2011", escreveu Dilma em mensagem publicada em sua página no microblog. A lista divulgada ontem pelo Twitter põe Dilma à frente também do ator Mel Gibson e do ativista Julian Assange, porta-voz do site Wikileaks. A sétima posição tem outra brasileira: Zilda

Arns, coordenadora internacional da Pastoral da Criança, que morreu no terremoto ocorrido no Haiti em 12 de janeiro. O Twitter também divulgou os destaques de outras sete categorias. Na categoria "Copa do Mundo", o ex-técnico Dunga ficou na quarta posição, perdendo para "FIFA World Cup", "Vuvuzela" e "Pulpo Paul". O termo “Cala Boca Galvão” ficou em sétimo lugar, e o jogador brasileiro

E NTRETENIMENTO

www.pantone-france.com

Os mais vistos no YouTube

Maconha contra o câncer de mama

O Google divulgou a lista dos vídeos mais vistos no YouTube. Em 2010, os usuários assistiram mais de 700 bilhões de vídeos no YouTube, e mais de 13 milhões de horas de imagens foram subidas no site. Vídeos virais e paródias dominaram a lista dos 10 mais vistos do ano. O vídeo Bed Intruder Song, uma música feita a partir de uma entrevista de Antoine Hudson na TV norteamericana após salvar a irmã nos EUA, é o mais visto de 2010. Justin Bieber foi o líder na categoria de clipes musicais, emplacando quatro vídeos. Eminem e Lady Gaga tiveram dois clipes cada entre os 10 mais. Nenhum vídeo brasileiro aparece na lista, que você pode ver no link abaixo.

com ratos e constaram que os cannabinoides podem deter e acabar com as células derivadas de tumores de mama. A descoberta foi publicada na revista Cancer Cell. A propriedade antitumoral viria do receptor de cannabinoides CB2, enquanto os efeitos psicotrópicos associados à droga se devem fundamentalmente ao receptor CB1.

C A R T A Z

SUSTENTÁVEL

E M

http://blog.twitter.com/

Yoshikazu Tsuno/AFP

S AÚDE

Os componentes ativos da maconha podem reduzir o crescimento do câncer de mama e a aparição de metástases. A conclusão é de uma pesquisa realizada por cientistas da Universidade Autônoma de Madri (UAM), da Universidade Complutense de Madri e do Centro Nacional de Biotecnologia. Eles fizeram testes

Felipe Melo, em décimo. Para chegar a esses rankings, o Twitter analisou os mais de 25 bilhões de tuítes que foram enviados em 2010. Na lista geral dos principais "Trending Topics" do ano, o vazamento de óleo no Golfo do México foi o assunto mais citado no microblog. A lista completa de destaques você confere no blog do Twitter (em inglês).

www.youtube.com/rewind

C ONSUMO Sustentabilidade é tema da I Expo Zezinho na Makaya. Casa do Zezinho. Rua Anália Dolácio Albino, 30, Parque Maria Helena. Das 9h às 16h. Grátis.

L

T ELEVISÃO

A RQUEOLOGIA

SBT, agora sem Hebe Camargo

Arqueólogos chineses acreditam ter encontrado uma marmita de bronze com uma sopa preparada há 2,4 mil anos, informou ontem imprensa oficial do país. A descoberta foi feita na escavação de uma tumba na região de Xian (norte), antiga capital chinesa e atual província de Shaanxi. "Esta é a primeira vez na história chinesa que encontramos uma sopa que contém ossos", explicou Liu Daiyun, do Instituto de Arqueologia da província de Shaanxi. "Esta descoberta será particularmente útil para estudar os costumes alimentares dos Reinos Combatentes" (Séculos V-III antes de Cristo), acrescentou.

A apresentadora Hebe Camargo anunciou ontem, durante a gravação de seu último programa de 2010, que não é mais funcionária do SBT. Hebe leu uma carta para a plateia que acompanhava a gravação do programa, previsto para ir ao ar no dia 27 de dezembro. Segundo Claudio Pessutti, sobrinho e empresário de Hebe, a notícia foi comunicada à equipe técnica antes da gravação do programa. Segundo o empresário, o motivo da saída é o fim do contrato da apresentadora. Não houve novo acordo. Especula-se que Hebe esteja sendo sondada pelas emissoras Record, Globo e RedeTV.

Fabio Muzzi/AFP

L

Uma marmita de 2,4 mil anos

SHOW DE NATAL - Vestido de Papai Noel, um treinador de golfinhos se apresenta com seus animais no aquário Aqua Stadium, em Shinagawa, Tóquio. O show é uma atração extra de fim de ano para o público.

As pulseiras que lembram quebracabeças são criações da designer Marina Noronha. A peça que falta é para você lembrar de alguém de quem tem saudades. www.shapeways.com/ shops/cabinetoftrinkets

L OTERIAS A TÉ LOGO

Acesse www.dcomercio.com.br para ler a íntegra das notícias abaixo:

L

Ucrânia planeja abrir usina de Chernobyl para visitantes em 2011

L

L

No País, 77% dos portadores de deficiência se sentem desrespeitados MENOS INCLINADA - Após obras de restauração que começaram em 2002, a Torre de Pisa, na Itália, está cerca de quatro metros menos inclinada. A torre será totalmente liberada para visitações a partir de hoje.

Por atraso no sorteio, os resultados dos concursos 591 da LOTOFÁCIL e 2471 da QUINA não foram divulgados. Confira os números sorteados em: www.caixa.gov.br Divulgação

G @DGET DU JOUR

Para curtir a natureza

O

designer industrial alemão Patrick Frey é o criador deste tapete multiuso, o FIDA, que resolve o problema de quem gosta de curtir a natureza, adora piqueniques ou gosta de fazer yoga ao ar livre. O tapetinho se dobra e se transforma em assento com encosto, além de ser fácil de guardar e transportar. www.patrick-frey.com


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

e

13 OMC Brasil pode questionar política europeia de cota de carne

conomia

TELEFONIA FIXA Governo pode adiar assinatura de novos contratos com operadoras

Leão devora R$ 1,2 trilhão em impostos Montante inédito será contabilizado hoje pelo Impostômetro da ACSP Adriana David

A

arrecadação tributária brasileira vai bater mais um recorde hoje por volta das 12 horas. O montante recolhido por todas as esferas de governo (federal, estadual e municipal) desde o primeiro minuto do ano soma R$ 1,2 tri-

lhão, conforme informações do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). O Impostômetro, ferramenta eletrônica desenvolvida pelo IBPT para a Associação Comercial de São Paulo (ACSP), calcula em tempo real o valor arrecadado pelos cofres públi-

cos com base em dados dos fiscos. "Jamais esta marca foi atingida, pois o total de 2009 foi de R$ 1,09 tri", disse o presidente do IBPT, João Eloi Olenike. Até o fim deste ano a previsão é que seja arrecadado R$ 1,27 trilhão. A fome do Leão não para de crescer. No ano

passado, a receita atingiu um montante de R$ 1,088 trilhão. Acesso à informação – O Impostômetro foi inaugurado em 20 de abril de 2005 por lideranças empresariais que acreditam ser importante a educação tributária para que a população possa cobrar a contrapartida da adequada aplicação dos impostos. No primeiro ano, a arrecadação de tributos ficou em R$ 732 bilhões. Por meio de um site na internet (www.impostometro.com.br), qualquer cidadão pode acompanhar o total de impostos pa-

gos pelos brasileiros em diversas datas e localidades. É possível verificar, por exemplo, o que o governo poderia fazer com o montante arrecadado. Construir mais de 58 milhões de casas populares de 40 m², um pouco mais de 100 milhões de salas de aulas equipadas, e aproximadamente 15 milhões de quilômetros de rede de esgotos, comprar 6 bilhões de cestas básicas, ou contratar em torno de 86 milhões de policiais, fornecer 10 bilhões de Bolsas Famílias. Neste mês de dezembro o

IBPT completa 18 anos de atividades. Originado da Associação Brasileira de Defesa do Contribuinte (ABDC), em Curitiba (PR), o instituto é um instrumento de análise, dentro de parâmetros acadêmicos e científicos, e de informação sobre o cenário tributário brasileiro, desenvolvendo, igualmente, estudos setoriais sobre carga tributária, com base na sua vasta experiência e amplo conhecimento adquirido nas áreas do Direito, das Ciências Contábeis, da Economia e da Administração.

Elza Fiuza/AE

Quem deve declarar

IRPF diz adeus ao papel em 2011

A

Receita Federal do Brasil (RFB) vai começar a receber em 1º de março do próximo ano a declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) de 2011 (ano-base 2010). O prazo de entrega terminará em 29 de abril. E com uma novidade: a declaração não poderá ser mais entregue em formulário de papel. Só serão aceitos documentos enviados pela internet ou entregues em disquetes nas unidades da Receita e nas agências da Caixa Econômica Federal ou no Banco do Brasil. O supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir, informou ontem que o programa só estará disponível para o envio à Receita no dia 1º de março. Mas o fisco vai manter no seu site na internet (www.receita fazenda.gov.br) um modelo da declaração para que os contribuintes possam conhecê-lo. O desenho foi totalmente reformulado, com um novo formato. "O modelo está mais clean (limpo), com uma linguagem mais moderna e amigável", disse. Segundo Adir, a Receita tem dificuldade em processar as declarações em papel porque muitas vezes os servidores do fisco não conseguem nem mesmo entender as informações preenchidas pelo contribuintes. "Não dá mais para conviver com a declaração em formulários de papel", disse o su-

pervisor. Em 2010, a Receita recebeu 65,22 mil declarações em papel. Desse total, 29,516 mil caíram na malha por problemas de preenchimento. O supervisor nacional do IR estimou que a Receita Federal receba em 2011 cerca de 24 milhões de declarações do Imposto de Renda Pessoa Física relativas ao exercício de 2010. Neste ano, a Receita recebeu 23,5 milhões de declarações. Li mit es – De acordo com Adir, a grande novidade deste ano é o novo limite a partir do qual o contribuinte fica obrigado a entregar a declaração do IR. Ele informou que a Receita desvinculou o limite para declarar do limite de pagamento de imposto. Pelas novas regras, quem recebeu neste ano rendimento superior a R$ 22.487,25 está obrigado a entregar a declaração. No IR 2010, o limite mínimo era de uma renda anual do contribuinte de R$ 17.215,08. O supervisor explicou que o novo limite de renda para declaração dá continuidade ao processo de redução do número de declarações que o Fisco deve receber. Em 2010, as medidas que elevaram o patrimônio mínimo que exigia declaração para acima de R$ 300 mil e desobrigaram sócios de empresas a fazer declaração reduziram em 2 milhões o número de documentos entregues por pessoas que não tinham nem imposto a pagar ou a restituir.

V

eja a seguir quem está obrigado a apresentar a declaração do IRPF de 2011 (ano-base 2010): O contribuinte que recebeu rendimento tributável superior a R$ 22.487,25. Quem recebeu rendimentos isentos, nãotributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, acima de R$ 40 mil. Quem obteve ganho de capital na venda de bens ou direitos sujeitos à incidência do imposto, ou que realizou operações em bolsa de valores, de mercadorias e futuros. Quem teve atividade rural e obteve receita superior a R$ 112.436,25 e/ou pretenda compensar prejuízos de anos anteriores e de 2010. Quem tiver em 31 de dezembro de 2010 a posse ou propriedade de bens e direitos, inclusive terra, com valor superior a R$ 300 mil. Quem passou à condição de residente no Brasil. Quem optou pela isenção do IR incidente sobre o ganho obtido na venda de imóveis, cujo dinheiro seja aplicado na aquisição de imóveis residenciais no Brasil em 180 dias. (AE) O supervisor do IRPF afirmou que será instituído um novo limite para determinar entrega da declaração

Segundo Adir, em 2009 esse grupo entregou 12,061 milhões de declarações, enquanto em 2010 o total de documentos entregues de pessoas sem imposto a pagar ou a restituir foi de 10,097 milhões. Apesar de reconhecer as dificuldades de projetar números, Adir disse esperar 1,5 milhão a menos em declarações desse grupo. Retenção – O supervisor explicou que o trabalhador com carteira assinada que recebeu mais de R$ 1.499,15 por mês (R$ 17.989,80 no ano) e teve retenção do tributo na fonte terá de fazer a declaração para o Fisco, a fim de receber a restituição do IR em 2011. Isso vale mesmo com renda anual de até R$ 22.487,25 (R$ 1.873,94 por mês), que retira a obrigatoriedade da declaração. "Quem tem retenção de im-

Tabela congelada

D

posto de renda na fonte terá que fazer a declaração para ter direito à restituição ou porque tem imposto a pagar", disse. O técnico explicou que a regra que elevou o limite que desobriga os contribuintes de entregarem a declaração para até R$ 22.487,25 beneficia pessoas que, por exemplo, recebem salários de duas origens e sem retenção de imposto na

fonte. Adir informou também que homossexuais poderão incluir seus parceiros (desde que haja união estável) como dependentes na declaração do imposto em 2011. "Vale a mesma regra para os casais heterossexuais", afirmou. O limite de dedução por dependente nessa declaração será de R$ 1.808,28 e de educação será de R$ 2.830,84. (AE)

epois de manter uma política de correção anual de 4,5% dos limites da Receita por quatro anos, o benefício previsto em lei termina em 2011. Sobre a possibilidade de correção da tabela em 2011, o supervisor nacional do Imposto de Renda (IR), Joaquim Adir, respondeu: "Para nós, é essa tabela que está aí". Para o Sindicato Nacional dos Auditores-Fiscais da Receita Federal do Brasil (Sindifisco), mesmo com a correção nos últimos quatro anos, a tabela do IRPF está defasada. Cálculos do Sindifisco indicam que o percentual de defasagem da tabela do IR foi de 64,1% entre 1995 e 2010. (AE).


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

15

e Autos: mercado ignora regras. As taxas não mudaram por enquanto. Mas, com menor volume de dinheiro para financiar, os juros vão subir. José Dutra Vieira Sobrinho, Corecon-SP

conomia

Montadoras e concessionárias continuam vendendo automóveis sem entrada, apesar das medidas adotadas pelo Banco Central na semana passada. Masao Goto Filho/e-Sim

Rejane Tamoto*

M

esmo com as medidas restritivas ao financiamento de veículos adotadas pelo Banco Central (BC), há uma semana, as montadoras e concessionárias continuam vendendo carros novos com entrada zero. Os prazos de pagamento, que antes chegavam a 72 meses, porém, não ultrapassam os 60 meses. Segundo as empresas, as taxas de juros ao consumidor foram mantidas, mas podem mudar ao longo desta semana. A Chevrolet, por exemplo, pratica a mesma condição oferecida no feirão do último fim de semana até hoje em suas concessionárias próprias. Pela oferta, um veículo Celta básico, que custa R$ 23.990 à vista, pode ser adquirido em 60 parcelas de R$ 598,50. "As tax a s n ã o m u d a r a m p o r e nquanto. Mas, com menor volume de dinheiro para financiar, os juros vão subir", diz o economista e vice-presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon-SP), José Dutra Vieira Sobrinho. As regras do BC devem encarecer os financiamentos feitos sem entrada e com prazos superiores a 60 meses. Nestes casos, a instituição financeira terá de recolher 16,5% do valor da operação. Antes, o aporte era de 11% do valor total financiado. As medidas têm o objetivo de conter o consumo e evitar a inadimplência do consumidor, que aumenta de acordo com o prazo de pagamento. O índice de calote chega a 9% em contratos com prazo de cinco a dez anos. O número cai para 6% quando o parcelamento é feito entre três e quatro anos. E para 1,5% em financiamentos de até dois anos. Para evitar a elevação no preço do financiamento, o consumidor deve optar por pagar 20% ou mais do valor total em

As novas regras do governo devem encarecer os financiamentos dos carros feitos sem entrada e com pagamentos superiores a 60 meses. O objetivo é conter o consumo e evitar a inadimplência do consumidor, que aumenta conforme o maior número de parcelas.

entrada e financiar o restante entre 24 e 36 meses. Se a quantidade de parcelas aumentar para até 48 meses, o ideal é pagar entrada mínima de 30% do total. Se o prazo for de até 60 meses, a primeira parcela sobe para 40% do total. Se optar por uma entrada maior, o juro pode ser menor. No último final de semana, a Volkswagen anunciou juro de 1,05% ao mês para o veículo Voyage, que custa R$ 30.690. A condição, no entanto, era uma entrada de 46,1% do total e o restante em 60 parcelas de R$ 399. A Volkswagen informou que está revendo as taxas e prazos e divulgará novas condições nos próximos dias. No mercado, estima-se que taxas que antes chegavam a 1,3% passem para 1,8% ao mês em financiamentos sem entrada, pelo prazo máximo de cinco anos. Mesmo assim, a Ford infor-

mou que continuará financiando os carros novos com entrada zero a taxas de juros que variam de 1,53%, para pagamento em 12 meses, até 1,96% para parcelamentos de até 60 meses. Na modalidade leasing, a taxa de juros para veículo sem entrada vai a 1,58% se o pagamento for em 24 meses e para 1,96%, para 60 meses. Na concessionária Sonnervig, que vende exclusivamente veículos da Ford, o modelo básico do KA, que custa R$ 23.990 à vista, é comercializado sem entrada e financiado em 60 parcelas de R$ 699, a uma taxa em torno de 2% ao mês. "O juro aumentou um pouco, cerca de R$ 20 na parcela. Vamos continuar vendendo sem entrada e em até 60 meses", diz o supervisor de vendas Thiago Soares. Ele diz que o modelo de venda é possível por causa de subsídios da montadora. (*Com AE)

Caem os juros do empréstimo pessoal

A

s taxas médias de juros do empréstimo pessoal tiveram leve queda em dezembro, na comparação com novembro, segundo pesquisa divulgada ontem pelo Procon-SP. Já as taxas do cheque especial permaneceram estáveis no período. A taxa média do empréstimo pessoal ficou em 5,27%, abaixo do mês anterior que foi de 5,35% ao mês. Segundo o órgão, a única alteração nos juros do empréstimo pessoal foi feita pelo HSBC, que reduziu a taxa de empréstimo pessoal de 4,82% para 4,3% ao mês, decréscimo de 0,52 ponto percentual. Já a taxa média do cheque especial manteve-se

em 9,12%. A pesquisa foi feita por técnicos do Procon-SP nos dias 2 e 3 deste mês nas seguintes instituições financeiras: Banco do Brasil, Bradesco, Caixa Econômica Federal, HSBC, Itaú Unibanco, Real Santander e Safra. Para a taxa do empréstimo pessoal, foi estipulado o

período de 12 meses, já que todos os bancos pesquisados trabalham com esse prazo. Os dados coletados se referem a taxas máximas prefixadas para clientes não-preferenciais. Para o cheque especial, foi considerado o período de 30 dias. (Folhapress)

DISTRITAL LAPA DC

A Diretriz vem atuando há mais de 15 anos em todo o território nacional, viabilizando o cumprimento das obrigações legais, monitorando os Riscos Ambientais e a Saúde na empresa, através de profissionais altamente qualificados.

e o Conselho da Mulher da Distrital Lapa

Segurança do Trabalho

da Associação Comercial de São Paulo

Fones: (11) 3159-2432 / 3214-4286

desejam um Natal repleto de paz e harmonia. Que 2011 traga prosperidade e realizações

www.diretrizocupacional.com.br Rua Cel. Xavier de Toledo, 210 - 4º and. Cj. 43 - São Paulo - SP

DC

Feliz Natal e um 2011 cheio de realizações, saúde e prosperidade. São os votos de Engº Pedro Luiz Mascagni Brondi, Conselheiro da Distrital Lapa, a todos os amigos e associados da ACSP.

em todos os sentidos." Lys dos Santos D. Superintendente da Distrital Lapa

ASTRAL

ASSESSORIA GERAL AOS CONDOMÍNIOS S/S LTDA.

Administração de Condomínios Assessoria Contábil e Jurídica Individualização de Água Serviços em Geral

Luzia Schiapim dos Santos Coordenadora do CM

Fones: (11) 2527-1293 / 3713-6387 / 3483-9765 DC

DC

R. São Teodoro, 442 - 08290-005 - Itaquera - S. Paulo / SP DC

Nicolau Helito Filho deseja os melhores votos de um Feliz Natal e um próspero Ano Novo a todos os amigos da Distrital Lapa da Associação Comercial de São Paulo, na pessoa do seu superintendente, Sr. Lys dos Santos.

Medicina do Trabalho

DC

"A Diretoria Executiva, o Conselho Diretor

Saúde, Segurança e Meio Ambiente do Trabalho

Imobiliária Cabral Qualidade e variedade ao seu alcance rnes.c

om w ww.multica • Aves • Cortes Bovinos • Industrializados • Lácteos • Linha Grill • Ovinos • Pescados • Polpa de Frutas • Porcionados • Suínos • Super Gelados • Vitelos • Bebidas

Av. Dr. Gastão Vidigal, 1946 - Portão 12 - Ed. 14 - Ceagesp - Vl. Leopoldina São Paulo - PABX: 11 3643-8100 - comercial@multicarnes.com

Vendas - Locações - Administração

Fone:

11

3862 7351

Rua Desembargador do Vale, 850 - Perdizes - São Paulo/SP


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Esse é o melhor resultado de novembro desde que o INCC foi criado, em 2007. Emílio Alfieri, economista do IEGV/ACSP

conomia Mário Angelo/Folhapress

Expansão do crédito continua no fim de ano INCC indica alta no financiamento, mas tendência deve desacelerar em 2011. Vanessa Rosal

O

Índice Nacional SCPC de Crédito ao Consumidor (INCC), elaborado pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP), apontou alta de 11,3% nas vendas a prazo em novembro ante igual período de 2009, e de 4,5% sobre outubro. Os números confirmam a continuidade da expansão de compras a crédito e de financiamento ao consumidor, observado nos últimos meses – e apontam para um Natal movimentado em shopping centers e ruas comerciais. De olho nessa tendência, a

expectativa da ACSP é de que as consultas para as vendas de final de ano cresçam cerca de 12% em comparação com igual período de 2009. Segundo o economista do Instituto de Economia Gastão Vidigal (IEGV) da ACSP, Emílio Alfieri, um dos motivos é o otimismo do consumidor, confiante na manutenção do emprego e no aumento da renda. "Esse é o melhor resultado de novembro desde que o índice foi criado, em 2007, quando atingimos 110 pontos." Ele afirmou que, entre 1 e 9 de dezembro deste ano, hou-

Inflação no varejo puxa aumento do IGP-M

O

avanço da inflação do varejo, de 0,39% para 0,69%, foi a principal contribuição para a taxa maior da primeira prévia do IGP-M, que saltou de 0,79% para 0,83% de novembro para dezembro. A análise foi feita ontem pelo coordenador de Análises Econômicas da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros. Ele explicou que, no caso da inflação percebida junto ao consumidor, o destaque mais uma vez ficou por conta dos alimentos, cuja elevação de preços se intensificou (de 0,85% para 1,43%) no período. Quadros comentou também que o varejo ainda sente o efeito de repasse dos

aumentos de preços das matérias-primas agropecuárias no atacado, ocorridos em novembro. A carne no varejo continua em alta, com destaque para a alcatra (8,22%). No entanto, ele fez uma ressalva: os preços dos alimentos não são os únicos em alta. Preços não-relacionados à alimentação também estão subindo, principalmente os ligados a serviços. É o caso das passagens aéreas, que saíram de uma queda de 5,47% em novembro para um avanço de 10,48% em dezembro. "Os preços do vestuário também estão acelerando (de 0,86% para 1,19%), visto que acabou o tempo de liquidações", acrescentou o analista. (AE)

ve alta de 10,1% nas vendas a prazo em relação a igual período de 2009, observando-se maior expansão das consultas aos SCPCs e SPCs no Nordeste, com 13,3%. A seguir vieram o Sudeste (12,8%), o Centro-Oeste (9,3%) e o Sul ( 7 , 7 % ) . A p e n a s n a re g i ã o Norte houve recuo, de 3,6%. D es a c el e raç ã o – Para o economista-chefe da ACSP, Marcel Solimeo, as expectativas para o final do ano também são positivas, com crescimento bastante significativo do crédito e das vendas do varejo. No entanto, em 2011 esse qua-

Empresas realizam evento promocional para atrair os consumidores de fim de ano na Rua 25 de Março dro deve mudar, com redução da taxa de expansão do crédito para as pessoas físicas – implicando em um menor crescimento das vendas do varejo. "Se por um lado os dados parecem justificar as medidas recentes do Banco Central para restringir a expansão do crédito (via elevação do depósito compulsório) e aumentar o

custo dos financiamentos de prazos mais longos, por outro a expressiva expansão dos gastos do governo atua em direção contrária, pressionando a demanda", avaliou. Ele disse esperar a confirmação das promessas de corte de gastos do governo, a fim de que sobre espaço para manter o crescimento do consumo pri-

Fantasma da pane dos cartões ronda comércio paulistano Neide Martingo

Marcos Peron/Virtual Photo

C

om o aquecimento esperado para as compras de fim de ano, a preocupação dos lojistas agora é a capacidade de concretizarem as operações feitas por meio de cartões de crédito ou débito. Vale lembrar que, em 24 de dezembro do ano passado, aconteceu uma grande pane no sistema da Redecard, e por conta disso muitos comerciantes perderam vendas. Os clientes das três lojas da Tabacaria Lee – presente nos shoppings Ibirapuera, Center Norte e Pátio Higienópolis – podem pagar contas com as maquininhas da Cielo e da Redecard. O gerente comercial da empresa, Paulo Rogério Gonçalves, disse que se sente mais seguro em relação ao atendimento das operadoras de cartão. Ele teve apenas um problema até agora: um terminal da Cielo parou de funcionar na loja do Center Norte neste mês. "Em menos de duas horas a ocorrência foi atendida. A impressão é que a pessoa que atende o lojista, na central, não está totalmente preparada. Mas ela passa a ocorrência para quem pode resolver", afirmou o gerente. Segundo Gonçalves, o período de maior movimento nas três unidades da Tabacaria Lee deve acontecer nos dias 18, 19 e 20 de dezembro. "Espero que o cenário continue assim. O material humano é bastante importante neste tipo de atendimento. E as operadoras melhoraram – têm muitos funcionários atendendo os lojistas de cada um dos shop-

Aumento do movimento em dezembro deixa lojistas apreensivos.

ping centers." Ele projeta um crescimento de 15% nas vendas deste Natal, em relação a igual período de 2009. Demora – O sub-gerente da surf shop Star Point do Shopping Bourbon, Leandro Augusto França, também está satisfeito com o desempenho dos sistemas de pagamento. Mas ele afirmou que faz até promessa para não precisar das empresas. É que ele precisou ligar para uma delas e teve muita dor de cabeça. "Precisava fazer o estorno de uma compra feita com cartão de débito. Eu ligava e era atendido pelas gravações, que iam me passando de setor em setor. Resultado: demorou três dias para eu conseguir resolver a pendência", contou. Na última quinta-feira, quem precisou fazer compras na loja Fascar do Shopping Pátio Paulista, especializada em calçados e acessórios masculinos, só pôde pagar em dinheiro. A opção era descer um lance de escadas e fazer o saque nos caixas eletrônicos. De acordo com o gerente da

loja, Juraci Pinheiro, o problema, que durou 40 minutos, foi causado por uma falha da Telefônica. O sistema utilizado pela Fascar é o de transferência eletrônica de fundos (TEF), que substitui as tradicionais maquininhas das operadoras. "O movimento está muito grande. Por enquanto, deu tudo certo", completou. Na loja Doural, da Rua 25 de Março, o período mais esperado de vendas já aconteceu. "Se os problemas não aconteceram até agora, com o grande número de operações, a expectativa é de que o mês de dezembro seja tranquilo. Está tudo em ordem", detalhou a secretária da Doural, Izilda Bernardes. O p e ra d o ra s – As empresas de cartões foram procuradas para comentar o movimento de dezembro, e o que está sendo feito para atender os lojistas. A assessoria de imprensa da Cielo disse que a companhia não falaria sobre o assunto. Já a Redecard lembrou que desde 3 de dezembro busca concentrar esforços para atender seus clientes.

vado – embora a uma taxa inferior à observada em 2010. Os dados do INCC revelam ainda que a expansão do crédito ocorre sem aumento da inadimplência. "O número de registros recebidos pela rede cresceu 11,6%,mas foi compensado pelo incremento de 13,4% nos cancelamentos", finalizou Solimeo.

Papelão tem melhor mês da história

A

indústria brasileira de papelão ondulado comercializou 217,752 mil toneladas do produto em novembro, segundo dados preliminares divulgados ontem pela Associação Brasileira do Papelão Ondulado (ABPO). O resultado representa queda de 2,33% em relação a outubro, mas é 3,25% superior ao registrado em novembro do ano passado. A retração dos negócios na comparação com outubro era esperada, uma vez que sazonalmente os meses de agosto a outubro são mais favoráveis ao setor. Por isso, o resultado de novembro, a despeito da queda na comparação mensal, representa o melhor volume de vendas para o mês da história do levantamento, iniciado em 2000. O recorde anterior foi atingido em novembro do ano passado, quando as vendas alcançaram 210,896 mil toneladas. As vendas de janeiro a novembro somaram 2,342 milhões de toneladas de papelão ondulado, 12,77% a mais que em igual período de 2009. Outro dado é que em apenas 11 meses o setor já superou todo o volume comercializado em 2009 (2,273 milhão de toneladas). O montante vendido entre janeiro e novembro representa um novo recorde anual para o setor – acima da marca de 2008, quando as vendas superaram em 81 toneladas o total vendido no ano passado. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

e Fundos de índices ganham espaço

17 O Brasil ainda engatinha nesse tipo de investimento (os ETFs). Saulo Mendes, da BlackRock

conomia

Marco de Paula/ AE

Com lançamento efetivo em 2008, os ETFs já movimentam R$ 40 milhões por dia. Renato Carbonari Ibelli

O

s Exchange Traded Funds (ETFs) vêm ganhado espaço na Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros de São Paulo (BM&FBovespa). Esse tipo de investimento mais que dobrou em volume negociado de 2009 até então e hoje alcança a média de R$ 40 milhões diariamente, levando-se em conta os sete ETFs existentes no Brasil. O principal deles, o BOVA11, movimenta ao dia uma média de R$ 28 milhões e recentemente alcançou a 14ª posição entre as ações mais transacionadas na bolsa, ao bater os R$ 66,12 milhões negociados no dia 19 de novembro. Os ETFs são fundos que replicam a evolução de um determinado índice, mas com a particularidade de serem movimentados no mercado como se fossem ações. Assim, combinam a vantagem da diversificação, uma característica dos fundos de investimento,

com a facilidade de negociação das ações. O BOVA11, por exemplo, replica a carteira de 68 ações do Ibovespa, mas que, ao contrário dos fundos tradicionais, pode ser negociado ao longo do dia. Uma outra vantagem são suas taxas de administração, que são bem menores do que as dos fundos convencionais. No caso do BOVA11, essa taxa é de 0,54% ao ano, enquanto a dos fundos tradicionais é de 3% em média. Além disso, há um fator educacional nos ETFs, como destaca Saulo Mendes, diretor de Mercado de Capitais da BlackRock. Segundo ele, o investidor de fundos tradicionais não interage com o investimento, já que tem o gestor da instituição financeira que administra o fundo. Quem investe em ETF tem de acompanhar as oscilações do mercado e os relatórios. Por outro lado, uma desvantagem do investimento é o custo de

corretagem na aplicação e resgate – ele é negociado como se fosse uma ação normal. A BlackRock é gestora de seis dos sete ETFs negociados no Brasil, inclusive o BOVA11. O Itaú Unibanco gere o outro e deve lançar em breve um segundo, o ETF Financeiro. De acordo com Mendes, a BlackRock também pretende ampliar suas opções em 2011. Apesar do movimento ascendente, os ETFs ainda são pouco representativos no total negociado na BM&FBovespa. "O Brasil ainda engatinha nesse tipo de investimento – os ETFs são relativamente novos no País. Agora é que está começando a pulverizar a liquidez", diz Mendes. Os ETFs existem no Brasil desde 2004, quando foi introduzido o PIBB11. Mas o investimento só começou a deslanchar em 2008, quando a BlackRock formou os fundos de índices, chamados de Ishares.

Acordo aproxima bolsas

A

BM&FBovespa firmou com a Bolsa de Comercio de Santiago (BCS) um acordo de operação conjunta, que prevê a conectividade entre as duas bolsas, considerando o roteamento de ordens e a distribuição de informações de mercado. Segundo o comunicado divulgado ontem, a parceria também inclui ações como o desenvolvimento do mercado de derivativos

chilenos na BCS, o estabelecimento de iniciativas conjuntas referentes à liquidação, compensação e Contraparte Central Garantidora, e o acesso à rede de negociação BM&FBovespa/CME para mercados administrados pela bolsa chilena. "As bolsas têm a intenção de, conjuntamente, buscar uma solução tecnológica que permita o roteamento de ordens

entre ambas as instituições, cujo alcance deve abranger, inicialmente, ações listadas em cada uma das bolsas, bem como opções de ações e outros derivativos correlatos", afirmou a BM&FBovespa. A iniciativa permitirá que corretoras da BCS enviem ordens de compra e venda para a negociação de produtos e ativos brasileiros na BM&FBovespa e viceversa. (AE)

Captações entre US$ 15 bilhões e US$ 16 bilhões foram obtidas. Em 2011 virão novas.

Petrobras: meta cumprida.

O

diretor financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, afirmou ontem que a companhia já concluiu as captações que esperava fazer neste ano, num total entre US$ 15 bilhões e US$ 16 bilhões. A maior parte das operações foi feita junto a bancos internacionais de fomento e incentivo às exportações norteamericanos, europeus e asiáticos, mas também houve algum volume contratado no sistema bancário brasileiro. "Por não se tratar de um

bond, não são operações públicas e por isso não as detalhamos", disse o diretor em rápida entrevista após receber o prêmio Equilibrista do Ano, do Instituto Brasileiro de Executivos Financeiros (Ibef). Segundo ele, a companhia deve repetir em 2011 o mesmo volume de captações feitas em 2010. A Petrobras deverá captar até US$ 40 bilhões nos próximos quatro anos para cumprir seu plano de investimentos, que está passando por uma revisão.

O volume vai se juntar ao total resultante da capitalização realizada em setembro e ao fluxo de caixa da companhia. "Temos condições de caixa para cumprir o plano do próximo ano, que prevê investimentos de US$ 45 bilhões, mas não podemos esperar zerar os recursos para buscar o mercado. O melhor momento para se contrair dívida é quando há recursos em caixa, porque diminui o risco", disse. Ele não quis dar mais detalhes sobre os investimentos da companhia neste ano. (AE)

DC

DC

DISTRITAL JABAQUARA CASA

"A ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO,

D AGUA

Distrital Jabaquara, deseja manifestar seus

MAIS DE 30 ANOS Fazendo sua obra fluir com qualidade

EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS

sentimentos de gratidão e afeto aos seus

Bombas - Filtros - Pressurizadores

associados, amigos e empresários. E deseja, ainda, que o período de Natal ilumine seus caminhos, fazendo com que o

Peças e Reposições - Assistência

Ano Novo lhes traga sucesso empresarial, pessoal e familiar."

Técnica - Contratos de Manutenção

São os votos de

Preventiva e Corretiva 11 5031 9114 www.acasadagua.com.br

Soriano Müller Diretor-Superintendente Distrital Jabaquara

DC

“...Larry Page, Sergey Brin (Google), Jeff Bezos (Amazon), Jimmy Wales (Wikipédia) estudaram em escolas Montessori*...”

Reservas para 2011 www.primamontessori.com.br - 5563-1392

VENDO SOBRADO NOVO CAMBUCI

DC

*Fonte: Jornal El Mercurio, Santiago, Chile, 08 de junho de 2008.

O que seu filho pode ter em comum com os fundadores do Google, Amazon, e Wikipédia?

Fone:

3 dorms., 1 suíte, cozinha planejada, edícula, direto com o proprietário. Entrada R$ 25.000,00 + dívida parcelada

Tel.: 11 6446-6885 com Cézar


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

O lojista pode armazenar dados em um servidor vulnerável sem saber disso Bernardo Carneiro, diretor-executivo do Site Blindado

nformática

Salvem o Natal! Essa é a época com mais ataques a sites e PCs. Previna-se para garantir compras e vendas tranquilas. BARBARA OLIVEIRA

o Natal, a internet vira alvo fácil para roubos online. São hackers atuando em sites de e-commerce, ou inescrupulosos enviando falsos e-mails e links perigosos ao consumidor na busca de dados pessoais. A história se repete anualmente, mas os truques se renovam. É o momento de tanto lojistas como internautas ficarem atentos para atuarem em zonas seguras do ciberespaço, ou pelo menos, um pouco menos perigosas. A atenção deve ser redobrada dos dois lados, tanto de parte do consumidor quanto do vendedor. O lojista conta com várias tecnologias para garantir legitimidade do seu site e tornar a venda mais segura. "A conscientização sobre a segurança na internet aumentou muito nos últimos anos", afirma o diretor de Novos Produtos da Certisign, Márcio Nunes. A Certisign é uma das maiores autoridades certificadoras existentes no mercado, com mais de dois milhões de certificados emitidos nos últimos cinco anos (de todos os tipos: para sites, pessoas, aplicações corporativas). Esses certificados digitais SSL (Secure Socket Layer) ativam o cadeado ou o HTTPS no browser para garantir a autenticidade do site e proteger as informações que ali trafegam. "A comunicação entre o navegador utilizado pelo cliente e o comércio online é criptografada, evitando roubos ou bisbilhotices na hora do cadastro ou do pagamento", explica Nunes. Mesmo com esse tipo de precaução, existem perigos. Um estudo recente do Kaspersky Lab diz que 1 em cada 150 sites legítimos está infectado e oferecendo alguma ameaça digital aos visitantes. Em 2006, essa proporção era de um em cada 20 mil páginas da web. O analista de malware da empresa, Fábio Assolini, lembra que os websites de grande audiência possuem, em média, sete vulnerabilidades graves que podem ser exploradas para fins maliciosos. O ex-hacker e hoje consultor de segurança, Marcos Flávio Assunção, observa que para evitar expor os dados de seus clientes o comércio deve investir em diversos níveis de proteção além do acesso criptografado. "A loja precisa de um bom IDS (sistema de detecção de intrusos) para detectar e impedir ataques em tempo real, além de tomar cuidado com o armazenamento de informações dos cartões de crédito em um banco de dados". O serviço Site Blindado é uma novidade recente. Quando o site comercial recebe esse selo e expõe na sua homepage (com outros certificados) é porque ele foi avaliado pela equipe do Site Blindado, e "já faz parte da turma dos portais seguros recebendo a confiança do consumidor", diz Bernardo Carneiro, diretor-executivo da empresa. Ela faz várias análises de vulnerabilidade, com varredura de segurança na infraestrutura (servidores) da loja virtual. "O lojista pode armazenar dados em um servidor vulnerável sem saber disso, ou exibir falhas nos campos de login e senha, suscetíveis a invasões de hackers (para alterar os preços dos produtos, por exemplo)," acrescenta. "Às vezes, os sites são feitos por gente pouco especializada em TI e mais voltada ao interesse do marketing, cuja preocupação não é proteger banco de dados ou campos virtuais de cadastros", afirma Paulo Veras, sócio-diretor do Imperdível, serviço online de compras coletivas e licenciado pelo Site Blindado. Veras utiliza outras ferramentas no Imperdível para assegurar as compras de seus clientes, entre elas os sistemas de pagamento PagSeguro e o MercadoPago. Com isso, os dados dos cartões dos clientes não são armazenados no site, mas direcionados para as operadoras (Amex, Master, Visa etc.). Outro serviço de blindagem é a validação do certificado digital. "Avaliamos se os dados estão trafegando em canais seguros mesmo", acrescenta Carneiro, que mantém parceria com a CertiSign. O Site

N

Blindado tem mais de 800 clientes com seu selo (quase todos de ecommerce). "Todas as semanas analisamos centenas de endereços de e-commerce, 83% apresentam algum tipo de vulnerabilidade". As ações também se estendem a varreduras mais complexas com análises de malwares ou SQL injection (vulnerabilidade pela qual os invasores inserem dados no campo virtual), falhas muito comuns hoje em dia. Ao serem encontrados esses tipos de brechas, alertas são emitidos ao cliente por e-mail para ele tentar corrigir a proteção. "Fazemos vários testes de penetração em lojas online, invadindo portas deixadas abertas". As ferramentas sugeridas nesses casos são firewalls para filtrar as requisições do site. Os grandes varejistas utilizam essas camadas superiores de segurança, inclusive data centers exclusivos. Os pequenos podem compartilhar os firewalls para reduzir o preço. Uma boa análise de segurança sai a partir de R$ 300 mensais, dependendo da complexidade, o preço aumenta. O Buscapé, com milhares de lojas e de ofertas diárias, também toma cuidados para evitar a frustração do seu usuário com lojas sem reputação. Rodrigo Borer, executivo-chefe de operações da empresa, diz que a principal arma do Buscapé é a informação. "Com os varejistas conhecidos não há problemas, sempre existem opiniões de outros consumidores e feitas avaliações pelo e-bit (serviço de avaliação do grupo Buscapé)". Quando a loja é desconhecida, fica em experiência no Buscapé esperando opiniões de internautas. "Se ela não tiver nenhum comentário, a gente informa ao consumidor, e se ele quiser continuar a compra assim mesmo, a responsabilidade é do usuário". Caso tenha problemas com determinado site, o cliente informa o Buscapé, e assim se forma um índice de reputação. O portal tem uma lista negra com cerca de 50 nomes de lojas não recomendadas. "Muitas delas já desapareceram do mercado". Uma solução mais avançada para a segurança de sites, conhecida como EV SSL (Extended Validation SSL), também é fornecida pelas empresas certificadoras. Em navegadores mais atuais (Explorer 6.0 e Firefox 3.0) a ferramenta permite que a barra de endereços do browser fique verde, confirmando a identidade da URL. Segundo Márcio Nunes, da Certisign, o melhor dos mundos seria que também o internauta tivesse esse tipo de identificador para que o lojista soubesse que o cliente é ele mesmo e não um fraudador. Usuário final - Quando a vítima é o internauta, os golpes natalinos vêm de todos os lados. A McAfee alerta sobre os principais perigos nesta época: falsas ofertas de iPad gratuito, vale-presentes, spams com empréstimos e cartões de crédito virtuais inexistentes. Os oportunistas também desenvolveram ataques via SMS, chamado smishing (mensagens de textos com phishing), aparentando serem de bancos ou lojas e pedindo ao cliente para ligar para determinado número com o objetivo de verificar informações cadastrais. Manter o antivírus e o sistema operacional atualizados são regras básicas. Os especialistas dizem que os sites confiáveis e bem estabelecidos devem ter selos de proteção, certificados digitais, comentários de usuários sobre a compra (as avaliações são encontradas no Reclame Aqui, Buscapé, Bondfaro, e-bit). O Movimento Internet Segura diz que os usuários devem ficar longe de promoções muito inferiores ao mercado. A loja, mesmo virtual, precisa também ter um CNPJ, telefone e até endereço físico.

GADGETS

Fluke Networks lançou o Testador Wi-Fi AirCheckTM, uma ferramenta portátil para checar e solucionar problemas das

Vigie com software gratuito circulação de pessoas nesta época do ano nas lojas físicas é grande e o varejista precisa tomar cuidado também com a segurança de seu estabelecimento para evitar roubos ou danos às mercadorias. As câmeras de vigilância remota já fazem parte do dia a dia do comércio e vêm ganhando popularidade nos últimos anos. Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança, o País dispõe hoje de 1,3 milhão de câmeras de vigilância em empresas e residências. Mas de nada adianta essa preocupação com a segurança se não existir um bom software de monitoramento de vídeos por trás. E com a popularização da tecnologia, os custos também tendem a cair. A Visionica é uma fornecedora de segurança eletrônica que está lançando um software em cloud computing gratuito para comércio, restaurantes, condomínios, empresas e usuários finais. O estabelecimento precisa dispor de câmeras IP ou um sistema de DVR (gravador de vídeo digital, que capturam e gravam as imagens), um computador e uma conexão de banda larga (com capacidade de 200 a 300 Kbps de upload das imagens). O software da Visionica é baixado gratuitamente pelo site www.visionica.com. O diretor

A

Divulgação

Os usuários acessam suas câmeras por meio de uma interface única da empresa, Edson Pacheco, destaca a interface intuitiva, semelhante aos programas de mensagens instantâneas. Os usuários acessam remotamente suas câmeras (instaladas em diversos locais) por meio de uma interface única, cujas imagens aparecem na tela do computador de forma agrupada em mosaico (mostrando os vários setores filmados) ou em janelas independentes. "O valor pago por licenças de software encarece o sistema do usuário", diz Pacheco. Por isso, a Visionica disponibiliza o software "na nuvem" a custo zero. Mas, se o cliente precisar de gravações e backups remotos das imagens capturadas – uma solução necessária em caso de roubo das próprias câmeras e de sistemas de gravação no estabelecimento, a Visionica

GPS

Ajuste na rede sem fio

A

MAX

atuais redes locais sem fio (WLAN). O testador permite aos usuários identificarem problemas de cobertura e conectividade, detectar pontos de acesso (APs) não autorizados ou intrusos, enxergar sobrecarga de redes e canais, detectar interferências e validar ajustes de segurança. Preço sob consulta pelo tel. (11) 3759.7628 e pelo site www.flukenetworks.com/ demoaircheckbr

Roteiro de compras e luzes este Natal, um guia prático do GPS Tom Tom ajuda o turista ou o próprio morador a encontrar os principais pólos comerciais da capital paulista e o melhor caminho para se chegar aos pontos de decoração natalina. Para baixar as rotas, basta entrar no site www.tomtom.com.br/support/ index.php?FID=6930, selecionar a opção "adicionar tráfego, vozes, radares, etc" e escolher.

N

cobrará pelo serviço adicional. Os custos mensais variam de US$ 10 a US$ 50 por mês, dependendo do serviço e do número de câmeras. Em caso de invasão ou roubo, as imagens são preservadas, pois os vídeos são gravados e armazenados remotamente em data centers dentro e fora do Brasil, com operação ininterrupta e redundância. O backup das imagens fica armazenado por sete dias. Quanto à gravação remota, Pacheco adianta que ela exige muita banda de internet dependendo do número de câmeras. Se o número for elevado, a qualidade das imagens cai. Os clientes podem optar por gravar localmente e apenas solicitar o backup depois. (B.O.)

ACESSÓRIOS

n

Capas protetoras para iPad om a chegada do iPad ao Brasil cresce a oferta de acessórios. O iSafe, distribuído pela Mobimax, é um kit de proteção com três produtos. Oferece uma capa de neoprene e uma capa de acrílico transparente – que se encaixa no equipamento para protegê-lo de riscos e arranhões. O terceiro produto do kit da Mobimax é uma película protetora para facilitar a limpeza, já que o iPad é touchscreen e a

C

tela ganha várias marcas de dedos ao longo do dia. O preço do pacote iSafe varia de R$ 129 a R$ 149 no varejo. Mais informações sobre o produto no site www.mobimax.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

19 Teremos um canal de distribuição, revendas, suporte e assistência técnica Luis Viloria, diretor da divisão Toughbook da Panasonic na América Latina

nformática

Nem elefante consegue destruir Notebooks da linha Toughbook foram projetados para resistir às piores condições de uso BARBARA OLIVEIRA

Panasonic acredita que o Brasil terá um crescimento acima da média em 2011 e fará grandes investimentos em logística e infraestrutura, com destaques para petróleo, siderurgia, construção civil, segurança pública, telecomunicações, indústria automobilística e saúde. Esses segmentos exigem equipamentos robustos e diferenciados, resistentes a intempéries e a quedas. Com essas características, chega ao Brasil a linha Toughbook, agora com canais de distribuição e suporte de revendas locais. São máquinas portáteis, mas que podem trabalhar em condições bem adversas. Alguns testes feitos por revistas especializadas, e demonstradas em vídeos pela Panasonic, mostraram o nível de estresse a que foram submetidos alguns modelos Toughbook: água e refrigerante foram derramados no teclado, o equipamento caiu a uma altura de um metro e meio e chutado para longe, a tampa do notebook foi pisada por uma pata de elefante e parte do equipamento foi mordida por um tigre. Mesmo assim, com algumas avarias, o computador continuou funcionando. A família Toughbook é produzida em Kobe, no Japão, numa fábrica onde 300 funcionários são dedicados a área de desenvolvimento e inovação desses produtos. Nos Estados Unidos, as máquinas são utilizadas há 15 anos, e nesse nicho de computadores robustos, os modelos Panasonic detêm 75% do mercado, auxiliando principalmente as

Divulgação

A

Com preços entre R$ 10 mil e R$ 25 mil, em configurações diversas, há modelos militares, para áreas perigosas e para executivos

Forças Armadas (em guerras mundo afora) e segurança pública dentro do país, informa o diretor da divisão Toughbook da Panasonic na América Latina, Luis Viloria. Agora, os computadores serão vendidos no País pela distribuidora CDC Brasil. "Teremos um canal de distribuição, revendas, suporte e assistência técnica", diz Viloria. O

Brasil será o segundo mercado latino-americano (depois do México) a receb e r e s s a s m áquinas com uma estrutura de vendas local, embora sejam produzidos no Japão. São modelos com preços entre R$ 10 mil e R$ 25 mil em configurações diversas: para fins militares (totalmente robustos), uma linha especial para uso em áreas restritas (sujeitas a explosões); os semirobustos e os apropriados a executivos e a profissionais com uso intenso em viagens e deslocamentos. Todos trazem processadores Intel de última geração, alta capacidade de processa-

mento e Windows 7. O modelo 31 é um notebook no formato de maleta e protegido contra choques, com tela sensível ao toque e bateria com até 11 horas de autonomia. O Toughbook portátil 19, cujo gabinete é em liga de magnésio, pode ser jogado de uma altura de 1,80 m sem quebrar. Ele é um notebook que se transforma num tablet e tem uma alça embutida para ser carregado. O H1 vem em duas versões: um tablet para trabalho em campo (cor cinza) e outro para área de saúde, funcionando como assistente clínico móvel em hospitais, clínicas e ambulâncias. Ele é vedado e pode ser higienizado facilmente, tem 3G e Wi-Fi. O modelo mais portátil é o U1 Ultra, com GPS, câmera e leitores de código de barras. Ele cabe na palma da mão e é próprio para ser embutido em carros de polícia e em trabalhos de campo.

Sergio Kulpas sergiokulpas@gmail.com

O 'cross-channel'

E

m palestra recente, Chris Ladd, vice-presidente de varejo e web da marca de calçados Crocs, disse que é um erro desconsiderar o varejo "crosschannel", que promove o cruzamento de várias plataformas de vendas. Ladd estava passando um recado indireto para Jamie Nordstrom, presidente da rede de lojas Nordstrom Direct, que declarou ao New York Times que os "consumidores que usam sistemas crosschannel gastam quatro vez mais tempo nas compras que os compradores de lojas tradicionais". Chris Ladd também é um veterano no setor de varejo dos EUA, mas ele nunca trabalhou com lojas de cimento-e-tijolo. Sua carreira foi construída sobre o comércio online e outras tecnologias eletrônicas, e só agora ele também supervisiona as lojas físicas. Sucesso – A Crocs é uma das maiores histórias de sucesso no varejo dos últimos cinco anos, em boa parte pelo investimento maciço em múltiplos canais de venda e distribuição. Começou como uma pequena operação em 2005, vendendo um único modelo de tamanco feito de resina plástica. Hoje, a marca vende 250 modelos de calçados em 120 países, com 777 parceiras de varejo, 69 lojas próprias e 23 sites globais de e-commerce. Deve fechar 2010 com faturamento de US$ 850 milhões, 61% gerados nos mercados globais. Ladd enumera 10 estratégias que ajudaram a Crocs a expandir sua presença e canais de venda em escala mundial: 1) Quiosques de internet nas lojas. Os consumidores que fazem pedidos através do quiosque rece-

bem sua encomenda através de um centro de distribuição, e a loja de cimento-e-tijolo recebe uma comissão pela venda. 2) Adotar o aplicativo Red Laser para scanners de mão. Esse aplicativo de leitura de código de barras permite que os consumidores possam comparar produtos. Foi baixado mais de 4 milhões de vezes. 3) Cupons e promoções via SMS. Além de ser um meio eficiente de apresentar ofertas, permite a criação de um banco de dados de clientes. 4) Crie um programa "dropship" – este sistema permite que a marca terceirize tanto a venda como a distribuição do produto, sem precisar se preocupar em estocar ou distribuir as mercadorias. 5) Aceite cupons gerados via internet. Você pode usar códigos de barra, mas isso não é obrigatório. Basta digitar o código na máquina registradora. 6) Indique as lojas preferenciais de sua marca no site. Quando os clientes se cadastrar, a loja mais próxima ficará em destaque. 7) A web é uma ferramenta da loja. Não é apenas comércio, trata-se de acrescentar utilidade e valor. O essencial é unir o que está na loja física com o que está no site. 8) Invista em programas de fidelidade e participação. Os prêmios ajudam a divulgar a marca com boas promoções nos sites sociais. 9) Vales-presentes e carteira móvel. O Swagg.com é um bom exemplo de sistema que permite criar vales-presentes através do celular. 10) Vendas coordenadas. As operações online e offline precisam funcionar totalmente integradas, em completa harmonia.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Convênio do BNDES financiará três programas de apoio a micro, pequenas e médias empresas, cada um no valor de US$ 2 bilhões.

conomia

John Kolesidis/Reuters

América Latina deve desacelerar em 2011 Segundo relatório da Cepal, crescimento econômico será menor do que a alta projetada para este ano.

Redução de salários é uma das medidas que tem gerado protestos

Grécia inicia semana de greves contra medidas econômicas

T

rabalhadores gregos dos transportes públicos e da mídia iniciaram ontem uma semana de greves contra o pacote de medidas de austeridade, com a previsão de que voos serão cancelados, serviços públicos afetados e o lixo se empilhará nas ruas no período que antecede o Natal. O Parlamento começou nesta segunda-feira a discutir um projeto de lei para limitar os salários pagos nas estatais e introduzir negociações salariais por empresa no setor privado. Essas duas alterações são elementos-chave no acordo de apoio financeiro de 110 bilhões de euros fechado com a União Europeia (UE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI). Ônibus públicos em todo o país e o metrô de Atenas ficaram parados por seis horas. Os funcionários da emissora estatal ERT participaram da greve, e os do banco estatal ATEbank fizeram 24 horas de paralisações rotativas. Os protestos devem chegar

ao auge amanhã, dia para o qual os principais sindicatos do setor público e privado convocaram uma greve geral de 24 horas. Voos serão cancelados e todos os serviços públicos, incluindo a coleta de lixo, sofrerão paralisações. "Não haverá aviões no ar na quarta-feira", disse o secretário-geral do sindicato de controladores do tráfego aéreo, Yannis Kourmoulakis. "As medidas estão nos prejudicando; não teremos como pagar nossas contas." Os credores internacionais insistem que o setor público precisa reduzir o desperdício e que os contratos de trabalho devem ser flexibilizados, para aumentar a competitividade e garantir o crescimento econômico – e evitar uma moratória soberana que abalaria a zona do euro. Mas o pacote de ajuda enfureceu os sindicatos, que responsabilizam os credores da Grécia pela recessão prolongada e o desemprego crescente. (Reuters)

A

s economias latinoamericanas crescerão menos em 2011. Relatório divulgado ontem pela Comissão Econômica para América Latina e o Caribe (Cepal) mostra que a região terá uma expansão de 4,2% no próximo ano – menor do que a estimativa de crescimento de 6% para 2010. "Diversos fatores começaram a indicar, a partir do segundo semestre de 2010, um cenário menos otimista para a economia internacional que, somado à diminuição do impulso proveniente dos gastos públicos e o esgotamento da capacidade produtiva ociosa, devem levar a um menor dinamismo das economias da América Latina e Caribe em 2011", apontaram os técnicos da Cepal, uma das cinco comissões econômicas regionais da Organização das Nações

Unidas (ONU), no documento. O Brasil deve crescer 4,6% no próximo ano, seguindo uma expansão de 7,7% estimada para este ano, avaliam os técnicos da Cepal. Recuo – A desaceleração de 2011 refletiria, segundo os técnicos, a paulatina redução do impulso provocado pelas políticas públicas adotadas durante a crise financeira, que garantiram aos mercados emergentes uma recuperação mais rápida e forte do que a registrada nas nações desenvolvidas. Além disso, a expansão menor estimada para a economia global no próximo ano afetará o comportamento dos países latino-americanos, por conta dos efeitos sobre os fluxos de comércio e investimentos. Apesar da desaceleração estimada, o desempenho econômico da América Latina e Caribe em 2011 ainda será melhor

4,6 por cento é a projeção da Cepal para a expansão da economia brasileira em 2011. Para este ano, a estimativa é de alta de 7,7%. do que dos países em desenvolvimento e do mundo. Pelos cálculos, as nações mais desenvolvidas devem crescer 1,9% no próximo ano, seguindo uma alta de 2,3% em 2010. No caso da economia global, a projeção é de um crescimento de 3,1% em 2011, frente um avanço de 3,6% neste ano.

O mercado de trabalho deve seguir em 2011 a trilha de recuperação iniciada em meados de 2009. Pelas estimativas, a taxa de desemprego na América Latina e Caribe deve cair de 7,6% em 2010 para 7,3% no próximo ano. Déficit – O comportamento das contas externas, entretanto, segue caminho inverso. Depois da região ter registrado em 2009 um déficit em suas transações com o resto do mundo equivalente a 0,4% de todas as riquezas produzidas na região, os técnicos da Cepal estimam que o resultado de 2010 será deficitário em 1,1% do Produto Interno Bruto (PIB) da região, crescendo para 1,5% no próximo ano. "Esse resultado ainda não é preocupante, mas é preciso ter atenção", afirmou Alicia Bárcena, secretária-executiva da Cepal. (AE)

OCDE: avanço menor em emergentes.

N

a avaliação da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), os sinais que indicam desaceleração econômica em grandes economias emergentes, como Brasil e Índia, e estabilização da atividade na zona do euro estão sendo reforçados. A entidade informou que seu indicador composto avançado para outubro subiu um centésimo, ficando em 102,6

pontos. A metodologia da OCDE leva em conta uma série de variáveis e consegue antecipar pontos de inflexão dos ciclos econômicos. O Brasil, que se situou em 98,9 pontos, caiu três centésimos e foi o país que teve a pior estimativa, seguido da Índia (com queda de 0,2, atingindo 100,6 pontos). Também registraram resultado negativo e com quedas de um centésimo cada o Reino Unido (102,3

pontos), a Itália (103,1 pontos), a Alemanha (105,2 pontos), o Japão (102,6 pontos) e o Canadá (101,7 pontos). No outro extremo ficou a Rússia, que avançou 0,7 pontos para chegar aos 105,5 pontos. O país segue como aquele com melhores perspectivas do indicador no último ano (com um avanço de 8,3 pontos frente aos 3,3 pontos para o conjunto da OCDE). A China também ficou em

BNDES receberá empréstimo de US$ 3 bi do BID

O

Banco Nacional de contrato sejam desembolsaDe se nv olv im en to dos ainda neste ano, segunEconômico e Social do informou o banco brasi(BNDES) receberá US$ 3 bi- leiro de fomento. Projetos – Segundo o BNlhões em empréstimo do Banco Interamericano de DES, o segundo convênio fiDesenvolvimento (BID), nanciará três programas de com a finalidade de finan- crédito multissetorial de ciar investimentos de micro, apoio a micro, pequenas e pequenas e médias empre- médias empresas, cada um sas brasileiras. O contrato no valor de US$ 2 bilhões foi assinado ontem pelo pre- (compostos por US$ 1 bisidente do BNDES, Luciano l h ã o e m re c u r s o s p ro v eCoutinho, e pelo chefe da re- nientes do BID e outro US$ 1 bilhão de conpresentação trapartida do do BID no BraBNDES). Os sil, Fernando projetos elegíCarrillo, conveis são os de f o r m e i n f o rampliação e mou o BNDES m o d e r n i z aem nota à immil micro, ção de pequeprensa. nas empresas. Os recursos pequenas e Os recursos d o e m p ré s t imédias chegarão aos mo do BID inempresas tomadores tegrarão o funpor meio de do de US$ 6 bidevem se operações inlhões que beneficiar do diretas, realicompõe o sezadas por bangundo Convê2º CCLIP, cos comerciais nio de Linha segundo o c red e n c i ad o s de Crédito BNDES. pelo BNDES. Condicional O banco de (CCLIP), que fomento estiprevê contrapartida do BNDES no mes- ma que 100 mil empresas demo valor do empréstimo. O vem se beneficiar da primeiprimeiro CCLIP, envolven- ra fase do 2º CCLIP por meio do o mesmo montante, foi de 220 mil operações de repasse, principalmente para realizado em 2005. Os recursos do BID serão microempresas. O BNDES repassados pela instituição tem aumentado os financiaem três parcelas de US$ 1 bi- mentos para micro e pequelhão. Ontem, os dois diri- nas empresas. Entre janeiro gentes assinaram também o e outubro, o segmento concontrato de empréstimo da sumiu 26% do desembolso primeira parcela, que terá total do banco, atingindo prazo de vencimento de 20 R$ 37,2 bilhões. No acumuanos e carência de quatro lado em 12 meses, o volume de liberações do BNDES paanos e meio. A expectativa é de que os ra pequenas empresas pratire c u r s o s d e s s e p r i m e i ro camente dobrou. (AE)

100

terreno positivo, avançando 0,6 ponto até os 101,9 inteiros, reforçando tendência iniciada um mês antes. O mesmo ocorreu com os Estados Unidos, cujo avanço foi de 0,3 ponto, até os 102,3 inteiros. A Espanha, que se manteve sem mudanças em setembro, sofreu na atualização dos indicadores compostos da OCDE uma ligeira redução de 0,06 ponto – levando o país ibérico aos 103,13 inteiros. (Agências)

Brasil lidera movimento para ampliar comércio

E

m uma tentativa de abrir mercados e ampliar o comércio entre nações em desenvolvimento, o Brasil e mais dez países irão assinar amanhã em Foz do Iguaçu (PR) um acordo para redução das tarifas de importação praticadas nas trocas de mercadorias entre si. Trata-se do protocolo final da Rodada São Paulo do Sistema Global de Preferências Comerciais entre Países em Desenvolvimento (SGPC). O acordo prevê que sejam reduzidas em 20% as alíquotas de importação de 70% dos produtos negociados dentro do grupo composto pelos países do Mercosul (Brasil, Argentina, Uruguai e Paraguai), Índia, Indonésia, Malásia, Coreia do Sul, Egito, Marrocos e Cuba. Pelo acordo anterior, que congregava um grupo de 43 países, havia um sistema de preferências para apenas 651 produtos. A partir da Rodada São Paulo, ele será estendido para 47 mil mercadorias. Segundo o diretor do Departamento Econômico do Itamaraty, Carlos Márcio Cozendey, o acordo deve permitir a abertura de novas oportunidades de comércio para os produtos brasileiros em destinos até então inacessíveis. Além disso, o percentual de 30% de exceção para cada país é suficiente para proteger setores mais sensíveis dessas economias. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

e

ECONOMIA/LEGAIS - 21 O momento de sair de determinada função é quando tudo vai bem e não quando há problemas. Henrique Meirelles, presidente do BC

conomia

Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr

Meirelles afirma ter cumprido seu dever no governo

Meirelles discursa no lançamento das novas cédulas do real, evento que marca um de seus últimos atos como presidente do Banco Central.

Presidente do BC se diz satisfeito em sair quando tudo caminha bem e que consolidou a estabilidade econômica como um símbolo nacional

O

presidente do Banco Central (BC), Henrique Meirelles, disse ontem, em Brasília, que deixa o governo com o sentimento de dever cumprido. Ele agradeceu ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que o colocou no cargo e à presidente eleita, Dilma Rousseff, que indicou seu diretor de Normas, Alexandre Tombini, para o substituir. "O momento de sair de uma determinada função, seja pública ou privada, ou de uma determinada área de atuação é quando tudo vai bem e não quando existem problemas", afirmou Meirelles, em seu discurso na cerimônia de lançamento da segunda família de notas do real. Meirelles afirmou que em sua atuação no BC consolidou a estabilidade como um valor da sociedade brasileira cujo simbolismo tem importância semelhante a outros símbolos nacionais como a bandeira nacional. Além disso, ele salientou que a maior importância internacional do real reflete o

Airbus: mais aviões no mundo.

A

Airbus elevou suas projeções para a demanda de aviões nos próximos 20 anos, com base nas necessidades de viagem de 6 bilhões de pessoas em mercados emergentes em meio às expectativas de uma recuperação melhor que o esperado da recessão verificada entre as companhias aéreas. Até 2029, um terço de todo o tráfego de passageiros mundial será na Ásia. Esse continente já representa hoje 27% do total de viagens, enquanto a participação da América do Norte deve cair de 28% para 20% do total. "A demanda de viagens está dobrando a cada 15 anos ... mas em lugares como Índia e China, esperamos que dobre nos próximos seis anos", disse o chefe de vendas da Airbus, John Leahy, em coletiva de imprensa ontem. A maior fabricante de aviões do mundo, à frente da norte-americana Boeing, prevê entregar 25,850 mil novas unidades, tanto de aviões de passageiros quanto de carga, entre 2010 e 2029, a um valor de US$ 3,2 trilhões, 899 aeronaves a mais que em sua projeção anual anterior. A companhia, subsidiária da EADS, prevê ainda um crescimento anual de 4,8% no tráfego de passageiros no período, ante uma previsão anterior de 4,7%. As últimas projeções da Boeing, foi mais altas – de 30,9 mil unidades, a um valor de US$ 3,6 trilhões nos próximos 20 anos. A empresa norte-americana considera a demanda por aeronaves de 90 assentos ou mais, enquanto que a Airbus considera apenas aviões com mais de 100 assentos. Ambas as fabricantes enfrentam uma crescente concorrência do Canadá, da China e, potencialmente, do Brasil e da Rússia na venda de aviões menores, seus modelos mais populares, o Airbus A320 e o Boeing 737. (Reuters)

momento favorável da economia brasileira no mundo. O presidente do BC afirmou que dá por encerrada sua missão no banco e também na administração pública federal. "Considero este lançamento (da segunda família de moedas) como uma síntese de nossa jornada na administração pública", disse. Havia expectativa de que Henrique Meirelles pudesse assumir algum ministério no governo Dilma Rousseff, o que foi descartado. Família – As novas cédulas da moeda brasileira lançadas ontem vão custar mais caro para serem produzidas. Segundo o BC, a nota de R$ 50 custará 32% a mais do que o valor gasto para produzir a cédula da primeira família do real, que foi de R$ 180,48 por milheiro de cédulas. No caso da nota de R$ 100, o custo é 37,1% maior do que o da primeira família. Segundo o Banco Central, o aumento "é devido à aquisição de insumos mais sofisticados de segurança". (Agências)

2° Oficial de Registro de Imóveis, Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica da Comarca de Guarulhos Estado de São Paulo - Minuta de Edital - Osvaldo Marcheti Júnior, na qualidade de Oficial Designado do 2° Registro de Imóveis, Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica da Comarca de Guarulhos, Estado de São Paulo, segundo as atribuições conferidas pelo artigo 26 da Lei 9.514/97, em virtude do requerimento da Incosul Incorporação e Construção Ltda., credora de Financiamento Imobiliário, garantido por Alienação Fiduciária, firmado em 20 de agosto de 2007, registrado na matrícula n° 105.375, deste Registro, relativo ao identificado como apartamento n° 14, localizado no 1° andar, do Condomínio Maison Du Pare, situado na Rua Conselheiro Antônio Prado, n° 72, naVila Progresso, neste Município, vem pelo presente Intimar os fiduciantes, Ricardo Filitto e sua mulher Nanci Ferrão Hernandes Filitto, para fins de cumprimento das obrigações contratuais de pagamento, relativas aos encargos e parcelas vencidos.Informo, ainda, que o valor em atraso, atualizado até 13/12/2010, corresponde a R$ 371.629,12 (trezentos e setenta e um mil, seiscentos e vinte e nove reais e doze centavos), o qual está sujeito a atualização monetária e juros de mora até a data do efetivo pagamento, além das despesas de cobrança e demais encargos que vencerem neste período. Assim sendo, procedo à Intimação de V.Sa., para que se dirija, no horário comercial, à este Registro, situado na Rua Ipê, n° 201, Centro, Guarulhos/SP, onde deverá efetuar o pagamento do débito acima discriminado, no prazo improrrogável de 15 (quinze) dias, contados desta data. Por oportuno, fica V.Sa. ciente de que o não cumprimento da referida obrigação no prazo estipulado, garante o direito de consolidação da propriedade do imóvel em favor da credora fiduciária - Incosul Incorporação e Construção Ltda., - nos termos do artigo 26, § 7°, da Lei n° 9.514/97. Guarulhos, 13 de dezembro de 2.010. Osvaldo Marcheti Jr. - Oficial Designado. 14,15,16/12/2010

BANCO VOTORANTIM S.A. CNPJ/MF nº 59.588.111/0001-03 NIRE nº 35.300.525.353 CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA São convidados os Acionistas do Banco Votorantim S.A. (“Sociedade”) a participarem, em primeira convocação, da Assembleia Geral Extraordinária que se realizará em sua sede social, localizada na Capital do Estado de São Paulo, na Avenida das Nações Unidas, nº14.171, Torre A, 18º andar, às 11:00 horas do dia 22/12/2010, para apreciação dos seguintes assuntos constantes da ordem do dia: (i) Aumento do capital social da Sociedade de R$ 3.994.896.446,65 para R$ 4.026.841.425,38, sendo o aumento de R$ 31.944.978,73, a ser totalmente subscrito e integralizado mediante o aproveitamento de reserva de capital constituída por atualizações de títulos patrimoniais e subvenções para investimentos, sem emissão de novas ações, bem como o aumento do capital social das seguintes sociedades controladas pela Sociedade, a saber, BV Financeira S.A. – Crédito, Financiamento e Investimento, BV Leasing - Arrendamento Mercantil S.A., Votorantim - Corretora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda. e Votorantim Asset Managament Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Ltda.; e (ii) Outros assuntos de interesse da Assembleia. São Paulo, 14 de dezembro de 2010. Banco Votorantim S.A.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 13 de dezembro de 2010, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Imax Bank Comercial SPE I S/A - Requerido: Viacall TMKT Assessoria Empresarial e Telemarketing Ltda. - Rua Maria Paula, 35, Bela Vista - 2ª Vara de de Falências Requerente: Paulo Roberto Costa Melo - Requerido: HNF Empreendimentos Participações e Administração de Bens S/A - Av. Ipiranga, 103, 7º andar cj. 72, República - 1ª Vara de Falências

EXTRAVIO DE NFs QUIKSILVER IND. E COM. DE ART. ESP. LTDA. CNPJ.: 07. 230.513/0001-38, situada na Rua Solon, 945/969 - CEP: 01127-010 - Bom Retiro - São Paulo/SP, comunica o extravio das 2ªs vias das NFs 0236555/0237636/0239085.

Edital - Hildebrando Paulino de Moraes, Oficial do 2º Oficial de Registro de Imóveis desta comarca de São Caetano do Sul, Estado de São Paulo, na forma de Lei, etc. Faz saber a quantos este vierem ou dele tiverem conhecimento, que tramita por esta Serventia, nos termos das notificações registradas sob nºs 35.110 e 35.111, em data de 12 de agosto de 2010, no 2º Oficial de Registro de Títulos e Documentos anexo a esta Serventia, disciplinada pelo artigo 26, parágrafo 1º da Lei n.º 9.514/ 97, em que a Incosul Incorporação e Construção Ltda., com sede em São Paulo (capital), na Avenida Paulista, n.º 37, 15º andar, Paraíso, inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 51.720.563/0001-95, na qualidade de credora/fiduciária, move contra o devedor/fiduciante Manoel Messias da Silva, brasileiro, solteiro, comercialnte, RG nº 18.782.454-X-SSP/SP, CPF/MF n.º 069.470.474-12, residente e domiciliado na Rua Heloísa Pamplona, nº 720, apartamento nº 153, bloco 2, Bairro Fundação, nesta cidade, para que esta efetue neste 2º Oficial de Registro de Imóveis, na Rua Pará, nº 43, Centro, nesta cidade de São Caetano do Sul, das 11:00 às 17:00 horas, o pagamento da quantia de R$ 88.669,73, atualizada até 10 de dezembro de 2010, correspondente a prestações em atraso, ou seja, de setembro de 2007 a dezembro de 2010, que serão corrigidas na data do efetivo pagamento, mais encargos previstos no contrato de alienação fiduciária registrado sob nºs 5 e 6 na matrícula 29.817 desta Serventia, tendo por objeto o apartamento n.º 153, localizado no Edifício Positano – Bloco 2, do Condomínio Villagio Felicitá, situado na Rua Heloisa Pamplona nº 720, nesta cidade. O pagamento deverá ser efetuado no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da última publicação deste edital, e, não sendo paga a quantia devida, regularmente corrigida, será considerada e constituída em Mora, nos termos do artigo 26 e seus parágrafos da Lei nº 9.514/97.Faz Saber ainda, que por não terem sido encontrado no endereço declinado que é o do próprio imóvel, foi considerado, estar em lugar incerto e não sabido, objetivando a presente Intimação Via Edital, que será afixado nesta Serventia, no lugar público de costume, e publicado por três vezes pela imprensa. Dado e passado nesta cidade e comarca de São Caetano do Sul-SP, aos 10 de dezembro de 2010. Eu, (Hildebrando Paulino de Moraes), Oficial do 2º Registro de Imóveis, digitei, subscrevo e assino. Eriston Carlos Sanches Peres - Preposto Substituto. 10,11,14/12/2010

Edital - Hildebrando Paulino de Moraes, Oficial do 2º Oficial de Registro de Imóveis desta comarca de São Caetano do Sul, Estado de São Paulo, na forma de Lei, etc. Faz saber a quantos este vierem ou dele tiverem conhecimento, que tramita por esta Serventia, nos termos das notificações registradas sob nºs 35.110 e 35.111, em data de 12 de agosto de 2010, no 2º Oficial de Registro deTítulos e Documentos anexo a esta Serventia, disciplinada pelo artigo 26, parágrafo 1º da Lei n.º 9.514/97, em que a Incosul Incorporação e Construção Ltda., com sede em São Paulo (capital), na Avenida Paulista, n.º 37, 15º andar, Paraíso, inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 51.720.563/0001-95, na qualidade de credora/fiduciária, move contra o devedores/fiduciantes Sedoval Moreira da Silva, representante de vendas, RG n.º 19.651.173-2-SSP/SP, CPF/MF nº 141.873.098-02, e sua mulher Silvia Maria Cicala Moreira da Silva, assistente de vendas, RG nº 19.651.173-2-SSP/SP, CPF/MF n.º 108.181.648-16, ambos brasileiros, casados sob o regime da comunhão parcial de bens, na vigência da Lei 6.515/77, residentes e domiciliados na Rua Humberto Fernandes Fortes, nº 260, apartamento nº 1, bloco 51,Vila São José, nesta cidade, para que esta efetue neste 2º Oficial de Registro de Imóveis, na Rua Pará, nº 43, Centro, nesta cidade de São Caetano do Sul, das 11:00 às 17:00 horas, o pagamento da quantia de R$51.423,95, atualizada até 10 de dezembro de 2010, correspondente a prestações em atraso, ou seja, de agosto de 2008 a dezembro de 2010, que serão corrigidas na data do efetivo pagamento, mais encargos previstos no contrato de alienação fiduciária registrado sob nºs 3 e 4 na matrícula 28.663 desta Serventia, tendo por objeto o apartamento n.º 64, localizado no EdifícioYellow Tower – Bloco 2, do Condomínio Happy Life, situado na Rua Heloisa Pamplona nº 700, nesta cidade. O pagamento deverá ser efetuado no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da última publicação deste edital, e, não sendo paga a quantia devida, regularmente corrigida, será considerada e constituída em Mora, nos termos do artigo 26 e seus parágrafos da Lei nº 9.514/97.Faz Saber ainda, que por não terem sido encontrado na Rua Humberto Fernandes Fortes, nº 260, apartamento nº 1, bloco 51,Vila São José, nesta cidade, foi considerado, estar em lugar incerto e não sabido, objetivando a presente Intimação Via Edital, que será afixado nesta Serventia, no lugar público de costume, e publicado por três vezes pela imprensa.Dado e passado nesta cidade e comarca de São Caetano do Sul-SP, aos 10 de dezebro de 2010.Eu, (Eriston Carlos Sanches Peres), Preposto Substituto do 2º Registro de Imóveis, digitei, subscrevo e assino. Eriston Carlos Sanches Peres - Preposto Substituto. 10,11,14/12/2010

Edital - Hildebrando Paulino de Moraes, Oficial do 2º Oficial de Registro de Imóveis desta comarca de São Caetano do Sul, Estado de São Paulo, na forma de Lei, etc. Faz saber a quantos este vierem ou dele tiverem conhecimento, que tramita por esta Serventia, nos termos das notificações registradas sob nºs 35.110 e 35.111, em data de 12 de agosto de 2010, no 2º Oficial de Registro deTítulos e Documentos anexo a esta Serventia, disciplinada pelo artigo 26, parágrafo 1º da Lei n.º 9.514/97, em que a Incosul Incorporação e Construção Ltda., com sede em São Paulo (capital), na Avenida Paulista, n.º 37, 15º andar, Paraíso, inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 51.720.563/0001-95, na qualidade de credora/fiduciária, move contra o devedores/fiduciantes Clayton Tomaz de Aquino, brasileiro, casado, contador, RG nº 2.880.879 SSP/SP, CPF/MF nº 628.501.308-00, e sua mulher Karen Cristiane de Oliveira Aquino, brasileira, casada, comercialnte, RG nº 25.517.652-1-SSP/SP, CPF/MF n.º 181.621.078-19, residente e domiciliado na Rua Heloísa Pamplona, nº 720, apartamento nº 133, bloco 4, Bairro Fundação, nesta cidade, para que esta efetue neste 2º Oficial de Registro de Imóveis, na Rua Pará, nº 43, Centro, nesta cidade de São Caetano do Sul, das 11:00 às 17:00 horas, o pagamento da quantia de R$ 38.601,33, atualizada até 10 de dezembro de 2010, correspondente a prestações em atraso, ou seja, de maio de 2009 a dezembro de 2010, que serão corrigidas na data do efetivo pagamento, mais encargos previstos no contrato de alienação fiduciária registrado sob nºs 2 e 3 na matrícula 31.381 desta Serventia, tendo por objeto o apartamento n.º 133, localizado no Edifício Turim – Bloco 4, do Condomínio Villagio Felicitá, situado na Rua Heloisa Pamplona nº 720, nesta cidade. O pagamento deverá ser efetuado no prazo de 15 (quinze) dias, a contar da última publicação deste edital, e, não sendo paga a quantia devida, regularmente corrigida, será considerada e constituída em Mora, nos termos do artigo 26 e seus parágrafos da Lei nº 9.514/ 97.Faz Saber ainda, que por não terem sido encontrados no endereço declinado que é o do próprio imóvel, foi considerado, estar em lugar incerto e não sabido, objetivando a presente Intimação Via Edital, que será afixado nesta Serventia, no lugar público de costume, e publicado por três vezes pela imprensa.Dado e passado nesta cidade e comarca de São Caetano do Sul-SP, aos 10 de dezembro de 2010.Eu, (Eriston Carlos Sanches Peres), Preposto Substituto do 2º Registro de Imóveis, digitei, subscrevo e assino. Eriston Carlos Sanches Peres - Preposto Substituto 10,11,14/12/2010

FORMALE S.A. Sociedade Anônima de Capital Fechado CNPJ nº 05.426.571/0001-06 - NIRE 35.300.193.644 Ata da Assembléia Geral Extraordinária Realizada em 29 de Outubro de 2010 1) Data: 29/10/2010. 2) Horário: 08:30 horas. 3) Local: sede social da Companhia na Rua São Jorge nº 112, Bairro Santo Antonio, São Caetano do Sul, Estado de São Paulo, CEP 09530-250. 4) Convocação: regular, dispensada a publicação de anúncios de convocação pela imprensa, conforme dispõe o parágrafo 4º do Art. 124 da Lei 6.404/76. 5) Presença: a totalidade dos membros acionistas, a saber: Rosângela Aparecida Dias Fornasieri, brasileira, casada, administradora de empresas, portadora da Cédula de Identidade RG nº 16.738.240 e CPF/MF nº 080.144.518-30, residente e domiciliada em São Caetano do Sul, Estado de São Paulo na Rua Rafael Correa Sampaio nº 51, apto. 62, Bairro Santo Antonio, CEP 09530-435; e Flávio Fornasieri, brasileiro, casado, industrial, portador da Cédula de Identidade RG nº 3.132.553-1 SSP/SP e CPF/MF nº 065.587.398-87, residente e domiciliado em São Caetano do Sul, Estado de São Paulo na Rua Nossa Senhora de Fátima nº 300, apto. 91, Bairro Santa Paula, CEP 09540-100. 6) Composição da Mesa: Presidente - Flávio Fornasieri; Secretária - Rosângela Aparecida Dias Fornasieri. 7) Instalação: verificado o quorum legal, o Sr. Presidente declarou instalada a Assembléia Geral Extraordinária. 8) Ordem do Dia: a) incorporação do estabelecimento filial pelo estabelecimento matriz, com a conseqüente extinção do estabelecimento filial; b) ampliação do endereço do estabelecimento matriz com alteração do objeto social da Companhia; c) assuntos gerais. 9) Deliberações: 9.1.) aprovado o encerramento do estabelecimento filial situado em São Caetano do Sul/SP na Rua Machado de Assis 175/185, Santo Antonio, CEP 09530-310, respectivamente com seu documento constitutivo arquivado perante a Junta Comercial do Estado de São Paulo sob o nº 35.903.217.863 aprovada em sessão deliberativa do dia 20 de março de 2007, inscrito perante o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas do Ministério da Fazenda sob o nº 05.426.571/0002-97, destinado para a fabricação de aros metálicos para fechamento de tambores e bombonas. 9.2.) aprovada a ampliação do estabelecimento matriz situado em São Caetano do Sul/ SP na Rua São Jorge nº 112, Bairro Santo Antonio, CEP 09530-250, o qual terá sua entrada na Rua São Jorge nº 112, Bairro Santo Antonio, CEP 09530-250 e fará fundos na Rua Machado de Assis nº 175/185, Bairro Santo Antonio, CEP 09530-310. 9.3.) aprovada a alteração do objeto social da Companhia para 9.3.1.) a exploração da indústria de fabricação e comercialização de peças para veículos automotores e artefatos de metais com oficina mecânica especializada e, inclusive, a prestação de serviços de manutenção e assistência técnica; 9.3.2.) a fabricação de aros metálicos para fechamento de tambores e bombonas; 9.3.3.) a participação em outras sociedades, como sócia ou acionista. 10) Encerramento: nada mais havendo a tratar, encerra-se os trabalhos desta Assembléia Geral Extraordinária, lavrando-se a presente ata, que lida e achada conforme, foi assinada pela mesa e pelos acionistas presentes. São Caetano do Sul, 29 de outubro de 2010. Flávio Fornasieri Presidente da Assembléia Geral Extraordinária; Rosângela Aparecida Dias Fornasieri Secretária da Assembléia Geral Extraordinária. Acionistas: Flávio Fornasieri - RG 3.132.553-1 SSP/SP e CPF/MF 065.587.398-87; Rosângela Aparecida Dias Fornasieri - RG 16.738.240 SSP/SP e CPF/MF 080.144.518-30. Visto do Advogado, para efeito da Lei Federal nº 8.906/94 - Sávio Carmona de Lima - OAB-SP 236.489. JUCESP nº 436.362/10-7 em 07/12/2010. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

RB CAPITAL HOLDING S.A. - NIRE 35.300.360.346 - CNPJ/MF nº 10.140.272/0001-40 Extrato da Ata da Assembléia Geral Extraordinária de 22/11/2010 Hora, Data, Local: Às 10h, dia 22/11/2010, na sede, R. Amauri, 255, 5º andar, parte, Jd. Europa, SP/SP. Convocação: Dispensada (§ 4º do art. 124 da Lei nº 6.404/76). Presença: Totalidade do capital social. Mesa: Presidente, Marcelo Pinto Duarte Barbará; e Secretário, Alexandre Rhinow. Deliberações Aprovadas por Unanimidade: Distribuição de dividendos, no valor de R$ 443.107,45, referentes a lucros apurados no balanço patrimonial levantado em 31/10/ 2010, a serem pagos aos acionistas em até 30 dias contados a partir da data da presente Assembleia. Farão jus à Distribuição os acionistas que possuam ações nesta data. Ficam os Diretores autorizados a praticar todo e qualquer ato relacionado à Distribuição dos Dividendos. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. Acionistas: RB Capital Fundo de Investimento em Participações, Luis Cláudio Garcia de Souza, Marcelo Pinto Duarte Barbará, Marcelo Pereira Lopes de Medeiros, José Pio Borges, André Pinheiro Lara Resende e Winston Frisch. São Paulo, 22/11/2010. Alexandre Rhinow - Secretário. JUCESP nº 427.918/10-8 em 06.12.10. Kátia Regina Bueno de Godoy - Sec. Geral. Fischer S.A. - Comércio, Indústria e Agricultura CNPJ nº 33.010.786/0001-87 - NIRE nº 35.300.040.724 Ata da Reunião do Conselho de Administração Realizada em 10 de Novembro de 2010 Dia, Hora e Local: 10 de novembro de 2010, às 09:00 horas, na sede social, na Rua João Pessoa, 305, na cidade de Matão-SP. Presença: Presente a totalidade dos membros deste Conselho de Administração. Mesa Dirigente: Maria do Rosário Fischer - Presidente e Julio Alvarez Boada Secretário. Deliberações Tomadas, por Unanimidade dos Votos dos Conselheiros e sem Reservas: Nos termos do Artigo 14 do Estatuto Social desta Sociedade: (I) autorizar a venda do Terreno com frente para a Rodovia Washington Luiz, localizado no município de Cordeirópolis, comarca de Limeira/ SP, com 21.870,00 metros quadrados, objeto da matrícula nº 2543 do 1º Cartório de Registro de Imóveis de Limeira/SP; e (II) em conseqüência, ficam os membros da diretoria autorizados a promoverem todos os atos necessários para a efetivação da deliberação ora aprovada. Encerramento: Nada mais havendo a tratar e como nenhum dos membros do Conselho de Administração houvesse desejado fazer qualquer pronunciamento, foi lavrada a presente Ata, que lida e achada conforme, vai assinada por todos os presentes: (aa) Maria do Rosário Fischer - Presidente; Julio Alvarez Boada Secretário; Maria do Rosário Fischer; Bianca Helena Fischer de Moraes; Ana Luisa Fischer Marcondes Ferraz; Alessandra Fischer de Souza Santos; e Renata Fischer Fernandes. Certificamos que a presente Ata é cópia fiel da original lavrada no livro competente. Matão-SP, 10 de novembro de 2010. Maria do Rosário Fischer - Presidente; Julio Alvarez Boada - Secretário. JUCESP nº 428.813/10-0 em 07/12/2010. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

ATRIUM FUNDO MÚTUO DE AÇÕES INCENTIVADAS - CNPJ nº 01.209.913/0001-85 (Administrado pela ATRIUM S/A DISTRIBUIDORA DE TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS) ASSEMBLEIA GERAL – EDITAL DE CONVOCAÇÃO A ATRIUM S/A Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários., na qualidade de administradora do ATRIUM Fundo Mútuo de Ações Incentivadas, no uso de suas atribuições legais e regulamentares, na forma prevista no artigo 34, da Instrução CVM nº 153 de 24.07.91, e no artigo 38 do regulamento do referido Fundo, convoca todos os quotistas a comparecerem à Assembleia Geral, a ser realizada no dia 23 de Dezembro de 2010, às 17:30hs (dezessete horas e trinta minutos), na dependência da Administradora, situada na cidade de São Paulo, SP, na Av. Dr. Cardoso de Melo, 1.955 – 1º andar – conj. 11 – Vila Olímpia, para deliberar, conforme o disposto nos incisos I e IV do artigo 37, do mesmo texto regulamentar, sobre a seguinte ordem do dia: 1) Exame e aprovação das contas do ATRIUM Fundo Mútuo de Ações Incentivadas, relativas ao período de 01.04.2010 a 30.09.2010, elaboradas pela administradora, acompanhadas do respectivo parecer dos Auditores Independentes; 2) Análise e deliberação acerca da liquidação do ATRIUM Fundo Mútuo de Ações Incentivadas; 3) Outros assuntos correlatos de interesse geral. As demonstrações contábeis auditadas relativas ao período encerrado em 30.09.2010 encontram-se disponíveis para consulta na sede da instituição administradora do FUNDO, localizada na Av. Dr. Cardoso de Melo, 1.955 – 1º andar – Conj. 11 – Vila Olímpia – São Paulo – SP. São Paulo, 14 de Dezembro de 2010 ATRIUM S/A Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Administradora

INBEV PARTICIPAÇÕES SOCIETÁRIAS S.A. CNPJ/MF n° 07.526.557/0001-00 - NIRE 35.300.368.941 - Companhia Fechada ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 08 DE DEZEMBRO DE 2010 1. Data, Hora e Local: Aos 08 dias do mês de dezembro de 2010, às 15:00 horas, na sede social da Companhia, localizada na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Dr. Renato Paes de Barros, 1.017, 3º andar (parte), Itaim Bibi. 2. Convocação e Presença: Convocação dispensada face à presença de acionistas representando a totalidade do capital social da Companhia, conforme assinaturas constantes do Livro de Presença de Acionistas da Companhia. 3. Mesa: Presidente: Lucas Machado Lira; Secretária: Letícia Rudge Barbosa Kina. 4. Deliberações tomadas por unanimidade de votos e sem quaisquer ressalvas: 4.1. Registrar que a ata que se refere a esta Assembleia Geral Extraordinária será lavrada em forma de sumário, nos termos do §1º do art. 130 da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976 (“Lei das Sociedades por Ações”). 4.2. Aprovar a nova composição da Diretoria da Companhia, passando de 2 (dois) para 3 (três) membros, com a consequente alteração do caput do Artigo 14 do Estatuto Social, que passa a vigorar com a seguinte redação: “Artigo 14 - A Diretoria será composta por 3 (três) membros, eleitos e destituíveis, pela Assembleia Geral, com mandato de 3 (três) anos, sendo permitida a reeleição. Um dos Diretores deverá ser designado Diretor Presidente.” 4.3. Aprovar a nomeação da Sra. Daniela Rodrigues, brasileira, casada, contadora, portadora da cédula de identidade RG nº 25.828.914-4, expedida pela SSP/SP e inscrita no CPF/MF sob o nº 273.366.298-81, com escritório na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Dr. Renato Paes de Barros, 1.017, 4º andar, como “Diretora” da Companhia, cujo mandato será unificado com os demais Diretores da Companhia e perdurará até 22 abril de 2012. 4.4. Autorizar a segunda emissão e distribuição pública de debêntures simples de emissão da Companhia, no valor de R$2.000.000.000,00 (dois bilhões de reais), observadas as seguintes condições (“Emissão” e “Debêntures”): (a) Quantidade e valor nominal unitário: serão emitidas 2.000 (duas mil) Debêntures, com valor nominal unitário de R$1.000.000,00 (um milhão de reais) (“Valor Nominal Unitário”), perfazendo, na Data de Emissão (conforme abaixo definido), o montante de R$2.000.000.000,00 (dois bilhões de reais). (b) Séries: a Emissão será realizada em série única. (c) Forma: as Debêntures serão da forma nominativa e escritural, sem emissão de cautelas ou certificados. (d) Conversibilidade: as Debêntures não serão conversíveis em ações da Companhia. (e) Espécie: as Debêntures serão da espécie subordinada, nos termos do artigo 58 da Lei das Sociedades por Ações. (f) Forma e prazo de subscrição: as Debêntures deverão ser subscritas por meio dos procedimentos da CETIP S.A. - Balcão Organizado de Ativos e Derivativos (“CETIP”), em até 7 (sete) dias contados do início da distribuição (“Prazo de Subscrição”). O início do Prazo de Subscrição será informado pelo Coordenador Líder, a Companhia, ao Agente Fiduciário, a Instituição Depositaria/Banco Mandatário e a CETIP nos termos da “Escritura Particular de Emissão de Debêntures Simples, Subordinadas, Não Conversíveis em Ações da Segunda Emissão de InBev Participações Societárias S.A.” (“Escritura de Emissão”); (g) Forma de integralização: as Debêntures serão integralizadas à vista, no ato da subscrição, e em moeda corrente nacional, pelo Valor Nominal Unitário acrescido da Remuneração (conforme abaixo definida), calculada pro rata temporis, desde a Data de Emissão (conforme abaixo definida) até a data da efetiva integralização (“Preço de Subscrição e Integralização”). (h) Colocação e negociação: as Debêntures serão objeto de distribuição pública com esforços restritos de colocação, nos termos da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) nº 476, de 16 de janeiro de 2009 (“Instrução CVM nº 476/09”), sob o regime de garantia firme de colocação, com intermediação de instituições financeiras integrantes do sistema de distribuição de valores mobiliários, atuando como coordenador líder da Emissão o BB - Banco de Investimento S.A. (“Coordenador Líder”). As Debêntures serão registradas para negociação no mercado secundário SND - Módulo Nacional de Debêntures administrado e operacionalizado pela CETIP, observados os períodos de vedação à negociação conforme disposto na Instrução CVM nº 476/09, especialmente os artigos 13 a 17. (i) Dispensa de Registro na CVM: a Emissão não será registrada junto à CVM, em conformidade com a dispensa automática de registro prevista na Instrução CVM nº 476/09. (j) Data de Emissão: Para todos os efeitos legais, a data de emissão das Debêntures será 15 de dezembro de 2010 (“Data de Emissão”). (k) Data de Vencimento: As Debêntures vencerão em 12 de agosto de 2012 (“Data de Vencimento”). (l) Pagamento do Valor Nominal Unitário: o Valor Nominal Unitário das Debêntures será pago em uma única parcela, na Data de Vencimento. (m) Atualização Monetária: o Valor Nominal Unitário não será atualizado. (n) Remuneração: as Debêntures farão jus ao pagamento de juros remuneratórios estabelecidos com base na variação da taxa média diária dos Depósitos Interfinanceiros de um dia - DI, over extra grupo (“Taxa DI”), com parâmetro de variação de 109% (cento e nove por cento) da Taxa DI, expressa na forma percentual ao ano, base 252 (duzentos e cinquenta e dois) dias úteis, calculada e divulgada diariamente pela CETIP, no informativo diário disponível em sua página na internet (http://www.cetip.com.br), calculados de forma exponencial e cumulativa, pro rata temporis por dias úteis decorridos, incidentes sobre o Valor Nominal Unitário de cada Debênture, desde a Data de Emissão ou da data do último pagamento da Remuneração, inclusive, conforme o caso, até a data de pagamento da Remuneração seguinte ou a Data de Vencimento, exclusive, conforme o caso. (o) Pagamento da Remuneração: a Remuneração será devida e paga semestralmente, no dia 12 dos meses de fevereiro e agosto de cada ano, e na data de vencimento, qual seja, 12 de agosto de 2012, sendo o primeiro pagamento devido em 12 de fevereiro de 2011. (p) Resgate Antecipado Facultativo: não permitido até o 11º (décimo primeiro) mês a partir da data de Emissão. A partir do 12º (décimo segundo) mês o resgate antecipado facultativo será permitido, desde que haja o pagamento de percentual equivalente a 0,30% sobre o Valor Nominal Unitário (“Break Funding Fee”). (q) Aquisição Facultativa: a Companhia poderá, a qualquer tempo, respeitado prazo de 90 (noventa) dias contados da data de subscrição ou aquisição pelo investidor, adquirir Debêntures em circulação por preço não superior ao Valor Nominal Unitário, acrescido da Remuneração, calculada pro rata temporis desde a Data de Emissão ou a data do último pagamento da Remuneração até a data do seu efetivo pagamento, observado o disposto no parágrafo 2º do artigo 55 da Lei n. 6.404/76. As Debêntures adquiridas pela Companhia poderão, a critério da Companhia, ser canceladas, permanecer em tesouraria ou ser novamente colocadas no mercado. As Debêntures adquiridas pela Companhia para permanência em tesouraria nos termos deste item, se e quando recolocadas no mercado, farão jus à mesma Remuneração das demais Debêntures em circulação. (r) Hipóteses de Vencimento Antecipado: (i) pedido de autofalência da Companhia e/ou dos Garantidores (conforme abaixo definido), decretação de falência da Companhia e/ou dos Garantidores, pedido de recuperação judicial ou de recuperação extrajudicial da Companhia e/ou dos Garantidores, ou liquidação, dissolução ou extinção da Companhia e/ou dos Garantidores; (ii) inadimplemento, pela Companhia, no tocante ao pagamento do Valor Nominal Unitário, da Remuneração ou de quaisquer outros valores devidos aos titulares das Debêntures (“Debenturistas”), nas respectivas datas de pagamento previstas na Escritura de Emissão, caso tal inadimplemento não seja sanado em até 5 dias úteis; (iii) descumprimento, pela Companhia, de qualquer obrigação não pecuniária referente à Emissão, caso tal descumprimento não seja sanado no prazo de 30 dias úteis contados da data de recebimento de aviso escrito que lhe for enviado pelos Debenturistas ou pelo agente fiduciário da Emissão para tanto (“Agente Fiduciário”); (iv) declaração de vencimento antecipado por descumprimento contratual relacionado a qualquer dívida ou coobrigação da Companhia, dos Garantidores ou de Controlada Relevante (conforme definido abaixo), em valor igual ou superior ao valor em reais equivalente a EUR 75.000.000,00 (setenta e cinco milhões de euros, ou seu contravalor em outras moedas), aplicando-se a taxa de conversão de euros para reais, ou outra taxa de conversão aplicável, caso referida dívida ou coobrigação seja denominada em outra moeda, divulgada pelo Banco Central do Brasil (“BACEN”) no dia útil imediatamente anterior à data do evento, via SISBACEN, no Boletim de Taxas de Câmbio e de Mercado, código PTAX800, opção 5/venda, moeda 978, ou outra moeda, conforme o caso (“Taxa de Conversão”); (v) declaração de vencimento antecipado de qualquer dívida dos Garantidores em valor igual ou superior a EUR 75.000.000,00 (setenta e cinco milhões de euros, ou seu contravalor em outras moedas, aplicando-se a Taxa de Conversão), em razão de descumprimento contratual; (vi) inadimplemento, em sua respectiva data de vencimento, observadas quaisquer exceções aplicáveis ou depois de decorrido qualquer prazo previsto no respectivo instrumento, no tocante ao pagamento de qualquer dívida ou coobrigação da Companhia, dos Garantidores ou de qualquer Controlada Relevante em valor igual ou superior ao equivalente em moeda nacional a EUR 75.000.000,00 (setenta e cinco milhões de euros, ou seu contravalor em outras moedas, aplicando-se a Taxa de Conversão), exceto se tal inadimplemento decorrer de determinados eventos que limitem ou restrinjam a capacidade da Companhia, dos Garantidores ou de Controlada Relevante, conforme o caso, de converter reais em moeda estrangeira ou de transferir moeda estrangeira para o exterior para o cumprimento de suas respectivas obrigações; (vii) trânsito em julgado de uma ou mais sentenças ou emissão de um ou mais laudos arbitrais definitivos contra a Companhia, os Garantidores ou qualquer Controlada Relevante, que produza(m) ou resulte(m) em um efeito adverso material sobre (a) a capacidade da Companhia, dos Garantidores ou de qualquer Controlada Relevante de cumprir suas obrigações pecuniárias na Emissão, ou (b) os negócios, ativos, situação financeira ou operações da AnheuserBusch InBev N.V./S.A. (de forma consolidada), conforme abaixo qualificada; (viii) perda do controle acionário da Companhia de Bebidas das Américas - AmBev pela Interbrew International B.V., exceto na hipótese de outra sociedade do mesmo grupo assumir o controle da Companhia de Bebidas das Américas - AmBev; (ix) transformação da Companhia em sociedade limitada, nos termos dos artigos 220 a 222 da Lei das Sociedades por Ações; (x) alienação do controle da Companhia pela Interbrew International B.V., exceto se referida alienação for feita a outra sociedade do mesmo grupo; (xi) emissões de debêntures, partes beneficiárias ou outras operações de mercado de capitais, bem como a contratação de toda e qualquer espécie de dívida, subordinada ou não, pela Companhia, exceção feita apenas a contratos de mútuo que visem exclusivamente ao pagamento dos encargos, do principal e dos demais compromissos advindos da presente Emissão, compatíveis com os valores e o cronograma de reposição pactuados; e (xii) caso a Debênture torne-se inválida, ineficaz ou inexequível contra a Companhia ou caso a exequibilidade da Escritura de Emissão seja contestada pela Companhia. Para os fins deste item (r): “Controlada Relevante” significa qualquer sociedade controlada pela Companhia e/ou pelos Garantidores, nos termos do parágrafo 2º do artigo 243 da Lei das Sociedades por Ações, cujos ativos tenham valor igual ou superior ao valor em reais equivalente a US$400.000.000,00 (quatrocentos milhões de dólares dos Estados Unidos da América), conforme apurado no último balanço aprovado pelos sócios ou acionistas da respectiva sociedade, aplicando-se a taxa de conversão de dólares dos Estados Unidos da América para reais divulgada pelo BACEN no dia útil imediatamente anterior à data do evento, via SISBACEN, no Boletim de Taxas de Câmbio e de Mercado, código PTAX800, opção 5/venda, moeda 220. (s) Garantias: as Debêntures serão garantidas por fiança (“Fiança”) prestada por Anheuser-Busch InBev S.A./N.V., sociedade constituída de acordo com as leis da Bélgica, com sede em Brouwerijplein 1, 3000 Leuven, Bélgica, Reg. nº 0417.497.106, e por Interbrew International B.V., sociedade constituída de acordo com as leis dos Países Baixos, com sede em Ceresstraart 19, 4811 CA, Breda, Países Baixos, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 06.614.548/0001-08 (“Garantidores”), de acordo com as cartas de fiança que serão integrantes do Anexo I à Escritura de Emissão, obrigandose os Garantidores, perante os Debenturistas, na qualidade de fiadores, principais pagadores e solidariamente responsáveis com a Companhia de todas as obrigações assumidas nos termos da Escritura de Emissão, sendo a Fiança prestada em caráter irrevogável e irretratável para todos os efeitos legais, até o efetivo pagamento e liquidação das obrigações da Companhia na forma estipulada na Escritura de Emissão e nos demais documentos da Emissão. (t) Destinação dos recursos: os recursos obtidos com a Emissão deverão ser utilizados para a aquisição facultativa da totalidade das debêntures emitidas no âmbito da 1ª Emissão de Debêntures da Emissora, realizada em 12 de agosto de 2009. 4.5. Ratificar todos os atos anteriormente praticados pela Diretoria no âmbito da Emissão, ficando a Diretoria autorizada a praticar todos os atos e tomar todas as providências necessárias à formalização, efetivação e administração das deliberações desta assembleia, incluindo, exemplificativamente, a assinatura da “Escritura Particular de Emissão de Debêntures Simples, Subordinadas, Não Conversíveis em Ações da Segunda Emissão da InBev Participações Societárias S.A.”, o “Contrato de Coordenação, Colocação e Distribuição Pública, com Esforços Restritos, da 2ª Emissão de Debêntures Simples, Não Conversíveis em Ações, da Espécie Subordinada, em Série Única, de Emissão da InBev Participações Societárias S.A.”, assim como os demais contratos aplicáveis e outros documentos relativos à Emissão. 5. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi a presente ata lavrada, e depois lida, aprovada e assinada pelos membros da Mesa e pelos acionistas presentes. Assinaturas: Lucas Machado Lira - Presidente. Letícia Rudge Barbosa Kina - Secretária. Acionistas: Interbrew International B.V., p.p. Daniela Rodrigues e Lucas Lira. Certifico que a presente confere com o original lavrado no livro próprio. Letícia Rudge Barbosa Kina - Secretária.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

e

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

As vendas de produtos do agronegócio brasileiro cresceram para mercados como Irã, Egito, Rússia, Venezuela e China.

conomia Roosewelt Pinheiro/ ABr

A exportação do complexo soja foi a que mais cresceu em novembro em relação a igual mês do ano passado. Agronegócio deve fechar o ano com bons resultados.

Cresce exportação agrícola, apesar do real. A desvalorização do dólar frente à moeda nacional não impediu o setor agrícola de obter lucros no mercado externo. O saldo da agrobalança pode chegar aos R$ 75 bilhões no ano. Elza Fiúza/ ABr

O

ministro da Agricultura, Wagner Rossi, disse ontem que os preços de todas as principais commodities estão oferecendo boa remuneração ao produtor, mesmo com o dólar desvalorizado, e que a balança comercial do setor deve bater recorde neste ano. Segundo o ministro, a balança comercial do agronegócio deverá apresentar um superávit de pelo menos US$ 60 bilhões, ou seja, deve superar o recorde de 2008, quando atingiu saldo positivo de US$ 59,987 bilhões. "Mesmo com o real valorizado, estamos batendo recordes", afirmou o ministro em coletiva. Ele destacou que as exportações do agronegócio já somaram US$ 70,3 bilhões entre janeiro e novembro, valor 17,7% superior a igual período do ano passado. Para todo o ano, o ministro calcula que as vendas externas vão superar a marca de US$ 75 bilhões. Nos últimos 12 meses, considerando o intervalo entre dezembro de 2009 e novembro de 2010, as exportações do agronegócio somaram US$ 75,3 bilhões. "Já as importações do setor neste ano devem ficar entre US$ 12 bilhões e US$ 14 bilhões", disse Rossi. Em novembro, as exportações do agronegócio atingiram a cifra de US$ 6,3 bilhões, recorde para o mês desde que o governo iniciou a série históri-

O ministro da Agricultura, Wagner Rossi, aposta nos novos mercados.

ca em 1989. Essa receita representa alta de 30,2% em relação a novembro de 2009. Novos mercados – O ministro destacou a ampliação das

vendas de produtos do agronegócio brasileiro para mercados como Irã, Egito, Rússia, Venezuela e China. Segundo Rossi, destinos como Europa

Oriental, Oriente Médio e Mercosul têm crescido mais fortemente do que os Estados Unidos e Europa, tradicionais compradores dos produtos agropecuários brasileiros. Rossi disse que mantém uma forte expectativa em relação ao mercado russo, especialmente em relação à carne bovina. A participação dos países da Ásia nas exportações brasileiras alcançou 31% de janeiro a novembro de 2010. Principal comprador de produtos do agronegócio, a China ampliou as importações do Brasil em 24,2%, passando de US$ 8,6 bilhões para US$ 10,7 b i l h õ e s , o q u e re p re s e n t a 15,3% do total exportado. No ano, o complexo sucroalcooleiro (açúcar e etanol) foi o que mais cresceu em receita, com aumento de 44,6%. As exportações somaram US$ 12,6 bilhões, confirmando o crescimento da participação do açúcar brasileiro em um momento de alta dos preços internacionais após a redução da safra indiana, mostram os dados da balança. Já o setor de café teve alta de 31,1% na receita. O valor exportado de US$ 5 bilhões é o maior já registrado e ultrapassa o resultado de todo o ano passado, de US$ 4,3 bilhões. Em novembro, os setores que tiveram maior aumento nas vendas foram o complexo soja (59,8%), café (57%) e cereais, farinhas e preparações (130%). (Agências)

Dezembro começa com dados melhores para a balança Nos oito primeiros dias úteis do mês, até o dia 12, os números das exportações estão crescendo mais que os das importações.

A

balança comercial brasileira teve superavit de US$ 866 milhões na segunda semana de dezembro. No acumulado deste mês, as exportações superaram as importações por US$ 1,446 bilhão, abaixo dos US$ 2,17 bilhões registrados em igual período de 2009. No acumulado deste ano, o saldo comercial está positivo em US$ 16,35 bilhões, uma cifra 30% abaixo do desempenho registrado em igual período no ano passado. Alta de 38% – Em dezembro, as exportações somaram US$ 7,27 bilhões, o que significa uma média de US$ 909 milhões por dia, que é 38% mais alta que a média de dezembro do ano passado no intervalo equivalente. Já as importações atingiram o montante de US$ 5,82 bilhões nos primeiros resultados de dezembro. A média diária foi de US$ 728,3 milhões, correspondente a um crescimento de 30% sobre a média do último mês do ano passado. Os números referem-se a um total de oito dias úteis, até o dia 12 de dezembro. O aumento da média diária de exportações deve-se ao mesmo tempo a três categorias de produtos: básicos, semimanufaturados e manufaturados.

As vendas de básicos registraram média diária de US$ 379,3 milhões, alta de 75,9% em comparação à média de US$ 215,7 milhões de dezembro de 2009. Os itens que impulsionaram esse crescimento foram minério de ferro, soja em grão, café em grão, petróleo em bruto, farelo de soja, milho em grão e carne de frango. Já as vendas de semimanufaturados alcançaram média diária de US$ 124,6 milhões, o que representa uma elevação de 37,5% em relação à média de US$ 90,6 milhões apurada em dezembro do ano passado. Os itens que mais impulsionaram essa alta foram óleo de soja em bruto, ferro fundido, semimanufaturados de ferro e de aço, alumínio em bruto, ouro em forma semimanufaturada e celulose. Entre os manufaturados, a média diária destas duas primeiras semanas do mês foi de US$ 372,6 milhões, em uma elevação de 10,4% em comparação à média de US$ 337,5 milhões registrada em dezembro de 2009. Os itens que promoveram essa alta foram tubos de ferro e de aço, etanol, automóveis de passageiros, autopeças, aviões, laminados planos e veículos de carga. (Agências)

Robson Fernandes/ AE - 22/11/2003

Renda e seguro para o produtor

A

mpliar e aperfeiçoar o seguro rural como forma de garantir renda ao produtor é um compromisso firmado pelo ministro da Agricultura, Wagner Rossi, confirmado à frente da pasta pela presidente eleita, Dilma Rousseff. "Hoje temos muita ênfase no Programa de Garantia de Preços Mínimos (PGPM)" disse Rossi, em sua primeira entrevista coletiva depois de confirmado no cargo. Segundo o ministro, o produtor rural precisa ter garantia efetiva de renda. "E esse instrumento é o seguro rural."

A ideia a ser estudada, inicialmente, é a de considerar o remanejamento de recursos hoje destinados ao programa para o seguro rural. "Mas isso é apenas um estudo", disse Rossi, cauteloso. Ele destacou que não se trata de um projeto para curto prazo. "Precisamos ver se os recursos que estamos aplicando no PGPM e em outros instrumentos não seriam mais eficientes se fossem aplicados no seguro rural." Enfatizando que não há mudanças imediatas no sistema de financiamento da agricultura, Rossi ressaltou que o or-

çamento de 2011 é "compatível com a realidade". Um dos desafios citados por Rossi é atacar fatores que promovem o desenvolvimento desigual do setor agropecuário. O ministro citou, como exemplo, que há fortes diferenças entre as linhas de crédito dadas ao agricultor e ao pecuarista. "Não há, por exemplo, uma linha que evitasse a matança de matrizes ocorrida anos atrás, cujo preço pagamos hoje", disse, referindo-se ao fator que, segundo o governo, é a causa da forte alta nos preços da carne bovina. (AE)

Os altos preços da carne, hoje, se devem à matança de matrizes ocorrida anos atrás. O ministro Wagner Rossi usou o exemplo da carne para destacar a importancia do seguro rural.

Diário do Comércio  

14 dez 2010

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you