Page 1

Jornal do empreendedor

Conclusão: 23h45

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, sexta-feira, 13 de julho de 2012

Divulgação

Ano 87 - Nº 23.665

Gigantes da China chegam para brigar Preço bom, garantia estendida, itens de segurança... Conheça os pesados Premium que a Sinotruk traz para o País. Pág. 21

com problemas de crescimento

Andre Dusek/AE

Dilma disse que Lula e ela reverteram a "impensável" situação em que se encontravam as crianças, "relegadas".

"Uma grande nação deve ser medida por aquilo que faz para as suas crianças e adolescentes. Não é o PIB". Assim falou ontem a presidente Dilma Rousseff para uma plateia formada principalmente por jovens na 9ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e Adolescentes. A mudança de foco do PIB para crianças ocorreu horas depois de anunciada uma leve retração da economia em maio, pelo Banco Central. A previsão de crescimento para 2012 era de 4% e foi caindo até 2,5%. Para a edição americana da revista Forbes, o Brasil deverá crescer menos do que os EUA e os países do Brics. Páginas 17 e 18

ACSP: vinde a mim as criancinhas.

Em parceria com a Apetesp, ACSP promove maratona teatral em 4 teatros da Cidade. É o Festiférias, que distribuirá 6 mil ingressos para crianças carentes. Pág. 23 Paulo Pampolin/Hype

Antonella Salem/DC

d

cultura

Divulgação

Playarte/Divulgação

Kristen Stewart (acima) é estrela de Na Estrada, de Walter Salles. Estreia mais esperada dos cinemas. Página. 25

Divulgação

O Palhaço Gastão (dir.) e A Pequena Sereia (abaixo) estão entre as peças programadas pelo Festiférias. Ainda no roteiro para crianças, uma seleção de opções gastronômicas divertidas (no centro). Mais: o gênio Méliès no MIS; grande final do ciclo Bergman no CCBB e resenha de um livro clássico sobre a ocupação nazista em Paris.

Domingo é o Dia do

HOMEM

Parte do varejo já aproveita a data. E fatura cada vez mais. Pág. 16

HOJE

ISSN 1679-2688

23665

Parcialmente nublado Máxima 18º C. Mínima 8º C.

AMANHÃ Parcialmente nublado Máxima 20º C. Mínima 6º C.

9 771679 268008

Esse frio...Uma lareira... Um vinho. E pertinho de SP. Santo Antonio do Pinhal, 29 km antes de Campos do Jordão, é um refúgio perfeito, pacato e com belas paisagens. Pág. 22


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Plano de negócios da Petrobras de 2012-2016, primeiro da gestão "técnica" de Graça, já nasceu fora de esquadro. José Márcio Mendonça

pinião

Tasso Marcelo/AE

EYMAR MASCARO

UM VIVA PARA O FOGO AMIGO

E

Presidente da Petrobras, Graça Foster: política atrapalhou planos de gestão "técnica", como ela pretendia.

E a política venceu...

N

ão demorou nem um mês para o propósito da nova presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, de imprimir na estatal uma administração mais "técnica", em contraste com a administração mais "política" vigente no período Lula – primeiro com José Eduardo Dutra e depois e principalmente com José Sergio Gabrielli – fosse solenemente abandonada. Lembrem-se que a Petrobras submeteu-se à política econômica e aos interesses políticos do governo, desde a não correção, por longos períodos, dos preços dos combustíveis, até seus planos de investimentos, às vezes direcionados para agradar aos amigos e correligionários. Esta face da administração política dos festivos anos Lula foi denunciada, não com esta expressão, é óbvio, mas claramente, pela própria Graça Foster (como ela é conhecida). Sem citar especificamente o expresidente Gabrielli, agora secretário na Bahia preparando sua candidatura ao governo estadual pelo PT, ela falou – aqui no Brasil e para investidores estrangeiros – em "metas irrealistas" ou "não cumpridas", que a Petrobrás havia se tornada uma empresa ineficiente. Foi o que bastou para se falar, nesse campo, em uma "herança maldita" lulista, sem que a maioria se lembrasse de que a Petrobras, com Lula, sempre esteve sob o tacão de ninguém menos do que a presidente Dilma Rousseff,

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA que presidiu o Conselho de Administração da companhia desde 2003 até tornar-se candidata à Presidência, em 2010. E, portanto, aprovou todos os planos das gestões Dutra e Gabrielli. A memória não é própria da política – só quando interessa.

F

oster foi mais longe. Além das críticas, reviu os planos, no Programa de Investimentos 2012-2014, realocando investimentos, com alguns cortes. Reduziu, por exemplo, de 3,1 para 2,6 milhões a estimativa de produção de barris/dia em 2016, além de ter cancelado projetos das três refinarias projetadas por Gabrielli. Manteve apenas a de Abreu e Lima, em Pernambuco, que virá com três anos de atraso em relação ao cronograma oficial (este ano) e a um custo nove vezes mais que o projetado. Suspendeu – e pela informação oficial sem

data para retomar – as refinarias do Maranhão e do Ceará, dois compromissos de Lula com as famílias Sarney e Gomes – de Cid, governador, e Ciro, ex-governador, ex-ministro e ex-deputado.

F

oi o que bastou para desencadear uma guerra política pesada, mirando a Petrobras mas com foco também em Dilma – afinal, a madrinha de Foster e incontestável comandante direta do setor energético, que nunca deixou de controlar diretamente e com mão pesada. Sarney, a seu estilo, manipula nos bastidores – pondo à frente o quase decorativo ministro das Minas e Energia, Édison Lobão. A turma do Ceará, barulhenta por natureza, foi menos discreta. Cid declarou-se indignado. E Ciro partiu logo para críticas pesadas ao PT e ao governo, como um recado nada sutil

A Petrobras submeteu-se à política econômica e aos interesses políticos do governo, deixando de corrigir, por exemplo, os preços dos combustíveis por longo tempo.

da insatisfação cearense.

O

alarido surtiu efeito rápido. E coube ao governador Cid Gomes dar inicialmente a notícia de que o dito de Graça Foster estava não dito. Por coincidência, Cid passou esta informação depois de ter jantado com a presidente Dilma Roussef, segunda-feira, em Brasília, juntamente com o presidente de seu partido, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos. Os dois estiveram no Palácio da Alvorada para aparar arestas nas relações do PSB com o governo, depois dos atritos dos socialistas com os petistas em Fortaleza, Recife e Belo Horizonte por causa do rompimento da aliança com o PT nas disputas pelas prefeituras locais. Assim, na quarta-feira, cumprindo o ritual burocrático, a própria Graça Foster comunicou oficialmente ao governador Cid Gomes (como se ele já não soubesse) e ao distinto público (como se ele já não desconfiasse que seria assim mesmo) que está confirmada a construção da refinaria em seu estado. O plano de negócios da Petrobras de 2012-2016, o primeiro da gestão "técnica" de Graça, já nasceu fora de esquadro. Sarney espera agora o seu quinhão. As refinarias podem até ser necessárias, mas a Petrobras havia mostrado que tinha outras prioridades em um orçamento apertado como está o dela. Mais uma vez, a política dos políticos venceu. JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

mbora esteja rompido com o PT em seu Estado, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, ainda joga para ser candidato a vicepresidente na chapa encabeçada por Dilma Rousseff ou Lula, em 2014. Campos, que preside o PSB, se atritou com o PT estadual devido à eleição para a Prefeitura de Recife. Ele queria o apoio do PT a seu candidato, mas Lula não concordou que seu partido não tivesse candidato próprio. O projeto político de Eduardo Campos é se eleger vice na chapa presidencial do PT e se tornar candidato à presidência em 2018. Campos, no entanto, vai encontrar um obstáculo difícil a ser superado para tornar seu sonho em realidade, porque o PMDB não abre mão de indicar novamente Michel Temer para compor a chapa do PT. Na briga envolvendo PSB e PMDB, o partido de Temer leva vantagem por responder pelas maiores bancadas na Câmara e Senado, que é o que mais interessa a Dilma Rousseff para aprovar projetos de interesse do Executivo no Congresso.

O

atrito entre PSB e PT em Pernambuco alvoroçou o PSDB, inclusive o candidato à Prefeitura de São Paulo, José Serra. Os tucanos tem interesse em que Eduardo Campos concretize o rompimento com o PT no âmbito nacional, já que ele é tido e havido como o político de maior prestígio no Nordeste. Os tucanos desejam enfraquecer o PT num importante reduto eleitoral do País, o Nordeste, região que concentra 35 milhões de um total de 130 milhões de eleitores brasileiros. Na eleição presidencial de 2010, por exemplo, Dilma Rousseff obteve cerca de 70% dos votos nordestinos. Alguns tucanos, entre eles paulistas, chegaram a insinuar que poderiam apoiar uma eventual candidatura de Eduardo Campos ao Planalto, em 2014. O entusiasmo no PSDB de São Paulo irritou tucanos mineiros, já que o senador Aécio Neves está se comportando como candidato do partido, já definido, em 2014. Aécio quer apenas a continuidade do

Entusiasmo no PSDB paulista com Eduardo Campos irritou tucanos mineiros, pois Aécio Neves já está se comportando como candidato definido do partido em 2014.

confronto PSB x PT. O senador mineiro, a exemplo de qualquer outro tucano, precisa de uma liderança forte no Nordeste, para ajudá-lo a conduzir sua campanha na região. Ninguém mais qualificado para tal missão do que Campos. Apesar de romper com o PT em Pernambuco, Eduardo Campos tranquilizou Lula, garantindo a continuidade do apoio do PSB à candidatura de Fernando Haddad à Prefeitura paulistana. Com o apoio do PSB, Haddad acrescenta alguns minutos no seu tempo de campanha na televisão. Detalhe: é através da tevê que o ex e a atual presidente pretendem impulsionar a candidatura de seu candidato em São Paulo.

O

PSDB tem intensificado a pregação de que chegou a hora de interromper a hegemonia do PT. Os tucanos "vendem" aos eleitores a ideia de que não é salutar para o País que um único partido permaneça por tantos anos no Poder, mas há casos, como o de São Paulo em que o próprio PSDB vai completar 20 anos comandando o estado, assim que Geraldo Alckmin completar o seu mandato, em 31 de dezembro de 2014. O tucano que mais apela aos eleitores para evitar que o PT continue ganhando eleições presidenciais é Aécio Neves. Seu slogan é: "Chega de PT". EYMAR MASCARO É JORNALISTA E COMENTARISTA POLÍTICO MASCARO@BIGHOST.COM.BR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edi tor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Fernando Porto (fporto@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli e Evelyn Schulke, Ricardo Osman, Tsuli Narimatsu Repórter Especial: Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br), . Repórteres:André de Almeida, Fátima Lourenço, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, , Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 , Fax 3180-3355 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela Oesp Gráfica.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

o

3

É PRECISO UMA CULTURA DE PLURALISMO E CIDADANIA PARA VENCER O MEDO NO MUNDO ÁRABE.

pinião

O FATOR MEDO Para prosperar, árabes têm de superar seu déficit de liberdade, de conhecimento, de autonomia feminina e de pluralismo religioso. Se o Egito obtiver um contrato social viável para si mesmo, dará o exemplo a toda a região

S

e existe um pensamento que resuma a força e a fraqueza dos despertares árabes é o oferecido por Daniel Brumberg, um dos diretores de estudos do governo e democracia da Universidade Georgetown, segundo o qual eles aconteceram porque os povos árabes pararam de temer seus líderes, mas terminaram em impasse porque os povos árabes não pararam de temer uns aos outros. Esta dicotomia não surpreende. Foi exatamente da cultura do medo que os ditadores se alimentaram e a estimularam. A maioria deles comandou seu país como um chefão mafioso operando "sistemas de proteção". Eles queriam que as pessoas temessem umas às outras mais do que ao líder, assim cada ditador ou monarca poderia dominar a sociedade inteira, distribuindo apadrinhamento e proteção, enquanto governava com mão de ferro. Contudo, simplesmente decapitar esses regimes não será o bastante para superar tal legado. Será necessário existir uma cultura de pluralismo e cidadania. Até lá, tribos ainda temerão tribos na Líbia e Iêmen, seitas ainda temerão seitas na Síria e Bahrain, os seculares e cristãos vão temer os islâmicos no Egito e Tunísia e a filosofia do "governar ou morrer" continuará sendo uma grande concorrente de "cada homem, um voto". É preciso ser muito ingênuo para pensar que a transição dessas identidades primordiais a "cidadãos" seria fácil ou até mesmo provável. Levou dois séculos de luta e comprometimento para os Estados

THOMAS L. FRIEDMAN Unidos chegarem ao ponto em que poderiam eleger para presidente um negro cujo nome do meio é Hussein e depois pensar em substituí-lo por um mórmon. E isso em um país de imigrantes. Porém, também seria necessário ser cego e surdo às vozes e aspirações tão autênticas que desencadearam os despertares árabes para não perceber que, em todos esses países, existe um anseio – principalmente entre os jovens – por cidadania real e governo responsável e participativo. É isso que muitos analistas não percebem hoje em dia. Essa energia continua a existir e a Irmandade Muçulmana, ou seja quem for que governe o Egito, terá de responder a ela.

P

recisamente porque o Egito é o oposto de Las Vegas – o que acontece no Egito nunca fica nele –, a forma pela qual o presidente recém-eleito, Mohammed Morsi, candidato da Irmandade Muçulmana, vier a aprender a trabalhar com os elementos seculares, liberais, salafistas e cristãos da sociedade egípcia terá um impacto enorme em todos os outros movimentos do despertar árabe. Caso os egípcios consigam forjar um contrato social viável para governarem a si mesmos, darão o exemplo para toda a região. Os EUA ajudaram

na redação desse contrato social no Iraque, mas o Egito precisará de um Nelson Mandela.

S

erá que Morsi pode desempenhar o papel de Mandela? Ele reserva alguma surpresa? Na melhor das hipóteses, as primeiras indicações são confusas. "Enquanto Mohammed Morsi se prepara para se tornar o primeiro presidente democraticamente eleito do Egito", Brumberg escreveu em foreignpolicy.com, "ele terá de decidir quem ele realmente é: um político unificador que deseja um 'Egito para todos os egípcios', como afirmou logo após ser declarado presidente, ou um partidário islâmico dedicado à própria proposição que repetiu durante o primeiro turno das eleições, isto é, 'o Alcorão é a nossa constituição'." "Não se trata tanto de uma escolha intelectual, mas de uma política e uma prática", ele acrescentou. "O grande desafio de Morsi é unir uma oposição política que sofreu com as divisões fundamentais entre islâmicos e não islâmicos e também dentro desses campos. Se sua convocação por um governo de unidade nacional meramente representar uma tática de curto prazo para confrontar os militares – e não um compromisso estratégico com o pluralismo como forma de vida política –, as chances de ressuscitar uma

transição que poucos dias atrás estava à beira da morte serão muito pequenas."

A

gora, é incumbência da Irmandade Muçulmana verdadeiramente procurar os outros 50 por cento do Egito – os elementos seculares, liberais, salafistas e cristãos – e lhes garantir que não serão prejudicados e que suas visões e aspirações serão equilibradas em conjunto com as da Irmandade. Ao longo do tempo, isso vai exigir uma revolução no pensamento da liderança e dos ativistas da Irmandade Muçulmana, para realmente adotar o pluralismo político e religioso enquanto passam da oposição ao gover-

no. Esse fato não se dará da noite para o dia, mas se não vier a acontecer, o experimento democrático egípcio vai fracassar e será aberto um precedente terrível para a região.

O

s Estados Unidos têm alguma influência em termos de auxílio externo, militar e de investimentos – e deveríamos utilizá-la para deixar claro que respeitamos o voto do povo egípcio e que desejamos continuar auxiliando o Egito a prosperar, mas nosso apoio estará sujeito a determinados princípios. Quais princípios? Os nossos princípios? Não. Os princípios identificados pelo Relatório de De-

senvolvimento Humano Árabe das Nações Unidas, de 2002, escrito por e para árabes. Segundo o documento, para o mundo árabe prosperar, ele precisa sobrepujar seu déficit de liberdade, de conhecimento e de autonomia feminina. E, acrescento eu, seu déficit de pluralismo religioso e político. Nós deveríamos ajudar qualquer país cujo governo tenha essa agenda – incluindo um Egito liderado por um presidente da Irmandade Muçulmana – e não apoiar nenhum que não a compartilhe. THOMAS L. FRIEDMAN É COLUNISTA DO NEW YORK TIMES E TRÊS VEZES GANHADOR DO PRÊMIO PULITZER. NEW YORK TIMES NEWS SERVICE

A 1ª VAIA A GENTE NUNCA ESQUECE. NEM A 2ª, A 3ª...

A

presidenta está escutando a 1ª, 2ª e 3ª vaias – e as demais que virão, inexoráveis. É eloquente o protesto – por enquanto só aqui e ali, que é como tudo começa. Ela experimenta o sabor da Vaia Medalha de Ouro, aplicada ao seu Criador no Pan do Rio. "Pai , afasta de mim esse cálice", suplica ela ao seu Pai na política. "Cale-se Madrasta minha", vaio eu com fervor. A eloquência enche de esperança a zelite que não habita "o país dos mais de 80%", nem frequenta os aplaudidos shows de música sertaneja . Zelite, sabe-se, são todos os que não leem pela cartilha da Novilíngua – "Nóis pesca us peixe" –, aprovada e patrocinada pelo ex- Ministro da Educação, brimo Haddad, ungido candidato a brefeito de Sumbaulo pelo Criador da presidenta. As vaias são a nossa Marselhesa, o nosso alonsanfã, le jour de gloire est arrivé; o nosso virundum Ipiranga as margens plácidas; nossa canção, samba-canção, sambaenredo, marcha rancho, dor de cotovelo, marchinha de carnaval, marcha da quarta-feira de cinzas, saudosa maloca, o arnesto nos convidou, que braseiro

Hélvio Romero/AE

Embaralham-se, trocam de caras e montarias para que nunca sejam identificados; quem ora é um, ora é outro; o outro sempre pode ser o um; cara de um focinho do outro, por secreta poção obrada pelo Advogado de Todos os Diabos, Thomaz Bastos, mais poderoso em malfeitorias do que as Três Estudantes e funcionários da Bruxas de Macbeth, mais faminto de Poder do que universidade Federal do ABC: a Lady Macbeth; suposto protesto no dia autor da "Lei do Dinheiro 5, em frente ao Não Contabilizado", que salvou a pele do fiel palanque escravo Delúbio, bode de Dilma. respiratório de todos os demais bodes mensaleiros.

que fornalha nem um pé de plantação; consta nos Ovnis, no Pravda, na Vodca, está no seguro, pixaram no muro, mandei fazer um cartaz, serás o meu amor, serás a minha paz – e todas as obra-primas que ouvi com essezovido qui a terra á di comê. Lembro da Nara Leão, eterna musa, exibindo bem abaixo da minissaia, estratégicamente modelada muito acima deles, os "joelhos que cantam". Os mais jovens não sabem o que é ter Nara como musa, não sabem o que perderam; se conformam, forçados, com musiquinha axé e musinhas danielas mercurys e yvetes sangalos.

E

S

abem, no entanto, o que ganham escutando as vaias que um dia destes testemunharam ou delas participaram e de outras mais que virão, a 4ª puxando interminável fila, cada uma mais estridente do que as outras, ninguém perde por esperar, se Deus, Jeová e Allah quiserem (querem). Assim falou o Zaratustra aqui; Nostradamus também serve. Não sou o Apóstolo João, mas no meu Apocalipse, traduzido "apocalipse" para seu real significado, "revelação"; nas minhas Revelações , os sinais já são vistos como

“nunca antes neçepaíz”, em todos os Territórios, Estados, Comarcas, Municípios, Distritos, fazendas, sítios, chácaras, quintais, terrenos baldios e Distrito Federal deste patropi, abençoá porDê e buni pornaturê masqui belê, em feverê tem carná... A presidenta, ao som das vaias presentes e futuras, vislumbra o seu Armagedon, o fim dos seus tempos, ali na

virada da esquina, com a visão dos 7 Cavaleiros do Apocalipse em formação de quadrilha. Lula, Sarney, Maluf, Dirceu, Cataratas, Genoino , Pallofi e o Leão do Imposto de Renda (este não conta porque devorou sua montaria, a Fome) e suas montarias Petismo, Petrobrás, Incompetência, Sindicalismo, Corrupção, Mensalão e Mentira; atualizados, são 7.

specula-se que a cara de cansaço que a presidenta ostenta e não mais consegue disfarçar, não é hora extra de "trabalho", é paúra. A pobrezinha escutou seu Criador falar, para gáudio dos seus áulicos, que "se ela não quiser se candidatar, volto em 14". Os 7 cavalos relincharam de alegria, rindo como se estivessem comemorando. Estavam. Mas ela não quer largar o osso; a roê-lo acostumou-se, digo sem prova, mas com convicção. Vai que a Criatura volte-se contra o Criador, cumprindo a praxe da História da Humanidade. Resta a ela encilhar nova

NEIL eu também vaio

Ferreira Montaria, invisível, a 8ª, a Faxina, a ser montada pela Faxineira, também invisível. Ninguém as vê, Faxina e Faxineira, inexistentes que são, tanto quanto são o marquetero petróleo do Pré-Sal e a refinaria fantasma de Pernambuco. Tudo indica que ela, ao se atrever a montar, cairá do cavalo, empurrada, desconfio, pelo seu Criador que, à sorrelfa, patrocina algumas vaias mais do que suspeitas. RAUL DO PT FOI PEGO MOLHANDO AS MÃOS NAS ÁGUAS DO CATARATA, NÃO MAIS CACHOEIRA. ESTE É MAIS UM PARÁGRAFO DESTA "NEVER ENDING STORY". NEIL FERREIRA É PUBLICITÁRIO


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

GibaUm

3O

pagodeiro Netinho de Paula levou Fernando Haddad pedir votos em São Miguel Paulista: ninguém sabia quem era.

gibaum@gibaum.com.br

k Nada é pior do que morrer. A cassação não acabou com a minha vida e não vai acabar com a dele.

LUIZ ESTEVÃO // primeiro senador cassado da República sobre a cassação de Demóstenes Torres.

Foto: BusinessNews

sexta-feira, 13 de julho de 2012

3 MAIS:

um carro anunciava "O candidato de Dilma" e o petista foi embora entusiasmado. "Conheci muitos manos e minas ."

Menos que EUA Novas previsões feitas por analistas econômicos lúcidos (coisa cada vez mais rara no país) estimam que o crescimento no Brasil este ano ficará mesmo entre 1,5% e 1,7%, ou seja, menos do que os Estados Unidos, cujas profecias apontam para um crescimento de 2%. Nos últimos dez anos, o Brasil já cresceu menos do que o EUA em 2003, o primeiro ano do governo Lula. E nos 18 anos de real, superou os Estados Unidos 12 vezes. Nos últimos 10 anos, a media de crescimento do Brasil foi de 3,52%; dos EUA, 1,91%. 333

HEBE NO SBT Deus é quem sabe O chefe do Ministério Público de Goiás, Benedito Torres, que estava sem falar com o irmão, o ex-senador Demóstenes Torres, há quase três meses, fez as pazes com ele no começo desta semana. Chegaram a trocar mensagens de celular até durante a sessão da cassação. Quando viu o desfecho pela televisão, Benedito mandou a mensagem: “Deus faz o que é melhor pra gente”. Foi o único momento em que os olhos de Demóstenes ficaram cheios de lágrimas, desmentidas depois por Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay.

333

QUEMVEM 333 O tenor Plácido Domingo vem ao Brasil, em agosto, para inaugurar, dia 15, o novo Centro de Eventos do Ceará, num espaço de 173 mil metros quadrados, que custou cerca de R$ 120 milhões. E o segundo maior complexo do gênero da América do Sul, só perdendo para o Anhembi, em São Paulo. Mais: a cantora Katy Perry chega ao Rio dia 29 próximo para lançar o documentário Part of Me , filmado em 3D. Mostra sua última turnê internacional que começou com o show que ela fez no Rock in Rio.

Depois de ter chocado seus admiradores com cabelos curtinhos, a tenista russa Maria Sharapova (primeira foto à esquerda), a esportista mais bem paga do mundo (segundo a Forbes, R$ 38 milhões no ano passado), mostrou tudo o que tinha direito, com um vestido transparente, na noite do ESPY Awards 2012, no Nokia Theatre, em Los Angeles. Com direito a tapete vermelho, a festa é promovida pela ESPN norte-americana e entre tantos, estavam também lá, da segunda foto à esquerda para a direita, as atrizes Zooey Deschanek e Jessica Biel (ajudaram na apresentação), a esquiadora Lindsey Voon e o brasileiro Anderson Silva, com sua mulher Dayane.

Atletas no red carpet

333

333 Demóstenes Torres, procurador da República, volta ao Ministério Público de Goiás, órgão do qual se licenciou em 2011 para se eleger senador. Só que seu calvário continua: enquanto seu advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, não quer recorrer ao Supremo (outro advogado poderá ser contratado), ele deverá ser investigado – e agora sem foro privilegiado – por seus próprios colegas de Ministério Público. Contudo, poderá ser brindado com aposentadoria. Considerado uma das 100 pessoas mais influentes do Brasil pela revista Época em 2009, Demóstenes teve seu nome pré-lançado pelo DEM, no começo deste ano, a Presidência da República em 2014. Mais: o processo contra Demóstenes volta à primeira instância em Goiás, mas ele não corre risco de prisão (só no caso de ameaçar testemunhas).

Novos rounds

333

As mensagens de texto enviadas, nos últimos dias, por Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da Dersa, falando que seu depoimento (se acontecer mesmo) na CPI de Cachoeira será uma boa chance para relatar fatos sobre sua conduta profissional, foram enviadas a amigos,familiares,companheiros de maratona, ou seja, pessoas de seu relacionamento pessoal. Ele garante que responderá as perguntas que lhe forem feitas, porque “não sou processado, nem acusado de nada”. E emenda, lembrando que “os que acusaram, foram processados e até agora, ganhei todas”. Um dos processados é Celso Russomano, candidato a prefeito de São Paulo pelo PRB de Edir Macedo. À propósito: o senador Aloysio Nunes Ferreira, seu amigo de longa data, não se afastou da CPI.

333

333 Quando não está em turnê pelo mundo ou gravando com o Black Eyed Peas, a cantora Fergie está faturando em jogadas promocionais ou novos contratos de propaganda. Agora, ela protagoniza nova campanha (esquerda) repleta de sensualidade, de seu perfume Fergie (Avon), enquanto posa para fotos para a marca de cosméticos (direita) Wet N' Wild. De quebra, estrela a nova investida de propaganda da Vole Light Vodkas, com direito a cartazes em ônibus em todos os Estados Unidos.

Fergie & Cia.

Dinheirama 333 José Maria Marin, presidente da CBF e ex-vice-presidente da entidade, nos tempos de Ricardo Teixeira, não comenta os R$ 45,5 milhões que ele e João Havelange levaram para facilitar a negociação de contratos de Copa do Mundo. Na internet, blogs de esporte e de humor ironizam dizendo que Marin está contente com seu salário de R$ 1,9 milhão por ano e seu vice-presidente, Marco Polo Del Pozo também (R$ 1,5 milhão por ano). E como se afirma que o mesmo Teixeira vem recebendo R$ 80 mil por mês como consultor, também deve estar contentinho (dá R$ 960 mil por ano).

h

AOS AMIGOS

MISTURA FINA VENCENDO José Serra, com o pessedista Alexandre Schneider na vice, o partido terá participação na administração municipal de São Paulo e, quase ao mesmo tempo, exercitará seu apoio ao governo Dilma, ganhando um ministério, que poderá ser ocupado por Gilberto Kassab ou por quem ele indicar. Malgrado a dissidência protagonizada pela senadora Kátia Abreu, a presidente tem simpatia por ela e tê-la como ministra era uma idéia que a fascinava. 333

A RENDA, presente das coleções do inverno, também anda emprestando sua trama a outras tantas alternativas da moda, de bolsas a sapatos, sem contar lingerie intima da qual participa desde que calcinha e sutiã foram inventados. O material que revela e esconde agora pode ser visto em jaquetas de couro, sapatos, bolsas, shorts e mesmo inspirados overcoats.

333

Namorador O livro O Real Itamar, de Ivanir Yazbeck, biografia do político mineiro, passa a limpo o lado namorador do Itamar Franco, antes e depois de chegar a Presidência. O relacionamento que durou mais tempo foi com Lisle Lucena, com qual ia se casar depois de chegar ao Planalto. Só que ela resolveu dar uma entrevista no programa de Jô Soares e dançou. Baseada em informações de colunas da época, a autora aponta outros affairs, de Norma Bengell (quando tinha 58 anos) a diplomata Thereza Quintela. O último romance foi com June Drummond, adventista. Durou até que a família dela exigiu casamento.

As negociações entre Hebe Camargo e o SBT estão adiantadas. Os advogados da emissora de Silvio Santos auxiliarão no rompimento dela com a Rede TV!, alegando salários atrasados (R$ 500 mil mensais) e anunciada redução do mesmo salário pela metade na renovação de setembro. Hebe está afastada por tratamento de saúde e pode nem reassumir o programa na emissora de Amilcare Dallevo. Detalhe: no SBT, a proposta é de R$ 150 mil fixos, mais participação nos comerciais. Só que lá, Hebe recebe. 333

h IN

OUT

Ray-Ban, marrom ou cinza, degradê.

Ray-Ban, lentes verdes, original.

Amores de Figueiredo No livro O Real Itamar, de Ivanir Yazbeck, em meio a citações de namoradas do político mineiro, ganha espaço também o romance secreto do presidente João Baptista Figueiredo com Edine Correa, funcionária do SNI – Serviço Nacional de Informações, órgão poderoso nos tempos da ditadura militar. Na época, Edine não era a única: em São Paulo, o mesmo Figueiredo mantinha um affair com Miriam Abicair e até ajudou sua namorada a expandir o que é hoje o Spa Sete Voltas, em Itatiba, interior de São Paulo. Naqueles tempos, Figueiredo ia ao sitio de Miriam a bordo de um helicóptero, que permanecia à sua disposição em Congonhas. 333

AS ELEIÇÕES municipais em São Paulo terão – e nem poderia se esperar outra coisa – alguns candidatos à vereança dignos de atenção: Serginho do BBB (PSD), Kiko do KLB (PSDB) e a Mulher Pêra, cujo nome real é Suelen Rocha (PP), estimam que deverão gastar, cada um, em torno de R$ 5 milhões em suas campanhas. Cada um deles acredita que possa repetir o fenômeno Tiririca nas urnas.

333

A RESTOQUE, controlada pelo fundo Artesia, dona da Le Lis Blanc, Noir, Bo.Bô e John John, acaba de comprar a marca Rosa Chá, famosa no segmento de moda praia, da catarinense Marisol. E vai partir para plano de expansão, como acontece com Bo.Bô (novas 51 lojas até dezembro) e John John (outras 42). A Restoque pagou apenas R$ 10 milhões pela marca Rosa Chá. 333

A ATRIZ Cristiana Oliveira, 49 anos, que fazia sucesso, há 23 anos, como Juma Marruá da novela Pantanal, na extinta Manchete (com direito a cenas de nudez, que lhe propiciaram, depois, páginas de Playboy), quem diria, vai ser avó. Sua filha Rafaela, de 29 anos, está esperando o primeiro bebê. 333

Colaboração: Paula Rodrigues / A.Favero

CHARGE DO DIA


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

5 TUITANDO A estratégia de Demóstenes Torres no microblog não deu certo.

olítica

INDICANDO Gravações da PF comprovam que Wilder é indicação de Cachoeira

Cadu Gomes/Reuters - 11.07.12

Demóstenes Torres já entrou com pedido para voltar ao Ministério Público de Goiás e contratou um novo advogado para brigar no Supremo Tribunal Federal para recuperar o mandato.

Internautas aprovam cassação de Demóstenes Ele usou o Twitter para acusar a esquerda e ganhar adeptos. Não deu certo.

A

estratégia de Demóstenes Torres de usar o Twitter para tentar caracterizar a sua cassação como uma iniciativa da esquerda e, com isso, pedir apoio para recuperar o mandato de senador, por intermédio do Supremo Tribunal Federal (STF), não deu certo. Até houve algumas manifestações de solidariedade, mas a grande maioria, que resolveu palpitar, aprovou. Por 56 votos a favor, 19 contra e 5 abstenções, Demóstenes foi cassado, na quarta-feira, por ter colocado o seu mandato a serviço do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Car-

linhos Cachoeira. Assim que a decisão foi anunciada, parecia que ele aceitaria o julgamento. Mas, ao anoitecer, foi ao Twitter para anunciar, que iria ao STF denunciar que a sua cassação tinha sido planejada pela esquerda. Foi tarde – Alguns internautas entraram no microblog de Demóstenes e desancaram dizendo que o ex-senador foi embora tarde. "Trate de mudar a sua biografia. Você não é mais senador. Foi cassado, lembra?", postou Marinilda Carvalho. Já Edgar Roberto Russo foi irônico ao fazer a sua sugestão. "Acho melhor o senhor mudar o nome do seu

Trate de mudar a sua biografia. Você não é mais senador. Foi cassado, lembra? MARINILDA CARVALHO

Acho melhor o senhor mudar o nome do seu perfil. 'Senador' não te pertence mais! EDGAR ROBERTO RUSSO

Indicado de Cachoeira vai assumir Wilder de Morais virou suplente por interferência do contraventor. Agora, um grupo de senadores quer saber até onde vai essa relação.

O

suplente Wilder de Morais (DEM-GO), ao tomar posse na vaga aberta com a cassação de Demóstenes Torres, deverá dar explicações aos senadores sobre a acusação de que foi indicado para esse posto pelo bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Um grupo de senadores considera que as explicações serão "inevitáveis", especialmente para a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, a CPI do Cachoeira, uma vez que gravações da Polícia Federal apontam sete conversas entre Wilder e Cachoeira. Para o senador Randolfe Rodrigues (PSol-AP), autor da representação que deu início ao processo de cassação contra Demóstenes, está claro que Wilder mantém relação pessoal com o contraventor. "Ele toma posse sob forte suspeição. São razões que merecem atenção especial da CPI e do Senado. Se eu fosse ele, começava utilizando a tribuna para explicar qual o nível das relações com Cachoeira". Luz do Sol – De acordo com o senador Ricardo Ferraço (PMDB-ES), "o fato de ter sido indicado para a suplência pelo Cachoeira é uma suspeição evidente. Não acho justo prejulgar, mas os fatos falam mais alto. Na hora que você toma posse, se submete à luz do sol. Se você tiver razão, não derrete", disse.

Divulgação

Agora, o MP quer explicações

A

Wilder de Morais: empresário trata Carlinhos Cachoeira de "Vossa Excelência" O líder do PSDB, senador Álvaro Dias (PR), afirmou que a indicação de Wilder para a suplência comprova a necessidade de mudanças na legislação eleitoral do País. "Só reforça a tese de que temos que mudar as regras para a indicação de suplentes. Acho que deveríamos extinguir a suplência, deixar a vaga aberta até a próxima eleição", sugeriu o tucano. A história – Wilder tornou-se primeiro suplente por indicação de Cachoeira, a quem chamava de "Vossa Excelência". O contraventor, inclusive, numa longa conversa por telefone, em junho de 2011, gravada pela Polícia Federal, lembrou a sua importância na ascen-

são política de Wilder. A conversa ocorreu no auge de uma crise gerada pelo envolvimento de Cachoeira com Andressa Morais, então mulher do suplente. "Eu não vou expor você, cara. Fui eu que te pus na suplência, essa secretaria, fui eu, você sabe muito bem disso. Então, para que eu vou te expor?", afirmou o contraventor. Wilder concordou e indicou ter gratidão por Cachoeira. Posse – Como o ato de cassação de Demóstenes foi publicado ontem, Wilder tem o prazo de 60 dias para assumir o mandato, que poderá ser prorrogado por mais 30 dias, desde que avise o Senado sobre a intenção de assumir. (Folhapress)

Corregedoria do Ministério Público (MP) de Goiás vai instaurar procedimento disciplinar para investigar "eventual falta funcional" de Demóstenes Torres em razão do seu envolvimento com o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Ele se licenciou do MP em 2001, quando ocupava o cargo de procurador-geral de Justiça. Na nota divulgada ontem, a Corregedoria informou que aguardava publicação da cassação para instaurar procedimento disciplinar. O documento esclareceu que nenhum procedimento havia sido aberto até então porque as acusações e as suspeitas contra Demóstenes não atingiam a sua atuação como integrante do Ministério Público. Ele simplesmente é acusado de ter beneficiado a organização criminosa comandada por Cachoeira, inclusive junto a órgãos da Justiça. Tanto que o plenário do Senado cassou o seu mandato por quebra de decoro parlamentar e ele só poderá voltar a disputar uma eleição a partir de 2027. Demóstenes, inclusive, já protocolou ontem "comunicado de exercício", procedimento necessário para retomar as atividades. Caso reassuma, voltará a atuar na 27ª Procuradoria de Justiça ganhando R$ 22 mil, fora benefícios. (AE)

perfil. 'Senador' não te pertence mais!". A resolução que determinou a sua cassação foi publicada ontem e, a partir de agora, perdeu também o direito às mordomias do Senado, como carro oficial, motorista e assessores. O internauta que assina com o pseudônimo de Stanley Burburinho lembrou que Demóstenes colheu o que plantou na carreira política. "Lembra do Fora Sarney que você liderou", referindo-se à campanha, em 2009, para derrubar o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), durante o escândalo dos atos secretos. Dia de limpeza – A quinta-feira foi dia de esvaziar o gabinete, recolher papéis e devolver as chaves à Mesa do Senado. Um grupo de ex-assessores mais leais a Demóstenes tirou a papelada das gavetas e encaixotou todos os documentos e coisas pessoais do senador cassado, transportados em uma Van. Houve até quem se solidarizasse com ele, como Raphael Cardoso Melo, que até lançou provocações aos principais desafetos de Demóstenes, o governo do PT e a esquerda. "Sua falha foi unir-se a Cachoeira e não aos mensaleiros. Teria a base, a CUT, a UNE e o STF a seu favor", escreveu, Força baiana – Ingrid Viana, da Bahia, mandou fluidos de boa sorte da terra dos Orixás. "O cair é do homem, o levantar é de Deus. Que Ele te fortaleça e te estabeleça", disse a internauta. "Abraço da Bahia", despediu-se. De acordo com informações de ex-assessores, Demóstenes dormiu em Brasília e ontem pela manhã viajou para Goiânia, onde deu entrada nos procedimentos para retomar o cargo de procurador de Justiça. As suas dores de cabeça, porém, não acabam com a cassação. Além do inquérito criminal movido pela ProcuradoriaGeral da República, vai enfrentar processo disciplinar aberto pela Corregedoria do Ministério Público de Goiás. Ele é acusado de falta funcional grave e pode ser condenado. Neste caso, a pena será a aposentadoria compulsória. Novo advogado – Demóstenes confirmou que vai recorrer ao STF para rever o seu mandato. "O que está postado está postado", disse por telefone, numa referência ao que havia escrito no Twitter um dia antes, de que iria ao Supremo. Ele também confirmou que já tem um novo advogado para cuidar desse processo. Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, que fez a sua defesa no Senado, anunciou que não iria assumir esse trabalho. Para Kakay, a decisão do plenário "era suprema". Sem Kakay, Demóstenes não perdeu tempo. "Já estou com um novo advogado. No momento oportuno eu falo", disse Demóstenes, encerrando a breve conversa. "Entrevistas eu não dou", avisou o senador cassado. (Agências)

CPI do Cachoeira na página 6


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sexta-feira, 13 de julho de 2012

No recesso, análise de documentos continua sem interrupção na Comissão. Vital do Rêgo, presidente da CPI do Cachoeira.

olítica

Andre Dusek/AE/24.05.12

CPI DO CACHOEIRA

No recesso, sem trabalho. Mas presidente da comissão, Vital do Rêgo, diz que prazo de finalização, de 180 dias, não será alterado

O

prazo para finalização dos trabalhos da CPI Mista do Cachoeira, que investiga as relações do contraventor Carlos Augusto Ramos com políticos e empresários, será interrompido durante o recesso parlamentar, neste julho, disse ontem o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB-PB). O recesso parlamentar ocorrerá entre os dias 18 e 31 de julho. Na quarta-feira, Vital do Rêgo pretende apresentar um relatório com as principais ações da CPI realizadas no primeiro semestre, segundo o site de notícias G1. "Em decorrência desse interregno dos trabalhos legis-

lativos regulares, interrompe"A impossibilidade de realise também, por óbvio, a con- zação de reuniões não intertagem do prazo de 180 (cento romperá o normal funcionae oitenta) dias de funciona- mento administrativo da Comento desta CPMI, de modo missão, nem mesmo as ativique não haverá dades de análise prejuízo para o da documentainquérito parlaç ã o q u e a s S eA impossibilidade mentar em andanhoras e os Semento", disse o de realização de nhores Congrespresidente, em reuniões não sistas desejarem nota divulgada interromperá o efetuar durante o ontem à tarde. recesso", disse funcionamento Sem parada – Rêgo na nota. administrativo da De acordo com o Os próximos p r e s i d e n t e d a Comissão. depoimentos C P I , e m b o r a o SENADOR VITAL DO RÊGO previstos para a prazo para finaliCPI devem ocorzação dos trabalhos seja sus- rer apenas no mês de agosto, penso, a parte administrativa tão logo os parlamentares volda CPI seguirá trabalhando tem do recesso parlamentar. durante todo o recesso. São esperados os depoimen-

tos do ex-presidente da construtora Delta Fernando Cavendish, para prestar explicações sobre a ligação da empresa com Carlinhos Cachoeira, e o ex-diretor-geral do Departamento Nacional da Infraestrutura de Transportes (Dnit) Luiz Antonio Pagot, que já se pôs à disposição dos parlamentares para depor. Pagot perdeu o posto no Dnit em razão das denúncias de irregularidades ocorridas no Ministério dos Transportes, no ano passado. Grande parte das obras do Programa de Aceleração do Crescimento na área de transportes são tocadas pela Construtora Delta e foram contratadas na gestão de Pagot no Dnit. (Agências)

Demóstenes: saída alivia senadores Para parlamentares, cassação evita visão de que CPI pode produzir "pizza" em favor de aliados poderosos

A

cassação do agora exsenador Demóstenes Torres (sem partidoGO) acaba com um enorme desconforto para seus colegas de Congresso. Acusado de ser o principal elo político do esquema de tráfico de influência montado pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, seu expurgo do Senado garante o fim de um mal-estar admitido pelos próprios parlamentares. A farta quantidade de telefonemas comprometedores para Cachoeira já tinha garantido há muito tempo a condenação de Demóstenes diante da opinião pública. Não foi à toa que a imagem mais usada pelos senadores depois da sessão de cassação foi lembrar que Demóstenes Torres já estava morto politicamente. Faltava fazer o enterro. Mas o principal desconforto que termina diz respeito à necessidade de produção de resultados pela Comissão Parla-

mentar de Inquérito (CPI), que (PT), entre outros políticos. investiga o escândalo de CarNa prática, senadores e delinhos Cachoeira. putados admitem que a cassaCom a cassação de Demós- ção de Demóstenes já garante tenes, os integrantes da co- um resultado prático diante missão já podem argumentar da opinião pública e poupa o que as irregularidades resul- Congresso da acusação de taram em punição severa para produzir uma "pizza" para proalgum político, uma vez que o teger aliados poderosos. Afiex-senador eleinal, foi apenas a tor por Goiás persegunda vez na O placar só não deu o mandato e História que o Sefoi maior a favor se tornou inelegínado cassa um do senador por vel por oito anos. d o s s e u s i n t eele ter péssima Com isso, os ingrantes. Até tegrantes da comesmo Demósrelação com missão ficam tenes chancelou muitos colegas muito mais conessa avaliação da Casa. fortáveis para quando disse, blindar outros poem seu discurso líticos investigados por supos- de defesa, que era o "bode extamente terem algum tipo de piatório" do escândalo de Carenvolvimento com o esquema linhos Cachoeira. de Cachoeira, como é o caso Outra informação impordos governadores de Goiás, tante produzida pelo processo Marconi Perillo (PSDB), do Dis- de votação da cassação do extrito Federal, Agnelo Queiroz senador foi a revelação da (PT), do Rio de Janeiro, Sérgio quantidade de senadores que Cabral (PMDB), além do pre- se manifestaram contrariafeito de Palmas, Raul Filho mente à perda de mandato de

Demóstenes. Foram 19 votos contrários (certamente incluindo nessa conta o voto do próprio Demóstenes), além de cinco abstenções e uma ausência, que contam a favor da defesa do político goiano. A maioria desses votos aponta o espírito de corpo de setores expressivos da Casa e o temor desses parlamentares – cujas identidades são protegidas pelo voto secreto – que um dia investigações de irregularidades também cheguem a eles. E o placar só não foi mais elevado a favor de Demóstenes por ele ter péssima relação com muitos de seus colegas pelo tom crítico que sempre adotou contra eles. Sem a presença de Demóstenes e com a proximidade do calendário eleitoral, os parlamentares apostam que devem se reduzir as investigações do caso Cachoeira dentro da CPI, abrindo espaço para a construção de outras agendas bem menos negativas. (AE)

CORRUPÇÃO NA FIFA

Vital do Rêgo: trabalhos administrativos da comissão sem interrupção

OAB poderá afastar 152 advogados por fraude

A

Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) solicitou ontem à Polícia Federal (PF) o resultado das investigações sobre as fraudes nos exames da Ordem em 2009 e 2010. O inquérito da PF, apresentado anteontem, aponta que um total de 152 candidatos tiveram acesso antecipado às respostas das provas e 1.076 deles "colaram". Caso seja comprovada a fraude nos exames, os fraudadores poderão ter as carteiras da OAB cassadas, além de responder criminalmente pelas acusações. "Contra os responsáveis, será aberto processo disciplinar com direito à defesa, mas a Ordem não pode ser conivente com este tipo de postura, que denigre a imagem da advocacia e ainda faz que pessoas entrem pela porta dos fundos", disse o presidente nacional da Ordem, Ophir Cavalcante. Segundo o inquérito da PF, foram fraudadas três provas da OAB aplicadas em maio e

setembro de 2009 e em janeiro de 2010. Os envolvidos foram identificados por meio do Sistema de Prospecção e Análise de Desvios em Exames (Spade), software que rastreia, compara e analisa as respostas dos candidatos, apontando quais têm mais probabilidade de ser adulteradas. A Polícia Federal ainda fez um laudo pericial e outras investigações. A fraude nos exames da OAB, segundo a PF, foi cometida por uma quadrilha que também burlou concursos da própria Polícia Federal, da Receita Federal, da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) e ainda da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). Já foram indiciadas 282 pessoas e 62 servidores foram afastados ou impedidos de tomar posse por envolvimento no esquema. Os suspeitos são acusados de formação de quadrilha, estelionato, receptação, corrupção ativa e passiva, entre outros crimes. (ABr)

Alan Marques/Folhapress - 23.08.11

Blatter confirma que tem o nome no documento sobre o caso Em sua defesa, diz que a Justiça decidiu mencioná-lo em código porque não é acusado no processo

P

ressionado, o presidente da Fifa, Joseph Blatter, confirmou ontem que ele está citado nos documentos do Tribunal de Zug que, na quarta-feira, revelou o escândalo do pagamento de propinas para os cartolas João Havelange e Ricardo Teixeira. Pelos documentos, fica claro que Blatter sabia de tudo e ainda defendeu na corte os dois brasileiros. Ontem, em declaração ao site oficial da entidade, o cartola suíço se defendeu, alegando que nos anos 1990 o pagamento de subornos não era um crime na lei suíça e que, portanto, não tinha o que denunciar. "Sabendo do quê?", questionou ao ser indagado se ele sabia do verdadeiro esquema de corrupção na entidade. Nos documentos, a corte apenas fala de um indivíduo marcado como P1. Diante da pressão, Blatter decidiu reconhecer que a referência no documento é sobre ele mesmo. "Sim, sou eu". Segundo ele, a decisão de manter seu nome de forma

anônima no documento não foi dele, mas da própria corte, que decidiu que pessoas que não estavam sendo acusadas teriam sua privacidade protegida. Blatter defende a ideia de que todo o documento fosse publicado, sem tarjas ou letras substituindo nomes, como no caso das empresas ligadas a Teixeira ou os nomes das redes de TV que deram dinheiro aos cartolas, inclusive no Brasil. Blatter não falou com a imprensa e apenas

respondeu perguntas feitas por sua própria assessoria de imprensa, em uma mensagem controlada. "O senhor supostamente sabia (do pagamento de propinas)?", questionou o site da Fifa. "Saber o quê? Que comissões eram pagas? Naquela época, tais pagamentos podiam ser deduzidos até mesmo de impostos como gastos de negócios", disse. Acrescentou que, "hoje, seriam punidas pela lei. Não se pode julgar o passado

Fabrice Affrini/AFP/30.05.11

Joseph Blatter: alegação de que, nos anos 90, suborno não era considerado crime na Suíça.

com base nos padrões de hoje", afirmou o presidente da Fifa. "Caso contrário, acabaria como justiça moral. Eu não poderia saber de uma ofensa que na época não era ofensa", defendeu-se o maior dirigente da Fifa. Blatter dá todos os sinais de que não vai reabrir o passado. Segundo o dirigente da Fifa, a comissão de ética da Fifa apenas irá garantir que o mesmo não se repita a partir de agora. (AE)

Ophir Cavalcante: punição para preservar imagem do advogado.

TRE cassa prefeita por abuso eleitoral no Pará

O

Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Pará cassou ontem o mandato da prefeita de Santarém, Maria do Carmo (PT), acusada de abuso de poder político e econômico e de captação ilegal de votos nas eleições de 2008. Ela, porém, deve permanecer no cargo até que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) julgue seu recurso contra a decisão. Maria do Carmo não concorrerá nas eleições deste ano, pois foi reeleita em 2008. Funcionários do TRE-PA avaliam que, com uma possível sobrecarga do TSE em um ano eleitoral, é provável que a prefeita continue no cargo até o fim do seu atual mandato, em dezem-

bro, sem que o recurso da prefeita seja julgado. De acordo com o TRE-PA, a decisão torna a prefeita inelegível por oito anos, segundo a Lei da Ficha Limpa. A Justiça Eleitoral considerou que o lançamento de um programa para regularização de lotes de terra, sem previsão orçamentária e sem lei prévia, e a propaganda irregular no ano eleitoral configuraram excessos suficientes para a cassação do mandato. O advogado da prefeita, José Rubens Barreiros Leão, diz que há um entendimento do próprio tribunal de que a punição por propaganda eleitoral antecipada se esgota após o pagamento de multa. (Folhapress)


p Prazo para impugnações termina hoje DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

7

A minha filha já estava lá na Corregedoria do TJ antes de eu assumir. Desembargador Dácio Vieira, que manteve a filha Marcella Vieira de Cabral .

olítica

A novidade é a validade oficial da Lei da Ficha Limpa, que poderá barrar muitos candidatos já inscritos, alerta a presidente do TSE, ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha. Fábrio Rodrigues Pozzebom/ABr - 18.11.09

O

Ministra Cármen Lúcia, presidente do TSE: percorrendo o País para oferecer suporte nos julgamentos ligados à Lei da Ficha Limpa.

Ministério Público, candidatos e partidos têm até esta sexta para entrar com pedido de impugnação de candidaturas na Justiça Eleitoral. A grande novidade é a validade oficial da Lei da Ficha Limpa, que promete barrar muitos nomes da disputa. Já na segunda-feira, quando começou a valer o prazo de 5 dias, alguns pedidos foram feitos, como em Vinhedo (SP), onde a Promotoria Eleitoral enquadrou a candidatura pela reeleição do prefeito, Milton Serafim (PSB), dentro da Ficha Limpa. O promotor eleitoral Rogério Sanches Cunha, entendeu que Serafim é "ficha suja" por ele ser condenado em segunda instância por improbidade administrativa. O atual prefeito é acusado de cobrar propina de empreendedores para aprovação de loteamentos em Vinhedo durante seu dois primeiros mandatos (19972000 e 2001-2004), quando era do PSDB. O caso foi julgado pelo Tribunal de Justiça (TJ). Serafim acabou expulso do partido e chegou a ser preso duas vezes nesse processo. O registro de sua candidatura para o atual mandato em

2008, inclusive, foi feito pelo partido enquanto ele estava preso. O prefeito não foi encontrado ontem para comentar o assunto. Em outras ocasiões, ele negou a prática de irregularidades. O MP de Vinhedo pediu também a impugnação da candidatura a prefeito de Louveira ( S P ) d e J o s é C a r l o s K a rmanghia (PPS). Ele tem condenação em segunda instância por dispensa irregular de licitação. No resto do País, outros pedidos com base na Ficha Limpa foram entregues à Justiça Eleitoral. Agora valendo, a lei prevê impedimento para disputar as eleições para quem tem condenação definitiva ou julgada por órgão colegiado por improbidade administrativa, enriquecimento ilícito, crimes eleitorais ou comuns. A presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Cármen Lúcia Antunes Rocha, está percorrendo o Brasil para colocar o tribunal à disposição dos juízes para avaliação dos casos de Ficha Limpa. Ela pediu publicamente cautela nos julgamentos de casos que tratam da Ficha Limpa, por não haver jurisprudência sobre o assunto. (AE)

Celta Holdings S.A.

CNJ aponta 46 casos de nepotismo na Justiça do DF O TJ tem 15 dias para explicar, por exemplo, como a filha do corregedor trabalhava com o pai no tribunal.

R

elatório de inspeção do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) revela que 46 ocupantes de cargos comissionados do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJ-DF) são parentes em primeiro grau de juízes e desembargadores da própria Corte. Este número equivale a 13,79% do total de 464 ocupantes de cargos de confiança. O nepotismo é proibido pela Constituição e por jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF). Mais de 40% dos familiares dos magistrados que ocupam esses cargos estão lotados nos gabinetes do presidente do tribunal, desembargador João de Assis Ma-

riosi; do vice-presidente, Lecir Manoel da Luz, e também do corregedor do TJ, Dácio Vieira, que tem como uma das suas principais missões combater irregularidades administrativas, como o nepotismo. O CNJ deu prazo de 15 dias para o TJ dar as suas explicações. Uma festa – A inspeção apurou que dois servidores (matrículas números 310.909 e 317.513) ocupam cargos comissionados na Presidência do Tribunal. Um deles é chefe de gabinete e o outro assessor jurídico. O servidor de matrícula 313.111 exerceu cargo na corregedoria do TJ de 3 de maio de 2006 a 23 de novembro de 2010. No período de

22 de abril de 2010 a 23 de novembro de 2010, ele exerceu a função de confiança no momento em que seu pai era o distinto corregedor. Bom exemplo – A prática foi imitada pelo corregedor atual, o desembargador Dácio Vieira, que manteve a filha Marcella Vieira de Cabral Fagundes, matrícula 314.156, ocupando cargo de confiança como sua subordinada. Por sua indicação, a filha já estava no cargo desde 22 de abril e ele a manteve quando assumiu o cargo. Vieira foi o autor da censura judicial ao O Estado de S. Paulo, decretada em 31 de julho de 2009. Ele atendeu, na época, ao pedido de Fernando Sarney, filho de José Sar-

ney (PMDB-AP), presidente do Senado, que queria impedir o jornal de divulgar informações da Polícia Federal sobre seu envolvimento com irregularidades apuradas na Operação Boi Barrica. Marcella é servidora concursada do Tribunal Regional Eleitoral do DF e foi requisitada pelo TJDF. Vieira disse na ocasião que a filha já estava na Corregedoria do TJ antes de sua posse. Por isso não precisaria sair porque, como destacou há precedentes nos tribunais. Só que Vieira reconsiderou a sua posição após a inspeção do CNJ e exonerou a filha, a pedido dela. De acordo com o TJ, a situação de quase todos é semelhante a dela (AE)

CNPJ no 07.394.072/0001-00 - NIRE 35.300.330.251 Ata Sumária das Assembleias Gerais Extraordinária e Ordinária realizadas cumulativamente em 30.4.2012 Data, Hora e Local: Em 30.4.2012, às 14h45, na sede social, Avenida Paulista, 1.450, 9o andar, parte, Cerqueira César, São Paulo, SP, CEP 01310-917. Mesa: Presidente: Domingos Figueiredo de Abreu; Secretário: Ismael Ferraz. Quórum de Instalação: Totalidade do Capital Social. Presença Legal: Administrador da Sociedade e representante da KPMG Auditores Independentes. Edital de Convocação: Dispensada a publicação, de conformidade com o disposto no § 4o do Art. 124 da Lei n o 6.404/76. Deliberações: Assembleia Geral Extraordinária: aprovadas as propostas da Diretoria, registradas na Reunião daquele Órgão de 20.4.2012, para: I. aumentar o Capital Social no valor de R$23.500.000,00, elevando-o de R$124.500.000,00 para R$148.000.000,00, sem emissão de ações, mediante a capitalização de parte do saldo da conta “Reservas de Capital – Ágio sobre Investimentos”, com a consequente alteração do “caput” do Art. 6o do Estatuto Social, cuja a redação passa a ser a seguinte: “Art. 6 o) O Capital Social é de R$148.000.000,00 (cento e quarenta e oito milhões de reais), dividido em 740.000 (setecentas e quarenta mil) ações ordinárias, nominativas-escriturais, sem valor nominal.”; II. alterar o Estatuto Social na alínea “g” do Artigo 9o, aprimorando a sua redação, cuja a redação passa a ser a seguinte: “Art. 9o) - g) limitado ao montante global anual aprovado pela Assembleia Geral, realizar a distribuição da verba de remuneração aos Administradores.”. Assembleia Geral Ordinária: I) tomaram conhecimento dos Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes e aprovaram as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31.12.2011; II) aprovada a proposta da Diretoria da Sociedade, registrada na Reunião daquele Órgão, de 20.4.2012, para a destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31.12.2011 e distribuição de Dividendos, conforme segue: O lucro líquido de R$23.292.500,69, foi destinado da seguinte forma: R$1.164.625,03 para a conta “Reserva de Lucros - Reserva Legal”; R$21.906.596,90 para a conta “Reserva de Lucros Estatutária”; e R$221.278,76 para pagamento de Dividendos, o qual deverá ser feito até 31.12.2012; III) para composição da Diretoria, com mandato até a Assembleia Geral Ordinária de 2013, foram reeleitos os senhores: Diretor-Presidente - Luiz Carlos Trabuco Cappi, brasileiro, casado, bancário, RG 5.284.352-X/SSP-SP, CPF 250.319.028/68; Diretores - Julio de Siqueira Carvalho de Araujo, brasileiro, casado, bancário, RG 55.567.472-1/SSP-SP, CPF 425.327.017/ 49; Domingos Figueiredo de Abreu, brasileiro, casado, bancário, RG 6.438.883-9/SSP-SP, CPF 942.909.898/53; e eleitos Diretores os senhores, José Alcides Munhoz, brasileiro, casado, bancário, RG 50.172.182-4/SSP-SP, CPF 064.350.330/72; Aurélio Conrado Boni, brasileiro, casado, bancário, RG 4.661.428-X/SSP-SP, CPF 191.617.008/00; Sérgio Alexandre Figueiredo Clemente, brasileiro, casado, bancário, RG 55.799.633-8/SSP-SP, CPF 373.766.326/20; e Marco Antonio Rossi, brasileiro, casado, bancário, RG 12.529.752-X/SSP-SP, CPF 015.309.538/55, todos com domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900, sendo que permanecerão nas suas funções até que a Ata da Assembleia Geral Ordinária que eleger os novos membros em 2013 seja arquivada na Junta Comercial e publicada. Consignada a apresentação, pelos Diretores reeleitos e eleitos, da documentação comprobatória de atendimento das condições prévias de elegibilidade, previstas nos Arts. 146 e 147 da Lei n o 6.404/76; IV) não fixar remuneração aos Administradores da Sociedade, tendo em vista que todos já recebem remuneração pelas funções que exercem no Banco Bradesco S.A., controlador indireto, em consonância com a prática da Organização Bradesco. Documentos Arquivados: as Demonstrações Contábeis, os Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes. Também arquivada na sede e autenticada pela Mesa da Assembleia a Proposta da Diretoria. Encerramento: Nada mais havendo a tratar e como ninguém se manifestou, foi a Ata lavrada no livro próprio e lida, sendo aprovada por todos e assinada. aa) Presidente: Domingos Figueiredo de Abreu; Secretário: Ismael Ferraz; Administrador: Domingos Figueiredo de Abreu; Acionista: União Participações Ltda., por seu Diretor, senhor Julio de Siqueira Carvalho de Araujo; Auditor: André Dala Pola. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Ismael Ferraz – Secretário. Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 291.255/12-7, em 5.7.2012. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

STVD Holdings S.A.

CGU pede bloqueio de verbas para ONG Instituto Muito Especial é suspeito de fraudar convênios com os ministério da Ciência e Tecnologia e Turismo

A

Controladoria Geral da União (CGU) pedirá a órgãos do governo federal que bloqueiem pagamentos e novas parcerias com o Instituto Muito Especial, suspeito de fraudar convênios com o Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT). A decisão foi comunicada após reportagem do jornal O Estado de S. Paulo revelar o esquema, que envolve repasses a empresas de fachada e até em nome de uma "laranja", a maior parte financiada com recursos de emendas parlamentares. De acordo com a CGU, a orientação já foi feita ao MCT e será enviada também ao Ministério do Turismo, que repassou, por meio de quatro convênios, R$ 3,5 milhões ao instituto. Só na Ciência e Tecnologia, os valores repassados alcançam R$ 24 milhões, 90% provenientes de emendas. Presidente da entidade, o engenheiro Marcus Scarpa tem ligações com alguns dos parlamentares beneficiados. Um de seus sócios na empresa Green Publicidade e Marketing em 2010, João Paulo Lyra Pessoa de Mello asses-

Elza Fiúza/ABr - 13.03.12

Marco Antonio Raupp: nada a declarar a respeito. sorava na mesma época o exdeputado José Maia Filho (DEM-PI), o Mainha. Naquele ano, o então parlamentar destinou R$ 1,5 milhão para um convênio com o MCT. A parceria foi firmada em maio. Depois disso, a JPPM Consultoria Legislativa e Parlamentar, empresa em nome de Mello, foi contratada pelo ex-deputado. Mello diz ter acompanhando projetos para Mainha. Ao Grupo Estado, ele informou ter recebido R$ 3 mil pelos serviços. No entanto, a nota fiscal

apresentada pelo então parlamentar à Câmara é de R$ 30 mil. Mello nega ter feito intermediação ou recebido qualquer valor em função de emendas, mas admite ter apresentado, à época, alguns dos parlamentares ao chefe do Instituto Muito Especial, entre eles Mainha e a ex-deputada Solange Amaral (PSD-RJ), a segunda que mais beneficiou a entidade, com R$ 4 milhões direcionados. "Posso ter apresentado ele (Scarpa) a alguém. Não sei se botaram emenda", afir-

mou. Mainha diz que a assessoria prestada por Mello não teve relação com a emenda apresentada. Como mostrou o jornal O Estado de S. Paulo no domingo, o presidente do Instituto Muito Especial também era sócio de uma das filhas do primeiro vice-presidente da Câmara, Eduardo Gomes (PSDB-TO), quando o tucano destinou emendas à entidade. No Turismo, três dos quatro convênios foram bancados por emendas de R$ 1,5 milhão do deputado Antônio Andrade (PMDB-MG) e do ex-deputado Edgar Moury (PMDB-PE). Embora encerradas em 2008 e 2009, até hoje a pasta não analisou as prestações de contas das parcerias. Moury é campeão em verbas destinadas à entidade na Ciência e Tecnologia (R$ 6,5 milhões). As investigações começaram no ano passado. Documentos mostram que o MCT não fiscalizava os convênios fraudados. O ministro Marco Antonio Raupp se nega a falar a respeito, alegando "risco à segurança do Estado". (AE)

CNPJ no 60.688.256/0001-65 - NIRE 35.300.035.542 Ata Sumária da Assembleia Geral Ordinária realizada em 20.4.2012 Data, Hora, Local: Em 20.4.2012, às 10h15, na sede social, Cidade de Deus, Prédio Novíssimo, 4 o andar, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900. Mesa: Presidente: Julio de Siqueira Carvalho de Araujo; Secretário: Ariovaldo Pereira. Quórum de Instalação: Totalidade do Capital Social. Presença Legal: Administrador da Sociedade e representante da KPMG Auditores Independentes. Edital de Convocação: Dispensada a publicação, de conformidade com o disposto no § 4o do Art. 124 da Lei n o 6.404/76. Deliberações: I) tomaram conhecimento dos Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes e aprovaram as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social findo em 31.12.2011; II) aprovada a proposta da Diretoria registrada na Reunião daquele Órgão, de 12.4.2012, para destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31.12.2011 e distribuição de dividendos, conforme segue: O lucro líquido de R$97.647.054,11 foi destinado da seguinte forma: R$4.882.352,71 para a conta “Reserva de Lucros - Reserva Legal”; R$91.837.054,39 para a conta “Reserva de Lucros - Estatutária”; e R$927.647,01 para pagamento de Dividendos, o qual deverá ser feito até 31.12.2012; III) para composição da Diretoria, com mandato até a Assembleia Geral Ordinária de 2013, foram reeleitos os senhores: Diretor-Presidente: Luiz Carlos Trabuco Cappi, brasileiro, casado, bancário, RG 5.284.352-X/ SSP-SP, CPF 250.319.028/68; Diretores: Julio de Siqueira Carvalho de Araujo, brasileiro, casado, bancário, RG 55.567.472-1/SSP-SP, CPF 425.327.017/49; Domingos Figueiredo de Abreu, brasileiro, casado, bancário, RG 6.438.883-9/SSP-SP, CPF 942.909.898/53; e eleitos Diretores os senhores: José Alcides Munhoz, brasileiro, casado, bancário, RG 50.172.182-4/ SSP-SP, CPF 064.350.330/72; Aurélio Conrado Boni, brasileiro, casado, bancário, RG 4.661.428-X/SSP-SP, CPF 191.617.008/00; Sérgio Alexandre Figueiredo Clemente, brasileiro, casado, bancário, RG 55.799.633-8/SSP-SP, CPF 373.766.326/20; e Marco Antonio Rossi, brasileiro, casado, bancário, RG 12.529.752-X/SSP-SP, CPF 015.309.538/55, todos com domicílio na Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900, sendo que permanecerão nas suas funções até que a Ata da Assembleia Geral Ordinária que eleger os novos membros em 2013 seja arquivada na Junta Comercial e publicada. Consignada a apresentação, pelos Diretores reeleitos e eleitos, da documentação comprobatória de atendimento das condições prévias de elegibilidade, previstas nos Arts. 146 e 147 da Lei n o 6.404/76; IV) não fixar remuneração aos Administradores da Sociedade, tendo em vista que todos já recebem remuneração pelas funções que exercem no Banco Bradesco S.A., controlador indireto, em consonância com a prática da Organização Bradesco. Quórum das Deliberações: unanimidade de votos. Documentos Arquivados: as Demonstrações Contábeis, os Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes. Também arquivada na sede e autenticada pela Mesa da Assembleia a Proposta da Diretoria. Encerramento: Nada mais havendo a tratar e como ninguém se manifestou, foi a Ata lavrada no livro próprio e lida, sendo aprovada por todos e assinada. aa) Presidente: Julio de Siqueira Carvalho de Araujo; Secretário: Ariovaldo Pereira; Administrador: Domingos Figueiredo de Abreu; Acionistas: Banco Alvorada S.A., Banco Bradesco S.A., Banco Bradesco BBI S.A. e Japira Holdings Ltda., todos por seu Diretor, senhor Julio de Siqueira Carvalho de Araujo; e Bradesco S.A. Corretora de Títulos e Valores Mobiliários, por seu Diretor, senhor Luiz Antônio de Ulhôa Galvão; Auditor: André Dala Pola. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Ariovaldo Pereira – Secretário. Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 221.701/12-6, em 25.5.2012. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

Banco Bradesco S.A. CNPJ no 60.746.948/0001-12 - NIRE 35.300.027.795 Ata da Reunião Extraordinária no 1.876, do Conselho de Administração, realizada em 9.3.2012 Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 292.283/12-0, em 6.7.2012. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

Banco Bradesco S.A. CNPJ no 60.746.948/0001-12 - NIRE 35.300.027.795 Ata das Assembleias Gerais Extraordinária e Ordinária realizadas cumulativamente em 9.3.2012 Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 292.282/12-6, em 6.7.2012. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sexta-feira, 13 de julho de 2012

A base vai ter de se mobilizar para dar quorum. O momento é grave, mas importante. Deputado José Guimarães (PT-CE)

olítica

Dida Sampaio/AE

Temer admite atrair Kátia Abreu para o PMDB

O Kátia Abreu: insatisfeita com o PSD, senadora goiana é seduzida pelo vice-presidente a engrossar as fileiras peemedebistas.

Governo mobiliza base para votar LDO e Brasil Maior até terça Impasse na liberação de emendas impede acordo que permita a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias

O

governo vai mobilizar a base aliada para votar, no início da próxima semana, a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) e as medidas provisórias que concedem os benefícios do programa Brasil Maior, adiantou ontem o vicelíder do governo na Câmara, José Guimarães (PT-CE). "A base vai ter de se mobilizar para dar quorum. O momento é grave, mas importante", disse Guimarães. Desde terça-feira, a oposição se aliou a partidos independentes, como o PR, e obstruiu todas as votações da LDO e das MPs. O motivo é a diferença no atendimento de emendas parlamentares entre a base e a oposição. O impasse na liberação de emendas para parlamentares da oposição tem impedido o fechamento de um acordo que permita a votação da Lei de Diretrizes Orçamentárias e cinco medidas provisórias: três na Câmara e duas no Senado. A falta de acordo se manteve ontem, o que motivou o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), a agendar sessões para segunda e terça-feira. Sem votar a LDO, o Congresso não pode entrar em recesso, marcado para começar na quarta-feira, dia 18. "Tenho a expectativa e convicção de que até terça a base virá para garantir quorum e votações, mesmo sem acordo", afirmou. Maia disse aos parlamentares que as faltas poderão ser descontadas da folha de pagamento. O presidente da Comissão Mista do Orçamento, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), suspendeu a sessão por falta de

Dida Sampaio/AE

vice-presidente da República e presidente licenciado do PMDB, Michel Temer, confirmou ontem, durante evento do partido em São Paulo, que convidou a senadora Kátia Abreu (PSD-TO) para se filiar à sua sigla. "A Kátia é minha velha amiga", disse ele, argumentando que há poucos dias foi a uma solenidade do CNA e disse que se ela tivesse se filiado ao PMDB, talvez não tivesse tido o desentendimento com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, presidente nacional do PSD, por conta da política de alianças dessa sigla em Belo Horizonte. De acordo com Temer, o encontro foi na terça-feira e ele deve manter conversas com a senadora sobre o assunto. "Eu disse: as portas estão abertas", ressaltou. Temer participou de um evento com a aproximadamente 400 candidatos a prefeito e a vice-prefeito em todo o Estado de São Paulo. Questionado sobre sua atuação em campanha durante horário de expediente, alegou que veio a São Paulo para o velório de um amigo de infância e que em seguida aproveitou para participar do evento de seu partido.

Por ser um militante antigo do PMDB, Temer disse que ficaria difícil para ele ficar longe das campanhas. "É muito difícil que eu não participe das campanhas do PMDB", afirmou. "Alinhamento natural" – O vice-presidente também disse que existe um alinhamento natural entre o PT e o PMDB e que, provavelmente, os dois partidos devem caminhar juntos na campanha de reeleição da presidente Dilma Rousseff, em 2014. "É muito provável, essas coisas vocês sabem como é, as vezes se modificam de um dia para o outro, mas a tendência natural é exatamente esta: manter a aliança que nós fizemos há dois anos", afirmou o vice-presidente, no encontro com candidatos do PMDB a prefeito e vice-prefeito no Estado de São Paulo. Para o peemedebista, seu partido tem dado um apoio significativo ao governo federal e hoje trabalha em conjunto com o PT e com os outros partidos da base aliada. "O PMDB vem dando um apoio muito grande ao governo, está irmanado com o PT e com os partidos aliados na defesa do governo", avaliou Temer. (AE)

Comissão mista aprova relatório do Código Florestal Marco Maia (PT-RS): convocação de sessões deliberativas na próxima segunda-feira e terça-feira.

quorum e por não haver acorAmeaça – O presidente da do com a oposição para votar a Câmara confirmou ontem que LDO. "A gente tem situação haverá sessões deliberativas delicada com algumas MPs, na próxima segunda-feira e que têm repercussão impor- terça-feira para votar duas tante para o País. medidas provisóPorque sem votar rias – entre elas a a LDO, o prazo paque institui o prora as MPs começa grama Brasil Se houvesse a contar", disse. Maior – e a Lei de acordo, os O coordenador Diretrizes Orçadeputados não do DEM na comismentárias (LDO). precisariam se são, deputado Fe"A base tem que deslocar até lipe Maia (RN), vir para garantir afirmou que a falque tudo seja voBrasília. ta de acordo pert a d o s e m a c o rMARCO MAIA, PRESIDENTE manece diante da do", disse Maia, DA CÂMARA. e s c a s s e z d e r eao ameaçar corcursos do govertar o ponto dos no liberados para emendas de parlamentares faltosos. parlamentares da sigla. Se"É importante os deputados gundo Maia, o acordo fechado estarem aqui na segunda e na com o governo para a libera- terça-feira", afirmou. Maia ção de R$ 2,5 milhões para a disse que vai aceitar apenas oposição não foi cumprido. as justificativas "imprescindíveis" que forem apresentadas pelos deputados ausentes. Irritado, ele prometeu que SECRETARIA DA SAÚDE os deputados que faltarem às sessões extraordinárias e não DIVISÃOTÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 apresentarem justificativa ABERTURA DE LICITAÇÕES Encontram-se abertos no Gabinete, os seguintes pregões: "procedente" terão desconto PREGÃO ELETRÔNICO 162/2012-SMS.G, processo 2012-0.093.267-2, destinado nos contracheques. ao registro de preço para o fornecimento de PAPEL CARBONADO, CONJUNTO "Como não houve acordo, DE PONTAS PARA POLIMENTO E MANDRIL DE AÇO PARA CONTRA-ÂNGULO, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras - GTC/ entendimento, vamos tentar Área Técnica de Odontologia, do tipo menor preço. A abertura/realização da buscar isso até a próxima tersessão pública de pregão ocorrerá a partir das 9 horas do dia 27 de julho de 2012, ça-feira. Se houvesse acordo, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 4ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. os deputados não precisariam PREGÃO ELETRÔNICO 199/2012-SMS.G, processo 2012-0.115.575-0, destinado se deslocar até Brasília. Como ao registro de preço para o fornecimento de SERINGAS DESCARTÁVEIS não houve, é natural que reaSEM AGULHA COM DISPOSITIVO DE SEGURANÇA, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras - GTC/Área Técnica de Material lizemos sessões na segunda e Médico Hospitalar, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de na terça para buscar o acorpregão ocorrerá a partir das 09h30min do dia 02 de agosto de 2012, pelo endereço do", explicou Marco Maia. www.comprasnet.gov.br, a cargo da 4ª Comissão Permanente de Licitações da "[A falta] é descontada auSecretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAIS tomaticamente e o que eu disOs editais dos pregões acima poderão ser consultados e/ou obtidos nos endereços: se é que sempre entendemos http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br; www.comprasnet.gov.br, quando as missões oficiais, as atividapregão eletrônico; ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o des partidárias, as atividades recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, de representação dos parlaDocumento de Arrecadação do Município de São Paulo. mentares nos seus estados DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas como falta justificada, inereninteressadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, te à atividade parlamentar. No www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital. caso da próxima segunda-fei-

ra e terça-feira, o pedido e o alerta que eu fiz é que não sejam marcadas atividades dessa natureza e que haja o empenho de todos para estar em Brasília", acrescentou o presidente da Câmara. "Está na hora de a base aliada mostrar a que veio. Ficam reclamando da oposição, mas quem tem que dar quórum é a base", argumentou José Guimarães. Publique-se – Em obediência a uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), a União voltou ontem a publicar na internet, de forma individualizada, os salários dos servidores federais. Terça-feira à noite, o presidente do STF, Carlos Ayres Britto, suspendeu uma liminar da Justiça Federal do Distrito Federal que impedia novas divulgações e mandava retirar do ar o que já havia sido publicado a respeito dos servidores da União no âmbito dos três Poderes. Desde 27 de junho, estavam disponíveis os salários dos servidores do Executivo. No dia 2 de julho, o TST (Tribunal Superior do Trabalho) fez o mesmo. No dia 4, foi a vez do Supremo Tribunal Federal. Essas informações haviam saído do ar na semana passada, após liminar concedida pelo Tribunal Regional Federal confirmando uma decisão da primeira instância. De acordo com o juiz da 22ª Vara Federal do Distrito Federal, a divulgação dos salários feria o direito à privacidade dos servidores. "A remuneração dos agentes públicos constitui informação de interesse coletivo ou geral", rebateu Ayres Brito. "A transparência propicia o controle da atividade estatal pelos cidadãos". (Agências)

A

medida provisória que reformula o Código Florestal foi aprovada ontem pela Comissão Mista do Congresso que analisava o caso. O relatório do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) obteve 16 votos favoráveis e 4 foram pela obstrução. Durante a reunião foram apresentados 343 pedidos de destaque para a votação em separado, que deverão ser analisados em agosto, quando está marcada novo encontro do colegiado. A medida foi enviada ao Congresso após a presidente Dilma Rousseff vetar parte do projeto aprovado pelos parlamentares. O texto

aprovado preserva pontos considerados essenciais pelo governo, mas enfrentava resistência por parte da bancada ruralista. Insatisfeitos com as mudanças, os ruralistas, que são maioria na comissão, ameaçavam obstruir a votação do relatório. A orientação do Palácio do Planalto era garantir a votação do texto base na comissão antes do início do recesso parlamentar, previsto para começar no dia 18. Agora, a medida ainda terá que ser analisada pela Câmara e pelo Senado. A medida provisória do Código Florestal perderá a validade no dia 8 de outubro. (Folhapress)

Secretário e grevistas vão se reunir hoje

O

governo federal recebe hoje, a partir das 15 horas, em Brasília, representantes das instituições federais de ensino. A categoria, em greve desde o dia 17 de maio, será recebida por Sérgio Mendonça, secretário de Relações do Trabalho do ministério do Planejamento. O encontro estava previsto, inicialmente, para o dia 19 de junho, mas foi cancelado pelo governo e, até então, não havia definido nova data. De acordo com Marina Barbosa, presidente da Associação Nacional dos Docentes do Ensino Supeior (Andes), a categoria exige que o governo federal assuma a sua responsabilidade na educação. Os sindicalistas também estavam "incrédulos" sobre uma possível so-

lução na reunião. Segundo Marina, "do jeito que o governo tem se comportado, não dá para prever commo será a conversa", afirmou. "Nós esperamos que o governo apresente de fato uma proposta concreta. A responsabilidade está nas mãos deles", justificou Marina. A paralisação atinge 56 das 59 universidades federais, além de 34 institutos federais de educação tecnológica. Os professores reivindicam reestruturação da carreira e melhores condições de infraestrutura. Segundo Marina, os professores pedem reestruturação simples em 13 níveis, com variação de 5%. Atualmente, a progressão torna difícil a ascensão do profissional ao topo da carreira. (ABr)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

9 ITÁLIA Ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi vai disputar eleição em 2013

nternacional Ali Jarekji/Reuters

Um dia na Síria. 280 mortos. 220 morreram em novo massacre. Os demais, em diversas cidades.

M

ais de 220 pessoas foram mortas ontem pelas forças do governo sírio em um vilarejo da província de Hama, na Síria, denunciaram ativistas da oposição. O número total de vítimas no país, porém, passou de 280 apenas nesta quinta-feira. O Conselho da Liderança da Revolução de Hama disse à agência de notícias Reuters que a maioria dos mortos em Tremseh era civil e que o vilarejo foi bombardeado por helicópteros e tanques antes de ser invadido por milicianos pró-governo que conduziram execuções. Há 16 meses tropas sírias reprimem com violência as mani-

Reuters

festações pró-democracia, que pressionam pela renúncia do ditador sírio, Bashar al-Assad. Negociações – Apesar da violência cometida pelo regime sírio contra a população, as negociações sobre uma resolução para estender uma missão de monitoramento da Organização das Nações Unidas na Síria começaram ontem com um Conselho de Segurança ainda profundamente dividido e a Rússia dizendo que não concorda com a ameaça de sanções para tentar colocar fim ao conflito. O conselho de 15 membros precisa decidir sobre o futuro da missão da ONU, conhecida como UNSMIS, antes do dia 20 de julho, quando expira o seu mandato de 90 dias. A UNSMIS foi enviada para monitorar um cessar-fogo fracassado, dentro de um plano de paz com seis pontos do enviado internacional Kofi Annan.

Para EUA, deserção é 'sinal de desespero'.

O

Na foto maior, protesto em Amã, Jordânia. Acima, bairro em Homs. A Rússia propôs estender a missão por 90 dias, mas a GrãBretanha, os EUA, a França e a Alemanha apresentaram uma proposta de resolução para ampliar a missão por 45 dias e colocar o plano de paz dentro do Capítulo 7 da Carta da ONU. O Capítulo 7 permite que o conselho autorize ações que

vão de sanções diplomáticas e econômicas à intervenção militar. O órgão deve votar no dia 18 de julho. A posição da Rússia, aliada da Síria, não foi surpresa para os diplomatas. A Rússia e a China já vetaram resoluções da ONU que tinham como objetivo pressionar Assad. (Agências)

Patriota pressiona OEA contra Paraguai

governo norte-americano afirmou ontem que a deserção do embaixador da Síria no Iraque representa um "novo sinal de desespero" do regime de Bashar al-Assad, que enfrenta cada vez mais dificuldade de manter seu círculo de apoio. O embaixador da Síria em Bagdá, Nawaf Fares, desertou na quarta-feira, na primeira perda diplomática do regime de Assad – que acabara de enfrentar um golpe com a fuga de Manaf Tlass, um general de brigada e amigo próximo do ditador. "Aqueles ao redor dele, tanto no círculo interno e

mais amplamente entre os militares e a liderança governamental, estão começando a pensar melhor sobre as chances de Assad permanecer no poder [...] e fazendo a escolha de abandoná-lo em favor do povo sírio", disse o porta-voz da Casa Branca, Jay Carney. Facebook – Fares anunciou sua deserção em uma mensagem de vídeo publicada na rede social Facebook, na qual apelou ao Exército sírio que "se una imediatamente à revolução". Segundo Bagdá, Fares está agora no Qatar, um emirado hostil a Assad.

Cathal NcNaughton/Reuters

Ministro espera que organização leve em conta postura já adotada pelo Mercosul Ó RBITA

O

ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, disse ter expectativa de que a Organização dos Estados Americanos (OEA) leve em conta a postura adotada pela União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e pelo Mercosul quando for se posicionar oficialmente sobre a atual situação do Paraguai. Os dois blocos suspenderam o Paraguai de seus qua-

dros até a convocação de novas eleições, por discordarem de como foi conduzido o processo de impeachment do expresidente Fernando Lugo. De acordo com Patriota, não há data prevista para uma reunião em que a OEA decida sobre o assunto. No início da semana, o secretário-geral da OEA, José Miguel Insulza, sugeriu que seja feito um plano de ação para fa-

cilitar o diálogo entre os países americanos e que defendeu que o Paraguai não sofra suspensão. No entanto, Patriota disse na quarta-feira que as afirmações de Insulza não constituem a posição oficial da organização. "Esperamos que os órgãos mais amplos levem em consideração o que esses subgrupos decidiram'', afirmou o ministro. (Folhapress)

NIGÉRIA

P

elo menos 95 pessoas morreram na explosão de um caminhão-tanque ontem na Nigéria. Moradores teriam corrido para o local do incidente, aparentemente com a intenção de roubar o combustível vazado, quando ocorreu a explosão.

IRLANDA DO NORTE – A polícia de Belfast usou jatos de água para dispersar jovens católicos que se envolveram em tumultos por causa da passagem por seu bairro de protestantes que celebravam uma vitória militar do século 17 sobre as forças católicas.

Jaime Saldarriaga/Reuters

FARC reivindicam derrubada de avião; um dos corpos é resgatado.

A

Destroços do supertucano da Embraer que caiu – ou teria sido abatido – na quarta na Colômbia.

Defesa Civil da Colômbia informou que resgatou um dos corpos dos pilotos mortos após a queda de um avião na região de Toribío, no oeste do país, na quarta-feira. As Farc (Forças Revolucionárias da Colômbia), que reivindicaram a derrubada da aeronave, afirmam estar com o corpo do outro militar. As vítimas do acidente são o tenente Andrés Serrano Lemus, 29, e o técnico Oscar Castillo Moncaleano, 38. De acordo com a rede de televisão Telesur, com sede em Caracas, o supertucano da Embraer caiu em uma área do município de Jambaló, a cinco horas de Toribío.

Segundo o diretor do Comitê Internacional da Cruz Vermelha na Colômbia, Jordi Raich, a entidade tentará uma negociação para recuperar os restos mortais do piloto. O avião apoiava operações no norte do departamento de Cauca, onde está Toribío. O aparelho, com seis anos de serviço, era usado para repelir a ação da guerrilha e monitorar a segurança durante a visita do presidente Juan Manuel Santos à região. Em entrevista, Santos afirmou que as autoridades estão trabalhando para determinar as causas da queda do avião e considerou "muito imprová-

vel" que as Farc estejam envolvidas no incidente "por não ter a capacidade de fazer". Mais cedo, a Força Aérea Colombiana negou a relação da guerrilha com o incidente. O mandatário criticou as Farc por "se aproveitar da situação para semear mentiras". "Novamente apareceu essa modalidade das Farc de aproveitar cada fato para produzir situações falsas e mentiras. Temos que tomar cuidado para não cair nessa cilada". Santos chamou os rebeldes de covardes por se refugiarem dos ataques dos militares em casas de civis. "Isso é condenável e inaceitável." (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

sexta-feira, 13 de julho de 2012

SAIA COM A GAROTADA Programação de férias na cidade de São Paulo oferece inúmeras opções grátis de lazer e cultura, para os estudantes que estão em férias.

idades Fotos: L.C.Leite/Luz

Ao lado, aprendizes colocam a mão na massa na Make The Cake, em Perdizes.

Crianças traçam mapa das férias em SP Cidade oferece boas opções de lazer e cultura para a garotada, para todos os gostos e bolsos. Programação inclui desde culinária até pista de patinação no gelo. Mariana Missiaggia

N

as férias, o único compromisso da criançada é se divertir. Aos pais cabe a tarefa de mantê-los ocupados. Até o fim do mês, a cidade está cheia de atividades que unem diversão e aprendizagem, para todas as idades. (Confira a programação completa ao lado). A Make the Cake, em Perdizes, mostra que lugar de criança é na cozinha. De avental, touca higiênica e um rolo nas mãos, crianças e adolescentes abrem muitas massas. Durante a aula, elas também aprendem a preparar cupcakes e brownies. Priscila Brunsfeld, 37 anos, chef pâtisserie e proprietária da Make the Cake, garante que colocar as crianças para cozinhar pode ser uma boa surpresa. "No momento da decoração elas são muito criativas. Não sai nada igual". E quem pensa que a culinária só agrada as meninas está enganado. Mesmo em minoria, meninos também participam das temporadas de férias na Make the Cake. "As crianças estão cada vez mais espertas, então precisamos ocupá-las com coisas diferentes. Como mãe, conheço bem essa necessidade. A cada ano aumenta a procura pelas oficinas", disse Priscila. A funcionária pública Cristina Fígaro, 41 anos, concorda. "Ela volta para casa encantada. E acho muito interessante mexer com cores, habilidades manuais e a reflexão nessa idade. Esse envolvimento é necessário para chegar ao produto final", disse Cristina, que levou sua filha de cinco anos para a oficina de brownies. Na Vila Olímpia, as meninas recebem moldes, estampas e uma aula de inspiração para criar suas próprias peças. Elas também confeccionam bolsas, lenços e faixas de cabelo. "Começamos a fazer essas oficinas para festas de aniversário e foi um sucesso. Há três anos resolvemos abrir oficinas de férias e também deu super certo. Assim que fecho uma turma, já abro outra", disse Lia Eva, 37 anos, estilista e proprietária da Tiny Tea. Circo – Para os meninos que quiserem atividades mais movimentadas, a oficina de artes

circenses e o ateliê de tecnologia podem ser uma boa pedida. Outra opção para meninos e meninas de todas as idades é o programa Recreio nas Férias, promovido pela Secretaria Municipal de Educação. São mais de 110 atrações artísticas e 623 passeios a unidades do Sesc, museus, como o da Língua Portuguesa, teatros, parques e a espaços culturais, como o Catavento Cultural. Outros 60 polos instalados em escolas municipais, sedes de entidades sociais e Centros Educacionais Unificados (CEUs) também promovem atividades e oficinas. Toda a programação é gratuita. Gel o – Em Cidade Tiradentes, na zona leste, os estudantes receberam uma pista de patinação no gelo. Lá eles frequentam aulas e assistem a shows de patinação. Às 7h da manhã, a pista montada no CEU Água Azul já começa a ser disputada. Quem quiser aproveitar as atividades deve estar matriculado em qualquer rede de ensino, se dirigir à escola mais próxima e preencher a ficha de inscrição, que deve estar assinada pelos pais ou responsáveis. Mais programação de férias para crianças no DCultura

Recreio nas férias O programa promovido pela Secretaria Municipal de Educação oferece mais de 110 atrações artísticas e 623 passeios a museus, teatros e parques.

Inscrições: qualquer escola pública e particular.www.educacao. prefeitura.sp.gov.br Idade: 4 a 16 anos. Grátis

Os herboristas do espaço Sabor de Fazenda aproveitam as férias de inverno para ensinar as crianças a lidar com a terra, da semeadura à colheita. No projeto Dedinho Verde, aprendizes de 4 a 10 anos recebem noções de jardinagem, paisagismo e horta caseira. Eles também aprendem a transformar o lixo em adubo. No final, quem participou saboreia um lanche especial, com

ingredientes cultivados no viveiro. Os pais também podem participar das atividades junto com os filhos. Local: Avenida Nadir Dias de Figueiredo, 395 Vila Maria. Duração: duas horas Idade: 4 a 10 anos Valor: R$ 45 (crianças) e R$ 15 (adultos) Tel: 6631-4915

Museu de Arte Moderna (MAM) Ateliê de tecnologia Cada criança tem liberdade para criar e desenvolver seu próprio projeto. Ferramentas, máquinas e outros materiais ajudam os aspirantes a inventores transformar suas ideias em realidade. O importante é que todas as invenções boladas nesse

Em julho, turismo de negócios está em alta.

curso funcionem. Local: Rua Aspicuelta, 109 - Vila Madalena. Duração: definida pelo aluno. Idade: 5 a 15 anos Valor: a partir de R$ 450 por semana Tel: 3032-6809

O MAM está promovendo oficinas de gravura, narração de histórias, pintura e construção de brinquedos. Além de pintar e brincar, a garotada vai conhecer o ambiente de trabalho de um gravurista e saber como tudo funciona. Para participar, basta retirar a senha, que é gratuita, cerca de 30 minutos antes do início de cada atividade.

Os pais também podem participar das oficinas. Local: Parque do Ibirapuera. Avenida Pedro Álvares Cabral, s/nº - Portão 3. Duração: uma hora (de terça a domingo, das 16h às 18h) Idade: a partir de 4 anos Grátis Tel: 5085-1300

Tiny Tea Make the Cake

O

m ê s d e f é r i a s t a mbém agita a agenda do turismo de negócios e eventos na capital paulista. Segundo o São Paulo Convention & Visitors Bureau (SPCVB), 107 grandes eventos estão atraindo visitantes do mundo todo a São Paulo em julho. Feiras, congressos, convenções e outros eventos, como o Curso Dinâmica Populacional de Cães e Gatos, Anime Friends, Expo Pizzaria, Marcha para Jesus e Tatto Week preenchem a programação. Quem visitar a cidade a negócios pode aproveitar o momento para conhecer os pontos turísticos utilizando os cupons de desconto disponibilizados pelo SPCVB no site www.visitesaopaulo.com. (MM)

Sabor de Fazenda

A proprietária da Make the Cake, Priscila Brunsfeld, criou uma oficina de cupcakes e brownies para crianças. Com linguagem e didática apropriadas, as crianças aprendem como fazer e decorar o doce que caiu no gosto da garotada. Atividade exclusiva para crianças.

Divulgação

Local: Rua João Ramalho, 1402 Perdizes. Duração: três horas Idade: 5 a 12 anos Valor: A partir de R$ 30 Tel: 2597-1811

Canetinha, tecido e muito papel. São esses elementos que inspiram as miniestilistas no ateliê Tiny Tea. As meninas recebem moldes e estampas para desenvolver peças de acordo com a sua criatividade. As alunas também aprendem mais sobre a trajetória de estilistas e a história de peças e acessórios do guarda-roupa feminino, além de decorar lenços e necessáires.

Galpão do Circo As aulas mesclam histórias narradas pelos próprios instrutores em um cenário circense e permitem que as crianças aprendam artes simulando que cordas são cipós, camas elásticas são rios e o que mais a

imaginação permitir. Local: Rua Girassol, 232 Vila Madalena. Duração: três horas Idade: 6 a 16 anos Valor: R$ 240 por semana Tel: 3815-6147

Local: Rua Professor Atílio Innocenti, 235 - Itaim Bibi. Duração: duas horas Idade: 5 a 15 anos Valor: R$ 95 (inclui material e lanche) Tel: 3078-7777


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

c

11 As vítimas poderiam nem conhecer os autores. Mauro Guimarães Soares, delegado.

idades Alex Falcão/AE

Noite de fúria em Osasco: oito mortos. Polícia ainda não sabe os motivos dos assassinatos, que ocorreram em pontos de venda de drogas. mas, segundo Soares, "as vítimas poderiam nem conhecer os autores e os autores não conheciam as vítimas". Palmeiras – Inicialmente, a Polícia Militar informou que as pessoas baleadas eram torcedores do Palmeiras e estariam comemorando o título do time na Copa do Brasil, conquistado na noite de quarta-feira. Pela manhã, a corporação divulgou nota corrigindo a informação, informando que "em nenhuma das ocorrências havia torcedores do Palmeiras". Agentes da Delegacia Seccional de Osasco, porém, informaram que uma das vítimas baleadas usava camisa do Palmeiras no momento dos crimes. Segundo a Polícia Civil, a maior parte dos homicídios parece ter acontecido em frente a bares e pontos de venda de drogas. A polícia acredita que a série de ataques não tenha relação com brigas de torcida. Durante a conversa com jornalistas, o delegado afirmou que "pessoalmente não acredito que tenha a ver com briga de torcida, mas não vamos descartar nada". D r og a s – Os ataques ocorreram nas ruas Cuiabá, Santo Expedito, Palmital, Jader, Patrocínio Paulista e Marques de Resende. A maior parte dos crimes ocorreu em frente a bares e pontos conhecidos de venda de drogas de Osasco. (AE)

Carro da Polícia Militar estacionado na Rua Palmital, em Osasco, na Grande SP, um dos locais onde ocorreram assassinatos ontem de madrugada.

Idosa é morta em ataque de onça no Paraná

E

m um caso raro, uma mulher de cerca de 80 anos foi atacada e morta por uma onça parda na zona rural de São Jorge d'Oeste, no sudoeste do Paraná. O ataque ocorreu no final de junho, mas apenas nesta semana um laudo das pegadas e das mordidas no corpo da vítima certificou que o animal era uma onça. Segundo a Polícia Ambiental, é muito difícil que esse tipo de animal ataque uma pessoa. "É um animal que dificilmente tem contato com o ser humano. A atitude mais normal dele, quando encontra alguém, é fugir", afirma o tenente João Serpa, comandante do Batalhão de Polícia Militar Ambiental do Paraná. A onça, que ainda está solta pela região, mede cerca de 1,5 metro de comprimento e pesa entre 50 e 60 quilos. (Folhapress)

Helvio Romero/AE

A

polícia acredita que os seis ataques que m a t a r a m o i t o h omens e deixaram dois feridos na madrugada de ontem em Osasco, na Grande São Paulo, têm relação e tenham sido planejados pelos mesmos autores. As informações são do delegado seccional de Osasco, Mauro Guimarães Soares, que falou com a imprensa no final da tarde de ontem. Ele afirmou que pelo menos 10 pessoas foram atingidas pelos disparos. "Presumimos que sejam os mesmos autores (dos crimes), pelo horário que eles aconteceram, além da proximidade entre os bairros e pelo modus operandi. Seriam um ou dois grupos em combinação", disse o delegado Soares. Segundo ele, testemunhas e vítimas informaram se tratar de um grupo de seis pessoas. "Tudo indica que seis pessoas usavam um carro popular (Fiat Palio ou GM Corsa) vermelho ou vinho, e uma motocicleta de grande cilindrada". A informação foi dada à polícia por duas das vítimas que sobreviveram aos ataques. Algumas testemunhas teriam visto um integrante a pé, mas a polícia presume que o suspeito seria o garupa da motocicleta. Ainda é cedo para afirmar que os crimes possam ter sido assassinatos encomendados,

A chuva forte surpreendeu os paulistanos no inverno, que é marcado pelo tempo seco

Águas de julho em São Paulo

E

m um inverno que já ficou marcado por temperaturas mais altas, a chuva pegou os paulistanos de surpresa ontem. Por causa da época, em que predomina o clima seco, muitas pessoas estavam despreparadas para o

aguaceiro. Junto com a chuva veio o frio e o tempo ficou nublado a maior parte do dia. A chuva deve dar uma trégua hoje, mas as temperaturas vão continuar baixas nos próximos dias. (Redação)

O FANTASMA DE ASSUNÇÃO

A

A

pomba branca que pousou no caixão do Cardeal Eugênio Sales durante seu velório, conforme foi amplamente divulgado, nos remete à doce mitologia da paz desde que ave seme-

lhante trouxe o ramo de oliveira para Noé, anunciando o fim do dilúvio e o armistício proposto por Jeová. Ela ganhou forma no desenho do pintor Pablo Picasso para ilustrar o cartaz do 1º Congresso

Divulgação

É DE ESTARRECER! Metrópole – Domingo é o Dia do Homem, leia-se prevenção ao câncer de próstata. O preconceito contra o toque digital continua forte? Aguinaldo Nardi – Continua. É a maior causa do afastamento dos homens dos exames. Para você ter uma ideia, 53% dos homens brasileiros jamais foram ao urologista. Metrópole – Mas isso é de estarrecer. Nardi – É pior. O câncer de próstata está caindo no primeiro mundo em 25% devido ao diagnóstico precoce e à melhoria do tratamento. Entre nós, está crescendo. Temos 56 mil por ano, mais do que o câncer de mama, que é o mais frequente câncer feminino. Aliás, sua

letalidade também é maior. Metrópole – Em vez de procurar urologistas, os homens ficam criando uma infinidade de piadas sobre o exame de toque retal... Nardi – Esse anedotário piora a situação. Aumenta o preconceito e banaliza um tema sério. A Sociedade Brasileira de Urologia está empenhada ao máximo em conscientizar os homens, buscando inclusive maior participação do SUS. (Aguinaldo Nardi, 56 anos, urologista, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia, residente em Bauru) Leia mais sobre o Dia do Homem à pag. 16

V

ejam que extraordinário exemplo da reciclagem de ideias. Na sua primeira edição, lançada no início de 1966, a célebre revista Realidade trazia na capa o nosso Pelé com o gorro de pele de urso dos soldados que defendem a rainha (Queen’s Guard) e, por consequência, o Palácio de Buckingham, fazendo alusão à Copa do Mundo que seria disputada naquele ano na Inglaterra. Agora, a revista Veja, da mesma Editora Abril, utiliza idêntico recurso na edição especial dedicada às Olimpíadas de Londres, trocando o Rei por Neymar. A primeira capa se referia a seleção profissional; a segunda, à olímpica, que persegue a medalha de ouro há tempos. Espera-se que a sequência de fatos posteriores não se repitam: naquela época, uma chamada em Realidade nos prometia o tricampeonato, mas o fato é que o Brasil não passou das oitavas de final na Copa.

ção

PAZ!

JÁ VIU ESSE FILME?

Fotos: Reprodu

da Paz Mundial 1949. Quase foi desbancada por outro símbolo, a cruz invertida, de autoria de Gerald Holtom (1914-1985), datado de 1958, que esteve à frente das manifestações do Comitê de Ação Direta Contra a Guerra Nuclear, sediado em Londres, nos anos 60 e 70. Ganhou popularidade ao ser encampado pelo movimento hippie. Hoje, ambos convivem em paz.

suspensão do Paraguai no Mercosul – promovida pelo Brasil, Argentina e Uruguai – traz de volta o fantasma da Tríplice Aliança. Quem foi bom aluno no primeiro grau sabe que esse nome batizou o trio formado pelos três países para guerrear contra o nosso vizinho entre 1864 e 1870. Os efeitos dessa reaparição serão menos nefastos do que da primeira vez. Na ocasião, o Paraguai saiu da guerra com sua população, calculada em 500 mil pessoas, reduzida a menos da metade. É verdade que nós também perdemos muitas vidas – cerca de 150 mil – mas, segundo os mesmos registros históricos, o inimigo teve em torno de 300 mil cadáveres. Até hoje falta gente lá: 14,1 habitantes por km² – média baixa em termos de política demográfica. Por outro lado, a taxa de 3,8 filhos por mulher é alta, sugerindo que a natureza reagiu para preencher lacunas. O historiador Júlio José Chiavenato tem repetido em suas entrevistas a respeito, que o problema maior desse banho de sangue foram as mortes desnecessárias do lado de lá: a certa altura das hostilidades, com guerra liquidada, a Tríplice Aliança continuou a atacar. A propósito, Chiavenato cita uma carta de Duque de Caxias (1803-1880) a Dom Pedro II (1825-1891) na qual justifica sua saída do comando das forças para não ser coveiro dos paraguaios. Abaixo, o Combate Naval do Riachuelo, do pintor Victor Meirelles.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

sexta-feira, 13 de julho de 2012

R ÁDIO

BBC dá adeus a estúdio clássico Suzanne Plunkett/Reuters

A BBC realizou ontem a última transmissão de seu programa BBC World Service no emblemático edifício Bush House, em Londres. A transmissão foi apresentada por Iain Purdon [foto]. Bush House foi o estúdio de transmissões históricas durante a história da emissora, que se mudou para lá em 1941, quando o prédio que ocupava, o Broadcasting House, sofreu abalos durante bombardeios durante a Segunda Guerra Mundial. O BBC World Service, que divulga notícias em 28 idiomas, voltará a ser transmitido do velho Broadcasting House, em Oxford Street.

Magnetismo O fotógrafo Fabian Oefner colore fluidos ferrosos com tinta de aquarela e depois os submete a um campo magnético. A operação faz com que as partículas de ferro das soluções se reorganizem e formem imagens como estas. O projeto, chamado Millefiori, deu origem a um vídeo que pode ser visto no site abaixo. http://bit.ly/JKRHif

Logo Logo

Perfis

www.dcomercio.com.br

Dobraduras em papel são responsáveis pela criação de sombras que representam perfis de rostos humanos. Invenção de Kumi Yamashita. www.kumiyamashita.com

E SPAÇO C ASA

Bonecas russas de Plutão O telescópio espacial Hubble descobriu uma quinta lua que orbita ao redor de Plutão, anunciou ontem a agência espacial norte-americana, a Nasa. Nomeada P5, a quinta lua conhecida de Plutão tem forma irregular e dimensão de 10

a 25 quilômetros com uma órbita circular de aproximadamente 93 mil quilômetros ao redor do astro. Os cientistas ficaram surpresos com a complexidade do sistema de Plutão. "As luas de Plutão têm órbitas de diferentes tamanhos que pare-

cem se encaixar perfeitamente uma dentro da outra, como se fossem bonecas russas", disse Mark Showalter, do Instituto SETI e responsável pela equipe de cientistas que fez a descoberta. A teoria que prevalece é que as cinco luas de Plutão seriam

resultado de um impacto entre o planeta anão e um corpo celeste do cinturão de Kuiper há bilhões de anos. A descoberta permitirá um melhor uso dos instrumentos da sonda New Horizons quando passar pelo sistema de satélites de Plutão em 2015.

Heinz-Peter Bader/Reutes

DJ do refogado DJ Cooker é um aparelho que combina cozinha com música. Assim que a fonte de calor - o disco maior - começa aquece, uma música toca. Para mudar o ritmo ou melodia, basta girar o disco de controle, menor, como um DJ. http://on.be.net/Lj9UHR

G @DGET DU JOUR

24 horas sem fio Capaz de captar e armazenar energia solar, esta caixa de som se conecta a smatphones e tablets. Música por 24 horas sem precisar de tomadas.

Quadro O beijo, do austríaco Gustav Klimt, exposto no museu Belvedere, em Viena. Amanhã comemora-se os 150 anos de nascimento do pintor.

http://bit.ly/xy5ssY

I NTERNET

R OCK

Concurso 2941 da QUINA 05

17

32

53

79

Ki Price/Reuters

Um grupo de hackers divulgou ontem detalhes de 450 mil contas e senhas que foram roubadas de um servidor do Yahoo. O grupo D33DS Company invadiu um subdomínio não identificado do Yahoo e conseguiu detalhes de diversas contas. Eles anunciaram que o objetivo do "roubo" era "um alerta e não uma ameaça" e disseram que a segurança do Yahoo é fraca. L OTERIAS

BEATLES

ROLLING STONES

Hackers roubam senhas do Yahoo

Meio século depois do primeiro show dos Rollings Stones, ocorrido na Oxford Street, em Londres, Mick Jagger, Keith Richards, Charlie Watts e Ronnie Wood celebram a data com uma exposição fotográfica inaugurada ontem. No evento, eles sinalizaram que planejam uma nova turnê mundial.

Este antigo cartaz oferecia a fãs dos Fab Four a chance de beijar na boca o Beatle favorito. Trazia a reprodução, ampliada, da imagem dos lábios de cada um deles. O cartaz foi produzido em 1965 e encartado em uma revista britânica. http://bit.ly/PooxMN


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

e

13 DIESEL Haverá reajuste de 6 % nas refinarias, a vigorar a partir de 16 de julho.

conomia

ACESSO À WEB Páginas com extensão 0800.br terão acesso móvel gratuito

Fundos atingem captação recorde

Investimentos chegam a R$ 2,1 trilhões no primeiro semestre, o que representa alta de 9,1% na captação de recursos dos grandes investidores. Rejane Tamoto

A

trajetória de queda da taxa básica de juros (Selic) não reduziu o volume de recursos captados pela indústria de fundos de investimentos no Brasil. No último semestre, a captação líquida bateu o recorde de R$ 74,4 bilhões, valor 30,94% superior ao do mesmo período do ano passado e o maior em seis anos, segundo balanço da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima). O resultado levou o patrimônio líquido da indústria de fundos a crescer 9,1% e atingir R$ 2,1 trilhões, de acordo com dados da entidade. Ao ultrapassar US$ 1 trilhão em patrimônio líquido, a indústria de fundos brasileira se tornou a sexta maior do mundo, segundo ranking do Investment Company Institute (ICI). A estratégia dos fundos, de forma geral, tem sido diversificar a carteira com ativos de maior risco e valor agregado. "Espero que o juro menor preserve a maturidade que o mercado atingiu. Neste cenário, a busca por maior retorno envolve assumir mais riscos", afirma o vice-presidente da Anbima, Robert John van Dijk. O executivo diz que, no semestre, a evolução do patrimônio líquido por categoria tem caminhado em direção a padrões internacionais. Hou-

ve redução da participação do patrimônio líquido em renda fixa e um crescimento do market share de produtos de maior valor agregado e risco, como os fundos multimercados, ações e estruturados. Além disso, outro destaque é o aumento da participação dos títulos privados na carteira dos fundos, que foi de 24,6% em maio deste ano, contra 22,5% no mesmo mês do ano passado. Em 2006, esta participação era ainda menor, de 18,3% do patrimônio líquido. Segundo van Dijk, esta tendência pode se fortalecer se a taxa de juros continuar a cair, já que os títulos podem oferecer rentabilidade maior. "É interessante porque a absorção destes papéis (privados) também contribui para a capacidade das empresas de investirem e se financiarem", afirma o vicepresidente da entidade. Captação – O fundo que teve maior captação líquida foi o de renda fixa, com R$ 24,1 bilhões, com os maiores aportes vindos do poder público (estados e municípios, com R$ 10,5 bilhões) e do varejo (pessoa física, com R$ 7,7 bilhões). Em segundo lugar, a maior captação ocorreu nos fundos de previdência, com R$ 15,4 bilhões. "É resultado do cenário econômico, no qual as pessoas físicas estão mais preocupadas com a aposentadoria e a poupança", afirma van Dijk. Em decorrência de uma operação isolada no mercado,

Captação líquida recorde

o fundo DI registrou a terceira maior captação do setor, de Em R$ bilhões R$ 18,7 bilhões. Mesmo frente 74,43 a um mercado de ações volátil em razão da crise no exterior, 57,36 56,76 56,84 51,62 a captação líquida dos fundos de ações foi positiva no primeiro semestre, de R$ 2,03 bilhões contra uma queda de 24,28 R$ 1,95 bilhão em igual perío12,97 do do ano passado. Segundo Dijk, as taxas de administração dos fundos se2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 guirão um ajuste natural pela Obs: Dados do primeiro semestre de cada ano Fonte: Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais concorrência. "A queda das taxas de juros é a oportunidade que o nosso segmento esperava para mostrar aos investidom tempos de juros baixos, a cobrado em abril. No segmento res a expertise concorrência com a poupança de renda fixa, no entanto, dos nossos gesse torna "uma pedra no sapato" aumentou de 1,09% para 1,11% tores. A taxa de dos fundos de investimento ao ano, em igual intervalo. ad mi ni str aç ão (mesmo com a alteração na Segundo o relatório da será resultado rentabilidade da caderneta feita entidade, um fundo DI com taxa do retorno ofepelo governo), e o tamanho da de administração média de recido", diz. taxa de administração ganha 0,87% – menor do que 1% para A fatia de importância. Segundo o balanço competir com a poupança – exigia mercado da inda Associação Brasileira das um tíquete de entrada de R$ 25 dústria de funEntidades dos Mercados mil a R$ 50 mil. Para a pessoa dos brasileira Financeiro e de Capitais física que tem pequenos valores chegou a 4,3% e (Anbima), em maio houve queda para investir, e precisa de liquidez já é a sexta das taxas médias de diária, a poupança é mais maior do munadministração cobradas por seis competitiva. Com a nova taxa do, atrás de EUA fundos DI. básica Selic, de 8% ao ano, a ( U S $ 1 2 , 5 t r iNo entanto, o movimento ainda caderneta rende 5,6% ao ano, e lhões), Luxemé tímido. Dependendo dos não há cobrança de taxa de burgo (US$ 2,5 valores que uma pessoa física administração e nem de Imposto trilhões), Auspretende investir, por exemplo, de Renda. Para os analistas, trália (US$ 1,5 um fundo com taxa maior que 1% quem quiser ganhar mais trilhão), França pode ser menos interessante do dinheiro terá de apostar em ( U S $ 1 , 5 t r ique a poupança. Em maio, a taxa opções como títulos do Tesouro lhão), e Irlanda média dos fundos DI caiu para ou os fundos multimercados, que ( U S $ 1 , 2 t r i1,28% ao ano, ante o 1,29% oferecem mais riscos. (DC) lhão).

Disputa com a poupança

E

Bovespa segue ritmo de Nova York Foi o quarto dia seguido de queda. E o mau humor do mercado acompanhou a falta de estímulos do Fed.

A

Brendan Mc Dermid/ Reuters

A

recuperação de parte das perdas verificadas ao longo da manhã de ontem nos mercados acionários em Nova York ajudou o Ibovespa a reduzir sua queda, mas não foi suficiente para trazer o índice para o campo positivo. A melhora externa também foi responsável pela mudança de direção dos papéis da Petrobras – de baixa para alta – e da desaceleração do recuo das ações da Vale. Com isso, o Ibovespa registrou a quarta queda seguida, de 0,28%, aos 53.420,87 pontos. Na mínima, o índice atingiu 52.489 pontos (-2,02%) e, na máxima 53.616 pontos (+0,09%). No mês, a queda acumulada é de 1,72% e, no ano, de 5,87%. O giro financeiro ficou em R$ 5,563 bilhões. Ontem, o mau humor foi atribuído, em parte, ao Federal Reserve (Fed), que não sinalizou se irá adotar novos estímulos para a economia dos EUA. A outra parte reflete a decisão do Banco do Japão (BOJ) de manter inalterada a política monetária do país. Além disso, o mercado preferiu adotar a cautela, já que está para ser divulgado o Produto Interno Bruto (PIB) da China. Para Luiz Roberto Monteiro, operador institucional da Renascença Corretora, o cenário de curto prazo é muito incerto e isso acaba afastando o investidor do mercado de renda variável. "Não deve acontecer nada na Europa, EUA e China que mude a trajetória de curto prazo e aí não dá para fazer apostas", disse ele. O profissional lembrou que toda vez que a bolsa encosta nos 52 mil pontos há uma forte resistência para impedir que ela caia ainda mais. As ações ON da Petrobras encerraram com ganho de 0,42% e as PN, +0,22%. Já Vale terminou no vermelho (ON 0,43% e PNA -0,39%).

Bolsa de Nova York encerrou o pregão com queda de 0,25% e a Nasdaq com queda de 0,75% Entre os destaques de queda do índice ontem estão: TIM (-7,55%), Rossi Residencial (-6,99%) e MMX (-4,59%). No caso da TIM, a empresa sofre com uma possível suspensão da venda de planos de telefonia, caso a empresa não invista em suas redes para melhorar a qualidade do serviço em algumas regiões do País (leia matéria ao lado). Por outro lado, a Oi se beneficia desta informação e figurou entre os destaques de alta, com ganho de 3,87%. Em Nova York, o índice Dow Jones encerrou com queda de 0,25%, o S&P 500 caiu 0,50% e o Nasdaq, -0,75%. Câmbio – A aversão ao risco alimentou a valorização do dólar ante a maioria das moedas e, aqui, a cotação fechou em R$ 2,038, com alta de 0,10%. No mercado à vista da BM&F, o dólar encerrou o pregão a R$ 2,0405, com valorização de 0,12% e, às 16h55, o dólar agosto era cotado a R$ 2,046, com aumento de 0,10%. Juros – Ao término da negociação normal na BM&F, o DI

Taxas para pessoa física sobem em junho

janeiro de 2013 (475.195 contratos) marcava 7,47%, estável ante o ajuste da véspera, enquanto o DI janeiro de 2014 (470.970 contratos) estava

em 7,69%, de 7,64% de ontem. O DI janeiro de 2017, com giro de 113.685 contratos, apontava a máxima de 9,13%, de 9,06%. (AE)

Ameaça do governo faz ação da TIM cair 7,5%

A

s ações da TIM fecharam ontem em baixa de 7,55%, pressionadas pela possibilidade da operadora sofrer sanções do governo devido a reclamações sobre a qualidade de seu serviço. Na quarta-feira, o ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, afirmou que as vendas de novos planos da TIM poderão ser suspensas e que a companhia terá de acelerar investimentos para melhorar os serviços prestados. Antes de medidas mais duras, porém, o ministro disse que o governo dará um prazo para a TIM resolver os problemas e di-

minuir as reclamações, afirmando que a intenção não é prejudicar a empresa. O número de queixas de falhas nas chamadas e de longas interrupções nos serviços é crescente. A situação mais dramática ocorre em estados como Paraíba, Alagoas, Piauí e Pernambuco. O conselho diretor da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) decidiu pela aplicação de um plano de metas de 120 dias para a TIM. Em nota, a operadora informou desconhecer essa determinação da Anatel. (Agências)

pós várias reduções, as taxas de juros das operações de crédito subiram em junho, conforme levantamento divulgado ontem pela Associação Nacional de Executivos de Finanças, Administração e Contabilidade (Anefac). A taxa de juros média geral para pessoa física apresentou uma elevação de 0,02 ponto percentual no mês, correspondente a uma elevação de 0,32% no mês, passando de 6,18% ao mês (105,36% ao ano) em maio para 6,20% ao mês (105,82% ao ano) em junho. Entre os motivos apontados para a alta estão a piora no cenário econômico por conta da crise na Europa, a expectativa de menor crescimento econômico no Brasil e o aumento nos índices de inadimplência. Das seis linhas de crédito para pessoa física pesquisadas, três foram elevadas, uma apresentou estabilidade (cartão de crédito rotativo) e duas foram reduzidas (cheque especial e CDC – bancos financiamento de automóveis). As modalidades que apresentaram elevação foram juros do comércio (de 4,72% para 4,75% ao mês), empréstimo pessoal nos bancos (3,59% para 3,63% ao mês) e empréstimo pessoal nas financeiras (7,98% para 8,04%). A taxa de juros média geral para pessoa jurídica apresentou uma elevação de 0,05 ponto percentual no mês, correspondente a uma elevação de 1,41% no mês, passando de 3,54% ao mês (51,81% ao ano) em maio para 3,59% ao mês (52,69% ao ano) em junho. "A nossa expectativa é de que as taxas de juros voltem a ser reduzidas nos próximos meses por conta das prováveis reduções da taxa básica de juros (Selic)", disse o coordenador do trabalho e diretor de estudos econômicos da entidade, Miguel José Ribeiro de Oliveira. (Folhapress)


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

e

15 Em junho último, 51% dos entrevistados se mostraram dispostos a adquirir algum eletrodoméstico, conforme pesquisa Ipsos/ACSP.

conomia

Brasileiro ainda crê no País Mas há recuo no otimismo em relação à situação financeira pessoal nos próximos seis meses, segundo pesquisa feita pelo Instituto Ipsos para a ACSP. Robson Ventura/Folhapress

Fátima Lourenço

O

brasileiro se man- confiantes de que a situação teve otimista em será melhor. junho, embora o Ín"A queda do INC para 157 dice Nacional de pontos parece estar associaConfiança (INC) tenha apre- da à essa avaliação que os ensentado recuo em relação a trevistados fizeram da situamaio, de 166 para 157 pontos. ção futura", diz o economista O indicador, apurado mensal- do Instituto de Economia Gasmente pelo Instituto Ipsos, a tão Vidigal (IEGV), da Associapedido da Associação Comer- ção Comercial, Emílio Alfieri. cial de São Paulo (ACSP), resul- Ele lembra que, entre os printa de entrevistas realizadas cipais indicadores do levantaem nove regiões metropolita- mento, esse foi o único a renas e 70 cidades do interior do cuar (veja tabela abaixo). O total de pessoas confianPaís. De acordo com o estudo, o resultado se traduz em oti- tes no futuro mantinha uma mismo a partir dos 100 pon- trajetória crescente desde setembro de tos, em escala 2011, quando de um a 200. 5 2 % d o s e n" A p o p u l atrevistados ção ainda está esperavam siotimista, mas A população está tuação financomeça a perotimista, mas ceira melhor ceber, pelo noticiário, o começa a perceber o nos próximos seis meses. impacto da impacto da crise no Em fevereiro crise no Brasil Brasil e a temer o último, esse e a temer o rereflexo disso na sua p e r c e n t u a l flexo disso na situação financeira. c h e g o u a sua situação financeira fuROGÉRIO AMATO, FACESP E ACSP 6 4 % . D e s d e então, o inditura", explica cador recuou o presidente da Associação Comercial e da gradativamente, para 61% Federação das Associações em março; 60% em abril; 59% Comerciais do Estado de São em maio; e 55% no mês passaPaulo (Facesp), Rogério Ama- do. A despeito desse recuo, perto. O executivo se refere à per- manece baixo o total de pescepção dos entrevistados so- soas que apostam em piora da bre como ficará a situação fi- situação financeira futura. nanceira pessoal nos próxi- Elas eram 10% dos entrevistamos seis meses. A pesquisa dos em janeiro de 2012; caímostra que houve recuo de ram para 7% nos meses sequatro pontos percentuais (de guintes e chegaram a 8% dos 59% em maio, para os 55% em ouvidos em junho. junho) no total das pessoas Sobre a situação financeira

A queda da confiança dos brasileiros no futuro influencia a disposição das pessoas em adquirirem bens de grande valor, como carros e casas. pessoal atual, a pesquisa mostra que 51% dos entrevistados consideram que ela era boa, em junho – percentual idêntico ao observado no mês anterior. O resultado de maio tam-

bém se repete nas respostas sobre segurança no emprego, com 45% das pessoas se declarando seguras com o emprego naquele momento. Consumo – A queda da con-

Confiança em números Opinião dos entrevistados (em %) Questionamentos Situação financeira atual é boa Situação financeira futura melhorará Seguros no emprego Favoráveis a comprar eletrodomésticos

jun/12 51 55 45 51

mai/12 51 59 45 50

O

jun/11 48 54 41 47

Fonte: IPSOS/ACSP

Supermercadistas de São Paulo também continuam otimistas s supermercadistas paulistas mantiveram o otimismo com relação às vendas, taxa de juros e inflação, tanto para o momento atual quanto com a expectativa futura, segundo levantamento da Associação Paulista de Supermercados (APAS) divulgado ontem. De acordo com a Pesquisa de Confiança dos Supermercados (PCS/APAS), entre maio e junho, 35% dos entrevistados apontaram otimismo, enquanto 27% se mostraram pessimistas e 38% se mantiveram neutros. Em maio, os índices eram os mesmos. Comparando à percepção atual com a expectativa futura, há expressiva diferença a favor do futuro. No que diz respeito à percepção atual, o otimismo alcança 29% dos entrevistados. Já em relação à expectativa futura, esse percentual é de 41,3%. O pessimismo também é menor quando comparado o futuro em relação ao presente, com

fiança no futuro afeta a disposição das pessoas adquirirem bens de grande valor (casa e carro). Em maio, 40% dos entrevistados eram favoráveis a essas compras; em junho, o

Leonardo Rodrigues/e-Sim

jun/10 49 57 41 41

percentual recuou para 37%. Já os eletrodomésticos não são afetados por essa percepção. As pessoas são mais propensas às compras quando estão confiantes de que o seu emprego será mantido, comenta Alfieri. Em junho último, 51% dos entrevistados se mostraram dispostos a adquirir algum eletrodoméstico. "Além da confiança no emprego, os incentivos fiscais (Imposto sobre Produtos Industrializados) e financeiros (como queda dos juros) devem ter influenciado."

Títulos protestados crescem 8,8% no primeiro semestre

D

ados da Boa Vista protestados de empresas Serviços mostram (12,3%) e queda de 2% na que, no primeiro se- de pessoas físicas. mestre, o número de títulos Regiões – Em junho, os típrotestados cresceu 8,8% tulos protestados de emante igual período do ano presas representam 65% passado. dos protesP a r a p e stos no País. soas jurídiAnalisando c a s , a e xr e g i o n a lpansão foi mente, no de 13,7% e, acumulado para as físido ano, a c a s , o n úregião Supor cento foi a alta no mero de deste lidenúmero de títulos protestos ra o aumenprotestados na região au ment ou to dos pro0,7%. testos, com Sudeste do País no Em rela18,6% de acumulado do ano, ção a maio, n o v o s r eo número gistros no segundo dados da de protesperíodo, Boa Vista Serviços. t o s e m j uante uma nho caiu m é d i a n a12,8%, socional de mando-se os protestos de 13,7%. A região contribui pessoas físicas e jurídicas. com a maior parcela dos Na comparação com ju- protestos no País (48,2%), nho do ano passado, o total seguida das regiões Sul d o s t í t u l o s p r o t e s t a d o s (25%), Nordeste (13,7%), cresceu 6,8%. Houve alta Centro-Oeste (8,5%) e Norna quantidade de títulos te (4,6%). (Agências)

18,6

Percentual de empresários do setor com expectativa positiva é de 41,3%, de acordo com pesquisa da Apas. percentuais de 21,9% e 32,2%, respectivamente. "A confiança no setor deve se manter estável diante de poucas alterações no ambien-

te econômico ao longo do mês de junho, porém quaisquer movimentos positivos ou negativos nas variáveis econômicas afetarão a confiança

dos empresários supermercadistas ao longo de 2012", afirmou o diretor de economia da associação, Martinho Paiva Moreira. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

sexta-feira, 13 de julho de 2012

O empresário deve estar atento para aproveitar as ocasiões. João Abdalla Neto, consultor do Sebrae/SP

conomia

O PESO DA MARCA tes, fomentam a obesidade infantil no mundo. Mesmo que essas companhias estejam introduzindo significativas mudanças nos cardápios, os comitês que integram a assembleia de Londres consideraram inadequada sua presença. A CocaCola, por exemplo, corre para ampliar a presença de águas e sucos no portfólio, por meio de aquisições em todo o globo; o McDonald's faz o mesmo, com a oferta de saladas, café da manhã, sucos e sanduíches mais saudáveis. O caso da Dow evidencia, porém, o cuidado que as marcas devem ter em situações de extremo risco para a credibilidade. O grupo certamente imaginou que, abolida a identidade da Union Carbide, poderia, passado o tempo, se expor ao mundo como empresa voltada para a vida. Não deu certo – pelo menos na terra da rainha Elizabeth II. O fantasma das vítimas de Bohpal mostra que a história é algo a não se sonegar, mesmo que a realidade ao redor tenha mudado no decorrer do tempo. A Dupont, que participou da construção das bombas atômicas lançadas sobre o Japão em 1945, quando a Segunda Guerra já havia acabado, convive com o mesmo problema, mas optou por ser low profile: fala das marcas em vez de abordar a identidade corporativa, que atrai a ira dos críticos do mundo. Não deixa de ser uma lição a se aprender. A Dow, se falasse de marcas do portfólio que, de fato, salvam vidas, ficaria resguardada no episódio. Divulgação

C ELEIÇÃO: maracujá venceu o morango.

SABOR DE MARACUJÁ

A

pós disputada eleição, que teve cerca de 8,2 milhões de votos, a Fanta Maracujá chega ao mercado. Na inusitada eleição, o maracujá venceu o morango e passa a integrar de forma definitiva a família Fanta, da Coca-Cola. O novo comercial de lançamento do produto foi feito com recursos especiais de animação. Cada espaço de uma tradicional vendinha foi exaustivamente analisado para dar lugar ao Mercadinho do Bigode, onde o comerciante tenta arrumar a prateleira com o produto enquanto consumidores inventam formas de desviar a atenção do "Bigode" e experimentar o novo sabor. O filme – produzido pela Vetor Zero/Lobo, com direção de animação de Gabriel Nobrega – conta ainda com a participação especial de Mary Soll, codinome do avatar vencedor da promoção, que, de forma divertida e irreverente, consegue saborear Fanta Maracujá.

Envie informações para essa coluna para o e-mail: carlosfranco@revistapublicitta. com.br

A

menos de duas semanas do início da Olimpíada de Londres, no dia 27, os patrocinadores oficiais do evento vivem uma situação, no mínimo, constrangedora. A assembleia londrina, que reúne os principais expoentes da capital britânica, fez moção contrária à presença da Dow Chemical como patrocinadora do maior evento esportivo do mundo, recomendando ao Comitê Olímpico do Reino Unido repensar contratos de patrocínio. A assembleia não tem poder de veto, mas abala a imagem dos patrocinadores dos Jogos Olímpicos. A Dow Chemical é dona da Union Carbide, empresa que em 1984 transferiu para a Índia uma fábrica vetada em território norte-americano, responsável pelo vazamento de gás letal na cidade indiana de Bohpal – acidente que deixou um rastro de 3,5 mil mortos, a que se somaram mais 15 mil nos anos posteriores em consequência de inalação de gás. A Índia é uma das maiores ex-colônias britânicas e os representantes de Londres classificaram como inaceitável a presença do grupo nos espaços públicos da Inglaterra. A Dow tem contrato com o Comitê Olímpico Internacional (COI) até 2020, o que inclui também a Olimpíada do Rio de Janeiro, em 2016. Só resta saber se os representantes da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro terão a mesma postura ou se deixarão o assunto de lado. De qualquer forma, ele entrou em pauta. De quebra, a assembleia londrina também fez moção contrária à CocaCola, patrocinadora oficial da Olimpíada há mais de um século, e ao McDonald's, por serem empresas que, alegam os r e p r e s e n t a n-

APELO DO PETRÓLEO om o desafio de divulgar as oportunidades e estimular o interesse dos jovens no setor do petróleo, a agência Leiaute criou para a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) a campanha #VamosNessa. Inspirada nos filmes de ação e aventura, ela utiliza uma linguagem cinematográfica para convocar esse jovem a participar do movimento "#VamosNessa – o Brasil precisa de você". A campanha, que tem veiculação nacional, tem Caco Ciocler como estrela e um endereço eletrônico motivacional (www.anp.gov.br/ vamosnessa/). Um apelo forte por JOVENS são o alvo da mão de obra. campanha da ANP

TEMPO REAL

A

BBC de Londres lança campanha para alardear a cobertura em tempo real da Olimpíada, que começa no próximo dia 27 na cidade. Ela mostra as diferentes modalidades de esporte se destacando na selva das cidades, com a garantia de que suas fotos e seus textos jornalísticos chegarão ao mundo em tempo real. Tudo em três dimensões, tudo muito colorido. Um convite a Londres, por uma empresa que é um dos orgulhos do país.

DESIGN, a nova aposta da LG no País.

CELULAR DE GRIFE

A

LG Electronics lança no Brasil o smartphone Prada Phone by LG 3.0, ícone em design e estilo. Equipado com o sistema operacional Android, o aparelho tem interface customizada e exclusiva Prada, a grife italiana referência mundial em moda e sofisticação. A parceria entre as marcas teve início em 2006 e já resultou em dois celulares lançados em conjunto, com tecnologias inovadoras.

OLIMPÍADA em três dimensões

Varejo ganha com Dia do Homem No Brasil, data será comemorada no próximo domingo e abre possibilidade para aumento das receitas. Fotos: Divulgação

Fátima Lourenço

O

mês de julho, exceto pelas férias escolares, é um período de pouco apelo promocional para o varejo. Mas o empresário atento pode se beneficiar de celebrações ainda consideradas secundárias, como o Dia do Homem, que o Brasil comemora no próximo domingo. Trata-se de uma comemoração extraoficial, que já começa a virar tradição no País. Internacionalmente, a data, criada em 1999 com o apoio da Organização das Nações Unidas (ONU), é festejada em 19 de novembro. A ideia inicial era incentivar o público masculino a ter mais cuidados com a saúde. No Brasil, já há quem aproveite essa homenagem para incrementar as vendas. Um bom exemplo é a Giuliana Flores, empresa de entregas com 22 anos de mercado, que promove os presentes para o Dia do Homem em julho há três anos. A apresentação da data é feita com banner específico na loja virtual para lembrar o e-consumidor sobre a comemoração e as opções de presentes. "Tentamos fomentar o consumo, como também fazemos com o Valentine's Day, em fevereiro, desde o início do negócio. E o resultado tem sido significativo", afirma o gerente de marketing, Juliano Souza. No Valentine's Day, diz, a loja virtual faz de 1,3 mil a 1,4 mil vendas, ante as aproximadas 600 de um dia normal. "O Dia do Homem ainda não tem esse desempenho, mas as vendas também crescem." Ele comenta que, tradicionalmente, os homens dão mais flores que as mulheres – são 60% das vendas para eles e 40% para

Destaques às comemorações do Dia do Homem e do Dia dos Pais: estratégia pensada para chamar a atenção dos clientes da Giuliana Flores.

elas. Em 2012, no entanto, a empresa observa que as compras das mulheres crescem a cada mês. Segundo Souza, um estudo mostrou que o público feminino passou a comprar mais flores para presentear os homens. Os homens buscam um presente diferenciado e as mulheres querem "requinte" nos kits, formados por produtos como chocolates e vinhos. "O empresário deve estar atento para aproveitar as

ocasiões. Julho é um mês sem datas promocionais, mas o empreendedor precisa se lembrar de que o Brasil tem 116 comemorações no ano", afirma o consultor de Marketing do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo (Sebrae/SP), João Abdalla Neto. Se o empresário alimentar um banco de dados, acrescenta, poderá conhecer melhor a clientela e conferir a data que mais lhe favorece. O

consultor se lembra da recomendação que fez a uma comerciante estabelecida próxima de um hospital, para aproveitar o Dia da Enfermeira, por exemplo. Para quem se esqueceu do Dia do Homem, vale lembrar que este mês ainda reserva outras possibilidades promocionais. Entre elas, o Dia Internacional do Amigo e o da Avó, em 20 e 26 de julho, respectivamente. Fora isso, o Dia dos Pais, em agosto, também se aproxima.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

e

17

A estabilidade verificada em maio limita leituras menos favoráveis para as estimativas do PIB do segundo trimestre. Octavio de Barros, diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco

conomia

Economia mostra retração em maio Índice de Atividade Econômica do BC, uma prévia do PIB, mostra leve contração, de 0,02% em maio, mas anima especialistas, que esperavam resultado pior. André Dusek/AE

O

Presidente Dilma afirma, na Conferência Nacional dos Direitos da Criança e Adolescente, que país desenvolvido é o que garante educação.

Dilma: crianças valem mais que PIB.

A

presidente Dilma Rous- de escolas de ensino fundaseff afirmou ontem que mental e médio que tenham a grandeza de uma na- dois turnos. ção não é medida pelo Produto Educação – "Vamos disputar Interno Bruto (PIB), mas pelo o que é a economia moderna, que faz pelas suas crianças e que é a economia do conheciadolescentes. "Uma grande mento, aquela que agrega vanação deve ser medida por lor, a internet, as tecnologias aquilo que faz para as suas de informação. Esse País vai crianças e adolescentes. Não s e r u m p a í s d e s e n v o l v i d o é o PIB, é a capacidade de o quando todas as crianças e País, do governo e da socieda- seus jovens tiverem acesso à de de proteger o seu presente educação de qualidade", afire o s e u f u t umou Dilma. ro", disse Dil"Lugar de ma durante a criança e ado9ª Conferênlescente é na Uma grande nação cia Nacional creche e na deve ser medida dos Direitos escola, em um da Criança e ambiente sepor aquilo que faz Adoles cente, guro, é nas espara as suas diante de uma c o l a s t é c n icrianças e plateia formacas, é nos adolescentes. d a , n a m a i oc a m p o s e sNão é o PIB. r i a , p o r a d oportivos, é em lescentes. todas as maDILMA ROUSSEFF, PRESIDENTE "O Brasil dunifestações rante muito artísticas, é tempo conviveu com uma si- sobretudo em um ambiente tuação lamentável e terrível: seguro, livre da miséria, da ser um País com tantas rique- violência e dos abusos." zas, formado por um povo tão No encerramento do discursolidário, mas que uma parte so, a presidente manifestou imensa da sua população es- apoio à candidatura do brasitava afastada dos direitos e, leiro Wanderlino Nogueira Nesobretudo, dos benefícios to ao Comitê de Direitos da dessas riquezas e de tudo que Criança da Organização das esse País pode produzir." Nações Unidas (ONU). Dilma Dilma destacou ainda pro- deixou o Centro de Convengramas do governo federal, ções Ulysses Guimarães, local como o Brasil Carinhoso e o do evento, evitando comentar Bolsa Família, prometendo a redução da taxa Selic, definiaumentar, até o final de 2014, da pelo Comitê de Política Mode 33 mil para 60 mil o número netária (Copom). (AE)

Indústria de SP deve perder 100 mil vagas

O

nível de emprego da indústria paulista deve fechar o ano com 100 mil empregos a menos. A expectativa é de Paulo Francini, diretor do Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). Segundo Francini, a estimativa da Fiesp é de que o emprego na indústria paulista encerre o ano com uma taxa 2,3% menor do que 2011. "Fechar o ano em menos 2,3% representa alguma coisa

como mais de 100 mil empregos a menos do que se tinha no final do ano passado. E isso tem um efeito contágio", disse ele. Em junho, 7 mil postos de trabalho foram fechados na indústria de São Paulo, queda de 0,39% em relação a maio, considerando o ajuste sazonal. Com exceção de 2009, ano de agravamento da crise internacional, este é o pior resultado mensal da série iniciada em 2006. A queda de junho só não foi maior por causa do setor de açúcar e álcool. (ABr)

Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB) do País, voltou a indicar uma leve contração em maio, embora tenha ficado perto da estabilidade. De acordo com o Banco Central (BC), o indicador recuou 0,02% na comparação com abril com ajuste sazonal, melhor do que a expectativa do mercado. Levantamento mostrou que o mercado esperava retração de 0,50% em maio sobre abril. Em 12 meses, o avanço no IBC-Br com ajuste sazonal em maio foi de 1,27% e, sem ajuste, de 1,39%. Já na comparação com igual mês do ano passado, a alta com ajuste sazonal chegou a 0,18% e, sem ajuste sazonal, o IBC-Br registra alta de 1,09%. O BC revisou ainda para baixo o resultado de abril ante março, para uma alta 0,10%, depois de ter informado inicialmente avanço de 0,22%. Já o resultado do primeiro trimestre foi revisado para indicar uma melhora no período, ao passar de 0,49% anteriormente para uma alta de 0,54%. Para economistas, a estabi-

lidade do indicador em maio pode mostrar uma melhora da atividade econômica a partir do segundo trimestre, como reflexo das medidas de estímulo já feitas pelo governo, o que inclusive limitaria a possibilidade de mais cortes na taxa básica de juros. Sinais – "A estabilidade verificada em maio, contrariando os sinais mais negativos vindos do desempenho mais fraco do consumo e do enfraquecimento da indústria no mês, limita, por ora, leituras menos favoráveis para as estimativas do PIB do segundo trimestre", avaliou o diretor de Pesquisas e Estudos Econômicos do Bradesco, Octavio de Barros, projetando crescimento de 0,5% ante o primeiro trimestre. O IBC-Br incorpora estimativas em três setores da economia (serviços, indústria e agropecuária). A atividade como um todo vem preocupando tanto o governo quanto o mercado. Para o economista-chefe da SulAmerica Investimentos, Newton Rosa, a indicação de possível melhora no País "pode colocar um limite na queda da Selic no atual ciclo". O limite, a seu ver, seria de 7,5% ao ano. (Reuters)


DIà RIO DO COMÉRCIO

18

sexta-feira, 13 de julho de 2012

e PaĂ­s vai crescer menos do que os EUA Economia brasileira: indo para lugar nenhum. TĂ­tulo de reportagem do jornal Financial Times

conomia

Revista Forbes afirma que economia brasileira parou e que, neste ano, terå crescimento inferior à dos Estados Unidos, cuja previsão Ê de avanço de 2%.

A

revista Forbes publicou ontem reportagem afirmando que o Brasil vai crescer menos do que os Estados Unidos neste ano e que, dentre os países do grupo Brics (Brasil, Rússia, �ndia, China e, mais recentemente, à frica do Sul) Ê o que terå menor crescimento. "A projeção Ê de que os Estados Unidos cresçam 2% neste ano, o maior avanço entre os países desenvolvidos. Entretanto, o Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil parou completamente, dando-lhe o pior desempenho entre os quatro maiores emergentes", afirma o texto da Forbes, referindo-se aos quatro principais países do grupo Brics. Com a Europa enfrentando recessão, a recuperação da economia dos Estados Unidos ganha destaque entre os países desenvolvidos. Mas a reportagem da Forbes concentra-se nos sinais negativos recentes das economia brasileira. A revista cita a divulgação ontem do �ndice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma espÊcie de sinalizador do PIB brasileiro, para afirmar que registrou-se com clareza contração na economia em maio. Ritmo – De acordo com o indicador do Banco Central (BC), houve recuou de 0,02% em

A menos que os EUA tenham um terrĂ­vel segundo semestre, a economia do Brasil deve ficar aquĂŠm da do Tio Sam.

Espero alta de 3,4% para o PIB do Brasil neste ano e de 2,2% para a economia norte-americana, mas vou revisar esses dados.

REVISTA FORBES

JIM O'NEILL, ECONOMISTA

maio na comparação com abril com ajuste sazonal. É um recuo leve, segundo especialistas, mas suficiente, na anålise da For bes, para indicar que, neste ano, a economia brasileira não estå seguindo em bom ritmo. A publicação cita especificamente um trecho do relatório: o BC revisou para baixo o resultado de abril ante março para uma alta de 0,10%, depois de ter informado inicialmente avanço de 0,22%. "Não hå dados suficientes bons na mistura para empurrar a economia brasileira acima do crescimento do ano passado, de cerca de 2,6%. A menos que os Estados Unidos tenham um terrível segundo semestre, a economia do Brasil – Ê mais do que provåvel – deve ficar aquÊm da do Tio

Sam", afirma a revista. Varejo – A reportagem apresenta dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) sobre as vendas do varejo, que caíram 0,8% em maio ante abril – a maior baixa desde novembro de 2008 – e sobre a produção industrial que mostrou declínio mensal de 0,9%, após três quedas consecutivas. A Forbes reproduz relatório do banco de investimentos Barclays que calcula um avan-

ço do PIB brasileiro neste ano de apenas 2,2%. No início do ano, o governo federal falava em crescimento do PIB de cerca de 4,5%. O texto da revista lembra que na quarta-feira desta semana o Comitê de Política Monetåria (Copom) do BC reduziu novamente a taxa båsica de juros, que estå agora em 8% ao ano, o menor patamar da história. "Existe o risco cada vez maior de o crescimento do PIB brasileiro ficar ainda mais fra-

27ÂŞ VARA CĂ?VEL - 27Âş OFĂ?CIO CĂ?VEL Edital de 1ÂŞ e 2ÂŞ Praça de bens imĂłveis e para intimação do executado FRANCISCO DE BRITO BASĂ?LIO, RG 2.810.574/SSP/SP, CPF/MF 351.285.508-34, expedido nos autos da ação OrdinĂĄria que lhe requer HUGO ENÉAS SALOMONE. Processo nÂş 583.06.2004.0108732 (nÂş de ordem 1936/2004). O Dr. RogĂŠrio Marrone de Castro Sampaio, Juiz de Direito da 27ÂŞ Vara CĂ­vel da Comarca da Capital/SĂŁo Paulo, na forma da lei, etc... FAZ SABER que no dia 03/09/2012, Ă s 14:00hs, no local destinado Ă s Hastas PĂşblicas do FĂłrum JoĂŁo Mendes JĂşnior, sala 138, c/ acesso pelo Largo Sete de Setembro, s/nÂş, serĂŁo levados a 1ÂŞ Praça os bens imĂłveis abaixo descritos, sendo entregues a quem mais der acima da avaliação, ficando desde jĂĄ designado o dia 17/09/2012, Ă s 14:00hs, para a realização da 2ÂŞ Praça, caso nĂŁo haja licitantes na 1ÂŞ, ocasiĂŁo em que referidos bens serĂŁo entregues a quem mais der, nĂŁo sendo aceito lance vil (art. 692 do CPC), sendo que pelo presente edital fica o executado intimado das designaçþes supra, na hipĂłtese de nĂŁo ser localizado para a intimação pessoal. Bens: 1) Os direitos que o executado possui no imĂłvel objeto do Compromisso Particular de Venda e Compra – Lote 32 e 33 da Quadra 06 do Loteamento Paque Savoy City: o lote 32, medindo 10,00m de frente para a Avenida Alziro Zarur (antiga Rua 1), 10,00m nos fundos confinando com o lote 08, 30,00m do lado direito de quem do imĂłvel olha para a avenida, confinando com o lote 33, 28,00m do lado esquerdo confinando com o lote 31, encerrando a ĂĄrea de 290,00m²; e o lote 33, medindo 10,00m de frente para a Avenida Alziro Zarur (antiga Rua 1), 10,00m nos fundos confinando com o lote 07, 31,00m do lado direito de quem do imĂłvel olha para a avenida, confinando com o lote 34, 30,00m do lado esquerdo confinando com o lote 32, encerrando a ĂĄrea de 305,00m². Conforme laudo de avaliação, sobre os lotes existem benfeitorias destinadas ao uso de fĂĄbrica de gelo. Os dois lotes estĂŁo unidos e totalizam ĂĄrea de terreno de 595m². As ĂĄrea de benfeitorias somam 410m². Valor da Avaliação: R$ 556.098,95 (janeiro/2012 – fls. 835), que serĂĄ atualizado atĂŠ a data da alienação conforme tabela de atualização monetĂĄria do TJ/SP. 2) Os direitos que o executado possui no imĂłvel objeto do Compromisso Particular de Venda e Compra – Lote 03 da Quadra 06 do Loteamento Parque Savoy City, medindo 10,00m de frente para a Rua Cravo da India (antiga rua 5), 10,00m nos fundos, confinando com o lote 37, 25,00m da frente aos fundos de ambos os lados, confinando do lado direito de quem do imĂłvel olha para a Rua, confinando com o lote 04, do lado esquerdo com o lote 02, encerrando a ĂĄrea de 250,00m². Conforme laudo de Avaliação, o Lote 3 foi desmembrado em 02 lotes com ĂĄrea iguais de terreno. Na metade direita do lote 03 hĂĄ construção sob nĂşmero 289 com ĂĄrea aproximada de 238m². Trata-se de casa com dois pavimentos. Na metade esquerda do lote 03 hĂĄ construção sob nĂşmero 289A, com ĂĄrea aproximada de 125m². Trata-se de casa tĂŠrrea. Valor da Avaliação: R$ 316.093,86 (janeiro/2012 – fls. 835), que serĂĄ atualizado atĂŠ a data da alienação conforme tabela de atualização monetĂĄria do TJ/SP. 3) Os direitos que o executado possui no imĂłvel objeto do Compromisso Particular de Venda e Compra – Lote 6 da Quadra 66 do Loteamento Parque Savoy City, medindo 10,00m de frente para a Rua Lagoa Clara (rua 69); 10,00m nos fundos, confinando com o lote nÂş 19, medindo 25,00m da frente aos fundos de ambos os lados, do lado direito de quem do imĂłvel olha para a rua confinando com o lote nÂş 07, e do lado esquerdo com o lote nÂş 05, encerrando a ĂĄrea de 250,00m². Conforme laudo de avaliação, o lote 6 foi desmembrado em dois lotes menores com ĂĄreas iguais de terreno. Na metade direita, hĂĄ construção sob nĂşmero 67 com ĂĄrea aproximada de 100m², trata-se de casa tĂŠrrea. Na metade esquerda do lote 6, hĂĄ construção sob numero 73, com ĂĄrea aproximada de 238m². Trata-se de casa com dois pavimentos. Valor da Avaliação: R$ R$ 419.608,72 (janeiro/2012 – fls. 835), que serĂĄ atualizado atĂŠ a data da alienação conforme tabela de atualização monetĂĄria do TJ/SP. Constam dĂŠbitos desta ação no valor de R$ 608.919,80 (junho/2012). Conforme certidĂľes juntadas aos autos nĂŁo constam dĂŠbitos de IPTU. Dos autos nĂŁo consta recurso pendente de julgamento. “Eventuais taxas e impostos incidentes sobre os bens correrĂŁo por conta do arrematante ou adjudicanteâ€?. SerĂĄ o presente edital, por extrato, afixado e publicado na forma da lei. SĂŁo Paulo, 14 de junho de 2012.

(',7$/ GH 35$d$ Ă’1,&$ '26 ',5(,726 GH %(0 ,0Ă?9(/ H SDUD LQWLPDomR GR H[HFXWDGR ,9$1 0(,5(/(6 5*  &3)  H VXD PXOKHU VH FDVDGR IRU H[SHGLGR QRV DXWRV GD DomR GH (;(&8d­2 +,327(&Ăˆ5,$ /HL  PRYLGD SHOR %$1&2 68'$0(5,6 %5$6,/ 6$ &13-   3URF Qž    Qž GH 2UGHP  $ 'UD &DUROLQD 1DEDUUR 0XQKR] 5RVVL -Xt]D GH 'LUHLWR GD Â? 9DUD &tYHO GD &RPDUFD GH *XDUXOKRV (VWDGR GH 6mR 3DXOR QD IRUPD GD OHL HWF )$= 6$%(5 TXH FRP IXOFUR QD /HL  H UHJXODPHQWDGR SHOR 3URYLPHQWR &60 Qž  GR 7-63 DWUDYpV GH =8.(50$1 /(,/ÂŽ(6 ZZZ]XNHUPDQFRPEU SRUWDO GH OHLO}HV RQ OLQH OHYDUi D S~EOLFR SUHJmR GH YHQGD H DUUHPDWDomR HP 3UDoD Ă’QLFD FRP LQtFLR QR GLD  jV  KRUDV H WpUPLQR QR GLD  jV  KRUDV VHQGR HQWUHJXH SRU SUHoR QmR LQIHULRU DR YDORU GH DYDOLDomR TXH HP 6HWHPEUR GH  WRWDOL]DYD D PRQWD GH 5 R TXDO GHYHUi VHU DWXDOL]DGR DWp D GDWD GD 3UDoD R LPyYHO DEDL[R GHVFULWR FRQIRUPH FRQGLo}HV GH YHQGD FRQVWDQWHV GR SUHVHQWH HGLWDO ,0Ă?9(/ $SDUWDPHQWR Qž  ORFDOL]DGR QR ž DQGDU GR (GLItFLR +\GH 3DUN FRQVWLWXtGR SHORV ORWHV  H  GD TXDGUD  GR ORWHDPHQWR -DUGLP =DLUD PHGLQGR P GH IUHQWH SDUD D 5XD 'DUFL 9DUJDV P GD IUHQWH DRV IXQGRV HQFHUUDQGR D iUHD GH PĂ° WHQGR R DSDUWDPHQWR D iUHD ~WLO GH PĂ° iUHD FRPXP GH GLYLVmR QmR SURSRUFLRQDO GH PĂ° iUHD FRPXP GH GLYLVmR SURSRUFLRQDO GH PĂ° H iUHD WRWDO GH PĂ° FRUUHVSRQGHQGR D IUDomR LGHDO GR WHUUHQR GH  FDEHQGROKH R GLUHLWR D XP HVSDoR SDUD D JXDUGD H HVWDFLRQDPHQWR GH XP YHtFXOR GH SDVVHLR GH WDPDQKR SHTXHQR RX PpGLR QD JDUDJHP FROHWLYD GR FRQGRPtQLR REMHWR GD 0DWUtFXOD RULJLQDO Qž  GR ž &5, GH *XDUXOKRV63 $9$/,$d­2 5  FHQWR H FLQTXHQWD H FLQFR PLO UHDLV DWXDOL]DGRV DWp  TXH GHYHUmR VHU DWXDOL]DGRV DWp GDWD SUDoD Ă?186 &RQVWDQGR QD UHIHULGD PDWULFXOD 5 GH  GD FLWDGD PDWUtFXOD KLSRWHFD HP IDYRU GR DXWRU &UpGLWR +LSRWHFiULR QD PRQWD GH 5    &21',dÂŽ(6 '( 9(1'$ GLVSRQtYHLV QR VLWH ZZZ]XNHUPDQFRPEU  /(,/2(,52 2 OHLOmR VHUi UHDOL]DGR SHORV OHLORHLURV )DELR =XNHUPDQ -8&(63 Qž  'RUD 3ODW -8&(63 Qž  H -KRQQL %DOELQR GD 6LOYD -8&(63 Qž  DFRPSDQKDGRV SHOR JHVWRU H OHLORHLUR 0DXUR =XNHUPDQ -8&(63 Qž  3$*$0(172 H 5(&,%2 '( $55(0$7$d­2  2 SUHoR GR EHP DUUHPDWDGR GHYHUi VHU GHSRVLWDGR DWUDYpV GH JXLD GH GHSyVLWR MXGLFLDO GR %DQFR GR %UDVLO 6$ REWLGD HP VXDV DJrQFLDV RX DWUDYpV GR VLWH ZZZEEFRPEU QR SUD]R GH  KRUDV GD UHDOL]DomR GR OHLOmR EHP FRPR GHYHUi VHU GHSRVLWDGD D FRPLVVmR GR /HLORHLUR DWUDYpV GH SDJDPHQWR HP GLQKHLUR QD UHGH EDQFiULD '2& RX 7('  7UDQVIHUrQFLD (OHWU{QLFD 'LVSRQtYHO QR SUD]R GH DWp  XP GLD ~WLO D FRQWDU GR HQFHUUDPHQWR GR OHLOmR QD FRQWD GR /HLORHLUR 2ILFLDO 0DXUR =XNHUPDQ  &3)  %DQFR ,WD~ $JrQFLD  &&  (P DWp  KRUDV DSyV R HQFHUUDPHQWR GR /HLOmR FDGD DUUHPDWDQWH UHFHEHUi XP HPDLO FRP LQVWUXo}HV SDUD GHSyVLWR  UHFRPHQGDPRV HVSHUDU R UHFHELPHQWR GHVWH HPDLO DQWHV GH HIHWXDU R GHSyVLWR 'HFRUULGRV R SUD]R VHP TXH DUUHPDWDQWH WHQKD UHDOL]DGR R GHSyVLWR WDO LQIRUPDomR VHUi HQFDPLQKDGD DR 00 -Xt]R FRPSHWHQWH SDUD D DSOLFDomR GDV PHGLGDV OHJDLV FDEtYHLV $ FRPLVVmR GHYLGD DR JHVWRU VHUi GH  VREUH R YDORU GD DUUHPDWDomR QmR VH LQFOXLQGR QR YDORU GR ODQoR $ DUUHPDWDomR VHUi IHLWD PHGLDQWH SDJDPHQWR LPHGLDWR GR SUHoR SHOR DUUHPDWDQWH FRQIRUPH FRQGLo}HV GH SDJDPHQWR DFLPD LQGLFDGDV $OWHUQDWLYDPHQWH VHUi DLQGD DGPLWLGR SDJDPHQWR QR SUD]R GH  GLDV PHGLDQWH FDXomR GH  VREUH R YDORU GH DUUHPDWDomR DUW  GR &3&  5(0,d­2 '$ (;(&8d­2 6H RV H[HFXWDGRV DSyV D SXEOLFDomR GR HGLWDO HP HStJUDIH SDJDUHP D GtYLGD DQWHV GH DGMXGLFDGR RX DOLHQDGR R EHP QD IRUPD GR DUWLJR  GR &yGLJR GH 3URFHVVR &LYLO FF $UW ž GD /HL  GHYHUmR DSUHVHQWDU DWp D GDWD H KRUD GHVLJQDGDV SDUD R OHLOmR D JXLD FRPSUREDWyULD GR UHIHULGR SDJDPHQWR DFRPSDQKDGD GH SHWLomR ID]HQGR PHQomR H[SUHVVD TXDQWR j UHPLomR GD H[HFXomR VHQGR YHGDGR SDUD WDO ILQDOLGDGH R XVR GR SURWRFROR LQWHJUDGR 1HVWH FDVR GHYHUmR RV H[HFXWDGRV SDJDU D LPSRUWkQFLD DWXDOL]DGD GD GtYLGD PDLV MXURV FXVWDV KRQRUiULRV DGYRFDWtFLRV H D FRPLVVmR GHYLGD DR /HLORHLUR 2ILFLDO GH  FLQFR SRU FHQWR VREUH R YDORU SDJR GtYLGD H[HTXHQGD  $'-8',&$d­2 +LSyWHVH QD TXDO D FRPLVVmR GR JHVWRU VHUi GH  WUrV SRU FHQWR VREUH R YDORU GH DGMXGLFDomR D VHU SDJR SRU DTXHOH TXH DGMXGLFDU $&25'2 6HQGR ILUPDGR DFRUGR HQWUH DV SDUWHV GHYHUi R D H[HFXWDGR D DUFDU FRP DV GHVSHVDV GH GLYXOJDomR DVVXPLGDV SHOR OHLORHLUR FRUUHVSRQGHQWHV j  FLQFR SRU FHQWR

VREUH R YDORU DFRUGDGR 'Ă’9,'$6 ( (6&/$5(&,0(1726 3HVVRDOPHQWH SHUDQWH HVWH -Xt]R RX QR HVFULWyULR GR OHLORHLUR RILFLDO 6U 0DXUR =XNHUPDQ ORFDOL]DGR QD $YHQLGD $QJpOLFD Qž  ž DQGDU +LJLHQySROLV &DSLWDO  63 RX DLQGD SHOR WHOHIRQH   H HPDLO FRQWDWR#]XNHUPDQFRPEU )LFD R H[HFXWDGR EHP FRPR VXD HVSRVD GH FDVDGR IRU ,17,0$'26 GDV GHVLJQDo}HV VXSUD FDVR QmR VHMDP ORFDOL]DGRV SDUD DV LQWLPDo}HV SHVVRDLV 1mR FRQVWD GRV DXWRV KDYHU UHFXUVR RX FDXVD SHQGHQWH GH MXOJDPHQWR (YHQWXDLV {QXV VREUH R LPyYHO FRUUHUmR SRU FRQWD GR DUUHPDWDQWH $ YHQGD VHUi HIHWXDGD HP FDUiWHU DG FRUSXV H QR HVWDGR GH FRQVHUYDomR HP TXH VH HQFRQWUD 6HUi R SUHVHQWH HGLWDO SRU H[WUDWR DIL[DGR H SXEOLFDGR QD IRUPD GD OHL %  H

'FKVCN FG EKVCnlQ  RTC\Q FG XKPVG FKCU 2TQEGUUQ PÂ?   1TFGO PÂ?  1 &QWVQT (#$+1 /#46+05 /#45+).+1 // ,WK\ FG &KTGKVQ FC 8CTC Ă&#x2018;PKEC &KUVTKVCN FG 8CTIGO )TCPFG 2CWNKUVC FC %QOCTEC FG %QVKC 'UVCFQ FG 5lQ 2CWNQ PC HQTOC FC NGK (#< 5#$'4 C 2#64+%+# (4'+6#5 )10%#.8'5 4)  %2(  SWG NJG HQK RTQRQUVC WOC CnlQ FG 4GKPVGITCnlQ  /CPWVGPnlQ FG 2QUUG RQT #.%#5' '/24''0&+/'0615 +/1$+.+#4+15 .6&# %02,  EQPUVCPFQ FC KPKEKCN SWG C TGSWGTKFC GO  CUUKPQW +PUVTWOGPVQ 2CTVKEWNCT FG %QORTQOKUUQ FG %QORTC G 8GPFC RCTC CFSWKTKT Q NQVG  FC SWCFTC  FQ NQVGCOGPVQ 4GUKFqPEKC 5CP &KGIQ 8CTIGO )TCPFG 2CWNKUVC 52 3WG C To FGKZQW FG RCICT VQFCU CU RCTEGNCU C RCTVKT FG  4GSWGTGW C TGKPVGITCnlQ FC RQUUG FQ KOxXGN G C EQPFGPCnlQ FC To PQ RCICOGPVQ FCU EWUVCU CFOKPKUVTCVKXCU G ECTVQThTKCU FCU EQPVTKDWKn|GU OGPUCKU FGXKFCU i CUUQEKCnlQ CFOKPKUVTCFQTC FQ NQVGCOGPVQ FQ +267 G FGOCKU KORQUVQU FQ KOxXGN FQ CNWIWGN FGUFG Q KPsEKQ FC KPCFKORNqPEKC CVo C TGKPVGITCnlQ FC RQUUG G HKPCNOGPVG FCU EWUVCU FGURGUCU RTQEGUUWCKU G FQU JQPQThTKQU CFXQECVsEKQU 'PEQPVTCPFQUG Q ToW GO NWICT KPEGTVQ G PlQUCDKFQ HQK FGVGTOKPCFC C UWC %+6#cÂŹ1 RQT GFKVCN RCTC QU CVQU G VGTOQU FC CnlQ RTQRQUVC G RCTC EQPVGUVCT Q HGKVQ PQ RTC\Q FG SWKP\G FKCU FGEQTTKFQ Q RTC\Q UWRTC FQ GFKVCN G SWG PQU VGTOQU FQ CTVKIQ  FQ %xFKIQ FG 2TQEGUUQ %KXKN PlQ UGPFQ EQPVGUVCFC C CnlQ RTGUWOKTUGlQ XGTFCFGKTQU QU HCVQU CTVKEWNCFQU RGNQ CWVQT 5GTh Q RTGUGPVG GFKVCN CHKZCFQ PQ NQECN FG EQUVWOG G RWDNKECFQ RGNC KORTGPUC PC HQTOC FC NGK 0#&# /#+5 &CFQ G RCUUCFQ PGUVC EKFCFG G EQOCTEC FG 8CTIGO )TCPFG 2CWNKUVC  FG OCKQ FG 

(',7$/ '( &,7$d ­ 2 &20 35$=2 '(  ',$6 (;3(','2 126 $8726 '$ $d ­ 2 '( %86&$ ( $35((16­ 2 $/,(1$d ­ 2 ),'8&,Ă&#x2C6; 5,$ 029,'$ 325 %$1&2 ),1$6$ 6$ &2175$ '$/9$ 5(* ,1$ 6,/9$ )$5,$ 352&(662 1Â&#x17E;  2 '28725 52'5,* 2 9,(,5$ 085$7 00Â&#x17E; -8,= '( ',5(,72 '$ Â? 9$5$ &Ă&#x2039;9(/ '$ &20$5&$ '( ,7$3(9$ Âą 63)D] VDEHU D WRGRV TXDQWRV R SUHVHQWH YLUHP RX GHOH FRQKHFLPHQWR WLYHUHP SULQFLSDOPHQWH DRV LQWHUHVVDGRV LQFHUWRV H QmR VDELGRV TXH QRV DXWRV GD $d ­ 2 '( %86&$ ( $35((16­ 2  $/,(1$d ­ 2 ),'8&,$5,$ SURFHVVR QÂ&#x17E;  GHVWH -Xt]R UHTXHULGD SRU %$1&2 ),1$6$ 6$ FRQWUD '$/9$ 5(* O1$ 6,/ 9$ )$5,$ IRL H[SHGLGR R SUHVHQWH FRP R ILP GH FLWDomR GD UHTXHULGD '$/9$ 5(* ,1$ 6,/9$ )$5,$ EUDVLOHLUD SRUWDGRUD GR &3)0) QÂ&#x192;  UHVLGHQWH H GRPLFLOLDGD QD 5XD )UDQD QÂ&#x17E; -DUGLP 9tUJtQLD,WDSHYD63 DWXDOPHQWH HP ORFDO LQFHUWR H QmR VDELGR SDUD FLrQFLD GRV WHUPRV GD LQLFLDO D VHJXLU WUDQVFULWD HP VLQWHVH 2 6XSOLFDQWH p FUHGRU GD 6XSOLFDGD HP UD]mR GH RSHUDomR FRQVXEVWDQFLDGD QR LQFOXVR &RQWUDWR GH $EHUWXUD GH &UpGLWR QÂ&#x17E;  ILWPDGR HP  GH GH]HPEUR GH  QR YDORU GH 5  VHWH PLO TXLQKHQWRV H WULQWD H WUrV UHDLV SDUD VHU SDJR QD IRUPD H FRQGLo}HV FRQWUDWXDOPHQWH HVWDEHOHFLGDV FRP YHQFLPHQWR ILQDO SUHYLVWR SDUD  &RPR JDUDQWLD DR ILHO FXPSULPHQWR GR DYHQoDGR R 6XSOLFDQWH DOLHQRX ILGXFLDUtDPHQWH D 6XSOLFDGD R EHP DEDL[R GHVFULWR SHUPDQHFHQGR QD SRVVH GR PHVPR D VDEHU Âł YHtFXOR PDUFD )RUG PRGHOR (VFRUW * / DQRPRG  FRU SUHWD SODFDV &&*  H FKDVVL %)%;;/%$.%3 2FRUUH TXH D 6XSOLFDGD QmR FXPSULX FRP VXD REULJDomR GH SDJDPHQWR HVWDQGR DV SUHVWDo}HV YHQFLGDV GH  D  FRQIRUPH GHPRQVWUDWLYR H DWXDOL]DGR DWp  7RWDO GDV 3DUFHODV 9HQFLGDV H D 9HQFHU 5  (VWDQGR j PRUD FDUDFWHUL]DGD SRU PHLR GD LQFOXVD QRWD SURPLVVyULD H UHVSHFWLYR LQVWUXPHQWR GH SURWHVWR ODYUDGR SHUDQWH R Â&#x17E; 7DEHOLRQDWR GH 3URWHVWR GH /HWUDV H 7tWXOR GH 6mR 3DXOR63 WHQGR DLQGD R 6XSOLFDQWH HVJRWDGR WRGRV RV PHLRV SDUD UHVROYHU D TXHVWmR DPLJDYHOPHQWH H HVWDQGR R EHP VXSUD GHVFULWR HP SRGHU GD 6XSOLFDGD D WtWXOR SUHFiULR FRP IXQGDUQHQWR QR DUWLJR Â&#x17E; GR 'HFUHWR/HL QÂ&#x192;  R 6XSOLFDQWH SURS}H D SUHVHQWH DomR GH %XVFD H $SUHHQVmR $VVLP H[SHGLXVH R SUHVHQWH HGLWDO SDUD FLWDomR GD UHTXHULGD SDUD RV WHUPRV GD LQLFLDO EHP FRPR SDUD VH TXHUHQGR FRQWHVWDU D SUHVHQWH DomR DWUDYpV GH DGYRJDGR OHJDOPHQWH KDELOLWDGR QR SUD]R GH  GLDV VRE SHQD GH TXH VH QmR R IL]HU SUHVXPLU VHmR FRUQR YHUGDGHLURV RV IDWRV DOHJDGRV QD LQLFLDO VDOYR VH R FRQWUiULR UHVXOWDU GD SURYD GRV DXWRV DUWLJR  H  GR &yGLJR GH 3URFHVVR &LYLO  ( SDUD TXH QLQJXpP SRVVD DOHJDU LJQRUkQFLD H[SHGLXVH R SUHVHQWH HGLWDO FRP SUD]R GH  GLDV TXH VHUi SXEOLFDGR H DIL[DGR QD IRUPD GD OHL ,WDSHYD63

%KVCnlQ  2TC\Q  FKCU  2TQE  PÂ? FG 1TFGO  # &TC 8CPGUUC %CTQNKPC (GTPCPFGU(GTTCTK,Ws\CFG&KTGKVQFCÂ&#x153;8CTC%sXGNFC%QOCTECFG5CPVQ#PFToGVE(C\5CDGTC5KFPG[ 0WPGU2KOGPVGNRQTVCFQTFQ4)552&(%2/(/(SWG,C[OG&KXKPQ/CTSWGU CLWK\QW#nlQFG+PFGPK\CnlQEQORTQEGFKOGPVQ1TFKPhTKQQDLGVKXCPFQCRTQEGFqPEKCRCTCEQPFGPCTQToWCQ RCICOGPVQFGFCPQUOQTCKUGOCVGTKCKUPQXCNQTFG4  CETGUEKFQFGLWTQUGEQTTGnlQ OQPGVhTKCDGOEQOQFCUEWUVCUJQPQThTKQUGFGOCKUEQOKPCn|GU'UVCPFQQTGSWGTKFQGONWICTKIPQTCFQ HQKFGHGTKFCCEKVCnlQRQTGFKVCNRCTCSWGGOFKCUCHNWKTCRxUQUFKCUUWRTCEQPVGUVGCCnlQUQDRGPC FGRTGUWOKTGOUGCEGKVQUQUHCVQUCTVKEWNCFQU'RCTCSWGEJGIWGCQEQPJGEKOGPVQFGVQFQUGSWGPQHWVWTQ PlQUGCNGIWGKIPQTjPEKCGZRGFKWUGQRTGUGPVGGFKVCNSWGUGThCHKZCFQGONWICTR}DNKEQEQOQFGEQUVWOG G RWDNKECFQ PC HQTOC FC .GK 5CPVQ #PFTo  FG LWNJQ FG  $ G 

     0/0/   5   5 '   " %  !  !  # $  %&!' (!)' ! + 5   +!  + ,   +'& .  / 2" ! '*! ? > >    B  ! (!  ' '  (!!)  ! !" ! !  > - 57935 4 4+47$,$3-478 956385375, 4 I(657  4+85 4 +W 5I, _ 9I" :!& !' 

!    !'! " !?! !!  5> @ 06" ''   A 6"   ( !  $' @ / " *B  + - " + '=+ L 4  " !%  &' : %" >!! !&!  ! !

!! ! !?!  >'!!  !" !   &' !& >!' > )   ;&!' !!  &!  >'O A  !> !?!&  !" !!   !!)      >!  !" !  A  >)!   > !" * B  &% !  ! V! '!) 4  A ! ') ) " ? !?!     > !'" >  !" !  "  ?' >;   > " !!  ?!"  >! ! > ! !!  &! !   ? '!) +! B  !' ?C ! >'  ?   '! D

(',7$/ '( &,7$d ­ 2 '( /8&$6 5(1( '( 2/,9(,5$ (;75$,'2 '26 $8726 '$ $d ­ 2 '( %86&$ ( $35((16­ 2 352&(662 1Â&#x17E;  PRYLGD SRU %9 ),1$1&(,5$ 6$ &), FRQWUD /8&$6 5(1( '( 2/,9(,5$ &20 35$=2 '(  75,17$ ',$6 2 '28725 : ,/621 /,0$ '$ 6,/9$ 00 -8,= '( ',5(,72 '$ 2,7$9$ 9$5$ &Ă&#x2039;9(/ '(67$ &,'$'( ( &20$5&$ '( 26$6&2 (67$'2 '( 6­ 2 3$8/2 1$ )250$ '$ /(, (7& )$= 6$%(5 D WRGRV TXDQWRV GHVWH HGLWDO YLHUHP RX GHOH FRQKHFLPHQWR WLYHUHP H LQWHUHVVDU SRVVD HVSHFLDOPHQWH DR UHTXHULGR /8&$6 5(1( '( 2/,9(,5$ DWXDOPHQWH FRP R HQGHUHoR HP OXJDU LQFHUWR H QmR VDELGR TXH SRU HVWH -Xt]R H &DUWyUR GR Â? 2ILFLR &tYHO SURFHVVDPVH RV UHJXODUHV WHUPRV H DWRV GH XPD omR GH %86&$ ( $35((16­ 2 SURFHVVR QÂ&#x17E;  FRQWUD VL PRYLGD SRU %9 ),1$1&(,5$ 6$ &), &13- QÂ&#x17E;  SRU VXD DGYRJDGD LQIUDDVVLQDGD YHP UHVSHLWRVDPHQWH j SUHVHQoD GH 9RVVD ([FHOrQFLD FRP IXQGDPHQWR QR DUWLJR  GD /HL QÂ&#x17E;  DOWHUDGR SHOR 'HFUHWR/HL QÂ&#x17E;  YHP UHVSHLWRVDPHQWH SHUDQWH 9 ([D 3URSRU D SUHVHQWH $d ­ 2 '( %86&$ ( $35((16­ 2 FRQWUD /8&$6 5(1( '( 2/,9(,5$ &3) QÂ&#x17E;  )D] VDEHU D /8&$6 5(1( '( 2/,9(,5$ TXH %9 ),1$1&(,5$ 6$  &), DMXL]RX XPD DomR GH %86&$ ( $35((16­ 2 UHIHUHQWH DR YHLFXOR ),$7 3$/,2 (';  03, 3  &25 $=8/ 3/$&$ &* ) &+$66, %'7 YHQGLGR DR UHTXHULGR WHQGR R UpX GHL[DGR GH SDJDU DV SUHVWDo}HV FRPELQDGDV 3URFHGLGD j EXVFD H DSUHHQVmR H HVWDQGR R UHTXHULGR HP OXJDU LJQRUDGR IRL GHIHULGD D FLWDomR SRU HGLWDO SDUD QR SUD]R GH  WUrV GLDV i IOXLU DSyV RV  WULQWD GLDV VXSUD FRQWHVWH D DomR VRE SHQD GH SUHVXPLUHPVH DFHLWRV RV IDWRV DOHJDGRV FRQWUD VL )LFD SRUWDQWR &,7$'2 R UHTXHULGR /8&$6 5(1( '( 2/,9(,5$ GH WRGR WHRU GR SUHVHQWH H GD SHWLomR LQLFLDO ( SDUD TXH FKHJXH DR FRQKHFLPHQWR GH WRGRV H QR IXWXUR QLQJXpP DOHJXH LJQRUDQFLD H[SHGLXVH HVWH HGLWDO TXH VHUi SXEOLFDGR H DIL[DGR QD IRUPD GD OHL H HP OXJDU GH FRVWXPH 'DGR H SDVVDGR QHVWD FLGDGH H &RPDUFD GH 2VDVFR (VWDGR GH 6mR 3DXOR63                 ! "  !  !  # $  %&!' (!)' ! *!   +!  ,) -    .  / /0/ ! (1 0/2" ! +3454 647434784 3+(54,385 6(5+3,43(5 9+ 385, 5,64(8 437+8437" '*! :    -; " &  !!! ! (<  " . = 2" !> !! >!'  ?' ! ! & @  0/"  &' ! (<  "/" ! !  >)" !

!!    ! > ! ! ! & A *>' !" ?  ! !  > ! 4  A ! ')

) " ? !?!     > !'" >  ! !  " ?' >;  >    !' >  .! !  ! * B  &%2" >)!   !'"  ?! ! ! )"  >! ! &!    -;  ! 4C!" ? !       +! B  !' ?C ! >'  ?   '! D

4385, 4 (5E5 ! !   !C! 5,-5\ 37]+8(35 4 5,E5+ ,85 .7  7@ =  2" +^ 57(54 4 +IJ5 . F /// /2" ,I3J 4J5( -51(37  $5, . F //02 !  G:)! (47585 1I,5(8  $5, .(1F 0  ++ =+ 2F   " --  !  ! 9!  (*"  0# $  %&!'    !    + "  ?   '!" 5J +564("  !  > !!! 4' & !  !'! *!! &! ! ! ! ! >" !" > !! % " > !!    5 ! 4C! ! 8%' 4C :' & > 657 75375, +=5 _ ! '  !C :'   5,-5\ 37]+8(35 4 5,E5+ ,85 4 I8(+" > ! @   / / .0 =2 !  !)  &!  ! !  C" !     !)  !C>  !) F  >  L 5 # >  ! B %   / ! !!  !  " M /F * 7 *&! '! )'  >!  M > N  &'  0 . O2  ! P!!  %  # > Q  # >  !) !B ! !

>" !    ! !!  !  " M /F * ! ! !!

 B   ! !!  !  " M /F *     L 5 >  ! B !'  > -43 4,48(R73"  &A   ' SSS':' =' ! ! B   >!' 1!  ' ,I8  3! ! ! 5& ! 1! '"    7 =-   @ 0=   ! >!' ,!'!  ?' +  5 ! !"  '   ! '  4 ! + ' L I4+ "    $' -% ! $!  6! L 7 # > "  &' % >   &!  ! > !) ! B  &'  &' :' ! A ! (< 00 "0 .!!! !   !  O ' ! !  ! ! !! !  O !&2 '  A :* !   7 # > "  &' % >   &! 

!>! B   T .!! > !2  &'  &' :'    1!  ' L  

!! !&! B >) M 1!  ' ,I8"  %' ! "  &' 

!>!!  T . > !2  !  > ! ! 

!  ;&!'  '! L  '! !&!  ! ?!  >!' !! 3! !"  &A   ' SSS':' ='  A L 4&! G  !  ;&!' 

!  >   

!!"  !C!  > !&    0 " > B) ? U"  ;) 8 B  7'    L 5 >   >'  4'"  !: !'!    ! !  > !  >!  > " ?  !C!  )  >)  &'   !& M 1!  ' ,I8" ! T . > !2  &'    8  !)  ! V! >'B&! ! >%&!   ' SSS':' =' 5 '! !!! B  >  '!)' >'B&!'"  &! +- @  =   8+ !  >   ) 00"  ;) !' 5 >' !! !' > ! !&!' !  ?V! >! !  !>!& >  (4,5EW + 647+  3;&!F  I )'! ! !

"   ;&!' ! -

 1 ! ! + 1! G  B ! ! 0"/ *! ! .0 ' ! ! >'2 > !! !   !)! >! %! F !    ! ! ! ! ? !     

"  ?   5 8&!  ! -!''"  A 1! ' 8&!  M 0 " ! "  ! +Q %   ! ! !    ! " !

 ! "  ! +" ! !)! > & &!'*  ? ! ! " !  A   ! " % !)!  >  ! ! "  A   ! M / ! " ?  !!  O '!  8A *" % !)! > '*  &"  ! 7" A  >%&!  +!

" ?  A    8A *" % &' M  ! >!' >%&! ! !  !  !" A  ! " ?  A !!  A ! 1! '"   !  ! !Q % !! A  ! ! C  !

" > !  !  !" & &!'*"   !  ?  A !!   ! A ! 1! '"  ! 74Q % &'   ! ! !"  ! )A '!!" A    ! !&! % ! ? ! !'" ?  A    5)* 8&!  ! -!''" A -!'' 8&!  ! 5G 8&!  ! -!'' !  !?!   ! ' !  ! !  :  ! >!  .>! ! 2  ! >!' (&    % '+ " %> !   !  +  - %' @ 0/  ?' ! (!)  ! 3;&! !  +  !* F  ;&!' :!   %' @ 0/  ?' ! (!)  ! 3;&! !  + ? >!*  >  !  --%   # $  !! ' L +! ! 4C!V!     !  + >  )   A :   > ! @ /  0 & >!' 37++ ! ?! ! 'C 3U  ! ' , 5&'F (< //0 0"0 .  ! !  ! !  O '  ! ! !! !  O ! ! !! !  O !&2 '  A :* !  Q  I > ! !)   @  " ''    @ >&!  4?% +'  7 !"  ? !! >   (   3!' 5' ` 5' " @ 0 " 

 + A" %> !  + !  &) ! ) )! ! @ /"  B ! > && !' ! /"  a" B ! 

!' !  "0 a" '  " a - %' @ //  @ ?' ! (!)  ! 3;&! !  +  !* F  ;&!' :!   %' @ //  @ ?' ! (!)  ! 3;&! !  + " ? >!*  >  !  --%   # $  !! ' L +! ! 4C!V!     !  + >  )   A :   > ! @ /  0 & >!' 37++ ! ?! ! 'C 3U  ! ' , 5&'F (<  //" . ! ! &! ' *! !  ! !   ! ! &! !&2 '  A :* !   6+F !!  ! ! !  ;&! !  &! '& ! ! !!  ! A ! 3 8I" !! !  >   

! > ! !! A" !  

!!  >! !

!! & ! ! B  ! >)!   B "    !!   B   A $'  F (<   " . '* &!! ! &! ! !! '  ! ! !! ! !! ! ! ! !&! !&2 '  A :* !   7     !CO !   !  >!!! ! :')!  !  !  ! ! 

! 7 Y D

Publicidade Legal Fone:

11

3180 3175

co do que os 2% de avanço que espero para os Estados Unidos", disse Robert Wood, da Economist Intelligence Unit (EIU), em entrevista ontem Ă revista VEJA. Ot imis mo â&#x20AC;&#x201C; JĂĄ Jim O'Neill, economista do Goldman Sachs e o criador do termo Brics, tambĂŠm entrevistado pela revista brasileira, anunciou projeçþes otimistas. "Espero alta de 3,4% para o PIB do Brasil neste ano e de 2,2% para a economia norte-americana,

mas vou revisar esses dados na semana que vem", afirmou ele à VEJA. O jornal britânico Fi nanc ial T im e s tambÊm analisou ontem os dados do IBC-Br de maio, sugerindo momentos difíceis para o País. O título da reportagem foi: "Economia brasileira: indo para lugar nenhum". Segundo o jornal, o indicador de maio mostra que o desenvolvimento do Brasil, impulsionado por decisþes do Estado, estå levando a nação para "um beco sem saída." O Financial Times contesta as medidas monetårias e econômicas tomadas pelo Banco Central e pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega. O The Wall Street Journal, dos EUA, tambÊm citou previsþes pessimistas para o crescimento do PIB brasileiro neste ano.

5ÂŞ Vara CĂ­vel, do Foro Regional I - Santana EDITAL DE CITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - PRAZO DE 20 DIAS. PROCESSO NÂş 0047673-40.2010.8.26.0001 MonitĂłria. O Doutor EnĂŠas Costa Garcia, MM. Juiz de Direito da 5ÂŞ Vara CĂ­vel, do Foro Regional I - Santana, da Comarca de SĂŁo Paulo, do Estado de SĂŁo Paulo, na forma da Lei, etc. FAZ SABER a AmĂŠrico Augusto, CPF 320.579.978-04 e JosĂŠ Francisco Augusto, CPF 228.405.898-05, que lhes foi proposta uma Ação MonitĂłria, bem como em face de Posto de Serviço Tio FilĂł Ltda., por parte de Unibanco UniĂŁo de Bancos Brasileiros S/A, para cobrança da quantia de R$ 93.640,67, referente ao Contrato de Abertura de CrĂŠdito em Conta Corrente - Cheque Especial PJ, celebrado em 11/09/07, com crĂŠdito no valor de R$ 50.000,00 e vencimento em 10/12/2007. Estando os rĂŠus em lugar ignorado, foi deferida a citação por edital, para que em 15 dias, a fluir apĂłs os 20 dias supra, paguem o dĂŠbito atualizado ou ofereçam embargos, ficando intimados de que, nos termos do artigo 1102, do C.P.C., haverĂĄ isenção das custas e honorĂĄrios advocatĂ­cios para a hipĂłtese de pagamento sem embargos, sob pena de converter-se o mandado inicial em mandado executivo. SerĂĄ o presente edital, por extrato, afixado e publicado na forma da lei, sendo este FĂłrum localizado na Av. Eng. Caetano Ă lvares, 594, Casa Verde, SĂŁo Paulo-SP. SĂŁo Paulo, 05 de julho de 2012. (',7$/35$=2  ',$6 352&(662 1Â&#x192; QÂ&#x17E; GH RUGHP  2 $ '28725 $

0$5&,2 )(55$= 181(6 00 -8,= $ '( ',5(,72 GD Â? 9DUD -XGLFLDO GR )RUR 'LVWULWDO GH )HUUD] GH 9DVFRQFHORV GD &RPDUFD GH 3Ri (VWDGR GH 6mR 3DXOR QD IRUPD GD OHL HWF )$= 6$%(5 D 683(50(5&$'2 0$==8&&$ /7'$ H /8,= &$5/26 $1721$&&, TXH SRU SDUWH GH +6%& %$1. %5$6,/ 6$  %$1&2 08/7,3/2 OKH IRL DMXL]DGD D DomR GH ([HFXomR GH 7LWXOR ([WUDMXGLFLDO FRQVWDQGR GD LQLFLDO TXH HP  GH PDLR GH  R H[HTXHQWH ILUPRX FRQWUDWR SDUWLFXODU GH FRQILVVmR FRPSRVLomR GH GLYLGD IRUPD GH SDJDPHQWR H RXWUDV DYHQoDV QÂ&#x17E;  FRP RV H[HFXWDGRV VHQGR ILQDQFLDGR j pSRFD 5  WULQWD H GRLV PLO VHWHFHQWRV H VHVVHQWD H RLWR UHDLV H FLQTXHQWD H GRLV FHQWDYRV  FRQIRUPH GRFXPHQWR  DFRVWDGR DRV DXWRV VXSUD PHQFLRQDGRV R YDORU GD DYHQoD DWXDOL]DGR DWp  GH GH]HPEUR GH  SHORV tQGLFHV FRQWUDWXDLV p GH 5  FRQIRUPH PHPyULD GH FiOFXORV GRFXPHQWR  DFRVWDGR DRV DXWRV VXSUD PHQFLRQDGRV DR GpELWR GH 5  UHSUHVHQWDWLYR GD DYHQoD HP DWUDVR VRPDPVH DV GHVSHVDV H FXVWDV SURFHVVXDLV VXEWRWDO 5  PXOWD FRQWUDWXDO FOiXVXOD   5  VXEWRWDO5  FXVWDV  WD[D MXGLFLiULD  GLVWULEXLomR 5  WRWDOL]DQGR 5  DWp KRMH DOHJD RUD UHTXHUHQWH D GtYLGD QmR IRL SDJD UHTXHU R D DXWRU D VXSUD D FLWDomR GD D H[HFXWDGR D H SURFHGrQFLD WRWDO GD DomR FRPSURYDQGR R DOHJDGR SRU WRGRV RV PHLRV GH GLUHLWR (QFRQWUDQGRVH R UHTXHULGR HP OXJDU LQFHUWR H QmR VDELGR IRL GHWHUPLQDGD D FLWDomR SRU (GLWDO GHYHQGR R UpX QR SUD]R GH TXLQ]H  TXLQ]H GLDV GHFRUULGRV  GLDV GD SXEOLFDomR GHVWH FRQWHVWDU D SUHVHQWH DomR VRE SHQD GH SUHVXPLUHP FRPR YHUGDGHLURV RV IDWRV DUWLFXODGRV SHOR DXWRU ( SDUD TXH SURGX]D VHXV HIHLWRV GH GLUHLWR VHUi R SUHVHQWH (GLWDO DIL[DGR H SXEOLFDGR QD IRUPD GD /HL

41ÂŞ Vara CĂ­vel da Capital - SP Citação. Prazo 20 dias. Proc. 583.00.2011.132889-3 (C. 640/2011). A Dra. PatrĂ­cia Maiello Ribeiro Prado, JuĂ­za de Direito da 41ÂŞ Vara CĂ­vel da Capital. Faz Saber a AGROPECUĂ RIA SANTA LUZIA LTDA., CNPJ nÂş 60.434.974/0001-05, na pessoa de seu representante legal, que JOSĂ&#x2030; RUFINO XIMENES CAPEL E OUTRA lhe ajuizaram uma ação de Adjudicação CompulsĂłria, objetivando a outorga da Escritura Definitiva de Venda e Compra de um terreno situado no loteamento denominado Jardim do RibeirĂŁo II, no MunicĂ­pio de Itupeva - SP, lote 38, quadra D, com 1.520,28m², matrĂ­cula n° 60.267 do 1Âş CRI de JundiaĂ­/SP. Estando a rĂŠ em local ignorado, foi deferida sua citação por edital, para que em 15 dias a fluir apĂłs os 20 dias supra, conteste o feito, sob pena de presumirem-se como verdadeiros os fatos alegados. SerĂĄ o edital afixado e publicado, na forma da lei. SĂŁo Paulo, 22 de junho de 2012. 4' ! "  >   !       0     4  8 ! 5) -!''! " --  !  !  # $  %&!'    (!)' \3  *! "  4 ! + '"     ,!"  +!  + -  8  ," 7  /= "  >! ! ! !> !!! '!)'" 4' -   +'& ("  '! " " ! !"    000" (1 0 // " !    6   +"  '! " " ! !"   /" (1  /0 0" ! 657 7++5 53\5 + 5" 7  /0 00/=   " >!  !! ! > 6  6 ' + 5" 7    = " '*! :    -; " :!&      ! (<

"/ .:*= 02 !

!!  >'!!" >!' ! ! "    ! !   !  A

& !  

!! L >! : % L *! ! !> !" !'!  ! = 0= " >!' ' ?'*! ! '! !  A  &' ! (<  " "   !! )  >   > ;   &' ! (<  "  5'!) 

! ! !! !  A '    '!  '! ! !  !?    ) " !C !  !  ' !&! !  &!! 4 !  ! !  ! ') ) " ? !?!    > !'" >  ! !  ! "  ?' >;  >   ! &!    >   >' !! !'" ?! ! ! ) ;   >)!  > N > " ? !!"  " ! ! !! U'  ?  ! !  ! * B  &% ! ! !  *>;!! !  ?! !! ! ! )" ! B   !C!" ? ! > !&  ,&  33" 8%' 33" >%' 33 ! 3$ +! B  > !!! !'" > !C " ?C ! >'  ?   '! D %KVCnlQ RTC\Q  FKCU RTQE  1 &17614 %'5#4 .7+< &' #./'+&# // ,WK\ FG &KTGKVQ FC Â&#x153; 8CTC %sXGN FG 5lQ /KIWGN 2CWNKUVC52 (C\ 5CDGT ÂŤ )TCFKN 4GUVCWTCFQTC FG 1DLGVQU /GVCNKEQU .VFC %02,   PC RGUUQC FG UGWU TGRTGUGPVCPVGU SWG 0+37'.('4 %1/'4 %+1 &' /'6#+5 .6# CLWK\QWNJG C CnlQ FG 'ZGEWnlQ FG 6sVWNQ 'ZVTCLWFKEKCN QDLGVKXCPFQ C EQDTCPnC FG 4 TGHGTGPVGC%QPVTCVQHKTOCFQGPVTGCURCTVGU'UVCPFQQToWGONQECNKIPQTCFQGZRGFGUGQRTGUGPVG GFKVCN RCTC SWG PQ RTC\Q FG  FKCU GHGVWCT Q RCICOGPVQ PQU VGTOQU FQ CTVKIQ  G UGIWKPVGU FQ %xFKIQ 2TQEGUUWCN %KXKN QW CRTGUGPVCT GODCTIQU PQ RTC\Q FG  FKCU 5GTh Q RTGUGPVG GFKVCN CHKZCFQ G RWDNKECFQ PC HQTOCFC.GK5lQ2CWNQ $  G  EDITAL DE CITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - PRAZO DE 20 DIAS. PROCESSO NÂş 0051937-03.2010.8.26.0001 O(A) Doutor(a) Marcus Vinicius Rios Gonçalves, MM. Juiz(a) de Direito da 7ÂŞ Vara CĂ­vel, do Foro Regional I - Santana, da Comarca de SĂ&#x192;O PAULO, do Estado de SĂŁo Paulo, na forma da Lei, etc. FAZ SABER a CGD Importação e Exportação Ltda, CNPJ/MF 004.539.558/0001-09, na pessoa de seu representante legal, que Fundo de Investimentos em Direitos CreditĂłrios NĂŁo Padronizados PCG Brasil Multicarteira lhe ajuizou ação MonitĂłria, para cobrança de R$ 40.459,19, oriunda do saldo devedor em c/corrente nÂş 8.718.074-5, de 08/12/10. Estando a rĂŠ em lugar ignorado, foi determinada a citação por edital, para que em 15 dias, a fluir apĂłs os 20 dias supra, pague o dĂŠbito livre de custas e honorĂĄrios, ou ofereça embargos, sob pena de, nĂŁo o fazendo, constituir-se de pleno direito o tĂ­tulo executivo judicial, presumindo-se verdadeiros os fatos alegados.

(',7$/ 3$5$ &21+(&,0(172 '( 7(5&(,526 (;3(','2 126 $8726 '( ,17(5',d­2 '( 52%(572 9(17852 /( 5(48(5,'2 325 :,/0$ 9(17852/( ( 287526  352&(662 1Â&#x17E; 2 $ 'U D  0DULDQD GH 6RX]D 1HYHV 6DOLQDV 00 -XL] D GH 'LUHLWR GD Â? 9DUD GD )DPtOLD H 6XFHVV}HV GR )RUR &HQWUDO &tYHO &RPDUFD GH GH 6­2 3$8/2 GR (VWDGR GH 6mR 3DXOR QD IRUPD GD OHL HWF )$= 6$%(5 DRV TXH R SUHVHQWH HGLWDO YLUHP RX GHOH FRQKHFLPHQWR WLYHUHP TXH SRU VHQWHQoD SURIHULGD HP  SHOR 00 -XL] GH 'LUHLWR 'U $QGUp 6DORPRQ 7XGLVFR IRL GHFUHWDGD D ,17(5',d­2 GH 52%(572 9(17852/( &3)  GHFODUDQGRR D DEVROXWDPHQWH LQFDSD] GH H[HUFHU SHVVRDOPHQWH RV DWRV GD YLGD FLYLO H QRPHDGR D FRPR &85$'25 $  HP FDUiWHU '(),1,7,92 R D

6U D  :LOPD 9HQWXUROH 2 SUHVHQWH HGLWDO VHUi SXEOLFDGR SRU WUrV YH]HV FRP LQWHUYDOR GH GH] GLDV H DIL[DGR QD IRUPD GD OHL 1DGD PDLV 'DGR H SDVVDGR QD FLGDGH GH 6­2 3$8/2 %  H 

(',7$/ 3$5$ &21+(&,0(172 '( 7(5&(,526 (;3(','2 126 $8726 '( ,17(5',dÂŽ2 '( 0Ă&#x201C;&,$ 0,5,$0 %(=(55$ '26 6$1726 5(48(5,'2 325 3$75Ă&#x152;&,$ %(=(55$ '26 6$1726 0217(,52 ( 28752  352&(662 1Â&#x17E;  2 $ 'U D  'HERUDK &LRFFL 00 -XL] D GH 'LUHLWR GD Â? 9DUD GD )DPtOLD H 6XFHVV}HV GR )RUR 5HJLRQDO ,  6DQWDQD &RPDUFD GH GH 6mR 3DXOR GR (VWDGR GH 6mR 3DXOR QD IRUPD GD OHL HWF )$= 6$%(5 DRV TXH R SUHVHQWH HGLWDO YLUHP RX GHOH FRQKHFLPHQWR WLYHUHP TXH SRU VHQWHQoD SURIHULGD HP  WUDQVLWDGR HP MXOJDGR  IRL GHFUHWDGD D ,17(5',dÂŽ2 GH 0~FLD 0LULDP %H]HUUD GRV 6DQWRV GHFODUDQGRR D

DEVROXWDPHQWH LQFDSD] GH H[HUFHU SHVVRDOPHQWH RV DWRV GD YLGD FLYLO H QRPHDGR D FRPR &85$'25 $  HP FDUiWHU '(),1,7,92 R D 6U D  3DWUtFLD %H]HUUD GRV 6DQWRV 0RQWHLUR 2 SUHVHQWH HGLWDO VHUi SXEOLFDGR SRU WUrV YH]HV FRP LQWHUYDOR GH GH] GLDV H DIL[DGR QD IRUPD GD OHL Ć&#x2021;

4385, 4 (5E5 ! !  .2 !C!.2 -5(+ +4 4 ,3$43(5 (95 . F  // 2" !  !  G:)! 563575 -5(HI4+ 4((43(5 (95 . F

00/2F   " --  !  ! !' , ! - )"  # $  %&!'    ! + 6!    > =+ "  ?   '!" 5J +564("  !  > !!! 4' & !  !'! *!! &! ! ! ! ! >" !" > !! % " > !!    5 ! 4C! >  !    !&! '&!! :  > 7-K73 (4+34735, +5785 585(375   -5(+ +4 4 ,3$43(5 (95" > ! @ /   00 .= 2 !  !)  &!  ! !  C" !     !)  !C>  !) F  >  L 5 # >  ! B %   0 ! :'* !  " M /F *  7 *&! '! )'  >!  M > N  &'  0 . O2  ! P!!  %  # > Q  # >  !) !B ! !

>" !   0 ! ) !  " M /F *  ! ! !!

 B    ! ) !  " M /F *     L 5 >  ! B

!'  > -43 4,48(R73"  &A   ' SSS':' =' ! ! B   >!' 1!  ' ,I8  3! ! ! 5& ! 1! '"    7 =-   @ 0=   ! >!' ,!'!  ?' +  5 ! !"  '   ! '  4 ! + ' L I4+ "    $' -% ! $!  6! L 7 # > "  &'

% >   &!  ! > !) ! B  &'  &' :' ! A ! (<  "/ .! !  ! !  ' &!! !  ! ! ! ! !   !&2 '  A :* !

  7 # > "  &' % >   &! 

!>! B   T .!! > !2  &'  &' :'  '! L  '! !&!  ! ?!  >!' !! 3! !"  &A   ' SSS':' ='  A L 4&! G  !  ;&!' 

!  >   

!!"  !C!  > !&    0 " > B) ? U"  ;) 8 B  7'    L 5 >   >'  4'"  !: !'!    ! !  > !  >!  > " ?  !C!  )  >)  &'   !& M 1!  ' ,I8" ! T . > !2  &'    8  !)  ! V! >'B&! ! >%&!   ' SSS':' =' 5 '! !!! B  >  '!)' >'B&!'"  &! +- @  =   8+ !  >   ) 00"  ;) !' 5 >' !! !' > ! !&!' !  ?V! >! !  !>!& >  (4,5EW + 647+ 3;&!'F I! G" !!  > ! @ 0 "  > X5Y" ''   0@  "  4?% ,)" ' "  !  >!' @ /  5&! (!  Z!![" ! @   5&! -*  " !) !  X% (!!' +  Y" !  > *" !  B ! U' !  " !   " B !  ! "  !   " 

!>!'*!  ?  !'  !

! ! " 0 TQ ?  >!' ? !!   *'' ! > ! ! ?' "  '  !   > ! ! ?' 0" !  ! "  ' ! !    B ! !C!  !  ?   B ! !C!  5 !?!  > ! !  &) ! ) )!  !! '!&" >   )  ! ;&!' ! >!" ! '' > A!!  ! !! " ! C%' !     >' @    0  - %' @ 0  @  ;  ! (!)  ! 3;&! ! + 6!    >+  9>!F  !  ;&!' !  %' @ 0

!)   @ (3 ! + 6!    >+ ! *>! ! ?&  C 4G !! '" ? ! !)  (  !?!   %'"  > ! ! (<  "/ .!! ' ! !  ! ! !  ! !&2 '  A  !   A F (< 0 /"/ .  ! &! ' !   ! !  ! !&2 !?! !!  > !V! &!  !! ! :!  !   :* !  " >!' ' !>! B  >   

! !" ! *&! ' !!!! !>! B > !!    !!  ! * B F (< " .!! ' !! !  ! ! ! &! !  !&2" &' '  A :* !  " >!' ' !>! B  >   

! 5&'F (<  "/ .! !  ! !  ' &!! !  ! ! ! ! !   !&2 '  A :* !   6+F !!  ! ! !  ;&!' ! B &! '& ! ! !!  ! A ! 3 8I" !! !  >   

! > ! !! A" !  

!!  >! ! !! & ! ! B  ! >)! 7    !CO ! !  >!!! ! :')!  !  !  !



! 7 Y D


DIĂ RIO DO COMĂ&#x2030;RCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

e Espanha refaz metas de dĂŠficit

ECONOMIA/LEGAIS - 19

A Espanha garante que todas as regiþes irão cumprir as metas de dÊficit. Cristóbal Montoro, ministro de Orçamento da Espanha

conomia

Andrea Comas/ Reuters

Governo dĂĄ sinais de que seguirĂĄ as polĂ­ticas de austeridade fiscal Ă risca e reduz meta de dĂŠficit para 2013 de 1,1% para 0,7% do PIB Juan Medina/Reuters

O

governo da Espanha anunciou ontem um aperto ainda maior da meta de dÊficit para as 17 regiþes do país no ano que vem, apesar de uma recente decisão da União Europeia (UE) de flexibilizar um pouco as metas de dÊficit. O ministro de Orçamento da Espanha, Cristóbal Montoro, disse que o governo central pretende manter a meta de dÊficit das regiþes para este ano inalterada em 1,5% do Produto Interno Bruto (PIB). Para 2013, no entanto, o governo central reduziu de 1,1% para 0,7% do PIB a meta do dÊficit das regiþes. Segundo Montoro, a redução da meta de dÊficit Ê uma maneira de tentar assegurar que a Espanha atingirå a meta de cortar o dÊficit do governo central a 2,8% do PIB em 2014, conforme acordo entre o país e seus parceiros na UE. No ano passado, o dÊficit espanhol ficou em 8,9% do PIB. "A Espanha garante que todas as regiþes irão cumprir as metas de dÊficit", disse Montoro. "Isto Ê fundamental para o país", prosseguiu. Ele comentou que algumas regiþes foram avisadas sobre riscos ao cumprimento da meta, mas não disse quais, e conclamou os governos regionais a acelerarem a redução do tamanho das empresas públicas. Montoro tambÊm afirmou que o governo central criarå um fundo pa-

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

Manifestantes nas ruas de Madri (Ă esquerda) e o primeiroministro espanhol, Mariano Rajoy (Ă  direita).

ra ajudar as regiþes com os vencimentos de suas dívidas. Para ter acesso ao fundo, os governos regionais precisariam atender a novas condiçþes, prosseguiu ele sem dar mais detalhes.

GOVERNO DO ESTADO DE SĂ&#x192;O PAULO

FDE AVISA TOMADAS DE PREĂ&#x2021;OS A FUNDAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - FDE comunica Ă s empresas interessadas que se acha aberta licitação para execução de Obras: TOMADA DE PREĂ&#x2021;OS NÂş - OBJETO - PRĂ&#x2030;DIO - LOCALIZAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - PRAZO - Ă REA (se houver) - PATRIMĂ&#x201D;NIO LĂ?QUIDO MĂ?NIMO P/ PARTICIPAR - GARANTIA DE PARTICIPAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - ABERTURA DA LICITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O (HORA E DIA) 69/00974/12/02 - Construção de Cobertura de Quadra em Estrutura Mista - EE/ETEC Prof. Moacyr Santos de Campos/Antonio Prado (Cl Descentr) - Rua Cte. Ataliba Eurides Vieira, 1.030 - Cep: 13089-480 - Jd. NilĂłpolis - Campinas/ SP; EE Jurandyr de Souza Lima - Rua Roberto Carbonari, 145 - Cep: 13213-373 - Traviu - JundiaĂ­/SP - 150 - R$ 86.389,00 - R$ 8.638,00 - 09:30 - 01/08/2012. 69/01049/12/02 - Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Prof. Augusto Saes - Rua Dom Pedro I, 2.517 - Cep: 13417-736 Nova AmĂŠrica - Piracicaba/SP - 150 - R$ 15.036,00 - R$ 1.503,00 - 10:00 - 01/08/2012. 73/00036/12/02 - Construção de Cobertura de Quadra em Estrutura Mista e Reforma de PrĂŠdios Escolares - EE Prof. Norberto Alves Rodrigues - Rua Carmem Escabia Motta Coelho, 50 - Cep: 05832-230 - Jd. Mazza - SĂŁo Paulo/SP; EE Dra. Rosa Pavone Pimont - Rua Conde de Proença, 28 - Cep: 04932-430 - Jd. Ă&#x201A;ngela - SĂŁo Paulo/SP; EE Oswald de Andrade - Rua JosĂŠ Carlos dos Santos Marques, 300 - Cep: 04920-010 -Jd. Herculano SĂŁo Paulo/SP - 150 - R$ 122.060,00 - R$ 12.206.00 - 10:30 - 01/08/2012. 73/00037/12/02 - Construção de Cobertura de Quadra em Estrutura Mista e Reforma de PrĂŠdios Escolares - EE Mal. Eurico Gaspar Dutra - Rua Hipolito Cordeiro s/nÂş - Cep: 05843-360 - Jd. SĂŁo Luiz - SĂŁo Paulo/SP; EE Prof. JosĂŠ Joaquim Cardoso de Mello Neto - Rua Teixeira Lopes, 95 - Cep: 05893-200 - Jd. das Rosas - SĂŁo Paulo/SP; EE Jd. SĂŁo Bento III - Rua Algard s/nÂş - Cep: 05885-680 - Jd. SĂŁo Bento - SĂŁo Paulo/SP - 150 - R$ 98.818,00 - R$ 9.881,00 11:00 - 01/08/2012. 73/00038/12/02 - Construção de Cobertura de Quadra em Estrutura Mista e Reforma de PrĂŠdios Escolares - EE Prof. Leopoldo Santana - Rua Manoel Duarte de Oliveira, 151 - Cep: 05859-100 - CapĂŁo Redondo - SĂŁo Paulo/SP; EE Jorge Andrade - Rua Dr. Benedito Matarazzo, 5b - Cep: 05854-090 - Prq. Maria Helena - SĂŁo Paulo/SP; EE ProfÂŞ Clorinda Tritto Giangiacomo - Rua Gregorio Alegri s/nÂş - Cep: 05842-070 - Jd. Casa Blanca - SĂŁo Paulo/SP - 150 - R$ 89.004,00 - R$ 8.900,00 - 11:30 - 01/08/2012. As empresas interessadas poderĂŁo obter informaçþes e verificar o Edital e o respectivo Caderno de Encargos e Composição do BDI na SEDE DA FDE, na SupervisĂŁo de Licitaçþes, na Av. SĂŁo LuĂ­s, 99 - RepĂşblica - CEP: 01046-001 - SĂŁo Paulo/SP ou atravĂŠs da Internet pelo endereço eletrĂ´nico www.fde.sp.gov.br. Os interessados poderĂŁo adquirir o Edital completo atravĂŠs de CD-ROM a partir de 13/07/2012, na SEDE DA FDE, de segunda a sexta-feira, no horĂĄrio das 08:30 Ă s 17:00 horas, mediante pagamento nĂŁo reembolsĂĄvel de R$ 40,00 (quarenta reais). Todas as propostas deverĂŁo estar acompanhadas de garantia de participação, a ser apresentada Ă  SupervisĂŁo de Licitaçþes da FDE, conforme valor indicado acima. Os invĂłlucros contendo a PROPOSTA COMERCIAL e os DOCUMENTOS DE HABILITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O deverĂŁo ser entregues, juntamente com a Solicitação de Participação, a Declaração de Pleno Atendimento aos Requisitos de Habilitação e a garantia de participação, no Setor de Protocolo da SupervisĂŁo de Licitaçþes - SLI na SEDE DA FDE, atĂŠ 30 minutos antes da abertura da licitação. Esta Licitação serĂĄ processada em conformidade com a LEI FEDERAL nÂş 8.666/93 e suas alteraçþes, e com o disposto nas CONDIĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES GERAIS PARA A REALIZAĂ&#x2021;Ă&#x192;O DE LICITAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES E CONTRATAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES DA FUNDAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - FDE. As propostas deverĂŁo obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital. JOSĂ&#x2030; BERNARDO ORTIZ Presidente

SPORTHOLDING PARTICIPAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES S/A CNPJ nÂş 10.316.121/0001-09 â&#x20AC;&#x201C; NIRE 35222613423 DEMONSTRAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES FINANCEIRAS RelatĂłrio da Diretoria: Submetemos Ă apreciação de V. Sas. as Demonstraçþes Financeiras do exercĂ­cio ďŹ ndo em 31 de dezembro de 2011, acompanhadas de Notas Explicativas. BALANĂ&#x2021;O PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2011 - (Em reais) ATIVO CIRCULANTE DisponĂ­vel Caixa Bancos Aplicaçþes Financeiras

2011 738.099,28 4.182,92 3.916,36 30.000,00 38.099,28

CrĂŠditos Contas a Receber 700.000,00 NĂ&#x192;O CIRCULANTE 162.331,10 Investimentos Investimentos 162.331,10 TOTAL DO ATIVO 900.430,38 NOTAS EXPLICATIVAS Ă&#x20AC;S DEMONSTRAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES FINANCEIRAS I) Contexto Operacional: A sociedade tem por objeto social, compra, venda e administração de bens prĂłprios; participaçþes em outras sociedades como cotista ou acionista. II) Principais PrĂĄticas ContĂĄbeis: As principais prĂĄticas adotadas para elaboração das demonstraçþes contĂĄbeis estĂŁo descritas a seguir: a) As demonstraçþes contĂĄbeis foram elaboradas e estĂŁo apresentadas de acordo com as prĂĄticas adotadas no Brasil, baseando-se nas disposiçþes contidas na Lei das Sociedades por açþes, Lei nÂş 6.404/76 e alteraçþes posteriores. b) Empresa tributada pelo Lucro Presumido em 2011. c) Empresa efetuou distrituição de Lucros aos acionistas no valor de R$ 440.060,00 (quatrocentros e quarenta mil e sessenta reais). d) Constituição de reserva Legal no valor de R$ 22.669,92 (vinte e dois mil, seiscentos e sessenta e nove reais e noventa e dois centavos). e) Empresa apresentou Lucro LĂ­quido no exercĂ­cio no valor de R$ 453.398,46 (quatrocentos e cinquenta e trĂŞs mil, trezentos e noventa e oito reais e quarenta e seis centavos). III) Capital Social - Capital Social de R$ 220.000,00 (duzentos e vinte mil reais), integralizado em moeda corrente do paĂ­s dividido em 220.000 (dezentas e vinte mil) cotas no valor de R$ 1,00 (um real), cada uma.

PASSIVO CIRCULANTE Obrigaçþes de Curto Prazo Impostos, taxas e contr. a recolher PATRIMĂ&#x201D;NIO LĂ?QUIDO Capital Social Reservas de Lucro Lucros Acumulados Lucros DistribuĂ­dos TOTAL DO PASSIVO

Receita LĂ­quida Despesas Diversas Despesas Administrativas Despesas TributĂĄrias Despesas Financeiras

Duraflora S.A. Votorantim Novos NegĂłcios Ltda. CNPJ/MF NÂş 03.839.439/0001-09 - NIRE 3521635151-0 ATA DE REUNIĂ&#x192;O DE SĂ&#x201C;CIOS QUOTISTAS, REALIZADA EM 11 DE JULHO DE 2012 1. HORĂ RIO E LOCAL â&#x20AC;&#x201C; Ă s 10:00 horas, na sede social situada na Rua Amauri, 255 â&#x20AC;&#x201C; 13Âş andar, Cj. E - Itaim Bibi, na Capital do Estado de SĂŁo Paulo. 2. PRESENĂ&#x2021;A â&#x20AC;&#x201C; a unanimidade dos sĂłcios. 3. MESA DIRIGENTE â&#x20AC;&#x201C; Luis ErmĂ­rio de Moraes, como Presidente e Paulo Henrique de Oliveira Santos, como SecretĂĄrio. 4. CONVOCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O â&#x20AC;&#x201C; dispensada em virtude do comparecimento unânime dos sĂłcios. 5. ORDEM DO DIA - deliberação por parte dos sĂłcios da Sociedade: (a) da redução do capital social da Sociedade, com base no artigo 1.082, inciso II da Lei 10.406/02, no valor de R$ 11.000.000,00 (onze milhĂľes de reais), por serem excessivos em relação ao objeto da Sociedade, com o respectivo cancelamento das quotas correspondentes; (b) da consequente alteração da ClĂĄusula 5ÂŞ do Contrato Social da Sociedade. 6. DELIBERAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES: Os sĂłcios da Sociedade aprovam, unanimente, (a) a redução do capital social da Sociedade, de acordo com os seguintes termos e condiçþes: i) JustiďŹ cativa: a redução do capital social se dĂĄ com base no inciso II do Artigo 1.082 da Lei n.Âş 10.406/02, em razĂŁo de ser considerado excessivo para o objeto social da Sociedade; ii) Montante do Capital a ser reduzido: o capital social da Sociedade serĂĄ reduzido pelo valor total de R$ 11.000.000,00 (onze milhĂľes de reais), dos atuais R$ 352.936.865,00 (trezentos e cinquenta e dois milhĂľes, novecentos e trinta e seis mil, oitocentos e sessenta e cinco reais) para R$ 341.936.865,00 (trezentos e quarenta e um milhĂľes, novecentos e trinta e seis mil, oitocentos e sessenta e cinco reais), em razĂŁo do capital social ser julgado excessivo para a consecução do objeto social da Sociedade, com restituição ao sĂłcio do montante correspondente a redução e com o cancelamento das quotas correspondentes; iii) Preço por quota: o valor da quota que serĂĄ reduzida serĂĄ de R$ 1,00 (um real), correspondente ao valor nominal das quotas representativas do capital social da Sociedade; iv) Quantidade de Quotas a serem canceladas: serĂŁo canceladas 11.000.000 (onze milhĂľes) de quotas com valor nominal de R$ 1,00 (um real), todas elas detidas pela sĂłcia Votorantim Participaçþes S.A., que manifestou sua decisĂŁo favorĂĄvel em relação a redução do capital ora aprovado; v) Efetividade da Redução de Capital: conforme estabelecido no artigo 1.084 da Lei 10.406/02, a redução do capital somente serĂĄ efetiva apĂłs transcorridos 90 (noventa) dias contados da publicação desta; vi) Prazo de pagamento: A Sociedade efetuarĂĄ o pagamento Ă  sĂłcia Votorantim Participaçþes S.A., pelo cancelamento dos 11.000.000 (onze milhĂľes) de quotas, apĂłs cumpridas as formalidades estabelecidas na lei acima mencionada; b) em virtude das deliberaçþes, para que a redução do capital da Sociedade possa surtir efeitos, apĂłs a realização da competente Alteração do Contrato Social, apĂłs cumpridas todas as formalidades, o caput da clĂĄusula 5ÂŞ, ora alterado, passarĂĄ a vigorar com a seguinte nova redação: â&#x20AC;&#x153;ClĂĄusula 5ÂŞ: o capital social, totalmente subscrito e integralizado, ĂŠ de R$ 341.936.865,00 (trezentos e quarenta e um milhĂľes, novecentos e trinta e seis mil, oitocentos e sessenta e cinco reais), divididos em 341.936.865 (trezentos e quarenta e um milhĂľes, novecentos e trinta e seis, oitocentos e sessenta e cinco) quotas com valor nominal unitĂĄrio de R$ 1,00 (um real), distribuĂ­dos na seguinte proporção: (i) VOTORANTIM PARTICIPAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES S.A., detĂŠm 341.936.864 (trezentos e quarenta e um milhĂľes, novecentos e trinta e seis, oitocentos e sessenta e quatro) quotas com valor unitĂĄrio de R$ 1,00 (um real), totalmente integralizada, totalizando R$ 341.936.864 (trezentos e quarenta e um milhĂľes, novecentos e trinta e seis, mil, oitocentos e sessenta e quatro reais) (ii) LUIS ERMĂ?RIO DE MORAES detĂŠm 1 (uma) quota com valor nominal de R$ 1,00 (um real).â&#x20AC;? As demais disposiçþes do Contrato Social da Sociedade nĂŁo alteradas neste ato restam ratificadas e em vigor em conformidade com seus termos. Fica a administração da Sociedade, na forma do seu Contrato Social, autorizada a assinar toda documentação necessĂĄria para efetivação do acima deliberado. 7. ENCERRAMENTO: a) Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente ata, que lida e achada conforme, foi por todos assinada. Luis ErmĂ­rio de Moraes, Presidente; Paulo Henrique de Oliveira Santos, SecretĂĄrio. Pela sĂłcia Votorantim Participaçþes S.A.: Marcus Olyntho de Camargo Arruda e Raul Calfat, diretores, e Luis ErmĂ­rio de Moraes, sĂłcio. SĂŁo Paulo 11 de julho de 2012. Luis ErmĂ­rio de Moraes - Presidente â&#x20AC;&#x201C; Paulo Henrique de Oliveira Santos - SecretĂĄrio.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

GOVERNO DO ESTADO DE SĂ&#x192;O PAULO

2011 4,18 4,18 900.426,20 220.000,00 680.347,89 440.138,31 (440.060,00) 900.430,38

DEMONSTRAĂ&#x2021;Ă&#x192;O DO RESULTADO DO EXERCĂ?CIO Receitas Diversas Receitas NĂŁo Operacionais

IndĂşstria â&#x20AC;&#x201C; A produção industrial dos 17 paĂ­ses que usam o euro inesperadamente cresceu em maio, segundo dados da Eurostat, ajudada pela produção da Alemanha, que foi a mais forte desde julho do ano passado. A alta na zona do

499.590,00 499.590,00 499.590,00

(13.098,20) (777,57) (8,61) (13.884,38) Resultado Negativo Participaçþes SocietĂĄrias Res. Negativo Participaçþes SocietĂĄrias (32.307,16) (32.307,16) Lucro Operacional 453.398,46 Contribuição Social â&#x20AC;&#x201C; Imposto de Renda â&#x20AC;&#x201C; Lucro LĂ­quido do ExercĂ­cio 453.398,46 Acionistas: Marco Antonio Pace - CPF: 874.368.258-87 Fernando de Souza Rossi - CPF: 252.304.958-98 Felipe de Souza Rossi - CPF: 157.550.828-12 MC Bastos Participaçþes Ltda. CNPJ: 10.923.629/0001-67 Edson Ferreira Bastos - SecretĂĄrio CPF: 045.125.708-10 MarcilĂŠia GorgĂ´nio Reis Criscuolo TC CRC 1SP141.289/0-3

BIOCAPITAL PARTICIPAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES S.A. C.N.P.J. NÂş: 07.814.533/0001-56 - NIRE 35.300.328.302 Edital de Convocação para AGO e ExtraordinĂĄria Ficam os senhores acionistas da Biocapital Participaçþes S.A. convocados para se reunir em Assembleia Geral OrdinĂĄria e ExtraordinĂĄria da Companhia, que serĂĄ realizada na sede social, localizada na Av. Industrial, 360 ( Parte ) na cidade de Charqueada-SP, com inĂ­cio Ă s 10h do dia 24 de julho de 2012, para deliberar sobre a seguinte ordem do dia: (I) Apreciação, discussĂŁo e votação das demonstraçþes financeiras referentes ao exercĂ­cio social findo em 31 de dezembro de 2011; (II) Homologação da nova licença para industrialização e fabricação de BIODIESEL junto a ANP; (III ) Situação financeira atual da Biocapital; e (IV) Deliberar e apresentar os novos projetos para continuidade da Biocapital; Nos termos do parĂĄgrafo primeiro do Artigo 126 da Lei nÂş 6.404/76, os acionistas poderĂŁo ser representados por mandatĂĄrios, observadas as restriçþes legais, devendo ser entregues na sede da Companhia, atĂŠ 48 (quarenta e oito) horas antes da realização da Assembleia, o instrumento de procuração e demais atos societĂĄrios que comprovem a regularidade da representação. Finalmente, em atenção Ă s disposiçþes legais e estatutĂĄrias pertinentes, encontram-se Ă  disposição dos senhores acionistas, na sede social da Companhia, cĂłpias dos documentos a serem discutidos na referida Assembleia.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP PROCESSO LICITATĂ&#x201C;RIO 66/12 - PREGĂ&#x192;O 30/12 Acha-se aberto, na Prefeitura do MunicĂ­pio de Castilho, o Processo LicitatĂłrio 66/12, na modalidade de PregĂŁo 30/12, na forma presencial, para contratação de empresa qualificada para a execução de serviço de transporte de trabalhadores, com o objetivo de atender Ă s necessidades da Administração Municipal. Data: 26 de julho de 2012, Ă s 14 horas. O edital, na Ă­ntegra, encontra-se Ă  disposição dos interessados na Praça da Matriz, 247, Castilho. Informaçþes complementares serĂŁo fornecidas pelo telefone (18) 37419000, ramal 9034 e pelo e-mail: licitacaocastilho@gmail.com. A Debitar dia (13.07.12)

FALĂ&#x160;NCIA, RECUPERAĂ&#x2021;Ă&#x192;O EXTRAJUDICIAL E RECUPERAĂ&#x2021;Ă&#x192;O JUDICIAL Conforme informação da Distribuição CĂ­vel do Tribunal de Justiça de SĂŁo Paulo, foram ajuizados no dia 12 de julho de 2012, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falĂŞncia, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Ensinger IndĂşstria de PlĂĄsticos TĂŠcnicos Ltda. Requerido: Armc IndĂşstria e ComĂŠrcio de PlĂĄsticos Ltda. Rua Arraial de SĂŁo Bartolomeu, 444 â&#x20AC;&#x201C; Vila Carmosina - 1ÂŞ Vara de FalĂŞncias. Requerente: EMG Soluçþes Empresariais Ltda. - ME. Requerido: Rent Service - Rua Antonio Raposo, 159 - Sala 2 - Lapa - 2ÂŞ Vara de FalĂŞncias. Requerente: Banco Safra S/A. Requerido: Mercado da Moda Tecidos Ltda. Rua TrĂŞs Rios, 447/453 â&#x20AC;&#x201C; Bom Retiro - 1ÂŞ Vara de FalĂŞncias.

euro foi de 0,6% em comparação com abril. No entanto, em relação a maio do ano passado, foi registrada a maior queda desde dezembro de 2009, de 2,8%. Os resultados ficaram acima da previsão dos economistas consultados pela agência de notícias Dow Jones, que era de queda mensal de 0,2% e declínio anual de 3,7%. Os números de abril foram revisados para mostrar queda de 1,1% ante março e de 2,4% ante abril de 2011, em vez de menos 0,8% e 2,3% negativos, respectivamente, como calculado. A produção de energia na zona do euro diminuiu 2,3% em maio, depois de subir 5,3% em abril. Por países, destaque para o avanço mensal de 1,5% na produção industrial da Alemanha e de 0,8% na Itålia. A produção industrial da França caiu 2,1%, enquanto na Espanha e em Portugal houve aumento de 0,9% e 4,1% na produção, respectivamente. (AE)

FDE AVISA: TOMADAS DE PREĂ&#x2021;OS - TIPO TĂ&#x2030;CNICA E PREĂ&#x2021;O A FUNDAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - FDE comunica Ă s empresas interessadas que se acha aberta licitação para execução de Projeto Executivo: TOMADA DE PREĂ&#x2021;OS N.Âş - OBJETO â&#x20AC;&#x201C; QUANTIDADE DE PRĂ&#x2030;DIOS - Ă REA TOTAL MĂ&#x2030;DIA (M²)/PRĂ&#x2030;DIO - PRAZO - ABERTURA DA LICITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O (HORA E DIA) 46/00019/12/02 - Elaboração de Projeto Executivo de Acessibilidade e Apresentação de Pasta TĂŠcnica Contemplando a Documentação Relativa ao Projeto TĂŠcnico de Segurança - RegiĂŁo 10 - 15 - 2.426 - 720 - 09:30 - 15/08/2012. 46/00020/12/02 - Elaboração de Projeto Executivo de Acessibilidade e Apresentação de Pasta TĂŠcnica Contemplando a Documentação Relativa ao Projeto TĂŠcnico de Segurança - RegiĂŁo 11 - 8 - 2.426 - 720 - 10:00 - 15/08/2012. 46/00021/12/02 - Elaboração de Projeto Executivo de Acessibilidade e Apresentação de Pasta TĂŠcnica Contemplando a Documentação Relativa ao Projeto TĂŠcnico de Segurança - RegiĂŁo 12 - 8 - 2.426 - 720 - 10:30 - 15/08/2012. As empresas interessadas poderĂŁo obter informaçþes e verificar o Edital na SEDE DA FDE, na SupervisĂŁo de Licitaçþes, na Av. SĂŁo LuĂ­s, 99 - RepĂşblica - CEP: 01046-001 - SĂŁo Paulo/SP ou atravĂŠs da Internet pelo endereço eletrĂ´nico www.fde.sp.gov.br. Os interessados poderĂŁo adquirir o Edital completo atravĂŠs de CD-ROM a partir de 13/07/2012, na SEDE DA FDE, de segunda a sexta-feira, no horĂĄrio das 08:30 Ă s 17:00 horas, mediante pagamento nĂŁo reembolsĂĄvel de R$ 40,00 (quarenta reais). Os invĂłlucros contendo a Proposta TĂŠcnica, a Proposta Comercial e os documentos de Habilitação, deverĂŁo ser entregues, juntamente com a Solicitação de Participação, a Declaração de Pleno Atendimento aos Requisitos de Habilitação, no Setor de Protocolo da SupervisĂŁo de Licitaçþes - SLI na SEDE DA FDE, atĂŠ 30 minutos antes da abertura da licitação. Esta Licitação serĂĄ processada em conformidade com a LEI FEDERAL nÂş 8.666/93 e suas alteraçþes, e com o disposto nas CONDIĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES GERAIS PARA A REALIZAĂ&#x2021;Ă&#x192;O DE LICITAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES E CONTRATAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES DA FUNDAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - FDE. As propostas deverĂŁo obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital. JOSĂ&#x2030; BERNARDO ORTIZ Presidente

Tekno S/A â&#x20AC;&#x201C; IndĂşstria e ComĂŠrcio CNPJ: 33.467.572/0001-34 Fato Relevante Em cumprimento a Instrução da ComissĂŁo de Valores MobiliĂĄrios-CVM nÂş 358/2002, a Tekno S/A â&#x20AC;&#x201C; IndĂşstria e ComĂŠrcio, CNPJ: 33.467.572/0001-34, comunica aos seus acionistas, Ă ComissĂŁo de Valores ImobiliĂĄrios-CVM, Ă  Bolsa de Valores de SĂŁo Paulo-Bovespa e ao mercado em geral que em reuni-ĂŁo do Conselho de Administração realizada em 12/07/2012, foi aprovado o crĂŠdito de juros a tĂ­tulo de remuneração do capital prĂłprio aos acionistas da empresa, de acordo com o artigo 9Âş da Lei 9.249/95, nas seguintes condiçþes: 1. Data do crĂŠdito = 12 de julho de 2012. 2. Valor total dos juros = R$ 5.883.398,83(cinco milhĂľes, oitocentos e oitenta e trĂŞs mil, trezentos e noventa e oito reais e oiten-ta e trĂŞs centavos) para serem creditados Ă  razĂŁo de R$.2,1235 por ação, ordinĂĄria ou preferencial(valor bruto).3.Data de pagamento = o pagamento serĂĄ realizado no dia 26/julho/2012, sem correção monetĂĄria. 4. A proposta da administração Ă  AssemblĂŠia Geral, serĂĄ o de im-putar o valor dos juros creditados aos dividendos obrigatĂłrios e/ou fixos, de acordo com o previsto no parĂĄgrafo 7, art. 9o. da Lei 9.249/95. 5. Os crĂŠditos serĂŁo feitos a cada acionista de forma individualiza-da, com base na posição acionĂĄria de 12/julho/2012. Sobre o valor dos juros, haverĂĄ a retenção de Imposto de Renda na Fonte de acordo com a legislação vigente, exceto para os acionistas comprovadamente imunes. SĂŁo Paulo, 12 de Julho de 2012. Valter Takeo Sassaki-Diretor de Relaçþes com Investidores

Vanguarda Agro S.A. - Cia. Aberta - CNPJ/MF nÂş 05.799.312/0001-20 - NIRE 35.300.380.657 Edital de Segunda Convocação - Assembleia Geral ExtraordinĂĄria Ficam os Srs. Acionistas da Vanguarda Agro S.A. sociedade anĂ´nima de capital aberto, com sede na Cidade de SĂŁo Paulo/SP, na Av. Pres. Juscelino Kubitschek nÂş 1726 - cj. 113, Vila Nova Conceição, CEP: 04543-000 convidados para a AGE da Cia., que se realizarĂĄ em 2ÂŞ Convocação no dia 19/07/2012, Ă s 10 hs no AuditĂłrio localizado na Cidade de SĂŁo Paulo/SP, na Av. Pres. Juscelino Kubitschek nÂş 1726 - Mezanino, Vila Nova Conceição, CEP: 04543-000, a fim de deliberarem sobre os seguintes assuntos: (a) reforma do Estatuto Social da Cia. especialmente nas disposiçþes contidas no (a) Art. 11; (b) Art. 12, (c) Art. 13 caput, § Ă&#x161;nico e incisos; (d) Art. 14, § 4Âş, (e) Art. 15 caput e § 2Âş; (f) Art. 16 caput, § 1Âş; (g) Art. 17 §§ 1Âş e 3Âş; (h) Art. 18, incisos e § 1Âş, alĂŠm de inclusĂŁo dos §§ 3Âş e 4Âş; (i) Art. 19 caput e § Ă&#x161;nico; (j) ExclusĂŁo dos §§ 1Âş, 2Âş, 3Âş e 4Âş do Art. 20; (k) incisos (iii) e (iv) do Art. 21; (l) Art. 23 caput, §§ 1Âş, 2Âş, 3Âş e 4Âş, alĂŠm da exclusĂŁo do § 5Âş; (m) Art. 24, caput e exclusĂŁo do § 1Âş; (n) Art. 27, caput e § 2Âş; (o) Art. 32, inciso (iii); e (p) Art. 36, caput e § 1Âş. Disposiçþes Gerais: (i) Os acionistas da Cia. deverĂŁo depositar, com 72 horas de antecedĂŞncia, na sede da Cia., os seguintes documentos: (a) documento de identidade, (b) comprovante da respectiva posição acionĂĄria, expedido pela instituição depositĂĄria, e (c) na hipĂłtese de representação do acionista, o respectivo instrumento de procuração formalizado nos termos da lei; (ii) A Proposta da Administração, incluindo versĂŁo marcada do Estatuto Social com as possĂ­veis alteraçþes estĂĄ disponĂ­vel no site da Cia. (www.v-agro.com.br/ri), bem como no site da ComissĂŁo de Valores MobiliĂĄrios (www.cvm.gov.br); e (iii) A representação do acionista mencionada no item (ii) (c) acima, deverĂĄ ser precedida de depĂłsito do respectivo instrumento de procuração (cuja minuta encontra-se no Manual de Assembleia, disponĂ­vel no website da Cia., www.v-agro.com.br/ri), podendo, ainda, ser enviada por e-mail para ri@v-agro.com.br. Os originais dos documentos referidos, ou suas cĂłpias, dispensada a autenticação e o reconhecimento de firma, deverĂŁo ser exibidos Ă  Companhia atĂŠ o momento da abertura dos trabalhos da respectiva AGE. SĂŁo Paulo, 11/07/2012. Salo Davi Seibel - Presidente do Conselho de Administração. PREFEITURA MUNICIPAL DE SĂ&#x192;O CARLOS SECRETARIA MUNICIPAL DE SAĂ&#x161;DE - FUNDO MUNICIPAL DE SAĂ&#x161;DE PREGĂ&#x192;O ELETRĂ&#x201D;NICO FMS NÂş 074/2012 - PROCESSO ADMINISTRATIVO NÂş 814/2012 Faço pĂşblico, de ordem do Senhor SecretĂĄrio Municipal de SaĂşde, que se encontra aberto o PregĂŁo EletrĂ´nico FMS nÂş 074/2012, tendo como objeto a contratação de empresa especializada em prestação de serviços de fornecimento de refeiçþes, sucos, sobremesas, leite, frutas e lanches para as Unidades de Pronto Atendimento Vila Prado e Aracy e para o Serviço de Atendimento MĂłvel de UrgĂŞncia (SAMU), conforme quantidade e especificação constante nos Anexos II e V. O Edital na Ă­ntegra poderĂĄ ser obtido nos sites: www.licitacoes-e.com.br e www.saocarlos.sp.gov.br, opção Licitaçþes. O recebimento e a abertura das propostas dar-se-ĂŁo atĂŠ Ă s 8 horas e 30 minutos do dia 25 de julho de 2012 e o inĂ­cio da sessĂŁo de disputa de preços serĂĄ Ă s 9 horas e 30 minutos do dia 25 de julho de 2012. Maiores informaçþes pelo telefone (16) 3362-1350. SĂŁo Carlos, 12 de julho de 2012. Chayana Antonio de Moura - Pregoeira

ETH BIOENERGIA S.A. CNPJ/MF nÂş 08.636.745/0001-53 - NIRE 35.300.350.391 Edital de Convocação de Assembleia Geral OrdinĂĄria Ficam convocados os acionistas da ETH Bioenergia S.A. (a â&#x20AC;&#x153;Companhiaâ&#x20AC;?) para comparecerem Ă Assembleia Geral OrdinĂĄria que serĂĄ realizada em 30 de julho de 2012, Ă s 9hs, na sede da Companhia, localizada na Cidade de SĂŁo Paulo, na Avenida Rebouças, 3.970, 26Âş andar, parte, Pinheiros, CEP 05402-920, a fim de deliberarem sobre as seguintes matĂŠrias: (i) aprovação do RelatĂłrio da Administração, Balanço Patrimonial e demais Demonstraçþes Financeiras da Companhia, referentes ao exercĂ­cio social encerrado em 31 de março de 2012; (ii) destinação do resultado do exercĂ­cio social encerrado em 31 de março de 2012; (iii) fixação do limite global de remuneração dos Administradores da Companhia para o corrente exercĂ­cio; (iv) substituição e eleição de membros do Conselho de Administração. SĂŁo Paulo, 13, 14 e 17 de julho de 2012. ETH Bioenergia S.A. Marcelo Bahia Odebrecht - Presidente do Conselho de Administração. (13, 14 e 17/07/2012)

CNPJ 43.059.559/0001-08 NIRE 35300019261 ATA SUMĂ RIA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINĂ RIA REALIZADA EM 30 DE ABRIL DE 2012 DATA, HORA E LOCAL: Em 30 de abril de 2012, Ă s 12:00 horas, na Av. Paulista, 1938 - 9Âş andar, em SĂŁo Paulo (SP). MESA: FlĂĄvio Marassi Donatelli (Presidente) e Antonio Massinelli (SecretĂĄrio). QUORUM: acionista representando a totalidade do capital social. PRESENĂ&#x2021;A LEGAL: administradores da sociedade e representante da Moore Stephens Lima Lucchesi Auditores Independentes. EDITAL DE CONVOCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O: dispensada a publicação de edital, face ao disposto no Artigo 124, § 4Âş, da Lei 6.404/76. DELIBERAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES TOMADAS POR UNANIMIDADE: ApĂłs discussĂŁo, a Acionista deliberou: 1. Incorporação de Sociedade Controlada - Por proposta da diretoria, foram aprovados: a) o protocolo e justificação de Incorporação (Anexo 1) celebrado em 12 de abril de 2012 pelos diretores da Companhia e pela administração da JACARANDĂ MIMOSO PARTICIPAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES LTDA. (JACARANDĂ MIMOSO), CNPJ 06.939.991/0001-59, com sede em SĂŁo Paulo (SP), na Av. Paulista, 1938 - 16Âş andar, que estabelece todas as condiçþes e os termos relativos Ă  incorporação do patrimĂ´nio lĂ­quido da JACARANDĂ MIMOSO pela Companhia; b) ratificação da nomeação da empresa especializada Moore Stephens Lima Lucchesi Auditores Independentes (Moore Stephens), com sede em SĂŁo Paulo (SP), na Rua Laplace, 96 - 10Âş andar, inscrita no CNPJ 60.525.706/0001-07, registrada no Conselho Regional de Contabilidade do Estado de SĂŁo Paulo - CRC 2SP015045/O-0, para avaliar o valor do patrimĂ´nio lĂ­quido da JACARANDĂ MIMOSO a ser incorporado pela Companhia; c) o laudo de avaliação do patrimĂ´nio lĂ­quido da JACARANDĂ MIMOSO (Anexo 2), elaborado pela Moore Stephens com base no balanço contĂĄbil levantado em 29.02.2012, para fins de incorporação pela Companhia; d) a incorporação da JACARANDĂ MIMOSO pela Companhia, nos termos do Protocolo e Justificação de Incorporação, serĂĄ implementada com aumento do capital social e emissĂŁo de novas açþes que serĂŁo atribuĂ­das aos demais acionistas, sendo extinto o investimento da Companhia na JACARANDĂ MIMOSO em contrapartida do recebimento de seu patrimĂ´nio, com o consequente registro dos ativos e passivos da JACARANDĂ MIMOSO na contabilidade da Companhia, com mera substituição de expressĂľes contĂĄbeis; e) ratificação da autorização concedida Ă  administração da Companhia para que, representada na forma de seu Estatuto Social, pratique todos os atos e firme todos os documentos necessĂĄrios Ă  implementação e Ă  formalização da incorporação da JACARANDĂ MIMOSO pela Companhia. 2. Alteração EstatutĂĄria: a) Aprovar o aumento do capital social da Companhia - em razĂŁo da incorporação - em virtude da versĂŁo do patrimĂ´nio lĂ­quido da JACARANDĂ MIMOSO para a Companhia, que passa de R$ 700.000.000,00 para R$ 700.005.764,13, mediante a emissĂŁo de 1 (uma) nova ação ordinĂĄria, sem valor nominal, a ser atribuĂ­da Ă  Duratex Empreendimentos Ltda., na qualidade de sĂłcia da JACARANDĂ MIMOSO, e alterar o â&#x20AC;&#x153;caputâ&#x20AC;? do Artigo 3Âş do Estatuto Social para registrar o valor e a composição do capital social em decorrĂŞncia dos itens precedentes, o qual passarĂĄ a ter as seguinte redação: â&#x20AC;&#x153;Art. 3Âş - CAPITAL E AĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES - O capital social ĂŠ de R$ 700.005.764,13 (setecentos milhĂľes, cinco mil, setecentos e sessenta e quatro reais e treze centavos), representado por 233.847 (duzentas e trinta e trĂŞs mil, oitocentas e quarenta e sete) açþes, sem valor nominal, sendo 181.492 (cento e oitenta e uma mil, quatrocentas e noventa e duas) ordinĂĄrias e 52.355 (cinquenta e duas mil, trezentas e cinqĂźenta e cinco) preferenciais, estas sem direito a voto.â&#x20AC;?; b) Aprovar, tambĂŠm, a consolidação do Estatuto Social para refletir a alteração acima, na forma do Anexo 3 desta ata. ENCERRAMENTO: Nada mais havendo a tratar e ninguĂŠm desejando manifestar-se, encerraram-se os trabalhos, lavrando-se esta ata que, lida e aprovada, foi por todos assinada. SĂŁo Paulo (SP), 30 de abril de 2012. (aa) FlĂĄvio Marassi Donatelli - Presidente; Antonio Massinelli - SecretĂĄrio. Acionista: Duratex S.A. (aa) FlĂĄvio Marassi Donatelli e Antonio Massinelli - Diretores Executivos. Certificamos ser a presente cĂłpia fiel da original lavrada em livro prĂłprio. SĂŁo Paulo (SP), 30 de abril de 2012. (aa) FlĂĄvio Marassi Donatelli - Presidente da Assembleia; Antonio Massinelli - SecretĂĄrio da Assembleia. JUCESP Registro nÂş 269.487/12-8, em 27.06.2012. (a) Gisela Simiema Ceschin - SecretĂĄria Geral.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

GOVERNO DO ESTADO DE SĂ&#x192;O PAULO

FDE AVISA: g EletrĂ´nico de Registro g ç nÂş 36/00224/12/05 PregĂŁo de Preços OBJETO: ATA DE REGISTRO DE PREĂ&#x2021;O PARA AQUISIĂ&#x2021;Ă&#x192;O DE PIPETADOR DE 3 VIAS - CLASSE 6571 A FUNDAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - FDE comunica Ă s empresas interessadas que se acha aberta licitação para : ATA DE REGISTRO DE PREĂ&#x2021;O PARA AQUISIĂ&#x2021;Ă&#x192;O DE PIPETADOR DE 3 VIAS - CLASSE 6571 As empresas interessadas poderĂŁo obter informaçþes e verificar o Edital a partir de 13/07/2012, no endereço eletrĂ´nico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na SupervisĂŁo de Licitaçþes, na Av. SĂŁo LuĂ­s, 99 - RepĂşblica - CEP: 01046-001 - SĂŁo Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horĂĄrio das 08:30 Ă s 17:00 horas, ou verificar o edital na Ă­ntegra, atravĂŠs da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessĂŁo pĂşblica de processamento do PregĂŁo EletrĂ´nico serĂĄ realizada no endereço eletrĂ´nico www.bec.sp.gov.br, no dia 26/07/2012, Ă s 10:00 horas, e serĂĄ conduzida pelo pregoeiro com o auxĂ­lio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epĂ­grafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverĂŁo obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serĂŁo encaminhadas, por meio eletrĂ´nico, apĂłs o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do inĂ­cio do prazo para envio da proposta eletrĂ´nica serĂĄ de 13/07/2012, atĂŠ o momento anterior ao inĂ­cio da sessĂŁo pĂşblica. JOSĂ&#x2030; BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O

GOVERNO DO ESTADO DE SĂ&#x192;O PAULO

FDE AVISA PregĂŁo EletrĂ´nico de Registro de Preços nÂş 36/00026/12/05 OBJETO: AQUISIĂ&#x2021;Ă&#x192;O DE CAIXAS DE PAPELĂ&#x192;O A FUNDAĂ&#x2021;Ă&#x192;O PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - FDE comunica Ă s empresas interessadas que se acha aberta licitação para: AQUISIĂ&#x2021;Ă&#x192;O DE CAIXAS DE PAPELĂ&#x192;O As empresas interessadas poderĂŁo obter informaçþes e verificar o Edital a partir de 13/07/2012, no endereço eletrĂ´nico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na SupervisĂŁo de Licitaçþes, na Av. SĂŁo LuĂ­s, 99 - RepĂşblica - CEP: 01046-001 - SĂŁo Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horĂĄrio das 08:30 Ă s 17:00 horas, ou verificar o edital na Ă­ntegra, atravĂŠs da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessĂŁo pĂşblica de processamento do PregĂŁo EletrĂ´nico serĂĄ realizada no endereço eletrĂ´nico www.bec.sp.gov.br, no dia 26/07/2012, Ă s 09:30 horas, e serĂĄ conduzida pelo pregoeiro com o auxĂ­lio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epĂ­grafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverĂŁo obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serĂŁo encaminhadas, por meio eletrĂ´nico, apĂłs o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do inĂ­cio do prazo para envio da proposta eletrĂ´nica serĂĄ de 13/07/ p 2012, atĂŠ o momento anterior ao inĂ­cio da sessĂŁo pĂşblica. JOSĂ&#x2030; BERNARDO ORTIZ Presidente

BRANDERS PARTICIPAĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES E INVESTIMENTOS S.A. CNPJ/MF nÂş 13.511.503/0001-73 - NIRE 35.3.0039237.0-(Cap.Fechado) Ata de Assembleia Geral ExtraordinĂĄria realizada em 10/4/2012. Data, Hora e Local: 10/4/12, 10hs, na sede. Presença: Totalidade. Composição da Mesa: Presidente: Sr. Esber Hajli e SecretĂĄrio: Sr. Max Waintraub Convocação: Dispensada. DeliberaçþesTomadas por Unanimidade de Votos dos Presentes: (a) Aprovada a proposta de aumento de capital da companhia, no montante de R$636.900,00, mediante a emissĂŁo de 636.900 açþes ordinĂĄrias, sem valornominal,aopreçodeemissĂŁodeR$1,00cada;asaçþesemitidasforamoferecidasparasubscriçãoaosacionistas,querenunciaram expressamente ao direito de preferĂŞncia para a subscrição destas açþes, que sĂŁo totalmente subscritas pela acionista Brave 55 C.V., sociedade constituĂ­da e existente sob as leis dos PaĂ­ses Baixos, com sede na Cidade de Amsterdam, na Strawinskylann, 1143, Toren C-11, CNPJ/MF 13.917.168/0001-08, neste ato representada por seu bastante procurador, Sr.Esber Hajli, brasileiro, CPF 022.790.82870 e RG 11.419.614, residente e domiciliado em SP/SP, nos termos do anexo Boletim de Subscrição; (b) Consequentemente, os acionistas aprovaram a alteração do Art.5Âş do Estatuto Social da Cia., que passa a vigorar com a seguinte redação: â&#x20AC;&#x153;Art.5Âş-O capital social ĂŠ de R$637.900,00, representado por 637.900 açþes ordinĂĄrias nominativas, sem valor nominal. § 1Âş-As açþes representativas do capital social sĂŁo indivisĂ­veis em relação a Sociedade e cada ação ordinĂĄria dĂĄ direito a um voto nas deliberaçþes da Assembleia Geral.§ 2Âş-As açþes preferenciais, se emitidas pela Sociedade, somente adquirirĂŁo direito de voto se, durante o perĂ­odo de 3 exercĂ­cios fiscais consecutivos, esta nĂŁo pagar o dividendo que for conferido aos acionistas detentores de açþes preferenciais, direito este que perderĂŁo mediante o pagamento do dividendo mĂ­nimo. § 3Âş-A Sociedade, nos termos da lei, poderĂĄ adquirir açþes de sua emissĂŁo para cancelamento, manutenção em tesouraria ou posterior alienação, mediante deliberação da Assembleia Geral, observadas as normas legais e demais disposiçþes aplicĂĄveis.â&#x20AC;?; (c) As demais disposiçþes do Estatuto Social, naquilo em que nĂŁo colidam com as deliberaçþes aqui tomadas, permanecem inalteradas e em pleno vigor e efeito;e (d) Autorizada a lavratura da presente ata na forma de sumĂĄrio e a sua publicação sem os nomes dos acionistas presentes, de acordo com o previsto no art. 130, §§ 1Âş e 2Âş da Lei 6.404/76. Encerramento: Nada mais. Esber Hajli-Presidente; e Max Waintraub-SecretĂĄrio. Acionistas: Brave 55 C.V. e Max Waintraub. Jucesp nÂş 288.064/12-4 em 04/07/2012.Gisela Simiema Ceschin-SecretĂĄria Geral.

&'%.#4#c­1 # 24#c# ' $#0%15

'W %.#7&+# '..; .#4+<<#66+ /#+# RQTVCFQTC FQ 4) PÂ?  FQOKEKNKCFC i %QTKQNCPQ  $CKTTQ 8KNC 4QOCPC %'2  &GENCTC RCTC VQFQU QU HKPU FG FKTGVQ G RCTC RTGXGPKT FG UWCU TGURQPUCDKNKFCFG Q GZVTCXKQ FQ UGIWKPVG FQEWOGPVQ &KRNQOC FG DCEJCTGNCFQ GO *KUVxTKC EQPENWsFQ RGNC 7PKXGTUKFCFG FG 5lQ 2CWNQ Âą 752 Âą #NWPQ PÂ?  #PQ FG EQPENWUlQ Â? UGOGUVTG EQNCnlQ FG ITCW GO  0lQ UG TGURQPUCDKNK\CPFQ RGNQ WUQ KPFGXKFQ FCU OGUOCU 5lQ 2CWNQ52  FG LWPJQ FG 

Auto Posto Julio de Mesquita Filho Ltda, torna público que recebeu da Cetesb a Licença PrÊvia e de Instalação, 6000962 e requereu a Licença de Operação para com. de combust. p/veic. autom., sito à Av.Dr.A.Figueiredo ,4100 - Cj.Hab.J.Mesq.-Sorocaba-SP


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

sexta-feira, 13 de julho de 2012

O plus size, hoje, é melhor abastecido do que a moda para pessoas altas. Roberto Chadad, presidente da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest)

conomia

Fotos: L.C.Leite/LUZ

Kauê Plus Size, criada há 22 anos, cresceu com esse nicho recentemente. No início, faltavam especialistas nesse tipo de modelagem. Hoje, a rede é composta por 13 lojas, que tem quatro irmãos para administrar o empreendimento.

Plus size também pode ser fashion Roupas de tamanhos GG já representam 5% do faturamento do mercado brasileiro de vestuário e custam entre 25% e 30% mais

O

segmento de moda plus size, de tamanhos GGs, faturou R$ 4,7 bilhões no ano passado e, se acompanhar o movimento do setor, poderá crescer pelo menos 3% em 2012, segundo estimativas da Associação Brasileira do Vestuário (Abravest). "Ele já representa 5% do faturamento anual, de R$ 94,8 bilhões", comenta o presidente da entidade, Roberto Chadad. O executivo enfatiza que não se refere só às mulheres. "Hoje, 48,5% da população brasileira está acima do peso. Há homens e também muitas crianças. O infantil plus size tem aumentado bastante", observa. A empresária Renata Poskus Vaz, criadora do Fa sh io n Weekend Plus Size (FWPS, com desfiles e salão de negócios entre fabricantes e lojistas do ramo) e do blog e loja de ecommerce Mulherão, calcula que existam no Brasil cerca de 200 fábricas e lojas especializadas no vestuário GG. Ela conta que sentia na própria pele os desconfortos de não encontrar as roupas em tamanho grande com a moda atualizada. "Eu sou uma mulher alta, uso 46. A moda GG não existia", recorda. Renata

comenta que pesquisava e, quando encontrava alternativas – "descobri que havia cinco lojas para gordinhas, na zona Norte" – postava no seu blog, criado em março de 2010 e mantido inicialmente como uma espécie de hobby, paralelamente à atuação dela como jornalista. Os empresários do ramo GG, observa Renata, não divulgavam a marca, pareciam envergonhados do produto que ofereciam. Além disso, diz, faltavam opções em teci-

dos e modelos modernos. "Você tinha que se contentar com o básico", sintetiza. O cenário atual, segundo a empresária, já é bem diferente. No caso dela, a visibilidade conquistada na mídia, com o blog e sessões de fotos (O Dia de Modelo Plus Size ), abriu portas para o trabalho de consultoria junto a empresas e até convites para desfilar lingeries de algumas grifes. Preconceito – A ideia de criar o FWPS evoluiu. A primeira edição aconteceu em janeiro

Normas para etiquetas

A

numeração e/ou indicação de tamanhos com letras tende a desaparecer das etiquetas das roupas fabricadas no País. Em alguns casos, isso já ocorre, permitindo ao consumidor reconhecer o item adequado pelas medidas ali impressas. No Brasil, a normalização do plus size com esse perfil já existe para os tamanhos masculinos, fruto de trabalho da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), por meio do Comitê Brasileiro de Normalização Têxtil e do Vestuário (CB17). As confecções não são obrigadas a adotar a norma, explica a superintendente do CB-17, Maria Adelina Pereira. Ela acredita que inicialmente as referências anteriores (de numeração e tamanhos P, M, G, GG) serão mantidas, mas conta que há relato de marcas que já registraram diminuição de devoluções de roupas com o uso das medidas nas etiquetas. Em uma camisa masculina adulta que siga a norma, por exemplo, o consumidor vai ler, na etiqueta, os tamanhos do

colarinho; do tórax e, eventualmente, do braço. Na calça, as medidas da cintura e estatura. Na comparação com a numeração, a norma brasileira definida para o masculino adulto "especial" (o plus size) contempla até o número 80, explica Adelina – com perímetro do pescoço até 60 centímetros; e tórax até 1,66 metro. Os padrões femininos, considerados mais complexos, ainda serão definidos. A Associação Brasileira do Vestuário (Abravest) é parceira da ABNT nesses estudos, por meio de comitês técnicos específicos, comenta seu presidente Roberto Chadad. Ele prevê para agosto o término dos estudos sobre a norma para o sub-segmento feminino. As pessoas muito magras e altas também têm dificuldades semelhantes às de quem veste tamanhos GGs, comenta Chadad. Ele planeja concluir, até o final do ano, estudos que definam as normas para as roupas de homens, mulheres e crianças desse grupo de consumidores. "O plus size, hoje, é melhor abastecido do que as pessoas altas", compara. (FL)

de 2010 e a sexta, para mostrar o Verão 2013, acontecerá nos dias 18 e 19 de agosto, no Shopping Frei Caneca, em São Paulo. O centro de compras aposta no potencial da iniciativa e cede o espaço para o evento, composto por desfiles da coleção dos expositores e salão de negócios. A Abravest apoia a iniciativa. O que falta, lamenta Renata, é um patrocinador. Ela analisa que muitas empresas temem que o público associe a sua marca ao gordo. "Essa resistência vem sendo quebrada, mas ainda existe", constata. Para Renata, no entanto, o segmento só trouxe felicidade, tanto que ela deixou a carreira de jornalista para se dedicar exclusivamente à profissionalização dos seus empreendimentos plus sizes. Pionerismo – A marca paulistana Kauê Plus Size, de roupas para homens e mulheres, também apostou nesse nicho e se deu bem. Criada há 22 anos, inicialmente comercializava roupas até a numeração 44, explica a sócia Eliana Chican. O sucesso do investimento no plus size veio com a divulgação em um programa de televisão. "Gradativamente deixamos a numeração pequena e nos especializamos nos números maiores", diz. A Kauê cresceu com esse nicho e atualmente é uma rede de 13 lojas, geridas por quatro irmãos, mas sob padrões unificados (co-

mo uso da marca, coleções e ações de marketing). A operação é essencialmente de varejo, mas para suprir a demanda, o grupo criou confecção própria. "Tínhamos dificuldade com fornecedores em épocas como o final do ano. E era difícil encontrar especialistas na modelagem plus size", comenta Eliana. A confecção própria responde por 50% do abastecimento da rede. Um passeio pela loja de Moema, sob a gestão de Eliana, mostra um pouco do cuidado que a marca destina à clientela, com variadas opções de roupas e acessórios. "Trabalho com duas grandes coleções por ano (primavera-verão e outono-inverno) e minicoleções, para sempre oferecer novidades". Segundo a empresária, o tamanho plus size é 25% a 30% mais caro que as n u m e r ações menores, mas tal diferença já foi bem maior.

Noivas têm modelagens especiais

A

empresária Rosi Ileska, da loja Fashion Noivas, instalada na Capital paulista, criou uma coleção especial de vestidos de casamento, lançada em maio último para mostrar que está preparada para atender às gordinhas. "Não importa se o manequim é 38 ou 60 e sim como o corte modela a noiva", conceitua a empresária. Rosi tem loja na Rua São Caetano, conhecido polo de moda para noivas, e sempre criou para todas as numerações. "O que eu quis mostrar com essa coleção especial é a nossa diferencia de fazer o reconhecimento da linguagem corporal. "Ela pode usar um drapeado horizontal, levemente sereia, espartilhado por dentro, com busto bem delineado, cintura marcada, que não a deixa mais gorda", exemplifica. O lojista atento, comenta a empresária, percebe que ainda há, entre consumidores gordinhos, a inibição na hora da escolha de uma roupa. Os cuidados com a abordagem podem fazer a diferença. "Fiz um trabalho de conscientização com a minha equipe. Ela está preparada para esse atendimento", afirma. (FL) Divulgação

A Kauê confecciona 50% de tudo que vende. Preços já foram 30% maiores.

Fátima Lourenço


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

21 O Cadillac V8 Town de 1928, blindado, que pertenceu a Al Capone, pode ser seu por cerca de R$ 1 milhão. Ele vai a leilão no próximo dia 28, pela RM Auctions. Hoje, só os vidros são blindados após a restauração, em 1950. O gângster ficou famoso nos anos 20 e 30, com atividades criminosas, com a produção e venda de bebidas alcoólicas durante a Lei Seca nos EUA. A polícia nunca conseguiu prendê-lo. Só foi preso por Elliot Ness, da Receita, por sonegar impostos. (Antônio Fraga)

Nº 425

DCARR CAMINHÕES

A Sinotruk, vice-líder chinesa de caminhões, traz para o Brasil seus pesados Premium, com preços atraentes apesar do IPI da importação.

Os gigantes chineses

CHICOLELIS

O

mercado de caminhões tem uma regrinha muito simples: cada cavalo de potência custa em torno de R$ 1 mil. Assim, o caminhão com 550 CV custa cerca de R$ 550 mil, o de 250 cv, R$ 250 mil e assim por diante. Mas esta forma de fazer cálculo para o preço do veículo de trabalho não vale para os chineses, ainda que sejam penalizados com o IPI da importação, que eleva os preços destes produtos em torno de 35%. R$ 1 mil por cavalo? Não! – Até agora ela só trazia da China modelos médios, mas resolveu investir neste mercado dos pesados com a família Premium A7. O menor deles, com 380 cv 4x2, não custa R$ 380 mil, mas sim R$ 270 mil. O seguinte, com 420 cv 6x2, será vendido a partir de setembro por R$ 310 mil e o maior, com 460 cv 6x4, por R$ 340 mil. To-

dos oferecidos nas opções de cabine alta e baixa. E o preço é um grande atrativo para o mercado de transporte – além de uma garantia de 2 anos, ou 250 mil km, para o conjunto de força, ou um ano

para o todo, sem limite de quilometragem. Há ainda os itens de segurança de série, como ABS/ASR, com EBL, que distribui eletronicamente a frenagem nas rodas e TPMS, o monitor de pressão dos pneus.

Além dos itens de segurança, o caminhão também oferece muito conforto na sua cabine. Na alta, 1,90m de altura interna, que abriga um beliche, com a parte de baixo podendo ser transformada em uma me-

sa com assento para duas pessoas. O banco do motorista, como manda a moda, tem suspensão hidráulica. Otimismo – Apesar das dificuldades criadas pelo novo IPI de importação, Joel Anderson,

diretor-geral da Sinotruk no Brasil, está otimista em relação às vendas da nova linha de caminhões pesados por aqui e com a confirmação da implantação de uma fábrica em nosso País, em Santa Catarina, de onde sairão caminhões da marca com exclusividade de vendas para toda a América Latina, exceto o Peru, que tem relação direta com a montadora, na China. A fábrica, que tem um investimento inicial de R$ 300 milhões (obras de engenharia), tem 76% de capital nacional e 24% de chinês, sendo que este pode ir ao limite de 40%. O primeiro caminhão brasileiro será produzido em julho de 2014. No Brasil, são 35 os concessionários da marca, número que deverá crescer para 62 até o final de 2014, quando entrará da Fórmula Truck. Hoje, a participação da Sinotruk no Brasil é pequena: 0,86% do mercado total e 2,3% no de pesados. Mas Anderson afirma que a preocupação maior da empresa é consolidar a marca e depois aumentar a participação. Mas por que o nome Sinotruk e não Sinotruck? É a superstição chinesa: não se coloca um nome com 9 letras.

Divulgação

A família Premium 7, pronta para crescer no mercado nacional. E a fábrica vem aí. Em Santa Catarina.

CALHAMBEQUES, FUSCAS, CARANGAS...

JÁ NÃO SE FAZ MAIS MÚSICAS PARA ELES Hoje só há espaço para "ai se eu te pego", "quero tchu, quero tcha, tcha, tcha". Mustang Cor de Sangue? Corcel 73? O que é isso? ANDRE DOMINGUES

R

onnie (lembra do Ronnie, filho do maestro Hervê Cordovil?) pegou uma caranga com três carburadores envenenados e subiu a Rua Augusta a toda, fazendo curva em duas rodas. Para a sua sorte, naquele distante 1963, as multas não pontuavam nem cassavam a carteira. Já Roberto também corria demais pelas curvas da estrada de Santos, mas acabou trocando seu Cadillac – quem sabe o emblemático Bel Air – por um charmoso calhambeque. Coisas da paixão. Só o barbudo Raul, meio hippie, não deu muita bola para o carro. Até ironizou Corcel 73 novinho que comprou. Brincadeiras à parte, Ronnie Cord, Roberto Carlos e Raul Seixas foram alguns dos muitos artistas a levar carros para a música brasileira entre os anos 60 e 70. Não era um tema só da turma da Jovem Guarda, famosa, e às vezes recriminada, por falar de seus carrões. Compositores mais intelectualizados, como Sidney Miller e Paulinho da Viola, também davam suas voltinhas por esse mundo em músicas como Pois é, pra quê? e Sinal Fechado (respectivamente).

Para o bem ou para o mal, o desejado automóvel agregava uma personalidade à canção, traduzia um estilo, sobretudo na combinação sedutora de potência e sex-appeal. Esse apelo ficava claro no carro vermelho de Eduardo Araújo, em O Bom, ou na dupla Mustang vermelho e Corcel cor-de-mel descrita por Marcos e Paulo Sérgio Valle em Mustang Cor de San gue (canção eternizada por Wilson Simonal). Nessa última, a relação ganha até contornos de um verdadeiro ato amoroso: "No farol, vejo o seu olhar/ Minha mão toca a direção/ No painel, eu vejo o seu amor/ E o meu corpo invade o interior...". O cearense Belchior também foi marcante nessa linha ao trazer, em Paralelas, a imaginação da pessoa amada distante, dentro do carro, tendo apenas "os carinhos do motor". A ideia de ligar carro a sexo, porém, é bem mais antiga do que os exemplos citados. Já havia sido explorada, e com muita graça, por compositores da primeira metade do século passado, como o genial Braguinha, autor de Fon Fon, gravada por Carmen Miranda

e Sylvio Caldas, e O Que é Que Há, êxito de Jorge Veiga. Fon Fon brincava com uma comparação dos amantes a automóveis, com suaves buzinadas e abusados avanços de sinal. Já O Que É que Há, por outro lado, deitava e rolava sobre o saboroso duplo sentido do termo "baratinha", que designava popularmente aqueles veículos pequenos e rápidos além

de... você vai entender: "O que é que há/ Com a tua baratinha/ Que não quer funcionar?/ Bota este motor em movimento, filhinha,/ E vamos passear!". Dentre todos os modelos, nenhum tem mais saída do que o velho fusca na MPB. Ele está em País Tropical, de Jorge Ben Jor, ou em Luz dos Olhos,

de Nando Reis (também famosa em gravação de Cássia Eller), entre muitas outras. Sua consagração definitiva, contudo, coube ao hit Fuscão Preto, emplacado por Almir Rogério, mais uma daquelas canções que misturam o carro ao amante (no caso, uma mulher infiel que deixou seu coração em pedaços). Por pouco, talvez, o fusca não chegou até o repertório de Chico Buarque. Acontece que ele, embora não cantasse, tinha um xodó muito especial por seu primeiro carro, um fusquinha apelidado de Clóvis. Só

se desfez dele quando precisou ajudar a arrecadar fundos para mandar à França a peça Morte e Vida Severina, baseada em poema de João Cabral de Melo Neto, que havia musicado. O sacrifício não foi em vão: a peça acabou premiada no 4º Festival Mundial de Teatro Universitário, em Nancy, em 1966, ganhando projeção internacional. Clóvis bem que merecia uma música. O lado musical do fusca tem mais uma curiosidade: um dos seus modelos mais populares, com grandes lanternas traseiras redondas, lançado em 1979, ganhou nas ruas um apelido inspirado numa grande estrela da MPB: Fafá de Belém. O Fafá remetia à cantora pelos contornos: sua singular combinação arredondada da lanterna e dos para-lamas de trás lembrava um par de seios bem fartos. Nos últimos tempos, poucas músicas relevantes foram feitas a partir do universo dos automóveis no Brasil. Como a paixão por carros não esfriou, nem a disposição para cantar, o motivo talvez seja haver modelos demais e personalidade de menos no mercado. Tanto que as últimas canções a aparecer recaíram sobre veículos antigos, como a célebre Brasília amarela de Pelados em Santos, dos Mamonas Assassinas, ou o Carro Velho, sucesso de Ivete Sangalo. Aos modelos mais novos tem restado, apenas, a indiferença. Isso fica exemplar em Re naul t/Pe ugeo t, do pernambucano Otto, uma música irônica, cuja letra inteira se restringe ao ciclo: "Vou trocar o meu carro/ Vou trocar num Renault/ Ou.../Ou se não num Peugeot...". É oco como um pneu sem câmera.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

t

sexta-feira, 13 de julho de 2012

FESTIVAL Até 29 de julho, o Festival de Inverno de Santo Antônio do Pinhal prevê shows e feiras de artesanato e orquídeas na Praça De Eventos, no centro.

urismo

Fotos: Antonella Salem

FRIOZINHO BOM

A 29 km de Campos do Jordão, Santo Antônio do Pinhal é o refúgio perfeito para o inverno pacato com sabor artesanal

No sentido horário, Pico Agudo, local dos saltos de paraglider e de um pôr-do-sol deslumbrante, a 1.700 metros de altitude; mirante na pousada Quinta dos Pinhais; o charme da Villa Três Lagos; e salão da Fazenda Renópolis, que serve um delicioso chá colonial. Abaixo, interior de um chalé da Villa Três Lagos.

Antonella Salem

S

e você procura um refúgio na Serra da Mantiqueira, o destino deve ser a pequena Santo Antônio do Pinhal. Distante 170 quilômetros de São Paulo e só 29 km de Campos do Jordão, a cidade não tem a pose da vizinha, nem lojas de grife ou hotéis cinco-estrelas, mas respira os ares da roça e do artesanato e abriga pousadinhas com chalés confortáveis, jacuzzi, lareira e uma boa carta de vinhos para aproveitar o friozinho em boa companhia. Detalhe: algumas têm heliponto. "Vim de São Paulo para fazer isso com muito amor e carinho para os meus hóspedes", conta a arquiteta e decoradora pernambucana Dione de Paula, que mora entre a capital paulista e Santo Antônio do Pi-

nhal, onde montou a sua Pousada Villa Três Lagos. Dione escolheu a dedo todas as peças que decoram os ambientes – entre tapetes persa e móveis de antiquário –, cuida da administração e ainda prepara os bolos do café da manhã. Passa na mesa de cada casal e faz as vezes de boa anfitriã. "Receberam o champanhe que mandei ontem?" Nos chalés, os edredons são 100% pluma e os lençóis de 850 fios de algodão egípcio. E Dione criou uma biblioteca com 2 mil livros pertinho da piscina, onde é possível relaxar entre camas repletas de almofadas. Outra pousada concorrida, a Quinta dos Pinhais oferece vista estonteante para a Pedra do Baú, é farta em peças de decoração de Minas Gerais e seus chalés top abrigam até sauna úmida, jacuzzi e adega. Não por acaso, faz parte das Denise e Debora Murgel – mãe e filha – preparam quitutes na Fazenda Renópolis. Marcenaria de Morito Ebine produz peças com técnicas japonesas.

prestigiadas coleções de hotéis Condé Nast Johansens, Recantos & Requintes e Roteiros de Charme. No restaurante, a cozinha é bem elaborada e inclui delícias como truta fresquinha com risoto de açafrão. Só os deques panorâmicos já valem a estada, mas há atividades como arco-e-flecha, tênis e cavalos, e um novo spa está a caminho. Circuito das Artes – Será difícil deixar a pousada, mas vale a pena visitar alguns dos muitos ateliês locais. Os móveis de Morito Ebine, as velas da Oficina das Artes, a cerâmica de Nancy Barros... Com o intuito de divulgar o artesanato de Santo Antônio, artesãos locais se uniram para criar um pequeno guia que traça um roteiro para visitação, o chamado Circuito das Artes. Cabe ao turista escolher e identificar no mapinha

os que mais lhe atraem. "Estou aqui por causa do clima", diz Nancy Barros, americana que mora na cidade desde 1978. Seu ateliê de cerâmica ocupa uma estrebaria junto ao Haras Saracuras e lá é certo de ver a ceramista com a "mão na massa". Não longe, na Oficina das Artes, Silvana Vofolli, natural de Campos do Jordão, faz velas artesanais há 20 anos usando elementos naturais da região, como folhas secas, e ministra cursos (sob agendamento) no ateliê que fica atrás da loja. O japonês Morito Ebine por sua vez, esculpe móveis em madeira brasileira com técnicas tradicionais japonesas. As peças são um sucesso entre decoradores no Rio e em São Paulo. Dois programas de cunho artesanal irão conquistar o paladar em Santo Antônio. Primeiro, Fazenda Renópolis, também parte do Circuito das Artes. Nas mãos da mesma família há quase 100 anos, a propriedade está sob o comando de Denise e Debora Murgel (mãe e filha), que preparam quitutes para um chá da tarde simples e delicioso. A pedida mais aguardada entre seus clientes: rabanada. "Tudo é feito aqui", diz Denise, com orgulho. Na saída, quase impossível não levar um saquinho com o chá natural que mais gostou ou alguma lembrança feita com palha de milho. Depois, Bodega,

que vende mais de 40 sabores de cachaça. Deguste! No pôr-do-sol em Santo Antônio, a vista a partir do Pico Agudo, com aproximadamente 1.700 metros de altitude, é um espetáculo. Os corajosos ali partem em voos de asa-delta ou parapente na companhia de um instrutor. Estando lá em

cima dá vontade de experimentar. Na volta, já no chalé, a recompensa será uma imersão nas águas borbulhantes da sua jacuzzi com as montanhas como pano de fundo. Viagem a convite da Secretaria de Turismo de Santo Antônio do Pinhal

Nancy Barros, que mora em Santo Antônio desde 1978, montou seu ateliê de cerâmica em uma estrebaria junto ao Haras Saracuras.

RAIO X COMO CHEGAR A partir de São Paulo, são 170 km. Pegue a Rodovia Ayrton Senna e a Carvalho Pinto rumo a Campos do Jordão. Na serra, siga as placas para Santo Antônio do Pinhal. ONDE DORMIR Pousada Villa Três Lagos: tel. (12) 3666-1570, www.pousadavilla3lagos.com.br.

Pacote de sexta a domingo (julho) a partir de R$ 880 por casal, com café. Quinta dos Pinhais: tel. (12) 3666-2030, www.quintados pinhais.com.br. Pacote de quinta a domingo (julho) a partir de R$ 2.030 por casal, com café . AONDE IR Morito Ebine: Caminho da Montanha, km 0,4,

www.moritoebine.com. Atelier de Cerâmica Nancy Barros:Estr. das Cerejeiras, km 3,4, junto ao Haras Saracuras. Oficina das Artes: Estr. das Cerejeiras, 309. Fazenda Renópolis: Rod. Floriano R. Pinheiro, km 38, www.renopolis.com.br. A Bodega: www.abodega.com.br.

Circuito das Artes: folheto pode ser obtido no Centro de Informação Turística, na entrada de Santo Antônio, ou na Associação Comercial, na Praça do Artesão, www.acasap.com.br. Pico Agudo: asa-delta, com Claudio Alpheu Leite, tel. (11) 8415-4852; paraglider com a Glider Brasil, tel. (12) 3917-1238, www.glider brasil.com.br.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

23

Os pequenos se divertem Carol Veronez/Divulgação

Fotos: Divulgação

Parceria entre a Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e a

d

cultura Os Saltimbancos

Chapeuzinho Vermelho

Associação dos Produtores de Espetáculos Teatrais do Estado de São Paulo (Apetesp) leva crianças carentes ao teatro A Pequena Sereia

Cinderela

ENTRE SEREIAS, PORQUINHOS, ANÕES. Rita Alves

A

Associação Comercial de São Paulo (ACSP) em parceria com a Associação dos Produtores de Espetáculos Teatrais do Estado de São Paulo (Apetesp) vai proporcionar a uma série de crianças carentes da Cidade a chance de incluir arte e diversão no roteiro de férias. Trata-se do projeto Festiférias Julho no Teatro, mostra de peças infantis que poderá ser vista de graça (sábados e domingos), a partir deste fim de semana, no teatro Maria Della Costa e em três salas do Ruth Escobar. O diretor da Apetesp Atilio Bari é o coordenador e idealizador do Festiférias e conta que, nesta primeira edição, foram distribuídos 6 mil ingressos, entre o mês de junho e o começo

deste mês. "A gente queria que os ingressos fossem distribuídos para as pessoas realmente necessitadas, que não têm a oportunidade de pagar o preço do ingresso para assistir os espetáculos. A ideia era atingir a população mais carente mesmo", diz. Segundo Bari, as distritais da ACSP foram as responsáveis pela distribuição dos ingressos em organizações que cuidam de crianças e em locais como escolas e creches. Todas as regiões da Cidade foram beneficiadas pelo projeto, inclusive os locais mais distantes da capital como Parelheiros, no extremo sul. "A Apetesp sozinha teria muita dificuldade de chegar até onde a Associação chegou, entrando em contato com as

A Ilha de Madagascar entidades que atendem as crianças. Essa parceria foi muito legal porque fez com que os ingressos fossem distribuídos equitativamente por toda a cidade. A gente não conseguiria fazer isso sem a parceria com a Associação Comercial." Na programação do Festiférias o público poderá escolher entre

seis a oito peças infantis, nas próximas três semanas. Bari esclarece que os espetáculos não serão apresentados em sessões especiais para a plateia do projeto. "As crianças vão assistir as peças no mesmo horário que o público normal, pagante. São cerca de 160 lugares reservados para o projeto em cada sessão. E

como os teatros são grandes, com aproximadamente 350 lugares, é mais ou menos 50% do teatro", diz. Em relação ao futuro do Festiférias, Bari pensa grande. "A gente espera que nas próximas edições aumente tanto a duração do projeto quanto a quantidade de ingressos." O musical Os Saltimbancos, inspirado no conto Os Músicos de Bremendos dos Irmãos Grimm, é um dos que promete divertir a criançada. Dirigido por Paolino Raffanti, a peça será apresentada aos sábados, às 17h30, no Ruth Escobar. No mesmo local, mas em sala diferente, tem a história clássica da garota tratada como criada pela madrasta. Em

Cinderela: o Musical, os atores Bruno Vinagre, Débora Settanni, Juliana Rampazi, Liz Nunes, Michelle Alveia, Renato Ferreira e Ricardo Ocampos sobem ao palco aos sábados e domingos, às 17h30. A programação ainda traz as peças Branca de Neve e os Sete Anões, Chapeuzinho Vermelho, A Pequena Sereia, A Ilha de Madagascar, Jarbas e a Formiga Aurora, O Palhaço Gastão no Túnel dos Fantasmas e Os Três Porquinhos na Cidade Grande.

Teatro Maria Della Costa. Rua Paim, 72, Bela Vista, tel.: 3231-4725. Teatro Ruth Escobar. Rua dos Ingleses, 209, Bela Vista, tel.: 3289-2358.

Aventura jurássica

Q

uem sempre quis ver de pertinho um dinossauro já pode participar de uma viagem que pelo menos simula essa experiência. A exposição interativa Era T-Rex permite que adultos e crianças interajam com réplicas dos animais. O passeio começa com uma sessão de cinema 5D em que os visitantes irão viajar pela época jurássica. Durante o filme, sentem odores, ventanias, tomam chuva . Depois da sessão as crianças farão um passeio por uma floresta da Era Mesozóica e poderão interagir com réplicas de dinossauros de até 30 metros de altura. E quem quiser pode até brincar de paleontólogo e procurar fósseis em um tanque de areia. (Ana Barella)

Shopping Aricanduva . Av. Aricanduva, 5555. Segunda a sexta. 14h às 21h. Sábados e domingos. 10h às 22h. R$ 30 (inteira). Até dia 27.

Show de fantoches Galinha pintadinha

D

epois do sucesso em vendas de cds e DVDs e acessos no You Tube, a Galinha Pintadinha (foto acima) e sua turma chegam ao teatro. O musical brinca com a mistura de desenhos animados, clipes da turma e faz uma apresentação lúdica com 12 cantigas infantis populares como Atirei o Pau no Gato. (Ana Barella)

Teatro das Artes. Shopping Eldorado. Av. Rebouças, 3970. Sábados e Domingos. 15h até às 17h. R$ 70. Até 25 de novembro.

O

utra opção de programa que as crianças irão adorar é o show de fantoches da Turma da Mônica (foto acima). Desta vez, Magali, Cebolinha, Mônica e Cascão fazem um novo amigo: um vampirinho camarada. Durante o intervalo do show, o local é transformado em uma oficina de fantoches e as crianças tem a chance de fazer seu próprio personagem. (Ana Barella)

Shopping Ibirapuera. Av. Ibirapuera, 3103. De quarta a domingo. Às 15h30, 17h30 e 19h30. Grátis.

Nesta edição Estreia do filme Na Estrada, de Walter Salles, instrumentos criados com lixo e passeios gastronômicas com a criançada.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

24

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Os pequenos se divertem Ana Barella Tereza Grimaldi/Divulgação

d

cultura

Destino: cozinha. Uma dica para as crianças que gostam de colocar a mão na massa é o curso de férias da escola de cozinha Wilma Kövesi. As próximas aulas, que acontecerão nos dias 23, 24 e 25, incluem uma visita ao Viveiro Sabor de Fazenda. Rua Cristiano Viana, 224. Tel.: 3063-1592. Dias 23, 24 e 25. Das 10 às 13 horas. R$ 398. (AB)

Peixe-boi, tubarão branco e diversão. Outra dica imperdível para o mês de julho é fazer uma visita ao Aquário de São Paulo. Os quase 3 mil exemplares de cerca de 300 espécies diferentes de animais, farão as crianças entrarem em contato com bichos exóticos como o tubarãopancho, o peixe-boi (foto abaixo) e diversos pinguins. Diversão garantida para a família. (AB)

N

o mês de férias, o Museu da Arte Moderna de São Paulo (MAM) tem a saída perfeita para os pais que querem economizar e ao mesmo tempo fazer programas criativos com seus filhos. De terça a domingo, durante todo o mês, serão reali-

zadas oficinas de arte, narrações de histórias, brincadeiras, construção de brinquedos, entre outras. Tudo isso de graça no museu. Para participar, basta retirar a senha 30 minutos antes do início de cada atividade, que pode ser realizada por crianças a

partir de quatro anos e seus acompanhantes. Além das atividades infantis da programação de férias, o MAM também está oferecendo oficinas de gravura dentro da mostra O ateliê de Goeldi, que apresenta o ambiente de trabalho do gravurista.

Museu de Arte Moderna de São Paulo. Parque do Ibirapuera, av. Pedro Álvares Cabral, s/nº. Portão 3. Tel.: 5085-1300. Grátis. 30 participantes por turma. Horários: www.mam.org.br. Oficina de gravura. Terça a sexta. Das 16h às 18h.

Aquário de SP. Rua Huet Bacelar, 407, Ipiranga. Tel:. 2273-5500. Aberto todos os dias. Das 9h às 18h. R$ 20 (preço promocional de férias).

Doçuras e travessuras

J

á os pequenos que são vidrados em açúcar vão gostar do curso de culinária Férias Divertidas ministrado pela doceira Teka Borba, que acontecerá na segunda (16). As crianças aprendem a fazer três sobremesas deliciosas: pão de mel tradicional, pirulito de chocolate e cup cake (bolinho) de baunilha. O

curso é recomendado para crianças acima de seis anos, lembrando que os pequenos até 12 anos devem ir acompanhados pelos pais. (AB)

Ateliêr Gourmand. Rua Bela Cintra, 1783. Tel:. 3060-9547. Segunda (16). Das 14h às 17h. R$ 229.

BERGMAN Mãe x filha. E música clássica. Chopin (esq.); Haendel e Bach (abaixo): compositores escolhidos por Bergman para sublinhar a concepção do filme Sonata de Outono.

Fotos: Divulgação

TRILHA

Divulgação

Preludiando a vida

N

os últimos dias da Mostra Ingmar Bergman, que se encerra no domingo (15), o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) traz algumas preciosidades do diretor sueco. A retrospectiva apresentou cerca de 50 filmes. A programação desta sexta (13) começa às 10h com O Rosto (1958); às 16h, Rumo à Felicidade (1950) e às 18h será exibido o belíssimo Sonata de Outono (1978). Às 20h, chega às telas Sorrisos de uma Noite de Amor. No sábado (14) serão exibidos Sonhos de Mulheres; Na Presença de um Palhaço; Depois do Ensaio e Monika e o Desejo. E no domingo (15), Uma Lição de Amor; Fanny e Alexander; Episódio Daniel e Morangos Silvestres. A grande atração desta sexta,

Sonata de Outono, reúne duas grandes atrizes em interpretação fenomenal de ambas: Liv Ullmann e Ingrid Bergman. A musa de Casablanca aqui é Charlotte, pianista famosa, mãe de Eva (Ulmann), moça tímida e que vive um casamento tranquilo, sem altos nem baixos com um homem que a adora, mas não sabe se espressar. Leonardo, marido de Charlotte, acaba de morrer. Ela então vai visitar a filha no interior da Suécia. A música liga as cenas. Eva, delicada ao piano, confere interpretações serenas. A mãe, uma diva, tem performance vigorosa. "Chopin era sentimental, não enjoativo", diz Charlotte. "Você deve ser calma e firme. Mostrar a dor, mas sem

perecer. Chopin era orgulhoso, apaixonado, aflito e muito viril. Ele não era uma velhinha melosa", pontua, na tentativa de corrigir a interpretação de Eva. "Esse prelúdio precisa ser tocado para que pareça quase feio", resume. A aula de música – para a filha e para o público que assiste ao filme – é o estopim para o início da sessão de lembranças, o que faz emergir ressentimentos dos dois lados. "Meu ódio por você se transformou em um medo insano", diz Eva. Diretor e roteirista, Ingmar Bergman sustenta a trama com diálogos densos. Vencedor do Globo de Ouro de Melhor Filme Estrangeiro, Sonata de Outono pode ser encontrado à venda e em seletas locadoras. (LHC)

O

estigma de melodramático que persegue a história do polonês-francês Frédéric Chopin (18101849) envolve uma bela dialética entre Ingrid Bergman, no papel de virtuose do piano e mãe egocêntrica, e Liv Ullmann, intérprete frustrada e filha, também. O diretor Ingmar Bergman leva essa questão à psicanálise, no filme Sonata de Outono. Requintado ouvinte de música, ele escolheu de Chopin (entre 24 obras desse gênero) o Prelúdio Nº 2 em Lá Menor, com o qual costura (ou descostura) as lições que Ingrid passa a Ullmann

sobre o temperamento do compositor (fogoso, passional, articulado). Esse prelúdio, organizado como Op. 28, é tocado, na verdade, pela pianista estoniana Käbi Laretei. Formidável performance. Ainda na trilha, fluindo mais como citações, estão a Suíte Francesa em Mi Bemol Maior, para teclado, do alemão

Johann Sebastian Bach (1685-1750); e a Sonata em Fá, Op. 1, do alemão-inglês Georg Friedrich Haendel (1685-1759), com o cellista Anner Bylsma; o cravista Gustav Leonhardt e grupo de câmara dirigido por Frans Brüggen. Consulte no You Tube: Chopin/Prelúdio Nº 2/ Pianista Ivo Pogolerich. (MMJ)

Fotos: Arquivo DC

Liv Ulmann e Ingrid Bergman: as duas travam longas discussões nesse denso trabalho do diretor sueco.

ORIGINAIS DE MODIGLIANI NO MASP Exposição Modigliani: Imagens de uma Vida exibe até domingo pinturas, desenhos e esculturas do artista. Masp. Avenida Paulista, 1578, telefone: 3251-5644. R$ 15.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

25

ESTREIA NA ESTRADA. E TRIBUTO A MÉLIÈS. Filme baseado no livro de Jack Kerouac chega às telas depois cultura de 60 anos. No MIS, obras do mestre dos efeitos especiais.

d

Fotos:Divulgação

Fotos: Playarte/Divulgação

Salles volta à terra estrangeira Lúcia Helena de Camargo Na Estrada: em alta velocidade, de leste a oeste dos EUA, pela famosa Rota 66, a partir de 1947. Viagem regada a bezendrina.

Jornada alucinada Erika Corrêa

F

oi em 1984, aos 25 anos de idade, que o jornalista gaúcho Eduardo Bueno apresentou aos brasileiros a primeira versão traduzida do livro On The Road (Na Estrada), quase 30 anos depois do lançamento nos EUA, em 1957. Considerado a Bíblia da geração beat, o livro influenciou jovens do mundo todo, inspirandoos a cair na estrada, ter uma vida livre, repleta de sexo, drogas e be bop, vertente do jazz da época. Mas até na América os manuscritos do autor Jack Kerouac levaram seis anos para serem publicados, pois a primeira versão, com 37 metros, escrita em folhas vegetais, emendadas com fita adesiva, quase sem pontuação, foi finalizada em 1951. Kerouac, que ficou fa-

moso do dia para a noite com o título, vociferou aos jornalistas: "Onde vocês estavam quando eu acabei meu livro? Era nesse momento que deveriam ter cruzado meu caminho?". A delonga, no entanto, em nada prejudicou o culto à emblemática obra, que impulsionou o movimento hippie e a contracultura dos anos de 1960. Todavia, Na Estrada sofreu a mesma "condenação" na sétima arte. Provocativa, não linear, e por isso mesmo uma literatura bastante complexa para ser filmada, permaneceu nas gavetas do cineasta Francis Ford Coppola desde

1978, quando ele comprou os direitos de registrar a história. Chegou a ser oferecida a Jean-Luc Godard e Gus Van Sant, mas foi Walter Salles que se encorajou a fazer a versão cinematográfica que estréia nesta sexta (13) no País. Bem recebido pela crítica no último festival de Cannes, o longametragem mostra a jornada de Sal Paradise (Sam Pidley, que já interpretou com excelência o cantor Ian Curtis, em Control) e s e u a m i g o d e l i nquente Dean Moriarty (Garrett Hedlund) de leste a oeste do país, pela famosa Rota 66, a partir de 1947 – uma viagem em alta

velocidade, regada a bezendrina. Há ainda a namorada Marylou (Kristen Stewart, da saga Crepúsculo, foto) em um papel para lá de sensual e cenas mais chocantes que mostram o personagem Old Bull Lee (na verdade o poeta William S. Burroughs) totalmente drogado com um bebezinho no colo, enquanto sua esposa alucinada espanta imaginários lagartos de uma árvore do quintal. Aliás, todos da história são retratos dos verdadeiros beatniks. Sal é o alter ego de Kerouac, Dean é Neal Cassady, Carlo é Allen Ginsberg. Uma geração que, filmada após 60 anos, ainda se mostra irreverente e visionária, mesmo que, por momentos, por meio das lentes mais conservadoras de Salles.

Walter Salles (foto), cineasta brasileiro de 56 anos, começou a ganhar relevância como diretor de cinema em 1995, quando rodou Terra Estrangeira. Seu nome ficou conhecido no mundo todo com Central do Brasil (1998), que recebeu duas indicações ao Oscar: de Melhor Filme Estrangeiro e Melhor Atriz para Fernanda Montenegro (que acabou perdendo o prêmio para Gwyneth Paltrow). Em 2001, faria o interessante Abril Despedaçado, estrelado por Rodrigo Santoro. Em 2003, Walter Salles foi eleito um dos 40 Melhores Diretores do Mundo pelo jornal inglês The Guardian. E em 2005 lançaria seu maior sucesso internacional: Diários de Motocicleta, filme sobre uma viagem de Che Guevara pela América Latina, antes de se tornar o combativo guerrilheiro. Quando se aventurou por Hollywood, com Água Negra, foi um fiasco. O filme não parece feito pela mesma pessoa que criou as outras obras. Depois, em 2008, dirigiu, em parceria com Daniella Thomas, o longa Linha de Passe, sobre garotos que sonham em se tornar jogadores de futebol. A atriz que interpreta a mãe dos meninos, Sandra Corveloni, ganhou o prêmio de Melhor Interpretação Feminina no Festival Cinena de Cannes pelo papel. São grandes as apostas em Na Estrada, rodado em inglês com elenco internacional.

MÉLIÈS Vida e obra do cineasta em exposição no MIS Neste domingo acontece projeção de filmes mudos, sonorizada ao vivo por bisnetos do artista francês.

G

eorges Méliès (1861-1938) é o grande homenageado no filme A Invenção de Hugo Cabret, de Martin Scorsese, vencedor de cinco prêmios no Oscar 2012. Os talentos do diretor francês não se resumiam a dirigir filmes. Era também grande desenhista, compositor, inventor de equipamentos e ainda usava as habilidades de artista plástico na criação de cenários. Para mostrar todas as facetas de Méliès, o Museu da Imagem e do Som (MIS) acaba de abrir a exposição Georges Méliès, Mágico do Cinema. A mostra, já montada em outros países, chega ao Brasil dividida em seis seções que exibem exemplos de trabalhos em cada uma de suas habilidades. Há ainda uma instalação na qual o público pode criar seus próprios filmes em stop motion (animação com bonecos), de até 30 segundos, em cenários

baseados nas obras de Méliès. Produzida pela Cinemateca Francesa, a exibição reúne uma coleção única no mundo proveniente de duas fontes: do acervo montado desde 1936 na própria Cinemateca; e a herdada pela neta do diretor, Madeleine Malthête-Méliès, que foi adquirida em 2004 pelo Centro Nacional de Filme, com o apoio do Fundo Patrimônio do Ministério da Cultura.

Conhecido como o “pai dos efeitos especiais”, o francês também atuava como mágico, diretor teatral, cenógrafo, ator, técnico e produtor. Fez ainda distribuição de mais de 500 filmes entre 1896 e 1912. Para ilustrar a carreira do artista, a exposição traz objetos, cartazes, desenhos, figurinos, fotografias e documentos originais, além da exibição de filmes como Viagem à Lua (1902)

nas paredes do museu. Neste domingo (15), às 16h, a atração é Cinematographo – Especial Méliès, uma projeção de filmes mudos sonorizada ao vivo. Os bisnetos do artista Lawrence e Marie-Hélène Lehérissey fazem acompanhamento ao piano e narração. (LHC)

MIS. Avenida Europa, 158. Jardim Europa. Tel.: 2117-4777. www.mis-sp.org.br

Peças da exposição Georges Méliès, Mágico do Cinema, no Museu da Imagem e do Som (MIS): à esquerda, Méphistophélès Recto. Em preto e branco, cena de Viagem à Lua (Voyage Dans La Lune), entre os mais conhecidos filmes do diretor. E o Autorretrato Caricaturado. Mostra permanece em cartaz até 16 de setembro.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

26

sexta-feira, 13 de julho de 2012

COM OS PÉS NAS VIELAS DO MUNDO Companhia brasileira faz 'instaurações cênicas sonoras' em favelas Kleber Gutierrez Juliana Baraúna

d

cultura

Na favela do Jardim Ângela, na zona Sul, Pereira encanta os pequenos com sua dramaturgia sonora. O enredo é a fuga da seca.

Fotos: André Bittencourt

O Cachorro: instrumento de oito cordas tocadas com as mãos, mas afinadas por um pedal. Cadeira e filtros de café musicais.

Agora, com o objetivo de mergulhar fundo no Brasil longínquo, prepara-se para cair nas redes das cidades mais carentes do Tocantins, provavelmente em outubro. A história contada por Pereira não se utiliza da linguagem verbal, apenas da possibilidade discursiva de sua dramaturgia sonora fazendo eco nos personagens que encontra pelo caminho. Ele diz que gosta de sentir "quais potências cognitivas se alteram" quando sua arte atinge o público. E isso ocorre no exato momento em que os participantes interagem com os instrumentos à sua disposição: todos feitos de materiais bem ao alcance, como a Árvore, peça de sopro elaborada com canos de papelão para ser tocada, simultaneamente, por nove pessoas. Ou o Cachorro, uma cadeira de oito cordas tocadas pelas mãos, mas afinadas com o pé. Há ainda o Carrapato, uma

Juliana Baraúna

D

o lixo e dos materiais descartados nascem os instrumentos que o artista e musicoterapeuta André Pereira, da Companhia Pé no Canto, constrói para percorrer os lugares menos favorecidos do planeta. Seu objetivo é "criar instalações que se movimentem e deixem marcas no espaço". A realidade é que as 'marcas' ficam muito mais nos atores dessa sua composição de cordas, sopros e percurtidos, que percebem a possibilidade da criação artística até mesmo nessas áreas esquecidas pelos sistemas governamentais, principalmente seus pequenos habitantes. O projeto Pé na Viela – que nasceu em 2002 após uma pesquisa de invenção de instrumentos e interação com o público, ganhou olhos internacionais a partir do 12º Congresso Mundial de Musicoterapia, em 2008 na Argentina – é composto pela intervenção Orquestra Natural do Ciclo das Águas, vivida por um andarilho que foge da seca em busca da chuva. Uma tempestade que brota dos instrumentos criados por Pereira e manipulados pelos moradores das comunidades. Nas mãos do artista, tudo vira música, até mesmo adereços como perucas e roupas, que são sonoros. Esse caminhante musical já percorreu alguns dos lugares mais pobres do planeta, ficou por 45 dias na Índia, em cidades como Mumbai e Punne, e esteve na Colômbia, Argentina e Chile. Além, é claro, das favelas da cidade de Mauá, no ABC paulista, e zona Sul de São Paulo, para onde retornará a partir de setembro, mais precisamente nas vielas do bairro do Campo Limpo.

calimba de molas afinadas. E o inusitado Avestruz, uma parabólica com 23 cordas, que é microtonal, ou seja, pode emitir milhares de notas. O pesquisador também está envolvido em outra parceria que promete render sensações controversas. Ele trabalha com uma companhia de dança desenvolvendo vestimentas sonoras completas, que brevemente poderão ser vistas, e ouvidas, em seu total movimento.

Saiba Mais Para conhecer o trabalho do artista, entre no Youtube e tecle Pé na Viela, em documentários produzidos em parceria com o videomaker Roberto Skora. Para acompanhar a programação e até pedir uma apresentação em sua comunidade, acesse: www.penaviela.blogspot.com.br Para falar com o artista, escreva para musicanatural.deco@gmail.com

À direita, na comunidade do Jardim Jangadeiro e, à esquerda, criança usa peruca sonora. Com Pereira, os adereços ganham destaque e viram personagens da fábula que não usa linguagem verbal.

Avestruz: parabólica e suas imagens musicais. Juliana Baraúna

Carrapato: calimba e suas molas afinadas.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 13 de julho de 2012

d

27

cultura

Retrogosto: El Calcanhar de Diós Carlos Celso Orcesi da Costa

N

a última 5ª feira o mundo estava tranquilo e pacífico, sem disputas, dia de sol sem exagero de calor, ligeira brisa sem excesso de vento, as garotas com roupas de verão em pleno inverno, sem malícia ao olhar. O trânsito continuava congestionado mas ninguém tinha pressa; o mundo livrara-se do nervosismo cotidiano. O que podia haver de pior não me atingia e a explicação era bem simples: o Corinthians havia se tornado campeão da Libertadores. Na manhã seguinte aos 2 x 0 (uma goleada considerando o Boca osso duro de roer) viajei a Belo Horizonte para sustentar um recurso, mas mesmo lá havia alguns transeuntes com a gloriosa camisa alvinegra. Qual o lema da Inconfidência Mineira: liberdade ou vitória ainda que tardia! Saí do Tribunal de Justiça ainda mais feliz pelo resultado favorável. No caminho ao hotel em Savassi me fiz a pergunta: se tivesse perdido o recurso no TJMG o dia teria se tornado infeliz? Não perdi tempo com essa filosofia barata: isso não tinha acontecido, pelo que o prazer alcançava seu mais

alto grau. Atribui-me o direito de comemorar. Pretextos não faltam para quem sabe viver a vida, principalmente quando há justificativa. Passei na Mistral-bh e selecionei um grande para o jantar: Catena Zapata Estiba Reservada 2005. Mais ou menos como o Montelena californiano quando venceu o "julgamento de Paris" em 1976, o Catena 1997 abriu a porta da fama aos vinhos argentinos. De seis garrafas do 97 que comprei em 2002, portanto há 10 anos, ainda me sobram três. Uma delas abri na confraria em 2009 e o vinho então com 12 anos estava esplendoroso. Escolhi um restaurante (Casa dos Contos) de boa culinária mineira (lombo à mineira com tutu de feijão) e apreciei o cabernet sauvignon 2005: entra na boca frutado, compotado, abre os

Graças a Deus sentidos do paladar com toque de frutas vermelhas e final de hortelã, vivo ao invés de austero. Alguns leitores me pedem para "falar de vinhos mais em conta", exemplares que caibam no bolso

dos que estão começando a vida e não têm bala para compras acima de R$ 200. Pois então provem a linha Alamos da Catena (R$ 37), excelente relação custo-benefício. Comparem o Alamos com aquele

vinhozinho que vocês insistem em repetir e decidam qual o melhor. Depois, com o tempo, poderão passar ao Catena (a 2ª linha, varietal, isto é de uma só uva, na faixa de R$ 65), depois à 3ª linha Angelica (R$ 90) e à Catena Alta (4ª linha, entre R$ 115 e R$ 160 o malbec). Então por fim chegar aos maiores para... ocasiões especiais. Enquanto caminhava na direção do hotel carregando o Estiba Reservada com aquele revestimento de camurça, recebi um torpedo do amigo Claudemir: "está um final de tarde tão bonito hoje, e uma incrível aura de felicidade". E mais não escreveu. Considerando que o homem não é poeta, mas apenas um corintiano roxo feliz, sua mensagem captou a essência do dia, da semana, do mês. Um motociclista a 80 quase me

atropelou na Rua Alagoas, em Savassi, mas eu nem o xinguei... talvez um galo frustado. Mãos ao alto, fim do estresse (foto no fim do 1º jogo). Depois do empate em Buenos Aires e daquela bola na trave aos 47' do 2º tempo um mano falou: Deus é corintiano. Não sei se o Senhor torce para algum time de seu rebanho; provavelmente não... mas se tiver uma quedinha por algum "é nóis". Ou aquele improvável passe de costas de Danilo que foi bater no peito de Emerson no meio da área congestionada não teve... el calcanhar de Diós? Maradona já foi contemplado na Copa de 1986. Não sei, importa que a vida continua leve e solta. Há um retrogosto - aquele sabor que permanece no paladar depois da prova - que nada tem a ver com o vinho do pioneiro Nicolas Catena. Aliás esse final pode ser amargo se o vinho tiver... Boca ruim. Ainda que tardio, o retrogosto da conquista da Libertadores permanecerá "eternamente em nossos corações".

Paris foi uma festa... sob a ocupação pelos nazistas Renato Pompeu

Fotos: Arquivo DC

C

om apenas alguns meses de lançamento, chega à primeira reimpressão a edição brasileira do livro do jornalista britânico nascido no Brasil, Alan Riding, sobre a vida cultural francesa sob a ocupação nazista. Trata-se de Paris - A Festa Continuou - A Vida Cultural Durante a Ocupação Nazista, 1940-4, livro publicado pela Companhia das Letras. Na verdade, no original de Riding, de 2010, não há essa evocação do título do célebre livro do escritor americano Ernest Hemingway, Paris É uma Festa, sobre a efervescência parisiense nos anos 1920 e 1930. O título do autor britânico, traduzido literalmente, seria E o Show Continuou Vida Cultural na Paris Ocupada pelos Nazis, e alude ao célebre ditado teatral O Show Deve Continuar, aconteça o que acontecer. O fato é que o próprio título original de Hemingway não falava em Paris: era algo assim como Uma Festa Móvel ou Uma Festa Portátil. De todo modo, é interessante que tenha sido um escritor britânico a escarafunchar os arquivos para deslindar em miúdos o que fizeram os grandes nomes da cultura francesa durante a ocupação de Paris pelas tropas nazistas. Os próprios franceses não gostam de recordar que, após um intervalo de poucas semanas após a entrada dos soldados alemães, a cantora Edith Piaf e o cantor Maurice Chevalier continuaram entoando suas canções livremente, embora fizessem questão de cantar, também, para os prisioneiros de guerra franceses na Alemanha.

Guernica, obra-prima de Picasso, e o autor: ocupação nazista em Paris. Também Matisse continuou a pintar normalmente e Picasso (que, embora espanhol, era um verdadeiro monumento francês), se foi procurado pelos nazistas, foi para admirarem as obras que ele estava criando, como aconteceu com o dignitário alemão Gerhardt Heller. Picasso, apesar de ter pintado G ue r ni ca , retratando uma pequena cidade basca bombardeada e arrasada por aviões alemães durante a Guerra Civil Espanhola, foi muito bem tratado pelos ocupantes. A ponto de se dizer que, quando ele se filiou ao Partido Comunista Francês logo após a Libertação, foi muito mais para se livrar da possibilidade de ser visto como colaboracionista do que propria-

mente por convicção ideológica. Acrescente-se que, durante a Ocupação, um grande nome francês da pintura, Maurice de Vlaminck, chegou a visitar a Alemanha como hóspede de honra. Em suma, as vibrantes noitadas parisienses prosseguiram a todo vapor, apenas tinham de agradar, além de seus públicos tradicionais e costumeiros, também os nazistas. Não foram mais rodados ou exibidos filmes com atores, diretores ou técnicos judeus, mas o teatro continuou intocado. Autores como Jean-Paul Sartre, Albert Camus e Jean Anouilh continuaram edificando o público nesses anos de chumbo. Quanto a Sartre, ele lançou para o novo público não só a sua peça As Moscas c omo

também a sua grande obra de filosofia O Ser e o Nada e Camus estreou no romance com O Estrangeiro, e lançou o seu principal livro filosófico, O Mito de Sísifo - quatro obras contra as quais os censores nazistas nada tiveram a objetar. Duas das peças mais importantes de Anouilh, Eurídice e Antígona, estrearam durante a Ocupação. Também foram permitidas pelas autoridades alemãs publicações de livros de Simone de Beauvoir (o romance Ela Veio para Ficar), Marguerite Duras (o romance Os Impudentes) - ela ainda foi secretária da comissão indicada por editores franceses e reconhecida pelas autoridades nazistas para controlar a distribuição de papel de imprensa, comissão que tinha

assim um papel na censura -, Louis Aragon (cinco livros de poemas, inclusive o ciclo sobre Elsa, mais um romance, Os Viajantes da I mp er i al ) e Paul Éluard (os poemas com os significativos títulos, dadas as circunstâncias, de Poesia e Verdade, Liberdade e Sete Poemas de Amor em Guerra). É claro que vários desses grandes nomes da cultura, além de durante a Ocupação estarem empenhados em entreter e ilustrar, com obras aprovadas pela censura, um público que incluía as autoridades nazistas e os soldados alemães, também dedicavam algum tempo a atividades clandestinas na Resistência aos invasores. O objetivo de Riding, afinal, não é o de denegrir o patriotismo ou a éti-

ca dos franceses que continuaram trabalhando sob os ocupantes nazistas, e sim o de chamar atenção para alguns dos dilemas mais agudos que seres humanos tiveram de enfrentar. É que, no meio do caminho entre os poucos que eram resistentes em tempo integral e foram mortos pelos nazistas e os muitos que eram colaboracionistas em tempo integral, dos quais uns poucos foram castigados após a Libertação, havia toda uma multidão de artistas e intelectuais que desempenharam todas as nuanças das atitudes possíveis de misturar ainda que fosse um mínimo de resistência com um mínimo de colaboração. Não afirme Desta água não beberei, já diziam os antigos.

A inspiração unindo muros Aquiles Rique Reis

“Q

uando um muro separa, uma ponte une”, diz o verso de Paulo César Pinheiro em Pesadelo, dele e Maurício Tapajós. O Cerquize que eu conheci é múltiplo. Compositor, criou um grupo na internet, o Cardiem, fazendo dele a ponte que une os que os muitos muros da vida teimam em distanciar. No Cardiem, ele teceu uma teia de pessoas que se interessam por música e por cultura. Feito rastilho de pólvora, muitos se uniram em torno do líder que os imaginava juntos para o diálogo e para a interação. Ele mesmo cuidando de demonstrar que fazer música é um

ato de se dar aos outros, de reunir palavras a notas musicais, tornando-as música. E as parcerias se multiplicam. Felipe Cerquize é um Quixote de moderna utopia. Depois de encarar mil e um moinhos, dois mil e trezentos quilômetros percorridos, saindo do Rio de Janeiro e indo até Diamantina, em Minas, lançou Pelos Caminhos da Estrada Real (Giostri Editora). Não satisfeito, lança agora o ótimo CD Minas Real (Doispor2), com cinco músicas dele com seus parceiros mineiros que frequentam o Cardiem. Claudio Nucci e Giovanni Bizzotto o produziram, imprimindo-lhe uma

sonoridade acústica que remete às estradinhas do interior, as que levam a recantos fascinantes e sedutores com suas culturas populares. Com introdução de baixo (Cléber Silva) e percussão (Claudio Infante) calcada em tambores e caixa, tendo o violão de doze cordas de Nucci e o bandolim de Giovanni Bizzotto a pontear, Renato Braz canta Minas Real (Heitor Branquinho e Felipe Cerquize): Vi-

las, chapadas/ o pé na estrada/ vontade de ser feliz. Fazendo duo com ele próprio, a voz encantadora de Renato acende o fogo no coração de quem o escuta, fogueira daquelas de arder até o dia clarear. Paula Santoro cantaAvalanche (Tavito e Felipe Cerquize). Delicadamente, ela, o piano (Felipe Silveira) e o violão (Giovanni Bizzotto) começam: Muita força na contracorrente/ Muita luta neste

mundo cão/ Cada um tem seu próprio tempo/ entre a fé no sonho e na razão. A voz de Paula, intensa, agrega simplicidade à canção. O ritmo embala para presente o que já soava lindo. O violão sola com requinte. Nucci faz vocalizes com Paula. Tudo Isso de Viver (Felipe Cerquize e Murilo Antunes) é interpretada por Claudio Nucci. Tocando violões de doze e de seis cordas, além de guitarra, ele cria o ar que respira para cantar. Bela interpretação. Déa Trancoso fulgura em Nossos Filhos (Felipe Cerquize e Márcio Borges). A escaleta de Felipe Silveira e o violão de doze cordas

de Claudio Nucci, somados à percussão, dão ainda mais vida à sua voz. Encerrando, Cães e Gatos (Felipe Cerquize, Célio Mattos e Fernando Brant). Maurício Maestro canta, toca baixo e guitarras, e, junto com Claudio Nucci, revivendo tempos memoráveis no Boca Livre, vocalizam com a leveza que sempre caracterizou os arranjos de Maurício. Eis Felipe Cerquize, um cidadão que busca fazer de seu talento algo que marque o presente e fique para o futuro.

Aquiles Rique Reis, músico e vocalista do MPB4.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

28

sexta-feira, 13 de julho de 2012

Programa de família Aproveite a Cidade mais vazia nas férias de julho para evitar as filas de espera nos restaurantes, e levar a criançada para comer fora de casa em grande estilo.

Lúcia Helena de Camargo Paulo Pampolin/Hype

C

rianças em férias merecem um passeio especial com a família. Depois de bom filme no cinema, um passeio a uma exposição ou uma peça de teatro, que tal uma refeição gostosa em um restaurante? Se o ambiente for lúdico e convidativo à brincadeira, tanto melhor. O Famiglia Mancini, recém-eleito o Melhor Restaurante Italiano da Cidade pela revista O Melhor de São Paulo (editada pelo jornal Folha de S. Paulo) oferece um cardápio com centenas de itens. As massas são as vedetes. E, como se sabe, a maioria das crianças adora um macarrão. Borboletas no prato Luna Reggiani, de cinco anos de idade, acompanhou a reportagem do DC, juntamente com a mãe, Luana, para conferir as delícias do cardápio da Famiglia Mancini. A menina escolheu almoçar farfalle com champignon, que leva molho branco, cogumelos e queijo parmesão. Servido em uma grande travessa, custa R$ 82 e serve três pessoas. Farfalle, em italiano, significa borboleta. E o formato da massa foi justamente o motivo da escolha. "Oba! vou comer borboletinhas!", comemorava a garota. A sobremesa foi petit gateau com sorvete de creme. Se a família preferir uma carne, recomendamos o ossobuco (R$ 92), servido com risoto. O prato é também suficiente para dois ou três comensais. Há rondelli gratinado, tortelloni verde, lasanhas, perna

de cabrito ao forno (R$ 158) entre muitas outras opções. Depois da refeição, a ideia é explorar o ambiente. A fonte no meio do restaurante encantou Luna. E a garrafas penduradas no teto despertaram a curiosidade. "Quem será que bebeu o que tinha dentro dessas garrafas?", questionou, ao perceber a exuberante decoração. A casa ostenta números superlativos. Desde sua inauguração registra já ter servido 10 milhões de visitantes, número maior do que as populações somadas das cidades italianas de Roma, Milão, Nápoles, Turim e Palermo. O movimento é grande. Por isso, a dica é aproveitar as férias de julho para passear ali com a família, preferencialmente de segunda a quinta. Com a Cidade mais vazia podem ser evitadas as filas de espera que costumam se formar à porta. A rua é dominada pelos empreendimentos de Walter Mancini. Além da Famiglia há o restaurante mais sofisticado que leva seu nome; a pizzaria; a loja Caligraphia e a casa de frutos do mar Madrepérola. O empresário patrocinou a revitalização da área, com colocação de piso ecológico nas calçadas e na própria via (que facilita a absorção da água da chuva), investiu no verde, com canteiros e vasos de plantas e em fontes de água, que conferem um ar bucólico à Avanhandava.

d

cultura

Paulo Pampolin/Hype

Luna Reggiani come seu macarrão de borboletas no restaurante italiano Famiglia Mancini, servido pelo garçom Jota Amaro. A mãe, Luana, compartilhou com a filha a massa gratinada.

Famiglia Mancini. Rua Avanhandava, 81. Bela Vista. Tel.: 3255-6599. www.famigliamancini.com.br

Mauro Holanda/Divulgação

Divulgação

Hambúrguer e milk-shake

A

lanchonete Milk & Mellow tem todas aquelas comidas que criança gosta. Tanto na loja da Granja Viana quanto na da avenida Cidade Jardim oferece, neste mês de férias, descontos e opções especiais para quem tem menos de dez ou mais 60 anos. É a sugestão de programa para avós e netos aproveitarem juntos. O bufê de saladas, com sobremesa, sai por R$ 36,20. Se incluir também o bufê de grelhados e sobremesas, custa R$ 39,50. O cardápio Kids Hambur ger, que vem com hambúrguer simples, suco de laranja, ba-

tata frita smiles ou nuggets sai por R$ 21,30. O Hot Dog, com os mesmos acompanhamentos, custa R$ 18,90. E o Frango Burger, composto de hambúrguer de frango, com fórmula igual à dos anteriores, é vendido por R$ 22,40. Outras opções: cheese salada (R$ 17,20) com milk-shake de chocolate (R$ 16,90). E a novidade: sanduíche de carne louca (R$ 15,30). Rod. Raposo Tavares, Km 22. Shopping The Square Open Mall. Loja 144. Tel.: 4617-3335. www.milkmellow.com.br

Na Bracia, carrossel e brincadeiras com vídeo.

N

a churrascaria Bracia Parrilla a criançada tem uma área especial para brincar, com um carrossel (foto) em miniatura, escorregadores e mesinhas para desenhos, além de teatro de fantoches e jogos eletrônicos interativos. O espaço infantil acaba de inaugurar o canto chamado de “Meu Amigo Pet”: um macaquinho virtual interage com a imagem da criança, captada por uma câmera. O espaço infantil funciona todos os

dias à noite e o dia todo nos finais de semana, com três monitores para orientar os pequenos. No cardápio, destaque para a seção Kids, com opções de pratos como bifinho de filé mignon com arroz e fritas (R$ 28,90); espaguete com molho branco ou ao sugo com bifinho (R$ 29,90) e hambúrguer de picanha com arroz e fritas (R$ 28,90). Rua Azevedo Soares, 1008. Tatuapé. Tel.: 2295-0099. www.braciaparrilla.com.br

Cachorro-quente Sem batata-palha, milho, purê de batata ou vinagrete. Na Família Burger, a atração é o cac ho rr o -q ue nt e tradicional (foto), aquele apenas com

salsicha no pão, maionese, mostarda e catchup. O lanche custa R$ 5,10. Rua Monte Alegre, 681. Perdizes. Tel.: 3672-8989. ww w. fam ili ab urger.com.br

Tadeu Brunelli/Divulgação

Pingos de chocolate É fácil fazer a felicidade de uma criança com chocolate. Na Tchocolath: Copo Herói (foto), com 800 gramas de pingos de chocolate (R$ 149). E Tchocoflakes – com flocos de milho (R$ 16,80, 100g). Rua Antonio Afonso 19. Vila Nova Conceição. Tel.: 3842-5623. www.tchocolath.com.br Fotos: Tadeu Brunelli/Divulgação

Redondas com muita cobertura

P

izzas estão entre as comidas favoritas do pessoalzinho em férias. Na Pizzaria Soggiorno, no Alto da Lapa e em Alpha-

ville, faz sucesso entre as crinaças a de carpaccio de morango, que leva camada de brigadeiro, fatias de morango, sorvete de

baunilha e calda de chocolate. www.soggiorno.com.br Na Julia Pizza Bar, que fica em Santana, entre as mais pedidas

está a tradicional margherita, que leva mussarela, tomates em rodelas e manjericão (R$ 52). www.pizzariajullia.com.br

DC 13/07/2012  

Diário do Comércio

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you