Page 1

Ano 90 - Nº 24.062

Página 4

Jornal do empreendedor

Conclusão: 23h45

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Homem-rojão dispara – violência tem preço: R$ 150.

ROJÃO ATINGE POLÍTICOS O rojão mortal que Caio da Silva Souza (foto) confessou ter acendido está ricocheteando em "partidos políticos" ainda não nomeados. Advogados, presos e a polícia dizem que militantes são recrutados para criar o "terrorismo social". Pág. 8

Presos sete homens-ônibus São acusados de incendiar dois ônibus e tentar atear fogo em um terceiro na Brasilândia, zona norte da Cidade. Pág. 8 Fábio Motta/Estadão Conteúdo

Uéslei Marcelino/Reuters

E no 5º dia, Afif abre empresa.

Pedro Ladeira/Folhapress

Diminuir a burocracia é o objetivo do ministro Afif (com Dilma) com o portal da Rede Sim. Pág. 13 Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

MST x PM: 32 feridos e STF parado.

Tumulto e confronto entre manifestantes e policiais forçaram a suspensão de sessão do STF. 30 PMs e dois manifestantes ficaram feridos. Pág. 6 Miguel Gutiérrez/Efe

O D A S AS

C

Natan Donadon não é mais deputadopresidiário. Em votação aberta, a Câmara cassou o mandato do condenado no Mensalão por 467 votos e uma abstenção. Há 6 meses, o mesmo plenário, em votação secreta, rejeitara a cassação. Pág. 5

Energia: a era da dança da chuva está longe do fim. Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infraestrutura, deixa bem claro: a culpa não é de São Pedro. Pág. 11

ISSN 1679-2688

24062

9 771679 268008

2 mortos em protestos na Venezuela O presidente e a 1ª-dama Maduro viram "os golpistas" sendo golpeados por homens armados. No confronto, dois mortos. Pág. 7


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Ao conjunto de casos psicanalíticos soma-se a competência de João Santana, alinhado com Franklin Martins. Mário Ribeiro

NOSSA POSIÇÃO

É preciso colaborar iversas regiões do Brasil, entre as quais São Paulo, enfrentam neste verão não apenas uma temperatura mais elevada que a normal, como uma estiagem atípica, que afeta os reservatórios das represas que se destinam ao consumo de água da população e à geração das usinas hidroelétricas. Em consequência do calor anormal, que perdura há muitos dias, o consumo de água tende a aumentar, bem como o de energia, pois mais aparelhos de ar condicionado e ventiladores são ligados para amenizar o efeito da temperatura extremamente quente. Na Região Metropolitana de São Paulo, servida pela Sabesp a partir do reservatório da Cantareira, a situação é crítica, pois o nível da represa está bem abaixo do normal para a época do ano, ameaçando a continuidade do abastecimento se não chover no curto prazo. Quanto à energia elétrica, embora o governo tenha afirmado que o recente apagão nada teve a ver com sobrecarga do sistema, houve significativa expansão do consumo , resultante do forte aumento da venda de eletrodomésticos nos últimos anos e do maior uso de aparelhos em função do calor. Os reservatórios das regiões Sudeste e Centro-Oeste estão nos níveis mais baixos desde 2002, o que justificaria a adoção de medidas preventivas para evitar o racionamento. A Sabesp adotou uma política de estímulo aos consumidores ligados ao reservatório da Cantareira, premiando aqueles que economizarem 20% do consumo médio dos 12 meses anteriores, com um desconto de 30% na tarifa – o que pode propiciar economia superior a 40% para os que atingirem esse objetivo.

zada. Com isso, aumentou o montante de subsídio necessário para evitar o aumento das tarifas, postergando o ajuste indispensável para equilibrar as contas do setor energético. A sinalização transmitida pela política de preços da energia , ao contrário do que mostra a realidade, é que não há problemas de escassez de oferta, não se oferecendo nenhum estímulo para a racionalização do consumo.

D

uma medida inteligente porque oferece significativo estímulo financeiro a quem colaborar para a redução do consumo. No caso da energia elétrica, no entanto, a política adotada nos últimos dois anos foi no sentido de reduzir as tarifas, estimulando o aumento do consumo, recorrendo-se a pesados subsídios para evitar a correção das mesmas. A situação se agravou com a seca, que obrigou à maior utilização da termoeletricidade, de maior custo – além de mais poluente – em um período em que normalmente ela não era utili-

mbora não haja incentivo ao consumidor de energia para reduzir o consumo, entendemos que o atual quadro apresentado pela oferta deve ser de economia, especialmente porque o aumento dos custos da eletricidade, que não é pago por quem consome, acaba sendo distribuído para todos como contribuintes, numa forma injusta de repartir a conta. Além da injustiça desse rateio, prevalece o problema de que a sinalização dos preços não induz ao menor consumo. Independente dessa questão tarifária, todavia, é necessário que a sociedade se conscientize da gravidade da situação, tanto no que se refere ao uso da água como da energia elétrica, e que se empenhe em reduzir o consumo de ambas para evitar chegarmos às medidas de restrição compulsória. A população brasileira demonstrou, durante o racionamento de energia elétrica de 2001, sua capacidade de colaborar para a redução do consumo. É hora de dar novamente sua contribuição, antes que a situação piore. Os empresários precisam dar exemplo, adotando medidas para diminuir o consumo de água e energia em suas empresas e estimulando seus colaboradores a adotar ações semelhantes em suas casas – mesmo se não houver nenhum benefício aparente, como uma tarifa menor sobre a água, porque sempre farão economia financeira ao gastar menos o líquido.

E

É

SXC

ais importante, contudo, é que vão contribuir para evitar um possível racionamento, algo sempre muito mais negativo do que o controle voluntário. Não cabe, no momento, discutir os erros e acertos das políticas relativas à energia e à água, mas sim colaborar para a superação do problema.

M

Empresários devem dar exemplo, com medidas parareduzir o consumo de água e energia em suas empresas.

SÓ FREUD PARA EXPLICAR MÁRIO RIBEIRO s perguntas abaixo podem parecer aparentemente óbvias, mas não são. 1 - O que pretendeu a presidente Dilma no atabalhoado "tour" DavosLisboa-Havana ao usar toda sua capacidade de trocar as mãos pelos pés e se lixar para o que pensa a sociedade civil consciente? 2- Quais as verdadeiras intenções do PT em promover a interminável sequência de factoides, que vão da manipulação vergonhosa de números da "contabilidade criativa" à "vaquinha" para pagar as multas dos mensaleiros? 3- Por que o ex-presidente Lula, considerado um língua-solta, se silencia diante de seguidas crises institucionais do governo, ficando de atalaia no instituto que tem seu nome,

A

só soltando sua voz rouca com sacos de maldade para assustar a oposição tímida? resposta é uma só: submissão ao Foro de São Paulo. Basta meditar sobre a foto recentemente divulgada em que a presidente Dilma aparece amparando, em inexcedível carinho, o caquético ditador cubano, e analisá-la sob a ótica freudiana . Esta paixão edipiana não se restringe à nossa presidente, pois parece comum a todo petralha de raiz não ter a menor dúvida de que Deus se encarna na figura de Fidel desde a fracassada invasão americana à Baía dos Porcos, quando o ditador cubano jurou impor sua ideologia por toda a América Latina (ler Mil Dias – John F.

A

Kennedy na Casa Branca, de Arthur Schlesinger). Falar em Foro de São Paulo implica agregar à paranoia castrista as teorias malignas do guru Antonio Gramci, morto há oito décadas mas cada vez mais 'vivo" no mundo atual, inclusive dando um "rolezinho" para lá de competente em Marx, Trotski, Lenine et caterva. Ao conjunto de casos psicanalíticos soma-se a competência de

João Santana, o nosso Goebbels, agora alinhado com Franklin Martins. Não passa de ilusão da sociedade civil consciente a possibilidade de o caos instalado no País impedir a reeleição da presidente porque bem mais numerosos são os votos da "nova classe média", subsidiada por "bolsas-voto", somados aos de boa parte da velha classe média que docemente se deixa tapar os olhos diante da escancarada inflação.

Na campanha já há muito iniciada, os "panzers" de João Santana serão cada vez mais inclementes na dominação de corações e mentes, usando a fantasia e a manipulação de fatos e de números. osso Goebbels é um gênio em diabruras. Ele impede os petralhas, por exemplo, de responder acusações sobre loucuras administrativas do governo preferindo contraatacar através de novos factoides, tática que tem dado certo para manter a oposição paralisada. Assim, pode-se esperar que através de várias ações, logo ficarão para as calendas gregas as trapalhadas da turnê Davos-Lisboa-Cuba e a demonização em torno

N

da inauguração do porto de Muriel, que, ao final, será visto pelo povão como um grande negócio para o Brasil. Nova Teoria da Conspiração, que circula entre experts em artimanhas petistas, reza inclusive que, diante de possibilidades (nunca confirmadas, é bom que se diga) de que Fidel possa vir a morrer um dia, o escolhido para substituí-lo seria ninguém menos do que ele, Luís Inácio, que se tornaria, por justiça e sem eleição direta, Imperador 1º e Único do Foro de São Paulo e de toda América Latina. Dizem que ele "só pensa naquilo". Depois, será a vez do mundo...

A

MÁRIO RIBEIRO É JORNALISTA E PUBLICITÁRIO

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli e Sílvia Pimentel. Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Arte e Diagramação: José dos Santos Coelho (Editor), André Max, Evana Clicia Lisbôa Sutilo, Gerônimo Luna Junior, Hedilberto Monserrat Junior, Lino Fernandes, Paulo Zilberman e Sidnei Dourado. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens: dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

3

DIZER 'NÃO' SOB PRESSÃO PODE SER MUITO MAIS DIFÍCIL DO QUE ACREDITAMOS.

Você mentiria por mim? VANESSA K. BOHNS uais as chances de você conseguir que alguém minta por você? E destruir propriedade pública por sugestão sua? A maioria de nós presume que as pessoas concordariam com tais esquemas somente se, em algum nível, se sentissem confortáveis fazendo isso. Caso contrário, elas simplesmente diriam "não", certo? Não obstante, uma pesquisa indica que dizer "não" pode ser mais difícil do que acreditamos – e que temos mais poder sobre as decisões alheias do que achamos. Os psicólogos sociais passaram décadas demonstrando como é difícil dizer "não" às propostas alheias, mesmo quando são moralmente questionáveis – considere as experiências infames de Stanley Milgram, nas quais os participantes foram persuadidos a administrar o que acreditavam que eram choques elétricos perigosos em um colega participante. Váriosestudos demonstraram posteriormente que, da mesma forma, achamos difícil resistir à pressão social dos pares, amigos e colegas. Nossas decisões em relação a tudo, desde desligar as luzes ao sairmos de uma sala, ou quando ligamos para avisar que estamos doentes e não vamos trabalhar, são afetadas pelas ações e opiniões dos nossos vizinhos e colegas.

Q

quanto os momentos em que somos aqueles tentando fazer com que alguém aja de forma antiética? Temos noção de quanto poder exercemos com um simples pedido, sugestão ou desafio? As novas pesquisas desenvolvidas por mim e meus alunos indicam que não. Examinamos essa questão em uma série de estudos onde fizemos os participantes pedir a desconhecidos que realizassem ações antiéticas. Antes de fazer suas solicitações, os

doente e ir a um jogo de beisebol. Um grupo recebeu as instruções para pensar nessas transgressões do ponto de vista da pessoa decidindo se iria cometê-los e imaginar-se recebendo conselhos dos colegas sugerindo que eles fizessem isso ou não. Outro grupo assumiu o lado contrário e pensou nos dilemas do ponto de vista de alguém aconselhando outra pessoa a cometer ou não cada ato.

participantes previram quantas pessoas elas achavam que concordariam. Em um estudo, 25 universitários solicitaram a 108 alunos desconhecidos que danificassem um livro da biblioteca. Os alvos que obedeceram escreveram a palavra "conserva" com caneta em uma das páginas. Assim como nos estudos de Milgram, muitos dos alvos protestaram. Eles pediram aos instigadores que assumissem total responsabilidade por quaisquer repercussões. Entretanto, apesar da hesitação, uma boa parte ainda assim aceitou fazer o que pediam.. o mais importante para a questão da nossa pesquisa, mais alvos aceitaram do que os participantes haviam antecipado. Os nossos participantes previram que uma média

s participantes do primeiro grupo foram fortemente influenciados pelos conselhos que receberam. Quando foram encorajados a cometer o delito, eles disseram que se sentiram mais confortáveis em agir assim do que quando foram aconselhados a não agir. O nível de conforto médio deles caiu para

O

E

E

de 28,5 % cooperaria. De fato, exatamente a metade dos que foram abordados concordou. Além disso, 87 % dos participantes subestimaram o número de pessoas que eles conseguiriam persuadir a estragar o livro. Em outros estudos, pedimos a 155 participantes que pensassem em uma série de dilemas éticos – por exemplo, avisar no trabalho que estava

SXC

Nossas decisões em relação a tudo, desde desligar as luzes ao sair de uma sala, ou ligar para avisar que estamos doentes e não vamos trabalhar, são afetadas pelas ações e opiniões de vizinhos e colegas.

aproximadamente a metade de uma escala de sete pontos após receber conselhos antiéticos, mas caiu para mais perto do zero da escala após receber conselhos éticos. Todavia, os participantes no papel de "conselheiros" achavam que as suas opiniões teriam pouca influência nas decisões alheias, presumindo que os participantes no primeiro grupo se sentiriam igualmente

incomodados , independentemente de ter recebido conselhos éticos ou antiéticos. No geral, a nossa pesquisa, que foi recém-publicada na revista Personality and Social Psychology Bulletin, sugere que quase sempre não reconhecemos o poder da pressão social quando somos aqueles que a exercem. Particularmente, essa tendência pode ser especialmente acentuada em culturas como os Estados Unidos, onde a independência é tão altamente valorizada. A cultura americana idolatra as pessoas que resistem à pressão de grupo, mas isso não significa que a maioria resista; de fato, tal idolatria pode ocultar, e assim facilitar, a conformidade à pressão social, especialmente quando somos os responsáveis pela pressão. Considere os papéis na experiência de Milgram: a maioria das pessoas provavelmente imaginou ser uma das pessoas enfrentando a pressão. Contudo, na vida cotidiana, fazemos o papel do experimentador metafórico nesses estudos, na mesma proporção em que fazemos o do participante. Fazemos bullying. Pressionamos os outros a ignorar o trabalho a fim de sair para beber, ou não dar a gorjeta a uma garçonete tendo uma noite ruim. Essas sugestões não são sempre erradas ou antiéticas, mas podem impactar o comportamento alheio mais do que nos damos conta. Se não reconhecermos até que ponto a probabilidade das nossas sugestões e ações afetam o comportamento alheio, acabaremos negligenciando as coisas que dizemos e fazemos. Por outro lado, podemos deixar de falar o que achamos ser certo. VANESSA K. BOHNS É PROFESSORA ASSISTENTE DE ADMINISTRAÇÃO DA UNIVERSIDADE DE WATERLOO EM ONTÁRIO. THE NEW YORK TIMES NEWS SERVICE/SYNDICATE

SE EU FOSSE PRESIDENTE... SXC

o longo dos anos, quase duas décadas, vimos escrevendo sobre os grandes problemas brasileiros, apontando os erros, e propondo soluções. Mas como é normal no País, mostramos as soluções, e só se leem os problemas. E vamos piorando a cada dia, e nada é feito. Assim, abrimos aqui um espaço, mais escancarado, para falar das soluções. Vamos começar por um assunto amargo. Como primeiro ato, pelo bem do País, vamos decretar o fim da bolsa esmola. Imediatamente, sem mais delongas. É claro que virão muitos, com paus e pedras, dizendo: “Como? Matar de fome essas 14 milhões de famílias, com 60 milhões que a recebem?

A

anter a bolsa esmola, bem como outros programas sociais desse tipo, é condenar o País ao eterno atraso. Vide que não crescemos há exatos 33 anos, com a ínfima taxa de 2,5% na média anual. Ou seja, quase duas gerações perdidas. Ela será completada em breve, inexoravelmente. Assim, acabar com esse tipo de programas paternalista é patriotismo urgente. E como ficam as pessoas participantes dela? Simples,

M

SAMIR KEEDI

Na Europa, ferrovias são o principal meio de transportes de cargas. irão trabalhar, produzir, consumir de fato, orgulharse, como será explicado. Isso não é possível, não há empregos, dirão os que querem manter as pessoas no cabresto, tendo seu voto e apoio. Mantê-los eternamente com as migalhas da bolsa esmola. Vamos à solução, fácil, rápida e prática. Pelo bem de 201 milhões de brasileiros. Pelo mal do governo, é claro. osso país, como se sabe, tem a pior infraestrutura e logística possíveis. O Fórum Econômico Mundial nos classificou, em 2012, na 104ª posição em infraestrutura, sendo 91ª em ferrovia, 110ª em rodovia, 122ª. em aerovia e 130ª. em portos. Isso entre 142 países

N

analisados. Em 2013, com 144 países, caímos para a 107ª posição em infraestrutura e 135ª em portos. Se formos mais fundo, nossa posição real é ainda pior. Considerando que há no mundo, talvez, não mais do que uns 50 a 70 países que contam, o caso fica mais trágico. Fazemos 60% do nosso transporte interno por rodovia, que é o mais caro que existe. E, apesar de toda dessa dependência, única entre os países que contam de fato, não temos estradas suficientes. E as que temos são péssimas, ruins ou regulares. Temos só 1,6 milhão de quilômetros de estradas, com apenas 12% asfaltadas. Os EUA, que não são rodoviaristas, usam o

modo em 32% das cargas, têm 6,4 milhões de quilômetros de estradas, sendo quase 64% asfaltadas. Nossos portos têm muito a avançar. Faltam portos e terminais. Chegando ao absurdo de, um único porto, o de Santos, concentrar 26% do comércio exterior brasileiro. É um contrassenso. ossa ferrovia é a menor do mundo. Com apenas 28 mil quilômetros, o mesmo de 1920. O que representa 3,4 quilômetros lineares por km2 de território. A Argentina tem 12, a Inglaterra 60, a França 70 e a Alemanha 130. A ferrovia da Alemanha, em termos absolutos, representa 160% da ferrovia brasileira, com 45 mil quilômetros lineares, apesar de seu pequeno território. Temos 63 mil quilômetros de rios, sendo 42.000 navegáveis e apenas 21.000 utilizados, representando

N

2% do transporte da nossa carga. Há algo de errado! Enquanto isso, mantemos mais de 60 milhões de pessoas capazes fora do mercado de trabalho, como mostrado em nosso artigo anterior, “O fim da farsa do emprego”. ssim, precisamos acabar com a bolsa esmola. Num dia se acaba com ela, e no outro as pessoas vão tra6balhar na nossa infraestrutura. Se não for possível de imediato, dar-seiam mais algumas semanas para ajuste do programa e daríamos início, finalmente, ao desenvolvimento e progresso através da mais produtiva ação que se pode imaginar. Com trabalho, as pessoas terão orgulho. Terão um salário, pelo menos igual ao salário mínimo, ou acima. Terão registro em carteira, assistência médica, valerefeição, vale-alimentação, vale-transporte, e tudo o mais .

A

Todos sabem que, com mais dinheiro, há consumo, há produção, há investimento. Acreditamos que todos podem imaginar uma nova massa de dezenas de milhões de consumidores com salário, e não com migalhas da bolsa esmola. O

crescimento é imediato. Acreditamos difícil alguém ousar seguir pelo caminho da contrariedade e da obviedade do colocado. Ninguém desconhece as razões do fim da escravidão, tanto no Brasil quanto no mundo. O capitalismo precisa de consumidores e escravos não consomem. A bolsa- esmola não é mais do que a escravidão do passado com roupagem presente, e nessa não há escolha de cor da pele, apenas escolha de votos.

Com isso, nossos custos logísticos ( transporte na maior parte), extremamente altos, serão muito aliviados. Melhoraremos a competitividade interna, e em especial a externa. Principalmente se considerarmos que estamos no fundinho da América Latina. Mais longe que a maioria dos demais países, nossos concorrentes, em especial os que contam, dos grandes países compradores e consumidores. O que aumenta mais nossos custos logísticos. SAMIR KEEDI É BACHAREL EM ECONOMIA, PROFESSOR DE VÁRIAS UNIVERSIDADES E DA ADUANEIRAS E AUTOR DE VÁRIOS LIVROS EM COMÉRCIO EXTERIOR”. SAMIR@MULTIEDITORAS.COM.BR


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

gibaum@gibaum.com.br

Cena de estupro da personagem Neidinha (Jéssica Barbosa), na novela Em Família, foi cortada pela metade.

2 “Aquilo é puro cinema iraniano, elevado à décima potencia.” PEDRO BIAL // sobre o Big Brother Brasil, exibido 24 horas por dia, sem cortes. Fotos: `Paula Lima / Divulgação

Mais jovens Está no The New York Times: a Academia Americana de Cirurgia Plástica fez uma pesquisa entre 500 mulheres com mais de 50 anos e descobriu que quase 70% delas se sentem pelo menos seis anos mais novas. Não contente com a média, a entidade decretou que os 50 anos são os novos 30, até lembrando que figuras como Brad Pitt, Courtney Cox e Johnny Depp viram cinqüentões este ano. A propósito: de 14 a 16 de março, no Sheraton WTC, em São Paulo, acontece a 15ª edição do Simpósio Internacional de Cirurgia Plástica, maior evento da América Latina, com a participação de mais de mil cirurgiões do mundo. O presidente de honra será o famoso Ivo Pitanguy.

QUEM RECEBEU Vinte empresas de comunicação que teriam recebido (ou não) os R$ 73,8 milhões da agência DNA do mensalão estão sendo notificadas, judicialmente, para confirmar a entrada do dinheiro (e inocentar réus acusados de desvio) ou garantir que nunca viram esses pagamentos, reforçando a linha do julgamento que culminou com a prisão de diversos mensaleiros. É um esforço dos advogados de Ramon Hollerbach e Cristiano Paz, condenados a 29 e 26 anos de prisão, respectivamente.

Comemorando 83 anos de idade e 65 anos de carreira, Cauby Peixoto (primeira foto à esquerda), uma das mais queridas figuras da música brasileira, foi abraçado e aplaudido por uma legião de amigos e admiradores, numa noite em sua homenagem, esta semana, num grande buffet em Mauá, perto de São Paulo. Na platéia – e depois, cantando a seu lado, no palco – veteranos amigos, de Angela Maria (84 anos) a Moacyr Franco (77 anos). Também lá, entre os convidados, da segunda foto à esquerda para a direita, Geisy Arruda, Simony, Cozete Gomes (de Mulheres Ricas) e Sidney Magal. Aí, perguntaram a Cauby o que mais ele queria da vida. E ele: “Mais fãs!”

A noite de Cauby

O governo federal, incluindo especialmente ministros e outros nomes do primeiro escalão que, no passado, participaram da luta armada contra a ditadura militar, tem sido quase omisso em relação à ação desses grupos mais violentos. Prefere manter distancia, empurrando a repressão – e seu desgaste – para governadores, cujas policias não estão preparadas para encarar o fenômeno. Mesmo que a reação à violência seja legitima, todos os excessos são patrulhados. Agora, a Abin – Agência Brasileira de Inteligência, crucificada por Dilma em junho do ano passado, quando não previu as primeiras manifestações, acompanha nas redes sociais convocação de extremistas para a mesma luta armada dos anos de chumbo. O que beira o terrorismo.

Luta armada

Agora, ameaçada por fuga de médicos cubanos e êxodo de profissionais brasileiros, o programa Mais Médicos, uma das vitrines da campanha de reeleição de Dilma Rousseff, conta com quase R$ 2 bilhões de verba no orçamento: R$ 1,5 bilhão sob a responsabilidade do Ministério da Saúde, R$ 359,5 milhões do Ministério da Educação e outros R$ 28,6 milhões do Ministério da Defesa. A verba inclui pagamento da bolsa-formação para os médicos participantes, passagens aéreas para deslocamentos, hospedagem, alimentação e transporte dos médicos durante as semanas de treinamento e ajuda de custo, entre outros.

Um e outro Nove entre dez experientes jornalistas que sempre acompanharam campanhas eleitorais, depois de revelado que Junior Friboi, empresário goiano que quer ser governador de Goiás (está em terceiro lugar nas pesquisas, muito favoráveis a Marconi Perilo) contratou Duda Mendonça como seu marqueteiro por R$ 20 milhões, apostam que João Santana, marqueteiro da campanha de Dilma Rousseff, ganhará, no mínimo, o dobro para tentar reeleger a presidente. Fora honorários especiais para Franklin Martins, que cuidará da internet e da mídia. Santana, como se sabe, começou trabalhando com Duda Mendonça.

FESTANÇA Dia 10 de março, o prépresidenciável Aécio Neves comemora 54 anos e amigos tucanos querem transformar a data numa grande festa política. Muitos, incluindo artistas – e entre eles, Luciano Huck – estão gravando mensagens cumprimentando o aniversariante. Outros gravarão mini-depoimentos até na festa, dando força à campanha do mineiro. A seu lado, está Letícia, sua mulher, grávida: essa imagem doméstica do candidato começará a ser utilizada, inicialmente na internet.

MISTURA FINA A BAHIA deverá ser o primeiro estado a liberar o consumo de cerveja nos estádios. Na semana que vem, o governador Jaques Wagner deverá sancionar projeto aprovado na Assembléia que, contudo, determina que a bebida só poderia ser consumida trinta minutos antes e depois do jogo.

NO SBT, está mais do que decidido: Chiquititas deverá esticar até o começo do ano que vem e a autora, Iris Abravanel, mulher de Silvio Santos, já está debruçada para a novela que a substituirá. Por outro lado – e da mesma Iris – a série do SBT Patrulha Salvadora que, além de audiência, caiu no gosto do patrão , ganhará terceira temporada, que já começou a ser gravada.

Kourtney, Khloe e Kim Kardashian estão em novo e sensual ensaio na nova edição da revista Notebook e voltam provocar ácidos comentários das colunas e revistas de gossips, por conta dos excessos de photoshop usados nas fotos, além de serem igualadas na altura (Khloe é muito mais alta). Cinturas ficaram mais enxutas, pescoços mais longos, braços mais finos e quilos a menos. A direita, fora do ensaio, à irmã mais moça, Kendall Jenner, 18 anos, que começa a seguir a mesma trilha das outras três.

Família unida

Reforço Para melhor se preparar em garantir a ordem e a segurança dos grandes eventos em caso de protestos violentos e pensando especialmente no período da Copa do Mundo, o Ministério da Justiça abriu licitação para compra de bastões, caneleiras com joelheiras, capacetes anti-tumulto e máscaras contra gases com filtro. A concorrência acontece diante da previsão de aumento do efetivo da Força Nacional para atuar em momentos de maior tensão e gravidade.

/

AMEAÇADO

MAIS: a decisão foi da direção da Globo que, depois do beijo gay, em Amor à Vida, achou que era "forte demais."

Bom para dormir A ex-comediante Maria Paula acaba de voltar da Califórnia, onde entrevistou, para seu programa de saúde na TV por assinatura, diversas figuras da medicina alternativa, especialmente os ligados a formulas chinesas. Na nova TPM , ela conta que, em sua temporada nos Estados Unidos, descobriu a cura para a insônia que a perseguia há muito anos. “Comia meu chocolate de maconha todas as noites antes de dormir e acordava às seis da manhã, relaxada” Maria Paula sabe que, no Brasil, vai ser meio complicado manter o método, mesmo confiando em amigos que sempre viajam para lá.

/ IN Camisas.

OUT

Camisetas.

O poste do Aécio Nada irrita mais o ex-ministro do primeiro governo de FHC, Pimenta da Veiga, do que ser chamado de o poste do Aécio. Para muitos políticos de Minas Gerais, o rótulo começou a ser espalhado devido ao tempo em que Pimenta da Veiga (e sua bonita mulher, Paola, filha do falecido colunista Wilson) Frade ficou morando em Brasília, tornando-se pouco conhecido de novas gerações de mineiros. Aécio, contudo, vai apostar todas suas fichas na eleição de Pimenta que, há anos, deixou o governo de Fernando Henrique Cardoso super-brigado com o então ministro Sérgio Motta.

AUMENTA o volume de brasileiras, por conta de muita exposição ao sol – e com o verão deste ano, certamente poderá crescer ainda mais – que ganham pintas brancas na pele. São as chamadas sardas negativas, muito difíceis de serem revertidas. Entre as dermatologistas da moda, a mulher que apresenta muitas dessas pintas é chamada de mulher-salaminho .

O EX-craque Ronaldo Nazário não esconde de ninguém que seu candidato ao Planalto é o mineiro Aécio Neves, seu amigo e que ele considera “mais do que competente”. Ronaldo deverá ser um dos primeiros rostos a aparecer na televisão, quando começar o horário eleitoral.

DEPOIS de Louis Vuitton, Ralph Lauren e Cartier, agora é a Lancôme que deixa Buenos Aires. Enquanto isso, os hermanos milionários de lá e grande freqüentadores de Búzios, começam a fazer escala no Rio de Janeiro em busca de produtos de luxo, depois do aumento das restrições às importações na Argentina.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

5

MAURO BORGES SERÁ MINISTRO DO DESENVOLVIMENTO No lugar do ministro Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior), a presidente Dilma decidiu nomear Mauro Borges para pasta. Ele é presidente da Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial. Pedro Ladeira/Folhapress - 28-08-2013

cuada pelo fim do anonimato nas votações de processos de cassação, a Câmara dos Deputados reviu na noite de ontem umas das mais vexatórias decisões da história do Parlamento brasileiro e, enfim, cassou o mandato do deputado Natan Donadon (sem partido-RO), preso desde junho do ano passado na Penitenciária da Papuda, em Brasília. Por 467 a favor, nenhum voto contra e apenas uma abstenção, Donadon perdeu o mandato em votação aberta por quebra de decoro. Neste segundo processo, Donadon foi acusado de denegrir a imagem do Parlamento ao usar algemas em agosto passado e por ter votado na primeira sessão que o livrou da perda do mandato, o que não era permitido. Na votação secreta da ocasião, o resultado foi 233 votos a favor da cassação, quando eram necessários 257 votos. Dos votantes, 131 votaram contra a cassação e 41 se abstiveram. Donadon foi condenado a 13 anos, 4 meses e 10 dias por peculato e formação de quadrilha. Está preso desde junho.

Alex Silva/Estadão Conteúdo

A

'MORALIZAÇÃO' Agora, com discurso moralizador, os deputados se movimentaram para afastar Donadon da Casa numa tentativa de poupar a própria imagem em ano eleitoral. Durante a sessão de ontem, os líderes partidários se revezaram na tribuna defendendo a cassação de Donadon e alegando constrangimento da Casa em manter um "deputado presidiário" entre seus quadros, como se a própria Casa não tivesse criado o primeiro deputado presidiário da democracia brasileira. Em agosto passado, Donadon se livrou da cassação ao fazer um discurso que comoveu profundamente os colegas. A votação foi secreta. ESPADA DE DÂMOCLES Ontem, Donadon surpreendeu os colegas ao comparecer à sessão e não discursar. Chegou sem algemas, com a rou-

Natan Donadon, (agosto de 2013), mostra marca das algemas a colegas no plenário.

João Paulo renunciou e evitou a cassação por voto aberto

Deputados lavam as mãos ao cassar Donadon Câmara tenta se eximir da responsabilidade de ter criado o primeiro deputado presidiário da democracia brasileira por 467 votos e uma abstenção em uma ação por quebra de decoro.

João Paulo fugiu do voto aberto Ex-deputado renunciou na semana passada saída do exdeputado João Paulo Cunha (PT-SP) por conta própria, na semana passada – como fizeram outros deputados condenados no julgamento do Mensalão– impediu que companheiros de partido tivessem de participar de cassação de mandato por voto aberto em pleno ano eleitoral. Ele foi condenado a 9 anos e 4 meses de prisão

A

por crimes de corrupção passiva (3 anos), lavagem de dinheiro (3 anos) e peculato (3 anos e 4 meses). Preso na Papuda, em Brasília, ele pediu para trabalhar em um escritório de advocacia, com salário de R$ 1,5 mil em funções equivalentes às de estagiário de Direito. Caberá à Vara de Execuções Penais do Distrito Federal decidir se autoriza o pedido. Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

pa branca do presídio e a trocou por um terno, gravata e broche de deputado. E deixou o pronunciamento da defesa aos cuidados de seu advogado, Michel Saliba. "O exercício do voto será feito com uma espada de Dâmocles apontada na cabeça. Porque aquele painel [apontando para o painel de votação da Câmara] refletirá o resultado que se propagará na sociedade e na mídia em um ano eleitoral, o voto aberto. Como terá votado o deputado A, o deputado B, o deputado C? Como explicar a questão perante a sociedade?", declarou Saliba. Dâmocles é uma figura da mitologia grega usada para representar a insegurança da-

queles que têm poder e que podem perdê-lo de repente. Aos jornalistas, Donadon fez questão de declarar que o voto aberto "constrange os parlamentares" e que se sentia "injustiçado". Ele deixou o plenário da Câmara antes do término da votação. ALGEMAS Neste novo processo, Donadon era acusado de denegrir a imagem do Parlamento ao usar algemas em agosto passado quando chegou à Câmara e por ter votado na primeira sessão que o livrou da perda do mandato. Líderes partidários disseram ontem que a segunda votação foi a oportunidade para

"corrigir" a sessão de agosto. O líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR), lembrou as manifestações de junho e disse que o voto secreto, vigente até o final do ano passado, "acoberta" os parlamentares processados. "Agora vamos tentar recuperar a imagem do Parlamento da triste noite de agosto de 2013". Para o deputado Ivan Valente (PSol-SP), que integrou a Frente Parlamentar em Defesa do Voto Aberto, a manutenção do mandato de Donadon, ano passado, foi o pontapé para fazer andar a PEC do Voto Aberto. "Foram quase 12 anos até chegarmos aqui neste dia histórico", comemorou. (Agências)

Donadon chega da Papuda e sai antes de concluída a cassação


DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

É o maior roubo da história do País. Paulo Pereira da Silva, deputado (SDD-SP).

Dirceu entra com recurso no STF contra Barbosa

Fabio Rodrigues Pozzebom/ABr

Defesa cita que, em casos urgentes, o regimento interno do STF permite que decisões sejam tomadas sem ouvir o Ministério Público. JF Diorio/Estadão Conteúdo

defesa do ex-ministro José Dirceu enviou ontem à tarde ao Supremo Tribunal Federal (STF) um recurso contra a decisão do presidente da corte, Joaquim Barbosa, que paralisou a tramitação do pedido de trabalho externo feito pelo condenado no processo do Mensalão. Conforme o jornal Folha de S. Paul o revelou anteontem, Barbosa, ao chegar da Europa, modificou decisões que Ricardo Lewandowski havia tomado em janeiro, quando estava interinamente na presidência da Casa. Uma delas determinava que fosse analisado o pedido de trabalho de Dirceu. A análise do pedido havia sido suspensa pela Vara de Execuções Penais do Distrito Federal, que queria uma ampla investigação sobre a suspeita de que Dirceu tinha usado um telefone celular dentro do presídio da Papuda. No final do mês passado a defesa de Dirceu recorreu ao

A

Dirceu insiste: quer trabalhar. Supremo contra a suspensão e obteve a decisão favorável de Lewandowski. Na terça-feira, Barbosa entendeu que a decisão de Lewandowski teria "atropelado o devido processo legal". De acordo com o presidente da Suprema Corte, como nem o Ministério Público e nem a Vara de Execuções Penais foram ouvidos, Lewandowski não poderia ter tomado uma decisão no caso.

No recurso – assinado pelos advogados José Luis Oliveira Lima, Rodrigo Dall'Acqua e Camila Torres Cesar – a defesa diz que Lewandowski poderia, sim, ter tomado sua decisão sem ouvir o Ministério Público e a Vara de Execuções. Os advogados citam que, em casos urgentes, o regimento interno do STF permite que decisões sejam tomadas sem a necessidade de se ouvir o Ministério Público. Também destacaram que o procuradorgeral da República, Rodrigo Janot, não se manifestou contra a posição de Lewandowski. Além disso, voltaram a dizer que uma investigação interna do presídio concluiu que não houve uso de celular. Como Dirceu está preso e tem mais de 65 anos, a defesa pede urgência na análise do recurso por parte de Barbosa e solicita que, caso não libere a tramitação do pedido de trabalho externo, leve o caso para análise do plenário da corte. (Folhapress)

Sarney pode virar réu com Edemar stá para chegar em breve ao Supremo Tribunal Federal (STF) os documentos do Ministério Público Federal (MPF) solicitando o enquadramento de José Sarney (PMDB-AP) em ação penal que envolve o Banco Santos e o Edemar Cid Ferreira. O MPF entregou à Procuradoria Geral da União (PGR) um parecer em que aponta "elementos concretos de possível prática de delito" envolvendo Sarney no caso do Banco San-

E

tos. O escândalo envolvendo o banqueiro Edemar Cid Ferreira aconteceu em novembro de 2004, quando a instituição sofreu uma intervenção do Banco Central (BC). Sarney, por sua "relação estreita" com o banqueiro, teria se beneficiado da notícia de que o Banco Santos passaria por um processo, resgatando R$ 2,159 milhões (na época) antes de o BC intervir. Em manifestação de 48 páginas, o MPF destaca que o sa-

que ocorreu "apenas um dia antes da intervenção" e aponta a "proximidade de Sarney com Cid Ferreira, amigos íntimos há mais de três décadas". O banqueiro e sua mulher são padrinhos de casamento da filha de Sarney, a governadora do Maranhão Roseana Sarney (PMDB). O MPF cita ainda o depoimento de uma ex-executiva do banco que afirmou ter recebido um manuscrito com instruções para efetivação do resgate. (Agências)

Marcha do MST: 15 mil pessoas e pancadaria na Praça dos Três Poderes, 30 PMs e 2 manifestantes feridos.

Marcha do MST: confusão, pancadaria e 32 feridos. Manifestantes realizaram protesto em Brasília e paralisam até o Supremo Tribunal confronto entre policiais militares e manif e s t a n t e s d o M o v imento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) ontem à tarde na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, terminou com 32 pessoas feridas – 30 PMs e dois integrantes da marcha. De acordo com o Corpo de Bombeiros, parte dos policiais foi atendida no posto da Câmara dos Deputados e outros levados ao Hospital de Base. Segundo a assessoria da PM, os policiais feridos que necessitaram de atendimento médico foram atingidos por pedras e pedaços de paus na cabeça. Os manifestantes ocuparam a praça, onde ficam o Congresso Nacional, o Supremo Tribunal Federal e o Palácio do Planalto, sede do Poder Executivo. A presidente Dilma Rousseff não se encontrava no palácio no momento do tumulto – ela estava no Palácio da Alvorada, residência oficial. Em pelo menos três momentos houve confusão entre policiais militares e manifestantes na Praça dos Três Poderes. O Batalhão de Choque da PM chegou a jogar bombas de

O

PMDB: 'VOTAR E DERROTAR'. PMDB da Câmara dos Deputados ameaça derrubar projetos prioritários ao Planalto m mais um sinal de insatisfação, a bancada do PMDB na Câmara decidiu ontem colocar em votação e derrubar os projetos prioritários para o Palácio do Planalto que travam a pauta da Casa. "Votar e derrotar, a menos que tenha consenso para votar em dois minutos", disse o líder do PMDB, Eduardo Cunha (RJ), para ilustrar a estratégia do partido para livrar-se dos projetos que tramitam em regime de urgência e, por isso, bloqueiam outras votações.

E

Estão nessa situação o Marco Civil da Internet, a reserva de vagas para negros no concurso público, a destinação de recursos extra do FGTS para o setor habitacional, entre outras propostas. Segundo Cunha, a ideia é rejeitar as propostas sem consenso e, depois, reapresentálas para uma nova discussão. Assim, driblariam a urgência constitucional, que garante prioridade de projetos na pauta de votação. Se não forem votados, eles passam a bloquear a pauta da Câmara.

DOCUMENTOS DE PIZZOLATO A pedido da Polícia Federal, o Ministério da Justiça vai solicitar formalmente toda a documentação e equipamentos (dois computadores e um tablet) apreendidos em Maranello, na Itália, com Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil condenado pelo Mensalão.

Cunha afirmou que os parlamentares não podem continuar com a pauta trancada e há prioridades do Congresso para serem analisados, como a regulamentação da PEC das Domésticas. "Tomamos a posição política de derrubar todo projeto que tem urgência para poder limpar a pauta. Todos os projetos que estão trancando a pauta em regime de urgência, a nossa posição é votar e derrotar. E apresentar sem urgência constitucional. Não é que sejamos contra o projeto, que-

.Ó..RBITA

MAIS UMA MANOBRA DE RENAN

O

presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), escolheu ontem o líder da bancada do seu partido, Eunício Oliveira (CE), como relator do projeto que tipificará os crimes de terrorismo no Brasil. O tema, hoje, é o centro de todas as atenções no Senado, especialmente porque, dependendo do seu conteúdo, poderá praticamente impedir a existência de qualquer manifestação popular sob pena da tipificação como ato de terror. O interesse pelo projeto cresceu

imensamente na Casa depois do assassinato do cinegrafista da Band, Santiago Andrade, morto por um rojão durante protesto. A opção de Renan de indicar Eunício não foi à toa: o senador é pré-candidato ao governo do Ceará, contra a vontade do governo federal que prefere vê-lo apoiando Cid Gomes (Pros). Na relatoria do projeto, Renan garante generosa exposição para o colega na mídia, deixando o governo e o Pros numa saia justa para se acomodarem à situação.

remos apenas limpar a pauta. A polêmica do Marco Civil pode levar esse projeto a ficar três semanas na pauta. E o que o governo quer, no fundo, é trancar a pauta." Ele disse que não colocarão tos na pauta projetos de impacto financeiro: "A questão é o direito do Parlamento de poder fazer a sua pauta, respeitando a responsabilidade de não colocar matérias que causem impacto fiscal. Queremos votar coisas importantes como a regulação da PEC das Domésticas". (Folhapress)

DIRCEU JÁ TEM SUA VAQUINHA VIRTUAL Familiares e amigos do ex-ministro da Casa Civil José Dirceu puseram no ar ontem o site para receber doações que ajudarão o petista a pagar a multa imposta pela Justiça por sua condenação no processo do Mensalão. O valor da dívida, já atualizado, é de R$ 971 mil.

PEDRINHAS: 'FORA DE CONTROLE'.

A

presidente da Comissão de Direitos Humanos do Senado, Ana Rita (PT-ES), apresentou ontem relatório da visita que parte dos integrantes da comissão fez ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Para Ana Rita, o crime organizado no presídio de Pedrinhas, no Maranhão, está "fora do controle" do Estado. "Há presença de facções criminosas que têm o controle interno e que ultrapassam os muros dos presídio fazendo

articulações, promovendo rebeliões e colocando em risco a vida da população", disse ala. "O Estado realmente precisa ter controle sobre isso. O presídio não pode ficar sob controle de grupos criminosos. O presídio tem que ficar sob controle do Estado", concluiu. Ana Rita e senadores da Comissão estiveram em São Luís em 13 de janeiro, quando se reuniram com a governadora Roseana Sarney (PMDB) e visitaram o presídio.

A polícia foi para cima e os manifestantes reagiram. Estou aqui desde o começo para não deixar virar pancadaria. INÁCIO ARRUDA, SENADOR (PC DO B-CE) gás e dar tiros de borracha na direção dos sem-terra. Manifestantes arremessaram objetos contra os PMs. Depois do tumulto, os manifestantes se concentraram no gramado em frente ao Congresso Nacional. Segundo lideranças do MST, um manifestante foi detido após confronto e pelo menos dois ficaram feridos. O senador Inácio Arruda (PCdoB-CE), que acompanhou a manifestação do alto de um carro de som, disse que os manifestantes não tinham a intenção de invadir prédios públicos. "A polícia achou que eles tinham a intenção de invadir o Palácio do Planalto,

mas nunca houve essa ideia. A polícia foi para cima e os manifestantes reagiram. Estou aqui desde o começo para não deixar virar pancadaria". O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, conversou com manifestantes e recebeu uma carta do MST. Disse que hoje a presidente receberá uma comissão de representantes do movimento. Manifestantes reclamavam da "estagnação" da reforma agrária no País e gritavam "Dilma cadê a reforma agrária?" e "Dilma ruralista". Nas faixas, os dizeres "1.600 camponeses mortos", "Mensalão, julgamento de exceção", "STF, crime é condenar sem provas" e "Cadê o julgamento dos tucanos?". A confusão levou o vice-presidente do STF, Ricardo Lewandowski, a suspender a sessão. Lá pelas 16h, anunciou que a segurança da Corte alertara risco de invasão ao prédio. Do lado de fora, manifestantes derrubaram grades que isolavam o edifício. Seguranças e policiais fizeram um cordão de isolamento em volta do tribunal. (Agências)

JUSTIÇA

Partido quer suspensão da TR na correção do FGTS partido Solidariedade presidente do partido, deputap r o t o c o l o u o n t e m do Paulo Pereira da Silva, o Pauação no Supremo Tri- linho da Força. "É o maior roubo bunal Federal para pedir a sus- da história do País". pensão imediata da utilização Uma outra ação protocolada Taxa Referencial (TR) na da pela Defensoria Pública da correção das contas do Fundo União na Justiça Federal do Rio de Garantia por Tempo de Ser- Grande do Sul está em andaviço (FGTS) e a substituição mento e também poderá bepor um índice inflacionário, neficiar todos os trabalhadocomo o IPCA. res que têm a conta vinculada. O relator da ação será o mi- O juiz Bruno Brum Ribas, da 4ª nistro Luís Roberto Barroso, Vara Federal de Porto Alegre, que analisará o pedido de limi- deu despacho informando que nar para alterar daqui para as decisões no processo valefrente a correção das contas rão para todas as demais ações do FGTS pela que correm no inflação e não Judiciário. mais pela TR. Milhares de C o n f o rm e ações já traTomamos o partido, a mitam em toa posição política ação questiodo o País penará a aplicadindo maior de derrubar ção da TR a correção. todo projeto que partir de Segundo a tem urgência 1999 na corCaixa Econôpara poder limpar reção das mica Federal, a pauta. contas. até o momenA estimatito, foram ajuiEDUARDO CUNHA va é que as zadas 39.269 p e rd a s c h eações contra guem a 88,3% em cada conta. o FGTS: "Foram proferidas Alguém que tivesse R$ 1 mil na 18.363 decisões favoráveis ao conta do FGTS em 1999, hoje critério de correção aplicado teria R$ 1.340,47 pela corre- pela Caixa/FGTS. A Caixa reção da TR. Com a aplicação de correrá de qualquer decisão um índice inflacionário na cor- contrária ao FGTS". reção, esse valor seria de A questão é polêmica. MiR$ 2.586,44. nistros e juristas prevêem ba"As diferenças de correção talha jurídica por causa da povêm gerando uma perda de bi- sição da Corte em relação a lhões de reais para os trabalha- correção dos precatórios pela dores desde 1999", diz nota do inflação. (Agências)

O


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

7

CANADÁ ONG coloca cachimbos de crack à venda em distribuidores automáticos de Vancouver. A ideia é evitar a transmissão de doenças, como Aids.

REAPROXIMAÇÃO As duas Coreias tiveram ontem a primeira reunião oficial desde que o ditador do norte comunista, Kim Jong-un, assumiu o poder, em 2011. Fotos: Santi Donaire/EFE

Os estudantes de psicologia desabafam: 'É preciso fazer terapia para viver em Caracas'.

Estudantes em Caracas protestam contra a insegurança, a inflação e a falta de produtos nas lojas.

A juventude nas ruas da Venezuela Em dia de feriado nacional, protestos de opositores e simpatizantes do governo deixam dois mortos. Estudantes e oposição criticam a insegurança. Já chavistas denunciam plano para derrubar o governo. ilhares de venezuelanos saíram às ruas em todo o país, ontem, com a oposição reivindicando uma mudança e o chavismo denunciando um plano para desestabilizar o governo. Um militante chavista e um estudante morreram durante enfrentamentos em Caracas, elevando a tensão no país. O confronto, que também resultou em 23 feridos e mais

M

de 25 detidos, pode levar à retaliação do governo contra opositores, uma vez que o militante era um líder importante do chavismo. De acordo com fontes oficiais, a vítima é Juan Montoya, de 40 anos, membro do Coletivo José Leonardo Pirela do 23 de Janeiro. O militante liderava o Secretariado Revolucionário de Venezuela, que agrupa 107 coletivos na Grande Caracas, e foi acusado, em

2008, de envolvimento em uma tentativa de atentado a bomba contra a entidade empresarial Fedecámaras. Coletivos como o que era liderado por Montoya são considerados controversos por se envolverem em episódios de violência e porque, para críticos do governo, são grupos armados paraestatais. O presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, o governista Diosdado Cabello,

confirmou a morte do militante, supostamente após ser baleado na cabeça, e atribuiu-a ao fascismo. Cabello aproveitou para pedir "calma e serenidade", pois "isso (a morte de Montoya) é uma provocação da direita". Ele, no entanto, disse que "os assassinos deste camarada, deste compatriota, pagarão pelo seu ato". Segundo Cabello, a morte ocorreu na zona oeste de Caracas, num local conhecido como Candelária, onde fica o Ministério Público, região onde terminou a marcha dos estudantes e da oposição. A outra vítima foi identificada como Bassil Alejandro Dacosta, que morreu quando estava sendo internado em um hospital no centro da cidade. O estudante de 24 anos estava no primeiro semestre do curso de comércio na Universidade Alejandro Humboldt. A passeata no centro de Ca-

racas, que reuniu milhares de pessoas, foi organizada por estudantes para protestar contra o elevado custo de vida, a escassez de produtos e a insegurança. Eles também pediam a libertação de estudantes que haviam sido presos em protestos recentes. "É preciso fazer terapia para viver em Caracas", dizia um cartaz levado por estudantes de psicologia. "Estou aqui para mostrar minha insatisfação com o governo. Estou descontente com a insegurança que nos subjuga", disse Manuel González, estudante de 22 anos que caminhava rodeado de colegas com apitos, vuvuzelas e bandeiras. Enquanto isso, em outro ponto de Caracas, milhares de simpatizantes do presidente Nicolás Maduro celebravam o Dia da Juventude, em comemoração a uma batalha da independência no século XIX que contou com uma forte par-

ticipação de estudantes. "Nós somos jovens revolucionários, lado a lado com nosso governo venezuelano", disse uma moça vestida de vermelho, a cor do governista Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV). Nas últimas semanas, grupos encabeçados pela ala mais radical da oposição, composta por Leopoldo López, a deputada María Corina Machado e o prefeito de Caracas, Antonio Ledezma, saíram às ruas para protestar contra o governo, provocando enfrentamentos violentos com as forças de segurança. Maduro disse que os protestos pretendem destituí-lo do poder, apenas dez meses depois de ter assumido o cargo. "Querem derrubar o governo legítimo que eu comando. Não vão poder, mas vão causar danos à Venezuela", disse Maduro em discurso na noite de terça-feira. (Agências)

Assad: passagem livre para o Líbano. Com a ajuda do Hezbollah, forças sírias fazem ofensiva na fronteira. viões sírios atacaram uma cidade tomada por rebeldes na fronteira com o Líbano, ontem, informaram ativistas, em uma aparente tentativa de expulsar combatentes opositores da área e consolidar o controle sobre a região fronteiriça. A cidade de Yabroud é o último reduto rebelde na montanhosa região de Qalamoun. Apoiado pela milícia libanesa Hezbollah, o Exército sírio tem realizado uma forte ofensiva na região desde dezembro. Mais de dez ataques aéreos

A

O novo amigo de Putin Chefe do Exército egípcio viaja a Moscou para fechar acordo bilionário de armas Divulgação/Reuters

chefe do Exército do E g i t o , m a re c h a l d e campo Abdel-Fattah el-Sissi, iniciou ontem uma viagem a Moscou, sua primeira visita ao exterior desde a derrubada do ex-presidente islamita Mohammed Morsi. A viagem ocorre após a divulgação de informações sobre um acordo para a compra de armas no valor de US$ 2 bilhões, o que deve expandir significativamente a influência russa no Egito, país aliado dos Estados Unidos no Oriente Médio. El-Sissi, que também é ministro da Defesa, viajou com traje civil, ao contrário do uniforme militar que acostuma usar em seus comparecimentos em público no país. De acordo com o jornal estatal A l- Ah ra m, o propósito da vista de El-Sissi é concluir o acordo para a compra de armas, financiado pela Arábia Saudita e pelos Emirados Árabes Unidos. O general Hossam Sweilam, militar reformado do Exército que ainda mantém

O

Moscou vem tentando expandir sua influência no Egito depois que as relações do país com os EUA azedaram com a queda de Morsi, em julho, e a subsequente repressão a seus partidários, ações que deixaram centenas de El-Sissi: o homem forte do Exército, sem farda. m o r t o s e l e v acontato próximo com as For- ram milhares à cadeia. Os EUA são o principal finanças Armadas, também declarou que o acordo será finaliza- ciador e benfeitor do Egito desde a década de 1970. do em Moscou. O ministro de Relações Ex- Anualmente, Cairo recebe teriores sírio, Nabil Fahmi, e uma ajuda norte-americana seu homólogo russo, Sergei de cerca de US$ 1,5 bilhão, Lavrov, disseram que o objeti- principalmente militar. Existe grande expectativa vo era impulsionar as relações bilaterais e que estas foram de que El-Sissi, que derrubou estáveis sem substituir outros Morsi após dias de protestos de rua exigindo sua saída, aliados, em alusão aos EUA. A visita acontece quase três anuncie sua candidatura à meses após Lavrov e o minis- presidência. O país deve escotro da Defesa russo, Sergei lher um novo líder no final de abril deste ano. (Agências) Shogiu, terem visitado Cairo.

Recorde de chuvas. Na Inglaterra. ma nova tempestade atingiu a costa oeste da Inglaterra, ontem, com ventos de até 170 quilômetros por hora. As fortes rajadas de vento, consideradas as mais intensas do inverno, levaram a Agência Meteorológica da GrãBretanha a emitir um "alerta vermelho" válido para o oeste do País de Gales e para o noroeste da Inglaterra. A chuva acompanhada de fortes ventos fez virar caminhões, arrancou árvores e forçou a interdição de extensos trechos rodoviários. A Inglaterra vem sendo atingida por fortes chuvas desde dezembro. Neste ano, o país registrou o mês de janeiro mais chuvoso desde o início dos registros, em 1 7 7 6 . O R i o Tâ m i s a transbordou e algumas regiões estão debaixo d'água há mais de um mês. (Estadão Conteúdo)

U

atingiram a região ontem, disse o grupo opositor Observatório Sírio de Direitos Humanos, depois de uma noite de intensos combates. As ações militares ocorrem enquanto o regime de Bashar al-Assad e a oposição mantêm conversas em Genebra. A oposição apresentou ontem um documento de 22 pontos com sua proposta sobre a transição política na Síria. Entre as reivindicações está a criação de um órgão de governo transitório para supervisionar um cessar-fogo total.

Em resposta, o regime sírio afirmou que as conversas fracassarão se a oposição continuar insistindo em abordar de forma prioritária a questão. A transição política é o sexto ponto no documento no qual se baseiam as negociações. O fim das hostilidades - assunto que o governo dá prioridade aparece em primeiro lugar. O diálogo de paz promete ganhar novo impulso hoje, com a reunião do mediador internacional Lakhdar Brahimi e das autoridades da Rússia e Estados Unidos. (Agências)

Andorra Holdings S.A. CNPJ no 08.503.501/0001-00 - NIRE 35.300.337.018 Ata Sumária da Assembleia Geral Extraordinária realizada em 28.10.2013 Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 49.329/14-5, em 30.1.2014. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

NCF Participações S.A. CNPJ no 04.233.319/0001-18 - NIRE 35.300.183.371 Ata Sumária da 27a Assembleia Geral Extraordinária realizada em 30.12.2013 Data, Hora e Local: Aos 30 dias do mês de dezembro de 2013, às 9h, na sede social, Cidade de Deus, Vila Yara, Osasco, SP, CEP 06029-900, no Salão Nobre do 5 o andar. Mesa: Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Antônio Bornia. Quórum de Instalação: Totalidade do Capital Social. Edital de Convocação: Dispensada a publicação, de conformidade com o disposto no Parágrafo Quarto do Artigo 124 da Lei no 6.404/76. Deliberação: Aprovada, sem qualquer alteração ou ressalva, a proposta da Diretoria, registrada na Reunião daquele Órgão de 27.12.2013, dispensada sua transcrição, por tratar-se de documento lavrado em livro próprio, para aumentar o Capital Social no valor de R$3.952.157,28, elevando-o de R$4.265.401.906,86 para R$4.269.354.064,14. Esclareceu o senhor Presidente que: serão emitidas 1.452.999 novas ações nominativas-escriturais, sem valor nominal, sendo 768.278 ordinárias e 684.721 preferenciais, ao preço de R$2,72 por ação, para subscrição particular pelos acionistas, na proporção de 0,068481857% sobre a posição acionária que cada um possuir nesta data (30.12.2013), com integralização à vista, no ato da subscrição, de 100% do valor das ações subscritas; o preço de emissão teve como base o valor do Patrimônio Líquido Contábil ajustado por ação da Sociedade em 30.11.2013; as ações subscritas no referido aumento de capital terão direito a dividendos e/ou juros sobre o capital próprio que vierem a ser declarados a partir da data de homologação do referido aumento de capital, fazendo jus também, de forma integral, a eventuais vantagens atribuídas às demais ações, a partir daquela data. A redação do “caput” do Artigo 6o do Estatuto Social será alterada após completado todo o processo do aumento do capital. Dando sequência aos trabalhos, o senhor Presidente disse que a Diretoria estava autorizada a dar andamento ao processo de aumento do Capital Social, abrindo a subscrição das ações, dentro das condições estabelecidas na proposta da Diretoria ora aprovada, ocasião em que os representantes dos acionistas, presentes à Assembleia, assinaram os respectivos Boletins de Subscrição, integralizando no ato, mediante a utilização de créditos existentes na Sociedade em seus nomes, oriundos dos dividendos aprovados na Assembleia Geral Ordinária de 23.4.2013. Em seguida, informou o senhor presidente que, considerando a subscrição e integralização do aumento do Capital Social ora aprovado fica também homologado o referido aumento, passando o “caput” do Artigo 6o do Estatuto Social a vigorar com a seguinte redação: “Art. 6o ) O Capital Social é de R$4.269.354.064,14 (quatro bilhões, duzentos e sessenta e nove milhões, trezentos e cinquenta e quatro mil, sessenta e quatro reais e quatorze centavos), dividido em 2.123.181.395 (dois bilhões, cento e vinte e três milhões, cento e oitenta e uma mil, trezentas e noventa e cinco) ações nominativas-escriturais, sem valor nominal, das quais 1.122.639.683 (um bilhão, cento e vinte e dois milhões, seiscentas e trinta e nove mil, seiscentas e oitenta e três) ordinárias e 1.000.541.712 (um bilhão, quinhentas e quarenta e uma mil, setecentas e doze) preferenciais, estas sem direito a voto, mas com prioridade no reembolso do Capital Social, em caso de liquidação da Sociedade e com todos os direitos e vantagens conferidos às ações ordinárias, bem como a dividendos 10% (dez por cento) maiores do que os atribuídos às ações ordinárias.” Na sequência, deliberou-se também prorrogar para até 31.12.2014 o pagamento do saldo dos dividendos não utilizados para o aumento de capital, no montante de R$188.549,86, em relação ao total deliberado na Assembleia Geral Ordinária de 23.4.2013, sendo: R$870,86 à acionista Cidade de Deus – Companhia Comercial de Participações; R$187.676,38 à acionista Fundação Bradesco; e R$2,62 à acionista Nova Cidade de Deus Participações S.A. Quórum da Deliberação: unanimidade de votos. Documentos Arquivados: arquivada na sede e autenticada pela Mesa da Assembleia a Proposta da Diretoria. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente esclareceu que, para as deliberações tomadas, o Conselho Fiscal da Companhia não foi ouvido por não se encontrar instalado no período, e encerrou os trabalhos, lavrando-se a presente Ata, que lida e achada conforme, foi aprovada por todos os presentes que a subscrevem. aa) Presidente: Lázaro de Mello Brandão; Secretário: Antônio Bornia; Acionistas: Cidade de Deus - Companhia Comercial de Participações; Fundação Bradesco e Nova Cidade de Deus Participações S.A., representadas por seu Diretor-Presidente, senhor Lázaro de Mello Brandão. Declaração: Declaro para os devidos fins que a presente é cópia fiel da Ata lavrada no livro próprio e que são autênticas, no mesmo livro, as assinaturas nele apostas. a) Antônio Bornia – Secretário. Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob número 50.259/14-3, em 3.2.2014. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Homem-rojão: jovens são manipulados. Acusado de ter disparado o rojão que matou cinegrafista diz que jovens são aliciados para protestos violentos. Participantes receberiam até R$ 150 por manifestação. Carlos Moraes/Agência O Dia

prisão do auxiliar de serviços gerais Caio da Silva Souza, de 22 anos, revelou um possível esquema de manipulação e aliciamento de jovens para participarem de manifestações violentas promovidas pelos chamados black blocs, especialmente no Rio de Janeiro, onde os protestos têm sido mais frequentes. Acusado de ter acendido e disparado o rojão que matou o cinegrafista da Band, Santiago Andrade, Souza foi preso na madrugada de ontem em Feira de Santana, no interior da Bahia. Ele estava em uma pousada simples no centro da cidade e não reagiu à prisão. O advogado do jovem, Jonas Tadeu, acompanhou a operação da Polícia Civil. Ainda de manhã, ele foi levado de volta para o Rio de Janeiro. O suspeito estava foragido desde segunda-feira, quando a Justiça ordenou a prisão temporária por 30 dias depois que ele foi reconhecido em foto pelo tatuador Fábio Raposo, acusado de entregar o rojão que atingiu o cinegrafista. O rojão, lançado pelo auxiliar de limpeza durante as manifestações da última quintafeira, contra o aumento das passagens no Rio, atingiu o cinegrafista da TV Bandeirantes. Em entrevista para a Rede Globo, Souza admitiu que foi ele quem manipulou o rojão, mas não tinha a intenção de atingir ninguém. Para a polícia, no entanto, ele afirmou que só falará em juízo. "Acendi sim. Nem sabia que aquilo era um rojão", afirmou Souza, que disse que não sabia que era um rojão, e sim um "cabeção de nego", cujo potencial explosivo é bem menor. Aliciados – Na conversa, Souza também disse que há jovens que são atraídos por terceiros para participarem dos protestos: "Alguns vão aliciados, sim, outros não". Questionado so-

A

bre quem o teria aliciado, ele não deu maiores detalhes. Jonas Tadeu, advogado de Souza, endossou a versão do seu cliente e acusou partidos políticos e movimentos sociais de aliciarem e pagarem a jovens pobres da periferia para participarem de protestos e promoverem atos de violência e "terrorismo social". Segundo o advogado, os aliciados chegam a receber R$ 150 por manifestação. De acordo com o advogado, ônibus iam buscar moradores de áreas pobres para participarem dos protestos. Ainda segundo a defesa de Souza e Raposo, os rojões, máscaras e o dinheiro são entregues por quem alicia esses jovens. Tadeu afirmou que desconhece o nome de quem é responsável por aliciar os jovens e que seus clientes – que não seriam adeptos da tática black bloc – sabem apenas os apelidos deles. Cabral – Ao comentar a prisão do segundo envolvido na explosão do rojão que matou o cinegrafista Santiago Andrade, o governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral (PMDB) disse que "esses dois jovens estão inseridos em um contexto maior" que envolve partidos políticos e organizações. Sem citar nomes, Cabral afirmou: "Há partidos políticos e organizações embutidos nessas ações (de violência que ocorrem durante manifestações). Essas questões não devem ficar camufladas, é preciso tirar a máscara", exaltou o governador. O recado de Cabral, que sofre com baixos índices de popularidade e uma crise de segurança no Estado, atinge indiretamente o PSol, cujos integrantes são acusados de proteger os black blocs. Um dos principais alvos é o deputado estadual Marcelo Freixo, que teria ajudado a proteger os manifestantes. Freixo nega. (Agências)

Beltrame quer penas mais duras uma tentativa de diminuir a violência durante as manifestações de rua, o secretário de Segurança do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, apresentou um projeto de lei ao Senado que tipifica o crime de desordem pública. A intenção da proposta é regular os protestos e punir mais efetivamente aqueles que cometerem atos de vandalismo ou de agressões a outras pessoas. Dentre as medidas determinadas, o projeto proíbe o porte de armas ou objetos que possam machucar e determina o agendamento prévio de uma manifestação com 48h de antecedência. A proposta altera ainda o Código Penal ao tipificar o crime de desordem em local público para quem agredir ou danificar patrimônio público ou particular. O texto também torna crime a obstrução de vias públicas que possam causar perigo a outras pessoas e a invasão de locais não abertos ao público, além de tipificar o crime de associação para a incitação ou prática de desordem. A pena pode ir de 2 a 6 anos de prisão, além do pagamento de multa. (Folhapress)

N

Caio da Silva Souza, de 22 anos, preso ontem: muitos manifestantes são aliciados por grupos.

Sete detidos por ataques a ônibus ete jovens suspeitos de incendiar dois ônibus e tentar atear fogo em um terceiro foram presos na tarde de terça-feira, na zona norte da capital paulista. Os ataques aconteceram na segunda-feira à tarde, na Brasilândia, bairro da zona norte de São Paulo. As detenções foram feitas pela 4ª Delegacia Seccional Norte, segundo a assessoria de imprensa da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Foi a Justiça que decretou a detenção dos sete suspeitos - um jovem de 19 anos, outros dois de 20 anos, e quatro adolescentes foram apreendidos. Eles teriam

S

atacado três ônibus e queimando dois veículos, nas Rua Ibiraiaras e Avenida Inajar de Souza. O grupo ainda teria ateado fogo em outro ônibus, na Rua Dario Vilares Barbosa, e jogado gasolina no rosto do cobrador. Segundo a polícia, todos os jovens moravam no Jardim Elisa Maria, também na zona norte, perto de "Digão", de 23 anos, o mandante do incêndio de um ônibus ocorrido no dia 25 de janeiro. Ele e um adolescente, de 16 anos, que também participou da ação, foram detidos no Jardim Peri Alto no dia 30 de janeiro. As investigações são conduzidas pela 4ª Delegacia

Seccional Norte e prosseguem em busca de mais suspeitos pelos ataques a ônibus na capital. Ao menos 40 coletivos foram queimados em 2014 na Grande São Paulo, segundo a S ã o Pa u l o Tr a n s p o r t e . Além dos incêndios neste ano, outros 66 coletivos foram depredados em diferentes distritos da cidade e da região metropolitana. Na Grande São Paulo, 26 ônibus intermunicipais foram atacados e destruídos em janeiro, segundo a Emp re s a M e t ro p o l i t a n a d e Transportes Urbanos de São Paulo. Em 2013, foram 1.242 casos envolvendo ônibus municipais. (Agências)

Alan Marques/Folhapress

José Mariano Beltrame William Volcov/Estadão Conteúdo

.Ó..RBITA

MORUMBI

A

Motorista do ônibus disse que dirigia a 40 km/h ao bater no táxi, que seguia pela faixa exclusiva.

Zona sul: ônibus esmaga táxi e mata motorista e executivo francês. m acidente envolvendo dois ônibus e um táxi ontem na Avenida Vereador José Diniz, na zona sul de São Paulo, deixou dois mortos e dez feridos. As duas vítimas fatais eram o passageiro e o motorista do carro, um táxi executivo da empresa Cooper Luxo, que foi esmagado por um dos ônibus. O motorista que dirigia o veículo que colidiu no táxi disse em depoimento à polícia que trafegava abaixo da velocidade limite do corredor de ônibus no momento do acidente. Ele afirmou também que foi fechado pelo taxista Ronaldo

U

Voltan, informou o gerente da São Paulo Transporte (SPTrans) da zona sul de São Paulo, Ricardo Rocha. "Ele (motorista) afirmou que estava a 40 km/h na via, cujo limite é de 50 km/h”", disse a delegada Nayara Caetano Duque, plantonista do 27º Distrito Policial, no Campo Belo. O passageiro do táxi era um executivo francês que morava no Brasil há dois anos. Cyrille Fourny, 50, era vice-presidente financeiro da fabricante de helicópteros Helibras desde 2011. Segundo a empresa, ele trabalhava na Airbus Helicopters desde 1988 e já havia

atuado anteriormente na Helibras como chefe de controle, de 1995 a 1999. Fourny era casado com uma brasileira e tinha dois filhos, de 9 e 14 anos. No momento do acidente, estava a caminho da empresa. A mulher do executivo, Maria Tereza Fourny, disse que ficou sabendo da morte pela TV. Ela estava na academia e quando chegou em casa viu o acidente e identificou o carro que ele costumava usar. Eles estavam casados há 20 anos. Os dez feridos tiveram ferimentos leves e foram encaminhados para dois hospitais da região. (Agências).

Polícia Militar solicitou a implantação de mão única na Rua Dr. Francisco Tomás de Carvalho, conhecida como ladeirão do Morumbi, na zona sul. O pedido foi feito pelo comandante-geral Benedito Meira à Prefeitura de São Paulo e tem o objetivo de melhorar o tráfego na via, um conhecido ponto de assaltos. No domingo, um policial federal foi baleado na cabeça durante uma tentativa de roubo no local. Hoje, a rua tem mão dupla, mas a intenção é criar sentido único, da Avenida Giovanni Gronchi à Rua Dr. Flávio Américo Maurano. Medida semelhante já havia sido cogitada pela PM em 2011. (Folhapress)

METRÔ

O

governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, inaugurou ontem a Estação Adolfo Pinheiro da Linha 5-Lilás do Metrô, na zona sul de São Paulo. A inauguração acontece com atraso, já que a estação foi prevista para ser entregue em 2010, durante a gestão José Serra, também do PSDB. Questionado sobre a demora, Alckmin disse que assumiu o governo em 2011 e que não seria possível entregar em 2010 uma obra iniciada no segundo semestre de 2009. (Folhapress)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

9

Você escolhe, a Amazon produz. Depois do sucesso que as séries produzidas pelo Netflix fizeram em 2013, chegou a vez da Amazon fazer suas séries originais. No caso da Amazon, porém, o esquema é diferente. Eles fizeram cinco projetos infantis, três comédias e dois dramas, todos com o piloto disponível de graça no site. É só votar na sua preferida. Amais votada ganhará uma temporada inteira. Guilherme Fourton

A canção francesa

TEATRO

Temas de um musical de bolso que sugerem uma nostálgica. De Paris para o mundo. Fotos: reprodução

Life

Aloisio de Abreu e Françoise Forton: Paris sempre à vista.

Uma nova chance. Em Paris. Sérgio Roveri

N

ós Sempre Teremos Paris poderia ser apenas mais um entre os inúmeros musicais que nos últimos anos arrastaram multidões aos teatros da cidade. Poderia. Mas não é, basicamente, por ter como principal característica uma palavra que parece não combinar muito com o gênero: simplicidade. São apenas dois atores em cena, Françoise Forton e Aloisio de Abreu, um figurino somente para cada personagem, um cenário básico que se completa com duas mesas e quatro cadeiras, 50 minutos de duração, quase um aperitivo diante das três horas de um Rei Leão, por exemplo, e três músicos que, ao vivo, dão conta de uma formação de percussão, violão, baixo, piano e acordeão. Tal contenção não se limitou à cena – ao contrário das grandes produções importadas da Broadway ou do West Wend londrino, que contam com milhões em patrocínio e apoio de leis de incentivo, Nós Sempre Teremos Paris estreou no Rio de Janeiro há pouco mais de um ano com os custos bancados pelos envolvidos no projeto. O êxito deste musical de bolso, que chega agora a São Paulo depois de ser visto em sete cidades, revela, ao menos neste caso, uma singela vitória do je t’aime sobre o I love you. “O segredo deste sucesso

deve-se muito ao fato de estarmos contando uma história humana, simples e universal”, diz Françoise Forton, que confessa ter sentido uma apreensão inicial ao descobrir que teria de cantar. “E temos ainda, a nosso favor, a cidade de Paris, um lugar em que quem já foi quer voltar e quem nunca foi deseja ir”. O musical, cujo título é uma referência direta aos diálogos finais de Casablanca, clássico de 1942, quando os personagens de Ingrid Bergman e Humphrey

Bogart se despedem antes que ela embarque em um voo para Lisboa, é o primeiro texto para teatro escrito pelo jornalista do Globo Artur Xexéo e traz como mote os encontros e despedidas de um casal de brasileiros na capital francesa. Foi Xexéo quem também selecionou a trilha sonora do espetáculo, composta por pequenas pérolas do cancioneiro francês, como C’est si bom, Et Maintenant e, claro, La Vie en Rose. Há espaço até para uma versão de Garota de Ipanema. A

TRILHA SONORA Vous qui passez sans me voir Garota de Ipanema Tous les garçons et les filles La mer La vie en rose Les parapluies de Cherbourg Les feuilles mortes Que reste-t-il de nos amours Non je ne regrette rien Et maintenant Sous le ciel de Paris Mademoiselle Paris C’est si bon Hier encore

direção do espetáculo é de Jacqueline Laurence. O casal de protagonistas de Nós Sempre Teremos Paris, para fazer jus à despretensão da obra, não sabe falar francês na história. A trama é ambientada em um café no Boulevard Montparnasse, onde os dois, durante uma viagem de férias, acabam se encontro casualmente. Eles não precisam de mais do que uma simples tarde para descobrir o tanto de afinidade que os une. Mas a tarde termina e eles não acabam juntos - cada um regressa para sua vida no Brasil e, pelos próximos 20 anos, um não terá mais notícias do outro. Porém, como Paris não saiu da cabeça de nenhum deles, eles retornam ao mesmo café, duas décadas depois, com a esperança de escrever um final feliz para a história. “Nestes 20 anos, ela se casou, teve um filho e ficou viúva, enquanto ele passou por vários relacionamentos”, conta a atriz. “Agora eles estão de volta à cidade, atrás de uma nova chance que, aparentemente, só Paris pode lhes dar.” Nós Sempre Teremos Paris. Teatro Raul Cortez. Rua Dr. Plínio Barreto, 285. Sexta às 21h30. Sábado às 21h. Domingo às 18h. Tel.: 3254-1631. R$ 40. Classificação etária: 10 anos.

GASTRONOMIA Sabores da Itália. No Jardim Paulista. Lúcia Helena de Camargo naugurado nos Jardins sem alarde no final de 2013, o restaurante Positano serve comida italiana de primeiríssima qualidade. Seus donos administradores, Fernando Matos e Sergio Santos, são exfuncionários de uma casa respeitada em São Paulo, o Piselli. Matos assumiu a função de maitre e Santos, de sommelier. O cardápio não é extenso, mas abrange uma bela gama de sabores, e inclui pratos inventivos, criados pelo italiano Boris Melon. Entre as vedetes estão as massas, como ravióli recheado de bacalhau fresco ao molho de anchova (R$39), rigatoni alla Positano (massa seca com camarões e polvo, R$52) e capeletti de carne (R$ 41). Entre as sugestões de risotos, o Trevigiano, que leva arroz carnaroli, gorgonzola e radicchio

I

(R$48) e o Allo Zafferano, que consiste no mesmo arroz com açafrão e rabada (ou ossobuco) desfiada (R$51). A montagem valoriza o prato: a carne desfiada é colocada ao centro, com o risoto em volta. O molho do ossobuco vai aos poucos

escorrendo, em uma simbiose interessante. Delicioso. Há ainda carnes, como o stinco bovino assado no vinho tinto com polenta (R$55). E para adoçar o final da refeição, semifredo com calda de frutas vermelhas (R$16), pera no Tadeu Brunelli / Divulgação

Prato italiano Stracotto di Stinco, servido no restaurante Positano.

vinho tinto (R$14) e cannoli siciliano (R$20), entre outras sobremesas. Nos dias de semana no almoço (meio-dia às 15h) há o menu executivo. Inclui entrada, prato e sobremesa por R$39 por pessoa. Para prato principal, na segunda é servido frango; terça é dia de polenta; quarta de filé mignon suíno; quinta, filé à parmegiana; e sexta vem à mesa um peixe. O nome do restaurante é uma homenagem ao luxuoso balneário italiano, situado na Costa Amalfitana. O Positano paulistano incorporou o espírito litorâneo ao espaço, com bastante branco e azul nos três ambientes. Para o comensal se sentir na Itália, e comer bem como se lá estivesse. Positano Ristorante. Alameda Tietê, 665, Jardins. Tel.: 3064-1109.

Sacha Distel e Jean Sablon (alto); Françoise Hardy (acima) e Edith Piaf, à esq.: intérpretes da nostalgia parisiense, que encanta o mundo (e o mercado fonográfico). Mestres no manejo da voz e fortíssimos na capacidade de reinventar versos, são poetas populares. Desde sempre. Life

peça Nós Sempre Teremos Paris é, como deve ser, um exercício nostálgico de memória. No desfile das canções da sua trilha, surgem, por tabela, referências intérpretes que permanecem vivos. Vous qui passez sans me voir chama para Charles Trenet, cantor, também, de Que reste-t-til de nos amours. Porém, é de Sacha Distel, suingueiro, a versão, digamos, mais dançante de Vous qui passez... La vie en rose, La mer, Sous le ciel de Paris são marcas registradas do múltiplo Yves Montand, o italiano que se fez francês como ator, homem-show e cantor. A delicada Tous les garçons et le filles mereceu da pop-soft Françoise Hardy uma

A

edição quase sussurrada, sensual, nos anos 70, que a diva Carla Bruni reinventou em nossos dias. Hier encore é um dos sinais de frequência de Charles Aznavour, carismático ator-cantor de origem armênia, e também ótimo showman, que a França adotou como uma espécie de embaixador do romantismo. Et maintenant, na linha de Hier Encore, ganhou personalidade na voz de Gilbert Becaud. Já Jean Sablon, a pura encarnação do requinte, é mestre em C´est si bon. Já Edith Piaf, expressão máxima da emoção parisiense, é insuperável na dramática Non je ne regrette rien. (MMJ)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Nasa

10

.D..OCE LAR

Bem perto do planeta vermelho

Mamadeira segura

https://canoeonline.net/shop/ inspect/ba-baby-bottle-holder

.M..EMÓRIA

O álbum perdido de Johnny Cash

http://atomstargazer.tumblr.com/post/48110482644/mars-closup

.M..ÚSICA

Farsa do Beethoven japonês U ma semana depois de Mamoru Samuragochi, 50 anos, ter confessado que foi um outro compositor que criou as suas músicas mais conhecidas, o "Beethoven japonês", como é chamado, admite que, ao contrário do que vinha dizendo há anos, não é, afinal, totalmente surdo. Após a confissão da seman a p a s s a d a , o v e rd a d e i ro compositor das obras de Sa-

muragochi, o professor universitárioTakashi Niigaki, esquentou a polêmica ao convocar a imprensa para revelar ter recebido cerca de 7 milhões de ienes (mais de 50 mil euros) para compor as músicas. Ao mesmo tempo, disse que nunca teve convicção de que Samuragochi fosse surdo, uma vez comentava as composições encomendadas. Agora, num comunicado redi-

.M..ODA

gido a mão, o "Beethoven japonês" diz que era deficiente quando começou a pagar para Niigaki. E acrescenta que, há três anos, vem se recuperando. Samuragochi é conhecido no Japão por "assinar" Hiroshima Symphony , trilhas de videojogos, entre os quais Resident Evil, e Sonatina for Violin, feita para patinador Daisuke Takahashi, que iria usá-la nos nos Jogos Olímpicos de Sochi.

.D..ESIGN

s

Após 11 anos da morte de Johnny Cash, os fãs poderão apreciar novas faixas do cantor. O álbum perdido Out Among the Stars, recheado com 12 faixas inéditas gravadas no começo doa anos 80, já está em pré-venda na loja do Itunes. A data para o lançamento é 25 de março, porém os fãs já podem encomendar. O filho do cantor, John Carter Cash, conta que achou as gravações no arquivo da Sony.

A Nasa divulga recente imagem do planeta Marte, feita do seu potente telescópio Hubble. Um close-up a mais de 55 milhões de quilômetros de distância

Vaulot&Dyèvre

Engenhoso suporte em silicone pode ajudar mamães e papais na hora da mamadeira. De fácil manejo nas mãos dos bebês

.P..ETS

O site berlinense iGNANT dá destaque às pílulas para restaurar a vitalidade de branquelos. A criação é de Vaulot & Dyèvre. As cápsulas trazem luz do sol de BoraBora, Seychelles, Bahamas...

http://www.ignant.de/2014/02/03/ sunlight-pills-by-vaulotdyevre/

Nova York a seus pés Depois que as tempestades de neve e o inverno deixarem NY sossegada, será a hora dos divertidos chinelos dededo com o mapa da cidade e seu metrô (Thee Walk On Map NYC Flip Flops) http://thegadgetflow.com/por tfolio/walk-map-nyc-flip-flops/

.C..ARNAVAL CARIOCA

Xixi na rua: multa de R$ 157. Multa de R$ 157 para quem fizer xixi na rua durante o Carnaval do Rio. Essa é a novidade divulgada ontem pela prefeitura da cidade, a pouco mais de 15 dias da festa. São esperados 5 milhões de foliões.

.A..RTE

Gatos escaldados

funny-wet-cats/

.L..OTERIAS Concurso 1426 da LOTOMANIA

02

05

16

18

20

21

24

30

36

37

40

52

55

58

61

68

75

80

91

00

Concurso 1573 da MEGA-SENA

07

16

21

35

36

38

Concurso 1018 da LOTOFÁCIL

04

05

07

08

10

11

12

14

16

17

18

19

22

24

Concurso 3415 da QUINA

14

22

48

58

59

s

02

Joel Cooper é um mestre em origami e sua série de máscaras de papel é tão popular na Internet, que ele não consegue dar conta de tantas encomendas. Cooper vive e trabalha em Lawrence, pequena cidade no Kansas (EUA). Papel com fibras sintéticas e um tratamento especial garantem a rigidez das peças.

Alessandro Shinoda/Folhapress

http://www.boredpanda.com/

Origami mascarado

http://weezbo.com/origami-masksby-joel-cooper.html

Vanessa Carvalho/Estadão Conteúdo

Gatos definitivamente têm medo de água, em qualquer temperatura. É o que mostram estas fotos de bichamos em 'minutos de terror'.

NA CONTRAMÃO - Enquanto os reservatórios estão comprometidos e a campanha para economizar água chega às casas dos paulistanos, veterenos e bichos da USP não poupam o trote com jatos d'água.

Cerca de 21 mil banheiros químicos serão instalados e o efetivo da Guarda Municipal, aumentado em 11%, chegando a 8,6 mil policiais. Eles serão os responsáveis pela fiscalização do o xixi.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

11

COM VISTA PARA O TÂMISA Investidores brasileiros buscam cada vez mais imóveis em Londres. Levantamento da Knight Frank mostra que as consultas de potenciais compradores do Brasil cresceram 115% nos últimos 12 meses. Esse foi o maior aumento entre os países emergentes.

ENERGIA

"O planejamento evitaria os apagões" A estiagem volta a ser apontada como vilã dos problemas energéticos do País. Mas especialista joga luz no assunto e cobra o governo. Monalisa Lins/EC

Renato Carbonari Ibelli culpa, definitivamente, não deve ser atribuída a São Pedro. O calor e o tempo seco em boa parte do País reduziram os níveis dos reservatórios das hidrelétricas e agora surge a ameaça de racionamento de energia. Mas não é por falta de aviso que os fatores climáticos estão sobrepujando o sistema. Desde 2011 as termelétricas passaram a ser cada vez mais necessárias para atender a demanda, mas de lá para cá pouco foi feito para tentar adequar a oferta de energia. Agora, se as chuvas não vierem o racionamento de O governo não energia será ineviblindou o País tável, alerta o especialista no setor contra nossa Adriano Pires, direrealidade tor do Centro Brasiclimática. Foram leiro de Infraestrufeitas políticas tura (CBIE). Segunpara agradar do ele, o governo pisou na bola. "O ambientalista, e planejamento para acabamos o setor elétrico por construindo aqui é tratado com usinas de fio cautela, porque, d’água. para o governo, essa discussão poderia induzir na população o receio de apagão, quando, na realidade, o planejamento evitaria os apagões." A seguir, a entrevista concedida ontem:

A

Diário do Comércio – Por que estamos experimentando apagões recorrentes? Nosso sistema elétrico é tão vulnerável assim? Adriano Pires – Desde 2011 tivemos 181 apagões acima de 100 megawatts e 11 acima de mil megawatts, que afeta mais regiões. Eles são recorrentes porque o governo não blindou o País contra nossa realidade climática. Foram feitas políticas para agradar ambientalista, e acabamos construindo usinas de fio d’água, em vez de investir em grandes reservatórios, que mantêm água armazenada mesmo durante as secas. Faltaram políticas eficientes para o setor. Deveriam ter sido promovidos leilões de energia regionais e por fontes. Temos água no Norte, gás no Sudeste, carvão e vento no Sul e, no entanto, os leilões são nacionais. Se fossem leilões regio-

Crônica de um racionamento anunciado: Adriano Pires, diretor do Centro Brasileiro de Infraestrutura (CBIE), afirma que não há surpresa nenhuma nos problemas de energia enfrentados pelo País.

nais os problemas de transmissão de energia também não esbarrariam em questões ambientais, já que resultariam em linhas de transmissão menores. Além disso, a demanda por energia tem crescido bem acima da oferta, puxada pelas classes C e D. DC – Os investimentos que estão sendo feitos no setor resolveriam o problema da oferta? Pires – O problema é que os investimentos são lentos. A oferta de megawatts cresce apenas a metade da que seria necessária todo ano. Os investimentos estão atrasados. Das obras de geração, 64% delas estão atrasadas, assim como 71% das obras de transmissão e 74% das subestações. Um dos motivos do atraso é a exigência do governo de fazer leilões a preço baixo, o que não garante um retorno satisfatório às distribuidoras. Por esse motivo, a iniciativa privada perde o interesse nos leilões, que acabam sendo concorridos por estatais, que costumam ser mais lentas nas execuções das obras. DC – Em 2012 o governo editou a

Usinas termelétricas são cada vez mais exigidas

A

s usinas termelétricas tiveram um aumento de 48,1% na geração e m 2 0 1 3 , a 1 3 . 0 3 5 m egawatts (MW) médios, ano em que ficaram fortemente acionadas para ajudar na recuperação dos reservatórios das hidrelétricas, a níveis baixos até hoje. As informações são do Boletim de Operação de Usinas da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) divulgado ontem. No ano passado, a usinas movidas a óleo e biocombustíveis tiveram um aumento de 131,6% na geração ante 2012, as térmicas a gás geraram 57,6% a mais, e as térmicas a carvão mineral elevaram a geração em 85,9%. Considerando todas as fontes de geração de energia do País, houve elevação de

3%, a 61.323 MW médios, em 2013 – ano em que o Brasil encerrou com 123.973 megawatts (MW) de capacidade instalada em operação comercial, de 1.064 usinas de geração de energia. A garantia física total do sistema é de 64.199 MW médios de energia, informou a CCEE. As termelétricas a gás encerraram 2013 com 9.816 MW de capacidade instalada. Já a capacidade instalada do parque gerador brasileiro apresentou acréscimo de 5,1%, ou 6.009 MW, entre dezembro de 2012 e o mesmo mês de 2013. As hidrelétricas geraram energia acima da garantia física em quatro meses de 2013, incluindo dezembro, tendo atingido uma média de geração de 98% da garantia física ao longo do ano. (Reuters)

É preciso modernizar o debate e o sistema em si, com programas mais eficientes. Por exemplo, discutir a cogeração de energia por propriedades rurais, que usariam energia solar. MP 579, que atrelou a renovação dos contratos de concessão das distribuidoras à redução das tarifas. Entretanto, hoje estamos falando em aumento de, pelo menos, 4,6% das tarifas. Há nisto uma incoerência? P ire s – O aumento da tarifa ocorre porque nesse período as termelétricas são muito utilizadas, e o custo da energia gerada por elas é maior. Porém, para 2014 o governo terá que lidar com outro problema decorrente da MP. Quando publicou a medi-

da, o governo deu o seguinte sinal para o consumidor: gaste porque o preço da energia baixou. A demanda cresceu, mas os preços precisaram ser mantidos baixos por determinação do governo. Por outro lado, nesse período, as distribuidoras estão comprando energia no mercado livre a um preço alto, porque um dos fatores determinantes para o preço de compra é o nível das represas, que estão baixos. Mas elas não podem repassar esse custo para os clientes. Isso gera um problema de caixa. Provavelmente o governo terá que ajudar as distribuidoras para evitar quebradeira no setor. A MP acabou criando um problema fiscal. DC – O governo tem alegado que os apagões não têm relação com os picos de consumo. De fato, não há relação? Pires – Como o Sul e o Sudeste têm batido recorde de consumo, há a necessidade de trazer energia da região Norte, que tem os reservatórios mais cheios. Tecnicamente são blocos grandes de energia que vêm no Norte. É tanta energia que a linha de transmis-

são não suportou. É isso que tem ocorrido, causado os apagões, como o da última terça-feira, no Rio de janeiro, quando a Light precisou desligar 17 subestações. DC – Se as chuvas não vierem podemos esperar mais apagões? Pires – Desde 2011 o governo tem ligado as termelétricas com mais frequência, mas não aproveitou este tempo para blindar o sistema contra as questões climáticas. Agora resta torcer para q u e e m m a rç o a s c h u v a s v enham. Do contrário, teremos racionamento. Com a dispersão de recursos que temos no País, deveríamos tratar energia como um insumo. Mas não é assim. O planejamento para o setor elétrico por aqui é tratado com cautela, porque, para o governo, essa discussão poderia induzir na população o receio de apagão, quando, na realidade, o planejamento evitaria os apagões. É preciso modernizar o debate e o sistema em si, com programas eficientes. Por exemplo, discutir a cogeração de energia por propriedades rurais, que usariam energia solar. Incentivar o uso de biomassa.

País aumenta compra de gás da Bolívia

A

Bolívia acrescentará 2,24 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia ao fornecimento ao Brasil para abastecer uma central termoelétrica em Cuiabá, no momento em que o País passa por uma estiagem que eleva a demanda por geração de energia. O contrato assinado na terça-feira pelas estatais Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) e Petrobras tem

validade inicial por 20 dias, segundo a petroleira boliviana. "Nesse período se analisam as condições específicas para a assinatura de um contrato interruptível de maior prazo", disse o gerente de comercialização da YPFB, Mauricio Marañón, de acordo com a agência de notícias da petroleira. A Bolívia é um dos principais fornecedores de gás natural ao Brasil. Um

acordo firmado há quase duas décadas entre a YPFB e a Petrobras estabelece a venda ao Brasil de 24 a 30 milhões de metros cúbicos de gás por dia. O Brasil atravessa sua pior seca em décadas e algumas regiões do Sul e Sudeste podem se ver obrigadas a racionar o consumo de energia. Isso tem aumentado a pressão por uma maior produção termoelétrica. (Reuters) Ueslei Marcelino/Reuters

Alerta nos reservatórios

O

nível dos reservatórios das usinas do subsistema Sudeste/CentroOeste, o mais importante, voltou a cair, refletindo forte consumo de energia e a estiagem deste verão. Segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS), os reservatórios fecharam na última terça-feira

com 36,69% da capacidade total, uma queda de 0,51 ponto porcentual em relação ao dia anterior. Há uma semana, o nível de armazenamento era de 38,9%. Há um ano, o patamar era de 42,9%. Os níveis de hoje são os mais baixos desde 2001, ano do racionamento de energia.

No Sul, dados do operador indicam que os reservatórios encerraram ontem com 46,31% da capacidade, queda de 1,19 ponto porcentual em relação ao dia anterior. No Nordeste, o nível de armazenamento era de 42,61%, uma diminuição de 0,9 ponto porcentual. (EC)


12 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

13

Queremos criar fundos garantidores, uma espécie de seguro de crédito para os pequenos, para dar garantia ao banco. Guilherme Afif Domingos, ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa

Pense simples: uma empresa em 5 dias. Até o fim do ano, União, Estados e municípios deverão estar integrados para reduzir a burocracia e agilizar os projetos dos empreendedores. André Dusek/Estadão Conteúdo

governo quer estruturar até junho o Simples Nacional assim, poderá reduzir para cinco dias o prazo de abertura de uma empresa. A ideia é começar pelo Distrito Federal e, até o fim do ano, disseminar a prática por todo o País. A presidente Dilma Rousseff anunciou ontem a instalação do Comitê Interministerial de Avaliação do Simples Nacional, que, entre outras funções, planejará a criação do portal da Rede Sim, que promete integrar a ação de União, Estados e municípios para a abertura e o fechamento de empresas. O ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, disse que o País precisa avançar nas condições de abertura de micro e pequenas empresas e adiantou que sua secretaria irá encampar a campanha "Pense Simples", para que todos os órgãos públicos comecem a simplificar suas normas, leis e regulamentos. "Steve Jobs disse que fazer o simples é muito complexo e fazer o complexo é simples, é só não pensar. A burocracia no Brasil não pensa. Esquece que tem um cidadão só e "ene" órgãos públicos, sem pensar, reforçam controles de burocracia. O Brasil hoje demora 150 dias para abrir [uma empresa] e, para fechar, não fecha", disse o ministro. Segundo Afif, o primeiro grande projeto da simplificação governamental é o portal para tornar mais fácil o processo de abertura de empresas, que deverá ser feito em um único local, a Junta Comercial

O

A presidente Dilma Rousseff, ao lado de Afif, instalou ontem o Comitê Interministerial de Avaliação do Simples Nacional, que tem como meta principal agilizar a abertura e o fechamento de empresas.

Esquecemos que tem um cidadão só e "ene" órgãos públicos que, sem pensar, reforçam controles de burocracia. AFIF DOMINGOS, SECRETARIA DA MICRO E PEQUENA EMPRESA do estado onde se pretende abrir o negócio. De acordo com ele, o Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ) será o único número exigido do empreendedor. "Com isso, tenho de fazer um acordo com os estados para que se unifique o

sistema." O ministro disse que o novo sistema depende de uma lei complementar, que deve ser votada em plenário até abril e aprovada até julho. Afif espera que, com a aprovação e a implementação do portal, tenha fim a via sacra que se enfrenta hoje. "Ele [empresário] vai a um único balcão e, se tiver assinatura digital, pode abrir ou fechar empresa de sua casa porque, no mundo digital, quem viaja são os dados, e não as pessoas", explicou. Antes do lançamento do portal, no entanto, Afif fará, até maio, uma caravana pelo País para divulgar o projeto. Afif ressaltou que os empresários inscritos no Simples Na-

Inflação no e-commerce é menor em janeiro Paula Cunha

em dezembro, a alta tinha sido de 1,65%. Ao mesmo tempo, o índice recuou 2,27 pontos percentuais ante janeiro do ano passado, cuja variação em relação a dezembro de 2012 fora de 3%. A informação é de Claudio Felisoni de Ângelo, presi-

índice e-Flation, que mede a inflação nos sites de e-commerce, registrou alta de 0,73% em janeiro nos preços praticados -

O

Alta moderada Variação mensal dos preços no comércio eletrônico (em %) 3,0

1,65

1,47 0,80

0,68 0,48

0,08 - 0,36

- 0,13

Jan Fev Mar Abr Mai Jun 2013

0,35

- 0,68

0,73

- 1,28

Jul Ago Set Out Nov Dez Jan 2014

Fonte: Provar/Fia

dente do conselho do Programa de Administração de Varejo (Provar) da Fundação Instituto de Administração (FIA). Segundo Felisoni de Ângelo, é preciso ressaltar, porém, que há a percepção de que a inflação dos preços das lojas físicas também estão exercendo impacto sobre o mercado virtual. De acordo com o levantamento de janeiro, no acumulado dos últimos 12 meses, o indicador registrou inflação de 3,82%. A categoria que apresentou maior inflação foi a de livros (6,74%). Segundo informação do Provar/Fia, o indicador é avaliado a partir da segunda quinzena do mês referente à primeira do mês subsequente. Os itens que compõem a cesta de cada uma das categorias são os mais anunciados entre os sites mais procurados e que são classificados como "campeões de vendas".

Para empreender com sucesso e 22 a 25 de fevereiro, a cidade de São Paulo recebe o maior evento do empreendedorismo do País, a Feira do Empreendedor 2014, realizada pelo Sebrae-SP. O público que for ao Expo Center Norte poderá fazer negócios, passar por consultorias, assistir a palestras, ver novidades, tendências e encontrar informações sobre como abrir e manter um negócio próprio. Bienal, a edição de 2012 reuniu 55 mil pessoas. Este ano são previstos 60 mil visitantes que terão a oportunidade de percorrer os 21 mil m² da Feira onde serão montados os estandes temáticos. Nesses espaços, a equipe do SebraeSP irá levar ao empresário ou futuro empresário orientação de qualidade, seja ele do setor de comércio, serviços, indústria ou agronegócios. Este últi-

D

mo ganhou atenção especial nesta edição, com um estande que permitirá às empresas apresentarem seus produtos, possibilitando a realização de negócios. Para dar todo o suporte ao e m p re e n d e d o r d u r a n t e o evento, o Sebrae-SP vai oferecer 78 pontos de atendimento. “O visitante poderá conversar com um consultor do Sebrae-SP, tirar suas dúvidas e receber a assessoria que precisar ”, afirma o diretor-superintendente do Sebrae-SP, Bruno Caetano. “Além disso, ele poderá acompanhar palestras com especialistas em vários assuntos que ocorrerão em seis salas com capacidade para até 300 pessoas.” N e ssas palestras, serão abordados temas como gestão, mercado, inovação e tendências. A feira terá um espaço de

atendimento do Sebrae-SP dedicado à formalização do Microempreendedor Individual (MEI). No local, o MEI terá a oportunidade de regularizar seu negócio na hora, resultado da parceria do Sebrae-SP com a Secretaria do Desenvolvimento, Trabalho e Empreendedorismo, da Prefeitura de São Paulo. (Ag. Sebrae)

S ERVIÇO Feira do Empreendedor Local: Expo Center Norte Pavilhão Verde, São Paulo Endereço: Rua José Bernardo Pinto, 333 - Vila Guilherme Data: de 22 a 25 de fevereiro Sábado e domingo: das 10h às 21h Segunda e terça-feira: das 13h às 21h Entrada franca Programação de palestras: http://feiradoempreendedor. sebraesp.com.br

cional não existiriam como empreendedores se o sistema não existisse. O ministro explicou que o regime de tributação diferenciada estimula uma formalização que não existiria sem ele, pois as pequenas empresas não teriam condições de sobreviver com as regras tradicionais, aumentando, dessa forma, a tributação com a adesão de mais contribuintes. "Esse processo de formalização tem um princípio pelo qual vou brigar até o fim: quando todos pagam menos, o governo arrecada mais". Segundo ele, a comissão deverá fazer estudos para a ampliação de outros setores que não estão no Simples, co-

mo certas categorias de profissionais autônomos. Afif defende que o enquadramento seja feito de acordo com o porte da empresa e não pela área de atuação. Hoje, as duas variáveis são consideradas. O ministro disse, ainda, que o governo concluirá em até 20 dias um estudo para programa de jovens aprendizes, de 14 a 15 anos, em micro e pequenas empresas. "Tem um grande potencial", afirmou, em referência aos 8 milhões de micro e pequenas empresas existentes hoje no País. O governo também pretend e a m p l i a r o c ré d i t o a m icroempreendedores. Segundo o ministro, o País tem "muito crédito para bens de consu-

mo e o crédito para bens de produção não tem, porque no Brasil só se dá prata quem tem ouro. Se você tem um bem para dar e garantir. Senão, não alcança crédito de longo prazo para compra de máquinas e equipamentos". Afif disse que há intenção de "mobilizar a área financeira" para a oferta de mais garantias aos pequenos empresários para que tenham acesso a crédito. "Queremos criar fundos garantidores, uma espécie de seguro de crédito para os pequenos, para dar garantia ao banco", afirmou. Outra iniciativa também deve ser a implantação do Simples Internacional, diminuindo barreiras tributárias e protecionistas. Segundo ele, é preciso simplificar as tabelas de enquadramento do regime e eliminar barreiras que impedem micro e pequenas de participar do comércio mundial. O comitê foi criado por decreto em maio de 2013, para acompanhar, avaliar e propor ações para aprimorar o regime que dá tratamento tributário diferenciado às micro e pequenas empresas do País. O comitê será integrado pelos titulares dos seguintes órgãos: Secretaria da Micro e Pequena Empresa; Casa Civil; Ministério da Fazenda; Ministério do Planejamento; Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior; Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação; e Ministério do Trabalho e Emprego. O Simples Nacional unifica a arrecadação dos tributos devidos pelas micro e pequenas empresas, nos âmbitos federal, estaduais e municipais. (Agências)


14 -.ECONOMIA/LEGAIS

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Google lança seu laptop brasileiro O Chromebook, feito pela Samsung, custará R$ 1.099.

Google anunciou ontem o lançamento do primeiro Chromebook (laptop com o sistema Chrome OS, cujo uso depende de internet) fabricado no Brasil. Feito pela Samsung, o modelo custará R$ 1.099. Nos EUA, o modelo análogo sai por US$ 250 (cerca de R$ 600). O primeiro Chromebook no Brasil (lançado em outubro do ano passado), feito pela Acer, custava R$ 1.299. Em entrevista à Folha de S.Paulo, o executivo do Google responsável por parcerias relacionadas ao Chrome OS, Felix Lin, disse que o Brasil difere de outros mercados. A fabricação local é um imperativo, para que um aparelho tenha preço competitivo. Lin diz também que a proposta dos Chromebooks, geralmente mais baratos, simples e menos potentes que laptops convencionais, é servir especialmente mercados desenvolvidos. Com tela de 11,6 polegadas, o aparelho armazena 16

O

O TCU deu aval para que o governo inicie o processo de concessão Divulgação

m decisão tomada ontem, o Tribunal de Contas da União (TCU) deu aval para que o governo inicie o processo de concessão do primeiro trecho ferroviário do programa de concessões, a Ferrovia da Soja, ligando Campinorte (GO) a Lucas do Rio Verde (MT). Os ministros entenderam que a Agência Nacional de Transporte Terrestre (ANTT) pode publicar o edital da concessão com as alterações exigidas pelo tribunal. O TCU analisará antes do leilão se foram feitas as mudanças exigidas e poderá liberar ou não a concessão do trecho. Em dezembro, o tribunal aprovou o novo modelo de concessão de ferrovias proposto pelo governo, após mais de um ano de debates sobre

E

O aparelho pesa 1,1 kg – praticamente o mesmo 1,08 kg do Macbook Air de 11 polegadas, da Apple.

Gbytes (drive SSD) e tem memória de 2 Gbytes. Pesa 1,1 kg (praticamente o mesmo 1,08 kg do Macbook Air de 11 polegadas, da Apple), e seu processador é o Exynos 5 Dual de 1,7 GHz, similar ao empregado no tablet Nexus 10, do Google. O computador está sendo

Sinal verde para a Ferrovia da Soja

vendido nas lojas de marca da Samsung e chegará ao varejo em geral em breve, segundo a empresa. Compradores também terão direito a 100 Gbytes de armazenamento durante dois anos no Google Drive, plano que sai normalmente ao equivalente a US$ 5 ao mês. (Folhapress)

a base legal. Pelo novo modelo, o governo fará a concessão de forma aberta: o operador constrói e opera a ferrovia (e será pago pelo governo por isso). Entretanto, não poderá explorar a via, ou seja, colocar trens para circular por ela. Qualquer empresa, depois de negociar a venda do direito de passagem com a estatal Valec, poderá passar com trens pela linha concedida. Mas, ao aprovar o novo modelo, o relator do processo, ministro Walton Alencar, determinou em dezembro mudanças específicas no edital como redução de custos estimados da obra de R$ 6 bilhões para R$ 4,6 bilhões e a inclusão de algumas obrigações para o concessionário. A ANTT, responsável pelo leilão, pediu uma revisão de

alguns itens do acórdão, principalmente do preço. O ministro acatou alguns argumentos da agência e permitiu que ela fixe novos preços para a obra, mas que não precisa ser o valor a que o TCU chegou em dezembro (R$ 4,6 bilhões). Segundo o relator, o TCU vai monitorar se a agência fez as mudanças e, caso a determinação não seja cumprida, o leilão pode ser suspenso pelo órgão. Como é uma concessão, os valores são de referência para basear o teto dos preços que serão pagos por quem vai disputar. Vence a disputa quem oferece o menor preço e o vencedor pode fazer o projeto com custos mais baixos ou mais altos que o previsto, sem que isso crie impacto nos preços. (Folhapress)


A Embraer, de olho no mercado Ásia-Pacífico. s análises estratégicas da Embraer indicam que as empresas aéreas da região da ÁsiaPacífico devem demandar a entrega de 1.500 novos jatos de 70 a 130 assentos nos próximos 20 anos. Foi o que a empresa informou ontem, em comunicado enviado por e-mail. "O mercado da ÁsiaPacífico se tornará mais rico, competitivo e liberal, estimulando ainda mais as

A

companhias aéreas a buscar aumento de eficiência (...) Neste contexto, o segmento de jatos de 70 a 130 assentos desempenhará um papel fundamental para apoiar o desenvolvimento intra-regional". A projeção considera todo o mercado de aviação para esse segmento, e não apenas entregas da Embraer, e inclui a demanda da China. De acordo com a fabricante, a expectativa

Walmart Brasil Ltda CNPJ: 00.063.960/0086-90 IE 286288445113 Walmart Brasil Ltda, estabelecida na Rua José Bonifácio, 647 - Serraria – Diadema– SP - CEP 09980150 declara para os devidos fins e efeitos de direito, e para prevenir de suas responsabilidades, que foi extraviado os seguintes bens móveis; 1) - Impressora Fiscal marca IBM, série nº IB030800000008234779, modelo 4610-KN4; 2) - Impressora Fiscal marca IBM, série nº IB030800000008234738, modelo 4610-KN4. Não se responsabilizando pelo uso indevido da mesma. Diadema - SP.

PREFEITURA MUNICIPAL DE ALUMÍNIO/SP PREGÃO PRESENCIAL PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº 01/2014 - PROC. Nº 02/2014 Objeto: Fornecimento de leite. Encerramento: 25/02/2014, às 9h30. O edital poderá ser adquirido gratuitamente no site: www.aluminio.sp.gov.br ou no Paço Municipal, à Av. Antônio de Castro Figueirôa, 100, Alumínio/SP sob custas de R$ 19,20. Informações (11) 4715-5500- ramal 5314. Kátia Alves Leal - Pregoeira PREGÃO PRESENCIAL PARA REGISTRO DE PREÇOS Nº 02/2014 - PROC. Nº 03/2014 Objeto: Fornecimento de gás GLP. Encerramento: 28/02/2014, às 9h30. O edital poderá ser adquirido gratuitamente no site: www.aluminio.sp.gov.br ou no Paço Municipal, à Av. Antônio de Castro Figueirôa, 100, Alumínio/SP sob custas de R$ 24,00. Informações (11) 4715-5500- ramal 5314. Kátia Alves Leal - Pregoeira DECLARAÇÃO A empresa AT FANNYS ENGLISH SCHOOL LTDA ME, estabelecida à Rua Paúva, 266, Vila Jaguara, São Paulo, inscrita no CNPJ sob nº 04.536.308/0001-07 e CCM nº 3.039.048-6, sob as penas da Lei, DECLARA que foi extraviado as Notas Fiscais de Prestações de Serviços, série “A” de números 127 até 150. Fanny. São Paulo (SP), aos 24 de Janeiro de 2.014. Fanny de Souza Costa RG/SP nº 25.574.084-0-SSP CPF/MF nº 166.321.248/10 Declarante

PREFEITURA MUNICIPAL DE BIRIGUI EDITALNº021/2.014–RPdePREGÃOPRESENCIALNº180/2.013. ERRATA Por um lapso o dia de abertura do certame foi publicado errado, desta forma fica corrigido o dia para inicio dos trabalho do certame - Pregão Presencial nº 180/2013 para o dia 26/02/2014, permanecendo o mesmo horário, e, ratifico os demais termos constante no Edital. Melhores informações poderão ser obtidas junto a Seção de Licitações na Rua Santos Dumont nº 28, Centro, ou pelos telefones (018) 3643.6126. O Edital poderá ser lido naquela seção e retirado gratuitamente no site www. birigui.sp.gov.br, Pedro Felício Estrada Bernabé, Prefeito Municipal Birigui, 12/02/2014.

ECONOMIA/LEGAIS - 15

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

CONCAIS S/A

CNPJ nº 02.092.233/0001-97 - NIRE 35.300.151.321 Ata da Assembleia Geral Extraordinária Realização/Local: 31/12/2013, às 10h00, na Rua Gomes de Carvalho, 1306, 8º andar, s/ 83, S. Paulo/SP. Convocação: Dispensadas as formalidades na forma da lei. Presenças: Acionistas representando 100% do capital votante e do capital total. Mesa: Presidente: Carlos César Floriano e Secretária: Harumi Ono. Ordem do Dia/Deliberações: “Aprovadas, por unanimidade” I. que o saldo de Lucros a serem apurados em balanço de 31/12/2013, após a constituição da reserva legal e reservas estatutárias, será 100% destinado para pagamentos de dividendos, após as compensações dos adiantamentos intermediários. II. autorizada a publicação desta ata em forma de extrato; e III. Em obediência ao disposto no § 4º do art. 5º do Estatuto Social consolidado verifica-se que o quadro atualizado de participação societária no capital da cia, é o seguinte: Acionistas - Qtde. Ações ON - Qtde. Ações PN; ABA Infra-Estrutura e Logística Ltda. - 13.320 - 23.310; Carlos César Floriano - Nihil - 370; Total - 13.320 - 23.680. Encerramento: Formalidades legais foram devidamente arquivadas e registradas na JUCESP nº 51.422/14-1 em 05/02/2014.

Divulgação/Embraer

equivale a US$ 70 bilhões a preços de lista e cerca de 20% da demanda mundial para o período. Das novas entregas na região, a Embraer estima que 65% irão apoiar o crescimento do mercado, enquanto o restante será usado para renovação de frota. E acredita que seus jatos podem ter um papel fundamental no crescimento das empresas aéreas de baixo custo na região. (Reuters)

ASSOCIAÇÃO PAULISTA FEMININA DE COMBATE AO CÂNCER - APFCC Edital de Convocação Ficam convocados os senhores Associados, os Membros da Diretoria e do Conselho Fiscal da ASSOCIAÇÃO PAULISTA FEMININA DE COMBATE AO CÂNCER - APFCC a se reunirem em Assembleia Geral Ordinária de Balanço, a se realizar no dia 10 de março de 2014 (segunda-feira), na Sede da APFCC, à Rua General Jardim, 618 - 5º andar - conjunto 52, às 13:30 horas,em primeira convocação e às 14:00, em segunda convocação, com qualquer número de presentes, para Leitura e Aprovação do Balanço Geral de 2013. São Paulo, 12 de fevereiro de 2014. Deise Mendes Cirillo - Presidente.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SANTA GERTRUDES

Tomada de Preços 02/2014 - A Prefeitura do Município de Santa Gertrudes, com Paço Municipal à Rua 01A, 332, Centro, Santa Gertrudes/SP, torna público, para conhecimento de interessados, que acha-se aberta a Tomada de Preços 02/2014, que objetiva a contratação de empresa para execução, por empreitada e preço global, de obras e serviços de construção da EMEI Vereador Eugênio Secco, localizada a Avenida 11 com a Rua 01, no centro, com fornecimento de materiais, mão de obra e equipamentos necessários. O edital completo com os elementos técnicos poderá ser retirado das 09:00 às 16:00 horas, de segunda a sexta-feira, mediante o recolhimento da taxa de R$ 50,00 (cinquenta reais) no endereço acima citado ou ser retirado pelo site www.santagertrudes.sp.gov.br. Será exigido cadastramento prévio, visita técnica e caução de participação. Os envelopes com a documentação e a proposta deverão ser protocolados no Paço Municipal até às 08:30 horas do dia 06 de março de 2014, sendo que a abertura dos mesmos será neste mesmo dia às 09:00 horas. Santa Gertrudes/SP, 12/02/2014. Danielle Zanardi Leão – Comissão de Licitações.

Prefeitura Municipal de São Sebastião da Grama AVISO DE LICITAÇÃO Procedimento Licitatório nº 06/2014 Pregão Presencial nº 06/2014 A Prefeitura Municipal de São Sebastião da Grama, Estado de São Paulo, através do Prefeito Municipal, torna público para o conhecimento dos interessados que estará realizando licitação, na modalidade Pregão Presencial, sendo do tipo Maior oferta por módulo, cujo objeto será à cessão onerosa, a Pessoa(s) Jurídica(s), de uso de bens públicos para fins comerciais, destinados a exploração comercial da Praça de Alimentação do Carnaval. Maiores informações poderão ser obtidas na sede da Prefeitura Municipal, onde poderá ser retirado o edital na íntegra, no horário de expediente (das 08h00min às 11h00min e das 13h00min às 17h00min) de segunda a sexta-feira, na página eletrônica www.ssgrama.sp.gov.br, bem como pelo telefone (19) 3646-9951. A sessão pública de abertura, análise e julgamento da presente licitação ocorrerá dia 24 (vinte e quatro) de fevereiro de 2014, às 09h30min, onde as propostas serão analisadas e julgadas no prazo legal. José Francisco Martha Prefeito Municipal.

AVISO DE EDITAL DE LICITAÇÃO BENJAMIM BILL VIEIRA DE SOUZA, Prefeito do Município de Nova Odessa, torna público que se acha aberto Pregão Presencial nº. 04/PP/2014, que será realizada na sala de reuniões do Município de Nova Odessa, situada a Avenida João Pessoa, 777, Centro, Nova Odessa/SP, CEP: 13460-000, iniciando-se a sessão no dia 26/02/2014, às 9h15min, e tem por objeto Registro de Preços para futuras e eventuais aquisições de gases medicinais, incluindo a locação de tanques e cilindros, bem como a manutenção preventiva e corretiva para utilização no Hospital e Maternidade Municipal de Nova Odessa, Unidades Básicas de Saúde e pacientes cadastrados no serviço social. Informações poderão ser obtidas das 8h00min às 16h30min, no endereço acima mencionado ou através do telefone (19) 3476.8602. O edital estará disponível para downloadnoseguintelinkdeacesso:http://www.novaodessa.sp.gov.br/Licitacoes.aspx. Nova Odessa, 12 de fevereiro de 2014. Setor de Suprimentos e Licitações

Banco Itaú BBA S.A.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL NOS TERMOS PROVIMENTO CSM CXC/84, INFORMAMOS QUE HOJE (12/02/2014) NÃO HOUVE PEDIDO DE FALÊNCIA NA COMARCA DA CAPITAL.

COMUNICADO - EXTRAVIO DE NOTAS

Em 01/03/2008 extraviou-se 1000 Formulários em branco de Notas fiscais modelo 1 - fatura sem série/sub-série - numero 0001 a 1000 Formulário continuo - 5 vias. Da empresa WEIDMANN TECNOLOGIA ELÉTRICA LTDA - CNPJ: 50.139.286/0004-01 - IE 286.285.311.110. Autorizada confecção através da AIDF 203324757807. ENDEREÇO: AV. DR. ULYSSES GUIMARÃES, 3179 VILA MARY - DIADEMA/SP - MOTIVO: extravio dos formulários durante mudança predial. GAFOR S.A., filial localizada na Avenida Brasil, nº 791 - Instalação K-10 - Loteamento Engenheiro Neiva Guaratinguetá - SP - CEP 12521-000, NIRE - 35.902.536.841, devidamente inscrita no CNPJ/MF nº 61.288.940/ 0004-65, Inscrição Estadual nº 332.142.480.115, declara, para os devidos fins, que extraviou os seguintes documentos fiscais: AIDF 261222544008, Modelo 8 CTRC de nº 007.001 a 007.244, AIDF 142147043205, Modelo 24 ACT de nº 1 a 1.000 e AIDF 142147397605, Modelo 1, NF de nº 1 a 500. PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO/SP AVISO DE LICITAÇÃO Comunicamos que está aberta a Licitação relacionada abaixo: MODALIDADE: Pregão Presencial 012/ 2014. PROCESSO: 206/2014. OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA FORNECIMENTO DE PARALELEPÍPEDO. INÍCIO DA SESSÃO PÚBLICA: 27/02/2014, às 14:00 h, na sala de Licitações da Prefeitura do Município de São Pedro, sita à Rua Valentim Amaral, n° 748, Centro, São Pedro/SP. O edital completo encontra-se à disposição no Departamento de Compras e Licitações, sito à Rua Valentim Amaral 748, no horário das 08:00h às 17:00h, Fone: (19) 3481-9223, ou através do site: www.saopedro.sp.gov.br. São Pedro, 12 de fevereiro de 2014. Valdemir Antonio Malaguetta - Pregoeiro

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico nº 21/00765/13/05 OBJETO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE TRANSPORTE ESCOLAR PARA AS ESCOLAS DA REDE PÚBLICA ESTADUAL. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Prestação de Serviços de Transporte Escolar para as Escolas da Rede Pública Estadual. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 13/02/2014, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sextafeira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 27/02/2014, às 10:00 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 13/02/2014, até o momento anterior ao início da sessão pública. BARJAS NEGRI - Presidente

Ministério de Minas e Energia

MUNICÍPIO DE NOVA ODESSA

CNPJ 17.298.092/0001-30 NIRE 35300318951 ATA SUMÁRIA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO DE 31 DE DEZEMBRO DE 2013 DATA, HORA E LOCAL: Em 31.12.13, às 9h, na Av. Brigadeiro Faria Lima, 3.400, 4º andar, em São Paulo (SP). PRESIDÊNCIA: Roberto Egydio Setubal. QUORUM: Maioria dos membros eleitos. DELIBERAÇÕES TOMADAS POR UNANIMIDADE: 1. Registrar o encerramento dos mandatos de Alexandre Jadallah Aoude, Antônio José Calheiros Ribeiro Ferreira, José Roberto Haym e Rodrigo Pastor Faceiro Lima, sendo que todos deixam de exercer suas funções nesta data. 2. Como consequência da deliberação anterior e em atendimento às normas do Conselho Monetário Nacional (CMN) e da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), atribuir as seguintes responsabilidades, em substituição a Alexandre Jadallah Aoude: Operações de Derivativos de Crédito (Resolução CMN 2.933/02) ao José Augusto Durand e Operações realizadas com Valores Mobiliários em Mercados Regulamentados (ICVM 505/11) ao Jean-Marc Robert Nogueira Baptista Etlin. 3. Atribuir, ainda, a responsabilidade pela Emissão, Distribuição ou Negociação do Certificado de Operações Estruturadas (Resolução CMN 4.263/13) ao José Augusto Durand e ratificar a atribuição da responsabilidade pela apuração do Capital Principal, Patrimônio de Referência e RWA (Resolução CMN 4.193/13) ao Marcello Peccinini de Chiaro. ENCERRAMENTO: Encerrados os trabalhos, lavrou-se esta ata que, lida e aprovada por todos, foi assinada. São Paulo (SP), 31 de dezembro de 2013. (aa) Roberto Egydio Setubal Presidente; Candido Botelho Bracher - Vice-Presidente; Caio Ibrahim David, Eduardo Mazzilli de Vassimon, Henri Penchas e João Dionísio Filgueira Barreto Amoêdo - Conselheiros. Cópia fiel da original lavrada em livro próprio. JUCESP - Registro nº 40.847/14-7, em 27.1.14. (a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

Avião no centro de serviço para jatos executivos da Embraer

AVISO DE LICITAÇÃO Pregão Eletrônico PE-011-4-0013 Objeto: Centrais Elétricas do Norte do Brasil S/A – Eletronorte, torna público aos interessados que realizará licitação na modalidade de Pregão Eletrônico, tipo menor global, no dia 24/02/2014, às 09:30 horas, no Sistema Comprasnet, cujo objeto é a Contratação de empresa especializada em prestação de serviços de apoio administrativo no âmbito da Regional de Transmissão de Rondônia (ORD). Total de itens licitados: 0001. O edital estará à disposição dos interessados nos endereços: www.comprasnet.gov.br, link: acesso livre – Pregões – Agendados e: HTTP://www.eln.gov.br/pagina_15.htm ABADIA APARECIDA RIBEIRO DE SOUZA Superintendente

Hitech Tecnologia e Sistemas S/A

TECBRAS ENGENHARIA S.A.

(Em Constituição) Ata de Assembleia Geral de Constituição da Companhia de 01/01/2013 1. Data, Hora e Local: 1/1/13, às 14hs, na sede social da Trends Engenharia e Infraestrutura S/A, em Recuperação Judicial, Cia.constituída de acordo com as Leis da República Federativa do Brasil, com sua sede em SP/SP, R. Veneza, 57, Jd. Paulista, CNPJ/MF 00.477.319/0001-02, com seus atos sociais arquivados perante a JUCESP sob NIRE 35.220.409.438, doravante Trends S/A;2.Convocação e Presença: Totalidade do capital social, neste ato representado por TRENDS S/A, já qualificada; GTT - Serviços e Participações Ltda.“Em recuperação Judicial”,sociedade constituída de acordo com as Leis da República Federativa do Brasil com sua sede social em SP/SP, R.Brigadeiro Galvão, 288, Bairro Barra Funda, CNPJ/MF 10.246.572/0001-09 e NIRE 35.222.517.319, neste ato representada por seu administrador, Paulo Assis Benites,RG 13.319.167 SSP/SP e CPF/MF 093.243.108-95.3.Mesa:Presidente - Paulo Assis Benites; Secretário: Flávio Pocinho Borges, RG 30.932.664-3 SSP/SP e CPF/MF 263.851.598-17.4. Deliberações: 4.1 Aprovar a constituição e os atos constitutivos de HitechTecnologia e Sistemas S/A,que será sediada em SP/SP, R.Veneza, 57, Box 3, Jd.Europa, aprovando seu estatuto social integral, que se encontra em anexo, na qualidade de subsidiária integral de Trends S/A; 4.2 Aprovar a composição da diretoria social da Hitech, pelo prazo estatuario de 2 anos com mandato do Dir. Presidente e Dir. da Cia. a saber: (a) Paulo Assis Benites, já qualificado, como Dir. presidente; e (b) Flávio Pocinho Borges, já qualificado, como diretor. Afirma nesta ata os diretores eleitos que, para todos os fins de direito, que não se encontram incursos em nenhum dos crimes previstos em lei que os impeçam de exercer atividade mercantil; 4.3 Aprovar sem ressalvas a remuneração global da diretoria anual de R$1,00 real; e 4.4 A Assembleia rerratifica todos os atos diretivos até então realizados até a presente data, bem como autorizando a nomeada diretoria a tomar todas as providências para eficácia deste instrumento perante os órgãos competentes.5. Encerramento: Nada mais.SP, 1/1/13 Mesa: Paulo Assis Benites - Dir.Presidente; Flávio Pocinho Borges - Diretor. “Estatuto Social - Da Denominação e Prazo de Duração - Art. 1º - A Sociedade foi constituída em 1/1/13, por prazo indeterminado, na forma de sociedade por ações, sob a denominação de HitechTecnologia e Sistemas S.A., a ser regida pelo presente estatuto e demais legislação aplicável. Da Sede - Art. 2° - A Sociedade tem sua sede e foro em SP/SP, R.Veneza, 57, Jd. Paulista, CEP 01429-010. Do Objeto Social - Art. 3°-A Sociedade tem por objetivos sociais: a) Serviços relativos à engenharia, incluindo consultoria, acessoria, gerenciamento, supervisão, fiscalização, auditoria e elaboração de estudos, plantas e projetos; b) Desenvolvimento de Software: c) Comércio de Máquinas,aparelhos, Equipamentos, Peças e acessórios industriais; d) Comércio de aparelhos e Equipamentos, Peças e acessórios eletrônicos; e) Comércio de Computador e Periféricos; f) Industrialização por conta de terceiros de produtos e equipamentos de informática e industriais; g) Locação de bens móveis; h) Participação em outras sociedades; e i) Manutenção de Tecnologia da informação e de outros sistemas no Setor de Transporte Público, tanto em sistemas sobre pneus quanto nos sistemas sobre trilhos. Do Capital Social e das Ações - Art.4° - O capital social é de R$ 1.527.360,00, dividido em 1.527.360, ações ordinarias nominativas, sem valor nominal cada uma, divididas entre os acionistas na forma de Boletim de Subscrição, que constitui o Anexo I ao presente, já subscrito e integralizado totalmente. Art. 5º - Cada ação ordinária confere o direito a 1 voto em Assembléia Geral da Sociedade.Da Administração - Art.6° - A Sociedade será administrada por uma Diretoria composta por 2 Diretores, residentes no país e eleitos pela Assembleia, com um mandato de 2 anos, sendo composta por um Dir.Presidente e outro apenas Diretor.§1º - A Sociedade será representada, em qualquer ato, em juízo ou fora dele, ativa ou passivamente e perante terceiros, pelos 2 Diretores, ou pelo Dir. Presidente, ou por 01 Dir. e 01 procurador, especialmente constituído para esse fim e dentro dos limites do mandato a ele outorgado, observado, em qualquer destas hipóteses, o §2º abaixo.§2º - A prática dos seguintes atos pela Sociedade dependerá de prévia aprovação da Assembleia, como condição essencial de sua validade: (i) assinar cheques, ordens de pagamento ou conceder créditos com valor superior a R$ 1.000.000,00; (ii) alienar e adquirir bens imóveis e/ou outros bens do ativo permantente e/ou circulante da Sociedade, bem como constituir ônus reais sobre os mesmos;(iii) conceder avais, cauções, fianças ou outras garantias em benefício de terceiros;e (iv) obter e conceder empréstimos junto a quaisquer instituições financeiras e/ou terceiros em geral. §3º - Os membros da Diretoria serão investidos nos respectivos cargos mediante assinatura de termo de posse, lavrado no livro de atas das reuniões da Diretoria.§4º - Os Diretores deverão permanecer em exercício até a investidura de seus sucessores, podendo ser reeleitos por iguais e sucessivos períodos.§5º - Estando o Dir.afastado temporariamente ou impedido de exercer o seu cargo por qualquer motivo, a escolha de seu substituto caberá aos acionistas, em Assembleia, que poderão conferir ao substituto as mesmas atribuições do Dir.substituído.§6º - A Diretoria receberá mensalmente, a título de pró-labore, a importância que for fixada, em Assembleia, por deliberação de acionistas representàntes da maioria do Capital Social.Art.7° - Os membros da Diretoria reunir-se-ão sempre que convocados por qualquer Diretor.§Único - As deliberações tomadas pela Diretoria serão consideradas válidas soemente após aprovadas pela maioria dos votos dos Diretores eleitos.Art.8°- A Diretoria terá amplos e gerais poderes de administração sobre os negócios socias e a prática dos atos necessários ao regular funcionamento da Sociedade, ressalvados aqueles para os quais seja, por lei ou pelo presente Estatuto, atribuída competência da Assembleia. Art.9° - Os Diretores poderão outorgar procurações em nome da Sociedade, as quais especificarão os poderes conferidos e não terão prazo de validade superior a 12 meses, exceto nos casos de procuração ad judicia, que poderão ser concedidas por prazo indeterminado. Art. 10 - São expressamente vedados, nulos e inoperantes com relação à Sociedade, os atos de qualquer Diretor, procurador ou funcionário que a envolverem em obrigações relativas a negócios ou operações estranhas ao objeto social, salvo quando expressamente autorizados por Assembleia.Da ResponsabilidadeTécnica - Art. 11 - A responsabilidade técnica pela execução dos serviços profissionais prestados pela sociedade, de acordo com os objetivos sociais, estará a cargo do Sr. Paulo Assis Benites, brasileiro, separado judicialmente, engenheiro eletricista, residente e domiciliado na Cidade e Estado de São Paulo, R. Zaíra, 60, Sumaré, CEP 01252-060, RG 13.319.167 SSP/SP, inscrito no CPF/MF 093.243.108-95, e inscrito no Conselho Regional de Engenharia CREA sob de Registro Nacional 06.825.812.418, e por outros técnicos profissionais, devidamente inscritos no CREA, quando contratados pela empresa, todos respondendos individualmente. Das Assembléias Gerais - Art. 12 - A Assembleia reunir-se-á ordinariamente, uma vez que por ano, nos 4 primeiros meses seguintes ao termino do exercicio social, devendo deliberar sobre os assutos previstos em lei.Art. 13 - A Assembleia reunir-se-á extraordinariamente, mediante aviso prévio com 08 dias de antecedência, sempre que os interesses societários, este Estatuto ou a legislação aplicável exigirem decisões dos acionistas. Art. 14 - As Assembleias, ordinárias e extraordinárias, serão convocadas, instaladas e presididas por um Dir.ou por qualquer outra pessoa designada para este fim, nomeada de acordo com o presente Estatuto, que será o Presidente da Assembleia.§1º - O Presidente indicará, dentre os acionistas presentes, um ou mais Secretários.§2º - Apenas aqueles acionistas detentores de ações inscritas em seus nomes no registro próprio dentro de 48 horas antes da data marcada para a Assembleia poderão comparecer a ela.§3º - As deliberações da Assembleias serão tomadas por maioria de votos, sendo desconsiderados os votos em branco.§4º - As convocações para as Assembleias serão publicadas de acordo com o previsto na Lei 6.404/76 e demais legislação que a altere.§5º - O quorum para a instalação das Assembleias será aquele previsto na Lei n° 6.404/76 e demais legislação que a altere.§6º - Os Acionistas poderão ser representados em qualquer Assembleia por um procurador devidamente nomeado nos termos da Lei 6.404/76 e demais legislação quie a altere.Do Exercício Social,Demonstr.Financ.e Distribuição de Lucros - Art.15 - O exercício social coincide com o ano civil, e terminará em 31/dez. de cada ano, quando serão elaboradas as Demonstr. Financ. previstas em lei. Os lucros líquidos terão a destinação que for aprovada pela Assembleia, de acordo com o proposto pela Diretoria. Art. 16 - Dos resultados do exercício, conforme apurado pelas Demonstr. Financ. acima mencionadas, serão deduzidos, antes de qualquer participação, os prejuízos acumulados, a provisão para o Imposto de Renda e o montante a ser destinado à reserva legal conforme o Art.193 da lei 6.404/76.O lucro que porventura se verificar após tais deduções deverá ter a seguinte destinação:a) a parcela às reservas para contingências, nos exercícios em que a Assembleia decidir instituí-la;b) a importância para distribuição do dividendo legal obrigatório aos acionistas, no percentual mínimo de 25% do lucro líquido ajustado para o periodo; e c) quanto a saldo que se verificar, depois das deduções acima e considerada a eventual constituições de reserva(s) permitida(s) por lei justificada(s) no exercício a que se referir(em), a Diretora poderá propor, e caso assim a Assembleia deliberar, pela destribuição aos acionistas ou sua destinação para constituição de uma reserva para Investimentos e Capital de Giro da Sociedade, que tera por finalidade assegurar investimentos em bens do ativo permanente ou acréscimos ao capital de giro, para amortização de dívidas. Esta reserva, em conjunto com as demais, não poderá exceder ao valor do capital social e poderá ser utilizada na absorção de prejuízos, sempre que necessário, na distribuição de dividendos, a qualquer momento, nas operações de resgate, reembolso ou compra de ações e/ou na sua incorporação ao Capital Social.Art.17 - A Sociedade poderá levantar balanços intermediários, bem como pagar dividendos à conta dos lucros assim apurados, desde que o pagamento desses dividendos seja autorizado pela Assembleia, conforme faculta o Art.204 da Lei 6.404/76.§1º - O exercício social poderá, opcionalmente, o que for de melhor interesse econômico à sociedade, ser encerrado com Balanço Patrimonial através de sistema de escrituração comercial, trimestralmente, nos meses de março, junho, setembro e dezembro ou semestralmente a partir do último balanço encerrado, em conformidade com o que preceitua o parágrafo único do art. 175, da Lei n° 6.404, devendo sempre, em dezembro, consolidar as demonstrações de resultado do exercício para atendimento fiscal.Da Liquidação - Art. 18 - A Sociedade poderá ser dissolvida e liquidada nos casos previstos em lei, sendo que compete à Assembleia deliberar sobre seu processamento, nomeação de um ou mais liquidantes, instalação de Cons. Fiscal e determinação da remuneração dos membros do Conselho. Dos Casos Omissos - Art. 19 - Nos casos não previstos no presente Estatuto aplicam-se as disposições da Lei 6.404/76, Código Civil e demais disposições legais aplicáveis a espécie.Da Responsabilidade - Art. 20. - A Cia., tendo em vista sua existência jurídica ter-se dado por meio de cisão parcial da sociedade Trends Engenharia e Infraestrutura S.A.- Em Recuperação Judicial, com sua sede social na Cidade e Estado de São Paulo, R. Veneza, 57, Jd. Paulista, inscrita no CNPJ/MF 00.477.319/0001-02, (“TRENDS”), neste ato, declara que responde solidariamente pelas obrigações do Plano de Recuperação Judicial daTRENDS, ora transcrito no Processo Judicial 0051560-89.2011.8.26.0100, incurso na 1º Vara Central de Falências e Recuperações Judiciais da Comarca da Capital, Estado de São Paulo. §Único: A Cia.a título de dividendo mínimo, transferirá a integralidade de seus lucros apurados em cada exercício, para a sua controladora Trends Engenharia e Infraestrutura S/A - em Recuperação Judicial, a quem caberá o pagamento das parcelas da dívida prevista no Plano de Recuperação Judicial.Do Foro - Art. 21 - Na hipótese de eventuais conflitos entre os acionistas, ou ainda dúvidas acerca da interpretação deste estatuto, fica eleito o Foro da Comarca da Capital, Estado de São Paulo com exclusão de qualquer outro por mais privilegiado que seja. Cumpridos os requisitos os requisitos premilinares previstos em Lei, foi declarada constituida a HitechTecnologia e Sistemas S.A; As formalidades restantes de constituição e registros da Sociedade nos órgãos competentes caberá à Diretoria. Por derradeiro os Diretores ora eleitos, Srs. Paulo Assis Benites, Dir. Presidente, já qualificado e Flávio Pocinho Borges, brasileiro, casado, técnico contábil, residente e domiciliado na Cidade e Estado de São Paulo, na Av. Doutor Silva Mello, 106, Bloco 4, Apt. 144, Jd. Marajoara, CEP 04675-010, RG 30.932.664-3 SSP/SP e CPF/MF 263.851.598-17, Diretor, ambos já qualificados, declararam, para todos os fins de direito, que não se encontram incursos em nenhum dos crimes previstos em lei que os empeçam de exercer atividade mercantil. Determinam os acionistas que a remuneração global anual da diretoria será de R$1,00. Paulo Assis Benites - Pres.; Flávio Pocinho Borges - Secr.. Jucesp sob NIRE 3530046059-6 em 18/12/2013.Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

(Em Constituição) Ata da Assembleia Geral de Constituição da Companhia Tecbras Engenhraria S/A de 1 de Janeiro de 2013 1. Data, Hora e Local: 1/1/13, às 14hs, na sede social da Trends Engenharia e Infraestrutura S/A, em Recuperação Judicial, Cia. com sedeemSP/SP,R.Veneza,57,Jd.Paulista,CNPJ/MF00.477.319/0001-02,comseusatossociaisarquivadosaJUCESPNIRE35.220.409.438, doravante Trends S/A;2.Convocação e Presença:Totalidade, neste ato representado por TRENDS S/A, já qualificada;GTT - Serviços e Participações Ltda.“Em Recuperação Judicial”, sociedade constituída de acordo com as Leis da República Federativa do Brasil com sua sede social em SP/SP, R.Brig.Galvão, 288, Bairro Barra Funda, CNPJ/MF 10.246.572/0001-09 e no NIRE 35.222.517.319, representada por, Paulo Assis Benites, RG 13.319.167 SSP/SP e CPF/MF 093.243.108-95; e Paulo Assis Benites, RG 13.319.167 SSP/SP e CPF/ MF 093 .243.108-95. 3. Mesa - Paulo Assis Benites - Presidente; Flávio Pocinho Borges, RG 30.932.664-3 SSP/SP e CPF/MF 263.851.598-17 - Secretário. 4. Deliberações: 4.1 Aprovar a constituição e os atos constitutivos de Tecbras Engenharia S/A, que será sediada em SP/SP, R.Veneza, 57, Box 1, Jardim Europa, aprovando seu estatuto social na integra, que se encontra em anexo, na qualidade de subsidiária integral de Trends S/A; 4.2 Aprovar a composição da diretoria social da TECBRAS, pelo prazo estatutário de 2 anos, o mandatodoDir.PresidenteeDir.daCia.asaber:(a)PauloAssisBenites,jáqualificado,comoDir.presidente;e(b)FlávioPocinhoBorges, jáqualificado,comodiretor.Afirmanestaataosdiretoreseleitosque,paratodososfinsdedireito,quenãoseencontramincursosemnenhum dos crimes pprevistos em lei que os empeçam de exercer atividade mercantil;4.3 Aprovar sem ressalvas a remuneração global da diretoria anual de R$1,00; e 4.4 A Assembleia rerratifica todos os atos diretivos até então realizados até a presente data, bem como autorizando a nomeada diretoria a tomar todas as providências para eficácia deste instrumento perante os órgãos competentes.5.Encerramento:Nada mais.SP, 1/01/13.Paulo Assis Benites - Dir.Presidente; Flávio Pocinho Borges - Diretor.“Estatuto Social - Da Denominação e Prazo de Duração - Art.1° - A Sociedade foi constituída em 1/01/13, por prazo indeterminado, na forma de sociedade por ações, sob a denominação de Tecbras Engenharia S.A., a ser regida pelo presente estatuto e demais legislação aplicável.Da Sede - Art. 2o - A Sociedade tem sua sede e foro em SP/SP, na RuaVeneza, 57, Box 1, Jd.Paulista, CEP 01429-010.Do Objeto Social - Art.3° - A Sociedade tem por objetivos sociais: a) Serviços relativos à engenharia, incluindo consultoria, assessoria, gerenciamento, supervisão, fiscalização, auditoria elaboração de estudos, plantas e projetos;b) Desenvolvimento de Software:c) Comércio de Máquinas, aparelhos, Equipamentos, Peças e acessórios industriais; d) Comércio de aparelhos e Equipamentos, Peças e assessórios eletrônicos; e) Comércio de Computador e Periféricos; f) Industrialização por conta de terceiros de produtos e equipamentos de informática e industriais;g) Locação de bens móveis;h) Participação emoutrassociedades;ei)ManutençãodeTecnologiadainformaçãoedeoutrossistemasnoSetordeTransportePúblico,tantoemsistemas sobre pneus quanto nos sistemas sobre trilhos. Do Capital Social e das Ações - Art. 4° - O capital social é de R$ 4.595. 720,00, dividido em 4.595.720 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal cada uma, divididas entre os acionistas na forma do Boletim de Subscrição, que constitui o Anexo I ao presente, já subscrito e integralizados totalmente. Art. 5° - Cada ação ordinária confere o direito a 1 voto em Assembleia da Sociedade. Da Administração - Art. 6° - A Sociedade será administrada por uma Diretoria composta por 2 Diretores, residentes no país e eleitos pela Assembleia com um mandato de 2 anos, sendo composta por um Dir. Presidente e outro apenas Diretor. §1º - A Sociedade será representada, em qualquer ato, em juízo ou fora dele, ativa ou passivamente e perante terceiros, pelos 2 Diretores, ou pelo Presidente, ou por 01 Dir.e 01 procurador, especialmente constituído para esse fim e dentro dos limites do mandato a ele outorgado, observado, em qualquer destas hipóteses, o §2º abaixo.§2º - A prática dos seguintes atos pela Sociedade dependerá de prévia aprovação da Assembleia, como condição essencial de sua validade: (i) assinar cheques, ordens de pagamento ou conceder créditos com valor superior a R$ 1.000.000,00; (ii) alienar e adquirir bens imóveis e/ou outros bens do ativo permanente e/ou circulante da Sociedade, bem como constituir ônus reais sobre os mesmos;(iii) conceder avais, cauções, fianças ou outras garantias em benefício de terceiros;e (iv) obter e conceder empréstimos junto a quaisquer instituições financeiras e/ou terceiros em geral.§3º - Os membros da Diretoria serão investidos nos respectivos cargos mediante assinatura de termo de posse, lavrado no livro de atas das reuniões da Diretoria. §4º- Os Diretores deverãopermaneceremexercícioatéainvestiduradeseussucessores,podendoserreeleitosporiguaisesucessivosperíodos.§5º-Estando o Dir.afastado temporariamente ou impedido de exercer o seu cargo por qualquer motivo, a escolha de seu substituto caberá aos acionistas, em Assembleia, que poderão conferir ao substituto as mesmas atribuições do Dir. substituído. §6º - A Diretoria receberá mensalmente, a título de pró-labore, a importância que for fixada, em Assembleia, por deliberação de acionistas representantes da maioria do Capital Social. Art. 7° - Os membros da Diretoria reunir-se-ão sempre que convocados por qualquer Diretor. §Único - As deliberações tomadas pela Diretoria serão consideradas válidas somente após aprovadas pela maioria dos votos dos Diretores eleitos.Art.8° - A Diretoria terá amplos e gerais poderes de administração sobre os negócios sociais e a prática dos atos necessários ao regular funcionamento da Sociedade, ressalvados aqueles para os quais seja, por lei ou pelo presente Estatuto, atribuída competência da Assembleia. Art. 9° - Os Diretores poderão outorgar procurações em nome da Sociedade, as quais especificarão os poderes conferidos e não terão prazo de validade superior a 12 meses, exceto nos casos de procuração ad judicia, que poderão ser concedidas por prazo indeterminado. Art. 10 - São expressamente vedados, nulos e inoperantes com relação à Sociedade, os atos de qualquer Diretor, procurador ou funcionários que a envolvem em obrigações relativas a negócios ou operações estranhas ao objeto social, salvo quando expressamente autorizados por Assembleia.Da ResponsabilidadeTécnica - Art.11 - A responsabilidade técnica pela execução dos serviços profissionais prestados pela sociedade, de acordo com os objetivos sociais, estará a cargo do Sr. Paulo Assis Benites, brasileiro, separado judicialmente, engenheiro eletricista, residente e domiciliado em SP/SP, R. Zaíra, 60, Sumaré, CEP 1252-060, RG 13.319.167 SSP/SP, CPF/MF 093.243.108-95, e inscrito no Conselho Regional de Engenharia CREA de Registro Nacional 06.825.812.418, e por outros técnicos profissionais, devidamente inscritos no CREA , quando contratados pela empresa, todos respondendo individualmente. Das Assembléias Gerais - Art. 12 - A Assembleia reunir-se-á ordinariamente, uma vez por ano, nos 04 primeiros meses seguintes ao término do exercício social, devendo deliberar sobre os assuntos previstos em lei. Art. 13 - A Assembleia reunir-se-á extraordinariamente, mediante aviso prévio com 08 dias de antecedência, sempre que os interesses societários, este Estatuto ou a legislação aplicável exigirem decisões dos acionistas. Art. 14 - As Assembleia, ordinárias e extraordinárias, serão convocadas, instaladas e presididas por um Dir. ou por qualquer outra pessoa designada para este fim, nomeada de acordo com o presente Estatuto, que será o Presidente da Assembleia. §1º - O Presidente indicará, dentre os acionistas presentes, um ou mais secretários. §2º - Apenas aqueles acionistas detentores de ações inscritas em seus nomes no registro próprio dentro de 48 horas antes da data marcada para a Assembleia poderão comparecera ela.§3º- As deliberações da Assembleia serão tomadas por maioria de votos, sendo desconsiderados os votos em branco.§4º - As convocações para as Assembleia serão publicadas de acordo com o previsto na Lei 6.404/76 e demais legislação que a altere. §5º - O quorum para a instalação das Assembleia será aquele previsto na Lei n° 6.404/76 e demais legislação que a altere. §6º - Os acionistas poderão ser representados em qualquer Assembleia por um procurador devidamente nomeado nos termos da Lei no 6.404/76 e demais legislação que a altere.Do Exercício Social, Demonstrações Financeiras e Distribuição de Lucros - Art. 15 - O exercício social coincide com o ano civil, e terminará em 31/dez. de cada ano, quando serão elaboradas as demonstrações financeiras previstas em lei. Os lucros líquidos terão a destinação que for aprovada pela Assembleia, de acordo com o proposto pela Diretoria. Art. 16 - Dos resultados do exercício, conforme apurado pelas demonstrações financeiras acima mencionadas, serão deduzidos, antes de qualquer participação os prejuízos acumulados, a provisão para Imposto de Renda e o montante a ser destinado à reserva legal conforme o Art. 193 da lei n.o 6.404/76, O lucro que porventura se verificar após tais deduções deverá ter a seguinte destinação: a) a parcela às reservas para contingências, nos exercícios em que a Assembleia decidir instituí-la;b) a importância para distribuição do dividendo legal obrigatório aos acionistas, no percentual mínimo de 25% do lucro líquido ajustado para o período; e c) quanto a saldo que se verificar, depois das deduções acima, e considerada a eventual constituição de reserva(s) permitida(s) por lei e justificada(s) no exercício a que se referir(em), a Diretoria poderá propor, e caso assim a Assembleia deliberar, pela distribuição aos acionistas ou sua destinação para a constituição de uma Reserva para Investimentos e Capital de Giro da Sociedade, que terá por finalidade assegurar investimentos em bens do ativo permanente ou acréscimos ao capital de giro, para amortização de dívidas. Esta reserva, em conjunto com ·as demais, não poderá exceder ao valor do capital social e poderá ser utilizada na absorção de prejuízos, sempre que necessário, na distribuição de dividendos, a qualquer momento, na operações de resgate, reembolso ou compra de ações e/ ou na sua incorporação ao Capital Social. Art. 17 - A Sociedade poderá levantar balanços intermediários, bem como pagar dividendos à conta dos lucros assim apurados, desde que o pagamento desses dividendos seja autorizado pela Assembleia, conforme faculta o Art.204 da Lei no 6.404/76. §1º - O exercício social poderá, opcionalmente, o que for de melhor interesse econômico à sociedade, ser encerrado com Balanço Patrimonial através de sistema de escrituração comercial, trimestralmente, nos meses de março, junho, setembro e dezembro ou semestralmente a partir do último balanço encerrado, em conformidade com o que preceitua o §Único do art.175, da Lei 6.404, devendo sempre, em dezembro, consolidar as demonstrações de resultado do exercício para atendimento fiscal. Da Liquidação - Art. 18 - A Sociedadepoderáserdissolvidaeliquidadanoscasosprevistosemlei,sendoquecompeteàAssembleiadeliberarsobreseuprocessamento, nomeação de um ou mais liquidantes, instalação do Conselho Fiscal e determinação da remuneração dos membros do Conselho. Dos Casos Omissos - Art.19 - Nos casos não previstos no presente Estatuto aplicam-se as disposições da Lei 6.404/76, Código Civil e demais disposições legais aplicáveis a espécie.Da Responsabilidade - Art.20.- A Cia., tendo em vista sua existência jurídica ter-se dado por meio de cisão parcial da sociedade Trends Engenharia e Infraestrutura S.A. - Em Recuperação Judicial, com sua sede social em SP/SP, R. Veneza, 57, Jd. Paulista, CPF/MF 00.477.319/0001-01, neste ato, declara que responde solidariamente pelas obrigações do Plano de Recuperação Judicial da TRENDS, ora transcrito no Processo Judicial No. 0051560-89.2011.8.26.0100, incurso na 1a Vara Central de Falência e Recuperações Judiciais da Comarca da Capital, Estado de São Paulo.§Único: A Cia.a título de dividendo mínimo, transferirá a integralidadedeseuslucrosapuradosemcadaexercício,paraasuacontroladoraTrendsEngenhariaeInfraestruturaS/A-emRecuperação Judicial, a quem caberá o pagamento das parcelas da dívida prevista no Plano de Recuperação Judicial. Do Foro - Art. 21. -Na hipótese de eventuais conflitos entre os acionistas, ou ainda dúvidas acerca da interpretação deste estatuto, fica eleito o Foro da Comarca da Capital, Estado de São Paulo com exclusão de qualquer outro por mais privilegiado que seja.Cumpridos os requisitos preliminares previstos em lei, foi declarada constituída a Tecbras Engenharia S.A.. As formalidades restantes de constituição e registros da Sociedade nos órgãos competentes caberá à Diretoria. Por derradeiro os Diretores ora eleitos, Srs. Paulo Assis Benites, Dir. Presidente, já qualificado e Flávio Pocinho Borges, brasileiro, casado, técnico contábil, residente e domiciliado em SP/SP na Av. Doutor Silva Mello, 106, Bloco 4, Apt. 144, Jd.Marajoara, CEP 04675-010, RG 30.932.664-3 SSP/SP e CPF/MF 263.851.598-17, Diretor, ambos já qualificados, declaram, para todos os fins de direito, que não se encontram incursos em nenhum dos crimes previstos em lei que os empeçam de exercer atividade mercantil. Determinam os acionistas que a remuneração global anual da diretoria será de R$1,00.Paulo Assis Benites - Pres.;Flávio Pocinho Borges - Secr..Jucesp, sob NIRE 3530046057-0 em 18/12/2013.Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

O que virá em seguida, o Palácio JPMorgan de Westminster? Peter York, comentarista social.

Aluga-se para festas. Tratar na Câmara dos Comuns. Manutenção do Palácio de Westminster custa o equivalente a US$ 65 milhões por ano. O aluguel de algumas salas pode ajudar a pagar a conta. Kimiko de Freytas-Tamura* exagero na comida e na bebida era apontado, durante muito tempo, como um dos perigos da vida política dos membros do Parlamento Britânico. No passado, depois de longas horas nas sessões da Câmara dos Comuns, uma bebedeira no palácio de Westminster era considera essencial, seja como comemoração de uma vitória ou para consolação de uma derrota. Entretanto, os políticos estão deixando de fazer isso e a abstinência parece ter entrado na ordem do dia. "Existem mais membros do Parlamento vivendo frugalmente", afirmou em uma entrevista Paul Flynn, veterano do Partido Trabalhista e autor de um livro de autoajuda para novos membros. "Estão tão consumidos com a culpa e o escândalo que se tornaram neuróticos com o bom comportamento, de forma que às noite tomam um copo de Coca-Cola, leem os jornais e vão para cama". Embora a nova sobriedade possa ser boa para as vidas familiares dos legisladores, suas cinturas e a saúde coletiva, cortou parte da receita que sustenta o palácio de Westminster, construído no século XIX para abrigar a Câmara dos Lordes e a Câmara dos Comuns, sem falar em inúmeros bares e outros locais de encontro do entorno.

O

Isso levou a uma iniciativa inesperada com o objetivo de arrecadar fundos: as autoridades do Parlamento decidiram alugar alguns de seus espaços maravilhosos para que o prédio continue em forma. Assim, 15 salões de jantar e de chá pouco usados estão agora à disposição de empresas e organizações. Já foi dada também autorização para a realização de casamentos ali. Segundo a administração da Câmara dos Comuns, Westminster precisa no mínimo, do equivalente a US$ 65 milhões ao ano só para a manutenção. Os legisladores "não podem exigir maior eficiência do público em um momento de austeridade, se o próprio Parlamento é imune às mesmas medidas", diz Thomas Docherty, outro legislador trabalhista, que faz parte do Comitê de Administração da Câmara dos Comuns. "Somos nós fazendo a nossa parte". Buckingham também? O comitê afirmou que recebeu um pequeno número de pedidos desde que a iniciativa começou no fim de dezembro. Nenhuma delas foi aprovada até o momento, mas a demanda deve aumentar. O valor por sala varia do equivalente a US$ 1.650 a quase US$ 15.000 pela diária, ou de US$ 450 a US$ 7.500 pelo pernoite. O palácio oferece descontos para eventos de caridade. A Câmara dos Lordes, que não é eleita pelo voto popular, não tem planos similares. To-

davia, a decisão de não sobre- cal, desde que fossem apadricarregar os contribuintes com nhados por algum membro do a manutenção de prédios his- Parlamento, mas as novas initóricos pode agora se esten- ciativas formalizam o procesd e r a t é a o Pa l á c i o d e B u- so, e os pedidos são aprovackingham, residência da Rai- dos por um comitê, não por lenha Elizabeth em Londres. gisladores individuais. A ideia Em outubro do ano passa- é acabar com possíveis conflido, o palácio real foi alugado tos de interesse. pelo executivo-chefe da JPEntre as áreas que poderão Morgan Chase, Jamie Dimon, ser alugadas, estão o Salão para um jantar realizado pelo Pugin, que recebeu o nome de Duque de York para entreter os Augustus Pugin, arquiteto do clientes do banco. Em janeiro, século XIX mais conhecido por quando foi revelado que o or- ressuscitar o estilo gótico na çamento da Inglaterra. c a s a d a r a iEle projetou a nha havia dimaioria dos minuído para interiores do Membros do o equivalente p a l á c i o , i nParlamento, a US$ 2,5 micluindo os pulhões, 87 lexadores das consumidos com a gisladores portas. culpa, se tornaram pediram para Um candeneuróticos com o que a casa labro é a peça bom real abrisse central do sacomportamento. as portas palão, com um ra mais visiretrato de PuPAUL FLYNN, tantes, o que gin em uma ajudaria com das paredes. os custos de manutenção. A sala oferece champanhe, O Palácio de Westminster, além de biscoitos e bolos de com seus pináculos e abóba- fruta caseiros, o que dá "um ar das neogóticos dourados pelo levemente descontraído ao rio Tâmisa, é mais conhecido lugar", informa Flynn, o legispor sua torre do relógio, o Big lador trabalhista. Ben, e pela Abadia de WestContra mudanças minster. O palácio foi construíGrandes eventos são celedo sobre os remanescentes do palácio medieval, destruído brados no local, mas a sala é muito boa para encontros roem um incêndio em 1834. Considerado um Patrimônio mânticos, que são frequentes da Humanidade pela Unesco, no Parlamento, afirmou. Uma há décadas os turistas pagam política, segundo ele, era copor visitas guiadas conhecê- nhecida por ter se tornado calo. Empresas e executivos pu- tólica depois de se encontrar deram realizar eventos no lo- com um padre e tomar muito

Economia britânica reage Banco da Inglaterra (banco central britânico) revisou para cima sua estimativa de crescimento da economia em 2014 para 3,4%, frente a anteriores 2,8%, por acreditar que a Agência Nacional de Estatísticas subestimou o crescimento do quarto trimestre. Ontem, em uma revisão trimestral de suas estimativas, o banco indicou que aumentos das taxas de juros em linha com as expectativas atuais do mercado parecem ser consistentes com a manutenção da inflação perto de sua meta de 2%. O banco disse esperar que a alta dos preços chegue a 1,7% até março, antes de permanecer perto de

O

2% nos próximos dois anos. As altas dos juros seriam graduais e o nível máximo da taxa deve acabar bem abaixo da média de 5% de antes da crise financeira. O BC britânico tem sido forçado a fazer uma declaração sobre quando e como pretende elevar as taxas de juros devido à inesperada queda do desemprego. Em agosto de 2013, o presidente da instituição, Mark Carney, convenceu os outros oito formuladores de política do BC a deixar os juros inalterados até que o desemprego caísse a 7% por cento. Agora, o desemprego está em 7,1%, e o BC estima e caia a 6,5% no início do próximo ano. (Reuters)

vinho tinto naquela sala. O Salão de Jantar Churchill inclui paisagens pintadas pelo próprio Churchill. Além disso, há a Sala de Jantar dos Estranhos e a Sala de Jantar dos Membros, que têm esses nomes para separar visitantes e legisladores. Ambas têm o ar de um grande salão em um castelo, decorados com esculturas em madeira representando animais selvagens, flores e frutas e papel de parede verde-musgo. Os convidados podem beber o champanhe da Câmara dos Comuns pelo equivalente a US$ 65 a garrafa e o cardápio inclui pernil de cordeiro assado com canela, pato de Gressingham e pão-de-ló de gengibre e Guinness. "Você pode se sentar ali e pensar 'Winston Churchill costumava se sentar naquele canto, e Aneurin Bevan,' [fundador do Serviço Nacional de Saúde], naquele outro canto, diz Flynn. Ele recorda que Margaret Thatcher, quando era primeira-ministra, chegou e perguntou a um grupo de conservadores se podia se juntar a eles para o jantar. "Quem poderia discordar? Ao longo das gerações, todas essas pessoas se sentaram aqui e aproveitaram esse lugar." Contudo, nem todos gostam das mudanças. Para Kevin Brennan, legislador trabalhista, banqueiros e instituições financeiras não deveriam poder alugar os locais. "Conseguimos sobreviver até agora como Parlamento por cente-

nas de anos sem precisarmos recorrer justamente aos interesses comerciais, em muitos casos, que causaram a crise que levou à austeridade", afirmou em um debate no mês de novembro. "Seria irônico, não seria? Se o s b a n q u e i ro s b e b e s s e m champanhe no Parlamento do povo para arrecadar dinheiro por conta do dano que causaram. Acredito que esse seja um limite que não vamos ultrapassar". Peter York, comentarista social, questiona: "O que virá em seguida, o Palácio JPMorgan de Westminster?" O conceito "se parece demais com fazer lobby", afirmou em uma entrevista. "Se isso não aconteceu no Congresso [norte-americano], a capital global do capitalismo, isso não deveria acontecer aqui." Mas John Thurso, legislador Liberal Democrata e antigo empresário com uma cadeira no Comitê de Administração, afirmou que a iniciativa é uma maneira de trazer o Parlamento ao século XIX. "Uma atitude empresarial, tanto na forma como nos comportamos individualmente como membros do Parlamento, quanto na forma como a Câmara dos Comuns é administrada, é muito importante. Hoje o meu trabalho é garantir que trabalhamos de uma forma honrada, honesta e sóbria e estou fazendo o meu melhor para garantir que isso aconteça", conclui Thurso. *The New York Times

Escócia pode ficar fora da libra Grã-Bretanha deve alertar os escoceses de que eles não farão parte da união monetária com o restante do Reino Unido se votarem pela independência no referendo marcado para 18 de setembro,informaram a BBC e o Guardian, citando fontes governamentais não identificadas. Um portavoz do Tesouro disse que não podia comentar as informações. O Partido Nacional Escocês, favorável à independência, quer manter a libra se o "sim" vencer a votação, mas o ministro das Finanças, George Osborne, deve rejeitar uma união monetária, informaram. A posição de Osborne será apoiada por Ed Balls, porta-voz para fi-

A

nanças do Partido Trabalhista, e por Danny Alexander, chefe de finanças dos liberais-democratas, segundo a imprensa local. Osborne já afirmou que o restante do Reino Unido pode não estar disposto a deixar a Escócia manter a libra enquanto o chefe do BC, Mark Carney, disse que uma união monetária significaria que a Escócia teria que abrir mão de parte de sua soberania. Segundo o primeiro-ministro britânico, David Cameron, uma votação para romper com a união de 307 anos com a Inglaterra pode minar a influência global da Grã-Bretanha e pôr em perigo sua estabilidade política e financeira. (Reuters)

Diário do Comércio  

Ano 90 - Nº 24.062 - quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you