Issuu on Google+

PROGRAMA DE HADDAD EM PARIS

O prefeito Haddad, em Paris, vai ver ao vivo o protesto contra o aumento de tarifas desta tarde na Paulista. Ele quer ganhar pontos para a Cidade sediar a próxima expô mundial, mas os está perdendo com eleitores. Pág. 8

Acompanhar o protesto em São Paulo

Ano 87 - Nº 23.890

Conclusão: 23h40

Newton Santos/Hype

www.dcomercio.com.br

Jornal do empreendedor

R$ 1,40

São Paulo, terça-feira, 11 de junho de 2013

Associações Comerciais na luta contra o crime

Edison Temoteo/Futura Pres/Estadão Conteúdo

As 421 associações comerciais do Estado de São Paulo serão parceiras da Secretaria de Segurança no combate à violência. O anúncio foi feito ontem por Rogério Amato, presidente da ACSP e da Facesp, ao secretário de Segurança, Fernando Grella, durante debate na ACSP. Pág. 5

Fechavam a pizzaria. Foram mortos. Três bandidos invadiram o restaurante na Zona Norte, executaram o dono e, depois, o sobrinho que tentou ajudá-lo. Pág. 8 Reprodução

Monica M. Davey/EFE

'Candigato', louco por um rato (político).

Um Apple surpreendentemente cilíndrico

Morris foi lançado por seus criadores à prefeitura de Xalapa (México). A plataforma? Caça aos corruptos. O bichano teria uma dieta farta por aqui... Pág. 6

Desafiado, Tim Cook comandou ontem, em São Francisco, um show de lançamentos, mostrando que a empresa não para de inovar. Pág. 15

Grampogate: some o garganta profunda.

ISSN 1679-2688

9 771679 268008

23890

Página 4

É desconhecido o paradeiro de Snowden, o homem que denunciou o 'grampo' mundial feito pelos EUA. Pág. 7


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 11 de junho de 2013

O lado positivo da matéria resulta da comparação da política econômica brasileira com sua congênere argentina. Roberto Fendt

pinião Fotos: Reprodução

Dois olhares ingleses sobre o Brasil

O olhar da literatura sobre nós é positivo; já o da economia é uma advertência que não devemos subestimar.

ROBERTO FENDT

A

semana que passou nos brindou com dois olhares distintos sobre o Brasil. Um, da crítica literária, outro, da economia. O olhar da literatura é o de Patrick Wilcken. O da economia está na edição desta semana da inglesa Economist. Wilcken publicou na edição de junho da Literary Review britânica excelente resenha ("Colocando o Brasil no mapa") do livro de Susanna Hecht The Scramble for the Amazon and the Lost Paradise of Euclides da Cunha (em português, "A luta pela Amazônia e o Paraíso Perdido de Euclides da Cunha", University of Chicago Press, maio de 2013). O tema é o encontro com o desconhecido. Trata-se de assunto antigo. Em sua última peça Tempestade, escrita por volta de 1610, Shakespeare trata de conflito entre a natureza e a civilização e tem por pano de fundo o início da colonização das novas terras descobertas, o encontro com o "outro", o poder, a ilusão e o arrependimento. A Amazônia, desde cedo, fez parte desse desconhecido e forneceu os ingredientes shakespearianos de uma tragédia. A imensidão da floresta sem fim oferecia a tentação de riquezas ocultas e por descobrir. Não só a busca de riquezas, contudo, animava a entrada do estrangeiro em busca do oculto. Em Fi t z c a r r a l d o , por exemplo, Werner Herzog narra o desafio e a loucura de le-

O

s jovens estão se mobilizando aos milhões, em todo o mundo, e em semanas seus representantes se reunirão com o Papa Francisco no Rio de Janeiro. Quantos desses jovens sabem quem foi e o que representou para a Igreja e o mundo João 23, papa da juventude do atual pontífice? Há 50 anos, em 3 de junho de 1963, falecia João XXIII, o "Papa Bom", como o chamavam os italianos. Não que seus predecessores fossem maus. Mas após os horrores

2009 esteve sem dúvida na raiz dessa mudança de orientação da política econômica. O problema é que o abandono da meta de superávit fiscal para resguardar a economia do choque externo persiste até nossos dias. A essa expansão fiscal juntaram-se as isenções fiscais para segmentos industriais selecionados e a expansão do crédito – tudo para aumentar a demanda em um ambiente no qual a capacidade de produção da indústria está no limite.

E

var a grande ópera ao interior do Peru, ignorando os custos humanos e materiais dessa tentativa. A ilusão e o arrependimento não ficam somente por conta da quixotesca aventura de Fitzcarraldo. Hecht aponta em seu livro que na década de 1760 mais de 12 mil agricultores franceses, "repletos com palhaços e músicos para o entretenimento", foram arrastados à Guiana Francesa, onde havia a promessa de terra abundan-

das guerras mundiais, um papa de feições camponesas, pouco apegado ao formalismo da burocracia eclesiástica, que sorria, que desejava abrir as portas da Igreja para dialogar com todos, batalhador pela justiça e pela paz, só poderia mesmo ser caracterizado pela virtude da bondade. Nascido em Sotto il Monte, em 25 de novembro de 1881, recebeu da família Roncalli o nome de Angelo Giuseppe. Com onze anos entrou para o seminário; nunca teve dúvidas de sua vocação para o sacerdócio. Ainda muito jovem se doutorou em Teologia, destacando-se nos estudos históricos, e passou a executar trabalhos pastorais em sua diocese natal, até a irrupção da primeira guerra mundial, quando serviu o exército como enfermeiro.

E

m 1925 foi chamado para o serviço diplomático da Santa Sé, trabalho de 27 anos e que o

te e férteis solos. Mal chegaram, dez mil deles morreram de malária e febre amarela.

O

utras tentativas de colonização esbarraram nas dificuldades da civilização no trato com a natureza. Foi o caso da tentativa, nunca materializada, de transplantar escravos libertos do Sul dos Estados Unidos para plantar algodão na Amazônia. Diversas outras tentativas de dobrar a selva se repetiram sem sucesso ao longo das décadas seguintes.

Não é disso que trata o livro. Seu foco é o papel de Euclides da Cunha na demarcação das fronteiras norte e oeste do Brasil com seus vizinhos. Euclides passou um ano no rio Purus e o livro de Hecht baseia-se nos levantamentos e seus ensaios póstumos a respeito de sua experiência na região.

E

uclides pretendia escrever um novo livro, Paraíso Per di do , em sequência ao seu Os Sertões. O livro não foi escrito, mas Susanna Hecht traz à luz muito da visão de Euclides da Cunha a respeito dos ciclos históricos e da grandeza do Brasil. Embora a leitura nem sempre seja amena, justifica descobrir esse aspec-

ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

JOÃO XXIII E OS SINAIS DOS TEMPOS conduziu às delegações na Bulgária, Grécia e Turquia. Os contatos com a Igreja Ortodoxa abriram seu coração para a causa ecumênica, além do intenso trabalho para amenizar a fome na Grécia durante a 2ª guerra, bem como a proteção e salvação de milhares de judeus do extermínio nazifascista. No fim da guerra, em 1944, foi transferido para a Nunciatura em Paris.

A

partir de 1953 deixa a diplomacia vaticana, pois Pio XII o nomeia Patriarca de Veneza, onde atua como bispo por breves cinco anos, porque, no conclave para escolher o sucessor de Pio XII, em 28 de outubro de 1958, Monsenhor Roncalli é eleito papa. Tinha 76 anos e muitos apostavam que seria um simples "papa de transição". Seu

pontificado, porém, foi uma sucessão de surpresas. Pela primeira vez, desde 1870, o papa viajou para fora de Roma: de trem, foi à cidade de Assis, terra de São Francisco, orar e inspirar-se junto a um dos maiores reformadores da Igreja. Recebeu líderes de várias Igrejas não cristãs e estreitou relações com governantes de muitas nações, contribuindo para diminuir as perigosas tensões da Guerra Fria. Atuou junto ao presidente Kennedy na famosa crise dos mísseis soviéticos em Cuba, em 1962, e produziu duas memoráveis encíclicas que conquistaram o mundo: "Mater et Magistra" (1961) e "Pacem in Terris" (1963), com as quais renovou a comunicação dos papas não só com religiosos, mas com "todos os homens de boa vontade". Nessas encíclicas

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

to de Euclides da Cunha, até então praticamente desconhecido. A leitura da matéria do Economist não é tampouco amena. A revista retoma o assunto do artigo publicado anteriormente sobre a política econômica brasileira e desta vez trata do que considera a "economia medíocre" do Brasil. O título da matéria é A Fall from Grace – expressão idiomática que significa fazer algo errado e perder a credibilidade. O argumento central do artigo é que os fundamentos da estabilidade que geraram bem sucedidas reformas econômicas no Brasil foram lentamente abandonados nos dois últimos mandatos presidenciais. A crise econômica de 2008-

sse diagnóstico da Economist traz pouca novidade para o leitor brasileiro. Aqui mesmo, nesse espaço, tenho batido na tecla desse equívoco da política econômica. É quase consensual na profissão que estamos no caminho errado se queremos retomar o crescimento e reduzir a inflação. O lado positivo da matéria resulta de uma comparação da política econômica brasileira com sua congênere argentina. Simplesmente ganhamos de goleada, já que é difícil imaginar, com a exceção da Venezuela, outro país com política econômica pior do que a argentina. Comparando os dois olhares ingleses sobre o Brasil, não resta qualquer dúvida de que o primeiro é enaltecedor do que temos de melhor. O segundo, contudo, traz uma advertência que não deveríamos ignorar.

sociais identificou os sinais dos tempos (socialização, descolonização, ascensão das classes trabalhadoras, promoção da mulher) e proclamou que "o desenvolvimento é o novo nome da paz".

A

maior contribuição de João XXIII foi, sem dúvida, a convocação do 21º Concílio Ecumênico da Igreja, inaugurado em outubro de 1962: uma reunião dos bispos de todo o mundo para estabelecer o "aggiornamento" da Igreja, isto é, o sincero diálogo com o mundo, e para ele dirigir corajosamente a palavra do Evangelho, de modo acessível e relevante, a começar com uma profunda renovação da própria Igreja. Quem tiver independência de espírito e agudeza de observação histórica há de convir que a Igreja católica

DOMINGOS ZAMAGNA se renovou, mudou para melhor após João XXIII. A grande maioria dos historiadores, sociólogos, diplomatas etc., afirmam que o concílio foi um dos maiores eventos do século 20, com efeitos benéficos que perduram até hoje. Mas João XXIII só pode presidir a primeira sessão do Vaticano -II, pois faleceu em junho de 1963, ficando a cargo de seu sucessor, Paulo VI, dar continuidade e cumprimento às demais sessões, que perduraram até 1965. DOMINGOS ZAMAGNA É JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA EM SÃO PAULO.

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Marcus Lopes, Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves e Sílvia Pimentel. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 11 de junho de 2013

o

3

ESPIONAR NÃO É TUDO. INTIMIDAR E MANIPULAR É O MAIS IMPORTANTE.

pinião

ESCOLA DE COSTUREIRAS

E

cada vez vai-se tornando mais claro que o desastre de Benghazi, seguido de repugnantes esforços de acobertamento, nasceu de um falso sequestro encenado para dar ao governo americano uma desculpa para colocar em liberdade o

OLAVO DE CARVALHO

Obama não só usou o Imposto de Renda como chantagem contra a oposição conservadora e cristã como cobriu de isenções e regalias muitas ONGs associadas a movimentos radicais islâmicos.

restante do universo, compõe-se de dez por cento de trapaceiros e noventa por cento de cretinos que os admiram, que os r e p e t e m s e r v i lm e n t e e q u e s onham em ser como eles quando crescerem. E destes, apenas d e z p o r c e n t o c r e scem. Sobem aos postos de chefia e ganham espaço personalizado quando transpõem com sucesso o rito de passagem que os habilita a fazer por malícia o que antes faziam por idiotice e espírito de imitação.

A

Reprodução

G

lenn Greenwald, o repórter do jornal inglês Guardian que descobriu o grampo geral e endêmico instalado pela administração Obama nos EUA, e no qual ninguém queria acreditar até uns dias atrás, disse que o atual governo deu uma interpretação deformada e monstruosa ao "Patriot Act", criando uma gigantesca máquina de espionagem ilegal "para eliminar a privacidade e o anonimato não apenas na América como no resto do mundo" (ver em http://www.politico.com/story/2013/06/glenn-greenwaldus-p rivacy-9 2400.htm l#ixzz2VYbXcWpP). Espionar não é tudo. Intimidar e manipular é o mais importante. O governo americano não só usou o Imposto de Renda como arma de chantagem para paralisar e destruir toda oposição conservadora e cristã, como, ao mesmo tempo, cobriu de isenções e regalias muitas ONGs notoriamente associadas a movimentos radicais islâmicos, inclusive uma, de propriedade do irmão do presidente, destinada a dar suporte político ao governo genocida do Sudão. Para completar, o governo Obama mudou os regulamentos militares para ameaçar de corte marcial qualquer soldado que falasse em público da sua fé cristã, ao mesmo tempo que convocava um religioso muçulmano para discursar no enterro de soldados mortos pelo terrorismo islâmico, os quais o distinto teve, na oração fúnebre, a gentileza de rotular como "infiéis a Allah".

sheikh cego, Omar Abdurrahman, mentor de organizações terroristas. Para quem quer que investigasse por conta própria e raspasse um pouco a superfície

das coisas, já eram mais que previsíveis em 2008 toda a perversidade, a mendacidade psicopática e o caráter golpista daquilo que viria a ser o governo Obama. Para quem con-

fia na grande mídia, entretanto, eram invisíveis, impossíveis e impensáveis. A redação dos maiores jornais e canais de TV, neste país até mais claramente do que no

queles que não consentem em ser nem trapaceiros nem idiotas acabam por se marginalizar ou ser marginalizados. O leitor quer ter a gentileza de me apontar, entre os luminares da Folha de S.Paulo, do Estadão e do Globo, um, unzinho só, que lhe advertisse em tempo que Obama era um totalitário quatro cruzes, devoto do comunismo e dos radicais islâmicos, disposto a fazer da América um Estado policial – e não para perseguir os terroristas, mas sim aqueles que os combatem? Não, é claro. De fato, todos eles anunciaram uma era de lindezas incomparáveis, o fim da idade das trevas, a apoteose da liberdade e do progresso. E agora, como não podem mais negar aquilo que o planeta inteiro já ficou sabendo sem a ajuda deles, não lhes resta

senão apelar, com a maior cara de pau, à desculpa de que tudo o que o Obama faz é culpa de George W. Bush. Não dá vontade de bater nesses desgraçados? E pensa que algum deles sente um pingo de vergonha? Que nada! São todos discípulos do Zé Dirceu: pegos com a mão na cumbuca, trocam de nariz e seguem em frente, impávidos colossos, arrotando sapiência. Não vou citar nomes porque eles brilham todo dia nas telas e nas páginas, padecendo de um excesso de visibilidade.

O

que esses sujeitos e todos os seus similares entendem de política está no nível do que eu entendo de corte e costura. Quando criança, eu ouvia de longe minhas tias conversando a respeito numa linguagem esotérica em que abundavam termos como retrós, sianinha, ponto-cruz, pence, viés, o diabo. Conheço as palavras todas, mas até hoje não faço a menor ideia de quais objetos lhes correspondem no mundo real, se é que aquelas coisas existiam mesmo e as velhinhas não estavam apenas se divertindo às minhas custas. Se, baseado nos conhecimentos assim adquiridos, eu abrisse uma escola de costureiras, estaria me igualando, em competência e idoneidade, àqueles que recebem altos salários para manter o público leitor e telespectador na mais completa ignorância do que se passa no mundo. OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA

RUY E A PROCURA DE UM ESTADISTA Sílvio Ribeiro/Estadão Conteúdo

M

eus primeiros contatos com Ruy Mesquita ocorreram quando presidia o diretório metropolitano do Partido Libertador, de 1962 a 1964. Era o único partido parlamentarista do Brasil, tendo Raul Pilla como seu presidente nacional. Desde o primeiro contato, impressionou-me a objetividade, a precisão de conceitos e a inabalável crença no País e na democracia. Com o Ato Institucional nº 2 de 1965, abandonei a política, dedicando-me à advocacia e ao magistério universitário. Retomamos nossos contatos quando presidi o Instituto dos Advogados de São Paulo. À época, seu jornal deu cobertura às iniciativas pela redemocratização, assim como contra o abuso tributário. Foi dele a ideia da campanha, encampada pelo IASP e pela Associação Comercial de São Paulo, do "Diga não ao Leão", a qual levou o presidente Sarney a alterar a legislação do imposto de renda, por força da pressão popular.

N

unca, nos meus 56 anos de advocacia, vi, em matéria fiscal, pressão popular semelhante. O povo nas ruas obrigou o governo a alterar a legislação, para amenizá-la. E a inspiração foi de Ruy. Lembro-me da conferência que fez na abertura de congresso que

coordenei sobre a Nova Constituição, dez dias antes de sua promulgação, em Belo Horizonte. Suas palavras impactaram a todos os presentes, juristas, senadores, deputados, ministros e governadores. Mas não me dedicarei aqui às inúmeras lições que deixou aos operadores de Direito. Analisarei a conferência que proferiu no I Congresso Nacional de Executivos Financeiros (Jornal da Tarde, 15/10/83) sob o título: "À procura de um estadista", e que, hoje, lida, revelou-se profética.

A

Editora Saraiva publicou-a, depois, em livro completado com alguns artigos meus também veiculados no JT, intitulado O poder. Ao reler, após sua morte, aquele fantástico alerta de Ruy, dei-me conta de sua impressionante atualidade. Em análise contundente, mas clara, prevê que poderíamos tornar-nos uma república socialista, se não atalhássemos o aparelhamento do Estado, livrando-o daqueles que gostariam que toda a cidadania ficasse subordinada aos ditames e humores dos detentores do poder. E alertava para os riscos que a livre iniciativa e livre concorrência poderiam sofrer no Brasil, com a intervenção crescente do Estado, em suas diversas manifestações. Hoje, no governo da

IVES GANDRA MARTINS Ruy Mesquita: à frente das grandes discussões nacionais. presidente Dilma, com PIB cada vez menor e inflação cada vez maior, sem crescimento previsível pela frente e um alargamento das estruturas oficiais e uma burocracia asfixiante, as previsões de Ruy, dos maiores jornalistas da história do Brasil, revelamse, infelizmente, atuais. Nenhum país é tão burocratizado, tão ineficiente em suas estruturas administrativas, tão voltado aos interesses dos próprios detentores do poder como o Brasil. Quando a remuneração da mão de obra ativa e inativa do governo federal representa 10 vezes o valor da Bolsa Família – que atende 13 milhões de famílias –, percebe-se que a carga tributária superior a 35% do

PIB, em sua maior parte, é destinada à sustentação do "establishment", assim como ocorre nos governos socialistas.

N

ão sem razão, o governo brasileiro tudo faz para se curvar aos governos bolivarianos da Venezuela, da Bolívia, do Equador e da Argentina. Algum destes países, como Argentina, Venezuela e Bolívia, estão com problemas econômicos sérios, entre os quais a alta inflação e baixo PIB não são os únicos. O fato de não buscar parceiros confiáveis, não estabelecer acordos comerciais bilaterais – temos três ridículos tratados – e submetermo-nos aos governos destes países, que sempre levaram a melhor

nas discussões comerciais com o Brasil, demonstra a nítida preferência do governo brasileiro por estas "quase ditaduras", silenciando a todos atentados contra a democracia, liberdade de imprensa, independência do Poder Judiciário e direitos das oposições, nelas perpetradas.

D

iversos editoriais do Estado, nos últimos tempos (ainda sob a supervisão de Ruy), vinham alertando sobre a deterioração da democracia nestes países e o alinhamento brasileiro com tais semi-democracias. Mas o que impressiona, no atual quadro nacional é a semelhança com o começo dos anos 80, o que levou

Ruy, naquela antológica conferência, a alertar para os riscos de o Brasil tornar-se uma "República Socialista". Reconhecia ele, então, como reconheço, nos dias de hoje, que os anticorpos da democracia brasileira contra tais tendências são mais eficientes do que os dos nossos vizinhos. Mas começam a se tornar frágeis em face da preferência ideológica de quem detém o poder e que, no passado, ao lado de outros guerrilheiros formados em Cuba, lutou contra o regime de exceção de 64 a 85, não necessariamente para instalar uma verdadeira democracia, como muitos deles confessaram.

N

um momento em que o Brasil precisa de inteligências capazes de diagnosticar os males da nação e propor soluções consequentes, a falta de Ruy será muito sentida. Ele está entre as figuras dos grandes pensadores da comunicação, que marcam época. No seu currículo, o reconhecimento dos detentores do poder nunca lhe fez falta. Mas sua ausência faz incomensurável falta ao Brasil. IVES GANDRA DA SILVA MARTINS É JURISTA, PROFESSOR EMÉRITO DA UNIVERSIDADE MACKENZIE, DAS ESCOLAS DE COMANDO E ESTADOMAIOR DO EXÉRCITO, SUPERIOR DE GUERRA E DO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª. REGIÃO E MEMBRO DO CONSELHO SUPERIOR DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO PAULO.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

Com discrição, após

estremecimento,voltaram a ser amigas íntimas a jornalista Leilane Neubarth e a cantora Zélia Duncan.

gibaum@gibaum.com.br

2 “Se auxilio-alimentação é para alimentar, como pode ser pago

retroativo a nove anos, a pessoas vivas e, ainda, com altos salários?” CRISTOVAM BUARQUE // senador (PDT-DF), sobre o auxilio a ministros do TCU.

Fotos: Divulgação

O presidente do Senado, Renan Calheiros, adotou, entre suas primeiras medidas, o ponto eletrônico e a TV Globo flagrou duas servidoras que registravam sua entrada no batente pela manhã e saíam para a ginástica ou passeios. Só que, quem tem padrinho não morre pagão, como diz o velho ditado: uma das flagradas, Edilenice Jovelina Passo, provocou a demissão de seu chefe, que era diretor da Secretaria da Informação e Documentação, que lhe dava excesso de liberdade. Agora, como é amadrinhada pela diretora-geral do Senado, Marize Peixoto, Edilenice, que não foi punida, acaba de ser nomeada para o cargo do exchefe. E endureceu no ponto – menos para ela, claro.

ALEGRIA TOTAL Os percentuais de intenção de votos (entre 15% e 16%) para Paulo Skaf, segundo o Datafolha, levaram o presidente da Fiesp e seus seguidores quase ao delírio. Agora, ele está pedindo reunião urgente com Waldir Raupp, presidente do PMDB, mais a executiva nacional do partido. Quer bater o martelo em sua candidatura porque está sentindo indecisão do vice-presidente Michel Temer, que ainda não teria desistido do nome do deputado federal Gabriel Chalita. Skaf vem usando verbas e estrutura da Fiesp para alavancar sua candidatura, tudo sob inspiração de Duda Mendonça.

Caça ao pato, não A Presidência da República acaba de reservar em orçamento R$ 65,5 mil para comprar ração para aves e peixes da residência oficial de Dilma Rousseff. O Alvorada possui uma lagoa independente do lago Paranoá nos fundos do jardim. Para os peixes, serão sete toneladas de ração para piras e nove toneladas para os surubins (R$ 36 mil no total). Os restantes R$ 29 mil foram para rações de aves. Detalhe: no governo Dilma, o esporte de caça ao pato que, nos tempos de Lula, vira e mexe, o então presidente se dedicava, ao lado de Sigmaringa Seixas, para o almoço dominical, foi banido.

BARANGAGATE O ex-diretor do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais do Ministério da Saúde, Dirceu Greco, demitido por conta da campanha Eu sou feliz sendo prostituta feita em redes sociais e distribuição de panfletos, havia determinado que, nas peças publicitárias, as profissionais que aparecessem não poderiam ser jovens, bonitas e curvilíneas, porque significaria desvirtuar o espírito da ação. Entre funcionários do próprio Ministério da Saúde, especialmente entre os que viram as peças, o episódio ganhou o apelido de barangagate.

Periguete bem-amada

Walcyr Carrasco não estava errado quando decidiu apostar em Tatá Werneck, 29 anos, a periguete Valdirene, de Amor a Vida: em poucas semanas, ela é uma das atrações da novela. Agora, está na capa da revista da Avianca e na nova Playboy, vestidissima e sempre fazendo caras e bocas. Sobre a importância de sexo em sua vida, foi rápida: “Com o tempo atribulado que eu estou agora, primeiro vem o dentista, depois o sono....Sacanagem!” Na novela, gostaria mesmo de beijar Antonio Fagundes. Agora, na Copa das Confederações, será repórter especial do Caldeirão do Huck.

Depois de denunciar as relações do secretario da Saúde de São Paulo, Giovanni Guido Cerri, com uma das duas organizações sociais (Fundação Faculdade de Medicina) que detém a maior parte dos contratos de gestão que privatizam a saúde publica em São Paulo, a revista da Associação dos Docentes da USP, registra que, depois de se tornar titular da Faculdade de Medicina da mesma universidade, galgou todos os postos disponíveis na hierarquia de lá e do Hospital das Clínicas, totalmente controlado pela fundação privada. Criou empresas de medicina diagnóstica, tornou-se sócio de poderoso grupo do setor de laboratórios e associou-se (é do Conselho Administrativo) do Sírio-Libanês, que também possui contrato com o governo. Cerri é o principal gestor de contratos que, somados, ultrapassam a casa de um bilhão de reais.

Muitos negócios

relacionamento Adriana Calcanhoto, 47 anos e Suzana de Moraes, 72 anos, uma das filhas de Vinícius.

Craque no fogão O Papa Francisco não fez nenhuma restrição ou pedido especial às freiras que cozinham para a Arquidiocese do Rio ou na residência de Sumaré, onde ficará hospedado, no mês que vem; quer experimentar “comida brasileira simples” na base de arroz, feijão, picadinho, farofa de banana, bife à cavalo e por aí vai. Dando chance, ataca uma feijoada – leve. Mais: o Pontífice quer receber pessoalmente e abençoar políticos, empresários e personalidades que tiverem ajudado na organização da Jornada Mundial da Juventude. Detalhe: o Papa Francisco sabe cozinhar – e muito bem.

EM FAMÍLIA O ex-ministro Ciro Gomes – e pouca gente sabe disso – presta “assessoria política” para o PSB do Ceará, cujo presidente é seu irmão, o governador Cid Gomes. Pela função, ganha R$ 26,7 mil brutos por mês, o mesmo salário de um deputado federal. Para essa composição familiar, Ciro teve de deixar posto na direção estadual da legenda. No passado, outro dos irmãos Gomes, o atual deputado estadual Ivo Ferreira Gomes também tinha uma boquinha no PSB do Ceará.

MISTURA FINA PARA QUEM não tem idéia da cidade onde vive: diariamente, São Paulo registra, em média, 346 roubos, ou seja, 14,4 por hora e 126.290 ao ano. Furtos, por dia, são 574, ou ainda, 29,3 por hora e 628.530 ao ano.

O SECRETÁRIO da Saúde de São Paulo, Giovanni Guido Cerri, já avisou o governador Geraldo Alckmin que pretende deixar o governo.

“Se fosse pelo Marcus, eu já teria saído na Playboy há muito tempo”. É Wanessa (Camargo) aparecendo, de calcinha e sutiã, na nova edição da revista, mas avisando que “a idéia de ficar nua nunca me atraiu”. Ela acaba de lançar o DVD DNA Tour, que conta com a participação do coreógrafo e DJ Bryan Tanaka. As fotos para a revista também fazem parte da nova mania das famosas que tiveram seus bebes há pouco tempo e que revelam, no curto prazo, seus corpos em grande forma.

Marido generoso

Semvacina Trapalhadas do Bolsa-Família e episódios complicados com os índios acabaram vitimando o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo que, até o final da semana passada, amargava forte gripe que afetou sua voz, prejudicando suas conversas com antagonistas. Um amigo perguntou: “Você não tomou a vacina anti-gripe?” E ele, rápido: “Ainda nem sou sessentão”. Cardozo tem 54 anos de idade.

/ IN Batom roxo.

/

É o Brasil!

MAIS: e ainda mantém bom

OUT

Batom vinho.

Sem topless Expulsa do Femen Brasil, braço nacional do movimento das ativistas de topless , Sara Winter, apaixonada, participa de um campeonato romântico promovido pelas Lojas Silva, do interior de São Paulo (Botucatu, Avaré e adjacências) e conta num vídeo, que está largando a família, o trabalho, tudo, para ir morar com o noivo em Recife. O vídeo de Sara é um dos mais acessado do YouTube, onde ela exibe novas tatuagens no braço e no colo, para festejar sua paixão. Até agora, 85 mil internautas já viram Sara dizer que “não sei explicar este amor, só sei entender”. Há semanas, a ucraniana Alexandra Shevchenko anunciava o fechamento do Femen Brasil.

O ATOR Brad Pitt vem ao Brasil no final do mês com Angelina Jolie e os filhos do casal para o lançamento de seu filme World War Z . No Copacabana Palace, a reserva é para oito. Produtores e distribuidores estão armando o maior esquema de segurança, incluindo carros blindados e vigilância 24 horas no andar em que a família ocupará uma das suítes presidenciais.

O DEPUTADO Renan Filho, filho do presidente do Senado, Renan Calheiros, será o candidato do PMDB ao governo de Alagoas. E o exprefeito Helder Barbalho, filho do senador Jader Barbalho, será também o candidato do PMDB ao governo do Pará.

DE NOVEMBRO do ano passado a maio deste ano, Sesi e Senai teriam gasto R$ 16 milhões em propaganda, especialmente na TV, com Paulo Skaf protagonizando todos os comerciais e apresentando números e resultados dos dois serviços pagos pela indústria paulista como se fossem obras de sua administração.

DILMA Rousseff volta de Portugal com novo problema pela frente: o diretor da Abin – Agência Brasileira de Inteligência, Ronaldo Martins Belham, é filho do general da reserva José Antonio Nogueira Belham, chefe do Doi-Codi no Rio quando Rubens Paiva foi assassinado em 1971.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

terça-feira, 11 de junho de 2013


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 11 de junho de 2013

5 ULTRAMAR Presidente Dilma passeia por ruas lusas e diz que se sente em casa.

olítica

TERRA DE CABRAL Aqui, Henrique Alves ocupa gabinete de Dilma por um dia.

Newton Santos/ Hype

Combate à violência pede envolvimento de empresários Questão da segurança é debatida com o secretário de Estado, Fernando Grella Vieira. Mário Tonocchi

A

Associação Comercial de São Paulo (ACSP) vai estabelecer parcerias com a Secretaria de Segurança Pública de São Paulo para ajudar no combate à violência. O anúncio foi feito ontem pelo presidente da ACSP, Rogério Amato, na abertura da Reunião Plenária que contou com a participação do secretário de Estado de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira. "Nós temos uma tradição de caminhar juntos com o Estado para o bem coletivo e é isso que queremos reativar nas nossas relações com a comunidade e a administração pública quanto à segurança", disse Amato. "O mesmo pode e deve acontecer com as demais 420 associações comerciais instaladas no interior paulista", projetou. Para Amato, a contribuição das associações comerciais pode ser feita de várias formas. O presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) lembrou

Em Nova York temos hoje mais de 4.000 câmeras de segurança particulares integradas a uma central. FERNANDO GRELLA VIEIRA das parcerias entre a segurança de Nova York e a comunidade no combate à violência. "Vimos que os cavalos que a polícia usa na cidade foram doados pelo jóquei clube local. Não precisamos chegar a isso, mas podemos colaborar com a segurança pública promovendo cursos para porteiros de prédios, zeladores, por exemplo". O importante, defendeu, é que todas as distritais de São Paulo entrem nas parcerias com a segurança pública. Citando também Nova York, Grella lembrou de uma parceria muito necessária em São Paulo e que precisa do envolvimento dos empresários: a interligação de câmaras de monitoramento a uma central

única de observação da polícia. "Em Nova York temos hoje mais de 4.000 câmeras de segurança particulares integradas a uma central de monitoramento da cidade. Isso é muito importante para o trabalho preventivo contra o crime." N úm e ro s – O secretário de Segurança apresentou os efetivos que tem para o combate à violência nas 645 cidades paulistas. Segundo ele, são 93.068 policiais militares que usam 17 mil viaturas, 23 helicópteros, cinco aviões e 85 embarcações. Já a Polícia Civil conta com 28.458 policiais, 8,5 mil viaturas, 4 helicópteros e uma embarcação. Também fazem parte do aparato 3.547 policiais e peritos que usam 714 viaturas. Só em abril deste ano, de acordo com o secretário, todo o efetivo policial efetuou, no Estado de São Paulo, 11.871 prisões em flagrante. Foram apreendidos 1.581 adolescentes infratores. Apesar da onda de violência, Grella diz que vê os índices sendo reduzidos nos próximos meses. A taxa de homicídios por 100 mil habitantes vem caindo no último trimestre.

O secretário de Segurança Pública Fernando Grella Vieira com Rogério Amato em Plenária da ACSP

Parcerias para integrar dados

O

presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e Facesp, Rogério Amato, disse ao secretário de Estado de Segurança Pública, Fernando Grella Vieira, que as parcerias propostas ontem à noite entre as associações comerciais e o Estado também incluem os Conselhos Comunitários de Segurança (Consegs). "Todos os Consegs ou têm como fundadores membros das distritais e das associações comerciais, ou têm a efetiva participação de nossos membros em suas deliberações. Essas estruturas também podem efetivamente participar de nossas parcerias", observou o presidente da ACSP. Hoje há 81 Consegs na Capital, 44 na Grande São Paulo e 313 no interior. Grella observou que precisa de parcerias para a implementação de uma nova fonte

Todos os Consegs têm estruturas para efetivamente participar das parcerias. ROGÉRIO AMATO, PRESIDENTE DA ACSP E FACESP

de tecnologia da informação com a contratação de sistema integrado e pró-ativo de informações. Segundo ele, hoje, por exemplo, não é possível saber se um tipo de crime está acontecendo mais de uma vez em um mesmo local. Com um novo sistema isso poderia ser feito a partir de um alerta para o que está acontecendo online. O secretário também mencionou o "Grupo Gestor da Agência de Atuação Integra-

da". Criado pelo Decreto Estadual nº 58.882, de 08 de fevereiro de 2013, ele atua em todos os momentos trocando informações. O grupo está instalado na sede da Secretaria da Segurança Pública do Estado de São Paulo. Os membros permanentes são a Polícia Civil, Federal, Militar, Rodoviária Federal, Ministério Público Estadual e Secretaria de Administração Penitenciária. Também são membros ocasionais – conforme natureza das ações – Receita Federal, COAF, Ministério Público Federal, Exército Brasileiro e ANAC. Além disso, o Centro Integrado de Inteligência e Segurança Pública (CIISP) valoriza o trabalho de inteligência e formalização da integração da Polícia Civil, Polícia Militar e Administração Penitenciária e analisa e diagnostica dados – planejamento e fomento de ações policiais. (MT)

José Manuel Ribeiro/Reuters

Brasil e Portugal estreitam relação No Velho Mundo, Dilma diz que está com a cabeça voltada para a crise.

E "Isso celebra um novo patamar na relação entre nós", diz Dilma, com o do presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva.

Caso Rose chega a Dilma

O

Ministério Público Federal pediu à presidente Dilma Rousseff informações sobre sindicância de Rosemary Noronha, ex-chefe de gabinete do Escritório da Presidência da República em São Paulo, denunciada pela Operação Porto Seguro – investigação conjunta da Procuradoria da República e da Polícia Federal que desarticulou organização criminosa para a compra de pareceres de órgãos públicos federais. O Ministério Público Federal também tenta obter acesso aos documentos por meio da Controladoria Geral da União. O Ministério Público Federal solicitara a documentação ini-

cialmente à Chefia de Gabinete da Presidência. O pedido foi negado. Então, o MPF enviou a requisição diretamente à Dilma, por intermédio do procurador-geral da República. Rose foi chefe do Gabinete Regional da Presidência da República em São Paulo. É processada na esfera criminal por crimes de tráfico de influência, falsidade ideológica, corrupção passiva e formação de quadrilha. Ela é alvo de inquérito civil público para apurar responsabilidades também na área cível. Para a Procuradoria, o acesso ao processo administrativo de Rose pode contribuir com as investigações. No ofício à

presidente, o procurador da República José Roberto Pimenta Oliveira volta a requisitar a cópia do processo para apurar os crimes de Rose. Oliveira encaminhou ofício ao chefe da Controladoria-Geral da União, Jorge Hage Sobrinho, requisitando informações sobre "processos administrativos da CGU, tendo como referência fatos vinculados à 'Operação Porto Seguro', com a remessa da documentação, instruindo a resposta com demonstrativo sintético das principais informações dos procedimentos, como número, servidores públicos investigados e situação atual". (Estadão Conteúdo)

m visita a Lisboa, a presidente Dilma Rousseff afirmou ontem que ela está preocupada com a crise econômica na Europa e afirmou que pretende aumentar a cooperação econômica com Portugal. "Nós temos uma preocupação, muito grande quanto à crise social e ao desemprego que afetam a Europa. Esperamos que esteja próxima a melhora e a retomada do crescimento", disse. Dilma exaltou os laços culturais entre Portugal e Brasil e afirmou se sentir em casa em Lisboa. "Em cada esquina a gente vê um parente. É uma característica de andar aqui em Portugal. A gente se enxergar", comentou. Dilma elogiou a presença da Embraer em Portugal e os investimentos da petrolífera portuguesa Galp Energia em campos do pré-sal. "Isso celebra um novo patamar na relação entre nós", disse a presidente em declaração ao lado do presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, durante encontro realizado no Palácio de Belém. A presidente Dilma foi recebida à tarde pelo primeiro-ministro português Pedro Passos Coelho e, à noite, ela retornou para o Brasil.

ENCONTRO CAMARADA Após se reunir com a presidente Dilma Rousseff, o expresidente português Mario Soares criticou a privatização de estatais do país. Sem comentar o interesse brasileiro no pacote, que inclui a companhia aérea TAP, ele disse que o governo de Portugal quer vender o patrimônio do país "ao desbarate" (a preço de banana).

"O que está fazendo o governo é vender ao desbarate tudo o que há", criticou o socialista, líder histórico da esquerda portuguesa. "Portugal está arruinado. Nosso patrimônio está sendo vendido a retalhos (em pedaços). Toda a gente está furiosa", afirmou. A privatização de estatais portuguesas foi o principal tema da visita de Dilma, que pretende usar recursos do BNDES para estimular grupos brasileiros a participar dos leilões.

Portugal está arruinado. Nosso patrimônio está sendo vendido a retalhos . Toda a gente está furiosa. MARIO SOARES Mario Soares, 88, não quis dar informações sobre a conversa com Dilma. Ele fez elogios à presidente, a quem não conhecia pessoalmente, e afirmou que a vê como uma "camarada". "Fiquei excelentemente impressionado. Somos camaradas. Temos um pensamento muito próximo. Somos ambos de esquerda, temos um pensamento muito claro do que se está a passar e concordamos praticamente

em tudo", disse. "Achei-a extremamente inteligente e simpática." CONTO DE FADAS Enquanto isso, no Brasil, quem viveu dia de presidente foi o deputado Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN). Depois do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), que ocupou o cargo por um único dia, ontem foi a vez de Alves. Ele despachou no gabinete da presidente, no 3º andar do Palácio do Planalto. Como Renan, Alves também não quis se sentar na cadeira presidencial. Recebeu os convidados no sofá e na mesa redonda. Entre os convidados especiais a compartilhar o "dia de presidente" de Alves estava sua noiva, Laurita Arruda, e seus dois filhos José Eduardo e Pedro Henrique. A presença do peemedebista no Planalto levou até lá uma pessoa nada bem-vinda por Dilma: o líder do PMDB, deputado Eduardo Cunha (RJ). Cunha tem peitado o governo no Congresso e ameaça abrir nova batalha com Dilma, mobilizando-se pela derrubada dos vetos da Medida Provisória que regulamenta as operações nos portos do País. Quem também apareceu por lá foi a governadora do Rio Grande do Norte, Rosalba Ciarlini (DEM), que disse: "Assumir a Presidência é um momento que marca." (Agências)

Bradespar S.A. CNPJ no 03.847.461/0001-92 - NIRE 35.300.178.360 Companhia Aberta Ata da Reunião Extraordinária no 277, do Conselho de Administração, realizada em 29.4.2013 Certidão - Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia - Junta Comercial do Estado de São Paulo - Certifico o registro sob no 193.323/13-8, em 27.5.2013. a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 11 de junho de 2013

Diante da quantidade de ratos que pleiteiam este posto, só um gato poderá pôr ordem. Página oficial de Morris no Facebook

olítica

Fotos: Reprodução DC

O slogan do 'candigato' se assemelha ao slogan de campanha de Barack Obama: "Cansado de votar em ratos? Vote num gato. Morris para presidente de Xalapa, Veracruz."

O exterminador de ratazanas políticas Mexicanos adotam campanha para acabar com os políticos corruptos. E propõem a eleição de Morris, um gato que promete dormir, ronronar e comer muitos ratos. Mariana Missaggia

I

nsatisfeitos com a situação política de seu país, dois estudantes de Xalapa, no México, decidiram lançar um gato, Morris, como candidato à prefeitura de sua cidade. O "candigato" pede o voto de eleitores que se sentem desrespeitados pelos candidatos normais e que detestam a ideia de que milhões sejam gastos em campanhas. O "candigato" se tornou sensação na internet e válvula de escape para a população expressar suas frustrações como eleitores. Morris não pertence a nenhum partido político, embora sua candidatura virtual já tenha muitos seguidores. Mais de 83 mil pessoas curtiram o seu perfil no Facebook (http://www.faceboo k .c o m /e l c an d i g at o m or r i s) . O número supera, na maioria dos casos, os verdadeiros candidatos municipais. Eleitores de todo o mundo parabenizam o "candigato" pela candidatura, apesar de sua proposta não ser assim

tão diferente da dos candidatos atuais. Afinal, ele promete dormir, ronronar e comer todos os ratos, se referindo aos políticos corruptos. "Diante da quantidade de ratos que pleiteiam este posto, só um gato poderá pôr ordem", é uma das frases estampadas na página oficial do Facebook. Al iado s – A campanha de Morris, no Youtube (www.yout u b e . c o m / w a t c h ? f e a t ure=player_embedded&v= Nau01xxiHoE ), seduziu eleitores e felinos, que declararam apoio total ao gato e já se dispõem a fazer parte da equipe, como os "candigatos" Bowie, Gufi e Cheester que surgiram nas redes sociais com a mesma proposta. Mas boa parte dos cargos na administração de Morris já foi preenchida. Tom, da dupla Tom e Jerry, ocupará a vaga de diretor de desenvolvimento social. Garfield assumirá como diretor de comércio e abastecimento. Gato de Botas, Hello Kitty, Tigrão e outros completam a lista do gabinete oficial de Morris. O slogan do "candigato" e a

propaganda visual de sua campanha lembram a de Barack Obama. A ideia é a seguinte: "Cansado de votar em ratos? Vote num gato. Morris para presidente de Xalapa, Veracruz, 2014-2017", diz um dos slogans do felino. Morris quer um México com esperança e melhores oportunidades para todos. A eleição, no próximo dia 7, claro, não contará com o nome de Morris entre os possíveis candidatos. Ainda assim, a equipe do gato pede à população que escreva Morris ou desenhe a cara dele na cédula, já que "ele é mais bonito". Nem todo mundo gostou da brincadeira. Alguns integrantes do Partido Revolucionário Institucional (PRI) disseram, inclusive, que "Morris" faz parte de uma campanha suja. O caso nos remete à insatisfação popular com os candidatos a vereador em São Paulo, que terminou com a votação maciça no Cacareco. Com quase 100 mil votos no pleito de outubro de 1959, a "candidatura" do bicho foi um ato de protesto pacífico memorável.

Página oficial no Facebook traz a composição do gabinete. Garfield cuidaria do abastecimento.

CGU caça os 'gatunos' que exploram o

PF ganha novo diretor executivo

A

S

ervidores, empresários, produtores rurais, alunos de escolas particulares, familiares de autoridades e até pessoas falecidas estão na lista de beneficiários do Bolsa Família. Isso, segundo os relatórios de fiscalização da Controladora Geral da União (CGU) no início de 2013. Na última etapa do programa de fiscalização por sorteio, os 58 relatórios de municípios no site da CGU têm indícios de irregularidades no maior programa social do mundo – que atende a 13 milhões de famílias no País. A fiscalização foi feita no fim do ano passado. Nesses municípios, a CGU encontrou mais de 5.000 benefícios pagos a pessoas que, supostamente, teriam renda per capita familiar superior ao limite estabelecido pelo programa. Só em Belford Roxo (RJ), o relatório informou haver "1.512 famílias beneficiárias que constam na folha de

pagamento de julho/2012 na situação de benefício 'liberado' e que apresentam renda mensal per capita superior a meio salário mínimo". Os relatórios apontaram para falta de controle da frequência escolar e cartão de vacinação das crianças, inexistência de comissão gestora do programa e até desvios de recursos enviados para atividades complementares. IRREGULARIDADES Em Xexéu (PE), o principal problema, diz a CGU, é a inclusão de pessoas com renda superior ao máximo permitido. A lista traz também servidores e familiares de autoridades. Em São Francisco de Assis (PI), a mulher de um vereador estava inclusa na lista do Bolsa Família. Outra beneficiária era a filha da coordenadora de Apoio ao Idoso, da Secretaria Municipal de Assistência Social – responsável pelo cadastro dos beneficiários.

ano passado. Segundo a Além disso, ela e o marido inspeção, o problema foi são donos de uma padaria e causado pela deficiência no uma pousada. Muitos controle do cadastro. servidores com salários Enquanto mortos recebem acima do máximo do Bolsa, há vivos estabelecido pelo programa enquadrados no perfil do também são beneficiários. programa que ainda lutam Em Olindina (BA), cinco para receber o servidores benefício. públicos, Em Lagoa entre eles Alegre (PI), dois estaduais Um dos uma da Secretaria beneficiária da Educação beneficiários e da ganhava R$ 134,00 constava na folha de Assembleia do Bolsa Família, pagamento, Legislativa da mesmo tendo um mas afirmou Bahia, salário mensal que nunca estavam na havia lista. de R$ 2.279,05. recebido o Em Vazante TRECHO DO RELATÓRIO DA CGU cartão. Por (MG), vários mês, esses servidores R$ 102 vão para a mão de com renda maior que alguém não identificado. R$ 1.000 mensais recebiam Enquanto isso, ricos o benefício. Um deles recebem o benefício, como ganhava R$ 134 do Bolsa – em São José do Sul (RS), mesmo com salário de onde uma produtora rural R$ 2.279,05. com faturamento anual, em 2011, de R$ 955 mil era MORTOS ATIVOS beneficiária do programa. Em Xexéu (PE), a CGU Em Barra do Ribeiro (RS), encontrou mortos em 2011 constava da lista uma na lista paga até o final do

empresária que, com o marido, tinha cinco carros. Em Jaguaribara (CE), mais casos de empresários beneficiados pelo Bolsa Família vieram à tona. FALTA DE EVIDÊNCIAS Segundo a CGU, as pessoas que solicitam o Bolsa assinam termo de confirmação das informações, mas não têm de apresentar documentos que comprovem os dados. "Os municípios têm a obrigação de verificar as informações coletadas de pelo menos 20% das famílias cadastradas por meio de visita domiciliar, a fim de avaliar a fidedignidade dos dados coletados nos postos de atendimento." A CGU lembra que a gestão do programa é descentralizada e deve ser compartilhada entre a União, Estados, Distrito Federal e municípios. "Os entes federados devem trabalhar em conjunto para aperfeiçoar, ampliar e fiscalizar ". (Agências)

Polícia Federal (PF) tem desde ontem um novo diretor executivo. O delegado Rogério Galloro substituirá Paulo de Tarso Teixeira no segundo posto hierárquico da corporação, abaixo apenas do diretor-geral, Leandro Daiello. Assinadas pela ministra da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, as portarias de nomeação de Galloro e de exoneração de Teixeira foram publicadas ontem no Diário Oficial da União. Tarso estava no cargo desde abril de 2011. Galloro ocupava a função de adido (representante) policial na embaixada brasileira em Washington (EUA) e já foi superintendente da PF em Goiás, entre 2007 e 2009. Em nota, a PF afirmou que Paulo de Tarso Teixeira deixou o posto por ter recebido convite, em setembro de 2012, para ser adido da PF em Portugal. É o diretor executivo quem assume a direção da PF quando o diretor-geral necessita se afastar do cargo ou é legalmente impedido de ocupá-lo. Com assento permanente no Conselho Superior de Polícia – entidade deliberativa que orienta as atividades policiais e administrativas e opina nos assuntos de relevância institucional – compete ao diretor executivo supervisionar as atividades das unidades descentralizadas da PF. Galloro também poderá propor diretrizes para registrar, controlar e fiscalizar armas, munições, explosivos e produtos químicos controlados. (ABr)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 11 de junho de 2013

7 A LIBERDADE TAMBÉM É SUA! A Fundação Fronteira Eletrônica (EFF, na sigla em inglês), que defende a liberdade digital, tornou-se conhecida após Snowden colar em seu laptop um adesivo da ONG. Você também pode contribuir à causa: o adesivo custa US$ 5.

nternacional

https://suppor ters.eff.org/shop

Snowden: herói ou inimigo dos EUA? Casa Branca recebe chuva de pedidos para que o presidente perdoe ex-agente da CIA

A

Sexo, drogas e diplomatas de Obama.

M

ais um escândalo ameaça a credibilidade do governo do presidente Barack Obama. Desta vez, o Departamento de Estado é acusado de tentar manipular, ocultar e encerrar investigações sobre funcionários no exterior por escândalos de prostituição ou consumo de drogas, revelou a rede CBS ontem.

A emissora citou um relatório interno do Departamento de Estado que aponta, por exemplo, que membros da segurança de Hillary Clinton, secretária de Estado de 2009 até o início deste ano, solicitaram serviços de prostitutas em viagens oficiais no exterior. Um dos casos mais conhecidos ocorreu em 2012, em Cartagena, na Colômbia, onde Hillary participava da Cúpula das Américas. Dezesseis seguranças foram enviados de volta para os EUA após envolvimento com prostitutas. O relatório indica que este

comportamento dos membros de segurança do Departamento de Estado, conhecido como Serviço de Segurança Diplomático (DSS, na sigla em inglês), é "endêmico". Um dos escândalos fala de uma rede de tráfico de drogas próxima da embaixada dos EUA em Bagdá para fornecer entorpecentes a funcionários da delegação. A CBS entrevistou Aurelia Fedenisn, uma ex-investigadora da equipe de interventores do departamento, que disse que descobriu muitas denúncias de más atuações, "al-

À SOMBRA DA DEMOCRACIA Pressionado, Erdogan concorda em dialogar com manifestantes turcos.

Yannis Behrakis/Reuters

O

primeiro-ministro da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, fez ontem seu primeiro gesto conciliatório em relação aos manifestantes que há quase duas semanas protestam contra seu governo e concordou em recebê-los para dialogar nesta quarta-feira. O vice-premiê turco, Bülent Arinç, disse que as exigências dos manifestantes a respeito do futuro do parque Gezi, em Istambul, origem e motivo dos protestos, poderão ser negociadas no citado encontro. Erdogan tem criticado repetidas vezes os manifestantes, classificando-os como "saqueadores" e "terroristas". Nos últimos dias, o premiê reafirmou que seguirá adiante com seu plano de construir um shopping center onde hoje está localizado o parque, uma importante área verde no centro da cidade mais populosa da Turquia. Arinç, porém, descartou

Manifestante em Istambul que o governo considere outras reivindicações, como a libertação incondicional de todos os detidos durante os protestos, ou a renúncia dos governadores de Istambul, Ancara e Adana, cidades onde a repressão policial foi especialmente violenta. "Não podemos aceitar reivindicações políticas. A Tur-

quia não é um Estado tribal, mas um Estado de Direito e todo o mundo tem que pagar pelo que fez", declarou. 'Lei seca' - Em um movimento que poderá aumentar o descontentamento entre os turcos seculares, o presidente Abdullah Gul sancionou ontem uma polêmica lei que reduz a venda e o consumo de álcool no país. A Turquia tem uma Constituição secular, mas o Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP, na sigla em turco), de raízes islâmicas, tem sido criticado por minar a separação entre Estado e religião. Críticos acusam Erdogan e o partido governista de tentar interferir em suas vidas. A lei, aprovada pelo Parlamento no mês passado, suspende a venda de bebidas alcoólicas no país entre as 22h e as 6h. O projeto também proíbe a exibição pública de bebidas alcoólicas e exige que as embalagens tragam advertências de saúde. (Agências) Muzaffar Salman/Reuters - 08/06/13

ASSAD AVANÇA – Após expulsar os rebeldes de Qusair na semana passada, forças sírias lançaram ontem uma ofensiva para recuperar Alepo, o maior reduto da oposição, no norte da Síria (acima). Batizada de "Tempestade do Norte", a operação busca cortar o abastecimento de armas através da vizinha Turquia.

gumas das quais nunca se transformaram em casos". Segundo Aurelia, alguns membros dos serviços de inteligência aceitam comportamentos como solicitar prostitutas e "me surpreenderiam que não fossem conscientes dessas atividades". Em resposta, a porta-voz do Departamento de Estado, Jennifer Psaki, declarou que os oito casos mencionados pela emissora foram ou estão sendo investigados. Ela assegurou que nenhum embaixador está isento de responder por delitos praticados. (Agências)

pressão popular em favor do perdão a Edward Snowden, responsável pelo vazamento sobre a vigilância secreta das comunicações telefônicas e digitais de milhões de usuários realizada pelo governo dos Estados Unidos, aumentou ontem, enquanto Washington estuda entrar com o pedido de extradição a Hong Kong. Após a repercussão do caso, o jovem de 29 anos deixou seu hotel e seu paradeiro é desconhecido. Em menos de 24 horas, mais de 19 mil pessoas assinaram um pedido para que o presidente Barack Obama perdoe Snowden, o ex-funcionário da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês) e da CIA que forneceu a dois jornais, o britânico The Guardianeo norte-americano The Washington Post, informação sobre os programas de espionagem. "Snowden é um herói nacional e deveria ser emitido imediatamente um perdão pleno e absoluto por qualquer delito que tenha cometido ou possa ter cometido ao divulgar os programas secretos de vigilância", indica o pedido postado no domingo na seção de petições públicas do site da Casa Branca.

Por outro lado, um pedido postado no dia 3 de junho para que seja libertado o soldado Bradley Manning, que está sendo julgado por fornecer documentos secretos dos EUA ao site WikiLeaks, reuniu apenas 1.081 assinaturas. O fundador do WikiLeaks, Julian Assange, qualificou Snowden como um "herói" e, em uma entrevista à emissora britânica Sky News, disse que o jovem revelou "um dos eventos mais sérios da década". O Departamento de Justiça dos EUA abriu uma investigação sobre Snowden e, caso seja indiciado, poderia reivindicar sua extradição a Hong Kong. Ontem, o luxuoso hotel onde Snowden se hospedou em Hong Kong informou que ele já havia deixado o local. Asilo - A Iniciativa Islandesa para a Modernização dos Meios de Comunicação (IMMI) se ofereceu a assessorar Snowden em um hipotético pedido de asilo político. Em uma entrevista ao Th e Washington Post, o jovem revelou no domingo que tem a intenção de pedir asilo "a qualquer país que acredite na liberdade de expressão e se oponha a que a privacidade global seja a vítima". (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

c

terça-feira, 11 de junho de 2013

MAIS PROTESTOS NA PAULISTA Policiais civis e funcionários estaduais da saúde de São Paulo devem promover duas manifestações hoje à tarde. A dos trabalhadores da saúde está marcada para as 14h e a da polícia, as 15h.

idades

Tarifa de ônibus infla rejeição a Haddad Aumento do preço da passagem levou a protestos. Nova passeata está marcada para hoje na Paulista. Prefeito vai acompanhar manifestação ao vivo, de Paris.

E

m viagem a Paris, o reu em uma semana em que prefeito de São Paulo, foi anunciado um aumento da F e r n a n d o H a d d a d tarifa do ônibus, que é sempre (PT), atribuiu o cresci- um assunto muito delicado mento da sua rejeição – de 14% para qualquer prefeito", disse para 21% dos paulistanos entre Haddad, na Embaixada do abril e junho, segundo o Datafo- Brasil em Paris. lha – ao aumento dos preços da A passagem foi reajustada passagem de ônibus. O reajus- de R$ 3 para R$ 3,20 no último te gerou protestos e manifes- dia 2. "A semana da tarifa é tantes pararam vias importan- uma semana atípica no ano. É tes da cidade em pleno horário uma em 52 semanas". O prede pico. Na noite de quinta, a feito viajou à França para depasseata na Avenida Paulista fender a candidatura de São terminou em confronto com a Paulo à Expo 2020. polícia e acusações de vandaO primeiro dia da pesquisa lismo e violência por parte de al- foi anterior ao primeiro protesguns integrantes da passeata. to contra o aumento da tarifa No dia seguinte, ocorreram de ônibus; já o segundo caplongas paralisações na Avenida tou as manifestações. Brigadeiro Fa- Joel Rodrigues/Estadão Conteúdo Em maio, ria Lima e na Haddad tamMarginal Pibém enfrennheiros. O Motou uma grevimento Pasve dos professe Livre, que sores, que duestá por trás rou 23 dias. das manifesPor outro latações, agendo, ele anundou para hoje, ciou aumento às 17 horas, do piso salaoutro ato na rial dos serviPaulista. Madores e novas n if es ta çõ es regras para Prefeito ontem em Paris na avenida inspeção veicomplicam o cular, que deiacesso à região, que concentra xará de ser anual para começar 13 hospitais. Haddad vai moni- a ser cobrada a partir do 4º ano torar de Paris, em tempo real, a de licenciamento. passeata desta tarde. Promotor – A CorregedoriaSegundo o prefeito, a PM e a Geral do Ministério Público de GCM (Guarda Civil Metropolita- São Paulo informou que abrirá na) estão acionadas para ten- um procedimento para apurar tar impedir novas depredações comentários feitos pelo proe o caos no trânsito, como o que motor Rogério Zagallo, da 5ª ocorreu na semana passada. Vara do Júri de São Paulo, em Segundo a pesquisa, que que ele xinga os manifestanouviu 1.066 pessoas nos dias 6 tes do Movimento Passe Livre e 7 de junho, 34% consideram e incita a violência policial. a administração Haddad ótiO texto foi publicado no Fama ou boa, 42% regular e 21% cebook na última sexta-feira, ruim ou péssimo. Conforme o durante os protestos. Na tarde levantamento, 58% dos entre- de domingo, o promotor apavistados consideram que o pe- gou a mensagem e escreveu tista fez menos do que espera- um novo comentário em que vam. Em abril, eram 49%. pede desculpas. Ele diz que se "[A minha avaliação] é a manifestou como cidadão e na melhor da série histórica. O qualidade de um "pai anguscrescimento da rejeição ocor- tiado". (Agências)

Cris Faga/Estadão Conteúdo

Manifestantes interrompem o tráfego na Rebouças na sexta, quando a cidade registrou o terceiro pior índice de congestionamento no ano.

Tio e sobrinhos são mortos durante roubo à pizzaria Fotos: Rivaldo Gomes/Folhapress

U

m assalto a uma pizzaria, por volta das 23h de domingo, terminou com duas pessoas mortas e uma ferida, na Vila Santa Maria, zona norte de São Paulo. De acordo com a Polícia Civil, três homens invadiram o restaurante, que fica na rua Quartim Barbosa, anunciaram o assalto e logo após atiraram contra o peito de Reginaldo Marcelino Vizani, 51, dono do estabelecimento. Seu sobrinho, Felipe Vizani, 19, que trabalhava como atendente na pizzaria, tentou defender o tio e foi atingido com um disparo na região da barriga. Os criminosos ainda feriram o pizzaiolo Antônio José da Silva, 47, que estava próximo aos dois, com um tiro na perna. Todos foram encaminhados para o Pronto Socorro do Hospital das Clínicas. Reginaldo e Felipe não resistiram aos ferimentos e morreram. Antônio permanece internado no HC. Antes de fugir, os bandidos voltaram para pegar a carteira de Reginaldo, que tinha caído no chão. Segundo a polícia, eles levaram R$ 900 da pizzaria. O caso foi registrado no 13º DP (Casa Verde). De acordo com dados da Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, de janeiro a abril deste ano foram registrados 54 casos de latrocínios (roubo seguido de morte) na capital, ante 31 no mesmo período do ano passado. Uma alta de 74,19% no número de casos na cidade. Só em abril de 2013 foram 14 casos na capital. No mesmo mês em 2012 foram 9 ocorrências, uma alta de 55% na comparação anual.

Ao lado, Felipe Vizani, 19, sobrinho de Reginaldo Vizani, 51, dono do estabelecimento. Pizzaiolo também foi baleado, mas não corre risco de morte.

54 casos de latrocínios (roubo seguido de morte) foram registrados na capital em 2013, ante 31 no mesmo período do ano passado. Os latrocínios também registraram um aumento na comparação mensal. Entre março e abril deste ano a alta registrada foi de 40%. Um dos casos de maior repercussão ocorrido em abril na capital foi a morte do estudante Victor Hugo Deppman, no Belém (zona leste). Após entregar o celular para o assaltante, o jovem foi morto com um tiro na cabeça. O criminoso, na época menor de idade, foi detido e levado para a Fundação Casa (antiga Febem). Na Grande SP, a morte da

dentista Cinthya Magaly Moutinho de Souza também gerou grande comoção após a vítima ter sido queimada dentro do consultório, em São Bernardo do Campo. Os assaltantes atearam fogo na vítima, em 25 de abril, pois ela tinha apenas R$ 30 no banco. Na capital, foram 95 homicídios em abril deste ano enquanto no ano anterior foram 103 mortes, um decréscimo de 7,8%. Já na Grande São Paulo, excluindo a capital, foram, respectivamente, 85 e 87 homicídios no período, ou seja, um aumento de 2,3% Os casos de roubo, no entanto, registraram queda na capital. Foram 4.164 casos em abril deste ano contra 4.358 no ano passado. (Agências)

Faixa só para ônibus na Tietê

A

marginal Tietê, via mais movimentada da cidade de São Paulo, terá uma faixa exclusiva de ônibus nas próximas semanas. A faixa será implantada na pista local, nos dois sentidos, entre as pontes das Bandeiras e Aricanduva. No sentido Castello Branco, a faixa exclusiva terá 5 km de extensão e vai funcionar apenas no horário de pico da manhã (das 6h às 9h). No sentido Ayrton Senna, serão 7,7 km no pico da tarde (das 17h às 20h). A marginal tem 12 faixas de tráfego em cada sentido, incluindo as pistas expressa, central e local. Na pista local, são quatro faixas – a exclusiva para os ônibus vai ocupar a da direita. Também haverá mudanças no trânsito. No sentido Castello Branco, a alça da ponte das Bandeiras para a av. Santos Dumont será vedada para carros e motos das 6h às 12h – só ônibus poderão acessar. Invadir a faixa de ônibus à direita nos horários de funcionamento é uma infração leve e rende multa de R$ 53,20, mais três pontos na carteira de habilitação. A data de início das faixas ainda não foi definida, mas a prefeitura já iniciou os trabalhos de sinalização. (Agências) Renato S. Cerqueira/Estadão Conteúdo

'SAIAÇO' – Cerca de 50 alunos, entre meninos e meninas, vestiram saia ontem para assistir às aulas no tradicional colégio Bandeirantes, na zona sul da capital. A ação foi em protesto contra preconceito de que teriam sido vítimas dois estudantes, na semana passada.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 11 de junho de 2013

9

Os sons da expressividade passional

d

cultura

A descoberta da banalidade do mal. Por Hannah Arendt. Renato Pompeu

F a z e x atamente 50 anos que foi lançado orig i na l m en t e o livro semin a l E i c hmann em Jerusalém – Um relato sobre a banalidade do mal, de autoria da filósofa política judia alemã Hannah Arendt (1906-1975), radicada desde 1941 nos EUA, depois de ter vivido em Paris desde 1933, como refugiada do nazismo governante em seu país. Para lembrar a data, a Companhia das Letras publica agora a 12ª reimpressão de sua tradução do livro, lançada originalmente em 1999. Trata-se de um dos livros mais importantes lançados no mundo no século XX, e, sobre seu tema específico, o mal, um dos mais importantes de toda a história ocidental, encontrando equiparação apenas nas reflexões de Santo Agostinho, no século IV, sobre o que leva o ser humano a praticar o mal. No caso de Arendt, são ensaios escritos a partir da cobertura que fez, para o semanário The New Yorker, do julgamento em Israel do criminoso alemão Adolf Eichmann (1906-1962), oficial nazista que comandou a identificação e o transporte de judeus para campos de extermínio durante a Segunda Guerra Mundial. Ele havia sido sequestrado por agentes israelenses em 1960, em Buenos Aires, onde vivia clandestinamente desde o fim da guerra. Condenado à morte, foi executado ao fim do julgamento. As autoridades israelenses e a mídia mundial procuraram apresentar na ocasião Eich-

Arendt originalmente criou a frase para descrever o comportamento de Eichmann durante as sessões do tribunal, um comportamento que não demonstrava nem remorso pelos seus crimes nem ódio aos judeus, a seus captores ou a seus juízes. Comportava-se como um burocrata zeloso que havia cumprido rigorosamente as tarefas de que tinha sido incumbido. Parecia mesmo preferir ser considerado um grande criminoso a viver e morrer sem despertar nenhum interesse especial do grande público. Eichmann, assim, tomou a atitude de se apresentar como um cidadão exemplar, que sempre procurou cumprir o mandamento ético mais rigoroso e mais abrangente jamais produzido pela espécie humana, o chamado imperativo categórico cunhado pelo filósofo alemão Immanuel Kant (17241804): “Faça em qualquer situação como se sua atitude fosse servir de exemplo para todos os seres humanos”; ou seja, havia uma lei moral universal a ser obedecida em quaisquer circunstâncias e fossem quais fossem as consequências. Isto é, como oficial, ele tinha de cumprir ordens e executar as tarefas a ele designadas. Arendt demonstra que Eichmann confundiu a autoridade de Hitler com a “lei moral universal” a que Kant se referia, semelhante à “regra de ouro” desenvolvida pelo taoísmo chinês no século VI antes de Cristo, “Não façais aos outros o que não quereis que vos façam”. O mais contundente é que Arendt também procura provar que a atitude de Eichmann foi tristemente igual à da es-

Fotos: Arquivo DC

Arendt: Eichmann a serviço de Hitler, como um zeloso burocrata. mann como um monstro e o nazismo como uma monstruosidade patológica, mas, para surpresa geral, ainda mais sendo ela judia, Arendt, já consagrada mundialmente desde 1951 pelo seu estudo monumental Origens do Totalitarismo, procurou demonstrar que Eichmann era uma pessoa comum, que sequer ele era antissemita nem apresentava qualquer perturbação mental; apenas se viu envolvido pela “banalidade do mal”, vigente durante sua vida na Europa. A frase se tornou paradigmática para designar a assustadora evidência de que qualquer pessoa pode ser levada a praticar o mal mais cruel e mais absoluto, dependendo das pressões que sofra para ser punida ou recompensada, conforme cumpra ou não uma determinação superior, evidência depois comprovada em numerosas experiências em laboratórios de psicologia e em numerosas situações práticas durante guerras, desde o Vietnã até a Bósnia, passando pelo Camboja e Oriente Médio.

magadora maioria das pessoas submetidas à autoridade de Hitler, inclusive entre os habitantes dos países ocupados pelos nazistas. Era público e notório que os judeus estavam sendo caçados para serem exterminados e pouquíssimas pessoas se ergueram contra isso, com a flagrante exceção da Dinamarca, onde o próprio rei andava pelos jardins do palácio, à vista do público, ostentando na manga a estrela amarela reservada para identificar os judeus. Arendt nota particularmente que seis psicólogos indicados pelas autoridades israelenses examinaram cuidadosamente Eichmann e o submeteram a testes rigorosos, n ã o t e n d o e n c o n t r a d o n enhum traço de doença mental ou mesmo nenhum indício de que sofresse de alguma perturbação de personalidade. A conclusão da filósofa é a banalidade do mal: praticamente qualquer um de nós pode praticar alguma enorme maldade, dependendo da situação em que estejamos.

André Domingues

D

epois dos ares jazzísticos da semana passada, São Paulo se aproxima do blues, com a realização de The Best Blues Festival, no WTC Golden Hall. É uma feliz coincidência para quem quer se aprofundar em grandes vertentes da música americana, pois, apesar de serem irmãos de nascimento, os dois tomaram trajetórias muito diferentes: o jazz, explorando fronteiras e incorporando elementos mundo afora; o blues, pesquisando novas formas de variar sobre um conjunto de elementos básicos já sedimentados em sua tradição. É uma diferença e tanto. Ao contrário do jazz, no blues, já se sabe quase tudo de antemão. Sabe-se que o artista principal é o centro das atenções. Sabe-se que a harmonia costuma se restringir às funções básicas, com 7ª menor em todos os acordes, distribuídas regularmente em ciclos de 12 compassos. Sabe-se que os temas se pautam por experiências pessoais dolorosas e o canto, não por acaso, busca uma forte expressividade passional. Sabe-se que as melodias são construídas sobre os cinco sons da escala pentatônica, tendo o acréscimo saboroso daquela notinha inesperada chamada blue note. Enfim, sabe-se bem as regras do jogo, mas não como os jogadores vão jogar. Aí está o grande prazer, sobretudo quando a escalação do time é boa. The Best Blues Festival tem como principal atração o guitarrista Buddy Guy (acima), representante maiúsculo da escola elétrica de Chicago, situada a meio caminho entre o blues rural e o rock. Além dele, o evento tem as combinações caribenhas de Taj Mahal, os temperos pop e jazzísticos de Dr. John e as releituras recentes da jovem Shemekia Copeland e do guitarrista Chris Cornell, famoso por integrar a banda Sond-

garden. O festival recebe, ainda, duas interessantes apropriações estrangeiras do blues: a do tecladista inglês John Mayall e a do guitarrista angolano radicado no Brasil Nuno Mindelis. É, sem dúvida, um bom panorama do blues contemporâneo, ainda que os dois mais jovens não tenham a mesma qualidade dos veteranos. O presente destaque do jazz e do blues, porém, não é ocasional, e faz parte de um processo crescente de extroversão do mercado musical brasileiro. Nesse rumo, a programação de shows da semana também põe em evidência outras atrações internacionais. O melhor programa musical para o dia dos namorados, por exemplo, será a apresentação no HSBC-Brasil do soul açucarado do grupo The Stylistics, que emplacou nos anos 70 hits como You Are Everyt hi ng , Betcha by Golly Wow! e You Make Me Feel Brand New. Já a atual onda de interesse pela África contemporânea ganha relevo na Choperia do Sesc Pompeia com duas raras apresentações do mestre do pop malinês Salif Keita. Na ponta aventureira da extroversão, por fim, os mais curiosos podem se inteirar da pouco conhecida produção pop da Dinamarca, que ocupa o teatro do Sesc Belenzinho entre os dias 14 e 16, na Mostra de Música Dinamarquesa. Nesta, a melhor noite é a última, que reúne o indie rock relaxado do Alcoholic Faith Mission e o experimentalismo do projeto CTM, liderado pela cult-star Cæcilie Trier.

Toques conceituais. Do samba à nostalgia roqueira.

GARGAREJO

Q

uem acompanha os roteiros de shows paulistanos deve ter percebido que dois nomes se tornaram quase onipresentes nos últimos meses: os cantores, compositores e instrumentistas Rodrigo Campos e Kiko Dinucci. Basta olhar os roteiros que eles estão lá, em projetos solo, coletivos ou participando de trabalhos alheios, como os de Luiza Maita e Cacá Machado. Nesta semana os dois voltam ao palco para lançar o disco Passo Elétrico, o segundo do quarteto Passo Torto, que integram junto a Rômulo Fróes e Marcelo Cabral. Rodrigo e Kiko têm no samba a língua-materna, mas cada vez mais se mostram hábeis em incorporar uma paisagem sonora cosmopolita, transitando bem do cavaquinho e do violão para as guitarras, que dominam a interessante sonoridade de Passo Elétrico. Junto aos parceiros Rômulo e Marcelo, os dois também surpreendem pela ousadia verbal das composições, com crônicas contundentes do dia a dia feitas à maneira de um Nelson Rodrigues modernizado. O álbum, oferecido gratuitamente no site www.passotorto.com.br, justifica toda a atenção merecida em faixas como Símbolo Sexual e O Buraco.

Além de ratificar a importância de Rodrigo, Kiko e sua turma, a agenda musical da semana traz uma série de espetáculos coincidentemente centrados na memória dos artistas em questão, tais como João Bosco, que relembra sua vitoriosa carreira no show 40 anos depois, ou a milionária dupla Zezé di Camargo e Luciano, que prepara um verdadeiro arsenal de efeitos visuais para apresentar sucessos passados e algumas novidades em Sonhos de Amor. Numa esfera mais conceitual, outros grandes artistas também retomam momentos significativos das suas trajetórias. Gal Costa retorna à cidade com a turnê Recanto ao vivo, nascida do disco em que teve a inteligência de abandonar a pesada imagem de diva e remodelar a silhueta junto ao tropicalismo do velho parceiro Caetano Veloso. Arrigo Barnabé, por sua vez, volta a vanguardismos do início de carreira com o repertório obscuro de Hermelino Neder em Pô, Amar É Importante. A memória afetiva, de forma genérica, enfim, é tema do roqueiro Frejat, que canta obras de autores como Jorge Benjor, Tim Maia e Gonzaguinha em A Tal Felicidade, com ingressos esgotados.

Seleção dos espetáculos da semana Best of Blues Festival Gênero: aquarela blueseira WTC Golden Hall – Av. das Nações Unidas, 12551. Tel.: 4003-1527 Dia 11, às 20h: Shemekia Copeland, Buddy Guy, Taj Mahal e Dr. John Dia 12, às 20h: Buddy Guy, Taj Mahal, Nuno Mindelis e John Mayall Dia 13, às 20h: John Mayall, Shemekia Copeland e Chris Cornell De R$ 250 a R$ 1200 Alcoholic Faith Mission e CTM – Mostra de Música Dinamarquesa Gênero: pop-cabeça dinamarquês Teatro Sesc Belenzinho – Rua Padre Adelino, 1000. Tel.: 2076-9700 Dia 16, às 18h R$ 24 Arrigo Barnabé – Pô, amar é importante Gênero: antologia popvanguardista de Hermelino Neder Casa de Francisca – Rua José Maria Lisboa, 190. Tel.: 3052-0547 Dias 12, às 21h30, 14 e 15, às 22h R$ 170 (dia 12, com jantar) e R$ 62 (dias 14 e 15) Frejat – A tal felicidade Gênero: memórias afetivas de roqueiro Comedoria Sesc Belenzinho – Rua Padre Adelino, 1000.

Tel.: 2076-9700 Dias 13, 14 e 15, às 21h30 R$ 32 (esgotados) Gal Costa – Recanto ao vivo Gênero: tropicalipo Hsbc Brasil – Rua Bragança Paulista, 1281. Tel.: 4003-1212 Dia 15, às 22h De R$ 120 a R$ 240 João Bosco – 40 anos depois Gênero: antologia pessoal Caixa Cultural São Paulo - Praça da Sé, 111 - Tel: 3321-4400 Dias 13, 14 e 15, às 20h, e 16 de Junho, às 18h Grátis (disponíveis 1h antes de cada show) Passo Torto – Passo Elétrico Gênero: dramas elétricos Teatro Sesc Vila Mariana – Rua Pelotas, 141. Tel.: 5080-3000 Dia 13, às 21h R$ 24 Salif Keita – Talé Gênero: afropop de protesto Choperia Sesc Pompeia – Rua Clélia, 93. Tel.: 3871-7700 Dias 11 e 12, às 21h30 R$ 32 The Stylistcs Gênero: soul com chantilly Hsbc Brasil – Rua Bragança Paulista, 1281. Tel.: 4003-1212 Dia 12, às 22h De R$ 100 a R$ 280 Zezé Di Camargo e Luciano – Sonhos de amor Gênero: sertanejo à moda quase antiga Espaço das Américas - Rua Tagipurú, 795. Tel.: 2027-0777 Dias 14 e 15, às 22h30 De R$ 100 a R$ 300 (Cotação AD)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

terça-feira, 11 de junho de 2013

Alfabeto robô Scott Park, diretor de criação e ilustrador que vive em Toronto, criou uma fonte divertida, em que cada letra é um robô. A ideia é que, ao formar palavras, se tenha a impressão de um exército de robôs em ação. Ele intitulou sua obra "Robotalphabet" (algo como "Alfabeto robô". http://scottpark.carbonmade.com

www.dcomercio.com.br

Logo

Cama de super-herói O Homem-Aranha dá forma e cor a esta cama gigante à venda na Amazon por US$ 239.

Ajuda para toda hora

http://amzn.to/17DiFr0

Ferramentas compactas com capacidade para realizar múltiplas tarefas sem ocupar espaço quase nenhum. Esse conceito, popularizado pelos canivetes suíços, ganhou várias versões ao longo do tempo. Por isso, o site Life Hacker selecionou as cinco melhores ferramentas multiuso à venda. http://bit.ly/19UYxQs

E SPORTE

Pacaembu, rumo à concessão

A

gestão do prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), lançará licitação de R$ 350 milhões para a concessão à iniciativa privada do Estádio do Pacaembu. A Prefeitura desistiu de reformar o espaço com captação de verbas do governo fe-

Dança subaquática A fotógrafa russa Katerina Bodrunova fez uma série de fotos subaquáticas com um casal de dançarinos de tango imitando os movimentos clássicos da dança. A série completa você vê no site abaixo.

deral, por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), após receber visitas de empresas interessadas em administrar o estádio e transformá-lo em arena multiuso. "Não queremos gastar nenhum centavo de dinheiro público nessa transformação do estádio em arena moderna,

igual às que estão ficando prontas para a Copa. Vai ser um espaço ideal para lutas do UFC (Ultimate Fighting Championship) e para shows", disse o secretário de Esportes, Celso Jatene. A realização de shows no Pacaembu, porém, foi vetada pelo Ministério Público do Es-

tado de São Paulo em 2004, após a morte de uma pessoa durante um show. "A licitação tem de estar 'na rua' até o fim do ano. O objetivo é que ele fique pronto no ano da Copa", disse Jatene, que discutiu ontem, na Câmara Municipal, a organização da Copa de 2014 em São Paulo.

Denis Balibouse/Reuters

www.theor yofcolour.com

A RGENTINA

Um tango para o papa A orquestra de José Colángelo, da Argentina, gravou Um tango para Francisco, composição que se soma à "papamania" que tomou a Argentina após a escolha do ex-arcebiso de Buenos Aires Jorge Bergoglio como Pontífice. O tango lembra as origens do papa e sua paixão pelo ritmo na

juventude, quando costumava dançar ao som de Carlos Gardel, Astor Piazzolla, Ada Falcon, Julio Sosa e Amelita Baltar. Antes do tango, os portenhos prestaram uma homenagem ao papa com um passeio turístico pelo bairro de Flores, onde ele nasceu, e com várias biografias. (EFE)

R ESTAURANTES Neil Hall/Reuters

L

DIREITOS DE TODOS - Luminarium, escultura inflável do artista britânico Alan Parkinson, instalada na sede europeia das Nações Unidas, em Genebra, na Suíça. A obra ocupa mil metros quadrados e tem o objetivo de promover, pela arte, a conscientização do público sobre os direitos humanos.

Onde seu sushi chega voando

Hillary Clinton estreia no Twitter

A outra arte de Picasso

EFE

Primeiro foram os hambúrgueres que ganharam entrega voadora em restaurantes do bairro londrino do Soho, famoso por seus modernismos e sua descontração. Agora, uma rede de restaurantes de comida japonesa resolveu aderir ao novo tipo de serviço, que combina o auto-atendimento com a tecnologia. Usando um helicóptero em miniatura comandado por controle remoto, os restaurantes Yo! Sushi, com lojas em vários pontos da capital britânica, levam os pedidos até as mesas dos fregueses sem precisar de garçons. Os clientes escolhem o que desejam diretamente no balcão e depois se sentam para esperar a comida. Quando o "flying sushi" chega e o cliente só precisa retirá-lo da bandeja.

R EDES SOCIAIS

P ERSONALIDADE

Mandela em estado grave, mas estável. O ex-presidente da África do Sul, Nelson Mandela, 94, líder da luta contra o apartheid, permanece em estado grave, mas estável, de acordo com comunicado do governo. Mandela está internado em um hospital de Pretória no sábado para tratar uma infecção pulmonar recorrente.

Cadeira de leitura Livros, jornais, revistas um assento confortável e uma xícara de chá ou café. Todos os itens que fazem a alegria dos leitores apaixonados cabem nesta poltrona criada pelo Studio Tilt. O lado externo do móvel é construído como uma estante e os braços, como mesa lateral. http://bit.ly/13mXtkF

Cerâmicas do pintor espanhol Pablo Picasso que serão leiloadas no dia 18 na Christie's de Londres.

Definindo-se como "quebradora de tetos de vidro", Hillary Clinton abriu ontem sua conta no Twitter. O perfil verificado @HillaryClinton é seguido por mais de 240 mil pessoas. No primeiro tuíte, ela brincou com os tuiteiros que administram um perfil falso atribuído a ela: "agora, eu assumo". L OTERIAS Concurso 916 da LOTOFÁCIL 01

02

03

04

05

06

07

11

13

14

17

18

19

23

24

Concurso 3215 da QUINA 17

29

30

40

80


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 11 de junho de 2013

e

11 BIOCOMBUSTÍVEL A Embraer e a Boeing lançaram ontem, em parceria com a Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), um plano de ação para desenvolver a indústria do biocombustível para a aviação no país, o bioQAV.

conomia

Os recursos da exploração do petróleo no País não precisam ir, necessariamente, para a área de educação, como quer o governo. Reunião do Conselho de Altos Estudos de Finanças e Tributação (Caeft), da ACSP, mostra que o destino do dinheiro podem ser os gastos de capital e os projetos de infraestrutura. Renato Carbonari Ibelli

D

estinar recursos originados da exploração do petróleo prioritariamente para a educação – como pretende o governo federal e já vem sendo praticado por alguns municípios – pode ser um equívoco. Para especialistas no tema, as receitas oriundas do petróleo são permeadas de imprevisibilidades, tornandoas, assim, mais apropriadas para financiar gastos de capital e de infraestrutura. A discussão a respeito do tema aconteceu ontem, em reunião do Conselho de Altos Estudos de Finanças e TributaEstamos diante ção (Caeft), de um embate d a A s s o c i aç ã o C o m e rfederativo, que cial de São para São Paulo Paulo (ACSP). tem mais valor Um projeto político. de lei do exec u t i v o , p r eCLÓVIS PANZARINI, vendo a desECONOMISTA t i n a ç ã o e xclusiva para educação das receitas da União, estados e municípios obtidas dos royalties do petróleo, recentemente foi "transplantado" para outro projeto de cunho federal, o Plano Nacional de Educação (PNE), que tramita no Congresso. Além disso, as cidades de Macapá (AM) e Recife (PE) já se anteciparam e sancionaram leis prevendo fins educacionais para as receitas dos royalties. Mas para o ex-secretário da Receita Federal Everardo Maciel esta destinação está errada. Ele explicou no encontro que "os gastos com educação são quase que totalmente

de custeio", usados para pagar professores, funcionários ou merenda escolar, por exemplo. Gastos com estas características "não podem ficar sujeitos a uma fonte de receita que varia conforme os preços internacionais e a imprevisibilidade da oferta". Para Everardo, as receitas do petróleo deveriam ser usadas para itens de infraestrutura. Os recursos também poderiam ser usados para desonerar a atividade produtiva, como sugeriu Fernando Facury, professor de direito financeiro da Universidade de São Paulo (USP). Para ele, se os royalties do petróleo são uma receita obtida sem custos por estados e municípios, estes entes poderiam oferecer compensações, como reduções tributárias. Este caminho, segundo o professor da USP, poderia ser uma forma de interferir positivamente na guerra fiscal do

Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). De acordo com Facury, o Rio de Janeiro e o Espírito Santo, estados que historicamente renunciam parte da arrecadação do ICMS para atrair empresas, estão também entre os que mais se beneficiam dos royalties. Ca rimb ado – O problema, apontou o professor, é que nada indica que estes estados queiram dar destinação específica (como desonerar a atividade produtiva ou melhorar a infraestrutura) aos recursos provenientes do petróleo. "Para os estados é mais fácil renunciar ao ICMS, que precisa ser fiscalizado e é carimbado, e usar os royalties, que recebem de graça, para custeio", disse Facury. Independentemente da destinação dada aos recursos oriundos dos royalties, o professor da USP criticou a falta de um gerenciamento ade-

quado às receitas vindas de um recurso que é esgotável. Para ele, seria preciso pensar em um fundo "intergeracional", ou seja, um instrumento que gerencie tais recursos para as gerações seguintes. "Não podemos tratar estes recursos como se fossem receita tributária, que só crescem, pois são receita esgotável", disse Facury. Dilma – As discussões a respeito dos royalties do petróleo voltaram a ganhar força no final do ano passado, após a presidente Dilma Rousseff vetar projeto de lei do legislativo que tratava do reparte dos recursos do petróleo. Os vetos, entretanto, foram derrubados no Congresso, e o projeto passou a vigorar. Mas acabou suspenso por decisão liminar do Supremo Tribunal Federal (STF). O embate entre Executivo e Legislativo, que acabou tendo a interferência do Judiciário, ocorre porque estados

Paulo Pampolin/Hype

Newton Santos/Hype

O

Índice Nacional de Confiança (INC), medido pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) em parceria com o instituto Ipsos, apresentou um recuo em maio deste ano ao finalizar em 153 pontos, contra os 156 de abril. O resultado reflete o aumento da inflação causada pela alta dos preços dos alimentos, especialmente para a parcela da população com menor poder aquisitivo. A expectativa é de que o consumidor assuma uma posição cautelosa até que este quadro seja revertido nos próximos meses com a entrada no mercado da nova safra de alimentos.

Percepção: resultado de maio do índice reflete, porém, o aumento da inflação. Rogério Amato, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), afirma que, "apesar da ligeira queda na situação financeira atual, espera-se alguma recuperação nas vendas para os próximos meses, já que o segundo semestre costuma ser

0,06

O economista Panzarini, convidado pelo Caeft: o Estado de São Paulo briga por receita marginal.

Confiança do consumidor estável Paula Cunha

e municípios não querem perder receita dos royalties. Mas para alguns estapor cento do d o s i m p o rtantes, como orçamento do Estado São Paulo, o de São Paulo embate teria corresponde aos mais significado político recursos oriundos que financeida exploração ro. Segundo o ec on om is ta de petróleo Clóvis Panzarini, o Estado de São Paulo briga por uma receita marginal. Segundo Panzarini, em 2012, o governo paulista obteve R$ 85,4 milhões de receita originária dos recursos do petróleo, o que significa 0,06% do orçamento do estado. Dados também apresentados pelo economista, baseados em números da secretaria da Fazenda paulista (SefazSP), projetam que o estado receberia R$ 13,6 bilhões em receita do petróleo nos próximos oito anos caso os vetos da presidente Dilma fossem mantidos. Com os vetos derrubados, a receita neste período cairia para R$ 8,6 bilhões. "De qualquer maneira, em termos relativos, não é um número expressivo. Estamos diante de um embate federativo, que para São Paulo tem mais valor político. Já para o Rio de Janeiro, as receitas do petróleo são mais expressivas", disse Panzarini.

mais aquecido que o primeiro". O economista Emilio Alfieri, do Instituto de Economia Gastão Vidigal (IEGV), da ACSP, lembrou que o comportamento atual da população é de acomodação e de expectativa de que os preços dos alimentos caiam. Segundo ele, o índice de

confiança é um reflexo do ânimo do consumidor em relação à situação econômica do País, que o impeliu a uma postura de cautela que acredita ser temporária. Na opinião do economista, a população está cautelosa, "mas não desistiu dos seus planos de aquisição de bens duráveis. Ela está reorganizando seu orçamento e deverá voltar às compras no próximo semestre". Para Alfieri, o ciclo de estímulo à economia pelo consumo não está esgotado, pois o consumidor reavalia suas perspectivas e sua posição dentro do quadro econômico. A confiança por classe social registrou recuo. Na classe C, o índice de maio ficou em 159 pontos, abaixo dos 163 de abril.

Duratex S.A. CNPJ. 97.837.181/0001-47

Companhia Aberta

Edital de Convocação ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA Os Senhores Acionistas da DURATEX S.A. são convidados a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária, que será realizada em 24.06.2013, às 8:30 horas, no auditório da sede social, na Avenida Paulista, 1938 - 5º andar, em São Paulo (SP), a fim de deliberar sobre proposta de alteração da nomenclatura dos cargos da Diretoria, que passará a ser composta por Diretor Presidente, Diretor Vice-Presidente da Unidade de Negócios Deca, Diretor Vice-Presidente da Unidade de Negócios Madeira e Diretores, com a consequente modificação do Artigo 24 (“caput”) do Estatuto Social e a consolidação deste. São Paulo (SP), 6 de junho de 2013. Conselho de Administração Salo Davi Seibel - Presidente Informações Gerais: Os documentos a serem analisados na Assembleia encontram-se à disposição dos Acionistas no website de relações com investidores da Companhia (www.duratex.com.br/ri), bem como no website da CVM (www.cvm.gov.br) e da BM&FBOVESPA (www.bmfbovespa.com.br). Para exercer seus direitos, os Acionistas deverão comparecer à Assembleia portando documento de identidade e comprovante de depósito das ações emitido pela instituição depositária, contendo a respectiva participação acionária. Os Acionistas podem ser representados na Assembleia por procurador, nos termos do artigo 126 da Lei 6.404/76, desde que o procurador esteja com documento de identidade e os seguintes documentos comprovando a validade da procuração (para documentos produzidos no exterior, a respectiva tradução consularizada e juramentada): (a) Pessoas Jurídicas: cópia autenticada do contrato/estatuto social da pessoa jurídica representada, comprovante de eleição dos administradores e a correspondente procuração, com firma reconhecida em cartório; (b) Pessoas Físicas: a correspondente procuração, com firma reconhecida em cartório. De modo a facilitar os trabalhos na Assembleia, a Companhia sugere que os Acionistas representados por procuradores enviem, com antecedência mínima de 48 horas, cópia dos documentos acima elencados por correio ou portador para: Duratex S.A. - Assuntos Paralegais: Av. Paulista nº 1938 - 19º andar - Bela Vista, São Paulo-SP - CEP 01310-942. (7/10/11)


12 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 11 de junho de 2013


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 11 de junho de 2013

e

13 A campanha De Olho no Imposto coletou mais de 1,5 milhão de assinaturas em todo o País a favor da transparência dos tributos

conomia

Marcos Peron/Virtual Photo

Prazo maior para imposto na nota Governo enviará ao Congresso proposta que amplia em um ano fase sem sanção

N

o dia em que as empresas deveriam começar a divulgar na nota fiscal os impostos incidentes sobre os preços de produtos e serviços, o governo disse que ainda vai regulamentar a nova legislação sobre o tema. Em nota divulgada ontem a Casa Civil informou que a elaboração da proposta de regulamentação e de fiscalização ficará a cargo da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, dirigida por Guilherme Afif Domingos. A Casa Civil disse ainda que encaminhará nesta semana ao Congresso proposta que amplia em um ano o prazo para aplicação das sanções e penalidades previstas no caso de descumprimento da lei. Nesse período, acrescenta a nota, o poder público promoverá orientações educativas para esclarecer como as novas regras devem ser cumpridas. A lei obriga as empresas a discriminar o valor aproximado de um conjunto de até sete tributos em cada nota ou cupom fiscal emitido – Imposto sobre Circulação de Mercadoria e Serviços (ICMS), Imposto Sobre Serviços (ISS), Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep), Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins) e Contribuições de In-

Campanha nas ruas: Guilherme Afif na mobilização que resultou na lei.

Iniciada restituição do IR

A

temporada de restituições do Imposto de Renda da Pessoa Física 2013 (ano-calendário 2012) começou ontem. A Receita Federal liberou a consulta ao 1º lote de devoluções, bem como a de lotes residuais de cinco anos anteriores. Aproximadamente 2 milhões de contribuintes receberão um total de R$ 2,8 bilhões, sendo R$ 2,7 bilhões referentes apenas ao IR 2013, número considerado recorde. Os valores serão creditados na próxima segundafeira, dia 17, via depósito

bancário. Para saber se teve a restituição liberada, o contribuinte deve acessar o site do Fisco ou ligar para o Receitafone 146. Aplicativos – Além disso, é possível fazer a consulta por meio de aplicativos para tablets e smarthphones, com sistemas operacionais Android e iOS. Nesta primeira leva do IR 2013, 1,9 milhão de contribuintes serão contemplados. O valor é corrigido pela taxa básica de juros, a Selic, de 1,60% (referente ao período entre maio e junho deste ano). Segundo o Fis-

co, do valor total do lote multiexercícios, R$ 2,2 bilhões serão pagos a contribuintes idosos e com deficiência física ou mental ou com doença grave. As restituições do IR 2013 serão divididas em sete lotes, que vão de junho até dezembro. As datas para os pagamentos são: 17 de junho, 15 de julho, 15 de agosto, 16 de setembro, 15 de outubro, 18 de novembro e 16 de dezembro. O Fisco estima que serão restituídos aproximadamente R$ 12 bilhões aos contribuintes neste ano.

Redução de títulos protestados

O

Paula Cunha

movimento de queda no volume de títulos protestados continuou em maio, com retração mensal de 5,1% ante abril e recuo de 4,7% no acumulado dos cinco primeiros meses de 2013 ante o mesmo período do ano passado. Os números foram divulgados na última sexta-feira pela Boa Vista Serviços, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). Na comparação com maio do ano passado, houve queda tanto no caso das pessoas jurídicas (13,7%) quanto das físicas (2,9%), o que equivale a uma diminuição de 9,9% na média. De acordo com o levantamento, o valor médio dos títulos protestados em maio foi de R$ 2.573. No caso das pessoas físicas, ele correspondeu a R$ 1.735 e somou R$ 3.088 para as jurídicas. Para Flávio Calife, economista da Boa Vista Serviços, o comportamento de maio indica que não houve alteração expressiva em relação ao resultado de abril. "Já havíamos

previsto uma tendência de queda no início do ano que está se comprovando desde janeiro para todo o ano de 2013. O número de maio é melhor que o esperado, mas ainda não é possível prever se o ritmo de queda persistirá até dezembro", explicou. Empresas – O estudo apontou também que os títulos protestados de empresas somaram cerca de 62% do total registrado em todo o País. Segundo o economista, este resultado está dentro da média observada desde o início

do ano. Na análise regional, a Sudeste foi mais uma vez a que apresentou o maior volume de títulos protestados de empresas, com 47,6% do total. Em seguida, vem a Sul (23,7%), a Nordeste (15,6%), a Centro-Oeste (8,1%) e a Norte (5,1%). No acumulado do ano, em relação ao mesmo período de 2012, a região Sul apresentou a maior retração dos protestos de pessoas jurídicas, de 8,5% em comparação com a média nacional, que apontou retração de 5,7% no mesmo período.

DECLARAÇÃO DE PROPÓSITO (Res. CNSP 136/05) JÚLIO CÉSAR DE OLIVEIRA MACHADO, CPF: 006.321.460-10 - Diretor Presidente; CARLOS ALFREDO RADANOVISTCK, CPF: 451.339.480-34 - Diretor Financeiro; JOSÉ MAURICIO DE FARIAS, CPF: 493.441.450-91 - Diretor Administrativo; DECLARAM sua intenção de exercer os cargos de Diretores da Futuro Previdência Privada, CNPJ/MF nº 92.812.098/0001-08, com sede social da Entidade, Rua Barão de Itapetininga, nº 124, 3º andar, conj. 31, Centro, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 01.042-000, e que preenchem as condições estabelecidas na legislação em vigor. ESCLARECE(M) que, nos termos da regulamentação em vigor, eventuais impugnações à presente declaração deverão ser comunicadas diretamente a Superintendência de Seguros Privados - Susep, Avenida Presidente Vargas 730, 9º andar - Rio de Janeiro, no prazo máximo de quinze dias, contados da data desta publicação, por meio de documento em que os autores estejam devidamente identificados, acompanhado da documentação comprobatória, observado que o(s) declarante(s) poderá(ão), na forma da legislação em vigor, ter direito a vista do respectivo processo. (SP), 10 de Junho de 2013. DECLARAÇÃO DE PROPÓSITO (Res. CNSP 136/05) MILTON AMENGUAL MACHADO, CPF: 125.308.240-53; CARLOS ALFREDO RADANOVISTCK, CPF: 451.339.480-34; TEREZINHA DOMINGUES DE OLIVEIRA, CPF: 204.966.480-04; JÚLIO CÉSAR DE OLIVEIRA MACHADO, CPF: 006.321.460-10; JOSÉ MAURICIO DE FARIAS, CPF: 493.441.450-91; DANIELLEN TERESINHA DE OLIVEIRA MACHADO, CPF: 992.634.910-20, DECLARAM sua intenção de exercer cargos de membros do Conselho Deliberativo da Futuro Previdência Privada, CNPJ/MF nº 92.812.098/0001-08, com sede social da Entidade, Rua Barão de Itapetininga, nº 124, 3º andar, conj. 31, Centro, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 01.042-000, e que preenchem as condições estabelecidas na legislação em vigor. ESCLARECE(M) que, nos termos da regulamentação em vigor, eventuais impugnações à presente declaração deverão ser comunicadas diretamente a Superintendência de Seguros Privados - Susep, Avenida Presidente Vargas 730, 9º andar - Rio de Janeiro, no prazo máximo de quinze dias, contados da data desta publicação, por meio de documento em que os autores estejam devidamente identificados, acompanhado da documentação comprobatória, observado que o(s) declarante(s) poderá(ão), na forma da legislação em vigor, ter direito a vista do respectivo processo.(SP), 10 de Junho de 2013.

tervenção no Domínio Econômico (Cide). Multa – Quem descumpri-la, quando estiver valendo, poderá ser enquadrado no Código de Defesa do Consumidor, que prevê sanções como multa, suspensão da atividade e cassação da licença de funcionamento. O governo teve seis meses para regulamentar a lei, que foi publicada em dezembro de 2012. De acordo com a Casa Civil, os pedidos de esclarecimento de comerciantes só começaram a chegar recentemente ao governo, com a proximidade da data em que ela entraria em vigor. Durante a semana passada, o governo teve dificuldade de esclarecer o que aconteceria ontem, com a entrada em vigor da lei. Na sexta-

feira, a Casa Civil informou que a lei era clara e não dependia de mais nenhuma regulamentação, estando pronta para entrar em vigor ontem. A demora na regulamentação da legislação esbarra na complexidade do sistema tributário brasileiro, também responsável pelo atraso de mais de cinco anos na aprovação do projeto de lei pelo Congresso. O projeto surgiu da campanha De Olho no Imposto, promovida por várias entidades sob a liderança da ACSP. O movimento conseguiu reunir mais de 1,5 milhão de assinaturas em todo o País. Em todas as reuniões realizadas em Brasília, a Receita Federal se mostrou a mais resistente à ideia da transparência tributária. (Agências)

UM MANUAL PARA AJUDAR A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) desenvolveram ferramentas gratuitas para auxiliar comerciantes, lojistas e prestadores de serviços a listar os sete tributos em toda nota fiscal ou cupom fiscal emitidos. Ela está disponível no endereço www.movimentoac.com.br/deolhonoimposto. No portal, o empresário tem acesso ao Manual de Integração para a adequação da Lei "De Olho no Imposto" e aos arquivos de download das alíquotas de tributação média dos produtos e serviços comercializados no Brasil. O sistema servirá para quem possui ferramentas automatizadas e também para quem emite notas fiscais manualmente. A Facesp conseguiu, junto aos órgãos públicos envolvidos, o período de um ano, a partir de ontem para a experimentação.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

e

terça-feira, 11 de junho de 2013

Muitas vezes, o franqueador queria estar com sua rede em Paris, mas naquele momento só tem condições de estar no Uruguai. Pedro Lucas de Resende Melo, doutor em administração na FEA/USP

conomia

Franquias reforçam os negócios no interior

Maior poder aquisitivo da população e menor concorrência nos municípios com menos de 500 mil habitantes fazem as redes direcionar o olhar para locais mais distantes das capitais Divulgação

Karina Lignelli

A

forte concorrência nas capitais brasileiras e a ida quase em massa de shopping centers para municípios com menos de 500 mil habitantes – aliado à melhora no poder aquisitivo da população – têm puxado o movimento de "interiorização" de franquias. Dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF) apontam que, só em São Paulo, a participação do interior em relação ao estado, tanto em número de lojas próprias como franqueadas, é de 55% do total. Em relação ao País, oito cidades do interior paulista estão entre as 30 maiores em unidades de franquias instaladas. O processo tem se intensificado nos últimos cinco anos. Hoje, qualquer cidade com 80 mil habitantes tem um shopping, que são quase um "sinônimo" de franquias, opina Adir Ribeiro, presidente e fundador da consultoria Praxis Business, por estas pegarem "carona" na segurança e na conveniência desses empreendimentos para se instalar. As franquias também se beneficiam das pesquisas de mercado e estudos de viabilidade da região feitos pelas administradoras de shoppings. As empresas começaram a explorar mercados em que os hábitos do consumidor, que "antes almoçava em casa", estão mudando, diz André Friedheim, diretor da Francap. Segundo ele, franqueadoras buscam, para se expandir, locais onde é possível abrir lojas menores com menos investimentos, e onde a mão de obra e a carga tributária são mais baratas, afirma. Ele cita como exemplo a união da Puket, Imaginarium e Balonè, que formaram um novo modelo de franquias sob a marca Love Brands. O objetivo? Operar em cidades pequenas e médias. "Montar uma loja exclusiva de cada talvez não

Cachaçaria Água Doce nasceu em Tupã (SP) fez o caminho inverso e rumou para a capital apenas após estar bem estabelecida no interior.

se viabilizasse. Por isso, juntaram-se três marcas sinérgicas e não-concorrentes – mas que podem servir para o mesmo momento de compra do consumidor – para justificar essa loja", diz Friedheim. ADAPTAÇÃO Outro exemplo é a rede Rei do Mate, que há três anos percebeu o potencial das cidades pequenas para expandir seu modelo de negócio. Com 56 lojas no interior de São Paulo e 33 no interior do Rio de Janeiro, a rede voltou os olhos a essas regiões devido às mudanças provocadas pela melhoria na distribuição de renda, e pela quantidade de interessados em abrir um negócio fora das capitais, diz a diretora de expansão e operações Adriana Lima. E tudo isso sem a necessidade de mexer no mix de produtos, mas apenas de adaptar o mobiliário saindo do esquema fast food das grandes cidades.

No interior, as pessoas preferem sentar e bater um papo, afirma Adriana. Outro detalhe é que, mesmo que essas pessoas façam refeições em casa por morar perto do trabalho ou da faculdade, o aumento na renda fez a parada para o café ou lanche ser mais frequente. "Procuramos locais com alta concentração de pessoas e pedestres. Tanto que 60% dessas lojas são de rua", diz. Esse conhecimento local, que inclui suporte de uma estrutura regional da rede para o negócio dar certo, é um dos desafios para esse tipo de expansão, afirma André Friedheim, da Francap. "O fato de ser local, ter relacionamentos na região, facilita a instalação. Só estando lá para entender a necessidade de fazer adequações do modelo, buscar alternativas em metragem de lojas, ter menos funcionários, enfim: fazer mais no interior com menos que na capital", diz.

Para Adir Ribeiro, da Praxis, outro ponto que chama a atenção é a aprovação do franqueador, que apenas validará uma unidade se tiver estudos prévios do potencial da região. "Mas se vai dar certo é outra história: depende da qualidade da gestão desse franqueado. Sua presença física tem um peso muito grande no desenvolvimento dessa loja", alerta. CAMINHO INVERSO Nem todas as redes nascem nos grandes centros e vão para o interior: há franquias que, além de surgirem longe das capitais, focam sua estratégia de expansão no entorno e crescem criando verdadeiros impérios por cidades de porte semelhante. "Além de ainda ter muito espaço para a interiorização, há espaço também para redes regionais, puxadas pelo potencial de consumo maior que não está restrito às

grandes capitais", diz Adir Ribeiro, da Praxis, que cita como exemplo a rede Chiquinho Sorvetes, de São José do Rio Preto (SP), que tem cerca de 200 lojas por Atibaia, Campinas e no interior do Mato Grosso, e da aguardenteria Água Doce, de Tupã (SP), que primeiro quis fincar o pé nos arredores para só depois conquistar a "cidade grande". Criada no início dos anos 1990 pelo tecnólogo da área sucroalcooleira Delfino Golfeto, a Água Doce nasceu num balcão improvisado, na garagem do empreendedor. A facilidade em selecionar boas cachaças e criar coquetéis inovadores, aliadas às degustações de quitutes preparados pela esposa, segundo conta, virou franquia em dois anos somente pelo boca a boca. Depois do piloto em Tupã, seguiu por Ourinhos, Presidente Prudente, Araçatuba, Ribeirão Preto... "A rede nasceu com a certeza de ser fran-

queável, mas ainda sem saber como funcionava o modelo. Crescemos na região em função de praticar o que o franchising moderno pratica hoje: dar cobertura para o franqueado quando mais precisa, ou seja, no início da operação. Dava para treiná-los de dia e voltar pra trabalhar na minha loja à noite", relembra. Atualmente, de acordo com Golfeto, a Água Doce tem 104 lojas (sendo 60% no interior de São Paulo), e espalhadas em 12 estados e nove em capitais. Outras dez devem entrar em operação em 2014. A atual meta da rede é focar menos em expansão e mais em renovação, inclusive na loja de Tupã – seja em reforma, mudança de ponto, revenda, remontagem, e até mesmo para dar um upgrade onde "acendeu a luz amarela" em termos de faturamento, diz o dono da rede que ganhou o prêmio de "Franqueadora do Ano" da ABF, no mês de abril.

No exterior, muitas opções para as redes.

E

m 2002, existiam 15 redes de franquias brasileiras com atuação internacional. Atualmente, são 70, com mais de 700 unidades franqueadas. Apesar de ser um universo pequeno e representar 4,7% do setor, o avanço dos últimos dez anos foi tema da tese Internacionalização das redes de franquias brasileiras – uma análise organizacional e institucional, com a qual Pedro Lucas de Resende Melo concluiu o doutorado em administração na FEA/USP e lhe garantiu o prêmio Destaque Acadêmico 2013 da Associação Brasileira de Franchising (ABF). A seguir, entrevista de Melo concedida ao Diário do Comércio. Diário do Comércio – No que se baseou para desenvolver a tese? Pedro Lucas Melo – A internacionalização não é só de franquias, mas de vários setores da economia brasileira. Hoje, a gente vê um ambiente político, institucional, econômico, de controle de inflação, que motiva, no caso específico do executivo de franquias, a ir para o exterior – algo impensável na década dos anos 1980, por exemplo.

DC – A sua tese aponta um avanço de 300% na última década. Qual o condutor disso? PLM – São vários os motivos, e um exemplo, pensando em

Luiz Machado/Hype

grandes redes, é o caso Giraffas. Eles estão reconstruindo a marca nos Estados Unidos, algo adaptado à realidade local. E não é adaptação só de produto, estão refazendo tudo. É algo prospectivo, para desenvolver daqui a dez anos. DC – Como está o mercado internacional para o empreendedor de franchising? PLM – Tudo vai depender para onde ele está pensando em ir. Pode ser desastroso ir para a Europa hoje se você não tem um planejamento de dez anos. Como pode ser vantajoso ir para a América Latina, num curto prazo. Mas há a questão dos indicadores institucionais que é, por exemplo, ter operações na Venezuela: há atividade econômica boa, o nível de concorrência não é tão alto. Mas há instabilidade política e altos índices de corrupção. Outro caso é a Guatemala. É um mercado pequeno, onde não há grandes marcas operando. Se chegar com uma franquia brasileira, gera respeito. Mas há risco. DC – O que se deve fazer? PLM – A escolha do país tem que ser crítica. Podem existir boas oportunidades no Oriente Médio, onde há muitos países fazendo reformas para facilitar os negócios – mesmo que sejam ditaduras. São vários parâmetros que se deve

Pedro Lucas Melo: a escolha do país tem que ser crítica. Podem existir boas oportunidades no Oriente Médio.

analisar e perguntar para o franqueador o que de fato ele está querendo. DC – Quais os países que têm gerado melhores resultados às redes brasileiras? PLM – Não descarto nunca os EUA. O problema lá é a concorrência, redes locais que são conhecidas internacionalmente. Se entra uma marca brasileira desconhecida nesses lugares, pode ter dificuldade de vender franquias. É quando se parte para a questão do "como vou entrar". O Giraffas é um exemplo pois está

entrando com unidades próprias. Levou executivo e equipes daqui. Contratou brasileiros que moram nos EUA. Lançou ações de uma empresa nova. Nas palavras do presidente, Alexandre Freire, "se a gente for como o Mc Donald's vai perder feio. Não tem preço, não tem escala, não tem marca." Cobra preços acima da média de lá. Eu paguei US$ 15 por uma refeição em Miami. DC – Essa pode ser uma solução? E a América Latina? PLM – É um dos caminhos, sim. Na América Latina, ve-

mos Colômbia, Panamá, Chile. Esse é um país que tem bons indicadores, mas é pequeno, com 18 milhões de habitantes. As empresas vão para a América Latina pela proximidade cultural, linguística. É mais difícil ir para a Inglaterra, Alemanha ou Cingapura. Esse é um dos países com o menor nível de burocracia, com facilidade para fazer negócios, mas, há uma distância cultural imensa. Portugal é excelente para aprendizagem. O problema é que é um país com apenas 10 milhões de habitantes. Se for usado como trampolim para outros países da Europa, pode ser uma maneira inteligente de entrar. DC – A tese aponta diferenças organizacionais entre operações domésticas e internacionais, já que muitas marcas não possuem reconhecimento no mercado interno. Status vale mais? PLM – As redes americanas só foram para fora após se consolidarem nos EUA. Já aqui pode ser explicado pelo nível de competição. Em dez anos, o número no Brasil triplicou (de 600 para 1.855, segundo a ABF). Se esse franqueado estiver em processo de internacionalização, ganha destaque na mídia. DC – O que impacta, em termos de negócio, ir direto para o exterior sem se consolidar por aqui?

PL M – É arriscado. Muitas vezes a rede não tem controle de padrões definido, não tem capacidade de monitoramento ao franchising. Se vai prematuramente, pode incorrer em risco moral, problemas de agência – que é o franqueado substituir fornecedores lá fora –, fazer mau uso da marca. DC – A rede americana de cosméticos Benefit acaba de anunciar operações no Brasil, e a rede Dunkin Donuts pretende voltar. Há o movimento inverso também? PLM – Sim. As redes americanas não estão indo mais para a Europa. Agora, elas vão para o Oriente Médio, para a América do Sul. Elas vão para onde há oportunidade, potencial econômico. DC – A primeira opção sempre são os grandes mercados? PLM – Temos que partir do princípio de que a figura dos franqueadores brasileiros, na grande maioria, é de pequena ou média empresa. São grupos familiares que tem o poder centralizado na figura do fundador. Há quem vai para o exterior com uma perspectiva emocional. Mas tem que pensar como empresário. Muitas vezes, o franqueador queria estar com sua rede em Paris, mas naquele momento só tem condições de estar no Uruguai. (KL)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 11 de junho de 2013

e

15 Instalar o iOS 7 em seu telefone será como obter um telefone totalmente novo Craig Federighi

conomia

Fotos Stephen Lam

No encontro de San Francisco, os vice-presidentes Eddy Cue (acima, à esquerda) e Craig Federighi (direita), apresentam o iTunes Radio e o sistema operacional OS X (R) Mavericks.

Festa na Apple, que ainda surpreende. taque. O primeiro deles é o iOS 7, novo sistema operacional para iPhones e iPads, considerado (e anunciado) pela companhia como o mais revolucionário desde o lançamento do iPhone em 2007; depois, o iTunes Radio, serviço de música online e finalmente, a nova versão do sistema operacional para computadores, OS X (R) Mavericks. O iOS 7 apresentado ontem e que deve estar disponível no outono (no hemisfério norte), contém nova paleta de cores para as telas, traz mais ícones, tem tipografia renovada e uma nova estrutura. O chefe de desenvolvimento de design industrial da empresa, Jony Ive – criador do produto –, disse o sistema pode ser definido por "ausência de gargalos e de ornamentação". O sistema inclui um novo Centro de Notificação, um novo Centro de Controle, uma versão móvel do Air Drop, para compartilhar documentos entre computadores Macintosh e aparelhos que operam o iOS, uma versão mais nova do instrumento de navegação Safari, novos filtros para câmeras, atualizações automáticas via App Store e medidas de segurança para travar um aparelho roubado. "Instalar o iOS 7 em seu telefone será como obter um telefone totalmente novo, mas um que você já sabe como

usar", disse o vice-presidente de engenharia de software da Apple, Craig Federighi. O novo iOS para iPhone está disponível para desenvolvedores em versão beta a partir de hoje; a versão beta para iPad estará disponível em breve e o produto final para o consumidor deverá ser distribuído em meados do segundo trimestre. O iTunes Radio – apresentado no evento por Eddy Cue, vice presidente de software para internet e serviços, por sua vez, será grátis para clientes comuns, só que com publicidade, e livre de anúncios para assinantes do serviço pago iTunes Match. Integrado ao aplicativo de música do novo iOS e será compatível também com dispositivos móveis (iPhone, ipad e iPod touch). Quanto ao sistema operacional OS X (R) Mavericks, cujos detalhes foram alinhados por Federighi, a versão apresentada é a décima desenvolvida pela empresa. Esta, segundo a Apple, tem mais de 200 novos aplicativos – entre eles, Maps e iBooks para os computadores Macintosh e passa a suportar telas múltiplas. O sistema já está disponível para membros do programa de desenvolvimento do Mac a partir desta segundafeira e os usuários de computadores Macintosh poderão baixá-lo no segundo semestre. (Agências)

App Store, coleção de sucessos.

T

im Cook, presidenteexecutivo da Apple aproveitou o encontro de San Francisco para fazer um balanço das atividades da App Store – a rede de 407 lojas físicas em 14 países, que recebem, em média, 1 milhão de visitantes ao mês. A loja, revelou, possui atualmente 900 mil aplicativos, 375 mil deles exclusivos pa-

Stephen Lam/Reuters

Cook comemora a marca de 50 milhões de downloads de aplicativos feitos a partir de 2007

ra iPad. O número de downloads de aplicativos desde 2007, quando a loja foi lançada, chega a 50 bilhões. No plano dos negócios, citou que os desenvolvedores cadastrados da companhia já receberam mais de US$ 10 bilhões (cerca de R$ 21,6 bilhões), três vezes mais que as outras plataformas móveis combinadas, segundo o

9to5mac, site de notícias especializado na tecnologia da Apple. Cook afirmou também que existem 575 milhões contas na App Store Para falar sobre o tema central do encontro, ele afirmou que a empresa conta atualmente com mais de 6 milhões de desenvolvedores cadastrados, espalhados por 60 países, sendo que 1,5 milhão deles se integraram no último ano. A corrida por um lugar na conferência mostra o interesse desses desenvlvedores: todos os ingressos para o WWDC foram vendidas em apenas 71 segundos, segundo a Apple. O presidente-executivo da Apple informou também que 35% dos usuários de computadores Macs têm a última versão do OS X, o Mountain Lion, ante menos de 5% com Windows 8 e os desenvolvedores presentes na conferência deram risadas. (Folhapress)

Hoje é dia também da coluna Informática. Na página 20

Fotos Monica

F

oi um evento bem ao estilo da Apple – para ninguém botar defeito. A Worldwide Developers Conference (WWDC ), conferência para desenvolvedores da empresa, realizada ontem em San Francisco, California transformou-se em um festival de lançamentos – e, em pelo menos um deles, a empresa mostrou que ainda é capaz de surpreender. Esse caso é o da nova máquina da Apple, o Mac Pro, computador para uso profissional que chegará ao mercado americano no fim deste ano. Todo em preto, tem aparência diferente: é cilíndrico e "encolhido" em relação a seu antecessor, pois só tem 1/8 do volume daquele. A companhia optou por montá-lo nos Estados Unidos, ao invés da Ásia – e também do Brasil, por meio da taiwanesa FoxConn. Na área de hardware, além do Mac Pro, foi anunciado outro lançamento. Coube a Phil Schiller, vice-presidente de marketing mostrar o novo MacBook Air, em duas versões e cujo diferencial em relação a seu antecessor é uma bateria com maior duração. A do modelo de 11 polegadas terá agora 9 horas, contra 5 horas da geração anterior, enquando na versão de 13 polegadas, chegará a até 12 horas. Entre os demais lançamentos da empresa, três são des-

M. Davey/EFE

A companhia fez diversos lançamentos ontem nos EUA, entre os quais se sobressai o inovador e revolucionário Mac Pro.

A estrela do espetáculo foi o Mac Pro (à esquerda), todo em preto, cilíndrico e menor que seu antecessor. O MacBook Air (à direita) ganhou versões com baterias de maior duração.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16 -.ECONOMIA/LEGAIS

terça-feira, 11 de junho de 2013

e Dólar e Bolsa continuam sob pressão Relatório Focus agora projeta crescimento só de 2,53% para o PIB deste ano; na semana passada, apontava 2,77%.

conomia

Nas explicações que o mercado sempre dá, um dos culpados é a China; o outro é a valorização global da moeda americana, em meio à retomada econômica.

O

dólar fechou novamente em alta frente ao real, apesar de o Banco Central ter atuado duas vezes ontem para segurar a valorização. A moeda dos Estados Unidos ganhou 0,71 por cento, cotada a 2,1479 reais na venda, reagindo às expectativas de redução do estímulo monetário pelo Federal Reserve depois que a Standard & Poor's melhorou a perspectiva do rating do país, elevando-a de "negativa" para "estável". Contribuíram para a alta da taxa de câmbio si-

nais de desaceleração da China, o que pressionou moedas ligadas a commodities. O principal índice de ações da Bolsa também fechou em queda, igualmente influenciado pela China, depois de um dia de volatilidade. O Ibovespa fechou em queda de 0,59%, aos 51.316 pontos. Durante o pregão, o índice oscilou entre baixa de 0,89% e alta de 0,42%. Previsões - Em meio à postura mais agressiva do Banco Central, economistas de instituições financeiras passaram

a ver a Selic maior tanto neste ano quanto no próximo, mas não chegaram a mudar suas contas sobre a inflação, mostrou a pesquisa Focus do BC nesta segunda-feira. O levantamento também mostrou que os analistas passaram a enxergar que o dólar fechará este ano mais alto. Segundo o Focus, os economistas agora veem a Selic em 8,75 por cento tanto no final de 2013 quanto de 2014, ante 8,50 por cento na semana anterior. Para a próxima reunião do Copom, em julho, a taxa bá-

sica de juros, hoje em 8 por cento ao ano, vai a 8,50 por cento e, em agosto, a 8,75 por cento. Na semana passada, ao divulgar a ata da reunião do Copom ocorrida no final de maio e na qual elevou a Selic em 0,5 ponto percentual, o BC reforçou que trabalhará a política monetária brasileira com "a devida tempestividade" para garantir que a inflação entre em declínio, mantendo-se "especialmente vigilante" no combate à alta de preços. A postura mais dura do BC

corroborou entre analistas a percepção de que o ciclo de aperto monetário continuará forte. O discurso do BC foi considerado por analistas mais agressivo, diante da tendência de apreciação do dólar norte-americano no mundo e dos danos que a persistência dos preços no país causaria no consumo e no investimento. E mesmo vendo a Selic maior, os economistas no Focus mantiveram as projeções do IPCA tanto neste ano quanto no próximo em 5,80 por cento. Para os próximos 12 me-

ses, entretanto, a perspectiva para a inflação foi ligeiramente reduzida a 5,65 por cento, ante 5,67 por cento anteriormente. Em relação ao Produto Interno Bruto (PIB), os economistas consultados no Focus reduziram a projeção da expansão neste ano pela quarta semana seguida, a 2,53 por cento, ante alta de 2,77 por cento e abaixo do desempenho econômico visto no primeiro ano da presidente Dilma Rousseff, com alta de 2,7 por cento em 2011. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 11 de junho de 2013

A3NP Indústria e Comércio de Móveis Ltda.

Consórcio Alfa de Administração S.A. Sociedade Anônima de Capital Aberto CNPJ/MF nº 17.193.806/0001-46 e NIRE 35 3 0002366 8 Ata das Assembleias Gerais Ordinária e Extraordinária Data: 25 de abril de 2013. Horário: 11:45 horas, Assembleia Geral Ordinária e, em seguida, Assembleia Geral Extraordinária. Local: Sede social, Alameda Santos, 466, 1º andar, São Paulo - SP. Presença: 1) acionistas titulares de ações ordinárias, representando mais de dois terços do capital social com direito de voto; 2) administradores da Sociedade, representantes do Conselho Fiscal e o Sr. Rafael Dominguez Barros, CRC 1SP208.108-O, representante da Grant Thornton Auditores Independentes. Mesa: Paulo Guilherme Monteiro Lobato Ribeiro - Presidente. ChristopheYvan François Cadier - Secretário. José Elanir de Lima - Secretário. Ordem do Dia: Em Assembleia Geral Ordinária: 1. Examinar, discutir e votar o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras, o Relatório dos Auditores Independentes e o Parecer do Conselho Fiscal, todos relativos ao exercício social encerrado em 31/12/2012;2. deliberar sobre a destinação do lucro líquido do exercício e ratificar as distribuições de juros sobre o capital próprio e dividendos relativas ao 1º e 2º semestres de 2012; 3. fixar a verba máxima destinada à remuneração dos membros da Diretoria e do Conselho de Administração para o exercício de 2013 e 4. se assim deliberado, instalar o Conselho Fiscal, eleger seus membros efetivos e suplentes e fixar suas remunerações. Em Assembleia Geral Extraordinária: Tomar conhecimento e deliberar sobre a Proposta da Diretoria, com pareceres favoráveis do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal, para aumentar o capital social em R$ 23.850.520,00 (vinte e três milhões, oitocentos e cinquenta mil e quinhentos e vinte reais), sem emissão de ações, mediante a capitalização de igual valor a ser retirado da conta “Reserva para Aumento de Capital”, para eliminar seu excesso, e aprovar a correspondente reforma estatutária. Publicações: 1. Relatório da Administração, Demonstrações Financeiras, Notas Explicativas, Relatório dos Auditores Independentes e Parecer do Conselho Fiscal relativos ao exercício social encerrado em 31/12/2012: Diário Oficial do Estado de São Paulo e Diário do Comércio, edições de 14/03/2013; 2. Editais de Convocação: Diário Oficial do Estado de São Paulo e Diário do Comércio, edições de 26/03/2013, 27/03/2013 e 28/03/2013. Leitura de Documentos:Todos os documentos citados acima, incluindo as Publicações, a Proposta da Diretoria e os pareceres favoráveis do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal, foram lidos e colocados sobre a mesa, à disposição dos acionistas.Destacou-se ainda que, além das publicações nos jornais antes referidos, foi efetuada a publicação tempestiva, por meio dos sítios da Comissão de Valores Mobiliários e do Conglomerado Alfa na Internet, das informações sobre Sociedade exigidas pelas Instruções CVM nºs 480 e 481.DeliberaçõesTomadas em Assembleia Geral Ordinária: Após análise e discussão, os acionistas, com abstenção dos legalmente impedidos, deliberaram por unanimidade: 1. aprovar o Relatório da Administração, as Demonstraç��es Financeiras, o Parecer do Conselho Fiscal e o Relatório dos Auditores Independentes, ficando assim aprovadas as contas dos Administradores relativas ao exercício social encerrado em 31/12/2012; 2. homologar a destinação do lucro líquido do exercício, já refletida nas demonstrações financeiras, sendo (i) R$ 3.157.719,68 (três milhões, cento e cinquenta e sete mil, setecentos e dezenove reais e sessenta e oito centavos) para Reserva Legal; R$ 14.999.168,46 (quatorze milhões, novecentos e noventa e nove mil, cento e sessenta e oito reais e quarenta e seis centavos) a título de dividendos postergados, para Reserva de Lucros a Realizar, e R$ 453.776,12 (quatrocentos e cinquenta e três mil, setecentos e setenta e seis reais e doze centavos) referente a Imposto de Renda devido sobre juros sobre capital próprio e (ii) o saldo remanescente do lucro líquido, de R$ 44.543.729,27 (quarenta e quatro milhões, quinhentos e quarenta e três mil, setecentos e vinte e nove reais e vinte e sete centavos), para Reservas Estatutárias, a saber: R$ 40.089.356,34 (quarenta milhões, oitenta e nove mil, trezentos e cinquenta e seis reais e trinta e quatro centavos) para Reserva para Aumento de Capital e R$ 4.454.372,93 (quatro milhões, quatrocentos e cinquenta e quatro mil, trezentos e setenta e dois reais e noventa e três centavos) para Reserva Especial para Dividendos;bem como ratificar os pagamentos, através de Realização de Lucros de Exercícios Anteriores, de dividendos no montante de R$ 2.294.161,19 (dois milhões, duzentos e noventa e quatro mil, cento e sessenta e um reais e dezenove centavos) e de juros sobre o capital próprio no montante, líquido do imposto de renda, de R$ 2.570.979,79 (dois milhões, quinhentos e setenta mil, novecentos e setenta e nove reais e setenta e nove centavos), ambos já distribuídos, relativos ao 1º e 2º semestres de 2012 e imputados ao valor do dividendo obrigatório de 2012;3.fixar em até R$ 130.000,00 (cento e trinta mil reais), em média mensal livre do imposto de renda na fonte, a verba máxima para remuneração global do Conselho de Administração e da Diretoria, nos termos do Estatuto Social, cabendo ao Conselho de Administração deliberar sobre a forma de distribuição dessa verba entre os seus membros e os da Diretoria.Essa verba vigorará a partir de Maio de 2013, inclusive, e poderá ser reajustada com base na combinação dos índices IPC-A/IBGE e IGP-M/FGV. Poderá a Sociedade proporcionar, aos seus administradores, transporte individual e, ainda, para alguns, serviços de segurança, a critério do Conselho de Administração; 4. instalar o Conselho Fiscal, considerando que, pelo Estatuto Social, seu funcionamento não é permanente, bem como eleger os seus membros com mandato até a Assembleia Geral Ordinária de 2014. 4.1. O acionista Luiz Alves Paes de Barros, na qualidade de acionista e também de representante de outros titulares de ações preferenciais sem direito a voto, manifestou sua intenção de eleger um Conselheiro, em votação em separado, excluído o acionista controlador, tendo desta forma indicado e reeleito como Membro Efetivo, o Sr. Paulo Caio Ferraz de Sampaio (CPF/MF nº 694.546.208-00 e RG nº 5.312.732 - SSP/SP), brasileiro, casado, engenheiro civil, residente e domiciliado em São Paulo - SP, com endereço comercial na Av. Brigadeiro Faria Lima, 1982, 6º andar - conjunto 603, Pinheiros, e como respectivo Suplente o Sr. Luiz Gonzaga Ramos Schubert (CPF/MF nº 080.501.128-53 - RG 2.560.033 - SSP-SP), brasileiro, casado, advogado, residente e domiciliado em São Paulo (SP), na Alameda Jaú, 88 - apto. 114. 4.2. Os demais acionistas reelegeram e elegeram então os seguintes Conselheiros, a saber: Membros Efetivos - os Srs.Luiz Henrique Coelho da Rocha (CPF/MF nº 003.233.657-87 - RG nº 6.900.119-SSP-SP), brasileiro, casado, engenheiro civil, residente e domiciliado em São Paulo - SP, na Rua da Consolação, 3726, apto.141, e Rogerio Rey Betti (CPF/MF nº 064.292.388-49 RG nº 7.613.380-SSP-SP), brasileiro, casado, consultor, residente e domiciliado em São Paulo (SP), na Rua Gaivota, 1640; e, como respectivos Suplentes - os Srs.Ailton Carlos Canette (CPF/MF nº 287.580.728-53 - RG nº 5.680.643 - SSP-SP), brasileiro, casado, administrador de empresas, residente e domiciliado em São Paulo - SP, na Rua Pintassilgo, 36, Apto.51 - Moema e José Carlos Guimarães (CPF/MF nº 011.093.088-68 - RG nº 2.234.093-SSP-SP), brasileiro, casado, advogado, residente e domiciliado em São Paulo (SP), na Rua Topázio, 478 - apto. 27, Aclimação. 4.3. Os acionistas deliberaram ainda que cada membro efetivo do Conselho Fiscal, quando em exercício, receberá a remuneração de R$ 2.400,00 (dois mil e quatrocentos reais) mensais, observado o mínimo previsto em lei e, para cada membro suplente, a remuneração será de R$ 1.600,00 (um mil e seiscentos reais) mensais.4.4.Os membros do Conselho Fiscal ora eleitos não estão incursos em crime algum que vede a exploração de atividade empresarial, nos moldes do Código Civil, artigo 1011 - § 1º. Deliberação Tomada em Assembleia Geral Extraordinária: Após análise e discussão, os acionistas, com abstenção dos legalmente impedidos, deliberaram, por unanimidade, aprovar o aumento do capital social em R$ 23.850.520,00 (vinte e três milhões, oitocentos e cinquenta mil e quinhentos e vinte reais), sem emissão de novas ações, elevando-o de R$ 279.525.000,00 (duzentos e setenta e nove milhões, quinhentos e vinte e cinco mil reais) para R$ 303.375.520,00 (trezentos e três milhões, trezentos e setenta e cinco mil e quinhentos e vinte reais), mediante a capitalização de igual valor a ser retirado da conta “Reserva para Aumento de Capital”, visando eliminar o excesso a que se refere o parágrafo 3º do artigo 31 do Estatuto Social, tal como indicado na proposta da Diretoria e nos pareceres do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal, reformando o “caput” do Artigo 5º do Estatuto Social, que passa a ser assim redigido:“Art. 5º - O capital social é de R$ 303.375.520,00 (trezentos e três milhões, trezentos e setenta e cinco mil e quinhentos e vinte reais), dividido em 73.646.388 (setenta e três milhões, seiscentos e quarenta e seis mil, trezentos e oitenta e oito) ações escriturais, sem valor nominal, das quais 40.394.932 (quarenta milhões, trezentos e noventa e quatro mil, novecentos e trinta e duas) ordinárias; 164.936 (cento e sessenta e quatro mil, novecentos e trinta e seis) preferenciais classe “A”; 2.330.271 (dois milhões, trezentos e trinta mil, duzentos e setenta e uma) preferenciais classe “B”; 219.863 (duzentos e dezenove mil, oitocentos e sessenta e três) preferenciais classe “C”; 2.059.517 (dois milhões, cinquenta e nove mil, quinhentos e dezessete) preferenciais classe“D”;6.759.345 (seis milhões, setecentos e cinquenta e nove mil, trezentos e quarenta e cinco) preferenciais classe “E” e 21.717.524 (vinte e um milhões, setecentos e dezessete mil, quinhentos e vinte e quatro) preferenciais classe “F””.Finalizando os trabalhos, a Assembleia deliberou, por unanimidade, publicar a ata deste conclave, nos termos dos parágrafos primeiro e segundo do artigo 130 da Lei de Sociedades por Ações.Lida e aprovada, vai esta assinada pelos presentes.São Paulo, 25 de abril de 2013. Paulo Guilherme Monteiro Lobato Ribeiro - Presidente da Mesa. Christophe Yvan François Cadier – Secretário. José Elanir de Lima - Secretário. Os Acionistas: Paulo Guilherme Monteiro Lobato Ribeiro. Humberto Mourão de Carvalho. Rubens Garcia Nunes. p.p. Administradora Fortaleza Ltda. a.a) Flávio Márcio Passos Barreto. José Elanir de Lima. p.p. MCAP Poland Fundo de Investimento em Ações. a) Luiz Alves Paes de Barros. Luiz Alves Paes de Barros. ChristopheYvan François Cadier. José Aloysio Borges. Rubens Barletta. Luiz Gonzaga Ramos Schubert. Flávio Márcio Passos Barreto. Fernando Pinto de Moura. Waldyr de Campos Andrade. GrantThornton Auditores Independentes.a) Rafael Dominguez Barros.Rogério Rey Betti - Conselheiro Fiscal.Esta ata é cópia fiel da original lavrada em livro próprio. José Elanir de Lima - Secretário. Certidão - Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 206.124/13-2, em 29/05/2013.Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

Alfa Holdings S.A. Sociedade Anônima de Capital Aberto CNPJ/MF nº 17.167.396/0001-69 e NIRE 35 3 0002375 7 Ata das Assembleias Gerais Ordinária e Extraordinária Data: 25 de abril de 2013. Horário: 11:00 horas, Assembleia Geral Ordinária e, em seguida, Assembleia Geral Extraordinária. Local: Sede social, Alameda Santos, 466, 1º andar, São Paulo - SP. Presença: 1) acionistas titulares de ações ordinárias representando mais de dois terços do capital social com direito de voto; 2) administradores da Sociedade, representantes do Conselho Fiscal e o Sr. Rafael Dominguez Barros, CRC 1SP208.108-O, representante da Grant Thornton Auditores Independentes. Mesa: Paulo Guilherme Monteiro Lobato Ribeiro - Presidente. ChristopheYvan François Cadier - Secretário. José Elanir de Lima - Secretário. Ordem do Dia: Em Assembleia Geral Ordinária: 1. Examinar, discutir e votar o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras, o Relatório dos Auditores Independentes e o Parecer do Conselho Fiscal, todos relativos ao exercício social encerrado em 31.12.2012;2.deliberar sobre a destinação do lucro líquido do exercício e ratificar as distribuições de juros sobre o capital próprio e dividendos relativas ao 1º e 2º semestres de 2012; 3. fixar a verba máxima destinada à remuneração dos membros da Diretoria e do Conselho de Administração para o exercício de 2013 e 4. se assim deliberado, instalar o Conselho Fiscal, eleger seus membros efetivos e suplentes e fixar suas remunerações.Em Assembleia Geral Extraordinária: Tomar conhecimento e deliberar sobre a Proposta da Diretoria, com pareceres favoráveis do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal, para aumentar o capital social em R$ 20.091.390,00 (vinte milhões, noventa e um mil e trezentos e noventa reais), sem emissão de ações, mediante a capitalização de igual valor a ser retirado da conta “Reserva para Aumento de Capital”, paraeliminarseuexcesso,eaprovaracorrespondentereformaestatutária.Publicações:1.DemonstraçõesFinanceiras,NotasExplicativas, Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes e Parecer do Conselho Fiscal relativos ao exercício social encerrado em 31.12.2012: Diário Oficial do Estado de São Paulo e Diário do Comércio, edições de 14.03.2013; 2. Editais de Convocação: Diário Oficial do Estado de São Paulo e Diário do Comércio, edições de 26.03.2013, 27.03.2013 e 28.03.2013. Leitura de Documentos: Todos os documentos citados acima, incluindo as Publicações, a Proposta da Diretoria e os pareceres favoráveis do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal, foram lidos e colocados sobre a mesa, à disposição dos acionistas. Des tacou-se ainda que, além das publicações nos jornais antes referidos, foi efetuada a publicação tempestiva, por meio dos sítios da Comissão de Valores Mobiliários e do Conglomerado Alfa na Internet, das informações sobre Sociedade exigidas pelas Instruções CVM nºs 480 e 481. DeliberaçõesTomadas em Assembleia Geral Ordinária: Após análise e discussão, os acionistas, com abstenção dos legalmente impedidos, deliberaram por unanimidade: 1. aprovar o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras, o Parecer do Conselho Fiscal e o Relatório dos Auditores Independentes, ficando assim aprovadas as contas dos Administradores relativas ao exercício social encerrado em 31.12.2012; 2.homologar a destinação do lucro líquido do exercício, já refletida nas demonstrações financeiras, sendo (i) R$ 2.620.313,34 (dois milhões, seiscentos e vinte mil, trezentos e treze reais e trinta e quatro centavos) para Reserva Legal;R$ 12.446.488,37 (doze milhões, quatrocentos e quarenta e seis mil, quatrocentos e oitenta e oito reais e trinta e sete centavos) a título de dividendos postergados, para Reserva de Lucros a Realizar, e R$ 454.317,39 (quatrocentos e cinquenta e quatro mil, trezentos e dezessete reais e trinta e nove centavos) referente a Imposto de Renda sobre juros sobre capital próprio e (ii) o saldo remanescente do lucro líquido, de R$ 36.885.147,73 (trinta e seis milhões, oitocentos e oitenta e cinco mil, cento e quarenta e sete reais e setenta e três centavos), acrescido do valor de R$ 677.501,25 (seiscentos e setenta e sete mil, quinhentos e um reais e vinte e cinco centavos) de Lucros Realizados de Exercícios A nteriores à Lei nº 10.303, para Reservas Estatutárias, a saber: R$ 33.806.384,08 (trinta e três milhões, oitocentos e seis mil, trezentos e oitenta e quatro reais e oito centavos) para Reserva para Aumento de Capital e R$ 3.756.264,90 (três milhões, setecentos e cinquenta e seis mil, duzentos e sessenta e quatro reais e noventa centavos) para Reserva Especial para Dividendos; bem como ratificar os pagamentos de dividendos, no montante de R$ 2.510.654,73 (dois milhões, quinhentos e dez mil, seiscentos e cinquenta e quatro reais e setenta e três centavos) e de juros sobre o capital próprio no montante, líquido de imposto de renda, de R$ 2.574.970,75 (dois milhões, quinhentos e setenta e quatro mil, novecentos e setenta reais e setenta e cinco centavos), ambos já distribuídos, relativos ao 1º e 2º semestres de 2012 e imputados ao valor do dividendo obrigatório de 2012; 3. fixar em até R$ 125.000,00 (cento e vinte e cinco mil reais), em média mensal livre do imposto de renda na fonte, a verba máxima para remuneração global do Conselho de Administração e da Diretoria, nos termos do Estatuto Social, cabendo ao Conselho de Administração deliberar sobre a forma de distribuição dessa verba entre os seus membros e os da Diretoria. Essa verba vigorará a partir de Maio de 2013, inclusive, e poderá ser reajustada com base na combinação dos índices IPC-A/IBGE e IGP-M/FGV. Poderá a Sociedade proporcionar, aos seus administradores, transporte individual e, ainda, para alguns, serviços de segurança, a critério do Conselho de Administração; 4. instalar o Conselho Fiscal, considerando que, pelo Estatuto Social, seu funcionamento não é permanente, bem como eleger os seus membros com mandato até a Assembleia Geral Ordinária de 2014. 4.1. O acionista Luiz Alves Paes de Barros, na qualidade de acionista e também de representante de outros titulares de ações preferenciais sem direito a voto, manifestou sua intenção de eleger um Conselheiro, em votação em separado, excluído o acionista controlador, tendo desta forma indicado e eleito, para Membro Efetivo, o Sr. Paulo Caio Ferraz de Sampaio (CPF/MF nº 694.546.208-00 e RG nº 5.312.732 - SSP/SP), brasileiro, casado, engenheiro civil, residente e domiciliado em São Paulo - SP, com endereço comercial na Av. Brigadeiro Faria Lima, 1982, 6º andar - conjunto 603, Pinheiros, e para respectivo Suplente, o Sr. Luiz Henrique Coelho da Rocha (CPF/MF nº 003.233.657-87 - RG nº 6.900.119 - SSP-SP), brasileiro, casado, engenheiro civil, residente e domiciliado em São Paulo - SP, na Rua da Consolação, 3726, apto.141.4.2. Os demais acionistas com direito a voto reelegeram e elegeram então os seguintes Conselheiros, a saber: Membros Efetivos - os Srs. Rubens Barletta (CPF/MF nº 397.909.328-04 - RG nº 3.540.429-SSP-SP), brasileiro, divorciado, advogado, residente e domiciliado em São Paulo (SP), com escritório na Praça Ramos de Azevedo, 209 - 5º andar e Eurico Ferreira Rangel (CPF/MF nº 007.083.219-68 e RG nº 4.464.366 - SSP-SP), brasileiro, casado, consultor, residente e domiciliado em São Paulo (SP), na Avenida Jandira, 870, apto. 91; e como respectivos Suplentes os Srs. Ailton Carlos Canette (CPF/MF nº 287.580.728-53 - RG nº 5.680.643 - SSP-SP), brasileiro, casado, administrador de empresas, residente e domiciliado em São Paulo - SP, na Rua Pintassilgo, 36, Apto.51 - Moema e José Carlos Guimarães (CPF/MF nº 011.093.088-68 - RG nº 2.234.093 - SSP-SP), brasileiro, casado, advogado, residente e domiciliado em São Paulo (SP), na Rua Topázio, 478 - apto. 27, Aclimação.4.3.OsacionistasdeliberaramaindaquecadamembroefetivodoConselhoFiscal,quandoemexercício,receberáaremuneração de R$ 2.400,00 (dois mil e quatrocentos reais) mensais, observado o mínimo previsto em lei e, para cada membro suplente, a remuneração será de R$ 1.600,00 (um mil e seiscentos reais) mensais.4.4.Os membros do Conselho Fiscal ora eleitos não estão incursos em crime algum que vede a exploração de atividade empresarial, nos moldes do Código Civil, artigo 1011 - § 1º.DeliberaçãoTomada em Assembleia Geral Extraordinária:Após análise e discussão, os acionistas, com abstenção dos legalmente impedidos, deliberaram, por unanimidade, aprovar o aumento do capital social em R$ 20.091.390,00 (vinte milhões, noventa e um mil e trezentos e noventa reais), sem emissão de novas ações, elevando-o de R$ 247.555.600,00 (duzentos e quarenta e sete milhões quinhentos e cinquenta e cinco mil e seiscentos reais) para R$ 267.646.990,00 (duzentos e sessenta e sete milhões, seiscentos e quarenta e seis mil e novecentos e noventa reais), mediante a capitalização de igual valor a ser retirado da conta“Reserva para Aumento de Capital”, visando eliminar o excesso a que se refere o parágrafo 3º do artigo 31 do Estatuto Social, tal como indicado na proposta da Diretoria e nos pareceres do Conselho de Administração e do Conselho Fiscal, reformando o“caput”do Artigo 5º do Estatuto Social, que passa a ser assim redigido:“Art.5º - O capital social é de R$ 267.646.990,00 (duzentos e sessenta e sete milhões, seiscentos e quarenta e seis mil e novecentos e noventa reais), dividido em 84.682.269 (oitenta e quatro milhões, seiscentos e oitenta e dois mil, duzentos e sessenta e nove) ações escriturais, sem valor nominal, das quais 46.011.632 (quarenta e seis milhões, onze mil, seiscentos e trinta e duas) ordinárias, 14.313.881 (quatorze milhões, trezentos e treze mil, oitocentos e oitenta e uma) preferenciais classe “A” e 24.356.756 (vinte e quatro milhões, trezentos e cinquenta e seis mil, setecentos e cinquenta e seis) preferenciais classe “B”.” Finalizando os trabalhos, a Assembleia deliberou, por unanimidade, publicar a ata deste conclave, nos termos dos parágrafos primeiro e segundo do artigo 130 da Lei de Sociedades por Ações.Lida e aprovada, vai esta assinada pelos presentes.São Paulo, 25 de abril de 2013. Paulo Guilherme Monteiro Lobato Ribeiro - Presidente da Mesa. Christophe Yvan François Cadier - Secretário. José Elanir de Lima - Secretário.Os Acionistas: Paulo Guilherme Monteiro Lobato Ribeiro.p.p.Administradora Fortaleza Ltda. a.a) Flávio Márcio Passos Barreto. José Elanir de Lima. Rubens Garcia Nunes. p.p. MCAP Poland Fundo de Investimento em Ações. a) Luiz Alves Paes de Barros. Luiz Alves Paes de Barros. José Aloysio Borges. Humberto Mourão de Carvalho. Rubens Barletta. Luiz Gonzaga Ramos Schubert. Flávio Márcio Passos Barreto. Fernando Pinto de Moura. Christophe Yvan François Cadier. Waldyr de Campos Andrade. Grant Thornton Auditores Independentes. a) Rafael Dominguez Barros. Eurico Ferreira Rangel - Conselheiro Fiscal. Esta ata é cópia fiel da original lavrada em livro próprio. José Elanir de Lima - Secretário. Certidão - Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 203.123/13-9, em 29.05.2013. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

VOTORANTIM CIMENTOS S.A. CNPJ/MF n.º 01.637.895/0001-32 - NIRE 35.300.370.554 ATA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 10 DE MAIO DE 2013 Data, hora e local: Realizada no dia 10 de maio de 2013, às 10 horas, na sede da Votorantim Cimentos S.A. (“Companhia”), localizada na Praça Professor José Lannes, n.º 40, 9º Andar, bairro Cidade Monções, na Cidade e Estado de São Paulo. Convocação: Dispensada a convocação em razão da presença da totalidade dos membros do Conselho de Administração da Companhia. Presenças: Presentes todos os membros do Conselho de Administração da Companhia em exercício: Srs. Raul Calfat; José Ermírio de Moraes Neto; Fábio Ermírio de Moraes; João Carvalho de Miranda, Alexandre Silva D´Ambrosio e José Écio Pereira da Costa Júnior. Mesa Diretora: Sr. Raul Calfat – Presidente. Sr. Alexandre Silva D´Ambrosio – Secretário. Ordem do dia: (i) Instalação do Comitê de Auditoria da Companhia (“CAE”); (ii) eleição de membros do CAE; e (iii) aprovação do Regimento Interno do CAE. Deliberações: Após discussão e análise das matérias constantes da ordem do dia, por unanimidade de votos, os membros do Conselho de Administração da Companhia, sem reservas e/ou ressalvas, deliberaram: (i) Instalar o CAE; (ii) Nos termos do artigo 53, caput, do Estatuto Social da Companhia, eleger os seguintes membros do CAE, para mandato de 5 (cinco) anos: (a) José Écio Pereira da Costa Júnior, brasileiro, casado, administrador de empresas e contador, portador da Cédula de Identidade RG nº 4.762.308 – SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 359.920.858-15, residente e domiciliado na Av. República Argentina, 665, conj. 906/907, na Cidade de Curitiba, Estado do Paraná, como Presidente, Coordenador e Especialista Financeiro; (b) Maria Letícia de Freitas Costa, brasileira, solteira, engenheira, portadora da Cédula de Identidade nº 6.057.278-4, expedida pela Secretaria de Segurança Pública de São Paulo (SSP/SP), CPF nº 050.932.788-58, residente e domiciliada na Rua Bueno Brandão, 403, Apto. 91, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo; e (c) Edward Ruiz, norte-americano, casado, administrador de empresas, portador da Cédula de Identidade RNE n° V165183K, inscrito no CPF/MF sob o nº 052.399.217-33, residente e domiciliado na Alameda Itu, 1420, Apto. 91, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo. A composição do CAE atende ao disposto na Instrução da Comissão de Valores Mobiliários nº 308, de 14 de maio de 1999, conforme alterada pela Instrução da Comissão de Valores Mobiliários nº 509, de 16 de novembro de 2011, e seus membros declaram atender aos requisitos previstos no artigo 147 da Lei 6.404, de 15 de dezembro de 1976, conforme alterada. (iii) Nos termos do artigo 54, parágrafo único, do Estatuto Social da Companhia, aprovar o Regimento Interno do CAE, conforme Anexo I à presente Ata. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reunião, lavrando-se a presente ata, a qual foi lida, achada conforme, aprovada e assinada por todos os presentes. Presenças: Raul Calfat – Presidente da Mesa Diretora; e Alexandre Silva D´Ambrosio – Secretário. Conselheiros: Raul Calfat; José Ermírio de Moraes Neto; Fábio Ermírio de Moraes; João Carvalho de Miranda; Alexandre Silva D´Ambrosio e José Écio Pereira da Costa Júnior. São Paulo, 10 de maio de 2013. Certifico que a presente é cópia fiel da ata da Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 10 de maio de 2013 lavrada em livro próprio. Alexandre Silva D´Ambrosio - Secretário. SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA – JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO – CERTIDÃO – Certifico o Registro sob o nº 192.636/13-3 em 24.05.2013 (a) Gisela Simiema Ceschin, Secretária Geral. REQUERIMENTO DE RENOVAÇÃO DE LICENÇA DE OPERAÇÃO Ind. e Com. Eletro Eletrônica Gehaka Ltda. torna público que requereu na CETESB a Renovação de Licença de Operação para Fabricação de Aparelhos e Instrumentos de Medida, Teste e Controle, sita à Av. Duquesa de Goiás, 235 - Real Parque - Cep 05686-900 São Paulo- SP. ABDALLA SAUAIA, comunica a quem interessar possa, bem como ao Banco do Brasil S/A, o extravio dos Certificados de Custódia de Ouro nº 454246, 454247, 454248, 454249, 454250, 454252, 454253, 454382, 454383 e 454384, emitidos pelo Banco do Brasil S/A, de propriedade de Abdalla Sauaia, relativos aos lingotes nº EL 2969, EL 2970, EL 2971, EL 2972, EK 5672, EK5674, EK EK5673, EK 6940, EK 6941 e EK 6942, respectivamente.

ECONOMIA/LEGAIS - 17 CNPJ/MF nº 15.761.916/0001-31 - NIRE 35.226.708.577

VOTORANTIM CIMENTOS S.A. CNPJ/MF nº 01.637.895/0001-32 - NIRE 35300370554 ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA REALIZADA EM 05 DE ABRIL DE 2013. I. DATA, HORA E LOCAL: Realizada no dia 05 de abril de 2013, às 09:00 horas, na sede social da Companhia, localizada na Praça Professor José Lannes, nº 40, 9º Andar, bairro Cidade Monções, na Cidade e Estado de São Paulo. II. PRESENÇA: Acionistas representando a totalidade do capital social votante, conforme assinaturas constantes do Livro de Presença de Acionistas. III. CONVOCAÇÃO: Dispensada em virtude da presença da totalidade dos acionistas. IV. MESA: João Carvalho de Miranda - Presidente - Alexandre Silva D’Ambrosio - Secretário. V. ORDEM DO DIA: aprovar (a) a abertura de capital da Companhia e a submissão de pedido de registro de companhia aberta emissora de valores mobiliários na categoria “A” perante a Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”); (b) a adesão da companhia ao segmento especial de listagem da BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (“BM&FBOVESPA”) designado Nível 2 de Governança Corporativa; (c) a reforma integral do Estatuto Social da Companhia para adequá-lo às regras aplicáveis às companhias de capital aberto e às disposições do Regulamento de Listagem do Nível 2 de Governança Corporativa (“Regulamento do Nível 2”); (d) a conversão de ações ordinárias em ações preferenciais; (e) criação do Conselho de Administração da Companhia e eleição dos seus membros; (f) fixação da remuneração global anual dos administradores; e (g) autorização da realização de oferta pública inicial de ações. VI. DELIBERAÇÕES: Após o exame e discussão das matérias constantes da Ordem do Dia e dos respectivos documentos, os acionistas presentes, por unanimidade, decidiram aprovar, sem qualquer restrição ou ressalva, o quanto segue: (A) Aprovar a abertura de capital da Companhia e a submissão do pedido de registro de companhia aberta na categoria “A” perante a CVM, nos termos da Instrução da CVM nº 480, de 7 de dezembro de 2009, conforme alterada, condicionado à efetiva realização de oferta pública inicial de distribuição de ações, ficando a Diretoria da Companhia autorizada a praticar todos os atos necessários à obtenção do registro, inclusive a celebração de quaisquer documentos e representação da Companhia perante a CVM; (B) Aprovar a adesão da Companhia ao segmento especial de listagem da BM&FBOVESPA designado Nível 2 de Governança Corporativa; (C) Aprovar a reforma integral do Estatuto Social da Companhia a fim de adaptá-lo às regras aplicáveis às companhias de capital aberto e àquelas constantes do Regulamento do Nível 2, na forma da proposta da administração, e conforme o Anexo I a esta ata, que fica arquivado na sede da Companhia; (D) Aprovar a conversão de 100 (cem) ações ordinárias em 100 (cem) ações preferenciais, na proporção de uma ação preferencial para cada ação ordinária, sendo que as ações preferenciais terão os direitos previstos no Estatuto Social ora aprovado; (E) Aprovar a criação do Conselho de Administração da Companhia, que será composto por, no mínimo, 5 (cinco) membros e, no máximo, 9 (nove) membros efetivos e igual número de suplentes, eleitos pela Assembleia Geral, a qual designará um Presidente e um Vice-Presidente, todos com prazo de mandato unificado de 2 (dois) anos, admitida a reeleição. Os Diretores da Companhia serão, a partir desta data, eleitos e destituídos pelo Conselho de Administração, nos termos do Estatuto Social da Companhia. (F) Eleger 05 (cinco) membros efetivos e 05 suplentes para compor o Conselho de Administração da Companhia, com mandato até a Assembleia Geral Ordinária a se realizar em 2015, conforme segue: Membros Efetivos: (1) RAUL CALFAT, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da carteira de identidade RG nº 5.216.686-7 (SSP/SP) e inscrito no CPF/MF sob o nº 635.261.408-63, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Rua Amauri, 255, 10º andar, como Conselheiro efetivo e Presidente do Conselho de Administração; (2) JOÃO CARVALHO DE MIRANDA, brasileiro, casado, economista, portador da carteira de identidade RG nº 05223819-3 (SSP/RJ), inscrito no CPF/MF sob o nº 772.120.887-49, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Rua Amauri, 255, 10º andar, como Conselheiro efetivo e Vice- Presidente do Conselho de Administração; (3) JOSÉ ERMÍRIO DE MORAES NETO, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da carteira de identidade RG nº 4.432.222-7 (SSP/SP) e inscrito no CPF/MF sob o nº 817.568.284-48, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Rua Amauri, 255, 13º andar, como Conselheiro efetivo; (4) FABIO ERMÍRIO DE MORAES, brasileiro, casado, engenheiro, portador da carteira de identidade RG nº 11.418.526-6 (SSP/SP) e inscrito no CPF/MF sob o nº 083.358.948-25, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Rua Amauri, 255, 13º andar, como Conselheiro efetivo; (5) ALEXANDRE SILVA D’AMBRÓSIO, brasileiro, casado, advogado, portador da carteira de identidade RG nº 7.124.595-9 (SSP/SP) e inscrito no CPF/MF sob o nº 042.170.338-50, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Rua Amauri, 255, 13º andar, como Conselheiro efetivo; Suplentes: (1) JOSÉ ROBERTO ERMÍRIO DE MORAES, brasileiro, casado, engenheiro portador da Cédula de Identidade RG nº 4.960.580-4, expedida pela SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 029.080.178-81, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Rua Amauri, 255, 13º andar; (2) CLÁUDIO ERMÍRIO DE MORAES, brasileiro, casado, engenheiro, portador da Cédula de Identidade RG nº 15.340.437-1, expedida pela SSP/SP, inscrito no CPF/ MF sob o nº 116.005.728-12, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Rua Amauri, 255, 13º andar; (3) CLÓVIS ERMÍRIO DE MORAES SCRIPILLITI, brasileiro, casado, empresário, portador da carteira de identidade RG nº 5.584.184-3 (SSP/SP) e inscrito no CPF/MF sob o nº 023.290.828-19, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Rua Amauri, 255, 13º andar; (4) GILBERTO LARA NOGUEIRA, brasileiro, casado, engenheiro, portador da carteira de identidade RG nº 3.862.728-0 e inscrito no CPF/MF sob o nº 386.364.768-87, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Rua Amauri, 255, 13º andar; (5) MÁRIO ANTONIO BERTONCINI, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da carteira de identidade RG nº 14.065.058-1 (SSP/SP) e inscrito no CPF/MF sob o nº 085.771.768-51, com endereço comercial na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, à Rua Amauri, 255, 13º andar; Os Conselheiros ora eleitos declararam, para fins do disposto no §1º do artigo 147 da Lei nº 6.404/76, conforme alterada, não estar incursos em qualquer dos crimes previstos em lei que os impeçam de exercer a atividade mercantil. Os Conselheiros ora eleitos foram investidos nos cargos para os quais foram eleitos mediante assinatura dos respectivos termos de posse, os quais contém a declaração de desimpedimento prevista no artigo 147, § 4º da Lei nº 6.404/76 e na Instrução CVM 367/02. (G) Aprovar a fixação da remuneração global anual dos Administradores, conforme segue: (i) para os administradores da Companhia: remuneração global anual no valor de até R$ 23.566.904,00 (vinte e três milhões, quinhentos e sessenta e seis mil, novecentos e quatro reais). Nos termos do artigo 25, inciso (xi), do Estatuto Social da Companhia, caberá ao Conselho de Administração fixar e ratear as remunerações individuais dos administradores, dentro do limite ora aprovado. (H) Autorizar a realização de oferta pública inicial de ações, cujos termos e condições deverão ser integralmente aprovados pelo Conselho de Administração da Companhia. DOCUMENTOS: Os documentos pertinentes à Ordem do Dia estão arquivados na sede da Companhia e foram colocados à disposição para consulta dos acionistas. VII. ENCERRAMENTO: Nada mais havendo a tratar, encerrou-se a sessão da qual se lavrou a presente ata, que lida e aprovada, segue assinada pelos acionistas presentes. 05 de abril de 2013. (a.a.) João Carvalho de Miranda Presidente; Alexandre Silva D’Ambrosio, Secretário; p. VOTORANTIM INDUSTRIAL S.A.: Alexandre Silva D’Ambrósio e João Carvalho de Miranda, diretores. São Paulo, 05 de abril de 2013. Certifico que a presente é cópia fiel da ata da Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 05 de abril de 2013 e lavrada em livro próprio. João Carvalho de Miranda - Presidente. Alexandre Silva D’Ambrosio - Secretário. SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA – JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO – CERTIDÃO – Certifico o Registro sob o nº 144.615/13-7 em 16.04.2013 (a) Gisela Simiema Ceschin, Secretária Geral.

VOTORANTIM CIMENTOS S.A. CNPJ/MF nº 01.637.895/0001-32 - NIRE 35300370554 ATA DA PRIMEIRA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REALIZADA EM 05 DE ABRIL DE 2013 Data, hora e local: Realizada no dia 05 de abril de 2013, às 11:00 horas, na sede da Companhia, localizada na Praça Professor José Lannes, n.º 40, 9º Andar, bairro Cidade Monções, na Cidade e Estado de São Paulo. Convocação: Dispensada a convocação em razão da presença da totalidade dos membros do Conselho de Administração. Presenças: Presentes todos os membros do Conselho de Administração da Companhia em exercício: Srs. Raul Calfat; José Ermírio de Moraes Neto; Fábio Ermírio de Moraes; João Carvalho de Miranda; e Alexandre Silva D’Ambrosio. Mesa Diretora: Sr. Raul Calfat – Presidente. Sr. João Carvalho de Miranda – Secretário. Ordem do dia: (i) Eleição de membro da Diretoria Estatutária da Companhia; (ii) Aprovação do Regimento Interno do Conselho de Administração; e (iii) Aprovação das seguintes políticas da Companhia: (1) Política de Dividendo, (2) Política de Divulgação e (3) Política de Negociação. Deliberações: Após discussão e análise da matéria constante da ordem do dia, por unanimidade de votos dos Conselheiros, sem reservas e/ou ressalvas, foram tomadas as seguintes deliberações: (i) nos termos do artigo 25, (x), do Estatuto Social da Companhia, foi eleito o seguinte membro da Diretoria Estatutária, com mandato de dois anos: Lorival Nogueira Luz Junior, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da Carteira de Identidade RG nº 22.580.434-7 SSP/SP, e do CPF nº 678.741.266-53, para o cargo de Diretor Vice-Presidente Financeiro e de Relações com Investidores; e com endereço comercial na Praça Professor José Lannes, n.º 40, 9º Andar, bairro Cidade Monções, na Cidade e Estado de São Paulo. O Diretor Estatutário ora eleito declara, sob as penas da lei, não estar incurso em nenhum dos crimes previstos em lei que o impeça de exercer atividades mercantis e que cumpre com todos os requisitos previstos no art. 147, da Lei nº 6.404/76, conforme alterada, e na Instrução CVM nº 367/02 para a sua investidura como membro da Diretoria Estatutária da Companhia. O Diretor toma posse em seu cargo, nesta data, mediante assinatura do respectivo Termo de Posse lavrado no Livro de Atas de Reuniões da Diretoria Estatutária da Companhia, o qual contém a Declaração a que se refere à Instrução CVM nº 367/02. (ii) Pelo presente instrumento, renunciam, como de fato renunciado tem, dos cargos de Diretores os Srs. Marcelo Chamma e Mário Luiz Franceschi Fontoura. Desta forma, fica a atual diretoria assim composta: Paulo Henrique de Oliveira Santos, brasileiro, casado, engenheiro, portador da Cédula de Identidade RG nº 7.746.455 – SSP/ SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 034.880428-80, como Diretor Presidente, Lorival Nogueira Luz Júnior, acima qualificado, como Diretor Vice-Presidente Financeiro e de Relações com Investidores; Luiz Alberto de Castro Santos, brasileiro, casado, engenheiro, portador da Cédula de Identidade RG nº 4.447.247-SSP/SP e do CPF nº 213.852.898-72, como Diretor Vice Presidente para a América Latina e Coligadas, e Edvaldo Araújo Rabelo, brasileiro, casado, engenheiro, portador da Cédula de Identidade RG nº 758.495-MG e do CPF nº 473.360.216-20, como Diretor sem designação específica. (iii) Aprovar o Regimento Interno do Conselho de Administração, conforme constante do Anexo I à presente ata. (iv) Declarar que o Comitê de Auditoria Estatutário – CAE, criado nos termos do Estatuto Social aprovado nesta data pela Assembleia Geral Extraordinária, será instalado oportunamente, juntamente com a aprovação do seu Regimento Interno e da eleição de seus membros. (v) Aprovar as seguintes políticas da Companhia: (1) Política de Dividendo, conforme constante do anexo II à presente ata; (2) Política de Divulgação, conforme constante do Anexo III à presente ata, e (3) Política de Negociação, conforme constante do Anexo IV à presente ata. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reunião, lavrando-se a presente ata, a qual foi lida, achada conforme, aprovada e assinada por todos os presentes. Presenças: Raul Calfat – Presidente do Conselho de Administração e da Mesa Diretora; e João Carvalho de Miranda – Secretário. Conselheiros: Raul Calfat; José Ermírio de Moraes Neto; Fábio Ermírio de Moraes; João Carvalho de Miranda; e Alexandre Silva D’Ambrosio. São Paulo, 05 de abril de 2013. Certifico que a presente é cópia fiel da ata da Primeira Reunião do Conselho de Administração da Companhia realizada em 05 de abril de 2013 lavrada em livro próprio. Raul Calfat - Presidente. João Carvalho de Miranda - Secretário. SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA – JUNTA COMERCIAL DO ESTADO DE SÃO PAULO – CERTIDÃO – Certifico o Registro sob o nº 194.749/13-7 em 24.05.2013 (a) Gisela Simiema Ceschin, Secretária Geral.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: CREDENCIAMENTO Nº 54/00361/12/07 A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO – FDE, por seu Presidente, comunica que, durante o prazo de 30 (trinta) dias úteis, contados a partir da publicação deste edital, se encontra aberto o processo para Credenciamento de Companhias ou Grupos de Teatro visando à apresentação de Peças de Teatro de Classificação Livre em escolas da Rede Estadual de Ensino de São Paulo – Projeto Teatro em Família. As instituições interessadas poderão obter informações e verificar o Edital e o respectivo Projeto Básico na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Avenida São Luís nº 99, República, São Paulo – SP, CEP 01046-001 ou através da Internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a este credenciamento deverá ser entregue no horário de expediente da FDE, das 08:30 às 17:00 horas. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o Edital completo através de CD-ROM a partir de 11/06/2013, na SEDE DA FDE, de segunda à sexta-feira, dentro do horário de expediente, mediante pagamento não reembolsável de R$ 50,00 (cinquenta reais). Os invólucros contendo a DOCUMENTAÇÃO DE HABILITAÇÃO deverão ser entregues na SEDE DA FDE, até 60 minutos antes da respectiva abertura, que se dará às 10:30 horas do dia 25/07/2013. O presente credenciamento será processado, no que couber, em conformidade com a Lei Federal nº 8.666 de 21 de junho de 1993, Lei Federal nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998 (Lei de Direitos Autorais), na Lei Estadual nº 6.544, de 22 de novembro de 1989, e alterações posteriores, Lei Estadual nº 12.268, de 20 de fevereiro de 2006 e em conformidade com as condições e exigências estabelecidas neste Edital e seus anexos. BARJAS NEGRI Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

em Sociedade por Ações, com Adoção da Denominação “A3NP Indústria e Comércio de Móveis S.A.”. A Reunião de Sócios da A3NP Indústria e Comércio de Móveis Ltda., instalada com a presença de sócios representando a totalidade do capital social, independentemente de convocação, presidida pelo Sr. Mário Roberto Villanova Nogueira e secretariada pela Sra. Maria Lúcia de Almeida Prado e Silva, realizou-se às 10:00 horas do dia 26 de março de 2013, na sede social, Rua Iguatemi 192, Cj. 174, Itaim Bibi, em São Paulo, Estado de São Paulo na conformidade da Ordem do Dia, foi deliberado, por unanimidade de votos: (a) aprovar a transformação da A3NP Indústria e Comércio de Móveis Ltda. em uma sociedade anônima, com a adoção da denominação “A3NP Indústria e Comércio de Móveis S.A.”; de novo endereço nesta mesma cidade, na Rua Iguatemi, 192, Cj. 174, Parte B, Itaim Bibi, CEP 01451-010, e o seguinte objeto social: (i) o comércio, a importação e exportação de móveis, peças e armações de acrílico, plástico, polipropileno, policarbonato, copolimero de polietileno termoplástico, ligas metálicas de alumínio extrudado e fundido, madeira maciça e outros materiais, para uso doméstico, industrial e comercial, bem como de artefatos decorativos de plástico, acrílico e outros materiais, utensílios funcionais em geral vestuário em geral, bem como mobiliário solto, tais como sofás e cadeiras, (ii) prestação de serviços de instalação, montagem, locação e decoração, por conta própria ou de terceiros, (iii) representação comercial por conta própria ou de terceiros, bem como serviços de cadastramento e levantamento de dados, (iv) a importação de máquinas industriais, seus acessórios, partes e componentes, bem como equipamentos, ferramentas especiais e aparelhos relacionados com o objeto social da Companhia, (v) a participação em outras empresas, na qualidade de sócia, quotista ou acionista, com ou sem controle acionário. O capital social totalmente integralizado de R$ 500,00 (quinhentos reais), dividido em 500 (quinhentas) quotas, do valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada uma, passará a ser dividido, considerando a proporção de 1:100.13, em 50.065 (cinquenta mil e sessenta cinco) ações, sendo 36.857 (trinta e seis mil, oitocentas e cinquenta e sete) ações ordinárias nominativas e 13.208 (treze mil, duzentas e oito) ações preferenciais nominativas sem valor nominal, as quais serão distribuídas entre os atuais sócios conforme as frações definidas entre eles, de forma que esses passem a deter na sociedade anônima a mesma participação percentual que atualmente possuem na sociedade limitada a saber (i) 47.762 (quarenta e sete mil, setecentas e sessenta e duas ações), sendo 35.176 (trinta e cinco mil, cento e setenta e seis) ações ordinárias e 12.586 (doze mil, quinhentas e oitenta e seis) ações preferenciais, representando 95,4% (noventa e cinco vírgula quatro por cento) do capital social da Companhia, à acionista PHS General Design Services B.V.; e (ii) 2.303 (duas mil, trezentas e três) ações, sendo 1.681 (mil seiscentas e oitenta e uma) ações ordinárias e 622 (seiscentas e vinte e duas) ações preferenciais, representando 4,6% (quatro vírgula seis por cento) do capital social total da Companhia, ao acionista Philippe Ouakrat; (b) em vista da deliberação acima, adotar o Estatuto Social da Companhia anexo à presente como Documento I que, autenticado pela Mesa, passa doravante a reger todos os direitos e obrigações das partes e da companhia perante terceiros; (c) declarar formalmente concretizada a transformação da sociedade em uma sociedade anônima, a qual, para todos os propósitos legais, será uma continuação da sociedade limitada sem a interrupção de sua existência legal; (d) eleger para a Diretoria da Companhia, para um mandato que se estenderá até a Assembléia Geral Ordinária que vier a deliberar sobre as contas do exercício social a se encerrar em 31 de dezembro de 2015, os Srs. André Roberto Vasconcellos Reis de Souza, brasileiro, casado, economista, residente e domiciliado em São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Prof. Vahia de Abreu, 383, apartamento 73, Vila Olímpia, CEP 04549-002, portador da Carteira de Identidade RG nº 04.765.812-5 DIC/RJ e inscrito no CPF/MF sob o nº 778.578.367-53, para ocupar o cargo de Diretor Presidente, e Rodrigo Geraldi Arruy, brasileiro, casado, engenheiro civil, residente e domiciliado em São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Pedroso Alvarenga, 771, apartamento 101, Itaim Bibi, CEP 04531-002, portador da Carteira de Identidade RG nº 18.890.147 SSP/SP e inscrito no CPF/MF sob o nº 250.333.968-97, para ocupar o cargo de Diretor, sem designação específica; (e) fixar para a Diretoria uma remuneração anual e global de até R$ 12.000,00 (doze mil reais), a qual será distribuída entre seus membros, conforme vier a ser decidido em reunião própria; e (f) não instalar o Conselho Fiscal para o presente exercício social. Os termos desta ata foram aprovados pelas sócias presentes, que a subscrevem. São Paulo, 26 de março de 2013. (aa) Mário Roberto Villanova Nogueira - Presidente da Mesa: Maria Lúcia de Almeida Prado e Silva, Secretária da Mesa. p.p. PHS General Design Services B.V. - Maria Lúcia de Almeida Prado e Silva; e p.p. Philippe Ouakrat. - Maria Lúcia de Almeida Prado e Silva. Confere com o original: Mário Roberto Villanova Nogueira - Presidente da Mesa; Maria Lúcia de Almeida Prado e Silva - Secretária da Mesa. Visto do Advogado: Carolina Taunay Joop - OAB/SP 313.843. JUCESP nº 174.261/13-5 e NIRE 3530045282-8 em 08/05/2013. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral. Documento I - Autenticação da Mesa da Reunião das Sócias realizada em 26 de março de 2013. Mário Roberto Villanova Nogueira - Presidente da Mesa; Maria Lúcia de Almeida Prado e Silva - Secretária da Mesa. “Estatuto Social da A3NP Indústria e Comércio de Móveis S.A. - Capítulo I - Denominação, Sede, Objeto e Duração - Artigo 1º - A Companhia denomina-se A3NP Indústria e Comércio de Móveis S.A., sendo regida pelo presente Estatuto Social, pela Lei nº 6.404, de 15/12/1976, conforme alterada (“Lei das S.A.”), e pelas disposições legais que lhe forem aplicáveis. Parágrafo 1º - Os acionistas e os administradores da Companhia respeitarão os termos e condições de todo e qualquer Acordo de Acionistas que venha a ser arquivado na sede da Companhia. Artigo 2º - A Companhia tem sede e foro jurídico na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Rua Iguatemi, 192, Cj. 174, Parte B, Itaim Bibi, CEP 01451-010. Parágrafo Único - A Companhia poderá, por deliberação da Diretoria, abrir, transferir e/ou encerrar filiais, em qualquer parte do território nacional ou no exterior. Artigo 3º - A Companhia tem por objeto social: (a) O comércio, a importação e exportação de móveis, peças e armações de acrílico, plástico, polipropileno, policarbonato, copolímero de polietileno termoplástico, ligas metálicas de alumínio extrudado e fundido, madeira maciça e outros materiais, para uso doméstico, industrial e comercial, bem como de artefatos decorativos de plástico, acrílico e outros materiais, utensílios funcionais em geral, vestuário em geral, bem como mobiliário solto, tais como sofás e cadeiras; (b) Prestação de serviços de instalação, montagem, locação e decoração, por conta própria ou de terceiras; (c) Representação comercial por conta própria ou de terceiros, bem como serviços de cadastramento e levantamento de dados; (d) A importação de máquinas industriais, seus acessórios, partes e componentes, bem como equipamentos, ferramentas especiais e aparelhos relacionados com o objeto social da Companhia; (e) Participação em outras empresas, na qualidade de sócia, quotista ou acionista com ou sem controle acionário. Artigo 4º - A Companhia tem prazo de duração indeterminado. Capítulo II - Capital Social e Ações - Artigo 5º - O capital social da Companhia, totalmente subscrito e integralizado, é de R$ 500,00 (quinhentos reais), dividido em 500 (quinhentas) ações ordinárias, todas nominativas e sem valor nominal. Parágrafo 1º - As ações representativas do capital social são indivisíveis em relação à Companhia. Parágrafo 2º - Cada ação ordinária confere ao seu titular um voto nas Assembleias Gerais. Parágrafo 3º - As ações são nominativas e sua propriedade será presumida pela anotação nos livros sociais competentes. Mediante solicitação de acionista neste sentido, serão emitidos títulos ou certificados representativos de ações assinados pelo Diretor Presidente. Parágrafo 4º As ações de emissão da Companhia não poderão ser gravadas com ônus, caucionadas, oferecidas em garantia, cedidas, penhoradas, transferidas ou de qualquer forma dispostas, exceto se mediante estrita observância do Acordo de Acionista arquivado na sede social da Companhia. Parágrafo 5º - As ações preferenciais emitidas pela Companhia não conferirão direito de voto a seus titulares, mas ser-lhes-á assegurada prioridade no reembolso do capital, sem prêmio, em caso de liquidação da Companhia e igualdade de direitos econômicos com as ações ordinárias. Parágrafo 6º - As emissões de ações, bônus de subscrição e debêntures conversíveis em ações, deverão ser aprovadas pela Assembléia Geral. Artigo 6º - A Companhia poderá, nos aumentos de capital, emitir ações ordinárias e/ou ações preferenciais sem guardar proporção entre as ações de cada espécie, desde que a emissão de novas ações preferenciais observe o limite máximo de 50% (cinquenta por cento) do total das ações emitidas pela Companhia, de acordo com o disposto no artigo 15, paragrafo 2º, da Lei das S.A., bem como o disposto no Acordo de Acionistas arquivado na sede social da Companhia. Artigo 7º - As emissões de ações, bônus de subscrição e debêntures conversíveis em ações, deverão ser aprovadas pela Assembléia Geral. Capítulo III - Administração e Representação - Seção I - Disposições Gerais - Capítulo IV - Administração - Artigo 8º - A Companhia é administrada por uma Diretoria, conforme disposto na Lei das S.A. e no presente Estatuto Social. Parágrafo 1º - A investidura dos administradores da Companhia nos seus cargos far-se-á pela assinatura de termo de posse lavrado em livro próprio. Parágrafo 2º - Os administradores da Companhia permanecerão em seus cargos até a posse de seus substitutos, exceto se de outra forma for deliberado pela Assembleia Geral de Acionistas. Parágrafo 3º - A Assembleia Geral fixará um limite de remuneração global anual para distribuição entre os administradores da Companhia, e caberá a Diretoria, em reunião própria deliberar sobre a remuneração individual dos administradores. Seção II - Diretoria Artigo 9 - A Diretoria será composta de no mínimo 2 (dois) e no máximo 3 (três) membros conforme determinado pela Assembleia Geral de Acionistas. Os membros da Diretoria serão eleitos pela Assembleia Geral de Acionistas, que fixará suas atribuições, sendo um designado Diretor Presidente e os demais Diretores sem designação específica. Parágrafo 1º - Os Diretores terão mandato de 2 (dois) anos, sendo permitida a reeleição. Parágrafo 2º - Compete ao Diretor Presidente da Companhia superintender as atividades da administração da Companhia, coordenando e supervisionando as atividades dos membros da Diretoria, bem como executar e fazer executar este Estatuto Social e as deliberações da Assembleia Geral e da Diretoria. Compete aos Diretores sem designação específica as atribuições e a representação ativa e passiva da Companhia na forma deste Estatuto Social e a assessoria ao Diretor Presidente na condução dos negócios sociais. Artigo 10 - Em caso de vacância na Diretoria, a Assembleia Geral de Acionistas deverá eleger um substituto do respectivo membro afastado. Artigo 11 - Todos os atos e documentos que envolverem qualquer responsabilidade ou obrigação por parte da Companhia, tais como títulos e escrituras de qualquer tipo, cheques, notas promissórias, letras de câmbio, ordens de pagamento, instrumentos que representem débitos em geral, contratos, incluindo qualquer contrato de empréstimo e quaisquer outros documentos não especificados no presente Artigo, observado o disposto no Acordo de Acionistas, deverá ter a assinatura de: (a) 2 (dois) Diretores em conjunto; (b) 1 (um) Diretor e 1 (um) procurador, em conjunto, devendo o procurador agir em concordância com poderes específicos e com os limites estabelecidos na respectiva procuração; ou (c) 2 (dois) procuradores, em conjunto, que deverão agir em concordância com poderes específicos e com os limites estabelecidos nas respectivas procurações. Parágrafo 1º - As procurações outorgadas pela Companhia deverão ser sempre assinadas por 2 (dois) Diretores, sendo um deles necessariamente o Diretor Presidente, e deverão especificar detalhadamente os poderes outorgados e terão prazo de validade não superior a 2 (dois) anos exceto as procurações contendo cláusula “ad judicia” as quais poderão ter prazo indeterminado. Parágrafo 2º - Os atos ordinários de administração poderão ser praticados separadamente por qualquer Diretor, independentemente das formalidades previstas no caput deste Artigo. São considerados atos dessa natureza: (i) a assinatura de correspondência; (ii) o endosso de cheques para depósito na conta da Companhia; (iii) o endosso de obrigações a serem recebidas para fins de cobrança bancária; (iv) assuntos de rotina perante órgãos públicos federais, estaduais e municipais, autarquias e sociedades de economia mista incluindo, mas não se limitando, ao Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS), Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), administrado pela Caixa Econômica Federal, Secretaria da Receita Federal, Secretarias das Fazendas Estaduais e Municipais, Juntas Comerciais, Instituto Nacional de Propriedade Industrial, Banco Central do Brasil, Secex, Decex, Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis - Ibama. Artigo 12 - A Diretoria poderá se reunir para decidir sobre qualquer assunto de sua competência mediante convocação do Diretor Presidente ou por solicitação de qualquer outro Diretor, aplicando-se, mutatis mutandis, as regras previstas no artigo 10 deste Estatuto Social. Parágrafo 1º - As deliberações da Diretoria serão tomadas por maioria de votos, respeitado o disposto no Acordo de Acionistas arquivado na sede social da Companhia. Artigo 13 As Assembleias Gerais serão realizadas ordinariamente uma vez por ano, nos quatro primeiros meses seguintes ao término do exercício social, conforme disposto na Lei das S.A. a fim de (a) tomar as contas dos administradores, relacionadas ao exercício social; (b) examinar, discutir e votar as demonstrações financeiras; (c) deliberar sobre a destinação do lucro líquido do exercício e a distribuição de dividendos; e (d) eleger os membros da Administração quando aplicável. Artigo 14 - As Assembleias Gerais serão realizadas extraordinariamente sempre que convocadas pela Diretoria, nos termos deste Estatuto Social, ou pelos acionistas, conforme previsto na Lei das S.A., e deverá deliberar, entre outras matérias, sobre: (a) quaisquer alterações ao estatuto social; (b) emissão de ações, bônus de subscrição ou valores mobiliários conversíveis em ações, criação de novas classes ou espécies de ações, alteração nos direitos, preferências, vantagens e condições de resgate ou amortização das ações; (c) o resgate ou amortização de ações pela Companhia, os termos e condições da respectiva operação, incluindo, sem limitação, o respectivo valor a ser pago, observados os parâmetros definidos em lei; (d) transformação da Companhia em outro tipo societário; (e) qualquer operação de fusão, cisão ou incorporação, inclusive de ações, ou outra operação com efeitos similares, incluindo, sem limitação, qualquer forma de reorganização societária envolvendo a Companhia ou qualquer de seus respectivos ativos (incluindo-se drop down) ou a absorção do acervo resultante de qualquer sociedade pela Companhia; (f) a participação em grupo de sociedades, a dissolução, liquidação e extinção da Companhia, eleição dos liquidantes, julgamento de suas contas, bem como cessação do estado de liquidação da Companhia; (g) autorização aos administradores para confessar falência ou requerer recuperação judicial ou extrajudicial da Companhia; (h) suspensão do exercício dos direitos de acionista, observado o disposto no artigo 120 da Lei das S.A.; (i) aprovação da política de reinvestimentos da Companhia, da proposta da administração de destinação do lucro da Companhia, da declaração e fixação das condições de pagamento de quaisquer proventos aos acionistas pela Companhia, da constituição de reservas de capital ou lucros pela Companhia, em consonância com o disposto no Plano de Negócios e no Acordo de Acionistas; e (j) a adoção, estabelecimento, alteração ou modificação de qualquer plano, programa, contrato ou acordo de benefício para funcionários ou da Diretoria da Companhia, que envolvam de qualquer forma, direitos relacionados ao recebimento de lucros e/ou ações de emissão da Companhia por tais funcionários ou Diretores, incluindo, mas não se limitando, a opções de compra de ações de emissão da Companhia. Artigo 15 A Assembleia Geral será presidida pelo Diretor Presidente, o qual indicará o secretário. Parágrafo 1º - Com exceção das disposições previstas em lei, e observadas as disposições do Acordo de Acionistas arquivado na sede social da Companhia, as Assembleias Gerais serão instaladas, em primeira convocação, com a presença de acionistas que representem, no mínimo, a maioria do capital social com direito a voto. Em segunda convocação, as Assembleias Gerais serão instaladas com a presença de acionistas detentores de qualquer número de ações. Parágrafo 2º - Com exceção das disposições previstas em lei, e observadas as disposições do Acordo de Acionistas arquivado na sede social da Companhia, as deliberações das Assembleias Gerais serão tomadas com a presença de acionistas detentores de, no mínimo, metade das ações com direito a voto. Capítulo V - Conselho Fiscal - Artigo 16 - O Conselho Fiscal, obedecidas as disposições legais, não tem funcionamento permanente e deverá ser instalado por solicitação dos acionistas, conforme previsto em lei. Parágrafo 1º - O Conselho Fiscal, quando instalado, deverá ser composto por 3 (três) a 5 (cinco) membros efetivos e igual número de suplentas, acionistas ou não, eleitos em Assembleia Geral, observadas as disposições da Lei das S.A. Parágrafo 2º - O mandato dos membros do Conselho Fiscal terminará na Assembleia Geral Ordinária seguinte à sua instalação. Parágrafo 3º - A remuneração dos membros do Conselho Fiscal deverá ser fixada pela Assembleia Geral que os eleger, observado o mínimo previsto em lei. Capítulo VI Exercício Social - Artigo 17 - O exercício social terá início em 1º de janeiro, encerrando-se em 31 de dezembro de cada ano. No encerramento de cada exercício social, serão levantadas as demonstrações financeiras da Companhia, observadas as disposições legais aplicáveis. Parágrafo 1º - Do lucro líquido apurado no exercício será deduzida a parcela de 5% (cinco por cento) para a constituição da reserva legal, que não excederá a 20% (vinte por cento) do capital social. Parágrafo 2º - Os acionistas terão direito a um di videndo mínimo obrigatório anual não cumulativo de pelo menos 25% (vinte e cinco por cento) do lucro líquido do exercício nos termos do art. 202 da Lei das S.A. Parágrafo 3º - O saldo remanescente, após atendidas as disposições legais, terá a destinação determinada pela Assembleia Geral, observada a legislação aplicável e o Acordo de Acionistas. Artigo 18 - Observada a destinação prevista no artigo acima, a Companhia poderá, por deliberação da Assembleia Geral ou da Diretoria, distribuir dividendos intermediários à conta de reserva de lucros existentes nos últimos balanços anuais, ou ainda, distribuir dividendos com base em balanços intercalares levantados em períodos menores, inclusive mensalmente nos termos do artigo 204, parágrafos 1º e 2º da Lei das S.A. Artigo 19 - Observadas as disposições legais pertinentes, a Companhia poderá pagar a seus acionistas, por deliberação da Assembleia Geral, juros sobre o capital próprio, os quais poderão ser imputados ao dividendo mínimo obrigatório, na forma da lei. Capítulo VII - Liquidação e Dissolução - Artigo 20 A Companhia será dissolvida e liquidada pos casos previstos em lei ou mediante decisão de seus acionistas em Assembleia Geral. Parágrafo Único - A Assembleia Geral estabelecerá as condições da liquidação, nomeará o liquidante que atuará durante o período de liquidação e, opcionalmente, os membros do Conselho Fiscal que deverão atuar no período de liquidação, fixando-lhes a remuneração. Capítulo VIII - Disposições Gerais - Artigo 21 - O presente Estatuto Social será regido e interpretado de acordo com as Leis da República Federativa do Brasil e quaisquer litígios ou controvérsias decorrentes de ou relativos a este Estatuto Social deverão ser submetidos à arbitragem, nos termos da Lei nº 9.307/96, e do Regulamento do Centro de Mediação e Arbitragem da Câmara de Comércio Brasil-Canadá (“CCBC”). Parágrafo 1º - O procedimento será conduzido em inglês, por 3 (três) árbitros, sendo que cada uma das partes poderá nomear um dos árbitros, de acordo com os procedimentos estabelecidos no Regulamento da CCBC, e os árbitros eleitos nomearão, em conjunto, o terceiro árbitro, que assumirá o papel de presidente dos árbitros. Parágrafo 2º - Os custos relativos ao procedimento de arbitragem serão arcados pelas partes envolvidas, nos termos do Regulamento da CCBC, sendo certo que ao término do procedimento arbitral a parte perdedora deverá ressarcir a parte vencedora de todas as custas e honorários envolvidos no procedimento. Parágrafo 3º - A arbitragem será conduzida na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, onde a sentença arbitral será proferida. Caso as partes precisem acionar o judiciário antes da instalação do procedimento arbitral as partes elegem o foro da Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo.”

Agropecuária Ibiubá S.A. CNPJ/MF nº 14.240.027/0001-66 – NIRE 35.300.419.073 Ata de AGE Realizada em 22 de maio de 2013 No dia 22/5/13, às 10hs, na sede.Presidente:Marcos do Amaral Mesquita,Secretário:GuilhermeWhitaker de Lima Silva.As convocações foram publicadas no DOESP nos dias 04,07 e 08/05/2013;e no jornal Diário do Comércio nos dias 04,05 e 06, 07 e 08/05/2013, conforme o disposto no art.124 da Lei 6.404/76.Ordem do Dia:(i) proposta de grupamento das ações em que se divide o Capital Social da Cia.na proporção de 1.000ações para 1 ação da mesma classe e espécie;(ii) se aprovado o grupamento, a aquisição, pela controladora da Cia., Itaiquara Alimentos S.A., de eventuais frações resultantes do grupamento de ações ;(iii)se aprovado o grupamento , o preço de aquisição será pago aos acionistas minoritários pelas frações resultantes do grupamento de ações;(iv) se aprovado o grupamento, a consequente alteração do artigo 5º do Estatuto Social da Cia.; (v) autorização dos administradores da Cia. a praticarem todos os atos necessários aos atos aprovados; (vi) retificação da ata da AGE de 22/5/12 para alteração dos acionistas presentes e (vii) outros interesses de assunto geral. Deliberações: Dando início aos trabalhos, com relação ao item (i) da ordem do dia, os acionistas deliberaram aprovar, por unanimidade, o grupamento das ações em que se divide o Capital Social da Cia., na proporção de 1.000 ações para 1ação da mesma classe e espécie, passando o capital social, no valor de R$130.081,89 a ser dividido em 130 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal. Quanto ao item (ii) da ordem do dia, em razão do grupamento de ações, os acionistas deliberaram, também por unanimidade, que a aquisição das frações resultantes do grupamento de ações, será feita pela acionista controladora Itaiquara Alimentos S.A.. Passando ao item(iii) da ordem do dia, os acionistas decidiram que o preço de aquisição, a ser pago, pela Itaiquara Alimentos S.A., aos acionistas minoritários, pelas frações resultantes do grupamento de ações, será calculado de acordo com o valor patrimonial dessas frações, com base no balanço patrimonial da Cia.do exercício findo em 31/12/12, e será colocado a disposição dos acionistas fracionários na sede da Cia., pelo prazo de 30 dias contados da publicação desta ata, pela acionista controladora Itaiquara Alimentos S.A., a qual incorpora todas as frações de ação ao seu lote. Caso os valores das frações de ações não sejam retirados pelos acionistas no período indicado, os mesmos serão mantidos em conta especialmente constituída pela Itaiquara Alimentos S.A., para reembolso dos titulares das frações, pelo prazo legal. No tocante ao item (iv) da ordem do dia, os acionistas deliberaram alterar o art. 5º do Estatuto Social da Cia., para informar a nova quantidade de ações, passando o mesmo a vigorar com o seguinte texto: “Art. 5º-O capital social, totalmente subscrito e integralizado, no valor de R$130.081,89, é dividido em 130 ações ordinárias, todas nominativas e sem valor nominal.” Quanto ao item (v), os acionistas autorizaram os administradores a praticar todos os atos necessários à efetivação do grupamento de ações e dos demais atos aprovados nesta assembléia, com relação ao item (vi) os acionistas nesta data decidiram retificar a ata da AGE realizada em 22/5/12, para constar que nela estavam presentes os acionistas Itaiquara Alimentos S.A., Agro Pecuária Vale do Rio Grande S.A. e Cia Agro Pastoril do Rio Grande e não Usina Açucareira Passos S.A. como constou. Nada mais. a)Marcos do Amaral Mesquita-Pres. da Assembléia, b)Guilherme Whitaker de Lima Silva-Secr. da Assembléia; Acionistas Presentes: Itaiquara Alimentos S.A.-João Guilherme Figueiredo Whitaker- Dir. Presidente, Agro Pecuária Vale do Rio Grande S.A.-Marcos do Amaral Mesquita-Dir. Presidente e Cia Agro Pastoril do Rio Grande-Guilherme Whitaker de Lima Silva-Dir. Superintendente. Marcos do Amaral Mesquita-Pres. da Assembléia. Jucesp nº 10.170/13-0 em 04/06/2013. Gisela S. Ceschin-Secr. Geral.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: COMUNICADO Comunicamos que a sessão de processamento do Pregão Eletrônico de Registro de Preços nº 36/00365/13/05 Objeto: ATA DE REGISTRO DE PREÇOS PARA O FORNECIMENTO COM INSTALAÇÃO DE MOBILIÁRIO ADMINISTRATIVO, que ocorreria em 10/06/2013 às 10:00 h, foi suspensa para alteração no edital.

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico de Registro de Preços nº 36/00742/13/05 OBJETO: AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS DE LABORATÓRIO LQ-12 - DISPOSITIVO ELETROLÍTICO COM TRIPÉ. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Aquisição de Equipamentos de Laboratório LQ-12 - Dispositivo Eletrolítico com Tripé. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 11/06/2013, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 24/06/2013, às 09:30 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 11/06/2013, até o momento anterior ao início da sessão pública. BARJAS NEGRI Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: COMUNICADO Comunicamos que a sessão de processamento do Pregão Eletrônico nº 56/00005/13/05 - Objeto: AQUISIÇÃO DE LICENÇAS DE USO E MANUTENÇÃO DE LICENÇAS DE COMPUTADOR ATRAVÉS DO MICROSOFT SCHOOL AGREEMENT SUBSCRIPTION PELO PERÍODO DE 36 (TRINTA E SEIS) MESES, que ocorreria em 18/06/2013, às 09:30 h, foi suspensa para alteração no edital.

Opinião S/A CNPJ 03.729.970/0001-10 - NIRE 35.300.196.392 Edital de Convocação - AGO e AGE Ficam convocados os acionistas a se reunirem em AGO e AGE a ser realizada às 10hs do dia 20.06.13, na sede social, para deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: AGO: a) exame das demonstrações financeiras do exercício findo em 31.12.12, b) destinação dos resultados, c) instalação do conselho fiscal e d) fixar o valor da remuneração da Diretoria para o exercício de 2013; AGE: I) alteração da denominação social, II) alteração dos dividendos fixos das ações preferenciais e III) outros assuntos de interesse social. São Paulo, 07.06.2013. A Diretoria (08, 11 e 12/06/2013).


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

terça-feira, 11 de junho de 2013

e JBS, líder também em carne de frango. A Seara Brasil acrescentará ao faturamento anual da JBS cerca de R$ 10 bilhões.

conomia

Maior processadora de carne bovina adquire a Seara por R$ 5,85 bilhões por meio de transferência de dívidas da Marfrig para a JBS.

A

JBS, maior do mundo em processamento de carnes, assumirá a liderança global no mercado de aves após a compra da Seara Brasil, do grupo Marfrig, por R$ 5,85 bilhões, em negócio anunciado ontem. O acordo firmado entre as companhias prevê que o montante seja pago por transferência de dívidas da Marfrig para a JBS. "Isso nos coloca como a segunda empresa brasileira em alimentos processados e na liderança global no setor de aves", disse o presidente da JBS, Wesley Batista, em conferência a jornalistas. A JBS, que tem operações em aves nos Estados Unidos, México, Porto Rico e no Brasil, via Frangosul e Seara, passará a ter uma capacidade de abate diário de 12 milhões de aves. A JBS adquiriu a Pilgrim's Pride, líder em aves nos Estados Unidos, em 2009. A Seara Brasil acrescentará ao faturamento anual da JBS cerca de R$ 10 bilhões. Com o negócio comprado da Marfrig, o faturamento anualizado da JBS deverá se aproximar de R$ 100 bilhões. No ano passado, a JBS obteve receita de quase R$ 75 bilhões. A JBS entrou no segmento de aves no Brasil em meados de 2012, com o arrendamento de ativos da Doux Frangosul no Brasil. "O negócio com a Frangosul era um sinal da nossa intenção de crescer em aves, suínos e processados... É um movimento estratégico para o grupo de ampliar nossa participação em segmentos

Não podemos ser cobrados em seis anos sobre o que não fizeram em 30. MIRIAM BELCHIOR, MINISTRA.

Werther Santana/Estadão Conteúdo

Leilão do pré-sal rende R$ 10 bilhões

O

A partir da esq.: Rial, da Seara, Batista, da JBS e Tommazor, da JBS Aves: criam segunda empresa brasileira em alimentos processados. de alto valor agregado e, logicamente, das nossas margens", disse Batista. Os ativos da Seara que serão transferidos para a JBS incluem 30 plantas de aves e suínos no Brasil, com capacidade de processamento de 80 mil toneladas em produtos, além de escritórios em países-chave para as exportações da Seara. A operação também dá mais força às operações com aves e suínos no Brasil, uma vez que 50% das vendas da Seara são para o mercado in-

terno, ganhando musculatura para competir com a BRF, que já é a líder no mercado doméstico de aves. Batista disse que vê muitas sinergias entre os negócios de carne bovina, suína e de aves no que se refere às operações de venda, logística e distribuição, e afirmou que não pretende fechar plantas, uma vez que espera crescimento da Seara no Brasil. D í vi d a – A venda da Seara Brasil para a JBS vai ajudar a reduzir o endividamento bancário da Marfrig Alimentos

praticamente a zero, disse o presidente-executivo da Seara, Sérgio Rial, que participou da coletiva. As dívidas da Marfrig somavam, ao final de março, quase R$ 13 bilhões, após 43 aquisições nos últimos anos. "A operação coloca a companhia no melhor perfil de dívida dos últimos anos." O valor da operação com a JBS é mais que o dobro da meta de redução do endividamento da Marfrig para o ano. Rial disse que a Marfrig vai concentrar as operações no segmento de bovinos, seu tra-

dicional "core business", e que não vê necessidade de uma nova venda de ativos para reduzir endividamento. A operação ainda depende de avaliação do órgão antitruste (Cade), mas a expectativa dos executivos é que a operação seja aprovada em um prazo de até 60 dias, uma vez que a JBS tinha uma participação relativamente pequena em aves e suínos no Brasil. Os papéis da Marfrig fecharam em valorização de 6,58%, enquanto as da JBS recuaram 6,73%. (Reuters)

Balanço do PAC 2 revela conclusão apenas de 50%

O

s investimentos no Programa de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2) somaram até o final de abril R$ 557,4 bilhões, ou 56,3% do total previsto para entre 2011 e 2014, segundo dados do Ministério

do Planejamento divulgados ontem. Segundo a ministra do Planejamento, Miriam Belchior, 88% das obras estão concluídas ou em ritmo considerado adequado pelo governo; 9% estão em estágio de atenção e 3% estão em nível preocupante. Em termos de valores, segundo o balanço, 94% das obras estão concluídas ou em ritmo adequado; 5% estão em estágio de atenção e 1% em ritmo preocupante. Os critérios do governo para classificar uma obra como adequada são flexíveis. Se há atraso cujo motivo não seja considerado impedimento grave, ela recebe o carimbo verde, mesmo sem o cronograma em dia. Miriam Belchior afirmou que a execução das obras de infraestrutura está concentrada no segundo semestre do ano. "Toda a região norte, por exemplo, não faz obras no primeiro semestre. É impossível por causa das chu-

vas muito fortes e do clima naquela região", explicou. Justificou também o fato de que foi de um terço a proporção de empenhos realizados até junho em relação ao total. "Isso não nos parece um problema. Está acelerando", completou. Ao ser questionada sobre a necessidade de mais investimentos em infraestrutura no Brasil, a ministra afirmou que o governo atual não deve responder por ações que não foram realizadas no passado. "Não podemos ser cobrados em seis anos sobre o que não fizeram em 30", disse. Segundo o balanço, os editais de concessão dos trechos mineiros das rodovias BR-040 e BR-116 devem ser publicados em novembro e não mais em setembro. Esse leilão deveria ter ocorrido em janeiro, mas teve de ser adiado para o governo reformular o edital e os estudos econômicos da concessão. O balanço do PAC manteve a

previsão de realizar até o dia 19 de setembro o leilão da primeira fase da concessão do trem-bala que ligará Campinas, São Paulo e Rio. Agências de risco – O Brasil conseguirá demonstrar "com tranquilidade" a investidores e agências de classificação de risco que sua economia está crescendo de maneira firme, com foco no aumento do investimento, disse o secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda, Márcio Holland. O comentário vem em resposta à piora da perspectiva do rating brasileiro, de "estável" para "negativa" pela agência Standard & Poor's na última quinta-feira, justificada pela política fiscal expansionista e pelo fraco crescimento econômico. Ontem, Holland tentou mostrar que o País ainda é muito atrativo para os investimentos. Será possível provar "que o crescimento vai muito bem". (Agências)

Joel Rodrigues/Estadão Conteúdo

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA

EXTRATO DE CONTRATO. PROCESSO Nº 39/13 – TOMADA DE PREÇOS Nº 08/13. CONTRATANTE: Prefeitura do Município de Andradina. OBJETO: Contratação de empresa qualificada para realização de eventos artísticos, durante o período dos festejos do aniversário da cidade, de 08 a 13 de julho de 2013. DO PAGAMENTO: Imediatamente após a realização do último evento com entrada franqueada ao público, mediante a apresentação do respectivo documento fiscal. DO PRAZO DE EXECUÇÃO: Iniciar-se-á na data de sua assinatura, encerrando em 31/08/2013. CONTRATADO: FABIO APARECIDO PRATES PEREIRA – ME. VALOR DO CONTRATO: R$ 100.000,00 (Cem mil reais). DATA DO CONTRATO: 13 de maio de 2013. JAMIL AKIO ONO - Prefeito.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA

EXTRATO DE HOMOLOGAÇÃO E ADJUDICAÇÃO. PROCESSO Nº 45/13 – TOMADA DE PREÇOS Nº 09/13. OBJETO: Contratação de empresa especializada para execução de obras de reforma no ambulatório de especialidades médicas. Contrato de Repasse n° 767653/2011 – Ministério da Saúde. Considerando a regularidade do procedimento, hei por bem, com base no inc. VI, do art. 43, da Lei Federal nº 8.666/93, HOMOLOGAR e ADJUDICAR o item do objeto licitado, à empresa: W J Saleme Engenharia e Construção Ltda. Andradina, 10 de junho de 2013. Jamil Akio Ono – Prefeito.

PREFEITURA MUNICIPAL DE BIRIGUI EDITAL Nº 057/2.013 – PREGÃO PRESENCIAL Nº 055/2.013. OBJETO:- Contratação de empresa para fornecimento de oxigênio em cilindros de 10m³ e oxigênio em cilindros de 1.00m³ (PPU oxigênio medicinal), destinados à Secretaria de Saúde, pelo período de 12 (doze) meses. Data da Abertura- 24/06/2.013, às 13:30 horas. Melhores informações poderão ser obtidas junto a Seção de Licitações na Rua Santos Dumont nº 28, Centro, ou pelo telefone (018) 3643-6126. O Edital poderá ser lido naquela Seção e retirado gratuitamente no site www.birigui.sp.gov.br, Pedro Felício Estrada Bernabé, Prefeito Municipal, Birigui, 10/06/2013.

bônus obtido com o primeiro leilão de áreas de exploração no pré-sal brasileiro, agendado para outubro, deverá somar ao menos R$ 10 bilhões, estimou ontem o diretor da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) Florival Carvalho. Essa é uma estimativa para o valor do bônus, que ainda será estabelecido pelo governo, de acordo com o diretor. Segundo Carvalho, vários cenários sobre o bônus estão sendo analisados pelo governo e pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE). "Você tem cenários na mesa... para cada bônus (valor discutido), há uma previsão de partilha de óleo. O cenário mínimo, eu creio que gira em torno disso, R$ 10 bilhões", afirmou Carvalho. O diretor da agência avaliou que, quanto maior o bônus, menor seria o retorno para o governo em forma de partilha de óleo. "Se você aumenta o bônus, você diminuiu a partilha de óleo, e vice-versa. O governo é que tem que decidir se quer mais bônus ou partilha de óleo... o bônus é uma antecipação de receita", disse. O primeiro leilão do présal ocorrerá pelo novo modelo de partilha da produção, pelo qual as empresas se comprometem a oferecer à União participação no volume de petróleo produzido no campo. Deve vencer disputa o consórcio que oferecer à União o maior volume da produção prevista no campo. O governo separou a área de Libra, a maior reserva de petróleo já descoberta no Brasil, para leiloar na primeira rodada de licitações da camada présal. A previsão do diretor da ANP é que o edital do primeiro leilão do pré-sal seja lançado pelo governo até o fim do mês. O valor do bônus de assinatura vai estar no edital da rodada. O leilão do pré-sal está programado para ocorrer na segunda quinzena de outubro. A expectativa do diretor da autarquia é que participem do leilão empresas de grande porte e que elas atuem em consórcios. "Não é leilão para empresa sozinha. É para grandes em consórcios", frisou ele. No modelo de partilha, a Petrobras será a operadora dos campos e terá participação mínima de 30% dos ativos. (Reuters)

Iniciativa privada inspira reforma

O

governo federal prepara uma reforma geral de braços executores e gestores de obras na área de logística, com a reformulação do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) e da estatal de ferrovias Valec, disseram fontes que acompanham o assunto. O objetivo é de que as novas instituições tenham uma lógica de gestão semelhante a de empresas privadas, "com prioridade para a meritocracia", disse uma das fontes. De acordo com as fontes, o Dnit deve passar a se chamar Departamento de Infraestrutura Rodoviária

(DIR) e vai se focar apenas em obras públicas de rodovias, enquanto a Valec deve ser refundada e passar a se chamar Empresa Ferroviária Nacional. A "nova Valec", rebatizada, dará a largada já com um aporte de capital de R$ 15 bilhões autorizado por Medida Provisória editada pelo governo na semana passada. O dinheiro é necessário para que a estatal assuma seu papel de compradora e revendedora de capacidade de carga das futuras concessões de ferrovias. Negociadora – Na opinião de uma das fontes, a Empresa Ferroviária Nacional será menos uma construtora de

ferrovias (como era a Valec) e mais uma negociadora de carga. Pelo modelo das concessões lançado no ano passado pelo governo da presidente Dilma Rousseff, os vencedores dos leilões para construir novas ferrovias venderão toda sua capacidade de carga ao governo – no caso, à nova estatal – , que a revenderá a operadores interessados. Com isso, o governo elimina o risco de demanda do concessionário que investirá pesado para construir as vias e, ao mesmo tempo, separa a gestão dos trilhos da operação dos trens, que será feita por mais de uma empresa em cada

trecho, para estimular a competição. A reformulação de esferas do governo na área de transporte deve envolver também a criação de uma nova estatal para cuidar das hidrovias. A Empresa Brasileira de Hidrovias – nome mais provável da companhia – vai tirar do agora DNIT a gestão dos projetos de transporte fluvial. As mudanças deverão constar de Medida Provisória a ser encaminhada ao Congresso Nacional em agosto, de acordo com informações das fontes. Não é a primeira vez que o governo Dilma muda o nome e o perfil de uma estatal de transportes. (Reuters)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 11 de junho de 2013

SÃO PAULO TRANSPORTE S/A CNPJ nº 60.498.417/0001-58 CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO ATA Nº CA/005/13 Ata da reunião Ordinária do Conselho de Administração da São Paulo Transporte S/A, realizada em 30 de abril de 2013, na sede da São Paulo Transporte S/A, na Rua Boa Vista nº 236, 8º andar, na Capital de São Paulo, com início às quinze horas, realizou-se reunião ordinária do Conselho de Administração, com a presença dos Conselheiros que esta ata subscrevem. Presentes, também, representantes da SPTrans, Senhor Ciro Biderman, Chefe de Gabinete e Senhor Ronilson Bezerra Rodrigues, Diretor de Administração e Finanças. 1. Dando início aos trabalhos, foi aprovada a Ata CA nº 004/13, de 28.03.2013. 2. No tocante ao item II da Pauta Eleição dos Diretores, para o período de mandato de 21 de abril de 2013 a 20 de abril de 2015 - apreciada a matéria, deliberou o Conselho de Administração, com base no artigo 11, inciso II do Estatuto Social, e de acordo com as indicações feitas pela acionista majoritária, a Prefeitura do Município de São Paulo, reeleger para o cargo de Diretor Presidente, o Senhor Jilmar Augustinho Tatto, brasileiro, maior, casado, formação Historiador, residente e domiciliado nesta Capital, portador da Cédula de Identidade RG nº 13.048.976-1 e inscrito no CPF sob o nº 039.469.998-08, e para o cargo de Diretor os Senhores Adauto Farias, brasileiro, maior, solteiro, Economista, residente e domiciliado nesta Capital, portador da Cédula de Identidade RG nº 12.784.345-0 e inscrito no CPF sob nº 012.078.178-64; Almir Chiarato Dias, brasileiro, maior, casado, Administrador de Empresas, residente e domiciliado nesta capital, portador da cédula de Identidade RG nº 12.112.156, e inscrito no CPF sob o nº 004.148.368-55; Ana Odila de Paiva Souza, brasileira, maior, solteira, Engenheira Civil, residente e domiciliada nesta Capital, portadora da Cédula de Identidade RG nº 4.712.584-6 e inscrita no CPF sob o nº 761.724.228-04; José Evaldo Gonçalo, brasileiro, maior, casado, Engenheiro, residente e domiciliado nesta capital, portador da Cédula de Identidade RG nº 38.604.598-7 e inscrito no CPF sob o nº 358.832.781-91; e Ronilson Bezerra Rodrigues, brasileiro, maior, casado, Administrador de Empresas, residente e domiciliado nesta capital, portador da cédula de identidade RG nº 56.999.666-1 e inscrito no CPF sob o nº 745.926.107-68. Também, deliberou o Conselho homologar a eleição feita pelos empregados da Sociedade, nos termos da Lei nº 10.731/89, de 6 de junho de 1989, para Diretor, como representante dos mesmos na Diretoria, do Senhor Francisco Ernesto Graminholli, brasileiro, maior, casado, empregado da São Paulo Transporte S.A., residente e domiciliado em Ferraz de Vasconcelos, São Paulo, portador da cédula de identidade R.G. nº 11.720.217-4 e inscrito no C.P.F. sob nº 996.983.82887; no lugar do Senhor Paulo Feu de Brito. Foi registrado mais que, o mandato da Diretoria reeleita e do Diretor representante dos empregados vigorará de 21 de abril de 2013 a 20 de abril de 2015, sendo empossados em seus cargos em 22 de abril de 2013 - mediante assinatura do competente “TERMO DE POSSE” – uma vez que a data de início de vigência do mandato ocorre no feriado. O Conselho de Administração considerou como bons e ratificados os atos praticados pela Diretoria reeleita, no período compreendido entre 21 de abril e 30 de abril de 2013. 3. No tocante ao item III da Pauta, os Senhores Conselheiros tomaram conhecimento dos dados e informações que retratam a “Saúde Financeira da SPTrans” apresentados pelo Sr. Ronilson Bezerra Rodrigues – Diretor Administrativo e Financeiro. 4. No tocante a Outros Assuntos, os Conselheiros reelegeram o Senhor Jilmar Augustinho Tatto para ocupar o cargo de Presidente do Conselho de Administração. Em seguida, o Senhor Presidente do Conselho ofereceu a palavra a quem dela quisesse fazer uso. Como não fizeram uso dessa prerrogativa, foi esgotada a Ordem do Dia. Nada mais havendo a ser tratado, foi encerrada a reunião, sendo lavrada a presente ata, que lida e achada conforme, é assinada a seguir pelos Conselheiros presentes. (aa) JILMAR AUGUSTINHO TATTO – Presidente do Conselho ANTONIO DONATO MADORMO – CARLOS GALEÃO CAMACHO – GERSON LUIS BITTENCOURT – JOÃO CARLOS DE OLIVEIRA SILVA – MAGALI SERAVALLI ROMBOLI – VERA SOELI MION SALLES. A presente é cópia fiel e autêntica da Ata da Reunião Ordinária do Conselho de Administração da São Paulo Transporte S/A, realizada em 30 de abril de 2013, lavrada às folhas 190 e 191, do Livro de Atas nº 07 do Conselho de Administração da São Paulo Transporte S/A. JUCESP sob o número 210.141/13-0 em 04/06/13. (a.) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

ECONOMIA/LEGAIS - 19 Modanet Comércio Eletrônico S.A.

CNPJ: 10.495.757/0001-57 Relatório da Administração Senhores Acionistas, em conformidade com a legislação em vigor e com as disposições estatutárias, submetemos à apreciação dos Senhores o relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras consolidadas da Modanet Comércio Eletrônico S.A., juntamente com o Parecer dos Auditores Independentes e do Conselho Fiscal, referentes ao exercício social findo em 31 de dezembro de 2012. Balanços patrimoniais em 31 de dezembro (Em milhares de Reais) Demonstrações do resultado - Exercícios findos em 31 de dezembro (Em milhares de Reais) ATIVO 2012 2011 PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO 2012 2011 2012 2011 Circulante 10.913 7.980 Circulante 5.146 2.020 Disponível 4.650 4.843 Fornecedores 1.916 1.369 Receita Operacional Líquida 15.217 4.580 Caixa e bancos 6 361 103 Empréstimos e financiamentos 11 1.631 140 Custo das mercadorias vendidas (7.823) (2.787) Aplicações financeiras 4.287 4.740 Obrigações Trabalhistas 870 210 Lucro Bruto 7.394 1.792 Estoques 7 3.664 1.097 Obrigações fiscais 668 271 Receitas (Despesas) Operacionais (16.185) (7.835) Contas a receber 2.081 1.857 Outras obrigações 61 31 (15.987) (7.820) Impostos a recuperar 164 79 Não Circulante 96 98 Gerais e administrativas 126 Despesas antecipadas 9 355 Empréstimos e financiamentos 11 96 98 Outras receitas (198) (142) Outros Créditos 105 Patrimônio Líquido 6.603 6.397 Outras despesas (6.043) Não Circulante 931 534 Capital social 12 22.309 12.636 Luc. (Prej.) antes do Result. Financ. e Equiv. Patrim. (8.791) Investimentos 11 Reserva de capital 216 216 Receitas financeiras 229 621 Imobilizado 8 591 423 Prejuízos acumulados (15.922) (6.455) Despesas financeiras (906) (344) Intangível 8 340 100 Lucro (Prej.) antes do I.R. e da Contrib. Social (9.467) (5.765) Total do Ativo 11.844 8.514 Total do Passivo e do Patrimônio Líquido 11.844 8.514 Lucro (Prejuízo) Líquido do Exercício (9.467) (5.765) Notas explicativas às demonstrações financeiras em 31 de dezembro Demonstrações das mutações do patrimônio líquido 1. A Modanet Comércio Eletrônico S/A: é uma sociedade por quotas li- despesas antecipadas, ao custo. e) Passivos: Reconhecidos no balanço (Em milhares de Reais) mitadas de capital fechado, constituída em 26 de outubro de 2008, tendo quando a Empresa possui uma obrigação legal ou como resultado de evenCapital Reservas Prejuízos como objetivo o comércio eletrônico de artigos de moda em geral, ou seja, tos passados, sendo provável que recursos econômicos sejam requeridos social de capital acum. Total itens de vestuário, sapatos, bolsas e outros acessórios correlatos. 2. Apre- para liquidá-los. Alguns passivos envolvem incertezas quanto ao prazo e 216 (6.455) 6.397 sentação das demonstrações contábeis: As Demonstrações Contábeis valor, sendo estimados na medida em que são incorridos e registrados Saldos em 31.12.2011 12.636 foram elaboradas com observância das práticas contábeis adotadas no através de provisão. As provisões são registradas tendo como base as me- Aumento de capital 9.607 - 9.607 Brasil, as quais abrangem a legislação societária – Lei nº 6.404, de 15 de 67 67 lhores estimativas do risco envolvido. f) Tributação: O Imposto de Renda Capital a integralizar dezembro de 1976, com as modificações introduzidas pela Lei nº 11.638 (9.467) (9.467) está calculado à alíquota de 15% sobre o lucro tributável, acrescida do adi- Prejuízo do exercício de 28 de dezembro de 2007 e pela Lei nº 11.941, de 27 de maio de 2009 – 216 (15.922) 6.603 e os Pronunciamentos, Orientações e Interpretações emitidas pelo Comitê cional de 10%, podendo ser compensados os prejuízos fiscais caso exis- Saldos em 31.12.2012 22.310 de Pronunciamentos Contábeis (CPC) e aprovados pelo Conselho Federal tam. A Contribuição Social Sobre o Lucro está calculada à alíquota de 9% Demonstrações dos fluxos de caixa sobre o lucro tributável, podendo ser compensados a base negativa de de Contabilidade, com exceções evidenciadas nestas notas. Na adoção Exercícios findos em 31 de dezembro (Em milhares de Reais) das novas práticas contábeis e preparação das demonstrações contábeis contribuição social, caso existam. 6. Caixa e Bancos: Corresponde aos vaAtividades Operacionais 2012 2011 a Empresa adotou os seguintes procedimentos: Segregação dos saldos do lores com disponibilidade imediata. A Empresa possui saldos em contas Prejuízo do período (9.467) (5.765) ativo imobilizado entre bens tangíveis e intangíveis. Preparação da De- bancárias em instituições bancárias nacionais, cujos saldos foram conciliaÍtens que não afetam o caixa monstração de Fluxo de Caixa para o exercício encerrado em 31.12.2012. dos com os respectivos extratos bancários. 7. Estoque: Representa o vaAjuste de exercícios anteriores (93) A Empresa não identificou efeitos relevantes decorrentes de ajustes a va- lor de custo das mercadorias adquiridas para revenda. Custo residual dos bens baixados lor presente nos ativos e passivos financeiros não circulantes e nos ativos 8. Imobilizado e Intangível Saldo Depreciações e amortizações 151 39 e passivos financeiros circulantes relevantes, também não identificou ouTaxa Custo Depreciação Residual (9.316) (5.820) tros fatos que justificassem a redução ao valor de recuperação (impairDepreciação Aquisição Acumulada 2012 Variações nos ativos e passivos ment). 3. Base de Preparação e Apresentação das Demonstrações Computadores e Períféricos 20 258.276 (59.051) 199.225 Circulantes Contábeis: As demonstrações contábeis estão sendo apresentadas em Veículos 20 29.900 (6.628) 23.272 Aumento/Redução estoques (2.568) (764) conformidade com as práticas contábeis adotadas no Brasil, observando Móveis e Utensílios 10 178.140 (19.661) 158.479 Aumento/Redução do contas a receber (224) (1.662) as diretrizes contábeis emanadas da legislação societária, sendo as princi20 144.912 (33.608) 111.304 Redução/Aumento despesas antecipadas pais descritas a seguir. Os ativos e passivos são classificados como circu- Software (269) 10 7.240 (652) 6.588 Redução/Aumento em créditos tributários lantes quando sua realização ou liquidação é provável que ocorra nos pró- Aparelhos Telefônicos (85) (79) 16.828 16.828 Redução/Aumento de contas a pagar ximos doze meses. Do contrário, são demonstrados como não circulantes. Marcas e Patentes 548 1.268 10 167.250 (18.898) 148.352 Aumento/Redução em obrigações fiscais Os ativos e passivos monetários denominados em moedas estrangeiras fo- Instalações 296 249 10 58.774 (3.878) 54.896 Aumento/Redução de obrigações Trabalhistas ram convertidos para reais pela taxa de câmbio da data de fechamento do Equipamentos 761 205 balanço. As diferenças decorrentes de conversão de moeda foram reco- Benfeit. em Imóveis de terceiros 25 271.983 (60.169) 211.814 Aumento/Redução outros créditos 19 (83) nhecidas na demonstração do resultado. 4. Moeda funcional: Essas de1.133.303 (202.545) 930.758 Fluxo de Caixa das Atividades monstrações contábeis são apresentadas em Real, que é a moeda funcio- 9. Outros Créditos: Créditos com funcionários 39.094; Adiantamento Operacionais (10.837) (6.686) nal da Companhia. 5. As principais diretrizes contábeis adotadas são para fornecedores: 315.622; Total outros créditos: 354.716. 10. InvestiPagamento pela compra de imobilizado e intangível (548) (515) as seguintes: a) Apuração do resultado: O resultado das operações é mentos: Esta rubrica corresponde títulos de capitalização do Banco BraFluxo de Caixa das Atividades de apurado em conformidade com o regime contábil de competência. Uma re- desco. 11. Empréstimos: BNDES 125.151; Banco Itaú 104.014; Banco Investimento (548) (515) ceita não é reconhecida se há uma incerteza significativa da sua realizaSantander 1.484.605; C/C 12.818 Total dos empréstimos 1.713.770. Captação de financiamentos 2.100 226 ção. b) Disponibilidades e valores equivalentes: Incluem os saldos em 12. Capital Social: O Capital Social é de R$ 22.309.000,75 dividido em Aumento de capital 9.673 12.199 conta movimento e aplicações financeiras de curto prazo registradas ao 2.020.511 ações todas sem valor nominal, das quais 728.450 são ações Pagamentos de financiamentos (581) (416) custo, acrescido dos rendimentos auferidos até a data do balanço, que não 12.009 supera o valor de mercado. c) Imobilizado e depreciação: O imobilizado ordinárias nominativas, 485.633 são ações preferenciais nominativas de Fluxo de Caixa das Atividades de Financiamento 11.192 (193) 4.808 está registrado ao custo de aquisição ou construção. A depreciação é cal- série A, 432.828 ações preferenciais nominativas de série B, 373.600 Aumento/Redução do Caixa e Equivalentes de Caixa ações preferenciais nominativas de série C, sendo que tanto as ações Caixa e Equivalentes de Caixa no Final do Período 4.650 4.843 culada pela taxa fiscal. d) Demais ativos circulantes e não circulantes: 4.843 35 São apresentados pelo valor de realização, incluindo, quando aplicável, os preferenciais de série A, B quanto da série C são todas conversíveis em Caixa e Equivalentes de Caixa no Início do Período rendimentos, variações monetárias e cambiais auferidos ou, no caso de ações originárias, nos termos previstos no acordo de acionistas. Redução do Caixa e Equivalentes de Caixa (193) 4.808 A Diretoria

Contador: Sidney dos Santos Silva - CRC: 1SP 205.672/O-4

Makafe Administração e Participações S/A – CNPJ/MF nº 12.845.832/0001-98 Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios sociais encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011 (Em Reais) Balanço Patrimonial Demonstração de Resultados 2012 2011 Ativo 2012 2011 Passivo 2012 2011 Resultado Operacional Bruto Resultado de Equivalência Patrimonial 834.511,15 5.397.767,36 Ativo Circulante 351.507,04 107,00 Patrimonio Líquido 9.125.784,55 7.939.873,36 Dividendos Recebidos 351.400,04 – Caixa 1,00 1,00 Capital Social 2.543.000,00 2.543.000,00 1.185.911,19 5.397.767,36 Bancos 106,00 106,00 Capital a Integralizar (894,00) (894,00) Total 1.185.911,19 5.397.767,36 Outras Contas a Receber 351.400,04 – Reserva Legal 329.233,93 – Resultado Operacional Líquido 1.185.911,19 5.397.767,36 Ativo Não Circulante 8.774.277,51 7.939.766,36 Reserva de Lucro 5.068.533,43 – Resultado antes das Provisões Resultado do Exercício 1.185.911,19 5.397.767,36 Investimentos 8.774.277,51 7.939.766,36 Resultado Exercicio 1.185.911,19 5.397.767,36 Total do Ativo 9.125.784,55 7.939.873,36 Total do Passivo 9.125.784,55 7.939.873,36 Demonstrações dos Fluxos de Caixa Das atividades operacionais 2012 2011 Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido Luc. líq. antes do IRPJ e da CSLL s/ o lucro 1.185.911,19 5.397.767,36 Capital social Capital Integralizar Reservas de Lucro Total Ajustes p/ conc. o result. às disponibilid. Saldos em 31 de dezembro de 2010 – – – – geradas pelas atividades operacionais: Destinações no exercício 2.543.000,00 – – 2.543.000,00 Resultado de equivalência patrimonial (834.511,15) (5.397.767,36) Ajustes lançados diretamente ao patrimônio líquido – (894,00) 5.397.767,36 5.396.873,36 Créditos diversos (351.400,04) – Saldos em 31 de dezembro de 2011 2.543.000,00 (894,00) 5.397.767,36 7.939.873,36 Caixa líq. gerado pelas ativid. operacionais – – Destinações no exercício – – (329.233,93) (329.233,93) Das atividades de investimento Resultado do Exercicio – – 1.185.911,19 1.185.911,19 Acréscimo do investimento – 107,00 Reserva Legal – – 329.233,93 329.233,93 Caixa líq. utiliz. pelas ativid. de investimento – 107,00 Saldos em 31 de dezembro de 2012 2.543.000,00 (894,00) 6.583.678,55 9.125.784,55 Aum./(redução) do caixa e equival. de caixa – 107,00 Caixa e equivalentes de caixa Nota Explicativa ás Demontrações Contábeis – 1. A Companhia tem por objeto a gestão de bens próprios, móveis ou imóveis, e a participação no 107,00 – Capital Social de outras sociedades como sócia, acionista ou quotista. 2. As demonstrações Contábeis foram preparadas de acordo com as praticas No início do exercício 107,00 107,00 contábeis adotadas no Brasil, com base nas disposições contidas na Lei das Sociedades por Ações – Lei 6.404/76 alterada pelas Leis nºs 11.638/07 e No final do exercício Aum./(redução) do caixa e equival. de caixa – 107,00 11.941/09, nos pronunciamentos Contábeis (CPC), homologados pelos órgãos reguladores. 3. Não existe Carteira de Clientes, haverá investimentos em sociedades como sócia, acionista ou quotista. 4. Não há estoque, porém havendo serão avaliados ao custo de aquisição, os quais são inferiores ao valor de mercado. 5. O Capital Social subscrito é representado por 2.543.000 ações nominativas, no valor de R$ 1,00 cada uma.

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEREIRA BARRETO/SP Processo nº 3109/2013 - Pregão nº 016/2013 RESUMO DE EDITAL ARNALDO SHIGUEYUKI ENOMOTO, Prefeito de Pereira Barreto - SP, faz saber que se acha aberto até as 14h00min do dia 24 de junho de 2013, o Pregão Presencial nº 016/2013, do tipo menor preço por item, objetivando a Aquisição de 01 (um) Guindaste Hidráulico novo, conforme características constantes no Anexo I do Edital. Maiores informações no Dep. de Licitações pelo fone/fax (18) 3704-8505, pelo e-mail licitacao@pereirabarreto.sp.gov.br, ou ainda o Edital completo no website www.pereirabarreto.sp.gov.br. Pereira Barreto - SP, 10 de junho de 2013. Arnaldo Shigueyuki Enomoto - Prefeito.

Antonio Dias Felipe Sócio

Enivaldo Gomes Mithidieri Contador CRC 1SP 237.533/O-0

JBBG Administração e Participações S/A – CNPJ/MF nº 12.907.097/0001-08 Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios sociais encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011 (Em Reais) Balanço Patrimonial Demonstração de Resultados Ativo 2012 2011 Passivo 2012 2011 2012 2011 Ativo Circulante 101,00 101,00 Passivo Circulante – – Vendas de Serviços – – Caixa 1,00 1,00 Passivo não Circulante – – Renda Operacional Líquida – – Bancos 100,00 100,00 Patrimonio Líquido 8.197.120,66 7.682.381,23 Resultado Operacional Bruto 514.739,43 4.882.281,23 Ativo Não Circulante 8.197.019,66 7.682.280,23 Capital Social 2.801.000,00 2.801.000,00 Resultado de Equivalência Patrimonial 514.739,43 4.882.281,23 Realizável a Longo Prazo Capital a Integralizar (900,00) (900,00) Resultado Operacional Líquido 514.739,43 4.882.281,23 Investimentos 8.197.019,66 7.682.280,23 Reserva Legal 269.851,03 – Resultado antes das Provisões 514.739,43 4.882.281,23 Reserva de Lucro 4.612.430,20 4.882.281,23 Resultado do Exercício 514.739,43 4.882.281,23 Resultado do Exercicio 514.739,43 – Demonstrações dos Fluxos de Caixa Total do Ativo 8.197.120,66 7.682.381,23 Total do Passivo 8.197.120,66 7.682.381,23 Das atividades operacionais 2012 2011 Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido Capital social Capital Integralizar Reservas de Lucro Total Lucro líq. antes do IRPJ e da CSLL s/o lucro 514.739,43 4.882.281,23 Ajustes para conciliar o resultado às Saldos em 31 de dezembro de 2010 – – – – disponib. geradas p/atividades operacion.: Destinações no exercício 2.801.000,00 – – 2.801.000,00 Resultado de equivalência patrimonial (514.739,43) (4.882.281,23) Ajustes lançados diretamente ao patrimônio líquido – (900,00) 4.882.281,23 4.881.381,23 Caixa líq. gerado p/ atividades operacionais – – Saldos em 31 de dezembro de 2011 2.801.000,00 (900,00) 4.882.281,23 7.682.381,23 Destinações no exercício – – (269.851,03) (269.851,03) Das atividades de investimentos Acréscimo do investimento – 101,00 Resultado do Exercicio – – 514.739,43 514.739,43 – 101,00 Reserva Legal – – 269.851,03 269.851,03 Caixa líquido utilizado p/atividades de investim. – 101,00 Saldos em 31 de dezembro de 2012 2.801.000,00 (900,00) 5.397.020,66 8.197.120,66 Aumento/(redução) do caixa e equival. de caixa Caixa e equivalentes de caixa Nota Explicativa às Demonstrações Contábeis – 1. A companhia tem por objeto a gestão de bens próprios, móveis ou imóveis, e a participação no No início do exercício 101,00 – Capital Social de outras sociedades como sócia, acionista ou quotista. 2. As demonstrações Contábeis foram preparadas de acordo com as praticas No final do exercício 101,00 101,00 contábeis adotadas no Brasil, com base nas disposições contidas na Lei das Sociedades por Ações – Lei 6.404/76 alterada pelas Leis nºs 11.638/07 e Aumento/(red.) do caixa e equivalentes de caixa – 101,00 11.941/09, nos pronunciamentos Contábeis (CPC), homologados pelos órgãos reguladores. 3. Não existe Carteira de Clientes, haverá investimentos em Simão Dias Felipe Enivaldo Gomes Mithidieri sociedades como sócias, acionista ou quotista. 4. Não há estoque, porém havendo serão avaliados ao custo de aquisição, os quais são inferiores ao valor Sócio Contador CRC 1SP 237.533/O-0 de mercado. 5. O Capital Social subscrito e a integralizar é representado por 2.801.000 ações nominativas, no valor de R$ 1,00 cada uma.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO AVISO DE LICITAÇÃO

Pregão nº 032/2013 - Processo nº 250/2013 Acha-se aberto, no Ministério Público do Estado de São Paulo, o Pregão Presencial nº 032/2013 - Processo nº 250/2013, que tem por objeto o Registro de Preços de contratação de empresa especializada para fornecimento de persianas verticais de PVC e cortinas rolô blackout com instalações e demais materiais necessários para atender às necessidades das diversas unidades do Ministério Público do Estado de São Paulo na Capital, Grande São Paulo e Interior. O Edital da presente licitação encontra-se à disposição dos interessados, gratuitamente, na Comissão Julgadora de Licitações, situada na Rua Riachuelo nº 115, 5º andar, sala 506, de 2ª a 6ª feira, das 09:30 às 18:30 horas, ou através da Internet nos Sites www.mp.sp.gov.br e www.e-negociospublicos.com.br. Os envelopes serão recebidos na sessão pública de processamento do Pregão, na Rua Riachuelo nº 115, na sala 903, no dia 24/06/2013, e sua abertura dar-se-á às 11:00 horas no mesmo dia e local. Comissão Julgadora de Licitações, em 07 de junho de 2013.

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba comunica que foi INDEFERIDO o Recurso Administrativo interposto pela licitante General Diesel Ltda. - ME ao Pregão Presencial nº 16/2013 - Processo nº 1.655/2013-SAAE, destinado à contratação de empresa especializada para prestação de serviços de manutenção preventiva e corretiva de bombas e bicos injetores dos veículos movidos à diesel da frota do Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba, mantendo a decisão exarada na Ata da Sessão Pública, a qual, foi declarada FRACASSADA. Informações pelo site www.saaesorocaba.com.br e pelos tel. (15) 3224-5810/5811/5812/5813/5814/5815/5816/5817/5818/5819/5821/5822/ 5823/5824/5825 e 5826, ou pessoalmente na Av. Pereira da Silva, nº 1.285, no Setor de Licitação e Contratos. Sorocaba, 10 de junho de 2013. Ivan Flores Vieira - Pregoeiro.

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba comunica que foi INDEFERIDO o pedido de Impugnação interposto pela empresa Wastec Brasil Indústria e Comércio de Produtos Químicos Ltda. ao Pregão Eletrônico nº 16/2013 - Processo nº 663/2013-SAAE, destinado à aquisição de neutralizador de odores atmosféricos para uso nas Estações de Tratamento de Esgoto S1, S2, Pitico e Elevatórias EEE 12. Informações pelo site www.saaesorocaba.com.br e pelos tel. (15) 32245810/5811/5812/5813/5814/ 5815/5816/5817/5818/5819/5821/5822/5823/5824/5825 e 5826, ou pessoalmente na Av. Pereira da Silva, nº 1.285, no Setor de Licitação e Contratos Sorocaba, 10 de junho de 2013. Ivan Flores Vieira - Pregoeiro. Zurich Vida e Previdência S.A. - CNPJ 01.206.480/0001-04 Declaração de Propósito José Reinaldo Caparroz Júnior, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da Cédula de Identidade RG nº 21.322.219-X, inscrito no CPF/MF sob o nº 248.898.168-01, com endereço comercial na Cidade de São Paulo, Praça General Gentil Falcão, nº 108, 1º andar, Cidade Monções, CEP 04571-150, Declara sua intenção de compor a Diretoria da Zurich Vida e Previdência S.A..Declara que preenche as condições estabelecidas nos artigos 3° e 4º da Resolução CNSP n°. 136, de 7 de novembro de 2005. Esclarece ainda que, nos termos da regulamentação em vigor, eventuais impugnações à presente declaração deverão ser comunicadas diretamente à Superintendência de Seguros Privados–SUSEP, no endereço abaixo, no prazo máximo de 15 (quinze) dias, contados da data desta publicação, por meio de documento em que o autor esteja devidamente identificado, acompanhado da documentação comprobatória, observado que os declarantes poderão, na forma da legislação em vigor, ter direito à vista do respectivo processo. Superintendência de Seguros Privados-Susep. Coordenação Geral de Registros e Autorizações-CGRAT. Avenida Presidente Vargas, 730 - Centro - CEP 20071-900 - Rio de Janeiro/RJ. São Paulo, 4 de abril de 2013. Richard Emiliano Soares Vinhosa, Luiz Fernando Barsotti e José Reinaldo Caparroz Júnior. (11 e 12/06/2013)

Renuncia

À LAEP FUND BRASIL S/A - CNPJ 10.665.376/0001-79. Sirvo-me da presente para comunicar aos Senhores Acionistas que, renuncio, nesta data, ao cargo de Diretor, que ocupo nesta Companhia. A renúncia, para todos os fins de direito é irrevogável e irretratável. Na forma da legislação vigente, peço que a Companhia proceda com o arquivamento no registro de comércio e publicação da renúncia. Atenciosamente, Rodrigo Ferraz Pimenta da Cunha - CPF/MF nº 869.729.796-68. São Paulo, 15 de dezembro de 2012.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 10 de junho de 2013, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Viação Vale do Tietê Ltda. Requerido: Inova Assistência em Negócios e Eventos Ltda. Rua Flórida, 1.738 - 11° Andar – Itaim Bibi - 1ª Vara de Falências. Requerente: Erpa Sociedad Anonima Comercial, Industrial Y Financeira. Requerido: Seladores do Brasil Ltda. Rua Coronel Luis Americano, 330 - Sala 4 – Vila Azevedo - 1ª Vara de Falências. Requerente: Açofer Distribuidora de Aço e Ferro Ltda. – Autofalência. Requerido: Açofer Distribuidora de Aço e Ferro Ltda. – Autofalência - Rua Alvaro Fragoso, 120 – 124 - Vila Independência - 2ª Vara de Falências. Recuperação Judicial Requerente: Auto Posto Gastron Ltda. Requerido: Auto Posto Gastron Ltda. Avenida Marechal Tito, 1.195 – São Miguel Paulista - 2ª Vara de Falências.

Porto Iberica Participações S/A – CNPJ/MF nº 12.855.210/0001-40 Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios sociais encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011 (Em Reais) Balanço Patrimonial Demonstração de Resultados Ativo 2012 2011 Passivo 2012 2011 2012 2011 Ativo Circulante 100,00 100,00 Passivo Circulante Resultado Operacional Bruto – – Bancos 100,00 100,00 Passivo não Circulante Resultado de Equivalência Patrimonial 2.453.917,90 6.481.539,32 Ativo não Circulante 136.515.046,15 131.574.592,32 Patrimonio Líquido 136.515.146,15 131.574.692,32 Total 2.453.917,90 6.481.539,32 Realizável a Longo Prazo Capital Social 125.093.553,00 125.093.553,00 Resultado Operacional Líquido 2.453.917,90 6.481.539,32 Investimentos 136.515.046,20 131.574.592,32 Capital a Integralizar (900,00) (900,00) Resultado antes das Provisões 2.453.917,90 6.481.539,32 Adiantam. p/ Futuro Aumento Capital 2.487.035,93 500,00 Resultado do Exercício 2.453.917,90 6.481.539,32 Reserva de Lucro 6.481.539,32 – Demonstrações dos Fluxos de Caixa Resultado do Exercicio 2.453.917,90 6.481.539,32 2012 2011 136.515.146,15 131.574.692,32 Das atividades operacionais Total do Ativo 136.515.146,15 131.574.692,32 Total do Passivo Luc. líq. antes do IRPJ e da CSLL s/o luc. 2.453.917,90 6.481.539,32 Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido Ajustes para conciliar o resultado às Capital social Cap. Integr. Res. de Luc. Adiant. p/ Fut. Aum. de Cap. Total disponib. geradas p/ativid. operac.: Saldos em 31 de dezembro de 2010 – – – – – Resultado de equivalência patrimonial (2.453.917,90) (6.481.539,32) Destinações no exercício 125.093.553,00 – – – 125.093.553,00 Adiantam. p/Futuro Aumento de Capital (2.486.535,93) – Ajustes lançados diretam. ao patrim. líquido – (900,00) – 500,00 (400,00) Caixa proveniente das operações (2.486.535,93) – Reserva de Lucro – – 6.481.539,32 – 6.481.539,32 Caixa líq. gerado p/ativid. operacion. (2.486.535,93) – Saldos em 31 de dezembro de 2011 125.093.553,00 (900,00) 6.481.539,32 500,00 131.574.692,32 Das ativid. de invest. Acrésc. do investim. 2.486.535,93 100,00 Destinações no exercício – – – 2.486.535,93 2.486.535,93 2.486.535,93 100,00 Reserva de Lucro – – 2.453.917,90 – 2.453.917,90 Caixa líq. utiliz. p/ativid. de investim. – 100,00 Saldos em 31 de dezembro de 2012 125.093.553,00 (900,00) 8.935.457,22 2.487.035,93 136.515.146,15 Aum./(red.) do caixa e equival. de caixa Caixa e equivalentes de caixa Nota Explicativa ás Demontrações Contábeis – 1. A companhia tem por objeto a participação no Capital Social de outras sociedades como sócia, No início do exercício 100,00 – acionista ou quotista. 2. As demonstrações Contábeis foram preparadas de acordo com as praticas contábeis adotadas no Brasil, com base nas dispo- No final do exercício 100,00 100,00 sições contidas na Lei das Sociedades por Ações – Lei 6.404/76 alterada pelas Leis nºs 11.638/07 e 11.941/09, nos pronunciamentos Contábeis (CPC), Aum./(red.) do caixa e equival. de caixa – 100,00 homologados pelos órgãos reguladores. 3. Não existe Carteira de Clientes, haverá investimentos em sociedades como sócias, acionista ou quotista. Simão Dias Felipe Enivaldo Gomes Mithidieri 4. Não há estoque, porém havendo serão avaliados ao custo de aquisição, os quais são inferiores ao valor de mercado. 5. O Capital Social subscrito é Sócio Contador CRC 1SP 237.533/O-0 representado por 125.093.553 ações nominativas, no valor de R$ 1,00 cada uma. Vilamoura Participações S/A – CNPJ/MF nº 12.855.988/0001-50 Demonstrações Financeiras referentes aos exercícios sociais encerrados em 31 de dezembro de 2012 e 2011 (Em Reais) Balanço Patrimonial Demonstração de Resultados Ativo 2012 2011 Passivo 2012 2011 Resultado Operacional Bruto 2012 2011 Ativo Circulante 106,00 106,00 Passivo não Circulante Resultado De Equivalência Patrimonial 2.453.917,90 6.481.539,32 Bancos 106,00 106,00 Exigível a Longo Prazo Total 2.453.917,90 6.481.539,32 Ativo não Circulante 136.515.046,15 131.574.592,32 Patrimonio Líquido 136.515.152,15 131.574.698,32 Resultado Operacional Líquido 2.453.917,90 6.481.539,32 Realizável a Longo Prazo Capital Social 125.093.553,00 125.093.553,00 Resultado antes das Provisões 2.453.917,90 6.481.539,32 Investimentos 136.515.046,15 131.574.592,32 Capital a Integralizar (894,00) (894,00) Resultado do Exercício 2.453.917,90 6.481.539,32 Adiant. p/ Futuro Aumento Capital 2.487.035,93 500,00 Demonstrações dos Fluxos de Caixa Reserva de Lucro 6.481.539,32 – 2012 2011 Resultado do Exercicio 2.453.917,90 6.481.539,32 Das atividades operacionais Total do Ativo 136.515.152,15 131.574.698,32 Total do Passivo 136.515.152,15 131.574.698,32 Luc. líq. antes do IRPJ e da CSLL s/ o lucro 2.453.917,90 6.481.539,32 Aj. p/conciliar o res. às disponibilidades Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido geradas pelas atividades operacionais: Capital social Cap. Integr. Res. de Luc. Adiant. p/ Fut. Aum. de Cap. Total Resultado de equivalência patrimonial (2.453.917,90) (6.481.539,32) Saldos em 31 de dezembro de 2010 – – – – – Adiant. para Futuro Aumento de Capital (2.486.535,93) – Destinações no exercício 125.093.553,00 – – – 125.093.553,00 Caixa proveniente das operações (2.486.535,93) – Ajustes lançados diretam. ao patrim. líquido – (894,00) – 500,00 (394,00) Caixa líq. gerado p/ativid. operacionais (2.486.535,93) – Reserva de Lucro – – 6.481.539,32 – 6.481.539,32 Das atividades de investimento Saldos em 31 de dezembro de 2011 125.093.553,00 (894,00) 6.481.539,32 500,00 131.574.698,32 Acréscimo do investimento 2.486.535,93 106,00 Destinações no exercício – – – 2.486.535,93 2.486.535,93 Caixa líq. utiliz. pelas ativid. de investim. 2.486.535,93 106,00 Reserva de Lucro – – 2.453.917,90 – 2.453.917,90 Aum./(red.) do caixa e equival. de caixa – 106,00 Saldos em 31 de dezembro de 2012 125.093.553,00 (894,00) 8.935.457,22 2.487.035,93 136.515.152,15 Caixa e equivalentes de caixa No início do exercício 106,00 – Nota Explicativa às Demontrações Contábeis – 1. A companhia tem por objeto a participação no Capital Social de outras sociedades como sócia, 106,00 106,00 acionista ou quotista. 2. As demonstrações Contábeis foram preparadas de acordo com as praticas contábeis adotadas no Brasil, com base nas dispo- No final do exercício Aumento/(redução) do caixa e sições contidas na Lei das Sociedades por Ações – Lei 6.404/76 alterada pelas Leis nºs 11.638/07 e 11.941/09, nos pronunciamentos Contábeis (CPC), – 106,00 homologados pelos órgãos reguladores. 3. Não existe Carteira de Clientes, haverá investimentos em sociedades como sócias, acionista ou quotista. equivalentes de caixa 4. Não há estoque, porém havendo serão avaliados ao custo de aquisição, os quais são inferiores ao valor de mercado. 5. O Capital Social subscrito é Antonio Dias Felipe Enivaldo Gomes Mithidieri representado por 125.093.553 ações nominativas, no valor de R$ 1,00 cada uma. Sócio Contador CRC 1SP 237.533/O-0

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba comunica que foram INDEFERIDOS os RecursosAdministrativos interpostos pelas licitantes Panna Recursos Humanos e Terceirização Ltda. e GF Empresarial Ltda. ao Pregão Presencial nº 06/2013 - Processo nº 1.737/2013SAAE, destinado à contratação de empresa especializada para prestação de serviços contínuos de limpeza, asseio e conservação predial, das Unidades Central (Administração) e Centro Operacional do SAAE, neste município, mantendo a decisão exarada na Ata da Sessão Pública, a qual, foi declarada FRACASSADA. Informações pelo site www.saaesorocaba.com.br e pelos tel. (15) 3224-5810/5811/5812/5813/5814/5815/5816/5817/5818/5819/5821/5822/5823/5824/5825 e 5826, ou pessoalmente na Av. Pereira da Silva, nº 1.285, no Setor de Licitação e Contratos. Sorocaba, 10 de junho de 2013. Maria Eloíse Benette - Pregoeira.

O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba comunica que foi considerada INABILITADA á Tomada de Preços nº 01/2013 - Processo Administrativo nº 295/2013, destinada à contratação de empresa de engenharia especializada para ampliação da capacidade do sistema elétrico da estação de tratamento de água do cerrado, com substituição de quatro transformadores, quadro de distribuição geral, painéis de acionamento de bombas, com fornecimento de condutores e componentes de proteção, a licitante Wgtec Instalações Elétricas Industriais Ltda., e, consideradas HABILITADAS, as licitantes Eletrenge Eletricidade e Engenharia Ltda., Rumo Comércio e Serviços Técnicos Ltda., Kart Montagens Elétricas Ltda.- EPP, Munhoz Instalações Industriais Ltda., Eletrowal Serviços Ltda. e Cápua Projetos e Construções Ltda. Comunica ainda, que o prazo para interposição de recurso é de 05 (cinco) dias úteis, contados a partir da presente data. Comissão Especial de Licitações - Jovelina Rodrigues Bueno (Presidente).

Nota Super Posto e Serviços Ltda, torna público que recebeu da CETESB a Licença de Operação n° 30008458, válida até 07/06/2018, para com. varejista de comb. e lubrificantes, sito à Av. Prof. Luiz de Ignácio Anhaia Mello, 8170- Quinta da Paineira-São Paulo - SP

Centro Automotivo Rua dos Trilhos Ltda, torna público que recebeu da CETESB a Licença de Instalação n° 30004383 e requereu a Licença de Operação para comércio varejista de combustíveis e lubrificantes, sito à R dos Trilhos, 137 - Mooca- São Paulo - SP


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

terça-feira, 11 de junho de 2013

nformática

Celular, a carteira virtual. Os aparelhos são usados crescentemente para transferir dinheiro, pagar estacionamento via aplicativos ou comprar com tecnologia de aproximação. Fotos Divulgação

n COMPUTADOR

Um Transformer como os dos filmes: rápida mudança de aparência. Transformer Book Trio da Asus – que reúne desktop, laptop e tablet – é mais uma novidade da fabricante chinesa lançada na Computex 2013, realizada na semana passada em Taiwan. O equipamento. traz dois chips Intel (um no tablet e outro na base) e dois sistemas operacionais – Windows 8 e Android 4.2. A tela, de 11,6 polegadas, se conecta à base com teclado. Retirada, se transforma num tablet. Se a dock for ligada a um monitor, vira um desktop de mesa. A Asus promete o produto para o segundo semestre no Brasil.

O O Brasil é considerado um dos países de maior potencial para o pagamento móvel e atrai cada vez mais players

Barbara de Oliveira

N

este ano 245 milhões de pessoas utilizarão os serviços de pagamentos móveis, revela relatório da consultoria Gartner divulgado na semana passada. Movimentarão US$ 235,4 bilhões – a maior parte, 71%, transferências de dinheiro entre usuários, seguidas de compras de mercadorias com a ajuda do celular. O Brasil tem parte importante nisso: considerado um dos países de maior potencial para o mobile payment está na 16ª. posição entre os mais preparados para esse sistema, de acordo com a Mastercard. E vem ganhando cada vez mais players – operadoras de telefonia, empresas de meios de pagamentos eletrônicos (Cielo e Redecard), operadoras de cartões de crédito, bancos, desenvolvedores de soluções tecnológicas e fabricantes de celulares. Uma das soluções lançadas para esse mercado é o aplicativo Mob2All, que a empresa 2ALL, do grupo NTK apresentou na semana passada. Ele integra o celular ao cartão de crédito para o pagamento de estacionamentos em shoppings, mas sua aplicação poderá será ampliada para outros tipos de pagamentos. Alexandre Góes, diretor da 2All, explica que o aplicativo está em fase de testes num shopping da Raposo Tavares, em São Paulo, para ser lançado oficialmente na segunda quinzena do mês. Fora de filas O funcionamento é simples. O cartão de crédito do usuário é cadastrado dentro do aplicativo num celular com Android ou iOS. Góes ressalta que esses dados criptografados não ficam armazenados na empresa e nem no aparelho e sim na administradora desses cartões (como ocorre com qualquer transação eletrônica). "O usuário pode cadastrar várias bandeiras, com seu nome, número, validade e CVV (número de segurança)." Para pagar, basta sacar o tíquete no estacionamento do shopping e – sem enfrentar filas – aproximar o smartphone para a leitura do código de barras. Se o valor que aparece na tela do aparelho estiver correto, o usuário opta por um dos cartões cadastrados para pagar. No celular, ele recebe outras informações como a hora de entrada e o tempo de permanência no estacionamento. Por enquanto, cerca de 150 pessoas estão usando o aplicativo. "Ainda estamos em fase de lançamento, a maioria é de funcionários do shopping", conta Góes. Segundo o executivo, a ideia é quebrar paradigmas e ganhar a confiança das pessoas para que o aplicativo também seja usado para gerar pontos de fidelidade em estabelecimentos credenciados. "Queremos aplicar o geoprocessamento (localização por GPS) aliado ao Mob2All e gerenciar as promoções feitas em shoppings", explica Góes. Se o consumidor acessar o aplicativo pelo Facebook e entrar num shopping fazendo o check-in na rede social, receberá informações de promoções em determinadas lojas, e ao pagar naquele cartão especí-

fico, receberá pontuações. Para o usuário, a utilização é gratuita, mas o lojista pagará uma mensalidade pelo uso da plataforma. A meta da 2All para este ano é integrar 10 shoppings ao serviço e cerca de 500 mil usuários de São Paulo, Recife, Goiânia e Curitiba. Carteira segura As operadoras Oi e TIM também anunciaram novidades em maio em mpayment. Em 2007, o Paggo, da Oi, foi o pioneiro no País nesta forma de pagamento utilizando o cartão de crédito dentro do celular. Há duas semanas, a empresa lançou a Oi Carteira, pela qual qualquer pessoa com o chip Oi pode transferir dinheiro para outro usuário do serviço, ou fazer compras pelo aparelho móvel, mesmo sem ter conta em banco. "É um cartão pré-pago carregado pelo cliente, com o qual, ele realiza as transferências, faz compras (no limite de até R$ 2 mil por mês) na rede credenciada da Cielo e recarrega seu celular", conta a gerente de produtos de bancarização da Oi, Noela Gigliotti. Os clientes também podem sacar dinheiro nos terminais de autoatendimento do Banco do Brasil desde que tenham um código liberado pela operadora dentro do celular para acessar os ATMs. "Para isso, é preciso enviar um SMS para o número 4004 001 e dispor de um código de autorização digitado na tela do terminal do banco". Noela observa que pequenos comerciantes e ambulantes se beneficiam também porque podem receber dinheiro pelo aparelho – o que será mais barato e mais seguro. O Oi Carteira cobra R$ 8 mensais pelo uso do serviço pré-pago. Esse dinheiro também é revertido em recargas para o telefone do cliente. "O objetivo é atingir pessoas não bancarizadas e que estão acostumadas a recarregar seu aparelho, que poderão transferir pequenas quantias para os filhos, empregadas domésticas, prestadores de serviços", prossegue a executiva. Ela lembra que os valores da conta pré-paga ficam sob custódia do Banco do Brasil e as transações ocorrem por mensagens criptografadas e não ficam armazenadas no celular. "A experiência está em curso com clientes da Oi no Ceará, e até o final do ano será estendida para o Brasil todo", diz Noela. Ela explica que para carregar o cartão, o usuário envia um SMS para o número 4004, informa o número do celular e a senha. No caso de compra, é o lojista quem faz a transação, escolhendo a forma de pagamento na máquina POS (neste caso, é débito porque é pré-pago) e digitando o número do aparelho do cliente. A partir daí, a máquina informa os dados da loja e o valor, o consumidor digita sua senha e recebe o comprovante.

APLICATIVO

Uma opção premiada (e gratuita) para quem precisa viajar muito Expedia.com.br, dedicado a viagens, e que já teve mais de 11 milhões de downloads no mundo, foi o vencedor da 17ª. edição do Webby Awards, na categoria Travel App. O prêmio avalia mais de cem categorias entre aplicativos, publicidade interativa, jogos, filmes e vídeos online. O Expedia dispõe de mais de 140 mil hotéis e 200 companhias aéreas e ganhou, recentemente, a função itinerário, ferramenta que permite ao usuário fazer check in, visualizar horários de partidas de voos, mapas e informações sobre hotéis e aluguel de veículos. Ele é gratuito e é compatível com iPhone, Android e Windows 8.

O

INOVAÇÃO

Por dentro, um computador; por fora, uma caixa de papelão reciclável. APC Paper recebeu o prêmio Computex 2013 por design e inovação concedido pelo Conselho Taiwan External Trade Council e pelo International Forum Design, de Hannover, por ter utilizado novos materiais na fabricação de seus computadores. O destaque é para o case em papelão reciclável, que combina com qualquer ambiente em casa ou no escritório, e uma motherboard com miniplacas (da Via Technologies). O hardware de pequenas dimensões integra memória, armazenamento e características de consumo I/O em uma pequena placa-mãe que pode ser conectada a TV ou monitor. http://www.viagallery.com/Products/apc-paper.aspx

A

Embora a tecnologia de m-payment por aproximação chamada NFC (Near Field Communication) não tenha decolado ainda no mundo, e deva representar apenas 2% do valor total das transações móveis neste ano, segundo o Gartner, algumas soluções estão sendo experimentadas pelas operadoras visando a disseminar novas tecnologias. A TIM é uma delas – fechou parceria com o Itaú, Mastercard e Redecard em janeiro, e, em maio, anunciou outra com o Bradesco, Visa e Cielo, cujos pilotos estão em andamento. "Estamos testando grupos de pessoas selecionadas nos dois projetos para pagamento de contas via celular com NFC", informa Carlos Roseiro, diretor de serviços financeiros da TIM Brasil. Os primeiros aparelhos embarcados com NFC são smartphones da Motorola, LG e Samsung. Com eles (cedidos pelos fabricantes), os usuários pagam suas compras com cartão de débito dos dois bancos, das bandeiras Visa e Mastercard, em restaurantes e lojas de São Paulo e no Rio de Janeiro e em POS habilitados da Cielo e Redecard. O lojista digita o valor da compra na máquina POS e o cliente apenas aproxima o smartphones da máquina para finalizar a transação. "Os valores são debitados na fatura do cartão de crédito ou descontados da conta corrente do cliente (em cartões de débito)", observa Roseiro. A empresa aposta que a tecnologia NFC terá uma ampla adesão no futuro próximo. Tanto a TIM como a Vivo aderiram ao sistema de carteira virtual no celular com crédito carregado previamente, nos mesmos moldes do sistema da Oi e destinado aos "sem banco". Segundo Roseiro, "os testes são importantes para ganharmos conhecimento sobre a tecnologia, capacitar colaboradores internos e avaliar dificuldades na hora de dar continuidade ao serviço".

TV

Um recurso para tornar inteligentes os aparelhos comuns

e ainda não foi possível comprar uma SmartTV, a alternativa pode ser adotar um aparelho que permite a televisores comuns e monitores com entrada HDMI acesso à internet, vídeos, serviços de streaming de vídeos, séries e músicas, tudo de forma bem mais interativa. O Linkbox, da Gradiente, vem com teclado pequeno sem fio e com iluminação interna para navegar no televisor, mesmo em ambientes escuros. O touchpad do teclado funciona como mouse para direcionar o cursor. O aparelho traz sistema operacional Android e vários aplicativos adaptados para a tela grande (Netflix, YouTube, UOL, IG, Estadão, Climatempo, redes sociais e conteúdos infantis). Memória de 4GB, conexão HDMI, entrada para SD Card e duas USB. Pode ser conectado à internet por Wi-Fi e cabo de rede. Custa R$ 499.

S


Diário do Comércio - 11062013