Page 1

São Paulo, sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

R$ 1,40

www.dcomercio.com.br

Jornal do empreendedor

Na China, onde Dilma faz viagem de negócios, o ministro da Ciência e Tecnologia (dir.) diz que o governo dará prioridade total ao etanol e estuda criar imposto para carros importados ou nacionais movidos só a gasolina. Pág. 5

Conclusão: 23h50

Ano 86 - Nº 23.349

IMPOSTO MERCADANTE

Fabio Motta/AE

Início da trégua: lá vem míssil!

A paz africana não chegou ao front líbio

Os palestinos em Gaza anunciaram a trégua, aceita por Israel. E dispararam um míssil. Página 8

Aviões da Otan destruíam tanques, rebeldes e forças do governo se enfrentavam, mas, em Trípoli, Kadafi (foto) surgiu pelo teto solar de um carro com um plano de paz da União Africana. Pág. 9 Louafi Larbi/Reuters

José Patrício/AE

Goleada do 'mistão' alimenta o sonho tricolor Mesmo desfalcado, o São Paulo derrotou o Noroeste em Bauru por 4 a 1 (Ceni marcou seu 101º gol) e é o único que ainda pode superar o Palmeiras de Felipão (acima) na última rodada da 1ª fase do Paulista. Na estreia de Muricy, o Santos ficou no 0 a 0 contra o Americana. O Timão perdeu para o São Caetano (2 a 1). Esporte Célio Messias/AE

HOJE Sol com pancadas de chuva Máxima 28º C. Mínima 15º C.

AMANHÃ Sol com pancadas de chuva Máxima 29º C. Mínima 17º C.

ISSN 1679-2688

23349

9 771679 268008

Política fiscal de Dilma está bem ajustada à realidade. Análise de Delfim Netto. Página 2

100 dias de governo: Dilma segue Lula. Com mudanças mínimas na política exterior. Página 7

Todo o trabalho entre o trem que fecha a noite e o que abre cada dia. Página 10

Lições de Realengo: Kassab quer mais segurança nas escolas de São Paulo. Página 11

Crianças seguem os modelos dos pais. Inclusive na hora de fazer compras. Página 15


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

No meu entender, Mantega está fazendo uma política ajustada às necessidades de nosso crescimento. Delfim Netto

pinião

Ascensão social e a política econômica

PAULO SAAB

GOVERNO E VALE

Paulo Liebert/AE

A

política fiscal no governo da presidente Dilma Rousseff está bem ajustada à realidade. Não exige, de fato, um ajuste dramático, como se dizia. Temos uma situação fiscal bastante razoável comparada ao resto do mundo, com um pequeno déficit, uma dívida líquida de 45% do PIB e bruta de 65%. O ajuste feito neste início de governo não se destina a fazer um corte na despesa pública, mas sim no ritmo de aumento da despesa de custeio: uma redução no crescimento da despesa de aproximadamente 3% ao ano, com o PIB crescendo 4% ou 4,5%. Inicia-se, assim, uma caminhada em que o PIB deverá crescer mais do que as despesas do governo – portanto, sem descontrole fiscal, ampliando a margem para os investimentos públicos que são fundamentais para impulsionar o desenvolvimento econômico. No meu entendimento, o ministro Guido Mantega está fazendo uma política ajustada às necessidades de nosso crescimento, enquanto na execução do Orçamento a ministra Myriam Belchior está cumprindo a promessa de "fazer mais com menos", uma tarefa difícil e muito interessante. No Banco Central, a política monetária do presidente Alexandre Tombini está bem conduzida, recorrendo aos velhos instrumentos que hoje são chamados de macroprudenciais. O que isso diz à sociedade ? É que não basta sentar lá e mexer nos juros em sintonia com as manifestações do "mercado": sobe os juros porque o "mercado" quer; baixa os juros porque o "mercado" está esperando... Para fazer justiça, desde a última reunião da gestão Meirelles, no governo passado, já se sentia uma mudança que, parece, vai prosseguir. Isso mostra que a equipe econômica está sintonizada com a nova realidade da economia mundial. Nos últimos cinco anos o Brasil

DEVEM EXPLICAÇÃO O ministro da Fazenda, Guido Mantega: política ajustada às necessidades do crescimento do País. E há que se observar ainda uma ascensão social nítida na sociedade brasileira.

aperfeiçoamento que acontece na sociedade brasileira em vários níveis profissionais. A discussão que existe é se isso pressiona a inflação. Sim, mas o que se precisa é atacar esses problemas de formação da oferta. Não vai resolver o problema subindo a taxa de juros ou baixando a taxa de juros.

E

DELFIM NETTO não cresceu mais do que 5% ao ano e a inflação ficou em 4,7% ou 4, 8%. Este ano o PIB deve crescer 4,5% ou 4,6% e é muito difícil provar que há um excesso de demanda global. O que se alega? É que o mercado de trabalho está "apertadíssimo", falta mão de obra, a indexação salarial

pressiona a inflação – quando na verdade o que está ocorrendo é uma mudança na estrutura do mercado de trabalho, um processo de civilização que altera os níveis de remuneração e está qualificando mais as pessoas. É importante entender que há todo um processo de ascensão social em marcha e de

xiste uma mudança muito mais qualitativa do que quantitativa. Por exemplo: tinha um "cara" que era lavador de automóveis num shopping center. Nisso começou a ser construído um prédio ao lado e ele se candidatou ao emprego de pedreiro, passando a ganhar o piso salarial, perto de R$ 1.400, quando antes ganhava cerca de R$ 600 lavando carros. Da mesma maneira, perto de dois milhões de trabalhadores se prepararam num curto prazo. Esse momento de ascensão social modifica a estrutura do mercado de trabalho. É um mecanismo civilizatório e não se deve pensar em combatê-lo com taxa de juros. ANTÔNIO DELFIM NETTO É PROFESSOR EMÉRITO DA FEA-USP, EX-MINISTRO DA FAZENDA, DA AGRICULTURA E DO PLANEJAMENTO

O INVESTIDOR NÃO É BOBO O

ex-presidente do Banco Central Armínio Fraga, economista brasileiro de credibilidade internacional, acha que devemos subir nossa taxa de investimentos de 18% do PIB para, no mínimo, 30. Só assim estaremos mais próximos do patamar de outras nações emergentes. Mas como atrair investimento em um país com nossa legislação trabalhista, os nossos juros, nossos portos, estradas e impostos? O Chile é reconhecido como o país melhor equipado de leis do continente. Para ter uma ideia, os juros lá andam na casa dos 3%, ou, excepcionalmente, 5%, ao ano. A burocracia é nórdica. E, apesar de limitado até pelo espaço, cresce e desperta credibilidade.

infraestrutura. Não podemos viver em função do pré-sal, que demora e é caro. Vamos ser realistas e não ficar adiando as reformas.

ARISTÓTELES N DRUMMOND Tentam aperfeiçoar o capitalismo e não implantar um socialismocapitalista, que não existe senão na cabeça de quem não sabe das coisas e gosta de explorar a ignorância do próximo. O governo da presidente Dilma, que parece pragmático, poderia soltar um "pacote do progresso" e dar ao Brasil as condições mínimas de concorrer com os

outros para o investimento de risco. O dinheiro que tem entrado é de empréstimos ou aplicações no mercado financeiro ou de ações, majoritariamente. E foge na primeira nuvem. Os analistas internacionais já falam muito no peso de nossa despesa pública, nas limitações de nosso crescimento pela falta de investimentos de porte na

os últimos anos, crescemos menos do que Rússia, Índia, China, Coreia do Sul . Não podemos continuar a empurrar com a barriga as grandes mudanças e, por outro lado, dar a impressão de que somos fracos diante da baderna sindical e da demagogia do legislador – que distribui benesses, algumas justas, mas com o dinheiro do empreendedor, que assim vai perdendo competitividade . ARISTÓTELES DRUMMOND É JORNALISTA E VICE-PRESIDENTE DA ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DO RIO DE JANEIRO.

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cláudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

E

sta coluna completa agora em junho 29 anos de publicação neste Diário do Comércio. O meu leitor sabe que ao longo de todos esses anos jamais me utilizei deste importante espaço para qualquer coisa que fosse de ordem pessoal e fora do foco do interesse público. Hoje, peço licença para abordar um tema de meu interesse direto, embora não deixe de ser também de absoluto interesse público. Falo da situação da Vale. Sou um acionista absolutamente minoritário daquela empresa, como milhares e milhares de outros brasileiros que, lá atrás, usaram recursos próprios para adquirir um lote de ações quando a antiga estatal foi privatizada. Com toda minha crença ideológica – e prática – calcada na liberdade de mercado e nos fundamentos da iniciativa privada (quanto menos Estado melhor) regozijei-me com a privatização, passei a acompanhar de perto sua gestão e, sempre que conseguia uns caraminguás no fim do mês, adquiria ao preço da ocasião mais algumas ações da Vale. Sempre certo de que sua gestão era absolutamente empresarial e fora dos tentáculos do poder público. Com isso fiz uma carteira, ridiculamente pequena diante da imensidão da empresa e seu capital, mas expressiva para um jornalista leigo em mercado de capitais. ontinuo acreditando na Vale. Antes, um parêntese. Não conheço o sr. Roger Agnelli, que está sendo defenestrado da presidência da grande empresa por interferência do governo federal. Mas, a forma como foi fritado, desde lá de trás pelo então presidente Lula, para quem tudo que era do governo ou tinha no governo parte de controle, lhe pertencia pessoalmente, é lamentável. Agora, na nova gestão, a perseguição continuou até a queda de Agnelli, para a indicação de um presidente vindo das graças do Palácio do Planalto. Ou seja, o dedo do governo e seus interesses – quase nunca coincidentes com os da Nação – querem influenciar numa empresa que tinha uma estratégia característica da iniciativa privada e, por isso, dava lucro e mereceu a confiança de milhares, repito, de pequenos investidores.

C

Que confiança os pequenos acionistas da empresa terão? Podemos confiar que a empresa seguirá séria, competitiva, ou se tornará um cabide de empregos do poder público?

Disse acima que tratava de interesse pessoal, mas obviamente, falo de todos os acionistas minoritários da Vale que, para os controladores e, especialmente, os interesses o governo federal, não existem. Que confiança cada um de nós, pequenos acionistas da empresa, terá? Poderemos continuar acreditando que a empresa seguirá séria, competitiva, ou vai se transformar em mais um cabide de empregos do poder público, e pior, manipulável ao sabor dos ventos para onde os governantes querem seguir? Em algumas coisas o Brasil não muda, por mais que evolua. Na ingerência ostensiva, agressiva, dos interesses políticos e partidários na condução da vida do País. Quando a Vale foi privatizada era um monstrengo estatal caindo de podre e sem força econômica. Hoje é uma das maiores companhias particulares do mundo, mas tem o governo como acionista através dos Fundos de Pensão e não resistiu à gula de colocar seu apetite insaciável no comando. ortanto, estou defendendo, ou ao menos protestando, em meu nome pessoal, mas em algo de interesse público, contra a forma como tudo foi conduzido, pelo desrespeito aos acionistas e pela insegurança que agora atinge os acionistas, com medo de a Vale ser transformada de novo em um elefante sob o domínio do governo. A Vale e o Planalto devem urgentemente uma explicação e uma palavra de tranquilidade – a mim, ao mercado, aos acionistas, aos brasileiros. Quero voltar a dormir sossegado. E não ficar apavorado de olho nas cotações a cada minuto.

P

PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro (aribeiro@dcomercio.com.br) Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Fernanda Pressinott, Kleber Gutierrez, Marcus Lopes, Rejane Aguiar e Tsuli Narimatsu Redatores: Adriana David, Anna Lucia França, Eliana Haberli ,Evelyn Schulke, e Sérgio Siscaro Repórteres:Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André de Almeida, Fátima Lourenço, Geriane Oliveira, Giseli Cabrini , Ivan Ventura, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mário Tonocchi, Neide Martingo, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vanessa Rosal, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Comercial Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações José Gonçalves de Faria Filho (jfilho@acsp.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Globo e Reuters Impressão Diário S. Paulo Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

o

3

PLANOS ENERGÉTICOS AMERICANOS SÃO FORMULADOS POR ACADÊMICOS E BUROCRATAS.

pinião

As fantasias energéticas de Obama

A

gasolina já está custando mais de quatro dólares por galão em quase toda a Califórnia – e subindo bastante em outras partes dos Estados Unidos também. Mas preços tão elevados são bons ou ruins? Essa seria uma pergunta estúpida. No entanto, não é, na medida em que a administração Obama suspendeu novas explorações de petróleo nas costas dos Estados Unidos, restringiu as licenças de arrendamento no oeste do país e mantém intocadas áreas ricas em petróleo no Alasca. Recentemente, o presidente Obama esteve no Brasil e falou a respeito das novas descobertas de petróleo na costa desse país: "Com as novas descobertas de petróleo ao largo da costa do Brasil, a Presidente Dilma Rousseff declarou que o Brasil quer ser um grande e estável fornecedor de energia, e eu lhe disse que os Estados Unidos querem ser um grande consumidor dessa energia, o que seria uma situação de ganho mútuo”. Pondere a lógica dessa declaração orwelliana do presidente Obama: nos últimos dois anos, os Estados Unidos restringiram o mesmo tipo de exploração de petróleo que o Brasil está se apressando para levar adiante. Acumulamos mais de US$ 4 trilhões em déficits orçamentários consecutivos e estamos perto da insolvência fiscal. Portanto, os Estados Unidos deveriam ficar felizes por ter de emprestar mais dinheiro (emissão de títulos da dívida) para comprar petróleo dos poços offshore do Brasil, uma vez que, muito provavelmente, não vamos explorar as nossas próprias reservas em alto-mar. Parece que pagar muito mais por eletricidade e gasolina, à moda europeia, era parte original da nova agenda verde de Obama. Ele ajudou a empurrar os projetos de lei envolvendo o Cap&Trade na Câmara dos De-

putados em 2009 (quando ainda tinha a maioria). Se essa regulamentação bizantina tivesse sido transformada em lei, uma economia em recessão afundaria numa depressão. Obama nomeou o incompetente Van Jones para o posto de "czar dos empregos-verdes" – até que a linguagem desvairada de Jones confirmasse que ele nada entendia da função que teria de exercer, isto é, "promover as iniciativas da administração Obama quanto ao clima e energia". Numa época de déficits de trilhões de dólares, o governo americ a n o e s t á c o ntraindo empréstimos de bilhões para estimular o trem-bala e investiu pesadamente no Chevy Volt, da Government Motors, um carro elétrico (híbrido) que custa a bagatela de 42 mil dólares. Ap are ntem ent e, neste caso o denominador comum é uma visão dedutiva de que os altos preços de energia forçarão os americanos a imitar o sistema de transporte da Europa: estatal e planejado de maneira centralizada.

E

ssa conclusão não é mais uma teoria da conspiração maluca, mas simplesmente a manifestação lógica de muitas das primeiras promessas de campanha de Obama. O secretário de Energia Steven Chu – responsável pela formulação da política energética americana – apresentou um resumo de suas ideias ao Wall Street Journal em 2008: "De alguma maneira, precisamos descobrir como aumentar

VICTOR DAVIS HANSON

Na medida em que o público fica revoltado com os preços da gasolina, Obama em pânico dá um giro para se gabar de que estamos extraindo mais petróleo do que nunca.

o preço da gasolina aos níveis europeus". Eu acredito que Chu, finalmente, está descobrindo esta tal maneira. Um ano antes, Chu foi ainda mais explícito em seu desprezo pelos tipos de combustíveis que hoje mantêm os americanos aquecidos e nas estradas: "O carvão é o meu pior pesadelo... Temos combustível fóssil em grande quantidade. E isso é realmente uma boa e uma má notícia. Não ficaremos sem energia, mas há carbono em nosso território suficiente para nos cozinhar a todos, sem dúvida". Sendo justo com Chu, ele estava apenas dando mais detalhes daquilo que o próprio Obama esboçou durante a campanha de 2008. Os preços ascendentes da energia são exatamente aquilo com que o então candidato Obama sonhava: "De acordo com o meu plano de um sistema de Cap&Trade, os preços da eletricidade necessariamente vão subir às alturas". Obama, tal como Chu, deixou esse sonho ainda mais explícito com relação ao carvão: "Assim, se quiserem construir termelétricas a carvão, que construam – mas nós as levaremos à bancarrota, uma vez que serão altamente taxadas por todos os gases do efeito estufa que emitem". Há uma enorme quantidade de ironias nessas fantasias energéticas, dignas de uma Alice no País das Maravilhas. Na medida em

A DIFÍCIL SITUAÇÃO DA INDÚSTRIA TÊXTIL BRASILEIRA

I

ndustrial do ramo têxtil, iniciei minha vida empresarial muito jovem, quando estudava engenharia e trabalhava na fabrica de linhas que fora fundada por meu pai em 1934. Minha experiência, portanto não é recente. Vivi os bons e os maus momentos das manufaturas. Acompanhei as decisões políticas. Com o mercado interno oferecendo oportunidades limitadas, a exportação era o caminho para aumentar as vendas e reduzir os custos. Na nossa empresa, chegamos a vender para mais de 30 países por alguns anos. As forças da produção conseguiam melhorar a balança de pagamentos do Brasil. Houve modificação nas medidas governamentais e pouco a pouco criou-se uma situação em que exportar produtos brasileiros significava vender com lucro zero – não somente devido a taxa de

câmbio e outros fatores mas principalmente pela incerteza da manutenção de regras e leis. Os Estados Unidos e Europa comerciam para entrega futura por preços fixados no ato da venda. Não temos condição de assumir este risco. Restam-nos mercados não tradicionais, e também a América do Sul e Central, mas aí também encontramos produtos do Sudeste Asiático a preços muito baixos. ossa salvação são os produtos agrícolas e minerais, nos quais mantemos condição de competitividade por que a natureza generosa nos dá amplas possibilidades. Cabe esclarecer que ao Brasil interessa também, e muito a exportação de produtos secundários e terciários, nos quais são agregados insumos e salários visando o grande objetivo: combater o desemprego. Nós estamos exportando artigos primários

N

Marcos Peron/Virtual Photo

que congregam mão de obra muito menor do que os que importamos já industrializados. Na verdade, as nossas exportações de têxteis aumentaram nos últimos doze meses em mais de US$ 200 milhões – mas as importações cresceram muito mais, batendo em US$ 1500 milhões. Somente da China nós compramos, em 2009, US$ 1365 milhões e em 2010 US$2148 milhões. Portanto,

houve um aumento de 56%. Da Índia, passamos de US$ 313 milhões para US$ 584 milhões , com um acréscimo de 86%. É um caminho perigoso para nós. O consumo desses produtos aumenta em nosso país mas a maior parte deles é fabricado no exterior. Os dados da ABIT sobre a evolução da balança comercial mostram que em 2005 a importação atingiu US$ 1476

A

s fantasias energéticas deste governo são formuladas por acadêmicos e burocratas que, em sua maioria, vivem em cidades, sem que precisem fazer grandes deslocamentos de casa para o trabalho e vice-versa, além de trabalharem para agências públicas. Esses utópicos não têm a menor ideia de que sem combustíveis e eletricidade a preços razoáveis, o agricultor autônomo não consegue produzir alimentos. O dono de fábrica não consegue produzir plásticos. O caminhoneiro não consegue levar os bens de consumo ao consumidor — coisinhas básicas: alface, iPads e calças Levis que a elite urbana tanto aprecia, mas não tem ideia de como alguém, em algum lugar, tornou possível a satisfação de seus desenfreados desejos de consumo. VICTOR DAVIS HANSON É UM HISTORIADOR , ESCRITOR E ARTICULISTA AMERICANO. AUTOR DE ESTÁ “POR QUE O OCIDENTE VENCEU”. TRADUÇÃO: HENRIQUE DMYTERKO PUBLICADO POR WWW.MIDIAAMAIS.COM.BR

ROBERT SCHOUERI

milhões FOB, passando a US$ 3776 milhões FOB em 2008 e saltando para US$ 4.968 milhões FOB e 2010. Enquanto isso, a exportação foi de US$ 232 milhões FOB em 2005, de US$ 1724 milhões FOB em 2008 e US$ 1443 milhões FOB em 2010. importação também é ascendente em tecidos e vestuário e é trágica a estimativa das importações sobre o nosso consumo. È evidente que num cenário assim é o Brasil quem fica em situação difícil, pois tanto é prejudicado com aumento de desemprego como na balança de pagamentos. Esta posição é muito desfavorável. Todos os países procuram contornar estes problemas e cabe ao nosso governo estudar a macroeconomia e criar situações para que a produção no Brasil possa aumentar, os custos possam diminuir e haja demanda maior para os

A

que o público fica revoltado com aos preços da gasolina, um Obama em pânico dá um giro para se gabar de que estamos extraindo mais petróleo do que nunca – mas apenas por algum tempo e somente porque seus antecessores aprovaram o tipo de perfuração que ele interrompeu. Todo o movimento em torno das mudanças climáticas, com justiça ou não, agora está em ruínas, graças a escândalos em série sobre pesquisas falsificadas, consecutivos invernos gelados e úmidos na maior parte da Europa e dos Estados Unidos, e os conflitos de interesse resultantes das tramas de enriquecimento de proeminentes pregadores do aquecimento global (antropogênico), tais como Al Gore.

trabalhadores brasileiros. Não deixamos de salientar que os produtos primários que exportamos têm maior procura e menor oferta no mundo. O comercio é uma via de duas mãos e, portanto, não é tão difícil negociar a venda de produtos industrializados a quem quiser comprar produtos agrícolas e minerais. Nosso objetivo aqui foi apresentar o problema. A solução é bastante complexa. Entre as muitas medidas possíveis está a eliminação das despesas sociais sobre a folha de pagamento, o que nos colocaria em condições melhores no mercado. A taxa cambial, os juros, o transporte e muitos outros fatores exigem providencias e estudos urgentes. ROBERT SCHOUERI É ENGENHEIRO TÊXTIL E 1º SUB-COORDENADOR DO CONSELHO DE CÂMARAS INTERNACIONAIS DE COMÉRCIO DA ACSP


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4 -.GERAL

Giba Um

3

gibaum@gibaum.com.br

Ninguém é de ferro: no fim da viagem à China, Dilma vai ver a Muralha e conhecer o exército de terracota da cidade de Xian.

k O pior momento de um homem é quando ele começa a endurecer «

el corazón e amolecer o resto da anatomia.

XICO SÁ // escritor e jornalista, integrante da bancada masculina do Saia Justa, no Twitter. Fotos: Paschoal Rodrigues

333 O Brasil importa, anualmente, 2,3 milhões de caixas de scotch e produz 1,6 milhões de litros de uísque. Ou seja: não é um mercado promissor, especialmente porque, depois do período entre os anos 60 e 80, quando o uísque era obrigatório entre os freqüentadores da noite, o consumo recuou. Dos anos 90 para cá, avançaram vodca, vinho branco, variantes de caipirinhas e a cerveja, proletária, foi ganhando status. Agora, os importadores de scotch estão até fazendo campanhas publicitárias – e com retorno: o Johnnie Walker já é o mais consumido nacionalmente. Também o Buchanan’s começa a ganhar suas primeiras peças. As duas marcas formam entre as mais consumidas, ao lado de Ballantine’, Chivas Regal e outros.

DELÚBIO 2012 333 Delúbio Soares, extesoureiro do PT nacional e expulso do partido na época do mensalão , teve ativa participação no colossal esquema de corrupção que infestava o primeiro mandato de Lula e no qual, segundo Antônio Fernando de Souza, ex-procurador-geral da República, José Dirceu aparece como coordenador da “organização criminosa”. Com sua anunciada volta aos quadros do partido, dia 29, Delúbio deverá começar a se dedicar à campanha pela prefeitura de Buriti Alegre, interior de Goiás, onde tem casa e familiares.

Alô, alô, Realengo 333 A quase totalidade dos 190 milhões de brasileiros não tinha a menor idéia de onde fica Realengo, até o massacre das crianças. Há anos, a conhecida composição de Gilberto Gil, Aquele Abraço (popularizada por Jorge Benjor), tinha trecho que falava de Realengo, para quem enviava um abraço, ao lado do Chacrinha e da torcida do Flamengo. Gil e sua mulher, Flora, acompanharam o assassinato das crianças pela CNN: estavam na Eslovênia, onde ele acaba de se apresentar – e pedir um minuto de silêncio em memória das pequenas vítimas. Mais: nas primeiras 24 horas depois da tragédia, Realengo aparecia em mais de 1,3 milhão de citações em matérias online e redes sociais.

UNS E OUTROS A novela Morde & Assopra, de Walcyr Carrasco, entra pelo terrenodaarqueologia,poucos dias depois de terem sido descobertos, no Maranhão, vestígios domaior dinossauro carnívoro do planeta, o espinossaurídeo . O que não significa, nem um pouco,quea profissão seja das mais amadas no Brasil: hoje, existem no país apenas 147 arqueólogos. Em compensação, a pátria já pode contar com 169 ex-BBBs. 333

333 Claudia Raia surgiu como uma das muitas integrantes do elenco de A Chorus Line, quando montado em São Paulo, no começo dos anos 80. Tinha 18 anos e continua apaixonada por musicais até hoje, a caminho dos 45 anos. Agora, exercitando essa sua paixão, resolveu posar para um ensaio fotográfico de Paschoal Rodrigues, lembrando a personagem celebrizada por Liza Minelli em Cabaret (estreou na Broadway em 1966 e virou filme em 1972, tudo com coreografia de Bob Fosse). E, certamente para manter a fama espalhada por Jorge Fernando, que jura que “ela é um travesti”, as fotos foram para a revista Junior, dedicada ao público gay.

Liza style

333 O massacre das crianças assassinadas na escola de Realengo, interior do Rio de Janeiro, que abala o Brasil e ganha repercussão em todo o mundo, poderá ter mais desdobramentos, segundo especialistas em criminologia, inclusive a brasileira Ilana Casoy. Agora, a CNN colocou no ar em todo o planeta grande matéria com estudiosos e pesquisadores desse tipo de brutalidade que apostam que, a exploração das tragédias como a da escola de Realengo, cometidas por psicopatas, pode provocar o surgimento dos famosos copycats. São aqueles que, vendo a notoriedade que esses crimes e seus autores ganham na mídia, são estimulados a copiá-los. Também o The New York Times acaba de dedicar uma matéria aos copycats, que chama de “efeito colateral de grande risco”, sem que ainda se tenha quaisquer fórmulas seguras para evitá-los.

Olho nos copycats

MAIS: em Portugal, ela queria dar um pulo a Mykonos, na Grécia (antigo desejo). A morte de José Alencar impediu.

Ninguém pode dizer que a nova novela Cordel Encantado, de Duca Rachid e Thelma Guedes, que estréia hoje, não fará sucesso por falta de elenco mais veterano e cheio de experiência. Ao lado de conhecidos galãs e jovens estrelas, que brilharam na apresentação do elenco, em São Paulo, no Porto Alcobaça, estavam figuras com muita bagagem como José Celso Martinez Corrêa (esquerda, de pellerine amarela), em sua primeira novela, a sempre estimulante Claudia Ohana (centro) e até Tony Tornado (direita). 333

Cordel de veteranos

Surfistinha também é cultura 333 Raquel Pacheco, a Bruna Surfistinha – quem diria – também é cultura. Ela acaba de participar do programa Mobile, da TV Cultura de São Paulo, onde repassou suas travessuras com o veterano apresentador e produtor de televisão, Fernando Faro, 78 anos. Lembrou sua primeira relação, entre 15 e 16 anos, com um namorado e como foi seu primeiro programa: “O cliente (ela sempre se refere aos pagantes com essa denominação) viu que eu estava nervosa, me acalmou, me deu bons conselhos para voltar para casa, mas eu não usei, não”.

h IN

Barra italiana (4cm).

OUT

Calça de boca lisa.

Viúvas de Lula O assessor internacional Marco Aurélio Garcia nunca foi convidado pela presidente Dilma Rousseff para qualquer audiência individual. Tem seu gabinete, secretárias e até foi a Cuba, pedir – supostamente, em nome do governador brasileiro – que Raul Castro ajude o Haiti na área de vacinas. Gilberto Carvalho, o Gilbertinho, secretário-geral da Presidência, raramente é convocado pela Chefe do Governo, nunca almoçou com ela na sala ao lado do gabinete presidencial e Dilma fica irritada quando ele dá entrevistas dizendo que se o governo dela for mal, “Lula estará no banco de reservas”. Os dois reclamam do tratamento recebido e funcionários do Planalto arrumaram um apelido para eles: são as viúvas de Lula . 333

11 de Abril

E

Também Dantas 333 No inquérito que corre em São Paulo sobre denúncias de propinas que teriam sido pagas por empresários que atuaram no Porto de Santos, no final dos anos 90, ou seja, ainda no período em que o vice-presidente Michel Temer tinha lá uma espécie de feudo (os presidentes da Codesp eram todos indicados por ele), haveria ainda um capítulo especial envolvendo também diretores da Santos Brasil, terminal de contêineres controlado pela Opportunity, de Daniel Dantas. O banqueiro também tem seu nome citado no novo relatório apresentado pela Policia Federal sobre o escândalo do mensalão .

Santa Gema Galgani

BOA IDÉIA Ângela Bismarchi, a primeira brasileira a participar do desfile das escolas do Rio totalmente nua e recordista de cirurgias plásticas (mais de vinte) virou febre na internet nesses dias depois quefoianunciadoqueela iriaimplantar um terceiro seio.O vídeo era uma brincadeira para o programa JornalSensacionalista, novo programa do Multishow. Só que muita gente levou a sério e a própria Ângela acabou confessando ter gostadodaidéia: “Meu maridoia sedivertir muito”.

333

MISTURA FINA PARA QUEM pretende ser líder de uma oposição, o discurso da semana passada, no Senado, de Aécio Neves (PSDB-MG), inspirou um novo apelido para o mineiro que sonha com a Presidência: rei da média. De uma única vez, conseguiu falar bem dos governos Sarney, Itamar, Fernando Henrique, Lula e Dilma. 333

333 O LIVRO A Fúria dos Reis, de George R. R. Martin, que já vendeu seis milhões de exemplares no mundo, é o novo bestseller no Brasil, onde já esgotou a primeira formada de 20 mil exemplares. Faz parte da saga As Crônicas de Gelo e Fogo, já comparada ao fenômeno O Senhor dos Anéis.

h

Força no uísque

3

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

333 O FIGURINISTA Ted Southern, criador das asas usadas pelas angels da Victoria’s Secret, suspirou aliviado, há tempos, quando a brasileira Gisele Bündchen não conseguiu renovar (queria dobrar o valor do contrato) com a conhecida grife. Agora, no New York Post , Southern fala sobre Gisele e só falta chama-la de barraqueira: é impaciente, grita muito e está sempre falando palavrões.

O BILIONÁRIO Eike Batista não pode nem ouvir falar o nome do escritor e jornalista Diogo Mainardi que, no programa Manhattan Connection, disse que ele estava “mais para Regina Duarte do que para empresário sério”, devido à sua vontade de aparecer na mídia. Agora, blogs de humor deitam e rolam em cima dessa comparação: um deles, resolve até trocar os cabelos da atriz pela peruca do bilionário. O resultado é impagável. 333

333 DIA 13, no Teatro Bradesco, acontecerá uma avant-première do espetáculo New York, New York, dirigido por José Possi Neto, com grande elenco revivendo no palco o famoso filme de Martin Scorsese, estrelado por Liza Minelli e Robert De Niro. As canções serão em inglês, com legendas. É uma sessão especial em prol de diversas entidades, dentro da ação beneficente Páscoa do Bem, de João Dória Jr.

Colaboração: Paula Rodrigues,Alexandre Favero

Solução

sta mística nasceu em Camigliano (Itália), em 1878, de família católica. Quando ficou órfã, aos 7 anos, já era profundamente religiosa; mais tarde, quis entrar no convento das passionistas mas foi recusada. Morreu, aos 25 anos, depois de receber os estigmas da Paixão.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

5 ETANOL NELES O Brasil não quer vender só commodities para os chineses

olítica

E TECNOLOGIA O Brasil também quer colocar produtos de alto valor agregado

Brasil quer mais etanol na China. E imposto aqui. Janine Moraes/Agência Câmara

Atenção pais: seus filhos vão receber um kit que diz que é para combater a homofobia, mas na verdade o material do Ministério da Educação estimula o homossexualismo. É um kit gay. Opinião do deputado federal Jair Bolsonaro sobre a campanha preparada pelo MEC para combater o preconceito nas escolas.

Marcello Casal Jr/ABr

O Bolsonaro tem se caracterizado como um deputado estúpido, mas ele foi eleito com essa estupidez. Avaliação feita pelo líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP).

Sobre o continente africano repousa a maldição do paganismo, do ocultismo, as misérias, as doenças oriundas de lá: ebola, aids e ainda a fome. Palavras do deputado Marco Feliciano (PSC-SP), pastor evangélico, postadas no Twitter em um dos seus ataques aos afrodescendentes.

Luiz Alves/Agência Câmara

O Judiciário não é mero assistente do desenrolar do processo Desembargador Celso Limongi que, com seu voto e de mais dois colegas, considerou ilegal toda a operação Castelo de Areia, investigação da Polícia Federal envolvendo mais de 200 políticos, doleiros e construtoras, suspeitos de participação em um esquema de fraudes em concorrências, superfaturamento e pagamento de propinas. Renato Araujo/ABr

Ainda há pessoas que dizem que o mensalão foi uma farsa. Farsa tem sido o faz de conta que se vive nesse país quando se trata de punição de poderosos, de políticos que, apesar de tudo, ainda ganham prêmios com cargos públicos. Reação do presidente da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcanti, sobre a existência ou não do mensalão.

Um país com Forças Armadas caracterizadas pelo apego a suas obrigações corrigiu seus próprios caminhos. Trecho do discurso de Dilma Rousseff, ao participar, pela primeira vez como presidente, de solenidade de promoção de oficiais das Forças Armadas.

Nilton Fukuda/AE

A OEA não tem nada a ver com isso, conhece muito pouco do processo de licenciamento brasileiro para dar um parecer desses. Resposta de Nelson Hubner, diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), à solicitação oficial feita pela Comissão de Direitos Humanos (CIDH) da Organização dos Estados Americanos (OEA) ao governo brasileiro para que suspenda imediatamente o processo de licenciamento da Usina de Belo Monte. Nunca vi alguém morrer por ter fumado maconha. Dizem que é saboroso. Governador Tarso Genro (PT), do Rio Grande do Sul, durante palestra sobre drogas a estudantes da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

A ideia do governo Dilma Roussef é destinar os valores arrecadados para o desenvolvimento estratégico

A

lgumas horas antes da chegada da presidente Dilma Rousseff à China, que ocorreu ontem à noite, o ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, disse em Pequim, que o governo brasileiro vai dar prioridade total ao etanol. Para tanto poderá criar um imposto para taxar automóveis nacionais ou importados movidos apenas a gasolina e, ainda, angariar recursos para o desenvolvimento estratégico do País, com investimentos em inovação tecnológica. A proposta faz parte do estudo para a criação de fundos setoriais nas áreas de indústria automotiva, sistema financeiro, mineração e construção civil. "Podemos tributar todo automóvel que não seja flex para criar fundos setoriais e financiar pesquisa e desenvolvimento", afirmou Mercadante. Durante sua visita de seis dias ao país asiático, a presidente pretende pôr o etanol na pauta das negociações internacionais mais importantes. Na lista dos 20 acordos que serão assinados com o governo chinês, há pelo menos um memorando de entendimento com o objetivo de "promover parcerias para o desenvolvimento da segunda geração de biocombustíveis". Mercadante não detalhou como seria a criação dos fundos setoriais e dos eventuais tributos, mas adiantou que tem conversado sobre o assunto com Dilma. "Estamos dialogando com todas as áreas envolvidas", disse. A ideia é criar "soluções fiscais" que possam fazer frente aos cortes no orçamento. No caso do setor automotivo, o aporte para o novo fundo poderia sustentar pesquisas sobre resistência de motores movidos a etanol. Grécia – De calça jeans e sorridente, a presidente Dilma Rousseff aproveitou seu último dia, em Atenas, na Grécia, para fazer turismo pela cidade, onde passou dois dias, numa escala da viagem à China. A visita de Dilma poderá gerar uma nova parceria entre os dois países. O governo grego tem interesse em comprar biocombustível brasileiro, como forma de cumprir metas da

John Kolesidis/Reuters

O premiê grego George Papandreou conversa por 30 minutos com Dilma e confirma interesse no etanol Patrícia Cruz/Luz

União Europeia de substituição progressiva ao petróleo. O anúncio foi feito pelo premiê George Papandreou durante encontro com Dilma. De acordo com o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, "eles estão muito interessados porque importam quase toda energia que usam." Na China, Dilma desembarca acompanhada por uma comitiva de cinco ministros e 237 empresários para ajudar a presidente a convencer os chineses a investir em produtos manufaturados.

Embora a China seja o maior parceiro comercial do Brasil, a pauta das exportações é dominada por commodities, como minério de ferro e petróleo. Para Mercadante, o Brasil precisa reverter essa situação para destinar "mais recursos para a ciência, a tecnologia, a inovação e impulsionar um grande projeto de desenvolvimento." Sem esses projetos, Mercadante afirmou que o Brasil corre o risco, agravado pelo pré-sal, da "doença holandesa", fenômeno que provoca a desindustrialização do país. (AE)

Mercadante: ciência com tributos.

Dilma vai abordar direitos humanos

E

m sua terceira viagem internacional, a presidente Dilma Rousseff chegou ontem à China, onde permanece até o dia 18, para colocar na pauta com o governo chinês discussões econômicas, comerciais, política internacional e direitos humanos. Mas os esforços da presidente deverão ficar concentrados na ampliação e diversificação do acesso aos produtos brasileiros na China. Para tanto, Dilma terá reuniões com o presidente Hu Jintao e o primeiro-ministro Wen Jiabao. Já os empresários brasileiros que acompanham a presidente consideram o mercado chinês fundamental, mas eles também cobram limites para as importações

provenientes da China. De acordo com os negociadores brasileiros, uma das expectativas é aumentar a exportação de carne para a China. O Brasil é o maior exportad o r d e c a r n e d o m u n d o. Porém, a tendência, segundo eles, é ampliar as negociações relativas aos produtos de valor agregado do Brasil. Na semana passada, o porta-voz da Presidência da República, Rodrigo Baena Soares, disse que a expectativa da viagem é que as conversas levem à abertura de oportunidades em vários setores do comércio na China. Baena Soares citou áreas que envolvem carne de porco, frutas e outros. Nas conversas com Hu Jintao, Dilma deve relacionar os

pontos comuns entre os dois países, mas sem excluir do diálogo questões como o tratamento dispensado aos direitos humanos. Segundo assessores que prepararam a visita de Dilma, não haverá constrangimento na conversa. O ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, reiterou que a preservação e a defesa dos direitos humanos é a base dos princípios, defendidos pelo governo Dilma, e que não se trata de uma questão sobre um ou outro país, mas de ordem mundial. Organizações não governamentais acusam a China de vetar a liberdade de expressão e individual e impedir as ações de grupos de oposição à gestão de Hu Jintao. (Agências)

PSDB-SP escolhe aliado de Alckmin Sergio Kapustan

Rahel Patrasso/Frame/AE – 17/3/2011

C

andidato do governador Geraldo Alckmin, o secretário estadual de Gestão Pública, Julio Semeghini, foi eleito ontem, por aclamação, presidente do diretório do PSDB da capital, em convenção realizada na Câmara Municipal de São Paulo. Embora não tenha enfrentado adversário, sua eleição foi marcada pela ausência da bancada de vereadores na hora da aclamação. Dos 13 vereadores, só Tião Farias esteve presente. Por coincidência, apenas Tião apoiou Alckmin na eleição à Prefeitura de São Paulo em 2008, quando ficou em terceiro lugar e fora do segundo turno. A bancada tucana apoiou em peso a reeleição do prefeito Gilberto Kassab. "Apoiei o candidato do partido", justificou Tião após saudar o novo presidente do PSDB paulistano. Na abertura da convenção, o ex-presidente municipal José Henrique Reis Lobo defendeu a revitalização do partido e o fim das disputas internas. Alckmin

Julio Semeghini e o governador, juntos na disputa.

disse que a disputa é positiva porque mobiliza a legenda. Durante a convenção, os grupos pró-Alckmin e pró-vereadores trocaram farpas nos bastidores. O grupo parlamentar ignorou a eleição de Semeghini depois de não garantir a indicação de um representante da bancada para ocupar a secretaria geral. O cargo de secretário geral é um dos cargos mais importantes da executiva, pois cuida da parte de organização do partido. Com maioria no diretório, 43 contra 28, os aliados de Se-

meghini recusaram a proposta. As duas partes se reuniram na presidência da Câmara para um acordo. O encontro foi marcado pela tensão. Conhecido pelo descontrole, o vereador Dalton Silvano deixou a reunião aos gritos, sendo contido pelo aliado Gilson Barreto. De acordo com Semeghini, não havia necessidade de indicar o secretário geral ontem. Seu grupo defendia uma nova data, quinta-feira, para escolher os demais cargos da executiva. O líder da bancada, Floriano Pesaro, informou que os verea-

dores estão fora de tudo que diz respeito à executiva municipal. "Não participamos mais do processo eleitoral municipal", garantiu. Sem donos– Em discurso de conciliação, o secretário estadual Edson Aparecido (Desenvolvimento Metropolitano), aliado de Semeghini, defendeu a decisão do diretório e a conciliação interna. Segundo o secretário, além de parlamentares, que serão ouvidos, a base da legenda também tem direito de se manifestar. "O partido não é só de vereadores", sintetizou. No mesmo tom, Semeghini afirmou que consultará a bancada para preencher os demais cargos da executiva. O presidente eleito prometeu trabalhar em favor da democracia interna. "Vamos trabalhar pela união e abertura do partido". Com a eleição de Semeghini, caberá a ele comandar o processo de escolha da candidatura tucana à Prefeitura da Capital em 2012. Citado como o melhor candidato, José Serra não participou da convenção. (Leia mais na página 6.)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

A população brasileira já demonstrou diversas vezes que é contra o aborto Hermes Rodrigues Nery, secretário-geral do movimento contra o aborto

olítica

CRUZADA POPULAR POR UM

BRASIL SEM ABORTO

Movimento para mudar a legislação já recebeu dez mil assinaturas

J.J.Leister/AE – 29/7/2010

Mário Tonocchi

O

projeto de iniciativa popular de emenda à Constituição do Estado de São Paulo, que estabelece o início da vida humana na concepção, já alcançou 10 mil assinaturas. Lançado no final do ano passado pela Comissão Diocesana em Defesa da Vida da Arquidiocese de Taubaté, no interior paulista, tem como objetivo chegar a 300 mil signatários, número necessário para apresentação legal da proposta. Pelas contas da arquidiocese, serão necessários dois anos para completar a lista. A coleta é do Movimento Nacional da Cidadania pela Vida – Brasil Sem Aborto. De acordo com o secretáriogeral do Movimento, Hermes Rodrigues Nery, vereador em São Bento do Sapucaí, a intenção é mostrar, com a Proposta de Emenda Constitucional (PEC), que a população é contra o aborto. A iniciativa quer evitar a descriminalização do aborto, em discussão no Congresso desde 1991. "Vamos mostrar que temos força para lutar contra a descriminalização do aborto. A vida humana já começa na concepção", defende o secretário. Sem efeito prático – Mesmo que o Movimento Brasil Sem Aborto consiga alterar a Constituição do Estado de São

Paulo, a única de todos os estados brasileiros que aceita propostas de mudanças a partir de iniciativas populares, se a lei federal sobre o assunto for aprovada pelo Congresso e sancionada pela presidente da República, ela prevalecerá so-

A vida é certamente o valor maior que temos e deve ser defendida desde a sua concepção. LUIZ GONZAGA BERGONZINI, BISPO DE GUARULHOS bre a legislação estadual. A intenção inicial do movimento era apresentar uma PEC alterando a Constituição brasileira, para definir a concepção como o início da vida humana. Isso, entretanto, não é possível porque a PEC 25/95, com a mesma finalidade, foi rejeitada e arquivada em 1998 pelo Congresso Nacional. A Constituição brasileira não especifica quando começa a vida. Este é o grande embate jurídico sobre o início da personalidade jurídica de quem acabou de nascer no Brasil. Os natalistas defendem a vida depois do parto. Já os concepcionistas enxergam a vida humana exatamente no momento da fecundação do óvulo.

Presidente – Uma preocupação dos que defendem a restrição do aborto só aos casos já determinados pela lei, como em casos de estupro e de risco de vida materno, é que a presidente eleita Dilma Rousseff (PT) desconsidere as promessas que fez durante a campanha presidencial. Depois de perder seis milhões de votos no primeiro turno, segundo Nery, por defender a descriminalização, ela garantiu que não vai agir para ampliar as possibilidades de aborto fora do que é legal atualmente. Epicentro da mobilização contra a então candidata Dilma Rousseff, justamente pelo apoio à descriminalização do aborto, o bispo de Guarulhos, dom Luiz Gonzaga Bergonzini afirma que ela pode, sim, descumprir a promessa e levar adiante a descriminalização. "A vida é certamente o valor maior que temos e deve ser defendida desde sua concepção", observou o bispo no lançamento da campanha. "A população brasileira já demonstrou diversas vezes que é contra o aborto. As pesquisas mostram isso", observou Nery. Um dos últimos levantamentos, do Instituto Vox Populi, divulgada em dezembro passado, mostrou que 82% dos entrevistados eram contra descriminalizar o aborto, 60% não querem permitir a união civil de gays e 87% são contra a legalização do uso de drogas.

Dom Luiz Gonzaga Bergonzini acredita que Dilma Rousseff pode não cumprir promessa de campanha em relação ao aborto e levar adiante a descriminalização

Marcos de Paula/AE -– 1/1/2011

E o que o STF vai dizer que é lei A Corte julga ainda neste ano uma variante na ampliação do aborto

O

O governador do Rio, Sérgio Cabral, é autor de ação sobre a legalidade ou não da união homossexual.

SECRETARIA DE TRANSPORTES Aviso de Audiência Pública nº 001 A SMT e a SIURB, tornam público que realizarão AUDIÊNCIA PÚBLICA, em atendimento as disposições do art. 39 da Lei 8.666/93 para colher subsídios e informações dos participantes, objetivando o aprimoramento dos documentos técnicos e procedimentos licitatórios relativos ao PROGRAMA DE MOBILIDADE URBANA abordando os seguintes temas: Implantação de novos eixos e corredores; Requalificação de eixos e corredores; Terminais de ônibus; Demais intervenções afetas ao programa. A audiência Pública será iniciada às 18:00h do dia 28/04/2011 na sede do instituto de Engenharia de São Paulo, à rua Dante Pazzanese nº 120. Durante a audiência os interessados terão acesso a todas as informações disponíveis.

SECRETARIA DE GOVERNO COMUNICADO PREGÃO PRESENCIAL A SECRETARIA DO GOVERNO MUNICIPAL PREGÃO PRESENCIAL N° 02/2011-SGM Processo: 2010-0.353.430-5 Objeto: Contratação de empresa especializada para prestação de serviços de limpeza, asseio e conservação predial visando a obtenção de adequadas condições de salubridade e higiene com disponibilização de mão de obra e com fornecimento de materiais de limpeza, saneantes domissanitários, papel toalha e papel higiênico, máquinas, utensílios e equipamentos incluindo-se desinsetização e desratização a serem executados nas instalações do Edifício Matarazzo - Viaduto do Chá, nº 15; do Edifício São Joaquim - Rua Líbero Badaró, nº 119; Galeria Prestes Maia Praça do Patriarca; da Comissão Municipal de Direitos Humanos - Páteo do Colégio, nº 5 e da Procuradoria da Fazenda Municipal - Av. Prof. Ascendino Reis, 1130, Portão B, Vila Clementino. Comunicamos aos interessados que a abertura do certame acima mencionado será realizado no dia 26/04/2011 às 14:00 hs. Informamos que as interessadas que já realizaram vistoria, não haverá necessidade de nova vistoria. O novo caderno de Licitações, composto de Edital e seus Anexos, poderá ser acessado por meio de consulta ao site http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br ou, ainda, obtido na Rua Libero Badaró, 119 - 9º andar - das 09:00 às 16:00 hs até o último dia útil que anteceder a abertura do certame, mediante o recolhimento da importância de R$ 0,15 por folha, através de Guia de Recolhimento que será fornecida pela Administração de Compras e Contratos da SGM.

Supremo Tribunal Federal (STF) deve colocar em pauta, neste ano, uma ação ajuizada em 2004 pela Confederação Nacional dos Tr a b a l h a d o r e s n a S a ú d e (CNTS) que trata da "antecipação terapêutica do parto". Na prática, o Supremo vai determinar se a mulher tem ou não o direito de praticar a antecipação. Para especialistas, a aceitação da proposta da Confederação significa a ampliação das possibilidades de aborto no Brasil. Hoje a interrupção da gestação é prevista pelo Código Penal apenas nos casos de risco materno e estupro. Na discussão da legalização ou não do aborto no País, há

grupos que querem ir além dos casos previstos em lei. Um deles é o Católicas pelo Direito de Decidir. A organização não governamental instalada na capital paulista prega o que anuncia seu nome. "A mulher tem que ter todos os direitos de decidir se leva adiante ou não sua gestação", diz Rosângela Talib, coordenadora da ONG. Isso vale para a mulher que passa por risco de morte durante a gestação ou no parto. Para os defensores do aborto não é possível "fechar os olhos" para o estimado 1,5 milhão de abortos clandestinos, aproximadamente, realizados anualmente no Brasil por parteiras ou criminosos do contrabando de medicamentos proibidos.

"Temos que tratar o aborto como uma questão social, não religiosa", completou Talib. Outros temas – Além do debate sobre a antecipação terapêutica do parto, o STF também vai decidir sobre a legalidade ou não da união homossexual em ação movida pelo governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), e as cotas universitárias. Neste caso, há dois processos. Em um deles, o Democratas questiona a constitucionalidade do sistema de cotas raciais da Universidade de Brasília (UnB). Em outro, o estudante Giovane Pasqualito Fialho contesta a reserva de vagas para alunos do ensino público na Universidade Federal do Rio Grande do Sul. (MT)

Partidos já se preparam para 2012 Arquivo DC

Mário Tonocchi

O

calendário eleitoral para 2012 tem início oficial no próximo dia 1º de setembro, pouco mais de de um ano antes da eleição. Mas as articulações e disputas dentro dos dois grandes partidos que polarizam as disputas nos últimos anos pela definição dos nomes para a prefeitura e a Câmara Municipal de São Paulo já dominam a política paulistana. No Partido dos Trabalhadores (PT), a ordem para o início dos trabalhos veio do ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva em fevereiro deste ano, na comemoração dos 31 anos do PT. "É importante que a gente comece a discutir o que a gente vai querer para 2012 agora. Não deixar cada um lançar seus candidatos, para depois tentar consertar, porque nós sabemos que não dá certo. E nós sabemos que tem muita cidade em jogo em 2012. Nós precisamos começar já a maturar as alianças que nós precisamos fazer", disse Lula. Segundo representantes do

Aníbal pode sair candidato

PT, o próprio Lula cuida da articulação de nomes para disputar a prefeitura de São Paulo. Entre os cotados estão os ministros da Justiça José Eduardo Cardozo, da Educação Fernando Haddad e da Saúde Alexandre Padilha. Os nomes, entretanto, sofrem resistências, já que a tendência natural do partido é manter candidatos já conhecidos e que atraem votos, como Marta Suplicy e Aloizio Mercadante. PSDB -No Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB),

o nome mais cotado para concorrer à prefeitura de São Paulo até o momento é o do ex-candidato à Presidência da República, José Serra. A construção do nome, entretanto, passou primeiro pela disputa da nova Executiva Municipal do PSDB paulistano (veja texto na página 5). Com o secretário de Gestão Pública estadual Julio Semeghini à frente do diretório municipal, pode ser lançado o nome de José Aníbal, secretário de Energia do governo paulista, para prefeito em 2012. Serra também trabalha na frente nacional, enquanto costura sua candidatura para a prefeitura de São Paulo. Na semana passada, ele defendeu que o partido lance uma campanha para adoção do voto distrital puro para as eleições municipais de 2012. O ex-governador de São Paulo quer a aprovação do projeto apresentado ao Congresso Nacional na última quinta-feira pelo senador Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP). "Temos que ter um foco. Na minha opinião, temos que concentrar esforços para a eleição municipal de 2012", defendeu Serra.

MST invade 36 fazendas

S

ubiu para 36 o número de fazendas invadidas pelo Movimento dos SemTerra (MST) nas regiões do Pontal do Paranapanema, Alta Paulista e Araçatuba, no oeste do Estado de São Paulo, desde a madrugada de sábado. Pelo menos seis áreas foram invadidas na manhã deste domingo. As a ç õ e s f a ze m p a r te d o "Abril Vermelho", a jornada de lutas do movimento. Os militantes, liderados pelo dissidente José Rainha Júnior, reivindicam a retomada da reforma agrária na região, com a criação de assentamentos para seis mil famílias. As ocupações vão continuar até o dia 17, data do "Massacre de Eldorado dos Carajás". (AE)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

7 Tudo o que eu quero é um microfone para continuar falando. Luiz Inácio Lula da Silva, ex-presidente

olítica

DILMA - 100 DIAS NO PLANALTO

Omelete, feijão e arroz. À exceção de alguma mudança na política externa, presidente segue à risca a receita do seu antecessor, com uma base de apoio no Congresso ainda maior que a dele. Renato Rocha Miranda/TV Globo

Sergio Kapustan

E

Dilma teve a sorte do presidente Lula e o estilo racional do presidente FHC. Em termos de estilo, ela está mais próxima de FHC. RUDÁ RICCI

Há uma ajuste estratégico. Isso implica uma volta à nossa tradição diplomática de combate às ditaduras. DEMÉTRIO MAGNOLI

Marcello Casal Jr. –19/3/2011

to que o identifica: "Feijão com arroz". De acordo com Velloso, a única novidade de Dilma foi admitir investimentos privados nos aeroportos brasileiros, segundo entrevista dada ao

Monica Zaratinni/AE – 5/9/2005

Velloso: a única novidade de Dilma foi admitir investimentos privados nos aeroportos brasileiros, diz.

jornal Valor Econômico. O resto é a repetição da era Lula. "Antes, no governo Lula, houve um entendimento de que a Infraero poderia reformar os aeroportos por sua competência. Agora, a presidente mudou a política, o que é salutar para o País", destaca Velloso. Heranças– Quase no mesmo tom do economista, o sociólogo Rudá Ricci, autor de Lulismo - Da Era dos Movimentos Sociais à Ascensão da Nova Classe Média Brasileira, destaca que Dilma herdou de Lula o descontrole da inflação, que pode comprometer o financiamento de programas de transferência de rendas, como bolsa família, a relação fisiológica com a base governista no Congresso e as greves de trabalhadores e profissionais da construção civil em obras do PAC, nas hidrelétricas de Jirau e Santo Antônio, em Porto Velho (RO), além dos

LULA - 100 DIAS LONGE Título de doutor, microfone e dinheiro no bolso.

O

Newton Santos/Hype - 16.06.2010

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva já está há 100 dias fora do poder; nem por isso o cidadão Lula está passando apuros. Assim que desceu a rampa do Planalto, iniciou uma bem sucedida, e remunerada, carreira de palestrante. A estreia aconteceu em evento da multinacional coreana LG, em São Paulo. Em menos de uma hora recebeu cerca de R$ 200 mil. Ao se dirigir à "família LG", o ex-presidente não parou de elogiar a sua gestão e manteve o apelo de incentivo ao consumo, para a alegria da indústria e do comércio. "Nunca se venderam tantos móveis e eletrodomésticos neste País", disparou Lula ao resgatar a ufanista Com a bola toda: Lula ganha R$ 200 mil por palestra. expressão "nunca antes na história", que animou inau- de Coimbra. Esse título ele Quatro linhas – Em sua gurações e comícios em to- dedicou ao ex-vice-presi- curta carreira de palestrante, do o País durante seus dois dente José Alencar. Lula manteve o hábito de famandatos. Nos Estados Unidos, de- lar sobre futebol e lamentou Lula também voltou a via- pois de falar no Fórum de Lí- a eliminação precoce do Cojar para o exterior. Ele esteve deres do Setor Público, pro- rinthians da Libertadores da em Portugal e deu palestras movido pela Microsoft, em América, que causou a aponos Estados Unidos e no Mé- Washington, Lula mostrou sentadoria do maior ídolo do xico. Em Portugal, ao lado da que está entusiasmado com time, Ronaldo. Livre do bapresidente Dilma Rousseff, a nova fase: "Tudo que eu tente, a dupla ainda não se recebeu o título de doutor ho- quero é um microfone para encontrou para falar do futunoris causa na Universidade continuar falando." ro do Timão. (SK)

Menu presidencial: omelete na TV (acima) e reaproximação com os EUA de Obama.

complexos portuários de Suape (PE) e Pecém (CE). Esses problemas, no entanto, não prejudicaram sua imagem até o momento. Ele cita a pesquisa CNI/Ibope, divulgada no dia 1º, em que foi aprovada por 73% dos entrevistados. "Não vejo a aprovação com naturalidade", resume o sociólogo Rudá, ao lembrar que, em momentos de crise, Lula soube conservar sua popularidade, e FHC sempre manteve a postura de "razão de Estado". "Dilma teve a sorte de o presidente Lula e o estilo racional do presidente Fernando Henrique Cardoso. Em termos de estilo, ela está mais próxima de Fernando Henrique", compara. Os cientistas políticos Amaury de Souza (MCM Consultores Associados) e Carlos Melo (Insper) avaliam que Dilma se beneficia de um "clima de lua de mel" no País em relação ao seu governo. Além de grande parte da opinião pública, os partidos de oposição – PSDB, DEM e PPS – também entraram no clima. Melo acrescenta, no entanto, que a presidente está no vermelho em razão de não apresentar uma pauta consistente de reformas – política, previdenciária e tributária. "Até agora temos a continuidade do que está aí. O debate se resume à figura da presidente Dilma e da taxa de inflação, o que é muito pouco. É preciso criar uma pauta relevante", defende. Para ele, o Brasil precisa de reformas para melhorar o ambiente de negócios. "Há uma burocracia muito grande que precisa ser enfrentada", diz Melo, ao lembrar que o tempo de abertura de uma empresa no País é de seis meses. Em sua avaliação, falta ao governo propor ações. "O governo Dilma é um sucesso de público; porém, não consegue ser um sucesso de crítica."

Ajuste – Na opinião do geógrafo Demétrio Magnoli (USP), em 100 dias Dilma deu sinais de que mudará a política externa de Lula, que, segundo ele, representou um retrocesso e prejudicou a imagem democrática do Brasil. No governo anterior, ressalta, houve pelo menos dois pontos fracos: a falta de empenho na defesa dos direitos huma-

nos e a relação com o Irã, cujo governo foi acusado de perseguir opositores e causar repúdio internacional por condenar Sakineh Mohammadi Ashtiani ao apedrejamento. "Há uma ajuste estratégico em ação. Isso implica uma volta à nossa tradição diplomática de combate às ditaduras e de respeito aos direitos humanos", avalia.

Newton Santos/Hype – 16/6/2010

Melo: "O debate se resume à figura da presidente Dilma e da taxa de inflação".

DC

m 100 dias de governo, completados ontem, com exceção do estilo discreto e de gerente, e a sinalização de uma nova política externa, a presidente Dilma Rousseff seguiu a receita de seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva. Com nomeações e cargos no governo, ela ampliou a base de apoio no Congresso Nacional, dobrando parlamentares e sindicalistas no reajuste do salário mínimo. Eles defendiam o valor de R$ 600 e o governo, R$ 545. Dilma venceu. Para controlar a gastança do governo Lula e a escalada da inflação, fez um corte de R$ 50 bilhões no orçamento de 2011. E para divulgar sua imagem, em vez de palanques e inaugurações, preferiu os estúdios de televisão. Dilma foi entrevistada nos programas de Hebe Camargo e de Ana Maria Braga, Mais Você . Durante a entrevista com Ana Maria Braga, a presidente preparou um omelete especial e falou de sua luta contra o câncer e os desafios de governar. O trivial – Ao comentar o primeiro balanço do governo da petista, o especialista em contas públicas, economista Raul Velloso, escolheu o pra-

Escritório Técnico Carlos Freire

www.carlosfreire.com.br ESCRITÓRIO TÉCNICO

• Construção e Legalização de Helipontos • Engenharia Ambiental / Meio Ambiente Urbano • Engenharia de Estruturas Metálicas e de Concreto Armado Rua do Tatuapé, 349 - Casa 15 - Tatuapé CEP: 03089-030 - São Paulo - SP Tel: (11) 2941-9825 / (11) 2091-5732 E-mail: comercial@carlosfreire.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

PERU 1 O esquerdista Ollanta Humala lidera 1º turno de eleição presidencial

nternacional

PERU 2 Ele deve disputar o 2º turno com Keiko Fujimori, filha do ex-presidente Alberto.

David Buimovitch/AFP

Mais um míssil depois da trégua Enquanto o Hamas pede 'espaço para respirar', foguetes caem no sul de Israel.

Mubarak: 'Eu fui muito machucado'.

Defesa israelense de prontidão Israel comemora os resultados do novo sistema de defesa, conhecido como Cúpula de Ferro. O número de foguetes palestinos que atingiram território israelense caiu drasticamente desde a implantação do escudo, no fim de março.

jando um sequestro. Na quinta-feira, militantes atiraram um míssil antitanque contra um ônibus escolar israelense, ferindo duas pessoas. Desde quinta-feira, palestinos atiraram mais de 120 foguetes e morteiros contra o sul de Israel, provocando uma série de retaliações israelenses que mataram 19 palestinos, incluindo seis civis, e feriram outros 65. Restrição aérea - A retomada da violência fez com que a Liga Árabe fizesse um apelo para que a Organização das Nações Unidas (ONU) imponha uma zona de restrição aérea sobre Gaza e levante o cerco de Israel ao enclave palestino. Condenando o que foi chamado de uma agressão "brutal" de Israel à Gaza, representantes da Liga Árabe requisitaram que a ONU reúna o seu Conselho de Segurança. A reunião trataria "de forma urgente da agressão israelense à Faixa de Gaza para acabar com o cerco e impor uma zona de restrição aérea para proteger civis de Gaza", diz o comunicado da Liga Árabe. Uma autoridade israelense, que pediu anonimato, afirmou que a Liga deveria primeiro garantir que os militantes de Gaza não ataquem Israel. "Se eles querem zona de restrição aérea, eles também estão falando dos mísseis terrestres que são disparados de Gaza, disparados contra ônibus escolares, fazendas?", indagou a autoridade. (Agências)

Países do Golfo pedem renúncia de líder do Iêmen ão A p li c a ç

d e lo g o

t ip o s

Uniformes Profissionais ESPECIALIZADA EM UNIFORMES PARA

Av. Tiradentes, 312 - Luz • Tel.: (11) 3326-9156 Rua João Teodoro, 30 - Luz Tel.: (11) 3229-3133 / 3228-2874

DC

CONDOMÍNIOS - INDÚSTRIAS - RESTAURANTES HOSPITAIS - SUPERMERCADOS - GARÇONS DOMÉSTICAS - VIGILANTES

dade nacional conduzido pela oposição" que seria responsável por "introduzir uma constituição e organizar as eleições". O GCC – que reúne Kuwait, Catar, Arábia Saudita, Bahrein, Omã e os Emirados Árabes – disse que está à disposição para mediar uma transição pacífica no governo iemenita, que daria imunidade a Saleh contra eventuais processos. (Agências) DC

www.multfor ms.com.br

Os países árabes do Golfo pediram ontem que o presidente do Iêmen, Ali Abdullah Saleh, deixe o cargo e transfira o poder para o vicepresidente do país, Abdrabuh Mansur Hadi. Após uma reunião em Riyadh, o chefe do Conselho de Cooperação do Golfo Pérsico (GCC, na sigla em inglês), Abdullatif Al Zayani, disse que o Iêmen deveria formar "um governo de uni-

ASSISTÊNCIA AO EXCEPCIONAL VERA LÚCIA BORGES GUILLEN PSICÓLOGA CRP 06-13402

DC DC

Rua Luisiânia, 185 - Brooklin/SP escolainterac@uol.com.br Tel.: (11) 5041-0084 / 5537-0115 (11) 2215-5422 / 5244 / 5499

DC

Em suas primeiras declarações desde que foi retirado do poder, o ex-presidente egípcio Hosni Mubarak negou ter abusado de sua autoridade para enriquecer e acumular propriedades em uma declaração prégravada e transmitida ontem. Mubarak, forçado a deixar o cargo há dois meses por um levante popular, disse que deseja cooperar com qualquer investigação para provar que não possui propriedades no exterior. "Eu fui muito machucado, e ainda estou machucado – minha família e eu –, pelas campanhas injustas contra nós e pelas falsas alegações que visam a sujar minha reputação, minha integridade, minhas posturas (políticas) e minha história militar", disse, em discurso transmitido pela rede Al-Arabiya. A declaração foi feita após manifestantes terem exigido que o conselho militar que assumiu no lugar de Mubarak investigue sua situação financeira. Em seu pronunciamento, ele disse ter apenas uma conta em um banco egípcio e uma propriedade no Egito. Desde que deixou o cargo, Mubarak, de 82 anos, está morando no balneário de Sharm el-Sheikh. Autoridades negaram rumores de que ele estaria muito doente. (Agências)

Um membro do movimento palestino Hamas fez ontem um raro apelo a Israel para que acabe com os combates na fronteira com a Faixa de Gaza, afirmando a uma rádio israelense em hebreu fluente que o Hamas está pronto para acabar com o uso de foguetes se Israel parar com seus ataques a Gaza. No entanto, horas após o anúncio oficial de um cessar-fogo, um foguete palestino caiu no sul de Ashkelon, sem provocar danos. O vice-ministro das Relações Exteriores do Hamas, Ghazi Hamad, deu as declarações à estatal Radio Israel enquanto os combates continuavam ontem. "Estamos interessados na calma, mas queremos que o Exército israelense encerre suas operações", disse. As facções palestinos afirmaram que eles decidiram dar uma chance à trégua "pelo povo palestino" e para "ter espaço para respirar", informou o jornal Yedioth Ahronoth. Por sua vez, o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, destacou que o Exército do país foi instruído a restabelecer a calma. "Espero que esta também seja a intenção do Hamas... Mas se os ataques a cidadãos e soldados israelenses continuarem, a resposta será ainda mais dura" do que tem sido, disse o premiê. A violência aumentou há uma semana, quando um ataque aéreo israelense matou três militantes do Hamas que segundo Israel estavam plane-

www.CASACRUZFERRAMENTAS.com.br vendas@casacruzferramentas.com.br

11 3582-2626 LOGÍSTICA JURÍDICA: Todas e quaisquer atividades de apoio vinculadas ao universo jurídico e às exigências decorrentes do exercício da advocacia. LOGÍSTICA FORENSE: Busca de informações processuais com o encaminhamento de cópias digitais das peças solicitadas e, 1º e 2º Grau de Jurisdição; Digitalização de processos; Retirada de documentos, ofícios, guias e cartas precatórias; Instrução e distribuição de Cartas Precatórias e iniciais; Elaboração de relatórios processuais. LOGÍSTICA ADMINISTRATIVA: Busca de cópias; Certidões imobiliárias; Comerciais. Rua Padre Raposo, 39 - Cj. 502

www.logjur.com.br

Ferramentas QUÍMICOS: Marcador Industrial, Pasta Ajuste e Trava Rosca; CORTE: Bedame, Bits, Serra Circular, Fresa, Macho, Broca; MANUAL: Lima e Ferramentas de aperto; ABRASIVOS: Rebolos, Pedras, Discos e MUITO MAIS. Rua Silva Bueno, 2.719 - Ipiranga

Corneta


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

9 O país está caminhando em direção a amplas reformas. O presidente sírio, Bashar al-Assad.

nternacional Louafi Larbi/Reuters

Cantando vitória antes do tempo? Uma delegação de alto nível da União Africana (UA) conseguiu convencer o ditador da Líbia, Muamar Kadafi, a aceitar um plano de cessar-fogo. Após encontro em Trípoli, o líder da missão e presidente sul-africano, Jacob Zuma, disse que o acordo prevê a interrupção imediata dos conflitos, a abertura de canais de ajuda humanitária e o início do diálogo entre governo e opositores. A delegação deve se reunir hoje com líderes rebeldes em Benghazi, para tentar convencêlos a abandonar as armas. Após a reunião com os líderes da UA em uma tenda de sua residência de Bab el Aziziya, Kadafi fez uma rara aparição pública em Trípoli. Nas imagens registradas de Kadafi, ele acenava para simpatizantes (à esq.). Ataques - Na frente de batalha, a Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) intercedeu mais uma vez ontem em favor dos rebeldes da Líbia para evitar a iminente tomada da cidade-chave de Ajdabiyah por tropas de Kadafi. Ontem, 25 tanques do regime foram destruídos por ataques aéreos da aliança (Agências)

A face oculta da Costa do Marfim

Reuters - 08/04/11

Um história sem inocentes: ONU e França tomam partido, presidente permanece confinado em abrigo e seu sucessor é acusado de abusos.

Reuters - 09/04/11

Emmanuel Braun/Reuters

Promessas vazias. E a Síria protesta.

declarou Toure ontem. Moradores disseram que viram dois helicópteros da ONU e um pertencente à França abrirem fogo contra a residência. Há uma semana, helicópteros da ONU já haviam atacado alvos de Gbagbo em nome da defesa de civis, atraindo duras críticas pela adesão a um dos lados do conflito. Desde ao menos o início do mês, Gbagbo vive em um bunker na residência oficial. A razão para isso está no avanço militar de Alassane Ouattara, o vencedor do pleito realizado no ano passado. Cansado de aguardar uma solução diplomática, Ouattara, reconhecido pela comunidade internacional como o novo presidente, avançou suas tropas até chegar a Abidjã, reduto de Gbagbo. Em sua ofensiva, forças leais a Ouattara (acima) são acusados de matar centenas de civis, estuprar partidários de seu rival e queimar vilas, informou o Human Rights Watch. O grupo de direitos humanos também disse que forças leais a Gbagbo mataram mais de cem civis para retaliar contra os combatentes pró-Ouattara. (Agências)

As forças de segurança da Síria e tropas favoráveis ao governo do país mataram quatro pessoas que participavam ontem de protestos na cidade de Banias – situada a 300 quilômetros ao noroeste da capital Damasco. O exército sírio havia cercado Banias mais cedo enquanto os manifestantes se reuniam e, de acordo com uma testemunha, atirou contra pessoas que estavam próximas a uma mesquita. A testemunha afirmou que, além dos mortos, várias pessoas ficaram feridas e estavam pedindo para receber tratamento em clínicas menores em vez de serem levadas para o hospital, que estaria sob con-

trole das forças de segurança. O relato não pôde ser confirmado de forma independente porque o governo da Síria impôs uma série de restrições à cobertura jornalística e ordenou que repórteres deixassem o país. Além disso, tanques do exército e soldados patrulhavam os arredores de Banias, impedindo as pessoas de entrarem na cidade. Segundo o ativista Mazen Darwish, pelo menos quatro tanques foram levados à cidade, aparentemente para proteger a refinaria de petróleo. Reivindicações - As manifestações contra o governo da Síria começaram há mais de três semanas e estão crescen-

do continuamente, com dezenas de milhares de pessoas pedindo por mudanças no regime autoritário do presidente Bashar al-Assad, no poder desde 2000. Segundo organizações defensoras dos direitos humanos, mais de 170 pessoas foram mortas em manifestações na Síria. Uma das principais exigências dos manifestantes é o fim de uma lei que permite ao regime de Assad prender pessoas sem apresentar acusações. Ontem, o presidente sírio disse que o país está caminhando "em direção a amplas reformas", segundo a agência de notícias estatal Sana, mas até o momento nenhuma das

Imóvel no Tatuapé e Imóvel Comercial Anália Franco 1, 2, 3 em várias regiões dorms. Venda e de São Paulo. Locação Venda e Locação

DC

Helicópteros da Organização das Nações Unidas (ONU) e da França voltaram ontem a lançar mísseis contra alguns alvos na Costa do Marfim, entre eles a residência oficial em Abidjã, sob controle de Laurent Gbagbo, presidente do país que rejeita deixar o poder. O ataque é uma resposta aos recentes bombardeios das tropas leais a Gbagbo à sede local da organização, bem como à residência do embaixador da França no país. O secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, disse que ordenou aos integrantes da missão de paz a utilização de "todos os meios necessários'' para evitar que Gbagbo "use armamento pesado contra a população''. O porta-voz da ONU, Hamadoun Toure, confirmou que os bombardeios atingiram o palácio e a residência oficial, além de terem danificado bases militares que abrigam armamento pesado. "Essa é uma retaliação aos ataques nos últimos três ou quatro dias não apenas contra a ONU, mas também contra a população civil, sempre com a utilização de armas pesadas'',

Enquanto forças de segurança aumentam a repressão em Banias, moradores de Daraa enterram vítimas da violência. mudanças adotadas por ele conseguiu evitar a continuidade dos protestos. Ele prometeu formar comitês para analisar a reforma política, ofereceu cidadania a milhares de curdos – que são minoria na Síria – e renovou seu gabinete, gesto considerado simbólico, visto que a maior parte do poder está concentrada nas mãos do presidente. A maior parte da violência na Síria está concentrada na região da cidade de Daraa, no sul do país, onde 25 pessoas foram mortas na sexta-feira passada. Em Latakia, cidade portuária do Mediterrâneo, 12 pessoas foram assassinadas há duas semanas. (Agências)

Temos Apto. em Orlando e Miami a partir de US$ 130.000,00

Fone: (11) 2628-1767 / 7885-7346 Agência Jardim Anália Franco

Rua Coelho Lisboa, 752 - Tatuapé - São Paulo - SP

ID 55*118*9135 E-mail: silassantiago@remax.com.br

O imóvel que você Temos imóveis p/ renda com deseja para investimento compra e locação de retorno de Consulte-nos! 1,3% am.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

TEMPO CURTO Equipes de manutenção têm só 3 horas e meia para trabalhar.

idades

SUBSTITUIÇÃO O trilho gasto é recortado e extraído em pequenos pedaços.

Dois funcionários de uma equipe de 20 pessoas executam a substituição de um trecho de trilho entre as estações Ana Rosa e Paraíso. Trabalho meticuloso e técnico, que exige atenção e cuidado.

Metrô, entre o último e o primeiro trem O DC passou uma madrugada acompanhando a manutenção da Linha 1-Azul do metrô. Entre o último trem da noite e o primeiro da manhã, há muito trabalho a fazer. Ivan Ventura

Fotos de Alex Ribeiro/DC

Cubo mágico, um desafio noturno

F

altam menos de 10 minutos para a meia-noite. Ansioso, um grupo de quase 300 funcionários da Companhia do Metrô aguarda a chegada do último trem em operação do dia. Vai começar mais uma madrugada de intenso trabalho de manutenção da Linha 1-Azul. Cada segundo é precioso. Afinal, a equipe tem apenas três horas e meia até que o primeiro trem inaugure um novo dia de operações no sistema. Toda a logística é traçada no pátio de manobra da estação Jabaquara. Mais do que um gigantesco estacionamento de composições, no pátio também funciona uma oficina mecânica, uma "borracharia" e um imenso lavarápido. No coração de tudo, uma fábrica de trilhos de aço, usados em constantes trocas de seções desgastadas pelo uso. A durabilidade dos trilhos varia conforme sua finalidade: se for trilho reto, pode durar até dez anos. Se for trilho de mudança de via, o chamado jacaré, até um ano. Em alta temperatura, os trilhos são emendados com aço em pó Troca de trilho – Na última terça-feira, o DC a c o m p anhou o trabalho de troca de um trecho de 36 de trilhos. Resfriado, o trecho reparado é esmetros de trilhos, entre as estações Ana Rosa e merilhado e polido. Paraíso. Segundo o supervisor de manutenSempre juntos, Rogério Nicola Romano, de ção da Linha 1-Azul, Décio Bin, de 40 anos, a 42 anos, e Leocide Cordeiro de Lima, de 50, reatroca de trilho é um trabalho complexo, plane- lizam o mesmo trabalho há 20 anos, numa méjado com até seis meses de antecedência, já dia de duas a seis soldas por noite. Entre um reque ele demanda testes de qualidade e resis- paro e outro, alguma conversa, às vezes sobre os tência, um deles feito por um aparelho de ul- problemas do dia-a-dia. "Já me separei uma vez trassom. Momentos antes da troca, um grupo e um dos motivos foi o trabalho noturno. No coleta o lixo acumulado ao longo da linha. "O fim, era o Rogério que ouvia as minhas lamenpessoal que troca o trilho usa solda. Se não re- tações e me ajudava", disse Lima. colhermos o lixo, pode queimar tudo" disse JePelas 4h da manhã, o trabalho está perto do sus Pierrute Amorim, um funcionário. fim e os funcionários limpam restos de solda. À 1h30 começou o trabalho mais pesado. Os Três caminhonetes adaptadas para circular sotrilhos novos saíram do pátio e foram levados bre trilhos executam serviços de lubrificação, até o local da troca, onde aguardavam cerca de recolhimento de lixo e fixação de placas de sina20 pessoas. O trilho gasto é recortado e extraído lização. Depois, retornam para a base de operaem pequenos pedaços. A retirada do trilho é fei- ções na estação Jabaquara. to por dez pessoas e em voz alta. "No fim da conLavagem – Ao longo da Linha 1-Azul ( Litagem até três, a gente puxa", dizia o responsá- nha Norte-Sul, que liga o Jabaquara ao Tucuvel pela operação. ruvi), funcionários da limpeza concluem a laAço em pó – O novo trilho é posicionado e vagem das estações e das composições. "Apeentra em cena um novo profissional especia- sar do trabalho intenso, são raras as vezes que lizado, o soldador. Primeiro, ele usa uma es- as equipes de manutenção entregam o serviço pécie de argila para criar a forma que vai re- com atraso. Comigo isso não acontece há ceber aço em pó. Em seguida, esse material é anos, mas imprevistos acontecem. O imporderretido em altas temperaturas, de modo a tante é que a manutenção não pode parar no preencher o espaço vazio entre as duas pontas metrô", disse Bin.

O

Na foto acima, mecânicos inspecionam carro da Linha 1. À esq., funcionários ajustam trilhos.

Samir Jorge Moreira Júnior, de 19 anos: apenas dois minutos para montar o cubo mágico

s minutos que antecedem o fim da operação diária da Linha 1-Azul revelam um intenso corre-corre na direção de casa. Ao mesmo tempo, reservam divertidas histórias de passageiros e de funcionários da Companhia do Metrô. Uma das mais curiosas é a do web designer e estudante Samir Jorge Moreira Júnior, de 19 anos. A caminho de casa, muitos leem livros ou brincam com o celular. Júnior optou pela montagem do cubo mágico, famoso quebra-cabeça que a imensa maioria das pessoas levava dias (e até meses) para montar. Júnior leva apenas impressionantes dois minutos para montar o brinquedo. Para efeito de comparação, o recorde mundial de montagem do cubo é de 6,65 segundos, do australiano, Feliks Zemdegs, foi registrado em janeiro. No caso de Junior, ele é capaz de montar até 60 vezes o cubo mágico numa noite. Isso corresponde a um trajeto de cerca de duas horas entre a estação Armênia, na zona norte, localizada nos arredores do seu trabalho, até a sua casa no município de Taboão da Serra, na Grande São Paulo. "Não tem segredo. Com o tempo você pega rapidez na montagem do cubo", disse o estudante, que só pensa em chegar em casa para se preparar para outro dia de trabalho. Quem não tem tempo para passatempo e afirma não estar nem pouco cansado é o condutor do trem Edson Augusto Fernandes, responsável pelo transporte de Júnior e de outras centenas de pessoas no último trem da noite da Linha 1. Fernandes nem poderia estar cansado, afinal, "pegou" às 23h e sairá às 7h. "Na teoria, eu conduzo o último trem do dia e o primeiro do dia seguinte. (I.V.)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

c

11 Nosso papel é tranquilizar os alunos. Esther Carvalho, diretora do Colégio Rio Branco

idades

Escola segura: desafio para autoridades Após a tragédia no Rio, prefeito Gilberto Kassab quer reforçar segurança nas escolas paulistanas. No Estado, há a parceria entre secretarias da Educação e Segurança. Marisa Folgato

gência da PM, o 190. Imediatamente vai ser acionada a equipe da Ronda Escolar mais próais grades, câ- xima ou do patrulhamento meras, guarda- normal, se necessário." Além disso, os diretores facostas, policiais, detector de me- zem o registro eletrônico da tais? Especialistas alertam: es- ocorrência, que ajudará a idencola não é prisão. Pelo contrá- tificar os tipos de caso e desenrio. Estado e prefeituras têm volver ações para que eles não desenvolvido projetos de se repitam. Não são apenas siabertura do espaço físico das tuações envolvendo alunos e instituições aos pais e comuni- professores. Podem ser mosdades, e não apenas aos alu- tradas questões de violência nos, para cumprir um papel de doméstica, por exemplo. O programa é bem mais aminclusão social. Mas como garantir a segurança nessa rede plo do que o policiamento. De que atende desde a creche até o acordo a Secretaria da Educafim do ensino médio? Apenas ção, "o projeto articula um cona rede estadual de ensino tem junto de ações, métodos e ferra5.537 unidades. A municipal mentas que visam disseminar e articular práticas voltadas à da Capital soma 1.975. No mesmo dia da tragédia prevenção de conflitos no ambiente escolar, à incarioca (7 de abril) tegração entre a eso prefeito Gilberto cola e a rede social Kassab determide garantia dos dinou um levantaÉ uma reitos da criança e mento sobre a setragédia do adolescente e à gurança das escoproteção da comulas municipais, pasem ra avaliar os precedentes, nidade escolar e do procedimentos em que não tem patrimônio público". O acesso às esuso e buscar medicomo ser colas também é das para aperfeiprevista. controlado por cerçoar o monitoramento. Na ocasião, CAPITÃO OLIVEIRAS ca de 23 mil agentes e quase 1.500 uniKassab garantiu dades vão receber que a segurança ia ser redobrada em hospitais, câmeras de segurança. Mediador – O policial ressalparques e escolas administratou que os funcionários das esdas pelo município. Ronda – Na rede estadual colas paulistas já são treinados de ensino funciona, desde quanto à proteção escolar e ci2009, o Sistema de Proteção Es- dadania. O programa conta aincolar, uma iniciativa da Secre- da com a figura do professortaria Estadual da Educação pa- mediador, capacitado para agir. ra combater a violência dentro Eles já são 1.200 em mil escolas. De acordo com o capitão, o das escolas. O programa tem parceria com a Secretaria de massacre ocorrido numa escola Segurança Pública, por meio municipal do Rio não alterou o andamento do programa. "Por da Polícia Militar. "A Ronda Escolar conta com enquanto, todos os protocolos 4.500 policiais e 1.152 carros dos ambientes escolares e da para atuar nos municípios com PM estão mantidos e não houve mais de 15 mil habitantes, em reforço." Ele lembrou que o caso todo o Estado", explica o capi- de Realengo, em que um ex-alutão Alexandre Marcos Olivei- no teve acesso fácil ao colégio e ras, assessor de Segurança Es- matou 12 adolescentes, foi totalcolar. "Se houver um delito na mente atípico. "É uma tragédia escola, a primeira providência sem precedentes, que não tem é ligar para o telefone de emer- como ser prevista."

Jadson Marques/AE

M

Rivaldo Gomes/Folhapress - 16/05/2009

Casa onde morava o atirador Wellington Menezes de Oliveira foi depredada e pichada durante o fim de semana. Corpo continua no IML.

Realengo: escola será reaberta

A

Escola Municipal Tasso da Silveira, em Realengo, no Rio será reaberta no dia 18, com uma série de atividades idealizadas para estimular a volta dos alunos e dar "cara nova" ao colégio que foi

cenário do assassinato de 12 crianças, na manhã da última quinta-feira. Alunos e pais receberão orientação psicológica. Durante o fim de semana, houve uma série de homenagens às crianças mortas e feridas.

O corpo do atirador Wellington Menezes de Oliveira continuava ontem no Instituto Médico Legal. Nenhum parente apareceu. Caso isso não ocorra em 15 dias, ele deve ser enterrado como indigente. (Agências)

Nas particulares, segurança é discutida Divulgação

A

tragédia na escola de Realengo, no Rio, foi tema de reuniões das equipes pedagógicas de vários colégios paulistanos na sexta-feira e devem se repetir hoje. O centro das discussões tem sido a melhor forma de abordar um tema tão sério com os alunos, assim como a questão da segurança escolar. No Colégio Rio Branco, partiu espontaneamente dos alunos do terceiro ano do ensino médio uma manifestação de pesar pelo ataque aos estudantes. Na sexta-feira, os cerca de 200 adolescentes vestiram preto. "Nos intervalos, sempre nesse dia da semana, eles costumam fazer algo divertido, com a autorização da escola, como vir fantasiados, de pijamas, trazer bichos de pelúcia. Mas dessa vez, sem que soubéssemos, se organizaram para prestar essa homenagem às vítimas da escola do Rio", explicou a diretora-geral do Rio Branco, Esther Carvalho. Fizeram um minuto de silêncio, acompanhados dos alunos dos demais anos do ensino

Alunos do Rio Branco fizeram homenagem às vítimas do atirador

médio, cerca de 400. Professores, coordenadores e outros funcionários também tomaram parte. Esther ressalta que é difícil para um jovem compreender essa violência toda. "Nosso papel é tranquilizar os alunos. Orientamos os professores a conversar com as crianças, se manifestassem o interesse, explicar que foi um caso triste, gravíssimo, mas isolado, cometido por uma pessoa desequilibrada, num contexto específico. Não podemos entrar num clima de insegurança coletiva."

Os pais, em geral, não procuraram oficialmente a escola para falar do assunto. "No site havia apenas um recado, por meio do 'fale conosco', de uma mãe que pedia para 'cuidarmos de suas crianças' ", afirmou a diretora. De acordo com ela, a segurança das duas unidades tem uma boa infraestrutura. "Mas sempre é bom parar e pensar se há algo a fazer." Esther explicou que há segurança externa e interna e controle de acesso rígido. O mesmo acontece no Colégio Bandeirantes. "O

horário de entrada e saída é controlado. Se os pais quiserem, por exemplo, entregar um objeto aos filhos, têm de deixar na portaria e nós faremos a distribuição", disse a coordenadora do Departamento de Orientação Educacional da escola, Vera Lúcia C. Malato. Segundo ela, o segredo é que os seguranças conhecem os alunos. Há os externos, que acompanham os estudantes num raio grande no entorno da instituição, e os da portaria. A segurança interna é feita por inspetores-educadores. Vera garantiu que a segurança do Bandeirantes já é 'bastante eficiente'. "Mas casos como o do Rio servem de alerta para todas as escolas. Espero que seja um fato isolado, que não aconteça nunca mais, mas é um momento de reflexão." A tragédia não foi muito comentada dentro da escola na sexta-feira, de acordo com a coordenadora, porque os alunos estavam em semana de provas. "Se o assunto surgir, porém, vai ser tratado", diz Vera. (MF)

Ronda escolar: PM é acionada quando há problemas nas unidades

Luto, dor e vingança marcam as redes sociais Mariana Missiaggia

I

nternautas brasileiros e estrangeiros estão se manifestando pelas redes sociais sobre a tragédia no Rio. Revolta e tristeza dão o tom aos comentários. No Facebook, as publicações com as palavras "luto" e "Realengo" se multiplicam a cada segundo, tendo a participação ativa de adultos. O público posta mensagens e cria fóruns para discutir o assunto, a fim de encontrar uma justificativa para entender o que motivou Wellington Menezes de Oliveira a invadir o colégio e executar alunos. A frase "Mais amor, por favor" é compartilhada em milhares de perfis, assim como a figura do laço negro que representa o luto.

No Twitter, o clima é de reflexão. Cerca de 30 mil pessoas twittaram os trends #realengo e #tragedianorio que ocuparam, respectivamente, o primeiro e segundo lugar do top trends do twitter no dia 7 de abril. Os twitts, em geral, divulgam postagens de blogs com reflexões sobre o ocorrido e mensagens de solidariedade aos familiares das vítimas. No Orkut, o tom foi de vingança. Com a foto de Wellington, a comunidade "Vai arder no fogo do inferno" já reúne mais de 400 mil membros. Os tópicos discutem qual seria a melhor punição para o assassino. O perfil de Wellington no Orkut, sem amigos, com passagens bíblicas e com uma comunidade relacionada à religião, foi excluído pelo Google no dia 8 de abril.

Tristeza chega ao extremo do País José Maria dos Santos

O

professor João Visleis, 40 anos, está a exatos 2031 quilômetros de distância do Rio de Janeiro. Formado em Biologia, ele é diretor da Escola Municipal de Ensino Fundamental "General Artigas" na cidade de Chuí, fronteira do Brasil com o Uruguai, que abriga 340 alunos. A longa distância não o livrou de se angustiar com a tragédia ocorrida na escola de Realengo, no Rio. A seguir, veja a entrevista concedida ao Diário do Comércio. Diário do Comércio – Como a tragédia de Realengo repercutiu ai em Chuí, tão distante do Rio? João Visleis – Divido a resposta em duas partes. No que diz respeito à escola que dirijo, nesta semana vou reunir minha equipe para frisar a necessidade de estarmos atentos para o dia-

a-dia na escola, tanto interna como externamente. Temos dois portões no prédio e vamos reforçar a vigilância nessas passagens. Na questão interna, observar situações e comportamentos que possam vir a originar conflitos, tanto individualmente como em grupo na convivência da nossa comunidade.

Somos uma comunidade pequena, de cinco mil habitantes. Houve uma forte comoção diante da tragédia. Mas não estamos habituados à violência das grandes cidades, foi como se ocorresse bem distante de nós. Mas já temos indícios preocupantes de violência.

DC – Por exemplo? Visleis – Tenho observado o aumento gradativo de casos de indisciplina e de vandalismo. Algo como pichações e destruição de material e móveis escolares. Recentemente, um aluno cortou o assento da motocicleta de uma professora.

Alexandre Carvalho/FotoArena

DC – O senhor vê algum risco potencial? Visleis – Não, não. Quero apenas ressaltar que o episódio do Rio nos dá algumas lições. E uma delas, talvez a principal, é que precisamos ser extremamente cuidadosos na educação, que leva à necessidade de buscar e estimular as relações harmoniosas entre os alunos. Por exemplo, prevenir e conter o chamado "bullying". DC – E a segunda parte da resposta? Visleis – Refere-se à cidade.

HOMENAGEM – O grupo U2 fez uma homenagem às vítimas do atirador Wellington de Menezes durante show da banda, no Estádio do Morumbi, no sábado à noite. A apresentação faz parte da turnê "360°".


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

acsp

EXCLUSIVAS A cidade possui 38,7 quilômetros de vias exclusivas para bicicletas.

distritais

MOBILIDADE A Distrital Santo Amaro realiza em maio o Fórum de Mobilidade.

Fotos: Marcos Mendes/LUZ

Ciclistas na rua Constantino de Souza e avenida Nossa Senhora do Sabará: as duas vias fazem parte da primeira fase do projeto

Para Santo Amaro, de bicicleta Projeto, já licitado, prevê 123 quilômetros de rede cicloviária em 44 vias da área de abrangência da subprefeitura do bairro. Na primeira etapa serão 30 quilômetros. André de Almeida

A

área de abrangên"Nenhuma cidade brasileira cia da Subprefeitu- foi pensada para os ciclistas. No ra de Santo Amaro, entanto, a bicicleta é um meio de na zona sul, será a transporte totalmente viável, primeira na capital a ser inteira- capaz de interagir eficientemente servida por uma malha mente com todos os outros mode transporte cicloviário. Um dais, além de proporcionar a projeto elaborado pela empresa melhoria do meio ambiente e TCUrbes, vencedora da licita- ajudar a promover a inclusão ção, prevê, em uma primeira fa- social", disse o urbanista. se, 30 quilômetros de ciclovias e Projeto - O Plano Cicloviáciclofaixas na região, integradas rio de Santo Amaro está dividicom estações de trem, de metrô do em três fases de implantação. e terminais de ônibus. A primeira delas prevê 30 quilôAinda não há data marcada metros de ciclovias e ciclofaixas. para o início das obras, uma vez Algumas das vias que serão que o projeto está em análise na contempladas são as avenidas Companhia de Engenharia de das Nações Unidas e Nossa SeTráfego (CET). Na primeira fa- nhora do Sabará e ruas Consse, o traçado contemplará 30 tantino de Souza, Santos Duquilômetros do percurso. Poste- mont, Elias Zarzur, Visconde de riormente, em sua totalidade, Taunay e Américo Brasiliense. atingirá 123 A segunda qu ilô metros fase será nas de rede cicloruas ruas Joaviária em 44 quim Nabuco, vias da região. Duarte Leite, A ciclovia terá Atualmente, a Estevão Baião, sinalização de solo e cidade possui Miranda vertical, bicicletários 38,7 quilômeGuerra, Maree integração com tros de vias exchal Deodoro, outros meios de clusivas para José Abrantes, bicicletas e 30 entre outras. transporte. qu ilô metros Nos finais de RICARDO CORRÊA, de ida e volta semana, a reURBANISTA E SÓCIO DA TCURBES da Ciclofaixa de será expande Lazer - que dida para as funciona aos avenidas Indomingos entre os parques Ibi- terlagos, Washington Luís, Márapuera e Villa Lobos. rio Lopes Leão e Vicente Rao. Desde 2006 - As discus- "Toda a ciclovia contará com sisões sobre a implantação de nalização de solo e vertical, biciuma rede cicloviária integra- cletários e integração com ouda em Santo Amaro começa- tros meios de transporte, entre ram em 2006. Na época, o ar- eles as futuras estações do Mequiteto e urbanista Ricardo trô que serão construídas na reCorrêa, sócio fundador da gião", afirmou Corrêa. TCUrbes, participara de um A terceira e última fase, por programa de extensão univer- fim, abrangerá ruas e avenisitária na Universidade de São das que, juntas com as já conPaulo (USP), quando, durante templadas pelo programa, reunião na Subprefeitura de formarão a rede de 123 quilôSanto Amaro, foi convidado a metros de ciclovias e ciclofaidesenvolver um projeto de xas. Entre as vias previstas esmobilidade urbana, tendo co- tão as ruas Edson, Tamoios, mo foco a inserção da bicicleta São Sebastião, Junqueira, como meio de transporte. Santana, entre outras. A elaboração da primeira Tipologia - De acordo com fase do traçado, justamente as características de cada via, o aquela que já foi licitada, ter- projeto buscou indicar a meminou em 2008. A licitação foi lhor opção entre implantar vencida pela TCUrbes em de- uma ciclovia ou uma ciclofaixa zembro do ano passado 2010, nos locais. Na rua Constantino a um custo de R$ 145 mil para de Souza, por exemplo, optoua elaboração técnica do proje- se pela ciclofaixa. Atualmente, to. De acordo com Corrêa, um a via possui nove metros de dos principais objetivos da largura, com carros estacionainiciativa é inserir a bicicleta dos dos dois lados das calçana política de mobilidade ur- das e uma faixa de rolamento bana do município. em cada sentido.

Na Nossa Senhora do Sabará (acima) as faixas de rolamento seriam estreitadas e as ciclovias ficariam elevadas, próximas às calçadas. A rua Visconde de Taunay (esquerda) também integrará a primeira etapa do Plano Cicloviário de Santo Amaro, que prevê a construção de 30 quilômetros de faixas exclusivas.

GIr Agendas da Associação e das distritais A proposta do projeto é reduzir o leito carroçável para 4,6 metros, mantendo uma faixa de rolamento em cada sentido. No entanto, seria permitido estacionar veículos apenas em um dos lados da via, para a construção de duas ciclofaixas de 1,4 metros, uma de cada lado da calçada. Na via, seriam ainda construídos alguns canteiros verdes. O mesmo conceito básico seria utilizado na rua Visconde de Taunay, com a diferença de nesta última ser uma ciclovia elevada, ou seja, alguns centímetros mais altos em comparação ao leito carroçável. Já na avenida Nossa Senhora do Sabará, o conceito é um pouco diferente. Atualmente, o leito carroçável de cada um dos la-

O projeto irá abranger 44 vias da região. O custo da elaboração técnica do projeto é de R$ 145 mil.

dos da avenida mede 9,65 metros, com três faixas de rolamento. Com o projeto, as três faixas seriam mantidas e estreitadas para 8,25 metros, com as ciclovias elevadas próximas às calçadas. "Cada via apresenta suas particularidades e mereceu um projeto individual, com as intervenções necessárias", ressaltou o urbanista. Apoio - O projeto da TCUrbes conta com o apoio da Distrital Santo Amaro da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Segundo o coordenador do Comitê Técnico de Política Urbana (CTPU) da distrital, Luiz Augusto Barbosa, a entidade ajudará na divulgação da iniciativa entre os comerciantes da região. "Trata-se de um projeto muito bem elaborado e que levou em conta a distribuição dos equipamentos públicos e privados de ensino e comércio". Para a superintendente da Distrital Santo Amaro, Rita de Cássia Campagnoli, o estímulo ao uso da bicicleta, além de colaborar para a melhoria da qualidade do ar, ajuda a desafogar um pouco o trânsito na região. "A implantação do plano precisa ser amplamente discutida pela comunidade. A ideia é interessante e conta com o nosso apoio", disse. Nos dias 3 e 5 de maio, a distrital promoverá o Fórum de Mobilidade para Santo Amaro, quando também será discutido o plano cicloviário. Informações no 3244-3144 ou pelo email comite@acsp.com.br.

Hoje I Tatuapé – Às 19h30,

reunião do Núcleo Automotivo do Projeto Empreender, coordenada por Izildinha Franco Farro. Praça Silvio Romero, 29. I Sudeste – Às 16h, Comitê Técnico de Política Urbana da distrital. Rua Afonso Celso, 1659

Amanhã I Penha – Às 15h, 1ª reunião

para organização da Tarde da Beleza, realização do Conselho da Mulher. Avenida Gabriela Mistral, 199. Informações: dpenha@acsp.com.br

Quarta I Pinheiros – Das 10h às

12h, palestra em parceria com o Sebrae com apresentação do tema Consórcio de Exportação, pelo consultor Mauricio Golffeti. Rua Simão Álvares, 517 I Reunião Conjunta – O embaixador Jadiel Ferreira de Oliveira e o diretor Roberto Ticoulat coordenam os conselhos de Câmaras Internacionais de Comércio, de Comércio Exterior, e das Comerciais Importadoras e Exportadoras, com a palestra do secretário-executivo da Camex, Emilio Garófalo. Rua Boa Vista, 51, 11º andar. I Ipiranga – Às 19h30, 2ª reunião extraordinária com palestra sobre Imposto de Renda Pessoa Física 2011,

tendo como palestrante Osmar Garcia Stolagli, com apoio de Danilo Vettorello e Renato Roberti. Rua Benjamin Jafet, 95. I Mooca – Às 19h30, reunião ordinária com a palestra gratuita A importância do rastreamento na prevenção do câncer de intestino, com os médicos Angelita Gama e Joaquim Gama, do Hospital Alemão Oswaldo Cruz. Rua Madre de Deus, 222.

Quinta I Penha – Às 10h,

lançamento da 5ª edição do concurso Viva a Penha’ de redações estudantis, com o tema Como melhorar meu bairro. Avenida Gabriela Mistral, 199. Informações: dpenha@acsp.com.br I Comus – O diretor da ACSP José Candido Senna coordena a reunião do Comitê de Usuários de Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo ( Comus), com a palestra de René Ellis e Paulo Lauand sobre Rastreamento de Cargas. Às 17h, rua Boa Vista, 51/11º, auditório. I Noroeste, Pinheiros, Lapa e Butantã – Às 19h30, cerimônia de posse das novas Diretorias Executivas e Conselhos Diretores das distritais, eleitos para gestão 2011/2013. Espaço Armazém, rua Jaguaré Mirim, 164, Vila Leopoldina.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

13

facesp

PIB Em países europeus, 15% do PIB vem do turismo. No Brasil, 3,5%.

regionais

BENEFÍCIOS Cidades a 300 quilômetros da capital serão mais beneficiadas.

Interior e litoral de olho na Copa do Mundo de 2014 Gianni D'Angelo/PMC/Divulgação

Novo presidente da Associação das Prefeituras das Cidades Estâncias de São Paulo diz que o mundial é uma oportunidade única de desenvolvimento e profissionalização do turismo.

Vista de praia em Caraguatatuba (esq.), no litoral norte: cidade tem tudo para atrair turistas durante mundial. Abaixo, Campos do Jordão, clima e arquitetura de influência europeia devem agradar.

André de Almeida

A

Andrei Bonamin/Luz/Arquivo/DC

Quem vir a São Paulo para assistir aos jogos, com certeza irá conhecer outras cidades do Estado também. ANTONIO LUIZ COLUCCI, PRESIDENTE DA

APRECESP

A gastronomia local é um dos principais atrativos.

A rede hoteleira e o comércio locais já estão estruturados.

RUI FERNANDO COUTINHO, PRESIDENTE DA ACEC

DA ACE DE CAMPOS DE JORDÃO

metros – e o maior porto da América Latina, inicio de viagem de lazer para muitos turistas, que, rotineiramente, embarcam nos cruzeiros marítimos. Merece destaque também a infraestrutura receptiva. Santos possui uma grande rede de hotéis, flats, restaurantes e bares de qualidade, sete shopping centers, centros de convenções,

André de Almeida/Arquivo/DC

Vila Belmiro, uma atração à parte em época de campeonato mundial

WAGNER CARDOSO, PRESIDENTE

museus, centros culturais, bibliotecas, teatros, cinemas e hospitais. Mas as maiores atrações turísticas são mesmo as esportivas, principalmente em época de Copa do Mundo. Nessa área, o destaque é a Vila Belmiro, o futuro Museu Pelé, além do Centro de Treinamento do Santos Futebol Clube. Mais ao norte do litoral pau-

lista, a cidade de Caraguatatuba, na opinião de Colucci, também deverá receber um número considerável de turistas em decorrência do mundial. De acordo com o presidente da Associação Comercial e Empresarial de Caraguatatuba (Acec), Rui Fernando Coutinho, o campeonato seria uma ótima oportunidade para divulgar todo o litoral nor-

Paulo Pampolin/Digna Imagem/Arquivo/DC

Turismo rural em Atibaia também espera novos adeptos

A

Associação Comercial e Empresarial (ACE) de Guarulhos já começou a preparar o lançamento da nova edição do guia de compras Guarulhos tem – Dia das Mães e Namorados. A revista, que deve estar pronta até o começo de maio, tem por objetivo fomentar o comércio. O guia, com ofertas e reportagens, terá 48 páginas e tiragem mínima de 20 mil exemplares, que serão distribuídos nos principais semáforos, empresas associadas à entidade, condomínios e locais de grande circulação. Interessados em anunciar podem ligar para 2137-9322.

Curso ensina a empreendedores a arte dos laços e pacotes

A

Divulgação

Fotos: Divulgação

Copa do Mundo de 2014 no Brasil é uma oportunidade única para o desenvolvimento e profissionalização do segmento de turismo no País. Esta é a opinião do novo presidente da Associação das Prefeituras das Cidades Estâncias de São Paulo (Aprecesp), Antonio Luiz Colucci, que também é prefeito de Ilhabela, cidade do litoral norte paulista. Colucci acredita que a competição, pela sua importância, trará impactos positivos para várias cidades do Estado. Na sua opinião, deverão ser beneficiados principalmente os municípios localizadas em um raio de até 300 quilômetros da capital, onde acontecerão jogos do mundial. Estâncias como Atibaia, Campos do Jordão, Caraguatatuba, Itu e Santos, são apontadas pelo prefeito como as que deverão sentir mais de perto os resultados positivos dos jogos. Base – Além da capital paulista e das cidades que que receberão milhares de turistas durante os 40 dias de jogos, outros municípios abrirão suas portas para treinamentos e partidas amistosas de seleções estrangeiras. São as chamadas cidades base, que, certamente, lançarão produtos e serviços especiais para os turistas, gerando emprego e renda. "O turismo é uma grande fonte de renda para os municípios. O setor requer, relativamente, poucos investimentos para criar novos empregos e apresenta um grande potencial de crescimento com o mundial de 2014. Quem vir a São Paulo para assistir aos jogos, com certeza irá conhecer outras cidades do Estado também", afirma Colucci. O grande potencial de crescimento se justifica. Nos países europeus, em torno de 15% do Produto Interno Bruto (PIB) é gerado pelo turismo. No Brasil, esse número é de apenas 3,5% do PIB. Favoritismo - Para o presidente da Aprecesp, a cidade de Santos é uma das favoritas tanto para ser sede no Estado como para ser um dos principais destinos turísticos durante os jogos da Copa. A favor do município praiano estão a sua orla, com jardins bem cuidados, a proximidade com a capital – 68 quilô-

Em Guarulhos, guia de compras para mães e namorados

te, aumentar o consumo e gerar novos postos de trabalho. Para Coutinho, a gastronomia local é um dos principais atrativos. "Por outro lado, nós teríamos que investir na rede hoteleira, na capacitação dos funcionários do comércio e do setor de serviços. Seria importante, também, a duplicação da rodovia dos Tamoios", diz. Interior - No interior paulista, o presidente da Aprecesp cita Atibaia e Itu como exemplos de cidades que podem ter um considerável movimento nas economias durante a Copa do Mundo em decorrência do turismo. A estância climática de Atibaia tem no turismo rural um de seus principais atrativos. Atualmente são seis diferentes circuitos, com restaurantes, passeios a cavalo, trilhas para caminhadas e ciclísticas, cavernas e orquidários. O município ficar a apenas 67 quilômetros da capital e tem opções interessantes de pousadas e hotéis fazenda. Itu, apesar de um pouco mais distante da capital - 101 quilômetros - deverá, da mesma forma, receber turistas durante os 40 dias do mundial. A favor da cidade está o seu imenso potencial turístico, graças ao patrimônio histórico, cultural, religioso, ambiental e arquitetônico. O município também é conhecido como a "terra dos exageros", em razão do saudoso humorista Francisco Flaviano de Almeida, o Simplício. "Merece destaque a sua boa infraestrutura hoteleira", aponta Colucci. Montanha - Na Serra da Mantiqueira, mais especificamente em Campos do Jordão, os turistas europeus poderão se sentir um pouco mais em casa durante a Copa, com as temperaturas frias e a arquitetura de influência europeia. Segundo o presidente da Associação C o m e rc i a l e E m p re s a r i a l (ACE) de Campos do Jordão, Wagner Cardoso, o município é uma ótima opção de destino turístico nos intervalos dos jogos. "Tanto a rede hoteleira quanto o comércio locais já estão estruturados para a Copa do Mundo de 2014", conclui.

Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim) promove, dias 18 e 19, curso sobre designer de laços e pacotes, atendendo solicitação de comerciantes. O curso será realizado na sede da Acim. Quem for associado investirá R$ 80 na inscrição e os não associados, R$ 100. Adriana Caliman, designer de embalagens, será a responsável pelas orientações. Ela é facilitadora de workshop na feira Enflor e dá cursos para a Xingó Embalagens, especializada neste tipo de serviço. O público alvo do curso é o empreendedor preocupado com as vendas dos Dia das Mães. Mais informações pelo telefone (14) 3402-3301, ou na sede da Acim.

Santo André é a cidade onde mais se flerta, diz pesquisa

S

anto André, no ABC pauista, é hoje cidade onde mais se flerta no Brasil. Pelo menos este é o resultado de pesquisa realizada pelo Badoo (www.badoo.com), rede social com mais de 112 milhões de seguidores. A cidade de Desterro ocupa o segundo lugar, enquanto Campinas e São Bernardo do Campo dividem a terceira colocação. Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília ficaram entre as 20 cidades onde mais se paquera no Brasil. A liga do flerte Badoo categoriza as cidades do Brasil pelo número de conversas/flertes online iniciadas por mês pelo usuário médio.

Mostra leva orixás de terreiro para museu de Jacareí

O

Museu de Antropologia do Vale do Paraíba recebe, até o dia 20, a exposição A Benção dos Orixás de Terreiro. Localizado em Jacareí, a 80 quilômetros da capital, o museu abriga oito telas de 17 orixás, com 2x2 metros cada. As obras foram idealizadas pelo umbandista Sidney Lorca e pintadas pelo artista plástico Cláudio Koca. O Museu de Antropologia do Vale do Paraíba fica na rua XV de Novembro, 143, no centro. As visitas são de terça a sexta, das 9h às 18h, e aos sábados e domingos, das 11h às 17h. Entrada gratuita. Agenda de visitas ou informações, pelo telefone (12) 3953-3574.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14 -.LOGO E M

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

C A R T A Z

REI A exposição de fotos Roberto Carlos - O Artista e Seu Público, com curadoria de Jacob Klintowitz, retrata a carreira do Rei. Espaço Cultural Citi. Av. Paulista, 1.111, térreo Cerqueira César. Tel.: 4009-3000. P ORTUGAL Reprodução

PARA BEBER

PARA COMER

Água mineral, que deve ser incolor, inodora e insípida, nunca pareceu tão bonita como nas fotos de Ryan Matthew Smith. Diretor e editor de fotografia de publicações gastronômicas como a revista Modernist Cuisine, ele é o autor da foto ao lado, de pura água.

Ryan Matthew Smith também é o autor desta foto de um churrasco no exato momento do preparo. O fotógrafo, que trabalha em Seattle, tem mais de cinco livros de culinária no currículo e é ainda o autor da foto no pé da página, do copo de vinho. www.r yanmatthewsmith.com

Logo Logo www.dcomercio.com.br

L UTO

O adeus ao jornalista Reali Júnior

R ECICLAGEM

Janete Longo/AE

Pais da modelo não creem em suicídio O G1 (http://g1.globo.com/) noticiou ontem que os pais da modelo brasileira Jeniffer Viturino, de 17 anos, duvidam da hipótese de a filha ter cometido suicídio. O corpo de Jeniffer foi encontrado sexta-feira, às 7h20, por um segurança do prédio do namorado dela, o empresário Miguel Alves da Silva, em Lisboa, “Acho impossível ela estar doente e eu não ter visto”, disse ao G1 Solange Corneau Viturino, de 39 anos, mãe da modelo. Ela afirma, porém, que não descarta a possibilidade. “Jamais eu imagino que ela tenha se suicidado, não passa pela minha cabeça”, disse Girley Viturino Silva, o pai, que mora em Vitória (ES). Um bilhete da modelo com pedido de desculpas foi encontrado no local e está sendo analisado pela polícia.

Esculturas feitas com restos de produtos plásticos são a especialidade do londrino Robert Bradford. Ele começou reciclando os brinquedos dos filhos. www.recyclar t.org/2011/04/rober tbradford/

D IREITOS HUMANOS

Presidiário brasileiro contra a Suíça

D ESIGN Reali Júnior no lançamento de seu livro Às Margens do Sena, na Livraria Cultura, em 28/05/2007

A

Complexidades gráficas Esse é o nome da série de ilustrações criada pela designer Tatiana Plakhova, de Moscou. Diretora de um estúdio de design chamado Moscollective, ela busca representar a complexidade de fractais e algoritmos matemáticos em gráficos feitos sem a ajuda de qualquer tecnologia. Cada ponto, linha ou cor de suas obras são inseridos manualmente. O resultado você confere em tamanho maior no seu Flickr. www.flickr.com/photos/plakhova/

o som de uma antiga transmissão sua, diretamente das margens do Sena, na Masion de la Radio, em Paris, o corpo do jornalista Reali Júnior foi cremado ontem, às 16h30, no Cemitério da Vila Alpina, em São Paulo. Colegas, jornalistas, empresários e políticos compareceram ao velório e à cremação. Elpídio Reali Júnior morreu de enfarte anteontem, às 8h, em sua casa, em São Paulo. Ele havia sido submetido a um transplante de fígado há dois anos. Correspondente em Paris durante quase 38 anos, Reali Júnior começou a trabalhar como repórter da Rádio Jovem Pan aos 16 anos de idade. O rapaz que entrava no gramado para entrevistar os jogadores de futebol com um enorme gravador ganhou o apelido de Repórter Canarinho que logo lhe deu projeção Brasil afora. Nascido em 1941 em Bauru, onde passou os primeiros anos

da infância, sempre manteve elos com a cidade natal. Foi ali que conheceu Pelé, o então menino que se destacava no Baquinho, time infantil do Bauru Atlético Cube. Após fazer o primeiro ano do primário em Santos, onde seu pai, Elpídio Reali, delegado de polícia e depois secretário estadual de Segurança trabalhou, Reali mudou-se para São Paulo, na Vila Nova Conceição. "Minha turma era da pá virada", contou o jornalista em depoimento a Gianni Carta em gravação para o livro Às Margens do Sena (Ediouro, 2007). Reali tinha 14 anos e Amélia tinha 13, quando começaram a namorar. Estudavam em Higienópolis – ele no Colégio Rio Branco e ela no Sion. "O primeiro beijo foi na bochecha", recordou Reali, mais de 50 anos depois. "Até hoje estamos

namorando", acrescentou. Ao conseguir o emprego na Jovem Pan, então Rádio PanAmericana, já estava pensando em se casar. Casaram-se em janeiro de 1961 e já tinham suas quatro filhas – Luciana, Adriana, Cristiana e Mariana – quando se mudaram para a França. Reali trabalhou também em jornais e participou de programas de televisão, sem nunca abandonar a Jovem Pan. "Sempre escrevi sobre qualquer assunto, minha formação de jornalista autodidata, construída pedrinha sobre pedrinha, me dá essa possibilidade", gravou no depoimento a Gianni Carta. Suspeito de ser comunista, o que sempre negou, ficou na mira da repressão e por isso decidiu ir para o exterior. Viajou para Paris em setembro de 1972. No ano seguinte, foi contratado pelo Estado de S.Paulo.

http://www.estadao.com.br/noticias/nacional,morre-em-sp-ojornalista-reali-junior,704026,0.htm?p=1

Um brasileiro de 20 anos, preso desde 2009 em Genebra, condenado por agressão, entrou na Justiça contra o Estado. Ppede indenização de R$ 200 mil por condição "desumana" na cadeia. O prisioneiro não teve o nome revelado. Mas seu advogado, Romain Jordan, confirmou que o processo já foi aberto. A iniciativa repercutiu. Um dos principais jornais da Suíça, o Tribune de Geneve, noticiou o caso na primeira página. Na televisão, discussões foram organizadas nos últimos dois dias em torno da situação das prisões. Identificado apenas pela inicial de seu primeiro nome, o brasileiro

C. foi colocado na prisão de Champ-Dollon em março de 2009 e condenado a três anos após ter violentado uma pessoa com uma faca. Ele alega estar em uma prisão com capacidade esgotada. "Os detentos são obrigados a dormir em três ou quatro em celas inicialmente previstas para apenas uma pessoa", afirmou o advogado ao Tribunal de Primeira Instância de Genebra. A base da queixa do brasileiro é o padrão estabelecido pela Corte Europeia de Direitos Humanos. Segundo a entidade, cada detento na Europa deve ter o direito a 4 metros quadrados em um quarto e 6 metros quadrados em caso de um cela. (AE)

A RTE

Crítica global em pôster e camiseta O pôster ao lado, do artista italiano Ivan Giannelli, é uma crítica aos poderosos interesses econômicos. "África, não se preocupe, iremos embora quando terminarmos", diz o texto, em referência clara a empresas que exploram o petróleo e outros recursos naturais sem contrapartidas. O pôster fez sucesso e virou camiseta , mas ainda não está à venda. http://maledestro.blogspot.com/

C RISE

PARA DEGUSTAR Foto de taça de vinho do fotógrafo Ryan Matthew Smith. Saiba mais sobre ele no alto desta página.

Agora, Sinfônica chama demitidos A crise na Orquestra Sinfônica Brasileira teve um lance surpreendente: uma semana após iniciar o processo de demissão de 32 músicos que se insurgiram contra uma avaliação de desempenho imposta para a manutenção de seus empregos, Eleazar de Carvalho Filho recuou e enviou a cada um carta chamando-os a "salvar uma grande instituição". (AE)


e CAIXA 1

AGENDA

conomia

O seu consultor financeiro

11

12

15

Segunda-feira

Terça-feira

Sexta-feira

Fundação Getúlio Vargas (FGV) divulga a primeira prévia do IGP-M de abril.

Sai a pesquisa mensal do comércio, do IBGE, referente ao mês de março.

IBGE divulga a Pesquisa de Serviços de Tecnologia da Informação, de 2009.

15

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

Consumo sim, exagero não. Especialistas alertam que as crianças seguem os modelos dos pais, inclusive nos hábitos de consumo. Portanto, o segredo é moderação, para não pular etapas.

Fotos: Luiz Prado/LUZ

REJANE TAMOTO

S

alto alto, maquiagem, chapinha, manicure e, agora, sutiã com bojo. Produtos e serviços que dominam o universo de consumo das mulheres são cada vez mais usados por crianças por incentivo da publicidade e, em alguns casos, dos próprios pais. De acordo com psicólogos e educadores, a falta de limites na compra desses itens pode transformar as crianças em miniadultas e, desse modo, fazer com que elas pulem etapas do desenvolvimento e se tornem consumistas no futuro. Muitas mães adotam algumas estratégias para não deixar de fazer compras. A dona de casa Denise Lintz, de 37 anos, por exemplo, acredita que seu comportamento consumista não seja transmitido a suas duas filhas. "Consumista sou eu. Não gosto de vestir as meninas com roupa 'frufru' e lacinho porque acho feio. Mas sei dizer não. Quando vamos ao shopping, eu imponho limites. Compramos uma coisa por vez", afirma Denise que diz gastar por mês, em média, R$ 1,5 mil em compras, principalmente com roupas e acessórios, com as filhas Gabriela, de sete anos, e Julia, de quatro. Salto alto e sutiã

Consumista sou eu. Não gosto de vestir as meninas com roupa 'frufru' e lacinho porque acho feio. Mas sei dizer não. Imponho limites. DENISE LINTZ, COM AS FILHAS JULIA E GABRIELA

Para Denise, trata-se de uma questão de vestir bem as filhas. Por isso, para a mais velha (modelo profissional desde os cinco anos) ela tem dificuldades de encontrar um vestido formal que não seja tão infantil. A mãe conta que a onda do salto alto e do sutiã já passou. "Um dia ela andou de salto por muito tempo e ficou com o pé doendo. Só deixo usar salto anabela. O sutiã foi usado por uma semana e nunca mais. Minhas filhas não são erotizadas. São bem produzidas." Um exemplo de miniadulta que vem sendo acompanhado pelo

mundo todo é o da filha do ator Tom Cruise, Suri Cruise, de quatro anos. Pouco tempo depois de aprender a andar, a pequena virou referência fashion por usar salto alto, vestidos e casacos parecidos com os da mãe, a atriz Katie Holmes. Suri tem cartão de crédito e acompanha os pais em jantares, mas, apesar disso, ainda não largou a chupeta. Em entrevista à revista Life & Style, os avós de Suri criticaram Tom e Katie por não imporem limites à criança. Só de brincadeira O comportamento do casal hollywoodiano é reproduzido por pais de todas as classes sociais, segundo a psicanalista e especialista em neuropsicologia infantil pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP), Ana Olmos. "A criança quer ficar parecida com a mãe, mas ela pode fazer isso sem produtos, apenas brincando. Basta um lenço para ela vivenciar isso. Os pais têm de perceber e não deixar que o filho tome as decisões de consumo, pois ele é um ser em desenvolvimento." A psicanalista afirma que em seu consultório o mais difícil é fazer os pais aprenderem a dizer não. Segundo ela, a criança que tem todos os desejos de consumo atendidos pode perder a capacidade de brincar. "É como se a mãe avalizasse que a infância chegou ao fim. A sensação da criança será de insatisfação, de querer mais", explica. Ana cita o caso de uma menina de 12 anos que sofria de transtorno obsessivo-compulsivo em compras por colecionismo. "A mãe dava muita maquiagem de grife. O colecionismo é a compra Após Gabriela (dir.) usar salto e o pé ficar doendo, a mãe só a deixa usar, no máximo, salto anabela.

de vários produtos iguais em cores diferentes. Os adultos sentem a necessidade de ter muitos acessórios para ir trabalhar e usar no dia a dia. A criança não precisa. Ela usa uniforme para ir à escola", afirma. Atitudes inadequadas A apresentadora do programa SuperNanny, do SBT, Cris Poli, considera inadequado a atitude de pais e profissionais que fazem chapinha e alisamento no cabelo de crianças, por exemplo. "Os filhos podem querer tudo, mas é papel dos pais comprar produtos de acordo com a idade e ensiná-los o que pode e o que não pode", afirma. A apresentadora diz que isso acontece cada vez mais nas famílias por causa da falta de tempo dos adultos. "Quando ficam com as crianças, fazem tudo o que elas querem e não o que é melhor para elas. É mais fácil fazer isso do que vê-las chorar e espernear", diz. Para ela, a idade ideal para introduzir maquiagem, roupas e outros produtos de adultos é na adolescência. "Criança tem que fazer coisa de criança. Tem que passear e brincar muito, inclusive de ser mamãe, sempre no faz de conta", diz. Desculpa conveniente A educadora financeira Cássia D'Aquino é mais radical: afirma que a falta de tempo é uma "desculpa conveniente". Para ela, muitos pais, de alguma forma, querem encurtar a infância e diminuir suas obrigações. "Presentear uma filha de quatro anos com um sutiã leva a um amadurecimento precoce, que traz consequências futuras. O perigo é ela se agarrar ao consumo como se fosse uma coisa que constituísse sua personalidade. E uma pessoa assim não terá habilidade para lidar com dinheiro", diz Cássia. Para a educadora, os pais devem evitar tratar os filhos como adultos, inclusive no que se refere às dívidas da família. "Dizer o quanto ganha, o quanto deve e quanto custa a escola não é assunto para falar com criança, porque ela não tem estrutura para isso e se sente culpada", afirma a especialista. A exceção são as fases em que a família se encontra em crise financeira.


16 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011


sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

e

DIÁRIO DO COMÉRCIO

17

conomia

CAIXA 1 O seu consultor financeiro

David Ritter/SXC

Fundos de índices diluem riscos Aplicação em produtos da bolsa é opção à compra de papéis individuais

REJANE TAMOTO

O

investimento em fundos de índices de ações – produtos financeiros formados por papéis de várias empresas que, reunidos, reproduzem um índice da BM&FBovespa – é uma alternativa para quem quer ter os riscos diluídos na bolsa de valores, quando se compara com a compra de ações individuais de empresas. No mercado brasileiro, os bancos oferecem fundos ligados à renda variável desde a década de 1970 e, há dois anos, o leque de opções aumentou com a chegada do Exchange Traded Fund (ETF), criado pela BM&FBovespa. Nesse caso, o aplicador precisa contratar uma corretora para comprar, vender e alugar as cotas do fundo diariamente no mercado. Atualmente, existem oito ETFs, que seguem os seguintes índices: Ibovespa, Brasil (IBrX), Consumo (Icon), Mid-Large Cap (MLCX, de médias empresas), Imobiliário (Imob), Small Cap (SMLL, de pequenas empresas) e Índice Brasil 50 (IBrX50) e o Índice Financeiro (IFNC). Os seis primeiros compõem fundos da gestora global BlackRock, que desde janeiro tem uma parceria com o banco Santander. Os fundos atrelados aos índices IBrX50 e IFNC são geridos pelo Itaú Unibanco. Na quinta-feira, dia 7,o banco lançou o FIND11, fundo que se-

guirá o índice financeiro que reúne 15 empresas do setor. Segundo a instituição, o investimento mínimo em dez cotas do novo fundo será de cerca de R$ 400.

que é fixada por cada empresa. Na Easynvest, o cliente que opta por ETFs trabalha com o home broker, recebe uma senha e usa uma plataforma para acompanhar as cotas e fazer as ordens de compra e de venda. Cada operação custa R$ 10. "Mesmo com taxa de administração baixa, recomendo ao investidor aplicar acima de R$ 2 mil por causa dos custos operacionais", afirma a superintendente de fundos indexados do Itaú Asset Management, Tatiana Grecco.

Riscos e perfil Em comum, tanto os fundos de ações dos bancos comerciais quanto os ETFs oferecem riscos menores de perdas em comparação à compra de ações de uma única empresa. Ao investir em fundo que reflete um índice da BM&FBovespa, é como se o aplicador tivesse ações de várias companhias e, assim, não precisa se preocupar se uma delas estiver em baixa no mercado. Mas isso não significa que o risco seja zero. De acordo com a gerente de renda variável da BM&FBovespa, Adriana Sanches, se, por exemplo, o Ibovespa (que representa as 69 ações mais negociadas na bolsa) cair, o rendimento dos fundos também será menor. Antes de optar por fundos tradicionais ou ETFs é importante o investidor observar as diferenças entre eles e escolher conforme o perfil. O procedimento para contratar o fundo de um banco oferece certa comodidade para quem nunca trabalhou com corretoras e não tem interesse em pesquisar e aprender mais sobre a bolsa. Os custos também são diferencia-

dos, bem como a negociação das cotas e a liquidez. Nos fundos de ações tradicionais, basta o cliente comprar cotas em bancos comerciais. As instituições comercializam fundos passivos, que são aqueles indexados a diversos índices da BM&FBovespa, que refletem o desempenho das ações das empresas que estão em cada um deles. Outra modalidade negociada pelos bancos é o fundo ativo, que busca superar os índices e, assim, oferecer rentabilidade maior. A composição da carteira, em geral, é a mesma de um fundo passivo – a diferença é a gestão. Se, por exemplo, as ações da Petrobras sobem inesperadamente em um determinado dia, o gestor pode mudar a carteira do fundo e colocar mais desses papéis para

Atrás do pequeno investidor

O

ETF é uma alternativa recente no mercado brasileiro e na BM&FBovespa, as gestoras, as corretoras e alguns bancos apostam na sua popularização entre os pequenos investidores. Desde agosto, a BM&FBovespa diminuiu o número de cotas mínimas de 100 para dez para que um investidor possa aplicar em ETFS. Isso reduziu o valor inicial da aplicação, que é de cerca de R$ 600. O valor da cota unitária corresponde a 0,1% do número de pontos de um determinado índice. Se por exemplo, o Ibovespa estiver em 68 mil pontos, o valor da cota individual será de R$ 68,00. E o investimento mínimo para entrar no ETF desse índice será de R$ 680, o que corresponde a dez cotas. "O preço das cotas reflete o número do pontos do índice. A vantagem é que é possível montar uma carteira de ações com várias empresas a um custo

baixo", diz a gerente de renda variável da BM&FBovespa, Adriana Sanches. De acordo com Saulo Mendes, diretor da gestora BlackRock – que detém seis fundos ETFs, denominados iShares – a taxa de administração do ETF pode ser reduzida de 0,54% ao ano para 0,4% ao ano, caso o investidor alugue suas cotas. "É possível alugar até 30% da carteira. Uma parte da receita com o aluguel reduz a taxa de administração e outra retorna para o fundo", afirma Mendes. Essa alternativa se torna interessante apenas para quem tem mais de R$ 1 mil em cotas porque esse valor aumenta a facilidade de encontrar interessados, segundo Adriana, da BM&FBovespa. O percentual cobrado no aluguel de ações é de cerca de 3% ao ano, sobre o valor da ação. "O BOVA11 é um dos 30 papéis mais alugados. Esse fundo é um dos mais

negociados diariamente, com volume de R$ 30,7 milhões por dia", diz a gerente. Curta história no mercado O primeiro ETF a entrar em operação no Brasil foi o PIBB11 (Papéis de Índice Brasil Bovespa), um fundo espelhado no índice IBrX-50, lançado em 2004, sob a gestão do banco Itaú Asset Management, que tem cerca de 23 mil cotistas. Em 2008, a gestora de recursos BlackRock obteve licença da bolsa para oferecer os ETFs BOVA11 (que reflete o índice Ibovespa), o MILA11 (espelhado no Mid Large Cap), e o SMAL11 (que segue o Small Cap). A partir de 2010, a gestora passou a oferecer o BRAX11 (índice Brasil), o CSMO11 (índice de consumo) e o MOBI11 (índice imobiliário). Segundo a BM&FBovespa, os ETFs que tiveram melhor desempenho em 2010 foram o BOVA11, com R$ 5,7 bilhões em negociações, e o PIB11, com R$ 1 bilhão.

Liquidez superar o Ibovespa. Nos fundos tradicionais, passiQuem aplica no fundo de ações vos ou ativos, o cliente acompanha a gestão mas não pode opi- de um banco pode sacar o dinheinar. Dependendo do perfil do ro sem se preocupar com o valor cliente é uma comodidade, já que de sua cota no fundo. Já o invesele pode resgatar o dinheiro do tidor de ETF precisa dar a ordem banco em caso de necessidade de venda da cota à corretora para sem se preocupar com o valor de obter o recurso e, nesse mercado, suas cotas na bolsa de valores. O a liquidez ainda é baixa. De acorcusto para investir nos fundos de do com dados da BM&FBovespa, ações dos bancos comerciais cor- nos últimos meses, as negociaresponde a uma taxa de adminis- ções de ETFs representaram em tração de, em média, 2,18% ao torno de 1% do total diário da bolano, segundo a Associação Brasi- sa de valores. Não há muitas negociações de leira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbi- ETFs por dia, o que atrapalha ma). As despesas com correta- quem quer vender e comprar diagem são descontadas da rentabi- riamente. Mas isso não é problema para quem está lidade líquida do pensando no longo fundo. "A taxa pode prazo, em dois anos. ser menor se o invesEsse é o caso do bantidor tiver mais capicário Claudio Santotal para investir. Em Em ETF, o ro Lanari, de 40 anos. ETFs, a taxa é a mesinvestidor Ele aplicou R$ 3 mil ma, independentemente do valor negodeve aplicar em ETFs (20% do total de seus investiciado", diz o diretor acima de mentos na bolsa), há da Easynvest, AmerR$ 2 mil por seis meses. "Não sou son Magalhães. causa dos ativo. Não compro e custos não vendo. Investi ETFs operacionais em ETFs para diversificar minha carteira N o c a s o d o s E xTATIANA GRECCO, a um custo mais baic h a n g e Tr a d e d ITAÚ ASSET xo", afirma Lanari. Funds, o investidor MANAGEMENT Segundo Tatiana deve ter disposição Grecco, o diferencial para pesquisar uma do Exchange Traded corretora e entrar no mercado de ações. A diferença Fund é que a negociação de comentre esse tipo e o tradicional é a pra e venda de cotas pode ser feinegociação. O investidor de ETF ta no mesmo dia. "A questão é pode acompanhar os movimen- que o preço de negociação está tos dos índices e comprar, vender sujeito à oferta e à demanda, asou alugar diariamente as cotas na sim como o de ações. O valor da cota pode ser menor por causa BM&FBovespa. A taxa de administração para das oscilações do mercado e o investir nos ETFs varia de 0,54% a cliente pode não vender no dia 0 , 6 9 % a o a n o , s e g u n d o a que ele quer", diz a executiva. O superintendente de EstratéBM&FBovespa. Com uma taxa inferior em relação aos bancos, gia Equities Varejo e Private esse investimento envolve outras Banking do Santander, Hugo despesas que também devem ser Daniel Azevedo, recomenda o consideradas, como as taxas de investimento em ETF como uma negociação, liquidação, custódia, "poupança" de longo prazo para banco de títulos, aviso de nego- quem quer aplicar na bolsa de ciação de ativos e corretagem, valores.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

e

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

É inegável que as empresas brasileiras estão perdendo mercado. Rogério Amato, presidente da Facesp e ACSP

conomia

Facesp: por empresas mais fortes. Rogério Amato, presidente da Facesp e ACSP, vai articular as associações comerciais para pleitear medidas a favor do setor empresarial. Ele considera que os pequenos negócios estão em péssimas situações. Newton Santos/Hype

Fátima Lourenço

A

Torres (Plano CDE), Dias (da Cielo) e Amato (esq. para dir) participam do painel "Os caminhos para chegar à sonhada quinta economia mundial"

A indústria, hoje, está sentindo brutalmente a competição da China. ROGÉRIO AMATO, FACESP E ACSP

e saudável é, na opinião do executivo, umas das tarefas para se trilhar caminhos que levem o País ao posto de quinta economia do mundo. A sustentabilidade foi outro dos destaques da palestra. Amato contou que a ACSP

desenvolverá um programa em parceria com o Banco Santander para que as empresas do interior paulista possam se avaliar em relação ao assunto. E com o apoio da instituição bancária, melhorar a performance no quesito

sustentabilidade. "Temos 250 mil empresas no interior. Faremos isso nos próximos três anos", informou. O seminário da revista Brasileiros reuniu, ao longo de toda a sexta-feira, economistas e empresários

Rua Dr.Almeida Nogueira, 168-A Penha - São Paulo/SP

DC

(11) 3229-7822 / 3227-9287 Nextel: 7723-3123 - ID: 18971*3 7859-7277 - ID: 18971*12

NEW LINE Transportes e Locações Vans - Pick Ups - Caminhão Carro Executivo - Ajudantes para Cinema TV - Shows e Eventos

www.newlinetransportes.com.br

DETILIO

Fones: 11

3257 2161 / 3259 7999 3256 5888 / 3256 8623

CRECI 16750-J

Câmeras Fotográficas Assistência Técnica Digital e Analógica Filmadoras e Projetores

DC

11 5071 9732 / 3483 5571 2369 1030 / 7821 8485 Nextel Investigações Empresariais

Fones:

Negócios Imobiliários S/C Ltda.

SOMENTE LOCAÇÕES

Investigações Conjugais e Extraconjugais

Elite Tática Investigações DC

Rua Vitorino de Morais 362 Chác. Santo Antônio - Fone/Fax: 11 5184-0628

Locação: 11

2028 2652 2028 2515

Rua Dr. Gabriel Rezende, 413 - Santa Clara São Paulo/SP

Rua Cel. Xavier de Toledo, 316 - 11º andar - Centro - São Paulo/SP (próximo ao metrô Anhangabaú)

Sobrados - Casas Térreas - Salões Comerciais Apartamentos - Lojas - Salas Comerciais

Venda: 11

2021 6559 6851 6596

Venda - Locação - Administração

Visite o nosso site:

www.optisom.com.br

IMÓVEIS

detilio.detilio@terra.com.br

DC

juventude, com incremento de programas de educação para o trabalho, como já faz a entidade que dirige, com o projeto Degrau. Amato ressaltou, ainda, que as cidades brasileiras não estão preparadas para o envelhecimento da população. Avaliar esse cenário e elaborar um projeto em conjunto com as empresas, para que essas pessoas tenham uma vida útil

DC

Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) se organiza para propor de forma mais incisiva junto ao governo os pleitos dos empresários paulistas. A articulação acontecerá por meio das suas 420 associações comerciais espalhadas pelo interior, além das 17 distritais da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) na capital, informou o presidente da Facesp e da ACSP, Rogério Amato. Ele participou como palestrante do seminário Rumos da Economia Brasileira, realizado em São Paulo na última sexta-feira pela revista Brasileiros, no painel em que foram discutidos "Os caminhos para chegar à sonhada quinta economia do mundo". "É inegável que as empresas brasileiras estão perdendo mercado. A Associação Comercial atende preferencialmente às pequenas e médias empresas. E elas estão em situação complicada", comentou Amato. A antecipação tributária e a necessária informatização, justificou, obrigaram essas empresas a cair rapidamente no mercado, sem a necessária preparação. "A indústria, hoje, está sentindo brutalmente a competição da China", acrescentou, se referindo a um cenário global apresentado ao longo de todo o seminário, que obriga as empresas a serem cada vez mais produtivas. "Mas a produtividade tem limite", enfatizou. O presidente da ACSP também destacou a necessidade de um olhar diferenciado para a

renomados, incluindo, na parte da manhã, o ministro da Fazenda Guido Mantega. No painel em que participou, o presidente da Associação dividiu a mesa com o professor da Fundação Getúlio Vargas do Rio de Janeiro, Samuel de Abreu Pessoa; com o diretor da Plano CDE, Haroldo da Gama Torres; além do presidente da Cielo, Rômulo de Mello Dias. Pagamentos – Dias analisou o cenário atual com a apresentação de números do setor de meios de pagamento que refletem o consumo das famílias brasileiras. As credenciadoras de cartão de crédito captaram, de acordo com ele, 25% desse consumo, equivalentes a R$ 546 bilhões. "Isso dinamiza a cadeia produtiva e ainda há um potencial significativo de crédito. No Brasil, o crédito expandiu 21% ao ano. Isso é difícil de se ver no mundo", comparou, mencionando a internet como destaque. A mobilidade social que incrementou esses movimentos foi destacada pelo diretor da Plano CDE, com a apresentação de vários dados que ratificam melhoria da distribuição de renda. Ao projetar o horizonte para 2020, no entanto, ele lembrou que embora 60% dos jovens já concluam o ensino médio, ainda há 40% que não o fazem. "Eles não terão emprego formal. Temos que olhar para esse grupo". Tributos – O professor Samuel de Abreu acredita que o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro será da ordem de 4% pelos próximos quatro anos. "Não acho que isso seja necessariamente ruim. É fruto de um processo de escolha social. Temos uma democracia madura. Não vejo problema nisso", afirmou. De acordo com seu raciocínio, o enorme processo de crescimento do gasto público não acontece porque o governo seja perdulário. "Nos últimos 20 anos, o aumento do gasto público foi para a área social", afirmou. O aumento da carga tributária, acrescentou, aconteceu para criar uma rede de bem-estar (universalização da saúde e educação). O resultado desse "contrato social', opina, será uma carga tributária crescente.

Monitoramento de Adolescentes Segurança para Eventos

www.elitetatica.com.br

Rua Ibituruna, 1.036 Jardim da Saúde - Sao Paulo/SP


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

e

19 Mais de R$ 800 milhões pode estar esquecido nos bancos por cerca de 3,4 milhões de investidores

conomia

Fundos 157: uma fortuna esquecida

U

ma fortuna de mais de R$ 800 milhões pode estar esquecida nos bancos por cerca de 3,4 milhões de investidores. Este é o valor referente aos extintos fundos 157, convertidos em outras aplicações em 1985 e hoje distribuídos em diversas instituições financeiras. Muita gente não lembra da existência do investimento ou não sabe como encontrá-lo, mas a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) ajuda no processo e este ano põe em funcionamento uma ferramenta para facilitar o resgate. A bolada, inclusive, deve ser maior do que a estimada. "O montante de R$ 800 milhões foi contabilizado em 2009, momento de depreciação por causa da crise internacional. É possível que o valor tenha crescido", diz o Superintendente de Proteção e Orientação aos Investidores da CVM, José Alexandre Vasco. A consulta pode ser feita por CPF na página da CVM. Se houver dinheiro disponível, o investidor deve entrar em contato com a instituição. Se o res-

gate não for providenciado pela administradora, a própria CVM manda um ofício para reaver a aplicação, de qualquer valor. A autarquia também auxilia no caso de a administradora original não existir mais, já que se trata de um investimento de décadas atrás. Aplicações de pessoas já falecidas podem ser resgatados. Criados em 1967 como incentivo aos contribuintes, os fundos 157 tinham mecanismo que dava opção de utilizar parte devida ao Imposto de Renda (IR) em fundos administrados por bancos de livre escolha. Todas as pessoas que declararam IR entre 1967 e 1981 e usaram o recurso podem ter saldo. Em 1985, os 157 foram transformados em fundos mútuos de investimentos e em 1987 passaram à competência da CVM. Hoje, são caracterizados como fundos de investimento e estão em grande parte nas mãos de grandes bancos de varejo e corretoras. São aplicações comuns, que continuam rendendo, e podem inclusive ser mantidas pelos aplicadores. (AE)

Yakult S.A. Indústria e Comércio CNPJ/MF nº 60.723.061/0001-09 - NIRE nº 35.3.0003245-4 Ata da Reunião do Conselho de Administração Realizada em 25 de Março de 2011 Data, Local e Hora: 25 de Março de 2011, às 11:00 horas, na sede social situada à Alameda Yakult n° 600 - Bairro do Riacho Grande, Município de São Bernardo do Campo, Estado de São Paulo. Presença: Todos os membros do Conselho de Administração. Mesa Diretora: Presidente: Sr. Masahiko Sadakata. Secretário: Sr. Hiroshi Narita. Ordem do Dia: a) Eleição do Diretor Comercial e do Diretor Jurídico para integrar o quadro de Diretores da Companhia. b) Outros Assuntos de Interesse Social. Deliberações: a) Passando à ordem do dia, o Senhor Presidente informou que, tendo em vista a alteração parcial dos Estatutos Sociais promovida pela Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária dos Acionistas realizada nesta data, com a criação de mais um cargo de Diretor Comercial e um cargo de Diretor Jurídico, com o objetivo de aperfeiçoar a estrutura administrativa da Companhia, o Conselho de Administração aprovou por unanimidade a eleição dos seguintes membros da Diretoria: Para o cargo de Diretor Comercial foi eleito o Sr. Atsushi Nemoto japonês, casado, administrador de empresa, portador da Cédula de Identidade de Estrangeiro RNE n° V380560-F-SE/DPMAF/DPF, inscrito no CPF sob n° 230.696.578-18, com endereço à Alameda Joaquim Eugênio de Lima, n° 1.118 - Apto. 141, Bairro de Jardim Paulista, em São Paulo, Estado de São Paulo, e para o cargo de Diretor Jurídico o Sr. Paulo Tomoyuki Aoki brasileiro, divorciado, advogado, portador da Cédula de Identidade RG n° 9.050.430-6 SSP/SP e inscrito no CPF sob n° 791.234.068-87, e na OAB/SP sob o n° 84.413, residente e domiciliado à Rua Juá, n° 197 - Apto. 43, Bairro da Saúde, em São Paulo, Estado de São Paulo, ambos com mandato até a data da Assembléia Geral Ordinária a ser realizada no primeiro quadrimestre de 2012, coincidindo o prazo dos seus mandatos com o dos demais Diretores anteriormente eleitos, devendo permanecer nos respectivos cargos até a posse dos seus sucessores. Os diretores ora eleitos declaram aceitar a sua eleição e assumem o compromisso de cumprir os deveres inerentes aos respectivos cargos, de acordo com a Lei e o Estatuto Social. Declaram também não estar incursos em nenhum dos crimes previstos em lei que os impeça do exercício de atividades mercantis. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi suspensa a reunião para a lavratura da Ata que, após lida e achada conforme, foi aprovada e assinada por todos os presentes. São Bernardo do Campo, 25 de Março de 2011. Masahiko Sadakata - Presidente da Mesa; Hiroshi Narita - Secretário da Mesa; Takashi Matsuzono - pp. Masahiko Sadakata; Atsushi Nemoto - Diretor Comercial; Paulo Tomoyuki Aoki - OAB/SP 84413. JUCESP nº 122.265/11-7 em 01/04/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

BID pode emprestar até US$ 12 bi ao BR em 4 anos País já é o maior cliente do Banco Interamericano de Desenvolvimento com participação de 20% do total

O

Brasil é o maior cliente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). A participação representa 20% do total, o que torna o Brasil, além de tomador de recursos, sócio com mais capital. O financiamento brasileiro representa um montante de US$ 13,3 bilhões. O valor contempla uma carteira de 226 projetos que estão em execução, preparação ou negociação. A expectativa é que o volume para os próximos quatro anos varie entre US$ 11 bilhões e 12 bilhões para os setores público e privado. Entre 2011 e 2014 a estimativa é que sejam aprovados de 80 a 100 novos empréstimos. O economista do BID em Brasília, Bruno Saraiva, reconhece que, apesar de receber a maior fatia de financiamentos, o montante é insuficiente para atender a demanda brasileira. "O BID é pequeno em relação ao Brasil. Toda a dívida tomada representa apenas 0,7% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro." Nesse sentido, a equipe técni-

ca do BID – com recursos pró- 75% do total tomado", calculou. prios e de terceiros sob gestão da Nesse período, o volume de instituição – vai se mobilizar pa- aprovação do BID ao Brasil foi ra apoiar diferentes demandas de US$ 10,2 bilhões. do País e também para promoDesse total, a maior fatia foi ver estudos. "Não colocamos só destinada às micro e pequenas dinheiro. Também tem elemen- empresas, que garantiram to qualitativo. US$ 3,95 biAlém dos relhões. Em secursos finanguida aparece ceiros, colaboa área de ramos com retransporte, cursos humacom US$ 2 bin o s , lhões. O finanprojetos que r e c o n h e c iciamento ao estão em execução, mento e capasetor de decidade social senvolvimenpreparação ou p a r a d e s e nto urbano e innegociação são volver projet e g r a d o s otos mais immou US$ 1,5 contemplados com pactantes e bilhão. Projeos recursos mais eficientos destinados do banco t e s " , a r g uà melhoria de mentou. água e ao saSegundo o neamento báeconomista, nos últimos cinco sico receberam US$ 1,3 bilhão. anos houve uma mudança na Foram destinados US$ 750 micomposição da carteira de cré- lhões para programas de enerdito que aumentou a participa- gia, US$ 350 milhões para turisção de empréstimos a estados e mo e US$ 270 milhões para meio municípios. "Os estados e mu- ambiente. A área social recebeu nicípios representam cerca de a m e n o r q u a n t i a , a p e n a s

226

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA EXTRATO DE HOMOLOGAÇÃO Processo nº 031/11 – Pregão nº 16/11 Objeto: Aquisição de móveis, eletrodoméstico, equipamentos de informática e instrumental. Considerando a adjudicação constante da ata dos trabalhos da sessão pública de julgamento, lavrada pelo Sr. Pregoeiro, designada pela portaria nº 11.123/2011 de 04/04/2011; e a regularidade do procedimento, hei por bem, com base na lei federal nº 10520, de 17 de julho de 2002, HOMOLOGAR, os itens do objeto licitado, às empresas: Adriana Cristina Zuim & Cia Ltda. – Me (Itens ganhos: 16, 18, 19, 23, 26); Ativaflex Comercial Ltda. – Epp (Itens ganhos: 07, 09, 10, 13, 15, 28); C.A.M. Aranda – Me (Item ganho: 04); Gabriela Sampaio de Souza Garms – Me (Item ganho: 17); J. I. Bento – Me (Itens ganhos: 01, 21); Marileide Villavicêncio da Cunha – Epp (Itens ganhos: 03, 22, 24, 25, 27); MDF Material Médico Hospitalar Ltda. – Me (Itens ganhos: 06, 08); M H Shinye & Cia Ltda. (Itens ganhos: 02, 05, 11, 14, 20). Andradina, 08 de abril de 2011 JAMIL AKIO ONO – PREFEITO

Yoki Alimentos S/A., torna público que recebeu da CETESB a Licença de Operação nº 48000875, válida até 08/04/2014, para Fabricação de Produtos alimentícios diversos, à Av. Miro Vetorazzo, 1661/1681, Demarchi, São Bernardo do Campo / SP.

PREFEITURA MUNICIPAL DE MOGI MIRIM EXTRATO DA REABERTURA DO EDITAL DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 037/2011 A Prefeitura de Mogi Mirim torna público que, devido a alterações no edital do referido Pregão, reabremse todos os seus prazos, conforme segue: Objeto: Aquisição de veículo. Data de credenciamento e abertura dos envelopes proposta dia 26/04/2011, às 14:00 horas. Informações: Departamento de Recursos Materiais, à Rua Dr. José Alves, 129, Centro, ou pelos telefones: (19) 3814-1052/1059/1060. Disponibilidade do edital: Diretamente na Divisão de Licitações, mediante o recolhimento de R$ 10,00 (Dez Reais), conforme guia emitida pelo Setor Competente da PMMM e/ou através do site www.mogimirim.sp.gov.br, sem ônus, até o dia 25/04/2011. Pregoeira. EXTRATO DA REABERTURA DO EDITAL DO PREGÃO PRESENCIAL Nº 041/2011 A Prefeitura de Mogi Mirim torna público aos interessados a reabertura de todos os prazos do referido Pregão, conforme segue: Objeto: Aquisição de equipamentos para consultórios odontológicos. Data de credenciamento e abertura dos envelopes proposta dia 29/04/2011, às 9:00 horas. Informações: Departamento de Recursos Materiais, à Rua Dr. José Alves, 129, Centro, ou pelos telefones: (19) 38141052/1059/1060. Disponibilidade do edital: Diretamente na Divisão de Licitações, mediante o recolhimento de R$ 10,00 (Dez Reais), conforme guia emitida pelo Setor Competente da PMMM e/ou através do site www.mogimirim.sp.gov.br, sem ônus, até o dia 28/04/2011. Pregoeira.

Yakult S.A. Indústria e Comércio

Yakult S.A. Indústria e Comércio CNPJ nº 60.723.061/0001-09 - NIRE nº 35.3.0003245-4 Ata da Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária Realizada em 25 de Março de 2011 (Sumário nos Termos do Art. 130º Parágrafo 1º da Lei 6.404/76) Data, Local e Hora: 25 de março de 2011, na sede social situada à Alameda Yakult nº 600 - São Bernardo do Campo - São Paulo, às 10:00 com os demais diretores nos encargos e estes atribuídos; assessorar o Diretor Executivo Industrial; administrar a produção industrial da horas. Convocação: Dispensada nos termos do artigo 124 da Lei 6.404/76. Presença: Acionistas representando a totalidade do Capital sociedade; realizar treinamentos, cursos, seminários e conferências sobre as atividades industriais, visando o aprimoramento técnico Social com direito a voto. Mesa Diretora: Presidente da Mesa: Sr. Ichiro Amano, Secretário: Sr.Tooru Yamakami. Ordem do Dia: a) Análise, científico dos empregados do setor industrial. Criar, suprimir e alterar cargos de empregados do setor industrial; admitir e demitir, promover, discussão e aprovação do Relatório dos Administradores e das Demonstrações Financeiras referentes ao Exercício Social encerrado em transferir, nomear e suspender funcionários e empregados do setor industrial, fixando vencimentos, gratificações e comissões e atribuir 31/12/10; b) Destinação do Lucro Líquido do Exercício; c) Ratificação da aquisição de ações de emissão da companhia para manutenção em encargos para cada um. Adquirir matérias-primas e materiais de consumo necessários para a produção industrial. Administrar edifícios, tesouraria e posterior cancelamento; d) Aumento de Capital Social de R$ 150.000.000,00 (cento e cinqüenta milhões de reais) para R$ maquinários, equipamentos, veículos e demais bens pertencentes ao setor fabril de São Bernardo do Campo - SP e Lages - SC. Aprimorar 200.000.000,00 (duzentos milhões de reais) mediante capitalização de Reservas de Lucros; e) Alteração dos Estatutos Sociais referentes à e desenvolver a produção industrial da sociedade, com pesquisa e desenvolvimento de produtos e processos, lançamentos de novos gestão e competência do Conselho de Administração e da Diretoria, aumento de quadro de Diretores e criação do cargo de Diretor Jurídico; produtos no mercado interno, e controle de qualidade dos produtos da sociedade; ministrar treinamentos, cursos, seminários e conferências f) Outros Assuntos de Interesse Social. Deliberações: A Assembléia tomou por unanimidade as deliberações a seguir relacionadas, sobre as propriedades dos produtos produzidos pela sociedade, visando o aprimoramento técnico e científico de todos os empregados da abstendo-se de votar os legalmente impedidos, sempre que configurado o impedimento: a) Aprovadas as Contas da Administração, o seu sociedade. Assinar, em conjunto com outro Diretor, todos os documentos bancários e de créditos em geral. Substituir o Diretor Executivo Relatório, o Balanço Patrimonial e demais Demonstrações Financeiras e suas Notas Explicativas, relativas ao exercício social encerrado em Industrial em suas ausências e impedimentos temporários e ocasionais. Art. 20º - Compete ao Diretor Executivo Comercial: colaborar com 31/12/10, publicadas no Diário Oficial do Estado de São Paulo e no jornal Diário do Comércio no dia 23/03/11, respectivamente nas páginas os demais diretores nos encargos e estes atribuídos; assessorar o Diretor Vice-Presidente; planejar, orientar, e controlar as atividades 53 (Caderno Empresarial) e 33 (Caderno de Economia). Anúncios dispensados nos termos do Art.133, parágrafo 4º da Lei 6.404/76. b) comerciais; assessorar os demais setores da sociedade em relação ao consumo e ao mercado; estimular o fluxo dos produtos no mercado Aprovada a destinação do Lucro Líquido do Exercício, antes da participação dos Administradores, no valor de R$ 44.227.368,62 (quarenta e consumidor através de atividade em todo território nacional e no exterior; supervisionar e administrar todas as propagandas da sociedade. quatro milhões, duzentos e vinte e sete mil, trezentos e sessenta e oito reais e sessenta e dois centavos), sendo: (a) R$ 2.211.368,43 (dois Admitir e demitir, promover, transferir, nomear e suspender funcionários e empregados em geral do setor comercial, bem como fixar milhões, duzentos e onze mil, trezentos e sessenta e oito reais e quarenta e três centavos) para Reserva Legal, correspondente a 5% do vencimentos, gratificações e outras vantagens e condições e formas de pagamentos dos mesmos. Promover treinamentos, cursos, Lucro Líquido do Exercício, a fim de assegurar a integridade do Capital Social; (b) Dividendos aos Acionistas no montante de R$ seminários e conferências, visando o aprimoramento técnico científico dos empregados do setor comercial. Contratar agentes, representantes 22.500.000,00 (vinte e dois milhões e quinhentos mil reais), correspondentes a 50,87% do Lucro Líquido antes da participação dos comerciais e comerciantes autônomos, fixando preços e condições de fornecimento e pagamento. Assinar, em conjunto com outro diretor, Administradores, apurado no Exercício Social de 2010, portanto, inteiramente isentos da incidência do Imposto de Renda na Fonte; (c) R$ todos os documentos bancários e de créditos em geral. Substituir o Diretor Vice-Presidente e o Diretor Executivo Comercial Regional em suas 1.125.000,00 (um milhão, cento e vinte e cinco mil reais) de Gratificação aos Administradores; e (d) R$ 18.391.000,19 (dezoito milhões, ausências e impedimentos temporários e ocasionais. Art. 21º - Compete ao Diretor Executivo Comercial Regional: colaborar com os trezentos e noventa e um mil reais e dezenove centavos) transferidos para Reserva Espontânea, com o objetivo de aplicação em futuros demais diretores nos encargos e estes atribuídos; assessorar o Diretor Vice-Presidente; planejar, orientar, e controlar as atividades investimentos. c) A Assembléia ratificou a aquisição de 149.364 (cento e quarenta e nove mil, trezentos e sessenta e quatro) ações emitidas comerciais; assessorar os demais setores da sociedade em relação ao consumo e ao mercado; estimular o fluxo dos produtos no mercado pela própria companhia, para manutenção em tesouraria, para futuro cancelamento ou alienação, pertencentes à acionista Yoshino Mabe, consumidor através de atividade em todo território nacional e no exterior; supervisionar e administrar todas as propagandas da sociedade. portadora do RG nº 2.833.549-SSP/SP e do CPF nº 287.082.978-78, mediante aplicação de recursos disponíveis em Reservas de Lucros - Admitir e demitir, promover, transferir, nomear e suspender funcionários e empregados em geral do setor comercial, bem como fixar Reserva Espontânea, feita anteriormente pela administração da companhia. Aprovou, em seguida, o cancelamento das referidas ações vencimentos, gratificações e outras vantagens e condições e formas de pagamentos dos mesmos. Promover treinamentos, cursos, mantidas em tesouraria, sem redução de Capital Social, e, conseqüentemente, com aumento do valor nominal de cada ação, ficando o seminários e conferências, visando o aprimoramento técnico científico dos empregados do setor comercial. Contratar agentes, representantes Capital Social de R$ 150.000.000,00 dividido em 149.850.636 ações, do valor nominal de R$ 1,00099675 cada uma. A Assembléia aprovou comerciais e comerciantes autônomos, fixando preços e condições de fornecimento e pagamento. Assinar, em conjunto com outro diretor, o procedimento para futuras aquisições de ações emitidas pela própria companhia, para manutenção em tesouraria, determinando que a todos os documentos bancários e de créditos em geral. Substituir o Diretor Executivo Comercial em suas ausências e impedimentos aquisição seja deliberada em Reunião do Conselho de Administração. d) Aprovado o aumento do Capital Social de R$ 150.000.000,00 (cento temporários e ocasionais. Art. 22º - Compete aos Diretores Comerciais: colaborar com os demais diretores, nos encargos e estes e cinqüenta milhões de reais) para R$ 200.000.000,00 (duzentos milhões de reais), mediante capitalização parcial da Reservas de Lucros, atribuídos; assessorar o Diretor Executivo Comercial e Diretor Executivo Comercial Regional; supervisionar, orientar, e controlar as atividades sub-conta Reserva Espontânea no montante de R$ 50.000.000,00 (cinqüenta milhões de reais) Aprovada, em conseqüência deste aumento, comerciais; assessorar os demais setores da sociedade em relação ao consumo e ao mercado; estimular o fluxo dos produtos no mercado a emissão de 49.950.212 (quarenta e nove milhões, novecentas e cinqüenta mil, duzentas e doze) ações ordinárias e nominativas, do valor consumidor através de atividade em todo território nacional e no exterior; supervisionar e administrar todas as propagandas da sociedade. nominal de R$ 1,00099675 cada uma, a serem distribuídas gratuitamente aos acionistas na exata proporção das que já possuírem na Admitir e demitir, promover, transferir, nomear e suspender funcionários e empregados em geral do setor comercial, bem como fixar sociedade e a nova redação do art. 6º dos Estatutos Sociais, nos seguintes termos: Art. 6º - O Capital Social da companhia é de R$ vencimentos, gratificações e outras vantagens e condições e formas de pagamentos dos mesmos. Promover treinamentos, cursos, 200.000.000,00 (duzentos milhões de reais), dividido em 199.800.848 (cento e noventa e nove milhões, oitocentos mil, oitocentos e quarenta seminários e conferências, visando o aprimoramento técnico científico dos empregados do setor comercial. Contratar agentes, representantes e oito) ações, ordinárias e nominativas, do valor nominal de R$ 1,00099675 cada uma. Parágrafo Único: Cada Ação Ordinária e Nominativa comerciais e comerciantes autônomos, fixando preços e condições de fornecimento e pagamento. Assinar, em conjunto com outro diretor, confere ao seu possuidor o direito a um voto nas Assembléias Gerais; e) Aprovada a alteração parcial dos Estatutos Sociais referentes à todos os documentos bancários e de créditos em geral. Substituir o Diretor Executivo Comercial e o Diretor Executivo Comercial Regional em gestão e competência do Conselho de Administração e da Diretoria, aumento do quadro de diretores, passando a companhia a contar com suas ausências e impedimentos temporários e ocasionais. Artigo 23º - Compete ao Diretor Comercial Regional: colaborar com os demais 2 (dois) Diretores Comerciais e a criação de um novo cargo com a denominação de Diretor Jurídico. Aprovada, em conseqüência, a nova diretores, nos encargos e estes atribuídos; assessorar o Diretor Executivo Comercial Regional e o Diretor Comercial; supervisionar, orientar, redação do artigo 9º, bem como a redação dos artigos 15º e subseqüentes, referente à administração da sociedade, nos seguintes termos: e controlar as atividades comerciais; assessorar os demais setores da sociedade em relação ao consumo e ao mercado; estimular o fluxo Da Administração - Art. 9º - A sociedade será administrada por um Conselho de Administração e uma Diretoria, órgãos esses que têm as dos produtos no mercado consumidor através de atividade em todo território nacional; planejar, orientar e controlar as atividades comerciais seguintes composições: 1 - O Conselho de Administração compõe-se de 3 a 5 membros, todos acionistas, entre os quais um Presidente e no exterior, coordenando as aberturas de mercados internacionais para dinamizar as exportações; supervisionar e administrar todas as um Vice-Presidente. 2) A Diretoria compõe-se de 15 (quinze) membros com as seguintes denominações: a) Presidente Honorário, b) Diretor propagandas da sociedade. Admitir e demitir, promover, transferir, nomear e suspender funcionários e empregados em geral do setor Presidente, c) Diretor Vice-Presidente, d) Diretor Executivo Industrial, e) Diretor Executivo Industrial Regional, f) Diretor Executivo Comercial, comercial, bem como fixar vencimentos, gratificações e outras vantagens e condições e formas de pagamentos dos mesmos. Promover g) Diretor Executivo Comercial Regional, h) 2 (dois) Diretores Comerciais, i) Diretor Comercial Regional, j) Diretor Executivo Financeiro, k) treinamentos, cursos, seminários e conferências, visando o aprimoramento técnico científico dos empregados do setor comercial. Contratar Diretor Financeiro, l) Diretor de Contabilidade, m) Diretor Industrial, e n) Diretor Jurídico - §1º do Conselho de Administração - a) Os agentes, representantes comerciais e comerciantes autônomos, fixando preços e condições de fornecimento e pagamento. Assinar, em membros do Conselho de Administração terão o mandato de 3 (três) anos e serão eleitos pela Assembléia Geral Ordinária, podendo ser, conjunto com outro diretor, todos os documentos bancários e de créditos em geral. Substituir o Diretor Comercial em suas ausências e individual ou coletivamente, reeleitos, expirando-se o mandato na data da assembléia geral do terceiro ano subseqüente ao da sua eleição, impedimentos temporários e ocasionais. Artigo 24º - Compete ao Diretor Executivo Financeiro: colaborar com os demais Diretores nos b) os membros do Conselho de Administração tomarão posse de seus cargos assinando os respectivos termos no livro de Atas de Reunião encargos e estes atribuídos; assessorar o Diretor Presidente e o Diretor Vice-Presidente; assessorar o Diretor Presidente nas aquisições, do mesmo órgão, c) O Conselho de Administração reunir-se-á, sempre que necessário, mediante convocação do seu Presidente, que o fará, alienações, onerações e outras transações atinentes aos móveis, imóveis e bens de consumos da empresa. Representar a companhia ativa por escrito, com antecedência mínima de 10 (dez) dias, podendo tomar deliberações com a presença da maioria dos seus membros, entre e passivamente, em juízo ou fora dele, nas ações por ela e contra ela intentadas; representar a sociedade em todas e quaisquer repartições eles o seu Presidente, d) Os honorários do Conselho de Administração serão fixados pela Assembléia Geral Ordinária, e) O Conselho de públicas federais, estaduais e municipais e suas autarquias. Criar, suprimir e alterar cargos de empregados em geral do setor administrativo Administração poderá ser convocado: (1) por acionistas que representem no mínimo, 20% (vinte por cento) do Capital Social, (2) por qualquer e financeiro; praticar todos os demais atos necessários para o desenvolvimento normal da sociedade. Controlar e efetuar recebimentos e conselheiro, (3) pela Diretoria, f) As deliberações serão tomadas por maioria absoluta, g) Considerar-se-á presente à reunião qualquer pagamentos, dando e recebendo quitações em nome da sociedade. Elaborar balancetes mensais e balanços anuais, bem como efetuar Conselheiro que enviar o seu voto por escrito ao responsável pela sua convocação, até um dia antes da realização da reunião. Considerar- levantamento das contas de lucros e perdas e demais demonstrações financeiras. Administrar todos os serviços atinentes às finanças e se-á também presente à reunião o Conselheiro representado por qualquer acionista ou outro integrante do Conselho de Administração, administração da sociedade, elaborando relatórios, orçamentos e planejamentos econômicos e financeiros; orientar e controlar a desde que devidamente nomeado por instrumento específico de mandato, h) Nas reuniões do Conselho de Administração são admitidos o contabilidade bem como a escrituração de livros contábeis e fiscais e o faturamento de vendas mercantis ou não; realizar operações de voto escrito antecipado, o voto proferido por meio de correio eletrônico e o envio do instrumento de mandato utilizando-se do mesmo meio, qualquer natureza com estabelecimentos bancários e de créditos em geral, sejam eles públicos ou privados, assinando, em conjunto com computando-se como presentes os membros que assim participarem e votarem. Da Competência do Conselho de Administração - outro diretor, todos os documentos; praticar todos os demais atos necessários para o desenvolvimento da empresa. Assinar, em conjunto com Compete ao Conselho de Administração: a) A fixação e a orientação geral dos negócios sociais da companhia; b) Eleger e destituir os outro diretor, os certificados de ações e títulos representativos da sociedade. Substituir o Diretor Vice-Presidente em suas ausências e Diretores da sociedade e fixar-lhes as suas atribuições; c) Fiscalizar a gestão dos Diretores; d) Convocar a Assembléia Geral; e) Manifestar- impedimentos temporários e ocasionais. Artigo 25º - Compete ao Diretor Financeiro: colaborar com os demais Diretores nos encargos e se sobre o relatório e as contas da Diretoria; f) Manifestar-se e deliberar sobre a alienação de bens imóveis da sociedade; g) Deliberar sobre estes atribuídos; controlar e efetuar recebimentos e pagamento, dando e recebendo quitações em nome da sociedade. Elaborar balancetes a aquisição pela Companhia de ações de sua própria emissão, para manutenção em tesouraria e/ou posterior cancelamento ou alienação; mensais e balanços anuais, bem como efetuar levantamento das contas de lucros e perdas e demais demonstrações financeiras; administrar h) Quando contiverem deliberações destinadas a produzir efeitos perante terceiros, as atas de suas reuniões serão registradas em órgãos todos os serviços atinentes às finanças da sociedade, elaborando relatórios, orçamentos e planejamentos econômicos e financeiros. Orientar competentes. Da Competência Individual dos Diretores - Artigo 15º - Compete ao Presidente Honorário: representar a sociedade ativa e controlar a contabilidade bem como a escrituração de livros contábeis e fiscais e o faturamento de vendas mercantis ou não. Realizar e passivamente, em suas relações com as administrações públicas e privadas, em juízo ou fora dele, nas ações por ela e contra ela operações de qualquer natureza com estabelecimentos bancários e de créditos em geral, sejam eles públicos ou privados, assinando em intentadas. Assinar, em conjunto com outro Diretor, todos os documentos bancários e de créditos em geral, bem como os certificados de conjunto com outro diretor todos os documentos; praticar todos os demais atos necessários para o desenvolvimento da empresa. Substituir ações e títulos representativos da sociedade. Assessorar e aconselhar os demais diretores nas suas atribuições e responsabilidades; o Diretor Executivo Financeiro e o Diretor de Contabilidade, em suas ausências e impedimentos temporários e ocasionais. Artigo 26º participar das reuniões de diretoria. Art. 16º - Compete ao Diretor Presidente: representar a sociedade, ativa e passivamente, em suas Compete ao Diretor de Contabilidade: colaborar com os demais Diretores nos encargos e estes atribuídos; controlar e efetuar recebimentos relações com as administrações públicas e privadas, em juízo ou fora dele, nas ações por ela e contra ela intentadas. Representar a e pagamento, dando e recebendo quitações em nome da sociedade. Elaborar balancetes mensais e balanços anuais, bem como efetuar sociedade em todas e quaisquer repartições públicas federais, estaduais e municipais e suas autarquias. Assinar todos os documentos e levantamento das contas de lucros e perdas e demais demonstrações financeiras; administrar todos os serviços atinentes às finanças da papéis referentes aos negócios sociais; promover o cumprimento do presente estatuto social; superintender a administração de todos os sociedade, elaborando relatórios, orçamentos e planejamentos econômicos e financeiros. Orientar e controlar a contabilidade bem como a serviços, exercendo as atribuições legais e estatutárias, assegurando o regular funcionamento da empresa. Transigir, desistir, renunciar, escrituração de livros contábeis e fiscais e o faturamento de vendas mercantis ou não. Representar a sociedade em todas e quaisquer confessar dívidas, celebrar contratos de qualquer natureza; assinar contrato de compra e venda, adquirir, onerar, ceder, transferir, alienar repartições públicas federais, estaduais e municipais e suas autarquias. Realizar operações de qualquer natureza com estabelecimentos móveis e imóveis, firmar compromissos de qualquer natureza e fins, contrair obrigações, deliberando com plenos e gerais poderes sobre os bancários e de créditos em geral, sejam eles públicos ou privados, assinando em conjunto com outro diretor todos os documentos; praticar negócios sociais, recebendo, pagando, dando quitações. Constituir procuradores seja de caráter judicial, trabalhista ou administrativa. Criar, todos os demais atos necessários para o desenvolvimento da empresa. Substituir o Diretor Executivo Financeiro e o Diretor Financeiro, em suprimir e alterar cargos de empregados em geral; admitir e demitir, promover, transferir, nomear e suspender funcionários e empregados em suas ausências e impedimentos temporários e ocasionais. Artigo 27º - Compete ao Diretor Industrial: colaborar com os demais diretores geral, fixando vencimentos, gratificações e comissões e atribuir encargos para cada um. Realizar operações de qualquer natureza com nos encargos e estes atribuídos; assessorar o Diretor Executivo Industrial e o Diretor Executivo Industrial Regional; administrar a produção estabelecimentos bancários e de créditos em geral, sejam eles de direito público ou privado, assinando com os mesmos todos os documentos industrial da sociedade; realizar treinamentos, cursos, seminários e conferências sobre as atividades industriais, visando o aprimoramento e papéis necessários, para regular concretização de negócios sociais. Assinar e endossar notas promissórias, cambiais, duplicatas, títulos técnico científico dos empregados do setor industrial. Administrar o setor fabril de Lorena/SP, controlar a sua produção, orientar e controlar a mercantis. Assinar, em conjunto com outro diretor, os certificados de ações e títulos representativos da sociedade. Presidir as Assembléias aquisição de matérias-primas e materiais de consumo necessários para a produção industrial; administrar edifícios, maquinários, Gerais de Acionistas e as Reuniões de Diretoria. Artigo 17º - Compete ao Diretor Vice-Presidente: colaborar com os demais diretores nos equipamentos, veículos, matérias-primas, materiais de consumo e demais bens pertencentes ao setor fabril de Lorena/SP. Aprimorar e encargos e estes atribuídos; assessorar o Diretor Presidente nas aquisições, alienações, onerações e outras transações atinentes aos desenvolver a produção industrial da sociedade, através do desenvolvimento e orientação dos fornecedores, visando à melhoria da qualidade móveis, imóveis e bens de consumos da empresa; representar a sociedade ativa e passivamente, em suas relações com as administrações das matérias-primas, da pesquisa e desenvolvimento de produtos e processos de produção e controle de qualidade dos produtos da públicas e privadas, em juízo ou fora dele, nas ações por ela e contra ela intentadas. Representar a sociedade em todas e quaisquer sociedade. Assinar, em conjunto com outro Diretor, todos os documentos bancários e de créditos em geral. Substituir o Diretor Executivo repartições públicas federais, estaduais e municipais e suas autarquias. Assinar todos os documentos e papéis referentes aos negócios Industrial e o Diretor Executivo Industrial Regional em suas ausências e impedimentos temporários e ocasionais. Artigo 28º - Compete ao sociais e promover o cumprimento do presente estatuto social; superintender a administração de todos os serviços exercendo as atribuições Diretor Jurídico: colaborar com os demais diretores nos encargos e estes atribuídos; representar a companhia ativa e passivamente, em legais e estatutárias; praticar todos os demais atos necessários, assegurando o regular funcionamento da empresa. Criar, suprimir e alterar juízo ou fora dele, nas ações por ela e contra ela intentadas; planejar, coordenar e controlar os assuntos e as atividades de natureza jurídica cargos de empregados em geral; admitir e demitir, promover, transferir, nomear e suspender funcionários e empregados em geral, fixando da sociedade, em seus aspectos técnicos, operacionais e estratégicos; acompanhar todos os processos individuais e coletivos sob a vencimentos, gratificações e comissões e atribuir encargos para cada um. Planejar, orientar, e controlar as atividades comerciais, assessorar responsabilidade do setor jurídico da sociedade; estabelecer orientações jurídicas gerais a serem seguidas por todas as áreas da sociedade, os demais setores da sociedade em relação ao consumo e ao mercado; estimular o fluxo dos produtos no mercado consumidor através de considerando as disposições legais vigentes; aconselhar, orientar e assessorar os demais setores da sociedade na tomada de decisões que atividade em todo território nacional e no exterior; supervisionar e administrar todas as propagandas da sociedade. Realizar operações de envolvam aspectos de natureza jurídica e na implementação de tais decisões; contratar, coordenar e supervisionar os serviços jurídicos qualquer natureza com estabelecimentos bancários e de créditos em geral, sejam eles de direito público ou privado, assinando, em conjunto prestados por profissionais externos; elaborar e analisar contratos e relatórios de natureza jurídica e prestar informações relativas à sua área com outro diretor, todos os documentos. Assinar e endossar notas promissórias, cambiais, duplicatas, títulos mercantis. Assinar, em conjunto de competência aos órgãos da sociedade; representar a sociedade em todas e quaisquer repartições públicas federais, estaduais e com outro diretor, os certificados de ações e títulos representativos da sociedade. Substituir o Diretor Presidente em suas ausências e municipais e suas autarquias. Assinar, em conjunto com outro Diretor, todos os documentos bancários e de créditos em geral. Com a criação impedimentos temporários e ocasionais. Artigo 18º - Compete ao Diretor Executivo Industrial: colaborar com os demais diretores nos de mais um cargo de Diretoria, foi aprovada a renumeração do artigo 28º e subseqüentes dos Estatutos Sociais, ficando o artigo 28º encargos a estes atribuídos; administrar a produção industrial da sociedade, orientar a realização de treinamentos, cursos, seminários e renumerado como Artigo 29º, e os demais artigos renumerados sucessivamente, sem alteração na sua redação. Encerramento: Nada mais conferências sobre as atividades industriais, visando o aprimoramento técnico científico dos empregados do setor industrial. Criar, suprimir e havendo a tratar, foi lavrada a Ata que, após lida e achada conforme, foi aprovada e assinada pelos Acionistas presentes. São Bernardo do alterar cargos de empregados do setor industrial; admitir e demitir, promover, transferir, nomear e suspender funcionários e empregados do Campo, 21 de março de 2011 (a.a.) Ichiro Amano, Presidente da Mesa; Tooru Yamakami, Secretário da Mesa, Acionistas: K.K.Yakult.Honsha setor industrial, fixando vencimentos, gratificações e comissões e atribuir encargos para cada um. Supervisionar e controlar a aquisição de pp. Hiroshi Narita; Matsusho K.K., pp. Ichiro Amano; Hiroshi Narita; Naomi Matsuzono, pp. Masahiko Sadakata; Takashi Matsuzono, pp. maquinários e matérias-primas necessários para o desenvolvimento da produção industrial; orientar a administração de edifícios, Masahiko Sadakata; Masahiko Sadakata; Ana Harumi Yamagata; Léo Mituo Yamagata, pp. Anna Harumi Yamagata; Sadao Iizaki; Ichiro maquinários, equipamentos, instalações e veículos pertencentes ao setor industrial. Administrar o setor fabril de Lorena-SP, promovendo Amano; Masahiro Kawabata. São Bernardo do Campo, 25 de março de 2011. Ichiro Amano - Presidente da Mesa. Tooru Yamakami aprimoramento técnico científico dos empregados, controlando a aquisição de maquinários, instalações, veículos, matérias-primas e Secretário da Mesa. K.K.Yakult Honsha - pp. Hiroshi Narita. Matsusho K.K. - pp. Ichiro Amano. Hiroshi Narita, Takashi Matsuzono - pp. materiais de consumo e administrando edifícios e demais bens em uso no setor fabril de Lorena - SP. Assinar, em conjunto com um outro Masahiko Sadakata. Masahiko Sadakata; Ichiro Amano; Anna Harumi Yamagata; Léo Mituo Yamagata - pp. Anna Harumi Yamagata. Diretor, todos os documentos bancários e de créditos em geral. Substituir o Diretor Vice-Presidente e o Diretor Executivo Industrial Regional Sadao Iizaki, Masahiro Kawabata, Naomi Matsuzono - pp. Masahiko Sadakata. Paulo Tomoyuki Aoki - OAB/SP 84413. JUCESP nº em suas ausências e impedimentos temporários e ocasionais. Artigo 19º - Compete ao Diretor Executivo Industrial Regional: colaborar 122.264/11-3 em 01/04/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

Quer falar com 26.000 empresários de uma só vez?

US$ 150 milhões. No entanto, em 2004, US$ 1 bilhão foi destinado ao seguimento por conta do Programa Bolsa Família. Para os setores menores foram distribuídos 1,1 bilhão. Na avaliação do economista, a expectativa é que os próximos anos contemplem os setores que tiveram menor recursos nos últimos anos. "Vamos aumentar os empréstimos na área social e na educação, que são setores que não tiveram peso grande nos últimos anos. A expectativa é que, se o BID conseguir orçamento maior, possa emprestar volumes mais significativos", diz Saraiva. Entre os projetos contratados destaca-se o aporte do BID para o segundo convênio da linha de crédito condicional do programa do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) de apoio às micros, pequenas e médias empresas, orçado em US$ 1 bilhão. Outro financiamento importante é a terceira etapa de despoluição do Tietê, em São Paulo, em US$ 600 bilhões. (ABr)

PUBLICIDADE Fone: 11 3244-3344 Fax: 11 3244-3894

CNPJ/MF nº 60.723.061/0001-09 - NIRE nº 35.3.0003245-4 Ata da Reunião do Conselho de Administração Realizada em 25 de Março de 2011 Data, Local e Hora: 25 de Março de 2011, às 12:00 horas, na sede social situada à Alameda Yakult nº 600 em São Bernardo do Campo, EstadodeSãoPaulo.Presença:TodososmembrosdoConselhodeAdministração.MesaDiretora:Presidente:Sr.MasahikoSadakata,Secretário: Sr. Hiroshi Narita. Ordem do Dia: a) Indicação do Sr. Hisashi Satoi para o cargo de Diretor Executivo Comercial. b) Outros Assuntos de Interesse Social. Deliberações: a) Passando à ordem do dia, o Senhor Presidente informou que, tendo em vista o desligamento do Sr. Shunichi Uekusa do cargo de Diretor Executivo Comercial, ocorrido por motivo de força maior, a quem agradeceu pelos inestimáveis serviços prestados à companhia, e tendo em vista a necessidade de contar com um profissional experiente e altamente capacitado para os projetos da companhia para o setor comercial, indicou o Sr. Hisashi Satoi, de nacionalidade japonesa, casado, empresário, portador do passaporte japonês nº TZ0470887, residente e domiciliado em Green Heim Fuchu, 603-Go, sito à 4-8-6 Wakamatsucho, Fuchu-shi, Tokyo-to, Japão, para ocupar o cargo de Diretor Executivo Comercial, sendo que a nomeação e a posse do cargo dar-se-á após a obtenção do visto permanente no país. O ora indicado declara não estar incurso em nenhum dos crimes previstos em Lei, que o impeça do exercício de atividades mercantis. Posta em discussão, a proposta foi aprovada por unanimidade. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi suspensa a reunião para a lavratura da Ata que, após lida e achada conforme, foi aprovada e assinada por todos os presentes. São Bernardo do Campo, 25 de Março de 2011. Masahiko Sadakata - Presidente da Mesa. Hiroshi Narita - Secretário da Mesa. Takashi Matsuzono - pp. Masahiko Sadakata. Paulo Tomoyuki Aoki - OAB/SP 84413. JUCESP nº 122.266/11-0 em 01/04/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Processo nº 36/2011 - Pregão nº 19/2011 OBJETO: Aquisição de tratores agrícolas, tração 4X4 - 75CV, referente ao contrato n° 330133-79/2010 - Ministério da Agricultura. TIPO: MENOR PREÇO. VENCIMENTO: 14(quatorze) horas, do dia 28 de abril de 2011. Edital por meio eletrônico e sem custo - (licita.andradina@hotmail.com) e na forma impressa - taxa no valor de R$ 16,28. Informações: Prefeitura - Rua Dr. Orensy Rodrigues da Silva n°341, fone/fax (18) 3702-1029, de 2ª a 6ª feira, das 08h30 às 16h. Andradina, 08 de abril de 2011 JAMIL AKIO ONO – PREFEITO

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Processo nº 35/2011 - Pregão nº 18/2011 OBJETO: Contratação de Instituição Financeira para prestação de serviços bancários, com exclusividade, necessários ao pagamento dos servidores públicos da Administração, inclusive dos estagiários e contratados temporariamente, em conformidade com anexo I – termo de referência/ proposta.TIPO: MAIOR OFERTA. VENCIMENTO: 10 (dez) horas, do dia 25 de Abril de 2011. Edital por meio eletrônico e sem custo (licita.andradina@hotmail.com) e na forma impressa - taxa no valor de R$ 15,40. Informações: Prefeitura - Rua Dr. Orensy Rodrigues da Silva n°341, fone/fax (18) 3702-1029, de 2ª a 6ª feira, das 08h30 às 16h. Andradina, 08 de abril de 2011 JAMIL AKIO ONO – PREFEITO

Caravelas Negócios Imobiliários CNPJ/MF nº 13.019.760/0001-92 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA Ficam convocados os Senhores Acionistas a comparecerem à Assembléia Geral Ordinária da Sociedade, a ser realizada na sede social, na Av. Presidente Altino, nº 603, em São Paulo-SP, no dia 14 de abril de 2011, ás 10:00 horas, a fim de deliberarem a seguinte Ordem do Dia. (i) tomar conhecimento do relatório da administração, examinar e deliberar sobre as contas da diretoria, o balanço patrimonial e demais demonstrações financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31/12/2010. (ii) fixar a remuneração global anual da administração. São Paulo, 05 de abril de 2011 Luiz Martins – Presidente do Conselho de Administração (08, 09 e 12/04/2011)

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 08 de abril de 2011, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Reqte: Maria de Lourdes Andrade Silva Uniformes. Reqdo: Grupo Brazilseg. Seg. Consultoria e Segurança Patrimonial Ltda. R. Antonio André Rodrigues, 447 – Chácara Mafalda - 1° V. de Falências. Reqte: A.L.S. Empresa S/C Ltda. Reqdo: Fit 35 SPE Empreendimento Imobiliário Ltda. Av. Luiz Berrini,1376 – Jardim Russo - 2° V. de Falências. Reqte: Guia Tecnologia de Ativos e Fomento Mercantil Ltda. Reqdo: WS Distribuição de Informática Ltda. R. Paulo Gonçalves, 117 Sala 01 – Santana - 2° V. de Falências.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

Aceitar pagamento com cartão pode representar segurança para o comerciante

conomia

Dinheiro de plástico conquista mercado

Q

uem vende diretamente ao consumidor tem o poder de decidir quais as formas de pagamento que aceitará. O próprio Código de Defesa do Consumidor (CDC), no inciso IX do artigo 39, determina apenas que o fornecedor não pode "recusar a venda de bens ou a prestação de serviços a quem se disponha a adquiri-los mediante pronto pagamento". Isso significa que, se o fornecedor decidir só aceitar dinheiro em seu estabelecimento, ele está resguardado pela lei. Mas é dever do fornecedor informar de forma clara e imediata quais os meios de pagamentos aceitos. Isso porque inúmeras outras opções são bem recebidas pelo mercado e o consumidor vem demonstrando preferência em quitar suas compras, principalmente, com dinheiro de plástico. Assim, se o comerciante só aceita dinheiro, deve fixar placas em seu negócio e essas têm de estar visíveis para o cliente. Do contrário, deverá aceitar outras formas de quitação para as compras. Cartões – O crescente uso de cartões para pagar contas por parte do consumidor po-

de ser comprovado pelos dados da Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs). Conforme dados divulgados recentemente, no ano passado, esse meio de pagamento registrou crescimento de 22% em faturamento na comparação com 2009. O cartão de crédito, por exemplo, "teve uma participação de 58% do total faturado pelo setor em 2010", informa a Abecs. O de débito, por sua vez, finalizou 2010 com participação de quase 29%, "reflexo da incorporação do hábito de uso deste tipo de cartão nas compras de menor valor e também devido à maior penetração nas classes mais baixas e entre as pessoas com mais de 60 anos, acompanhando o crescimento da inclusão no sistema financeiro", conforme a Abecs. Por fim, os números da entidade do setor mostram que, no ano passado, "o mercado de cartões obteve faturamento de R$ 541,9 bilhões, sendo R$ 313,7 bilhões dos cartões de crédito, R$ 159,6 bilhões dos cartões de débito e R$ 68,5 bilhões dos cartões de rede/loja.". Segurança – Aceitar pagamento com cartões pode representar também segurança

Lotus Head/SXC

Mas o lojista que preferir não aceitar esse meio de pagamento, que mais cresce no País, precisa deixar um aviso bem claro para os consumidores.

para o comerciante. Pesquisa da Trustwave, empresa global de segurança, para as regiões do Brasil e América Latina, aponta que o Brasil está à frente da maior parte dos países quando o assunto é a segurança de transações envolvendo cartões de pagamento a partir de terminais POS (popularmente conhecidas no comércio como "maquininhas de cartão"). Para Jarrett Benavidez, diretor da empresa, as razões são as características da rede na-

cional de captura de transações e o tipo de cartão que hoje se encontra nas mãos do brasileiro. Conforme o executivo, os dados do SpiderLabs – laboratório de segurança mantido p e l a p ró p r i a Tru s t w a v e – apontam que os equipamentos de leitura de cartão utilizados no comércio respondem por 75% das fraudes com cartões em nível mundial, mas apresentam situação diferente no Brasil. "Embora não exista uma pesquisa específica para o mercado brasileiro, há uma vi-

são generalizada entre os especialistas de que este percentual no Brasil é significativamente menor", afirma Benavidez. A justificativa é de que o Brasil está entre os poucos países em que a rede de captura se baseia, em grande parte, em POS conectados a redes fechadas e controlados diretamente pelos próprios adquirentes (operadoras). Isso permite um controle muito maior da rede no ponto-de-venda. "Ainda existem no País grandes bases de leitoras de

Apresentação do documento é obrigatória

N

Divulgação

ão é porque o nosso s i s t e m a d e re c e b imento via cartões seja um tanto quanto seguro que p o d e m o s re l a x a r. Q u e m mantém esses equipamentos em seu estabelecimento deve tomar toda precaução possível para passar também segurança ao seu cliente. Até porque, em caso de fraude, o consumidor tem a liberdade de escolher reclamar diretamente com o lojista, embora o mais comum é procurar a administradora O comerciante é responsável solidário, diz Marta Aur, do Procon-SP do cartão. "Se a opção for ao comerciante, este tem o de- te de Direção do Procon-SP. mente responsáveis pela rever de atender ao consumiO parágrafo único do arti- paração ao dano do consudor, porque é responsável go 7º do CDC diz que todos midor. "Caso o cliente recorsolidário, conforme o CDC", os participantes da cadeia de ra ao lojista, e ele tiver a posexplica Marta Aur, assisten- fornecimento são solidaria- s i b i l i d a d e d e r e s o l v e r a

O QUE DIZ O CDC Artigo 7 – Parágrafo único. Tendo mais de um autor a ofensa, todos responderão solidariamente pela reparação dos danos previstos nas normas de consumo. Artigo 13 – O comerciante é igualmente responsável, nos termos do artigo anterior, quando: I – O fabricante, o construtor, o produtor ou o importador não puderem ser identificados; II – O produto for fornecido sem identificação clara do seu fabricante, produtor, construtor ou importador; III – Não conservar adequadamente os produtos perecíveis. Parágrafo único – Aquele que efetivar o pagamento

ao prejudicado poderá exercer o direito de regresso contra os demais responsáveis, segundo sua participação na causação do evento danoso. Artigo 25 Parágrafo 1° – Havendo mais de um responsável pelo dano, todos responderão solidariamente pela reparação prevista nesta e nas seções anteriores. Artigo 39 IX – Recusar a venda de bens ou a prestação de serviços, diretamente a quem se disponha a adquirilos mediante pronto pagamento, ressalvados os casos de intermediação regulados em leis especiais; (Redação dada pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994).

questão, poderá até fidelizálo pela prestação do bom atendimento", assinala a representante do órgão público de defesa do consumidor. Para evitar problemas, a assistente de Direção do Procon-SP avisa que medidas preventivas nunca são demais. "Não é porque o cartão tem chip que o fornecedor deve deixar de pedir documentos para checar os dados. Isso é segurança para todos." De sua parte, o consumidor deve atender à solicitação do seu fornecedor sem reclamar, além de solicitar o comprovante da operação, assim como a nota fiscal.

É dever também das empresas, ao receber reclamação de seu cliente e constatar que há problema com uma determinada POS de sua loja, comunicar imediatamente a administradora do cartão o fato, solicitando inclusive a troca da determinada máquina. Jarrett Benavidez, da Trustwave, faz um alerta aos lojistas para que passem a se precaver contra falsos técnicos de manutenção de terminais. "São criminosos que chegam aos estabelecimentos pedindo acesso ao POS e instalam dispositivos de clonagem que só são descobertos depois de ocorrida a fraude."

ma consumidora de Criciúma (SC) ganhou na Justiça o direito à indenização por dano moral e material em razão de seus cheques prédatados terem sido descontados antes da data acertada. A decisão é da 5ª Câmara de Direito Civil do Tribunal de Justiça, que confirmou sentença da comarca de Criciúma. A empresa terá de pagar R$ 10 mil por dano moral e R$ 182,92 por dano material. Na ação, a consumidora informou que entregou à empresa de gás cheque no valor de R$ 1.650 e este foi descon-

tado antes do combinado. Dias antes da data para a compensação, e sem saber do desconto antecipado, o pai da consumidora retornou à loja e pagou em dinheiro R$ 1 mil e deu outro cheque, pré-datado, de R$ 650. A empresa aceitou a troca e se co m p ro m e te u a impedir que o primeiro cheque fosse descontado. Também concordou em depositar o cheque de R$ 650 no dia combinado, mas este foi compensado dois dias depois. Com o desconto dos dois cheques, a conta-corrente ficou negativa, acarretando juros. Para o relator da matéria, de-

Fique por dentro

Sacolinhas de supermercado

S

sembargador Jairo Fernandes Gonçalves, a empresa tinha conhecimento da data pactuada para compensação e, ao desrespeitá-la, assumiu a obrigação de reparar eventuais danos. "Não restam dúvidas de que a consumidora sofreu prejuízo, tanto material quanto moral, em decorrência do cheque pré-datado ter sido depositado antecipadamente pela empresa, a qual nem sequer negou esse fato, limitando-se sua defesa à alegação de inexistência de cheque-caução", finalizou o magistrado. A decisão da câmara foi unânime. ( A p e l a ç ã o C í v e l n. 2010.036752-3)

e for aprovado na Câmara Federal o Projeto de Lei 198/11, do deputado Sandes Júnior (PP-GO), as empresas serão obrigadas a estampar nas sacolas de supermercado e similares informações sobre volume, peso máximo suportado, composição e restrições de uso e riscos. Essa proposta repete o PL 1390/07, do ex-deputado Celso Russomano, que foi arquivada ao final da legislatura passada. Esse PL chegou a ser rejeitado pela Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio e aprovado pela Comissão de Defesa do Consumidor. O novo texto estipula também que sacolas sem alça e sacos de lixo não podem ser usados para embalar produtos. A obrigação não vale para a embalagem original do produto. O deputado Sandes Júnior afirma que "a ausência de regulamentação sobre o assunto possibilita situações de risco e de prejuízo para o consumidor, com o rompimento de sacolas, quebra de vidros e perda de produtos". Quem não cumprir a determinação, diz o texto, sofrerá as penas previstas no Código de Defesa do Consumidor, que vão de multa à interdição do estabelecimento. A medida entrará em vigor 90 dias após a publicação da lei no Diário Oficial. Fonte: Agência Câmara

Fonte: Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC) – 04/04/2011

Angela Crespo é jornalista especializada em consumo E-mail: doislados@dcomercio.com.br

Cheque depositado antes dá direito a dano

U

cartão do tipo PDV genérico, que utilizam software de uso público e acesso pela Web. Mas a grande população de POS dos adquirentes, conectados através de links protegidos, garante uma segurança superior à média mundial", prossegue ele, explicando que o Brasil é um dos países onde se encontra mais massificado o uso de cartões com chip. Ele menciona dados do Banco Central, segundo os quais os pagamentos via cartões com chip, na função crédito, passaram de 9,3% no fim de 2007 para 41,2% no total das vendas com cartão em 2009. Já na função débito, a participação desse tipo de plástico avançou de 15,5% para 39,4% no mesmo período. Mas o diretor Trustwave acredita que o Brasil estará ainda mais seguro na medida em que os cuidados com a proteção se estenderem entre todos os componentes da cadeia de pagamentos. Nesse sentido, o emissor deve insistir na disseminação de cartões com chip e continuar investindo na blindagem de suas redes. "Sensibilizar os portadores de cartão e os empresários de comércio para a utilização segura dos sistemas é outro imperativo a ser cuidadosamente observado", aconselha Benavidez .


sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

e

sporte

DIÁRIO DO COMÉRCIO

21 COPA DO BRASIL Palmeiras abre oitavas de final em Santo André, na quarta-feira. Pág. 22

LIBERTADORES Santos joga sua sorte no Paraguai, na quinta-feira. Pág. 23

TODOS ATRÁS DO FELIPÃO Rodrigo Coca/AE

Corinthians tropeça no Pacaembu (São Caetano 2 a 1) e já não pode mais ir para as quartas de final como primeiro colocado, para desespero do técnico Tite

Eduardo Knapp/Folhapress

Na estreia de Muricy Ramalho, Santos não vai além de um 0 a 0, fora de casa, com o Americana e segue em quarto lugar. Próximo desafio é pela Libertadores

Célio Messias/AE

Com a goleada por 4 a 1 sobre o Noroeste, em Bauru, somente o São Paulo, de Paulo César Carpegiani, ainda tem condições de tirar o primeiro lugar do Palmeiras

A

uma rodada do final da primeira fase do Campeonato Paulista, sete equipes já estão classificadas para as quartas de final. Quatro ainda brigam pela última vaga. E todas permanecem atrás do Palmeiras do técnico Luiz Felipe Scolari. Agora, somente o São Paulo de Paulo César Carpegiani pode superá-lo, mesmo assim se derrotar o Oeste de Itápolis, em Mogi-Mirim, e o Alviverde não vencer a Ponte Preta em Campinas. Após a derrota por 2 a 0 para o São Caetano, no Pacaembu, o Corinthians de Tite, por exemplo, já não pode mais sonhar com o primeiro lugar. São três partidas sem vencer, justamente na reta final do Paulistão, mas o treinador acha que a derrota foi atípica. “Só posso afirmar que não jogamos bem. Temos de tirar uma lição disso. A nossa equipe não é limitada, o padrão dela não é esse. Temos mais a crescer”, explicou, minimizando o resultado, que mantém o São Caetano como única equipe com mais de dez partidas disputadas contra o Corinthians no Pacaembu em todos os tempos a levar vantagem sobre o Alvinegro (agora, de duas vitórias a mais). Os próprios jogadores ligaram o sinal de alerta e sabem que, se fosse na fase final do Paulistão, o time estaria fora da competição. “No mata-mata é um jogo só, não podemos vacilar. Um time grande não pode ficar três partidas sem vencer. Temos de ficar espertos”, avisou o goleiro Júlio César. O volante Paulinho, autor do único gol da equipe, também está preocupado: “Sabemos que temos de melhorar. O mata-mata está chegando.” Já o Santos, na estreia de Muricy Ramalho, debaixo de muita chuva, não passou de um empate por 0 a 0 com o Americana, no interior. Com o empate, a equipe deixou escapar a chance de tomar a terceira posição do Corinthians. De boné, calça de agasalho e camisa do clube - ele não é adepto de terno e gravata -, lá foi Muricy para seu habitat. Protegido da chuva, viu pouco futebol no primeiro tempo. Um grito aqui, outro ali, e silêncio para ir aos vestiários. Nas recomendações, para evitarem faltas e que Neymar ficasse na frente, sem a necessidade de voltar. Também ouviu o apelo da torcida e colocou Paulo Henrique Ganso - poupado para o jogo de quinta - no final da partida. Acostumado a deixar os jogos rouco, tanto que grita, Muricy no domingo saiu de campo bem da voz, conformado com o empate e já pensando no Cerro, pela Libertadores. Mesmo desfalcado de vários jogadores - Lucas (suspenso), Juan (poupado) e Fernandinho, Alex Silva e Miranda (machucados) -, o São Paulo fez o suficiente para golear o Noroeste por 4 a 1, em Bauru, e manteve as chances de terminar a primeira fase do Paulista na liderança. Rogério Ceni, de pênalti, Marlos, Dagoberto e Ilsinho marcaram os gols tricolores, enquanto Aleílson fez o gol de honra do Noroeste, quando a contagem já estava em 3 a 0. O lateral-esquerdo Junior Cesar, que jogou na vaga de Juan, teve atuação destacada. Ele participou de boa parte das jogadas ofensivas da equipe, além de ter sofrido o pênalti que Rogério Ceni converteu no primeiro gol. “Esta vitória era importante. São três pontos que nos dão uma condição melhor na tabela. Sabemos que o Campeonato Paulista é difícil e mostramos luta e dedicação.”


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

e

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

O Palmeiras tem tudo para ficar em primeiro, mas ainda podemos passá-los." Rogério Ceni

sporte

DE OLHO EM TODOS S

ábado, no Canindé, o Palmeiras fez 2 a 0 no rebaixado Grêmio Prudente, com um gol em cada tempo (Thiago Heleno e Douglas Silva, contra). Com os resultados do domingo, não só se manteve na liderança como é a única equipe, ao lado do São Paulo, com chance de encerrar essa primeira fase do Campeonato Paulista, no fim de semana que vem, em primeiro lugar. O técnico Luiz Felipe Scolari não só ficou satisfeito com o desempenho de seu time, que jogou desfalcado de Cicinho, Rivaldo, Kléber e Patrik, como disse que já observa os possíveis adversários do Palmeiras nas quartas de final do Campeonato Paulista: “De repente vamos pegar o sétimo ou oitavo colocado, depende de onde vamos terminar, se em primeiro ou segundo. Estamos atentos. E qualquer adversário será muito difícil. O regulamento do Paulistão, com apenas uma partida para decidir a classificação, é bastante perigoso. Vai ser difícil contra qualquer adversário". Na quarta-feira, o Palmeiras estará novamente em campo, para enfrentar o Santo André, no Estádio Bruno José Daniel, no ABC, mas pela partida de ida das oitavas de final da Copa do Brasil. A chegada de Wellington Paulista acabou com a escassez de centroavantes no elenco, mas nem por isso o atacante deverá ser titular nessa próxima partida. De acordo com o técnico Luiz Felipe Scolari, o novo reforço deve ficar no banco de reservas no próximo compromisso. Wellington Paulista foi emprestado ao Palmeiras pelo Cruzeiro até o final de 2011 e não pode participar do Campeonato Paulista porque o prazo de inscrições já está encerrado. “Ele chegou agora, não tem como eu escalar ele. Se no treino de segunda eu ver que ele está muito bem, posso até pensar em alguma possibilidade, mas a princípio ele fica no banco”, afirmou Felipão. O Santo André é o penúltimo colocado do Campeonato Paulista e já está rebaixado, mas o técnico palmeirense refuta a possibilidade do Palmeiras encontrar facilidades no duelo pela Copa do Brasil. “O Santo André vem de alguns resultados negativos, mas Copa do Brasil é sempre complicado. Conheço bem esse tipo de disputa e é importante tentar fazer um bom resultado fora de casa. Vamos ao Bruno José Daniel respeitando o nosso rival e sabendo que eles vão dar a vida para continuar bem na competição”, disse Felipão. COPA DO BRASIL

José Patrício/AE

Palmeiras de Luiz Felipe Scolari continua líder e técnico já pensa no adversário da próxima fase no Campeonato Paulista. Na quarta, rival será o Santo André, pela Copa do Brasil

NÚMEROS

 A uma rodada do fim da

primeira fase, Oeste, Mirassol e Ponte Preta juntam-se a Palmeiras, São Paulo, Corinthians e Santos como classificados para as quartas de final.  A última vaga está entre

São Caetano (26 pontos), Paulista, Portuguesa (25 cada) e Americana (23).  Com os resultados do fim

de semana, Grêmio Prudente e Santo André estão rebaixados para a Série A-2. Ituano,Noroeste, São Bernardo, Linense, Botafogo e Bragantino ainda lutam para não cair. PELO BRASIL Celso Pupo/Folhapress

 Dois gols de Thiago

Começam as oitavas de final

Neves definiram os 2 a 0 sobre o Botafogo e a classificação antecipada

A

s oitavas de final da Copa do Brasil começam nesta semana com cinco jogos. Além de Santo André x Palmeiras, na quarta-feira o Botafogo recebe o Avaí às 19h30, no Engenhão, no Rio de Janeiro. O Vasco vai ao Estádio dos Aflitos, no Recife, enfrentar o Náutico. O Bahia recebe o Atlético-PR no Estádio de Pituaçu, em Salvador. Na quinta-feira, Coritiba e Caxias jogam no Estádio Couto Pereira, em Curitiba. No meio da semana que vem (dias 20 e 21), serão realizados os outros três jogos de ida das oitavas de final (Goiás x São Paulo, em Goiânia; Flamengo x Horizonte-CE, no Engenhão; e Ceará x Grêmio Prudente, em local a ser definido pela CBF) e também os jogos de volta entre Avaí e Botafogo, em Florianópolis; Atlético-PR x Bahia, em Curitiba; e Palmeiras x Santo André, no Pacaembu.

Léo Santos/Futura Press

do Flamengo às semifinais da Taça Rio. O Fluminense goleou o Americano (5 a 1) e classificou também o Vasco, que no sábado fez 2 a 1 na Cabofriense.  O Inter goleou o

Lucas Uebel/AE

 A uma rodada do fim da

 Em Pernambuco, a uma

Universidade, em casa

primeira fase em Minas,

rodada do fim da primeira

(6 a 2), e enfrentará o

já estão definidos os

fase, também já saíram os

Santa Cruz nas quartas da

semifinalistas: Cruzeiro

semifinalistas: Santa Cruz,

Taça Farroupilha. O

(folgou), Atlético (fez 2 a 0

Náutico, Porto e Sport,

Grêmio empatou fora com

na Caldense, com gol de

que se garantiu graças à

o Santa Cruz (1 a 1), e pega

Magno Alves), América

vitória sobre o Porto no

o Ypiranga. Os outros

(4 a 3 no Democrata-GV)

sábado (3 a 1) e à derrota

jogos: Cruzeiro x São Luiz

e América de Teófilo Otoni

do Central para o

e Juventude x Lajeadense

(fez 2 a 1 no Villa Nova).

Ypiranga, domingo (3 a 2).


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

e

23 Ainda há um longo caminho para o título, mas todo ponto conta.” Sebastian Vettel

sporte

LIBERTADORES Guilherme Dionizio/AE

A HORA DE GANSO E

le começou a Libertadores machucado, só fez dois jogos pelo torneio até agora, mas é nos pés dele que está a esperança da torcida do Santos. Paulo Henrique Ganso será a única estrela da equipe que precisa vencer o Cerro Porteño, na quinta-feira, para manter as chances de se classificar para as oitavas de final. Como Neymar, Zé Eduardo e Elano foram expulsos na vitória por 3 a 2 sobre o Colo Colo, na semana passada, caberá ao camisa 10 conduzir o time em Assunção. E o técnico Muricy Ramalho já assumiu a primeira missão no novo cargo: tentar preservar o meia da confusão extracampo que cerca a discussão sobre a renvovação de seu contrato. “Essa situação está mexendo muito com ele. O Ganso tem

de focar no jogo”, reclamou o treinador, logo após o empate por 0 a 0 com o Americana, domingo, pelo Paulista. O jogo, que marcou a estreia de Muricy, serviu para que o treinador percebesse um ponto vulnerável do elenco. “O Santos joga de uma maneira que vai sofrer muito com as marcações adversárias. É um time que não sabe brigar, sabe jogar, mas em Assunção será uma enorme pedreira. Isso foi o que mais conversei com eles e procurei ajustar nesses três dias de trabalho”, contou. O Santos está em terceiro no Grupo 5, com cinco pontos, um a menos que o Colo Colo e a três do Cerro. Só a vitória no jogo que começa às 18h15 (de Brasília) mantém a equipe dependendo de suas forças para se classificar - na última rodada, recebe o Deportivo Táchira, da Venezuela.

Mais dois times brasileiros entram em campo nesta semana pela Libertadores, ambos encerrando suas participações na fase de grupos. Na quartafeira, o Cruzeiro visita o Estud i a n t e s , n a A rg e n t i n a , à s 21h50 (de Brasília), e precisa só de um empate para confirmar o primeiro lugar no Grupo 7. Se vencer, ainda melhor: garante a melhor campanha de toda a fase sem depender de outros resultados, e poderá decidir em casa todos os matamatas até a final. Na quinta-feira, o Grêmio joga contra o Oriente Petrolero, na Bolívia, já classificado para as oitavas de final no Grupo 2. Com 10 pontos, no entanto, só será o primeiro da chave se vencer e o Junior de Barranquilla não passar pelo León de Huanaco. Os dois jogos serão às 22h45 (de Brasília).

EUROPA

PELO MUNDO

No clima do clássico

U

 Se os confrontos com os

Internazionale precisará

Fiorentina, com um gol de

praticamente definidos, o

de uma virada histórica

Seedorf e outro de Pato. O

duelo inglês está em

para superar o Schalke 04

Napoli, vice-líder, fez 2 a 0

aberto: fora de casa, o

por pelo menos três gols

no Bologna e está a três

Manchester United fez

de diferença, depois de

pontos do Milan (68 a 65).

1 a 0 no Chelsea, que

levar 5 a 2 em Milão.

qualquer placar para Ander Gillinea/AFP

reverter a situação.

por não corresponder. Preciso trabalhar duro para voltar a curtir o futebol”, disse. O Barça venceu os últimos cinco jogos contra o Real, e nesta temporada aplicou um impiedoso 5 a 0. No sábado, com vários reservas, fez 3 a 1 no Almería, com direito a um gol do meia Thiago Alcântara, filho do tetracampeão Mazinho. O técnico Pep Guardiola quer a vitória no sábado para aumentar a vantagem no Espanhol para 11 pontos e colo-

 O Schalke é somente o  Na Italiano, a Inter venceu

nono colocado do alemão,

o Chievo por 2 a 0, mas se

27 pontos a menos que o

manteve a cinco pontos

líder Borussia Dortmund.

 No Inglês, a situação

também é melhor para os Os brasileiros Thiago e Kaká fizeram gols, Barcelona e Real venceram, mas o que importa é a série de clássicos que os rivais farão nas próximas semanas

“Diabos Vermelhos”, que bateram o Fulham por 2 a 0 e mantiveram a vantagem de sete pontos sobre o Arsenal. O Chelsea

car uma mão no tricampeonato. “Não vamos até lá só para nos defender, a intenção é ganhar o jogo. Temos de dominálos e marcar gols”, completou o técnico. Depois do clássico, restarão seis rodadas para o fim do campeonato.

fez 1 a 0 no Wigan e está em terceiro, mas tem 11 pontos a menos e está fora da briga pelo título. OUTROS CAMPOS

Saeed Kahn/Reuters

Quem segura?

S

do Milan, que fez 2 a 1 na

gigantes espanhóis estão

FÓRMULA 1

ebastian Vettel começou 2011 em estado de graça: duas poles, duas vitórias e uma liderança folgada, com quase o dobro de pontos (50 a 26) que o segundo colocado, Jenson Button. “Não poderia estar mais feliz. Vencer duas corridas em duas é perfeito”, comemorou o alemão após a vitória de ponta a ponta no GP da Malásia, neste domingo. Para se ter uma ideia, isso só ocorreu três vezes neste século: com Michael Schumacher, em 2001 e 2004, e Jenson Button, em 2009. Não por coincidência, foram campeões. Assim como na Austrália, há duas semanas, Vettel não teve concorrência real na disputa pela vitória. Foi ameaçado na largada pelo surpreendente Nick Heidfeld, que saltou da sexta para a segunda posição, mas logo abriu uma distância confortável e guiou com segurança para sua 12ª vitória. Lá atrás, a corrida até que foi boa, melhor que a média na modorrenta pista de Sepang, graças aos pneus Pirelli, que se desgastam mais rapidamente, a pedido dos dirigentes, e exigem várias trocas - foram três por piloto, em média, no circuito malaio. Numa deles, a Ferrari atrapalhou a corrida de

 No outro duelo, a

precisa de uma vitória por

Albert Gea/Reuters

ma overdose do superclássico espanhol deve acontecer nas próximas três semanas. Dois jogos já estão marcados: sábado que vem, pela 32ª rodada do Campeonato Espanhol, e no dia 20, pela final da Copa do Rei (jogo único, em Valência). Os outros dois devem ser confirmados nesta semana, quando as equipes fizerem seus jogos de volta nas quartas de final da Liga dos Campeões. Ambos golearam os rivais no jogo de ida - o Barça fez 5 a 1 no Shakhtar e o Real enfiou 4 a 0 no Tottenham - e já se preparam para uma semifinal épica, com jogos em 26 ou 27 de abril e 2 ou 3 de maio. Ou seja, pode haver quatro clássicos em menos de 20 dias. “O Barcelona não é imbatível”, avisa Kaká, que fez dois gols de pênalti nos 3 a 0 sobre o Athletic Bilbao. Foi seu primeiro jogo como titular depois de ficar dois meses afastado, e o meia afirmou que espera crescer. “Sinto que tenho uma dívida com o Real e me sinto mal

Com as suspensões de Elano e Neymar, camisa 10 será a grande estrela da equipe no jogo contra o Cerro

recuperação que Felipe Massa vinha fazendo, depois de largar em sétimo. Ele estava em quarto lugar, com chances de disputar o terceiro com Jenson Button, quando parou, mas um problema na troca do pneu dianteiro esquerdo lhe custou preciosos segundos. “O mecânico tentou apertar a porca e não conseguiu, aí tirou a pistola e pôs a outra, mas nesta brincadeira perdi 10s e todas as posições que tinha ganhado na pista”, lamentou Massa. Ele poderia até ter chegado em terceiro, atrás de Button, mas teve de se contentar com o quinto lugar - ao menos conseguiu, pela primeira vez desde o GP da Turquia do ano passado, chegar à frente de Alonso, que foi sexto. “Estou contente com a minha corrida e sei que a equipe também está”, concluiu. Já Rubens Barrichello teve um fim de semana para esquecer. Depois de sair na 15ª colocação, envolveu-se em uma batida na largada, que o deixou sem um pneu traseiro. Arrastou-se até os boxes, mas não pôde fazer muito e abandonou na 22ª volta. “Não é o começo de ano que a equipe esperava. Precisamos trabalhar duro para crescer”, lamentou.

 O autraliano Will Power

Brasileiro de Vôlei de Praia,

venceu o GP de Alabama e

em Santa Maria (RS), e

assumiu a liderança da

chegaram a quatro títulos

Fórmula Indy, com 94

no ano. Entre os homens,

pontos, após duas provas.

o título ficou com Alison e

Tony Kanaan foi o melhor

Emanuel. A competição

brasileiro da prova, em

nacional agora será

sexto, e está em terceiro

paralisada e volta em

na classificação geral, com

setembro. Até lá, as duplas

63 pontos.

se dedicam ao Circuito Mundial, que começa no

Vettel venceu o GP da Malásia e já disparou na liderança do Mundial

 Osasco e Vôlei Futuro

abrem nesta terça-feira o

domingo que vem, com a etapa de Brasília.

duelo paulista pelas semifinais da Superliga

 Cesar Cielo conquistou

Feminina. O segundo jogo

duas medalhas de ouro no

será no sábado, em

GP de Michigan: venceu

Araçatuba, mesmo dia em

os 50 m livre e os 100 m

que Unilever e Pinheiros

livre, esta com direito a

voltam a se enfrentar, no

superar Michael Phelps,

Rio. No jogo de ida, o time

que ficou com a medaha

carioca venceu por 3 a 0,

de prata. Foi a primeira

em São Paulo.

competição no ano do campeão mundial, que

 Juliana e Larissa venceram

a sexta etapa do Circuito

tentará o bi em julho, em Xangai, na China.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

24 -.ESPORTE

sábado, domingo e segunda-feira, 9, 10 e 11 de abril de 2011

FIM DE JOGO

L

Bahia perde para Atlético-BA, demite Vagner Benazzi e quer Joel Santana

L

Wellington Garcia sofre ruptura no baço em treino do Mundial de Motocross

L

Futsal: Brasil goleia duas vezes o Uruguai - 4 a 0, no sábado; 9 a 2, no domingo

L

Vídeo em destaque - Maradona, trinta anos atrás - www.dcomercio.com.br

www.dcomercio.com.br/esporte/

NO PACAEMBU CAMPEÃO DA AMÉRICA

 O Brasil conquista o

título do Campeonato Sul-Americano Sub-17, disputado no Equador, ao derrotar a Argentina por 3 a 2. Os gols do Brasil foram marcados por Léo, do Cruzeiro, Guilherme, do Vasco, e Matheus, do Grêmio. Brasil, Uruguai, Argentina e Equador classificaram- se para o Pan-Americano e o Mundial Sub-17. Sábado, 9

Rodrigo Buendia/AFP

CONTRA A GLOBO

RedeTV! vai ao Cade por direitos do Brasileirão RedeTV! resolveu seguir os passos do Clube dos 13 e vai protocolar uma solicitação de abertura de processo na Secretaria do Direito Econômico (SDE) para ser analisada pelo Conselho Administrativo do Direito Econômico (Cade) contra a conduta da Rede Globo na negociação direta com os clubes dos direitos de transmissão dos jogos do Campeonato Brasileiro a partir de 2012. Vencedora - como única participante - do processo

de licitação conduzido pelo Clube dos 13, a RedeTV! seguirá a linha da reclamação da entidade aos mesmos organismos e acusará a Globo de abuso do poder econômico e de quebrar o acordo firmado com o Cade no ano passado para a suspensão de um processo na Justiça que acusava a emissora e o C13 de monopólio na venda dos direitos de televisionamento das últimas edições do Brasileirão .

Rodrigo Coca/AE

A

Imperador apresenta-se à República

Domingo, 10

F

inalmente, a República Popular do Corinthians recepcionou o Imp erador Adriano. Dez dias depois da entrevista coletiva no CT, o novo camisa 10 foi apresentado à torcida no Pacaembu, ontem, antes da surpreendente derrota por 2 a 1 para o São Caetano. Não chegou a ser uma recepção calorosa. Diante de pouco mais de 17 mil corintianos, o Im-

EM CASA

perador entrou em campo, mas não deu a tradicional volta no gramado nem falou aos torcedores. Adriano dirigiu-se às arquibancadas em que fica a Gaviões da Fiel e falou umas poucas palavras aos repórteres que o seguiam: "Quero conquistar a torcida dentro de campo. A confiança aumenta nos jogos." E prometeu : "A partir de amanhã, começo a trabalhar''.

Acompanhando de perto o atacante, o diretor de futebol Roberto Andrade disse que ele estará apto a jogar em duas semanas, mas só entrará em campo no Campeonato Brasileiro, que começará no dia 21 de maio. "Adriano ainda terá de perder uns quilos e melhorar o ombro'', acrescentou. Boa parte da torcida corintiana, irritada com a derrota para o São Caetano, gostaria

de antecipar a estréia do Imperador, que, sentado ao lado de Ronaldo na tribuna, apenas sorriu ao ouvir o coro pedindo sua entrada em campo. O domingo foi de outro grandalhão - o centroavante Eduardo. Depois dos cinco gols contra o São Bernardo na semana passada, Eduardo marcou ontem os gols do São Caetano nos 2 a 1 sobre o Corinthians.

Arivaldo Chaves/AE

VÔLEI FUTURO

Todos vestem a camisa de Michael

M

ais do que um jogo, a vitória do Vôlei Futuro sobre o Cruzeiro, no segundo confronto entre as duas equipes pelas semifinais da Superliga Masculina, foi um desagravo ao meio de rede Michael, que admitiu publicamente sua homossexualidade depois de ser vítima de ofensas homofóbicas na primeira partida, em Contagem, na semana passada. A equipe de Araçatuba organizou uma grande festa e abusou do rosa, presentes nas cami-

Falcão volta a ser técnico no Internacional

O

Internacional confirma Paulo Roberto Falcão como novo técnico do time. Um dos maiores ídolos da história colorada, Falcão vinha atuando como comentarista da Rede Globo e será apresentado às 17h30 desta segunda no Beira-Rio. Aos 57 anos, chega para substituir Celso Roth, demitido na sexta-feira. O Inter

destacou, em seu site, que Falcão foi um dos principais jogadores revelados pelo clube. Tricampeão brasileiro e penta gaúcho como jogador, Falcão vai treinar o Inter pela segunda vez . Na primeira, em 1993, dirigiu o time em apenas 14 jogos, com cinco vitórias, cinco derrotas e quatro empates. Domingo, 10

FORA

Bayern antecipa demissão de Van Gaal cinco rodadas antes do encerramento do Campeonato Alemão, o Bayern de Munique demite Louis Van Gaal. O técnico holandês deixaria o cargo no final da temporada, mas o Bayern decidiu demiti-lo imediatamente após o 1 a 1 com o Nuremberg e a queda para o quarto lugar no Campeonato Alemão, o que põe em risco a participação da equipe na Liga dos Campeões da Europa em 2012. Domingo, 10 Christof Stache/AFP

sotto. O líbero Mario Júnior usou uma camisa com as cores do arco-íris, que representa o movimento LGBT. Michael não escon-

deu a alegria com o apoio, teve seu nome gritado várias vezes pela torcida e fez uma excelente partida, com 11 pontos marcados. “Tenho que agradecer o grande carinho que eu recebi dos torcedores”, comemorou. A vitória por 3 a 2 do time de Araçatuba, parciais de 19/25, 25/17, 21/25, 25/22 e 18/16, adiou para sexta-feira, novamente em Contagem, a decisão do segundo finalista. O primeiro é o Sesi, de Murilo, Sidão e Sergio Escadinha, que venceu o Vivo/Minas por 3 a 0 na sexta-feira, parciais de 25/20, 26/24 e 25/23, na sexta-feira, fechando a série em 2 a 1.

Alexandre Arruda/Divulgação/CBV

A

sas com que os jogadores entraram na quadra, nas bexigas dos torcedores e até nos esparadrapos de Lucas e Leandro Vis-

Arquivo Celso Unzelte

almanaque

N

Celso Unzelte

Sub-17: título não garante o futuro

A

vitória de sábado sobre a Argentina por 3 a 2, no Equador, garantiu ao Brasil mais um título sul-americano sub-17. Mas não garante que todos os jogadores vingarão no futebol. Há 20 anos, o time da foto ao lado também foi campeão, no Paraguai. Apenas o goleiro Fábio Noronha e o zagueiro Argel (os dois últimos em pé, da esquerda para a direita), mais os atacantes Gian, Yan e Adriano, tiveram algum destaque.

Brasil alcança sua nona estrela em final digna de um filme.” Revista da Conmebol, saudando a conquista do 9º título, em 2009, com vitória sobre a Argentina nos pênaltis, após empate por 2 a 2 no tempo normal.

a conquista de 1995, no Peru, estavam presentes os então flamenguistas Juan, zagueiro, e Júlio César, goleiro, mais o meia Renato (ex-Santos). O time campeão em 1997, no Paraguai, tinha o goleiro Fábio (hoje no Cruzeiro) e Ronaldinho Gaúcho. Em 1999, no Uruguai, os destaques eram Eduardo Costa, do Grêmio, e Thiago Motta, então do Juventus-SP. Em 2001, no Peru, foram campeões o goleiro Felipe, hoje no Flamengo, e o meia Diego, ex-Santos. Em 2005, na Venezuela, havia o cruzeirense Kerlon, o goleiro Felipe, do Santos, o lateral Marcelo, do Fluminense, o volante Denílson (ex-São Paulo) e o gremista Anderson. Em 2007, no Equador, as estrelas eram o corintiano Lulinha, os laterais gêmeos Rafael e Fábio, então no Flu e hoje no Manchester United, e o meia Bernardo, do Cruzeiro (hoje no Vasco). Do time campeão em 2009, no Chile, Philippe Coutinho, exVasco, alcançou maior evidência.

10

Títulos de campeão sul-americano Sub-17 alcançou o Brasil até hoje. O primeiro deles também foi conquistado no Equador, em 1988, quando a competição m ainda reunia jovens co , idade abaixo de 16 anos mo e não abaixo de 17, co acontece atualmente.

CURTAS

 Há dez anos, em 11 de

abril de 2001, acontecia a maior goleada em jogos entre seleções: Austrália 31 x 0 Samoa Americana.  A coluna registra a morte

do ex-atacante Carlos César Souza, 72 anos, principal jogador do Comercial-SP nos anos 1960, ocorrido em 1º de abril em Ribeirão Preto.

11 abr 2011  

Diário do Comércio