Issuu on Google+

Ano 87 - Nº 23.600

Conclusão: 23h50

www.dcomercio.com.br

Jornal do empreendedor

R$ 1,40

São Paulo, terça-feira, 10 de abril de 2012

Brasil pede trégua monetária No Salão Oval da Casa Branca, depois da Europa, a presidente Dilma renovou o pedido: o ataque do dólar e do euro impede o crescimento do Brasil e outros Brics. Obama se considerou um presidente de sorte por ter Dilma como "parceira". Mas muito da reunião não foi revelado. Pág. 11 Dida Sampaio/AE

L.C. Leite/LUZ

Serra ataca política econômica Para o candidato do PSDB à Prefeitura, na foto com Rogério Amato e Guilherme Afif, o País chegou à estabilidade, mas não tem um crescimento sustentável. Os problemas? Carga tributária, infraestrurura, câmbio... Pág. 7

Jekaterina Saveljeva/NYT

Facebook e Instagram: bem na foto, por US$ 1 bilhão. O anúncio, é claro, saiu na página de Mark Zuckerberg, em seu Facebook: o Instagram foi comprado por US$ 1 bi, mas continuará o mesmo. Podem apertar a tecla Curtir. Info, págs. 19 e 20 Justin Sullivan/AFP

Construída com picadinho de euros Irlandês falido fabricou tijolos da casa dele com 1,4 bilhão de euros em notas inutilizadas pelo BC do país. Pág. 18 AFP

Carlos Costa/AE/5/04/2012

De jatinho, para ver Cachoeira. 150 mortos na Síria, 2 na Turquia, 1 no Líbano. E a paz? Conflito sírio atravessou fronteiras na véspera do cessar-fogo acertado para hoje. Pág. 8 HOJE

ISSN 1679-2688

9 771679 268008

23600

Sol com pancadas de chuva Máxima 27º C. Mínima 18º C.

AMANHÃ Parcialmente nublado Máxima 26º C. Mínima 17º C.

Andressa de Mendonça visitou o marido contraventor Carlinhos Cachoeira, preso em Mossoró (RN), dias antes do ex-ministro e advogado Márcio Thomaz Bastos pedir ao STJ sua soltura. Pág. 5


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 10 de abril de 2012

Um otimista diria até que o País ganhou terreno na conquista de espaço para nossas exportações. Roberto Fendt

pinião

Diálogo construtivo

É

PAULO SAAB

BRASIL, PAÍS DOS PRIVILEGIADOS

Brendan Smialowiski/AFP

bom que o encontro entre a presidente Dilma Rousseff e o presidente Barack Obama seja orientado por uma agenda "positiva", que exclua temas de impossível convergência entre os dois países. Para apontar somente uma dessas questões espinhosas, é distinto o posicionamento do Brasil e dos EUA em torno das sanções contra o programa nuclear iraniano. Entre os assuntos de uma agenda "positiva" poderia figurar o emprego do chamado "espaço fiscal" dos países do G7 para conter a ameaça recessiva, especialmente na Europa. Por espaço fiscal entende-se uma política econômica mais ativa, com maior expansão dos gastos públicos. Uma política dessa natureza reverteria a atual estratégia adotada com relação aos países da periferia europeia e que tem tido, por consequência, a queda no emprego, no consumo e no espaço para o crescimento mais acelerado das nossas exportações. Mas é bom lembrar que tentativa recente de diálogo nessa direção com a chanceler Angela Merkel, da Alemanha, não produziu resultados positivos. Também produziria escassos resultados uma conversa entre os dois presidentes sobre o "tsunami cambial", para empregar a expressão utilizada pela senhora presidente. A metáfora vem sendo empregada no contexto das discussões em torno da "desindustrialização" brasileira. A linha de raciocínio é a seguinte: as exportações constituem uma importante fonte de demanda para a nossa indústria; a taxa de câmbio é um dos formadores do preço dos produtos manufaturados exportados; as medidas tomadas pelos países industrializados para fazer face às crise provocaram a valorização do câmbio na maioria dos países emergentes; essa valorização do câmbio retira competitividade das exportações de produtos manufaturados desses países e aumenta a competitividade dos produtos importados nesses mercados. O tema não é novo e tem permeado diversas manifestações da senhora presidente e de sua equipe. No mês passado, o Brasil participou de seminário organizado pela Organização Mundial de Comércio (OMC) e defendeu o estabelecimento de mecanismos para contrarrestar os efeitos da valorização das moedas dos países emergentes. Por trás dessa preocupação estava e está o receio de que a continuidade dessa valorização acabe por desembocar em uma nova onda de protecionismo nos países mais diretamente afetados pela valorização cambial. Nesse contexto, a questão real é: até que ponto o "tsunami cambial" afetou nossas exportações e as importações de

A

Brendan Smialowiski/AFP

A presidente Dilma Roussef deve preocupar-se mais em manter uma agenda de aproximação com os Estados Unidos do que ressaltar os antagonismos com o nosso segundo parceiro comercial e aliado de longa data.

ROBERTO FENDT produtos manufaturados? Formular a questão é simples; respondê-la é difícil. Se um tsunami cambial afetasse negativamente nossas exportações, a participação delas no total das exportações mundiais deveria reduzir-se; e se afetasse positivamente as importações, a participação delas no total mundial deveria aumentar. Entretanto, os dados da OMC sobre a evolução do comércio mundial (disponíveis em h t t p : / / w w w. w t o . o r g / e ng l i s h / r e s _ e / s t a-

t is _ e/ i ts 2 01 1 _e / it s 11 _ to c _e . htm) não corroboram essa hipótese. Em 1990, a fatia brasileira no total das exportações mundiais de manufaturados correspondia a 0,67%; dez anos depois, o percentual permanecia praticamente idêntico (0,68%); e em 2010 (último dado disponível) manteve-se em 0,71%. Um otimista diria até que o País ganhou terreno na conquista de espaço para nossas exportações. Do lado das importações de manufaturados também ampliamos nossa fatia no total

Há muitos fatores que explicam o comportamento de nosso comércio exterior. Atribuí-lo apenas ao efeito do câmbio é uma forma reducionista de encarar a questão.

das importações mundiais. As importações brasileiras desses produtos correspondiam a 0,5% do total mundial em 1990, com a economia ainda fechada; saltou para 0,8% em 2000, após a abertura do comércio da década de 1990; e atingiu 1,3% em 2010. Tratase de um crescimento expressivo na última década, que pode ser explicado por numerosos fatores, entre eles a valorização do real.

O

s números mostram que há muitos fatores explicando o comportamento de nosso comércio exterior. Atribuí-lo tão só ao efeito do câmbio talvez seja uma forma reducionista de encarar a questão. Por tudo isso, é salutar que a visita da senhora presidente aos EUA se calque em uma agenda de aproximação, em lugar do antagonismo que caracterizou nossa posição recente. Os EUA são nosso segundo parceiro comercial e aliado de longa data em muitas questões envolvendo o comércio internacional. E é também saudável que demonstremos agora maturidade no relacionamento entre dois grandes países que têm tudo para se beneficiar de um diálogo construtivo. ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

abordagem é simples e meramente refletiva. Não se trata de um estudo, mas da diária constatação de como no Brasil os privilégios distorcem a realidade. Herança do período em que o Estado brasileiro nasceu, antecedendo a Nação, o privilégio chegou aqui junto com a comitiva de D. João 6º, em 1808. Fugindo de Napoleão, o rei acomodou no Brasil sua corte , e para ter o que governar distribuiu o poder de cima para baixo, com privilégios, títulos, concessões, que até hoje fazem parte do sonho dos aqui nascidos ou vindos. Sonho de vida, mais do que de consumo, se olharmos, por exemplo, a quantidade de candidatos a concursos para cargos públicos, de todos os níveis, no País. A maioria, segundo revelou reportagem recente, busca a segurança que o cargo público oferece. Para não ficar só no poder público, observem as rodovias, as pistas exclusivas para ônibus e os congestionamentos: quem não respeita as regras de trânsito, avança pelo acostamento ou pista exclusiva, é em geral o motorista dos mais modernos e mais caros veículos. No prédio de luxo, o síndico com importado de luxo na garagem paga meio condomínio. Ou nenhum. Nada contra, se for decisão da maioria, mas reflete, uma vez mais, o espírito da busca pelo privilégio.

V

oltando ao Estado, ao poder público. Se de um lado Dom João 6º teve o mérito de manter a integralidade do território pátrio, entre outros benefícios, enraizou no País a mentalidade de que tudo depende do rei e dele deve vir, à custa, claro, do tesouro oficial. A colônia foi embora, o reino esvaiu-se, o império desintegrou-se e a República, no conceito e um pouco na prática, espraiadas no tempo, manteve esse vício de que o privilégio faz parte de quem se dá bem ou se torna autoridade. Em países civilizados da Europa, ministros andam de coletivo ou

A mentalidade do privilégio veio junto com a corte de D. João 6º e criou raízes profundas na cultura brasileira. A monarquia desintegrou-se, mas o vício permaneceu.

bicicleta. Aqui, a primeira coisa que o eleito ou nomeado quer é o carro de luxo, com motorista, sala com secretária e ar condicionado. Fora o batalhão de assessores de coisa alguma.

T

udo isso se encaixa em algo chamado "educação, cidadania", que no Brasil ainda passa longe do ideal. Ao contrário, a população acostumou-se a sonhar com o privilégio. A mobilidade social e econômica não se esgota na melhor qualidade de vida: junto deve vir algum tipo de privilégio, alguma mordomia, alguma vantagem sobre o vizinho, parente ou amigo.

N

o fundo, a sociedade brasileira, moldada como foi e como se conduz pela liderança de seus políticos e governantes, com uma enorme quantidade de corruptos e incapazes, está condenada à ignorância eterna para que os privilégios se perpetuem e a fórmula da igualdade não seja revelada. Seria um desastre. O aparato que cerca os eleitos, os nomeados e os concursados é de tal grandeza que a massa prensada nos coletivos, nas filas e nos corredores de hospitais, presa em congestionamentos, afogada em dívidas, nem sabe que é ela quem sustenta esse festival de privilégios, que assola um país que tem República em seu nome e onde a coisa pública deveria ser respeitada e estar acima dos interesses mesquinhos de seus manipuladores. PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Ed i to r - Ch e fe : José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Fernando Porto (fporto@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Darlene Delello, Eliana Haberli e Evelyn Schulke Repórteres Especiais: Fernando Gabeira, Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br), . Repórteres:André de Almeida, Fátima Lourenço, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rafael Nardini, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3176 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012

3

o Prenderam os suspeitos de sempre pinião

C

asablanca é um dos ícones do cinema. A estória todos conhecem: Rick, personagem vivido por Humphrey Bogart, é dono do Rick's Café, ponto de encontro da noite de Casablanca e endereço de toda sorte de ladrões, refugiados e políticos do Marrocos. Sujeito amargo, não conseguiu superar sua paixão por Ilsa Lund, vivida por Ingrid Bergman. O filme narra o cotidiano da casa noturna em meio aos dramas humanos da segunda guerra mundial. Ficou famoso, sobretudo, por uma frase atribuída a Humphrey Bogart que, na verdade, ele nunca pronunciou: "Play it again, Sam", ao supostamente pedir ao pianista da casa que tocasse, novamente, a música que marcara seu romance com Ingrid Bergman, As time goes by. Mas, é sobre outra frase famosa do filme que falaremos. Ao presenciar e intervir em uma briga ocorrida na casa noturna, o chefe de polícia grita ao seus subordinados: "Prendam os suspeitos de sempre!". Pois bem, da ficção para a realidade, foi esta a frase que me ocorreu ao acompanhar o debate sobre o novo pacote de estímulo à indústria, lançado no último dia 3 de abril pelo governo federal. Parte integrante do Programa Brasil Maior, foi descrito pelos representantes da classe industrial como insuficiente para atingir a meta de revigorar a combalida indústria nacional. De fato, as medidas anunciadas são pouco transparentes, pontuais, paliativas, de escopo limitado e não atacam

O PACOTE ANUNCIADO PELO GOVERNO NÃO ACRESCENTOU NADA DE NOVO AO FRONT.

Reprodução

o cerne dos problemas do parque industrial brasileiro, além de mostrarem incoerência macroeconômica. No mesmo dia em que o IBGE anunciava que a indústria recuou 3,4% nos primeiros dois meses de 2012, o pacote de socorro repetia medidas envelhecidas: desonerações tributárias para setores escolhidos, expansão do crédito e incentivos às exportações.

centivos a doações a institutos de combate ao câncer e ao tratamento de portadores de deficiência física. O governo, que sempre criticou parlamentares que aproveitavam a votação de medidas provisórias para acrescentar uma emenda que nada tinha a ver com o texto original, caiu mais uma vez em contradição. Como curiosidade, é digno de registro que as medidas anunciadas significarão apenas R$ 3,1 bilhões a menos no caixa federal, em 2012. Tanto quanto um dia de arrecadação!

O

problema com as soluções apontadas não é serem antigas, mas serem insuficiente e, portanto, repetirem erros. As desonerações tributárias, como a da folha de pagamentos, foram acompanhadas pela criação de tributos sobre o faturamento, como forma de compensar a perda de arrecadação, ou mesmo pelo aumento da PIS/Cofins sobre outros setores, como o de bebidas. Vá se preparando, caro leitor, porque se a geladeira continua com redução de IPI, e, portanto, com preços menores, a cervejinha vai ficar mais cara. Uma das críticas principais foi quanto à expansão do crédito, que se dará mediante aportes do Tesouro ao BNDES. Aliás, do pacote anunciado, de 60 bilhões de reais, 75% (ou seja, 45 bilhões de reais) serão destinados ao BNDES, desmistificando, de cara, a magnitude do estímulo... A questão aqui é que esses aportes do Tesouro ao BNDES (já são 285 bilhões de reais desde 2009) possuem um custo fiscal de aproximadamente 10% ao ano, enquanto o BNDES empresta, a alguns poucos es-

É A cena famosa do filme Casablanca, quando o chefe de polícia diz: "Prendam os suspeitos de sempre!".

MANUELITO MAGALHÃES JÚNIOR colhidos, a taxas que giram em torno dos 6% ao ano. O custo desse subsídio é arcado pelo Tesouro Nacional. Ou seja, por nós, os contribuintes! Outro ponto importante diz respeito às exportações. O incentivo dado compensa o alto "custo Brasil", resultado da tri-

butação excessiva, do alto custo da energia elétrica e da deficiência de infraestrutura, sobretudo da logística de transportes. De concreto mesmo, restaram a pouca transparência e a incoerência das medidas. A ausência de transparência é

demonstrada pelo fato de que continuamos a "selecionar" setores para receber os benefícios, sem uma discussão abrangente e necessária com todos os setores produtivos. E a incoerência é resultado de adotarmos medidas que reduzem a tributação, ao mesmo tempo em que são propostas outras iniciativas que aumentam o custo fiscal (caso dos aportes ao BNDES), reduzindo o espaço para novas medidas de desoneração tributária. De caráter meritório, porém completamente deslocado do debate sério de uma política industrial, foi a inclusão de um "puxadinho" para oferecer in-

certo que dificilmente teremos o que comemorar em termos de melhoria da competitividade da indústria nacional. Não bastasse isso, podemos vir a sofrer retaliações de outros países, pois dentre as diversas medidas anunciadas está encarecer as importações de produtos com similar nacional, por meio de uma sobretaxa, representada por aumento na alíquota do PIS/COFINS recolhida pelos importadores. Em resumo, o pacote anunciado não acrescentou nada de novo ao front. E deixou ainda a sensação de que o governo prendeu os suspeitos de sempre. MANUELITO P. MAGALHÃES JÚNIOR É ECONOMISTA E DIRETOR DA

COMPANHIA DE SANEAMENTO BÁSICO DO ESTADO DE SÃO PAULO (SABESP). FOI PRESIDENTE DA EMPRESA PAULISTA DE PLANEJAMENTO METROPOLITANO (EMPLASA) E SECRETÁRIO DE PLANEJAMENTO DA CIDADE DE SÃO PAULO.

A OUTRA PRIMAVERA ÁRABE N

ão é interessante que o despertar árabe tenha começado na Tunísia com um vendedor de fruta que foi importunado pela polícia por não ter licença para vender comida – justamente no momento em que os preços internacionais de alimentos atingiram preços recordes? E que, na Síria, ele tenha começado com os fazendeiros na cidade sulista de Daraa, que reivindicam o direito de comprar e vender perto da fronteira sem precisar da permissão de autoridades de segurança corruptas? E que tenha sido estimulado no Iêmen – o primeiro país do mundo que deve ficar sem água – por uma lista de queixas contra um governo incompetente – entre as maiores, o fato de que autoridades importantes perfuravam poços de água em seus próprios quintais numa época na qual o governo supostamente deveria estar evitando essas perfurações desenfreadas? Como Abdelsalam Razzaz, o ministro da Água no novo governo do Iêmen disse à Reuters na semana passada: "As autoridades tradicionalmente têm sido os perfuradores de poços mais agressivos. Praticamente todos os ministros tinham um poço em sua casa". Todas essas tensões sobre terra, água e comida estão nos dizendo algo: o despertar árabe não foi provocado apenas por pressões políticas e econômicas, mas – menos visivelmente – também por pressões ambientais, populacionais e climatológicas. Se nos focarmos apenas nas primeiras e não nessas, nunca seremos capazes de ajudar a estabilizar essas

sociedades. Vejamos a Síria: "O atual conflito social da Síria é, no sentido mais direto, uma reação a um regime brutal e distante", escreveram Francesco Femia e Caitlin Werrell, em um relatório para o Centro de Clima e Segurança em Washington. "Contudo, isso não é toda a história. Nos últimos anos, tem havido um número significativo de mudanças sociais, econômicas, ambientais e climáticas na Síria que erodiram o contrato social entre cidadãos e o governo. (...). Se a comunidade internacional e as futuras autoridades sírias pretendem tratar e resolver os motivos do conflito no país, essas mudanças terão de ser mais bem exploradas."

D

e 2006 a 2001, observam eles, até 60% do território sírio sofreu umas das piores secas e uma das mais severas quebras de safra e em sua história. Segundo revela um estudo, no relatório do ano passado da Avaliação Global sobre Redução de Ameaças de Desastre, quase 75% dos sírios mais vulneráveis, que dependem da agricultura, em especial na província nortista de Hassakeh (mas também no sul), sofreram perda de safra total. Pastores no nordeste perderam cerca de 85% de seus animais, afetando 1,3 milhão de pessoas. As Nações Unidas informaram que mais de 800 mil sírios tiveram seu sustento dizimado por essas secas e muitos foram forçados a se mudar para as cidades a fim de encontrar trabalho – aumentando o fardo do governo, que já é incompetente. "Se as

projeções de clima continuarem em seu rumo atual, a situação de seca no Norte da África e no Oriente Médio vai ficar progressivamente pior e vamos terminar testemunhando ciclos após ciclos de instabilidade , que podem ser uma desculpa para futuras respostas autoritárias", argumenta Femia. "Existem poucas formas de os EUA estarem do lado certo da história no mundo árabe. Uma delas é apoiar, entusiástica e vigorosamente, os movimentos democráticos." A outra é investir na infraestrutura adaptável ao clima e em melhorias no gerenciamento da água – para tornar esses países mais flexíveis em numa época de mudança climática tumultuada. Uma análise da Administração Atmosférica e Oceânica Nacional dos EUA (NOAA, pelas iniciais em inglês), publicada em outubro no Journal of Climate, e citada no blog de Joe Romm (climateprogress.org), descobriu que as secas durante o inverno no Oriente Médio – quando a região tradicionalmente recebe

a maior parte de suas chuvas para reabastecer os aquíferos – estão aumentando e a mudança climática provocada pelo homem é em parte responsável. "A magnitude e a frequência da seca que ocorreu foram grandes demais para serem explicadas somente pela variabilidade natural", observou Martin Hoerling, do Laboratório de Pesquisa do Sistema da Terra da NOAA, o principal autor da pesquisa. "Essa não é uma notícia animadora para uma região que já experimenta problemas de água porque ela implica que só a variabilidade natural, provavelmente , não vai levar o clima da região ao normal" – especialmente quando são consideradas as outras pressões. Nafeez Mosaddeq Ahmed, diretor-executivo do Instituto para Política de Pesquisa e Desenvolvimento em Londres, escrevendo no The Beirut Daily Star em fevereiro, apontou que 12 dos 15 países com mais escassez de água – Argélia, Líbia, Tunísia, Jordânia, Qatar, Arábia Saudita,

Iêmen, Omã, Emirados Árabes Unidos, Kuwait, Bahrein, Israel e Palestina – estão no Oriente Médio. E depois de três décadas de crescimento populacional explosivo esses países estão prestes a piorar drasticamente sua situação. Embora as taxas de natalidade estejam caindo, um terço da população geral tem menos de 15 anos, e um grande número de meninas está entrando na idade reprodutiva ou logo estará. Um estudo do Ministério da Defesa da Grã-Bretanha, completa o autor, "projetou que em 2030 a população do Oriente Médio terá aumentado 123% – gerando um volume de jovens inédito" – com bem mais bocas para alimentar e com menos água do que nunca.

C

omo observa Lester Brown, o presidente do Instituto Política da Terra e autor de World on the Edge (O Mundo no Limite), há 20 anos, usando a tecnologia para explorar petróleo, os sauditas alcançaram um aquífero bem abaixo do deserto para produzir trigo irrigado e tornaram-se autossuficientes. Mas agora praticamente toda a água acabou e a produção de trigo saudita também. Assim, os sauditas estão investindo em terras agriculturáveis na Etiópia e no Sudão, mas isso significa que eles vão retirar mais água do Nilo para irrigação do Egito, cujo Delta do Nilo, rico em agricultura, já está vulnerável a qualquer aumento no nível do mar e à invasão de água salgada. Se vocês perguntarem "quais são as verdadeiras ameaças à nossa segurança hoje", afirmou Brown, "no topo da lista estariam

THOMAS L. FRIEDMAN mudança climática, crescimento populacional, escassez de água, alta nos preços dos alimentos e o número de países falidos no mundo. Enquanto essa lista cresce, quantos países falidos haverá antes de termos uma civilização global falida e tudo começar a se desmanchar?".

T

omara que não cheguemos a esse ponto. Mas deveríamos nos lembrar da frase atribuída a Leon Trotsky: "Você pode não estar interessado na guerra, mas a guerra está interessada em você". Bem, vocês podem não estar interessados na mudança climática, mas a mudança climática está interessada em vocês. Pessoal, isso não é piada. Nós e os árabes precisamos descobrir – e rápido – novas formas de parceria para atenuar as ameaças ambientais que pudermos e construir uma resiliência maior contra aquelas com as quais não podemos. Em 20 anos, esse pode ser o único assunto de que falaremos. THOMAS L. FRIEDMAN É COLUNISTA DO NEW YORK TIMES E TRÊS VEZES GANHADOR DO PRÊMIO PULITZER TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA


4 -.GERAL

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012

CHARGE DO DIA


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012

5 UTILIDADE Conselho de Ética do Senado está sem presidente há sete meses

olítica

LADAINHA Demóstenes Torres não errou. A culpa é da PF, diz o seu advogado.

Beto Barata/AE

O futuro de Demóstenes nas mãos do PMDB Vital do Rego deve presidir colegiado que vai definir sobre o mandato do senador

O Vital do Rego: licença do cargo de corregedor para comandar processo contra Demóstenes

Os 'envolvidos' querem uma CPI Partidos citados no inquérito acham que podem implicar o outro no Congresso

L

íderes dos partidos governistas e da oposição começam hoje, no Senado e na Câmara, a coleta de assinaturas para criar uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) mista destinada a apurar ligações políticas de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Como todos os partidos têm parlamentares citados pela Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, cada um acha que poderá implicar o outro na CPI e com isso colher dividendos nas eleições deste ano e na presidencial de 2014.

Walter Pinheiro, líder do PT no Senado, quer estender a CPI. Só para um seria injusto.

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), disse ontem que "todos os políticos importantes do Estado tiveram alguma relação ou encontro com Cachoeira". Mesmo assim, o PSDB investe na CPI apostando que as ligações de Cachoeira podem bater à porta do Palácio do Planalto. O líder dos tucanos no Senado, Álvaro Dias (PR), lembrou que seria "uma ingenuidade" supor que a ambição de Cahoeira não chegasse a Brasília e ao governo federal. Ele afirmou que só a Delta Construções recebeu do governo, entre 2007 e 2012, R$ 4,13 bilhões. "Isso só num CNPJ", afirmou o senador, referindo-se a empresa que, segundo investigações da Polícia Federal, teria ligações com Cachoeira. José Cruz/ABr

Já o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA), afirmou que pretende estender a investigação para além do envolvimento do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) com Cachoeira. "Centralizar a apuração em uma só pessoa não é questão de injustiça, mas de falta de Justiça", afirmou Pinheiro. O líder do DEM na Câmara, Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), avalia que, ao se livrar de Demóstenes, seu partido ficou à vontade para entrar para valer na CPI. "Dois dos nossos principais nomes em Goiás e no Brasil são o deputado Ronaldo Caiado e o vice-governador José Eliton", afirmou ACM Neto. "Eles nos garantiram que nunca tiveram nada com Cachoeira, tanto é que foram figuras das mais importantes na decisão de abrir o processo de expulsão do senador Demóstenes", disse. Na lista dos políticos citados no inquérito estão o candidato do PSDB a prefeito de Goiânia, deputado Leonardo Vilella, e seu colega Carlos Leréia. O PP entra na relação com o deputado Sandes Júnior, o PTB com o líder na Câmara, Jovair Arantes, e o PPS com o deputado Stepan Nercessian (RJ). O PT entra com o deputado Rubens Ottoni, que teria recebido R$ 100 mil de Cachoeira. O partido alega que os vídeos no qual Ottoni aparece foram feitos em 2004, quando ele buscava recursos para a campanha de prefeito de Anápolis. "Desde então, ele vem sendo chantageado pelo Cachoeira. É um caso de Caixa 2 que já prescreveu", disse Jilmar Tatto (SP), líder do PT na Câmara. (Agências)

Advogado quer anular todas as provas da Polícia Federal Antonio Carlos de Castro alega que Demóstenes Torres possui imunidade

O

advogado do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, vai entrar hoje com um pedido no Supremo Tribunal Federal (STF) no qual ele defende que sejam anuladas todas as provas apresentadas pela Procuradoria Geral da República (PGR) contra o André Borges/Folhapress - 02.04.12

seu cliente. A tese defendida pela defesa é a de que, ao incluir no inquérito contra o senador as gravações entre ele e Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, apontado como chefe de um esquema ilegal de jogos, obtidas pela Polícia Federal para desencadear a Operação Monte Carlo, a PGR

estaria "usurpando" as funções do STF, já que o órgão não autorizou a PF nem o Ministério Público a realizar qualquer investigação contra Cachoeira. Na tese de Kakay, Demóstenes possui imunidade e só pode ser investigado a partir de uma autorização do STF. Para o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, as escutas telefônicas não foram ilegais. De acordo com o ministro, a PF seguiu a ordem da Justiça para gravar as conversas. “Ninguém nunca investigou objetivamente os parlamentares", afirmou. "Estavam investigando Carlinhos Cachoeira e, se parlamentares conversam com ele, o problema é outro". (Agências) O advogado Kakay defende a tese de que a PGR estaria usurpando poder que seria do STF

futuro do senador Demóstenes Torres (sem partidoGO) começa a ser traçado hoje, quando o PMDB indicar o nome do senador que vai presidir o Conselho de Ética. O colegiado vai decidir se acata representação do PSol e abre processo de cassação por quebra de decoro. Demóstenes é acusado pela Polícia Federal de participar de suposto esquema criminoso comandado pelo contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. O senador Vital do Rego (PMDB-PB) foi indicado pelo líder do partido, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), para presidir o conselho. No entanto, como ele é o corregedor da Casa, a Advocacia Geral do Senado foi consultada e emitiu parecer de que ele não pode acumular as duas funções. "Como corregedor, muitas vezes você tem que provocar o Conselho de Ética", afirmou Vital. "No conselho você tem que ser juiz da causa e a condição de corregedor inibe o papel de juiz", explicou. Contudo, o PMDB também trabalhou com a possibilidade de Vital do Rego se licenciar temporariamente da corregedoria. Neste caso, o parecer da

Advocacia Geral foi favorável. "Se houver um acordo político", Vital do Rego poderá acumular as duas funções. Todo esse esforço revela duas coisas. A primeira é que o PMDB não iria abrir mão da presidência do conselho. A segunda, deixou evidente a dificuldade para indicar um nome, uma vez que nenhum dos integrantes da bancada manifestou intenção de assumir a função. O próprio Vital do Rego afirmou que, se vier a ocupar o cargo, não será por vontade própria, mas por determinação partidária. De qualquer forma, o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP),

marcou para hoje a eleição do corregedor substituto, viabilizando que ele se licencie e assuma o colegiado. Já o Supremo Tribunal Federal negou pedido do Senado para ter acesso ao inquérito. O ministro Ricardo Lewandowski argumentou que o processo corre em "segredo de Justiça" e só uma CPI teria poderes de requisitar e receber o material. (Agências)

Renan Calheiros, líder do PMDB no Senado: articulação para manter a presidência do colegiado, apesar dos entraves.

Geraldo Magela/Ag. Senado

Thomaz Bastos pede liberdade para Carlinhos Cachoeira Pedido de habeas corpus foi encaminhado ao STJ. Ministra Laurita Vaz decide. Carlos Costa/AE

A

defesa de Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, entrou ontem com um pedido de habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça (STJ). O caso será decidido pela ministra Laurita Vaz. Cachoeira está preso desde o dia 29 de fevereiro, quando a Polícia Federal deflagrou a Operação Monte Carlo. O Tribunal Regional Federal da 1ª Região já havia negado habeas corpus. O pedido no STJ foi feito pelo advogado Márcio Thomaz Bastos, que defende Carlinhos Cachoeira. Em março, o Ministério Público Federal em Goiás ofereceu denúncia à Justiça Federal contra Cachoeira e mais 80 pessoas, por envolvimento em uma suposta quadrilha desarticulada pela PF. Segundo a Procuradoria, o grupo era encabeçado por Cachoeira e explorava direitos dos pontos de jogos caça-níquel em Goiânia e no entorno de Brasília, onde as máquinas estavam clandestinamente instaladas, além de Tocantins, Espírito Santo, Rio de Janeiro e Pará. O negócio se mantinha com o apoio de policiais militares, civis e federais.

Andressa Alves de Mendonça, mulher de Cachoeira: para visitar o marido na cadeia, fretou um avião.

As investigações apontaram ainda que Cachoeira tinha contatos com os principais políticos de Goiás, entre os quais o governador Marconi Perillo (PSDB), que nega qualquer envolvimento, e o senador Demóstenes Torres (sem partido), que poderá ser cas-

sado por quebra de decoro. Cachoeira está no presídio federal de segurança máxima de Mossoró (RN). Para lá foi a sua mulher Andressa Alves de Mendonça, de 30 anos. Para chegar ao presídio, ela embarcou num avião fretado, em Natal. (Folhapress)

Assunto vai dominar a Câmara Caso Carlinhos Cachoeira está no foco da semana entre os deputados

A

votação do projeto que muda a chamada Lei Seca, para ampliar as provas visando punir quem dirige sob efeito de álcool, e as discussões em torno do envolvimento de parlamentares com Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso pela Polícia

Federal, devem dominar a semana na Câmara. Além dessas questões, os deputados deverão apreciar algumas das 11 medidas provisórias que trancam a pauta. Os líderes partidários e o presidente da Câmara, deputado Marco Maia (PTRS), fecharam acordo para

votar a Lei Seca amanhã. O texto ainda será apresentado aos deputados na forma de um substitutivo. Quanto às denúncias de envolvimento de parlamentares com Cachoeira, caberá à corregedoria da Casa promover as investigações contra alguns deputados. (ABr)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 10 de abril de 2012

Nossos países têm de ser parceiros e nós queremos isso. Só podemos ficar mais fortes trabalhando juntos. Hillary Clinton, secretária de Estado norte-americano.

olítica

Paul J. Richards/AFP

Hillary: as relações com o Brasil são prioridade para o governo Obama. Ela estará no Brasil na próxima semana.

Hillary elogia 'senhora Rousseff'

H

illary Clinton, a secretária de Estado norteamericano, definiu o relacionamento dos EUA com o Brasil como "um dos mais promissores" no século 21. Hillary inaugurou, ontem, o seminário Brasil-Estados Unidos: Parceria para o Século 21, na Câmara de Comércio, antes do encontro entre Dilma e o presidente norte-americano, Barack Obama, na Casa Branca. Diante de mais de 300 empresários que lotaram o auditório da Câmara de Comércio e ao lado do ministro das Relações Exteriores, Antônio Patriota, Hillary elogiou a

"liderança extraordinária" de Dilma, chamada por ela de "senhora Rousseff". A secretária de Estado destacou o interesse do governo americano no programa brasileiro Ciência Sem Fronteiras, que concede bolsas de estudo para alunos no exterior, e disse estar "feliz" com a visita que Dilma fará hoje ao Massachusetts Institute of Technology (MIT) e à Universidade de Harvard, em Cambridge, na área metropolitana de Boston. "O Brasil já é uma das maiores democracias do mundo e está se tornando também uma das maiores

economias. Nossos países têm de ser parceiros e nós queremos isso. Só podemos ficar mais fortes trabalhando juntos. Eu aplaudo o compromisso da senhora Rousseff de acabar com a pobreza no Brasil", discursou a secretária de Estado. Hillary Clinton virá ao Brasil – ela estará em Brasília na próxima semana – para participar do encontro Open Government Partnership (Parceria para um Governo Aberto), no dia 17, no Palácio do Itamaraty. Antes disso, no dia 16, ela participará de um encontro com a presidente brasileira. (AE)

EUA anunciam novos consulados em MG e RS A ideia é estimular mais viagens – e até a obrigatoriedade do visto pode cair

A

secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton, anunciou dois novos consulados no Brasil, em Porto Alegre e em Belo Horizonte. Hoje, os EUA têm consulados em São Paulo, Rio e Recife, além de uma seção em Brasília, dentro da embaixada. Todos são cenários de filas para a concessão de vistos de entrada nos EUA. "Abriremos dois novos consulados no Brasil, um em Belo Horizonte e outro em Porto Alegre. São exemplos de nossa relação ampla, tornando mais fáceis as viagens e derrubando barreiras, mas os avanços que queremos não serão garantidos nem por vistos nem por turismo. Queremos parcerias em ciência e tecnologia", informou Hillary. Ela disse que a relação bilateral desejada por seu país ultrapassa a questão dos vistos. Hillary não mencionou a negociação para eliminar a necessidade de visto aos brasileiros que entram nos EUA, mas há conversas nesse sentido. Em encontro com empresários brasileiros e americanos

Deixe um pouquinho * para crianças carentes * Até 3% por lei

VOCÊ PODE. É SÓ QUERER. Todos os passos para fazer a doação no www.dcomercio.com.br

Os avanços que queremos não serão garantidos por vistos nem por turismo. Queremos parcerias em ciência e tecnologia HILLARY CLINTON Obama – ele quer ampliar tanto o fluxo de turistas quanto o de negócios entre os países. Em fins de janeiro, Obama anunciou medidas para facilitar os vistos a brasileiros considerados de baixo risco. Entre as ações há a possibilidade de dispensa da entrevista aos brasileiros no consulado.

Em março, anunciou-se que o governo dos EUA pretende criar uma fila rápida na imigração americana para facilitar a entrada de viajantes brasileiros frequentes no país. A medida ainda depende de acordo com o governo brasileiro. Esforço coletivo – O governador de Minas, Antonio Anastasia, disse que o anúncio do governo dos EUA de abrir um consulado em Belo Horizonte é fruto de esforço coletivo. Anastasia comemorou o fato. "A decisão mostra o reconhecimento da importância que Minas Gerais tem nas relações entre o Brasil e os Estados Unidos e facilitará o fluxo de pessoas, produtos e serviços de e para o Estado", informa nota do governo. Anastasia disse que "Minas é um parceiro importante para os EUA. Milhares de mineiros vivem no país ou o visitam a cada ano. O consulado é um novo patamar social e econômico para Minas". Quanto às importações, os EUA foram o principal parceiro comercial de Minas em 2011: importaram US$ 2,17 bilhões.(Folhapress)

Senadores vetam Valcke e convidam Blatter Presidente da Fifa foi o único convidado a falar pela entidade sobre a Copa

O Você vai dar todo o seu imposto para o LEÃO?

na Câmara de Comércio Americana em Washington, ela disse que os EUA estão comprometidos em facilitar a entrada de brasileiros nos EUA. Hillary, que estará no Brasil na próxima semana, afirmou que as relações com o Brasil são prioridade para o governo

s relatores e presidentes das comissões de Educação, Cultura e Esporte; Constituição e Justiça (CCJ) e Assuntos Econômicos (CAE) do Senado vetaram a presença do secretário-geral da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Jérôme Valcke, na audiência pública na quartafeira. Para falar em nome da Fifa, foi convidado o presidente Joseph Blatter, que ele ainda não confirmou se participará da audiência que vai discutir o projeto da Lei Geral da Copa que foi aprovado pela Câmara dos Deputados. Segundo a senadora Ana Amélia (PP/RS), relatora do projeto da Lei Geral da Copa na Comissão de Educação, Cultura e Esporte, o veto à participação de Valcke ainda é consequência das declarações dele de que o Brasil deveria levar "um pontapé no traseiro" para acelerar as obras das copas das Confederações, em 2013 e do Mundo, em 2014. "Não queremos que o senhor Valcke tenha mais exposição que o necessário. Por isso, cancelamos a audiência e convidamos o senhor Blatter, pois ele é quem manda na Fifa. Além disso, quando o secretário-geral esteve na Câmara, de pouco adiantou para as discussões do projeto". Ana Amélia esclareceu que a decisão de rejeitar Valcke foi, sim, reação às declaração dele. Para ela, o executivo da

Arnd Wiegmann/Reuters - 04.05.11

Joseph Blatter: "Ele é quem manda na Fifa", diz Ana Amélia. Fifa "ofendeu não apenas o governo e o Congresso, mas o País. Depois, veio a nota da Fifa, que explica mas não justifica aquela declaração. Quem entende francês sabe que ele quis dizer o que disse, ele foi descortês e deselegante". Ela disse que se Blatter não quiser vir ao Senado, "o problema é dele" e que o projeto será analisado sem as opiniões da Fifa. Hoje, às 10h, as três comissões promoverão uma audiência conjunta para

ouvir o ministro do Esporte, Aldo Rebelo. A audiência pública marca o início da tramitação do projeto no Senado. Ana Amélia disse que, a partir de agora, os senadores saberão o que o governo quer manter no texto aprovado pela Câmara. "A questão mais polêmica é a liberação do álcool nos estádios durante a Copa. Isso deve ficar a cargo dos estados, com mudanças nas legislações estaduais onde esse comércio é proibido, como no RS". (ABr)

Havelange em estado grave Com insuficiência cardiorrespiratória, ex-dirigente voltou à UTI na madrugada.

A

gravou-se o o quadro de saúde do presidente de honra da Fifa, João Havelange. Na última madrugada, ele precisou voltar à Unidade de Tratamento Intensivo (UTI) do Hospital Samaritano, na zona sul do Rio. Boletim médico divulgado ontem informa que o estado clínico do ex-dirigente é "grave". O boletim revelou que Havelange, de 95 anos, "apre-

sentou um quadro de insuficiência cardíaca e respiratória e precisou retornar à Unidade Coronariana". Além disso, o comunicado confirmou que ele passou a necessitar do auxílio de aparelhos para respirar e no momento faz uso de medicamentos para controlar a pressão arterial. Parceria – Os presidentes da CBF e do COB se encontraram ontem para traçar um planeja-

mento comum. A intenção é aproveitar o ciclo que começa em Londres-2012, passa pela Copa-2014, Pan-2015 e os Jogos de 2016. "Tenho certeza de que essa visita vai nos trazer muita sorte e nos ajudar a conquistar a medalha de ouro", comentou José Maria Marin, que combinou com o dirigente do COB ir para Londres, para visitar a concentração da seleção. (AE)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012

7 Os projetos federais não saem do papel, não andam ou têm de ser refeitos. José Serra, ex-governador paulista.

olítica

L. C. Leite/LUZ

Serra condena política econômica Em palestra na ACSP, ex-governador diz que conquista da estabilidade não foi acompanhada de um esperado crescimento sustentável. Guilherme Calderazzo

O

País chegou à estabilidade econômicanos anos 90, mas desde então não encontrou um crescimento sustentável. Tanto que, hoje, é exportador de commodities e enfrenta a desindustrialização. A avaliação foi feita ontem pelo ex-governador e futuro candidato a prefeito da capital pelo PSDB, José Serra, ao dar palestra em reunião plenária na Associação Comercial de São Paulo (ACSP), sob o tema O desenvolvimento recente do Brasil e seus principais problemas.

Depois de ser saudado pelo presidente da ACSP e da Facesp (Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo), Rogério Amato, Serra apontou os problemas que impedem a evolução mais rápida e adequada do desenvolvimento brasileiro: falta de recursos para investimentos, em especial do governo federal, câmbio supervalorizado, juros altos, precariedade da educação, carga alta de impostos, avanço lento da produção e infraestrutura precária e ultrapassada. Serra destacou que o País terá de crescer 5,5% ao ano para, até 2040, eliminar resquícios de subdesenvolvi-

mento. "Temos de investir entre 24% e 25% do PIB ao ano, e não os atuais 19%, para ter crescimento sustentado", alertou. Para ele, atualmente não há nenhum indicador confiávelque aponte que a renda do brasileiro irá dobrar em curto prazo. Planejamento – Outro problema, segundo Serra, é a falta de planejamento a ser feito pelo governo federal para as questões nacionais. "Faltam projetos, há incapacidade executiva do governo federal para a solução dos problemas. A consequência é que os projetos federais não saem do papel, não andam ou têm de ser refeitos".

Queixa: Brasil continua ser exportador de commodities por não atacar problemas, diz Serra. Entre as críticas ao governo federal, Serra disse que o Planalto não investe em metrô, e mesmo quando se compromete a investir, como é o caso da Bahia e do Ceará, as obras não se realizam. Sustentou que a saída para o problema

de trânsito das grandes cidades encontra-se nos investimentos em trilhos, em especial em metrô, trens e monotrilhos, além dos corredores de ônibus. Além de Serra, Amato e Afif, compuseram a mesa Mauro

Ricardo, secretário municipal de Finanças, Roberto Mateus Ordine, um dos vice-presidentes da ACSP, o vereador Gilberto Natalini (PV), e Natanael Miranda dos Anjos, secretário m u n i c i p a l e s p e c i a l d o M icroempreendedor Individual.

Crack: Beltrame sugere recolhimento. Newton Santos/Hype

Secretário defende a busca compulsória dos viciados e tratamento clínico. Mário Tonocchi

O

Beltrame: "Não é só tirar o viciado da rua. Tem que fazer alguma coisa com ele".

Gurgel dá parecer contrário à concessão de fundo ao PSD Apesar de já ser a 3ª maior bancada, o PSD não será contemplado na partilha.

O

procurador-geral eleitoral, Roberto Gurgel, emitiu ontem parecer contrário à concessão de recursos do Fundo Partidário ao recém-criado PSD do prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab. No parecer, Gurgel diz: "Quanto à pretensão de ser contemplado na partilha, de forma proporcional, dos 95% do total do Fundo Partidário, o pleito não pode ser atendido. A despeito de constituir a terceira maior bancada, com 52 deputados federais, o Partido Social Democrático, criado somente em 27/09/2011, ainda não se submeteu ao teste das urnas, não participou das últimas eleições gerais realizadas em 3 de outubro de 2010". Ao dizer que o pleito do PSD não pode ser atendido, Gurgel argumenta que isso

está baseado na regra do artigo 41-A – dispositivo legal editado para plena execução do disposto no artigo 17, inciso 3º da Constituição federal, que diz: "Apenas as agremiações que disputaram regularmente as eleições gerais e tiveram resultado final apurado pela Justiça Eleitoral, podem participar da divisão daquele montante, na proporção dos votos obtidos na última eleição geral para a Câmara dos Deputados". E continua: "Exatamente pelo fato de não haver disputado ainda nenhuma eleição popular, o eminente ministro Carlos Ayres Britto, no Supremo Tribunal Federal, negou ao PSD a pretensão de se ver incluído na distribuição das vagas nas Comissões Permanentes e Temporárias da Câmara dos Deputados".

Ricardo Stuckert/Instituto Lula

Lula e Kassab, juntos pela segunda vez este ano no hospital: mesmo tendo conversado por cerca de 50 minutos, nada se sabe sobre o que falaram.

Lula e Kassab – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva recebeu ontem, após sessão de fonoaudiologia no Hospital Sírio-Libanês, a visita do diretor-geral da Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), José Graziano. Depois, conversou com o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD). Lula, que faz sessões diárias de fono, recebe visitas no hospital. Ontem, cada qual conversou cerca de 50 minutos com Lula. Essa é a segunda visita, esse ano, de Kassab a Lula. No início de janeiro, Kassab foi ao hospital e ofereceu o apoio do PSD ao pré-candidato do PT à Prefeitura, Fernando Haddad, o que causou um racha no PT. Com a entrada de Serra na disputa, Kassab acabou apoiando o padrinho político. (AE)

secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, defendeu ontem o recolhimento compulsório e imediato para tratamento de viciados em crack que perambulam pelo centro de São Paulo. Ele participou da primeira reunião do ano do Conselho Político e Social (COPS) da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). Para Beltrame, o dependente químico não precisa de polícia. "O crack é problema de saúde pública e o viciado tem que ser tratado. Isso demanda decisões políticas para acontecer", afirma. Diante, porém, da extensão do problema, o secretário de segurança diz que municípios, estados e a União não estão preparados para atacar a questão. "Como receber essa legião de pessoas que estão nas ruas procurando a droga? Quem vai arcar com o custo do tratamentos? E não é somente tirar o viciado da rua. Tem que fazer alguma coisa com ele. Isso demanda investimento". O secretário foi convidado pelo COPS para falar sobre a implantação das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) no Rio de Janeiro. De acordo com ele, até o final de 2014 estarão implantadas 74 unidades. Hoje são 19. O número de policiais envolvidos nas ocupações, de acordo com Beltrame, deve passar, com a ampliação das implantações, dos atuais 3.330 para 12,5 mil. "Agora, nossa escola de policiais tornou-se realmente uma escola. Todos os meses, entram 500 alunos e saem 500 novos policiais". De acordo com as PM, o custo médio da implantação de uma UPP com cem policiais é de R$ 3,8 milhões e a atitude política deve acompanhar as implantações das unidades de pacificação. "O Estado tem que pagar sua dívida social com a população", observou. MEI - O vice-governador e vice-presidente da ACSP Guilherme Afif Domingos disse que o essencial na retomada dos territórios é a transformação do informal para o formal. Afif lembrou que a formalização de comerciantes e de prestadores de serviços pode ser feita por meio do programa Microempreendedor Individual (MEI). "É fundamental também que seja feita uma regulamentação fundiária para que as favelas se tornem bairros e que sejam estabelecidas todas as regras comuns na so-

ciedade", afirmou Afif. O vice-governador também lembrou que é necessária a reestruturação da divisão das receitas entre estados, municípios, porque a União fica com 60% de toda a arrecadação de impostos no País. "Pior que a diferença na distribui-

ção é que a divisão é feita somente sobre os impostos recolhidos e não também pelas contribuições. Nos anos 80, os impostos representavam 88% do recolhimento e as contribuições, 12%. Hoje os impostos representam 52% e as contribuições, 48%", ressaltou.

Afif: "É fundamental que seja feita uma regulamentação fundiária para que as favelas se tornem bairros".

Declaração de Propósito Tarcísio José Massote de Godoy, brasileiro, casado, securitário, RG 554.548/SSP-DF, CPF 316.688.601/04, com domicílio na Avenida Paulista, 1.415, parte, Bela Vista, São Paulo, SP, D E C L A R A sua intenção de exercer cargo de Direção na Alvorada Vida S.A., CNPJ no 02.305.455/0001-40 e Atlântica Companhia de Seguros, CNPJ no 33.151.291/0001-78, e que preenche as condições estabelecidas nos Artigos 3o e 4o da Resolução no 136, de 7 de novembro de 2005. E S C L A R E C E que, nos termos da regulamentação em vigor, eventuais impugnações à presente declaração devem ser comunicadas diretamente à Superintendência de Seguros Privados - SUSEP, no endereço abaixo, no prazo máximo de quinze dias, contados da data desta publicação, por meio de documento em que os autores estejam devidamente identificados, acompanhado da documentação comprobatória, observado que o declarante poderá, na forma da legislação em vigor, ter direito a vistas do respectivo processo. Superintendência de Seguros Privados SUSEP - Departamento de Controle Econômico - DECON - Rua Buenos Aires, 256, Centro, Rio de Janeiro, RJ. São Paulo, SP, 9 de abril de 2012. a) Tarcísio José Massote de Godoy.

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÕES Encontram-se abertos no Gabinete, os seguintes pregões: PREGÃO ELETRÔNICO 044/2012-SMS.G, processo 2012-0.027.837-9, destinado ao registro de preço para o fornecimento de PRESERVATIVO MASCULINO SEM LUBRIFICANTE, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras - GTC/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 09h30min do dia 20 de abril de 2012, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 4ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO PRESENCIAL 094/2012-SMS.G, processo 2011-0.247.794-6, destinado ao registro de preço para aquisição de FILME PARA RX, para a Divisão Técnica de Suprimentos - SMS.3/Grupo Técnico de Compras - GTC/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço. A sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 14 horas do dia 24 de abril de 2012, a cargo da 3ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAIS Os editais dos pregões acima poderão ser consultados e/ou obtidos nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br; www.comprasnet.gov.br, quando pregão eletrônico; ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas interessadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Os documentos referentes ao credenciamento, os envelopes contendo as propostas comerciais e os documentos de habilitação das empresas interessadas, deverão ser entregues diretamente ao pregoeiro, no momento da abertura da sessão pública de pregão.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

terça-feira, 10 de abril de 2012

AFP

FANTASMAS ASSOMBRAM O EGITO O ex-chefe de inteligência e vice do ex-ditador Hosni Mubarak, Omar Suleiman, defendeu sua candidatura à Presidência do Egito. Ele disse que, se eleito em maio, não tentará reinventar o regime. A Irmandade Muçulmana considerou a iniciativa um insulto à revolução egípcia.

nternacional

PRESOS NA AREIA MOVEDIÇA

O

Turquia e Líbano se tornam as novas vítimas dos conflitos na Síria. À beira do colapso, prazo para cessar violência começa hoje.

sangrento conflito na Síria atravessou a fronteira com dois países ontem, matando um cinegrafista no Líbano e duas pessoas na Turquia, informaram autoridades locais. Além disso, outras 150 pessoas morreram ontem na Síria, aumentando o ceticismo em relação ao cessar-fogo que, de acordo com o plano da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Liga Árabe, deve começar a ser implementado hoje. Desde que sinalizou positivamente ao plano do enviado especial, Kofi Annan, há nove dias, o regime sírio intensificou a ofensiva. Centenas morreram nos últimos dias, a maioria civis e combatentes rebeldes, além de soldados sírios. Em uma ação de última hora, o líder sírio, Bashar al-Assad exigiu garantias por escrito dos combatentes da oposição de que eles baixariam as armas – um pedido imediatamente rejeitado por eles. Forças do governo também não deram nenhum sinal de que estariam iniciando a retirada ontem. Para o brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro, chefe da comissão da ONU criada para investigar os abusos cometidos na Síria, a nova exigência do regime torna a missão de Annan "impossível". "Na véspera do prazo o goO prazo verno da Síria , de 10 de em vez de preparar a retiraabril da, aumentou tornou-se a ofensiva milinulo. tar", disse. NACI KORU, Sob o acordo VICEde Annan, a SíCHANCELER DA ria deveria começar a retirar TURQUIA. as tropas dos centros urbanos hoje, abrindo caminho para o início de uma trégua após 48 horas. "(O prazo de) 10 de abril tornou-se nulo", declarou o viceministro das Relações Exteriores da Turquia, Naci Koru. Ontem, o Ministério das Relações Exteriores da Turquia fez um protesto formal à Síria, após incidentes em que tropas sírias dispararam tiros na fronteira entre os dois países. Segundo a Turquia, duas pessoas morreram depois que foram atingidas por tiros disparados pelo Exército da Síria quando tentavam se juntar aos mais de 24 mil sírios que buscaram refúgio da repressão em território turco. Outras 23 pessoas ficaram feridas, incluindo quatro atingidas por tiros em um campo de refugiados. O enviado Annan fará hoje uma visita a campos de refugiados sírios na Turquia, antes de seguir para o Irã, principal aliado do regime sírio. No Líbano, o cinegrafista Ali Shaaban, da emissora de TV Al Jadeed, filmava na área de Wadi Khaled, no norte libanês, quando foi baleado no peito, segundo oficiais de segurança. Os disparos vieram do vilarejo vizinho de Armouta, na Síria. Shaaban morreu no caminho para o hospital, disseram os oficiais. Shaaban é pelo menos o nono jornalista morto na cobertura do conflito civil sírio. O Comitê de Proteção aos Jornalistas, entidade com sede nos EUA, disse que atualmente a Síria é o lugar mais perigoso para jornalistas no mundo. Já na Síria, ataques das forças do regime causaram a morte de 150 pessoas, a maioria nas províncias de Homs e Hama, no centro do país, e Aleppo, no norte. (Agências)

YouTube/AFP

Imagem de vídeo mostra garoto caminhando ao lado de um tanque do regime em Saqba, nos arredores de Damasco. Confrontos na Síria mataram ao menos 150 pessoas ontem.

Desta vez vai ser diferente? Irã e potências mundiais voltam à mesa de negociações Divulgação/AFP - 08/04/12

O

Anwar Amro/AFP - 13/02/11

Ali Shaaban é o nono jornalista morto na cobertura do conflito sírio

A

la atrás y peda z o k r a no S ndo tur no segu

O governo de Ahmadinejad garante que programa nuclear é pacífico sas médicas, mas que continuará a enriquecer urânio a 3,5% – o que é necessário para produzir combustível nuclear que pode ser usado nas usinas para gerar eletricidade. Abbasi afirmou que o Irã continuaria a manter o urânio enriquecido a 20% que já possui – e isso contraria uma demanda das seis potências, que querem que o país entregue esse urânio. Para carregar uma arma atômica, é preciso enriquecer urânio a 90%. Transparência - Ontem, o Irã pediu "honestidade" nas conversas de sábado sobre o programa nuclear de Teerã. A

aparente referência à "honestidade" se dirigiu tanto às seis potências quanto à Turquia, país com o qual as relações do Irã se deterioraram bastante nas últimas semanas por causa do conflito civil na Síria. Na semana passada, o governo do Irã disse que o apoio da Turquia aos insurgentes sírios excluía Istambul como local de negociação. Isso levou o primeiro-ministro turco, Recep Tayyip Erdogan, a dizer que "é necessário agir honestamente". Erdogan havia visitado Teerã apenas alguns dias antes. O Irã é aliado do presidente sírio, Bashar al-Assad. (Agências)

Fôlego na reta final

ters

ier/Reu

ul Peliss

Jean-Pa

Irã confirmou ontem que abrirá negociações a respeito do seu programa nuclear com seis potências mundiais em Istambul a partir do dia 14 e sinalizou que poderá suspender o enriquecimento de urânio a 20%, uma das demandas dos países, mas não deseja abandonar a capacidade de produzir combustível nuclear. O Irã quer continuar a enriquecer urânio a 3,5%, o que seria suficiente para gerar combustível para usinas nucleares que produzem energia elétrica. Os Estados Unidos e seus aliados suspeitam que o programa nuclear do Irã está escondendo tentativas de desenvolver a capacidade de fabricação de armas atômicas e Washington não descartou uma ação militar contra Teerã caso a diplomacia falhe. O governo de Mahmoud Ahmadinejad diz que o programa é para geração de energia e necessidades médicas. O cientista-chefe do programa nuclear iraniano, Fereidoun Abbasi, disse que o Irã poderá suspender o enriquecimento de urânio a 20%, necessário para uso em um reator de pesqui-

campanha eleitoral na França começou oficialmente ontem com a distribuição dos cartazes dos dez candidatos à Presidência que concorrem em dois turnos, no dia 22 de abril e no dia 6 de maio, com o atual mandatário, Nicolas Sarkozy, com ligeira vantagem. Para o primeiro turno, o presidente e candidato conservador à reeleição parte com leve vantagem sobre seu rival socialista, François Hollande, mas a maioria das pesquisas aponta este último como vencedor no segundo e decisivo turno de 6 de maio. Embora a parte oficial da campa-

nha para designar o próximo morador do Palácio do Eliseu, sede da chefia do Estado, ter começado ontem, os franceses já escutam há semanas as propostas dos candidatos. Os últimos dias foram marcados pelo recurso à situação econômica especialmente na Espanha e Grécia, um argumento eleitoral que Sarkozy utilizou para advertir, por comparação, o que pode acontecer à França se os socialistas forem eleitos. Sarkozy vinculou a atual situação econômica na Espanha com a gestão de governos socialistas no país, enquanto Hollande acusou o presiden-

te e candidato de falta de respeito por utilizar essa referência como instrumento para captar votos. No próximo fim de semana, o último antes do primeiro turno, Sarkozy e Hollande pretendem fazer em Paris uma exibição de força com comícios para tentar convencer os indecisos. Ontem a imprensa francesa destacou que tanto Sarkozy como Hollande enfrentam o desafio de convencer o elevado número de franceses que ainda não decidiram em quem votar, após a divulgação da notícia que a abstenção no pleito poderia alcançar números recordes. (EFE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012

9

cNo Complexo Prates, um retorno à vida. Chico Ferreira/Luz

REFERÊNCIA Recém-inaugurado, o Complexo Prates, no bairro do Bom Retiro, já se transformou em um ponto de referência para quem quer sair da rua e receber tratamento contra a dependência química.

idades

Espaço municipal para atendimento de saúde e recuperação de dependentes químicos e moradores de rua já é uma referência para esses necessitados na cidade Fotos de Chico Ferreira/Luz

Mariana Missiaggia

I

naugurado há pouco mais de dez dias, o Complexo Prates, no Bom Retiro, já se tornou a casa de muitos exmoradores de rua. O espaço oferece atendimento de saúde pública e assistência social no tratamento e recuperação de dependentes químicos. Os 65 homens que ali vivem têm o livre direito de ir e vir, desde que retornem até as 20h. “É muito bom ter a sensação de que alguém se preocupa com você, com sua saúde e com a sua higiene. Saber que este lugar foi construído para pessoas como eu, que há tanto tempo buscam uma moradia decente”, diz o ex-morador de rua e dependente químico Francisco Rafael Gonsalez da Silva Pereira, 29 anos. Para ele, a vida na rua começou aos sete anos, quando se envolveu pela primeira vez com o crack e meses depois fugiu de casa, no Campo Limpo. “Não tive apoio em casa. Via que meus amigos roubavam os pais para sustentar essa vida, mas eu nunca fiz isso”, disse Gonsalez, que se prostituía para comprar bebida e droga. Para ele, o Complexo Prates veio na hora certa. Antes, ele morava no Albergue Arsenal da Esperança, no Brás, onde era vítima de homofobia. “Aqui não tem nada disso. Sou muito bem tratado e gosto muito dos monitores e educadores. Eles nos respeitam, nos escutam e nos orientam. Tenho comida boa, cama e banho. E ainda o direito de ir e vir”, disse. Além de se consultar com psicólogo e psiquiatra, Gonsalez passa o dia fazendo bijuterias com materiais doados. Conversa com amigos pela internet e afirma estar internado por vontade própria. Há três meses sem ál-

Costa de Oliveira (esq.): "Não coloco nem meu nariz para fora porque não quero mais saber do vício. Passo o dia conversando e fortalecendo essa família que criamos para que ninguém desista”. Acima, Gonsalez da Silva Pereira: “É bom ter a sensação de que alguém se preocupa com você, com sua saúde e com a sua higiene, saber que este lugar foi construído para pessoas como eu, que buscam uma moradia decente.”

No Prates há liberdade de ir e vir, mas todos devem retornar até as 20h cool e drogas, Gonsalez crê que está no caminho certo para se curar e voltar a exercer a profissão de cabeleireiro. Com o mesmo empenho de Gonsalez, Ednilton Costa de Oliveira, 30 anos, deseja se reabilitar para ajudar outros dependentes químicos a deixarem o vício. Na verdade, é mais sonho que desejo, como ele mesmo define. “Esse sonho é tão grande que já tentei voltar às ruas para ajudar. Mas quando vejo

alguém bebendo ou fumando, não resisto e acabo me entregando. Por isso, decidi que, enquanto eu não me reabilitar, não poderei ajudar ninguém”. Diferentemente de Gonsalez, Oliveira teve uma infância tranquila em Batatais (SP), onde estudou e quase concluiu a faculdade de Educação Física. “Nessa época comecei a trabalhar como artesão e quando recebi meu primeiro salário (R$ 300), aos 22 anos, decidi vir a

São Paulo. Não era para ser definitivo, mas era tanta festa, tanta bebida, que acabei ficando e nunca mais voltei”, disse. Desde então, Oliveira não teve mais contato ou notícias de sua família e trocou os estudos e o trabalho por uma vida mergulhada em drogas, bebidas e prostituição, até ser encaminhado por uma agente de saúde para o Complexo Prates. “Não coloco nem meu nariz para fora porque não quero mais saber do vício. Passo o dia conversando com meus companheiros e fortalecendo essa família que criamos para que ninguém desista”, disse. Ele passa a tarde escrevendo, desenhando, desenvolvendo peças artesanais e pensando em melhorias para o Complexo. Pensa e anota tudo em seu caderno para depois enviar emails com sugestões para a Secretaria Municipal de Assistência Social. No Complexo Prates, os horários de café da manhã, almoço, jantar, banho, reuniões e recolhimentos são préestabelecidos e respeitados.

Feira da Saúde, uma tradição

H

oje, mais uma vez, o Pátio do Colégio vai abrigar a Feira da Saúde, promovida pela Associação Comercial de São Paulo. Trata-se da sua 12ª edição, na qual 350 voluntários, distribuídos em mais de 45 barracas, oferecerão atendimento médico, jurídico e estético gratuito aos paulistanos. É natural que n e s s e s e r v i ç o s o b r e ssaiam-se os procedimentos preventivos de proteção à saúde. Nesse tópico, as pessoas poderão fazer exames variados como o de glicemia; de hepatite; eletrocardiograma para detectar possíveis problemas coronários; teste de capacidade pulmonar e de prevenção aos acidentes cardiovasculares (AVC). Especialistas em nutrição orientarão os interessados em

adotar um sistema mais saudável de alimentação. A respeito da Feira declarou Rogério Amato, presidente da Associação Comercial de São Paulo: “A Associação Comercial tem o prazer de oferecer ao cidadão a oportunidade de cuidar da saúde e realizar exames preventivos importantes. Junto com nossos parceiros, temos a certeza de que neste ano prestaremos novamente um grande serviço à nossa população”. A propósito, a Prefeitura, a Universidade Cruzeiro do Sul, o Instituto Embelleze, Sabesp, Santa Casa e Instituto Cema são os parceiros referidos da iniciativa. A julgar pelos anos anteriores, cerca de 30 mil pessoas deverão visitar a 12ª Feira da Saúde, que funcionará das 8h30 às 17h. (Da Redação)

Teresópolis: sirenes mudas durante tragédia. Fotos de Fabio Motta/AE

A

chuva que matou cinco pessoas e deixou quase mil desalojados em Teresópolis, no interior do Rio, colocou em teste o sistema de sirenes montado desde a tragédia do ano passado – e expôs suas falhas. Das 20 sirenes espalhadas nas 12 comunidades em áreas de risco, seis não precisaram ser acionadas, mas quatro falharam: mesmo depois de ligadas, não tocaram, o que dificultou a retirada de moradores de áreas de risco. O prefeito de Teresópolis, Arlei Rosa, reconheceu que houve dificuldade no acionamento de parte do sistema sonoro instalado no município. "O coronel Roberto Silva (secretário de Defesa Civil e Meio Ambiente da cidade) está preparando um relatório para me passar, e a minha cobrança com ele é essa, o porquê que elas não foram acionadas", disse Rosa. Silva atribuiu o problema a uma falha de conexão do sistema 3G, o que impossibilitou o monitoramento remoto do índice pluviométrico nas regiões afetadas da cidade, na região serrana fluminense, e o consequente acionamento dos alarmes. "Nenhum de nós quer que isso ocorra, mas a gente sabe que qualquer equipamento eletrônico pode falhar", justificou o secretário. Silva informou ainda que o sistema será substituído por fibra ótica. A força da chuva também impediu que o acionamento

Estado de ator enforcado continua grave

C

Funcionários da prefeitura fazem rescaldo das chuvas em Teresópolis manual dos alarmes fosse realizado por moradores das próprias áreas afetadas, que são voluntários dos Núcleos Comunitários de Defesa Civil (Nudocs) com capacitação para atuar em situações de emergência. Em outras regiões, mesmo todo o esforço dos moradores não foi suficiente para ativar o sistema. "Meu filho estava com um colega e andou pelas ruas com água no peito para conseguir abrir a caixa e soar o alarme, mas a chave que a Guarda Civil tinha dado pra ele não funcionou", disse a funcionária pública Mônica Rocha, moradora do bairro Quinta Lebrão. Das 20 sirenes instaladas em 12 comunidades, a Defesa

Civil do município confirmou que não funcionaram aquelas localizadas nos bairros de Pimentel, Perpétuo e Fonte Santa. Essa comunidade foi cenário de um protesto feito por moradores na tarde de domingo. Revoltados com o não acionamento dos alarmes, eles chegaram a fechar a RioBahia por alguns minutos. Moradora do Fonte Santa há mais de 30 anos, Yolanda Rodrigues disse que o alarme soou somente durante o protesto de domingo, após um homem não identificado instalar uma peça em uma das sirenes ali localizadas. "Minha família mora no Rosário, lá tocou a sirene e todo mundo saiu das casas correndo. Se essa sirene tocasse, cla-

Sirenes para alertar moradores não funcionaram em alguns locais ro que eu não ia ficar aqui", afirmou. A família da dona de casa Márcia Florêncio dos Santos teve que sair de casa pelo telhado para se salvar da enchente. A água avançou quase dois metros de altura. "Meu marido teve que mergulhar no lamaçal para pegar a escada que tinha caído e subir com meus dois filhos pequenos, de oito e de um ano", afirmou. Mortos – O número de desabrigados por conta das fortes

chuvas que atingiram Teresópolis caiu para 179. A chuva atingiu a cidade na noite de sexta-feira Santa. De acordo com boletim da Defesa Civil, ao todo cinco pessoas morreram e 24 ficaram feridas por conta dos deslizamentos que ocorreram na cidade. Os mortos na tragédia são Joice Rosa, 16, Jaílson Cunha, 26, Keila Pires, 26, Maria Helena, 56, e Rosângela Moraes, 42. (Agências)

ontinua grave o estado de saúde do ator Tiago Klimeck, de 27 anos, que se enforcou acidentalmente na última sextafeira Santa, dia 6, durante a encenação da peça teatral Paixão de Cristo, em Itararé, no interior de São Paulo. As informações constam do boletim médico da Santa Casa de Misericórdia de Itapeva, onde ele está internado. Tiago está sem sedação há mais de 24 horas e permanece em coma estável, na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Itapeva, de acordo com o boletim. Ele sofreu asfixia mecânica acidental, o que causou hipóxia cerebral grave e prolongada (falta de oxigênio no cérebro). O hospital informou que ele passaria por uma nova bateria de exames ontem. O ator estava num cenário que imitava uma pedra e ficou minutos desacordado. Os outros atores acionaram o socorro assim que perceberam o acidente. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10 -.LOGO

terça-feira, 10 de abril de 2012

www.dcomercio.com.br

P LANETA

O ovo ou a galinha? Galinha feita de cascas de ovos pelo artista britânico Kyle Bean. Outras obras no site. www.kylebean.co.uk

I NTERNET I NDÚSTRIA

Wikipedia sem Google A Terra vista do alto O site Design You Trust reuniu uma seleção de imagens da Terra registradas por satélites da Nasa em que algumas regiões do planeta parecem pinturas. Na foto do alto, o rio Paraná, na fronteira entre São Paulo e Mato

Grosso. Na imagem acima, uma combinação de fotografias mostra os movimentos das correntes marítimas dos oceanos Atlântico (direita) e Pacífico entre 2005 e 2007. http://bit.ly/I83AxD

P ETS

Bebedouro canino

A

Wikipedia abandonou o sistema de mapas e geolocalização do Google Maps no último fim de semana e o substituiu pelo OpenStreet Map, serviço de código aberto desenvolvido por voluntários. Diferentemente do Google Maps, o OpenStreet Map é um mapa de código aberto, que permite visualizar, editar e usar dados geográficos de maneira colaborativa. Segundo o blog da Wikipedia, a medida se deve à própria filosofia colaborativa da enciclopédia. Mas a decisão também está relacionada ao fato de o Google ter decidido cobrar de sites que usam mais de 25 mil vezes por mês seus mapas. Em março, o Google Maps, que era disponibilizado gratuitamente para o público

corporativo, instituiu uma tabela de preços para os grandes usuários da API. O resultado é a fuga dos clientes para alternativas mais econômicas, como o MapBox e o OpenStreet Map. Dessa forma, a Wikipédia não precisa mais usar as APIs proprietárias do Google em seu código, o que ajuda a executá-lo em milhões de dispositivos Android que não puramente de código aberto e que não têm as propriedades dos aplicativos do Google. Recentemente, Microsoft e Foursquare passaram a oferecer suporte para o OpenStreetMap. Usuários do

Android podem contar com o aplicativo Android Wikipedia, que tem atualizações frequentes e foi lançado em janeiro de 2012. Na semana passada foi lançada uma versão do aplicativo Wikipedia para iOS. A partir de agora, ambos os aplicativos devem contar com atualizações quinzenais.

Região da rua Augusta pelo Google Maps

Patentes em inglês, automaticamente Uma parceria entre o Google e o Escritório Europeu de Patentes (EPO) vai permitir tradução automática, em linguagem específica, dos pedidos de patentes estrangeiras no Brasil e de brasileiras no exterior. O EPO vai assinar amanhã um acordo bilateral com o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi), órgão do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), para troca de documentos de patentes em português e em inglês para o serviço disponível no seu site. Isso dará maior transparência e informação mais completa sobre o conteúdo de patentes para os depositantes brasileiros e estrangeiros.

Sukree Sukplang/Reuters

Doggie Fountain é a garantia de água sempre fresca para seu cão. Requer treino. http://bit.ly/eKsMh3

H ISTÓRIA

Documentos do Titanic online bordo. Além disso, o último testamento do capitão do Titanic, Edward J. Smith, e dos empresários americanos Benjamin Guggenheim e John Jacob Astor, que perderam a vida no acidente, poderão ser contemplados online. O portal publicou imagens das lápides de 121 vítimas, assim como a lista de passageiros do Carpathia, o navio que resgatou mais de 700 pessoas que viajavam no Titanic. Segundo o site, o acesso gratuito aos documentos permitirá "a milhares de pessoas descobrirem a história de seus familiares". (Efe)

L

Mais de 200 mil documentos relacionados com o Titanic foram publicados em um site britânico para marcar o centenário do naufrágio do navio que aconteceu em abril de 1912. Com dados sobre os sobreviventes da tragédia e informações sobre os 1,5 mil mortos, os documentos reunidos pelo site Ancestry, podem ser vistos pela internet de forma gratuita até 31 de maio. Entre estes está a lista oficial de passageiros do transatlântico, com nomes, idades e ocupações das pessoas que estavam a

ADEUS À PRINCESA - Milhares de tailandeses acompanharam ontem o funeral da princesa Bejaratana, filha única do rei Rama VI e prima do atual rei, Bhumibol Adulyadej. A princesa morreu em julho de 2011, aos 85 anos, de septicemia e foi cremada ontem em Bangcoc.

R ECICLAGEM C A R T A Z

INTERATIVO

E M

Pequeno Príncipe é tema de exposição interativa no Iguatemi Alphaville. Alameda Rio Negro, 111, Barueri. Grátis.

Disquete arte O artista britânico Nick Gentry transforma disquetes antigos e, com a tecnologia atual, totalmente obsoletos, em telas para seus retratos. A montagem dos retratos combina técnicas de pintura e mosaico e, muitas vezes, ele aproveita as próprias cores e inscrições da matéria-prima para compor as imagens. No site abaixo, além de ver outras criações de Gentry é possível acompanhar seu processo criativo em um vídeo. http://bit.ly/IcQMZO

L OTERIAS Concurso 737 da LOTOFÁCIL 02

03

04

05

06

07

08

10

12

14

16

17

18

22

25

Concurso 2868 da QUINA 23

25

27

40

74


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012

e

11 CESTA BÁSICA Em março, São Paulo teve a cesta de maior valor: R$ 273,25.

conomia

JAPÃO A conta corrente do país voltou a ter superávit em fevereiro

Brendan Smialowski/AFP Photo

Dilma cobra dos EUA fim de invasão monetária

Saia justa: Dilma Rousseff enfatizou, na conversa no Salão Oval, da Casa Branca, que o 'tsunami monetário' é nocivo para vários países.

Em encontro com Barack Obama, em Washington, presidente brasileira afirma que política expansionista de países ricos compromete o crescimento de nações emergentes, como o Brasil.

N

a conversa de uma hora e meia com o presidente dos Estados Unidos, Ba rack Obama, na Casa Branca, a presidente Dilma Rousseff cobrou ontem mais responsabilidade do colega no enfrentamento da crise econômica mundial e isentou a China de todas as consequências nefastas pela desvalorização artificial de sua moeda. "Precisamos ter clareza de que a responsabilidade de todos nós, nesse processo de contenção da crise, de retomada do crescimento, é compartilhada. Ninguém pode falar: 'Não, eu não tenho responsabilidade, não tenho nada com isso.'", disse Dilma. Descontraída, ela chegou a usar uma expressão mineira (Joãozinho do passo certo) para dizer que ninguém é dono da verdade e afirmou que o Brasil não tem apenas divergências com os Estados Unidos. "Não podemos acreditar – principalmente nós, as duas maiores democracias do continente –, que todo mundo é

Joãozinho do passo certo. Nós não somos Joãozinho do passo certo, nem do passo errado." Apesar da ressalva, a presidente disse a Obama que o receituário de ajuste fiscal para economias em situação de crise, e também para as superavitárias, não faz sentido. Foi nesse momento que ela cobrou mais investimentos. "Apostar só em políticas monetárias expansionistas leva a um verdadeiro 'tsunami monetário'", insistiu Dilma, repetindo a expressão usada no encontro que teve com a chanceler da Alemanha, Ângela Merkel, no mês passado. Diante de Obama, Dilma bateu na tecla de que a resposta à instabilidade provocada pela manipulação cambial exige ação conjunta e imediata. "Manifestamos para o presidente a preocupação do Brasil com a expansão monetária sem que os países com superávits equilibrem essa expansão com políticas fiscais baseadas na expansão dos investimentos", disse Dilma em declarações a jornalistas após

Não podemos acreditar que todo mundo é Joãozinho do passo certo. Não somos Joãozinho do passo certo, nem do passo errado. DILMA ROUSSEFF, PRESIDENTE

o encontro com Obama. "Essas políticas monetárias, solitárias no que se refere a políticas fiscais, levam à desvalorização das moedas em países desenvolvidos, levando ao comprometimento do crescimento dos países emergentes", afirmou Dilma. O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, recusou-se a comentar a resposta de Obama às preocupações de Dilma. Ainda no encontro, ao falar em desvalorização de moedas e competição artificial, ela exi-

miu a China do processo. A China é parceira do Brasil no Brics, grupo formado também por Rússia, Índia e África do Sul. "Os Estados Unidos são um país diferente do resto do mundo. Ele emite moeda", insistiu Dilma, ao dizer que a contribuição da China é diferente porque o país asiático atrelou sua moeda ao dólar. Spread – A presidente criticou ainda o spread bancário praticado por instituições privadas brasileiras e disse não ver explicação para a cobrança de taxas de juros tão elevadas. "Não há isso no mundo", afirmou. "Até porque, se tem alguém com nível de inadimplência elevado são os países desenvolvidos e eles praticam juros de 1%, 2%, 3%." Ao ser questionada, em Washington, se gostaria de ampliar iniciativas como as do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal, que começaram a cobrar juros menores, Dilma disse que o Brasil passará por uma fase de "reordenamento". (Agências)

Cachaça ganha reconhecimento

O

Alambique brasileiro: bebida não será mais classificada como rum. Troca de cartas entre autoridades selou ontem o reconhecimento da genuína aguardente feita a partir da cana.

Marcos Peron/Virtual Photo

s produtores brasileiros deram mais um passo importante para a abertura de novos mercados no exterior para a cachaça, denominação exclusiva e genuína da aguardente de cana produzida no Brasil que será reconhecida pelos Estados Unidos. O processo de reconhecimento da bebida ocorreu ontem, em Washington, com a troca de cartas assinadas pelo ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, e o representante de Comércio dos Estados Unidos, Ron Kirk. Pelo acordo, o Brasil vai reconhecer como legitimamente americanos os uísques do tipo Bourbon (feito à base de milho) e Tennessee (produzido no estado norte-americano do Tennessee). Em contraparti-

da, o reconhecimento vai permitir às empresas brasileiras venderem a aguardente de cana nos Estados Unidos apenas com o nome de cachaça. Pelas regras norte-americanas, que levam em conta a matéria-prima, o rótulo das gar-

rafas da bebida brasileira, desde 2000, devem conter a expressão "Brazilian Rum" (rum brasileiro), sem permitir a diferenciação com rum, que também é fabricado a partir da cana. Divulgação – O presidente da

Associação Mineira dos Produtores de Cachaça de Qualidade (Ampaq), Alexandre Wagner da Silva, disse que o reconhecimento dos Estados Unidos abre a possibilidade de divulgação do produto brasileiro em um mercado que tem alto potencial. Ele observa que na Alemanha a cachaça é um produto com identidade própria, enquanto nos Estados Unidos é confundida com o rum. Dados do Ministério do Desenvolvimento mostram que a Alemanha é o principal destino das exportações brasileiras de cachaça. (AE)

Embraer e Boeing firmam acordo Lucas Lacaz Ruiz/Folhapress

A

Boeing e a Embraer assinaram ontem um acordo de cooperação em diversas áreas de negócios, incluindo a aviação comercial, com o objetivo de elevar a eficiência operacional, segurança e produtividade, de acordo com comunicado divulgado pelas empresas. As áreas de cooperação incluem funcionalidades para aeronaves comerciais que aumentem a segurança e a eficiência, pesquisa e tecnologia, e englobam também pesquisas em biocombustíveis sustentáveis para aviação. "As duas empresas também buscarão outras áreas de cooperação visando benefícios mútuos e valor para seus clientes", informaram as em-

Linha de produção da empresa brasileira em São José dos Campos presas em comunicado. "O acordo estabelece um relacionamento importante entre duas das maiores empresas aeroespaciais do mundo para cooperação em temas re-

lacionados à melhoria da eficiência operacional, segurança e produtividade de aeronaves e satisfação dos clientes, gerando valor para as duas empresas e seus clientes".

O acordo foi anunciado pelo presidente da Embraer, Frederico Curado, e pelo presidente da Boeing, Jim Albaugh, que também comanda a área de aviões comerciais da empresa norte-americana, durante visita da presidente brasileira Dilma Rousseff aos Estados Unidos. O anúncio foi feito no mesmo dia em que foi assinado um Memorando de Entendimento para Parceria em Aviação entre os governos brasileiro e norte-americano, para "aprofundar a cooperação entre os dois países na aviação civil, por meio do estreitamento da comunicação entre agências governamentais e aumento da cooperação e iniciativas do setor privado". (Reuters)

OMC deve tratar do câmbio, diz professora. Sílvia Pimentel

O

maior problema dos países que hoje enfrentam a enxurrada de produtos asiáticos, como o Brasil, é o desalinhamento cambial por um longo tempo. A China, por exemplo, está há anos com a sua moeda desvalorizada em 20%. O Brasil, ao contrário, tem a moeda valorizada em 30%. O resultado é o brutal incentivo às exportações chinesas. A análise é da Coordenadora do Centro do Comércio Global e Investimento da Fundação Getúlio Vargas (FGV), a professora Vera Helena Thorstensen, que participou, ontem, de encontro do Conselho de Altos Estudos de Finanças e Tributação (Caeft), da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). "Ou a Organização Mundial do Comércio (OMC) toma cuidado com o câmbio ou o câmbio estoura a OMC", resumiu ela. De acordo com a professora, o principal desafio hoje é saber trabalhar com a "senhora China", que usa as regras da casa para se beneficiar, mas não as cumpre. "A questão cambial não é tratada na OMC, apesar de ser o

assunto mais atual. Os Estados Unidos teriam força para mudar isso, mas não o fazem por falta de coragem política", criticou. Ela afirmou que a OMC se transformou em uma ficção diplomática. Para reverter a situação, na sua opinião, o ideal seria definir a partir de qual nível a desvalorização violaria regras comerciais. Para a professora, o Brasil, que saiu vencedor em 15 questões que chegaram à OMC, precisa explorar a ambiguidade da organização. Vera Helena propôs, por exemplo, o uso das "zonas cinzentas" para não violar as regras. A palavra ou conceito de conteúdo local, por exemplo, deve ser evitado pelo governo brasileiro porque fere um dos mandamentos da OMC, que é não discriminar o produto importado. Para proteger a indústria automobilística, o governo aumentou o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos carros asiáticos, um tema que deverá ser decidido nos tribunais da OMC. "O Brasil deixou de ser pedra para ser telhado", disse.

S.A. CNPJ 97.837.181/0001-47

Companhia Aberta NIRE 35300154410 Edital de Convocação ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA Os Senhores Acionistas da DURATEX S.A. são convidados a se reunirem em Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária, que será realizada em 25.04.2012, às 11:00 horas, no auditório da sede social, na Avenida Paulista, 1938 - 5º andar, em São Paulo (SP), a fim de: EM PAUTA ORDINÁRIA: 1. tomar conhecimento dos Relatórios da Administração, do Comitê de Auditoria e de Gerenciamento de Riscos e dos Auditores Independentes e examinar, discutir e deliberar sobre as Demonstrações Financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31.12.2011; 2. deliberar sobre a destinação do lucro líquido do exercício; 3. fixar o número de membros titulares e suplentes e eleger os membros do Conselho de Administração para o próximo mandato anual; nos termos das Instruções CVM 165/91 e 282/98, os interessados em requerer a adoção do voto múltiplo nessa eleição deverão representar, no mínimo, 5% do capital social; e 4.deliberar sobre a verba destinada à remuneração dos integrantes do Conselho de Administração e da Diretoria. EM PAUTA EXTRAORDINÁRIA: Examinar proposta do Conselho de Administração e deliberar sobre: I - Estatuto Social - Alteração dos seguintes dispositivos estatutários: (a) no item 5.3, para dispor que as opções de ações da Companhia também podem ser outorgadas a administradores e funcionários de sociedades ou entidades ligadas à Companhia; (b) no item 19 (ix), para excetuar de autorização do Conselho de Administração a prestação de fiança, aval ou outra garantia quando a beneficiária for sociedade controlada unicamente pela Companhia, direta ou indiretamente; e, (c) no item 24 (viii), para dispor que o Diretor Presidente, em conjunto com outro Diretor e independentemente de autorização do Conselho de Administração, poderá aprovar a prestação dessas garantias quando a beneficiária for sociedade controlada unicamente pela Companhia, direta ou indiretamente; II - Plano para Outorga de Opções de Ações - Alteração do Plano para Outorga de Opções de Ações para: (a) atualizar a denominação do Comitê de Pessoas para Comitê de Pessoas, Governança e Nomeação; (b) dispor que as opções também poderão ser outorgadas a administradores e funcionários de sociedades ou entidades ligadas à Companhia; e, (c) incluir dispositivo sobre a utilização do saldo de opções não outorgadas num determinado exercício. Informações Gerais: Os documentos a serem analisados na Assembleia encontram-se à disposição dos Acionistas no website de relações com investidores da Companhia (www.duratex.com.br/ri), bem como no website da CVM (www.cvm.gov.br) e da BM&FBOVESPA (www.bmfbovespa.com.br). Para exercer seus direitos, os Acionistas deverão comparecer à Assembleia portando documento de identidade e comprovante de depósito das ações emitido pela instituição depositária, contendo a respectiva participação acionária. Os Acionistas podem ser representados na Assembleia por procurador, nos termos do artigo 126 da Lei 6.404/76, desde que o procurador esteja com documento de identidade e os seguintes documentos comprovando a validade da procuração (para documentos produzidos no exterior, a respectiva tradução consularizada e juramentada): a) Pessoas Jurídicas: cópia autenticada do contrato/estatuto social da pessoa jurídica representada, comprovante de eleição dos administradores e a correspondente procuração, com firma reconhecida em cartório; b) Pessoas Físicas: a correspondente procuração, com firma reconhecida em cartório. De modo a facilitar os trabalhos na Assembleia, a Companhia sugere que os Acionistas representados por procuradores enviem, com antecedência mínima de 48 horas, cópia dos documentos acima elencados por correio ou portador para Duratex S.A. - Assuntos Paralegais, Av. Paulista nº 1938 19º andar - Bela Vista, São Paulo-SP - CEP 01310-942. São Paulo (SP), 9 de abril de 2012. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Salo Davi Seibel - Presidente (10/11/12)


12 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012

e

13 Com o corte nos juros, a Caixa espera liberar R$ 10 bilhões em empréstimos para pequenas empresas.

conomia

Caixa segue o Banco do Brasil e diminui juros Novas taxas para as linhas de crédito serão até 67% menores. Os juros do cheque especial recuaram para até 1,35% ao mês.

A

Caixa Econômica Federal anunciou ontem um corte nos juros nas linhas de crédito para pessoa física e micro e pequenas empresas. No cheque especial, por exemplo, a taxa baixou 67%, para até 1,35% ao mês. No financiamento de veículos, caiu para 0,98%. Nas linhas em que os juros ficaram menores, o banco espera liberar R$ 71 bilhões entre abril e dezembro. Quanto às taxas anualizadas relativas a cartão de crédito, a redução foi de 40% no rotativo para todos os clientes que tenham cartões Nacional, Internacional e Golden. O banco também anunciou o lançamento de um novo cartão de crédito, chamado "cartão Azul", com juros mais baixos. Para os correntistas que

recebem salário na Caixa, a taxa será de 2,85% ao mês. Para quem contratar esse cartão, que é nacional, as taxas, de acordo com a Caixa, cairão dos atuais 12,86% ao mês para 2,85% – uma redução de 87% na taxa anual. O programa de corte das taxas de juros também atende as linhas de capital de giro para empresas. A taxa passará de 2,72% ao mês para 0,94% ao mês. As medidas atingem 25 milhões de clientes do banco. Com o corte, a Caixa espera liberar R$ 10 bilhões em empréstimos para pequenas empresas. Ao todo, o banco prevê liberar no crédito R$ 300 bilhões neste ano, número 24% maior que em 2011. O presidente da Caixa, Jorge Hereda, destacou que é a

maior redução de juros do banco e que a estratégia vai fazer a Caixa ganhar mercado. "É importante ser competitivo, tanto para não perder clientes como para ganhar", disse durante entrevista com a imprensa. O executivo destacou que na época da crise financeira internacional, o banco tinha 6% do mercado, fatia que chegou a 12,6% no final de 2011. "Queremos aumentar essa participação e ter a terceira maior carteira de crédito do mercado." O Banco do Brasil cortou suas taxas na última quartafeira. Na média, a redução foi de 35%. O BB fez cortes em linhas como financiamento de veículos, cartões e para pequenas e médias empresas. A redução nos juros do Ban-

Fabio Rodrigues Pozzebomm/ABr

Hereda, da Caixa, afirmou que não houve nenhuma atitude impensada ou populista.

Venda de imóveis novos tem aumento de 17,7% A s vendas de imóveis novos residenciais (de 3.177 unidades) acumulam variação positiva de 17,7% no primeiro bimestre em relação ao mesmo período de 2011 na Capital paulista, de acordo com os dados do Sindicato da Habitação de São Paulo (Secovi -SP) divulgados ontem. O valor total de vendas chegou a R$ 1,4 bilhão, superando em 13,1% o faturamento em igual intervalo no ano passado. Considerando somente o mês de fevereiro (2.109), as vendas tiveram crescimento de 12,8% em comparação com o mesmo mês de 2011 e de 97,5% no confronto com o mês de janeiro. Já os lançamentos residenciais (1.383 unidades) apresentaram queda de 52,3% e expansão de 105,2% nessa comparação, respectivamente, de acordo com a Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp). Na opinião do presidente

do Secovi-SP, Claudio Bernardes, as informações confirmam as previsões de ajuste do mercado às novas condições, depois de período de crescimento proporcionado por um cenário econômico exuberante nos últimos anos. "Com objetividade, é de se esperar que o mercado de imóveis continue a apresentar bons resultados em 2012 e nos próximos anos. Inclusive, cada vez mais bem distribuído no atendimento a diferentes faixas de renda familiar", afirmou. (Folhapress)

É de se esperar que o mercado de imóveis continue a apresentar bons resultados em 2012. CLAUDIO BERNARDES, SECOVI-SP,

Epitácio Pessoa/AE

Os lançamentos residenciais tiveram recuo de 52,3% em fevereiro

co do Brasil e da Caixa faz parte de uma estratégia do governo para estimular o consumo interno pelo aumento do crédito. O objetivo também é fazer com que os bancos privados sigam os públicos e cortem juros, para não perderem mercado. Imobiliário – O financiamento imobiliário ficou de fora do programa de redução de juros. O presidente da Caixa argumentou que o segmento já tem margens muito pequenas. A instituição financeira espera liberar no financiamento habitacional entre R$ 90 bilhões e R$ 100 bilhões neste ano, acima dos R$ 80 bilhões do ano passado. No primeiro trimestre, foram liberados R$ 21 bilhões,

aumento de 40% em relação ao início de 2011. Descontando as linhas do segmento Minha Casa, Minha Vida, a expansão foi de 31%. Hereda destacou que o segmento, depois de crescer a taxas muito elevadas nos últimos anos, está agora se expandindo em níveis mais sustentáveis. "Teve ano que cresceu 60%, isso não é sustentável." Estratégia – Hereda minimizou a influência política na tomada da decisão de baixar os juros. "Não existe nenhuma atitude que não tenha amparo em análise de níveis de risco e inadimplência", afirmou o executivo. "É uma estratégia de negócios. Não foi nenhuma atitude impensada ou populis-

ta", disse o executivo. O presidente da instituição financeira destacou que o banco vai manter a rentabilidade e espera que o lucro em 2012 seja pelo menos igual ao do ano passado, que ficou em R$ 5,2 bilhões. Em relação à inadimplência, Hereda destacou que ela está controlada e que pode até subir com a nova estratégia, mas nada que preocupe o banco. Na frente – A Caixa, de acordo com o presidente do banco, desenvolveu modelos de risco de alto nível. "A Caixa vai pular na frente (dos concorrentes)", disse. A expectativa da instituição financeira é que a carteira de crédito registre crescimento de mais de 30% neste ano. (AE)

Empresas captam R$ 20,3 bi no mercado local

A

s companhias brasileiras captaram no mercado doméstico R$ 20,3 bilhões nos primeiros três meses de 2012, informou ontem a Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) no boletim Mercado de Capitais de abril. O montante é 21% inferior ao captado no primeiro trimestre de 2011. As ofertas de debêntures representaram 70% do total captado no primeiro trimestre, somando R$ 14,2 bilhões no período. O volume é 62% superior ao

emitido em debêntures no primeiro trimestre do ano passado. Apenas em março as ofertas de renda fixa alcançaram R$ 5,5 bilhões, sendo R$ 5 bilhões em debêntures, diz a Anbima. A associação observou aumento das ofertas feitas por meio da instrução CVM 400, de distribuição ao varejo. Segundo a Anbima, neste ano 32% dos ativos foram distribuídos por essa modalidade, enquanto 68% foram ofertados com esforços restritos, via instrução CVM 476. Em igual período de 2011, mais de 82%

dos títulos de renda fixa haviam sido emitidos por meio da instrução CVM. As notas promissórias foram o segundo instrumento, após as debêntures, mais usado pelas companhias para captar recursos no mercado de capitais. No primeiro trimestre de 2012, foram emitidos R$ 2,943 bilhões desses papéis, respondendo por 14,5% do total captado. As ofertas de ações de companhias domésticas não foram retomadas, apesar das atuais seis ofertas em análise na CVM. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

terça-feira, 10 de abril de 2012

e Ferrovias: 87,6% mais carga em 15 anos.

Temos duas fábricas no País com capacidade para construir 150 locomotivas e 12 mil vagões por ano. Rodrigo Vilaça, presidente da ANTF

conomia

Setor pedirá desonerações ao governo

Balanço do transporte no modal aponta que o número de contêineres aumentou 82 vezes no período

A

movimentação de cargas por meio das ferrovias no Brasil cresceu 87,6% entre 1997 e 2011 – durante os 15 anos das concessões do setor. O dado faz parte do balanço do transporte no modal, divulgado ontem pela Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF). Segundo o documento, o transporte de contêineres aumentou 82 vezes no período, com crescimento de 149% nos empregos do setor. Além disso, nos últimos 15 anos, o consumo de combustível nas ferrovias concedidas diminuiu em média 22%. Com isso, a produção na malha ferroviária cresceu 111,7% desde 1997, desempenho que a ANTF destacou ter sido duas vezes maior que o ritmo do Produto Interno Bruto (PIB) no mesmo período. No ano passado, o total de cargas transportadas no modal ferroviário chegou a 475 milhões de toneladas, o que representou um crescimento de 5 milhões de toneladas na comparação com 2010, segundo informou a ANTF. As cargas mais transportadas no ano passado foram o minério de ferro e o carvão mineral, que respondem por 76,61% do total. Já o agronegócio foi responsável por 11,51% da movimentação no setor, seguido por produtos siderúrgicos (3,77%) e derivados de pe-

Ed Ferreira/AE

A

ANTF: expansão no transporte de cargas pode ser maior se forem construídos novos terminais. tróleo e álcool (2,79%). O transporte de contêineres cresceu 23,7% em 2011 em relação ao ano anterior. Conforme a ANTF, a expansão pode ser maior se forem solucionadas as dificuldades do transporte intermodal, com a construção de novos terminais e melhoria de acesso ferroviário aos portos. A associação também destacou a necessidade de ajustes no atual regime tributário. Investimentos – As concessionárias de ferrovias no Brasil devem investir cerca de R$ 5,3

bilhões em 2012, superando os cerca de R$ 4,5 bilhões aplicados pelo setor durante o ano passado. Estimativas da ANTF indicam que a movimentação de carga no modal deve passar de 475,1 milhões de toneladas úteis (TU) para 522 milhões TU em 2012. Com isso, a produção poderá saltar de 290,5 bilhões de "tonelada quilômetro útil transportada" (TKU) para 320 bilhões de TKU. O balanço também projeta a expansão do emprego este ano, passando dos atuais 41.455 postos de trabalho para 44 mil. (AE)

475 milhões de toneladas de cargas foram transportadas no modal ferroviário no ano passado; 5 milhões de toneladas a mais que em 2010.

Associação Nacional dos Transportadores Ferroviários (ANTF) pedirá ao governo desonerações para a cadeia de produção de equipamentos do setor e também na folha de pagamento, afirmou ontem o presidente da entidade, Rodrigo Vilaça. "Também vamos pedir aos ministros Guido Mantega (Fa ze nd a) e Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior) formas de financiamento com taxas menores e com prazos mais longos, de 20 a 25 anos." Segundo Vilaça, se o setor obtiver esses benefícios, os planos de expansão e investimentos até 2020 poderão aumentar consideravelmente. A malha conta hoje com 3 mil locomotivas e pouco mais de 100 mil vagões. Os planos das concessionárias que integram a ANTF são de adquirir mais 2 mil locomotivas e mais 40 mil vagões até 2020. Caso consigam os benefícios, as compras podem chegar a 6 mil locomotivas e 200 mil vagões. "Temos duas fábricas no País com capacidade para construir 150 locomotivas e 12 mil vagões por ano", declarou. De acordo com o presidente da ANTF, os equipa-

mentos a serem adquiridos devem ser usados nas novas linhas que estão sendo construídas ou ainda estão em fase de planejamento. Atualmente, a malha ferroviária brasileira tem 26 mil quilômetros, com previsão de chegar a 42 mil até 2022. Esse número leva em consideração as linhas públicas e concedidas. "Você terá mais velocidade nessas linhas modernas, permitindo, inclusive, o transporte de pessoas. A ferrovia é um modal importantíssimo para o transporte em escala em um país continental como o Brasil. O setor já contribui muito hoje e pode contribuir ainda mais. Vamos chegar aonde o governo quer", disse o executivo. Novo marco – Vilaça comentou que a saída de Bernardo Figueiredo da diretoria-geral da Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) atrapalha algumas decisões importantes para o setor, como a definição do novo marco ferroviário. Na avaliação dele, porém, a nova diretoria interina nomeada pelo Ministério dos Transportes terá condições de tomar uma decisão "ágil e acertada", porque o corpo técnico e a estrutura da agência não foram afetados. (AE)

Exportação de carne suína cresce 6,93%

Karina Lignelli

N

a contramão das restrições impostas pela Argentina, e da pequena recuperação nas vendas para o mercado russo, as exportações de carne suína cresceram 6,93% em volume e 3,02% em valor em março, em comparação a igual mês de 2011, informou ontem a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína (Abipecs). No acumulado do primeiro trimestre, a alta foi de 3,45% em volume, e 0,73% em receita. "Se não fosse a (restrição da) Argentina e a retomada muito lenta para a Rússia, teria sido bem melhor. Os volumes fo-

ram obtidos com grande sacrifício das empresas exportadoras", disse o presidente da Abipecs Pedro de Camargo Neto. Das 47.367 toneladas embarcadas em março, que geraram faturamento de US$ 121 milhões, a Ucrânia foi o principal destino da carne suína, com 11.972 toneladas e US$ 31,57 milhões em faturamento. Em comparação a igual mês de 2011, as altas foram de 301% e 255,7%, respectivamente. Apesar de a Ucrânia ter ultrapassado ligeiramente Hong Kong no mês (confira quadro acima), a região chinesa continuou como o principal destino da carne suína brasileira no trimestre: foram 36.746 toneladas embarca-

121 milhões de dólares foi quanto o Brasil faturou em março com a exportação de carne suína; a Ucrânia foi o principal destino do produto. das, com alta de 30,06%. Segundo a Abipecs, o resultado mostra crescimento de 42,98% em volume, e 59,06% em receita. "Esse mercado está bom e deve continuar", frisou Camargo Neto. Já o mercado russo, que durante muito tempo foi o principal comprador da carne suína brasileira, ficou em terceiro lugar em março, importando pouco mais de 8 mil toneladas – ou metade do volume adquirido em 2011. A questão sanitária motivou o embargo parcial russo em junho do ano passado para todo o setor de carnes brasileiro, nos estados do Paraná, Mato Grosso e Rio Grande do Sul. O segmento de suínos foi o principal afetado. "Apesar de (a Rússia) ter voltado a comprar de quatro estabelecimentos – de um no ano passado, de dois em janeiro e de mais um em fevereiro – o desempenho das exportações ainda continua baixo", frisou. "Andando de lado" – A polêmica das restrições argentinas às importações brasileiras

continua a mostrar reflexos. De acordo com Camargo Neto, as exportações para o país estão "praticamente zeradas": em março, foram 427 toneladas, ante 4,5 mil toneladas de carne suína exportadas antes da imposição das cotas, em 1º de fevereiro. Com isso, o declínio foi de 87% em volume e 85,86% em receita, comparado a março do ano passado. "O governo fala em 'cotas', mas não há nenhuma. A gente só manda quando algum importador consegue licença. Não há muito o que negociar, apenas pressionar o governo." Para 2012, segundo o presidente da Abipecs, o mercado de carne suína não deve ter "grande crescimento", caso não sejam acertadas as questões da Argentina, Rússia e da reabertura da África do Sul, que barrou o produto brasileiro em 2005 por questões sanitárias. "Não terá muita diferença, esse mercado tem andado 'meio de lado'", comentou. Para mudar, segundo Camargo Neto, a ideia é trabalhar fortemente os países asiáticos, tentando abrir mercado no Japão e Coreia do Sul. Já a China – que enviou missão sanitária a três frigoríficos gaúchos no fim de março – é um mercado que tem melhorado, mas a passos lentos: no acumulado do ano, foram embarcadas 500 toneladas para o país, segundo a Abipecs. "Ainda está devagar, é um mercado conservador. Mas vamos ver se conseguimos fazer a China virar Hong Kong", brincou o presidente.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012

ECONOMIA/LEGAIS - 15

e Montadoras apressam nacionalização Hoje, de cada dez fichas enviadas ao banco, só três são aprovadas. Os bancos estão muito seletivos. Luis Curi, vice-presidente e CEO da Chery Brasil

conomia

Indústria automobilística asiática se organiza para cumprir novas regras brasileiras e ganhar mercado. Fábrica da Chery em SP será antecipada em quatro meses. Rejane Tamoto

O

novo regime automotivo, que estabelece um percentual progressivo de utilização de componentes nacionais na fabricação e a possibilidade de converter em créditos o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para montadoras que se instalarem no Brasil, adiantou em quatro meses os planos da chinesa Chery de inaugurar uma fábrica em Jacareí, no interior paulista. Segundo o vice-presidente e CEO da Chery Brasil, Luis Curi, a fábrica de 500 mil metros quadrados será inaugurada em setembro deste ano, com um investimento de US$ 400 milhões, e capacidade de produção inicial de 50 mil veículos, número que deve chegar a 100 mil em 2014. "Estávamos ansiosos por uma regulamentação. Vamos trazer sete fornecedoras chinesas para fazer joint-venture com empresas brasileiras", informou ontem, durante o III Fórum da Indústria Automobilística, realizado em São Paulo. A companhia também deve inaugurar um centro de pesquisa no Brasil no começo do próximo ano. De acordo com Curi, um segundo motivo para agilizar o início das operações da montadora é a meta chinesa de participação da companhia no mercado automotivo brasileiro, que é de ao menos 1% neste ano. "Vai ser um desafio grande porque ainda vamos continuar importando e pagando o IPI. Ainda bem que temos uma unidade no Uruguai para ajudar. A meta é atingir participação de mercado de 3% em 2015", afirmou o CEO da Chery Brasil. No ano passado, a montadora vendeu 30 mil veículos em suas 105 concessionárias, número que se manteve na meta deste ano, em que o setor praticamente não tem tido crescimento. "Hoje, de cada dez fichas enviadas ao banco, só

três são aprovadas. Os bancos estão muito seletivos. Esperamos melhora nas vendas só no segundo semestre", afirmou Curi. Em setembro, a empresa deve lançar o Celer, um 1.5 flex nas versões sedã e hatch, a um preço ainda não definido, mas abaixo de R$ 40 mil. Na avaliação de outros representantes do setor, durante o evento, as novas regras do governo não devem passar por mais alterações. "Espero que durem porque é terrível ter mudanças no meio do jogo. Precisamos de regras claras e constantes", afirmou o presidente da JAC Motors Brasil, Sérgio Habib. Para o diretor de engenharia e planejamento da Mitsubishi Motors do Brasil, Reinaldo Muratori, a medida do governo é mais inteligente. "Agora o IPI sofre um desconto de acordo com as compras no mercado nacional. Temos um programa de nacionalização para cumprir a regra. É uma regra mais inteligente do que a anterior, na qual ou cumpria os 65% de componentes nacionais ou pagava 30% de imposto", afirmou Muratori. Outro participante do debate de ontem, o presidente da DAF Brasil, Marco Antonio Davila, disse que vai desenvolver um programa de cumprimento da medida em três anos. "Iniciamos a busca de fornecedores nacionais há um ano e temos uma lista de 60 deles", informou Davila, que anunciou que seus veículos serão nacionalizados a partir de setembro de 2013. Com a inauguração de uma fábrica prevista para 2014, em Camaçari (BA), a JAC Motors Brasil informou que seu plano de investimentos seguiu inalterado e será no valor de R$ 900 milhões. De acordo com Habib, presidente da empresa, a integração local será paulatina, e a meta é estar totalmente enquadrado no terceiro ano após a inauguração. Isso porque o governo permite que companhias que se instalarem no País comecem com

Eficiência afetada pela concorrência com a China

A

concorrência com a China está afetando a eficiência operacional das empresas, o que contribui para a desindustrialização no Brasil. Essa é a opinião de 66% de um total de 35 presidentes e líderes empresariais de 15 setores do B2B ouvidos por uma pesquisa realizada pelo Instituto de Marketing Industrial (IMI), em encontro de inovação Usina do Conhecimento, da Escola de Marketing Industrial. Os resultados da pesquisa mostram que a percepção dos empresários é de que o processo de desindustrialização no Brasil é crescente, com impacto na gestão de negócios, atividades de fornecedores e nas relações entre as empresas. Além do efeito China, fatores como a carga tribut��ria, as regras salariais e os custos de logística do Brasil aumentam os problemas de competitividade da indústria. O estudo abordou o tripé que sustenta as empresas: a liderança tecnológica, a eficiência operacional e o relacionamento com os clientes. Tecnologia – A maioria dos líderes disse acreditar que o domínio da tecnologia é um ponto forte da indústria brasileira. Isso porque somente 14% tem a impressão de que a falta de inovação e de conhecimento tecnológico estão

relacionados com a desindustrialização no Brasil. Outro aspecto positivo revelado por 86% dos empresários é o fortalecimento das relações com os clientes, que se tornou uma vantagem competitiva da indústria – inclusive frente à concorrência da China – em um cenário de menor eficiência operacional, de entraves na infraestrutura, e do Custo Brasil. "A pesquisa mostrou que quem se prende apenas à eficiência operacional está quebrando. Não dá para brigar com a China em preço. É como tomar analgésico para combater o câncer. Os empresários que se concentram em investir em soluções diferenciadas, como a inovação e o relacionamento com o cliente, estão bem", afirmou, na semana passada ao Diário do Comércio , o presidente do IMI e da Escola de Marketing Industrial, José Carlos Teixeira Moreira. Setor – A pesquisa ouviu líderes e gestores de fabricantes de máquinas agrícolas e pesadas para construção, do setor gráfico, de automação industrial, energia limpa, transformação de plástico, metalúrgica, celulose e papel, cerâmica, têxtil, tecnologia da informação para meios de pagamento, biotecnologia, alumínio, saúde e comunicação. (RT)

45% de componentes nacionais e alcancem o percentual de 65% no terceiro ano de funcionamento. A unidade, que começará a ser construída no final deste ano, terá capacidade de produzir de 110 a 120 mil veículos por ano. "Vamos trazer fornecedores de autopeças chineses e de São Paulo para investir na Bahia. Está tudo em con-

versação porque não temos o terreno ainda, que deve ser escolhido em maio", disse o presidente da JAC. A empresa também pretende abrir uma pista de provas e laboratório de emissões na fábrica. Outra novidade da nova unidade fabril será o desenvolvimento de um carro específico para o mercado brasileiro, que será o sucessor do J3, e não de-

ve ser comercializado no mercado chinês. A expectativa da empresa é atingir participação de mercado de 3% em 2015, em comparação com o atual 1%. Habib disse que o mercado não deve crescer tanto neste ano. "A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) fala em 3% a 5%, no entanto não crescemos nada no

ADONAI QUÍMICA S.A.

primeiro trimestre. Não adianta o governo baixar os juros porque os bancos não estão propensos a financiar por causa da inadimplência alta. Dificilmente estão liberando financiamentos de 60 meses e sabemos que o prazo é mais importante para o consumidor do que os juros, porque torna a parcela baixa", informou o executivo.

CNPJ/MF 02.703.755/0001-88

RELATÓRIO DA DIRETORIA: Senhores acionistas: AAdministração da Adonai S.A., em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submete à apreciação dos acionistas o Relatório da Administração e as correspondentes Demonstrações financeiras, acompanhada do parecer dos Auditores Independentes, correspondentes aos exercícios findos em 31/12/2011 e de 2010, elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Nesta oportunidade a Presidência, a Diretoria e a Administração da Adonai S.A. expressam os agradecimentos a todos aqueles que de alguma forma contribuíram à Companhia, possibilitando assim o sucesso da Adonai no mercado nacional e em especial reconhecemos as contribuições e confiança de nossos participantes, nossos acionistas, nossos clientes, nossos fornecedores, nossos parceiros, nossos funcionários e nossos colaboradores pelo empenho e dedicação, e em especial a Autoridade portuária Companhia Docas do Estado de São Paulo - Codesp. São Paulo 09 de março de 2012. A Diretoria. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31/12/2011 E DE 2010 (Em MR$) DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO DEMONSTR. DAS MUT. DO PATRIM. LÍQ. DEMONSTR. DOS FLUXOS DE CAIXA EM 31/12/2011 E DE 2010 (Em MR$) EM 31/12/2011 E DE 2010 (Em MR$) EM 31/12/2011 E DE 2010 (Em MR$) Ativo Notas 2011 2010 Das atividades operacionais 2011 2010 Notas 2011 2010 Prej. Adiant. 836 1.599 Circulante.................................... Prejuízo líquido do exercício...................... (3.641) (4.120) 8.237 4.976 Caacup/futuro Caixa e equivalentes de caixa.... 4 335 1.105 Receita operacional líquida....... 17 Ajustes p/conciliar o res. às disp. ger. (8.116) (6.063) No- pital mulaCusto da prestação de serviços. 18 aum. de Contas a receber de clientes...... 5 168 215 p/ativ. operac.: Resultado bruto.......................... 121 (1.087) tas social dos Total capital Total Tributos a recuperar ................... – 44 – Depreciações e amortizações..................... 3.130 2.734 Saldos em Despesas antecipadas............... 7 156 155 Despesas e receitas operacionais: Juros e variações monet. e cambiais líquidas. 10 20 Despesas administrativas e 31/12/2009 . 34.680 (8.976)25.704 6.779 32.483 Outros créditos........................... 6 133 124 Provisão para demandas judiciais............... 876 1.041 comerciais................................ 19 (2.614) (2.452) Aumento de Não circulante............................. 54.674 38.917 Despesas financeiras................. 20.1 (1.376) (599) capital......... 16 9.661 – 9.661 (6.779) 2.882 Decréscimo/(acréscimo) em ativos Imobilizado ................................. 8 48.577 32.288 Clientes ....................................................... 47 (70) Receitas financeiras................... 20.2 201 5 Prej. líq. do Diferido....................................... 9 6.097 6.629 (44) 20 Outras receitas operacionais...... – exercício..... 16 27 13 – (4.120) (4.120) – (4.120) Impostos a recuperar .................................. 55.510 40.516 Total do ativo .............................. Outros créditos............................................ (9) (120) (3.762) (3.033) Saldos em Notas 2011 2010 Passivo Despesas exercício seguinte ...................... (1) (56) Prejuízo líquido do exercício ...... (3.641) (4.120) 31/12/2010 . 44.341 (13.096)31.245 – 31.245 Circulante.................................... 2.666 8.230 (Decréscimo)/acréscimo em passivos Empréstimos e financiamentos .. 10 29 114 vas: Julgamentos - A preparação das demonstrações financei- Aumento de Fornecedores .............................................. 445 95 – 23.262 – 23.262 Fornecedores ............................. 11 693 248 ras da Companhia requer que a Administração faça julgamen- capital......... 16 23.262 Obrigações trabalhistas e tributárias........... 100 45 Prej. líq. do Obrigações trabalhistas.............. 12 220 149 tos e estimativas e adote premissas que afetam os valores 4 15 – (3.641) (3.641) – (3.641) Contas a pagar............................................ Obrigações tributárias ................ 13 104 75 apresentados de receitas, despesas, ativos e passivos, bem exercício..... 16 Caixa líq. gerado (aplicado) nas ativ. Saldos em Contas a pagar........................... – 32 28 como as divulgações de passivos, na data-base das demonsoperacionais .............................................. 917 (396) 67.603 (16.737)50.866 – 50.866 Partes relacionadas.................... 14 1.588 7.616 trações financeiras. Contudo, a incerteza relativa a essas 31/12/2011.. Não circulante............................. 1.978 1.041 premissas e estimativas poderiam levar a resultados que re- Conforme o artigo 299/A da Lei nº 11.941/08, o saldo existente Fluxo de caixa das ativ. de investimento Empréstimos e financiamentos .. 10 61 – queiram ajustes ao valor contábil do ativo ou passivo, afetado em 31/12/2008 no ativo diferido que, pela sua natureza, não Aquisição de imobilizado............................. (18.887) (7.257) Provisão para demandas judiciais 15 1.917 1.041 em períodos futuros. i) Empréstimos e financiamentos: Os puder ser alocado a outro grupo de contas, poderá permanecer Caixa líq. aplic. nas ativ. de investimento . (18.887) (7.257) Patrimônio líquido...................... 50.866 31.245 empréstimos e financiamentos são sujeitos à atualização mo- no ativo sob essa classificação até sua completa amortização, Fluxo de caixa das ativ. de financiamento Amortização de emprést. e financiamentos (137) (197) Capital social.............................. 16 67.603 44.341 netária, segundo os índices contratuais. Os juros incorridos são sujeito à análise sobre a recuperação. Ingressos de emprést. e financiamentos..... 103 – Prejuízos acumulados................ (16.737) (13.096) reconhecidos “pro rata temporis”. j) Ativos contingentes e proPrazo Caixa líq. utilizado nas ativ. de Total do passivo ......................... 55.510 40.516 visão para demandas judiciais e administrativas: As práticas 10. Empréstimos e financiamentos inicial 2011 2010 financiamentos (34) (197) – 114 Fluxo de caixa das ativ. de financiam. NOTAS EXPLICATIVAS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEI- contábeis para registro e divulgação de ativos e passivos são FINAME (1).......................................... 48meses – c/acionistas RAS EM 31/12/2011 E DE 2010 (Em MR$): 1. Contexto as seguintes: • Ativos contingentes: são reconhecidos somen- Leasing Banco Volkswagen (2) ........... 36meses 34 – Integralização de capital.............................. 23.262 2.882 operacional: A Adonai Química S/A (“Companhia”) é uma te quando há garantias reais ou decisões judiciais favoráveis, Leasing Toyota do Brasil S.A. (3) ........ 48meses 56 90 114 transitadas em julgado. Os ativos com êxitos prováveis são Contas a pagar para partes relacionadas ... (6.028) 5.988 sociedade anônima de capital fechado e tem sua sede e foro – (61) – Caixa líq. gerado p/ativ. de financiam. na Cidade de São Paulo, no Estado de São Paulo, na Rua apenas divulgados em nota explicativa; • Passivos: são provi- Não circulante...................................... – 29 114 c/acionistas................................................ 17.234 8.870 Gomes de Carvalho, nº 1306, 8º andar, sala 85, Vila Olímpia, sionados quando as perdas forem avaliadas como prováveis Circulante ............................................ CEP 04547-005 e filiais na Cidade de Santos, Estado de São de desembolso de caixa futuro e os montantes envolvidos forem (1) Os financiamentos para aquisição em equipamentos Aumento/(redução) líq. de caixa e (770) 1.020 Paulo, na margem esquerda do Porto Organizado de Santos, mensuráveis com suficiente segurança. Os passivos avaliados possuem taxa de juros anuais variando de 9,25% a 11,15% equiv. de caixa ........................................... Área de Tanques, s/n - Terminal Adonai, Ilha do Barnabé e na como sendo de perdas possíveis, são apenas divulgados em e correção pela UR TJLP; (2) Financiamento para aquisição Caixa e equivalentes de caixa 85 Rua Quinze de Novembro, nº 46/48, térreo, sala 4. A Companhia nota explicativa, e os passivos avaliados como de perdas re- de veículo com taxa de juros pré-fixada de 24,19% a.a. com No início do exercício.................................. 1.105 335 1.105 foi constituída em 29/06/1998, com propósito específico para motas, não são provisionados e, tampouco, divulgados. garantia fiduciária; (3) Financiamento para aquisição de No final do exercício.................................... os fins e efeitos de Concorrência nº 27/97 PROAPS nº 24, k) Outros ativos e passivos (circulantes e não circulantes): Um equipamento com taxa de juros pré-fixada de 17,32% a.a. Aumento/(redução) líq. de caixa e equiv. de caixa ........................................... (770) 1.020 celebrado pela Companhia Docas do Estado de São Paulo ativo é reconhecido no balanço patrimonial quando for provável com garantia fiduciária. 2011 2010 (CODESP), mediante contrato de arrendamento regendo a que seus benefícios econômicos-futuros serão gerados em 11. Fornecedores 693 248 O monitoramento das duplicatas vencidas é realizado pronexploração de instalação portuária, com utilização de área sob favor da Companhia, e seu custo ou valor, puder ser mensura- Fornecedores nacionais .................................. 693 248 tamente para garantir seu recebimento. Risco de liquidez - A a administração da CODESP, localizada na Ilha do Barnabé, do com segurança. Um passivo é reconhecido no balanço Companhia acompanha o risco de escassez de recursos, para na margem esquerda do Porto Organizado de Santos, consti- patrimonial, quando a Companhia possui uma obrigação legal Representados substancialmente por valores a vencer em que haja recursos financeiros disponíveis para o devido cumpriou constituída como resultado de um evento passado, sendo menos de 30 dias. tuída pela bacia do antigo tanque KE-4 (demolido), pelos tan2011 2010 mento de suas obrigações, substancialmente concentrada nos ques KE-1, KE-2, KE-3, KE-5, KE-6, BE-2, respectivas bacias provável que um recurso econômico seja requerido para liqui- 12. Obrigações trabalhistas 113 90 financiamentos firmados junto a instituições financeiras. A tabela de contenção e áreas adjacentes, envolvendo investimentos dá-lo. São acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes Provisão para férias e encargos...................... 41 25 a seguir demonstra o vencimento dos passivos financeiros da arrendatária necessários à reforma, construção e operação encargos e das variações monetárias ou cambiais incorridas. Salários e ordenados....................................... As provisões são registradas tendo como base as melhores INSS ............................................................... 28 20 contratados pela Companhia, no balanço consolidado, em que na área de instalações portuária, para movimentação de granéis 8 6 os valores apresentados incluem o valor do principal e dos juros líquidos inflamáveis ou não. A Companhia detém o arrenda- estimativas do risco envolvido. Os ativos e passivos são clas- FGTS............................................................... sificados como circulantes, quando sua realização ou liquidação Outros.............................................................. 30 8 futuros incidentes nas operações, calculados utilizando-se as mento para exploração de instalação portuária onde estão lo220 149 taxas e índices vigentes na data de 31/12/2011: calizadas as instalações portuárias quais sejam docas, cais, é provável que ocorra nos próximos 12 meses. Caso contrário, 2012 2013 Total são demonstrados como não circulantes. l) Instrumentos finanpontes e píers de atracação e acostagem, terrenos, edificações, 2011 2010 Fornecedores ...................................... 693 13. Obrigações tributárias – 693 e vias de circulação interna, assim como infraestrutura de ceiros: I. Reconhecimento inicial e mensuração - Os instrumen- ISS................................................................... 41 23 Empréstimos e financiamentos ........... 29 61 90 tos financeiros somente são reconhecidos a partir da data em acesso aquaviário ao Porto, margem do rio e adjacências, COFINS........................................................... 22 21 722 61 783 canais de evolução e áreas de fundeio mantidas pela CODESP. que a Companhia se torna parte das disposições contratuais FUNDAF.......................................................... 18 17 dos mesmos. No momento do reconhecimento inicial, os ativos A projeção orçamentária para os próximos exercícios aprovada O prazo de arrendamento é de 20 (vinte) anos renovável, uma IRRF ................................................................ 16 8 única vez, por igual período de tempo, conferindo o direito de financeiros são classificados como ativos financeiros a valor PIS................................................................... 5 5 pela Administração da Companhia demonstra capacidade de operar o terminal contado a partir da data de assinatura do justo por meio do resultado, empréstimos e recebíveis, inves- Outros.............................................................. 2 1 cumprimento das obrigações, caso este seja concretizado. A escontrato de arrendamento. Em 21/05/2007, a Companhia as- timentos mantidos até o vencimento, ativos financeiros dispo104 75 trutura de capital da Companhia é formada pelo endividamento níveis para venda; e os passivos financeiros são classificados líquido, composto pelo saldo de empréstimos e financiamentos sinou o quarto instrumento de retificação, ratificação e adita14. Partes relacionadas: Saldos com partes relacionadas: (Nota 10), deduzidos pelo saldo de caixa e equivalentes de caixa mento do contrato de arrendamento PRES/003.98, celebrado como passivo financeiro a valor justo por meio do resultado. Prazo 2011 2010 (Nota 4), e pelo saldo do patrimônio líquido, incluindo o saldo II. Mensuração subsequente A mensuração subsequente dos em 05/02/1998, nos termos do deliberado em reunião ordinária Aba Infraestrutura Ltda. .................... 2 anos 1.558 6.165 de capital e todas as reservas constituídas. O índice de endivido CODESP nº 1234 realizada em 24/05/2006, de que trata do instrumentos financeiros depende da classificação de ativos e Alípio José Gusmão .......................... 2 anos 30 1.451 damento líquido da Companhia é composto da seguinte forma: aditamento a cláusula 52ª, parágrafo 3º, suspendendo pelo passivos financeiros, que pode ser da seguinte forma: • Ativos 1.588 7.616 2011 2010 período compreendido entre 21/06/2000 a 27/10/2005, em financeiros - os principais ativos financeiros reconhecidos pela 31/12/ AdiAmorti- 31/12/ Caixa, equivalentes de caixa....................... Companhia são: caixa e equivalentes de caixa, contas a rece335 1.105 decorrência do previsto na cláusula 33ª - das causas justificaMovimentação 2010 ções Juros zações 2011 (90) (114) doras da inexecução do contrato, passando a nova vigência do ber de clientes e outros ativos. São classificados de acordo Aba Infraestrutura Ltda. 6.165 16.462 1.146 (22.215) 1.558 Empréstimos e financiamentos ................... com o propósito para os quais foram adquiridos. Ativos finanEndividamento líquido ................................. 245 991 contrato de arrendamento a se encerrar-se em 10/06/2023, Alípio José Gusmão .... 1.451 – 126 (1.547) 30 Patrimônio líquido........................................ 51.354 31.245 prorrogável, por uma única vez, por prazo máximo igual ao ceiros mensurados ao valor justo por meio do resultado: Incluem Concais S.A. ............... – 3.000 62 (3.062) – Índice de endividamento líquido.................. ativos financeiros mantidos para negociação e ativos designa– – originalmente contratado de mais 20 (vinte) anos. A Companhia 7.616 19.462 1.334 (26.824) 1.588 iniciou suas atividades operacionais em agosto de 2007, com dos no reconhecimento inicial ao valor justo por meio do resul- As operações com partes relacionadas celebrada por contrato de 22. Imposto de renda e contribuição social: Em 31/12/2011, tado. A cada data do balanço são mensurados pelo seu valor a Companhia possuía prejuízos fiscais e base negativa de CSLL a inauguração da Bacia-I; em julho de 2010, a Companhia mútuo com pessoas ligadas (físicas e jurídicas) com amortizações inaugurou a operação da Bacia-II, com capacidade operacional justo. Os juros, correção monetária, a variação cambial e as periódicas, corrigidos mensalmente à taxa de 100% do CDI. R$14.154 (R$11.427 em 2010). Os prejuízos fiscais e a base de de 20.000 m³ para armazenagem, estocagem e movimentação variações decorrentes da avaliação ao valor justo são reconhe- Remuneração da administração: Em 31/12/2011, a remuneração cálculo negativa de contribuição social a compensar não estão de uma variedade de produtos líquidos, derivados de petróleo cidos no resultado quando incorridos, na data contábil de re- da diretoria e dos administradores da Companhia é composta por: sujeitos à prescrição e podem ser compensados com resultados tributários futuros. A Administração da Companhia, face aos de classes I a III, álcool, combustíveis e químicos classificados ceitas e despesas financeiras. • Passivos financeiros - os 2011 2010 prejuízos fiscais recorrentes, optou por não constituir os registros como A-1, produtos químicos e semelhantes como etanol, soda principais passivos financeiros reconhecidos pela Companhia Remuneração da administração...................... 30 – dos valores de créditos fiscais ativos de imposto de renda e são: contas a pagar de fornecedores, empréstimos e financiacáustica, óleos vegetais e minerais, entre outros. O terminal da 30 – contribuição social diferidos. 23. Seguros: A Administração da Adonai está capacitado a operar 24 h/dia, com utilização de mentos e saldos com partes relacionadas. São classificados 2011 2010 Companhia adota uma política de seguros que considera, prinárea de 27.495,80 m² sob a administração da Companhia de acordo com a natureza dos instrumentos financeiros con- 15. Provisão para demandas judiciais Docas do Estado de São Paulo (CODESP), e dois berços de tratados: (i) Passivos financeiros mensurados ao valor justo por Tributárias (1) .................................................. 1.297 944 cipalmente, a concentração de riscos e relevância por montantes 614 92 considerados suficientes, levando em conta a natureza de sua atracação de navios, exclusivos para a movimentação de líqui- meio do resultado: incluem passivos financeiros usualmente Trabalhistas .................................................... 6 5 atividade e a orientação de seus consultores de seguros. Local dos, Cais Bocaina e Cais São Paulo. A Companhia estará negociados antes do vencimento, passivos designados no re- Administrativos ............................................... 1.917 1.041 conhecimento inicial ao valor justo por meio do resultado. A do risco - Margem Esquerda do Porto Organizado de Santos inaugurando a terceira etapa de suas instalações portuárias Traba- Tribu- Adminis- Ilha Barnabé - Santos/SP. Objeto do seguro - Sobre os tanques, com inicio de operação para março de 2012 da Bacia-III, com cada data do balanço são mensurados pelo seu valor justo. Os juros, correção monetária, a variação cambial e as variações prédios, maquinismos. Móveis e utensílios, mercadorias (produtos lhistas tárias trativos entrada em operação em plena capacidade instalada, com 92 944 5 químicos) e matérias-primas. Modalidade: Empresarial riscos; capacidade para 8.400 m³ para armazenagem, estocagem e decorrentes da avaliação ao valor justo são reconhecidos no Saldo em 31/12/2010 ................. resultado quando incorridos, na data contábil de receitas e Companhia: Itaú Seguros; Vigência: 17/07/2011 a 17/07/2012. Adições....................................... 522 353 1 movimentação de uma variedade de produtos líquidos. Dando Limite 614 1.297 6 continuidade ao processo de modernização portuária, a Com- despesas financeiras; (ii) Empréstimos e financiamentos: após Saldo em 31/12/2011.................. reconhecimento inicial, os empréstimos e financiamentos estão Maximo (1) A provisão tem por objeto a cobrança do Imposto Territorial panhia já iniciou as obras da Bacia-IV, com previsão de conMR$ Franquias Prazo clusão para 2013. A Administração da Companhia se compro- sujeitos a juros e são mensurados subsequentemente pelo Urbano (IPTU) referente ao exercício do ano de 2003, incidente Coberturas mete a financiar com recursos próprios ou de terceiros os custo amortizado, utilizando o método da taxa efetiva de juros. sobre o imóvel sito na Margem Esquerda do Porto Organiza- Incêndio, inclusive decorrente investimentos previstos para conclusão das demais bacias. Ganhos e perdas são reconhecidos na demonstração do resul- do - Área de Tanques - Ilha Barnabé, Santos, Estado de São de Tumultos, explosão de qual20.000 100,00 2. Base de elaboração e apresentação das demonstrações tado no momento da baixa dos passivos, bem como durante o Paulo, inscrito perante o cadastro imobiliário municipal sob o quer Natureza e queda de raio. 1.500 10% c/ mínifinanceiras: As demonstrações financeiras da Companhia para processo de amortização pelo método da taxa efetiva de juros; nº 71.001.003.000, em fase de execução fiscal. Durante o curso Danos Elétricos ...................... (iii) Outros passivos financeiros: os juros, atualização monetámo de 25 normal de seus negócios, a Companhia fica exposta a certas os exercícios findos em 31/12/2011 e de 2010 foram preparadas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil que ria e variação cambial, quando aplicáveis, são reconhecidos provisões e riscos, que incluem processos tributários, traba- Vendaval, Furacão, Ciclone, no resultado quando incorridos, na conta contábil de “Receitas Fumaça, Tornado, Granizo, 1.000 10% c/ mínilhistas e cíveis, em discussão. As declarações de rendimentos compreendem os pronunciamentos do Comitê de Pronunciamo de 25 mentos Contábeis (CPC), aprovados pelo Conselho Federal ou despesas financeiras”. A Companhia classifica nessa cate- estão sujeitas à revisão e aceitação final pelas autoridades Impacto de Veículos e Aéreos goria os passivos relativos a fornecedores e contas a pagar e Equipamentos Móveis ............ 100 10% c/ mínifiscais, por período prescricional de cinco anos. Outros encargos de Contabilidade (CFC). As demonstrações financeiras da mo de 10 Companhia foram elaboradas em diversas bases de avaliação outras obrigações. III. Redução ao valor recuperável de ativos tributários e previdenciários, referentes a períodos variáveis financeiros: A Companhia avalia na data do encerramento do Equipamentos Estacionários.. 100 10% c/ mínide tempo, também estão sujeitos a exame e aprovação final utilizadas nas estimativas contábeis. As estimativas contábeis mo de 10 envolvidas na preparação das demonstrações financeiras foram exercício se há alguma evidência objetiva, que determine se o pelas autoridades fiscais. 16. Patrimônio líquido: Capital baseadas em fatores objetivos e subjetivos, com base no jul- ativo financeiro ou grupo de ativos financeiros não é recuperá- social: O capital social subscrito e integralizado em 31/12/2011 Lucros Cessantes Despesas gamento da Administração para determinação do valor ade- vel. Um ativo financeiro ou grupo de ativos financeiros é con- é de R$67.603 (R$44.341 em 2010) e estão representadas Fixas, Decorrentes de Incêndio, quado a ser registrado nas demonstrações financeiras. Os itens siderado como não recuperável se, e somente se, houver por 676.700 ações ordinárias nominativas (450.000 ações raio, explosão de qualquer 12 natureza.................................. meses 2.000 21 dias significativos sujeitos a essas estimativas e premissas incluem evidência objetiva de ausência de recuperabilidade como re- ordinárias nominativas em 2010), todas sem valor nominal. 2011 2010 Lucros Cessantes Despesas a seleção de vidas úteis do ativo imobilizado e de sua recupe- sultado de um ou mais eventos que tenham acontecido depois 17. Receita operacional líquida rabilidade nas operações, avaliação dos ativos financeiros pelo do reconhecimento inicial do ativo, e este evento de perda tenha Receitas de armazenagem.......................... 6.887 3.941 Fixas, decorrentes de danos 01 mês 125 5 dias 849 elétricos valor justo e pelo método de ajuste a valor presente, análise impacto no fluxo de caixa futuro estimado do ativo financeiro Receitas de serviços portuários .................. 1.498 150 10% c/ 757 527 Outros..................................... do risco de crédito para determinação da provisão para redução ou do grupo de ativos financeiros que possa ser razoavelmen- Receitas de inertização ............................... te estimado. mínimo de 5 Receitas de serviços diversos..................... 180 257 ao valor recuperável, assim como da análise dos demais riscos 2011 2010 Receitas de FUNDAF.................................. 65 97 Objeto do seguro - Seguro para operadores portuários, com para determinação de outras provisões, inclusive para deman- 4. Caixa e equivalentes de caixa Caixa ............................................................... – 11 cobertura exclusiva de responsabilidade civil (bens de terceiros). Impostos sobre prestação de serviço.......... (1.150) (695) das judiciais e administrativas. A liquidação das transações 335 1.094 8.237 4.976 Modalidade: Operador portuário; Companhia: Itaú Seguros; envolvendo essas estimativas poderá resultar valores diver- Bancos............................................................. 335 1.105 Vigência: 17/07/2011 a 17/07/2012. Limites máximos de gentes dos registrados nas demonstrações financeiras devido 18. Custos da prestação de serviços 2011 2010 ao tratamento probabilístico inerente ao processo de mensu- Caixa e equivalentes de caixa incluem dinheiro em caixa e Depreciação e amortização......................... (3.039) (2.644) indenização: a) US$ 7.500 (sete milhões e quinhentos mil Dólares) Para a Responsabilidade Civil; b) US$ 500 (quinhentos depósitos bancários. ração das estimativas e premissas pelo menos anualmente. As Serviços contratados de terceiros ............... (1.695) (993) 2011 2010 Pessoal e respectivos encargos.................. (1.187) (903) mil Dólares) Sublimite para a Responsabilidade Civil Empregademonstrações financeiras foram aprovadas pela diretoria da 5. Contas a receber de clientes dor. O escopo dos trabalhos de nossos auditores não inclui a Clientes............................................................ 64 74 Companhia em 09/03/2012, considerando os eventos subseArrendamento.............................................. (566) (550) 64 74 Movimentação mínima - MMC..................... (509) (449) emissão de opinião sobre a suficiência da cobertura de seguros. quentes ocorridos até esta data, que tiveram efeito sobre as divulgações das referidas demonstrações. Moeda funcional: A Representados substancialmente por valores a vencer em Gastos gerais .............................................. (253) (162) Modalidade: Garantia de obrigações contratuais; Companhia: Nobre Seguradora; Vigência: 07/04/2011 a 06/04/2012; Impormoeda funcional da Companhia apresentada nas demonstra- menos de 30 dias. Seguros ....................................................... (299) (240) tância Segurada: R$ 214. As premissas de riscos adotadas, 2011 2010 Manutenção e reparos................................. (437) ções financeiras é o (Real). 3. Sumário das principais práticas 6. Outros créditos (1) 131 122 Insumos utilizados na operação.................. (131) (121) dada a sua natureza, não fazem parte do escopo da auditoria contábeis: a) Reconhecimento de receita custos e despesas: Adiantamento a fornecedores ......................... das demonstrações financeiras, consequentemente, não foram 2 2 A receita é reconhecida na extensão em que for provável que Adiantamento a funcionários........................... (8.116) (6.063) auditadas pelos nossos auditores independentes. 133 124 benefícios econômicos serão gerados para a Companhia e 19. Despesas administrativas 2011 2010 quando possa ser mensurada de forma confiável. A receita é 7. Despesas antecipadas 2011 2010 Serviços consultoria e assessoria ............... (722) (526) Diretoria: Alípio José Gusmão dos Santos - Diretor Presidenmensurada com base no valor justo da contraprestação rece- Seguros a apropriar......................................... 156 155 Demandas judiciais e administrativas ......... (876) (1.041) te. Carlos César Floriano - Diretor Vice Presidente. Américo bida, excluindo descontos, abatimentos e impostos ou encargos 156 155 Pessoal e respectivos encargos.................. (305) (254) Relvas da Rocha - Diretor de Operações. Contador: Ivan Santo sobre vendas. A Companhia avalia as transações de receita de Período de Tributos e contribuições............................... (311) (308) R. Peppe - CRC-1SP110836/0-7 acordo com os critérios específicos para determinar se está 8.Imobilizado depreciação 2011 2010 Gastos gerais .............................................. (161) (98) RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE atuando como agente ou principal e, ao final, concluiu que está Benfeitorias em instalações...... 20 anos 53.097 35.339 Ocupações e utilidades ............................... (148) (134) AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS: Aos Administradores atuando como principal em todos os seus contratos de receita. Máquinas e equipamentos ....... 10 anos 2.175 1.318 Depreciação e amortização......................... (91) (91) e Acionistas da Adonai Química S/A. Examinamos as deOs critérios específicos, a seguir, devem também ser satisfeitos Computadores e periféricos ..... 5 anos 281 251 (2.614) (2.452) monstrações financeiras da Adonai Química S/A “Companhia”, antes de haver reconhecimento de receita: As receitas são Móveis e utensílios................... 10 anos 87 74 20. Despesas e receitas financeiras que compreendem o balanço patrimonial em 31/12/2011 e as apresentadas nos resultados dos exercícios pelo seu valor lí- Veículos.................................... 20 anos 43 30 20.1. Despesas financeiras 2011 2010 quido, ou seja, excluem os impostos incidentes sobre as Outros....................................... 5 anos 415 199 Juros sobre empréstimos de mútuos .......... (1.334) (557) respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa, para o exercício findo mesmas e são reconhecidas com base nos contratos de arma- Subtotal custo do ativo imobilizado 56.098 37.211 Outros.......................................................... (42) (42) naquela data, assim como o resumo das principais práticas zenagem, pelo período contratual vigente, em função de sua Depreciação acumulada........... – (7.521) (4.923) (1.376) (599) contábeis e demais notas explicativas. Responsabilidade efetiva prestação. O resultado das operações é apurado em Ativo imobilizado líquido........... – 48.577 32.288 2011 2010 da Administração sobre as demonstrações financeiras: A conformidade com o regime contábil de competência sendo os Taxas de depreciação: A Companhia efetuou internamente 20.2. Despesas financeiras 196 – Administração da Companhia é responsável pela elaboração custos compostos por custos portuárias, custos de arrenda- estudo para a revisão da vida útil de seus principais ativos e Rendimentos de aplicações financeiras ...... 5 5 e adequada apresentação das demonstrações financeiras de mento, pessoal, encargos sociais, serviços de terceiros, manu- concluiu que não existem diferenças nas taxas de depreciação Outras.......................................................... 201 5 acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, assim Receitas financeiras .................................... tenções, amortizações de ativos entre outros insumos relacio- utilizadas atualmente. Movimentação do imobilizado (1.175) (594) como pelos controles internos que ela determinou como nados às operações portuárias estão demonstradas Custo - 2011 2010 Adições 2011 Financeiras líquidas necessários para permitir a elaboração dessas demonstrações separadamente das despesas operacionais e são registradas Benfeitorias em instalações...... 35.339 A Companhia participa de operações envolvendo instrumentos 17.758 53.097 no exercício em que incorrerem. b) Caixa e equivalentes de Máquinas e equipamentos ....... 1.318 857 2.175 financeiros, todos registrados em contas patrimoniais, que se financeiras livres de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou erro. Responsabilidade dos Auditores caixa: Caixa e equivalentes de caixa incluem dinheiro em caixa Computadores e periféricos ..... destinam a atender as suas necessidades operacionais, bem 251 30 281 e depósitos bancários de alta liquidez e com risco insignifican- Móveis e utensílios................... 74 13 87 como a reduzir a exposição a riscos financeiros, principalmente Independentes: Nossa responsabilidade é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em te de mudança de seu valor de mercado. c) Contas a receber Veículos.................................... de crédito e aplicações de recursos, riscos de mercado (câmbio 30 13 43 de clientes: Estão apresentadas a valores de realização e, Outros....................................... 199 216 415 e juros) e risco de liquidez, ao qual a Companhia entende nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasiquando necessário, serão constituídas provisões para perdas Total.......................................... 37.211 leiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem que está exposta, de acordo com sua natureza dos negócios 18.887 56.098 com base na análise dos riscos de realização, em montante Custo - 2010 2009 Adições 2010 e estrutura operacional. 21. Gerenciamento de riscos e o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e que a considerado suficiente pela Administração para cobrir eventuais instrumentos financeiros: Gerenciamento de riscos: A auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter 7.240 35.339 perdas na realização dos recebíveis. d) Imobilizado: O imobili- Benfeitorias em instalações...... 28.099 – 1.318 administração desses riscos é efetuada por meio de definição segurança razoável de que as demonstrações financeiras zado é registrado pelo custo de aquisição. As depreciações são Máquinas e equipamentos ....... 1.318 de estratégias elaboradas e aprovadas pela Administração estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a Computadores e periféricos ..... 245 6 251 computadas pelo método linear e reconhecidas no resultado 65 9 74 da Companhia, atreladas ao estabelecimento de sistemas execução de procedimentos selecionados para obtenção de evido exercício de acordo com as taxas mencionadas na Nota Móveis e utensílios................... 30 – 30 de controle e determinação de limite de posições. Não são dência a respeito dos valores e divulgações apresentados nas Explicativa nº 8 e leva em consideração o tempo da vida útil- Veículos.................................... 197 2 199 realizadas operações envolvendo instrumentos financeiros demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados -econômica estimada dos bens e o período de concessão Outros....................................... 7.257 37.211 com finalidade especulativa. Adicionalmente, a Companhia dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos diante da Companhia Docas do Estado de São Paulo (CO- Total.......................................... 29.954 procede com a avaliação tempestiva da posição consolidada, Depreciação - 2011 2010 Adições 2011 acompanhando os resultados financeiros obtidos, avaliando riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, DESP). Um item do imobilizado é baixado quando vendido ou (2.381) (6.483) as projeções futuras, como forma de garantir o cumprimento independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa quando nenhum benefício econômico-futuro for esperado do Benfeitorias em instalações...... (4.102) (466) (145) (611) do plano de negócios definido e monitoramento dos riscos aos avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos seu uso ou venda. Eventual ganho ou perda resultante da Máquinas e equipamentos ....... (167) (44) (211) quais está exposta. As descrições dos riscos da Companhia relevantes para a elaboração e adequada apresentação baixa do ativo (calculado como sendo a diferença entre o valor Computadores e periféricos ..... (27) (8) (35) são descritos a seguir: Riscos de mercado - O risco de mer- das demonstrações financeiras da Companhia para planejar líquido da venda e o valor contábil do ativo) são incluídos na Móveis e utensílios................... Veículos.................................... (25) 19 (6) cado é o risco de que o valor justo dos fluxos de caixa de um os procedimentos de auditoria que são apropriados nas demonstração do resultado, no exercício em que o ativo for (136) (39) (175) instrumento financeiro flutue devido a variações nos preços de circunstâncias, mas não para fins de expressar uma opinião baixado. e) Diferido: É formado substancialmente por gastos Outros....................................... sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Total.......................................... (4.923) (2.598) (7.521) de organização e implantação do projeto e é amortizado, mercado. Os preços de mercado são afetados por dois tipos Depreciação - 2010 2009 Adições 2010 de risco: risco de taxa de juros e risco de variação cambial. Uma auditoria inclui, também, a avaliação da adequação das conforme Nota Explicativa nº 9. f) Avaliação do valor recuperá(1.763) (4.102) Instrumentos financeiros afetados pelo risco de mercado práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas vel de ativos (teste de “impairment”): A Administração revisa Benfeitorias em instalações...... (2.339) (334) (132) (466) incluem aplicações financeiras, contas a receber de clientes, contábeis feitas pela Administração, bem como a avaliação anualmente o valor contábil líquido de seus principais ativos, Máquinas e equipamentos ....... (121) (46) (167) contas a pagar e empréstimos a pagar. Risco de crédito - O da apresentação das demonstrações financeiras tomadas com o objetivo de avaliar eventos ou mudanças nas circuns- Computadores e periféricos ..... (21) (6) (27) risco de crédito é o risco de a contraparte de um negócio não em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida tâncias econômicas, operacionais ou tecnológicas, que possam Móveis e utensílios................... (19) (6) (25) cumprir uma obrigação prevista em um instrumento financeiro é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. indicar deterioração ou perda de seu valor recuperável. Veículos.................................... (98) (38) (136) ou contrato com cliente, o que levaria ao prejuízo financeiro. A Opinião sobre as demonstrações financeiras: Em nossa Quando estas evidências são identificadas e o valor contábil Outros....................................... (1.991) (4.923) Companhia está exposta ao risco de crédito em suas atividades opinião, as demonstrações financeiras acima referidas aprelíquido excede o valor recuperável, é constituída provisão para Total.......................................... (2.932) Período de deterioração, ajustando o valor contábil líquido ao valor recuoperacionais (principalmente com relação a contas a receber). sentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, 2011 2010 Em 31/12/2011, o valor máximo exposto pela Companhia ao a posição patrimonial e financeira da Adonai Química S/A em amortização perável. g) Tributação: Impostos sobre as vendas - As receitas 9. Diferido 20 anos 1.635 1.635 risco de crédito correspondente ao valor contábil das contas a 31/12/2011, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de vendas de serviços estão sujeitas aos seguintes impostos Desenvolvimento projetos .. 20 anos 1.355 1.355 receber de clientes, demonstrado na Nota Explicativa nº 5. Os de caixa para o exercício findo naquela data, de acordo com as e contribuições, pelas seguintes alíquotas básicas: • Imposto Gastos preliminares............ 20 anos 5.024 5.024 riscos de crédito nas atividades operacionais da Companhia práticas contábeis adotadas no Brasil. São Paulo, 09/03/2012. sobre Serviços (ISS) - alíquota 3%; • Programa de Integração Custos pré-operacionais..... 8.014 8.014 são administrados por normas específicas de aceitação de ERNST & YOUNG TERCO Auditores Independentes S.S. - CRC Social (PIS) - alíquota 1,65%; • Contribuição para o Financia– (1.917) (1.385) clientes, análise de crédito e estabelecimento de limites de 2SP-015.199/O-6. Alexandre De Labetta Filho - Contador mento da Seguridade Social (COFINS) - alíquota 7,60%. Amortização acumulada..... – 6.097 6.629 exposição por cliente, os quais são revisados periodicamente. CRC 1SP-182.396/O-2. h) Julgamentos, estimativas e premissas contábeis significati- Ativo diferido.......................


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

terça-feira, 10 de abril de 2012

O Índice de Preços ao Produtor Amplo teve influência muito destacada da soja. Salomão Quadros, coordenador de análises do Ibre/FGV

conomia

IGP-DI sobe 0,56% em março Inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna chega a 0,93% no ano e a 3,32% em 12 meses

A

inflação medida pelo Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI) subiu 0,56% em março, após ter registrado leve alta de 0,07% em fevereiro. O resultado foi

anunciado ontem pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). A taxa ficou dentro das estimativas dos analistas do mercado financeiro, que esperavam uma elevação entre 0,42% e 0,60%, com mediana

de 0,51%. Com o resultado divulgado ontem, o indicador acumula altas de 0,93% no ano e de 3,32% em 12 meses. Embora não seja mais usada para reajustar a tarifa de telefone, a ta-

CONCAIS S.A.

xa acumulada do IGP-DI ainda é usada como indexadora das dívidas dos estados com a União. A FGV informou os resultados dos três indicadores que compõem o IGP-DI. O Índices

CNPJ/MF 02.092.233/0001-97

RELATÓRIO DA DIRETORIA: Senhores acionistas: AAdministração da Concais S.A., em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submete à apreciação dos acionistas o Relatório da Administração e as correspondentes Demonstrações financeiras, acompanhada do parecer dos Auditores Independentes, correspondentes aos exercícios findos em 31/12/2011 e de 2010, elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Nesta oportunidade a Presidência, a Diretoria e a Administração da Concais S.A. expressam os agradecimentos a todos aqueles que de alguma forma contribuíram à Companhia, possibilitando assim o sucesso da Concais no mercado nacional e em especial reconhecemos as contribuições e confiança de nossos participantes, nossos acionistas, nossos clientes, nossos fornecedores, nossos parceiros, nossos funcionários e nossos colaboradores pelo empenho e dedicação, e em especial a Autoridade portuária Companhia Docas do Estado de São Paulo - Codesp. São Paulo 09/03/2012. A Diretoria. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31/12/2011 E 2010 (Em MR$) DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO EM 31/12/2011 E 2010 (Em MR$) DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA EM 31/12/2011 E 2010 (Em MR$) Ativo Notas 2011 2010 Reserva de lucros 13.405 8.010 Capital social Res. legal Res. estatutárias Lucros retidos Lucros acumulados Total Das atividades operacionais .................... 2011 2010 Circulante.................................. Caixa e equivalentes de caixa.. 4 5.520 1.922 Saldos em 31/12/2009.......... 4.520 904 2.842 24.202 – 32.468 Lucro líquido antes do IR e contrib. social 31.436 23.697 Títulos e valores mobiliários..... – 494 – Distribuição de lucros ............ – – – (24.182) – (24.182) Ajustes p/conciliar o res. às disp. ger. Contas a receber de clientes.... 5 7.189 5.572 Lucro líq. do exercício ........... – – – – 17.946 17.946 p/ativ. operac.: Tributos a recuperar ................. – 75 396 Const. de res. estatutária – – 897 – (897) – Depreciações ............................................ 4.344 3.290 Despesas antecipadas............. – 96 92 Dividendos mínimos propostos – – – – (5.116) (5.116) Juros e variações monet. e cambiais líq. .. 3.613 (207) – – – 11.933 (11.933) – Outros créditos......................... – 31 28 Retenção de lucros................ Provisão para demandas judiciais............. 2.952 1.576 28.314 27.224 Saldos em 31/12/2010.......... 4.520 904 3.739 11.953 – 21.116 Decréscimo/(acréscimo) em ativos Não circulante........................... Partes relacionadas.................. 6 1.947 256 Lucro líq. do exercício ........... – – – – 23.429 23.429 Títulos e valores mobiliários...................... (494) – Imobilizado ............................... 7 26.367 26.968 Rev. de res. estatutária.......... – – (2.383) – 2.383 – Contas a receber de clientes..................... (1.617) (3.073) 41.719 35.234 Dividendos mínimos propostos Total do ativo ............................ – – – – (7.029) (7.029) Impostos a recuperar ................................ 321 (393) – – – – (30.736) (30.736) Outros créditos.......................................... (3) (28) Notas 2011 2010 Dividendos adicionais............ Passivo – – – (11.953) 11.953 – Despesas antecipadas.............................. (4) (38) Circulante................................. 11.654 10.126 Distribuição de lucros ............ 4.520 904 1.356 – – 6.780 (Decréscimo)/acréscimo em passivos Empréstimos e financiamentos 8 1.371 970 Saldos em 31/12/2011.......... Fornecedores ............................................ 231 903 Fornecedores .......................... – 3.881 3.650 Obrig. tributárias e trabalhistas 9 4.398 2.604 são registradas tendo como base as melhores estimativas do Cesar Floriano, Logística Ltda. (3) Financiamento FINIMP Obrigações trabalhistas e tributárias......... (723) (2.014) 991 50 Outras contas a pagar............. – 1.183 192 risco envolvido. Os ativos e passivos são classificados como para investimento em equipamentos tipo scanner de inspeção Contas a pagar.......................................... 251 (1.299) Dividendos a pagar ................. 11.2 821 2.710 circulantes, quando sua realização ou liquidação é provável Raios-X em moeda estrangeira no total de USD 150, por meio Dividendos a pagar ................................... que ocorra nos próximos 12 meses. Caso contrário, são dede contrato celebrado com Santander Brasil S.A. com taxa Caixa líq. prov. das ativ. operacionais..... 41.298 22.464 23.285 3.992 Não circulante.......................... Empréstimos e financiamentos 8 18.692 2.351 monstrados como não circulantes. l) Instrumentos financeiros: de juros prefixa de 4,66% anuais, acrescido do custo LIBOR IR e contribuição social pagos .................. (5.490) (4.494) Prov. para demandas judiciais 10 4.593 1.641 I. Reconhecimento inicial e mensuração - Os instrumentos fi- com vencimento em uma única parcela em 11/10/2012, tendo Caixa líquido ger. nas ativ. operacionais 35.808 17.970 6.780 21.116 nanceiros somente são reconhecidos a partir da data em que como garantidor da operação os acionistas Aba Infraestrutura, Fluxo de caixa das atividades de invest. Patrimônio líquido................... Capital social........................... 11.1 4.520 4.520 a Companhia se torna parte das disposições contratuais dos Carlos Cesar Floriano, Logística Ltda. (4) Financiamento para Aquisição de imobilizados ......................... (3.743) (8.208) Reservas de lucros.................. – 2.260 16.596 mesmos. No momento do reconhecimento inicial, os ativos fi- investimento em equipamentos na modalidade FINAME, com Caixa líquido aplicado nas ativ. de invest. (3.743) (8.208) Total do passivo ...................... 41.719 35.234 nanceiros são classificados como ativos financeiros a valor taxa de juros anuais 10,05% e correção pela UR TJLP com Fluxo de caixa das ativ. de financ. justo por meio do resultado, empréstimos e recebíveis, inves- vencimento mensal até 15/11/2012, tendo como garantidor Amortização de emprést. e financiamentos (1.507) (730) DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO 161 timentos mantidos até o vencimento, ativos financeiros dispo- da operação os acionistas Aba Infraestrutura, Carlos Cesar Ingressos de emprést. e financiamentos... 14.636 EM 31/12/2011 E 2010 (Em MR$) (569) níveis para venda; e os passivos financeiros são classificados Floriano, Logística Ltda. (5) Financiamentos para investimentos Caixa líquido gerado nas ativ. de financ. 13.129 Notas 2011 2010 como passivo financeiro a valor justo por meio do resultado. em equipamentos na modalidade FINAME, com taxa de juros Fluxo de caixa das ativ. de financ. Receita operacional líquida........... 12 66.094 47.035 II. Mensuração subsequente - A mensuração subsequente dos anuais prefixada de 4,50% a.a. com vencimento mensal até com acionistas Custo da prestação de serviços ....... 13 (20.560) (16.767) instrumentos financeiros depende da classificação de ativos e 15/09/2013, tendo como garantidor da operação os acionistas Contas a receber de partes relacionadas . (1.691) 12.227 Resultado bruto ................................ 45.534 30.268 passivos financeiros, que pode ser da seguinte forma: • Ativos Aba Infraestrutura, Carlos Cesar Floriano, Logística Ltda. Os Distribuição de dividendos ........................ (39.905) (29.298) Despesas e receitas operacionais: financeiros - os principais ativos financeiros reconhecidos pela empréstimos e financiamentos de longo prazo vencem como Caixa líq. utilizado p/ativ. de financ. com Desp. administrativas e comerciais .. 14 (11.213) (6.925) Companhia são: caixa e equivalentes de caixa, contas a rece- seguem: Período - 2011: 2013 - 5.565; 2014 - 5.525; 2015 - acionistas................................................... (41.596) (17.071) Despesas financeiras ....................... 15.1 (6.281) (1.088) ber de clientes e outros ativos. São classificados de acordo 5.183; 2016 - 2.419; Total - 18.692. Aumento/(redução) líq. de caixa e Receitas financeiras ......................... 15.2 3.396 1.442 com o propósito para os quais foram adquiridos. Ativos finan- 9. Obrigações tributárias e trabalhistas 2011 2010 equiv. de caixa ......................................... 3.598 (7.878) (14.098) (6.571) ceiros mensurados ao valor justo por meio do resultado - In- IRPJ/CSLL............................................... 2.517 1.678 Caixa e equivalentes de caixa Lucro líq. do exerc. antes do IR e CS 31.436 23.697 cluem ativos financeiros mantidos para negociação e ativos ISS........................................................... 468 217 No início do exercício................................ 1.922 9.800 IR e contribuição social .................... 17 (8.007) (5.751) designados no reconhecimento inicial ao valor justo por meio COFINS................................................... 595 312 No final do exercício.................................. 5.520 1.922 Lucro líquido do exercício................. 23.429 17.946 do resultado. A cada data do balanço são mensurados pelo seu INSS ........................................................ 103 84 Aumento/(redução) líq. de caixa e 192 98 equiv. de caixa ......................................... 3.598 (7.878) Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras em valor justo. Os juros, correção monetária, a variação cambial e Salários.................................................... PIS........................................................... 129 68 as variações decorrentes da avaliação ao valor justo são reco31/12/2011 e 2010 (Em MR$, exceto quando indicado de outra 308 72 flutue devido a variações nas taxas de câmbio. A exposição forma): 1. Contexto operacional: A Concais S.A. “Companhia” nhecidos no resultado quando incorridos, na data contábil de Provisão para férias e encargos.............. 34 26 da Companhia ao risco de variações nas taxas de câmbio foi constituída em 04/08/1997 com o objetivo de exploração, receitas e despesas financeiras. • Passivos financeiros - os IRRF ........................................................ 23 9 refere-se exclusivamente ao empréstimo obtido mencionado mediante contrato de arrendamento para exploração de insta- principais passivos financeiros reconhecidos pela Companhia FGTS....................................................... 29 40 na nota 8. Risco de liquidez - A Companhia acompanha o risco lação portuária, com utilização de área correspondente a são: contas a pagar de fornecedores, empréstimos e financia- Outros...................................................... 4.398 2.604 de escassez de recursos, para que haja recursos financeiros 43.227,03 m² sob administração da Companhia Docas do Es- mentos e saldos com partes relacionadas. São classificados disponíveis para o devido cumprimento de suas obrigações, 2011 2010 tado de São Paulo - CODESP, situada em Outeirinhos, na de acordo com a natureza dos instrumentos financeiros con- 10. Provisão para demandas judiciais 3.378 1.304 substancialmente concentrada nos financiamentos firmados margem direita do Porto de Santos. Objeto do contrato de ar- tratados: (i) Passivos financeiros mensurados ao valor justo por Tributário (1) .......................................... 1.308 491 junto a instituições financeiras. O quadro a seguir demonstra rendamento PRES/022.98 e seus aditivos celebrados entre a meio do resultado: incluem passivos financeiros usualmente Trabalhistas (2)...................................... 27 77 o vencimento dos passivos financeiros contratados pela ComCompanhia Docas do Estado de São Paulo - CODESP e negociados antes do vencimento, passivos designados no re- Cíveis .................................................... 31 – panhia, no balanço consolidado, onde os valores apresentados Concais S.A.. A Companhia tem sua sede e foro na cidade de conhecimento inicial ao valor justo por meio do resultado. A Administrativo........................................ incluem o valor do principal e dos juros futuros incidentes nas cada data do balanço são mensurados pelo seu valor justo. Os (151) (231) Depósitos judiciais trabalhistas ........... São Paulo, no Estado de São Paulo, na Rua Gomes de Car4.593 1.641 operações, calculados utilizando-se as taxas e índices vigentes valho, 1306, 8º andar, sala 83, Vila Olímpia, CEP 04547-005 e juros, correção monetária, a variação cambial e as variações na data de 31/12/2011: decorrentes da avaliação ao valor justo são reconhecidos no TribuTrabaAdminisDepósitos filial na Cidade de Santos, Estado de São Paulo, na Avenida 2012 2013 em diante Total tárias lhistas Cíveis trativo judiciais Fornecedores ........................ 3.881 Cândido Gaffreé, s/ nº Armazém nº 25 interno, Porto de Santos, resultado quando incorridos, na data contábil de receitas e - 3.881 despesas financeiras; (ii) Empréstimos e financiamentos: após Saldo em Terminal de Passageiros, na Cidade de Santos, Estado de São 1.371 18.692 20.063 Empréstimos e financiamentos 491 77 – (231) Paulo. O prazo de arrendamento é de 20 anos renovável, uma reconhecimento inicial, os empréstimos e financiamentos estão 31/12/2010. 1.304 5.252 18.692 23.944 sujeitos a juros e são mensurados subsequentemente pelo Adições...... 2.074 817 – 31 – única vez, por igual período de tempo, conferindo o direito de – – (50) – 80 A projeção orçamentária para os próximos exercícios aprovada operar o Terminal, contados a partir da data de assinatura do custo amortizado, utilizando o método da taxa efetiva de juros. Reversões . pela Administração da Companhia demonstra capacidade de contrato de arrendamento. 2. Base de elaboração e apresen- Ganhos e perdas são reconhecidos na demonstração do resul- Saldo em 27 31 (151) cumprimento das obrigações, caso este seja concretizado. tação das demonstrações financeiras: As demonstrações tado no momento da baixa dos passivos, bem como durante o 31/12/2011. 3.378 1.308 processo de amortização pelo método da taxa efetiva de juros; (1) A provisão tem por objeto a cobrança do Imposto Territorial A estrutura de capital da Companhia é formada pelo endifinanceiras da Companhia para os exercícios findos em vidamento líquido, composto pelo saldo de empréstimos e 31/12/2011 e de 2010 foram preparadas de acordo com as (iii) Outros passivos financeiros: os juros, atualização monetá- - IPTU referente aos anos de 2000 a 2003, incidente sobre o financiamentos (Nota Explicativa nº 8), deduzidos pelo saldo práticas contábeis adotadas no Brasil que compreendem os ria e variação cambial, quando aplicáveis, são reconhecidos imóvel situado em Santos, Estado de São Paulo, inscrito perante de caixa e equivalentes de caixa (Nota Explicativa nº 4), e pelo pronunciamentos do Comitê de Pronunciamentos Contábeis no resultado quando incorridos, na conta contábil de receitas o cadastro imobiliário municipal, em fase de execução fiscal. saldo do patrimônio líquido, incluindo o saldo de capital e todas (CPC), aprovados pelo Conselho Federal de Contabilidade ou despesas financeiras. A Companhia classifica nessa cate- (2) Referem-se à reclamação trabalhista em trâmite no tribunal as reservas constituídas. O índice de endividamento líquido da (CFC). As demonstrações financeiras da Companhia foram goria os passivos relativos a fornecedores e contas a pagar e e justiça de São Paulo sobre horas extras e seus reflexos. Companhia é composto da seguinte forma: elaboradas em diversas bases de avaliação utilizadas nas outras obrigações. III. Redução ao valor recuperável de ativos Durante o curso normal de seus negócios, a Companhia fica 2011 2010 estimativas contábeis. As estimativas contábeis envolvidas na financeiros - A Companhia avalia na data do encerramento do exposta a certas provisões e riscos, que incluem processos Caixa, equivalentes de caixa................... 5.520 1.922 preparação das demonstrações financeiras foram baseadas exercício se há alguma evidência objetiva, que determine se o tributários, trabalhistas e cíveis, em discussão. As declarações Empréstimos e financiamentos ............... (20.063) (3.321) ativo financeiro ou grupo de ativos financeiros não é recuperáde rendimentos estão sujeitas à revisão e aceitação final pelas em fatores objetivos e subjetivos, com base no julgamento da Endividamento líquido ............................. (14.543) (1.399) Administração para determinação do valor adequado a ser vel. Um ativo financeiro ou grupo de ativos financeiros é con- autoridades fiscais, por período prescricional de cinco anos. Patrimônio líquido ................................... 6.780 21.116 registrado nas demonstrações financeiras. Os itens significati- siderado como não recuperável se, e somente se, houver Outros encargos tributários e previdenciários, referentes a Índice de endividamento líquido.............. (0,47) (0,07) vos sujeitos a essas estimativas e premissas incluem a seleção evidência objetiva de ausência de recuperabilidade como re- períodos variáveis de tempo, também estão sujeitos a exame de vidas úteis do ativo imobilizado e de sua recuperabilidade sultado de um ou mais eventos que tenham acontecido depois e aprovação final pelas autoridades fiscais. 11. Patrimônio 17. Imposto de renda e contribuição social: Adoção pelo lucro presumido: A Companhia adotou do lucro presumido tributando nas operações, avaliação dos ativos financeiros pelo valor do reconhecimento inicial do ativo, e este evento de perda tenha líquido: 11.1. Capital social: O capital social, subscrito e intejusto e pelo método de ajuste a valor presente, análise do risco impacto no fluxo de caixa futuro estimado do ativo financeiro gralizado é de R$4.520 e está representado por 37.000 ações as receitas auferidas por regime de competência, observando de crédito para determinação da provisão para redução ao ou do grupo de ativos financeiros que possa ser razoavelmen- sendo 13.320 ações ordinárias e 23.680 ações preferenciais, os critérios estabelecidos pela legislação fiscal vigente e pelas valor recuperável, assim como da análise dos demais riscos te estimado. Foi constituída provisão para redução ao valor todas nominativas, sem valor nominal e indivisíveis em relação alíquotas regulares de 15%, acrescida de adicional de 10% para determinação de outras provisões, inclusive para deman- recuperável para as contas a receber, cuja recuperação é à Companhia. 11.2. Reservas estatutárias: Foi aprovada em para o imposto de renda e de 9% para a contribuição social, das judiciais e administrativas. A liquidação das transações considerada duvidosa, levando-se em conta os valores vencidos AGE realizado, em 29/12/2011, a alteração e reforma do artigo conforme facultado pela legislação tributária, respeitado o limite envolvendo essas estimativas poderá resultar em valores di- há mais de 120 dias. Informações referentes à abertura das 25 do Estatuto Social dispondo a nova redação do parágrafo de receitas anual do exercício anterior inferior a R$48.000. Para vergentes dos registrados nas demonstrações financeiras de- contas a receber em valores a vencer e vencidos, além da (b) 5% do lucro do exercício serão aplicados para formação estas companhias, a base de cálculo do imposto de renda é vido ao tratamento probabilístico inerente ao processo de movimentação da provisão para redução ao valor recuperável de reserva estatutária para atender encargos trabalhistas e calculada a razão de 32% quando a receita for proveniente previdências, até atingir o limite de 20% do capital subscrito, da prestação de serviços e de 100% das receitas financeiras, mensuração das estimativas e premissas pelo menos anual- estão demonstradas na Nota 5. 2011 2010 nesta mesma AGE, foi deliberado pela reversão da reserva sobre as quais se aplicam as alíquotas regulares do respectivo mente. As demonstrações financeiras foram aprovadas pela 4. Caixa e equivalentes de caixa 5.414 1.813 excedente, no montante de R$2.383. 11.3. Dividendos: Aos imposto de renda e contribuição: diretoria da Companhia em 09/03/2012, considerando os Bancos..................................................... 2011 2010 88 89 acionistas é garantido estatutariamente um dividendo mínimo eventos subsequentes ocorridos até esta data, que tiveram Poupança ................................................ Lucro Lucro 18 20 obrigatório de 25% do lucro líquido do exercício, e de 5% das Imposto de Renda e efeito sobre as divulgações das referidas demonstrações. Caixa ....................................................... presumido presumido contribuição social corrente 5.520 1.922 ações preferenciais, totalizando 30% de dividendos mínimos Moeda funcional: A moeda funcional da Companhia apresenReceita de serviços ....................... 70.783 50.207 tada nas demonstrações financeiras é o (Real). 3. Sumário Caixa e equivalentes de caixa incluem dinheiro em caixa, obrigatórios, ajustado nos termos da legislação societária. 2011 2010 Base de cálculo lucro das principais práticas contábeis: a) Reconhecimento de depósitos bancários e aplicação financeira de curto prazo, de presumido (32%) 22.651 16.066 receita custos e despesas: A receita é reconhecida na extensão alta liquidez, que é prontamente conversível em um montante Lucro líquido do exercício...................... 23.429 17.946 Receitas financeiras (100%).......... 886 778 em que for provável que benefícios econômicos serão gerados conhecido de caixa e que está sujeita a um insignificante risco Deduções: Outras receitas (100%).................. 83 142 Reserva estatutária ............................... – (897) para a Companhia e quando possa ser mensurada de forma de mudança de valor. 23.620 16.986 Base de cálculo presumida ........... confiável. A receita é mensurada com base no valor justo da 5. Contas a receber de clientes 2011 2010 Base de cálculo dos dividendos ............ 23.429 17.049 (8.007) (5.751) Total IRPJ/CSLL ............................ 7.029 5.116 contraprestação recebida, excluindo descontos, abatimentos e Clientes....................................................... 7.298 5.681 Dividendos mínimos obrigatórios 30% .. – 18. Seguros: AAdministração da Companhia adota uma política impostos ou encargos sobre vendas. A Companhia avalia as Provisão para redução ao valor recuperável (109) (109) Dividendos adicionais propostos........... 30.736 5.116 de seguros que considera principalmente a concentração de transações de receita de acordo com os critérios específicos 7.189 5.572 Soma dividendos propostos .................. 37.765 para determinar se está atuando como agente ou principal e, A seguir são demonstrados os saldos de contas a receber de Liquidados no respectivo exercício ....... (36.944) (2.405) riscos e relevância por montantes considerados suficientes, Total de dividendos a pagar................... 821 2.710 levando em conta a natureza de sua atividade e a orientação ao final, concluiu que está atuando como principal em todos os cliente por idade de vencimento: de seus consultores de seguros: seus contratos de receita. Os critérios específicos, a seguir, Aging list 2011 2010 Na AGE realizada em 08/08/2011, a Companhia deliberou Locais dos riscos Valor em risco devem também ser satisfeitos antes de haver reconhecimento A vencer até 30 dias................................ 7.189 5.572 pelo pagamento de dividendos intermediários no valor total de Av. Candido Gafreé s/ nº Armazém 25 de receita: As receitas são apresentadas nos resultados dos Vencidos há mais de 120 dias................. 109 109 R$16.500, aos acionistas utilizando de reserva estatutária apu- Santos/SP...................................................... R$15.000 exercícios pelo seu valor líquido, ou seja, excluem os impostos 7.298 5.681 rados em balanço especial levantado em 30/06/2011. Na AGE Modalidade: Empresarial; Companhia: ALLIANS; Vigência: incidentes sobre as mesmas e são reconhecidas com base nos 6. Partes relacionadas: Saldos com partes relacionadas: realizada em 29/12/2011, foram aprovados e deliberados sobre 04/11/2011 a 04/11/2012. contratos de armazenagem, pelo período contratual vigente, Prazo 2011 2010 a destinação do saldo de lucros acumulados e saldo de lucros Coberturas LMI R$MIL Franquias em função de sua efetiva prestação. O resultado das operações Retroporto Ltda. ..................... 2 anos 1.947 256 apurados em balanço de 31/12/2011, que seja 100% destinados Incêndio, raio, 10% c/mínimo é apurado em conformidade com o regime contábil de compe1.947 256 para pagamento de dividendos adicionais aos acionistas. tência sendo os custos compostos por custos portuárias, custos As operações com partes relacionadas celebrada por contrato 12. Receitas operacionais líquidas 2011 2010 explosão ................................... 15.000 de R$ 5 Vendaval, Ciclone, Fumaça, 10% c/mínimo de arrendamento, pessoal, encargos sociais, serviços de ter- de mútuo com pessoas ligadas (físicas e jurídicas) com amor- Armadores............................................... 66.727 46.694 6.000 de R$ 30 ceiros, manutenções, amortizações de ativos entre outros in- tizações periódicas, corrigidos mensalmente à taxa de 100% Locações de espaços e publicidade ....... 2.456 1.999 Tornado, Granizo...................... 10% c/mínimo sumos relacionados às operações portuárias estão demons- do CDI. Remuneração da administração: Em 31/12/2011, a Estacionamentos..................................... 1.600 1.514 4.000 de R$ 2.5. tradas separadamente das despesas operacionais e são remuneração da diretoria e dos administradores da Companhia Impostos sobre prestação de serviço...... (4.689) (3.172) Danos Elétricos ........................ Queda de aeronave.................. 13.000 não aplicavel registradas no exercício em que incorrerem. b) Caixa e equi- é composta por: 66.094 47.035 Impacto de veiculos nos 10% c/mínimo valentes de caixa: Caixa e equivalentes de caixa incluem di2011 2010 armazéns.................................. 2011 2010 13. Custos da prestação de serviços 3.500 de R$ 2 nheiro em caixa, depósitos bancários de alta liquidez e aplica- Remuneração da administração.............. 697 498 Movimentação de passageiros................ (8.228) (6.971) Instalação em 10% c/mínimo ções financeiras. A Companhia considera equivalentes de 697 498 Serviços contratados de terceiros ........... (3.865) (3.546) novo local ................................. 60 de R$ 2 caixa uma aplicação financeira de conversibilidade imediata Depreciação e amortização..................... (4.192) (3.142) Lucros Cessantes, Decorrentes Período de em um montante conhecido de caixa e estando sujeita a um Arrendamento.......................................... (1.159) (962) básicos ..................................... 15.000 07 dias 7. Imobilizado 2011 2010 depreciação insignificante risco de mudança de valor. c) Títulos e valores (602) RC guarda de veículo 20 anos 36.948 33.660 Pessoal e respectivos encargos.............. (1.443) R$ 2 Veiculo mobiliários: Aplicações financeiras vinculadas à linha de finan- Benfeitorias e instalações..... (152) (592) cobertura exclusiva de incêndio 10 anos 3.074 2.721 Manutenção............................................. Nac. R$ 4 Imp. ciamentos com risco insignificante de mudança de seu valor Máquinas e equipamentos ... Energia elétrica........................................ (526) (447) e roubo ..................................... 10 anos 602 577 700 R$ 7 utilitários de mercado. Essas aplicações são classificadas na categoria Móveis e utensílios............... Gastos gerais .......................................... (785) (279) Modalidade: Responsabilidade Civil Geral; Companhia: Computadores e periféricos . 5 anos 654 577 “Ativos financeiros ao valor justo por meio do resultado”. (99) (155) ALLIANS; Vigência: 04/11/2011 a 04/11/2012. – 32 32 Água ........................................................ d) Contas a receber de clientes: Estão apresentadas a valores Outros................................... (111) (71) 41.310 37.567 Seguros ................................................... Coberturas LMI R$MIL Franquias de realização e, quando necessário, serão constituídas provi- Subtotal custo do ativo imob. (20.560) (16.767) – (14.943) (10.599) Operação do terminal.. 10.000 10% c/mínimo de R$ 2 sões para perdas com base na análise dos riscos de realização, Depreciação acumulada....... Ativo imobilizado líquido....... – 26.367 26.968 14. Despesas administrativas e comerciais 2011 2010 Danos Morais .............. 2.000 não aplicavel em montante considerado suficiente pela Administração para 4.500 10% c/mínimo de R$ 2 cobrir eventuais perdas na realização dos recebíveis. e) Imo- Taxas de depreciação: A Companhia efetuou a revisão da vida Serviços consultoria e assessorial .............. (4.599) (2.586) Empregador................. 1.620 não aplicavel bilizado: O imobilizado é registrado pelo custo de aquisição. As útil de seus principais ativos e concluiu que não existem dife- Demandas judiciais e administrativas ......... (2.872) (1.576) Outros.......................... depreciações são computadas pelo método linear e reconhe- renças relevantes na taxa de depreciação utilizadas atualmente. Pessoal, e respectivos encargos ................ (1.978) (1.543) Modalidade: Garantia de obrigações contratuais; Companhia: Gastos gerais .............................................. (1.060) (534) Nobre Seguradora; Vigência: 08/01/2012 a 08/01/2013; Imporcidas no resultado do exercício de acordo com as taxas men- Movimentação do imobilizado: Custo - 2011 2010 Adições 2011 Propaganda e publicidade........................... (552) (429) tância Segurada: R$396. As premissas de riscos adotadas, cionadas na Nota Explicativa nº 7 e leva em consideração o 3.288 36.948 Depreciação e amortização......................... (152) (148) dada a sua natureza, não fazem parte do escopo da auditoria tempo da vida útil-econômica estimada dos bens e o período Benfeitorias em instalações....... 33.660 – (109) das demonstrações financeiras consequentemente, não foram 353 3.074 Provisão para perdas de contas a receber.. de concessão diante a Companhia Docas do Estado de São Máquinas e equipamentos ........ 2.721 (11.213) (6.925) auditadas pelos nossos auditores independentes. 577 25 602 Paulo - CODESP. Um item do imobilizado é baixado quando Móveis e utensílios.................... Computadores e periféricos ...... 577 77 654 15. Despesas e receitas financeiras 2011 2010 vendido ou quando nenhum benefício econômico-futuro for Diretoria: Carlos César Floriano - Diretor Presidente; Flávio 32 – 32 16.1 Despesas financeiras esperado do seu uso ou venda. Eventual ganho ou perda re- Outros........................................ 3.743 41.310 Variação cambial passiva ........................ (5.304) (531) Borges Brancato - Diretor Operações. Contador: Ivan Santo sultante da baixa do ativo (calculado como sendo a diferença Total........................................... 37.567 Custo - 2010 2009 Adições 2011 Juros sobre empréstimos ........................ (815) (436) Raimundo Peppe - CRC-1SP110836/0-7 entre o valor líquido da venda e o valor contábil do ativo) são 8.142 33.660 Outras...................................................... (162) (121) RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE incluídos na demonstração do resultado, no exercício em que Benfeitorias em instalações....... 25.518 (6.281) (1.088) AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS: Aos Administradores – 2.721 o ativo for baixado. f) Avaliação do valor recuperável de ativos Máquinas e equipamentos ........ 2.721 461 116 577 16.2 Receitas financeiras e Acionistas da Concais S/A: Examinamos as demonstrações (teste de “impairment”): A Administração revisa anualmente o Móveis e utensílios.................... 555 22 577 Variação cambial ativa............................. 2.510 664 financeiras da Concais S/A “Companhia”, que compreendem o valor contábil líquido de seus principais ativos, com o objetivo Computadores e periféricos ...... 104 (72) 32 Rendimentos aplicação financeira........... 654 748 balanço patrimonial em 31/12/2011 e as respectivas demonsde avaliar eventos ou mudanças nas circunstâncias econômi- Outros........................................ 8.208 37.567 Outras...................................................... 232 30 trações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e cas, operacionais ou tecnológicas, que possam indicar deterio- Total........................................... 29.359 Depreciação - 2011 2010 Adições 2011 3.396 1.442 dos fluxos de caixa, para o exercício findo naquela data, assim ração ou perda de seu valor recuperável. Quando estas eviBenfeitorias em instalações....... (8.821) (3.931) (12.752) Financeiras líquidas (2.885) 354 como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas dências são identificadas e o valor contábil líquido excede o (263) (1.429) 16. Gerenciamento de riscos e instrumentos financeiros: explicativas. Responsabilidade da Administração sobre as valor recuperável, é constituída provisão para deterioração, Máquinas e equipamentos ........ (1.166) (238) (52) (290) Gerenciamento de riscos: A Companhia participa de opera- demonstrações financeiras: A Administração da Companhia ajustando o valor contábil líquido ao valor recuperável. g) Tri- Móveis e utensílios.................... (374) (98) (472) ções envolvendo instrumentos financeiros, todos registrados é responsável pela elaboração e adequada apresentação das butação: Impostos sobre as vendas - As receitas de vendas de Computadores e periféricos ...... – – – em contas patrimoniais, que se destinam a atender as suas demonstrações financeiras de acordo com as práticas contábeis serviços estão sujeitas aos seguintes impostos e contribuições, Outros........................................ pelas seguintes alíquotas básicas: • Imposto sobre Serviços Total........................................... (10.599) (4.344) (14.943) necessidades operacionais, bem como a reduzir a exposição adotadas no Brasil, assim como pelos controles internos que Depreciação 2010 2009 Adições 2010 a riscos financeiros, principalmente de crédito e aplicações ela determinou como necessários para permitir a elaboração (ISS) - alíquota 3%; • Programa de Integração Social (PIS) alíquota 0,65%; • Contribuição para Financiamento da Segu- Benfeitorias em instalações....... (5.883) (2.938) (8.821) de recursos, riscos de mercado (câmbio e juros) e risco de dessas demonstrações financeiras livres de distorção relevante, (906) (260) (1.166) liquidez, ao qual a Companhia entende que está exposta, de independentemente se causada por fraude ou erro. Responsaridade Social- alíquota (COFINS) 3,00%. h) Julgamentos, es- Máquinas e equipamentos ........ (189) (49) (238) acordo com sua natureza dos negócios e estrutura operacional. bilidade dos Auditores Independentes: Nossa responsabilidatimativas e premissas contábeis significativas: Julgamentos - A Móveis e utensílios.................... (276) (98) (374) AAdministração desses riscos é efetuada por meio de definição de é a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações preparação das demonstrações financeiras da Companhia Computadores e periféricos ...... (55) 55 – de estratégias elaboradas e aprovadas pela Administração da financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo requer que a Administração faça julgamentos e estimativas e Outros........................................ adote premissas que afetam os valores apresentados de recei- Total........................................... (7.309) (3.290) (10.599) Companhia, atreladas ao estabelecimento de sistemas de con- com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas 2011 2010 trole e determinação de limite de posições. Não são realizadas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos tas, despesas, ativos e passivos, bem como as divulgações de 8. Empréstimos e financiamentos – operações envolvendo instrumentos financeiros com finalidade auditores e que a auditoria seja planejada e executada com o passivos, na data-base das demonstrações financeiras. Con- Santander S.A. IN US Dollars (1) ............ 17.148 2.446 2.917 especulativa. Adicionalmente, a Companhia procede com a objetivo de obter segurança razoável de que as demonstrações tudo, a incerteza relativa a essas premissas e estimativas po- Bradesco - Swap (2)................................ 285 – avaliação tempestiva da posição consolidada acompanhando os financeiras estão livres de distorção relevante. Uma auditoria enderiam levar a resultados que requeiram ajustes ao valor Santander S.A. FINIMP (3)...................... 93 195 resultados financeiros obtidos, avaliando as projeções futuras, volve a execução de procedimentos selecionados para obtenção contábil do ativo ou passivo, afetado em períodos futuros. Bradesco - FINAME (4) ........................... 91 145 como forma de garantir o cumprimento do plano de negócios de evidência a respeito dos valores e divulgações apresentados i) Empréstimos e financiamentos: Os empréstimos e financia- Safra - FINAME (5).................................. – 64 definido e monitoramento dos riscos aos quais está exposta. nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados Bradesco FINIMP.................................. mentos estão sujeitos à atualização monetária, segundo os 20.063 3.321 As descrições dos riscos da Companhia são descritos a seguir: dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos índices contratuais. Os juros incorridos são reconhecidos 18.692 2.351 Não circulante.......................................... “pro-rata temporis”. j) Ativos contingentes e provisão para deRiscos de mercado - O risco de mercado é o risco de que o riscos de distorção relevante nas demonstrações financeiras, 1.371 970 valor justo dos fluxos de caixa de um instrumento financeiro independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa mandas judiciais e administrativas: As práticas contábeis para Circulante ................................................ registro e divulgação de ativos e passivos são as seguintes: (1) Recursos obtidos em moeda estrangeira no montante de flutue devido a variações nos preços de mercado. Os preços avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos • Ativos contingentes: são reconhecidos somente quando há USD 9.030, por meio de contrato de câmbio celebrado em de mercado são afetados por dois tipos de risco: risco de taxa relevantes para a elaboração e adequada apresentação das garantias reais ou decisões judiciais favoráveis, transitadas em 05/05/2011, certificado de registro Banco Central do Brasil de juros e risco de variação cambial. Instrumentos financeiros demonstrações financeiras da Companhia para planejar os julgado. Os ativos com êxitos prováveis são apenas divulgados “Fixad rate Note” com repasse do Banco Santander (Brasil) afetados pelo risco de mercado incluem aplicações financeiras, procedimentos de auditoria que são apropriados nas circunsem nota explicativa; • Passivos: são provisionados quando as S.A., para financiamento de capital de giro, ao custo LIBOR contas a receber de clientes, contas a pagar e empréstimos a tâncias, mas não para fins de expressar uma opinião sobre a perdas forem avaliadas como prováveis de desembolso de mais juros de 4,60% a.a com amortizações semestrais a partir pagar. Risco de crédito - O risco de crédito é o risco de a con- eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria caixa futuro e os montantes envolvidos forem mensuráveis com do 24º mês, e amortização semestral dos juros a partir da traparte de um negócio não cumprir uma obrigação prevista em inclui, também, a avaliação da adequação das práticas contábeis suficiente segurança. Os passivos avaliados como sendo de data de contratação, calculados pela cotação da taxa cambial um instrumento financeiro ou contrato com cliente, o que levaria utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela perdas possíveis, são apenas divulgados em nota explicativa, do dólar EUA, divulgada pelo Banco Central do Brasil, esse ao prejuízo financeiro. A Companhia está exposta ao risco de Administração, bem como a avaliação da apresentação das e os passivos avaliados como de perdas remotas, não são contrato de moeda a termo não é designado como “hedge” de crédito em suas atividades operacionais (principalmente com demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos provisionados e, tampouco, divulgados. k) Outros ativos e fluxo de caixa, “hedge” de valor justo ou “hedge” de investimento relação a contas a receber). Em 31/12/2011, o valor máximo que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para passivos (circulantes e não circulantes): Um ativo é reconhe- líquido, sendo celebrado por períodos consistentes com as exposto pela Companhia ao risco de crédito corresponde ao fundamentar nossa opinião. Opinião sobre as demonstrações cido no balanço patrimonial quando for provável que seus be- exposições da transação em moeda, tendo como garantidor valor contábil das contas a receber de clientes, demonstrado financeiras: Em nossa opinião, as demonstrações financeiras nefícios econômicos-futuros serão gerados em favor da da operação os acionistas Aba Infraestrutura, Carlos Cesar na nota 5. Os riscos de crédito nas atividades operacionais acima referidas apresentam adequadamente, em todos os Companhia, e seu custo ou valor, puder ser mensurado com Floriano, Logística Ltda. (2) Esta operação de empréstimo foi da Companhia são administrados por normas especificas de aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da segurança. Um passivo é reconhecido no balanço patrimonial, contratada com finalidade de atender a necessidade de capital aceitação de clientes, análise de crédito e estabelecimento Concais S/A em 31/12/2011, o desempenho de suas operações quando a Companhia possui uma obrigação legal ou constitu- de giro para aplicação em obras de infraestrutura portuária de limites de exposição por cliente, os quais são revisados e os seus fluxos de caixa para o exercício findo naquela data, ída como resultado de um evento passado, sendo provável que com taxa de juros 7,35%, e são apropriados mensalmente periodicamente. O monitoramento das duplicatas vencidas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. São um recurso econômico seja requerido para liquidá-lo. São nas contas de resultado do exercício, acrescida da variação é realizado prontamente para garantir seu recebimento. Paulo, 09 /03/2012. ERNST & YOUNG TERCO Auditores acrescidos, quando aplicável, dos correspondentes encargos cambial com vencimento mensal até 06/04/2015, tendo como Risco de câmbio - O risco de câmbio é o risco de que o valor Independentes S.S.- CRC 2SP-015.199/O-6.Alexandre De e das variações monetárias ou cambiais incorridas. As provisões garantidor da operação os acionistas Aba Infraestrutura, Carlos justo dos fluxos de caixa futuros de um instrumento financeiro Labetta Filho - Contador CRC 1SP-182.396/O-2

de Preços por Atacado (IPA-DI) subiu 0,55% no mês passado, após registrar queda de 0,03% em fevereiro. Por sua vez, o IPC-DI, que apura a evolução de preços no varejo, teve aumento 0,60% em março, após uma alta de 0,24% em fevereiro. Já o Índice Nacional de Custo da Construção do Mercado (INCC-DI) apresentou elevação de 0,51% em março, depois da taxa positiva de 0,30% em fevereiro. O período de coleta de preços para o IGPDI de março foi do dia 1º a 31. O repique na inflação medida pelo IGP-DI registrado no mês de março não deve se repetir em abril, na avaliação do coordenador de análises econômicas do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV), Salomão Quadros. Soja – Boa parte do aumento nos preços verificados pelo IGP-DI em março se deveu à elevação de dois dígitos na soja (10,90% em março). Após uma alta tão pronunciada, o economista calcula que a elevação deva ser mais contida na próxima leitura. "O IPA teve influência muito destacada da soja. Toda vez que você tem influência muito grande de um produto, aquela alta não é tão sustentada assim", explicou o coordenador do Ibre/FGV. O aumento de 0,55% do IPA puxou a alta de 0,56% no IGP-DI de março. "É difícil ter uma continuação da soja nesse ritmo. Como a soja teve esse impacto tão diferenciado dos outros, se ela normalizar um pouco, a taxa cede, mesmo que continue essa dinâmica agrícola com alguma recuperação e as commodities não continuem mais sua trajetória de queda", disse ele. "Esse efeito da soja foi tão mais importante que, havendo uma normalização, não deve haver destaque tão grande

das matérias-primas no IPA", analisou o economista. Ração – Em abril, o aumento da soja verificado em março pode impactar ainda os preços das rações, que encareceriam carnes de aves e suínos, além de produtos derivados usados pelo consumidor, como margarina e óleo de soja. Outra pressão que pode ser esperada é o reajuste de salários da mão-de-obra da construção civil. Em março, houve absorção de aumentos em Salvador e Porto Alegre, mas os reajustes do Rio de Janeiro ainda não foram concedidos. Desaceleração – Ainda que a expectativa para o IGP-DI seja de uma taxa mais baixa em abril do que a registrada em março, não há mais muito espaço para uma redução na inflação acumulada em 12 meses, segundo Quadros. "Mesmo que o IGP-DI venha um pouco mais baixo, acho que estamos começando a chegar no limite do ciclo de desaceleração. E o fim do ciclo vem da sinalização de que as commodities não estão mais em uma trajetória de queda, não só as agrícolas, mas também o minério de ferro e o petróleo". O economista lembrou que há um movimento de retomada da economia mundial, o que traz possibilidade de valorização das commodities. "Na primeira sinalização de uma situação mais favorável, as commodities reagem, porque os reajustes são mais ágeis do que os dos outros produtos", afirmou. Salomão Quadros avaliou que nos próximos meses deve haver uma recuperação gradual na inflação acumulada em 12 meses, porque as taxas do IGP-DI nas próximas leituras não devem ser menores do que as registradas no ano passado. (AE)

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEREIRA BARRETO/SP Processo nº 020/2012 - Concorrência Pública nº 001/2012 JULGAMENTO DE DOCUMENTAÇÕES E HABILITAÇÃO

A Prefeitura de Pereira Barreto leva ao conhecimento de quem possa interessar, em especial às licitantes participantes do certame supracitado, que, em decisão exarada na ata de sessão pública, realizada às 14h30min do dia 09/04/2012, a CPL decidiu por Inabilitar as empresas SCAMATTI & SELLER INFRA-ESTRUTURA LTDA., ENGERB CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES e CBR - CONSTRUTORA BRASILEIRA no item 01, e pela habilitação das empresas SCAMATTI & SELLER INFRA-ESTRUTURA LTDA., ENGERB CONSTRUÇÕES E INCORPORAÇÕES e CBR - CONSTRUTORA BRASILEIRA nos itens 02 e 03 e bem ainda pela habilitação da empresa LANDA ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA. nos itens 01, 02 e 03, ficando desde já designado para o dia 17 de abril de 2012, às 14h30min, a data para abertura dos envelopes de proposta, caso não haja manifestação de recurso contra a decisão da habilitação. Pereira Barreto, 09 de abril de 2012 Comissão de Licitações

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEREIRA BARRETO/SP Processo nº 1946/2012 - Pregão nº 008/2012 RESUMO DO EDITAL ARNALDO SHIGUEYUKI ENOMOTO, Prefeito de Pereira Barreto-SP, faz saber que se acha aberto até às 14h30min do dia 24 de abril de 2012, o Pregão Presencial nº 008/2012, do tipo menor preço, que tem por objeto a Aquisição de 01 (um) veículo 0 km, tipo sedan grande, para uso do Gabinete do Prefeito, de acordo com as especificações constantes no Anexo I do Edital. Maiores informações no Dep. de Licitações pelo fone/fax (18) 37048505, pelo e-mail licitacao@pereirabarreto.sp.gov.br, ou ainda, pelo Edital completo no website www.pereirabarreto.sp.gov.br. Pereira Barreto-SP, 09 de abril de 2012. Arnaldo Shigueyuki Enomoto Prefeito PREFEITURA DO MUNICÍPIO DA ESTÂNCIA HIDROMINERAL DE ÁGUAS DE SÃO PEDRO Tomada de Preços 11/2012 A Prefeitura do Município da Estância Hidromineral de Águas de São Pedro, com sede à Praça Prefeito Geraldo Azevedo, 115, Centro, Águas de São Pedro/SP, torna público, para conhecimento de interessados, que se acha aberta a Tomada de Preços 11/2012, que objetiva a contratação de empresa para execução de obras e serviços de implantação de infraestrutura em diversas vielas de acesso, através de calçamento, guias, sarjetas e galerias de águas pluviais, por empreitada e preço global, com fornecimento de materiais, mão de obra e equipamentos necessários. O edital e anexos poderão ser retirados diretamente no endereço supracitado, das 12:00 às 16:00 horas, de segunda a sexta-feira, mediante o recolhimento da taxa de R$ 100,00. Será exigido cadastramento prévio, visita técnica e caução de participação. Não serão enviados editais pelo correio ou por e-mail. Os envelopes com a documentação e a proposta deverão ser protocolados até às 9:30 horas do dia 03/05/2012 sendo que a abertura dos mesmos será neste mesmo dia às 10:00 horas. Águas de São Pedro/SP, 09/04/2012. Paulo César Borges - Prefeito Municipal

Isoldi Participações S/A CNPJ/MF nº 62.051.263/0001-87 Edital de Convocação – Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária Ficam convidados os Srs. Acionistas desta Sociedade a se reunirem em AGOE, a ser realizada no dia 24/04/2012, às 9:00hs, na sede social à R. São Bento, 365 – 13º, SP/SP, para deliberarem sobre a seguinte Ordem do Dia: a) Aprovação do Relatório da Diretoria, Balanços e demais Demonstrações Contábeis, relativos ao exercício encerrado em 31/12/11; b) Ratificação do pagamento de juros sobre capital próprio no exercício de 2011; c) Destinação do Resultado líquido do exercício de 2011; d) Eleição da Diretoria; e) Fixação da verba máxima para pagamento dos honorários da Diretoria no corrente exercício, e f) Outros assuntos de interesse social. SP, 02/04/2012. A Diretoria. 10,11,12/04/2012

Barcelona Centro Automotivo e de Conveniencia Ltda, torna público que recebeu da Cetesb a Licença Prévia e de Instalação ,33000547 e requereu a Licença de Operação para combust p/veíc. automot.(posto abastec.),sito à Est.Campo Limpo, 434- V.Prel-SP EXTRAVIO - A Empresa JOSÉ ANTÔNIO PEREIRA DE ARAÚJO-ME, situada na Rua Expedito de Oliveira Santos, nº 1.101 - Pq. Santo Antônio - São Paulo/SP, CEP: 05821-050, CNPJ nº 10.295.332/ 0001-02, CCM:3.804.404-8 e I.E 148.267.258.115, comunica o extravio das NFS de venda a consumidor modelo 2 série D-1, n° 55 do talão n° 02 e n° 250 do talão n° 05 de AIDF: 273.279.954.408.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012

COMPANHIA DOCAS DE SÃO SEBASTIÃO Edital de Convocação C.N.P.J. Nº 09.062.893/0001-74 Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária Ficam convocados os Senhores Acionistas da Companhia Docas de São Sebastião, a reunirem-se em Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária, a realizar-se no dia 19 de abril de 2012, às quinze horas, na sede da Sociedade, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, n.º 2954, 11º andar, nesta Capital do Estado de São Paulo, a fim de deliberarem sobre a seguinte Ordem do Dia: a) Tomada de contas dos administradores, exame, discussão e votação das demonstrações financeiras relativas ao exercício encerrado em 31 de dezembro de 2011. b) Eleição dos Membros do Conselho Fiscal. c) Ratificação da atualização da remuneração dos diretores e dos conselheiros fiscais e de administração. d) Outros assuntos de interesse da Sociedade. São Paulo, 12/3/2012.Saulo de Castro Abreu Filho-Presidente do Cons.de Administração. (5,6 e 10/4/2012) SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TRANSPORTES

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA CONCORRÊNCIA Nº 69/00892/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO VI E REGIÃO VII. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 69/00892/11/02, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luís, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012, na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luís, 99, República, nesta Capital, no dia 29/05/2012, às 11h30min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA CONCORRÊNCIA Nº 69/00894/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO X E REGIÃO XI. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 69/00894/11/01, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luís, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012, na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luís, 99, República, nesta Capital, no dia 29/05/2012, às 15h00min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA CONCORRÊNCIA Nº 70/00897/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO XIX - REGIÃO XX E REGIÃO XXI. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 70/00897/11/01, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luís, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012, na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luís, 99, República, nesta Capital, no dia 30/05/2012, às 11h30min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA CONCORRÊNCIA Nº 70/00899/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO XXIV E REGIÃO XXV. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 69/00890/11/01, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luís, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012, na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luís, 99, República, nesta Capital, no dia 30/05/2012, às 15h00min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

Associação Brasileira de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa 1ª Assembleia Geral Extraordinária - Gestão 2010/2013 - Mês de abril de 2012 Edital de Convocação O Presidente da Associação Brasileira de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (ABCBRH), usando das atribuições que lhe são facultadas pelo item II do Artigo 18 do Estatuto Social, convoca todos os associados para deliberarem sobre: 1. Alteração no Estatuto da ABCBRH; 2. Outros Assuntos de Interesse Geral da Associação. A Assembleia Geral Extraordinária será realizada no dia 26 de abril de 2012 (quinta-feira), às 13h30, na sede da Associação Paranaense de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa, à Rua Professor Francisco Dranka, 608 - Bairro Orleans, Curitiba/PR, em cumprimento ao disposto no Artigo 12 Parágrafo 4º do Estatuto Social. A Assembleia instalar-se-á em 1ª convocação, às 13h30, com um número mínimo de 50% (cinquenta por cento) de seus associados e/ou 2ª convocação, às 14h do mesmo dia, com qualquer número de associados presentes. São Paulo, 16 de março de 2012. Hans Jan Groenwold - Presidente da ABCBRH.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 09 de abril de 2012, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Fábrica de Artefatos de Latex Blowtex Ltda. Requerido: Maori Operadora e Logística Imp. e Exp. Ltda. Rua Amadir, 500 – Galpão 3 – Vila Independência - 1ª Vara de Falência. Requerente: Rodi Cobranças Ltda. Requerido: IEF Instrumentos e Medição Ltda. Rua Reims, 386 – Jardim das Laranjeiras - 1ª Vara de Falência. Requerente: Recorte Comercial de Chapas Ltda. Requerido: Maferg Brasil Met. e Prod. de Higiene e Beleza Ltda. Avenida Vila Ema, 5.960 – Vila Ema - 2ª Vara de Falência. Requerente: Villa Factoring Fomento Mercantil Ltda. Requerido: Ventiladores Bernauer S/A. Rua Professor Aprigio Gonzaga, 78 – São Judas - 2ª Vara de Falência. Requerente: Ferreira e Santos Com. Ferr e Prestação de Serviços Ltda. Requerido: Ventiladores Bernauer S/A. Rua Professor Aprigio Gonzaga, 78 - Ed. Atlanta – São Judas - 2ª Vara de Falência. Recuperação Judicial Requerente: Winnery Comércio e Importação de Produtos Alimentícios Ltda. Requerido: Winnery Comércio e Importação de Produtos Alimentícios Ltda. Rua Cel. Bento Pires, 76 - 2ª Vara de Falência. Requerente: Comércio de Alimentos e Bebidas A&M Ltda. Requerido: Comércio de Alimentos e Bebidas A&M Ltda. Estrada do Jaguaré, 59 – Jardim Jussara - 1ª Vara de Falência.

CNPJ 13.788.120/0001-47

Companhia Aberta

ECONOMIA/LEGAIS - 17

NIRE 35300323971

Edital de Convocação ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA Os Senhores Acionistas da ELEKEIROZ S.A. são convidados a se reunirem em Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária, que será realizada em 20.04.2012, às 11:00 horas, na sede social, na Rua Dr. Edgardo de Azevedo Soares, 392, Várzea Paulista (SP), a fim de: EM PAUTA ORDINÁRIA: 1. tomar conhecimento dos Relatórios da Administração e dos Auditores Independentes e examinar, discutir e deliberar sobre as Demonstrações Contábeis relativas ao exercício social encerrado em 31.12.2011; 2. deliberar sobre a destinação do lucro líquido do exercício; 3. fixar o número de membros e eleger os membros efetivos e suplentes do Conselho de Administração para o próximo mandato anual; nos termos das Instruções CVM 165/91 e 282/98, os interessados em requerer a adoção do voto múltiplo nessa eleição deverão representar, no mínimo, 5% do capital votante; 4. deliberar sobre a verba destinada à remuneração dos integrantes do Conselho de Administração e da Diretoria. EM PAUTA EXTRAORDINÁRIA: Examinar proposta do Conselho de Administração para alterar os subitens 5.2.5, 5.3.3 e 5.3.3.1 do Estatuto Social, a fim de aprimorar as competências e os poderes dos administradores para contrair obrigações, transigir, ceder e renunciar direitos em nome da Companhia. Os documentos a serem analisados na Assembleia encontram-se à disposição dos Acionistas no website de relações com investidores da Companhia (www.elekeiroz.com.br), bem como no website da CVM (www.cvm.gov.br) e da BM&FBOVESPA (www.bmfbovespa.com.br). Para exercer seus direitos, os Acionistas deverão comparecer à Assembleia portando documento de identidade e comprovante de depósito das ações emitido pela instituição depositária, contendo a respectiva participação acionária. Os Acionistas podem ser representados na Assembleia por procurador, nos termos do artigo 126 da Lei 6.404/76, desde que o procurador esteja com documento de identidade e respectivo instrumento de mandato. Várzea Paulista (SP), 4 de abril de 2012. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Rodolfo Villela Marino - Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

(5/9/10)

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA CONCORRÊNCIA Nº 69/00893/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO VIII E REGIÃO IX. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 69/00893/11/01, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luís, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012, na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luís, 99, República, nesta Capital, no dia 29/05/2012, às 14h00min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA CONCORRÊNCIA Nº 69/00896/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO XIV E REGIÃO XV. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 69/00896/11/01, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luís, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012, na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luís, 99, República, nesta Capital, no dia 30/05/2012, às 09h30min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA CONCORRÊNCIA Nº 70/00898/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO XXII E REGIÃO XXIII. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 70/00898/11/01, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luís, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012, na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luís, 99, República, nesta Capital, no dia 30/05/2012, às 14h00min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA CONCORRÊNCIA Nº 69/00891/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO IV e V. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 69/00891/11/01, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luís, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012 na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luiz nº 99, República, nesta Capital, no dia 29/05/2012, às 10h30min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: CONCORRÊNCIA Nº 69/00895/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO XII E REGIÃO XIII. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 69/00895/11/01, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luis, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012, na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luís, 99, República, nesta Capital, no dia 29/05/2012, às 16h00min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA CONCORRÊNCIA Nº 70/00896/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO XVI - REGIÃO XVII E REGIÃO XVIII. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 70/00896/11/01, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luís, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012, na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luís, 99, República, nesta Capital, no dia 30/05/2012, às 10h30min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA CONCORRÊNCIA Nº 69/00890/11/01 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS TÉCNICOS PROFISSIONAIS ESPECIALIZADOS DE ENGENHARIA, PARA O GERENCIAMENTO DE OBRAS NOVAS, AMPLIAÇÕES, ADEQUAÇÕES, REFORMAS, SERVIÇOS DE MANUTENÇÃO E LEVANTAMENTO DE DADOS DOS PRÉDIOS ESCOLARES E PRÉDIOS ADMINISTRATIVOS DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, BEM COMO ATENDIMENTO AO CUMPRIMENTO DAS LEGISLAÇÕES RELACIONADAS AO MEIO AMBIENTE, SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL - REGIÃO I - REGIÃO II E REGIÃO III. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE torna público que se acha aberta CONCORRÊNCIA PÚBLICA, tipo TÉCNICA E PREÇO, nº 69/00890/11/01, objetivando a seleção de empresas ou consórcio de empresas para a prestação de serviços técnicos profissionais especializados de engenharia, para o Gerenciamento de obras novas, ampliações, adequações, reformas, serviços de manutenção de prédios escolares e Prédios Administrativos da Secretaria da Educação do Estado de São Paulo, bem como atendimento ao cumprimento às legislações relacionadas ao Meio Ambiente, Segurança e Saúde Ocupacional, sob o regime de empreitada por preços unitários. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o edital na Avenida São Luís, 99, República, São Paulo, SP, CEP 01046-001 ou através da internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Qualquer documento referente a esta licitação deverá ser entregue no horário do expediente da FDE. As informações disponibilizadas no mencionado endereço eletrônico são meramente supletivas, não dispensando a consulta das publicações efetuadas no Diário Oficial do Estado, que prevalecerão sobre quaisquer outras. Os interessados poderão adquirir o edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012 na sede da FDE, de 2ª a 6ª feira, dentro do horário do expediente, das 08h30 às 17h, mediante pagamento não reembolsável, pelo valor de R$ 50,00 (cinquenta reais). A sessão pública para a APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES das empresas interessadas será realizada no auditório da SEDE DA FDE, na Avenida São Luiz, nº 99, República, nesta Capital, no dia 29/05/2012, às 09h30min, ocasião em que se fará a abertura do envelope 1 - PROPOSTA TÉCNICA. Os invólucros contendo a Proposta Técnica, a Proposta Comercial e os Documentos de Habilitação deverão ser entregues à CEJ, na SESSÃO DE APRESENTAÇÃO, até a hora indicada para a abertura da licitação, juntamente com a SOLICITAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO, DECLARAÇÃO DE PLENO ATENDIMENTO AOS REQUISITOS DE HABILITAÇÃO E INSTRUMENTO DE MANDATO. A LICITAÇÃO obedece à Lei Federal nº 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alterações, Lei Estadual 6.544/89 e suas alterações, em especial aquelas decorrentes da Lei Estadual 13.121/08 e ao disposto nestas CONDIÇÕES ESPECÍFICAS. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: CONCORRÊNCIA A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para execução de Construção de Prédio Escolar em Estrutura Pré-Moldada de Concreto com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador e Reforma: CONCORRÊNCIA Nº - PRÉDIO - LOCALIZAÇÃO - PRAZO - ÁREA (se houver) - PATRIMÔNIO LÍQUIDO MÍNIMO P/ PARTICIPAR - GARANTIA DE PARTICIPAÇÃO - ABERTURA DA LICITAÇÃO (HORA E DIA) 69/00341/12/01 - CEEJA Prof. Archimedes José Bava - Av. Afonso Schimidt, 1171 - Jardim Castelo - Santos/SP 1.668,49 - 360 - R$ 470.163,00 - R$ 47.016,00 - 09:30 - 15/05/2012. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital e o respectivo Caderno de Encargos e Composição do BDI na SEDE DA FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP ou através da Internet pelo endereço eletrônico www.fde.sp.gov.br. Os interessados poderão adquirir o Edital completo através de CD-ROM a partir de 12/04/2012, na SEDE DA FDE, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, mediante pagamento não reembolsável de R$ 50,00 (cinquenta reais). Todas as propostas deverão estar acompanhadas de garantia de participação, a ser apresentada à Supervisão de Licitações da FDE, conforme valor indicado acima. Os invólucros contendo a PROPOSTA COMERCIAL e os DOCUMENTOS DE HABILITAÇÃO deverão ser entregues, juntamente com a Solicitação de Participação, a Declaração de Pleno Atendimento aos Requisitos de Habilitação e a garantia de participação, no Setor de Protocolo da Supervisão de Licitações - SLI na SEDE DA FDE, até 30 minutos antes da abertura da licitação. Esta Licitação será processada em conformidade com a LEI FEDERAL nº 8.666/93 e suas alterações, e com o disposto nas CONDIÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES DA FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE. As propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

ITOCHU Brasil S.A. CNPJ/MF n.º 61.274.155/0001-00 – NIRE 35.300.014.723 Ata da Assembléia Geral Extraordinária realizada em 23/02/2012 Data, Hora e Local: Em 23/02/12, 10hs, em sua sede social, na Av. Paulista, n.º 37 – 19º, em SP/SP. Presença: Acionistas representando a totalidade do Capital Social, conforme se verificou pelas assinaturas constantes do Livro de Presença de Acionistas, dispensada a publicação de Editais de Convocação, conforme disposto no art. 124, § 4º, da lei 6.404/76. Mesa Diretora: Presidente da Mesa: Masaki Hayashi - Secretário da Mesa: Yasushi Nagai. Ordem do Dia: 01) Destinação dos lucros acumulados remanescentes em 31/12/09; e 02) Outros assuntos de interesse da sociedade. Deliberações: Foram aprovados por unanimidade de votos de todos os acionistas, com exceção dos legalmente impedidos: 01) A distribuição de Dividendos de parte dos lucros acumulados remanescentes de 31/12/09, no valor de R$ 2.723.000,00, sendo composta por saldos remanescente de Lucros Acumulados em 2008 no valor de R$ 2.091.540,04 e parte dos Lucros do exercício de 2009 no valor de R$ 631.459,96, ficando à disposição da assembléia geral dos acionistas em Reserva de Lucros a quantia de R$ 4.355.924,33. Encerramento: Nada mais havendo a tratar o Sr. Presidente ofereceu a palavra a quem dela quisesse fazer uso e como ninguém se manifestou, declarou suspensos os trabalhos pelo tempo necessário à lavratura desta Ata em livro próprio, a qual foi lida, aprovada e por todos assinada. SP, 23/02/12. Presidente da Mesa – Masaki Hayashi e Secretário da Mesa – Yasushi Nagai. (Aa). Itochu Corporation – Pp. Masaki Hayashi e Masaki Hayashi. A presente é cópia fiel do original. SP, 23/02/12. Masaki Hayashi - Pres. da Mesa - Yasushi Nagai - Secr. da Mesa. Jucesp 104.430/12-6 em 12/03/2012. Gisela Simiema Ceschin - Secr. Geral.

Associação Brasileira de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa 74ª Assembleia Geral Ordinária - Edital de Convocação O Presidente da Associação Brasileira de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa (ABCBRH), usando das atribuições que lhe são facultadas pelo item II do Artigo 18 do Estatuto Social, convoca todos os associados para deliberarem sobre: 1. Exame, discussão e votação do balanço patrimonial, Demonstração de Resultados e parecer do Conselho Fiscal referente ao Exercício findo em 31/12/2011; 2. Outros assuntos de Interesse Geral da associação. A Assembleia Geral Ordinária será realizada no dia 26 de abril de 2012 (quinta-feira), às 14h30, na sede da Associação Paranaense de Criadores de Bovinos da Raça Holandesa, à Rua Professor Francisco Franka, 608 Bairro Orleans, Curitiba/PR, em cumprimento ao disposto na Seção I Artigos 10 e 11 do Estatuto social. A Assembleia instalar-se-á em 1º convocação, às 14h30, com um número mínimo de 50% (cinquenta por cento) de seus associados e/ou 2ª convocação, às 15h do mesmo dia, com qualquer número de associados presente. São Paulo, 16 de março de 2012. Hans Jan Groenwold - Presidente da ABCBRH.

DECLARAÇÃO LTR Editora Ltda, CNPJ 61.534.186/0001-53, I.E. 105.842.631.110, sita à Rua Jaguaribe, 567/ 571/585, Vila Buarque/SP, comunica o extravio do Livro de Inventário (modelo 7), nº de ordem 01.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

e

terça-feira, 10 de abril de 2012

O dinheiro que devo é o mesmo que se eu devesse milhões. Se você não tem, você não tem. Frank Buckley, artista irlandês

conomia Fotos: Jekaterina Saveljeva/NYT

Dinheiro picado e transformado em tijolos está por toda parte: no chão, nas cadeiras, nas janelas e até na lareira. Moradia vale tanto e, ao mesmo tempo, tão pouco.

A casa de um bilhão de euros (picados) Irlandês falido fez os tijolos de sua casa com 1,4 bilhão de euros em notas que saíram de circulação e foram picadas pelo Banco Central do país. Sarah Lyall*

F

rank Buckley é um símbolo quase perfeito da atual situação irlandesa. Completamente falido, ele vive em uma casa feita de dinheiro. Notas de euro aqui, notas de euro ali. Euros na lareira. Euros no chão, nas cadeiras, nas janelas. Euros que não valem nada, tirados de circulação e picados pelo Banco Central da Irlanda, formando as paredes internas de um apartamento que não pertence a Buckley, em um prédio vazio graças à ruína econômica do país. Buckley, de 50 anos, se refere ao apartamento como a Casa de um Bilhão de Euros – construída com milhares de tijolos feitos de dinheiro retirado de circulação (cada tijolo contém, aproximadamente, o que costumava ser 50 mil euros). Ele calcula que, na verdade, cerca de 1,4 bilhão de euros tenham sido utilizados em sua construção. Mas a piada, naturalmente, é que o apartamento vale tanto e, ao mesmo tempo, tão pouco. "Tudo gira ao redor do euro, mas os euros não passam de pedaços de papel", afirmou. "É o que as pessoas fazem com os euros, o valor que colocamos neles, que muda o seu significado." Se você ainda tivesse dúvidas sobre o significado dado por Buckley, elas desapareceriam tão logo entrasse no apartamento, no andar térreo de um prédio de escritórios vazio, em um bairro repleto deles. Uma lápide anuncia que a

soberania irlandesa morreu em 2010, o ano em que o governo aceitou um pacote de ajuda internacional carregado de condições onerosas pelas quais os irlandeses pagarão por muitos anos. A lápide é decorada com uma réplica em gesso de uma mão com o dedo médio em riste. "Até onde eu sei, nós estamos sendo governados pela Alemanha", afirmou Frank Buckley. Na atmosfera de imprevisibilidade, em Dublin, Buckley tem sido ajudado pela bondade de outras pessoas. O proprietário do prédio de escritórios, Paul Ruane, disse para Buckley que, enquanto não aparecesse um inquilino pagante, ele poderia viver ali sem pagar nada. "Quando você entra e vê tijolos de dinheiro no banheiro, isso faz você refletir sobre todo o conceito de dinheiro", afirmou Ruane em uma entrevista. (O banheiro de Buckley ainda não está funcionando, ele utiliza o de uma academia nas proximidades.) "Se pudéssemos rasgar tudo e começar de novo", acrescentou Ruane, referindo-se ao dinheiro. Ele é um investidor que afirmou que os últimos anos foram "debilitantes" para ele e sua família. "Seria um sopro de ar fresco para todos. Vamos parar tudo agora mesmo e começar de novo – o mundo inteiro." Depois que Buckley encontrou o espaço, um cemitério da região gravou e doou a lápide.

Cada tijolo utilizado por Buckley na construção do interior do apartamento contém cerca de 50 mil euros, agora picados.

O Banco Central doou as notas de euro, que foram tiradas de circulação e picadas porque estavam velhas e "se não fizesse isso, elas ficariam com uma textura de papel higiênico", explicou Buckley. Três funcionários do banco o ajudaram a carregar o "ex-dinheiro" no trailer de seu irmão. A casa tem luzes – uma empresa se mudou para o escritório no andar de cima e permitiu que Buckley utilizasse sua rede elétrica – e é surpreendentemente quente, apesar de não ter aquecimento. Dinheiro é um bom isolante térmico, afirmou Buckley. Ele se refere a si mesmo como um batalhador, e parece ter um dom para se reinventar. Na agitada década de 1990, trabalhou como gerente de turnê para músicos. Em seguida, fundou uma instituição de caridade – a Sport Against Racism Europe – que recebeu um prêmio 80 mil euros do governo. O mundo caiu, o financiamento secou e agora ele está desempregado, vivendo com um seguro-desemprego de 188 euros por semana. Desde então, Buckley começou a pintar. Uma exposição com suas obras feitas com notas de euro picadas, intitulada "Expressões da Reces-

Buckley: "tudo gira ao redor do euro, mas os euros não passam de pedaços de papel. O valor que colocamos neles é que muda o seu significado".

são", foi realizada no hotel Radisson, no outono, mas sua arte ainda não lhe trouxe dinheiro. Enquanto isso, Buckley deve milhares de euros em cartões de crédito estourados e 365 mil euros por uma casa totalmente financiada em uma cidade próxima. (Algo em torno de US$ 484 mil, de acordo com as atuais taxas de câmbio.) Sua ex-mulher ainda vive lá, mas eles não podem cumprir com os pagamentos, que estão aumentando – embora a casa esteja se desvalorizando. A polícia apreendeu o carro de Buckley, e ele não tem recursos para recuperá-lo. Ele está cercado por um cardume de credores. "O governo está tirando o dinheiro de nossos bolsos para dar aos bancos, que voltam a exigir dinheiro para pagarmos nossas dívidas", afirmou. Seu celular tocou. Número desconhecido. "É algum banco", afirmou Buckley, mas quem ligava não deixou mensagem. A Casa de um Bilhão de Euros, construída no distrito de Smithfield, em Dublin, fica próxima a diversos tribunais e se tornou uma atração turística. Ela é um espaço catártico, onde uma população perplexa e em constante luta contra a crise pode debater a respeito das implicações filosóficas do dinheiro. "Eu fico ali sentado e as pessoas começam a falar sobre suas dificuldades", afirmou Buckley. "Eu recebi duas pessoas na semana passada que estavam a caminho do tribunal para declarar falência." Ele mantém um caderno que os visitantes podem usar

para se expressarem. "Finalmente o dinheiro foi utilizado para uma boa causa", alguém escreveu. "Do nada veio, ao nada voltou", disse outro. E um terceiro: "Eu estava a caminho do banco com meu cheque-desemprego de 27 euros". Viver e dormir em meio a tanto dinheiro, tendo tão pouco para si mesmo, deu a Buckley o tempo necessário para

refletir sobre sua situação pessoal e a da Irlanda. "Eu sou uma entre muitas, muitas pessoas", afirmou. "Não estou no mesmo patamar dos empresários que devem milhões. Mas, para mim, o dinheiro que devo é o mesmo que se eu devesse milhões. Se você não tem, você não tem." *New York Times

O artista falido é um símbolo da atual situação irlandesa: perdeu tudo e tem dinheiro sem valor.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 10 de abril de 2012

19

Vamos trabalhar com o Facebook para evoluir o Instagram Kevin Systrom, executivo-chefe do aplicativo

nformática Justin Sullivan / AFP

Facebook compra Instagram

M

ark Zuckerberg, executivochefe do Facebook, anunciou, por meio de seu perfil oficial, que chegou a um acordo para adquirir o Instagram. O valor da transação está estimado em US$ 1 bilhão. Ela deverá ser concluída ainda no final deste trimestre, segundo a nota divulgada. O Instagram permite aplicar diversos efeitos às fotografias. Até o início de abril, o aplicativo estava disponível apenas para aparelhos com iOS (iPhone e iPod touch). Uma versão para o Android foi lançada no último dia 3 e atingiu 1 milhão de downloads em 24 horas. As informações foram confirmadas pelo blog da rede social de imagens. "É importante que fique claro que o Instagram não vai desaparecer. Nós vamos trabalhar com o Facebook para evoluir o Instagram", diz trecho da postagem, assinada por Kevin Systrom, executivo-chefe do serviço. Segundo Systrom, o aplicativo

Instagram: uma aquisição estratégica para o Facebook

continuará o mesmo, o usuário manterá seus seguidores e ainda será possível compartilhar imagens em outras redes. "Estou empolgado em compartilhar a notícia de que adquirimos o Instagram e seu talentoso time se unirá ao Facebook", disse Zuckerberg. "Você poderá escolher não compartilhar as fotos do Instagram no Facebook se quiser, e poderá manter seguidores e seguir pessoas separadamente de seus amigos do Facebook", completou. Um dos criadores do aplicativo, que existe desde 2010, é o paulista Mike Krieger, 24. Seu nome de verdade é Michel e foi estagiário da Microsoft nos EUA. No blog, Systrom citou o parceiro: "Quando Mike e eu começamos o Instagram há quase dois anos, propusemo-nos a melhorar a forma como o mundo se comunica. Tivemos um período incrível, assistindo ao Instagram crescer em uma comunidade vibrante de todo o mundo." (Agências)

Os poderosos PCs 'tudo-em-um' continuam vivos

E

Desktops que aliam, em uma única interface, CPU, monitor, caixas de som e webcam surgem com bons custos-benefícios para empresas; o Diário do Comércio avaliou três deles.

nquanto tablets e smartphones têm projeção de crescimento de vendas na casa dos 70% para 2012, os bons e velhos PCs apresentam números próximos a 4%. De acordo com o Gartner Group, empresa de pesquisa de mercado e de tecnologia, serão vendidos 368 milhões de desktops ao redor do planeta nos próximos meses. O número (baixo, se comparado com outros eletrônicos) é até animador, já que nos últimos tempos o que se viu foi uma queda brutal no mercado dessas máquinas. De acordo com a companhia de pesquisa, há alguns bons motivos para o crescimento do mercado de PCs. Um deles são os mercados

SÉRGIO VINÍCIUS emergentes, que devem consumir com avidez esses eletrônicos de preços atrativos. Outro ponto que deve aumentar o consumo das máquinas é o mundo corporativo que, invariavelmente, prefere investir em PCs do que em portáteis (sejam eles netbooks, smartphones, tablets). Por fim, há ainda a reinvenção dos computadores pessoais: de trambolhos formados por monitor, CPU, caixas multimídia e outros elementos de hardware. Boa parte dos PCs virou um computador do tipo "tudo em um" (ou "all-inone", na qual os diferentes itens de hardware são apresentados em uma estrutura única). Alguns dos principais fabricantes de PCs

presentes no Brasil apostam tanto no mercado corporativo como na plataforma "allin-one" de computadores para turbinar suas vendas em 2012. A Positivo acaba de lançar a linha Master U900, que reúne um computador de pequenas dimensões (tela de 18,5 polegadas) e tela de LED. Já a HP mantém no mercado o ótimo TouchSmart 610 PC, voltado tanto para o público corporativo como para o consumidor comum. Por fim, há ainda o altamente tecnológico (com 8 GB de RAM) DelI Inspiron One 2320 All-in-one, com preço na casa dos R$ 3.000. O Diário do Comércio avaliou as três máquinas. Veja os detalhes de cada uma delas no quadro acima.

3.000 reais é o preço dos poderosos HP TouchSmart 610 PC e DelI Inspiron One 2320. Esse custo é uma desvantagem em relação ao concorrente da Positivo, o Master U900, de R$ 1.250.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

terça-feira, 10 de abril de 2012

Entre as vítimas (donos de Macs infectados), estão bancos e empresas Dmitry Bestuzhev, diretor da Kaspersky Lab na América Latina nformática

n ACESSÓRIOS

ACESSÓRIOS

Tablet com capa de livro

A Proteção para dispositivos Apple

P

ara deixar os dispositivos dos Applemaniacos mais protegidos, a JP Tech trouxe para o País as capas protetoras iSkin Aura Happy Friends, para iPhone 4/4S e iPad 2. Os cases combinam as ilustrações do designer Cako Martin com materiais leves e duradouros. Ambas vêm com abertura para a câmera, altofalantes, volume e botão de energia, além de bolsos internos para guardar cartões. Trazem também protetor de tela com plástico ultrafino. Preços : R$ 249 (iPad 2) e R$ 139 (iPhone). APLICATIVOS

Visão de negócios no tablet

A

Two-s (www.two-s.com.br), desenvolvedora de aplicativos para tablet com foco no mundo corporativo, lançou um módulo para o FrontLine, solução criada para empresas de todos os portes utilizarem em seus processos de gestão administrativa. O FrontLine Dashboard permite que cada usuário, por meio de um tablet, crie um painel personalizado com os indicadores mais relevantes para a administração da empresa. Assim, é possível ter uma visão panorâmica de todo o negócio e, caso tenha algum problema, pode resolver rapidamente, em tempo real e mesmo se estiver fora da empresa. Preço sob consulta.

inda na linha de capas para os badalados iPads, um estilo fashion é oferecido pela marca finlandesa Golla: o Slim Cover, um case projetado com abertura em formato de um livro, que oferece acesso rápido ao iPad, além de possuir suporte para digitação e visualização. Foi desenvolvido com revestimento em EVA, um relevo que adiciona toque e personalidade ao acessório e ainda mantém o tablet mais protegido. Está disponível em diversas opções de cores. Preço sugerido: R$ 149,90. TABLETS

Mais um rival no mercado

A

AOC, maior fabricante mundial de telas LCD (monitores e TVs), anunciou o lançamento da mais uma versão do tablet da marca: o Breeze Tablet MW0821. Traz como grande diferencial a tela de 8" wide LCD com tecnologia capacitiva multitoque, que possibilita a leitura de um ou mais toques simultaneamente. Além disso, vem com sistema operacional Android 2.3 (Gingerbread), processador Cortex A8 de 1,2 GHz, memória interna de 4GB (flash), DRAM de 512MB, além da possibilidade de expansão por slot para cartão de micro SD de até 32GB. O tablet dispõe de uma porta USB 2.0, permitindo conectar pen drives diretamente, além de uma saída mini HDMI, para conectar na TV. Preço sugerido para varejo: R$ 899.

Brasil já soma mais de 2,3 mil Macs infectados

H

istoricamente, os computadores da Apple são os mais seguros do mercado. No entanto, até os cobiçados computadores Mac têm seu dia de vulnerabilidade. É o que aponta a empresa de segurança Kaspersky Lab. Seguindo os detalhes da descoberta da rede zumbi (botnet) Flashback Mac OSX (Flashfake), a qual se propaga por meio de um aplicativo malicioso em java, que simula ser uma atualização do plugin Adobe Flash, analistas da Kaspersky confirmaram que 620 mil computadores Macs foram infectados no mundo. Aproximadamente 301 mil bots ativos estão nos Estados Unidos, as demais vítimas estão no Canadá (cerca de 95 mil), seguido do Reino Unido com um pouco mais de 27 mil infecções e mais 41.600 computadores na Austrália. Outra análise confirmou ainda que este trojan também está presente na América Latina, com mais de 13 mil Macs infectados. O México conta com quase 6 mil infecções, a maior quantidade de computadores comprometidos na América Latina

por esta ameaça. Já o Brasil, estava em segundo lugar com 18% das vítimas na região. Porém segundo os especialistas da Kaspersky Lab, o País havia registrado cerca de 2,3 mil vítimas em 9 de abril e este índice está crescendo. “Baseados nos endereços IPs dos computadores Macs infectados na América Latina, pudemos confirmar que entre as vítimas estão alguns bancos, empresas e veículos de comunicação entre outras companhias”, afirma Dmitry Bestuzhev, diretor da equipe de análise e investigação da Kaspersky Lab na América Latina. Ainda que a Kaspersky não possa confirmar nem negar que todos os bots que se conectaram ao seu servidor em nível mundial estejam rodando Mac OS X, ela obteve um número aproximado usando técnicas de "fingerprintings" passivos dos sistemas dos bots. A Kaspersky recomenda aos usuários de Mac, especialmente aqueles com versões antigas do OS X, que instalem as atualizações do software o mais rápido possível.

AOL e Microsoft: acordo de US $1 bi.

A

AOL anunciou ontem que venderá mais de 800 patentes e aplicativos relacionados à Microsoft, e que concederá à companhia de softwares uma licença não-exclusiva para as patentes que reter, em um acordo de pouco mais de US$ 1 bilhão em dinheiro. A companhia de serviços e conteúdo para internet disse que planeja retornar uma "significativa porção da arrecadação da venda" para seus acionistas. A AOL continuará a deter 300 patentes, que incluem os segmentos de anúncios, busca e mapeamento e disse ter

recebido licenciamento das patentes vendidas à Microsoft. "Este é um portfólio valioso que temos seguido por anos e analisado em detalhes por meses", disse o conselheiro geral da Microsoft, Brad Smith. A transação, que deve ser completada no fim de 2012, inclui a venda de uma unidade da AOL, e por isso a empresa espera registrar uma perda de capital por motivos fiscais. Se o negócio não for concretizado, a Microsoft terá de pagar à AOL uma taxa de terminação de US$ 211,2 milhões, informou a empresa em um documento regulatório.


10 abr 2012