Page 1

www.dcomercio.com.br Conclusão: 23h45

Alberto Pizzoli/AFP

São Paulo, quarta-feira, 9 de novembro de 2011

R$ 1,40

Jornal do empreendedor Ano 87 - Nº 23.495

ciao ESSA DOR DE CABEÇA VEM PARA O BRASIL A despedida do italiano Berlusconi (ao lado), após a queda do grego Papandreou, abatidos pelo derretimento do euro, mudou o discurso de Mantega, agora admitindo uma escala da crise internacional no Brasil. E se os países emergentes forem contagiados, "a situação será pior". À frente, Mendonça de Barros, ex-BC, avista um período de menor bonança para a economia. Págs. 13 e 15

ACABOU O RECREIO O sinal tocou às 5h, com a chegada da PM. Ela retirou e deteve os estudantes que ocupavam a reitoria da USP. "Sorte" que a fiança foi reduzida de R$ 1.050 para R$ 540. Para Alckmin, eles "precisam ter aula de democracia". Pág. 10 À NOITE, OS ESTUDANTES DECIDIRAM ENTRAR EM GREVE

Hélio Torchi/Folhapress

Rodrigo Paiva/AE

Cerca de 400 homens da Tropa de Choque participaram da ação; os estudantes foram levados em três ônibus da PM para o 91º DP (Ceasa). André Dusek/AE

Só saio abatido a bala, diz Lupi Ministro do Trabalho (ao lado), acusado de "malfeitos" com ONGs, diz que tem o apoio da presidente Dilma para "tocar o barco". Enquanto colegas do próprio partido, o PDT, pedem instauração de inquérito na PF para investigar as denúncias. Pág. 5

Ajuda a Vaccarezza virou ameaça Os R$ 350 mil que o líder do PT na Câmara recebeu para se eleger, em 2010, teriam saído de uma concessionária de serviço público. É proibido. E o MP quer sua cassação. Pág. 6 HOJE

ISSN 1679-2688

23495

Sol com algumas nuvens. Não chove. Máxima 29º C. Mínima 13º C.

AMANHÃ 9 771679 268008

Sol com algumas nuvens. Não chove. Máxima 31º C. Mínima 15º C.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

É comum na burocracia oficial: se algo não funciona, cria-se uma estrutura paralela, sem eliminar a primeira. José Márcio Mendonça

pinião

Boas intenções. Só intenções. Stoyan Nenov/Reuters

I

nsinua-se na república brasiliense, assim como não quer nada, e de origem um tanto desconhecida, a informação de que a presidente Dilma Rousseff está propensa, em janeiro ou fevereiro, a ir além da reforma ministerial já anunciada – isso se até lá ainda houver algum ministro a ser "reformado", tal a velocidade adquirida pela carruagem das denúncias. Dilma, dá-se conta, aproveitaria a oportunidade criada pela necessidade de substituir o ministro da Educação, já quase sagrado candidato petista à Prefeitura de São Paulo, para se livrar de auxiliares de primeiro escalão que ela não escolheu por livre e espontânea vontade e/ou não corresponderam à confiança depositada. A lista fala em pelo menos cinco baixas, com pequenas variações. Em todas o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, que pode dormir sem o cargo antes do réveillon, é nome constante. Mas a presidente aproveitaria as mudanças de nomes – e, quem sabe, de partidos de seus "feudos" – para promover uma pequena reforma administrativa. O que seria esta parte da reformulação os informantes não adiantam, apenas insinuam: uma enxugada na máquina para

do poder, e com histórias de "malfeitos" bem menores. O que muito se vê em Brasília é apadrinhado no cargo, com visões político-eleitorais e um bagrinho concursado tocando o expediente. Esta obesidade da máquina gera uma ineficiência cujo custo, em porcentagem do PIB, ainda está para ser medido. A superposição de funções chega a ser exasperante. Um negócio de comércio exterior tem, em algum momento, o "carimbo" de pelo menos dez organismos em pelo cinco ministérios. Os direitos humanos passam pelo ministério específico mas também têm ramificações no Ministério da Justiça.

tornar o governo mais administrável. Não se antecipa a ação, dizem, porque ela teria de ser uma surpresa – se estiver mesmo no gatilho e não for apenas um balão de ensaio, por razões óbvias, para não gerar poderosas reações do universo partidário. Há dias, bastou algum incauto com posto no governo sugerir que a presidente reunisse um grupo de secretarias ligadas à área de direitos humanos, igualdades e inclusão social num único ministério para desencadear um início de terremoto e forçar o desmentido oficial.

P

ena, pois o emagrecimento da máquina permitiria ao governo gastar menos e, ao mesmo tempo, tornar-se mais ágil e eficiente. O ex-presidente do Banco Central, Armínio Fraga, nesta segundafeira, em um seminário tucano, deu bom sinal para um começo – redução pela metade do número de ministérios (dos atuais 38 para algo em torno de 20) e eliminação de pelo menos um terço dos 22 mil cargos de confiança preenchidos sem necessidade de concurso público. Ministro demais só dá em bate-cabeça, disputas por fatias de poder. Com Dilma, alguns deles, em onze meses, não chegaram a despachar com

N Dilma: ideia de enxugar a máquina esbarra na gritaria dos partidos a presidente mais de uma vez, prova da inutilidade deles e do ministério. Na área dos cargos de confiança é mais desperdício: a burocracia estatal, quando incentivada – como se pode ver

no Banco Central, no Tesouro Nacional, no Itamaraty, no Banco do Brasil e em outras áreas de excelência – dá muito bem conta do recado. Com a vantagem de maior dedicação ao Estado do que ao donatário de ocasião

o Ministério da Saúde há um órgão, a Funasa – altamente cobiçado, por suas verbas e suas ramificações, a ponto de ter causado violenta disputa entre o PT e o PMDB no início deste governo–, cuja função é cuidar da saúde indígena e de saneamento básico – com um tal de "viés ambiental". Funções para as quais o governo já tem a Funai, para os índios, e o Ministério das Cidades e a Caixa Econômica Federal, para saneamento. Sem contar, paralelamente, o Ministério do Meio Ambiente. Escarafunchando-se um

SEPARAÇÃO. E AGORA, QUEM FICA COM OS FILHOS? N

os últimos 10 anos, o número de divórcios no Brasil cresceu em torno de 50%. Segundo o IBGE, em 2009 foram 4.459 divórcios; em 2010 esse número pulou para 9.317. O crescimento de separações é recorrente em todo o mundo. Quando não há filhos, separam-se os bens e tudo se ajeita mais depressa. Mas, se há filhos, duas determinações se fazem necessárias, em caráter de urgência: quem deterá a guarda dos filhos e como será definida a pensão alimentícia. O que é essa "guarda", afinal? Quais direitos e deveres são considerados? A guarda é um dos atributos do poder familiar. Isso significa que os pais são igualmente responsáveis pelas decisões tomadas em relação à prole – entendendo-se por "prole" os filhos menores de 18 anos –, devendo protegê-los, educá-los, dar afeto e todas as condições de crescimento digno e saudável. No casamento ou relação estável a guarda pertence aos dois cônjuges. Mas se há separação, ficam as perguntas no ar: quem tomará as decisões daí para a frente? Quem será o representante legal das crianças? Com quem elas vão

morar? A lei diz que separação judicial, divórcio ou dissolução de união estável não mudam a relação dos pais com seus filhos. O que se altera é a rotina da convivência diária, já que a criança, obviamente, não pode ser dividida em duas. á até pouco tempo era de praxe, salvo exceções, que o pai saísse de casa e a mãe ficasse com as crianças; a guarda era naturalmente conferida à mãe. Ao pai eram concedidas as visitas semanais ou quinzenais e a obrigação de pagar pensão alimentícia. Diga-se que os tais fins de semana alternados não ajudam no desenvolvimento de relações mais efetivas entre pais e filhos. Há casos em que um dos genitores é impedido de ver, telefonar ou ter contato com seus filhos, numa postura de imposição de castigo ao ex-cônjuge, menosprezando os prejuízos psicológicos impostos aos filhos. Em sentido contrário, há pais que se acomodam a

H

essa situação e, em muitos casos, fazem o mínimo exigido pela lei, quando fazem. Pais com mais consciência e afeto gostariam de ampliar o tempo e a qualidade do contato e relação com os filhos. E mães que assumiram os filhos sozinhas, e não raro tiveram de adiar as pretensões de evoluir na carreira para ajudar no sustento dos filhos após a separação, viram-se em apuros, pois é impossível dar conta de tudo, manter o mesmo padrão de vida, de qualidade e de atenção. eslocada da realidade e das necessidades dos filhos, em 2008 a lei foi alterada. A mudança mais importante é sobre o tipo de guarda. O artigo 1583 do Código Civil determinou que, "com a separação dos cônjuges, a guarda dos filhos pode ser unilateral ou compartilhada". A guarda unilateral, como o nome diz, é atribuída a apenas

D

Decisões tomadas, malas feitas, divórcio assinado, resta o mais complicado para o casal: manter a cabeça fria e decidir como gerir a vida dos filhos.

um dos genitores ou, na falta destes, por qualquer razão, a quem os substitua. E como faz o juiz? Ele analisará qual dos genitores tem melhores condições de exercer a guarda. Os critérios não são aleatórios nem apenas financeiros: a lei determina três fatores que o Judiciário pode observar para tomar sua decisão. Ficará com a guarda da criança aquele que melhor prouver: 1– afeto nas relações com a criança e da criança com o grupo familiar; 2 – saúde e segurança e; 3 – educação. Se a guarda for unilateral, é melhor que a decisão seja em comum acordo, facilitando o "clima" entre ex-cônjuges e os filhos. or seu lado, a guarda compartilhada tem sido festejada, digamos assim, pois dá ensejo à boa vontade dos pais em educar em conjunto os filhos, colocando de lado suas diferenças. Ela determina o exercício conjunto dos direitos e deveres referentes ao poder familiar. Isso significa conquistar uma maneira de conviver em que os filhos possam desfrutar da companhia do pai e da mãe, já que eles não moram sob o mesmo teto. A guarda compartilhada foi criada por se entender que a criança precisa

P

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cláudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA pouquinho, encontra-se por todo lado casos como estes – e muitos. É comum na burocracia oficial: se algo não funciona, cria-se uma estrutura paralela, sem eliminar a primeira. Agora, multiplique-se isso por Estados e municípios... Dilma pode estar mesmo com a boa intenção de começar a atacar o problema. De bem intencionados, porém, o inferno está cheio. Fechar esta torneira é quase como tirar o ar que mantém vivo nosso sistema político-partidário e que tem sustentado todos os governos brasileiros nos últimos anos. JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

IVONE ZEGER de momentos de intimidade, cotidianos, com o pai e com a mãe. É um desafio, mas longe de ser impossível. O que também é muito importante sobre a guarda compartilhada é que ela não resulta, necessariamente, na obrigação da criança permanecer um período com o pai e outro com a mãe – essa sim denominada "guarda alternada". mbora o esquema esteja em alta – uma semana com cada um por exemplo, isso não é regra e nem bem vista ou tolerada pela maioria dos juízes. Cada ex-casal pode pensar na maneira mais proveitosa de organizar o dia a dia, em meio aos compromissos, para que haja, verdadeiramente, um tempo e um espaço para os filhos. Outro ponto importante é que pouco ou quase nada muda em relação à pensão alimentícia. Na verdade, a partir do pressuposto de que a separação aconteceu entre os pais, e não entre pais e filhos, os pais devem

E

se comprometer na medida da possibilidade de cada um. Com respeito a isso, vale lembrar que bom senso é importante para qualquer ato na vida – e muito mais quando o que está em jogo é o bem estar físico e psicológico dos filhos. IVONE ZEGER É ADVOGADA ESPECIALISTA EM DIREITO DE FAMÍLIA E

SUCESSÃO, AUTORA DOS LIVROS "HERANÇA: PERGUNTAS E RESPOSTAS" E "FAMÍLIA: PERGUNTAS E RESPOSTAS", DA MESCLA EDITORIAL WWW.IVONEZEGER.COM.BR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edi tor - Ch e fe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br) Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Darlene Delello, Eliana Haberli e Evelyn Schulke Repórteres: Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André de Almeida, Fátima Lourenço, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rafael Nardini, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente PL Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

o

pinião

MUNDO HIPERCONECTADO ESTÁ TRANSFORMANDO A ÍNDIA DE UMA FORMA MAIS RÁPIDA.

O futuro da Índia e a inovação O

mundo atingiu 7 bilhões de pessoas há alguns dias, e acho que encontrei metade delas em uma estrada de Nova Dhéli para Agra, aqui na Índia. Estavam a pé, ou em bicicletas, lambretas. Estavam em picapes, carros amassados e amarrotados e em riquixás motorizados. Estavam desviando de macacos, camelos e vacas. De alguma forma, porém, sem a ajuda da polícia ou de semáforos, esse fluxo de humanidade que é a Índia moderna vai começar um negócio próprio. Mas assim que sua mente lhe diz que esse aglomerado de pessoas, com certeza, vencerá todos os esforços para retirar milhares de indianos da pobreza, começase a perceber um padrão: a cada poucos quilômetros há uma torre de telefonia celular e um prédio aparentemente recém-construído ocupando o caos controlado. E a placa na frente invariavelmente diz "Escola" – escola de engenharia, escola de biotecnologia, escola de inglês, escola de administração, escola de informática ou escola de ensino fundamental particular. A Índia ainda é o único país que conheço onde se pode encontrar um cartaz anunciando "formação em física". Todas essas escolas, os mais 600 milhões de telefones celulares, as mais de 1,2 bilhão de pessoas – metade das quais tem menos de 25 anos – são a esperança da Índia; porque só alavancando a tecnologia e os cérebros é que Índia conseguirá garantir, de fato, uma vida melhor para suas multidões. Existem milhões de razões pelas quais isso pode não ocorrer, mas há um grande motivo pelo qual pode ser possível. O previsto realmente está ocorrendo: os jovens técnicos indianos já estão passando de realizar atividades secundárias de empresas ocidentais – que terceirizaram o trabalho aqui – para montar empresas indianas, que estão oferecendo soluções criativas e de baixo custo para os problemas da Índia. O falecido C.K. Prahalad chamou isso de "inovação gandhiana", e eu me deparei com muitos exemplos em volta de Nova Dhéli. Encontrei ali Vijay Pratap Singh Aditya, o diretor-presidente da Ekgaon. Seu foco são os agricultores indianos, que representam metade da população e constituem o que chama de "um mercado emergente dentro de

3

Prakash Singh/AFP

CHARLES HOLLAND

PORTUGAL DE HOJE E DE ONTEM

M

Estudantes indianos usam cada vez mais a tecnologia, boa parte dela produzida pelos próprios indianos.

THOMAS L. FRIEDMAN um mercado emergente". Ekgaon montou um programa de software que roda nos telefones celulares mais baratos e oferece aos agricultores sem instrução um programa de voz ou texto que lhes informa quando é a melhor época para plantar suas sementes, como preparar os fertilizantes e os pesticidas, quando parar de usá-los e o quanto de água deve ser utilizada diariamente. "A Índia tem de aumentar a produtividade agrícola", explica Aditya, "mas nossas fazendas são pequenas e os consultores do Departamento de Agricultura não conseguem chegar a muitas delas. Então os agricultores seguem métodos de cultivo de que ouviram falar, o que provoca a baixa produtividade e a desertificação do solo". Utilizando a computação em nuvem, Ekgaon adapta seu conselho às especificidades do solo, da plantação e das condições meteorológicas de cada agricultor. Cerca de 12 mil agricultores já assinaram o serviço (US$ 5

por ano) e o plano é crescer para 15 milhões em cinco anos. Encontrei K. Chandrasekhar, o d i re t o r- p re s i d e n t e d o F o ru s Health, cujo foco é a "cegueira evitável" entre os pobres da Índia rural. Um quarto da população cega do mundo, cerca de 12 milhões de pessoas, está na Índia, explica Chandrasekhar, e mais de 80% dessas pessoas são cegas por conta da falta de exames e de oftalmologista nas áreas rurais. No passado, um exame dependia de vários aparelhos caros para diagnosticar retinas diabéticas, catarata, glaucoma, problemas de refração e nas córneas, tudo o que provoca 90% da cegueira evitável na Índia. Assim, a Forus inventou um aparelho de pré-exame nos olhos que é único, portátil, inteligente e não invasivo. O aparelho pode identificar todos os cinco principais tipos de doença e também fornece um serviço que gera um relatório automático ("Normal ou Precisa Ver um Médico"). Pode ser feito por

Ajay Verma/Reuters

Carregador de pets: a Índia busca caminhos para reduzir a pobreza do país e melhorar a qualidade de vida.

um técnico treinado, que por meio da telemedicina conecta os pacientes a um médico. "Trabalho com uma empresa óptica holandesa e a Universidade do Texas nos apoia no desenvolvimento empresarial", completa Chandrasekhar. "Estamos falando com uma empresa brasileira que está interessada em produzir nossa tecnologia e vender na América Latina." Terceirizados estão se tornando terceirizadores.

E

ncontrei Aloke Bajpai, que, como outros de sua jovem equipe, começou trabalhando para empresas de tecnologia ocidentais, mas voltou à Índia numa aposta que poderia iniciar algo – ele só não sabia bem o quê. O resultado é o iXiGO.com, um serviço de busca de viagens que pode ser rodado nos celulares mais baratos e que ajuda os indianos a reservar as tarifas de baixo custo – seja um agricultor que deseja ir de ônibus ou trem por poucas rúpias de Chennai para Bangalore ou um milionário que pretender ir de avião para Paris. O iXiGO tem atualmente 1 milhão de usuários por mês e está crescendo. Bajpai usou um programa aberto e grátis, o Skype e ferramentas de escritório baseadas em nuvem, como Google Apps, e marketing de mídia social no Facebook para montar sua plataforma de software e desenvolver sua empresa. "Eles nos capacitaram a crescer bem mais rápido com nenhum dinheiro", afirmou. Finalmente, falei com Nandan Nilekani, o ex-diretor-presidente da Infosys Technologies, o gigante da terceirização na Índia, que agora está liderando um esforço governamental para dar a todo cidadão indiano um número de identificação. Trata-se de uma iniciativa crucial em um país onde a maioria do povo não tem carteira de habilitação, passaporte ou nem mesmo uma certidão de nascimento. Nos últimos dois anos, 100 milhões de pessoas se inscreveram para obter uma identificação oficial. Quando todo mundo tiver uma, o governo poderá lhes fornecer serviços ou subsídios – cerca de US$ 60 bilhões por ano – diretamente por telefones celulares ou contas bancárias, sem burocratas corruptos ou incapazes desviando recursos em alguma parte. "Estamos levando a tecnologia mais sofisticada para as pessoas mais desfavorecidas", afirmou Nilekani. "O mundo hiperconectado está nos dando a chance inédita de transformar a Índia de uma forma mais rápida e numa escala maior". THOMAS L. FRIEDMAN É COLUNISTA DO NEW YORK TIMES E TRÊS VEZES GANHADOR DO PRÊMIO PULITZER TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA

ais de 500 mil brasileiros visitam anualmente Portugal, mas parecem fazer segredo dos encantos do país, que passa por um processo de rejuvenescimento, com grande parte das residências e edifícios erguidos nos últimos 25 anos. Portugal tem excelente malha rodoviária, excelência de ensino – em grande parte gratuito e em tempo integral –, pouca pobreza e a população na melhor idade trata de curtir a vida. A segurança é elevada e as pessoas são amigáveis e sorridentes. Claro que Portugal, assim como outros países europeus e os Estados Unidos, está no momento com sua economia em ressaca, depois de 25 anos de crescimento contínuo. Mas o nível e qualidade de vida em Portugal ainda é elevado, bem acima do Brasil. É outro país se comparado àquele que visitei em 1982. Na época, em termos materiais, o país não causava boa impressão. Hoje, é um lugar ideal para férias e descanso, principalmente para brasileiros. Come-se e vive-se bem, com preços bem mais em conta do que aqui. Um vinho Mateus Rosé sai por R$ 6,75, a água de torneira é confiável e os supermercados têm mais alimentos prontos do que os nossos. As portuguesas, hoje, gastam menos tempo com panelas. A tributação sobre a produção e produtos é quase a metade da praticada no Brasil. Sobre vinhos, por exemplo, é de 13%. Aqui, o vinho nacional inclui ICMS de 23% (média); IPI de 30% imposto ao produtor; 1,65% de PIS e 7,6% de Cofins. Produtos prontos ou semielaborados são bem mais baratos em Portugal. Para os descendentes de portugueses ou interessados na história do país, recomendo o livro A primeira Aldeia Global-

Como Portugal mudou o Mundo. O original foi escrito em inglês pelo jornalista radicado em Portugal Martin Page e lançado em 2008 (como “The First Global Village”). É uma deliciosa história sobre Portugal e os portugueses, contada por um estrangeiro, abrangendo seus feitos desde a época dos romanos até a entrada na União Europeia. O livro incrementa ou restaura o orgulho de todos aqueles que têm algum sangue português nas veias. lguns destaques do livro em questão: G Pedro Julião (1226 a 1277) foi o primeiro papa português, com o nome de João 21. Escreveu um dos primeiros compêndios modernos sobre medicina e tornou-se um livro de consulta obrigatório em quase toda a Europa; G Os portugueses levaram as tulipas, o chocolate e os diamantes para a Holanda; G Introduziram o hábito do chá das cinco (vindo da China) entre os ingleses; G Introduziram o ensino superior na Índia; G No Japão, onde o comércio era florescente, mercadores portugueses radicaram-se em tão grande

A

quantidade que construíram a cidade de Nagasaki; G Enriqueceram a língua japonesa com novos termos. Por exemplo: o pão, que era desconhecido dos japoneses, ficou conhecido por pan; G Introduziram o método de cozinhar peixe em tempurá, as armas de fogo e mostraram aos japoneses como se constroi em pedra; G Em Goa, criaram a primeira cidade europeia na Ásia; G Foi um país de grande inovação técnica, incluindo o canhão de carregar pela culatra, a bússola marítima e a pré-fabricação de edifícios de pedra; G Os portugueses foram os primeiros a identificar o mosquito como portador da malária e criaram o hábito da rede protetora nas camas. Portugal foi o País mais rico do mundo de 1450 a 1700. Em seus tempos áureos, os portugueses dominaram o Brasil, toda a costa da África ocidental e oriental, abrindo o comércio com a Ásia. Em 1650, o país era 50 vezes mais rico do que a Inglaterra. lém disso, Portugal mudou o curso da história do Império Romano. Em 61 a.C., Júlio César ganhou o cargo de governador da região portuguesa/hispânica. Com 30 mil homens, saqueou e dominou a região hoje conhecida como Portugal. Dois anos depois, retornou glorioso a Roma. Mais tarde voltou à região para novas conquistas – França, Bélgica e Inglaterra. Boa parte de suas tropas era lusitana. Claro que o império romano também teve enorme influência em Portugal, com o aumento de extração de minerais, fabricação de metais (em especial bronze e latão), estradas, igrejas e aquedutos,

A

alguns ainda funcionando. Em 1500, os portugueses fizeram duas grandes descobertas: Cá Nada, na Nova Escócia, hoje Canadá, e o Brasil. Mas abandonaram os planos de colonização do Cá Nada, concentrando esforços no Brasil, Angola, Moçambique, Goa, Macau e Nagasaki. O fator impeditivo do crescimento de Portugal decorreu da falta de lusitanos para colonizar e manter o domínio de seu vasto império territorial e sua dominância comercial. Assim, permitiram o avanço dos vizinhos mais pobres – como Espanha, Inglaterra, França e Itália – nas Américas e também na África. Os livros de autoria dos viajantes portugueses eram amplamente traduzidos e avidamente lidos por toda a Europa, proporcionando o primeiro conhecimento do mundo além-fronteiras. Foram os portugueses, pois, que iniciaram o conceito do mundo como aldeia global – na época limitado pela velocidade das naus e a intensidade dos ventos. ASSOCIADO DA ACSP D. PINHEIROS, CONSELHEIRO INDEPENDENTE DE EMPRESAS, CONTADOR, ATUANTE EM DIVERSAS ENTIDADES PROFISSIONAIS LIGADAS AO MERCADO DE CAPITAIS.


DIà RIO DO COMÉRCIO

4 -.GERAL

GibaUm

3 Em noite de prĂŞmios Lilia

Cabral, elegante num longo preto, nĂŁo resistiu e lembrou de seu personagem em Fina Estampa.

k Caviar ĂŠ tĂŁo bom que a gente devia comer...nua.

3 MAIS: "Hoje, o PereirĂŁo veste Prada". Era uma alusĂŁo ao livro e filme O Diabo Veste Prada, sobre a poderosa Anna Wintour.

Ironia

ÂŤ

gibaum@gibaum.com.br

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

DANUZA LEĂƒO // em trecho de seu livro É Tudo TĂŁo Simples. Fotos: Paula Lima

333 Na festa de seu 66Âş aniversĂĄrio, no apartamento de SĂŁo Bernardo, Lula tentava escapar da insistĂŞncia do mĂŠdico Roberto Kalil, que queria fazer seu check-up no SĂ­rio-Libânes, no dia seguinte. E recusava na base da brincadeira: “Eu nĂŁo vou fazer exame, nĂŁo. VocĂŞ descobriu câncer no ZĂŠ Alencar, vocĂŞ descobriu na Dilma e vai descobrir em mim. Daqui a pouco ĂŠ a Republica inteira com câncerâ€?. No dia seguinte, depois do diagnĂłstico, ainda na sala de exames, o ex-presidente nĂŁo poupou Kalil: “VocĂŞ me pagaâ€?.

NO ELEVADOR

O ex-ministro de Relaçþes Institucionais,LuizSĂŠrgio,hoje titular da Pesca, era sempre chamado de “garçomâ€? porque “sĂł anotava pedidosâ€?. Agora, enquanto Gilberto Carvalho atravessa fase de ascensĂŁo, começa a rodar o apelido de “garçoneteâ€? para Ideli Salvatti, no mesmo sentido. Ela jĂĄ acha que a piada estĂĄ sendo espalhada pelo prĂłprio Gilbertinho , sĂł que nĂŁo consegue acusĂĄ-lo para valer. E vai se defendendo: “Posso atĂŠ ser garçonete, mas entrego o prato feito ĂĄ presidentaâ€?. 333

A operação da Polícia Militar em São Paulo para tirar 70 estudantes que tomaram a reitoria da USP, em protesto contra a permanência da polícia no campus e a favor da maconha livre nas dependências da universidade, era maior do que qualquer outra dos últimos tempos contra traficantes em morros brasileiros. De cara, 50 viaturas em comboio, 400 PMs mobilizados na årea (600 no total em serviços de apoio) e atÊ helicóptero com metralhadora a bordo. A Polícia Militar usava coletes, escudos e usou o elemento surpresa , na linguagem policial, ou seja, prendeu os estudantes que haviam desacatado ordem judicial, quando estavam dormindo. Menos dois rapazotes: esses não dormiam. Trocavam juras de amor – e atÊ bem mais do que isso.

Pausa no protesto

333

MISTURA FINA CERTO de que a senadora Marta Suplicy não serå brindada com o MinistÊrio da Educação, quando Fernando Haddad sair para se dedicar à campanha municipal, em São Paulo, o titular de Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, iniciou movimento em direção à cadeira do ainda colega. 333

O MUSICAL Brasileiro, Profissão: Esperança , apresentado nos anos 70 com grande sucesso com Paulo Gracindo e Clara Nunes no elenco, que celebra a obra de Antonio Maria e Dolores Duran, ganharå nova montagem no ano que vem. Antônio Abujamra estarå no papel do compositor e Luis Carlos Miele como Paulo Pontes, autor e narrador do espetåculo.

333

Camisolas da vilĂŁ A Central de Atendimento ao Telespectador da Globo cada vez mais recebe telefonemas pedindo informaçþes sobre a coleção de camisolas longas que a personagem Teresa Cristina (Christiane Torloni), a vilĂŁ em alta, usa em seus momentos mais ensandecidos da novela Fina Estampa. Agora, os fabricantes jĂĄ estĂŁo preparando uma coleção especial inspirada em Teresa Cristina. E, claro, a garota-propaganda (força de expressĂŁo, claro) serĂĄ La Torloni: “A vilĂŁ estĂĄ provando que as camisolas compridas podem ser tĂŁo sexies quanto as curtasâ€?.

333 Nos e-mails que fazem parte do inquÊrito da Polícia Federal sobre a quebra do Panamericano, alguns registram as relaçþes intimas entre o presidente da instituição, Rafael Palladino e o ex-ministro e consultor Luis Gushiken. Certa vez, os dois ficaram presos num elevador durante mais de meia hora, enquanto um batalhão de funcionårios tentava libertå-los. Os mais irônicos acham que foi tempo mais do que suficiente para que eles acertarem quaisquer pendências.

333

Novamente available, 34 anos, a atriz Camila Pitanga vai estrear na sÊrie A Grande Família, como uma estagiåria curvilínea que vai enlouquecer Mendonça (Tonico Pereira) atÊ ser desmascarada por Lineu (Marco Nanini). Camila, que debutou sua nudez no cinema, recentemente, em Eu Receberia as Piores Noticias de seusLindosLåbios,nãogostou muitodoqueviu.Antesdofinal doano,querturbinar sapoitrine. 333

Namorada do vampiro

333 No próximo dia 18, estrÊia a primeira parte do último filme da saga Crepúsculo, Amanhecer, quando a personagem Bella , vivida por Kristen Stewart, fica gråvida. Enquanto isso, ela Ê a estrela da edição de dezembro de Vogue italiana, onde aparece com cabelos presos e usando longos e luxuosos vestidos, com muita renda. A atriz agora estå interpretando Branca de Neve, numa nova versão da história dos irmãos Grimm, onde Charlize Theron Ê a Rainha Må.

O mesmo script O script que envolve o ainda ministro do Trabalho, Carlos Lupi, ĂŠ o mesmo utilizado na queda de cinco outros defenestrados sob suspeita de corrupção (Nelson Jobim caiu por falar demais): Dilma Rousseff faz um afago pĂşblico, convida-o para uma solenidade, aparece a seu lado, enquanto Gilberto Carvalho conversa com ele em seu gabinete, recomenda que resista e depois, espalha o teor da conversa. JĂĄ Lupi pede ao MinistĂŠrio da Justiça que determine uma investigação pela PolĂ­cia Federal, bate no peito e garante que resistirĂĄ e por aĂ­ vai, atĂŠ a prĂłxima carga de denĂşncias. Ă€ margem da nova novela, uma piada antiga ressuscitada diz que “Lupi, como ministro, nĂŁo come peru no Natalâ€?. 333

h IN

Colarinho branco com listras.

h

TURBINADA

OUT

Colarinho branco com xadrez.

Estilo Peter Luger 333 Eike Batista acha que inaugurarå o novo hotel Glória, no Rio, em 2013. Deverão funcionar lå três restaurantes: um italiano, outro, japonês e um terceiro, de carnes, que poderå ser uma filial do novaiorquino Wolfgang’s. É uma churrascaria de Wolfgang Zwiener, que foi maitre durante anos do famoso Peter Luger, no Brooklin. O novo Glória não terå teatro: o que havia, Eike Batista mandou demolir e pode ganhar, contudo, uma super-boate.

NA REUNIĂƒO de Dilma com lĂ­deres partidĂĄrios, no Planalto, Ă certa altura, Magno Malta, senador capixaba, pediu que todos rezassem um Pai Nosso pela recuperação de Lula. E todos oraram. Anteriormente, em outro evento, o senador Eduardo Matarazzo Suplicy mandou pedir que os presentes tambĂŠm rezassem um Pai Nosso. Os que estavam lĂĄ oraram, menos Suplicy que começou e esqueceu do resto da prece. 333

Vitor vs. Galvão 333 O lutador Anderson Silva, o Aranha, estava cotado para ser o comentarista do UFC na Globo, mas teve de desistir devido à agenda de compromissos. Em seu lugar, deve assumir Vitor Belfort, que estå contente em participar das transmissþes ao lado de Galvão Bueno. Arnaldo CÊsar Coelho soube e profetizou: "Ele vai ver o que Ê lutar com o Galvão". Por outro lado, Breno Silveira, o mesmo de 2 Filhos de Francisco, inspirado numa idÊia de Rubens Ewald Filho, prepara-se para rodar 10 Segundos , sobre a vida do boxeador Eder Jofre (serå vivido por Thomas Stavros). O orçamento serå de R$ 14 milhþes e poderå captar recursos pela Lei Rouanet.

OS HERDEIROS de Ayrton Senna acabam de colocar ĂĄ venda a mansĂŁo que o piloto tinha (e morou lĂĄ atĂŠ o acidente de Imola, em 1994) na regiĂŁo do Algarve, em Portugal, mais propriamente na Quinta do Lago. EstĂŁo sendo pedidos 10,2 milhĂľes de euros (perto de R$ 18 milhĂľes). A mansĂŁo tem seis quartos e sete banheiros, piscina, todas as mordomias e atĂŠ campo de futebol em meio a 10.500 metros quadrados de jardins e ĂĄrvores.

333

EX-atriz do cinema pornô italiano, a famosa Cicciolina, que foi deputada de 1987 a 1992, começarå a receber, depois de uma batalha judicial, sua pensão mensal de 3 mil euros do governo de lå.

Solução

            



       

 

                

  

GARÇONETE

333

   

 

       

  

Durante dÊcadas, o ministro da Justiça Ê que se sentava à direita do Presidente da República em eventos oficiais e reuniþes ministeriais. Quando Lula assumiu, JosÊ Dirceu mudou tudo e passou a se sentar à direita do Chefe do Governo, ganhando tratamento de ministro principal. Agora, Dilma Rousseff mudou o ritual de novo: à sua direita, quem senta Ê o vice-presidente Michel Temer e Ê ele tambÊm que entra no recinto depois dela. À esquerda, senta-se Ideli Salvatti, das Relaçþes Institucionais. Gleisi Hoffmann (Casa Civil) e JosÊ Eduardo Cardozo (Justiça) sentamse bem distantes. 333

Os melhores do teatro brasileiro foram devidamente agraciados na quinta edição do prêmio Contigo, no Rio, no Teatro Poeira, numa noite onde a grande homenageada foi a veterana Bibi Ferreira, 90 anos, pelo conjunto de seus trabalhos. Não era exatamente uma versão tupiniquim do Tony americano: não havia red carpet e o que mais se via era jeans e tênis. Algumas famosas atÊ capricharam: da esquerda para a direita, Ângela Vieira, DÊbora Falabella (levou o prêmio de melhor atriz), Sophie Charlotte, Maria Padilha e a sempre estimulante Luiza Brunet, com sua saia à anos 80.

Noite de teatro

   

 

 

Novo ritual

  "   $ (  )&    *+, -         .

        

                         

5           

232  (0 2 2    

)

 !  

" 

22  (0

#   

$4     

6  ( 

 

2$ 2  (0    

333

$

&  8  ! 9        (  )&     (  *   ,

$    4  



   

   

%  

- *+, /   (  (0 $ 

3

    7   4 

3        4

  ( ( 

333 ESTĂƒO quase concluĂ­das as negociaçþes entre a InBrands, braço de moda do PCP – Pactual Capital Partners (leia-se: AndrĂŠ Esteves) e a Osklen, de Oskar Metsavaht, com 40 lojas no paĂ­s entre prĂłprias e franqueadas.

Colaboração: Paula Rodrigues

%&     '

%  1  '  

$       

*::;<, =    >& &    ?@   ) A4  (& B  


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

5 PAREDÃO Carlos Lupi avaliou as condições para sair do ministério. Escolheu a bala.

olítica

RENÚNCIA Antônio Reguffe, colega de Lupi, sugeriu que ele saísse. Sem balas.

Lupi diz que só sai do Trabalho na bala O ministro diz que tem o apoio da presidente, que mandou ele "tocar o barco" e apurar as denúncias – como fez com os outros ministros demitidos.

O

ministro do Trabalho, Carlos Lupi, o mais recente alvo de denúncias de corrupção, afirmou ontem que tem "total apoio" da presidente Dilma Rousseff e de seu partido, o PDT, para continuar no cargo. Lupi, que é presidente licenciado da sigla, avisou que para tirá-lo da pasta "só abatido a bala e tem que ser bala bem forte, porque eu sou pesadão". As declarações foram dadas depois de um encontro entre o ministro e integrantes do PDT na Câmara e no Senado, em Brasília. PDT sai – Lupi não só acredita no apoio da presidente como declarou que "duvida" que Dilma o tire do ministério. Depois retificou dizendo que "é pouco provável que isso ocorra". O líder do PDT na Câmara, Giovani Queiroz (PA), avisou que, em caso de demissão, o PDT deixa a base aliada ao governo. "Se o Lupi for demitido, o PDT sai", declarou Queiroz, ao lado do líder do partido no Senado, Acir Gurgacz (RO). Ele ressaltou que a sua afirmação não era uma "ameaça ao governo", mas a posição do partido. Os dois líderes reafirmaram também que as bancadas do PDT no Congresso estão unidas no apoio a Lupi. Tocar o barco – Sobre a confiança que Dilma deposita nele, o ministro contou que, em conversa reservada com a presidente na segunda-feira, ela lhe transmitiu apoio para que ele esclarecesse as denúncias sem se afastar do cargo. "A pre-

Elza Fiúza/ABr

A presidente me perguntou seu eu lutaria até o fim e eu respondi que não vou desistir nunca. Então ela disse para eu tocar o barco. CARLOS LUPI

Carlos Lupi tem o apoio da maioria dos integrantes da bancada do PDT, que ameaça deixar a base aliada ao governo se ele for demitido.

sidente me perguntou seu eu lutaria até o fim e eu respondi que não vou desistir nunca", afirmou. "A presidente disse, então, para eu tocar o barco". Lupi falou ainda que a presidente não deu uma declaração pública de confiança a ele "porque não precisa". Embora tenha insistido que não existe nenhuma denúncia de corrupção envolvendo o seu nome, o ministro não descartou irregularidades envolvendo servido-

res do ministério. Dez mil – Segundo ele, são mais de dez mil funcionários e, por isso, não há como controlar as ações de todos. No entanto, destacou que o ministério do Trabalho é o único que faz "chamadas públicas" para controlar os convênios da pasta com organizações não-governamentais desde 2008, mas admitiu que, mesmo assim, o sistema de acompanhamento dos contratos "é frágil" e prometeu

fazer um mutirão até o fim do ano para atualizar o cumprimento de todos eles. Chuva e sol – Tentando demonstrar segurança e bom humor, o ministro comparou o desgaste político que atravessa com a mudança de clima. "É que nem chuva, no dia seguinte já é sol". Só que não é a primeira tempestade em que a presidente dá orientações a um ministro acusado de irregularidades, com votos de

confiança de que continue tocando o barco no ministério para, logo em seguida, decidir pela saída do auxiliar. Foi assim com Orlando Silva, no ministério do Esporte, e com todos os outros exonerados. De acordo com denúncia da Veja, caciques do PDT, comandados por Lupi, teriam transformado órgãos de controle da pasta em instrumento de extorsão. A partir de relatos de diretores de ONGs, de parla-

mentares e de servidores públicos, o esquema contrataria entidades para cursos de capacitação profissional e, depois, assessores exigiriam propina entre 5% a 15%, para resolver as pendências que eles mesmos acabavam criando, a velha versão de criar dificuldades para vender facilidades. Planalto – O caso, segundo a denúncia, estaria sendo monitorado pelo Palácio do Planalto há pelo menos três meses, depois de relatos passados por deputados federais do próprio PDT. A partir disso, o governo federal teria determinado a demissão de Marcelo Panella, exchefe de gabinete de Lupi e tesoureiro do PDT, que estaria à frente do esquema. O pedido do Planalto foi atendido por Lupi, embora o ex-chefe já acompanhasse Lupi por 30 anos. Panella negou as acusações. Outro suspeito é o assessor Anderson Alexandre dos Santos, que também foi afastado temporariamente por 30 dias. (Agências)

Andre Dusek/AE

'Se o ministro fosse inteligente, ele deixaria o cargo' A proposta foi feita pelo deputado Antônio Reguffe (PDT-DF), colega de Lupi

A

sugestão partiu ontem de um colega de partido, o deputado federal Antônio Reguffe (PDTDF). O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, "seria inteligente" se deixasse o cargo diante das denúncias de esquema de cobrança de propina no ministério. "A decisão é dele, mas eu penso que seria inteligente", disse Reguffe para quem "tudo o que diz respeito a desvio de dinheiro ou lesão de patrimônio deve ser investigado". Reguffe, o também deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) e o senador Pedro Taques (PDTMT) protocolaram ontem na Procuradoria-Geral da República (PGR) pedido de abertura de inquérito na Polícia Federal para apurar as suspeitas de

Tudo o que diz respeito a desvio de dinheiro ou lesão de patrimônio deve ser investigado (...) Fatos graves devem ser investigados. ANTÔNIO REGUFFE irregularidades. "Não é préjulgamento, mas o desejo de investigação sobre fatos absolutamente graves e que precisam ser investigados", disse Reguffe. "Não há nada de imoral pedir investigação de algo que é muito grave", completou. "É preciso fazer uma in-

vestigação profunda". No pedido feito à PGR, os pedetistas também solicitaram uma apuração em relação a uma auditoria feita no ministério pelo Tribunal de Contas da União (TCU) que apontou "situação crítica" na pasta em razão da demora para análise de prestação de contas. Sindicância – Por determinação do ministério do Trabalho foi instaurada ontem sindicância para apurar as denúncias feitas pela Veja sobre suposto esquema de cobrança de propina na pasta. Para compor a comissão de sindicância foram designados os auditoresfiscais do Trabalho Fernando Antônio de Araújo Lima, Márcio Vinícius Dias Freitas e o agente administrativo Luiz

Antônio Reguffe pede a saída do ministro e protocola pedido de investigação. E ele é integrante do PDT.

Antonio Penha. Foi fixado um prazo de 30 dias para a conclusão dos trabalhos. Sob investigação – A Comissão de Ética Pública da Presidência da República também

determinou a abertura de procedimento preliminar pedindo explicações por escrito do ministro. Com o procedimento, a relatora Marília Muricy poderá pedir documentos e

explicações. Ao final da investigação, Lupi poderá ser "punido" com uma "censura ética" ou até mesmo ter a sua demissão recomendada pela comissão. (Agências)

Gurgel não vê 'indício de irregularidades' Para o procurador-geral da República, os problemas analisados dizem respeito apenas ao ministério, não afetam o ministro diretamente. Por enquanto. Sergio Lima/Folhapress - 27.09.11

Roberto Gurgel diz ter recebido todo apoio do ministro Lupi, inclusive amplo acesso ao ministério.

O

procurador-geral da República, Roberto Gurgel, disse ontem que ainda não há qualquer indício de irregularidade contra o ministro do Trabalho, Carlos Lupi, nas denúncias de pagamento de propina envolvendo o ministério. "Por enquanto, os elementos dizem respeito a irregularidades em programas da pasta, mas não apontam, pelo menos nesse primeiro momento, o envolvimento direto do ministro". O procurador-geral afirmou que se não aparecerem provas, o processo deverá ser encaminhado à Procuradoria da República no Distrito Federal. Ele admitiu que o caso pode ficar na Procuradoria Geral da República (PGR) se forem confirmadas as denúncias contra o ex-assessor especial do minis-

tério, Weverton Rocha, atual deputado federal pelo PDT do Maranhão. O procurador confirmou também ter recebido pedido do ministro para apurar o caso e dando "o mais amplo acesso a tudo no ministério do Trabalho e se dizendo o primeiro interessado no sentido de apurar se há irregularidades". Mais esclarecimentos – O ministério também prestou esclarecimentos sobre os convênios assinados com as instituições citadas na denúncia de Veja. De acordo com a pasta, a instituição Êpa (RN) assinou acordo para, em 2008, qualificar 4.300 trabalhadores e, em 2009, mais 3 mil trabalhadores. O valor total desses convênios somava R$ 5,61 milhões, mas foram repassados R$ 4,60 milhões porque foram detecta-

das inconsistências financeiras, o que motivou uma investigação ainda em andamento. Outra citada, a Oxigênio, assinou acordo para qualificar mais de 16 mil alunos (2008 e 2010), mas foram encontradas irregularidades. O ministério solicitou a devolução de recursos. Dos R$ 11,8 milhões liberados do total de R$ 12,34 milhões foram devolvidos R$ 202 mil. A Fundação Pró-Cerrado assinou contratos (2009 e 2010) para qualificar 15 mil trabalhadores. Também foram encontradas algumas improbidades, mas a instituição ainda não passou a prestação de contas por "problemas técnicos". O valor é de R$ 14,96 milhões e foram liberados R$ 10,48 milhões. Apesar dos problemas, os convênios com as três entidades estão vigentes. (ABr)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Uma organização criminosa é a responsável pelas denúncias de que recebia propina na Anvisa Governador Agnelo Queiroz, do DF

olítica

Duas versões do lobista para Agnelo Numa delas, em vídeo, Daniel Tavares acusa o governador do Distrito Federal de receber propina. Em outro vídeo, desmente a sua própria versão.

O

g o v e r n a d o r d o to bancário que comprova o Distrito Federal, depósito efetuado por ele na Agnelo Queiroz conta corrente de Agnelo, que (PT), afirmou on- alega ser o empréstimo pestem que uma "organização cri- soal. O governador também minosa" é responsável pelas insinuou que as eventuais gradenúncias de que recebeu pro- vações envolvendo o seu nopina quando era diretor da me seriam "montagens" e peAgência Nacional de Vigilân- diu "atenção e responsabilidacia (Anvisa), em 2008. Por isso, de" da mídia. as acusações de corrupção que Nova versão – De qualquer envolvem o seu nome "não me- forma também circulou em recem crédito", reafirmou. Brasília um vídeo no qual Ta"Aqui eu derrotei uma organi- vares confirmou a versão do zação criminosa que estava go- governador sobre o empréstivernando o Distrito Federal", mo (Leia texto ao lado). "Foi uma numa referência ao ex-gover- quantia que ele tinha empresnador José Roberto Arruda. tado quando eu estava numa Transparente – Agnelo afir- fase difícil e ressarci assim que mou que instalou uma secreta- tive condições. Não tem nada a ria de transparência e botou ver com outra coisa", disse. "um bocado de empresa que Em entrevista na TV Record, estavam nessa Ta v a r e s f o i corrupção coalém e acusou mo inidôneas as deputadas e as pessoas Celina Leão e As acusações de querem contiEliana Pedrocorrupção que nuar a mesma sa de lhe ofereprática, com as cerem dinheienvolvem o meu mesmas mennome não merecem ro para que ele tiras, as mescrédito. Eu derrotei acusasse o gom a s f a l s i d avernador. Pauma organização des e isso não ra Agnelo, criminosa no DF. prevalece". com essas deAmigo – Soclarações, "a AGNELO QUEIROZ bre o lobista v e r d a d e c oDaniel Almeimeça a ser resda Tavares (leia texto ao lado), o tabelecida". Celina afirmou governador confirmou que ele que o lobista não pediu dinheiera "uma pessoa amiga minha" ro e nem este lhe foi oferecido. e que a transferência de R$ 5 Já Eliana confirmou que ele pemil era referente a um emprés- diu emprego. timo pessoal concedido a TaAgnelo foi eleito como renovares. Queiroz só não explicou vação no Distrito Federal, após a razão de ter liberado, no mes- a renúncia do ex-governador mo dia, um certificado para a José Roberto Arruda, à época farmacêutica União Química, no DEM, acusado de comanpara a qual o "amigo Tavares" dar um esquema de distribuitrabalhava. ção de propinas. Agora, o proMontagem – Há duas sema- curador-geral da República, nas, o lobista entregou docu- Roberto Gurgel, tem em mãos mentos à deputada distrital a mesma acusação – pagamenCelina Leão (PSD), presidente to de propinas – mas contra ouda Comissão de Direitos Hu- tro governador. De acordo manos da Câmara Legislativa com o procurador-geral, "o do Distrito Federal, que com- material está sob perícia para prometeriam o governador. que se possa estabelecer a sua Entre os papéis, estava o extra- validade". (Agências)

Andre Dusek/AE

Celina Leão entrega vídeo para a Polícia Federal no qual Tavares acusa Agnelo. Mas circula outro vídeo de Tavares acusando a deputada Celina de lhe oferecer dinheiro.

Pedro Caldeira/Frame/AE

Agnelo Queiroz: alvo de acusações, ele nega recebimento de propina. Diz que foi um "empréstimo pessoal a um amigo"

Pagamentos na casa do governador Neste vídeo, o lobista explica como funcionava a sua participação e quem pagava para Agnelo Queiroz

O

lobista Daniel Alm e i d a Ta v a r e s acusa diretamente o governador do Distrito Federal, Agnelo Queiroz (PT), de ter recebido pelo menos seis pagamentos do empresário Fernando de Castro Marques, do laboratório União Química, quando ainda era diretor da Agência Nacional de Vigilância (Anvisa). As acusações constam da gravação entregue, ontem à noite, para a Polícia Federal pelas deputadas distritais Celina Leão (PSD) e Eliana Pedrosa (DEM). Na conversa com Celina, o lobista confirmou que cada pagamento de R$ 50 mil ou de R$ 100 mil, eram entregues por ele na casa de Agnelo. O depoimento teria sido gravado na casa de Eliana, mas o lobista não quis assiná-lo. (leia texto principal) De acordo com a deputada, ao sair de sua casa após a gravação, alegando que iria buscar documentos e voltar para assinar o depoimento, Tavares pediu a ela dinheiro ou um emprego, porque teria que sair de Brasília. "Respondi que não trabalhávamos daquela forma

Lula Marques/Folhapress

Deputado Chico Vigilante contestou a versão apresentada para a Polícia Federal e garantiu que tudo foi armação "num domingo".

e ele não voltou mais". Dia de domingo – A transcrição do texto foi distribuída no período da tarde pelo deputado distrital Chico Vigilante, líder do PT na Câmara Legislativa. O deputado pretendia defender o governador, alegando que o depoimento "foi tomado clandestinamente em um domingo" e, por isso, não teria validade. Eliana alegou que foi procurada naquele dia por Tavares, que afirmava estar correndo risco de vida e,

por isso, imediatamente fez contato com Celina, presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Antiga relação – No depoimento, Tavares confirmou que a relação financeira entre Agnelo e Fernando Marques era antiga. O empresário também teria "cedido" uma cota de cerca de R$ 100 mil em combustíveis para a campanha de Agnelo no Senado. Como ele não foi eleito, de acordo com Tavares, se afastaram. A reaproxi-

mação ocorreu com a nomeação dele para uma diretoria da Anvisa, justamente a que concedia os Certificados de Boas Práticas de Fabricação (CBPF), exigido de todos os laboratórios e de interesse da União Química. Assim, Marques entrava com os pedidos de licença e Agnelo pedia dinheiro, que era entregue por Tavares na casa do futuro governador. Na eleição de 2010, o lobista disse que Marques contribuiu de novo, com R$ 200 mil. (AE)

MPE pede a cassação de Vaccarezza O pedido é baseado em suposta arrecadação ilícita para a sua campanha eleitoral de 2010 à Câmara

Em Sorocaba, emendas para as ONGs

T

rês de cada quatro emendas apresentadas pelos vereadores ao orçamento de Sorocaba (SP) para 2012, aprovado ontem pela Câmarta, destinam recursos públicos a organizações não-governamentais, entidades esportivas e associações de bairros. Das 459 emendas propostas pelos 20 vereadores, 75% delas ou 354 contemplam desde times de futebol e escolinhas de basquetes até grupos de oração e de portadores de vários tipos de moléstias. A minoria é destinada a benefícios de interesse geral, como obras de infraestrutura e asfalto nas ruas. Um acordo com o prefeito Vitor Lippi (PSDB) elevou o limite de emendas por verea-

dor, de R$ 500 mil para R$ 700 mil. Com isso, os parlamentares poderão dispor de R$ 14 milhões da verba orçamentária para atender compromissos eleitorais. Ao contrário do que ocorre na Assembleia Legislativa paulista, que não divulga as emendas dos parlamentares, tanto que o deputado Roque Barbiere (PTB) denunciou a venda de emendas por colegas, a Câmara de Sorocaba relaciona em seu site todas as propostas. O orçamento para 2012, de R$ 1,669 bilhão, ainda será submetido a uma segunda votação. A média de 23 emendas por vereador pode aumentar, já que a votação abre oportunidade para novas propostas. (AE)

O

Ministério Público Eleitoral em São Paulo (MPE-SP) interpôs no fim da semana passada recurso no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo a cassação do deputado federal Cândido Vaccarezza (PT-SP) por suposta arrecadação ilícita durante campanha eleitoral de 2010. O petista, que também é líder do governo na Câmara, teria recebido R$ 350 mil advindos de uma concessionária de serviços públicos e de uma entidade de classe, o que é vedado pela Lei das Eleições e prevê como penalidade máxima a cassação do mandato. Vaccarezza teria recebido recursos da UTC Engenharia no valor de R$ 200 mil e da Associação da Indústria Farmacêutica de Pesquisas (Interfarma) no valor de R$ 150 mil. O Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo (TRE-SP) decidiu em favor do parlamentar, após concluir que a Interfarma não recebe recursos públicos e tem patrimônio particular. A Justiça também considerou que a

UTC Engenharia não é concessionária ou permissionária de serviço público. No recurso, o MPE-SP argumentou que a Interfarma reúne características de entidade de classe, uma vez que representa entidades associadas pe-

rante quaisquer entidades públicas ou privadas, além de atuar junto às autoridades competentes na certificação de produtos farmacêuticos. O MPE alegou ainda que a UTC Engenharia é concessionária de serviço público ao

atuar na exploração de petróleo e gás natural. "Uma atividade de titularidade exclusiva da União, a qual somente pode ser delegada mediante concessão". A relatora do recurso é a ministra do TSE, Nancy Andrighi. (AE)

Antonio Cruz/ABr - 01.09.11

Cândido Vaccarezza: líder governo na Câmara Federal tem pedido de cassação na Justiça Eleitoral.


p Governo lança atendimento domiciliar DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

7

Com ingressos da categoria 4, queremos dar acesso ao maior número de pessoas. Jerôme Valcke, secretário-geral da Fifa

olítica

Programa Melhor em Casa terá mil equipes de médicos, fisioterapeutas, técnicos em enfermagem e enfermeiros até 2014 para reduzir demanda em hospitais públicos

A

presidente Dilma Rousseff lançou ontem, em cerimônia no Palácio do Planalto, os programas Melhor em Casa, do SUS (Sistema Único de Saúde), e o SOS Emergência. O primeiro prevê atendimento domiciliar a pacientes que não precisam ficar internados – a intenção do governo é diminuir a demanda de atendimentos em hospitais. Formadas por médicos, fisioterapeutas, técnicos em enfermagem e enfermeiros, 1.000 equipes de atendimento domiciliar serão formadas até 2014 – a previsão é de um investimento de R$ 1 bilhão. Estados e municípios devem fazer adesão ao programa, já que tais equipes serão contratadas pelos gestores locais. "Esse é um aprendizado da medicina nos últimos anos: nós aprendemos no dia a dia, percebemos que alguns dos procedimentos que tradicionalmente são realizados dentro dos hospitais poderiam ser realizados dentro de casa com melhor resultado, (...) vendo a pessoa como ser humano", afirmou o ministro da Saúde, Alexandre Padilha. A iniciativa poderá ter como resultado, por exemplo, a redução de infecções hospitalares, destacou o ministro. Segundo ele, o ministério ficará responsável por todas as despesas do programa. Ainda neste mês, 110 equipes serão cadastradas – a média de atendimento mensal de cada uma delas é de 60 mil pacientes. O ministro da Saúde anunciou ainda a assinatura de portaria com o ministério de Energia que prevê isenção total de

Beto Barata/AE

A senhora (Dilma) está de parabéns por seu ministro (Alexandre Padilha), sua equipe e pela humanização no atendimento. GILBERTO KASSAB

tarifa de energia em residências onde existam equipamentos médicos que necessitem de eletricidade. SOS Emergência – Já o programa SOS Emergência tem como meta qualificar grandes hospitais de urgência e emergência no País. O ministério começa com 11 hospitais de referência e chegam a 40 até 2014. Cada um dos hospitais receberá anualmente R$ 3,6 milhões para ampliação e qualificação do atendimento. Há ainda uma verba adicional de até R$ 3 milhões por hospital para compra de equipamentos e reformas no prédio. A ideia é criar comitês de qualidade nos hospitais para reformular e agilizar o atendimento, por exemplo. Seis hospitais de excelência vão colaborar com essa qualificação, entre eles o Sírio-Libanês e o Albert Einstein, de São Paulo. "Queremos entrar em campo com os trabalhadores de saúde para apoiar quem quer fazer mudanças", disse Padilha. Elogios – O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD), fez rasgados elogios ao governo Dilma, na cerimônia de lançamento do programa. "Seu

governo vai muito bem e hoje dá mais um passo nessa imagem", afirmou Kassab, em nome de todos os prefeitos. Segundo o prefeito, a saúde pública não depende apenas de recursos, mas também de gestão, administradores eficientes, com espírito público e energia. "A senhora está de parabéns por seu ministro (da Saúde, Alexandra Padilha), por sua equipe e principalmente pela humanização no atendimento à saúde". C ob ra nç a – A presidente cobrou ontem que União, estados e municípios se esforcem por uma melhor gestão dos recursos disponíveis para a saúde pública, em vez de esperar por um maior financiamento do setor. A criação da CSS (Contribuição Social da Saúde), uma nova versão da antiga CPMF, extinta em 2007, espera análise do Congresso Nacional e é motivo de polêmica entre os partidos da base do governo. "A implantação do Me lh or em casa e do SOS Emergência demanda tempo, dedicação e recursos. Tracei orientação bem clara: fazer mais com o que temos e não ficar de braços cruzados esperando que os recursos caiam do céu". Pouco antes, o governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), discursou em defesa de uma tese contrária, ressaltando a necessidade de uma maior reserva de recursos para a área. "De nada vai adiantar boa vontade se não tivermos recursos financeiros". A presidente elogiou o trabalho realizado pelo SUS (Sistema Único de Saúde), mas ressalvou que o sistema ainda

Código Florestal é aprovado em comissão do Senado Texto do senador Luiz Henrique da Silveira teve apenas um voto contra

O

s senadores da Comissão conjunta de Agricultura e Reforma Agrária (CRA) e de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática (CCT) aprovaram ontem o texto-base do novo Código Florestal, relatado pelo senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC). Na CRA o texto foi aprovado por unanimidade (15 votos). Já na CCT foram 12 votos a favor e 1 contra – da senadora Marinor Brito (PSol-PA). A comissão conjunta deixou para hoje, a partir das 8h30, a votação dos destaques que são motivo de polêmica. Entre eles, está uma proposta do senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) que desobriga a recomposi-

ção de reserva legal apenas para os agricultores familiares com propriedades de até 4 módulos fiscais que tenham sido constituídas antes de 22 de julho de 2008. A senadora Marinor chegou a pedir vista do relatório, alegando que o tempo era curto para avaliação. Prevaleceu, então, a decisão anterior, tomada em 25 de outubro pelas duas comissões, determinando que não seriam concedidos novos pedidos de vista. Segundo o relator do texto, senador Luiz Henrique da Silveira (PMDB-SC), procurou-se produzir um projeto que concilie preservação e produção. "Um projeto de incentivo à recuperação florestal que vai fazer com que o

Brasil possa dobrar a produção agrícola para garantir sua missão de supridor de alimentos", resumiu. Alterações – Entre as mudanças no relatório já aprovado pela Câmara, destacam-se a criação de um inventário nacional das árvores do País, mecanismos de incentivos econômicos ao produtor rural que garantir a preservação do meio ambiente, regras de regulamentação que beneficiem o agricultor e ainda a inclusão dos apicuns e salgados como Área de Preservação Permanente (APP). O agora novo projeto seguirá para a Comissão de Meio Ambiente – a última antes de ser votado no Plenário do Senado. (Agências)

Agente que usou choque é afastado Aluno da UnB que protestava contra o Código Florestal levou tiro de pistola

O

presidente do Senado, José Sarney (PMDBAP), determinou ontem o afastamento do agente da Polícia Legislativa que atingiu com uma pistola de choque um estudante que protestava contra o texto da reforma do Código Florestal. Ele fica fora do cargo até o fim das apurações dos fatos. Sarney, considerou o episódio "lamentável", pediu que as investigações do episódio sejam concluídas em 15 dias. "O Senado Federal jamais tolerará violência ou qualquer tipo de abuso contra aqueles que se dirigem à Casa para defender suas ideias democraticamente", afirmou nota divulgada no final tarde pela Secretaria Especial de Comunicação Social do Senado.

No início da tarde, um aluno de geologia da UnB identificado apenas como Rafael tentava intervir numa briga entre um colega e um dos seguranças na porta da Comissão de Consti-

tuição e Justiça, quando foi agarrado pelo pescoço. Após a "gravata", Rafael levou um tiro de uma pistola de choque e teve que ser carregado. (Folhapress)

Ed Ferreira/AE

Agentes carregam o estudante, alvejado por uma pistola de choque.

Pedro Ladeira/Frame/AE

Presidente Dilma enaltece o trabalho do SUS, mas cobra melhor gestão dos recursos para o financiamento da saúde. No evento, o prefeito Gilberto Kassab elogiou a iniciativa. "Seu governo vai muito bem e hoje dá mais um passo nessa imagem".

tem "muito a avançar". "Devemos ter a coragem e a humildade de admitir que parte dos problemas pode ser resolvida com o que já temos. É óbvio que precisamos mais: ninguém faz um sistema de saúde para 100 milhões sem recursos. Mas com o que já temos podemos fazer mais, e isso depende fortemente de nós. Tenho certeza de que ninguém fugirá a essa responsabilidade", afirmou Dilma. (Agências)

Copa 2014: Fifa acena com ingressos a preços populares Secretário-geral da entidade diz que entrada pode custar US$ 25 (cerca de R$ 44)

O

secretário-geral da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Jérôme Valcke, anunciou ontem, em reunião da comissão especial que analisa a Lei Geral da Copa na Câmara dos Deputados, que será criada uma categoria especial de ingressos mais baratos, chamada de categoria 4. Esses ingressos serão vendidos por US$ 25 (cerca de R$ 44) e se destinam exclusivamente a idosos, estudantes e pessoas de baixa renda. "Com a categoria, queremos dar acesso ao maior número de pessoas". O preço dos ingressos é uma das polêmicas relacionadas ao Mundial de 2014. Pela Lei Geral da Copa enviada pela presidente Dilma Rousseff para votação no Congresso, a prerrogativa de decidir o preço da entrada nos estádios é da Fifa, que organiza a competição. Outra polêmica é a possibilidade de meia-entrada, prevista na legislação brasileira para idosos. Em relação a estudantes, as legislações estaduais divergem, mas a Câmara aprovou um projeto que federaliza o direito – proposta que ainda precisa passar pelo Senado. Cobrança – A audiência pública terminou depois que o deputado federal e ex-jogador Romário (PSB/RJ) interpelou o secretário-geral da Fifa sobre uma carta do presidente da entidade, Joseph Blatter. Na carta, cuja cópia foi entregue à comissão, Blatter acusa Jerôme Valcke de "chantagista". Romário disse que cópia dessa carta também foi entregue à presidente Dilma Rousseff. O parlamentar quis saber por que Blatter chamou Valcke de volta, seis meses depois de demiti-lo da Fifa, em 2001, devido a problemas com a Mastercard, uma das patrocinadoras da entidade na época.

Evaristo SA/AFP

Ricardo Teixeira e Jerôme Valcke: cobrados sobre denúncias.

A carta, segundo Romário, foi trazida a público pelo jornalista inglês Andrew Jannings – autor de um livro sobre corrupção na Fifa – que foi ouvido no mês passado na Comissão de Educação, Esporte e Cultura do Senado. Romário perguntou a Valcke se Blatter o readmitiu na Fifa "por medo". O secretário-geral da Fifa respondeu que o caso "é uma cruz que carrega como uma pena" e que a levará "até o fim da vida". Não entrou em detalhes. Disse apenas que tudo "está superado". Outro alvo das denúncias de Jannings, o presidente da Confederação Brasileira de Fute-

bol (CBF) e do Comitê Organizador Local (COL) da Copa, Ricardo Teixeira, também foi interrogado por Romário. O deputado queria explicações sobre a denúncia de que ele teria recebido propina de US$ 10 milhões da empresa de marketing ISL", segundo o jornalista inglês. A Fifa teria feito, segundo Jannings, um acordo para que o nome de Teixeira não fosse divulgado. Teixeira disse que na Comissão de Educação, Esporte e Turismo do Senado, Jannings foi citado por um oficial de Justiça num processo por calúnia que move contra o jornalista inglês. (Agências)

Dida Sampaio/AE

Romário: pedido de explicações sobre acusações à Fifa e à CBF.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A Ficha Limpa tem que ser posta em prática pelo STF. Pelo menos 20 cidades instituíram suas leis de ficha limpa. Jovita José Rosa, coordenadora do MCCE.

olítica

STF deve julgar válida a Ficha Limpa A partir de hoje, Supremo deve considerar a Ficha Limpa constitucional e válida para eleições a partir de 2012: pelo menos seis ministros são a favor da nova lei Divulgação

Mário Tonocchi

O

Francisco Praciano: para deputado, lei representa participação popular contra a corrupção.

Supremo julgará três ações Para aplicar a Ficha Limpa, STF terá que esclarecer pontos ainda controvertidos

P

ara instituir a aplicação da Lei da Ficha Limpa, o STF tem que decidir sobre três ações que tocam a legalidade do tema. A principal foi proposta pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e pede o reconhecimento da legalidade de todos os pontos da lei para que seja aplicada nas eleições municipais de 2012. A OAB requer aos ministros do

Supremo análises de todos os pontos da Ficha Limpa, para que julgamentos não se limitem ao caso de cada político. O Partido Popular Socialista (PPS) entrou com ação para garantir a legalidade, mas com anualidade, para atingir casos anteriores à edição da lei. O terceiro processo pede que o STF declare inconstitucional uma regra da Ficha Limpa (Lei

Complementar 135/10) que prevê inelegibilidade de quem foi excluído da profissão por decisão do órgão profissional competente devido a infração ético-profissional. Outro ponto controverso é o princípio de presunção de inocência, ou seja, se a condenação por crimes em segunda instância é suficiente para tirar um político da disputa eleitoral. (MT)

'Serra tem que falar do PSDB', contra-ataca Edinho Presidente do PT em SP considera invasivo comentário de Serra sobre chances de Marta

O

presidente do PT em São Paulo, Edinho Silva, afirmou ontem que o ex-governador José Serra deve falar do PSDB e deixar que o PT cuide de suas próprias questões. O revide de Edinho se deve à declaração de Serra segundo a qual a senadora Marta Suplicy (PT-SP), que deixou na semana passada a disputa à Prefeitura de São Paulo, teria mais chance de vitória na sucessão municipal do que o ministro da Educação Fernando Haddad, fa-

vorito do ex-presidente Lula e da presidente Dilma Rousseff. "Eu penso que o Serra tem de falar do PSDB, porque eles têm vários problemas para serem resolvidos. Deixa que o PT cuida dos seus problemas. Eu só posso elogiar o PT. Os problemas do PSDB, o PSDB trata, que nós vamos cuidar do PT". Prévias – Segundo Edinho, é "muito provável" que não seja necessário promover um processo de prévias para a escolha do candidato petista à Prefeitura de São Paulo.

Isabel Antunes/Folhapress - 05.03.10

Edinho Silva: "Deixa que o PT cuida dos seus problemas. Os problemas do PSDB, o PSDB que trate, nós vamos cuidar do PT".

Ele ressaltou que os pré-candidatos do PT estão em fase de diálogo, na busca de melhor entendimento para a sucessão municipal na capital paulista. "No ritmo que nós estamos indo, acredito que o PT sairá unificado desse processo. Eu acho que é muito provável que não haja prévia, mas é evidente que isso será resultado desse processo que estamos vivendo hoje. Se nós não investirmos no diálogo, a chance de prévia é muito grande". Na segunda-feira, o ministro Fernando Haddad reconheceu que tem conversado com os outros pré-candidatos do PT e afirmou acreditar que, do ponto de vista programático, é possível criar uma união que possa evitar a realização da eleição interna. Haddad citou como exemplo o senador Eduardo Suplicy, que anunciou desistência da disputa interna ao receber a promessa de que o programa Renda Cidadã será incorporado a seu discurso, se ele for o candidato do PT à sucessão municipal. Edinho voltou a elogiar a senadora Marta Suplicy por deixado a disputa interna .O dirigente ressaltou que "não existe vitória política" em São Paulo sem ela. "É impossível imaginar um processo eleitoral sem a Marta. Ela sabe disso, nós sabemos disso, esperamos contar com ela, na capital e em outras cidades". (AE)

Para tucano, PSD é importante

O

ex-governador de São Paulo, José Serra, afirm o u o n te m q u e " é possível e seria muito importante" uma aliança do PSDB com o PSD do prefeito Gilberto Kassab para disputar a prefeitura da capital em 2012. Kassab trabalha por uma aliança com o PSDB, enquanto o governador Geraldo Alckmin discute um arco de alianças alternativo e já esteve com líderes de PP, PSB, DEM e PDT. Serra defende a união com o

PSD. ") PSDB vai bem, tem um esquema de alianças para as eleições que é muito importante e vamos ganhar a eleição", declarou. Questionado se poderia ser o candidato do partido, Serra limitou-se a dizer: "Não vou voltar nesse assunto". O ex-governador é apontado como o nome que resolveria a aliança com Kassab. Em 2012, o PSDB deve realizar prévias para escolher o candidato. A consulta interna está

marcada para janeiro, mas pode ser adiada para março. Kassab trabalha para que os tucanos apoiem o vice-governador Guilherme Afif (PSD) à sua sucessão, podendo indicar o vice na chapa. Atualmente, o PSDB já conta com quatro pré-candidatos à prefeitura de São Paulo: os secretários Andrea Matarazzo (Cultura), Bruno Covas (Meio Ambiente) e José Aníbal (Energia) e o deputado federal Ricardo Trípoli. (Folhapress)

Supremo Tribunal Federal (STF) deve considerar a Lei da Ficha Limpa constitucional e válida para eleições a partir do ano que vem inclusive. A implantação dessa nova ordem pode começar a ser analisada pelo Supremo hoje, a partir das 14h, em Brasília. Mantida a tendência da última votação no STF, em março de 2010, pelo menos seis ministros devem concordar com a constitucionalidade. São eles: Luiz Fux, Ayres Britto, Joaquim Barbosa, Cármen Lúcia, Ricardo Lewandowski e José Antonio Toffoli. A Lei só não entrou em vigor em 2010 porque os ministros observaram que a norma não poderia entrar em vigor menos de doze meses antes das eleições. Isso, para os ministros, feria o princípio da anualidade. Para este segundo debate, o Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) mantém, desde ontem, vigília na frente do Supremo à espera da decisão final do STF. O Movimento, que coletou dois milhões de assinaturas para apresentar o projeto popular que criou a Lei, também lançou ontem manifesto assinado por dezenas de juristas e personalidades a favor da constitucionalidade da Ficha Limpa. Estão programadas ainda manifestações a favor da Lei em outras capitais brasileiras. "A Ficha Limpa tem que ser posta em prática pelo STF. Ela já caminha pela sociedade. Já temos pelo menos 20 cidades brasileiras que instituíram

suas leis de fichas limpas municipais", disse a coordenadora do MCCE, Jovita José Rosa. Nova ministra – O presidente do Supremo, Cesar Peluso, cogitou marcar o julgamento só depois da nomeação do 11º integrante do STF, para evitar risco de empate. Mesmo com a nomeação pela presidente Dilma Rousseff de Rosa Weber Candiota, nome que ainda deve passar pelo Senado Federal, a lei deve entrar em análise e votação. Há observadores que afirmam que a Ficha Limpa pode sair da pauta e voltar ao

O Supremo não pode ir contra a vontade popular. Não pode considerar a Lei da Ficha Limpa inconstitucional. FRANCISCO PRACIANO plenário do STF só com a posse da ministra. Neste caso, o Senado teria que acelerar a nomeação de Candiota. O deputado federal Francisco Praciano (PT-AM), presidente da Frente Parlamentar Mista Contra a Corrupção apelou pela constitucionalidade da lei. "O Supremo não pode ir contra a vontade popular. Não pode considerar a Lei da Ficha Limpa inconstitucional". Para ele, a lei é o exemplo e o início da participação popular para o avanço da sociedade brasileira contra a corrupção. No Senado, ontem, defenderam a aplicação da Ficha Lim-

pa os senadores em Plenário, Pedro Simon (PMDB-RS), Pedro Taques (PDT-MT), Demóstenes Torres (DEM-GO), Rodrigo Rollemberg (PSB-DF), Ana Amélia (PP-RS), Eduardo Braga (PMDB-AM) e Angela Portela (PT-RR). Problemas – O julgamento a ser iniciado hoje debaterá questões da Lei da Ficha Limpa que ficaram para trás em março. Naquele julgamento, quatro ministros afirmaram que a lei tinha pontos inconstitucionais e, por isso, não poderia vigorar integralmente. Um dos artigos problemáticos é o que torna possível declarar alguém inelegível por ter renunciado a um mandato antes da edição da lei. Os ministros Gilmar Mendes, Marco Aurélio Mello, Celso de Mello e Cézar Peluso argumentam que quem renunciou no passado, não sabia que o ato traria tal consequência no futuro. Outro problema que deve entrar na pauta do STF é o tempo de inelegibilidade para condenados por improbidade administrativa. Na Lei da Ficha Limpa, a perda dos direitos políticos nesses casos é contada a partir da condenação, ainda que seja possível recorrer da sentença. Na Lei de Improbidade Administrativa, a inelegibilidade só ocorre após o julgamento final – sem possibilidade de recurso. Na prática, a Lei da Ficha Limpa deve reduzir o número de concorrentes nas urnas, já que ficarão proibidas candidaturas de condenados por colegiado (decisão de mais de um juiz) e de quem já renunciou a cargo público para escapar de processo de cassação.

Contra 'fantasmas', Alckmin cria pacote de transparência A partir de junho, ONGs precisarão de certificado de idoneidade – válido por 5 anos

D

epois de receber críticas por ocultar informações referentes às emendas parlamentares e pela lentidão na divulgação de dados dos últimos quatro anos, o governo de São Paulo apresentou ontem medidas que, de acordo com o governador Geraldo Alckmin, devem aumentar a transparência do Orçamento do estado. As medidas – parte de dois decretos assinados ontem por Alckmin – incluem uma reestruturação da Corregedoria do Estado, a criação de um Portal da Transparência, a edição de um Código de Ética da Alta

Administração Pública e o cadastramento de ONGs que pretendam fazer convênios com governo. A decisão de cadastrar ONGs ocorre no momento em que o governo Dilma Rousseff suspendeu repasses a entidades por suspeitas de corrupção envolvendo vários ministérios. O Cadastro Estadual de Entidades será criado em janeiro e, a partir de junho, todas as ONGs que queiram receber dinheiro do Estado precisarão de certificado de idoneidade – válido por 5 anos e dado após fiscalização na sede da entidade. O objetivo é evitar convê-

nios com ONGs fantasmas. O governo não anunciou datas para implementação dessas medidas. Segundo o secretário da Casa Civil, Sidney Beraldo, o Portal da Transparência deve começar a funcionar no início de 2012. A promessa é que o site centralize todas as iniciativas de transparência do governo na internet, incluindo o portal Prestando Contas, que hoje divulga a execução orçamentária. Os dois decretos criam ainda o Sistema Estadual de Controladoria, que deverá ter acesso automático aos dados de todas as secretarias e autarquias do estado. (AE)

Fadiga, o único efeito da quimioterapia em Lula Ele sofreu efeitos mínimos e passa bem, dizem os médicos. Só não voltou a trabalhar.

O

primeiro dos três ciclos de quimioterapia já produz o efeito colateral no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: fadiga. Após cinco dias de aplicação contínua dos medicamentos quimioterápicos contra o câncer na laringe, ele não conseguiu voltar a despachar no Instituto Lula, como pretendia. Segundo os médicos, Lula tolerou bem a primeira sessão de quimioterapia, conseguiu receber a dose completa do tratamento e não sentiu enjoos ou reações mais graves. "Ele teve efeitos mínimos. Só o cansaço, o que é normal. Ele não teve náuseas ou qualquer outro impedimento grave", contou o cirurgião oncológico Luiz Paulo Kowalski, da equipe que acompanha o ex-presidente. Na avaliação dos médicos de Lula, a reação ao tratamento está dentro das expectativas. "A primeira semana após a

Diego Padgurschi/Folhapress - 03.11.2011

Lula: apenas cansaço, após cinco dias de tratamento.

quimioterapia tem seus efeitos colaterais. Isso é esperado", avaliou o oncologista Paulo Hoff. "Todos os pacientes ficam enfraquecidos nos dias subsequentes", concordou Kowalski. Em geral, os pacientes submetidos a esse tipo de tratamento sofrem de indisposição e perda de apetite. "Cinco

dias de quimioterapia é pesado, leva uns dias para o paciente se recuperar fisicamente da fadiga produzida pelo tratamento", reforçou Kowalski. Lula será submetido a um total de três sessões de quimioterapia, com intervalo de 21 dias. E, a partir janeiro, sete semanas de radioterapia. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

9 RECONHECIMENTO Conselho de Segurança da ONU mostra divergências sobre adesão da Palestina. Chanceler palestino culpa os EUA.

nternacional

JUSTIÇA Tunísia extraditará o ex-premiê de Kadafi, Al-Baghdadi al-Mahmoudi, à Líbia. A defesa diz que político corre risco de vida em seu país natal.

Divulgação/AFP - 08/04/08

Ahmadinejad visita usina de Natanz, que faz parte do programa nuclear do Irã. Teerã diz que relatório é 'politicamente motivado' e que não precisa de bomba para enfrentar os EUA.

IRÃ JÁ NÃO ENGANA NINGUÉM Agência da ONU confirma interesse de Teerã por bomba nuclear. Pressão aumenta por mais sanções, mas o Brasil é contra.

A

YouTube/AFP

O massacre sem fim na Síria

A

Organização das Nações Unidas (ONU) confirmou ontem que ao menos 3,5 mil civis foram assassinados na Síria desde meados de março pelas forças do governo em sua tentativa de sufocar os protestos contra o regime de Bashar al-Assad. O organismo lamentou a repressão ocorrida nos últimos dias, mesmo com o anúncio de um plano de paz articulado pela Liga Árabe. "A brutal repressão na Síria tirou até agora a vida de mais de 3,5 mil pessoas", disse a porta-voz do Alto Comissariado da ONU para os Direitos Humanos, Ravina Shamdasani. "Desde que a Síria assinou um plano de paz patrocinado pela Liga dos Estados Árabes, na semana passada, mais de 60 pessoas foram dadas como mortas por militares e forças de segurança, incluindo pelo menos 19 no domingo que marcou o (feriado islâmico do) Eid al-Adha." De acordo com as informações divulgadas pela ONU, a situação é "terrível" no bairro de Der Balia, em Homs, que segundo depoimentos dos próprios moradores "foi atacada durante sete dias", nos quais o

Manifestantes sírios protestam contra Assad na capital Damasco

acesso a alimentos, água e remédios foi bloqueado. A porta-voz afirmou que os números da ONU são conservadores e baseados em "fontes confiáveis no local", embora a agência não tenha nenhum escritório na Síria e seja difícil verificar a autenticidade dos números, uma vez que o acesso da imprensa internacional ao país foi proibido pelo governo. Pelo plano da Liga Árabe, aceito em 2 de novembro por Assad, o governo sírio se compromete a retirar o Exército de cidades turbulentas, libertar presos políticos e iniciar um diálogo com a oposição. O embaixador sírio junto à Liga Árabe disse que Damasco já "avançou muito" na implementação do plano, citando a libertação de cerca de 500 presos sob uma anistia condicional anun-

ciada na semana passada. Mas governos árabes e ocidentais, assim como a oposição síria, se mostram cada vez mais frustrados com o fracasso do regime sírio em acabar com a repressão. O premiê do Catar convocou uma reunião regional neste sábado para discutir o assunto, e o chanceler britânico exigiu que Assad deixe o poder. Exclusão - A oposição na Síria está travando uma ofensiva diplomática para pressionar a Liga Árabe para tomar uma postura mais firme contra o regime de Assad em sua próxima reunião. O Conselho Nacional Sírio, formado por boa parte das organizações opositoras, enviou delegações aos países que fazem parte da Liga Árabe para pedir que congelem a participação de Damasco nesse grupo. (Agências)

míssil de longo alcance Shahab 3, a fim de que ele acomode uma ogiva nuclear. O dossiê não faz uma estimativa de quanto tempo o Irã precisa para chegar à bomba atômica. Mas oferece claros indícios de que o programa nuclear do país tem a dimensão nuclear que um grupo de países, encabeçados por Israel e EUA, apontam há anos. Ajuda - A AIEA diz ter "fortes indicações" de que o Irã foi assistido por um cientista estrangeiro no desenvolvimento de um sistema de detonação que seria destinado a armas nucleares. O relatório não cita o nome do especialista, mas o jornal The Washington Post já o havia identificado como Vyacheslav Danilenko, um cientista da extinta União Soviética. Em uma década de inspeções, este é o mais substancial e detalhado dossiê da AIEA sobre as atividades militares do programa do Irã, que sempre alegou ter apenas fins pacíficos. Reação - Teerã condenou imediatamente o relatório. O embaixador iraniano junto à agência da ONU, Ali Asghar Soltanieh, o qualificou de "desequilibrado, não profissional e politicamente motivado." Já o presidente Mahmoud Ahmadinejad disse que o país não precisa da bomba atômica para enfrentar Washington e seus aliados. "Os EUA, que possuem 5 mil bombas atômicas, nos acusam

agência de energia nuclear da Organização das Nações Unidas (ONU) apontou pela primeira vez indícios claros de que o programa nuclear do Irã incluiu atividades com propósitos militares. O aguardado relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA), apresentado ontem, reforça os argumentos de países que defendem mais pressão sobre o regime do Irã. Em 14 páginas, incluindo um anexo especificamente sobre as "dimensões militares" do programa iraniano, a AIEA listou uma série de atividades concernentes ao desenvolvimento de armas nucleares, como testes com explosivos potentes e o desenvolvimento de um detonador para bombas atômicas. "A agência tem sérias preocupações com as possíveis dimensões militares do programa nuclear do Irã", conclui a AIEA, que se baseou em suas inspeções e em dados "confiáveis" fornecidos por outros países. "A informação mostra que o Irã conduziu atividades relevantes ao desenvolvimento de um artefato explosivo nuclear" antes de 2003, mas que algumas delas "podem ainda estar ocorrendo". Entre elas, o documento aponta um programa oculto para produzir material nuclear longe dos inspetores, testes para transformá-lo em uma bomba e a "reengenharia" do

sem pudor de fabricar a bomba atômica, mas devem saber que para cortar a mão que estenderam sobre o mundo não vamos precisar da bomba atômica", disse Ahmadinejad, citado pela TV estatal. "Podemos alcançar nossos objetivos usando o pensamento, a cultura e a lógica." Israel - O relatório é divulgado no momento em que a tensão política entre o Irã e Israel parece chegar ao máximo. Na semana passada, informações vazaram e davam conta de que o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, tentava obter a aprovação para bombardear as instalações nucleares do Irã. Até a conclusão desta edição, Israel não comentou o relatório da ONU. Mas o ministro da Defesa, Ehud Barak, negou haver plano de ataque iminente. Sanções - A aposta é que Israel e os EUA usem o documento para pressionar por mais sanções contra o Irã, somando-se às quatro rodadas de punições já impostas pela ONU ao país. O relatório foi apresentado aos 35 membros do conselho de diretores da AIEA, da qual o Brasil faz parte. O órgão se reunirá em dez dias para discutir possíveis respostas, que podem incluir pedido de sanções. O governo brasileiro já rejeitou a imposição de mais sanções. "Esperamos que a serenidade prevaleça. Sanções não trazem o efeito desejado", disse o porta-voz do Itamaraty, Tovar Nunes, à Folhapress. (Agências)

Stefan Rousseau/EFE - 03/11/11

Maconheiros aqui, não!

'Não aguento mais o Netanyahu'

A

C

omo se a tensão sobre o programa nuclear do Irã não fosse o suficiente, uma gafe diplomática deixou o presidente francês, Nicolas Sarkozy, e seu colega norte-americano, Barack Obama, em situação embaraçosa com Israel. Tudo começou quando Obama reprovou Sarkozy, em um encontro durante a cúpula do Grupo dos Vinte (G20, que reúne os países ricos e os principais emergentes), no último dia 3, pelo fato Re dele não ter ut er s advertido que a

Microfone indiscreto deixa Sarkozy e Obama (à dir.) em maus lençóis

França iria votar a favor do ingresso da Palestina na Unesco, publicou o site Arrêt sur images. Depois da cobrança, a conversa derivou para o premiê israelense, Benjamin Netanyahu, sobre quem o mandatário francês falou: "eu não suporto o Netanyahu, ele é um mentiroso".

Obama complementou: "se você está farto, imagina o meu caso que preciso tratar com ele todos os dias". Segundo o site, os líderes não sabiam que os microfones estavam ligados, permitindo a repórteres escutar pela tradução simultânea. (Agências)

partir do próximo ano os estrangeiros serão proibidos de entrar em cafés em que a venda de maconha é autorizada no sul da Holanda para evitar o contato incômodo dos locais com o turismo de drogas, disse o Ministério da Justiça do país ontem. O governo de centro-direita do primeiro-ministro Mark Rutte tem defendido desde 2010 um "cartão maconha", reservado para residentes e com apresentação obrigatória para visitar quaisquer dos 670 cafés licenciados. "A medida entrará em vigor em 1º de janeiro em Limburg, Brabante do Norte e Zelândia, províncias mais afetadas pelo turismo de drogas",

Marcio Nel Cimatti/Folhapress - 14/01/07

Turistas serão proibidos de entrar em cafés da Holanda

Fachada de café em Amsterdã: consumo liberado só para locais.

disse a porta-voz do ministério, Charlotte Menten à AFP. A nova regra é destinada a diminuir congestionamentos, distúrbios noturnos e a abundância de traficantes fornecendo drogas para milhões de turistas estrangeiros que visitam a

Holanda por causa de suas leis mais frouxas em relação à maconha. Os donos de cafés se opuseram à medida, citando a expectativa de perdas de receita. Menten disse que as medidas podem entrar em vigor no resto do país em 2013. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

DETENÇÃO Estudantes detidos após a desocupação da reitoria da Universidade de São Paulo (USP) foram levados de ônibus para o 91.º Distrito Policial, na zona oeste da capital paulista.

idades

Marco da Paz chega à cidade de São Francisco e ao papa Domingo, Gaetano Brancati Luigi, assessor especial da presidência da ACSP, inaugura o Marco da Paz em Assis. Réplica dourada será entregue ao papa Bento 16. Mariana Missiaggia

N

Placa registra homenagem da Associação Comercial de São Paulo ao papa Bento 16, que receberá réplica do monumento

Fotos de Chico Ferreira/Luz

o próximo domingo o Marco da Paz chegará à Itália. Considerada a capital mundial da paz, a cidade de Assis, receberá a primeira versão do monumento construída inteiramente em pedra e com a missão de fortalecer o bom relacionamento humano em todo o mundo. Em Roma, o papa Bento 16 receberá réplica dourada do monumento. Tudo começou com a participação do italiano Andrea Ruggeri, um empresário que mora no Brasil há anos. Em contato com Claudio Ricci, prefeito de Assis, Ruggeri sugeriu a implantação do Marco da Paz nessa cidade tão representativa da paz. "Prontamente, a sugestão foi aceita e como nas outras inaugurações, encontrei na Associação Comercial de São Paulo (ACSP) uma parceira inestimável para consolidar este sonho que brotou em um menino de oito anos de idade, em plena Segunda Guerra Mundial, em 1945", revelou Gaetano Brancati Luigi, assessor especial da presidência da ACSP e idealizador do Marco da Paz. Nessa empreitada, ele também contou com a colaboração do empresário italiano Moreno Lucheti e de sua filha Samantha, durante o

Gaetano Brancati Luigi com o presidente da ACSP, Rogério Amato

processo de construção do monumento no Parque Regina Margherita, na cidade de Assis. Após meses de preparação, Luigi e uma caravana de 60 pessoas presenciarão no próximo domingo a inauguração do Marco da Paz, seguida da Conferência de Paz, na qual Luigi será nomeado "Cavaleiro do Milênio pela Paz", por Gianfranco Costa, presidente do Centro Internacional

da Paz entre os Povos. Luigi disse que além de incentivar sua ação, o Ministério da Paz do Vaticano escolheu a África como próximo local a receber o Marco da Paz. Luigi agradeceu aos colaboradores Arlindo Galgaro e Angelo Posocco, ao embaixador do Marco da Paz, João Bico, da empresa Tecnolamp, à sua família e à Associação Rotary de diversos países.

O Marco da Paz dourado, que será entregue por Brancati Luigi ao papa Bento 16, em encontro no Vaticano

Papa – Em Assis, após a cerimônia de inauguração, Luigi e caravana seguirão para Roma,

para uma audiência com o papa Bento 16, que receberá das mãos do idealizador uma réplica dou-

rada do Marco da Paz, confeccionada pelo empresário Leonardo Ugoline, da Inarco Troféus. "Meu sonho é instalar o Marco da Paz no mundo todo. Mas ser recebido pelo papa é a coroação da nossa proposta. É um reconhecimento que nos desperta uma emoção indescritível", disse Luigi, enquanto apresentava ao presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Rogério Amato, a réplica do Marco da Paz que será oferecida ao papa. "O novo nome da paz é o desenvolvimento. As famílias, pessoas e cidades precisam se desenvolver e, infelizmente, vivemos um momento individualista. O ser humano tem de ser prioridade. A inauguração do Marco da Paz em Assis consagra a filosofia da nossa entidade", disse Amato.

USP: PM libera reitoria. Começa greve. Desocupação ocorreu no início da manhã de ontem. No total, 70 pessoas foram detidas. À noite, estudantes decidiram entrar em greve.

Apu Gomes/Folhapress

A

Alunos fizeram protesto em frente ao 91º DP, onde estavam os detidos

/AE

André Lessa/AE

Debby Oliveira

Tropa de Choque da Polícia Militar promove a desocupação da reitoria da USP: alunos pegos de surpresa

Durante

Debby Oliveira/AE

Polícia Militar deteve na manhã de ontem 63 estudantes que haviam invadido o prédio da reitoria da Universidade de São Paulo (USP). Eles começaram a ser retirados do local por volta das 6h30 e foram acomodados em três ônibus da PM, que levaram todos ao 91º Distrito Policial (Ceasa). Outros sete estudantes que estavam fora do prédio também foram detidos. Além dos 70, outros três foram presos e liberados em seguida porque não estariam envolvidos na invasão. Um estudante que fingia ser jornalista tentou ultrapassar a barreira policial para entrar no prédio, mas foi impedido pelos policiais. Um carro da PM teve um vidro danificado por manifestantes. Foram detidos 46 homens e 24 mulheres. Greve – À noite, em assembleia, os estudantes decidiram entrar em greve apartir de hoje. Eles querem a saída da PM do campus, a saída do reitor João Grandino Rodas, a adoção de um programa próprio de segurança e a não punição dos invasores da reitoria. Reintegração – A reintegração de posse teve início às 5h. Cerca de 400 policiais da Tropa de Choque e da Cavalaria da PM participaram da operação, que também contou com apoio de um helicóptero Águia, do Gate (Grupo de Ações Táticas Especiais) e do GOE (Operações Especiais). Os estudantes foram pegos de surpresa, já que a maioria estava dormindo. Os militares, portando cassetetes e escudos, fizeram um cordão de isolamento ao redor do prédio e retiraram os estudantes, que não resistiram à prisão. O prédio foi entregue pela polícia a um oficial de Justiça, já que a operação foi motivada por um mandado judicial. Resistência – Os estudantes haviam decidido, em assembleia realizada na noite de anteontem, manter a ocupação, apesar do fim do prazo dado pela Justiça para deixarem o local. Após a votação, alguns estudantes agrediram jorna-

PM exibe objetos apreendidos durante a desocupação na USP. Entre eles, bombas incendiárias e morteiros.

listas. Um cinegrafista caiu após ser empurrado e um fotógrafo teve a câmera arrancada e machucou as mãos. O clima ficou tenso e, após os grupos ficarem separados, os alunos arremessaram pedras na direção dos jornalistas. Um cinegrafista foi atingido e ficou levemente ferido. No momento do tumulto, não havia guardas universitários nem PMs no local. Após a confusão, um representante dos invasores disse que havia ocorrido uma "si-

tuação isolada". Fiança – A Polícia Civil reduziu o valor da fiança a ser paga pelos estudantes detidos. Inicialmente estipulado em R$ 1.050, o valor foi reduzido para um salário mínimo – R$ 545. O total (R$ 39.240) foi pago por defensores dos estudantes ontem à noite. Eles disseram que o dinheiro foi doado por entidades que apoiam o movimento estudantil. Segundo o delegado Edvaldo Faria, titular da central de flagrantes do 91º DP,

os detidos só seriam liberados após serem ouvidos oficialmente e passarem por exame de corpo de delito . Cerca de 200 estudantes fizeram um protesto em frente à delegacia contra a detenção dos colegas. Alckmin – "Eu entendo que os estudantes (que invadiram a reitoria) precisam ter aula de democracia, precisam ter aula de respeito ao dinheiro público, respeito ao patrimônio público. Não é possível depredar instituições que foram cons-

truídas com dinheiro da população que paga impostos", afirmou o governador Geraldo Alckmin "Precisam ter aula de respeito à ordem judicial. É lamentável que tenha que chegar ao ponto de a polícia ter que ir lá para fazer cumprir uma decisão judicial." Cracolândia – Em clima préeleitoral, o ministro Fernando Haddad (Educação), possível candidato do PT à Prefeitura, criticou a ação policial. "Não se pode tratar a USP como se fosse a cracolândia. Nem a cracolândia como se fosse a USP", disse Haddad em vistoria ao antigo hospital do Juqueri, em Franco da Rocha, na Grande São Paulo. A crítica atinge ao mesmo tempo o governo do Estado, ao qual estão subordinadas a USP e a PM, e a Prefeitura, pelo fato de usuários de crack praticamente interditarem ruas no Centro

ismo no prédio

ias de vandal

uve denúnc a ocupação, ho

sem serem incomodados. Maconha – Os acontecimentos que levaram à ocupação da reitoria tiveram início em 27 de outubro, quando três alunos foram detidos por posse de maconha. Houve reação de colegas, que investiram contra a PM. Policiais usaram bombas de efeito moral e cassetetes para levar os rapazes à delegacia – depois eles foram liberados. Na mesma noite, 100 estudantes invadiram prédio administrativo da FFLCH (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas). Na terça passada, mais de mil alunos realizaram uma assembleia que decidiu, por 559 votos a 458, pela desocupação do edifício. A minoria derrotada (cerca de 60 alunos) decidiu invadir a reitoria. A USP tem 82 mil alunos – 50 mil só na Cidade Universitária, no Butantã. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

3

11

º

ALVIVERDE O Palmeiras está na frente no ranking, com 17,9 mil mudas plantadas

setor

ALVINEGRO O alvinegro do Parque São Jorge contabiliza 17,3 mil árvores.

Meio ambiente futebol clube Palmeiras e Corinthians, rivais em campo, se unem em projeto para plantar milhares de árvores. No ano passado foram 23 mil mudas. Kelly Ferreira

Fotos: Divulgaç

ão

O

s dois maiores rivais do futebol brasileiro unidos em prol do meio ambiente. Deixando de lado a disputa nos gramados, Corinthians e Palmeiras se uniram no projeto Jogando pelo Meio Ambiente para marcar um gol para a natureza. A cada gol, defesa ou empate, 100 mudas de árvores são plantadas. Na disputa entre os times para decidir quem é o clube líder no plantio de árvores, o alviverde saiu na frente e está com 17,9 mil mudas. Já o alvinegro do Parque São Jorge contabiliza 17,3 mil árvores plantadas. A meta do projeto é plantar 50 mil árvores até o fim deste ano. No ano passado, foram 23 mil mudas. O projeto de educação socioambiental Jogando pelo Meio Ambiente, iniciativa do Banco Cruzeiro do Sul, já plantou 25 mil das 35.200 mudas em um terreno localizado em Salto do Pirapora, no interior de São Paulo. Esse número foi conquistado pelos parceiros Sport Club Corinthians Paulista e Sociedade Esportiva Palmeiras em 2011. O Instituto Ecoar é o responsável pelo plantio e pela manutenção das árvores. O objetivo do projeto Jogando pelo Meio Ambiente é promover a responsabilidade socioambiental por meio do futebol, uma das paixões dos brasileiros. Lançado em 2010 pelo Banco Cruzeiro do Sul, tem como parceiros, além do

Júlio César e Deola (dir.). Área de plantio (acima).

Corinthians e do Palmeiras, a agência Nova Estratégia e o Instituto Ecoar. No ano do lançamento, 23 mil árvores foram plantadas também em Salto de Pirapora. Jogadores – O goleiro corintiano Júlio César, um dos embaixadores do Jogando pelo Meio Ambiente, destaca a importância da iniciativa. "O futebol é um esporte que atinge milhares de pessoas, que lida diretamente com paixões. Esta é, sem dúvida, uma forma inteligente de destacar a importância de cuidarmos do meio ambiente", reflete o camisa 1 alvinegro. O palmeirense Deola, também embaixador do projeto Jogando pelo Meio Ambiente, fala da união entre dois grandes rivais: "O projeto faz com que corintianos e palmeirenses trabalhem juntos por um bem maior. Dentro do campo cada um quer o melhor para a sua equipe, mas a

mensagem que fica é que precisamos trabalhar lado a lado com todas as torcidas para preservar o meio ambiente", conta o arqueiro do Verdão. Além do plantio de árvores, o projeto também faz pesquisas sobre a percepção dos torcedores sobre a ação. Em 2010, o projeto contava apenas com o Corinthians e entre os torcedores alvinegros o nível de conhecimento da iniciativa subiu de 31% para 58%. Este ano, entre os palmeirenses, o nível de conhecimento é de 35%, acima da média alcançada no ano passado. A preocupação com o tema aquecimento global também cresceu entre os torcedores. No ano passado, 83% dos entrevistados conheciam o assunto. Este ano, 95% dos palmeirenses e 93% dos corintianos afirmaram que têm preocupações sobre o tema. Foi pensando nas ideias 'unir futebol e responsabilidade ambiental' e 'o Brasil é uma potência ambiental e o país do futebol' que a Nova Estratégia, agência de comunicação e marketing, criou o Jogando pelo Meio Ambiente para o Banco Cruzeiro do Sul, projeto que veio de encontro com os interesses da instituição de se tornar ambientalmente responsável e que se apoia na ideia de que o futebol é capaz de conscientizar as pessoas.

Câncer de mama na sala de aula

D

e um jeito simples e lúdico, crianças entre 8 e 11 anos descobrem o que é o câncer de mama e qual a importância de identificá-lo em seu estágio inicial. Este é o objetivo do Teatro Colar da Vida, peça apresentada pelo Instituto Se Toque em escolas públicas da capital. "Ao receberem informações sobre o câncer de mama, as crianças são estimuladas a compartilhar o que aprenderam com mães, tias e avós”, diz Alexandre

Travassos, gerente-executivo do Instituto Se Toque. Em um palco improvisado nas escolas, os três atores do elenco se multiplicam em cena, manipulando bonecos, tocando instrumentos e encenando diferentes personagens. O resultado é uma peça interativa e divertida, com 40 minutos, escrita e dirigida pelo dramaturgo Jairo Rodrigues. A peça teatro Colar da Vida estreou no final de 2010, e já foi assistida por mais 7 mil

crianças. Ao final de cada apresentação os alunos recebem o Colar da Vida para presentear a mãe ou outra mulher da família. O colar é um instrumento educativo, feito com imitações de pérolas que remetem simbolicamente aos nódulos do câncer de mama e suas chances de cura, que varia conforme o tamanho do tumor ao ser descoberto. O Teatro Colar da Vida faz parte da metodologia de educação do Se Toque, que

varia de acordo com o público. Há também as Oficinas de Prevenção, destinadas ao público adolescente e palestras para educadores, agentes de saúde e comunidade. Fundado em outubro de 2005, o Se Toque é uma ONG que atua na promoção da saúde da mulher, com foco no câncer de mama, usando educação como instrumento de conscientização. Informações no site www.setoque.org.br

Projeto – O Banco Cruzeiro do Sul criou uma reserva ambiental e, desde o ano passado, de acordo com o desempenho dos times Corinthians e Palmeiras nos campeonatos, vem plantando um grande número de mudas de árvores de espécies nativas de Mata Atlântica. O objetivo da instituição é contribuir também com a preservação da biodiversidade das florestas brasileiras. O plantio funciona assim: os times jogam, 100 árvores são plantadas. Os artilheiros também têm papel fundamental no projeto. Fez gol, independente de que lado, mais 100 árvores. Não fez gol? Não importa. Mais 100 árvores serão plantadas. Defender um pênalti é digno de prêmio em dobro: mais 200 mudas plantadas. Em 2010, o desempenho dos dois times resultou em 23 mil árvores plantadas.

S ERVIÇO Mais informações do projeto no www.jogandopelomeioambiente.com.br, pelo twitter @jogandoPMA e pela fan page no Facebook www.facebook.com/paginajpma.

Torneio de golfe em prol da Ação Comunitária

N

o próximo dia 18, a ONG Ação Comunitária promove o tradicional Torneio Beneficente de Golfe na Quinta da Baronesa Clube de Golfe, em Bragança Paulista, interior de São Paulo. Em sua 6ª edição, o evento promove a arrecadação de recursos para manter e ampliar os programas socioeducacionais da ONG, que anualmente atende cerca de 6.300 crianças, adolescentes e jovens em situação de alta vulnerabilidade social. O evento deve reunir apro-

ximadamente 100 jogadores, dentre eles empresários e executivos, artistas e esportistas. Serão realizados sorteios de brindes ofertados por empresas apoiadoras, como viagens, celulares, acessórios femininos, entre outros. Desde a primeira edição, o torneio já arrecadou mais de R$ 730 mil que foram investidos em diferentes projetos socioeducativos da ONG. Em 2010, mais de 100 convidados participaram do evento, que atingiu a meta com o valor de R$ 123 mil arrecadados.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12 -.LOGO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

SOMBRA DE GIRAFA

Tapete confor to

Algoritmos foram usados para criar esta luminária. Ligada, ela produz uma sombra que, dependendo do ângulo, lembra uma girafa.

As saliências deste tapete, que servem de almofadas ou pufes, são infláveis. (Des)Cansou é só esvaziar.

http://bit.ly/vf9q9L

http://bit.ly/uCTV8d

www.dcomercio.com.br

B OXE Fotos: AFP

T ECNOLOGIA

Zuckerberg na escola

M

Morreu ontem, aos 67 anos, Joe Frazier, ex-campeão mundial dos pesos pesados e o primeiro a mandar Muhammad Ali para a lona, no "combate do século", em 1971. Frazier, que inspirou o personagem Rocky Balboa, dos cinemas, sofria de câncer no fígado.

Jornais, revistas e livros velhos se transformam em retratos e esculturas nas mãos do artista Nick Georgiou. Ele explora as cores e a textura dos materiais impressos para criar efeitos de luz e sombra, profundidade e contraste. Além de representar figuras humanas, o artista também recria quadros de artistas famosos como Van Gogh utilizando a técnica, exclusivíssima. http://bit.ly/9oO4tR

Brian Snyder/Reuters

Joe, a lenda que inspirou Rocky

ark Zuckerberg v o l t o u o f i c i a lmente a Harvard, a universidade da qual saiu sem se formar, pela primeira vez ontem. Ele participou de uma sessão de perguntas com os alunos, que compraram ingressos para vê-lo. Zuckerberg aproveitou para defender o Facebook de críticas sobre violação de privacidade. Ele atribuiu a prática a Google, Yahoo e Microsoft. E provocou o Google, sugerindo que a gigante da tecnologia "tentou criar seu pequeno Facebook" com o Google+, mas fracassou.

Caretas da primeira páginal

O fundador do Facebook fala a jornalistas em visita a Harvard

Jo Yong-Hak/Reuters

M ÍDIA M ÚSICA

Jornal extinto espionou 100 famosos

C A R T A Z

Cantora Adele passa por cirurgia

SEM FOME - Mulheres preparam um prato tradicional coreano com repolho fermentado para um evento de caridade em Seul. Cerca de duas mil voluntárias prepararam 270 toneladas do prato para ser distribuído a pessoas em situação de rua na cidade.

C IÊNCIA

MILES

E M

pagou durante oito anos para investigar a todo tipo de pessoas, desde o ex-jogador Gary Lineker a familiares de celebridades como os pais do ator Daniel Radcliffe, que interpreta Harry Potter no cinema. A companhia News International, proprietária do jornal, se negou a comentar a informação. O News of the World foi fechado em julho depois que se soube que o periódico havia grampeado o telefone de Milly Dowler, uma menina sequestrada e assassinada por um pedófilo.

L

O extinto tabloide britânico News of the World, de Rupert Murdoch, contratou um detetive particular para seguir e investigar o príncipe William e outras 100 personalidades no Reino Unido, revelou ontem a BBC. Além do príncipe, o detetive contratado pelo jornal, fechado em julho deste ano, seguiu também a ex-namorada do príncipe Harry, Chelsy Davy, o ex-procurador-geral do Estado Peter Goldsmith e o técnico de futebol José Mourinho. De acordo com as revelações do expolicial Dereck Webb, o tabloide lhe

'Nariz' detecta doenças pulmonares Exposição 'Queremos Miles!' apresenta a trajetória do artista. Sesc Pinheiros. Rua Paes Leme, 195, tel.: 3095.9400. Grátis.

Pesquisadores indianos acreditam que um aparelho similar ao bafômetro poderá detectar de forma imediata a tuberculose e até o câncer de pulmão já nos próximos anos. Apelidado de "nariz eletrônico", o aparelho está sendo desenvolvido por pesquisadores de Nova Délhi, que receberam ontem quase US$ 1 milhão da Grand Challenges Canada (GCC) e da Fundação Bill e Melissa Gates. Esta quantia irá subsidiar o

desenvolvimento de um protótipo da invenção. "O 'nariz eletrônico' proporcionará um método não invasivo e fácil de ser utilizado. Ele poderá diagnosticar a tuberculose sem necessidade de múltiplas visitas às clínicas. E será um método acessível para os pacientes de países nos quais a tuberculose é endêmica", declarou o pesquisador indiano Ranjan Nanda. O aparelho, que estaria pronto a partir de

outubro de 2013 para sua produção em massa, também seria útil para detectar outras doenças pulmonares, como o câncer de pulmão. A tuberculose foi praticamente erradicada nos países desenvolvidos, porém, ainda está presente na África Subsaariana, em regiões da Ásia e na América Latina. O "nariz eletrônico" multiplicaria o diagnóstico adiantado da doença e aceleraria o tratamento precoce, fundamental para a cura. (EFE)

A cantora britânica Adele passou por uma microcirurgia a laser nas cordas vocais e deve se recuperar totalmente. A artista, ganhadora do Grammy, cancelou shows até o fim do ano devido a problemas na garganta. Ela extraiu um pólipo benigno das cordas vocais, que causava sangramento recorrente, segundo nota do Hospital Geral de Massachusetts. O hospital não revelou quando foi a cirurgia. Na semana passada, a cantora havia desmentido rumores na imprensa de que ela estaria com câncer na garganta. L OTERIAS Concurso 1018 da DUPLA SENA Primeiro sorteio 01

10

12

35

40

41

20

35

48

Segundo sorteio 06

12

18

Concurso 2741 da QUINA 08

30

40

68

77

E SPANHA Fotos: Lluis Gene/AFP

Para o Presépio Os políticos Alfredo Perez Rubalcaba e Mariano Rajoy, Shakira, Gerard Piqué, o príncipe William e Kate serão estrelas do presépio da Catalunha deste ano como bonecos "caganers".


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

e

13

conomia

A crise internacional, que vem provocando o derretimento do euro, fez ontem mais uma vítima na Europa: o primeiro-ministro italiano, Silvio Berlusconi, anunciou que deixará o cargo tão logo sejam votadas reformas emergenciais para as contas do país, o que deve acontecer no dia 18. O anúncio da saída de Berlusconi ocorreu 48 horas depois do de George Papandreou do posto de primeiro-ministro da Grécia. Durante votação ontem no Parlamento, em Roma, o primeiro-ministro fez anotações em um papel em que denuncia "8 traidores". No fim de semana, a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, afirmou que a Itália

ho

l Bu

ae

ch Mi

rs

ute

Re

r/ lze

padecia de "falta de credibilidade" frente aos mercados financeiros. Com a esperada notícia do fim da era Berlusconi, as bolsas subiram na Europa e nos EUA. Na Grécia, a confusão aumentou ontem, com choque entre os parlamentares locais e dirigentes europeus em Bruxelas. Em nome da "dignidade nacional", a oposição grega se recusa a assinar uma carta em que assume o compromisso de adotar medidas de austeridade. No Brasil, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, mudou radicalmente seu discurso e reconheceu que a crise financeira poderá atingir os países emergentes. (leia mais na página 15).

Mercado vibra com queda de Berlusconi O primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, anunciou ontem que vai renunciar ao cargo. Os mercados reagiram de maneira positiva diante da notícia.

Tony Gentile/Reuters

O

primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, entregará o cargo ao presidente italiano, Giorgio Napolitano, logo após a votação da Lei de Finanças, elaborada com uma série de medidas de austeridade, incluindo propostas feitas pelos parceiros europeus da Itália, para que o país corte o déficit público e retome o crescimento. A lei deve ser votada dia 18. A iminência de contágio da crise financeira europeia pela Itália fará nos próximos dias aquilo que anos de denúncias de corrupção, processos na Justiça e escândalos sexuais não conseguiram: derrubar Berlusconi. A urgência da demissão já estava clara desde o fim da última semana, quando antes mesmo do fim da cúpula do G20 de Cannes a UE anunciou que o Fundo Monetário Internacional (FMI) passaria a supervisionar as finanças públicas italianas para assegurar a adoção das medidas de rigor no país. Então, a diretora-gerente da entidade, Christine Lagarde, afirmou que a Itália padecia de "falta de credibilidade" frente aos mercados financeiros. Na sexta-feira, Berlusconi chegou a receber um apelo de seu ministro de Finanças, Giulio Tremonti, que atribuiu à sua falta de apoio da opinião pública a instabilidade no país. "Certo ou errado, o problema da Itália é você", teria dito o ministro. Ontem, veio a gota d'água. Ao avaliar as contas públicas de 2010, o Parlamento italiano lançou uma advertência a Berlusconi: seu governo não tinha mais a maioria dos votos. Embora tenha conseguido aprovar as contas, sua base de sustentação no Legislativo foi reduzida, perdendo a maioria absoluta, que lhe garantia até aqui no poder. Por estratégia – que visava agrupar todos os votos de contestação ao governo –, os deputados de oposição, liderados pelo Partido Democrático (PD), se abstiveram. O resultado foi uma vitória com sabor de derrota para Berlusconi: 308 votos a favor (oito abaixo do nível mínimo de maioria absoluta), contra 321 abstenções. O secretário geral do PD, Pier Luigi Bersani, foi uma das vozes a pedir a cabeça do premiê. "Eu lhe peço que entregue sua demissão." A surpresa para a opinião pública europeia é que não apenas o PD e os tradicionais partidos

Votação no Parlamento, em Roma, confirmou ontem a fraqueza política do magnata italiano. Tony Gentile/Reuters

Tony Gentile/Reuters

No papel, pode-se ler a frase escrita à mão: "8 traidores". Ao lado, Berlusconi na Câmara.

de oposição passaram a pedir a saída de Il Cavaliere. No Parlamento, Umberto Bossi, líder do partido de extrema direita Liga Norte, o maior aliado do Partido da Liberdade, de Berlusconi, também convidou o premiê a sair. "Nós pedimos ao primeiro-ministro que renuncie." Em paralelo às pressões políticas, os inves-

tidores reagiram ao longo do dia com otimismo diante da possibilidade de queda do primeiro-ministro. Em Milão, o índice MIB chegou a subir mais de 2% instantes antes da votação no Parlamento, reduzindo os ganhos a 0,74% após o resultado, que até então mantinha o premiê na chefia do governo.

Grécia versus Bruxelas Oposição grega não assina carta de compromissos e entra em choque com dirigentes da UE

A

crise política na Grécia parece não ter fim. Políticos gregos e europeus entraram hoje em choque. Bruxelas exige que os principais políticos locais assinem uma carta assumindo o compromisso de implementar as medidas de austeridade impostas pela União Europeia e pelo Fundo Monetário Internacional (FMI) para que possam receber o resgate bilionário. A oposição grega se recusa a assinar a carta, alegando que "ainda existe a dignidade nacional". Além disso, o terceiro dia de negociações entre os partidos foi concluído sem definir quem será o novo primeiro-ministro.

Depois de uma semana de caos político que havia derrubado os mercados em todo o mundo, o primeiro-ministro George Papandreou anunciou no domingo que renunciaria no dia seguinte e um governo de união nacional assumiria o poder. Essa era a condição imposta pela União Europeia para que um segundo pacote de 130 bilhões de euros fosse aprovado para a Grécia. Porém, as negociações entre os partidos não avançaram como se esperava. O nome de Lucas Papademos – o preferido dos banqueiros e consenso entre os partidos – voltou a ganhar força para ocupar o cargo. A imprensa grega já dava sua indicação como certa.

Tecnocrata – Papademos foi o vice-presidente do Banco Central Europeu (BCE) e foi quem conduziu em 2002 a Grécia para a zona do euro. O tecnocrata teria a difícil missão de se manter à frente de um governo durante 100 dias para adotar o pacote de austeridade e preparar eleições gerais. Ontem, Papandreou indicou que um acordo com a oposição está "próximo". Mas admitiu que existiam limites de ambos os lados. "Portanto, apesar de imaginar situações ideais, na realidade elas não existem e precisamos tentar encontrar a melhor solução", explicou Papandreou. Durante a reunião de gabinete de ontem, todos os minis-

tros entregaram seus cargos, abrindo caminho para a indicação de um novo governo até as eleições de 19 de fevereiro. Mas o impasse começava a irritar personalidades gregas. "Esses jogos políticos não podem mais continuar", acusou Dora Bakouannis, ex-ministra de Relações Exteriores do país. Na noite de ontem, um funcionário do governo da Grécia disse que a composição do novo governo interino do país será anunciada somente nesta quarta-feira. (AE)

Manchados – Os principais índices do mercado de ações dos EUA fecharam em alta ontem diante da notícia de que o primeiro-ministro Silvio Berlusconi assumiu o compromisso de renunciar ao cargo. "Os investidores veem a mudança na liderança como uma nova chance para resolver os problemas europeus", disse Lawrence Creatura, gerente de portfólios da Federated Investors. "Também vimos isso com o primeiro-ministro da Grécia, George Papandreou. Os líderes antigos estão manchados." O Dow Jones subiu 101,79 pontos, ou 0,84%, para 12.170,18 pontos. O Nasdaq avançou 32,24 pontos, ou 1,2%, para 2.727,49 pontos, enquanto o S&P 500 teve ganho de 14,80 pontos, ou 1,17%, para 1 275,92 pontos. Ao longo da sessão, os índices chegaram a operar em baixa por causa de preocupações com a instabilidade política na Itália. No mercado de Treasuries, o otimismo com a provável saída de Berlusconi pesou sobre os preços e impulsionou os juros. "A renúncia de Berlusconi levou a um pequeno aumento no apetite por risco, pois seu governo é visto como resistente às medidas de reforma fiscal exigidas pela União Europeia", disse Brian Varga, diretor de negociações com bônus dos EUA no RBC Capital Markets. "Um país mais disposto a adotar reformas estaria menos suscetível a sofrer uma crise parecida com a grega." R e c es s ã o – O professor da New York University, Nouriel Roubini, afirmou ontem em São Paulo que "são maiores os riscos de double DIP (duplo mergulho na recessão, na tradução livre) da economia mundial" do que as chances de que o nível de atividade global se acelere no curto prazo. Segundo ele, um fator que pode ser determinante para que o mundo entre em uma recessão até pior do que a registrada em 2008 é a possibilidade de que os problemas na zona do euro se agravem ainda mais. "Já há sinais de que a zona do euro e o Reino Unido estão em recessão, enquanto os Estados Unidos ainda estão em uma área limítrofe", afirmou Roubini. (Agências)


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

e

15 Só agora a Europa está resolvendo os problemas da Grécia e já enfrenta o problema da Itália. Guido Mantega, ministro da Fazenda

conomia

Mantega muda discurso VIRADA: e admite contágio. Eduardo Anizelli/Folhapress

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, altera mensagem e alerta que a crise internacional pode contaminar a economia do País. O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirma, agora, que a crise bate à porta do Brasil e não descarta ajuda do FMI aos países emergentes.

O

ministro da Fazenda, Guido Mantega, mudou ontem radicalmente seu discurso sobre a crise internacional e reconheceu que os países emergentes podem ser afetados pelos problemas que se agravam na Europa. Mantega alertou que a crise já bate à porta de países como o Brasil e criticou a demora da Europa na solução dos problemas da Grécia e da Itália. "Todos temos que nos preocupar com isso, porque se esta crise chegar a afetar os países emergentes, a situação internacional será pior", disse o ministro da

Fazenda, deixando, porém, escapar que já vê sinais da perturbação nessas economias em desenvolvimento. "Hoje, já vemos uma saída de capitais de alguns dos países emergentes", declarou o ministro, sem mencionar nações. Brics – O ministro reiterou que o Brasil e outros países do Brics ( Rússia, Índia, China e África do Sul) continuam dispostos a colaborar com a resolução da crise mediante contribuições ao Fundo Monetário Internacional (FMI), mas esclareceu que isso dependerá de os europeus cumprirem seus compromissos.

Mantega surpreendeu novamente ontem ao dizer que os recursos fornecidos pelos países do Brics ao FMI não seriam somente para os membros da União Europeia (UE), mas "para todos os países que fazem parte do FMI e possam necessitar de recursos em caso de um agravamento da crise", o que em sua opinião está perto. Segundo ele, os países emergentes que, em certa medida, sustentam atualmente o movimento econômico mundial, "poderiam precisar do FMI". Mantega negou as notícias de que o governo brasileiro teria oferecido recursos da or-

Marlene Bergamo/Folha Imagem

O economista Luiz Carlos Mendonça de Barros: Brasil perdeu os "motores auxiliares".

Mendonça de Barros diz que País entra em fase de dificuldades Rafael Nardini

O

ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), o economista Luiz Carlos Mendonça de Barros, afirmou em debate promovido pela Fundação Astrojildo Pereira, na Capital, que um período de menor bonança para a economia brasileira está se avizinhando. Para ele, o Brasil dispôs de "motores auxiliares" funcionando na economia durante praticamente todo o período em que o País foi governado pelo expresidente Luiz Inácio Lula da Silva (entre 2003 e 2010). "O Lula tomou posse com o dólar a R$ 4 e agora o dólar está em R$ 1,70. Essa queda permitiu controle mais fácil sobre a inflação", disse ele. Segundo o economista, um fator importante para medir o cenário para os próximos anos é a situação da indústria, que se encontra "parada" por ter sua capacidade de operação próxima do limite. "Neste ano a indústria cresce 0%. E não vão culpar a crise porque não é isso", afirmou, citando

ainda a enxurrada de produtos industrializados chineses, o aumento na importação de carros e o desequilíbrio na balança comercial de automóveis e autopeças, setor que liderava o comércio exterior há poucos anos. Desemprego – Para Mendonça de Barros, outro sinal claro desses novos tempos em que o Produto Interno Bruto (PIB) não "deverá avançar mais do que 3,5% ao ano" é o cenário de baixo desemprego. "Já temos escassez de mão de obra qualificada em muitos estados, em praticamente todo o País. Aconteceu em Ribeirão Preto (interior de São Paulo). Pegaram cortadores de cana para trabalhar na construção civil e depois não tinha quem trabalhasse nas plantações". De acordo com o economista, numa democracia de massas como a brasileira, a venda no varejo é a ligação mais forte entre política e economia. "Se as vendas crescem 14% ao ano, quer dizer que as pessoas estão contentes com a política econômica". No entanto, segundo ele, já há sinais de um ritmo de expansão menor do setor. "Começa a pintar um quadro um

pouco diferente para 2014", alertou, numa menção às eleições presidenciais marcadas para aquele ano. Cópia pirata – Mendonça de Barros afirmou que no período em que esteve no Planalto, Lula foi fiel aos receituários do PSDB para tocar a economia, classificando a orientação econômica petista de "cópia pirata". "O que o Lula fez foi mexer no metabolismo do capitalismo ao dar aumentos reais para o salário-mínimo. Com isso, ele mexeu na renda de 75% dos trabalhadores. É política de esquerda usada em todo o mundo", afirmou. Neste sentido, o ex-ministro vê diferenças entre o exmetalúrgico e a atual ocupante do Palácio da Alvorada. "A Dilma está trazendo ideias do pensamento econômico do PT. Mais próximo do (Luiz Gonzaga) Belluzzo e do pessoal da Unicamp", disse, lembrando as alterações feitas na gestão do Banco Central (BC), instituição que teve no comando o ex-tucano Henrique Meirelles (PSD). "O Brasil deve crescer entre 3% e 3,5% ao ano. Se crescer menos que isso, a Dilma não vai aceitar."

dem de US$ 10 bilhões para o FMI com o objetivo de ajudar a solucionar a crise na Europa. Ele avaliou que os países da UE deveriam "organizar o fundo (de resgate) europeu, utilizar mais o Banco Central Europeu (BCE), que não está sendo usado como poderia, e resolver o problema da Grécia". No entanto, Mantega apontou que "isso não se concretizou" e, por isso, a oferta dos Brics permanece em suspenso. I tá l ia – "Só agora (a Europa) está resolvendo os problemas da Grécia e já enfrenta o problema da Itália", disse, referindo-se ao agravamento

dos problemas políticos enfrentados pelo primeiro-ministro Silvio Berlusconi. Segundo Mantega, o grande problema é que "a confiança (na Europa) não pôde ser restituída", pois "a crise não está sendo resolvida satisfatoriamente" e, pelo contrário, "está um pouco pior". O ministro brasileiro advertiu que, no caso da Itália, embora se trate de um país "mais sólido" do que a Grécia, "os mercados funcionam com base na expectativa e na desconfiança", razão pela qual a situação pode se agravar ainda mais nos próximos dias. (Agências)

Temos que nos preocupar com isso, porque se a crise chegar a afetar os países emergentes, a situação será pior. GUIDO MANTEGA, MINISTRO DA FAZENDA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Foi o segundo resultado negativo consecutivo e a pior queda desde abril, quando caiu 4,3%. André Macedo, do IBGE

conomia

Produção industrial cai 4,2% em SP Mesmos setores que puxaram a queda no desempenho nacional, como automotivo e máquinas e equipamentos, por exemplo, forçaram o recuo paulista, diz IBGE.

Márcio Fernandes/AE

O

recuo de 4,2% na produção de São Paulo, de agosto para setembro, explica grande parte da queda de 2% na produção nacional no período, disse o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Além do parque industrial diversificado, São Paulo responde por cerca de 40% da produção do País. Os mesmos setores que puxaram a queda no desempenho nacional foram responsáveis pelo recuo paulista: automotivo, máquinas e equipamentos, materiais eletrônicos, aparelhos de comunicação e máquinas e materiais elétricos. "Foi o segundo resultado negativo consecutivo e a pior queda desde abril, quando caiu 4,3%", ressaltou André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE. As paralisações no setor de veículos automotores e a concessão de férias coletivas para ajustar os altos estoques influenciaram o desempenho negativo paulista e também no de outros Estados, como Paraná (13,5%), Minas Gerais (2,7%), Rio de Janeiro (3%) e Rio Grande do Sul (1,4%). O Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) vê a queda generalizada no Sudeste com preocupação. "O problema não é só em São Paulo, mas também em Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Os três representam 60% da produção industrial do País", alertou o economista-chefe Rogério César de Souza. "O resultado mostra mais que desaceleração. É retração mesmo". Souza acredita que o resultado fraco deve se manter nos próximos meses, o que pode levar a indústria a fechar 2011 com crescimento inferior a 1,5%. "O último trimestre não vai reverter esse quadro. É possível que afete o emprego industrial, que hoje opera perto da estabilidade, mas que pode passar a observar retrações em alguns setores", avaliou.

Além do parque industrial diversificado, Estado responde por 40% do setor produtivo do País, o que explica queda de 2% no total nacional. Desaceleração preocupa especialistas. Márcio Fernandes/AE

Em setembro, de acordo com o IBGE, a produção industrial recuou em sete dos 14 locais pesquisados, na comparação com agosto. Ante setembro de 2010, houve queda em oito regiões, com destaque também para São Paulo: o recuo de 3,9% foi o maior desde outubro de 2009, quando caiu 5%. A queda acentuada no Paraná (13,5%) foi causada principalmente por perdas na produção de máquinas e equipamentos. Porém, o crescimento por quatro meses seguidos fez acumular alta de 20,4%, gerou base de comparação mais elevada e explica o recuo. (AE)

As horas trabalhadas na indústria – indicador que mede a produção – recuaram 1,3% em setembro ante agosto e cederam 0,4% na comparação com setembro de 2010.

2010

www.agenda-empresario.com.br

ANO XXV ANO XXV

APOIO:

CENOFISCO Apoio: Cenofisco

www.agenda-rural.com.br

Uso da capacidade instalada cede para 81,6%, diz CNI. O

COMANOVALEIS/AVISO-PRÉVIO,EMSETRATANDODEAVISOINDENIZADO,OS PROPORCIONAIS DE FÉRIAS E 13º SERÃO CALCULADOS S/O SALÁRIOBASE?EO1/12AVOSDEFÉRIASE13ºS/AVISOINDENIZADO SERÃO CALCULADOS S/ O VALOR DO AVISO-PRÉVIO INDENIZADO? Informamos que tendo em vista que o aviso-prévio,inclusive indenizado, se projeta para todos os efeitos legais o mesmo influenciará nos avos de férias e décimo terceiro salário,aumentando o valor a ser recebido. EMPREENDEDOR PRETENDE CONSTRUIR 12 APARTAMENTOS PARA ALUGAR.ELEVAIREGISTRAROSPEDREIROS,AJUDANTESEMESTREDE OBRA,EISSOVAIGERARENCARGOSPREVIDENCIÁRIOS.QUAISENCARGOS PREVIDENCIÁRIOS ELE PODERÁ DESCONTAR NO INSS DA OBRA? Informamos que toda contribuição previdenciária incidente sobre a remuneração (empregados e contribuintes individuais) relativa à mão de obra própria, inclusive ao décimo terceiro salário poderão ser utilizadas.Base Legal – Art.353 e 354 da IN RFB nº971/09. PEDIDO DE DEMISSÃO E NÃO CUMPRIMENTO DO AVISO-PRÉVIO Como devemos descontar o aviso-prévio nos casos de pedido de demissão onde o empregado não cumpre o aviso,a partir da publicação da Lei nº 12.506? Saiba mais:[www.empresario.com.br/legislacao]. ADIANTAMENTO DE DESPESAS Empresa pode descontar do salário um adiantamento de despesa, tendo em vista que o funcionário não comprovou a despesa e ficou com o valor do adiantamento. Qual o fundamento legal? Saiba mais acessando: [www.empresario.com.br/legislacao]. COMO PROCEDER QUANDO OCORRE O PARTO DA FUNCIONÁRIA DURANTE O GOZO DE FÉRIAS? Informamos que inexiste previsão expressa em lei,porém, caso ocorra o parto durante o período de férias,deverá a empresa suspender o gozo das férias,para,dessa forma iniciar a licença maternidade.Quando do término dos 120 dias,a empregada terá o direito de gozar os dias que ficaram faltando das férias.Quando do término desse afastamento, a empregada goza os dias de férias que ficaram faltando. ACIDENTE DO TRABALHO Funcionário de empresa que fornece vale-transporte se recusa a receber o mesmo.Seacontecerumacidentedepercursodoserviçoasuacasaaresponsabilidade é da empresa? Saiba mais:[www.empresario.com.br/legislacao]. ADICIONAL DE INSALUBRIDADE NA RESCISÃO O Adicional de Insalubridade/Periculosidade pago na rescisão deve ser proporcional aos dias trabalhados ou o valor total mensal? Saiba mais acessando: [www.empresario.com.br/legislacao].

nível de utilização da capacidade instalada (Nuci) da indústria brasileira caiu para 81,6% em setembro ante 82,2% em agosto, segundo dados divulgados ontem pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O resultado ficou abaixo das estimativas dos analistas, que iam de 81,9% a 82,1%. Com exceção das vendas reais, todos os indicadores industriais dessazonalizados registraram queda em setembro na comparação com agosto. As horas trabalhadas na indústria – indicador que mede a produção – recuaram 1,3% em setembro ante agosto e cederam 0,4% na comparação com setembro de 2010. O emprego na indústria, por sua vez, recuou 0,3% em base mensal, mas

A CONTABILIDADE E ASSESSORIA

• GESTÃO FISCAL • ADMINISTRAÇÃO DO RH • CONTABILIDADE • LEGALIZAÇÃO • MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM

apresentou um crescimento de 1,1% em base anual. Já as vendas reais, que são medidas pelo faturamento da indústria, mantiveram a curva de crescimento pelo quarto mês consecutivo. Em setembro, o indicador cresceu 1% na comparação com o mês anterior e avançou 4,1% em relação a um ano antes. Por fim, a massa salarial real cresceu 7,3% ante setembro de 2010 e o rendimento médio real avançou 6,2% no mesmo período. Para esses dois últimos indicadores, a CNI não divulga o resultado dessazonalizado em relação ao mês anterior porque a série histórica é curta. Segundo os dados da CNI, todos os indicadores registram alta no acumulado do ano. As vendas reais subiram 5,1% de ja-

neiro a setembro, em relação aos nove primeiros meses de 2010. As horas trabalhadas crescem 1,7% em igual período e o emprego, 2,7%. A massa salarial real registra expansão de 5,5% neste ano, enquanto o rendimento médio real subiu 2,7%. Análise – Segundo o gerente executivo de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco, os resultados são efeito do agravamento da crise econômica internacional e da política monetária restritiva adotada pelo governo ao longo do primeiro semestre. De acordo com Castelo Branco, a indústria teve que reduzir o ritmo de produção para responder ao acúmulo de estoque verificado nos dois últimos trimestres, refletindo a queda na demanda. "Temos um ajuste no ritmo

de produção, mas não uma atividade industrial em queda", disse Branco. Ele explicou que esse ajuste teve um "efeito maléfico" sobre o nível de emprego na indústria que, em setembro, recuou 0,3% em relação a agosto, a maior queda mensal desde abril de 2009. Mas, na comparação com setembro de 2010, o aumento foi 1,1%. "O mercado de trabalho reage ao ritmo da produção. Como a indústria se ressentiu da falta de demanda, houve menor necessidade de contratações. Possivelmente, vamos ter um mercado de trabalho bem mais fraco nestes últimos meses do ano e no começo de 2012, em função do quadro adverso internacional, com reflexos no Brasil", analisou Branco. (Agências)

Porto ganha mais R$ 600 mi da MMX © HÍFEN – todos os direitos reservados

AGENDA

www.contabil.com.br

QUARTA-FEIRA, 09 DE NOVEMBRO DE 2011

MMX, mineradora do empresário Eike Batista, anunciou um investimento adicional de R$ 600 milhões no projeto de construção do Porto do Sudeste, em Itaguaí (RJ). Com isso, o total investido sobe do atual R$ 1,8 bilhão para R$ 2,4 bilhões, informou ontem o

novo presidente da MMX Guilherme Escalhão. Pelo projeto original, o porto teria capacidade para embarcar 50 milhões de toneladas de minério de ferro a partir do primeiro trimestre de 2013. Mas a companhia já pensa em expandir esse volume para

100 milhões de toneladas. "Serão R$ 200 milhões somente para a preparação da expansão, e R$ 400 milhões para a avaliação geotécnica e a consolidação das melhorias no porto, o que representa aumento de produtividade", afirmou. Segundo Escalhão, é cedo

para estimar o investimento necessário para a ampliação do porto, mas a MMX já solicitou ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) um novo financiamento de R$ 550 milhões para viabilizar o investimento adicional. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

e

17

Ainda que a carga tributária, em alguns casos, seja próxima à do Lucro Presumido, ele simplifica muito, com apenas uma via de imposto. Welinton Mota, da Confirp

conomia

Atenção ao optar pelo Simples Ampliação do limite de faturamento deve favorecer milhares de empresas, mas é preciso ficar atento a prazos, possíveis pendências e efetivas vantagens de aderir. Fátima Lourenço

Lalo de Almeida/Folhapress

A

ampliação do limite de faturamento anual para adoção do Simples Nacional deve favorecer milhares de empresas. Migrar para esse regime tributário, no entanto, requer atenção, tanto com os prazos para aderir, quanto com as análises que permitam certificar-se das vantagens do sistema, ante as opções pelo Lucro Presumido ou Lucro Real. Com as mudanças do Simples, válidas para 2012, o limite de receita anual sobe de R$ 240 mil, para R$ 360 mil, no caso das microempresas; e de R$ 2,4 milhões para R$ 3,6 milhões para pequenas empresas. A adesão ao sistema, por força da lei, acontecerá efetivamente durante o mês de janeiro de 2012. Na prática, no entanto, desde o início de novembro já é possível – e recomendável – fazer o requerimento, o chamado "agendamento", pleiteando a mudança de enquadramento. "O agendamento é feito no site da Receita Federal e gera um relatório com eventuais pendências da empresa (impeditivas para a adesão ao Simples). Com isso, ela ganha um prazo maior para regularizar a situação", destaca o diretor tributário da Confirp Contabilidade, Welinton Mota. Pendências, como dívidas de impostos, impedem que a empresa se enquadre no Simples. Se o agendamento não apontar problemas, o processo redundará automaticamente na adesão, explica o especialista da Confirp. Se hou-

Em determinados ramos, como o de construção civil e serviços similares, é preciso avaliar se é vantajoso optar pelo sistema, já que as alíquotas do Simples são equivalentes à do Lucro Presumido, ou até mais altas, conforme aponta estudo da Confirp.

ver pendências, o empresário ganha tempo para regularizar a situação e pleitear a adesão. "Pela internet, é possível obter todas as certidões. A adesão ao Simples depende dessas informações", acrescenta. Cuidados – Mota classifica o Simples como o sistema tributário mais favorável ao micro e pequeno empresário. "Ainda que a carga tributária, em alguns casos, seja próxima à do Lucro Presumido, ele sim-

plifica muito, com apenas uma via de imposto, eliminação de muitas obrigações acessórias e simplificação da emissão de nota fiscal", detalha. Segundo o especialista, em 95% dos casos há redução tributária no regime do Simples, mas existem situações que pedem análise cuidadosa. Para empreendimentos do comércio ou indústria, exemplifica, geralmente o regime tributário é ótimo. Porém, se a redução

tributária promover diminuição dos créditos de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS) e do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) (para compradores dessa empresa), a opção pelo enquadramento poderá inviabilizar o negócio. No ramo da construção civil e serviços semelhantes (como paisagismo, decoração de interiores e limpeza e conservação), as alíquotas são equiva-

lentes às do Lucro Presumido, alerta Mota. Segundo ele, estudo tributário da Confirp para clientes desses ramos aponta o Lucro Presumido como o mais vantajoso, com carga tributária de 14,3%, ante 22,24%, na opção pelo Simples. "É sempre preciso estudar cada caso", ressalva Mota, especialmente nas atividades dos Anexos IV e V da Lei do Simples, em que a carga tributária poderá ser maior, como

no caso relatado acima. As variações dependerão muito do valor do faturamento, do total da folha de pagamento e da sua participação sobre a receita, em alguns casos. O diretor tributário recomenda que estudos comparativos sejam feitos todos os anos e que o empreendedor não deixe para solicitá-lo ao contador na última hora - especialmente se planeja aproveitar as possíveis vantagens do Simples.

L.C.Leite/LUZ

Com perspectiva de mais contratações até o fim do ano, CNC projeta crescimento de 5% neste Natal.

Expectativa de juros menores faz subir confiança dos empresários

O

Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) subiu 0,5% em outubro, divulgou ontem a Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O avanço é resultado de uma combinação da queda nas condições atuais (1,2%) e de alta no índice de expectativas (1,5%) e de investimentos (1%). O indicador é composto por esses três subíndices. Colaborou para o resultado negativo nas condições atuais a desaceleração do mercado de trabalho e dos rendimentos. Por outro lado, a alta expectativa dos empresários pode ter tido

6% é a projeção de alta nas vendas do varejo em 2011, segundo a CNC. Enquanto que o PIB deve avançar 3% no ano na avaliação dos empresários.

influência da perspectiva de juros menores em 2012. Já a elevação do índice de investimento foi puxada pela expectativa de mais contratações e a proximidade

do fim do ano. No Natal deste ano, a CNC projeta que as vendas crescerão 5%. Para as vendas do varejo em 2011, a expectativa é de uma alta de 6%, enquanto que o Produto Interno Bruto (PIB) do País deve avançar 3%, na avaliação da CNC. No corte regional, a Norte e a Nordeste continuam sendo as regiões em que os empresários estão com níveis de satisfação mais elevados, com 136,4 e 136,6 pontos, respectivamente. Sul (128,7 pontos) e Sudeste (126 pontos) são as regiões com a menor confiança. Segundo a CNC, todas as regiões apresentaram elevação na intenção de contratar. (AE)

TODO MUNDO VAI VER OS MAIORES. E TAMBÉM A SUA EMPRESA. Revista do Prêmio Melhores dos Maiores 2011. Anuncie e apareça ao lado dos gigantes mais eficientes do mercado. Agora, todo ano é assim: o mercado inteiro fica esperando para saber quem são os gigantes, que se movem com agilidade e eficiência surpreendentes para seu tamanho. Quer fazer todas essas pessoas olharem também para a sua empresa? É só anunciar na Revista do Prêmio Melhores dos Maiores 2011. São mais de 500 páginas, que trazem os grandes destaques do ano, dos mais diversos setores. Apareça entre eles. Reserve já seu espaço. • Comércio Varejista • Farmácia e Perfumaria • Telecomunicações • Lojas de Departamentos • Supermercados • Petróleo e Gás • Energia Elétrica • Alimentos e Agronegócios • Comércio Atacadista • Veículos e Autopeças • Distribuidores de Veículos • Serviços • Química e Petroquímica • Siderurgia • Mineração • Indústria

Lançamento: 21/11/2011 • Reservas: 10/11/2011 • Entrega do Material: 11/11/2011 Entre em contato com nosso Departamento Comercial.

FTPI Representação Publicidade e Marketing melhoresdosmaiores2011@ftpi.com.br (11) 2178 8700

Diário do Comércio Sônia Oliveira soliveira@acsp.com.br (11) 3244 3029


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

e

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

As mais expressivas altas de preço no IPC-S até 7 de novembro foram apuradas em batata-inglesa (19,96%); condomínio residencial (1,63%); e aluguel residencial (0,56%).

conomia

Inflação acelera no início do mês Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) subiu 0,34% até a quadrissemana finalizada no dia 7 de novembro; alimentos novamente puxam alta.

Newton Santos/Hype

A

inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) foi mais intensa no início deste mês. O indicador subiu 0,34% até a quadrissemana finalizada em 7 de novembro, após avançar 0,26% no resultado anterior, de até 31 de outubro, segundo informou ontem a Fundação Getúlio Vargas (FGV). Nesta apuração, quatro das sete classes de despesa pesquisadas para cálculo do índice apresentaram acréscimos em suas taxas de variação de preços, entre a quarta quadrissemana de outubro e a primeira quadrissemana de novembro. O retorno da inflação aos alimentos levou à aceleração do IPC-S. Segundo a FGV, os preços desta classe de despesa saíram de uma estabilidade (0%) para avanço de 0,34% no período. Entre os produtos que mais contribuíram para este desempenho no setor de alimentação estão queda mais fraca e fim de deflação de preços, respectivamente em hortaliças e legumes (de 3,84% para 0,55%) e em frutas (de 0,68% para 0,11%). Outras três classes de despesa apresentaram acréscimos em suas taxas de variação de preços. É o caso de educação, leitura e recreação (de 0,3% para 0,42%), vestuário (de 0,76% para 0,87%) e transportes (queda de 0,1% para 0,06%). Já as classes de despesa restantes apresentaram desaceleração de preços. É o caso de habitação (de 0,53% para 0,45%), saúde e cuidados pessoais (de 0,39% para 0,33%) e despesas diversas (de 0,15% para 0,11%). Entre os produtos pesquisados, as mais expressivas altas de preço no IPC-S de até 7 de novembro foram apuradas em batata-inglesa (19,96%); condomínio residencial (1,63%); e aluguel residencial (0,56%). Já as mais significativas quedas de preço foram registradas em pimentão (17,79%); alho (6,66%); e açúcar refinado (2,3%). (AE)

Legumes e hortaliças estão entre os produtos que mais se destacaram no setor de alimentação para aumento da inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S)

Hortaliças e legumes foram os vilões A

forte desaceleração da queda de preços de hortaliças e legumes, dentro do grupo Alimentação, no Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) foi o que mais chamou a atenção na abertura do indicador na primeira leitura de novembro, divulgada ontem. "Foi o grande destaque individual",

avaliou o coordenador do IPC-S, Paulo Picchetti. De acordo com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), os preços dos alimentos saíram de estabilidade (0%) para avanço de 0,34% no período. Entre os fatores que mais contribuíram para esse desempenho, estiveram a queda mais fraca e o fim da deflação de preços,

respectivamente, em hortaliças e legumes (de 3,84% para 0,55%) e frutas (de 0,68% para 0,11%). O IPC-S avançou de 0,26% da quadrissemana encerrada em 31 de outubro para 0,34% na quadrissemana até 7 de novembro. "Entre outras coisas, havia aposta de trajetória de aumento (do IPC-S) até o fim do mês, justamente por conta de

alimentação. Já esperava que (estes preços) não iam continuar ajudando na mesma intensidade", disse Picchetti, acrescentando que as razões para a pressão maior nesses produtos não são muito definidas. "Tem a sazonalidade, mas nada que se consiga explicar de forma sistemática, é algo característico do grupo, que pesa bastante no índice",

afirmou. Na avaliação do coordenador do IPC, a parte de in natura deve seguir liderando as pressões sobre o IPC-S nas próximas leituras. Picchetti manteve sua expectativa de variação de 0,6% para o IPC-S no fechamento de novembro e dezembro, que "garantem taxa de 6,2% para o fechamento do ano". (AE)

IGP-DI diminui para 0,4% em outubro Especializada em peças para motores

3947-1030

Rua Ângelo Mariano, 27-b - Jd. Rodrigo - Cep: 02990-095 junior@globalbrazilengine.com.br www.globalbrazilengine.com.br

Donal Contabilidade •Assessoria para Empresas •Abertura de Firmas •Aposentadoria •Encerramentos •Imposto de Renda •Autônomos •Microempresas •Departamento Pessoal •Serviços de Contabilidade em Geral

DC

Rua Henry Charles Potel, 869 A - Vila Penteado - CEP: 02862-000 Fones: 3989-6033 /7738-4598 - ID*118-22442

os de e inte Requ

20 an Conforto!

Visite nosso site e verifique nossas acomodações.

www.asturiasmotel.com.br

Fone: 11 3816-6689

asturias@asturiasmotel.com.br Avenida Nações Unidas, 7.715 - Pinheiros - São Paulo/SP

Epitacio Pessoa/AE

(11)

O

Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) diminuiu em outubro e fechou o mês com taxa de variação de 0,4%. Em setembro, o índice havia ficado em 0,75%. De acordo com dados divulgados ontem pela Fundação Getulio Vargas (FGV), no ano, o IGP-DI acumula alta de 4,72% e de 6,78% no período de 12 meses. O resultado foi influenciado pela redução do Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que passou de 0,94% para 0,48%. Cedeu a inflação da soja em grão (de 5,49% para -4,15%), do milho em grão (de 3,33% para -3,65%) e do café em grão (de 9,57% para -0,29%). O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) também sofreu diminuição no período e registrou taxa de 0,26%, abaixo da do mês anterior, de 0,5%. Seis das sete classes de despesa tiveram decréscimo em suas taxas, com destaque para alimentação (de 0,55% para 0%). Pesaram menos para o consumidor as frutas (de 3,44% para -0,68%), os laticínios (de 2% para 0,22%) e os adoçantes (de 3,84% para -1,08%). O mesmo movimento foi observado em habitação (de 0,65% para 0,53%), transportes (de 0,14% para -0,1%), saúde e cuidados pessoais (de 0,51% para 0,39%), vestuário (de 0,93% para 0,76%) e despesas diversas (de 0,29% para 0,15%). (ABr)

A inflação do milho em grão cedeu de alta de 3,33% para queda de 3,65% e influenciou recuo do IGP-DI.

Agropecuários: deflação será breve.

O

s preços agropecuários no atacado deram uma guinada entre setembro e outubro, dentro do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI), ao passarem de um avanço de 1,85% para uma queda de 0,62%. O movimento era, em boa medida, esperado pelos economistas, mas deve ter vida curta, já que a expectativa é de gradual diminuição do recuo ao longo do mês de novembro. "É provável que ainda tenhamos número baixo no IGP-10, mas no IGP-M já deve vir para o positivo", afirmou o economis-

ta-chefe do Banco ABC Brasil, Luis Otávio de Souza Leal. "Esse movimento deve ser atenuado ao longo do mês, com a recuperação de preços da cadeia pecuária e produtos mais ligados ao mercado interno", afirma a equipe de economistas do Bradesco, sobre a deflação. A deflação do IPA Agropecuário contribuiu para a desaceleração do IPA-DI de 0,94% para 0,48%, e também do próprio IGP-DI, que recuou de 0,75% em setembro para 0,4% no mês passado. Esta taxa ficou abaixo da mediana de 0,42% encontrada na pesquisa

AE Projeções, da qual participaram 37 instituições, a partir do intervalo de estimativas entre 0,32% e 0,55%. O IPC-DI subiu 0,26% ante taxa positiva anterior de 0,5% e o INCC-DI mostrou alta de 0,23% em comparação com o aumento de 0,14% em setembro. Já o IPA Industrial teve trajetória oposta, acelerando de 0,62% para 0,87%. O economista do ABC Brasil explica que os movimentos dos preços agropecuários e industriais tiveram o mesmo motivo – o câmbio – "só que com defasagem". (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

ECONOMIA/LEGAIS - 19

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 08 de novembro de 2011, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Vinicius do Prado. Requerido: Douglas Vicente Russo - ME. Avenida Alber t Schweitzer, 73 - Compl. 81Espaço Holístico Metamorfose – Ferrazópolis – São Bernardo do Campo - 2ª Vara de Falências. Requerente: Coats Corrente Ltda. Requerido: Bazar Natália Ltda. EPP. Rua Voluntários da Pátria, 2.387 - Santana - 2ª Vara de Falências. Requerente: Vera Lucia Zequine Mezadri Consultoria ME. Requerido: Comercial Importação e Exportação La Rioja Ltda. Rua Borges de Figueiredo, 1.098/1.250 - Mooca 1ª Vara de Falências. Requerente: Nicoletti Indústria Têxtil S/A. Requerido: DMD Confecções Ltda. EPP - Rua Paraíba, 104 – Brás - 2ª Vara de Falências. Requerente : Lamber ti Brasil Produtos Químicos Ltda. Requerido: Neotextil Indústria, Comércio, Importação e Exportação Ltda. Rua Helena, 335, 2° Andar – Vila Olímpia - 1ª Vara de Falências.

Quer falar com 26.000 empresários de uma só vez?

Fato Relevante Ata da Reunião Extraordinária no 1.807, de 7.11.2011, da Diretoria do Banco Bradesco S.A. CNPJ n o 60.746.948/0001-12 - NIRE 35.300.027.795. Aos 7 dias do mês de novembro de 2011, às 17h, na sede social, Cidade de Deus, 4 o andar do Prédio Vermelho, Vila Yara, Osasco, SP, reuniram-se os membros da Diretoria sob a presidência do senhor Luiz Carlos Trabuco Cappi. Ausentes os senhores Ademir Cossiello e André Rodrigues Cano, em férias. Durante a reunião, os Diretores deliberaram submeter ao Conselho de Administração, em reunião a ser realizada em 12.12.2011, a seguinte proposta: “Proposta da Diretoria a ser submetida à deliberação do Conselho de Administração do Banco Bradesco S.A. em Reunião a ser realizada em 12.12.2011. Senhores Conselheiros, Vimos propor o pagamento aos acionistas da Sociedade de Juros sobre o Capital Próprio Complementares no valor de R$2.309.800.000,00, sendo R$0,576206221 por ação ordinária e R$0,633826844 por ação preferencial. Serão beneficiados os acionistas que se acharem inscritos nos registros da Sociedade em 12.12.2011, passando as ações a serem negociadas “ex-direito” aos Juros Complementares a partir de 13.12.2011. Aprovada a proposta, o pagamento será feito em 8.3.2012 pelo valor líquido de R$0,489775288 por ação ordinária e R$0,538752817 por ação preferencial, já deduzido o Imposto de Renda na Fonte de 15% (quinze porcento), exceto para os acionistas pessoas jurídicas que estejam dispensados da referida tributação, que receberão pelo valor declarado. Os Juros Complementares a serem aprovados representam, aproximadamente, 39,6 vezes o valor dos Dividendos mensalmente pagos e, líquidos do Imposto de Renda na Fonte, a 33,7 vezes os mesmos Dividendos. Os referidos Juros relativos às ações custodiadas na BM&FBOVESPA S.A. – Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros serão pagos à referida BM&FBOVESPA, que os repassará aos acionistas titulares por intermédio dos Agentes de Custódia. A seguir, demonstrativo dos valores pagos e a pagar relativos a 2011: Em R$ Dividendos Mensais pagos

538.482.334,28 624.187.246,15 1.162.669.580,43

Juros Intermediários do 1 o semestre pagos Subtotal – Valores pagos

116.574.580,04

Dividendos Mensais a serem pagos em 1.12.2011 e 2.1.2012 Juros Complementares a serem pagos em 8.3.2012

2.309.800.000,00

Total

3.589.044.160,47

Por ação em R$ Espécie

Dividendos Mensais (*)

Juros Intermediários do 1 o semestre

Juros Complementares

Total

ON

0,163918700

0,155520588

0,576206221

0,895645509

PN

0,180310572

0,171072647

0,633826844

0,985210063

(*) Em 29.8.2011 foi aprovado a majoração em 10% do valor dos dividendos mensais, pagos por ação a partir do mês de outubro de 2011. Os Juros distribuídos serão computados, líquidos de Imposto de Renda na Fonte, no cálculo dos Dividendos obrigatórios do exercício previstos no Estatuto Social. A Sociedade poderá, com base no resultado a ser apurado no encerramento do exercício social de 2011, distribuir novos Juros e/ou Dividendos aos acionistas.”.

O Jornal do Empreendedor

Nada mais foi tratado, encerrando-se a reunião e lavrando-se esta Ata que os Diretores presentes assinam. aa) Luiz Carlos Trabuco Cappi, Laércio Albino Cezar, Julio de Siqueira Carvalho de Araujo, Domingos Figueiredo de Abreu, José Alcides Munhoz, Aurélio Conrado Boni, Sérgio Alexandre Figueiredo Clemente, Candido Leonelli, Maurício Machado de Minas, Alexandre da Silva Glüher, Alfredo Antônio Lima de Menezes, Josué Augusto Pancini, Luiz Carlos Angelotti, Marcelo de Araújo Noronha e Nilton Pelegrino Nogueira.

PUBLICIDADE Fone: 11 3244-3344 Fax: 11 3244-3894 www.dcomercio.com.br

Preserv S.A.

Springer S.A. CNPJ nº 92.929.520/0001-00 - Sociedade de Capital Aberto FATO RELEVANTE Springer S.A. em atendimento ao disposto na Instrução CVM nº 358, comunica a seus acionistas e ao mercado em geral, que firmou nesta data Contrato de Venda e Compra da totalidade das ações que a Springer S.A. possui do capital social da Springer Carrier Ltda, de 16.096.654 ações, correspondente a 18,04%, com a GD Mídea Holding Co. Ltd. sediada na República Popular da China. Pela venda a Springer receberá o valor de R$ 118.998.400,00, sujeita a correção pela variação do capital de giro nesta data e a média histórica dos últimos 12 meses. A companhia assume um compromisso de ressarcimento de riscos fiscais/tributários proporcional à nossa participação e anteriores a esta data pelos próximos 10 anos. Cotia, 08 de novembro de 2011. MANUEL FERNANDES DOS RAMOS VARANDA - Diretor de Relações com Investidores

REBRATES - REDE BRASILEIRA DO TERCEIRO SETOR CNPJ 03.858.380/0001-98 CONVOCAÇÃO – REUNIÃO CONSELHO GESTOR De acordo com o art. 27, seus parágrafos e demais dispositivos do Estatuto Social da Rede Brasileira do Terceiro Setor – REBRATES (Rua Boa Vista, 76 – 5º andar, São Paulo, Capital) ficam os Srs. Conselheiros convocados para a Reunião do Conselho Gestor, que será realizada no dia 25 de novembro de 2011, às 10h00, na Rua Nestor Pestana, 147 – 1º andar, nesta Capital, no Auditório Ítalo Brasil Portieri, da Associação Cristã de Moços de São Paulo – ACM, para tratar da seguinte Ordem do Dia: 1) Eleger e dar posse ao Presidente da Mesa Dirigente, conforme Artigo 26, inciso III; 2) Eleger e dar posse à Diretoria, conforme Artigo 26, inciso XII, para o Triênio 2011/2014. São Paulo, 08 de novembro de 2011. Antonio Carlos Grandi

COMPANHIA METALÚRGICA PRADA

CNPJ nº 56.993.900/0001-31 Convocação Convocamos os Senhores Acionistas da Companhia Metalúrgica Prada (“Companhia”) a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária, que deverá se realizar às 10:00 horas do dia 18 de novembro de 2011, na sede social, à Rua Engenheiro Francisco Pita Brito, 138, a fim de deliberar sobre a seguinte ordem do dia: (i) aprovar a homologação do aumento do capital social da Companhia e (ii) aprovar a alteração do Artigo 5º do Estatuto Social da Companhia, de forma a refletir o aumento do capital social. São Paulo, 09 de novembro de 2011 A Diretoria

PREFEITURA MUNICIPAL DE ARARAQUARA SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE ARARAQUARA AVISO DE LICITAÇÃO EDITAL DE CREDENCIAMENTO POR INEXIGIBILIDADE N°008/2011 - Processo 008/2011 A Prefeitura do Município de Araraquara, por solicitação da Secretaria Municipal de Saúde e através da Coordenadoria Executiva de Assuntos Administrativos – Compras e Licitações, FAZ SABER que se acha aberto o processo público de credenciamento de interessados a fornecer aparelhos de ampliação sonora (AAS) para o Centro Integrado de Saúde Auditiva (CISA), nos termos da Portaria 589 de 08/10/2004 e 308 de 10/05/2007 do Ministério da Saúde. CREDENCIAMENTO - PERÍODO DE 10/11/2011 A 09/12/2011 - HORÁRIO: DAS 08 às 12 h e 14 h às 17 h. LOCAL: Av. Espanha, nº 188 - 6º andar - Centro - Araraquara - CEP: 14.801.130 - Fone - Fax nº 3301-1704, Gerência de Compras e Licitações. O CREDENCIAMENTO POR INEXIGIBILIDADE N°008/2011 e seus anexos estão à disposição dos interessados no mesmo endereço acima ou e-mail licitacaosaude@araraquara.sp.gov.br sítio: www.araraquara.sp.gov.br. Araraquara, 08 de Novembro de 2011. Wagner dos Santos Tedesco - Comissão Julgadora de Licitações - Presidente

REBRATES - REDE BRASILEIRA DO TERCEIRO SETOR CNPJ 03.858.380/0001-98 CONVOCAÇÃO – ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA De acordo com o art. 20, inciso I e demais dispositivos do Estatuto Social da Rede Brasileira do Terceiro Setor – REBRATES (Rua Boa Vista, 76 – 5º andar, São Paulo, Capital) ficam os Srs. representantes das entidades associadas à REBRATES convocados a participar da Assembleia Geral Ordinária que será realizada no dia 25 de novembro de 2011, às 09h00, na Rua Nestor Pestana, 147 – 1º andar, nesta Capital, no Auditório Ítalo Brasil Portieri, da Associação Cristã de Moços de São Paulo – ACM, que será instalada com a presença mínima de um terço dos associados, ou, com qualquer número, em segunda convocação, trinta minutos após o horário previsto, de acordo com o Art. 22, Parágrafo 3º do Estatuto, para tratar da seguinte Ordem do Dia: 1) Eleger e empossar os membros do Conselho Gestor e do Conselho Fiscal para o Triênio 2011/2014. São Paulo, 08 de novembro de 2011. Antonio Carlos Grandi

Cia. Lilla de Máquinas Indústria e Comércio Edital de Convocação para Assembleia Geral Extraordinária - CNPJ/MF nº 61.139.622/0001-90 - NIRE 35.300.058.984 Convocamos os acionistas da Cia. p/a AGE a ser realizada em 16/11/2011, 14 hs, em 1ª convocação, na sede, Guarulhos/SP, R. Constâncio Colalilo,382, p/discutir e deliberar acerca da seguinte ordem do dia: (i) aumento do capital social da Companhia, no valor de R$ 4.290.000,00, mediante a emissão de 214.500 novas ações nominativas e sem valor nominal, em tudo iguais às anteriores, pelo preço de emissão de R$ 20,00 por ação, sendo permitida a integralização, pelos acionistas, dos respectivos créditos detidos contra a Cia.; (ii) reavaliação do imóvel de propriedade da Cia. situado à r. Piratininga,1.033, 1.037 e 1.041, SP; (iii) autorização para a venda do imóvel mencionado no item (ii) acima; e (iv) eleição de um novo membro pelo acionista controlador da Cia. p/integrar o Cons. Fiscal. Guarulhos, 03/11/11. Ciro de Campos Lilla - Dir. Presidente. (05,08 e 09/11/11)

COOPERATIVA HABITACIONAL POLLI-COOP Convocação - Assembleia Geral Convoco os Srs. Cooperados da COOPERATIVA HABITACIONAL POLLI-COOP a reunirem-se em ASSEMBLEIA GERAL, a ser realizada no próximo dia 27 de novembro, às 9:00h em primeira chamada com no mínimo 2/3 (dois terços) dos cooperados presentes, às 10:00h em segunda chamada com no mínimo 1/3 (um terço) dos cooperados presentes e às 11:00h em terceira e última chamada com o número de cooperados presentes, no Salão de Eventos, situado na Av. Presidente Vargas nº 757Centro- Itanhaém – SP, a fim de deliberarem a seguinte ORDEM DO DIA; 1º - Pauta referente à aprovação de devolução; 2º - Entregas de unidades e sorteio. Gledson Bulzico – Presidente.

CNPJ nº 12.816.824/0001-13 - NIRE 35.300.384.636 Edital de Convocação - Assembleia Geral Extraordinária Ficam convocados os senhores acionistas a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária, que se realizará no dia 16 de novembro de 2011, às 14:00 hs., na sede social da Companhia, localizada no Município de Cotia, Estado de São Paulo, na Rua Santa Mônica, nº 870, Parque Industrial San José, CEP 06715-865, para deliberar sobre a seguinte ordem do dia: (i) alterar a estrutura da Diretoria da Companhia, de forma que esta passe a ser integrada por 2 (dois) Diretores, sendo um Diretor Presidente e um Diretor Comercial; (ii) alterar a composição da Diretoria da Companhia; (iii) modificar as regras sobre representação da Companhia e competência dos Diretores, em virtude da alteração mencionada em “i”, acima; e (iv) reformular e consolidar o estatuto social da Companhia para, entre outras matérias: (a) estabelecer os critérios para a determinação do valor de reembolso das ações, para os fins do art. 45, § 1º, da Lei nº 6.404/76; (b) incluir a previsão, no estatuto social, de direito de preferência e de obrigação de venda conjunta no caso de alienação de ações ou direitos de subscrição de ações de emissão da Companhia; (c) criar, para os fins do art. 194 da Lei nº 6.404/76, uma reserva estatutária denominada Reserva para Investimentos e Pesquisas; (d) incluir autorização para que a Assembleia Geral atribua aos Diretores a participação nos lucros da Companhia, nos termos do art. 152, §§ 1º e 2º, da Lei nº 6.404/76; e (e) estabelecer que as divergências entre os acionistas e a Companhia, ou entre os acionistas da Companhia, deverão ser solucionadas mediante arbitragem. Cotia, 03 de novembro de 2011. Marcelo Rodolfo Hahn - Diretor.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: COMUNICADO A pedido da área técnica, comunicamos que a sessão do Pregão Eletrônico nº 36/00326/11/05 - Aquisição de mobiliário administrativo, cadeiras, poltronas e sofás foi suspensa.

Blausiegel Indústria e Comércio Ltda. CNPJ nº 58.430.828/0001-60 - NIRE 35.207.813.611 Edital de Convocação Ficam convocados os senhores quotistas, nos termos do art. 1.152, §3º, do Código Civil, a se reunirem em assembleia geral, que se realizará no dia 16 de novembro de 2011, às 14:00 hs., na sede social da Sociedade, localizada no Município de Cotia, Estado de São Paulo, na Rodovia Raposo Tavares, Km 30,5, nº 2.833, unidade I, prédio 100, para deliberar sobre a seguinte ordem do dia: (i) transformação da Blausiegel Indústria e Comércio Ltda. em sociedade por ações, disciplinada pela Lei nº 6.404/76; (ii) redação do projeto de Estatuto Social; (iii) eleição dos membros do Conselho de Administração; e (iv) fixação da remuneração global anual dos administradores. Cotia, 03 de novembro de 2011 Marcelo Rodolfo Hahn Diretor Presidente

SINDICATO DOS PERMISSIONÁRIOS EM CENTRAIS DE ABASTECIMENTO DE ALIMENTOS DO ESTADO DE SP EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA Convocamos, nos termos do estatuto vigente, os associados do Sindicato dos Permissionários em Centrais de Abastecimento de Alimentos do Estado de SP, CNPJ – 62.707.278/0001-50, para deliberação sobre: REAJUSTE DA TABELA DE CARGA E DESCARGA DE CARREGADORES AUTÔNOMOS, em caráter excepcional e urgente, a se realizar em sua sede, à Av. Dr. Gastão Vidigal, 1.946, EDSED II - salas 17 a 22– CEAGESP, V. Leopoldina – São Paulo-SP, no próximo dia 14/11/2011, em primeira instalação às 9:00 horas, com maioria absoluta dos associados e, segunda, às 9:30 horas para associados presentes. São Paulo, 09 de outubro de 2011. José Robson Coringa Bezerra - Diretor-Presidente.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Estudo aponta que volume de vendas de propriedades cresceu 34% em todo o mundo no terceiro trimestre deste ano, em comparação com igual período de 2010.

conomia Andrea Felizolla/LUZ

Região mais valorizada da Capital paulista: a pesquisa da RCA analisa vendas de propriedades em 37 países com valores acima de US$ 10 milhões, como terrenos, prédios comerciais, industriais, residenciais e hotéis.

Brasil vive explosão imobiliária U

Estudo norte-americano afirma que o volume de vendas de propriedades com valores acima de US$ 10 milhões atingiu US$ 3,5 bilhões no País, no terceiro trimestre.

m estudo elaborado por uma empresa especializada no mercado imobiliário mundial afirma que o setor brasileiro seguiu "pegando fogo" no terceiro trimestre deste ano, apesar de alguns movimentos de retração no continente americano. Um relatório divulgado na segunda-feira pela consultoria Real Capital Analytics (RCA), baseada em Nova York, afirma que o volume de vendas de propriedades no Brasil atingiu o recorde de US$ 3,5 bilhões no terceiro trimestre deste ano. A pesquisa da RCA analisa vendas de propriedades em 37 países com valores acima de US$ 10 milhões – na maioria, grandes propriedades como terrenos, prédios comerciais, industriais, residenciais e hotéis. Na região das Américas, o estudo afirma que o volume de vendas de propriedades cresceu

35% no terceiro trimestre deste ano na comparação com igual período em 2010. No entanto, o desempenho nos países americanos no terceiro trimestre foi mais fraco do que durante o resto de 2011 e o crescimento nas vendas de propriedades caiu pela metade. A desaceleração na região foi provocada por um movimento de baixa no mercado de hipotecas nos Estados Unidos. Já a América Latina e o Brasil permanecem com o mercado em alta, segundo a RCA. "A América Latina é o único local [da região] com momento positivo. O Brasil continuou pegando fogo, com o volume no terceiro trimestre atingindo o recorde de US$ 3,5 bilhões, logo atrás do Canadá, que está em desaquecimento", afirma o relatório da empresa, que também destaca movimentos positivos no Chile e no México. De acordo com o levantamento, o volume de

vendas de propriedades cresceu 34% em todo o mundo no terceiro trimestre deste ano, em comparação com igual período de 2010. Sem bolha – A RCA diz que o volume total de vendas de propriedades neste ano – US$ 568 bilhões – já é superior a todo o ano de 2008, quando estourou a bolha imobiliária nos Estados Unidos. O relatório também afirma que o Brasil e a China continuam sendo destinos preferidos de investidores que buscam aplicações em propriedades no exterior. "Nos ricos dias de 2007, mercados emergentes – especialmente os países do Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) – eram um alvo preferencial de investidores estrangeiros em busca de rentabilidade", afirma o relatório da RCA. "Mas riscos no exterior, que antes pareciam mínimos, aumentaram com a instabilidade financeira e turbu-

lências políticas." "Para os investidores de hoje que investem em propriedades comerciais no exterior, a antiga solidez dos Brics parece estar se desmanchando. China e Brasil continuam sendo grandes alvos de investimentos, mas investimentos na Índia retraíram, e a Polônia ultrapassou a Rússia como mercado mais atraente na Europa, Oriente Médio e África." Segundo a RCA, a predominância do Brasil na América Latina ocorre não só pelo tamanho do seu mercado, mas porque houve "avanços claros nas condições de mercado para os investidores". No entanto, a consultoria destaca que a China ainda é o destino favorito de investidores que procuram rentabilidade em propriedades no exterior. Nos últimos 12 meses, o mercado de propriedades do país atraiu US$ 30 bilhões em investimentos externos. (BBC Brasil)

BNDES quer juros baixos para investimentos Antonio Cruz/ABr

O

presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, disse ontem na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado, que reduzir a taxa básica de juros, a Selic, é uma "necessidade". Ele defendeu, como sendo um "grande desafio da economia brasileira" a convergência da taxa definida pelo Banco Central (BC) para os mesmos níveis da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), usada como referência nos financiamentos do BNDES. "Existe a necessidade de

reduzir os juros para fazer a Selic convergir com a TJLP", disse Coutinho. "É um grande desafio que precisamos vencer, depende de manter a inflação sob controle, manter a confiança, um superávit primário." A Selic foi fixada em 11,5% pelo BC no mês passado, enquanto a TJLP permanece em 6% desde o início da crise. Segundo Coutinho, o País também precisa estimular o financiamento de obras de infraestrutura em reais e incentivar instrumentos para permitir que bancos privados ofereçam linhas de longo prazo. "Hoje, estamos

chegando a 19% do PIB em investimentos, mas precisamos chegar a 23%, 24%", afirmou. "Quem financiará? Se for o BNDES, precisaria dobrar de tamanho de novo ." Uma pesquisa divulgada pelo presidente do BNDES indica perspectivas de R$ 1 trilhão em investimentos nos próximos quatro anos no País. A pesquisa, feita há três meses, prevê expansão anual de 7,6% nos investimentos, ante uma estimativa anterior de 9%. "Estamos tendo uma ligeira moderação no ritmo dos investimentos", disse Coutinho. (AE)

A

Coutinho em audiência no Senado: reduzir Selic é uma necessidade.

Energia: reajuste menor para menos eficientes.

A

s distribuidoras de energia que tiverem custos operacionais menos eficientes terão reajustes de energia menores, decidiu ontem a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). A mudança é um dos itens do terceiro ciclo de revisão tarifária, que foi votado ontem. A média de ganhos de produtividade das distribuidoras calculada pela agência foi de 0,782%. Esse valor será usado como referência para a definição dos custos operacionais de cada distribuidora. Funcionará da seguinte maneira: os custos operacionais, como o dinheiro gasto com manutenção, das empresas que tiverem eficiência abaixo da média serão considerados menores. Esse rebaixamento acaba-

Pacientes com tratamento domiciliar não pagarão conta

rá sendo refletido no reajuste das tarifas. O objetivo da Aneel é incentivar as empresas a adotar práticas de gestão mais eficientes e assim reduzir as contas de energia. A revisão tarifária é um dos mecanismos de definição do valor da tarifa, assim como os reajustes anuais. A revisão é feita aproximadamente a cada quatro anos, quando são redefinidos custos operacionais e a remuneração dos investimentos das distribuidoras. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) aprovou ontem a redução da taxa de remuneração líquida do capital investido pelas distribuidoras – conhecida como WACC – de 9,95% para 7,5% no terceiro ciclo de revisão tarifária, que balizará os rea-

justes das tarifas de energia nos próximos cinco anos. A decisão foi tomada pelo órgão regulador considerando a queda do custo de capital para as empresas em função de condições mais favoráveis no Brasil, como queda do risco País e da taxa de juros para empréstimos e financiamentos. Para calcular a taxa de remuneração bruta, a Aneel considerou benefícios vigentes para as distribuidoras que atuam nos Estados das regiões Norte e Nordeste, que têm benefícios fiscais de redução de 75% de Imposto de Renda e Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL), mas segundo a agência nacional a taxa de remuneração líquida também será de 7,5%. (Folhapress)

s pessoas em tratamento médico que mantêm em casa equipamentos de saúde e que estão inscritas no cadastro único do governo federal não vão pagar mais pela luz que consomem. A portaria que determina a isenção do pagamento de tar ifa de energia elétrica foi assinada ontem pelos ministros da Saúde, Alexandre Padilha, e de Minas e Energia, Edison Lobão. Um dos grandes problemas enfrentados por quem precisa manter em casa equipamentos médicos, como apoio à respiração, é a dificuldade de pagar a conta de energia, relatou o ministro da Saúde. "Esse é um dos grandes problemas da atenção domiciliar, um dos grandes gastos feitos pelas famílias." Para ter direito à isenção, é necessário comprovar, por meio de laudo da secretaria de saúde estadual ou municipal, a necessidade de uso dos equipamentos e atualizar regularmente as informações cadastrais na concessionária de distribuição de energia e na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). (ABr)

DC 09/11/2011  

Diário do Comércio

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you