Issuu on Google+

Espião extrai poço de segredos da Petrobras N° 1 em exploração de petróleo no mar, a Petrobras foi alvo da espionagem americana. Com informações, porém, os EUA extraíram mais problemas com o Brasil. Afinal, qual o perigo que a Petrobras representa para a segurança americana? Pág. 5

Se Assad sair, EUA não atacam Síria. A Rússia e o Irã tentam convencer Assad a convocar eleições para as quais não será candidato. A diplomacia tem tempo só até o discurso de Obama ao povo americano, amanhã. A saída negociada foi a manchete do Haaretz, jornal de Israel. Pág. 8 Ano 90 - Nº 23.953

Conclusão: 23h50

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

São Paulo, sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

7 de Setembro

Hoje, Olavo não escreve. É nosso entrevistado. O best-seller, pág. 7

8 de Setembro

Ueslei Marcelino/Reuters

Ivan Alvarado/Reuters

Desfile militar que dá medo

Fogos nos 40 anos do golpe no Chile

Casal vê a tropa sair para caçar quem quebrou vidros de nove bancos. Pág. 6

A multidão marchava em paz. Aí surgiram mascarados. E confrontos. Pág. 8

Zé Carlos Barretta/Hype

Heuler Andrey/Estadão Conteúdo

Sampa em dois tempos, dissonante e afinada. Em passeio pela "São Paulo no tempo dos Barões do Café", turistas visitaram o bairro Campos Elíseos, onde viveu a elite cafeeira. O que viram foi o cenário triste de uma cidade degradada. O oposto da Capital poética celebrada pela música. Págs. 10 e 13

Tricolor na gangorra, à beira da queda. ISSN 1679-2688

23953

Página 4

9 771679 268008

Rogério Ceni (foto), mestre nos tiros de bola parada, não consegue defender falta cobrada por Alex, autor de um gol dos 2 a 0 do Coritiba. Mais uma vez o São Paulo perde (cai, não cai?). Está entre os quatro rabeiras do Brasileirão. Esporte, págs. 15 e 16


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

Premido pelas dificuldades, governo foi mudando de posição e fazendo concessões para tornar os leilões mais atraentes. José Márcio Mendonça

pinião Marcos Peron/Virtual Photo

NOTAS DISSONANTES

E

xatamente um ano, um mês e três dias depois de ter lançado, com a pompa de circunstância de sempre, o PIL (Plano de Investimentos em Logística), o governo Dilma Rousseff se prepara para, na quarta-feira, 18 de setembro, realizar a primeira concessão de fato do programa na área de rodovias. O PIL contempla, além de diversas rodovias, ferrovias, portos e aeroportos. Paralelo a ele começou a correr também da concessão da exploração de petróleo e gás, na área do pré-sal. A previsão, na época de lançamento do PIL, era que a maior parte das licitações estivesse encerrada até início de 2014, velocidade que se justificava – e se justifica – dadas as enormes carências de infraestrutura no Brasil, com reflexos diretos no crescimento da nossa economia. Apesar disso, as licitações não andaram; nenhuma saiu do papel.

T

risteza para alguns analistas e espanto para a maioria foram as reações mais notadas no mercado após a divulgação da notícia do "surpreendente" aumento de 1,5% do PIB no segundo trimestre sobre o primeiro trimestre de 2013, consideravelmente maior que o crescimento do "pibinho" (0,1%), no mesmo período de 2012 . Triste reação à boa notícia e não apenas porque foi superior a todas as previsões do mercado. O efeito que produziu sugere uma dissonância entre o enorme pessimismo que a maioria dos "analistas do mercado" tem manifestado e a realidade que estamos vivendo.

F

oi feita uma tentativa, ainda no ano passado, na área de rodovias. Mas o leilão, embora num negócio em tese considerado promissor para investimentos de capitais privados, fracassou por falta de interessados. E a razão é muito simples: como sempre foi avesso às privatizações, consideradas como coisa de "neoliberais", o governo armou o que se poderia chamar de "concessão envergonhada" – tanto que até hoje não usa a expressão "privatizar", preferindo usar apenas a expressão "concessão da exploração de serviços públicos". Perdeu-se na semântica, mas perdeu-se também no mundo real. Como não queria abrir de fato as concessões, em todos os campos anunciados colocou obstáculos e "pegadinhas" com o intuito de manter, ao máximo possível os negócios sob o tacão estatal. Basta lembrar que, para os aeroportos, exigiu inicialmente que os concorrentes aceitassem a Infraero, uma estatal no mínimo complicada, como sócia majoritária no Galeão e Cofins. Também decidiu tabelar, no limite mínimo, a lucratividade dos negócios.

O

resultado é que, apesar do canto de sereia oficial, e das conversas de que a "bola da vez Brasil" estava deixando o mundo inteiro louco para aportar seu rico dinheirinho no que por aqui se oferecesse, a sedução não funcionou como a burocracia brasiliense acreditava. Os possíveis investidores criticavam as propostas e não se dispunham a por a mão no bolso apenas pelos belos olhos do Palácio do Planalto. Premido pelas dificuldades, o governo foi mudando de posição e fazendo concessões para tornar os leilões mais atraentes. Mudou regras, mudou na maioria dos casos a TIR (Taxa de Interna de Retorno) para tornar o negócio mais rentável, enfiou fundos de pensão, BNDES e bancos oficiais na disputa, reduziu cus-

DELFIM NETTO

No curto prazo a situação é mais difícil. Tendo crescido 2,6% no 1º semestre de 2013 sobre 2012, as condições para um crescimento robusto no ano, é claro, não estão asseguradas.

H

ouve, sem dúvida, uma deterioração da taxa anual de crescimento da economia, quando medida no exercício que se encerra no primeiro semestre: 3,8% em 2011; 0,6% em 2012 e 2,6% em 2013. É visível, por outro lado, que a taxa de crescimento entre cada trimestre sobre seu homólogo do ano anterior vem se acelerando, como se vê no quadro abaixo:

Crescimento sobre o mesmo trimestre do ano anterior

EM BUSCA DO

2º/2013

3,3%

3

"ESPÍRITO ANIMAL"

2 1

4º/2012 1º/2012 1,4%

0,8%

1º/2013

3º/2012

0

0,5% tos de financiamentos.

P

arece ter finalmente despertado o "espírito animal" dos investidores nacionais e estrangeiros. O primeiro teste desta nova postura será então no dia 18. Em seguido vem uma outra enxurrada de concessões, a principal a do campo de Libra do pré-sal, um mês depois das rodovias, em 18 de outubro. Há sinais de que desta vez não haverá fracassos. Contudo, a competição, agora, vai se dar em condições muito menos favoráveis para o Brasil do que teria se dado anos atrás, quando a economia brasileira estava com uma imagem muito melhor

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA que a de hoje no Exterior (os tempos da "bola da vez") e a disponibilidade de recursos no Exterior era extraordinária. O excesso de ideologia fez o país perder esta oportunidade. E também perder tempo, atrasando a melhoria das condições de competição da economia nacional.

O governo parece ter finalmente despertado o "espírito animal" dos investidores nacionais e estrangeiros. O teste será dia 18, quando pode sair a primeira concessão na área de rodovias.

Hoje, o governo precisa desesperadamente que tudo dê certo, por pelo menos quatro razões: 1- A economia não sai da armadilha de baixo crescimento sem melhorar sua infraestrutura e aumentar substancialmente seu nível de investimentos. 2- Uma demonstração de confiança de investidores nacionais e estrangeiros ajudaria a melhorar o nível de confiança dos agentes econômicos, empresas e consumidores, no Brasil, que neste momento é bem deprimido. 3- Os bônus de assinatura – só do pré-sal são previstos R$ 15 bilhões – são essenciais para fechar as contas do Tesouro Nacional. 4- Os primeiros investimentos nas áreas concedidas podem começar a animar a economia no auge da campanha eleitoral de 2014. É um pena o tempo perdido: muito do que vai ser licitado agora já poderia até estar em atividade, não fossem os tais preconceitos ideológicos. JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

Fonte: IBGE Elaboração: Ideias.Consultoria

U

m fato importante é que quando analisamos o aumento da taxa entre o 2º trimestre de 2012 e o 2º trimestre de 2013, pelo lado da oferta, a recuperação da indústria, de menos 2,4% para mais 2,8%, explica quase metade do diferencial, parecido com o efeito do crescimento da agropecuária. E quando olhamos pelo lado da demanda, vemos uma acomodação do consumo privado e público. O fundamental foi o aumento de formação bruta de capital fixo, de menos 2,7% para mais 9,0%, e do comércio exterior.

continuidade da aceleração do crescimento desde que: 1- prossiga o esforço para melhorar a relação de confiança entre os setores público e privado; 2- as políticas fiscal e monetária atendam aos objetivos anunciados; 3- a política cambial, combinada com mais ajustadas tarifas efetivas, estimule as exportações no médio prazo e reduza as importações no curto; 4- a economia mundial acelere o seu crescimento, estímulo coadjuvante importante para nossas exportações.

N

o curto prazo a situação é mais complicada. Tendo crescido 2,6% no primeiro semestre de 2013 sobre o de 2012, as condições para um crescimento robusto no ano, obviamente, não estão asseguradas. O que pode mudar essa perspectiva é um enorme sucesso nos leilões de infraestrutura e energia e um comportamento amigável do governo, que coopte o "espírito animal" dos empresários com uma política pró-mercado – e não com subsídios.

C

om um crescimento de 2% no segundo semestre (a repetição do 1,0% no 3º e 4º trimestres) o que hoje ainda parece difícil, o crescimento do PIB em 2013 será parecido com 3%.

H

ouve aumento da componente exportação e uma diminuição da importação. Estes fatores poderão continuar a jogar um papel importante na

ANTÔNIO DELFIM NETTO É PROFESSOR EMÉRITO DA FEA-

USP, EX-MINISTRO DA FAZENDA, DA AGRICULTURA E DO PLANEJAMENTO contatodelfimnetto@terra.com.br

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Car valho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves e Sílvia Pimentel. Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Arte e Diagramação: José dos Santos Coelho (Editor), André Max, Evana Clicia Lisbôa Sutilo, Gerônimo Luna Junior, Hedilberto Monserrat Junior, Lino Fernandes, Paulo Zilberman e Sidnei Dourado. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

o

pinião

3

KOSOVO VEM SENDO REFERÊNCIA PARA OS ESTADOS UNIDOS ATACAREM A SÍRIA. AFP Photo

E

nquanto o Congresso dos Estados Unidos debate a intervenção na Síria, o precedente da campanha de bombardeio da Otan, em 1999, no Kosovo está sendo citado para justificar o uso de força militar contra o governo do presidente Bashar al-Assad. Os EUA deveriam reagir militarmente ao uso de armas químicas por Assad para matar seus cidadãos. Mas em termos de lei e política, a guerra do Kosovo não é um precedente para os bombardeios na Síria. É fato que Rússia e China se opuseram à resolução do Conselho de Segurança da ONU, autorizando o uso da força em Kosovo, em 1999, e também se opõem a igual resolução contra a Síria hoje. Aí acaba a semelhança.

das. Uma organização regional como a Otan não conduzirá os ataques aéreos. Dois membros permanentes do Conselho de Segurança têm posição firme contra a intervenção. E o Parlamento britânico votou pela não participação. O voto de apoio do Congresso colocaria Obama em posição mais firme em termos da lei americana e lhe daria o suporte político interno que Clinton nunca teve durante a guerra do Kosovo.

N

A

ntes do começo da guerra do Kosovo, a exsecretária de Estado Madeleine Albright teve longas conversas com o então ministro do exterior russo, Igor Ivanov, em que ele reconheceu a necessidade de usar força militar para convencer o homem forte sérvio Slobodan Milosevic a parar com a matança de albaneses kosovares e a aceitar uma resolução diplomática para o conflito. (Ivanov esperava que a ameaça fosse suficiente para Milosevic recuar. Quando o líder sérvio não recuou e a guerra aérea começou, a Rússia se opôs publicamente à Otan, mas depois cooperou estreitamente com os EUA para convencer Milosevic a capitular.) Hoje, em contrapartida, Moscou se opõe veementemente à proposta americana de ataques aéreos contra a Síria, sequer admitindo que Damasco tenha usado armas químicas – e estaria fornecendo informações cruciais aos sírios sobre os preparativos militares dos EUA.

A

abordagem política americana tem sido bem diferente desta vez. Nos últimos dois anos, o presidente Obama defendeu que os interesses vitais dos EUA não são ameaçados pela guerra civil na Síria. Embora Obama tenha começado pedindo para Assad deixar o poder, seu governo pouco ou na-

Matança no Kosovo levou ao bombardeio daquela região, pelas forças da Otan, em 1999. Agora, a Síria pode ser o alvo.

A Síria não é o Kosovo JAMES P. RUBIN da fez para que isso acontecesse. Só há pouco tempo Washington deu início a um programa de treinamento modesto para a oposição síria, que teria gerado benefícios limitados às forças opositoras. No caso do Kosovo, o presidente Bill Clinton disse desde o começo que os EUA tinham interesses em jogo ao garantir a estabilidade na Europa e impedir os ataques genocidas contra centenas de milhares de albaneses kosovares inocentes. Então, os EUA apresentaram uma estratégia de diplomacia suportada pela força para garantir o apoio de praticamente todos os países europeus e a maioria do mundo para estabelecer a paz justa, protegendo os direitos de sérvios e albaneses kosovares. Trabalhando em conjunto com representantes da Europa e da Rússia, os EUA forjaram um acordo que os albaneses kosovares assinaram e Milosevic rejeitou. Só então, co-

mo último recurso, foi lançada uma campanha aérea contra a Sérvia. E 78 dias mais tarde, Milosevic deu o braço a torcer. A seguir, a Otan empregou as forças de paz e os EUA convenceram o Exército de Libertação do Kosovo a se desarmar.

A

estratégia funcionou porque se baseou na legitimidade das Nações Unidas e da Otan para garantir um futuro democrático e pacífico para uma região em guerra. Hoje , após mais de uma década, sérvios e kosovares estão começan-

do a se reconciliar. Um resultado do gênero na Síria é duvidoso. Os EUA e a Europa estão em desacordo com Moscou, o Conselho de Segurança está paralisado, a Otan observa de lado e a Liga Árabe tem se mostrado ineficaz. Não há estratégia para atingir um fim de jogo estável, no qual as tropas de paz seriam empregadas e os rebeldes, desarmados. Além disso, a prometida conferência de paz de Genebra vem sendo postergada . Em termos de lei internacional, o Kosovo também não é precedente. Como porta-voz

Para ganhar a votação no Congresso seria sensato que o governo Obama não enfatizasse a analogia com o Kosovo, mas se ativesse à questão das armas de destruição em massa.

do Departamento de Estado em 1999, fui questionado sobre uma justificativa legal para o uso da força. Frustrado pelos apelos vagos aos "princípios da lei internacional", preparamos uma declaração citando as violações sérvias às resoluções das Nações Unidas, o extremo perigo aos civis, os riscos aos países da Otan a uma guerra mais ampla e à unidade da Europa; e, declaramos crer que havia "base substancial e legítima para a ação internacional".

E

m um tribunal de direito internacional, o caso a favor do Kosovo era fraco. Mas no tribunal da opinião internacional, era forte. O veredito da História sobre o Kosovo é o de legitimidade, embora não estritamente legal. Se e quando os Estados Unidos atacarem a Síria, a posição de Washington sob a lei internacional será muito mais frágil do que há 14 anos. Não há resolução das Nações Uni-

a quarta-feira, o Comitê de Relações Externas do Senado aprovou, por dez votos a sete, resolução autorizando o uso da força contra o governo Assad. Mas para ganhar a votação no Congresso seria sensato se o governo Obama não enfatizasse a analogia com o Kosovo. Pelo contrário, deveria admitir que sua definição de interesses americanos na Síria não se baseia no dever moral de impedir a matança de civis nem que seu objetivo é prejudicar o governo Assad pelas alianças militares estratégicas como o Irã e o Hezbollah. Obama deveria se ater à questão das armas de destruição em massa, apesar do eco inevitável do Iraque. Ao usar armas químicas contra homens, mulheres e crianças inocentes, Assad abriu caminho a uma das mais antigas leis internacionais – o protocolo de 1925 proibindo o uso de gás venenoso –, da qual a Síria é signatária. Embora não existam mecanismos de aplicação autorizando a força nesse tratado, boa parte do mundo provavelmente aceitaria que o uso limitado da força militar contra a capacidade das armas químicas da Síria é uma resposta legítima e proporcional a uma violação tão fragrante. E embora não se tenha certeza disso, ataques aéreos devem bastar para impedir o governo Assad de voltar a utilizar armas químicas. JAMES P. RUBIN, SUBSECRETÁRIO DE ESTADO DE RELAÇÕES PÚBLICAS DURANTE O GOVERNO CLINTON, É ACADÊMICO DO INSTITUTO AMERICANO ROTHERMERE, DA UNIVERSIDADE DE OXFORD. THE NEW YORK TIMES NEWS SERVICE/SYNDICATE

MALTRATOS À COISA PÚBLICA S

egundo se pode ler na Wikipédia, "res publica" é uma expressão latina que significa literalmente "coisa do povo", "coisa pública". Ela é a origem da palavra "república" e, conceitualmente, da palavra inglesa "commonwealth". O termo, normalment, se refere a algo não considerado propriedade privada, mas mantido em conjunto por muitas pessoas. E a palavra "pública" é o feminino singular do adjetivo de 1ª e 2ª declinação "publicus, publica publicum", derivado por sua vez de uma forma mais antiga, "poplicus" – relacionada a "populus" (povo).

E

ssas reminiscências são pertinentes quando se fala de coisa pública no Brasil. Aí está a origem da palavra "república". É igual a "rés publica" que é igual à coisa pública – menos em nosso país. Este é um problema cultural, histórico, que ganhou, na era de Lula e Dilma, um exagero sem limites. Toda a coisa pública brasileira se tornou coisa deles, dos petistas e de seus aliado$ de oca$ião.

N

ão custa – uma vez que a realidade do uso da coisa pública em favor do grupo que se alojou no poder central é um tapa na cara diário de cada brasileiro – relembrar o que dizia o Frei Vicente de Salvador, em 20 de dezembro de 1627, portanto, há 386 anos: "Uns e outros usam da terra só para desfrutarem e a deixarem destruída(...). Nesta terra nenhum homem é republico, nem zela ou trata do bem comum, senão cada um do bem particular (...) o que é fontes, pontes, caminhos e outras coisas públicas, é uma piedade". Essas considerações iniciais não são, para efeito de justiça histórica, uma desculpa para justificar os meios e métodos de arrasa-patrimônio público, que se pratica no País há séculos; apenas visa a deixar claro que o partido que chegou ao poder em nome da moralidade pública se tornou o mais extremado na apropriação e uso da coisa pública em favor pessoal ou de grupos. Está aí o Mensalão para comprovar. Pondo o Mensalão em campo cabe notar, na mesma linha de

raciocínio, três desdobramentos interessantes.

O

primeiro é a tentativa desesperada do governo Lulilma e do petismo de reverter no STF algo que ficou consagrado como crime. Dois dos principais condenados, José Dirceu e José Genoíno, ambos antes influentes donos do País na primeira

gestão de Lula, ainda pensam que a coisa pública é deles. Não há limites para a desfaçatez. O segundo é o que fez Genoíno: sob o olhar pasmo do País, sabendo que vai para a prisão e que perderá seu mandato de deputado federal (suplente em exercício), requereu aposentadoria por invalidez – o que significa que mesmo depois de preso e destituído

do mandato, vai seguir pelo resto da vida recebendo pensão de aposentado acima de 30 mil reais. Dos cofres públicos, claro. O Brasil merece ser tratado como coisa particular de alguns? Merece receber tapas na cara, na decência, na dignidade, a cada atitude desses réus, desses criminosos condenados? Deve merecer...

O

terceiro desdobramento é o verdadeiro escárnio como José Dirceu e seus companheiros agridem a sociedade brasileira, mesmo depois de julgado e condenado da forma mais aberta e justa possível. Eles se reúnem, em clima de festa de família, como se fosse uma comemoração, para assistir pela televisão o julgamento pelo STF dos recursos dos réus condenados. E rejeitados, nos casos de nomes mais expressivos. Além da torcida e das declarações impróprias, descabidas, dos bajuladores presentes, ainda convocam a imprensa para dar cobertura à festinha, com direito à primeira página e manchete nos jornais. O

PAULO SAAB

Brasil está, definitivamente, fora de rumo.

D

e resto, nossa presidente, Dona Dilma, dentro de suas limitadas ações – que a propaganda massacrante martela na mídia como grandiosas –, tenta mostrar um cacife que não tem, no caso da denunciada espionagem norte-americana. As ameaças sobre os yankees soam ridículas, tacanhas. A quem entende o jogo político internacional, provocam até constrangimento pela sua visão pequena. A regra do bom jornalismo manda evitar adjetivos. É impossível, hoje em dia. Não há nada de substantivo no poder público. PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

Depois de estimular Dilma MAIS: "É como Davi contra Rousseff a tomar medidas mais duras contra os EUA, Lula acabou se inspirando no Velho Testamento.

gibaum@gibaum.com.br

2 “Os Estados Unidos não foram nomeados para serem xerifes do mundo, ninguém pediu.”

Fotos: Paula Lima

A conversa de meia hora apenas que Dilma Rousseff teve com Barack Obama em São Petersbugo, na Rússia, na semana passada, quando o presidente americano só apresentou suas explicações sobre “a natureza dos esforços da inteligência”, poderá ter desdobramentos do lado brasileiro. Contra recomendações especificas do novo chanceler, Luiz Alberto Figueiredo, Dilma já comentou, entre seus ministros mais chegados, a possibilidade de cancelar sua viagem aos Estados Unidos, em outubro. Só que tem consciência de que as conseqüências seriam imprevisíveis.

RESPOSTA

José Serra mandou, há poucas semanas, um emissário sondar a senadora Kátia Abreu (PSD-TO) para saber se, caso ele saísse candidato ao Planalto, ela aceitaria ser sua vice. Kátia agradeceu a lembrança, mas recusou dizendo que estava focada em suas reeleições na Confederação Nacional da Agricultura e Senado. Detalhe: em 2010, seu nome foi cogitado para a vice e Serra não topou. Mais: ela e Gilberto Kassab, presidente do PSD, estão mais do que fechados com Dilma Rousseff.

Guerra é guerra

A italiana Missoni, que tinha uma única loja no Brasil, no shopping Iguatemi, em São Paulo está dando adeus ao país: sua investida por aqui foi um naufrágio total. Em seu lugar, surgirá uma loja Prada, que tem outra no JK Iguatemi. No mesmo andar, será inaugurada outra Dolce&Gabbana que, igualmente, já está no JK Iguatemi. Corre no mercado a informação de que essas grandes marcas internacionais não pagam, nos shoppings dos Jereissatti, mínimo de aluguel, apenas percentual sobre faturamento. Esse tipo de estratégia visa prejudicar o shopping Cidade Jardim, o único que tem Hermés porque Zeca Auriemo é sócio.

FORTE RIVAL

A candidatura de Joseph Blatter, 77 anos, à reeleição para a presidência da Fifa, está mais do que ameaçada. Michel Platini, 58 anos, de grande prestigio no mundo do futebol, lançará sua candidatura ainda este mês. Blatter está no comando da Fifa desde 1998 e será a primeira vez que terá de encarar um adversário de fôlego. Ricardo Teixeira, quando na CBF, era considerado um candidato com grandes chances à sucessão de Blatter, só que foi engolido por escândalos.

Gisele cantora Na semana passada, como vêm fazendo outras modelos famosas, Gisele Bündchen postou no Instagram foto antiga onde aparece de topless, cobrindo os seios e com cabelão. Na semana passada, ela já havia postado em foto e vídeo seu lado cantora, que faz parte de novo projeto da H&M, da qual é contratada. A música escolhida para Gisele soltar a voz foi All Day and All of the Night, da banda The Kinks. Toda a renda do trabalho vai para a Unicef.

EGÍPCIA Na festa dos 90 anos do Copacabana Palace, no Rio, uma repórter de revista de celebridades tratou de avisar demais jornalistas da área que trabalhavam lá: “Olha, gente, a Luana está fazendo a egípcia”. Referia-se a Luana Piovani e recorria a uma gíria do bloco gay: significava que ela estava esnobando os repórteres que cobriam a festa.

Celebridade do showbiz que se preza não perde chance de se exibir com decotes e transparências: grande parte do elenco feminino da próxima novela das 6 na Globo, Jóia Rara, de Thelma Guedes e Duda Rachid, caprichou nesse tipo de look na festa de lançamento da futura atração, no Museu Histórico Nacional, no Rio. A noite tinha inspiração no budismo (a novela abordará esse tema), com decoração e cenários orientais. Entre tantas, da esquerda para a direita, estavam Letícia Spiller, Giovanna Ewbank, Mariana Ximenez, Fabiula Nascimento e Carolina Dieckmann, com modelito dos mais discutidos.

Noite de decotes

No começo da batalha pela venda de jatos para a Aeronáutica brasileira, todos os caminhos – e os lobbies, até mesmo junto a ministros – levavam aos Rafales franceses, produzidos pela Dassault. Até que Lula se desentendeu com Nicolas Sarkozy. Aí, os Estados Unidos viram as chances dos seus F18 Super Hornet, da Boeing, aumentarem muito. Agora, o episódio da espionagem da NSA até nos telefonemas, emails e mensagens por celular de Dilma Rousseff, acaba de sepultar qualquer possibilidade de venda dos caças americanos. E sobra a Suécia, com seus Gripen NG, fabricados pela Saab, que sempre foram os favoritos dos militares e cuja proposta é a de menor preço. O valor da licitação é de R$ 15 bilhões por 36 aeronaves.

Chance sueca

MISTURA FINA A MINISTRA Marta Suplicy, da Cultura, acaba de se submeter, em São Paulo, a nova sessão de botox, especialmente na área das maçãs do rosto, que ficaram mais reluzentes devido ao esticamento da pele. Esses procedimentos sempre deixam as mulheres mais coradinhas.

DE VEZ em quando, a oposição coloca a cabeça de fora: agora, foi a vez do líder do DEM, Ronaldo Caiado, metralhar o programa Mais Médicos. Garante que o é eleitoreiro e “não passa de uma jogada de marketing para atrair votos para Dilma”, no ano que vem. “Cada médico é capaz de garantir mil votos” – é o calculo de Caiado que, a propósito, também é médico.

Amigo pessoal de José Dirceu, o escritor Paulo Coelho está mais do que desgostoso com uma série de tropeções dados pelo governo petista, mais companheiros envolvidos em irregularidades. Na semana passada, confessou no Twitter: “Nunca pensei que fosse tuitar isso, mas minha decepção com o PT, que apoiei, não para de crescer. #fail” (fracasso).

Cada vez mais modelos famosas aparecem tanto em capas e ensaios de revistas quanto estrelas do showbiz. Agora, é a vez de Alessandra Ambrósio, 32 anos, mãe de dois filhos, ganhar as páginas de Glamour, falando de sua vida pessoal e mesmo de seu futuro casamento (“quero véu e grinalda, tudo que tenho direito”). O clima das fotos carrega uma certa dose de ufanismo e Alessandra aparece no estilo de Carmen Miranda, com cachos de bananas e até Zé Carioca como guest star.

Banana power

Outra guerra fria Entre muitos ministros, a avaliação predominante é que as relações entre Dilma Rousseff e Barack Obama deverão ser – e isso numa visão otimista – meramente protocolares, com grandes chances de se deteriorarem ainda mais afetando, para valer, as relações internacionais. Muitos chegam a apostar que o ambiente ficará ainda mais carregado à medida que mais fatos ligados à bisbilhotice americana vierem a público. Circulam informações de que Edward Snowden, exanalista de inteligência da NSA e asilado na Rússia, possa vazar novos rounds de espionagem no Brasil.

/ IN

Sorvete de paçoca.

/

Viagem ameaçada

LULA // sobre espionagem da NSA americana em cima de Dilma Rousseff.

Golias, mas o nosso estilingue é bom". Referia-se a funda usada pela figura bíblica contra o gigante.

OUT

Sorvete de açaí.

Estilo Barça O jogador Neymar já assumiu o que se poderia chamar de estilo Barça. Desde que começou a jogar no Barcelona, há pouco mais de um mês, aposentou o corte moicano e as cores exóticas nos cabelos, brinca menos com os companheiros nos treinos e parece estar mais concentrado. Quando tem chance, elogia Messi: sabe que o jogador tem poder de influencia suficiente, inclusive com os demais integrantes do time, para acabar com qualquer estrelismo do brasileiro. Só que confessa sentir saudades do Santos, não diretamente de seu antigo clube, mas da cidade onde sempre viveu.

O MAIS Médicos já apresenta vários problemas, começando pela falta de equipamentos e mínimo de infraestrutura disponível para o exercício da profissão em várias regiões do país. E até agora, o Ministério da Saúde investiu apenas 26,5% do total de R$ 10 bilhões disponíveis para a compra de equipamentos e realização de obras. O percentual equivale a R$ 2,6 bilhões, só que inclui R$ 1,9 bilhão desembolsado em restos a pagar.

O CANTOR Naldo Benny quer ser ator: está disposto a fazer um curso de arte dramática porque acha que, no futuro, poderá estrear no cinema ou na televisão. Por enquanto, contudo, está voltado para seu casamento, no próximo dia 23, com Ellen Cardoso, a MulherMoranguinho.

NESSE episódio da espionagem americana sobre telefonemas, e-mails e mensagens da presidente Dilma Rousseff, quem está recolhido, sem dar palpites, é o assessor internacional Marco Aurélio Garcia, muito mais preocupado em encontrar um jeito de mandar o senador boliviano Roger Pinto Molina de volta para seu país.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

5 EVERYTHING "Se tem ou não tem, eu quero saber. Além do que foi publicado pela imprensa, eu quero saber tudo que há em relação ao Brasil. Tudo: everything". Presidente Dilma Rousseff, sobre a espionagem, na última 6ª-feira.

olítica

ESPIONAGEM

Documentos ultrassecretos vazados por Edward Snowden aos quais o Fantástico teve acesso comprovam a espionagem J.F.Diorio/EC - 28.08.13

A resposta americana não pode ser via diplomacia, porque a espionagem não foi via diplomacia. Cabe ao Obama, humildemente, pedir desculpas à presidenta Dilma e ao Brasil. Ex-presidente Lula sobre a espionagem americana.

Segredos da Petrobras vertem nos EUA

Espionagem eletrônica e de intervenção nos assuntos internos foram comparáveis a exibições de terrorismo. Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin, durante o G20.

Todos nós estamos preocupados com a brecha aberta pela redução da pena por formação de quadrilha. Vamos encontrar uma boa solução porque esse julgamento do Mensalão é histórico. Helenita Acioli, procuradora-geral interina.

Carlos Humberto/SCO/STF

O fato de o regimento interno do Supremo, que prevê os tais embargos infringentes, ter sido aceito pela Constituição de 1988 não significa que esse documento tenha adquirido características de eternidade. Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal.

Alan Marques/ Folhapress

Eu mandava as informações para o gabinete do ministro Patriota. Cerca de dois dias antes, fiz novo comunicado. Eduardo Saboia, diplomata que trouxe o senador boliviano Roger Pinto Molina de La Paz.

Se um médico cubano, ou argentino, se qualquer um desses profissionais vier a pedir asilo político, vamos analisar quando houver o motivo. Alexandre Padilha, ministro da Saúde.

Greenwald: "Tem informações contra inocentes ou contra pessoas que não têm nada a ver com terrorismo". plorar petróleo no mar. E o pré-sal existe em qualquer lugar do mundo, existe présal na África, existe pré-sal no golfo americano, existe pré-sal no Mar do Norte. Então se eu detenho essa tecnologia, eu posso tirar pré-sal de onde eu quiser."

Não se sabe a extensão da espionagem ou se ela conseguiu acessar, por exemplo, os detalhes de cada lote de um grande leilão marcado para o mês que vem (para a exploração do Campo de Libra, na Bacia de Santos, parte do pré-sal).

NOTA DA NSA – Ao Fantástico, a NSA enviou nota dizendo: "Nós não usamos nossa capacidade de espionagem internacional para roubar segredos comerciais de companhias estrangeiras para dar vantagens competitivas a empresas americanas".

Sergei Karpukhin/EFE - 05/09/2013

A

Ao expor à execração pública o diplomata Eduardo Saboia, o governo brasileiro se curva, mais uma vez, a conveniências ideológicas. Mais grave, abandona as melhores tradições da diplomacia. Aécio Neves, senador (PSDB-MG).

Olha que enfrentamos ditadura, passamos por momentos difíceis, mas o dano maior que esta Casa sofreu na sua imagem, na sua credibilidade, foi a não cassação de Natan Donadon. Henrique Alves (PMDB-RN), presidente da Câmara.

Ricardo Moraes/Reuters - 19/08/2013

Maior estatal do País não comenta

Antonio Cruz/ ABr

Moreira Maris/ Ag.Senado

Fico alarmado com esse papel que a democracia norte-americana está se atribuindo: de gendarme do mundo. Acontecem coisas lamentáveis num país e as forças armadas dos EUA vão intervir? Quais serão os limites desse poder? José Serra, ex-governador de SP, em solidariedade à presidente Dilma Rousseff.

D

ocumentos obtidos pelo ex-analista da Agência de Segurança Nacional (NSA na sigla em inglês) americana Edward Snowden que estão chegando ao conhecimento público graças ao jornalista britânico Glenn Greenwald, que vive no Rio de Janeiro, complicam cada vez mais a situação dos EUA. Desta vez, em reportagem de Sônia Bridi e Greenwald, o Fantástico obteve documentos comprovando que a Petrobras, a maior estatal do Brasil, com faturamento anual na casa de R$ 281,3 bilhões, foi espionada pela NSA. Na semana passada, soube-se que a presidente Dilma Roussef também foi alvo de espionagem. Os novos documentos contradizem a NSA, que sustenta não fazer espionagem com objetivos econômicos. Além disso, mostram que entre os alvos estão a diplomacia francesa e rede Swift, que reúne mais de dez mil bancos de 212 países e regula as transações financeiras internacionais por telecomunicações. "Ninguém tem dúvida que os Estados Unidos, como todos os outros países, têm direito de fazer espionagem para garantir a segurança nacional, mas tem muito mais informações contra inocentes, ou contra pessoas que não têm nada a ver com terrorismo ou questões industriais", afirmou Greenwald na reportagem. A Petrobras tem dois supercomputadores, usados principalmente para as chamadas pesquisas sísmicas, que avaliam reservas de petróleo a partir de testes feitos em alto mar. Assim, a empresa mapeou o pré-sal, a maior descoberta recente de novas reservas de petróleo no mundo. O conhecimento dessa tecnologia permitiria explorar o pré-sal em outras áreas. Adriano Pires, especialista em infraestrutura, entrevistado pelo Fantástico, afirmou: "Eu buscaria principalmente as informações ligadas à tecnologia de exploração de petróleo no mar. A Petrobras é a número um no mundo em ex-

Petrobras informou ontem à tarde que não comentaria a suposta espionagem da companhia pelos Estados Unidos. A Rede Globo já tinha anunciado, em seu site, reportagem no Fantástico sobre documentos entregues pelo ex-analista da Agência de Segurança Nacional Americana, Edward Snowden, que comprovariam que a maior empresa brasileira também foi espionada pelo governo norte-americano. O novo caso de espionagem surgiu uma semana após o Fantástico ter veicular reportagem mostrando que a presidente Dilma Rousseff e seus principais assessores foram monitorados pela Agência Nacional de Segurança Americana (NSA, na sigla em inglês). Conforme a reportagem, documentos secretos indicam que Dilma teve conversas telefônicas, emails e sua rede de

Muito irritada: Dilma passou toda semana tensa com a espionagem. comunicação interceptados pela NSA. UMA SEMANA TENSA – A revelação provocou uma

crise diplomática entre o Brasil e os Estados Unidos. Durante a última semana, o Brasil pediu explicações a

representantes norteamericanos e a presidente Dilma cancelou o envio de uma equipe aos EUA, que prepararia sua visita de outubro aquele país. Mas o cancelamento da visita da equipe não significa que a presidente tenha desistido, definitivamente, de viajar aquele país. Além disso, durante reunião do G20 em São Petersburgo, na Rússia, Dilma afirmou, na sexta-feira, que o Brasil quer saber "tudo o que há" a respeito do Brasil nos serviços de espionagem dos Estados Unidos. Já o presidente norteamericano, Barack Obama, após ter conversado com Dilma, afirmou que buscaria informações sobre as acusações contra a NSA. Ele disse, ainda, que levava a sério as alegações de espionagem contra o Brasil e contra o México também – outro país envolvido nos monitoramentos americanos. (Estadão Conteúdo)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

Preferia que as manifestações fossem vigorosas e pacíficas. Esvaziadas, não dá para saber suas reivindicações. Gilberto Carvalho, secretária-geral da Presidência da República

olítica

Victor Moriyama/Reuters

São Paulo registra cenas de um feriado pátrio agitado: polícia em confronto com manifestantes que protestam por Saúde, Educação, Servicos Públicos.

7 DE SETEMBRO VIOLENTO A festa cívica não teve nada de pacífica. São Paulo, Rio e Brasília tornaram-se palcos de violência entre policiais e manifestantes.

A

o menos nove pes- das ao todo durante as manisoas continuavam festações, a Secretaria Estap r e s a s o n t e m d e dual da Segurança Pública tarde em São Paulo (SSP) não tinha balanço sobre após as manifestações de sá- o assunto, quase 20 horas bado, que acabaram em con- após as primeiras detenções. fronto com a Polícia Militar. Carte l – Cerca de 1,5 mil Os detidos estavam na car- pessoas, boa parte delas asceragem do 2º Distrito Policial sociada ao movimento dos (Bom Retiro) e seriam leva- Black Blocs, tomaram as ruas dos para um centro de deten- da capital paulista no sábação provisória do. Várias cauhoje, caso a Jussas foram levaNos protestos, da tiça não lhes das ao protesAvenida Paulista concedesse alt o , m a s o g ovará de soltura. v e r n a d o r ao Centro, pelo Os presos, Geraldo Alckmenos nove que chegaram à min (PSDB) foi agências bancárias delegacia na o principal altiveram seus madrugada de vo,devido à vidros quebrados domingo, eram suspeita de h o m e n s e j oc a r t é i s m i l i oou pichados. vens. A maioria nários em foi detida por suobras do Metrô posto "dano ao patrimônio". e da Companhia Paulista de Nos protestos, que começa- Trens Metropolitanos (CPTM) ram na Avenida Paulista e se- ao longo das gestões tucanas guiram para o centro, pelo me- no governo do Estado. Pichanos nove agências bancárias ções contra ele foram feitas tiveram seus vidros quebra- durante a marcha. dos ou pichados. Na frente do prédio da CâNenhum advogado havia mara Municipal, no Viaduto Japrocurado os jovens detidos careí, no centro, policiais milino 2º DP no início da tarde de tares e manifestantes mascaontem. Procurada para saber rados entraram em confronquantas pessoas foram deti- to. Após um grupo arremessar

algumas pedras em sua direção, PMs revidaram com dezenas de bombas de gás lacrimogêneo, apesar de haver crianças e idosos no viaduto. A reportagem flagrou policiais militares jogando pedras nos Black Blocs. Um rapaz de 19 anos teve o olho direito atingido por uma bomba. Atropelamentos – Após dispersão, os mascarados seguiram para a Praça da Sé, onde três pessoas foram atropeladas. Duas delas na rua lateral à Catedral Metropolitana. A primeira, um homem de 30 anos, foi atingida por um Corsa em alta velocidade – o motorista supostamente fugia do protesto. A vítima quebrou o pé direito e ficou com as pernas sangrando. A outra, um homem de 28 anos, caiu de uma viatura da PM, que disparou após ser cercada por um grupo de manifestantes que pediam socorro para o primeiro atropelado. No momento em que a viatura arrancou, o homem continuou sobre o capô do carro da polícia protestando por ajuda. A viatura não parou. Na hora em que o carro dobrou para a Praça João Mendes, o manifestan-

te caiu no asfalto, ferindo-se. agências bancárias. Portas e Essas duas pessoas fica- vidraças também foram desram por mais de meia hora truídas no Largo do Machado, deitadas no asfalto, sem ne- Flamengo e Glória, por onde nhum tipo de auxílio da PM. os manifestantes passaram Manifestantes tentaram pa- em direção à Lapa no início da rar outras viaturas e motos noite de sábado. da PM, mas os pedidos não foAo todo, em decorrência dos ram atendidos. protestos de sábado, 77 pesRio – Os estragos causados soas foram detidas e encamipela onda de protestos do Sete nhadas à delegacia. de Setembro Brasília – A Seainda eram visícretaria de SeOs protestos em veis ontem de Brasília resultaram gurança Públimanhã, no Rio. ca do Distrito em 50 pessoas As manifestaF e d e r a l i n f o rções, que se es- detidas e levadas às mou ontem que delegacias: 35 tenderam até o os protestos em final da noite de Brasília deixaadultos e 15 sábado pela La- adolescentes. Todas r a m u m s a l d o pa, deixaram de 50 pessoas foram liberadas. um rastro de de detidas e condestruição com duzidas para as vidraças e pordelegacias, tas de estabelecimentos que- sendo que 35 são adultos e 15, bradas nas ruas não só do bair- adolescentes. Ontem, todos já ro boêmio como também do haviam sido liberados. Centro, Catete e Laranjeiras – Dos adultos, cinco foram palcos de conflito entre mani- autuados por casos de desafestantes e policiais durante cato, resistência, dano ao patodo o sábado. trimônio e tentativa de lesão Houve ainda depredação corporal contra policiais. Dois em pontos de ônibus, placas dos adolescentes também de sinalização, relógios, estru- devem responder por ato inturas publicitárias, portas de fracional, informou a secretabares, de restaurantes e de ria. (Estadão Conteúdo)

Ministro lamenta

O

ministro Gilberto Carvalho, secretária-geral da Presidência da República, afirmou ontem à noite que foi positiva a realização do desfile de 7 de Setembro da forma prevista, sem incidentes. Mas ele lamentou o fato de as manifestações de rua terem registrado violência e depredações e, por esse motivo, esvaziamento. "Preferia que as manifestações fossem vigorosas e pacíficas. Esvaziadas como foram, não dá nem para saber as band e i r a s d a s r e i v i n d i c ações", afirmou o ministro. Carvalho é o ministro encarregado pela presidente Dilma Rousseff de fazer a interlocução com os movimentos sociais. "É ruim que as pessoas tenham medo das manifestações. A democracia perde com isso", afirmou.

Alex Silva/Estadão Conteúdo-27/08/13

Só até 4ª-feira para emendar a PEC das MPs

T

ermina na quarta-feira o prazo para os deputados apresentarem emendas à proposta de emenda à Constituição (PEC 70/11) do Senado que prevê mudanças no processo de análise das medidas provisórias pelo Congresso Nacional. A PEC determina a análise das MPs pelas comissões de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara e do Senado nos primeiros dez dias de tramitação em cada uma das Casas. De acordo com o texto, se essas comissões não votarem a admissibilidade dentro do prazo, a decisão a respeito do cumprimento dos pressupostos de urgência e relevância, previstos na Constituição, caberá ao Plenário. Uma vez admitida a proposta, a Câmara teria prazo de 80

dias para votá-la; o Senado, 30, e, depois, mais 10 dias seriam dados à Câmara para o caso de o texto ter sido alterado pelos senadores. O presidente da comissão especial da Câmara que analisa a matéria, deputado Leonardo Picciani (PMDB-RJ), disse que o colegiado pretende impor mecanismos para impedir que a medida provisória receba penduricalhos, ou seja, assuntos não relacionados ao objetivo principal do texto. "A medida provisória é um instrumento de exceção, e isso está muito claro na Constituição. Ela é um instrumento para ser usado em casos de relevância e urgência. O Congresso precisa ser rígido na análise desse pressuposto constitucional", defende o parlamentar. (EC)

Campos com a direita? 'É natural.'

O

Eduardo Campos (PSB-PE): virtual candidato à Presidência.

senador Rodrigo Rollemberg (PSB-DF) afirmou que a aproximação com a centro-direita por parte do governador Eduardo Campos, provável candidato do PSB à Presidência, não resultará em concessões. "Essas forças não têm nenhum candidato que as represente. É natural que em função de questões regionais elas se abriguem em uma ou outra candidatura", disse o senador, que é porta-voz de Campos. O comentário de Rollemberg foi feito em resposta ao cientista político Fábio Wanderley Reis. Em declaração publicada no jornal O Estado de S.Paulo, Reis disse que o fato de Campo se aproximar da centro-direita – como a aliança com o grupo do ex-senador e ex-presidente do DEM Jorge Bornhausen, em

Santa Catarina – não garante força suficiente para tornar o governador competitivo. Rollemberg afirmou que se for feita uma análise das forças políticas no Brasil, ficará constatado que a maior aliança com os conservadores é comandada pela presidente Dilma Rousseff. "A presidente está rodeada por forças conservadores comandadas pelos senadores José Sarney (PMDB-AP) e Renan Calheiros (PMDB-AL), e pelos deputados Paulo Maluf (PP-SP) e Eduardo Cunha (PMDB-RJ)." Segundo Rollemberg, o grupo do ex-senador Bornhausen mudou-se para o PSB porque em Santa Catarina o PT fez uma aliança com o PSD de Gilberto Kassab. "Quem conhece a trajetória de Eduardo Campos sabe que seu governo é progressista e democrático." (EC)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

e

7 Idiotice e inteligência não são qualidades estáticas grudadas de uma vez para sempre numa pessoa. Olavo de Carvalho

conomia

Provocações ao nosso colunista Olavo de Carvalho, filósofo brasileiro que cutuca o País, prova de seu veneno em entrevista sobre seu novo livro, O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota. Divulgação

Victoria Brotto

"T

todos os movimentos políticos mais violentos e destrutivos, sejam revolucionários ou reacionários, colheram na juventude o grosso da sua militância. Quanto ao preço das passagens, foi o mero pretexto encontrado pelo governo federal para tentar desestabilizar o governo de São Paulo com uma encenação de protesto popular, usando até mesmo gente treinada em guerrilha urbana para produzir violência e depois jogar a culpa na "direita". Aconteceu que a coisa escapou do controle quando o movimento se espalhou por todo o País e uma vasta massa hostil ao petismo ocupou mais espaço nas ruas do que a militância teleguiada que havia começado as manifestações, e então o PT deu marcha-ré, mandando seus empregadinhos voltarem para casa.

alvez um dia você se arrependa destas perguntas", disse Olavo de Carvalho, filósofo brasileiro e colunista do Diário do Comércio à repórter depois que, segundo ele, ela o teria confundido com Nelson Rodrigues, "que tinha birra da juventude como tal". Olavo acaba de lançar o livro O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota, da editora Record, e, logo nas primeiras páginas das 592, entre diversos artigos publicados em revistas e jornais do País – inclusive no DC – o autor fala sobre "o imbecil juvenil" e a "geração perdida" que, ao seu ver, sempre foram o reduto dos movimentos políticos mais violentos e destrutivos . "Eles DC– O senhor fala em seu colheram na juventude o livro que a revolta do jovem grosso da sua militância". contra os pais é uma revolta Com 25 capítulos, entre fácil, porque o seu grupo social eles Juventude, Revolução, aceita e lhe exige isso. Hoje, Pobreza, Gayzismo e tendo em vista os jovens Conhecimento, o livro, já na protestando contra os segunda folheada, lança políticos, pode-se entender que aquele que não quer ser um eles trocaram a revolta contra idiota um aviso: "Se você não os pais pela revolta política? é capaz de tirar de um livro Olavo de Carvalho – No consequências válidas para exemplo que dei no 1º sua orientação moral no capítulo do meu livro, o jovem mundo, você não está pronto se rebela contra a autoridade para ler este livro". dos pais Hoje, Olavo porque se mora nos curva às Estados imposições Unidos, no Se você não é capaz muito mais estado da de tirar de um livro pesadas do Virgínia. Por seu grupo de seu consequências referência, a "extraordinário válidas para sua massa dos trabalho" orientação moral, seus como não está pronto coetâneos, pensador, para ler este livro. não raro segundo o guiada por The InterOLAVO DE CARVALHO líderes muito American mais tirânicos Institute, o do que qualquer pai ou mãe brasileiro ganhou o Green jamais poderia ser. Eu Card em março de 2010, no mesmo observei isso quando governo Obama. Ao DC, o ele era militante de esquerda. falou não só sobre o porquê Dos dirigentes, os meninos de seu livro estar entre os aceitavam ordens mais vendidos da lista da humilhantes que jamais revista Veja – "mas em aceitariam dos pais ou da primeiro na Amazon e em Igreja. A revolta em estado quarto no Globo" – mas puro, solitária e também sobre tentativas do governo federal, por meio dos independente, que obedece apenas à própria consciência, protestos do movimento Passe Livre, de desestabilizar sem respaldo num poder dirigente, é coisa rara. Em o governo do Estado de São geral os heróis verdadeiros só Paulo com uso de gente treinada em guerrilha urbana se tornam conhecidos na velhice ou depois de mortos. para produzir violência e Os falsos já são badalados culpar o que chamou de desde a juventude e a "direita". E, aliviando o lado badalação é um componente dos idiotas que, segundo ele, deixariam um espaço de duas essencial da sua simulação de heroísmo. dúzias para os não idiotas, Olavo explica que idiotice e DC – É fácil se revoltar contra inteligência não são a política? "qualidades estáticas Olavo de Carvalho – grudadas de uma vez para Facílimo, quando se tem sempre numa pessoa". pelas costas alguma E é aí que entra a organização bilionária e utilidade de seu livro. armada até os dentes, como a KGB, o Foro de São Paulo, a DC – O senhor fala em ONU, as fundações "imbecil jovem", que está globalistas ou o governo sempre um passo à frente do cubano. Dificílimo, quando pior, e que é, dos reacionários, o maior. O que dizer do tudo o que se tem é movimento Passe Livre, a força do coração liderado por jovens, e que humano e a fé em Deus. conseguiu, por protestos, não aumentar o preço da passagem DC – Seu novo livro aparece do transporte em São Paulo? em 4º lugar na lista dos "Mais Olavo de Carvalho – Eu não Vendidos", na categoria "Nãodisse que os jovens são os Ficção", na Veja da semana maiores reacionários, mas que passada. Isso lhe parece que existem mais idiotas ou mais inteligentes do que o senhor imaginava? Olavo de Carvalho – Está em Idiotice e quarto na lista de Veja, mas inteligência chegou ao primeiro lugar na Amazon e ao quarto lugar no não são Globo. Idiotice e inteligência qualidades não são qualidades estáticas estáticas grudadas grudadas de uma vez para de uma vez para sempre numa pessoa. Se não sempre numa houvesse a possibilidade de transitar de um desses pessoa. estados ou outro, nem o meu livro poderia ter sido escrito

4º mais vendid

o na lista de V

Olavo de Carvalho, o filósofo da dualidade: há quem ame e quem odeie. nem haveria utilidade nenhuma em escrevê-lo. DC – Poderia citar cinco coisas que o senhor diria para um filho seu de mais ou menos 18 anos (que por um acidente do destino acabou de conhecer) para ele não se tornar um idiota... Olavo de Carvalho –Se eu acabasse de conhecer o meu filho naquele momento, não creio que teria autoridade alguma para lhe dar conselho nenhum. Provavelmente eu diria apenas "oi". DC – O senhor se arrepende de alguma ideia que já tenha escrito? Ou ideal que tenha praticado ao longo de sua vida? Já se considerou um idiota? Olavo de Carvalho – Com certeza. Minha vida pode ser resumida no título – embora não necessariamente no conteúdo – daquela peça do Plínio Marcos, "A longa jornada de um imbecil até o entendimento". Goethe dizia: "Contra nada somos mais severos do que contra os erros que abandonamos". Se eu não tivesse me contaminado de várias imbecilidades de grande sucesso na nossa cultura, se não as conhecesse por dentro, não teria cacife para falar contra elas. Talvez um dia você se arrependa destas perguntas. DC – Seriam suas ideias, textos ácidos e polêmicos os motivos pelos quais os Estados Unidos deram ao senhor o Green Card muito mais facilmente do que se dá a qualquer outra pessoa? Olavo de Carvalho – Você está insinuando um favorecimento ideológico? Você acha mesmo que o governo americano é favorável às minhas ideias? Nunca ouviu falar em Barack Hussein Obama? DC – O jornalista Reinaldo Azevedo, publicou um post em seu blog comentando que este seu novo livro "O mínimo que você precisa saber para não ser um idiota" provoca o silêncio. A quem, ou a quê , o senhor atribui este silêncio? Olavo de Carvalho – É o silêncio dos cretinos que não têm resposta, que ficam desorientados e intimidados ante uma argumentação que transcende o seu horizonte de consciência, e então preferem fazer de conta que não ouviram nada. Muitos professores e líderes intelectuais da esquerda nacional reagem assim

mesmo: ficam quietinhos no seu canto e mandam seus alunos passarem vergonha em seu lugar escrevendo idiotices contra mim, que se autodesmoralizam no ato mesmo da publicação. Dá-se para contar nos dedos os não idiotas? Quantos dedos precisaríamos? Olavo de Carvalho – Na grande mídia e nas cátedras universitárias, creio que

Se eu não tivesse me contaminado de várias imbecilidades de sucesso na nossa cultura, não teria cacife para falar contra elas.

chegam quase a duas dúzias. Talvez isso seja excesso de otimismo. DC – Felipe Moura Brasil, organizador deste livro, é bem jovem. Por que a escolha dele, tendo em vista o seu posicionamento de "juventude

eja

imbecil"? Por que um rapaz tão jovem para compilar suas colunas e ideias? Olavo de Carvalho – Não escolhi ninguém. A ideia foi dele e ele a realizou como quis, aliás com muito brilho e destreza. Não dei o menor palpite. E é evidente que todo o meu trabalho visa justamente a salvar da imbecilização ao menos uma pequena parcela da juventude brasileira, o que subendente que ninguém é imbecil por ser jovem, mas porque alguém mais velho se aproveitou da sua inexperiência juvenil para imbecilizá-lo. Você está me confundindo com o Nelson Rodrigues, que tinha birra da juventude enquanto tal.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

EGITO Exército egípcio realiza segundo dia de ofensiva área contra militantes no Sinai.

nternacional

AFEGANISTÃO Carro-bomba do Taleban explode deixando 10 mortos e 150 feridos.

EUA não atacam se Assad sair

Ammar Awad/Reuters

Khaled al-Hariri/Reuters

Retrato do presidente Bashar al-Assad pintado em porta, em Damasco. Soldados israelenses posicionam o "Domo de Ferro", bateria de mísseis antiaéreos instalada na periferia de Jesusalém.

Enquanto o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, e seu secretário de Estado, John Kerry, tentam de todas as maneiras convencer os congressistas e os aliados americanos da necessidade de atacar a Síria, Irã e Rússia se unem para traçar um plano que inclui uma saída diplomática para a questão. O plano inclui uma transição democrática, com eleições sem a presença de Bashar al-Assad, o atual presidente sírio acusado de comandar o ataque químico de 21 de agosto, que matou 1400 pessoas. A notícia foi a manchete ontem do site do jornal israelense Haaretz. Os detalhes do plano não são conhecidos, mas o site informa que o representante do parlamento iraniano, Ala Al-Din Boroujerdi, manteve conversas com interlocutores sírios sobre o assunto. E que o ministro das Relações Exteriores sírio, Walid al-Muallem, poderá apresentar a proposta ao presidente da Rússia, Vladimir Putin, em encontro agendado para hoje. A depender de como aconteçam as negociações, a proposta poderá colocar fim aos impasses e definitivamente evitar o ataque à Síria pelos Estados Unidos e seus aliados. Assad, de todo modo, nega estar por trás do ataque com armas químicas contra o povo sírio. Segundo ele, as evidências não foram conclusivas. Assad deu as declarações para a emissora americana CBS News, em entrevista que será veiculada hoje à noite. "Não houve evidências de que usei armas químicas contra meu próprio povo", disse o presidente sírio em entrevista conduzida em Damasco pelo repórter Charlie Rose. Ele sugeriu que o ataque químico pode ter sido execu-

Milhares de pessoas saíram às ruas de Santiago ontem em direção ao Memorial do Prisioneiro Desaparecido para marcar os 40 anos do golpe militar que derrubou o governo do presidente Salvador Allende e deu início a uma ditadura que durou 17 anos e deixou um rastro de milhares de dissidentes mortos. Empunhando milhares de cartazes com fotografias de cada uma das 3.095 pessoas assassinadas pela ditadura, a multidão avançou por mais de 20 quadras nas proximidades do Palácio de La Moneda, onde Allende suicidou-se para não

Ueslei Marcelino/Reuters

Em Brasília, estudante protesta contra possível ação americana na Síria.

tado por aliados da Síria, como o Irã ou o grupo islâmico Hezbollah, cuja base fica no Líbano. Recado aos americanos - O presidente sírio endereçou ainda uma mensagem ao povo norteamericano: que não devem se envolver em outro conflito no Oriente Médio. O repórter da CBS disse que Assad não confirmou ou negou se a Síria possui armas químicas. Kerry desconsiderou qualquer alegação de Assad e disse que "a evidência fala por si." Caso o acordo não aconteça e os EUA permaneçam na sua intenção de atacar a Síria, terão dificuldades, pois ainda buscam o apoio da ONU para a ação. A entidade não autorizou o ataque e é improvável que o faça, já que a Rússia e a China, aliadas da Síria, votarão contra. A França, que a princípio deu sinais de que apoiaria o ataque, agora mudou ligeiramente o discurso. O

presidente francês, François Hollande, declarou que pretende esperar a resolução da ONU. Liga Árabe - Kerry disse ainda que ele e os ministros das Relações Exteriores da Liga Árabe concordam que o uso de armas químicas atribuído ao governo do presidente sírio Bashar Assad cruzou uma "linha vermelha global", reportou neste domingo a BBC. "O deplorável uso de armas químicas por Assad cruzou uma linha vermelha internacional, global", disse o chanceler norte-americano. Os países árabes estão divididos em relação a um ataque contra a Síria. De acordo com a BBC, a Arábia Saudita e o Catar são favoráveis, enquanto a Jordânia e o Líbano se mostram cautelosos, temerosos de que o conflito possa cruzar suas fronteiras. O jornal Los Angeles Times noticiou ontem que o Pentágono estaria planejando um ataque de três dias contra a Síria, mais agressivo do que o originalmente previsto. De acordo com a publicação, a ideia seria realizar um ataque intenso com mísseis seguido por outros menores contra alvos que não foram atingidos na primeira ofensiva. A luta doméstica de Obama, se resolver atacar, não será fácil. Diversos legisladores disseram que não foram convencidos a aprovar ataques contra as forças do presidente sírio. Com uma votação-teste crucial planejada no Senado quarta, o Chefe de Gabinete da Casa Branca, Denis McDonough, percorreu cinco talk shows neste domingo para argumentar que um ataque à Síria envia uma mensagem de dissuasão aos inimigos regionais. Hoje, os congressistas voltam do recesso e

devem discutir oficialmente a crise na Síria. O presidente Barack Obama anunciou que fará um pronunciamento à nação sobre o assunto às 21h desta terça (22h em Brasília). Mike Rogers, presidente republicano do Comitê de Inteligência da Câmara e defensor dos ataques, disse que Obama fez "uma bagunça" em seu argumento para a ação militar para punir Assad. "Está muito claro que ele perdeu apoio na semana passada ... O presidente não se defendeu", disse Rogers ao programa da rede CBS, "Face the Nation". O plano de Obama desperta a preocupação de que os ataques militares na Síria possam levar a um compromisso prolongado dos EUA e provocar conflitos mais amplos na região. Retirada de civis- A Síria, por sua vez, se previne. Ontem, um avião russo aterrissou na cidade portuária síria de Latakia para retirar civis de zonas de conflito. Ainda não se sabe exatamente quantas pessoas serão transportadas. A Rússia já retirou centenas de cidadãos da Síria em dois anos e meio de guerra civil. Em agosto, 116 russos e cidadãos de outras ex-repúblicas soviéticas foram retirados em dois voos. E do outro lado, as precauções também seguem. O exército israelense posicionou ontem uma bateria de mísseis antiaéreos na periferia de Jerusalém. As forças armadas de Israel não se pronunciaram oficialmente sobre a ação, mas uma filmagem feita pela Associated Press na tarde de domingo mostra a bateria "Domo de Ferro" sendo posicionada. Israel teme que a Síria ou algum grupo alinhado com Damasco tente atacar seu território se os Estados Unidos efetivamente atacarem a Síria. (Agências)

Chile: as heranças do golpe de 73. cair nas mãos dos militares golpistas que invadiram a sede do governo em 11 de setembro de 1973. A manifestação transcorreu pacificamente durante a maior parte do tempo, mas houve choques entre um grupo de algumas dezenas de manifestantes mascarados e policiais perto do memorial onde se encerraria a passeata. Os encapuzados atiraram pedras e bombas incendiárias na polícia, que revidou com bombas de gás lacrimogêneo. Um grupo tentou incendiar uma agência bancária e um posto de gasolina, mas foi con-

Mario Ruiz/EFE

Jovem é detido pela polícia em manifestação nos 40 anos do golpe no Chile.

tido pela polícia. Não há informações iniciais sobre detidos ou feridos. Heranças políticas Quarenta anos depois, a disputa presidencial no Chile está polarizada entre duas mulheres: a ex-presidente Michelle Bachelet e a candidata da centro-direita, Evelyn Matthei. Elas se conheceram quando meninas, filhas de oficiais do alto escalão de uma força militar orgulhosa de ter deixado, nos anos de 1930, de se imiscuir na política – ao contrário dos demais colegas de farda do Cone Sul. No entanto, os anos de Sal-

vador Allende e depois o golpe de 1973 colocaram as famílias em lados opostos. O tema é espinhoso para ambas. O brigadeiro Alberto Bachelet foi torturado na Academia da Força Aérea, comandada por Fernando Matthei, pai de Evelyn. Bachelet morreu em 1974 e sua família recolheu-se ao exílio. Matthei tornou-se ministro de Augusto Pinochet e depois integrou a junta militar. Mas apesar de seus caminhos diferentes, heranças e posições políticas opostas, as duas vão se enfrentar nas urnas, em disputa democrática. (Agências)


sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

9


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

c

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

idades

(Más) lembranças do Centro de SP

O

Mariana Missiaggia

s cartões-postais da cidade de São Paulo já não são mais os mesmos. A presença de moradores de rua, do lixo, das pichações e do abandono que a maioria dos prédios históricos sofre alteraram a paisagem, as fotos e a lembrança que os turistas levam para casa quando visitam a região central da cidade. Com a intenção de reocupar os espaços

públicos perdidos pelos paulistanos, o autor do site São Paulo Antiga, Douglas Nascimento, 38 anos, criou dois roteiros turísticos (Sé e Campos Elíseos), na região central de São Paulo, onde há a presença de moradores de rua, usuários de drogas e degradação. Intitulado "São Paulo no tempo dos Barões do Café", o passeio leva 45 turistas para o bairro Campos Elíseos, onde viveu a elite cafeeira. Lá

Paulo Pampolin/Hype

estão o Casarão de Dino Bueno, restaurado pela Porto Seguro, o Palácio dos Campos Elíseos, a Paróquia e o Liceu Sagrado Coração de Jesus, o Museu de Energia, as Estações Luz e Júlio Prestes e outros imóveis históricos. As vagas para a caminhada guiada, que tem o apoio da Porto Seguro, se esgotam em pouco tempo. O outro roteiro é "A antiga São Paulo da Marquesa de Santos", que passa pela Praça da

Sé, rua Roberto Simonsen, o Solar da Marquesa de Santos e outros trajetos que, assim como a região de Campos Elíseos, também estão dominados pela degradação. Na Sé, a situação das famílias de um grande acampamento montado aos pés da Catedral se contrapõem à imponência do endereço, muito frequentado por turistas, mas que, no estágio atual, não se transforma apenas em boas recordações.

Fotos: Zé Carlos Barretta/Hype

Visitar a Praça da Sé é um misto de tristeza e alegria porque se trata de um lugar significativo para os paulistanos e atrativo para os turistas.

Ver lixo e moradores de rua é muito triste. Já o descaso com os casarões depende do bom senso do poder público em reconhecer, valorizar e recuperar essas joias raras.

DOUGLAS NASCIMENTO, DO SITE SÃO PAULO ANTIGA

JÚLIA SALEME, JORNALISTA, E IVAN DIAS, HISTORIADOR

A região de Campos Elíseos tem que ser ocupada e revitalizada. Trazer e criar infraestrutura para o turismo é um passo para essa realização.

O morador de rua é um retrato de uma sociedade que não cuida dos seus e isso merece uma atenção especial. Já o lixo e o mau cheiro, me incomodam bastante.

ALEXANDRA BOBBIO, ARQUITETA

ELISABETH DE ASSIS, BANCÁRIA

Fiquei impressionada com o volume de moradores de rua. A limpeza urbana e o restauro dos prédios históricos são decepcionantes.

A presença dos moradores de rua não me assusta tanto, mas a ausência de policiais, sim. Não faria esse passeio sozinha.

PRISCILA BORGES, ANTROPÓLOGA, E LEANDRO GABRIEL, PUBLICITÁRIO

VANESSA FREDERICO, ADMINISTRADORA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

11

acsp

EM UM ANO O novo parque, que abrirá em um ano, será construído em terreno da Sabesp.

distritais

ÁRVORES Serão plantadas 200 árvores e três mil arbustos e trepadeiras.

Um parque para a Mooca Area verde e de lazer, de 21,2 mil metros quadrados, será implantada no tradicional bairro paulistano. É mais verde para a região menos arborizada da cidade. Divulgação

Projeto do parque: as árvores e a caixa de água serão mantidas. Novas áreas para lazer serão construídas.

André de Almeida

A

os 457 anos, o tradicional e italiano bairro da Mooca, na zona leste – mas bem perto do Centro –, terá a sua primeira grande área verde. O parque será construído em um terreno de 21,2 mil metros quadrados – o equivalente à praça Buenos Aires, em Higienópolis – na esquina da avenida Paes de Barros com a rua Sebastião Preto. Atualmente funciona no local a sede institucional e um reservatório de água da Sabesp, de onde são bombeados 14 mil litros por segundo, atividade que permanecerá após a implantação do parque. A obra, orçada em R$ 10,5 milhões, será custeada pela própria Sabesp e a inauguração está prevista para agosto de 2014. "O Parque Sabesp Mooca tem como objetivo aproximar a população da empresa, ampliando a consciência sobre a importância da preservação dos recursos hídricos e do saneamento ambiental na vida das pessoas", diz a diretora-presidente da Sabesp, Dilma Pena. O parque

terá alguns espaços destinado a informações sobre tratamento e consumo de água e à história da empresa Projeto - Pelo projeto, serão plantadas 200 árvores e três mil arbustos e trepadeiras, e construídos pista para caminhada, academia ao ar livre, bicicletário, ecoposto, sanitários e playground. O campo de futebol receberá um novo gramado e também haverá uma exposição permanente, a céu aberto, voltada à conscientização ambiental, educação, lazer e esporte. As árvores que existem na área serão mantidas e, entre as espécies que serão plantadas, destacam-se quaresmeira, ipê-amarelo, chuva-de-ouro, ipê-roxo e caroba. As rotas e calçadas do parque serão acessíveis e com com pisos drenantes, aumentando a permeabilidade do solo. "O empreendimento será muito bem-vindo e beneficiará os 75 mil habitantes da Mooca, que hoje têm que se deslocar para outros bairros para praticar atividades esportivas e de lazer ao ar livre", afirma o superintendente da Distrital Mooca da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), Fran-

cisco Antonio Parisi. O parque também terá impacto positivo no comércio, segundo ele, principalmente em bares, lanchonetes e lojas do entorno. Aprovação - Moradores e representantes de entidades do bairro aprovam o empreendimento, principalmente porque a região da Subprefeitura Mooca é a quem o menor índice de arborização da cidade – 0,35 metros quadrados de área verde pública por habitante, segundo dados da Rede Nossa São Paulo. "Há muito tempo esperamos e pedimos por uma área verde para o nosso bairro. A população merecia este espa-

ço e espero que o utilize da melhor forma possível", comemora a presidente da Associação dos Moradores e Amigos da Mooca (Amo a Mooca), Crescenza Giannoccaro, moradora do bairro há aproximadamente 50 anos. Na opinião da advogada Adriana Zveibil, fundadora do Movimento Mooca Verde, o empreendimento trará muitos benefícios para a região e seus moradores. No entanto, defende a criação de outras áreas verdes no distrito. "O terreno do parque da Sabesp já existia e estava ocioso. Certamente foi uma grande conquista, mas não podemos pa-

rar por aí. Temos outras áreas, como o terreno em que funcionava o depósito da Esso, que também merecem ser transformadas em parques e espaço de lazer para a população", diz. A área em questão, chamada de "antigo terreno da Esso", tem 97 mil metros quadrados e se localiza entre a rua Barão de Monte Santo e a avenida Dianópolis, na Mooca. Durante seis décadas, aproximadamente, foi utilizado pela empresa como depósito de combustíveis e desde 2002 passa por processo de descontaminação do solo e das águas subterrâneas, supervisionado pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb). No final do ano passado, a área foi vendida para uma construtora, que teria interesse em erguer ali um condomínio residencial. Diante dessa situação, o Movimento Mooca Verde se mobilizou e organizou um abaixo-assinado virtual para que o espaço seja desapropriado e transformado em um grande parque público. Quem tiver interesse, pode acessar www.peticaopublica.com.br/?pi=MoocaPar.

GIr

Agendas da Associação e das distritais

Hoje I Jabaquara – Às 11h, reu-

nião Projeto Empreender – Núcleo de Beleza. Avenida Santa Catarina, 641 I Lapa – Às 19h, palestra em parceria com a 96ª Subseção OAB Lapa sobre Doenças Celíacas, com Péricles Marques e Vera Lúcia Sdepanian. Confirmações: 3641-0550 ou lapa@oabsp.org.br. Rua Pio XI, 418m, Alto da Lapa.

Amanhã I Pinheiros – Às 19h, reunião

Ordinária da Diretoria Executiva e Conselho Diretor, com apresentação pela SP Obras do projeto de reforma do largo da Batata aos comerciantes envolvidos. Rua Simão Álvares, 517. I Centro – Às 18h30, palestra Comportamento do Consumidor em Foco. Informações e Inscrições: 32085753/3207-9366 ou dcentro@acsp.com.br. Auditório da ACM, rua Nestor Pestana, 147.

Quarta I Penha – Às 9h, programa

Homenagem ao bairro Mooca completou, em agosto, 457 anos. Para lembrar a data, Daniel Martin, morador do bairro e integrante dos quadros da ACSP, escreveu o que segue: Ser Mooquense Ser mooquense é amar um bairro que é o portal de entrada da indústria no Brasil. Na Mooca nasceram a primeira indústria de calçados, a primeira tecelagem, os primeiros moinhos de farinha. A Mooca ofereceu ao cenário nacional homens cujos nomes se notabilizaram pelo dinamismo e trabalho. Foi na Mooca que teve início a primeira funerária, muito conhecida como 'Rodovalho", fundada pelo dinâmico empresário Antonio Prost Rodovalho, também fundador da centenária Associação Comercial de São Paulo, Cia Melhoramentos e outras. Na Mooca funcionou o primeiro hipódromo, conhecido como o 'prado'. Pela Mooca desfilaram altas personalidades políticas e intelectuais.

Na Mooca nasceu o movimento em defesa da micro, pequena e média empresa, através de um jovem que foi presidente da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo e da Associação Comercial de São Paulo, Élvio Aliprandi. Há bem pouco um artigo de um certo jornal retratava a vida da família Del Vecchio, que bem descreveu sua trajetória e o amor que dedicam à Mooca. Tantas famílias tradicionais, como os Di Cunto, os Licastro, e outras tantas. Se fosse nomeálas, o jornal não seria suficiente. Mooca de abnegados delegados, suas entidades com diretores excelentes, Parisi superintendente, ACSP, Isidoro Exsam, Consegs, Ana Maria Pantaleão, Pyrro, Dr. Ricardo Salvatori, e outros tantos que amam a querida Mooca. Cada um a seu modo, dá de si o que tem de melhor pela Mooca. Mooca dos apaixonados, com seu hino, autoria do José Eustachio, sua bandeira, um trabalho interessante do

Eugenio. A Mooca, onde há um dos maiores complexos universitários particulares, orgulho para todos, e dignas de todas as homenagens as famílias Mesquita e Altenfelder. Mooca, brava gente brasileira, 'de todos os rincões do universo', a forja que deu a tempera a nossa gente, deixouas com braços de aço e coração de mel. Graças a Deus, a paz e harmonia reinam nas famílias mooquenses. Que possam nossos sucessores brindar com a Mooca outros 457 anos de vida, sempre com o progresso pujante avançando em direção do futuro, alicerçados nos exemplos sólidos das tradicionais famílias mooquenses. Parabéns Mooca Parabéns a todos que aqui aprenderam a te amar. Daniel Martins (diretor do conselho consultivo da ACSP, ex-superintendente da Distrital Mooca).

Quinta I Pinheiros – Às 19h, palestra Arquivo/DC

A

em parceria com o Sebrae, com a palestra Atendimento a Cliente. Av. Gabriela Mistral, 199. I Jabaquara – Às 15h30, reunião Projeto Empreender – Núcleo Gastronomia, com a palestra O que é Empreendedorismo, com Maria José Caixeta, consultora do Sebrae. Avenida Santa Catarina, 641 I Lapa – Às 19h30, palestra O Futuro da Profissão de Corretor de Imóveis, com José Augusto Viana Neto, presidente do Crecisp. Confirmações: 3837-0544/3645-4901 ou dlapa@acsp.com.br. Rua Pio XI 418, Alto da Lapa.

O bairro da Mooca é conhecido também pela sua colônia italiana

Como Lidar com a Inadimplência, em parceria com o Sebrae. Rua Simão Álvares, 517. I Visita – O Conselheiro José Candido Senna, coordenador do Comitê de Usuários de Portos e Aeroportos do Estado de São Paulo (Comus), coordena visita Técnica aos Aeroportos de Guarulhos e Viracopos, com foco na movimentação de cargas. Saída às 8h30 da ACSP, rua Boa Vista, 51.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

facesp

EDITAL A expectativa é de que o edital de licitação fique pronto até a segunda quinzena de outubro.

regionais

Fernando Fernandes/LunaPress/AE

A caminho do mar Estrada Velha de Santos será reaberta para turismo e lazer.

André de Almeida

E

la foi a primeira rodovia a ser pavimentada em concreto na América Latina, no começo da década de 1920. Foi também por um caminho que acompanha o seu traçado sinuoso que, em 7 de setembro de 1822, dom Pedro I voltou de Santos e bradou o famoso grito da Independência do Brasil, às margens do riacho do Ipiranga. É é também da Estrada Velha de Santos que se podem vislumbrar lindas paisagens da mata atlântica e do litoral sul paulista. Também conhecida como Caminho do Mar (SP-148), a Estrada Velha de Santos será reaberta para atividades turísticas, culturais e ambientais, depois de ficar fechada por quase três anos. Para colocar a iniciativa em prática, o Governo de São Paulo concederá à iniciativa privada a manutenção e exploração comercial da rodovia. A intenção é fazer uma concessão de uso remunerada, na qual a empresa vencedora da licitação fica responsável pela operação e por utilizar a estrutura e suas atrações para oferecer serviços. A expectativa é de que o edital fique pronto até a segunda quinzena de outubro. Potencial - De acordo com o secretário estadual de Desenvolvimento Metropolitano, Edmur Mesquita, a estrada deverá ser autossustentável financeiramente, com a exploração de seus potenciais culturais, econômicos e turísticos. "Queremos transformála em um polo de referência turística no Estado, com uma gestão profissional", afirmou.

"Se tudo ocorrer conforme o esperado, até o final do ano a estrada estará reaberta. Tanto o caminho como os monumentos históricos precisam de poucos reparos", disse Mesquita. O secretário também não descartou um modelo de gestão compartilhada, por meio de Parceria PúblicoPrivada (PPP). Atualmente, a gestora da rodovia é a Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae). Comissão – A primeira reunião dos integrantes da comissão designada para a elaboração do edital acontecerá hoje. Nela serão definidas, entre outros pontos, as me-

tas de atuação da concessionária, que poderá ou não cobrar pedágio para o acesso. O grupo de trabalho é formado por representantes da Casa Civil do governo paulista; secretarias estaduais do Meio Ambiente, Energia, Logística e Transportes, Turismo e Cultura; Instituto Florestal; Departamento de Estradas de Rodagem (DER); Desenvolvimento Rodoviário (Dersa); Agência de Desenvolvimento Metropolitano da Baixada Santista (Agem); Emae; Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa); e prefeituras de São Bernardo e Cubatão.

Robson Ferna

ndes/AE

Arquivo/AE

Acima, paisagem vista de janela de monumento e as curvas da Estrada Velha de Santos. À esquerda, foto do Caminho do Mar, de 1920, e construção antiga.

Trajetória - Até a década de 1940, a Estrada Velha de Santos funcionou como a principal via de acesso do planalto ao litoral paulista. Em 1947, com a inauguração da rodovia Anchieta, foi aos poucos perdendo sua importância. Os últimos veículos passaram por ali nos anos 1980, quando foi finalmente foi fechada. Em 2004, o governo paulista reabriu parte da estrada ao ecoturismo, para passeios a pé e de bicicleta. Mas sete anos depois, em março de 2011, foi interditada após quedas de barreiras ocasionadas por fortes chuvas, permanecendo assim até hoje. "Queremos retomar as visitas monitoradas e os passeios a pé e de bicicleta. Mas temos que ir além disso, pois a estra-

Divulgação

Parquímetros para Itatiba

A

Associação Industrial e Comercial de Itatiba (Aicita) informa aos comerciantes da cidade que foi aberta a concorrência pública para a implantação de parquímetros na cidade. As empresas interessadas têm até dia 25 para apresentar propostas. A Aicita tem se mobilizado junto à Prefeitura, desde o final de 2011, quando foi suspenso o estacionamento rotativo no município, para que a implantação dos parquímetros seja feita rápida. A entidade já realizou várias reuniões com secretários e representantes da prefeitura.

No último mês, a Aicita, inclusive, enviou ofício ao prefeito pedindo resposta sobre a implantação do estacionamento. Novamente apontou os problemas enfrentados pelos lojistas por causa da falta de vagas para estacionar. Como resposta, foi publicado o edital no diário oficial. A Aicita informou que, apesar do anúncio, continuará cobrando dos meios competentes para que a implantação aconteça o mais breve possível, já que a Prefeitura tem prazos para seguir para que a licitação seja realizada dentro da legalidade.

da tem grande potencial turístico e histórico, além de estar localizada dentro do Parque Estadual da Serra do Mar", afirmou Mesquita. "Um roteiro que com atividades musicais e cênicas pode ser interessante. Estudaremos todas as possibilidades", completou. Monumentos - Entre os monumentos e obras históricos que poderão ser visitados nos oito quilômetros da Caminho do Mar, está a Calçada de Lorena, cujo traçado, de certa forma, se entrelaça com o da estrada. Inaugurado em 1792, era por este caminho que D. Pedro I fazia suas viagens entre Santos e São Paulo. Na volta de uma dessas viagens proclamou a Independência do Brasil. O trajeto também foi

conhecido como Estrada da Maioridade, numa alusão à emancipação de dom Pedro. Outros pontos turísticos do caminho são o Padrão do Lorena – formado por um paredão de pedras e um painel com azulejos –, o Rancho da Maioridade, o Belvedere Circular, o Monumento do Pico e a Casa de Pedra, onde um painel de azulejos mostra o mapa rodoviário do Estado de São Paulo. Dirigentes das associações comerciais de São Bernardo, Cubatão e Santos foram procurados para comentar sobre a iniciativa. No entanto, preferem se pronunciar somente a apresentação final do edital de licitação, quando estarão definidas todas as regras do modelo de concessão da estrada.

Marília cria o Clube do Associado

O

Clube do Associado, o mais novo serviço oferecido pela Associação Comercial e Industrial de Marília (Acim), começou a funcionar semana passada. Trata-se de um portal de benefícios que disponibilizará, aos associados, a oportunidade de oferecer produtos e serviços. O Clube do Associado da Acim, com poucos dias de funcionamento, já tem mais de dezena de empresas participando. "As empresas acreditaram na ideia antes de sua concretização", disse o presidente da Acim, Libânio Victor Nunes de Oliveira.

"A nova ferramenta passará por evoluções à medida que a procura for mais intensa", afirmou o dirigente. A participação das lojas no programa será gratuita até dezembro. Pelo portal, é possível oferecer produtos e serviços, criando a fidelização do cliente. O portal pode ser acessado no endereço www.clubedoassociado.com.br ou por meio da página da Acim www.acim.org.br. O empresário associado em aderir pode ligar para (14) 3402-3300 ou manter contato com os agentes pelo próprio portal.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

13

Intervalo sonoro

d

cultura

Violinista Dinah Piotrowski toca tangos, boleros, música francesa e americana. Sesc Carmo - Restaurante 1. 12h15. Grátis.

Sampa, em um retrato musical. Sambas, serestas, baladas, rock, pop, punk. Salve São Paulo, em letras e músicas de compositores reverentes e apaixonados. Rita Alves

A

venida São João, Rua Augusta, Ladeira da Memória, Bixiga, garoa, rock. Lugares e temas não faltam para celebrar São Paulo. Caetano Veloso, por exemplo, transformou Sampa em clássico, assim como o grupo Premê eternizou a Cidade com São Paulo, São Paulo. Rita Lee também fez sua homenagem com Lá Vou Eu. Já Os Inocentes a nossa tensão, cantando Pânico em SP. Mais? Itamar Assumpção e sua Sampa M i dn i g h t , Tom Zé com São, São Paulo e o grupo Ira!, Pobre Paulista.

André Domingues, crítico de música, escritor e colaborador do DC inclui Ronda, de Paulo Vanzolini, nessa lista. "Para mim, essas

canções têm em comum a consolidação de uma curiosa vertente de exaltação que, em vez de se ufanar das maravilhas da Cidade, assumem seus defeitos, mas amorosa ou humoristicamente, e elegem uma beleza concreta e plural que paira acima das adversidades." Para André, os dois principais cronistas da Cidade foram os compositores Paulo Vanzolini e Adoniran B a r b o s a . " C u r i o s amente, usaram como veículo o samba forjado no Rio de Janeiro e nacionalizado pelos meios de comunicação, numa clara ini-

ciativa de integrar a vida paulistana no imaginário nacional." No repertório mais antigo entram músicas como Rua Augusta (Ronie Cord), Boa Noite São Paulo (Eliana de Lima), São Paulo Menino Grande (Geraldo Filme), Sonora Garoa (Passoca) e Lampião de Gás (Inezita Barroso). "A música popular é sempre colada no cotidiano e, nesse sentido, a vida agitada de São Paulo, com seus cená-

leira desobrigou os autores de grandes e x a l t ações. Pelo mesmo motivo, os artistas estão transitando cada vez com maior liberdade pela memória da Cidade, o que se reflete nas retomadas recentes de obras diversas como as de Itamar Assumpção e Plínio Marcos."

rios famosos, oferece muito assunto. Eu colocaria Ronda ne s s e meio. A Avenida São João, aliás, foi um ponto muito cantado, como na Iracema, do Adoniran." Mas até hoje São Paulo continua a inspirar. "Hoje ainda tem uma turma no samba que busca afirmar a graça de São Paulo, dado o antigo preconceito. No mais, a dianteira que a Cidade assumiu na cultura brasi-

Paulo Vanzolini, autor de Ronda: clássico para a Cidade boêmia.

SP mais mais. Por André Domingues.

Fotos: Arquivo

DC

B

ichos escrotos - é uma visão punk, apocalíptica, que norteou o contato de uma geração com a Cidade, favorecendo um renascimento mais compreensivo da realidade urbana, típico, inclusive, da obra atual dos autores, Arnaldo Antunes, Nando Reis e Sérgio Britto. Rapaziada do Brás - filha tardia e fantástica da antiga tradição das serenatas. Eh, São Paulo - canto bonito, alegre, de afirmação paulista pelas vozes que pareciam as naturais da Cidade naquele tempo: as sertanejas.

O

pianista Leandro Braga deu-se ao desafio de gravar Fé Cega (MP,B), produzido por Zé Nogueira, um tributo a Milton Nascimento, a quem ele admira como um dos nossos maiores compositores. Como fazer isso sem cair na mesmice de um CD laudatório, no qual, muitas vezes, a ânsia de canonizar pode levar a descuidos musicais que findam tornando mero penduricalho a intenção desse louvor? Bem, em primeiro lugar, convidando Bruno Migliali (contrabaixo) e Marco Lobo (percussão) - formação instrumental adequada para recriar canções que são parte da história musical contemporânea. São músicos capazes de, com seus inequívocos talentos,

Saudosa Maloca - crônica da Cidade em constante processo de reconstrução ante os imperativos do progresso. Conselho de Mulher - fina ironia de Adoniran (foto) com o progresso desembestado. São Matheus, de Rodrigo Campos e Marcos Paiva. Não tão conhecida, é um retrato genial da vida na periferia de há dez anos, simbolicamente dividida entre o samba tradicional e o rap. Sampa - fórmula que se cristalizou de elogiar a Cidade com um toque de crítica, algo que parecia inevitável ao baiano transplantado, depois, à

população em geral, submetida a uma realidade urbana em que os problemas não podem ser escondidos. Paulista - uso inteligente da Cidade como personagem e cenário. Silêncio no Bixiga - retrato magnífico da riqueza e do abandono dos artistas populares da Cidade. Brigando na Lua - uma imaginação fabulosa e um acento decididamente paulistano, inclusive na forma de narrar essa viagem à Lua. Guarde a Sandália Dela - pérola da dicção gaiata, tão paulistana, de Germano Mathias.

Fé cega no piano Aquiles Rique Reis acrescentar mestria à ideia de reacender a música de Milton Nascimento e, ainda por cima, dar a ela uma leitura íntegra. Em segundo lugar, a forma de apresentar o repertório em três suítes (uma com quatro, outra com seis e a terceira com duas músicas) e, depois, apenas mais quatro canções. Abrindo o álbum, a Suíte 1 é integrada por protótipos da fecunda produção de Milton Nascimento: Fé Cega, Faca Amolada ( p a r ce r i a com Ronaldo Bastos), Maria Solidária (com Fernando Brant), Noites

do Sertão"(com Tavinho Moura) e Ponta de Areia (com Fernando Brant). E Leandro, Bruno e Marco demonstram, de cara, que a homenagem acrescenta ainda mais riqueza ao que já é histórico. As músicas veem e vão sem atropelos nem invencionices harmônicas para justificar mudanças de tonalidade. Suingue e precisão rítmica estão presentes. Improvisos reforçam a atmosfera melódica das composi-

ções. Harmonias consagram a inventividade já antevista por Bituca. A estética musical de Milton Nascimento carece, justamente, de quem afira seus detalhes de harmonia e poética, seus devaneios e melindres, mineirices e carioquices, espantos, glórias, fugas e contrafugas, contratempos e contracantos. Ao lançar luz sobre tal obra, o trio ilumina a si próprio, a beleza musi-

cal iluminada faz-se mais rica, e suas performances ficam perto do sublime. Dentre tantas, lá estão também Cais (parceria com Ronaldo Bastos) e Beco do Mota (com Fernando Brant), esta cantada por Milton Nascimento. Mas soa estranha a inclusão de O Que Será, de Chico Buarque, que, apesar de bela, fica perdida em meio a músicas só de Milton Nascimento. Mas, principalmente, o preito tem Leandro, cujo piano ora é ele à sua imagem e semelhança, ora incorpora Keith Jarrett - passando

por Hermeto Paschoal, chegando a Bill Evans, indo a Laércio de Freitas, tangendo André Mehmari e voltando a ser ele mesmo... Todos Leandro Braga! No piano de Leandro cabe toda a música do planeta. Por ele chega-se a sons de outros cantos; com ele caem os muros que tentam separar o clássico do popular; de suas teclas brotam desde a mais intrincada apojatura até o mais lírico ornamento, desde o mais fortíssimo até o mais pianíssimo, desde o ralentando até o afretando. Enfim, do primeiro ao último minuto de música de Fé Cega, o piano de Leandro Braga é muitos num só.

Aquiles Rique Reis, músico e vocalista do MPB4.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

www.dcomercio.com.br

P RÊMIO

Os melhores do design mundial A esfera acima é lançada em campos minados para explodir as bombas e "limpar" a área. A máquina abaixo funciona como o oposto das máquinas de vendas. Ali você deposita seu gadget para ser reciclado e recebe dinheiro em troca. As duas invenções estão na lista de vencedores do Prêmio Mundial de Design de 2012, concedido neste ano.

Paisagens corporais O fotógrafo Carl Warner tirou o nu de seu lugarcomum e transformou imagens de corpos em cenários semelhantes a paisagens. Abusando da islusão de ótica e da sobreposição de fotografias de diferentes ângulos de uma mesma pessoa, ele consegue o efeito visual de dunas em um deserto. As fotos foram feitas com modelos que se contorciam diante da câmera para que ele pudesse registrar ângulos e formas incomuns.

http://bit.ly/vshW11

I MIGRANTES

Mostra na

www.carlwarner.com

Estação Tatuapé

C ULTURA M ANIA

Preservando a história

O Haja pimenta Vic Clinco tem a maior coleção de molho de pimenta do mundo: 6 mil frascos. São molhos intensos, suaves, adocicados e em vidros de todos os tipos, tamanhos e origens que você puder imaginar. Ele está há 17 anos colecionando pimenta.

governo do estado deverá anunciar hoje a liberação de R$ 22 milhões para a restauração de cinco edifícios históricos paulistas. Os imóveis são sedes de oficinas culturais na Capital, Iguape, Sorocaba, Bauru e Santos. "Os projetos executivos para as obras já estão prontos. Vamos abrir a licitação agora em setembro e a previsão é que os trabalhos de recuperação se iniciem em janeiro de

2014", diz o secretário de Estado da Cultura, Marcelo Araújo. "As obras devem demorar cerca de 18 meses para serem concluídas." As oficinas culturais beneficiadas são a Amácio Mazzaropi (no bairro do Brás, em São Paulo), Gerson de Abreu (Iguape), Grande Otelo (Sorocaba), Glauco Pinto de Morais (Bauru) e Pagu (Santos) Durante o restauro, as atividades das oficinas culturais não devem ser prejudicadas. A

programação será transferida para imóveis provisórios em alguns casos, cedidos pelas próprias prefeituras. "Em Santos, por exemplo, já providenciamos a locação de uma casa no centro da cidade para onde foram transferidas as atividades", explica o secretário de Cultura. A expectativa é que outras unidades recebam melhorias nos próximos anos. É o caso da unidade Oswald de Andrade, no Bom Retiro. (A/E)

A partir desta terça (10), mostra Viagem, Sonho e Destino lembra a história da imigração em São Paulo. Montada na estação Tatuapé da CPTM, foi criada pelo Museu da Imigração e exibe depoimentos, vídeos e fotos antigos para narrar a trajetória dos imigrantes, que, depois de uma longa viagem de navio, chegavam no porto de Santos e subiam a serra até a Capital. Ainda na exposição, uma maquete eletrônica apresenta a Hospedaria de Imigrantes do Brás, que funcionou durante 91 anos, abrigou e empregou mais de 70 etnias. De 10/9 a 10/10, das 7h30 às 19h. Grátis

Antonio Lacerda/EFE

http://bit.ly/14VGyrS

B ELEZA

Ruivas na Paulista Um grupo de moças ruivas organizou um encontro ontem na Paulista. A reunião começou ao meio-dia no vão do Masp. Depois, as elas seguiram até o Trianon, onde realizaram

um "luau urbano", animado por música (trilha de violão). Segundo a líder Karol Oliveira, de 25 anos, o objetivo do evento é "discutir como tratar melhor os cabelos ruivos". (Agências)

J.Duran Machfee/FuturaPress

L

DE BRAÇOS ABERTOS... Fenômeno apreciado em poucas cidades brasileiras e em outras partes do mundo (como Amman, jordânia): a Lua crescente em conjunção com Vênus. Aconteceu ontem, tendo como cenário o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro.

M ÚSICA

Um museu só para os violinos A cidade de Cremona, ao norte da Itália, onde Antonio Stradivari (1644-1737) e outros mestres na arte de fazer violinos trabalharam durante os séculos XV e XVI, vai abrir o Museu do Violino no próximo dia 14. Os visitantes poderão ver peças criadas por Stradivari e outros fabricantes – como os Amati e os Guarnieri – e assistir a apresentações. www.museodelviolino.org

Todas as cores do açúcar A artista norteamericana Emily Blincoe adora dividir o mundo em cores. Já destacou a variedade de plantas nas tonalidades do arco-íris. Em sua nova série, mostra a sedução nas prateleiras de supermercados e mostrou como a tentação não passa apenas pelo sabor. As cores de doces e embalagens são tentadoras. www.thesewoods.com

C ROÁCIA

Sorvete sabor Facebook Os proprietários anunciaram a invenção com uma bela jogada de marketing: "sorvete sabor Facebook", mas o produto vendido na ilha de Murter, na Croácia, não tem muita coisa de especial. Trata-se de um sorvete de baunilha comum misturado com um xarope azul. A guloseima de corante é vendida a um euro a colher. Sim, colher.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

SUPLEMENTO EXCLUSIVO PARA

PALMEIRAS

l

SANTOS

Opções para o ataque

Estratégia por Wesley Wesley foi punido pelo STJD na sexta-feira e não poderia enfrentar o AtléticoGO, sábado, mas vários setores do Palmeiras se mobilizaram para que ele jogasse e tivesse nova atuação boa no triunfo por 3 a 1. Prova da moral do volante, que poderia ter deixado o clube. – O esforço para ter o Wesley foi conjunto, com diretoria, departamento jurídico, o próprio atleta e o grupo, que o esperou. A preocupação era o padrão técnico – disse o técnico Gilson Kleina, que escalou o camisa 11 como titular em 16 dos últimos 17 jogos (estava suspenso contra o Boa, em 24 de agosto).

15

l

Mais do que a preocupação pela maratona de jogos que se aproxima no Brasileirão – quatro jogos em nove dias –, o técnico Claudinei Oliveira carrega consigo uma grande dúvida na montagem do time: encontrar um parceiro para o atacante Thiago Ribeiro. Das opções para assumir a camisa 11, quem mais teve oportunidades com o treinador alvinegro foi Neilton, que atuou como titular em 13 oportunidades. Ele, no entanto, perdeu espaço e nem sequer vem sendo relacionado para os jogos. Quem mais teve chances de formar parceria com TR até o mo-

Nesta sequência, Wesley marcou todos os seus três gols com a camisa alviverde e deu três assistências – tem nove na temporada. As boas atuações, contudo, não impediram que a diretoria se animasse com a chance de emprestálo ao Atlético-MG até o fim do ano. Seria uma maneira de aliviar a folha salarial, já que o volante recebe cerca de R$ 350 mil mensais. O clube ainda deve um mês de direitos de imagem a ele e não pagou uma parcela sequer dos 6 milhões de euros (R$ 14,4 milhões à época) por sua contratação, em março de 2012. O valor foi bancado por um investidor e assumido por um banco.

mento foi Everton Costa, três vezes. Mas ele não faz boas partidas. Dentre as opções, quem mais se aproximou de uma boa parceria foi Gabriel, de 17 anos. Juntos, eles só atuaram duas vezes, mas mostraram entrosamento, com direito a dois gols de Gabriel. Nos últimos três jogos, porém, a parceria se desfez, já que Gabriel foi cortado do jogo contra o Flu por problemas cardíacos e, nos dois últimos (Atlético-PR e Goiás), estava com a Seleção sub-17. Para o duelo de amanhã, contra o Internacional, em Novo Hamburgo (RS), Gabriel volta e disputará vaga com Everton Costa, Willian José e Giva. HEULER ANDREY/AGIF

F

Na rede Ceni não alcança a bola na falta perfeita de Alex

CAIU NO COUTO VISÃO DE JOGO

2

THIAGO SALATA

CORITIBA

thiagos@lancenet.com.br

ALEX SOBERANO Camisa 10 do Coritiba derruba Ceni, e o São Paulo, outra vez e

aumenta o drama no Morumbi. Péssimo no Paraná, Tricolor vira o turno ‘rebaixado’

D

ois veteranos. Dois craques. Os dois em fim de carreira, vestindo camisas dos clubes de coração. Alex, usando outro verde, já colocou Rogério Ceni de joelhos, na casa tricolor, no gol histórico dos chapéus em 2002. Ontem, como anfitrião, aumentou o drama do Mito são-paulino coordenando o Coxa e mandando duas bolas na rede. A segunda, à moda Ceni, de falta, acabou com as esperanças do São Paulo ainda no primeiro tempo, período em que a entregue equipe pau-

lista não chutou nenhuma (nenhuma!) bola contra o gol do Coritiba. O Coxa voltou a vencer após seis rodadas, chegou a 28 pontos, e vai para o returno sonhando em reagir para mirar o G4. O Tricolor perdeu a segunda seguida, fechou o turno com ridículos 18 pontos e atolado na zona da degola há 11 rodadas. O primeiro ataque no Couto Pereira foi o aperitivo para o que seria o jogo. Alex, que é o craque que um dia sonhou-se que Ganso poderia ser, tocou, entrou na área e bateu para Ce-

0

ni salvar com o pé. O capitão sãopaulino tem sua devida parcela de culpa na trágica campanha. Ontem, nada poderia fazer diante de um time sem vontade e com erros primários, na marcação e nos passes. Paulo Miranda fez coleção de bolas perdidas na saída de bola pela direita. Saiu no intervalo. Fabrício errou o que foi possível. Saiu no intervalo. Outros candidatos a sair não faltaram: Wellington, Lucas Evangelista, Ganso, Luis Fabiano... Maicon entrou. Deu no travessão,

aos dois minutos da etapa final, o primeiro chute do São Paulo no jogo. Só um suspiro de um time inoperante, que ouviu olé da torcida paranaense e teve o irritado Osvaldo expulso. A distância do Tricolor para a “saída” da zona é de quatro pontos. O returno será dramático. Alguns dos adversários que o time terá, fora: Cruzeiro, Atlético-PR, Inter, Goiás, Santos, Criciúma... No Morumbi, o São Paulo fez só um ponto contra eles. Times grandes caem, sim. Vários deles já ousaram duvidar disso.

Vanderlei 6,5 Vinícius 7,0 Luccas Claro 5,5 Chico 6,0 Escudero 5,5 Willian Farias 6,0 Uelliton 6,0 Robinho 6,0 Alex 8,0 Vitor Júnior 7,0 Keirrison 5,5 Geraldo – 7’/2º T Anderson Aquino – 16’/2º T Lincoln 5,5 28’/2º T T: M. Santos 7,0

SÃO PAULO n n n n

n

Rogério Ceni 6,0 Paulo Miranda 4,0 Maicon 6,0 Intervalo Rodrigo Caio 5,0 Antônio Carlos 5,5 Reinaldo 5,5 Wellington 5,0 Fabrício 4,0 Osvaldo 2,0 nV Intervalo Lucas Evangelista5,0 n Ganso 5,0 Aloísio 6,5 Luis Fabiano 3,5 Negueba 5,5 19’/2º T T: Paulo Autuori4,0

JUIZ: Alício Pena Júnior (MG) 6,0. Comandou bem o jogo. Auxiliares erraram em alguns lances de impedimento. GOLS: 31’ 1ºT Alex (1-0) ; 47’ 1ºT Alex (2-0) RENDA/PÚBLICO: Não disponíveis CARTÕES: nA Rafael Toloi (36’ 1ºT), no banco, por reclamação enV Osvaldo (30’ 2ºT)

LOCAL: Couto Pereira, em Curitiba (PR) GRAMADO: Bom

SÉRIE D

STJD contra defesa de massagista IGOR SIQUEIRA igorsilva@lancenet.com.br

l

A interferência do massagista Romildo Fonseca da Silva, apelidado de Esquerdinha, da Aparecidense (GO), que tirou um gol em cima da linha, eliminando o Tupi (MG) da Série D, não ficará impune. Pelo menos é o desejo da procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva. A anulação do jogo de sábado, pelas oitavas de final, é uma das penas previstas na lei. – Vamos pedir anulação. A denúncia será feita logo no início da semana – informou o procurador-geral Paulo Schmitt ao LANCE!. A ação será embasada no artigo 243 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que prevê punição a quem “atuar de

forma contrária à ética desportiva, com o fim de influenciar o resultado da partida”. O Tupi, paralelamente, também promete entrar com uma representação no Tribunal, com o mesmo intuit o. – Vamos brigar pelo nosso direito, doa a quem doer. A Aparecidense tem de ser eliminada ou a partida, no mínimo, anulada. Já estamos coletando todas provas para o processo – avisou o presidente do Tupi, Áureo Fortuna. O dirigente do clube mineiro ficou revoltado com a atitude do massagista, aos 44 minutos do segundo tempo do jogo de sábado. – Já estava todo mundo comemorando o gol. Foi uma ação premeditada, ele sabia o que estava fazendo.

FOTOS: REPRODUÇÃO TV

Invasão Esquerdinha tirou o gol da classificação do Tupi Massagista é diferente de gandula, ele é funcionário que consta na súmula. Tem de ser punido – completou o presidente. A revolta em Juiz de Fora foi tanta que a delegação da Aparecidense precisou deixar o estádio e a cidade

Sanção? O massagista do Aparecidense pode ser punido

escoltada pela polícia. A tática foi voltar para casa às 6h, enquanto muitos torcedores dormiam.

MAIS CLASSIFICADOS

Outros times se classificaram ontem. O Juventude teve a vitória mais

dramática, vencendo o Londrina por 3 a 1, com gol aos 46 do segundo tempo. Além disso, o Botafogo-PB tirou o Central-PE nos pênaltis, o Metropolitano bateu o Santo André por 2 a 1, e o Salgueiro passou após o 2 a 2 com o Nacional-AM.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

COR

Deu a louca no Corinthians VISÃO DE JOGO

EDUARDO VIANA

MAURO BETING

maurobeting@lancenet.com.br

CADÊ, TIMÃO? Atuação horrorosa do

mistão no Pacaembu contra o lanterna que jogou quatro vezes em oito dias. Empate sem gols e sem futebol

T

Antes tentou mais velocidade com Paulo Victor no lugar de Léo. Mas o futebol seguiu o mesmo. Em algum lugar distante do Pacaembu e do Corinthians campeão mundial. O desespero era tamanho que a escalação final de Tite foi Danilo Fernandes; Edenilson, Ralf, Gil e Igor; Alessandro e Ibson; Danilo, Romarinho e Paulo Victor; Paulo André. A torcida pediu o chinês Zizao – que não era relacionado para uma partida desde janeiro – nos últimos minutos, quando o Náutico superou a maratona e as limitações e quase fez o gol que ninguém merecia marcar em jogo péssimo no Pacaembu.

ite nunca havia armado o Corinthians com tantos desfalques. Também poucas vezes enfrentou um adversário tão frágil em campo e fraco na tabela como o Náutico. O resultado foi o que não se viu no péssimo primeiro tempo no Pacaembu. E na segunda etapa um pouco menos pior. Sem os titulares Cássio, Fábio Santos, Guilherme, Douglas, Pato e Guerrero (além dos reservas Emerson e Renato Augusto), Tite começou com Ibson desambientado pela direita na linha de três armadores, Danilo mais uma vez discreto na armação por dentro, Léo tímido pela esquerda, e Romarinho perdido como pivô do 4-2-3-1 alvinegro. Contra o 4-3-1-2 do Náutico, Tite depois inverteu as posições. Léo foi para a direita, Ibson foi armar por dentro, Romarinho veio para a esquerda, Danilo tentou ser o centroavante. E nada continuou acontecendo. Nada do bom futebol que se viu do Corinthians contra o Flamengo se viu. Muito da nulidade apresentada contra o Internacional se repetiu. O Náutico manteve Rogério (no segundo tempo Hugo) e Jones Carioca abertos pelos cantos para impedir o avanço dos laterais paulistas. Sem a saída pelos lados, o jogo ficou ainda mais travado. Tite mudou até o lado de Gil e Paulo André na defesa. Depois dos 20 minutos, passou Edenilson para a lateral direita e Alessandro como segundo volante.

0

0

CORINTHIANS Danilo Alessandro Gil Paulo André Igor Ralf Edenilson Ibson Danilo Léo Paulo Victor 13’/2º T Romarinho

NÁUTICO

6,0 4,0 n 5,0 6,5 6,0 6,0 n 5,5 4,0 3,0 5,0 5,0 4,5

T: Tite

4,0

Gideão Auremir Jean Rolt Leandro Amaro Dadá Elicarlos Derley Helder Thiago Real Morales 22’/2º T Rogério Hugo Intervalo Jones Carioca William Alves 42’/2º T T: Levi Gomes

7,5 6,0 6,5 5,0 n 6,0 5,5 n 6,0 6,0 5,5 6,5 5,0 5,5 6,0 n –

F

6,5

CAMISA 9? Paulo André encara a marcação de Amaro, como centrovante

JUIZ: Felipe Gomes da Silva (PR) 5,0 Deixou de marcar algumas faltas e marcou outras inexistentes, mas não influenciou no resultado do jogo. RENDA/PÚBLICO: R$ 728.547,00 / 22.712 pagantes LOCAL: Pacaembu, São Paulo (SP) GRAMADO: Bom

OUTROS LANCES INTERNACIONAL

AMISTOSO CONTRA PORTUGAL

TÊNIS – ABERTO DOS EUA

FÓRMULA 1

3 O primeiro turno do Campeonato Brasileiro terminou ontem, mas a briga pela liderança está acirrada, já que apenas quatro pontos separam o líder Cruzeiro do vice Botafogo. Após a vitória por 1 a 0 sobre o Flamengo no Mineirão, o Cruzeiro permaneceu no primeiro lugar da competição com 40 pontos. Quando o Botafogo entrou em campo, a diferença dos times eram de seis pontos. Mas time carioca fez seu papel fora de casa e virou o jogo no último lance contra o Criciúma e venceu a partida por 2 a 1, diminuindo a diferença de pontos para quatro, evitando a disparada do time mineiro na tabela do Campeonato Brasileiro.

3 Após golear a Austrália por 6 a 0, a Seleção Brasileira desembarcou na manhã de ontem em Boston, onde enfrenta Portugal, amanhã, às 22h. A data coincidiu com o aniversário de 21 anos de Bernard. O jogador do Shaktar (UCR) foi saudado pelos colegas de Seleção no twitter. – Parabéns, Bernard, muita paz, saúde e sucesso! – desejou Oscar. O treinador Luiz Felipe Scolari já projeta o duelo para tentar derrotar os lusos - que não terão CR7 em campo - pela primeira vez no comando da Canarinho. Quando treinava o adversário, Felipão venceu o Brasil

3 Bruno Soares bateu na trave. On-

3 Soberano e sem novidades. On-

Briga acirrada pela liderança

Brasil chega aos Bruno Soares é Estados Unidos vice nas duplas

Raposa bate o Flamengo em BH

tem, na final do Aberto dos EUA, o tenista teve a oportunidade de se tornar o primeiro brasileiro campeão em duplas em um Grand Slam. Mas o mineiro de 31 anos, jogando ao lado do austríaco Alexander Peya, não conseguiu superar a parceria formada por Radek Stepanek e Leander Paes, finalistas do torneio no ano passado. O tcheco e o indiano tinham eliminado na semifinal os líderes do ranking, os irmãos americanos Mike e Bob Bryan. No duelo pelo título, Stepanek e Paes venceram por 2 sets a 0, parciais de 6-1 e 6-3.

Vettel vence o GP de Monza tem, Sebastian Vettel venceu de maneira brilhante o GP de Monza da Fórmula 1. O alemão não teve dificuldades para liderar de ponta a ponta a corrida na Itália. Contando com uma bela estratégia da Ferrari, Fernando Alonso conseguiu a segunda colocação. Completando o pódio, Mark Webber, da Red Bull, fechou o bom desempenho da equipe austríaca. Felipe Massa apresentou ótimo desempenho na corrida e conquistou a quarta colocação. Vettel tem agora 222 pontos na classificação, contra 169 de Alonso, o vice-líder.

8 a- RODADA

3/10 - QUINTA-FEIRA

19h30 *Atlético-MG x Ponte Preta

10 a- RODADA 10/9 - AMANHÃ TIME

PG

J

V

E

D

GP

GC

SG

V

1 o-

Cruzeiro

40

19

12

4

3

43

18

25

2 o-

Botafogo

CASA E

D

V

8

2

0

FORA

19h30 **Internacional x Santos

E

D

AP

PM

4

2

3

70.1%

97

36

19

10

6

3

32

21

11

6

3

0

4

3

3

63.1%

93

3 o- Grêmio

34

19

10

4

5

26

19

7

7

2

1

3

2

4 59.6%

91

4 o- Atlético-PR

34

19

9

7

3

34

24

10

5

4

0

4

3

3 59.6%

91

5 o- Corinthians

30

19

7

9

3

19

8

11

5

4

1

3

4

2 52.6%

87

6 o- Internacional

30

18

7

9

2

31

25

4

5

2

1

4

4

2 55.5%

90

7 o- Coritiba

28

19

7

7

5

23

20

3

6

3

1

1

4

4

49.1%

85

8 o- Goiás

26

19

6

8

5

19

22

-3

4

5

0

2

3

5 45.6%

83

9 o-

Santos

10 o- Vasco 11 o-

Criciúma

25

17

6

7

4

20

14

6

3

5

0

2

2

4

49%

89

24

19

6

6

7

29

32

-3

3

4

3

3

2

4

42.1%

81

23

19

7

2

10

25

31

-6

5

1

4

2

1

6 40.3%

80

12 o- Vitória

23

19

6

6

7

23

27

-4

5

4

1

1

1

7 40.3%

80

13 o- Bahia

23

19

6

5

8

18

24

-6

4

2

3

2

3

5 40.3%

80

14 o- Fluminense

22

19

6

4

9

22

26

-4

5

1

4

1

3

5 38.5%

79

15 o- Flamengo

22

19

5

7

7

19

23

-4

2

4

3

3

3

4 38.5%

79

16 o- Atlético-MG

22

18

5

7

6

18

22

-4

4

3

1

1

4

5 40.7%

82

17 o- Portuguesa

19

19

4

7

8

26

32

-6

4

3

2

0

4

6 33.3%

76

18 o- São Paulo

18

19

4

6

9

17

22

-5

2

1

6

2

5

3

31.5%

75

19 o- Ponte Preta

15

18

4

3

11

20

30

-10

2

2

6

2

1

5

27.7%

75

20 o-

9

18

2

3

13

9

32

-23

1

2

6

1

1

7

16.6%

69

Náutico

PG: pontos ganhos, J: jogos, V: vitórias, E: empates, D: derrotas, GP: gols pró, GC: gols contra, SG: saldo de gols, AP: aproveitamento, PM: pontuação máxima. REGULAMENTO: A Série A será disputada no sistema de pontos corridos em dois turnos. Critérios de desempate: 1) vitórias;2) saldo de gols; 3) gols pró; 4) confronto direto (apenas entre dois times, somados os dois jogos); 5) menos cartões vermelhos e amarelos e 6) sorteio. Os quatro últimos serão rebaixados. Os três primeiros (além do campeão da Copa do Brasil) disputarão a Libertadores 2014. Caso o campeão da Libertadores-2013 seja brasileiro, o terceiro se classifica, mas jogará o mata-mata da primeira fase. Para a SulAmericana (caso a CBF confirme que usará o regulamento de 2013) classificam-se os oito mais bem colocados excluindo os que estiverem disputando a quarta fase da Copa do Brasil-2014. CRITÉRIOS DE DESEMPATE: 1) vitórias; 2) saldo de gols; 3) gols pró; 4) confronto direto (apenas entre dois times, somados os dois jogos); 5) menos cartões vermelhos; 6) menos cartões amarelos; 7) sorteio. Os quatro últimos serão rebaixados.

LIBERTADORES SUL-AMERICANA REBAIXAMENTO

E. do Vale

11 a- RODADA

25/9 - QUARTA-FEIRA 21h

**Santos x Náutico

17 a- RODADA 31/8

1/9

Grêmio 1x0 Ponte Preta Goiás 0x0 Atlético-MG Portuguesa4x2 Bahia Náutico 1x4 Atlético-PR Fluminense0x2 Santos Corinthians4x0 Flamengo Botafogo 0x0 São Paulo Coritiba0x0 Internacional Vitória 0x1 Criciúma Cruzeiro 5x3 Vasco

Vila Belmiro

4/9

5/9

Goiás 2x0 Grêmio Flamengo 2x1 Vitória Atlético-PR 2x1 Santos Portuguesa 2x1 Ponte Preta Bahia 1x3 Cruzeiro Internacional 1x0 Corinthians Atlético-MG 2x2 Fluminense

PG

V

E

D GP GC SG

2 o-

Chapecoense

43 20 13

4

3 37 17 20

3 o-

Paraná

39 20 11

6

3 33 13 20

4 o-

Pacaembu Maracanã C. Pereira Barradão Mineirão

S. Dourada

J

Joinville

45 20 14

3

3 39 16 23

34 20 10

4

6 34 21 13

5 o- Sport

31 20 10

1

9 33 33

6 o-

31 20 10

1

9 28 35 -6

31 20

8

7

5 29 25

4

31 20

8

7

5 19 20

-1

Icasa

A. Grêmio 7 o- Avaí S. Dourada Canindé o A. Pernambuco 8 - Boa Maracanã o 9 - América-MG

18 a- RODADA 3/9

TIME

o Independência 1 - Palmeiras

0

30 20

8

6

6 31 28

3

10 o-Figueirense

29 20

9

2

8 37 34

3

11 o-

26 20

6

8

6 28 26

2

12 o- Bragantino

Ceará

26 20

7

5

8 20 21

-1

13 o- Oeste

23 20

6

5

9 20 32 -12

14 o- ASA

23 20

7

2 11 24 33 -9

15 o- Guaratinguetá

21 20

6

3 11 22 32 -10

21 20

5

6

20 20

6

2 12 18 29 -11

20 20

5

5 10 22 29 -7

Maracanã D. Britto 16 o- América-RN Canindé A. Fonte Nova 17 o- Atlético-GO E. Valle Independência 18 o- Paysandu

9 22 32 -10

Botafogo 3x1 Coritiba Náutico 0x3 Vasco São Paulo 1x2 Criciúma

Maracanã 19 o-São Caetano 19 20 5 4 11 23 27 -4 A. Pernambuco o Morumbi 20 -ABC-RN 14 20 3 5 12 15 33 -18 19 a- RODADA P: pontos, J: jogos, V: vitórias, E: empates, D: derrotas, GP: gols pró, GC: gols contra, SG: saldo de gols 7/9 Ponte Preta 1x3 Internacional M.Lucarelli Vitória 1x1 Atlético-MG Barradão REGULAMENTO: A Série B será disputada no sistema de Fluminense 1x0 Bahia Maracanã pontos corridos em dois turnos. Critérios de desempate: 1) Santos 1x0 Goiás Vila Belmiro vitórias; 2) saldo de gols; 3) gols pró; 4) confronto direto Grêmio 3x2 Portuguesa A. do Grêmio (apenas entre dois times, somados os dois jogos); 5) menos

8/9 - ONTEM

Cruzeiro 1x0 Flamengo Corinthians 0x0 Náutico Coritiba 2x0 São Paulo Criciúma 1x2 Botafogo Vasco 0x0 Atlético-PR

Mineirão Pacaembu Couto Pereira H. Hülse São Januário

cartões vermelhos; 6) menos cartões amarelos e 7) sorteio. Se houver empate entre dois clubes na definção de título, acesso ou rebaixamento, não serão aplicados os critérios 5, 6 e 7, realizando-se um jogo extra em campo neutro (em caso de empate, pênaltis). O campeão será o time que conquistar o maior número de pontos. Os quatro últimos colocados serão rebaixados para a Série C do ano seguinte. Os quatro primeiros garantem vaga na Série A de 2014.


e CAIXA 1 conomia

O seu consultor financeiro

17

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013 Paulo Pampolin/Hype

Consultor, planejador, analista. Cada profissional de finanças pessoais pode contribuir de diferentes maneiras para auxiliar a pessoa física a gerir seus recursos, sempre de acordo com os objetivos e prazos.

REJANE TAMOTO

Uma hora vou ter de investir na Bolsa, mas o momento atual assusta. Quero poupar para a aposentadoria. SILVIO MELO, SUPERVISOR

Um consultor

para cada objetivo

S

ilvio Santos Melo, supervisor de marketing, é consumidor voraz de notícias sobre finanças pessoais em jornais e programas de rádio e TV. No entanto, as informações que ele acumulou nos últimos cinco anos ainda não são suficientes para que ele decida diversificar sua carteira de investimentos, hoje totalmente concentrada em aplicações de renda fixa, como previdência, poupança e títulos do Tesouro Nacional. "Uma hora vou ter de investir na Bolsa, mas o momento atual assusta um pouco. O meu interesse é poupar para a aposentadoria. Também tenho uma filha de cinco anos e quero contribuir com a faculdade dela", afirma o supervisor, que tem 36 anos. Com um horizonte de longo prazo, Melo pretende usar os serviços de um consultor financeiro, que serão oferecidos gratuitamente durante a próxima edição da ExpoMoney, evento de educação financeira e de investimentos que começa na quinta-feira. Ele já fez um curso na BM&FBovespa, mas ainda acha que precisa de um empurrão. "Quero conversar com um profissional especializado para saber como devo começar. Não planejo investir muito no mercado de ações, e sei

que o risco é totalmente meu se tomar essa decisão", conta. Hoje, a carteira de Melo está dividida da seguinte forma: 40% no em títulos do Tesouro Nacional, 40% em dois fundos de previdência e 20% na caderneta. De maneira geral, a consultoria de um profissional de finanças é procurada por quem já tem o hábito de poupar, como é o caso de Melo. "É curioso, porque é um público que nem precisa, já que faz a lição de casa. O ideal seria que o serviço fosse procurado por pessoas que gastam por impulso e, depois, acabam tomando crédito a um custo maior. Pessoas com esse perfil, quando buscam a consultoria já estão tão endividadas que nem conseguem pagar pelo serviço", avalia Leandro Martins, analista-chefe da Walpires Corretora e fundador do site s e uc o n su l t or f i na n c ei r o .c o m .b r . Esta será a primeira vez que Martins vai dar consultoria na Expo Money. Ele diz que o serviço custa, em média, de R$ 500 a R$ 1,5 mil e pode ser feito em duas ou três reuniões de três horas. "Muita gente acha caro, mas uma consultoria é capaz de mudar o futuro da família porque ajuda a planejar o futuro, a ter uma reserva financeira e a ficar longe de dívidas que não podem ser pagas."

Entrevista é primeiro passo Martins conta que o trabalho do consultor começa com uma entrevista, na qual ele coleta dados sobre o cliente e faz uma avaliação de receita e gastos. A maioria dos que procuram o serviço, conta, quer saber onde estão as melhores oportunidades para se investir. "Posso fazer recomendações em ações ou títulos mobiliários porque tenho o Certificado Nacional do Profissional de Investimento (CNPI) Pleno (leia mais nesta página)." Martins diz que a preocupação da maioria seus clientes tem sido onde aplicar, já que a renda fixa não tem conseguido dar um retorno acima da inflação. O serviço de consultor financeiro pode ser feito por diversos profissionais, mesmo pelos que não têm nenhum certificado. É o caso de André Massaro, educador financeiro e consultor, que faz atendimentos mas dedica-se mais ao ensino. Ele diz que há

muitas nomenclaturas e diferentes regras e certificações para tipo de profissional. O consultor de valores mobiliários, por exemplo, tem de ser autorizado pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM) para fazer a administração da carteira de investimentos de seu cliente. Quem não tem a autorização ou determinadas certificações (leia abaixo) não pode recomendar investimentos, seja em ações ou títulos.

Patrimônio para contratar Tradicionalmente, observa Massaro, o perfil de público que contrata a consultoria financeira é de alta renda. "Mas, nos últimos dois anos, com a queda da taxa de juros, as pessoas de classe média ficaram interessadas no serviço, em busca de um atendimento personalizado que não conseguem ter no banco", afirma. Por não ter as certificações, Massaro diz que seu trabalho consiste em montar uma estratégia de investimentos, que corresponde a uma diversificação com base no perfil, e fornecer um acompanhamento, sem entrar em detalhes específicos sobre que ação comprar. De acordo com ele, não há um patrimônio

mínimo necessário para se usar o serviço de consultoria. "O ideal é ter entre R$ 50 mil e R$ 3 milhões livres para investir", diz. Os preços também mudam de acordo com cada consultor. "Alguns trabalham com mensalidade, anuidade ou por hora. Outros distribuem produtos financeiros, como fundos, e fazem o atendimento sem cobrar nada, já que são remunerados com a venda do produto", explica. A consulta por hora, diz Massaro, oscila de R$ 200 a R$ 800 e pode ocorrer uma vez a cada três meses. "Pode parecer muito, mas é vantajoso para quem faz as contas e descobre que paga mais em taxa de administração no banco", diz.

S ERVIÇO Expo Money São Paulo 12/09 a 14/09 Expo Transamérica – Av. Doutor Mário Villas Boas Rodrigues, 387, Santo Amaro. Entrada gratuita Horários: das 13h às 22h (12/09 e 13/09) e das 12h às 20h (14/09). Consultores financeiros farão atendimentos com duração de 20 a 30 minutos. É preciso agendar com antecedência no site adm.expomoney.com.br (link Meu Consultor e Eu). Primeiro é preciso fazer a inscrição no site para participar do evento.

FI Analista DEVE SER credenciado Comum em corretoras, o analista de valores mobiliários é um profissional que deve ser certificado pela Associação dos Analistas e Profissionais de Investimento do Mercado de Capitais (Apimec Nacional). Ele passa por, no mínimo, dois exames para obter o Certificado Nacional do Profissional de Investimento (CNPI), que o capacita a emitir relatórios de análise que possam auxiliar e influenciar o processo de tomada de decisão de investimento. Esse profissional também precisa, obrigatoriamente, do credenciamen-

to junto à Apimec, segundo a instrução 483 de julho de 2010 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). "Recomendamos que a pessoa física sempre tenha o cuidado de verificar no final dos relatórios se o analista que assina tem o CNPI. Há o CNPI-P, que é o pleno e capacita o profissional a fazer análise de ativos de forma fundamentalista e técnica. O analista gráfico terá o CNPI-T e o fundamentalista, apenas o CNPI", afirma Gerson Mineo Sakaguti, superintendente de autorregulação da Apimec Nacional. (RT)

NA

AS

Conheça o trabalho do PLANEJADOR financeiro Longe de fazer recomendações imediatistas, o planejador financeiro pessoal não vai indicar a aplicação da moda. Quem explica dessa forma é Gisele Andrade, CFP (Certified Financial Planner) e diretora do Instituto Brasileiro de Certificação de Profissionais Financeiros (IBCPF). Segundo ela, o planejador financeiro pessoal que possui o certificado CFP tem o diferencial de não vender produtos, e sim atender aos interesses do cliente. O certificado não é obrigatório e existe há mais de dez anos no Brasil, ten-

do surgido nos Estados Unidos na década de 1970. "Antes de qualquer recomendação, o planejador vai olhar para o cliente de forma abrangente e saber quais são os objetivos de curto, médio e de longo prazos." Gisele diz que o planejador financeiro pessoal pode trabalhar de forma independente ou em instituições financeiras. "É um profissional que entende de crédito, investimentos, tributos para pessoa física e pessoa jurídica, contabilidade, previdência, seguros e regimes de casamento", diz. (RT)


18 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013


sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

DIÁRIO DO COMÉRCIO

19

e Especialista vê bolha imobiliária no País A alta dos preços no mercado imobiliário está mais relacionada às dores do crescimento do que à bolha. Gustavo Franco, ex-presidente do Banco Central

conomia

O professor Robert Shiller, que alertou sobre alta exagerada dos preços no mercado imobiliário dos EUA, suspeita que problema parecido ocorra no Brasil. Rejane Tamoto

Márcio Fernandes/ Estadão Conteúdo

R

obert Shiller, professor de economia na universidade Yale, autor do índice de preços de imóveis residenciais dos Estados Unidos, o S&P Case-Shiller, e de diversos livros, diz que suspeita da existência de uma bolha imobiliária, ao considerar apenas a evolução dos preços de imóveis residenciais nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro. A afirmação é, no mínimo, polêmica e foi feita durante a palestra "Finanças para uma boa sociedade"– mesmo nome de seu mais recente livro –, no 6º Congresso Internacional de Mercados Financeiro e de Capitais, realizado no final de agosto. No Brasil, especialistas em mercado imobiliário tendem a negar a existência de uma bolha, com base nos mesmos critérios que levaram à formação de uma nos Estados Unidos. Um argumento é de que os brasileiros estão comprando imóvel para morar e não para investir e especular. Outro motivo é que o financiamento imobiliário ainda é baixo no Brasil em proporção ao Produto Interno Bruto (PIB) de países desenvolvidos. Antes da palestra de Shiller, Gustavo Franco, estrategista-chefe e presidente do Conselho de Administração da Rio Bravo Investimentos e ex-presidente do Banco Central (BC), negou a existência de bolha no Brasil, ao proferir palestra sobre fundos de investimentos imobiliários. "O que há é uma ocupação do espaço urbano em economias emergentes. A alta dos preços está mais relacionada às dores do crescimento do que à bolha", disse. Para Franco, na maior parte das cidades brasileiras médias há lugares com imóveis de maior preço. Ele avaliou que o aumento de preços está relacionado a maior demanda da classe C por imóveis residenciais. "Existe uma pressão que faz o Brasil ter demanda por construção de residências. Além disso há

Novos empreendimentos surgem diariamente em São Paulo. Preço do metro quadrado pode estar supervalorizado. Luiz Prado/ Luz

A definição de bolha é uma epidemia social, no qual o entusiasmo é passado de pessoa para pessoa. ROBERT SHILLE, PROFESSOR DE ECONOMIA EM YALE

uma ineficiência da indústria porque a tecnologia construtiva tem falhas", disse. Psicologia social Shiller não analisa bolhas apenas com base em modelos matemáticos puros. Ele se ba-

seia no julgamento da psicologia social e tem acertado. Em 2000 ele foi o único a prever a bolha do mercado acionário e, em 2005, a bolha imobiliária que levou à crise das hipotecas do tipo subprime nos Estados Unidos. "É uma difícil decisão alertar sobre isso porque

Confiança no consumo ensaia volta Karina Lignelli

N

os últimos três meses, a estabilidade tem marcado o nível de confiança do consumidor, que ainda se mantém cauteloso em relação ao cenário econômico. É o que revela o Índice Nacional de Confiança do Consumidor (INC), medido pela Associação Comercial de São Paulo (ACSP) em parceria com o Instituto Ipsos, que em agosto registrou 139 pontos, ante 137 em julho e 138 em junho. Em igual mês do ano passado, o indicador registrou 150 pontos. Na divisão por estratos sociais, a classe C continua a mais otimista, com 144 pontos em agosto ante 140 em julho. As classes D/E também se destacaram, com o indice subindo de 121 para 128 pontos. "Provavelmente foram puxados pelo bom desempenho do trabalho no campo", explicou Emílio Alfieri, economista da ACSP. Já nas classes A/B houve recuo, de 132 para 125 pontos. Nas áreas analisadas pela pesquisa, as 70 cidades do interior acompanharam o otimismo do agronegócio, com alta de 3 pontos, para 136 em agosto. Já nas capitais e regiões metropolitanas houve leve recuo de um ponto, para 144 e 135, respectivamente. Na divisão por região, Norte e o CentroOeste foram as mais otimistas em agosto, com elevação de

179 para 190 pontos. A surpresa foi na região Sudeste que, apesar da queda de 144 para 139 pontos no indicador, ficou em segundo lugar, e ultrapassando a região Nordeste, que subiu de 122 para 134 pontos – refletindo, provavelmente, a chegada das chuvas. O Sul registrou elevação de 1 ponto entre julho e agostos, para 128. "A forte alta do otimismo nas regiões Norte e Centro-Oeste decorre do excelente desempenho da agricultura, que pode

45 por cento dos entrevistados da ACSP têm intenção de comprar eletrodomésticos nos próximos meses.

contribuir para um melhor resultado do PIB", afirma Rogério Amato, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp). Houve queda na percepção sobre a situação financeira atual: 45% consideraram-na boa em agosto, ante 48% em

julho. Em 2012, o total era de 50%. "Isso é reflexo da alta da inflação dos últimos meses e da desaceleração real da massa salarial", explicou Alfieri. Já o indicador de melhora da situação financeira futura apontou estabilidade ante julho, apontada nos dois meses por 49% dos entrevistados. Em relação ao emprego, o índice se manteve estável, com 39% em agosto, ante 38% em julho e 40% em igual mês de 2012. Quanto à intenção de compra de eletrodomésticos, o indicador mostra alta de 42% para 45%. "Além de se sentir relativamente seguro no emprego, pode ser sinal de que o consumidor já começa a se animar para as compras de fim de ano", completou Alfieri. Vendas – O Instituto de Economia Gastão Vidigal, da ACSP, fez uma projeção de vendas para o Brasil. Utilizando-se o resultado de julho do Índice Nacional de Confiança (INC), o Modelo de Previsão do Volume de Vendas do Varejo (MPVV), desenvolvido pelo Instituto, projeta para julho aumento de cerca de 3% nas vendas no Brasil em relação ao mesmo mês do ano passado, e crescimento acumulado em doze meses de aproximadamente 5%. As projeções do MPVV sugerem desaceleração do crescimento das vendas do varejo durante o resto do ano, coincidindo com a visão de consenso do mercado.

muitos não falam para não criar pânico. Quando digo que suspeito é porque não tenho uma série histórica grande de preços de imóveis nas cidades brasileiras em um período de tempo maior que cinco anos", disse em coletiva. O que levantou a suspeita do professor foi a constatação de que os preços dos imóveis dobraram de 2008 a 2013 em São Paulo e no Rio de Janeiro. Ele utilizou os dados do índice FipeZap que mostram que o percentual médio de aumento do preço do metro quadrado de imóveis em São Paulo era de 0,80% ao mês em fevereiro de 2008, percentual que passou para 1,22% em agosto de

2013. No Rio de Janeiro, a diferença é ainda maior. Em fevereiro de 2008, o aumento médio mensal do preço do metro quadrado era de 0,36%, e no último mês de agosto o aumento foi de 1,17%. Exemplo Americano Com uma base de dados pequena, o especialista disse que não pode provar a existência de bolha nas duas cidades brasileiras. Durante o evento, Shiller apresentou um quadro com os preços dos imóveis dos Estados Unidos em um horizonte de 100 anos. Nele, o único período em que o preço começou a subir sem

cair foi justamente o da bolha. "Não existia uma série histórica como essa que elaborei. O que pude observar é que houve aumento de preços de imóveis após a Segunda Guerra Mundial, quando os os soldados voltaram e os especuladores criaram uma bolha, mas logo houve uma queda. Quando o preço subia muito em um lugar as pessoas mudavam e formavam novas cidades. O fato é que os preços de imóveis residenciais não haviam mudado consideravelmente entre 1890 e 1990", explicou. Shiller contou que está tentando descobrir porque os preços subiram tanto em países emergentes, já que considera que não foi pela falta de terras e nem pelo custo de construção, que está mais mecanizada e eficiente. "Não sei exatamente, mas acho que tem a ver com a percepção de que esses países emergentes serão ricos e que as casas ficarão mais caras", afirma. Ele disse que bolhas são caracterizadas por uma alta de preços durante um período contínuo de tempo, sem quedas. "No Japão, os preços imobiliários começaram a subir ano a ano na década de 1980. Após atingir o pico no início dos anos 1990, eles entraram em um processo de queda contínua, até que os imóveis perdessem cerca de dois terços do valor real até recentemente", diz Shiller. Para o especialista, a falta de compreensão sobre bolhas ainda é imensa. "Os livros de trinta anos atrás não mencionavam nada sobre bolhas. Até então era um mito. Mas o fato é que a definição de bolha é uma epidemia social, no qual o entusiasmo é passado de pessoa para pessoa. Começa com pessoas que conseguiram um ótimo retorno financeiro e todos querem participar disso. Quem também apoia isso é a mídia que, apesar de boas intenções, acabava promovendo a bolha durante um certo período", afirmou. Para ele, o peso da emoção e da psicologia social é preponderante na formação de qualquer bolha. Ele acredita que a criação de novos subúrbios, com transporte para os grandes centros, ajudaria a equilibrar preços em determinados lugares. "Mesmo sem conhecer bem a situação do Brasil, acho que as pessoas precisam do Poder Executivo para diminuir barreiras aos financiamentos, mas que eles sejam concedidos apenas a pessoas que têm condições de arcar com as despesas de compra de uma casa".


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e Degrau a degrau, no rumo do sucesso.

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

A formalização confere credibilidade ao negócio Luciana Silva, sócia do marido na padaria Teka Luiza.

conomia

Microempreendedores individuais estão evoluindo rapidamente à condição de microempresários Sílvia Pimentel

Q

uatro anos depois de ganhar lei própria, os microempreendedores individuais (MEI), estão mostrando que a opção que fizeram é mesmo a porta de entrada do empreendedor para o mundo dos negócios. Levantamento feito do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) mostra que, no primeiro semestre deste ano, 31 mil desses empresários de primeira viagem subiram um degrau na pirâmide empresarial, ao migrarem para a condição de microempresários. Desde 2009, quando a figura do MEI foi incorporada à legislação do Simples Nacional, mais de 86 mil trabalhadores por conta própria fizeram a migração e hoje são donos de microempresas. Sem a chance de começar com uma carga de impostos nanica e um sistema simplificado de adesão, a ascensão certamente seria mais difícil, ou até impossível. Essa escalada empresarial

é explicada principalmente pelo aumento no faturamento anual, pois só é considerado um MEI quem fatura até R$ 60 mil durante o ano. Outros motivos indicados para a migração são a disposição para contratar mais de um funcionário – já que a legislação só permite a contratação de um colaborador – e para poder ter participação em outros negócios. Na modalidade de microempresa, esses empreendedores podem faturar até R$ 360 mil e contratar quantos funcionários queiram. Mais que MPEs – Para o Sebrae, há tempos ocorre essa evolução dos MEIs para a condição de microempresa. Só no ano passado, cerca de 40 mil pessoas – quase o dobro do registrado em 2001 – avançaram nessa direção. "A grande maioria deles demonstra que quer crescer, faturar mais, expandir os negócios. Essa ascensão dos MEIs é muito positiva não só para eles, mas para a economia como um todo", aplaude o presidente do Sebrae, Luiz Barretto. Dados atuais do Portal do Empreendedor mostram a for-

4,3 milhões de empreendedores individuais em 2014, é a projeção do Sebrae. O número é superior aos 3,5 milhões de MPEs.

malização de 3,28 milhões de microempreendedores individuais. Legalizados, eles pagam mensalmente R$ 33,90 ao Instituto Nacional de Seguro Social (INSS), mais R$ 5 de Imposto sobre Serviços (no caso de prestadores de serviços) ou R$ 1 de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). De acordo com projeção do Sebrae, no ano que vem, o número de empreendedores individuais deverá ultrapassar a marca de 4,3 milhões, maior do que a quantidade de micro e pequenas em-

presas, que hoje somam perto de de 3,5 milhões. Pode se enquadrar como microempreendedor individual quem trabalha por conta própria, com faturamento máximo anual de até R$ 60 mil, e não participa em outra empresa como sócio ou titular. Ao se legalizar, o MEI também pode ter um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria. As atividades que se enquadram no MEI são comércio e indústria em geral e serviços de natureza não intelectual sem regulamentação legal – mecânicos, doceiros, cabeleireiros, manicures, costureiras, pintores, feirantes, vendedores de roupas e cosméticos e fotógrafos, entre outros. No ano passado, o Sebrae realizou uma ampla pesquisa p a r a t r a ç a r o p e r f i l d o m icroempreendedor individual. O levantamento apontou, por exemplo, que o comércio lidera, com 39%, as atividades mais procuradas para a formalização, seguido do setor de serviços, com 36%, indústria, 17%, e construção civil, 8%. As três atividades com o

A arte de vencer etapas Uma cabeleireira e um padeiro mostram o passo-a-passo de suas escaladas.

minante vai dos 25 aos 39 anos. Outro dado é que 43% dos microempreendedores individuais exercem suas atividades profissionais em casa, enquanto 34% possui estabelecimento comercial.

Correspondente bancário na mira do MPT

Luciano Amarante/Hype

A

cabeleireira Gislaine Marcandale alimenta as estatísticas de trabalhadores por conta própria que saltaram da condição de MEI para microempresários. Desde os 20 anos na profissão, ela trabalhou durante muitos anos em salões de terceiros. Depois da vinda dos filhos, decidiu passar a atender as clientes em domicílio. "Dessa forma conseguiria conciliar a agenda e o cuidado com as crianças", lembra. A segunda percepção foi a de que necessitava de um lavatório portátil, que pudesse levar para onde fosse trabalhar. Em 2007, teve a ideia de desenvolver ela prória um equipamento assim, contou com a ajuda do Sebrae e patenteou a sua criação. Em busca de retorno financeiro maior, Gislaine passou de cabelereira a vendedora da sua invenção e se inscreveu como MEI, assim que a legislação entrou em vigor, em 2009. Rapidamente viu o acerto da decisão: dois anos depois, o lavatório portátil, antes fabricado com fibra de vidro, ganhou a versão inox, mais prática e funcional. As vendas evoluíram junto com o produto até atingir um faturamento anual superior a R$ 60 mil. Foi preciso migrar para a condição de microempresa. "Hoje, vendo meu produto pela internet e o retorno finan-

maior número de MEIs são o comércio de roupas e acessórios, cabelereiros e obras de alvenaria. Há mais homens (54%) do que mulheres (46%) enquadrados nessa figura jurídica. E a faixa etária predo-

A

Gislaine (esq.), e o casal Luciana e Alexandre (abaixo), em sua padaria Teka Luiza: trajetórias parecidas. Wesley Alisson/H

ype

ceiro é muito maior", comemora Gislaine. Há meses em que vende até 15 peças – a R$ 2.350, com circuito manual, ou R$ 2.990, em versão digital. Aos 52 anos, a empresária que se especializou em cuidar da beleza alheia, toma conta do próprio negócio, preenche notas fiscais, providencia entregas e contabiliza o lucro. Muito justamente, ganhou recentemente o prêmio de mulher empreendedora conferido pelo Sebrae nacional. O ex microempreendedor individual Alexandre Maciel da Silva cumpriu trajetória parecida. Em 2009, ele montou uma pequena padaria com a esposa Luciana Silva, até então funcionária da Varig. O estabelecimento se resumia a um balcão e uma estufa. O casal vendia bolos, doces e salgados, mas, sem condições de

instalar um forno e contratar um padeiro, o pão era congelado, comprado de terceiros. Quando o movimento dobrou, foi preciso contratar mais funcionários e comprar equipamentos para a produção própria de pães. A escalad a p a r a a c o n d i ç ã o d e m icroempresa aconteceu há

dois anos. Hoje, o casal toca a padaria Teka Luiza com três funcionários e fabrica os próprios pães. "A oportunidade de começar como MEI trouxe muita segurança, pois os fornecedores exigem CNPJ. A formalização confere credibilidade ao negócio", afirma Luciana. (SP)

contratação de correspondentes bancários – intermediários entre instituições financeiras e clientes, que atuam no País há mais de dez anos – está sendo questionada pelo Ministério Público do Trabalho (MPT) numa bilionária ação civil pública movida contra bancos, Banco Central e Correios. A ação, assinada por 30 integrantes do MPT, pede indenização por dano moral e dumping social – violação de direitos dos trabalhadores com o objetivo de obter vantagens financeiras e comerciais. O valor é de R$ 6,4 bilhões e os alvos são: Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, Itaú, Santander e HSBC. Os procuradores pedem a anulação das contratações dos correspondentes, cuja atividade atualmente é amparada pela resolução nº 3.954/11 do Banco Central. Pedem também que sejam reconhecidos como bancários – o que significa que teriam direito de cumprir jornada de seis horas e de receber diferenças salariais e benefícios como valerefeição e horas extras. A multa por descumprimento é de R$ 10 milhões por dia. Contrário à ação, o economista da Associação Co-

mercial de São Paulo (ACSP), Marcel Solimeo, argumenta que a atividade dos correspondentes é de interesse da população, por promover a inclusão bancária. "É atividade exercida há muito tempo e presta serviços relevantes. Caso seja inviabilizada, os pequenos usuários desses serviços serão prejudicados", diz. O procurador do Trabalho Marcos Cutrim conta que, em três anos de investigação, o MPT constatou que as pessoas que prestam os serviços de correspondentes são vendedores de concessionárias de veículos, de lojas de varejo, agências de turismo, atendentes de casas lotéricas, caixas de supermercados, que trabalham como bancários, mas não possuem os mesmos direitos da categoria. "Os efeitos perniciosos dessa terceirização são, principalmente, a redução ou aniquilação dos direitos sociais e a precarização das relações de trabalho", afirma. Para o presidente da Associação dos Correspondentes Financeiros no País (ACFIP), Edson João Costa, a ação é equivocada. "É um segmento com vocação para geração de emprego, em centros urbanos e nas cidades menores". (SP)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

e

21 O setor de turismo concentra 4% do Produto Interno Bruto do Brasil e projeta crescer neste ano 7,3%.

conomia

Grigory Dukor/Reuters

G20 termina como começou: sem solução para os BRICS. Grupo das maiores economias mundiais não apontou resposta para preocupação dos países emergentes em relação à política dos EUA

Foto oficial em São Petersburgo, na Rússia: os líderes das superpotências e dos países em desenvolvimento. A presidente Dilma Rousseff aparece ao lado de Barack Obama.

A

reunião do G20, o grupo das maiores economias do mundo e principais países emergentes, terminou na sexta-feira passada em São Petersburgo, na Rússia, sem nenhuma solução para as preocupações crescentes dos países em desenvolvimento com relação à política monetária dos Estados Unidos. O grupo BRICS, formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul, está particularmente apreensivo com o fim da política de estímulos à economia que o Federal Reserve (o Fed, o banco central norte-

Abilio Diniz deixa Grupo Pão de Açúcar

O

empresário Abilio Diniz chegou a um acordo com o grupo francês Casino e deixará a presidência do Conselho de Administração do Grupo Pão de Açúcar. Pelo acerto, Abilio receberá 1 ação preferencial (sem direito a voto) por cada ordinária (com voto) que ele tem na Wilkes, holding de controle do Pão de Açúcar. As duas partes também encerrarão todos os litígios que têm entre si, segundo comunicado divulgado na última sexta-feira. "Abilio abre mão de todos os direitos políticos que tem no Pão de Açúcar, sai do Conselho e, ao mesmo tempo, garante liquidez com ações preferenciais", disse a fonte, que pediu anonimato. A saída de Abilio da presidência do Conselho do Pão de Açúcar, fundado por seu pai em 1948, põe fim a uma conturbada relação do empresário com o Casino. Os conflitos começaram em meados de 2011, quando Abilio tentou unir as operações do Carrefour no Brasil ao Pão de Açúcar. O Casino acusou o empresário de tentar minar o acordo de acionistas na holding Wilkes. No meio de 2012, Abilio transferiu o controle do Pão de Açúcar ao Casino, como previa o acordo de acionistas firmado anos antes, permanecendo como presidente do Conselho da varejista. (Reuters)

americano) deve decretar na passagem de 2013 para 2014. O fim do estímulo à economia tem expressivo impacto no câmbio. A presidente Dilma Rousseff participou do encontro do G20 na Rússia. A conclusão do G20 é de que a economia mundial está melhorando, mas ainda é muito cedo para declarar o fim da crise internacional, num momento em que os mercados emergentes enfrentam crescente volatilidade. Líderes do G20 – grupo que representa 90% da economia mundial e dois terços de sua população – reconheceram os

problemas enfrentados por emergentes, mas disseram que cabe a eles colocar as próprias casas em ordem. Terreno comum – Os integrantes do G20 tiveram dificuldades para encontrar um terreno comum sobre os efeitos desencadeados pela perspectiva de os Estados Unidos reduzirem a sua impressão mensal de dinheiro. O comunicado emitido no fim da cúpula de dois dias trouxe comentários sobre a economia mundial praticamente em linha com os que foram divulgados após encontro de ministros das Finanças e presiden-

tes de bancos centrais em julho, em Moscou, exigindo que as mudanças na política monetária devem ser "cuidadosamente calibradas e claramente comunicadas". Após a divulgação do comunicado, os mercados financeiros se fixaram no relatório mensal de empregos nos Estados Unidos, que veio mais fraco do que o esperado, o que complica a decisão do Fed sobre a possibilidade de reduzir seu estímulo monetário neste mês. As exigências lideradas pela Alemanha de metas obrigatórias para ampliar os objeti-

vos de redução de dívida definidas em cúpula sediada pelo Canadá em 2010 ficaram para trás, uma vez que o foco mudou firmemente para a promoção do crescimento. "Estratégias fiscais de médio prazo serão implementadas de forma flexível para levar em conta as condições econômicas de curto prazo, de modo a apoiar o crescimento econômico e a criação de emprego, ao mesmo tempo colocando a dívida como proporção do Produto Interno Bruto em um caminho sustentável", disse o comunicado da reunião. (Agências)

Otimismo, a marca da feira da Abav. Prevaleceram os negócios na maior exposição do setor de turismo do continente, que terminou ontem em SP. Agliberto Lima/DC

Antonella Salem

U

ma Abav para negócios. Foi com esse foco que terminou ontem a 41ª Abav - Feira de Turismo das Américas, no Anhembi, em São Paulo, a maior exposição do setor no continente. O evento anual, que começou em 4 de setembro, ocorreu na Capital paulista após dez anos no Rio de Janeiro e a projeção dos organizadores era de reunir um total de mais de 32 mil profissionais, entre expositores de 60 países e 26 estados brasileiros, buyers nacionais e internacionais e imprensa. "Aqui (em São Paulo) está 52% do PIB do turismo, as maiores agências e operadoras, hotelaria mais acessível e em maior quantidade", explicou o presidente da Associação Brasileira das Agências de Viagens (Abav), Antonio Azevedo. O empresário também ressaltou que cobrou das autoridades a aprovação do projeto de lei que regulamenta a atividade dos agentes de viagens. Segundo o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que participou com 150 empresas e rodadas de negócios, a expectativa era de gerar R$ 7 milhões em negócios durante os cinco dias de feira. O ministro do Turismo, Gastão Vieira, presente na abertura do evento, referiuse à Abav como a "feira do otimismo". O setor concentra 4% do Produto Interno Bruto do Brasil e projeta crescer neste

ano 7,3%. Gastão afirmou, ainda, que questões relacionadas ao câmbio são alguns dos problemas que mais afetam os países emergentes. Fornecedores – A alta do dólar não preocupa o mercado, empenhado a negociar preços com seus fornecedores. A Associação Brasileira de Operadores de Turismo (Braztoa) realizou o 40º Encontro Comercial Braztoa no decorrer da Abav, com mais de 80 associadas expondo, e celebrou a 3ª edição da Turismo Week, uma liquidação de pacotes nacionais e internacionais, de 31 de agosto a 11 de setembro.

mais de 8 mil agentes de viagem parceiros pacotes nacionais e internacionais com preços já definidos para embarques até julho de 2015. Muitas novidades rondaram os corredores. O Estado da Bahia lançou 40 novas opções de roteiros, incluindo visitas a comunidades quilomboO largo do las no Recôncavo e a Pelourinho, no região Nordeste uniuCentro se na aposta de roteihistórico de ros integrados. A AssoSalvador: ciação Brasileira de 40 novas Empresas de Ecoturisopções de mo e Turismo de Avenroteiros tura realizou a Abeta turísticos na Summit 2013 incorpoBahia. Viagens rada à Abav e mostrou nacionais o segmento ao mercaestão em alta, do. A Itália divulgou diante da viagens temáticas, fosubida do cadas em golfe, esqui, dólar. enogastronomia, religião. A Colômbia promoveu o turismo de aventura e a Jordânia "As viagens nacionais têm li- comemorou um incremento derado as vendas na Turismo de 24,6% no número de visiWeek. Entretanto, consegui- tantes do Brasil no primeiro trimos quedas significativas no mestre de 2013 - só para citar preço das passagens com as algumas boas-novas. Pela pricompanhias aéreas, que es- meira vez participaram da feitão compensando o dólar mais ra Áustria, Cingapura, Coreia, alto, sem contar também a Etiópia, Holanda, Ilhas Maldiqueda recente da moeda nos vas, Ilhas Seychelles, Indonéúltimos dias, que vai benefi- sia, Irlanda, Myanmar e Nicaráciar quem fechar sua viagem gua. No ano que vem, a Abav na próxima semana", apontou está marcada para 24 a 28 de o presidente da entidade, Mar- setembro no Anhembi e Antonio Azevedo sinalizou que a feico Ferraz. Pacotes – A CVC, maior ope- ra vai continuar em São Paulo radora da América Latina, de- pelo menos até 2016. O nome, fendeu a antecipação da via- Feira de Turismo das Amérigem, e a partir de novembro cas, muda: Expo Internacional colocará na prateleira de seus de Turismo - Abav 2014.

Estratégias fiscais serão implementadas de forma flexível, de modo a apoiar o crescimento e a criação de emprego TRECHO DO COMUNICADO

IPCA: alta de 0,24% em agosto. Dólar pesou.

O

Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) acelerou a alta em agosto para 0,24%, em meio à perda do ímpeto deflacionário de Transportes e pela volta dos aumentos de preços da Alimentação, além do impacto da valorização do dólar. Em julho, o indicador havia registrado variação positiva de 0,03%. No acumulado de 12 meses até agosto, o IPCA avançou 6,09%, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), menor variação desde dezembro de 2012, quando atingiu 5,84%. A leitura mostrou queda ante os 6,27% de julho, permanecendo abaixo do teto da meta do governo, de 4,5% com tolerância de 2 pontos percentuais. "Depois do pico de junho, o IPCA trocou taxas mais altas por mais baixas, por conta do efeito dos protestos sobre a tarifa de ônibus e do comportamento dos alimentos", disse a economista do IBGE, Eulina Nunes dos Santos, referindo-se à inflação acumulada. Os resultados ficaram em linha com economistas que esperavam alta de 0,25% na comparação mensal e de 6,10% no acumulado em 12 meses. Analistas já haviam dito que os efeitos que fizeram a inflação de julho ser a menor em três anos, como os preços de Transportes e Alimentos, eram transitórios. (Reuters)


22 -.ECONOMIA/LEGAIS

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013


sĂĄbado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAĂ‡ĂƒO

GOVERNO DO ESTADO DE SĂƒO PAULO

FDE AVISA CONCORRĂŠNCIAS A FUNDAĂ‡ĂƒO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ‡ĂƒO - FDE comunica Ă s empresas interessadas que se acha aberta licitação para execução de Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador e Reforma de PrĂŠdios Escolares: CONCORRĂŠNCIA NÂş - PRÉDIO - LOCALIZAĂ‡ĂƒO - PRAZO - Ă REA (se houver) - PATRIMĂ”NIO LĂ?QUIDO MĂ?NIMO P/ PARTICIPAR - GARANTIA DE PARTICIPAĂ‡ĂƒO - ABERTURA DA LICITAĂ‡ĂƒO (HORA E DIA) 69/03448/13/01 - EE Pe Jorge Mattar - Rua Dr. Jonas Nunes Brigagao, 01 - Cep: 17180-000 - Centro – Iacanga/SP; EE Pref Edison Bastos Gasparini - Rua dos Ferroviarios, 6-50 - Cep: 17022-240 - Nhb Gasparini – Bauru/SP - 210 - 22,11 / 48,96 - R$ 236.644,00 - R$ 23.664,00 - 09:30 - 09/10/2013. 69/03546/13/01 - EE/EMEF Francisco Ribeiro Soares JĂşnior - Rua Rio de Janeiro, 517 - Cep: 14570-000 - Centro – Buritizal/SP - EE Prof Martinho Sylvio Bizutti - Rua Joaquina Angelica Ferreira, 210 - Cep: 14540-000 - Sta R. Paraizo – Igarapava/SP - 210 - 19,62 / 8,50 - R$ 208.073,00 - R$ 20.807,00 - 10:00 - 09/10/2013. As empresas interessadas poderĂŁo obter informaçþes e verificar o Edital e o respectivo Caderno de Encargos e Composição do BDI na SEDE DA FDE, na SupervisĂŁo de Licitaçþes, na Av. SĂŁo LuĂ­s, 99 - RepĂşblica - CEP: 01046-001 - SĂŁo Paulo/SP ou atravĂŠs da Internet pelo endereço eletrĂ´nico www.fde.sp.gov.br. Os interessados poderĂŁo adquirir o Edital completo atravĂŠs de CD-ROM a partir de 09/09/2013, na SEDE DA FDE, de segunda a sextafeira, no horĂĄrio das 08:30 Ă s 17:00 horas, mediante pagamento nĂŁo reembolsĂĄvel de R$ 50,00 (cinquenta reais). Os interessados poderĂŁo adquirir o CD-ROM referente Ă s Planilhas, ao custo de R$ 3,00 (trĂŞs reais), na SEDE DA FDE, de segunda a sextafeira, dentro do horĂĄrio de expediente, das 08:30 Ă s 17:00 horas. Todas as propostas deverĂŁo estar acompanhadas de garantia de participação, a ser apresentada Ă  SupervisĂŁo de Licitaçþes da FDE, conforme valor indicado acima. Os invĂłlucros contendo a PROPOSTA COMERCIAL e os DOCUMENTOS DE HABILITAĂ‡ĂƒO deverĂŁo ser entregues, juntamente com a Solicitação de Participação, a Declaração de Pleno Atendimento aos Requisitos de Habilitação e a garantia de participação, no Setor de Protocolo da SupervisĂŁo de Licitaçþes - SLI na SEDE DA FDE, atĂŠ 30 minutos antes da abertura da licitação. Esta Licitação serĂĄ processada em conformidade com a LEI FEDERAL nÂş 8.666/93 e suas alteraçþes, e com o disposto nas CONDIÇÕES GERAIS PARA A REALIZAĂ‡ĂƒO DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES DA FUNDAĂ‡ĂƒO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ‡ĂƒO - FDE. As propostas deverĂŁo obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital. BARJAS NEGRI - Presidente

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEREIRA BARRETO/SP Processo nº 4355/2013 - Pregão Presencial nº 027/2013 Sistema de Registro de Preço RESUMO DE EDITAL ARNALDO SHIGUEYUKI ENOMOTO, Prefeito de Pereira Barreto - SP, faz saber que se acha aberto atÊ às 09h00min do dia 26 de setembro de 2013, o Pregão nº 027/2013, do tipo menor preço por item, objetivando o Registro de Preços para a Contratação de empresa para fornecimento de Fórmulas Infantis e Leites, para Distribuição Gratuita nas Unidades Båsicas de Saúde a fim de atender pacientes agendados de acordo com prescrição mÊdica e mandados judiciais, por um período de 12 (doze) meses, conforme especificaçþes constantes do Anexo I – Termo de Referência. Maiores informaçþes no Dep. de Licitaçþes pelo fone/fax (18) 3704-8505, pelo e-mail licitacao@pereirabarreto.sp.gov.br, ou ainda o Edital completo no website www.pereirabarreto.sp.gov.br. Pereira Barreto-SP, 05 de setembro de 2013. Arnaldo Shigueyuki Enomoto - Prefeito

GOVERNO DO ESTADO DE SĂƒO PAULO REPUBLICADO COM DEVOLUĂ‡ĂƒO DE PRAZO PARA RETIFICAĂ‡ĂƒO DO ITEM 5 DOCUMENTAĂ‡ĂƒO TÉCNICA DO ANEXO I FOLHETO DESCRITIVO. EDITAL DE PREGĂƒO ELETRĂ”NICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE MASSA SĂŠMOLA COM OVOS TIPO CARACOLINO. EDITAL DE PREGĂƒO ELETRĂ”NICO n° 019/DAAA/2013. PROCESSO n° 00216/4444/ 2013. OFERTA DE COMPRA N° 080358000012013OC00047. ENDEREÇO ELETRĂ”NICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INĂ?CIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRĂ”NICA: 09/09/2013 DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSĂƒO PĂšBLICA: 20/09/2013 - 09:00 HORAS. REPUBLICADO COM DEVOLUĂ‡ĂƒO DE PRAZO PARA RETIFICAĂ‡ĂƒO DO ITEM 5 DOCUMENTAĂ‡ĂƒO TÉCNICA DO ANEXO I FOLHETO DESCRITIVO. EDITAL DE PREGĂƒO ELETRĂ”NICO PARA REGISTRO DE PREÇOS OBJETIVANDO A COMPRA DE MASSA DE SĂŠMOLA COM OVOS (TIPO PARAFUSO E PENA). EDITAL DE PREGĂƒO ELETRĂ”NICO n° 015/DAAA/2013. PROCESSO n° 00114/4444/2013. OFERTA DE COMPRA N° 080358000012013OC00043. ENDEREÇO ELETRĂ”NICO: www.bec.sp.gov.br ou www.bec.fazenda.sp.gov.br. DATA DO INĂ?CIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRĂ”NICA: 09/09/2013. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSĂƒO PĂšBLICA: 20/09/2013 – 09:00 HORAS.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAĂ‡ĂƒO

COORDENADORIA DE INFRAESTRUTURA E SERVIÇOS ESCOLARES

MinistĂŠrio da Fazenda

SERVIÇO FEDERAL DE PROCESSAMENTO DE DADOS (SERPRO) REGIONAL SĂƒO PAULO

AVISO DE LICITAĂ‡ĂƒO PregĂŁo EletrĂ´nico NÂş 1704/2013 – SĂŁo Paulo PROCESSO VERDE NÂş 1704/2013. OBJETO: Registro de Preços aquisição Switches e outros. DATA DE ABERTURA: 20/09/2013, Ă s 10h. LOCAL: www.comprasnet.gov.br. O Edital poderĂĄ ser obtido nos sĂ­tios www.serpro.gov.br e www.comprasnet.gov.br. Pregoeiro Designado.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAĂ‡ĂƒO

GOVERNO DO ESTADO DE SĂƒO PAULO

FDE AVISA: PregĂŁo EletrĂ´nico de Registro de Preços nÂş 36/00382/13/05 OBJETO: AQUISIĂ‡ĂƒO DE KIT DE EQUIPAMENTOS DE LABORATĂ“RIO DE CIĂŠNCIA – CICLO II – ENSINO FUNDAMENTAL A FUNDAĂ‡ĂƒO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ‡ĂƒO - FDE comunica Ă s empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Aquisição de Kit de Equipamentos de LaboratĂłrio de CiĂŞncia – Ciclo II – Ensino Fundamental. As empresas interessadas poderĂŁo obter informaçþes e verificar o Edital a partir de 09/09/2013, no endereço eletrĂ´nico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na SupervisĂŁo de Licitaçþes, na Av. SĂŁo LuĂ­s, 99 - RepĂşblica - CEP: 01046-001 - SĂŁo Paulo/SP, de segunda a sextafeira, no horĂĄrio das 08:30 Ă s 17:00 horas, ou verificar o edital na Ă­ntegra, atravĂŠs da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessĂŁo pĂşblica de processamento do PregĂŁo EletrĂ´nico serĂĄ realizada no endereço eletrĂ´nico www.bec.sp.gov.br, no dia 19/09/2013, Ă s 10:00 horas, e serĂĄ conduzida pelo pregoeiro com o auxĂ­lio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epĂ­grafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverĂŁo obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serĂŁo encaminhadas, por meio eletrĂ´nico, apĂłs o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do inĂ­cio do prazo para envio da proposta eletrĂ´nica serĂĄ de 09/09/2013, atĂŠ o momento anterior ao inĂ­cio da sessĂŁo pĂşblica. BARJAS NEGRI - Presidente

Luz Empreendimentos e Administração S/A

CNH/ MF 119 12.573.386/0001-00 • NIRE 35.300.334.105 Extrato da Ata da AssemblÊia Geral Extraordinåria Realizada em 22/02/2013 Data, Hora e Local: 22/02/2013, às 11:00hs, na sede da Cia. Convocação e Presenças: Dispensada a publicação de Editais conforme Art. 124, §4º, da Lei nº 6.404, de 15/12/1.976, tendo-se em vista a presença da totalidade dos acionistas. Mesa: Secretariados pelo Sr. Ramiz Maddi Filho e presididos pelo Sr. Gabriel Junqueira Sciotti Elias. Deliberaçþes: Retificar a informação quanto o novo endereço informado na AssemblÊia Geral citada, que constou de forma incorreta, para constar que, o novo endereço da Cia passa a ser o da Rua Urussuí, nº 92, conj. 61. sala A, Itaim Bibi CEP 04542-050 na Cidadede São Paulo, Estado de SP. Desta forma, o art. 2º passa a ter a seguinte redaçao: "Art. 2 - A sociedade tem sede e� foro na CidadÊ de São Paulo, Estado de SP, na Rua Urussuí, nº 92, conj. 61, sala A, Itaim Bibi, CEP 04542-050, podendo abrir e encerrar filiais no País ou no exterior, conforme deliberação da diretoria�. Encerramento: Lida e achada conforme, foi por todos os presentes assinada. Mesa: Gabriel Junqueira Sciotti Elias-Presidente e Ramiz Maddi Filho-SecrÊtårío; Âcionístas: Gab'riel Junqueira Sciotti Elias, Pedro Emanuel de Carvalho Britto Elias e Bårbara de Carvalho Britto Elias. São Paulo, 22/02/ 2013. JUCESP nº 125.354/13-7 em 28/03/2013 por Gisela Simiema Ceschin - Secretåria Geral

Varde Participaçþes S/A CNPJ/ MF 11.973.272/0001-94 • NIRE 35.300.416.309 Extrato da Ata da AssemblĂŠia Geral ExtraordinĂĄria Realizada em 22/02/2013 Data, Hora e Local: 22/02/2013, Ă s 11:00hs, na sede da Cia. Convocação e Presenças: Dispensada a publicação de editais conforme Art. 124, §4Âş, da Lei 6.404, de 15/12/1976, tendo-se em vista a presença da totalidade dos acionistas. Mesa: Secretariados pelo Sr. Ramiz Maddi Filho e presididos pelo Sr. Gabriel Junqueira Sciotti Elias. Deliberaçþes: Resolveram retificar a informação quanto o novo endereço informado na AssemblĂŠia Geral citada, que constou de forma incorreta, para constar que, o novo endereço da Cia passa a ser o da Rua UrussuĂ­, nÂş 92, conj. 61, sala C, Itaim Bibi, CEP 04542050 na Cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SP. Desta forma, o art. 2Âş passarĂĄ a ter a seguinte redação: “Art. 2 - A sociedade tem sede e foro na Cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SP, na Rua UrussuĂ­, nÂş 92, conj. 61, sala C, itaim Bibi, CEP 04542-050, podendo abrir e encerrar filiais no PaĂ­s ou no exterior, conforme deliberação da diretoriaâ€?. Encerramento: Lida e achada conforme, foi por todos os presentes assinada. Mesa: Gabriel Junqueira Sciotti Elias, Presidente e RamĂ­z Maddi Filho, SecretĂĄrĂ­o; Acionistas: Luz Empreendimentos e Administração S.A.. SĂŁo Paulo, 22/02/2013. JUCESP nÂş 134.949/13-4 em 12/04/2013 por Gisela Simiema Ceschin - SecretĂĄria Geral

#25+5 %QPUWNVQTKC 'ORTGUCTKCN .VFC

%02,/(  #55'/$.'+# )'4#. ':64#14&+0Ăˆ4+#  '&+6#. &' %1081%#c­1 (KECO EQPXKFCFQU QU UGPJQTGU UxEKQU SWQVKUVCU C UG TGWPKTGO GO #UUGODNGKC )GTCN 'ZVTCQTFKPhTKC C UGT TGCNK\CFC PQ FKC  FG UGVGODTQ FG  iU J GO Âœ EQPXQECnlQ G GO Âœ EQPXQECnlQ iU J EQO C RTGUGPnC FG UxEKQU SWQVKUVCU SWG TGRTGUGPVGO  PQ OsPKOQ FQ ECRKVCN UQEKCN PC UGFG FC 5QEKGFCFG i #X #PIoNKEC EL %QPUQNCnlQ 5lQ 2CWNQ52 C HKO FG K EQPJGEGT UQDTG C OCPKHGUVCnlQ FG XQPVCFG FC 5TC /CTICTGVJ )WK\CP FC 5KNXC 1NKXGKTC PQ UGPVKFQ FG UG TGVKTCT FC UQEKGFCFG TGSWGTKFC LWFKEKCNOGPVG G RQT GOCKN KK FGNKDGTCT UQDTG C EGUUlQ G VTCPUHGTqPEKC FG SWQVCU FQU UxEKQU SWQVKUVCU SWG FGUGLCO UG TGVKTCT FC UQEKGFCFG 5TC /CTICTGVJ )WK\CP FC 5KNXC 1NKXGKTC G 5T #PVQPKQ 4GKU 5KNXC (KNJQ TGURGKVCFQ Q FKURQUVQ PC %NhWUWNC 5GZVC FQ %QPVTCVQ 5QEKCN G KKK CRTQXCT C CNVGTCnlQ FQ EQPVTCVQ UQEKCN FC UQEKGFCFG FG HQTOC C TGHNGVKT C FGNKDGTCnlQ FQU KVGPU CPVGTKQTGU 5lQ 2CWNQ  4KECTFQ &WCTVG %CTPGKTQ /QPVGKTQ#FOKPKU VTCFQT #PC %TKUVKPC (TCPnC FG 5QW\C#FOKPKUVTCFQTC

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPEÚNA/SP EDITAL RESUMIDO DA CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2013 Chamada Pública 01/2013 – Objeto: aquisição de gêneros alimentícios da Agricultura Familiar e do Empreendedor Familiar Rural, destinado ao atendimento do Programa Nacional de Alimentação Escolar, durante o período de 2013. Recebimento dos envelopes: atÊ às 9h00 do dia 26/9/13; Abertura às 9h15 do dia 26/9/13. O edital e anexos encontram-se à disposição dos interessados no Setor de Licitaçþes da Prefeitura, situado na Rua 01, 275 – Centro, Ipeúna/SP, no horårio das 8h00 às 11h30 e das 13h00 às 17h30, em dias úteis. Informaçþes pelo telefone (19) 3576-9007 ou licitacao@ipeuna.sp.gov.br. Ipeúna, 5/9/2013. Comissão de Licitaçþes.

COMUNICADO Dow Agrosciences Industrial Ltda. – CNPJ nº 47.180.625/0018-94; IE nº 103.640.605.114, comunica o extravio dos seguintes documentos: AIDF 281838385608/2008, nº sequencial 951 Modelo 1-A Nota Fiscal – Quantidade 100 e AIDF 309347272809, nº sequencial 228501 - Modelo 1-A Nota Fiscal – Quantidade 6000. (06-07-10)

Fratello Posto de Serviços e Conveniências Ltda, torna publico que requereu da CETESB a Licença PrÊvia e de Instalação, para Com. Varejista de combustíveis e lubrificantes sito à, Av. Guilherme, 539—Vila Guilherme – São Paulo– SP

FALĂŠNCIA, RECUPERAĂ‡ĂƒO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAĂ‡ĂƒO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição CĂ­vel do Tribunal de Justiça de SĂŁo Paulo, foram ajuizados no dia 06 de setembro de 2013, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falĂŞncia, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Banco Indusval S.A. Requerido: CR5 Brasil Segurança Ltda. Rua AimberĂŞ, 130 - Pompeia - 2ÂŞ Vara de FalĂŞncias.

DIĂ RIO DO COMÉRCIO SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAĂ‡ĂƒO

GOVERNO DO ESTADO DE SĂƒO PAULO

FDE AVISA TOMADAS DE PREÇOS A FUNDAĂ‡ĂƒO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ‡ĂƒO - FDE comunica Ă s empresas interessadas que se acha aberta licitação para execução de Obras: TOMADA DE PREÇOS NÂş - OBJETO - PRÉDIO - LOCALIZAĂ‡ĂƒO - PRAZO - Ă REA (se houver) - PATRIMĂ”NIO LĂ?QUIDO MĂ?NIMO P/ PARTICIPAR - GARANTIA DE PARTICIPAĂ‡ĂƒO - ABERTURA DA LICITAĂ‡ĂƒO (HORA E DIA) 69/03198/13/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE OvĂ­dio de Souza Dias - Av. Dois, 75 Cep: 15430-000 - Centro - Altair/SP - 210 - 44,86 - R$ 90.777,00 - R$ 9.077,00 - 09:30 - 25/09/2013. 69/03123/13/02 - Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Prof JosĂŠ Mazella - Rod. Oswaldo Cruz, Km-15 - Cep: 12010-970 - Registro – TaubatĂŠ/ SP - 180 - R$ 21.030,00 - R$ 2.103,00 - 10:00 - 25/09/2013. 69/03203/13/02 - Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Maj. Guilhermino Mendes de Andrade - Rua 9 de Julho, 122 - Cep: 07500-000 - Centro - Santa Isabel/SP - 210 - R$ 66.678,00 - R$ 6.667,00 - 10:30 - 25/09/2013. 69/03246/13/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Dr. Gabriel Ribeiro dos Santos - Rua Sta. Tereza, 174 - Cep: 11630-000 - Centro – Ilhabela/SP - 210 - 165,25 - R$ 121.435,00 - R$ 12.143,00 - 11:00 - 25/09/2013. 69/03247/13/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Des. Affonso de Carvalho - Av. Antonio Joaquim Oliveira, 458 - Cep: 12450-000 - Centro - Santo Antonio do Pinhal/SP - 210 - 153,09 - R$ 63.029,00 - R$ 6.302,00 - 14:00 - 25/09/2013. 69/03264/13/02 - Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Angelo Franzin - Av. Dr. Ă‚ngelo Nogueira Vila, s/nÂş - Cep: 13525-000 - Centro - Ă guas de SĂŁo Pedro/SP - 210 - R$ 64.797,00 - R$ 6.479,00 - 14:30 - 25/09/2013. 69/03265/13/02 - Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE ProfÂŞ Carolina de Quadros Toledo - Rua SĂŁo Pedro, 755 - Cep: 15820-000 - Centro – ParaĂ­so/SP - 210 - 21,26 - R$ 66.298,00 - R$ 6.629,00 - 15:00 - 25/09/2013. 69/03266/13/02 - Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Mauricio Milani - Rua MaranhĂŁo, 381 - Cep: 19830-000 - Centro – EchaporĂŁ/SP 210 - R$ 73.385,00 - R$ 7.338,00 - 15:30 - 25/09/2013. 69/03429/13/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Dona Alice Fontoura de AraĂşjo - Rua Antonio Prado, 555 - Cep: 14795-000 - Centro - ColĂ´mbia/SP - 150 - 99,52 - R$ 71.920,00 - R$ 7.192,00 - 16:00 - 25/09/2013. 69/03601/13/02 - Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE/EMEF ProfÂŞ Alice Vilela GalvĂŁo - Rua Homero Ortiz Marcondes, 470 - Cep: 12615-000 - Centro - Canas/SP - 180 - R$ 35.518,00 - R$ 3.551,00 - 16:30 - 25/09/2013. 69/03641/13/02 - Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Dr. Carlos Augusto Froelich - Praça dos Fundadores, s/nÂş - Cep: 15830-000 - Centro – Pindorama/SP - 210 - 250,52 - R$ 103.322,00 - R$ 10.332,00 - 09:45 - 26/09/2013. 69/03642/13/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Cap. HorĂĄcio Antonio do Nascimento - Av. Dr. JosĂŠ do Valle Pereira, 1475 - Cep: 15880-000 - Centro – TabapuĂŁ/SP - 180 - 42,20 - R$ 108.386,00 - R$ 10.838,00 - 10:00 - 26/09/2013. 69/03664/13/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Odulfo de Oliveira Guimaraes - Rua Luis Guerreiro, 9 - Cep: 14740-000 - Centro – Viradouro/SP - 120 - 265,10 - R$ 48.606,00 - R$ 4.860,00 - 10:30 - 26/09/2013. 69/03665/13/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Bento de Abreu - Rua JoĂŁo Michelutti, 98 - Cep: 14825-000 - Jd. Esperanca - Santa LĂşcia/SP - 180 - 46,80 - R$ 81.833,00 - R$ 8.183,00 - 11:00 - 26/09/2013. 69/03666/13/02 - Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Manoel Bento Neto - Rua Cassimiro Nogueira da Silva, 350 - Cep: 16240-000 - Centro - SantĂłpolis do AguapeĂ­/SP - 180 - R$ 16.301,00 - R$ 1.630,00 - 14:00 - 26/09/2013. 69/03681/13/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE ProfÂŞ Carolina Lopes de Almeida - Rua Nelson Miranda Silva, 2-68 - Cep: 17021-420 - Prq. SĂŁo Geraldo - Bauru/SP - 180 - 40,92 - R$ 57.374,00 - R$ 5.737,00 - 14:30 - 26/09/2013. 69/03682/13/02 - Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador e Reforma de PrĂŠdios Escolares - EE Dr. Carlos Chagas - Rua Benedito Raimundo de Matos, 3-80 - Cep: 17023-180 - Vila S. Paulo – Bauru/ SP; EE JoĂŁo Pedro Fernandes - Rua dos Pintores, Q 2 - Cep: 17022-470 - Nhb Vanuire – Bauru/SP - 180 - 32,47 / 112,74 - R$ 148.529,00 - R$ 14.852,00 - 15:00 - 26/09/2013. 72/01225/13/02 - Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE ProfÂŞ MĂŠrcia Artimos Maron - Rua Sta Marta, 86 - Cep: 09940-180 - Jd. Sta Rita – Diadema/SP - 210 - 41,30 - R$ 115.977,00 - R$ 11.597,00 - 15:30 - 26/09/2013. 72/01381/13/02 - Construção de Ambientes Complementares e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Origenes Lessa - Rua Pe Antonio Tomaz, 85 - Cep: 09960-050 - Jd. Sta. Elizabeth - Diadema/SP - 210 - 34,13 - R$ 93.899,00 - R$ 9.389,00 - 16:00 - 26/09/2013. 73/01380/13/02 - Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Mto Fabiano Lozano - Rua Humberto I, 633 - Cep: 04018-031 - Vila Mariana - SĂŁo Paulo/SP - 210 44,29 - R$ 56.433,00 - R$ 5.643,00 - 16:30 - 26/09/2013. 73/01510/13/02 - Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Dona Ana Rosa de Araujo - Rua Eden, 100 - Cep: 05619-000 - Vila Inah - SĂŁo Paulo/SP - 210 - 25,10 - R$ 81.333,00 - R$ 8.133,00 - 09:30 - 27/09/2013. 73/01609/13/02 - Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador e Reforma de PrĂŠdios Escolares - EE ProfÂŞ Marianinha Queiroz - Praça 10 de Agosto, 35 - Cep: 06890-000 - Centro - SĂŁo Lourenço da Serra/SP; EE Alexandre Rodrigues Nogueira - Rua Alexandre Rodrigues Nogueira, 501 - Cep: 06900-000 - Jd. EmĂ­lia - Embu-Guaçu/SP - 210 - 16,90 / 18,05 - R$ 119.239,00 - R$ 11.923,00 - 10:00 - 27/09/2013. 69/02915/13/02 - Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Dona Consuelo Fernandes de Magalhaes Castro - Rua Dr. Miguel Coutinho, 12-43 - Cep: 19470-000 - Vila Cruzeiro do Sul - Presidente EpitĂĄcio/SP - 180 - R$ 57.114,00 - R$ 5.711,00 - 10:30 - 27/09/2013. 69/03270/13/02 - Construção de Ambientes Complementares com Fornecimento, Instalação, Licenciamento e Manutenção de Elevador e Reforma de PrĂŠdio Escolar - EE Prof JosĂŠ da Costa - Rua Alm. Barroso, s/nÂş - Cep: 11530-180 - Jd. 31 de Março – CubatĂŁo/SP - 210 - 40,20 - R$ 114.357,00 - R$ 11.435,00 - 11:00 - 27/09/2013. As empresas interessadas poderĂŁo obter informaçþes e verificar o Edital e o respectivo Caderno de Encargos e Composição do BDI na SEDE DA FDE, na SupervisĂŁo de Licitaçþes, na Av. SĂŁo LuĂ­s, 99 - RepĂşblica - CEP: 01046-001 - SĂŁo Paulo/SP ou atravĂŠs da Internet pelo endereço eletrĂ´nico www.fde.sp.gov.br. Os interessados poderĂŁo adquirir o Edital completo atravĂŠs de CD-ROM a partir de 09/09/2013, na SEDE DA FDE, de segunda a sextafeira, no horĂĄrio das 08:30 Ă s 17:00 horas, mediante pagamento nĂŁo reembolsĂĄvel de R$ 40,00 (quarenta reais). Os interessados poderĂŁo adquirir o CD-ROM referente Ă s Planilhas, ao custo de R$ 3,00 (trĂŞs reais), na SEDE DA FDE, de segunda a sextafeira, dentro do horĂĄrio de expediente, das 08:30 Ă s 17:00 horas. Todas as propostas deverĂŁo estar acompanhadas de garantia de participação, a ser apresentada Ă  SupervisĂŁo de Licitaçþes da FDE, conforme valor indicado acima. Os invĂłlucros contendo a PROPOSTA COMERCIAL e os DOCUMENTOS DE HABILITAĂ‡ĂƒO deverĂŁo ser entregues, juntamente com a Solicitação de Participação, a Declaração de Pleno Atendimento aos Requisitos de Habilitação e a garantia de participação, no Setor de Protocolo da SupervisĂŁo de Licitaçþes - SLI na SEDE DA FDE, atĂŠ 30 minutos antes da abertura da licitação. Esta Licitação serĂĄ processada em conformidade com a LEI FEDERAL nÂş 8.666/93 e suas alteraçþes, e com o disposto nas CONDIÇÕES GERAIS PARA A REALIZAĂ‡ĂƒO DE LICITAÇÕES E CONTRATAÇÕES DA FUNDAĂ‡ĂƒO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAĂ‡ĂƒO - FDE. As propostas deverĂŁo obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital. BARJAS NEGRI - Presidente

Saracura Brasil GestĂŁo e Participação Ltda. NIRE: 35.221.641.661 - CNPJ/MF: 09.023.689/0001-44 Extrato da 4ÂŞ Alteração e Consolidação de Contrato Social Pelo presente Instrumento: Felipe Sica Soares Cavalieri, RG 25.292.070-3 SSP/SP, CPF/MF 263.618.048-60, residente em SP/SP; Christiano Kunzler, RG 1.075.780.161 SSP/RS, CPF/MF 759.808.430-00, residente em Barueri/SP, ambos brasileiros, empresĂĄrios, casados e Ăşnicos sĂłcios, RESOLVEM alterar e consolidar o Contrato Social: 1. Aprovaram o Protocolo e JustiďŹ cação de CisĂŁo Parcial, e versĂŁo da parcela cindida da Sociedade Ă  BUFF GestĂŁo e Participação Ltda. ME, sede em SP/SP, JUCESP NIRE 35.223.062.706 e CNPJ/MF 10.652.528/000107. 2. Diante da cisĂŁo parcial, aprovaram a redução do capital social, totalmente subscrito e integralizado de R$5.000.000,00, dividido em 5.000.000 de quotas, com valor nominal de R$1,00 cada, para R$100,00, dividido em 100 quotas, com valor nominal de R$1,00 cada uma, e alteram a ClĂĄusula 5ÂŞ do Contrato Social. 3. O sĂłcio Christiano Kunzler titular de 45 quotas, no valor nominal unitĂĄrio de R$1,00, totalizando R$45,00, totalmente subscrito e integralizado, retira-se da Sociedade, cedendo e transferindo a totalidade de sua participação societĂĄria para o sĂłcio Felipe Sica Soares Cavalieri, e declara que as Quotas encontram-se livres e desembaraçadas de quaisquer Ă´nus. A presente cessĂŁo de Quotas ĂŠ celebrada em carĂĄter irrevogĂĄvel e irretratĂĄvel, nĂŁo admitindo arrependimento. 4. O sĂłcio Felipe Sica Soares Cavalieri, compromete-se a recompor o quadro societĂĄrio, no prazo de atĂŠ 180 dias contados da presente data. 5. Alterar a ClĂĄusula Quinta do Contrato Social. 6. Christiano Kunzler, renuncia ao cargo de Administrador, permanecendo na administração apenas Felipe Sica Soares Cavalieri. A Sociedade e Christiano Kunzler, se outorgam a mais ampla, geral e irrestrita quitação por todos os atos praticados em nome e representação da Sociedade atĂŠ a presente data, para nada reclamarem entre si, a qualquer tĂ­tulo, e alteram a ClĂĄusula Oitava do Contrato Social. 7. Alterar a sede social para R. Professor Nova Gomes, 382, sala 1, Alto de Pinheiros, CEP 05448-100, SP/SP, alterando-se a ClĂĄusula 2ÂŞ do Contrato Social. 8. Permanecem inalteradas e convalidadas as demais ClĂĄusulas do Contrato Social e resolvem Consolidar o Contrato Social. Nada mais. SP, 28.09.2012. Felipe Sica Soares Cavalieri - Presidente; Christiano Kunzler - SecretĂĄrio. JUCESP 515.736/12-0 em 03.12.2012. Gisela Simiema Ceschin - Sec. Geral.

ECONOMIA/LEGAIS - 23

Odebrecht TransPort Participaçþes S.A. NIRE 35.300.358.091 - CNPJ/MF Nº 10.143.462/0001-11

Ata de Assembleia Geral ExtraordinĂĄria Dia, hora e local: Em 1Âş de agosto de 2013, Ă s 10 horas, na sede da Companhia, localizada na Avenida das Naçþes Unidas, nÂş 4.777, 5Âş andar - Ala A, Alto de Pinheiros, SĂŁo Paulo/SP, CEP 05477-000. Presença: Acionista representando a totalidade do capital social, conforme assinaturas lançadas no Livro de Registro de Presença de Acionistas. Convocação: Dispensada a publicação de Edital de Convocação, conforme disposto no Artigo 124, § 4Âş da Lei nÂş 6.404/76, conforme alterada (“Lei das S.A.sâ€?). Mesa: Paulo Henyan Yue Cesena, Presidente; Adriano Sa de Seixas Maia, SecretĂĄrio. Antes de iniciarem-se os trabalhos do dia, a acionista tomou conhecimento, nesta data, atravĂŠs de carta dirigida Ă  Companhia, da renĂşncia dos Srs.: (i) Felipe Montoro Jens, brasileiro, casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 166.417.478-83, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 17.032.674 SSP/SP, residente e domiciliado na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com endereço comercial na Avenida Rebouças, nÂş 3.970, 32Âş andar, Pinheiros, SĂŁo Paulo - SP, ao cargo de Vice Presidente do Conselho de Administração da Companhia; e (ii) MĂ´nica Bahia Odebrecht, brasileira, advogada, divorciada, inscrita no CPF/MF sob o nÂş 541.080.715-49, portadora da cĂŠdula de identidade RG nÂş 2598721-64 SSP/BA, residente e domiciliada na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com escritĂłrio na Avenida Rebouças, nÂş 3.970, 32Âş andar, Pinheiros, SĂŁo Paulo - SP, ao cargo de membro suplente do Sr. Newton Sergio de Souza, no Conselho de Administração da Companhia; e, nesta oportunidade, agradeceram a atuação eficaz e competente dos mesmos no exercĂ­cio de seus cargos. Deliberaçþes: 1) Autorizada a lavratura da presente ata na forma de sumĂĄrio dos fatos ocorridos, conforme faculta o Artigo 130, §1Âş da Lei das S.A.s; e 2) Aprovada a eleição dos Srs.: (i) Marcela Aparecida Drehmer Andreade, brasileira, casada, administradora de empresas, inscrita no CPF/MF sob o nÂş 515.029.505-10, portadora da cĂŠdula de identidade RG nÂş 03.797.428-96 SSP-BA, residente e domiciliada na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com endereço comercial na Avenida Rebouças, nÂş 3.970, 32Âş andar, Pinheiros, SĂŁo Paulo - SP, para o cargo de membro titular do Conselho de Administração da Companhia; (ii) Daniel Bezerra Villar, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 024.449.667-67, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 09.370.154-8 IFP/RJ, residente e domiciliado na cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Avenida JoĂŁo Cabral de Melo Neto, nÂş 400, 13Âş andar, EdifĂ­cio PenĂ­nsula Corporate, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ, para o cargo de membro suplente do Sr. Newton Sergio de Souza, no Conselho de Administração da Companhia; (iii) Newton Sergio de Souza, brasileiro, casado, advogado, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 261.214.417-04, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 03.604.882-5 IFP/RJ, residente e domiciliado na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com endereço comercial na Avenida Rebouças, nÂş 3.970, 32Âş andar, Pinheiros, SĂŁo Paulo - SP, atual membro titular do Conselho de Administração da Companhia, para o cargo de Vice-Presidente do Conselho de Administração da Companhia, em substituição ao Sr. Felipe Montoro Jens; e (iv) Mauro Motta Figueira, brasileiro, casado, engenheiro de produção, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 115.134.858-90, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 11.335.092-2 SSP/SP, residente e domiciliado na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com endereço comercial na Avenida Rebouças, nÂş 3.970, 28Âş andar, Pinheiros, SĂŁo Paulo - SP, atual membro suplente do Sr. Felipe Montoro Jens, para o cargo de membro suplente da Sra. Marcela Aparecida Drehmer Andrade, no Conselho de Administração da Companhia; todos com mandato atĂŠ 1Âş de outubro de 2014, sendo permitida a reeleição, conforme preceitua o Artigo 12 do Estatuto Social da Companhia. Os conselheiros e suplentes ora eleitos serĂŁo investidos em seus cargos mediante a lavratura e assinatura de termo de posse no Livro de Registro de Atas de ReuniĂŁo do Conselho de Administração da Companhia. Atendendo ao disposto no Artigo 147 da Lei das S.A.s, os conselheiros e suplentes ora eleitos declaram, sob as penas da lei, nĂŁo estarem impedidos de exercer a administração da Companhia, por lei especial, ou em virtude de condenação criminal, ou por se encontrarem sob os efeitos dela, a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos pĂşblicos, ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussĂŁo, peculato, ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra normas de defesa de concorrĂŞncia, contra as relaçþes de consumo, fĂŠ pĂşblica, ou a propriedade. Diante do exposto, a composição do Conselho de Administração da Companhia, com mandato unificado atĂŠ 1Âş de outubro de 2014, passa a ser a seguinte: Membros titulares: (i) Benedicto Barbosa da Silva Junior, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 015.225.538-94, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 7.730.356 SSP/SP, residente e domiciliado na cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Praia de Botafogo, nÂş 300, 8Âş andar, Botafogo, Rio de Janeiro - RJ, Presidente do Conselho de Administração da Companhia; (ii) Newton Sergio de Souza, brasileiro, casado, advogado, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 261.214.417-04, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 03.604.882-5 IFP/RJ, residente e domiciliado na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com endereço comercial na Avenida Rebouças, nÂş 3.970, 32Âş andar, Pinheiros, SĂŁo Paulo - SP, Vice-Presidente do Conselho de Administração da Companhia; (iii) Adriano Chaves JucĂĄ Rolim, brasileiro, casado, advogado, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 508.511.015-34, inscrito na OAB sob o nÂş 280.660 OAB/SP, residente e domiciliado na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com endereço comercial na Praia de Botafogo, nÂş 300, 8Âş andar, Botafogo, Rio de Janeiro - RJ; (iv) Luiz Antonio Mameri, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 603.563.597-00, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 03.382.231-3, residente e domiciliado na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com endereço comercial na Avenida Rebouças, nÂş 3.970, 32Âş andar, Pinheiros, SĂŁo Paulo - SP; e (v) Marcela Aparecida Drehmer Andrade, brasileira, casada, administradora de empresas, inscrita no CPF/MF sob o nÂş 515.029.505-10, portadora da cĂŠdula de identidade RG nÂş 03.797.428-96 SSP-BA, residente e domiciliada na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com endereço comercial na Avenida Rebouças, nÂş 3.970, 32Âş andar, Pinheiros, SĂŁo Paulo - SP; e Membros suplentes: (vi) JoĂŁo Borba Filho, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob nÂş 095.292.097-20, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 1820.211 SSP/IFP, residente e domiciliado na cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Praia de Botafogo, 300, 8Âş andar, Botafogo, Rio de Janeiro - RJ, suplente do Sr. Benedicto Barbosa da Silva Junior, Presidente do Conselho de Administração da Companhia; (vii) Daniel Bezerra Villar, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 024.449.667-67, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 09.370.154-8 IFP/RJ, residente e domiciliado na cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Avenida JoĂŁo Cabral de Melo Neto, nÂş 400, 13Âş andar, EdifĂ­cio PenĂ­nsula Corporate, Barra da Tijuca, Rio de Janeiro - RJ, suplente do Sr. Newton Sergio de Souza, Vice-Presidente do Conselho de Administração da Companhia; (viii) Mauro Motta Figueira, brasileiro, casado, engenheiro de produção, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 115.134.858-90, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 11.335.092-2, residente e domiciliado na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com endereço comercial na Avenida Rebouças, nÂş 3.970, 28Âş andar, Pinheiros, SĂŁo Paulo - SP, suplente da Sra. Marcela Aparecida Drehmer Andrade; (ix) Jairo Elias Flor, brasileiro, casado, administrador de empresas, inscrito no CPF/MF sob nÂş 407.391.209-72, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 1.924.225-0 SSP/PR, residente e domiciliado na cidade de SĂŁo Paulo, Estado de SĂŁo Paulo, com endereço comercial na Avenida Rebouças, nÂş 3.970, 32Âş andar, Pinheiros, SĂŁo Paulo - SP, suplente do Sr. Adriano Chaves JucĂĄ Rolim; e (x) Jorge Henrique SimĂľes Barata, brasileiro, casado, engenheiro, inscrito no CPF/MF sob o nÂş 328.045.555-34, portador da cĂŠdula de identidade RG nÂş 15.446.492-9 SSP/BA, residente e domiciliado no Peru, com escritĂłrio na Avenida Victor AndrĂŠs BelaĂşnde 280 - Of. 502, San Isidro Lima - Peru, suplente do Sr. Luiz Antonio Mameri. Quorum das Deliberaçþes: Todas as deliberaçþes foram aprovadas por unanimidade, sem reservas ou restriçþes. Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a Assembleia, lavrando-se a presente Ata que, apĂłs lida e aprovada, foi assinada por todos os presentes. SĂŁo Paulo/SP, 1Âş de agosto de 2013. Mesa: Paulo Henyan Yue Cesena - Presidente; Adriano Sa de Seixas Maia - SecretĂĄrio. Acionista: Odebrecht TransPort S.A. Certifico e dou fĂŠ que essa ata ĂŠ cĂłpia fiel da ata lavrada no livro prĂłprio. SĂŁo Paulo/SP, 1Âş de agosto de 2013. Adriano Sa de Seixas Maia - SecretĂĄrio. Junta Comercial do Estado de SĂŁo Paulo. Certifico o registro sob o nĂşmero 341.910/13-2, em 03/09/2013. Gisela Simiema Ceschin, SecretĂĄria-Geral.

Buff GestĂŁo e Participação Ltda. - NIRE 35.223.062.706 - CNPJ 10.652.528/0001-07 Extrato da Ata de ReuniĂŁo de SĂłcios realizada em 28/09/2012 Data, Hora e Local: 28/09/2012, Ă s 11hs, na sede social, R. Professor Nova Gomes, 382, sl. 1, Alto de Pinheiros, SP/SP. Mesa: Felipe Sica Soares Cavalieri (Presidente) e Christiano Kunzler (SecretĂĄrio). Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade do capital social. Deliberaçþes Aprovadas: (i) Protocolo e JustiďŹ cação de CisĂŁo Parcial, da Saracura Brasil GestĂŁo e Participação Ltda., sede em SP/SP, JUCESP NIRE 35.221.641.661 e CNPJ/MF nÂş 09.023.689/0001-44 (“Saracuraâ€?), com a versĂŁo de parcela cindida Ă  Sociedade; (ii) RatiďŹ caram a nomeação e contratação dos peritos que realizaram a avaliação do acervo lĂ­quido da Saracura, bem como aprovaram o Laudo de Avaliação contĂĄbil; (iii) A versĂŁo da parcela do patrimĂ´nio cindido da Saracura Ă  Sociedade, nos termos e condiçþes estabelecidas no Protocolo, passando a pertencer a esta Sociedade os direitos e obrigaçþes referentes Ă  parcela do patrimĂ´nio cindido, com a consequente redução do capital social da Saracura e aumento de capital social da Sociedade; (iv) Em razĂŁo da cisĂŁo e consequente absorção do acervo lĂ­quido cindido da Saracura, o capital social da Sociedade, de R$9.250.000,00 serĂĄ aumentado em R$4.999.900,00, mediante a emissĂŁo de 4.999.900 quotas, no valor nominal de R$ 1,00 cada, as quais serĂŁo totalmente integralizadas mediante a versĂŁo da parcela cindida do acervo lĂ­quido ajustado da Saracura para a Sociedade, passando o Capital Social para R$14.249.900,00, dividido em 14.249.900 quotas, com valor nominal de R$ 1,00 cada. (v) Alterar a ClĂĄusula 5ÂŞ do Contrato Social. (vi) Alteração do objeto social para que passe a constar a inclusĂŁo de atividades. (vii) Alteração do endereço da sede social, para a Av. Brigadeiro Faria Lima, nÂş 2.013, 1Âş and., sl. 1C, bairro Jd. AmĂŠrica, CEP: 01452-923, SP/SP. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata. SP, 28/09/2012. SĂłcios: Felipe Sica Soares Cavalieri, Christiano Kunzler. JUCESP 515.739/12-1 em 03/12/2012. Gisela Simiema Ceschin - Sec. Geral.

PREFEITURA DO MUNICĂ?PIO DE ANDRADINA EXTRATO DE CONTRATO. PROCESSO NÂş 76/13 – TOMADA DE PREÇOS NÂş 13/13. CONTRATANTE: Prefeitura do MunicĂ­pio de Andradina. OBJETO: Contratação de empresa especializada para a construção de Unidade de Atenção Ă  SaĂşde – Norte, no Jardim das Tulipas – Vila Botega. DO PAGAMENTO: No 5Âş (quinto) dia, apĂłs a aprovação da medição efetuada. DO PRAZO DE EXECUĂ‡ĂƒO: 180 (cento e oitenta) dias contados da data da ordem de serviços. CONTRATADO: W J SALEME ENGENHARIA E CONSTRUĂ‡ĂƒO LTDA. VALOR DO CONTRATO: R$ 223.129,17 (Duzentos e vinte e trĂŞs mil, cento e vinte e nove reais e dezessete centavos). DATA DO CONTRATO: 29 de agosto de 2013. JAMIL AKIO ONO – Prefeito.

PREFEITURA DO MUNIC�PIO DE ANDRADINA EXTRATO DO 5° ADITAMENTO CONTRATUAL. PROCESSO Nº 107/11 – TOMADA DE PREÇOS Nº 16/11. Objeto: Contratação de empresa especializada para execução de pavimentação asfåltica, tipo CBUQ e execução de guias e sarjetas referente ao contrato de repasse 0336262-78/2010/ MinistÊrio do Turismo. Contratante: Prefeitura do Município de Andradina; Contratado: Scamatti & Seller Infra-Estrutura Ltda. Fica ajustado entre as partes que o prazo de vigência do contrato serå prorrogado por mais 180 (cento e oitenta) dias. As demais clåusulas e condiçþes dos contratos supra permanecem inalteradas. Data: 30 de agosto de 2013. Jamil Akio Ono - Prefeito.

PREFEITURA DO MUNICĂ?PIO DE ANDRADINA EXTRATO DE CONTRATO. PROCESSO NÂş 64/13 – PREGĂƒO NÂş 34/13. CONTRATANTE: Prefeitura do MunicĂ­pio de Andradina. OBJETO: Aquisição de um veĂ­culo automotor zero km, tipo Ă´nibus, ConvĂŞnio n° 773874/2012 MinistĂŠrio do Desenvolvimento Social e Combate Ă  Fome. DO PAGAMENTO: 10 (dez) dias apĂłs a emissĂŁo da Nota Fiscal. DO PRAZO DE ENTREGA: 90 (noventa) dias, contados da assinatura do contrato. CONTRATADO: NOROMAK CAMINHĂ•ES E Ă”NIBUS LTDA. VALOR DO CONTRATO: R$ 175.000,00 (Cento e setenta e cinco mil reais). DATA DO CONTRATO: 08 de agosto de 2013. JAMIL AKIO ONO – Prefeito.

PREFEITURA DO MUNICĂ?PIO DE ANDRADINA EXTRATO DE CONTRATO. PROCESSO NÂş 60/13 – TOMADA DE PREÇOS NÂş 11/13. CONTRATANTE: Prefeitura do MunicĂ­pio de Andradina. OBJETO: Contratação de empresa especializada para construção de casas populares para famĂ­lias carentes. DO PAGAMENTO: 05 (cinco) dias apĂłs cada medição devidamente aprovado. DO PRAZO DE EXECUĂ‡ĂƒO: 90 (noventa) dias contados da data da ordem de serviços. CONTRATADO: W J SALEME ENGENHARIA E CONSTRUĂ‡ĂƒO LTDA. VALOR DO CONTRATO: R$ 183.921,96 (Cento e oitenta e trĂŞs mil, novecentos e vinte e um reais e noventa e seis centavos). DATA DO CONTRATO: 08 de agosto de 2013. JAMIL AKIO ONO – Prefeito.

MINISTÉRIO PĂšBLICO DO ESTADO DE SĂƒO PAULO AVISO DE LICITAĂ‡ĂƒO PregĂŁo nÂş 046/2013 - Processo nÂş 006/2013 C.I. Acha-se aberto, no MinistĂŠrio PĂşblico do Estado de SĂŁo Paulo, o PregĂŁo Presencial nÂş 046/2013 - Processo nÂş 006/2013 C.I., que tem por objeto a contratação de empresa especializada para aplicação de exame psicotĂŠcnico em, aproximadamente, 180 (cento e oitenta) candidatos aprovados na Prova Escrita do 90Âş Concurso de Ingresso na Carreira do MinistĂŠrio PĂşblico. O Edital da presente licitação encontra-se Ă  disposição dos interessados, gratuitamente, na ComissĂŁo Julgadora de Licitaçþes, situada na Rua Riachuelo nÂş 115, 5Âş andar, sala 506, de 2ÂŞ a 6ÂŞ feira, das 09:30 Ă s 18:30 horas, ou atravĂŠs da Internet nos Sites www.mpsp.mp.br e www.e-negociospublicos.com.br. Os envelopes serĂŁo recebidos na sessĂŁo pĂşblica de processamento do PregĂŁo, na Rua Riachuelo nÂş 115, AuditĂłrio Queiroz Filho, no dia 20/09/2013, e sua abertura dar-se-ĂĄ Ă s 11:00 horas no mesmo dia e local. ComissĂŁo Julgadora de Licitaçþes, em 06 de setembro de 2013.

Central Veredas de Agro-negócios S/A CNPJ/MF N9 02.240.508/0001-92 •NIRE nº 35.300.357.809 Extrato da Ata de AssemblÊia Geral Extraordinåria Data, Local e Horårio: 20/03/2013, às 11:00hs, na sede social. Convocação e Presenças: Dispensada, nos termos do disposto no art. 124, §4º da Lei das S/A, em razão de estarem presentes os acionistas titulares da totalidade das açþes da Cia. Mesa: Presididos pelo Sr. Alexandre Alberto Elias e secretariados pela Sra. Denise Gonçalves Costa. Deliberaçþes: Considerando que desde 01/04/2011 não ocorreu a eleição de membros da Diretoria da Cia, e de acordo com o art. 150, §4° da Lei 6.404 de 1976, o prazo de gestão da diretoria se estende atÊ a investidura de novos administradores eleitos, os acionistas por unanimidade de votos e sem quaisquer restriçþes, ratificam todos os atos praticados pela Diretoria da Cia desde 01/04/2011, e aprovam a reeleição da Diretora Presidente, Sra. Denise Gonçalves Costa, brasileira, solteira, administradora de empresas, inscrita no CPF/MF sob o nº 113.071.358-03, portadora da cÊdula de identidade RG nº 23.106.299-0, para ocupar o cargo de Diretora-Presidente, com mandato de 01 ano. Os acionistas deliberaram ainda, a reeleição do Sr. Alexandre Alberto Elias, brasileiro, casado, empresårio, inscrito no CPF/MF sob o nº 050.850.548-81, portador da Carteira de identidade de RG nº 15.783.341-0, para ocupar o cargo de Diretor sem designação específica, tambÊm, com mandato de 01 ano. Os Diretores ora eleitos declaram, sob as penas da lei, que não estão impedidos de exercer a administração da Companhia, seja por determinação de lei especial ou em virtude de condenação criminal ou, ainda, por se encontrar sob os efeitos de pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, ou contra economia popular, contra sistema financeiro nacional, contra normas de defesa da concorrência, contra relaçþes de consumo, fÊ pública, ou a propriedade. Encerramento: Lida e achada conforme, foi assinada por todos os acionistas presente. Acionistas: Alexandre Alberto Elias e Reinaldo Alberto Elias. Mesa: Presidente Sr. Alexandre Alberto Elias. Secretåria Sra. Denise Gonçalves Costa. JUCESP nº 161.542/13-0 em 29/04/2013 por Gisela Simiema Ceschin - Secretåria Geral

Buff GestĂŁo e Participação Ltda. - NIRE 35.223.062.706 - CNPJ 10.652.528/0001-07 Extrato da 4ÂŞ Alteração e Consolidação de Contrato Social Pelo presente Instrumento: Felipe Sica Soares Cavalieri, RG 25.292.070-3 SSP/SP, CPF/MF 263.618.048-60, residente em SP/SP; Christiano Kunzler, RG 1.075.780.161 SSP/RS, CPF/MF 759.808.430-00, residente em Barueri/SP; ambos brasileiros, empresĂĄrios, casados e Ăşnicos sĂłcios, RESOLVEM alterar e consolidar o Contrato Social: 1. Aprovaram o Protocolo e JustiďŹ cação de CisĂŁo Parcial da Saracura Brasil GestĂŁo e Participação Ltda., sede em SP/SP, JUCESP NIRE 35.221.641.661 e CNPJ/MF nÂş 09.023.689/0001-44, com a versĂŁo de parcela cindida Ă  Sociedade. 2. Em razĂŁo da cisĂŁo, o capital social de R$9.250.000,00 serĂĄ aumentado em R$4.999.900,00, mediante a emissĂŁo de 4.999.900 quotas no valor nominal de R$1,00 cada uma, as quais serĂŁo totalmente integralizadas mediante a versĂŁo da parcela cindida do acervo lĂ­quido ajustado da Saracura para a Sociedade, passando o Capital Social para R$14.249.900,00, dividido em 14.249.900 quotas, com valor nominal de R$1,00 cada uma. 3. O capital social passarĂĄ para R$14.249.900,00, dividido em 14.249.900 quotas, no valor nominal de R$ 1,00 cada uma, alterando a ClĂĄusula 5ÂŞ do contrato Social. 4. InclusĂŁo de atividades no objeto social, alterando a ClĂĄusula 3ÂŞ do Contrato Social. 5. Alteração da sede social para Av. Brigadeiro Faria Lima 2.013, 1Âş andar, sala 1C, Jardim AmĂŠrica, CEP: 01452-923, SP/SP, alterando-se a ClĂĄusula 2ÂŞ do Contrato Social. 6. Consolidação do Contrato Social. Nada mais. SP, 28.09.2012. Felipe Sica Soares Cavalieri - Presidente, Christiano Kunzler - SecretĂĄrio. JUCESP 515.738/12-8 em 03.12.12. Gisela Simiema Ceschin - SecretĂĄria Geral. EDITAL DE CONVOCAĂ‡ĂƒO ASSEMBLEIA GERAL Os CondĂ´minos-ProprietĂĄrios da Associação dos ProprietĂĄrios do CondomĂ­nio Rochelle1, no uso das atribuiçþes que lhe sĂŁo conferidas por lei Condominial, Faz saber a todos que em 22 de setembro de 2013 nas dependĂŞncias do CondomĂ­nio R: 4, CASA 66. CondomĂ­nio Rochelle1, Ă s 10:00 horas, em primeira convocação com presença de CondĂ´minos que representa 2/3 (dois terços) dos CondĂ´minos-proprietĂĄrios e, Ă s 10:30 horas, em segunda convocação com a presença mĂ­nima de 10 (dez) CondĂ´minos-proprietĂĄrios, farĂĄ realizar ASSEMBLÉIA GERAL que terĂĄ a seguinte Ordem do Dia: ALTERAĂ‡ĂƒO DO ESTATUTO SOCIAL; APROVAĂ‡ĂƒO DA IMPLANTAĂ‡ĂƒO DA REDE DE Ă GUA E ESGOTO DA SABESP; APRESENTAĂ‡ĂƒO DO REGIMENTO INTERNO; NOMEAĂ‡ĂƒO DO NOVO REPRESENTANTE DO CARGO DE SECRETĂ RIO E TESOUREIRO. Disposiçþes a serem Cumpridas: 1 PoderĂŁo participar da ASSEMBLÉIA, todos os CondĂ´minos-ProprietĂĄrios; 2 PoderĂŁo exercer o direito de voto somente os CondĂ´minos-proprietĂĄrios; Os votos serĂŁo computados por maioria simples dos CondĂ´minos-proprietĂĄrios presentes na ASSEMBLÉIA. CARAPICUIBA 04 DE SETEMBRO DE 2013. SIRLENE GOMES GITTI PINHEIRO_ PRESIDENTE.

PREFEITURA MUNICIPAL DE IPEĂšNA/SP AVISO DE LICITAĂ‡ĂƒO - PREGĂƒO PRESENCIAL NÂş 012/2013 PregĂŁo Presencial NÂş 012/2013 – Objeto: fornecimento parcelado de hortifrutigranjeiros para a Merenda Escolar, Setor de SaĂşde eAssistĂŞncia Social, atĂŠ o final do presente exercĂ­cio. Recebimento dos envelopes: atĂŠ Ă s 9h00 do dia 30/9/13. O edital e anexos encontram-se Ă  disposição dos interessados no Setor de Licitaçþes da Prefeitura, situado na Rua 01, 275 – Centro, IpeĂşna/SP, no horĂĄrio das 8h00 Ă s 11h30 e das 13h00 Ă s 17h30, em dias Ăşteis. Informaçþes pelo telefone (19) 3576-9007 ou licitacao@ipeuna.sp.gov.br. IpeĂşna, 5/9/2013. Rossane Ap. Salla – Pregoeira.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP PROCESSO LICITATĂ“RIO 69/13 - PREGĂƒO 43/13 Acha-se aberto, na Prefeitura do MunicĂ­pio de Castilho, o Processo LicitatĂłrio 69/13, na modalidade de PregĂŁo 43/13, na forma presencial, para a aquisição de pneus. Data: 19 de setembro de 2013, Ă s 09 horas. O edital, na Ă­ntegra, encontra-se Ă  disposição dos interessados na Praça da Matriz, 247, Castilho. Informaçþes complementares serĂŁo fornecidas pelo telefone (18) 3741-9000, ramal 9034 e pelo e-mail: licitacoescastilho@starsnet.com.br.

SV HOLDING INDUSTRIAL S.A.

%02,/( 0Â?   0+4'  'ZVTCVQ FC #VC FG 4%# TGCNK\CFC GO  FG CDTKN FG  +PUVCNCnlQ  iU JU UGFG UQEKCN /GUC 2TGUKFGPVG 5T #WToNKQ FG #NOGKFC 2TCFQ %KFCFG 5GETGVhTKQ 5T .WKU 4QDGTVQ 5QWVQ 8KFKICN &GNKDGTCnlQ 'NGKnlQ RCTC EQORQT C &KTGVQTKC FC %KC FQU UGIWKPVGU OGODTQU C 1FGPKT #PVQPKQ 8CNoTKQ 4) 55252 G %2(/(  G 'FUQP .WK\ 5VCFNGT 4) 55252 G %2(/(  RCTC QU ECTIQU FG FKTGVQT UGO FGUKIPCnlQ GURGEsHKEC 1U FKTGVQTGU QTC GNGKVQU VQOCTlQ RQUUG GO UGWU ECT IQU OGFKCPVG C CUUKPCVWTC FQU TGURGEVKXQU VGTOQU PQ NKXTQ FG CVCU FG 4GWPK|GU FG &KTGVQTKC EQO OCPFCVQ FG  CPQU G FGENCTCO UQD CU RGPCU FC NGK SWG RCTC HKPU FQ FKURQUVQ PQ Â…Â? FQ CTV  FC NGK  PlQ GUVCTGO KPEWTUQU GO SWCNSWGT FQU ETKOGU RTGXKUVQU GO NGK SWG QU KORGnCO FG GZGTEGT Q ECTIQ FG CFOKPKUVTCFQT FC %KC 'PEGTTCOGPVQ 0CFC OCKU 5lQ 2CWNQ  ,WEGUR PÂ?  GO  )KUGNC 5KOKGOC %GUEJKP  5GETGVhTKC )GTCN


DIÁRIO DO COMÉRCIO

24

e

sábado, domingo e segunda-feira, 7, 8 e 9 de setembro de 2013

Pesquisa da eCGlobal mostra que, apesar de 76% dos brasileiros alegarem que seus direitos de consumidor não são respeitados, apenas 5% deles utilizam as redes sociais para reclamar.

conomia

Empresas processam na Justiça seus clientes por danos morais. Números consolidados não existem, mas numa pesquisa rápida nos tribunais é possível localizar essas ações com facilidade.

A reação das empresas às críticas na internet

Conheça algumas decisões

N

Zilberm

an

A

s empresas brasileiras estão cada vez mais processando na Justiça consumidores em decorrência de críticas postadas nas redes sociais ou em sites de reclamações. Números consolidados não existem, mas numa pesquisa rápida nos tribunais, é possível localizar uma dessas ações com facilidade. Os próprios advogados consultados pela coluna afirmam categoricamente que há aumento da procura de empresas por orientações sobre como agir diante de uma determinada postagem de um cliente seu. E isso não ocorre só no Brasil. Recentemente, uma notícia publicada num jornal brasileiro informava que a Justiça americana está sendo inundada de ações por danos morais por parte de empresas como forma de reação às críticas de consumidores em sites de reclamação. Muitas dessas ações lá têm sido procedentes. O que fez nascer essa situação, tanto nos EUA quanto no Brasil, foi a popularização das redes sociais e dos sites de reclamações, que estão se transformando em canais “eficientes” – na visão do consumidor – para o compartilhamento de uma insatisfação por uma solicitação não atendida, pela demora na solução de uma questão, pelo atendimento recebido ou porque o consumidor não concordou com a argumentação da empresa sobre a sua demanda. “Mais que isso", sustenta Vinícius Zwarg, advogado especialista em direito do consumidor do escritório Emerenciano, Baggio e Associados. "A internet deu o papel de ator para o consumidor se expressar. E ele está usando isso e conhece muito bem o poder de uma manifestação pela rede mundial de computadores”. Mas o número de consumidores que usam as redes sociais para reclamar de um produto ou serviço não é tão grande. Pesquisa que ouviu 1.108 internautas da eCGlobal, deste ano, mostra que, apesar de 76% dos brasileiros alegarem que seus direitos de consumidor não são respeitados, apenas 5% deles utilizam as redes sociais pa-

ra reclamar. A grande maioria (70%) utiliza as centrais de atendimento para direcionar suas reclamações. Legítimo – Conforme o advogado, o próprio Poder Judiciário já disse que o uso da internet pelo consumidor para expor seu descontentamento é legítimo e, para a empresa, ser exposta nesse ambiente configura um risco inerente a sua atividade. Em contrapartida, o Tribunal Superior da Justiça (STJ), em 1999, lançou a Súmula 21, cujo tema é os danos morais causados por publicação da imprensa, “considerando civilmente responsáveis pelo ressarcimento de dano decorrente de publicação pela imprensa tanto o autor do escrito quanto o proprietário do veículo de divulgação”. Conforme alguns advogados, esta súmula pode também ser

considerada para ações em caso de publicações na internet. Só que não é para qualquer postagem na rede social que se deve buscar o Judiciário. Quando um consumidor compartilha na internet um “não gostei”, citando o nome de uma companhia, não há por que a empresa buscar reparação ou pedir que a postagem seja excluída. Conforme Zwarg, “a expressão da opinião tem de ser dentro de limites legais”, algo complicado de se avaliar, porque há muita subjetividade nesse contexto. “Entretanto, é preciso analisar o desdobramento de uma expressão do consumidor. Isso porque a questão divulgada pode ser de caráter criminal, não só cível. Por exemplo, quando o diretor de uma companhia é chamado de bandido. Nossa legislação garante a

FIQUE POR DENTRO CRÉDITO

As instituições financeiras e as empresas comerciais deverão informar ao consumidor os motivos pelos quais seu crédito foi negado. A medida foi

aprovada na semana passada pela Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara Federal. Conforme o texto, o cliente terá o direito de saber se a recusa foi baseada em restrições cadastrais nos serviços de proteção ao crédito, em critérios da própria instituição ou em inscrição no cadastro de emitentes de cheques sem fundo do Banco Central. Conforme a Agência Câmara, a proposta aprovada altera o Código de Defesa do Consumidor e foi um substitutivo do relator, deputado Ricardo Izar (PSD-SP), ao Projeto de Lei 5805/2009, do ex-deputado Bispo Gê Tenuta. O relator alterou a redação original para deixar claro que são as instituições financeiras e as empresas comerciais que devem prestar essa informação ao cliente assim que solicitados. Além disso, ficou especificado que a justificativa deve indicar que banco cadastral originou a recusa. Angela Crespo é jornalista especializada em consumo; e-mail: doislados@dcomercio.com.br

presunção da inocência até que se prove o contrário”, exemplifica o advogado. Direito à crítica – As empresas podem acionar judicialmente o consumidor quando este escreve mentiras, difama ou calunia. Arthur Rollo, advogado e professor de Direito da Faculdade de São Bernardo do Campo, relata um caso que defendeu – e ganhou –, de uma consumidora processada após ter divulgado no site Reclame Aqui seu descontentamento com o produto adquirido de uma determinada empresa, que não cumpria o prometido. “Ela falou por diversas vezes com a empresa, mas não teve solução. Expôs seu descontentamento no site e tomou processo, mas o juiz entendeu o direito constitucional de crítica dela.”

uma das ações levantadas pela coluna nos tribunais de Justiça, o desfecho ocorreu em fevereiro deste ano, em segunda instância. Uma empresa de São José dos Campos acionou seu cliente que reclamou, no Facebook, da qualidade do atendimento recebido. O consumidor saiu vitorioso. Em outro caso, o consumidor foi condenado a indenizar seu fornecedor e um funcionário por insulto a ambos. Há inúmeros outros casos, mais antigos, alguns inclusive que já viraram “cases” nas relações de consumo. A Parmalat, em 2008, por exemplo, processou um blog que usou seu logo e tinha o nome de “Parmalat Mas Não Morde”. A Fiat, por sua vez, entrou com ação contra o blog “Fui iludido, Agora é Tarde”. Não muito tempo atrás, a Renault entrou na Justiça contra a autora do blog “Meu Carro Falha”, onde ele contava a saga de ter um veículo da marca que estava estacionado desde a compra, em 2007, por falhas no motor, problema que não foi resolvido mesmo após ter procurado inúmeras vezes a empresa. Mesmo sendo prejudicada por não poder desfrutar de algo que comprou, o juiz julgou que a consumidora “cometeu abuso do seu direito de liberdade de expressão, causando danos à imagem da empresa”. Ele determinou a retirada do ar do site e dos comentários no Twitter, assim como do vídeo no YouTube em dois dias, caso contrário, a consumidora pagaria multa de R$ 100 ao dia. Há um caso que chegou ao Superior Tribunal de Justiça (STJ). Quem recorreu à instância máxima do Judiciário foi um consumidor que perdeu nas anteriores e pedia a redução do valor que deveria desembolsar em favor da empresa. Ele havia comprado um pacote de turismo de uma empresa e teve muitos problemas na viagem. Optou por propagar os maus serviços recebidos via internet. A empresa entrou numa batalha judicial pedindo indenização por danos morais. Em primeiro grau, ganhou e o cliente foi condenado a pagar 400 salários mínimos. O consumidor recorreu ao Tribunal de Justiça sob o argumento de que o valor era exagerado, mas a sentença foi mantida. No STJ, ele conseguiu a redução.

Cliente terá que indenizar mercado por confusão

U

m consumidor foi condenado pelo Tribunal de Justiça de São Paulo a pagar indenização de R$ 5 mil a um supermercado por ter alterado a verdade dos fatos e provocar tumulto quando retornou à loja para trocar produto adquirido por engano durante uma promoção. De acordo com o relator do processo, desembargador Paulo Eduardo Razuk “restou bem demonstrado nos autos, tanto pelas imagens quanto pelas declarações de clientes que presenciaram o evento, que a conduta do cliente deu ensejo à procela no estabelecimento”. Consta ainda da decisão que, “tal situação provocada pelo cliente demanda reprimenda, impondo-se o dever de indenizar a loja, para que a ofensa jamais se repita e para que ela seja compensada pela ofensa sofrida, que lhe ocasionou lesão aos seus direitos de personalidade”.

No caso, o cliente alegou que foi agredido pelos funcionários, com socos e pontapés, bem como com xingamentos. A promoção anunciada pela loja era de ovos brancos e o comprador enganou-se pegando ovos vermelhos, que custavam R$ 0,80 a mais, a dúzia. O cliente não se conformou com o preço pago pelo produto e dirigiuse ao estabelecimento, que não se negou a efetuar a troca. No ato da troca, porém, o cliente teria se recusado a pegar o novo produto e teria atirado a bandeja de ovos em um funcionário, com provocações e xingamentos de baixo calão; derrubou propositadamente uma banca de frutas e forjou que estava sendo agredido por funcionários, ao tropeçar sozinho na rua. Em seu voto, o desembargador Paulo Eduardo Razuk ressaltou

que a exaltação dos ânimos oriundos da discussão iniciada pelo cliente pode ter ensejado a troca de ofensas e xingamentos que representam meros dissabores, não passíveis de reparação por dano moral. “É de se salientar que a urbanidade, a boa educação e o bom senso, dentre outros, são primordiais nas relações humanas, e se o apelante tivesse assim agido nada disso teria acontecido, razão pela qual não faz jus a qualquer pedido indenizatório”, afirmou. A decisão, unânime, foi da 1ª Câmara de Direito Privado do TJ-SP e teve a participação dos desembargadores Rui Cascaldi e Elliot Akel. Com informações da Assessoria de Imprensa do TJ-SP. Fonte: Revista Consultor Jurídico (9/1/2013)


09092013