Page 1

Juiz quebra sigilo da Petrobras

Ano 90 - Nº 24.119

E quer uma devassa nas contas de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da estatal que está preso. Pág. 5

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

Conclusão: 23h50

R$ 1,40

São Paulo, sexta-feira, 9 de maio de 2014

Doleiro tem novo tentáculo: tráfico de cocaína.

Capacete dourado após seleção da Copa sem Povo

O doleiro Alberto Youseff é, sozinho, um polvo de crimes. Lavador de dinheiro, contrabandista de joias e vinho, traficante de influência e corrupção, agora ele foi denunciado em Curitiba por mais um tentáculo . O DC teve acesso a documentos que o associam a bolivianos e peruanos que remetiam cocaína do porto de Santos para a Europa, sob supervisão da gaúcha Maria de Fátima Stocker, presa na Espanha. A dupla brasileira tinha ligações como o grupo mafioso italiano Ndrangheta. Pág. 5

Nelson Antoine/Estadão Conteúdo

Eduardo Nicolau/Arquivo/Estadão Conteúdo

Renato S. Cerqueira/Estadão Conteúdo

Ficam música e sorriso

Nathaniel Brooks/NYT

A morte do elétrico Jair Rodrigues na pág. 11

A vaquinha vai dar leite. Sozinha. EUA: tecnologia nos currais vai do cocho à ordenha. Pág. 20 Seth Kugel/NYT

A presidente Dilma recebeu uma seleção da Copa Sem Povo, Tô na Luta de Novo, formada pela fusão do MST e MTST, depois que seus torcedores ocuparam prédios da Odebrecht (foto), OAS e Andrade Gutierrez, pichando-os com frases como Copa das tropas e das empreiteiras. Temas tratados: lucro das empreiteiras e ocupação de área ao lado do Itaquerão. Aí Dilma, de capacete, chegou à Copa do Mundo. Pág. 9

Corrupção à inglesa, entre tonéis.

Com feras na África. Pág. 22 Benjamin Norman/NYT

Acordo entre negociantes e o rei inflama Londres no século XVII. Pág. 11 ISSN 1679-2688

24119

Velozes narigudos 9 771679 268008

Página 4

Design arrojado nos carrões com carões. Pág. 21


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

sexta-feira, 9 de maio de 2014

O esvaziamento, que vem ocorrendo paulatinamente, é fruto da adesão quase total dos dirigentes ao governismo. José Márcio Mendonça

ELES TÊM

Alice Vergueiro/Estadão Conteúdo

NERVOS DE AÇO quadro de momento da sucessão presidencial está ficando cada vez mais claro, à medida que se aproximam o início da campanha pela televisão e o dia das eleições, e graças também à divulgação de pesquisas de intenção de voto, mostrando os candidatos posicionados na gangorra do sobe e desce. Se Dilma Rousseff for mantida como candidata pelo PT, a eleição pode ser decidida apenas no 2º turno, com resultado imprevisível, embora o favoritismo ainda seja da presidente.

O

EYMAR MASCARO

A participação dos principais puxadores de votos dos candidatos na campanha televisiva pode ser decisiva no resultado da eleição.

Festa da Força Sindical em 1º de Maio: perda de representatividade das centrais está aumentando ano a ano.

GOVERNISMO SINDICAL

o caso do partido mudar de opinião futuramente e decidir substituir Dilma por Lula, a probabilidade da eleição ser decidida já no 1º turno é grande, como retratam as pesquisas de opinião Lula apoia Dilma porque acredita 100% na sua vitória, mas se surpreendentemente durante a campanha a candidatura da presidente mergulhar no poço ou derreter, como diz José Serra, a pressão para que o ex-presidente aceite se candidatar será tão agressiva que ele dificilmente poderá recusar. Hoje, até os petistas do movimento "Volta, Lula" admitem que a troca de candidato só ocorrerá se Dilma estiver levando o xeque-mate antecipado de um dos opositores. A cúpula está certa de que na hipótese disso ocorrer, a própria Dilma tomaria a iniciativa de abrir mão de sua candidatura em favor de Lula para que o partido "não entregue o poder à oposição de graça".

N

E PERDA DE INFLUÊNCIA s festejos de Primeiro de Maio em São Paulo em anos recentes, tanto os promovidos pela Força Sindical quanto os bancados pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) sempre foram sucesso de público, embora nem tanto de crítica. Sucesso muito mais pelas atrações paralelas, como sorteios de preciosos brindes – até carros – mas também por causa das atrações de artistas populares pagos para fazer a melhor parte do show. A política partidária, dos políticos e o sindicalismo sempre foram atrações paralelas, secundárias. Mas a nave caminhava assim – e todos fingiam que tudo ia muito bem. Este ano, porém, uma pedreira monumental se abateu sobre a cabeça dos organizadores da festa. As multidões, que não eram assim tão multidões como se apregoava, mas que reunia algumas milhares de pessoas, virou uma "multidinha". A animação foi contida.

O

o evento da CUT, os políticos petistas, recebidos com vaias, evitaram discursar como nos bons tempos. Fizeram apenas ligeiras saudações ao público. Alguns, nem isto: escafederamse em silêncio, como foi o caso do prefeito paulistano Fernando Haddad. Os políticos oposicionistas que passaram pelo palanque da Força Sindical ti-

N

PAÍS DE CORDEIROS Pobre país "democrático" em que o poder Legislativo não atua como representante do povo que o elegeu e o sustenta. Em que o presidente do Senado é dirigido pelo Poder

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA

veram melhor sorte, mas sem empolgação ou apoteose. stas cenas, que podem ser vistas nas gravações das emissoras de televisão e comparadas com as dos eventos de anos anteriores, são o retrato acabado da perda de influência das centrais sindicais (e naturalmente dos sindicatos a elas filiados) junto às categorias que eles julgam representar. O esvaziamento, que vem ocorrendo paulatinamente, com todos fingindo não perceber, é fruto da adesão quase total de seus dirigentes ao governismo, num neopeleguismo de fazer inveja aos tempos de Getúlio Vargas e seus herdeiros no comando do Ministério do Trabalho.

E

om os cofres cheios, depois que o então presidente Lula, num generoso gesto para cooptar de vez a lealdade dos dirigentes sindicais e anular divergências, concedeu-lhes uma participação de 10% nos recursos arre-

C

Executivo, que por sua vez joga contra os direitos do povo pagante. O que esperar do nosso Congresso Nacional se o mesmo age, em sua maioria, como uma grande cordeiragem faminta pelas tetas do erário? Leila Elston- SP

cadados do Imposto Sindical, as centrais perderam a garra. Até a Força Sindical – cujo titular, o deputado Paulo Pereira da Silva, joga em vários campos – só faz barulho para o eleitor do Paulinho ver. É óbvio que o esvaziamento desse sindicalismo oficial era somente uma questão de tempo. E ele não se manifesta apenas na frequência e na participação em momentos festivos, como o Primeiro de Maio. Os líderes sindicais vão perdendo aos poucos a influência sobre as categorias de suas bases – ou são totalmente desmoralizados nos movimentos reivindicatórios delas ou aderem apenas posteriormente. O Rio de Janeiro, cidade onde a tensão social está mais na epiderme do que em qualquer outra metrópole brasileira, incluindo São Paulo, deu, nos últimos tempos, dois bons exemplos dessa situação. primeiro foi a greve dos garis no período de Carnaval, que por pouco não transformou a bela cidade num lixão a céu aberto. O sindicato oficial dos lixeiros desautorizou o movimento, a prefeitura anunciou que era coisa de um pequeno grupo de baderneiros pouco representativos dos trabalhadores e coisas assim. O fato, no entanto, é que as autoridades tiverem que retroceder, negociar e a greve só acabou depois que as reivindicações deles fo-

O

O SORRISO DO JAIR Jair Rodrigues cantava a música "Tristeza" sempre sorrindo, com alegria, pedindo para que ela fosse embora. E ele conseguia – tanto para si como para todos aqueles que

ram atendidas. O sindicato ficou a contar navios na Baía de Guanabara. Ontem, quinta-feira, outro sindicato oficial foi atropelado. Um grupo de motoristas dissidentes do sindicato oficial aprovou uma greve nos ônibus e provou o caos no transporte público na ex-capital da República. Milhares de pessoas foram afetadas, o que provocou a eclosão de uma outra faceta do mal estar social que grassa hoje no País: mais de 300 ônibus foram depredados pela população irada por não conseguir ir para o trabalho em condições mais ou menos normais. Na semana que vem, à revelia também dos sindicatos, está prevista greve dos professores do Estado e do município do Rio. ão movimentos que, sem controle, tendem para a anarquia, perigosamente. Os líderes sindicais e o próprio governo estão pagando pelos seus acordos de cúpula – o governo cooptando os líderes para não receber críticas, para conquistar a unanimidade sindical, e os líderes se locupletando. Não será fácil recompor a pax sindical no País, missão para a qual a presidente Dilma escalou seu secretário, ministro Gilberto Carvalho, até agora um estrondoso fracasso.

S

que pode ser decisivo no resultado da eleição é a participação dos principais puxadores de votos dos candidatos na campanha de televisão. Atualmente Lula é o cabo eleitoral nº 1 de Dilma, enquanto Fernando Henrique terá a missão de promover o crescimento de Aécio Neves nas pesquisas . E Marina Silva tem como compromisso a transferência de votos para Eduardo Campos, que ainda amarga uma posição incômoda na preferência dos eleitores. O êxito do desempenho de FHC na campanha de Aécio na TV ainda é uma incógnita, porque o partido decidiu marginalizá-lo nas eleições de 2002, 2006 e 2010. Eduardo Campos

não nega que deverá depender, fundamentalmente dos votos de Marina Silva e, o PT, mais uma vez aposta as fichas em Lula que, nas últimas eleições, conseguiu eleger dois dos chamados candidatos-postes, um para presidente da República e outro para a Prefeitura de São Paulo. ão havendo surpresa, o PT tem presença garantida no 2º turno, seja com Dilma, seja com Lula, desde que nenhum dos candidatos se eleja no 1º turno. Em teoria, o tucano Aécio Neves tem mais chance de chegar ao 2º turno, porque o PSDB está mais bem estruturado nos estados do que o PSB de Eduardo Campos. Os tucanos não acham que Marina Silva tenha mais força para transferir

N

O

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

o ouviam, porque o sorriso no rosto dele era a sua marca. Agora, de repente, ele se foi. Creio que por muito tempo vai ser difícil a tristeza ir embora... Pedro Vergueiro- SP

votos para Eduardo Campos do que FHC para Aécio Neves, como disse à Veja o diretor do Datafolha, Mauro Paulino. Custou, mas Campos "descobriu" que só pode chegar ao 2º turno se tiver mais votos que Aécio. Até agora, sua campanha era linha auxiliar do tucano. Campos ainda amarga o 3º lugar nas pesquisas, mas prometeu ao partido fazer campanha, daqui até a eleição, desgrudado de Aécio. EYMAR MASCARO É JORNALISTA E COMENTARISTA POLÍTICO

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Sílvia Pimentel e Victória Brotto. Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Arte e Diagramação: José dos Santos Coelho (Editor), André Max, Evana Clicia Lisbôa Sutilo, Gerônimo Luna Junior, Hedilberto Monserrat Junior, Lino Fernandes, Paulo Zilberman e Sidnei Dourado. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens: dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

3

E S P E C I A L I S TA S D I S C U T E M E F I C Á C I A D A S AT U A I S P E N A S PA R A D R O G A S .

Drogas e a lição de Al Capone MARK OSLER SXC

pós uma experiência desastrosa de 30 a n o s d e c o n d e n ações rígidas contra o narcotráfico resultando no encarceramento em massa, parlamentares estão começando a mudar de opinião. Muitos estados, inclusive o Texas, reformaram seus códigos penais a fim de reduzir as condenações. O Congresso está considerando seriamente o Projeto de Lei de Jurisprudência Mais Inteligente, que também reduz as penas. A Comissão de Jurisprudência Criminal dos EUA acabou de adotar uma proposta de revisão dos códigos federais. E mais recentemente, o procurador geral Eric H. Holder Jr. divulgou que o presidente Barack Obama pretende usar seu poder de perdão presidencial para libertar centenas, ou até milhares de presos federais condenados por narcotráfico (faço parte da comissão de treinamento dos advogados do projeto). Algo assim não acontecia desde que o presidente John F. Kennedy indultou mais de 200 presos condenados por crimes relativos às drogas.

Imagine um grupo de quatro pessoas que concordem em comprar e distribuir comprimidos de metanfetamina do México. O líder sabe como conseguir metanfetamina no atacado, e tem o capital para comprá-la. Ele acerta com um amigo para contrabandeá-la para o país, e dois outros a vendem com lucro. O líder receberá 80% do lucro, o contrabandista receberá 10% e cada vendedor receberá 5%. Se eles forem apanhados, o provável é que todos recebam a mesma pena – apesar de terem participações muito distintas.

A

nfelizmente, nada disso trata de um problema fundamental subjacente: continuamos a usar o peso das drogas como equivalência da culpabilidade de um réu individual, apesar do fracasso total dessa política. Se um chefão importar 15 quilos de cocaína para o país e pagar 400 dólares a um caminhoneiro para transportá-los, os dois correm o risco de ter a mesma condenação. Isso porque as leis atribuem penas mínimas e máximas ao peso das drogas em questão e não à participação e à responsabilidade de fato do réu.

I

ma melhor avaliação de culpabilidade seria o lucro obtido por um indivíduo através de operações do narcotráfico – porque as quadrilhas não são nada mais nada menos que um negócio. As pessoas que têm as habilidades mais importantes, o capital de risco ou os talentos empresariais ganham mais dinheiro. Os estatutos e as portarias deveriam ser reescritos de forma que as parcelas do lucro substituam as parcelas de peso. Só assim as "mulas" e os traficantes de rua enfrentarão penas corretamente bem mais curtas do que os verdadeiros chefões. Isso, claro, criaria um novo desafio para os promotores e investigadores, que teriam de oferecer provas do lucro de um réu individual. Não seria tão fácil quanto apanhar "mulas" e traficantes de rua. Mas "facilidade" e "justiça" raramente andam de mãos dadas.

U É um sistema malfeito, e que produziu condenações injustas para muitos pequenos infratores, criando desigualdades raciais e superlotando as nossas penitenciárias. Devíamos ter aprendido essa lição com Al Capone, que prosperou durante o período anterior de proibição do álcool e de violência. Ele não dirigia o caminhão de cerveja, nem vigiava o uísque, e isso dificultava com que ele fosse levado à justiça. No entanto, até agora não mudamos a estrutura das leis para priorizar a prisão dos principais responsáveis pelo tráfico de drogas. Em vez disso, os estatutos concentrados no peso e no código penal permitem que a polícia prenda as "mulas" e os traficantes de rua e aleguem que eles são os chefões.

Algumas leis criam limites extremamente baixos para as penas mais altas. Por exemplo, meu estado natal, Minnesota, classificaquem venda 10 gramas de cocaína em pó (o equivalente a 10 sachês de açúcar) como tão culpado quanto quem trafica substâncias controladas de primeiro grau – a mais grave das cinco categorias de delitos. Não há

diferenciação real entre o mais culpável atacadista e um ocasional traficante de rua. problema com essas reformas é que elas não descartam essa infraestrutura apodrecida. Em 2010, o Congresso promulgou a Lei de Condenação Justa, que alterou a proporção entre o crack e a cocaína em pó

O

Se um chefão do tráfico importar 15 quilos de cocaína para o país e pagar 400 dólares a um caminhoneiro para transportá-los, os dois correm o risco de ter a mesma condenação.

em termos de condenação de 100 por um (significando que a pena aplicada para o porte de 100 gramas de pó de cocaína era a mesma aplicada para o porte de um grama de crack) para 18 por um. O que a Lei de Condenação Justa não fez foi mudar o enfoque baseado no peso que lotou os nossas prisões com condenados por narcotráfico. Havia 4.749 desses detentos cumprindo penas nas cadeias americanas em 1980, antes do estabelecimento dos padrões baseados no peso. A partir de 2013, esse número subiu para 100.026. Quanto às drogas em si, elas continuam presentes... A lei agrava o problema ao considerar todos os membros de uma suposta quadrilha como igualmente responsáveis.

MARK OSLER É EX-PROCURADOR FEDERAL E PROFESSOR DE DIREITO DA UNIVERSIDADE ST.

THOMAS, EM MINNESOTA. THE NEW YORK TIMES NEWS SERVICE/SYNDICATE

NOSSO SOLITÁRIO LAR NA NATUREZA ALAN LIGHTMAN SXC

s tornados que vêm devastando partes dos sul e do meio-oeste dos EUA, , depois de apenas algumas semanas de um deslizamento de lama mortal em Washington, demonstram, mais uma vez, o inimaginável poder da natureza. Após cada desastre, sofremos com as vidas humanas perdidas, com as pessoas inocentes afogadas ou esmagadas sem aviso enquanto dormiam em suas camas, trabalhavam nos campos ou em suas escrivaninhas. Ficamos com raiva dos cientistas e das autoridades que não previram a calamidade iminente ou, se previram, não foram capazes de nos proteger. E para além do pesar e da raiva existe uma emoção mais sutil: a sensação de traição. A sensação de sermos traído pela natureza.

O

ão somos todos parte da natureza, nascidos na natureza, sustentados pelo alimento produzido pela natureza, aquecidos pelo sol natural? Não temos uma profunda ligação espiritual com o vento e com a água e com a terra que Emerson e Wordsworth descreveram com tanto amor, que Turner e Constable pintaram em cenas de serenidade e esplendor? Como pode a Mãe Natureza fazer isso conosco, seus filhos?

N

No entanto, apesar de sentirmos profundamente o nosso parentesco e unidade com a natureza, todas as evidências sugerem que ela não está nem aí para nós. Os tornados, os furacões, as enchentes, os terremotos e as erupções vulcânicas acontecem sem que haja a menor consideração pelos seres humanos. meu primeiro contato com o poder insensível da natureza foi durante uma viagem de barco de duas semanas com minha esposa nas ilhas gregas. Éramos só nós dois em um pequeno barco. Nos primeiros dias da viagem, navegando em direção sul ao longo da costa de Pireus em direção ao Cabo Sunião, podíamos avistar a terra. Depois, rumamos para o oeste, em direção a Hidra. De repente a terra e os outros barcos sumiram. O mar era tudo o que podíamos ver. A princípio, senti euforia. Depois, senti medo. Porque durante o verão, o Mar Egeu é atormentado por um vento seco e feroz chamado Meltemi, que pode surgir sem aviso no ar limpo e alcançá-lo em minutos com grandes ondas e ventanias.

O

provocava devastações e mortes em terra e mar. Vulcano, o deus romano do fogo, tanto criava quanto destruía. omos tão ligados à natureza em algumas mitologias que os seres humanos são regularmente transformados em outros animais e até em matéria inerte. Na mitologia asteca, os vulcões gêmeos Popocatépetl e Iztaccíhuatl eram amantes humanos transformados em montanhas pelos deuses. Na outra direção, a natureza constantemente recebe qualidades humanas. A Mãe Natureza nos conforta em todas as culturas do planeta. Nos séculos 20 e 21, alguns ambientalistas alegam que a Terra é um único ecossistema, um "superorganismo".

S

qualquer momento, uma parede d'água e de vento podia ter se formado no horizonte, engolido o barco e nos afogado. Percebi que não havia nenhum supervisor misericordioso ou nenhuma consciência oceânica para impedir que isso acontecesse. Para a vasta extensão de água, a minha esposa e eu éramos apenas mais alguns pedaços de destroços e de fardos jogados ao mar. O nosso conforto com a natureza é uma ilusão. Não fazemos ideia da extensão de seu poder. Em muitas outras partes do cosmo, as condições são bem mais extremas e muito mais hostis à vida do que na Terra. No planeta Mercúrio, por exemplo, a temperatura atinge 800 graus. Em Netuno, chega a 370 graus

A

negativos. Em Urano, os ventos ultrapassam 560 quilômetros por hora. Com o trabalho recente da sonda espacial Kepler na busca de planetas favoráveis à vida, podemos estimar que apenas cerca de um milionésimo de um bilionésimo de um por cento da matéria do universo visível existe em forma viva. Do ponto de vista cósmico, nós e toda a vida biológica somos exceções à regra. m toda a história escrita, a humanidade viu a natureza de forma conflitante. Nos primórdios, tornamos os elementos naturais em deuses incríveis e assustadores. O deus assírio-babilônico das tempestades, Adad, mandava chuvas para as plantações, mas também

E

u diria que estamos enganando a nós mesmos. A natureza não é amiga nem inimiga, nem malevolente nem benevolente. Ela não tem propósitos. A natureza simplesmente existe. Podemos achá-la bonita ou terrível, mas esses sentimentos são tão somente construções

E

humanas. Essa inconsciência total e absoluta não é fácil de aceitar, pois sentimos uma ligação muito forte com ela. Não há , no entanto, reciprocidade nesse relacionamento. Não existe consciência do outro lado do muro. Essa ausência de consciência, somada a tanto poder, foi o que me apavorou na Grécia. relatório recente do Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas das Nações Unidas documenta os danos causados pelos gases do efeito estufa criados pelos humanos e pelo aquecimento global. Ao reagir a esse relatório, não devemos nos preocupar com a proteção do nosso planeta. A natureza consegue sobreviver bem mais do que podemos causar-lhe, e ela não tem consciência alguma se os humanos viverão ou morrerão nos próximos 100 anos. A nossa preocupação deveria estar em nossa própria proteção – porque só temos a nós mesmos para nos proteger.

O

ALAN LIGHTMAN É FÍSICO E ENSINA CIÊNCIAS HUMANAS NO M.I.T. SEU LIVRO MAIS RECENTE É "THE ACCIDENTAL UNIVERSE" ("O UNIVERSO ACIDENTAL", EM TRADUÇÃO LIVRE). THE NEW YORK TIMES NEWS SERVICE/SYNDICATE


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

gibaum@gibaum.com.br

Nas próximas semanas e até meados de junho, mais de 20 cidades brasileiras promoverão marchas pró-maconha.

2“As pesquisas atestam que o eleitorado deseja mudanças. Ou seja, quer que Dilma continue a mudar o Brasil como vem fazendo.”

RUI FALCÃO // no encontro nacional do PT, adaptando o desejo dos brasileiros. Fotos: BusinessNews

Três linhas Estão definidas três linhas de discursos a serem adotadas na largada da campanha de reeleição de Dilma. A primeira é tentar apagar o desejo de mudança do eleitorado, detectado nas pesquisas. As outras duas, envolvem diretamente Aécio Neves e Eduardo Campos: o ministro será rotulado como “volta ao passado”, sem compromisso com políticas sociais e o pernambucano será tratado como “cópia de programas do PT”, numa tentativa de manchar a imagem de governo bem sucedido em seu Estado.

CONTRA ENJÔO No Forum de Comandatuba, Marina Silva não foi chamada para falar aos empresários, o que deixou a candidata a vice na chapa de Eduardo Campos de mau humor o tempo todo. Depois, tomou um copo d’água, ao qual adicionara um efervescente. Alguém perguntou se ela não estava passando bem e Marina: “É uma ajuda para atravessar o evento”. Era uma pastilha de Oxyoboldine, indicado para digestões difíceis e de grande efeito contra enjôo. É um remédio francês, que lhe teria sido recomendado por sua grande amiga Maria Alice Setubal (Itaú Unibanco).

Eleita Modelo do Ano na New York Fashin Week do ano passado, Kate Upton está debutando no cinema ao lado de Cameron Diaz, Leslie Mann e Nicki Minaj na comédia Mulheres ao Ataque , em exibição em São Paulo. Americana de 21 anos, ela surgiu na Sports Illustrated, em sua edição Swinsuit. Com 1,78m de altura, Kate tem medidas exuberantes: 84-63-92. E até se queixa que “gostaria de ter seios menores, usar biquínis pequenos e camisetas sem sutiã”. Agora, é capa e recheio – e novamente no estilo esportivo – da nova edição da Vogue britânica, onde cuida bem do que reclama.

Menor é melhor

Emissários de grandes empreiteiras estão assediando familiares do ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa. As empresas estão em pânico diante de novas planilhas apreendidas no escritório da Costa Global, registrando uma espécie de arrecadação, através do caixa dois, que segundo os federais envolvidos na Operação Lava-Jato, sinalizariam a existência de um outro mensalão, envolvendo cerca de 30 parlamentares, além de prefeitos e até vereadores. Os donos das empresas de construção pesada têm seus nomes anotados (ou de seus diretores) nas planilhas e o medo está ligado diretamente à nova lei que responsabiliza criminalmente também corruptores. A Polícia Federal monitora os familiares de Costa, que podem ser presos à qualquer momento.

Um novo mensalão

A veterana Gretchen, 54 anos, que ainda aparece em canais eróticos da TV por assinatura em filmes pornôs e hoje mora em Lisboa, anda revoltada com ataques que vem sofrendo na internet e resolveu disparar no Facebook: “Me xingam de tudo quanto é nome: dino, sapo, mas quem tem casa em Paris e está morando em Lisboa, fortuna de mais de R$ 2 milhões, carros, diamantes e mais 15 milhões de discos vendidos, sou eu, não os recalcados que perdem tempo vindo me ofender. Continuem na miséria espiritual e material enquanto eu rio da cara de vocês e enquanto estou polindo diamantes”.

A jovem atriz Bruna Marquezine, 18 anos, a Luiza da novela Em Família, está nas páginas da nova edição de Boa Forma , esbanjando saúde, enquanto as colunas de gossips dizem que ela está reatando seu namoro com o jogador Neymar Jr. Com 1,71m e 59 quilos, ela cuida da alimentação e agora, está evitando “as batatinhas”. O ensaio fotográfico foi feito no Rio e Bruna revela que “antes, eu comia muita porcaria sem pensar direito”.

Namorada ou quase

Fogão na madrugada

Na CPI dos Pedágios da Assembléia Legislativa de São Paulo, os petistas Antonio Mentor e Gerson Bittencourt tentavam desqualificar Mário Covas, apontando o exgovernador como responsável pelas tarifas elevadas dos pedágios. Aí, o deputado Campos Machado (PTB), que anda estremecido com Geraldo Alckmin, saiu em defesa de Covas: “Ele foi um estadista, um homem honesto, franciscano, correto, sério e de caráter, que não pode se defender a não ser que façamos aqui uma sessão de umbanda, uma sessão espírita”.

MEIA VOLTA Com algum recuo em relação a Ucrânia – e sempre sob suspeitas – Vladimir Putin agora mandou avisar o Itamaraty que poderá vir ao Brasil, como convidado de Dilma, para a final da Copa, dia 13 de julho. E aproveitaria para emendar com a Conferência da Cúpula dos Brics, em Fortaleza. Confirmando-se a vinda, chegarão antes e permanecerão grudados em Putin durante todo o tempo de sua estadia, pelo menos 50 agentes de sua segurança pessoal.

MISTURA FINA O PRESIDENTE do Supremo, Joaquim Barbosa, pediu ao tribunal nesses dias, ressarcimento de R$ 25,31 referentes ao pagamento que fez de uma conta de luz da residência oficial da Presidência da Alta Corte. Ele mora lá desde o ano passado e, antes de se mudar, o STF gastou R$ 90 mil para reforma do banheiro da casa.

/ IN

Smoking clássico.

DAVID Beckham comprou uma casa no Vidigal, no Rio, numa área do morro conhecida como Cantão e considerada área nobre da favela, sem movimentação do tráfico. E está construindo um heliporto na laje do casarão: quando vier ao Brasil, pretende se deslocar para lá apenas pelo ar.

QUEM diria: Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência, tem se movimentado, nas mais diversas esferas, na defesa de Antônio Oliveira Santos, que há 33 anos preside a Confederação Nacional de Comércio e que, aos 94 anos, quer ser reeleito para novo mandato. Pouca gente sabe que Gilbertinho integra o conselho fiscal da CNC, onde receberia o jeton de R$ 12 mil mensais.

No jantar desta semana, com jornalistas mulheres, Dilma Rousseff anunciou, à certa altura: “Arranjei um fogão!”. Ela vinha querendo um, há tempos, para área próxima de seu quarto, no Alvorada, não para cozinhar: para esquentar comida, de madrugada, quando ela perde o sono e quer comer alguma coisa. Depois a conversa enveredou para os dotes culinários da presidente, que garantiu que é craque em bacalhau e sopas, especialmente de beterraba. É também conhecida como borsch, típica da Polônia, Ucrânia e Rússia.

/

SAPO, NÃO!

Sessão espírita

WANDERLÉA, 67 anos, que acaba de comemorar 50 anos de carreira, foi entrevistada por Valéria Monteiro para o programa O show da vida é fantástico, do canal Viva. À certa altura, a jornalista não resistiu e chamou a cantora de “Beyoncé dos anos 60”. Até Wanderléa acabou se surpreendendo.

Olhando a água A starlet Andressa Urach, que se sagrou vice-campeã de um concurso nacional de derrières, agora participa do Muito Show (na cola do Pânico), nova atração da Rede TV! Nesses dias, gravou uma matéria com o senador Eduardo Matarazzo Suplicy sobre racionamento de água. E jogou um copo de água nos seios, perguntando se aquilo poderia ser considerado desperdício. Suplicy ficou meio encabulado, mas não tirou os olhos da área. Depois, comentou: “Eu estava pensando na quantidade de água desperdiçada”.

MAIS: no Congresso a bancada evangélica comanda grande lobby contra e lança nas redes sociais a campanha Maconha, Não!

OUT

Smoking de veludo.

ABC da solteirice Enquanto aguarda a estréia do filme Os Homens São de Marte e É Pra lá que Eu Vou, Mônica Martelli, 45 anos, prepara a parte 2 do espetáculo homônimo com qual está há anos em cartaz. De quebra, aproveitou, para dar uma turbinada nos seios. Separada há um ano, ela repete tirada de sua personagem sobre solteirice: “Tem três fases. Aladim, com a gente se sentindo poderosa; redescoberta do tesão, em que qualquer um é melhor na cama do que o ex; e sem euforia, aí basta ser gentil e educado para a gente se apaixonar”.

NO JANTAR com jornalistas mulheres, uma delas perguntou a Dilma Rousseff o que gostaria de ganhar no Dia das Mães. E a Chefe do Governo: “Gostaria que aquele menino pequeno viesse aqui” (referindo-se ao neto Gabriel). E deu uma definição especial para neto: “É filho com assistência técnica. Deu problema, você chama a assistência técnica”.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

sexta-feira, 9 de maio de 2014


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

5

CORRIDA PELA CORREÇÃO DO IR O Palácio do Planalto desencadeou ontem um plano para antecipar a aprovação no Congresso da correção da tabela do Imposto de Renda e, assim, tentar evitar que o pré-candidato do PSDB, senador Aécio Neves (MG), fature politicamente em cima de uma das principais bandeiras de campanha da presidente Dilma Rousseff.

YOUSSEF NO MUNDO DAS DROGAS Doleiro acumula dezenas de denúncias, de corrupção a lavagem. E agora, surge mais uma: lavagem de dinheiro para tráfico internacional de drogas. Victória Brotto elho conhecido da Justiça e da Polícia Federal brasileira, o doleiro Alberto Youseff preso pela Polícia Federal na Operação Lava-Jato, pode estar ligado a pagamentos oriundos de um esquema de tráfico internacional de drogas. De acordo com uma denúncia feita pelo Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR), à qual o Diário do Comércio teve acesso, Alberto Youssef teria prestado "auxílio material em operações financeiras" feitas entre traficantes e a máfia italiana Ndrangheta. A denúncia foi entregue ao juiz federal da 13ª Vara Federal de Curitiba, no dia 22 de abril, e segundo informou a assessoria do órgão, foi aceita e a ação penal, instaurada. O doleiro já acumula dezenas de denúncias envolvendo, entre elas, propina, corrupção e lavagem de dinheiro em casos como o da Siemens e do Cartel do Metrô de São Paulo. Mas de lavagem de dinheiro para o tráfico internacional de drogas, esta é a sua estreia. Nela, Youssef é acusado diretamente de lavagem de dinheiro e evasão de divisas por ter oferecido seu e s c r i t ó r i o , n o b a i rro d o Itaim, na zona sul de São Paulo, para que um grupo ligado a traficantes bolivianos e peruanos recebessem R$ 272,8 mil (US$ 124 mil) da máfia italiana por remessas de cocaína vendidas via Porto de Santos – o uso deste porto para escoamento da droga já era de conhecimento da Polícia Federal, que deflagrou a Operação Monte Pollino no final de março. "Em relação ao denunciado Youssef, há elementos suficientes para inferir que agiu colocando-se em situação de conhecer a origem ilícita dos valores que movimentaram e, portanto, do próprio tráfico de drogas", afirma o documento.

V

ESQUEMA O dinheiro era enviado, da Europa, pela brasileira Maria de Fátima Stocker, hoje presa na Espanha por tráfico de drogas, financiamento para o tráfico e lavagem de dinheiro. Maria de Fátima nasceu na cidade de Vicente Dutra, no Rio Grande do Sul, mas se erradicou na Inglaterra. De lá, negociava drogas e pagamentos com traficantes europeus e latinos, tornando-se o braço financeiro da máfia italiana Ndrangheta. Maria de Fátima, identificada nas mensagens por "Evi", negociou com o doleiro Carlos Habib Chater ("Habib") e com dois integrantes de uma organização ligada ao tráfico de cocaína peruana e boliviana, Sleiman Nassim ("Sleiman") e René Luiz Pereira ("René"), o pagamento de mais de 700 quilos de cocaína que foram enviados à Europa. Segundo a denúncia, a brasileira pagou os traficantes em duas parcelas de R$ 75,6

Sérgio Lima/Folhapress

Youssef é acusado de lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Ofereceu seu escritório para que um grupo recebesse US$ 124 mil da máfia italiana por remessas de cocaína.

mil (US$ 36 mil) e R$ 184 mil (US$ 88 mil), entre agosto e setembro de 2013. E é no primeiro pagamento que o doleiro Youssef aparece. "Habib acertou, então, com Evi que o dinheiro seria entregue no seguinte endereço: rua Renato Paes de Barros, 778, 2º andar, Itaim", diz a denúncia. No

endereço indicado, funcionava a empresa SA Fluxo Comércio e Assessoria Internacional – escritório de Youssef. Em troca de mensagens, os investigadores flagraram o momento em que o traficante René confirma com a brasileira ligada à máfia italiana, Evi, o recebimento da primeira parcela.

A entrega foi feita por um emissário de Evi e quem recebeu a quantia foi um funcionário de Alberto Youssef chamado Rafael. "Avisa, por favor, que o rpazesta chegando com 36 paginas de um contrto. Depois vai um rpaz chamado Rene pra buscar (sic)", escreveu o doleiro Ha-

Mais um deputado envolvido com o doleiro

Juiz federal do PR também ordenou devassa das contas de Paulo Roberto Costa, ex-diretor da Petrobras que está preso. Marcos Arcoverde/Estadão Conteúdo

A

deputado federal Luiz Argôlo (SDD-BA) deu verba da Câmara para uma empresa que seria seu elo financeiro com o doleiro Alb e r t o Yo u s s e f , p re s o n a Operação Lava-Jato, da Polícia Federal. A União Brasil Transportes e Serviços, de Alagoinhas (BA), base eleitoral do congressista, recebeu ao menos R$ 30 mil da chamada cota para exercício da atividade parlamentar por supostos serviços prestados ao gabinete de deputado. Três ex-assessores dele constam como sócios da empresa. Argôlo pediu à Câmara o reembolso de seis notas fiscais, de R$ 5 mil cada uma, pelo aluguel de veículos pelo por seis meses dos anos de 2011 e 2012. Os comprovantes de janeiro, fevereiro e março de 2012 descrevem a locação de uma Pajero. Operação Lava- Jato investiga um esquema bilionário de lavagem de dinheiro, do qual Youssef seria pivô. A PF flagrou intensa troca de mensagens entre ele e o deputado. Numa delas, Argôlo indica duas contas bancárias, uma em nome da União Brasil, para que o doleiro depositasse R$ 110 mil, valor que teria sido usado para a compra de gado. Nas mensagens, o congressista é identificado como "LA". O congressista também teria recebido R$ 120 mil do doleiro, depositados na conta de um assessor.

O

Quebrado o sigilo da Petrobras

Justiça Federal do Par a n á d e c re t o u o ntem, a pedido do Ministério Público Federal (MPF), a quebra do sigilo bancário da Petrobras nas transações financeiras feitas a partir de contratos firmados para a construção da refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco. O empreendimento da estatal, alvo de suspeitas de superfaturamento, está sendo investigado pelo Ministério Público e pelo Tribunal de Contas da União. Por meio de sua assessoria, a Petrobras informou que ainda não foi intimada sobre a inédita decisão e disse que "reafirma seu compromisso de continuar colaborando com o Poder Judiciário para esclarecimento dos fatos". No mesmo despacho, o Judiciário determinou a quebra do sigilo bancário do ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa, um dos presos pela operação Lava Jato, da Polícia Federal (PF). Ele é réu no processo referente à Lava Jato pelos crimes de lavagem de dinheiro e participação em grupo criminoso organizado. Costa é apontado pelo MPF como um dos chefes de uma

bib em mensagem trocada com Alberto Youssef. Horas depois, Rafael entregava a quantia a René, integrante da organização criminosa, que foi até o escritório do megadoleiro. Tanto Youssef quanto Maria de Fátima Stocker, Sleiman Nassim El Kobrossy, Carlos Habib Chater e René Luiz Pereira são indiciados por lavagem de dinheiro e evasão de divisas. Krobossy está foragido. Youssef, Habib e René estão presos na Superintendência Regional da PF/PR e a brasileira Maria de Fátima segue detida na Espanha pela Interpol. O Diário do Comércio contatou o advogado Eduardo Jobim, que irá defender Maria de Fátima Stocker perante a Justiça brasileira. De acordo com ele, neste momento Maria de Fátima está "incomunicável" na Penitenciária Madrid V e, por enquanto, nem poderá se pronunciar a respeito do caso.

quadrilha especializada em lavar dinheiro no exterior, por meio de operações de câmbio fraudulentas. Conforme a denúncia dos procuradores da República, o ex-diretor da Petrobras usou empresas de fachada, comandadas pelo doleiro Alberto Youssef, para lavar dinheiro da construção da Refinaria Abreu e Lima. Além do ex-dirigente da estatal, terão as contas bancárias devassadas outras seis pessoas, entre as quais duas mulheres apontadas pela PF como filhas de Paulo Roberto Costa, e seus maridos. Também foi autorizada a quebra do sigilo bancário das empresas GFD Investimentos e da Sanko Sider e Sanko Serviços de Pesquisa. A decisão engloba todas as movimentações das contas bancárias, inclusive, a origem e o destino de débitos e créditos. O MPF também solicitou a quebra do sigilo bancário do Consórcio CNCC, responsável por parte das obras da refinaria, e da construtora Camargo Corrêa, mas o pedido foi negado. Em nota, o consórcio informou que "não praticou nenhuma irregularidade" e que tem "relacionamento comercial" com Sanko Sider e Sanko Servi-

Costa, ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras. ços, "empresas cadastradas pela Petrobras para o fornecimento de tubos." O Grupo Sanko-Sider declarou, em nota, que "não faz vendas diretas à Petrobrás, excetuando-se itens para manutenção". O grupo informou que essas vendas são responsáveis por parcela mínima de faturamento da empresa – não atingem 2% do total – e repudia "as ilações que vêm sendo feitas". A GFD Investimentos informou que não havia sido comunicada da decisão e que não iria comentar a ordem da Justiça. O objetivo da quebra de sigilo solicitada pelo MPF é tentar

apurar o rastro do dinheiro usado para construir a refinaria pernambucana. As investigações da operação Lava Jato tentam identificar se os recursos repassados para a obra teriam abastecido o esquema bilionário de lavagem de dinheiro e evasão de divisas comandado por Alberto Youssef. A decisão da Justiça limita a quebra de sigilo às transferências da Petrobras realizadas entre janeiro de 2009 e dezembro de 2013 para a construtora Camargo Corrêa, responsável por parte da obra da Refinaria de Abreu e Lima, e para as empresas Sanko Sider e Sanko Servi-

ços de Pesquisa. De acordo com as investigações da PF, essas empresas teriam sido usadas para lavar dinheiro da obra. O despacho determina que a Petrobras apresente em 20 dias o resultado da quebra de sigilo, discriminando as transferências, as data, os valores e as contas envolvidas na construção da planta de refino de petróleo. A Justiça exigiu ainda que a estatal do petróleo discrimine as transferências às empresas, relacionando os pagamentos por obras, produtos e serviços na refinaria. A operação Lava Jato foi deflagrada pela Polícia Federal em 17 de março para desarticular um esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas que teria movimentado cerca de R$ 10 bilhões. Um dos chefes da quadrilha seria o doleiro Alberto Youssef. Preso no Paraná, ele é acusado de evasão de divisas, formação de quadrilha e fraude em contratos de câmbio lavagem de dinheiro, tráfego de influência (trânsito junto a políticos como André Vargas, ex-vice-presidente da Câmara, que desistiu do cargo), contrabando (usar o Laboratório Labogem para traficar joias e bebidas para seus clientes). (Agências)

Atividades Nos registros da Receita Federal, a empresa União Brasil, fundada em 2007, tem diversas atividades, que vão da locação de veículos à limpeza de prédios e ao comércio de calçados. Formalmente, é controlada pela família Ouais. Três dos sócios – Adílson Cruz, Edimilson e João Batista Ouais – trabalharam para Argôlo quando era deputado estadual, segundo registro no Diário Oficial da Bahia. João Batista também foi funcionário comissionado na Câmara. As revelações da Operação Lava-Jato complicam cada vez mais a situação política do deputado. Ontem, ele foi notificado e terá cinco dias para apresentar defesa em processo no qual é investigado pela Corregedoria da Câmara. (Estadão Conteúdo )


DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Dilma (mais ou menos) no Facebook. m sua segunda participação no Facebook na página do Palácio do Planalto, no que foi batizado de Face to Face, a presidente Dilma Rousseff respondeu ontem a onze das mais de 400 perguntas e comentários enviados a ela. Dilma ficou on line durante cerca de uma hora, repetindo o modelo adotado na estreia, há duas semanas, quando o tema foi o Marco Civil da Internet. Ontem, o assunto da conversa foi Pronatec, o Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego, uma das principais vitrines de seu governo e que será usado como destaque na campanha eleitoral deste ano. A cinco meses das eleições presidenciais e em queda nas pesquisas, a presidente tem usado todas as ferramentas possíveis para se aproximar da população e dos diferentes públicos. Além das perguntas sobre o Pronatec, Dilma ouviu muitos elogios e críticas entre os cerca de 470 comentários e perguntas postados. Dilma no Facebook e o Palácio do Planalto nas redes sociais costumam ignorar comentários ofensivos. Mas a presidente sempre responde a uma das saudações pedidas. Ontem, postou uma foto fazendo "joinha" com dedo em sinal de positivo, respondendo a um pedido de um internauta. Na semana passada, ela fez um "high five", com a mão espalmada. Um dos internautas, Laerte Tássio saudou carinhosamente a presidente e perguntou: "Soberana das Américas, como o

Ailtonde Freitas/Agência O Globo

E

Eduardo Cunha (RJ), o líder do PMDB na Câmara.

Cunha: presidente errou ao privilegiar senadores.

E

programa vai crescer caso o governo tenha continuidade nos próximos quatro anos?". Na mesma linha, Solange Brito, por sua vez, escreveu: "Dilma rainha e Michele Obama princesinha.#mais quatro anos". Já, Vagner Campos, foi crítico: "Presidenta, bom dia! Quanto cada um aqui neste post recebeu para te elogiar? E a Petrobras, hein? E os milhões de gastos nesta Copa?...". Em seguida, Mário Mello defende a presidente: "Dilma, você precisa se comunicar melhor com o povo. Não é possível que um governo que tem feito tanto pelo Brasil seja quase linchado diariamente pelas

Senador critica demora na instalação da CPMI senador Alvaro Dias (PSDB-PR) ontem da demora no processo de instalação da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Petrobras. Na quarta, o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), pediu que os líderes partidários indiquem os nomes para a CPMI, mas não sinalizou quando os trabalhos começarão. "Um mês e oito dias de encenação, de protelatório. Agora perderemos mais alguns dias até a indicação dos nomes", criticou o tucano. Na sessão do Congresso da noite de quarta, Renan avisou que os partidos terão cinco sessões ordinárias da Câmara dos Deputados para apresentarem os nomes da CPMI, caso contrário, ele próprio fará as indicações. Tecnicamente, os partidos têm até a próxima quarta-feira (14) para compor a comissão, que terá 32 parlamentares da Câmara e do Senado. A base go-

O

duardo Cunha (RJ), o líder do PMDB na Câmara, falou da relação dele e de seus liderados com o governo da presidente Dilma Rousseff e com a bancada do Senado. Afirmou que a relação com Dilma levou a bancada a se rebelar e que os interesses eleitorais de alguns deputados, em ano eleitoral, contaminam ainda mais essa convivência. Cunha frisa que houve erro, por parte da presidente, de privilegiar a relação com os senadores em detrimento da relação com a Câmara. Para ele, as dificuldades e questionamentos quanto à manutenção do PMDB na aliança com o PT este ano começaram com a atitude dos petistas no Rio de Janeiro de confrontar a candidatura do PMDB ao Estado. Cunha diz que, na CPI mista da Petrobras, os peemedebistas indicados não agirão "nem como beques de defesa governista, nem como ponta de lança oposicionista". E que atuarão para investigar os fatos. Sobre a relação da bancada do PMDB com o governo Dilma, afirmou que a bancada, desde que não quis indicar substitutos para os ministérios que cabiam à Câmara, ficou em uma posição de independência, mas com compromisso com a responsabilidade fiscal. Isso não significa que será oposicionista, porque não é. A bancada tem percepção múltipla, mais ou menos equilibrada entre os que pensam de um jeito e de outro, mas a bancada está numa posição de independência, que vai exercitar no Poder Legislativo. Com relação ao governo propriamente dito, tenta-se manter uma relação respeitosa. A re s p e i to d a re l a ç ã o d o PMDB da Câmara com o PMDB do Senado, explica que, "historicamente o PMDB da Câmara sempre teve uma atuação independente da atuação do Senado. (...) Há momentos com mais tensão e momentos com mais harmonia. Neste momento está um pouco mais tensionado, mas a gente vai tentar trabalhar para ver se baixa a fervura e evita a tensão." E o apoio do PMDB à Dilma, em 2014, está garantido? Cunha diz que não tem condições de falar por uma convenção. "Eu acho que o processo vai se afunilar na hora de decidir. É que nem uma eleição: você decide seu voto próximo do período que você tem que votar. Isso será decidido numa convenção, faltam 30 dias. Daqui a 30 dias sua resposta estará respondida pelos fatos."

vernista trabalha para que a CPI da Petrobras, exclusiva do Senado, prevaleça. Em reação à CPMI da Petrobras, a base aliada conseguiu apresentar, também na quarta-feira, o pedido de instalação da CPMI do cartel de trens de São Paulo, que já foi lido na sessão do Congresso. O requerimento foi entregue com as assinaturas de 197 deputados e 32 senadores. "A maioria (governista) não deseja CPI alguma. A proposta de CPI do Metrô é uma falácia. Se fosse para valer, não seria apenas sobre o Metrô de São Paulo", afirmou Dias. O senador disse que a oposição está consciente de que a base governista trabalha com o calendário mais curto em razão da Copa, do recesso parlamentar e da campanha eleitoral. "Estão jogando exatamente com esse calendário, ganhando tempo o máximo possível para inviabilizar qualquer investigação eficiente", concluiu o tucano. (EC)

mídias sociais e mídia tradicional. Parabéns pela iniciativa!". O internauta Maurício Marques Maciel chama o Pronatec de "propaganda enganosa", e emenda: "Em que lugar no ranking de qualidade de educação nosso país se encontra??? Ah, deixe eu me lembrar... A educação brasileira ficou entre os 35 piores no ranking global!!!!! Essa deveria ser a publicação do Palácio do Planalto! Por que não divulgam esta "conquista"?!". Luiz Carlos Kloster se queixou do Pronatec em Ponta Grossa, Paraná. "Gostaria de saber o que devo fazer com minha escola de qualificação

profissional, visto que meus alunos sumiram, pois estão ganhando para fazer os cursos do Pronatec enquanto tinham que me pagar para fazer os mesmo cursos. Lembro que a maioria desiste após alguns dias ou meses de aulas no Pronatec. Tenho exemplo de turma com 40 alunos que somente 3 se formaram. Vocês tinham que fazer uma parceria com as empresas iguais a minha e não fazer concorrência desleal como esta. Aguardo resposta. Obrigado". Há também questionamento sobre aumento de impostos e quando vão parar de crescer. (Estadão Conteúdo)

Para Aécio, investigar o Metrô soa como vingança. nico tucano a assinar o requerimento pela criação da CPMI do Metrô no Congresso Nacional, o senador Aécio Neves, pré-candidato do PSDB à Presidência, disse ontem que tomou essa iniciativa como "um símbolo". "Os outros (tucanos) têm seus motivos para não assinar o requerimento. Eu fiz isso como um símbolo. Mas isso soa mais com uma CPI da vingança", afirmou. Segundo Aécio, a base do governo tem ampla maioria para impor qualquer CPI, sobre qualquer assunto. Para o senador, a iniciativa de investigar a formação de cartel no sistema metroferroviário paulista em gestões tucanas é uma resposta à criação da CPMI que investigará a Petrobrás. Armadilha Sobre as críticas feitas pela ex-senadora Marina Silva, vice na chapa presidencial de

Ú

Eduardo Campos, de que o PSDB estava sentindo "o cheiro da derrota" da candidatura tucana no segundo turno, Aécio disse que não iria cair na armadilha do PT de dividir as oposições. "Ao longo dos últimos quinze anos, se eu me especializei em alguma coisa, foi em derrotar o PT sucessivamente. Acho que ninguém tem hoje no Brasil um knowhow de ter imposto tantas derrotas ao PT como eu". "Com relação ao resultado eleitoral, devemos ter a humildade de deixar essa decisão para os eleitores", disse. Depois de afirmar que concordava "em parte" com o que Marina disse sobre as diferenças entre as candidaturas de oposição, Aécio afirmou que as candidaturas (dele e do ex-governador Eduardo Campos) têm suas diferenças e que não deveria haver receio de debater e discutir essas divergências. (EC)

Solução em Transformadores para a sua Empresa

ENERGIA NA MEDIDA EXATA

interfase@uol.com.br terfase@uol com br

www.interfase.com.br Av. Alda, 1.670 - Diadema/SP • Fone: 11 3382-9393 - Fax: 11 4043-0350

Indagado se a bancada da Câmara acredita que é preciso reconstruir, ainda este ano, a relação com a presidente Dilma, Cunha afirma: "Eu não diria a você se a bancada vai ou não conseguir. Acho que uma relação, para ser boa, tem que ser boa dos dois lados. Tem que ter a condição de que os dois lados queiram ter uma boa relação. Não depende só da bancada da Câmara, depende também do governo. (...) O problema é a forma de relação que foi, de uma certa forma, se deteriorando, porque a bancada acabou não sendo respeitada no processo em alguns momentos. Acho que, talvez, o governo mude a forma de ver a Câmara, mas eu volto a dizer: estamos em um momento que o processo eleitoral acabará contaminando. E independente de qualquer coisa, quem tem uma visão favorável à aliança, vai ter uma impressão, quem tem visão contrária, outra. Isso a gente não poderá evitar." Cunha conta que tem evitado falar sobre o partido e a eleição de Aécio Neves e se explica. "Porque foi basicamente a situação do Rio que iniciou a deterioração do processo de aliança, não há dúvida nenhuma disso. A confusão toda começou por isso, uma candidatura (do PT) contra a candidatura do PMDB. Se o PT queria ter supremacia no país, a manutenção do seu status quo, é natural que o PMDB também quisesse nos estados onde convivia em conjunto. Houve uma ruptura e essa ruptura acabou contaminando outros lugares que também passam por problemas semelhantes e viram que se no Rio, que era uma aliança que funcionava e virou exemplo para tudo, aconteceu o que aconteceu, imagina o que não aconteceria em outros estados. Consequentemente, os companheiros do Rio reagiram e isso está levando os companheiros a buscar um caminho alternativo, que não seja o da aliança (com o PT). O que vai dar? Eles vão fazer convenção estadual para definir. Eu, como líder, tenho que ficar neutro, não tomar partido." Sobre is deputados do PMDB na CPI mista da Petrobras, diz que a posição não será de confronto: "A gente quer que os fatos que estejam denunciados sejam apurados e vamos trabalhar em conjunto com os demais membros que queiram isso. (...) Não queremos a politização do processo, quem quiser politizar vai brigar sozinho. Nós vamos nos ater aos fatos. (Ag. O Globo)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

7

Nós temos que tirar o Brasil do caminho errado dos últimos anos – baixo crescimento, inflação em alta, juros em alta. Eduardo Campos (PSB), presidenciável.

Por Marina, Campos toreia pecuaristas Campos vai a Minas e contraria a cúpula da pecuária em sua primeira visita à feira agropecuária Expozebu ao defender Marina, crítica do agronegócio. Adolfo/Pagos

ré-candidato à Presidência pelo PSB, o exgovernador de Pernambuco Eduardo Campos contrariou, na manhã de ontem, a cúpula da pecuária mineira em sua primeira visita oficial na feira agropecuária Expozebu, em Uberaba, no Triângulo Mineiro, ao defender sua vice, a ex-senadora Marina Silva, vista como crítica ao agronegócio. Antes de encontrar Campos, presidente da Associação Brasileira de Criadores de Zebu (ABCZ), Luiz Claudio Paranhos, classificou de "grande bobagem" a declaração de Marina ao jornal Folha de S.Paul o. Segundo ela, PSDB tem cheiro de derrota no segundo turno. Já Campos afirmou que a aliada fez apenas uma constatação. Nas últimas três eleições presidenciais, o PSDB do senador e presidenciável, Aécio Neves, foi derrotado pelo PT, ex-partido de Marina. "Na verdade, isso é um fato. O que ela faz é um relato fático que nas últimas três eleições a polarização se estabeleceu com êxito para um lado. Não é uma interpretação. É o relato de um fato e nós entendemos que é preciso superar essa polarização, unir o Brasil, aproveitar as coisas boas que foram produzidas nos últimos anos no Brasil, sem essa posição que a gente assiste constrangido de uns negando as coisas boas que o outro fez. Nós temos que aproveitar o que há de bom e tirar o Brasil do caminho errado dos últimos anos, que é baixo crescimento, inflação em alta, juros em alta", afirmou Campos. Ligado a Aécio, Paranhos criticou duramente o posicionamento de Marina, em conversa com fazendeiros, na porta da sede da ABCZ, enquanto esperava Campos chegar no parque de exposições.

P

"Viram a bobagem que a Marina falou ontem em São Paulo? Achei uma grande bobagem, fica parecendo discurso de petista", afirmou. Em entrevista, Campos defendeu a criação das CPIs da Petrobras e do Metrô, mas indicou que a investigação da estatal do petróleo pelo Congresso Nacional não seria uma prioridade. "Espero que as CPIs cumpram o seu papel, punir quem errou. Sobretudo nesse momento que a Polícia Federal está fazendo a investigação, o Ministério Público já está fazendo a investigação, a Justiça já tem processo sobre isso, o Congresso vai fazer investigação. Tenho uma preocupação nesse instante como tirar a Petrobras da situação que ela se meteu", considerou. Diferentemente de Aécio, que participou de sabatina aberta com os pecuaristas na última sexta-feira, o socialista Campos optou por vetar a presença da imprensa e pelo encontro a portas fechadas. Cerca de 80 fazendeiros participam da reunião. Ele voltou a evitar comparações com Aécio, com quem fez um acordo pré- eleitoral em Minas e Pernambuco. "O nosso objetivo não é parecer ser diferente de A ou de B. O nosso objetivo é mostrar que tem um caminho diferente para ser trilhado no Brasil, que existe uma opção que deseja melhorar a qualidade da gestão pública, unir o Brasil em torno de um firme propósito que o país pode der melhor, ter uma política macroeconômica responsável que respeita os interesses dos mais pobres. A campanha política exige esse ano que os candidatos apresentem ideias, essa velha briga de nós e eles não é mais suficiente", declarou.

Em Minas, Eduardo Campos também foi àempresa Geneal Embrapa, onde conheceu o processo de clonagem de embriões de gado. DISSIDENTES Coordenado pelo senador Jarbas Vasconcelos (PE), um grupo de parlamentares do PMDB se organiza para fundar uma dissidência formal dentro do partido para apoiar o socialista Campos na corrida presidencial de 2014. "Queremos fazer um manifesto formal de apoio a Eduardo", declarou Jarbas. Na quarta-feira, Jarbas realizou um jantar em sua casa com os parlamentares que inicialmente integram o grupo. São eles os senadores Pedro Simon (RS), Waldemir Moka (MS), Ricardo Ferraço (ES) e Luís Henrique (SC) e os deputados Raul Henry (PE), Danilo Forte (CE), Fábio Trad (MS), Geraldo Resende (MS),

Darcísio Perondi (RS) e Osmar Terra (RS). Segundo Jarbas, a conversa "fluiu bem" e todos do grupo já fecharam apoio, à exceção de Luís Henrique. Este último ainda não resolveu ao certo se vai apoiar Campos ou se fica com o tucano Aécio Neves. O grupo de insatisfeitos com o governo Dilma Rousseff (PT) teria escolhido Campos principalmente por ele ter um discurso de reconhecimento de avanços tanto no governo Fernando Henrique, do PSDB, como no governo Lula, do PT. A terceira via proposta pelo pessebista seria mais interessante para o grupo por ter um leque mais amplo de diálogo no cenário político. Segundo Jarbas Vasconce-

los, o que prevalece é um amplo senso de rejeição a um segundo mandato de Dilma. "As c o i s a s s o f re r a m u m h i a t o (após os governos FHC e Lula) por causa da incompetência da presidente da República", disse. "A Dilma, para nosso grupo, se exauriu, seu governo está em decomposição", complementou o senador. Questionado pelo Broadcast Político sobre declarações anteriores de Campos e de sua vice na chapa, Marina Silva, de que em um governo deles o PMDB seria oposição, Jarbas diferenciou seu grupo, dizendo que ele é composto por parlamentares do "PMDB autêntico, que tem história, compromisso e ética". Jarbas acrescentou ainda

Fernando Donasci/Agência O Globo

Alckmin seduz verdes com Energia

Ex-deputado preso não pode mais trabalhar ma decisão tomada ontem pelo presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, abre caminho para que sejam cassadas as autorizações de trabalho externo concedidas a condenados que cumprem pena por envolvimento com o esquema do mensalão. Barbosa revogou as permissões de trabalho e estudo externo que tinham garantido ao ex-deputado Romeu Queiroz o direito de ficar fora da prisão das 6h à meia noite. Relator do processo do mensalão, Barbosa baseou a decisão em artigo da Lei de Execuções Penais segundo o qual um preso no regime semiaberto só pode trabalhar fora se tiver cumprido pelo menos um sexto da pena. No caso do mensalão, a menor pena no regime semiaberto recaiu sobre o ex-deputado José Genoino (4 anos e 8 meses). Preso em novembro, Genoino terá cumprido um sexto da pena em agosto. No caso do ex-ministro José Dirceu, a pena foi de 7 anos e 11 meses no regime semiaberto e somente teria direito ao trabalho externo em março. Mas Dirceu já trabalha no complexo penitenciário da Papuda. Barbosa reconheceu que o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e instâncias inferiores da Justiça têm garantido o direito de presos a trabalho externo antes do cumprimento desse período.

U

Virtual candidato do PSDB à Presidência, Aécio Neves chega para um evento em São Paulo.

Para Aécio, vice do PSB não teve humildade ao falar de eleição Tucano sugere que faltou a Marina humildade ao falar de resultado eleitoral ré-candidato do PSDB à Presidência da República, o senador Aécio Neves disse ontem que é preciso ter "humildade" e deixar para os eleitores a decisão sobre o resultado da próxima eleição. A declaração foi uma resposta à ex-senadora Marina Silva (Rede), vice na chapa do pré-candidato Eduardo Campos (PSB), que disse, em entrevista ao jornal Folha de S.Paulo, que sente "cheiro de derrota do PSDB no 2º turno". Aécio começou dizendo, em recado a Marina, que as oposições não podem "cair na armadilha do PT" de dividir os adversários. Depois afirmou que concordou com "grande parte" do que ela disse sobre as diferenças entre as candid a t u r a s p re s i d e n c i a i s d o

P

PSDB e do PSB. Em seguida, sem citá-la, cobrou humildade: Eu apenas acho que em relação a resultado eleitoral, quem ganha ou quem perde, todos nós temos que ter humildade de deixar essa decisão para os eleitores. O senador tucano afirmou que se considera, hoje, o maior especialista no Brasil em derrotar o PT. "O que eu posso dizer é que nos últimos 15 anos, se eu me especializei em alguma coisa foi em derrotar o PT sucessivamente. Acho que ninguém tem, hoje, no Brasil o know-how de ter imposto tantas derrotas ao PT como eu tenho. APOIO AO PCdoB Aécio desembarca hoje em São Luís para anunciar que os

tucanos apoiarão o PCdoB na disputa estadual. "Vamos lá fazer nossa grande aliança com o PCdoB", disse ele, na saída de evento com empresários nesta quinta-feira, na capital paulista. O PSDB indicará o candidato a vice na chapa do comunista Flávio Dino, ex-presidente da Embratur. O escolhido para a dobradinha na aliança deve ser o deputado federal Carlos Brandão, presidente do PSDB maranhense. A aproximação entre os tucanos e o PCdoB ocorreu depois que o PT decidiu apoiar o candidato da família Sarney naquele Estado. O pré-candidato do PSB à Presidência, Eduardo Campos, também deve apoiar Dino e a frente anti-Sarney. (Agências)

que não houve qualquer restrição dos membros à figura da vice de Campos, Marina. Em entrevista, o próprio E d u a rd o C a m p o s j á h a v i a mencionado nomes da lista de dissidentes do PMDB, reforçando que a essa base interessaria a proposta articulada pelos partidos PSB e Rede nesta campanha presidencial. Na próxima semana, o Jarbas Vasconcelos vai organizar um jantar, provavelmente na quarta-feira, 14, com objetivo de reunir formalmente o grupo com Campos. Segundo Jarbas, a ideia é que o número de deputados da dissidência chegue a 15. Já o número de senadores, se Luís Henrique se decidir pelo apoio ao PSB, deve ficar em cinco. (Agências)

ara assegurar o apoio do Partido Verde, o PV, num eventual segundo turno, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), pré-candidato à reeleição escolheu o presidente do diretório estadual verde, Marco Mroz, para ser o novo secretário de Energia. A Secretaria de Energia do Estado era comandada pelo PSDB até abril, quando o deputado José Aníbal se licenciou para disputar a reeleição. Mroz afirmou ao jornal "O Estado de São Paulo" que ainda não recebeu, oficialmente, o convite do governador, mas confirmou que assumirá a secretaria. De acordo com o presidente estadual do PV, a nomeação não influenciará a decisão do partido em lançar a candidatura do vereador Gilberto Natalini (PV) a governador de São Paulo.

P

ESTRATÉGIA "A decisão de assumir a secretaria não muda em nada na estratégia de lançar Eduardo Jorge (médico-sanitarista) à Presidência e Gilberto Natalini ao Governo do Estado", afirmou. Segundo ele, o partido já alugou, inclusive, um comitê para os dois candidatos na avenida Rebouças. Ao contemplar a legenda verde, Geraldo Alckmin também mantém intacta a ampla base da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp). A próxima troca de cargos que deve ser anunciada por ele será na secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação. O substituto do deputado Rodrigo Garcia (DEM), que também se licenciou em abril, deve ser o professor Marcos Cintra (DEM).


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sexta-feira, 9 de maio de 2014

COREIA DO SUL Dono de balsa naufragada é preso pela morte de 304 pessoas; 35 ainda estão desaparacidas.

SÍRIA Rebeldes explodem hotel de Aleppo usado pelo Exército e matam 50

Fotos: Carlos Garcia Rawlins/Reuters

Novos protestos foram realizados em Caracas ontem após a prisão de jovens (à esq.). A polícia divulgou itens confiscados nos acampamentos estudantis.

Maduro lança operação para silenciar estudantes Depois de prender líderes opositores, governo venezuelano mira os jovens. Pelo menos 243 deles foram detidos em ação para desmantelar quatro acampamentos na Grande Caracas. o m o p ro c e s s o d e diálogo político estagnado, o risco de sofrer sanções por parte dos Estados Unidos por violações dos direitos humanos e uma crise econômica cada vez mais profunda, o governo de Nicolás Maduro decidiu redobrar a repressão aos que representam hoje sua mais forte oposição: os estudantes. Na madrugada de ontem, a Guarda Nacional Bolivariana desmantelou quatro acampamentos nos municípios de Chacao e Baruta (governados pela oposição), na Grande Caracas, e

C

prendeu ao menos 243 estudantes, cuja situação judicial era, até à noite de ontem, desconhecida por autoridades universitárias e familiares. Foi a maior ação militar desde que começaram os protestos contra Maduro, em fevereiro passado, que já deixaram 42 mortos e 784 feridos. Nos últimos três meses, mais de 2,2 mil pessoas foram detidas. Um policial morreu na operação de ontem. "Havia evidência de que destes locais estavam saindo grupos mais violentos para cometer atos terroristas: incendiar

cabines de metrô, incendiar viaturas da polícia", disse o ministro do Interior e Justiça, Miguel Rodríguez, à TV estatal. "Foram apreendidos drogas, armas, explosivos, morteiros e granadas lacrimogêneas." O presidente Maduro confirmou a versão de Rodríguez e considerou que alguns dos detidos eram "mercenários". Os jovens detidos não foram levados a uma delegacia, mas a um quartel militar. Rodríguez disse que haverá um "processo de classificação" para avaliar "quem deve ser apresentado ou não ao Minis-

tério Público e aos tribunais". Entretanto, uma das pessoas que participava da "resistência pacífica" negou as alegações. "Fomos brutalmente reprimidos. Agora apresentam desculpas como drogas e armas. Faço um pedido de auxílio ao mundo para que observe esta ditadura", disse Francia Cacique, de 24 anos, coordenadora de um dos acampamentos, em uma mensagem de texto à Reuters. O líder opositor Henrique Capriles usou sua conta no Twitter para defender a libertação dos estudantes. "O protesto pacífico é um direito garantido pela Ivan Alvarado/Reuters

Constituição", escreveu. "Todos os dias nosso país amanhece com mais mortos, mais desaparecidos, mais repressão e mais detidos por protestar. Aos que estão no poder: já basta!" Mais prisões- De tarde, houve confrontos entre estudantes e forças de segurança em Caracas, com novas prisões. Horas antes foi detido Rodrigo Diamanti, diretor da ONG Um Mundo Sem Mordaça e líder da campanha "SOS Venezuela". A prisão ocorreu no mesmo dia em que a Comissão Nacional de Telecomunicações pediu a suspensão de um programa de rádio crítico a Maduro. López - Ainda ontem, foi adiada, pela segunda vez, a audiência judicial com o líder opositor Leopoldo López, detido desde fevereiro na prisão militar da Ramo Verde, acusado de envolvimento em incidentes violentos após uma manifestação em Caracas. "Hoje a justiça injusta se escondeu. O que temem? A verdade? Sabem que devo sair em liberdade", disse ele no Twitter.

O advogado de defesa, Bernardo Pulido, confirmou à agência Efe que o tribunal suspendeu a audiência porque ontem "não haveria expediente". EUA - A violência exercida pelo governo Maduro foi o principal argumento usado por congressistas norte-americanos para pedir à Casa Branca a aplicação de sanções a funcionários venezuelanos envolvidos em abusos. Ontem, porém, a subsecretária de Estado para o Hemisfério Ocidental, Roberta Jacobson, disse que possíveis medidas serão tomadas quando for a "hora certa", mas que esse momento ainda não chegou. Para pressionar por sanções, uma caravana de venezuelanos que vivem nos EUA saiu da Flórida em três ônibus e 40 veículos particulares, em direção a Washington. A previsão é que eles cheguem ao destino hoje, quando participarão de protestos no Congresso, na Casa Branca e na Organização dos Estados Americanos (OEA). (Agências)

A 'Nova Rússia' segue em frente. Sem apoio da 'Velha Rússia'. Separatistas do leste ucraniano ignoram pedido de Putin e mantêm planos de realizar referendo pela independência da região. eparatistas pró-Rússia no leste da Ucrânia ignoraram um chamado público do presidente russo, Vladimir Putin, para adiarem um referendo sobre a independência da região, declarando que prosseguirão com a votação marcada para 11 de maio. Denis Pushilin, um líder separatista da autodeclarada República Popular de Donetsk, disse que o "Conselho do Povo" havia votado por unanimidade para manter o plebiscito. "A guerra civil já começou. O referendo pode pôr um fim a ela e começar o processo político", disse. Caso os eleitores apoiem o referendo, cinco regiões (Donetsk, Luhansk, Kharkiv, Odessa e Nikolayev) formariam um Estado independente que se

chamaria "Novorossia" (Nova Rússia), disse Miroslav Rudenko, outro líder de Donetsk. Analistas disseram que Putin já estaria esperando que os rebeldes prosseguissem com o referendo, mostrando que não estavam sob suas ordens. Ao se distanciar de um processo que não será reconhecido pelo Ocidente, Putin espera evitar mais sanções em um momento em que as já existentes começam a ser sentidas pela Rússia. Em Kiev, autoridades prometeram seguir com a "campanha antiterrorismo" para retomar o controle do leste. Ontem, Moscou denunciou que a Ucrânia enviou 15 mil soldados à fronteira, um dia depois de as tropas russas terem sido retiradas da região. (Agências)

Reprodução

Divulgação/EFE

S

Manifestantes em Santiago tentam se proteger de jatos d'água lançados pela polícia durante protesto pela reforma educacional

No Chile, alunos soltam a voz. A polícia, água. D ezenas de milhares de estudantes protestaram ontem no Chile para exigir educação gratuita e de qualidade, na primeira manifestação do novo mandato presidencial da socialista Michelle Bachelet, que prometeu uma profunda reforma educacional e o combate à desigualdade no país. Enquanto a polícia estimou em 40 mil o número de partici-

pantes na marcha na capital chilena, os organizadores avaliaram a multidão em 100 mil. A passeata terminou com alguns incidentes violentos. Dirigentes estudantis afirmaram que a manifestação é uma reação à falta de clareza sobre o programa de mudanças proposto pela presidente. Eles ainda pedem maior participação na reforma. "É preocupante que nos

anúncios que foram feitos até este momento, só o que se faz é injetar um pouco mais de dinheiro neste sistema de segregação... que gera educação para ricos e educação para pobres", disse a líder universitária Melissa Sepúlveda. Ela ainda afirmou que os anúncios recentes do governo dão sinais de uma intenção de manter o custoso modelo atual, que obriga muitas famílias a se endividar pelo resto da vida. Mais de 1,8 mil policiais foram destacados para acompanhar a mobilização, que foi autorizada a transitar em frente ao palácio do governo e ao Ministério da Educação. Quase no fim da manifestação, a polícia interveio e dispersou, com jatos d'água e gás lacrimogêneo, focos de manifestantes encapuzados que

queimaram um veículo particular em Santiago. Um policial teve queimaduras. Na cidade costeira de Valparaíso, estudantes também realizaram uma manifestação, porém não foram registrados incidentes. Bachelet chegou ao poder pela segunda vez depois de governar entre 2006 e 2010, na esteira de uma vitória arrasadora nas urnas com promessas de reformas profundas para combater a forte desigualdade social no país. Atualmente, o governo faz uma campanha intensa para obter a aprovação de uma reforma tributária com a qual pret e n d e a rre c a d a r c e rc a d e US$ 8,2 bilhões, que seriam destinados principalmente às alterações no sistema educacional chileno. (Reuters)

NIGÉRIA – A primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, e a ativista

paquistanesa Malala Yousef aderiram à campanha internacional pela libertação de mais de 200 meninas sequestradas pelo grupo radical islâmico Boko Haram. Ambas publicaram fotos com o cartaz "Devolva nossas meninas", hashtag que está sendo usada nas redes sociais.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

9

MANIFESTAÇÕES EM SÃO PAULO

COMEÇOU TUDO DE NOVO No mesmo dia em que a presidente Dilma Rousseff esteve na Capital, manifestantes fizeram protestos em prédios de construtoras de obras da Copa do Mundo. Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo

om a presença da presidente Dilma Rousseff ontem em São Paulo, para visitar o estádio do Itaquerão, na zona leste da Capital, movimentos de moradia retomaram protestos de rua e ocuparam os prédios de três grandes construtoras na cidade: Odebrecht, OAS e Andrade Gutierrez. Organizado pelo Movimento dos Sem-Terra (MST) e o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), o protesto orquestrado durou cerca de meia hora, mas provocou confusão no trânsito da cidade e danos nos edifícios invadidos. O objetivo da manifestação, segundo os líderes, foi chamar a atenção para a situação dos trabalhadores no campo e na cidade, além de reclamar de "efeitos nocivos" – na opinião dos líderes– causados pelas obras da Copa do Mundo. A Odebrecht é a construtora do estádio Arena Corinthians, o Itaquerão, que será o palco do jogo de estreia da Copa do Mundo, no dia 12 de junho. Os movimentos dos SemTeto e Sem-Terra só finalizaram a ocupação dos prédios depois que a assessoria de Dilma telefonou para Guilherme Boulos, diretor do MTST, chamando-o para um encontro ainda na tarde de ontem no Itaquerão (leia reportagem nesta página). Vários integrantes de movimentos de moradia têm reivindicado, nas últimas semanas, serem agraciados pelo programa "Minha Casa, Minha Vida", do governo federal. Um grupo de mais de 4 mil pessoas, inclusive, ocupa um terreno a apenas quatro quilômetros do estádio do Itaquerão. I nv a s ão – Cerca de 1,5 mil pessoas ocuparam o edifício da Odebrecht na Marginal Pinheiros, região do Butantã, zona oeste da Capital, em ação do MST e do MTST. O grupo chegou ao local por volta das 10h30 para denunciar a atuação da empresa no ramo do agronegócio e produção de energia. Janelas da Odebrecht foram pichadas com frases como "Copa das tropas e das empreiteiras" e "Quem governa é o capital". Vários funcionários foram impedidos de entrar no prédio para trabalhar. Outro grupo, este só composto por integrantes do MTST, ficou por meia hora no prédio da OAS, na Avenida Angélica, no bairro de Higienópolis, onde pichou o chão com a frase "Este é o sangue do povo". Um terceiro, também do MTST, se concentrou em frente ao prédio da construtora Andrade Gutierrez, na Rua Doutor Geraldo Campos Moreira, no Itaim Bibi. Os dois grupos, que chegaram a ameaçar irem protestar em frente ao Itaquerão, recuaram. O governador Geraldo Alckmin recebeu integrantes do MST, que reivindicam a desapropriação de terras estaduais no campo. Vandalismo – Em um comunicado, a Odebrecht lamentou o ocorrido, afirmando que o prédio foi invadido "por representantes do Movimento dos Sem-Terra e Sem-Teto e sua fachada e recepção foram pichadas e vandalizadas". Na nota, a Odebrecht disse que "respeita todo tipo de manifestação pública pacífica, mas repudia qualquer ato de vandalismo. Visando proteger a integridade física das pessoas presentes no local, a empresa reforçou seu sistema de segurança e acionou as autoridades". (Agências)

C

Manifestantes de grupos ligados aos sem-terra e aos sem-teto descem a Rua da Consolação, na região central: protestos contra a Copa do Mundo ganham um novo fôlego. Felipe Rau/Estadão Conteúdo

Manifestantes pintam vidro no prédio da Odebrecht: "efeitos nocivos".

Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo

Protesto dentro do saguão da OAS, na Avenida Angélica: audiência com Dilma pode incentivar invasões. Andre Hanni/Estadão Conteúdo

Dilma garante ajuda aos que fizeram os protestos m encontro organizado às pressas na tarde de ontem reuniu, ao lado do estádio Itaquerão, a presidente Dilma Rousseff e representantes do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST). No encontro, que durou 20 minutos, o coordenador do MTST, Guilherme Boulos, reivindicou para os sem-teto a condição de parceiros do programa "Minha Casa Minha Vida", do governo federal. Segundo a assessoria de Dilma, ficou acordado que o Ministério das Cidades vai estudar a possibilidade de inclusão de moradores de ocupações de São Paulo no programa. Na conversa, da qual participou o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, foi discutida ainda a situação dos invasores de terreno lo-

U

calizado a quatro quilômetros do Itaquerão, ocupação conhecida como Copa do Povo. "O governo vai estudar a possibilidade de desapropriação do terreno (d a ocupação Copa do Povo) para a construção de moradias populares", disse Haddad. Em ano eleitoral, a notícia foi comemorada pelo movimento dos sem-teto, que horas antes parou a cidade e invadiu prédios. O anúncio pode incentivar ocupações e protestos porque desconsiderou a decisão do juiz Celso Maziteli Neto, da 3ª Vara Cível de Itaquera. O juiz concedeu uma liminar determinando o fim da ocupação Copa do Povo. A decisão atendeu à ação de reintegração de posse movida pela Viver Incorporadora, proprietária do terreno. (Agências) Daniel Vorley/Estadão Conteúdo

Jogo de cintura: presidente Dilma na visita ao Itaquerão.

Comerciantes da Feirinha da Madrugada se deitam no Viaduto do Chá: protesto pelo fechamento.

Prefeitura fecha Feira do Brás. E comerciantes fecham a rua. Feira da Madrugada, no Brás, região central de São Paulo, será fechada outra vez por tempo indeterminado a partir de segunda-feira, por ordem da Prefeitura. Um comunicado foi publicado ontem pela Secretaria de Coordenação das Subprefeituras informando que todos os comerciantes terão que retirar suas mercadorias antes da meia-noite do dia 12 (segunda). Caso contrário, os produtos serão recolhidos pela subprefeitura da Mooca.

A

Com a decisão, permissionários fizeram um protesto na frente da sede da Coordenação de Subprefeituras, na Rua Libero Badaró, região central da Capital. O trânsito ficou travado em toda a região central durante boa parte da tarde. Manifestantes chegaram a deitar na esquina do Viaduto do Chá. A Feira da Madrugada havia sido reaberta em dezembro, após sete meses fechada para reformas, reorganização e instalação de itens de segurança. A justificativa da Prefeitura

para o novo fechamento é a necessidade de regularização da feira. Os comerciantes deverão deixar os boxes abertos e, quando a feira for retomada, só poderão retornar aqueles em posse do Termo de Permissão de Uso (TPU). Nos últimos meses, a Prefeitura tem feito blitze no centro de compras por causa da invasão de comerciantes irregulares no local sem a documentação necessária. O Ministério Público também investiga como está sendo feita a distribuição dos boxes na feira. (EC)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

sexta-feira, 9 de maio de 2014

TROCA DE ENXOVAL A Fifa decidiu trocar o uniforme que a Seleção terá de usar na abertura da Copa do Mundo, 12 de junho, contra a Croácia, no Itaquerão. Ao invés de calção branco, o Brasil jogará com o tradicional azul – a camisa amarela e a meia branca foram mantidos. A Croácia também teve mudança, passando a usar camisa quadriculada branco e vermelho, short branco e meias azuis.

Nilton Fukuda/Estadão Conteúdo-22/04/14

Valcke: a estrutura nos estádios não é a desejada. Brasil teve sete anos para erguer seus estádios e vai organizar, daqui um mês, a Copa mais cara da história. Mas a Fifa não está satisfeita. Em uma entrevista publicada ontem no jornal suíço Le Matin, o secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, estima que as arenas brasileiras para a competição não atendem todos os desejos da Fifa. "Nós não temos o nível de compreensão de infraestrutura que desejávamos (nos estádios)", disse Valcke. Ainda assim, ele garante que tudo estará instalado para que a Copa possa ocorrer a partir do dia 12 de junho. Para a Copa, o Brasil investiu mais de R$ 8 bilhões na reforma e construção de estádios, valor que é equivalente à soma do que foi gasto

O

por Alemanha, em 2006, e África do Sul, em 2010, para preparar suas arenas para receber as duas últimas edições do Mundial. Há dois dias, em evento em Lausanne, na Suíça, Valcke chegou a dizer que viveu um "inferno" no trabalho de preparação para a realização da Copa de 2014. Ele ainda admitiu que a Fifa teve de reduzir suas exigências para os estádios no Brasil. Ontem, Valcke também reconheceu que algumas obras nas sedes não estarão concluídas para a Copa. "Nas cidades, algumas infraestruturas não estarão terminadas. Certamente haverá obras em curso (durante a Copa)." O dirigente, porém, insistiu que essas obras não têm relação direta com o Mundial. (EC)

A 9ª morte em arenas da Copa

Edson Rodrigues/Divulgação/Estadão Conteúdo

Operário de 32 anos recebeu uma descarga elétrica na Arena Pantanal

O

estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília. Responsável pelas áreas de tecnologia, informação e comunicação da Arena Pantanal, o Consórcio CLE informou que Muhammad'Ali Maciel Afonso utilizava equipamentos de segurança enquanto instalava uma luminária. Ele morreu quando fazia a instalação de uma luminária de 40 centímetros sob uma escada. Maciel Afonso trabalhava na empresa Etel, que integra o

Consórcio CLE, responsável pela instalação dos equipamentos de Tecnologia, Informação e Comunicaçãol. O consórcio negou que o operário tenha caído de alguma altura. Esta foi a primeira morte nas obras da Arena Pantanal. Em outubro do ano passado, acon-

Agliberto Lima/DC

operário Mohammed Ali Maciel, de 32 anos, morreu ontem na Arena Pantanal, uma das 12 sedes da Copa do Mundo. Ele sofreu uma descarga elétrica no setor Leste do estádio, em Cuiabá (MT), e foi atendido pelo Samu, mas não resistiu. Essa é a nona morte registrada em obras de arenas do Mundial. Antes, morreram três funcionários no Itaquerão, em São Paulo, quatro na Arena Amazônia, em Manaus, e um no

teceu um incêndio que atingiu o subsolo do setor Oeste do estádio, mas não houve feridos. A equipe da Politec concluiu que o incêndio tinha sido intencional, de "natureza criminosa". Em nota, a Secretaria Extraordinária da Copa do Mato Grosso (Secopa-MT) lamentou

a morte de Maciel Afonso. "Consternada, a Secopa-MT se solidariza com a família de Afonso e informa ainda que aguardará o trabalho dos peritos da Polícia Técnica, que investigam as causas do acidente", registrou a entidade ligada ao governo estadual. "A Seco-

pa-MT lamenta o triste episódio, ocorrido já às vésperas da inauguração da Arena Pantanal e depois de todo o período de construção sem nenhuma ocorrência de acidente grave ou médio na obra". Orçada em R$ 570 milhões, a arena erguida pela construtora Mendes Junior está com 99% das obras concluídas e passa pela fase final de acabamento de limpeza e instalação dos 41.390 assentos restantes. A Arena Pantanal será o palco de quatro jogos da Copa do Mundo. Sua inauguração já foi adiada por cinco vezes. Ela já foi palco de três jogos pelo Brasileiro. No dia 18, recebe a partida entre Santos e Atlético-MG. Segundo a Secopa-MT, a inauguração oficial da Arena Pantanal deve acontecer no dia 20 com o jogo entre o Olímpia (Paraguai) contra um time ainda indefinido. O jogo inaugural será o último evento-teste da a antes de sua entrega à Fifa, no dia 21. Na Copa, receberá quatro jogos da primeira fase: Chile x Austrália, Rússia x Coreia do Sul, Nigéria x Bósnia-Herzegovina e Japão x Colômbia. (Estadão Conteúdo)

Ao lado, Camilo Torres como o palhaço Pirulitos. Abaixo, na Câmara Municipal de São Paulo, em defesa dos circos no projeto do Plano Diretor. Tina Cezaretti/Hype

O PALHAÇO AGUARDA O SEU MAIOR ESPETÁCULO

P

rovavelmente, o Brasil é o único país do mundo em que está sendo praticado um lobby em favor de circos. Seu principal protagonista chama-se Camilo Torres, um paulistano de 58 anos que, ontem à tarde, completou mais um capítulo da sua empreitada. Ele cumpre seu segundo mandato como presidente da Associação Brasileira de Circo e, nesta condição, foi à Câmara Municipal para defender interesses de picadeiro junto ao Plano Diretor que está na bica para ser aprovado em última votação. “O vereador Toninho Paiva está me ajudando bem”, diz ele. Camilo conseguiu introduzir no projeto a obrigação de haver em cada uma das 31 subprefeituras de São Paulo um local oficial para a célebre lona ser erguida e agora acompanha zelosamente a tramitação. À semelhança do futebol de várzea, cujo falta de espaço na cidade levou-o praticamente à extinção, o circo também se ressente da ocupação imobiliária. As dificuldades crescem conforme o tamanho do circo que, sendo maior, pede mais metros quadrados para a acomodação dos trailers e carretas –uma companhia de bom porte tem pelo menos duas – sem esquecer a chamada ‘loninha’, uma segunda instalação que

abriga a praça de alimentação. No jargão circense, o local da instalação é chamado de “praça”. Não por acaso, a figura do “secretário de frente” tornou-se, pelo menos nas grandes cidades, uma das mais importantes dentro da arte circense. Cabe-lhe descobrir pontos onde os circos podem ser erguidos, seja em terreno público ou particular. Não se trata de algo fácil pois além da falta crônica de lugar, é necessário adequar o local a alguns critérios. Por exemplo, observar a distância de 20 km em relação a outro circo que esteja instalado na região, para evitar concorrência predatória. É uma ética antiga e providencial que prevalece entre eles. Imaginem como seria constrangedor se a indispensável propaganda de rua, invariavelmente envolvendo folhetos, palhaços e outros artistas se misturassem? O secretário de frente também precisa verificar se o ponto tem alguma avenida movimentada e escolas próximas, pois isso indica potencial núcleo de espectadores. A escassez de espaços aquece o mercado, como ocorre em todos os setores. O terreno mais cobiçado pelos circenses, que fica na Radial Leste, próximo ao metrô Tatuapé, é uma referência de como são os números nesse universo. O aluguel custa cem mil reais nos

melhores meses – março/junho e agosto/outubro – e cai para R$ 80 mil nos demais, com pagamento adiantado, bem entendido. A segunda preferência recai nas proximidades do Shopping Anália Franco, sugerindo uma aproximação maior da zona leste com a lona, na qual o preço varia entre 30 e 50 mil reais por mês. A variação de preços referida é explicada pela diminuição de público nas férias escolares, principalmente no fim do ano. “A partir de novembro as famílias começam a pensar apenas no Natal e nas preocupações com o ano seguinte”, esclarece Camilo. Em geral, o aluguel é combina-

do para um mês, com possibilidade de continuação. Feitos os acertos, o dono da área terá que comprovar o pagamento do IPTU, senão a Prefeitura não dará a licença de funcionamento. Por outro lado, o dono do circo precisará reservar muita disposição para agilizar a burocracia de modo a não atrasar a estreia, na busca de documentos tipo AVCB – Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros – que inclui a presença de banheiros químicos. Depois do incêndio da boate Kiss, em Santa Maria (RS), no ano passado, a tolerância é zero. Camilo, que se traveste de palhaço sob o nome de Pirulitus pa-

ra pisar na serragem, não enfrenta esses problemas. De uns anos para cá ele se apresenta apenas em teatros e museus com seu grupo Folias de Picadeiro. Mas mantém a sua lona, que arma em ocasiões especiais, como vai acontecer agora, na próxima Virada Cultural. Camilo tem afinidade com profissões simpáticas. Seu pai era motorneiro de bonde da linha Santo Amaro/Rua Augusta. Depois foi seduzido pelo circo ao assistir aos singelos espetáculos durante a infância vivida na Vila Guarani. E na juventude, com a difusão dos circosescola, decidiu que era aquilo que ele queria. Tinha 20 anos.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

11

Selo Sesc lança álbum de Renato Neto Tecladista de Prince, Renato Neto faz shows sexta (9) e sábado (10) , às 21h, para lançamento do CD Plugins Amazônicos. Sexta - Sesc Pompeia. Rua Clélia, 93. Tel.: 3871-7700. R$ 16, R$ 8, R$ 3,20 Sesc Osasco - Av. Sport Club Corinthians Paulista, 1300. Tel.: 3184-0900.

Corvos ingleses WINES INTO WORDS advogado e escritor James Gabler tem o vinho como hobby, com biblioteca específica de 1.700 títulos e adega de 2.000 garrafas. Escreveu importantes livros sobre o vinho na vida de presidentes americanos como Thomas Jefferson, mas seu trabalho de fôlego é a compilação da bibliografia sobre vinhos existente em língua inglesa. É em Wine into Words (Bacchus Press/1985) que temos as fontes para a história ao lado.

O

O TEMPO E O VINHO s vinhas cresciam selvagens em terras britânicas há 50 milhões de anos. Desapareceram no período mais frio da Idade do Gelo, mas ressurgiram nos últimos dois milênios, com os romanos, e depois, na Idade Média, sempre nas regiões menos frias. Para o futuro, o aquecimento global deve ajudar a viticultura em outras áreas da ilha. A relação dos vinhedos com as mudanças climáticas é tema do estudo The Winelands of Britain: Past, Present & Prospective (Petravin/2004), do geólogo Richard Selley .

A

que faz aquele punhado de homens com barbichas pontudas e enormes golas de tule naquela taverna londrina, copo de Bordeaux nas mãos, em tarde fria de 1641? Certamente discutem e reforçam a indignação pública que tomou conta da cidade depois de descobertos os termos do contrato celebrado pela Vintners’ Company of London com o rei Charles I (16001649), poucos anos antes da desastrosa Guerra Civil que levou o monarca à execução e ao interregno da Commonwealth de Cromwell. O acordo, tendo à frente os "puritanos" Alderman Abell e Richard Kilvert, praticamente garantia o monopólio do varejo do vinho à empresa, em troca de impostos que seriam pagos ao rei sobre cada tonel da bebida importada. O trato previa ainda que a Vintners compraria anualmente dos importadores 4 mil tonéis de vinho espanhol e mais 5 mil de vinho francês para distribuir. O Jerez tinha sido a bebida de Shakespeare: seu personagem Falstaff não cansa de tecer loas ao Amontillado. O vinho de Bordeaux era ainda mais que popular: graças ao casamento de Hemrique II com Eleonor da Aquitânia, em 1152, os vinhedos de Bordeaux eram dos ingleses e com eles ficaram durante três séculos. Em troca dos impostos a Charles I, os negociantes seriam liberados a recuperar os impostos aumentando os preços dos produtos - antiga história do consumidor pagando a conta. O polêmico episódio, com todos seus detalhes, entrou para a história do comércio inglês graças à série de folhetos publicados no calor da hora e devidamente preservados no British Museum. O caso foi narrado depois emThe History of Wine Trade in England, de André L.

O

Acima,Abell e Kilvert. Ao lado, Charles I e um dos folhetos.

Simon. A gravura no alto retrata Alderman e Richard orgulhos com seu documento de patente. A petição ao rei, de 1638, dizia que os negociantes de vinho de toda Inglaterra concordavam com a taxa de 40 schillings, mas nem tudo era consenso e muitos se recusavam a pagar. Os varejistas, de seu lado, logo começaram a protestar contra os atravessadores, que impunham a quantidade e a qualidade dos vinhos a serem adquiridos. Até que o caso foi parar na Câmara dos Comuns. O Parlamento concluiu que os dois negociantes eram os chefes de um esquema, es-

O FINO DO SHOW Agência O Dia/Estadão Conteúdo

Dona Carmela: salmão grelhado. Deqatê: panqueca com ganache.

GASTRONOMIA

À mesa, com as mamães. Lúcia Helena de Camargo Bom de performance, já maduro. AE

omingo é Dia das Mães! Não tem desculpa. Mesmo que elas digam que não querem, esperam ganhar um presente. E um almoço gostoso fora de casa. Trazemos uma breve seleção de restaurantes aos quais levar a mamãe no seu dia. Se a família acordou tarde, a solução pode ser um brunch, a refeição que mistura café da manhã com almoço. Na Deliqatê há pães, frios, torradas, panquecas e outras receitas servidas até 16h no domingo. Prove o sanduíche de pastrami (acompanhado de chucrute e queijo gruyère derretido), além de omeletes, como de siri com cebolinha e de cogumelos e queijo. Custa R$45. Se incluir drinques com espumantes, R$75. Deliqatê. Alameda Jaú, 1191. Jardim Paulista. Tel.: 3063-4988. www.fb.com/deliqatejau O tradicional espanhol Don Curro presenteia todas as mães que almoçarem casa no domingo (11) com uma taça de Cava Rosada, um chocolate em formato de coração e rosas. A vedete é a paella Don Curro (R$296), que leva arroz com açafrão espanhol, mariscos, frango, camarões, lulas e ervilhas frescas. A torta Santiago (R$24) finaliza com sucesso. Don Curro. Rua Alves Guimarães, 230, Pinheiros. Tel.: 30624712. www.rest auran tedon curro.com.br A duas quadras do Parque do Ibirapuera, o Bottega di Paradisi oferece no domingo a todas as mães uma taça de espumante e a todos o menu a preço fechado de R$69 por pessoa. Entre os desta-

D

Com Elis Regina

Energia total no palco

André Domingues

O

Divulgação

William Volcov/Agência O Globo

A bossa (afinada) do sorriso falecimento do cantor Jair Rodrigues, na manhã de ontem, tem algo de muito surpreendente. O caso não é simplesmente a boa forma que aparentava aos 75 anos de idade, mas, sobretudo, a impressionante jovialidade que preservou ao longo do tempo. Jair Rodrigues teve uma trajetória incomum, marcada por uma súbita elevação ao estrelato, logo em 1965, quando tinha apenas um grande sucesso, o sambinha malandro Deixa Isso Pra Lá, de Alberto Paz e Edson Menezes. Era, aliás, uma obra despretensiosa, que só mais tarde teria reconhecidos dois elementos tidos como muito modernos: o uso de um canto quase falado e a levada híbrida de samba e rock. A mudança na carreira de Jair a c o n t e c e u , p re c i s a m e n t e , quando foi convidado para ser o

José Guilherme R. Ferreira é autor de Vinhos no Mar Azul – Viagens Enogastronôm icas (Editora Terceiro Nome)

Tadeu Brunelli/Divulgação

MEMÓRIA

U m infarto tirou, ontem, a vida de Jair Rodrigues, 75 anos - o eterno-meninosorriso, que na infância e adolescência foi engraxate, mecânico, ajudante de alfaiate, pedreiro. Uma de seus últimos shows foi no dia 5 de abril no Auditório do Ibirapuera. com casa lotada. Seu último trabalho, o disco duplo "Samba Mesmo", é um tributo ao samba e à seresta, lançado em fevereiro. Indiretamente, ele também estava "em cartaz" na Cidade, interpretado pelo ator Ícaro Silva, em "Elis, A Musical". O elenco da peça lhe prestou uma homangem, durante a sessão de ontem. O enterro de Jair Rodrigues está marcado para hoje, às 11h, no cemitério do Morumbi.

tavam enriquecendo ilicitamente e teriam enganado o rei. A dinheirama foi confiscada e teve de voltar aos londrinos comuns.

companheiro de palco de Elis Regina no show 2 na Bossa, que viraria disco e teria a maior vendagem de seu tempo. Dali, os dois cantores seguiram para apresentar o lendário televisivo O Fino da Bossa, da TV Record, e ficaram no epicentro do efervescente cenário da época. Foi naquele programa que a canção de protesto ganhou popularidade, que a geração de ouro dos festivais se formou e que ganhou projeção a própria sigla MPB. Jair, curiosamente, não foi nem a primeira nem a segunda opção dos produtores para o cargo, ficando atrás de Baden Powell e Simonal, mas é importante notar que, se não fosse ele, o programa provavelmente teria bem menos impacto do que teve. Acontece que a figura centralizadora de Elis precisava de um contraponto mais relaxado para florescer. Simonal, tão

competente e vaidoso quanto ela, fatalmente transformaria o programa numa competição de virtuosismo. Já Baden, tímido e pouco disposto a cantar, deixaria Elis sobrecarregada e o programa bem mais pesado. A concentração do programa no samba levou Jair Rodrigues a ter no gênero o maior filão de sua carreira. Um acontecimento da mesma época, porém, mostrou um lado que não havia sido devidamente considerado: o convite pela TV Record para defender no III Festival da Música Popular Brasileira a moda de viola Disparada, de Théo de Barros e Geraldo Vandré. Foi nela que sua voz forte, clara e pungente revelou o enorme peso que trazia da cultura interiorana paulista, vivenciada na Igarapava natal. Dali em diante, Jair seria um dos poucos artistas que conseguiam transitar com naturalidade en-

tre os universos do samba e da música sertaneja, driblando a mau-hábito do mercado e da cultura vigentes de compartimentar a arte popular em nichos “típicos”. Não foi à toa que conseguiu obter êxitos expressivos nessas duas pontas nos anos posteriores, seja com um samba-enredo como Festa para um Rei Negro (Salgueiro, 1971), seja com uma canção sertaneja como Vaqueiro de Profissão. Jair Rodrigues teve um final de vida confortável, mantido em evidência pela carreira dos filhos, Jair Oliveira e Luciana Mello, e por sucessivas ondas revisionistas. Tanto pelo reconhecimento, quanto por uma disposição natural, estava sempre alegre, eletricamente alegre. Daí que esse infarto fulminante não combinasse nada com ele. Se tivesse mesmo de morrer, que fosse de rir.

ques, crostinis com figo grelhado, camembert derretido, presunto Parma, rúcula, molho de mel e aceto balsâmico. Para prato principal, badejo com crosta de castanhas, acompanhado de risoto de maçã. E na sobremesa, crepe com recheio de Nutella, calda de chocolate e pedaços de morangos. Bottega di Paradisi. Rua Pirapora, 218. Paraíso. Tel.: 3052-1473. www.bottegaparadisi.com.br Na zona norte, o restaurante Dona Carmela traz para o Dia das Mães o cardápio ao fixo de R$49 e presenteia as mães com uma taça de espumante. Para as mães preocupadas com a saúde, o menu sem lactose nem glúten tem salmão marinado em chá verde, acompanhado de purê de batata doce com couve-flor e legumes. Dona Carmela. Rua Dr. César, 944. Santana. Tel.: 2283-2458. www.donacarmela.com.br Se no final da tarde você quiser preparar um lanche para a mamãe, a sugestão é a salada de frutas com creme de hortelã. A receita é fornecida por Becel e Maisena. Pique em cubos três fatias de abacaxi, duas bananas, uma manga e uma laranja e cozinhe no fogo por três minutos. Adicione quatro colheres (sopa) de açúcar e está feita a salada. Para o creme, duas xícaras (chá) de leite, quatro colheres (sopa) de maisena, mais quatro colheres de açúcar, 15 folhas de hortelã fresca picada e quatro colheres de margarina. Bata o creme no liquidificador e engrosse no fogo. Distribua em taças a salada, com o creme por cima. Decore com hortelã. Deixe na geladeira 1h30 antes de servir.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

Resto é arte

sexta-feira, 9 de maio de 2014

O estilo do jazz

Tudo o que o artista Tom Shelton encontra pelas ruas ele transforma em esculturas. Mais no site.

A estilista Isabel Toledo, uma das preferidas de Michelle Obama, concorre ao prêmio Tony com os figurinos criados para o show After Night, da Broadway. EFE

whatthefolkar t.com

.E..UA

.D..ESIGN

Bitcoins se infiltram na política A

Este gadget identifica os alimentos que estão sendo preparados e cria uma lista de músicas que se harmonizam com o prato. A ideia do Coocreater é fazer da refeição uma experiência emocional. A proposta é uma das 100 finalistas do concurso de design Electrolux. http://electroluxdesignlab.com/2014/

.T..ECNOLOGIA

'Orelhões' do futuro. Em Nova York.

App ajuda a detectar câncer de pele

A prefeitura de Nova já percebeu que a era dos "orelhões" está chegando ao fim. Por isso, decidiu substituir sete mil de seus telefônes públicos por pontos de conexão wi-fi gratuita. os postos também oferecerão recarga de baterias e ligações de emergência. Para escolher o prestador dos serviços, a prefeitura abriu uma concorrência. O vencedor, entre os 125 projetos inscritos, será conhecido em junho.

Um aplicativo desenvolvido na Universidade de Houston, nos EUA, chamado DermoScreen, é capaz de identificar câncer de pele a partir de fotografias. Basta fotografar qualquer mancha suspeita na pele e colocá-la no aplicativo que, em segundos, aponta se há a possibilidade de que a lesão seja cancerígena. O objetivo do que o app ajude no diagnóstico de pessoas que têm acesso difícil a médicos.

ce com a maiora das transações com moedas virtuais, que são anônimas, a FEC determinou que os doadores sejam identificados. Isso também garantirá o cumprimento da legislação eleitoral dos EUA, que proíbe doações de estrangeiros e tenta evitar a utilização de Bitcoins e outras moedas virtuais provenientes de atividades ilegais nas campanhas políticas. A autorização de doação em Bitcoins vale até que seja definida uma regulação federal de uso geral das moedas virtuais. Por isso, a decisão proíbe que os comitês políticos paguem bens e serviços com Bitcoins. Para utilizar os recursos digi-

tais, deverão convertê-los primeiro em dólares. "Temos que equilibrar o desejo de acomodar inovação, uma coisa boa, com a preocupação de continuarmos protegendo a transparência no sistema eleitoral e garantir que dinheiro de estrangeiros não entre nos caixas", explicou a comissária Ellen Weintraub. Há um forte lobby nos EUA para quebrar a resistência do Congresso à regulamentação das moedas virtuais. A empresa Robocoin até instalou no Capitólio um caixa eletrônico para transação de Bitcoins. Cada Bitcoin valia ontem US$ 439,1, mas a cotação oscila bastante. (Agência O Globo)

Aperto de mão denuncia idade Cientistas dos EUA compilaram resultados de cerca de 50 estudos feitos em todo o mundo e descobriram que um simples aperto de mão pode indicar a idade biológica, o estado de saúde e até o nível educacional de uma pessoa. O segredo está no vigor (ou força) do aperto. Quanto mais vigoroso, melhores são a capacidade mental, a pressão arterial, a força nas pernas e o estado das artérias da pessoa, bem como mais lento seu envelhecimento.

Yves Herman/Reuters

O som do paladar

s moedas virtuais poderão desembarcar nas campanhas políticas norte-americanas de 2014. Em passo inédito, a Comissão Federal Eleitoral (FEC, na sigla em inglês) autorizou ontem a doação de Bitcoins aos comitês de arrecadação independentes dos partidos e também dos candidatos. A decisão, com o voto unânime dos seis comissários, tanto democratas quanto republicanos, limitou a contribuição individual a US$ 100 por eleição - o equivalente a 0,23 Bitcoin, pela cotação de ontem nos EUA - mas impôs algumas restrições. Ao contrário do que aconte-

.C..IÊNCIA

Khaled Elfiqi/EFE

.A..RQUEOLOGIA

s

BALÉ EQUESTRE - Cena do show Cavalia, que em 2014 comemora dez anos. O show, criado pelo canadense Normand Latourelle, está em cartaz em Bruxelas, na Bélgica, e leva a um palco 50 cavalos e 37 artistas, entre dançarinos e acrobatas, além de cavaleiros.

.A..RTE

Descobertas tumbas de 3 mil anos O Egito revelou ontem a descoberta de tumbas de dois dirigentes do Exército faraônico datadas de mais de três mil anos na célebre necrópole de Saqqara. As pinturas encontradas nas tumbas, baixos relevos nas cores vermelha, azul e amarela, estão quase intactas.

Anos 1920

Anos 1930

Anos 1940

Anos 1950

.I..NTERNET

Pelo acesso aberto e livre Cento e cinquenta empresas do setor tecnológico assinaram um documento pedindo a preservação de "uma internet livre e aberta". As empresas temem os planos da Comissão Federal das Comunicações (FCC) dos EUA, que se prepara para aprovar uma medida que concederia

linhas de internet mais rápidas para sites que exigem banda mais larga. Entre as empresas que assinaram o documento estão Amazon e eBay, as redes sociais Facebook, LinkedIn e Twitter, os buscadores Google e Yahoo!, a Microsoft, o Netflix e a fundação Mozilla e o Dropbox.

Anos 1950

Anos 1960

Anos 1980

Anos 1970

Passado recriado A estudante Annalisa Hartlaube recriou fotos de si mesma com roupas dos últimos 100 anos

.L..OTERIAS Concurso 3483 da QUINA

17

19

39

55

79 Anos 1990

Anos 2000

Anos 2010

http://goo.gl/2IeYC3


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

A caminho de consolidar a oferta, mercado brasileiro quer aproveitar interesse do consumidor por vida mais saudável para ampliar a demanda. Fotos: Paulo Pampolin

13

O novo desafio dos

Rejane Aguiar s primeiras tarefas já estão bem encaminhadas: desenvolvimento e implantação de técnicas eficientes de cultivo, associações de produtores, aumento de oferta regular de produtos in natura e processados, regulamentação oficial, certificação e exportações. Quando se fala no mercado de produtos orgânicos no Brasil, o trabalho que tem sido feito ao longo dos anos em conjunto por agricultores, entidades independentes e órgãos oficiais tem dado resultados animadores. O faturamento do setor deve atingir R$ 2 bilhões neste ano, o que representa um crescimento

A

de 35% em relação ao ano passado (quando já havia avançado 22%), conforme projeções do Instituto de Promoção do Desenvolvimento (IPD) e do Projeto Organics Brazil, de promoção de exportações. Os produtos brasileiros já estão nos mercados de diversos países e cada vez mais agricultores se engajam na cultura dos orgânicos. De acordo com dados do Ministério da Agricultura, no fim de 2013 havia 6,7 mil produtores seguindo as diretrizes do sistema orgânico, uma expansão de 22% sobre o ano anterior. Com a ponta da oferta mais estruturada e diversificada, o desafio que a cadeia produtiva enfrenta agora é o de educar o consumidor brasileiro, derrubando mitos e precon-

ceitos que ainda cercam os alimentos, cosméticos e roupas feitos com base em um sistema muito diferente do convencional. E educar o consumidor passa pela apresentação dos detalhes da produção orgânica a o v a re j o. Pa r t i n d o d e s s a ideia, o Projeto Organics Brazil montou, pela primeira vez, um estande na edição mais recente da tradicional feira da Associação Paulista de Supermercados (Apas), que terminou ontem. Em um espaço de 200 metros quadrados montado com uma estrutura de madeira rústica,16 marcas apresentaram seus produtos e novidades para compradores nacionais e estrangeiros. Ficaram expostos nas gôndolas do estande desde produtos in natu-

Com o apoio do Pão de Açúcar, que há alguns aposta nesse mercado (a esq. itens da linha Taeq), produtores apresentaram de legumes e frutas a cosméticos orgânicos na Apas. Neste ano, o setor deve faturar R$ 2 bilhões, alta de 35% ante 2013.

ra, como legumes e frutas, até condimentos, mel, açúcar, café e papinhas prontas para bebês. O espaço contou com o apoio do Pão de Açúcar, grande rede que já há algum tempo aposta na expansão do mercado de produtos orgânicos. CONTAR HISTÓRIAS “A ação na feira da Apas mostrou aos varejistas que é possível apresentar os orgânicos, que têm preços mais altos que os convencionais, de uma maneira atraente, contando as histórias dos produtos e das marcas. O consumidor hoje quer saber mais sobre o que compra e quando enxerga o valor agregado às mercadorias aceita pagar mais por elas”, diz o coordenador do Projeto Organics Brazil e executivo do IPD, Ming Liu, profissional há muito envolvido com o desenvolvimento dessa cadeia produtiva no País. Embora a concorrência da bilionária indústria alimentícia tradicional ainda seja muito forte, o momento é favorável para os orgânicos. Há cada vez mais pessoas preocupadas com questões como alimentação saudável e estilo de vida sustentável – propensas, portanto, a dedicar mais tempo para saber de onde vem o que consomem. Agricultores, indústrias e entidades que representam a cadeia dos orgânicos tentam aproveitar a onda para derrubar alguns mitos que emperram o crescimento da demanda. O mais forte deles é a associação dos orgânicos com “h i pp i e s”, “bi c h os g r i lo”, “a lt e rn a ti v o s ”, "verdes" – e a realidade nada tem a ver com isso. Hoje a produção orgânica nacional vem de um grande número de pequenas propriedades familiares – elas já têm, no entanto, capacidade de organização e associação suficiente para fornecimento de produtos para feiras e mercados e de matérias-primas para as indústrias de orgânicos, de maior porte. Todos fazem parte de um negócio que gera renda e empregos no campo. Desde 2011 o setor tem uma regulamentação oficial para alimentos, que estabeleceu parâmetros claros para os produtores obterem selos que

atestam a adoção de determinadas práticas. Ou seja, não basta um produtor dizer que trabalha com orgânicos: tem que provar. A certificação é feita por verificação de empresas privadas autorizadas pelo governo ou por associações de produtores, num sistema participativo coerente com o conceito mais amplo da produção orgânica. A exemplo do que ocorre no mundo, ainda não há regras uniformes para a produção de têxteis e cosméticos orgânicos. “A regulamentação dos alimentos, re-

sultado de um trabalho de mais de uma década, garantiu credibilidade ao setor, fundamental para o consumidor. O conceito de orgânico é tão amplo que as discussões envolveram, pelo menos desde 1999, produtores, indústrias e órgãos dos ministérios da Agricultura, do Desenvolvimento Agrário, do Meio Ambiente, do Trabalho e da Saúde”, destaca Liu. Essa complexidade contrasta com o segundo grande mito que cerca os orgânicos. Acredita-se, erroneamente, que a única diferença de um produto orgânico para um convencional é a não utilização de agrotóxicos para o controle de pragas. Mas o sistema é muito maior que isso: o pro-

ORGÂNICOS

Marcas de produtos orgânicos foram reunidas em um estande em evento do setor supermercadista para compradores nacionais e estrangeiros

dutor que decide seguir os parâmetros orgânicos não usa agrotóxicos, também abre mão de adubos e fertilizantes químicos (que, assim como os agrotóxicos, podem contaminar solo e lençóis freáticos e causar problemas de saúde para quem os manipula) e respeita os direitos dos trabalhadores nas lavouras e fábricas. Quem vai além ainda se limita a vender os produtos em feiras locais ou no varejo mais próximo possível da área de produção (a ideia, aqui, é reduzir a necessidade de transporte, que consome g r a n d e s q ua nt i da de s de combustíveis fósseis). D e a c o rd o com Liu, o crescente m e r c a d o mundial de orgânicos já atinge US$ 64 bilhões, sendo US$ 34 bilhões apenas nos Estados Unidos. “Temos apenas uma pequena fração desse mercado, mas a perspectiva é muito positiva. É evidente não ser possível transformar a matriz de produção de alimentos no mundo para um modelo orgânico, mas ainda existe muito espaço para ampliação desse segmento”, observa, lembrando que até grandes multinacionais normalmente associadas a produtos pouco saudáveis perceberam o interesse do consumidor do século XXI por alimentos orgânicos. A Coca-Cola, proprietária da tradicional Mate Leão, já chegou a produzir chá orgânico no Brasil – sinal claro de que há, de fato, uma grande mudança em curso.


14

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

15

É quase unanimidade que a tarifa de energia ainda é alta Romeu Rufino, diretor-geral da Aneel

ACSP e Unesp: unidas pelos exportadores. Convênio entre as instituições vai permitir a capacitação de empresas que pretendem conquistar o mercado externo. A parceria é voltada às micro e pequenas. Fotos: Tina Cezaretti/Hype

A base de exportadores que atuam em São Paulo atinge a marca de 7,9 mil empresas e nossa meta é ampliar este universo. JOSÉ CÂNDIDO SENNA, DO EXPORTA, SÃO PAULO

O convênio entre a universidade e a ACSP foi assinado ontem. Ele terá validade de 12 meses.

Paula Cunha Associação Comerc i a l d e S ã o Pa u l o (ACSP) e a Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp) firmaram convênio com a Faculdade de Ciências Agronômicas (FCA), que faz parte da Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp), e com a Fundação de Estudos e Pesquisas Agrícolas e Florestais (Fepaf), pelo qual os associados das duas primeiras terão acesso a programas de capacitação à exportação. O convênio tem validade de 12 meses e a cerimônia de assinatura foi presidida pelo vice-presidente da ACSP, Roberto Ticoulat, e pelo coorde-

A

Miranda: integração entre universidade e empresa.

Furtado: acordo para superar adversidades.

Não há segurança energética no País, afirma TCU. Tribunal de Contas da União (TCU) encontrou fortes indícios de que a capacidade de geração de energia elétrica do Brasil é inadequada para garantir segurança energética do País, segundo relatório aprovado ontem pelo órgão. "No meu entender, existem claros indícios no sentido de que a capacidade de geração de energia elétrica no País configura-se insuficiente, em termos estruturais, para garantir a segurança energética dentro dos parâmetros estabelecidos pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE)", afirmou o relator Augusto Sherman Cavalcanti, no documento. Segundo o TCU, entre as possíveis causas desse cenário estariam falhas no planejamento da expansão da geração, superavaliação da garantia física das usinas, indisponibilidade de parte do parque de termelétricas e o atraso na entrega de obras de geração e transmissão. Com a avaliação, o TCU vai "dar ciência" ao CNPE sobre os fortes indícios de insuficiência de geração de energia. Além disso, o tribunal determinou que Ministério de Minas e Energia (MME), Ministério do Meio Ambiente (MMA) e Ibama apresentem plano de trabalho ao TCU com cronograma de no máximo 120 dias para estudos que deverão incluir análise sobre hidrelétricas e uma política pública clara para gás natural na matriz energética.

O

O TCU exigiu ainda que o Operador Nacional de Energia Elétrica (ONS) apresente em 30 dias um estudo sobre a capacidade de geração de energia elétrica à disposição para atendimento à demanda atual e a prevista para 2014. As conclusões do TCU têm como base informações fornecidas pelo Ministério de Minas e Energia e outros órgãos do setor elétrico. O TCU é um órgão de fiscalização e controle e o governo federal terá que dar as explicações exigidas.

15

bilhões de reais é quanto a estatal Eletrobrás espera receber de indenização. O governo federal ainda estuda a questão. Tarifa elevada – O diretorgeral da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Romeu Rufino, esteve na audiência de ontem no TCU. Ele admitiu que as tarifas de eletricidade no Brasil são altas, mas voltou a culpar a tributação do setor – sobretudo a estadual – pela conta salgada paga pelos consumidores. "É quase unanimidade que a tarifa de energia ainda é alta. O preço da eletricidade é alto porque tem componente de encargos e tributos.

Somente o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) é de 30% em alguns Estados", afirmou. Rufino disse também que as necessidades financeiras das distribuidoras de energia elétrica estão garantidas pelo menos até junho deste ano com o empréstimo de R$ 11,2 bilhões tomados pela Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) em nome das empresas. Eletrobrás – Rufino confirmou que a Eletrobrás deverá receber uma indenização significativa pelos ativos de transmissão anteriores ao ano 2000 e pelas melhorias e investimentos realizados nos ativos que fazem parte das concessões renovadas antecipadamente pela companhia. A empresa espera receber mais R$ 15 bilhões em indenizações, que se somariam aos R$ 14 bilhões já pagos pelo governo. "A Eletrobrás é detentora da maior parte dos ativos de transmissão anteriores a 2000, mas não posso dizer se o valor será mesmo de R$ 15 bilhões". completou Rufino. Atrasos – Também no TCU, o secretárioexecutivo do Ministério de Minas e Energia (MME), Márcio Zimmermann reconheceu a existência de atrasos em empreendimentos do setor elétrico, mas afirmou que eles não comprometem o sistema. Ele afirmou que o risco de falta de energia em 2014 é muito menor do que em 2001, quando do racionamento. (Agências)

nador geral do projeto Exporta, São Paulo, José Cândido Senna. O presidente da ACSP e da Facesp, Rogério Amato, foi representado pelo Chefe de Gabinete, Carlos Nabil Ghobril. No início do encontro, Senna ressaltou a importância do acordo para dar continuidade às ações do projeto de capacitação do Exporta, São Paulo, que desde seu início, há dez anos, já atraiu 3,5 mil empreendedores. "Há espaço para crescer, pois a base de exportadores que atuam em São Paulo atinge a marca de 7,9 mil e nossa meta é ampliar este universo", explicou Senna. Roberto Ticoulat, presidente do Conselho Brasileiro das Empresas Comerciais Importadoras e Exportadoras (CECIEx), que faz parte da ACSP,

ressaltou o trabalho da entidade no estímulo aos micro, pequenos e médios empreendedores para exportar e para se internacionalizar e a superar as dificuldades que eles enfrentam em razão da complexa legislação brasileira. Segundo ele, é importante ressaltar o papel das empresas comerciais exportadoras e importadoras que facilitam o acesso destes empresários ao mercado internacional através dos processos de adaptação de seus produtos e de prospecção de campos de atuação. Essas dificuldades poderão ser enfrentadas e superadas através deste acordo, na opinião do diretor presidente da Fepaf, Edson Luiz Furtado. Para ele, a integração entre o setor acadêmico e a iniciativa privada trará benefícios tanto p a r a o s e m p re e n d e d o re s quanto para os alunos das instituições envolvidas. A expectativa da ACSP e dos novos parceiros é ampliar estas iniciativas a médio e longo prazos, já que todas as instituições envolvidas poderão atuar com o auxílio da estrutura da Facesp, que atua em todo o estado de São Paulo. Seu superintendente, Natanael Miranda dos Anjos, lembrou que esta é uma ocasião muito especial, pois será um processo de integração entre o setor acadêmico e a iniciativa privada para aumentar a atividade econômica paulista. Esta união, disse João Cury Saad, diretor da FCA, mostra que a universidade está alcançando um grau de maturidade e que consegue devolver à sociedade tudo o que esta investiu em educação.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Fotos: Divulgação

SINAL DE ALERTA lançamento esta semana, nos EUA, do livro Black Friday: The Collapse of the American Shopping Mall do fotógrafo e ativista Seph Lawless, baseado em Cleveland e que percorreu aquele país para mostrar o abandono de grandes empreendimentos de varejo, soou como sinal de alerta para os grandes investidores do setor. Uma pesquisa norte-americana revela que 15% dos shoppings dos EUA, o que representa centenas de empreendimentos, devem falir nos próximos 15 anos. São três os motivos principais da decadência de shoppings: ausência de lojas âncoras; o surgimento em bairros, sobretudo de classe média e classe média baixa, ou seja o universo que vai das classes B, C, D a E, de pequenos centros comerciais, como boulevares; e, por fim, o crescimento das vendas e promoções online que têm estimulado as compras em grupos com descontos cada vez maiores. O sinal de alerta de Seph Lawless e suas fotos, que ganharam destaque na mídia norte-americana, também começa

O

a soar no Brasil. Pesquisa do Ibope mostra que 36 dos shoppings que abriram as portas no ano passado o fizeram com metade da ocupação das lojas. A Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce) contabiliza 500 shoppings, que devem chegar a 530 até o fim do ano. Não existem dados precisos de peq u e n o s c e n t ro s c o m e rc i a i s , mas eles se multiplicam pelo País e, nestes casos, não dependem de lojas âncoras, mas de produtos e serviços para suprir

CEREBRAL

moradores limítrofes. As grandes agências de publicidade também começam a sentir a mudança de cenário. Grandes lojas âncoras do passado estão investindo pesado nas suas lojas online. É o caso de Ponto Frio, Walmart, Fast Shop, Lojas Americanas e as fabricantes e distribuidoras de produtos de beleza, bebidas e alimentos não perecíveis. As grandes floriculturas são outro exemplo de migração em massa para o ambiente da internet. Esse futuro sombrio que Se-

ph Lawless retrata mostra que atender a todos pode não ser o caminho dos shoppings. Centros de varejo mais focados em públicos específicos, como mostra em São Paulo, a Galeria do Rock, conseguem mídia e público específico. É o que está acontecendo com alguns setores, como os centros populares de eletroeletrônicos. Uma lição que o comércio de rua de São Paulo há muito aprendeu, afinal temos as ruas das motos, das noivas, dos produtos elétricos e eletrônicos, das roupas e dos centros de atacado que suprem o varejo de todo o País. Os altos investimentos dos shoppings em propaganda e pesados condomínios impactam os preços e, com isso, afugentam sobretudo o consumidor de classe média, os das classes C, D e E que sempre correram atrás de promoções e viajam com pacotes e compras em grupo, onde a internet vive seu reinado. O alerta está dado.

e o consumidor pensar, irá comprar um Fit. Se decidir emocionalmente, também. Este é o mote criado pela agência F/Nazca S&S, comandada por Fábio Fernandes, para a nova verTODOS os caminhos levam à compra do Fit são do Honda Fit. O comercial, com direção do prestigiado Dulcídio Caldeira, da ParanoidBR, é embalado por versão contemporânea do clássico “Carinhoso”, de Pixinguinha num passeio do modelo por um ambiente que, depois, se revela ser o cérebro do consumidor. Nem precisa dizer que o ambiente é de sonho, que a montadora espera seja realizado pelos que compram o veículo.

No final de março, a empresa tinha uma base de assinantes de 93,9 milhões, sendo 78,5 milhões no móvel.

A

1

FEIJÃO AMIGO

agência Africa, da constelação do baiano Nizan Guanaes, assina a campanha com a qual o Itaú, patrocinador oficial da seleção que vai disputar a Copa, pretende motivar a torcida. Com ITAÚ, motivando a torcida brasileira. a assinatura “Acreditar. #issomudaojogo”, o comercial mostra a história de um menino que, ao ver uma estrela cadente, corre para encontrá-la. Depois de pegá-la, ele pensa em várias possibilidades para usar o desejo do qual acredita ter direito, passando por uma bicicleta, um cachorro e até seu primeiro amor. Mas ao fim, ele prefere ver a estrela na camisa da seleção, ilustrando o hexacampeonato.

A

trimestre foi uma despesa de mestre de 2013, relacionada a R $ 8 8 , 3 m i l h õ e s , 4 2 8 , 7 % amortizações de principal de maior do que a de igual perío- dívidas com o Banco Nacional do do ano anterior, o que de- de Desenvolvimento Econôcorre de mais endividamento mico e Social (BNDES), e o líquido. A dívida líquida em Banco do Nordeste do Brasil março era d e R$ 3,667 bi- (BNB), como explica o docul h õ e s , 4 6 0 % s u p e r i o r a o s mento. Na comparação com R$ 655,2 milhões em março março de 2013, o montante de 2013. cresceu 11%. Do total do endiIn ves tim ent os – O nível de vidamento bruto, 15,7% é deinvestimentos da Telefônica nominado em moeda estranBrasil, dona da Vivo, cresceu geira. A empresa ressalta que 41,4% no primeiro trimestre a exposição cambial da dívida está 100% code 2014 para berta por opeR$ 1 bilhão s o b r e o p r irações de proteção cambial meiro trimes(hedge). tre de 2013. A c o m p aPor usuário nhia de tele– A receita bilhão de reais foi o comunicação m é d ia por total de investimento usuário (ARchegou ao fida Telefônica Brasil P U ) n o s e gnal do mês de no primeiro março com mento móvel da Telefônica uma dívida lítrimestre, um Brasil, dona q u i d a d e crescimento de R $ 3 , 6 6 7 b ida Vivo, ficou 41,4% ante igual lhões, mais em R$ 23,3 ao final de mard e c i n c o v eperíodo de 2013. ço, o que rezes superior a de R$ 655,2 presenta leve milhões no final do primeiro crescimento de 0,7% na comtrimestre de 2013, e o dobro paração anual, porém queda na comparação com a posi- de 6,2% ante os R$ 24,8 do ção de dezembro, quando a quarto trimestre de 2013. dívida líquida era de R$ 1,799 Em relatório que acompabilhão. A administração da nha o demonstrativo financeicompanhia atribui a diferen- ro, a companhia ressalta que ça ante o quarto trimestre de houve aumento anual mesmo 2013 principalmente ao pa- com as reduções na taxa de gamento de dividendos e de uso da rede móvel, chamada juros sobre capital próprio no VU-M. Houve decréscimo de primeiro trimestre de 2014. 25% nas tarifas de ligações de A d í v i d a b r u t a f i c o u e m telefones fixos para celulares R$ 8,562 bilhões, queda de determinada pela Agência Na2,2% em relação ao quarto tri- cional de Telecomunicações

agência Y&R, de Roberto Justus, é responsável pelo conceito "Emoção em dobro" da Casas Bahia. A ideia é que torcidas rivais do Brasil virem a casaca nesta Copa. Os "hermanos" argentinos estrelaram o primeiro comercial, que ganha continuidade agora com os italianos, que vão trocar a "Azzurra" pelo verde e amarelo. Para reforçar a ação, o comercial mostra uma arquibancada lotada de torcedores italianos que é surpreendida por uma torcedora com um coro diferente: “Brasile, Brasile”. Surpreso, um dos torcedores a questiona sobre a cantoria indesejada e a mesma explica o porquê resolveu apostar na vitória do Brasil. A arquibancada inteira se empolga com a promoção e, juntos, embalam um coro diferente, mudando até o tradicional bordão para “Forza Brasile”. A intenção é destacar as promoções da maior rede de varejo do País que vai sediar a Copa.

A

BOA ação na balança do restaurante

Lucro da Telefônica/Vivo recua para R$ 660,8 mi Te l e f ô n i c a / V i v o anunciou lucro líquido de R$ 660,8 milhões no 1º trimestre do ano, queda de 18,4% ante igual período de 2013. Na comparação com o quarto trimestre de 2013, quando apurou resultado de R$ 1,231 bilhão, a cifra é ainda menor, em 46,3%. A queda no lucro é explicada pelo menor Ebitda e às maiores despesas financeiras no período. O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) no período atingiu R$ 2,562 bilhões, o que representa recuo de 6,7% na comparação com o primeiro trimestre de 2013. A margem Ebitda ficou em 29,8%, queda de 2,4 pontos percentuais ante a de 32,1% no mesmo período do ano passado. A companhia também apresenta o critério recorrente para o Ebitda, segundo o qual a comparação com o intervalo de janeiro a março de 2013 aponta uma queda de 9,7% e na margem Ebitda, de 3,4 pontos percentuais. A justificativa para a queda no critério recorrente são "esforços de melhoria do desempenho do negócio fixo e aumentos da base móvel, intensificados a partir do segundo trimestre de 2013". A receita líquida da operadora de telecomunicações totalizou R$ 8,611 bilhões, 0,7% maior que no primeiro trimestre do ano passado. O resultado financeiro líquido da Telefônica Vivo no

EMOÇÃO EM DOBRO

Envie informações para esta coluna. E-mail: carlosfranco@revista publicitta.com.br

ESTRELA

S

ITALIANOS viram a casaca na Copa

(Anatel) no fim de fevereiro. "Excluído o impacto regulatório, o ARPU teria registrado aumento anual de 3,8% no período", explica a administração da companhia. Ainda sobre esse indicador do balanço, a empresa chama a atenção para o crescimento de receitas de dados em função do volume de vendas de placas e planos de dados atrelados à smartphones. O crescimento de receita (ARPU) de dados foi de 17,5% sobre o primeiro trimestre de 2013. A operadora chegou ao fin a l d o m ê s d e m a rç o c o m uma base de assinantes de 93,9 milhões, 1,4% maior que no quarto trimestre e 3,3% sobre o primeiro trimestre do ano passado, sendo 78,5 milhões no negócio móvel e 15,4 milhões no fixo. Os acessos pós-pagos tiveram alta de 27,6% em quantidade na comparação anual. O número de adições líquidas no trimestre foi de 1,219 milhão nesse segmento, queda de 21,6% sobre o quarto trimestre e avanço de 70,4 sobre o primeiro trimestre do ano passado. Com base em dados da Anatel, o market share total do trimestre atingiu 28,7% (alta de 0,2 ponto percentual sobre o quarto trimestre) e em pós-pago a Telefônica Brasil detém 65,6% das adições líquidas do trimestre, com market share de 40,6% (aumento de 0,8 ponto percentual ante o quarto trimestre de 2013. (Estadão Conteúdo)

DM9DDB assina o projeto social “Feijão Amigo”, que tem como objetivo ajudar instituições de todo o país. A iniciativa é entre restaurantes, ONGs e clientes. Ao lado da balança dos restaurantes haverá três tamanhos de feijão (50, 75 e 100 gramas), que podem ser colocados ao lado do prato no ato da pesagem. A diferença do peso será automaticamente doada. A primeira parceria foi criada entre o restaurante Oazi, no Itaim, São Paulo, e a Associação Saúde Criança. A participação é aberta para todos os restaurantes e ONGs do Brasil por meio do site www.projetofeijaoamigo.com.br.

A

Correios já podem ingressar no mercado de telefonia móvel Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) já pode entrar no mercado de telefonia móvel do País. O aval para que os Correios explorem Serviço Móvel Pessoal pela Rede Virtual (RRV-SMP) está em portaria assinada pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, publicada ontem, no Diário Oficial da União. Os Correios poderão atuar como operador virtual, nos termos de regulamentação específica expedida pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). Para isso, a empresa firmará parceria comercial com outras companhias do setor, ou seja, em vez de adquirir radiofrequências e a infraestrutura necessária, a ECT poderá se associar a operadoras tradicionais para ofertar o serviço. "A parceria comercial poderá

A

ser efetuada mediante a constituição de subsidiárias ou a aquisição de controle ou de participação acionária em sociedades empresárias já estabelecidas", diz a portaria. Entre outras exigências, o texto determina que a implementação da nova atividade "deverá ser precedida de estudo demonstrando a viabilidade econômico-financeira do modelo de negócios a ser implantado, observados critérios e parâmetros de mercado, que proporcionem retorno financeiro adequado". Além disso, o governo espera que a diversificação dos serviços possa "agregar valor à marca da ECT e proporcionar maior eficiência à utilização de sua infraestrutura, especialmente de sua rede de atendimento. (EC)

Cade aprova fusão Azul-Trip Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) autorizou a fusão entre as empresas aéreas Azul e Trip. O aval ocorre dois anos depois do anúncio do negócio pelas duas companhias. A decisão da agência está publicada no Diário Oficial da União (DOU) e concede "autorização prévia para a cisão parcial da Trip Linhas Aéreas e incorporação do acervo líquido cindido pela Azul Linhas Aéreas Brasileiras". O texto ainda cita que a incorporação

A

deverá ocorrer "nos termos deliberados pelas Assembleias Gerais Extraordinárias realizadas pelas referidas empresas em 25 de junho de 2013". Concessão – Em outro ato publicado no DOU, a agência outorgou, por dez anos, concessão para a empresa América do Sul Linhas Aéreas explorar serviço de transporte aéreo público regular de passageiros e cargas. A empresa é sediada em Várzea Grande (MT). (Estadão Conteúdo)


ECONOMIA/LEGAIS - 17

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014 COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual nº 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.º 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual nº 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais e equipamentos de ECF do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: Modelo I.E. Tipo Série/ Estabelecimento Documento Subsérie Numeração AIDF ECF nº de Ordem/Série/Marca/Modelo 114.688.809.110 Nota Fiscal 2 - D/1 2501 a 7500 5985 05 / ZP06100000000002050 / ZPM / ZPM-300 114.688.809.110 Nota Fiscal 1 1701 a 2200 7922 114.688.809.110 Nota Fiscal 2 - D/1 7501 a 12500 117466515405 114.688.809.110 Nota Fiscal 2 - D/1 12501 a 12700 382378849910 114.688.809.110 Nota Fiscal 1 2201 a 2700 114906987405 114.688.809.110 Nota Fiscal 1 2701 a 3200 139811193906 COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/000106, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais dos estabelecimentos da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 110.971.472.111 Nota Fiscal 1 1451 a 1950 8090 110.971.472.111 Nota Fiscal 1 1951 a 2050 272030788808 110.971.472.111 Nota Fiscal 1 2051 a 2150 310108396009 110.971.472.111 Nota Fiscal 1 2151 a 2300 312148853509 110.971.472.111 Nota Fiscal 1 2301 a 2450 467836171612 110.971.472.111 Nota Fiscal 2 - D/1 71501 a 72000 8268 110.971.472.111 Nota Fiscal 2 - D/1 72001 a 72500 110398171605 110.971.472.111 Nota Fiscal 2 - D/1 72501 a 73000 142844395106 110.971.472.111 Nota Fiscal 2 - D/1 73001 a 73250 216216127807 110.971.472.111 Nota Fiscal 2 - D/1 73251 a 73350 245271836908 110.971.472.111 Nota Fiscal 2 - D/1 73351 a 73550 272030537708 110.971.472.111 Nota Fiscal 2 - D/1 73551 a 73800 335433749909 COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual nº 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.º 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual nº 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais e equipamentos de ECF’s , conforme Boletim de Ocorrência nº 1207/2014, realizado nas dependências da 80ª D.P., Vila Joaniza, do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: Modelo I.E. Tipo Série/ Estabelecimento Documento Subsérie Numeração AIDF ECF nº de Ordem/Série/Marca/Modelo 111.231.542.116 Nota Fiscal 1 1951 a 2450 8168 02/05109383901416635/ITAUTEC/POS4000 IF/3E II 111.231.542.116 Nota Fiscal 1 2451 a 2550 311122952109 111.231.542.116 Nota Fiscal 1 2551 a 2800 350143989210 111.231.542.116 Nota Fiscal 1 2801 a 2900 475106566512 111.231.542.116 Nota Fiscal 2 - D/1 30001 a 30500 8094 111.231.542.116 Nota Fiscal 2 - D/1 30501 a 31000 114685065305 111.231.542.116 Nota Fiscal 2 - D/1 31001 a 31500 177791853507 111.231.542.116 Nota Fiscal 2 - D/1 31501 a 32000 213374637707 111.231.542.116 Nota Fiscal 2 - D/1 32001 a 32250 350142248710 111.231.542.116 Nota Fiscal 2 - D/1 32251 a 32350 475146459712

COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 114.554.351.111 Nota Fiscal 2 - D/1 9501 a 10000 8180 114.554.351.111 Nota Fiscal 1 6601 a 7100 7473 114.554.351.111 Nota Fiscal 2 - D/1 10001 a 10500 108215775305 114.554.351.111 Nota Fiscal 2 - D/1 10501 a 11000 120572720305 114.554.351.111 Nota Fiscal 2 - D/1 11001 a 11500 126874164406 114.554.351.111 Nota Fiscal 2 - D/1 11501 a 12000 206838027107 114.554.351.111 Nota Fiscal 2 - D/1 12001 a 12150 311124242609 114.554.351.111 Nota Fiscal 2 - D/1 12151 a 12400 350143069810 114.554.351.111 Nota Fiscal 2 - D/1 12401 a 12550 423026849911 114.554.351.111 Nota Fiscal 1 7101 a 7600 112239997505 114.554.351.111 Nota Fiscal 1 7601 a 7850 259608181308 114.554.351.111 Nota Fiscal 1 7851 a 8000 311123529609 114.554.351.111 Nota Fiscal 1 8001 a 8150 425656515411 COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais dos estabelecimentos da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 116.195.057.118 Nota Fiscal 1 751 a 1250 7770 116.195.057.118 Nota Fiscal 1 1251 a 1750 139839743005 116.195.057.118 Nota Fiscal 1 1751 a 2250 136092384206 116.195.057.118 Nota Fiscal 1 2251 a 2450 311122223709 116.195.057.118 Nota Fiscal 2 - D/1 2501 a 3000 7753 116.195.057.118 Nota Fiscal 2 - D/1 3001 a 3500 108310140205 116.195.057.118 Nota Fiscal 2 - D/1 3501 a 4000 135814329806 116.195.057.118 Nota Fiscal 2 - D/1 4001 a 4500 184038497207 116.195.057.118 Nota Fiscal 2 - D/1 4501 a 4600 245271686208 116.195.057.118 Nota Fiscal 2 - D/1 4601 a 4850 251908585808 116.195.057.118 Nota Fiscal 2 - D/1 4851 a 5050 311122582809 116.195.057.118 Nota Fiscal 2 - D/1 5051 a 5300 350141360610 116.195.057.118 Nota Fiscal 2 - D/1 5301 a 5500 382378320710 COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/000106, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais dos estabelecimentos da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 116.201.233.112 Nota Fiscal 1 501 a 1000 7943 116.201.233.112 Nota Fiscal 1 1001 a 1250 259898438908 116.201.233.112 Nota Fiscal 1 1251 a 1450 372148471210 116.201.233.112 Nota Fiscal 1 1451 a 1600 467833259712 116.201.233.112 Nota Fiscal 2 - D/1 3501 a 4000 7935 116.201.233.112 Nota Fiscal 2 - D/1 4001 a 4500 119525656605 116.201.233.112 Nota Fiscal 2 - D/1 4501 a 5000 105501831206 116.201.233.112 Nota Fiscal 2 - D/1 5001 a 5500 142091788506 116.201.233.112 Nota Fiscal 2 - D/1 5501 a 6000 171065585607 116.201.233.112 Nota Fiscal 2 - D/1 6001 a 6250 223885875508 116.201.233.112 Nota Fiscal 2 - D/1 6251 a 6300 348106951909 116.201.233.112 Nota Fiscal 2 - D/1 6301 a 6500 372148885610 116.201.233.112 Nota Fiscal 2 - D/1 6501 a 6650 457326148912 116.201.233.112 Nota Fiscal 2 - D/1 6651 a 6800 468412120312

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO IMPRENSA OFICIAL DO ESTADO S.A. AVISO PREGÃO ELETRÔNICO Nº 029/2014 A IMPRENSA OFICIAL DO ESTADO S/A - IMESP avisa aos interessados que fará realizar o Pregão Eletrônico nº 029/2014, para contratação de empresa especializada para a operação do Serviço Telefônico Fixo Comutado – STFC, destinado ao tráfego de chamadas entre a rede pública de telefonia e Imprensa Oficial do Estado S.A., localizada à Rua da Mooca, 1921Mooca – São Paulo - SP, conforme Memorial Descritivo - OFERTA DE COMPRA Nº 283101280902014OC00035. O edital deverá ser retirado no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, www.bec.fazenda.sp.gov.br ou www.e-negociospublicos.com.br. DATA DO INÍCIO DO PRAZO PARA ENVIO DA PROPOSTA ELETRÔNICA: 12/05/2014. DATA E HORA DA ABERTURA DA SESSÃO PÚBLICA: 22/05/2014, ÀS 09:30 HORAS. Marcos Antonio Monteiro Diretor Presidente

CASA CIVIL RESPEITO POR VOCÊ

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP PROCESSO LICITATÓRIO Nº 20/14 - CONCORRÊNCIA Nº 06/14 Objeto: Contratação de empresa de engenharia especializada para execução de obras de construção de Creche, na Rua Benedito Rodrigues Matos, Conjunto Habitacional Alípio Aparecido de Oliveira; objeto do Convênio/Processo 3.166/2013, celebrado em 26 de dezembro de 2013, com o Estado de São Paulo, por intermédio da Secretaria da Educação e a Fundação para o Desenvolvimento da Educação – FDE. Decisão da Comissão Permanente de Julgamento de Licitação. Decide pela inabilitação das empresas: RS Sepulvida & Costa Pereira Ltda. – ME, por descumprimento do item 5.2.3.1 – capacitação técnico-operacional, ou seja, apresentou o Atestado em nome do profissional; Engenil de Nipoã Construtora Ltda., por deixar de apresentar os itens 5.2.3.2 – Indicação das instalações, do aparelhamento e do pessoal técnico, 5.2.4.2 – Certidão negativa de recuperação judicial, e apresentou o item 5.2.4.1 – Balanço patrimonial e demonstrativo contábeis, referente ao exercício de 2012; e A. a Z. Comércio, Representação e Serviços Ltda., por não apresentar os documentos de habilitação em original, processo de cópia autenticada por cartório competente ou por servidor da administração, contrariando o art. 32 da Lei 8.666/93; e pela habilitação da empresa Faben Construtora e Engenharia Ltda, por cumprir regularmente com as exigências editalícias. Fica aberto o prazo recursal estabelecido no art. 109, inc. I, alínea “a”, estando os autos, desde já, com vista franqueada aos interessados. Castilho-SP, 08 de maio de 2014. A Debitar (09.05.14)

Caravelas Negócios Imobiliários S.A. CNPJ/MF nº 13.019.760/0001-92 – NIRE 35.300.386.817 Ata da Assembléia Geral Ordinária realizada em 03 de abril de 2014 1. Data, Hora e Local da Assembléia: Realizada em 03/04/2014, às 10:30 hs., na sede social, na Av. Presidente Altino, nº 603, conj. nº 31, Jaguaré, São Paulo-SP. 2. Convocação e Presença: Editais de Convocação publicados nos jornais “Diário do Comércio e no “DOE-SP”, em suas edições de 26, 27 e 28/03/2014. Presente a totalidade dos acionistas. 3. Mesa: Os trabalhos foram presididos pelo Sr. Luiz Martins e secretariados pela Sra. Maria da Glória Nogueira de Sá. 4. Ordem do Dia: (i) tomar conhecimento do relatório da administração, examinar e deliberar sobre as contas da diretoria, o balanço patrimonial e demais demonstrações financeiras relativas ao exercício social encerrado em 31/12/2013; (ii) fixar a remuneração global anual da administração 5. Deliberações: Com abstenção dos legalmente impedidos, os acionistas deliberaram, por maioria de votos, e sem quaisquer restrições. Os Srs. acionistas João Martins Filho, ora representado pela Sra. Odete Cechelli Paiva Martins, Odete Cechelli Paiva Martins, Ana Helena de Paiva Martins, João Luiz de Paiva Martins, João Antonio de Paiva Martins e João Paulo de Paiva Martins, abstiveram-se de votar. 5.I. Aprovar, integralmente, o relatório da administração, o balanço patrimonial e as demais demonstrações financeiras da Sociedade referentes ao exercício social encerrado em 31/12/2013, conforme publicado nos jornais “Diário do Comércio” e “DOE-SP”, em suas edições de 26/03/2014. 5.II. Fixar a remuneração global anual da administração o montante de até R$ 30.000,00. 6. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a Assembléia, sendo lavrada a presente Ata. 7. Assinaturas: Luiz Martins – Presidente. Maria da Glória Nogueira de Sá – Secretária. Acionistas: Alberto Martins. Ana Helena de Paiva Martins. Ana Lucia Martins Orglmeister. João Antonio de Paiva Martins. João Luiz de Paiva Martins. p.p.João Martins Filho. Odete Cechelli Paiva Martins. João Paulo de Paiva Martins. Luiz Martins. Maria dos Anjos Martins Dias. Maria dos Anjos Martins Dias (como usufrutuária vitalícia do direito de voto das ações de Maria Helena Martins Dias Servilha, Maria Cecília Martins Dias e Maria Paula Martins Dias França Pinto). Maria Lucia Martins Calheiros Ferreira. Odete Cechelli Paiva Martins. Patricia Martins Rodrigues. (ass.) Maria da Glória Nogueira de Sá – Secretária. Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 159.686/14-3 em 05/05/2014. Gisela Simiema Ceschin – Secretária Geral.

Declaração de Extravio - HALDEX DO BRASIL INDÚSTRIA E COMERCIO LTDA., pessoa jurídica com sede no Município de São Jose dos Campos, Estado de São Paulo, na Praça Cariri nº 300, Chácaras Reunidas, inscrita no CNPJ/MF sob o nº 68.987.841/0001-78, inscrita na Secretaria da Fazenda do Estado de São Paulo sob nº 113.547.193.119, comunica o extravio de toda a documentação fiscal estadual da Sociedade, incluindo os livros fiscais, AIDFs, Notas Fiscais Fatura todos os modelos, não sabendo precisar quais das notas fiscais foram utilizadas e quais estavam em branco. Os documentos fiscais foram extraviados nas dependências da sede da Sociedade, não sendo possível precisar a data da ocorrência. SP 01/11/2013. Agnaldo Colucci e Lars Goran Jarl - Administradores. (08, 09 e 10)

Terra Nova Rodobens Incorporadora Imobiliária - Montes Claros II - SPE Ltda

CNPJ Nº 09.536.219/0002-65 - NIRE 35.222.210.205 20ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE CONTRATO SOCIAL Data 10.03.2014. Local S.J.Rio Preto. A totalidade dos sócios da TERRA NOVA RODOBENS INCORPORADORA IMOBILIÁRIA – MONTES CLAROS II - SPE LTDA, sede em São José do Rio Preto-SP, na Av. Francisco das Chagas de Oliveira, nº 2500, sala 07C, CEP 15.085485, DELIBERAM, reduzir o capital social, conf. artigo 1082, II do CC, passando de R$3.696.297,00 para R$2.320.181,00, representando uma redução de R$1.376.116,00, que serão devolvidos até 31.03.2014, em moeda corrente nacional, à sócia Marans Holdings S/A. Sócios: Marans Holdings S/A e Carlos Bianconi.

Prefeitura Municipal de São Sebastião da Grama PREGÃO PRESENCIAL Nº 14/14 O senhor José Francisco Martha, Prefeito Municipal de São Sebastião da Grama, torna público que se acha aberto procedimento licitatório, na modalidade de Pregão Presencial, com encerramento no dia 21/05/2014, às 09:30 horas, tendo como objetivo a aquisição de gêneros alimentícios para a merenda escolar. O edital está disponível no site www.ssgrama.sp.gov.br para download. Maiores informações poderão ser obtidas pelo tel. 0XX19 3646-9951, ou pelo e-mail licitacao@ssgrama.sp.gov.br. São Sebastião da Grama, 07 de maio de 2014. José Francisco Martha - Prefeito Municipal

Prefeitura Municipal de São Sebastião da Grama PREGÃO PRESENCIAL Nº 15/14 O senhor José Francisco Martha, Prefeito Municipal de São Sebastião da Grama, torna público que se acha aberto procedimento licitatório, na modalidade de Pregão Presencial, com encerramento no dia 26/05/2014, às 09:30 horas, tendo como objetivo a contratação de pessoa jurídica especializada para prestação de serviços referente à remoção em ambulância UTI Móvel, através da Gerência Municipal de Saúde. O edital está disponível no site www.ssgrama.sp.gov.br para download. Maiores informações poderão ser obtidas pelo tel. 0XX19 3646-9951, ou pelo e-mail licitacao@ssgrama.sp.gov.br. São Sebastião da Grama, 07 de maio de 2014. José Francisco Martha - Prefeito Municipal

Prefeitura Municipal de São Sebastião da Grama PREGÃO PRESENCIAL Nº 16/14 O senhor José Francisco Martha, Prefeito Municipal de São Sebastião da Grama, torna público que se acha aberto procedimento licitatório, na modalidade de Pregão Presencial, com encerramento no dia 28/05/2014, às 09:30 horas, tendo como objetivo a contratação de serviços de publicação dos atos oficiais do Município em Jornal de Grande Circulação no Estado de São Paulo e Circulação Local no Município de São Sebastião da Grama. O edital está disponível no site www.ssgrama.sp.gov.br para download. Maiores informações poderão ser obtidas pelo tel. 0XX19 3646-9951, ou pelo e-mail licitacao@ssgrama.sp.gov.br. São Sebastião da Grama, 07 de maio de 2014. José Francisco Martha - Prefeito Municipal

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico nº 21/00014/14/05 OBJETO: AQUISIÇÃO DE DISPENSER PARA BOBINA DE PAPEL TOALHA E DISPENSER PARA BOBINA DE PAPEL HIGIÊNICO PARA UTILIZAÇÃO NO PRÉDIO SEDE E UNIDADES DA FDE. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Aquisição de Dispenser para Bobina de Papel Toalha e Dispenser para Bobina de Papel Higiênico para utilização no Prédio Sede e Unidades da FDE. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 09/05/2014, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http:// www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 22/05/2014, às 10:00 horas e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 09/05/2014, até o momento anterior ao início da sessão pública. BARJAS NEGRI - Presidente

THE BIZ CONSULTORIA EM RECURSOS HUMANOS LTDA., sediada em Santana do Parnaíba, Estado de São Paulo, à Av. Brasil, 335, Jardim São Luiz, CEP 06502-210, CNPJ 02.183.848/0001-29, CCM 66.149, declara o extravio dos livros 51 e 57.

SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO DE SOROCABA O Serviço Autônomo de Água e Esgoto de Sorocaba comunica que se acha publicado o Pregão Eletrônico nº 46/2014 - Processo nº 2.869/2014, destinado ao fornecimento de concreto usinado FCK 20 MPA com pedra 1, tipo menor preço por lote. SESSÃO PÚBLICA dia 23/05/2014, às 10:00 horas. O edital completo será disponibilizado no site www.licitacoes-e.com.br. Informações pelos telefones: (15) 32245814/5815 ou pessoalmente na Avenida Pereira da Silva, nº 1.285, no Setor de Licitação e Contratos. Sorocaba, 08 de maio de 2014. Janaina Soler Cavalcanti - Pregoeira.

Sistema Fácil, Incorporadora Imobiliária - Florianópolis I - SPE Ltda

CNPJ Nº 09.204.087/0001-93 - NIRE 35.221.819.842 17ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE CONTRATO SOCIAL Data 27.03.2014. Local S.J.Rio Preto. A totalidade dos sócios da SISTEMA FÁCIL, INCORPORADORA IMOBILIÁRIA - FLORIANÓPOLIS I - SPE LTDA, sede em São José do Rio Preto-SP, na Av. Francisco das Chagas de Oliveira, nº 2500, sala 05A, Higienópolis, CEP 15.085-485, DELIBERAM, reduzir o capital social, conf. art. 1082, II do CC, de R$8.960.997,00 para R$6.960.997,00, representando uma redução de R$2.000.000,00, que serão devolvidos até 31.03.2014, em moeda corrente nacional, à sócia Junas Holdings S/A. Sócios: Junas Holdings S/A e Carlos Bianconi.

CÂMARA DE COMÉRCIO HOLANDO-BRASILEIRA (DUTCHAM)

CNPJ nº 61.786.638/0001-94 EDITAL DE CONVOCAÇÃO PARA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA Ficam convidados os Srs. Associados da Câmara de Comércio Holando-Brasileira (DUTCHAM) a se reunirem em Assembleia Geral Ordinária a ser realizada em primeira convocação, às 19 horas, e em segunda convocação, às 19:30 horas, do dia 22 de maio de 2014, na “Adega Speciale”, empresa Makro, Rua Carlos Lisdegno Carlucci, 520, Bairro Butantã, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, para deliberar sobre a seguinte Ordem do Dia: 1. Deliberação e decisão sobre o Relatório da Diretoria, os Balanços Patrimoniais e demais Demonstrações Financeiras relativos aos exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 31 de dezembro de 2013; e 2. Eleição dos administradores para novo mandato no biênio 2014-2016; e 3. Outros assuntos de interesse social. Informamos que os Balanços Patrimoniais e demais Demonstrações Financeiras acima referidos encontram-se à disposição para consulta prévia na sede social. São Paulo, 6 de maio de 2014. José Paulo L. Alves Pequeno - Diretor Vice-Presidente

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANGATUBA Tomada de Preços nº 001/2014 – Processo nº 027/2014 A Prefeitura do Município de Angatuba torna pública a nova data de recebimento e abertura dos envelopes da licitação supra mencionada que tem com objeto a contratação de empresa especializada para CONSTRUÇÃO DE UM CENTRO DE CONVIVÊNCIADO IDOSO na Rua DomiciliaArruda de Melo Pedroso, Loteamento “Nhô Ribeiro”,Angatuba/SP, na Modalidade:Tomada de PreçosTIPO: menor preço global. INICIO DA SESSÃO: Os envelopes de participaçãodeverão ser apresentados até o dia 26 de maio de 2014 às 14.00 horas, no Protocolo Geral da Prefeitura Municipal de Angatuba, com sede na Rua João Lopes Filho, nº 120 – Centro, Angatuba/SP, em 02 (dois) ENVELOPES, referente a “1 -DOCUMENTAÇÃO” e “2 – PROPOSTA COMERCIAL”. A Abertura do envelope “1 -DOCUMENTAÇÃO” ocorrerá no mesmo dia 26 de maio de 2014 às 14.15 horas na sala de reuniões do Setor de Licitação da Prefeitura. O resumo do Edital estará disponível no site www.angatuba.sp.gov.br/licitacao. Os interessados que desejarem cópia integral do Edital poderão retirá-lo, na Prefeitura de Angatuba, no horário de 9:00 às 14.30 horas, mediante o pagamentoda quantia do R$ 30,00 (trinta reais) equivalente ao custo de reprodução do edital.Informações: (15) 3255-9500 – ramal 503 e 514. Angatuba, 08 de maio de 2014. Carlos Augusto Rodrigues de Morais Turelli. Prefeito Municipal.

PREFEITURA DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE IBIÚNA EDITAL DE LICITAÇÃO Nº23/2014 - PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 2049/2014 - TOMADA DE PREÇO Nº 08/2014 - TIPO MENOR PREÇO GLOBAL EXTRATO DE PUBLICAÇÃO A Prefeitura da Estância Turística do Município de Ibiúna, estado de São Paulo, através do DEPARTAMETO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS, por autorização do Senhor Prefeito, nos autos do Processo administrativo de nº 2049/2014, torna pública que se acha aberta licitação na modalidade de Tomada de Preço de nº 08/2014, do tipo menor global, nos termos do Edital de nº 23/2014 e seus anexos. OBJETO: Contratação de empresa especializada em engenharia civil para a pavimentação da Estrada Municipal e ruas centrais do Bairro dos Paes, com fornecimento de materiais e mão de obras, conforme projeto, planilhas e memoriais descritivos. DATA/HORA/LOCAL DA SESSÃO PÚBLICA: Dia 27/05/2014 as 09hs30min, na Sala de Abertura de Processos Licitatórios, Paço Municipal, sito à Avenida Capitão Manoel de Oliveira Carvalho, nº 51, Centro, na cidade de Ibiúna-SP. UNIDADE REQUISITANTE: SECRETARIA DE OBRAS. A pasta contendo o Edital e os respectivos anexos do pregão poderão ser retirados junto ao DEPARTAMETO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS desta Prefeitura Municipal, no horário compreendido das 09h00 as 16h00 de Segunda a Sexta- Feira, mediante o pagamento do custo de reprodução no importe de R$ 30,00 (trinta reais). Informações sobre esta licitação poderá ser obtida, pelos telefones (15) 3248.9900 – Ramal 9905 e 9914. Extrato de Publicação, Jornal de grande circulação (Diário do Comercio) – Imprensa Oficial do Estado de São Paulo.

PREFEITURA DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE IBIÚNA

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO CASA MILITAR Acha-se aberta na Divisão de Finanças e Compras da Casa Militar, situada na Avenida Morumbi, nº 4.500, sala 28, Andar Intermediário, Morumbi - SP, a licitação na modalidade Pregão (Eletrônico), do tipo Menor Preço – Nº CMIL-026/2014 - Processo nº CC 29567/2013, Oferta de Compra Nº 280106000012014OC00050, objetivando a constituição de sistema de registro de preços do serviço eventual de buffet (café da manhã, brunch e coffee break). A documentação e as propostas deverão ser entregues até as 10:00 horas, do dia 22/05/2014, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, conforme disposições do edital que se encontra também no site da Casa Militar: www.casamilitar.sp.gov.br (licitações). Maiores informações pelos telefones: (11) 2193.8660/ 8371 ou correio eletrônico: financascasamilitar@sp.gov.br

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA NOTIFICAÇÃO DE ALTERAÇÃO DE DATA DE LICITAÇÃO PREGÃO PRESENCIAL n° 031/2014 - OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA CONTRATAÇÃO DE LINK DE INTERNET DEDICADO - DATA DE ABERTURA:22/05/2014, às 09h00min. O edital retificado está disponível no Balcão da Divisão de Licitações, Compras e Almoxarifado e no site www.braganca.sp.gov.br. As informações poderão ser obtidas na Divisão de Licitações, Compras e Almoxarifado da Prefeitura Municipal, sito à Avenida Antonio Pires Pimentel, nº 2.015, Centro ou pelo telefone (11) 4034-7059/7115/7149, em dias úteis das 09h00 às 16h00 horas. Bragança Paulista (SP), 08 de maio de 2014. PATRÍCIA MARIA MACHADO SANTOS Chefe Interina da Divisão de Licitações, Compras e Almoxarifado

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Encontra-se aberto, na Prefeitura do Município de Bragança Paulista, o seguinte certame licitatório: PREGÃO PRESENCIAL Nº 80/2014 OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA LOCAÇÃO DE RELÓGIOS DE PONTOS, COM LEITOR BIOMÉTRICO E CÓDIGO DE BARRAS E DE SISTEMA DE CONTROLE DE PONTO ELETRÔNICO, COM SISTEMA DE ENVIO DE E-MAIL E SMS, NOS TERMOS DA PORTARIA MTE Nº 1.510/09, INCLUINDO-SE SUPORTE E MANUTENÇÃO COM TROCA DE PEÇAS - DATA DA REALIZAÇÃO DA SESSÃO DE ÚNICA: 29 de maio de 2014, às 14 horas e 30 minutos. DATA LIMITE DE RECEBIMENTO DOS ENVELOPES “PROPOSTA DE PREÇOS” E “DOCUMENTAÇÃO DE HABILITAÇÃO”: 29 de maio de 2014, às 14 horas e 30 minutos. O edital completo estará disponível para retirada, a partir de 14 de abril de 2014, no Balcão da Divisão de Licitação, Compras e Almoxarifado da Prefeitura do Município de Bragança Paulista, localizada na Prefeitura Municipal, sito à Avenida Antonio Pires Pimentel nº 2.015, Centro, Bragança Paulista (SP), das 09 às 16 horas, mediante a apresentação de mídia (cd/dvd/pen drive) para gravação ou pagamento dos emolumentos referentes ao custo desse, no caso de cópias; podendo, também, ser retirado no site www.braganca.sp.gov.br. Informações poderão ser obtidas no balcão da Divisão de Licitação, Compras e Almoxarifado da Prefeitura do Município de Bragança Paulista, no endereço supra, em dias úteis das 09 às 16 horas. Bragança Paulista (SP), 08 de maio de 2014. PATRÍCIA MARIA MACHADO SANTOS Chefe Interina da Divisão de Licitações, Compras e Almoxarifado

EDITAL DE LICITAÇÃO Nº25/2014 - PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 3154/2014 - TOMADA DE PREÇO Nº 09/2014 - TIPO MENOR PREÇO GLOBAL EXTRATO DE PUBLICAÇÃO A Prefeitura da Estância Turística do Município de Ibiúna, estado de São Paulo, através do DEPARTAMETO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS, por autorização do Senhor Prefeito, nos autos do Processo administrativo de nº 3154/2014, torna pública que se acha aberta licitação na modalidade de Tomada de Preço de nº 09/2014, do tipo menor global, nos termos do Edital de nº 25/2014 e seus anexos: OBJETO: Contratação de empresa especializada em engenharia civil para a o recapeamento asfáltico tipo CBUQ na Rua Mario Arizono, rotatória e acessos, com fornecimento de materiais e mão de obras, conforme projeto, planilhas e memoriais descritivos. DATA/HORA/LOCAL DA SESSÃO PÚBLICA: Dia 28/05/2014 as 09hs30min, na Sala de Abertura de Processos Licitatórios, Paço Municipal, sito à Avenida Capitão Manoel de Oliveira Carvalho, nº 51, Centro, na cidade de Ibiúna-SP. UNIDADE REQUISITANTE: SECRETARIA DE OBRAS. A pasta contendo o Edital e os respectivos anexos do pregão poderão ser retirados junto ao DEPARTAMETO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS desta Prefeitura Municipal, no horário compreendido das 09h00 as 16h00 de Segunda a Sexta- Feira, mediante o pagamento do custo de reprodução no importe de R$ 30,00 (trinta reais). Informações sobre esta licitação poderá ser obtida, pelos telefones (15) 3248.9900 – Ramal 9905 e 9914. Extrato de Publicação, Jornal de grande circulação (Diário do Comercio) – Imprensa Oficial do Estado de São Paulo.

PREFEITURA DA ESTÂNCIA TURÍSTICA DE IBIÚNA EDITAL DE LICITAÇÃO Nº26/2014 - PROCESSO ADMINISTRATIVO Nº 3197/2014 - TOMADA DE PREÇO Nº 10/2014 - TIPO MENOR PREÇO GLOBAL EXTRATO DE PUBLICAÇÃO A Prefeitura da Estância Turística do Município de Ibiúna, estado de São Paulo, através do DEPARTAMETO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS, por autorização do Senhor Prefeito, nos autos do Processo administrativo de nº 3197/2014, torna pública que se acha aberta licitação na modalidade de Tomada de Preço de nº 10/2014, do tipo menor global, nos termos do Edital de nº 26/2014 e seus anexos: OBJETO: Contratação de empresa especializada em engenharia civil para a o recapeamento asfaltico na tipo CBUQ na Rua Gregório de Almeida Lima e Rua Zico Soares, com fornecimento de materiais e mão de obras, conforme projeto, planilhas e memoriais descritivos. DATA/HORA/LOCAL DA SESSÃO PÚBLICA: Dia 29/05/2014 as 09hs30min, na Sala de Abertura de Processos Licitatórios, Paço Municipal, sito à Avenida Capitão Manoel de Oliveira Carvalho, nº 51, Centro, na cidade de Ibiúna-SP. UNIDADE REQUISITANTE: SECRETARIA DE OBRAS. A pasta contendo o Edital e os respectivos anexos do pregão poderão ser retirados junto ao DEPARTAMETO DE LICITAÇÕES E CONTRATOS ADMINISTRATIVOS desta Prefeitura Municipal, no horário compreendido das 09h00 as 16h00 de Segunda a Sexta- Feira, mediante o pagamento do custo de reprodução no importe de R$ 30,00 (trinta reais). Informações sobre esta licitação poderá ser obtida, pelos telefones (15) 3248.9900 – Ramal 9905 e 9914. Extrato de Publicação, Jornal de grande circulação (Diário do Comercio) – Imprensa Oficial do Estado de São Paulo.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Encontra-se aberto, na Prefeitura do Município de Bragança Paulista, o seguinte certame licitatório: PREGÃO PRESENCIAL Nº 79/2014 - OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA PÚBLICA E CORRELATOS NO MUNICÍPIO - DATA DA REALIZAÇÃO DA SESSÃO DE ÚNICA: 29 de maio de 2014, às 09 horas e 30 minutos. DATA LIMITE DE RECEBIMENTO DOS ENVELOPES “PROPOSTA DE PREÇOS” E “DOCUMENTAÇÃO DE HABILITAÇÃO”: 29 de maio de 2014, às 09 horas e 30 minutos. O edital completo estará disponível para retirada, a partir de 14 de maio de 2014, no Balcão da Divisão de Licitação, Compras e Almoxarifado da Prefeitura do Município de Bragança Paulista, localizada na Prefeitura Municipal, sito à Avenida Antonio Pires Pimentel nº 2.015, Centro, Bragança Paulista (SP), das 09 às 16 horas, mediante a apresentação de mídia (cd/dvd/pen drive) para gravação ou pagamento dos emolumentos referentes ao custo desse, no caso de cópias; podendo, também, ser retirado no site www.braganca.sp.gov.br. Informações poderão ser obtidas no balcão da Divisão de Licitação, Compras e Almoxarifado da Prefeitura do Município de Bragança Paulista, no endereço supra, em dias úteis das 09 às 16 horas. Bragança Paulista (SP), 08 de maio de 2014. PATRÍCIA MARIA MACHADO SANTOS Chefe Interina da Divisão de Licitações, Compras e Almoxarifado

PALHAGÕES PATRIMONIAL E PARTICIPAÇÕES S/A

SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE ASSUNTOS ADMINISTRATIVOS COORDENAÇÃO-GERAL DE MATERIAL E PATRIMÔNIO

Ministério da Saúde

AVISO DE CONSULTA PÚBLICA

CNPJ nº 10.570.982/0001-00 – NIRE 35.300.364.201 Ata da Assembleia Geral Ordinária realizada em 25 de março de 2014 1. Data e Local: Aos vinte e cinco dias do mês de março de 2014, às 10,00 hs., na sede social localizada à Rua Pascal, 1310, Campo Belo, na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 04616004. 2. Presença: Compareceram, identificaram-se e assinaram o Livro de Presença os acionistas da sociedade representando a totalidade do capital social. 3. Convocação: Dispensada a publicação do Edital de Convocação, de conformidade com os par. 4º do artigo 124 e par. 4º do art. 133, ambos da Lei 6.404/76. 4. Constituição da Mesa: Presidente: Antonio Adelino Pereira Fernandes; Secretária: Alice dos Anjos Dias Fernandes. 5. Ordem do Dia: a) Tomar as contas dos Administradores, examinar e votar o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e as Notas Explicativas relativos ao exercício social findo em 31/12/2013; b) Deliberar sobre a proposta da Diretoria para a destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31/12/2013; e, c) Deliberar sobre a não instalação do Conselho Fiscal neste exercício. Deliberações: a) aprovadas, sem reservas ou restrições as contas dos Administradores, o Relatório da Administração, as Demonstrações Financeiras e as Notas Explicativas relativos ao exercício social findo em 31/12/2013, os quais foram publicados em 14/03/2014, nos jornais: Diário Oficial Empresarial do Estado de São Paulo, página 33, e Diário do Comércio, página 25; b) aprovada a proposta da Diretoria, registrada na Reunião daquele órgão, de 10/03/2014, para a destinação do lucro líquido do exercício encerrado em 31/12/2013; e, c) aprovada a não instalação do Conselho Fiscal neste exercício. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, o senhor Presidente declarou o encerramento dos trabalhos pelo tempo necessário à lavratura da presente em livro próprio, a qual, reaberta a sessão, foi lida, achada conforme, aprovada e assinada por todos os presentes. Ata e Publicação: A presente poderá ser publicada de forma resumida nos termos do art. 130 da Lei 6404/76. JUCESP: Certifico o registro sob o nº 156.257/14-2 em 25/04/2014. Gisela Simiema Ceschin – Secretária Geral.

A Subsecretaria de Assuntos Administrativos do Ministério da Saúde comunica a abertura de Consulta Pública. Objetivo: dar conhecimento e permitir que interessados possam formular questionamentos e/ou apresentar sugestões sobre a minuta do Projeto Básico, entre outros quesitos que julgarem importantes. Esta consulta tem por finalidade a obtenção de sucesso na eventual contratação, que será realizada por meio de Registro de Preço para se contratar empresa(s) especializada(s) na construção de Unidades Básicas de Saúde, com observância dos Projetos de Referência Padronizados do Ministério da Saúde. Utilizando-se de sistemas construtivos que permitam a otimização dos processos para execução das obras, incluindo o fornecimento de projetos executivos das edificações, denominados Projetos de Transposição e dos Projetos Executivos de Implantação para cada uma das unidades a serem construídas, nos Estados, Municípios e no Distrito Federal. Data: 15/05/2014, Horário: 14h: 00min (quatorze) horas, horário de Brasília. Local de realização: Sala do Pregão - Ministério da Saúde. Endereço: Esplanada dos Ministérios - Bloco “G” sala 423, 4º Andar, Ed. Anexo – Brasília/ DF – CEP: 70.058- 900. Eduardo Seara Machado Pojo do Rego Coordenador-Geral de Material e Patrimônio

Grupo Cem Participações S.A. - CNPJ: 17.322.386/0001-50 Balanço Patrimonial Consolidado - 31.12.2013 2013 ATIVO: Circulante 74.702.987 Caixa e equivalentes de caixa 919.617 Clientes 17.250.234 Adiantamento a fornecedores 772.819 Adiantamentos a parceiros 6.330.000 Adiantamento a empregados 126 Impostos a recuperar 413.831 Estoques de imóveis concluídos 408.822 Estoques de obras em andamento 48.607.540 Não circulante 210.074.934 Realizável a longo prazo Clientes 111.550.735 Mútuo a terceiros 12.803.182 Direito de cobrança de carteira 85.549.936 Imobilizado 171.081 Total do ativo 284.777.921 A DIRETORIA

Demonstrações Financeiras (Valores expressos em Reais) Balanço Patrimonial Consolidado - 31.12.2013 2013 Demonstração do Resultado Consolidado - 31.12.2013 PASSIVO: Circulante 6.089.558 2013 Fornecedores 489.260 Receita operacional bruta 21.749.244 Obrigações tributárias 351.712 Venda de lotes 20.642.434 Obrigações trabalhistas 155.209 Serviços prestados 1.039.867 Provisões trabalhistas 81.858 Outras receitas 66.943 Outras contas a pagar 2.000 Deduções da receita (824.866) Empréstimos e financiamentos 4.951.271 Descontos incondicionais (3.070) Parcelamentos 47.701 Tributos e contribuições (821.796) Cheques a pagar 10.549 Custo dos lotes vendidos e serviços prestados (3.630.610) Não circulante 268.506.790 Custo dos lotes vendidos e serviços prestados (3.630.610) Empréstimos e financiamentos 63.977 Lucro bruto 17.293.768 Parcelamentos 15.900 Despesas operacionais (6.442.771) Mútuo com terceiros 36.337.282 Despesas trabalhistas (2.125.239) Obrigações com sócios - Lucros a distribuir 17.626.790 Despesas tributárias (112.376) Gestão de recurso de terceiros 85.707.089 Despesas administrativas (3.023.766) Receita diferida de vendas 128.755.751 Despesas com publicidade (87.013) Patrimônio líquido 10.181.573 Resultado financeiro líquido (1.094.377) Capital social 4.400 Resultado operacional antes dos impostos 10.850.997 Lucro do exercício 10.177.173 Imposto de renda e contribuição social (673.824) Total do passivo e patrimônio líquido 284.777.921 Lucro líquido do exercício 10.177.173 Marcelo Augusto Crivelenti Borelli - Contador - CRC 1SP174901/O-7


18 -.ECONOMIA/LEGAIS

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Brasil e Argentina acertam passos Andrea Coelho/Agência O Globo

ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Mauro Borges, informou ontem, em audiência pública na Comissão de Relações Exteriores do Senado, que o Banco Central da Argentina aceitou o pagamento à vista de todas as exportações brasileiras dirigidas para lá. Como a Argentina estava com problemas de divisas, o governo estava limitando a saída de moeda do País. Por isso, as empresas brasileiras, principalmente as montadoras automobilísticas, estavam preocupadas que o pagamento de suas exportações fosse represado. Ele informou também que o acordo automotivo Brasil-Argentina, que expira no dia 30

O

deste mês, será prorrogado provisoriamente por um ano. Para os 12 meses seguintes, haverá um cronograma de trabalho para fechar um acerto definitivo. "O objetivo é trazer a cadeia automotiva para o livre comércio que está previsto há muito tempo nas negociações com o Mercosul, como já ocorre com todos os outros setores", disse Borges. Mercosul-UE Uma terceira informação foi a de que até terça-feira próxima o Mercosul terá pronta uma proposta de liberalização do comércio para ser apresentada à União Europeia. Segundo ele, uma última reunião técnica acontecerá na próxima segunda e terça-feira, em Caracas, para fechar a oferta do bloco. Buenos Aires, segun-

do Borges, não está sendo um óbice para a conclusão da proposta. "Estamos trabalhando lado a lado e estamos esperançosos de que no final do mês iremos a Bruxelas dizer à União Europeia que estamos prontos para efetivar a troca de ofertas", afirmou. Borges afirmou ainda que o Mercosul não aceitará um acordo de livre comércio com a UE sem uma proposta agrícola "pra valer". "Queremos vantagens claras", disse. Ele lembrou que o Mercosul estará abrindo a sua indústria e quer vantagens competitivas na área agrícola. "Temos que chegar ao centro do ringue e dizer: o que vocês têm de interessante para nos oferecer?", afirmou o ministro. (Estadão Conteúdo)

Borges se diz "esperançoso" de que no final do mês o Mercosul poderá levar uma oferta à União Europeia

EDITAL DE LEILÃO DE ALIENAÇÃO FIDUCIÁRIA 1º LEILÃO: 23 de maio de 2014 às 14h30min. 2º LEILÃO: 27 de maio de 2014 às 14h30min. Carlos Eduardo Luis Campos Frazão, leiloeiro oficial JUCESP nº 751, com escritório na Rua da Mooca, 3.508, Mooca, São Paulo/ SP, autorizado pelo credor fiduciário, levará a PÚBLICO LEILÃO de modo Presencial e On-line, nos termos da Lei nº 9.514/97, artigo 27 e parágrafos, devidamente autorizado pelo Credor Fiduciário BANCO SANTANDER BRASIL S/A, inscrito no CNPJ sob n° 90.400.888/0001-42, com sede na Cidade de São Paulo/SP, à Av. Presidente Juscelino Kubistchek, 2041/2235, Vila Olímpia, nos termos do Instrumento Particular firmado em 22/09/2011, na qual figura como Fiduciante CLAUDIA MORGANA PRADA, brasileira, solteira, comerciante, RG nº 36.247.032-7 – SSP/SP, CPF nº 902.642.909-68, residente em São Paulo/ SP, no dia 23 de maio de 2014 às 14h30min, em PRIMEIRO LEILÃO, com lance mínimo igual ou superior a R$ 229.284,22 (Duzentos e Vinte e Nove Mil Duzentos e Oitenta e Quatro Reais e Vinte e Dois Centavos), o imóvel matriculado sob o nº 57.134 do 17º Oficial de Registro de Imóveis de São Paulo, a seguir descrito, com a propriedade consolidada em nome do Credor Fiduciário, conforme Av.05, da referida matricula, constituído por “O apartamento nº 65, localizado no 6º andar da Torre 02, integrante do “Residencial Ravenna”, situado na Avenida José Maria Fernandes, nº 480, no 36º Subdistrito Vila Maria, contendo a área privativa de 62,370m², área comum de 43,589m² (sendo 27,005m² de área coberta e 16,584m² de área descoberta) com a área total de 105,959m² (sendo 89,375m² de área total construída), correspondendo-lhe uma fração ideal de 0,004446% no terreno condominial; cabendo-lhe o direito ao uso de 1 vaga de garagem com capacidade para estacionar 01 veículo. Contribuinte Municipal: 063.026.001-4 (área maior). Consta na referida matrícula conforme R.4/57134 a Alienação Fiduciária do referido imóvel em favor do Credor Fiduciário Banco Santander (Brasil) S/A. O Imóvel está ocupado. A venda será efetuada em caráter “ad corpus” e no estado de conservação em que se encontra. Caso não haja licitante em primeiro leilão, fica desde já designado o dia 27 de maio de 2014, às 14h30min, no mesmo local, para realização do SEGUNDO LEILÃO, com lance mínimo igual ou superior a R$ 173.963,13 (Cento e Setenta e Três Mil Novecentos e Sessenta e Três Reais e Treze Centavos). Os interessados em participar do leilão de modo on-line, deverão se cadastrar no site www.FrazaoLeiloes. com.br, encaminhar a documentação necessária para liberação do cadastro 24 horas do início do leilão e se habilitar, acessando a página deste leilão, clicando na opção “HABILITE-SE AQUI”, com antecedência de até 01 (uma) hora, antes do início do leilão presencial/online. O envio de lances on-line se dará através do site www.FrazaoLeiloes.com.br, respeitado o lance inicial e o incremento mínimo estabelecido, em igualdade de condições com os participantes presentes no auditório do leilão, de modo presencial, na disputa pelo lote do leilão. O arrematante pagará, no ato do leilão, o valor da arrematação e o valor da comissão do leiloeiro, correspondente a 5 % do lance vencedor. O valor da comissão do leiloeiro não compõe o valor do lance ofertado. Os pagamentos far-se-ão pela emissão de 02 (dois) cheques, sendo um de valor correspondente à comissão do leiloeiro e o outro referente à arrematação, que servirá como caução, para posterior pagamento de boleto bancário emitido pelo Credor Fiduciário. O arrematante vencedor por meio de lance on-line terá o prazo de 24 horas para efetuar o pagamento da totalidade do preço e da comissão do leiloeiro, conforme este edital. No caso do não cumprimento da obrigação assumida no prazo estabelecido, estará o arrematante, sujeito a sanções de ordem judicial, a título de perdas e danos. No 1º Leilão, o arrematante declara-se ciente e plenamente informado de que sobre o imóvel, podem pender débitos de natureza fiscal (IPTU e outros), se houver. No 2º Leilão, tais débitos gerados até a data da venda, são de responsabilidade do Credor Fiduciário, Banco Santander Brasil S/A. Correrão por conta do arrematante todas as despesas relativas á arrematação do imóvel, tais como, taxas, alvarás, certidões, emolumentos cartorários, registros e etc. e ainda, despesas com regularização e encargos da área construída a maior, junto aos órgãos competentes (se houver), bem como a desocupação, nos termos do art. 30 da lei 9.514/97. Outras informações no site do leiloeiro: www.FrazaoLeiloes.com.br ou pelo tel. 11-3550-4066.


ECONOMIA/LEGAIS - 19

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

SCHENCK PROCESS EQUIPAMENTOS INDUSTRIAIS LTDA. torna público que recebeu da CETESB a Licença de Operação n° 33005698, válida até 07/05/2018, para fabricação de peças e acessórios para máquinas e equipamentos de uso geral, sito à Avenida das Nações Unidas nº 21476, B12, Jurubatuba, São Paulo/SP.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PEDRO/SP

AVISO DE LICITAÇÃO - REPUBLICAÇÃO Comunicamos que está aberta a Licitação relacionada abaixo: MODALIDADE: Pregão Presencial 024/ 2014. PROCESSO: 493/2014. OBJETO: CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA FORNECIMENTO DE MÁQUINA DE DEMARCAÇÃO VIÁRIA. INÍCIO DA SESSÃO PÚBLICA: 22/052014, às 14:00 h, na sala de Licitações da Prefeitura do Município de São Pedro, sita à Rua Valentim Amaral, n° 748, Centro, São Pedro/SP. O edital completo encontra-se à disposição no Departamento de Compras e Licitações, sito à Rua Valentim Amaral 748, no horário das 08:00h às 17:00h. Fone: (19) 3481-9223 ou através do site: www.saopedro.sp.gov.br. São Pedro, 07 de maio de 2014. Hélio Donizete Zanatta - Prefeito Municipal. COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/000106, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 147.960.410.112 Nota Fiscal 2 - D/1 1 a 200 427645323711 147.960.410.112 Nota Fiscal 1 1 a 200 427645245811 COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/000106, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 114.807.598.113 Nota Fiscal 2 - D/1 5501 a 6000 8059 114.807.598.113 Nota Fiscal 1 1301 a 1800 7939 114.807.598.113 Nota Fiscal 2 - D/1 6001 a 6500 119437776505 114.807.598.113 Nota Fiscal 2 - D/1 6501 a 7000 134490869606 114.807.598.113 Nota Fiscal 2 - D/1 7001 a 7250 228560192108 114.807.598.113 Nota Fiscal 2 - D/1 7251 a 7500 331314049109 114.807.598.113 Nota Fiscal 1 1801 a 2300 134489096506

EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES – EBSERH

AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Pregão Eletrônico nº 11/2014 Processo nº 23477.001571/2014-74 A Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares – EBSERH com sede na cidade de Brasília - DF, inscrita no CNPJ sob o nº 15.126.437/0001-43, torna público que realizará licitação, na modalidade de PREGÃO ELETRÔNICO, sob o número 11/2014, do tipo MENOR PREÇO, cujo objeto é a contratação de empresa especializada para a prestação de serviços de Copeiragem e Garçonaria de forma contínua com fornecimento de utensílios e insumos necessários e adequados à execução dos serviços, para atender as necessidades da Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - Ebserh, em Brasília – DF. A abertura da sessão pública para a formulação dos lances está prevista para ocorrer às 10:00 horas do dia 21/05/2014. A DISPONIBILIZAÇÃO DO EDITAL se dará a partir do dia 09/05/2014, nos sites www.comprasnet.gov.br ou www.ebserh.mec.gov.br ou no endereço: Setor Comercial Sul-B, Quadra 09, Lote C, Ed. Parque Cidade Corporate, Torre C, 1º andar – Brasília/DF – CEP 70.308-200. Brasília, 07 de maio de 2014 Walmir Gomes de Sousa Diretor Administrativo Financeiro

EMPRESA BRASILEIRA DE SERVIÇOS HOSPITALARES – EBSERH

AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Pregão Eletrônico nº 341/2013 Processo nº 23039.000194/2013-32 O Hospital Universitário de Brasília – HUB/EBSERH, inscrito no CNPJ sob o nº 00.038.174/0006-58, torna público que realizará licitação, na modalidade de PREGÃO ELETRÔNICO TRADICIONAL, sob o número 341/2013, do tipo MENOR PREÇO, cujo objeto é CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM SERVIÇOS LABORATORIAIS DE PRÓTESES DENTÁRIAS PARA O HUB. A abertura da sessão pública para a formulação dos lances está prevista para ocorrer às 09h00min do dia 21/05/2014. A DISPONIBILIZAÇÃO DO EDITAL se dará a partir do dia 09/05/2014, no site www.comprasnet.gov.br ou no endereço: SGAN, Quadras 604/605 Anexo III salas 19 e 20 - Brasília-DF. Brasília, 09 de Maio de 2014 SUSANA SOUSA CAMPOS Pregoeiro

Gemelo do Brasil S/A CNPJ/MF Nº 03.888.247/0001-84 – NIRE: 35.300.363.485 Ata da AGE realizada em 23 de março de 2014 Data, hora e local: 23/3/14, às 10hs, na sede. Convocação e presença: Dispensada. Mesa: Sidney Fabiani da Silva para Presidente e Maurício Miranda de Lima Secretário. Ordem do dia: (i) Retificar e ratificar o disposto na AGE da Cia. realizada em 01/11/11, para (a) sanar um equívoco de ter constado na respectiva ata que a data final para capitalização do adiantamento para futuro aumento de capital seria 31/12/12, enquanto deveria ter constado 31/12/14, e (b) aditar o Anexo I da referida ata, com o objetivo de inserir a cláusula 1.3.3, que dispõe sobre regra adicional para cálculo da participação do investidor em relação a adiantamento para futuro aumento de capital – AFAC; (ii) deliberar sobre (a) o aumento do capital social da Cia., mediante a emissão de novas ações, (b) a integralização de parte do aumento do capitalsocialaquipropostoatravésdacapitalizaçãodeadiantamentosparafuturoaumentodecapital–AFAC,e(c)osBoletinsdeSubscrição gerados em consequência do aumento de capital e emissão das novas ações; (iii) aprovação da alteração do Art. 5º do Estatuto Social da Cia. para refletir o aumento de capital mencionado no item (ii)(a) acima, se aprovado; e (iv) deliberar sobre a reeleição e nomeação do Sr. Sidney Fabiani da Silva, como Diretor Presidente, e do Sr. Adenilson Esteves Francisco, como Diretor Vice-Presidente. Deliberações: Analisadas, discutidas e votadas as matérias constantes na Ordem do Dia, os presentes, representando a totalidade do capital social da Cia., deliberaram, por unanimidade de votos e sem quaisquer ressalvas, o quanto segue:(i) retificar (a) a deliberação constante do item I da ata da AGE da Cia. realizada em 01/11/11 (“AGE AFAC”), uma vez que, por um equívoco, constou na respectiva ata que a data final para capitalização do adiantamento para futuro aumento de capital seria 31/12/12 enquanto deveria ter constado 30/12/14; e (b) a cláusula 1.3 do Anexo I da AGE AFAC, a fim de inserir a cláusula 1.3.3, que prevê uma regra adicional para o cálculo de participação do investidor, com o seguinte texto:“1.3.1.Caso não haja o comprometimento formal de NI em investir na EMPRESA até 31/12/2012 e o valor da empresa seja inferioraR$17.000.000,00,oINVESTIDORpoderáutilizarovalordoinvestimentodescritonoitem1.1acimaparaintegralizaçãode189.562 ações preferenciais resgatáveis classe A a serem emitidas pela Cia..Não haverá incidência de quaisquer juros ou correção monetária sobre ovalordoinvestimento.”.FicamratificadastodasasdemaisdeliberaçõesconstantesdaAGEAFAC;(ii)aprovaroaumentodocapitalsocialda Cia., atualmente de R$ 1.496.161,00, para R$ 1.685.725,00, um aumento, portanto, de R$ 189.564,00, mediante a emissão de:(a) 189.562 novasaçõespreferenciaisresgatáveisclasseA,nominativasesemvalornominal,pelopreçodeemissãototaldeR$2.000.000,00, fixadode acordo com o artigo 170, § 1º, da Lei nº 6.404/76, a serem totalmente integralizadas em conformidade com o item (x) abaixo.Do preço total de emissão das referidas ações, o valor de R$ 189.562,00 é destinado a formação do capital social, e o saldo, no valor de R$ 1.810.438,00 é destinado à conta de reserva de capital, a título de ágio na subscrição de ações; e (b) 48.767 novas ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal, ao preço total de emissão de R$ 2,00, fixado de acordo com o art. 170, § 1º, da Lei nº 6.404/76, destinado a formação de capital social.Tendo a totalidade dos presentes expressamente renunciado ao seu direito de preferência para a subscrição das novas ações ora emitidas pela Cia. e aos direitos constante do Acordo de Acionistas arquivado na sede da Cia. (ou qualquer outro documento celebrado entre os presentes), as novas ações foram subscritas e integralizadas da seguinte forma: (x) a totalidade das 189.562 novas ações preferenciais resgatáveis classe A, nominativas e sem valor nominal são ora subscritas, sem guardar proporção com sua participação no capital social, por Capital Tech Inovação e Investimento – Fundo Mútuo de Investimento em Empresas Emergentes, constituído sob a forma de condomínio fechado e inscrito no CNPJ/MF nº 09.238.849/0001-72, devidamente representado por sua gestora e administradora Invest Tech Participações e Investimentos Ltda., com sede em SP/SP, na Av.Paulista, nº 2.073, 12º andar, Edifício Horsa II, conjunto 2101, Cerqueira Cesar, CNPJ/MF sob nº 07189550/0001-40, ações estas que são, neste ato, totalmente integralizadas mediante capitalização de adiantamento para futuro aumento de capital que o acionista detém na Cia.no valor de R$ 2.000,000, conforme Boletim de Subscrição I constante no Anexo I desta ata; e (y) as 48.767 novas ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal são ora subscritas da seguinte forma:(A) 39.234 novas ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal foram subscritas por Carlos Diego de Oliveira Guimarães, (RG) nº17.490.907-SSP/SPeCPF/MFnº197.170.648-57,quedestaformaingressanaCia.nostermosdoBoletimdeSubscriçãoIIconstanteno Anexo II desta ata;e (B) 9.533 novas ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal foram subscritas por Adenilson Esteves Francisco, (RG) nº15.331.547-SSP/SP, CPF/MF nº 068.999.848-14, conforme Boletim de Subscrição III constante no Anexo III desta ata.A totalidade dasrespectivasaçõesforamintegralizadas,nesteato,emmoedacorrentenacional,porDiegoeAdenilson,respeitadaaproporçãosubscrita em face do preço total de emissão das ações, conforme descrito nos Anexos II e III desta ata. (iii) tendo em vista o aumento de capital ora aprovado, o capital social da Cia.passa a ser de R$ 1.685.725,00, dividido em 816.766 ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal e 668.263 ações preferenciais resgatáveis classe A, nominativas e sem valor nominal.Desta forma, fica alterado o Art.5º do Estatuto Social da Cia., que passa a viger com a seguinte redação: “Artigo 5º - O capital social da Cia. é de R$ 1.685.725,00, dividido em 816.766 ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal e 668.263 ações preferenciais resgatáveis classe A, nominativas e sem valor nominal. § 1° Todas as ações da Cia.serão nominativas, facultada a adoção da forma escritural, em conta corrente de depósito mantida em nome de seus titulares, em instituição financeira indicada pela Diretoria, podendo ser cobrada dos acionistas a remuneração de que trata o parágrafo 3° do artigo 35 da Lei nº 6.404/76 (conforme alterada). § 2° - A cada ação ordinária corresponde a um voto nas Assembléias Gerais. §3º - As ações preferenciais resgatáveis classe A têm direito a voto nas deliberações da Assembléia Geral, sendo-lhes asseguradas a preferência de prioridade no reembolso de capital, sem prêmio, no caso de liquidação da Cia., conforme disposto no Acordo de Acionistas da Cia..§4º – As ações preferenciais resgatáveis classe A serão resgatáveis nas condições, valor e hipóteses estabelecidas no Acordo de Acionistas da Cia., mediante solicitação por escrito do respectivo titular. §5º - Para fins de reembolso em caso de dissidência, o valor da ação poderá ser determinado com base no valor econômico da Cia., apurado em avaliação procedida por empresa especializada, indicada e escolhida em conformidade com o disposto no artigo 45 da Lei nº 6.404/76 (conforme alterada).”; (iv) por fim, reeleger e nomear (a) o Sr. Sidney Fabiani da Silva, RG 16.174.754 SSP/SP, CPF 104.354.828-90, para o cargo de Diretor Presidente, e (b) o Sr.Adenilson Esteves Francisco, acima qualificado, para o cargo de Diretor Vice-Presidente, ambos com mandato até 30/4/15, sendo mantida a respectiva remuneração mensal de cada diretor em R$ 1.000,00.Encerramento: Nada mais.Cotia, 23/03/14.Sidney Fabiani da Silva - Presidente; Maurício Miranda de Lima - Secretário. Jucesp nº 146.022/14-2 em 22/04/2014. Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

C4C CREDIT SECURITIZADORA S/A CNPJ/MF 18.912.107/0001-71 – NIRE 353.004.572-18 Ata da 2ª Assembleia Geral Extraordinária DATA, HORA E LOCAL: Aos 21 dias do mês de fevereiro do ano de 2014, às 14:00 horas, na sede social localizada à Rua Funchal, n.º 411, sala 12, 12º andar,Vila Olimpia, CEP:04.551-060, na cidade de São Paulo, Estado de São Paulo.CONVOCAÇÃO: sendo dispensada a convocação, nos termos do Parágrafo 4º, do Artigo 124, da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, face a presença confirmada de todos os acionistas. PRESENÇA: reuniram-se os acionistas da sociedade, representando a totalidade do capital social da C4C CREDIT SECURITIZADORA S/A: CRISTINA DE MELO e SLF I PARTICIPAÇÕES LTDA., representado neste ato por seu sócio administrador Adriano Santos Lopes Ferreira.Para presidir a Assembleia foi eleito por unanimidade o Sr.ALESSON PÁDUA TAVARES, que aceitando a incumbência convidou a mim, ADRIANO SANTOS LOPES FERREIRA para secretariá-lo, no que aceitei, assim se constituindo a mesa e dando-se início aos trabalhos. ORDEM DO DIA: I - Análise da proposta da Diretoria da Sociedade para emissão de debêntures privada e Fixação das características das debêntures a serem emitidas e autorização ç para p a Diretoria da Sociedade e celebrar a respectiva Escritura de Emissão;e II- Outros assuntos de interesse da sociedade. DELIBERAÇÕES:I – O Sr.Presidente pôs em votação a análise da proposta da diretoria para emissão de 20.000 (vinte mil) debêntures simples, no montante de R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais), ao valor unitário de R$ 1.000,00 (mil reais) cada uma, sendo aprovada pelos acionistas por unanimidade a referida emissão tendo as seguintes características: 1) QUANTIDADE DE DEBÊNTURES A SEREM EMITIDAS: Será emitido um total de 20.000 (vinte mil) debêntures simples. 2) NÚMERO DE SÉRIES: A emissão será realizada em 09 (nove) séries. 3) MODO E PRAZO PARA SUBSCRIÇÃO E INTEGRALIZAÇÃO: 3.1) As debêntures serão integralizadas no prazo de 96 (noventa e seis) meses, em moeda corrente ou em créditos possuídos pelos subscritores contra a emissora, no ato da subscrição, nos termos do Contrato de Promessa de Cessão e Aquisição de Direitos Creditórios e outras Avenças.3.2) As debêntures deverão ser subscritas no prazo máximo de 96 (noventa e seis) meses, contados a partir de 14 de março de 2014. 4) DATA DE INÍCIO DA EMISSÃO: Para todos os efeitos legais, a data de início da emissão das debêntures será 14 de março de 2014. 5)VALOR NOMINAL UNITÁRIO EVALORTOTAL DA EMISSÃO: Na data de início da emissão prevista no item 4, as debêntures representativas desta emissão terão o valor nominal unitário de R$ 1.000,00 (mil reais), perfazendo o montante de R$ 20.000.000,00 (vinte milhões de reais).A emissão será realizada em 09 (nove) séries, sendo que o número de Debêntures a ser alocado a cada série será definido de acordo com a demanda pelas debêntures.6) FORMA:As debêntures terão a forma nominativa, não endossável. 7) MODALIDADE: Simples, não conversíveis em ações. 8) ESPÉCIE: As debêntures serão da espécie subordinada. 9) VENCIMENTO DAS DEBÊNTURES:As debêntures desta emissão vencerão no prazo de 120 (centro e vinte) meses, contado a partir da data de emissão estabelecida no item 4, ou seja, vencerão em 14 de março de 2024 data em que a EMISSORA deverá pagar ao(s) debenturista(s) o respectivo valor nominal, devidamente atualizado de acordo com o estabelecido no item 12. 10) COLOCAÇÃO: O lançamento das debêntures será privado, sem a intermediação de Instituição Financeira. 11) PREÇO DE INTEGRALIZAÇÃO: O preço unitário para integralização das debêntures desta emissão deverá ter o seu valor nominal fixado em R$ 1.000,00 (mil reais), atualizado na forma prevista no item 12, calculados a partir de 14 de março de 2014 até as datas das respectivas integralizações. 12) BASE DE REMUNERAÇÃO: a) A base de remuneração da 1ª série será de 130% (cento e trinta por cento) do C.D.I., expressa na forma de percentual ao mês, base 30 (trinta) dias. b) A base de remuneração da 2ª série será de 140% (cento e quarenta por cento) do C.D.I., expressa na forma de percentual ao mês, base 30 (trinta) dias. c) A base de remuneração da 3ª série será de 145% (cento e quarenta e cinco por cento) do C.D.I., expressa na forma de percentual ao mês, base 30 (trinta) dias. d) A base de remuneração da 4ª série será de 150% (cento e cinquenta por cento) do C.D.I., expressa na forma de percentual ao mês, base 30 (trinta) dias.e) A base de remuneração da 5ª série será de 155% (cento e cinquenta e cinco por cento) do C.D.I., expressa na forma de percentual ao mês, base 30 (trinta) dias. f) A base de remuneração da 6ª série será de 165% (cento e sessenta e cinco por cento) do C.D.I, expressa na forma de percentual ao mês, base 30 (trinta) dias. g) A base de remuneração da 7ª série será de 1,2% (um vírgula dois por cento) do C.D.I., expressa na forma de percentual ao mês, base 30 (trinta) dias.h) A base de remuneração da 8ª série será de 1,3% (um vírgula três por cento), expressa na forma de percentual ao mês, base 30 (trinta) dias. i) A base de remuneração da 9ª série será de 1% (um por cento), expressa na forma de percentual ao mês, base 30 (trinta) dias. 13) DOS PAGAMENTOS: Os pagamentos a que fizerem jus os debenturistas serão efetuados pela EMISSORA preferencialmente através de depósito em conta(s) corrente(s) bancária(s) em nome do(s) debenturista(s), a ser indicada(s) pelo(s) mesmo(s). 14) JUROS MORATÓRIOS: Ocorrendo impontualidade no pagamento de qualquer quantia devida aos debenturistas, os débitos em atraso ficarão sujeitos a juros de mora de 1,0% (um por cento) ao mês e multa não compensatória de 2% (dois por cento) sobre o valor do débito, além da remuneração tal como estabelecido no item 12, calculados desde a data de inadimplência até a data do efetivo pagamento, independente de aviso, notificação ou interpelação judicial ou extrajudicial.15) AQUISIÇÃO FACULTATIVA: A EMISSORA poderá a qualquer tempo adquirir debêntures desta emissão que estejam em circulação, por preço não superior ao de seu valor nominal atualizado na forma prevista no item 12, observado o disposto no parágrafo 2º, do art.55 da Lei nº 6.404 de 15 de dezembro de 1976, as debêntures objeto deste procedimento poderão ser novamente colocadas em circulação. 16)VENCIMENTO ANTECIPADO: Declarar-se-á antecipadamente vencidas todas as obrigações objeto da emissão de que trata o presente instrumento e exigir o imediato pagamento pela EMISSORA do valor nominal atualizado, acrescido de juros remuneratórios até a data do efetivo pagamento, na ocorrência dos seguintes fatos: 16.1) protesto legítimo e reiterado de títulos contra a EMISSORA, cujo valor global ultrapasse R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais), salvo se o protesto tiver sido efetuado por erro ou má fé de terceiro, desde que validamente comprovado pela EMISSORA, se for cancelado ou ainda se forem prestadas garantias, em qualquer hipótese, no prazo máximo de 3 (três) dias de sua ocorrência; 16.2) pedido recuperação judicial ou extrajudicial formulado pela EMISSORA; 16.3) decretação de falência da EMISSORA; 16.4) falta de cumprimento, pela EMISSORA de qualquer obrigação prevista na Escritura de Emissão, desde que não sanada em 30 (trinta) dias, contados a partir da data do recebimento do aviso escrito que lhe for enviado; ou 16.5) vencimento antecipado de qualquer dívida da EMISSORA, previstas na Escritura de Emissão.17) PUBLICIDADE:Todos os atos societários e decisões decorrentes desta emissão que de qualquer forma vierem a envolver interesses dos debenturistas deverão ser veiculados na forma de avisos, em jornais de grande circulação. 18) DECADÊNCIA DOS DIREITOS AOS DEBENTURISTAS: Os direitos a juros moratórios decaem na hipótese de não comparecimento para recebimento pelos debenturistas desta emissão, dos valores correspondentes a quaisquer das obrigações pecuniárias da EMISSORA, nas datas previstas na Escritura de Emissão ou em comunicado previamente publicado.Em cumprimento ao item II da Ordem do Dia o Sr.Presidente ofereceu a palavra aos presentes para tratarem de assuntos de interesse social e, como ninguém se manifestou, os trabalhos foram suspensos pelo tempo necessário à lavratura da presente Ata. Reabertos os trabalhos, esta Ata foi lida e, de forma unânime, aprovada e assinada pelos presentes, que autorizaram sua publicação sem as suas assinaturas, conforme Artigo 130, Parágrafo Segundo, da Lei 6.404, de 15 de dezembro de 1976.Na qualidade de Presidente e Secretária da Assembléia, declaramos que a presente é cópia fiel da Ata original lavrada no livro próprio, São Paulo/SP, 21 de fevereiro de 2014. (a.a.) – ALESSON PÁDUA TAVARES - Presidente, ADRIANO SANTOS LOPES FERREIRA – Secretário. ALESSON PÁDUA TAVARES - Presidente de Mesa ; ADRIANO SANTOS LOPES FERREIRA - Secretário; CRISTINA DE MELO - SLF I PARTICIPAÇÕES LTDA. Jucesp nº 125.010/14-0 em 02/4/2014.Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 148.416.537.112 Nota Fiscal 2 - D/1 1 a 350 285090596308 148.416.537.112 Nota Fiscal 2 - D/1 351 a 600 305692121409 148.416.537.112 Nota Fiscal 2 - D/1 601 a 850 387089143210 148.416.537.112 Nota Fiscal 1 1 a 350 285090835908 148.416.537.112 Nota Fiscal 1 351 a 600 305692334809 COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/000106, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 149.362.403.110 Nota Fiscal 2 - D/1 1 a 500 141473537106 149.362.403.110 Nota Fiscal 2 - D/1 501 a 600 347900154409 149.362.403.110 Nota Fiscal 2 - D/1 601 a 750 371232056210 149.362.403.110 Nota Fiscal 2 - D/1 751 a 900 382377718210 149.362.403.110 Nota Fiscal 2 - D/1 901 a 1050 422994580111 149.362.403.110 Nota Fiscal 2 - D/1 1051 a 1200 467665865212 149.362.403.110 Nota Fiscal 1 1 a 500 141474822506 149.362.403.110 Nota Fiscal 1 501 a 600 347899815009 149.362.403.110 Nota Fiscal 1 601 a 750 382378032810 149.362.403.110 Nota Fiscal 1 751 a 900 415406389911 149.362.403.110 Nota Fiscal 1 901 a 1050 425657114111

Cygnus Even Empreendimentos Imobiliários Ltda.

CNPJ nº 08.504.577/0001-42 – NIRE 35.221.090.346 – Ata de Reunião Extraordinária de Sócias Data, Hora e Local: 24/04/2014, às 15:00 horas, na sede da Sociedade, no Estado de São Paulo. Mesa: Presidente: Fabiano Andrade Delvaux. Secretário: Walter Roberto Plaza Junior. Presentes: A totalidade dos Sócios. Ordem do Dia: Deliberar sobre a redução de Capital da Sociedade. Deliberações: Reduzir o capital social, por considerarem excessivo ao objeto da sociedade, de R$ 7.699.726,00 para R$ 5.699.726,00, sendo a redução de R$ 2.000.000,00. A redução do capital será efetivada mediante restituição de capital em dinheiro, diminuindo proporcionalmente o número de quotas da sociedade. Sócias: p. Even Construtora e Incorporadora S.A. - Dany Muszkat/Walter Roberto Plaza Junior; p. Yuny GTIS Participações Ltda. - Marcos Mariz de Oliveira Yunes/Marcelo Mariz de Oliveira Yunes. COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/000106, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”).Comunica o extravio de documentos fiscais do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 146.460.200.117 Nota Fiscal 2 - D/1 1 a 200 443101557011 146.460.200.117 Nota Fiscal 1 1 a 200 443101262911 COOPER-RECICLA COOPERATIVA DE VENDAS EM COMUM DE SUCATAS DE METAIS FERROSOS E OUTROS RESÍDUOS CNPJ/MF nº 11.781.427/0001-90 - NIRE nº 35400097671 EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA. A Diretora Presidente da Cooper-Recicla, Sra. Marilene da Silva, no uso das atribuições que lhe conferem os artigos 25, caput, 29 e 44, alínea “d” do Estatuto Social da Cooperativa, convoca os senhores associados para se reunirem em AGE, a realizar-se no dia 22/05/2014, às 16:00 horas, em sua sede social, na Rua São Pedro, Região Sul, nº 290, Vila Paulista, na cidade de Pederneiras, Estado de São Paulo, CEP 17.280-000, com a presença de 2/3 do número de associados ou de delegados distritais que representem esse mesmo número de votos, em primeira convocação; às 17:00 horas com a metade mais 01 dos associados ou de delegados distritais que representem esse número de votos, em segunda convocação; ou às 18:00 horas com no mínimo 10 associados ou delegados distritais que representem, no mínimo, esse número de votos, em terceira e última convocação, a fim de deliberarem sobre (i) a Reforma do Estatuto Social para aumentar o número de associados que poderão ser representados por cada Delegado Distrital; e (ii) a Ratificação da Resolução nº 01/2014, de 04/05/2014, assim como da Eleição dos Delegados Distritais, ambas realizadas pelo Conselho de Administração em reunião do dia 04/05/2014. Pederneiras/SP, 07/05/2014. Marilene da Silva, Diretora Presidente. COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/000106, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 148.052.377.110 Nota Fiscal 2 - D/1 1 a 250 245853382608 148.052.377.110 Nota Fiscal 2 - D/1 251 a 450 300341357009 148.052.377.110 Nota Fiscal 2 - D/1 451 a 650 320695238909 148.052.377.110 Nota Fiscal 2 - D/1 651 a 850 378624655810 148.052.377.110 Nota Fiscal 1 1 a 250 245853818008 148.052.377.110 Nota Fiscal 1 251 a 450 287884952809 148.052.377.110 Nota Fiscal 1 451 a 700 320696229809

COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 149.715.802.114 Nota Fiscal 2 - D/1 1 a 500 187675046607 149.715.802.114 Nota Fiscal 2 - D/1 501 a 750 241760077508 149.715.802.114 Nota Fiscal 2 - D/1 751 a 1000 272600410708 149.715.802.114 Nota Fiscal 2 - D/1 1001 a 1100 322878933009 149.715.802.114 Nota Fiscal 2 - D/1 1101 a 1300 383557768510 149.715.802.114 Nota Fiscal 2 - D/1 1301 a 1550 418493785111 149.715.802.114 Nota Fiscal 1 1 a 500 187672633907 149.715.802.114 Nota Fiscal 1 501 a 750 272601195608

COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual n° 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.° 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/000106, inscrição Estadual n° 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais do estabelecimento da “Incorporada”, conforme segue: I.E. Estabelecimento Tipo Documento Modelo - Série/Subsérie Numeração AIDF 116.794.493.116 Nota Fiscal 2 - D/1 501 a 1000 8287 116.794.493.116 Nota Fiscal 1 251 a 500 8288 116.794.493.116 Nota Fiscal 2 - D/1 1001 a 1500 122839692906 116.794.493.116 Nota Fiscal 2 - D/1 1501 a 2000 213858310707 116.794.493.116 Nota Fiscal 2 - D/1 2001 a 2250 245538586208 116.794.493.116 Nota Fiscal 2 - D/1 2251 a 2350 332470632609 116.794.493.116 Nota Fiscal 2 - D/1 2351 a 2550 383557044810 116.794.493.116 Nota Fiscal 2 - D/1 2551 a 2700 418494799411 116.794.493.116 Nota Fiscal 1 501 a 750 123569233706 116.794.493.116 Nota Fiscal 1 751 a 950 307310441909 116.794.493.116 Nota Fiscal 1 951 a 1050 332472092509

C4C CREDIT SECURITIZADORA S/A

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO AVISO DE LICITAÇÃO

Pregão nº 009/2014 - Processo nº 139/2014 - DG/MP Acha-se aberto, no Ministério Público do Estado de São Paulo, o Pregão Presencial nº 009/2014 Processo nº 139/2014, que tem por objeto a confecção de capas/pastas de processo, pastas simples e sacolas personalizadas. O Edital da presente licitação encontra-se à disposição dos interessados, gratuitamente, na Comissão Julgadora de Licitações, situada na Rua Riachuelo nº 115, 5º andar, sala 506, de 2ª a 6ª feira, das 09:30 às 18:30 horas, ou através da Internet nos Sites www.mpsp.mp.br e www.enegociospublicos.com.br. Os envelopes serão recebidos na sessão pública de processamento do Pregão, na Rua Riachuelo nº 115, 5º andar, sala 504, no dia 22/05/2014, e sua abertura dar-se-á às 11h30min no mesmo dia e local. Comissão Julgadora de Licitações, em 07 de maio de 2014.

CONSTRUTORA OAS S.A. CNPJ/MF nº 14.310.577/0001-04 – NIRE 35.3.0044723-9 oas Ata da Assembleia Geral Extraordinária realizada em 7 de Abril de 2014 1.Data,hora e local:Realizada no dia 7/04/2014, às 9hs, na sede social da Cia., localizada em SP/SP, na Av.Angélica, nº 2.330/2.346/2.364, 7º, sala 720, bairro Consolação.2. Convocação e presença: Dispensada a publicação de editais de convocação, na forma do disposto no § 4º do art.124, da Lei nº 6.404/76 (“LSA”), por estarem presentes à assembleia acionistas representando a totalidade do capital social, conforme assinaturas constantes do Livro de Presença dos Acionistas. 3. Mesa: Assumiu a presidência dos trabalhos o Sr. Dilson de Cerqueira Paiva Filho e convidou o Sr. José Maurício Sollero Filho para secretariá-lo. 4. Ordem do dia: Deliberar sobre (i) a abertura de uma nova filial da Cia. na Cidade de Luziânia, Estado de Goiás, com a consequente alteração do §Único do Art. 2º do Estatuto Social; (ii) a alteração do endereço da sucursal da Cia. na Bolívia; (iii) alteração da designação de um membro da Diretoria Executiva; e (iv) consolidação do Estatuto Social da Cia.. 5. Deliberações: Após a discussão das matérias, as acionistas presentes, por unanimidade de votos e sem quaisquer restrições, deliberaram o quanto segue: 5.1. Aprovar a abertura de filial da Cia. na Cidade de Luziânia, Estado de Goiás, com endereço na Rua Alfredo Machado, S/N, quadra 51, lote 12, Bairro Diogo Machado de Araújo, CEP 72.810-150, com importância destacada do capital social de R$ 1,00. 5.2. Alterar o endereço da sucursal da Cia. no Estado Plurinacional da Bolívia, de Carretera Uyuni, s/nº, Zona Cantumarca, Dependencia Potosi, Alcaldia Potosi, Cidade de Potosí para Calle 10, n.º 7854, Edificio Gral. Hugo Ballivian, Piso 4, Oficina 10, Zona Calacoto, Cidade de La Paz. 5.3. Em razão das deliberações nos itens 5.1 e 5.2 acima, aprovar a alteração do §Único do Art. 2º do Estatuto Social da Cia., para incluir o item 2.15 e alterar o teor do item 3.1, conforme redação constante no Estatuto Social consolidado em anexo. 5.4. Alterar a designação de um membro da Diretoria Executiva, de Diretor de Ações Cíveis para Diretor de Ações Institucionais. Desta forma, aprovar a alteração no caput do Art. 7º e no caput do Art. 15 do Estatuto Social, que passarão a ter redação constante no Estatuto Social consolidado em anexo.5.5.Em razão das deliberações acima, aprovar a consolidação do Estatuto Social da Cia., que passará a vigorar com a nova redação constante do Anexo I à presente ata.6. Encerramento: Nada mais havendo a ser tratado, foi encerrada a assembleia, da qual se lavrou a presente ata que, lida e achada conforme, foi assinada por todos.Mesa:Dilson de Cerqueira Paiva Filho - Presidente;José Maurício Sollero Filho - Secretário. Acionistas Presentes: OAS S.A. e OAS Engenharia S.A. SP, 7/04/2014.Estatuto Social - Capítulo I - Denominação, Duração,Sede e Objeto Social - Art.1º - A CONSTRUTORA OAS S.A.é uma sociedade anônima, regida pelo presente Estatuto Social e pelas disposições legais que lhes forem aplicáveis, especialmente Lei nº 6.404/76 (“LSA”), e suas alterações posteriores, vigorando por prazo indeterminado.Art.2º - A Cia.tem sua sede e foro na Av.Angélica, nº 2.330/2.346/2.364, 7º, sala 720, Consolação, CEP 01.228-200, SP/SP, local onde funcionará o seu escritório administrativo, podendo abrir filiais, sucursais, escritórios e representações em qualquer localidade do país ou do exterior, mediante deliberação da Diretoria. §Único: A Cia. mantém filiais/sucursais nas seguintes localidades: 1. Filiais na Unidade da Federação da Sede 1.1 Cidade em SP/SP, com endereço na Av.Angélica, n° 2.330/2.346/2.364, 7°, s/ 719, Bairro Consolação, CEP: 01228200. Importância destacada do capital social: R$ 1,00. NIRE 35.9.0076150-3 e CNPJ n° 14.310.577/0012-67; 1.2 Cidade em SP/SP, com endereço na Av.Angélica, n° 2.330/2.346/2.364, 7°, s/ 718, Bairro Consolação, CEP: 01228-200.Importância destacada do capital social: R$ 1,00. NIRE 35.9.0144083-2 e CNPJ n° 14.310.577/0030-49; 1.3 Cidade em SP/SP, com endereço na Av. Angélica, n° 2.330/2.346/2.364, 7°, s/ 717, Bairro Consolação, CEP: 01228-200. Importância destacada do capital social: R$ 1,00. NIRE 35.9.0149538-6 e CNPJ n° 14.310.577/0033-91;1.4 Cidade em SP/SP, com endereço na Av.Angélica, n° 2.330/2.346/2.364, 7°, s/ 716, Bairro Consolação, CEP:01228200.Importância destacada do capital social:R$ 1,00.35.9.0239344-7 e CNPJ n° 14.310.577/0040-10;1.5 Cidade em SP/SP, com endereço na Av.Inajar de Souza, nº 5.180, Bairro Vila Rica, CEP 02861-190.Importância destacada do capital social: R$ 1,00; NIRE 35.9.0460137-3 e CNPJ n° 14.310.577/0053-35.1.6 Cidade de Guarulhos/SP, com endereço na Rodovia Ayrton Senna da Silva, n° 2.013, Bairro Sítio Pinheiro, CEP: 07033-005, com importância destacada do capital social: R$ 1,00. NIRE 35.9.0268873-1 e CNPJ n° 14.310.577/0046-06. 2. Filiais em Outras Unidades da Federação 2.1 Cidade do Recife, Estado do Pernambuco, com endereço na Av. Antônio de Góes, nº 742, 15º andar, BairroBrasíliaTeimosa,CEP:51010-000.Importânciadestacadadocapitalsocial:R$1,00.NIRE26.9.0001087-0eCNPJn°14.310.577/000376;2.2 Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço na Praia de Botafogo, n° 440, 5°, s/ 501, 17º, s/ 1701, 18º, s/ 1801 e 19º, s/ 1901, Bairro Botafogo, CEP: 22250-040. Importância destacada do capital social: R$ 1,00. NIRE 33.9.9906105-1 e CNPJ n° 14.310.577/0004-57; 2.3 Cidade de Aracaju, Estado de Sergipe, com endereço na Rua Pacatuba, n° 254, 1°, s/ 116, Bairro Centro, CEP: 49010-900. Importância destacada do capital social: R$ 1,00. NIRE 28.9.9900207-8 e CNPJ n° 14.310.577/0006-19; 2.4 Cidade de Maceió, Estado de Alagoas, com endereço na Rua Doutor Antônio Gomes de Barros, nº 625, salas 916 e 917, Bairro Jatiúca, CEP: 57036-000. Importância destacada do capital social:R$ 1,00.NIRE 27.9.9900203-4 e CNPJ n° 14.310.577/0007-08;2.5 Cidade de Brasília, Distrito Federal, com endereço no SHS - Setor Hoteleiro Sul, Quadra 06, Conjunto A, Bloco A, salas 905 e 906, Bairro Asa Sul, CEP:70316-102.Importância destacada do capital social: R$ 1,00. NIRE 53.9.0011797-8 e CNPJ n° 14.310.577/0009-61; 2.6 Cidade de Natal, Estado do Rio Grande do Norte, com endereço na Av.Prudente de Moraes, n° 744, sala 701, BairroTirol, CEP:59020-510.Importância destacada do capital social:R$ 1,00. NIRE 24.9.0006745-4 e CNPJ n° 14.310.577/0016-90; 2.7 Cidade de Belo Horizonte, Estado de Minas Gerais, com endereço na Av. Brasil, n° 1.438, 15° andar, salas 1.503 e 1.504, Bairro Funcionários, CEP:30140-003.Importância destacada do capital social:R$ 1,00.NIRE 31.9.9906345-1 e CNPJ n° 14.310.577/0018-52; 2.8 Cidade de Fortaleza, Estado do Ceará, com endereço na Av. Desembargador Moreira, nº 2.120, sala 804, Bairro Aldeota, CEP: 60170-002. Importância destacada do capital social: R$ 1,00. NIRE 23.9.0015503-4 e CNPJ nº 14.310.577/0019-33; 2.9 Cidade de Salvador, Estado da Bahia, com endereço na Av.Luiz Viana Filho, nº 6462, Ed.Wall Street West, Torre B, 11º, s/ 1101, Paralela, CEP 41.730-101.Importância destacada do capital social:R$ 1,00.NIRE 29.9.9901909-5 e CNPJ n° 14.310.577/004444;2.10 Cidade de Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul, com endereço na Av.Padre Leopoldo Brentano, nº 700, sala 1, Bairro Humaitá, CEP:90250-590.Importância destacada do capital social:R$ 1,00.NIRE 43.9.0100777-9 e CNPJ n° 14.310.577/0045-25;2.11 Cidade de Belém, Estado do Pará, com endereço na Rua Domingos Marreiros, nº 49, sala 1.109, Bairro Umarizal, CEP: 66055-210.Importância destacada do capital social:R$ 1,00.NIRE 15.9.0031388-1 e CNPJ n° 14.310.577/0048-78;2.12 Cidade de PortoVelho, Estado de Rondônia, com endereço na Rua Dom Pedro II, n° 2.674, Bairro Nossa Senhora das Graças, CEP: 76804-138. Importância destacada do capital social: R$ 1,00. NIRE 11.9.0013347-2 e CNPJ n° 14.310.577/0049-59; 2.13 Cidade de Porto Alegre, Estado do Rio Grande do Sul, com endereço na Av.Padre Leopoldo Brentano, nº700, Bairro Humaitá, CEP.90.250-590.Importância destacada do capital social:R$ 1,00.NIRE 43.9.01524056 e CNPJ nº 14.310.577/0052-54; 2.14 Cidade de Itaboraí, Estado do Rio de Janeiro, com endereço na Rua Um, Centro Comercial Santa Rosa, Quadra 00000, Lote 0005, Bairro Engenho Velho, CEP: 24803-000. Importância destacada do capital social de R$ 1,00. 2.15 Cidade de Luziânia, Estado de Goiás, com endereço na Rua Alfredo Machado, S/N, quadra 51, lote 12, Bairro Diogo Machado de Araújo, CEP 72.810-150. Importância destacada do capital social de R$ 1,00. 3. Sucursais em Outros Países 3.1 Cidade de La Paz, Estado Plurinacional da Bolívia, com endereço na Calle 10, n.º 7854, Edificio Gral.Hugo Ballivian, Piso 4, Oficina 10, Zona Calacoto.NIRE 35.9.0321311-6 e CNPJ nº 14.310.577/0060-64; 3.2 Cidade de Montividéo, República Oriental do Uruguai, com endereço na Plaza Independencia, nº 831, Edifício Plaza Mayor, conjunto nº 307.NIRE 35.9.0321312-4 e CNPJ nº 14.310.577/0061-45;3.3 Cidade de Buenos Aires, República Argentina, com endereço na Av. Córdoba, 1351, Piso 8. NIRE 35.9.0354460-1 e CNPJ nº 14.310.577/0062-26; 3.4 Cidade de Santiago, República do Chile, com endereço na Rua Isidora Goyenechea, 3477, Piso 6, Las Condes.NIRE 35.9.0354461-9 e CNPJ nº 14.310.577/0063-07;3.5 Cidade de Quito, República do Equador, com endereço na Av. Amazonas, s/nº, Edifício Amazonas Plaza, 8º Piso, Jose Arizaga. NIRE 35.9.0354462-7 e CNPJ nº 14.310.577/0064-98; 3.6 Cidade de Lima, República do Peru, com endereço na Av. Jorge Basadre 310, Piso 8, Oficina 802, San Isidro. NIRE 35.9.0354463-5 e CNPJ nº 14.310.577/0068-11; 3.7 Cidade de Port-au-Prince, na República do Haiti, com endereço na 3 Rue Jean Gilles, Rte de L’ Aeroport. NIRE 35.9.0363495-2 e CNPJ nº 14.310.577/0069-00; 3.8 Cidade de Bogotá, República da Colômbia, com endereço na com endereço na Calle 67, nº 07 35, Oficina 404.NIRE 35.9.0369374-6 e CNPJ nº 14.310.577/0057-69;3.9 Cidade de San José, República da Costa Rica, com endereço Edifício Meridiano, 3º Piso, Costado Suroeste de Multiplaza, Escazú.NIRE 35.9.0369375-4 e CNPJ nº 14.310.577/0067-30; 3.10 Cidade de Santo Domingo, República Dominicana, com endereço na Calle Pedro Henriquez Ureña, nº 138, Edifício Torre Reyna II, Suite 402, La Esperilla. NIRE 35.9.0415310-9 e CNPJ nº 14.310.577/0066-50; 3.11 Cidade de Caracas, República Bolivariana daVenezuela, com endereço na Av.San Felipe 2 da 3ª transversal, Edifício Centro Coinasa, Piso 8, Oficina 84, Urb la Castellana, Zona Postal 1060.NIRE 35.9.0415311-7 e CNPJ nº 14.310.577/0058-40;3.12 Cidade do Panamá, República do Panamá, com endereço na Bella Vista, Urbanización Bella Vista, Calle Obarrio, P.H.Plaza 2000, P-16.NIRE 35.9.0415312-5 e CNPJ nº 14.310.577/0065-79; 3.13 Cidade de Port of Spain, na República de Trinidad e Tobago, com endereço na First Floor, Briar Place, 10 Sweet Briar Road, St. Clair. NIRE 35.9.0415313-3 e CNPJ nº 14.310.577/0059-20; 3.14 Cidade de Tegucigalpa, República das Honduras, no Edifício Metropolis, à altura de Boulevard Suyapa, números 21602, 21603, 21604 e 21605 e CNPJ nº 14.310.577/0054-16; 3.15 Cidade de Luanda, República de Angola, no Condomínio Belas Business Park, Edf.Malange, sala 503, Talatona e CNPJ nº 14.310.577/0056-88; 3.16 Cidade de Guatemala, República da Guatemala, na 7ª Av. 5-10, zona 4, Centro Financiero, Torre II, Nivel 11, oficina n. 1 e CNPJ nº 14.310.577/0055-05. Art. 3º - A Cia. tem por objetivo social a exploração da atividade de engenharia civil e da indústria da construção civil e pesada;inclusive gerenciamento e execução de projetos e obras; importação e exportação em geral; compra e venda de imóveis próprios; locação de bens móveis; aproveitamento e exploração de jazidas minerais; serviços de dragagem e transporte; navegação marítima, fluvial e lacustre; manutenção e montagem industrial, instalações e montagens elétricas, eletrônicas, eletromecânicas e mecânicas; sempre que do interesse social, podendo inclusive, constituir e participar em consórcio de empresas e participar como sócia ou acionista de outras sociedades no Brasil e no Exterior. Capítulo II Capital Social e Ações - Art.4º - O capital subscrito e integralizado é de R$ 1.535.000.000,00, dividido em 1.535.000.000 de ações ordinárias, nominativas e sem valor nominal.Art.5º - Às ações da Cia.são assegurados os direitos que a Lei confere às ações de cada espécie.§1º:Cada ação ordinária dá direito a um voto nas deliberações das Assembleias Gerais. §2º: A Cia., nos termos da Lei, poderá adquirir ações de sua emissão, para cancelamento ou manutenção em tesouraria para posterior alienação, mediante autorização da Assembleia Geral.§3º: A Cia. poderá contratar, com instituição credenciada para serviços de agente emissor de certificados, a escrituração e guarda dos livros de registro e transferência de ações. Capitulo III - Da Administração - Art. 6º - A Cia. será administrada por uma Diretoria Executiva, com os poderes conferidos em Lei e por este Estatuto Social, sendo ativa e passivamente representada nos termos do Art. 17 do presente Estatuto. §1º: A remuneração da Diretoria Executiva será fixada anualmente pela Assembleia Geral.§2º: Os membros da Diretoria Executiva tomarão posse na forma do que dispõe o Art. 149 da LSA, tendo os requisitos, impedimentos, deveres, obrigações e responsabilidades contempladas na mesma Lei, Arts.145 a 158, dispensando-se a constituição de caução em garantia das gestões.Art.7º - A Diretoria Executiva é composta de 06 a 14 Diretores, residentes no País, eleitos e destituíveis, a qualquer tempo, pela Assembleia Geral, com mandato de 03 anos, permitida a reeleição, com as designações seguintes: Diretor Financeiro, Diretor Administrativo, Diretor Centro Excelência, Diretor Jurídico, Diretor de Ações Institucionais, Diretor de Relações Institucionais, Diretor Presidente Área Internacional, um Diretor Vice-Presidente Área Internacional e até 06 Diretores Superintendentes. §1º: Ao final de seus mandatos, os Diretores permanecerão em seus cargos até a posse dos novos Diretores.§2º: É facultado a qualquer Diretor efetuar, por escrito, indicação específica de outro membro da Diretoria para substituí-lo em suas ausências ou impedimentos temporários, cabendo ao substituto, além do próprio voto, o voto do substituído. §3º: Em caso de vacância ou impedimento definitivo de cargo da Diretoria, o substituto será eleito pela Assembleia Geral e exercerá, quando for o caso, as funções pelo tempo que faltar ao diretor substituído.Capitulo IV - Funcionamento da Diretoria Executiva Art. 8º - A Diretoria reunir-se-á sempre que os interesses sociais o exigirem e as reuniões serão convocadas por qualquer Diretor, mediante convocação escrita - através de carta, correio eletrônico ou outro meio de comunicação com comprovante de recebimento - contendo, além do local data e hora da reunião, a ordem do dia. As convocações deverão, sempre que possível, encaminhar as propostas ou documentos a serem discutidos ou apreciados.§1º:As reuniões da Diretoria serão instaladas com a presença da maioria de seus membros em exercício, sendo o presidente da reunião escolhido entre os presentes.Considera-se presente à reunião o Diretor que estiver, na ocasião, (i) representado por seu substituto indicado na forma do §2º do Art. 7º acima, (ii) participando da reunião por conferência telefônica, vídeo conferência ou qualquer outro meio de comunicação que permita a identificação do Diretor e a comunicação simultânea com as demais pessoas presentes à reunião, ou (iii) que tiver enviado seu voto por escrito; ficando o presidente da reunião, no caso dos itens (ii) e (iii) acima, investido dos poderes para assinar a respectiva ata da Reunião da Diretoria em nome do Diretor que não esteja presente fisicamente.§2º:As reuniões da Diretoria serão realizadas, preferencialmente, na sede da Cia.. §3º: As deliberações da Diretoria serão tomadas mediante o voto favorável da maioria dos presentes. §4º: Em caso de empate, em se verificando qualquer impasse entre os Diretores, a matéria objeto da discussão e impasse será levada à deliberação da Assembleia Geral, que decidirá em ultima instância sobre o assunto. §5º: Todas as deliberações da Diretoria constarão de atas lavradas no respectivo livro de atas de reuniões da Diretoria e assinadas pelos membros da Diretoria que estiverem presentes, observado o disposto no final do §1º acima. CapituloV - Competência da Diretoria e Representação - Art. 9º - Compete aos Diretores, nos limites de suas respectivas atribuições: (i) propor à Assembleia Geral as diretrizes fundamentais, dentro dos objetivos e metas da Cia., para exame e deliberação; (ii) assegurar o bom andamento dos negócios sociais, decidir e praticar todos os atos necessários à realização do objeto da Cia., desde que não sejam da com-

CNPJ/MF 18.912.107/0001-71 - NIRE 353.004.572-18 Ata da 3ª (Terceira) Assembleia Geral Extraordinária Data, hora e local: Aos 25/5/2014, às 14hs, na sede. Convocação: Dispensada. Presença: Totalidade. Para presidir a Assembleia foi eleito por unanimidade o Sr. Alesson Pádua Tavares, que aceitando a incumbência convidou a mim, Adriano Santos Lopes Ferreira para secretariá-lo, no que aceitei, assim se constituindo a mesa e dando-se início aos trabalhos. Ordem do dia:I Aprovar aditamento do Instrumento Particular da 1ª Emissão Privada de Debêntures Simples; II - Outros assuntos de interesse da sociedade. Deliberações: I - Após análises e discussões e em conformidade com as deliberações tomadas na 1ª Assembleia Geral de Debenturistas, realizada em 25/2/14, foi aprovada por unanimidade dos acionistas a alteração do item 12, do Capítulo III do Instrumento Particular de Escritura da 1ª da Emissão Privada de Debêntures Simples, passando a ter a seguinte redação:“Item 12) Base de Remuneração: a) A base de remuneração do valor unitário das Debêntures da 1ª série será a variação mensal da Taxa de Juros a Longo Prazo - TJLP, fixada pelo Conselho Monetário Nacional, expressa na forma de percentual ao ano, base 252 dias úteis. b) b) A base de remuneração da 2ª série será de 0,50%, expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias.c) A base e remuneração da 3ª série será de 0,75% , expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias. d) A base de remuneração da 4ª série será de 1,00% , expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias.e) A base de remuneração da 5ª série será de 100% do C.D.I., expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias. f) A base de remuneração da 6ª série será de 105% do C.D.I., expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias. g) A base de remuneração da 7ª série será de 110% do C.D.I., expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias.h) A base de remuneração da 8ª série será de 140% do C.D.I., expressa na forma de percentual ao mês, base 30 dias.” Em cumprimento ao item II da Ordem do Dia o Sr. Presidente ofereceu a palavra aos presentes para tratarem de assuntos de interesse social e, como ninguém se manifestou, os trabalhos foram suspensos pelo tempo necessário à lavratura da presente Ata. Reabertos os trabalhos, esta Ata foi lida e, de forma unânime, aprovada e assinada pelos presentes, que autorizaram sua publicação sem as suas assinaturas, conforme Art. 130, §2º, da Lei 6.404/76. SP, 25/2/14. (a.a.) - Alesson PáduaTavares - Presidente, Adriano Santos Lopes Ferreira - Secretário. Alesson Pádua Tavares - Presidente de Mesa; Adriano Santos Lopes Ferreira - Secretário; Cristina de Melo; SLF I Participações. Jucesp nº 125.011/14-3 em 02/04/2014. Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral. petência exclusiva da Assembleia Geral e também não necessitem de prévia aprovação na forma deste Estatuto; (iii) promover convênios e contratar, dentro dos fins da Cia., com pessoas físicas ou jurídicas de direito público ou privado, nacionais ou estrangeiras;(iv) adquirir, onerar e alienar bens móveis, inclusive os integrantes do ativo permanente, prestar garantias a obrigações próprias, bem como prestar quaisquer garantias a obrigações de terceiros, observado o disposto neste Estatuto Social;(v) aprovar, no âmbito de sua alçada, os critérios relativos aos cargos e salários e ao regime dos empregados da Cia.; (vi) elaborar e apresentar ao final de cada exercício social as Demonstrações Financeiras, na forma da LSA, instruídas com o Parecer dos Auditores Independentes, para apreciação do Conselho Fiscal, se instalado, e aprovação pela Assembleia Geral; (vii) elaborar o orçamento da Cia.; (viii) instalar escritórios de representação, filiais e sucursais da Cia. em locais de interesse para os negócios sociais, quando necessário; (ix) aprovar normas, regimentos e manuais da Cia., dando sempre conhecimento à Assembleia Geral; e (x) representar a Cia., ativa e passivamente, em juízo ou fora dele, perante quaisquer terceiros e repartições públicas federais, estaduais ou municipais, bem como praticar todos os atos necessários ou convenientes à administração dos negócios sociais, respeitados os limites previstos em lei ou no presente Estatuto Social.§Único.São expressamente vedados, sendo nulos e inoperantes em relação à Cia., os atos de qualquer dos sócios, Diretores ou procuradores da Cia. que a envolverem em obrigações relativas a negócios ou transações estranhas ao seu objeto social. Art. 10 - Compete aos Diretores Superintendentes, ao Diretor Presidente Área Internacional e ao Diretor Vice-Presidente Área Internacional, dentre outras atribuições que lhes venham a ser estabelecidas, coordenar as atividades da Cia.em suas respectivas áreas de atuação.Art.11 - Compete ao Diretor Financeiro, dentre outras atribuições que lhe venham a ser estabelecidas: (i) dirigir, coordenar e controlar as atividades de natureza financeira da Cia., tanto de captação como de aplicação de recursos; (ii) coordenar e supervisionar a gestão corporativa das informações gerenciais referentes a metas de vendas, rentabilidade, orçamento, fluxo de caixa, conta corrente e indicadores econômico-financeiros da Cia.e de suas sociedades controladas;(iii) gerir as contas bancárias e determinar movimentação financeira das contas bancárias da Cia.e supervisionar estas operações em relação às suas sociedades controladas;(iv) gerir as atividades de tesouraria da Cia. e de suas sociedades controladas; (v) aprovar pagamentos e elaborar o orçamento, o fluxo de caixa, a planilha de rentabilidade e de controle de conta corrente da Cia.; (vi) planejar e viabilizar operações com moedas estrangeiras, para a Cia. e suas sociedades controladas; (vii) obter, controlar e resgatar cauções junto às instituições financeiras; (viii) planejar, orientar e supervisionar a execução de planejamentos financeiro-tributários; (ix) analisar, contratar e controlar empréstimos e financiamentos da Cia. e de suas sociedades controladas;(x) promover o relacionamento com instituições financeiras e com o mercado financeiro em geral;e (xi) desempenhar as demais atividades relacionadas à sua área de atuação. Art. 12 - Compete ao Diretor Administrativo, dentre outras atribuições que lhe venham a ser estabelecidas: (i) dirigir e exercer a coordenação e supervisão geral das atividades administrativas da Cia., desenvolvendo o planejamento estratégico de suas áreas de atuação, alinhadas com as diretrizes da empresa; (ii) dirigir e coordenar as atividades de recursos humanos, tecnologia da informação, auditoria, comunicação interna, instalações prediais, programas de saúde dos colaboradores da Cia. e programas de responsabilidade social, tudo de acordo com as políticas e diretrizes definidas pela Diretoria ou pela Assembleia Geral; (iii) garantir o controle de qualidade dos processos e atividades dentro de sua área de atuação, adotando práticas e políticas de racionalização do trabalhos e redução de custos administrativos, buscando reduzir riscos técnicos e financeiros associados a tais atividades; Art. 13 - Compete ao Diretor Centro Excelência, dentre outras atribuições que lhe venham a ser estabelecidas: (i) definir as Políticas e Diretrizes de Gestão de Qualidade, Segurança, Meio Ambiente e Saúde (“QSMS”) da Cia.;(ii) promover a implantação e manutenção do Sistema de Gestão Integrada de QSMS; (iii) preparar documentação para participação em licitações e zelar pela guarda da documentação técnica de prestação de serviços e engenharia da Cia.; (iv) estabelecer e dimensionar o Parque Mínimo de Segurança (“PMS”) dentro da política de investimento aprovada pelos acionistas, composto por equipamentos estratégicos que apresentem dificuldades no mercado locador e de maior rotatividade; (v) monitorar a performance dos equipamentos da Cia.através dos indicadores de utilização, eficiência operacional e custos, definindo estratégia de venda dos equipamentos com baixa performance e baixa utilização;(vi) capturar e partilhar conhecimento e melhores práticas de gestão e execução de obras na Cia.; (vii) apoiar as obras na implantação das novas ferramentas da Cia.; e (viii) acompanhar o desempenho das obras da Cia.. Art.14 - Compete ao Diretor Jurídico, dentre outras atribuições que lhe venham a ser estabelecidas: (i) dirigir, planejar e coordenar as atividades jurídicas da Cia.; (ii) assessorar a Cia. nos aspectos jurídicos, estudando e interpretando textos legais, leis, jurisprudências e demais documentos legais, com o fim de otimizar as atividades da Cia.e aplicá-los em benefício dos interesses sociais; (iii) orientar o corpo de advogados sob sua responsabilidade em questões jurídicas;(iv) coordenar a contratação de advogados e escritórios de advocacia para a defesa dos interesses da Cia., podendo, para tanto, mas não se limitado a, assinar contratos de honorários e outorgar procuração ad judicia. Art. 15 Compete ao Diretor de Ações Institucionais, dentre outras atribuições que lhe venham a ser estabelecidas: (i) dirigir, planejar e coordenar as atividades jurídicas contenciosas da Cia.; (ii) analisar e definir as estratégias de atuação nos litígios em que a Cia. estiver envolvida; (iii) coordenar a contratação de advogados e escritórios de advocacia para a defesa dos interesses da Cia.em litígios, podendo, para tanto, mas não se limitando a, assinar contratos de honorários e outorgar procuração ad judicia;(iv) orientar o corpo de advogados sob sua responsabilidade. Art. 16 - Compete ao Diretor de Relações Institucionais, dentre outras atribuições que lhe venham a ser estabelecidas, coordenar atividades relacionadas à formulação de políticas e de ações junto aos Sindicatos Patronais e Órgãos de Classe, coordenar a defesa da Cia. em questões relacionadas aosTribunais de Contas da União, devendo coordenar ações institucionais, em conformidade com a orientação da Assembleia Geral, interagindo com os demais membros da Diretoria. Art. 17 - Observadas as exceções contidas no presente Estatuto Social, inclusive nos §§ Segundo, Terceiro e Quarto, os atos e operações de administração dos negócios sociais que importem responsabilidade ou obrigação para a Cia.ou que a exonerem de obrigações para com terceiros, poderão ser praticados por:(i) qualquer Diretor isoladamente;ou (ii) 01 procurador, observado quanto à nomeação de procuradores o disposto no §1º deste Art.. §1º: A Cia. poderá, através de assinatura de 01 Diretor - ou de 02 Diretores, conjuntamente, se para os fins dispostos no §2º abaixo -, constituir procuradores, outorgando-lhes, por prazo determinado não superior a 02 anos, poderes específicos de administração, exceto os poderes da cláusula “ad judicia” ou para a defesa dos interesses da Cia. em processos administrativos, que poderão ser outorgados por prazo indeterminado. §2º: Fica estabelecido que os atos abaixo elencados dependerão da assinatura conjunta de: (a) 02 Diretores; (b) 01 Diretor e 01 procurador, nos limites dos poderes que lhe forem conferidos;ou (c) 02 procuradores, nos limites dos poderes que lhes forem conferidos:(i) representação da Cia.perante instituições financeiras, realizando todo e qualquer ato referente a movimentação de suas contas correntes e aplicações financeiras; (ii) celebração de contratos de empréstimo, financiamento, derivativo, cessão de crédito e todo e qualquer contrato financeiro e respectivas garantias; (iii) emissão e endosso de duplicatas para efeito de desconto, caução ou cobrança, assinatura de borderôs, recebimento e quitação em duplicatas de emissão da Cia.;(iv) concessão de aval e/ou fiança, inclusive cartas de crédito, de fiança bancária e seguro garantia, exceto fianças concedidas em contratos de locação, nas quais será permitida a representação isolada por qualquer Diretor; (v) representação da Cia. perante agentes do sistema financeiro de habitação; (vi) aquisição, oneração e/ou alienação de cotas ou ações de sociedades em que a Cia. ou sociedades de seu grupo econômico participe, com a finalidade de garantir financiamento de seus projetos ou empréstimos corporativos; (vii) ç , aquisição q ç e/ou oneração ç de imóveis em nome da Cia.,, com a finalidade de ggarantir financiamento de pprojetos j p alienação, ou empréstimos corporativos.§3º:A Cia.será representada exclusivamente por 01 Diretor Superintendente, pelo Diretor Presidente Área Internacional ou pelo Diretor Vice-Presidente Área Internacional, isoladamente, ou por 01 (um) procurador, especificamente nomeado para tal fim por 01 Diretor Superintendente, pelo Diretor Presidente Área Internacional ou pelo Diretor Vice-Presidente Área Internacional, observado o disposto no §1º deste Art., conforme aplicável: (i) em atos ou obrigações da Cia. relacionados a procedimentos licitatórios e/ou similares, incluindo, mas não se limitando a:requerer e prestar informações;aceitar e retificar os termos de quaisquer certames licitatórios e/ou similares, respectivos editais e demais documentos pertinentes; proceder a pedidos de revisão e/ou reconsiderações; opor e firmar impugnações e termos de qualquer natureza; podendo acordar, desistir e transigir dos mesmos; assinar propostas e documentos; assinar declarações e termos que se tornem necessários, de qualquer teor e prazo de validade; enfim, em tudo o quanto diga respeito à participação em licitações e/ou procedimentos similares, cadastramentos e recadastramentos da Cia., solicitar e apresentar documentos de qualquer natureza e praticar todos os demais atos pertinentes;e (ii) na celebração, pela Cia., de contratos de construção, prestação de serviços de engenharia ou contratos relacionados a obras (inclusive gerenciamento e execução de projetos e obras) decorrentes de procedimentos licitatórios e/ou similares previstos no item “i” acima, bem como os respectivos aditivos, contratos de subempreitada e instrumentos correlatos, podendo apresentar e aceitar propostas de preços, fixar condições negociais e comerciais. §4º: A prática dos seguintes atos depende da aprovação prévia e por escrito dos acionistas representando a maioria do capital social: (i) a alienação, aquisição e/ou oneração de imóveis, exceto com a finalidade de garantir financiamento de projetos ou empréstimos corporativos; (ii) a alienação, aquisição e/ou oneração de participação societária, exceto com a finalidade de garantir financiamento aos projetos em que a Cia. ou sociedades de seu grupo econômico participe, direta ou indiretamente, como sócia ou acionista; (iii) concessão de aval, fiança e dação de bens em garantia para: a) negócios estranhos ao objeto social, ou b) sociedades que não participem do mesmo grupo econômico da Cia., ou seja, não controlem, não sejam controladas ou não estejam sob o controle comum, direta ou indiretamente, da Cia.; (iv) a celebração de acordos de acionistas, quotistas e/ou de investimentos; (v) a orientação do voto da Cia. nas sociedades em que a Cia. participe quanto às matérias constantes do presente § e do Art. 22 abaixo; e (vi) a aprovação pela Cia. das matérias constantes do presente § e do Art.22 abaixo em relação às sociedades em que a Cia.participe.CapítuloVI - Conselho Fiscal - Art. 18 - O Conselho Fiscal somente será instalado nos exercícios sociais em que for convocado mediante deliberação dos acionistas, conforme previsto em Lei.Art.19 - O Conselho Fiscal, quando instalado, será composto por no mínimo 03 e no máximo 05 membros e por igual número de suplentes, eleitos pela Assembleia Geral de Acionistas, sendo permitida a reeleição, com as atribuições e prazos de mandato previstos em Lei. §1º: A remuneração dos membros do Conselho Fiscal será estabelecida pela Assembleia Geral de Acionistas que os eleger. §2º: Aplica-se ao Conselho Fiscal, quanto às normas de eleição, requisitos, impedimentos, investidura, obrigações, deveres e responsabilidades o que dispõe a LSA, Arts. 161 a 165, seus §§, incisos e alíneas. Capítulo VII - Assembleias Gerais - Art. 20 - Respeitada a legislação em vigor, a Assembleia Geral será convocada na seguinte ordem: (i) por quaisquer dois Diretores em conjunto; ou (ii) pelas pessoas legalmente habilitadas nos termos da LSA. §1º: Os trabalhos da Assembleia Geral serão dirigidos por mesa composta de presidente e secretário, escolhidos pelos acionistas presentes. §2º: As Assembleias serão realizadas e as deliberações serão tomadas com base nos quoruns previstos na legislação em vigor. Art. 21 - As Assembleias Gerais serão realizadas: (i) ordinariamente e anualmente, com a finalidade prevista no Art. 132 da LSA, nos quatro primeiros meses subsequentes ao encerramento do exercício social; e; (ii) extraordinariamente, sempre que os interesses sociais o exigirem. §Único: O conjunto de acionistas e grupos de acionistas estrangeiros não podem exercer em cada assembleia geral número de votos superior a 2/3 do total de votos que puderem ser exercidos pelos acionistas brasileiros presentes.Art.22 - Compete à Assembleia Geral, além de outras matérias indicadas na lei ou neste Estatuto Social: (i) a reforma do presente Estatuto Social; (ii) a eleição e destituição de administradores da Cia.;(iii) a fixação e alteração da remuneração dos administradores e dos critérios de participação nos lucros da Cia.; (iv) a aprovação de contas e das demonstrações financeiras; (v) a emissão de debêntures; (vi) a avaliação de bens que o acionista concorrer para formação do capital social; (vii) a transformação, fusão, incorporação e cisão da Cia.; (viii) a declaração ou pedido de falência, recuperação judicial ou extrajudicial, dissolução, liquidação ou cessação do estado de liquidação da Cia., (ix) a destinação do lucro líquido e distribuição de dividendos; (x) a alteração das características, direitos ou vantagens das ações existentes e criação e emissão de outras classes ou espécies de ações; e (xi) a redução do dividendo obrigatório.CapítuloVIII - Exercício Social, Lucros e Dividendos - Art. 23 - O exercício social terá inicio em 01/jan.e terminará em 31/dez.de cada ano, findo o qual serão elaborados o balanço geral e as demonstrações financeiras exigidas em lei.Art.24 - Do resultado do exercício apurado na forma da legislação em vigor serão deduzidos os prejuízos acumulados, se houver, e a provisão para o Imposto de Renda.Art.25 - Após procedidas as deduções referidas no Art.anterior, a Assembleia Geral poderá atribuir aos administradores e funcionários uma participação sobre os lucros remanescentes respeitadas as lotações legais.Art.26 - O saldo, após deduzidas as participações no resultado, configurará o lucro liquido do exercício, que será objeto de proposta à Assembleia Geral, e terá a seguinte destinação:(i) 5% para a constituição de Reserva Legal, que não excederá 20% do Capital Social;(ii) formação de Reservas para Contingências, caso haja necessidade;(iii) constituição de Reservas de Lucro a Realizar, se for o caso, na forma prevista pela legislação; (iv) pagamento de dividendos anuais obrigatórios de, no mínimo 25% sobre o lucro liquido do exercício, ajustado na forma da lei de acordo com as deduções previstas nos itens (i), (ii) e (iii) acima; e (v) a Assembleia Geral resolverá sobre o destino do saldo remanescente do lucro líquido do exercício.Art.27 - A Cia.poderá levantar balanços mensais e sobre eles decidir sobre o pagamento de dividendos.§Único: A Diretoria Executiva poderá declarar dividendos intermediários à conta de reserva de lucros verificada no Balanço. Capítulo IX - Liquidação - Art. 28 - A Cia.entrará em liquidação nos casos previstos em Lei, competindo à Assembleia Geral eleger o liquidante e os membros do Conselho Fiscal que deverão funcionar no período da liquidação, fixando-lhes a remuneração”. Jucesp nº 158.534/14-1 em 30/04/2014. Gisela S.Ceschin-Secr.Geral.


20 -.ECONOMIA/LEGAIS

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

"É difícil encontrar quem trabalhe bem e apareça na hora. Mas ninguém precisa se preocupar com isso no caso dos robôs. Tim Kurtz, produtor.

Tecnologia chega aos currais A falta de mão de obra confiável e a alta nos preços do leite incentiva pecuaristas americanos a automatizar a produção – da alimentação das vacas à ordenha. Fotos: Nathaniel Brooks

Jesse McKinley The New York Times lgo de inusitado ocorre nos currais das fazendas do estado de Nova York: as vacas ordenham a si mesmas. Desesperados com a falta de mão de obra confiável e incentivados pela alta nos preços, produtores de leite de todo o estado estão utilizando a tecnologia para cuidar do gado – dispositivos que alimentam e ordenham, dispensando a mão humana. Uma série de máquinas surgiu no cinturão leiteiro de Nova York e de outros estados nos últimos anos, transformando padrões e revigorando o interesse dos jovens apaixonados por tecnologia – e avessos ao esterco – pela pecuária. "Estamos acostumados com computadores e outras coisas desse tipo, e as novas tecnologias estão mais alinhadas com isso", afirma Mike Borden, de 29 anos, da sétima geração de uma família de produtores de leite, cuja propriedade passou a utilizar robôs quando as velhas ordenhas mecânicas utilizadas para ordenhar várias vacas de uma só vez começaram a dar sinais de fadiga, pela idade avançada. "Assim é muito mais divertido fazer o trabalho manual", completa. Aparentemente, as vacas também gostaram da novidade. Os robôs permitem que os animais escolham a melhor hora para dar leite, fazendo fila para a ordenha automatizada cerca de cinco ou seis vezes ao dia – transformando as sessões matinais e do fim da tarde repetidas por gerações de agricultores em relíquia. Com transponders em torno do pescoço, as vacas recebem um serviço individualizado. L a s e r s e s c a s s e i a m e m apeiam o volume das barrigas, e um computador registra a "velocidade de ordenha" do animal, fator fundamental para uma operação que dura 24 horas por dia. Além disso, os robôs também monitoram a quantidade e a qualidade do leite produzido, a freqüência das visitas à máquina, quanto cada vaca comeu e até mesmo o número

A

Com os robôs, as vacas "escolhem" a melhor hora para dar leite, fazendo fila para a ordenha automatizada cinco ou seis vezes ao dia – transformando as sessões matinais e vespertinas, repetidas por gerações, em relíquia.

de seus passos dados ao longo do dia, o que pode indicar que ela está com calor. Sem reclamação "Os animais simplesmente entram na ordenha", afirmou Jay Skellie, produtor de Salem, Nova York, depois de assistir a uma demonstração. "Eu acho que devemos prestar muita atenção nesses robôs". Muitas pessoas que possuem pequenas propriedades afirmam que a escolha pela ordenha computadorizada se resumia a uma grande questão: adotar a tecnologia ou mudar de ramo. "Ou vamos deixar de produzir, ou iremos crescer, ou é melhor tentar alguma coisa diferente", diz Tom Borden, de 59 PREFEITURA MUNICIPAL DE BIRIGUI

Edital nº 26/2014 – Tomada de Preços nº 04/2014 Objeto: j Execução ç da obra de construção ç do Centro de Referência de Assistência Social - CRAS no Residencial Portal da Pérola II, com fornecimento de mão de obra, materiais e equipamentos, conforme Memoriais, Planilha ç , cronograma g j Orçamentária, físico-financeiro e Projetos p p p elaborados pela Secretaria de Obras e pela empresa L. C. Néia Consultoria e Projetos de Engenharia Ltda.. Prazo de entrega dos documentos para cadastro: até 27/05/2014. Encerramento e Abertura:- 30/05/2014, às 08h30min. O Edital na íntegra encontra-se disponível gratuitamente no site www.birigui.sp.gov.br. g pg ou na Seção ç de Licitações ç pelo valor de R$ 30,00, até o dia 27/05/2014. Informações: Seção ç de Licitações, ç , Rua Santos Dumont,, 28 ou pelos p ( ) 3643.6125/3643 6126,, Birigui, g , 08/05/2014,, telefones (18) Pedro Felício Estrada Bernabé, Prefeito Municipal.

PREFEITURA MUNICIPAL DE TAUBATÉ/SP TOMADA DE PREÇOS Nº. 12/14 A PREFEITURA MUNICIPAL DE TAUBATÉ, pela Presidência da Comissão Permanente de Licitações e com base na Lei Federal nº 8.666/93 e suas alterações, torna público aos interessados, que se acha aberta: Tomada de Preços nº 12/14 – Ampliação da Creche Tomé Portes Del Rei localizada na Rua dos Canarinhos, s/nº – Bairro Vila Velha, com vencimento às 08h30min do dia 27.05.14. O Edital completo encontra-se disponível no Departamento de Compras, no horário das 08h às 12h e das 14h às 18h, podendo ser adquirido mediante recibo original de depósito do Banco Santander, Agencia 0056 Conta-corrente nº 45000273-2, no valor de R$ 52,00 (Cinquenta e Dois Reais) cada edital ou gratuitamente no site desta Prefeitura www.taubate.sp.gov.br. Taubaté, 8 de maio de 2014. Márcia Ferreira dos Santos - Presidente CPL

Modanet Comércio Eletrônico S.A. - CNPJ: 10.495.757/0001-57 ERRATA Nas Demonstrações Financeiras encerradas em 31 de dezembro de 2013, publicadas neste jornal, edição de 06 de maio de 2014, constou valores equivocados nas Demonstrações do Resultado, sendo o correto: Demonstrações do resultado Exercícios findos em 31 de Dezembro - Em milhares de reais 2013 2012 Receita Operacional Líquida 25.810 15.217 Custo das Mercadorias Vendidas (15.957) (7.821) Lucro Bruto 9.853 7.396 Receitas (Despesas) Operacionais (18.500) (16.715) Gerais e Administrativas (18.533) (16.516) Outras receitas 33 Outras despesas (199) Lucro (prejuízo) antes do resultado financeiro e equivalência patrimonial (8.647) (9.319) Receitas financeiras 295 228 Despesas financeiras (936) (376) Lucro (prejuízo) antes do Imposto de Renda e da Contribuição Social (9.288) (9.467) Imposto de Renda e Contribuição Social Lucro (prejuízo) Líquido do Exercício (9.288) (9.467) A DIRETORIA FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 08 de maio de 2014, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Hidro Ferpaulo Ltda. Requerido: Lins Comércio Varejista de Materiais de Construção em Geral Ltda. Rua Doutor Rubens Gomes Bueno, 545 - Piso Térreo – Várzea de Baixo - 1ª Vara de Falências.

anos, pai de Mike, cuja família trabalha na mesma terra a 50 quilômetros a nordeste de Albany desde 1837. "Mas isso foi um passo um pouco diferente". A família Borden e outros agricultores da região afirmam que uma das maiores vantagens é a diminuição dos custos com mão de obra –seguro saúde, espaço, alojamento, horas extras, custos trabalhistas – especialmente com o atraso da reforma da imigração em Washington e a falta de trabalhadores confiáveis. Máquinas nunca reclamam por acordar cedo, trabalhar até tarde, ou perder o emprego. "É difícil encontrar pessoas que trabalhem bem e apareçam na hora", queixa-se Tim Kurtz, que instalou ordenhas robóticas no ano passado em sua propriedade no condado de Berks, Pensilvânia. "Mas ninguém precisa se preocupar com isso no caso dos robôs". As máquinas permitem ainda que os fazendeiros tenham tempo adicional para fazer o que realmente amam: cuidar dos animais. "Eu prefiro ser um gerente de vacas do que um gerente de pessoas", resume Tom Borden. As máquinas não são baratas e custam até US$ 250 mil, sem contar as melhorias que devem ser feitas no espaço que ocupam. Cada unidade é composta de um braço mecânico, um equipamento de limpeza, telas computadorizadas, um aparelho de ordenha e sensores para detectar a posição das tetas. Criadas na Europa nos anos 1990, essas máquinas começaram a ser usadas há pouco tempo na Pensilvânia, no Wisconsin e em Nova York, que lidera a produção de iogurte grego e é o terceiro maior estado produtor de derivados de leite dos EUA. Grandes rebanhos Kathy Barrett, associada sênior dos cursos de extensão da Faculdade de Agricultura e Ciências da Vida da Universidade de Cornell, afirma que o aumento recente no preço do leite motiva os agricultores a buscarem novas formas de melhorar a produção – e a vida no campo. "É a flexibilidade de não pre-

cisar interromper os outros serviços da fazenda porque às três da tarde é preciso tirar leite", afirmou Barrett. Segundo Barrett, cerca de 30 fazendas em no estado de Nova York instalaram mais de 100 ordenhas robóticas. Duas empresas europeias, a Lely e a DeLaval, afirmam que já instalaram outras centenas de ordenhas em todo o país. A Califórnia, maior estado produtor de derivados de leite dos EUA, tem observado de longe, em parte por conta de problemas ocorridos em fazendas que adotaram a tecnologia logo no começo. Tom Barcellos, presidente da Western United Dairymen, uma associação de produtores de leite, que possui cerca de 1.300 vacas leiteiras em sua propriedade no condado de Tulare, na Califórnia, afirmou que ficou intrigado com os robôs, mas temia que eles não tivessem condições de atender grandes rebanhos. "Eles não ordenham vacas o bastante para serem economicamente viáveis", afirmou Barcellos. "Talvez seja possível ordenhar 40 vacas por hora, mas atualmente conseguimos ordenhar 80". Entretanto, os produtores concordam que, em geral, a produção aumentou com os robôs, em grande parte porque as vacas preferem ser ordenhadas com mais frequência (para permitir a lactação, são mantidas quase que constantemente prenhas). Rápido aprendizado Os defensores dos direitos dos animais aprovam em parte o novo método. "A falta de ordenha causa dores ao animal", conta Paul Shapiro, vicepresidente da Humane Society dos Estados Unidos. Permitir que as vacas se locomovam com mais liberdade também é uma melhoria em relação aos

Foi um pouco assustador gastar tanto dinheiro. Mas iremos crescer, ou vamos deixar de produzir e tentar algo diferente. TOM BORDEN métodos antigos, que incluem amarrar as vacas a pilastras. A família Borden instalou duas ordenhas computadorizadas e uma mecânica para cerca de 100 de suas vacas em novembro do ano passado em um novo celeiro – um projeto de US$ 1,2 milhão. "Foi um pouco assustador gastar tanto dinheiro", diz Tom. Mas ele espera que as máquinas se paguem em sete ou oito anos por meio do corte de custos trabalhistas e de outras economias, como dar o volume exato de ração para alimentar cada vaca. Os Borden esperam um aumento na produção à medida que os animais vão se adaptando às novas máquinas. Entretanto, já dá para ver que o gado aprendeu rápido. "Foi de uma hora para a outra", afirmou Susan Borden, a

filha de 24 anos de Tom. "Um dia a gente veio e as vacas e s t a v a m o rd e n h a n d o a s i mesmas". Recentemente, a família Borden observava enquanto as vacas faziam fila em frente ao aparelho; elas permitiam tranquilamente que a máquina lavasse e escaneasse suas tetas com lasers, antes de conectar a ordenha. Durante todo o processo, as vacas se alimentaram e voltaram a andar ao final da ordenha. Nos arredores, outro robô oferecia alimento para as que ficaram no pasto, ou se deitaram em camas de palha. As máquinas facilitam a rotina das vacas e das pessoas na fazenda dos Borden – embora os humanos tenham que responder de tempos em tempos aos pedidos de ajuda das ordenhas mecânicas. "Tratase de uma máquina, o que significa que pode quebrar. Mas, afinal, as pessoas também ficam doentes", diz Tom. Tudo isso fez a família começar a pensar na compra de mais robôs e em todas as vantagens que a automação pode trazer. "Acho que nunca vou conseguir dormir até tarde", finaliza Tom. "Mas seria ótimo poder enrolar mais uma horinha".

As máquinas podem custar até US$ 250 mil cada uma, sem contar as melhorias que devem ser feitas no espaço que ocupam. A família Borden gastou US$ 1,2 milhão, que espera recuperar em sete ou oito anos.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 9 de maio de 2014

21

Nº 514

NARINAS SOBRE RODAS

QUESTÃO DE DESIGN Entradas de ar laterais, como narinas ferozes, fazem carros mais arrojados e ajudam no resfriamento do sistema de freios e na aerodinâmica PHIL PATTON, DO NEW YORK TIMES urante anos, os designers de automóveis deram toda a atenção para as grades dos carros, tanto por sua função, quanto pela identidade de marca. Agora, os projetistas parecem estar olhando mais para baixo. Ganharam sua atenção as aberturas nas laterais dos para-choques da frente. Os profissionais da área se referem a elas como entradas de re sf r i am e n to. E , p re s t a n d o a t e n ç ã o , o bservadores casuais podem mesmo enxergar ali um par de narinas. "E o termo faz sentido, já que é por ali que os c a r r o s r e s p iram", afirmou Bryan Thompson, designer i nd e p en d e nt e que trabalha para a Nissan. As faces dos veículos parecem mostrar narinas mais largas e expressivas, a julgar pelos modelos apresentados recentemente no New York International Auto Show.

D

Aerodinâmica Existem razões funcionais para essas aberturas que levam mais ar para debaixo do capô: motores modernos e supereficientes necessitam de melhor resfriamento e os projetistas estão sob pressão para melhorar a aerodinâmica dos carros em prol da economia de combustível. Entretanto, entradas de ar aparentes na frente do veículo ajudam os designers a fazê-los parecer mais largos e

baixos. Isso ajuda a compensar as mudanças de aparênc i a c a u s a d a s p e l a re g u l amentação de proteção aos pedestres que deixou mais alta a parte da frente dos carros, fato pouco comentado no Brasil. "É preciso ter algum tipo de detalhe para preencher aquele espaço sem graça", afirmou Thompson. Assim como no caso das grades, as grandes narinas

fotos do modelo 2015 do sedã Sonata que a Hyundai entregou durante a conferência de imprensa, havia um close-up incomum exibindo uma das narinas do carro. O detalhe foi cuidadosamente criado, acentuado com metal cromado e coroado com uma faixa de LEDs. Em contraste com o atual modelo do Sonata, a entrada de ar é um exemplo da elegância que Chris Chapman, designer-chefe da mon-

Fotos: divulgação

de briga. Sendo assim, entradas de ar grandes como as do novo Huracán são uma parte importante das tradicionais frentes da Lamborghini, conforme definiu Filippo Perini, chefe do estúdio Centro Stile da Lamborghini. “As grandes aberturas fazem parte do DNA do nosso design", disse. E revelou que trabalham primeiro na aparência da frente do carro, sempre tentando dar a ele a expressão de um rosto, como Audi

Toyota podem fazer o carro parecer mais potente, mais esportivo, ou mais elegante, acrescentando detalhes similares ao longo de toda a linha de modelos das montadoras. "Além disso, as narinas também estão se tornando mais necessárias para o resfriamento e a aerodinâmica do carro", segundo Moray Callum, vice-presidente de design da Ford, em uma entrevista durante as prévias do Salão do automóvel. "Porém, elas também estão ficando cada vez mais expressivas, já que estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance para dar um toque especial ao carro". Um exemplo disso pode ser visto no stand da Hyundai no Salão de Nova York. Entre as

Range Rove

BMW

Mercedes-Benz

tadora nos EUA, afirmou serem as qualidades do novo design do carro. Narinas alemãs Com frequência, narinas mais largas são usadas para sugerir mais potência sob o capô. O cupê Mercedes-Benz S63 AMG apresentado em Nova York, por exemplo, apresenta narinas mais largas, com um formato mais longo que o dos modelos básicos SClass. A BMW deu aos modelos de alto desempenho da classe M narinas mais largas que também sugerem o aumento no número de cavalos de potência. Além disso, as entradas de ar possuem um formato fluido e horizontal, sugerindo um centro de gravidade mais baixo e, metaforicamente, mais agilidade. No caso dos BMW e do Mercedes, não se trata apenas de aparência, são "máquinas" de verdade. Todos à venda no Brasil, com preços acima de R$ 300 mil. Historicamente, nenhuma marca enfatizou tanto as narinas quanto a Lamborghini, cujo símbolo é um touro soltando ar pelas ventas, e cujos modelos frequentemente recebem os nomes de famosos touros

olhos e nariz. "É isso - acrescentou - que permite que o carro diga 'sou agressivo', ou 'sou educado". Além de resfriar o motor e os freios, algumas narinas levam ar à cavidade das rodas dianteiras, ajudando a reduzir o arrasto. O design das entradas de ar pode se expressar de muitas formas diferentes. Muitas narinas são cobertas com uma textura preta agressiva, ao passo que outras são emolduradas com metal cromado ou, cada vez mais, com LEDs brilhantes, muitas vezes em forma de tubo. A Range Rover Evoque - também à venda aqui, a partir de R$ 200 mil -, por exemplo, é um dos carros a exibir entradas de ar enfeitadas. Nem sempre "respiram" Algumas vezes, detalhes similares a narinas não servem para a entrada de ar, mas apenas para abrigar um farol, ou algo do tipo – e muitas vezes não passa de um painel pintado de preto. O metal cromado e os LEDs podem mudar o significado do design das narinas, indicando um modelo ou o nível de acabamento mais sofisticado.

Buick

As novas entradas de ar tornaram a parte da frente dos carros mais complexas, do ponto de vista visual. Algumas narinas lembram o formato de abajures, como sombras ou reflexos. Diversos designers dizem que notaram uma tendência do uso da metade superior da frente do carro para dar expressão, e a parte de baixo para dar função de resfriamento. A frente de algumas BMWs é dividida entre uma grade brilhante e os faróis na metade superior, e entradas de ar escuras na metade de baixo. Seja na qualidade de entra-

da de ar funcional, ou simplesmente de um novo farol, as narinas são um detalhe útil para muitos projetistas que querem dar um design similar aos carros da marca. Por exemplo, diversos modelos da Buick usam as narinas como detalhes, incluindo a abertura do Regal GS. A julgar pelos Salões mais re c e n t e s , o f u t u ro p a re c e guardar entradas de ar ainda m a i o re s . Po r exe m p l o , o Toyota FCV, um estudo de design para um futuro carro movido a células de hidrogênio, virá com narinas tão grandes como as de um Lamborghini.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Fotos: Seth Kugel/The New York Times

Na estrada no Kruger National Park, África do Sul, elefante (à esq.) à vista e leões adormecidos (à dir.): desafio para um viajante solitário.

Uma aventura africana gastando pouco Entre um safári do tipo “faça você mesmo” no Kruger Park e um acampamento na montanha na Suazilândia, esta é uma viagem econômica e fora do comum no sul da África. Seth Kugel The New York Times ra um desafio hercúleo para um viajante solitário na savana africana: usando somente um Fiat de US$ 23 por dia e meus miolos, eu tinha de contornar na surdina os seis leões adormecidos que bloqueavam a estrada cascalhada adiante. Por mais que desejasse ficar olhando para eles por uma hora, eu estava atrasado para o toque de recolher no Crocodile Bridge Rest Camp, uns 25 quilômetros adiante e, em fevereiro, no Parque Nacional Kruger, África do Sul, os veículos devem deixar as estradas às 18h30. A abordagem prudente parecia ser seguir adiante, lentamente. Se um carro pudesse andar na ponta dos pés, era assim que deveria ser. Os dois leões mais próximos continuavam cochilando. Adiante, a três metros, a fêmea saltou e me encarou. Segurando a câmera, o volante e o câmbio (à esquerda), eu fui para trás rapidamente e estava me movendo para frente outra vez quando, com o coração disparado, vi que a janela estava aberta. Quando a maioria das pessoas imagina a lista de coisas que deve fazer antes de morrer num safári na África, elas costumam estar na traseira de um jipe 4x4, sem ter de se preocupar com as câmeras, enquanto um guia especializado fica de olho em rastros de guepardo e estrume de rinoceronte. Depois, elas voltam para o hotel de luxo para tirar o chapéu, curtir uma bebida e relembrar as cenas do dia. Tal conforto está longe do al-

do que eu acamparia em uma reserva tinham uma ideia romântica ("dormir debaixo do épico céu africano", me escreveu um). Montei minha barraca em meio a bôeres amistosos que tinham instalações mais luxuosas. Na terceira noite, optei pela barraca de safári, estrutura rústica, mas permanente, com camas confortáveis, varanda e geladeira.

E

cance de muitos viajantes e, certamente, do meu. Porém, existe uma alternativa barata que envolve dirigir você mesmo, cozinhar para si mesmo e acampar, gastando cerca de US$ 100 pela diária do casal no Kruger, incluindo tudo, menos a parte aérea. Prefere uma cama? Reserve uma "barraca de safári" por US$ 120. O safári ao volante não era a única alternativa barata na viagem de 16 dias pelo sul da África. Escolhi os encantos simples de um acampamento na montanha por US$ 14 a diária na Suazilândia em vez do habitual naquela monarquia minúscula – o turístico Vale de Ezulwini, lar do polígamo rei Mswati III. Fiquei na exuberan-

te Durban e não na Cidade do Cabo, sua prima mais famosa no litoral. O resultado talvez tenha sido mais bruto do que um itinerário tradicional, mas também mais recompensador. Onde eu estava? Ah, sim, encarando um leão feroz com a janela escancarada. Fechei a janela. Agora que todo mundo estava acordado, avancei pelo lado oposto da estrada enquanto os leões se perdiam no mato. Meu coração continuava acelerado lembrando da cena. Aquilo durou uns dois minutos, até que três girafas passaram a passos lentos na minha frente. Foi o encontro mais próximo que tive com a vida selvagem, mas não por muito tempo. Sem guia turístico e usando mapas, conselhos de um bôer bebedor de uísque na barraca ao lado da minha e (quando a cobertura do celular permitia), uma ou outra tuitada, vi milhares de impalas, centenas de zebras, dezenas de elefantes, girafas e gnus, seis rinocerontes-brancos e muitos hipopótamos na água. Também havia um bando de babuínos, alguns com os filhotes pendurados na barriga ou montados nas costas, que ocupavam a estrada feito um enxame de gafanhotos. Amigos que ficaram saben-

NA PRATELEIRA

100 endereços para gourmets em Londres á alguns anos não se falava de Londres como um destino da gastronomia. Hoje, come-se muito bem na cidade em restaurantes das mais variadas cozinhas - da moderna britânica estrelada à japonesa. É o que mostra o chef francês Alain Ducasse no livro “Amo Londres – 100 endereços para os amantes da gastronomia” (Editora Senac São Paulo, 448 páginas, R$ 109,90), recém-lançado nas livrarias em português. “Londres é uma cidade que não para de me impressionar: é cosmopolita, eclética, vibrante. Neste diário, quero compartilhar a diversi-

H

dade de espaços gourmet que tornam Londres um cenário gastronômico significativo”, disse o mestre-cuca, que tem seu próprio restaurante na cidade, no hotel The Dorchester. Entre suas dicas estão o delicioso café da manhã europeu do clássico The Wolseley, a Fortnum & Mason, que abriga um salão de chá tradicional, o japonês contemporâneo Zuma e o Wright Borthers Soho, especializado em frutos do mar. Imperdíveis, segundo Ducasse, são o café/padaria Albion, o Barbecoa, de Jamie Oliver, e o Buguer and Lobster, com lagostas de dar

Cabana de sapé Na Suazilândia, evitei o itinerário padrão em favor do Shewula Mountain Camp, recomendado por alguém que conheci no Kruger. O preço era leve – 150 rands por uma cama num dormitório em uma cabana de sapé. (O lilangeni da Suazilândia está atrelado ao rand e ambos são aceitos no país.) Bastaram alguns minutos para gostar de lá. Para começar, havia os tons infinitos de verde das montanhas distantes. E depois, subindo 16 quilômetros da estrada de terra, que passa pela vila Shewula, as coisas tomam um visual surreal: crianças acenavam enquanto eu cruzava uma mistura de casas de sapé e estruturas de alvenaria. No dia seguinte, decidi vagar pela vila, economizando o dinheiro que gastaria em duas das atividades do acampamento (jantar tradicional com frango e molho de amendoim, a 100 rands, e passeio pela aldeia, por 40). Descendo a estrada, encontrei um campo cheio de meninos jogando uma pelada. Então, fiz minha primeira participação como goleiro em 18 anos. Escolhi a litorânea Durban como alternativa à Cidade do Cabo sabendo que ela seria menos bonita, mas mais diversifi-

cada e amigável. No dia e meio que passei por lá, um estranho me pagou uma cerveja no almoço e um taxista abandonou a rota para me levar a seu restaurante favorito. Por puro acaso, decidi reservar quartos pelo site Hostelworld no Neil's Backpacker's and Guest House. A casa era enorme e habitada unicamente por Neil Snyman (um sul-africano da "geração de Woodstock"), seu cão Zuma, batizado em homenagem ao presidente sul-africano, Jacob Zuma, e um ou outro hóspede. A principal atração de Durban é a Golden Mile, faixa de praias e píeres ligados por um calçadão bordado por palmeiras e com pistas para ciclistas e corredores. Atletas de shorts e regatas passavam, uma mulher de véu muçulmano trotava atrás da filha, indianos lotavam os restaurantes, um surfista branco de meia-idade saía da água, um time de futebol de negros treinava na areia. Nem tudo foi perfeito nesse roteiro alternativo. Descobri

mais tarde que perdi o Festival Marula, na Suazilândia, que celebra a fruta de mesmo nome e a "cerveja" feita com ela, na própria residência real que evitei de propósito. Porém, ao me ver sozinho numa estrada de terra serpenteante, almoçando a dez metros de um rinoceronte, tenho a certeza de que não existe alternativa para esse cenário.

Itália de A a Z

Reprodução

m bom guia de viagem faz toda a diferença na hora de viajar para um lugar ou país que não conhecemos. E mesmo naqueles locais que dominamos como a palma da mão, eles trazem dicas que podem ajudar muito em uma estada, desde um restaurante pitoresco até um passeio que nunca tínhamos dado conta que existia. Para quem vai à Itália, uma boa dica é levar o Guia Visual Itália (Publifolha, 720 páginas, R$ 105). Indicado para quem não conhece o país, ou que o visitou poucas vezes, traz todas as

U

água na boca, entre muitos outros. Um passeio? O Columbia Road Flower Market, mercado que reúne flores, lanchonetes e docerias, como a Lilly Vanilli, com bolos e flores comestíveis. E esse é só um gostinho do que e n c o n t r a r n a p u b l i c a ç ã o. (Antonella Salem)

No topo, Golden Mile em Durban, alternativa à famosa Cidade do Cabo no litoral. Acima, barraca de safári no Tamboti Tented Camp, Kruger Park.

informações sobre as principais cidades italianas, como Roma, Veneza, Verona e Nápoles. Além de mapas dos locais que ajudam o visitante a se orientar nas ruas, infográficos detalhados levam o leitor para o interior dos principais pontos turísticos. To d o s e l e s s ã o acompanhados de um pequeno histórico do lugar. Em cada cidade ou região abordada há uma lista de hotéis e restaurantes. A última parte do livro é dedicada a um interessante “guia de sobrevivência”, com infor-

S ERVIÇO Crocodile Bridge Rest Camp / Tamboti Tented Camp: www.krugerpark.co.za Shewula Mountain Camp: www.shewulacamp.org Neil's Backpacker's and Guest House: www.hostelworld.com

Reprodução

mações úteis sobre como se virar no país, desde sobre como lidar com as questões de língua e câmbio até costumes locais, como dar ou não gorjetas na hora de pagar a conta. (Marcus Lopes)

Diário do Comércio  

Ano 90 - Nº 24.119 - Sexta-feira, 9 de maio de 2014