Page 1

Dia das Mães, festa antecipada do comércio.

Ele pode não merecer o nome de iPad 3 por não ter tantas inovações em relação ao antecessor, mas traz melhorias consideráveis. Para facilitar sua decisão, testamos o lançamento da Apple e avaliamos os prós e os contras. Informática. Pág. 17 Ano 87 - Nº 23.619

Conclusão: 23h40

Newton Santos/Hype

O novo iPad à venda na sexta

Fim de semana que antecede a data marca alta entre 10% e 20% nas vendas. Pág. 16

Jornal do empreendedor

R$ 1,40

www.dcomercio.com.br

São Paulo, terça-feira, 8 de maio de 2012

Documentos da CPI trancafiados A estreia da sala de segurança onde estão documentos da PF sobre Cachoeira foi tumultuada, com parlamentares reclamando das condições de trabalho.

Dinheiro protegido contra mudanças

De olho nos segredos de Cabral

O brasileiro está escolado: às vésperas das novas regras da caderneta de poupança, os depósitos superaram os saques em R$ 1,977 bilhão, maior resultado para abril desde 2007. Aposta na garantia da "velha poupança". Pág. 11

O governador do Rio está 'cercado'. Além do fantasma da CPI do Cachoeira, a imprensa quer saber de suas viagens ao exterior e o procurador-geral, dos contratos com a Delta, que pode ser vendida. Págs. 5 e 6

Jean-Paul Pelissier/Reuters

Alexey Druzhinin/AFP

Hollande tem pressa. E corre para a Alemanha. Socialista francês viaja após a posse, dia 15. Discutirá com Angela Merkel, de centro-direita, o pacto fiscal que exigiu corte de gastos de países europeus endividados. Pág. 8 Marco Fernandes/AE

Portas abertas para o czar da Rússia O ex-espião da KGB Vladimir Putin, 59 anos, volta à presidência para um 3º mandato de 6 anos, agora com oposição crescente. Entra no lugar do aliado Dmitri Medvedev, que vai para seu lugar, de primeiro-ministro. Pág. 8 HOJE Parcialmente nublado Máxima 24º C. Mínima 13º C.

ISSN 1679-2688

23619

AMANHÃ Parcialmente nublado Máxima 26º C. Mínima 12º C.

Ônibus parados. Vilão, o radar. Av. Matarazzo (foto): motoristas em greve, ontem, contra multas. Pág. 9

9 771679 268008


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 8 de maio de 2012

Do equilíbrio e discernimento dos novos líderes dependerão o futuro do euro e da atual arquitetura financeira internacional. Roberto Fendt

pinião

Um novo começo para a Europa (?) Charles Platiau/Reuters

C

om essa frase, o presidente eleito da França, celebrou a vitória do Partido Socialista na eleição. E disse estar certo de que "há alívio em muitos países europeus e a esperança de que a austeridade não é mais uma fatalidade". O respaldo aos socialistas não é tão grande como o entusiasmo de seu presidente eleito faz crer. Hollande teve 51,62% dos votos e Sarkozy, 48,38%. Para todos os efeitos práticos, um em cada dois franceses votaram contra o alívio e a esperança, de que falou François Hollande. Na verdade, a eleição do novo presidente foi marcada por fatalidades. Já se disse que sua carreira foi marcada por desapontamento, já que deixou de ter um posto ministerial no governo do socialista François Mitterrand e durante o período em que o seu partido obteve maioria parlamentar. A fatalidade maior, que permitiu sua escolha como candidato socialista, foi a queda da principal estrela do partido, Dominique Strauss-Kahn, envolvido em acusação de estupro de camareira em Nova York. A vitória de Hollande na primeira rodada da eleição presidencial francesa também não foi acachapante: obteve apenas 28,6% dos votos, ficando ligeiramente à frente de Sarkozy. Como ocorreu agora, a despeito da falta de apoio das lideranças dos partidos ultraconservadores. "Ao vencido, ódio ou compaixão; ao vencedor, as batatas", escreveu Machado de Assis no seu romance Quincas Borba. É possível que o tempo transforme o ódio dos opositores a Sarkozy em compaixão. A questão é saber que batatas colherá o vencedor. O presidente François Hollande se encontrará com a

ROBERTO FENDT tadorias, em 15%. As reformas estruturais, entre as quais se incluem as privatizações de empresas estatais, a liberalização do mercado de trabalho e os cortes no emprego público terão, a partir do novo legislativo, oposição maior do que no anterior.

A

Simpatizantes do socialista François Hollande comemoram, na Praça da Bastilha, em Paris, a sua eleição para a presidência da França. chanceler alemã Angela Merkel após sua posse em 15 de maio. O que dirá à chanceler?

P

rovavelmente recordará que pretende manter a meta de redução em 3% do deficit fiscal da França e equilibrar o orçamento até 2017. Mas será perguntado a respeito de seus planos de aumentar em 20 bilhões de euros os gastos do governo francês nos próximos cinco anos. Para chegar à meta de reduzir o deficit fiscal em 3%, seria necessário um corte de gastos de 18 bilhões de euros, não um aumento de 20 bilhões. Ou o presidente Hollande aumentará impostos ou mostrará que as promessas de campanha não passam do que são: promessas de campanha.

Na Grécia, os eleitores reduziram o apoio à coalizão bipartidária que governa o país e que é o fiel dos acordos que permitem à Grécia permanecer na zona do euro. Os grandes vencedores estão nos extremos do espectro político: a extrema esquerda e os neonazistas. O eleitor grego mostrou-se desencantado com tu-

do que a coalizão lhes propiciou, especialmente os sacrifícios decorrentes da austeridade e a percepção de que a política econômica é dirigida em Berlim e em Bruxelas. Após os resultados da eleição parlamentar grega, os dois partidos principais, Nova Democracia e Pasok, não mais dispõem de maioria para

Ou o presidente Hollande aumentará impostos ou mostrará que as promessas de campanha não passam do que são: promessas de campanha.

formar um governo de coalizão. O que virá pela frente?

O

governo que sai cumpriu 75% das obrigações contraídas com o acordo de renegociação do segundo resgate da dívida grega, em novembro passado, no montante de 130 bilhões de euros. Restam agora os 25% dessas obrigações, que recairão sobre o novo governo a ser formado. A ele caberá a tarefa de cortar mais 11 bilhões de euros dos orçamentos fiscais de 2013 e 2014. Sem esse corte, o programa de renegociação da dívida grega irá por água abaixo. A questão é: onde cortar? O salário mínimo já foi cortado em mais de 22% e as aposen-

exemplo do que está ocorrendo, de forma alarmante, em muitos de nossos vizinhos na América Latina, o novo começo europeu pode significar um salto para o passado – um retorno à instabilidade política e econômica que conhecemos bem do nosso passado e do presente de nossos vizinhos. É de pouca valia dizer que a austeridade é insuportável e que é dever do país mais rico da Europa, a Alemanha, arcar com as consequências da imprevidência fiscal – quer de um país da periferia europeia, como a Grécia, quer da França, o segundo país europeu em importância econômica. França e Grécia terão pela frente decisões difíceis na área econômica. Do equilíbrio e discernimento dos novos líderes dependerão o futuro do euro e da atual arquitetura financeira internacional. ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

O VOTO SECRETO E O MENSALÃO 'PARADO' NO STF

N

a democracia representativa, como é a nossa, o governo é do povo através da eleição direta de representantes, como é o caso dos parlamentares em geral e dirigentes dos três níveis de Executivo. Elegemos pessoas que nos representam na formulação de leis, tomada de decisões, definições de políticas públicas, enfim, tudo que diz respeito aos interesses de administração e organização da vida do País. A sociedade tem leis, regras, normas que definem os padrões esperados de comportamento, de modo geral e também em particular, para os representantes populares, onde se incluem igualmente os

servidores públicos por concurso e nomeação. Quando os parlamentares, governantes, políticos são pegos cometendo atos em desacordo com as regras e com o que deles se espera no que se refere a comportamento ético, moral e, mesmo, estritamente legal, existem mecanismos para apuração desses delitos e punições pertinentes.

F

ixemo-nos neste momento (sim, porque já houve muitos e outros virão) no caso do intrépido senador Demóstenes Torres (do Estado de Goiás), outrora padrão de moral no Congresso. Não é preciso relatar ao leitor a cachoeira de água suja que está afogando o parlamentar em virtude de ações e ligações com o

PAULO SAAB crime organizado no País, como estampam manchetes gritantes na mídia pátria. Em função da mão pega na botija – e que botijão –, o senador teve pedido de cassação de seu mandato encaminhado à Comissão de Ética do Senado, onde pululam figuras da República de ilibada reputação, como o ex-presidente Fernando Collor de Melo, cassado anteriormente por práticas não concordes com os padrões aturáveis

de decoro. Mas esta é uma outra história. A Comissão vai votar para ver se encaminha ou não o pedido de cassação do insigne senador goiano ao plenário. Como os parlamentares são representantes populares e os populares querem que o País ande no trilho, cabe perguntar por que o voto de cada um dos senadores, a favor ou contra a cassação, deve ser secreto? Há alguns anos, mofa nas gavetas da Casa projeto que torna o voto aberto para que

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

o País saiba como votou cada um dos eleitos pelo povo. No Brasil, de alguns anos para cá, todos temem a abertura, a exposição pública de como agem, de como atuam, do comportamento dos eleitos para representar o povo. Por que será? E no Supremo Tribunal Federal, onde o voto de cada ministro é aberto, a votação do Mensalão vai sendo levado com a barriga a caminho do objetivo dos réus petistas, de prescrição por decurso de prazo.

S

erá, se isso ocorrer, uma ofensa grave da mais alta Corte do País aos brasileiros em geral. Era março, ficou para abril, maio está rodando e falam em agosto. Que vergonha. Tanto quanto nos

envergonha e constrange ver que, mesmo quando são revelados ao País os meandros da sujeira da vida pública, ainda existem mecanismos de proteção na lei (que já é branda) para os que agridem de forma ostensiva os cofres e os valores dos brasileiros de bem. Genericamente.

N

o caso de governadores, fala-se de Marconi Perillo e Sérgio Cabral – para citar dois mencionados na mídia. E atacados pelo Garotinho... Que "orgulho"... Enquanto ex-integrantes de governos tucanos aderem ao PT em São Paulo... A falta de vergonha na cara é deslavada agora... De todos lados. Liberou geral. PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Ed i to r - Ch e fe : José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Fernando Porto (fporto@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Darlene Delello, Eliana Haberli e Evelyn Schulke Repórter Especial: Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br), . Repórteres:André de Almeida, Fátima Lourenço, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rafael Nardini, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3176 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de maio de 2012

o

pinião

3

A Q U I N Ã O R E S TA D Ú V I D A Q U E O C R I M E S E J A U M B O M N E G Ó C I O !

Águas turvas no País

D

iante da imprevisibilidade de revelações do escândalo do Cachoeira, que deita suas águas turvas pelo delta de um caudaloso rio de relações promíscuas entre governantes e empresas especializadas em desviar dinheiro público, talvez venhamos, os cidadãos mais responsáveis pelo nosso destino comum, a nos convencer de que chegou a hora de ajudar a consolidar nossas instituições de Estado, ao invés de continuarmos a nos iludir com este ou aquele isolado paladino da ética pública pego chafurdando na mesmíssima lama. Seja pela trincheira da CPI mista do Legislativo, seja pela trincheira do julgamento do Mensalão no Judiciário, teremos duas grandes oportunidades de corrigir as grandes falhas de nossas instituições jurídicas e políticas. Pois, no Brasil, não é pouco frequente que o direito de um cidadão poderoso anule os mais amplos direitos de cidadãos comuns, o que se configura como abuso de direito em qualquer país de instituições democráticas mais maduras. Senão, vejamos no próprio processo penal. Se simplesmente não há de fato direito de defesa para nossos criminosos comuns, há um verdadeiro abuso do direito de defesa para nossos criminosos de colarinho branco. O que acaba sempre por comprometer a própria realização da justiça – dever precípuo do Estado –, acarretando numa consagração da impunidade como traço característico de nossa cultura política. Pois são, sobretudo os crimes de colarinho branco, como corrupção, formação de quadrilha, improbidade administrativa, desvio de recursos públicos, sonegação etc., os crimes que comprometem os direitos

Dida Sampaio/AE-05/10/2005

Investigar o envolvimento de poderosos com Cachoeira é um grande passo no aprimoramento de nossas instituições

essenciais de educação, saúde e segurança públicas de mínima qualidade para a maioria dos cidadãos comuns. A polícia investiga a autoria de determinado crime por um

cidadão poderoso governante qualquer. Os relatórios de auditorias de tribunais de contas e controladorias atestam os desvios. O Ministério Público resolve oferecer a denúncia

depois de formar convicção de culpabilidade. O juiz aprecia os autos e conclui pela condenação. E aí surge sua excelência o doutor advogado de defesa do bacana, remunerado a soldos

escandalosos e não incomumente originários da riqueza acumulada pelo próprio crime. Vem o dito advogado do doutor e alega uma incorreção qualquer no processo, quando não o abuso de autoridade do juiz, recorrendo da sentença ao tribunal de segundo grau que, no entanto, confirma a sentença do juiz singular. Ou seja, o tribunal, nesta hipótese rara, não reconhece todas as possíveis alegações que podem ser feitas nestes recursos protelatórios, todos no intuito de resguardar o mais amplo direito de defesa do condenado e os seus institutos de atenuantes da pena: cerceamento de defesa, inconsistência das provas, contradições nos depoimentos, diligências mal executadas, inquéritos mal conduzidos, vulnerabilidade do réu, limite e reduções das execuções penais por infinitos motivos como réu primário, curso superior, foro privilegiado, acatamento de ordem superior, bom comportamento, defesa da honra, idade avançada, comprometimento psíquico ou mesmo estado de demência, etc. Conclusão: enquanto que em culturas de plena cidadania todos são realmente iguais diante da lei, no Brasil, como diz a piada, uns são mais iguais que outros e o caríssimo, ineficiente, ritualístico e opaco sistema judiciário não cumpre a função fundamental do Estado de produzir e distribuir justiça. Enquanto que em qualquer democracia o crime realmente não compensa, aqui não resta dúvida de que seja um bom negócio! Como já disse o próprio ministro da CGU Jorge Hage, juiz de carreira: "No Brasil, o princípio constitucional da presunção da inocência – diferentemente de outros países de democracias mais consolidadas que a nossa – tem prevalecido mesmo

JORGE MARANHÃO diante de quatro reconhecimentos oficiais de culpabilidade, quais sejam: a opinio delictis de um procurador da República (após o inquérito realizado); a aceitação da denúncia do Ministério Público por um juiz; a sentença condenatória de 1º grau; e o acórdão confirmatório dessa sentença por um tribunal de segundo grau. Nada disso vale coisa alguma diante, simplesmente, da versão do próprio réu, obviamente alegando sua inocência".

P

ois os dois processos do Mensalão e do Cachoeira – não obstante as enormes pressões políticas dos envolvidos e dos amigos dos envolvidos para acabar em pizza – serão sem dúvida alguma um grande e definitivo passo no processo de aprimoramento de nossas instituições jurídicas e políticas. Temos apenas, os cidadãos mais responsáveis pelo nosso destino comum, os INGs – indivíduos não-governamentais – que decidir participar com através de manifestações públicas, firmes e incontroversas. Pois só temos todos a ganhar. JORGE MARANHÃO É DIRETOR DO INSTITUTO DE CULTURA DE CIDADANIA A VOZ DO CIDADÃO. EMAIL: JORGE@AVOZDOCIDADAO.COM.BR

LIDERE, SIGA OU SAIA DO CAMINHO. V

iajando no mundo pós-Despertar Árabe, tenho ficado impressionado como poucos novos líderes sugiram da erupção vulcânica política daqui. Por novos líderes não quero dizer simplesmente pessoas que vencem eleições, quero dizer líderes – homens e mulheres com a legitimidade e com o desejo de dizer a seu povo a verdade e de construir as alianças exigidas para ter suas sociedades progredindo novamente. Discutindo esse problema com amigos árabes, eu sempre sou rápido em observar que meu próprio país – para não mencionar a Europa – tem um problema parecido. Há um vácuo de liderança global. Mas hoje no mundo ele é particularmente problemático porque há um momento crítico. Cada um desses países que estão despertando precisa fazer a transição de Saddam para Jefferson sem ficar preso em Khomeini. Por que o despertar árabe produziu tão poucos líderes? Em parte porque o processo eleitoral ainda está se desenrolando em locais como o Egito e o Iêmen e em parte porque ela ainda não começou em locais como a Líbia e a Síria. Mas essas são explicações técnicas. Há fatores mais profundos agindo. Um é simplesmente o quanto é fundo o buraco com que essas sociedades

têm de lidar. Quem vai dizer ao povo quanto tempo foi perdido? Quem vai dizer ao povo que, nos últimos 50 anos, a maioria dos regimes árabes desperdiçou seus momentos ditatoriais? Uma ditadura não é desejável, mas pelo menos as ditaduras do Leste da Ásia, como as da Coreia do Sul e de Taiwan, usaram sua autoridade de cima para baixo para erguerem economias dinâmicas direcionadas à exportação e para educar todo o seu povo – homens e mulheres. No processo, eles criaram uma gigantesca classe média cujos novos líderes fizeram o parto da transição do regime autoritário para a democracia.

A

s ditaduras árabes não fizeram isso. Elas usaram sua autoridade para enriquecer uma pequena classe e para distrair as massas com "objetos brilhantes" – chamados Israel, Irã e nasserismo para citar apenas alguns. Agora que os ditadores estão sendo varridos para fora, os partidos islâmicos estão tentando ocupar o vazio. Quem vai dizer ao povo que, ao mesmo tempo em que o Islamismo é uma grande e gloriosa fé, ele não é "a solução" para o desenvolvimento árabe hoje? Matemática é a resposta. O Irã conseguiu ficar estagnado na Khomeinilândia porque

feridas. Sem esses líderes há bem pouca confiança no espaço que há para fazer unidos coisas grandes e difíceis. E tudo o que as sociedades árabes precisam fazer hoje é grande e difícil e só pode ser feito com união. Quem vai dizer ao povo árabe que as sociedades árabes não têm mais tempo para ser consumida por essas divisões sectárias, que no final das contas só deixam todo mundo em seu próprio gueto? tinha petróleo para subornar todas as contradições. Idem para a Arábia Saudita. Egito e Tunísia têm bem pouco petróleo e ambos precisam de empréstimos do Fundo Monetário Internacional. Para honrar esses empréstimos, seus políticos islâmicos em ascensão terão de cortar subsídios e aumentar impostos. Mas eles são acostumados a dar, não a retirar. Eles estão preparados para isso? Quem vai dizer ao povo que, sim, a forma com a qual o capitalismo veio para o mundo árabe nos últimos 20 anos foi em sua mutação mais corrupta e exclusivista? Mas a resposta correta não é voltar para o socialismo árabe, mas para um capitalismo melhor: economia melhor baseada no mercado, enfatizando a expansão das exportações, mas administrada apropriadamente pelo verdadeiro Estado de

direito e direcionada a redes de segurança. Quem vai dizer aos árabes jovens que eles têm tanto talento como qualquer pessoa de qualquer lugar?

V

ejam a tendência mundial que suas revoltas desencadearam. Mas muitos deles ainda não têm os instrumentos educacionais para competir por empregos no setor privado e, portanto, precisam estudar ainda mais – porque acabaram-se os dias de empregos públicos fáceis. E ainda existe a divisão sunita-xiita na Síria, no Bahrein e no Iraque ou a divisão palestino-beduíno na Síria ou a divisão cristão copta-muçulmano no Egito. Essas divisões sectárias evitaram que surgissem líderes nacionais – e nenhum Nelson Mandela árabe ou Martin Luther King árabe pôde crescer para curar as

O

mundo árabe tem constantemente perdido sua diversidade, "e sem diversidade não há tolerância", afirma Hassan Fattah, o editor do The National, o melhor jornal de Abu Dhabi. E sem diversidade é mais difícil surgirem novas ideias. A nova geração da família real no Marrocos, Jordânia e Emirados Árabes Unidos, que têm a legitimidade de unir as pessoas e conduzir a mudança, são provavelmente os líderes mais eficientes na região atualmente. A BursonMarsteller acabou de publicar sua Pesquisa sobre a Juventude Árabe anual. Ela revelou que mais árabes jovens disseram que gostariam de viver nos Emirados Árabes Unidos do que em qualquer outro país árabe porque eles transformaram Dubai e Abu Dhabi em centros

THOMAS L. FRIEDMAN globais e em geradores de empregos. Liderança importa. Especialistas em educação vão lhes dizer que três anos seguidos com professores ruins podem prejudicar os estudantes durante anos, enquanto que só um ano de um professor bastante eficiente pode recuperá-los ou arremessá-los para frente. O mesmo é válido para os líderes. Expulsar os autocratas no Egito, no Iêmen, na Tunísia, na Líbia e, talvez logo, na Síria é necessário. Mas não é suficiente. A região não apenas precisa se livrar do antigo, ela precisa dar à luz o novo – novos líderes capazes de dizer verdades duras e montar alianças domésticas amplas para implementá-las. Isso não está ocorrendo ainda. Quem vai dizer ao povo?

THOMAS L. FRIEDMAN É COLUNISTA DO NEW YORK TIMES E TRÊS VEZES GANHADOR DO PRÊMIO PULITZER TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4 -.GERAL

GibaUm

3 Numa

foto em Paris, no blog de Garotinho, Adriana Ancelmo aparecia com sapato Christian Louboutin (sola vermelha).

gibaum@gibaum.com.br

k Algumas coisas na vida não tem preço, mas tem troco. ADRIANE GALISTEU // Adriane Galisteu, agora incursionando na filosofia popular. Fotos: Felipe Lessa

No Rio, na semana passada, Lula recebeu o título de doutor honoris causa de cinco universidades fluminenses: corresponde a um doutorado em Ciências Humanas. A bengala ficou no hotel: o ex-presidente não queria demonstrar fragilidade nos movimentos. Só que não deu certo: foi amparado por Dilma Rousseff e por professores. A perna esquerda do ex-chefe do Governo é a que apresenta maior complicação: sem massa muscular, praticamente está sem movimento. No final, Lula acabou se queixando com Dilma: estava com dor de garganta e levou um pito da presidente. Havia tomado água gelada. No SírioLibanês, além de fonoterapia, estão sendo aumentadas as sessões de fisioterapia. 333

DE VOLTA O ex-diretor da Dersa, Paulo Vieira de Souza, que está processando uma revista semanal, jornalista, tucanos e até Dilma Rousseff, por terem atribuídoaeledesviodedinheiro que, supostamente, seriam da campanha de José Serra, está de volta às páginas de IstoÉ,quefaz ligações entre ele e a Delta, de Fernando Cavendish. A Delta tem 27 contratos com o governo de São Paulo estimados em cerca de R$ 800 milhões. Desse total, 83% durante o governo Serra. A contratação da Delta (consórcio com a Sobrenco) para obras viárias tem a assinatura na Diretoria de Engenharia de Paulo Vieira de Sousa, que já quer processar de novo a revista por citá-lo como “polemico arrecadador tucano em 2010”.

333

Corpo celeste Andressa Mendonça, 30 anos, ex-mulher de Wilder Pedro de Morais, empreiteiro e secretário de Infraestrutura do governo Marconi Perilo e mulher de Carlinhos Cachoeira, foi mesmo convidada para posar nua para Playboyy: “Não vou dar esse gostinho, não! Deixa só para o Cachoeira”. Há dias, Cachoeira completou 49 anos e Andressa não conseguiu falar com ele (visitas só às terças-feiras, de uma hora de duração e com vidro entre eles). Deixou um cartão “cheio de amor”. Mais: em outros grampos, aparece o bicheiro avisando que arrumou o apelido ideal para ela. Era Corpo celeste . 333

REGENERADO 333 Conhecido ponto de prostituição no centro do Rio de Janeiro, o famoso Hotel Paris, em plena Praça Tiradentes, construído em 1902 e tombado pelo Patrimônio Historio, vai virarhoteldeluxo,ganhandoo novo nome de Le Paris. O projeto promete: 22 apartamentos, restaurante no andar de baixo, bar e piscina no andar de cima e, comprado pelos irmãos franceses Jacques e François Dussel, será um hotelboutique com inauguração marcada para 2014. Detalhe: três suítes poderão continuar a ser usadas para encontros rápidos. Essas foram batizadas de Suítes Delicias.

Mineira de Caxambu, Karen Junqueira, 29 anos, começou com Malhação, virou vampira em Os Mutantes , passou por Sansão e Dalila e agora, está no elenco de Máscaras, na Record. Ao mesmo tempo, acaba de estrear na minissérie Preamar, na HBO, onde vive uma garota de programa e vem aí numa produção franco-belga-sergipana chamada A Pelada, com direção de Damien Chemin e Tuca Andrada no elenco. Ela era a primeira escolha para viver Bruna Surfistinha no cinema, já foi capa e ensaio na Trip , deitou e rolou no Paparazzo e acha que, agora, a carreira decola para valer.

Dose tripla

333

333 Se até mesmo diante da ofensiva de Dilma Rousseff em cima dos juros e taxas cobradas pelos bancos, as instituições financeiras tem recuado, que ninguém imagine que, quando ela decidiu se empenhar nessa cruzada, não tenha até sentido muita resistência do pessoal do Banco do Brasil e da Caixa Econômica Federal. Quando a chefe do Governo avisou os presidentes do BB e da CBF de suas intenções, eles arrepiaram e voltaram, para a segunda reunião, com estudos para mostrar por que o spread é alto no Brasil. Dilma nem deixou que eles falassem e igualmente não ficou com o estudo: devolveu. E ai, exibiu seu lado de combate, que vem á tona quando ela sente que estão tentando embrulhá-la: “Vocês não entenderam. Eu quero que os juros baixem e ponto final”.

Resistentes domésticos

3 MAIS:

dois dias depois, Clarissa Garotinho usava um modelo igual e de sola vermelha também. Mas avisava: "O meu é genérico".

300 mil escutas Para quem não tem idéia do tamanho da Operação Monte Carlo : são mais de 300 mil escutas feitas pela Polícia Federal. Os agentes usaram o sistema Guardião para as gravações, em várias cidades e diversos Estados (existem também grampos envolvendo figuras conhecidas de São Paulo), durante muitos e muitos meses. O Guardião permite gravar conversas em centenas de telefones fixos e celulares ao mesmo tempo. Depois, tudo o que foi gravado é devidamente passado para o papel, o que exige mais tempo ainda. 333

NO QUARTO Numa conversa com Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, defensor de Carlinhos Cachoeira, Andressa Mendonça,suamulher,contou que o marido costuma dormir com uma câmera filmadora ligada e instalada no quarto. Se fosse assassinado por algum inimigo, o autor do crime seria facilmenteidentificado.Detalhe: a filmadora, vira e mexe, acaba captando alguns momentos mais íntimos entre os dois e todas as manhãs, Cachoeira tinha o cuidado de inutilizar esses trechos das gravações. 333

MISTURA FINA PAULO Vieira de Sousa, exDersa, em suas ofensivas na justiça contra detratores, tem como advogado José Luis de Oliveira Lima, o Juca, o mesmo que foi contratado para defender a empreiteira Delta em meio a grande imbróglio nacional.

333

A PRESIDENTE Dilma Rousseff recomendou ao novo ministro do Trabalho, Brizola Neto, que mantenha distância do deputado Paulinho Pereira da Silva (PDT-SP). E que não permita que ele interfira em suas decisões no ministério. Em rodas mais intimas, Dilma usa adjetivos muito especiais para designar a figura de Paulinho Pereira da Silva. 333

333 Marlene Rito Nicolau e Chiquinho Scarpa, o último dos playboys brasileiros (esquerda) receberam grande grupo, no final da semana passada, no Espaço Imperatriz, em São Paulo, para festejar, com um legitimo Bal Masqué, os 20 anos de Nathalia Tuffi, filha dela (direita). A noite exigia black-tie e máscara, os convidados capricharam e as mulheres esforçavam-se em permanecer com parte do rosto coberto. Marlene é empresária e dona da rede de escolas Microcamp.

Baile de máscaras

Pagava araponga Nova safra de grampos apresentada no site de Mino Pedrosa, o mesmo que denunciou que o governador de Goiás, Marconi Perilo, teria recebido meio milhão de reais de Carlinhos Cachoeira, revela agora a ação do araponga Jairo Martins de Souza, autor de filmagens clandestinas no apartamento de José Dirceu no Hotel Naum, em Brasília. Nas gravações, Cachoeira garante a Demóstenes que sempre financiou o araponga , que entrou no apartamento do Naum Hotel (lá, Dirceu tramava a queda de Antonio Palocci) e teria plantado uma escuta ambiente. Ou seja: essas gravações constariam do arquivo pessoal de Cachoeira, guardado por seu desaparecido contador Giovani Pereira da Silva.

333

h

Água gelada

terça-feira, 8 de maio de 2012

h IN

OUT

Mugs.

Tijelas.

Fotos íntimas A atriz Carolina Dieckman, que teve fotos suas, toda nua, feitas possivelmente em sua casa e provavelmente, por seu marido Tiago Worcman, contratou o mesmo advogado (e um dos mais caros do país) do senador Demóstenes Torres (sem partido) para processar quem der para processar nesse episodio. É Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay. Na internet, há um festival de sites exibindo fotos que supostamente, seriam delas. Na polícia, ela contou que, há duas semanas, havia mandado consertar seu computador numa loja (e com fotos intimas dentro). Para quem não sabe: no começo de sua carreira, no Rio, posou nua e igualmente sem roupa aparece no primeiro livro de cabelos de Marco Antonio de Biaggi. 333

333 AMANHÃ, no Sesc de Bertioga, litoral de São Paulo, Abram Szajman, presidente da Federação do Comercio de São Paulo e do Sesc-Senac/ São Paulo, recebe da Câmara Municipal de lá o título de Cidadão Bertioguense.

333 A MINISTRA-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, já avisou o pessoal do Paraná que está fora da disputa para o governo do Estado em 2014: de um lado, devido aos elevados índices que Beto Richa (PSDB) vem apresentando nas pesquisas para sua reeleição; de outra, porque quer permanecer no governo Dilma Rousseff, que “será reeleita com facilidade”. O ministro Paulo Bernardo, marido de Gleisi, não quer sair candidato lá também.

A ONG Brasil Foundation, presidida por Leona Forman, que faz bailes de gala em Nova York em beneficio a projetos no Brasil promoverá dia 19, na França, mais um desses eventos blacktie, aproveitando o clima do Festival de Cannes. Serão 150 convidados no Villa l’Abri, um dos luxuosos da região. 333

333 A ASSOCIAÇÃO Brasileira das Indústrias de Medicamentos Genéricos (Pró-Genéricos) está trabalhando junto ao governo de São Paulo para reduzir de 18% para 12% o ICMS sobre os medicamentos comercializados no Estado. Dando certo, poderia proporcionar uma queda de 7% nos preços dos remédios para consumidores paulistas.

Colaboração: Paula Rodrigues / A.Favero

CHARGE DO DIA


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de maio de 2012

5 DILÚVIO Defesa tenta soltar Cachoeira. PGR diz que liberdade seria uma "temeridade".

olítica

N

o primeiro dia de funcionamento, no Senado, da sala de segurança para acesso a documentos de operações da Polícia Federal, integrantes da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito, a CPMI do Cachoeira, reclamaram das condições de pesquisa aos dados do inquérito que investiga a atuação do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. A sala de segurança foi adaptada às pressas, a pedido do presidente da CPMI, senador Vital do Rego (PMDB-PB). Ocupa uma área de 15 metros quadrados, com três computadores e câmeras de segurança para tentar impedir o vazamento de dados. "Em nome do sigilo estamos criando um ambiente de constrangimento ao parlamentar",

Dida Sampaio/AE

Provas: o senador Vital do Rego, presidente da CPMI, recebe os documentos que integram o inquérito da Polícia Federal. Os dados foram coletados durante a Operação Monte Carlo.

COESÃO Pedido de abertura de processo contra Demóstenes deve ter unanimidade.

as investigações da Operação Monte Carlo, que investigou o esquema de exploração de caça-níqueis em Goiás. Cachoeira – Porém, as atenções estarão voltadas para quando ocorrer o depoimento de Cachoeira, que estava previsto inicialmente para o dia 15, mas poderá ser mudado. A defesa, alegando que ele precisa ter acesso aos documentos das operações da PF, solicitou uma nova data, que será analisada hoje pelos integrantes da CPMI. A comissão foi instalada para apurar as ligações de Carlinhos Cachoeira com agentes públicos e privados. Ele está preso na Penitenciária de Papuda, em Brasília, acusado de envolvimento em jogos ilegais e de administrar uma poderosa rede de influência. Os seus contatos envolvem empresá-

Imagine se todo funcionário do Poder Público tivesse que passar por essa situação para trabalhar.

Fiz uma leitura rápida. Tudo que vi já foi divulgado. O que eu acho é que este processo de consulta vai dar confusão.

DEPUTADO LUIZ PITIMAN

SENADORA VANESSA GRAZZIOTIN

afirmou o deputado Luiz Pitiman (PMDB-DF). "Imagine se todo funcionário do Poder Público tivesse que passar por essa situação para trabalhar", reclamou Pitiman ao chegar à sala, a qual chamou de "sala da verdade". Subsolo – A sala fica no subsolo do Senado. Possui uma câmara na porta, que vigia a entrada, e uma dentro, que monitora a sala, mas não identifica o conteúdo que está sendo lido nos monitores dos três computadores disponíveis para os 64 parlamentares que integram a comissão. Antes de entrar, o parlamentar precisa assinar um termo de compromisso de confidencialidade e deixar aparelhos eletrônicos em uma gaveta do lado de fora. Pitiman reclamou que a maior dificuldade é não poder levar um técnico para ajudar a interpre-

'Sala da verdade' não agrada parlamentares Integrantes da CPMI reclamam das dificuldades para ter acesso aos dados dos inquéritos da PF tar as informações. A senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) disse que, ao analisar rapidamente os arquivos que estão nos computadores, não viu nada que já não estivesse publicado na mídia. "Fiz uma leitura rápida. Tudo que vi já foi divulgado. O que eu acho é que este proces-

so de consulta vai dar confusão", disse Vanessa. Nos computadores da CPMI estão apenas as informações da Operação Vegas. Somente ontem Vital do Rego recebeu o material referente a Operação Monte Carlo. Depoimentos – A partir de hoje, a CPMI começa a ouvir

depoimentos em sessões secretas. O primeiro a depor será o delegado da Polícia Federal, Raul Alexandre Marques Souza, responsável pela Operação Vegas, que desvendou um esquema de exploração de caça-níqueis e contratos públicos comandados por Cachoeira envolvendo governadores

e parlamentares de vários partidos políticos. Na quinta-feira, dia 10, será a vez do delegado da PF, Mateus Rodrigues, e os procuradores do Ministério Público, Daniel Salgado e Léa Batista de Oliveira. A sessão também será fechada. O delegado e os procuradores comandaram

rios, políticos e autoridades em todos os níveis – federal, estadual e municipal. Além disso, a CPMI chancelou a quebra de sigilos bancário, telefônico e fiscal de Cachoeira e solicitou ao Banco Central seus dados bancários que ainda não foram enviados. O pedido de quebra corresponde às movimentações de Cachoeira desde 2002. Governadores – No dia 17, haverá reunião entre os 32 integrantes da CPMI. Na ocasião, deputados e senadores definirão se vão chamar os governadores Agnelo Queiroz (PT-DF), Marconi Perillo (PSDB-GO) e Sérgio Cabral (PMDB-RJ), mencionados direta ou indiretamente em investigações relativas às ações de Cachoeira. Não há ainda definição sobre a convocação de Fernando Cavendish, ex-presidente da Delta. (Agências)

Todos contra Demóstenes no conselho

Dida Sampaio/AE - 06.10.05

Pedido de abertura de processo deve ser aprovado hoje por unanimidade. Defesa vai pedir mais tempo.

O

Carlinhos Cachoeira: pedido de liberdade vai ser julgado dia 15.

Defesa pede liberdade para Cachoeira. PGR contesta.

O

pedido de liberdade protocolado pela defesa do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, deverá ser julgado na próxima terça-feira, dia 15, pela quinta turma do Superior Tribunal de Justiça (STF), de acordo com o relator da ação no tribunal, ministro Gilson Dipp, Em março, Cachoeira já teve pedido de liberdade negado pela terceira turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região. A defesa argumentou que ele não tinha antecedentes criminais e recorreu. PGR – A Procuradoria Ge-

ral da República enviou parecer defendendo a permanência de Cachoeira na prisão com o objetivo de "neutralizar ou enfraquecer ou seu poder de articulação". O documento, assinado pelo subprocurador-geral, Paulo da Rocha Campos, diz que libertar Cachoeira seria medida "temerária". Governadores – A PGR informou ontem que vai pedir abertura de inquérito para apurar as relações do governador Marconi Perillo (PSDB-GO) com Cachoeira. Avalia ainda pedir abertura de outro inquérito sobre o governador Agnelo Queiroz (PT-DF). (Agências)

Conselho de Ética do Senado deve aceitar hoje o pedido de abertura de processo disciplinar contra o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO). Será o primeiro passo para o início do processo de cassação do mandato do ex-líder do DEM. Demóstenes aparece na Operação Monte Carlo, da Polícia Federal, como um dos integrantes do esquema criminoso comandado por Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. A expectativa é que o relatório do senador Humberto Costa (PT-PE), com o pedido de abertura do processo, seja aprovado por unanimidade dos votos dos 15 conselheiros. Na avaliação de um dos integrantes do colegiado, a situação de Demóstenes é "muito delicada", não seria "nada confortável", disse. Mentira – Os senadores acusam o ex-líder do DEM de ter mentido ao negar qualquer envolvimento com Cachoeira. Este foi, inclusive, um dos argumentos do relator no parecer de 63 páginas apresentado na semana passada. Costa escreveu que Demóstenes "faltou com a verdade", o que configura quebra de decoro, ao afirmar que militou contra a legalização dos jogos de azar no País e que só mantinha "relações sociais" com Cachoeira, em discurso feito no dia 6 de março no plenário do Senado. Na ocasião, subiu à tribuna para explicar os presentes de casamento que re-

cebeu de Cachoeira. Defesa – O advogado Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, anunciou que vai tentar adiar a votação do colegiado. Ele vai insistir na concessão de mais dez dias para apresentação de defesa de Demóstenes. A tendência é que o pedido seja, mais uma vez, negado pelo presidente do conselho, senador Antonio Carlos Valadares (PSB-SE). Kakay, na semana passada, dizendo que estava surpreso com o teor do relatório de Costa, solicitou mais tempo para preparar a defesa de Demóstenes, mas Valadares negou. Com a provável aprovação do pedido de abertura de proDida Sampaio/AE - 24.04.12

cesso, o próximo passado será a convocação de duas testemunhas: o próprio Demóstenes e Carlinhos Cachoeira. A expectativa é que o relatório final de Costa seja votado pelo colegiado até o final de junho. A votação do eventual pedido de cassação deverá ocorrer até o dia 17 de julho, antes do recesso parlamentar. Devia saber – Ao defender a abertura do processo, o relator afirmou que Demóstenes teria conhecimento das atividades ilícitas de Cachoeira. Ele argumentou que, como exprocurador de Justiça e ex-secretário de Segurança Pública de Goiás, Demóstenes não tinha como desconhecer as ati-

vidades de Cachoeira, já alardeadas durante a CPI dos Bingos, em 2006. O relator acusou ainda o senador de ter recebido "vantagem indevida" ao aceitar um aparelho Nextel de Cachoeira. Esse foi um dos grampeados pela PF em que foram detectadas quase 300 conversas entre o "doutor" e o "professor" como se tratavam. (Agências)

Sem apoio: senador Demóstenes Torres é acusado pelo relator do Conselho de Ética de ter "faltado com a verdade" e sua situação, reconhecem os colegas, agora é "muito delicada".


p GURGEL COBRA EXPLICAÇÕES DE CABRAL DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 8 de maio de 2012

Já que o [Gabriel] Chalita, não abriu mão de ser cabeça de chapa, as conversas estão encerradas. Marcos Pereira, presidente do PRB.

olítica

Procurador-geral pede informações sobre contratos fechados com a Delta e pode até pedir abertura de investigação contra governador fluminense por suspeição. Guto Maia/Brazil Photo Press/AE - 18.04.12

A

lém da preocupação ros de legenda no esforço para com uma possível evitar que as relações de amic o n v o c a ç ã o p a r a zade com o dono da Delta, Ferdepor na CPI do Ca- nando Cavendish, ganhem choeira, o governador Sérgio contornos de escândalo naCabral (PMDB) tem uma nova cional, se chegarem à CPMI. dor de cabeça: o procuradorEm conversa com peemegeral da República, Roberto debistas, Cabral disse que se Gurgel, pediu informações so- trata de uma questão local bre contratos da construtora com o adversário Anthony GaDelta com o governo do Esta- rotinho, deputado (PR-RJ) e do a três órgãos de fiscaliza- ex-governador que tem publição. Com base nas respostas, cado diariamente fotos das Gurgel decidirá se pede ou não viagens suntuosas de Cabral, abertura de investigação con- Cavendish e suas mulheres e tra Cabral no Superior Tribu- postado denúncias contra o nal de Justiça governador. (STJ). Sérgio CaE m e n t r ebral asseguvista, ontem, rou aos peeOu a CPMI o procuradorm ed e bi s ta s investiga de geral disse que não tem que "é um q u a l q u e r l iverdade ou vai se momento abgação com o distrair com a so lut amen te contraventor investigação já feita preliminar" e C a r l o s C ados telefonemas do que "não há choeira, precontraventor. a i n d a q u a lso na Operaquer iniciatição Monte SÉRGIO GUERRA (PSDB-PE) v a p a r a i n sCarlo. tauração de O p r e s iinquérito". Gurgel confirmou, dente do PSDB, deputado Sérporém, que pediu informa- gio Guerra, reagiu ao que defições à Controladoria Geral da niu como um acordo que coUnião (CGU), ao Tribunal de meça a se desenhar entre peContas da União (TCU) e ao Mi- emedebistas e petistas para nistério Público Federal (MPF) preservar Cabral e o governano Rio de Janeiro. Por meio da dor do Distrito Federal, Agnelo assessoria de imprensa do go- Queiroz (PT). Para Guerra, Caverno, Cabral disse apenas bral, Agnelo e o tucano Marcoque reafirma o respeito ao Mi- n i P e r i l l o , g o v e r n a d o r d e nistério Público. Goiás, devem ser ouvidos na Envolvidos na operação pa- CPMI. "A investigação não pora, em parceria com o PT, evi- de ser regional. Se a situação tar a convocação de Cabral na de Cabral é diferente em relaCPI, os principais líderes do ção aos outros, melhor para o PMDB reconhecem que o des- Cabral e para o Rio de Janeiro. gaste do governador é gran- Ou a CPMI investiga de verdade. Normalmente distante das de ou vai se distrair com a inquestões partidárias, Cabral vestigação já feita dos telefose aproximou dos companhei- nemas do contraventor. (AE)

JBS pode fechar compra da Delta nesta semana

A

venda da Delta Construções, empreiteira líder de contratos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), para a J&F pode ser fechada ainda nesta semana, informou uma fonte com conhecimento das negociações. A J&F é a holding que engloba os negócios da família Batista, a mesma que controla o JBS, maior produtor de carne bovina do mundo; além da Eldorado Brasil, do setor de celulose; a Flora, empresa de produtos de limpeza; e o Banco Original, com foco em financiamento do agronegócio. Segundo a fonte, que pediu para não ser identificada, a negociação está sendo realizada entre a holding e o empresário Fernando Cavendish, proprietário da Delta. A Delta foi envolvida nas denúncias de negócios irregulares entre agentes públicos e Carlinhos Cachoeira, suspeito de comandar uma rede de jogos ilegais. Desde então, deixou obras nas quais participava de consórcio com outras

empreiteiras e vem sofrendo pressão para abandonar empreendimentos estatais que toca sozinha. Um antigo diretor da empresa deve ser chamado para prestar depoimento na CPI criada para investigar as denúncias contra Cachoeira e políticos, enquanto parlamentares ainda pressionam para que o novo presidente compareça à comissão. Em março deste ano, o ex-presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, passou a ser o presidente do conselho da J&F. Recuo – No último dia 25, a Delta divulgou um comunicado no qual a empresa assegurava que "continuará a cumprir seus contratos, obrigações e compromissos assumidos com seus fornecedores e clientes, com a habitual regularidade". Poucos dias antes, no entanto, deixou de fazer aportes no consórcio responsável pela reconstrução do Maracanã. E no dia seguinte deixava outro consórcio no Rio. (Reuters)

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃOTÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÕES Encontram-se abertos no Gabinete, os seguintes pregões: PREGÃO PRESENCIAL 133/2012-SMS.G, processo 2011-0.287.059-1, destinado à contratação de empresa especializada na prestação de serviços de implantação do novo Portal da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo, para a Assessoria Técnica de Tecnologia da Informação - ATTI, do tipo menor preço. A sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 14 horas do dia 21 de maio de 2012, a cargo da 3ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAIS Os editais dos pregões acima poderão ser consultados e/ou obtidos nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br; www.comprasnet.gov.br, quando pregão eletrônico; ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL Os documentos referentes ao credenciamento, os envelopes contendo as propostas comerciais e os documentos de habilitação das empresas interessadas, deverão ser entregues diretamente ao pregoeiro, no momento da abertura da sessão pública de pregão.

Sob pressão: para evitar projeção nacional do caso, Sérgio Cabral busca apoio do PMDB e se diz disposto a explicar tudo.

Jornal pede informações sobre viagens Estadão protocola requerimento de documentos sobre passeios luxuosos de Cabral e Cavendish no exterior

O

jornal O Estado de S. Pa u l o p r ot o c o l o u ontem, no governo do Rio de Janeiro, um pedido de informações sobre as viagens do governador Sérgio Cabral Filho (PMDB) ao exterior. O objetivo do requerimento, dirigido ao secretário da Casa Civil, Régis Fichtner, é obter esclarecimentos sobre visitas do governador a outros países e sobre dúvidas que as envolvem. Elas surgiram após a divulgação de fotos e vídeos nos quais Cabral aparece se diver-

tindo e até jantando em um restaurante de luxo em Mônaco com o amigo e empresário Fernando Cavendish, controlador da empresa Delta, investigada pela CPI do Cachoeira. As imagens foram divulgadas primeiro pelo blog do deputado federal Anthony Garotinho (PR-RJ), um adversário de Cabral, mas depois foram reproduzidas pela imprensa. O governador diz que, nas viagens, pagou despesas privadas do seu bolso e afirma que nunca misturou os interesses do Rio – que contratou com a

Delta obras de R$ 1,49 bilhão – com amizade, mas não dá entrevistas sobre o assunto. Limitou-se, até ontem, a se manifestar por notas preparadas por sua assessoria de imprensa. Em dois eventos na semana passada, no Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e no Teatro João Caetano, o governador saiu por portas laterais, evitando os jornalistas. No requerimento, de cinco páginas, o Estadão encaminha oficialmente 14 perguntas ao governo do Rio. O jornal pede,

entre outras coisas, a relação completa das viagens do governador ao exterior desde sua primeira posse, em 2007, até 30 de abril de 2012, e informações sobre seus objetivos e agendas, meios de transporte utilizados, custos, convidados, pagamentos, hotéis. O documento foi elaborado com base na Constituição de 1988, que fixa o princípio da publicidade nos assuntos públicos e estabelece o direito dos cidadãos de requerer aos Três Poderes informações de interesse particular ou coletivo. (AE)

Governador investe em propaganda Após divulgação de suas fotos, Cabral lança campanha publicitária na mídia ao custo de R$ 13 milhões.

D

ez dias depois do início da publicação de imagens do governador Sérgio Cabral (PMDB) em viagens luxuosas com o dono da construtora Delta, Fernando Cavendish, o governo fluminense deflagrou ontem uma campanha publicitária que será veiculada em jornais, revistas, rádios, TVs e internet. As peças custaram R$ 13 milhões. Com o lema "Dignidade", os anúncios divulgam o programa Renda Melhor/ Rio Sem Mi-

séria, em que o estado complementa o Brasil Sem Miséria do governo federal e atende famílias em pobreza extrema, com renda per capita inferior a R$ 100 mensais. A propaganda vai até o fim de junho. Por meio da assessoria de imprensa, o governo negou que a veiculação da campanha neste momento tenha relação com a divulgação de fotos e vídeos das viagens de Cabral e Cavendish, com suas mulheres, no blog do deputado e ex-governador Anthony

Garotinho (PR). As imagens começaram a ser publicadas no dia 27 de abril. Todos os dias, Garotinho publica novas fotos ou apresenta denúncias contra Cabral. Segundo a assessoria, a divulgação do Renda Melhor já estava programada e foi possível graças à renovação do contrato de publicidade do governo, em abril. O contrato prevê gasto anual de R$ 180 milhões. O governo nega ter feito pesquisa de opinião para saber o impacto das denún-

cias de Garotinho na imagem do governador e na avaliação do governo. As peças publicitárias anunciam a marca de 1 milhão de pessoas beneficiadas com o Renda Melhor, comemorada em solenidade com a presença da presidente Dilma Rousseff, no dia 26 de abril. A assessoria informa que a campanha segue a mesma linha da realizada em 2011, com o slogan "Rio, marca registrada do Brasil", que custou R$ 15 milhões. (AE)

ELEIÇÕES 2012

Chalita e Russomano: sem aliança. Peemedebista declina da formação de bloco contra a polarização entre petistas e tucanos eleição municipal

O

PRB, partido do précandidato à Prefeitura de São Paulo Celso Russomanno, anunciou ontem o fim das negociações para formar uma eventual aliança com o PMDB, de Gabriel Chalita, no primeiro turno. No final de abril, Russomanno e Netinho de Paula (PCdoB) anunciaram que articulavam com o PMDB a formação de um bloco contra a polarização entre petistas e tucanos na cidade. Eles propuseram um acordo com Chalita, para que em junho eles definissem quem seria o nome da coligação, com base nas pesquisas de opinião. Segundo o presidente do PRB, Marcos Pereira, o PMDB refutou a hipótese. "Já que o Chalita, por questão pessoal, não abriu mão de ser cabeça

Dida Sampaio/AE - 24.04.12

de chapa – e como acredito que o Celso vai estar em segundo nas pesquisas, à frente dele – as conversas estão encerradas", afirmou. De acordo com Russomanno, as negociações para uma aliança com o PCdoB continuam – quem estiver à frente nas pesquisas em junho assume a cabeça da chapa. Na última pesquisa Datafolha, divulgada há dois meses, Russomanno aparecia em segundo, com 19% das intenções de voto. Netinho era o terceiro, com 10%, em empate técnico com outros três candidatos, entre eles Chalita. O tucano José Serra liderava com 30%. Russomanno, que já anunciou apoio dos nanicos PTdoB e PMN a seu nome, disse que mantém conversas "muito adiantadas" com outras duas

Negativo: Gabriel Chalita não aceita parceria com Russomanno. siglas pequenas – o PHS e o PRP. O PDT, do deputado e também pré-candidato Paulo Pereira da Silva, também é cobiçado por ele. "A prioridade é que o vice seja de um partido preferencialmente maior que o nosso, para agregar tempo

de TV", disse Pereira. O partido anunciou também parte da equipe que cuidará da campanha de Russomanno: Pereira será o coordenador-geral, e o presidente do PRB em São Paulo, Aildo Ferreira, o tesoureiro. (Agências)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de maio de 2012

7 Qualquer questão que signifique anistia tem grandes chances de sofrer veto. Ideli Salvatti , ministra das Relações Institucionais

olítica

CÓDIGO FLORESTAL Andre Dusek/AE - 05.04.12

Ministra defende veto A

Para Izabella Teixeira, é preciso garantir produção de alimentos e meio ambiente

ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, declarou ontem ser favorável a um veto presidencial ao novo Código Florestal e mostrou preocupação com a insegurança jurídica do texto. "A posição da ministra é pelo veto. Não tenho nenhum problema em dizer isso", afirmou Izabella durante debate no Senado sobre a Carta da Terra, segundo sua assessoria de imprensa. A Carta da Terra é uma declaração de princípios éticos voltados à construção de uma sociedade global sustentável. "Não tenho problema em pedir o veto ao Código Florestal", disse a ministra, acrescentando que "é necessário produzir regras claras, e não uma legislação "puxadinho". "Tenho problema é de lidar com a realidade depois do veto, de garantir condições para quem produz alimentos e protege o meio ambiente, com inclusão social", afirmou. A Câmara dos Deputados

aprovou o novo Código no fim de abril, com algumas lacunas na parte do texto que trata da recuperação de vegetação nas margens de rios. A aprovação do projeto, com o apoio da bancada ruralista desagradou o Planalto, que defendia o texto produzido por senadores em dezem-

Não tenho problema em pedir veto ao Código, é necessário criar regras claras. IZABELLA TEIXEIRA bro de 2011, por considerá-lo mais equilibrado. Segundo fonte do governo próxima às negociações, a falta de exigência de reflorestamento ao longo de rios com mais de 10m de largura, no texto aprovado pela Câmara, configura, na prática, anistia a desmatadores dessas áreas.

O texto do Código Florestal ainda está na Câmara dos Deputados, aguardando assinaturas de integrantes da Secretaria da Mesa para ser encaminhado ao Palácio do Planalto. A partir do momento em que receber oficialmente a redação final do código, a presidente Dilma Rousseff terá 15 dias úteis para sancionar ou vetar a proposta. Segundo fontes do governo, a presidente deve mesmo vetar o projeto, mas não há detalhes sobre a extensão desse veto. Se Dilma retirar os dispositivos que tratam da recuperação nas margens de rios, torna-se necessária a edição de uma medida provisória para preencher essa brecha, avaliou uma das fontes. Ontem ainda, Dilma recebeu a presidente da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil, senadora Kátia Abreu. O encontro coincide com a semana em que ela pode vetar parte do texto do Código aprovado pela Câmara dos Deputados. (Agências)

TJ manda prender PMs por Eldorado dos Carajás Coronel que liderou massacre é preso e major deve ser o próximo Dida Sampaio/AE - 29.04.1996

O

Dilma vai decidir até o dia 25 Protocolado ontem, texto do Código tem prazo para ser sancionado ou vetado.

O

projeto do novo Código Florestal, aprovado há duas semanas pela Câmara dos Deputados, foi protocolado ontem, no Palácio do Planalto. A partir de então, presidente Dilma Rousseff tem um prazo de 15 dias úteis – até o dia 25 de maio – para decidir se sanciona ou veta o texto referendado pelo Congresso. A expectativa é a de que a presidente acabe vetando boa parte do texto da Câmara, principalmente os dispositivos que cedem demais ao agronegócio e reduzem a proteção às águas brasileiras. Recentemente, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, antecipou que o

governo deverá vetar principalmente os trechos que signifiquem "anistia" a desmatadores. "Aquilo que representar anistia não terá respaldo do governo. Qualquer questão que signifique anistia tem grandes chances de sofrer o veto", afirmou. A extensão dos vetos, porém, ainda não está definida. Conforme interlocutores da presidente, o governo está tentando chegar a um consenso para vetar o texto parcialmente. O Planalto esperava conseguir manter o texto aprovado anteriormente pelo Senado, mas a bancada ruralista impôs uma derrota ao governo. No dia 26 de abril, os deputados

Segundo números da Pastoral da Terra, violência aumentou em 15%.

O processo em liberdade graças aos recursos dos advogados. A morte dos 19 agricultores foi um dos episódios mais sangrentos da luta pela terra no País. A rodovia PA-150 foi ocupada por 1,5 mil trabalhadores rurais que reivindicavam a desapropriação de fazendas para distribuição aos clientes da reforma agrária. Pelotões da PM de Marabá e Parauapebas, num total de 155 homens, segundo depoimentos, chegaram ao local atirando. Os sem terra atacaram com paus e pedras. O massacre motivou a criação da Jornada Nacional da Luta por Reforma Agrária, mobilização que ocorre todos os anos em abril, conhecida como Abril Vermelho. Entrega – Pantoja apresentou-se espontaneamente no Centro de Recuperação Especial Anastácio das Neves, penitenciária para policiais e expoliciais em Santa Isabel, a 45 km de Belém. Oliveira ainda

não havia sido localizado até o fim da tarde de ontem pelo oficial de justiça que levava mandado de prisão expedido pelo juiz da 1a Vara do Tribunal do Júri, Edmar Pereira. O processo transitou em julgado no mês de abril passado e o Supremo Tribunal de Justiça (STJ) determinou ao Tribunal de Justiça do Pará que a sentença fosse cumprida já. Ao se apresentar, Pantoja, segundo um policial, disse que lamentava a ausência do exgovernador Almir Gabriel. O coronel sustentou, durante o julgamento, que Gabriel exigiu que a estrada bloqueada pelos sem-terra fosse "liberada de qualquer maneira" pela PM. Gabriel alega que o comando da PM tinha plena autonomia para tomar decisões. O coronel Fabiano Lopes, então comandante-geral, não foi indiciado. Pantoja e Oliveira dizem que ficaram "sozinhos" no episódio. (Folhapress)

primeiro ano do governo Dilma Rouss e f f r e g i s t r o u a umento de 15% no número de conflitos agrários no País – passou de 1.186 em 2010 para 1.363 em 2011. Ao contrário de anos anteriores, quando a maior parte dos confrontos derivava de ações radicais de trabalhadores, só 280 desses conflitos foram causados por invasões de sem-terra. Um total de 638 litígios – mais de 60% da estatística global – foi provocado pela iniciativa privada, em ações de despejo, expulsões, destruição de bens e ameaças de pistoleiros. Esses dados fazem parte do anuário da violência no campo, divulgado ontem pela Comissão Pastoral da Terra (CPT), que é vinculada

à igreja católica. Para o secretário-geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), dom Leonardo Steiner, esse quadro deriva do "modelo equivocado de desenvolvimento" do go-

Centrar o lucro nos produtos do campo cria conflitos aos que moram na terra. DOM LEONARDO STEINER verno federal, que prioriza o agronegócio e as obras que exercem pressão sobre as terras ocupadas por indígenas, quilombolas, pescadores e populações nativas. Código – Ele defendeu o

Apesar dos escândalos que agitam o Senado, lei da Copa deve sair.

O

governo pretende votar no Senado, na próxima quarta-feira, a proposta da Lei Geral da Copa, que define as regras para o Mundial de 2014 no Brasil. A proposta será votada na mesma semana dos primeiros

depoimentos na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI), que vai apurar o envolvimento de políticos e empresários com o grupo do bicheiro Carlinhos Cachoeira. A proposta, que define regras acordadas com a Federa-

Servidores podem parar na 4ª

O

multaneamente em todo o País. O mote é: "Dia Nacional de Advertência". Se não houver negociação, a categoria pode votar pela greve. Segundo o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central, os dirigentes sindicais do Banco Central, da Polícia Federal, da Receita Federal, da Defensoria Pública, da Advocacia Pública e da Gestão Pública entendem que o cená-

rio adverso "exige um movimento sincronizado e centralizado para evitar o que aconteceu no governo de FHC – quando ficaram 8 anos sem reajuste salarial". Servidores do judiciário federal também programam manifestações este mês para pressionar o governo: pedem aumento de 50%, pois não teriam tido reposição desde junho de 2006. (Folhapress)

veto ao texto do Código Florestal, aprovado pela Câmara e a retomada da proposta anterior, aprovada no Senado, além da aprovação da Lei que agrava punições ao trabalho escravo e mudanças no Programa de Aceleração do Crescimento para reduzir a pressão sobre as terras ocupadas por comunidades tradicionais. "Os grandes empreendimentos, todo esse modo de centrar o lucro na exportação de produtos do campo, cria cada vez mais conflitos sobre aqueles que já moram na terra e vivem dela". O dado positivo do anuário é que o número de mortes em decorrência desses conflitos caiu de 34, em 2010, para 29 em 2011. Entre as vítimas, 11 receberam ameaça de morte. (AE)

Lei da Copa em semana de CPMI

Lia de Paula/Ag. Senado - 17.04.12

s servidores públicos federais planejam uma paralisação de advertência ao governo Dilma Rousseff amanhã em todo o Brasil. Eles reclamam da política de congelamento que Brasília vem adotando e apontam para um "retrocesso igual ao do governo Fernando Henrique Cardoso" (de 1995 até 2002). Pela primeira vez, as manifestações devem ocorrer si-

aprovaram, por 274 votos a 184, o texto do deputado Paulo Piau (PMDB-MG). Apelo – Na última sextafeira, durante evento no Rio, a atriz Camila Pitanga se dirigiu à presidente Dilma Rousseff e disse: "Vou quebrar o protocolo. Veta Dilma!", em referência ao novo Código Florestal aprovado pelo Congresso. A presidente riu e Camila foi aplaudida. É certo, porém, que o veto – não resolverá o problema criado com a falta de votos do governo na Câmara para aprovar a proposta negociada no Senado. Dilma encomendou estudos para a recuperação de vegetação em propriedades da agricultura familiar. (Agências)

Cresce conflito agrário

Caixões com os 19 sem-terra mortos em confronto com a polícia, colocados em caminhão em frente ao IML. O ano: 1996.

Tribunal de Justiça do Pará (TJPA) expediu ontem mandados de prisão contra o coronel Mario Colares Pantoja e o major José Maria Pereira de Oliveira. Os dois foram responsabilizados na Justiça por comandarem a ação da Polícia Militar que causou a morte de 21 integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), no episódio conhecido como massacre de Eldorado dos Carajás, no Pará, em 1996. Na decisão, o coronel Pantoja foi condenado a 228 anos de prisão e o major Oliveira a 158 anos e quatro meses em regime fechado. Em 1996, 19 sem-terra morreram no local e 2 a caminho do hospital, durante o confronto com a polícia no km 96 da Rodovia PA-150, na chamada Curva do S. A ação contou com mais de 150 policiais militares. Desde o massacre, coronel e major respondiam pelo

Izabella Teixeira: "É necessário produzir regras claras, e não uma legislação 'puxadinho' ".

Pinheiro promete: "Queremos juntar os relatórios e ir a plenário".

ção Internacional de Futebol (Fifa), chegou ao Senado no fim de março, após tramitação na Câmara, por causa da polêmica sobre a liberação ou não de bebidas alcoólicas nos estádios. O texto aprovado suspendeu trecho do Estatuto do Torcedor que veta a bebida, mas não fica claro se a venda está liberada ou não. Segundo o líder do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA), os acertos serão definidos na próxima terça, entre os líderes partidários. O governo proporá que os relatores nas comissões apresentem seus relatórios no plenário do Senado. "Queremos juntar os relatórios das quatro comissões e levar para plenário. Vamos votar a Lei Geral da Copa para plenário na quarta-feira", disse Pinheiro ao G1. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

COLÔMBIA Farc condicionam entrega de francês a debate sobre papel da imprensa

nternacional

terça-feira, 8 de maio de 2012

NOVO PARLAMENTO Síria anuncia alto comparecimento às urnas; oposição denuncia 'fraude'.

VAI DAR CASAMENTO OU DIVÓRCIO? A primeira visita de François Hollande será para a Alemanha, onde discutirá o futuro da Europa. A chanceler Angela Merkel diz que o receberá 'de braços abertos', mas que o pacto fiscal é inegociável. John MacDougall/AFP

O

presidente eleito da França, François Hollande, começou ontem a organizar a transferência de poder para assumir o cargo em 15 de maio, além de se preparar para a esperada reunião com a chanceler alemã, Angela Merkel, para falar sobre o futuro da Europa. Segundo os dados definitivos divulgados ontem, o socialista François Hollande obteve 51,62% dos votos, enquanto o conservador Nicolas Sarkozy, que tentava a reeleição, ficou com 48,38%. No total, foram registrados pouco mais de 2 milhões de votos brancos ou nulos. A eleição de Hollande quebra a dupla de centro-direita formada por Nicolas Sarkozy e Angela Merkel, cujo pacto fiscal europeu exigia cortes de gastos profundos na Itália, Espanha, Portugal e Grécia. Hollande viajará logo após a posse para Berlim, onde se reunirá com a chanceler alemã, e deverá apresentar sua proposta para solucionar a crise de dívida da zona do euro. O plano de Hollande complementaria o atual regime de austeridade com medidas para estimular o crescimento econômico. Merkel disse ontem que aguarda o novo chefe do Palá-

Angela Merkel avisou que o acordo que prevê cortes não será flexibilizado, como quer François Hollande. cio do Eliseu "de braços abertos", mas sem renegociar o pacto fiscal, mostrando-se convencida de que a austeridade não prejudica o crescimento e, também, que o grande desafio não está em Paris, mas em Atenas. "Nós na Alemanha e eu, pessoalmente, não acreditamos que o pacto fiscal seja algo que deva ser renegociado", disse. Ela disse que trabalhará "intensamente" com Hollande na

busca de uma fórmula para resolver o "ponto essencial" da questão: "conseguir ao mesmo tempo uma consolidação orçamentária e um crescimento sólido", já que "um não anda sem o outro". Esta convicção não é nova, nem precipitada pela vitória de Hollande, defendeu Merkel, mas está há muito tempo "incorporada às discussões" na União Europeia. Em relação à Grécia, a chan-

celer admitiu que "a situação não está isenta de complexidade", referindo-se aos resultados eleitorais de domingo. "Vamos ver qual é a formação do governo resultante", cuja formação compete exclusivamente "aos gregos", acrescentou (leia mais nesta página). Agenda - Antes do encontro com Merkel, o novo presidente francês terá uma agenda intensa, pois deve cumprir os prazos oficiais, sobretudo os da forma-

ção de seu novo governo. Depois, tem uma série de compromissos internacionais. Hollande viajará aos Estados Unidos para a cúpula do G-8 em Camp David, em 18 e 19 de maio, e em seguida seguirá para uma reunião da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan), em Chicago, entre os dias 20 e 21, onde deverá anunciar a retirada das tropas francesas do Afeganistão até o final de 2012. Durante a viagem, é esperado o encontro de Hollande com Barack Obama. Adeus - Após a sua derrota, o presidente em fim de mandato, Nicolas Sarkozy, reiterou ontem sua intenção de abandonar a política, e pediu aos dirigentes de seu partido, a União por um Movimento Popular (UMP), que enfrentem unidos as eleições legislativas do próximo mês de junho. (Agências) Leia mais na página 2

Alexei Nikolsky/AFP

A sede insaciável pelo poder Vladimir Putin assume terceiro mandato como presidente da Rússia

V

ladimir Putin assumiu ontem a presidência da Rússia pela terceira vez, desta vez para um mandato de seis anos em que enfrentará a dissidência crescente, problemas econômicos e adversidades políticas. Putin, de 59 anos, fez o juramento com sua mão direita sobre a Constituição russa em uma cerimônia cheia de pompa na antiga sala do trono do Kremlin, diante de 2.000 dignitários, incluindo o ex-líder soviético Mikhail Gorbachev, o ex-primeiro-ministro da Itália Silvio Berlusconi e o ex-premiê da Alemanha Gerard Schroeder. Berlusconi e Schroeder são amigos do mandatário. "Vamos atingir os nossos objetivos se formos um povo único e unido, se defendermos nossa pátria amada, fortalecermos a democracia russa, os direitos e liberdades constitucionais", disse o ex-espião da KGB em discurso de cinco minutos após tomar posse. "Vou fazer tudo que puder para justificar a confiança de milhões dos nossos cidadãos. Considero esse o significado

da minha vida e minha obrigação de servir à pátria e ao nosso povo", acrescentou. Putin vem comandando o país desde 2000, primeiro como presidente entre 2000 e 2008 e depois como primeiroministro nos últimos quatro anos. Ele permanecerá como presidente até 2018, com a opção de se reeleger. Ele substitui seu aliado Dmitri Medvedev, que deve ser nomeado o novo primeiro-ministro do país hoje. Do lado de fora dos muros do Kremlin, a polícia deteve 120 manifestantes, entre eles o ex-vice-premiê russo e opositor Boris Nemtsov. "Nós viemos aqui mostrar que existem muitas pessoas que não têm medo desse homem que usurpou o poder", disse Nemtsov. "Mas ele tem medo do próprio povo." A porta-voz do movimento opositor Solidariedade, Olga Shorina, declarou não entender os motivos das prisões de seus colegas e explicou que os ativistas apenas se reuniram para protestar contra a eleição de Putin. (Agências)

EUA frustram novo ataque de cueca-bomba em avião

O

s Estados Unidos informaram ontem que frustraram um plano da rede terrorista Al-Qaeda para destruir um avião de passageiros

em solo norte-americano. Segundo a Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês), um ramo do grupo no Iêmen organizaria uma

Sem governo, Grécia vive nova tragédia.

O

esforço da Grécia para negociar uma coalizão de governo, após resultados eleitorais inconclusivos no final de semana, sofreu um revés ontem, depois de o líder conservador, Antonis Samaras, anunciar que não chegou a um acordo com seus rivais, aumentando as chances da realização de novas eleições e as dúvidas sobre o futuro do país na zona do euro. "Eu fiz tudo o que pude para que chegássemos a um resultado, mas isso foi impossível", disse Samaras. Seu partido ficou em primeiro lugar no pleito de domingo passado, mas não conseguiu maioria suficiente para formar um governo sozinho. Hoje é a vez do segundo maior partido, o Syriza, tentar viabilizar um governo, antes de ir para o terceiro partido, o Pasok, caso um acordo não seja alcançado. Se as tentativas não forem bem-sucedidas, o presidente convocará os líderes partidários para uma última tentativa. Sem acerto, serão convocadas para junho novas eleições. (Agências)

IFE/EFE

Troca de cadeiras: Putin (à esq.) e Medvedev descem as escadas em direção à cerimônia de posse. Natalia Kolesnikova/AFP

Figurino ousado ofusca debate

Um decote vale mais do que quatro presidenciáveis

U Do lado de fora, protesto contra o novo presidente é reprimido pela polícia. Foram presas 120 pessoas.

versão mais evoluída do ataque fracassado do Natal de 2009 em Detroit, em que um homem carregava uma bomba dentro da cueca. O presidente dos EUA, Barack Obama, foi informado em abril do plano terrorista, disse a porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, Caitlin Hay-

den, que assegurou que "não houve perigo para o público". A intenção da organização, revelou a CIA, era fazer um ataque a bomba em um voo comercial próximo ao aniversário de um ano da morte do líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, na última quarta-feira. A polícia federal dos EUA

(FBI, na sigla em inglês) disse estar de posse da suposta bomba, realizando análises. Em comunicado, as autoridades afirmaram que o explosivo é similar a outros que foram usados previamente pela AlQaeda para realizar ataques terroristas "contra aviões" e outros alvos. (Agências)

ma coelhinha da revista Playboy roubou a cena no primeiro debate entre quatro presidenciáveis do México, realizado no domingo passado, por causa de seu generoso decote. A participação de apenas 30 segundos da modelo Julia Orayen ganhou mais destaque nos jornais locais do que as duas horas do debate. Julia, que foi capa da revista em 2008, foi encarregada de dividir os turnos de um sorteio no evento. As autoridades eleitorais, encarregadas de organizar o debate, não souberam justificar o figurino da ajudante. (EFE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de maio de 2012

c

9 Marcio Fernandes/AE

NOVA REUNIÃO Motoristas e cobradores das 21 linhas municipais que circulam pela avenida Francisco Matarazzo, na zona oeste, terão uma nova reunião com técnicos da CET na próxima segunda-feira.

idades

Contra multas, motoristas param avenida. Cerca de 140 motoristas e cobradores de ônibus pararam ontem a avenida Francisco Matarazzo, em protesto contra multas aplicadas por um radar que estaria avariado. Marcio Fernandes/AE

T

erminou por volta Avenida Francisco Matarazzo das 14h de ontem o desde as 6h50. protesto dos O grupo protestava contra motoristas e um aparelho de radar da cobradores de ônibus na Companhia de Engenharia de avenida Francisco Tráfego (CET), localizado na Apu Gomes/Folhapress Matarazzo, na altura do zona oeste de número 455 da São Paulo. De avenida, no acordo com o sentido centro. Sindicato dos Segundo o Trabalhadores Sindmotoristas, em Transporte o aparelho Rodoviário estaria Urbano de multando São Paulo indevidamente (Sindmotoristasos condutores SP), uma dos reunião foi transportes agendada para públicos. a próxima Segundo segunda-feira. informações A avenida Francisco A circulação do delegado Matarazzo ficou parada de 21 linhas sindical Valdir de ônibus Feitosa da municipais ficou Silva, a CET e a SPTrans já completamente suspensa haviam sido notificadas sobre durante a manhã de ontem. o problema da máquina e Cerca de 140 motoristas e chegaram a trocar o radar. cobradores de ônibus Mesmo com a troca, o radar realizaram um protesto, que voltou a multar os condutores ocupou toda a extensão da de ônibus. (Folhapress)

O movimento de protesto dos motoristas e cobradores começou por volta das 7h e só terminou às 14h, depois de uma reunião com a CET. Tasso Marcelo/AE

Spray de pimenta: PM pode ser punido Na Rocinha, soldado espirra spray de pimenta contra a cadela Pantera e gera protestos na comunidade.

A

Domingos Peixoto/AOG - 06/05/2012

Atriz deixa delegacia onde foi ouvida: tentativa de flagrante

Fotos íntimas: atriz presta depoimento Soldado PM quando espirrava spray de pimenta na cadela Pantera, durante operação na Rocinha

Luiz Tito/Folhapress

Corregedoria da Polícia Militar do Rio abriu inquérito para analisar a conduta do policial, que usou spray pimenta contra a cadela Pantera, domingo, na Rocinha, zona sul do Rio. O policial, que não foi identificado, lançou o spray contra o animal, que não parava de latir. A ação provocou protestos de pedestres que passavam pela Via Ápia e de seu dono. "Fiquei indignado. A Pantera é tão mansa que vive solta. Todos a conhecem. Ela chegou em casa quase sufocada", disse José Luiz Francisco, dono do animal. Horas antes, policiais e traficantes trocaram tiros na comunidade. Um rapaz de 22 anos levou um tiro no braço esquerdo. Policiais passaram o domingo procurando outros dois homens que teriam sido baleados, mas nenhum ferido foi encontrado nas buscas. O PM prestou depoimento ao major Edson Santos, responsável pelo policiamento na Rocinha e seu teor não foi revelado. (Folhapress)

SECA NO NORDESTE – Pelo menos cinco cidades já cancelaram as tradicionais festas juninas em decorrência dos problemas da seca que atinge a Bahia. O número de municípios baianos em estado de emergência por consequência dos efeitos da seca já chega a 228.

A

atriz Carolina Dieckmann prestou depoimento ontem na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática (DRCI), no Rio de Janeiro, sobre a publicação de fotos em que aparece nua. Ela chegou ao local às 9h acompanhada do marido, Tiago Worcman, e seu depoimento durou cerca de sete horas. Escoltada, a atriz saiu da delegacia sem falar com a imprensa. Apenas mandou um beijo em direção ao aglomerado de pessoas que a aguardava na calçada. "Revoltada" com a situação, a fã Thaissa, que preferiu não divulgar o sobrenome, veio de Nova Iguaçu (RJ) para "dar apoio à Carol". Sites dos Estados Unidos e da Inglaterra que hospedaram inicialmente as 36 fotos da intimidade de Carolina Dieckmann retiraram o conteúdo do ar, após pedido do advogado da atriz. O Google também foi notificado para ajudar no caso. A Delegacia de Repressão a Crimes de Informática vai abrir um inquérito para investigar o responsável pelo vazamento das imagens, sob a coordena-

ção do delegado Gilson Perdigão. O computador da atriz também deve passar por perícia. "Ao contrário do que as pessoas pensam, esse crime deixa rastros. E vamos chegar até esse criminoso. É importante que esse caso surja para que se discuta a legislação de crimes na internet", afirmou o advogado Antonio Carlos Almeida Castro, o Kakay. Flagrante – Segundo Kakay, ela tentou preparar um flagrante contra o suposto chantagista, que pediu R$ 10 mil para não divulgar fotos íntimas dela. Segundo o advogado, Carolina vinha sofrendo a tentativa de extorsão há duas semanas, por meio de telefonemas e e-mails. O empresário da atriz também foi contatado. "Desde o primeiro momento tentaram fazer uma extorsão com a Carolina, mas ela imediatamente reagiu e tomou providências através de pessoas da área de segurança que ela conhece. Ela foi orientada a responder os emails (com as ameaças) para tentar fazer um flagrante", disse o advogado. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10 -.LOGO

terça-feira, 8 de maio de 2012

ESPELHO, ESPELHO MEU Modelo exibe criação do estilista Guo Pei em um desfile de vestidos de noiva realizado no fim de semana em Pequim. Este é o segmento da indústria de moda que mais cresce na China.

Grafismos em spray Matt W. Moore cria grafismos usando apenas tinta spray e fitas adesivas. As obras estão na Since Upian Gallery, de Paris. http://mwmgraphics.com/

AFP

I NTERNET M ARKETING

Campeão do fim de semana

E

studo divulgado ontem pela Experian Hitwise indica que o Facebook foi o site mais acessado do Brasil em todos os finais de semana e feriados do mês de abril, com exceção do dia 7 de abril, quando o

Google Brasil foi o mais acessado. O site de buscas do Google também é o mais visitado durante os dias de semana, o que o colocou na posição de mais acessado em todo o mês de abril, segundo o levantamento. Com o Facebook como

campeão dos fins de semana, o Brasil segue a tendência dos EUA, onde a rede social é o site mais acessado nos fins de semana desde março de 2010. A pesquisa mostra ainda que a diferença no número de acessos entre o Google e Facebook está em queda no Brasil.

Dançando como um bebê A Evian, famosa marca de água da França, lançou uma nova campanha que apela para a leveza e pureza dos bebês. A ideia é associar essas duas palavras à marca e à mensagem de que, em qualquer idade, podemos resgatar nosso "bebê interior". A campanha convida os internautas a mandarem seus próprios vídeos dançando. Visite o site e divirta-se. www.letsbabydance.evian.com

Google testará carro sem motorista tudo para identificar os outros carros no caminho, bem como sua velocidade e distância. Para aumentar a segurança dos motoristas, o veículo usado no teste terá uma placa especial, com fundo vermelho e um símbolo de infinito. Isso ajudará a população local a reconhecer facilmente o carro.

L

O Google recebeu ontem uma autorização do Departamento de Veículos a Motor do Estado de Nevada, nos EUA, para testar nas ruas seu veículo sem motorista. Essa é a primeira licença emitida nos EUA para o teste de veículos autônomos. O carro tem câmeras, sensores de radar e uma mira a laser,

Alexander Klein/AFP

T ECNOLOGIA

GATO CAFÉ - Gato brinca entre as mesas do Cafe Neko, no centro de Viena. Neko, que significa gato em japonês, é o primeiro "gato café" da cidade. O conceito do lugar é permitir que os clientes brinquem e se divirtam com os cinco gatos da casa durante a pausa para o cafezinho.

DITADOR DESPREVINIDO

Fotos: Gleb Garanich/Reuters

L EILÃO

Xícara de Lady Gaga vale US$ 75 mil Uma xícara de chá usada pela diva pop Lady Gaga, com assinatura e marca de batom, foi leiloada na internet por US$ 75 mil. O dinheiro será usado para para ajudar as vítimas do tsunami no Japão. E M

C A R T A Z

Uma estátua do ex-ditador comunista Josef Stalin urinando foi retirada ontem pela polícia poucas horas depois de ser instalada em Kiev. A estátua foi encomendada por um partido político como crítica aos 46 anos de ocupação soviética na Ucrânia e foi inspirada no "Manneken Pis" (Garoto urinando) belga.

GOL

A TÉ LOGO

Concurso 749 da LOTOFÁCIL 01

02

03

04

06

07

08

11

13

14

15

18

19

22

24

Acesse www.dcomercio.com.br para ler a íntegra das notícias abaixo:

L

Homem processa ator John Travolta por assédio sexual

L

Mostra 'Vestiário' reúne fotografias e intervenções artísticas. Museu do Futebol. Estádio do Pacaembu. Praça Charles Miller, s/n, tel.: 3663-3848.

L OTERIAS

Flatulência dos dinossauros pode ter aquecido a Terra

L

Google infringiu alguns direitos autorais da Oracle, diz júri

Concurso 2890 da QUINA 05

17

27

58

70


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de maio de 2012

e

11 PETROBRAS Estatal vai gastar US$ 1,7 bilhão na construção de quatro plataformas

conomia

Poupança tem saldo elevado, antes da mudança.

Fizemos uma mudança simples, justa e correta, capaz, ao mesmo tempo, de proteger o pequeno poupador e de permitir que as taxas de juros continuem caindo.

Banco Central divulga resultados positivos da caderneta em abril e presidente Dilma Rousseff afirma que mudança visa proteger os pequenos poupadores

DILMA ROUSSEFF, PRESIDENTE

Samp

Dilma, durante o programa de rádio semanal "Café com a Presidenta". Na última quinta-feira, o governo anunciou Medida Provisória que altera o rendimento das cadernetas de poupança, abrindo a possibilidade para o BC continuar com a queda de juros no País. A remuneração da poupança passará a ser de 70% da Selic mais Taxa Referencial (TR) toda vez que a taxa básica de juros ficar igual ou abaixo de 8,5%. Quando a Selic estiver acima desse patamar, os ganhos da poupança permanecem

aio/

AE

País e protege o pequeno poupador. Dilma voltou a cobrar dos bancos privados que acompanhem o processo de baixa da taxa Selic e repassem a redução aos consumidores. "Fizemos uma mudança simples, justa e correta, capaz, ao mesmo tempo, de proteger o pequeno poupador e de permitir que as taxas de juros continuem caindo", disse

Dida

O

s depósitos feitos em cadernetas de poupança ao longo de abril superaram os saques em R$ 1,977 bilhão. O resultado é o maior registrado para o mês desde 2007, quando os ingressos superaram as retiradas em R$ 2,046 bilhões. Os números foram divulgados ontem pelo Banco Central (BC) e não consideram o período seguinte às mudanças realizadas na semana passada pelo governo federal no rendimento da mais popular aplicação do País. Do total registrado da captação líquida (depósitos menos saques) em abril, R$ 1,542 bilhão foi depósito em instituições financeiras que aplicam os recursos da poupança em crédito imobiliário. A diferença entre depósitos e saques em abril ficou abaixo da verificada em março, quando a captação líquida foi positiva em R$ 2,544 bilhões. No acumulado do ano, a captação está positiva em R$ 4,107 bilhões. O valor está acima do R$ 1,925 bilhão de igual período do ano passado, mas abaixo do registrado no primeiro quadrimestre de 2010 (um total de R$ 5,942 bilhões). Pequenos – A presidente Dilma Rousseff afirmou, ontem, que a mudança no rendimento da poupança permite a continuação da queda de juros no

em 0,5% ao mês mais a variação da Taxa Referencial. O governo decidiu ainda que as novas regras valerão apenas para os depósitos feitos após a publicação da MP, que aconteceu na sexta-feira passada. E s pe c u l ar – "Não podemos aceitar que agora, quando estamos baixando os juros, ela (a poupança) se torne uma forma de lucro fácil para aqueles que

só querem especular", disse a presidente. Com os juros básicos do País em queda – que já somou 3,5 pontos percentuais desde agosto do ano passado, levando a Selic para o atual patamar de 9% ao ano –, a poupança passaria a mostrar rendimentos melhores se comparados com alguns de renda fixa, por exemplo, o que poderia desencadear uma corrida de grandes investido-

Petista deve ser relator da MP Deputado Henrique Fontana (RS) é citado para a relatoria da Medida Provisória que cria a nova poupança

O

deputado Henrique Fontana (PT-RS) deverá ser o relator da Medida Provisória que muda a regra de rendimento das cadernetas de poupança (MP 567). A informação é do líder do PT na Câmara dos Deputados, Jilmar Tatto (SP), a quem cabe fazer a indicação. A presidência da comissão especial da MP será ocupada por um senador do PMDB, dentro do rodízio dos cargos entre os dois maiores partidos. Fontana foi líder da bancada petista na Câmara e líder do governo na Casa durante o governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Tiro certeiro – Amanhã termina o prazo para apresenta-

Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr

BM&FBOVESPA Valor de mercado das empresas na bolsa teve queda de R$ 90 bi em abril

ção de emendas ao texto da MP. A partir daí, o relator poderá começar a trabalhar em seu parecer para apresentá-lo à comissão especial mista. O líder do PMDB, Henrique Eduardo Alves (RN), prevê que a discussão se dará mais em torno do percentual da Selic a ser aplicado no rendimento da caderneta de poupança. O essencial, ele considera, não enfrentará problemas para aprovação. "Podem discutir se serão 70% ou 80%, mas o objetivo da MP já é um tiro certeiro", afirmou Alves. O líder defende a votação da MP antes do recesso parlamentar de julho, respaldado no apoio que a mudança de regra obteve entre os aliados da

presidente Dilma Rousseff. A MP precisa ser votada na Câmara e no Senado até o dia 13 de setembro ou perderá a validade. "Quanto mais rápido, melhor", afirmou Henrique Alves. "É importante o Congresso sinalizar que também apoia a guerra contra os altos juros", argumentou. O líder petista Jilmar Tatto considera que a MP seguirá os procedimentos de rotina. Para ele, a votação deverá ficar para o segundo semestre. "É verdade que o ritmo do Congresso diminui no segundo semestre, mas essa MP, particularmente, não vai ter grandes dificuldades", prevê Tatto. Ritmo – Mantido o ritmo habitual, a votação da Medida

Provisória pegará os deputados em plena campanha eleitoral, o que poderá exigir o empenho do governo contra o esvaziamento do Congresso. Em setembro, quando chegar o prazo final para a votação da MP, parte dos parlamentares estará ocupada com as campanhas municipais. A eleição para prefeitos e vereadores será no dia 7 de outubro, primeiro domingo do mês, como rege a Constituição. Habitualmente, em agosto e setembro de anos eleitorais há um recesso branco, quando a exigência da presença em Brasília é mais relaxada e os parlamentares podem se envolver com mais liberdade em suas próprias campanhas. Doze Medidas Provisórias estão na frente da MP da poupança aguardando votação na Câmara. Oito delas terão de ser votadas antes do recesso parlamentar de julho ou perderão a validade. Os parlamentares terão, assim, seis semanas para votar as quatro MPs restantes e a MP da poupança até 13 de setembro, data final para o governo ter sua medida aprovada. (AE)

O parlamentar Henrique Fontana vai defender os interesses do governo na tramitação, no Congresso, da Medida Provisória que cria a nova poupança.

res para a caderneta. Imposto – A poupança, além de ser isenta de Imposto de Renda, ainda prevê que boa parte de seus recursos seja destinada a financiamento imobiliário e, caso houvesse uma forte migração de recursos, poderia haver distorções no mercado. Ontem, a presidente Dilma apontou pontos positivos no sistema financeiro do País an-

tes de cobrar participação mais efetiva na redução dos juros. "A queda da taxa de juros para o consumidor é um caminho sem volta, sabe por quê? Porque o Brasil tem um dos sistemas financeiros mais sólidos e lucrativos do mundo, e pode perfeitamente fazer a sua parte e ajudar o País diminuindo os juros que cobram dos trabalhadores e dos empresários", disse. (Agências)

Focus: mercado prevê juros a 8,5% ao ano.

O

mercado passou a estimar que o Banco Central (BC) continuará reduzindo a Selic (taxa básica de juros) na próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) marcada para este mês, segundo divulgação do boletim Focus. Agora, a previsão é de corte de 0,5 ponto percentual, o que levaria a taxa básica de juros a 8,5% ao ano, mostrou a última pesquisa Focus. Até então, as contas e previsões vistas pelo boletim Focus apontavam que a Selic ficaria estável em 9% ao ano em 2012. O documento indica que houve mudança e, agora, os analistas preveem que a Selic ficará em 8,5% até o fim do ano. A expectativa da taxa para o final de 2013 foi mantida em 10%, porém a perspectiva do Top 5 – que reúne as instituições que mais acertam as projeções no relatório – foi reduzida de 9% para 8,75%. Recentemente, o governo mostrou em dois momentos que estaria disposto a reduzir ainda mais a taxa Selic. Na última quinta-feira, o governo anunciou mudança na remuneração da poupança e o ministro da Fazenda, Guido Mantega, deixou claro que, sem a alteração, o BC "ficaria com a política monetária comprometida." Ajustes – Para o economista da consultoria Tendências, Silvio Campos Neto, as novas regras da poupança ainda não foram totalmente absorvidas nas leituras das consultorias que fazem parte do Focus, o que dá margem para mais reduções no relatório. "O nível de 8,5% ainda poderia ser alcançado sem a mudança da regra da poupança. Então possivelmente ainda haverá ajustes para baixo (nas perspectivas do Focus) nas próximas semanas", disse ele, explicando que os analistas da Tendências ainda devem se reunir para rever os números, "com grande probabilidade de jogar a Selic para baixo". Até agora, a expectativa da consultoria é de um corte de 0,5 ponto percentual na reunião de maio do Copom e outro de 0,25 ponto em julho, com a Selic terminando o ano em 8,25%. Mantega também afirmou na semana passada que a Selic em queda ajudará na redução do spread bancário – diferença entre custo de captação dos bancos e a taxa efetivamente cobrada aos consumidores – no Brasil, considerado muito alto. Ele também afirmou que a taxa de juros real de 2% é "um sonho que todos os brasileiros deveriam ter." (Reuters)


12 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de maio de 2012


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de maio de 2012

e

13

A classe média recorre ao cartão de crédito e acaba sendo massacrada pelas cobranças abusivas dos juros. Ricardo Patah, presidente da UGT

conomia

Para pequenos negócios, é hora de pesquisar taxas. Empresas de menor porte devem usar todas as armas para conseguir contratar as melhores linhas de financiamento para o seu empreendimento.

A

s reduções das taxas de juros nas linhas de crédito para micro e pequenas empresas devem ser pesquisadas com atenção pelos empreendedores. Na hora da negociação, vale colocar na mesa as informações financeiras da companhia para uma melhor análise de risco, negociar outros produtos e serviços, como a conta-salário dos funcionários, e até obter aprovações de crédito em bancos diferentes para estimular a concorrência entre as instituições. O movimento de corte nas taxas começou pelos bancos públicos e foi seguido timida-

mente pelos privados. Uma das críticas dos especialistas é que a maioria dos cortes ocorreu nas taxas mínimas, que costumam exigir não só tempo de relacionamento com o banco, mas também mais garantias das empresas (veja quadro ao lado). "De cada mil empresas que buscam as taxas mínimas, duas conseguem", afirma o professor de Sistema Financeiro Nacional da Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras (Fipecafi), Silvio Paixão. Para o analista da unidade de Inteligência de Mercado do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), Luiz Ricardo Grecco, a maioria das micro e peque-

nas corporações utilizam mais o parcelamento de compras com o fornecedor, operação não contemplada pela queda das taxas de juros. O empresário deve lançar mão de diversas ferramentas de negociação para buscar descontos nas linhas de capital de giro, pagamento de duplicatas e de cheques ou quando o limite da conta garantida forem necessários. Segundo Paixão, quem tem suas informações financeiras organizadas e relacionamento com pelo menos três bancos pode obter a aprovação de crédito nas instituições para ter maior poder de negociação na hora de discutir as taxas de juros. "Quem usa pouco o crédito tem melhores condições

Kriss Szkurlatowski/SXC

Nem sempre a taxa mais baixa é a melhor para o seu negócio. É preciso calcular outros custos e avaliar os trâmites burocráticos.

de negociação", afirma. Grecco, do Sebrae, orienta as companhias a mostrarem sua realidade financeira para que o banco faça a melhor avaliação do risco. Com a concorrência entre as instituições financeiras pelo segmento de pequenas empresas, é possível incluir na negociação por menores juros outros produtos e serviços oferecidos pelos bancos, como o financiamento da venda ao cliente, seguro patrimonial e conta-salário para funcionários. "São serviços nos quais é possível criar um relacionamento de ganhaganha com os bancos", diz. Na hora de escolher um banco, é preciso avaliar também os procedimentos burocráticos. Segundo Grecco, nem sempre a menor taxa de juros é mais importante. "Se houver mais burocracia, mais garantias e um limite menor, pode

Protesto contra juros de cartão de crédito UGT inicia amanhã campanha para reduzir taxa que afeta mais a classe média, segundo a entidade.

A

União Geral dos Trabalhadores (UGT) iniciará uma campanha contra os altos juros dos cartões de crédito. O primeiro ato de protesto será realizado amanhã na Capital paulista, às 10 horas, quando a central pretende levar aproximadamente 2 mil afiliados para a frente da sede de uma operadora de cartão de crédito na Avenida Brigadeiro Faria Lima. Os manifestantes vão montar uma guilhotina, símbolo, de acordo com o presidente da UGT, Ricardo Patah, da ameaça constante que paira sobre os consumidores endividados no cartão de crédito. A iniciativa ocorre na esteira de decisões recentes da presidente Dilma Rousseff para tornar viável uma grande queda de juros no País. Aproveitando os cortes dos juros básicos (Selic) promovidos pelo Comitê de Política Monetária (Copom), as duas maiores instituições financeiras públicas,

12 por cento é a taxa média ao mês dos juros cobrados nos cartões de crédito, critica a UGT.

Banco do Brasil (BB) e Caixa Econômica Federal, reduziram taxas e foram seguidas por bancos privados. Na semana passada, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, anunciou também um novo cálculo de rendimento das cadernetas de poupança para, de acordo com o governo, permitir uma queda maior da taxa básica de juros, atualmente em 9% ao ano.

SRD-1652-1TB AS MELHORES SOLUÇÕES EM

SCB-2000

SCD-2010

Câmeras Analógicas g e Gravador Digital com preços especiais

CONFIRA!

SCD-2010 SCB-2000 SRD-1652-1TB

DETALHES DO PRODUTO SRD-1652-1TB • 16 canais de vídeo 480/120FPS • Resolução Máx. 4CIF • Saída de vídeo: SVGA e CVBS • Possui APP para Iphone, Ipad e Android (Ipolis mobile)

SCB-2000 • Câmera Box • CCD 1/3 600TV linhas • D/N mínimo de 0,05 Lux • Detecção de Movimento * lente não inclusa

SCD-2010 • Câmera Dome Compacta • CCD 1/3 600TV linhas • Lente de 3mm inclusa • D/N Mecânico mínimo de 0,04 Lux • Controle coaxial

No seu discurso alusivo ao 1º de Maio, a presidente Dilma afirmou, em cadeia nacional de rádio e televisão, considerar "inadmissível que o Brasil, que tem um dos sistemas financeiros mais sólidos e lucrativos, continue com os juros mais altos do mundo". De acordo com Patah, a UGT também elegeu os juros altos como um dos principais alvos de suas manifestações neste ano. "Não estamos aderindo à política da presidente, mas temos a Dilma como aliada, a principal propagandista do tema", disse. Para o presidente da UGT, a classe média é a mais atingida pelos juros cobrados nos cartões de crédito, em média de 12% ao mês, segundo ele, contra os 9% do cheque especial. "A classe média, base da pirâmide de consumo, constituída em boa parte de trabalhadores e aposentados, recorre ao cartão de crédito e acaba sendo massacrada pelas cobranças abusivas dos juros", reclamou. (AE)

não ser interessante para algumas empresas", afirma. O professor de finanças da Escola de Economia de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas (EESP-FGV), Samy Dana, diz que é preciso verificar,

ainda, se o banco que oferece a menor taxa tem também o menor Custo Efetivo Total (CET). "É preciso por na ponta do lápis a taxa de abertura de crédito e o Imposto Sobre Operações Financeiras", diz.

Empresas têm alta dependência de bancos

A

s empresas brasileiras ainda têm grande dependência de bancos para se financiar, em vez de buscar recursos nos mercados de capitais internacionais, afirmou ontem a agência de classificação de risco Moody's. Apesar de um modesto aumento na liquidez corporativa no ano passado, quando comparado aos Estados Unidos ou ao México, as companhias nacionais ainda dependem muito dos empréstimos bancários. "Companhias no Brasil frequentemente

CASA CRUZ

dependem pesadamente de financiamento de bancos e instituições financeiras estatais, embora poucas empresas tenham contratado linhas bancárias de crédito", disse a Moody's em nota. Para a agência, as empresas brasileiras estão expostas a riscos de liquidez diversos, inclusive possíveis interrupções na obtenção de crédito. A Moody's concluiu que 59% das 39 companhias classificadas, com exceção de construtoras, possuem liquidez boa ou adequada, ante 81% das empresas no México. (Agências)

DC

Rejane Tamoto

(11) 2 2 1 5 - 5 4 2 2 / 5 2 4 4

FERRAMENTAS

CASACRUZFERRAMENTAS.webstorelw.com.br www.casacruzferramentas.com.br

QUÍMICOS: Marcador Industrial, Pasta Ajuste e Trava Rosca; CORTE: Bedame, Bits, Serra Circular, Fresa, Macho, Broca; MANUAL: Lima, Algarismo/Alfabeto, Chapa; ABRASIVOS: Rebolos, Pedras, Discos e MUITO MAIS.

Rua Silva Bueno, 2.719 - Ipiranga

Corneta


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

terça-feira, 8 de maio de 2012

e Indústria nacional "perde substância" A indústria precisa de algo semelhante ao que a Embrapa é para a agricultura. Rogério Amato, presidente da ACSP e da Facesp

conomia

Avaliação é do economista Akihiro Ikeda, que participou de reunião plenária na ACSP. Para ele, situação é preocupante e pode ameaçar expansão da economia. Newton Santos/Hype

China, também um país em Renato Carbonari Ibelli desenvolvimento, essa participação é de 45%. participação da inEstagnação – O economista dústria na economia lembrou que o setor industrial nacional hoje é um é o que mais responde por emp o u c o s u p e r i o r a prego e renda, fatores que 16%, o que significa que é pra- sustentam o avanço da econoticamente a metade da obser- mia brasileira. Entretanto, ao vada três décadas atrás. Um longo de 2011, a indústria de dado preocupante, segundo o transformação praticamente economista Akihiro Ikeda, pa- estagnou, com avanço de apera quem a indústria brasileira nas 0,1%. E neste ano, de acor"perde substância" perigosa- do com Ikeda, a situação não mente. Ontem, em reunião deve ser muito diferente, conplenária da Associação Co- siderando a lenta recuperamercial de São Paulo (ACSP), o ção de importantes mercados economista alertou para a ne- compradores do Brasil, como cessidade de o governo equili- a Europa e os Estados Unidos. brar os juros e a carga tributá- "O governo precisa avançar ria do País com as de merca- mais com suas medidas, perd o s c o n c o rmitindo conrentes, sob dições de jupena de a esros, carga tritagnação inbutária e O governo precisa dustrial comc â m b i o s eavançar mais, com prometer o melhantes às c re sc im en to do restante condições de juros, do Brasil. do mundo”, carga tributária Para Ikeda, afirmou. e câmbio é natural que Além de semelhantes às do o amadureciperder esparestante do mundo. ço para os immento da economia portados no AKIHIRO IKEDA, ECONOMISTA aqueça a demercado inmanda por t e r n o , a i nserviços, ao mesmo tempo em dústria nacional sofre para que o setor industrial compa- conquistar o mercado exterrativamente perde espaço. no. A participação brasileira Porém, a participação da in- nas exportações mundiais é dustria brasileira, segundo hoje quase a mesma da décaele, está muito aquém daque- da de 1980: avançou de 1,2%, la esperada para um país no ní- em 1984, para 1,4%, em 2011. vel de desenvolvimento no Nesse mesmo período, a prequal nos encontramos. Por sença da China nas vendas exaqui, enquanto o setor indus- ternas passou de 1,2% para trial responde por 16% do Pro- 10,4% e a da Coreia do Sul saiu duto Interno Bruto (PIB), na de 1,1% para 3%.

O membro do Conselho Superior da ACSP Robert Shueri, o vicepresidente Roberto Mateus Ordine, o presidente da entidade e da Facesp, Rogério Amato, o economista Akihiro Ikeda e o economistachefe da ACSP Marcel Solimeo durante a plenária.

A

Infraestrutura – Durante a plenária, Ikeda falou ainda da importância de o governo ir além das recentes medidas fiscais e monetárias. Segundo ele, para que a indústria possa crescer de maneira sustentável, é preciso retomar os investimentos em infraestrutura. De acordo com o economista, o governo investia 5% do PIB em infraestrutura na década de 1980, quando a carga tributária era de 25%. Atualmente, mesmo com uma carga tributária da ordem de 36%, os investimentos caíram para 2,5% do PIB. "Uma maior pre-

sença da iniciativa privada nesses investimentos é fundamental", disse Ikeda. Para Rogério Amato, presidente da ACSP e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), a indústria carece também de entidades e organismos que tenham uma visão mais ampla das necessidades do setor. "Temos diversos entes que lutam por pequenas causas, mas estamos carentes daqueles que brigam pelo setor todo", disse Amato. O presidente da ACSP traçou um paralelo da situação da indústria de transformação

com a do agronegócio. "O agronegócio brasileiro não teria o mesmo avanço se por trás não houvesse entidades do porte da Embrapa ( E m pr e s a Brasileira de Pesquisa Agropecuária). Precisamos de algo semelhante para a indústria", exemplificou Amato. Ikeda também comentou as recentes medidas do governo federal para reduzir os juros e as consequências dessas ações. Para o economista, "embora sejam feitas de maneira um tanto quanto populista", as pressões para que os bancos privados reduzam os juros são importantes.

Mas, segundo Ikeda, existe o receio de que, com juros mais baixos, o País se torne menos atrativo para investidores estrangeiros, o que faria recursos saírem da economia brasileira. No ano passado, mais de um terço dos investimentos estrangeiros no País foram direcionados aos títulos públicos do governo ou para ações. "Com taxas de juros menores, esses investimentos perdem rendimento. Qualquer recessão pode levar investidores a colocar recursos em economias que passarão a pagar mais, como a Índia", disse o economista.

Caem produção e vendas de veículos em abril Expectativa da Anfavea, no entanto, é de recuperação do setor automotivo nos próximos meses.

BRINDES IMPORTADOS Ecobags – Sacolas – Mochilas Fabricação Própria

Tel.: 2601-1572 / 2268-3025 Endereço: Av. Álvaro Ramos, 2.580 – salas 34,35 – Água Rasa - SP

A

bril foi um mês ruim para o mercado brasileiro de veículos. Dados divulgados ontem pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), mostram que as vendas totais de veículos no mercado interno (de automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus) atingiram 257.885 unidades, queda de 14,2% ante março e de 10,8% em relação a abril de 2011. No caso da produção, as reduções foram de 15,5% (ante março) e de 7,5% (ante abril do ano passado). Foram produzidas no País 260,8 mil unidades. No ano, na comparação com os quatro primeiros meses de 2011, as vendas caíram 3,4% e a produção diminuiu 10,1%. Considerando apenas automóveis e comerciais leves, a produção chegou a 246.643 unidades em abril, queda de 14,9% ante março e de 6,3% em relação a abril de 2011. Otimismo – Apesar desses números negativos, o presidente da Anfavea, Cledorvino Belini, disse estar otimista com relação às vendas da indústria automotiva nos próximos meses. O otimismo vem da manutenção dos níveis de emprego e renda e dos cortes das taxas de juros.

Pátio de montadora lotado de veículos: tempo médio para venda subiu para 43 dias em abril, ante 35 dias no mês anterior, segundo a Anfavea.

Lucas Lacaz Ruiz/AE – 1/4/12

Brindes Promocionais

Na avaliação de Belini, a queda de vendas de veículos acumulada de janeiro a abril deve ser compensada nos próximos meses, podendo começar agora em maio. Ele não

quis, no entanto, fazer novas previsões para o ano: manteve a projeção de crescimento de vendas em torno de 4%. Mudanças, se houver, só no segundo semestre.

Negócios da Nissan crescem 142%

A

s vendas da Nissan no Brasil aumentaram 142% em abril na comparação com igual mês do ano passado. Foram comercializadas 8.614 unidades, que deram à montadora japonesa 3,5% do mercado nacional.

Os estoques nas montadoras e concessionárias subiram em abril para um giro (tempo médio em que o veículo leva para ser vendido) de 43 dias, ante 35 dias em março. (AE)

"Em um mês de retração do mercado brasileiro, a Nissan atingiu bons números, o que nos mantêm otimistas em relação ao crescimento sólido da marca em 2012", afirmou o presidente da Nissan do Brasil Christian Meunier, por meio de nota, referindo-se aos dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), que mostraram vendas e produção em queda no Brasil (leia mais acima). (AE)

eduardodosbichos@gmail.com

E D U A R D O Cabritos - Galos Pombos - Frangos Angolas - Pavões - Faisões Porcos - Ibis - Garrotes Entrega em domicílio sem cobrança de frete Temos Peixes Vivos sob encomenda

Bagre, Carpa, Tilápia e outros

Fone: (11) 2571-6793 / 2156-0191

Cel.: (Vivo) 9899-7383 / (Oi) 6534-7183

Rua Desembargador Otávio Egydio Roggiero, 91 - Itaim Paulista - SP


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de maio de 2012

e

15 Miguel Galuccio é engenheiro e até duas semanas atrás era executivo da gigante Schlumberger, empresa global de serviços petrolíferos.

conomia

Thierry Roge/EFE

Galuccio assume YPF com plano para 100 dias CEO da nova YPF quer tornar a Argentina especialista mundial no rejuvenescimento de jazidas marginais

C

Karel De Gucht, comissário da UE, diz que o Brasil "tem muito a perder"

União Europeia critica protecionismo do Brasil

O

comissário de Comércio da União Europeia (UE), Karel De Gucht, chamou a atenção ontem para o "protecionismo na América do Sul" e disse que o Brasil, a maior economia da região, tem "muito a perder". Os comentários de Gucht ocorrem poucas semanas depois de a presidente da Argentina, Cristina Kirchner, enviar ao Congresso um projeto de lei – já aprovado e sancionado – que expropria 51% de participação da espanhola Repsol na petrolífera YPF e uma semana após o presidente da Bolívia, Evo Morales, expropriar ativos da operadora de rede de ener-

gia elétrica espanhola Red Eléctrica Corp. e ordenar que as forças armadas tomassem as instalações. Em discurso, Gucht ressaltou que o Brasil "tem muito a perder com uma tendência ao protecionismo na região" e afirmou que uma América Latina integrada criaria fortes economias, "tornando-as mais competitivas com os mercados globais". Ele afirmou ainda que o Brasil deve se orgulhar do enorme progresso que obteve nos últimos anos, mas que "o País não pode se acomodar se deseja atingir um novo estágio de desenvolvimento". (AE)

TAM amplia parceria com Air China

A

TAM informou ontem que ampliou seu acordo de compartilhamento de voos (codeshare) com a Air China. De acordo com a empresa, seus clientes terão uma frequência diária partindo do aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, e mais cinco serviços semanais com origem no aeroporto do Galeão, no Rio de Janeiro. O voo tem parada em Paris, com conexão no Aeroporto Charles de Gaulle, de onde os passageiros seguirão viagem em voos da companhia de bandeira nacional chinesa. A partir de Paris, os clientes têm à disposição o voo JJ 8384, que parte às 20h20. No sentido inverso, o JJ 8383 decola às 13h35 de Pequim. As passagens estão disponíveis para venda em todos os canais comerciais da TAM.

"A nova configuração do acordo com a Air China está alinhada aos objetivos de expansão da TAM no continente asiático, onde a companhia possui um escritório comercial em Hong Kong (China), representações comerciais na Coreia do Sul, na Índia, na Tailândia e em Taiwan, além de gerências na China e no Japão", informou a companhia aérea. Antes da ampliação do (codeshare) com a Air China, disponível desde agosto de 2009, os clientes da TAM faziam a conexão com destino a Pequim no aeroporto de Barajas, em Madri (Espanha). A TAM também têm voos compartilhados com a All Nipon Airways (ANA), oferecendo a seus clientes a possibilidade de chegar ao continente asiático por meio do aeroporto de Tóquio. (Agências)

om a missão de aumentar a exploração e a produção de petróleo e gás na Argentina, o novo gerente-geral da petrolífera argentina YPF, Miguel Galuccio, assumiu o cargo ontem e lançou um plano para os primeiros 100 dias de gestão. "Temos um plano para nos tornarmos o primeiro especialista mundial no rejuvenescimento de jazidas marginais, líder no desenvolvimento de recursos não convencionais, além de exportadores de serviços profissionais para desenvolvimento de projetos de downstream em toda a América Latina", disse Galuccio, referindo-se à área de Vaca Muerta, com recursos de gás e óleo de xisto que podem transformar a Argentina na terceira maior reserva mundial desse tipo de combustíveis. Galuccio estreou no cargo com uma reunião com os operários da companhia em Comodoro Rivadávia, lugar onde nasceu a YPF com a primeira descoberta de petróleo na Argentina. "Aqui nasceu a YPF e aqui também, há 20 anos, comecei minha carreira profissional", disse o CEO. Galuccio, um engenheiro de 44 anos que até duas semanas atrás era executivo da gigante Schlumberger, empresa glo-

bal de serviços petrolíferos, transmitiu a mensagem de que a empresa terá uma gestão "eficiente e profissional", como pediu a presidente Cristina Kirchner. Com experiência na liderança de projetos nos EUA, na Europa, na América Latina, no Oriente Médio e na Ásia, Galuccio reconheceu que terá o desafio de dar uma nova identidade à maior empresa petrolífera do país, após a expropriação de 51% das ações da espanhola Repsol na YPF.

O

grande consumidora do minério de ferro da mineradora brasileira. No fim do mês passado, em teleconferência com analistas, o diretor de Ferrosos e Estratégia da Vale, José Carlos Martins, disse que a instalação do centro da China ainda dependia de licenças e autorizações. A Vale possui um centro de distribuição em Omã e uma estação de transferência de minério nas Filipinas. O centro na Malásia está planejado para entrar em operação no fim de 2013. (AE)

Necessito de todos vocês. Temos um futuro brilhante pela frente. MIGUEL GALUCCIO, YPF

Vanguarda Agro S.A. Cia.Aberta de Capital Autorizado CNPJ/MF 05.799.312/0001-20

FATO RELEVANTE Celebração de Instrumento deTransação entre Acionistas A VANGUARDA AGRO S.A. (“Companhia” ou “V-Agro”), sociedade por ações de capital aberto, com sede estabelecida na cidade São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, 1461, 4º andar, Torre Sul, Pinheiros, CEP 01452-921, cujas ações ordinárias estão admitidas à negociação no segmento do Novo Mercado da BM&FBovespa S.A. - Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (“BM&FBovespa”) sob o código VAGR3, em cumprimento ao disposto no artigo 157, §4º, da Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, conforme alterada, e na Instrução da Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) nº 358, de 3 de janeiro de 2002, conforme alterada, comunica aos seus acionistas e ao mercado em geral o que se segue: Em 5 de maio de 2012, Veremonte Participações, Veremonte Internacional B.V., Tiradentes Fundo de Investimento em Participações, Vila Rica I Fundo de Investimentos em Participações, Otaviano Olavo Pivetta, Adriano Xavier Pivetta, Pedro Roberto Tissiani e Nêusa Lúcia Pivetta Tissiani (conjuntamente denominados “Partes”) celebraram Instrumento Particular de Transação (“Acordo”), sujeito apenas a registro junto ao agente escriturador e a extinção dos processos judiciais e arbitrais existentes. O Acordo resulta, dentre outras obrigações estabelecidas entre as Partes, na: (i) Rescisão do Acordo de Acionistas, celebrado em 29 de julho de 2011, entre Tiradentes Fundo de Investimento em Participações, Vila Rica I Fundo de Investimentos em Participações, Otaviano Olavo Pivetta;e (ii) Rescisão do Contrato de Terras celebrado em 05 de agosto de 2011, entre Veremonte Internacional B.V., Vanguarda Participações S.A, Vanguarda do Brasil S.A, Fazenda Mãe Margarida S.A, Fazenda Terra Santa S.A, Fazenda Ribeiro do Céu S.A, e Fazenda Iporanga S.A. Por fim, além do mencionado acima, a Companhia remete ao Comunicado ao Mercado divulgado, na presente data, divulgando comunicação recebida, na forma da Instrução da Comissão de Valores Mobiliários (“CVM”) nº 358, pelos acionistas Tiradentes Fundo de Investimento em Participações,Vila Rica I Fundo de Investimentos em Participações e Otaviano Olavo Pivetta. A Companhia, em cumprimento a regulamentação da Comissão de Valores Mobiliários - CVM e ao regulamento do Novo Mercado, manterá seus acionistas e o mercado informados sobre a existência de qualquer informação ou fato relevante envolvendo a Companhia, através da BM&FBovespa, da CVM, website - www.v-agro.com.br/ri. São Paulo, 7 de maio de 2012 Bento Moreira Franco Diretor Presidente e de Relações com Investidores

L.G.I.S.P.E. Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ: 12.771.331/0001-04 – NIRE: 35.300.385.802 Ata de Assembléia Geral Extraordinária realizada em 07/11/2011 Data, Hora e Local: 07/11/11, 10hs, na sede. Presença: Totalidade. Mesa: Rogerio Santos da Silva, Presidente; Elisabete Bressanin, Secretária. Ordem do dia: (i) alteração do nome, da sede e do objeto social da Cia.; (ii) eleição da nova diretoria em substituição a atual, com designação de cargo de Dir. Presidente e Dir. Responsável Técnico e remuneração global dos administradores; (iii) reforma e consolidação do estatuto social. Deliberações: Aprovaram: (i) a alteração do nome da Cia. para Realton Empreendimentos Imobiliários e Participações S.A., podendo usar o nome fantasia “Realton Brasil S.A.”; com sede na R. Periquito, 225, apto nº 41, V. Uberabinha, em SP/SP, e tendo como objeto social a “corretagem na compra e venda e avaliação de imóveis, assim como a participação em outras sociedades, como sócia ou acionista, no país ou no exterior (“holding”)”. (ii) em substituição aos atuais diretores Sueli de Fátima Ferreti e Cleber Faria Fernandes, foram eleitos Rogério Santos da Silva, RG nº 15.912.407 SSP/SP, CPF/MF nº 087.771.488-60, para exercer o cargo de Dir. Presidente, e Elisabete Bressanin, RG nº 10.356.217-5, CPF/MF nº 826.901.468.00, para o cargo de Dir. Responsável Técnico, os quais tomam posse neste ato e declaram, para os efeitos do disposto §1o do art. 147 da Lei nº 6.404/76 e no art. 35, II, da Lei nº 8.934/94, não estarem incursos em nenhum dos crimes previstos em lei que os impeçam de exercer atividade mercantil, não estão impedidos por lei especial, ou condenados por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, contra a economia popular, a fé pública ou a propriedade, ou a pena criminal que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; atendem aos requisitos de reputação ilibada estabelecido pelo §3o do art. 147 da Lei no. 6.404/76; Deliberam, ainda, que a remuneração global anual será de R$ 5.000,00 para, na forma do estatuto social aprovado, ser destinada à remuneração dos administradores. Os administradores ora eleitos deverão permanecer em seus cargos até a realização da próxima assembléia geral ordinária da Cia.. (iii) em razão das deliberações acima, os acionistas deliberam ainda realizar a reforma e consolidação do estatuto social da Cia. Encerramento: Nada mais. Assinaturas: Acionistas – Rogerio Santos da Silva e Rodrigo Santos do Nascimento Martins. SP, 07/11/11. Jucesp 475.007/11-6 em 23/11/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral

PREFEITURA MUNICIPAL DE PEREIRA BARRETO/SP PREGÃO Nº 013/2012 - PROCESSO Nº 2428/2012 RESUMO DE EDITAL ARNALDO SHIGUEYUKI ENOMOTO, Prefeito de Pereira Barreto, faz saber que se acha aberto, até as 14:30 horas do dia 24 de maio de 2012, o Pregão nº 013/2012 que tem por objeto Contratação de empresa para Prestação de Serviço com fornecimento de mão de obra com monitores em transporte escolar nos termos da resolução SE 27 de 09/05/2011 e SE 28 de 12/05/2011 DA SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DO ESTADO DE SÃO PAULO, sendo do tipo “menor preço” de acordo com a Lei Federal nº 10.520/2002. Maiores informações no Dep. de Licitações desta Prefeitura, pelo fone/fax (18) 3704-8505, e-mail licitacao@pereirabarreto.sp.gov.br, ou ainda o Edital completo no website www.pereirabarreto.sp.gov.br. Pereira Barreto, 07 de maio de 2012. Arnaldo Shigueyuki Enomoto - Prefeito Municipal

MARITZA GRANDE DA SILVA LEILOEIRO PÚBLICO OFICIAL JUCESP Nº 850 EDITAL DE LEILÃO Faz saber que, devidamente autorizada pela empresa RICARDO CORREIA LOUSA ME, realizará no dia 08/05/2012, às 10:00 horas, o leilão ON-LINE, através do site: www.nacionalleiloes.com.br, dos seguintes bens: 2 veículos (renavam: 655357190 e 136010458). Maiores informações (11) 6656-0000.

CD da Vale na Malásia atenderá chineses presidente da Vale, Murilo Ferreira, disse ontem, durante conversa com a imprensa, que o centro de distribuição que a mineradora está construindo na Malásia também atenderá os clientes chineses. "Nós queremos construir em outros lugares (centros), queremos atender a China, mas temos outros clientes importantes no Japão, na Coreia e em Taiwan. O centro de distribuição na Malásia está muito bem localizado", afirmou. Atualmente, a China é a

"Temos que buscar nossa própria identidade. Queremos conseguir uma YPF com sentido nacional, competitiva, empreendedora, moderna, capaz de dar resultados a seus acionistas, líder na indústria petrolífera e protagonista no desenvolvimento energético da Argentina", disse. Segundo ele, todos vão estar envolvidos no plano desenhado para os próximos 100 dias. "Necessito de todos vocês. Temos um futuro brilhante pela frente", disse Galuccio. (AE)

Glock do Brasil S.A. CNPJ/MF n° 06.275.981/0001-66 – NlRE 35.300.321.022 Ata da Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária realizada 29/03/11 Data, Hora e Local: 29/03/11, 10h, na sede. Convocação e Presença: Dispensada a Convocação, acionistas representando a totalidade.Demonstrações Financeiras de 2009: Como permitido pelo Art. 294, inciso lI, da Lei n° 6.404/76, conforme alterada, as demonstrações financeiras da Cia. relativas ao exercício social findo em 31/12/09 não foram publicadas e suas cópias autenticadas serão anexadas às cópias desta Ata para fins de registro na Jucesp. Demonstrações Financeiras de 2010: As demonstrações financeiras da Cia. relativas ao exercício social findo em 31/12/10 ainda se encontram em processo de revisão pela administração da Cia. e serão submetidas à aprovação dos acionistas, juntamente com as contas da Adm. relativas àquele exercício, em Assembléia Geral a ser convocada oportunamente. Mesa: (i) Presidente: Luiz Antonio Martins de Freitas Horta; e (ii) Secretária: Fernanda Pereira Leite. Ordem do Dia: Conforme edital de convocação lido pelo Presidente da Mesa aos presentes. 1. AGO: Os acionistas, por unanimidade, deliberaram em sede de AGO: (i) lavrar esta Ata na forma de sumário e autorizar a sua publicação com omissão das assinaturas dos acionistas, como facultam, respectivamente, os §§ 1° e 2° do Art. 130 da Lei n° 6.404/76, conforme alterada; e (ii) eleger os membros do Cons. de Adm. da Cia., a saber: (a) o Sr. Reinhold Hirschheiter, passaporte austríaco n° P 1844981, que é eleito como Presidente do Cons. de Adm., (b) o Sr. Werner Norbert Ruppnig, passaporte austríaco n° P 1893824, que é eleito para o cargo de Conselheiro, (c) o Sr. Stephan josef Doerler, passaporte austríaco n° H 09001495, que é reeleito para o cargo de Oonselheiro, e (d) o Sr. Luiz Antonio Martins de Freitas Horta, RG n° 12.310.218-2 SSP/SP, CPF/MF n° 075.157.998-03, também reeleito para o cargo de Conselheiro, todos com mandato até a investidura dos membros do Cons. de Adm. da Cia. a serem eleitos pela AGO a ser realizada no exercício de 2014. Os Conselheiros ora eleitos tomaram possé neste data mediante assinatura dos respectivos termos de posse lavrados no Livro de Registro de Atas das Reuniões do Cons. de Adm. da Cia. e assinam esta Ata para declarar, sob as penas da lei, que não estão incursos em quaisquer dos crimes que os impeçam de exercer a atividade mercantil. Os Conselheiros domiciliados no exterior outorgaram procuração ao Sr. Luiz Antonio Martins de Freitas Horta, para fins do disposto no art. 146, § 2°, da Lei n° 6.404/76, conforme alterada, e renunciaram à remuneração a que teriam direito pelo exercício de suas respectivas funções como Conselheiros da Cia.. Ato contínuo, a remuneração anual global do Cons. de Adm. e da Diretoria foi fixada pela Assembléia Geral em R$12.960,00, a ser partilhada igualmente entre os membros dos órgãos de administração da Cia., tendo ficado estabelecido, no entanto, que o acúmulo de cargos não conferirá direito ao pagamento de remuneração a maior ou em dobro. 2. AGE: Os acionistas, por unanimidade, deliberaram em sede de AGE: (i) aprovar as contas dos administradores e as demonstrações financeiras da Cia. relativas ao exercício social findo em 31/12/09; e (ii) destinar o lucro líquido apurado, pela Cia. com base nas demonstrações financeiras aprovadas nos termos do item (i) acima, no valor total de R$797.046,74, para a conta de reserva de lucros da Cia. Encerramento: Nada mais. (aa) Luiz Antonio Martins de Freitas Horta, Presidente da Mesa; Fernanda Pereira Leite, Secretária da Mesa. Acionistas: p.p. Glock Gesellschaft m.b.H., Luiz Antonio Martins de Freiras Horta; Luiz Antonio Martins de Freiras Horta; Brigitte Glock; e Stephan Josef Doerler. Conselheiros eleitos: Reinhold Hirschheiter; Werner Norbert Ruppnig; Stephan Josef Doerler; e Luiz Antonio Martins de Freitas Horta. SP, 29/03/11. Luiz Antonio Martins de Freiras Horta - Presidente - Fernanda Pereira Leite - Secretária - Conselheiros eleitos: Reinhold Hirschheiter - Werner Norbert Rupping - Stephan Josef Doerler - Luiz Antonio Martins de Freitas Horta. Jucesp 232.981/11-5 em 16/06/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: PREGÃO ELETRÔNICO DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 36/00029/12/05 OBJETO: PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS PARA RETIRADA, TRANSPORTE, DESCONTAMINAÇÃO E DESTINAÇÃO FINAL DE LÂMPADAS FLUORESCENTES TUBULARES, LÂMPADAS ELIPSOIDAIS USADAS E LÂMPADAS QUEBRADAS A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Prestação de serviços para retirada, transporte, descontaminação e destinação final de lâmpadas fluorescentes tubulares, lâmpadas elipsoidais usadas e lâmpadas quebradas. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 08/05/2012, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luis, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 21/05/2012, às 09:30 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer rigorosamente ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 08/05/2012, até o momento anterior ao início da sessão pública. JOSÉ BERNARDO ORTIZ Presidente

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP PROCESSO LICITATÓRIO Nº 14/12 - CONCORRÊNCIA Nº 02/12 Processo Licitatório 14/12. Concorrência 02/12. Objeto: Concessão de direito real de uso de 14 (quatorze) lotes localizados numa área desmembrada do imóvel denominado “Fazenda Paraíso”, localizada na margem da pista leste da Rodovia Marechal Rondon SP – 300, denominada Distrito Industrial Benedito Rodrigues de Matos, relativa à matrícula 29.012, com área superficial de 74.530,00 metros quadrados ou 7,4530 hectares, para a implantação, expansão e/ou ampliação de empresas industriais, agroindustriais e comerciais. Termo de Reratificação. 1- O horário previsto para apresentação dos documentos de habilitação e proposta, estabelecido no item 1.2 do edital, passa a ser 14 horas. 2 – As demais cláusulas e condições permanecem inalteradas. Castilho – SP. 04 de maio de 2012. Antonio Carlos Ribeiro – Prefeito. A Debitar (08.05.12). L.G.I.S.P.E. Empreendimentos e Participações S.A. CNPJ: 12.771.331/0001-04 – NIRE: 35.300.385.802 Ata de Assembléia Geral Ordinária realizada em 30 de abril de 2011 1. Data, hora e local: 30/04/11, 11:30hs, na sede.2. Convocação: Dispensada.3. Presença: Totalidade.5. Ordem do Dia: (i) Aprovar o balanço patrimonial da Cia. encerrado em 31/12/10; (ii) Reeleger a diretoria da Cia.. 6. Deliberações: Os acionistas, por unanimidade, aprovaram, sem restrições, o Balanço Patrimonial da Companhia, encerrado em 31/12/10, não publicado conforme faculdade prevista no art. 294 da Lei nº 6.404/76.Os acionistas aprovaram a reeleição da diretoria da sociedade, sendo reeleitos o Sr. Cleber Faria Fernandes, RG nº 23.360.684-1, SSP/SP, CPF/MF nº 192.212.358-74 e Sra. Sueli de Fátima Ferretti, RG nº 7.743.932, SSP/SP, CPF/MF nº 764.868.778-04. 7. Encerramento: Nada mais. Presidente: Cleber Faria Fernandes; Secretária: Sueli de Fátima Ferretti; Acionistas: Cleber Faria Fernandes e Sueli de Fátima Ferretti.SP, 30/04/11.Jucesp 216.263/11-6 em 09/06/2011.Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 07 de maio de 2012, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: BICBANCO Banco Industrial e Comercial S/A. Requerido: RIMED Comércio e Representações Ltda. Rua Cayowaa, 1.042 – Complemento 1044 - Perdizes - 1ª Vara de Falência. Requerente: Lourdes Aparecida Moysés. Requerido: Alloy Metais Produtos e Insumos Metalúrgicos Ltda. Rua Rui Martins, 312 – Alto da Mooca - 2ª Vara de Falência. Requerente: Uniserv União de Serviços Ltda. Requerido: Fotofacto Fotolito e Editora Ltda. Rua Forte da Ribeira, 251 – Parque São Lourenço - 2ª Vara de Falência. Recuperação Judicial Requerente: Metalúrgica Lucco Ltda. Requerido: Metalúrgica Lucco Ltda. Rua Liege, 156/158 Nossa Senhora das Mercês - 2 ª V.ara de Falência.

HOSPITAL NESTOR GOULART REIS - AMÉRICO BRASILIENSE/SP O Diretor Técnico de Saúde III do Hospital Nestor Goulart Reis, usando da competência delegada pelos artigos 3° e 7°, inciso I, do Decreto estadual n° 47.297, de 06 de novembro de 2002, c.c. artigo 8°, do Decreto estadual n° 49.722, de 24 de junho de 2005, torna público que encontra-se aberto, no HOSPITAL NESTOR GOULART REIS ,PREGÃO ELETRÔNICO nº 017/2012, destinado à Contratação de Mão de Obra Especializada para PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE VIGILÂNCIA/SEGURANÇA PATRIMONIAL, por um período de 15 (quinze) meses do tipo MENOR PREÇO. A realização da sessão será no dia 22/05/ 2012 às 10h00, na sala do Núcleo de Gestão de Contratos do Hospital Nestor Goulart Reis, sito à Rua Pedro Frigeri, nº 10 - Santa Terezinha - Américo Brasiliense/SP, através do sistema eletrônico BEC no site www.bec.sp.gov.br. A vistoria para o serviço supracitado será nos dias úteis compreendidos entre 08/05 e 21/05/2012, no horário das 09h00 às 17h00 com intervalo para almoço das 12h00 às 13h00, que deverá ser pré agendado no Fone: (16) 3392-1914 Ramal 230 ou 210, ou Fone: (16) 3392-2979, e será acompanhado por funcionário responsável da Unidade ou a sua ordem. O certame será conduzido pela pregoeira Sra. Lúcia Helena de Oliveira Maduro, como suplente de pregoeiro a Srª. Elaine Cristina Roberto Antonio, tendo como equipe de Apoio o Sr. Haroldo Carlos Defávere.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

terça-feira, 8 de maio de 2012

O calendário favoreceu, neste ano o Dia das Mães cai no dia 13. Em 2011, foi dia 8. Jorge Faiçal, diretor de operações do Extra

conomia Newton Santos/Hype

Karina Lignelli

O

Dia das Mães promete para o varejo: os resultados do fim de semana que antecede a segunda melhor data do ano para o setor em vendas apontam perspectivas bastante otimistas para alguns estabelecimentos e redes varejistas. Com alta média de 10% em 5 e 6 de maio, tanto em vendas como em faturamento, os números individuais superaram os 6% de alta estimados anteriormente por diversos lojistas e entidades. Exemplo disso são as redes como as Lojas CEM e os hipermercados Extra. A expectativa de crescimento de 20% nas vendas para o Dia das Mães já vem se confirmando nos dois últimos fins de semana, segundo o supervisor-geral da Lojas CEM, José Domingos Alves. A grande quantidade de promoções, principalmente em eletroeletrônicos, e os juros abaixo do mercado, estão puxando os resultados antes da data. "O movimento é altamente positivo. Imagino que vai até ultrapassar as expectativas", afirmou. Já o Extra, que espera alta de 15% nas vendas no Dia das Mães, registrou aumento semelhante no último fim de semana, puxado principalmente pela prorrogação, até sábado passado, da promoção "Alerta Vermelho", com 50% de desconto em todas as categorias. Segundo o diretor de operações, Jorge Faiçal, a alta concentrou-se principalmente nos produtos "que interessam às mães", como têxteis, notebooks e eletroportáteis". Em outras, como telefonia, chegou a 30%. "O calendário favoreceu, neste ano o Dia das Mães cai no dia 13, diferente de 2011, quando foi dia 8. Deu mais tempo para fazer a pre-

Ações promocionais mais prolongadas, chuva e frio aumentam a procura por peças de vestuário, eletrônicos e moda feminina

Comércio já comemora as vendas do Dia das Mães Fim de semana que antecede a data surpreendeu: crescimento médio esperado era de 6%, mas atingiu os 10%. paração para a data, por isso estamos otimistas", afirmou. Na região da 25 de Março, a procura por utilidades domésticas incrementou as vendas no Armarinhos Fernando. Segundo o diretor-geral da matriz, Ondamar Ferreira, desde o início do mês, a procura por presentes para as mães já provocou um aumento de público em torno de 6% nas unidades

da rede. "No sábado e no domingo será ainda maior – o que deve confirmar a expectativa de alta nas vendas de aproximadamente 8%, em comparação a 2011", disse. Antecipação – O movimento maior e a antecipação das compras de presentes para as mães antes até do feriado prolongado de 1º de maio – que se intensificaram no último fim

de semana– também são confirmados pelo setor de shoppings, que estima crescimento de 8% nas vendas para a data, de acordo com as expectativas projetadas pela Associação Brasileira dos Lojistas de Shopping (Alshop). Para o diretor de relações institucionais da Alshop, Luís Augusto Ildefonso da Silva, apesar de ainda não haver re-

sultados fechados, diversos centros de compras consultados pela entidade registraram um acréscimo significativo no número de consumidores no último fim de semana antes do Dia das Mães. "Isso já vem desde o feriado do Dia do Trabalho, que foi espantoso: nem a chuva, nem o frio, espantaram as pessoas. Pelo contrário, impulsionaram

as vendas para a data. E o movimento vem seguindo forte", explicou ele. Ações promocionais e a procura maior por peças de vestuário e moda feminina têm impactado positivamente os resultados. "O aumento de 20% no preço das importações de algodão em 2011 foi repassado para o consumidor, que levou um susto. Mas os preços estão estabilizados agora", justificou. O aumento é confirmado tanto pelo complexo que abrange os shoppings Interlagos e Interlar, na Zona Sul, como pelo Mais Shopping, na região do Largo 13 de Maio, em Santo Amaro. De acordo com a superintendente do complexo, Carla Bordon Gomes, o movimento intenso nos dois shoppings, que começou antes do feriado, foi puxado principalmente pela Semana de Moda. "A segunda-feira antes do 1º de Maio foi como um sábado para nós", explicou. Neste último fim de semana, cresceu 10% ante o mesmo período de 2011. "Os eventos ajudaram o consumidor a escolher o melhor presente", disse ela, que espera 130 mil pessoas no sábado, contra as habituais 110 mil. No Mais Shopping, inaugurado há um ano e meio, a adesão de consumidores à promoção "Semana de Rainha", que presenteia as mães com diversos prêmios e uma viagem a Buenos Aires, é um bom termômetro de consumo. Até quarta-feira passada, dia 2 de maio, haviam sido trocados 2 mil cupons, distribuídos a cada R$ 50 em compras. No domingo, chegaram a 4.321. "Até sábado, a expectativa é que esse número de cupons duplique", informou a diretora de marketing corporativo da REP Centros Comerciais, que administra o shopping, Mônica Vianna.

Ricardo Padue/AFG - 28.11.06

Diversificação: 84% das famílias se abastecem em mais de três diferentes canais de vendas por mês.

Supermercados esperam alta de 4,5% Paula Cunha

O

setor supermercadista de São Paulo trabalha com a previsão de crescimento real de 4,5% neste ano e espera realizar negócios da ordem de R$ 58 bilhões na 28ª edição da Apas 2012 – Congresso e Feira de Negócios em Supermercados – aberta ontem no Expocenter Norte, na capital paulista. Os supermercadistas apostam que, após o aumento do poder aquisitivo da classe C, os segmentos D e E serão os próximos agentes de incentivo à atividade econômica no País, a partir da implementação de novos programas de estímulo ao emprego e à geração de renda. Os empreendedores identificaram uma significativa mudança nos hábitos e na maneira com que os consumidores fazem suas compras e por isso estão investindo em logística, conectividade, eficiência operacional e otimização de recursos para enfrentar os desafios desta nova realidade. Martinho Paiva Moreira, diretor de Economia e Pesquisa da Associação Paulista de Supermercados (Apas), disse

que o crescimento das classes D e E está forçando a indústria a readequar os produtos, adotando, por exemplo, embalagens e preços menores para estimular a experimentação de itens de alimentação, higiene e limpeza. O presidente da Apas, João Galassi, lembrou que o setor representa, nacionalmente, 5,4% do Produto Interno Bruto (PIB) e que o faturamento somou R$ 224,3 bilhões em 2011, com aumento real de 4,4% sobre o ano anterior. O número de lojas cresceu 1% no período, somando 82 mil

unidades em todo o território nacional. Apenas o estado de São Paulo faturou R$ 68,4 bilhões no mesmo período, cifra 4,6% maior que em 2010, concentrando 19,9% de todas as lojas brasileiras e 30,5% do faturamento nacional. Diante destes números, o evento discute até o dia 10 de maio, com seus 550 expositores e um público estimado de 70 mil visitantes, as perspectivas de adoção de novos modelos de atuação que atendam melhor os consumidores e, ao mesmo tempo, antecipem as necessidades deles.

Consumidores querem diversificar

P

esquisa da ConsumerWatch Latam 2011, divulgada ontem durante a Apas 2012, revela que 84% dos lares brasileiros escolhem mais de três tipos de estabelecimentos varejistas para se abastecer no mês. Os clientes gostam de diversificar os locais de compra. Vão a supermercados, hipermercados, farmácias

e pequenas vendas conforme a necessidade, promoções, proximidade de casa e a chance de adquirir alimentos frescos e saudáveis. Já a opção por um comércio que permita comprar tudo de uma vez, como os hipermercados, está perdendo público para os atacarejos (que vendem produtos em quantidades maiores a preços menores). (PC)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de maio de 2012

17

O Novo iPad mostrou ser ótimo para entretenimento por causa da câmera de 5 MP, gravação de vídeos Full HD, chip A5X quadcore e tela Retina display.

nformática

A evolução do tablet da Apple: do limitado iPad 1, sem câmera, para o iPad 2 (câmeras frente e verso e chip Dual Core) até o "turbinado" Novo iPad, com tela de alta definição.

O novo iPad chegou. Veja se vale a compra. O cobiçado tablet estará disponível 6ª-feira no Brasil. O DC realizou alguns testes e avaliou prós e contras. Fotos: New

ton Santos

/ Hype

FERNANDO PORTO

E

les sempre chegam repletos de expectativas e críticas – várias negativas. Mas, gostem ou não dos lançamentos da Apple, a verdade é que em pouco tempo de venda, já sãos os gadgets mais procurados pelos consumidores do mundo inteiro. No Brasil, não é diferente. Portanto, já é possível ter ideia do frisson nas lojas, a partir da próxima sextafeira, quando tem início a comercialização da terceira geração do iPad que, dizem os críticos maldosos, não assume o nome de iPad 3, e sim apenas de "Novo iPad", porque não trouxe tantas inovações que possam diferenciá-lo da geração anterior, o iPad 2. Mas, se é verdade que não há nada revolucionário no novo tablet da Apple, seria injusto desprezar as melhorias que

o equipamento oferece. Pelo menos é que o DC Informática constatou em alguns testes comparativos com seu "irmão" mais velho, o iPad 2.

A pergunta que todos applemaníacos vêm fazendo desde seu lançamento no exterior no último dia 16 de março, é a mesma: vale a pena trocar o iPad antigo ou adquiri-lo como primeiro tablet? Ou ainda é mais compensador continuar ou comprar o iPad 2, que deve cair mais de preço – hoje a ver-

Comparamos in loco a espessura das 3 gerações (foto acima). Para jogos HD como Mass Effect (dir.), o novo iPad rodou sem "travar" a ação.

são mais simples custa R$ 1.400. Distribuidores, como a FNAC, informaram que o preço do Novo iPad – ainda não divulgado – deverá ser próximo ao de lançamento do Ipad 2 (de R$ 1.650 a R$ 2.600, conforme a configuração). Nos Estados Unidos, custa de US$ 499 (16 GB e apenas Wi-Fi) a US$ 829 (64GB e Wi-Fi + 4G). O site da Apple no Brasil confirmou o lançamento para sexta, mas também não dá detalhes de valores. A TIM anunciou ser a primeira operadora a oferecer a terceira geração do tablet. A zero hora da próxima sexta, a FNAC inicia suas vendas e a aposta de sucesso da rede é tão gran-

de, principalmente por causa do Dia das Mães, que a loja física abre no sábado (dia 12) uma hora mais cedo, 9h. Segundo a assessoria de imprensa da FNAC, a expectativa é de que as vendas de lançamento do Novo iPad sejam 30% superiores às da segunda geração por causa da data comemorativa e não haverá reposição do estoque do iPad 2. No teste comparativo, com uma versão Wi-Fi + 4G de 16GB, fica evidente a olho nu a diferença de espessura do Novo iPad (9,4 mm), mais fino que o da primeira geração (de 13,4 mm) e um pouco mais grosso que o 2 (8,8 mm). É também mais pesado (662 g no aparelho testado com Wi-Fi e 4G) que a segunda versão (613 g com 3G) e, claro, menos que a primeira (730 g). A imagem, considerada um

dos divisores de águas em comparação às antigas gerações por causa da tela Retina Display de 2048 X 1536 pixels – quatro vezes superior –, não pareceu tão superior na reprodução do mesmo filme HD que a do iPad 2 usado (tela de 1024 X 768 pixels). No entanto, impressionou muito o desempenho do novo chip A5X quadcore (quatro núcleos para gráficos) ao rodar um jogo próprio para o poderio do equipamento: "Mass Effect: Infiltrator", baseado em um dos maiores sucessos dos consoles de games. A tela do jogo não travou em nenhum momento e a qualidade gráfica é tão limpa como a de um Playstation 3 ou Xbox 360. Deve se tornar um duro concorrente aos portatéis da Sony e Nintendo, apesar de o controle de toques na tela não ser tão confortável e fácil de usar. O Novo iPad também mostrou uma diferença impressionante na criação de fotos com a câmera traseira de 5 MP – claras, definidas e com cores mais vivas que as imagens dos mesmos objetos e pessoas fotografadas com o iPad 2 (câmera traseira de 0,9 MP). Na filmagem, a qualidade de gravação em Full HD ficou evidente principalmente na definição de

pessoas mais distantes. Apesar da conexão 4G não ser testada – obviamente porque o padrão LTE (Long Term Evolution) não chegou ao Brasil – a conexão Wi-Fi em banda larga, em uma rede de 20 megabits/segundo, mostrou um excelente desempenho no teste de reprodução de vídeos no YouTube e download de um app de 444 MB (em 11 minutos). A bateria também mostrou que não houve evolução em relação ao iPad e o constante funcionamento, com reprodução de filmes e jogos em um dia, consumiu a carga total em apenas 6 horas e 17 minutos. Sobre a reclamações de super-aquecimento, feitas pela mídia no exterior, parece que houve algum ajuste no novo lote da Apple já que o aquecimento do equipamento não foi tão crítico em duas horas de jogo como os críticos estrangeiros alertavam. Nossa conclusão: a compra vale a pena para quem vai adquirir o primeiro tablet, ou tem o limitado iPad 1 (sem câmera), por causa da boa evolução de imagem, produção de fotos e vídeo Full HD. Para o dono de um iPad 2 só é vantajosa para quem tem menos espaço de HD (16 GB) e pode pegar um novo com 64 GB, ou adora filmes e games.

No teste de fotos, o Novo Ipad mostrou a alta qualidade da cãmera 5 MP, assim como na gravação de vídeo em Full HD.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

terça-feira, 8 de maio de 2012

Veja abaixo nossa seção On especial com dicas de presentes para o Dia das Mães; de acessórios para tablets a smartphone personalizado. nformática

n FILMAÇOS - Sugestão da Netflix: assinaturapresente de 1 a 12 meses. www.netflix. com.br/presente

CELULAR– Star Dual TV, da Multilaser, aceita 4 chips simultaneamente e sintoniza tevê digital e analógica (R$ 329).

PROTEÇÃO - Pasta para iPad com apoio reclinável da Leadership, com alça de velcro. Preço: R$ 89. SOM - Dock Station para iPad Leadership com potência máxima de 5W RMS. Preço sugerido: R$ 363. CHIQUE - Capas Splash e Diffusion, com cristais Swarovski, da Mobimax. Preços: R$ 199 e R$ 299.

BOM DE TEXTO – Teclado reduzido Compact, da Mtek, ideal para quem gosta de dispor de área livre na mesa do PC ou laptop. Compatível com Windows 7, XP e Vista. Preço sugerido: R$ 67,00.

PEN DRIVE - Data Traveler SE9 Kingston, ultrafino, com opções de 8GB (R$49,90) e 16 GB (R$ 99,90).

OLHO NO FILHO Facecam 1020 de alta definição de 720P com uma taxa de até 30 frames. Preço: R$ 100.

CANETA - Touch Pen 100L, da Genius, para tablets, tem 7 mm e cristal Swarovski no clipe. Preço: 19,90.

DC 08/05/2012  

Diário do Comércio

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you