Page 1

Veja quem está ganhando o Algemas de Ouro Em mais uma prova de que é mesmo bom de eleição e que nunca antes na história desse País houve um líder assim, "o cara" está nas cabeças das intenções de voto ao prêmio de campeão de impunidade entre envolvidos em escândalos de corrupção – à frente de Demóstenes Torres e Eduardo Azeredo. Una os pontos e descubra o favorito ao Algemas, que será entregue no Baile do Pega Ladrão. A votação termina no dia 15. Pág. 7

PPS vai pedir a quebra de sigilos de Rosemary Investigação pode levar a mais detalhes sobre o tráfico de influência da ex-chefe do escritório da Presidência em São Paulo. Pág. 5

...e a Vassoura de Ouro deve ir para...

Corrupção brasileira faz história. Em Princeton. O envolvimento de agentes públicos em tráfico de influências, subornos, desvios de verbas, venda de favores e benefícios, nepotismo etc. é tamanho que mereceu um estudo da conceituada faculdade norte-americana. Mais: mereceu que o estudo fosse publicado na revista Foreign Policy. Pág. 6

É a 1ª edição do prêmio conferido a quem luta pela moralização do País. Pág. 7 Ano 87 - Nº 23.785

Conclusão: 23h50

Jornal do empreendedor

www.dcomercio.com.br

R$ 1,40

Messi leva sua 4ª Bola de Ouro Eleito pela Fifa o melhor do mundo em 2012. Pág.10

São Paulo, terça-feira, 8 de janeiro de 2013 Michael Buholzer/Reuters

Miguel Gutiérrez/EFE

Todos afinados com a posse adiada de Hugo Chávez Artistas venezuelanos (foto) fazem coro de apoio ao presidente, que continua internado em estado grave em Cuba, enquanto cúpula do governo convoca população para a "não posse" de Chávez. Governo brasileiro também defende o adiamento da posse, marcada para 10 de janeiro. Pág. 8

É um Phablet. E você ainda vai ter um.

Almeida Rocha/Folhapress

Fogo consome depósito na Mooca Itens de armarinho, brinquedos, material escolar e utensílios domésticos foram destruídos no incêndio. Faziam parte do estoque da tradicional loja Armarinhos Fernando. Pág. 9

Divulgação

Eles unem smartphone e tablet e atraem cada vez mais consumidores e fabricantes. Pág. 14

ISSN 1679-2688

23785 Página 4

9 771679 268008


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

A queda no valor exportado para a Argentina superou a redução nos embarques para toda a União Europeia. Roberto Fendt

pinião

UMA QUESTÃO DE AZAR?

JORGE G. CASTAÑEDA

IMIGRAÇÃO MEXICANA CRESCE

A

T

lguns atribuem os resultados econômicos do Brasil no ano passado à má sorte. Indicador de má sorte: tivemos duas sextas-feiras 13 em 2012. Este ano teremos somente uma, no mês de setembro, em lugar das duas no ano anterior. Assim, por esse indicador, as coisas deverão ser melhores em 2013. Mas os maus resultad o s d e c o r r e r a m s omente de má sorte? No comércio exterior dizse que ela em tudo c o nt r i-

ROBERTO FENDT buiu para um resultado ruim: a persistência da crise internacional, com a retração dos volumes exportados; a queda internacional dos preços de algumas de nossas principais commodities de exportação; o acirramento do protecionismo em alguns dos nossos principais mercados para manufaturados; o aumento da concorrência dos produtos chineses e a generalizada perda de competitividade dessas exportações nos principais centros compradores. Examinemos cada um desses argumentos. A crise financeira começou em 2007 e aprofundou-se no segundo semestre de 2008. Quando a economia mundial iniciou a retomada, ela mostrou-se desigual e frágil. Mas muitos países emergentes, como Chile, Peru e Colômbia – além da China, naturalmente – retomaram o crescimento após 2009. A média dos países emergentes cresceu 7,4% em 2010 e 6,2% em 2011. Projeta-se um crescimento em 2012 de 3,3% da economia mundial e de 5,3% das economias emergentes. Não são resultados espetaculares, mas tampouco se justifica dizer que são responsáveis por nosso mau desempenho. Em segundo lugar, embora o c r e s c i m e n t o d a s e c o n omias avançadas tenha sido de apenas 1,6% em 2011 e se projete um crescimento de 1,3% em 2012, não foram esses países os maiores culpados pela queda das exportações. Nos primeiros nove meses do ano, o valor delas para a América Latina reduziu-se a menos da metade do exportado no mesmo período do

Em vez de atribuir nossos problemas econômicos à crise internacional, talvez devêssemos atentar para o fato de que reformas estruturais sempre adiadas é que travam o nosso crescimento. ano anterior. A queda no valor exportado para a Argentina superou a redução observada nos embarques para toda a União Europeia.

D

e fato, pela ordem e por blocos econômicos, as maiores perdas ocorreram na América Latina, União Europeia, Ásia, Europa Oriental, Oriente Médio e África. Os Estados Unidos foram o único bloco econômico para o qual nossas exportações cresceram nos primeiros onze meses do ano, com 6,6% de acréscimo. Fica difícil culpar a continuidade da crise nos países desenvolvidos pela queda das exportações brasileiras. É correto apontar que o protecionismo argentino explica boa parte do baque das exportações de manufaturados, particularmente de veículos, calçados, carnes e outros alimentos, bem como vestuário. É correto e irônico, já que a Argentina é o principal parceiro do Brasil no Mer-

cosul – um bloco comercial criado para eliminar todas as barreiras ao comércio entre seus membros. Mas a Argentina, que se gaba de manter t a x a s c h i n e s a s d e c r e s c imento, não é parte da crise econômica internacional.

U

ma parcela importante da queda no valor das exportações deve-se à redução dos preços de algumas de nossas principais commodities de exportação. O preço médio das exportações atingiu seu pico em agosto de 2011 e, de lá para cá, não para de cair. A perda, nesse período, foi de 11% até outubro, com algumas quedas dramáticas, como a do minério de ferro. Foi principalmente a queda no preço desse item que redundou na diminuição das vendas para a China, hoje nosso principal parceiro comercial e responsável por 30% do valor da pauta de exportação brasileira. Com relação ao volume exportado, a tendência não é

tão nítida. O índice de volume atingiu seu maior valor recente no mesmo mês de agosto de 2011, mas tem flutuado bastante nos meses subsequentes. De acordo com o último dado disponível (outubro deste ano), o volume exportado caiu 9%. Tanto a queda nos preços como no volume exportado podem ser creditados em parte à persistência da crise nos países desenvolvidos – mas não somente a ela.

F

inalmente e ao contrário da experiência dos anos recentes, aumentou em 2012 a competitividade das exportações de manufaturados – em larga medida pela expressiva desvalorização do real frente ao dólar observada a partir de abril do ano passado. Uma medida importante da competitividade, a relação câmbio-salários, apresentou melhoria de mais de 11% no ano. Não deixa também de ser irônico que a competitividade tenha aumentado no ano em que se retraíram as exportações, embora esse aumento ainda não tenha sido suficiente para recolocar o comércio exterior no caminho do crescimento. Em lugar de imaginar que estamos sendo perseguidos pela má sorte de uma crise internacional sem fim, talvez fizéssemos melhor se atentássemos que as reformas estruturais sempre adiadas estão travando nosso crescimento – não só do comércio exterior, mas em todas as atividades econômicas do País. ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Claudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

udo indica que neste primeiro semestre Obama enviará ao Congresso dos EUA uma proposta de reforma migratória integral. Se o fizer, o novo governo do México terá de tomar uma de suas primeiras decisões substantivas sobre política externa. A escolha e suas consequências são mais ou menos bem conhecidas . Enrique Peña Nieto pode apoiar, incentivar ou pressionar os Poderes Executivo e Legislativo americanos, bem como setores da sociedade dos EUA, a favor de uma reforma, insistindo que qualquer uma implica algum tipo de acordo e de cooperação com o México; ou pode deixar que as coisas fluam por si mesmas e não intervir. Se escolher a primeira opção, ele deverá escolher entre agir em público ou em privado; com os governos centro-americanos e, em menor escala, com os do Caribe; em aliança com certos setores nos EUA (latino e anglo-saxões, republicanos e democratas, conservadores e liberais) ou sozinho. Alguns analistas , com base em revelações de um estudo de Jeffrey S. Passel, do Centro Hispânico Pew, divulgado em meados de 2012, dizem que a reforma migratória norte-americana perdeu importância. Chegou-se ao "zero líquido": o fluxo líquido de mexicanos migrantes clandestinos nos EUA desapareceu. Eu mesmo, em artigo de junho, afirmei que outra parte da reforma pode ser considerada quase concluída, pois nos últimos 3 ou 4 anos houve aumento espetacular no fluxo migratório documentado, ou autorizado, de mexicanos para os EUA.

P

arece-me que a segunda parte continua correta, mas fortuita. E há motivos para pensar que a primeira parte já não está correta, se é que esteve alguma vez. Um novo estudo afirma que no começo ou em meados de 2012 os fluxos migratórios não autorizados rumo ao Norte voltaram a subir, enquanto que aqueles rumo ao Sul diminuíram. O resultado é que o tamanho da população mexicana nascida dentro dos EUA se recuperou completamente das perdas que sofreu durante a recessão, afirma o documento.As dimensões

Alguns analistas , com base num estudo do Centro Hispânico Pew, divulgado em 2012, entendem que a reforma migratória americana perdeu importância.

dessa população, que inclui mexicanos com documentos e sem documentos, têm se mantido no mesmo nível – cerca de 11,7 milhões de pessoas – antes da recessão de 2008- 2009. Os autores acreditam que o motivo da volta do crescimento dos fluxos para o Norte e da queda dos retornos voluntários ou obrigados para o Sul têm a ver com a situação econômica dos EUA e muito pouco com o cenário econômico do México ou com a política de endurecimento migratório dos governos Bush e Obama.

S

uas revelações são confirmadas por dados do Conselho Nacional de População (Conapo), que calculou em 467 mil os mexicanos que emigraram para os EUA em 2012, com ou sem documentos. Se sabemos que essa população só aumenta com a chegada de novos imigrantes e não pelo crescimento natural (pois cada bebê que nasce nos EUA é contado como norteamericano) e que o mesmo universo só diminui com mortes, deportações e retornos voluntários, podemos concluir que o número atual é inferior ao pico de 2007, mas de qualquer forma elevado. Caso a economia americana continue a se recuperar, esse fluxo continuará aumentando. É neste contexto que Enrique Pena Nieto deverá tomar sua decisão. JORGE G. CASTAÑEDA, EXSECRETÁRIO DE RELAÇÕES EXTERIORES DO MÉXICO, É PROFESSOR DA UNIVERSIDADE DE NOVA YORK. TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edito r-Ch efe : José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Fernando Porto (fporto@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas @dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli e Evelyn Schulke, Ricardo Osman, Tsuli Narimatsu Repórter Especial: Kleber Gutierrez (kgutierrez@dcomercio.com.br), .Repórteres: André de Almeida, Fátima Lourenço, Guilherme Calderazzo, Ivan Ventura, Karina Lignelli, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, , Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

o

pinião

3

MOVIMENTOS DE LIBERTAÇÃO NÃO PROMOVEM FACILMENTE A TRANSIÇÃO PARA DEMOCRACIAS ESTÁVEIS.

A HERANÇA DE MANDELA Os problemas de saúde de Mandela fazem com que este seja um bom momento para refletir sobre o que ele deixará como legado para o seu povo. Há aspectos positivos e negativos, mas o presente mais valioso de Mandela para a África do Sul foi, certamente, uma cultura de comprometimento movido pela paciência.

BILL KELLER

Elmond Jiyane/EFE

E

m 1994, logo depois de ter sido empossado como o primeiro presidente de todos os sulafricanos, um dos jornais locais publicou uma entrevista com Nelson Mandela sob uma manchete enorme, em negrito: Mandela: Eu não sou o 'Messias' . O fato de que essa foi considerada uma notícia de destaque indicou o grau de mitificação e a irrealidade das expectativas nele depositadas. Mandela está hoje com 94 anos. Ele está se recuperando de uma cirurgia de cálculo biliar e de uma infecção pulmonar, último vestígio da tuberculose contraída durante os anos que passou no empoeirado presídio da Ilha Robben. Seus problemas de saúde fazem com que este seja um momento adequado para refletir sobre o que Mandela deixou como legado para o seu povo, considerando os melhores e piores aspectos. O presente mais valioso de Mandela para a África do Sul foi uma cultura de comprometimento movido pela paciência. Ele não triunfou perante o apartheid, passando 27 anos na prisão e depois pondo em causa a sua superioridade moral. Ele triunfou passando 27 anos na prisão e depois fechando um complicado acordo com os homens que o colocaram lá – um acordo que protegeu temporariamente o trabalho, as terras e as riquezas industriais da minoria branca; um acordo que fez a maioria marginalizada esperar pacientemente por uma reparação; um acordo que minimizou a fuga da expertise e do capital branco, além de ter evitado o prolongamento de um banho de sangue. Ele era, em suma, um político de tipo raramente encontrado no Congresso Nacional Africano (CNA) da época e lamentavelmente pouco visto atualmente também em Washington: um político com propósitos elevados, visão clara do futuro, uma imensa generosidade de espírito, além de grande disciplina e engenhosidade. Ao voltar à África do Sul, não fiquei muito surpreso quando percebi que esse país abençoado e tão mal-tratado ficou aquém da promessa dos dias de Mandela. Isso não é culpa de Mandela, mas é parte de seu legado. Porque o que ele deixou em seu rastro não foi de fato um governo, nem mesmo um partido político legítimo, mas um movimento de libertação, com a mentalidade, os costumes e a cultura de uma luta constante. A história nos conta que tais movimentos de libertação não promovem facilmente a transição para democracias estáveis. Lembremo-nos da decadência da herança dos Castro, da tirania de Robert Mugabe no Zimbábue, do longo pesadelo dos bolcheviques ou do regime autoritário instaurado por Kwame Nkrumah no Gana. Exemplos não faltam. Até mesmo a própria revolução americana precisou de uma guerra civil para depois trazer mais estabilidade.

sempre tratam seus aliados de modo diferenciado ou conduzem as suas operações com escrúpulos. Mandela não deixou nenhum registro de que estivesse recebendo propinas, mas sempre esteve acessível aos empresários que bancavam o CNA. Sob a égide dos direitos humanos, o governo vendeu armas para baluartes dos direitos humanos como Ruanda, Indonésia, Argélia e República do Congo – em alguns casos, simplesmente recompensando regimes que haviam apoiado o CNA no exílio. Os "conflitos de interesses" muitas vezes são tratados como um luxo da imprensa elitista, e é natural que algumas das pessoas que investiram na luta do CNA sintam que têm alguns direitos.

A

Nelson Mandela e a mulher, Graça Machel, em foto de maio de 2011: ele é o primeiro presidente negro da África do Sul. Os movimentos de libertação são formados e definidos por aquilo a que eles se opõem. O Congresso Nacional Africano, que está registrando o ano do seu centenário, foi desde o seu surgimento um conglomerado de interesses e ideologias, reunindo desde idealistas da coalizão até nacionalistas negros que queriam o sangue de fazendeiros brancos, passando por comunistas e defensores da ocidentalização, brancos liberais com sentimento de culpa e oportunistas loucos pelo poder. Por ele passaram facções exiladas e facções locais, facções secretas e facções de presidiários. Era inevitável que após o inimigo comum da opressão branca ser dominado, o Congresso fosse começar a discutir a direção a ser tomada, assim como os despojos. Os movimentos de libertação – operando de modo clandestino e conspiratório – se desenvolvem graças à disciplina e a suspeita, punindo

Os movimentos de libertação, valorizando os fins em detrimento dos meios, com a mentalidade, os costumes e a cultura de uma luta constante, nem sempre tratam seus aliados de modo diferenciado ou conduzem as suas operações com escrúpulos. atos de divergência ou dissidência, e o CNA, em suas ações no exílio, usou métodos de tortura terríveis em alguns de seus campos. É certo que Mandela às vezes divergiu da vontade coletiva para mostrar uma iniciativa fora do comum. E, o que é mais importante, quando ainda estava na prisão, percebeu a vulnerabilidade dos governantes brancos e iniciou discussões preliminares sem consultar seus companheiros do CNA; ele tinha certeza de que suas atitudes não seriam bem recebidas.

Porém, no fundo, continuou a ser um homem fiel ao partido – a ponto de permitir que os anciãos do CNA escolhessem Thabo Mbeki, um homem de quem Mandela não gostava muito e no qual não confiava, como seu primeiro representante-adjunto e sucessor. (Um amigo que tem informações confiáveis me contou que Mandela, depois de se aposentar, começou a conversar sobre os assuntos mais delicados ao ar livre por acreditar que Mbeki havia grampeado sua casa.) Mbeki não foi tão terrível como presidente quanto suge-

rem os retoques da história de seu tempo. Ele expandiu uma rede de segurança social que atendeu inúmeras pessoas em desespero e contribuiu para promover um ambiente de negociação de primeiro mundo que fez com que os investidores estrangeiros se sentissem bem-vindos. No fim, porém, ele se viu em uma espécie de isolamento paranoico – sendo que o sintoma mais terrível disso era a sua insistência na ideia de que a tumultuada crise da aids na África do Sul era um mito inventado pelos brancos. O partido o destituiu de seu escritório em um ritual de humilhação grotesco – o tipo de ostentação de poder que é comum aos partidos de libertação. Ainda não é incomum ouvir ideias de demonização da "oposição", como se ela quisesse reestabelecer a crueldade do apartheid. Os movimentos de libertação – valorizando os fins em detrimento dos meios – nem

s manchetes de jornais do país chamam atenção diariamente para escândalos, começando com o presidente Jacob Zuma, cuja principal realização foi fazer Mbeki parecer um paradigma da virtude. Zuma desviou milhões de dólares do dinheiro público e contribuições específicas para ampliar uma propriedade suntuosa na região de Nkandla, devastada pela pobreza e pela aids. Um indicativo cru do declínio moral da África do Sul é a disparidade entre a fortaleza de Zuma – com heliporto, campos de tênis e futebol, bunkers subterrâneos planejados – e o lar construído por Mandela para a sua aposentadoria, cujo projeto foi copiado da casa do administrador da última prisão onde ficou detido, pela única razão de que ele conhecia bem a planta do lugar – um tipo de justificativa bem característico de Mandela. Nos 18 anos desde que chegou ao poder, o governo do CNA constituiu uma classe média negra substancial (mais no setor público do que no privado) e um quadro pequeno, mesmo que visível, de benefícios para os negros. Mas o Congresso não reduziu – e talvez não pudesse de fato ter reduzido – o abismo entre a classe baixa que mora em condições precárias e todas as outras. A desigualdade gera ressentimentos sérios, protestos violentos pela falta de serviços, greves, fatalidades. Assim como há russos da antiga União Soviética que às vezes dizem que a época de Brejnev era melhor, ainda é possível encontrar negros que alegam sentir saudade dos tempos de apartheid. Atualmente, a questão urgente que se coloca é se o movimento que Mandela deixa como legado para seu país pode amadurecer, tomando a forma de um governo com mais credibilidade, antes que a famosa paciência da opinião pública se esgote e a busca por um novo messias se inicie. BILL KELLER É JORNALISTA E ESCREVEU DE JOHANNESBURGO,

ÁFRICA DO SUL. THE NEW YORK TIMES NEWS SERVICE/SYNDICATE


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

GibaUm

3 Até La Nación

dedicou grandes elogios a transsexual brasileira Léa T., sucesso nas festas de Punta del Este.

gibaum@gibaum.com.br

k “Vocês estão loucos!”

LULA // reagindo a petistas que querem lançar sua candidatura ao governo de São Paulo em 2014.

Fotos: BusinessNews / Divulgação

333 Sem aprovar o orçamento de 2013 e debaixo de forte pressão para impulsionar a economia, o governo federal terá de enfrentar, este ano, um verdadeiro festival de pagamentos pendentes de exercícios anteriores. O estoque de restos a pagar acumula o recorde de R$ 200 bilhões no Orçamento Geral da União. Em 2012, eram R$ 141 bilhões de restos a pagar, que não foram pagos integralmente, sendo empurrados para este ano. São R$ 96,5 bilhões em despesas correntes, R$ 73,4 bilhões em investimentos, R$ 25,2 bilhões em inversões financeiras e R$ 2,1 bilhão em gastos com pessoal, entre outras rubricas.

DE NOVO O candidato tucano derrotado à prefeitura de São Paulo, José Serra, está fazendo novas projeções: para ele, seu nome seria ideal para disputar a sucessão de Geraldo Alckmin no governo de São Paulo, enquantooprópriogovernador, que já teve sua primeira incursão à Presidência no passado, poderia disputar o Planalto. Para Serra, o nome de Alckmin é de apelo nacional, o que falta a Aécio (ele acha, só que não fala). Falta combinar com Gilberto Kassab, précandidato a governador pelo PSD e fatalmente apoiado pelo PSB de Eduardo Campos, que não tem nome de fôlego em São Paulo.

333

Fora do páreo O volume de noticias dos jornais e outras tantas que rolam na internet ligando o nome do presidente do Tribunal de Justiça de São Paulo, Ivan Sartori, ao ex-senador Gilberto Miranda, agora indiciado pela Policia Federal na seqüência da Operação Porto Seguro, fez com que o nome do desembargador, se tivesse alguma chance de assumir uma cadeira no Supremo, ficasse totalmente fora do páreo. Há algum tempo, Miranda teria pedido o auxilio do médico David Uip, da equipe médica que atende Dilma Rousseff, em torno da aspiração de Sartori. Não deu em nada: o infectologista não desfruta de intimidade a esse ponto com a Chefe do Governo. 333

CARO E CURTO Durou apenas três meses o casamento dos mineiros Norah Lapertosa e Rafael Sportelli, que fizeram uma festa no Rio de Janeiro que custou mais de R$ 1,5 milhão (só de estrutura, R$ 500 mil) e que lotou de convidados os hotéis Fasano e Copacabana Palace (até o dono da Ferrari, Jörg Dächer, estava lá). Sportelli é presidente da Aethra, empresa de sistemas automotivos que patrocina a equipe de Formula 1 Dorce Índia, o time do Cruzeiro e também já foi patrocinador de Felipe Massa.

Ronaldo ex-Fenômeno, dias depois de anunciar sua separação oficial de Bia Antony, reaparece em Punta del Este, em companhia da DJ Paula Morais, nascida em Goiânia e que vive no Rio, depois de mais de um ano na Califórnia. Ela gosta de esportes: esqui, skate, surf e, de quebra, bate um bolão. É sobrinha de Orlando Morais, marido de Gloria Pires e prima do rapper Túlio DeK. Já participou de um reality show, onde grupo de jovens foram do Chile até a Patagônia (17 cidades em 34 dias). Além de DJ, Paula Morais promove eventos de hip hop. 333

Candidata a sucessão

333 No mesmo Manhattan Connection, onde garantiu que, numa ilha deserta, por dez anos, entre todos ex-presidentes, preferiria a companhia de José Sarney (“Pelo menos, conversaríamos sobre literatura”), FHC foi também perguntado se, em outra ilha deserta, optaria por Gisele Bündchen ou Angelina Jolie, foi mais do que rápido: “A Suellen! Se pudesse! Mas, com a minha idade, não ousaria tanto. Não passa de um sonho de velho”. Suellen era a periguete de Avenida Brasil, vivida por Isis Valverde, que estréia hoje na minissérie O Canto da Sereia, baseada em história de Nelson Motta. O antropólogo Roberto DaMatta, fã nacional numero um de Isis, soube da preferência de Fernando Henrique: “É um homem de apurado bom gosto”.

Sonho de velho

3 MAIS:

o jornal argentino, rendeu-se a seus encantos: "Ela é um ícone pop contemporâneo e emblema da luta pela liberdade sexual".

Outro affair O site El Balón Rosa, de Barcelona, dedicado a esportes, publicou grande matéria sobre Ronaldo ex-Fenômeno e a DJ Paula Morais no final do ano em Punta del Este. Numa casa alugada, estavam também Ione, irmã do ex-jogador, seu filho mais velho, Ronald e o amigo Bruno de Luca, repórter do Vídeo Show da Globo. O site afirma que, “ao que parece, Bruno também estaria iniciando um relacionamento com a atriz Cléo Pires, prima de Paula Morais”. Cléo Pires e João Vicente de Castro anunciaram o final de seu casamento poucos dias antes do Natal. 333

EM PARIS 333 O senador Aécio Neves (PSDB-MG) e sua namorada (reataram pela terceira vez) Letícia Weber estão em temporada de férias em Paris. Aécio quer deixar acertado que ela participará cada vez mais, de compromissos sociais (e mesmopolíticos,dependendo do foco), a seu lado. É uma temporada de esquenta para a campanha presidencial. Os dois rompimentos anteriores partiram de Letícia: estava cansada de ver o namorado desaparecer , nos finais de semana, em encontros políticos no Rio.

MISTURA FINA A PRESIDÊNCIA da República vai gastar R$ 123,7 mil na compra e confecção de novos uniformes para garçons, maitres, auxiliares de serviços gerais e outros servidores. A compra inclui ternos, camisas, sapatos, meias, gravatas e cintos.

333

OUTRO ÓRGÃO que está renovando o guarda-roupa é o Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República: mais R$ 146 mil para uniformes, camisas, sapatos, cintos, pares de meias, gravatas e cintos. Não fazem parte dessas compras peças intimas. 333

OBRAS atrasadas, obras não iniciadas, investimentos paralisados e pibinho , nada tira a alegria da Presidência da República que gastará, em 2013, nada menos do que R$ 15,2 milhões em festas e eventos. E tudo organizado por uma única empresa (Swot) do Distrito Federal.

333

Em pleno verão de 35 graus, as famosas Guilhermina Guinle, 38 anos, na capa de Boa Forma (esquerda), a Manoela de Guerra dos Sexos e Fernanda Paes Leme, a Márcia (militar) de Salve Jorge, na capa e recheio de Corpo a Corpo, tratam de provar que estão em forma. Guilhermina exibe tatuagem feita no Camboja, onde está escrito “Para quem ama, tempo é eternidade” e namora Leonardo Antonelli. Já Fernanda dá uma receita de como enxugou 5 quilos em 45 dias.

Mantendo as curvas

333

Enchentes: pouco dinheiro Enquanto as tragédias provocadas pelas enchentes ganham o noticiário nacional, mais uma vez, evidencia-se que o governo federal, a exemplo de anos anteriores, aplicou apenas 32,2% dos recursos previstos para prevenção e resposta a desastres em 2012. No total, R$ 5,7 bilhões estavam autorizados no orçamento do ano passado e apenas R$ 3,7 bilhões foram empenhados. Desses, só R$ 1,8 bilhão foi pago, incluindo restos a pagar . São três programas ligados ao tema: “Gestão de Risco e Respostas aos Desastres”, “Prevenção e Preparação para Desastres” e “Resposta aos Desastres e Reconstrução”, todos do Ministério da Integração Nacional.

333

h IN

Shows intimistas.

h

Recorde de restos

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

OUT

Shows para multidões.

333

Tudo em cima 333 Quem estava hospedado, nesses últimos dias, no resort Kiaroa, em Taipus de Fora, península de Maraú, no sul da Bahia e acompanhou as circuladas, à beira da piscina, de Andressa Mendonça, mulher de Carlinhos Cachoeira (eles acabam de casar), entende agora o desespero do bicheiro na cadeia. Andressa, que adotou o sobrenome Cachoeira, tem 30 anos, dois filhos e exibia grande forma, à bordo de um mix de asa delta com fio dental, que exibia o derrière em grande estilo. Os amigos muito chegados garantem que o Cachoeira não tem ciúmes, até incentiva e orgulhoso, desafia quem encontre sinais de celulite na bem-amada.

O SENADOR Lindbergh Farias (PR-RJ), candidato ao Palácio Guanabara, será a estrela das inserções do PT no Rio em fevereiro, março e abril. Os programas estão sendo produzidos pelo marqueteiro João Santana, que já cuidou das campanhas de Lula (segundo mandato), Dilma e Fernando Haddad.

333

333 NA SEMANA passada, a ministra Gleisi Hoffmann, que está saindo de férias, era vista, fora do expediente, fazendo compras num shopping de Brasília. No mesmo local, nem um pouco distante, estava o ministro do Supremo, Celso de Mello, decano da Alta Corte. Pacientemente, enfrentava a fila de uma lanchonete, como qualquer mortal.

A ATRIZ Juliana Alves vai estrear, este ano, como rainha da bateria da Unidos da Tijuca. É a escola do seu coração: moradora do bairro por quinze anos, ela costumava freqüentar os ensaios dos velhos tempos, quando aconteciam perto de sua casa. Só aceitou o convite porque acaba de fazer Cheias de Charme e está de férias na faculdade de teatro.

333

Colaboração: Paula Rodrigues / A.Favero

CHARGE DO DIA


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

5 ALVO O PPS quer aprofundar investigação até ao presidente Lula.

olítica

VERSÃO Em suas novas declarações, Paulo Vieira diz que não fez nada de errado.

Oposição quer a quebra dos sigilos de Rosemary A iniciativa é do PPS, para descobrir qual o envolvimento do ex-presidente Lula.

O

PPS informou ontem que vai solicitar ao Ministério Público Federal (MPF), ainda esta semana, a quebra dos sigilos bancário, fiscal, telefônico e telemático de Rosemary Nóvoa de Noronha, ex-chefe do gabinete da Presidência da República em São Paulo. A representação, na qual o partido fará oficialmente o pedido, será entregue na sede do MPF em São Paulo, pelo deputado federal Rubens Bueno (PR), líder do partido na Câmara. Na avaliação do PPS, a quebra dos sigilos é importante para aprofundar as investigações sobre a influência de Rosemary no governo federal. O partido destaca ainda que protocolou requerimento pedindo que seja convocada Comis-

A quebra dos sigilos desta senhora é fundamental para esclarecer toda essa sujeira. RUBENS BUENO (PPS-PR)

Apu Gomes/Folhapress

são Representativa do Congresso para que esta aprove pedido de informações ao ministério da Fazenda sobre relacionamento de Rose, como é conhecida, nas negociações sobre o comando do Banco do Brasil e do fundo de seus funcionários, a Previ, e a compra do Nossa Caixa pelo BB. Negócios escusos – Para Bueno, "ela gozava da intimidade do ex-presidente Lula para fechar negócios escusos", afirmou o líder do PPS. "A quebra dos sigilos desta senhora é fundamental para esclarecer toda essa sujeira, inclusive para saber se houve ou não, envolvimento do ex-preAlexandra Martins/Ag. Câmara – 09.10.12

Paulo Vieira promete divulgar dados bancários

A

cusado pela Polícia Fe- a Advocacia-Geral da União deral de liderar quadri- (AGU) e a Agência Nacional de lha que favorecia em- Transportes Aquaviários (Anpresas privadas dentro de ór- taq). Vieira assegurou ainda gãos públicos, Paulo Vieira, que não recebeu dinheiro de ex-diretor da Agência Nacio- nenhuma empresa e que não nal de Águas (ANA), prometeu ofereceu vantagens a servidoque vai divulgar seus extratos res públicos. Apenas teria feibancários dos últimos cinco to articulações políticas nos anos para tentar provar que órgãos públicos – ele é aliado não recebeu propina ou outros ao ex-senador Gilberto Miranbenefícios ao ocupar cargos da (PMDB-AM), acusado na públicos. Ele operação da disse que vai PF de corruppublicar os ção ativa, e Acusado de liderar dados na indo deputado esquema de ternet para f e d e r a l V a lpareceres forjados, provar a sua demar Costa inocência. Neto (PR-SP), Vieira garante que Viera admijá condenado não recebeu propina tiu apenas no processo que entrou do Mensalão e nem corrompeu. em contato a 7 anos e 10 c o m a u t o r imeses, pelos dades para tratar de proces- crimes de corrupção passiva e sos que estariam travados pe- lavagem de dinheiro. Vieira la burocracia de órgãos públi- disse que pretende sair candicos, mas alegou que não prati- dato a deputado federal em c o u n e n h u m a t o i l e g a l n a 2014 pelo PT. emissão de pareceres que viO ex-diretor da ANA disse riam a beneficiar empresas que na defesa que vai apreportuárias – centro da investi- sentar na Justiça pretende gação da Polícia Federal. desqualificar Cyonil Borges, O ex-diretor também garan- ex-auditor do Tribunal de Contiu que não praticou corrup- tas da União (TCU) que delação, crime do qual é acusado, tou o esquema. "Cyonil sempois fez manifestações oficiais pre me pedia favores, empreaos órgãos públicos que foram gos para parentes e ajuda fienvolvidos no esquema, como nanceira". (Estadão Conteúdo)

Denise Andrade/Estadão Conteúdo – 27.11.08

sidente da República nessa história", disse Bueno. De acordo com o parlamentar, a quebra dos sigilos de Rose é importante para que sejam obtidas informações para esclarecer a profundidade do esquema montado pela ex-chefe de gabinete. Em novembro, no dia 23, a Polícia Federal deflagrou a Operação Porto Seguro, com o fim de desarticular a organização criminosa que havia se infiltrado em diversos órgãos federais para obter pareceres técnicos fraudulentos e, com eles, beneficiar interesses privados. A operação acabou apontando a participação de Rose e a decisão de pedir reforço no pedido de investigação sobre a atuação da ex-chefe de gabinete, segundo o líder do PPS, foi tomada depois da última edição de Veja trazer novas denúncias envolvendo a ex-chefe de gabinete. Visitas periódicas – R os e compareceu ontem à 5ª Vara Criminal Federal de São Paulo, cumprindo determinação da juíza Adriana Freisleben de Zanetti. No despacho da magistrada, a ex-chefe de gabi-

Paulo Vieira e Rosemary prestaram esclarecimentos na Justiça Federal, como determina decisão judicial. Precisaram informar e esclarecer o que estão fazendo.

nete deve comparecer periodicamente a uma unidade da Justiça para informar e justificar as suas atividades. Ela também não pode deixar a cidade. Rose entrou pela garagem e permaneceu por cerca de dez minutos no prédio da Justiça Federal. Outro investigado na opera-

ção, Paulo Vieira, ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), apontado pela PF como coordenador do esquema, também compareceu, mais cedo, na 5ª Vara Criminal Federal de São Paulo. Vieira também teve que informar e justificar as suas atividades. Além de Vieira e de Rosema-

ry, o MPF denunciou, no mês passado, mais 22 pessoas por participação no suposto esquema de fraudes. Entre os crimes denunciados estão formação de quadrilha, corrupção ativa, corrupção passiva, falsidade ideológica e falsificação de documentos particulares. (Folhapress)


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Sentimos que a sociedade não estava mais disposta a aceitar tais comportamentos. Pedro Parente, chefe de equipe de FHC.

olítica

A corrupção brasileira, destaque no exterior.

Artigo na revista norte-americana Foreign Policy baseado num estudo da Universidade de Princeton ressalta o envolvimento de políticos e agentes públicos na venda de favores e benefícios, que se estendem desde a concessão de camarotes no Carnaval até subornos no alto escalão.

Reprodução/Foreign Policy

Mariana Missiaggia

N

Sol quadrado: João Paulo Cunha, Marcos Valério e José Dirceu são representados como presidiários na revista.

Condenados, eles esgotam suas cotas. Levantamento aponta gastos de João Paulo, Valdemar Costa Neto e Pedro Henry no mês da condenação.

À

s vésperas da condenação pelo Supremo Tribunal Federal (STF), os deputados federais João Paulo Cunha (PT-SP), Valdemar Costa Neto (PR-SP) e Pedro Henry (PP-MT) gastaram, em novembro, R$ 50,5 mil com a Cota para Exercício da Atividade Parlamentar (CEAP). De acordo com o site Contas Abertas, os principais dispêndios foram com aluguel de escritório de apoio, passagens aéreas e divulgação da atividade parlamentar. Entre os três parlamentares, o maior montante foi pago por Henry: R$ 18,4 mil. Do total, R$ 7,6 mil para divulgação da atividade parlamentar, pagos à empresa Capgraf – Indústria, Comércio e Serviços. Outros R$ 3 mil dispendidos com combustíveis e lubrificantes, R$ 2,8 mil com telefonia e mais R$ 2,8

mil com passagens aéreas. ta. A bolsa-aluguel de ValdeJá Valdemar Costa Neto mar dura desde março de gastou no mês da sua conde- 2008, quando o contrato foi firn a ç ã o R $ 1 6 , 5 m i l c o m a mado. Oficialmente, no enCEAP. A maior parcela dos re- tanto, a casa não passa do escursos foi destinada para a critório de apoio à atividade manutenção de escritório de parlamentar do deputado em apoio à atividade parlamen- São Paulo. tar: R$ 11 mil. Os gastos de C o n f o r m e d eC o s t a N e t o e nnúncia da Veja, o volvem R$ 3,3 mil escritório na com telefonia, verdade tem cerca de R$ 1 mil servido de sede mil reais com passagens para o diretório a é r e a s e f r e t aforam gastos paulista do Parmento de aeropelos tido da Repúblinaves, R$ 614,06 ca, agremiação com serviços condenados formada com os postais e ainda r e ma n e sc e n te s R$ 469,47 com do antigo PL e do qual Valde- emissão de bilhete aéreo. mar é secretário-geral. O deputado João Paulo CuO "escritório" possui mais nha (PT-SP), por sua vez, utilide 400 m² distribuidos por dois zou R$ 15,5 mil em novembro. andares em frente ao parque O maior gasto foi destinado à do Ibirapuera, em Moema, emissão de bilhetes aéreos: bairro nobre da capital paulis- R$ 8,5 mil. Os recursos envol-

50,5

vem também R$ 3,6 mil para manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar, R$ 1,6 mil para combustíveis e lubrificantes, R$ 1,5 mil com telefonia, além de serviços postais (R$ 97,54) e hospedagem (R$ 284,24). Os valores reembolsados aos deputados ainda podem ser maiores, já que há o prazo de 90 dias, após o fornecimento do produto ou serviço, para apresentação da documentação comprobatória do gasto. A CEAP foi institucionalizada em 2009 e reuniu, numa só cota, as despesas custeadas pela Cota de Transporte Aéreo, Cota Postal-Telefônica e Verba Indenizatória. Pelo mecanismo, os deputados recebem todos estes benefícios por meio de reembolso. Ao todo, em 2012, os parlamentares utilizaram R$ 657,3 mil com a cota.

Enquanto isso, na Bahia...

A doce vida de Carlinhos Cachoeira

a última semana, a corrupção brasileira foi tema de uma publicação da revista norte-americana F oreign Policy. O artigo resume um estudo realizado na universidade de Princeton, nos Estados Unidos, sobre a atuação de quem ocupa e ocupou cargos públicos em troca de benefícios ilegais e a tentativa de mudar esse comportamento político no País. O artigo destaca as trocas de favores entre a iniciativa pública e privada, exemplificada no requintado tratamento que os funcionários públicos recebiam de empresas durante o carnaval, como, por exemplo, passagens aéreas, bebidas e hospedagens exclusivas. Subornos, nepotismo e desvios de dinheiro complementam os escândalos, que não foram punidos de acordo com as regras que atualmente regulamentam o comportamento dos funcionários públicos. O texto recorda a situação política do Brasil desde o governo do presidente Fernando Henrique Cardoso, que em meados dos anos 1990 era considerado um forte impulso para a mudança no País e foi forçado a agir depois de escândalos de altos funcionários do governo, o que gerou na sociedade um profundo questionamento sobre a competência dos governantes. O artigo conta com o depoimento do chefe de equipe de FHC, Pedro Parente. "Sentimos que a sociedade brasileira estava mudando com a modernização e não estava mais disposta a aceitar tais comportamentos", disse Parente. Entre as reformas dos serviços lideradas pelo então presidente, em maio de 1995, formou-se o Conselho de Reforma do Estado na tentativa de elaborar opções para a reorganização do setor público, mas, que na verdade, ficou em segundo plano. Pressionado pela imprensa, em 1999 FHC providenciou a formação de um novo órgão consultivo, a Comissão de Ética Pública, comandada por João Geraldo Piquet Carneiro. A matéria ressalta que todos os membros da comissão eram voluntários não assalariados nomeados pelo presidente, e foram brasileiros proeminentes que gozavam de uma reputação íntegra.

Poucos tinham experiência administrativa, o que para Piquet era visto como ponto de credibilidade diante da opinião pública. Em seguida, o texto explica que a Comissão foi regulamentada em 2001, modificada no ano seguinte e identificou diversas infrações de seus funcionários. Ainda assim, consolidou-se como um sistema de medidas disciplinares, que em caso de fraudes tinha como punição doações para a caridade ou o reembolso aos cofres públicos, antes de recorrer à aplicação de uma lei rígida, como a demissão, que vinha apenas em terceira opção. Tendo a imprensa como vigilante indireto, o artigo define que a Comissão de Ética Pública abriu um precedente claro no sistema político brasileiro, e que segundo Piquet só foi possível com o apoio do presidente. Em 2010, a Comissão reconheceu que presentes e regalias eram universalmente desaprovados na cultura da política. Embora entusiasmados com o impacto global da Comissão, vários ex-comissários expressam decepção em relação a sua validade sob o comando do sucessor de FHC, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. No início do mandato de Lula, a comissão ainda operava fortemente sob a liderança de Piquet, que deixou o cargo em 2004. De 2006 a 2008, a comissão era operada com apenas três membros, e Lula declarou que não havia mais funcionários dispostos a assumir os cargos sem remuneração. Além disso, em diversas ocasiões Lula não apoiou as decisões da Comissão, fazendo com que comissários renunciassem, em protesto. A Comissão recuperou algum impulso em 2009, mas a divergência de desempenho entre os governos FHC e Lula ainda é grande. Piquet avalia positivamente o impacto da Comissão, "Nos preocupamos com coisas muito comuns, que não se comparam com alguns dos escândalos que vivemos hoje, no Brasil. Mas se você não fiscaliza algo pequeno, isso se tornará algo muito maior. Ninguém havia feito isso antes. Nós fizemos um pouco. Isso certamente é melhor do que nada. Nós criamos um quadro de referência que ainda é importante nos dias de hoje".

Mesmo condenado a 39 anos de prisão, o bicheiro está com a mulher, Andressa Mendonça, em lua de mel.

O

bicheiro Carlinhos Cachoeira, mesmo condenado a 39 anos de prisão no processo referente a Operação Monte Carlo da Polícia Federal pelos crimes de peculato, corrupção, violação de sigilo e formação de quadrilha, conseguiu habeas corpus em 11 de dezembro e, agora, na Bahia, passa a lua de mel com Rodrigo Neves/Folhapress

a mulher Andressa Mendonça, destaca o site G1. Os dois se casaram no dia 28 de dezembro, em Goiânia, no condomínio de luxo onde moram. O casal, acompanhados de amigos, foram flagrados na área da piscina da pousada Barra Bella, na Península de Maraú, no sábado. No entanto, eles não estariam hospedados

nesta pousada, mas no Resort Kiaroa, com diárias que chegam a R$ 3.150 nos meses de janeiro e fevereiro. Embora esteja na praia, o seu lugar certamente teria de ser outro. Afinal, ele é apontado pela PF como o líder de quadrilha que comandava uma rede mafiosa de jogos de azar com ligações com políticos e empresários.

Cachoeira chegou a ficar preso nove meses, mas acabou liberado no dia 21 de novembro por um habeas corpus. Retornou ao presídio no dia 7 de dezembro pela condenação de 39 anos, mas foi novamente solto. Quem concedeu este habeas corpus foi o desembargador Tourinho Neto que, em outra ocasião, já tinha agido em favor do bicheiro, mas sem sucesso. Além da condenação na Monte Carlo, o bicheiro foi investigado em outra ação policial, a SaintMichel, desdobramento da Monte Carlo. Na Saint-Michel, a polícia investigou a participação de Cachoeira na tentativa de fraudar licitação para o serviço de bilhetagem eletrônica no transporte público do Distrito Federal. Por essa acusação, foi condenado a cinco anos de prisão em regime semiaberto, mas também tem um habeas corpus que lhe garante a liberdade. Carlinhos Cachoeira desfruta a liberdade ao lado de Andressa Mendonça na Bahia. Por enquanto, tudo é festa.

PSDB quer convocar Mantega e Belchior durante recesso

O

líder do PSDB na Câmara, deputado Bruno Araújo (PE), defendeu ontem que o Congresso ouça durante o recesso as explicações dos ministros da Fazenda, Guido Mantega, e do Planejamento, Miriam Belchior, sobre a manobra fiscal feita nos últimos dias de 2012 para injetar R$ 19,4 bilhões de recursos nos cofres do governo e cumprir a meta de superávit primário. A representação será feita à Comissão Representativa, colegiado formado por senadores e deputados que representa o Congresso nas férias dos parlamentares. Inicialmente, liderança tucanas e do DEM haviam acertado que tentariam ouvir os dois na volta do recesso, mas o PSDB mudou de ideia e quer ouvilos o mais rápido possível.

"Não dá para, em um assunto dessa dimensão, a gente esperar fevereiro, quando vai haver eleição da Mesa Diretora e depois o Carnaval. O pedido será adiado", disse Araújo. "É preciso que o governo explique qual a nova política macroeconômica e se ele vai abandonar o tripé de metas fiscais, com o câmbio flutuante, superávit primário e metas de inflação", afirmou Araújo. O líder tucano disse ainda que os ministros precisam explicar por que o governo, sem a aprovação do orçamento de 2013 pelo Congresso, valeu-se da edição de uma medida provisória que liberou mais de R$ 40 bilhões em recursos. Caberá ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), convocar ou não a reunião da comissão para deliberar o pedido. (Agências)


p Troféu Algemas de Ouro: Lula vai levar? DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

7

A vassoura simboliza a exigência da sociedade de que o Congresso esteja ao lado do povo contra a corrupção. Antônio Carlos Costa, presidente da ONG Rio da Paz.

olítica

Ex-presidente lidera a edição deste ano da premiação. E Joaquim Barbosa é o destaque do Troféu Vassoura de Ouro, que reverencia quem combate a corrupção.

Troféu Vassoura de Ouro 1ª Edição Joaquim Barbosa presidente do STF, por sua atuação como relator do processo do Mensalão. Ayres Britto ex-presidente do STF, por ter iniciado o julgamento do Mensalão. Roberto Gurgel procurador-geral da República, pelo processo do Mensalão. Eliana Calmon ex-corregedora nacional de Justiça, por tornar mais rigorosa a atuação do Conselho Nacional de Justiça. Sepúlveda Pertence por sua atuação na Comissão de Ética da Presidência da República. Miro Teixeira deputado pelo PDT, pela defesa da liberdade de imprensa na Câmara Federal. Randolfe Rodrigues senador pelo PSOL, por sua atuação na CPI do Cachoeira. Marlon Reis coordenador do Movimento Contra a Corrupção Eleitoral (MCCE) e um dos idealizadores da Lei da Ficha Limpa. Vote no link: https://www.facebook.com/#!/questions/381242668631728/

Troféu Algemas de Ouro 2ª Edição Demóstenes Torres (ex-DEM) – ex-senador, da Quadrilha Delta-Cachoeira. Eduardo Azeredo (PSDB) – deputado federal, envolvido no mensalão do PSDB de MG. Erenice Guerra (PT) – ex-ministra da Casa Civil, afastada por tráfico de influência. Fernando Pimentel (PT) – ministro do Desenvolvimento, acusado de consultorias fantasmas. Fernando Cavendish (Delta) – ex-presidente da Delta, empresário líder no mercado da corrupção. Jader Barbalho (PMDB) – senador, escapou da Lei da Ficha Limpa; envolvido no escândalo da Sudam. José Roberto Arruda (ex-DEM) – ex-governador do DF, cassado por corrupção explícita. Lula (PT) – ex-presidente, que não sabe do Mensalão nem do Rosegate, pelo conjunto da obra. Paulo Maluf (PP) – deputado federal, fugitivo da Interpol, pelo conjunto da obra. Sérgio Cabral (PMDB) – governador do RJ, da Gang do Guardanapo, amigo da Delta. Vote no link: https://www.facebook.com/#!/questions/366939100067651/

Acima, em ordem alfabética, os concorrentes deste ano das duas premiações, Algemas de Ouro e Vassoura de Ouro, promovidas pelo grupo carioca Movimento 31 de Julho e pela ONG Rio da Paz. O primeiro troféu será entregue a um "representante" do eleito, no dia 20, no Baile do Pega Ladrão. O segundo, será entregue em março, em data ainda não definida.

Hélvio Romero/Estadão Conteúdo - 19.12.12

Armando C. Serra Negra

E

stá acirrada a disputa pelo Troféu Algemas de Ouro 2012, criado pelo grupo virtual carioca Movimento 31 de Julho, para "premiar" os três campeões da impunidade envolvidos em escândalos de corrupção no Brasil. O líder até agora é o ex-presidente Lula, "pelo conjunto da obra". Na primeira edição do prêmio, em 2011, as algemas de ouro foram para o senador José Sarney (PMDB), com 60% dos sete mil votos computados. As de prata para o ex-ministro José Dirceu (PT/SP), e as de bronze para a deputada federal Jacqueline Roriz (PMN/DF). A premiação ocorreu no Baile do Pega Ladrão, realizado no Clube dos Democráticos, fundado em 1867 no Rio de Janeiro, e um dos mais antigos do Brasil. "Compareceram 400 pessoas, e as algemas foram entregues a militantes caracterizados como os políticos vencedores", conta Marcelo Medeiros, coordenador do grupo. Liderança – Embora o expresidente Lula (PT) venha liderando a atual votação, o segundo e terceiro lugares apresentam indefinição: "Paulo Maluf (PP) e Sérgio Cabral (PMDB) foram ultrapassados, na virada do ano, por Demóstenes Torres (ex-DEM) e Eduardo Azeredo (PSDB)", informa Medeiros. "Os candidatos foram escolhidos de comum acordo entre os membros do grupo; e a votação prossegue no Facebook até o próximo dia 15. No dia 20, haverá a entrega dos prêmios, durante o grito de carnaval, em local a ser definido", diz ele. Até ontem já haviam sido computados 6 mil votos. A novidade deste ano é a criação do Troféu Vassoura de Ouro, que será conferido às personalidades que mais se destacaram na moralização política do País: "Joaquim Barbosa (STF) está disparado na frente, seguido por Eliana Calmon (ex-CNJ) e Carlos Ayres Britto (ex-STF)", diz Medeiros.

Divulgação/Movimento 31 de Julho

Na frente: por enquanto, o ex-presidente Lula é o candidato mais forte a levar a premiação (à direita), vencida no ano passado pelo presidente do Senado, José Sarney.

Vassouras – O novo troféu nasceu de uma parceria do grupo 31 de Julho com a ONG Rio da Paz, que em 27 de setembro de 2011 espetou 594 vassouras verde e amarelas no espaço em frente ao Congresso Nacional. Organizado pela internet sob o slogan Para Varrer a Corrupção, cada uma delas representou os 81 senadores e 513 deputados federais, em uma ação noticiada

"pelo mundo todo" a favor do voto aberto e da adoção da Lei da Ficha Limpa. "A vassoura simboliza a exigência da sociedade de que o Congresso esteja ao lado do povo no combate à corrupção no Brasil", disse, na ocasião o presidente da ONG, Antônio Carlos Costa. Essas vassouras passaram a integrar o acervo do Museu Histórico Nacional, no Rio de Janeiro.

Mobilização – Organizando passeatas, comícios e ações na internet desde 2011, o Movimento 31 de Julho promoveu um abaixo-assinado pelo julgamento do Mensalão, contribuiu para o reconhecimento da constitucionalidade da Lei da Ficha Limpa e para a confirmação do poder do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) de investigar e punir irregularidades no Judiciário.

No NY Times, uma tragicômica galeria dos malfeitos. Consulta ao site do jornal norte-americano revela a percepção da corrupção no mundo por chargistas. O Brasil e a Fifa são destaque no traço dos artistas.

R A Justiça substituída pelo corrupto e as falcatruas descobertas na Fifa foram temas recorrentes na crítica social de cartunistas do mundo todo, disponível no jornal.

etratada por artistas do mundo todo, a corrupção é apresentada sem sutilezas sempre que alguém acessa o site do jornal norteamericano The New York Times. Uma consulta feita pelo Diário do Comércio mostra que o tema sempre atraiu a atenção dos chargistas, pela própria indignação que produz. Fraudes eleitorais, compra de consciências nos parlamentos, má-conduta de governantes, desvios de verbas públicas para atender interesses privados, subornos milionários para favorecimentos particulares – nada escapa aos cartunistas. Acompanhe aqui algumas delas e o quadro de críticas sociais que compõem.

A presidente Dilma Rousseff tenta varrer a sujeira governamental com uma vassoura inapropriada: esforço inútil por uma faxina pesada no Palácio do Planalto.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

ARGENTINA Cristina Kirchner fará próxima viagem internacional em aeronave britânica alugada para evitar confisco do avião oficial 'Tango 01' por fundos especulativos

nternacional

SÓ VAI FALTAR CHÁVEZ NA FESTA Aliados organizam cerimônia com orquestra e presença de líderes latino-americanos para a próxima quinta-feira, dia da posse do presidente. Miguel Gutierrez/EFE

A

cúpula do chavismo fará nesta quinta-feira uma inusitada cerimônia de "não posse" do presidente Hugo Chávez. Com insuficiência respiratória após cirurgia oncológica em Cuba, está praticamente descartado, ainda que não oficialmente, que Chávez viaje para a solenidade de posse marcada para 10 de janeiro. "Toda a Venezuela vai vir para cá, para a frente do palácio Miraflores (sede da Presidência). Todo o povo apoiando nosso presidente de maneira contundente. O povo nas ruas", declarou o presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, ontem. Ele disse ainda que "vários presidentes" da região e primeiros-ministros viajarão a Caracas para a celebração em "solidariedade" a Chávez. Está previsto ainda um concerto da renomada Orquestra Juvenil Simón Bolívar na quinta-feira. Por sua vez, a oposição decidiu organizar uma greve nacional para a data. A iniciativa foi convocada por meio das redes sociais por exilados nos Estados Unidos que, segundo o governo, "estão enlouquecidos". A possibilidade de Chávez não tomar posse nesta quintafeira levou a um debate sobre a Constituição. A Carta diz que o presidente eleito deve tomar posse no dia 10. No evento do presidente morrer ou estar incapacitado para tal, novas eleições precisam ser convocadas em 30 dias. Mas nos últimos dias, tanto o vice-presidente venezuelano, Nicolás Maduro, quanto Cabello disseram que a cerimônia de posse é apenas "uma formalidade" e que Chávez ficará no cargo de presidente. Funcionários governistas têm dito que se o presidente não puder tomar posse na Assembleia Nacional, poderá fazê-lo ante a Suprema Corte. (Agências)

Intelectuais venezuelanos participam de ato em apoio a Chávez. O presidente está em 'situação grave', 'ainda que consciente', diz Marco Aurélio Garcia.

Brasil apoia adiamento da posse

O

governo brasileiro defendeu ontem o adiamento da posse do presidente venezuelano, Hugo Chávez, previsto para a próxima quinta-feira, devido ao estado grave de saúde do mandatário. Segundo o assessor especial da Presidência brasileira, Marco Aurélio Garcia, como Chávez foi reeleito, "não há um processo de

descontinuidade" se ele não tomar posse formalmente no dia 10. "Não existe nenhuma instabilidade concreta na Venezuela", afirmou Garcia, ao defender que a postergação seja por 180 dias, com o vice, Nicolás Maduro, mantendo-se como presidente de fato. A pedido da presidente Dilma Rousseff, Garcia esteve em Cuba nos dias 31 de dezembro e 1º de janeiro, e reuniu-se com os líderes cubanos, Raúl e Fidel Castro, e Maduro. Garcia não se encontrou com Chávez, que segundo ele estava em "situação grave", "ainda que consciente". (Agências)

Dois heróis no governo Obama. Sob críticas. Democratas e republicanos concordam em pelo menos uma coisa: criticar as indicações para secretário de Defesa e diretor da CIA. Kevin Lamarque/Reuters

O

presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, indicou ontem o seu novo secretário de Defesa, Chuck Hagel, e o novo diretor-geral da Agência Central de Inteligência (CIA, na sigla em inglês), John Brennan. Ambas as escolhas precisam ser confirmadas pelo Senado, mas já recebem duras críticas da oposição republicana e das próprias filas democratas. Hagel é o nome mais polêmico. Ex-senador republicano e atual professor da universidade Georgetown, é considerado moderado demais pela linha-dura republicana. Ex-veterano condecorado da guerra do Vietnã, ele foi contrário à invasão do Iraque durante o mandato do republicano George W. Bush (fato que o aproximou de Obama no Senado) e ao aumento de tropas no Afeganistão. Se confirmado pelo Senado, ele vai se tornar o primeiro chefe do Pentágono que foi soldado de tropa. Em discurso na Casa Branca, Obama disse que Hagel é o "líder" que as tropas do país "merecem", e um "patriota norte-americano". "(Hagel) sabe que a guerra não é uma abstração, mas é algo que só fazemos quando é absolutamente necessário", afirmou o presidente. Obama ainda mencionou a afiliação republicana de Hagel, ex-senador por esse partido até 2009. "É o reconhecimento no que diz respeito à defesa do país. Não somos republicanos ou

Não deixem que extremistas acabem com Hagel James Besser*

M Hagel (à esq.) é 'moderado' demais para os republicanos. Já Brennan é 'linha-dura' para os democratas. democratas, somos norteamericanos", afirmou. O ex-senador pelo Nebraska opôs-se ainda às sanções contra o Irã, enfurecendo seus correligionários republicanos. Hagel, de 66 anos, também já sugeriu que o governo deveria tentar negociar com grupos considerados terroristas pelos EUA, como os islâmicos Hamas, da Palestina, e Hezbollah, do Líbano. Duas falas dele provocaram oposição instantânea em grupos poderosos em Washington, gerando desconfiança também entre os democratas. Em 2007, em uma entrevista, ao se referir ao lobby pró-Israel, Hagel deu uma declaração que causou polêmica. "O lobby judaico intimida muita gente no Congresso, mas não me intimida", disse. Ainda senador, em 1998, ele foi contra a nomeação do milionário empresário James Hormel como embaixador norte-

americano em Luxemburgo. "Ele é aberta e agressivamente gay, um fator inibidor para o cargo", afirmou à época. O presidente Bill Clinton manteve a nomeação. Hagel, desde então, pediu desculpas a grupos judaicos e gays por suas declarações, dizendo que foi "insensível". No novo cargo, além de lidar com a paz no Oriente Médio e gerenciar a presença norteamericana no Afeganistão e no Iraque, ele terá entre suas prioridades os programas nucleares do Irã e da Coreia do Norte, e a presença na Ásia diante de uma China mais poderosa. Hagel ainda deverá dirigir os cortes orçamentários nas despesas de defesa em uma época de "duras decisões fiscais", como a definiu Obama. 'Durão' - Bastante menos polêmico, o novo chefão da CIA, John Brennan, é mais criticado pela esquerda do Partido Democrata exatamente pelo

oposto de Hagel – por ser linha-dura demais. Há 25 anos na agência central de espionagem e assessor presidencial de Segurança, Brennan é acusado por críticos de ser complacente com a tortura em interrogatórios. Brennan, de 58 anos, também defendeu publicamente os ataques com os aviões nãotripulados ("drones") para matar terroristas, dizendo que o número de vítimas civis é mínimo, algo contestado por observadores internacionais. Segundo conselheiros da Casa Branca, Obama escolheu Brennan para o cargo porque ele teve um papel importante na operação que resultou na morte do líder terrorista Osama bin Laden em 2011. Ele substituirá o general aposentado David Petraeus, que renunciou ao cargo em meio a um escândalo sobre seu caso extraconjugal com sua biógrafa. (Agências)

ovimentos polític o s q u e d e p e ndem de amplo apoio popular, mas são comandados por extremistas, frequentemente se tornam autodestrutivos – uma lição que o Partido Republicano aprendeu a duras penas em novembro passado e que os lobistas de armas estão prestes a aprender, após o último massacre escolar. Essa também é uma boa lição para as lideranças judaicas nos EUA, que temem cada vez mais a pequena minoria de fanáticos, cuja visão para o futuro de Israel difere da visão da maioria dos judeus dos EUA. Esse tipo de extremismo pode ser visto na direita pró-Israel, à frente de uma campanha contra a indicação de Chuck Hagel à Secretaria de Defesa. Há 15 anos, Hagel – cujos pecados incluem a defesa do diálogo para limitar as ambições nucleares do Irã e a sugestão de que o Capitólio teria medo do "lobby judeu" – seria considerado

um aliado dos apoiadores de Israel em Washington. Atualmente, grandes grupos judaicos se calam, ou apoiam cautelosamente as pessoas que desejam impedir a nomeação de Hagel. À medida que ricos apoiadores da extrema direita tomam o poder, esses grupos passam a considerar qualquer crítica como uma afronta a Israel, transformando apoiadores do Estado judaico em adversários, simplesmente por não concordarem com a ideologia do atual governo de Israel. Lidar com extremistas pode produzir ganhos de curto prazo. Entretanto, – conforme demonstram a eleição presidencial e o crescimento das campanhas de desarmamento – isso traz o risco de uma reação popular. Ambos os partidos e o eleitorado dos EUA continuam a apoiar a existência de um Estado judaico. Porém, esse apoio pode perder a força se grandes lideranças judaicas não rejeitarem os radicais. No longo prazo, o extremismo só irá afetar os interesses de um Israel vulnerável. *The New York Times News Service


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

c

9 TRÂNSITO COMPLICADO Várias ruas no entorno do depósito, como a Rua Taquari e o Viaduto Bresser, foram interditados para facilitar o trabalho dos bombeiros no controle das chamas. O trânsito na região ficou complicado.

idades

Incêndio destrói depósito na zona leste Galpão é utilizado como depósito da rede de lojas Armarinhos Fernando, na Rua Taquari, na Mooca. Prédio residencial ao lado precisou ser evacuado.

U

m incêndio de grandes proporções atingiu, ontem de manhã, um depósito dos Armarinhos Fernando na esquina das ruas Taquari e dos Trilhos, na Mooca, zona leste da capital paulista. O fogo, cuja fumaça podia ser vista de diversas regiões da cidade, começou com um curto-circuito entre 10h30 e 11h. Um prédio residencial vizinho, de 28 andares, teve de ser esvaziado. Ninguém ficou ferido. Várias ruas no entorno, como a Rua Taquari e o Viaduto Bresser, foram interditados para facilitar o trabalho dos bombeiros. Por causa da interdição, o trânsito na região ficou complicado. As chamas só foram contidas por volta das 13h. No total, 22 viaturas do Corpo de Bombeiros e 65 homens foram acionados para controlar as chamas. As labaredas se propagaram rapidamente devido ao fato do depósito conter materiais de fácil combustão, como plástico e papelão. Parte de uma estrutura metálica do depósito veio abaixo, dificultando o trabalho do Corpo de B o m b e i r o s . A p r o x i m a d amente 1,6 mil metros quadrados da área, de um total de 6 mil metros quadrados, foram destruídos. Loja – Uma loja dos Armarinhos Fernando, que se comunica com o galpão e fica no mesmo terreno, também teve cerca de 100 metros quadrados queimados, na parte dos fundos. O Corpo de Bombeiros informou que tanto a loja quanto o depósito estavam funcionando no momento em que o fogo começou.

Almeida Rocha/Folhapress

Funcionários que não quiseram se identificar relataram terem tido dificuldade para deixar o local devido à falta de alarmes sonoros e de saídas de emergência. Diante dessas informações, o Corpo de Bombeiros informou que irá avaliar se o imóvel está dentro das normas de segurança. Evacuação – O Edifício Verona, com 28 andares e 112 apartamentos, que fica próximo ao local, também foi esvaziado por estar recebendo grande quantidade de fumaça vinda do galpão. O objetivo foi evitar a intoxicação dos moradores. Às 14h45, cerca de 30 condôminos ainda aguardavam na rua a liberação para retornar à unidade. De acordo com o capitão Arthur Bicudo, não há riscos para a estrutura do imóvel, que foi resfriado com água por precaução. "A evacuação é temporária e todos vão poder voltar para suas casas ainda hoje (ontem)", disse. A aposentada Sônia Regina Lopes, de 62 anos, moradora do 13º andar do prédio que precisou ser esvaziado, conta que se assustou com a dimensão das chamas. "Nunca vi um negócio desses. A labareda estava muito alta. Depois a energia caiu e tive de descer de escada até a rua". Os moradores disseram que ouviram o estrondo de um poste, momento em que parte da energia caiu. A outra parte foi desligada pela AES Eletropaulo por motivo de segurança. Técnicos da Defesa Civil Municipal e da Subprefeitura da Mooca também compareceram ao local, acompanhados do subprefeito Francisco Ricardo. (Estadão Conteúdo)

Chamas no depósito dos Armarinhos Fernando, na esquinas das ruas Taquari e dos Trilhos, na Mooca. Causas do incêndio não foram divulgadas. Ale Vianna/Estadão Conteúdo

Ale Vianna/Estadão Conteúdo

No total, 22 viaturas do Corpo de Bombeiros foram acionadas.

Loja dos Armarinhos Fernando também foi atingida pelo fogo

Wilton Junior/Estadão Conteúdo Caco Konzen/Estadão Conteúdo

Roubo de joias no Sul: polícia prende suspeito.

A

Em Xerém, distrito de Duque de Caxias, combate à dengue é uma das prioridades após os temporais.

Rio: após a chuva, o desafio agora é enfrentar as doenças.

P

acientes com sintomas de doenças que aparecem após enchentes, como leptospirose, dengue e hepatite A, estão recebendo tratamento diferenciado em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense. A cidade foi atingida por fortes chuvas que deixaram 1,1 mil pessoas desalojadas ou desabrigadas na semana passada. Preocupada com o acúmulo de lixo na cidade, que sofre com a falta de coleta seletiva há três meses, a Secretaria Estadual de Saúde tem orientado os moradores sobre o surgimento das doenças desde dezembro. Anteontem, foi instalado o Centro de Hidratação de Dengue, em Xerém, distrito de Duque de Caxias e o mais afetado pelo temporal. De acordo com o superintendente de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da secretaria, Alexandre Chieppe,

o centro tem capacidade para atender 300 pacientes por dia. Os postos, lembrou Chiepp, também passaram por uma limpeza depois do Natal, quando um mutirão retirou o lixo acumulado nas imediações das unidades de saúde. "Estruturamos um serviço para identificar sinais e sintomas que, às vezes, são leves, que não são valorizados em uma rotina, mas que agora tem que ser valorizados porque podem indicar sinais e sintomas de doenças mais graves", explicou Chieppe. A leptospirose, por exemplo, que causa febre e dor no corpo, pode evoluir para uma insuficiência renal. Outra preocupação é com a qualidade da água. Amostras colhidas em sete abrigos em Xerém foram consideradas inadequadas pela vigilância e o município pede doações. A recomendação é que a popu-

lação só beba água mineral. Para evitar contato com a água das enchentes e contrair doenças, a orientação é usar luvas, botas de borracha ou sacos plásticos durante a limpeza das casas, segundo o infectologista Edimilson Migowski, da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Escolas – A Secretaria Estadual de Educação do Rio divulgou ontem balanço atualizado das escolas que tiveram o funcionamento prejudicado pelas chuvas. Em Duque de Caxias, na Baixada Fluminense, o município mais afetado pelo temporal, 25 das 36 escolas atingidas já estão em condições de ter aulas. O mesmo ocorre com as sete escolas prejudicadas pelas chuvas em Angra dos Reis, no litoral sul do Estado. No total, 82 escolas de 20 municípios fluminenses foram afetadas pelos temporais. (Folhapress)

Brigada Militar prendeu na noite de anteontem um homem de 26 anos suspeito de envolvimento no assalto a uma fábrica de joias no último dia 30 na cidade de Cotiporã, na Serra Gaúcha. Ao todo, 17 pessoas foram feitas reféns durante o assalto e a fuga, Policiais gaúchos procuram integrantes do bando que roubou joias que teve invasões a casas. Edio Robert dos Santos foi gião porque gosta de ficar poldo, onde cumpriam pena preso quando pedia carona em contato com a natureza. em regime semiaberto por em Capela São Roque. SeO crime em Cotiporã teve a roubo e tráfico de drogas. gundo a Polícia Civil, ele participação de, pelo menos, Na semana passada, o seapresentava ferimentos que oito criminosos, que usaram cretário da Segurança gaúpodem ser de tiros nos bra- reféns como escudo. Na fuga, cho, Airton Michels, disse que ços e na cabeça, e não resis- eles encontraram um blo- a extrema "cautela" da polícia tiu à prisão. Outros quatro queio policial na estrada que na tentativa de preservar os suspeitos do crime tiveram a leva a Bento Gonçalves. Hou- reféns facilitou a fuga dos criprisão decretada na semana ve tiroteio e três homens de- minosos. Ele citou casos de passada, mas ainda não fo- les foram mortos. Dois poli- sequestro em que vítimas ram localizados. ciais ficaram feridos. Os qua- acabaram mortas em ações Edio nega participação no tro suspeitos com decreto de policiais mal sucedidas, como crime. Ele disse à polícia que prisão expedidos haviam fu- o assalto ao ônibus 174, no passou dias na mata da re- gido do presídio de São Leo- Rio, em 2000. (Folhapress)

CHOQUE DE TRENS

O Ó RBITA

TURISTA MORTO

U

m turista de 29 anos foi assassinado anteontem na frente da família na Praia Grande, no litoral de São Paulo. Segundo a polícia, o mecânico Rafael Nunes Rosa foi morto com um tiro no peito ao se recusar a entregar o relógio e a corrente de ouro para o trio de assaltantes. A vítima chegou a ser socorrida, mas não resistiu. (Folhapress)

tráfego de trens entre a Capital e a Baixada Santista está interrompido desde ontem de madrugada devido a um acidente na Serra do Mar, de acordo com a América Latina Logística (ALL), empresa que administra a linha férrea. Dois trens de carga se chocaram, descarrilaram e pegaram fogo próximo a São Vicente. Segundo o Corpo de Bombeiros, houve um princípio de incêndio, que foi controlado. Ninguém ficou ferido. Um dos trens transportava açúcar e grãos rumo ao Porto de Santos e colidiu com a cauda de um trem de cargas. As causas do acidente serão investigadas. (Folhapress)

HOSPITAL INVADIDO

U

ma quadrilha formada por cerca de 15 homens invadiu ontem de manhã o Hospital Santa Marcelina, no Itaim Paulista, na zona leste. De acordo com informações da polícia, os criminosos renderam funcionários e usaram um maçarico para abrir dois caixas eletrônicos que ficam dentro da unidade de saúde. Ninguém ficou ferido, segundo a Polícia Militar. O caso foi registrado no 50º DP (Itaim Paulista). A quantia levada pelos assaltantes não foi divulgada. Procurado, o hospital não se manifestou sobre o assunto. (Folhapress)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Um drácula para segurar seu vinho

www.dcomercio.com.br

Os amantes de vinho e bem-humorados de plantão vão adorar este suporte. http://designyoutrust.com/2013/01/ vampire-wine-bottle-holder

Rick Wilking/Reuters

Arquitetura surreal

Garfo inteligente na feira de Las Vegas

O artista belga e fotógrafo Filip Dujardin criou uma série de projetos que parecem impossíveis de serem reproduzidos por arquitetos e engenheiros. Usando fotos de estruturas para recriar sua própria arquitetura, Dujardin rompe com todas as regras estabelecidas no mundo real. Mais fotos no site.

Começa hoje a CES Las Vegas, maior feira de tecnologia do mundo. Um dos gadgets apresentados a jornalistas ontem foi o HAPIfork (foto), que conta quantas garfadas a pessoa já deu e avisa se ela está comendo rápido demais. Leia mais sobre o evento nos EUA na página 18.

http://mydesignstories.com/impossiblearchitecture-by-filip-dujardin/

B OLA DE OURO E M

C A R T A Z

Messi: o melhor. De novo.

O HOMENAGEM Caricaturas homenageiam Oscar Niemeyer no Memorial da América Latina. Av. Auro Soares de Moura Andrade, 664, Barra Funda, tel.: 3823-4600. Grátis. S ÃO PAULO

Confusão na Praça Roosevelt A Praça Roosevelt foi palco de mais um conflito entre skatistas e a Guarda Civil Metropolitana (GCM) na última sexta-feira. Um vídeo que circula na internet mostra quando um homem sem farda – da GCM, segundo o autor da filmagem – dá uma gravata e agride os skatistas verbalmente. Até agora, o vídeo já teve mais de 257 mil

visualizações. A Secretaria Municipal de Segurança Urbana afirmou ontem que "não tolera" condutas como a dos agentes envolvidos no incidente e que os responsáveis já foram identificados, afastados dos serviços externos e serão ouvidos pela Corregedoria Geral da Guarda Civil Metropolitana.

argentino Lionel Messi, 25, é o primeiro jogador de futebol a ser eleito o melhor do mundo pela quarta vez consecutiva. Ninguém tem tantas premiações da Bola de Ouro, que é concedida pela Fifa desde 1991. O meia-atacante do Barcelona recebeu o troféu ontem, em cerimônia em Zurique, na Suíça, e foi aplaudido em pé pelo público presente na premiação. Ele ultrapassou o brasileiro Ronaldo e o francês Zinédine Zidane, que conquistaram três edições do prêmio cada um. Companheiro de time de Messi e bicampeão europeu com a seleção espanhola, o meia Andrés Iniesta ficou em segundo lugar na eleição. O atacante Cristiano Ronaldo, do Real Madrid, ficou na terceira posição. Cinco vezes eleita como a melhor jogadora de futebol do

Michael Buholzer/Reuters

Os melhores da Fifa Jogador: Lionel Messi (Barcelona) Jogadora: Abby Wambach Gol mais bonito: Miroslav Stoch (Fenerbahce) Melhor técnico: Vicente Del Bosque (seleção espanhola) Melhor técnica: Pia Sundhage (seleção sueca) na seleção da Fifa: Daniel Alves (Barcelona) Marcelo (Real Madrid)

mundo, a brasileira Marta ficou sem o prêmio pelo segundo ano consecutivo. Quem ficou com a Bola de Ouro foi a americana Abby Wambach. Premiada entre 2006 e 2010, a atacante alagoana ficou na terceira posição desta vez. Campeã olímpica ao lado de Wambach, Alex Morgan foi a se-

gunda colocada na votação. Marta afirmou que trocaria as cinco conquistas anteriores por um título da Copa do Mundo com a seleção brasileira. "Qualquer atleta sonha com um grande título, e espero continuar trabalhando por isso. O Brasil evoluiu bastante nos últimos anos, foi frustrante chegar

às finais e perder, mas aprendemos muito. Sinto que poderemos ganhar títulos e sei que poderei ajudar ainda", disse. Veja os principais vencedores do evento no quadro acima. Curiosidade: A federação do Uzbequistão também recebeu um troféu pelo trabalho com futebol no país.

Tiago Queiroz/Estadão Conteúdo

B ATOM ANIMAL

Roupa nova A pintura anual do Auditório do Ibirapuera, na zona sul de São Paulo, começou ontem.

M OVIMENTE-SE Eduardo Knapp/Folhapress

A americana Paige Thompson criou uma série artística, chamada de Animal-ipstick, usando como tela a própria boca. B IELO-RÚSSIA

Amauri Nehn/Estadão Conteúdo

Cônsul morre afogado no Rio O cônsul-geral da BieloRússia no Brasil, Serguei Gurevsky, de 65 anos, morreu após se afogar enquanto nadava na praia da Reserva, no Recreio dos Bandeirantes (zona oeste do Rio de Janeiro), na manhã de domingo. Ele chegou a ser socorrido, mas os médicos não conseguiram reanimá-lo. L OTERIAS Concurso 852 da LOTOFÁCIL

Subindo e descendo o 'piano'

02

03

04

05

08

11

12

16

18

20

21

23

24

25

Concurso 3088 da QUINA

L

Escadaria da estação Osasco da CPTM tem os degraus pintados em forma de teclado que, quando pisados, emitem sons de notas musicais. A iniciativa é do Sesc.

01

DO OUTRO MUNDO - Homens fantasiados de astronautas interagiam ontem com pedestres no Viaduto Santa Ifigênia, região central da cidade.

38

42

47

64

66


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

e

11 CUB Custo da construção em São Paulo sobe 7,29% em 2012

conomia

SAFRA 2013/2014 Produção de açúcar cairá 2,7% e a de etanol crescerá quase 20%

Programe-se para a próxima temporada de feiras no País Ainda dá tempo de as empresas, tanto de pequeno como de grande porte, planejarem a participação em eventos comerciais neste ano. Jefferson Bernardes/Divulgação

Fátima Lourenço

A

Couromoda e a Pretà-Porter abrem, na próxima semana, a temporada das grandes feiras de negócio realizadas no País. Ao longo do ano serão centenas de eventos do gênero. Só os associados da União Brasileira dos Promotores de Feiras (Ubrafe) realizarão 201 desses encontros. Segundo a entidade, os dois eventos devem atrair importadores de cerca de 60 países e injetar R$ 100 milhões na economia da cidade. Para o empresário que ainda não pensou nos benefícios que uma feira de negócios proporciona, o início do ano é um bom momento para isso. "O planejamento é o primeiro cuidado a ser tomado", ressalta a consultora da área de promoção de negócios do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas no Estado de São Paulo (Sebrae-SP), Maria Aparecida Lemes da Silva. As feiras podem se traduzir em oportunidades, e não só para os grandes empreendimentos. "A decisão de expor em uma feira pode ser para a realização de vendas; conquistar novos clientes; lançar produtos; ou até para encontrar representantes do setor", diz Maria Aparecida. Ela acrescenta que entre as grandes empresas, às vezes a participação tem como único objetivo a divulgação da marca. Preparação – Os empresários de pequeno porte nem sempre têm fôlego financeiro para isso. Para micro e pequenos empreendedores de uma maneira geral, o que se busca, de acordo com Maria Aparecida, é a conquista de clientes e a realização de vendas. A presença nesses eventos requer, porém, independentemente do objetivo e do porte do negócio, planejamento antecipado em pelo menos quatro meses, recomenda a especialista.

A Couromoda abre o calendário de eventos com 1,1 mil expositores. No ano passado (foto), foram negociadas 3 mil marcas e a expectativa para 2013 é de que 3,5 mil sejam comercializadas.

Essa antecipação, justifica, facilita o pagamento do espaço junto aos promotores das feiras e pode redundar em descontos. Além disso, o empresário precisa ter certeza de que a estrutura do empreendimento atenderá a demanda a ser gerada pelo evento. "É preciso capacidade de produção; solução para a entrega; e operar totalmente dentro da legalidade", diz Maria Aparecida. A presença nesses eventos requer atenção com o material de comunicação. "Não adianta oferecer um cartão de visita sem o número do DDD", comenta. O ideal é também oferecer um folder com informações sobre a empresa, os produtos e os meios de contato. "E, de preferência, ter um site atualizado e um e-mail para contato", afirma. Subsídios – No estado de São Paulo, as micro e pequenas empresas podem pleitear subsídios do Sebrae-SP para participar de algumas feiras (confira

quadro ao lado). Na Couromoda, por exemplo, os empreendedores dos polos calçadistas Birigui, Jaú e Franca se beneficiam desse subsídio há alguns anos e ajudarão a compor, na próxima semana, o quadro amplo de 1,1 mil expositores do evento, que vão negociar 3,5 mil marcas, ante 3 mil em 2012. "A participação (subsidiada) desses três grandes polos é tradicional nessa feira e na Francal", diz. O Sebrae arca com 40% dos custos com os stands e as empresas, com as demais despesas, como estadia, descolocamentos e decoração do stand. Para pleitear o subsídio, o empresário deve se informar no escritório do Sebrae da sua região, ou pelo e-mail p ro mocao@sebraesp.com.br. A relação das feiras pode ser pesquisada nos sites da Ubrafe (www.ubrafe.org.br) e da Reed Exhibitions Alcantara Mac h a d o ( w w w. r e e d a l c a n t ara.com.br)

Diversão para o retorno aos shoppings Centros de compras investem em programação, principalmente para as crianças, o que contribui para fidelizar os consumidores ao longo do ano. Paula Cunha

Divulgação

C

om a chegada das férias de janeiro, há a fuga das famílias para a praia e outros destinos turísticos, o que deixa muitas cidades vazias. Na Capital paulista, os shopping centers oferecem atividades de lazer para adultos e, principalmente, para as crianças. O objetivo é manter o movimento após as festas de Natal e Ano Novo e elevar a frequência em áreas além das praças de alimentação e cinemas. Os empreendimentos não fixaram metas de elevação de vendas em consequência da adoção destas estratégias, algumas gratuitas outras não, mas acreditam que elas deverão resultar em movimentação positiva. Cláudio Felisoni de Ângelo, presidente do Conselho do Programa de Administração de Varejo (Provar) e do Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo (Ibevar), acredita que esse tipo de iniciativa é consequência da evolução pela qual os shopping centers passaram. Para ele, os centros comerciais são tam-

Os shoppings, como o Jardim Sul (foto), lançam atividades para aumentar o movimento nas férias. bém polos de convivência social. Por isso, é natural investir em atividades para os frequentadores. Felisoni enfatiza a necessidade de conhecer bem o público frequentador e seu perfil sócio-econômico para escolher adequadamente as atividades que serão oferecidas. Isso, na sua opinião, contribui para fidelizar os consumidores durante todo o ano.

No Anália Franco, um espaço que aborda o universo do escritor Monteiro Lobato foi batizado Sítio do Picapau Amarelo. Nele, há seis estações com atividades gratuitas como oficinas de artesanato, pintura, leitura, confecção de bijuterias, jardinagem e decoração de vasos, entre outras. Para os menores de três anos, foi montado o Espaço Baby, com monitores

que os orientam em jogos e desenhos para colorir. A iniciativa estará à disposição de 14 de janeiro a 10 de fevereiro, das 12h às 19h30 para crianças de três a 12 anos. Mais informações no site w w w. s h o p p i n g a n a l i a f r a nco.com.br. O Shopping Vila Olímpia (www.scvilaolimpia.com.br ), optou pela oferta de oficinas gratuitas de arte a partir de

materiais reciclados para crianças de três a 12 anos. A atividade foi batizada CLICK Oficin as e monitores apresentam o passo a passo para a montagem de objetos e brinquedos a partir de papel, copinhos de iogurte e outros itens de 16 de janeiro a 3 de fevereiro, sempre das 14h às 20h no piso térreo. O Shopping Ibirapuera (www.ibirapuera.com.br) oferecerá, de 9 a 27 de janeiro, uma viagem à Era dos Dinossauros. Em um espaço de 90 metros quadrados, um professor guiará os visitantes ao mundo da paleontologia. Nele, há uma área de escavação com simulações do trabalho de um paleontólogo e uma réplica de um dinossauro de 2,5 metros de altura que se move. A participação na atividade é gratuita e são direcionadas para crianças de 4 a 10 anos. A atração estará no Piso Moema, ao lado do Banco Itaú. O Shopping Jardim Sul (www.jardimsul.com.br) apresenta de 7 de janeiro a 5 de março o Toy Park com atividades para crianças de 0 a 8 anos. Com monitores treinados, o espaço foi dividido em

três áreas. A Baby Toy, para os pequenos com até dois anos, permitirá a participação dos pais. Já o Playground, para os que têm de 2 a 8 anos, terá escorregadores, piscina de bolinhas, mesa de atividades e lousa para desenhos. Há, ainda, a Arena Game, com videogames de última geração. Os preços variam de R$ 10 (para os primeiros 15 minutos) e R$ 5 (a cada 15 minutos adicionais). O West Plaza oferecerá, a partir do dia 11, um mini parque de diversões para crianças de todas as idades em parceria com a Playland. Uma taxa de R$ 10 será cobrada pela permanência por 20 minutos. No ParkShopping São Caetano, no ABC paulista, um campo de minigolfe é a atração dos frequentadores a partir do dia 10 até 17 de fevereiro. Os interessados devem se cadastrar, gratuitamente, e receberão um taco, uma bola e uma cartela para marcar seus pontos. O espaço tem capacidade para comportar 35 pessoas jogando simultaneamente. Há mais informações no www.parkshoppingsaocaetano.com.br.


12 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de janeiro de 2013


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

e

13

As medidas adotadas pelo governo ao longo de 2012 resultaram em um 'décimo terceiro' mês de vendas. Luiz Moan, primeiro vice-presidente da Anfavea

conomia Rodrigo Paiva/Folhapress

Recuperação da indústria ocorreu no segundo semestre de 2012, a partir das medidas de redução dos impostos e de incentivos ao crédito do governo federal.

Fiat e Volks crescem mais que a média

A

A

produção de veículos no Brasil sofreu em 2012 a primeira queda em quase uma década, mas o setor manifestou ontem otimismo de uma retomada em 2013, em meio a um novo regime automotivo que força maior fabricação nacional e expectativa de um desempenho melhor de vendas no mercado interno. A indústria, responsável por cerca de 25% do Produto Interno Bruto (PIB) industrial do País, encerrou 2012 com queda de 1,9% na produção, num resultado ligeiramente pior do que o recuo esperado de 1,5%, informou a entidade que representa o setor, a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). As montadoras produziram 3,342 milhões de veículos em 2012, mas o primeiro vicepresidente da Anfavea, Luiz Moan, afirmou que a queda deveu-se a uma primeira metade do ano passado muito ruim, e que a retomada do segundo semestre deve se manter no início de 2013. Com o resultado de dezembro, a produção brasileira de veículos cresceu 15% no segundo semestre ante os seis primeiros meses de 2012, quando o governo ainda não tinha lançado medidas de redução de impostos e estímulo ao crédito. A expectativa da entidade é de uma produção de cerca de 4,5% maior em 2013, para 3,49 milhões de unidades. Segundo Moan, o cenário de inadimplência, que fez boa parte dos bancos restringirem financiamentos no início de 2012, está se normalizando. A aprovação de concessão de crédito nos primeiros dias de 2013 "está normal, tanto para caminhões, quanto para automóveis". Estoque – O setor terminou dezembro com estoque de 295.205 unidades, suficiente para 24 dias de vendas, ante volume equivalente a 33 dias em novembro. Do total estocado entre

Produção de veículos caiu 1,9% no ano passado Mas previsão em 2013 é de produção de 3,49 millhões de unidades, o que significa aumento de 4,5%. montadoras e concessionárias, 243.571 unidades, ou suficiente para 20 dias úteis de vendas, foram faturadas antes do início da redução gradual no desconto sobre o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), que vai até o fim deste semestre. "Achamos que a gradualidade do retorno do IPI é a melhor maneira para se evitar qualquer impacto nas vendas (com um possível reajuste imediato de preços). O mercado continuará crescendo", disse Moan, também diretor de assuntos instuticionais da GM. Vendas – Na semana passada, o presidente da Associação Brasileira dos Concessionários de Automóveis Fiat (Abracaf), Guido Viviani, afirmou que o "ano começou muito bem, com bastante movimento nas lojas" e apostou que o aumento escalonado do tributo não deverá refletir em perdas de vendas. A expectativa da Anfavea é de crescimento de 3,5% a 4,5% nas vendas de veículos

no País em 2013, para perto de sobre Produtos Industrializa4 milhões de unidades. Se con- dos (IPI), como resultado do firmado esta previsão, será o aumento das vendas, as monsétimo recorde consecutivo tadoras contrataram mais 5 de vendas da indústria. mil trabalhadores e têm enC a m i n h õ e s – P a r a c a m i- tendimento de que o nível de nhões espeemprego no cifica mente, setor deve a previsão é ser mantido de alta nas até a retirada vendas entre total do des7% e 7,5%, conto no triapós queda buto. mil postos de trabalho de 19,5% em A maior eram gerados pela 2 0 1 2 , a parte das 139.147 unicontratações indústria em dades. foi gerada pedezembro passado, o O nível do las novas fáemprego nas bricas de veíque representa salto mo nta dor as c u l o s c o mde 3,7% em relação a terminou pactos da igual mês de 2011. 2 0 1 2 e m Hyundai e da 149.944 posToyota, no intos de trabaterior de São lho, queda de 0,1% sobre no- Paulo, instaladas no segundo vembro, mas alta de 3,7% na semestre de 2012. comparação com dezembro Somente no mês de dezemde 2011. bro, que teve menos dias úteis Segundo Moan, além do au- do que novembro, a produção mento de R$ 1,5 bilhão na ar- caiu 14%, mas as vendas subirecadação total de impostos r a m 1 5 % n a c o m p a r a ç ã o gerada pelo corte no Imposto mensal.

149

Segundo Moan, na média diária as vendas de automóveis e comerciais leves de dezembro foram 21,8% maiores que novembro, para 18.098 unidades. Enquanto isso, a média de caminhões subiu 5,2%, para 663 unidades por dia útil. Décimo terceiro – "As medidas adotadas pelo governo ao longo de 2012 resultaram em um 'décimo terceiro' mês de vendas no ano passado ou cerca de 400 mil unidades adicionais", disse Moan. Sobre o mercado externo, o executivo afirmou que o cenário para exportações brasileiras de veículos em 2013 segue difícil, com Europa, África e América Latina sofrendo efeitos de desaceleração econômica. A expectativa da Anfavea é de queda de 4,6% nas vendas externas em volume em 2013, para 420 mil unidades, enquanto em valor a expectativa é de estabilidade nas exportações de veículos, em US$ 14,7 bilhões. (Reuters)

s líderes do mercado automotivo nacional, a italiana Fiat e a alemã Volkswagen, encerraram 2012 crescendo mais que a média do mercado. A Fiat registrou alta de 11% nos emplacamentos de automóveis e comerciais leves no ano passado, para 838,2 mil unidades. A Volkswagen, em seguida, teve expansão de 10% nas vendas nas mesmas categorias, com 773,4 mil unidades. A General Motors (GM) e a Ford apresentaram crescimento de 2% e de 3% nas vendas no ano passado, para 642,6 mil e 323,7 mil unidades, respectivamente. (Reuters)

Onix começa ano com recall

A

General Motors do Brasil convocou no sábado os proprietários dos veículos Chevrolet Onix 1.0L 2013 a comparecerem a uma concessionária da marca para fazer a troca das rodas de aço aro 14" e inspeção e eventual substituição dos pneus. Devem comparecer os proprietários dos veículos com data de fabricação de 24 de agosto a 15 de dezembro de 2012 e números de chassis de DG129064 a DG209603. Na nota, a GM afirma ter constatado a existência de aresta cortante na roda que pode causar cortes internos no pneu, durante o seu processo de montagem. (Folhapress)

BNDES lança canal online para empresas A ferramenta inédita deve beneficiar principalmente micro, pequenos e médios empresários de todo o País

O

Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou ontem o lançamento de uma ferramenta em seu site para orientar o cliente sobre a forma de financiamento adequada ao seu perfil, é o Mais BNDES. Segundo o banco, a ferramenta beneficia principalmente micro, pequenos e médios empresários de todo o País na busca por informações sobre os produtos, linhas, programas e fundos disponíveis. "O maior benefício trazido pelo novo ambiente online é

permitir que o cliente possa, com alguns cliques, entender os financiamentos mais adequados para a finalidade desejada", disse a instituição em comunicado. Ins trume nto – De acordo com o BNDES, para usar o instrumento, o interessado deve primeiramente se identificar, no início do cadastro, como pessoa física, pessoa jurídica ou administração pública. Se a opção for por pessoa jurídica, por exemplo, a tela seguinte exibe cinco botões com faixas de receita bruta (micro, pequenas, médias, médias-

O maior benefício trazido pelo novo ambiente online é permitir que o cliente possa, com alguns cliques, entender os financiamentos. COMUNICADO DO BANCO

grandes e grandes empresas). Depois desta etapa, o cliente deve indicar o Estado e o

Reprodução do site

Empreendedor pode conhecer financiamento adequados a seu negócio em nova seção do site do banco

município de sua empresa. Na sequência, escolhe a atividade macro – comércio, serviço ou indústria, entre outros – e a classificação CNAE (pessoas físicas, como caminhoneiros e microempreendedores individuais, pulam essa etapa do cadastro). Por fim, indica a finalidade do financiamento, chegando, então, à lista com as opções disponíveis do BNDES. Ao final da consulta, escolhida a modalidade mais adequada, é disponibilizado um roteiro com informações básicas sobre a linha em questão, contendo taxa de juros, prazo e documentação necessária para efetuar a operação. Canal no YouTube – O BNDES também anunciou ontem o lançamento de um canal no YouTube para esclarecimentos aos clientes. O acesso pode ser feito pelo endereço eletrônico: www.youtube.com/bndesgovbr. De acordo com o banco, serão publicados vídeos institucionais, campanhas publicitárias e pequenos programas explicativos sobre os produtos e serviços do BNDES. O primeiro conteúdo publicado foram os novos tutoriais

do Cartão BNDES, informa em nota a instituição. "São 11 vídeos que apresentam o produto e esclarecem as principais dúvidas dos interessados em se tornar clientes ou fornecedores do cartão." Os vídeos do BNDES também podem ser acessados diretamente por um site do banco (www.cartaobndes.gov.br).

Segundo o banco, este é o terceiro canal oficial do BNDES nas redes sociais. Os outros perfis ativos estão no Twitter (twitter.com/bndes imprensa), para divulgação de notícias, e no Slideshare (slideshare.net/bndes), com apresentações e cartilhas sobre o apoio financeiro a diversos setores. (Folhapress)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

e

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Os usuários perceberam que um smartphone com tela de quase cinco polegadas não é assim tão desconfortável. Joshua Flood, analista sênior da ABI research

conomia

Virada na indústria: é a hora e a vez dos 'phablets'.

Samsung faz aposta certa e lucra mais

Usuários querem um telefone móvel com acesso ao conteúdo digital. Nem tão grande, nem tão pequeno.

A

Bobby Yip/ Reuters

Tamanho que faz a diferença: embaixo o Ipad 2 da Apple, seguido pelo phablet Galaxy Note da Samsung e o smartphone da Blackberry.

O

nome pode ser phablet, phonelet, tweener ou super smartphone, mas o fato é que os celulares grandalhões – com tamanho mais próximo a um tablet do que a um smartphone – chegaram para ficar. Sucesso surpreendente em 2012, esses aparelhos estão atraindo mais usuários e mais fabricantes de celulares, e determinando a maneira como consumimos conteúdo. "Nossa expectativa é de que 2013 seja o ano do phablet", disse Neil Mawston, diretor executivo da Strategy Analytics, uma consultoria internacional de comunicação móvel com sede no Reino Unido. A Samsung Electronics criou o segmento com seu Galaxy Note, ainda que ele inicialmente tenha sido motivo de chacotas, mas agora as ou-

tras fabricantes estão na corrida para recuperar o atraso. Na Consumer Electronics Show, que acontece esta semana em Las Vegas, as gigantes chinesas de telecomunicações ZTE e Huawei Technologies lançarão novos phablets. A ZTE, que colaborou com o designer italiano Stefano Giovannoni para criar o phablet Nubia, deve lançar o Grand S, com tela de cinco polegadas, enquanto a Huawei lança o Ascent Mate, com uma enorme tela de 6,1 polegadas, apenas um pouco menor que o tablet Kindle Fire, da Amazon. "Os usuários perceberam que um smartphone com tela de quase cinco polegadas não é assim tão desconfortável", disse Joshua Flood, analista sênior da ABI research, no Reino Unido. O avanço no uso dos phablets pode ser associado a

uma confluência de tendências. Os usuários preferem telas grandes porque estão consumindo mais conteúdo visual do que antes em seus aparelhos móveis e usando-os menos para chamadas de voz – o ponto fraco dos phablets. E, embora os tablets equipados apenas com acesso wifi estejam ganhando popularidade, o interesse dos consumidores por aparelhos que combinam o melhor dos smartphones e tablets para uso móvel também está em ascensão. De acordo com o mais recente Ericsson Mobility Report, o tráfego mensal de dados de cada smartphone deve crescer em quatro vezes até 2018, para cerca de 1,9 mil megabytes. O resultado será um crescimento de 400% no mercado de phablets, para US$ 135 bi-

Nossa expectativa é de que 2013 seja o ano do phablet. NEIL MAWSTON, DIRETOR EXECUTIVO DA STRATEGY ANALY TICS

lhões em três anos, de acordo com o banco de investimentos Barclays. Os embarques de aparelhos com telas de cinco polegadas ou mais crescerão em 900%, para 228 milhões de unidades, no período, embora as estatísticas variem pela dificuldade em determinar a separação dos segmentos de smartphones e phablets. (Reuters)

LG anuncia investimento recorde para 2013

O

Grupo LG, quarto maior conglomerado da Coreia do Sul, anunciou no último domingo que planeja elevar os investimentos para o recorde de 20 trilhões de wons (US$ 18,8 bilhões) neste ano, buscando superar rivais como a Samsung Electronics. O grupo formado por cerca de 40 subsidiárias, incluindo a gigante de tecnologia LG Electronics, vai destinar 14 trilhões de wons a fábricas, enquanto os 6 trilhões restantes serão voltados a pesquisa e desenvolvimento.

O montante representa um aumento de 19,1% em relação ao aporte de 16,8 trilhões de wons feito no ano passado, informou a companhia em comunicado. Do total destinado a fábricas, 13,4 trilhões de wons serão investidos no negócio de eletrônicos, principalmente para desenvolver unidades para fabricação de telas LCD e OLED, além de linhas mais avançadas para smartphones e TVs. O restante irá para os setores químico e de telecomunicações. (Reuters)

Samsung Electronics, líder mundial em aparelhos móveis e chips de memória, deve ter lucrado US$ 8,1 bilhões no quarto trimestre, após vender quase 500 celulares por minuto e ver se recuperar a demanda pelas telas planas para aparelhos móveis com os seus phablets (smartphone + tablet). Os cinco trimestres consecutivos de lucros recordes podem se encerrar no primeiro trimestre de 2013 devido à baixa demanda sazonal, ainda que uma série forte de novos smartphones – a principal fonte de lucros da sul-coreana – e a recuperação no preço dos chips tenham minimizado a preocupação quanto a uma desaceleração nos lucros. "É improvável que as projeções decepcionem, dados os lançamentos e a recuperação que deve acontecer nos segmentos cíclicos dos negócios da companhia", afirmou Shawn Kim, analista do Morgan Stanley. "A força da Samsung em smartphone não diminuiu mesmo como o iPhone, e os negócios continuam a se beneficiar de novos produtos. Desta vez, é o Galaxy Note II, com expectativa de alta nas vendas especialmente nos Estados Unidos. Acreditamos que o forte ímpeto continuará no primeiro trimestre", disse. A Apple lançou apenas um smartphone no ano passado, o iPhone 5, mas a Samsung bombardeou o mercado com 37 variantes adaptadas aos gostos regionais, de smartphones de alto preço a modelos médios e mais baratos. Em comparação, a taiwanesa HTC lançou 18 modelos, a Nokia, nove; e a LG Electronics, 24. As vendas do principal smartphone da Samsung, o Galaxy S III, que superou o iPhone 4S no terceiro trimestre e se tornou o mais vendido do mundo, devem ter caído para 15 milhões de unidades no trimestre passado, ante 18 milhões de julho a setembro. Mas as 8 milhões de unidades do phablet Galaxy Note que teriam sido vendidas provavelmente mais do que compensarão essa retração. O diretor executivo da Strategy Analytics, Neil Mawston, prevê que a Samsung venderá 290 milhões de smartphones no ano, ante 215 milhões projetados para 2012. As vendas da Apple devem chegar a 180 milhões neste ano, ante os 135 milhões do ano passado. (Reuters)

TIM terá pagamento móvel

C

aixa Econômica Federal, MasterCard e TIM anunciaram ontem uma parceria para lançar no segundo semestre a opção de pagamento por telefones celulares. Segundo a Caixa, o assinante TIM poderá efetuar compras e outras transações financeiras utilizando o celular ou um cartão magnético vinculado ao seu número de telefone, por meio de uma conta pré-paga virtual, cuja gestão será feita pela instituição financeira. A MasterCard ficará responsável pela plataforma de pagamentos móveis, processamento das transações e pela bandeira. A ideia é que o produto seja utilizado em mais de 1,5 milhão de estabelecimentos comerciais no País. "Nosso objetivo é oferecer tecnologia conveniente e segura, trazendo comodidade e democratizando o acesso a novos serviços financeiros", disse o vicepresidente de Pessoa Física da Caixa, Fábio Lenza. Para o presidente da MasterCard Brasil e Cone Sul, Gilberto Caldart, "o segmento de baixa renda da população poderá realizar transações de forma rápida, segura e conveniente, sem precisar andar com dinheiro no bolso ou pegar filas". (Estadão Conteúdo)

Lenovo divide as operações

A

fabricante de computadores chinesa Lenovo reorganizará suas operações em dois grupos: um focado em computadores convencionais e dispositivos móveis e outro concentrado em produtos acabados de alto perfil e produtos empresariais. O processo ajudará a acelerar a tomada de decisões e também é resultado do rápido crescimento da companhia nos últimos anos, disse um porta-voz da empresa. Liu Jun, vice-presidente da companhia que gerencia formalmente as operações móveis e de televisão da Lenovo, comandará o segmento de computadores convencionais, que será chamado de "Lenovo Business Group". Peter Hortensius, outro vice-presidente que comanda formalmente os produtos globais da Lenovo, ficará responsável pela divisão de produtos corporativos, que terá o nome de "Think Business Group". A divisão venderá itens que incluem computadores premium, servidores e produtos de armazenamento, disse a empresa. (Estadão Conteúdo)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

e

15 À medida que melhorarem as safras, a tendência é de inflação menor. Salomão Quadros, da FGV

conomia

BC acerta "cheque especial" com a China

185 bilhões de yuans é o valor da linha de crédito acertada entre os bancos centrais de Brasil e China na moeda chinesa.

Antonio Cruz/Abr

Países devem ter disponíveis, nas moedas locais, recursos equivalentes a US$ 30 bilhões para serem utilizados em caso de necessidade. Ainda faltam detalhes sobre taxa de juros das transações com esse crédito. Brasil contou com linha semelhante do Fed, dos EUA, depois da crise de 2008.

O

s presidentes dos bancos centrais do Brasil, Alexandre Tombini, e da China, Zhou Xiaochuan, acertaram na noite do último domingo detalhes para a criação de uma linha especial de crédito em moeda local – conhecida como swap em moeda local – num valor equivalente a US$ 30 bilhões. O acerto entre os bancos centrais aconteceu em reunião bilateral entre os presidentes na sede do Banco de Compensações Internacionais (BIS, na sigla em inglês) em Basileia, na Suíça. O swap de moedas é uma linha de crédito em moeda local acertada entre dois países que, em caso de necessidade, fica disponível para ambos. É uma espécie de "cheque especial" entre bancos centrais. Quando assinado o atual acordo, o Brasil terá à disposição uma linha de crédito em moeda chinesa que poderá ser usada se o BC brasileiro julgar necessário. Já a China terá linha idêntica, mas em reais. Segundo o BC brasileiro, o acordo será formalmente assinado "nas próximas sema-

Tombini: expectativa é de que o presidente do Banco Central formalize o acordo com os chineses na próxima reunião do G20, marcada para fevereiro em Moscou. nas", mas ainda não há data ou local escolhidos para a formalização do crédito. Em documento, serão detalhados aspectos como o prazo e uma eventual taxa de juros das transações. Uma possibilidade não confirmada pela autoridade monetária brasileira é que Brasil e China assinem o acordo durante o próximo en-

contro do G20, marcado para meados de fevereiro em Moscou, na Rússia. A intenção de realizar a operação havia sido anunciada em junho pelo ministro da Fazenda, Guido Mantega, após o encontro da presidente Dilma Rousseff com o primeiro-ministro chinês, Wen Jiabao, durante a Rio+20 na capital flu-

minense. Desde então, técnicos das equipes econômicas dos dois países trabalhavam na formatação da transação. Crise – Linha parecida foi acertada entre o BC do Brasil e o Federal Reserve (Fed) dos Estados Unidos após a crise de 2008, quando os dois países também deixaram recursos à disposição para o caso de ne-

cessidade. A linha, no entanto, não foi usada. Na época, o BC explicou que o acordo comprovava a relevância crescente do Brasil no contexto econômico mundial e revelava ainda a importância do País, que passou a contar com linha de crédito idêntica à oferecida pelo Fed aos grandes BCs do mundo. (Estadão Conteúdo)

Mercado espera aumento da inflação IGP-DI fecha 2012

A

nalistas do mercado financeiro esperam uma piora no cenário de inflação no País tanto para os índices de 2012 quanto para os deste ano. Na última previsão colhida para o boletim semanal Focus, do Banco Central (BC), antes da divulgação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2012, prevista para quinta-feira, o mercado revisou a estimativa para 5,73% em 2012, ante 5,71% na semana anterior. Trata-se da quinta elevação consecutiva desse prognóstico. A previsão para esse índice de inflação – que serve de base para o sistema de metas do governo – para

2013 também foi revisada para cima. O mercado espera agora um IPCA de 5,49%, ante uma taxa de 5,4% prevista há um mês. Apesar disso, não houve alteração na projeção para a taxa básica de juros, a Selic, estável em 7,25% há dois meses. Nesse caso, a estimativa acompanha a sinalização do BC de taxa de juros estável por um longo período.

A meta do governo para a inflação é de 4,5%, com dois pontos de tolerância para cima ou para baixo. A prévia da inflação oficial, o IPCA-15, de dezembro mostrou uma variação acumulada de 5,78% no ano passado, acima da meta oficial, mas ainda abaixo do ano anterior (6,56%). A maior pressão dos preços em 2012 ficou por conta dos alimentos e dos gastos com

empregados domésticos. PIB – Os dados divulgados pelo primeiro boletim Focus do ano também mostraram uma projeção mais conservadora do mercado para o crescimento deste ano. A previsão para a alta do Produto Interno Bruto (PIB) caiu de 3,3% para 3,26%. Há quatro semanas, a expectativa era de avanço de 3,5%. Para 2012, a projeção de alta para a economia ficou estável em 0,98%. Também houve piora no cenário para a produção da indústria, que deve crescer agora 3% em 2013, segundo os analistas. A previsão anterior era de 3,5%. (Folhapress)

Bolsa inverte tendência e cai 0,95%

Joachim Herrmann/Reuters

A

primeira semana cheia de 2013 começou bem diferente das três sessões da semana passada, quando a Bovespa havia acumulado alta de 2,58%. Ontem o pregão foi de realização de lucros. Com a agenda fraca no exterior e as pendências que o presidente dos EUA, Barack Obama, terá de resolver após o acordo que evitou o abismo fiscal nos Estados Unidos fizeram os investidores embolsarem os ganhos de curto prazo à espera do que o noticiário reserva para os próximos dias. Seguindo o exterior, a Bolsa paulista terminou o dia em queda, conduzida pelas blue chips Petrobras e Vale, além do setor bancário e das elétricas, que voltam ao radar após especulações de que o País poderia adotar um racionamento de energia. O Ibovespa encerrou o dia com recuo de 0,95%, em 61.932 pontos. O giro somou R$ 6,943 bilhões. No mês, o índice sobe 1,61%.

com alta de 8,10%

O

ano de 2012 terminou com pressões expressivas sobre os preços, afirmou ontem o coordenador de Análises Econômicas do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (FGV), Salomão Quadros, ao anunciar o resultado de dezembro do Índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna (IGP-DI). O indicador subiu de 0,25% em novembro para 0,66% no mês passado, influenciado sobretudo pelo encarecimento de produtos agropecuários no atacado, como feijão, aves, trigo e tomate. No ano, o IGP-DI acumulou aumento de 8,10%. O núcleo do IGP-DI – que exclui as mais expressivas altas e baixas no varejo – subiu 4,81% em 2012. O índice de dispersão, que mede a proporção de itens com variação positiva no núcleo, passou de 65,09% em novembro para 70,71% em dezembro, o que representa uma piora. Tendência – Quadros fez uma avaliação sobre as tendências para este ano. "À medida que melhorarem as safras agrícolas, a tendência é de as taxas mensais subirem menos. Mas isso só deve ocorrer a partir da passagem do primeiro para o

segundo trimestre deste ano", disse. Na avaliação dele, especialmente as safras de soja no Brasil e nos EUA devem contribuir para segurar a inflação a partir do meio do ano. Embora não tenha divulgado uma estimativa, Quadros disse que o IGP-DI deve encerrar 2013 com taxa inferior aos 8,10% de 2012. Apesar de as projeções serem de inflação mais baixa nos próximos meses, o economista disse que mais uma vez ela deve superar a meta central para 2013, que é de 4,5% para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), calculado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A previsão dele se baseia na volta da cobrança do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) dos bens duráveis. Entre as pressões aguardadas para este início de ano estão as dos preços dos alimentos, principalmente dos produtos in natura, que avançaram 5,41% no mês passado na apuração do IGP-DI. O tomate, por exemplo, encareceu 14,50%. Por causa do período de entressafra, o preço do feijão subiu 10,18%, enquanto as aves tiveram reajuste de 8,10%. (Estadão Conteúdo)

Newton Santos/Hype

Semana começou com baixas nas bolsas europeias. Índice Dax, da bolsa de Frankfurt, teve recuo de 0,56%. "O que vemos hoje é um mercado volátil e 'de trincheira', em que você sai, dá um tiro, e depois volta para trás", compara o economista da Órama Investimentos, Álvaro Bandeira. Na avaliação do profissional, a alta de quase 4% dos pregões de quarta-feira e quinta-feira da semana passada foi exagerada – assim, nada mais normal do que o mercado passar por uma correção. "O cenário local, assim como o in-

ternacional, não está nenhuma grande maravilha, apesar de estar mais leve e tranquilo neste ano", pondera. Ontem o dia foi de baixas na Europa e nos Estados Unidos. As elétricas tiveram destaque entre as principais baixas do dia do Ibovespa, lideradas por Eletrobras PNB, que recuou 4,72%. Em seguida, apareceram JBS ON (-4,08%), Usiminas ON (-3,62%), Bradespar PN (-3,61%) e Eletropaulo

PN (-3,43%). Ainda no setor, Cesp PNA perdeu 3,40%, Cemig PN recuou 3,33% e CPFL Energia caiu 3,29%. Recorde – O volume financeiro total na Bovespa atingiu recorde de R$ 1,78 trilhão em 2012. O número total de negócios atingiu a marca histórica de 191,97 milhões no ano passado. Vale PNA foi a ação que registrou o maior giro financeiro em 2012, com R$ 165,25 bilhões. (Agências)

Os preços do tomate, vilões em 2012, subiram 14,50% em dezembro.


DIà RIO DO COMÉRCIO

16 -.ECONOMIA/LEGAIS

e

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

Com a inflação projetada acima de 5%, os novos aplicadores terão rendimento real negativo. JosÊ Dutra Vieira Sobrinho, economista

conomia

Poupança tem nova captação recorde em 2012 Apesar de o rendimento ter sido o menor em toda a história da aplicação

A

caderneta de poupança registrou novos recordes de captação de recursos em 2012, apesar do menor retorno aos investidores. Segundo o Banco Central, os depósitos superaram os saques em R$ 9,2 bilhþes no mês de dezembro, maior valor mensal da sÊrie histórica iniciada em 1995. No acumulado do ano passado, a captação líquida foi de R$ 49,7 bilhþes. O valor superou o recorde anterior, de R$ 38,7 bilhþes em 2010, e ficou 250% acima do resultado de 2011, de R$ 14,2 bilhþes. Apesar do aumento no saldo da poupança ao longo do ano, houve queda nos rendimentos creditados no período. Os recursos depositados renderam R$ 26,6 bilhþes, valor 2% menor do que foi pago em 2011. O rendimento da caderneta ficou em 6,6% para quem deixou o dinheiro aplicado o ano todo. O valor estå acima da inflação ao consumidor (�ndice de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA) esperada para o ano, de 5,7%, mas abaixo do índice geral de preços, que subiu mais de 8%. Mudança de regras – Contribuiu para a queda na rentabilidade a mudança anunciada pelo governo no início de maio nas regras da caderneta. Os depósitos feitos a partir de 4 de maio passaram a render 70% da taxa båsica de ju-

ros, o que equivale hoje a 0,4134% ao mês, mais a variação da Taxa Referencial (TR). Os saldos anteriores à data seguem corrigidos em 0,50% ao mês mais TR. AlÊm disso, a Taxa Referencial (TR) caiu por conta dos juros menores e estå, desde agosto, em zero. Perspectivas – Para 2013, com juros eståveis, a poupança deve render 5,075% ao ano

6,6 por cento foi o rendimento alcançado pela caderneta de poupança para quem deixou o dinheiro aplicado o ano todo para novos depósitos e 6,17% para os antigos, diante de uma previsão de inflação de 5,5% pelo IPCA. "O rendimento da poupança Ê o menor em toda a história e, com a inflação projetada acima de 5%, os novos aplicadores terão rendimento real negativo", diz o economista JosÊ Dutra Vieira Sobrinho. Os números do Banco Central mostram que as novas re-

gras serviram de incentivo para reduzir os saques, que caíram 6% em relação a 2011. O valor dos depósitos feitos no ano passado tambÊm recuou, mas em porcentual menor (3%), o que contribuiu para a captação líquida recorde do período. A poupança terminou 2012 com um estoque de R$ 496,3 bilhþes, ante R$ 420 bilhþes no final de 2011. A diferença inclui a captação e os rendimentos creditados durante todo o período. Tesouro Direto – Apesar de perder da inflação, a caderneta continua uma opção de investimento em renda fixa para quem não utiliza o Tesouro Direto ou não tem acesso a fundos de investimento com taxa de administração abaixo de 1% ou CDBs que pagam mais de 95% do CDI. Entre as vantagens da poupança em relação a outras aplicaçþes estå a isenção de taxa de administração e de Imposto de Renda, tributo que reduz em atÊ 22,5% o rendimento na renda fixa. Mesmo com o imposto, segundo cålculos do Tesouro Nacional, para investimentos de seis meses, o Tesouro Direto apresenta rentabilidade 16,5% superior à da caderneta de poupança e entre 10,5% e 27,6% superior a fundos de investimento que cobram de 1% a 2% de taxa de administração. (Estadão Conteúdo)

Cesta bĂĄsica sobe acima de 10% em dez capitais

O

s preços da cesta båsica apresentaram alta no fechamento de 2012 em todas as 17 capitais acompanhadas mensalmente pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). De acordo com a Pesquisa Nacional de Cesta Båsica, divulgada ontem pelo Dieese, dez capitais registraram avanço acima de 10%, com as elevaçþes mais expressivas no ano apuradas em Fortaleza (17,46%), João Pessoa (16,47%) e no Recife (15,26%). Completaram a lis-

ta Manaus (13,48%), Natal (12,85%), Aracaju (11,99%), BelÊm (11,42%), Brasília (11,32%), Florianópolis (10,52%) e Belo Horizonte (10,18%). Jå as menores oscilaçþes ocorreram em Vitória (5,63%), Porto Alegre (6,32%) e Goiânia (6,68%). Em São Paulo, houve variação positiva de 9,96%. Em 2012, o Dieese realizou mensalmente a pesquisa nas cidades de Aracaju, BelÊm, Belo Horizonte, Brasília, Curitiba, Florianópolis, Fortaleza, Goiânia, João Pessoa, Manaus, Natal, Porto Alegre, Recife, Rio

de Janeiro, Salvador, São Paulo e Vitória. Em dezembro – mês em que o Dieese passou a coletar preços da cesta båsica em 18 capitais, com a inclusão de Campo Grande –, houve aumento em 15 localidades. As altas mais expressivas foram verificadas em Goiânia (10,61%), no Rio de Janeiro (3,58%) e em Brasília (3,41%). No mesmo período, três cidades apresentaram queda nos preços: Natal (-2,75%), Vitória (-1,50%) e Aracaju (-0,76%). Em São Paulo, a variação positiva foi de 1,88%. (Estadão Conteúdo)

RF libera hoje R$ 198 mi de restituição residual

A

             !"# $ %"&' % ( #) *+,-+..-*/,0./  1 111  1  1      2 3 4 3   51    11 #6 +-/ - ///-/./,,/0.7///// 0/// 8& 6 9/+7 ///: 5;   <  (& #  #=! >#&> % ( 6 /9 -,? -,?,0, -  -   1 $ 2@    .  %2A3  %  B  3C17>   5  3 - (D > <   5 3  ; *,90  % %  ; 3 3 A- %> * ?7 //9  $7>  AE1  B F> 8GGG-;3331--H: 3  33I1 03 3AJ  KH3 ;  A   81: H81: C81:    2   /9  $  / . L1 /M// C1   E    $  / . L1 /M// C1 ;081:  <  1  A3 ; 3  1    A3 5 1 4J 1;     2    $  / L1 /M/ C1   E   .  $  / . L1 /M// C1 1  C4 31   1  <  81: H81: 1J8: ; 81:  <  1   1  3 5  N?O  A3  A3 8- *9  % %  - .  A- %> - * ?7 //9:  H PA3 H 1 5  1  1 3- &  M !  #& 1   1  2     11  3  8@ Q :  <  N 81:  3  $   N// 1  5     R >S3A % C  T  9// 1  3C 1 5 1  5   3 3  >HT  5 1 5 1  H1 1 31  +.// 1   J  .++// 1 < 1T 5  3   <     3C   PA3   3 /0T  3 1<    3 0T 1  1 <  33@  +// 1   @  3C 33    R >S3A % C     A3 +  3   <   A3 + 1 ;   PA3- Q 5 PA3 1J ;1  2 3 1H ) - *  %P  ;1  PA1  %   7> - 1   3 1H 6 .?-/++-/+9 8  3 ?// 9/*9/ /:- PA3 & - F&M U ,/- N // 8%  & 3  @1  >  1 1: 3@  7 / - #( >M >;     A3 01  33    1 81373:  E71 A 1 3C1 KH31 1 1T   J;   1; 3  KH3  3   35 ; 1  141 A   J; 1 3 A1 3@  H3  3  3- & 3     1  1   1 5I1  1 < 1 1J 1    53     1 5 1   5@  J 3  1 2  9  - %&#V>  #M %5 11  A %> 8%13C >   ;1 : 6 -* ?7 //9 1H3@  1M GGG-;3331--H- & &M & 33 1J 3@ 3 33  2 B1  $!%> 6 **?- B#&  %&   F& 0 &1 1 81: H81: 81: AJ8: 1 11 AE1  ;   P1 4 3    13 >-- 8H  1 1 ;W1:  AE1  1 GGG-HH--H  @  + C1  3@  33 H  AJ 1 1  11  3 1  ?O 8%  : 1H  A3   AE1  ;  C   HJ &%   Q 15W 3R 12A3  @  E / 8 :  K3      33    3 &53M   B1  Q % ( N9-/ ?-.N,0/    13 ;W /*.*0X %7% N *?/0 -  E ? C1 P1    3   HJ  0 3  1 I1  P1 Q 1 1  H 1 03 1  5   P1- 1  @ 1 <    C 3@  P1 3 5 1J C  - $ 2@    3 1 1 3;1 H2A1-   1J 5  ;    3  5 I1  ;  1- 3A 1J   ;  @  ? 1     ./O  A3   8- *9/  % %:-  %#&M ( #( &  11H3  3  ;- F&  X%!F&M > 8:81:  8:81: P1   H3  3  2;5 ;  2A 1  4 81:  381: 81: H81:  5  ; *?   %P;  11 %A3 AJ 1 E    C 1;1   33  ;  HP  5 ; C   5@  11 <  L     1 A  3 53  1  3 ;- #1 1 AJ 8:  8: ;  Y  3@  2A 1 4 1  11 CJ1 A21   11 A  3 &53  ?O 8  : 1H  A3 ; 82A < :- %& &M > 5   1 1 AJ 8:  8:   1 111  A 3; 11 1 3 33 11  ?O 8  : 1H  A3 - Z>  >% %#&>M 113   &52  1A      1P  33 53 33@      6 ?. >3  B  3C1 %3 Q >    3 35 8 : +/,0N+..  03M [;3331--H (8: 81:  81:  1 111 #&> 1 1;I1 1  1  14 33@1    113- # 1 1  1 CA  1   1   4 3;- \A 1 R 1 1H  PA3 J    \ 1 M EH1   !7  1 1 8J;  3 @   3 ;J1  2:-  A 1J 5   J ]  1^   1  1A  <   H C 1  A  37 A5J03 ] 3 ^  1H 1  11H3- >J  1 3   5   H3  5  3- _ 1ÂŞ Vara CĂ­vel do Foro da Comarca de Campos do JordĂŁo/SP. EDITAL de 1ÂŞ e 2ÂŞ PRAĂ&#x2021;A de BEM IMĂ&#x201C;VEL, e para intimação dos executados LUIZ ALBERTO NUNES CABRAL, CPF N° 070.455.578-68, HELCIO VICLE DA SILVA CPF N° 038.982.378-34, e demais interessados, expedido nos autos da Ação Cobrança de CondomĂ­nio, ora em fase de Execução, Processo NÂş 116.01.2000.003102-2/000000-000 (Ordem nÂş 862/2000), figurando como exequente, CONDOMĂ?NIO RECANTO DO JORDĂ&#x192;O, CNPJ nÂş desconhecido. O Dr. Rodrigo ValĂŠrio Sbruzzi, JuĂ­z de Direito da 1ÂŞ Vara CĂ­vel da Comarca de Campos do JordĂŁo/SP, na forma da lei, etc. FAZ SABER que, com fulcro no artigo 689-A do CPC e regulamentado pelo Prov. CSM 1625/2009 do TJ/SP, atravĂŠs da GL LEILĂ&#x2022;ES (www.glleiloes.com.br) portal de leilĂľes on-line, levarĂĄ a pĂşblico pregĂŁo de venda e arrematação do(s) bem(ns) penhorado(s) na 1ÂŞ Praça com inĂ­cio no dia 09 de Janeiro de 2013 Ă s 10:00 horas, e com tĂŠrmino no dia 11 de Janeiro de 2013 Ă s 10:00 horas, entregando-o(s) a quem mais der valor igual ou superior ao da avaliação, ficando desde jĂĄ designado para a 2ÂŞ Praça com inĂ­cio no dia 11 de Janeiro de 2013 Ă s 10:01 horas, e com tĂŠrmino no dia 31 de Janeiro de 2013 Ă s 10:00 horas, caso nĂŁo haja licitantes na 1ÂŞ, ocasiĂŁo em que o(s) bem(ns) serĂĄ(ĂŁo) entregue(s) a quem mais der, nĂŁo sendo aceito lance inferior a 60% do valor de avaliação (Art. 692 do CPC e art. 13 do Prov. CSM n. 1625/2009), os bens imĂłveis abaixo descritos, conforme o constante do presente edital. DO BEM IMĂ&#x201C;VEL: LOTE 1 - Fração Ideal de 0,011764706% do Terreno, objeto da matrĂ­cula n° 15.732 (pĂĄgina: 26/193 em nome de Luiz Alberto Nunes Cabral) do CRI de Campos do JordĂŁo â&#x20AC;&#x201C; SP. Existem edificaçþes no terreno, conforme certidĂŁo do oficial de justiça de fls. 395 constante dos autos. Valor da avaliação R$ 350.000,00 (Trezentos e Cinquenta Mil Reais). Atenção: Existem dĂŠbitos de IPTU/ITR e cotas condominiais. DO BEM IMĂ&#x201C;VEL: LOTE 2 - Fração Ideal de 0,011764706% do bem objeto da matrĂ­cula n° 15.732 (pĂĄgina: 16/193 e 17/193 em nome de Helcio Vicle da Silva) do CRI de Campos do JordĂŁo â&#x20AC;&#x201C; SP. Existem edificaçþes no terreno, conforme certidĂŁo do oficial de justiça de fls. 395 constante dos autos. Valor da avaliação R$ 350.000,00 (Trezentos e Cinquenta Mil Reais). Atenção: Existem dĂŠbitos de IPTU/ITR e cotas condominiais. CONDIĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES DE VENDA: Conforme disposto no Provimento CSM (Conselho Superior da Magistratura) nÂş 1.625/2009, disponibilizado no site: www.glleiloes.com.br. LEILOEIRO: O leilĂŁo serĂĄ realizado pelo leiloeiro, MaurĂ­cio Gomes Leiteiro, JUCESP nÂş 665. PAGAMENTO e RECIBO DE ARREMATAĂ&#x2021;Ă&#x192;O - Os preços do(s) bem(ns) arrematado(s), deverĂĄ(ĂŁo) ser depositados atravĂŠs de guia de depĂłsito judicial do Banco do Brasil S.A. (obtida em suas agĂŞncias) ou atravĂŠs do site www.bb.com.br no prazo de 24 horas da realização do leilĂŁo, bem como deverĂĄ ser depositada a comissĂŁo do Leiloeiro, correspondente a 5% (Cinco por cento) sobre o valor da arrematação, atravĂŠs de pagamento em dinheiro na rede bancĂĄria, DOC ou TED â&#x20AC;&#x201C; TransferĂŞncia EletrĂ´nica DisponĂ­vel, no prazo de atĂŠ 01 (um) dia Ăştil a contar do encerramento do leilĂŁo na conta do Leiloeiro Oficial: Mauricio Gomes Leiteiro â&#x20AC;&#x201C; CPF 179.025.378-02, Banco do Brasil, AgĂŞncia 0636-X, C/C 71650-2. Em atĂŠ 5 horas apĂłs o encerramento do LeilĂŁo, cada arrematante receberĂĄ um e-mail com instruçþes para depĂłsito â&#x20AC;&#x201C; recomendamos esperar o recebimento deste e-mail antes de efetuar o depĂłsito. Decorridos o prazo sem que o arrematante tenha realizado o depĂłsito, tal informação serĂĄ encaminhada ao MM. JuĂ­zo competente para a aplicação das medidas legais cabĂ­veis. A arrematação serĂĄ feita mediante pagamento imediato do preço pelo arrematante conforme condiçþes de pagamento acima indicadas. Alternativamente, serĂĄ ainda admitido pagamento no prazo de 15 dias, mediante caução de 30% do valor de arrematação (art. 690 do CPC). PARCELAMENTO: Fica estabelecido a possibilidade de parcelamento do pagamento, consoante aplicação do artigo 690, parĂĄgrafo I do CPC, podendo o licitante, efetuar o pagamento da seguinte forma: 30% ato da arrematação, acrecidos dos 5% do leiloeiro, e o saldo, em atĂŠ 6 (seis) parcelas, expedindo-se a carta de arrematação quando de sua quitação. CONCURSO DE CREDORES E DEMAIS DISPOSIĂ&#x2021;Ă&#x2022;ES: Em caso de arrematação, o crĂŠdito do exequente no processo em epĂ­grafe, por sua natureza â&#x20AC;&#x153;propter remâ&#x20AC;?, terĂĄ preferĂŞncia sobre os demais, sendo o dĂŠbito atualizado, acrescido das parcelas vincendas atĂŠ a realização da alienação (nos termos do art. 290 do CPC), integralmente sub-rogado no valor de arrematação, mediante apresentação de extrato de dĂŠbito pelo condomĂ­nio exeqĂźente (sendo o valor apurado com a alienação insuficiente a diferença serĂĄ de responsabilidade do arrematante). REMIĂ&#x2021;Ă&#x192;O DA EXECUĂ&#x2021;Ă&#x192;O: Se a(o)(s) executada(o)(s), apĂłs a publicação do edital em epĂ­grafe, pagar a dĂ­vida antes de adjudicado(s) ou alienado(s) o(s) bem(ns), na forma do artigo 651, do CĂłdigo de Processo Civil, deverĂĄ apresentar atĂŠ a data e hora designadas para o leilĂŁo, a guia comprobatĂłria do referido pagamento acompanhada de petição fazendo menção expressa quanto Ă  remição da execução, sendo vedado para tal finalidade o uso do protocolo integrado. Neste caso, deverĂĄ a(o) executada(o) pagar a importância atualizada da dĂ­vida, mais juros, custas, honorĂĄrios advocatĂ­cios e a comissĂŁo devida ao Leiloeiro Oficial de 5% (cinco por cento) sobre o valor pago (dĂ­vida exequenda). ACORDO: Sendo firmado acordo entre as partes, deverĂĄ o(a) executado(a) arcar com as despesas de divulgação assumidas pelo leiloeiro correspondentes a 5% (cinco por cento) sobre o valor acordado. DĂ&#x161;VIDAS E ESCLARECIMENTOS: pessoalmente perante o OfĂ­cio onde estiver ocorrendo a ação, ou no escritĂłrio do leiloeiro oficial, localizado na Rua Armando Arruda, nÂş 253, Sl 22, Guarulhos, Capital â&#x20AC;&#x201C; SP, ou ainda, pelo telefone (11)2408-7433 e e-mail: contato@glleiloes.com.br. Fica(m) o(s) executado(s) e demais interessados INTIMADOS das designaçþes supra, caso nĂŁo sejam localizados para a intimação pessoal. NĂŁo consta dos autos haver recurso ou causa pendente de julgamento. HĂĄ hipoteca registrada na matrĂ­cula do imĂłvel. "Eventuais Ă´nus sobre o imĂłvel, correrĂŁo por conta do arrematante", tais como dĂŠbitos de IPTU/ITR e demais taxas e impostos, exceto o dĂŠbito condominial, que serĂĄ sub-rogado no valor da arrematação nos termos do art. 130, â&#x20AC;&#x153;caputâ&#x20AC;? e parĂĄgrafo Ăşnico, do CTN. A venda serĂĄ efetuada em carĂĄter â&#x20AC;&#x153;ad corpusâ&#x20AC;? e no estado de conservação em que os bens penhorados se encontram, devendo o licitante/arrematante verificĂĄ-los â&#x20AC;&#x153;in locuâ&#x20AC;? e sob sua responsabilidade. SerĂĄ o presente edital, por extrato, afixado e publicado na forma da lei. â&#x2122;Ś

Receita Federal abrirå hoje, a partir das 9 horas, a consulta ao primeiro lote de restituição residual do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF) referente aos exercícios de 2012, 2011, 2010, 2009 e 2008. As restituiçþes somadas representam uma liberação de R$ 198 milhþes, atendendo mais de 107 mil contribuintes. Todos os pagamentos, mediante depósito bancårio, serão liberados no dia 15 de janeiro. Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverå acessar a pågina na Internet (http://www.receita fazenda.gov.br) ou ligar para o Receitafone, no número 146.

A Receita conta, ainda, com aplicativo para tablets e smartphones desenvolvido especificamente para a consulta a declaraçþes de IR e situação cadastral no CPF. Para o exercício de 2012 (ano calendårio 2011), serão creditadas restituiçþes para 79.484 contribuintes, totalizando R$ 144.471.523,86, jå

3ÂŞ Vara CĂ­vel Central da Capital/SP 3Âş OfĂ­cio CĂ­vel Intimação. Prazo 20 dias. Proc. 0119531-04.2005.8.26.0100. O Dr. Fernando JosĂŠ CĂşnico, Juiz de Direito da 3ÂŞ Vara CĂ­vel da Capital. Faz Saber a Lilia Ribeiro Pereira, RG. 9.573.697 e CPF. 076.955.998-08 que, CondomĂ­nio EdifĂ­cios Ceci e Peri, lhe ajuizou ação de Rito SumĂĄrio, em fase de Cumprimento de Sentença, bem como em face de Alfredo JosĂŠ Pereira e Outra, para cobrança de R$ 51.057,17 (setembro/2010). Estando a rĂŠ em local ignorado, foi deferida sua intimação por edital, para que em 15 dias, a fluir apĂłs os 20 dias supra, pague o dĂŠbito reclamado, corrigido atĂŠ a data do pagamento, ou ofereça impugnação, nos termos da Lei nÂş 11.232/2005, sob pena de multa no percentual de 10% sobre o montante da condenação (art. 475-J â&#x20AC;&#x153;caputâ&#x20AC;? do CPC) e expedição de mandado de penhora e avaliação. SerĂĄ o edital, afixado e publicado na forma da lei. SĂŁo Paulo, 11 de dezembro de 2012. EDITAL DE CITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O E INTIMAĂ&#x2021;Ă&#x192;O-PRAZO 20 (VINTE) DIAS. Processo nÂş 224.01.2012.061929-3/000000-000 Ordem nÂş 2206/12. O(A) Doutor(a) PAULO ROGERIO BONINI, MM. Juiz(a) de Direito Auxiliar da 6ÂŞ. Vara CĂ­vel da Comarca de Guarulhos, do Estado de SĂŁo Paulo, na forma da lei....... FAZ SABER aos RĂŠus em local incerto e conhecimento de eventuais interessados e todos quantos o presente edital virem ou dele tiverem conhecimento, que foi proposta uma ação de USUCAPIĂ&#x192;O ajuizada por RAQUEL MOTA FONSECA contra VICENTE CARBONE, objetivando a CITAĂ&#x2021;Ă&#x192;O DOS RĂ&#x2030;US em locais incertos e o conhecimento de eventuais interessados, para os atos e termos da ação e para que querendo contestem, no prazo de 15 dias a fluir em 20 dias da publicação deste, e que nos termos do artigo 285 do CĂłdigo Processo Civil, nĂŁo sendo contestada a ação, presumir-se-ĂŁo verdadeiros os fatos articulados pelo(s) autor(es). Alegando os autores que sĂŁo senhores e legĂ­timos detentores dos diretos possessĂłrios existentes sobre o imĂłvel com as seguintes especificaçþes: Um prĂŠdio residencial, situado a Rua Princesa Izabel nÂş 406, antigo nÂş 280 A, com uma ĂĄrea construĂ­da de 110,93m² e respectivo terreno constituĂ­do pelo lote 13 da quadra 22, loteamento denominado Jardim Vila GalvĂŁo Guarulhos/SP; com uma ĂĄrea de 200,00m², de forma regular, localizado entre as Ruas Dezoito de Fevereiro e Rua Princesa Izabel e seus azimute e distância, que assim estĂŁo descritas e caracterizadas, conforme levantamento topogrĂĄfico: de quem da Rua Dezoito de Fevereiro e da Rua Princesa Izabel olha para o lote 13 mede 8,03m em linha reta e azimute 353Âş35â&#x20AC;&#x2122;22â&#x20AC;&#x2122;â&#x20AC;&#x2122; e do lado esquerdo mede 27,00m, e azimute 93Âş16â&#x20AC;&#x2122;32â&#x20AC;&#x2122;â&#x20AC;&#x2122;, confrontando com o lote 12, no lado direito mede 26,83m e azimute 271Âş06â&#x20AC;&#x2122;35â&#x20AC;&#x2122;â&#x20AC;&#x2122;, confrontando com o lote 14, nos fundos mede 7,00m e azimute 173Âş37â&#x20AC;&#x2122;23â&#x20AC;&#x2122;â&#x20AC;&#x2122;, confrontando com o lote 05. Inscrição Municipal : 083.30.00.01179.01.001 / 01.002, que tem sua origem na transcrição nÂş 9.197 de 29/05/1964 e atual matrĂ­cula nÂş 92.927, ambas do 1Âş Oficial de Registro de ImĂłveis de Guarulhos. SerĂĄ o presente edital afixado no local de costume e publicado pela imprensa na forma da lei. Nada mais. Dado e passado nesta Cidade e Comarca de Guarulhos, Estado de SĂŁo Paulo, ao 30 de novembro de 2012.

acrescidos da taxa Selic de 6 % (maio de 2012 a janeiro de 2013). Desse total, 7.076 referem-se aos contribuintes de que trata a Lei nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso), correspondendo R$ 20.482.059,22. Para o exercício de 2011 (ano calendårio 2010), serão creditadas restituiçþes para 11.513 contribuintes, totalizando R$ 27.124.552,02, considerando valores jå acrescidos da taxa Selic de 16,75 % (maio de 2011 a janeiro de 2013). Quanto ao lote residual do exercício de 2010 (ano calendårio de 2009), serão creditadas restituiçþes para 6.781 contribuintes, totalizando R$ 12.560.459,67, jå acrescidos da Selic a 26,90% (maio de 2010 a janeiro de 2013). Em relação ao lote residual do exercício de 2009 (ano calendårio de 2008), serão creditadas restituiçþes para 4.613 contribuintes, totalizando R$ 7.310.444,26, considerando valores jå atualizados pela Selic em 35,36% (de maio de 2009 a janeiro de 2013). Em referência ao lote residual de 2008 (ano calendårio de 2007), serão creditadas restituiçþes para 4.703 contribuintes,sendo R$ 6.562.024,61 no total, jå atualizados pela taxa Selic de 47,43%, (de maio de 2008 a janeiro de 2013). (EC)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

ECONOMIA/LEGAIS - 17

e Pedidos de falência crescem em 2012 O número de recuperações judiciais decretadas subiu de forma expressiva no acumulado do ano em relação a 2011: 43,9%.

conomia

O número saltou 15,1% no ano. As micro e pequenas empresas representaram 82% do total das solicitações feitas no ano passado, segundo a Boa Vista Serviços.

O

número de pedidos de falência cresceu 15,1% em 2012, na comparação com o ano anterior, de acordo com a Boa Vista Serviços, administradora do Serviço Central de Proteção ao Crédito (SCPC). A última vez em que houve aumento nos pedidos de falência no acumulado de um ano comparado ao ano imediatamente anterior foi em 2009, quando a alta foi de 7% ante 2008. No fechamento de 2010 e de 2011, os pedidos de falência recuaram 10% e 3%, respectivamente, informou a Boa Vista Serviços. No mês de dezembro do ano passado ante novembro, o crescimento dos pedidos de falências foi de 6,6%. Já na comparação de dezembro de 2012 com o mesmo mês de 2011, a alta foi de 21,7%.

As falências decretadas em 2012 ante 2011 também cresceram (8,3%). Na comparação de dezembro ante novembro, contudo, as falências decretadas recuaram 32,8%. Sobre dezembro de 2011, o número cresceu 2,5%. Economia – Para a Boa Vista Serviços, o crescimento dos pedidos de falência em 2012 tem como causas a "desaceleração recente da economia, aliada ao aumento da inadimplência de pessoas físicas e jurídicas e à maior seletividade no nível de concessão de crédito pelos agentes financeiros, pressionando o caixa das empresas e elevando os pedidos de falência e recuperação judicial no período". Recuperação – Os pedidos de recuperação judicial subiram 54,8% em 2012 ante 2011. O número de recuperações judiciais decretadas também

HP Financial Services Arrendamento Mercantil S.A CNPJ 97.406.706/0001-90 – NIRE 35.300.314.352 Ata de Reunião do Conselho de Administração Realizada no dia 17 de Setembro de 2012 Local, Hora e Data: Em 200 Connell Drive, Suite 5000, Berkeley Heights, New Jersey, 07922, Estados Unidos da América às 9:00 (nove) horas, no dia 17 de setembro de 2012. Inicialmente, cumpre informar que em razão do processo de homologação da posse do Sr. Ian Colin Fowlis perante o Banco Central do Brasil, a presente reunião somente se realizou nesta data. Convocações: Dispensada a necessidade de comprovação de prévia convocação, face à presença da totalidade dos membros do Conselho de Administração. Presença: Totalidade dos membros do Conselho de Administração da HP Financial Services Arrendamento Mercantil S.A (“Sociedade”): Irving Harold Rothman, George Daniel McCarthy e Ian Colin Fowlis. Composição da Mesa: Presidente: Irving Harold Rothman; Secretário: George Daniel McCarthy. Ordem do Dia: Deliberar quanto à reeleição dos Srs. José Antonio Borges e Ismael Paes Gervásio como Diretores da Sociedade. Deliberação Tomada Pela Unanimidade dos Membros do Conselho de Administração da Sociedade: Reelegeram para o cargo de Diretores de Sociedade, sem designação específica com mandato de 03 (três) anos, os Srs. José Antonio Borges, brasileiro, contador, casado, portador da carteira de identidade n° 12.832.444, expedida pela SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o n° 049.371.298-48, e Ismael Paes Gervásio, brasileiro, contador, casado, portador da carteira de identidade n° 7.412.841, expedida pela SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o n° 682.747.938-20, ambos residentes e domiciliados no Estado de São Paulo, com endereço comercial na AI. Rio Negro, 750, Alphaville-Barueri, e com mandato até a primeira Reunião do Conselho de Administração da Sociedade, que se realizará em 2015. Os membros do Conselho de Administração declaram e garantem que as eleições e posses ocorridas se encontram sujeitas a homologação pelo Banco Central do Brasil. Os Diretores eleitos preenchem as condições de elegibilidade previstas na Resolução n° 3.041, de 28/11/2002, do Conselho Monetário Nacional e não estão incursos em nenhum dos crimes que os impeçam de exercer atividades mercantis e tem pleno conhecimento das limitações e exigências impostas pelo Art. 147 da Lei n° 6404/76. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reunião com a lavratura desta ata, que foi aprovada e assinada pelos presentes. Assinaturas: (i) Mesa: Presidente: Irving Harold Rothman; Secretário: George Daniel McCarthy; Conselheiros presentes: Irving Harold Rothman, George Daniel McCarthy e Ian Colin Fowlis. Berkeley Heights, 17 de setembro de 2012. Irving Harold Rothman-Presidente; George Daniel McCarthy-Secretário; Ian Colin Fowlis. Jucesp nº 537.891/12-2 em 13/12/2012.Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

BRASMOTOR S.A. CNPJ/MF nº 61.084.984/0001-20 – NIRE nº 35.300.026.667 Companhia Aberta Av. Nações Unidas, nº 12.995, 32º andar – São Paulo-SP Ata da Reunião do Conselho de Administração de 18 de junho de 2012 Data: 18/06/2012, às 12:30 hs. Local: Sede social da Cia., na Av. das Nações Unidas, nº 12.995, 32º andar, sala 03, São Paulo-SP. Convocação e Presença: Dispensada a convocação, tendo em vista a presença da totalidade dos membros do Conselho de Administração da Cia.. Mesa: Sr. João Carlos Costa Brega, Presidente; Sra. Nádia Ricas Xavier, Secretária. Ordem do Dia: Renúncia do Diretor sem Designação Especial da Cia., Sr. Sidnei Lopes Sanches. Deliberação: Instalada a Reunião e após a discussão da matéria constante da Ordem do Dia, os membros do Conselho de Administração presentes, por unanimidade de votos e sem quaisquer ressalvas ou restrições, aceitaram o pedido de renúncia do Diretor sem Designação Especial, Sr. Sidnei Lopes Sanches, portador do RG nº 15.888.621-5 - SSP/SP, e do CPF/MF nº 080.176.498-00, com endereço comercial na Av. das Nações Unidas, nº 12.995, 32º andar, São Paulo-SP, conforme termo de renúncia apresentado à Cia. nesta data. Desta forma, a Diretoria da Cia. passa a ser composta pelos seguintes membros: (i) Diretor-Presidente, o Sr. João Carlos Costa Brega, portador do RG nº 9.185.345 (SSP/SP), e do CPF/MF nº 048.506.488-00; (ii) Diretor sem Designação Especial, o Sr. Enrico Zito, portador do RG nº 4.507.926.2 (SSP/SP), e do CPF/MF nº 090.356.638-96; e (iii) Diretor sem Designação Especial e Diretor de Relações com Investidores, o Sr. Carlos Henrique Pinto Haddad, portador do RG nº 15.376.584 (SSP/SP), e do CPF/MF nº 074.277.098-29, todos com endereço comercial na Av. das Nações Unidas, 12.995, 32º andar, São Paulo-SP. Encerramento e Lavratura: Nada mais havendo a tratar, foi lavrada a presente ata que, depois de lida e aprovada, foi por todos os presentes assinada. São Paulo, 18/06/2012. Conselheiros: João Carlos Costa Brega, Armando Ennes do Valle Junior e Antonio Mendes. Mesa: João Carlos Costa Brega, Presidente e Nádia Ricas Xavier, Secretária. A presente é cópia fiel da Ata, lavrada no Livro próprio. (ass.) Nádia Ricas Xavier – Secretária. Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 530.737/12-7 em 07/12/2012. Gisela Simiema Ceschin – Secretária Geral.

subiu de forma expressiva no acumulado do ano passado sobre 2011: 43,9%. Na comparação do mês de dezembro com novembro, os pedidos de recuperação judicial caíram 27,5% e o deferimento dos pedidos de recuperação se manteve estável. Em dezembro de 2012 ante o mesmo mês de 2011 os pedidos de recuperação judicial subiram 2,8%, enquanto as recuperações judiciais decretadas caíram 16,3%. As micro e pequenas empresas representaram 82% dos pedidos de falência e 95% das falências decretadas. Na divisão por setores da economia, a indústria contribuiu com o maior número dos pedidos de falência em 2012, com 36% dos casos, seguida pelo setor de serviços (33%) e pelo comércio (30%). (Estadão Conteúdo)

Receita cobra da Natura R$ 627 milhões em impostos

A

Natura foi autuada pela Receita Federal, com a exigência de pagamento de diferenças de R$ 627,8 milhões, acrescidos de multa e juros, por impostos alegadamente não recolhidos por uma controlada. A subsidiária Indústria e Comércio de Cosméticos Natura tomou conhecimento, em 20 de dezembro, de dois autos de infração reivindicando o pagamento de R$ 297,1 milhões em Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), de R$ 58,4 milhões em

Mobit Mobilidade e Participações S.A. CNPJ/MF nº 09.376.452/0001-47 – NIRE 35.300.353.501 Ata da Assembleia Geral Extraordinária Realizada em 09 de Novembro de 2012 Data, Horário e Local: No dia 09 do mês de novembro de 2012, às 10:00 horas, na sede social da Companhia, localizada na Avenida Brigadeiro Faria Lima, n.º 1.744, 8º andar, sala 10, Jardim Paulistano, CEP 01451-910, na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo. Convocação, Presença e Quórum: Dispensada a publicação de Editais de Convocação, nos termos do artigo 124, § 4º da Lei n.º 6.404, de 15.12.1976, tendo em vista a presença da totalidade dos acionistas da Companhia. Mesa: Presidente: Sr. Hamilton Amadeo; e Secretário: Sr. Santiago Crespo. Ordem Do Dia: Deliberar acerca: (i) da atribuição de valor nominal as ações ordinárias da Companhia; (ii) da proposta de aumento de capital social da Companhia e sua integralização mediante: (a) conferência de participação societária na sociedade CTRCG – Concessionária do Terminal Rodoviário de Campo Grande Ltda.; (b) conferência de participação societária na sociedade CTRC–Concessionária do Terminal Rodoviário de Campinas S.A., observada a condição resolutiva de aprovação dos respectivos poderes concedentes; (c) crédito proveniente de dividendos a receber da CTRC–Concessionária do Terminal Rodoviário de Campinas S.A.; (d) créditos decorrentes de AFAC firmados com a CTRC–Concessionária do Terminal Rodoviário de Campinas S.A., e (e) cessão de mútuo em face da Companhia; (iii) da ratificação da nomeação da empresa especializada contratada para proceder à avaliação das participações societárias e dos créditos a serem utilizadas para integralização do capital social da Companhia; (iv) do Laudo De Avaliação emitido pela empresa especializada; e (v) da consolidação do Estatuto Social da Companhia. Deliberações: Após discutidas as matérias constantes da ordem do dia, os acionistas presentes autorizaram a lavratura desta ata em forma de sumário das deliberações e, em seguida, por unanimidade e sem reservas ou oposições, deliberaram: (i) aprovar a atribuição de valor nominal às ações ordinárias da Companhia, no valor de R$ 1,00 (um real) cada ação. Desta forma, resolvem as acionistas cancelar 403.448.668 (quatrocentas e três milhões, quatrocentas e quarenta e oito mil, seiscentas e sessenta e oito) ações ordinárias de titularidade da acionista Equipav S/A Pavimentação, Engenharia e Comércio, passando o capital social da Companhia ser de R$ 102.953.931,00 (cento e dois milhões, novecentos e cinqüenta e três mil, novecentos e trinta e um reais) dividido em 102.953.931 (cento e dois milhões, novecentas e cinqüenta e três mil, novecentas e trinta e uma) ações ordinárias nominativas, com valor de R$ 1,00 (um real) cada uma. Resolvem alterar a redação do artigo 5º do Estatuto Social da Companhia a vigorar com a seguinte redação: “Art. 5º–O capital social subscrito e totalmente integralizado da Companhia, em moeda corrente nacional e bens, é de R$ 102.953.931,00 (cento e dois milhões, novecentos e cinqüenta e três mil, novecentos e trinta e um reais) dividido em 102.953.931 (cento e dois milhões, novecentas e cinqüenta e três mil, novecentas e trinta e uma) ações ordinárias nominativas, com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada uma.” (ii) aprovar o aumento de capital social da Companhia em R$ 2.980.235,00 (dois milhões, novecentos e oitenta mil, duzentos e trinta e cinco reais), mediante a subscrição e integralização de 2.980.235 (dois milhões, novecentas e oitenta mil, duzentas e trinta e cinco) novas ações ordinárias nominativas, com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada, representativas do capital social da Companhia, emitidas ao valor de R$ 1,00 (um real) cada, considerando o valor patrimonial da Companhia, conforme o disposto no art. 170, parágrafo 1º, II, da Lei 6.404/76, passando o capital social de R$ 102.953.931,00 (cento e dois milhões, novecentos e cinqüenta e três mil, novecentos e trinta e um reais) dividido em 102.953.931 (cento e dois milhões, novecentas e cinqüenta e três mil, novecentas e trinta e uma) ações ordinárias, nominativas e com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada para R$ 105.934.166,00 (cento e cinco milhões, novecentos e trinta e quatro mil, cento e sessenta e seis reais), representado por 105.934.166 (cento e cinco milhões, novecentas e trinta e quatro mil, cento e sessenta e seis) ações ordinárias, nominativas e com valor nominal de R$ 1,00 (um real); (iii) consignar que os acionistas Flávio Martins Tarchi Crivellari; Hamilton Amadeo; Santiago Crespo e Radamés Andrade Casseb, renunciaram, de forma irrevogável e irretratável, aos seus respectivos direitos de preferência à subscrição das novas ações, e as 2.980.235 (dois milhões, novecentas e oitenta mil, duzentas e trinta e cinco) ações ordinárias, nominativas e com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada, representativas do capital social da Companhia, foram totalmente subscritas e integralizadas no ato pela Equipav S.A. Pavimentação, Engenharia e Comércio, sociedade por ações, com sede na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, n.º 1.744, unidade 71, 7º andar, sala 06, Edifício Olívia Fernandes, Jardim Paulistano, CEP 01451–910, inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 46.083.754/0001-53, com seus atos constitutivos arquivados na JUCESP sob o NIRE 35.300.011.678, (“EQUIPAV”) conforme Boletim de Subscrição que compõe a presente ata como Anexo I, que as integralizou mediante a conferência dos seguintes bens e direitos de sua titularidade: (a) 6.511.702 (seis milhões, quinhentas e onze mil, setecentas e duas) quotas, no valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada uma, que detém na sociedade CTRCG – Concessionária do Terminal Rodoviário de Campo Grande Ltda., inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 09.653.941/0001-07, com seus atos constitutivos arquivados na Junta Comercial do Estado de Mato Grosso do Sul sob nº 54.200.926.688 (“CTRCG”), livres e desembaraçadas de quaisquer ônus, dívidas ou dúvidas, pelo valor de R$ 6.691.397,75 (seis milhões, seiscentos e noventa e um mil, trezentos e noventa e sete reais e setenta e cinco centavos), devendo observar a condição resolutiva de aprovação do poder concedente de CTRCG; (b) a totalidade das ações ordinárias nominativas que detém na CTRC – Concessionária do Terminal Rodoviário de Campinas S.A., sociedade por ações, com sede na Rua Dr. Pereira Lima, s/nº, Terminal Rodoviário, Vila Industrial, na Cidade de Campinas, Estado de São Paulo, inscrita no CNPJ/MF sob o n.º 08.652.138/0001-87, com seus atos constitutivos arquivados na Junta Comercial de São Paulo sob o n.º 35.300.352.297 (“CTRC”), livres e desembaraçadas de quaisquer ônus, dívidas ou dúvidas, pelo valor de R$ 26.149.494,94 (vinte e seis milhões, cento e quarenta e nove mil, quatrocentos e noventa e quatro reais e noventa e quatro centavos), devendo observar a condição resolutiva de aprovação do poder concedente de CTRC; (c) crédito originário de dividendos a pagar pela sociedade CTRC, no montante de R$ 289.563,51 (duzentos e oitenta e nove mil, quinhentos e sessenta e três reais e cinqüenta e um centavos); (d) crédito à título de Adiantamento para Futuro Aumento de Capital pela sociedade CTRC, no valor de R$ 1.260.000,00 (hum milhão, duzentos e sessenta mil reais), contabilizados, conforme balancete patrimonial da EQUIPAV levantado em 30 de setembro de 2012; (e) cessão de mútuos passivos de titularidade da acionista EQUIPAV em face da

CNPJ/MF n.º 46.083.754/0001-53 – NIRE 35.300.011.678 Ata da AGE Realizada em 09 de Novembro de 2012 I. Data, Horário e Local: 09/11/12, 9hs, na sede. II. Convocação e Presença: Dispensadas, tendo em vista a presença dos acionistas representando a totalidade do capital social. III. Composição da Mesa: Presidente: Hamilton Amadeo; Secretário: Radamés Andrade Casseb. . IV. Deliberações: Após discutida a matéria constante da ordem do dia, as acionistas presentes autorizaram a lavratura desta ata em forma de sumário das deliberações e, em seguida, por unanimidade e sem reservas ou oposições, deliberaram: (i) aprovar a proposta de conferência de bens da Cia., descritos e caracterizados no Anexo I, pelo valor de R$ 2.980.234,96 e R$ 0,04 em moeda corrente nacional, para subscrição e integralização do capital social da cia. Mobit Mobilidade e Participações S.A., sociedade por ações, com sede em SP/SP, Av. Brig. Faria Lima, nº 1.744, 8º, s/ 10, Ed. Olívia Fernandes, Jd. Paulistano, CEP 01451-910, CNPJ/MF nº 09.376.452/0001-47, com seus atos constitutivos arquivados na JUCESP sob o NIRE 35.300.353.501; (ii) autorizar os administradores da Cia. a promoverem todos os atos necessários à implementação das deliberações aprovadas nesta Assembleia, inclusive no que diz respeito ao arquivamento e publicação dos atos societários, a avaliação dos bens, a subscrição das ações representativas do aumento de capital social da supracitada investida, a prolação de voto nas respectivas assembleias gerais, livros de presença e de atas, a escrituração nos respectivos livros societários e a celebração dos documentos societários em nome da Cia., e demais atos inerentes. V. Encerramento: Nada mais. VI. Assinaturas: Hamilton Amadeo, Presidente; Radamés Andrade Casseb, Secretário; Acionistas: GREQ Participação e Administração Ltda., p. Hamilton Amadeo e Flávio Martins Tarchi Crivellari; Empate Engenharia e Comércio Ltda., p. Hamilton Amadeo e Radamés Andrade Casseb; e EBC Participações e Investimentos Ltda., p. Hamilton Amadeo e Radamés Andrade Casseb. Certificamos que a presente é cópia fiel da ata lavrada em livro próprio. Hamilton Amadeo-Presidente da Mesa; Radamés Andrade Casseb-Secretário da Mesa. Jucesp nº 540.604/12-4 em 14/12/2012.Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

IKICHIN AGROPECUÁRIA S/A. CNPJ/MF nº 15.566.894/0001-59 - NIRE 3530042201-5 (“Companhia”) - Extrato da p Ata de Assembleia Geral Extraordinária em 24/08/2012 - Data, hora e local: 24/08/2012, às 15h,, em Campos g ; Sec.: Ana Cecília de Oliveira Giorgi g Manente. Deliberações do Jordão/SP. Mesa: Pres.: Thereza Cristina de Oliveira Giorgi; por unanimidade: Aprovado aumento do capital social em R$800.000,00, representado 800.000 ações ordinárias nominativas, com valor nominal de R$ 1,00 cada uma, com direito a voto. Os acionistas da Cia. renunciaram a seu direito de ç da totalidade do aumento pela p Bodul Participações S.A., CNPJ 13.185.247/0001-71. preferência e permitiram a subscrição ç Aprovada a reforma dos artigos 2º, 3º, 5º e 10º do Estatuto Social: “Art. 2º - A sociedade tem sede,, foro e administração em Nova Andradina/MS, na Chácara Raízes, Rod. Nova Andradina - Casa Verde, km 05, lado direito, CEP 079750-000, e endereço ç para p correspondência p na Caixa Postal 150 da Agencia g AC Nova Andradina,, Av. Eurico Soares de Andrade,, 1001,, p CEP 79750-970, podendo abrir e fechar filiais ou escritórios em todos os pontos do Território Nacional ou no Exterior,, a critério da Diretoria.” “Art. 3º - A sociedade tem por objeto social a administração de bens próprios, compra e venda e arrendamento de bens móveis,, imóveis e semoventes,, agropecuária g p e a participação p p ç em outras empresas, p , como quotista q ou acionista.” “Art. 5º - O capital social é de R$ 8.148.764,00, , , representado p ppor 8.148.764 ações ç ordinárias nominativas,, com valor nominal de R$ 1,00 cada uma,, com direito a voto.” “Art. 10º - A Cia. será representada, ativa e passivamente, perante terceiros, da seguinte forma: (i) prática de atos previamente autorizados pela Assembleia Geral, mediante a assinatura de qualquer um dos diretores ou procurador nomeado na forma prevista neste estatuto; (ii) prática p de qualquer q q ato ou série de p a mesma finalidade praticados p p q implique(m) p q ( ) o exercício ou a renúncia de direito,, pagap g atos para no período de 1 mês,, que mento ou assunção de obrigação, ou responsabilidades para a Cia., de valor igual ou superior a R$80.000,00, mediante a ( ) 2 diretores ou (b) ( ) 1 diretor em conjunto j p ; ou (c) ( ) 2 procuradores; p ; (iii) prática p q q assinatura de (a) com 1 procurador; de qualquer p a mesma finalidade praticados p p q implique(m) p q ( ) o exercício ou a renúncia de ato ou série de atos para no período de 1 mês,, que p g ç de obrigação, g ç , ou responsabilidades p direito,, pagamento ou assunção para a Cia., de valor inferior a R$80.000,00, mediante ( ) 1 dos diretores,, ou (b) ( ) 1 procurador; p ; e (iv) representação p ç pperante órgãos g ppúblicos,, incluindo,, exemplificap a assinatura de (a) tivamente, autoridades fiscais em nível federal, estadual e municipal, Cartórios de Registro de Títulos e Documentos, Notas e de Imóveis,, Juntas Comerciais e Banco Central do Brasil,, para p fins de requisição q ç de inscrições ç e certidões,, apresentação p ç de declarações, de investimentos,, entre outros,, assim como a práç , solicitação ç de relatórios de restrições, ç , requisições q ç de registros g p p ç de obrigação g ç ou similar mediante a assinatura tica de qualquer outro ato que não importe renúncia de direito ou assunção de (a) 1 diretor ou (b) 1 procurador.” Encerramento: Nada mais. JUCESP nº 423.841/12-9 em 01/10/2012.

HP Financial Services Arrendamento Mercantil S.A CNPJ 97.406.706/0001-90 – NIRE 35.300.314.352 Termo de Posse Aos 12 dias do mês de novembro de 2012, na sede da HP Financial Services Arrendamento Mercantil S.A., sociedade inscrita no CNPJ/MF sob o n° 97.406.706/0001-90, à AI. Rio Negro, 750, Alphaville-Barueri, São Paulo, toma posse e é investido no cargo de Diretor sem designação específica da sociedade, com mandato de 3 (três) anos, sendo certo que permanecerá em seu respectivo cargo até a investidura do seu sucessor, eleito na 1ª Reunião do Conselho de Administração a se realizar após a Assembleia Geral Ordinária de 2015, o abaixo assinado: Sr. José Antonio Borges, brasileiro, contador, casado, portador da carteira de identidade n° 12.832.444, expedida pela SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o n° 049.371.298-48, residente e domiciliado no Estado de São Paulo, com endereço comercial na Alameda Rio Negro, 750, fundos, 2° andar, sala 03, Alphaville, cidade de Barueri. O Diretor eleito preenche as condições de elegibilidade previstas na Resolução n° 4.122 de 02/08/2012, do Conselho Monetário Nacional e declara não estar incurso em nenhum dos crimes que o impeçam de ,exercer atividades mercantis, além de ter pleno conhecimento das limitações e exigências impostas pelo Art. 147 da Lei n° 6404/76. Barueri, 12 de Novembro de 2012. José Antonio Borges - CPF/MF n° 049.371.298-48. Jucesp nº 537.892/12-6 em 13/12/2012.Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

HP Financial Services Arrendamento Mercantil S.A CNPJ 97.406.706/0001-90 – NIRE 35.300.314.352 Termo de Posse Aos 17 dias do mês de setembro de 2012, toma posse e é investido no cargo de membro do Conselho de Administração, com mandato de 3 (três) anos, sendo certo que permanecerá em seu respectivo cargo até a investidura do seu sucessor, o abaixo assinado: Sr. Ian Colin Fowlis, cidadão norte-americano, portador do passaporte n° 303.021.279 e inscrito no CPF/MF sob o n° 061.756.027-73, residente e domiciliado em 200 Connell Drive, suite 5000, Berkeley Heights, New Jersey, Estados Unidos da América. O Conselheiro eleito preenche as condições de elegibilidade previstas na Resolução n° 3.041 de 28/11/2002, do Conselho Monetário Nacional e declara não estar incurso em nenhum dos crimes que o impeçam de exercer atividades mercantis, além de ter pleno conhecimento das limitações e exigências impostas pelo Art. 147 da Lei n° 6404/76. Berkeley Heights, 17 de setembro de 2012. Ian Colin Fowlis - CPF/MF n° 061.756.027-73. Jucesp nº 537.604/12-1 em 12/12/2012. Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

BARRA DE SÃO MIGUEL PARTICIPAÇÕES IMPORTAÇÃO E COMÉRCIO DE PISOS S.A. CNPJ/MF nº 07.304.575/0001-47 - NIRE nº 35300327977 EXTRATO DA ATA DA ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA, realizada no dia 31 de outubro de 2012, às 10 horas, na sede da Barra de São Miguel Participações Importação e Comércio de Pisos S.A. (“Companhia”). Presenças: Acionistas representando a totalidade do Capital Social votante, conforme assinaturas lançadas na Lista de Presença de Acionistas. Deliberações: (i) Alterou-se o Endereço da sede da Companhia, o qual passou a ser na Rua Félix Guilhem, nº 224, conjunto 2, Lapa, São Paulo/SP, CEP 05069-000; (ii) Criou-se filial da Companhia a ser instalada à Rua Pascal, nº 1353, Campo Belo, cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, CEP 01228-200, com a consequente alteração da redação do Parágrafo 1º da Cláusula 2ª do Estatuto Social da Companhia. Encerramento: Nada mais tendo sido tratado, a Assembleia foi encerrada com a lavratura da ata, que foi lida, aprovada, e assinada pelos presentes. Mesa: Presidente: Ricahrd Zatz; Secretário: Claudio Schreier. Jucesp – Certificado de Registro sob nº 551.493/12-4 em 28/12/2012. Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

P.S. MAGRINI INFORMÁTICA LTDA., CNPJ 02.806.654/0001-32, por seus sócios, declara extinta a sociedade em 11/12/2012, conforme distrato social.

Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 07 de janeiro de 2013, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Sick Solução em Sensores Ltda. Requerido: Ventiladores Bernaur S/A. Rua Professor Aprigio Gonzaga, 78 - 12° Andar – São Judas - 2ª Vara de Falências. Requerente: Nova Piramidal Thermoplastics Ltda. Requerido: Gow Acessórios para Motos, Importação e Exportação Ltda. Rua Romão Puiggari, 1.412 – Vila Moraes - 2ª Vara de Falências. Recuperação Judicial Requerente: Foundryman Comércio e Indústria de Aço Ltda. Requerido: Foundryman Comércio e Indústria de Aço Ltda. Avenida Nazaré, 290 – Ipiranga - 1ª Vara de Falências.

atacadista) e a formação da base de cálculo dos tributos federais IPI, PIS e Cofins", completou. A empresa de cosmésticos disse, ainda, que apresentará impugnação dos autos de infração e considera que "o risco de perda associado a esse procedimento fiscal é remoto". A companhia reafirma que "observou integralmente a legislação vigente na época dos fatos e que comprovará que o procedimento adotado é legítimo". (Reuters)

Companhia, no valor total de R$ 31.410.221,24 (trinta e um milhões, quatrocentos e dez mil, duzentos e vinte e um reais e vinte e quatro centavos), sendo R$ 3.634.037,19 (três milhões, seiscentos e trinta e quatro mil e trinta e sete reais e dezenove centavos), devidamente contabilizado no balancete de 30 de setembro de 2012, e R$ 27.776.184,05 (vinte e sete milhões, setecentos e setenta e seis mil, cento e oitenta e quatro reais e cinco centavos) referente à assunção de dívida celebrada entre Equipav e Greq Participação e Administração Ltda., CNPJ/MF n.º 61.400.164/0001-09, em 31de outubro de 2012; e (f) a importância de R$ 0,04 (quatro centavos) em moeda corrente nacional. Os bens e direitos conferidos pela acionista Equipav à Companhia, relacionados nos itens “a”, “b”, “c”, “d”, e “e”, no valor total de R$ 2.980.234,96 (dois milhões, novecentos e oitenta mil, duzentos e trinta e quatro reais e noventa e seis centavos) foram objeto de Avaliação Contábil, elaborado e apresentado pela empresa especializada Amks Contadores e Consultores Ltda., inscrita no Conselho Regional de Contabilidade de São Paulo sob o n.º 2SP016.295/O-7 e no CNPJ/MF sob o n.º 66.056.086/0001-82, com seus atos constitutivos registrados no 7º Cartório de Registro Civil das Pessoas Jurídicas sob o n.º 05777, com sede e foro na Capital do Estado de São Paulo, na Avenida Brigadeiro Faria Lima, n.º 1.656, 8º andar, Cj. 8D, representada por seu sócio responsável, Edimilso Gomes da Silva, brasileiro, casado, contador, inscrito no CRC-SP sob n.º 1SP138.782/O-8, portador da Cédula de Identidade RG n.º 7.577.597-9 SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o n.º 560.097.208-34, com escritório na Cidade e Estado de São Paulo, na Avenida Brigadeiro Faria Lima n.º 1.656, 8º andar, Cj. 8D, que foi lido e aprovado pela totalidade das Acionistas, cuja nomeação foi ora ratificada e passou a integrar a presente Ata como Anexo II; (iv) registrar que os acionistas presentes, declararam concordar com a subscrição das ações pela Equipav e respectiva integralização, mediante a conferência dos bens e direitos acima relacionados, com o valor atribuído aos mesmos e confirmado pelo Laudo de Avaliação em anexo, bem como com a importância em moeda corrente nacional; (v) autorizar os administradores da Companhia a promover todos os atos necessários à implementação das deliberações aprovadas nesta Assembleia; (vi) alterar a redação do artigo 5º do Estatuto Social, tendo em vista o aumento do capital social da Companhia e a possibilidade da integralização do capital social em moeda corrente ou bens, passando referido dispositivo a vigorar com a seguinte nova redação: “Art. 5º–O capital social subscrito e totalmente integralizado da Companhia, em moeda corrente nacional e bens, é de R$ 105.934.166,00 (cento e cinco milhões, novecentos e trinta e quatro mil, cento e sessenta e seis reais), representado por 105.934.166 (cento e cinco milhões, novecentas e trinta e quatro mil, cento e sessenta e seis) ações ordinárias nominativas, com valor nominal de R$ 1,00 (um real) cada uma.” (vii) alterar o disposto no parágrafo primeiro do artigo 17 do Estatuto Social da Companhia, para constar que as reuniões do Conselho de Administração da Companhia, instalar-se-ão, validamente, em primeira ou segunda convocação com a presença de, no mínimo, 3 (três) conselheiros, passando o parágrafo primeiro de referido artigo a vigorar com a seguinte redação: “Art. 17 – Parágrafo Primeiro – As reuniões do Conselho de Administração da Companhia instalar-se-ão validamente, em primeira convocação ou segunda convocação, com a presença de, no mínimo, 3 (três) membros. ” (viii) alterar o disposto no parágrafo único do artigo 18 para constar que as deliberações do Conselho de Administração serão válidas, mediante a aprovação da maioria absoluta dos membros, passando referido parágrafo a vigorar com a seguinte redação: “Art. 18 - Parágrafo Único – As matérias deliberadas nas reuniões do Conselho de Administração serão válidas mediante a aprovação da maioria absoluta dos membros e serão lavradas em atas e registradas no livro próprio e, sempre que tiverem deliberações destinadas a produzir efeitos perante terceiros, seus extratos serão arquivados na Junta Comercial competente e publicados nos termos da lei.” (ix) excluir a possibilidade do Conselho de administração deliberar sobre a emissão de debêntures simples, não conversíveis em ações e sem garantia real, com a exclusão do item xiv do Artigo 19 do Estatuto Social da Companhia, passando referido artigo a vigorar com a seguinte redação: “Art. 19 – Compete ao Conselho de Administração da Companhia, além da orientação geral dos negócios sociais cometida por lei e pelo Estatuto Social: (i) eleger e destituir os membros da Diretoria e fixar suas atribuições, observado o que dispõe este Estatuto Social e a lei; (ii) aprovar o Regimento Interno do Conselho de Administração; (iii) fiscalizar a gestão dos Diretores e examinar, a qualquer tempo, os livros e papéis da Companhia, solicitar informações sobre contratos celebrados ou sob análise, e quaisquer outros atos; (iv) convocar a Assembleia Geral, sempre que necessário ou exigido por lei; (v) manifestar-se sobre o relatório da administração e as contas apresentadas pela Diretoria, bem como as demonstrações financeiras anuais e intermediárias da Companhia; (vi) deliberar a aquisição pela própria Companhia de ações de sua própria emissão, para manutenção em tesouraria e/ou posterior cancelamento ou alienação; (vii) escolher e destituir os auditores independentes, além de homologar o plano de auditoria interna; (viii) examinar, opinar e propor à Assembleia Geral a distribuição de dividendos pela Companhia; (ix) aprovar os orçamentos anuais e plurianuais, os planos estratégicos e de negócios, os projetos de expansão e os programas de investimento propostos pela Diretoria, bem como acompanhar a execução destes; (x) aprovar previamente a aquisição e/ou alienação pela Companhia de participações em outras sociedades; (xi) aprovar previamente a tomada de empréstimos ou financiamentos, bem como a outorga de garantias de qualquer natureza, ou a aprovação de qualquer ato que implique endividamento da Companhia em nível superior ao previsto no Plano de Negócios; (xii) eleger o Diretor substituto nos casos de ausência ou impedimento temporário daquele a ser substituído, conforme disposto neste Estatuto Social; e (xiii) alienação ou aquisição de bens imóveis, independentemente do valor envolvido na alienação.” (x) os acionistas ratificam todos os demais artigos do Estatuto Social não expressamente alterados na presente Assembleia Geral e aprovam a nova redação do Estatuto Social, conforme Anexo III, o qual é parte integrante desta ata. Encerramento: Nada mais havendo a ser tratado, encerrou-se a Assembleia pelo tempo necessário à lavratura desta ata, a qual, após lida e aprovada, foi assinada por todos os presentes. Assinaturas: Mesa: Hamilton Amadeo, Presidente; Santiago Crespo, Secretário. Acionista: Equipav S.A. Pavimentação, Engenharia e Comércio; por Hamilton Amadeo e Radamés Andrade Casseb; Flávio Martins Tarchi Crivellari; Hamilton Amadeo; Santiago Crespo e Radamés Andrade Casseb. Esta ata é cópia fiel da original lavrada em livro próprio. Hamilton Amadeo-Presidente; Santiago Crespo-Secretário. Jucesp 540.603/12-0 em 14/12/12.Gisela S. Ceschin-Secr. Geral.

Equipav S.A. Pavimentação, Engenharia e Comércio

CKI PARTICIPAÇÕES S/A - CNPJ/MF nº 15.654.843/0001-89 - NIRE: 35300438051 - Extrato de Ata de Assembleia Geral Extraordinária em 24/08/2012 - Data, hora e local: 24/08/2012, às 15:30hs, Campos do Jordão/SP. Mesa: Pres.: Thereza Cristina de Oliveira Giorgi; g ; Sec.: Ana Cecília de Oliveira Giorgi g Manente. 5. Deliberações por unanimidade: Aprovado o aumento do ca1.000.000 de ações ppital social em R$1.000.000,00, $ , , representado p ç ordinárias nominativas,, com valor nominal de R$$ 1,00 , cada uma,, com direito a voto. Os acionistas da Cia. renunciaram a seu direito de preferência e permitiram a subscrição da totalidade do aumento ppela Bodul Participações p ç S.A.,, CNPJ 13.185.247/0001-71. Aprovada p a reforma dos artigos g 2º,, 3º,, 5º e 10º do Estatuto Social. “Art. 2º - A sociedade tem sede, foro e administração em Garça/SP, na R. Armando Salles de Oliveira, 40, CEP: 17400-000, podendo abrir e fechar filiais ou escritórios em todos os pontos do Território Nacional ou no Exterior, a critério da Diretoria.” “Art. 3º - A sociedade tem por p objeto j social a administração ç de bens próprios, p p , compra p e venda e arrendamento de bens móveis,, imóveis e semoventes,, agropecuária e a participação em outras empresas, como quotista ou acionista.” “Art. 5º - O capital social é de R$ 2.718.910,00, representado p ppor 2.718.910 ações ç ordinárias nominativas,, com valor nominal de R$$ 1,00 , cada uma, com direito a voto.” “Art. 10º - A Cia. será representada, ativa e passivamente, perante terceiros, da seguinte forma: (i) prática de atos previamente autorizados pela Assembleia Geral, mediante a assinatura de qualquer um dos diretores ou procurador nomeado na forma prevista neste estatuto; (ii) prática de qualquer ato ou série de atos para a mesma finalidade praticados no período de 1 (um) mês, que implique(m) o exercício ou a renúncia de direito,, pagamento ou assunção para p g ç de obrigação, g ç , ou responsabilidades p p a Cia.,, de valor igual g ou superior p a R$80.000,00, com 1 procurador; $ , , mediante a assinatura de (a) ( ) 2 diretores ou (b) ( ) 1 diretor em conjunto j p ; ou (c) ( ) 2 procuradores; p ; (iii) p q q ato ou série de atos para p a mesma finalidade praticados p p q implique(m) p q ( ) o exercício ou prática de qualquer no período de 1 mês,, que a renúncia de direito, pagamento ou assunção de obrigação, ou responsabilidades para a Cia., de valor inferior a R$80.000,00, p ç pperante órgãos g ppúblicos,, incluindo,, exemplip mediante a assinatura de ((a)) 1 dos diretores,, ou ((b)) 1 pprocurador;; e ((iv)) representação ficativamente, autoridades fiscais em nível federal, estadual e municipal, Cartórios de Registro de Títulos e Documentos, Notas e de Imóveis, Juntas Comerciais e Banco Central do Brasil, para fins de requisição de inscrições e certidões, apresentação de declarações, ç de relatórios de restrições, ç , requisições q ç de registros g q outro solicitação de investimentos,, entre outros,, assim como a pprática de qqualquer ato que não importe renúncia de direito ou assunção p ç de obrigação g ç ou similar mediante a assinatura de (a) 1 (um) diretor ou (b) 1 p ç de Ajuste j ç . Foi constatado erro formal na descrição dos bens de nº 05, 06 e procurador.” Aprovação em Laudo de Avaliação 10 constantes do Laudo de Avaliação de 9/03/2012, realizado por Master Assessoria Empresarial Ltda., e que seguiu anexo à ata de p ç de laudo constituição da Cia.. Em vista de tais erros, Master Assessoria Empresarial Ltda. apresentou instrumento de re-ratificação de avaliação datado de 21/08/2012, corrigindo tais erros. Encerramento: Nada mais. JUCESP nº 423.842/12-2 em 01/10/2012.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL

taxa do Programa de Integração Social (PIS) e R$ 272,3 milhões em Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins). "A controlada teria deixado de recolher (os impostos), no exercício de 2008, em virtude de adotar como base de cálculo desses tributos preços incorretos", informou a Natura, em comunicado. "Os autos de infração questionam, em síntese, a forma como as empresas estão organizadas (indústria e distribuidora

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: PREGÃO ELETRÔNICO DE REGISTRO DE PREÇOS Nº 21/00695/12/05 OBJETO: SERVIÇO DE TRANSPORTE DE MATERIAIS DIVERSOS PARA ATENDIMENTO DOS PROJETOS DA SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, DIRETORIAS DE ENSINO E REDE ESTADUAL DE ENSINO DO ESTADO DE SÃO PAULO A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para : Serviço de transporte de materiais diversos para atendimento dos projetos da Secretaria de Estado da Educação, Diretorias de Ensino e Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 08/01/2013, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 21/01/2013, às 09:30 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, o estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 08/01/2013, até o momento anterior ao início da sessão pública. Herman Jacobus Cornelis Voorwald Respondendo pela Presidência Decreto s/nº de 03/10/2012

HP Financial Services Arrendamento Mercantil S.A CNPJ 97.406.706/0001-90 – NIRE 35.300.314.352 Termo de Posse Aos 12 dias do mês de novembro de 2012, na sede da HP Financial Services Arrendamento Mercantil S.A., sociedade inscrita no CNPJ/MF sob o n° 97.406.706/0001-90, à AI. Rio Negro, 750, Alphaville-Barueri, São Paulo, toma posse e é investido no cargo de Diretor sem designação específica da sociedade, com mandato de 3 (três) anos, sendo certo que permanecerá em seu respectivo cargo até a investidura do seu sucessor, eleito na 1ª Reunião do Conselho de Administração a se realizar após a Assembleia Geral Ordinária de 2015, o abaixo assinado: Ismael Paes Gervásio, brasileiro, contador, casado, portador da carteira de identidade n° 7.412.841, expedida pela SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o n° 682.747.938-20, residente e domiciliado no Estado de São Paulo, com endereço comercial na Alameda Rio Negro, 750, fundos, 2º andar, sala 03, Alphaville, cidade de Barueri. O Diretor eleito preenche as condições de elegibilidade previstas na Resolução n° 4.122 de 02/08/2012, do Conselho Monetário Nacional e declara não estar incurso em nenhum dos crimes que o impeçam de exercer atividades mercantis, além de ter pleno conhecimento das limitações e exigências impostas pelo Art. 147 da Lei n° 6404/76. Barueri, 12/11/2012. Ismael Paes Gervásio - CPF/MF n° 682.747.938-20. Jucesp nº 537.893/12-0 em 13/12/2012.Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

HP Financial Services Arrendamento Mercantil S.A CNPJ 97.406.706/0001-90 – NIRE 35.300.314.352 Termo de Renúncia Pelo presente instrumento, eu, Richard Kenneth Olson, cidadão norte-americano, portador do passaporte n° 201.139.064, inscrito no CPF/MF sob o n° 060.293.497-40, com endereço em 200 Connell Drive, Suite 5000, Berkeley Heights, New Jersey, 07922, Estados Unidos da America, renuncio, em caráter irrevogável e irretratável, ao cargo de membro do Conselho de Administração da HP Financial Services Arrendamento Mercantil S.A., Sociedade com sede e foro na Cidade de Barueri, Estado de São Paulo, na Alameda Rio Negro, n° 750, Alphaville, fundos, 2° andar, sala 03, inscrita no CNPJ/MF sob o n° 97.406.706/0001-90, arquivada perante a JUCESP sob o n° 35.300.314.352 afastando-me das funções a partir da presente data. Outrossim, outorgo à Sociedade plena, rasa, total, irrestrita e irrevogável quitação em relação a todos e quaisquer honorários referentes aos serviços prestados, para nada mais reclamar, em tempo algum, seja a que título for, em juízo ou fora dele. Berkeley Heights, 20 de abril de 2012. Richard Kenneth Olson - CPF/MF n° 060.293.497-40. Jucesp nº 537.605/12-5 em 12/12/2012.Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

Hidroservice Amazônia S/A - Agropecuária e Industrial CNPJ/MF 05.054.358/0001-10. Edital de Convocação - Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária Ficam convocados os Srs. Acionistas a comparecerem na sede social à Al. Ribeirão Preto, 401, 1º, parte, SP/SP, no dia 24/01/2013, às 10 hs, para reunirem-se em AGOE, a fim de deliberarem sobre a seguinte Ordem do Dia: a) Exame, discussão e votação das demonstrações financeiras do exercício findo em 31/12/11; b) Eleição do Conselho de Administração e remuneração dos administradores; c) Outros assuntos de interesse social. (08,09 e 10/01/2013)

CNPJ 97.837.181/0001-47

Duratex S.A.

Companhia Aberta NIRE 35300154410 CERTIDÃO - JUNTA COMERCIAL ATA SUMÁRIA DA REUNIÃO DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO, REALIZADA EM 30 DE NOVEMBRO DE 2012 - 9:30 HORAS “JUCESP sob nº 552.281/12-8, em 28.12.2012. (a) Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.” PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITAPECERICA DA SERRA “AVISO DE LICITAÇÃO” PREGÃO PRESENCIAL Nº 001/2013-EDITAL Nº 002/2013 Objeto: Registro de Preços para Aquisição de Cimento CP 32 50 kg. Encerramento: 21 (vinte e um) de janeiro de 2013 ás 10h. Custo do Edital: Gratuito Informações: A Cópia completa do Edital poderá ser adquirida no Departamento de Suprimentos, sito à Av. Eduardo Roberto Daher, 1.135 – Centro – Itapecerica da Serra, no horário das 08:30 às 16:30 horas, nos dias úteis, ou mediante solicitação através do endereço eletrônico licitacoes@itapecerica.sp.gov.br, contendo os dados cadastrais do interessado. Demais informações poderão ser obtidas pelo telefone 4668.9000 ramal 9111, com código de acesso (DDD) 0XX11.Itapecerica da Serra, 07 de janeiro de 2.013. IVO MARTELLO FILHO - Pregoeiro


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

terça-feira, 8 de janeiro de 2013

A Nikon Coolpix S800C e a Galaxy Camera são híbridos fascinantes David Pogue

nformática

Câmera com Wi-Fi: pioneira e imperfeita Com o sistema Android nas máquinas, é possível tirar uma foto numa câmera real, e postá-la ou enviá-la online instantaneamente. Mas há um problema: as fotos tiradas simplesmente pecam em qualidade. David Pogue*

C

âmera Android. Uau, isso tem um som est r a n h o , n ã o ? S i mplesmente não pensamos numa câmera como tendo sistema operacional. Seria como dizer "torradeira Windows" ou "bicicleta Unix". Mas sim, chegamos a esse ponto. Desde que as câmeras de celulares ficaram boas o bastante para as fotos do dia a dia, as vendas de câmeras vêm caindo. Para milhões de pessoas, a capacidade de compartilhar uma foto nova via wireless – no Facebook, Twitter, por e-mail ou mensagem de texto – é tão tentadora que os usuários estão dispostos a sacrificar o avanço das câmeras reais. Essa é uma grande troca entre conveniência e qualidade de fotos. Uma câmera verdadeira traz recursos que a maioria dos telefones não oferece: zoom ótico, sensor grande, estabilização de imagem, cartões de memória removíveis, baterias removíveis e boa ergonomia (uma placa de vidro de 10 cm não é exatamente moldada para ser um instrumento fotográfico de mão). Mas os fabricantes de câmeras não estão passivos frente à invasão dos celulares. Novos

modelos da Nikon e Samsung são adeptos óbvios da escola "se não pode vencê-los, juntese a eles". A Nikon Coolpix S800C e a Galaxy Camera da Samsung são híbridos fascinantes. Elas juntam elementos do celular e da câmera em algo completamente novo e, considerando estas versões iniciais, muito promissor. Essas câmeras podem rodar Angry Birds, Flipboard, Instapaper, Pandora, Firefox, The New York Times, programas de navegação GPS e assim por diante. Você faz o download e os executa da mesma forma. Mas o verdadeiro motivo para desejarmos uma câmera Android é a conectividade sem fio. Agora, pode-se tirar uma foto real, numa câmera real, e postá-la ou enviá-la online instantaneamente. Você elimina toda a etapa de "chegar em casa e transferir as imagens ao PC". Essas câmeras também fazem um bom trabalho com navegação na web, e-mail, vídeos no YouTube, feeds do Facebook, chamadas em vídeo pelo Skype e outras tarefas online. As duas câmeras ficam online usando pontos de Wi-Fi. O modelo da Samsung também pode se conectar pelas

redes celulares, como um telefone, e é possível fazer um upload em qualquer lugar. Além disso, essas câmeras oferecem uma segunda grande atração: liberdade de software de foto. A loja Android está repleta de aplicativos de fotografia. Apenas tome cuidado porque a maioria deles foi feita para celulares, e não reconhece os controles de zoom ótico das câmeras. Diferencial – São 16MP de resolução. E têm flash embutido, em vez do fraco LED colocado nos celulares. E possuem alcances incríveis de zoom – 10 vezes para a Nikon e impressionantes 21 vezes para a Samsung. Celulares, naturalmente, não costumam ter nenhum zoom ótico. Todos os truques usuais de tela de toque funcionam, mas nenhuma das câmeras possui um visor ocular. Mas oferecem

modo panorama automático que costura as imagens, onde cria-se uma foto ultralarga. A Nikon S800C é compacta e atraente. À direita de sua tela sensível ao toque de 3,5 polegadas, há botões físicos de plástico para as funções básicas do Android: Voltar, Home e Menu (na Samsung, essas funções são botões na tela que às vezes desaparecem). Inteligentemente, a Nikon fez a câmera ligar muito rapidamente para que o usuário já possa começar a tirar fotos; o próprio Android leva 30 segundos adicionais para carregar. Botões de toque para exposição, timer, macro (fotos de detalhes) e flash flanqueiam o lado esquerdo da tela. E são várias as opções de compartilhamento: Pinterest, Facebook, Gmail, Google Plus, Instagram, Skype ou Twitter. A câmera Samsung Galaxy

é enorme e pesada, digna de uma máquina com uma tela de 4,8 polegadas. Essa belezinha não entrará em seu bolso, a menos que você esteja usando um macacão. Ela roda a versão Jellybean do Android, mais recente, e é cheia de recursos. O controle por voz é realmente útil: você pode dizer "zoom in", "shoot" ou "capture", o que é melhor do que qualquer timer automático. Apenas a Samsung oferece controles manuais completos, e suas predefinições de cena são muito mais interessantes. Há o vídeo em câmera lenta; um modo que permite que se enfrente a escuridão com uma lanterna; e o modo Best Face, que lhe permite escolher o melhor rosto em diversas fotos de um grupo. Por mais convenientes que essas câmeras sejam, provavelmente não é recomendá-

IMAGEM

vel comprá-las. Por três motivos. Primeiro, a vida da bateria é terrível: 140 ou 280 fotos numa carga (para a Nikon e a Samsung). Segundo, o preço é salgado. O EyeFi X2 Series é um cartão de memória SD comum, mas necessário, (US$ 30 pelo modelo de 4GB) porque acrescenta conexão Wi-Fi a qualquer câmera. Finalmente – e o mais triste –, as fotos simplesmente não são muito boas. O "ruído digital" (pixels aparentes) e a suavidade das imagens são o que se esperaria de uma câmera pela metade do preço. Pelos US$ 500 pagos pela Samsung, é possível comprar uma câmera SLR que entrega imagens absolutamente espetaculares. Mas ame-as pelo que elas realmente são: pioneiras que indicam a evolução das câmeras nos próximos anos. * Do The New York Times

TENDÊNCIAS

GADGETS

Tecnologia 3D ao alcance de todos

J

A nova TV Google da LG

A

LG apresentará novos produtos da linha Google TV na International CES 2013, a maior feira de eletrônicos de consumo do mundo, que começa hoje em Las Vegas. Os novos modelos GA7900 e GA6400 vêm embarcados com a mais recente plataforma do Google e o Magic Remote Qwerty, controle remoto remodelado que aumenta a eficácia da busca por voz e do guia rápido PrimeTime. A nova tela Smart Home oferece fácil acesso a vídeos sob demanda (VoD). A CPU de núcleo duplo acelera a navegação na internet e o streaming de vídeos. Com a ajuda da última atualização do YouTube para Android, dispositivos podem se conectar automaticamente à Google TV na rede doméstica, via Wi-Fi. Preço ainda não divulgado. GADGETS

Estação de trabalho virtual

A

QP Optoelectronics estará lançando na International CES 2013 o seu pico-projetor CloudView. Ele pode projetar uma imagem cinco a dez vezes maior do que outros projetores de bolso a partir de uma determinada distância. Além do CloudView, a QP Optoelectronics estará apresentando outras aplicações de projeção de curto alcance como o LigthPad, que se conecta a smartphones para habilitar a funcionalidade de um notebook, acompanhado de um teclado luminoso virtual (foto). Junto com o pico-projetor Cloud View, os equipamentos podem formar uma "estação de trabalho portátil", projetando um monitor de 20 polegadas e um teclado de tamanho padrão na área de trabalho. Mais detalhes dos produtos em www.qpopto.com

Carregador com energia limpa

N

a boa onda de energia limpa e sustentável, a empresa sueca myFC apresentará na CES 2013 o seu carregador de smartphones PowerTrekk, que funciona com células a combustível. Essa tecnologia de energia limpa converte o hidrogênio da água em eletricidade. O usuário simplesmente insere o plug do MYFC PowerTrekk e adiciona água comum para fornecer energia instantânea em qualquer lugar. O carregador é vendido no exterior a 199 euros. Mais informações no site http://www.powertrekk.com.

á imaginou digitalizar seus movimentos mais complexos numa prática esportiva, usando os mesmos sensores de de corpos das animações de produções de Hollywood, passar essas informações 3D, por meio de seu smartphone ou tablet, e compartilhar com amigos ou clientes em potencial? A companhia Xsens, especializada em tecnologias de movimento 3D, quer mostrar na CES 2013 que isso será possível em breve para o consumo de massa. Ela irá demonstrar seu sistema de roupas com rastreamento de movimentos 3D, baseado em um conjunto de sensores MEMS (Micro Electro Mechanical Systems). A Xsens já fornece essa tecnologia para produções de Hollywood como John Carter de Marte e X-Men. Esses dados 3D em tempo real de movimentos corporais permitirão o desenvolvimento de aplicativos que podem reconhecer e classificar os movimentos mais complexos, como o de práticas esportivas. Confira no link: www.youtube.com/watch?v=nRzS39UtTF4. ACESSÓRIOS

Cubos mágicos de energia

A

inda no segmento de carregadores de energia, a empresa Powerocks lançará no evento de Las Vegas seus armazenadores portáteis de energia Magic Cube e Stone3. Basta conectar o telefone descarregado no cubo pequeno e ele liga imediatamente o aparelho e fornece carga adicional. Tanto o Magic Cube Powerocks como o Stone3 oferecem versões aprovadas pela Apple (para iPhone, iPad e iPod) e também versões universais (para a maioria dos smartphones e tablets). Podem ainda carregar alguns ereaders, dispositivos GPS, leitores de MP3, luzes de LED, e câmeras digitais que usam carregador de 5V. O Magic Cube é um pequeno cubo de alumínio colorido, disponível em três capacidades: 6000 mAh, 9000 mAh, e 12000 mAh. o maior cubo, de 12000 mAh (US$ 110), permite carregar o iPhone em torno de 6 vezes em uma única carga. Já o Stone3 ($99.99) tem capacidade de 8400 mAh, fornecendo 10 horas de energia para o iPad. Site www.powerocks.com.

DC 08/01/2013  

Diário do Comércio

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you