Page 1

São Paulo, sexta-feira, 7 de junho de 2013

R$ 1,40

d sta /E ão

www.dcomercio.com.br

Jornal do empreendedor

ek us eD

dr

Ano 87 - Nº 23.888

An Co

Conclusão: 23h58

o úd

nte

'Economia medíocre' leva a The Economist a ironizar: Fica Mantega! Página 4

A bíblia dos mercados deplora que o Brasil esteja "atolando" e brinca: ao pedir a demissão de Mantega tornou-o "indemissível". Agora, pede: "Fica". Pág.15

Veja a alegria do deputado André Vargas (PT-PR) que, na ausência combinada do senador Renan Calheiros, promulgou emenda constitucional criando mais 4 TRFs, considerados um gasto desnecessário de R$ 8 bilhões/ano pelo presidente do STF. "Ele precisa de equilíbrio", disse Vargas sobre o ministro Joaquim Barbosa que, procurado pela imprensa, reagiu à quebra de um acerto contra os novos TRFs: "Who cares?" (Quem liga?, em inglês). Pág. 5

Daniel Teixeira/Estadão Conteúdo

Divulgação

Proibido para menores Um roteiro com pousadas de charme (como a Mauá, na foto) para celebrar o Dia dos Namorados. Boa Viagem, pág. 24 Divulgação

Reuters

Ônibus a R$ 3,20 põe fogo na Cidade Manifestantes contrários à nova tarifa enfrentam a polícia na avenida Paulista e no centro de São Paulo (foto). Bares e uma estação do metrô foram depredados. Pág. 9 Divulgação

Casal Putin aparece. Para se separar. O presidente russo e sua mulher há 29 anos, Lyudmila, foram juntos ao balé, uma raridade, só para anunciar que vão se separar. Pág. 8

Um jantar para os vinhos libaneses. Em São Paulo. Roda do Vinho, pág. 10.

ISSN 1679-2688

23888

Cinquentona que é puro veneno 9 771679 268008

'Vinho novo gotejará dos montes ...'

Lamborghini festeja meio século com carros-conceito. Egoísta está no museu. E cada Veneno (foto) foi vendida a R$ 9 mi. Pág. 23

O charme do grande Gatsby Leonardo Di Caprio e Carey Mulligan estreiam na nova versão do clássico de F. Scott Fitzgerald. Pág. 11


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Mais de mil novos municípios floresceram em terras tupiniquins em alguns poucos anos. José Márcio Mendonça

pinião

SXC

EYMAR MASCARO

O ROTO E O ESFARRAPADO

G

FESTA DO INTERIOR

S

e não aconteceu nada – entre a hora, na tarde de ontem, em que este comentário foi escrito e o momento em que ele é lido, nesta sexta-feira – o Brasil amanheceu em 7 de junho de 2013 com 5.565 municípios. Não parece um número excessivo, considerando a extensão territorial brasileira e o número de estados que temos. Em tese, uma desconcentração até permitiria melhor gestão. Não é o que ocorre no Brasil, entretanto, em razão de nossos imensos vícios políticos, além, naturalmente, da tendência histórica nacional, subtraída apenas em poucos momentos de nossa vida, de excessiva concentração de poder (e de dinheiro público, obviamente) em Brasília, em detrimento das outras unidades da federação. O resultado disso – e os números são de entidades ligadas aos próprios municípios – é que mais de 80% das prefeituras do País não têm condições de existência por seus próprios meios, dependendo do poder central para cumprir com mínima dignidade suas obrigações. Para fazer isso com objetivo, para valer, é preciso ter condições de atender bem seus cidadãos.

V

eja-se os prefeitos das capitais, mesmo o da rica São Paulo, constantemente mendigando migalhas de verbas federais para tocar os projetos mais comezinhos. A vida de chapéu na mão, por sinal, também é comum aos governadores. Essa situação, pode-se argumentar, é um problema ligado aos defeitos do nosso chamado pacto federativo, ou seja, as relações entre o três entes da federação brasileira: a União, os Estados e os muni-

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA cípios. E poderia ser corrigido com melhor a distribuição dos "direitos" ( arrecadação) e dos "deveres" (prestação de serviços à população) de cada um. A alegação é, pois, somente meia verdade – ou duas meias verdades.

D

e fato, Brasília fica com muito, e mesmo assim não dá conta de suas obrigações. Está sempre com déficit nas suas contas, e prefeitos e governadores ficam com a parte menor. Fazer uma redistribuição assim não resolve, porque, como se diz popularmente, será desvestir um santo para vestir outro. Aliás, quando se começa a falar muito, no mundo político e burocrático, em "rever o pacto federativo", é bom o brasileiro apegar-se a todos os santos possíveis: ele pode virar o pato que vai pagar o pacto com mais impostos nas costas. Em resumo: o Estado brasileiro é caro demais. Essa situação só tende a se agravar com a mania do brasileiro em criar novas unidades

federativas sem qualquer amparo na realidade social e econômica do País. Recentemente, graças um plebiscito, impediu-se a divisão do Pará em mais dois estados, proposta que já havia sido aprovada no Congresso. Imagine-se o que aconteceria: onde hoje há um governador, um Palácio, alguns deputados estaduais e federais, três senadores e alguns milhares de funcionários públicos, tudo seria multiplicado por três. E a ser sustentado com o mesmo dinheiro que hoje mal sustenta o Pará. Com que vantagens? Quase nenhuma. Este mal foi afastado, mas o risco permanece: ainda tramitam no Congresso Nacional oito propostas de criação de novos estados. Se a sociedade dormir, o bicho pega.

N

esta semana a Câmara botou outro bicho do mesmo teor em circulação. Aprovou projeto de lei – em cima de uma proposta que o Senado já havia aprovado – facilitando o processo de cria-

Quando se começa a falar muito em "rever o pacto federativo", é bom o brasileiro apegar-se aos santos: ele pode virar o pato que vai pagar o pacto com mais impostos nas costas.

ção dos novos municípios no País. O texto ainda voltará para os senadores darem a palavra final, pois foi modificado em parte pelos deputados. Mas ninguém duvide de que ele será aprovado. Para os parlamentares isso significa prestígio, formação de novos currais eleitorais, etc. E começa a festa: mais prefeitos, Câmaras, prédios, funcionários. A nova lei impõe algumas limitações para que um município novo tenha vida, mas nada muito rigoroso. E transfere a decisão para as Assembleias Legislativas – e estas são sempre as mais permissivas.

A

ntes da Constituição de 1988 já era possível criar novas prefeituras – e sempre se criou. Há casos em que há mesmo necessidade e não se pode impedir isso. Entretanto, não havia abusos, pois as autorizações tinham de vir do Congresso. No afã, legítimo por sinal, de diminuir a concentração de poderes em Brasília, os constituintes, entre outras providências, transferiram para os deputados estaduais a função de autorizar as novas prefeituras. Foi um " liberou geral". Mais de mil novos municípios floresceram em terras tupiniquins em poucos anos. No período de 1988 a 1966, passamos de cerca de 4 mil prefeituras para mais de 5 mil . Foi então que se resolveu fechar as portas para esta irresponsável festa do interior, retirando-se das Assembleias, em 1996, o poder de autorizar novas prefeituras. Agora, volta o festival. Preparem-se para um Brasil burocrático e político mais caro e não necessariamente mais eficiente. JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

eraldo Alckmin tem acusado o governo petista de Dilma Rousseff de não proteger as fronteiras do País, facilitando o contrabando de armas e drogas, que acabam sendo o principal agente na escalada da criminalidade nos estados. O governador paulista está correto na sua análise, mas o mesmo contrabando de armas e drogas correu solto nas fronteiras também no governo de Fernando Henrique Cardoso. PT e PSDB, portanto, são parceiros no fracasso quando se trata de equacionar uma política séria e eficiente de segurança do País e dos cidadãos. O tema da segurança pública será bandeira de campanha dos candidatos ao governo de São Paulo, em 2014. A criminalidade no estado atingiu um estágio insuportável, em que a população tem medo de sair às ruas até para ir trabalhar. A situação, no entanto, seria a mesma se no lugar do PSDB o estado fosse governado pelo PT, porque tucanos e petistas defendem a mesma tese implantada pelo ex-governador Franco Montoro de que, em primeiro lugar, devem ser preservado os direitos humanos dos presos. Deputados do PT e PSDB atuam na mesma linha no Congresso Nacional, colocando-se contrários ao endurecimento das penas aos criminosos e à redução da maioridade penal.

P

ara eles, o trombadão que tem 16 ou 17 anos, que mata, sequestra, estupra e põe fogo em pessoas vivas não pode cumprir pena na cadeia por ser menor de idade. Corre por aí a versão de que o endurecimento da pena não interessa aos advogados que defendem criminosos. Outro tema que servirá de bandeira na campanha será o descaso dos partidos com a saúde pública. Já no governo de FHC as televisões exibiam cenas chocantes de doentes esparramados pelos corredores dos hospitais, por falta de leitos. Muitos

desses doentes ficavam esquecidos nas macas ou deitados no chão. As mesmas cenas podem ser vistas hoje também no governo de Dilma Rousseff. Os tucanos vão explorar o filão da negligência governamental na hipótese do candidato do PT ao governo paulista vir a ser Alexandre Padilha, ministro da Saúde.

O

s petistas vão responder aos tucanos que também o ex-ministro José Serra – que o PSDB considera o melhor ministro da Saúde que o Brasil já teve – não conseguiu equacionar o grave problema nos hospitais que atendem pelo SUS. Alckmin é o candidato favorito para levar o PSDB a mais uma vitória em São Paulo. É possível que o governador tucano enfrente um outro candidato-poste

lançado por Lula, que seria o próprio Alexandre Padilha. O ex-presidente está convicto de que vai começar a campanha em São Paulo com milhares de votos já garantidos, que seriam de torcedores corintianos. Para as torcidas organizadas, é Lula quem está construindo o estádio do clube, o Itaquerão, que servirá de palco para o jogo de abertura da Copa do Mundo em 2014, ano das eleições. Caberá ao ex-presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, amigo do peito de Lula, convocar as torcidas organizadas do clube para captar votos para o candidato do PT, como fez na eleição para a Prefeitura paulistana, embora Fernando Haddad fosse um torcedor sãopaulino, como eu. EYMAR MASCARO É JORNALISTA E COMENTARISTA POLÍTICO MASCARO@BIGHOST.COM.BR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Marcus Lopes, Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Mário Tonocchi, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves e Sílvia Pimentel. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013

o

pinião

3

OS COMUNISTAS JÁ NÃO PRECISAM MAIS CAMUFLAR-SE, AGIR SOB MÁSCARAS IRRECONHECÍVEIS.

TINHA DE ACONTECER

A

maior, a mais profunda e aparentemente a mais irrev o g á v e l c o n s equência da dissolução do Império Soviético foi esta: como agora o comunismo não existe mais, qualquer um está livre para defender as mesmas políticas que os comunistas defendiam, impor os mesmos controles sociais que os comunistas impunham, atacar e denegrir as mesmas pessoas e valores que os comunistas atacavam e denegriam, cultuar e enaltecer os mesmos ídolos que os comunistas cultuavam e enalteciam, tudo isso sem jamais poder ser chamado de comunista. Os comunistas, é claro, sempre gostaram de camuflar-se, de agir sob mil máscaras irreconhecíveis. Mas agora já não precisam disso: são os seus inimigos que os camuflam, que os escondem, por medo, por terror pânico de parecer saudosistas da Guerra Fria ou "extremistas de direita" (sabendo-se que hoje em dia tudo o que esteja à direita do centro-esquerda é extremismo). Em vez de um comunismo que não ousa dizer seu nome, temos agora um comunismo do qual os adversários não ousam dizer o nome.

T

ão intenso é entre liberais e conservadores o temor de pronunciar a palavra proibida, que qualquer semi-analfabeto de plantão numa cátedra universitária, com um retrato de Che Guevara na camiseta e o livrinho dos pensamentos do presidente Mao no bolso, estourando de orgulho por ter ajudado a matar cem milhões de pessoas, pode se alardear comunista no horário nobre e em cadeia nacional, seguro de que todo mundo verá nisso nada mais que um modo de dizer, uma graciosa hipérbole usada pour épater le bourgeois por um bom menino que, no

OLAVO DE CARVALHO

fundo do seu coraçãozinho, não é comunista de maneira alguma (ver, como exemplo, o site http://www.cdc.ufop.br/). Foi assim que, sob a proteção de uma densa e bem articulada rede de proibições linguísticas e inibições mentais, o movimento comunista chegou a dominar quase todo o cenário político latino-americano, a controlar todos os países da Europa Ocidental por meio de um grupo de burocratas jamais eleitos, a retomar o poder em várias nações recém egressas do comunismo e até a colocar um dos seus mais devotos servidores na presidência dos EUA – enquanto todos os que viam isso acontecer temiam que, se dissessem que estava acontecendo, soariam tão antiquados quanto um deputado da UDN, tão malvados quanto um torturador fascista ou tão lou-

cos quanto o mais inventivo "teórico da conspiração". Como foi possível que transformação tão vasta, tão rápida e – em aparência – tão paradoxal viesse a suceder? Como foi possível que, à queda fragorosa de um regime falido e reconhecidamente criminoso se seguisse, não o debilitamento ou extinção da corrente política que por toda parte o sustentava, mas sim, ao contrário, a sua ascensão espetacular à posição de ideologia mundial dominante e, graças à proibição de nomeá-la, inatacável?

S

ó faço essa pergunta por caridade para com a burrice alheia, para com a indolência mental e a covardia moral daqueles que hoje, somente hoje, começam a suspeitar de algo que já estava óbvio e patente nos primeiros anos da década de 1990. Ób-

vio e patente, é claro, para quem observa, estuda, investiga e busca a verdade no meio da confusão; não para aqueles que se sentem tranquilos e seguros de si porque assistiram ao Jornal Nacional ou leram a Folha de S. Paulo.

H

oje, aos 66 anos de idade, faltando apenas dois para completar meio século de jornalismo, estou definitivamente persuadido de que qualquer cidadão que tenha sua principal ou única fonte de informações na mídia popular – chamada "grande", talvez, apenas pela dimensão das suas dívidas ou das suas negociatas com o governo –, é um bocó de mola incurável, um cretino desprezível cuja opinião não vale o bafo que a expele. Vendo o sucesso mundial do comunismo sem rosto, não ca-

be perguntar: "Como isso aconteceu?" e sim: "Como poderia não ter acontecido?" Imaginem se, finda a 2ª Guerra, derrubado o governo do Führer, ninguém movesse uma palha para punir os crimes do regime extinto e expor ao mundo o horror da ideologia que os produzira, mas, ao contrário, todo mundo tratasse de silenciar a respeito "para não reabrir velhas feridas" e deixasse os altos funcionários nazistas nos seus lugares, enriquecidos pelo rateio dos bens do Estado e livres para circular pelo mundo como honestos e bem-vindos investidores? Quem não vê que em dez anos o nazismo estaria de volta sob outro nome, talvez "Poderíamos ter vencido o comunismo em 1991", disse Vladimir Bukovski, "mas para isso precisaríamos de um novo Tribunal de Nuremberg".

N ã o h o u v e t r i b u n a l n enhum. Mutatis mutandis, de que serviu abortar em 1964 o golpe comunista que se preparava no Brasil, se em seguida o novo regime, em vez de educar a população contra o comunismo, preferiu se embelezar com as pompas da "neutralidade ideológica" e do "pragmatismo" e só combater os comunistas seletivamente e na sombra, como que envergonhado de antemão pelos crimes que essa escolha imbecil o levaria quase que inevitavelmente a cometer?

P

ior ainda, de que adiantou bloquear o avanço dos comunistas se em seu lugar se instalou no governo um autoritarismo tão centralizador quanto o deles, substituindo a elite iluminada vermelha por uma elite iluminada verde-oliva, tão ciumenta das suas prerrogativas ao ponto de excluir da política os líderes conservadores mais populares, preenchendo os seus espaços com os mais medíocres e subservientes, para os quais o posto de meros carimbadores de decretos era até uma honra insigne? Como seria possível, aqui e no resto do mundo, que o que aconteceu não acontecesse? OLAVO DE CARVALHO É ENSAÍSTA, JORNALISTA E PROFESSOR DE FILOSOFIA

SXC

C

om o "fator Neymar", a Moça dá um tapa na cara dos pessimistas de plantão, que viviam acusando a política de exportações de fracassada. Com a luz não tem escuridão, tem eleição; 2014 já começou faz um tempão; agora vemos liberados outros Bi e Meio para mais uma vez adoçar o bico da base comprada. A Criatura aprendeu tudo do pouco que sabe com o seu Criador. Mudou-se do Palácio da Alvorada para o palanque, de onde faz despachos 24 horas por dia, todos os dias e não só nas sextas-feiras. Faz despacho nas esquinas: galinha preta, farofa, marafo 51 da escolha do Pai de todos os Pais de Santo e charuto baiano de maus bafos. Recebe o Santo e vira cavalo de São Jorge, que aceita trabaio da zifia marquiççista para se vingar de quem o derrubou do cavalo branco, que montava quando aniquilava o Dragão da Oposição. (Dragão ? Minhoquinha. Oposição ? Oposicinha). Desde Lúcifer, estilista criador e lançador da moda, não há na história da humanidade nenhum registro de Criatura que não tenha se virado contra o seu Criador. Se houver, esqueci, sorry.

O

s sequazes do Criador já se organizam com a palavra de ordem espalhada boca a boca ; "2014 Lula-lá", fingindo que não estão no ataque – estão. A Criatura, em pretensa legítima defesa – ataca. Ambos jogam jogo semelhante: "A melhor

defesa é o ataque". A Criatura convoca suas hordas. "Pibinho de 0,6%" agora é Pibão; "Apagão" agora é Apaguinho; a cumpanheradinha dela tem que orar por esse Catecismo. Haveria cizânia em andamento ? Sei lá. Follow the moneypra saber em qual bolso isso vai parar. Pra apagar a má imagem do "Apagão" e transformá-lo em Apaguinho, diz que vem aí a Bolsa-Luz, rebatizada "desconto de 16% na conta de luz".

TIA DILMA SÓ VAI DAR A LUZ EM 2014 NEIL DIÓGENES FERREIRA

V

em quando ? Vinha na eleição de Brefeito pra iluminar a cambanha do brimo Haddad. Não veio. Engambelou quase todo mundo. Acho que o tal desconto vai pra São Nunca, como foi a investigação da Rosegate. Quem souber quando vem, tanto um quanto a outra, acenda a luz pra mim por favor. Em 2012, a Imperatriz prometeu com todas as pompas e circunstâncias que ia dar a luz (não escrevi "dar à luz"); só não levou no beiço quem não é analfabeto funcional, ente subversivo que entende o quê lê e sofre por isso. Como disse o sábio Millôr, "em terra de cego quem tem um olho errou". Erramos e sofremos; poderíamos ser mais felizes se não enxergássemos tudo isso que está aí. Uma Copa das Confederações, uma Copa do Mundo e uma Olimpíada, pagas por quem paga impostos, uns 20% de corrupa já incluídos, mais umas talagadas de marafo 51 e tudo irá bem, no

melhor dos mundos. O anúncio saiu bombástico: "16% a menos na conta de luz", trombetearam as trombetas chapas-brancas e as manchetes dos jornais de chapas igualmente lavadas com Omo. "Da Escuridão far-se-á a Luz", reza o Livro Sagrado. "Fiat lux " afirma-se que Deus disse em latim castiço. "E la luce fu fatta", teriam completado em italiano nada castiço todos

os Anjos e Santos. Sumirão os "gatos" dos postes de eletricidade, tudo será banhado pela luz da EletroBaulo Maluf; os excluídos serão iluminados, prometeram. "De Poste em Poste eçepaíz será iluminado", decretou o Rei do Mundo, referindo-se aos Postes Municipais e à sua Posta Federal, gozando com a cara da gente. Um dia a gente pega o Cara na curva.

Um dia destes um desses grandões da Economia, acho que do Banco Central, teria falado mais ou menos assim: "O desconto na conta de luz poderá ser de 6%" pra comemorar o Pibão de 0,6%, esquecendo os 16% . Em 2012 teve eleição, a notícia do desconto na conta de luz fez todo mundo feliz, até eu que não acredito nesse governo; mas nada me surpreende. Bem na moita, sem trombetas e isso também por causa da eleição, lá bem no fundão dos jornais, corpo 6, que não enxergo, o cochicho: a bondade vai ficar para 2013, os 16% vão ser "dados" sim. Duvido, 2013 não tem eleição.

C

omo "eçepaíz" não é pra principiantes , sou p*** velha, 70 anos de janela, antecipo sem peso na consciência, me cobrem se eu der bola fora. Em 2013 teremos outro anúncio, com as trombretas oficiais trombeteando, as manchetes dos jornais amansados mancheteando: "16% de desconto na conta da luz em 2014".

E

m 2014, as eleições serão brabas – Presidente, Governador, Senador. O foguetório explode em sons e cores, os mesmos 16% de 2012 e 2013 serão reciclados e a Madama vai prometer de novo e de pés juntos que dará a luz com desconto na conta da luz, pra iluminar a eleição de 2014. Dará?. Se a Moça aprendeu na escola do Promessão, babau; a Rapariga dará a desculpa de que o Boto Tucuxi faiô nu sirviço e num vai dá pra dá luz. O desconto vai dormir na gaveta em que dormem o "Fome Zero", PAC", "Minha Casa Minha Vida", as "Seis Mil Creches", a "Transposição do rio São Francisco", e outras enganações de igual, menor e maior naipe. Acho que hoje tô mais confuso do que o normal, dá licença. Vou olhar o Reinaldo Azevedo pra saber que dia é hoje. NEIL FERREIRA É PUBLICITÁRIO


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

O que Daniela Mercury e MAIS: lá, aparece uma sua esposa Malu Verçosa ainda não conseguiram fazer na televisão, virou ensaio na revista TPM.

gibaum@gibaum.com.br

verdadeira festa de beijos na boca entre elas. Um trailler, aliás, foi dado pelas moças na Parada Gay paulista.

2 “Estamos sendo mortos nas ruas enquanto o governo discute sobre um Mania de excessos emprego.”

CLÁUDIO LEMBO // ex-governador de São Paulo, alfinetando Geraldo Alckmin sobre a polêmica em torno do ministro e vice-governador Guilherme Afif Domingos.

Fotos: Carol Mendonça

A ministra Miriam Belchior, do Planejamento, garante que não tem nada a ver com liberação de emendas parlamentares num total de R$ 1 bilhão, conforme negociação feita durante a novela da MP dos Portos na Câmara. Não faz nenhum cronograma de pagamento porque acha que é a ministra Ideli Salvatti, das Relações Institucionais, é que deve fazer, conforme negociações em andamento. Gleisi Hoffmann também jura que não se mete nessa história: quer ficar um tempo distante dos congressistas. Detalhe: mesmo se Ideli combinar qualquer coisa com parlamentares, quem tem a caneta é a ministra Miriam Belchior, dependendo dos recursos.

VAI SOBRAR A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis começa a ficar preocupada com a possibilidade de que os novos 12 mil quartos que o Rio ganhará por conta dos Jogos Olímpicos 2016, venham a sobrar. A uma semana da Copa das Confederações, a ocupação da hotelaria carioca está em 58%, podendo crescer apenas um pouco mais. Em junho de 2012, com a Rio+20, chegou a 75%. Também a proximidade da Jornada Mundial da Juventude não anima a hotelaria: estimava-se que chegariam ao Rio 2,5 milhões de peregrinos e as novas estimativas giram em pouco mais da metade disso.

Amigo de Lula O futuro ministro do Supremo, Luis Roberto Barroso, que assumirá vaga de Ayres Britto, conta aos mais chegados que, caso seu nome tivesse chegado antes aos jornais, provavelmente ele, mesmo com grandes chances, não teria sido o escolhido. Amigo do ex-presidente da Alta Corte, Sepúlveda Pertence, Barroso também é amigo de Lula. No ano passado, quando teve diagnosticado um tumor primário no esôfago, Luis Roberto foi tratado pelo oncologista Paulo Hoff, o mesmo que cuidou de Lula e de Dilma Rousseff. Na época, encontrou-se, no SírioLibanês, em São Paulo, diversas vezes com o ex-presidente.

ESTRÉIA A britânica Cara Delevingne, que ganhou o rótulo de “modelo do ano”, em 2012, no Reino Unido, será fotografada, na semana que vem, para a marca nacional Bo.Bô, em South Hampton, lugar de milionários vizinho a Nova York e deverá vir a São Paulo no segundo semestre. O fotógrafo será Jacques Dequeker. Ela tem 21 anos de idade e sua marca registrada são as sobrancelhas grossas e escuras, contrastando com os cabelos louros. Amiga de Rihanna, até há pouco tempo, era considerada namorada da cantora Rita Ora.

Organizada pela Associação dos Cônsules do Brasil (Aconbras), no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo, foi palco, esta semana, de noite de gala em beneficio do Projeto Padarias Artesanais, do Fundo de Solidariedade do Estado. O salão nobre da sede do governo paulista acolheu mesas e uma verdadeira legião de convidados prestigiava a iniciativa. Entre tantos, da esquerda para a direita, Marlene Nicolau, presidente da rede de escolas Microcamp em São Paulo (doou 10 padarias ) ao lado do governador Geraldo Alckmin; a primeira-dama Lu Alckmin, junto com Nadia Locanto, diretora da Aconbras; Claudia Raia e o namorado, Jarbas Homem de Mello; e Cozete Gomes, ex-Mulheres Ricas .

Noite de gala

A nova edição da revista Adusp, da Associação dos Docentes da USP, abre fogo, com direito a foto dele na capa, contra o secretário da Saúde de São Paulo, Giovanni Guido Cerri, o doutor Guido, acusando-o de ser protagonista de situação pouco recomendada no governo de Estado. Hoje, fundações privadas, consideradas de apoio, atuam no setor da saúde. Duas delas, a Fundação Faculdade de Medicina (FFM) e Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), transformadas em “organizações sociais”, respondem, ao lado da Santa Casa de Misericórdia, pela maior parte dos contratos de gestão que privatizam a saúde publica em São Paulo. Detalhe: Guido Cerri, secretário da Saúde, é presidente da FFM. Licenciado.

Doutor Guido

COM JEGUE Antonia Fontenelle, com suas fotos toda nua, garante que “vai entrar na história de Playboy ”, especialmente porque exibirá derrière sem celulite. Aos 40 anos, pretende mostrar, aos 60 anos, a revista aos netos e dizer: “Olha como sua avó era gostosinha”. Com o dinheiro do cachê, “vou construir poços artesianos no Nordeste e fazer em Sucupira (cidade imaginária da novela O Bem-Amado ) uma estátua de um jegue comigo montada em cima”.

MISTURA FINA QUEM diria: o cantor e ex-vereador Agnaldo Timóteo foi a Brasília, esta semana, participar da passeata contra o casamento gay.

A PROPOSTA é do deputado Domingos Dutra (PT-AM), que foi relator da CPI do Sistema Carcerário e se for aprovada sem alterações no Congresso Nacional, os mais de 500 mil presos terão uma data para chamar de sua. Entre diversas medidas do texto que quer implementar o Estatuto Penitenciário Nacional, está a criação do Dia Nacional do Encarcerado, que vigorará no calendário em 25 de junho. Resta saber quem vai comemorar. No bloco dos mensaleiros condenados, ninguém quer saber.

Ninguém resiste à onda de nudez que assola o país (e o mundo): agora, sem roupa, a apresentadora Luciana Gimenez é capa e recheio da nova edição de Shape, revista dedicada à saúde e boa forma. Aos 43 anos e mãe de dois filhos, Luciana, mantém o corpo mais do que sequinho. “Amo ser magra e não escondo isso de ninguém. Só que confesso que não é fácil, não”. Entre os truques que usa para manter o corpão, estão o suco detox e muitas sopas, musculação, transport, bike e ioga.

Ninguém resiste

Paladar apurado Nada de vinhos (nem Romanée Contii), cervejas ou cachaças: nos últimos tempos, o ex-presidente Lula só gosta mesmo de beber Johnnie Walker rótulo azul, envelhecido 21 anos (já existe uma geração envelhecida 30 anos). O Blue Label custa, entre nós, em média, R$ 670 a garrafa. Quem quiser fazer a alegria do ex-chefe do Governo, quando for encontrá-lo no instituto Lula, em São Paulo, é só levar uma debaixo do braço. Nos finais da tarde e igualmente em seus vôos internacionais, é a bebida que ele mais aprecia. Pessoal do corpo diplomático em Nova York até avisou Larry Rohter da nova preferência, na eventualidade de qualquer matéria que ele venha fazer.

/ IN

Luvas de couro.

/

Comigo, não

São Paulo assiste a uma verdadeira epidemia de mansões elevadas, concentradas em prédios luxuosíssimos, com área média de 800 metros quadrados e grande contingente de seguranças. Nesses dias, um edifício quase concluído, na rua Artur Ramos, perto da Faria Lima, futuros moradores resolveram considerar que nove vagas por apartamento eram poucas. Decidiram aumentar, usando o subsolo de área de lazer, as vagas, totalizando 12 por apartamento. De quebra, 35 outras para visitas. Na rua Haddock Lobo, em outro edifício do gênero, despesas de condomínio variam em torno de R$ 10 mil mensais.

OUT

Luvas de lã.

Livre,leve e solta As revistas semanais, que já denunciaram um esquema de consultoria conjunta entre Erenice Guerra e José Dirceu, estão preparando nova investida contra a ex-chefe da Casa Civil e pessoa muito ligada a Dilma Rousseff, que deixou o Planalto debaixo de uma série de denúncias. Ela tem sido vista (e foi fotografada à distancia) circulando, sem maiores problemas, pelas dependências do mesmo Palácio do Planalto: conversa com funcionários e teria mantido encontro mais reservado com um dos ministros integrantes do principal núcleo do governo.

ATÉ ÍNDIOS têm tratamento diferenciado: nesses dias, os da etnia Munducuru, que estão à frente das invasões ao canteiro de obras da Usina de Belo Monte e que se encontraram em Brasília com o secretário-geral da Presidência, Gilberto Carvalho, foram para lá a bordo de avião da FAB. Já os Terenas, viajaram de ônibus mesmo, pagando do próprio bolso.

O ROMANCE entre Sharon Stone e o modelo Martin Mica, argentino que mora em Camboriu, em Santa Catarina, acabou mesmo e o novo eleito seria o hotelier de South Hampton, Michael Wudyka.

NOTA publicada, há dias, sobre Ângela Leal, protagonista de Dona Xepa, informava que ela “havia passado fome e morado em barraco” há tempos, além de ter sido babá aos 9 anos. Por erro de edição, saiu misturado texto de outra pessoa.

O FAMOSO livro de SaintExupery, O Pequeno Príncipe, leitura favorita das misses, vai virar desenho animado, com direção de Mark Osborne. E já estão sendo escolhidas as vozes dos personagens: entre os mais cotados, Jeff Bridges, Marion Cottilard, Benicio del Toro, Rachel Adams e outros.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

sexta-feira, 7 de junho de 2013


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013

5 FERIADOS PARA A JORNADA A Câmara do Rio aprovou, por 33 votos a 5, os quatro feriados previstos para a Jornada Mundial da Juventude – 23, 25, 26 e 29 de julho.

olítica

Congresso bate o martelo: quatro novos tribunais. E Substituto do presidente do Congresso realiza sessão que aprova PEC criando quatro tribunais regionais – apesar de o presidente do STF ter argumentado que os eles são desnecessários e aumentarão os gastos do Judiciário em R$ 8 bilhões ao ano, sem desafogar a Justiça Federal.

k/Estadão

Conteúdo

André Vargas, o substituto, aproveita a viagem de Renan para arrematar costura alinhavada pelos dois.

Renan tenta justificar a aprovação

E

Barbosa: 'Who cares?'

D

epois de trabalhar para que não fosse promulgada a emenda constitucional que cria mais quatro TRFs (Tribunais Regionais Federais), o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa desdenhou a promulgação do Congresso ontem: "Who cares? (Quem liga?) Nada a dizer."

Nos congressistas cabe a alta responsabilidade de legislar. MARCUS VINÍCIUS FURTADO Já para o deputado André Vargas (PT-PR), presidente do Congresso em exercício, a promulgação da emenda constitucional que cria mais quatro tribunais regionais federais não deve abrir crise com o STF. Minimizou a posi-

ção de Barbosa, às novas cortes e ainda recomendou mais cautela ao ministro. "Não acredito em crise (com o Judiciário) até porque não vamos levar em conta apenas as declarações do presidente do STF. Ele precisa ter mais equilíbrio porque representa um poder, portanto, entendemos que e o plenário do Supremo que nos interessa." Vargas disse que a Justiça tem orçamento para implementar as novas cortes, que devem ser efetivadas em seis meses, e que não se trata de politizar a justiça. "O pleno vai entender que não se trata de embate político, mas ampliação do acesso à Justiça". A FAVOR – A vice-procuradora-geral da República, Deborah Duprat, que ocupa lugar de Roberto Gurgel, em viagem oficial à Espanha, defendeu a criação dos TRFs. "Eu concordo. Eu já disse isso publicamente. Eu acho que a criação dos TRFs é um desdobramento da interiorização da Justiça Federal." Deborah Duprat afirmou ainda que se depender dela a emenda não será questionada no Judiciário.

Joel Rodrigues/Estadão Conteúdo

Crítico ferrenho da ideia, presidente do STF não encontra respaldo no Congresso. Nem na própria Casa.

Joel Rodrigues

m mais um sinal de animosidade com a cúpula do Judiciário, o Congresso promulgou ontem emenda constitucional criando quatro tribunais regionais federais no País. A validade do texto levou dois meses para ser confirmada pelo Legislativo e só foi possível por uma manobra planejada pelo vice-presidente do Congresso, deputado André Vargas (PT-PR). Ele assumiu na noite de quartafeira, interinamente, a presidência do Congresso no lugar do senador Renan Calheiros (PMDB-AL), em viagem oficial a Portugal. Vargas realizou uma sessão na manhã de ontem para assinar a proposta, que corre o risco de ser questionada na Justiça por senadores que alegam inconstitucionalidades na medida por não ter sido uma iniciativa do Poder Judiciário. A demora na promulgação foi provocada por um movimento do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, que procurou o comando do Congresso na tentativa de evitar a votação da proposta. O ministro argumenta que os novos tribunais aumentarão os gastos do Poder Judiciário em até R$ 8 bilhões por ano, sem acabar com o excesso de processos que congestiona a Justiça Federal. Crítico feroz da criação de novos tribunais, Barbosa chegou a acusar magistrados de agirem de forma "sorrateira" para aprová-la no Legislativo. Em agrado a Barbosa, Renan afirmou em abril que não iria promulgar a emenda devido a "problemas técnicos", que poderiam provocar sua anulação na Justiça. Pressionado por associações de magistrados e políticos dos Estados que irão sediar os novos tribunais, Renan deixou nas mãos do vice o desfecho para os novos tribunais. A confirmação da emenda foi costurada entre os dois. Vargas negou que a medida seja uma manobra e que o Parlamento brasileiro está em "sintonia" sobre a necessidade de ampliar o número de cortes. Como seu reduto político também é beneficiado pela medida, o petista disse que essa não é uma "causa regional, mas nacional". A emenda cria tribunais com sedes em: Paraná, Minas Gerais, Bahia e Amazonas. Hoje, há 5 tribunais regionais federais em Brasília, São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Rio Grande do Sul. Segundo juízes e procuradores que defendem a ampliação dos tribunais, a ideia é desafogar a Justiça Federal, principalmente o TRF da 1ª Região, responsável por 13 estados e pelo DF. Pela proposta, 6 Estados que hoje estão vinculados a esse tribunal passarão a fazer parte de outras 3 regiões: Minas Gerais, Bahia, Amazonas, Acre, Rondônia e Roraima.

André Duse

Não poderia, eternamente, adiar ou cancelar compromissos. RENAN CALHEIROS A vice-procuradora discorda do argumento segundo o qual a proposta de emenda teria de ter partido obrigatoriamente da Justiça. "O poder de iniciativa do Judiciário é com relação a leis, não emenda constitucional." O ministro Marco Aurélio Mello afirmou que "há uma celeuma" quanto à forma pela qual os tribunais foram criados, por meio de emenda constitucional. "Há tribunais sobrecarregados, sem dúvida alguma. Vou citar dois exemplos: TRF 1, em Brasília, e o TRF 3, em São Paulo." Indagado se

o valor não é muito alto, ele respondeu: "A paz social não tem preço." Os presidentes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinícius Furtado, e da Associação dos Juízes Federais (Ajufe), Nino Toldo, também defenderam a legalidade da emenda constitucional promulgada pelo Congresso Nacional. INCONSTITUUCIONAL? – Em discursos no plenário do Senado, Furtado e Toldo alegaram que não tem razão quem questiona a inconstitucionalidade da emenda por ela ter sido apresentada pelo ex-senador Arlindo Porto. Há quem questione se a proposta teria de ter partido do Superior Tribunal de Justiça, a que, em tese, cabe se pronunciar sobre a organização da Justiça Federal. Os dois disseram que, se alguém pedir ao STF a nulidade da chamada PEC dos tribunais, terá de fazer o mesmo contra a emenda constitucional que criou no final de 2004 os conselhos nacionais de Justiça (CNJ) e do Ministério Público (CNMP). "Não faz o menor sentido essa alegação de vício de iniciativa", criticou Furtado.

m nota divulgada ontem, o senador Renan Calheiros (PMDB-AL) reiterou que não promulgou a emenda constitucional que cria quatro novos TRFs (Tribunais Regionais Federais) porque há um "erro formal" no texto, com divergências entre a proposta aprovada pela Câmara e Senado. A nota tenta justificar a promulgação da emenda pelo presidente em exercício do Congresso, deputado André Vargas (PT-PR). "A opção de não promulgar a emenda constitucional que criou quatro novos TRFs decorreu do entendimento de que a proposta contem erro formal, suscetível de questionamentos jurídicos, já que o texto aprovado pela Câmara dos Deputados sofreu alterações substanciais em relação ao que foi enviado pelo Senado Federal" e continua: "Não poderia, eternamente, adiar ou cancelar compromissos oficiais em virtude desta emenda." Representantes de entidades de magistrados afirmaram que o presidente do STF , Joaquim Barbosa, tem que se declarar impedido de julgar o caso – se chegar à análise do Supremo. Para o presidente da Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), Nino Toldo, é praxe no tribunal os ministros que já fizeram manifestações públicas sobre temas em análise da corte não participarem de julgamentos. "Se essa questão for levada ao STF, acho que ele é suspeito para julgar o caso. Como ele já emitiu juízo de valor sobre essa questão, ele não pode julgar essa causa." Congressistas afirmam que há "vício de origem" na proposta, que deveria ter sido sugerida pelo STJ, e não por parlamentares. Há também o argumento de Renan, de que o texto é inconstitucional por haver divergências entre o texto aprovado pela Câmara e o do Senado. Os dois argumentos podem levar a questionamentos da proposta no STF. Toldo negou que as novas cortes tenham sido criadas por interesses corporativistas e sustentou que a defesa a ampliação dos TRFs é uma "causa do povo". O presidente da OAB, Marcus Vinícius Furtado, fez coro. defendeu a legitimidade do Congresso em ampliar as cortes.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sexta-feira, 7 de junho de 2013

olítica

Mais direitos aos domésticos Comissão mista aprovou relatório do senador Romero Jucá (PMDB-RR) que, entre outras coisas, reduz alíquota patronal do INSS. Texto segue para o Senado.

O

Joel Rodrigues/Frame/Estadão Conteúdo-23/05/2013

Congresso deu ontem o primeiro passo para regulamentar a emenda constitucional que amplia os direitos dos trabalhadores domésticos. A comissão de deputados e senadores que discute o tema aprovou relatório do senador Romero Jucá (PMDB-RR) que reduz alíquota patronal do INSS e impõe novo formato para o pagamento da multa para demissões sem justa causa. A proposta ainda precisa ser aprovada pelos plenários do Senado e da Câmara para entrar em vigor. A expectativa é que os senadores analisem o texto na semana que vem. "Foi um processo construtivo, ouvimos todos os segmentos e construímos uma proposta que é a síntese do que deseja a família brasileira", afirmou Jucá. O Congresso promulgou no início de abril a emenda constitucional que ampliou os direitos dos trabalhadores domésticos, mas diversos pontos precisam de regulamentação para entrarem em vigor – o que ocorrerá com a aprovação do projeto de Jucá. Pela proposta, os empregadores terão de pagar uma contribuição de 11,2% sobre o valor do salário do empregado ao FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço). Desse total, 3,2% serão direcionados ao pagamento de adicional que o trabalhador poderá sacar em caso de demissão sem justa causa. Nos casos de demissão por justa causa, ou se o trabalhador pedir demissão, o empregado terá direito a receber de volta o adicional pago. A proposta também cria o Redom, programa de refinanciamento de dívidas de emprega-

O senador Romero Jucá (PMDB-RR), autor do projeto de lei que regulamenta o trabalho doméstico: "Ouvimos todos os segmentos". dores com o INSS para incentivar a regularização de domésticos sem carteira assinada. O projeto reduziu de 12% para 8% o percentual patronal do INSS e manteve entre 8% e 11% a fatia dos empregados, de acordo com sua faixa salarial. BANCO DE HORAS – Jucá também estabeleceu um banco de horas para compensar as horas extras trabalhadas com outras não trabalhadas. O relator estabeleceu regra que obriga o pagamento em dinheiro de pelo menos 40 horas extras trabalhadas pelo empregado no

Demóstenes: mais 60 dias de afastamento.

O

Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) decidiu manter o afastamento do procurador de Justiça e senador cassado Demóstenes Torres de suas funções no Ministério Público de Goiás por mais 60 dias. A decisão, de 28 de maio, é da relatora do caso no CNMP, Claudia Chagas. Demóstenes era promotor e procurador de Justiça em Goiás antes de eleger-se senador.

mês. Além desse limite mínimo, as horas extras podem ser computadas no banco de horas e compensadas, com folgas, em até um ano. A regra proposta permite que, dentro do mês, horas extras trabalhadas em um dia sejam compensadas com jornada menor em outro. Ou seja, as horas extras que terão de ser remuneradas ao final do mês são aquelas que não foram compensadas dentro do período. MUDANÇAS – O senador fez uma série de adequações na proposta para atender os pedi-

Voltou ao cargo após julho de 2012, quando foi cassado, sob a acusação de beneficiar negócios do empresário Carlinhos Cachoeira. Esse não é o primeiro afastamento de Demóstenes depois de ele reassumir o posto de procurador. Sua remoção anterior perderia a validade em 1º de junho. O ex-senador está afastado do Ministério Público desde o ano passado, mas continua recebendo. Em maio, sua remuneração bruta, contando salário e outros rendimentos, superou os R$ 40 mil. Neilton Cruvinel Filho, advogado de Demóstenes, não respondeu à reportagem.

Reunião Plenária (informações, debates e busca de soluções) TEMA:

“DESAFIOS DA SEGURANÇA PÚBLICA” PALESTRANTE:

Fernando Grella Vieira Secretário de Estado de Segurança Pública

Dia: 10 de junho de 2013, segunda-feira Horário: 17 horas Local: Rua Boa Vista, 51 - 9º andar - Centro - SP Assista ao vivo no site: www.acsp.com.br (clique no banner WebTV ACSP)

dos de mudanças dos sindicalistas e congressistas ao texto. A comissão aprovou o projeto por unanimidade, de forma simbólica, mas alguns parlamentares prometeram apresentar emendas durante a discussão em plenário. O deputado Miro Teixeira (PDT-RJ) ameaçou votar contra o projeto na comissão se Jucá não retirasse artigo que regulamenta a atuação de fiscais de trabalho nas residências para acompanhar a jornada das domésticas. Para viabilizar a aprovação, Jucá retirou o artigo do

texto e disse que seguirá a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho) em relação à questão da fiscalização. Apesar da pressão dos sindicalistas, Jucá manteve o fim do pagamento da contribuição sindical para os domésticos . O relator ainda fez mudanças de redação, a pedido da Justiça Trabalhista, e detalhou questões como fixar o prazo máximo de dois anos para a contratação de domésticos de forma temporária – nos moldes previstos pela CLT. Também proibiu a contra-

tação de menores de 18 anos para a realização de trabalho doméstico e incluiu os feriados como dias de descanso da categoria, e trocou a expressão "banco de horas" por "compensação de horas" – embora a essência de compensações de horas trabalhadas seja a mesma. "O banco de horas é fruto de acordo coletivo entre sindicatos de empregados e empregadores. Como não vamos ter sindicato de empregadores, isso fugiria à questão técnica. Como é uma mudança de nomenclatura, mas está mantido o espírito da compensação, nós fizemos a mudança", explicou. FÉRIAS – O novo relatório estabeleceu que o período das férias dos domésticos não poderá mais ser dividido em três partes, como previsto na proposta preliminar de Jucá. O texto seguirá o mesmo modelo já adotado pela CLT, em que o trabalhador pode dividir as férias em até duas partes. No caso dos domésticos, uma das partes não poderá ser inferior a 14 dias corridos. O projeto ainda classifica como diarista os domésticos que trabalharem até duas vezes por semana. Acima desse período, fica configurado o vínculo empregatício. Também será criado o SuperSimples para reunir as contribuições no INSS, FGTS e seguro por acidente de trabalho em um único boleto bancário, que será impresso pelos patrões em site a ser disponibilizado pela Receita Federal. O projeto obriga os empregadores a fornecerem cópia do pagamento aos empregados. (Folhapress)

PEC 37 no dia 26. Promessa de Alves.

O

presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), disse que a proposta alternativa ao texto que retira poderes de investigação do Ministério Público (MP) precisa ser finalizada até o dia 18 deste mês, já que no dia 19 será apresentado aos líderes partidários para ser votado no dia 26 pelo plenário da Casa. A 12 dias do prazo final para entregar à Câmara dos Deputados o projeto, policiais e procuradores ainda não entraram em consenso. O impasse é a exigência para que o MP tenha que pedir autorização às polícias Civil e Federal para investigar. A medida enfrenta resistência dos procuradores e promotores sob o argumento de que já existe um acompanhamento judicial das medidas. O grupo de trabalho apresentou alternativo à PEC 37 a Henrique Eduardo Alves mas o ão foi divulgado. Há entendimento que o MP poderá participar extraordinariamente das investiga-

André Dusek/Estadão Conteúdo

Eduardo Alves (dir.): "Vamos votar dia 26, mesmo sem consenso". ções. As situações ainda serão discutidas. Uma delas seria quando houver risco de comprometimento de provas, como inércia nas investigações. A proposta também deve estabelecer prazos para as investigações do MP. A ideia em discussão é que se siga o mesmo modelo das polícias – ou seja, 30 dias prorrogáveis. Atualmente, não há prazo para procuradores terminarem suas ações.

Ataque de Afif? Alckmin não comenta.

O

governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), se a recusou comentar a crítica que seu vice e ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos (PSD), fez sobre o processo do qual é alvo na Comissão Geral de Ética Pública do Estado. O colegiado, subordinado ao governador, apontou anteontem ser "indevido" e "inconveniente" o acúmulo dos cargos de vice-governador e ministro do governo federal por Afif. Ele reagiu com uma nota em que sugeria que tal "inconveniência" só existiria para o PSDB, partido de Alckmin, e não para o País. "Não tenho nenhum comentário em relação a isso", disse Alckmin. O governador, que dias atrás

sugeriu que poderia deixar de fazer uma viagem a Paris, no domingo, para evitar que Afif assumisse interinamente o governo, disse ontem "não ver problema" em se ausentar do País e afirmou que quem deve decidir a situação de seu vice é a Assembleia Legislativa. A Casa analisa um pedido de perda de mandato de Afif por ter assumido um cargo no governo federal, comandado pelo PT. "Isso é uma questão jurídica. não sou jurista. Isso vai ser analisado pela instituição competente, que é a Assembleia", afirmou Alckmin. Em sua defesa no processo da Comissão de Ética Pública, Afif também declarou que o único órgão com competência para analisar seu caso seria a Assembleia.

Alves esta confiante em acordo. Ele garante que mesmo sem acordo colocará a PEC 37 em votação e recomendou que nem policiais nem procuradores fiquem tranquilos: "90% já está acordado. Essa Casa tem o dever de tentar harmonizar esse texto. Se for para votar na emoção, um ganhar e o outro perder, no dia seguinte está no Judiciário. Vamos votar dia 26, mesmo sem consenso." (Folhapress)

MST sai, mas deixa a 'conta': R$ 200 mil.

A

Cutrale divulgou ontem os levantamentos preliminares dos prejuízos causados pela invasão do Movimento Sem Terra (MST) na fazenda Santo Henrique, em Borebi, desocupada na véspera. A indústria de suco de laranja, responsável pela área de 2,6 mil hectares, calcula um prejuízo de R$ 200 mil com a destruição provocada durante a ocupação, que começou no domingo. Os mas de 550 funcionários da unidade ficaram impedidos de trabalhar e produzir por quatro dias.


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013

7 Há grande ofensiva do agronegócio, incentivada pelo silêncio conivente do governo. Jonas Carlos da Conceição, da coordenação estadual do MST

olítica

Joel Rodrigues/Estadão Conteúdo

Cerca de 30 indígenas da tribo dos terena protestaram contra a demarcação de terras no Mato Grosso do Sul, reunidos na Praça dos Três Poderes, em frente ao Palácio do Planalto, em Brasília. Joel Rodrigues/Estadão Conteúdo

Governo tenta acender o cachimbo da paz Cerca de 30 índios terena que deixaram a região de Sidrolândia, no Mato Grosso do Sul, chegaram ontem a Brasília e, na Praça dos Três Poderes, juntaram-se aos munduruku do Pará. Eles protestaram contra a suspensão da demarcação de terras e a construção de usinas hidrelétricas no Pará.

Í

ndios terena reuniram-se na tarde de ontem, no Ministério da Justiça, com os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Luís Inácio Adams (Advocacia-Geral da União). A audiência ocorreu em auditório fechado à imprensa. Na pauta, a desocupação da Fazenda Buriti, no Mato Grosso do Sul, onde o índio terena Oziel Gabriel, de 35 anos, foi morto na semana passada. Após três horas e meia de reunião com índios terena, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, anunciou a criação de um fórum para discutir a polêmica envolvendo a ocupação da Fazenda Buriti. Antes, o grupo de 30 terenas que deixou de ônibus a região de Sidrolândia, no Mato Grosso do Sul, na quarta-feira e chegou ontem a Brasília, protestou na Praça dos Três Poderes. Os terena se juntaram aos munduruku para protestar pela suspensão da construção de usinas no Pará e contra a suspensão da demarcação de terras. "Queremos uma solução",

disse Elisur Gabriel, de 43 anos, um dos irmãos de Oziel. Para Elisur, é preocupante o governo mudar o processo de demarcação de terras, ouvindo não apenas a Funai (Fundação Nacional do Índio), mas órgãos como o Ministério do Desenvolvimento Agrário e o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária. Para o secretário nacional de Articulação Social, Paulo Maldos, é importante "chegar a um ponto em que esse acirramento pare para preservar a vida de todos". Segundo ele, saída para o fim do conflito seria a indenização dos produtores. "Pelo que me informaram, cerca de 90% dos casos (no MS) seriam solucionados se houvesse um mecanismo de compensação aqueles títulos de boa fé outorgados pelo Estado. Se é esse o caminho, tem que ser esse o caminho. A gente apela ao Conselho Nacional de Justiça (CNJ), que tem bastante acúmulo nessa questão, que nos ajude a formular uma proposta de compensação financeira aos títulos de boa fé", afirmou Maldos . Ele disse que busca apoio do CNJ para formular um mecanismo de compensação aos proprietários rurais que os estimule a sair das terras ocupadas por índios, mesmo quando tiverem decisões judiciais favoráveis. A d em a rc ação de

terras é feita pelo Ministério da Justiça com base em estudo elaborado pela Funai. O ex-deputado Ricardo Bacha (PSDB), dono da Fazenda Buriti, recebeu decisão favorável pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região mantendo a posse das terras. Mas os índios se recusam a deixar o local, que faz parte de área reivindicada por eles e à qual, segundo a Funai, teriam direito. O atual mecanismo de delimitação das terras é criticado por produtores rurais. Eles dizem que os índios são favorecidos pela Funai. POVOS DA TERRA – Amarcha dos "Povos da Terra", organizada pelos movimentos sociais de Mato Grosso do Sul e que saiu na segunda do município de Anhanduí, encerra hoje a caminhada de 60 km até Campo Grande. Lá, uma manifestação vai reivindicar a titulação e demarcação dos territórios indígenas e quilombolas, e exigir a reforma agrária. O Movimento dos Sem Terra (MST) diz que a manifestação visa a "pautar para a sociedade a problemática fundiária em Mato Grosso do Sul e a necessidade de promover ações em defesa dos direitos humanos". Jonas Carlos da Conceição, da coordenação estadual do MST, diz que "o poder público não pode continuar fechando os olhos para o que está acontecendo em Mato Grosso do Sul". Argumenta que há "grande ofensiva do agronegócio, incentivada pelo silêncio conivente do governo". (Agências)

Índios da tribo mundukuru: em Brasília para discutir seus direitos em relação às obras de hidrelétricas.

Os munduruku criam tensão

A

segurança do Palácio do Planalto voltou a ter trabalho ontem com os índios, desta vez da tribo munduruku, que estão em Brasília para pedir a paralisação das obras de Belo Monte, no Pará, e exigir do governo que sejam consultados em relação a construções de usinas na Bacia do Tapajós. Os munduruku tentaram entrar no estacionamento do Planalto para serem recebidos pela presidente Dilma Rousseff, mas foram barrados pelos seguranças. Um empurra-empurra entre seguranças e índios chegou a deixar a situação tensa, mas, como todo o Planalto estava cercado por grades, eles permaneceram na pista tentando entrar, sem obterem sucesso. Depois de mais de duas horas aguardando uma resposta do governo, desistiram e seguiram para o Ministério da Justiça, onde o ministro José Eduardo Cardozo ia receber representantes dos índios terena – a tribo do índio Oziel Gabriel, morto em Sidrolândia, no Mato Grosso do Sul. No início da noite, o ministro Gilberto Carvalho divulgou a carta-resposta aos munduruku – trazidos a Brasília em aviões da Aeronáutica, na terça-feira. Segundo Carvalho, a posição do governo federal é de realizar um "processo participativo de consulta" aos índios, nos termos da Constituição Federal e da Convenção

169 da OIT, "para que o povo Munduruku tenha acesso às informações e possa, de forma livre e informada, se posicionar com relação aos possíveis aproveitamentos hídricos na Bacia de Tapajós". Direitos e interesses – Depois de dizer que as posições dos munduruku terão fundamental importância no processo de tomada de decisão do governo federal, na perspectiva

de garantir integralmente os direitos constitucionais dos povos indígenas, a nota assinada pelo ministro ressalta ainda que os resultados da consulta a ser realizada com os diversos segmentos devem "conciliar e garantir os direitos dos povos indígenas e de todos os demais segmentos da sociedade", que têm interesses naquele empreendimento a ser realizado.

SECRETARIA DA SAÚDE DIVISÃO TÉCNICA DE SUPRIMENTOS - SMS.3 ABERTURA DE LICITAÇÕES Encontram-se abertos no Gabinete, os seguintes pregões: REABERTURA - PREGÃO ELETRÔNICO 105/2013-SMS.G, processo 2012-0.336.372-5, destinado ao registro de preços para o fornecimento de TIRA REAGENTE PARA DETERMINAÇÃO DE GLICOSE, SANGUE, USO HOSPITALAR E LANCETA, PUNÇÃO DIGITAL, COM CESSÃO EM COMODATO DE EQUIPAMENTO PARA LEITURA DAS TIRAS DE TESTE DE DETERMINAÇÃO DE GLICOSE NO SANGUE, para a Divisão Técnica de Suprimentos, SMS-3/Grupo Técnico de Compras, GTC/Área Técnica de Material Médico Hospitalar, do tipo menor preço unitário. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 9 horas do dia 19 de junho de 2013, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 3ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. PREGÃO ELETRÔNICO 152/2013-SMS.G, processo 2013-0.082.058-2, destinado ao registro de preços para o fornecimento de TIRAS REAGENTES PARA URINA COM 10 ÁREAS, TIRAS REATIVAS PARA BHCG E LÂMINA DE VIDRO 26X76MM EXTREMIDADE FOSCA E LAPIDADA, para a Divisão Técnica de Suprimentos, SMS-3/Grupo Técnico de Compras, GTC/Área Técnica de Laboratório, do tipo menor preço unitário. A abertura/realização da sessão pública de pregão ocorrerá a partir das 9 horas do dia 20 de junho de 2013, pelo endereço www.comprasnet.gov.br, a cargo da 3ª Comissão Permanente de Licitações da Secretaria Municipal da Saúde. RETIRADA DE EDITAIS Os editais dos pregões acima poderão ser consultados e/ou obtidos nos endereços: http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br; www.comprasnet. gov.br, quando pregão eletrônico; ou, no gabinete da Secretaria Municipal da Saúde, na Rua General Jardim, 36 - 3º andar - Vila Buarque - São Paulo/SP - CEP 01223-010, mediante o recolhimento de taxa referente aos custos de reprografia do edital, através do DAMSP, Documento de Arrecadação do Município de São Paulo. DOCUMENTAÇÃO - PREGÃO ELETRÔNICO Os documentos referentes às propostas comerciais e anexos, das empresas interessadas, deverão ser encaminhados a partir da disponibilização do sistema, www.comprasnet.gov.br, até a data de abertura, conforme especificado no edital.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Reuters

ALERTA MÁXIMO Israel reforçou a segurança na fronteira com a Síria depois que tropas de Assad retomaram a estratégica passagem de Quneitra. Após o confronto, a Áustria anunciou que vai retirar seus 377 soldados da força de paz da ONU nas Colinas de Golã.

nternacional Reuters - 08/01/13

Nos EUA, a conversa telefônica é a três. Em nome da segurança nacional, o governo Obama admite que monitora milhões de telefones no país. às datas da ordem obtida pelo The Guardian, e que tal monitoramento é feito desde 2006. O jornal revelou que a ordem judicial requer a entrega dos números telefônicos de ambas as partes da comunicação, a localização e a duração da chamada, assim como a hora e a identificação. No entanto, não é exigido o conteúdo das conversas. Outra denúncia, feita pelo jornal The Washington Post, diz que o governo usa um programa secreto chamado Prism, desde 2007, que tem acesso direto aos servidores de gigantes como Google, Microsoft, Facebook e Apple, com acesso a contas e e-mails. Histórico - A revelação levanta novas preocupações quanto ao tratamento dado pelo presidente Barack Obama a questões de privacidade e liberdade de expressão. O governo já está sob críticas por ter vasculhado os registros telefônicos de jornalistas da Associated Press e da TV Fox. Na época, Obama afirmou que a in-

Decisão judicial secreta obrigava a operadora Verizon a entregar dados da atividade telefônica fixa e celular de todos os seus clientes tenção era evitar que soldados morressem em um ataque terrorista no Iêmen. O governo também é acusado de ordenar que a Receita Federal monitorasse as movimentações financeiras dos membros do chamado Tea Party, grupo ultraconservador do Partido Republicano. Boa parte dos sistemas de vigilância pelo governo foi autorizada pela chamada Lei Patriótica (Patriot Act), assinada em 2003 pelo ex-presidente George W. Bush após os ataques de 11 de setembro de 2001. "Muita gente achava que o governo Obama não continuaria a fazer o que Bush fazia, e isso precisa ser debatido abertam e n t e " , d i s s e G l e n n G r eenwald, o colunista do The Guardian que revelou a vigilância.

UM LÍDER IRREDUTÍVEL

Reação - O secretário de Justiça dos EUA, Eric Holder, afirmou que o Congresso sabia do programa. Mas vários democratas criticaram o governo, como o ex-vice-presidente Al Gore, que disse que "essa vigilância é obscenamente escandalosa". Na oposição, o deputado republicano Mike Rogers, que chefia a Comissão de Inteligência da Câmara, disse que o programa já conseguiu evitar um "significativo" atentado terrorista no país há alguns anos. Organizações nãogovernamentais disseram que levarão o caso à Justiça, como a União Americana pelas Liberdades Civis (ACLU, em inglês). (Agências)

De caso com Hollywood Panetta vazou detalhes sobre caça a Bin Laden Reuters - 09/01/09

A

Casa Branca admitiu ontem que há sete anos coleta as ligações de milhões de clientes de telefonia fixa e móvel da operadora Verizon, a segunda maior dos Estados Unidos. O governo justificou a prática como "muito importante para proteger o país de ameaças terroristas", provocando reações de grupos de defesa dos direitos civis e de respeito à privacidade. O reconhecimento aconteceu após o jornal britânico The Guardian publicar que a Justiça emitiu uma ordem confidencial, a pedido da Agência de Segurança Nacional (NSA, na sigla em inglês), que obrigava a Verizon a fornecer diariamente informações sobre todas as chamadas telefônicas, tanto dentro dos EUA quanto entre este e outros países, entre 25 de abril e 19 de julho deste ano. O motivo seria identificar comunicação entre terroristas. O governo acrescentou que os pedidos de informação não se restringiram à Verizon, nem

O

ex-chefe da CIA e atual secretário da Defesa, Leon Panetta, revelou detalhes secretos ao roteirista de A Hora Mais Escura, o filme sobre a caça de Osama bin Laden, segundo informe do Pentágono divulgado na quarta-feira por um grupo de investigação independente. De acordo com relatório

Reuters - 07/05/12

Putin e Lyudmila: após 30 anos, vidas separadas.

De volta à Turquia, Erdogan diz que vai manter projeto e pede fim de protestos.

O

primeiromini stro d a T u rquia, Recep Tayyip Erdogan, adotou uma postura combativa ao regressar à Turquia depois de um giro de quatro dias pelo norte da África. Em discurso para cerca de 10 mil simpatizantes que o aguardavam no aeroporto de Ist a m b u l n a m adrugada de sexta-feira (hora local), Erdogan declarou que os "protestos estão beirando a ilegalidade e precisam parar imediatamente". Segundo o premiê, os protestos contra o governo "perderam suas credenciais democráticas ao se transformarem em atos de vandalismo". "Os assim chamados jornalistas, artistas e políticos estão provocando os protestos", disse ele à multidão que foi recebê-lo no aeroporto, em uma demonstração de força após uma semana de protestos. "Por menos de 15 árvores se perderam três vidas. A vida de um de meus policiais é tão importante como a vida de dois jovens", disse Erdogan, em referência ao agente que morreu ao cair de uma área em construção enquanto perseguia manifestantes na cidade de Adana. Dois manifestantes morreram durante os protestos e outro se encontra em estado de morte cerebral. O premiê também acusou os manifestantes de saquear lojas, destruir propriedades públicas e queimar a bandeira turca, assim como de tentar ganhar nas ruas o que não pu-

obtido pelo Projeto para a Supervisão do Governo (Pogo, na sigla em inglês), Panetta revelou a unidade e o comandante da operação que resultou na morte de Bin Laden, durante uma cerimônia em homenagem aos que participaram da caçada. O roteirista do filme, Mark Boal, compareceu ao evento. O Pentágono se negou a comentar o documento, que sugere a disposição da Casa Branca em ajudar os cineastas. (Folhapress)

O

O casal Putin anunciou o divórcio na TV estatal, após ida ao ballet. Reuters - 04/06/13

Tolga Bozoglu/EFE

presidente russo, Vladimir Putin, e sua esposa, Lyudmila, anunciaram ontem que estão se divorciando depois de quase 30 anos de casamento. "Foi uma decisão conjunta: nós mal vemos um ao outro, cada um de nós tem sua própria vida", disse Putin, de 60 anos, acrescentando que os dois já não estão mais vivendo juntos. Lyudmila, de 55 anos, afirmou que foi o divórcio foi "civilizado". Eles se casaram em 1983 e têm duas filhas, Maria e Yekaterina, ambas na casa dos 20 anos. (Agências)

Coreias querem retomada de diálogo O duque de 91 anos já foi internado quatro vezes desde 2011

Philip, hospitalizado. Príncipe é internado com dores abdominais

Manifestantes mantêm protestos na praça Taksim, em Istambul. deram obter nas urnas. Diante das declarações de Erdogan, os manifestantes em Istambul decidiram permanecer na praça Taksim, que faz parte do complexo do parque que deu origem aos protestos. Extremistas - Na Tunísia, antes de embarcar de volta para a Turquia, Erdogan disse que vai manter o projeto de reforma do parque em Istambul e voltou a afirmar que há o envolvimento de terroristas nos protestos.

A declaração levou os Estados Unidos a pedirem que os líderes turcos evitem expressões "inúteis". "Continuamos apoiando os indivíduos que se manifestam pacificamente e exercem sua liberdade de expressão, e estimulamos as autoridades a evitar qualquer retórica inútil... que não contribua para apaziguar a situação na Turquia", disse a porta-voz do Departamento de Estado, Jen Psaki. (Agências)

O

príncipe Philip, marido da rainha Elizabeth II, foi hospitalizado ontem em Londres depois de sentir dores abdominais. "Sua Alteza Real, o duque de Edimburgo, deu entrada na London Clinic para uma cirurgia exploratória depois de exames abdominais. Espera-se que permaneça no hospital por até duas semanas", anunciou o Palácio de Buckingham. O duque de 91 anos teve que cancelar um compromisso na noite de segunda-

feira porque não se sentia bem, embora no dia seguinte tenha aparecido na missa que comemorou os 60 anos da coroação da rainha. Ontem, ele estava sorridente em uma recepção nos jardins do palácio. Esta é quarta internação do duque desde 2011. Em 2012, teve que dar entrada em duas ocasiões devido a uma infecção urinária. Em dezembro de 2011, ele teve que ser operado com urgência de uma obstrução coronariana. (Agências)

A

Coreia do Norte propôs ontem ao governo sul-coreano a retomada do diálogo para normalizar seus projetos conjuntos, como o complexo industrial de Kaesong e a área turística situada no Monte Kumgang, em uma nota divulgada pela agência estatal KCNA. A previsão é que a reunião ocorra no próximo dia 12. Este é o primeiro gesto conciliatório do líder norte-coreano, Kim Jongun, desde que rompeu as atividades de Kaesong durante a sua última campanha de ameaças bélicas, entre março e abril. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013

c

9

idades

Daniel Teixeira/EC

Manifestantes bloqueiam a Avenida Paulista colocando fogo em sacos de lixo e caixas em protesto contra o aumento das passagens de ônibus. Abaixo, sequência de fotos da noite de caos no Centro da cidade.

PAULISTA, PRAÇA DE GUERRA. F

ogo em sacos de lixo e cones de borracha, bloqueio de pista, pedradas, pichações e depredações de estação do metrô. Uma cabine da Polícia Militar virada de lado. Este foi o cenário de guerra ontem à noite na Avenida Paulista, que interrompeu todo o trânsito na cidade e mobilizou bombeiros e policiais. Um protesto de estudantes contra aumento das passagens de ônibus, trem e metrô iniciado às 18 horas em frente ao prédio da Prefeitura, no Viaduto do Chá, terminou em caos e confronto com a polícia. A tropa reagiu e lançou gás lacrimogêneo contra os estudantes e balas de borracha. Liderados pelo Movimento Passe Livre (MPL), os manifestantes protestaram contra o aumento da passagem de R$ 3,00 para R$ 3,20 e fecharam o trânsito na região central desde à tarde, ocupando a pista da avenida 23 de maio e 9 de Julho. Segundo o grupo, Adriano Lima/EC "todo aumento de tarifa é injusto e é exclusão social". Mas, apesar da grande repercussão dos atos do grupo de estudantes, a Polícia Militar estimou que apenas 700 pessoas participaram de toda a manifestação. A marcha do grupo não ocupava um quarteirão inteiro ao passar por rua Centro. A Guarda Civil Metropolitana estimou em mil o total de manifestantes. Organizadores do evento falaram em 5 mil. No decorrer da noite, manifestantes depredaram Estudante no local do conflito ainda bares, arrancaram fios usa máscara contra gás de luz e jogaram pedras na polícia. O gás lacrimogêneo afetou as pessoas dentro do metrô. Reajuste – O aumento na passagem de ônibus, trens e metrô entrou em vigor no domingo. Os valores subiram de R$ 3 para R$ 3,20, um aumento de 6,7% – abaixo da inflação desde o último reajuste dos ônibus, de 14,4%. Para que isso fosse possível, a presidente Dilma Rousseff editou medida provisória para isentar dois tributos federais sobre as passagens de transporte urbano. O reajuste abaixo da inflação também vai exigir repasse recorde de verbas do Orçamento para custear a operação dos ônibus, segundo a própria Prefeitura. A previsão é de que esse repasse chegue a R$ 1,25 bilhão em 2013 – no ano passado, foi de R$ 960 milhões. O prefeito Fernando Haddad (PT) acompanhou a manifestação do gabinete. A assessoria informou que Haddad está aberto ao diálogo, mas que isso não foi possível diante do rumo dos protestos. O governo do Estado não se manifestou. No centro, trabalhadores se dividiram. O porteiro Jorge Rossi de Oliveira, de 41 anos, que mora em São Miguel Paulista, aprovou. "Alguém tem de reclamar nessa vida". Já o lojista Rodolfo Bodelacci, de 36 anos, foi contra. "Foi assustador. Ouvimos barulhos de bombas e gritos de pessoas." (Agências)

Alexandre Moreira/EC

Cris Faga/EC

Nelson Antoine/EC

Daniel Teixeira/EC

Tiago Queiroz/EC

A passagem deveria ser gratuita, assim como a saúde pública e a educação são.

Foi assustador. Ouvimos barulhos de bombas e gritos de pessoas"

NINA CAPPELLO, MANIFESTANTE.

LOJISTA DA REGIÃO DO

RODOLFO BODELACCI, CENTRO DA CAPITAL


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Bateria e percussão

d

cultura

Começa nesta sexta (7) e vai até domingo (9) a 14ª edição do Batuka! Brasil Internation Drum Fest. Neste ano, homenageia Osvaldinho da Cuíca. E, óbvio, revela bateristas em seleção inédita. Auditório Simón Bolívar. Memorial da América Latina. Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664. 17h às 22h. R$ 40 e R$ 20. Livre.

Joana França/Divulgação

Divulgação

Divulgação

DO LÍBANO, PELA CONCÓRDIA. Pipas multimídia do chinês Cai Guo-Qiang no CCBB. Claudia D'Elia/Divulgação

Pintura em mostra no MuBE Divulgação

Fotografias na Matilha Cultural

José Guilherme R. Ferreira

Isamu Noguchi e Célia Euvaldo no Tomie Ohtake

Obras do coletivo Garapa: CCSP.

Hans Silvester/Divulgação

O

jovem vinicultor libanês Marc Hochar comanda na próxima terça-feira-feira (11), no restaurante Arola-Vintetres, em São Paulo, um jantar de harmonização com cinco vinhos do Château Musar, vinícola tocada pela família há mais 80 anos em Ghazir, no Vale do Beka'a, região que o pai de Marc, Serge Hochar, chama de “Jardim do Eden", um terroir de herança bíblica. Os vinhos dos Hochar vêm da Fenícia. O proposital anacronismo acima é, evidentemente, uma homenagem aos Hochar, associandoos aos ancestrais fenícios, que produziam disputados vinhos na Antiguidade, no mesmo território hoje libanês onde a família cuida de seus vinhedos. Os “homens dos mantos vermelhos” (como diziam os gregos) eram também corajosos mercadores que zarpavam com seus navios em crescente rota comercial pelo Mediterrâneo. Estão aí 750 ânforas de vinho e azeite que os robôs do oceanógrafo Roberto Ballard há poucos anos encontraram e fotografaram nas profundezas do mar – carga de um navio fenício, com destino ao Egito, que naufragou 2.800 anos atrás diante de Askhelon (hoje Israel) – sinais concretos da vitalidade mercantil desses povos. Os Hochar também são bons mercadores. E a presença de Marc em São Paulo é a versão mais moderna e atualizada desse ímpeto comercial. Marc costuma dizer que enquanto seu irmão Gaston cuida do "líquido", ele cuida da "liquidez" do Château Musar. Hochar vem a convite do antenado importador Ciro Lilla, que desde 1995 tem rótulos do Château Musar no catálogo da sua Mistral. Serge Hochar, pai de Marc, um engenheiro que estudou enologia em Bordeaux, sob as vistas de Emile Peynaud, foi o primeiro timoneiro da família. Sempre se-

Museus grátis Rita Alves mostra Rumos e Destinos. Trata-se de 30 pinturas acrílicas sobre tela e papel artesanal criadas por José Moura-George. Na região de Pinheiros, arte de graça pode ser vista em um agradável espaço cultural, o Instituto Tomie Ohtake (Av. Faria Lima, 201, Pinheiros, tel.: 22451900). Quem passar por lá nesta sexta (7) vai passear por duas mostras inauguradas neste dia. Uma delas reúne desenhos, peças de design e esculturas de Isamu Noguchi. A outra, intitulada Sobre Parede, exibe uma intervenção nas paredes do instituto feita pela artista Célia Euvaldo. Já nas paredes da Matilha Cultural (Rua Rego Freitas, 542, tel.: 3256-2636) a atração é a mostra de 48 fotografias da 4ª edição do PraCachorro, evento que tem como objetivo estimular e fortalecer as questões de proteção, adoção e voluntariado em prol dos animais. Vai de metrô? Então desça na estação Vergueiro e visite o

Centro Cultural São Paulo (Rua Vergueiro, 1000, Paraíso, tel.: 3397-4002) para conhecer A Margem, projeto artístico de incursão em diversos níveis no Rio Tietê desenvolvido pelo coletivo Garapa e exibido por meio de fotos e vídeos. Se o destino é a região central, a estação Sé do Metrô fica próxima de dois locais: a Caixa Cultural (Praça da Sé, 111, tel.: 33214400) e o Centro Cultural Banco do Brasil (Rua Álvares Penteado, 112, tel.: 3113-3651 / 52). Na Caixa Cultural, a mostra Blackberry – Palavra e Imagem traz obras do artista Walter Silveira (à dir.). E no CCBB, a mostra Da Vincis do Povo exibe até o próximo dia 22 o trabalho inovador do chinês Cai Guo-Qiang.

No tempo do ragtime A era dourada, a era do jazz, a era do ragtime: expressões que as artes revivem, reescrevem, reinterpretam. Na literatura, no teatro, na música e, principalmente no cinema. Desde o início do século XX, até os anos de 1940, ragtime, foxtrot, charleston, swing animaram festas caseiras, cassinos, cabarés, salões de dança , rechearam trilhas sonoras de filmes, de espetáculos da Broadway e inspiraram orquestras e músicos a produzirem programas radiofônicos antológicos. Pianistas como Art Tatum, Fats Waller e o guru de todos, Scott Joplin, deixaram um legado constantemente revisitado por novos artistas. A trilha sonora de Um Golpe de Mestre (The Sting), filme dirigido por George Roy Hill em 1973, é um exemplo. Com os charmosos Paul Newman e Robert Redford, é pura diversão também o melhor som do Rei do Rag, Scott Joplin. Na linha das grandes bandas, a Casa Loma Orchestra de Glen Gray e Enoch Light e seu conjunto são notáveis. Todo esse clima é superlativo, no entanto, na reconstituição de época de O Grande Gatsby, versão de 1974. A trilha inclui músicas assinadas por Gus Khan, Ray Henderson, Irving Berlin, Cecil Mack e James Johnson. Performances de Nick Lucas ressaltam a alegria daquele tempo. Que ainda hoje pode ser redescoberta ou entendida como "novidade". (MMJ)

Fotos: Arquivo DC

V

aliosas obras de arte estão espalhadas pelos museus da Cidade, porém não será preciso colocar a mão no bolso para apreciá-las. O ingresso gratuito oferecido por alguns museus é um convite irresistível para que o público visite esses locais. Um dos que não cobram ingresso e ainda tem a vantagem de ficar dentro de um parque é o Museu Afro Brasil (Av. Pedro Álvares Cabral, s/n, Parque Ibirapuera, portão 10, tel: 33208900). Até o dia 25 de agosto o visitante pode ver a mostra Hans Silvester: As Fotografias do Vale do Rio Omo, com imagens de alguns modelos nativos dessa região africana feitas pelo fotógrafo alemão. Também dá para aproveitar a natureza passeando pelo Museu Brasileiro da Escultura, MuBE, (Av. Europa, 218, tel.: 2594-2601) já que o espaço abriga um belo jardim projetado por Burle Marx. Outra beleza está na área expositiva, na

guiu os princípios do pai Gaston, que defendia, já nos anos 30, todos os esforços para a recuperação da qualidade dos vinhos libaneses. O primeiro vinho de Serge Hochar foi engarrafado em 1959, de uvas colhidas em 1956. Até a década de 70, suas safras escorriam nas mesas elegantes da Beirute de ares franceses, e pouca coisa também nas casas fraternas de outros alegres libaneses. Essa lógica foi quebrada com a guerra civil (1975-1990) e outras escaramuças no Oriente Médio. As vendas ao mercado interno desabaram. Mas a hipótese de diminuir a produção nunca foi colocada sobre a mesa dos Hochar. Mantê-la era empunhar uma bandeira contra a hegemonia da violência e da intolerância. Serge decidiu correr todos os riscos. Em meio a bombas e rajadas de fuzis, terreno minado pelo ódio entre muçulmanos e cristãos, conseguiu arduamente manejar seus vinhedos e transportar suas uvas para a vinificação. Nesse momento, Serge teve de assumir o leme agora de um barco com carrancas, rumo à Europa. Com uma carga de tintos, o vinicultor desembarcou para a Bristol Wine Fair de 1979. Teve a sorte de encontrar fundamental reconhecimento nas papilas do crítico britânico Michael Broadbent e do jornalista Roger Voss. Nesses vinhos, as uvas de terroir libanês se expressavam em vinhos de “receita” francesa. Os tintos do Château Musar são basicamente feitos com a "estruturante" Cabernet Sauvignon, Cinsault e Carignan (mais marcante que a plantada no Languedoc-Roussillon, segundo os Hochar). O veredicto de Broadbent viajou o mundo e passou a conquistar outros países. Por isso é que se diz que Serge recolocou os vinhos libaneses no mapa da vinicultura internacional. Seu destemor em enfrentar as agruras da guerra lhe valeu também o título de homem do ano da revista Decanter,o primeiro da série inaugurada em 1984. Nas mesmas ondas desbravadas pelo Château Musar viajam hoje outros vinhos do país, também de grande qualidade, principalmente os produzidos pelo Château Kefraya, na vila de Kefraya; pelo Château Ksara, a vinícola mais antiga de todo o Líbano, iniciada com jesuítas em 1857, com magníficas adegas subterrâneas romanas de mais de 2 quilômetros; e o Domaine des Tourelles, em Chtaura. O interesse internacional pelo terroir libanês tem despertado ainda novos negócios no país. A moderna vinícola IXSIR, em Basbina, iniciada em 2007, tem explorado seis terrenos libaneses, de 400 a 1.700 metros de altitude, de norte (Batroun) ao sul do país (Jezzine). Notícias dão conta que a sangrenta guerra civil na Síria já transborda para o território libanês, levando ao país bombas e mais de 180 mil refugiados. As provocações sem fronteiras do Hezbollah também acirram ânimos. O Château Musar continua em frente, como sempre. Como a dizer que é preciso viver.

José Guilherme R. Ferreira é membro da Academia Brasileira de Gastronomia (ABG) e autor do livro Vinhos no Mar Azul – Viagens Enogastronômicas(Editora Terceiro Nome)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013

11

O UNIVERSO DO GRANDE GATSBY. UM MODELO.

d

cultura

Literalmente fiel Lúcia Helena de Camargo

O

Grande Gatsby (Austrália /EUA, 2013, duração 142 minutos) leva para as telas de maneira fiel o romance de 1925 escrito por F. Scott Fitzgerald. Além da mesma sequência narrativa, o roteiro chega a incorporar diálogos inteiros do livro. Ambientado no ano de 1922, traz Leonardo Di Caprio no papel de Jay Gatsby e Carey Mulligan como Daisy Buchanan. Tobey Maguire assume a voz do narrador, vivendo Nick

Carraway, vizinho de Gatsby que nutre por ele uma admiração que beira o fascínio. Misterioso e milionário, Gatsby oferece em sua mansão festas monumentais todos os dias. Os centenas de convivas chegam, bebem, comem, dançam e se esbaldam, ao estilo da efervescência dos EUA nos anos de 1920. Daisy, prima de Nick, é uma antiga paixão de Gatsby. E Nick vai ajudá-lo a se reaproximar da moça, hoje

casada com o ricaço Tom Buchanan (Joel Edgerton). O filme dirigido por Baz Luhrmann pode decepcionar no quesito musical quem espera um retrato da chamada "Era do Jazz". Nada de foxtrote ou charsleton. A trilha composta por Craig Armstrong incorpora canções de Beyoncé, Fergie, U2 e Amy Winehouse, transformadas em ritmos eletrônicos, além de sons de rappers como Jay-Z, will.i.am, The xx, entre outros.

Sedutor criador de sedutores Francis Scott Key Fitzgerald, mais conhecido como F. Scott Fitzgerald, nasceu em 24 de setembro de 1896, em Saint Paul, EUA. E morreu em Hollywood, no dia 21 de dezembro de 1940. Foi um escritor, romancista, contista, e roteirista que se notabilizou pelo texto de O Grande Gratsby. Oriundo de família católica irlandesa, estudou em Princeton e assinou textos como The Beautiful and Damned - Os Belos e Malvados, que é considerado importante referência no conjunto de sua obra. (MMJ)

Fotos: Arquivo DC

Warner Bros/Divulgação

Estreia a quarta superprodução de O Grande Gatsby. Com o sempre admirável Leonardo Di Caprio.

SAUDADES DE REDFORD. E MAIS...

T

rês versões de O Grande Gatsby são lembradas agora, quando estreia a edição australiana com todo o carisma de Leonardo Di Caprio, escorado por uma trilha pop magnífica. A versão clássica do filme é a de 1974, com Robert Redford e Mia Farrow. Filme produzido e escrito pelo sempre corajoso Francis Ford Coppola e dirigido por Jack Clayton. É inegável a alquimia entre Robert e Mia, jovens, sedutores e compenetrados de que estavam trabalhando uma história criada pelo gênio de um escritor também sedutor, F. Scott Fitzgerald. O filme, de 144 minutos, capricha

nas locações e nos figurinos, sem se deixar levar pelo hipnótico clima sugerido pela moda, pelo exibicionismo. Robert e Mia fogem do histriônico, do caricato. E dão show de interpretação. Principalmente porque transparece neles um entendimento perfeito do conteúdo do trabalho de Fitzgerald. Antes da edição de 1974, o diretor Elliott Nugent realizou com mão leve O Grande Gatsby de 1949, com os atores Alan Ladd, Betty Field, Macdonald Carey e Ruth Hussey. Na opinião do crítico

Ken Wlaschin, trata-se de um dos dez melhores filmes de Ladd, que ficou mais conhecido por desempenhos ferozes em faroestes. Já a grande referência de O Grande Gatsby para todas as edições que se seguiram é de 1926, sob a direção de Herbert Brenon, produção de Adolph Zukor e L. Lasky, com Warner Baxter no papel de Jat Gatsby. Trata-se de uma superprodução antológica da Paramount Pictures. Veja Especial DCinema em www.dcomercio.com.br (MMJ)

Gustau Nacarino/Reuters

DIGAM MOLTAS GRÀCIES...

B

ona tarda thoton! (Boa tarde a todos!) Se tivesse pronunciado esta frase – que foi dita durante sua apresentação à torcida do Barcelona na segundafeira passada – antes de 1976, o atacante Neymar seria imediatamente preso pela polícia política espanhola e sabe-se lá o que poderia lhe acontecer. O uso do idioma catalão – falado concomitantemente ao Espanhol – fora proibido no país durante a ditadura do Generalíssimo Francisco Franco (1939-1976) por ser um símbolo de oposição ao regime. Na verdade os catalãos, isto é, as pessoas nascidas na província da Catalunha, no norte da Espanha, cuja capital é a cidade de Barcelona, sempre encrencaram, desde os tempos medievais, com governos centrais. Volta e meia reivindicam a separação conforme, aliás, ocorreu recentemente. Não por acaso, superado o franquismo, a Catalunha tornou-se uma zona autônoma. Devido às suas particularidades culturais, que inclui o orgulho do idioma próprio, a população gosta de ser dona do seu nariz. Também inclui o FC Barcelona, onde Neymar vai jogar. Para os catalãos, o FC Barcelona em campo com as cores azul e grená, é, sem a retórica de Nelson Rodrigues, que cunhou a expressão, a pátria de chuteiras.

...SI US PLAU. VÃO ARRASAR!

S Javier Garcia Marino/EFE

Neymar durante sua apresentação à torcida do Barcelona Jogadores do time argentino Newell's Old Boys comemoram vitória na Libertadores

NOVOS ARES NO FUTEBOL

B

runo Smirnaul, 24 anos, formado em Educação Física, defendeu seu mestrado na Unicamp demonstrando que a cafeína melhora a performance de atletas em grandes altitudes. Isso interessa especialmente aos nossos clubes na Taça Libertadores Metrópole - Quer dizer que nossos jogadores vão poder render mais em grandes altitudes? Bruno Smirnaul - Sim. A utilização de cafeína reduz os efeitos em até 16%. Algo em torno de 3 a 6 mg por quilo de peso consumidos cerca de uma hora antes do esforço. Metrópole - Como você chegou a esse resultado? Smirnaul - Utilizamos bicicleta estacionária. Os testes foram feitos ao longo de seis meses na Universidade de Kent, no condado de Kent Chatham, na Inglaterra. Metrópole - Agora os times brasileiros irão melhorar na Bolívia, Colômbia e adjacências? Smirnaul - Deverão ir. A cafeína reduz a fadiga e renova o vigor. Metrópole - Não haverá risco de acusação de doping? Smirnaul - Não. Foi liberada pela Agência Mundial em 2004.

ão Paulo tem certa afinidade com a Catalunha. Aqui, até o século XVIII, os paulistanos falavam o Nheengatu, uma derivação da Língua Tupi. O Português era reservado para documentos oficiais, textos cultos e salões da elite. Esta língua também foi proi bida por ação do Marquês de Pombal (1699-1782) no ano de 1758, em mais um capítulo da guerra política contra os jesuítas, seus disseminadores no Brasil Colônia para facilitar a catequização. Não houve chiadeira talvez por ser coisa de índio e pelo simultâneo aumento da migração portuguesa para cá em consequência do pavoroso maremoto, a rigor, o primeiro tsunami registrado pela História de Portugal, que destroçou Lisboa e provocou mais de 10 mil mortos em 1755. (Pombal foi o poderoso secretário de estado do Rei Dom José I, que dá nome a um vinho do Porto tolerável). Mas, voltemos ao Catalão. É falado por mais de nove milhões de pessoas somando a Catalunha, Ilhas Baleares, Valência, a cidade de Alghero (Sardenha) e o Principado de Andorra. Se vocês quiserem fazer boa figura na Catalunha digam lá moltas gràcies (muito obrigado) fins després (até logo) e si us plau (por favor). Vão arrasar!

Joca Roldão/Divulgação

NO PASSO DA BALEIA

N

a terça-feira passada, depois do almoço, uma baleia invadiu o canal da Ilhabela pela ponta norte, divertiu as pessoas que estavam na praia e em São Sebastião com seus esguichos alegres e ganhou o mar aberto pela ponta sul, na boca do Jabaquara.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

sexta-feira, 7 de junho de 2013

www.dcomercio.com.br

Christian Escobar Mora/EFE

As ilustrações minimalistas do artista George Bokhua, da Geórgia, brincam com branco e preto, positivo e negativo.

Dançarinos da Companhia de Dança Deborah Colker durante apresentação no Festival Internacional de Balé em Cali, na Colômbia.

http://bit.ly/s4oirT

B OLÍVIA H OLLYWOOD

E SPORTES Rose Prouser/Reuters

O adeus da sereia Esther Williams

Sete corintianos são soltos

V

Esther Williams, jovem nadadora que se tornou a sereia dos "musicais aquáticos" criados especialmente para ela por Hollywood, morreu ontem, aos 91 anos, em Beverly Hills, na Califórnia. Estrela do cinema nas décadas de 1940 e 1950, ela tinha a saúde frágil por causa da idade, e morreu dormindo.

estidos com camisas do Corinthians, com duas bandeiras do Brasil em punho e aos gritos de "liberdade", sete dos 12 corintianos detidos em Oruro acusados pela morte do jovem boliviano Kevin Espada, de 14 anos, saíram ontem às 19h10 (horário de Brasília) da penitenciária San Pedro depois de 106 dias. Eles já iniciaram os trâmites legais para poder deixar a Bolívia.

Saiba mais sobre a trajetória de Esther Williams em www.dcomercio.com.br

O motivo da libertação foi a falta de provas. Os torcedores soltos são: Tadeu Macedo Andrade, Rafael Machado Castilho Araújo, Tiago Aurélio dos Santos Ferreira, Cléber de Souza Cruz, Danilo Silva de Oliveira, Hugo Nonato e Fábio Neves Domingos. Continuam presos: Leandro Silva de Oliveira, Reinaldo Coelho, José Carlos da Silva Junior, Marco Aurélio Nefeire e Cleuter Barreto Barros.

Ainda não está definida a data de retorno dos torcedores, que talvez continuem na Bolívia à espera dos colegas que permanecem detidos. A expectativa é que mais três torcedores sejam soltos nos próximos dias. A situação de Cleuter Barreto Barros e Leandro Silva de Oliveira, no entanto, é mais complicada porque eles foram indiciados como responsáveis pelo disparo do sinalizador que matou Kevin.

Luke MacGregor/Reuters

P UBLICIDADE

L

RELÍQUIA - A curadora Jackie Keily exibe joia de diamentes e safiras do acervo do Museu de Londres. A joia misteriosa foi descoberta em 1912 em escavações para construção de edifícios na cidade e está em exposição.

O mais jovem entre os bem pagos Recém-contratado pelo Barcelona, Neymar, 21, é o mais jovem na relação da revista Forbes, que lista os cem atletas mais bem pagos do mundo. Segundo a publicação, o ganho do jogador nos últimos 12 meses girou em torno de US$ 20,5 milhões (cerca de R$ 43 milhões), entre salários e contratos publicitários. Ontem mesmo Neymar assinou contrato com uma agência internacional de marketing esportivo para cuidar de sua imagem, a Doyen Sports. Kaká, do Real Madrid, outro brasileiro na relação, está na 79ª posição e teve faturamento de US$ 19,3 milhões. O jogador de golfe Tiger Woods está no topo do ranking, com US$ 78,1 milhões ganhos no último ano. O suíço Roger Federer, com US$ 71,5 milhões, é o segundo atleta mais bem pago do mundo. Entre os jogadores de futebol, os mais bem pagos são David Beckham (US$ 47,2 milhões), Cristiano Ronaldo (US$ 44 milhões) e Lionel Messi (US$ 41,3 milhões), que ocupam a oitava, nona e décima posições no ranking, respectivamente. Veja a lista completa no site. http://bit.ly/11hChbF

Francois Lenoir/Reuters

Anúncios úteis A IBM lançou uma série de outdoors que, mais do que fazer publicidade, são úteis no espaço público que ocupam. Um deles cria rampa em escadas, outro protege contra a chuva, outro vira banco. Ideias inteligentes para cidades mais inteligentes, como diz o slogan da marca. F IFA

http://bit.ly/11hChbF

E UA

P OP

Brasil cai para 22º no ranking

Obama quer internet Bieber confirma para 99% dos alunos shows no Brasil

L OTERIAS Concurso 3212 da QUINA 19

34

35

58

61

O astro pop Justin Bieber incluiu em sua página oficial do Facebook datas de dois shows no Brasil – um em São Paulo e outro no Rio de Janeiro. O show em São Paulo, segundo a agenda da turnê Believe do cantor, será no dia 2 de novembro, na Arena Anhembi. No dia seguinte, ele se apresentará no Rio, na praça da Apoteose. Ainda não há nenhuma informação sobre início da venda dos ingressos ou sobre os preços. Será a segunda vez de Justin Bieber no Brasil: em 2011, ele fez cinco apresentações no país.

L

O presidente dos EUA, Barack Obama, visitou ontem uma escola na Carolina do Norte e apresentou um plano para que, em um prazo de cinco anos, 99% dos estudantes tenham acesso à internet de banda larga dentro das escolas, e o conhecimento necessário para utilizar esse recurso. A iniciativa recebeu o nome de "ConnectEd" (um jogo com as palavras conectado e educação em inglês) e é inspirado na Coreia do Sul, onde 100% das escolas tem conexão à internet de alta velocidade.

JANTAR NAS ALTURAS - Essa é a experiência proporcionada por um restaurante em Bruxelas, na Bélgica. A cada noite, 22 pessoas ocupam uma plataforma que é elevada por guindaste a 45 metros do chão.

Estação de trabalho Ficar sentado durante todo o dia para trabalhar não faz bem para a saúde e, depois de algumas horas, deixa de ser confortável. Esta estação de trabalho se propõe a ser uma opção saudável para os profissionais. Inspirada nos filmes de ficção científica, a

Emperor Workstation é equipada com três monitores, som de alta qualidade, base rotatória, espaço para laptop, prateleiras e poltrona ergonômica. Mas que empresa pode investir US$ 21 mil para que cada funcionário tenha uma? http://bit.ly/10ZNSxe

O Brasil piorou ainda mais sua colocação no ranking da Fifa, ao cair para a 22ª posição, ficando entre as seleções africanas Gana e Mali. O ranking foi divulgado ontem. A péssima posição do Brasil é uma combinação da falta de bons resultados em amistosos, incluindo quatro empates nos últimos seis jogos, com o fato de a seleção não disputar as eliminatórias da Copa por ser a sede do Mundial de 2014. Quatro times alcançaram suas melhores posições na história do ranking: Bélgica (12), Bósnia (15), Mali (23) e Albânia (38). Os dez primeiros são, Espanha, Alemanha, Argentina, Croácia, Holanda, Portugal, Colômbia, Itália, Inglaterra e Equador.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013

e

13 IGP-DI O IGP-DI avançou 0,32% em maio, após recuar 0,06% em abril.

conomia

POUPANÇA A captação líquida das cadernetas foi positiva em R$ 5,6 bilhões em maio.

Imposto na nota já vale segunda-feira Mesmo com a entrada em vigor, o comércio terá prazo de um ano para se adaptar às regras, sem sofrer autuações nesse período.

A

lei que determina a discriminação do valor dos tributos nas notas fiscais – nº 12.741, de dezembro de 2012 – deve entrar em vigor na próxima segunda-feira, mas o comércio terá prazo de um ano para se adaptar às regras e, ao longo desse período, não será autuado. Um decreto e uma m e d i d a p r ovisória em gestação no Ministério da Fazenda – que ficaram delineados em uma quinta-feira de reuniões intensas em Brasília – devem ser publicados até amanhã. A MP modifica pontos importantes da legislação, que, conforme a formatação final, poderá perder a sua finalidade principal da transparência tributária. "O Ministério da Fazenda está querendo fatiar a lei para

esconder a efetiva carga tributária que o consumidor paga na aquisição de produtos e serviços, criando novas exigências e burocracias", afirma Gilberto Luiz do Amaral, coordenador de estudos do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT). De acordo com ele, uma das mudanças propostas pela Receita Fede-

ral é a exclusão do cálculo dos impostos de importação e das contribuições previdenciárias. Além disso, está exigindo a identificação dos tributos de forma separada por competências federal, estadual e municipal, quando a lei sancionada previa a informação da totalidade dos tributos. "Com essa exigência, será ne-

cessário de mudar todo um sistema já implantado no emissor de cupom fiscal e o parque de software", explicou Amaral. A demora na regulamentação da legislação esbarra na complexidade do sistema tributário brasileiro, também responsável pelo atraso de mais de cinco anos na aprovação do projeto de lei pelo Congresso. O projeto foi o coroamento da campanha De Olho no Imposto, promovida por várias entidades sob a liderança da Associação Comercial de São Paulo (ACSP). O movimento logrou reunir mais de 1,5 milhão de assinaturas. Em todas as discussões realizadas em Brasília em audiências públicas, a Receita Federal se mostrou a mais resistente à ideia da transparência tributária, embora a proposta

Newton Santos/Hype

Silvia Pimentel

seja vista com bons olhos pelos brasileiros. Pesquisa encomendada pela ACSP ao Ibope neste ano mostrou que 90% da população quer saber o valor dos impostos embutidos nos preços que paga por produtos e serviços. De acordo com o levantamento, 65% dos entrevistados concordam com a tese de que, sabendo o quanto pagam de impostos de forma indireta, as pessoas passarão a cobrar do governo o melhor uso do dinheiro público. Têm, portanto, consciência de que esta é uma expressão da cidadania. A Lei nº 12.741 tal qual foi publicada determina a exposição de valores aproximados dos seguintes tributos: Imposto sobre Operações Financeiras (IOF); Imposto sobre Produtos Industrializa-

dos (IPI); Programa de Integração Social e de Formação do Patrimônio do Servidor Público (PIS/Pasep); Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins); Contribuições de Intervenção no Domínio Econômico (Cide); Imposto Sobre Serviços (ISS) e Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços (ICMS). Os estabelecimentos comerciais também têm a opção de afixar cartazes com os valores dos tributos. As Lojas Renner, Riachuelo e Telhanorte já informam de forma experimental os consumidores sobre a parcela paga de impostos nas compras em algumas de suas lojas a partir de um aplicativo desenvolvido pelo Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário

(IBPT). Os cálculos são baseados na abertura de dados sobre todos os tributos que deverão ser informados e a incidência de cada um em milhares de mercadorias. De acordo com Gilberto Amaral, os cálculos foram feitos individualmente, produto por produto, com base no NCM (Nomenclatura Comum do Mercosul) de cada mercadoria, com o objetivo de permitir o cálculo aproximado sobre o total dos tributos em porcentual e em valores, como determina a legislação. O IBPT, em parceria com a ACSP e a Associação Brasileira de Automação Comercial (Afrac), também está fornecendo uma tabela com o valor médio aproximado dos impostos em cada produto ou serviço comercializados no Brasil.

Veículos miram novo recorde Depois do bom desempenho de maio, a indústria automobilística promete um junho ainda melhor.

A

produção brasileira de Junto com o aumento da veículos cresceu 0,3% produção, a indústria regisem maio sobre abril e trou alta de 6% no número de 21,8% na comparação anual, empregos ocupados em maio confirmando o recorde para de 2013 sobre o mesmo períovolume produzido em um úni- do do ano anterior, para 153,7 co mês, informou ontem a as- mil postos de trabalho. sociação de montadoras, AnAs vendas de veículos nofavea. Para este mês, a enti- vos no País caíram no mês dade espera novo recorde. passado 5,2% na compara"Nos últimos oito anos junho ç ã o m e n s a l , m a s s u b i r a m sempre apresentou vendas 10% sobre maio de 2012, pasuperiores às de maio", afir- ra 316,2 mil unidades. No acuma o presidente da Anfavea, mulado até maio, os emplacaLuis Moan. mentos somam 1,48 milhão A produção do mês passado de unidades, alta de 8,6% na foi de 348,1 mil automóveis, comparação anual, acima da comerciais leves, ônibus e ca- previsão da entidade de cresminhões, acumulando nos pri- cimento em 2013. meiros cinco meses do ano Analistas têm afirmado que 1,54 milhão de unidades – a base de comparação mais 18,6% acima do mesmo perío- fraca com os primeiros meses do de 2012. A Anfavea Rodrigo Paiva/Folhapress estima expansão de 4,5% na produção neste ano, para 3,34 milhões de veículos. Por segmento, a produção de automóveis e comerciais leves cresceu 21% em maio sobre um ano antes, para 327,8 mil unidades, enquanto o volume produzido de caminhões avançou no período 45,7%, para 16,4 mil unidades.

Saldos positivos também no setor de máquinas agrícolas

A

s vendas de máquinas agrícolas cresceram 1,6% em maio sobre abril e 32,7% sobre maio do ano passado, para 7.477

unidades. No acumulado janeiro/maio as vendas cresceram 30,3%, somando 33.768 unidades, segundo a Anfavea. A produção, enquanto isso, caiu 6,4% em maio sobre abril, mas cresceu 25,5% sobre maio de 2012, para 8.518 unidades. No

de 2012 pode estar também ajudando o ritmo das vendas. O governo reduziu o Imposto sobre Produtos Industrializados no final de maio do ano passado, com os efeitos sendo sentidos a partir de junho. A indústria apurou licenciamentos de 300,94 mil carros e comerciais leves e 12,6 mil caminhões no mês passado, 9,7% e 16% a mais que em maio de 2012 respectivamente. As exportações somaram US$ 1,19 bilhão, alta de 0,8% sobre abril e de 20% na comparação anual. Se incluídas as máquinas agrícolas, as vendas externas somam US$ 1,49 bilhão, 2% a menos que em um ano antes. Devido à valorização do dólar e do imposto de

importação maior, as vendas de veículos produzidos no exterior caíram 3% em maio sobre o mesmo período de 2012, para 61,8 mil unidades. No ranking das montadoras, a Fiat encerrou maio na liderança do segmento de automóveis e comerciais leves, com licenciamentos de 67.846 unidades. A General Motors ficou praticamente empatada com a Volkswagen na segunda posição, 53.868 e 53.824 carros e comerciais leves respectivamente. Já a marca sul-coreana Hyundai vendeu 19.091 veículos, superando os 18.110 da rival francesa Renault e assumindo a quinta posição. A Ford manteve a quarta posição, licenciando 27.545 carros e comerciais leves. Em caminhões, a MAN, do grupo Volkswagen, vendeu 3.530 unidades em maio no Brasil, Mercedes-Benz, 3.214; Ford, 1.529; Volvo, 1.699; e a Scania, 1.560. (Agências) Produção nos primeiros cinco meses bate em 1,54 milhão de unidades

acumulado de janeiro a maio houve crescimento de 13%, para 40.045 máquinas. O setor exportou 1.298 unidades em maio, 16,8% abaixo de abril, e 10% acima de maio de 2012. No ano, as exportações caíram 21,3% sobre o mesmo período do

ano passado, para 5.810 unidades. Em valor, as exportações de maio foram de US$ 299,7 milhões, uma queda de 11,7% sobre abril, e alta de 19,7% sobre maio de 2012; de janeiro a maio somaram US$ 1,4 bilhão, crescimento de 1,3% na comparação anual. (Reuters)

Duratex S.A. CNPJ. 97.837.181/0001-47

Companhia Aberta

Edital de Convocação ASSEMBLEIA GERAL EXTRAORDINÁRIA Os Senhores Acionistas da DURATEX S.A. são convidados a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária, que será realizada em 24.06.2013, às 8:30 horas, no auditório da sede social, na Avenida Paulista, 1938 - 5º andar, em São Paulo (SP), a fim de deliberar sobre proposta de alteração da nomenclatura dos cargos da Diretoria, que passará a ser composta por Diretor Presidente, Diretor Vice-Presidente da Unidade de Negócios Deca, Diretor Vice-Presidente da Unidade de Negócios Madeira e Diretores, com a consequente modificação do Artigo 24 (“caput”) do Estatuto Social e a consolidação deste. São Paulo (SP), 6 de junho de 2013. Conselho de Administração Salo Davi Seibel - Presidente Informações Gerais: Os documentos a serem analisados na Assembleia encontram-se à disposição dos Acionistas no website de relações com investidores da Companhia (www.duratex.com.br/ri), bem como no website da CVM (www.cvm.gov.br) e da BM&FBOVESPA (www.bmfbovespa.com.br). Para exercer seus direitos, os Acionistas deverão comparecer à Assembleia portando documento de identidade e comprovante de depósito das ações emitido pela instituição depositária, contendo a respectiva participação acionária. Os Acionistas podem ser representados na Assembleia por procurador, nos termos do artigo 126 da Lei 6.404/76, desde que o procurador esteja com documento de identidade e os seguintes documentos comprovando a validade da procuração (para documentos produzidos no exterior, a respectiva tradução consularizada e juramentada): (a) Pessoas Jurídicas: cópia autenticada do contrato/estatuto social da pessoa jurídica representada, comprovante de eleição dos administradores e a correspondente procuração, com firma reconhecida em cartório; (b) Pessoas Físicas: a correspondente procuração, com firma reconhecida em cartório. De modo a facilitar os trabalhos na Assembleia, a Companhia sugere que os Acionistas representados por procuradores enviem, com antecedência mínima de 48 horas, cópia dos documentos acima elencados por correio ou portador para: Duratex S.A. - Assuntos Paralegais: Av. Paulista nº 1938 - 19º andar - Bela Vista, São Paulo-SP - CEP 01310-942. (7/10/11)


14 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013

e Copom sinaliza ciclo de alta dos juros

15

A recessão de 2008 e de 2009 fez Lula e Dilma darem de ombros à política econômica liberal e imitar o capitalismo de Estado chinês. The Economist

conomia

Ata do Comitê de Política Monetária mostra preocupação com a resistência da inflação e reforça que aumento dos preços retira o poder de compra dos salários.

A

ata da reunião da semana passada do Comitê de Política E c o n ô m i c a ( C opom), divulgada ontem pelo Banco Central (BC), reitera que em momentos como o atual a política monetária deve se manter "especialmente vigilante" para evitar que "níveis elevados de inflação, como o observado nos últimos 12 meses, persistam no horizonte relevante para a política monetária". Segundo o documento, o Copom avalia que, no curto prazo, a inflação em 12 meses ainda apresenta tendência de elevação e que o balanço de riscos para o cenário prospectivo se apresenta desfavorável. O tom da ata, na avaliação de economistas, sugere que o

BC elevará a taxa básica de juros – a Selic – dos atuais 8% ao ano para 9% ou mais nas próximas reuniões do comitê. A LCA Consultores destaca principalmente um parágrafo da ata onde se afirma que, devido aos danos causados pela persistência do atual processo inflacionário nas decisões de consumo e investimento da população, seria "apropriada a intensificação do ritmo de ajuste das condições monetárias ora em curso". "De maneira simples, a diretoria do Banco Central deixou claro que irá, sim, subir a Selic, e, pelo que nos parece do tom do documento, serão mais duas altas de meio ponto percentual", concorda André Perfeito, economistachefe da corretora Gradual.

Na ata, O BC elevou de R$ 2,00 para R$ 2,05 a taxa com a qual trabalha para o câmbio e de 7,25% ao ano para 7,50% ao ano a da Selic. Essas hipóteses, de acordo com a ata, serão consideradas "em todo o horizonte relevante". Nesse cenário de referência, conforme o documento, a projeção para a inflação de 2013 subiu em relação ao valor considerado na reunião do Copom de abril e se posiciona acima do valor central de 4,5% para a meta fixada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN). O BC não informa, porém, qual é o porcentual exato. Mer cado – No cenário de mercado, que leva em conta as trajetórias de câmbio e de juros coletadas pelo Banco

Central com analistas de mercado às vésperas da reunião do Copom, a projeção de inflação para 2013 também aumentou e também se encontra acima do valor central da meta para a inflação. Já para 2014, a projeção de inflação "pouco se alterou" em relação ao valor em abril. De qualquer forma, essa estimativa segue acima do valor central da meta, tanto no cenário de referência quanto no de mercado. O BC afirma ainda que a estreita margem de ociosidade no mercado de trabalho gera risco significativo, com a possibilidade de concessão de aumentos salariais acima do crescimento da produtividade e suas repercussões negativas sobre a inflação.

"Não obstante sinais de moderação, o Comitê avalia que a dinâmica salarial permanece originando pressões inflacionárias de custos", diz a ata. O Copom considera que o nível elevado de inflação e a dispersão de aumentos de preços contribuem para que a inflação mostre resistência. "Nesse contexto, inserem-se os mecanismos formais e informais de indexação e a piora na percepção dos agentes econômicos sobre a própria dinâmica da inflação", cita. O BC manteve o trecho que trata da política fiscal em relação ao documento divulgado após a reunião de abril. Conforme a ata, o banco considera como hipótese de trabalho a geração de superávit primário

Fica Mantega! Brincadeirinha...

S

eis meses após pedir à presidente Dilma Rousseff que demitisse o ministro da Fazenda Guido Mantega, a revista "The Economist" usou de ironia para pedir novamente a saída do ministro e chamou de medíocre o desempenho da economia brasileira desde 2011. Em artigo publicado na edição de ontem, a publicação critica a atual política econômica brasileira e, ironicamente, pede à Dilma que mantenha Mantega a qualquer custo, pois ele "é um sucesso". Em autoreferência, a revista diz que o recente pedido para demissão de Mantega teve o efeito de torná-lo "indemissível". "Agora, vamos tentar uma nova tática". De acordo com a revista, a "fórmula de sucesso" do País, iniciada por Fernando Henrique Cardoso e reforçada por Luiz Inácio Lula da Silva em seu primeiro mandato, tem sido

abandonada lentamente. A publicação britânica critica o avanço dos gastos públicos, a alta da inflação e a ausência de uma meta fiscal clara nos últimos anos. Essas políticas, continua, têm

deixado os investidores confusos, fazendo com que o País tenha o menor crescimento e a maior inflação do que a maioria dos países da América Latina desde 2011. "A recessão de 2008 e de 2009 fez Lula e Dilma darem de ombros à política econômica liberal e imitar o capitalismo de Estado chinês", diz o texto da "The Economist".

Sinais – Apesar das críticas, o artigo também aponta que nas últimas semanas, o governo brasileiro deu alguns sinais de que está voltando a ter uma política econômica mais clara. Para conter a inflação, o Banco Central aumentou a taxa básica de juros, "embora mais aumentos serão necessários para reestabelecer a credibilidade perdida", destaca a publicação. (Folhapress)

Os avanços da Lei dos Portos CNI afirma que lei trará eficiência na gestão dos terminais, segundo as melhores práticas internacionais.

A

Confederação Nacional da Indústria (CNI) avalia que a Lei 12.815/13, a Lei dos Portos, publicada na última quartafeira é fator determinante para que o País inaugure um ciclo de expansão da infraestrutura portuária e novos padrões de eficiência na gestão dos terminais, já que oferece ao setor privado regras compatíveis com as melhores práticas do mercado internacional. "O Brasil passa a dispor de um marco regulatório moderno, capaz de estimular os investimentos necessários para construir um sistema portuário compatível com o tamanho de sua economia", disse a entidade, por meio de nota. A CNI destaca que a nova Lei dos Portos contribuirá para eliminar os gargalos dos portos, elevando o potencial de crescimento da economia, gerando empregos, renda e riqueza. A entidade também destaca que o novo marco regulatório também avança ao garantir a concorrência entre operadores do setor, que resultará na redução de custos. "A recuperação da deteriorada infraestrutura portuária e a adoção de práticas modernas de gestão nos terminais são essenciais para recuperar a competitividade do setor produtivo nacional." A confederação também

Alex Almeida/Folhapress

Porto de Santos: entidade da indústria diz que País ganhou um marco regulatório moderno.

elogiou o veto ao conceito de terminal-indústria, que opera carga própria, avaliando como sendo um dos principais avanços garantidos pela lei. Para a CNI, a antiga exigência foi um dos principais fatores que levou à paralisia de investimentos no setor portuário. "A permissão para que novos operadores de terminais possam transportar cargas de terceiros elimina a inusitada proibição, só existente no Brasil, de restrição à movimentação da carga de terceiros. Além disso, compatibiliza a legislação brasileira com a de outras potências comerciais." Força Sindical – A Força Sindical definiu como "clara de-

monstração de falta de bom senso" com a sociedade brasileira e ato "extremamente desleal" com os trabalhadores os vetos que a presidente Dilma Rousseff fez à Medida Provisória 595, que deu origem a Lei dos Portos. "A MP, que já era ruim, ficou muito

Standard & Poor's revisa rating do País

A

Revista The Economist usou de ironia para criticar o governo brasileiro e a condução da economia

pior com os vetos", diz nota assinada pelo presidente da entidade, o deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP). O documento ressalta que os portuários "irão reforçar a luta" para derrubar os vetos de Dilma no Congresso. (Agências)

de R$ 155,9 bilhões em 2013, de acordo com os parâmetros da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), 2013. Para 2014, a autoridade monetária admite como hipótese o total de R$ 167,4 bilhões de superávit primário, segundo os parâmetros constantes do Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO) 2014. Na reunião na semana passada, dando prosseguimento ao ajuste da taxa básica de juros, o Copom decidiu, por unanimidade, elevar a taxa Selic para 8,00% ao ano, sem viés. O Comitê avalia que essa decisão contribuirá para colocar a inflação em declínio e assegurar que essa tendência persista no próximo ano. (Estadão Conteúdo)

agência de classificação de crédito Standard & Poor's revisou ontem a perspectiva do rating soberano do Brasil em moeda estrangeira de "estável" para "negativa", citando o fraco crescimento econômico e a política fiscal expansionista. Atualmente, a nota da S&P de longo prazo atribuída ao país é "BBB", um degrau acima do piso da faixa considerada grau de investimento. "Podemos rebaixar o rating nos próximos dois anos se o contínuo lento crescimento econômico, os fracos fundamentos fiscais e externos, e alguma perda da crebibilidade da política fiscal por sinais ambíguos na política, diminuírem a capacidade do Brasil de gerenciar um choque externo", disse a S&P. Ainda segundo a agência, atrasos na implementação de medidas para impulsionar o investimento privado, especialmente na área de infraestrutura, podem contribuir para baixa expansão do Produto Interno Bruto (PIB) neste e no próximo ano, elevando o risco de maior enfraquecimento fiscal e de aumento no custo da dívida pública. A agência afirmou, entretanto, que pode revisar a perspectiva para o rating do Brasil para "estável" caso iniciativas mais consistentes gerem maior confiança no setor privado e, portanto, maior crescimento. A S&P projeta expansão de apenas 2,5% no PIB do Brasil em 2013. O Ministério da Fazenda afirmou ontem que o Brasil está na rota do crescimento e que o governo continua a fazer um dos maiores superávits fiscais do mundo, após a agência de classificação de crédito Standard & Poor's colocar o rating soberano do país em perspectiva "negativa". (Reuters)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Apesar dos jovens terem uma renda mais baixa, eles definitivamente lideram o crescimento no mercado de smartphones. Santiago Fernández Valbuena, presidente-executivo da Telefónica para a América Latina

conomia

O GATO E A CERVEJA

E

m 1998, Steve Hindy e Tom Potter abriram as portas, no famoso e charmoso bairro do Brooklyn, em Nova York, da cervejaria Brooklyn Brewery. Logo que abriram, ganharam, em 1999, a companhia de um gato, que apelidaram de Monster, monstro em tradução literal. O gato passou a fazer parte do local e virou atração. Os donos que queriam criar domesticamente – coisa de chefs – bebidas diferenciadas viram na presença do bichano a oportunidade de lançarem a Monster Ale. A cerveja, homenageando o gato, caiu no gosto dos frequentadores e ganhou projeção nos últimos anos nas redes sociais como o Facebook, onde novaiorquinos não só postavam as fotos consumindo a bebida, mas também inúmeras outras do arisco bichano. Tudo ia bem até que o gato morreu em 2012, vítima de problemas de rim. Os donos ganharam a solidariedade dos frequentadores, que continuaram a consumir a bebida, mas começaram achar que o negócio em torno da Monster Ale havia perdido a graça. A cerveja sem o seu principal protagonista, acreditavam, nunca mais seria a mesma. Dividiram as dúvidas com os internautas, e estes acharam também que, sem o gato, a Monster Ale não seria mesmo a mesma. Resultado: anunciaram nesta semana, no blog da empresa, o encerra-

mento da produção da cerveja. "Depois da passagem de Monster The Cat, as coisas simplesmente não eram mais as mesmas com a Monster Ale". A decisão, simpática, humanizando a marca, virou motivo de debates nas redes sociais. Como uma empresa pode abrir mão de um produto lucrativo? Perder dinheiro? Enganam-se os incautos e incrédulos que se precipitam no mundo da comunicação comercial e do marketing. A cervejaria ganhou fãs no mundo inteiro. As vendas subiram com outros produtos e camisetas com a marca Brooklyn Brewery começaram a ser vendidas com sucesso nas redes sociais. Uma marca da empresa se foi. Há filas em redes de bebidas, inclusive no Brasil, para comprarem as garrafas, as últimas a serem produzidas depois que o gato literalmente subiu no telhado. E a marca ganhou mais fôlego, o fôlego de um gato para viver mais sete vidas com novos e renovados produtos. Os gatos, brincava Edgar Alan Poe, têm vida longa. E uma boa estratégia de marketing, pode sim, nascer da simpatia que uma marca é capaz de angariar. A decisão foi tremendo acerto. Não se pode estranhar se a pequena cervejaria, agora conhecida mundialmente, for brevemente adquirida. A AmBev, que tem fôlego de sete gatos, em breve pode anunciar a compra. Que ninguém diga, na hora H, que não sabia.

HAJA CORAÇÃO

M

eu Coração Torcedor é o aplicativo desenvolvido pela Topper para que cada torcedor brasileiro, por meio de respostas lúdicas, possa acompanhar as curvas do seu coração de forma interativa e divertida. Os interessados devem acessar a página da Topper no Facebook APLICATIVO para medir a emoção do torcedor (https://www.facebook.com/TopperBrasil) e preencher o nome do clube do coração, o ano em que começou a torcer, seu nível de fanatismos e se torce em casa ou no estádio. A criação é da Possible, unidade da Grey141, com direção geral de criação de Pedro Cappeletti.

ENSAIO DE ORQUESTRA

P

ara diversificar o público da Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB), que atualmente é em média de mais de 65 anos, a agência Artplan, da família Medina, desenvolveu uma campanha para mídia digital com o mote "Música clássica. Você já gostava e não sabia". Foram selecionadas quatro trilhas do compositor John Williams — os clássicos dos filmes BOM gosto para os ouvidos e para a alma E.T., Tubarão, Indiana Jones e Star Wars, que levaram uma mensagem inusitada ao público. Ao acessar o YouTube e procurar por esses vídeos, o internauta se deparava com o banner "Aumente o som e a tela". Ao ampliar a imagem, o usuário visualizava que por trás da trilha estava a OSB. Com esta ação, a orquestra comprovou que a música clássica é parte da vida de todos e que bom gosto é só uma questão de conhecimento.

BOQUINHA

A

Fotos: Divulgação

SOPA da Knorr Quick para aplacar a fome

Borghi/Lowe é a responsável pela criação da nova campanha para as sopas instantâneas Knorr Quick, da Unilever, que começou a veicular na Argentina e estreia esta semana na Bolívia e Uruguai, e em breve no Paraguai. Knorr Quick é uma sugestão da Unilever para acalmar a fome antes da refeição principal, exatamente naquele momento em que dá vontade de 'beliscar' algo enquanto a comida não fica pronta.

VARIEDADE

Envie informações para esta coluna. E-mail: carlosfranco@revista publicitta. com.br

A

variedade de sabores do Club Social é o tema central da nova campanha da marca, desenvolvida pela Giovanni+Draftfcb. O filme Variedade mostra um garoto que, acompanhado da namorada, não resiste e aprecia outras garotas que cruzam seu caminho. As cenas são acompanhadas por uma narração sobre como é difícil se apegar a apenas um sabor de Club Social e que sempre há a vontade de provar os outros.

PARA alguns, apenas um sabor de Club Social é pouco.

Telefónica está de olho nos smartphones para jovens O avanço da oferta de dados móveis para brasileiros entre 18 e 30 anos é a aposta da empresa para aumentar a rentabilidade

O

s jovens de 18 a 30 anos de idade lideram o crescimento do rentável mercado de smartphones no país, disse ontem o presidente-executivo da Telefónica para a América Latina, Santiago Fernández Valbuena. Esses jovens, os chamados "millenials", são motores importantes para o crescimento de oferta de dados móveis, por meio de smartphones, um segmento que as operadoras de telefonia tem buscado crescer por conta de maior rentabilidade. "Apesar dos 'millenials' terem uma renda mais baixa, eles definitivamente lideram o crescimento no mercado de smartphones", afirmou Valbuena a jornalista. Esses jovens respondem por cerca de 25% da receita da Telefónica Brasil, de acordo com o executivo. Valbuena participou de uma conferência (Financial Times-Telefónica Mi llen nia ls) em que foram apresentados os resultados de uma pesquisa sobre o impacto da chamada geração do milênio na sociedade. Encomendado pela Telefónica em parceria com o Financial Times, o levantamento mostrou a percepção desse

Divulgação

3,263 bilhões de euros foi o faturamento da Telefónica no Brasil no primeiro trimestre

Valbuena, da Telefónica, afirmou que hoje os jovens respondem por 25% da receita da Telefónica Brasil. grupo de pessoas em relação a temas como empreendedorismo, otimismo com o futuro e tecnologia. No Brasil, cinco em cada seis habitantes não possui telefone inteligente. Com margens mais altas, os aparelhos representam uma fonte de geração de receita cada vez mais importante para as operadoras, em um cenário de alta penetração dos celu-

lares comuns. Faturamento – Valbuena disse que o País deve seguir liderando o faturamento global da operadora de telefonia. "Esse crescimento não é apenas uma questão de mérito, mas de tendência", afirmou, após participar de entrevista durante o evento. Segundo ele, a tendência do Brasil de liderar a receita das operações da empresa no

mundo ocorre pelo fato de o mercado local apresentar expansão quando comparado a outros países e de a Espanha estar em recessão. Até o ano passado, a matriz liderava o faturamento da companhia. No primeiro trimestre, o faturamento da Telefónica no Brasil totalizou 3,263 bilhões de euros, representando 23,07% da receita global, enquanto os resultados da Espa-

nha atingiram 3,260 bilhões de euros, uma representatividade de 23,05%, conforme o último balanço da empresa. O crescimento do mercado brasileiro levou a companhia a transferir a sede das operações da região da América Latina para o Brasil. Segundo Valbuena, uma equipe de 200 pessoas vai comandar as operações a partir de São Paulo. "Já está tudo transferido", disse o executivo. No total, cerca de 80 pessoas foram transferidas de Madrid para São Paulo neste processo. Sobre o IPO (Initial Public Offering, na sigla em inglês) das operações da America Latina ou listagem dos ativos da região sobre a filial brasileira, que chegou a ser analisado pela empresa no ano passado, ele evitou fazer comentários. (Agências)

Twitter e WPP juntas pelo consumidor

O

Twitter e a WPP, maior agência de publicidade do mundo, se uniram para direcionar melhor a publicidade, usando dados do consumidor. A parceria estratégica, anunciada ontem, significa que a WPP e suas agências, como a GroupM e Kantar, vão usar os dados do Twitter para entender o comportamento do cliente, para identificar onde gastar seus dólares de propaganda. "A relevância do Twitter continua a crescer – e não apenas como plataforma social, mas como janela sobre as atitudes e comportamentos dos consumidores em tempo real", disse o presidenteexecutivo da WPP, Martin Sorrell, em nota. Com mais de 200 milhões de usuários, o Twitter tem feito esforços nos últimos meses para cortejar a Madison Avenue como forma de aumentar a sua receita para melhor competir com os rivais Facebook e Google. Em abril, o Twitter iniciou parceria de centenas de milhões de dólares com o Grupo Starcom MediaVest, do Publicis Groupe. (Reuters)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013

17

Fortec S/A Participações e Empreendimentos CNPJ/MF nº 50.615.301/0001-06

Relatório da Administração Senhores Acionistas, Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, submetemos à V. Sas. as Demonstrações Financeiras relativas ao exercício social e encerrado em 31 de dezembro de 2012. O respectivo Relatório dos Auditores Independentes acompanhado de notas explicativas e Parecer do Conselho Fiscal também estão disponíveis na sede da empresa para consulta. A Administração. Balanços Patrimoniais para os Exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 (Em R$ mil) 2012 2011 Contro- Conso- Contro- ConsoControAtivo Nota ladora lidado ladora lidado Passivo e Patrimônio líquido Nota ladora Circulante (reclassificado) Circulante Caixa e equivalentes de caixa 2 2.860 2 6.109 Empréstimos e financiamentos 9 – Contas a receber 3 – 20.014 – 26.898 Fornecedores – Estoques 4 – 22.472 – 18.309 Impostos e contrib. sociais 26 Impostos a recuperar 110 2.250 – 1.486 Obrigações trabalhistas 39 Outros créditos 398 5.861 501 3.024 Adiantamento de clientes – Despesas antecipadas – 426 – 472 Provisão garantias – Total do circulante 510 53.883 503 56.298 Dividendos a pagar 1.150 Obrig. por Compra de Ações – Outras contas a pagar 36 Não circulante 1.251 Impostos a recuperar – 1.124 – 1.415 Total do circulante Impostos diferidos 5 – 19.637 – 10.313 Não circulante Empréstimos e financiamentos 9 – Outros créditos 6 – 14.855 – 13.547 Prov.proc.Judiciais/Perdas Proj. 10 – Partes relacionadas 1 – – – Impostos parcelados 11 – Investimentos 7 37.670 – 62.166 125 Provisão ICMS – Imobilizado e intangível 8 – 68.389 5 64.057 Dividendos a pagar – Total do não circulante 37.671 104.005 62.171 89.457 Outras contas a pagar – Partes relacionadas 12 5.616 Total do não circulante 5.616 Patrimônio líquido Capital social 10.000 Ações em Tesouraria 13d (1.096) Reservas de capital 3.241 Aj. de aval. patrimonial 13a/b 36.436 Prejuízos acumulados (17.267) Total Patrim. líq. controlador 31.314 Minoritários – Total do Patrimônio líquido 31.314 38.181 Total do Ativo 38.181 157.888 62.674 145.755 Total do Passivo e Patrim. líquido

2012 Consolidado 29.739 29.614 11.147 9.121 3.775 169 1.150 – 4.586 89.301 25.424 12.625 8.957 2.189 – – – 49.195 10.000 (1.096) 3.241 36.436 (31.382) 17.199 2.193 19.392 157.888

2011 Contro- Consoladora lidado (reclassificado) – 26.698 – 10.064 18 3.413 16 5.575 – 24.186 – 551 1.511 1.512 1.096 1.096 33 3.682 2.674 76.777 – – – – 1.300 – 10.331 11.631

23.568 1.623 5.863 153 1.300 133 – 32.640

10.000 10.000 (1.096) (1.096) 3.241 3.241 38.256 38.256 (2.032) (16.147) 48.369 34.254 – 2.084 48.369 36.338 62.674 145.755

Demonstrações das Mutações do Patrimônio Líquido para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 (Em R$ mil) Capital Reservas Ações em Avaliação Prejuízos Participação Social Capital Tesouraria Patrimonial Acumulados Total Minoritários Saldos em 31 de dezembro de 2010 10.000 3.241 – 41.285 5.038 59.564 2.827 Realização de reserva de aj. patrimonial – – – (3.029) 3.029 – – Transf. Reserva para Dividendos a Pagar – – – – (1.550) (1.550) – Ações em Tesouraria – – (1.096) – – (1.096) – Aj. retrospec. da rev. da vida útil dos bens – – – – 2.964 2.964 – Efeito particip. de minorit. nas controladas – – – – – – (271) Lucro/(Prejuízo) do período – – – – (25.628) (25.628) (472) Saldos em 31 de dezembro de 2011 10.000 3.241 (1.096) 38.256 (16.147) 34.254 2.084 Realização de reserva de aj. patrimonial – – – (1.820) 1.820 – – Efeito particip. de minorit. nas controladas – – – – – – 281 Lucro/(Prejuízo) do período – – – – (17.055) (17.055) (172) Saldos em 31 de dezembro de 2012 10.000 3.241 (1.096) 36.436 (31.382) 17.199 2.193

Total 62.391 – (1.550) (1.096) 2.964 (271) (26.100) 36.338 – 281 (17.227) 19.392

Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis em 31 de dezembro de 2012 e 2011 (Em R$ mil reais) 1. Contexto operacional – A Fortec S/A Participações e Empreendimentos possui sua sede o avanço técnico dos equipamentos, quando se trata de equipamentos de longo prazo.A receita na Rua Cel. José Rufino Freire, 453 – São Paulo – SP, tendo como objeto social: a) participar é mensurada pelo valor justo da contrapartida recebida ou a receber, líquida de descontos de outras sociedades, seja como controladora, seja como coligada, seja ainda, como sócia, e impostos relacionados a vendas cobrados em nome do governo Brasileiro. Para receitas acionista ou cotista; b) intermediar e garantir operações, podendo prestar aval ou fiança em de contrato de construção (longo prazo), utilizamos o método do custo incorrido, por julgar contratos ou títulos de responsabilidade de suas controladas. No ano de 2012 o mercado mais adequado às suas operações em relação a contratos de longo prazo; para determinar de atuação das empresas do grupo ainda esteve tímido, assim, foram implantadas diversas o estágio de execução dos contratos em andamento: também o método do custo incorrido ações de reestruturação de forma a reduzir os custos (redução de funcionários, revisão de acumulado, atualizado mês a mês. Periodicamente temos que consultar coordenadores de contratos de serviços e etc) e alongar as dívidas bancárias. Para 2013 estamos buscando contrato para verificar ocorrência de encerramento de projetos. 2.12. Imposto de Renda e aumento da liquidez, através de novos negócios e novas operações financeiras. Estaremos Contribuição Social: Fortec e empresas optantes pelo lucro presumido: Em 31/12/2012 e também focando nos negócios de maior rentabilidade e continuamos reduzindo custos e 2011 foi calculado pelo método do lucro presumido (empresa controladora), sendo as bases despesas. Houve alteração da estrutura societária: A Combustol Tratamento de Metais Ltda. de cálculo do Imposto de Renda e Contribuição Social determinadas mediante aplicação do (CTM) incorporou, em outubro-2012, a SCP de Tratamento Térmico criada com a Combustol percentual, sobre a receita bruta trimestral. Sobre esta base de cálculo e demais receitas Industria e Com Ltda. (CIC) em 2011, passando a ser a empresa operacional neste mercado operacionais incidem a alíquota de 15% de Imposto de Renda, acrescida de 10% de adicional em São Paulo. Para viabilizar esta transação a Combustol reduziu sua dívida com a Metalpó de Imposto de Renda sobre a base de cálculo superior a R$ 60.000 e alíquota de 9% para a Industria e Com. Ltda. (MIC) cedendo créditos que detinha na Combustol Tratamento de Metais Contribuição Social sobre o Lucro Líquido. 2.13. Custos e despesas: Reconhecidas por regime Ltda. A MIC integralizou estes créditos no capital da empresa e tornou-se majoritária. Em de competência. 2.14. Imposto de Renda e Contribuição Social: Empresas optantes pelo operação semelhante, a CIC reduziu sua dívida com a MIC, cedendo crédito que detinha na lucro real: O imposto diferido é calculado pelas alíquotas que se espera que sejam aplicadas Combustol Minas Ind e Com Ltda. Este capital foi então registrado como adiantamento para ao lucro tributável (prejuízo fiscal) dos períodos nos quais se espera que o imposto diferido futuro aumento de capital na Combustol Minas. ativo seja realizado ou que o imposto diferido passivo seja liquidado, com base nas alíquotas 2. Base de elaboração e políticas contábeis – As principais políticas contábeis aplicadas que tenham sido promulgadas ou substantivamente promulgadas até o final do período de na elaboração das demonstrações contábeis são apresentadas a seguir. Estas políticas foram relatório. O imposto de renda e Contribuição Social são calculados pelo método do lucro real, consistentemente aplicadas a todos os exercícios apresentados, salvo indicação em contrário. ou seja, para o imposto de renda, 15% (quinze por cento) sobre o lucro contábil, ajustado pelas O exercício social da empresa é de 01 de janeiro a 31/12/cada ano. 2.1. Base para prepara- adições, exclusões e compensações de prejuízos fiscais previstas na legislação fiscal, com um ção: As demonstrações contábeis foram elaboradas de acordo com a Norma Internacional de adicional de 10% sobre o lucro real superior a R$ 240.000, e para a Contribuição Social, 9% Relatório Financeiro para Pequenas e Médias Empresas emitidas pelo Conselho de Normas sobre o lucro contábil, ajustado pelas adições, exclusões e compensações de bases negativas Internacionais de Contabilidade (IASB) adaptadas para a legislação brasileira, quando aplicável. previstas na legislação fiscal. As demonstrações contábeis estão apresentadas em milhares de reais, exceto quando estiver 3. Contas a receber 2012 2011 expresso em outra moeda. 2.2. Consolidação: (a) Demonstrações contábeis consolidadas: Consolidado Consolidado As seguintes políticas contábeis são aplicadas na elaboração das Demonstrações contábeis Combustol Ind. 11.788 18.012 consolidadas. Controladas: Controladas são todas as entidades nas quais a Empresa tem o Metalpó Ind. 6.671 7.440 poder de determinar as políticas financeiras e operacionais, geralmente acompanhada de Brastempera 658 740 uma participação de mais do que metade dos direitos a voto (capital votante). Transações Combustol Minas 897 706 entre Empresas, saldos e ganhos não realizados em transações entre empresas do Grupo 20.014 26.898 são eliminados. Os prejuízos não realizados também são eliminados a menos que a operação 4. Estoques 2012 2011 forneça evidências de uma perda (impairment)t do ativo transferido. As políticas contábeis das Consolidado Consolidado controladas são alteradas quando necessário para assegurar a consistência com as políticas Produtos Acabados 4.033 3.564 adotadas pela Empresa. (b) Demonstrações contábeis individuais: Nas Demonstrações Produtos em Elaboração 3.461 6.382 contábeis individuais as controladas são contabilizadas pelo método de equivalência patri- Matéria Prima 1.820 3.364 monial. Os mesmos ajustes são feitos tanto nas Demonstrações contábeis individuais quanto Almoxarifado 486 502 nas Demonstrações contábeis consolidadas para chegar ao mesmo resultado e patrimônio Prov. Perdas de Estoque (240) (197) líquido atribuível aos acionistas da controladora. 2.3. Transações em moeda estrangeira: Adiant. Fornecedores 12.912 4.694 Transações e saldos: As transações em moeda estrangeira são convertidas para a moeda 22.472 18.309 funcional utilizando as taxas de câmbio em vigor nas datas de fechamento de balanço. 2.4. 5. Impostos diferidos – Os impostos diferidos referem-se a crédito de prejuízo fiscal e Caixa e equivalentes de caixa: Na demonstração dos fluxos de caixa, caixa e equivalentes de diferenças temporárias. caixa inclui caixa, depósitos em bancos, chamada, como outros investimentos de curto prazo 2012 2011 de alta liquidez com vencimentos originais de três meses ou menos e valores descobertos Consolidado Consolidado bancários. No balanço, os valores descobertos bancários quando relevantes, são apresentados Combustol Ind. 10.299 1.190 dentro de empréstimos no passivo circulante. 2.5. Contas a receber de clientes e outras: As Metalpó Ind. 3.020 2.805 vendas das empresas do grupo são efetuadas com base em prazos normais de crédito, e as Combustol Equipamentos 6.318 6.318 contas a receber não estão sujeitas a juros, exceto nas operações de vendas de equipamentos, 19.637 10.313 que, contudo apresentam seus valores registrados pelo valor liquido de realização. Ao final Seguem quadros com esclarecimentos sobre impostos diferidos na Combustol Ind, empresa de cada período de relatório, os valores contábeis de contas a receber de clientes e outras que apresentou maior variação e maior valor no saldo consolidado: são revistos para determinar se há qualquer evidência objetiva de que os valores não são 2012 2011 recuperáveis. Se houver evidência, uma perda por redução ao valor recuperável é reconhecida Valores para Compensação Futura: imediatamente em lucros e perdas. Contas a receber em moeda estrangeira são convertidas Ativo de imposto diferido Ativo de imp. diferido a ser recuperado em até 12 meses 1.279 – para Reais utilizando-se a taxa de câmbio vigente na data do relatório. Ganhos e perdas de 9.020 1.190 câmbio são incluídos em outras receitas ou outras despesas. 2.6. Estoques: Estoques são Ativo de imp. diferido a ser recuperado depois de 12 meses 10.299 1.190 apresentados pelo menor valor entre o custo e o preço de mercado menos custos para concluir Em 31 de dezembro de 2012 a venda e foram avaliados ao custo médio de aquisição. Produtos acabados e em processo Movimentação Líquida Saldo Saldo são compostos de custo de materiais, mão de obra direta e outros custos diretos e indiretos Ativo de imposto diferido Inicial Constituição Reversão Final de fabricação. 2.7. Imobilizado: Os terrenos e edifícios são apresentados ao valor justo, com Prej. Fiscais e bases negativas 1.190 9.109 – 10.299 base em avaliações externas de valores independentes, menos depreciação subseqüente 1.190 9.109 – 10.299 para edifícios. Todos os outros bens, instalações e equipamentos são demonstrados pelo Total de ativos de imp. diferidos Em 31 de dezembro de 2012 custo histórico menos a depreciação. O custo histórico inclui despesas que são diretamente 2013 1.279 atribuíveis à aquisição dos itens. Terrenos não são depreciados. A depreciação de outros ativos 1.418 é calculada pelo método linear para alocar seu custo ou valor reavaliado aos seus valores 2014 2015 1.443 residuais durante sua vida útil estimada, como segue: 2016 1.474 Anos 1.502 Edifícios e Construções 40 2017 2018 1.532 Obras e Benfeitorias 40 2019 1.560 Veículos 5 91 Móveis e Utensílios 20 2020 10.299 Computadores e Periféricos 5 Total Evento subsequente: Após decisão judicial, parte dos passivos (fornecedores) já não são Software 5 Instalações 20 por nós devidos e serão revertidos do custo/fornecedores em Abril de 2013, no valor total Máquinas e Equipamentos 25 de R$ 8,2 milhões. 2012 2011 Instrumentos de Medição e Controle 25 6. Outros creditos Consolidado Consolidado Ferramentas 5 2.938 2.938 Se houver uma indicação de que houve uma mudança significativa na taxa de depreciação, na Ações Eletrobrás 10.498 9.179 vida útil ou no valor residual de um ativo, a depreciação desse ativo é revista prospectivamente. Adiantamento a Fornecedores (RTA) 309 243 2.8. Refazimento das demonstrações contábeis: As demonstrações contábeis relativas ao Depósitos Judiciais e Cauções 1.064 1.075 exercício findo em 31/12/2011, originalmente apresentadas em 15/03/2012, estão sendo Depósito Judicial INSS 46 112 reapresentadas com o objetivo de registrar os efeitos do reconhecimento da alteração das Outros 14.855 13.547 vidas úteis do ativo imobilizado que acabaram por afetar o resultado do exercício de 2011 2012 2011 originando os impactos sobre o balanço patrimonial e demonstração de resultados original- 7. Investimentos Controladora Controladora mente apresentados, conforme coluna de “reclassificado” destas demonstrações. 2.9. Testes (5.950) 20.171 de realização dos ativos (Impairment Test): t Ao final de cada exercício social, o imobilizado Combustol Indústria e Comércio Ltda. 5.139 3.773 e os estoques são é revistos para determinar se há qualquer indicação de que esses ativos Brastempera Beneficiamento de Metais Ltda. 21.240 20.229 sofreram uma perda por redução ao valor recuperável. Se houver indicação de um problema Metalpó Indústria e Comércio Ltda. 14.602 14.444 de recuperação, o valor recuperável de qualquer ativo afetado (ou grupo de ativos relacionados) Pillard do Brasil Indústria e Comércio Ltda. 12.606 12.308 é estimado e comparado com o seu valor contábil. Se o valor recuperável estimado for menor, Combustol Tecnaer Cerâmica Avançada Ltda. 1.994 5.132 o valor contábil é reduzido ao seu valor recuperável estimado e uma perda por redução ao Combustol Tratamento de Metais Ltda. (13.434) (11.906) valor recuperável é reconhecida imediatamente em lucros e perdas. 2.10. Contas a pagar a Combustol Equipamentos Ind. e Com. Ltda. 105 105 fornecedores: Contas a pagar a fornecedores são obrigações com base em prazos normais AGI Automação e Gerenciamento Industrial Ltda. 36.302 64.256 de crédito e não estão sujeitas a juros. Contas a pagar a fornecedores denominados em moeda – 2 estrangeira são convertidas para Reais utilizando-se a taxa de câmbio vigente na data do Outros investim. não avaliados pela equival. 36.302 64.258 relatório. Ganhos e perdas de câmbio são incluídos em outras receitas ou outras despesas. Total dos Investimentos (Ativo) 2.11. Reconhecimento de receitas: A receita da venda de produtos é reconhecida quando Combustol Minas Tratamento Térmico Ltda. 1.368 (2.092) os produtos são entregues e a propriedade é transferida. A receita da venda de serviços é Total dos Investimentos (Passivo) 1.368 (2.092) reconhecida quando os serviços são prestados e a propriedade é transferida ou de acordo com Total dos Investimentos 37.670 62.166

Empresa (a) Combustol Indústria e Comércio Ltda. (b) Brastempera Beneficiamento de Metais Ltda. (c) Metalpó Indústria e Comércio Ltda. (d) Pillard do Brasil Indústria e Comércio Ltda. (e) Combustol Tecnaer Cerâmica Avançada Ltda. (f) Combustol Tratamento de Metais Ltda. (g) Combustol Equipamentos Ind. e Com. Ltda. (h) AGI Automação e Gerenciamento Industrial Ltda. Outros investimentos não avaliados pela equivalência (i) Combustol Minas Tratamento Térmico Ltda.

Patrimônio Líquido (6.041) 5.139 23.798 14.604 12.607 15.610 (13.704)

Participação Acionária 98,50% 99,99% 89,25% 99,99% 99,99% 9,53% 98,03% 40%

1.368

99,99%

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA

EXTRATO DE CONTRATO. PROCESSO LICITATÓRIO N° 43/2013 DISPENSA N° 04/2013. CONTRATANTE: Prefeitura do Município de Andradina. Objeto: Prestação dos serviços técnicos de informática relativos à cessão de informações do banco de dados do DETRAN para o processamento de multas de trânsito referentes ao município de Andradina/SP. DO PAGAMENTO: O pagamento à contratada será efetuado em 03 (três) dias do mês seguinte ao da prestação dos serviços. DO PRAZO DE EXECUÇÃO: Conforme contrato e pelo período de 12 (doze) meses. CONTRATADO: COMPANHIA DE PROCESSAMENTO DE DADOS DO ESTADO DE SÃO PAULO - PRODESP. VALOR DO CONTRATO: R$ 16.696,80 (dezesseis mil, seiscentos e noventa e seis reais e oitenta centavos). DATA DO CONTRATO: 13 de maio de 2013. JAMIL AKIO ONO – Prefeito.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP PROCESSO LICITATÓRIO Nº 27/13 - PREGÃO Nº 17/13 Termo de Homologação. Processo Licitatório 27/13. Pregão 17/13. Objeto: Aquisição de concreto betuminoso usinado a quente – CBUQ, emulsão ligante RR 1 C e pedra brita. Considerando a adjudicação constante da ata dos trabalhos da sessão pública de julgamento, lavrada pelo Sr. Pregoeiro, designada pela Portaria nº 029, de 03/01/2013; e a regularidade do procedimento, hei por bem, com base na Lei Federal nº 10520, de 17 de julho de 2002, Homologar, os itens do objeto licitado, às empresas abaixo delineadas e determinar que sejam tomadas as providências ulteriores. Demop Participações Ltda. Via Vicinal Dr. Paulo de Godoy Moreira, s/nº, Km 8.5 – Bairro Zona Rural. Itapura – SP. CNPJ (MF): 03.189.580/0007-90. Item: 01. Valor: R$ 62.700,00 (Sessenta e dois mil e setecentos reais). Casa do Asfalto Distribuidora, Indústria e Comércio de Asfalto Ltda. Rodovia BR 376, s/nº – Lote 6/7/7 – A-3-1 – Gleba Patr. Marialva. Marialva – PR. CNPJ (MF): 06.218.782/0001-16. Item: 02. Valor: R$ 6.180,00 (Seis mil, cento e oitenta reais). Castilho – SP, 04 de junho de 2013. Joni Marcos Buzachero. Prefeito. A Debitar (07.06.13)

www.dcomercio.com.br

Valores em 31/12/2012 (em R$ mil) Ganho (Perda) Valor Equivalência Investimentos (17.309) (5.950) 1.366 5.139 1.011 21.240 160 14.602 298 12.606 (255) 1.994 (1.480) (13.434) – 105 (16.209) 36.302 163 1.368 (16.046) 37.670

Demonstrações dos Resultados dos Exercícios para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 (Em R$ mil) 2012 2011 ControConso- ControConsoNota ladora lidado ladora lidado (reclassificado) Receita 14 – 126.868 – 119.819 Custo dos produtos e serviços vendidos – (116.559) – (103.355) Lucro bruto – 10.309 – 16.464 (Desp.) e rec. operacionais Comerciais e administrativas (1.009) (29.137) (976) (29.014) Outras (desp.) rec. operac. – (364) – (13.982) Equivalencia Patrimonial (16.046) – (7.904) – Resultado operac. antes do resultado financeiro (17.055) (19.192) (8.880) (26.532) Resultado Financeiro 15 – (6.236) 331 (4.489) Result. operac. após o resul. financ. e antes da tributação (17.055) (25.428) (8.549) (31.021) Imp. de renda/contrib. social – (780) – (987) IRPJ/CSSL diferidos – 9.325 – 6.380 Prejuízo do exercício (17.055) (17.055) (8.549) (25.628) Minoritários (172) – (443) Acionista Controlador – (16.883) – (25.185) Objeto social principal das empresas: (a) fabricação e comércio de equipamentos e peças industriais e especialmente fornos, máquinas, equipamentos de combustão e correlatos; estufas, ventiladores e exaustores; geradores de gases quentes e gases industriais; trocadores de calor; quadros e comando de distribuição de força; serviços de caldeiraria, tratamento térmico para terceiros; serviços de engenharia e de instalação; aplicativos para automação e supervisão de fornos industriais ou equivalentes; peças refratárias especiais; (b) prestação de serviços de industrialização de tratamento térmico de metais; (c) fabricação e comércio de peças sinterizadas e pós metálicos; (d) locação de bens imóveis; (f) locação de bens móveis e tratamento térmico de metais; (g) novos negócios, Equipamentos da área de Siderurgia, Metalurgia e Petroquímica; (h) sistemas de automação e gerenciamento industrial (sem informações atualizadas). 8. Imobilizado e intangível 2012 2011 Taxas de Deprec. Valor Valor deprec. Custo acumul. residual residual Bens em Operação (reclassif.) Imóveis 4% 31.994 – 31.994 30.640 Máq. e equipamentos 7% 55.558 (26.154) 29.404 23.051 Ferramentas 20% 891 (878) 13 19 Instalações 10% 2.253 (1.213) 1.040 1.016 Instrumentos medição e controle 7% 1.757 (1.379) 378 508 Móveis e utensílios 10% 2.149 (1.509) 640 696 Obras civis/ benfeitoria 4% 7.448 (4.657) 2.791 5.073 Comput. e Periféricos 20% 1.799 (1.586) 213 291 CM Lei 8200/91 Outros 777 (785) (8) (32) Veículos 20% 757 (556) 201 580 105.383 (38.717) 66.666 61.842 Bens Intangíveis Software 20% 4.993 (4.279) 714 936 Marcas e patentes 6 (1) 5 5 Fundo de Com./Telefone 4 (2) 2 1 5.003 (4.282) 721 942 110.386 (42.999) 67.387 62.784 Imobiliz. em andamento Obras civis em andamento 508 – 508 696 Instalações em andamento 24 – 24 190 Máq. e equiptos. em andam. 494 – 494 577 1.002 – 1.002 1.273 111.388 (42.999) 68.389 64.057 9. Empréstimos e financiamentos Circulante Não Circulante 2012 2011 2012 2011 Consolidado Consolidado Capital de Giro 20.755 27.434 25.658 24.131 Arrendamento Mercantil 95 215 21 118 Finame 1.507 637 2.767 3.805 Importações/ Compras 1.106 2.274 109 100 Antecipações de Clientes 10.093 – – – Juros a Transcorrer (3.817) (3.862) (3.131) (4.586) 29.739 26.698 25.424 23.568 A Empresa mantém os contratos com detalhes sobre a finalidade, prazo e garantias dos financiamentos na tesouraria, disponíveis para consulta. As taxas contratadas variam de 4,5% ao ano a 20,2% ao ano. 10. Processos judiciais e perdas diversas – A Empresa é parte em ações judiciais e processos administrativos perante vários tribunais e órgãos governamentais, decorrentes do curso normal das operações, envolvendo basicamente questões tributárias e trabalhistas. A Administração da Empresa, com base em informações de seus assessores jurídicos e na análise das demandas judiciais pendentes, constituíram provisão em montante considerado suficiente para cobrir as perdas estimadas como prováveis para as ações em curso, como segue: 2012 2011 Consolidado Consolidado Processos trabalhistas 2.148 1.062 Processos fiscais 171 561 Provisão para perdas com clientes 10.306 – 12.625 1.623 Os valores relativos a causas trabalhistas estão disponíveis nos relatórios dos advogados entregues à auditoria. A provisão de perda em clientes e/ou fornecedores registrada na Combustol refere-se às causas ajuizadas ou não. 11. Impostos parcelados – As controladas, Combustol Indústria e Comércio Ltda. e Metalpó Indústria e Comercio Ltda. aderiram ao Refis IV. Além do REFIS, outros parcelamentos adicionais têm sido realizados – referentes a impostos como PIS, COFINS, INSS e ISS – em um prazo médio de 60 meses. 12. Partes relacionadas 2012 2011 Controladora Controladora Metalpó Ind. 711 9.243 Brastempera (58) (58) Pillard do Brasil 37 38 Combustol Ind. 412 497 Combustol Tratamento 781 481 Combustol Tecnaer 3.733 130 5.616 10.331 Thales Lobo Peçanha – Diretor Presidente

Demonstrações dos Fluxos de Caixa para os exercícios findos em 31 de dezembro de 2012 e 2011 (Em R$ mil) 2012 2011 Contro- Conso- Contro- Consoladora lidado ladora lidado Atividades operacionais (reclassificado) Prejuízo do exercício (17.055) (17.055) (8.549) (25.628) Despesas (receitas) que não afetam as disponibilidades IRPJ e CSLL diferidos, liquidos – (9.325) – (6.380) Depreciações e amortizações – 1.775 – 3.755 Provisão para processos judiciais – – – 29 Resultado de equivalencia 16.046 – 7.904 – (1.009) (24.605) (645) (28.224) Aumento (diminuição) de ativos Clientes/adto.clientes – (13.527) – 19.201 Impostos e CSLL correntes (110) (473) 35 526 Estoques – 5.016 – (12.049) Despesas pagas antecipadamente – 46 – (134) Outros créditos 120 (13.144) (10) (3.629) Aumento (dimin.) de passivos Fornecedores – 19.550 – (245) Impostos e CSLL correntes 8 10.828 3 (1.537) Obrigações estimadas c/ pessoal 23 3.546 (3) (715) Provisões p/ contingências/garantia 10.620 – 492 Outras obrigações 3 1.640 (27) (332) Total do aumento (diminuição) de ativos/passivos 44 24.102 (2) 1.578 Caixa gerado pelas (aplicações nas) atividades operacionais (965) (503) (647) (26.646) Atividades de investimento (Adições) reduções ao investimento – 125 – 399 (Adições) reduções ao imobilizado – (6.107) – 312 Caixa aplic. nas ativid. de invest. – (5.982) – 711 Atividades de financiamento Partes relacionadas (6.434) – 8.901 4.543 Dividendos (pagos) recebidos (1.251) (1.251) 356 356 AFAC Controlada (Combustol Ind) 8.650 – (8.650) – Empréstimos e financiamentos – 4.487 – 10.634 Caixa gerado pelas (aplicações nas) atividades de financiamento 965 3.236 607 15.533 Aum. (red.) nas disponibilidades – (3.249) (40) (10.402) Caixa e Equiv. no início do exercício 2 6.109 42 16.511 Caixa e Equiv. no final do exercício 2 2.860 2 6.109 13. Patrimônio líquido – O capital social subscrito e integralizado da Sociedade é de R$10.000 mil e é representado por 49.517.164 ações ordinárias sem valor nominal sendo 24.000.000 ordinárias e 25.517.164 ações preferenciais. a. Ajustes de Avaliação Patrimonial: São representados pela avaliação patrimonial dos ativos contabilizados em suas controladas Combustol Indústria e Comércio Ltda. e Metalpó Indústria e Comércio Ltda, em 31/12/2009 e pelas controladas Combustol Equipamentos Ind. e Com. Ltda. , Pillard do Brasil Indústria e Comércio Ltda. , Combustol Tratamento de Metais Ltda. e Combustol Tecnaer Cerâmica Avançada Ltda. em 31/12/2011. b. Realização de Reserva de Ajuste de Avaliação Patrimonial: Os saldos foram transferidos para a conta de Reserva de Ajuste de Avaliação Patrimonial.Tendo havido realização nas controladas Combustol Indústria e Comércio Ltda. e Metalpó Indústria e Comércio Ltda., cujos valores foram respectivamente, R$ 373 mil e R$ 1.052 mil, e R$ 395 mil nas demais empresas do grupo, houve reflexo também na controladora, em proporção igual à sua participação nas controladas. c. Resultado por ação 2012 2011 Consolidado Consolidado Resultado líquido do exercício (17.227) (25.628) Média ano de ações ordinárias 24.000.000 24.000.000 Média ano de ações preferenciais 25.517.164 25.517.164 Resultado por ação ordinária (em R$) (0,35) (0,52) Resultado por ação preferencial (em R$) (0,35) (0,52) d. Ações em Tesouraria: Ao final do exercício de 2011 foram compradas 1.660.000 ações de acionistas, pelo valor de custo, o que totalizou R$ 1.095.600,00 em pagamentos a serem efetuados durante o exerício de 2012 (10 parcelas). A nova estrutura societária encontra-se disponivel na Empresa, para consulta. 14. Receita 2012 2011 Consolidado Consolidado Receita operacional bruta 158.352 148.779 Deduções de vendas (31.484) (28.960) Receita 126.868 119.819 15. Resultados financeiros 2012 2011 Consolidado Consolidado Combustol Ind. (4.294) (3.586) Metalpó Ind. (2.153) (1.358) Brastemp era 215 75 Combustol Minas (213) (235) Outros 209 615 (6.236) (4.489) 16. Instrumentos financeiros – A Empresa participa de operações envolvendo instrumentos financeiros que, sem exceção, se apresentam registrados em contas patrimoniais, que se destinam a atender suas atividades operacionais. A administração desses riscos é efetuada estrategicamente através do estabelecimento de sistemas de controles e determinação de limites de posições. O valor contábil dos instrumentos financeiros da Empresa, representados principalmente por títulos e valores mobiliários em aplicações financeiras, créditos realizáveis e por Transações com Partes Relacionadas, equivalem, aproximadamente, ao seu valor de mercado na data do encerramento do balanço. A Empresa não se utiliza de instrumentos P ou que envolvam operações na modalifinanceiros em operações de troca de índices (SWAP) dade de Derivativos. 17. Cobertura de seguros (não auditado) – A Empresa possui seguros para seus ativos considerados suficientes pela sua administração em caso de sinistro. 18. Remuneração da administração – A remuneração total dos diretores e outros membros do pessoal-chave da administração em 2012 (incluindo salários e benefícios) foram de R$ 1.243.212,49 (2011: R$ 1.270.000,00), acrescida de bônus anual (correspondente a 5% do lucro líquido da Empresa para o Diretor Presidente e 1% do lucro líquido da Empresa para o Diretor Administrativo Financeiro) e de benefícios, conforme definido na política e metodologia de avaliação de cargos da Hay Group. No exercício findo em 31/12/2012 não foram distribuídos bônus a administração. 19. Passivos contingentes – As declarações de IRPJ dos últimos 5 anos encontram-se sujeitas a revisão pelas autoridades fiscais; demais impostos também estão sujeitos à revisão pelas autoridades, variando em cada imposto a prescrição. Jose Wagner Nascimento – Contador – CRC 1SP 121.008/O-7

Parecer do Conselho Fiscal Declaramos que, em cumprimento às disposições estatutárias, analisamos o Balanço Patrimo- as ressalvas e recomendaçõs constantes do mencionado relatório, estão em condições de nial da Fortec S/A Participações e Empreendimentos, levantado em 31/12/2012, e as respectivas serem apreciadas pela Assembleia Geral Ordinária de Acionistas. Demonstrações do Resultado, das Mutações do Patrimônio Líquido e dos Fluxos de Caixa, elaboSão Paulo, 13 de maio de 2013. rados sob a responsabilidade de sua Administração, acompanhados dos respectivos Pareceres – Coordenador do Conselho Fiscal da Auditoria lndependente. Em nossa opinião, baseados nestes documentos e nos exames Flávio Porta Miche Hirschfeld – Conselheiro efetuados pela empresa encarregada de realizar a Auditoria lndependente, cujas conclusões André Castello Branco Colotto – Conselheiro estão também registradas no relatório final deste Conselho, as Demonstrações Financeiras Alexandre Lobosco da Fortec S/A Participações e Empreendimentos, individuais e consolidadas, referentes ao Mauro Koiffman – Conselheiro exercício social findo em 31 de dezembro de 2012, em seus aspectos relevantes, observadas Reinaldo Franco – Conselheiro Relatório dos Auditores Independentes mamos controlada Combustol Indústria e Comércio Ltda. interrompeu o Contrato do projeto Aos Diretores e Acionistas da REGAP devido a decisão judicial. Alem disso, fez adiantamentos a uma empresa prestadora Fortec S/A Participações e Empreendimentos – São Paulo-SP Examinamos as demonstrações contábeis individuais e consolidadas da Fortec S/A Partici- de serviços de montagem no Projeto RELAM no montante de R$ 10.498 mil, que será objeto pações e Empreendimentos (“Companhia” ou “Controladora”), que compreendem o de processo judicial de cobrança. Como parte deste processo também há pleito junto a balanço patrimonial em 31/12/2012 e as respectivas demonstrações do resultado, do resultado Petrobras do projeto RLAM, cuja expectativa é de recebimento parcial do montante devido abrangente, das mutações do patrimônio líquido, dos fluxos de caixa para o exercício findo pela empresa credora. A empresa constituiu provisão no valor de R$10.307 mil. A suficiência naquela data, assim como o resumo das principais práticas contábeis e demais notas expli- desta provisão para cobrir possíveis perdas, depende do sucesso, total ou parcial nos procescativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações contábeis:A sos judiciais mencionados. 2. Sem ressalvar nossa opinião mencionamos que a controlada administração da Empresa é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas Combustol Indústria e Comércio Ltda. possui em seu ativo, contas a receber vencidas há demonstrações contábeis de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil para as mais de 180 dias no montante de R$ 4.294 mil, consideradas cobráveis pela administração pequenas e medias empresas (NBC TG 1000 do Conselho Federal de Contabilidade)e pelos da empresa. 3. Sem ressalvar nossa opinião mencionamos que as controladas A Combustol controles internos que ela determinou como necessários para permitir a elaboração de Indústria e Comércio Ltda. e Metalpó Indústria e Comércio Ltda. apresentaram projeções demonstrações contábeis livres de distorção relevante, independentemente se causada por de rentabilidade para os próximos exercícios nos quais estão baseadas em seu processo de fraude ou erro. Responsabilidade dos auditores independentes: Nossa responsabilidade é recuperação operacional, ao mesmo tempo, constituíram tributos diferidos ativos sobre a de expressar uma opinião sobre essas demonstrações contábeis individuais e consolidadas diferenças temporárias entre a base fiscal e a base contábil, e também sobre seu prejuízo com base em nossa auditoria, conduzida de acordo com as normas brasileiras e internacionais fiscal acumulado no montante de R$ 11.198 e R$3.020, respectivamente, que possuem reflexo de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de exigências éticas pelos auditores e no patrimônio líquido consolidado de R$13.662, a realização destes tributos diferidos esta que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter segurança razoável de que baseada na realização deste plano. 4. Sem ressalvar nossa opinião mencionamos que as as demonstrações contábeis estão livres de distorção relevante. Uma auditoria envolve a controladas Combustol Indústria e Comércio Ltda. e Combustol Equipamentos Ind. e Com. execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito dos valores Ltda. incorreram em prejuízo líquido de R$ 17.573 mil e R$1.509 mil durante o exercício findo e divulgações apresentados nas demonstrações contábeis. Os procedimentos selecionados em 31/12/2012 e que, naquela data, o passivo circulante da Combustol Indústria e Comérdependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção relevante cio Ltda., excede o total do ativo circulante em R$ 23.973 mil. Essas condições indicam a nas demonstrações contábeis, independentemente se causada por fraude ou erro. Nessa existência de incerteza que pode levantar dúvida quanto à capacidade de continuidade opeavaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração e racional das duas empresas controladas Combustol Indústria e Comércio Ltda. e Combusadequada apresentação das demonstrações contábeis da Companhia para planejar os proce- tol Equipamentos Ind. e Com. Ltda. Outros assuntos: 1. No exercício findo em 31 de dimentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para fins de expres- dezembro 2012 a administração das empresas do grupo Fortec S/A Participações e sar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui, Empreendimentos. fez uma revisão da vida útil dos principais bens e passou a adotar novas também, a avaliação da adequação das práticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das taxas de depreciação. Conforme mencionado na nota explicativa 2, em decorrência das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das mudanças nos cálculos adotados pela empresa, em 2012, as demonstrações contábeis demonstrações contábeis tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria referentes ao exercício anterior, apresentadas para fins de comparação, foram ajustadas e obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião com ressalva. Base para estão sendo reapresentadas, como previsto na NBC –T 19.11 – mudanças nas praticas opinião com ressalva: 1. As empresas do grupo Fortec S/A Participações e Empreendi- contábeis, nas Estimativas e Correções de Erros. 2. Conforme opinião da assessoria legal da mentos em 2010 efetuaram avaliação do custo atribuído de seus ativos imobilizados, no controlada Combustol Indústria e Comércio Ltda. no processo relativo ao Contrato do entanto, não constituíram provisão para o imposto de renda diferido sobre o valor do ajuste Projeto REGAP, a interrupção do mesmo, ocorreu devido à ação judicial promovida pelo conde avaliação patrimonial, no montante de R$ 12.344 mil. em 31/12/2012. 2. A controlada tratante, gerando uma série de desacertos, principalmente no que diz respeito aos forneceCombustol Indústria e Comércio Ltda. registrou em dezembro de 2011, no seu ativo não dores e também à questão fiscal. A decisão legal vigente obriga que as dívidas de fornecedocirculante, empréstimo compulsório da Eletrobrás no montante R$ 2.930 mil que tem como res sejam pagas diretamente pelo cliente, assim como os impostos (ICMS) relativos a estas fato gerador um processo de recuperação deste crédito, trata – se de um ativo contingente, transações. Foi depositado pelo contratante a título de caução o valor de R$ 16.123 mil desta forma, o patrimônio líquido individual e consolidado se encontram a maior neste montante. (decisão judicial) que deve também contemplar o pagamento do chamado “passivo a descoberto “ deste contrato no todo ou em parte pelo menos, muito embora isso ainda possa ser 3. As demonstrações contábeis da controladora Fortec S/A Participações e Empreendimenobjeto de discussão judicial”. 3. Conforme nota explicativa numero 05, devido ao processo tos registram operações com lucros ainda não realizados no valor de R$ 11.922 mil entre judicial mencionado no parágrafo anterior relativo ao projeto REGAP, a controlada Combustol controlada Metalpó Indústria e Comércio Ltda. e Combustol Tratamento de Metais Ltda. Indústria e Comércio Ltda. que possuía passivo contabilizado na conta de fornecedores junto Opinião com ressalva: Em nossa opinião, exceto pelos assuntos mencionados no parágrafo a Selas Linde e outros fornecedores no montante de R$8.298 mil que serão baixados contra Base para opinião com ressalva, as demonstrações contábeis acima referidas apresentam seu resultado, em decorrência da obrigação ter sido judicialmente, em abril de 2013, transadequadamente, a posição patrimonial e financeira individual e consolidada da Fortec S/A ferida ao contratante contraparte no processo mencionado. Participações e Empreendimentos em 31/12/2012, os desempenhos individual e consolidado São Paulo, 17 de abril de 2013 de suas operações e os seus fluxos de caixa individuais e consolidados para o exercício findo Marco Antonio PapiniContador naquela data, de acordo as práticas contábeis aplicáveis às pequenas e médias empresas MAP Auditores Independentes CRC nº 1SP180759/O-1 (NBC TG 1000). Ênfase: 1. Sem ressalvar nossa opinião às demonstrações contábeis, infor- CRC nº 2SP020649/O-2

Allis Participações S.A. p ç CNPJ/MF nº 08.648.295/0001-19 – NIRE 35.300.337.867-Cia. Aberta Ata da RCA Realizada em 14.05.2013 1. Data, Hora e Local: 14/05/2013, 16h30, na sede, Av. Brig. Faria Lima, 1.355, 15º, SP/SP.2. Convocação: Foram convocados os membros do Conselho de Administração da Companhia, na forma do art. 13, § 1º e seguintes do Estatuto Social da Companhia, de acordo com convocação enviada por correio eletrônico ao todos os membros do Conselho de Administração em 30/04/2013. 3. Presenças:Antonio Carminhato Junior, Cristiano Mathias Boccia e Daniel C.Cunha (sendo que os srs.Thiago Emanuel Rodrigues, Eduardo Alcalay, Danilo Gamboa e Giovanni Giovannelli enviaram sua declaração de voto ao sr.Daniel C.Cunha, conforme previsto no art. 13, § 7º do Estatuto Social da Companhia). 4. Mesa: Daniel C. Cunha, Presidente; Fabíola Ribeiro dos Santos, Secretária. 5. Deliberações: Após exame e discussão dos itens constantes da Ordem do Dia, os Membros do Conselho de Administração, tomaram as seguintes deliberações por unanimidade de votos: a. Após apresentação da Companhia e após leitura do parecer do Conselho Fiscal proferido na Reunião de 14/05/2013, os membros do Conselho manifestaram-se favoravelmente ao ITR 1T13, sendo também do parecer de que as mesmas encontram-se adequadas e em condições de serem submetidas à Comissão de Valores Mobiliários - CVM;b. aprovar, ratificar e consolidar a celebração de contratos bancários pela Cia e/ou por suas Controladas, contratos nos quais a Cia poderá figurar como garantidora/avalista, sendo que a listagem consolidada dos mesmos foi aprovada e rubricada pelos Conselheiros presentes, e ficará arquivada na sede da Companhia;c. aprovar a distribuição antecipada de lucros pela controlada indireta Allis Soluções Inteligentes emTrade e Pessoas Ltda para a controladora Allis Soluções Inteligentes S.A, no valor de até R$ 5.500.000,00; d. aprovar que sejam tomadas as medidas necessárias para cumprimento das demais deliberações constantes dessa ordem do dia; e. autorizar a lavratura desta ata em forma de sumário, nos termos do art. 130 e seus §§ da Lei 6.404/76. 6. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foram encerrados os trabalhos e lavrada esta Ata, em forma de sumário, a qual, depois de lida e achada conforme, foi aprovada e assinada pelos presentes. Ass.: Antonio Carminhato Junior, Cristiano Mathias Boccia, Danilo Gamboa, Thiago Emanuel Rodrigues, Eduardo Alcalay, Giovanni Giovannelli, Goldwasser P. Santos Neto. Certidão: A presente é cópia fiel e confere com o original lavrado em livro próprio. Fabíola Ribeiro dos Santos-Secretária. Jucesp nº 206.844/13-0 em 03/06/2013. Gisela Simiema Ceschin-Secretária Geral.

PREFEITURA MUNICIPAL DE CASTILHO/SP PROCESSO LICITATÓRIO 43/13 - TOMADA DE PREÇOS 05/13 Objeto: Contratação de empresa de engenharia para construção de quadra poliesportiva, no Assentamento Terra Livre, relativo ao Contrato de Repasse 765939/2011, celebrado com a União, por intermédio do Ministério do Esporte, representada pela Caixa Econômica Federal. Edital de Rerratificação. Considerando a ausência de publicação no Diário Oficial da União, decide: 1 - Fica alterada a data constante no item 2.1 do edital, prevista para a realização do certame supra, para 24 de junho de 2013, às 9 horas. 2 - Fica alterada a data constante no item 3.2 do edital, para a 17 horas do dia 21 de junho de 2013. 3 - As demais cláusulas e condições permanecem inalteradas. Castilho - SP, 06 de junho de 2013. Joni Marcos Buzachero - Prefeito. A Debitar (07.06.13)

Calhas Kennedy Indústria e Comércio Ltda torna público que recebeu da CETESB a Licença Prévia e de Instalação N° 33000664 e requereu a Licença de Operação para Relaminados, trefilados e retrefilados de aço; produção de à Rua Laguna, 1113, Santo Amaro, São Paulo.

EDITAL DE CHAMAMENTO DE LAÉLIO LUZ FILHO E IUÁ CLÁUDIA MATTOS LUZ Pelo presente edital, a CÂMARA DE MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM DO PARANÁ– CMA-PR chama Laélio Luz Filho, brasileiro, casado, empresário e engenheiro, CI-RG nº 736.833 SSP/SC, CPF nº 377.246.22949, Iuá Cláudia Mattos Luz, brasileira, casada, advogada, CI-RG nº 343.990-9 SSP/SC, CPF nº 599.631.589-00, Requeridos, para comparecerem ao seu escritório localizado à Alameda Prudente de Morais, 291, Mercês, Curitiba, PR, no prazo de quinze dias corridos a contar da presente publicação, a fim de retirar a Sentença Arbitral referente ao processo de nº 406/2012, no qual são demandados. O presente edital é publicado em razão de os referidos não terem sido encontrados nos endereços fornecidos. Não comparecendo os citados ao escritório da CMA-PR no prazo estipulado, considera-se os mesmos, em razão da publicação do presente edital e para todo e qualquer efeito, como legalmente cientificados da emissão da Sentença Arbitral. Curitiba, 04/06/2013. Ligia Terezinha Bubniak Representante da CMA-PR

Zurich Cap Participações Ltda.

CNPJ/MF nº 17.266.009/0001-41 Declaração de Propósito Richard Emiliano Soares Vinhosa, brasileiro, casado, securitário, engenheiro e administrador de empresas, portador do RG nº 08.862.720-3-IFP/RJ, inscrito no CPF/MF sob o nº 030.381.237-06; Flavio de Moura Bisággio, brasileiro, casado, securitário, portador da cédula de identidade RG nº 08.158.662-0-IFP/RJ, inscrito no CPF/MF sob o nº 002.261.70780; Marcio Benevides Xavier, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da cédula de identidade RG nº 56.350.654-4-SSP/SP, inscrito no CPF/MF sob o nº 777.945.247-68; e José Reinaldo Caparroz Júnior, brasileiro, casado, administrador de empresas, portador da Cédula de Identidade RG nº 21.322.219-X, inscrito no CPF/MF sob o nº 248.898.168-01, todos com endereço comercial na Praça General Gentil Falcão, nº 108, 2º andar (parte), Cidade Monções, CEP 04571-150. DECLARAM sua intenção de compor a Diretoria da Zurich Cap Participações Ltda.. DECLARAM que preenchem as condições estabelecidas nos artigos 3º e 4º da Resolução CNSP nº 136, de 7 de novembro de 2005. Esclarecem ainda que, nos termos da regulamentação em vigor, eventuais impugnações à presente declaração deverão ser comunicadas diretamente à Superintendência de Seguros Privados – SUSEP, no endereço abaixo, no prazo máximo de 15 (quinze) dias, contados da data desta publicação, por meio de documento em que o autor esteja devidamente identificado, acompanhado da documentação comprobatória, observado que os declarantes poderão, na forma da legislação em vigor, ter direito à vista do respectivo processo. Superintendência de Seguros Privados – SUSEP, Coordenação Geral de Registros e Autorizações – CGRAT, Avenida Presidente Vargas, nº 730 – Centro, CEP 20071-900, Rio de Janeiro-RJ. São Paulo, 4 de junho de 2013. (ass.) Richard Emiliano Soares Vinhosa; Flavio de Moura Bisággio; Marcio Benevides Xavier; José Reinaldo Caparroz Júnior.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

20

e

sexta-feira, 7 de junho de 2013

Em geral, os escritórios de gestão cobram um percentual do patrimônio do cliente, que oscila de 0,3% a 1%. Richard Ziliotto, presidente do comitê de Gestão de Patrimônio da Anbima

conomia

Quem cuida do dinheiro dos ricaços Escritórios de gestão de patrimônio são responsáveis por manter e fazer multiplicar a fortuna de famílias milionárias Rejane Tamoto

Newton Santos/Hype

De advogado a jogador de futebol

E

les fazem a gestão de fortunas de famílias milionárias e são valorizadas pela consultoria independente e personalizada. Elas são os escritórios de gestão de patrimônio – conhecidos como multifamily office –, que atendem diversas famílias desde que tenham, no mínimo, R$ 10 milhões para investir. Segundo Richard Ziliotto, presidente do comitê de Gestão de Patrimônio da Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais (Anbima) e sócio-fundador da Taler Planejamentos Financeiros, a entidade representa cerca de 20 empresas com esse perfil. "Hoje, a maioria dos escritórios atende mais de uma família, mas, no passado, a empresa tradicional fazia a gestão de só uma família. Por essa razão, não aparecem muito", explica. Eram, então, não multifamily, mas apenas family office. Na opinião de Ziliotto, o diferencial do trabalho do gestor de patrimônio é a autonomia na assessoria financeira e transparência – algo que, desde a crise econômica em 2008, se tornou mais importante para as famílias milionárias e bilionárias – afinal, o profissional é que é o especialista, e não o dono do dinheiro. Outra característica desejada, explica, é o atendimento personalizado. "É um serviço em que parte do escopo é conhecer o patrimônio e ter ciência dos ativos que compõem o portfólio, sejam eles agropecuários, imobiliários, financeiros, participações empresariais e recursos em capital aberto ou fechado", explica. Ao entender o patrimônio do cliente, o gestor vai prestar serviços – que não consistem, como pare-

Q

Ziliotto, da Anbima: cada indivíduo tem um interesse em relação ao patrimônio. Abaixo, Martins: gestão de 100% do patrimônio de seus clientes. Reinaldo Canato/Hype

cem, em apenas direcionar o recurso para investimentos. Ziliotto diz que os escritórios entram em outros detalhes na gestão da fortuna, como a sucessão familiar, holdings e buscam opções fiscais de maior eficiência. "Tem casas que entram em conceitos de controladoria, administração do caixa, e fazem o contas a pagar e receber do dinheiro da família. É um escopo mais ampliado, que vai além de direcionar o dinheiro para investimentos financeiros". Há também escritórios que fazem o trabalho de coaching com os membros da família, principalmente em processos de sucessão, para transmitir a cultura do patriarca e fazer com que a fortuna perdure. Rafael Paschoarelli, professor de finanças da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (FEA-USP), diz que

o valor que uma família tem é determinante para a contratação de um escritório de multifamily office. "A gestão é aberta, com possibilidades maiores do que a área de private banking de instituições financeiras. É uma opção para quem não quer ter um vínculo tão forte com o banco", explica o professor. A área de private banking dos bancos é concorrente dos gestores de patrimônio. Tanto que oferecem um serviço tão personalizado para um público de alta renda, que tenha um patrimônio acima de R$ 1 milhão em ativos disponíveis para investimentos – alguns degraus abaixo, portanto, dos superricos. "Já há private banking que faz o aconselhamento e tenta ampliar o escopo de atuação, envolvendo-se até em sucessão familiar", diz Ziliotto. O presidente do comitê de Gestão de Patrimônio da Anbima afirma que, inclusive, a indústria de

CASA DE SAÚDE SANTA RITA S/A

CNPJ (MF) nº 60.882.289/0001-41 Relatorio da Diretoria Srs. Acionistas: Em cumprimento às disposições legais e estatutárias, apresentamos a V.Sas., as demonstrações financeiras relativas ao exercício social findo em 31/12/2012 e que serão submetidas à Assembléia Geral. Permanecemos à disposição de V.Sas. para eventuais esclarecimentos que se fizerem necessários. São Paulo, 16/03/2013 A Diretoria Balanço Patrimonial encerrado em 31 de dezembro de 2012 (em milhares de reais) Resultados em 31/12/2012 2012 2011 Ativo 2012 2011 Passivo 2012 2011 Receitas Operacional 74.238 67.515 Ativo Circulante 26.495 25.147 Passivo Circulante 11.663 11.440 Prestação de serviços 74.238 67.515 Disponível 8.575 7.430 Obrigações com Terceiros 11.663 11.440 (-) Serviços cancelados (2.591) (972) Bancos – aplicações financeiras 8.575 7.430 Fornecedores 2.287 2.565 (-) Impostos (4.210) (3.805) Creditos 17.920 17.717 Obrigações Trab. e Tributárias 4.999 4.712 (-) Custos dos Serviços Prestados (52.709) (49.808) Duplicatas a receber 11.993 11.268 Empréstimos bancários 4.377 4.163 Lucro Operacional Bruto 14.728 12.930 (-) Prov.p/dev.duvidosos (321) (552) Contas a pagar – – (-) Despesas Operacionais (12.469) (11.309) Estoques 1.340 2.326 Exigivel a Longo Prazo 2.152 2.517 Despesas Administrativas (11.773) (10.500) Impostos a Recuperar 3.781 3.769 Refis e INSS a pagar 2.152 2.517 Impostos, taxas e Contrib. (696) (809) Adto.p/aumento cap. Imedi – 358 Lucro Liquido Operacional 2.259 1.621 Outros créditos 1.127 548 Receitas (-) despesas Financeiras 556 568 26.619 32.911 Ativo não Circulante 13.939 21.721 Patrimônio Liquido Receitas Financeiras 521 477 Capital Social 5.970 5.970 Realizavel a Longo Prazo 2.771 10.127 Receitas Diveras 459 404 Reserva de lucros 5.335 5.115 Clientes-cobrança judicial 2.000 2.000 (-) despesas financeiras (424) (313) Lucros acumulados 13.432 20.357 Duplicatas a receber – 7.998 Resultado antes dos Impostos 2.815 2.189 (-) IRPJ s/ lucro (679) (523) Resultado do exercicio 1.882 1.469 Depósito judiciais 771 129 (-) Contrib.Social (254) (197) Investimentos 1.152 1.152 Resultado Líquido do Exercicio 1.882 1.469 Imobilizado 10.016 10.442 Imobilizado 22.186 21.631 Lucro líquido por ação 0,0235 0,0184 (-) Depreciação Acumulada (12.170) (11.189) Demonstrações dos Fluxos de Caixa para os 40.434 46.868 Total do Ativo 40.434 46.868 Total do Passivo Exercicios findo em 31/12 – metodo indireto Demonstrações das Mutações do Patrimônio Liquido em 31 de dezembro de 2012 Atividades operacionais 2012 2011 Lucro Liquido do exercicio 1.882,00 1.469,00 Histórico Capital Social Reservas de Lucros Reserva Legal Lucros Acumul. Total 735,00 Saldo em 31/12/2011 5.970.800 3.432.695 1.681.581 21.826.528 32.911.604 Desp. (rec.) que não afetam as disp. 980,00 980,00 735,00 Dividendos a pagar – – – (176.301) (176.301) Depreciação (986,00) (1.201,00) Clientes 2005/2010 – – – (7.998.162) (7.998.162) Variação de Ativos e Obrigações Transferencia p/ reserva – 146.917 73.459 (220.376) - Diminuição (aumento) das demais contas do ativo (845,00) (5.634,00) Lucro do exercicio/2012 – – – 1.882.091 1.882.091 Saldo em 31/12/2012 5.970.800 3.579.612 1.755.040 15.313.780 26.619.232 Aum. (dim.) das obrig. do passivo (141,00) 4.433,00 Caixa liq. gerado nas ativid. operac. 1.876,00 1.003,00 Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis encerradas em 31 de dezembro de 2012 Atividades de investimentos 555,00 511,00 1. Práticas Contábeis: O resultado é apurado pelo regime de competência de exercício. 2. Ativo Circulante: Aum. (dim.) do ativo permanente 555,00 511,00 Demonstrado pelos valores de custo ou de realização, incluindo, quando aplicável, rendimentos auferidos ate Atividades de financiamentos (176,00) 1.000,00 a data do balanço. 3. Ativo Imobilizado: Demonstrado ao custo, corrigido monetariamente até 31/12/1995 – Dividendos (176,00) – conf. lei. 4. Estoques: Os estoques são demonstrados ao custo médio das compras ou dos custos incorridos. Integralização de capital – 1.000,00 5. Investimento na coligada: Com a participação de 50% da empresa santa rita imedi medicina diagnostica Aum. (Redução) das disponibil. 1.145,00 1.492,00 ltda. 6. Realizavel a longo prazo e exigivel a longo prazo, valores a receber e a pagar a longo prazo. 7. Clientes Modificação posição financeira 2005/2010 ajuste patrimonial em 2012, no valor de 7.998.162,02 - referente ao período de cinco anos. 8. Capi- Inicio do exercicio 7.430,00 5.938,00 tal social: é de 5.970.800,00 representado em 80.020.000 ações ordinárias nominativas, sem valor nominal. Final do exercicio 8.575,00 7.430,00 A Diretoria

private banking é muito maior, com mais de R$ 500 bilhões de ativos sob gestão no Brasil, segundo dados divulgados em março. "A gestão de patrimônio, por sua vez, representa de 10% a 12% desse total. Ainda é recente no Brasil e o código de autorregulação do setor só tem três anos. O segmento de gestão de patrimônio cresce 20% ao ano, enquanto o private banking avança 10%. Há um potencial grande, não só no Brasil, mas no mundo", diz. Neste mercado, acredita Ziliotto, a segmentação vai ser o nome do jogo, porque cada indivíduo e cada família tem um interesse diferente com seu patrimônio. "Um vai querer ser investidor, outro criar uma holding familiar, outro ter uma participação empresarial. Alguns terão o patrimônio por herança e outros formarão o seu. Para quem não é casado, a sensação de perpetuação não é grande, mas quem tem filhos e quer colocá-los na atividade vai demandar um outro serviço", diz Ziliotto. A remuneração dos multifamily offices também é diferente de distribuidores, como bancos e corretoras – que recebem percentuais da taxa de administração diretamente de fundos de investimentos. Em geral, esses escritórios cobram

um percentual do patrimônio do cliente, que oscila de 0,3% a 1%, segundo Ziliotto. Quanto maior o patrimônio, menor é a taxa cobrada sobre o valor. "Com a taxa de juros no atual patamar, é difícil que algum escritório cobre mais que 1%. Claro que há casas que são remuneradas de forma híbrida, ou seja com o fee (percentual sobre o valor total) e uma taxa de administração. Vai depender do serviços que presta, que podem ser não só a gestão de fundos, mas também planejamento financeiro da família e consolidação patrimonial", diz. Destaques – As famílias milionárias tem buscado investir mais em produtos ligados a crédito, como as Letras de Crédito Imobiliário (LCIs) e Letras de Crédito do Agronegócio (LCAs) e Fidcs (Fundos de Investimentos em Direitos Creditórios). Outra opção buscada é o investimento Pipe, em que um investidor compra uma pequena participação por meio de aquisição de ações de empresas com governança corporativa. É o que fez Abílio Diniz com a BRFoods. Também há interesse por investimentos alternativos, como ações (fora do Ibovespa), fundos de investimentos imobiliários, debêntures incentivadas e private equity.

uem é cliente de escritórios de gestão de patrimônio será sempre um anônimo, até mesmo por razões de segurança e pelo simples fato de já serem afortunados. "Certamente não é aquele que está no Castelo de Caras a convite. Ele não é aparecido. Por isso nos procuram, porque querem sigilo total", brinca um gestor. Se famílias ricas já lançam mão dos serviços de multifamily offices para cuidar da fortuna, o caminho agora parece aberto para profissionais liberais que tenham acumulado sua fortuna, tais como médicos e advogados. "O crescimento deste segmento tem correlação com o aumento do Produto Interno Bruto (PIB). O Brasil é mercado emergente e a maior parte da evolução da gestão de patrimônio virá de nossos empresários e profissionais liberais", diz Richard Ziliotto, presidente do comitê de Gestão de Patrimônio da Anbima. Esse é o perfil de público, com até R$ 10 milhões de patrimônio que está na mira da multifamily office Global Portfolio Strategists (GPS) que cuida do patrimônio de 480 famílias. "Temos R$ 15 bilhões sob gestão, sendo 85% onshore e 15% offshore", diz José Eduardo Martins, sócio da GPS. Ele quer dobrar a participação de profissionais liberais no total de famílias que atende. Eles representam 20% desse total. O modelo da GPS é de gestão de 100% do patrimônio de seus clientes. "Buscamos alocar os recursos dos clientes nas melhores assets management e não temos a tendência de jogar os clientes para o risco. Não somos remunerados pelos fundos. O nosso cliente paga entre 0,4% a 1% ao ano do total do patrimônio", diz. Além disso, na GPS os clientes passam por um treinamento para entender questões financeiras. "Ajuda a tomarmos decisões compartilhadas", completa Martins. Recentemente a GPS adquiriu a Bawm Investimentos, que tem como clientes esportistas e jogadores de futebol.

Massao Hashimoto – Contador – CRC SP 081.013/O-6 Aumento (Redução) das disponibil. 1.145,00 1.492,00

PREFEITURA MUNICIPAL DE PINDAMONHANGABA EDITAL RESUMIDO PREGÃO Nº 028/2013 A Prefeitura torna público que se acha reaberto no Depto. de Licitações e Compras, sito na Av. N. Sra. do Bom Sucesso, n° 1.400, Bairro Alto do Cardoso, o PP nº 28/ 13, referente à “Aquisição de sacolas ecológicas em algodão cru 100%, com alças de mão, com impressão em silk screen em uma cor verde”, com encerramento dia 19/06/13, às 14h30, e abertura às 15h. O edital estará disponível no site www.pindamonhangaba.sp.gov.br. Maiores informações poderão ser obtidas no endereço supra das 8h às 17h ou através do tel.: (12) 3644-5600. Pindamonhangaba, 06 de junho de 2013. PREGÃO Nº 074/2013 A Prefeitura torna público que se acha aberto no Depto. de Licitações e Compras, sito na Av. N. Sra. do Bom Sucesso, n° 1.400, Bairro Alto do Cardoso, o PP nº 74/ 13, referente à “Aquisição de material para reforma da escola Padre Zezinho”, com encerramento dia 19/06/13, às 8h30, e abertura às 9h. O edital estará disponível no site www.pindamonhangaba.sp.gov.br. Maiores informações poderão ser obtidas no endereço supra das 8h às 17h ou através do tel.: (12) 36445600. Pindamonhangaba, 06 de junho de 2013. PREGÃO Nº 095/2013 A Prefeitura torna público que se acha aberto no Depto. de Licitações e Compras, sito na Av. N. Sra. do Bom Sucesso, n° 1.400, Bairro Alto do Cardoso, o PP nº 95/13, referente à “Contratação de empresa especializada para realização e organização do evento de balonismo”, com encerramento dia 19/06/13, às 15h30, e abertura às 16h. O edital estará disponível no site www.pindamonhangaba.sp.gov.br. Maiores informações poderão ser obtidas no endereço supra das 8h às 17h ou através do tel.: (12) 3644-5600. Pindamonhangaba, 06 de junho de 2013.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA

EXTRATO DO 2° ADITAMENTO CONTRATUAL. PROCESSO Nº 50/12 – CONCORRÊNCIA Nº 03/12. OBJETO: Contratação de empresa especializada para execução de reforma e ampliação da E.M.E.F. “Anna Maria Marinho Nunes”. CONTRATANTE: Prefeitura do Município de Andradina. CONTRATADO: CGPM ENGENHARIA E CONSTRUÇÕES LTDA. Fica ajustado entre as partes que o prazo de execução da obra será prorrogado por mais 245 (duzentos e quarenta e cinco) dias. As demais cláusulas e condições dos contratos supra permanecem inalteradas. DATA: 15 de maio de 2013. JAMIL AKIO ONO – Prefeito.

AQUAPOLO AMBIENTAL S.A. CNPJ/MF nº 11.399.666/0001-80 - NIRE 35300374614 Ata de Assembleia Geral Ordinária Dia, Hora e Local: 26/4/2013, 15:30hs, na sede, Av. Almirante Delamare, 3.000, área 1, Heliópolis/SP. Publicações: Relatório da Administração, Balanço Patrimonial e demais Demonstrações Financeiras, referentes ao exercício social encerrado em 31/12/2012, publicados nas páginas 69 e 70 do DOESP e na página 27 do Diário do Comércio, ambos na edição de 21/3/2013. Presenças: Totalidade. Convocação: Dispensada. Mesa: Guilherme Pamplona Paschoal, Presidente; Fernando Santos Mathiazi, Secretário. Ordem do Dia: (i) Aprovação do Relatório da Administração e das Demonstrações Financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31/12/2012; (ii) Aprovação da eleição dos membros do Cons. de Administração da Cia.; (iii) Fixação da remuneração global dos Administradores da Cia. para o exercício de 2013. Deliberações: 1) autorizada a lavratura da presente ata na forma de sumário dos fatos ocorridos, conforme faculta o art. 130, §1º da Lei nº 6.404/76; 2) aprovado, por unanimidade de votos, o Relatório da Administração, Balanço Patrimonial e demais Demonstrações Financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31/12/2012, sendo apurado prejuízo de R$ 13.965.064,54, não havendo, portanto, constituição de reservas e distribuição de dividendos aos acionistas; 3) tendo em vista o término do mandato dos membros do Conselho de Administração da Cia., os acionistas aprovaram, por unanimidade, a eleição do Sr. Rafael Negrão Rossi, RG nº 138633939 SSP/SP e CPF/MF nº 158.439.098-08, ao cargo de Presidente do Conselho de Administração da Companhia, e a eleição do Srs. Mauricio Dantas Bezerra, RG nº 05477696-10 SSP/BA e CPF/MF nº 861.028.185-04, Guilherme Pamplona Paschoal, RG nº 19673754 SSP/SP e CPF/MF nº 462.632.921-72, José Sylvio Xavier, RG nº 7793344-8 SSP/SP e CPF/ MF nº 033.509.348-54, e Roberval Tavares de Souza, RG nº 19.409.159-4 e CPF/MF nº 108.543.688-84, aos cargos de membros do Conselho de Administração da Cia.. Os membros do Conselho de Administração ora eleitos foram investidos em seus cargos mediante a lavratura e assinatura dos termos de posse no Livro de Registro de Atas de Reunião do Conselho de a Administração da Companhia. Atendendo ao disposto no art. 147 da Lei nº 6.404/76, os membros do Conselho de Administração ora eleitos declararam, sob as penas de lei, não estarem impedidos de exercer a administração da Companhia, por lei especial, ou em virtude de condenação criminal, ou por se encontrarem sob os efeitos dela, a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos, ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra normas de defesa de concorrência, contra as relações de consumo, fé pública, ou a propriedade. Como consequência, a composição do Conselho de Administração da Companhia até a AGO a ser realizada em 2015 passa a ser a seguinte: A) Presidente do Conselho - Rafael Negrão Rossi, RG nº 138633939 SSP/SP e CPF/MF nº 158.439.098-08; B) Conselheiro - Mauricio Dantas Bezerra, RG nº 05477696-10 SSP/BA e CPF/MF nº 861.028.185-04; C) Conselheiro - Guilherme Pamplona Paschoal, RG nº 19673754 SSP/SP e CPF/ MF nº 462.632.921-72; D) Conselheiro - José Sylvio Xavier, RG nº 7793344-8 SSP/SP e CPF/MF nº 033.509.348-54; e E) Conselheiro - Roberval Tavares de Souza, RG nº 19.409.159-4 e CPF/MF nº 108.543.688-84; 4) fixado o montante de R$ 1.000.000,00 como limite global da remuneração anual dos Administradores da Cia. durante o exercício social corrente, ficando a individualização a cargo do Conselho de Administração, nos termos do Estatuto Social. Conselho Fiscal: Não há Conselho Fiscal permanente, nem foi instalado no presente exercício. Documentos Arquivados: Foram arquivados os documentos referidos nesta ata, após numerados e seguidamente autenticados pelos membros da Mesa. Quorum das Deliberações: Todas as deliberações foram aprovadas por unanimidade, sem reserva ou restrições, abstendo-se de votar os legalmente impedidos. Após lida e aprovada por unanimidade, a presente ata foi assinada por todos os presentes. São Paulo, 26/4/2013. Mesa: Guilherme Pamplona Paschoal, Presidente, Fernando Santos Mathiazi, Secretário. Acionistas: Ticiana Vaz Sampaio Marianetti e Maurício Dantas Bezerra pela acionista Foz do Brasil S.A.; e Dilma Seli Pena e Paulo Massato Yoshimoto pela acionista Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo - Sabesp. Fernando Santos Mathiazi-Secretário. Jucesp nº 206.114/13-8 em 29/05/2013. Gisela S. Ceschin-Secr. Geral.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANDRADINA

EXTRATO DA 3° PRORROGAÇÃO CONTRATUAL. PROCESSO Nº 97/09 - TOMADA DE PREÇOS Nº 05/09. OBJETO: Contratação de empresa especializada, para a realização de serviços de recapeamento asfáltico em diversas ruas do município. CONTRATANTE: Prefeitura do Município de Andradina. CONTRATADO: DEMOP PARTICIPAÇÕES LTDA. Fica ajustado entre as partes que o prazo de vigência do contrato será prorrogado até 05/ 03/2014. As demais cláusulas e condições dos contratos supra permanecem inalteradas. DATA: 04 de março de 2013. JAMIL AKIO ONO – Prefeito.

COOPSUPORTE COOPERATIVA DE TRABALHO EM SUPORTE E APOIO NA ÁREA DE TRANSPORTE. CNPJ/MF nº 06.083.419/0001-30 EDITAL DE CONVOCAÇÃO ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA O Diretor Presidente da cooperativa COOPSUPORTE COOPERATIVA DE TRABALHO EM SUPORTE E APOIO NA ÁREA DE TRANSPORTE, devidamente inscrita no CNPJ/MF sob o nº 06.083.419/0001-30, com sede e foro no município de São Paulo, Capital, no exercício de seu mandato e no atributo dos poderes que lhe são conferidos pelo competente Estatuto Social da Entidade, CONVOCA seus associados cooperados em nº de 1.692 para efeito de quorum, para se reunirem em Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária, a se realizar no dia 13 de julho de 2013, na sua sede sita à Rua Maria Cândida, nº 442, Vila Guilherme, São Paulo, Capital, em primeira convocação às 08h30 (oito horas e trinta minutos), com a presença de 2/3 (dois terços) dos seus associados em pleno gozo dos seus direitos sociais; em segunda convocação às 09h30 (nove horas e trinta minutos), com a presença de ½ (metade) mais um de seus associados em pleno gozo dos seus direitos sociais; e em terceira e última convocação às 10h30 (dez horas e trinta minutos), com a presença mínima de 50 (cinquenta) associados em pleno gozo dos seus direitos sociais, ou no mínimo, 20% (vinte por cento) do total de associados, prevalecendo o menor número, nos termos do artigo 11, §3º, da lei 12.690/2012. Primeiramente serão deliberados os assuntos da Assembleia Geral Ordinária, para tratarem das seguintes ordens do dia: 1) Prestação de contas do órgão de administração, acompanhada de parecer do Conselho Fiscal compreendendo Balanço Geral do exercício de 2012, demonstrativo das sobras apuradas ou das perdas decorrentes da insuficiência das contribuições para cobertura das despesas da sociedade, contas de sobras e perdas, parecer do Conselho Fiscal e do Relatório da Diretoria, documentos esses que estão à disposição dos cooperados, em sua sede social; 2) Destinação das sobras apuradas ou rateio das perdas decorrentes das insuficiências das contribuições para cobertura das despesas da sociedade apuradas no exercício de 2012; 3) Eleição dos membros do Conselho Fiscal; 4) Atendimento ao disposto nos termos do artigo 14 da lei 12.690/2012: deliberação sobre adoção ou não de diferentes faixas de retirada dos sócios, fixando-se a diferença entre as de maior e de menor valor; 5) Deliberação sobre o plano de trabalho formulado pelo Conselho de Administração para o próximo exercício; 6) Outros assuntos de interesse da sociedade. Após, serão deliberados os assuntos da Assembleia Geral Extraordinária para tratar das seguintes ordens do dia: 1) Reforma do Estatuto Social da cooperativa objetivando adequação aos termos da lei 12.690/2012. São Paulo, 3 de junho de 2013. Alexsandro Silva Conti - Diretor Presidente.

Allis Participações p ç S.A. CNPJ/MF nº 08.648.295/0001-19 – NIRE 35.300.337.867-Cia. Aberta Ata da Reunião do Conselho Fiscal Realizada em 14.05.2013 1. Data, Hora e Local: 14/5/13, às 15hs, na sede, Av. Brig. Faria Lima, 1.355, 15º, SP/SP. 2. Convocação: Dispensada, face a presença de todos os membros do Conselho. 3. Presenças: Srs. Emanuel Sotelino Schifferle, João Paulo Bosco Carneiro, Pedro Wagner Pereira Coelho, representando a totalidade dos membros do Conselho Fiscal. Como convidados, compareceram à reunião: Srs.Wander Teles (representante da PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes), Goldwasser Pereira Santos Neto (Diretor Financeiro e de Relação com Investidores), José Vanderlei de Medeiros (Sup. Contabilidade), Fabíola Ribeiro dos Santos (Superint. Jurídica); Mariana Sakakibara (Ger. Auditoria Interna). 4. Mesa: Sr. Emanuel Sotelino Schifferle, Presidente; Fabíola Ribeiro dos Santos, Secretária. 5. Deliberações: Feitas as apresentação de praxe acerca das evoluções dos principais temas da Cia., os senhores Membros do Cons. Fiscal, por unanimidade e sem ressalvas, tomaram a seguinte deliberação: i. Realizada a apresentação do ITR 1T13 pela administração da Cia. e Auditores Externos, os membros do Cons. Fiscal, no uso de suas atribuições legais consoantes as disposições do art. 163 da Lei nº 6.404/76, manifestaram-se favoravelmente ao ITR 1T13, sendo de parecer que as mesmas encontram-se adequadas e em condições de serem submetidas à Comissão de Valores Mobiliários - CVM. 6. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foram encerrados os trabalhos e lavrada esta Ata, em forma de sumário, a qual, depois de lida e achada conforme, foi aprovada e assinada pelos presentes. Ass.: Emanuel Sotelino Schifferle, João Paulo Bosco Carneiro, Pedro Wagner Pereira Coelho, Wander Teles, Goldwasser Pereira Santos Neto, José Vanderlei de Medeiros e Mariana Sakakibara. Certidão: A presente é cópia fiel e confere com o original lavrado em livro próprio. Fabíola Ribeiro dos Santos-Secretária. Jucesp nº 206.843/13-6 em 03/6/13. Gisela S. Ceschin-Secr. Geral.

Publicidade Legal Fone: 11 3180 3175


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013

ECONOMIA/LEGAIS - 21

Odebrecht Investimentos em Defesa S.A.

Novito Participações S.A.

CNPJ/MF nº 13.008.428/0001-22 - NIRE 35.300.387.911

CNPJ/MF 08.100.691/0001-07 – NIRE 35.300.341.732 Ata da Assembleia Geral Extraordinária de Transformação de Sociedade Anônima para Sociedade Limitada realizada em 28 de Abril de 2011. Dia e Hora: 28/4/11, às 9hs. Local: Na sede. Convocação: Dispensada. Presença: 100% do capital social da sociedade: Young Moo Park, RG nº 4.465.599-X/SSP-SP, CPF/MF nº 001.999.231-91; Heitor Zimmermann, RG nº 1014285017/SSP-RS, CPF/MF nº 266.763.110-20; Ronaldo Gerdes Júnior, RG nº 08.492.965-0/SSP-SP, CPF/MF nº 045.514.368-44; Eduardo Kim Park, RG nº 19.986.430-5/SSP-SP, CPF/MF nº 274.783.898-64. Presente ainda, na qualidade de Diretora não acionista da sociedade, a Sra. Kyung Ae Kim, RG nº 8.208.905-X/SSP-SP, CPF/MF nº 115.116.868-80, e, por fim, presente na qualidade de convidado, o Dr. Marcelo Itiro Mizukosi, RG nº 19.772.169-2, CPF/MF nº 580.098.336-49 e na OAB/MG nº 72.795.Mesa: Presidente – Sr.Young Moo Park;Secretário – Dr. Marcelo Itiro Mizukosi. Deliberações: Constituída a mesa, o Sr. Presidente deu por instalada a Assembleia e iniciados os trabalhos, passando a leitura do item “a” da ordem do dia, consubstanciada na proposta de homologação da distribuição de lucros apurados no exercício de 2.009, realizadas aos acionistas na forma a seguir: ao acionista Heitor Zimmermann houve a distribuição de lucros no valor de R$ 179.563,28;ao acionista Ronaldo Gerdes Júnior houve a distribuição de lucros no valor de R$ 179.563,28;e ao acionista Eduardo Kim Park houve distribuição de lucros no valor de R$ 3.508.940,44. Esclareceu ainda o Sr. Presidente, que os lucros supra mencionados já foram creditados aos acionistas na forma acima descrita, porém ainda não foram efetivamente pagos.Submetida tal proposta à votação, foi a mesma aprovada por unanimidade, de forma a restar homologada a distribuição de lucros apurados no exercício de 2009 aos acionistas, na forma acima descrita.Em seguida, os acionistas Heitor Zimmermann e Ronaldo Gerdes Júnior solicitaram que parte dos lucros a estes distribuídos na forma acima descrita, correspondente a R$ 104.244,00 para cada um, fosse destinada para integralização das ações destes que permanecem pendentes de integralização. Submetida tal proposta à votação, foi a mesma aprovada por unanimidade.Ato contínuo, submeteu o Sr.Presidente à deliberação dos acionistas a proposta de aumento do capital social da sociedade em R$ 1.367.900,00, correspondente a 1.367.900 ações ordinárias, com valor nominal de R$ 1,00 cada uma, a serem subscritas na forma a seguir: o acionista Heitor Zimmermann subscreve 75.319 ações ordinárias; o acionista Ronaldo Gerdes Júnior subscreve 75.319 ações ordinárias;e o acionista Eduardo Kim Park subscreve 1.217.262 ações ordinárias.Ato contínuo, os acionistas Heitor Zimmermann, Ronaldo Gerdes Júnior e Eduardo Kim Park esclareceram que, caso aprovado tal aumento, a integralização das ações por estes subscritas se daria mediante utilização de parte dos lucros apurados no exercício de 2009, a estes distribuídos na forma supra descrita, distribuição esta já homologada. Submetida a proposta de aumento do capital social à votação, foi a mesma aprovada por unanimidade, renunciando expressamente o acionista Young Moo Park do seu direito de preferência na participação em tal aumento de capital social. Com a aprovação da proposta de aumento do capital social nos termos acima estipulados, informou o Sr. Presidente que o capital social da sociedade passa a ser de R$ 35.239.344,00, totalmente subscrito e integralizado em moeda corrente nacional, correspondente a 35.239.344 ações ordinárias, com valor nominal de R$ 1,00 cada uma, assim pertencente aos acionistas: Acionista; Ações: Young Moo Park; 32.880.139 Heitor Zimmermann; 405.754. Ronaldo Gerdes Júnior; 405.754. Eduardo Kim Park; 1.547.697. Total: 35.239.344. Em seguida, passou o Sr. Presidente a leitura do item “c” da ordem do dia, consubstanciada na proposta de exclusão da atividade “intermediação de negócios, com comissionamento ou auferimento de corretagem, exceto transações imobiliárias” do objeto social da sociedade, por não ser efetivamente por esta praticado. Submetida tal proposta à votação, foi a mesma aprovada por unanimidade. Logo após, passou o Sr.Presidente a leitura do item “d”da ordem do dia, expondo aos presentes a intenção dos acionistas Heitor Zimmermann e Ronaldo Gerdes Júnior de se desligarem do quadro de acionistas da presente sociedade, mediante a cessão das 811.508 ações pertencentes a estes, na forma do quadro acima, em favor do acionista Young Moo Park, já considerado o aumento discutido e aprovado na presente Assembleia (item “b” da ordem do dia). Informou o Sr. Presidente que, não obstante o desligamento dos Srs. Heitor Zimmermann e Ronaldo Gerdes Júnior do quadro de acionistas da sociedade, os mesmos permaneceriam ocupando os cargos da Diretoria desta, por estes já ocupados.Esclareceu ainda o Sr.Presidente que o pagamento das ações ora cedidas será realizado mediante a cessão pelo acionistaYoung Moo Park, a título de permuta sem torna, de parte das quotas de titularidade deste no capital social das empresas Unicoba Indústria de Componentes Eletrônicos e Informática Ltda., CNPJ/MF nº 07.589.288/0001-20; Unicoba da Amazônia Ltda., CNPJ/MF nº 03.951.798/0001-45 e Unicoba Indústria e Comércio Ltda., CNPJ/MF nº 01.491.301/0001-28, na forma adiante discriminada:-ao Sr.Heitor Zimmermann são cedidas 155.266 quotas relativas à sociedadeUnicoba Indústria de Componentes Eletrônicos e Informática Ltda.; 91.467 quotas relativas à sociedade Unicoba da Amazônia Ltda. e 159.021 quotas relativas à sociedade Unicoba Indústria e Comércio Ltda.;-ao Sr. Ronaldo Gerdes Júnior são cedidas 155.266 (quotas relativas à sociedade Unicoba Indústria de Componentes Eletrônicos e Informática Ltda.; 91.467 quotas relativas à sociedade Unicoba da Amazônia Ltda. e 159.021 quotas relativas à sociedade Unicoba Indústria e Comércio Ltda. Submetida à deliberação dos presentes, foi aprovada e homologada, por unanimidade, a cessão das ações dos Srs. Heitor Zimmermann e Ronaldo Gerdes Júnior, nos termos acima descritos, desligando-se estes do quadro de acionistas da presente sociedade, mantidos os cargos de Diretores por estes antes já ocupados. Nesta oportunidade, renunciou expressamente o Sr. Eduardo Kim Park ao direito de preferência na aquisição das ações cedidas pelos Srs. Heitor Zimmermann e Ronaldo Gerdes Júnior. Ainda nesta oportunidade, os Srs. Heitor Zimmermann e Ronaldo Gerdes Júnior deram expressa quitação pela cessão e transferência de ações acima relatada, declarando nada ter a reclamar, seja a que título for, em face Sr. Young Moo Park, da presente Sociedade ou ainda dos demais acionistas. Em seguida, passou o Sr. Presidente ao próximo item da ordem do dia, relativo à cessão de 1.217.262 ações de titularidade do acionista Eduardo Kim Park no capital social da presente sociedade para o acionista Young Moo Park. Esclareceu o Sr. Presidente que o pagamento das ações ora cedidas pelo Sr. Eduardo Kim Park será realizado mediante a cessão pelo acionistaYoung Moo Park, a título de permuta sem torna, de 465.800 quotas de titularidade deste no capital social da Unicoba Indústria de Componentes Eletrônicos e Informática Ltda., de 274.400 quotas relativas ao capital social da Unicoba da Amazônia Ltda. e de 477.062 quotas relativas ao capital social da Unicoba Indústria e Comércio Ltda., sociedades estas já acima mencionadas. Submetida a apreciação, foi aprovada e homologada a cessão de ações realizada pelo Sr. Eduardo Kim Park na forma acima descrita, dando este último expressa quitação por tal cessão e transferência de ações, declarando nada ter a reclamar, seja a que título for, em face Sr.Young Moo Park. Com a aprovação das referidas transferências de ações, informou o Sr.Presidente que o acionista Young Moo Park passa a deter 34.908.909 ações ordinárias e o sócio Eduardo Kim Park passa a deter 330.435 ações ordinárias, relativas ao capital social da presente sociedade. Ato contínuo, passou o Sr. Presidente ao último item da ordem do dia, expondo aos presentes a proposta de transformação da Novito Participações S.A. de sociedade anônima para sociedade empresária limitada. Submetida a apreciação, os acionistas, por unanimidade, aprovaram a transformação da Novito Participações S.A. de sociedade anônima para sociedade empresária limitada. Em face da aprovação da transformação retro referida, decidiram os acionistas, ora sócios, por unanimidade, que:-a Sociedade passará a operar sob a denominação social de Novito Participações Ltda., permanecendo sediada no mesmo endereço e com os mesmos objetivos sociais, mesma escrituração, atendidas as exigências fiscais e contábeis, situação esta que os sócios reconhecem e aprovam, sem quaisquer restrições ou interrupções nos negócios, não havendo, portanto, qualquer solução de continuidade na vida da Sociedade, que prosseguirá como titular de todos os bens e direitos pertencentes à Novito Participações S.A.-haverá conversão das ações da sociedade em quotas, no valor nominal de R$ 1,00 cada uma, passando o capital social de R$ 35.239.344,00, a ser dividido em 35.239.344 quotas, totalmente integralizadas em moeda corrente nacional, assim distribuído entre os acionistas/sócios: Sócios; Quotas;Valor: Young Moo Park; 34.908.909; R$ 34.908.909,00. Eduardo Kim Park; 330.435; R$ 330.435,00.-nomeação dos sócios Young Moo Park bem como da não sócia Sra. Kyung Ae Kim para administrar a sociedade, na qualidade de Diretores, ocupando, respectivamente, os cargos de Diretor Presidente, Diretora VicePresidente Financeira, mantida a forma de representação da sociedade anteriormente estabelecida;-exclusão da previsão da constituição de Conselho Fiscal;-adaptações das demais disposições societárias de forma a adequá-las ao novo tipo societário. Em seguida o Sr. Presidente declarou que a Sociedade será regida, se aprovado, pelo Contrato Social cuja minuta se achava sobre a mesa, que por sua determinação, foi lida. Concluída a leitura, e após os esclarecimentos necessários, o Sr. Presidente colocou a matéria em discussão e a votação, tendo sido aprovado, por unanimidade, o Contrato Social que regerá a Sociedade, instrumento este que encontrase anexo à presente ata. Em seguida o Sr. Presidente colocou a palavra à disposição de quem dela quisesse fazer uso e, como ninguém se manifestou, suspendeu a sessão pelo tempo necessário à lavratura da presente ata.Reabertos os trabalhos, foi esta Ata lida, discutida e aprovada por todos que passam a assiná-la. SP, 28/04/11. Presidente da Mesa: Young Moo Park; Secretário da Mesa: Marcelo Itiro Mizukosi. ANEXO-Contrato Social da Novito Participações Ltda.-i Da Denominação – Sede-Prazo e Objeto Cláusula 1ª: A Novito Participações Ltda. é uma sociedade empresária limitada, constituída por transformação da sociedade Novito Participações S.A., que

Data, Horário e Local: Aos 22 dias do mês de abril de 2013, às 10:00h, na sede da sociedade, situada na Avenida Rebouças, nº 3.970, 27º andar, Pinheiros, cidade e Estado de São Paulo. Convocação: Dispensada a convocação em razão da presença de acionistas representando a totalidade do capital social, nos termos do § 4º do Art. 124 da Lei nº 6.404/76. Presenças: Acionistas titulares de 100% (cem por cento) do capital social da Companhia, conforme assinaturas lançadas no Livro de Presença de Acionistas. Mesa: Assumiu a Presidência da Mesa o Sr. Luiz Augusto de Teive e Argollo da Rocha, que convidou a Srta. Heloisa Maria Pecorali Leite para atuar como Secretária. Publicações: A publicação das demonstrações financeiras da Companhia foi dispensada, nos termos do Art. 294 da Lei 6.404/76. Ordem do Dia: (I) Aprovação do relatório de administração e das demonstrações financeiras referentes ao exercício findo em 31 de dezembro de 2012 e destinação do resultado do exercício;(II) Aprovação da remuneração anual global dos administradores para o ano de 2013;(III) Consignação da renúncia do Sr.Guilherme Pacheco de Britto ao cargo de Diretor da Companhia;IV) Eleição do Sr.Rodrigo de Carvalho Pinto Bueno para o cargo de Diretor da Companhia;e (V) Reeleição dos demais Diretores da Companhia.Deliberações: Dando início aos trabalhos, declarou-se aberta a Assembleia Geral Ordinária. Lidas e discutidas as matérias constantes da Ordem do Dia, os acionistas deliberaram, por unanimidade, sem qualquer ressalva ou restrição:(I) Após examinadas, restaram aprovadas as demonstrações financeiras da Companhia, referentes ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2012, conforme Anexo I à presente Ata.Tendo em vista que a Companhia não apresentou resultado positivo, não cabe a destinação do lucro líquido.(II) Os Acionistas fixaram o montante de até R$ 450.000,00 (quatrocentos e cinquenta mil reais) como limite global para a remuneração dos administradores da Companhia durante o exercício de 2013. (III) Os acionistas consignaram a renúncia do Sr.Guilherme Pacheco de Britto, brasileiro, solteiro, advogado, inscrito no CPF/MF sob o nº 035.285.477-40, portador da carteira de identidade RG nº 10204672-9 IFP/RJ, residente e domiciliado na Cidade de São Paulo, Estado de São Paulo, com endereço comercial na Av. Rebouças, nº 3970, 32º andar, Pinheiros, São Paulo - SP, ao cargo de Diretor, conforme carta de renúncia assinada e efetiva a partir desta data, que ficará arquivada na sede da Companhia. Os acionistas agradeceram o Sr. Guilherme Pacheco de Britto pelos serviços prestados durante o tempo em que atuou como Diretor da Companhia.(IV) Após consignada a renúncia do Sr.Guilherme Pacheco de Britto, foi eleito como novo membro da Diretoria da Companhia, sem designação específica, o Sr.Rodrigo de Carvalho Pinto Bueno, brasileiro, casado, advogado, inscrito no CPF/MF sob o n° 248.520.578-77, portador da carteira de identidade RG n° 24.216.344-0, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Praia de Botafogo, n° 370, 1º andar, Botafogo, Rio de Janeiro - RJ, com mandato que se encerrará juntamente com o dos demais Diretores, quando da realização da Assembleia Geral Ordinária de 2015. O Diretor ora eleito será investido em seu cargo mediante assinatura do respectivo termo de posse no Livro de Atas de Reuniões de Diretoria da Companhia, tendo declarado, sob as penas da lei, que não está impedido de exercer a administração da Companhia, e nem condenado ou sob efeitos de condenação a pena que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos, ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão ou peculato; ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra as normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, a fé pública ou a propriedade, nos termos do artigo 147 da Lei 6.404/76. (V) Decidiram, ainda, reeleger os demais membros da Diretoria da Companhia, com mandato que se estenderá até a Assembleia Geral Ordinária de 2015, restando esta, portanto, com a seguinte composição: Sr. Luiz Augusto de Teive e Argollo da Rocha, brasileiro, casado, engenheiro civil, inscrito no CPF/MF sob o nº 094.315.275-53, portador da carteira de identidade RG nº 00.921.074-19 SSP/BA, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Praia de Botafogo, 370 - 1° andar, Botafogo, como Diretor Presidente da Companhia; Sr. Pedro Pereira de Sá, brasileiro, casado, administrador, inscrito no CPF/MF sob o nº 642.089.585-53, portador da carteira de identidade RG nº 03899059-84 SSP/BA, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Praia de Botafogo, 370 - 1° andar, Botafogo, como Diretor da Companhia; e Sr. Rodrigo de Carvalho Pinto Bueno, brasileiro, casado, advogado, inscrito no CPF/MF sob o n° 248.520.578-77, portador da carteira de identidade RG n° 24.216.344-0, residente e domiciliado na Cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, com endereço comercial na Praia de Botafogo, n° 370, 1º andar, Botafogo, Rio de Janeiro - RJ. Encerramento: Nada mais havendo a tratar e não havendo mais comentários a serem feitos, o Presidente da mesa agradeceu a presença de todos e encerrou a sessão, tendo os trabalhos sido suspensos pelo tempo necessário à lavratura desta ata, a qual, após ter sido lida, discutida e tendo sido preenchidos todos os requisitos, foi aprovada por todos os presentes na Assembleia.Assinaturas: Luiz Augusto de Teive e Argollo da Rocha (Presidente); Heloisa Maria Pecorali Leite (Secretária); Acionistas: Odebrecht Defesa e Tecnologia S.A.e Odebrecht Plantas Industriais e Participações S.A. Certifico e dou fé que essa ata é cópia fiel da ata lavrada no livro próprio. São Paulo, 22 de abril de 2013.Heloisa Maria Pecorali Leite - Secretária.JUCESP nº 206.195/13-8 em 03/06/2013.Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico Nº 67/00007/13/05 OBJETO: Contratação empresa para a operação do Serviço Telefônico Fixo Comutado – STFC, destinado ao tráfego de chamadas entre a rede pública de telefonia e a Fundação para o Desenvolvimento da Educação, situada à Av. São Luís, 99 – Centro – São Paulo - SP, conforme detalhamento constante do Anexo II – Memorial Descritivo e ç g Especificações Técnicas, parte integrante deste Edital. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Contratação empresa para a operação do Serviço Telefônico Fixo Comutado – STFC, destinado ao tráfego de chamadas entre a rede pública de telefonia e a Fundação para o Desenvolvimento da Educação, situada à Av. São Luís, 99 – Centro – São Paulo - SP, conforme detalhamento constante do Anexo II – Memorial Descritivo e Especificações Técnicas, parte integrante deste Edital. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 07/06/2013, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 24/06/2013, às 09:30 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 07/06/2013, até o momento anterior ao início da sessão pública. BARJAS NEGRI Presidente

será regida pelo presente contrato social, pelas disposições da Lei nº 10.406/2.002, e supletivamente, no que aplicável, pelas normas da Lei nº 6.404/76 (Lei das Sociedades Anônimas). Cláusula 2ª: A Sociedade tem sede na Rua Loefgreen, 1.057, 10º andar, salas 1001, 1002, 1003 e 1004, e 12º andar, salas 1201, 1202 e 1204, Vila Clementino, CEP 04040-030, no município de São Paulo, Estado de São Paulo. Parágrafo único: Por deliberação dos sócios, poderão ser instaladas, transferidas e/ou extintas, filiais, escritórios, agências ou depósitos em qualquer ponto do território nacional.Cláusula 3ª: O prazo de duração da Sociedade é por tempo indeterminado. Cláusula 4ª: A Sociedade tem por objeto:(i)a participação em outras sociedades, na qualidade de sócia, quotista ou acionista;e (ii)a administração, locação e arrendamento de bens próprios. II Do Capital Social-Cláusula 5ª: O capital social é de R$ 35.239.344,00, dividido em 35.239.344 quotas, no valor de R$ 1,00 cada uma, totalmente integralizado em moeda corrente no país, assim distribuído entre os sócios: Young Moo Park-R$ 34.908.909,00, correspondentes a 34.908.909,00 quotas, totalmente integralizadas; Eduardo Kim Park-R$ 330.435,00, correspondentes a 330.435 quotas, totalmente integralizadas. §1º: Fica assegurado aos sócios o direito de preferência na subscrição de aumento de capital. §2º: A responsabilidade de cada sócio é restrita ao valor de suas quotas, mas todas respondem solidariamente pela integralização do capital social. §3º: Cada quota representa um voto nas deliberações sociais. §4º: As quotas de capital são indivisíveis em relação à Sociedade. III Das Deliberações Sociais-Cláusula 6ª: Os sócios se reunirão, ordinariamente, dentro dos quatro primeiros meses após o encerramento do exercício social, e, extraordinariamente, sempre que os interesses da sociedade o exigir, devendo os procedimentos de convocação, instalação e deliberação seguirem o disposto na legislação aplicável. IV Da Administração-Cláusula 7ª: A sociedade será administrada pelo sócio Young Moo Park e pela não sócia Sra. Kyung Ae Kim, brasileira, casada, empresária, portadora da cédula de identidade RG nº 8.208.905-X/SSP-SP, inscrita no CPF/MF sob o nº 115.116.86880, residente e domiciliada na Avenida Professor Alexandre Correia, 360 – apto. 51, Bairro Jardim Vitória Régia, CEP 05657-230, no município de São Paulo, Estado de São Paulo; Parágrafo único: O sócio Young Moo Park ocupará o cargo de Diretor Presidente; a não sócia Kyung Ae Kim ocupará o cargo de Diretora Vice-Presidente Financeira.. Cláusula 8ª: A Sociedade considerar-se-á obrigada quando representada em todos os atos, contratos e documentos, públicos ou particulares, que envolvam responsabilidade da Sociedade ou na emissão de títulos de crédito, especialmente cheques, de qualquer natureza e desembolso de quaisquer fundos, isoladamente pelo Diretor Presidente, pela Diretora Vice-Presidente Financeira ou por procurador devidamente constituído para tanto. §1º: Nos atos de constituição de procuradores, a Sociedade deverá ser representada obrigatoriamente pelo Diretor Presidente ou pela Diretora Vice-Presidente Financeira, devendo os instrumentos de mandato especificar os poderes conferidos. Salvo quando para fins judiciais, todos os demais mandatos terão prazo de vigência determinado, não superior a 1 ano. §2º: A concessão de avais, fianças e garantias em nome da Sociedade somente poderá ser realizada mediante assinatura, isoladamente, do Diretor Presidente ou da Diretora Vice-Presidente Financeira. Cláusula 9ª: Compete à Diretoria: a)representar a Sociedade, ativa ou passivamente, judicial ou extrajudicialmente, bem como praticar todos os atos necessários ao andamento e desenvolvimento dos negócios da Sociedade, inclusive a celebração de contratos, encerramento ou alteração dos mesmos, observadas a forma de representação disposta na Cláusula 8ª, e as limitações presentes neste Contrato Social e na legislação aplicável; b)organizar a estrutura política, financeira e de recursos humanos; c)apresentar o relatório da Diretoria, as demonstrações financeiras e a proposta de destinação do resultado do exercício, previstas em lei; e d)fixar normas para emissão de cheques e saques. Parágrafo único: Eventuais divisões de atribuições dos Diretores serão determinadas pelos sócios, em reunião convocada para tal fim. Cláusula 10ª: Os Diretores se reunirão sempre que necessário, mediante convocação por qualquer um destes com antecedência mínima de 72 horas. §1º: A convocação deverá conter a ordem do dia e poderá ser feita por meio de carta registrada ou e-mail, dispensadas tais formalidades no caso da presença de todos os Diretores.§2º: Caso seja necessário, as reuniões poderão ser realizadas por meio de mecanismos de comunicação conjunta à distância, como vídeo e/ou teleconferência.§3º:As decisões da Diretoria serão tomadas por maioria por Diretores e, em caso de dúvida, impasse, ou abstenção ç dos sócios. Sem prejuízo da forma deliberativa, o Diretor dissidente poderá declarar de um deles, a matéria será submetida à apreciação sua divergência, fazendo-a constar em ata. Cláusula 11ª: Além dos atos que forem necessários à realização dos fins sociais, os Diretores, observada a forma de representação prevista na Cláusula 8ª deste Contrato, ficam investidos de poderes para transigir, renunciar, desistir, firmar compromissos, confessar dívidas e fazer acordos, adquirir, alienar e onerar bens móveis e imóveis em nome da Sociedade, nas condições deste Contrato. Cláusula 12ª: Os Diretores, no exercício de suas funções, farão jus a remuneração, que será levada a débito da sociedade e fixada de comum acordo pelos sócios. V Da Cessão de Quotas-Cláusula 13ª: Nenhum sócio poderá ceder ou alienar suas quotas sem oferecer aos demais sócios direito de preferência, em igualdade de condições. O sócio que desejar alienar suas quotas deve comunicar aos demais sua intenção com antecedência mínima de 60 dias. Não desejando os outros sócios adquirirem suas quotas, as mesmas poderão ser oferecidas a terceiros que queiram ingressar na Sociedade, desde que em igualdade condições e valores. §1º: Será ineficaz, em relação à Sociedade, a cessão de quotas feita com infração às regras estabelecidas nesta cláusula. §2º: É vedado aos sócios caucionar, ou de qualquer forma ppenhorar,, ou onerar suas qquotas sociais,, no todo ou em pparte,, salvo consentimento unânime. VI Da Exclusão de Sócio-Cláusula 14ª É reconhecido à maioria dos sócios que representem a maioria do capital social, nos termos do Art. 1.085 da Lei nº 10.406/2002, promover a exclusão do sócio que estiver pondo em risco a continuidade da sociedade, em virtude de atos de inegável gravidade, desde que comprovada a justa causa, mediante alteração do contrato social, sendo que uma das vias será entregue ao sócio excluído. Consideram-se, unicamente para efeitos exemplificativos e não taxativos, atos de inegável gravidade para efeito desta cláusula: a)Concorrência desleal; b)Falta de exação no cumprimento de seus deveres de sócio; c)Fuga ou ausência prolongada sem motivo justificado;d)Qualquer doença que torne a pessoa física incapacitada para a prática dos atos da vida civil, de locomoção/execução de tarefas e viagens.§1º: A exclusão será determinada em reunião especialmente convocada para esse fim, ciente o acusado em tempo hábil para permitir o seu comparecimento para exercício do direito de defesa. Convenciona-se como tempo hábil a observância do período mínimo de 15 dias, contados do primeiro dia útil seguinte ao recebimento da notificação até a data, inclusive, da realização da respectiva reunião. §2º: Os haveres do sócio excluído ser-lhe-ão pagos na forma da Cláusula 15ª e respectivos parágrafos. VII Do Falecimento de Sócio-Cláusula 15ª: A Sociedade não se dissolverá por morte, exclusão ou retirada de sócio, continuando com os sócios remanescentes. §1º: No caso de falecimento de sócio, a Sociedade, nos 15 dias seguintes ao óbito, notificará os herdeiros do sócio falecido, maiores e capazes e os responsáveis pelos menores, inclusive o cônjuge supérstite, se houver, cientificando-os da existência deste contrato. §2º: Os herdeiros, sucessores e o cônjuge supérstite do sócio falecido não serão admitidos na Sociedade. Seus haveres serão apurados com base em balanço especial levantado na data do óbito, sendo pagos ao espólio. As quotas do sócio falecido serão posteriormente oferecidas a terceiros que queiram ingressar na Sociedade, respeitado o direito de preferência de que trata a Cláusula 13ª. §3º: O pagamento aos herdeiros, sucessores e ao cônjuge supérstite far-se-á na forma que for acordada; não havendo acordo, em 12 prestações mensais e consecutivas, vencendo-se a primeira delas 60 dias do óbito. Essas parcelas serão corrigidas mensalmente pelo índice do IGPM, ou outro índice que vier a substituí-lo. VIII Do Exercício Social-Cláusula 16ª: Ao término do exercício social, em 31 de dezembro, os Diretores prestarão contas justificadas de sua administração, procedendo à elaboração do Balanço Patrimonial e o Balanço do Resultado Econômico. §1º: Os lucros e perdas da Sociedade terão a destinação que lhes for determinada pelos sócios ao final de cada exercício social; em sendo o caso, caberá aos sócios, na proporção de suas quotas, os lucros ou perdas apuradas.§2º: É facultado o levantamento de balanços e distribuição de lucros em períodos extraordinários, inclusive mensais. §3º: Os sócios poderão, por unanimidade, deliberar pela distribuição de lucros de maneira desproporcional às suas respectivas participações societárias. §4º: O Balanço Patrimonial e o Balanço do Resultado Econômico não serão publicados. IX Da Dissolução e Liquidação-Cláusula 17ª: Considerar-se-á dissolvida a Sociedade, nos casos previstos em Lei 10.406/2.002, e a liquidação será processada nos termos desta mesma lei, cabendo aos sócios escolherem o liquidante e deliberarem sobre a sua remuneração. X Disposições Finais-Clausula 18ª: Os sócios deverão cumprir as disposições deste Contrato e de acordo de sócios eventualmente celebrado.Cláusula 19ª: Os Diretores declaram sob as penas da lei, que não estão impedidos de exercer a administração da sociedade, por lei especial, ou em virtude de condenação criminal, ou por se encontrarem sob os efeitos dela, a pena de que vede, ainda que temporariamente, o acesso a cargos públicos; ou por crime falimentar, de prevaricação, peita ou suborno, concussão, peculato, ou contra a economia popular, contra o sistema financeiro nacional, contra normas de defesa da concorrência, contra as relações de consumo, fé pública, ou a propriedade. Cláusula 20ª: Segundo remissão determinada pelo Art. 1.054 da Lei nº 10.406/2002 ao Art. 997 da mesma legislação, fica expresso que os sócios não respondem subsidiariamente pelas obrigações sociais. Cláusula 21ª: Fica eleito o foro Central da Comarca de São Paulo, Estado de São Paulo, para o exercício e o cumprimento dos direitos e obrigações resultantes deste contrato. E por estarem as partes acordes, nos termos do presente instrumento, firmam-no em 3 vias de igual teor e forma, na presença de 2 testemunhas. SP, 28/4/11. Sócios: Young Moo Park. Diretora: Kyung Ae Kim.Visto do Advogado-Marcelo Itiro Mizukosi-OAB/MG 72.795. Jucesp nº 229.322/11-6 em 15/06/2011. Katia Regina B. de Godoy-Secr. Geral.

NEOCAP TAMPAS E LACRES S.A. SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico Nº 36/00297/13/05 OBJETO: ATA DE REGISTRO DE PREÇO PARA AQUISIÇÃO DE LOUSA QUADRICULADA- LG-07, MURAL - MR-02 E QUADRO BRANCO - QB-01 A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Registro de Preço para Aquisição de Lousa Quadriculada- LG-07, Mural - MR-02 e Quadro Branco - QB-01 As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 07/06/2013, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações na Av. São Luis, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 20/06/2013, às 09:30 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 07/06/2013, até o momento anterior ao início da sessão pública. BARJAS NEGRI Presidente

MOINHO PRIMOR S.A. CNPJ(MF) nº 61.373.809/0001-53 Ata da assembleia geral ordinária realizada em 30 de abril de 2013. Data, Hora e Local da Realização: Aos trinta dias do mês de abril de 2013, às 10,00 horas na sede social, na Avenida Torres de Oliveira nº 936, Jaguaré - São Paulo - SP. Composição da Mesa: Presidente: Almir Pereira de Melo. Secretário: Kango Ohashi. Presenças: Acionistas representando a totalidade do Capital Social, conforme assinaturas lançadas no livro de Presença dos Acionistas dispensada assim, nos termos do § 4º do artigo 124 da Lei nº 6.404/76, a previa convocação por editais. Ordem do Dia: Eleição dos membros da diretoria e fixação da remuneração de seus membros. Deliberações: O Sr. Presidente solicitou aos acionistas presentes que procedam a eleição da Diretoria, com mandato de 3 (três) anos, bem como a fixação de seus honorários. Posto o assunto em discussão e votação, verificou-se a eleição por aclamação dos seguintes membros: Diretor Presidente: Sr. Almir Pereira de Melo, brasileiro, solteiro, maior, comerciante, portador da cédula de identidade RG nº 18.076.914-5, emitida pela SSP-SP e do CPF 279.621.948-80, residente e domiciliado à Rua dos Berilos nº 33, Jardim Bela Vista, Cidade de Americana/ SP e para Diretor de Patrimônio o Sr. Oswaldo Domingos Francisco, brasileiro maior, divorciado, portador da cédula de identidade RG nº 18.682.418-X e do CPF 708.056.018-72, residente e domiciliado à Rua dos Berilos nº 33, Jardim Bela Vista, cidade Americana/SP, o cargo de Diretor Administrativo e Financeiro será acumulado pelo Diretor Presidente Eleito, com mandato até a eleição de nova Diretoria pela Assembleia Geral Ordinária a realizar-se até 30.04.2016, quanto à remuneração dos diretores eleitos, fica mantido o mesmo critério adotado nas gestões anteriores. Encerramento: Nada mais havendo a ser tratado, foi encerrada a sessão pelo tempo necessário para a lavratura da presente ATA que lida e achada conforme foi aprovada e assinada pelos presentes. A presente é a cópia fiel da ata da assembleia geral ordinária realizada em 30.04.2013, lavrada em livro próprio. São Paulo, 30 de abril de 2013. Almir Pereira de Melo - Dir. Pres/Adm/Financeiro. Oswaldo Domingos Francisco - Dir. Patrimônio. Almir Pereira de Melo - Presidente da Mesa. Kango Ohashi - Secretário.

Berne Empreendimentos Imobiliários Ltda CNPJ: 09.257.400/0001-51 - NIRE: 35.221.878.997 Ata de Reunião dos Sócios Quotistas Realizada em 22/04/2013 Data, Hora e Local: Aos 22/04/2013, as 09:00h, na sede social, localizada na Rua Afonso Braz, nº 473, 15º andar, São Paulo-SP. Presença: Presentes quotistas representando a totalidade do capital social.Mesa: presidida pelo quotista AMY Engenharia e Empreendimentos Ltda, através de seu representante Antonio MarioYunes e secretariada pelo quotista Trisul S.A., através de seu representante Jorge Cury Neto.Ordem do Dia: Deliberar a redução do capital social na forma do Artigo 1.082, II do Código Civil, propondo a redução do capital social dos atuais R$ 6.000.000,00 para R$ 1.000,00 e distribuição das quotas entre os sócios. Deliberações: Aprovada por unanimidade a redução do capital social de R$ 6.000.000,00 (seis milhões de reais) para R$ 1.000,00 (um mil reais) mediante a diminuição proporcional das participações dos atuais sócios e restituição do valor correspondente das quotas, no total de R$ 5.999.000,00 (cinco milhões, novecentos e noventa e nove mil reais) para pagamento aos mesmos, em moeda nacional, na proporção de suas participações. Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foi encerrada a reunião, sendo a presente ata lavrada e assinada pelos sócios quotistas presentes, a qual será publicada na forma do § 1º do artigo 1.084 do Código Civil, para que se produzam os devidos efeitos legais. São Paulo, 22 de abril de 2013. Mesa: Antonio Mario YunesPresidente da mesa, Jorge Cury Neto - Secretário. Sócios: AMY Engenharia e Empreendimentos Ltda., Trisul S/A.

CNPJ: 12.398.977/0001-98 Demonstrações Financeiras Balanço Patrimonal - Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 - Em milhares de Reais Ativo Nota Explicativa 2012 2011 Passivo Nota Explicativa 2012 2011 Disponível (caixa e equivalentes de caixa): 4.1 4.029 3.803 Impostos, taxas e contribuições Caixa e bancos 5 a pagar 4.5 1 15 Aplicações financeiras de liquidez imediata 4.024 3.803 Total do Passivo Circulante 1 15 Outros ativos de curto prazo: 113 95 Capital social: 5.872 5.872 Impostos a recuperar 4.2 113 95 Realizado 4.6 5.872 5.872 Total do Ativo Circulante 4.142 3.898 Reservas: 1.899 1.637 Realizável a longo prazo: 800 316 Reserva de lucros a realizar 1.899 1.637 Aluguel a receber de empresa ligada 4.3 800 316 Total do Patrimônio Líquido 7.771 7.509 Imobilizado: 4.4 2.830 3.310 Bens em operação 6.881 6.881 Menos: depreciação acumulada (4.051) (3.571) Total do Ativo Não Circulante 3.630 3.626 7.772 7.524 Total do Ativo 7.772 7.524 Total do Passivo Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 1 - Contexto Operacional: A Neocap Tampas e Lacres S. A. foi fundada antigo de cumulatividade). 3.9 - Apuração do resultado: O resultado das em junho de 2010, na cidade de Itapecerica da Serra (SP), para atender à operações é apurado em conformidade com o regime contábil de compedemanda de tampas de borracha e selos de alumínio do mercado farma- tência do exercício. A receita de venda de produtos é reconhecida no resulcêutico brasileiro e de bebidas alcoólicas. 2 - Apresentação das Demons- tado quando todos os riscos e benefícios inerentes ao produto são transfetrações ContábeisAs demonstrações contábeis foram elaboradas com ridos para o comprador. Uma receita não é reconhecida se há uma incertebase nas práticas contábeis emanadas da legislação societária brasileira, za significativa na sua realização. 4 - Composição dos Saldos e Obserem conformidade com a Lei nº 6.404, de 15 de dezembro de 1976, Lei nº vação sobre Aspectos Relevantes: 4.1 - Disponível (caixa e equivalen11.638, de 28 de dezembro de 2007 e com a Lei nº 11.941, de 27 de maio tes de caixa): O caixa excedente às necessidades de operação da empre2009. 3 - Descrição das Principais Práticas Contábeis: 3.1 - Caixa e sa é direcionado para aplicações financeiras de liquidez imediata, como equivalentes de caixa (ativo disponível): Compreende o saldo em caixa, forma de preservar a vitalidade dos recursos disponíveis. Em 31 de dedepósitos bancários e aplicações financeiras de liquidez imediata. 3.2 - zembro de 2012 e 2011 o caixa e os equivalentes de caixa da Neocap estaAplicações financeiras: Registradas ao custo, acrescidas dos rendimen- vam assim distribuídos: Caixa e Bancos R$ 5 em 2012; Aplicações finantos incorridos até a data do balanço. Não superam seu valor de mercado. ceiras R$ 4.025 e R$ 3.803 em 2012 e 2011. 4.2 - Impostos a recuperar: 3.3 - Estoques: Os estoques serão avaliados ao custo médio de aquisição Valores referentes a Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF) sobre apliou de produção, que não excede ao valor de mercado. Inclui gastos incor- cações financeiras, oriundos das operações normais da empresa, saldo ridos na aquisição, transporte e armazenagem dos estoques. No caso de em 31 de dezembro de 2012 e 2011 nos valores de R$ 112 e R$ 95 respecestoques acabados e estoques em elaboração, o custo incorpora despe- tivamente. 4.3 - Operações ativas (passivas) com empresas ligadas: As sas gerais de fabricação, baseadas na capacidade normal de operação. transações entre a Neocap Tampas e Lacres S. A. e empresas ligadas fo3.4 - Demais ativos: São apresentados ao valor líquido de realização. 3.5 ram efetuadas em condições normais de mercado com saldos finais em - Ativos não circulantes: O realizável a longo prazo é apresentado ao va- 2012 e 2011 no valaor de R$ 800 e R$ 316 mil reais relativos a aluguéis a lor líquido de realização. Todas as operações com empresas ligadas são de máquinas e equipamentos a receber da empresa Farmacap Indústria e contabilizadas como de longo prazo, independentemente da data de sua Comércio Ltda. 4.4 - Ativo imobilizado e depreciações: O ativo imobilizarealização. O imobilizado está registrado ao custo de aquisição, formação do está registrado ao custo de aquisição ou construção, deduzido da deou construção. A depreciação é calculada pelo método linear, conforme ta- preciação acumulada. Em 31 de dezembro de 2012 e 2011, essa conta xas mencionadas na nota explicativa 4.4, considerando a vida útil dos apresentava saldo de R$ 6.881 mil e a conta de depreciação acumulada bens. Gastos decorrentes de reposição de componentes e outros gastos apresentava os saldos de R$ 4.051 e R4 3.572 mil com taxa média de 10% são capitalizados apenas quando há um aumento nos benefícios econômi- ao ano. 4.5 - Impostos, taxas e contribuições a pagar: Em 31 de dezemcos desse item do imobilizado. Qualquer outro tipo de gasto é reconheci- bro de 2012 essa conta apresentava a composição abaixo. 4.6 - Capital do, no resultado do exercício, como custo ou despesa. 3.6 - Passivo cir- social: O capital social da empresa foi reduzido para R$ 5.871.660,00, em culante e passivo não circulante: São demonstrados pelos valores co- virtude do movimento operacional da empresa estar abaixo das expectatinhecidos ou calculáveis, acrescidos, quando aplicável, dos corresponden- vas e ser excessivo aos negócios da sociedade. As cotas entre os sócios tes encargos, variações monetárias e cambiais incorridas até a data das estão distribuídas em 50% para o sócio Farmacap Indústria e Comércio demonstrações contábeis. 3.7 - Provisões: As provisões são reconheci- Ltda e 50% para a sócia Wheaton do Brasil Indústria e Comércio Ltda. 4.7 das no balanço quando a empresa possui uma obrigação legal ou consti- - Despesas e receitas financeiras: O resultado financeiro líquido tem a tuída como resultado de um evento passado, que enseje a necessidade seguinte composição: Receitas Financeiras R$ 328 e R$ 2.290 mil em provável de recursos econômicos para saldar a obrigação. As provisões 2012 e 2011. 5 - Instrumentos Financeiros: De acordo com sua política são registradas com base nas melhores estimativas do risco envolvido. de tesouraria, a Neocap Tampas e Lacres S. A., não possui e nem emite 3.8 - Imposto de renda e contribuição social: O imposto de renda e a instrumentos financeiros derivativos para negociação. contribuição social corrente são calculados com base no lucro real, com Itapecerica da Serra (SP), 30 de abril de 2013. seu respectivo impacto no método de apuração de PIS/COFINS (regime Mário Allan Ferraz Mafra - Diretor Administrativo e Financeiro

COMPANHIA ULTRAGAZ S.A. CNPJ Nº 61.602.199/0001-12 - NIRE 35.300.030.401 Edital de Convocação - Assembleia Geral Extraordinária Pela presente, ficam os Srs. Acionistas convidados a comparecer à Assembleia Geral Extraordinária da Cia. Ultragaz S.A. (“Companhia”), que se realizará no dia 17 de junho de 2013, às 09h (“Assembleia”), na sede social da Companhia, localizada na Av. Brigadeiro Luís Antônio, nº 1.343, 9º andar, na Cidade e Estado de São Paulo, para deliberar sobre a seguinte Ordem do Dia: 1) Aprovar a alteração do objeto social da Companhia, de modo a adequá-lo às atividades sociais atualmente desenvolvidas por ela, com a consequente consolidação do Estatuto Social. Participação na Assembleia: Os acionistas, para participar da presente Assembleia, devem apresentar declaração emitida pela instituição custodiante, com a quantidade de ações de que constavam como titulares até, no máximo, 02 (dois) dias úteis antes da Assembleia. Poderão participar da Assembleia acionistas titulares de ações ordinárias e preferenciais da Companhia, por si, seus representantes legais ou procurador constituído há menos de 01 (um) ano, que seja acionista, administrador da Companhia, advogado, instituição financeira ou administrador de fundos de investimentos que represente condôminos. Será necessária a apresentação do respectivo instrumento de mandato com reconhecimento de firma do outorgante, o qual deverá ser depositado na sede social da Companhia até às 17h30min do dia 14.06.2013, sob pena do procurador não poder exercer o mandato. São Paulo, 06 de junho de 2013. Thilo Mannhardt - Presidente do Conselho de Administração. (06-07-08)

Adonai Química S/A. CNPJ/MF n.º 02.703.755/0001-88 - NIRE 35.300.156.315 Ata da Assembleia Geral Ordinária Realização/Local: 26/04/13, às 14h, na R. Gomes de Carvalho, 1306, 8º and., s/85, S. Paulo/SP. Convocação: Dispensada, na forma da lei. Publicações: As demonstrações financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31/12/12 publicadas em 19/04/13 nos jornais “DOESP e DC. Presenças: 100%. Mesa: Presidente: Carlos César Floriano e Secretário: Francisco Cassiani Filho.Ordem do Dia/:Deliberações: “Aprovadas por, unanimidade” I. Em AGO: (a) O Relatório de Administração, Balanço Patrimonial e demais Demonstrações Financeiras referentes ao exercício social encerrado em 31/12/12. (b) Face ao prejuízo verificado no exercício de 2012, não foi votado o item (b) da Ordem do Dia. (c) Ratificada a remuneração da administração paga em 2012, no valor total de R$ 230.000,00 e aprovada a remuneração para o exercício de 2013, no valor total anual de até R$ 600.000,00 valor este reajustado a ser distribuído no período de janeiro de 2013 até dezembro de 2013; II. Autorizada a publicação desta ata em forma de extrato. III. Em obediência ao disposto no § 3º, do art.5º, do Estatuto Social consolidado, verifica-se que o quadro atualizado de participação societária no capital da companhia é: Acionistas: Ações Ordinárias: Argemil Armazéns Gerais Mirambava Ltda.: 211.580; Aba Infra-Estrutura e Logística Ltda.: 284.683; Alípio José Gusmão dos Santos:127.880; Carlos Cesar Floriano: 339.420; Total: 963.563. Encerramento: Formalidades legais foram devidamente arquivadas e registradas na JUCESP Nº 194.945/13-3 em 29/05/2013.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SANTA GERTRUDES Pregão Presencial 13/2013 A Prefeitura do Município de Santa Gertrudes torna público que, no dia e hora especificados, nas dependências do Paço Municipal, à Rua 01A, 332, Centro, Santa Gertrudes/SP, realizar-se-á licitação, na modalidade Pregão Presencial 13/2013, objetivando a contratação de prêmio de seguro para a frota municipal – apólice coletiva. O edital completo poderá ser retirado no endereço supracitado, no horário das 9:00 às 16:00 horas, sendo necessária a retirada no local. Os envelopes com as propostas e os documentos de habilitação devem ser protocolados até as 8:30 horas do dia 20/06/2013 no Paço Municipal. A sessão de lances e julgamento será neste mesmo dia às 9:00 horas. Santa Gertrudes/SP, 06 de junho de 2013. Danielle Zanardi Leão – Pregoeira.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ANGATUBA Tomada de Preços nº 003/2013 – Processo nº 050/2013 Objeto: Contratação de empresa especializada para serviços de construção de guias, sarjetas, calçadas pavimentação e sinalização viária e diversas ruas do município de Angatuba, atendendo ao Contrato de Repasse nº 773138/2012 / Ministérios das Cidades – Caixa Econômica Federal. Encerramento: 25 de junho de 2013 às 14.00 horas. Informações: (15) 3255-9500 – ramal 516 ou 518. Angatuba, 04 de junho de 2013.

EXTRAVIO - ELZA ALCÂNTARA PERFUMES E COSMÉTICOS – EPP., CNPJ nº 14.078.095/0001-70, IE nº 146.353.858.115, comunica o extravio de atestado de intervenção técnica em equipamento de emissor de Cupom Fiscal nº 38179 habilitado em 21/12/2012. ABDALLA SAUAIA, comunica a quem interessar possa, bem como ao Banco do Brasil S/A, o extravio dos Certificados de Custódia de Ouro nº 454246, 454247, 454248, 454249, 454250, 454252, 454253, 454382, 454383 e 454384, emitidos pelo Banco do Brasil S/A, de propriedade de Abdalla Sauaia, relativos aos lingotes nº EL 2969, EL 2970, EL 2971, EL 2972, EK 5672, EK5674, EK EK5673, EK 6940, EK 6941 e EK 6942, respectivamente. SOCEDADE BENEFICENTE CONTE COMIGO – SOCIEDADE CIVIL SEM FINS LUCRATIVOS, CNPJ 03.394.193/0001-09, por seus sócios, Declara DISSOLVIDA a sociedade, em 31/05/2013, conforme Ata de Assembleia Geral Ordinária e Extraordinária e de Dissolução de Sociedade Civil Sem Fins Lucrativos.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 06 de junho de 2013, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial:

Recuperação Judicial Requerente: Interteck Internacional Importação e Exportação Ltda. Requerente: Katal Biotecnológica Indústria e Comércio Ltda. Requerido: Interteck Internacional Importação e Exportação Ltda. Rua Sabarabucu, 149 – Santo Amaro. Requerido: Katal Biotecnológica Indústria e Comércio Ltda. Rua Leiria, 1.160 – São Francisco – Belo Horizonte-MG - 2ª Vara de Falências. Requerente: HF Prime Ltda. ME. Requerido: HF Prime Ltda. ME. Avenida Pedroso da Silveira, 216 – Pari - 1ª Vara de Falências. Requerente: Fábio Tranchesi Engenharia Ltda. Requerido: Fábio Tranchesi Engenharia Ltda. Alameda Casa Branca, 1.170 - Conjunto 01 – Cerqueira César - 1ª Vara de Falências.

Demonstração do Resultado do Exercício - Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 - Em milhares de Reais Nota Explicativa 2012 2011 Receita Operacional Líquida 600 600 Custos: (472) (484) Custo dos produtos vendidos (exceto depreciação) Depreciação lançada a custo (472) (484) Lucro (Prejuízo) Bruto 128 116 Despesas operacionais: (96) (17) Comerciais (0) (2) Gerais e administrativas (31) (12) Depreciação lançada a despesa (8) Outras receitas e despesas (57) (3) Lucro (Prejuízo) antes do Resultado Financeiro 32 99 Resultado financeiro: 328 2.290 Receitas financeiras 328 2.290 Despesas financeiras Lucro (Prejuízo) antes dos Tributos s/o Lucro 360 2.389 Tributos sobre o lucro: (98) (788) Provisão para imposto de renda (30) (573) Provisão para contribuição social (68) (215) Lucro (Prejuízo) Líquido do Exercício 262 1.601 Medições não contábeis, conforme Instrução CVM nº 527, de 4 de dezembro de 2012: EBIT (lucro líquido antes do resultado financeiro e dos tributos sobre o lucro) 32 99 Percentual do EBIT s/a receita operacional líquida 5% 17% EBITDA (lucro líquido antes do resultado financeiro, dos tributos s/o lucro, das depreciações e das amortizações) 512 583 Percentual do EBITDA s/a receita operacional líquida 85% 97% Demonstração do Fluxo de Caixa - Exercícios Findos em 31 de Dezembro de 2012 e 2011 - Em milhares de Reais Lucro líquido do exercício 262 1.601 Deprec. e amortizações lançadas a custo e a despesa 480 484 Lucro líquido ajustado 742 2.085 Diminuição (aumento) de impostos a recuperar (17) (95) Diminuição (aum.) de títulos e contas a receber diversas 265 Dimin. (aum.) de aluguel a receber de empresa ligada (485) (116) Aum. (dim.) de impostos, taxas e contribuições a pagar (14) (42) Fluxo de caixa das atividades operacionais [1] 226 2.097 Diminuição (aumento) de ativo imobilizado (0) (1.753) Fluxo de caixa das atividades de investimento [2] (0) (1.753) Fluxo de caixa para a empresa (FCFF = free cash flow to firm) [3] = [1] + [2] 226 344 Aumento (diminuição) de capital social (0) (22.669) Aumento (diminuição) das reservas (0) (679) Fluxo de caixa das atividades de financiamento [4] 0 (23.348) Fluxo de caixa para os sócios (FCFE = free cash flow to equity) [5] = [3] + [4] 226 (23.004) Saldo atual do ativo disponível (caixa e equivalentes de caixa) 4.029 3.803 Saldo anterior do ativo disponível (caixa e equivalentes de caixa) 3.803 26.807 Variação do ativo disponível (caixa e equivalentes de caixa) 226 (23.004) Valdeci Pereira de Almeida-Supervisor de Contab.CRC 1SP 129730/O-2

União de Capitais Participações S/A

CNPJ 07.637.154/0001-38 - NIRE 35300326202 Extrato da Ata de Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária Data e Hora: 01/04/2013, às 10:00 hs. Local: na sede social da Cia. Convocação: dispensada Presença: totalidade Mesa: Nelson Jocionis (“Presidente”) e Carlos Eduardo Jocionis (“Secretário”) Deliberações aprovadas por unanimidade: Em AGO: os relatórios e balanços relativos às demonstrações financeiras do ano de 2012, (ii) tendo em vista o resultado do exercício, não serão distribuídos dividendos aos acionistas. Em AGE: aumento do capital social da cia. em R$ 20.175.371.45, que passa de R$ 9.592.686,00 para R$ 29.768.057,45, com utilização de R$ 19.775.371,45 das contas de reserva da cia. e R$ 400.000,00 relativos a Adiantamentos para Futuro Aumento de Capital (AFACs), realizados pelos acionistas em exercícios anteriores, sem a emissão de novas ações; com a utilização das contas contábeis de reservas da cia.. Alteração do endereço da sede da cia., que passará a ser: Al. Guarujá, 753- Cond. Jardim Paulista, município de Vinhedo/SP., CEP 13.280-000. Alteração da redação dos Artigos 5º e 2º do Estatuto Social, que passam a ter a seguinte redação: art. 5º “O capital social é de R$ 29.768.057,45, dividido em 9.592.686 Ações Ordinárias Nominativas, da mesma classe, sem valor nominal, totalmente subscritas e realizadas”; Art. 2º. “A Sociedade terá sua sede à Al. Guarujá, 753- Condomínio Jardim Paulista, município de Vinhedo/SP, CEP 13.280-000. Nada mais, lavrou-se a ata. Nelson Jocionis - Presidente; Carlos Eduardo Jocionis - Secretário Acionistas: Nelson Jocionis; Carlos Eduardo Jocionis; Clair Aparecida Jocionis; Luis Carlos Jocionis; Nilson Barrantes. JUCESP n° 173.296/13-0 em 07/05/2013 Gisela Simiema Ceschin - Secretária Geral.

Grafite Participações e Empreendimentos Ltda. - CNPJ/MF 53.495.842/0001-28 - NIRE/JUCESP 35.209.935.463 Extrato da Ata da Assembléia Geral de Transformação de Sociedade Empresarial Limitada em Sociedade Anônima de Capital Fechado, Demais Deliberações e Alteração da Denominação Social Data, Hora, Local: 05.11.2012, R. Iguatemi, nº 151, 20 A, cj. 201, Itaim Bibi, SP/SP. Presença: ção da Cia., competindo-lhe praticar todos os atos de gestão dos negócios sociais. § Único: Com Totalidade dos sócios. Mesa: Presidente: José Leopoldo de Abreu Figueiredo, Secretário: Thiago exceção dos atos mencionados no Art. 8º acima, a prática de quaisquer outros atos de gestão da Brunetti de Abreu Figueiredo. Deliberações Aprovadas: 1. Transformação S.A. de capital fecha- Cia. está condicionada à aprovação da maioria dos Diretores, sendo certo que, em caso de emdo, denominação de Grafite Participações e Empreendimentos S/A., com capital integraliza- pate, caberá ao Diretor Presidente o voto de qualidade. Art. 13: A Diretoria não é um órgão coledo, R$ 20.000.000,00 representado por 2.000.000 de ações, passando os sócios a terem os mes- giado, podendo contudo reunir-se nos casos do Art. 12, § único, observado o disposto no Art. 19, mos direitos e obrigações anteriores, serão substituídas por ações ordinárias e preferenciais ao abaixo. Art. 14: A Diretoria é composta de, no mínimo 2 e, no máximo, 4 membros, acionistas ou preço de emissão de R$ 10,00 cada uma conforme Boletim de Subscrição. Ficam mantidos inal- não, residentes no país, eleitos e destituíveis pela AG, com mandato de 2 anos, sendo permitida terados o objeto social, o ativo e o passivo. 2. Projeto de Estatuto Social. 3. Eleição da Diretoria, a reeleição. Art. 15: Dentre os Diretores um será designado Diretor Presidente, um será designacom mandato até AGO de 2013: José Leopoldo de Abreu Figueiredo, RG 5582465 SSP/SP, do Diretor Vice Presidente, e os demais Diretores sem designação específica. § 1º: Em caso de CPF/MF 003.781.738-80 como Diretor Presidente; Thiago Brunetti de Abreu Figueiredo, RG ausência ou impedimento temporário de membros da Diretoria, o Diretor Presidente será substi33.879.580-7 SSP/SP, CPF/MF 227.610.978-58 como Diretor Vice-Presidente; Thomaz Brunet- tuído pelo Diretor Vice Presidente e vice versa. Os Diretores sem designação específica substiti de Abreu Figueiredo, RG 33.879.579-0 SSP/SP, CPF/MF 227.610.968-86, como Diretor sem tuir-se-ão reciprocamente.Na hipótese de renúncia, destituição ou impedimento definitivo, o subsdesignação específica, todos, brasileiros domiciliados em SP/SP e declararam que não estão im- tituto será eleito em AG, especialmente convocada para tais fins. § 2º: Compete ao Diretor Presipedidos de exercer atividade mercantil. Destinação da verba global de R$ 100.000,00 para a re- dente: (i)Representar a Cia., ativa e passivamente, em Juízo ou fora dele; (ii) convocar e presidir muneração dos administradores durante 2012. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata, que as reuniões da Diretoria, hipótese em que lhe caberá, além do voto comum, o voto de qualidade vai assinada por todos.Adv.Responsável:Marcio Recco - OAB/SP 138.689.JUCESP 103.399/13- em caso de empate, nos termos do Art. 12, § único; (iii) especificar, supervisionar e coordenar as 6 NIRE 35.300.450.990 em 05.03.2013. Gisela Simiema Ceschin - Sec. Geral. Estatuto Social - atividades dos demais Diretores; (iv) em conjunto com os demais Diretores, cumprir as decisões Cap. I: Denominaçao, Sede, Objeto e Duração: Art. 1º: A Grafite Participações e Empreen- da AG, supervisionar e coordenar as atividades da Cia..§ 3º: Compete aos demais Diretores exerdimentos S.A. (a “Cia.”) é uma sociedade por ações, de capital fechado, que se rege por este Es- cerem as atribuições decorrentes da própria denominação do cargo. Art. 16: A Cia. será repretatuto Social e pelas disposições legais que lhe forem aplicáveis. Art. 2º: A Cia. tem por objeto: (a) sentada e somente será considerada validamente obrigada por ato e assinatura: (i) do Diretor PreIntermediar operações de compra ou venda a termo de quaisquer mercadorias cotadas em Bol- sidente ou do Diretor Vice Presidente, isoladamente, ou de dois Diretores sem designação espesas, no Brasil ou no exterior, praticando qualquer outra operação permitida pelas normas vigen- cífica em conjunto; ou (ii) de um Diretor sem designação específica em conjunto com um procutes; (b) Participar em empreendimentos imobiliários, agrícolas e pecuários; (c) Explorar atividades rador, constituído na forma do Art. 17 abaixo; ou(iii) de 2 procuradores constituídos na forma do agropecuárias; (d) Explorar atividades imobiliárias, exceto corretagem; (e) Prestar serviços de as- Art. 17 abaixo e observados os limites estabelecidos nos respectivos instrumentos de mandato. sessoria na área financeira; (f) Prestar serviços de assessoria econômica; (g) Prestar serviços de Art. 17: A nomeação de procuradores em nome da Cia. será feita por Instrumento público ou parcomputação, sistemas, organização e métodos, treinamento, microfilmagem, consultoria, pesqui- ticular e por prazo não superior a doze meses a contar da respectiva constituição, salvo quando sa operacional, pesquisa de mercado e estudos de organização e reorganização de empresas; se tratar de mandato ad judicia. As procurações deverão determinar poderes específicos. § Úni(h) Administrar bens móveis e imóveis próprios; (i) Participar no capital e nos lucros de outras em- co: Para efeitos de constituição de procuradores, a Cia. será necessariamente representada pela presas nacionais e estrangeiras na condição de acionista, sócia ou quotista, titular de debêntures assinatura isolada do Diretor Presidente ou do Diretor Vice Presidente.Art. 18: São expressamenou partes beneficiárias, em caráter permanente ou temporário, como controladora ou minoritária. te vedados e, em consequência, nulos em relação à Cia., todos e quaisquer atos dos Diretores, Art. 3º: A Cia. tem foro na cidade de São Paulo/SP, com sede na R. Iguatemi, nº 151, 20 A, cj. 201, procuradores e funcionários, que envolvam obrigações estranhas ao objeto da Cia., tais como Itaim Bibi/SP - CEP: 01451-011. § Único: Por deliberação da Diretoria, a Cia. poderá abrir, trans- fianças, avais, endossos, ou outras garantias em favor de terceiros, exceção feita às garantias ouferir e extinguir sucursais, filiais, agências, escritórios e quaisquer outros estabelecimentos em torgadas em transações em que seja parte pessoa a quem a Cia. esteja ligada comercial, econôqualquer parte do território nacional e no exterior. Art. 4º: A Cia. terá prazo indeterminado de du- mica ou juridicamente. Art. 19: A Diretoria reunir-se-á sempre que convocada pelo Diretor Presiração. Cap. II: Capital Social e Ações: Art. 5º: O capital social é de R$ 20.000.000,00 totalmen- dente ou por seu substituto, na sede social, instalando-se a reunião e deliberando os presentes te subscrito, sendo dividido em 2.000.000 de ações ordinárias, com valor nominal de R$ 10,00 com a presença da maioria dos Diretores, desde que um deles seja o Diretor Presidente ou seu cada uma. § Único: Cada ação ordinária confere a seu titular direito a um voto nas deliberações substituto. Cap. VII: Conselho Fiscal: Art. 20: A Cia. terá um Conselho Fiscal, de funcionamenda AG; Art. 6º: A Cia. poderá, a qualquer tempo, criar novas classes de ações ordinárias, bem to não permanente composto de 3 membros efetivos e 3 suplentes, com as atribuições previstas como de ações preferenciais, resgatáveis ou não, sem direito a voto, com preferências ou vanta- em lei. § 1º: O Conselho Fiscal somente funcionará nos exercícios sociais em que os acionistas, gens e respeitado o regime de paridade estabelecido na legislação em vigor. Cap. III: Assembléia observadas as prescrições legais, solicitarem sua instalação. § 2º: A AG, perante a qual for soliGeral: Art. 7º: A AG reunir-se-á ordinariamente nos 4 primeiros meses seguintes ao término do citada a instalação do Conselho Fiscal, deverá eleger seus componentes, fixar sua remuneração exercício social, reunindo-se ainda extraordinariamente sempre que os interesses sociais ou a lei e determinar a duração do seu mandato. Cap. VI: Exercício Social, Demonstrações Financeiassim exigirem. § 1º: A AG será convocada na forma da lei. Independentemente das formalida- ras e Lucros: Art. 21: O exercício social terá início em 01 de janeiro e término em 31 de dezemdes de convocação, será considerada regular a AG a que comparecerem todos os acionistas. § bro. Ao término de cada exercício social serão elaboradas as demonstrações financeiras previs2º: A AG será presidida pelo Diretor Presidente, ou, na sua ausência, pelo seu substituto, ou, na tas em lei. Art. 22: Os dividendos mínimos serão de 25% do lucro líquido do exercício, compenausência de ambos, por quem a AG indicar. O presidente da AG escolherá um dos presentes para sando-se antes, os prejuízos acumulados e provisionada a reserva legal e outras obrigatórias pela secretariá-lo. Art. 8º: As seguintes matérias exigem voto favorável de acionistas representando a legislação societária vigente à época da distribuição, cabendo à AG decidir sobre a destinação do maioria do capital social para serem aprovadas: (i) alteração de qualquer cláusula do Estatuto So- saldo remanescente. Art. 23: Salvo deliberação em contrário da AG, os dividendos deverão ser cial; (ii) aumento ou redução do capital social; (iii) criação de quaisquer novas classes ou séries pagos no prazo de sessenta dias, contados da data em que forem aprovados e, em qualquer caso, de ações; (iv) resgate ou recompra de ações pela Cia.; (v) adoção do plano de negócios anual da dentro do exercício social seguinte. Art. 24: Os acionistas ou seus representantes terão o direito Cia.; (vi) modificação do objeto social e condução de qualquer atividade que seja fundamental- de receber e dispor de relatórios financeiros e operacionais costumeiros da Cia., incluindo demente distinta daquela exercida correntemente pela Cia. e suas subsidiárias; (vii) fusão, cisão ou monstrações financeiras não auditadas mensais e trimestrais, demonstrações financeiras auditaincorporação da Cia., transferência, venda ou aquisição de ativos substanciais fora do curso nor- das anuais, orçamentos anuais e planos financeiros. Cap.VII:Transformação: Art. 25: A Cia. pomal da atividade exercida pela Cia., ou liquidação, dissolução ou término da Cia.; (viii) definição derá, independentemente de dissolução ou liquidação, transformar-se em sociedade de outro tipo ou alteração no plano de distribuição de dividendos; (ix) declaração de dividendos especiais ou que não sociedade anônima, assegurado o direito de retirada aos acionistas dissidentes. Cap. de liquidação ou distribuição de dividendos; (x) eleição e destituição da Diretoria; (xi) substituição VIII: Liquidação: Art. 26: A Cia. se dissolverá e entrará em liquidação nos casos previstos em lei, da empresa independente de auditoria; e (xii) outorga de garantias pela Cia. e a constituição de cabendo à AG estabelecer o modo de liquidação e eleger o liquidante, ou liquidantes, e o Conseônus sobre bens integrantes de seu ativo. Cap. IV: Administração: Art. 9º: A administração da lho Fiscal, que deverão funcionar no período de liquidação, fixando-lhes os poderes e remuneraCia. compete à Diretoria. Art. 10: Os membros da Diretoria devem assumir seus cargos dentro de ção. Cap. IX: Disposições Finais: Art. 27: Os atos isolados de qualquer acionista, Diretor, emtrinta dias a contar das respectivas datas de nomeação, mediante assinatura de termo de posse pregado ou procurador, que envolvam a Cia. em qualquer obrigação relativa a negócios ou openo livro de atas da Diretoria, permanecendo em seus cargos até a investidura dos novos adminis- rações fora do escopo previsto no objeto social, bem como a prestação de garantias ou contratradores eleitos. Art. 11: Os administradores perceberão remuneração fixa e, se for o caso, parti- -garantias em favor de sociedades coligadas ou controladas pela Cia., tais como fianças, avais, cipação no lucro da Cia., cujos montantes globais estabelecidos pela AG serão distribuídos entre endossos ou quaisquer outras garantias, são expressamente proibidos e serão considerados nuos seus membros em reunião da Diretoria específica para tal fim, pela maioria dos seus Direto- los, sem efeito e inválidos com relação à Cia., exceto aquelas expressamente previstas neste Esres, com observância dos limites e condições legais, sendo que a eventual acumulação de car- tatuto Social. Art. 28: Os casos omissos neste Estatuto Social serão resolvidos pela AG e regulagos não importará na acumulação de remuneração. Art. 12: A Diretoria é o órgão de representa- dos de acordo com o que preceitua a Lei 6.404/76.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22 -.ECONOMIA/LEGAIS

sexta-feira, 7 de junho de 2013

e A fome chinesa por produtos primários Crescimento da produção agrícola será de 1,5% ao ano entre 2013 e 2022, ante 2,1% da década anterior.

conomia

Produção mundial não dará conta de acompanhar a demanda da China por carne e oleaginosas na próxima década, estimam OCDE e FAO.

A

China, nação mais populosa do mundo, importará mais carne e oleaginosas na próxima década, fazendo com que a produção não acompanhe o consumo e aumentando, em decorrência, a pressão inflacionária sobre os preços globais. O alerta está no "Panorama Agrícola para 2013 a 2022", levantamento conjunto da Organização para a Coo-

peração e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e Agência de Segurança Alimentar da ONU (FAO), divulgado ontem. Aumento dos custos, crescente escassez de recursos e pressões ambientais cada vez maiores devem dificultar a produção agrícola, cujo crescimento ficará em média a 1,5% entre 2013 e 2022, ante os 2,1% registrados na década anterior, dizem a FAO e a

OCDE. "O crescimento do consumo chinês ultrapassará ligeiramente a produção, em cerca de 0,3% por ano, similar à tendência da década anterior. Uma maior, porém modesta, abertura do setor agrícola chinês deve acontecer, embora estas perspectivas devam variar por produto." A China já é o maior importador mundial de soja, após tomar a decisão estratégica de

terceirizar a produção, principalmente para os EUA. Alguns especialistas estimam que Pequim deve adotar o mesmo procedimento para outros produtos agrícolas de uso intensivo da terra. As importações chinesas de carne devem subir em 3% ao ano para 1,7 milhão de toneladas até 2022, impulsionadas por um crescimento na população e na renda. A carne bovi-

na deve se tornar o setor de aumento mais rápido, à taxa de 7% ao ano, segundo o relatório da OCDE e FAO. As importações chinesas de oleaginosas, principalmente para alimentação animal, devem subir 41% entre 2013/2022, para 83 milhões de toneladas, representando 59% do comércio mundial. As importações de cereais destinados à fabricação de ração,

incluindo milho e cevada, devem atingir 13,2 milhões de toneladas por ano até 2022, As importações anuais de trigo devem alcançar 2,8 milhões de toneladas até 2022 e as de arroz devem recuar para uma média de 1,5 milhão de toneladas por ano na próxima década, à medida que os cidadãos mais capitalizados passarem a consumir mais carne.(Reuters)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 7 de junho de 2013 Nº 467

DCARR

23

Se você "curte" fora de estrada, já está a venda o Anuário off-road 2012/2013, coordenado pelo fotógrafo Haroldo Nogueira de Sá Júnior. Belas fotos e muita informação sobre o setor.Compre em atendimento@shez.com.br

LAMBORGHINI 50 ANOS

Fotos: Divulgação

Veneno!

C

omemorando meio século, a Lamborghini lançou dois novos modelos: o conceito Egoísta, apenas uma unidade destinada ao museu da marca; e o Veneno – apenas três unidades que serão vendidas por R$ 9 milhões (cerca de três milhões de euros). Todos vendidos antecipadamente, mas nenhum no Brasil. O superesportivo é equipado com motor 6.5 litros, de 12 cilindros com 760 cv. De 0 a 100 km/h? Apenas 2,8 segundos. Para evitar abusos a fábri-

ca italiana lembra que o veículo é um carro de corrida com permissão para andar nas ruas, e limitou a máxima em "míseros" 355 km/h. Detalhe: como quase todos os modelos da marca, este também tem denominação de touro. Veneno é o nome do mais forte, mais rápido e mais agressivo animal da história, que ganhou fama em 1914, ao matar o famoso toureiro espanhol José Sánchez Rodríguez. O começo: crítica à Ferrari – Milionário, fazendeiro e po-

deroso construtor de tratores, Ferruccio Lamborghini era, assim como os abastados da época, proprietário de um carro esportivo Ferrari. Numa das revisões, que eram feitas na própria fábrica, ao ver o construtor Enzo Ferrari, Lamborghini reclamou de um problema crônico dos esportivos da marca italiana, o sistema de embreagem. Esse problema existia até há alguns anos atrás – além da embreagem "pesada", os engates de marchas eram duros e difíceis. Com

desprezo e sem dar a menor atenção, Enzo Ferrari respondeu: "Você é um agricultor. Continue dirigindo seus tratores e não fale dos meus carros". Lamborghini, ofendido e oriundo de uma família tradicional de toureiros (por isso todos os carros da marca têm nome de touros) respondeu: "Então vou lhe mostrar como se faz um carro esportivo". Assim, em 1963, surgia a fábrica de esportivos Lamborghini, em Sant'Agata Bolognese,

perto de Modena, onde são produzidas as Ferrari. O primeiro foi o 350 GT, com motor V12 sobre um chassi Dallara, tradicional fabricante de carros de corrida. Mas o maior sucesso da marca surgiria em 1968: o fabuloso Miura. Ele transformou a Lamborghini em uma verdadeira concorrente da Ferrari. O modelo foi produzido até 1973. Em

seguida surgiram os bólidos Countach e Diablo. A empresa enfrentou uma crise em 1987 e a Chrysler a salvou da falência comprando-a. Depois, quando a norteamericana teve problemas financeiros em 1989, foi a vez da Volkswagen manter a Lamborghini. Ela é a dona da marca até hoje.

A série especial: R$ 9 milhões

SEGURANÇA

Cinto e airbag. Inseparáveis! Nunca confie só no airbag. Não é bom para sua vida. O cinto é mais importante.

V

ocê sabia que sem o cinto de segurança, dependendo da velocidade do veículo, o air bag é absolutamente ineficiente e pode até causar danos mais sérios para motorista e passageiro da frente se for acionado nestas condições? Pois muita gente não sabe disso e acha que seu carro, com a bolsa de ar, oferece segurança total. E isto não é verdade. A advertência é feita pelo CESVI Brasil, entidade que estuda o setor automobilístico e ressalta que o cinto "é o dispositivo de retenção mais eficaz na prevenção de lesões dos ocupantes do veículo". Portanto, ele, o cinto, deve ser sempre usado, em qualquer situação. Segundo o Cesvi, quando o modelo tem air bag, o cinto é dimensionado para estabelecer o contato com o corpo da pessoa no momento certo, isto é, quando o air bag estiver cheio totalmente. Caso este contato venha a ocorrer antes do momento certo, em razão da falta do cinto, as consequências poderão ser perigosas, com chance dos ferimentos serem mais graves. Ou até mesmo causar a morte do usuário.

até mesmo supersônicos). Você pisca e ele já o atingiu. Esta rapidez da explosão também aconselha o passageiro da frente a não colocar os pés no painel. Isto pode causar fraturas nas pernas, coluna e outras partes do corpo.

Explosão a 300 km/h – Caso você não esteja usando o cinto no momento de uma colisão, seu corpo poderá ser atingido pelo air bag que explode, em milésimos de segundos, a 300 km/h (mais rápido que qualquer superesportivo, F-1 ou F-Indy, ou aviões

Não disfarçar o uso do cinto – Quantas vezes vemos um motorista que apenas coloca o cinto sobre o corpo, sem ajustar no fixador. “É para não amassar a roupa”, justifica, sem imaginar que isto pode até causar sua morte. Para os que dirigem com a "cara na dire-

As chances – Conheça as suas chances de sobrevivência em um acidente, conforme estudo foi feito pelo National Highway Traffic Safety Administration (NHTSA). Nele é possível verificar que o cinto é indispensável. Se o usuário usa somente o air bag, suas chances de sair vivo são de apenas 12%. Usando só o cinto de segurança, elas sobem para 45%. Com ambos, alcançam 51%. Mas é preciso lembrar que na velocidades acima dos 50 km/h, sua vida corre sério risco, mesmo se você esteja usando ambos os sistemas de segurança.

ção", um alerta: o air bag pode atingi-lo antes do ponto ideal. Deve-se ficar, recomenda o CESVI, a pelo menos 25 cm do volante e o passageiro do lado, a pelo menos 45 cm do painel. Não cole o rosto na direção. Criança no banco dianteiro, nunca! ABS, a grande opção – Mas se o air bag é bom quando usado com o cinto, melhor ainda é ter o ABS no carro. Isto porque, enquanto o air bag só serve para ajudar o indispensável cinto a salvar as pessoas quando o acidente ocorre, pelo seu lado, o ABS é melhor porque com ele você pode evitar o acidente. Poucos prestam atenção ao manual do carro e por isso não sabem que o sistema de antitravamento do carro permite que você dirija, mesmo com o pé pressionando até o fim o pedal do freio. Isto não acontece jamais com um sistema de freio convencional. Neste, o carro não pode ser conduzido e aos ser acionado o freio, o carro segue em linha reta. Só então o motorista vai precisar do cinto e o air bag funcionando em parceria para salvar sua vida.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

24

t

sexta-feira, 7 de junho de 2013 Fotos: Divulgação

urismo

5 refúgios românticos. Só para maiores. Há quem procure um recanto a dois para esquecer de tudo e viver dias de romance. Sem crianças por perto. Pensando nesses casais, muitos hotéis e pousadas têm como filosofia não aceitar os menores (geralmente só a partir de 14 ou 16 anos) e investir no conforto e nas mordomias para os românticos.

Varanda extensa com ofurô, por exemplo, menu de lençóis e travesseiros, spas caprichados, DVDtecas e extensos cardápios de vinho com harmonização. Aproveite a celebração de 12 de junho para fugir da cidade e curtir um fim de semana de namorados. As crianças ficam!

Antonella Salem

S

eu nome teve inspiração no som emitido pelo macaco bugio, uma das muitas espécies encontradas nesta área de 12 alqueires de Mata Atlântica em Piedade, a 100 q ui lô me tr os de São Paulo. A decoração é outro de seus pontos altos, com móveis antigos e muitas peças de artesanato. No quintal dos 13 chalés, redes, espreguiçadeiras ou ofurôs convidam a relaxar em meio à natureza. Detalhe: o café da manhã vai até as 16h, sem estresse. O Ronco abriga também piscina, sauna, DVDteca, espaço terapêutico e sala de ginástica. Aos casais aventureiros, a pousada tem parceria com instrutores para trilhas a pé ou de bicicleta. No restaurante, há uma carta de vinhos com harmonização com os pratos. Um exemplo? O Malbec 2009 - Luigi Bosca (Argentina) vai bem com o “Ragu de Costela com nhoque de mandioca”. Tels. (15) 3299-8600 e (11) 98259-7788, www.roncodobugio.com.br. Diárias a partir de R$ 594, com café da manhã.

N

RONCO DO BUGIO

Q

uando montaram esta pousada em São Francisco Xavier (159 quilômetros de São Paulo), em 2006, os arquitetos Claudio Daniel Rodrigues e Mônica Gallon sabiam exatamente quem queriam atrair. “Casais dispostos a se curtir, namorar e viver uns dias aconchegados, esquecendo da vida”, declaram. Só cinco. As cabanas são rústicas, com palha e tijolo aparente, e todas têm ofurô, seja na varanda com vista para o Vale de Santa Bárbara ou no quarto. Mimos incluem champanhe no quarto e café da manhã sem hora para acabar. E se quiser relaxar ainda mais, há um centro de bemestar que propõe banhos e massagens. Tel. (12) 3926-1967, www.chapeu depalha. com.br/. Pacote de duas noites (fim de semana) custa a partir de R$ 1.300 por casal, com café da manhã.

a s m o ntanhas da Mantiqueira, em Visconde de Mauá, distante cerca de 300 quilômetros da capital, a pousada é resultado da experiência de seu p ro p ri e tá r io , Osvaldo Caniato – exexecutivo da Vol kswa gen –, de se hosp e d a r e c omer bem em viagens mundo afora. Ao todo, são 15 cha lés diferentes na arquitetura e decoração, com lareira, lençóis Trussardi e banheira de hidromassagem dupla com vista panorâmica. Se não estiver na acomodação, o casal tem sauna seca, sala de massagem, quadra de tênis, piscina, ofurô e fitness à disposição. Ou então, cavalgadas e passeios à cachoeira. Tel. (24) 3387-2077, www.mauabrasil. com.br/. Diárias a partir de R$ 780 (fim de semana), com brunch.

MAUÁ BRASIL

A

penas 60 quilômetros separam São Paulo deste hotelzinho em São Roque. Erguido no estilo das antigas fazendas coloniais, o Quinta tem 17 suítes, todas com varanda e vista para o verde infinito. Confortos são muitos: de camas super king a lençóis da marca Trussardi, lareira ecológica e banheira de imersão abastecida com água que vem da nascente. Produtinhos da Natura acompanham o banho dos românticos. Se for sair da suíte, o hotel abriga duas piscinas, um spa com saunas e ofurô e trilhas para caminhada. À mesa, delícias da cozinha brasileira com ingredientes orgânicos cultivados na horta. Tels. (11) 3846-0407 e 4714-0760, www.quinta dyengenho. com.br. Diárias a partir de R$ 791, pensão completa.

QUINTA DY ENGENHO CHAPÉU DE PALHA

L Mais 10 hotéis para namorar

À

procura de mais hotéis para dois no País? O site de viagens TripAdvisor anunciou os vencedores do prêmio Travelers’ Choice de 2013 na categoria Hotéis Mais Românticos no Brasil. São eles Ponta dos Ganchos (www.pontados ganchos. com.br, em Governador Celso Ramos, Santa Catarina), Casa na Praia, (www.casanapraiajeri.com, Jericoacoara, Ceara), Barra do Piuva Porto Hotel (www.barradopiuva. com.br, Ilhabela, São Paulo), Villa D’Este (www.viladeste.com.br, Búzios, Rio de Janeiro), Sítio São Francisco (www.pousada-

arraial.com, Arraial d’Ajuda, Bahia), Maitei Hotel (www.maitei.com.br, Arraial d’Ajuda, Bahia), Kuriuwa Hotel (www.kuriuwahotel.com.br, Monte Verde, Minas Gerais), Pousada Marambaia do Porto (www.pousadamarambaia doporto.com.br, Ipojuca, Pernambuco), Azeda Boutique Hotel (www. pousadaazeda.com.br, Búzios, Rio de Janeiro) e Insolito Boutique Hotel (www.insolitos.com.br, Búzios, Rio de Janeiro) – nessa ordem. Os hotéis foram selecionados com base em milhões de avaliações e opiniões de viajantes.

agos, colin a s e c achoeiras compõem os 170 alqueires em que está situado este luxuoso hotel em Amparo, a 130 quilômetros de São Paulo. Tudo isso para 16 hóspedes privilegiados. Só oito villas hospedam com todo mimo possível, como menu de lençóis e travesseiros e produtos da marca italiana Bulgari, da linha Au The Vert (Chá Verde), nos banheiros. No mês dos namorados, o Lake Villas oferece três programas exclusivos para os românticos: um piquenique gourmet no nascer ou pôr-do-sol em meio à natureza, jantar especial à luz de velas e uma tarde dedicada a

LAKE VILLAS CHARM HOTEL de terapias no spa, que também tem os produtos Bulgari. Senão, há quadras de tênis, piscina aquecida e natural e fitness center. Tels. 0800/ 778-0808 e (19) 3881-2871, www.lakevillas.com.br/. Diárias custam a partir de R$ 1.610 por casal (fim de semana). Programas românticos pagos à parte.

Diário do Comércio - 07/06/2013  

Ano 87 - Nº 23.888

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you