Page 1

Jornal do empreendedor

R$ 1,40

São Paulo, terça-feira, 6 de setembro de 2011

Itália derruba mercados no mundo MANTEGA PREOCUPADO

Conclusão: 23h50

Ano 87 - Nº 23.452

www.dcomercio.com.br

Desta vez, a onda começou com a notícia de que a Itália deve ser rebaixada pelas agências de classificação de risco – o que aumentou as incertezas em meio à crise europeia. Isso somado ao fraco desempenho da economia americana levou os índices para baixo – Londres caiu 3,58%; Frankfurt, 5,28%; Paris, 4,73%; Milão, 4,83%; Madri, 4,69%. Nova York não teve pregão por causa do Dia do Trabalho. A Bovespa? Queda de 2,71%. Pág. 16

Em reunião com a presidente Dilma, ministros e líderes do governo, o ministro da Fazenda Guido Mantega realinha seu discurso e diz que a crise internacional é "preocupante", principalmente depois que a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, declarou que vivemos à beira de uma recessão global. Mantega, entretanto, diz que "o Brasil está sólido e preparado para enfrentar as adversidades da crise". Pág. 11 Clayton de Souza/AE

Marta se declara o nome forte do PT

Apontada como favorita na corrida à Prefeitura de SP em pesquisa do Datafolha, que deixou pré-candidatos de fora, ela afirmou não ter nenhuma dúvida: seu nome é o mais forte do partido. Só que Lula apoia Haddad. Ontem, a senadora e Kassab, o atual prefeito, debateram a metrópole no Mackenzie. Pág. 5 Paulo Pampolin/Hype

Quem bombardeia hoje, apoiava até ontem. Documentos secretos de Kadafi são descobertos por rebeldes e mostram que ditador violou sanções e comprou armas da China e de países europeus neste ano. Pág. 8 Youssef Boudlal/Reuters

HOJE Nebulosidade crescente. Pode garoar. Máxima 26º C. Mínima 13º C.

AMANHÃ Nebulosidade crescente. Pode garoar. Máxima 28º C. Mínima 14º C. ISSN 1679-2688

23452

9 771679 268008

Muito além do celular: a boa e velha máquina fotográfica.

Margens do Ipiranga, salvem, salvem!

Cenário da Proclamação da Independência por D. Pedro I em 7 de setembro de 1822, o riacho está poluído e cheira mal. Na época de chuvas, as inundações são frequentes. A parte boa é que a poluição deve diminuir em 2012. Pág. 9

Fotos: Divulgação

Um teste de novos equipamentos para quem está à procura de recursos tecnológicos de precisão. Informática, pág. 17


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

o

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Qualquer ameaça tem dois componentes básicos: a intenção e a capacidade de materializá-la. Roberto Fendt

pinião

PAULO SAAB

ESTADO NASCEU ANTES DA NAÇÃO

C

Relembrando 11 de setembro

T

odos estão a relembrar o dia da ignomínia, 11 de setembro de 2001. Há diversas razões para isso, a menos importante das quais o fato de completar-se dez anos do atentado da Al-Qaeda nos Estados Unidos. Meto também minha colher nesse caldo. Em Brasília, era uma manhã de sol e eu lá estava, junto com a diretoria da FGV, para fazer entrega ao presidente Fernando Henrique Cardoso de exemplar do Dicionário Histórico-Biográfico Brasileiro, produzido pela Fundação. A obra monumental produzida pelo CPDOC continha verbetes, não somente sobre o senhor presidente, como também sobre seu pai, o general Leônidas Cardoso. Já havia estado com o presidente anteriormente e notado a sua pontualidade nos compromissos. Por isso estranhei, de mim para comigo, a informação do ajudante de ordens de que o presidente se retardaria um pouco para nos receber.

N

esse interregno, toca um celular falando de terrível acidente em Nova Iorque, em uma das torres do World Trade Center. Os telefonemas se sucederam, cada vez mais pintando um quadro do impensável atentado terrorista às torres gêmeas e ao Pentágono. A segunda torre já estava no chão, com suas vítimas, quando surgiu FHC. Rapidamente nos pôs a par do que ocorria e que estava acompanhando no subsolo do Palácio. A tranquilidade do presidente não se abalou e ele teve o tempo e o interesse em examinar os volumes, detendo-se na biografia do pai e passando os olhos em

ROBERTO FENDT diversas outras, sempre com comentários precisos. Despedimo-nos com aquele misto de satisfação pelo dever cumprido e com a perplexidade do brutal e covarde ataque nos EUA. Qual seria o próximo? Que outras vítimas inocentes pagariam o preço da insensatez?

N

a verdade, outros atentados viriam a ocorrer, mas não nos EUA. Um dos mais selvagens ocorreu, em 11 de Março de 2004, três dias antes das eleições gerais na Espanha, em que dez bombas mataram 191 pessoas no sistema ferroviário de Madrid. Mas nenhum deles repetiu-se nos EUA. Haverá outros? Osama Bin Laden morreu em 2 de maio passado e muitos julgam que a Al-Qaeda perdeu muito de sua motivação e liderança. Scott Steward analisou recentemente a possibilidade de um

novo ataque terrorista (Why Al-Qaeda is Unlikely to Execute Another 9/11, Stratford Global Intelligence, 01/09/2011) e concluiu por sua improbabilidade.

O

argumento é simples. Qualquer ameaça tem dois componentes básicos: a intenção e a capacidade de materializá-la. A intenção de atacar novamente os EUA é permanente, como tem sido ao longo dos últimos dez anos. Ela tem sido propalada persistentemente por Ayman al-Zawahiri, o atual número um da Al- Qaeda e sucessor de Bin Laden. E o argumento é o mesmo de sempre: os Estados Unidos são o Grande Satã, a espalhar a corrupção pelo mundo. Para ele, só ataques aos EUA permitirão a redenção do mundo, não somente para a Al- Qaeda, mas para todos os movimentos da Jihad. A capacidade de materializar a

Se um novo ato terrorista vier a ocorrer, certamente será decorrente de uma ação individual, de algum simpatizante infiltrado nos EUA ou outra democracia ocidental.

ameaça é outra coisa. A estratégia americana, até agora bem sucedida, foi atacar o coração da Al- Qaeda no Paquistão, enfraquecendo, se não eliminando, seu corpo dirigente. O que restou do núcleo da Al-Qaeda está agora na defensiva, ocultando-se da perseguição americana no Paquistão. Muitos receiam um novo ataque na data redonda, como se a AlQaeda necessitasse de datas dessa natureza para realizar seus ataques. Não foi em nenhuma data redonda que ocorreu o atentado em Madrid, nem tampouco em Istambul, Nairobi, Dar es Salaam ou em Londres. A Al-Qaeda atacou sempre que esteve preparada para tal.

O

resumo da ópera é simples: a Al-Qaeda continua desejando causar o maior dano possível em solo americano. E assim continuará, como sempre esteve no passado. Mas terá capacidade de fazê-lo? Se um novo ato terrorista da natureza que se está aqui a comentar vier a ocorrer, será decorrente da ação individual, de algum simpatizante infiltrado nos EUA ou em outra democracia ocidental. É tão difícil detectar esses atos individuais como tem sido difícil detectar em tempo hábil a ação de serial killers enlouquecidos. Se vier a ocorrer, um ato dessa natureza não terá as características de espalhar o terror como o de 11 de setembro. Será como sempre foram os atos terroristas do século 19, de pequeno alcance, embora moralmente tão reprováveis como a ação coordenada e espetacular de dez anos atrás. ROBERTO FENDT É ECONOMISTA

MAIS UMA CARGA CONTRA A IMPRENSA LIVRE Os velhinhos transviados de hoje, que queriam implantar o comunismo no Brasil nos anos 60, tomando uísque escocês nos bares da moda, não satisfeitos com a ditadura petista em curso, voltaram à carga contra o pouco que resta da imprensa livre no 4º Congresso do PT, com ampla divulgação

e apoio da imprensa domesticada. Para amordaçarem essas vozes, inaudíveis à grande massa ignara, contam com o apoio dos políticos corruptos da esquerda e da direita, e do aparelhamento das instituições, principalmente o STF. Essa convergência de interesses facilitará ainda

mais o ataque impiedoso aos cofres públicos, uma vez que não mais se ouvirão em nossos rincões o lamento dos homens de bem, tragados pela avalanche da corrupção institucionalizada. Em 1964 a contrarrevolução nos livrou do comunismo (responsável por mais de 100 milhões de mortos no

mundo) mas em 2011 quem nos salvará dessa bandalheira ? O povo ? Sem informação, educação, saúde, segurança e moradia ? Não acredito. Lamentavelmente, neste País, só parada gay leva milhões de pessoas às ruas. Sérgio Villaça - Recife

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cláudio Vaz Edy Luiz Kogut Érico Sodré Quirino Ferreira Francisco Mesquita Neto João de Almeida Sampaio Filho João de Favari Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Paulo Roberto Pisauro Renato Abucham Roberto Faldini Roberto Mateus Ordine

omeça a valer a pena ter insistido estes anos todos. Ouço as primeiras vozes concordantes. Há pelo menos uma década tenho martelado no ouvido do meu leitor que os males brasileiros decorrem da forma como o Estado nasceu antes da sociedade, da nação. Um mal decorrente da vinda de D.João VI para o país em 1808, fugindo de Napoleão. Instalado o reino na então colônia, o rei criou de cima para baixo, a estrutura do Estado para ter o que e com o que governar. O Brasil nasceu como país, na forma como hoje o conhecemos, de cabeça para baixo. Antes de a sociedade existir e se organizar como nação, criando um Estado para gerir seus interesses, este surgiu, se impôs e até hoje controla a vida dos brasileiros de forma interventora. O Estado brasileiro – pela origem, pelo nascimento – tutela a sociedade até hoje e não é tutelado por ela, como deveria ser. O lado positivo foi a manutenção da íntegra do território, fazendo do Brasil uma potência continental. Ao contrário da América do Sul espanhola, que se despedaçou em uma dezena de países, a presença do rei português, criando o Estado brasileiro, serviu para garantir a integralidade do território nacional. O fato de a nação brasileira, enquanto resultado da miscigenação de etnias, culturas, gastronomias, religiões etc. estar ainda sendo construída – inclusive, na apuração de seus valores comuns e aspirações – explica porque é comum ao brasileiro esperar que a solução de seus problemas venha de cima, do trono, do rei, ou na forma de hoje, do presidente da República (ou da presidente).

N

ão temos ainda consolidada a consciência , e menos ainda a ação, no sentido de que somos nós, os brasileiros comuns, os donos do País , enquanto os políticos, os agentes do poder público, por nosso voto transformados em nossos representantes, são nossos empregados e nos devem satisfação. Agem, pela deformação histórica, como se nos fizessem favor de estar em cargos públicos e neles se locupletam de forma criminosa (grande parte deles, não todos). A situação só vai começar a mudar quando os brasileiros tiverem consciência dessa

Antes de a sociedade existir e se organizar como nação, criando um Estado para gerir seus interesses, este surgiu, se impôs e até hoje controla a vida dos brasileiros.

condição de tutelados pelo "rei" – e, pelas urnas e pela educação de seu povo, começarem a participar ativamente, tirando das "capitanias hereditárias" quem as comanda há décadas, de forma retrógrada para o País. Meu leitor sabe que escrevo sobre isso há anos, tentando contribuir para dar essa consciência à nossa população. Ao menos aos que me leem. Faço essa nova referência em face do artigo de Fernando Rodrigues, na Folha de domingo passado, quando sob o título "Um Estado criado antes da sociedade", ele se refere à criação de Brasília, limitando seu texto à origem e aos vícios do Distrito Federal, quando

na verdade, se aplica, como demonstro novamente, ao Brasil como um todo.

C

onclamo, pela oportunidade, os brasileiros de bem, a começar a se mexer, buscar partidos políticos, contatos com os parlamentares, governantes, para manifestar sua insatisfação com a forma como estão destruindo os valores e o patrimônio público em benefício de alguns. Deles próprios. Vamos buscar construir por meio legal, através de emenda constitucional, um mecanismo capaz de acabar com o foro privilegiado e com rito sumário para apuração e punição de quem viola a sua responsabilidade, auferindo benefícios pessoais no exercício de função pública. Eles são nossos empregados – e não nós somos servidores deles. Quem se habilita? PAULO SAAB É JORNALISTA E ESCRITOR

PSAAB@INSTITUTOCIDADANIA.ORG.BR

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, João de Scantimburgo, Marcel Solimeo Diretor-Responsável João de Scantimburgo (jscantimburgo@acsp.com.br) Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Edi tor - Ch e fe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br) Chefia de Reportagem: Teresinha Leite Matos (tmatos@acsp.com.br) Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br) Editores Seniores: Bob Jungmann (bob@dcomercio.com.br), Carlos de Oliveira (coliveira@dcomercio.com.br), chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), Estela Cangerana (ecangerana@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Luiz Antonio Maciel (maciel@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br) Editor de Fotografia: Alex Ribeiro (aribeiro@dcomercio.com.br) Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Ricardo Ribas (rribas@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br) Subeditores: Fernanda Pressinott, Kleber Gutierrez, Marcus Lopes e Rejane Aguiar Redatores: Adriana David, Eliana Haberli, Evelyn Schulke, e Sérgio Siscaro Repórteres: Anderson Cavalcante (acavalcante@dcomercio.com.br), André de Almeida, Fátima Lourenço, Ivan Ventura, Kelly Ferreira, Kety Shapazian, Lúcia Helena de Camargo, Mário Tonocchi, Neide Martingo, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Rita Alves, Sandra Manfredini, Sergio Leopoldo Rodrigues, Sílvia Pimentel, Vera Gomes e Wladimir Miranda. Gerente PL Arthur Gebara Jr. (agebara@acsp.com.br) Gerente Executiva Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estado, Folhapress, Efe e Reuters Impressão OESP GRÁFICA S/A Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens : dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3244-3175. Fax 3244-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3244-3197, 3244-3983, Fax 3244-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3244-3544, 3244-3046 , Fax 3244-3355

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3244-3737 REDAÇÃO (011) 3244-3449 FAX (011) 3244-3046, (011) 3244-3123 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 6 de setembro de 2011

o Ele sobreviveu à prisão de Kadafi pinião

3

HISTÓRIAS DE RESISTENTES CONTRA KADAFI FAZEM AUMENTAR OTIMISMO SOBRE FUTURO DA LÍBIA.

Carl de Souza/AFP

E

ra minha fonte secreta nas Forças Armadas líbias, nessa primavera, um oficial que repassava informações confidenciais sobre descontentamento nas fileiras de Moammar Kadafi. E quando a revolução líbia se propagou, ele montou bombas e contrabandeou armas para Trípoli a fim de ajudar a derrubar o governo Kadafi. Mas Salem al-Madhoun, de 47 anos, foi preso há três semanas, capturado após as forças de Kadafi terem detectado suas transmissões por telefone via satélite Thuraya. Recebi uma mensagem urgente sobre sua prisão e supus que naquele momento ele deveria ter sido torturado e executado. Ao chegar aqui na Líbia, eu pretendia consolar a viúva. Isso, porém, se revelou desnecessário. Quando os rebeldes liberaram a prisão de Abu Salim em Trípoli, encontraram Madhoun: esquelético e torturado, mas vivo. Agora ele é o herói de Tajoura, o subúrbio da capital onde mora. Em longas conversas em seu escritório e casa, ele conta toda a sua história de como ajudou a derrubar o governo. Madhoun estudou engenharia elétrica na França e, como engenheiro, cresceu nos quadros da Marinha. Quando a revolução líbia começou, em fevereiro, seu navio recebeu ordens de atacar Benghazi, mas em vez disso ele articulou uma deserção e levou a embarcação para Malta. Como um intermediário naquela hora, ele me perguntou se poderia conseguir a proteção dos EUA enquanto o navio estivesse no mar.

N

ão sou responsável por conseguir cobertura aérea, mas na ocasião escrevi um texto no meu blog conclamando o governo Obama a criar um corredor de segurança para proteger os navios líbios que tentavam desertar. Mas Madhoun escutou de seus colegas oficiais que ele estava prestes a ser preso e mudou de planos. Gravou um vídeo a bordo do navio, anunciando a deserção e chamando outros oficiais militares a se unirem ao motim. Eu estava então no Cairo cobrindo a revolução na Praça Tahrir e recebi um pedido desesperado: "Poderia pôr o vídeo na rede?" Concordei, mas perguntei sobre a família de Madhoun. Ele estava escondido, mas e seu o governo se

A

quais leis somos moralmente obrigados a obedecer? Uma ajuda para responder pode ser encontrada em Economic Liberty and the Constitution (Liberdade Econômica e Constituição), um livreto de 66 páginas de autoria de Jacob G. Hornberger, fundador e presidente da Future of Freedom Foundation. Hornberger apresenta uma situação hipotética na qual o Congresso aprovaria uma lei que tornaria compulsório o comparecimento de crianças a igrejas aos domingos. Os pais seriam penalizados caso seus filhos descumprissem a lei. Haveria alguma legitimidade moral ou constitucional para tal ordem do Congresso? A lei seria uma clara violação dos direitos naturais, ou dados por Deus: direitos à vida e à liberdade. Quanto a se a lei seria constitucional ou não, precisaríamos verificar se obrigar a frequência à igreja é um daqueles poderes declarados do Congresso, tais como encontrados no Artigo 1, Seção 8 da Constituição americana. Não encontraríamos tal autoridade. Nossos Founding Fathers antifederalistas não confiavam no Congresso quanto à liberdade religiosa, logo, buscaram protegê-la através da 1ª Emenda, que nega expressamente ao Congresso o poder de ordenar a conduta religiosa. Mas digamos que hoje houvesse amplo apoio popular a essa obrigatoriedade e

NICHOLAS D. KRISTOF tortura foi recitar o Alcorão", afirmou, ressaltando que ele nunca entregou nenhum nome. Depois de menos de duas semanas, contudo, os rebeldes tomaram de assalto a prisão e nomearam Madhoun comandante militar da recém-liberada região de Tajoura. Agora ele tem uma escolta de guarda-costas quando caminha no bairro – onde é saudado entusiasticamente pelos vizinhos.

O É impossivel saber o futuro da Líbia, mas lutadores como Madhoun provocam um cauteloso otimismo sobre criar uma democracia no país. vingasse em sua esposa e nas três crianças? Por uma questão de consciência, eu não desejava isso e sugeri que Madhoun pensassesasse cuidadosamente. Ele consultou a mulher, Samah, que estava indignada pela forma com a qual ele punha sua família em risco."Disse-lhe que era um grande erro", ela se recorda, falando comigo. "Por que você não pensou antes de fazer isso?" Um pouco encabulado, Madhoun mandou mensagem dizendo que eu ainda não deveria mencionar seu nome e desistimos da ideia de mostrar o vídeo. Ele desapareceu na clandestinidade, com sua família, e começou a ajudar a organizar a resistência subterrânea na região de Trípoli. Trabalhando com uma força que ele afirma ser constituída por aproximadamente 1.200 rebeldes clandestinos, ele contrabandeou armas usando botes e atacou com bombas postos de segurança. Ele

a Suprema Corte dos Estados Unidos a julgasse constitucional; os americanos teriam a obrigação moral de obedecer à lei?

V

ocê poderia retrucar: "Apesar de haver áreas de incerteza na Constituição dos EUA, a Suprema Corte nunca ousaria julgar contra claras proibições constitucionais! Eu digo que isso é besteira. A primeira cláusula do Artigo 1, Seção 10, determina que "nenhum estado aprovará nenhuma lei que prejudique a obrigação de contratos". Ora, durante a Grande Depressão, a Suprema Corte dos EUA confirmou uma lei de Minnesota que restringia a capacidade dos bancos em executar as hipotecas vencidas e, por meio disso, prejudicou a obrigação de contratos feitos entre concessores e tomadores de empréstimos. Foi precisamente para evitar esse tipo de danos a contratos – rotineiros sob os Artigos da Confederação – que os Founding Fathers adicionaram a cláusula acima referida. Um outro exemplo, talvez mais clamoroso, da Suprema Corte, causando danos a contratos ocorreu durante o New Deal de Franklin Roosevelt, quando o governo nacionalizou o ouro, transformando em crime a propriedade desse metal por qualquer americano. Com isso, não só a posse e a propriedade de ouro foram tornadas ilegais, mas também foram anuladas todas as

enviou informações sobre alvos para contatos do governo francês a fim de que a Otan pudesse bombardear instalações militares. As mulheres líbias receberam pouca atenção na revolta, mas, nos bastidores, elas desempenham um papel significativo. Até as filhas de Madhoun, de 11 e 14 anos, se apresentaram como voluntárias para costurar bandeiras rebeldes, as quais outros mem-

bros da família penduravam em mesquitas e escolas para espalhar a mensagem de resistência. "Esta é a hora de lutar contra Kadafi", lembra-se de ter dito a Madhoun sua sobrinha de 18 anos, Rehab. Ela implorou por alguma tarefa na clandestinidade. Como estudante de engenharia que fala inglês muito bem, Rehab também começou a pichar dramáticos slogans anti-Kadafi em Trí-

Madhoun estudou engenharia elétrica na França e cresceu nos quadros da Marinha líbia. Quando a revolução líbia começou, em fevereiro, seu navio recebeu ordens de atacar Benghazi, mas ele articulou uma deserção e foi para Malta.

poli – às vezes em inglês, para que os estrangeiros soubessem que a oposição estava viva. Ela também utilizou as suas habilidades de engenharia para obter acesso à internet, que tinha sido bloqueada por ordem do governo, e mandar mensagens para o exterior.

E

m maio, Madhoun foi apanhado em uma operação policial de rotina, mas ele mentiu sobre sua identidade e alegou ser um simples verdureiro. Depois de quatro horas preso e de um espancamento, ele foi liberado. Mas depois, em 10 de agosto, a polícia descobriu o esconderijo de Madhoun e seu mundo caiu. "Quando eles me prenderam eu sabia que seria morto", relatou. Ele conta que foi submetido a choques elétricos terríveis durante os interrogatórios, supervisionados por Seif al-Islam Kadafi, um dos filhos de Moammar. "O que me ajudou a suportar a

QUANDO SE DEVE OBEDECER ÀS LEIS?

s norte-americanos estão preocupados e imaginando quem são os novos líderes da Líbia e se eles conseguem manter o país unido. De fato, esses novos líderes incluem todos os tipos, mas eu fico tranquilo e animado quando encontro pessoas como Madhoun. É impossível saber qual o futuro da Líbia, mas sua história é uma janela para a coragem e a visão que tornaram possível toda a Primavera Árabe, da Tunísia à Síria. Sim, o movimento foi facilitado pelo Facebook e Twitter, mas muitas pessoas perderam a vida ou algum membro. Essa não foi uma revolução de poltrona. Madhoun reconhece que o trabalho duro está apenas começando. Entretanto, ele está cautelosamente otimista de que a Líbia vai conseguir criar uma democracia multipartidária moderna – e ele espera que o presidente Barack Obama em breve venha a Trípoli para que o povo líbio possa agradecer-lhe e a todos os norte-americanos por seu apoio. "Minha morte parecia inevitável" disse. "Mas eu estou vivo, graças a Deus e à Otan". TRADUÇÃO: RODRIGO GARCIA

WALTER E. WILLIAMS que o próprio cidadão não pode fazer sem que cometa um crime". Em seu livro A Lei, Bastiat acrescentou: "Quando lei e moralidade se contradizem, o cidadão se vê diante da cruel alternativa de, ou perder seu senso moral ou perder seu respeito pela lei".

D cláusulas de ouro em contratos privados e governamentais. A redação de contratos lastreados em ouro era um meio pelo qual as pessoas se protegiam contra o roubo governamental, isto é, da inflação. A Suprema Corte confirmou a nacionalização federal do ouro e a anulação dos contratos lastreados em ouro nos famosos "Gold Clause Cases". Hoje, muitos americanos buscam o ouro como uma salvaguarda contra aquilo que veem como uma inflação que está por vir, fazendo seu preço subir às alturas. Eis aqui a minha

pergunta a você: se Obama e o Congresso aprovassem uma lei que o obrigasse a devolver o ouro que por acaso tivesse, você estaria moralmente obrigado a obedecer a tal lei?

P

essoas decentes não deveriam obedecer a leis imorais. O que é moral e imoral pode ser motivo de controvérsia, mas há alguns guias amplos para decidir quais leis e ações governamentais são imorais. Lysander S. Spooner, um dos maiores pensadores americanos

do século 19, disse que nenhuma pessoa ou grupo de pessoas pode "autorizar o governo a destruir ou tomar dos homens seus direitos naturais; pois direitos naturais são inalienáveis e não podem ser transferidos ao governo – que não passa de uma associação de indivíduos – em detrimento de um indivíduo em particular". O economista e filósofo francês Frédéric Bastiat (1801-1850) apresentou um teste para atos governamentais imorais: "Veja se a lei beneficia um cidadão a expensas de outro ao fazer aquilo

epois de ler Economic Liberty and the Constitution, de Hornberger, não é possível evitar a conclusão de que as liberdades antevistas pelos fundadores da nação americana estão sob cerco, trivializadas e invalidadas. Johann Wolfgang von Goethe explicou que "ninguém está tão desesperadamente escravizado quanto a pessoa que pensa que é livre". Tal descrição está se tornando apropriada para os americanos que se esqueceram – ou são ignorantes – das liberdades que perdemos. WALTER E. WILLIAMS É PH. D. EM ECONOMIA PELA UCLA E PERTENCE AO CORPO DOCENTE DA

GEORGE MASON UNIVERSITY, EM FAIRFAX, VIRGÍNIA, COMO PROFESSOR DE ECONOMIA. TRADUÇÃO: HENRIQUE DMYTERKO PUBLICADA EM MIDIAAMAIS@COM.BR


4 -.GERAL

DIรRIO DO COMร‰RCIO

terรงa-feira, 6 de setembro de 2011

Soluรงรฃo

                                 

       



 

       

        

        

              

  

  

&    +   

, -      

      

  

   

    

  $  !#  

        

 

  ,      

3    

4   

  

       

      !



 " #

       !  !   !

 

:     

          

  

(5(  

$!  *    

    %  %

&'



()(  

.    (5#6 (  

 & 



 



( (  

    

+

1

2   

(&(   

)   

 

      



 

/0 7 8 9

/0

  

/0  

- 

&"  # "

/;;<=0 >   ?#

 @         A3      < #   3   


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 6 de setembro de 2011

5 GESTÃO Marta atribui às suas obras na cidade o primeiro lugar na pesquisa.

olítica

IRRITAÇÃO Mercadante afirma que pesquisa não indica candidatos do PT à prefeitura.

Clayton de Souza/AE

A

senadora Marta Suplicy (PT) afirmou ontem que não tem nenhuma dúvida de que o seu nome é o mais forte do Partido dos Trabalhadores para a disputa da prefeitura de São Paulo. "Fui para o segundo turno em todas as eleições municipais que disputei", afirmou. "Perdi as duas últimas, mas foram situações de conjuntura", avaliou. "Eu não vejo a minha pré-candidatura esmorecer, eu vejo minha candidatura forte". Os comentários foram feitos após a divulgação da pesquisa Datafolha na qual ela aparece em todos os oito cenários com vantagem média de 14 pontos percentuais em relação aos adversários. Estranhamente, a pesquisa ignora em todos eles as pré-candidaturas de Andrea Matarazzo e Ricardo Tripoli, pelo PSDB. A menor folga de simulação de Marta é contra o tucano José Serra. Ela teria 29% das intenções e ele 18%. No geral, Marta oscilou entre 29% e 31%. A senadora também analisou o fato de o expresidente Luiz Inácio Lula da Silva estar apoiando o ministro da Educação, Fernando Haddad, para a prefeitura de São Paulo. Na pesquisa, o ministro tem entre 1% e 2% das intenções de voto. Segundo Marta, "é uma característica do Lula pensar e propor ações, que às vezes dão certo, às vezes não dão", disse. Líder pensante – Mesmo assim, a pré-candidata do PT garantiu que "é bom ter um líder que consegue propor ações que o partido pode ou não aceitar, porém é alguém que está sempre pensando, sempre inovando e tentando buscar soluções", afirmou. Para Marta, uma coisa é certa: "Um partido

Perdi as duas últimas eleições, mas foram situações de conjuntura (...) Eu vejo a minha précandidatura forte. SENADORA MARTA SUPLICY (PT )

Marta Suplicy e o prefeito Gilberto Kassab discutem a metrópole paulistana, que ele comanda e ela quer voltar a comandar.

Favorecida, Marta acha que seu nome é mais forte. Ela se apoiou na pesquisa Datafolha, na qual concorre com pré-candidatos ignorados na enquete. que não tem lideranças desse porte não caminha". Tanto que a senadora admitiu que o apoio de Lula influencia na decisão do PT. "Sempre influi, porque o Lula é o grande líder", admitiu. No entanto, Marta ressaltou

que "o processo é soberano" e a "conjuntura determina". Por isso, "tem que esperar, tem que ter paciência". A senadora lembrou ainda a amizade que mantém com o ex-presidente. "Na vida real, o conflito não existe, o que existe é uma ami-

zade muito sólida, antes da fundação do PT", declarou. Em sua opinião, os números favoráveis da pesquisa Datafolha não seriam recall por ter participado de outras eleições. "Não acho isso. É advinda de obra feita na cidade e isso é

muito forte. Você tem marca e tem gente que tem coisas no seu cotidiano que são da nossa gestão", disse. Marta comemorou ter um "índice consolidado" e avaliou que tanto ela como Haddad podem crescer com uma boa campanha.

A petista, que participou em São Paulo do seminário Brasil M e t r op o l i t a n o , parceria entre ela e a Universidade Mackenzie, negou qualquer interesse eleitoral no evento. "Tudo o que eu fizer pode ser interpretado do mesmo jeito". Segundo ela, trata-se de um trabalho como senadora, que surgiu da experiência como prefeita. "É muito difícil você administrar uma capital como São Paulo, que é uma metrópole gigantesca", justificou. De acordo com a petista, há dificuldades de saber o que é responsabilidade de cada um dentro de uma metrópole, o que dificulta resolver questões como transporte, lixo e segurança. "Então, como senadora, eu estava acalentando há muito essa ideia de propor algo nessa direção. Seja projeto de l e i , s e j a u m a P ro p o s t a d e Emenda à Constituição (PEC), mas tem muitas dúvidas sobre o que fazer, qual é a melhor proposta", disse. "Então, quando você tem dúvidas, o melhor é ouvir as pessoas que mais entendem, que mais estudam, e nós temos muita gente que estuda isso no Brasil", explicou a senadora. (AE)

Mercadante desiste, mas escolha é do PT, diz. Ministro abandona a sua pré-candidatura em São Paulo e rebate a senadora Marta Suplicy, que se coloca como a melhor opção do partido para a disputa de 2012.

O

ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Aloizio M e rc a d a n t e , a o anunciar ontem que estava desistindo de disputar a sucessão municipal em São Paulo, disse para a bancada do PT na Câmara Municipal de que poderia ajudar mais como ministro na eleição e até pela unidade do partido. Depois rebateu a senadora Marta Suplicy (PTSP), que se colocou como a primeira opção do partido para disputar a prefeitura de São Paulo (leia texto acima). De acordo com Mercadante, a opção do PT será aquela que "a prévia escolher, se houver prévia", disse. A opção pode ser também "aquela que um acordo entre os candidatos venha a definir", afirmou após encontro com hackers em São Paulo. O ministro antecipou que o PT não se pautará apenas por pesquisas de intenção de

votos, numa referência aos números do Datafolha colocando Marta com ampla vantagem sobre os adversários. Mercadante lembrou que já houve eleições, no passado, que quem saiu na frente não ganhou e quem estava numa colocação inferior na mesma pesquisa, ganhou a eleição. "Então é cedo para a gente dizer qualquer coisa e a definição do partido não será feita com

A opção do PT será aquela que a prévia escolher, se houver prévia (...) ou aquela definida por um acordo entre os candidatos. MINISTRO ALOIZIO MERCADANTE

Thiago Teixeira/AE

De fora: Mercadante diz que fica no ministério a pedido de Dilma e Lula

base só em pesquisas" No encontro com os vereadores do PT, que durou mais de três horas, além de confirmar que pode ajudar mais o Brasil na "condição de ministro", mesmo porque em "São Paulo temos excelentes candidatos", revelou que foi convencido pela presidente Dilma Rousseff e pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva a continuar no ministério. Fica, fica – "A presidente disse que eu deveria ficar porque considerava o meu trabalho de excelente qualidade e que eu teria muito apoio neste ano que vai começar". Ainda segundo Mercadante, o expresidente Luiz Inácio Lula da Silva também recomendou a ele que não deixasse sua pasta num curto prazo para disputar a eleição. Mercadante acredita ainda que o partido precisa se preocupar com a política de alianças para garantir a vitória, fato que baseia em sua derrota no ano passado. "Precisamos fazer política de alianças, precisamos dialogar com os partidos da base para fazer uma aliança forte em São Paulo", sugeriu. "Eu não fui para o segundo turno na sucessão estadual, em 2010, por 0,4% dos votos. Portanto, eu sei a diferença que uma aliança faz numa campanha", explicou Haddad pode crescer – O ministro, mesmo reconhecendo que a senadora é um nome forte dentro de seu partido, não deixou de mencionar que o ministro da Educação, Fernando Haddad, também tem méritos. "Seguramente ela é uma candidata que tem todas as condições de disputar a eleição e a pesquisa mostra isso. Mas o Fernando Haddad é um ministro com grande competência e pode crescer muito na campanha, eu tenho certeza". Além de Marta e Haddad,

são pré-candidatos, os deputados federais Jilmar Tatto, Carlos Zaratini e o senador Eduardo Suplicy, que também não foram citados na pesquisa. PMDB, não – O presidente do PMDB, senador Valdir

Raupp (RO), afirmou ontem que "dificilmente" o seu partido estará junto com o PT na corrida pela prefeitura de São Paulo no ano que vem. Segundo ele, o partido não abre mão de lançar o deputado federal

Gabriel Chalita na disputa. "Essa candidatura própria não tem volta", garantiu. "Ninguém vai abrir mão de lançar candidato. No primeiro turno dificilmente estaremos juntos", disse. (Agências)

Reunião Plenária (informações, debates e busca de soluções)

“Etanol: Dificuldades e Desafios de Crescimento” Presidente da União da Indústria da Cana-de-Açúcar: UNICA MARCOS JANK Assista ao vivo no site www.acsp.com.br clique no banner WebTV ACSP

Dia: 12 de setembro de 2011, segunda-feira Horário: às 17 horas Local: Rua Boa Vista, 51 - 9º andar


p

DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Nos últimos 12 meses, foram 12 casos, contra 19 nos dois anos anteriores. Senador Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE)

olítica

Marco regulatório da mídia: pegadinha do PT. Pedro França/Agência Senado

A

moção de retomada dos debates sobre um marco regulatório para a mídia, aprovada ontem, no 4º Congresso do PT, é um assunto mais do que controverso para parlamentares da base governista e da oposição. O líder do PSB no Senado, Antonio Carlos Valadares (SE), por exemplo, disse ontem que o tema não faz parte da agenda nacional do seu partido. Na oposição, o assunto é tratado como uma tentativa do governo federal de estabelecer, por meio do PT, a censura a veículos de comunicação. O líder socialista destacou que a liberdade de imprensa "é uma questão de direito consti-

Temos que encontrar uma fórmula de evitar o uso dinheiro público para controlar veículos de comunicação. Buarque: "radicalmente contra" político ter veículo de comunicação.

PSB avisa: tem posição bem diferente

Q

uestionado sobre a retomada da discussão sobre regulação da mídia, proposta no Congresso do PT, o governador de Pernambuco e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, disse ontem que, nesta questão, "a posição do PSB não é a posição que o PT tomou". "Entendemos que a construção de democracia no Brasil foi feita a muito custo e um dos valores importantes da democracia é a imprensa livre". "O grande controle da mídia vai ser feito pela cidadania", discursou. "Se vejo uma mídia defender uma causa em que não acredito, simplesmente não consumo aquela mídia, falo mal dela e passo para outra.

O grande controle que podemos fazer é dar consciência à sociedade, melhorar a educação e a inclusão para que o cidadão faça este controle, não consumindo a mídia que trabalha com valores que não são de interesse do País", acrescentou o governador. Campos evitou comentar a decisão do PT de estimular retomar a proposta de regulação, iniciada no governo Lula: "É muito ruim fazer avaliação do congresso de um partido parceiro. Eles acharam que era hora de fazer o debate. No nosso congresso. Estamos preocupados com a economia, exportação da indústria, geração de inovação tecnológica, educação, saúde pública". (AE)

SECRETARIA DE COORDENAÇÃO DAS SUBPREFEITURAS COMUNICADO - ABERTURA DE LICITAÇÃO A Supervisão Geral de Abastecimento - ABAST, da Secretaria Municipal de Coordenação das Subprefeituras - SMSP, comunica às empresas interessadas, que estão abertas licitações, na modalidade de Concorrência, para preenchimento de área na Central de Abastecimento Leste, e nos Sacolões da Prefeitura Lapa, Rio Pequeno, Cidade Tiradentes e Freguesia do Ó, através de Permissão de Uso concedida a título precário e oneroso, para o local e no horário abaixo relacionado. As empresas interessadas poderão obter o edital e seus anexos, até o penúltimo dia útil que anteceder à data da abertura do certame, na Assessoria Jurídica do Gabinete de ABAST, localizada na Rua da Cantareira, 216 - 1º andar - Centro, no horário das 09:30 às 15:00 horas, mediante a entrega de um “CD-R” não utilizado, com capa de proteção; ou nos endereços eletrônicos http://e-negocioscidadesp.prefeitura.sp.gov.br e http://portal.prefeitura.sp.gov.br/secretarias/abastecimento/mercados. Informações pelo tel. 3313-3365 - ramais 214 e 215. Central de Abastecimento Leste - Avenida Imperador, nº 1.900 - São Miguel, São Paulo Concorrência nº 041/SMSP-ABAST/2011 - Processo 2011-0.147.262-2 - Ramo: COMÉRCIO ATACADISTA DE FRUTAS, VERDURAS, LEGUMES E SIMILARES Boxe nº A-81 - Área de 15,00 m² - Data de entrega do envelope 11/10/2011, até às 10:00 h/Abertura dia 11/10/2011 às 11:00 h. Concorrência nº 042/SMSP-ABAST/2011 - Processo 2011-0.147.271-1 - Ramo: COMÉRCIO ATACADISTA DE CEREAIS E GRÃOS - Boxe nº A-15/A-35 - Área de 75,00 m² - Data de entrega do envelope 11/10/2011, até às 10:30 h/Abertura dia 11/10/2011 às 11:30 h. Concorrência nº 043/SMSP-ABAST/2011 - Processo 2011-0.239.975-9 - Ramo: DEPÓSITO - Depósito nº 05 - Área de 125,00 m² - Data de entrega do envelope 11/10/2011, até às 13:00 h/Abertura dia 11/10/2011 às 14:00 h. Sacolão da Prefeitura Lapa - Rua Aristides Viadana, s/nº - Lapa, São Paulo Concorrência nº 044/SMSP-ABAST/2011 - Processo 2011-0.225.300-2 - Ramo: BAZAR E ARMARINHOS - Boxe nº 06 - Área de 17,78 m² - Data de entrega do envelope 11/10/2011, até às 13:30 h/Abertura dia 11/10/2011 às 14:30 h. Sacolão da Prefeitura Rio Pequeno - Rua Desembargador Homero Pinho, nº 105 - Rio Pequeno, São Paulo Concorrência nº 045/SMSP-ABAST/2011 - Processo 2011-0.208.233-0 - Ramo: PASTELARIA - Boxe nº 01 - Área de 34,00 m² - Data de entrega do envelope 18/10/2011, até às 09:00 h/Abertura dia 18/10/2011 às 10:00 h. Sacolão da Prefeitura Cidade Tiradentes - Avenida dos Metalúrgicos, nº 2111 - São Paulo Concorrência nº 046/SMSP-ABAST/2011 - Processo 2011-0.041.542-0 - Ramo: PAPELARIA, LIVRARIA E REVISTARIA - Quiosque nº 17 - Área de 8,00 m² - Data de entrega do envelope 19/10/2011, até às 09:30 h/Abertura dia 19/10/2011 às 10:30 h. Sacolão da Prefeitura Freguesia do Ó - Avenida João Paulo I, nº 2107 Freguesia do Ó - São Paulo Concorrência nº 047/SMSP-ABAST/2011 - Processo 2011-0.241.441-3 - Ramo: ADEGA - Boxe nº 14 - Área de 33,40 m² - Data de entrega do envelope 19/10/2011, até às 10:00 h/Abertura dia 19/10/2011 às 11:00 h. Concorrência nº 048/SMSP-ABAST/2011 - Processo 2011-0.241.429-4 - Ramo: PADARIA - Boxe nº 13 - Área de 33,40 m² - Data de entrega do envelope 19/10/2011, até às 13:00 h/Abertura dia 19/10/2011 às 14:00 h.

CRISTOVAM BUARQUE tucional" e, por isso, "intocável". Segundo ele, os países democráticos se caracterizam pela garantia dos princípios de liberdade de imprensa. "Hoje existe uma lei de imprensa vigente e rígida quanto aos abusos praticados por veículos de comunicação ou jornalistas. Se alguém se sentir prejudicado basta acioná-la. Esse é um assunto do PT, não do PSB", ressaltou Valadares. No PR – partido que perdeu o controle do Ministério dos Transportes e do Dnit (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes) depois de denúncias veiculadas na mídia – a discussão desse tema também está fora de questão. O líder do partido na Câmara, Lincoln Portela (MG), disse que a legenda "nunca se mani-

festou a favor da mordaça na imprensa". Nos dois meses de denúncias seguidas de corrupção na pasta, Portela disse que conversou com todos os repórteres que o procuraram. M u d a nç a s – Já o senador Cristovam Buarque (PDT-DF) afirmou que, antes de qualquer comentário sobre o assunto, é necessário que se leia com atenção o que foi aprovado pelo PT. Entretanto, ele frisou dois pontos que devem ser modificados com urgência. O primeiro, diz respeito a políticos serem donos de rádios, jornais ou emissoras de televisão. "Sou radicalmente contra um político ter qualquer veículo de comunicação". Entretanto, Cristovam julga que essa questão deve ser tratada no âmbito da reforma política e não em um marco regulatório para a mídia. O outro ponto, segundo ele "o fato mais grave", é o governo querer controlar a mídia por meio da veiculação de anúncios publicitários de autarquias e estatais em rádios, jornais, revistas e canais de televisão. "Temos que encontrar uma fórmula para evitar que o governo use o dinheiro público para controlar os veículos de comunicação". De acordo com Cristovam, o debate sobre um marco regulatório para a imprensa ainda não foi posto na pauta da Executiva Nacional do PDT. O deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), integrante da cúpula do partido, disse que para iniciar qualquer discussão é necessário que exista, no Congresso, algo de concreto sobre o tema. Mas Cunha ponderou que é contra a possibilidade de se proibir os políticos que já detenham veículos de comunicação de continuar no comando dessas empresas. Censura – O presidente do DEM e senador José Agripino Maia (RN) disse que a moção do PT é "uma resposta do par-

Nem a base aliada do governo nem a oposição digeriram bem a moção aprovada pelo Congresso do PT, ontem: a proposta é vista como mais uma tentativa marota do governo de restabelecer a censura nos veículos de comunicação. Petistas alegam que só pretendem democratizar a mídia. tido à faxina prometida pela presidenta Dilma Rousseff que não aconteceu". Ele acrescentou que, diante dessa atitude da presidenta, os petistas tentam agora "silenciar a imprensa pela censura". O líder do PSDB, Álvaro Dias (PR), tem a mesma opinião. Segundo ele, a moção "tenta jogar para debaixo do tapete" a faxina prometida pela presidenta. "Essa regulamentação da mídia é uma vocação autoritária do partido que não é nova. Várias tentativas já foram feitas". Outra coisa – No domingo, no encerramento do congresso do PT, o presidente nacional da sigla, Rui Falcão, negou que o debate de um marco regulatório da mídia represente qualquer tentativa de se estabelecer uma censura aos veículos comunicação, inclusive na internet, como se argumenta. Na ocasião, ele destacou que

é necessário coibir o "jornalismo partidário" e os grandes grupos de comunicação que detêm mais de um veículo. Falcão acrescentou que o partido vai pressionar os parlamentares em geral para conseguir a aprovação de um projeto com foco na "democratização da comunicação", que garanta liberdade de imprensa, direito à opinião e nenhuma censura de conteúdo, que segundo a sua opinião é o que pretendem os petistas com a proposta. (Folhapress)

Existe uma lei de imprensa vigente e rígida Se alguém se sentir prejudicado basta acioná-la. Esse é um assunto do PT, não do PSB. ANTONIO CARLOS VALADARES

Lia de Paula/Agência Senado - 29.06.11

Valadares: é uma questão constitucional e, por isso, "intocável".

Jarbas: 'É um nome pomposo para um verdadeiro tribunal da inquisição'. Senador estranha que o PT fale em regular a mídia "toda vez que algum malfeito petista aparece nos jornais".

O

senador Jarbas Va s c o n c e l o s (PMDB-PE) criticou ontem, na tribuna do Senado, a iniciativa aprovada pelo 4º Congresso Nacional do PT de ressuscitar o marco regulatório da mídia. Para ele, "é o nome pomposo para um verdadeiro tribunal

da inquisição da comunicação que os petistas querem implantar no Brasil". Jarbas falou para um plenário que tinha um quórum de apenas cinco senadores, antecipando o recesso branco na Casa, na semana do feriado de 7 de setembro. O senador disse que "toda vez que algum malfeito petista

Waldemir Barreto/Agência Senado - 01.06.11

Jarbas: "O fato é que José Dirceu prefere agir nas sombras, incógnito, quase um personagem de filmes de espionagem ou gângsteres".

aparece nas páginas dos jornais e das revistas", a cúpula do PT se apressa em defender a regulamentação da mídia. O senador fazia referência à reportagem da revista Veja que mostra o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu recebendo atuais ministros e parlamentares em um quarto de hotel em Brasília, que usa como uma espécie de gabinete informal do governo. "O ex-ministro ficou indignado e acusou a revista de espionagem. O fato é que José Dirceu prefere agir – com sempre fez – nas sombras, incógnito, disfarçado, quase um personagem de filmes de espionagem ou de gângsteres, e agora exercendo o papel bem remunerado de consultor-geral da República". Para Jarbas, esse tipo de comportamento não combina mais com o Brasil da atualidade. Ele citou levantamento da Associação Nacional dos Jor-

nais (ANJ) que mostra o aumento no número de assassinatos de jornalistas no Brasil. "De agosto de 2010 para agosto deste ano, foram registradas cinco mortes em que há indício de ligação com a atividade profissional. No relatório anterior da entidade, que abrangeu um período de dois anos, foi registrado apenas um homicídio, e por motivos não relacionados à profissão". Outra questão grave, no entender do senador, é a expansão das censuras a veículos de comunicação. "Nos últimos 12 meses, foram 12 casos, contra 19 nos dois anos anteriores", informou. Citou como exemplo mais grave a censura ao jornal O Estado de S. Paulo, que há 766 dias foi proibido pelo desembargador Dácio Vieira, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal, de publicar qualquer informação sobre o envolvimento do empresário Fernando Sarney. (AE)


p Governo descarta aumento para o Judiciário

DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 6 de setembro de 2011

7 A premissa (da presidente Dilma) não está amparada em qualquer comprovante ou base tática. Nota da Ajufe

olítica

José Cruz/ABr

Para o Planalto, reajustes de até 56% teriam impacto de R$ 7,7 bi nos cofres públicos

O

ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, ressaltou ontem que a questão do aumento para o Judiciário é página virada. Questionado, ao sair da cerimônia de posse de dois ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ), se o fato teria provocado algum atrito na relação entre Judiciário e Executivo, Cardozo respondeu: "Absolutamente nenhum. Houve um diálogo normal entre poderes. Isso é página virada, continuamos com excelente diálogo". Na semana passada, ao enviar a proposta orçamentária de 2012 ao Congresso, o governo federal não incluiu o reajuste do salário dos magistrados, previsto na proposta orçamentária do Judiciário Após os ministros do Supremo e o procurador-geral da República se revoltarem, a presidente Dilma Rousseff enviou uma mensagem ao Congresso reincluindo os reajustes pedidos pelo Judiciário, embora fazendo uma série de críticas. O Judiciário quer até 56% de reajuste para seus servidores e 14,7% para os ministros do Supremo, o que elevaria o teto do funcionalismo de R$ 26,7 mil para R$ 30,6 mil. Os valores são considerados inaceitáveis para o governo. Os aumentos causariam um impacto de R$

7,7 bilhões nos cofres públicos, segundo o governo. Também há um projeto de lei pedindo aumento menor, de 4,8% para os ministros do Supremo. Mas nem esse conta com o apoio do governo. "Entendemos a posição do Judiciário, mas não temos condições de fazer isso agora", justificou o líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP). "Não é possível dar um aumento de

Não é possível dar um aumento de 50% ou mais. Qualquer reajuste será discutido no mesmo patamar do funcionalismo. CÂNDIDO VACCAREZZA 50% ou mais. Qualquer reajuste será discutido no mesmo patamar do conjunto do funcionalismo", afirmou. O deputado afirmou que sua posição foi tomada após conversas com a ministra Miriam Belchior (Planejamento). Mesmo com as negativas do governo, o deputado informou que cerca de dez entidades irão ao Congresso, no pró-

ximo dia 21, fazer pressão pelo aumento no Judiciário. Defesa – Já o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, defendeu os reajustes nos salários dos ministros do Supremo Tribunal Federal. Se fossem aprovadas as duas propostas em tramitação no Congresso, a remuneração dos ministros do STF passaria dos atuais R$ 26,7 mil para R$ 32 mil. Segundo Gurgel, os valores não são exorbitantes. Para ele, os aumentos teriam apenas o objetivo de repor as perdas de mais de 20%. Críticas – A Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil) criticou a afirmação de Dilma de que o aumento no salário do Judiciário prejudique programas sociais. Segundo a entidade, a "premissa não está amparada em qualquer comprovante ou base fática". Na última sexta-feira, Dilma criticou a proposta de aumento, dizendo que causa "incertezas sobre a evolução da economia brasileira em um contexto internacional já adverso". Para a Ajufe, o argumento é maniqueísta: "Idêntico argumento poderia ter sido utilizado quando, em dezembro do ano passado o Poder Executivo e o Poder Legislativo tiveram aumento salarial na ordem de 62%". (Agências)

Vaccarezza: "Entendemos a posição do Judiciário, mas não temos condições de fazer isso agora".

Senadora vê avanço para aprovação do Código Florestal

A

presidente da Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), senadora Kátia Abreu (sem partido-TO), disse ontem em São Paulo acreditar que o projeto de reforma do Código Florestal, a ser votado pelo Senado até o fim de outubro, tem grandes chances de aprovação na Casa. Segundo ela, as mudanças propostas pelo senador Luiz Henrique da Silveira (PMDBSC), relator do código, teriam esclarecido pontos polêmicos que levantavam dúvidas e preocupavam a presidente Dilma Rousseff. Entre as mudanças, ela cita o caput do artigo 8 da emenda 164, que regulamenta as atividades nas margens dos rios. "Realmente não estava transcrita a verdadeira intenção dos parlamentares, que era

apenas consolidar a atividade já feita hoje nas margens dos rios. No formato em que foi escrito, ainda havia dúvidas de que novas áreas poderiam ser desmatadas nas beiras dos rios e nós não queremos isso". Para Kátia, a alteração proposta por Luiz Henrique deixa claro que só as atividades já em curso serão mantidas, mas condicionadas a uma fiscalização dos órgãos competentes. "Se for para clarificar a verdadeira intenção dos parlamentares e do setor agropecuário brasileiro, nós não temos nada a nos opor. O texto de Luiz Henrique ficou bastante claro e vai tranquilizar o governo federal". Kátia elogiou a ideia sugerida pelo senador de restringir ao Congresso e à Presidência da República a competência de regulamentar os 33 pontos do

Código Florestal. "Com todo o respeito aos órgãos ambientais, nós sabemos que as ONGs (organizações não governamentais) capturaram esse órgãos. Com as mudanças propostas por Luiz Henrique, nós não ficaremos reféns, como somos até hoje, apenas dos órgãos ligados aomeio ambiente. Essas instituições estão impregnadas de ambientalistas. Eles podem até ter boas intenções mas querem olhar apenas um lado do País. Um ministério e um órgão público devem ver o interesse de todos". Kátia elogiou a inclusão de fundo para remunerar agricultores que preservarem as florestas e os biomas: "Os que estão fazendo isso devem ser remunerados como se estivessem desmatando e plantando ou fazendo pecuária". (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

terça-feira, 6 de setembro de 2011 AFP

Eu acredito que as operações da Otan na Líbia terminarão em breve. Anders Fogh Rasmussen, secretário-geral da aliança.

nternacional

A VERDADE VEM À TONA As potências correm atrás de explicações: documentos secretos de Kadafi revelam vínculos do Ocidente com o serviço secreto líbio e compras de armas ilegais.

Israel alerta: vem aí o 'inverno islâmico radical'.

Zohra Bensemra/Reuters

C

om a deposição de Muamar Kadafi, documentos que eram para permanecer nos arquivos secretos do regime líbio começam a surgir e trazem grande desconforto às potências que passaram a apoiar os rebeldes do país. A nova liderança líbia disse ter provas de que o ditador violou sanções ao adquirir armas neste ano da China e da Europa, e denunciou vínculos dos serviços de espionagem britânicos e norte-americanos com os serviços de segurança de Kadafi. O premiê britânico, David Cameron, se apressou ao declarar que investigará as acusações de que a inteligência britânica foi complacente com a detenção e tortura de suspeitos de terrorismo pelos serviços secretos da Líbia nos últimos anos. "Foram relatadas hoje (ontem) importantes acusações de que sob o governo anterior (do premiê Gordon Brown) as relações entre os serviços secretos britânicos e líbios tornaram-se próximas demais, particularmente em 2003", disse ele ao Parlamento. "Nossa relação com a Líbia deve, obviamente, lidar com uma série de problemas do passado", acrescentou. Documentos encontrados no escritório do chefe de inteligência da Líbia em Trípoli, agora dominada pelos rebeldes oposicionistas, indicam que as agências de espionagem dos Estados Unidos (CIA) e do Reino Unido (MI6) ajudaram Kadafi a perseguir dissidentes do regime, afirmou no último sábado a ONG Human Rights Watch. O caso mais noticiado pela mídia britânica foi o do atual comandante da milícia rebelde em Trípoli, Abul Hakim Be-

U

Funcionário retira mísseis de fábrica de móveis em Trípoli. Os rebeldes denunciaram que Kadafi violou sanções ao adquirir novas armas.

lhaj. Ele foi detido em uma operação da CIA e do MI6 em 2004, entregue à Líbia e torturado pelo regime de Kadafi. "O que aconteceu comigo e com a minha família é ilegal. Mereço um pedido de desculpas por ter sido capturado, torturado e por todas as coisas ilegais", disse Belhaj à rede BBC. Armas - Membros do Conselho Nacional de Transição (CNT) também revelaram a existência de documentos que revelam que Kadafi violou sanções ao adquirir armas da China e da Europa. "Reunimos evidências de muitas fontes, inclu-

sive os principais documentos que reunimos aqui em Trípoli, que apontam o dedo para vários países que vinham fornecendo armas a Kadafi", disse Abdul Rahman Busin, porta-voz militar da liderança rebelde. Apesar das denúncias, ainda não há consenso sobre eventuais retaliações contra os governos coniventes com isso. A China, temerosa de que sua relutância em apoiar as forças anti-Kadafi se traduza agora em dificuldades para fechar contratos e comprar petróleo na nova Líbia, afirmou ontem que funcionários de

uma estatal de venda de armas se reuniram em julho com representantes líbios, mas sem o conhecimento do Estado. "As companhias chinesas não assinaram contratos de venda de armas, nem exportaram itens militares para a Líbia", afirmou Jiang Yu, porta-voz da chancelaria, acrescentando que haverá punições "sérias" aos funcionários envolvidos. Busin e outros membros do CNT admitiram que os governos dos países que fabricaram e exportaram essas armas talvez não estivessem cientes do destino delas, por causa do uso

de intermediários. Além da China, afirmou ele, "estamos examinando vários países no Leste Europeu". Ele acrescentou também que há fornecedores "ocidentais", embora provavelmente não da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Esconderijo - O porta-voz de Kadafi declarou ontem que o ditador está "em bom estado de saúde e com bom ânimo". Segundo Moussa Ibrahim, Kadafi não poderá ser encontrado. "Ele está na Líbia. Em uma região inalcançável para os grupos rebeldes", disse. (Agências)

m alto oficial das Forças de Defesa de Israel advertiu ontem que a Primavera Árabe poderá se transformar em um "inverno islâmico radical", sendo cada vez mais provável a realização de uma guerra regional no Oriente Médio, informou a mídia israelense. O major-general Eyal Eisenberg não descartou que esse tipo de conflito poderia incluir o uso de armas de destruição em massa. Segundo Eisenberg, as revoltas árabes e a deterioração das relações com a Turquia aumentaram as chances de uma guerra na região. "Parece a Primavera Árabe, mas também poderia ser um inverno islâmico radical", disse ele, em discurso no Instituto de Estudos de Segurança Nacional, em Tel Aviv, citado pelo jornal Yedioth Ahronoth. "O Irã não abandonou seu programa nuclear", exemplificou. "No Egito, o Exército está em colapso, e isso se reflete na perda do controle de Sinai... com a possibilidade de que Sinai caia nas mãos de uma entidade terrorista", alertou. "No Líbano, o Hezbollah está se fortalecendo dentro do governo... e os vínculos com a Turquia não estão em seu melhor momento", disse ele, acrescentando que uma nova arma vem sendo utilizada por militantes palestinos de Gaza. As declarações de Eisenberg enfureceram outros oficiais israelenses, que o acusaram de revelar dados secretos e provocar tensão na região. (Agências)

Egypt TV/AFP

Ex-general da polícia egípcia inocenta Mubarak

A

utoridades egípcias retomaram ontem o julgamento do ex-ditador Hosni Mubarak, sob protestos de opositores e confrontos com a polícia. No dia em que autoridades policiais prestaram o primeiro depoimento, o general Hussein Moussa negou que existissem ordens para que policiais atirassem contra manifestantes durante as passeatas contra o ex-governante. O depoimento de Moussa contradiz a peça central da acusação, a de que os policiais e soldados atiraram nos manifestantes após receberem ordens de Mubarak ou do ex-ministro do

Interior Habib el-Adly. Moussa disse que a ordem partiu do general Ahmed Ramzy, outro dos acusados. Cerca de 850 pessoas morreram nos protestos que começaram em 25 de janeiro e puseram fim às três décadas de Mubarak no poder. Três outras autoridades da segurança iriam depor ontem, mas a sessão foi adiada por causa de uma briga na corte, iniciada quando um partidário de Mubarak levantou uma foto do ex-presidente, irritando parentes das vítimas da repressão aos protestos. Advogados da acusação também se envolveram na confusão.

Se for considerado culpado, Mubarak, de 83 anos, pode ser condenado à pena de morte. Internado desde abril com problemas cardíacos e outras doenças, Mubarak chegou de ambulância para a audiência, como fez nos últimos dias 3 e 15 de agosto. Ele ouviu a sessão deitado em uma maca na jaula dos réus no tribunal, na Academia de Polícia do Cairo. Do lado de fora, manifestantes anti-Mubarak atiraram pedras contra a polícia e alguns oficiais revidaram com mais pedras. Em certo momento, policiais com escudos e cassetetes avançaram contra a multidão. (Agências)

Doente, o ex-ditador egípcio assistiu à sessão de deitado em uma maca dentro de uma jaula.

Mohammed Hossam/AFP

A MEMÓRIA DE CHIRAC FALHOU. A DA JUSTIÇA, NÃO.

O

julgamento de um processo de corrupção contra o ex-presidente da França Jacques Chirac foi retomado ontem, mas seus advogados disseram que ele não poderá participar porque tem sofrido graves lapsos de memória, possivelmente relacionados a um acidente vascular cerebral. O juiz Dominique Pauthe disse que levou em conta o apelo dos advogados de Chirac e que o ex-mandatário poderá ser

Ó RBITA

IRÃ ATÔMICO

O

PROTEÇÃO OU ISOLAMENTO?

A

s autoridades egípcias estão erguendo um muro ao redor da embaixada de Israel no Cairo, no momento em que as relações entre os dois vizinhos, que assinaram um tratado de paz em 1979, passam por uma fase delicada. O muro, de cerca de dois metros de altura, é feito com lajes de cimento pré-fabricadas. Parte da barreira foi pintada com

as cores nacionais do Egito: preto, branco e vermelho (foto). Egípcios irritados realizaram protestos do lado de fora da embaixada no mês passado e pediram a expulsão do embaixador israelense por causa da morte de policiais egípcios, assassinados enquanto Israel procurava militantes. O Egito exige um pedido oficial de desculpas. (Agências)

AFP - 14/08/11

Irã está pronto para permitir que a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) realize uma "supervisão completa" de seu programa nuclear durante cinco anos se as sanções da Organização das Nações Unidas (ONU) forem levantadas, afirmou ontem o chefe da agência nuclear iraniana, Fereydoun Abbasi Davani, à agência de notícias Isna. Em resposta, a União Europeia (UE) afirmou que o Irã deve atender às suas obrigações internacionais a respeito de suas atividades nucleares antes de as sanções serem levantadas. (AE)

julgado sem a necessidade comparecer às audiências no tribunal. Chirac tem 78 anos. O ex-líder francês é acusado de desviar dinheiro público para financiar o Partido Conservador por meio de funcionários fantasmas na prefeitura de Paris enquanto ele foi prefeito entre 1977 e 1995. Como chefe de Estado, ele teve imunidade contra processos nos 12 anos subsequentes. Chirac tem negado a prática de qualquer delito. O juiz Pauthe leu uma carta dos advogados de Chirac que diz que o ex-presidente gostaria de ser ouvido porque isso "seria útil para nossa democracia" e demonstra que "todas as pessoas são iguais perante a lei". A carta, disse Pauthe, chegou acompanhada por quatro páginas de relatórios médicos, incluindo um exame de imagem do cérebro de Chirac feito em abril.

Reuters

A defesa de Chirac disse ao tribunal que o expresidente sofre de "graves lapsos de Defesa diz que memória" condição de ligados à sua Chirac é "condição 'irreversível' irreversível". O advogado Jean Veil disse que o estado do ex-governante não é uma doença mas um "sintoma", possivelmente ligado ao acidente vascular cerebral de 2005 ou "outras origens". Juntamente com Chirac são julgados dois de seus ex-chefes de gabinete na prefeitura e outras sete pessoas que teriam se beneficiado inapropriadamente dos recursos. Se condenado, ele pode pegar até dez anos de prisão e ter de pagar 150 mil euros em multas. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 6 de setembro de 2011

c

9 Paulo Pampolin/Hype

OBRAS DE DESPOLUIÇÃO De acordo com a Sabesp, estão sendo investidos R$ 44 milhões em um conjunto de obras que vai beneficiar 270 mil moradores dessa região. Tratase do coletor-tronco, que recolherá esgotos de vários bairros da Capital, entre eles o Ipiranga.

idades

Em busca das margens plácidas Testemunha da proclamação da Independência do Brasil por D. Pedro 1º, o Riacho do Ipiranga está sujo e malcheiroso Marisa Folgato

Paulo Pampolin/Hype

Ó RBITA Hélvio Romero/AE

F

im de tarde, céu sem nuvens que começa a receber tons avermelhados, o campineiro Roberto Inácio, de 42 anos, concretiza um sonho de muitos anos: conhecer o Riacho do Ipiranga, em cujas "margens plácidas", D. Pedro 1º proclamou a Independência do Brasil, em 7 de setembro de 1822. O cenário ainda é até bonito, a princípio: as margens de um pequeno trecho de 180 metros dentro do Parque da Independência estão gramadas, duas simpáticas pontes cortam o córrego, a bandeira tremula num dos lados e a pira completa o panorama em frente ao Monumento à Independência. Muitos casais, famílias, crianças estão por ali. "Vale pelo local histórico, mas não é agradável nem para fotografar", disse o funcionário público, morador de Campinas em visita à Capital. Mas ele nem estava decepcionado. "Já vi muitas vezes a sujeira e as enchentes pela TV." Ele tem razão. Basta chegar mais perto para sentir o cheiro forte de esgoto e ver a cor da água escura, poluída. Tem lixo também. Retrato de tantos córregos paulistanos, só que o Riacho do Ipiranga deveria ser tratado como patrimônio: está na primeira estrofe do Hino Nacional: "Ouviram do Ipiranga às margens plácidas..." e já recebeu milhões de reais de investimentos em obras que já duram 25 anos e poucos resultados trouxeram. Em época de chuvas, os moradores e motoristas sabem que, de plácidas, as águas nada têm. Estão cansados de sofrer com as frequentes enchentes nas avenidas construídas às suas margens (Abraão de Morais, Ricardo Jafet e Tereza Cristina). E podem se preparar para mais um verão de transtornos: até o fim do ano a Prefeitura vai apresentar um projeto para toda a bacia do Ipiranga. Objetivo: melhorar o sistema de galerias e construir três reservatórios para segurar as águas das chuvas. "Quando ameaça chover nem vou para os lados da Ricardo Jafet. É problema na certa", diz o taxista Anésio Duduch, 30 anos de praça, sendo 22 deles no ponto do Hospital São Camilo do Ipiranga, a duas quadras do riacho. "Depois que levantaram o pontilhão, na altura da rua Coronel Diogo, a travessia nesse trecho melhorou, mas as cheias são feias em pelo menos mais dois pontos, na rua Mário Vicente e próximo ao Shopping Plaza Sul. Ali ninguém passa." Despoluição – As nascentes do riacho ficam no Jardim Botânico, no Parque Estadual Fontes do Ipiranga. Uma delas foi aberta à visitação. Ali, o fiapo de água brota cristalino, mesmo estando a poucos metros de avenidas movimentadas. A água dessa nascente se junta a outras para formar os lagos do jardim e seguir até a Abraão de Morais, onde assume a forma de córrego. Pelas avenidas Ricardo Jafet e Tereza Cristina, deságua no Tamanduateí. A boa notícia é que a poluição deve melhorar até o fim do primeiro semestre do ano que vem. Segundo a Sabesp, estão em andamento na região do Ipiranga as obras do Projeto Tietê, que tem o objetivo de ampliar a coleta e o tratamento de esgoto na Região Metropolitana de São Paulo, "contribuindo para a despoluição dos córregos afluentes do rio e, com isso, do próprio rio Tietê". Coletor – Está em instalação o coletor-tronco Ipiranga (89% concluído) que vai levar para tratamento o esgoto coletado

Às margens do Riacho do Ipiranga (esq.), em 7 de setembro de 1822, D. Pedro 1º proclamou a Independência do Brasil (abaixo). Hoje o riacho está poluído, mas sua nascente (esq.) está preservada no Jardim Botânico. Prefeitura tem projeto para conter cheias. Andrei Bonamin/Luz - 22/08/2008

Reprodução

TEMPO SECO

S

ão Paulo teve ontem o dia mais seco do ano, com a umidade relativa do ar em 12% A cidade entrou em estado de alerta. Os principais efeitos da baixa umidade são secura na garganta e nos olhos e problemas respiratórios. A baixa umidade do ar pode levar ao surgimento ou agravamento de doenças respiratórias, cardiovasculares e oculares. Por isso, enquanto durar o estado de alerta, o órgão recomenda que a população evite exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10h e 16h, além de aglomerações em ambientes fechados. (Folhapress)

RANKING DO ENSINO nos bairros do Ipiranga, Vila Mariana, Saúde, Bosque da Saúde, Cursino, Jabaquara e Americanópolis. De acordo com a companhia, "estão sendo investidos R$ 44 milhões num conjunto de obras que vai beneficiar 270 mil moradores dessa região". O coletor-tronco Ipiranga segue em paralelo ao Riacho do Ipiranga." "Há anos falamos na necessidade da despoluição e do controle de enchentes na região do Riacho do Ipiranga, um símbolo histórico que merece respeito", disse o vereador Aurélio Nomura (PV). Ele teve uma reunião com o secretário adjunto de Recursos Hídricos, Rogério Menezes, e representantes da Prefeitura no dia 15 de agosto para tratar do assunto. Saiu com duas respostas promissoras. "O Riacho do Ipiranga integra o Projeto Córrego Limpo e a promessa foi ter a poluição reduzida até o fim do ano. Já a Prefeitura pretende, em três meses, apresentar um projeto para conter as cheias." Ele se queixou dos 25 anos de obras. "Devem ser as mais antigas da cidade." Nomura promete acompanhar de perto as promessas. Depois vai abraçar outra causa: a criação de um parque linear às margens do Riacho, da nascente à foz. "Pelo menos onde for possível." Primeira enchente – O projeto Margens Plácidas foi criado pelo procurador do Estado e especialista em Meio Ambiente Guilherme José Purvin de Figueiredo, em 2005. Morador do bairro na infância, presenciou a primeira enchente na avenida Tereza Cristina, em 1966. "Para criança tudo é farra, mas veja onde foi parar o problema", diz Figueiredo. Depois de uma viagem a Washington, que recuperou seu rio, o Potomac, pensou no Riacho do Ipiranga. "Ele é um símbolo nacional e pode ser um grande potencial turístico recuperar áreas degradadas ao longo de suas margens, cheias de lojas e motéis", aposta. Quem quiser aderir ao projeto pode enviar e-mail para secretaria@ibap.org.

A Recuperação começou em 1986

S

egundo a Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb), "as obras de recuperação do Córrego Ipiranga começaram em 1986, com a ampliação do canal existente ao longo da avenida Tereza Cristina, entre a avenida do Estado (junto do rio Tamanduateí) e da rua Tabor, e terminaram em 1989". Ainda de acordo com a secretaria, foram executadas de 1990 a 1992 as obras de ampliação do canal entre as ruas Tabor e Tamboatá. "De 1999 a 2002, foram recuperadas as paredes laterais do córrego entre as ruas Tamboatá e Coronel Diogo. O curso d'água recebeu, de 2004 a 2006, revestimento do fundo entre a nesse trecho, com alteamento e ampliação do pontilhão da Coronel Diogo, recuperação de paredes laterais e fundo entre as ruas Coronel Diogo e Mário Vicente, em um investimento de R$ 24,5 milhões." A Siurb informou que "terminaram em junho deste ano as obras de reconstrução e drenagem da avenida Ricardo Jafet, com a implantação de captação de águas pluviais por intermédio de bocas-de-lobo, no trecho entre as ruas Tamboatá e Marcelino Champagnat; além de intervenções na pavimentação, drenagem superficial e paisagismo da Ricardo Jafet, com extensão aproximada de 3.000 metros". Foram realizadas, também, três obras emergenciais de contenção de recuperação e ampliação do canal e das margens do córrego Ipiranga em diversos trechos, entre 2008 e 2010. Agora é esperar, até o fim do ano, a apresentação do projeto para toda a bacia do Ipiranga para melhoria do sistema de galerias e construção de três piscinões. (MF)

Paulo Pampolin/Hype

USP e a Unicamp são as duas únicas universidades brasileiras que aparecem na lista das 300 melhores universidades do mundo elencadas pelo QS World University Ranking, da Inglaterra. A USP ocupa a 169ª posição, com 50.7 pontos. A Unicamp está no 235º lugar, com 42.2 pontos. Dentre outros critérios, a lista é elaborada com base na opinião de acadêmicos, empregadores e no número de citações científicas das instituições. Os dois primeiros lugares ficaram com a Universidade de Cambridge (1º) e com a Universidade Harvard (2º). (Folhapress)

SANTA TERESA

M

Trecho aberto do Riacho do Ipiranga, na zona sul: novos piscinões

Córrego é berço da Independência

Y

piranga, Hipiragua, Piranga ou Poranga são as denominações que teve o rio que passa no bairro do Ipiranga, na zona sul da Capital, das quais os significados mais aceitos são "águas vermelhas" e "águas barrentas", certamente originário do tupi-guarani. Porém, alguns dicionaristas garantem que a palavra é derivada de i-pirá-ã-anga, que significa leito desigual. Tropeiros – Durante séculos, a região foi ponto de parada para tropeiros e

viajantes que percorriam o Caminho do Mar, entre São Paulo e Santos. Por isso, foi neste local que D. Pedro 1º parou para descansar com sua comitiva quando vinha de Santos, no início de setembro de 1822, em direção à Capital. Ali, através de um emissário, recebeu notícias de Portugal, que o contrariaram e o levaram a gritar pela Independência do Brasil. O episódio está registrado nos versos do Hino Nacional: "Ouviram do Ipiranga às margens plácidas..." (MF)

orreu ontem mais uma vítima do acidente ocorrido no último dia 27 com o bonde de Santa Teresa, no Rio. O aposentado Alcides de Abreu Gonçalves, 73, estava internado em um hospital particular, na Tijuca (zona norte). Segundo a assessoria do hospital, Gonçalves teve traumatismo craniano e o estado de saúde dele se agravou na noite passada. Com esse caso, subiu para seis o número de mortes em decorrência do acidente, que também deixou quase 60 feridos. (Folhapress)

POLICIAIS PRESOS

Q

uatro policiais militares foram presos ontem em uma operação da Polícia Civil de São Paulo para coibir ataques a caixas eletrônicos. Um quinto suspeito de envolvimento nos crimes ainda é procurado. Durante a chamada Operação Caixa Preta, também foram cumpridos 11 mandados de busca e apreensão nas casas de 11 PMs. Os PMs presos são suspeitos de fornecer informações sobre o deslocamento de viaturas e de oferecer cobertura aos criminosos que roubam os caixas. (Folhapress)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10 -.LOGO

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Realismo em madeira

Alimentado por um motor de combustão externa, o Kraftwagen é um carrinho feito em latão, aço inoxidável e alumínio. Construído a partir dos princípios da termodinâmica como propostos por por Robert Stirling em 1818, o carro utiliza a expansão e compressão de ar para produzir o movimento. O carro tem duas rodas traseiras e uma única roda na frente, que é comandada pelo volante e pode ser virada manualmente até 360º. Ecologicamente correto, o carro emite fumaça não tóxica. Por US$ 999,95.

Escultura do artista russo Sergei Bobkov representa uma coruja em tamanho natural. Bobkov produz esculturas de animais usando como matéria-prima aparas e fiapos de cedro siberiano. Sua obra está sendo exposta esta semana em uma escola de Kozhany, a 207 quilômetros de Krasnoyarsk, na Sibéria. Bobkov obteve a patente de sua técnica artística, que é considerada única e excepcional. O artista, que produziu 15 esculturas de pássaros e animais siberianos em oito meses, é comparado aos taxidermistas e trabalha de 10 a 12 horas por dia em suas criações.

Ilya Naymushin/Reuters

Automóvel termodinâmico

http://bit.ly/pL6013

Logo Logo

http://t.co/sHxMmU3

Ayrton Vignola/AE

Filhote de lontra com cerca de 15 dias de vida encontrado pela Polícia Ambiental em Cotia, São Paulo, recebe cuidados no Centro de Recuperação de Animais Silvestres do Parque Ecológico do Tietê.

www.dcomercio.com.br

F UTEBOL E M

G ASTRONOMIA

Vitória com gol de Damião

A

seleção brasileira, com Ronaldinho Gaúcho e Marcelo no time titular, derrotou ontem a seleção de Gana por 1 x 0 no amistoso realizado no estádio Craven Cottage, em Londres. O gol foi marcado por Leandro Damião. Gana, que recorreu a uma série de faltas violentas para tentar marcar o Brasil e teve o lateral Daniel Opare expulso aos 33 minutos do primeiro tempo. Leandro Damião, artilheiro do futebol brasileiro no ano com 35 gols marcados pelo Internacional, balançou as redes pela seleção brasileira aos 44 minutos, aproveitando passe em profundidade de Fernandinho. (Reuters)

Cenouras, azeitonas pretas e cream cheese se transformam em divertidos aperitivos que evocam pinguins. Receita no site. http://bit.ly/fJOvmO Jan Woitas/AFP

Paul Childs/Reuters

VISUAIS

COMIDA ANIMAL

C A R T A Z

'Desenho de Fibra' exibe trabalhos de Renato Imbroisi. A CASA. Rua Cunha Gago, 807, tel.: 3814 9711.

E CONOMIA

Ronaldinho durante disputa de bola com Kwadwo Asamo

O Brasil e o resto do mundo A revista britânica The Economist criou em seu website um infográfico interativo em que compara o Produto Interno Bruto (PIB), o PIB per capita e a população de estados brasileiros com os de vários países. Na comparação, São Paulo tem um PIB e PIB per capita comparáveis aos da Polônia e população semelhante à da Argentina. Veja outros estados no site.

Andreas Solaro/AFP

http://econ.st/p0J13G

L OTERIAS A especialista em esculpir vegetais Anastasia Korsakova, da Rússia, dá os retoques finais em sua criação para uma competição da técnica realizada ontem em Leipzig, Alemanha.

Concurso 667 da LOTOFÁCIL

AFP oitas/ Jan W

Pinguim feito de berinjela com óculos de cenoura foi uma das criações apresentadas na competição de esculturas feitas com alimentos em Leipzig, na Alemanha. O evento dura dois dias e é promovido pela indústria europeia de catering e restaurantes de hotéis.

L

'Eu uso óculos'

VANDALISMO - Um italiano de 52 anos foi preso ontem após destruir a imagem de um tritão, monstro mitológico, na Fontana del Moro, na praça Navona [foto] e a Fontana di Trevi. Os dois monumentos estão entre os mais importantes de Roma, Itália.

03

04

05

06

08

10

13

15

17

18

19

20

21

24

25

Concurso 2689 da QUINA 04

18

21

76

79

M ÍDIA

11 DE SETEMBRO Aniversário de dez anos dos trágicos atentados são o tema principal de publicações de todo o mundo

D ESIGN Na popular Newsweek, medo, sofrimento e vingança

Capa da revista holandesa de cultura e variedades VPRO Gids

Criações inusitadas Toby Melville/Reuters

Revista semanal de opinião norte-americana The Nation A TÉ LOGO

NewStatesman entrevista agente da CIA que perseguia Osama Bin Laden Acesse www.dcomercio.com.br para ler a íntegra das notícias abaixo:

L

Facebook ultrapassa Orkut em usuários no Brasil, diz revista; Ibope contesta números divulgados

L

Mineirão completa 46 anos e reivindica junto à Fifa a chance de sediar abertura da Copa de 2014

L

The Beast, guitarra com seis braços criada por Gary Hutchins, é uma das peças da exposição 'O poder da criação', que estreia hoje no Museu Victoria e Albert, em Londres.

Anderson Silva chega ao Corinthians para tentar popularizar as Artes Marciais Misturadas ou MMA


DIÁRIO DO COMÉRCIO

e

11 ABRASCE Vendas no setor de shopping centers do País cresceram 7,1% em julho

conomia

Mantega diz que crise é "preocupante" Para ministro da Fazenda, cenário externo exige atenção, mas País está "preparado" para enfrentar crise. Sérgio Lima/Folhapress

O governador do Rio, Sérgio Cabral (à esq.), esteve ontem com o ministro Guido Mantega, em Brasília, e pregou a volta da CPMF para a Saúde.

O

ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse ontem, em reunião com a presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto, que o cenário econômico internacional é "preocupante", mas reiterou que o Brasil está preparado para combater a crise. "O Brasil está sólido e preparado para enfrentar as adversidades da crise", afirmou o ministro. As declarações de Mantega foram dadas durante reunião de coordenação política, liderada por Dilma, e que reuniu ministros e líderes do governo. Mantega costuma fazer um balanço da economia mundial nessas ocasiões. Ontem, ele citou entrevista da diretora-gerente do Fundo Monetário Internacional

(FMI), Christine Lagarde, concedida à revista alemã Der Spiegel sobre a iminência de uma recessão global. Na entrevista, Largade faz o alerta e defende que ainda é possível evitar o pior. Participaram também da reunião o vice Michel Temer e os ministros Gleisi Hoffman (Casa Civil), José Eduardo Cardozo (Justiça), Edison Lobão (Minas e Energia) e Miriam Belchior (Planejamento). Situação sólida – Nas últimas semanas, Mantega e Dilma têm reafirmado a situação sólida do País para enfrentar a crise, com destaque para as reservas internacionais e o depósito compulsório dos bancos no Banco Central (BC). Na semana passada, diante do cenário externo, o Comitê de Política Monetária (Co-

pom) surpreendeu o mercado e reduziu a taxa de juros (Selic) em 0,5 ponto percentual, para 12 % ao ano. O medo de uma crise mais profunda na Europa contaminou ontem a bolsa brasileira, em um dia de volume reduzido por causa do feriado do Dia do Trabalho nos Estados Unidos. O Ibovespa recuou 2,71% a 54.998 pontos. O giro financeiro do pregão foi de R$ 3,3 bilhões, menos da metade da média de R$ 6,56 bilhões, por causa do feriado. Forte queda – Com a queda expressiva, a segunda consecutiva, o Ibovespa já anulou boa parte da alta de quase 10 % das cinco sessões anteriores, quando a expectativa de um corte dos juros no Brasil estimulou ações de constru-

toras, varejistas e bancos. Na opinião da chefe da área de gestão de fortunas da corretora Mirae Securities, Luciana Pazos, a queda desta sessão pode ter sido apenas uma realização de lucros após a forte alta da semana passada, mas é preciso aguardar a abertura do mercado norte-americano hoje para ter mais segurança. "A gente sabe que a bolsa brasileira é uma das mais baratas do mundo", afirmou Pazos. "Mas, enquanto tivermos esse cenário tão ruim lá fora, é difícil apostar em uma recuperação", disse. O principal índice das ações europeias caiu mais de 4% em meio à falta de progresso nas negociações entre Grécia, União Europeia (UE) e FMI. (Leia mais sobre a crise europeia na página 16). (Agências)

Cabral defende CPMF para Saúde Governador do Rio, Sérgio Cabral, quer a volta do imposto do cheque para financiar sistema de Saúde.

O

governador do Rio de Janeiro, Sergio Cabral, disse ontem ser favorável à volta da Contribuição sobre Movimentação Financeira (CPMF) para financiar a Saúde. Cabral, que esteve reunido com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, defendeu um financiamento próprio para o setor de Saúde, assim como existe para a Educação. "Foi uma covardia a extinção da CPMF. Fez muito mal, não ao governo do (ex) presidente Lula, mas ao povo brasileiro", disse Cabral. Ele afirmou que assinará a carta que está sendo preparada por alguns governadores em apoio ao retorno da CPMF. "Claro que assino", afirmou. O governador argumentou que não é possível financiar a Saúde somente com os atuais recursos arrecadados pelo governo. "O Brasil está expandindo cada vez mais os seus investimentos", disse. Segundo ele, investimentos como os do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e do

Foi uma covardia a extinção da CPMF. Fez muito mal, não ao governo do presidente Lula, mas ao povo brasileiro. SÉRGIO CABRAL, GOVERNADOR programa Minha Casa, Minha Vida têm exigido mais recursos públicos. "O governo federal tem o papel junto com os governos estaduais e municipais de alavancadores da economia brasileira", afirmou. Ele disse também que não se pode sacrificar a meta de superávit primário para aumentar os gastos da Saúde. "O governo brasileiro tem tido a preocupação com a macropolítica-econômica para garantir estabilidade inflacionária e manter o crescimento. Quando se fala em superávit primário, não é um palavrão, é um sinônimo de responsabilidade fiscal." O governador do Rio propôs, também ao ministro

Mantega, elevar em 30% as participações especiais, cobradas pelo governo das empresas que exploram campos altamente produtivos. Petróleo – Cabral explicou que essa fórmula agradaria aos Estados produtores e aos não produtores de petróleo, evitando um impasse na negociação. Governadores correm contra o tempo para chegar a um consenso sobre a divisão dos royalties do petróleo do pré-sal. A questão tornou-se urgente porque em 5 de outubro o Congresso deve apreciar o veto aplicado em 2010 pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao texto aprovado pelo Legislativo que divide os royalties pelas regras do Fundo de Participação dos Estados (FPE). Por ela, o critério é a renda per capita, e não se o Estado produz ou não petróleo. A fórmula não agrada aos Estados produtores. Eles ameaçam levar a questão ao Judiciário, caso o Congresso derrube o veto. Recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF),

31 bilhões de reais podem ser arrecadados com aumento do Imposto sobre Operações Financeira (IOF), diz o líder do PSDB na Câmara, Duarte Nogueira (SP). porém, poderá jogar a solução para prazo indeterminado. Imposto – O líder do PSDB na Câmara, deputado Duarte Nogueira (SP), disse ontem que uma das alternativas de financiamento da saúde seria o aumento do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Segundo estudos realizados, o aumento desse imposto representaria, em 12 meses, arrecadação de cerca de R$ 31 bilhões. (Agências)

IMPOSTO Receita deve abrir amanhã consulta ao 4º lote da restituição do IRPF

Dólar sobe 0,86% e fecha em R$ 1,65

O

dólar subiu ontem, pelo quarto dia consecutivo, atingindo R$ 1,65 com o aumento da preocupação sobre a dívida na zona do euro. A moeda norte-americana avançou 0,86%, a R$ 1,65 para venda. É a maior cotação de fechamento desde o dia 29 de março. O feriado do Dia do Trabalho nos Estados Unidos, comemorado ontem, reduziu o volume de operações, com apenas 160 mil contratos negociados no principal vencimento futuro até as 17 horas, a uma hora do fechamento na BM&FBovespa. A média no ano é de 315 mil. O feriado também colocou a atenção dos investidores sobre os problemas da dívida na zona do euro, provocando um novo surto de aversão a risco. "O euro estava em US$ 1,45 na terça-feira (da semana passada), e no momento está a US$ 1,41. Perdeu bastante valor", disse ontem o economistachefe da corretora BGC Liquidez, Alfredo Barbutti, citando a falta de progresso nas negociações entre Grécia, União Europeia e Fundo Monetário Internacional (FMI) para o pagamento da próxima parcela da ajuda como um dos motivos. Taxa de juros – A moeda brasileira também tem sido prejudicada pela reação do mercado à diminuição da taxa básica de juros do Brasil, de 12,5% para 12% ao ano, na semana passada. Na opinião da equipe de câmbio da Bronw Brothers Harriman, em relatório, o real deve continuar a ter um desempenho mais fraco do que outras moedas emergentes nesta semana. Para a economista da corretora Link, Marianna Costa, a rápida subida do dólar pode conduzir a moeda a R$ 1,70 nos próximos dias, mas esse patamar será um limite. Segundo ela, a taxa de câmbio deve voltar a cerca de R$ 1,60. (Reuters)

Mercado prevê inflação de 6,38%

O

mercado financeiro elevou a projeção para a inflação em 2011 e em 2012. De acordo com o boletim Focus, divulgado ontem pelo Banco Central (BC), a expectativa para a inflação oficial neste ano subiu de 6,31% para 6,38%, em um patamar distante do centro da meta de inflação, que é de 4,5%. A meta tem margem de tolerância de dois pontos porcentuais para cima ou para baixo. A projeção para a inflação em 2012 foi elevada de 5,2% para 5,32%. A previsão para o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de agosto de 2011 subiu de 0,32% para 0,33%. A estimativa para o IPCA de setembro foi elevada de 0,38% para 0,4%. O mercado financeiro reduziu a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) em 2011 de 3,79% para 3,67%, segundo o boletim Focus. Para o ano que vem, a projeção para o crescimento da economia foi reduzida de 3,9% para 3,84%. Produção industrial – A estimativa para o crescimento da produção industrial em 2011 caiu de 2,96% para 2,63%. Para 2012, a projeção para a expansão da indústria foi mantida em 4,3%. De acordo com a pesquisa, os analistas reduziram a previsão para a Selic (a taxa básica de juros da economia) para o fim de 2011 de 12,5% ao ano para 12,38% ao ano. Atualmente, a taxa está em 12% ao ano. Já a projeção para a Selic no fim de 2012 caiu de 12,38% ao ano para 11,88% ao ano. Para o mercado de câmbio, os analistas preveem que o dólar encerre 2011 em R$ 1,60. A projeção do câmbio médio no decorrer de 2011 foi mantida em R$ 1,60. Para o fim de 2012, a previsão para o câmbio foi mantida em R$ 1,65. Contas externas – A previsão do mercado para o déficit em conta-corrente neste ano subiu de US$ 57,93 bilhões para US$ 58,25 bilhões. Para 2012, o déficit em conta-corrente do balanço de pagamentos estimado caiu de US$ 68,63 bilhões para US$ 68,51 bilhões. A previsão de superávit em 2011 subiu de US$ 22,90 bilhões para US$ 23 bilhões. Para 2012, a estimativa para o saldo da balança caiu de US$ 12,10 bilhões para US$ 11,60 bilhões. A estimativa de ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED) em 2011 é de US$ 55 bilhões. (AE)

Que tal você desfrutar de um dos mais completos empreendimentos de lazer da região? E mais: Descontos em Hotéis e Pousadas? Você precisa! E a sua família merece! Com o Cartão AVATAR CLUBE, você pode desfrutar de tudo isso, por uma pequena taxa familiar mensal.

Plano Familiar Mensal

Taxa de Adesão GRÁTIS Promoção válida até 30/09/11

DC

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Vale Encantado Descontos em hotéis e pousadas Hotel Auto Tour - Serra Negra Pousada Vale Encantado - Biritiba Mirim Pousada Paraíso da Ilha - Ilha Comprida

Informações Cartão Avatar (11) 2785-0881 / 2784-4143 / 2864-8843


12 -.ECONOMIA

DIÁRIO DO COMÉRCIO

COMÉRCIO

terça-feira, 6 de setembro de 2011


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 6 de setembro de 2011

e

13 Estamos cansados (da Anatel). Já estamos falando há algum tempo, mas parece que não tem adiantado. Fernando Furlan, do Cade

conomia Divulgação

Internet para todos depende de desoneração Ipea divulgou estudo recomendando ações necessárias à inclusão digital. Falta muita coisa, como telecentros públicos, para o Plano Nacional de Banda Larga ter os efeitos que o governo deseja.

A

lém das desonerações para computadores, tablets e redes de fibras ópticas, o governo precisaria reduzir também a carga de impostos sobre celulares e televisores para conseguir de fato universalizar o acesso à internet no País. A avaliação está em um documento de 74 páginas publicado ontem pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), com diversos artigos sobre o setor de telecomunicações. Em relação ao Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), o texto também orienta a construção de mais telecentros públicos para o acesso da população de baixa renda à rede, considerando que as camadas mais pobres podem não ter condições de pagar R$ 35 mensais pela assinatura básica de 1 megabit por segundo (Mbps). Nesse sentido, o estudo ainda sugere a oferta de planos prépagos e de preços fracionados – semanais, por exemplo – pa-

ra suprir essa demanda. O Ipea também propõe maiores avanços na capacitação dessas pessoas, incluindo parcerias do governo com o chamado Sistema S – como Sesi, Senac e Sebrae – para a ampliação dos cursos já existentes e criação de novos. Por fim, o instituto considera a necessidade da criação de uma tarifa de interconexão diferenciada, como a que foi aplicada nos primórdios dos celulares no Brasil, para financiar a expansão da infraestrutura de rede. PLC 116 – Outro artigo incluído no documento ressalta que a abertura do mercado de TV por assinatura para as operadoras de telecomunicações – conforme o Projeto de Lei (PLC) 116 aprovado no mês passado pelo Senado, com total apoio do governo – está diretamente relacionada com os objetivos do PNBL, mas que ainda não é possível avaliar os "efeitos econômicos e sociais" da nova lei. Cálculos do Ipea indicam, porém, que a presen-

Documento recomenda que governo reduza impostos sobre celulares e televisores, à semelhança do que foi feito com as fibras ópticas.

ça de um prestador de TV paga pode aumentar em até 35% a base de assinantes de banda larga em cada município. Apesar do leilão de quatro posições de satélites para o uso privado na última semana, que devem reforçar a capacidade brasileira de transmissão até 2014, o documento também retoma a discussão acerca da necessidade e viabilidade de um satélite nacional, para complementar o PNBL. Segundo o Ipea, ao se restringir às redes de fibras ópticas, "o plano perde a sua característica nacional ao selecionar tão somente o atendimento a áreas urbanas de 4.278 municípios brasileiros, deixando de lado outros 1.286 municípios e toda a área rural do território brasileiro." (AE)

Nota eletrônica também para serviços de outros municípios Renato Carbonari Ibelli

A

s empresas estabelecidas na cidade de São Paulo, que contratarem serviços de prestadores de outros municípios, agora terão de registrar a operação com o uso da Nota Fiscal de Tomador de Serviços. A nova nota, que substitui a Declaração Eletrônica de Serviço (DES), terá de ser registrada no site da Nota Fiscal Paulistana (http://nfpaulistana.prefeitura.sp.gov.br/tomador.asp). Para ter acesso ao sistema, o tomador precisará obter certificado digital ou senha web. A medida vigora desde o dia primeiro deste mês.

Prazo menor – Com a mudança, o prazo para registrar a operação ficou bem menor. A DES permitia que o registro fosse realizado dois meses depois da contratação do serviço em outro município. Com a nota do tomador, esse prazo cai para cinco dias após a contratação. De acordo com Josefina Nascimento Pinto, gerente do departamento fiscal da King Consultoria, a medida torna mais simples para o município o processo de averiguar sonegação. "Antes, só com fiscalização a sonegação era detectada. Agora, o sistema fará o cruzamento das informações e detectará problemas automaticamente", explica a gerente.

Facilidades – A Prefeitura de São Paulo reforça que o objetivo das mudanças trazidas com novo sistema é o combate à sonegação fiscal, mas diz que a nota do tomador também facilitará o registro de informações pelos empresários. Nesse contexto, a Prefeitura destaca que o novo documento fiscal acaba com a necessidade de consulta ao Cadastro de Empresas de Fora do Município (CPOM), que agora é realizada automaticamente quando da emissão da nota do tomador. A Nota Fiscal de Tomador de Serviços está no escopo da Lei n° 15.406, de julho de 2011, que trouxe uma série de modificações na legislação fiscal da Capital paulista.

Cade acusa lerdeza em ação da Anatel

D

epois de acusar o Banco Central (BC) de ser inativo, na semana passada, o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) mira agora sua artilharia para outra área do governo: a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel). De acordo com o órgão antitruste, a Anatel é lenta para fazer suas análises sobre novas operações na área e isso tem prejudicado o trabalho da autarquia. A crítica do Cade é de que, enquanto outros órgãos gastaram pouco mais de três meses, em média, para fazer suas análises prévias em 2010, a Anatel precisou utilizar-se de três anos e um mês. A demora é 12 vezes maior – uma diferença de 37 meses. A mira na Anatel, que apresenta ao conselho pareceres prévios a respeito do impacto de novos negócios para o mercado e a concorrência no setor de telecomunicações, não chega

a ser uma novidade. A agência já foi alvo de muitas reclamações de conselheiros. A diferença agora é que o discurso se transformou em números. Conforme pesquisa do Cade, a Secretaria de Acompanhamento Econômico (Seae) do Ministério da Fazenda e a Secretaria de Direito Econômico (SDE) do Ministério da Justiça gastaram 92 dias, em média, para instruírem processos e os encaminharem ao Cade no ano passado. A Anatel levou 1.159 dias no mesmo período. "Estamos cansados. Já estamos falando há algum tempo sobre isso, mas parece que não tem adiantado muito", reclamou o presidente da autarquia, Fernando Furlan. Além da demora, a avaliação do conselho é de que a análise prévia da Anatel tem sido pouco proveitosa. Mais uma vez, o órgão antitruste se apoiou em

números para embasar sua acusação. Enquanto o Cade demorou 40 dias, em média, para julgar os casos provenientes da SDE e da Seae em 2010, precisou dispensar 110 dias para avaliar os processos que chegaram da agência. "A quantidade é quase três vezes mais", comparou Furlan. "Isso porque o processo chega até dez anos após o fato e temos de buscar novas informações para ver se a realidade mudou ou porque a quantidade de diligências que precisamos fazer é maior, pois as investigações estavam incompletas." A Anatel rebateu as acusações por meio de nota, enfatizando que, em seus 14 anos de existência, a agência adquiriu ampla experiência e que o setor de telecomunicações possui especificidades que o diferenciam dos demais casos que passam pelo Sistema Brasileiro de Defesa da Concorrência (SBDC). (AE)

Telefone móvel popular em estudos

O

governo tem discutido e até mesmo feito simulações junto a operadoras móveis de telefonia para a criação do telefone móvel popular por meio de um modelo semelhante ao do chamado Acesso Individual Classe Especial (Aice). Esse modelo busca levar o telefone fixo por R$ 13 mensais à população de baixa renda. De acordo com o secretárioexecutivo do Ministério das Comunicações, Cezar Alvarez, a intenção é alcançar as camadas mais carentes da população. O serviço seria

13 reais por mês é o preço estipulado pelo governo para um futuro telefone móvel popular. O plano é discutido com operadoras. oferecido às pessoas inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais, que é uma relação mais abrangente do

que o próprio Bolsa Família. "É uma ideia que pode passar pela simplicidade do aparelho, utilização da rede da Telebrás e também existe a perspectiva de redução tarifária, mas escalonada no tempo, com metas e com prazo para acabar", afirmou Alvarez. De acordo com o secretário, o modelo de negócios do "Aice Móvel" está sendo discutido com duas grandes operadoras. "Uma delas já disse ter interesse", concluiu Alvarez, sem identificar as companhias. (AE)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

terça-feira, 6 de setembro de 2011

e Vícios (e virtudes) custam mais

Quem gasta com vícios, eventualmente vai gastar mais com saúde também. André Braz, economista da FGV

conomia

Levantamento do Ibre/FGV mostra que itens ligados a comportamentos positivos ou negativos ultrapassaram a inflação acumulada

P

rodutos e serviços ligados aos vícios e às virtudes dos brasileiros ultrapassaram a inflação acumulada dos últimos três anos, com base no Índice de Preços ao Consumidor calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência, chamado IPC-10. De acordo com pesquisa divulgada ontem pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), os produtos e serviços associados aos vícios tiveram seus preços elevados em 30,96% entre setembro de 2008 e agosto de 2011, superando em quase duas vezes a inflação acumulada no período, de 16,07%. Os preços vinculados às virtudes do consumidor também ficaram acima da inflação, com alta de 18,73%. O economista André Braz, da FGV, disse que o ponto central da pesquisa foi mostrar que alguns tipos de investimento dão retorno ao cidadão, ao passo que outros ampliam as suas despesas. "Quando você investe, por exemplo, em uma atividade que aumenta as suas chances de conseguir um bom emprego ou que melhora a sua cultura, uma parte desse gasto, embora acima da inflação, volta para você como um benefício", disse. Braz acrescentou que, quando o consumidor investe em coisas que não dão benefício e, ao contrário, implicam, eventualmente, gastos futuros maiores com saúde, por exemplo, o investimento se transforma em um mau negócio. "Porque quem gasta com vícios, eventualmente vai gastar mais com saúde também, no médio prazo, para tratar problemas provocados pelo uso de substâncias que não fazem bem ao corpo." Ele exemplificou que quem compra um livro ou entra em um curso está pagando mais em termos reais por esse tipo

de investimento, mas terá retorno mais à frente. "Quanto mais cultura se tem, maior a possibilidade de arrumar um emprego que compense o investimento", disse. Já quem gasta com coisas que não fazem bem à saúde, como bebidas alcoólicas, por exemplo, não terá retorno desse gasto. "A pesquisa visa a chamar a atenção e reforçar a questão das escolhas. Todo mundo é livre para empregar o dinheiro onde quiser mas, é claro, tem como investir e gastar esse dinheiro a ponto de ele trazer algum retorno positivo para a vida", ponderou o economista da FGV. A pesquisa mostra que fumo, bebidas alcoólicas e loterias, incluídos entre os vícios habituais dos brasileiros, subiram nos últimos três anos 40,19%; 19,53% e 15,49%, respectivamente. Entre os produtos e serviços ligados às virtudes, os vilões foram as academias de ginástica, com aumento de 24,75%. As escolas e cursos complementares mostraram reajuste de 20,84%, enquanto cinema, teatro e shows subiram 17,75%. Livros, jornais e revistas tiveram variação positiva de 10,77%. (ABr)

Sobe custo de vida

O

Índice do Custo de Vida (ICV) no município de São Paulo aumentou 0,39% em agosto, o que mostra uma desaceleração em relação a julho, quando a variação foi de 0,44%. De acordo com o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), que divulgou ontem o índice, o ICV foi pressionado principalmente pelos preços dos alimentos, que registraram alta média de 1,17%. O ICV acumula inflação de 7,29% nos últimos 12 meses. Em 2011, a variação já chega a 3,98%. O grupo alimentação contribuiu com 0,33 ponto percentual no índice de agosto, com alta de 1,95% para os produtos in natura e semielaborados; 0,65% para os produtos da indústria alimentícia e 0,42% para alimentação fora do domicílio. Entre os alimentos pesquisados, frutas apresentaram alta de 6,16%. Os grupos transportes (0,21%) e despesas pessoais (0,55%) também apresentaram variações expressivas no mês para a composição do ICV. (AE)

Pão de Açúcar conclui conversão de lojas

O

Grupo Pão de Açúcar encerrou o processo de conversão das lojas CompreBem e Sendas para as bandeiras Extra ou Pão de Açúcar, localizadas em São Paulo e no Rio de Janeiro. Os investimentos na conversão e modernização de 221 lojas, que levaram 18 meses, somaram cerca de R$ 230 milhões. No ramo alimentício, a companhia continuará atuando ainda com a bandeira atacadista Assaí, além do Extra e Pão de Açúcar. A marca Extra, sobretudo sob o formato de vizinhança Extra Supermercado, teve destaque no programa de

15 por cento foi o quanto aumentaram as vendas após a conversão para a bandeira Extra conversões. O Extra Supermercado passa a ter, a partir de agora, 204 lojas. Destas, 188 foram resultantes do processo de conversão de CompreBem e

Sendas. Essas lojas estão localizadas nos Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco e Ceará. Segundo a empresa, após a conversão para Extra Supermercados, as lojas passaram a registrar vendas 15% superiores às observados com as bandeiras antigas. Com as transformações, as novas lojas passaram a oferecer área de venda nas seções de frutas, verduras e legumes até 20% superiores. Outra seção que foi ampliada nas transformações para Extra Supermercados foi de perecíveis – especialmente para produtos congelados, itens frescos e carnes.

As transformações consideraram as novas necessidades apresentadas pelo consumo do brasileiro, e foram elaboradas a partir de estudos socioeconômicos e comportamentais de cada microrregião em que as lojas CompreBem e Sendas atuavam anteriormente, destacou a companhia em comunicado à imprensa. Além da marca Extra, 11 lojas CompreBem e Sendas foram convertidas para o formato Pão de Açúcar e duas para Assaí. Já no formato hipermercado, foram 20 unidades que migraram de CompreBem e Sendas para Extra Hipermercados.

Com Visa, turista gasta US$ 4,8 bilhões.

O

s gastos de brasileiros no exterior pagos com cartões Visa, em todas as modalidades (débito, crédito e pré-pago), cresceram 58% no ano passado em comparação com o total de 2009, estimulados pela valorização do real sobre o dólar. O total gasto pelos turistas passou de US$ 3,1 bilhões em 2009 para US$ 4,8 bilhões em 2010. Os dados são do relatório "Perspectivas do Turismo: Brasil", da Visa, e mostram que o País contribuiu significativamente para a economia do turismo mundial. "Isso denota a confiança do brasileiro na estabilidade econômica do País", informa a Visa em comunicado.

Já o gasto dos estrangeiros que visitaram o Brasil em 2010 foi apenas 12% maior que o volume de 2009, conforme a VisaVue Travel Data. O montante total passou de US$ 1,8 bilhão em 2009 para US$ 2,1 bilhões no ano passado. Visitantes – De acordo com o relatório da Visa, dos 25 países que mais enviaram visitantes ao Brasil em 2010, somente três não elevaram seus gastos no mercado local. Os sul-coreanos (alta de 102%) lideraram o ranking dos turistas que mais gastaram no Brasil, seguidos pelos angolanos (94%) e chineses (51%). Na análise por destino escolhido pelos brasileiros, o

Consultoria Empresarial

www.gesconconsultoria.com.br Especializada em empresas multinacionais e com relatório em língua estrangeira. • CONTABILIDADE ON-LINE • TERCEIRIZAÇÃO COMPLETA • CONSULTORIA TRIBUTÁRIA • ADMINISTRAÇÃO DE RISCO

(Tributário e Trabalhista)

• ABERTURA DE EMPRESA UNIDADE PINHEIROS

Av. Pedroso de Moraes, 318 - conj. 4 - Pinheiros Tel/Fax: 11 3938-9374 - e-mail: mkt@gesconconsultoria.com.br

destaque foi para a África do Sul, onde foi realizada a Copa do Mundo de 2010. Os portadores do cartão Visa gastaram 112% a mais com turismo naquele país no ano passado, quando viajaram para acompanhar o campeonato de futebol. Os Estados Unidos continuam como destino internacional principal dos brasileiros. Copa – Segundo Rubén Osta, diretor-geral da Visa do Brasil, é importante que o País entenda os fatores que influenciam os gastos dos visitantes já que será o anfitrião da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, marcados para o Rio. "O País tem de aprender

com a experiência de outros países-sede como se preparar e gerenciar adequadamente o aumento no fluxo de turistas nas cidades, no faturamento e nos trabalhos de infraestrutura que estão por vir", disse Osta. (AE)

C ORREÇÃO Na reportagem "Bancos: crédito para o Natal", publicada na edição do dia 1 de setembro no Diário do Comércio, o banco Santander informou que sua taxa mínima de juros era de 2,57% ao mês. Mas corrigiu ontem a informação: a taxa mínima aplicada pelo banco é de 1,7% ao mês.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 6 de setembro de 2011

ECONOMIA/LEGAIS - 15

e Indústria demite e paralisa produção As razões para estrear no Brasil incluem o expressivo crescimento econômico. Reed Hastings, fundador da Netflix

conomia

Com alta no volume de estoques, empresas começam a dar folga remunerada aos empregados. Medidas provocam efeito cascata que atinge fornecedores.

A

Netflix no Brasil a R$14,99

A

gigante americana Netflix iniciou ontem no Brasil o serviço de assinatura mensal de vídeos on-line por R$ 14,99. O serviço permitirá aos usuários assistirem aos filmes pela internet e também por equipamentos conectados, como consoles de videogame e TVs. Entre os conteúdos licenciados estão séries de estúdios como Paramount, Sony e ABC. Para divulgar a marca, a Netflix oferecerá um mês de assinatura gratuita. A empresa fechou a licença da série "Polícia 24 Horas" com a TV Bandeirantes. Amanhã, a Netflix estreia na Argentina, Paraguai e Uruguai. "As razões para estrear no Brasil incluem o expressivo crescimento econômico e a paixão por vídeos", disse Reed Hastings, fundador da companhia. (Folhapress)

Rodrigo Paiva/Folhapress

desaceleração no consumo e o aum e n t o d o s e s t oques já provocam demissões em vários setores da indústria. Ontem, a LG Electronics cortou 200 trabalhadores da sua fábrica de celulares e monitores de Taubaté (SP). Além disso, a empresa mantém 800 funcionários em licença remunerada até esta sexta-feira. A interrupção na produção fez duas empresas que fornecem componentes para celulares anunciarem cortes de 40% no quadro de pessoal. De acordo com o diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São José dos Campos e Região, Edmir Marcolino da Silva, a Blue Tech, que emprega 200 trabalhadores e a Sun Tech, com 270, estão planejando demitir, depois de terem dado férias coletivas aos funcionários. Já as montadoras tentam reduzir a produção de veículos, aproveitando o feriado de amanhã para suspender o trabalho nesta semana e ajustar os estoques à demanda menor. A Ford e a Volkswagen vão conceder folgas coletivas nas fábricas em Taubaté, no interior de São Paulo, a partir desta semana. Segundo o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté e Região, cerca de 4,6 mil dos 5,6 mil funcionários da Volkswagen não trabalharão até sextafeira. A montadora também vai paralisar a produção nesta semana na fábrica em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba. Na unidade da Volks do ABC paulista cerca de 10 mil trabalhadores vão emendar o feriado de 7 de setembro até sexta-feira. Na Scania de São Bernardo do Campo, 2,8 mil trabalhadores estão de folga desde ontem e retornam na quinta-feira. Na Ford, de acordo com a assessoria de imprensa, as paradas na produção em Taubaté serão de aproximadamente duas semanas para 1,3 mil dos 1,6 mil empregados. Já os 300 funcionários da GM em São José dos Campos (SP), que tiveram férias coletivas por duas semanas, voltaram

Na Ford, a unidade de Taubaté terá sua produção interrompida, assim como em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

ao trabalho ontem. No período, a empresa deixou de produzir 1,5 mil veículos. Na unidade de Gravataí (RS), a montadora suspendeu dois sábados de produção em agosto e um em setembro. Com isso, a empresa deixou de fabricar 2,3 mil veículos. Em julho havia cerca de 6,8 mil unidades no pátio da empresa, enquanto o número normal é de 3,5 mil a 4 mil. Os metalúrgicos da Fiat de Betim (MG) folgam três dias nesta semana e voltam só na quinta-feira. A montadora nega que a parada temporária seja reflexo da desaceleração nas vendas, mas admite que a chamada "ponte" ajuda a promover ajuste nos estoques, hoje na casa de 22 mil veículos. Cascata – A freada no ritmo das fábricas já tem impacto nas produtoras de autopeças, que anunciaram férias coletivas. A Autometal, por exemplo, que fabrica componentes para freio em Taubaté (SP), progra-

EDITAL DE NOTIFICAÇÃO DE MASSAIUKI KUMANO e SHIRLEY YURLE MIZUKAWA KUMANO Nos termos do artigo 7º do Regulamento de Arbitragem da CÂMARA DE MEDIAÇÃO E ARBITRAGEM DO PARANÁ – CMA/PR, cuja cópia está a disposição nesta Instituição, tem a presente a finalidade de notificar Massaiuki Kumano, brasileiro, casado, do comércio. CI-RG 10.429.710 SSP/SP, CPF.: 906.404.468.68 e Shirley Yurle Mizukawa Kumano, brasileira, casada, do lar, CI-RG 9.500.263 SSP/ PR, CPF.: 034.774.708-69, acerca do protocolo de Solicitação de Instauração de Arbitragem nº 115/2011 referente ao contrato de locação de imóvel residencial celebrado com Sílvio José Gazda. Assim, nos termos do referido regulamento, fica V. Sª. notificado(a) acerca da escolha do árbitro que conduzirá e julgará a referida demanda arbitral, cujo nome poderá ser verificado na CMA-PR. Fica V. Sª. citado(a) a comparecer na sede da CMA/PR, localizada na Al. Prudente de Moraes, 291, Curitiba/PR, no dia 26/ 09/2011, às 10:30 horas, ocasião na qual será realizada a 1ª Audiência. Em caso de não comparecimento, no dia e hora marcados, fica V. Sª. citado(a) a apresentar sua defesa quanto aos pedidos e demais alegações apresentadas pelo(s) demandante(s), com a indicação das provas que pretende produzir, até o dia 06/10/2011, conforme artigo 10 do Regulamento de Arbitragem da CMA-PR. Ressaltamos que serão sempre respeitados os princípios do contraditório, da igualdade das partes e da ampla defesa. Entretanto, informamos que a sua revelia não impedirá que seja proferida Sentença Arbitral. Esclarecemos, ainda, que as partes poderão postular por advogado, respeitada sempre a faculdade de designar quem as represente, mediante Procuração, ou assista no Procedimento Arbitral. Curitiba, 05 de setembro de 2011. Ligia Terezinha Bubniak Supervisora da CMA-Pr

Alfa Seguradora S.A. CNPJ/MF nº 02.713.529/0001-88 e NIRE 35 3 0015730 3 Ata da Assembleia Geral Extraordinária Realizada em 21 de Julho de 2011 Data: 21 de julho de 2011. Horário: 10:00 horas. Local: Sede Social, Alameda Santos, 466, 7º andar, São Paulo - SP. Presença: Acionistas representando a totalidade do capital social. Mesa: Carlos dos Santos - Presidente. Christophe Yvan François Cadier Secretário. Ordem do Dia: Alteração do objeto social da Sociedade. Deliberação Tomada por Votação Unânime: Aprovar a alteração do objeto social da Sociedade, com base na autorização prévia da Superintendência de Seguros Privados - SUSEP, concedida por meio da Carta nº 087/2011/SUSEP-SEGER, datada de 07.07.2011 e, em consequência, alterar o Artigo 4º do Estatuto Social, passando referido artigo a vigorar com a seguinte redação: “Art. 4º - A Sociedade tem por objeto a exploração de seguros de danos, tais como definidos na legislação em vigor.” Nada mais havendo a tratar, o Senhor Presidente encerrou os trabalhos desta Assembleia Geral, lavrando-se em livro próprio a presente Ata que, lida e achada conforme, foi aprovada por todos os presentes, que a subscreveram. São Paulo, 21 de julho de 2011. Assinaturas: Carlos dos Santos - Presidente da Mesa. Christophe Yvan François Cadier - Secretário da Mesa. Acionistas: Corumbal Participações e Administração Ltda. a.a.) Paulo Guilherme M. L. Ribeiro. Flávio Márcio Passos Barreto. Administradora Fortaleza Ltda. a.) Aloysio de Andrade Faria. Alfa Holdings S.A. a.a.) Paulo Guilherme M. L. Ribeiro. Christophe Yvan François Cadier. Consórcio Alfa de Administração S.A. a.a.) Paulo Guilherme M. L. Ribeiro. Ricardo Ananias de Oliveira. Declaração: Declaramos, para os devidos fins, que a presente é cópia fiel da ata original lavrada no livro próprio, e que são autênticas as assinaturas nele apostas. Alfa Seguradora S.A. Carlos dos Santos - Diretor. Celso Luiz Dobarrio de Paiva - Diretor. Certidão: Junta Comercial do Estado de São Paulo. Certifico o registro sob o nº 351.760-8, em 31.08.2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

Fischer S/A - Comércio, Indústria e Agricultura CNPJ nº 33.010.786/0001-87 - NIRE nº 35.300.040.724 Ata da Reunião do Conselho de Administração Realizada em 03/08/2011 Dia, Hora e Local: 03/08/2011, às 10:00 hs, na R: João Pessoa, 305, na cidade de Matão-SP. Presença: Presente a totalidade dos membros deste Conselho de Administração. Mesa Dirigente: Maria do Rosário Fischer - Presidenta e Sérgio Adriano Gomes Machado - Secretário. Deliberações Tomadas, por Unanimidade dos Votos dos Conselheiros e sem Reservas: Nos termos do art. 14 do Estatuto Social desta Sociedade: (i) autorizar a constituição de penhor de 40.000 toneladas de suco de laranja concentrado de propriedade desta Sociedade em favor do Banco Itaú BBA S.A., correspondente a uma Cédula Rural Pignoratícia a ser firmada por esta Sociedade; e (ii) em consequência, ficam os membros da diretoria autorizados a promover todos os atos necessários p/a efetivação da deliberação ora aprovada. Encerramento: Nada mais havendo a tratar e como nenhum dos membros do Conselho de Administração houvesse desejado fazer qualquer pronunciamento, foi lavrada a presente Ata, que lida e achada conforme, foi assinada por todos os presentes. (aa) Maria do Rosário Fischer - Presidenta e Sérgio Adriano Gomes Machado - Secretário; Maria do Rosário Fischer; Bianca Helena Fischer de Moraes; Ana Luisa Fischer Marcondes Ferraz; Alessandra Fischer de Souza Santos; e Renata Fischer Fernandes. Certificamos que a presente Ata é cópia fiel da original lavrada no livro competente. Matão (SP), 03/08/2011. Maria do Rosário Fischer - Presidenta; Sérgio Adriano Gomes Machado - Secretário. JUCESP nº 342.703/11-0 em 30/08/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

Quer falar com 26.000 empresários de uma só vez? Anuncie no jornal que tem o menor preço, pelo mesmo espaço. PUBLICIDADE Fone: 11 3244-3852 Fax: 11 3244-3894

O Jornal do Empreendedor

mou férias coletivas para 420 trabalhadores entre 12 de setembro e 11 de outubro, informa o Sindicato dos Metalúrgicos de Taubaté. Em São José dos Campos (SP), Trelleborg, fabricante de autopeças deu férias coletivas entre 1 e 10 de setembro, informa o sindicato local de metalúrgicos Baixa – O financiamento de veículos está crescendo a taxas menores e com inadimplência maior, segundo dados divulgados pela Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef). O segmento fechou julho com saldo total de R$ 196,2 bilhões, crescimento de 14,6% na comparação com julho de 2010, abaixo da taxa de expansão do ano passado ante 2009, que foi de 18,1%. Em julho ante o mês anterior, a alta foi de 0,7%, abaixo de junho ante maio, de 1% A Anef atribui a redução do ritmo de crescimento das vendas ao impacto das medidas de

contenção do consumo adotadas pelo governo. Para 2011, a estimativa é de que a carteira de financiamento tenha um desempenho menor, com um aumento de 10%. A alta da taxa básica de juros, a Selic, para conter a inflação contribuiu para aumentar a inadimplência. Nesse cenário, alguns bancos resolveram colocar o pé no freio. O Itaú Unibanco, por exemplo, ficou mais conservador e reduziu o ritmo de aprovações nos últimos meses. No ano passado, cerca de 60% a 70% das propostas de crédito para financiar veículos que o banco recebia eram aprovadas. Neste ano, esse percentual caiu para 35% a 40%. A instituição espera que a carteira de veículos cresça entre 5% e 10% em 2011. No segmento de financiamento a veículos, o Crédito Direto ao Consumidor (CDC) segue na preferência do comprador e registrou aumento de 37% em julho ante igual mês de

2010. Por outro o lado, o leasing continua perdendo espaço e o saldo recuou 34,1% no mesmo período. No mês de julho, o saldo de crédito para aquisição de veículos respondeu por 5% do Produto Interno Bruto (PIB) e 10,6% do total do crédito do Sistema Financeiro Nacional. Do montante de empréstimos a pessoa física, a linha representa 32,4%. Inadimplência – O número de falta de pagamentos em dia apresentados neste segundo semestre segue em crescimento, diferente da expectativa da Anef. O saldo de inadimplentes no CDC de veículos para pessoa física, com atrasos acima de 90 dias, passou de 3,8% em junho para 4% no mês seguinte. Em julho de 2010, era de 3,4%. Com relação ao prazo médio do crédito, nos novos contratos, os planos de financiamento fecharam com a média de 43 meses. (AE)

Aluguel tem alta de 6%

O

valor médio dos aluguéis residenciais novos na cidade de São Paulo subiu 6%, para R$ 1,7 mil em média, no segundo trimestre ante o primeiro, de acordo com levantamento realizado pela Lello Imóveis. O volume de novos contratos cresceu na mesma proporção no período. A maior busca é por imóveis menores, próximos a estações de metrô e a oferta de serviços, como escolas. O modelo de garantia mais reco r re n te fo i o d e f i a d o r (55%), seguido por segurofiança (37%) e caução (6%). Segundo o estudo, do total de contratos de abril a julho, 71% foram fechados menos de cinco semanas após o imóvel estar disponível para locação. (Agências)

Fischer S/A - Comércio, Indústria e Agricultura

Fischer S/A - Agroindústria

CNPJ nº 33.010.786/0001-87 - NIRE nº 35.300.040.724 Ata da Assembléia Geral Extraordinária Realizada em 01/08/2011 Dia, hora e local: 01/08/2011, às 08:00 hs, na R: João Pessoa, 305, na cidade de Matão-SP. Convocação e Presença: Convocação dispensada nos termos do § 4º do art. 124 da Lei nº 6.404/76, em face da presença da totalidade dos acionistas da Cia., conf. se verifica pelas assinaturas no “Livro de Presença de Acionistas”. Mesa: Presidenta: Maria do Rosário Fischer; Secretário: Julio Alvarez Boada. Ordem do Dia: Eleição dos membros do Conselho de Administração. Deliberações Tomadas, por unanimidade dos votos e sem reservas: (i) - Eleger p/o Conselho de Administração, com mandato por 2 anos, os seguintes membros: Maria do Rosário Fischer, brasileira, viúva, empresária, portadora da Carteira de Identidade do IFP/RJ nº 2.493.154 e do CPF nº 023.417.617-20, - Presidenta do Conselho de Administração; Bianca Helena Fischer de Moraes, brasileira, casada, empresária, portadora da Carteira de Identidade do IFP/RJ nº 07.470.471-9 e do CPF nº 928.171.817-00, - Conselheira; Ana Luisa Fischer Marcondes Ferraz, brasileira, casada, empresária, portadora da Carteira de Identidade IFP/RJ nº 08.179.683-1 e do CPF nº 011.060.107-60, - Conselheira; Alessandra Fischer de Souza Santos, brasileira, casada, empresária, portadora da Carteira de Identidade do IFP/RJ nº 09.112.764-7 e do CPF nº 014.145.057-60, Conselheira; e Renata Fischer Fernandes, brasileira, casada, empresária, portadora da Carteira de Identidade do SSP/RJ (Detran) nº 11.131.165-0 e do CPF nº 085.760.577-19, - Conselheira. (i.i) - As Conselheiras eleitas tomarão posse de seus cargos nesta data. Firmarão o termo de posse no “Livro de Atas de Reunião do Conselho de Administração”. (ii) - Aprovar a remuneração global mensal do Conselho de Administração, no valor total de R$ 165.218,65, e a remuneração global mensal da Diretoria, no valor total de R$ 220.887,45. Declarações: Os membros do Conselho de Administração eleitos nesta Assembléia declaram, sob as penas da Lei, que não estão sendo processados e nem foram condenados por crimes que impeçam o exercício de atividades mercantis. Encerramento: E, nada mais havendo a tratar, foram encerrados os trabalhos, dos quais se lavrou, a presente ata que, lida e achada conforme, vai assinada pelos presentes. (aa) Presidenta: Maria do Rosário Fischer; Secretário: Julio Alvarez Boada. Acionistas presentes e Conselheiras eleitas: (aa) Citrosuco International N.V., neste ato representada por seus diretores Tales Lemos Cubero e José Lopes Celidônio; Maria do Rosário Fischer; Bianca Helena Fischer de Moraes; Ana Luisa Fischer Marcondes Ferraz; Alessandra Fischer de Souza Santos; e Renata Fischer Fernandes. Certificamos que a presente Ata é cópia fiel da original lavrada no livro competente. Matão (SP), 01/08/2011. Maria do Rosário Fischer Presidenta, Julio Alvarez Boada - Secretário. JUCESP nº 342.701/11-3 em 30/08/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

CNPJ nº 52.311.529/0001-20 - NIRE nº 35.300.021.703 Ata da Assembléia Geral Extraordinária Realizada em 01/08/2011 Dia, hora e local: 01/08/2011, às 10:00 hs, na sede social, na R: João Pessoa, 305, na cidade de Matão (SP). Presença: Acionistas representando a totalidade do capital social, conf. se verifica pelas assinaturas no “Livro de Presença de Acionistas”. Convocação: Dispensada a publicação do Edital, face ao disposto no § 4º do Art. 124 da Lei nº 6.404/76. Mesa Dirigente: Maria do Rosário Fischer Presidenta e Julio Alvarez Boada - Secretário. Ordem do Dia: Eleição do Conselho de Administração. Deliberações Tomadas, por unanimidade dos votos e s/reservas: (i) Eleger p/ o Conselho de Administração, com mandato por 2 anos, os seguintes membros: Maria do Rosário Fischer, brasileira, viúva, empresária, portadora da Carteira de Identidade do IFP/RJ nº 2.493.154 e do CPF nº 023.417.617-20 - Conselheira; Bianca Helena Fischer de Moraes, brasileira, casada, empresária, portadora da Carteira de Identidade do IFP/RJ nº 07.470.471-9 e do CPF nº 928.171.817-00 - Conselheira; Ana Luisa Fischer Marcondes Ferraz, brasileira, casada, empresária, portadora da Carteira de Identidade IFP/RJ nº 08.179.683-1 e do CPF nº 011.060.107-60 - Conselheira; Alessandra Fischer de Souza Santos, brasileira, casada, empresária, portadora da Carteira de Identidade do IFP/RJ nº 09.112.764-7 e do CPF nº 014.145.057-60 - Conselheira; e Renata Fischer Fernandes, brasileira, casada, empresária, portadora da Carteira de Identidade do SSP/RJ (Detran) nº 11.131.165-0 e do CPF nº 085.760.577-19 - Conselheira. (i.i) As Conselheiras eleitas tomarão posse de seus cargos nesta data. Firmarão o termo de posse no “Livro de Atas de Reunião do Conselho de Administração”. (i.ii) Os membros do Conselho de Administração e da Diretoria não serão remunerados, uma vez que o exercício dessas funções se compreende nas atribuições dos cargos que exercem nas empresas do mesmo grupo econômico desta Sociedade. Declarações: Os membros do Conselho de Administração eleitos nesta Assembléia declaram, sob as penas da Lei, que não estão sendo processados e nem foram condenados por crimes que impeçam o exercício de atividades mercantis. Encerramento: E, nada mais havendo a tratar, foram encerrados os trabalhos, dos quais se lavrou, a presente ata que, lida e achada conforme, vai assinada pelos presentes: (aa) Maria do Rosário Fischer Presidenta e Julio Alvarez Boada - Secretário. Acionistas presentes e Conselheiras eleitas: Fischer S/A - Comércio, Indústria e Agricultura, por seus diretores Tales Lemos Cubero e José Lopes Celidônio; Maria do Rosário Fischer; Bianca Helena Fischer de Moraes; Ana Luisa Fischer Marcondes Ferraz; Alessandra Fischer de Souza Santos; e Renata Fischer Fernandes. Certificamos que a presente Ata é cópia fiel da original lavrada no livro competente. Matão (SP), 01/08/2011. Maria do Rosário Fischer - Presidenta; Julio Alvarez Boada - Secretário. JUCESP nº 342.698/11-4 em 30/08/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

Fischer S/A - Comércio, Indústria e Agricultura

Fischer S/A - Agroindústria

CNPJ nº 33.010.786/0001-87 - NIRE nº 35.300.040.724 Ata da Reunião do Conselho de Administração Realizada em 01/08/2011 Dia, hora e local: 01/08/2011, às 09:00 hs., na R. João Pessoa, 305, na cidade de Matão-SP. Presença: Presente a totalidade dos membros deste Conselho de Administração. Mesa Dirigente: Maria do Rosário Fischer - Presidenta e Julio Alvarez Boada - Secretário. Deliberações tomadas, por unanimidade dos votos dos Conselheiros e s/reservas: Nos termos do Art. 14 do Estatuto Social, eleger p/a Diretoria, c/mandato por 2 anos, os seguintes membros: Tales Lemos Cubero, brasileiro, casado, industriário, portador da carteira de identidade RG nº 4.161.907 SSP/SP e CPF nº 193.666.208-68 - Diretor-Presidente; José Lopes Celidônio, brasileiro, casado, industriário, portador da Carteira de Identidade RG nº 6.333.432 SSP/SP e CPF nº 762.458.618-53, Diretor; e Ronaldo Marfori Sampaio, brasileiro, solteiro, economista, portador da carteira de identidade RG nº 17.319.799 SSP/SP, inscrito no CPF sob o nº 051.089.528-05 - Diretor. Os Diretores eleitos tomarão posse de seus cargos nesta data. Firmarão o termo de posse no “Livro de Atas de Reunião da Diretoria”. Declarações: Os Diretores eleitos nesta Reunião declaram, sob as penas da Lei, que não estão sendo processados e nem foram condenados por crimes que impeçam o exercício de atividades mercantis. Encerramento: Nada mais havendo a tratar e como nenhum dos membros do Conselho de Administração houvesse desejado fazer qualquer pronunciamento, foi lavrada a presente Ata, que lida e achada conforme, foi assinada por todos os presentes. (aa) Maria do Rosário Fischer - Presidenta e Julio Alvarez Boada - Secretário; Maria do Rosário Fischer; Bianca Helena Fischer de Moraes; Ana Luisa Fischer Marcondes Ferraz; Alessandra Fischer de Souza Santos; e Renata Fischer Fernandes. Diretores eleitos: Tales Lemos Cubero; José Lopes Celidônio; e Ronaldo Marfori Sampaio. Certificamos que a presente Ata é cópia fiel da original lavrada no livro competente. Matão (SP), 01/08/2011. Maria do Rosário Fischer - Presidenta; Julio Alvarez Boada - Secretário. JUCESP nº 342.702/11-7 em 30/08/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

CNPJ nº 52.311.529/0001-20 - NIRE nº 35.300.021.703 Ata da Reunião do Conselho de Administração Realizada em 01/08/2011 Dia, hora e local: 01/08/2011, às 11:00 hs, na sede social, na R: João Pessoa, 305, na cidade de Matão (SP). Presença: Presente a totalidade dos membros deste Conselho de Administração. Mesa Dirigente: Maria do Rosário Fischer - Presidenta e Julio Alvarez Boada - Secretário. Deliberações Tomadas, por unanimidade dos votos dos Conselheiros e s/reservas: (i) - Nos termos do Art. 15 do Estatuto Social desta Sociedade, a Sra. Maria do Rosário Fischer foi eleita p/ocupar o cargo de Presidenta do Conselho de Administração; (ii) - Nos termos do Art. 18 do Estatuto Social desta Sociedade, eleger p/a Diretoria, com mandato por 2 anos, os seguintes membros: Tales Lemos Cubero, brasileiro, casado, industriário, portador da carteira de identidade RG nº 4.161.907 SSP/SP e CPF nº 193.666.208-68 Diretor Presidente; José Lopes Celidônio, brasileiro, casado, industriário, portador da Carteira de Identidade RG nº 6.333.432 SSP/SP e CPF nº 762.458.618-53 - Diretor Executivo; e Ronaldo Marfori Sampaio, brasileiro, solteiro, economista, portador da carteira de identidade RG nº 17.319.799 SSP/SP, inscrito no CPF sob o nº 051.089.528-05 - Diretor Executivo. (ii.i) - Os Diretores eleitos tomarão posse de seus cargos nesta data. Firmarão o termo de posse no “Livro de Atas de Reunião da Diretoria”. Declarações: Os Diretores eleitos nesta Reunião declaram, sob as penas da Lei, que não estão sendo processados e nem foram condenados por crimes que impeçam o exercício de atividades mercantis. Encerramento: Nada mais havendo a tratar e como nenhum dos membros do Conselho de Administração houvesse desejado fazer qualquer pronunciamento, foi lavrada a presente Ata, que lida e achada conforme, foi assinada por todos os presentes. (aa) Maria do Rosário Fischer - Presidenta e Julio Alvarez Boada - Secretário; Maria do Rosário Fischer; Bianca Helena Fischer de Moraes; Ana Luisa Fischer Marcondes Ferraz; Alessandra Fischer de Souza Santos; e Renata Fischer Fernandes. Diretores eleitos: Tales Lemos Cubero; José Lopes Celidônio; e Ronaldo Marfori Sampaio. Certificamos que a presente Ata é cópia fiel da original lavrada no livro competente. Matão (SP), 01/08/2011. Maria do Rosário Fischer - Presidenta; Julio Alvarez Boada - Secretário. JUCESP nº 342.697/11-0 em 30/08/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

COMPANHIA METALÚRGICA PRADA

CNPJ nº 56.993.900/0001-31 Convocação Convocamos os Senhores Acionistas da Companhia Metalúrgica Prada (“Companhia”) a se reunirem em Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária, que deverá se realizar às 10:00 horas do dia 15 de setembro de 2011, na sede social, à Rua Engenheiro Francisco Pita Brito, 138, a fim de deliberarem sobre a seguinte ordem do dia (i) Em AGO: deliberação sobre os assuntos referidos no art. 132 da Lei nº 6.404/76 e (ii) Em AGE: aumento do capital social. São Paulo, 06 de setembro de 2011 Benjamin Steinbruch Presidente do Conselho de Administração

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 05 de setembro de 2011, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Requerente: Banco Fibra S/A. Requerido: R.M. Comunicação e Informática Ltda. Rua Santo Antonio, 182 - Conjunto 173 – Bela Vista - 1ª Vara de Falências. Requerente: Film Trading Importação e Representação Ltda. Requerido: 3A Serviços Gráficos Especiais Ltda. EPP. Rua João Antonio de Oliveira, 687/693 - Mooca - 2ª Vara de Falências. Recuperação Judicial Requerente: DNRA Brasil Agência de Modelo e Fotografia Ltda - Daphne. Requerido: DNRA Brasil Agência de Modelo e Fotografia Ltda - Daphne. Rua Ribeirão Claro, 59 – Vila Olímpia - 1ª Vara de Falências.

Fischer S/A - Comércio, Indústria e Agricultura CNPJ nº 33.010.786/0001-87 - NIRE nº 35.300.040.724 Ata da Reunião do Conselho de Administração Realizada em 29/07/2011 Dia, Hora e Local: 29/07/2011, às 15:00 hs, na sede social, na R: João Pessoa, 305, na cidade de Matão (SP). Presença: Presente a totalidade dos membros deste Conselho de Administração. Mesa Dirigente: Maria do Rosário Fischer - Presidenta e Julio Alvarez Boada - Secretário. Deliberações Tomadas, por Unanimidade dos Votos dos Conselheiros e s/Reservas: Autorizar os diretores Srs. Tales Lemos Cubero e José Lopes Celidônio, a representarem esta Sociedade na AGE da Fischer S.A. - Agroindústria e da Citrosuco Serviços Portuários S.A. a serem realizadas no mês de 08/2011, a fim de deliberar e aprovar a eleição do Conselho de Administração a ser composto pelas Sras. Maria do Rosário Fischer; Bianca Helena Fischer de Moraes; Ana Luisa Fischer Marcondes Ferraz; Alessandra Fischer de Souza Santos; e Renata Fischer Fernandes. Encerramento: Nada mais havendo a tratar e como nenhum dos membros do Conselho de Administração houvesse desejado fazer qualquer pronunciamento, foi lavrada a presente Ata, que lida e achada conforme, foi assinada por todos os presentes. (aa) Maria do Rosário Fischer - Presidenta e Julio Alvarez Boada - Secretário; Maria do Rosário Fischer; Bianca Helena Fischer de Moraes; Ana Luisa Fischer Marcondes Ferraz; Alessandra Fischer de Souza Santos; e Renata Fischer Fernandes. Certificamos que a presente Ata é cópia fiel da original lavrada no livro competente. Matão (SP), 29/07/2011. Maria do Rosário Fischer Presidenta; Julio Alvarez Boada - Secretário. JUCESP nº 342.700/11-0 em 30/08/2011. Kátia Regina Bueno de Godoy - Secretária Geral.

SEAC-SP Sindicato das Empresas de Asseio e Conservação no Estado de São Paulo C.N.P.J. nº 62.812.524/0001-34 Assembléia Geral Extraordinária - Edital de Convocação Pelo presente edital, ficam os associados quites e em pleno gozo de seus direitos sindicais, convocados para a Assembléia Geral Extraordinária, a realizar-se em 1ª Convocação no dia 13 de setembro de 2011, na sede social do SEAC-SP, situada à Av. República do Líbano, 1.204 Jd. Paulista-SP, em 1ª convocação às 16:30 (dezesseis e trinta horas) e não havendo quorum em 2ª Convocação às 17:00 (dezessete horas), para discutirem, deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: a) Negociações Coletiva de Trabalho 2012 para base territorial no Estado de São Paulo, exceto os da base territorial de Ribeirão Preto e ABCMRP; b) Assuntos Gerais. São Paulo, 05 de setembro de 2011. Rui Monteiro Marques - Presidente


DIÁRIO DO COMÉRCIO

16

e

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Não haverá economia verde sem agricultura verde. Alexander Muller, assistente do diretor-geral da FAO

conomia

Itália poderá ter nota de risco rebaixada Stefano Rellandini/Reuters

Mercado já antecipa possível rebaixamento da classificação de risco da Itália, enquanto o país corre para aprovar cortes de gastos. O Senado italiano começa hoje a debater pacote de austeridade.

O

s temores com rela- bém apresentaram desvação ao rebaixamen- lorização os indicadores das to da nota de risco da bolsas de Madri (4,69%) e Itália pelas agências classifi- Lisboa (2,82%). Em razão do feriado do cadoras, as incertezas com relação à crise da dívida na Dia do Trabalho, a bolsa de Europa e o fraco desempe- Nova York não teve pregão nho da economia nor te- nesta segunda-feira. Ásia – A tendência de queamericana fizeram com que as bolsas europeias despen- da verificada na Europa já hacassem nesta segunda-feira. via sido antecipada no início O índice FTSEurofirst 300 fe- do dia, quando fecharam as chou em baixa de 4,06%, en- bolsas asiáticas. O índice do quanto o indimercado jacador de banponês Nikkei cos Stoxx Eucaiu 1,86%, rope 600 caiu enquanto o 5,11%. M S C I d a r e"Não sabegião Ásia-Pamos o tamapor cento foi a cífico (com nho das acudesvalorização e xce ç ã o d o sações. Na falJapão) perdia ta de certeza, de ontem 3,08%. Os seas pessoas do índice tores de mavendem pritérias-primas m e i r o e d eFTSEurofirst 300 e de tecnolopois fazem as gia tiveram as p erguntas", disse o presidente do depar- maiores quedas do MSCI, tamento de ações interna- perdendo entre 3,5 e 4,5%. O índice de Seul desabou cionais da Legal & General, Ian King. Embora os preços 4,39%. O mercado se desvados papéis pareçam baratos, lorizou 2,95% em Hong Kong uma combinação de fatores, e 2,65% em Taiwan, ao passo incluindo a crise de dívida na que o indicador referencial zona do euro, leva investido- de Xangai apresentou perres a evitarem risco, segun- das de 1,96%. Cingapura encerrou em queda de 2,46% e do avaliou King. Em Londres, o índice FTSE Sydney recuou 2,38%. "Os investidores estran300 fechou em baixa de 3,58%, assim como o Dax, geiros devem permanecer de Frankfurt, recuou 5,28%. avessos a risco e inativos", Em Paris, o CAC-40 apresen- avaliou Mitsushige Akino, tou perdas de 4,73%, en- gestor de fundos da Ichiyoshi quanto o FTSE/Mib, de Mi- Investment Management, lão, retrocedeu 4,83%. Tam- em Tóquio. (Reuters)

4,06

Em Milão, manifestantes protestaram contra novo pacote de medidas de austeridade econômica do governo.

O

Insegurança global derruba os mercados

banco Société Générale afirmou que as principais agências de classificação de risco (Moody's, Standard & Poor's e Fitch) devem cortar a nota da Itália. Os principais motivos seriam as fracas previsões macroeconômicas e para o orçamento, e incertezas sobre a capacidade do país de conseguir financiamentos. A Moody's disse, por meio de um porta-voz, que seu rating Aa2 para a Itália continua passível de ser novamente reduzido. Ela colocou o rating Aa2 da Itália em revisão para possível rebaixamento em 17 de junho, a S&P alterou

sua perspectiva para o rating A+ para negativa em 20 de maio, e a Fitch mantém a nota AA com perspectiva estável. Pacote – O Senado da Itália começará a debater hoje o pacote de austeridade proposto pelo governo do primeiro-ministro Silvio Berlusconi, o qual prevê cortes de 45,5 bilhões de euros em 2011 e 2012 para equilibrar o orçamento e acalmar o mercado financeiro. O presidente da Itália, Giorgio Napolitano, fez um apelo ontem para que os políticos deixem de lado suas divergências e aprovem o plano de austeridade, uma vez que a Itália agora está no olho do furacão

da crise da dívida na Europa. Napolitano disse que é "urgente e indispensável" que o governo da Itália recupere a confiança dos investidores. Ele rechaçou os pedidos para que a administração de Silvio Berlusconi apresse seu cronograma para aprovar as medidas de cortes orçamentários, e afastou as críticas segundo as quais o pacote não seria suficiente para retirar o país da turbulência. As medidas foram alvo de protestos em Milão, em frente à bolsa de valores. Recessão – O presidente da Comissão Europeia (CE), José Manuel Barroso, disse ontem não achar que o bloco venha a

sofrer contração econômica, a despeito da evidência de desaceleração em algumas das economias mais fortes da região. A declaração foi dada após um fim de semana de avaliações negativas sobre as economias europeia e mundial. Tanto o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick, quanto a chefe do Fundo Monetário Internacional (FMI), Christine Lagarde, alertaram para os riscos de uma recessão mundial. Na Alemanha, a Corte Constitucional anunciará amanhã sua decisão sobre a legalidade ou não da participação do país em pacotes de ajuda a outras nações. (Agências)

FAO sugere multas para conter emissões

O

s governos devem usar multas e subsídios financeiros para desencorajar práticas agrícolas com pesada emissão de carbono, disse ontem o assistente do diretor-geral da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO), Alexander Muller, em uma conferência. Ele informou que os parlamentares precisam criar um sistema global para tornar a agricultura mais amigável ao meio ambiente, bem como mais produtiva. "Não haverá economia verde sem agricultura verde. Já há divergências entre os países desenvolvidos e os em desenvolvimento; a principal questão é estabelecer a estrutura correta." A agricultura é um dos setores que mais poluem no mundo, já respondendo por cerca de 30% das emissões de gases do efeito estufa. Fora isso, a população global deve crescer para mais de 9 bilhões até 2050 – exigindo um aumento de 70% na produção de alimentos – e, com mais pessoas consumindo produtos de agricultura intensiva como a carne, tal impacto deve aumentar. Em um novo relatório divulgado em conjunto com a Organização para a

Ognen Teofilovski/Reuters

A agricultura mundial responde por 30% das emissões de gases

Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), a FAO recomendou que os impostos poderiam ser usados para impor "o princípio de responsabilidade por meio de cobranças e regulamentos" na produção de alimentos, como é o caso de outras indústrias que emitem muito carbono. Queimada – A crise mundial dificultará as negociações para que os países que mais emitem dióxido de carbono (CO2) compensem financeiramente as nações em desenvolvimento comprometidas com a

preservação de suas florestas, disseram ontem representantes da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA). As compensações serão discutidas na 17ª Conferência das Nações Unidas sobre Mudança Climática (COP-17), que acontecerá em Durban (África do Sul) em dezembro. Mas, segundo a CNA, há poucas possibilidades de se avançar nesse tema. "Não estamos otimistas, com a crise internacional ninguém quer falar em reduzir a produção e emitir menos CO2", disse a presidente da entidade, a senadora Kátia Abreu. (EFE)

Economist visita PIBs do País

A

revista britânica Th e Economist p u b l ic o u ontem, em sua página na internet, um gráfico no qual comparou o Produto Interno Bruto (PIB) dos estados brasileiros ao resultado de outros países. E chegou à comparações interessantes – como quando emparelhou a dimensão das economias do Estado de São Paulo à da Polônia, ou

comparou o Rio Grande do Sul ao rico Catar. Os estados da região Nordeste tiveram seus PIBs comparados a países como Camboja (Sergipe), Afeganistão (Alagoas), Guatemala (Pernambuco), Jamaica (tanto Paraíba quanto Rio Grande do Norte), Letônia (Ceará), Macedônia (Piauí) e El Salvador (Maranhão).

O Rio de Janeiro foi colocado ao lado de Cingapura, e Minas Gerais, da Hungria. O site trouxe também a comparação por PIB per capita nas unidades da Federação. Apesar de criativo e demonstrar um aumento no interesse pelas diferenças regionais em um país emergente, o gráfico recebeu críticas dos internautas por apresentar dados desatualizados, de 2008.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

terça-feira, 6 de setembro de 2011

17

Entre as câmeras testadas pelo DC, a FinePix HS20 da Fujifilm mostrou-se ideal para usuários que não querem um celular para bater fotos.

nformática

Ainda é melhor que celular Quem gosta de fotografia investe em equipamentos que ofereçam mais recursos e precisão SÉRGIO VINÍCIUS

om o crescimento do mercado de smartphones e com esses aparelhos incluindo diversas funções sob suas asas – como GPSs, players de áudio e vídeo, filmadoras –, o consumo por aparelhos de fotografia para o público final tem decaído. Por conta disso, fabricantes têm se esmerado em colocar nas prateleiras máquinas fotográficas que possam fazer frente aos celulares, com equipamentos cada vez mais espertos e versáteis. Dentro desse panorama, as principais empresas do mercado se arriscam de formas diferentes com relação aos seus últimos lançamentos. A Olympus, por exemplo, aposta em um produto de baixo custo e fácil de usar (estamos falando da câmera VG 120). Já a Fujifilm, por meio da HS20, coloca nas prateleiras uma câmera robusta, com mil e uma funções e um tanto quanto cara. Por fim, a Kodak tenta engrenar com um equipamento de preço médio, muito zoom e sua tradição, com a EasyShare Max Z990. O Diário do Comércio avaliou os três modelos e gostou do que viu. Confira os testes.

C

Modelo mais cumpridor entre os avaliados, a Kodak EasyShare Max Z990 é também a que tem o preço no patamar mediano: custa R$ 1.100. Com 12 Mpixel de resolução máxima, o modelo tem zoom de 30x e grava vídeos em full HD. O equipamento pode agradar tanto a

Fotos: Divulgação

EasyShare Max Z990

usuários leigos (já que tem boa porta das funções padrão ajustadas de forma automática) como aqueles que desejam um equipamento mais personalizado. Isso porque boa parte dos recursos também podem ser acionados e acertados de forma manual. As imagens capturadas pela EasyShare são muito nítidas, com excelente resolução. De acordo com o fabricante, isso ocorre porque seu sensor é do tipo CMOSS, e não CCD. Qualquer que seja a explicação, embora tenha a menor capacidade de resolução entre as avaliadas, em imagens medianas, é a que melhor representa os objetos fotografados.

FinePix HS20 A FinePix HS20 da FUJIFILM é o modelo mais caro entre as semi profissionais avaliadas. Com preço sugerido de R$ 2,5 mil, o equipamento é também o mais certeiro para usuários que não querem um celular que também bata fotos. O equipamento tem dois pontos altamente positivos: um superzoom de 30x e um sensor que garante imagens de excelente qualidade, independentemente da qualidade da iluminação do local. A FinePix HS20 tem resolução de 16 Mpixels, tela de LCD de 3 polegadas (e 460 mil pixels) e tem suporte a 11 fotos por segundo em alta qualidade (8 Mpixel). Vale a aquisição se o usuário quiser um equipamento quase profissional e se tiver alguma familiaridade (mesmo que intermediária) com fotografia, já que, com muitos recursos, apresenta alta curva de aprendizado para que a pessoa domine plenamente o equipamento.

Olympus VG 120 Eis uma câmera para quem deseja um equipamento fácil de usar, a um preço semelhante ao de um smartphone (R$ 500) e com algumas funções que se sobressaem às máquinas fotográficas agregadas a telefones inteligentes. Compacta, a VG 120 tem 14 Mpixel e permite a filmagem de vídeos em alta definição. A tela, de LCD de 3 polegadas, apresenta os recursos e as obras realizadas pelo usuário de forma bastante intuitiva, o que agrada a usuários que não têm grande familiaridade com fotografias. Por falar em experiência e didatismo, o ponto forte da máquina da Olympus é mesmo a simplicidade em operá-la. O equipamento conta com sete opções de filtros para as fotos, que podem facilmente ser escolhidos com um ou dois cliques no equipamento. Outro recurso interessante (e um pouco curioso) é o Mascote. Trata-se de uma formatação da máquina em que ela fica especialmente preparada para tirar fotos de animais domésticos (como cães e gatos) em movimento.

GADGETS

GADGETS

ingressa no mundo do Sony terá A Sony tablets com dois modelos prometidos para chegarem tablets até o Android aos mercados europeu e norteamericano até o fim do ano. Um P, tem 5,5 fim do ano deles, o modelopolegadas e vem no formato de livro, podendo ser fechado, com Wi-Fi, conexão de rede 4G, peso de 370 gramas. Ele traz duas câmeras e 3 GB de memória. O outro aparelho, da linha S, tem design curvo para ser segurado com uma só mão. A tela é de 9,4 polegadas e virá em versões de 16 e 32 GB. Eles terão serviços gratuitos de streaming de filmes e vídeos e rodarão jogos do Playstation. Preços previstos de US$ 499 a US$ 599.

n

Dicionário na ponta da caneta

Totvs lançou o aplicativo Aurasma Lite com recurso de realidade aumentada para divulgar a marca em tablets e smartphones. O aparelho precisa ter uma versão recente do sistema operacional iOS e Android (2.2 ou superior). Ao apontar a câmera para o logo da Totvs em banners, outdoors, cartões de visita ou anúncios impressos, o usuário acessa um vídeo.

A

O Aurasma reconhece imagens e objetos do mundo real e os associa a um conteúdo relevante (animações, músicas, sites, vídeos).

Fogão para slow food ste fogão celular Sous-vide é um dos finalistas do concurso Electrolux Design Lab 2011. Foi desenvolvido na Hungria e inspirado na tendência slow food de gastronomia. Um software personalizado e um conectado ao fogão ajudam no planejamento do cardápio uma semana antes e auxiliam na compra dos ingredientes. Os alimentos são vedados em sacos plásticos e mantidos em banho-maria a uma temperatura muito mais baixa do que a utilizada normalmente para cozinhar (60 graus).

E

APLICATIVOS

Totvs usa realidade aumentada em tablets

TECNOLOGIA

caneta Quicktionary, de inglês/português e inglês/espanhol, é útil para quem está numa reunião de negócios e precisa traduzir expressões ou termos técnicos rapidamente. A nova versão do Quicktionary TS, da Wiz Com Technologies/Positivo, permite ao usuário passar a ponta da caneta sobre o texto e obter, na tela, a tradução do inglês para o português ou espanhol e vice-versa. Ele traz novas funções, como o áudio da pronúncia no outro idioma. Por R$ 399,90.

A


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

terça-feira, 6 de setembro de 2011

Arte: ALFER

nformática

Para quem está com pressa, basta entrar na loja, gravar no celular os códigos dos produtos, pagar e receber em casa

Sergio Kulpas sergiokulpas@gmail.com

Compras em queda

P

BARBARA OLIVEIRA omo o consumidor brasileiro é muito receptivo às novas tecnologias, os fornecedores de soluções ampliam as ofertas para que os varejistas possam atender a esse público. A That One Consulting acaba de lançar um aplicativo de leitura de códigos de barras 2D e QRcode para celulares e tablets. Com ele é possível usar o aparelho móvel para escolher as compras e pagar por elas em supermercados, lojas de materiais de construção e outros segmentos que já disponham desses códigos nas gôndolas e em catálogos de papel e eletrônicos, e receber em casa. O M-Shop foi desenvolvido em parceria com a Artech, especializada em softwares e aplicativos móveis. Segundo o diretor-executivo da That One, Denis Furtado, o aplicativo pode ser baixado gratuitamente das lojas da Apple, BlackBerry ou Android. A estratégia de marketing dos varejistas será entregar a ferramenta para seus clientes ampliando a oferta ao consumidor. Com a solução embarcada, o usuário aponta a câmera digital do aparelho (tablet ou celular) para o código de barras do produto ou da gôndola, armazena essa informação no portátil e efetua o pagamento no caixa ou pelo smartphone (se ele estiver comprando por um catálogo eletrônico, por exemplo), sem precisar empurrar carrinho na loja. "Quando finalizar a compra, o aplicativo fornece um número do pedido ao caixa para o pagamento". O consumidor

C

Um novo jeito de comprar pelo celular pode pedir para receber as mercadorias em casa. "Quem não quiser carregar peso, empurrar carrinho porque está com pressa, mas, mesmo assim, deseja visualizar e tocar no produto, esta é uma solução adequada, lembra Furtado. Além disso, o aplicativo ajuda a vender mais porque sugere produtos extras baseado no gosto do usuário. A That One está negociando a solução com uma rede de supermercados e com outra de material de construção, cujos nomes ainda não podem ser divulgados. O varejista terá ainda a vanta-

gem de integrar o aplicativo ao seu sistema de gestão para agilizar estoques e emitir relatórios, independentemente do modelo utilizado na empresa (SAP, Totvs, Oracle, etc.). "Estamos sugerindo ao comerciante a renovação de seus catálogos em papel que ainda não disponham desses tipos de códigos estampados para serem lidos pelos aparelhos portáteis. "Sugerimos que eles adotem códigos QR, que são mais fáceis de serem lidos e carregam muitos dados sobre o produto, com mais de 4 mil caracteres de informações". Já os tradicionais códigos

2D são difíceis de serem lidos quando a câmera do celular não dispõe de autofoco. "Isso não é uma panaceia para o varejista, pois o investimento não é elevado e ele vai gerar menos frustração no consumidor". O comerciante também pode ampliar sua comunicação oferecendo catálogos eletrônicos e lojas virtuais com gôndolas e códigos a serem visualizados na tela do celular ou do PC. O aplicativo foi desenvolvido com a ferramenta GeneXus, multiplataforma e em breve estará disponível também para Windows Phone.

elo menos nos EUA, os sites de compras sociais estão mostrando sinais de fadiga. Segundo uma pesquisa da Experian Hitwise, as visitas aos principais sites de ofertas caíram 25% de junho a agosto deste ano. E a empresa de análise Compete indica que o líder Groupon teve a primeira queda no tráfego de um mês a outro. A comScore registrou que o Groupon e o LivingSocial registraram quedas no tráfego em junho. Apesar dos números, a notícia não é exatamente uma surpresa. A tendência dos sites de ofertas e descontos para compras em grupo teve imenso crescimento nos últimos 12 meses, com uma explosão de novos sites. Agora, o consumidor está ficando saturado com tantas opções.As firmas que medem o tráfego online exibem números diferentes para os dois líderes do setor, o Groupon e o LivingSocial. Segundo a Experian, as visitas ao Groupon caíram 50% na semana passada em comparação com a segunda semana de junho, enquanto o LivingSocial teve aumento de 27% no tráfego nesse período. A Compete diz que o Groupon teve uma queda de apenas 8,9% nas visitas em julho, enquanto o LivingSocial sofreu um declínio muito maior, de 28%. Já a comScore calcula que os visitantes únicos do Groupon caíram 22% na semana passada, em comparação com o pico de visitas na semana de 12 de junho, enquanto o LivingSocial teria perdido 54% das visitas no mesmo período. O líder Groupon, com 46% do total de visitas nos EUA, não comentou os números. O site está se preparando para abrir capital na bolsa de valores.

O porta-voz do LivingSocial disse que os números de tráfego não são o indicador mais relevante. A empresa diz que está mais preocupada com a satisfação das empresas participantes e consumidores, e que esses indicadores permanecem bastante fortes. Fator sazonal – Segundo analistas do setor, a "sazonalidade" pode ser o principal fator para a queda no tráfego. O verão é o período de férias e viagens, e ofertas locais deixam de ser relevantes para pessoas em trânsito. Por outro lado, há aqueles que só usam sites de compras sociais quando viajam: moradores de pequenas cidades fazem mais uso de ofertas quando visitam grandes metrópoles. Atualmente, existem centenas de sites de ofertas diárias e promoções, e muitos mais oferecendo cupons e barganhas de todos os tipos. O analista da Experian Bill Tancer criou o termo "fadiga de in-box" para explicar o fenômeno: as caixas de emails entupidas de mensagens sobre promoções acabando cansando o consumidor. Apesar desse cenário, os sites de ofertas continuam exibindo bons resultados. A Experian comparou o tráfego dos principais sites entre agosto de 2010 e agosto deste ano, e concluiu que as visitas de usuários americanos cresceram 163% em média. O LivingSocial teve aumento de 358% nas visitas em um ano, enquanto o Groupon registrou alta de 179%. O porta-voz da comScore observou que sempre existe volatilidade nos mercados de varejo online, mas os sites de compras coletivas estão em uma trajetória geral de alta.

Diário do Comércio  

06 set 2011

Advertisement