Issuu on Google+

São Paulo contra a Seleção

Mario Angelo/Estadão Conteúdo

GO O JO UR D

DE J CI OG NT O UR A

No 2º tempo da greve do Metrô, o MTST entra em campo, sabotando o jogo da Seleção. Págs. 5,6 e 7 (greve). Págs. 11 e 12 (futebol)

PE JO RI G GO O SO

São Paulo, sexta-feira, 6 de junho de 2014

X

Marcelo Regua/Reuteurs

J.F. Diório/Estadão Conteúdo

Conclusão: 23h55

www.dcomercio.com.br

Paulo Lopes/Estadão Conteúdo

José Patrício/Estadão Conteúdo

Jornal do empreendedor Ano 90 - Nº 24.139

GO O JO UJ S

R$ 1,40

Werther Santana/Estadão Conteúdo

O 13º maior jogador da história do futebol, o francês Michel Platini, não driblou o trânsito ao chegar ontem à cidade. Mas não só ele. Na 1ª foto (à esq., no alto, ), trabalhadores arrombaram um portão para acessar trens da CPTM. Em outras estações, polícia e usuários mediram forças (à dir.). Fracassada a reunião de conciliação entre sindicalistas e o Metrô, na Justiça, os metroviários mantiveram a greve para hoje. O governo Alckmin responsabiliza a frente PSTU + PSol de comandar os grevistas (à dir., no meio). Os militantes do MTST irão também às ruas gritando "Não Vai Ter Copa" porque não têm casa. O ministro Gilberto Carvalho, que os elevou ao levá-los a Dilma, rebaixou-se com o apelo para que não atrapalhem o Brasil e Sérvia, no Morumbi.

Cidades onde brilha o sol da Copa O que rola, além da bola, em sete das cidades-sedes, como Salvador (foto), Rio, Recife... Pág. 24

Max Haack/Divulgação

MINI MAX

Divulgação

Terceira geração do Cooper chega 98 mm mais comprida, 12 mm mais alta e com porta-malas maior. O atraente design, esse continua o mesmo. Pág. 23

Vinhos da terra dos sultões Vinicultura na Turquia tem 7 mil anos. Pág. 13 ISSN 1679-2688

24139

Página 4

9 771679 268008


DIÁRIO DO COMÉRCIO

2

sexta-feira, 6 de junho de 2014

As duas ameaças vêm da TV paga, em suas diversas tecnologias, e da Internet. José Márcio Mendonça

SÓ QUEM TEM

SXC

Não há quem não considere a televisão como o principal fator para a caça de votos.

VOTO CHEGA LÁ onfiantes de que haverá 2º turno, principalmente se Dilma Rousseff –e não Lula – for a candidata do PT à reeleição, PSB e PSDB começam a fazer contas sobre o montante de votos que seus candidatos precisam alcançar nas urnas para se eleger presidente da República. Os marqueteiros dos partidos precisam analisar o quadro da sucessão mas deixando de lado o interesse partidário, porque o 2º turno exige dos candidatos uma coisa que é elementar em política: é preciso ser bom de voto. O primeiro item que os partidos envolvidos na eleição presidencial precisam saber é que de um total de 132 milhões de eleitores catalogados no TSE, vão sobrar no 2º turno cerca de 100 milhões de votos válidos, porque tradicionalmente nas eleições para o Palácio do Planalto ocorre uma quebra de 20% ou 25% e até 28% de votos, que corresponde às abstenções e votos em branco e votos nulos.

C JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA

m nome de preciosos segundos no horário eleitoral obrigatório no rádio e na televisão, os partidos brasileiros de maior porte – ou seja, aqueles que têm candidatos competitivos à Presidência da República e/ou aos governos estaduais –são capazes de coisas "que até Deus duvida", como diz uma bela canção de Dorival Caymmi. Só falta mesmo inimigos figadais, mutuamente execrados e xingados nos bastidores, se beijarem na boca em praça pública. As alianças políticas que estão sendo armadas no Brasil para as eleições deste ano, tanto no plano federal quanto nos planos estaduais, com alguma exceção – que deve existir, mas ninguém descobriu – baseiam-se no velho toma lá dá cá. Algunspartidos oferecem seu tempo de propaganda em troca de ajuda nas campanhas e, posteriormente, de cargos no governo eleito e de preferência na distribuição das verbas oficiais.

E

descoberta da força da propaganda eletrônica nas eleições brasileiras deu-se em 1974, quando a telinha já estava bem disseminada pelo País, e o MDB (pelo amor à Justiça, não confundir com este PMDB que se diz seu herdeiro) usou o veículo com grande classe e conseguiu, dentro dos limites possíveis então, infringir uma extraordinária derrota à Arena, o partido da ditadura. Quase extinto em 1970, quando elegeu apenas três senadores (e quase não atingiu o número mínimo de 20% para a Câmara dos Deputados para continuar existindo),o partido elegeu quatro anos depois 17 senadores contra cinco da Arena. Na Câmara, o MDB dobrou sua representação entre 70 e 74 de 87 para 165 deputados. O pavor na época foi tanto que o presidente Ernesto Geisel baixou, para valer já nas eleições municipais de 1976, a famigerada Lei Falcão: em lugar de programas dinâmicos, com filmagens e trucagens,como

A

DECRETO CRITICADO O Decreto 8243 (citado no DC de anteontem, pag. 5) é inconstitucional, pois desrespeita vários dispositivos da Constituição Federal, em especial os que exigem que a participação popular aconteça sempre por

O NOVO DESAFIO atualmente , os partidos só podiam utilizar fotos dos candidatos e a leitura monótona de seus currículos. Era um horror, tanto pelos textos quando pelas imagens estáticas, algumas saída de lambe- lambes do interior. Extinta a Lei Falcão, e com a televisão cada vez mais penetrando pelo Brasil inteiro – está hoje em quase 100% dos lares brasileiros – a propaganda no rádio e na TV, o nosso "comício eletrônico" foi ganhando cada vez importância nas campanhas. ão há marqueteiro eleitoral, assessor de campanha, político e analista político que não considere a televisão como o principal fator para a caça de votos. Quase 50% do dinheiro gasto pelos partidos vão para a produção desses programas. Há requintes de superprodução cinematográfica. Daí a verdadeira batalha por cada segundo disponível. Nesta eleição, porém, estão bem visíveis duas pedras no caminho dos programas eleitorais. Ainda é difícil mensurar

N

meio de entidades representativas, juridicamente criadas e registradas, sem poderes decisórios, pois estes são exclusivos do Judiciário, do Legislativo e do Executivo, poderes instituídos pelo texto constitucional. Portanto, medidas urgentes devem ser

seus efeitos – mas eles podem desviar do horário de propaganda um número significativo de eleitores. Parte da audiência se dá por inércia, pelo o vício do brasileiro ficar com a TV ligada, mesmo que a coisa não lhe interesse muito. Enquanto aguarda o programa de sua preferência, vai vendo e ouvindo o que está passando. Tanto que a audiência das emissoras não cai significativamente nesses horários. As duas ameaças vêm da TV paga, em suas diversas tecnologias, e da Internet. Elas já estavam presentes nas eleições anteriores, mas em volume incipiente. Há cada vez mais eleitores com opções de mudar de canal (a TV paga não transmite o horário obrigatório) para fugir da propaganda política ou dedicar-se fuçar a web, com suas extraordinárias ofertas de informações e diversões. Hoje há no Brasil 18,5 milhões de lares com televisão por assinatura, quase o dobro do que existia nas eleições de 2010 – audiência já bastante disseminada, com penetra-

tomadas para evitar que este decreto venha a possibilitar graves acontecimentos antidemocráticos. Darci Fernandes Pimentel- SP l Isso é para implantar um estado totalitário, como em Cuba. O PT prega um regime,

ortanto, os dois candidatos finalistas num eventual 2º turno, vão brigar pelos 100 milhões de votos válidos. Os candidatos de oposição -o tucano Aécio Neves e o socialista Eduardo Campos- não podem esquecer que, nas eleições de 2010, José Serra foi derrotado por Dilma Rousseff no 2º turno, mesmo alcançando 44 milhões de votos, o que não deixa de ser uma votação consagradora. Se Aécio e Eduardo Campos, que lutam por uma vaga no 2º turno, já que a outra está praticamente garantida pela candidata ou candidato do PT, precisam superar a votação de Serra para se eleger presidente, isto é, necessitam obter cerca de 50 milhões de votos.

P

ção cada vez maior na chamada "nova classe média". Com um crescimento superior a dois dígitos, pode-se calcular que até outubro esse número chegará a 20 milhões. Internet conta 60,7 milhões de usuários ativos (acessam a rede com frequência quase diária), dos quais 51,6 milhões o fazem de casa. O tempo que o brasileiro passa hoje diariamente na Internet já é superior, em alguns minutos ao que ele consome na telinha. É um ponto de fuga para a mesmice e dos programas eleitorais, cada vez mais pura propaganda ( a venda de um "produto") e cada vez menos menos política. Primeiro sumiram os bons e velhos comícios, quando havia o contato direto do candidato com o eleitor. Agora, aos poucos, se esvazia o comício eletrônico, frio e sem graça. É ver como os propagandistas eleitorais e os políticos vão contornar este desafio.

A

ilma Rousseff se elegeu no 2º turno, em 2010, com 56 milhões de votos, ou, com 12 milhões de votos a mais do que José Serra. Se um dos candidatos alcançar no 1ºturno, por exemplo, 25 milhões de votos, é quase certo que precisará dobrar sua votação no 2º turno, se quiser ganhar a eleição. É por isso que Lula adverte Dilma de que ela precisa segurar um índice próximo a 40% de intenção de voto no 1º turno, que representaria 40 milhões de votos, aproximadamente. Quem sai das urnas no

D

JOSÉ MÁRCIO MENDONÇA É JORNALISTA E ANALISTA POLÍTICO

não socialista, mas comunista e isso tem ficado cada vez mais claro nas atitudes do partido. Temos uma presidente guerrilheira.....vocês queriam o quê? Mario Augusto B. Mirra - SP

NOME COLUNISTA

Lula terá de mostrar mais uma vez que ainda é bom de voto, capaz de justificar sua fama como "iluminador de postes".

1º turno com 25 milhões de votos vai enfrentar obstáculos mais difíceis do que quem alcançou 40 milhões para chegar aos 50 milhões de votos no 2º turno. Os marqueteiros admitem que a tarefa não é fácil para nenhum dos candidatos. Eles têm um ponto em comum: os candidatos precisam fazer a campanha na televisão com inteligência e competência, além de contar com a eficiência de seus principais cabos eleitorais, os chamados puxadores de votos.

A ex-ministra Marina Silva é a encarregada de dar a Eduardo Campos {os votos que ele não tem. Ela foi candidata ao Planalto em 2010 por um partido de pouca expressão, o PV, mas obteve 20 milhões de votos. Enquanto isso, o ex-presidente Fernando Henrique terá a responsabilidade de fazer Aécio deslanchar nas pesquisas. no PT, mais uma vez Lula terá de mostrar que ainda é bom de voto, capaz de justificar a fama como "iluminador de postes", mantendo Dilma Rousseff por mais quatro anos no Palácio do Planalto.

E

EYMAR MASCARO É JORNALISTA E COMENTARISTA POLÍTICO

Presidente Rogério Amato Vice-Presidentes Alfredo Cotait Neto Antonio Carlos Pela Carlos Roberto Pinto Monteiro Cesário Ramalho da Silva Edy Luiz Kogut João Bico de Souza José Maria Chapina Alcazar Lincoln da Cunha Pereira Filho Luciano Afif Domingos Luís Eduardo Schoueri Luiz Gonzaga Bertelli Luiz Roberto Gonçalves Miguel Antonio de Moura Giacummo Nelson Felipe Kheirallah Nilton Molina Renato Abucham Roberto Mateus Ordine Roberto Penteado de Camargo Ticoulat Sérgio Belleza Filho Walter Shindi Ilhoshi

Fundado em 1º de julho de 1924 CONSELHO EDITORIAL Rogério Amato, Guilherme Afif Domingos, João Carlos Maradei, Marcel Solimeo Diretor de Redação Moisés Rabinovici (rabino@acsp.com.br) Editor-Chefe: José Guilherme Rodrigues Ferreira (gferreira@dcomercio.com.br). Editor de Reportagem: José Maria dos Santos (josemaria@dcomercio.com.br). Editores Seniores: chicolelis (chicolelis@dcomercio.com.br), José Roberto Nassar (jnassar@dcomercio.com.br), Luciano de Carvalho Paço (luciano@dcomercio.com.br), Luiz Octavio Lima (luiz.octavio@dcomercio.com.br), Marcus Lopes (mlopes@dcomercio.com.br) e Marino Maradei Jr. (marino@dcomercio.com.br). Editores: Cintia Shimokomaki (cintia@dcomercio.com.br), Heci Regina Candiani (hcandiani@dcomercio.com.br), Tsuli Narimatsu (tnarimatsu@dcomercio.com.br) e Vilma Pavani (pavani@dcomercio.com.br. Subeditores: Rejane Aguiar e Ricardo Osman. Redatores: Adriana David, Evelyn Schulke, Jaime Matos e Sandra Manfredini. Repórteres: André de Almeida, Karina Lignelli, Lúcia Helena de Camargo, Mariana Missiaggia, Paula Cunha, Rejane Tamoto, Renato Carbonari Ibelli, Sílvia Pimentel e Victória Brotto. Editor de Fotografia: Agliberto Lima. Arte e Diagramação: José dos Santos Coelho (Editor), André Max, Evana Clicia Lisbôa Sutilo, Gerônimo Luna Junior, Hedilberto Monserrat Junior, Lino Fernandes, Paulo Zilberman e Sidnei Dourado. Gerente Executiva e de Publicidade Sonia Oliveira (soliveira@acsp.com.br) Gerente de Operações Valter Pereira de Souza (valter.pereira@dcomercio.com.br) Serviços Editoriais Material noticioso fornecido pelas agências Estadão Conteúdo, Folhapress, Efe e Reuters Impressão S.A. O Estado de S. Paulo. Assinaturas Anual - R$ 118,00 Semestral - R$ 59,00 Exemplar atrasado - R$ 1,60

FALE CONOSCO E-mail para Cartas: cartas@dcomercio.com.br E-mail para Pautas: editor@dcomercio.com.br E-mail para Imagens: dcomercio@acsp.com.br E-mail para Assinantes: circulacao@acsp.com.br Publicidade Legal: 3180-3175. Fax 3180-3123 E-mail: legaldc@dcomercio.com.br Publicidade Comercial: 3180-3197, 3180-3983, Fax 3180-3894 Central de Relacionamento e Assinaturas: 3180-3544, 3180-3176 Esta publicação é impressa em papel certificado FSC®, garantia de manejo florestal responsável, pela S.A. O Estado de S. Paulo.

REDAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E PUBLICIDADE Rua Boa Vista, 51, 6º andar CEP 01014-911, São Paulo PABX (011) 3180-3737 REDAÇÃO (011) 3180-3449 FAX (011) 3180-3046, (011) 3180-3983 HOME PAGE http://www.acsp.com.br E-MAIL acsp@acsp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

3

A C O N D U Ç Ã O D A E C O N O M I A P E L O P T L E V O U A R E P U TA Ç Ã O D O B R A S I L A O C H Ã O .

Soltaram o arquivo vivo omo até os inexistentes barris do petróleo pré-sal sabem, e não estou cometendo nenhum crime de calúnia, injúria e difamação ao escrever isso, o Ministro Teori Zavascki, do STF (não sei se escrevi corretamente o Nome da Rosa, não sou chegado à turma dos capas pretas do STF), primeiro, pra surpresa geral, mandou soltar o bando todo que os Federais lava-jataram, o Youssef inclusive, e no dia seguinte mandou recolhê-los de volta ao xilindró – Youssef também, pra mais surpresa geral. Todos menos um, o Paulo Roberto Costa, ex-diretor de abastecimento da Petrobras, perigosíssimo arquivo vivo, sabe-tudo, e como tal o primeirão a ser solto e a sair aliviado da cana, em Curitiba, preso por ação da Procuradoria do Estado do Paraná.

C

soltura de Paulo Roberto parece, parece – tô dizendo apenas que "parece" –supostamente um acordo de Omertá , a lei do silêncio da Máfia. Supostamente ! tô dizendo supostamente! No reinado de Don Vito Corleone, e depois no do seu herdeiro Michael Corleone, era a Máfia honesta e boazinha, que só vendia proteção, mandava matar quem não pagava, "administrava" redes de prostituição e cassinos suspeitíssimos em Las Vegas e lavava dinheiro até do Banco do Vaticano, c o n f o rm e n o s i n f o rm o u o "Chefão III", o terceiro filme da trilogia escrita por Mario Puzzo e dirigida por F.F. Coppola. Mas ela não traficava drogas e abominava as famiglias dedicadas aos então Tempos Modernos. Guerreavam entre elas mesmas para ganhar territórios das famiglias mais conservadoras, que aceitavam o comando de Don Vito (Marlon Brando) e se recusa-

A

vam a traficar drogas. Seu filho mais novo, Santino "Sonny" Corleone (James Caan) , no entanto, aderiu aos negócios que pareciam m a i s l u c r a t ivos, mas considerados sujos demais, para mostrar ao pai que ele, Don Vito e o consiglère To m H a g e n estavam superados. T o m H ag e n ( Ro b e r t Duvall), o único norte-americano puro-sangue da famiglia, filho adotivo de Don Vito, advogado formado e consiglière legal da famiglia, também era contra a adesão aos negócios do tráfico. E assim, numa vendeta contra a atitude de Don Vito , uma famiglia rival (se me lembro era a famiglia Tattaglia) provocou uma emboscada e assassinou Sonny.

D

E O TRIBUNAL ministra Maria Elizabeth Teixeira Rocha, que assumirá a presidência do Superior Tribunal Militar dia 16, em substituição ao generalde- Exército Raymundo Nonato de Cerqueira Filho, declarou que vai dar publicidade aos arquivos do tribunal referentes ao período da ditadura militar e que é a favor da revisão da anistia à luz dos tratados internacionais, da aceitação de militares homossexuais e da inclusão das mulheres como combatentes do Exército Brasileiro, entremeando uma surpreendente declaração sobre a “diferença” instalada na Justiça mediante os julgamentos procedidos por mulheres.

A

portunizado em clima eleitoral, esse discurso que coincide com a militância ideológica utilizada para mobilizar politicamente as ditas minorias bem que poderia ficar por aí, não fosse sua autora membro da corte incumbida de julgar as apelações e os recursos das decisões dos juízes de primeiro grau da Justiça Militar da União, conforme previsto na

O

Constituição. Embora a maior parte das declarações da ministra se refira a temas que fogem de sua competência funcional, subjazendo como meras opiniões, algumas delas repercutem diretamente na capacidade do tribunal cumprir a sua função: distribuir justiça. Afinal, partindo de um magistrado, o principal argumento da Doutora Elizabeth Rocha para rever a Lei da Anistia à luz de tratados internacionais é chocante: passada a necessidade de "forjar esse pacto, esse acordo de transição", ele pode ser revisto. ue conceito de justiça sustenta tal relativismo? Qual precedente da História do Brasil serve de amparo a esse revisionismo? Que princípio constitucional pode levar o Brasil a abdicar de sua soberania? Que país pode almejar estabilidade, progresso e paz acicatado pelo discurso da vingança e do arbítrio? Que grau de isenção se pode esperar de julgadores movidos por tais razões? Nenhum! Ao longo das declarações da ministra subsistem contradições que despertam justificadas preocupações. A primeira

Q

governo do promessão me enganou e abriu guerra contra mim e outros otários à traição, de um jeito torpe e covarde, me levando a investir meu Fundo de Garantia em ações da Petrobras que, nos fechamentos da Bolsa nesses últimos tempos, tem se "valorizado" de 35 a 40% pra baixo – mais pra baixo e pro fundo do que dizem existir o fabuloso (de fábula) petróleo pré-sal. Quer dizer, o Fundo de Garantia deste otário crédulo aqui perdeu mais de um terço do seu valor de face, o que confirma para baixo o maremoto de anúncios em que a mentira reina do primeiro ao derradeiro segundo. E nem mesmo um "Nada pessoal, são apenas negócios" pra me consolar. E tem mais Petrobras; o cumpanhero Gabrielli, expresidente da arapuca, foi à CPI da Petrobras no Senado (CPI: Cumpanherada Protetora da Indignidade) deitan-

O

on Vito, durante o funeral de Sonny – agora vem o que li no livro de Mario Puzzo, Godfather, recebeu uma enorme coroa de flores, a maior de todas da cerimônia fúnebre, com uma faixa colorida onde se lia "Nothing personal, it´s only business". Mas Don Vito já havia dado a palavra de ordem: "Aos colchões". "Aos colchões" queria dizer aos seus "soldati" que cada um levasse seu colchão a uma determinada casa-forte para dali começar uma guerra. Agora a vendeta era de Don Vito – e todos nós, que vimos o filme ou lemos o livro, sabemos que Don Vito foi assassinado por traição de um dos filhos, Fredo, e depois vingado por outro filho, Michael Corleone,

O PALANQUE SÉRGIO PAULO M.COSTA

que mandou explodir o barco em que Fredo pescava. Michael ficou olhando a explosão acontecer. Falei tudo isso sobre a Máfia porque está me parecendo que a Máfia do Don Vito era brincadeira de criança perto da Máfia que termos aqui. Criança, não verás nenhum país como este! É que me parece estar no meio de uma imensa nação que não lê jornais impressos, hi pno tiza da p e l o s j o rnais das TVs – nas quais não perde novelas, BBBs, Faustão, Huck, Ratinho e um tsunami de propaganda enganosa do progresso e valorização maravilhosos da Petrobras, confuso m as verdadeiro.

A Máfia italiana parece muito menos perigosa e corrupta do que alguns personagens da vida política nacional.

delas é o esquecimento da polêmica acerca da divulgação, durante a campanha eleitoral de 2010, dos registros existentes no STM acerca da hoje presidente Dilma Roussef, inacessíveis à imprensa. ais grave é a ministra denunciar a diferenciação de cidadãos pela orientação sexual enquanto prega uma justiça de gênero, na qual, supostamente, mulheres julgariam melhor do que os homens. Por fim, repete-se o velho erro de pretender impor-se a todos capacidades iguais a despeito de suas diferenças de gênero, uma perversão da atualidade que prejudica justamente as mulheres.

M

ntretanto, o mais irônico das declarações da ministra é ela, a título de denunciar o regime militar, exaltar o papel do STM durante aquele período na concessão de habeas corpus, na garantia de liberdade de imprensa, na defesa do direito de greve e na condenação aos excessos no combate à luta armada, assinalando assim a existência, àquela época, das garantias e contrapesos cuja sobrevivência hoje tememos, ameaçados pelo discurso ao qual a ministra se associa. O palanque chegou aos tribunais. O problema é ele chegar aos quartéis.

E

SÉRGIO PAULO MUNIZ COSTA É HISTORIADOR

A ARTIMANHA FAJUTA DO PT ROBERTO FREIRE governo da presidente Dilma Rousseff vem segurando preços de combustíveis e energia para evitar impacto nos índices de inflação em ano eleitoral. Não se trata da acusação de um oposicionista, mas da confissão pública de ninguém menos que o chefe da Casa Civil, Aloisio Mercadante. Um dia após o ataque de sinceridade, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, desautorizou as declarações do colega e negou que a atual gestão esteja represando tarifas. O estrago já estava feito. Diante do descalabro da política econômica de um governo sem rumo, não surpreende que dois de seus principais ministros protagonizem um bate-boca sobre os preços.

O

desastrosa condução da economia pelo PT levou a reputação do Brasil ao chão, com uma série de previsões furadas do próprio Mantega sobre o crescimento do PIB, além da "contabilidade criativa" que mascara a expansão da despesa pública e da dívida governamental, gerando um ambiente de absoluta incerteza com relação à saúde financeira nacional. Enquanto Mantega e

A

Mercadante não falam a mesma língua e a presidente afirma que "a inflação está sob controle", o trabalhador sente no bolso que não vivemos às mil maravilhas. De acordo com o IPCA de abril, a inflação acumulada no ano chega a 6,28%, índice que continua muito acima do centro da meta estipulada pelo governo (4,5%) e bem próximo do teto de 6,5%. manipulação de dados gera uma onda de desconfiança que fere de morte a economia brasileira. Recentemente, nem mesmo o IBGE escapou da tal investida, que culminou na suspensão da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), que divulgaria números relativos ao emprego. Diante da péssima repercussão na opinião pública, a divulgação da pesquisa foi mantida para o início de junho. Sem credibilidade junto ao mercado e à sociedade, o país fica condenado a um círculo vicioso em que investidores deixam de investir e consumidores deixam de consumir, aumentando a sensação de que andamos de lado. Mais do que uma mera impressão, trata-se de constatação da realidade: segundo o IBGE, o crescimento médio do PIB

A

NEIL de olho na solução final FERREIRA

do rolando porque a oposicinha fez "forfait" e desdisse o que disse da Youssefa. especialista em comprar refinarias de 40 Milhões de Dólares por Um Bilhão e Duzentos Milhões de Dólares, em entrevista recente ao Estadão, afirmou que a Youssefa tinha, sim, responsa na compra do ferro velho americano porque era "presidenta do conselho de administração da Petrobras e tinha, sim, aprovado a compra que, então, parecia ser bom negócio". Bom negócio pra quem cara pálida ? Tais ditos foram desditos pelo mesmo personagem em tela. Aqui faço uma pausa pra fingir que compreendo que o Ministro Teori tem razões que a própria razão não desconhece, pois o Teoria na Prática é outro e tô fazendo de conta que sei que o arquivo vivo foi preso com toda pompa e circunstância pra ser solto sozinho do dia seguinte, Entendeu então que até o Youssef é respeitado pela turma da Youssefa? Cadê que o Don Vito agisse desse jeito: era honesto dentro das regras do seu jogo. Cadê então que a youssefaiada é honesta no seu jogo: não é nem nunca foi. Vá votar também, e novamente te falo : Seu voto, sua arma, atire para matar.

O

NEIL FERREIRA É PUBLICITÁRIO

nos três primeiros anos do governo Dilma foi de apenas 2%, o que significa que a economia brasileira cresce no menor ritmo desde Collor. om a perigosa combinação de baixo crescimento com inflação e juros em alta, o governo petista se move por preocupações eleitorais quando decide represar as tarifas de gasolina, energia e outros preços administrados. Tudo em nome de uma reeleição que hoje, dado o percentual de brasileiros que desejam mudança (74%, diz o Datafolha), não parece muito provável.

C

om a ameaça cada vez maior de volta da inflação, tudo o que o Brasil não precisa neste momento é de um governo que não preza pela transparência. Segurar preços artificialmente para ludibriar os agentes econômicos e a população, na clara tentativa de salvar a presidente-candidata nas eleições, não passa de artimanha desonesta que só arranha ainda mais a reputação do País. Precisamos de menos Mercadantes, Mantegas e Dilmas, e de mais gente séria na condução da economia. De menos contabilidade criativa e mais credibilidade. Precisamos da decência, da competência e da honestidade que tanto têm faltado ao País nos últimos 12 anos.

C

ROBERTO FREIRE É DEPUTADO FEDERAL POR SÃO PAULO E PRESIDENTE NACIONAL DO PPS


DIÁRIO DO COMÉRCIO

4

)KDC7O

gibaum@gibaum.com.br

A Polícia Federal tem grampos telefônicos de suspeitas conversas entre Paulo Octávio e o deputado Chico Vigilante (PT-DF).

MAIS: há suposições de outro esquema envolvendo obras em Ceilândia, ao lado de Brasília, reduto eleitoral do petista.

2 “Depois daquele smoking vermelho usado na entrega da Bola de Contra-ataque Ouro, fiquei em duvida sobre a timidez de Messi.”

FERNANDA LIMA // modelo e musa da Copa, entrevistada por jogadores em Glamour. Fotos: Gustavo Zylberszatajn

Toma lá, dá cá Representantes de grandes empreiteiras (muitas formam no bloco das dez maiores), envolvidas na Operação Lava Jato , já têm seus representantes atuando no Congresso Nacional para evitar que seus presidentes sejam convocados para depor na CPI Mista da Petrobras, mesmo sabendo que essa batalha só começa para valer depois da Copa do Mundo. A preocupação maior é que pela nova Lei Anticorrupção, em vigor desde janeiro, eles seriam responsabilizados por quaisquer atos de corrupção em suas empresas (domínio do fato). Os representantes dos poderosos estão usando como instrumento de troca, por assim dizer, generosas doações para campanhas.

TRUQUE FISCAL Desde 2009, o Tesouro já tomou emprestado do mercado cerca de R$ 300 bilhões para repassar o dinheiro ao BNDES. É um truque porque uma operação anularia a outra: a dívida do Tesouro com o setor privado se transforma em crédito do mesmo Tesouro com o BNDES, controlado pelo governo. Só que os juros pagos ao mercado são muito superiores aos cobrados pelo BNDES e essa generosidade não é compensada pelo Tesouro. No final do ano passado, já eram R$ 17 bilhões devidos pelo Tesouro ao BNDES para ajeitar essa diferença.

Enquanto muitas famosas e candidatas a celebridades entopem o Facebook e o Instagram com fotos e ensaios com toque sensual, Giovanna Antonelli, a Clara da novela Em Família, resolveu estrear seu site que tentará “condensar as mil mulheres que ela guarda numa só”, em fotos fazendo faxina em sua casa, bem produzida, é claro. Carioca, 38 anos, quatro filhos e quatro casamentos, ela acumula 26 trabalhos na TV, entre novelas e minisséries. É uma das donas do restaurante Pomar Orgânico e vive lançando moda em suas atuações: a última delas é uma capa de celular já apelidada de Bocão da Antonelli .

Dia de faxina

Está mais do que decidido: estão proibidas nos jogos da Copa (o que não impedirá seu uso fora dos estádios) quaisquer cornetas, vuvuzelas, pedhuás, caxirolas e similares. E também está proibido que qualquer jogador mostre roupas intimas em campo com marcas de propaganda, mensagens políticas ou religiosas. Essa é uma proibição feita de encomenda a Neymar, que vivia tirando a camisa e exibindo a marca Lupo na cueca. No jogo contra o Panamá, ele usou um truque: tirou a camisa, mostrou a peça intima só que sem a marca, criando uma associação indireta. É uma nova jogada combinada.

Barradas no baile

VIROU MODA Mesmo o Conar proibindo, com certo atraso, que nos comerciais da OLX/Desapega (é uma empresa internacional de anúncios classificados grátis na internet), o Compadre Washington cante trecho da música Ordinária (entidades femininas reclamaram), tanto a expressão Ordiná, que ele está usando como tentativa de burlar a proibição, como a própria Desapega, caíram no uso popular em diversas situações. Por conta do mesmo Compadre Washington, virou moda falar Sabe de nada, inocente, que ele usava nos anos 90. Nos velhos tempos, o cantor controlava o grupo É o Tchan e teria um affair com Scheila Carvalho.

Depois de causar polemica com um vestido totalmente transparente na festa do CFDA Awards, em Nova York, onde ganhou o título de Icone Fashion, a cantora Rihanna, 26 anos, volta a surpreender aparecendo de topless na campanha de lançamento de seu perfume Rogue (velhaca, marota, trapaceira). Com 50 milhões de álbuns e 180 milhões de singles vendidos no planeta, Rihanna adora exibir suas intimidades, sem nenhum pudor. Os fabricantes do perfume dizem que a cantora aparece na foto “em posição de poder”.

Posição de poder

Segundo turno O ex-presidente Lula já está convencido de que haverá segundo turno e que Aécio Neves estará nele disputando com Dilma Rousseff. Por isso, está mandando recado a todo o PT, inclusive à presidente-candidata: devem ser reduzidos os ataques a Eduardo Campos (PSB). O ex-chefe do Governo acha que quem levar o apoio dos socialistas terá vantagem. Nesses dias, o esforço é impedir que o PR acabe fechando o apoio a Campos, o que daria mais tempo de TV ao pernambucano. Para fechar com Dilma, o PR quer de volta a direção do Dnit, comandado nos velhos tempos por Luis Antonio Pagot.

/ IN

Gola de paletó: 7 cm.

/

A mudança das regras do jogo, que vazaram nos jornais, depois das licitações para a construção do chamado Aeroporto de São Paulo (Nasp), afastou – de novo – o empresariado do Planalto e provocou, além de irritação, uma grande dose de desanimo em Lula: “Assim não dá”. O tropeção acontece exatamente quando o ministro Aloizio Mercadante está empenhado em desobstruir nós da infraestrutura, através de pacote de medidas.

INTENSIVO O medalhista olímpico Fernando Scherer, o Xuxa , candidato pelo PSB de São Paulo à Câmara Federal, está fazendo um cursinho intensivo sobre o funcionamento do Legislativo, das comissões às votações do plenário. Não quer ser encarado como candidato de ocasião, fugindo de qualquer comparação a Tiririca e outros do gênero. Sua maior cabo eleitoral é a ex-bailarina do É o Tchan , Sheila Mello, sua mulher, com quem tem uma filha.

MISTURA FINA O PT acha que os mensaleiros tiveram julgamento político e culpa a mídia, devido à transmissão pela TV das sessões do Supremo, pelos excessos cometidos contra os cumpanheros. O partido chegou a organizar audiência para impedir a transmissão ao vivo dos julgamentos. Agora, com a renúncia de Joaquim Barbosa, a legenda faz meia volta: quer ver pela televisão medidas do plenário a favor dos correligionários transmitidas ao vivo e em cores para todo mundo.

Assim não dá

O deputado federal Pastor Eurico (PSB-PE), que ganhou seus quinze minutos de fama, quando investiu contra Xuxa Meneghel na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara, em debate sobre a Lei Menino Bernardo e foi afastado, não está conformado e volta à carga. Conseguiu fotos e trechos do filme Amor Estranho Amor (1982), de Walter Hugo Khouri, onde ela aparece na cama seduzindo um menino, quer distribuir para outros deputados e senadores, para provar que “não vai aturar que ela venha aqui falar em moralidade, porque não tem moral nenhuma para isso”. Nas últimas décadas, quem publicou ou exibiu parte do filme, foi processado por Xuxa.

OUT

Gola de paletó: 5 cm.

Dernière favorite A ex-modelo Vera Barreto Leite, 78 anos, hoje trabalhando no Teatro Oficina, onde já apareceu nua em uma peça dirigida por José Celso Martinez Correa, surge em grande reportagem na Vanity Fair francesa. O título é La Dernière Favorite de Chanel (ela desfilou para a estilista durante anos) e, no texto, lembra-se que Vera Valdez (era conhecida na Europa com esse nome) foi amante dos cineastas Louis Malle E Roger Vadim e foi recusada por Marlon Brando, que a achou “branca demais”. A revista ainda diz que Vera foi presa pela ditadura militar e que, numa suíte do Ritz de Paris, Coco Chanel, aos 87 anos, lhe confidenciou que ainda sentia vontade de sexo.

AÉCIO Neves vai assistir o jogo entre Brasil e Croácia no restaurante Maria das Tranças, em Belo Horizonte, ao lado de alguns veteranos craques da bola de Minas Gerais, entre eles, Piazza, campeão do Mundial em 1970.

HÁ QUEM aposte que a DJ Paula Moraes estaria grávida pela primeira vez. Seria o quinto filho de Ronaldo Nazário. Eles planejam se casar no segundo semestre com “uma festa de três dias” em Búzios.

O BNDES e outros bancos públicos deverão adotar normas mais duras para a concessão de financiamentos a quaisquer empresas: será levada em consideração a comprovação de corretas condições de trabalho de seus funcionários.

SÓ AGORA é que o PSB se deu conta: o partido de Eduardo Campos marcou congresso para o dia 28 próximo e convenção para o dia 29, dia de São Paulo. Se o Brasil for primeiro colocado na sua chave, jogará dia 28; se ficar em segundo, estará em campo dia 29. Em qualquer das datas, o risco é de só aparecerem os candidatos.

Colaboração:

Paula Rodrigues / Alexandre Favero

sexta-feira, 6 de junho de 2014


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

5

Carvalho pede 'trégua cívica' durante a Copa Gilberto Carvalho, secretário-geral da Presidência: "É hora de levar em conta um bem maior: a população". secretário-geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho (PT), pediu ontem uma "trégua cívica" para "despolitizar" a Copa do Mundo na semana que vem em nome dos turistas. O comentário foi feito ao ser perguntado em São Paulo se a onda de greves, como a do metrô e da CET, poderia prejudicar o evento. "Espero sinceramente na virada da semana que a gente tenha no País uma espécie de 'trégua cívica' no sentido que todo mundo entenda a importância de acolher os turistas", afirmou. "Tudo bem as pessoas quererem aproveitar o ambiente da Copa do Mundo, de grande visibilidade, para fazer esses movimentos, mas agora está na hora da gente levar em conta um bem maior, que é o da população", ressaltou.

O

mou que o governo federal tem buscado diálogo com o movimento, ressaltou que a manifestação é legítima, mas que não pode atrapalhar a realização do evento. BOM SENSO "Nós reconhecemos como legítimas as mobilizações e reivindicações, mas elas não podem chegar ao ponto de criar problemas para o conjunto da cidade em um momento em que há um evento dessa magnitude", disse. Carvalho fez questão de ressaltar que não serão tolerados atos de violência nas ruas e chegou a pedir "bom senso" aos manifestantes. "Nós esperamos que haja um bom senso. As manifestações, se ocorrerem, que não criem um problema para a realização do evento".

OFENSIVA Carvalho também avaliou que a ofensiva dos presidenciáveis Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB) à lideranças do PMDB não ameaçam o apoio do partido à reeleição de Dilma Rousseff. De acordo com ele, "idas e vindas" e "tensões" são naturais no período pré-eleitoral, mas o PT tem confiança na "firmeza" do acordo com o PMDB para as eleições presidenciais deste ano. "O PMDB não tem apenas uma coligação conosco. O PMDB é governo conosco, tem a vice-presidência, uma série de ministérios. Essas idas e vindas são naturais, essas tensões, mas nós temos muita confiança na firmeza do nosso acordo com o PMDB", disse. Nas últimas semanas, os pré-candidatos de oposição

iniciaram uma ofensiva a dirigentes estaduais do PMDB para evitar que o partido oficialize apoio ao PT em sua Convenção Nacional, marcada para a próxima terça-feira (10). Segundo a reportagem apurou, Aécio tem dialogado com lideranças peemedebista em Minas Gerais e Rio de Janeiro, enquanto Campos se aproximou de dirigentes do partido no Ceará. Para Gilberto Carvalho, é "natural" que a oposição busque espaço e faça pressão. Segundo ele, ano de eleição é "tempo de nervos de aço e de sangue frio". "É natural, a oposição precisa buscar espaço, precisa se articular, é natural essa pressão. A eleição é tempo de nervos de aço e de sangue frio, porque todos esses movimentos acontecem". (Agências)

MATURIDADE Carvalho afirmou que não acredita que, da forma com que as paralisações ocorreram, possa haver algum prejuízo para a imagem do País. "Acho que agora, aproveitado como foi esse cenário, a gente espera que a maturidade dos trabalhadores prevaleça", disse o ministro. Sobre o Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) e grupos que possam organizar protestos hoje nos arredores do Estádio do Morumbi, na capital paulista, Carvalho disse que o governo espera que "haja um bom senso". "Nós seguiremos o diálogo com o movimento. O que nós não vamos tolerar é violência na rua". A arena esportiva irá sediar jogo amistoso entre Brasil e Sérvia, o último do país antes da abertura oficial da Copa do Mundo, na quinta-feira da semana que vem (12). O ministro afir-

Espero sinceramente na virada da semana que a gente tenha no País uma espécie de 'trégua cívica'. GILBERTO CARVALHO, SECRETÁRIO-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

A Seleção representa nossa nacionalidade, acho temerário que alguma força política, algum grupo ou interesse corporativo aposte contra algo que represente parte de nosso DNA. DILMA ROUSSEFF, PRESIDENTE

Dilma diz que não é um bom momento para fazer greve

Bispos dão 'cartão vermelho' a organizadores do Mundial

Presidente convidou e receberá durante a Copa diversas autoridades mundiais

CNBB distribui panfleto com exigências para garantir a "vitória de todos"

presidente Dilma Rousseff disse ontem, em entrevista ao Jornal do SBT, achar que esse não é um bom momento para os setores da sociedade fazerem greve. "Temos de ter muita responsabilidade. Todo ano eleitoral acontece protesto contra governo, em ano eleitoral está tudo politizado". Recentemente uma série de greves vêm atrapalhando as capitais brasileiras em um momento no qual o Brasil se prepara para receber os turistas que virão para acompanhar a Copa do Mundo. "A Seleção representa nossa nacionalidade, acho temerário que alguma força política, algum grupo ou interesse corporativo aposte contra alguma coisa que represente parte de nosso DNA", complementou. Dilma ainda reconheceu haver um clima de "pessimismo criado" no Brasil. Ao responder sobre as críticas de mau uso do dinheiro público nas obras da Copa, rebateu: "Se algum órgão de controle tem essa avaliação dos estádios, que

Uéslei Marcelino/Reuters

A

papa Francisco pode ser um fanático por futebol, mas os bispos brasileiros da Igreja Católica preferiram dar um "cartão vermelho" aos organizadores da Copa do Mundo no Brasil por gastar bilhões de reais em estádios, recursos que poderiam ter sido usados para melhorar os péssimos serviços públicos. A pastoral do turismo da Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) começou a distribuir pelas paróquias brasileiras um panfleto em formato de cartão vermelho no qual elenca oito preocupações da Igreja relacionadas ao Mundial e seis exigências que devem ser observadas para garantir "uma vitória de todos" na competição, que começa em 12 de junho. Entre os pontos condenados pelos bispos está "a inversão de prioridades com o dinheiro público que deveria servir, prioritariamente, para saúde, educação saneamento básico, transporte e segurança", e também "a exclusão de

O

Dilma classifica o tumulto no Metrô de SP como "lamentável" tome providências, e não fique falando". Indagada sobre o tumulto de ontem na estação Itaquera do metrô de São Paulo por conta da greve dos metroviários, ela classificou o episódio de "lamentável". CHEFES DE ESTADO Confirmaram presença na Copa do Mundo: a chanceler Angela Merkel, da Alemanha; Felipe e Matilde, rei e rainha da Bélgica; Elio di Rupo, primeiro-ministro da Bélgica; Guilherme Alexandre, rei da Holanda; Joe Biden, vicepresidente dos EUA; Zoran

Milanovic, primeiro-ministro da Croácia; o secretário-geral da ONU, Ban Ki-Moon; Alberto II, príncipe de Mônaco; e Tamin bin Hamad al-Thani, Emir do Catar. Também estão confirmados os presidentes Vladimir Putin, da Rússia; José Mujica, do Uruguai; Michele Bachelet, do Chile; Rafael Correa, do Equador; John Dramani Mahama, de Gana; Juan Orlando Hernandez, de Honduras; Desire Bouterse, do Suriname; José Eduardo dos Santos, de Angola; Evo Morales, da Bolívia; Horácio Cartes, do Paraguai; Uruhu Kenyatta, do Quênia. (EC)

milhões de cidadãos ao direito de informação e participação nos processos decisórios sobre as obras que foram realizadas para a Copa". Há a expectativa de que mais protestos ocorram durante o mês em que dura a realização da Copa, e os bispos pedem "que os movimentos sociais não sejam criminalizados e seja respeitado o direito às manifestações de rua". No panfleto, os bispos da Igreja Católica do Brasil criticam a remoção de pessoas dos arredores dos

estádios, o desrespeito à legislação ambiental e a entrega do esporte nas mãos "das grandes corporações." O texto pede também que as autoridades combatam a exploração sexual durante o evento, que deve atrair cerca de 800 mil torcedores estrangeiros ao Brasil. Para os bispos da CNBB, o êxito do Mundial não será medido na quantidade de dinheiro injetada na economia ou nos benefícios trazidos por patrocinadores, mas sim no cumprimento de "exigências fundamentais". (Reuters) Reprodução DC

Panfleto em formato de cartão vermelho circula pelas pastorais


DIÁRIO DO COMÉRCIO

6

sexta-feira, 6 de junho de 2014

GOLPE BOLIVARIANO

Juristas fazem coro contra o decreto 8243

.Ó..RBITA

DESAPROPRIAÇÃO E TRABALHO ESCRAVO

O

Congresso promulgou, ontem, em sessão solene, a Emenda Constitucional (oriunda da PEC 57A) que trata da desapropriação de imóveis quando configurado o trabalho escravo. A cerimônia contou com a presença da cantora Alcione e da atriz Letícia Sabatella, que disse: "Esse sim será um golaço antes da Copa do Mundo". Na prática, a PEC só terá validade quando o Senado aprovar o projeto de lei 432, sobre a regulamentação e a definição do que é trabalho escravo, que, por um acordo de líderes, deverá ser apreciado na

semana que vem. A matéria será promulgada na quinta-feira da outra semana. A proposta está parada na comissão temática que analisa o assunto. A PEC, do ex-senador Ademir Andrade (PSB-PA), tramitava no Congresso desde 1999. A emenda alterou o artigo que trata da desapropriação de imóveis, sem indenização, quando constatado que a terra é usada para o plantio de psicotrópicos. A redação incluiu a expressão "a exploração de trabalho escravo". As terras desapropriadas irão para a reforma agrária ou para construção de casas populares. Rodrigo Paiva/EC

PIZZOLATO

O

ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse ontem que o governo brasileiro pedirá novo julgamento de Henrique Pizzolato se a Justiça italiana não autorizar a extradição do ex-diretor do Banco do Brasil. O pedido de extradição de Pizzolato seria julgado ontem pela Corte de Apelação de Bolonha, mas o julgamento foi adiado para o dia 28 de outubro. O ex-diretor foi condenado a 12 anos e 7 meses de prisão no processo do Mensalão, no Supremo Tribunal Federal (STF). "Uma das medidas que pode ser tomada, caso não se conceda a extradição, é solicitar

o julgamento, na Itália, pelos delitos aqui praticados", disse Cardozo. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, já se manifestou favoravelmente à extradição. Segundo Cardozo, o governo brasileiro ofereceu todas as garantias solicitadas pelo Estado italiano na fase inicial do julgamento e está pronto para trazer Pizzolato.

PENA MAIOR PARA CONTRABANDO

O

Senado aprovou ontem projeto que aumenta as penas em caso de contrabando. Além disso, a proposta define com mais clareza a diferença entre contrabando e o chamado descaminho, que é quando a pessoa pratica a sonegação fiscal, deixando de pagar um imposto quando ingressa no país com algum produto. Hoje, esses dois tipos de delito, que têm gravidade diferente, recebem a mesma punição. O projeto define que o crime

contrabando, no Código Penal, é o "ato de importar ou exportar mercadoria proibida". No caso de contrabando, a pena foi elevada para 2 a 5 anos de reclusão. Hoje, é de 1 a 4 anos. Já o descaminho é a sonegação fiscal, definida no projeto como "ato de iludir, no todo ou em parte, o pagamento de direito ou de imposto devido pela entrada, saída ou consumo de mercadoria". Neste caso, a pena é de 1 a 4 anos de reclusão.

Comissão de Estudos Constitucionais da OAB analisa a possibilidade de recorrer ao STF uristas ouvidos ontem pe- lei, e não dos homens", afirlo blog de Reinaldo Azeve- mou Velloso. do, em Veja online, tamELEITOREIRO bém criticaram o decreto Para o ex-ministro da Justiça 8243 que determina a implantação de "conselhos populares" Miguel Reale, também ouvido formados por integrantes de pelo blog, o decreto é eleitoreimovimentos sociais para opi- ro: "Dilma ganha diálogo com nar sobre os rumos de órgãos e os movimentos sociais e pode dizer 'eu dei poder para voentidades do governo federal. A Comissão de Estudos cês'". "É uma democracia pior Constitucionais da Ordem dos que a Venezuela, uma balbúrAdvogados do Brasil (OAB) dia, um caldeirão. É mais graanalisa a possibilidade de re- ve do que os governos bolivacorrer ao Supremo Tribunal Fe- rianos da América do Sul, porderal (STF) para tentar barrar que esse decreto reconhece que movimentos não institua medida. O jurista Valmir Pontes Filho, cionalizados têm o poder de que preside a comissão, afir- estabelecer metas e interferências na admimou que o decrenistração pública. to é "realmente Qualquer um popreocupante" de criar um orgaporque "há várias nismo para ter inindicações de É coisa terferência", conflito com a bolivariana, completa Reale. O Constituição". com jurista se refere ao aparência de fato de que o dePERIGO " A C o n s t i t u icreto, no inciso I legalidade, ção, quando fala mas inconsti- do artigo 2º., traz de participação uma definição de tucional. p o p u l a r , é e xsociedade civil CARLOS VELLOSO pressa ao prever que compreende como método de "os movimentos soberania o voto direto e se- sociais institucionalizados ou creto. É o princípio do 'um ho- não institucionalizados". mem, um voto'", explicou o exNa avaliação do ministro presidente do STF Carlos Vel- Gilmar Mendes, do STF, a crialoso ao colunista. "Sem dúvida ção dos conselhos populares isso é coisa bolivariana, com também abre espaço para dúaparência de legalidade, mas vidas sobre a representativiinconstitucional. Hugo Chá- dade daqueles que serão resvez sempre lutou para gover- ponsáveis por discutir polítinar por decreto. Nicolás Madu- cas públicas. ro, a mesma coisa. Isso está "À medida em que essas ocorrendo também na Bolívia pessoas vão ter acesso a óre no Equador. É um movimen- gãos de deliberação, surge a t o s u l - a m e r i c a n o e s s e t a l dúvida de como vão ser coopconstitucionalismo bolivaria- tados, como vão ser seleciono, mas é algo que pugna pelo nados. Se falamos de movifortalecimento do Executivo, mentos sociais, o que é isso? por uma ditadura e que prega Como a sociedade civil vai se a vontade dos detentores do organizar? O grande afetado p o d e r. O p ro b l e m a d e s s e em termos de legitimidade constitucionalismo é que ele é de imediato é o Congresso", um constitucionalismo que afirmou. "Tudo que vem desnão é. Constitucionalismo se eixo de inspiração bolivapressupõe liberdade, Estado riano não faz bem para a deconstitucional e vontade da mocracia", finalizou.

Dilma defende conselhos populares

J

"Muitas cabeças pensam melhor", diz. presidente Dilma Rousseff e seu vice, Michel Temer, deram declarações divergentes ontem sobre o decreto 8243. "Muitas cabeças pensam mais do que só a cabeça do Executivo. É uma convicção que nós temos e faz parte, eu acho, da construção da democracia no nosso país", afirmou Dilma ontem em Brasília, em reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social.

A

Já Temer afirmou: "É provável que venha a ter um projeto de lei sobre isso. É uma matéria que está sendo discutida. Os conselhos são sempre úteis, mas vale mais um projeto de lei para integrar o Congresso Nacional nesta discussão." Dez partidos na Câmara dos Deputados decidiram apoiar pedido de urgência na votação de um projeto que derruba o decreto de Dilma, publicado em 23 de maio. (Estadão Conteúdo)

FORA DA PAUTA Na semana passada, Dilma O líder do DEM na Câmara, editou um decreto que cria deputado Mendonça Filho nove instâncias de negocia(PE), classificou na tarde de ção e comunicação com a soontem de "equivocada" a de- ciedade. A norma, prevista cisão do presidente da Casa, pelo Planalto desde 2010, teH e n r i q u e E d u a r d o A l v e s ve sua redação acelerada a (PMDB-RN), de não pautar o partir das manifestações do projeto que visa a ano passado. sustar os efeitos Para Mendonde um decreto da ça, autor do projepresidente Dilma to que quer derruRousseff que cria bar a norma editaÉ mais os conselhos poda por Dilma, as grave do pulares. queixas da oposique os Mendonça Fição não são eleigovernos lho também distoreiras. "Mesmo se que discorda se não fosse um bolivarianos da avaliação de ano de eleição, eu da América Alves, que afiradotaria a mesma do Sul. mou que a oposipostura. Estou faMIGUEL REALE ção utiliza um zendo uma defediscurso injusto sa institucional, e "político-eleitoral" nas crí- porque é uma agressão ao Poticas à decisão de Dilma. "O der Legislativo", avaliou. Ele Conselho não pode ter uma também argumentou que sua força maior do que o voto", proposta deveria ser pautada, disse o deputado do DEM. u m a v e z q u e c o n t a c o m o "Do contrário, você governa- apoio de 10 partidos na Casa. ria só com conselhos". (Redação DC)

Barbosa ironiza mensaleiros que vão à corte internacional Segundo ele, o órgão não tem poder sobre processo regulado pelas nossas leis. Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, ironizou ontem a estratégia de parte dos presos do Mensalão de recorrer à Comissão Interamericana de Direitos Humanos, órgão ligado à Organização dos Estados Americanos (OEA), contra a condenação no tribunal. Os ministros discutiam recurso de réus que são julgados na Justiça do Rio e pediam para ser investigados no STF uma vez que foram denunciados em um caso envolvendo ação penal contra o deputado Anthony Garotinho (PR-RJ). Congressistas têm foro privilegiado e, por isso, só podem ser investigados pelo Supremo. O debate sobre o pedido, que acabou negado pelos ministros, provocou a reação do presidente do Supremo. A fala ocorreu numa provocação do ministro Marco Aurélio Mello: "Em todos os casos, os cidadãos é que querem ser julgados pelo Supremo?". Relatora, a ministra Cármen Lúcia explicou: "eles querem permanecer aqui". Joaquim Barbosa então disparou: "Não é incomum. Depois vão procurar a Corte

O Reunião Conselho de Economia - COE Dia: 09 de junho de 2014, segunda-feira Horário: 10 horas Local: Rua Boa Vista, 51 – 9º andar – Centro – SP

TEMA:

“Panorama da Educação Básica no Estado de São Paulo”. PALESTRANTE:

HERMAN VOORWALD Secretário de Estado da Educação Ex-reitor da Unesp (Universidade Estadual Paulista) e professor Ɵtular da Faculdade de Engenharia da mesma universidade, da qual foi também vice-reitor e assessor-chefe de Planejamento e Orçamento. É também membro do Conselho Superior da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo).

Barbosa: réus querem ser julgados aqui, depois buscam cortes fora. Interamericana de Direitos Humanos", afirmou o presidente do Supremo com uma sonora gargalhada ecoando pelo plenário. Defesas de quatro condenados do Mensalão, como a do ex-ministro José Dirceu, recorreram à Comissão Interamericana. O principal argumento é que não foi assegurado aos réus sem foro privilegiado o direito de ser julgado em duas oportunidades distintas, seja por outra instância que não o Supremo, como determina Convenção Americana de Direitos Humanos. De acordo com ministros e ex-ministros do STF, o órgão internacional não tem poder

de interferir em um processo regulado pelas leis brasileiras. Quando a OEA condena, as punições são aplicadas contra os países que fazem parte da organização. Entre as penas estão a obrigação de pagar indenizações a vítimas de violações a direitos humanos. Relator do Mensalão – maior processo criminal já julgado pelo Supremo do Brasil – e o mais polêmico presidente da história recente da Corte, Barbosa, anunciou, na semana passada, que decidiu antecipar sua aposentadoria para este mês. Ele afirmou que o Mensalão vai sair de vez da sua vida. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

7

Só se elege um poste quando há um poste do outro lado. Chico Santa Rita, coordenador de campanhas políticas

Candidato precisa 'parar em pé sozinho'

Marcos Mendes/LUZ

Depois de 35 anos de campanhas eleitorais, o jornalista Chico Santa Rita analisa o atual momento político. Victória Brotto marqueteiro político Chico Santa Rita, depois de coordenar por 35 anos campanhas eleitorais brasileiras, afirma que no Brasil, depois de passarem anos de regime militar, impeachment de um presidente, estabilização da economia e ascensão social, um candidato a qualquer cargo político "precisa parar em pé sozinho". "Para isso, não basta ter os recursos financeiros necessários, nem ser trabalhado por um marketing político adequado". Santa Rita acaba de lançar o livro Batalha Final: o marketing político levado às últimas c o n s e q u ê n c i as (Editora Pontes, R$ 45), no qual conta como contornou o apoio massivo do então presidente Lula ao candidato rival nas eleições de 2008 para o governo do Mato Grosso do Sul e que esteve por trás da disputa entre Campo Grande e Cuiabá para sediar alguns jogos da Copa do Mundo. "O que está acontecendo hoje com a Copa é o que aconteceu com a escolha de Cuiabá: um tapetão da CBF e da Fifa que não vê o mérito, mas toma a decisão pelos acordos políticos, que não estão dentro da legalidade". Chico, em conversa com o Diário do Comércio, falou também sobre a fragilidade da presidente Dilma Rousseff na disputa pela reeleição, sobre a vitória nas urnas acontecer mais pelos erros do adversário do que pelos acertos do próprio candidato e revela que o "eleitor brasileiros não liga para a Lei da Ficha Limpa". Leia abaixo a entrevista completa:

O

Diário do Comércio – O senhor diz que não adianta ter bom marqueteiro nem dinheiro para alguém se reeleger, que só

se reelege quem tem "uma boa plataforma de realizações". Tendo isso em vista, a presidente Dilma pode se sentir segura? Chico Santa Rita – Só vemos se a plataforma de realizações é boa pelos números de aprovação do governo. O que acontece quando você é candidato pela primeira vez, é que você pode ter uma ideia, uma proposta, mas quando você é candidato pela segunda vez, você só pode mostrar uma boa ou má administração. No caso da Dilma, ela não tem hoje condições boas para reeleição porque a aprovação dela está abaixo dos 40%, o que não é índice de aprovação. Com a ex-

tem 40% de intenção de voto que ela ganha. DC – Um número importante também foi o crescimento de Aécio Neves nas pesquisas. C.S – Sim, ele foi o candidato que mais cresceu nas últimas pesquisas. Mas há uma situação delicada na qual Dilma tem a favor dela o aparato midiático, ela está permanentemente na mídia, o que não acontece com os outros candidatos. Além disso, ela fica se promovendo, com ações midiáticas enquanto presidente quando falou no Dia do Trabalho – só falta ela falar no Dia dos Namorados – e também temos o horário de propaganda na televisão, que o dela é

poste quando há um poste do outro lado. Aécio e Campos também param em pé, mas ganhar uma eleição envolve mais fatores. O que já é tendência no cenário político brasileiro é que as vitórias não foram causadas pelos acertos do vitorioso, mas pelos erros dos derrotados. Há oito anos, chegamos num extremo com a campanha do ex-governador de São Paulo onde ele teve menos voto no segundo turno do que no primeiro. Os erros da campanha eram tão grandes que nem deu para segurar. DC – Mas o movimento Volta Lula não seria um sinal de que Dilma não fica em pé? C.S – Não. Primeiro que não acredito que haja essa possibilidade por uma simples r a z ã o : s e Lu l a voltar, ele vai estar assinando o fracasso da pessoa que ele indicou e vai difícil explicar isso na campanha. DC – A definição do vice de Aécio Neves é importante para o futuro de sua campanha? C.S – O que o vice tem que fazer numa eleição é não atrapalhar.

periência que tenho, vendo esse índice, posso dizer que esses 40% não são suficientes. DC – Mas parece que o discurso do medo do PT deu certo, porque ela cresceu até os 40%. C.S– Sim, mas esse discurso indica que há uma preocupação muito grande do PT com o que Dilma pode mostrar de efetivo de seu governo. Essa propaganda foi quase uma apelação. Dilma pode estar numericamente na frente, mas a política não é aritmética. Não é porque ela

bem maior do que o dos outros adversários. É um erro da democracia brasileira. Um candidato que vai disputar a reeleição deveria sair de cena. DC – Uma das falas que o senhor repete no livro é que "um candidato precisa parar em pé sozinho". Dilma, Aécio e Campos param em pé sozinhos? C.S – A Dilma para em pé como parou na outra campanha. Essa história do Lula eleger um poste, o que acontece, na verdade, é que só se elege um

DC – Mas Marina Silva parece estar atrapalhando Eduardo Campos no diálogo com empresários e, principalmente, com o setor agropecuário... C.S – Isso é uma questão do encontro de contrários. Eles estão discutindo mais entre si mesmo do que qualquer outra coisa para tomar um caminho semelhante e que não assuste. Um equívoco é pensar que como a Marina teve X votos na eleição passada, ela vai ter X votos ou mais agora. Cada eleição é cada eleição, cada

Total de pessoas presas no Brasil sobe para 715 mil Márcio Fernandes/Estadão Conteúdo - 13/01/2014

ados divulgados ontem pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) mostram que o total de detentos nas penitenciárias e em prisão domiciliar do País chega a 715.655. O dado foi obtido pelo conselho após consulta aos juízes de execuções penais das 27 unidades da federação. O número divulgado ontem é 30% superior ao dado mais atual do governo brasileiro, que indica 548 mil detentos e não inclui os presos em prisão domiciliar. Uma atualização do Ministério da Justiça sobre a população carcerária deve ser divulgada neste mês. Segundo o site de notícias G1, em maio, o CNJ contabilizava a população carcerária em aproximadamente 567 mil pessoas, sem considerar os que cumprem pena em casa, por estar em regime aberto ou por falta de vagas no semiaberto. O conselho informou que, em todo o País, há 147.937 pessoas em prisão domiciliar. Os presos do regime fechado ainda podem cumprir pena em prisão domiciliar, por exemplo, por mau estado de saúde ou

D

enquanto aguardam julgamento em prisão provisória. Terceiro lugar – Conforme o CNJ, o número atualizado de detentos coloca o Brasil como a terceira maior população carcerária do mundo, considerando informações do Centro Internacional de Estudos Prisionais, do King’s College, de Londres. Até então, a Rússia que tem 676.400 presos, estava na terceira posição do ranking. O novo censo carcerário do Brasil colocou os russos na quarta colocação. Déficit de vagas – Ainda segundo o CNJ, o número de

presos também aumenta o déficit de vagas nas penitenciárias brasileiras. Os dados mais recentes apontavam falta de 210 mil vagas e o déficit agora é de 358 mil vagas.

Segundo CNJ, País passa a ter a 3ª maior população carcerária. Na foto, detentos do Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís, no Maranhão.

Outras considerações – "Considerando-se as prisões domiciliares, o déficit passa para 358 mil vagas. Se contarmos o número de mandados de prisão em aberto, de acordo com o Banco Nacional de Mandados de Prisão (373.991), a nossa população prisional saltaria para 1,089 milhão de pessoas", ressaltou Guilherme Calmon, supervisor do Departamento de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário do CNJ. (Agências)

Rua Silva Bueno, 2.719 Ipiranga - São Paulo/SP www.casacruzferramentas.webstorelw.com.br

Corneta CORTE: Bedame, Bits, Serra Circular, Fresa, Macho, Broca; MANUAL: Lima, Algarismo/Alfabeto, Chapa; QUÍMICOS: Marcador Industrial, Pasta Ajuste e Trava Rosca; ABRASIVOS: Rebolos, Pedras, Discos e MUITO MAIS.

11

2215-5422 / 5244

www.casacruzferramentas.com.br

Chico Santa Rita: "Brasileiro não liga para a Lei da Ficha Limpa". momento político é diferente, a candidatura não é uma situação solitária. DC – E qual é o momento político hoje? C.S – O governo sem dúvida nenhuma já tem um ônus com relação à Copa. Uma eventual vitória da seleção brasileira não vai ser uma vitória do governo, porque o esporte vai estar à parte disso. As obras estão superfaturadas, aqui em Brasília, a população está horrorizada porque há deficiências terríveis em segurança e saúde e o estádio custou três vezes mais do que o previsto. E Brasília nem tem tradição no futebol, os times daqui não estão nem na segunda divisão. O que vai fazer com esse estádio depois? DC – Mas quando o senhor fala, no livro, da disputa entre Cuiabá e Campo Grande pelos jogos da Copa, o senhor diz que o governo precisa conscientizar as pessoas da importância da Copa. Essa conscientização falhou então, analisando o que o senhor diz de Brasília e os protestos de "Não Vai ter Copa"?

C.S – Mostra uma desorganização e uma questão de má intenção. Quando você compara uma cidade com Cuiabá e com Campo Grande você percebe que não poderia ter aberto mão de Campo Grande, que tem mais atributos para receber a Copa. Mas foi

O que está acontecendo hoje com a Copa é o que aconteceu com a escolha de Cuiabá: um tapetão da CBF e da Fifa. CHICO SANTA RITA

novamente uma decisão política, uma decisão que não levou em conta a realidade, levou em conta um favorecimento político. E o que está acontecendo hoje com a Copa é o que aconteceu com a escolha de Cuiabá: um tapetão da CBF e da Fifa que não vê o mérito, mas toma a decisão pelos acordos políticos, que não estão dentro da legalidade.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

8

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Reuters

G-7 inicia contagem regressiva a Putin

Thomas Bregardis/Reuters

Sob ameaça de novas sanções, líder russo terá um mês para mudar suas políticas em relação à Ucrânia.

presidente norteamericano, Barack Obama, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron, disseram ontem que o grupo das sete principais economias do mundo, conhecido como G-7, concordaram, após dois dias de conversas, com a imposição de sanções mais duras contra a Rússia, a menos que o país atenda suas novas exigências no prazo de um mês. Obama e Cameron afirmaram que os líderes concordaram que o presidente russo, Vladimir Putin, deve reconhecer a legitimidade da eleição que escolheu Petro Poroshenko como o novo presidente ucraniano. Segundo eles, a Rússia também deve parar de enviar armas para separatistas ucranianos, fazer com que eles baixem suas armas e trabalhar com o governo em Kiev. "Se essas coisas não acontecerem, sanções setoriais serão impostas", afirmou Cameron. "O próximo mês será vital para avaliar se o presidente Putin tomou essas medidas." Mas se Putin "mantiver a rota atual", declarou Obama, os Estados Unidos e a Europa começarão a impor restrições em amplos setores da economia russa. "Teremos uma chance de ver o que Putin fará nas próxi-

O

mas duas, três, quatro semanas", disse Obama. "Se Putin adotar essas medidas, será possível para nós iniciarmos a reconstrução da confiança entre Rússia, EUA e Europa." Segundo o presidente do Conselho Europeu, Herman Van Rompuy, os líderes do G-7 transmitirão essa mensagem "pessoalmente" a Putin na celebração do 70º aniversário do Dia D, data em que as tropas aliadas desembarcaram na França, durante a Segunda Guerra Mundial. Pela primeira vez em 17 anos, a Rússia foi excluída da reunião do G-7 por causa da crise ucraniana. Ao ser questionado por jornalistas em São Petersburgo sobre o que achava de o país ter sido excluído da cúpula dos países mais ricos e industrializados, Putin respondeu: "Que façam bom proveito". Ontem, a Rússia também anunciou sanções a dezenas de cidadãos, empresas e organizações dos EUA em resposta à semelhante punição adotada por Washington. Moscou informou que aplicou sanções não só aos EUA, mas a todos os países que puniram a Rússia por sua intervenção no conflito da Ucrânia, incluindo algumas nações da UE e o Canadá. (Agências)

O veterano britânico Frederick Glover observa paraquedistas durante comemoração em Ranville, no norte da França.

DIA D

Divulgação/Reuters - 06/06/1944

Pascal Rossignol/Reuters

O desembarque de norte-americanos na praia de Omaha em 1944 (à esq.), e a encenação da operação realizada ontem (à dir.). Divulgação/Reuters - 07/1944

Chris Helgren/Reuters - 23/08/13

Soldados britânicos observam a destruição de Caen, após a derrota dos alemães em 1944 (à esq.), e a cidade nos dias atuais (à dir.).

Ammar Awad/Reuters

López contra López. Quem perdeu foi a Venezuela.

Líder opositor é mantido preso e será julgado por instigar protestos violentos

Justiça da Venezuela decidiu ontem submeter a julgamento o líder opositor Leopoldo López, acusado de promover uma onda de manifestações violentas contra o governo do presidente Nicolás Maduro. A decisão foi anunciada na madrugada de ontem, após uma audiência de três dias a portas fechadas em um tribunal em Caracas. A juíza responsável pelo caso, Adriana López, aceitou a acusação da Procuradoria contra López pelos delitos de incêndio, instigação pública, danos à propriedade pública e associação para delinquência. Ela determinou ainda que o político permaneça recluso em uma prisão militar de Ramo Verde, nas proximidades da capital. López, líder da ala mais radical da oposição, está preso desde fevereiro. Se for declarado culpado, o dirigente do partido Vontade

Veteranos de guerra e líderes mundiais reúnem-se hoje na Normandia para comemorar o 70º aniversário da data em que 160 mil tropas aliadas desembarcaram na França para derrotar os nazistas na Segunda Guerra Mundial

Santi Donaire/EFE

A

A punição de Israel: casas. Novos assentamentos seriam retaliação contra governo de unidade palestino Polícia israelense detém palestino durante protesto em Jerusalém Ministério de Habitação de Israel decidiu avançar nos planos de construir 1,5 mil novas unidades habitacionais de assentamento na Cisjordânia e em Jerusalém Oriental como resposta ao novo governo de unidade palestino. Após o anúncio israelense, a Organização pela Libertação da Palestina (OLP) disse que vai fazer um apelo ao Conselho de Segurança e à AssembleiaGeral da Organização das Nações Unidas (ONU) para deter o avanço dos assentamentos. "Esta última licitação de 1,5

O

Pichação em Chacao pede a libertação do líder opositor Popular (VP) poderá ser condenado a 13 anos, 9 meses e uma semana de prisão. Em carta lida por colegas de seu partido, López disse que a juíza "vendeu sua consciência ao poder corrupto". A defesa denunciou que não teve acesso às provas ligadas ao caso. A previsão é que o jul-

gamento ocorra em agosto. Líderes do VP alertaram para o risco de manter o opositor na prisão. "Com Leopoldo López estão abrindo o precedente para julgar qualquer um", disse o coordenador político adjunto do partido, Freddy Guevara, que convocou um protesto no próximo domingo. (Agências)

mil unidades não é parte de uma nova estratégia, mas sim de uma política sistemática e deliberada que pretende roubar a terra dos palestinos e fazer uma limpeza étnica na Palestina histórica", disse Hanan Ashrawi, membro do comitê executivo da OLP. O anúncio da ampliação dos assentamentos coincide, além disso, com o 47º aniversário da ocupação militar por parte de Israel de Jerusalém Oriental, Cisjordânia e Faixa de Gaza. O ministro Uri Arial disse em comunicado que a medida é

"uma resposta sionista para a formação de um governo de terror da Palestina". Segundo ele, os planos para a habitação são "apenas o começo". O local de construção das novas residências são em áreas que os palestinos reivindicam como seu futuro Estado. Israel prometeu adotar medidas punitivas em resposta à iniciativa de segunda-feira do presidente da Autoridade Palestina (ANP), Mahmoud Abbas, de empossar um governo de unidade, que tem apoio do islamita Hamas, que se opõe à existência israelense. (Agências)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

9

Não estamos definindo nada, nem ameaçando, mas como todos já viram nós conhecemos o caminho do Itaquerão. Zelídio Barbosa, coordenador do acampamento Copa do Povo, em Itaquera.

O ITAQUERÃO BLINDADO Estádio de abertura da Copa do Mundo tem esquema de segurança contra protestos de sem-teto e de black blocs, e até proteção contra ataque de armas químicas. Peter Leone/Futura Press

Mariana Missiaggia

alco da abertura da Copa do Mundo na próxima quinta-feira e destino final da maioria das manifestações realizadas na cidade nesta semana, o estádio Itaquerão está recebendo um forte esquema de segurança. Bases da Polícia Militar (PM) e do Exército já estão montadas no entorno do estádio, que deve receber cerca de 1,3 mil agentes de segurança. Ontem, dos 735 policiais militares do 1º Batalhão Copa que vão cuidar dos arredores da Arena Corinthians, apenas parte deles estava visível, mas a base da PM dentro do Itaquerão já está funcionando. As principais preocupações da PM são com manifestações violentas anti-Copa, atentados terroristas e crimes, como roubos e furtos. O Comando de Policiamento Copa (CPCopa) vai atuar com o objetivo de minimizar eventuais riscos. Em dias de jogos, só quem tiver ingresso ou esti-

P

ver com veículo credenciado poderá permanecer em um raio de 2 quilômetros do estádio. No entorno, haverá barreiras. "Acreditamos que um dos locais mais seguros na cidade de São Paulo, hoje, é onde v a i s e r re a l i z a d a a abertura da Copa. Nosso batalhão é responsável por toda a segurança patri monial externa do estádio 24 horas por dia para evitar danos, depredações e etc", disse o tenente-coronel Antonio Valdir, do 1º Batalhão de Policiamento da Copa. Base – O Exército brasileiro montou sua base ao lado da arena, atrás da arquibancada norte, em um terreno descampado para a defesa do espaço aéreo do estádio e de seu entorno. Da rua, só é possível ver o entra e sai de agentes e veículos da corporação. O espaço tem uma visão privilegiada de todo o complexo, e também será usado como heliponto para o desembarque das auto-

Tropas treinadas nesta semana a última quarta-feira houve novo treinamento para situações de ataque químico na Arena Corinthians, o Itaquerão. O Exército simulou a ocorrência com 100 mili-

N

tares e 80 homens do Corpo de Bombeiros, Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e da Defesa Civil. A ação serve para preparar os profissionais que farão a segurança. (MM)

ridades que frequentarão o Itaquerão durante a Copa. Em um nível abaixo do heliponto, está posicionada a base do Exército, bem camuflada. Nenhuma aeronave não identificada poderá sobrevoar o perímetro a ser estabelecido pelo Exército. O esquema contará com bateria antiataques aéreos, armada com mísseis capazes de atingir um alvo a 5 quilômetros de distância. A 4 quilômetros dali, se concentra um dos maiores temores da PM, o acampamento de sem-teto "Copa do Povo", que reuniu 12 mil pessoas e já marchou em direção ao Itaquerão. Sebastião Moreira/EFE

Tropa de elite: nos dias de jogos, o estádio Itaquerão terá um isolamento de 2 quilômetros de raio contra todo tipo de manifestação: sem-teto, black blocs, grevistas etc. Polícia Militar e Exército (foto acima) garantem a blindagem do novo estádio, até contra ataque de armas químicas, como gases. Ao lado, marcha de semteto nesta semana em direção ao Itaquerão.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

10

sexta-feira, 6 de junho de 2014

"QUEREMOS TRABALHAR!" Greve dos metroviários, iniciada ontem e que deve ser mantida hoje, teve a oposição de trabalhadores que romperam portões na estação Itaquera para pegar trens.

Fotos de Chico Ferreira/Reuters

Na estação Itaquera (do Metrô), aconteceu um fato espetacular. Os portões amanheceram trancados. Acontece que eles dão acesso também à estação da CPTM, dos trens. Impedir o usuário de entrar na estação significa deixá-lo sem o trem. Pois bem: aqueles que queriam trabalhar não tiveram dúvida: arrebentaram o portão e entraram. Ocorre que não vejo, nesse caso, um ato de vandalismo, mas de resistência. "Queremos trabalhar, queremos trabalhar", gritavam esses usuários. A linha chegou a ser invadida, exigindo que as composições parassem." REINALDO AZEVEDO, COLUNISTA DE VEJA

ma cena inesperaAs imagens mostram cena da, registrada por surpreendente de resistência fotógrafos e cine- ao movimento grevista, como grafistas, marcou, observou o jornalista, Reinalontem, a greve dos metroviá- do Azevedo, em sua coluna no rios da cidade de São Paulo – site de VEJA: "O dia em que traparalisação que criou o caos balhadores arrombaram o no trânsito e prejudicou 4,5 portão do Metrô para trabamilhões de pessoas. Jovens lhar e gritaram palavras de ortrabalhadores que chegaram dem contra a greve" (leia parte bem cedo à estação do Metrô de seu texto nesta página). de Itaquera, na zona leste da Governador – Pela manhã, o Capital, encontraram os por- governador Geraldo Alckmin tões fechados. Um recado em já criticara a decisão da greve p a p e l i n f o ranunciada na mava sobre a tarde de quargreve dos meta-feira pelo troviários, Sindicato dos mas para peM et ro vi á r io s g a r o s t re n s e mantida ondas 65 estações do d a C o m p atem depois de nhia Paulista audiência Metrô na capital de Trens Mesem acordo paulista estavam trop ol it an os n o Tr i b u n a l funcionando na (CPTM) e seRe g i o n a l d o guir para a diTrabalho. "É noite de ontem, às reção Centro uma greve 20 horas, segundo o este pessoal sem sentido", G1. O TRT cobrou precisava disse o goveruma frota mínima. passar pelo nador do Esp o r t ã o t r a ntado de São cado. Eles não Pa u l o . " N ó s tiveram dúvidas e começa- vamos entrar com os pedidos ram a gritar: "Queremos tra- de greve abusiva (na Justiça) e b a l h a r , q u e r e m o s t r a b a- todas as suas consequências lhar..." O grupo empurrou e civis e trabalhistas e, ao meschutou o portão até que ele ce- mo tempo, com o pedido de deu (foto ao alto), e os trabalha- dissídio." dores entraram, então, na esSegundo Alckmin, a propostação e se dirigiram aos trens ta oferecida pelo Metrô equida CPTM. Com medo de os vale ao dobro da inflação. trens não pararem na estação, "Não tem o menor sentido o grupo pulou nos trilhos para uma greve que prejudica a pofazer uma barreira humana e pulação. Um pequeno grupo, foi retirado dali por policiais muito político, que leva ao militares. "Queremos traba- caos, à bagunça, sem a menor lhar, queremos trabalhar..." razão de ser." (Agências)

U

38

sete dias para o início da Copa do Mundo, greves e paralisações se espalham pelo País. Além da greve dos metroviários em São Paulo, no Rio, funcionários da Companhia Estadual de Águas e Esgoto (Cedae) fecharam a Rua Pinheiro Machado. Eles saíram em passeata após decidirem cruzar os braços por 24 horas. Segundo os organizadores, cerca de mil pessoas participam do ato. E apesar da baixa adesão, os professores e profissionais de ensino do estado e município mantêm uma paralisação desde o dia 12 de maio. E a greve dos vigilantes do Estado do Rio já passou de um mês, prejudicando o serviço de diversas agências bancárias. Em Porto Alegre, servidores municipais continuam a paralisação, e caminhões de lixo são bloqueados por servidores, gerando acúmulo

A

de sacolas nas calçadas da cidade. O atendimento em hospitais em Curitiba ficou comprometido ontem por causa da greve de funcionários de hospitais e instituições de saúde filantrópicas. Segundo o Sindicato dos Empregados em Estabelecimentos de Serviços de Saúde de Curitiba, a adesão à greve é de cerca de 40%. Também no Sul do Brasil, em Criciúma, a greve no transporte coletivo chega ao quarto dia. Em São Luís, a greve dos rodoviários chega ao 15º dia com 70% dos ônibus nas ruas da capital maranhense. Em reunião na terça-feira, os rodoviários decidiram cumprir a determinação da Justiça do Trabalho e voltar a disponibilizar 70% da frota. A greve dos rodoviários foi iniciada no dia 22 de maio. É preciso saber se, com a Copa, as greves vão perder força ou não. (Ag.O Globo)

Mario Angelo/EC

Greve está mantida para hoje m nova audiência ontem à tarde no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) o sindicato dos Metroviários de São Paulo não chegou a um acordo com o governo do estado e com a direção do Metrô. O Sindicato dos Metroviários reduziu um pouco sua proposta de reajuste de 16,5% para 12,2%, mas o Metrô observou que o reajuste oferecido de 8,7%, mais os benefícios como vale-refeição, superam em muito a inflação.

E

Na estação Itaquera, PM precisou conter quem tentava embarcar. Em seguida, em assembleia, os metroviários decidiram estender a greve para esta sexta-feira, dia de jogo da seleção brasileira em São Paulo, às 16 horas, no Morumbi, contra a Sérvia.

O Metrô entrou com ação de dissídio de greve e o Sindicato tem 24 horas para se manifestar. Depois disso, a Justiça poderá determinar se a greve é ou não legal. O relator é o desembargador

Rafael Pugliese e o tribunal não descarta uma análise ainda no fim de semana. A exemplo de ontem, a capital paulista deverá amanhecer com trânsito complicado. Não se sabe se o sindicato irá cumprir a exigência do TRT de manter 100% do funcionamento do metrô nos horários de picos e 70% nos demais períodos. Ontem, a desembargadora Rilma Hemetério deu uma bronca nos metroviários. "A minha ordem não foi para os senhores colocarem em apreciação na assembleia, a minha ordem foi para ser cumprida", disse. Rilma referia-se ao fato de o presidente do sindicato alegar que o assunto não tinha sido tratado em assembleia.

A COPA NAS CIDADES

BOAS VINDAS NO CONGONHAS – Quem desembarcar nesse aeroporto vai entrar no clima da Copa com a linda homenagem feita pelo artista Paulo Consentino a Neymar, Messi, Cristiano Ronaldo, Iniesta, Ribery e Balotelli.

Vanessa Carvalho/EC

Paralisações ocorrem também em outras capitais

Revolta contra os grevistas: jovem tenta passar por portão fechado na estação Itaquera, do Metrô. Ao lado, uma tentativa desesperada de parar os trens da CPTM. Objetivo era chegar ao trabalho.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

11

ESPANHA PAGA O DOBRO Os jogadores da seleção da Espanha, atual campeã mundial, receberão R$ 2,2 milhões cada um se levantarem a Copa no Brasil. O valor é o dobro do que ganharão alemães ou brasileiros caso conquistem o título.

Hoje, a Seleção da estreia.

PELO

MUNDO

Wilton Junior/Estadão Conteúdo

Seleção brasileira para a estreia na Copa do Mundo contra a Croácia entra em campo hoje no Morumbi. Felipão elegeu o amistoso diante da Sérvia, às 16h, no estádio do São Paulo, como o último ensaio do Brasil e não vai mudar a escalação até o jogo de abertura do Mundial, no próximo dia 12, no Itaquerão. O treinador quer usar o amistoso para o ajuste final das peças e, em especial, conquistar a capital paulista que, por tradição, não costuma embalar a Seleção em seus braços. D i a n t e d e s s e q u a d ro , o amistoso contra os sérvios vai servir de termômetro para o treinador avaliar melhor se acertou na sua decisão de repetir, um ano depois, a seleção que encantou o País na Copa das Confederações. Felipão, com certa dose de sorte, não perdeu nenhum dos jogadores que levantaram a taça no Maracanã com a vitória na final contra a Espanha. Nem mesmo os que estão com baixo rendimento, caso de Oscar e Fred, serão preteridos. Há no comando central da comissão técnica a expectativa de que o time possa repetir o jeito de jogar de um ano atrás e trazer a torcida junto da Seleção. A receita não tem nenhum segredo. Felipão vai insistir na marcação por pressão na saída de bola da Sérvia para roubar a bola e beliscar um gol antes dos 15 minutos iniciais. Se for eficiente nessa estratégia, o treinador tem certeza que o torcedor paulistano abraçará a Seleção. "Quando a gente consegue o primeiro gol, parece que tudo aquilo que foi trabalhado deu certo, a torcida passa a apoiar muito mais e o time adversário desmorona. É importante sim sair na frente", disse Felipão. "Mas, se sofrermos o gol, é fundamental também a Seleção não mudar o seu jeito de jogar para não ser surpreendida". A ordem do treinador é não correr risco no sistema defensivo, sob pena de jogar tudo fora se, por acaso, o time não emplacar um gol logo de cara. "Nossa meta na defesa é ‘sofrer’ zero gol. Não existe outra margem. Se não sofrermos nenhum gol, a chance de vencer é muito grande por-

METRÔ DÁ OLÉ EM CARTOLAS

A

A

JF Diorio/Estadão Conteúdo

Willian treinou entre os titulares na manhã de ontem na Granja Comary. Ele vem ganhando a confiança de Felipão e é a principal opção de substituir Oscar, que não participou da atividade, pois foi liberado para ir a Campinas assistir ao nascimento de sua primeira filha, Júlia. O meia se reapresentaria à noite e joga contra a Sérvia, que ontem fez treino de reconhecimento no Morumbi (à esq.).

que nosso ataque sempre faz pelo menos um", revelou o zagueiro e capitão Thiago Silva que, ao lado de Paulinho, volta ao time. Mais que ajustes táticos e realinhar a sua estratégia, Felipão quer seus jogadores no clima de Copa do Mundo, a seis dias da abertura da festa. A atmosfera do amistoso contra os sérvios, avalia o treinador, é uma prévia da comunhão que vem por aí entre a torcida e a Seleção brasileira. "Vocês têm visto todas as nossas entrevistas, estamos juntos (com a torcida). E, nas ruas, quando passamos pelos lugares, têm sido muito bonito. É muito parecido com o que vivi

Reprodução

magia hipnotizante de Lionel Messi e a graça muscular de Cristiano Ronaldo são alegrias para contemplar. É assim que começa a principal reportagem da The Economist desta semana. E continua dizendo que a grande magia do futebol é seu alcance mundial. "Quase metade da humanidade vai assistir pelo menos parte da Copa do Mundo, que começa no Brasil em 12 de junho." De acordo co a revista, é triste que o torneio comece sob uma nuvem tão grande de suspeitas. "Documentos obtidos pelo britânico Sunday Times revelam supostos pagamentos secretos que ajudaram o Catar a ganhar os direitos de hospedagem para a Copa do Mundo em 2022." Um relatório da Fifa mostra que amistosos foram manipuladas antes da Copa de 2010. "E como de costume, ninguém foi punido." Isso levanta outras questões. "Por que alguém acha que levantar a Copa no meio do verão árabe é uma boa idéia? Por que é o futebol resiste em usar a

A

greve do Metrô em São Paulo pegou em cheio a chegada de alguns dos principais dirigentes da Fifa, que acabavam de desembarcar na capital paulista para reuniões da entidade. Michel Platini não escondeu a surpresa. "Levei duas horas e meia do aeroporto ao hotel." O excraque francês e atual presidente da Uefa está hospedado no Hotel Hyatt. Quem também não deixou de se queixar foi um dos vice-presidentes da Fifa, Jim Boyce. "Foram três horas de trânsito nesta quinta-feira", declarou, balançando a cabeça. Jacques Anouma, presidente da Federação de Futebol da Costa do Marfim e membro do Comitê Executivo da Fifa, também era explícito sobre a situação em São Paulo. "Bem-vindo ao país do trânsito", disse.

em Portugal (em 2006). Espetacular. O outro Mundial que fui foi no Japão. Agora, aqui, é lindo. Vemos as ruas, bandeiras. Acho que já estamos vivendo o clima da Copa". Para garantir esse clima, Felipão precisa, e muito, conquistar os torcedores. E aí só tem um jeito: vencer, e bem, a Sérvia hoje.

CONGONHAS – A Seleção desembarcou no final da tarde em Congonhas, em São Paulo. No aeroporto, apenas alguns funcionários da companhia aérea Gol, que fez o transporte da Seleção e é patrocinadora da CBF, puderam perto do grupo, mas sem qualquer contato. Para o torcedor comum, não deu

BRASIL x SÉRVIA BRASIL – Julio Cesar; Daniel Alves, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Luiz Gustavo, Paulinho, Oscar e Hulk; Fred e Neymar. Técnico: Luiz Felipe Scolari. SÉRVIA – Stojkovic; Gudelj, Pejcinovic, Ivanovic e Kolarov; Markovic, Tadic, Matic e Tosic; Dusan Basta e Mitrovic. Técnico: Ljubinko Drulovic. ÁRBITRO – Não informado. HORÁRIO – 16 horas. LOCAL – Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP).

O ITAQUERÃO ENCOLHEU

C

nem para ver os jogadores quando o ônibus saiu do aeroporto – as janelas tinham insulfilm muito escuro, frustrando as 40 pessoas que foram recepcionar o time. O esquema de segurança funcionou muito bem, isolando o grupo de Felipão. Cercado por grande contingente policial, o ônibus da delegação abriu espaço no trânsito até o Hotel Transamérica, onde a Seleção ficará concentrada. Logo após o amistoso de hoje, a Seleção voltará para a Granja Comary. Retornará a São Paulo na semana que vem para o jogo de abertura da Copa, contra a Croácia, quinta-feira, no Itaquerão. (Estadão Conteúdo)

om sérios atrasos, o Itaquerão terá capacidade inferior ao que a Fifa originalmente pedia para um estádio de abertura de Copa do Mundo – e um público inferior ao que o Morumbi vai receber hoje para o amistoso da Seleção. Diante dos problemas, até o presidente eleito da CBF, Marco Polo del Nero, admitiu: a construção da arena começou tarde demais. Os números finais da Fifa apontam que o estádio do Corinthians terá 61,6 mil lugares. Para o jogo de hoje contra a Sérvia, o Morumbi já vendeu 67 mil ingressos. Originalmente, a previsão era de que a arena em Itaquera teria capacidade para 68 mil pessoas. Entre 2008 e 2010, a Fifa alegou várias vezes que o Morumbi não teria como sediar a abertura porque a reforma não garantiria mais de 65 mil lugares. Reprodução

Uma 'lavada' na Fifa tecnologia checar decisões da arbitragem? E por que é o maior jogo do mundo liderado por um grupo de medíocres – nomeadamente, Joseph Blatter, chefe da Fifa desde 1998?", questiona a The Economist. E responde: "em qualquer outra organização, os escândalos financeiros intermináveis teriam levado a sua expulsão anos atrás. Mas mais do que isso, ele parece irremediavelmente ultrapassado, com seus comentários sexistas sobre mulheres ao interromper um minuto de silêncio para Nelson Mandela depois de apenas 11 segundos. Aos 78 anos, é o tipo de dinossauro que deixou as salas de reuniões corporativas em 1970". E as previsões da revista não são otimistas: "também não é exatamente animador que as tentativas de evitar o que Sr. Blatter desfrute de um quinto mandato estejam sendo lideradas por Michel Platini, que já foi um meio-campista maravilhoso, mas desempenhou um papel lamentável em apoiar a candidatura Catar". Muitos fãs de futebol são indiferentes a tudo isso. O que importa para eles é o jogo bonito, não os ternos velhos dos cartolas. Mas a torpeza moral da Fifa não é única, lembra a The Economist. O Comitê Olímpico Internacional, finalmente, enfrentou um escândalo parecido com o do Catar referente à premiação dos Jogos de Inverno de 2002; o patrão da Fórmula 1, Bernie Ecclestone, é acusado de suborno na Alemanha; e o basquete americano acaba de ter de demitir um proprietário por comentários racistas. Mas os fãs de futebol estão errados ao pensar que não há custo para tudo isso. Primeiro, a corrupção e a complacência na direção tornam mais difícil de combater trapaças em campo. Quantidades cada vez maiores de dinheiro estão sendo apostadas em cada jogo da Copa – podendo chegar e US$ 1 bilhão por partida, diz a revista. Sob

pressão por reformas, a Fifa recrutou bons nomes, incluindo Mark Pieth, "um czar em ética", afirma a The Economist. Mas quem vai ouvir palestras sobre reformas de um órgão cujo rosto público é o Sr. Blatter?, questiona a revista. Em segundo lugar, a corrupção faz vítimas – e não termina quando um país anfitrião é escolhido. A The Economist afirma que em "regimes obscuros", essa é uma grande oportunidade para fraudar os cofres do Estado. Finalmente, há o que a revista chama de custo de oportunidade. "O futebol não é tão global quanto poderia ser. O jogo não foi capaz de conquistar os três maiores países do mundo: China, Índia e Estados Unidos. O soccer (EUA), é jogado, mas não assistido. Na China e na Índia, o oposto é verdadeiro." A reticência dos três grandes de deve muito às suas respectivas histórias e culturas e a força dos esportes estabelecidos, como o críquete na Índia. Mas o futebol vem ganhando terreno – o soccer já está na segunda geração, por exemplo. Para a The Economist, "isso só sublinha a loucura da Fifa dando a taça ao Catar, não à América". "E o ar viciado da sede da Fifa, na Suíça, dificilmente vai tranquilizar fãs jovens na China, que estão cansados da corrupção e manipulação de resultados em suas ligas de futebol nacionais." A The Economist conclui: "seria bom se livrar do Sr. Blatter, mas isso não iria resolver o problema estrutural da Fifa. Embora legalmente constituída como uma organização suíça sem fins lucrativos, a Fifa não tem dono. As organizações nacionais ou regionais de futebol dependem dela. Elevadas barreiras à entrada tornam improvável que surja um rival. Então, a Fifa tem um monopólio sobre o futebol internacional. Uma entidade como esta deveria ser regulamentada, mas a Fifa não responde a ninguém".

OLHA O 'BALÔ' AÍ, GENTE!

B

alotelli está no clima. Ontem, o atacante do Milan e principal astro da seleção italiana usou as redes sociais para avisar aos fãs que está a caminho do Brasil. Usando um desenho, fez as vezes do Cristo Redentor, com os braços abertos, exatamente como o cartão postal do Rio de Janeiro. Conhecido pelo perfil irreverente e, muitas vezes, polêmico, o jogador se colocou no lugar do maior ponto turístico do Rio, com a camisa 9 da Azurra e, claro, seu nome nela. A seleção italiana deve chegar às 6h30 de hoje no Rio. Antes de estrear na Copa do Mundo, contra a Inglaterra, no dia 14, a Itália fará um último amistoso contra o Fluminense, no domingo, às 17h30, em Volta Redonda. (Ag. O Globo)


DIÁRIO DO COMÉRCIO

12

PELO

MUNDO

O MELHOR ANFITRIÃO principalmente, para a Colômbia, que chegará à Copa perdendo três posições e abalada pelo corte do atacante Falcao García. 1) Espanha – 1.485 pontos 2) Alemanha – 1.300 pontos 3) Brasil –1.242 pontos 4) Portugal– 1.189 pontos 5) Argentina – 1.175 pontos 6) Suíça – 1.149 pontos 7) Uruguai – 1.147 pontos 8) Colômbia – 1.137 pontos 9) Itália – 1.104 pontos 10) Inglaterra – 1.090 pontos 11) Bélgica – 1.074 pontos 12) Grécia –1.064 pontos 13) EUA – 1.035 pontos 14) Chile – 1.026 pontos 15) Holanda – 981 pontos 16) Ucrânia – 915 pontos 17) França – 913 pontos 18) Croácia – 903 pontos 19) Rússia – 893 pontos 20) México – 882 pontos

Amistosos Hoje Brasil x Sérvia Rússia x Marrocos Polônia x Lituânia Alemanha x Armênia Croácia x Austrália Japão x Zâmbia Grécia x Bolívia Costa Rica x Rep. Irlanda Portugal x México Amanhã Estônia x Tajiquistão Argentina x Eslovênia Hungria x Cazaquistão Bélgica x Tunísia El Salvador x Espanha Inglaterra x Honduras Estados Unidos x Nigéria Trinidad e Tobago x Irã Domingo São Marino x Albânia França x Jamaica Gana x Coreia do Sul

16:00 11:00 15:00 15:45 20:30 20:30 21:00 21:00 21:30 14:00 15:30 15:30 15:45 17:00 17:45 19:00 21:00 15:30 16:00 21:00

Brasil 3 x 1 Argentina. Quer apostar? s tá aberta a temporada de apostas e palpites sobre a Copa do Mundo. Qual será a seleção campeã? Quem será o artilheiro? Quais serão os craques da competição? Neste bolão, que movimenta casas de apostas em outros países e se restringe à brincadeira entre amigos no Brasil, o Goldman Sachs, um dos maiores grupos de investimentos financeiros do mundo, dá o seu pitaco: a taça ficará aqui mesmo. O grupo divulgou suas previsões para o Mundial, e a seleção comandada pelo técnico Luiz Felipe Scolari se saiu bem – vencerá a Argentina na final, pelo placar de 3 a 1. Só faltou dizer quem serão os autores dos gols. Para elaborar seus palpites, o Goldman Sachs analisou dados sobre as 32 seleções do torneio com informações sobre partidas oficiais desde 1960. Por causa do bom desempenho nesse período – o Brasil tem quatro mundiais desde então –, a seleção canarinho tem mais chances de vencer a Copa, com 48.5%. Bicampeã do mundo, a Argentina aparece em segundo lugar no ranking, com 14.1% de chances. Em seguida, vem a Alemanha, que é tricampeã, mas conquistou um título fora do período analisado, com 11.4%. A atual campeã do mundo, Espanha, está em quarto, com 9.8%. Algumas seleções, como Japão, Gana e Camarões, que é o terceiro adversário do Brasil na

E

A

CETROS EM LUTA ...

seleção da Croácia, primeira adversária do Brasil na Copa, já ganhou o título de campeã dos olhares graças à ostentação do seu uniforme. Torcedores pouco familiarizados com as leis da Vexilologia, ciência que estuda a criação das bandeiras, poderão supor que sua camisa foi inspirada no quadriculado das toalhas de cantinas italianas. Porém, aquela risonha geometria vermelha e branca - pouco usual em times de futebol - tem atrás de si séculos de História em vez de macarrão e garrafas de Chianti. Referem-se às casas reais da Croácia, país situado no remoto leste europeu, que começou a ganhar forma no ano de 925, quando Tomislav I assumiu o poder. "O correto, entretanto, é utilizar o termo enxaquetado (do verbo enxaquetar), que é próprio da Heráldica, em vez de quadriculado", ensina Lauro Ribeiro Escobar, 87 anos, um dos mais qualificados brasileiros nas duas matérias. Embora os verbos sejam sinônimos, a Heráldica, que é arte seletiva de estudar brasões e/ou árvores genealógicas, irmã gêmea da Vexilologia, faz a diferenciação justamente para fugir da vulgaridade, pois a sua finalidade, grosso modo, é a de personalizar. Escobar está credenciado pelas mais de 300 bandeiras que criou para cidades do Brasil, inclusive a de São Paulo, baseadas em criteriosas pesquisas históricas. Ele explica que o branco (prata, no dicionário heráldico) representa a paz e o vermelho, a guerra, esta, instrumento necessário para manter a primeira, quando ameaçada. Em tempo: outra curiosidade relativa à Croácia é que o mundo lhe deve a invenção da gravata. O livro La Grande Histoire de la Cravate (Flamarion/ 1994) informa que isso se deu na França, por volta de 1625, durante o reinado de Luís XIV, o conhecido Rei-Sol, pois todas as faces se iluminavam ao seu aparecimento, espontaneamente ou não. Ele havia contratado mercenários croatas para reforçar seus exércitos. Tais soldados tinham o hábito de usar cachecóis originais, que foram imitados e polidos até chegar ao adereço de elegância. O nome vem de cravat (croata), como os estrangeiros eram chamados.

primeira fase, não têm chances de vencer o Mundial, segundo as estatísticas apresentadas pelo grupo. A grande vantagem nas previsões do grupo de investimentos não garante vida fácil para a seleção brasileira ao longo do torneio. A tabela elaborada pelo Goldman Sachs aponta que o Brasil vai enfrentar Holanda (vitória por 3 a 1), Uruguai (outro sucesso, pelo mesmo placar) e Alemanha (mais uma vitória, por 2 a 1) até chegar à final. Além das estatísticas apresentadas, o grupo escolheu os 11 jogadores que mais se destacarão no Mundial. Daniel Alves, Thiago Silva e Neymar serão os três brasileiros da seleção da Copa. A eles, se juntarão o goleiro Neuer (Alemanha), o zagueiro Sergio Ramos (Espanha), o lateral-esquerdo Lahm (Alemanha), os meio-campistas Hazard (Bélgica), Iniesta (Espanha), Ribéry (França), e os craques hors concours M es si (Argentina) e Cristiano Ronaldo (Portugal). Antes da última Copa, em 2010, o grupo também se a rr i s c o u n o s p a l p i t e s e , acredite, elegeu o Brasil como favorito à conquista do título na África do Sul. Como se sabe, o time de Dunga caiu nas quartas de final diante da Holanda. A Espanha, na ocasião, era a segunda na preferência do grupo, e terminou com o título.

Já a escolha da seleção do Mundial de 2010 não foi muito feliz. Entre os 11 melhores, tinha apenas um espanhol, o meia Xavi, e não incluía nenhum jogador da seleção holandesa, que ficou com o vicecampeonato. Os três brasileiros – Lúcio, Daniel Alves e Kaká – não se destacaram. No trio de ataque, formado por Messi, Roon e y , C r i st i a n o R onaldo, só um deles marcou gol – o português anotou apenas uma vez, contra a Coreia do Sul. (Agência O Globo)

... NO GRAMADO DO ITAQUERÃO fidalga camisa enxaquetada da Croácia terá uma adversária à altura no terreno do cromatismo aristocrático embora, em princípio, a nossa "amarelinha", como gosta de dizer Zagallo, dê a impressão de ser plebeia. É que fomos mal ensinados no curso primário, no qual aprendemos que o dourado da bandeira simbolizava o ouro; o verde, as matas; o azul e branco, nosso céu azul e a obsessão pela paz. Na verdade, os fundadores da República pensaram em um pavilhão que reunisse desde o seu início, a gênese da nação que deixava de ser império. Neste caso, o azul e o branco representavam as cores de Afonso Henriques (1109-1185), o rei que criou o reino de Portugal. O verde provinha da Casa de Bragança, uma espécie de variante da Casa de Aviz, primeira dinastia lusitana, berço de D. Pedro I. O amarelo remetia a Dona Leopoldina, nossa primeira imperatriz, que pertencia à longeva Casa Real de Habsburgo, nascida no cantão de Aargau, na Suíça, no século XI. Lauro Ribeiro Escobar mostra-se cauteloso em endossar essa interpretação porque, no seu entender, não há um registro claro de que a nossa bandeira foi pensada assim. Em todo caso, a família Habsburgo irradiou por toda a Europa, dominou o Sacro Império RomanoGermânico (1273-1806) e o Império Austro-Húngaro (1867-1918). Nos seus últimos tempos, ficou conhecida com Casa da Áustria. De lá veio Leopoldina, para se casar com o nosso Pedro I.

A

Reprodução

A

Fifa divulgou ontem a última atualização do ranking de seleções antes da Copa. E o Brasil ganhou uma posição, subindo do quarto para o terceiro lugar, agora com 1.242 pontos. Isso significa que a Seleção vai jogar o Mundial como a anfitriã mais bem colocada da história do ranking. Aos poucos, a Seleção vai retomando o protagonismo, depois de ter caído para o 22º lugar em junho de 2013. Para ganhar a colocação, o Brasil ultrapassou Portugal, que caiu para a quarta posição, com 1.189 pontos. Outra seleção que subiu bastante no ranking foi a Suíça, que pulou de oitavo para sexto lugar. Pior para o Uruguai, que caiu para sétimo e,

sexta-feira, 6 de junho de 2014

No alto, camisa enxaquetada da Croácia e D. Pedro I com a plebeia "amarelinha".


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

13

O cartaz da vinícola Chamlija, desenhado por Irem Çamlica. E os vinhedos da Arcadia.,

Na terra do sultão da região turca de Mármara um "alegre" vinho tinto da uva Papaskarasi que a vinícola Chamlija acaba de apresentar com sucesso na London Wine Fair. O cartaz de propaganda da Chamlija, reproduzido acima, parece emular a capa do psicodélico ‘Submarino Amarelo’, dos Beatles. Os rótulos também são todos desenhados pela artista Irem Çamlica, filha do viticultor Mustafa Çamlica, representante da terceira geração de uma família que desde 1936 trabalha a terra, de início na búlgara e vizinha Lüleburgaz. Hoje as instalações da vinícola estão em Buyukkaristiran, 120 quilômetros a oeste de Istambul. Papaskarasi significa "uva negra do padre", batismo relacionado aos religiosos dos inúmeros monastérios bizantinos que existiram na região. "É fabuloso e promissor", escreveu sobre a Papaskarasi, o respeitado jornalista inglês Jamie Goode. Mike Rosenberg, auto-intitulado "sommelier do homem comum", diz no blog The Naked Vine: Wine Advice for The Rest of Us, que as maiores surpresas dos concursos e degustações internacionais têm sido os vinhos de países produtores "esquecidos" como Turquia, Grécia, Eslovênia e Líbano. Antes biólogo e editor científico, Jamie Goode vibra como a colega Jancis Robinson ao experimentar vinhos de cepas diferentes, menos disponíveis, como se estivesse fazendo "xizinhos" em uma lista sem fim. Goode conhece bem a aventura da vitis vinífera: foi a partir da região transcaucasiana que a videira se espalhou pelo mundo, "caindo", logo no início da viagem, em direção às vizinhas colônias gregas, no se´culo VI a.C.. Hoje são cerca de 8 mil variedades, escreveu Goode no seu recém-relançado livro Wine Science: The Application of Science in Winemaking (Mitchell Beazley/2014). Pelo menos 1.368 variedades já foram cientificamente identificadas e catalogadas, formando surpreendentes "árvores genealógicas". Uma degustação de vinhos produzidos na Turquia, berço da viticultura, tem

É NATURALMENTE sabelle Legeron, "aquela francesa louca" que carrega um MW (Master of Wine) no currículo, lança seu livro Natural Wine(Ryland Peters and Small/2014) em julho, mas já abriu o debate sobre o tema com uma provocativa tirada. "Somente o vinho natural pode ser verdadeiramente bom. A ironia, como você deve ter adivinhado, é que não temos uma definição para vinho natural", disse Isabelle ao site WineSearcher.com. Muitos a consideram uma xiita na defesa dos vinhos naturais e biodinâmicos.

I

WINES OF TURKEY ines of Turkey, entidade que reúne os principais produtores de vinhos da Turquia, elaborou uma cartilha com informações destinadas aos visitantes da Prowein 2014, realizada em Dussedorf, na Alemanha, em maio. A cartilha, que pode ser consultada na internet, traz todos os detalhes da vitivinicultura na Turquia de ontem e de hoje. www.winesofturkey.org/

W

portanto sabor especial. Os estudiosos têm evidências de que a origem e a domesticação da videira se deu no sudoeste da atual Turquia, que forma um arco fértil com a Geórgia, Armênia e as áreas montanhosas do Irã. O arqueólogo biomolecular Patrick E. McGovern, da Universidade da Pensilvânia, e o Dr.José Vouillamoz, especialista em identificação genética das variedades de uva, da Universidade de Neuchâtel, na Suíça, dois dos maiores estudiosos do assunto, dizem que a domesticação ocorreu na península anatólica por volta do ano 8.000 a.C.. Análise de achados arqueológicos, como sementes e cerâmicas, indicam atividade vitivinícola na região há 7 mil anos. As instalações em pedra da primeira grande vinícola (4.000 a.C.) foi recentemente descoberta em uma caverna em Areni, Armênia. A Chamlija, vinícola butique, bem distante no tempo de hititas e frígios, é tocada por Mustafa Çamlica, que identificou a cepa Papaskarasi nas imediações de seu vinhedo principal e tratou de cuidar da raridade. Hoje há 211 hectares da variedade plantados na Turquia, especialmente na Trácia, mas com fins especiais, como a preparação da Hardaliye, uma bebida que tem o mosto misturado a sementes de mostarda, cerejas azedas e ácido benzoico. A vinícola Arcadia, na vizinhança da Chamlija, ambas em Kirklareli, também plantou algumas mudas da Papaskarasi para vinho, mas ainda não lançou seus rótulos. Mármara é uma das sete regiões vinícolas da atual Turquia. Fica bem a noroeste do país, banhada por nada menos de três mares cheios de história: Mar Negro, o Egeu e o mar de Mármara. As regiões de Mármara e do Egeu, de clima mediterrâneo, respondem hoje por mais de 66% da produção vinícola da Turquia. A Papa-

zkarasi entra muito pouco nessa conta. As variedades autóctones mais plantadas são: Emir, Narince, Sultaniye, Bornova Misketi, Çalkarasi, Kalecik Karasil, Öküzgözü e Bogazkere. Nos anos1950 o governo iniciou o plantio de variedades francesas, na região do Egeu e da Trácia: Semillon, Clairette, Sylvaner, Gamay, Cinsaut, Pinot Noir e Cabernet Sauvignon. Apesar de estar em quarto lugar na lista das maiores áreas plantadas com vinhedos, (505.000 ha), perdendo apenas para Espanha, França e Itália, somente 2% das uvas são destinadas à vinificação. O que significa que há enorme potencial para o crescimento da vinicultura local. O desenvolvimento da indústria do vinho na região foi inibida com a instalação do Império Otomano (1299-1923), por razões religiosas. Nesse período, as minorias não-muçulmanas tocaram os negócios, que sempre estiveram sujeitos a maiores ou menores restrições. Os sultões do Palácio de Topkapi , entretanto, exerciam o poder com certa tolerância porque sabiam da importância econômica da commoditie. Vinho turco abasteceu França e Itália nos piores momentos da devastação de seus vinhedos pela terrível praga Phylloxera. Mas agora pode conquistar mercados devido a méritos próprios.

José Guilherme R. Ferreira é membro da Academia Brasileira de Gastronomia e autor de Vinhos no Mar Azul – Viagens Enogastronômicas (Editora Terceiro Nome)

ORQUESTRA EXPERIMENTAL DE REPERTÓRIO NO AUDITÓRIO IBIRAPUERA. DOMINGO (8). 11H. Carolina Gonzales

TEATRO

Dores e amores de Ivan Lins Sérgio Roveri

ifícil apontar uma outra época em que a história da música popular brasileira, na pessoa de alguns dos seus mais ilustres representantes, estivesse tão à vontade nos palcos da Cidade. E, por palcos, leiam-se os do teatro e não das casas de shows. Este mês, por exemplo, as trajetórias de Elis Regina, Rita Lee e Lupicínio Rodrigues estão sendo passadas em revista respectivamente nos teatros Alfa, das Artes e Sérgio Cardoso, com inegável sucesso de público. Abre-se espaço agora neste panteão para o carioca Ivan Lins, 69 anos. O compositor de hits como

D

Madalena, Abre Alas e Começar de Novo tem sua produção – principalmente a parceria com Vítor Martins -, visitada no musical Ivan Lins em , em cartaz no Teatro Folha. “O espetáculo é uma homenagem declarada aos 40 anos da parceria de Ivan Lins com Vítor Martins”, diz Fezu Duarte, diretora de elenco do espetáculo. “Esta dupla tem uma obra vastíssima. A maioria das canções que fazem parte do espetáculo fala de amor e separação e, muitas vezes por conta do período em que foram compostas, abordam também a ditadura. Quando

começamos a estudar as composições dos dois, foram as deste universo que nos moveram cenicamente”. Ivan Lins em Cena é um musical sem diálogos – as canções cumprem o papel de desenhar a narrativa. “O Isser Korik, que assina a direção geral, sempre quis montar um espetáculo que valorizasse a alma de cada música”, explica Fezu. “Uma mesma canção pode provocar reações distintas em cada pessoa, e esta é a grande riqueza. Durante os ensaios estudamos a fundo cada letra para que chegássemos a um denominador comum. Só

depois disso é que fomos desenhando as cenas”. O próprio Ivan Lins endossou a escolha do repertório, alegando que entre as canções escolhidas estão “algumas das mais poderosas de sua carreira, escritas exatamente para mexer com as pessoas”. Acompanhados de uma banda ao vivo, 12 atorescantores, selecionados entre mais de cem inscritos para o projeto, apresentam 21 das mais conhecidas canções feitas pela dupla Ivan Lins-Vitor Martins. Os 12 atores foram escolhidos a partir de uma oficina que teve início no último mês de março e que contou com a participação de 29 candidatos. O diretor musical Marcelo Castro afirma que seu principal desafio foi o de conceber um espetáculo de música popular que não se assemelhasse a um show e muito menos a um musical da Broadway. Fezu Duarte afirma que o espetáculo possui um roteiro, mas não exatamente uma dramaturgia. Se fosse possível encaixá-la numa sequência cronológica, a peça teria início na ditadura e caminharia até os dias atuais. “Quando cantamos Cartomante, estamos fazendo referência aos anos da ditadura, já a canção Um Novo Tempo representaria o movimento das Diretas-Já, enquanto que Somos Todos Iguais Essa Noite pode ser vista como o símbolo dos tempos atuais”, diz a diretora. “As músicas de amor também aparecem, porque o amor sempre está presente, mesmo no meio da guerra e da revolução”. Ivan Lins em Cena, em cartaz no Teatro Folha. Shopping Pátio Higienópolis. Avenida Higienópolis, 618. Tel.: 38232323. Terças-feiras, às 21h. R$ 20 a R$ 40.

Argentinos na Copa 2014. Série de humor estreia segunda (9), 20h30. TV Cultura.

GASTRONOMIA

Camarote da Copa Lúcia Helena de Camargo o dia 12 de junho, começa a Copa do Mundo de futebol. Quem estiver em São Paulo pode aproveitar para reunir amigos em um lugar exclusivo: no prédio mais alto da Cidade. O bar do Terraço Itália, no 41º andar, além de oferecer a mais incrível e abrangente vista, terá uma programação especial de petiscos e drinques para os dias de jogos. A R$ 151 por pessoa, o cardápio inclui porções de salada mini caprese; queijo brie quente com caramelo artesanal e nozes; mini pastéis (experimente o de camarão!); mini sanduíches de presunto de Parma e mussarela de búfala; bolinho de bacalhau; escondidinho de carne seca; arancini (bolinho de arroz) recheado com gorgonzola e creme de mandioquinha servido com croutons de presunto de Parma, que vai bem nos dias mais frios. As criações são do chef Pasquale Mancini. Chamado de Camarote da Copa, os eventos TV de alta definição ligadas nas partidas do Brasil e em outras. Haverá decoração temática e distribuição do “kit torcedor”. Serão servidos drinques temáticos para acompanhar as comidinhas. As bebidas, porém, serão cobradas à parte, a R$ 22 cada. Entre os coquetéis, há o drinque

N

Brasil, que leva cachaça, suco de abacaxi, suco de limão, xarope de menta e leite condensado. O drinque Itália é feito com sambuca, curaçao blue, martini branco e vodca. O coquetel Alemanha leva tangerina, mel, angostura, steinheger e vinho. As invenções etílias ficaram a cargo da barman Simone Volpato. Confira todos os jogos que serão transmitidos na primeira fase: quinta (12), às 17h, Brasil e Croácia; sábado (14), às 18h, Itália e Inglaterra; domingo (15), às 16h, França e Honduras; segunda (16), às 13h, Alemanha e Portugal; e às 19h, EUA e Gana. Na terça (17), às 16h, a partida entre Brasil e México. Na sexta (20), às 13h, Itália e Costa Rica; e às 16h, França e Suíça. O domingo (18h) é dia de EUA e Portugal. Na segunda (23), mais um jogo da Seleção: às 17h, Brasil enfrenta Camarões. Na terça (24), às 13h, Itália e Uruguai. E na quarta (25), às 17h, França e Equador. Na quinta (26), às 13h, é a vez de EUA e Alemanha e, em outra tela, Portugal e Gana. Nas demais fases serão transmitidos todos os jogos. Terraço Itália. Avenida Ipiranga, 344. 41° andar. Centro. Reservas, tel.: 2189-2929. www.ter raco italia.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

14

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Afeto robotizado

http://goo.gl/VTnCDL

.C..IÊNCIA

Jejum faz bem à saúde O jejum periódico por dois ou três dias contribui para a regeneração de células-tronco no sangue e para a restauração do sistema imunológico, combatendo os efeitos da quimioterapia e do envelhecimento, segundo um artigo publicado ontem na revista cientìfica Cell Stem Cell. O estudo foi liderado pelo italiano

Diversão para cães

CleverPet é um jogo para cães que ficam sozinhos. Quando o cão pressiona os botões, o brinquedo libera petiscos. No início, qualquer botão libera um petisco. Mas logo o jogo fica

mais difícil e o cão tem de seguir sequências para ser recompensado. Se ele aprende a sequência, o brinquedo cria outra. http://getcleverpet.com/

.M..EIO AMBIENTE

Brasil lidera redução de emissões de CO2 D esde 2004, os agricultores e criadores de gado do Brasil protegeram da poda o equivalente a 14,3 milhões de campos de futebol, uma diminuição de 70% no desmatamento na Amazônia brasileira, segundo um artigo publicado ontem pela revista Science. "O Brasil é um dos favoritos para ganhar a Copa do Mundo, mas também é campeão do mundo na mitigação da mudança climática", afirmou Daniel Nepstad, autor principal do estudo e diretor do Instituto de Inovação para a Terra. A diminuição no desmata-

mento evitou a emissão à atmosfera de 3,2 bilhões de toneladas de dióxido carbono e, se considerado apenas o ano de 2013, representou uma redução de 1,5% nas emissões globais. Mas, com o aumento da demanda de soja e carnes, a poda de florestas maduras começou a subir novamente e as emissões já subiram 28%, advertiram os pesquisadores. A pesquisa, feita por 17 economistas e cientistas dos EUA e do Brasil, mostra que a "combinação de audazes políticas públicas, a rejeição no mercado dos agricultores desmata-

dores e o aumento das áreas protegidas da poda não impediu que crescesse a produção de soja e carne no país". A poda de florestas maduras diminuiu de uma média de 19,5 mil quilômetros quadrados anuais na década até 2005, e chegou a 5.843 quilômetros quadrados em 2013. "Esta redução no desmatamento pode ter iniciado uma sequência de impactos positivos, incluindo um risco menor de inibição das chuvas regionais, menos mudanças na sedimentação dos rios e uma maior conservação da biodiversidade", disse Nepstad.

A desaceleração no ritmo da poda na Amazônia brasileira foi resultado da decisão de milhares de fazendeiros que, desde 2004, passaram a desmatar menos a floresta. Essa decisão foi provocada pela pressão pública, em especial do grupo Greenpeace, que tornou o envolvimento na poda de florestas embaraçoso para os agricultores. "A verdade é que o governo não pode atribuir o êxito por si só, o Greenpeace também não e nem as companhias responsáveis", acrescentou Nepstad. "O que funcionou foi a mistura de tudo isso". (EFE)

Ralph Orlowski/Reuters

A japonesa Softbank anunciou ontem que começará a vender em fevereiro, por U$ 2 mil, o primeiro robô "emocional". O Pepper lê as emoções humanas nos gestos, tons de voz e expressões faciais, conta piadas, dança e conversa. Segundo a empresa, o pequeno humanoide de 1,2m de altura vai revolucionar o modo como interagimos com a tecnologia.

Valter Longo, professor de gerontologia e ciências biológicas na Universidade do Sul da Califórnia. Ele disse que "quando alguém jejua, o sistema tenta economizar energia". Uma das formas de fazer isso é reciclar as células de imunidade de que não necessita, "especialmente as que possam estar prejudicadas".

.G..@DGET

s

O controle sem fio chegou ao interruptor da luz. Este custa US$ 150. http://goo.gl/hh7C96

.T..URISMO

Twitter quer comprar o serviço SoundCloud

App faz papel de guia em Brasília

A plataforma de microblog Twitter negocia a compra do popular site de compartilhamento de áudios SoundCloud. A estratégia da empresa é ampliar sua oferta de serviços de música, de acordo com informações do jornal Financial Times. O Twitter tem avaliado negócios de bilhões de dólares e tem também considerado a compra do serviço Spotify e do provedor de internet por rádio Pandora Media.

Foi lançado em Brasília esta semana o aplicativo gratuito Beekme. O app fornece informações instantâneas sobre monumentos, atrações turísticas e os respectivos acervos, via conexão Bluetooth, permitindo que o turista utilize o smartphone como um verdadeiro guia turístico durante sua visitaa à capital federal. O Beekme é gratuito e está disponível para dispositivos com iOS ou Android.

.B..IODIVERSIDADE

47 espécies extintas em 200 anos Em 200 anos, 47 espécies de aves da Região Metropolitana de Belém (PA) podem ter sido extintas. É o que mostra um recente estudo sobre o impacto da perda de vegetação na avifauna amazônica. O trabalho, publicado na revista Conservation Biology se baseia nas identificações dos primeiros naturalistas e no último levantamento das aves da região, feito em 1970.

.L..OTERIAS

s

.R..EDES SOCIAIS

.A..NIMAIS David Mdzinarishvili/Reuters

Interruptor sem fio

MUITAS VEZES GOETHE - Estátuas de plástico do escritor alemão Johann Wolfgang von Goethe, nas mais diversas cores, foram espalhadas pelo campus da Universidade Goethe em Frankfurt. As estátuas são criação do artista Ottmar Hoerl e ficarão por cerca de um mês no local.

Concurso 3507 da QUINA

pavão indiano exibe toda a exuberância de sua cauda no zoológico de Tbilisi, na Geórgia. os pavões asiáticos são considerados animais sagrados na Índia e aparecem em várias representações mitológicas da cultura do país. Podem chegar a dois metros de comprimento.

17

19

30

43

45


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

15 Marcos Mendez/EFE

Um país cada vez mais legal

Afif: "Garantia de boas condições para a simplificação resulta em amplo processo de formalização".

Quatro milhões de pequenos empreendedores já saíram da informalidade Silvia Pimentel Brasil já tem mais de quatro milhões de Microempreendedores Individuais (MEIs), figura jurídica incorporada à Lei do Simples Nacional para tirar da informalidade trabalhadores que atuam por contra própria, mas não recolhiam impostos nem tinham cobertura da Previdência Social. O cadastramento desses empreendedores teve início em 2008 e aumenta ano a ano. De acordo com dados estatísticos do Portal do Empreendedor, plataforma usada para o enquadramento e obtenção

O

do CNPJ, o maior salto do número de formalizações ocorreu na passagem de 2012 para 2013, com quase um milhão de registros. Essa expansão ocorreu por conta do aumento do teto de faturamento anual dessa categoria empresarial, de R$ 35 mil para R$ 60 mil por ano. Desde então, o Portal do Empreendedor (www.portaldoempreendedor.gov.br) recebe a média de 1,3 milhão de registros. Legalizado, o MEI está livre do pagamento de tributos federais como o Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL. E recolhe um valor fixo mensal de R$ 37,20, no caso de com é rc i o e i n d ú s t r i a , d e R $

41,20, caso seja um prestador de serviços, ou R$ 42,20, se atuar no comércio e serviço. Os valores correspondem ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), Imposto sobre Serviços (ISS) e a contribuição previdenciária. Esses valores são atualizados anualmente de acordo com o salário mínimo. Um MEI pode contratar até um funcionário e, com esses recolhimentos, passa a ter acesso a benefícios como salário maternidade, auxíliodoença e aposentadoria. Para o ministro da Secretaria da Micro e Pequena Empresa (SMPE), Guilherme Afif Domingos, mentor da lei que

criou a figura jurídica quando era presidente da Associação C o m e rc i a l d e S ã o Pa u l o (ACSP), os números mostram que a simplificação e o baixo custo tributário são os principais atrativos dessa modalidade jurídica. “O aumento apresentado nos últimos anos e a marca de quatro milhões de MEIs em todo o País são provas concretas de que a garantia de boas condições para a simplificação gera bons resultados e resulta em amplo processo de formalização”, destaca o ministro.

Metade no Sudeste Dados da SMPE mostram que o maior número de microempreendedores está na região Sudeste – mais de dois milhões, o que equivale a metade registrada no Brasil inteiro. Em segundo lugar aparece a região Nordeste, com mais de 820 mil pessoas cadastradas, seguida da Região Sul, com cerca de 600 mil, da Região Centro-Oeste, com cerca de 370 mil, e da Região Norte, com cerca de 240 mil trabalhadores registrados. Mais da metade desses empreendedores (52%) são homens. Na divisão por estado, São Paulo lidera, com cerca de 1,1 milhão de cadastrados desde o início da formalização. O Rio de Janeiro aparece em segundo lugar, com 483 mil, seguido de Minas Gerais (437

Em SP, Carnê da Cidadania vai pelo correio. s microempreended o re s i n d i v i d u a i s que atuam no Estado de São Paulo começam a receber pelo Correio, a partir da próxima terça-feira, o Carnê da Cidadania, boleto de cobrança mensal para o pagamento dos impostos. O carnê será enviado ao endereço cadastrado no Portal do Empreendedor. A guia de recolhimento também po-

O

Mantega elogia os bancos públicos (que a Moody's critica) o falar ontem durante reunião do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES), o "Conselhão", o ministro da Fazenda, Guido Mantega, fez uma enfática defesa da governança dos bancos públicos brasileiros. Coincidentemente, no momento em que ele falava, em Brasília, a agência de classificação de risco Moody's afirmava justamente o contrário. Em relatório distribuído à imprensa, em São Paulo, alerta para uma deterioração dos ativos daqueles bancos nos próximos trimestres, devido ao rápido crescimento de empréstimos de baixa qualidade em suas carteiras. "Os bancos públicos, embora tenham aumentado participação no crédito, e têm aumentado consideravelmente, eles têm padrões de governança eficientes", disse Mantega, em sua apresentação. "Não é o que ocorria no passado, quando os bancos públicos quebravam, e ocorreu com a Caixa (Econômica Federal) e o Banco do Brasil... O governo tinha que ir lá e cobrir o buraco. Isso não ocorre mais. Eles têm taxa de inadimplência baixa, taxas de rendimentos bastante razoáveis e padrões de eficiência e governança semelhantes a dos bancos privados". "Até um passado recente não havia crédito para investimentos, e o pouco que existia vinha do BNDES. Havia pouco crédito para habitação, inacessível para a baixa renda, e o crédito para agricultura também era insuficiente",

A

prosseguiu o ministro. Agora, prosseguiu, o cenário é outro: a oferta de crédito n o Pa í s , q u e e q u i v a l i a a 25%/26% do Produto Interno Bruto (PIB) há dez anos, está em 55%. "Levando em conta que o PIB cresceu a uma média de 3,5% nos últimos 11 anos, o crédito mais que duplicou em termos reais nesse período", completou. Risco de calote Apesar do cenário otimista, o ministro reconheceu que, mesmo com níveis de inadimplência atualmente baixos, falta crédito – travando a expansão da economia e desestimulando os investimentos. Ele avaliou, no entanto, que essa situação é passageira. Mantega defendeu particularmente o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). “Tem gente que o critica, que acha que não

deveria existir ou ser muito menor, mas nós discordamos e achamos que o banco é fundamental para manter a taxa de crescimento do Brasil", disse. Ainda que reconheça que os bancos privados têm aumentado sua participação em projetos de infraestrutura de longo prazo, destacou que o BNDES é responsável por “pelo menos 50% dos investimentos em infraestrutura no Brasil". A Moody's, por sua vez, destaca em seu relatório que a desaceleração recente no ritmo de expansão de crédito dos bancos públicos, sob orientação da equipe econômica do governo e em resposta a limites de capital, tornará mais evidente o aumento dos empréstimos de má qualidade como proporção de suas carteiras de crédito. Esse aumento, continua “é resultado do rápido crescimento da oferta de crédito por

bancos públicos, que se expandiram a uma taxa média anual composta de 24% na última década, aliado a um persistente fraco crescimento da atividade econômica e maior endividamento das famílias". Segundo a agência de risco, o crescimento dos empréstimos dos bancos públicos nas categorias de maior risco de calote vem ocorrendo num ritmo acima da alta da oferta de crédito desde setembro de 2013. "Em contraste à performance dos bancos públicos, os bancos privados apresentam um quadro de muito mais forte na qualidade de ativos. Devido aos padrões mais seletivos, os bancos privados no Brasil têm visto uma constante melhora na qualidade de seus ativos desde meados de 2012, com seus estoques de crédito de baixa qualidade desacelerando e declinando", finaliza a Moody's. (Agências) Ueslei Marcelino/Reuters

Como o PIB cresceu à média de 3,5% nos últimos 11 anos, o crédito mais que duplicou, GUIDO MANTEGA

mil), Bahia (270 mil) e Rio Grande do Sul, com 34 mil. Os dados por municípios mostram que a cidade de Guarulhos (SP) formalizou, até dezembro de 2013, cerca de 26 mil pessoas. Em segundo aparece Campinas (SP) com 25,7 mil novos cadastros. S ã o G o n ç a l o ( R J ) a p a re c e com aproximadamente 24 mil, Duque de Caxias (RJ) com 23 mil e Nova Iguaçu (RJ) com 20 mil. Atualmente, as profissões com o maior número de MEIs formalizados em todo o país são as de comerciante de artigos de vestuário e acessórios, com 424 mil pessoas (10.8% do total); barbeiro, com 282 mil (7.2%); e pedreiro, com 142 mil (3.6%). A legislação permite o enquadramento em mais de 300 atividades.

de ser acessada diretamente no Portal. O envio do carnê é recente e foi adotado como forma de reduzir a inadimplência que, em 2013, alcançou 46,9%. “O MEI utilizou o portal e conseguiu se inscrever, mas como não tem o hábito de utilizar a internet também para imprimir os boletos todos os meses, resolvemos voltar ao velho e bom carnê que serão enviados para os 4 milhões de MEIs inscritos em todo o Brasil”, explica o ministro Afif Domingos. (SP)

Cronograma tira o eSocial do papel gora é oficial. Saiu do papel o cronograma do eSocial, sistema que reunirá informações trabalhistas, fiscais e previdenciárias. Circular da Caixa Econômica Federal define o lay-out dos arquivos que compõem a nova sistemática, estabelece prazos para os testes a serem realizados antes do início da obrigatoriedade e prevê o fim da exigência de envio da Guia de Recolhimento do FGTS. Pela circular, a transmissão dos eventos trabalhistas relacionados ao FGTS, para as grandes e médias empresas – faturamento anual superior a R$ 3,6 milhões em 2014 – deverá ocorrer seis meses contados a partir da disponibilização do ambiente de testes do sistema. Na prática, o envio das informações será obrigatório a partir do segundo semestre de 2015. “Embora não seja o instrumento jurídico ideal para tratar do sistema, a circular da Caixa põe fim a uma contradição normativa entre cronogramas publicados no Diário Oficial da União e apresentados por autoridades nos diversos eventos realizados para tratar do assunto”, afirma o professor Roberto Dias Duarte, sócio da NTW Franchising e presidente do conselho de administração da empresa. De acordo com ele, a publicação da circular sinaliza ao mercado a

A

oficialização do cronograma. “Como o projeto envolve vários órgãos do governo, o ideal seria a publicação de uma portaria interministerial, o que ainda deve ocorrer, confirmando o mesmo cronograma”, explica. Na opinião de Duarte, boa notícia para os empresários é a eliminação de obrigações acessórias quando o sistema começar a operar. O eSocial substituirá a Guia de Recolhimento do FGTS e de Informações à Previdência Social (GFIP), acabando, por consequência, com a obrigatoriedade de enviar o Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social (Sefip) já a partir da transmissão dos primeiros eventos trabalhistas. O prazo para o início de operação do eSocial começa a valer após seis meses de testes no sistema. Os testes começam a ser realizados seis meses a partir da publicação do lay-out definitivo, prometido para o dia 30 de junho. As empresas com faturamento anual superior a R$ 3,6 milhões serão as primeiras a enviar dados trabalhistas ao sistema. O prazo para as demais empresas ainda está em discussão. No futuro, o eSocial será obrigatório para todas as empresas do País, incluindo os Microempreendedores Individuais (MEIs). (SP)


16

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

17

A intenção do governo é de aumento integral do IPI a partir de 1º de ju lho Luiz Moan, presidente da Anfavea Márcio Fernandes/EC

Produção de veículos segue vendas e recua Indústria automotiva fabricou 18% menos em maio.

indústria de veículos do Brasil teve em maio a terceira queda consecutiva de p ro d u ç ã o n a c o m p a r a ç ã o anual, pressionada por um mercado interno que já não compra como antes e por exportações em declínio. O setor produziu 282,5 mil carros, comerciais leves, caminhões e ônibus em maio, queda de 18% sobre maio de 2013, mas alta de 1,9% na comparação com abril, mês que teve um dia útil a menos, segundo dados informados ontem pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). O segmento com maior queda na produção foi o de caminhões, que amargou recuo de 22,4% sobre maio de 2013,

A

para 12.695 unidades. O desempenho ressalta medidas de ajustes de produção tomadas pelas montadoras desde fevereiro e que incluem fechamento de turnos de trabalho, suspensão de contratos e programas de demissão voluntária. No acumulado de janeiro a maio, a indústria de veículos teve baixa de 13,3% no volume de veículos produzidos, a 1,35 milhão de unidades. A Anfavea começou 2014 projetando crescimento de 1,4% na produção do ano, para 3,765 milhões de veículos. Vendas – Os licenciamentos de veículos novos no ano até maio acumulam baixa de 5,5%, para 1,4 milhão de unidades. Apenas no mês passado, as vendas somaram 293,4 mil veículos, queda de 7,2%

Os pátios lotados das montadoras refletem a queda no consumo. Os licenciamentos de veículos novos acumulam baixa de 5,5% no ano.

Nossa expectativa é que o acordo entre os governos brasileiro e argentino se encerre rapidamente LUIZ MOAN, DA ANFAVEA na comparação com o mesmo período de 2013 e estável ante abril. O dado já havia sido informado na terça-feira pela associação de concessionários, a Fenabrave, que comentou na ocasião que trabalha com possibilidade de queda de mais de 3% nas vendas deste ano sobre 2013.

Exportações – As exportações apenas de veículos somaram US$ 826,7 milhões em maio, queda de 28,7% sobre maio do ano passado. No ano, as vendas externas acumulam tombo de 23,3%, a US$ 3,828 bilhões. Grande parte dessa queda é atribuída pelo setor à crise cambial da Argentina – destino de cerca de um terço das exportações brasileiras do setor –, que tomou medidas para conter a saída de divisas que prejudicaram o fluxo comercial de veículos. Uma das medidas foi o fim da chamada cláusula "flex", que vigorou até o ano passado e previa que para cada US$ 1 milhão em veículos argentinos exportadoras ao Brasil, as montadoras brasileiras pode-

riam vender até US$ 1,95 milhão sem impostos para a Argentina. O retorno da cláusula está sendo negociada entre os governos. "Estamos participando das reuniões. Nossa expectativa é que o acordo com a Argentina se encerre rapidamente", disse Luiz Moan, presidente da Anfavea. No ano, as exportações de veículos caíram 31,6%. Mas nos dois últimos meses a situação já é melhor do que a apurada no primeiro trimestre do ano. "Durante esse processo de negociação do acordo automotivo, com a suspensão das restrições governamentais, nós conseguimos fazer uma exportação mais normal para a Argentina, mas é ainda um processo que não se encerrou", disse.(Agências)

Não ao aumento de etanol na gasolina O

presidente da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Luiz Moan, disse ontem que desaprova um eventual aumento do limite da mistura obrigatória do etanol anidro à gasolina para 27,5%, ante os atuais 25%, conforme vem sendo discutido por representantes do setor sucroalcooleiro e avaliado pelo governo. Isso porque a mudança afetaria os carros à gasolina. Segundo o presidente da Anfavea, embora a maioria das vendas de carros novos no Brasil seja de flex, que usam etanol e/ou gasolina, a indústria não apoia um aumento da mistura porque 42% da frota

Lucas Lacas Ruiz/EC

Mistura de álcool na gasolina pode subir de 25% para 27,5%. brasileira de automóveis ainda usa apenas gasolina. Esses veículos à gasolina, portanto, não estariam tecnicamente preparados para ro-

dar com uma mistura maior de etanol, segundo a Anfavea. A implantação de um limite maior do teor do biocombustível contribuiria para um des-

gaste maior do motor daqueles carros, disse a associação. A eventual mudança é vista pela indústria sucroalcooleira como forma de aliviar a crise vivida pelo setor. Ao governo também interessa a nova mistura pelo potencial de reduzir as importações de combustíveis fósseis pela Petrobras. IPI – Moan disse ainda que esperar a recomposição integral da alíquota de Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis a partir de 1º de julho. De acordo com ele, nas conversas oficiais recentes, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, deixou claro que esta é a posição atual do governo. Além disso, Mantega teria sinalizado que não há es-

paço atualmente para adoção de novos mecanismos de financiamento para o setor. "Nas conversas oficias com Mantega, a questão do IPI restou bem clara: a decisão do governo é de a partir de 1º de julho fazer aumento integral da alíquota do IPI, voltando ao status anterior a maio de 2012", afirmou Moan. Esta será a última recomposição do imposto, na escala de volta gradativa do IPI. Na quarta-feira, o ministro da Fazenda afirmou que "o que está definido é que terá um aumento. Poderá ser pequeno ou não" e disse ainda que o setor precisava "caminhar com as próprias pernas". (Agências)

Montadoras voltam a demitir em maio número de empregados no setor automotivo chegou em maio ao nível mais baixo desde dezembro de 2012, quando tinha 151,7 mil funcionários. Durante todo o ano de 2013 e nos primeiros quatro meses deste ano, as montadoras empregavam mais de 153 mil pessoas, chegando a somar 159,6 mil trabalhadores no ponto mais alto, em outubro do ano passado. Desde então, contudo, o setor passou a demitir mês a mês e contabiliza em sete meses 7,3 mil demissões. A indústria automobilística fechou maio com 152,3 mil funcionários, número que representa uma queda de 1,2% sobre abril de acordo com dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea). Em maio de 2012, quando o governo decidiu pela redução da alíquota do IPI para automóveis e propôs como contrapartida a manutenção dos empregos no setor, a cadeia automotiva empregava 147 mil pessoas. (Estadão Conteúdo)

O


DIÁRIO DO COMÉRCIO

18

sexta-feira, 6 de junho de 2014

O Bradesco quer ter, até meados de 2015, mil caixas de depósitos em dinheiro sem o uso de envelope e que são creditados de imediato na conta do cliente.

ESTRELAS DA COPA português Cristiano Ronaldo, melhor jogador do mundo em 2013 e artilheiro e campeão da poderosa Liga dos Campeões, é a estrela mais reluzente da Copa 2014 segundo pesquisa da ferramenta Celebrity DBI (Davie-Brown Index), da Repucom, que mede a percepção do público sobre um astro. Há 49 anos no mercado, o especializado Propaganda & Marketing, da Editora Referência, de Armando Ferrentini, apresenta o jogador português como o mais "vendável" no mundo do futebol em edição especial que faz uso da pesquisa. Cristiano Ronaldo, de fato, é um fenômeno em colecionar patrocinadores como Emporio Armani, Herbalife, KFC, Samsung, Emirates Airlines e Nike, esta última tem uma linha de produtos dedicadas ao jogador, a CR7, e paga, segundo analistas de mercado, cerca de US$ 9,5 milhões por ano para tê-lo como garoto-propaganda, sem falar na participação direta nas vendas dos produtos que levam seu nome. As redes sociais reforçam a força do atacante português, que tem 82 milhões de fãs no Facebook e 26 milhões de seguidores no Twitter. O camisa 7 do poderoso time espanhol Real Madrid tem 82,45% de reconhecimento como lançador de tendências, justamente em função da sua forte presença nas redes sociais ao que se soma o reconhecimento global de 83,87% do público que aprecia o esporte bretão. Para se ter uma ideia, o argentino Lionel Messi, que fica em segundo lugar no ranking, tem

O

57 milhões de fãs no Facebook e 2 milhões de seguidores no Twitter. Messi é o garotopropaganda de marcas como Adidas, Turkish Airlines e Dolce & Gabbana, competidoras diretas daquelas que apoiam o luso.

Considerado o jogador de futebol mais bem pago do mundo, o argentin o l e v a a v a n t agem de contar com um salário estimado em US$ 27,5 milhões por ano e de ter uma pontuação de 75,87 pontos na ferramenta DBI, com 76,07% de re c o n h e c i m e n t o global. Em terceiro lugar, com um generoso empurrão da pop star Shakira, com quem é casado, aparece o zagueiro espanhol Gerard Piqué, com 62,8 pontos DBI, seguido do também espanhol Fernando Torres, do inglês Wayne Mark Rooney, do espanhol Andrés Iniesta, do brasi-

Fotos: Divulgação

leiro Neymar Jr., do espanhol Iker Casillas, do sueco Zlatan Ibrahimović e do francês Thierry Daniel Henry. Neymar conta com 59,36 pontos DBI, 22 milhões de fãs no Facebook e 11 milhões de seguidores no Twitter e é o mais novo do ranking com 22 anos. Sua estrela ainda está em ascensão, principalmente depois que se transferiu para o futebol europeu, jogando no Barcelona e mais próximo dos campeões da publicidade. Analistas estimam que seu contrato com a Nike gira em torno de US$ 7 milhões anuais, com validade de 11 anos. Neymar tem também contrato com dez outros patrocinadores: Red Bull, Panasonic, Claro, Tenys Pé, Lupo, Guaraná Antarctica, Unilever, Volkswagen, Santander e Baterias Heliar. E leva a vantagem de estar, a partir do dia 12, mais próximo de fazer do Brasil o hexacampeão da Fifa. Aí, ficará ainda mais vendável, talvez até dando um drible no português Cristiano Ronaldo.

CAPITALIZAÇÃO SUSTENTÁVEL oje, a Bradesco Seguros completa 30 anos de atuação no mercado de capitalização, tendo em seu portfólio títulos que ajudam a manter vivos diversos projetos socioambientais. Na última década, clientes espalhados por todo país contribuíram, por exemplo, para a ampliação da área de atendimento do Instituto Brasileiro de Controle do Câncer. Na parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, a empresa colaborou com o plantio de mais de 24 milhões de mudas de árvores nativas. Por meio da Fundação Amazonas Sustentável, garantiu o atendimento de mais de 35 mil pessoas em 15 Unidades de Conservação da região. Além disso, já ajudou a proteger mais de 15 milhões de filhotes de tartaruga, na parceria com o Projeto Tamar, e formar mais de 2 milhões de alunos pelo Instituto Ayrton Senna. Motivo para comemorar parece não faltar.

H

GOVERNO lança campanha para denunciar de violência contra a mulher

LIGUE 180 agência Agnelo Pacheco é responsável pela campanha "Eu ligo 180", com a participação das atrizes Luana Piovani e Sheron Menezes, que visa estimular a denúncia de violência contra a mulher em todo País. Assinada pelo Ministério das Cidades, em conjunto com a Secretaria de Políticas para as Mulheres e a Secretaria de Comunicação Social do Governo Federal, as peças publicitárias fazem uso de frases fortes que revelam uma realidade preocupante de violência doméstica. A denúncia é uma das melhores formas de se combater situações degradantes e, por isso, a central telefônica funcionará 24 horas por dia, dará apoio às vítimas e melhor: a ligação é gratuita e o denunciante tem sua identidade preservada. O 180 por meio de aplicativo para aparelhos celulares, financiado pela ONU Mulheres do Brasil, a Embaixada Britância e o governo federal, também pode ser clicado de qualquer lugar e a qualquer hora. Violência zero contra mulher é o mote e o objetivo principal. Oxalá seja atingido.

A

2 MILHÕES de formados pelo Instituto Ayrton Senna

JESUS JUNINO Guaraná Jesus, um dos mais populares refrigerantes do Nordeste, comprado pela CocaCola Brasil, ganha edição especial para as festas juninas. O refrigerante, líder de vendas no Maranhão, chega ao mercado com latas decoradas assinadas pela DIA Comunicação. Com alusão às matracas, instrumento típico da festa, as latas separam em duas as cores características do item, assim uma ficou azul e outra, rosa, de modo que uma matraca bata na outra, marcando o ritmo da festa.

O

GUARANÁ Jesus em ritmo festivo

Envie informações para esta coluna. E-mail: carlosfranco@revista publicitta.com.br

BC projeta inflação e PIB menores o mesmo tempo em que reduziu as expectativas de inflação – para 2014 e 2015 – e de expansão do Produto Interno Bruto (PIB), o Banco Central (BC) informa que os efeitos da sua política monetária, "em parte, estão por se materializar", mas repetiu que tem que continuar "vigilante". Segundo a ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que manteve a Selic em 11% ao ano, o BC também avisa que "as de-

A

cisões futuras de política monetária serão tomadas com vistas a assegurar a convergência tempestiva da inflação para a trajetória de metas". Ao reduzir a projeção para a inflação, o BC não informa valores, tanto para 2014 quanto 2015 pelo cenário de referência. No entanto, informou que elas continuam acima do centro da meta do governo, de 4,5% pelo IPCA, com margem de dois pontos percentuais para cima ou para baixo. Dirigentes do banco têm reiterado que a recente inflação

nos preços dos alimentos é temporária. Esse fato balizou a decisão tomada na semana passada de interromper o ciclo de aperto monetário iniciado em abril de 2013 e manter a Selic em 11% ao ano – como era amplamente esperado pelos agentes econômicos, apesar de a inflação ainda estar elevada e perto do teto da meta. Por outro lado, demonstram forte apreensão com a inflação de preços administrados. Na ata, o BC subiu a estimativa do reajuste das tarifas de eletricidade de 9,5% (no

início de abril) para 11,5%; para a conta de telefone fixo, porém, a previsão é de um recuo de 4,2%. Para o conjunto de preços administrados, manteve o cálculo de 5%. A baixa confiança do brasileiro na economia potencializará todo o aperto monetário, acredita o BC. Ou seja, o desânimo com as condições econômicas ampliará todo o efeito das nove altas de juros feitas desde abril do ano passado. Na semana passada, o comunicado divulgado imediatamente após a reunião do Co-

Thiago & Paula

Cabeleireiros

2771 2593 96649-0129 98048-6368 Av. Rio Pequeno, 1.053 - Rio Pequeno - São Paulo - SP

mais altas de juros, a atividade poderia ser ainda mais afetada via consumo, justamente quando a presidente Dilma Rousseff tenta a reeleição. Na ata, o BC mudou de ideia em relação ao crescimento do Brasil. Admitiu que o País não deve crescer os mesmos 2,3% do ano passado. Agora, os diretores do BC dizem que a expansão da atividade econômica deve ser “menos intensa” do que em 2013. Na reunião anterior do Copom a qualificação foi "relativamente estável". (Agências)

UNIVERSO ASSESSORIA E CONSULTORIA JURÍDICA LTDA.

CORTES • MANICURE MAN ANIC ICURE PEDICURE • SOBRANCELHA TINTURA • HIDRATAÇÃO CAUTERIZAÇÃO • LUZES RELAXAMENTO • ALISAMENTO QUÍMICA EM GERAL

Trabalhamos com hora marcada

pom deixou a porta aberta para rever a decisão no futuro. Justificou que "neste momento" interromper o ciclo de alta era a decisão mais acertada. A partir dessa expressão, alguns analistas preveem que a Selic voltará a subir no fim deste ano, após as eleições, ou no início do próximo, o que foi reforçado com o comunicado daquela noite. Pesa ainda para o Banco Central, segundo avaliação de parte dos agentes econômicos, o fraco desempenho da economia neste ano. Com

Direito Civil, Tributário, Trabalhista e Criminal. Extrajudicial: Intermediação de Negócios Financeiros Recuperação de Capital Pendente e Informações Cadastrais

Aceitamos cartões

Av. São Luís, 187 - loja 19 - 1º Piso - Centro Galeria Metrópole - 11 3256-0552

www.grupouniverso-sp.com.br


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

19

BR Partners Investimentos Imobiliários S.A. (Anteriormente denominada BR Partners Consultoria Especializada Ltda) CNPJ/MF nº 11.115.212/0001-30 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas: Submetemos à apreciação de V. Sas. as Demonstrações Financeiras do BR Partners Investimentos Imobiliários S.A., relativos ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013. BALANÇOS PATRIMONIAIS EM 31 DE DEZEMBRO (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 2013 2012 Passivo e patrimônio líquido Circulante Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 4) 1.060 454 Fornecedores Valores a receber (Nota 5) 627 851 Dividendos a pagar (Nota 8(b)) Impostos a recuperar 2 1 Impostos a recolher 1.689 1.306 Provisões tributárias Não circulante Investimentos Não circulante Propriedade para investimento (Nota 6) 15.079 15.157 Contas a pagar à partes relacionadas 15.079 15.157 Impostos diferidos Patrimônio líquido (Nota 8) Capital social Reserva de capital Reserva de lucros Total do ativo

16.768

16.463

Total do passivo e patrimônio líquido

2013

2012

35 881 109 – 1.025

5 405 91 194 695

– 8 8

80 – 80

8.710 6.957 68 15.735 16.768

8.710 6.957 21 15.688 16.463

As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras

DEMONSTRAÇÕES DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Reserva de capital p Reserva de lucros Capital Social Outras Reserva Legal Em 31 de dezembro de 2011 10 – – Aumento de capital (Nota 8 (a)) 8.700 6.957 – Lucro líquido do exercício – – – Dividendos (Nota 8 (b)) – – – Constituição de reserva legal – – 21 6.957 21 Em 31 de dezembro de 2012 8.710 Lucro líquido do exercício – – – Dividendos (Nota 8 (b)) – – – Constituição de reserva legal – – 47 Em 31 de dezembro de 2013 8.710 6.957 68

Lucros/(prejuízos) acumulados (21) – 446 (404) ((21)) – 928 (881) ((47) –

Total (11) 15.657 446 (404) – 15.688 928 (881) – 15.735

As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras

NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 1. Informações gerais A BR Partners Investimentos Imobiliários S.A. (anteriormente denominada BR Partners Consultoria Especializada Ltda) (“Companhia”) é uma sociedade anônima, constituída em 17 de agosto de 2009 com sede em São Paulo, Estado de São Paulo. Em 2 de julho de 2012, conforme a 6ª Alteração do Contrato Social e Ata de Assembleia Geral de Transformação em Sociedade por Ações, os sócios representantes da totalidade do capital social da BR Partners Consultoria Especializada Ltda., alteram o tipo societário da Sociedade, de sociedade limitada para sociedade por ações, e a denominação da Companhia para BR Partners Investimentos Imobiliários S.A.Tem por objetivo: (a) a realização de planejamento, desenvolvimento, implantação e investimentos na área imobiliária, nomeadamente em Shopping Centers e Outlets e em atividades correlatas, como empreendedora, incorporadora, construtora, locadora e assessora; (b) exploração e a gestão de imóveis próprios e/ ou de terceiros e de estabelecimentos comerciais e a prestação de serviços conexos em operações imobiliárias de imóveis próprios e/ ou terceiros; e (c) a participação em outras sociedades empresárias e/ ou em fundos de investimentos imobiliários, podendo as atividades aqui descritas serem exercidas diretamente ou por meio de controladas e coligadas. A emissão destas demonstrações financeiras foi autorizada pela administração em 17 de março de 2014. 2. Resumo das principais políticas contábeis As principais políticas contábeis aplicadas na preparação dessas demonstrações financeiras estão definidas abaixo. Essas políticas foram aplicadas de modo consistente no exercício apresentado, salvo disposição em contrário. 2.1. Base de preparação e apresentação: As demonstrações financeiras foram preparadas conforme as práticas contábeis adotadas no Brasil emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPCs) considerando o custo histórico como base de valor. A preparação de demonstrações financeiras requer o uso de certas estimativas contábeis críticas e também o exercício de julgamento por parte da administração da Companhia no processo de aplicação das políticas contábeis da Companhia. 2.2. Moeda funcional e moeda de apresentação: Os itens incluídos nas demonstrações financeiras são mensurados de acordo com a moeda do principal ambiente econômico no qual a empresa atua (“moeda funcional”). As demonstrações financeiras estão apresentadas em milhares de reais, que é a moeda funcional da Companhia e, também, a sua moeda de apresentação. 2.3. Caixa e equivalentes de caixa: O caixa e equivalentes de caixa são representados por disponibilidades em moeda nacional e aplicações financeiras, com vencimentos de até 3 meses e com risco insignificante de mudança de valor. As aplicações financeiras são avaliadas pelo custo de aquisição, atualizado pelas rendas auferidas até a data do balanço, deduzidas de provisão para desvalorização, quando aplicável. 2.4. Valores a receber: Os valores a receber são ativos financeiros não derivativos, com pagamentos fixos ou determináveis, que não são cotados em um mercado ativo. São apresentados como ativo circulante e compreendem contas a receber de aluguéis. 2.5. Propriedade para investimentos: A Companhia é proprietária de um edifício de lojas mantido para rendimento de aluguel de longo prazo e para valorização. O imóvel não é ocupado pela Companhia. A propriedade para investimento é demonstrada pelo custo menos a depreciação e qualquer provisão para perda acumulada. O custo representa o custo histórico de aquisição. A depreciação da propriedade para investimento é calculada segundo o método linear à taxa de 2% ao ano para alocação do custo menos seu valor residual durante a vida útil estimada de 50 anos, conforme laudo de avaliação de empresa especializada contratada. O valor residual, a vida útil e o método de depreciação com relação à propriedade para investimento da Companhia são revisados e ajustados, se necessário, quando há indícios de mudanças desde a data do último balanço. 2.6. Impairment de ativos financeiros e ativos não financeiros: (a) Ativos financeiros mensurados ao custo amortizado: A Companhia avalia, na data do balanço, se há evidência objetiva de que um ativo financeiro está registrado por valor acima de seu valor recuperável (impairment). Um ativo ou grupo de ativos financeiros está deteriorado e as perdas por impairment são incorridas somente se há evidência objetiva de impairment como resultado de um ou mais eventos incorridos após reconhecimento inicial dos ativos (um “evento de perda”) e aquele evento (ou eventos) de perda tem um impacto nos fluxos de caixa futuros estimados do ativo financeiro ou grupo de ativos financeiros que pode ser estimado de maneira confiável. (b) Provisões para perdas por impairment em ativos não financeiros: Os ativos não financeiros são revisados para verificação do valor recuperável. Quando houver indício de perda do valor recuperável (impairment), o valor contábil do ativo será testado. Uma perda é reconhecida pelo valor em que o valor contábil do ativo exceda seu valor recuperável. Este último é o valor mais alto entre o valor justo de um ativo, menos as despesas de venda, e o valor em uso. Para fins de avaliação de perda, os ativos são agrupados nos níveis mais baixos para os quais existam fluxos de caixa identificáveis separadamente (Unidades Geradoras de Caixa (UCGs)). Os ativos não financeiros que tenham sofrido redução, com exceção do ágio, são revisados para identificar uma possível reversão da provisão para perdas por impairment na data do balanço. 2.7. Imposto de renda e contribuição social: As despesas fiscais do exercício compreendem o imposto de renda e contribuição social corrente. Os encargos do imposto de renda e contribuição social corrente são calculados com base nas leis tributárias em vigor na data do balanço. Os passivos fiscais diferidos incluem diferenças temporárias, identificadas como os valores que se espera pagar sobre diferenças entre os valores contábeis dos passivos e suas respectivas bases de cálculo. Esses valores são mensurados às alíquotas que se espera aplicar no período em que o passivo for liquidado. Em 11 de novembro de 2013, foi publicada a Medida Provisória 627 (MP 627/13) com a convergência para a Lei 12.973/14, que revogou o Regime Tributário de Transição (RTT), instituído pela Lei nº 11.941/09. A lei 12.973/14 dispõe sobre: • a revogação do Regime Tributário de Transição (RTT), disciplinando os ajustes decorrentes dos novos métodos e critérios contábeis introduzidos em razão da convergência das normas contábeis brasileiras aos padrões internacionais; • a tributação da pessoa jurídica domiciliada no Brasil, com relação ao acréscimo patrimonial decorrente de participação em lucros auferidos no exterior por controladas e coligadas; e • o parcelamento especial de Contribuição para o PIS/Pasep e à Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social – Cofins. O Grupo BR Partners irá efetuar uma análise mais profunda e conclusiva da Lei 12.973/14. Em uma avaliação preliminar, não haverá impactos significativos sobre as demonstrações financeiras de 31 de dezembro de 2013. A Companhia apurou o imposto de renda e a contribuição social pelo regime tributário do lucro presumido no exercício findo em 31 de dezembro de 2013 e lucro real em 31 de dezembro de 2012. 2.8. Receita de aluguéis: A receita de aluguéis proveniente da propriedade para investimento é reconhecida no resultado de modo linear durante o prazo do arrendamento. 2.9. Apuração do resultado: O resultado é apurado pelo regime de competência, que estabelece que as receitas e despesas devem ser incluídas na apuração dos resultados dos períodos em que ocorrerem, sempre simultaneamente quando se correlacionarem, independentemente de recebimento ou pagamento. A receita compreende o valor justo da contraprestação recebida ou a receber pelos serviços prestados no curso normal das atividades da Companhia. A receita é apresentada líquida de impostos, abatimentos e descontos. A Companhia reconhece a receita quando: (i) o valor da receita pode ser mensurado com segurança; (ii) é provável que benefícios econômicos futuros fluam para a entidade e (iii) quando critérios específicos tiverem sido

DE DEZEMBRO DE 2013 (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) atendidos para suas atividades. 2.10. Distribuição de dividendos: A distribuição de dividendos para os acionistas da Companhia é reconhecida como passivo nas demonstrações financeiras, no período em que a distribuição é aprovada por eles, ou quando da proposição do dividendo mínimo obrigatório previsto no Estatuto da Companhia. 3. Gestão de risco financeiro As atividades da Companhia o expõem a riscos financeiros, tais como risco de mercado, risco de crédito e risco de liquidez. As políticas de gestão de risco do Grupo BR Partners concentram-se na imprevisibilidade dos mercados financeiros e buscam minimizar potenciais efeitos adversos no desempenho financeiro. A governança de risco do Grupo é exercida pela sua Administração, com a supervisão do Comitê de Risco de Crédito e Mercado e do Comitê de Investimentos, observando-se as suas responsabilidades e atribuições. Para a efetividade do gerenciamento de risco, a estrutura prevê a identificação, avaliação, monitoramento, controle, mitigação e comunicações de riscos. A área Gestão de Risco está subordinada à Diretoria de Operações e Risco, atuando de forma independente das áreas de negócio. Dentre os fatores de risco a que a Companhia pode estar sujeita, destacam-se os seguintes: (a) Risco de mercado: Define-se como risco de mercado a possibilidade de ocorrência de perdas devidas à flutuações adversas dos preços e taxas de mercado, sobre as posições da carteira própria da Companhia. A Política de Risco de Mercado, que é aprovada anualmente pelo Comitê de Gestão, define a estrutura de gerenciamento do risco de mercado do Grupo. Esta política indica os princípios gerais do gerenciamento do risco de mercado e tem como objetivo comunicar a tolerância do Comitê de Gestão do Grupo BR Partners às exposições, definir as técnicas para efetivamente gerenciar, mitigar e prevenir a exposição excessiva ao risco de mercado. As principais fontes de risco de mercado são, substancialmente, oriundas de: juros pré-fixados, juros reais e inflação; (b) Risco de crédito: consiste no risco de inadimplemento ou atraso no pagamento de juros ou principal pelos emissores dos ativos ou pelas contrapartes das operações, podendo ocasionar, conforme o caso, a redução de ganhos ou mesmo perdas financeiras até o valor das operações contratadas e não liquidadas; (c) Risco de liquidez: Define-se como risco de liquidez a possibilidade da Companhia não ser capaz de honrar eficientemente suas obrigações esperadas e inesperadas, correntes e futuras, inclusive as decorrentes de vinculação de garantias, sem afetar suas operações diárias e sem incorrer em perdas significativas. As principais fontes de risco de liquidez da Companhia são: • Possível restrição na venda de ativos que são considerados líquidos, em condições normais de mercado, mas que perdem esse status, por exemplo, devido a estresse agudo nos mercados ou possível problema com a capacidade financeira do emissor; • Possível desvalorização substancial no valor de mercado de ativos considerados líquidos, assumindo que eventuais hedges do risco de mercado não geram caixa de curto prazo; • Possíveis perdas devido ao risco de mercado; • Possíveis perdas ou atrasos devido ao não recebimento do montante financeiro esperado, na data contratada, de operações que têm risco de crédito e/ou risco de contraparte. A governança do risco de liquidez é exercida pela Administração da BR Partners, com a supervisão do Comitê de Risco e do Comitê de Ativos e Passivos (ALCO), observando-se as suas responsabilidades e atribuições. Para a efetividade do gerenciamento, a estrutura prevê a identificação, avaliação, monitoramento, controle, mitigação e comunicações do risco de liquidez. 4. Caixa e equivalentes de caixa 2013 2012 Bancos conta corrente e caixa 212 8 Aplicações financeiras a curto prazo 848 446 Total 1.060 454 Os saldos de recursos em bancos são registrados pelos valores depositados e as aplicações financeiras no Banco Bradesco S.A. e BR Partners Banco de Investimento S.A. referem-se a operações de curto prazo lastreadas em debêntures e CDB com remuneração de 99,5% a 100% do CDI com liquidez imediata. 5. Valores a receber Referem-se a valores a receber de alugueis, no montante de R$ 627 (2012 – R$ 851), do Outlet Premium Brasília. 6. Propriedade para investimento A propriedade para investimento é composta por empreendimento em shopping center denominado Outlet Premium Brasília. Em 11 de maio de 2012 foi celebrado o Acordo de Investimentos e Outras Avenças, no qual a Companhia adquiriu 18,77347% no montante de R$ 15.230. Em 31 de dezembro de 2013 foi emitido Laudo de Avaliação, por empresa especializada, com objetivo de avaliar o valor de mercado do empreendimento. O valor de mercado em 31 de dezembro de 2013 é de R$ 32.354 (2012 – R$ 29.699). Não obstante a Administração definiu que tal propriedade para investimento permanecesse avaliada ao seu custo de aquisição, conforme facultado pelas práticas contábeis em vigor. Em 31 dezembro de 2012 Terrenos Edificações Total Aquisições 291 14.939 15.230 ((73)) ((73) Depreciação – Saldo Contábil, líquido 291 14.866 15.157 Em 31 dezembro de 2012 Custo Depreciação acumulada Saldo Contábil, líquido Em 31 dezembro de 2013 Saldo inicial Aquisições Depreciação Saldo Contábil, líquido Em 31 dezembro de 2013 Custo Depreciação acumulada Saldo Contábil, líquido 7. Imposto de Renda, Contribuição Social, PIS e COFINS. (a) Imposto de Renda e Contribuição Social

14.939 ((73)) 14.866

15.230 ((73) 15.157

291 – – 291

14.866 225 ((303)) 14.788

15.157 225 ((303) 15.079

291 – 291

15.164 ((376)) 14.788

15.455 ((376) 15.079

Imposto de renda Imposto corrente Imposto corrente sobre o lucro do período Total do imposto corrente Imposto diferido Constituição/Reversão Imposto diferido sobre receita Total do imposto diferido Despesa de IRPJ/CSLL

DIRETORIA Jairo Eduardo Loureiro Filho Diretor

291 – 291

Pedro Oliva Marcilio de Sousa Diretor

2013 Contribuição social

(180) (180)

((73) ( (73)

(6) (6) ( (186 ( )

((2) ( (2) (75 ( )

CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Jairo Eduardo Loureiro Filho

A Administração

DEMONSTRAÇÕES DO RESULTADO EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) 2013 2012 Receita operacional líquida (Nota 9) 2.399 964 Custo com manutenção (Nota 10) (633) (203) Lucro bruto 1.766 761 Despesas operacionais (620) ( (124) ) Despesas administrativas (Nota 11) Lucro operacional antes do resultado financeiro 1.146 637 Receitas financeiras 43 3 Lucro antes do imposto de renda e contribuição social 1.189 640 (261) ( (194) ) Imposto de renda e contribuição social (Nota 7 (a)) Lucro líquido do exercício 928 446 Ações em circulação no final do exercício (em milhares) 1.566.696 1.566.696 Lucro por ação no final do exercício – R$ 0,0006 0,0003 As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras

DEMONSTRAÇÕES DOS FLUXOS DE CAIXA EXERCÍCIOS FINDOS EM 31 DE DEZEMBRO (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Fluxos de caixa de atividades operacionais Lucro líquido do exercício Ajuste de despesa não envolvendo caixa Depreciação Impostos diferidos Lucro líquido ajustado Variações no capital circulante (Aumento)/ Diminuição de Valores a receber Aumento de Fornecedores Aumento/ (Diminuição) de Impostos a recolher e provisões tributárias Caixa líquido nas operações Imposto de renda e contribuição social pagos Caixa líquido gerado pelas atividades operacionais Fluxos de caixa das atividades de investimento Aquisição de propriedade para investimento Aumento de capital Caixa líquido usado nas atividades de investimento Fluxos de caixa das atividades de financiamento Valores pagos à partes relacionadas Recursos provenientes de empréstimos Dividendos pagos Caixa líquido usado nas atividades de financiamento Aumento de caixa e equivalentes de caixa Caixa e equivalentes de caixa no início do exercício Caixa e equivalentes de caixa no final do exercício (Nota 4) Aumento de caixa e equivalentes de caixa

2013

2012

928

446

303 8 1.239

73 – 519

224 30 (176) 1.317 (1) 1.316

(851) 2 285 ( (45) – (45) (

(225) (15.230) – 15.657 (225) ( 427 (80) – ((405) (485) ( 606 454 1.060 606

– 70 – 70 452 2 454 452

As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras 2012 Imposto Contribuição de renda social Resultado antes da tributação sobre o lucro 640 640 ( (58) Alíquota (25% de IR e 9% de CSLL) ((136) Despesa com IRPJ/CSLL (136 ( ) ((58) A Companhia, no exercício de 2013, utilizou o método do lucro presumido para o cálculo do imposto de renda e da contribuição social, aplicando as respectivas taxas nominais sobre o lucro presumido apurado com base em suas receitas operacionais (32% de presunção de lucro) e sobre suas receitas financeiras (25% para Imposto de Renda e 9% para a Contribuição Social). No exercício de 2012, a provisão para Imp. de Renda foi constituída à alíquota de 15% sobre o lucro tributável, acrescida do adicional de 10% para o lucro tributável excedente a R$ 240 no exercício e a provisão para Contribuição Social foi constituída à alíquota de 9% sobre o lucro tributável. (b) PIS e COFINS 2013 2012 PIS COFINS PIS COFINS Receita tributável 2.489 2.489 981 981 Alíquota (1,65% de PIS e 7,60% de COFINS) – – (16) (75) (16) ( (74) – – Alíquota (0,65% de PIS e 3% de COFINS) Despesa com PIS/COFINS (16 (16) ( ) (74 ((16) ((75) 8. Patrimônio líquido (a) Capital social: Em 01 de junho de 2012, conforme a 5ª Alteração e Consolidação do Contrato Social, foi deliberado o aumento de capital de R$ 7.700, mediante a criação de 770.000 milhares de quotas, passando o capital da Companhia de R$ 10 para R$ 7.710. O Capital Social de R$ 7.710, passou a ser representado por 771.000 milhares de ações ordinárias nominativas e sem valor nominal. Em 14 de dezembro de 2012, conforme a Ata da Assembleia Geral Extraordinária, foi deliberado o aumento de capital da Companhia de R$ 7.710 para R$ 8.710, representando um aumento de capital no valor de R$ 1 milhão de reais, mediante a emissão de 795.696.400 ações ordinárias ao valor de R$ 0,01 (um centavo de real) e a diferença entre o valor do aumento e o valor subscrito de R$ 6.957 alocada à conta de reserva de capital. Abaixo segue a composição acionária em 31 de dezembro de 2013. Quantidade R$ ((mil)) Total de ações em 31 de dezembro de 2012 1.566.696.400 15.667 Total de ações em 31 de dezembro de 2013 1.566.696.400 15.667 (b) Dividendos e juros sobre o capital próprio: Os acionistas terão direito a um dividendo anual obrigatório não cumulativo correspondente à totalidade do lucro líquido ajustado na forma do artigo 202 da Lei das Sociedades por Ações, sendo que dividendos intermediários e juros sobre capital próprio serão sempre considerados como antecipação do dividendo fixo e do mínimo obrigatório conforme determinado no Estatuto Social. A Companhia poderá, a qualquer tempo, ad referendum da Assembleia Geral, levantar balanços semestralmente ou em períodos menores em cumprimento a requisitos legais ou para atender a interesses societários, declarar e pagar dividendos intermediários, intercalares ou juros sobre capital próprio à conta de lucros do exercício corrente ou de reserva de lucros de exercícios anteriores. Em 31 de dezembro de 2012, foi efetuada a destinação de dividendos referente ao lucro acumulado do exercício de 2012 no montante de R$ 405, sendo posteriormente aprovada por meio da Ata de Assembleia Geral Ordinária de 30 de abril de 2013. Em 31 de dezembro de 2013, foi efetuada a destinação de dividendos referente ao lucro acumulado do exercício de 2013 no montante de R$ 881. 9. Receita operacional líquida A reconciliação da receita operacional líquida é demonstrada abaixo: 2013 2012 Rendas de aluguéis - Outlet Premium Brasília 2.489 1.055 (-) Pis e Cofins ( (91) ((90) Total 2.399 964 10. Custos com manutenção Referem-se a custos operacionais com a manutenção do shopping Outlet Premium Brasília. 11. Despesas administrativas 2013 2012 Despesas de serviços técnicos especializados 232 23 Despesas de publicações 51 12 Despesas de serviços de terceiros 4 14 Despesas de depreciação 303 73 Outras despesas 30 2 124 Total 620 12. Outras informações (a) Em 31 de dezembro de 2013 e 2012, a Companhia não é parte envolvida em processos trabalhistas, cíveis, tributários e outros; (b) Durante os exercícios findos em 31 de dezembro de 2013 e de 2012, a Companhia não operou com instrumentos financeiros derivativos; (c) Em 31 de dezembro de 2013, a Companhia não teve transações com partes relacionadas; (d) O Grupo possui um programa de gerenciamento de riscos com o objetivo de delimitá-los, contratando no mercado coberturas compatíveis com o seu porte e operação. As coberturas, relativas às instalações em sua sede, foram contratadas por montantes considerados suficientes pela administração para cobrir eventuais sinistros, considerando a natureza da sua atividade, os riscos envolvidos em suas operações. Em 31 de dezembro de 2013, o montante de prêmio pago pelo Grupo totalizava R$ 7.

CONTADOR José Flávio Ferreira Ramos

Hideo Antonio Kawassaki CRC 1SP 184007/O-5

Andrea Capelo Pinheiro

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS Aos Responsabilidade dos auditores independentes – Nossa responsabilidade é a de expressar uma Administradores e Acionistas opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo BR Partners Investimentos Imobiliários S.A. com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de Examinamos as demonstrações financeiras individuais da BR Partners Investimentos Imobiliários exigências éticas pelo auditor e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter S.A. (a “Companhia”) que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro de 2013 e as segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos fluxos de caixa auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito para o exercício findo nessa data, assim como o resumo das principais políticas contábeis e as dos valores e das divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos demais notas explicativas. selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras – A administração relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou por erro. da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e pelos controles internos que e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procediela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres mentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para expressar uma opinião de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou por erro. sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui também a avaliação

da adequação das políticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião – Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da BR Partners Investimentos Imobiliários S.A. em 31 de dezembro de 2013, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o exercício findo nessa mesma data, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. São Paulo, 28 de maio de 2014 PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes Maria José De Mula Cury CRC 2SP000160/O-5 Contadora CRC 1SP192785/O

www.brap.com.br COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual nº 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.º 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual nº 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais dos estabelecimentos da “Incorporada”, conforme segue:

COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual nº 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.º 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual nº 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais dos estabelecimentos da “Incorporada”, conforme segue:

IE

TIPO DOCUMENTO

MODELO SÉRIE/SUB-SÉRIE

NUMERAÇÃO

AIDF

IE

TIPO DOCUMENTO

MODELO SÉRIE/SUB-SÉRIE

NUMERAÇÃO

AIDF

282.129.644.119 282.129.644.119 282.129.644.119 282.129.644.119 282.129.644.119 282.129.644.119

NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL

Mod. 1 Mod. 1 Mod. 1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1

1 a 200 201 a 400 401 a 600 1 a 200 201 a 400 401 a 650

255097030808 271078660308 287883592509 253783515008 271077917808 349642720310

392.239.008.112 392.239.008.112 392.239.008.112 392.239.008.112 392.239.008.112 392.239.008.112

NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL

Mod. 1 Mod. 1 Mod. 1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1

1 a 200 201 a 350 351 a 550 1 a 200 201 a 350 351 a 550

264927279708 310291136909 318146165809 264928888508 310290792909 363922132810

Auto Posto 5000 Ltda, torna público que recebeu da Cetesb a Renovação da Licença de Operação n° 30009149 válida até 03/06/2019, para comércio varejista de combustíveis e lubrificantes para Veículos, sito à Avenida Amador Bueno da Veiga, 2550 - Penha - São Paulo.

Horse Even Empreendimentos Imobiliários Ltda.

CNPJ/MF nº 09.029.124/0001-74 – NIRE 35.221.560.954 – Ata de Reunião Extraordinária de Sócias Data, Hora e Local: 07/05/2014, às 14:00 horas, na sede da Sociedade, no Estado de São Paulo. Mesa: Presidente: Fabiano Andrade Delvaux. Secretário: Walter Roberto Plaza Junior. Presentes: A totalidade dos Sócios. Ordem do Dia: Deliberar sobre a redução de Capital da Sociedade. Deliberações: Reduzir o capital social, por considerarem excessivo ao objeto da sociedade, de R$ 10.056.285,00 para R$ 7.356.285,00, sendo a redução de R$ 2.700.000,00. A redução do capital será efetivada mediante restituição de capital em dinheiro, diminuindo proporcionalmente o número de quotas da sociedade. Sócias: p. Even Construtora e Incorporadora S.A. - Dany Muszkat/Fabiano Andrade Delvaux; p. Evenpar Participações Societárias Ltda. Fabiano Andrade Delvaux/Walter Roberto Plaza Junior .

Dragon Even Empreendimentos Imobiliários Ltda.

CNPJ/MF nº 09.244.754/0001-61 – NIRE 35.221.900.658 – Ata de Reunião Extraordinária de Sócias Data, Hora e Local: 08/05/2014, às 10:00 horas, na sede da Sociedade, no Estado de São Paulo. Mesa: Presidente: Fabiano Andrade Delvaux. Secretário: Walter Roberto Plaza Junior. Presentes: A totalidade dos Sócios. Ordem do Dia: Deliberar sobre a redução de Capital da Sociedade. Deliberações: Reduzir o capital social, por considerarem excessivo ao objeto da sociedade, de R$ 13.902.474,00 para R$ 102.474,00, sendo a redução de R$ 13.800.000,00. A redução do capital será efetivada mediante restituição de capital em dinheiro, diminuindo proporcionalmente o número de quotas da sociedade. Sócias: p. Even Construtora e Incorporadora S.A. Dany Muszkat/Fabiano Andrade Delvaux; p. JCR Construção Civil Ltda. - Antonio Rodrigues da Silva.

INSTITUTO DE ORGANIZAÇÃO RACIONAL DO TRABALHO - IDORT EDITAL DE CONVOCAÇÃO DE ASSEMBLEIA GERAL DOS ASSOCIADOS Em consonância com o disposto no Estatuto Social, o Sr. Presidente da Diretoria Executiva, considerando a atual situação societária do IDORT, que se encontra atualmente sem Conselho Superior eleito, de modo a prejudicar profundamente a realização das tarefas administrativas da entidade; Considerando o fato de que a antiga composição do Conselho Superior não convocou a Assembleia Geral da entidade para a nova eleição do órgão, deixando o órgão sem ocupação; Considerando que cabia justamente ao Conselho Superior a referida convocação, que, entretanto, não o fez no prazo de validade de seu mandato, o que gera efetivos prejuízos à entidade; Considerando que o Estatuto da entidade confere à Presidência do Conselho Superior uma série de poderes administrativos, e que é fundamental regularizar tal situação, na medida em que atualmente; O Presidente da Diretoria Executiva vê-se obrigado a praticar atos isoladamente; Considerando a ausência de Conselho Superior constituído e, portanto, a não aplicação do §2º do artigo 14 da entidade; Considerando, por fim, que a presente Convocação cumprirá os requisitos dos artigos 14 e 15 do seu Estatuto Social. Convocamos os Senhores Associados Fundadores, Titulares e Coletivos para a Assembleia Geral da entidade a ser realizada no dia 16 (dezesseis) de junho de 2014, às 18h30, em primeira convocação, e às 19h, em segunda convocação, na sede do IDORT, à Avenida Paulista, nº 1.294, 1º andar, CEP 01310-100, São Paulo-SP, para deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: 1- Referendo da presente convocação do Sr. Presidente da Diretoria Executiva; 2- Apresentação da última prestação de contas pela Diretoria Executiva; 3- Recomposição das vagas do Conselho Superior; 4- Necessidade de instituição de Conselho Fiscal; 5- Análise das opiniões e posições sobre possível alteração de Estatuto; 6- Recomposição dos quadros associativos da entidade. Exposição dos problemas atuais envolvendo a condição de Associado. Admissão de novos associados. São Paulo, 6 de junho de 2014. Elcio Luiz Figueiredo - Presidente da Diretoria Executiva - IDORT.

COMUNICADO A empresa “Raia Drogasil S/A”, CNPJ 61.585.865/0001-51, inscrição Estadual nº 100.931.575.117, com sede à Avenida Corifeu de Azevedo Marques, n.º 3.097, Rio Pequeno, São Paulo, SP, incorporadora da empresa “Raia S/A”, CNPJ 60.605.664/0001-06, inscrição Estadual nº 100.059.502.116 (“Incorporada”). Comunica o extravio de documentos fiscais dos estabelecimentos da “Incorporada”, conforme segue: IE

TIPO DOCUMENTO

MODELO SÉRIE/SUB-SÉRIE

NUMERAÇÃO

AIDF

688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119 688.236.250.119

NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL NOTA FISCAL

Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 2 D/1 Mod. 1 Mod. 1 Mod. 1 Mod. 1

1.501 a 2.000 2.001 a 2.500 2.501 a 2.750 2.751 a 3.000 3.001 a 3.250 601 a 1.100 1.101 a 1.400 1.401 a 1.650 1.651 a 1.900

112448996205 111675856206 230206479508 357282347810 401145347310 106496662505 257612241408 286011886208 387344419610

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE BRAGANÇA PAULISTA AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Acham-se abertos, na Prefeitura do Município de Bragança Paulista, os seguintes certames licitatórios: PREGÃO PRESENCIAL n° 100/2014 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA AQUISIÇÃO DE MEDICAMENTOS PADRONIZADOS. DATA DA REALIZAÇÃO: 25/06/2014, às 09h30min. PREGÃO PRESENCIAL n° 105/2014 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA AQUISIÇÃO DE SUPLEMENTOS ALIMENTARES. DATA DA REALIZAÇÃO: 30/06/2014, às 14h30min. PREGÃO PRESENCIAL n° 116/2014 OBJETO: REGISTRO DE PREÇOS PARA CONTRATAÇÃO DE EMPRESA ESPECIALIZADA EM LOCAÇÃO DE SONORIZAÇÃO E PALCO. DATA DE ABERTURA: 10/07/2014, às 09h30min. Os editais completos estão disponíveis no Balcão da Divisão de Licitação, Compras e Almoxarifado, à Avenida Antonio Pires Pimentel nº 2.015, Centro, em dias úteis, das 09h00 às 16h00 horas e no site www.braganca.sp.gov.br. As informações deverão ser obtidas pessoalmente. Bragança Paulista, 02 de junho de 2014. Patrícia Maria Machado Santos - Chefe Interina da Divisão de Licitação, Compras e Almoxarifado


20 -.ECONOMIA/LEGAIS

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014


ECONOMIA/LEGAIS - 21

DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

BR Partners Bahia Empreendimentos Imobiliários S.A. (Anteriormente denominado Lagash Empreendimentos e Participações S.A.) CNPJ/MF nº 17.977.303/0001-61 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas: Submetemos à apreciação de V. Sas. as Demonstrações Financeiras do BR Partners Bahia Empreendimentos Imobiliários S.A., relativos ao exercício findo em 31 de dezembro de 2013. BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 (Em milhares de reais) Ativo 2013 Circulante Caixa e equivalentes de caixa (Nota 4) 442 Valores a receber (Nota 5) 1.727 Outros valores 1 2.170 Não circulante Investimentos Propriedade para investimento (Nota 6) 46.011 46.011 48.181

Total do ativo

Passivo e patrimônio líquido Circulante Fornecedores Dividendos a pagar (Nota 8 (b)) Impostos a recolher Impostos diferidos

2013 37 1.035 293 5 1.370

Patrimônio líquido Capital social (Nota 8 (a)) Reserva de lucros

46.757 54 46.811 48.181

Total do passivo e patrimônio líquido

As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras

DEMONSTRAÇÃO DA MUTAÇÃO DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO (Em milhares de reais)

Constituição em 3 de junho de 2013 Aumento de capital (Nota 8 (a)) Lucro líquido do exercício Constituição de reserva legal Dividendos (Nota 8 (b)) Em 31 de dezembro de 2013

Capital Social 2 47.998 – – – 48.000

Capital a integralizar – (1.243) – – – ( (1.243 )

Reserva de lucros Reserva legal – – – 54 – 54

Lucros acumulados – – 1.089 (54) ( (1.035) –

Total 2 46.755 1.089 – ( (1.035) 46.811

As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras

NOTAS EXPLICATIVAS DA ADMINISTRAÇÃO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS EM 31 1 Informações gerais A BR Partners Bahia Empreendimentos Imobiliários S.A. (Anteriormente denominado Lagash Empreendimentos e Participações S.A.) (“Companhia”) é uma sociedade anônima, constituída em 3 de junho de 2013 com sede em São Paulo, Estado de São Paulo. Em 3 de junho de 2013, conforme a Ata de Assembleia Geral Extraordinária da Lagash Empreendimentos e Participações S.A. alterou a sua razão social para BR Partners Bahia Empreendimentos Imobiliários S.A. transferindo a sede social da Companhia, para a Avenida Brigadeiro Faria Lima nº 3.355, 26º andar, na cidade de São Paulo. A Companhia tem por objetivo, propósito específico de desenvolver e implementar empreendimento imobiliário na cidade de Camaçari, Estado da Bahia, com características de um centro de compras, compreendendo, inclusive, a compra e venda, a locação e administração de bens próprios, podendo a Companhia participar de outras sociedades na qualidade de sócia quotista ou acionista. A emissão destas demonstrações financeiras foi autorizada pela administração em 17 de março de 2014. 2 Resumo das principais políticas contábeis As principais políticas contábeis aplicadas na preparação dessas demonstrações financeiras estão definidas abaixo. Essas políticas foram aplicadas de modo consistente no exercício apresentado, salvo disposição em contrário. 2.1. Base de preparação e apresentação: As demonstrações financeiras foram preparadas conforme as práticas contábeis adotadas no Brasil emitidas pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPCs) considerando o custo histórico como base de valor. A preparação de demonstrações financeiras requer o uso de certas estimativas contábeis críticas e também o exercício de julgamento por parte da administração da Companhia no processo de aplicação das políticas contábeis da Companhia. 2.2. Moeda funcional e moeda de apresentação: Os itens incluídos nas demonstrações financeiras são mensurados de acordo com a moeda do principal ambiente econômico no qual a empresa atua (“moeda funcional”). As demonstrações financeiras estão apresentadas em milhares de reais, que é a moeda funcional da Companhia e, também, a sua moeda de apresentação. 2.3. Caixa e equivalentes de caixa: O caixa e equivalentes de caixa são representados por disponibilidades em moeda nacional e aplicações interfinanceiras de liquidez, com vencimentos de até 3 meses e com risco insignificante de mudança de valor. As aplicações interfinanceiras de liquidez são avaliadas pelo custo de aquisição, atualizado pelas rendas auferidas até a data do balanço, deduzidas de provisão para desvalorização, quando aplicável. 2.4. Valores a receber: Os valores a receber são ativos financeiros não derivativos, com pagamentos fixos ou determináveis, que não são cotados em um mercado ativo. São apresentados como ativo circulante e compreendem contas a receber de aluguéis. 2.5. Propriedade para investimentos: A Companhia é proprietária de um edifício de lojas mantido para rendimento de aluguel de longo prazo e para valorização. O imóvel não é ocupado pela Companhia. A propriedade para investimento é demonstrada pelo custo deduzida a depreciação e qualquer provisão para perda acumulada. O custo representa o custo histórico de aquisição. A depreciação da propriedade para investimento é calculada segundo o método linear à taxa de 2% ao ano para alocação do custo menos seu valor residual durante a vida útil estimada de 50 anos, conforme laudos de avaliação. O valor residual, a vida útil e o método de depreciação com relação à propriedade para investimento da Companhia são revisados e ajustados, se necessário, quando há indícios de mudanças desde a data do último balanço. 2.6. Impairment de ativos financeiros e ativos não financeiros: (a) Ativos financeiros mensurados ao custo amortizado: A Companhia avalia, na data do balanço, se há evidência objetiva de que um ativo financeiro está registrado por valor acima de seu valor recuperável (impairment). Um ativo ou grupo de ativos financeiros está deteriorado e as perdas por impairment são incorridas somente se há evidência objetiva de impairment como resultado de um ou mais eventos incorridos após reconhecimento inicial dos ativos (um “evento de perda”) e aquele evento (ou eventos) de perda tem um impacto nos fluxos de caixa futuros estimados do ativo financeiro ou grupo de ativos financeiros que pode ser estimado de maneira confiável. (b) Provisões para perdas por impairment em ativos não financeiros: Os ativos não financeiros são revisados para verificação do valor recuperável. Quando houver indício de perda do valor recuperável (impairment), o valor contábil do ativo será testado. Uma perda é reconhecida pelo valor em que o valor contábil do ativo exceda seu valor recuperável. Este último é o valor mais alto entre o valor justo de um ativo, menos as despesas de venda, e o valor em uso. Para fins de avaliação de perda, os ativos são agrupados nos níveis mais baixos para os quais existam fluxos de caixa identificáveis separadamente (Unidades Geradoras de Caixa (UCGs)). Os ativos não financeiros que tenham sofrido redução, com exceção do ágio, são revisados para identificar uma possível reversão da provisão para perdas por impairment na data do balanço. 2.7. Imposto de renda e contribuição social: As despesas fiscais do exercício compreendem o imposto de renda e contribuição social corrente. Os encargos do imposto de renda e contribuição social corrente são calculados com base nas leis tributárias em vigor na data do balanço. Os passivos fiscais diferidos incluem diferenças temporárias, identificadas como os valores que se espera pagar sobre diferenças entre os valores contábeis dos passivos e suas respectivas bases de cálculo. Esses valores são mensurados às alíquotas que se espera aplicar no período em que o passivo for liquidado. Em 11 de novembro de 2013, foi publicada a Medida Provisória 627 (MP 627/13) com a convergência para a Lei 12.973/14, que revogou o Regime Tributário de Transição (RTT), instituído pela Lei nº 11.941/09. A lei 12.973/14 dispõe sobre: • a revogação do Regime Tributário de Transição (RTT), disciplinando os ajustes decorrentes dos novos métodos e critérios contábeis introduzidos em razão da convergência das normas contábeis brasileiras aos padrões internacionais; • a tributação da pessoa jurídica domiciliada no Brasil, com relação ao acréscimo patrimonial decorrente de participação em lucros auferidos no exterior por controladas e coligadas; e • o parcelamento especial de Contribuição para o PIS/Pasep e à Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social – Cofins. O Grupo BR Partners irá efetuar uma análise mais profunda e conclusiva da Lei 12.973/14. Em uma avaliação preliminar, não haverá impactos significativos sobre as demonstrações financeiras de 31 de dezembro de 2013. A Companhia apurou o imposto de renda e a contribuição social pelo regime tributário do lucro presumido no período findo em 31 de dezembro de 2013. 2.8. Receita de aluguéis: A receita de aluguéis proveniente da propriedade para investimento é reconhecida no resultado de modo linear durante o prazo do arrendamento. 2.9. Apuração do resultado: O resultado é apurado pelo regime de competência, que estabelece que as receitas e despesas devem ser incluídas na apuração dos resultados dos períodos em que ocorrerem, sempre simultaneamente quando

DE DEZEMBRO DE 2013 (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) se correlacionarem, independentemente de recebimento ou pagamento. A receita compreende o valor justo da contraprestação recebida ou a receber pelos serviços prestados no curso normal das atividades da Companhia. A receita é apresentada líquida de impostos, abatimentos e descontos. A Companhia reconhece a receita quando: (i) o valor da receita pode ser mensurado com segurança; (ii) é provável que benefícios econômicos futuros fluam para a entidade e (iii) quando critérios específicos tiverem sido atendidos para suas atividades. 2.10. Distribuição de dividendos: A distribuição de dividendos para os acionistas da Companhia é reconhecida como passivo nas demonstrações financeiras, no período em que a distribuição é aprovada por eles, ou quando da proposição do dividendo mínimo obrigatório previsto no Estatuto da Companhia. 3 Gestão de risco financeiro As atividades da Companhia o expõem a riscos financeiros, tais como risco de mercado, risco de crédito e risco de liquidez. As políticas de gestão de risco do Grupo BR Partners concentram-se na imprevisibilidade dos mercados financeiros e buscam minimizar potenciais efeitos adversos no desempenho financeiro. A governança de risco do Grupo é exercida pela sua Administração, com a supervisão do Comitê de Risco de Crédito e Mercado e do Comitê de Investimentos, observando-se as suas responsabilidades e atribuições. Para a efetividade do gerenciamento de risco, a estrutura prevê a identificação, avaliação, monitoramento, controle, mitigação e comunicações de riscos. A área Gestão de Risco está subordinada à Diretoria de Operações e Risco, atuando de forma independente das áreas de negócio. Dentre os fatores de risco a que a Companhia pode estar sujeita, destacam-se os seguintes: (a) Risco de mercado: Define-se como risco de mercado a possibilidade de ocorrência de perdas devidas à flutuações adversas dos preços e taxas de mercado, sobre as posições da carteira própria da Companhia. A Política de Risco de Mercado, que é aprovada anualmente pelo Comitê de Gestão, define a estrutura de gerenciamento do risco de mercado do Grupo. Esta política indica os princípios gerais do gerenciamento do risco de mercado e tem como objetivo comunicar a tolerância do Comitê de Gestão do Grupo BR Partners às exposições, definir as técnicas para efetivamente gerenciar, mitigar e prevenir a exposição excessiva ao risco de mercado. As principais fontes de risco de mercado são, substancialmente, oriundas de: juros pré-fixados, juros reais e inflação. (b) Risco de crédito: consiste no risco de inadimplemento ou atraso no pagamento de juros ou principal pelos emissores dos ativos ou pelas contrapartes das operações, podendo ocasionar, conforme o caso, a redução de ganhos ou mesmo perdas financeiras até o valor das operações contratadas e não liquidadas; (c) Risco de liquidez: Define-se como risco de liquidez a possibilidade da Companhia não ser capaz de honrar eficientemente suas obrigações esperadas e inesperadas, correntes e futuras, inclusive as decorrentes de vinculação de garantias, sem afetar suas operações diárias e sem incorrer em perdas significativas. As principais fontes de risco de liquidez da Companhia são: • Possível restrição na venda de ativos que são considerados líquidos, em condições normais de mercado, mas que perdem esse status, por exemplo, devido a estresse agudo nos mercados ou possível problema com a capacidade financeira do emissor; • Possível desvalorização substancial no valor de mercado de ativos considerados líquidos, assumindo que eventuais hedges do risco de mercado não geram caixa de curto prazo; • Possíveis perdas devido ao risco de mercado; • Possíveis perdas ou atrasos devido ao não recebimento do montante financeiro esperado, na data contratada, de operações que têm risco de crédito e/ou risco de contraparte. • A governança do risco de liquidez é exercida pela Administração da BR Partners, com a supervisão do Comitê de Risco e do Comitê de Ativos e Passivos (ALCO), observando-se as suas responsabilidades e atribuições. Para a efetividade do gerenciamento, a estrutura prevê a identificação, avaliação, monitoramento, controle, mitigação e comunicações do risco de liquidez. 4 Caixa e equivalentes de caixa 2013 Depósitos bancários 3 Depósitos bancários de curto prazo 439 Total 442 Os saldos de recursos em bancos são registrados pelos valores depositados no Banco Itaú S.A., Banco do Brasil S.A. e Caixa Econômica Federal. Os depósitos bancários de curto prazo correspondem a operações compromissadas lastreadas em DI com remuneração à 101,5% do CDI e possuem liquidez imediata. 5 Valores a receber Referem-se a valores a receber de alugueis, no montante de R$ 1.727, do Outlet Premium Salvador. 6 Propriedade para investimento A propriedade para investimento é composta por empreendimento no shopping center denominado Outlet Premium Salvador. Em 18 de junho de 2013 foi celebrado o Instrumento Particular de Compromisso de Compra e Venda de Parte Ideal de Imóvel e Outras Avenças, no qual a Companhia adquiriu 48% do empreendimento shopping center. Durante o período findo em 31 de dezembro de 2013 o investimento total do empreendimento foi de R$ 46.148. Em 31 de dezembro de 2013 foi emitido laudo de avaliação, por empresa especializada, com objetivo de avaliar o valor de mercado do empreendimento. O valor de mercado proporcional à sua participação em 31 de dezembro de 2013 é de R$ 78.120. Não obstante a Administração definiu que tal propriedade para investimento permanecesse avaliada ao seu custo de aquisição, conforme facultado pelas práticas contábeis em vigor. 7 Imposto de Renda, Contribuição Social, PIS e COFINS. (a) Imposto de Renda e Contribuição Social 2013 Imposto Contribuição de Renda Social Imposto corrente (159) ( (59) Imposto corrente sobre o lucro do período Total do imposto corrente ((159) ( (59) Imposto diferido (4) ( (1) Constituição/Reversão Imposto diferido sobre receita Total do imposto diferido ((4) ( (1) Despesa de imposto de renda e contribuição social ((163) ((60) A Companhia, no exercício de 2013, utilizou o método do lucro presumido para o cálculo do

DIRETORIA

A Administração

DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Período de 3 de junho a 31 de dezembro de 2013 Receita operacional líquida (Nota 9) 1.983 Custo com manutenção (Nota 10) (332) (332 Lucro bruto 1.651 Despesas operacionais (356 Despesas administrativas (Nota 11) (356) Lucro operacional antes do resultado financeiro 1.295 Receitas financeiras 17 Lucro antes do imposto de renda e contribuição social 1.312 (223 Imposto de renda e contribuição social (Nota 7 (a)) (223) Lucro líquido do exercício 1.089 Ações em circulação no final do exercício (em milhares) 48.000 Lucro por ação no final do exercício – R$ 0,0227 As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA – PERÍODO FINDO EM 31 DE DEZEMBRO DE 2013 (Em milhares de reais) Período de 3 de junho a 31 de dezembro de 2013 Fluxos de caixa de atividades operacionais Lucro líquido do período 1.089 Ajustes de receitas e despesas não envolvendo caixa Depreciação 137 Impostos diferidos 5 Lucro líquido ajustado 1.231 Variações no capital circulante (Aumento) de Valores a receber (1.727) (Aumento) de Outros valores (1) Aumento de Fornecedores 37 Aumento de Impostos a recolher 293 ( Caixa gerado nas operações (167) Caixa líquido gerado pelas atividades operacionais (167) ( Fluxos de caixa das atividades de investimento (46.148 Aquisição de propriedade para investimento (46.148) Caixa líquido usado nas atividades de investimento (46.148) ( Fluxos de caixa das atividades de financiamento Recursos provenientes de emissão de ações 46.755 Caixa líquido usado nas atividades de financiamento 46.755 Aumento de caixa e equivalentes de caixa 440 Caixa e equivalentes de caixa no início do período 2 Caixa e equivalentes de caixa no final do período 442 Aumento de caixa e equivalentes de caixa 440 As notas explicativas da administração são parte integrante das demonstrações financeiras imposto de renda e da contribuição social, aplicando as respectivas taxas nominais sobre o lucro presumido apurado com base em suas receitas operacionais (32% de presunção de lucro) e sobre suas receitas financeiras (25% para Imposto de Renda e 9% para a Contribuição Social). (b) PIS e COFINS 2013 PIS COFINS Receita tributável líquida 2.058 2.058 (13) ( (62) Alíquota (0,65% de PIS e 3,00% de COFINS) Despesa com PIS/COFINS (13 ( ) ((62) 8 Patrimônio líquido (a) Capital social: A Companhia foi constituída em 3 de junho de 2013. Conforme a Ata de Assembleia Geral da Lagash Empreendimentos e Participações S.A. de 3 de junho de 2013, é deliberado a alteração da razão social da Companhia para BR Partners Bahia Empreendimentos Imobiliários S.A. Nesta ata, o capital social totalmente integralizado era de R$ 2 equivalentes a 1.500 (um mil e quinhentos) ações ordinárias, sendo que os sócios da Companhia decidiram aumentar para R$ 48.000 mediante a emissão de 47.998.500 (quarenta e sete milhões, novecentos e noventa e oito mil e quinhentos) ações ordinárias nominativas e sem valor nominal, ao preço de emissão de R$ 1,00 (hum real) cada. Em 31 de dezembro de 2013, o montante integralizado foi de R$ 46.755, sendo o capital a integralizar de R$ 1.243. Abaixo segue a composição acionária em 31 de dezembro de 2013. Quantidade Ações em 3 de junho de 2013 1.500 Ações emitidas em 3 de junho de 2013 47.998.500 Total em 31 de dezembro de 2013 48.000.000 (b) Dividendos e juros sobre o capital próprio: Os acionistas terão direito a um dividendo anual obrigatório de, pelo menos, 25% (vinte e cinco por cento) do lucro líquido do exercício, ajustado na forma do artigo 202 da Lei das Sociedades por Ações, e compensados os dividendos que tenham sido declarados no exercício, nos termos do artigo 24, do Estatuto Social. A Companhia poderá levantar balanços semestrais, ou em períodos menores, e declarar, por deliberação da Assembleia Geral, dividendos à conta de lucros apurado nesses balanços, por conta total a ser distribuído ao término do respectivo exercício social, observadas as limitações previstas em lei, podendo declarar dividendos intermediários. Em 31 de dezembro de 2013, foi efetuada a destinação de dividendos referente ao lucro acumulado do período de 2013 no montante de R$ 1.035. 9 Receita operacional líquida A reconciliação da receita operacional líquida é demonstrada abaixo: 2013 Rendas de aluguéis – Outlet Premium Salvador 2.058 ( (-) Pis e Cofins (75) Total 1.983 10 Custos com manutenção Referem-se a custos operacionais com a manutenção do shopping Outlet Premium Salvador. 11 Despesas administrativas 2013 Despesas de serviços técnicos especializados 142 Despesas de publicações 29 Despesas de serviços de terceiros 21 Despesas de depreciação 137 Outras despesas 27 Total 356 12 Outras informações (a) Em 31 de dezembro de 2013, a Companhia não é parte envolvida em processos trabalhistas, cíveis, tributários e outros. (b) Durante o período de 03 de junho a 31 de dezembro de 2013, a Companhia não operou com instrumentos financeiros derivativos. (c) Em 31 de dezembro de 2013, a Companhia não teve transações com partes relacionadas. (d) Seguros: A Companhia possui um programa de gerenciamento de riscos com o objetivo de delimitá-los, contratando no mercado coberturas compatíveis com o seu porte e operação. As coberturas, relativas às instalações em sua sede, foram contratadas por montantes considerados suficientes pela administração para cobrir eventuais sinistros, considerando a natureza da sua atividade, os riscos envolvidos em suas operações. Em 31 de dezembro de 2013, o montante de prêmio pago pela Companhia totalizava R$ 7.

CONTADOR Jairo Eduardo Loureiro Filho – Diretor

Pedro Oliva Marcilio de Sousa – Diretor

RELATÓRIO DOS AUDITORES INDEPENDENTES SOBRE AS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS opinião sobre essas demonstrações financeiras com base em nossa auditoria, conduzida de acordo Aos Administradores e Acionistas com as normas brasileiras e internacionais de auditoria. Essas normas requerem o cumprimento de BR Partners Bahia Empreendimentos Imobiliários S.A. Examinamos as demonstrações financeiras individuais da BR Partners Bahia Empreendimentos exigências éticas pelo auditor e que a auditoria seja planejada e executada com o objetivo de obter Imobiliários S.A. (a”Companhia”) que compreendem o balanço patrimonial em 31 de dezembro segurança razoável de que as demonstrações financeiras estão livres de distorção relevante. Uma de 2013 e as respectivas demonstrações do resultado, das mutações do patrimônio líquido e dos auditoria envolve a execução de procedimentos selecionados para obtenção de evidência a respeito fluxos de caixa para o período de 03 de junho a 31 de dezembro de 2013, assim como o resumo dos valores e das divulgações apresentados nas demonstrações financeiras. Os procedimentos selecionados dependem do julgamento do auditor, incluindo a avaliação dos riscos de distorção das principais políticas contábeis e as demais notas explicativas. Responsabilidade da administração sobre as demonstrações financeiras: A administração relevante nas demonstrações financeiras, independentemente se causada por fraude ou por erro. da Companhia é responsável pela elaboração e adequada apresentação dessas demonstrações Nessa avaliação de riscos, o auditor considera os controles internos relevantes para a elaboração financeiras de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil, e pelos controles internos que e adequada apresentação das demonstrações financeiras da Companhia para planejar os procediela determinou como necessários para permitir a elaboração de demonstrações financeiras livres mentos de auditoria que são apropriados nas circunstâncias, mas não para expressar uma opinião sobre a eficácia desses controles internos da Companhia. Uma auditoria inclui também a avaliação de distorção relevante, independentemente se causada por fraude ou por erro. Responsabilidade dos auditores independentes: Nossa responsabilidade é a de expressar uma da adequação das políticas contábeis utilizadas e a razoabilidade das estimativas contábeis feitas

Hideo Antonio Kawassaki – CRC 1SP 184.007/O-5

pela administração, bem como a avaliação da apresentação das demonstrações financeiras tomadas em conjunto. Acreditamos que a evidência de auditoria obtida é suficiente e apropriada para fundamentar nossa opinião. Opinião: Em nossa opinião, as demonstrações financeiras acima referidas apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira da BR Partners Bahia Empreendimentos Imobiliários S.A. em 31 de dezembro de 2013, o desempenho de suas operações e os seus fluxos de caixa para o período de 03 de junho a 31 de dezembro de 2013, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. São Paulo, 02 de junho de 2014 PricewaterhouseCoopers Auditores Independentes CRC 2SP 000.160/O-5

Maria José De Mula Cury Contadora CRC 1SP 192.785/O

www.brap.com.br

Balanços Patrimoniais em 31/12/2013 e 2012 Ativo NE 2013 2012 Circulante 754.188 101.788 Caixa e Equivalentes de Caixa 4 753.774 101.788 Clientes: Impostos a Recuperar 414 0 Não Circulante 2.249.502 1.981.296 Realizável a Longo Prazo Investimentos: Imobilizado Líqüido 5 2.249.502 1.981.296 Total do Ativo 3.003.690 2.083.084 Passivo NE 2013 2012 Circulante 8.065 812 Fornecedores 7.568 Obrigações Fiscais e Tributárias 497 812 Não Circulante Patrimônio Líquido 2.995.625 2.082.272 Capital Social Subscrito 20.000.000 2.085.101 Capital Social a Integralizar (16.974.898) (2.829) Prejuizos Acumulados (29.477) Total do Passivo + PL 3.003.690 2.083.084 Demonstração do Resultado dos Exerc. Findos 31/12/13 e 2012 Receita Operacional Bruta 2013 2012 Despesas Operacionais (24.815) (2.829) Gerais e Administrativas (29.760) (2.829) Despesas Tributárias (115) 0 Resultado Financeiro Líquido 5.060 0 Lucro Operacional (24.815) (2.829) Resultado do Exercício antes dos Impostos (24.815) (2.829) Imposto de Renda Pessoa Jurídica (828) 0 Contribuição Social s/ Lucro Líquido (497) 0 Resultado do Exercício (26.140) (2.829) Notas Explicativas às Demonstrações Financeiras 1. Contexto operacional - A LNC Empreendimentos Imobiliários SPE 1 S.A (“Cia.”) é uma sociedade por ações de capital fechado, constituída em 11/6/12, de acordo com as leis brasileiras e domiciliada no Brasil. O endereço do escritório da Cia. é na R. Iaiá, 150 - Cjto 72 - Itaim Bibi/SP. A Cia. foi constituída com o objetivo principal de incorporação, exploração comercial e a administração de imóveis. 2. Base de preparação das demonstrações financeiras - As demonstrações financeiras foram elaboradas de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil e emanadas das Sociedades por Ações - Lei nº 6.404/76, bem como alterações introduzidas com o advento da Lei nº 11.638/07 e Lei 11.941/09, nos pronunciamentos, orientações e instrumentos emitidos pelo Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), especificamente o CPC para Pequenas e Médias Empresas (PME), deliberados pelo Con-

Dem. das Mutações do Patrim. Líq. no Período de 01/01/2013 a 31/12/2013 Eventos Capital Social Lucros (Prej.) Acumulados Patrimônio Líquido Constit. da sociedade 11/06/12 1.427.432 1.427.432 Demonstr. do Fluxo de Caixa no Período de 01/01/13 a 31/12/13 Integralização de capital social 657.670 657.670 (I) Fluxo das Operações 2013 2012 Resultado do Exercício 2012 0 (2.829) (2.829) Lucro do Exercício (26.140) (2.829) Saldos em 31/12/2012 2.085.102 (2.829) 2.082.272 (+) Aumento em contas a pagar 7.568 812 Integralização de capital social 940.000 940.000 (+) Outros ativos (1.235) 0 Resultado do Exercício 2013 (26.140) (26.140) (=) Caixa Gerado Pelas Operações (19.807) (2.017) Ajuste ex anterior (508) (508) (II) Fluxo dos Investimentos Saldos em 31/12/2013 3.025.102 (29.477) 2.995.625 (-) Aquisição de Investim. e Bens Ativo Imobilizado 268.206 1.981.296 investimento e/ou outros fins. A Cia. considera caixa saldos em conta atribuível. Após o reconhecimento inicial, esses passivos financeiros (=) Caixa Gerado pelos Investimentos 268.206 1.981.296 corrente de movimento, aplicações financeiras de conversibilidade são medidos pelo custo amortizado através do método de juros efetivos. (III) Fluxo dos Financiamentos imediata em um montante conhecido de caixa e estando sujeitas a 4. Caixa e equivalentes de caixa (+) Integralização de Capital Social 940.000 2.085.102 insignificante risco de mudança de valor e resgatáveis em até 90 dias.c. Banco c/ movimento 2013 2012 (=) Caixa Gerado pelos Financiamentos 940.000 2.085.102 Estoque - Os estoques são compostos pelo menor valor entre o custo Banco Santander S/A 49.498 101.788 Variação das Disponibilidades 651.986 101.788 e o valor realizável líquido. O custo dos estoques é composto do valor Aplicação Fin CDB Santander 704.276 0 Saldo Inicial de Cx. e Eq. de Caixa 101.788 0 pago pelo imóvel adquirido para incorporação imobiliária, acrescido dos 753.774 101.788 Saldo Final de Cx. e Eq. de Caixa 753.774 101.788 gastos com construção e encargos financeiros oriundos da compra 5. Imobilizado - Tipo de projeto: Centro Logístico e Industrial em 651.986 101.788 do imóvel. d. Outros ativos e passivos - Um ativo é reconhecido no .Atibaia/SP. Data de inicio do projeto: 25/10/2012. Imóvel adquirido em selho Federal de Contabilidade (CFC). A Diretoria da Cia. autorizou a balanço quando se trata de recurso controlado pela Cia. decorrente 11/6/12, através de escritura pública de compra e venda sob o valor conclusão das demonstrações financeiras em 31/3/13, considerando os de eventos passados e do qual se espera que resultem em benefícios de R$ 1.676.771,60 com a intenção de construção e locação.6. Patrieventos subseqüentes ocorridos até esta data, que tiveram efeito sobre econômicos futuros. Um passivo é reconhecido no balanço quando mônio Líquido - Constituída em 11/6/12, o capital social subscrito é as demonstrações financeiras. a. Base de Mensuração - As demons- a Cia. possui uma obrigação legal ou constituída como resultado de de R$ 20.000.000 estando integralizado até a data do encerramentos trações financeiras foram preparadas considerando o custo histórico um evento passado, sendo provável que um recurso econômico seja das demonstrações contábeis o montante de R$ 3.025.102 dividido como base de valor.b.Moeda funcional e moeda de apresentação - As requerido para liquidá-lo. Os ativos e passivos são classificados como por ações ordinárias, nominativas e com valor nominal de R$ 1,00 demonstrações são apresentadas em Real, que é a moeda funcional circulantes quando sua realização ou liquidação é provável que ocorra cada uma. 7. I.R. e contribuição social - A Cia. no exercício de 2013 da Cia..Todas as informações financeiras apresentadas em Real foram nos próximos 12 meses. Caso contrário, são demonstrados como não optou pelo regime tributário do lucro presumido. Os valore se IRPJ e arredondadas para o valor mais próximo, exceto quando indicado de circulante. e.Tributação - Imposto de renda e contribuição social - As CSLL constantes na demonstrações do resultado do exercício de 2013 outra forma. c. Uso de estimativas e julgamentos - A preparação das provisões de imposto de renda e contribuição social sobre lucro fiscal decorrem basicamente de tributos sobre os rendimentos de aplicações demonstrações financeiras de acordo com as normas emitidas pelo são calculadas pelo regime de tributação do Lucro Presumido.No lucro financeiras mantidas junto ao Banco Santander S/A. 8. Provisão para CPC exige que a Administração faça julgamentos, estimativas e aplique presumido, as alíquotas de Imposto de Renda e Contribuição Social litígios e depósitos judiciais - A Cia., em 31/12/13, com base na opipremissas que afetam a aplicação de políticas contábeis e os valores são de 15% e 9%, respectivamente, sobre a base presumida de receita, nião de seus assessores jurídicos, não é parte em processos judiciais. reportados de ativos, passivos, receitas e despesas. Os resultados ou seja, conforme receita correspondente. f. Provisões - Uma provisão 9. Instrumentos Financeiros - Considerações Gerais - Os valores de reais podem divergir dessas estimativas. Estimativas e premissas são é reconhecida, em função de um evento passado, se a Cia. tem uma mercado dos ativos e passivos financeiros foram determinados com revistas de uma maneira contínua. Revisões com relação a estimativas obrigação legal ou construtiva que possa ser estimada de maneira con- base em informações de mercado disponíveis e metodologias de valocontábeis, sendo a principal relacionada a ajuste das propriedades fiável, e é provável que um recurso econômico seja exigido para liqui- rização apropriadas. O uso de diferentes premissas de mercado e/ou para investimento ao valor de mercado, as quais são reconhecidas no dar a obrigação. g. Instrumentos financeiros - De acordo com o CPC metodologia de estimativa poderão ter um efeito diferente dos valores período em que as estimativas são revisadas e em quaisquer perío- aplicável às pequenas e médias empresas (PME) o reconhecimento, estimados de mercado. Baseada nessa estimativa, a Administração dos futuros afetados. 3. Principais práticas contábeis - As políticas mensuração e evidenciação dos instrumentos financeiros ativos e pas- entende que o valor contábil dos instrumentos financeiros equivale contábeis descritas em detalhes abaixo têm sido aplicadas de maneira sivos da Cia.são registrados ao custo amortizado.A Cia.reconhece um aproximadamente ao seu valor de mercado, conforme descrito abaixo: consistente nas demonstrações financeiras. a. Reconhecimento ativo financeiro por seu valor presente à vista, incluindo o pagamento Em 31/12/12, o principal instrumento financeiro da Cia.é:Caixa e Equidas despesas. A sociedade encontra-se em fase de planejamento dos juros, quando aplicável.A Cia.reconhece títulos de dívidas emitidos valente de caixa - saldos de bancos contas corrente são apresentados e desenvolvimento do empreendimento imobiliário, portanto não e passivos subordinados inicialmente na data em que são originados. a valor contábil que equivale ao valor de mercado. apresenta receitas da atividade, somente despesas com matérias de Todos os outros passivos financeiros são reconhecidos inicialmente na Carlos Alberto Mansur Levy - Diretor - CPF/MF: 075.086.518-04 consumo, necessárias a sua constituição e manutenção. b. Caixa e data de negociação na qual a Cia. se torna uma parte das disposições Norberto Josef Paller Filho - Diretor - CPF/MF 037.219.268-89 equivalentes de caixa - Os equivalentes de caixa são mantidos com contratuais do instrumento.Tais passivos financeiros são reconhecidos a finalidade de atender a compromissos de caixa de curto prazo, para inicialmente pelo valor justo acrescido de qualquer custo de transação G&F Auditoria e Consultoria Contabil Ltda - CRC 2SP 19.630

SINAC - Sindicato Nacional dosAdministradores de Consórcio - CNPJ nº 43.058.148/0001-90 Assembleia Geral Extraordinária Pelo presente edital ficam convocadas as Administradoras de Consórcios que atuam no estado de São Paulo a comparecer à Assembleia Geral Extraordinária a se realizar no dia 25 de junho de 2014, na Rua Avanhandava nº 126, 5º andar, em São Paulo, SP, para apreciar a seguinte ORDEM DO DIA: 1) Análise de pauta de reivindicações coletivas de trabalho do Sindicato dos Empregados Vendedores e Viajantes do Comércio no Estado de São Paulo; 2) Designação de membros da Comissão Negociadora Patronal, e 3) Autorizar o SINAC a firmar convenção coletiva de trabalho ou acordo judicial para o período 2014/2015 com o Sindicato acima citado e delegar poderes para tanto. HORÁRIO: 8h30 1ª convocação, com a presença da maioria absoluta das administradoras, ou, 9h, 2ª convocação, com a presença de qualquer número das administradoras. No mesmo dia, às 11h, a Comissão Negociadora Patronal reunir-se-á com o Sindicato Profissional, na Rua Santo Amaro nº 255, São Paulo, SP. A participação é assegurada a toda administradora de consórcios que atue no estado de São Paulo, que poderá fazer-se representar por procurador especialmente constituído para o evento. A procuração deverá ser apresentada naAGE. São Paulo, 06 de junho de 2014. Luiz Fernando Savian - Presidente Regional Sudeste I.

Sistema Fácil, Incorporadora Imobiliária Santa Cruz do Sul I - SPE Ltda CNPJ Nº 09.252.708/0002-95 - NIRE 35.221.888.186 15ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE CONTRATO SOCIAL Data 11.04.2014. Local S.J.Rio Preto. A totalidade dos sócios da SISTEMA FÁCIL, INCORPORADORA IMOBILIÁRIA – SANTA CRUZ DO SUL I - SPE LTDA, sede em São José do Rio Preto-SP, Av. Francisco das Chagas de Oliveira, nº 2500, sala 06A, CEP 15.085-485, DELIBERAM, reduzir o capital social, conf. art. 1082, Inciso II do CC, de R$11.271.802,00 para R$10.771.802,00, representando uma redução de R$500.000,00, que serão devolvidos até 30.04.2014, em moeda corrente nacional, correspondendo à proporção de quotas que cada sócia possui na sociedade, sendo R$250.000,00 à cada uma das sócias. Sócias: Rodobens Negócios Imobiliários S/A e Capa Engenharia S/A

Springer S.A. CNPJ nº 92.929.520/0001-00 - NIRE nº 35.300.121.953 Sociedade de Capital Aberto Assembléia Geral Ordinária Realizada em 30 de Abril de 2014 1 - Data, Hora e Local: 30 de abril de 2014, às 11:00 horas, em sua sede social, na Rua Howard Archibald Acheson Jr, 55 - bloco A - 1º andar, na cidade de Cotia, Estado de São Paulo. 2 - Quorum: Acionistas representando mais de dois terços do Capital Social votante. 3 - Convocação: Editais publicados no Diário Oficial do Estado de São Paulo, caderno Empresarial, nos dias 15, 16 e 17 de abril de 2014 às páginas 137, 100 e 76, respectivamente e Diário do Com30ércio, caderno Economia/ Legais, nos dias 15, 16 e 17 de abril de 2014 às páginas 40, 17 e 39, respectivamente. 4 - Composição da Mesa: Rogério Pinto Coelho Amato, Presidente e Fernanda Gaeta Sacca, Secretária. 5 Resumo das Deliberações da Assembléia Geral Ordinária: Por votação unânime, com abstenção dos legalmente impedidos em relação à aprovação das contas da administração, a Assembléia Geral tomou as seguintes deliberações: 5.1 - aprovou o Relatório da Administração, Balanço Patrimonial, Demonstrações Financeiras e Parecer dos Auditores Independentes, relativos ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2013, publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo, caderno Empresarial, no dia 15 de abril de 2014, às páginas 101, 102 e 103 e no Diário do Comércio, caderno Economia/Legais, no dia 15 de abril de 2014 à página 37, sendo que o aviso previsto no artigo 133 da Lei 6.404/76, alterada pela Lei 10303 de 31/10/2001, foi publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo, caderno Empresarial nos dias 28 e 29 de março e 01 de abril de 2014, às páginas 385, 330 e 61, respectivamente e no Diário do Comércio, Caderno Economia/Legais, nos dias 28 e 29 de março e 01 de abril de 2014, às páginas 34, 53 e 21 respectivamente. Ficou consignado que, na deliberação desse item, os acionistas Riomar Comercial e Administradora Ltda., Mario Amato, Rogério Pinto Coelho Amato e Walter Sacca se abstiveram de votar, tendo as acionistas Otamar S.A. Empreendimentos e Participações, representada nesta assembléia pelo procurador Rogério Pinto Coelho Amato e AFAM Empreendimentos e Negócios Comerciais Ltda, representada nesta Assembléia pela procuradora Fernanda Gaeta Sacca, aprovado, sem ressalvas, as contas da administração, bem como os demais acionistas presentes. Após a aprovação das contas, os acionistas Otamar S.A. Empreendimentos e Participações, Riomar Comercial e Administradora Ltda., Mario Amato e Rogério Pinto Coelho Amato, na votação dos demais itens, passaram a ser representados nesta Assembléia Geral pelo “Síndico” do Grupo Amato, Rogério Pinto Coelho Amato, conforme Instrumento Particular de Instituição de “Sócio Controlador”, datado de 01/10/2002, registrado na Sociedade e arquivado na CVM; 5.2 - Nos termos propostos pela Administração, considerando o prejuízo de R$ 13.074.432,13, resolveram absorver este prejuízo com Reserva para Investimentos; pagamento de dividendos prioritários aos acionistas portadores das ações preferenciais classe “A”, no montante de R$ 1.902.000,00, com utilização de parte da Reserva para Investimentos, correspondente a R$ 0,074248613 por ação, que deverão ser pagos até 20/05/2014, sem atualização monetária. 5.3 - Estabelecida uma remuneração global anual aos administradores, para a próxima gestão, até 30 de abril de 2.015, em valor máximo de R$ 2.200,000 (Dois milhões e duzentos mil reais), a ser dividido entre eles como for deliberado pelo Conselho de Administração. 6 - Encerramento: Nada mais havendo a tratar, foram encerrados os trabalhos e lavrada esta ata em forma de sumário, assinada por todos os presentes, autorizada a publicação com omissão das assinaturas. Declaração: Declaramos que a presente é cópia fiel da ata lavrada em livro próprio da Springer S.A., assinada pelos acionistas mencionados. Cotia (SP), 30 de abril de 2014. Rogério Pinto Coelho Amato - Presidente; Fernanda Gaeta Sacca - Secretária. Visto: Lázaro de Campos Junior - OAB/SP 83.305. JUCESP nº 208.049/14-9 em 29/05/14. Flávia Regina Britto - Secretária Geral em Exercício.

Em Liquidação Extrajudicial CNPJ/MF 56.994.924/0001-05 - NIRE 35.300.049.49-7 Nos termos do art.133, caput, da Lei nº 6.404/76, comunica-se aos acionistas que os documentos pertinentes aos assuntos a serem discutidos nesta assembleia, os quais incluem aqueles previstos no supracitado dispositivo, relativos ao exercício social encerrado em 31/12/2013, bem como aqueles exigidos pela Instrução CVM nº 481/09, encontram-se à disposição dos acionistas na sede social da Companhia, bem como em seu site (www.pmet.com.br) e nos sites da CVM e da BM&F BOVESPA. São Paulo, 04 de junho de 2014 - Luiz AugustoTrindade - Liquidante


DIÁRIO DO COMÉRCIO

22

sexta-feira, 6 de junho de 2014

Papa põe ordem nas finanças do Vaticano Raphy Indústria Textil Ltda

CNPJ: 61.158.531/0001-00 Extrato da Ata de Reunião de Quotistas Realizada em 09.04.2014 Data, Hora e Local. 25.04.2014, 10hs., na sede social,Via Anhanguera, Km 16, Osasco/SP. Presenças: Totalidade do capital. Mesa: Presidente: Raphael Chammah; Secretário: Victor Chammah. Deliberações Aprovadas: (i) Redução do capital social de R$ 7.800.000,00 para R$ 7.365.783,00, mediante a devolução da participação societária detida na Ravi Empreendimentos Imobiliários Ltda., CNPJ/MF nº 19.451.235/0001-28 valor contábil de R$ 434.218,00, por considerá-lo excessivo em relação à atividade da empresa, mediante cessão de quotas do capital social da referida sociedade investida na proporção detida pelos sócios, cabendo ao sócio Victor Chammah a quantia de R$ 208.771,79, ao sócio Raphael Chammah - R$ 208.771,79, a sócia Yara Chammah - R$ 8.337,21 e a sócia Claudine Chammah - R$ 8.337,21. Encerramento: Nada mais, lavrou-se a ata.SP,25.04.2014.Sócios: Raphael Chammah, Victor Chammah,Yara Chammah, Claudine Chammah.

papa Francisco destituiu ontem a junta diretiva da agência financeira do Vaticano, majoritariamente formada por italianos, e instalou um grupo variado de peritos internacionais, depois de disputas internas entre a junta e o diretor da agência, Rene Bruelhart. Os quatro novos membros anunciados são da Itália, Suíça, Cingapura e Estados Unidos.

O

Terra Nova Rodobens Incorporadora Imobiliária - Feira de Santana II - SPE Ltda

CNPJ Nº 09.443.374/0003-18 - NIRE 35.222.122.268 19ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE CONTRATO SOCIAL Data 17.04.2014. Local S.J.Rio Preto. A totalidade dos sócios da TERRA NOVA RODOBENS INCORPORADORA IMOBILIÁRIA – FEIRA DE SANTANA II - SPE LTDA, com sede em São José do Rio Preto-SP, na Av. Francisco das Chagas de Oliveira, nº 2500, sala 12B, Higienópolis, CEP 15.085-485, DELIBERAM, reduzir o capital social, conf. art. 1082, II do CC, de R$3.322.054,00 para R$2.222.054,00, representando uma redução de R$1.100.000,00, que serão devolvidos até 30.04.2014, em moeda corrente nacional, à sócia Rodobens Negócios Imobiliários S/A. Sócios: Rodobens Negócios Imobiliários S/A e Carlos Bianconi.

AVISO DE EDITAL - TOMADA DE PREÇOS Nº 012/2014 ÓRGÃO: Prefeitura Municipal de Registro - EDITAL: Tomada de Preços nº 012/2014 - OBJETO: REFERENTE À CONTRATAÇÃO DE EMPRESA PARA A EXECUÇÃO DAS OBRAS DE “AMPLIAÇÃO, ADEQUAÇÃO E REFORMA DO PIT-POSTO DE INFORMAÇÕES TURÍSTICAS”, LOCALIZADO NA AV. MARGINAL PRES. CASTELO BRANCO, VILA NOVA REGISTRO, NO MUNICÍPIO DE REGISTRO/SP, PAGOS ATRAVÉS DO CONTRATO DE REPASSE Nº 793776/2013/MTUR/CAIXA. SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO URBANO E OBRAS.– DATA PARA CADASTRO (para empresas não cadastradas): até o terceiro dia anterior à data do recebimento das propostas - ENTREGA DOS ENVELOPES nº 01 (Documentação) e 02 - (Proposta de Preços): até as 09 horas do dia 01/07/2014. ABERTURA DOS ENVELOPES nº 01 - Habilitação e 02 - Proposta, às 09 horas e 30 minutos do dia 01/07/2014. FORMALIZAÇÃO DE CONSULTAS: Pelo telefone (13) 3828-1000, r. 1032, ou Tel/Fax (13) 3821-2565 ou pelo e-mail licitacao2@registro.sp.gov.br. O Edital completo poderá ser obtido pelos interessados na Seção Técnica de Compras, Material e licitações, de segunda a sexta-feira, no horário de 08:30 às 17:00 horas, pelo endereço eletrônico da Prefeitura Municipal de Registro www.registro.sp.gov.br, campo “Licitações” link “Editais”. PREFEITURA MUNICIPAL DE REGISTRO, em 05 de junho de 2014. DÉBORA GOETZ - Secretária Municipal de Administração.

A junta da Autoridade de Informação Financeira havia se queixado de que não tinha informações sobre as atividades da agência desde que Bruelhart, um especialista em assuntos de lavagem de dinheiro, foi nomeado diretor em 2012. As lutas internas levaram à renúncia do presidente, cardeal Attilio Nicora, neste ano. O Vaticano criou a agência em 2010 para supervisionar e

regular as atividades financeiras da Santa Sé e compartilhar informação com outros países para cumprir com as leis internacionais contra a lavagem de dinheiro. Sob a direção de Bruelhart, o Vaticano assinou uma série de acordos de informação financeira com outros países. Em comunicado divulgado ontem, o Vaticano nomeou Tommaso Di Rizza como diretor-adjunto de Bruelhart.

RESUMO DE LICITAÇÃO MODALIDADE: TOMADA DE PREÇOS 04/2014. OBJETO: Contratação de empresa de engenharia para a execução de obra de construção de “Quadra Poliesportiva Coberta”, na Rua Francisco Furlan, próximo à rodoviária, centro, Tejupá/SP, de acordo com o contrato de repasse nº 797678/2013/ MCIDADES/CAIXA – Programa Planejamento Urbano, contrato 1012132-98, por intermédio da CAIXA. EMPRESA PARTICIPANTE: 01 (uma) - ASPLACON CONSTRUÇÕES E PAVIMENTAÇÃO LTDA.-EPP, CNPJ 04.930.353/0001-41, localizada na Praça Ataliba Leonel, 166, Sala 03, centro, cidade de PirajuSP, CEP: 18.800-000; que apresentou a proposta com valor global de R$ 279.291,06 (duzentos e setenta e nove mil, duzentos e noventa e um reais e seis centavos), com validade da proposta de 60 (sessenta) dias corridos, contados a partir da data da abertura da licitação e as demais condições conforme edital. ABERTURA: 06 de maio de 2014.ENCERRAMENTO: 03 de junho de 2014. VALDOMIRO JOSÉ MOTA - PREFEITO MUNICIPAL

RESUMO DE LICITAÇÃO MODALIDADE: TOMADA DE PREÇOS 08/2014. OBJETO: Contratação de empresa de engenharia para a execução de obra de construção de acesso e rampa ao Cemitério Municipal, localizado à rua Alexandre Absy s/nº, centro, Tejupá/SP, e ampliação de rua interna do Parque de Exposições “João Galdensi”, localizada à rua José Alvaro Valente, s/nº, centro, Tejupá/SP, de acordo com o convênio 362/2014 celebrado entre a Prefeitura Municipal de Tejupá e a Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento do Estado de São Paulo. EMPRESA PARTICIPANTE: 01 (uma) - ASPLACON CONSTRUÇÕES E PAVIMENTAÇÃO LTDA.-EPP, CNPJ 04.930.353/0001-41, localizada na Praça Ataliba Leonel, 166, Sala 03, centro, cidade de Piraju-SP, CEP: 18.800-000; que apresentou a proposta com valor global de R$163.923,94 (cento e sessenta e três mil, novecentos e vinte e três reais e noventa e quatro centavos), com validade da proposta de 60 (sessenta) dias corridos, contados a partir da data da abertura da licitação e as demais condições conforme edital. ABERTURA: 15 de maio de 2014. ENCERRAMENTO: 05 de junho de 2014. VALDOMIRO JOSÉ MOTA - PREFEITO MUNICIPAL.

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TEJUPÁ

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TEJUPÁ

PRORROGAÇÃO DO EDITAL DE CHAMADA PÚBLICA Nº 01/2014 A Prefeitura Municipal de Tejupá/SP torna público, para conhecimento dos interessados, que fará realizar CHAMADA PUBLICA, com as seguintes características: OBJETO: Aquisição de Gêneros Alimentícios (agricultura familiar), para atendimento a merenda escolar no exercício de 2014, que será custeada pelo PNAE. APRESENTAÇÃO DOS ENVELOPES I e II: 24/06/2014 às 11:00 horas. LOCAL: Setor de Licitações da Prefeitura. ENDEREÇO: Pça Domingos Sartori, 12 – centro – Tejupá/SP. EDITAL COMPLETO E ESCLARECIMENTOS: Edital em inteiro teor à disposição dos interessados de 2ª a 6ª feira, das 13:00 às 17:00 horas, na Prefeitura Municipal de Tejupá, Pça Domingos Sartori, 12 - Centro – Tejupá-SP – CEP: 18.830-000, tef: 014 – 3385-3200. Tejupá, 05 de junho de 2014. VALDOMIRO JOSÉ MOTA - PREFEITO MUNICIPAL.

RESUMO DE LICITAÇÃO MODALIDADE: TOMADA DE PREÇOS 06/2014. OBJETO: Contratação de empresa de engenharia para a execução das obras de construção de vestiário no Estádio Municipal “Arcanjo Furlan, com área de 70,00 m2, localizada na Rua José Alvaro Valente s/nº -Tejupá/SP, de acordo com o p de Tejupá j p e a Secretaria de Planejamento j convênio 361/2014 celebrado entre a Prefeitura Municipal e Desenvolvimento do Estado de São Paulo. EMPRESA PARTICIPANTE: 01 (uma). 1) ASPLACON CONSTRUÇÕES E PAVIMENTAÇÃO LTDA.-EPP, CNPJ 04.930.353/0001-41, localizada na Praça Ataliba Leonel, 166, Sala 03, centro, cidade de Piraju-SP, CEP: 18.800-000; que apresentou a proposta com valor global de R$125.208,90 (cento e vinte e cinco mil duzentos e oito reais e noventa centavos), com validade da proposta de 60 (sessenta) dias corridos, contados a partir da data da abertura da licitação e as demais condições conforme edital. ABERTURA: 15 de maio de 2014. ENCERRAMENTO: 05 de junho de 2014. VALDOMIRO JOSÉ MOTA - PREFEITO MUNICIPAL

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TEJUPÁ

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TEJUPÁ

AVISO DE LICITAÇÃO - PREGÃO PRESENCIAL 13/2014 A PREFEITURA MUNICIPAL DE TEJUPÁ, Estado de São Paulo, faz saber que se acha aberta licitação pública na modalidade Pregão Presencial, objetivando aquisição de um Reservatório de poliéster reforçado com fibra de vidro para água potável, capacidade 20.000 litros, com tampa de vedação, atóxica, mínimo 02 camadas, cor azul, NBR 13.210/2005. Vencimento: para as 09:00 horas do dia 24 de junho de 2014. O Edital completo poderá ser retirado pelos interessados, à Praça Domingos Sartori, 12, centro, Tejupá-SP. Tejupá, 05 de junho de 2014. VALDOMIRO JOSÉ MOTA - PREFEITO MUNICIPAL.

RESUMO DE LICITAÇÃO MODALIDADE: TOMADA DE PREÇOS 05/2014. OBJETO: Contratação de empresa de engenharia para a execução de obra de construção do “Centro de Referência de Assistência Social – CRAS”, na Rua Francisco Leme, s/nº, no Distrito de Ribeirão Bonito – Tejupá/SP, de acordo com o contrato de repasse nº 795026/2013/FNAS/CAIXA – Programa Fortalecimento Sistema Único Assistência Social, contrato 1011358-75, por intermédio da CAIXA.. EMPRESA PARTICIPANTE: 01 (uma) - ASPLACON CONSTRUÇÕES E PAVIMENTAÇÃO LTDA.-EPP, CNPJ 04.930.353/ 0001-41, localizada na Praça Ataliba Leonel, 166, Sala 03, centro, cidade de Piraju-SP, CEP: 18.800-000; que apresentou a proposta com valor global de R$ 360.357,51 (trezentos e sessenta mil, trezentos e cinquenta e sete reais e cinquenta e um centavos), com validade da proposta de 60 (sessenta) dias corridos, contados a partir da data da abertura da licitação e as demais condições conforme edital. ABERTURA: 06 de maio de 2014. ENCERRAMENTO: 03 de junho de 2014. ALDOMIRO JOSÉ MOTA - PREFEITO MUNICIPAL.

Comercial Lima Figueiredo S.A. CNPJ/MF 72.111.370/0001-07 – NIRE 35.300.041.496 Assembleia Geral Extraordinária Edital de Convocação Ficam convocados os Senhores Acionistas desta Companhia, a se reunirem em Assembléia Geral Extraordinária, a realizar-se no dia 13/06/2014, as 14:00 horas na sede da Companhia, na Fazenda Itaiquara, Município de Tapiratiba, Estado de São Paulo, para deliberar sobre a seguinte Ordem do Dia: 1) A alteração do objeto social da Companhia; e 2) Outros assuntos de interesse social. SP/SP, 05/06/2014. A Administração. (05, 06 e 07/06/2014)

Rodobens Incorporadora Imobiliária 301 – SPE Ltda

CNPJ Nº 11.971.266/0003-60 - NIRE 35.224.352.392 6ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE CONTRATO SOCIAL Data 16.04.2014. Local S.J.Rio Preto. A totalidade dos sócios da RODOBENS INCORPORADORA IMOBILIÁRIA 301 - SPE LTDA, sede em São José do Rio Preto-SP, na Av. Francisco das Chagas de Oliveira, nº 2500, sala 37E, CEP 15.085-485, DELIBERAM, reduzir o capital social, conf. art. 1082, II do CC, de R$601.000,00 para R$1.000,00, representando uma redução de R$600.000,00, que serão devolvidos até 30.04.2014, em moeda corrente nacional, correspondendo à proporção de quotas que cada sócia possui na sociedade, sendo R$300.000,00 à cada uma delas. Sócias: Rodobens Negócios Imobiliários S/A e Construtora Lincoln Veloso Ltda.

CNPJ nº 60.498.417/0001-58 - NIRE 3530001471-5 Ata da Assembleia Geral Ordinária dos Acionistas, realizada em 30 de abril de 2014. Data, Hora e Local: 30/04/2014, às 11h., na sede social, na R. Boa Vista, 236, 7º and., na Capital de São Paulo, reuniram-se em Assembleia Geral Ordinária os acionistas da São Paulo Transporte S/A. Verificando, pelas assinaturas lançadas no livro de presença, que se achavam presentes acionistas representando ações que atingiram o “quorum” legal para a realização da Assembleia, a senhora Daniela Coimbra Swiatek, Assessora da Chefia de Gabinete da Presidência, abriu os trabalhos e, invocando o art. 6º do Estatuto Social, solicitou aos Senhores representantes dos Acionistas que escolhessem o Presidente e o Secretário da Assembleia. Os citados representantes escolheram, respectivamente, a mencionada Assessora e a mim, Rosana Roque do Nascimento Araújo, Analista Master, pelo que assumi o encargo de secretariar os trabalhos e, por determinação da Senhora Presidente da Assembleia, procedi à leitura do edital de convocação publicado no “Diário Oficial do Estado” (Empresarial) e no “Diário do Comércio”, nos dias 15, 16 e 17/04/2014, edital esse do seguinte teor: “SÃO PAULO TRANSPORTE S/A - CNPJ nº 60.498.417/0001-58 - ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA - EDITAL DE CONVOCAÇÃO - Ficam convocados os Senhores Acionistas da São Paulo Transporte S/A, para se reunirem em Assembleia Geral Ordinária, que se realizará no dia 30/04/2014, com início às 11 (onze) horas, em sua sede social, nesta Capital, na R. Boa Vista, 236, no 7º and., a fim de tomarem conhecimento e deliberarem sobre os seguintes assuntos: 1. ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA – 1.1. Exame, discussão e votação do Relatório da Administração, das Demonstrações Contábeis e dos Pareceres dos Auditores Independentes, do Conselho Fiscal e do Conselho de Administração, relativos ao exercício findo em 31/12/2013; 1.2. Eleição dos Membros do Conselho Fiscal, para o exercício de 2014; 1.3. - Outros assuntos de interesse social. Continuam à disposição dos Senhores Acionistas desta Sociedade, na Superintendência Financeira da Diretoria de Administração e Finanças, na R. 3 de Dezembro, 34 – 1º and., os documentos a que faz referência o art. 133 da Lei 6.404, de 15/12/1976, relativos ao exercício findo em 3/12/2013. São Paulo, 11/04/2014 - (a) JILMAR TATTO - Presidente do Conselho de Administração”. Conforme o item 1.1. do Edital de Convocação, a Senhora Presidente da Assembleia solicitou aos Senhores Acionistas que tomassem conhecimento e deliberassem sobre o Relatório da Administração, Balanço Patrimonial da Empresa, levantado em 31/12/2013, as respectivas Demonstrações dos Resultados, o Valor Adicionado, os Fluxos de Caixa, as Mutações do Passivo a Descoberto e as Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis que acompanham esses documentos, correspondentes ao exercício findo na referida data, bem como dos Pareceres da “Maciel Auditores & Consultores”, do Conselho Fiscal e do Conselho de Administração da Sociedade, esse último com o seguinte teor: “PARECER DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO – Os Membros do Conselho de Administração da São Paulo Transporte S/A, em cumprimento ao que estabelecem o inciso V, do art. 142, da Lei 6.404, de 15/12/1976, e o inciso V, do art.11 do Estatuto Social, examinaram, em reunião ordinária realizada nesta data, o Relatório Anual da Administração e o Balanço Patrimonial da Empresa, levantado em 31/12/2013, e as respectivas Demonstrações dos Resultados, das Mutações do Passivo a Descoberto, dos Fluxos de Caixa, do Valor Adicionado e das Notas Explicativas às Demonstrações Contábeis que acompanham esses documentos relativos ao exercício social findo na referida data. Com base no exame dessa documentação, bem como nos esclarecimentos prestados pela “Maciel Auditores & Consultores” e no Parecer emitido a respeito pelo Conselho Fiscal da Empresa de que as contas reúnem condições para serem apreciadas e aprovadas pelos Acionistas, o Conselho de Administração manifestou-se pelo encaminhamento das referidas contas à Assembleia Geral dos Acionistas. São Paulo, 31/03/2014. (a.a.) Jilmar Augustinho Tatto – Presidente do Conselho, Carlos Galeão Camacho, Erika Espindola Fischer, Gerson Luis Bittencourt, João Carlos de Oliveira Silva, Magali Seravalli Romboli e Vera Soeli Mion Salles.” Consignou mais, a Senhora Presidente da Assembleia, que o citado Relatório e as referidas peças contábeis, além de terem estado à disposição dos acionistas, pelo prazo legal, conforme Aviso aos Acionistas, publicado no “Diário Oficial do Estado” (Empresarial), nos dias 20, 21 e 22/03/2014, e no “Diário do Comércio”, nos dias 20, 21, 22, 23 e 24/03/2014, foram publicados nos mesmos jornais em 16/04/2014. Achavam-se sobre a mesa os originais das referidas peças e pareceres, acompanhados de documentação destinada a elucidar e comprovar o que delas constava, pelo que a Senhora Presidente da Assembleia consultou os presentes se desejavam que fosse procedida à respectiva leitura, a qual foi dispensada pelos Senhores Acionistas. Em seguida, a Senhora Presidente da Assembleia registrou que, face à natureza do assunto em pauta, achavam-se presentes a esta Assembleia, a Senhora Márcia Fatima de Lima Buso, Presidente do Conselho Fiscal desta Empresa, e o Senhor Rui Leme Padilha, representante da Maciel Auditores e Consultores. Conforme o item 1.1. Exame, discussão e votação do Relatório da Administração, das Demonstrações Contábeis e dos Pareceres dos Auditores Independentes, do Conselho Fiscal e do Conselho de Administração, relativos ao exercício findo em 31/12/ 2013: o Dr. Roberto Angotti Junior, R.F. 753.843.0/1, Procurador designado pela acionista majoritária, a Prefeitura do Município de São Paulo - PMSP, para representá-la nesta Assembleia e disse que, de acordo com as instruções de sua representada, considerando o teor da nota técnica 001/2014/CGM-GAB, apresentada pela Controladoria Geral do Município, em especial o constante do item 13, lançar voto no sentido de aprovar todas as peças contábeis e financeiras do exercício de 2013. Posto o assunto em discussão e ninguém pedindo a palavra passou-se à votação, por meio da qual - com abstenção dos impedidos por lei -, foi aprovada a proposta do representante da Prefeitura. Abordou-se, então, o item 1.2 do Edital de Convocação, ou seja, Eleição dos Membros do Conselho Fiscal, para o exercício de 2014. A PMSP, por seu representante, lançou voto no sentido de eleger, para comporem o Conselho Fiscal da Empresa, na qualidade de membros titulares, os Senhores Jair Paca de Lima, brasileiro, maior, casado, Coordenador Geral da Defesa Civil da Cidade de São Paulo, residente e domiciliado em Santo André – SP, portador da cédula de identidade R.G. nº 3.547.697 e inscrito no C.P.F. nº 231.330.668-20, Ricardo Gaspar, brasileiro, maior, casado, Doutor em Ciências Sociais, residente e domiciliado nesta Capital, portador da cédula de identidade R.G. nº 5.658.157 e inscrito no C.P.F. nº 035.340.008-46, e as Senhoras Lucilene Oshiro Correa, brasileira, maior, solteira, Especialista em Administração, Orçamento e Finanças Públicas – Contador, residente e domiciliada nesta Capital, portadora da cédula de identidade R.G. nº 32.038.135-3 e inscrita no C.P.F. nº 224.530.308-33; e Maria Lumena Balaben Sampaio, brasileira, maior, separada, Advogada, residente e domiciliada nesta Capital, portadora da cédula de identidade R.G. nº 8.324.717-8 e inscrita no C.P.F. nº 013.379.828-30. A PMSP, por seu representante, lançou voto no sentido de consignar em Ata que permanece no Conselho Fiscal, ainda, a Senhora Marcia Fatima de Lima Buso, brasileira, maior, casada, Tecnóloga em Gestão de Processos Empreendedores, residente e domiciliada nesta Capital, portadora da cédula de identidade R.G. nº 17.095.161-3 e inscrita no C.P.F. nº 082.725.688-45, como membro titular do Conselho Fiscal, na qualidade de representante dos empregados, eleita em conformidade com o disposto na Lei Municipal nº 10.731, de 06/06/1989. Posto o assunto em votação - em que se abstiveram de tomar parte os impedidos por lei – foram aprovadas a proposta do representante da Prefeitura do Município de São Paulo, pelo que a Senhora Presidente da Assembleia declarou os citados Conselheiros eleitos e desde já empossados como novos membros do Conselho Fiscal da Sociedade, com mandato até a A.G.O. de 2015. Permanecerão vagos, para oportuno preenchimento, cinco cargos de membro suplente do Conselho Fiscal da Empresa, sendo um deles representante dos empregados. Passando-se ao item 1.3. do Edital de Convocação Outros assuntos de interesse social - a Senhora Presidente da Assembleia ofereceu a palavra a quem dela quisesse fazer uso. Como não fizeram uso dessa prerrogativa, e achando-se esgotada a Ordem do Dia, a Presidente da Assembleia determinou que os trabalhos fossem suspensos pelo tempo necessário à lavratura da presente ata. Lavrada esta, os trabalhos foram reabertos e a ata lida e achada conforme, pelo que foi unanimemente aprovada pelos acionistas, tendo a Presidente da Assembleia determinado que dela fossem tiradas as necessárias cópias autênticas, para os fins legais. (aa) Presidente da Assembleia: Daniela Coimbra Swiatek; Secretária da Assembleia: Rosana Roque do Nascimento Araújo; Pela Prefeitura do Município de São Paulo: Dr. Roberto Angotti Junior; Conselho Fiscal: Marcia Fatima de Lima. Certifico que a presente é cópia fiel da Ata da Assembleia Geral Ordinária dos Acionistas da São Paulo Transporte S/A, realizada em 30/04/2014, lavrada às folhas 93, 94 e 95, do Livro de Atas nº 14 das Assembleias Gerais dos Acionistas da São Paulo Transporte S/A. Jucesp nº 207.833/14-0 em 29/05/14. (a.) Flavia Regina Britto – Secretária Geral em Exercício.

agência envia possíveis casos de delitos financeiros aos fiscais do tribunal para mais investigação. De acordo com os novos estatutos da agência, aprovados em novembro, os membros da junta devem ter experiência profissional reconhecida em assuntos financeiros, legais e econômicos, e estarem livres de conflitos de interesse. (Estadão Conteúdo)

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TEJUPÁ

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TEJUPÁ

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE TEJUPÁ

SÃO PAULO TRANSPORTE S/A

Di Rizza é um respeitado jurista internacional que realizou um papel fundamental em reescrever a lei contra lavagem de dinheiro em 2012, para que a Santa Sé cumprisse as normas internacionais. Giuseppe Dalla Torre, um dos ex-membros da junta, é também presidente do tribunal do Vaticano, o que cria um potencial conflito de interesses, dado que a

SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO

FDE AVISA: Pregão Eletrônico de Registro de Preços nº 21/00254/14/05. OBJETO: AQUISIÇÃO DE LÂMPADAS TUBULARES DE LED. A FUNDAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO - FDE comunica às empresas interessadas que se acha aberta licitação para: Aquisição de Lâmpadas Tubulares de Led. As empresas interessadas poderão obter informações e verificar o Edital a partir de 06/06/2014, no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br ou na sede da FDE, na Supervisão de Licitações, na Av. São Luís, 99 - República - CEP: 01046-001 - São Paulo/SP, de segunda a sexta-feira, no horário das 08:30 às 17:00 horas, ou verificar o edital na íntegra, através da Internet no endereço: http://www.fde.sp.gov.br. A sessão pública de processamento do Pregão Eletrônico será realizada no endereço eletrônico www.bec.sp.gov.br, no dia 30/06/2014, às 09:30 horas, e será conduzida pelo pregoeiro com o auxílio da equipe de apoio, designados nos autos do processo em epígrafe e indicados no sistema pela autoridade competente. Todas as propostas deverão obedecer, rigorosamente, ao estabelecido no edital e seus anexos e serão encaminhadas, por meio eletrônico, após o registro dos interessados em participar do certame e o credenciamento de seus representantes previamente cadastrados. A data do início do prazo para envio da proposta eletrônica será de 06/06/2014, até o momento anterior ao início da sessão pública. BARJAS NEGRI - Presidente

PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE MONGAGUÁ/SP AVISO DE EDITAL

Processo no 091/2014 - Edital do Pregão Presencial no 026/2014 Alterado, cujo objeto Registro de Preços para a contratação de empresa para fornecimento de serviços de PUBLICAÇÕES LEGAIS (atos oficiais, avisos de licitação) da Prefeitura Municipal de Mongaguá na imprensa escrita, com edição diária, circulação regional (Região Metropolitana da Baixada Santista), e distribuição em bancas de jornal do Município de Mongaguá, pelo prazo de 12 (doze) meses, conforme descrição constante do Anexo I – Termo de Referência do Edital. O Início da sessão de lances dar-se-á às 09h30min do dia 25/06/2014. O edital encontra-se à disposição dos interessados, no endereço eletrônico www.mongaguá.sp.gov.br, através do aplicativo “Licitações” Pregão Presencial. Para qualquer esclarecimento, entrar em contato: telefone (13) 3445-3067, telefax (13) 34453082, e-mail: licitacao@mongagua.sp.gov.br – Autoridade Competente.

RESUMO DE LICITAÇÃO MODALIDADE: TOMADA DE PREÇOS 07/2014. OBJETO: Contratação de empresa de engenharia para a execução da obra de construção de “Cobertura da Arquibancada Estádio Arcanjo Furlan”, com área de cobertura de 422,79 m2, localizada na Rua José Alvaro Valente s/nº -Tejupá/SP, de acordo com o convênio 360/2014 celebrado entre a Prefeitura Municipal p de Tejupá j p e a Secretaria de Planejamento j e Desenvolvimento do Estado de São Paulo. EMPRESAS PARTICIPANTES: 02 (duas). 1) ASPLACON CONSTRUÇÕES E PAVIMENTAÇÃO LTDA.-EPP, CNPJ 04.930.353/0001-41, localizada na Praça Ataliba Leonel, 166, Sala 03, centro, cidade de Piraju-SP, CEP: 18.800-000; que apresentou a proposta com valor global de R$112.885,29 (cento e doze mil oitocentos e oitenta e cinco reais e vinte e nove centavos), com validade da proposta de 60 (sessenta) dias corridos, contados a partir da data da abertura da licitação e as demais condições conforme edital. 2) G.S. RIBEIRO CONSTRUÇÃO-ME, CNPJ 18.477.899/ 0001-01, localizada na Rua Engenheiro Conde de Frontin, 555, bairro Vila Ramalho, cidade de Lins-SP, CEP: 16.400-125, que apresentou a proposta com valor global de R$114.462,95 (cento e catorze mil, quatrocentos e sessenta e dois reais e noventa e cinco centavos), com validade da proposta de 60 (sessenta) dias corridos, contados a partir da data da abertura da licitação e as demais condições conforme edital. ABERTURA: 15 de maio de 2014. ENCERRAMENTO: 05 de junho de 2014. VALDOMIRO JOSÉ MOTA - PREFEITO MUNICIPAL

Andritz Hydro Inepar do Brasil S.A.

C.N.P.J. Nº 02.216.876/0001-03 - NIRE 35.300.154.134 Edital de Convocação de Assembléia Geral Extraordinária Ficam os Senhores Acionistas da Andritz Hydro Inepar do Brasil S.A. (“Companhia”) convocados a se reunirem em Assembleia Geral Extraordinária (“AGE”) a se realizar no próximo dia 24 de Julho de 2014, às 10 horas, na sede social da Companhia, na Rodovia Manoel deAbreu, S/Nº, Km 4,5, Zona Rural, Prédio “2”, piso superior do prédio “H”, CEP: 14.806-500, Cidade deAraraquara, Estado de São Paulo, a fim de deliberarem sobre a seguinte ordem do dia: (i) apreciar e deliberar sobre o aumento do capital social da Companhia, com a consequente alteração do Artigo 5º do Estatuto Social da Companhia; e (ii) outros assuntos de interesse da Companhia. Informações Gerais - Documentos à Disposição dos Acionistas - Os documentos e informações relativos às matérias a serem discutidas na AGE ora convocada, a saber: (i) cópia do Estatuto Social consolidado da Companhia contendo, em destaque, as alterações a serem aprovadas; e (ii) outras informações e demais documentos relevantes para o exercício do direito de voto na AGE, foram disponibilizados aos Acionistas na forma prevista na Lei nº 6.404/1976 (Lei das Sociedades por Ações). Araraquara, 02 de junho de 2014. Sr. Luis Mário Bordini, Representante Legal - Andritz Brasil Ltda. (04, 05, e 06/06)

Musca Even Empreendimentos Imobiliários Ltda.

CNPJ/MF nº 08.842.560/0001-03 – NIRE 35.221.477.941 – Ata de Reunião Extraordinária de Sócias Data, Hora e Local: 07/05/2014, às 14:00 horas, na sede da Sociedade, no Estado de São Paulo. Mesa: Presidente: Fabiano Andrade Delvaux. Secretário: Walter Roberto Plaza Junior. Presentes: A totalidade dos Sócios. Ordem do Dia: Deliberar sobre a redução de Capital da Sociedade. Deliberações: Reduzir o capital social, por considerarem excessivo ao objeto da sociedade, de R$ 3.171.099,00 para R$ 2.271.099,00, sendo a redução de R$ 900.000,00. A redução do capital será efetivada mediante restituição de capital em dinheiro, diminuindo proporcionalmente o número de quotas da sociedade. Sócias: p. Even Construtora e Incorporadora S.A. - Dany Muszkat/Fabiano Andrade Delvaux; p. Evenpar Participações Societárias Ltda. Fabiano Andrade Delvaux/Walter Roberto Plaza Junior.

PREFEITURA DA ESTÂNCIA BALNEÁRIA DE MONGAGUÁ/SP AVISO DE EDITAL

Processo no 076/2014 - Edital do Pregão Presencial no 025/2014 Alterado, cujo objeto Registro de Preços para o fornecimento parcelado de 12.000 Ton. (doze mil toneladas) de Escória Siderúrgica, para aplicação em diversos logradouros do município, de conformidade com a programação do Diretor Municipal de Serviços Externos, pelo prazo previsto de 12 (doze) meses, conforme descrição constante do Anexo I – Termo de Referência do Edital, visando aquisições futuras pelo órgão interessado. O Início da sessão de lances dar-se-á às 14h30min. do dia 25/06/2014. O edital encontra-se à disposição dos interessados, no endereço eletrônico www.mongaguá.sp.gov.br, através do aplicativo “Licitações” Pregão Presencial. Para qualquer esclarecimento, entrar em contato: telefone (13) 3445-3067, telefax (13) 3445-3082, e-mail: licitacao@ mongagua.sp.gov.br – Autoridade Competente.

Pró Metalurgia S.A. - Em Liquidação Extrajudicial CNPJ/MF 56.994.924/0001-05 - NIRE 35.300.049.49-7 Ficam os Srs. Acionistas da Pró Metalurgia S.A. - Em Liquidação Extrajudicial convocados, nos termos do Estatuto Social da Companhia e conforme deliberação da Assembleia Geral Ordinária que teve início em 30/04/2014, a comparecer à continuação dos trabalhos no dia 04 de julho de 2014, às 10:00 horas, em sua sede social, localizada na Rua Alfredo Vieira Arantes, nº 139, sala 11, Centro, Itatiba, São Paulo, SP, CEP 13251-184, tudo conforme ata disponibilizada na CVM naquela mesma data, para que seja dado prosseguimento às deliberações necessárias a respeito da Ordem do Dia da assembleia de 30/04/14, quais sejam: a) tomar as contas dos administradores, examinar e votar as demonstrações financeiras; e b) deliberar sobre a destinação do lucro líquido do exercício e a distribuição de dividendos. Poderão participar da continuação da Assembleia em questão, os acionistas titulares de ações de emissão da Companhia, por si ou por seus representantes legais ou procuradores, consoante o §1º do artigo 126 da Lei nº 6.404/76. Os acionistas deverão se apresentar antes do horário previsto para o reinício da Assembleia, conforme indicado neste Edital de Convocação, portando documentos que comprovem sua identidade e sua qualidade de acionista, nos termos do artigo 126 da Lei nº 6.404/76. São Paulo, 04 de junho de 2014. Luiz AugustoTrindade - Liquidante.

Sistema Fácil, Incorporadora Imobiliária Campos dos Goytacases I - SPE Ltda

CNPJ Nº 09.203.927/0002-84 - NIRE 35.225.560.771 24ª ALTERAÇÃO E CONSOLIDAÇÃO DE CONTRATO SOCIAL Data 29.04.2014 Local S.J.Rio Preto. A totalidade dos sócios da SISTEMA FÁCIL, INCORPORADORA IMOBILIÁRIA – CAMPOS DOS GOYTACASES I - SPE LTDA, com sede em São José do Rio Preto-SP, na Av. Francisco das Chagas de Oliveira, nº 2500, sala 43A, Higienópolis, CEP 15.085-485, DELIBERAM, reduzir o capital social, conf. art. 1082, II do CC, de R$21.857.494,00 para R$18.557.494,00, representando uma redução de R$3.300.000,00, que serão devolvidos até 30.04.2014, em moeda corrente nacional, à sócia Rodobens Negócios Imobiliários S/A. Sócios: Rodobens Negócios Imobiliários S/A e Carlos Bianconi.

MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO AVISO DE LICITAÇÃO Tomada de Preços nº 002/2014 - Processo nº 260/2014 Acha-se aberta, no Ministério Público do Estado de São Paulo, a Tomada de Preços nº 002/2014 - Processo nº 260/2014, que tem por objeto a contratação de empresa especializada para reforma e adequação de espaços em dependências do Ministério Público do Estado de São Paulo, localizado na Rua Voluntários de São Paulo, nº 3.539, Centro, São José do Rio Preto, estado de São Paulo. O Edital da presente licitação encontra-se à disposição dos interessados, gratuitamente, na Secretaria da Comissão Julgadora de Licitações, situada na Rua Riachuelo nº 115, 5º andar, sala 506, ou através da Internet nos Sites www.mp.sp.gov.br e www.e-negociospublicos.com.br, bem como na íntegra em mídia eletrônica juntamente com seus Anexos. As licitantes deverão se dirigir à Secretaria da Comissão Julgadora de Licitações, no horário comercial, e entregar um CD virgem gravável (R ou R/W) ou pen drive, ocasião em que serão gravados os arquivos digitais, sem ônus. Os envelopes serão recebidos impreterivelmente até as 11:15h do dia 26.06.2014, na Rua Riachuelo, 115 - 5º andar, sala 506, e sua abertura dar-se-á às 11:30h do mesmo dia, no endereço acima, 5º andar, sala 504. Comissão Julgadora de Licitações, em 04 de junho de 2014.

AVISO DE EDITAL - PREGÃO PRESENCIAL Nº 067/2014 - PROCESSO Nº 245/2014 OBJETO:REGISTRO DE PREÇOS PELO PERÍODO DE 12 (DOZE) MESES, PARA AQUISIÇÕES FUTURAS DE MARMITEX REDONDA Nº 08 E MARMITEX REDONDA Nº 08 ACOMPANHADA DE SUCO EM GARRAFA DE NO MÍNIMO 450 ML, PARA USO DE DIVERSAS SECRETARIAS DA PREFEITURA MUNICIPAL DE REGISTRO. CREDENCIAMENTO: início às 16:00 horas do dia 18/06/2014. TÉRMINO DO CREDENCIAMENTO: se dará com a abertura do primeiro Envelope – Proposta de Preços, com início previsto para as 16:30 horas. Esse horário poderá ser dilatado, desde que haja licitantes presentes a serem credenciados. INÍCIO PREVISTO DA SESSÃO PÚBLICA: às 16:30 horas do dia 18/06/2014. FORMALIZAÇÃO DE CONSULTAS: Pelo telefone (13) 3828-1000, r. 1032, ou Tel/Fax (13) 3821-2565 ou pelo e-mail material@registro.sp.gov.br ou compras@registro.sp.gov.br. O Edital completo poderá ser obtido pelos interessados na Secretaria Municipal de Administração, de segunda a sexta-feira, no horário de 08:30 às 17:00 horas ou pelo endereço eletrônico da Prefeitura Municipal de Registro www.registro.sp.gov.br, opção “Editais e Licitações”. Registro, 05 de junho de 2014. DÉBORA GOETZ - Secretária Municipal de Administração.

Ministério da Justiça

AVISO DE ABERTURA DE LICITAÇÃO Pregão Eletrônico nº 19/2014 Objeto: Registro de Preços para aquisição de veículos de combate a incêndios e salvamentos, definidos como Auto Bomba Tanque – ABT, destinados aos Corpos de Bombeiros Militares nas capitais das unidades federativas. Total de Itens: 05. Edital a partir de: 05/06/2014 no site: www.comprasnet.gov.br ou www.mj.gov.br/licitacao ou no Edifício Anexo II do Ministério da Justiça, Bloco “T”, 6º andar, sala 621, CEP 70064-900 – Brasília-DF, das 08h30 às 17h30. Abertura das Propostas: 18/06/2014 às 09h00min (horário de Brasília), no endereço eletrônico: www.comprasnet.gov.br. INFORMAÇÕES: (61) 20253230. FLÁVIA ALVES RODRIGUES Pregoeira do MJ

HEJOASSU ADMINISTRAÇÃO S.A. CNPJ/MF Nº 61.194.148/0001-07 - NIRE Nº 35 3 0019255 9 ATA DAS ASSEMBLÉIAS GERAIS ORDINÁRIA E EXTRAORDINÁRIA, REALIZADAS EM 30 DE ABRIL DE 2014 1. DATA, HORÁRIO E LOCAL - Dia 30 de abril de 2014, às 09:00 h., na sede social, Rua Amauri nº 255, 10º andar, conjunto “A”, Capital de São Paulo. 2. CONVOCAÇÃO - Dispensada em virtude da presença da totalidade dos acionistas. 3. PRESENÇA - Acionistas representando a totalidade do capital social, conforme assinaturas lançadas no livro “Presença de Acionistas”. 4. MESA DIRIGENTE – José Ermírio de Moraes Neto, Presidente; Antonio Joaquim Ferreira Custódio, Secretário. 5. ORDEM DO DIA: NA AGO: (i) Aprovação das demonstrações financeiras (ii) Destinação do lucro líquido do exercício. NA AGE: (i) Ratificar a distribuição de dividendos adicionais no valor de R$ 6.619.028,65. 6. DELIBERAÇÕES NA AGO - a) Foram aprovadas as Demonstrações Financeiras e o Relatório da Diretoria referentes ao exercício encerrado em 31.12.2013. b) Consequentemente, foi aprovada a seguinte destinação do Lucro Líquido do Exercício, que totalizou R$ 80.816.140,37: “Dividendos”, R$ 20.204.035,09; “Retenção de Lucros”, R$ 60.612.105,28. 7. DELIBERAÇÕES NA AGE - a) Ratificar a distribuição de dividendos adicionais aos Srs. Acionistas, no valor de R$ 6.619.028,65 (seis milhões, seiscentos e dezenove mil, vinte e oito reais e sessenta e cinco centavos), que foram pagos em dezembro de 2013 e destacados de parte do saldo da conta de “Reserva de Lucros” de exercícios anteriores. 8. OBSERVAÇÕES FINAIS - a) - Em todas as deliberações deixaram de votar os legalmente impedidos; b) - O Sr. Presidente franqueou o uso da palavra, não havendo, todavia, nenhuma manifestação; c) - Os trabalhos foram suspensos para a lavratura da presente ata, que tendo sido lida e achada conforme vai assinada pelo Presidente, Secretário e demais acionistas presentes. (a.a.) José Ermírio de Moraes Neto, Presidente; Antonio J. Ferreira Custódio, Secretário; JEMF Participações S.A., AEM Participações S.A.; ERMAN Participações S.A. e MRC Participações S.A.,, Acionistas. A ppresente transcrição p ç ç é cópia p fiel da ata lavrada no livro ppróprio. p São Paulo,, 30 de abril de 2014. SECRETARIA DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO, CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO – JUCESP – CERTIDÃO – Certifico o Registro sob nº 208.862/14-6 em 30.05.2014 (a) Flávia Regina Britto, Secretária Geral.

FALÊNCIA, RECUPERAÇÃO EXTRAJUDICIAL E RECUPERAÇÃO JUDICIAL Conforme informação da Distribuição Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, foram ajuizados no dia 5 de junho de 2014, na Comarca da Capital, os seguintes pedidos de falência, recuperação extrajudicial e recuperação judicial: Reqte: José Alçada de Morais Neto - Reqdo: Master Food Alimentos Ltda. R. Doutor Luiz Migliano, 1.986 Conj. 811 - Jardim Cabore - 2ª Vara de Falências RECUPERAÇÃO JUDICIAL Reqte: Monticelli Buzzo Serviços e Comércio de Produtos

Eletrônicos Ltda. - Reqte: Isystem Desenvolvimento de Sistemas Ltda. Reqte: FN Serviços e Comércio de Produtos Eletrônicos Ltda. - Reqdo: Monticelli Buzzo Serviços e Comércio de Produtos Eletrônicos Ltda. - Av. Brigadeiro Faria Lima, 1.571 12° Andar Conj. 12 A - Jardim Paulis-

tano - Reqdo: Isystem Desenvolvimento de Sistemas Ltda. - R. Guararapes, 2.073 Apto. 1603 Bloco B – Brooklin Paulista. Reqdo: FN Serviços e Comércio de Produtos Eletrônicos Ltda. - Av. Brigadeiro Faria Lima, 1.571 12° Andar Conj. B 12 – Jardim Paulista - 1ª Vara de Falências


DIÁRIO DO COMÉRCIO

sexta-feira, 6 de junho de 2014

23

Nº 480

TERCEIRA GERAÇÃO

Cresceu, mas continua o MINI

Em sua 3ª geração, o carro cresceu no comprimento, altura e entre-eixos. Fifou mais confortável e manteve o "espírito" MINI: uma delícia de dirigir

Fotos: divulgação

CHICOLELIS

le aumentou de tamanho? Mudou a plataforma? Mudou o painel? Mudou as rodas? Teve muitas mudanças? Sim para todas as perguntas. Mas, o mais importante, ele continua sendo o MINI de sempre. Atraente no design, perturbador no desempenho. Um pequeno genial, capaz de arrancar elogios dos mais conceituados jornalistas do setor. E a 3ª geração do carro chega ao Brasil quando a marca comemora 5 anos de atuação no mercado nacional. São duas versões, Cooper e Cooper S. Ambas tiveram o peso reduzido, maior rigidez e ficaram 98 mm mais compridas, 12 mm mais altas e 28 milímetros no entre-eixos, oferecendo mais conforto aos usuários e proporcionando aumento do

E

porta-malas, agora com 211 litros (51 litros a mais que o anterior). Quanto custa? O motor do Cooper, que custa R$ 89.950, é um 1.5 Twin Power, 3 cilindros, com 136 cv de potência. O Cooper S ganhou propulsor 2.0 Twin Power Turbo, 4 cilindros, com 192 cv, sistema de navegação e custa R$ 113.950 e, sem ele, R$ 107.950. Ambos a gasolina. Em novembro chegará o One, com motor 1.2 Twin Power, com 102 cv de potência, ainda sem preço estabelecido. A nova versão do MINI ganhou nova transmissão automática de 6 velocidades, que oferece três tipos de condução: normal, MID, a Sport, para direção agressiva, ou a

Green que, segundo a fábrica, é a melhor opção para aproveitamento do combustível e menor emissões. É a suspensão adaptativa, MINI Driving Modes, que ajusta as características do motor, direção e suspensão de acordo com o que pede o condutor. Painel mudou O que alguns dos fãs do MINI poderão estranhar é que o grande marcador de velocidade e de outras funções, que ficava atrás do volante, foi removido para o lado direito, ficando no centro do painel. Agora, na posição anterior, apenas o marcador de velocidade, que registra a máxima de 223 km/h e chega aos 100 km/h em 6,7 segundos. A velocidade do veículo é

projetada também numa tela Head-UpDisplay, transparente, que apresenta instruções de navegação e funções do carro.

FORA DE ESTRADA

Troller, mudança radical O fora de estrada, agora sob o oval Ford, mudou totalmente. Ficou mais "bravo".

alvez tenha sobrado um ou outro parafuso da geração anterior. Mas, na aparência, na motorização e na suspensão, tudo mudou no Troller T4, agora definitivamente sob a "direção" da Ford. O motor, por exemplo, é o mesmo e eficiente 3.2 L, diesel, que equipa a Ranger, picape média da marca. O câmbio tem 6 velocidades. O design, então, como mudou! Não fossem as identificações do modelo, seria difícil reconhecer ali o novo Troller T4, que ficou com mais cara de "jipe" que a

T

geração anterior. Ficou nitidamente mais forte, com "linhas musculosas" como muitos definem os modelos off-road dos tempos atuais. As linhas do novo projeto deram mais eficiência aerodinâmica ao Troller. Mais moderno Os para-lamas são mais largos e integrados à carroceria, e as portas maiores, possibilitando melhor acesso ao interior. As rodas são de alumínio de 17 polegadas. No quesito modernidade, lanternas

traseiras de LED e, no teto, a novidade do "sky-roof", que oferece duas janelas no teto, que proporcionam boa iluminação no interior e visualização externa. A nova geração do Troller T4 ganhou barras transversais ajustáveis e aerofólio na tampa traseira, com brake-light integrado. As medidas do veículo também sofreram alterações e o vão-livre do solo e os ângulos de entrada e saída ampliaram sua capacidade de off-road. Aliás, a única coisa que não mudou no novo Troller

foi a sua boa condição de veículo fora de estrada. A Ford garante aos "trolleiros" e fãs que, a partir da nova geração, eles vão gostar ainda mais do novo modelo. Por dentro também Se mudou por fora totalmente, o mesmo aconteceu por dentro. Os bancos estão mais confortáveis, com maior número de regulagem no do motorista e os controles ficaram mais "à mão", facilitando o encontro de uma melhor posição para dirigir.


DIÁRIO DO COMÉRCIO

24

sexta-feira, 6 de junho de 2014

O BRASIL DA COPA Sexta-feira que vem, embarcamos no Trem de Cerveja, que faz a rota de Curitiba a Morretes.

Max Haack/ Agecom

Faltam seis dias para o início do Mundial de futebol. Para quem está de malas prontas, o DC selecionou programas imperdíveis em sete cidades-sede. Confira!

SOL DE JUNHO NO BRASIL

RECIFE

SALVADOR ria, principal endereço da arte contemporânea do Estado e com um lindo espaço ao ar livre – o Parque de Esculturas. E vale ir à Bahia Marina (www.bahiamarina. com.br), na borda leste da Baía de Todos os Santos, um centro de lazer náutico com oito restaurantes.

Antonella Salem Divulgação

FORTALEZA ecém-eleito pelo TripAdvisor o melhor parque de diversões da América do Sul, o Beach Park (www.beachpark.com.br) está situado a apenas 16 quilômetros da capital do Ceará, na praia de Porto das Dunas, e promete diversão para toda a família. Entre os destaques, o Aqua Park é um mundo aquático com mais de 18 atrações, incluindo toboáguas emocionantes; e o Beach Park Praia, uma área de lazer com uma seleção de lojas e restaurante de cozinha regional. Ingressos custam R$ 160 para crianças de até 12 anos (acesso gratuito a pequenos de até um metro); R$ 170 para adultos.

R

PORTO ALEGRE

ão dá para ir a Cuiabá e não aproveitar a chance de ver o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. São só 69 quilômetros até este santuário verde, repleto de cachoeiras, corredeiras, cavernas e formações geológicas formadas há milhões de anos. Um dos símbolos do parque é a Cachoeira Véu de Noiva (foto), com queda de 86 metros entre os chapadões. O acesso a seu mirante é feito por uma trilha curta e fácil. Dica de hospedagem na Chapada, a Pousada do Parque (www.pousadadoparque.com.br; tel. 65/ 9671-6876), simples e confortável, faz parte do seleto grupo Roteiros de Charme.

m dos melhores programas na capital do Rio Grande do Sul é a visita ao bairro Moinhos de Vento (www.moinhosdevento. com.br), elegante e tradicional na cidade. Lá fica o parque de mesmo nome, que se estende por uma área de 11,5 hectares e é palco de caminhadas, corridas leves e pedaladas. No lado sul, encontram-se amplas áreas de passeio, playground e um lago artificial com tartarugas, gansos, marrecos e peixes, além da réplica de um moinho açoriano. Pertinho, a Rua Fernando Gomes é conhecida como a “Calçada da Fama”, repleta de bares, cafés e restaurantes e gente bonita – e famosa – nas calçadas. E a Rua Padre Chagas, a “Oscar Freire gaúcha”, endereço de lojas de grife.

N

U

a Cidade Maravilhosa, imperdível um passeio panorâmico a um dos muitos pontos turísticos a bordo de um jipe militar. Entre os destinos, Floresta da Tijuca, Corcovado, Santa Teresa, Pão de Açúcar, Jardim Botânico e favelas. A empresa Jeep

N

tour (www.jeeptour. com.br) propõe o programa, que dura de três a quatro horas (a partir de R$ 114 por pessoa no tour das favelas). Se quiser um passeio de cunho cultural, não perca os novos MAR (Museu de Arte do Rio) e Casa Daros. O primeiro ocupa dois prédios na Praça Mauá, o Palacete Don João VI e o vizinho modernista, e abriga mostras históricas e de arte contemporânea (www.museudearte dorio.org.br; fecha segunda; ingressos a R$ 8, terça grátis); Casa Daros, em um edifício neoclássico em Botafogo,reúne um rico acervo de arte contemporânea da Amér i c a L a t i n a ( w w w. c a s a d aros.net; fecha segunda e terça; quarta grátis). Celso Junior/Estadão Conteúdo

Bruno Marfinati/Estadão Conteúdo

BRASÍLIA er a capital federal a partir da água pode ser uma experiência e tanto. A sugestão é um passeio de lancha pelo Lago Paranoá. É possível alugar uma com marinheiro (laketour.com.br; a partir de R$ 550 por uma hora, 34 pés, para até dez pessoas) e ter um belo visual da cidade navegando a partir de Pontão do Lago Sul e passando pelo Mosteiro de São Bento, o Pa-

V

de 50 anos adquire obras de arte dos séculos 15 ao 21, com peças da Europa, Ásia, América e África; na Pinacoteca, outro espaço no Instituto, descubra a maior coleção privada do pintor holandês Frans Post. Vizinha de Recife, Olinda é a dica para caminhar por ruelas históricas e descobrir a arte dos muitos ateliês locais.

RIO DE JANEIRO

Divulgação

CUIABÁ

ãs de arte não podem perder a v i s i t a a o I n s t i t u t o R i c a rd o Brennand, em São João da Várzea ( w w w. i n s t i t u t o r i c a r d o b r e nnand.org.br; terça a domingo, das 13h às 17h; R$ 20 por adulto). Fundado pelo empresário e colecionador homônimo, o lugar reúne belos jardins e inclui o Museu de Armas Castelo São João, que há mais

F

Agliberto Lima /DC

nova orla da Barra, entre o Shopping Barracenter e o Farol, está fazendo sucesso, point para caminhar e praticar esportes. No quesito cultura, o MAM (bahiamam.org; fecha segunda; entrada gratuita), no Solar da União, construído no século 17, é parada obrigató-

A

lácio da Alvorada, mansões à beira da água, entre outras atrações locais. Em terra, marinheiros de primeira viagem têm muito para visitar – da Esplanada dos Ministérios (local da Catedral Metropolitana e, mais adiante, o Congresso Nacional, a Praça dos Três Poderes, o Supremo Tribunal Federal e o Palácio do Planalto) ao Catetinho.


060614